políticAética

Notícias da Corrupção, Desvios, Anomalias, Eleições e Meio Ambiente

  • Sobre o blog

    Uma coletânea das notícias da corrupção, desvios, anomalias, eleições e meio ambiente que aparecem na mídia todos os dias a partir de agosto de 2008.
  • Categorias

  • Arquivos

  • Páginas

  • Meta

ANATEL: o Brasil que não funciona.

Posted by Pax em 18/01/2013

O programa “Entre Aspas” do canal GloboNews exibido ontem, 17/01/2013, com apresentação da jornalista Mônica Waldvogel, é assustador.

Esta disponível NESTE LINK para quem quiser revê-lo. Até o quinto minuto da entrevista percebemos a canalhice em forma pura. Desculpas e desmentidos de uma realidade inegável: temos péssimos serviços e pagamos uma das contas mais caras de telefonia do mundo.

Os convidados? João Resende, incompetente presidente da ANATEL – Agência Nacional de Telecomunicações – e Eduardo Lewi, diretor-executivo do SindiTeleBrasil, Sindicato Nacional das Empresas de Telefonia e Serviços Movel Celular e Pessoal.

No dia anterior, 16/01/2013 foram apresentados indicadores que confirmam o desqualificado serviço oferecido pelas operadoras. São os campeões nacionais de reclamação dos consumidores no PROCON. Nas palavras da Secretária Nacional do Consumidor, Juliana Pereira, “Quanto maior o mercado, maior a responsabilidade em relação ao consumidor”. As operadoras parecem não entender esta realidade. Melhor, para eles, oferecer o que há de pior e cobrar quanto mais possível. Com anuência da ANATEL. Uma relação simbiótica para lá de suspeita.

Telefonia celular substitui cartão de crédito como campeã de atendimento em Procons
RENATA AGOSTINI – Folha de São Paulo – BRASÍLIA

As empresas de telefonia celular tomaram a dianteira em 2012 no ranking de atendimentos do Sindec, o Sistema Nacional de Informações de Defesa do Consumidor, que congrega as informações de mais de 2 milhões de atendimentos feitos por 441 Procons do país.

Em 2011, o líder do ranking havia sido o segmento de cartões de crédito.

As informações foram divulgadas nesta quarta-feira (16) pela Secretaria Nacional do Consumidor, vinculada ao Ministério da Justiça.

A operadora Oi foi a líder do ranking empresarial, substituindo o Itaú, campeão de 2011.

Durante o ano passado, o sistema recebeu 172.119 “demandas” sobre telefonia celular –ou 9,17% do total de atendimentos. Em segundo lugar, vieram os bancos comerciais, com 169.427 atendimentos (9,02%); companhias de cartão de crédito, com 154.501 (8,23%); telefonia fixa, com 125.403 (6,68%); e financeiras, com 97.032 (5,17%).

A Secretaria Nacional do Consumidor classifica como “demandas” os atendimentos feitos pelos Procons, e não como “reclamações”, porque há consultas que não terminam na abertura de processos administrativos pelo órgão e são resolvidas apenas com o esclarecimento de informações aos consumidores.

No ranking empresarial, a campeã Oi contabilizou 120.374 demandas, seguida por Claro e Embratel com 102.682; Itaú com 97.578; Bradesco com 61.257 e Vivo Telefônica com 44.022.

A participação do setor de telecomunicações no total de atendimentos –telefonia celular, fixa, TV por assinatura e internet– saltou de 17,46% para 21,7%, o maior crescimento. O setor financeiro, contudo, que reúne bancos comerciais, cartão de crédito, financeiras e cartão de lojas, seguiu com a maior parcelas das demandas: 23,85%. (Continua na Folha…)

Mas esta situação poderia ser chamada de “crônica de uma morte anunciada” imitando o título do excelente livro de Gabriel Garcia Marquez. Em meados do ano passado já havia a certeza que a situação estava insuportável para os clientes.

Notícia da Agência Brasil de 19/07/2012 confirma esta afirmação: Telefonia celular é campeã nacional de reclamações do consumidor, contabiliza ministério.

Ao assistirmos o programa da jornalista Mônica Waldvogel podemos entender porque esta área estratégica do Brasil não funciona, assim como várias outras: estão entregues em mãos incompetentes que se ajoelham para empresas que não tem qualquer compromisso com qualidade, com a ética e com seus clientes.

O Sr Eduardo Lewi chega ao limite da canalhice ao afirmar que os números apresentados não representam a realidade, algo como culpando os consumidores e os indicadores pelos problemas existentes. Não só no programa exibido ontem mas em todas as declarações que encontramos. Um exemplo: SindiTelebrasil minimiza aumento das queixas de usuários da telefonia móvel

O que faz um Sr João Resende à frente da Anatel? Por todos os indícios apresentados mais parece defender os interesses das empresas fornecedoras dos péssimos – e caros – serviços que proteger o livre mercado e os consumidores.

Triste.

About these ads

370 Respostas to “ANATEL: o Brasil que não funciona.”

  1. Elias said

    I
    Como uns & outros aqui nâo têm nenhum compromisso com a coerência, vão dizer que é tudo culpa do Lula, e nem vão lembrar que passaram os últimos 10 ou 12 anos entoando cânticos de louvor às teles privatizadas.

    II
    Como já vi o filme bem mais de uma vez, mais ou menos sei como vai terminar essa briga de casa grande.

    As teles e os bancos privados vão aumentar a quantidade de anúncios nos veículos da família Marinho.

    Aí a Globo vai “esquecer” um pouco esse pessoal… E partir pra cima de outros….

    III
    O negócio é fazer o negócio gerar negócio…

    Quem fica parado é poste… Negócio = nec otium = não ócio.

  2. Pax said

    Sei lá se a culpa é do Hélio Costa, do Sérgio Motta, do Paulo Bernardo, do Sarney, do Collor, do Itamar, do Lula ou da Dilma. Será que não é culpa do D. João IV? Deodoro da Fonseca?

    O que sei é que a ANATEL que está aí não funciona.

    E as operadoras nadam de braçadas em cima da desgraça dos consumidores. Entregam um lixo de serviço e cobram o que devemos e o que não devemos.

    Ano passado houve uma mise-en-scène da ANATEL proibindo algumas operadoras de venderem mais planos. Não durou um $usto. Voltaram a vender o que tem e o que não tem, principalmente.

    Este ano fizeram outra ceninha, proibindo a TIM de vender sei lá o quê. Não durou outro $usto e já está lá a operadora vendendo lixo para seus clientes.

    Você reclama na ANATEL e os atendentes das operadoras ligam pra você cancelando tua reclamação. Isso mesmo, já relatei aqui. Aconteceu comigo, não é notícia, é fato vivido. Você vai na Justiça e te ameaçam de ser processado pelas operadoras. De novo, não é mentira, aconteceu comigo.

    E o que mesmo nosso atual Ministro das Comunicações diz? Nada. Melhor ficar caladinho. E deixar o cabidão de empregos da ANATEL funcionando a milhão.

    Com um tremendo incompetente à frente.

  3. Pax said

    E se quiseremos podemos aprofundar com qualquer outra Agência Regulatória. ANEEL, ANAC, ANA etc.

    Este assunto me lembra da querida “Rosemary”. Desculpem-me, mas lembra sim.

    Adoraria saber se a moça plantou algum bebê na ANATEL também, à além da ANA, ANAC e as que não sabemos. Sinto muito, Lula, essas coisas incomodam. Muito.

    Era melhor na época dos tucanos? Sei lá, não me interessa. Quero saber do sofrimento que sofremos agora.

  4. Elias said

    É…

    Fico surpreso com a baixa colocação das elétricas…

    Mas, a esta altura do campeonato, estou mesmo curioso é pra saber quanto tempo vai durar a “sugesta” da Globo em cima das teles e dos bancos.

    O Itaú/Unibanco, a essa altura, já deve estar chamando o pessoal da área de atendimento das suas agências de publicidade, pra planejar o cala-boca global.

    As teles são mais renitentes a esses tipo de achaque. Pior pra gente…. Vai aumentar a quantidade de mensagens publicitárias com que as chateles vão entulhar as caixas de mensagens dos nossos celulares & quejandos.

    Aí vão fazer uma pesquisa de opinião, e comparar com agora. Se não melhorar nada, ou piorar, vão pro colo da Globo. Se melhorar… Vão também, só que com (muito) menos grana…

    Solução?

    Sei lá… Quem for quebre que se podre.

    Quem sabe… Talvez com um pouco mais de liberdade econômica….

    Aí volta a minha curiosidade: quem serão as próximas vítim…, digo, empresas, que a Globo vai chantag…, digo, abordar, em mais uma campanha patriótica pelo bom funcionamento do setor serviços brasileiro?

  5. Patriarca da Paciência said

    Caro Pax,

    se houver uma coisa que nunca levei muita fé foi nas tais agências reguladores.

    Para mim é uma coisa que tem toda a natureza de se transformar em cabide de empregos, aliás, de altos e bem remunerados empregos e uma fonte de corrupção.

    Minhas agências reguladores, se por acaso eu tivesse o poder de criar algumas, seriam formadas por voluntários, sem qualquer remuneração, de setores representativos da sociedade, tais como, igrejas, associações de classe, sindicatos etc.

    Teriam simplesmente o direito de fiscalizar toda e qualquer conta, fosse de quem fosse, e apenas apresentar denúncia.

    Os poderes constituídos ficariam encarregados de tomar as providências cabíveis.

    Caso os poderes consitituídos não tomassem as providências cabíveis, os agentes fiscalizadores teriam todo o direito de apresentar denúncia contra quem não estava tomando providências.

  6. Patriarca da Paciência said

    Correção – agências reguladoras, que aliás nada regulam

  7. Michelle 2 said

    Putz eis uma ótima sugestão do Totó:

    Extinguir as agências reguladoras, que aliás nada regulam e substituir por agencias reguladoras formadas por voluntários, sem qualquer remuneração, de setores representativos da sociedade, tais como, igrejas, associações de classe, sindicatos etc.

    Depois poderíamos pensar em substituir alguns ministérios também.
    Por que não?

    Eu adorei esta idéia…hehehe

  8. Otto said

    As Oposições e Suas Batalhas

    por Marcos Coimbra, na CartaCapital, via Julio Cesar Macedo Amorim

    O ano mal começou e a nova batalha das oposições, partidárias e extraparlamentares, já está em pleno andamento. Se a primeira quinzena de janeiro transcorreu assim, imagine-se o restante do ano. É fácil perceber o que as move e aonde pretendem chegar.

    A espetacularização do julgamento do “mensalão” foi feita com o único objetivo de desconstruir a imagem do PT no plano moral. O que buscavam era marcar o partido e suas principais lideranças com o estigma da corrupção, a fim de erodir suas bases na sociedade.

    Só quem acredita em histórias da carochinha levou a sério a versão de que a imprensa oposicionista tinha o desejo sincero de renovar nossos costumes políticos e promover a “limpeza das instituições”. Seus bons propósitos são tão verdadeiros quanto os de Pedro Malasartes, personagem de nosso folclore famoso pelo cinismo e pela falta de escrúpulos.

    Por maiores que tenham sido seus esforços, obtiveram, no entanto, sucesso apenas parcial na empreitada, como vimos quando as urnas da eleição municipal foram abertas. Os resultados nacionais e algumas vitórias, como a de Fernando Haddad, em São Paulo, mostraram que os prejuízos sofridos pelo PT em decorrência do julgamento ficaram aquém do que calculavam.

    Essa frustração as levou ao ponto em que estão hoje. De um lado, a insistir no moralismo e na tentativa de transformar o “mensalão” em assunto permanente da agenda nacional. Querem forçar o País a continuar a debatê-lo indefinidamente, como se tivesse a importância de temas como a democracia, o desenvolvimento econômico, o meio ambiente e a educação.

    De outro, a diversificar os ataques, assestando as baterias em direção a novos alvos, procurando atingir a imagem administrativa da presidenta e do governo Dilma. Por extensão, de todo o PT. Não chega a ser um projeto original.

    Nas disputas políticas, nenhuma novidade há em acusar os adversários, simultaneamente, de corrupção e incompetência. Em dizer que, além de se apropriar de recursos públicos, não sabem governar, e que não há, portanto, qualquer razão para apoiá-los, nem sequer o argumento do “rouba, mas faz”.

    Neste início de ano, o discurso das oposições, em especial da armada midiática, é afirmar que o PT rouba e não faz.

    Atravessamos os primeiros 15 dias de 2013 como se vivêssemos uma crise gravíssima e difusa, como se o Brasil estivesse na iminência da paralisia total.

    Quem acompanhou o noticiário só ouviu falar em problemas, gargalos e decepções. É o inverso do que ela costuma fazer em janeiro, quando a maioria de seus leitores está de férias e pensa em outras coisas. Em vez das habituais reportagens amenas sobre a musa do verão e os preparativos para o carnaval, tudo o que publicam tem um tom catastrófico.

    Os mais radicais não escondem a satisfação com o fraco desempenho do PIB em 2012 e os problemas de abastecimento elétrico em diversas regiões.

    Ficaram algo tristes com as modestas tragédias naturais do começo do ano. Por enquanto, o que lhes resta é torcer por calamidades espetaculares.

    “Pibinho”, crise de gestão, apagão, desindustrialização, inflação, desemprego, falta de ar refrigerado no Santos Dumont, a disparada no preço do tomate, tudo vai mal no Brasil, segundo a mídia oposicionista. Por culpa de Lula, que “não soube aproveitar a sorte” e “desperdiçou a herança de FHC”, e de Dilma que é “centralizadora”, “estatista” e “antiquada”.

    Batem em tudo que veem e, se não veem, inventam. Nos últimos dias, até o Bolsa Família entrou na linha de mira dos “grandes jornais”. Sem falar na raiva contra Hugo Chávez, a quem parecem detestar somente por ser amigo de petistas – visto que nunca dedicaram aversão igual aos govenantes de direita do continente.

    São como os lutadores de boxe que não possuem em seu repoertório um soco capaz de nocautear o adversário. Lembram os enfezados pesos-moscas orientais, que brigam desferindo a esmo diretos, cruzados, jabs e uppercuts – além de, vez por outra, golpes baixos. Funciona? Até agora, pode-se dizer que não.

    Apesar do coro negativista, as pessoas comuns continuam satisfeitas com o País e o governo, e esperançosas em relação ao futuro. Em recente pesquisa da Vox Populi, 68% dos entrevistados disseram esperar que a situação de suas famílias venha a melhorar nos próximos 6 meses, contra 2% que temem que piore. E o mais provável é que os otimistas tenham razão.

    Esta semana, outro patético esforço de mobilizar os “indignados” conseguiu colocar dez cidadãos na Avenida Paulista. Portavam cartazes pedindo “Basta!”. Ficaram falando sozinhos.

    Uma coisa é conseguir a adesão de meia dúzia de ministros do Supremo, a maioria já alinhada com a oposição. Outra é encher as ruas. Isso, ela nunca soube fazer.

    E não consegue aprender.

    http://www.viomundo.com.br/politica/marcos-coimbra-bombardeio-de-gargalos-e-decepcoes.html

  9. Otto said

    Marcelo, guenta um pouco que já te respondo!

  10. Patriarca da Paciência said

    http://esquerdopata.blogspot.com.br/2013/01/na-suica-senadores-nao-tem-salario.html

    E já ouvi também que o Brasil é um dos poucos países do mundo que paga salários a vereadores!

  11. Pax said

    Off: Ok, o Josias pega pesado, mas…

    Como já venho dizendo – e por mais que o caro Elias tenha toda razão em dizer que a cúpula do PT está lá porque é a corrente do partido que mais trabalha para isto – me permito discordar do que fazem atualmente. Inventaram o tal jantar em Brasília para arrecadar dinheiro para pagar as multas dos condenados no mensalão. Até aí tudo bem, direito da Juventude Petista local de tomar a iniciativa. Acontece que alardearam, ou deixaram isso acontecer, aos quatro ventos.

    O que aconteceu:

    1 – fracasso, segundo o Josias, conseguiram uns 20 contos.
    2 – a imprensa – que hoje é a real oposição – se farta em cima do assunto.

    Pois, então…

    http://josiasdesouza.blogosfera.uol.com.br/2013/01/18/sobre-a-vaquinha-do-pt-e-a-serventia-do-crime/

    Ontem liguei para um conhecido das antigas. Tucano até o fio do bigode. Direito dele. Conversamos um bocado. É mineiro, acha que o Aécio é um bom governador, diz que consertou as estradas do estado – contestei, falei que andei no Sul de MG recentemente e era só buraqueira, ele disse que na região onde nasceu a malha viária estadual foi toda restaurada – etc etc.

    Mas acha que… o partido não tem mais sentido algum. Disse que não vê partido com sentido no Brasil, exceto… o PT, por mais críticas que tenha este conhecido reconhece que é o único que tem alguma coisa definida e a dizer.

    Acha que 2014 não tem chance alguma para o Aécio, ainda mais que Serra e Alckmin vão jogar contra ele.

    (baseado em fatos reais)

  12. Pax said

    Tô enrolado aqui, preciso sair para Sampa…

    Se der faço um post deste absurdo.

    http://revistaepoca.globo.com/Brasil/noticia/2013/01/video-inedito-mostra-assessor-e-amigo-de-ex-prefeito-sacando-dinheiro-do-combate-enchentes.html

    Filmaram os caras desviando R$ 3.000.000,00 do dinheiro enviado para Friburgo-RJ por conta da tragédia da chuvarada de 2011.

    O que se deveria fazer com esses caras.? Ok, aplicar a lei. Claro, mais que correto.

    (Mas que dá vontade de colocar o cidadão algemado na praça da igreja matriz e projetar o filme pra todos os munícipes olharem, dá. Depois disso…. bem, aí é com o povo que ele roubou)

    Ok, vamos voltar ao estado democrático de direito que é melhor.

  13. Patriarca da Paciência said

    Caro Pax,

    minha opinião é que, o que diferencia o PT e o torna um partido confiável para seus os militantes, é justamento o fato do PT “não abandonar companheiros sangrando à beira da estrada” – isto é coisa do PSDB.

    Jamais irão fazer os militates do PT acreditarem, através de notícias falaciosas, ilações ou inovações jurídicas, que José Dirceu, José Genoino e João Paulo Cunha são perigosos bandidos.

    Isto é um absurdo tão grande que simplesmente se torna algo kafkiano.

    Reconhecer erros, recomeçar é uma coisa, ser bode expiatório é outra bem diferente!

    E há muitas notícias desencontradas sobre o almoço da juventude petista. Enquanto o Josias fala em “20 contos”, outros falam em R$ 150 mil.

    Acontece que o Brasil tem, pelo menos, mil cidades de médio e grande porte e o PT está presente em todas elas.

    Se em cada uma dessas cidades for arrecada alguma quantia, não será difícil cobrir todas as multas.

    Vamos aguardar um pouco!

  14. Pois é, “empresas” que se organizaram nos tempos de FHC e depois se modificaram para carteis!

    Mas acho que é tempo de mudanças:

    Saiu na Carta Maior:

    LULA VOLTA. E MUDA A PAUTA DO PAÍS

    O ex-presidente Lula está volta. Na primeira semana de atividade depois das férias, mostrou que o espaço vazio na política brasileira, ocupado nos últimos meses pelo conservadorismo, agora tem agenda e contrafogo de peso. Na 4ª feira, Lula reuniu-se com o prefeito de São Paulo e secretários municipais. E foi ao ponto: a gestão Haddad deve ser marcada pela participação popular.Cravou: a prefeitura deve organizar grandes conferências da cidadania para a população discutir as suas urgências e se organizar em torno delas. Na próxima segunda-feira, Lula encontra membros do governo federal , autoridades de oito países latinoamericanos e intelectuais para debater a integração regional — um dos eixos de atuação do Instituto que leva o seu nome.O tema do encontro rebate na discussão do passo seguinte da agenda do desenvolvimento em meio à desordem neoliberal: “Caminhos progressistas para o desenvolvimento”. Estarão presentes entre outros, Celso Amorim, Marco Aurélio Garcia,Luciano Coutinho, Ricardo Carneiro, Antônio Prado, Aldo Ferrer, Fander Falconi e Alberto Couriel . Ainda em janeiro ele vai a Brasília para discutir a aceleração do investimento com a Presidenta Dilma e integrantes do primeiro escalão. No fim do mês, desembarca em Cuba para uma conferência. A partir de fevereiro, Lula inicia caravanas pelo país.

  15. Patriarca da Paciência said

  16. Patriarca da Paciência said

  17. Chesterton said

    O PT aparelhou as agencias reguladoras e os petistas “civis” reclamam que as telefonicas não funcionam…tsc, tsc, tsc

    (bem, para mim funcionam, mas vivo numa metrópole, logo não posso falar do interiorzão)

  18. Patriarca da Paciência said

    Para quem gosta de “tabelas”, uma publicação da CIA instituição norte-americana:

    Observe-se que pelos critérios adotados, o Brasil aparece com 21% de pobres e os Estados Unidos com 15%. Vê-se que a distância, pelos próprios critérios norte-americanos, não é tão grande. Só que o Brasil avança ano a ano para extinguir, pelo menos, a pobreza extrema.

    O primeiro número que aparece é o percentual, o segundo é o ano da pesquisa.

    Chade 80% 2001
    Haiti 80 2003
    Libéria 80 2000
    Congo-Kinshasa 71 2006
    Serra Leoa 70 2004
    Nigéria 70 2007
    Suriname 70 2002
    Suazilândia 69 2006
    Zimbabué 68 2004
    Burúndi 68 2002
    São Tomé e Príncipe 66 2009
    Zâmbia 64 2006
    Níger 63 1993
    Comores 60 2002
    Honduras 60 2010
    Namíbia 56 2012
    Senegal 54 2001
    Moçambique 54 2008
    Guatemala 54 2011
    Malávi 53 2004
    México 51 2012
    Bolívia 51 2012
    Quénia 50 2000
    Eritreia 50 2004
    Madagáscar 50 2004
    África do Sul 50 2000
    Lesoto 49 1999
    Gâmbia 48 2012
    Camarões 48 2000
    Guiné 47 2006
    Tajiquistão 47 2009
    Burquina Faso 47 2009
    Sudão 47 2009
    Nicarágua 46 2005
    Iémen 45 2003
    Ruanda 45 2011
    Belize 43 2010
    Jibuti 42 2007
    Costa do Marfim 42 2006
    Timor Leste 41 2009
    Angola 41 2006
    Mauritânia 40 2004
    Mongólia 39 2010
    Granada 38 2008
    Benim 37 2007
    Colômbia 37 2010
    Papua-Nova Guiné 37 2002
    Salvador 37 2010
    Mali 36 2005
    Tanzânia 36 2002
    Afeganistão 36 8
    Arménia 36 2010
    Guiana 35 2006
    Ucrânia 35 2009
    Paraguai 35 2010
    República Dominicana 34 2010
    Quirguizistão 34 2011
    Birmânia 33 2007
    Togo 32 1989
    Bangladeche 32 2010
    Peru 31 2010
    Camboja 31 2007
    Fiji 31 2009
    Macedónia 31 2010
    Botsuana 30 2003
    Argentina 30 2012
    Cabo Verde 30 2000
    Turquemenistão 30 2004
    Índia 30 2010
    Etiópia 29 9
    Domínica 29 2009
    Panamá 29 2011
    Equador 29 2011
    Gana 29 2007
    Líbano 28 1999
    Venezuela 27 2011
    Bielorrússia 27 2003
    Filipinas 27 2009
    Usbequistão 26 2008
    Laos 26 2010
    Nepal 25 2011
    Iraque 25 2008
    Uganda 25 2009
    Costa Rica 24 2010
    Tonga 24 3
    Israel 24 2012
    Butão 23 2008
    Argélia 23 2006
    Paquistão 22 5
    Moldávia 22 2010
    Bulgária 22 2008
    Brasil 21 2009
    Roménia 21 2010
    Eslováquia 21 2002
    Grécia 20 2009
    Egipto 20 2005
    Espanha 20 2005
    Emiratos Árabes Unidos 20 2003
    Irão 19 2007
    Bósnia e Herzegovina 19 2007
    Uruguai 19 2012
    Portugal 18 2006
    Croácia 18 2009
    Estónia 18 2010
    Polónia 17 2003
    Trindade e Tobago 17 2007
    Turquia 17 2010
    Jamaica 17 2009
    Japão 16 2007
    Alemanha 16 2010
    Bélgica 15 2007
    Chile 15 2009
    Estados Unidos 15 2010
    Marrocos 15 2007
    Coreia do Sul 15 2006
    Vietname 15 2010
    Jordânia 14 2002
    Reino Unido 14 2006
    Hungria 14 2010
    Dinamarca 13 2011
    China 13 2012
    Rússia 13 2010
    Rússia 13 2010
    Albânia 13 2008
    Indonésia 13 2011
    Eslovénia 12 2008
    Síria 12 2006
    Azerbaijão 11 2009
    Países Baixos 11 2005
    Geórgia 10 2010
    Canadá 9 2012
    Baamas 9 2004
    Gronelândia 9 2007
    Sérvia 9 2010
    República Checa 9 2010
    Sri Lanca 9 2010
    Cazaquistão 8 2009
    Tailândia 8 2009
    Maurícia 8 2006
    Suíça 7 2010
    Montenegro 7 2010
    França 6 2004
    Áustria 6 2008
    Irlanda 6 2009
    Lituânia 4 2008
    Malásia 4 2009
    Tunísia 4 2005
    Taiwan 1

    http://www.indexmundi.com/map/?t=0&v=69&r=xx&l=pt

  19. Patriarca da Paciência said

    Um fato realmente escabroso, conforme a CIA o México, com uma renda per capita superior ao Brasil, apresenta 51% de pobres!

    Já Taiwan, província chinesa, praticamente eliminou a pobreza!

  20. Patriarca da Paciência said

    Outro fato escabroso, o Suriname, que foi colônia inglesa e depois holandesa, apresenta 70% de pobres, o que desmente, totalmente, a suposição dos positivistas brasileiros de que, se os holandeses tivessem vencido a guerra, o Brasil seria um país rico e sem problemas.

  21. Patriarca, ao contrário do que a China quer, Taiwan não se considera provincia e sim país!
    E muito, mas muito bem armado!
    Quanto ao Brasil, bem, o futuro será muito melhor do que podemos imaginar.

  22. Patriarca da Paciência said

    Israel tem mais pessoas abaixo da linha da pobreza que o Brasil, 24% em 2012!

    Como a pesquisa brasileira é de 2009, o Brasil já deve estar bem abaixo dos 20%.

  23. Patriarca da Paciência said

    HRP,

    Taiwan será incorporada à China por livre e espontânea vontade.

    É só uma questão de tempo!

    Em paciência os chineses são mestres!

  24. Elias said

    Patriarca,

    Sobre as Agências Reguladoras

    “Voluntários sem remuneração”? Nem pensar.

    Esse foi o papo do pessoal de esquerda e dos liberais em geral, no Brasil do final dos anos 1970… Todos achávamos que a “sociedade civil” brasileira daria conta de um porradal de problemas brasileiros.

    Quebramos a cara!

    As décadas seguintes foram um banho de realidade.

    As ONGs rapidamente se revelaram uma das maiores fontes de corrupção do país. Tanto que, dos anos 1990 em diante, foi necessário um porrilhão de leis, decretos, regulamentos, etc, restringindo ao máximo o acesso de ONGs às decisões e aos recursos públicos.

    Hoje parece fácil sacar o que inevitavelmente ocorreria, como consequência da estrutura que se estabeleceu no Brasil inspirada na ingenuidade herdada dos anos 1970: toda sorte de ladrões e corruptos, do meio empresarial, do meio político, do meio eclesiástico, etc., se danou a criar ONGs sob os mais diferentes pretextos — direitos civis, meio ambiente, assistência social a parcelas fragilizadas da sociedade, etc — mas com um único propósito: ROUBAR! Meter a mão no dinheiro público.

    Vai daí que as ONGs brasileiras rapidamente decaíram à condição em que hoje se encontram: instituições em princípio suspeitas. Daí, também, as restrições legais criadas a partir dos anos 1990.

    Se a fiscalização dos serviços públicos brasileiros explorados pela iniciativa privada em regime de concessão, fosse entregue a organizações da sociedade civil, em pouco tempo veríamos boi voar de costas… Infinitamente mais do que agora…

    É o seguinte:

    1 – No Brasil, a iniciativa privada só opera no cabresto curto. Tem que trazer a canalha debaixo do relho, o tempo todo. Se der um pouquinho só de liberdade, ela faz isso que estás vendo nas teles, nos bancos privados, na distribuição da energia elétrcia, etc., parte pro trabalho escravo, e daí pra pior.

    2 – Quem tem que manejar o cabresto curto e a chibata em cima da canalha é o ESTADO, até porque a sociedade civil brasileira não tem testículos pra tal altas cavalarias (como as ONGs fartamente demonstraram).

    Aliás, por lei, essa fiscalização, assim como o exercício do poder de polícia (que se materializa no poder de multar, suspender o funcionamento, etc), que dela deriva, são atribuições exclusivas e indelegáveis do Estado.

    O mecanismo das agências reguladoras, criado pelo FHC, é muito bom. Precisa ser colocado pra funcionar, algo que não aconteceu nem com FHC, nem com Lula, nem com Dilma.

    A sociedade civil brasileira já faria muito se conseguisse minimamente fiscalizar as agências reguladoras. Se ela fizesse isso, já estaria exigindo a cabeça desse bando de cretino que tem estado à frente dessas agências: uns são os distintíssimos fazedores de porra nenhuma; outros são os ajudantes…

    Nós vamos saber que as agências reguladoras estão fazendo alguma coisa aproveitável para a sociedade, quando a direita começar a reclamar dos dirigentes dessas instituições, chamando-os de “ditadores”, “comunistas”, “algozes da liberdade de empreender”, “inimigos da iniciativa privada”, e daí pra baixo.

    Enquanto a direita taxá-los simplesmente de “incompetentes” e “omissos”, desgraçadamente ela terá razão.

    Como atualmente, por exemplo…

  25. Patriarca da Paciência said

    Elias,

    eu também não acredito em ONGs, falo mais em equipes formadas por bispos, padres, rabinos, pastores etc., médicos, advogados, engenheiros, contadores, etc., militares, aposentados, empresários etc, e todos os demais profissionais, pessoas sérias e que se prontificassem a prestar um serviço social.

    Na Suécia, vereadores e deputados estaduais não recebem remuneração. Palamentares recebem apenas uma modesta “ajuda de custo” e nenhuma mordomia.

    Acho que é por aí. Seria a sociedade protegendo-se a si mesma.

  26. Chesterton said

    falo mais em equipes formadas por bispos, padres, rabinos, pastores etc.,

    chest- êpa, e a separação estado-igreja?

  27. Chesterton said

    O mecanismo das agências reguladoras, criado pelo FHC, é muito bom.

    chest- estou chorando de emoção…..

  28. Chesterton said

  29. Patriarca da Paciência said

    “Pânico. É essa a reação que o ex-presidente provoca na Editora Abril. No editorial desta semana, Eurípedes Alcântara, diretor de redação de Veja, parte para o ataque e diz que Lula submeteu Fernando Haddad ao “humilhante papel de tutelado”. O comportamento seria inaceitável e Veja se apresenta para conter as atitudes “transgressoras” do ex-presidente.”

    http://www.brasil247.com/pt/247/midiatech/91100/Veja-ataca-intervenção-inaceitável-de-Lula.htm

  30. Patriarca da Paciência said

    Do Link acima:

    “No editorial, Eurípedes expressa o pavor da Editora Abril. “O que Lula fez com Haddad na semana passada, e seus próximos asseguram que ele planeja fazer com a presidente Dilma, se enquadra no campo dos comportamentos inaceitáveis”, afirma. “O que não é aceitável é Lula conspicuamente submeter um chefe do Executivo ao humilhante papel de subordinado, como ele fez com Fernando Haddad, na semana passada”.

    É o que eu observo faz tempo. Para algumas pessoas, principalmente para a equipe da “óia”, o Lula é o cara mais poderoso da Terra!

  31. Elias said

    Elias: O mecanismo das agências reguladoras, criado pelo FHC, é muito bom.

    Chest: estou chorando de emoção…..

    Elias: Por que estás a choraire, puto? Eu cá sempre disse que o gajo tucano fez coisas excelentes. Uma das melhores, aliás, foi deixaire que seu valete de chambre disputasse as eleições com Lula em 2002…

  32. Elias said

    Patriarca,

    Em tese, o que os parlamentares brasileiros recebem é, também, uma “ajuda de custo” (tecnicamente, os proventos dos vereadores não são conbsiderados salários).

    Isso não muda nada.

    Corrupção é, acima de tudo, um problema cultural.

    No caso das agências reguladoras, sem o poder de polícia (ou seja, sem a capacidade coercitiva), elas seriam meras proposições morais. Isso não funciona em lugar nenhum, muito menos no Brasil.

    Tem que ter poder de polícia (no caso, o poder de multar, de suspender funcionamento, etc). E isso TEM que ser, SÓ PODE ser exercido pelo Estado.

  33. Pax said

    Também acho que o modelo e o mecanismo pressuposto no modelo das privatizações são bons. Muito bom? Não chegaria a tanto, precisaria ver outros para comparar.

    Aconteceu o que aconteceu, foi impregnado por um bando de canalhas e/ou incompetentes colocados nos cargos, conselhos, presidências, superintendências, diretorias e gerências por interesses de uma bandidagem generalizada. Totalmente imiscuída com os fornecedores, na tal relação simbiótica que falo no post em que os dois se hospedam nas costas dos consumidores, a sociedade brasileira, indivíduos e empresas usuárias, sugando tudo que podem. Até a última gota de sangue.

    É um colocação forte? É, sim. Mas mais acerta que erra no apanhado geral, por todos os indícios que vemos.

    Basta ver a Agência Nacional das Águas (e os bebês de Rosemary), a ANAC (e os bebês de Rosemary), a tal agências dos portos – esqueci o nome (e os bebês de Rosemary), a ANEEL (e os bebês do Sarney), a ANAC (sei de quem são os bebês) etc etc. Tentem, num breve exercício, apontar alguma área que funciona. Confesso que tentei e não consegui lembrar de uma que seja.

    No apanhado geral estas agências não fazem nada do que seriam suas principais missões, que são estimular a concorrência (definindo mercados, participações, fazendo os leilões de concessões etc etc) e, PRINCIPALMENTE, protegendo os interesses dos consumidores na medida que a concorrência obrigaria os fornecedores a ter melhores, produtos, serviços e práticas e com preços menores possíveis, mesmo admitindo um Estado Forte que necessita de uma carga tributária elevada para manter sua estrutura e ações à serviço da sociedade. E, claro, fiscalizar a geringonça toda.

    Nada disso acontece.

    De novo, o modelo e o mecanismo são bons, mas tudo se arruinou com o tal do mote do blog, a chaga da corrupção.

    E aí meus amigos, nem sei como resolver mais. Com certeza passaria por uma implosão dos nomes ocupantes dos cargos, estabelecimento de conceitos e regras para que outros melhores assumissem e virassem a mesa. As fornecedoras passariam a rezar na cartilha ao invés de mandar na cartilha.

    FHC começou. Acredito que a ruína, ou alguma parte dela, tenha começado também no seu período.

    Mas durante Lula a coisa foi para o brejo. Com certeza não houve qualquer melhoria – que eu saiba – e, também com certeza, houve diversas pioras. E aqui, de novo, Rosemary taí para não nos deixar cair em contradição.

    E com Dilma? Bem, sinceramente também não vi nenhuma melhora na situação. Aqui e presidente bem considerada pela sociedade está devendo um bocado.

  34. Chesterton said

    31, FHC sempre foi o maior eleitor de Lula.

  35. Chesterton said

    FHC começou. Acredito que a ruína, ou alguma parte dela, tenha começado também no seu período.

    chest- chute.

  36. Pax said

    Não, caro Chesterton. Constatação.

    Logo do início as operadoras já montaram em cima das Agências. Veja o caso da ANATEL como exemplo.

  37. Chesterton said

    Pax, então você não acredita, você sabe . E se sabe, posta aqui para que todos possam saber.

    http://oglobo.globo.com/pais/noblat/post.asp?cod_post=482993&ch=n

  38. Pax said

    Caro Chesterton,

    Você agora está dirigindo e ordenando o blog? Quem lhe outorgou esses poderes?

    =)

    Fiuza? Bem, ele acha que os parasitas são somente os de agora. Acaba por perder toda e qualquer razão em sua bílis transformada em palavras. Ele quer convencer quem que “todos que não forem petistas são limpinhos e bonzinhos”?

    Acho que só você e mais meia dúzia acreditam nestas.

    ANATEL: acabo de registrar mais uma reclamação. Não é só telefonia celular não.

    Estou há 4 dias sem sinal algum na minha assinatura SKY aqui na roça. É mole?

    Vou tentar, claro que não vou conseguir, que consertem e descontem os dias sem serviço na próxima fatura. Será que a ANATEL estará do meu lado?

    Claro que não.

  39. Pax said

    Off topic: quase nunca leio o Azenha. Fui dar uma conferida por conta do título de um post novo:

    O pré-debate entre Tarso e Dirceu sobre o congresso do PT

    http://www.viomundo.com.br/politica/o-pre-debate-entre-tarso-genro-e-jose-dirceu-sobre-o-congresso-do-pt-em-fevereiro.html

    Não há debate algum, somente duas entrevistas, algo como confrontando Tarso com Dirceu.

    E acabei lendo o artigo do Dirceu.

    Pois bem, opinião minha. Este cidadão vai enterrar o PT. Paciência, liberdade para falar e agir acho que ele tem que ter. Quem quiser acompanhá-lo, que vá.

    O somatório de distorções no texto do Dirceu chega às raias da insanidade.

  40. Chesterton said

    Você agora está dirigindo e ordenando o blog? Quem lhe outorgou esses poderes?

    chest- direito adquirido. Sério, para de chutar. Acho que você deveria se mudar para mais próximo da antena….

  41. Pax said

    Me mudar?

    Estás louco, caro Chesterton, que erva que você cheirou sabadão de noite?

    …….

    Dois problemas animais aqui.

    1 – cavalo deve ter enroscado a pata em algum arame, ralou tudo, ficou em carne viva.

    2 – cachorro pegou alguma bactéria, sei lá, na ponta do rabo, uns 15 cm da ponta pra cima.

    Chamamos um vet. Eu acho o cara 1/3, 1/3, 1/3.

    1/3 – veterinário
    1/3 – charlatão
    1/3 – ladrão

    Desses natureba. Mandou tratar os bichos somente com essência de calêndola diluída em água.

    Pois bem. O cachorro, por motivos familiares, foi pela recomendação do tal (3 x 1/3).

    O cavalo foi por minha conta. Lavei com água e sabão, meti Iodo 20% (queima até alma penada), meti Furanil (bactericida) e tasquei unguento pras moscas não pousarem.

    Tanto cachorro quanto cavalo, 3 curativos por dia.

    O cachorro vai perder a ponta do rabo. Está por um fio. O bicho (bactéria, acho eu) comeu a josta toda.

    O cavalo? Pois sim, primeiro dia chegou a inchar a pata toda, uma quentura danada. Acho que os micróbios estavam pulando na fogueira. O bicho nem conseguia por o pé no chão. Deixei preso, os outros soltos como sempre. Dia seguinte o bicho ficou andando de lá pra cá querendo sair como todos saem depois do rango da manhã. Só não apliquei mais o Iodo 20%, o resto tudo igual, 3 vezes por dia um banho de água e sabão, arrancando as cascas de feridas sujas etc, Furanil e unguento.

    O cavalo já esta galopando solto no pasto.

    O cachorro, bem, vai ficar cotó. Sei lá se a infecção não vai alastrar. Pra curar só se mandar a família passear na praia e eu trato do meu jeito.

  42. Chesterton said

    1. dá um beijinho
    2. corta fora.

  43. Patriarca da Paciência said

    Depois do rola-bosta 100% idiota… tcham tcham tcham tcham… dudu o alarmista!

    No sábado, ele chama Guido Mantega de estelionatário. Um bandido capaz de causar inveja em Marcos Valério. No domingo, Dilma Rousseff é a presidente chavista que já arruinou o setor elétrico e estaria prestes a calar a imprensa livre. Parece até “Dudu, o alarmista”, personagem criado por Luís Fernando Veríssimo, que só enxergava o pior. Relaxa, Guilherme. Pega uma praia

    http://www.brasil247.com/pt/247/midiatech/91163/Calma-Fiúza-a-vida-não-está-tão-ruim-assim.htm

  44. Elias said

    Voltando aos assuntos das Agências.

    Não há de ser nada, não.

    A Dilma vai começar a mexer nelas em 2013. Os poderes das agências reguladoras vão ser redefinidos.

    Em 2014 a Dilma se reelegerá, na primeira eleição presidencial, em muitos anos, sem a participação do Lula, que, a essa altura, já terá assumido a presidência de uma multilateral (Banco Mundial e BID são os mais cotados).

    De 2015 a 2018 as agências reguladoras se tornarão progressivamente mais eficientes, matando a direita de raiva e fazendo que com que os liberais coloquem em promoção suas velha e empoeirada mercadoria encalhada, vulgarmente conhecida como “liberdade de empreender”, ridicularizada e anatemizada até pela Igreja Católica (vide “Rerum Novarum”, de Leão XIII).

    Em 2018 o PT vencerá novamente as eleições presidenciais, depois da oposição se rachar mais uma vez, com a recorrente disputa entre 3 velhinhos: Serra, Aécio e Alckmin.

    Na campanha, os velhinhos da oposição lembrarão a enorme importância que o Plano Real — conduzido pelo falecido ex-presidente FHC — teve pra… pra… pra… Sei lá, entende?

    Também dirão que o candidato do PT, se eleito, vai liberar o aborto, o casamento entre homossexuais, o cruzamento de cachorro com gato, de banana com abacaxi e de pato-no-tucupi com feijoada e arroz à grega…

    Além do mais, dirão que o PT vai proibir o uso de laranja Bahia na feijoada e de limãozinho na caipirinha e na caipiroska.

    Com abordagens, assim, da maior relevância — e, talvez, por isto mesmo — os cansados matusas da oposição terão que adiar suas pretensões presidenciais para 2022. Aécio ficará torcendo para que, no interstício, a natureza faça o trabalho dela e facilite o dele, Aécio, tirando de campo alguns de seus concorrentes internos (de preferência, todos).

  45. Pax said

    Só pra provocar um pouquinho….

    Enquanto tudo isso que o caro Elias diz acima estiver acontecendo, o Zé Dirceu vai continuar dizendo que foi julgado por um tribunal de exceção, que não houve desvio de dinheiro público e que tudo não passou de uma agenda orquestrada pela grande mídia.

  46. Chesterton said

    Aécio Neves:

    ” A presidente deveria acender uma vela em agradecimento ao presidente Fernando Henrique pela construção das usinas térmicas, tão duramente criticadas pelo PT. Não fossem elas, seriam os brasileiros que estariam acendendo velas por todo país.”

    chest- é verdade.

  47. Chesterton said

    Crônicas do fim do mundo’, um artigo de Fernando Gabeira

    PUBLICADO NO ESTADÃO DESTA SEXTA-FEIRA

    FERNANDO GABEIRA

    “Feliz fim de mundo”, dizia a manchete do jornal venezuelano Tal Cual no dia de dezembro marcado para ser o último, com base no calendário maia. De certa forma, o mundo acabou e, de tão felizes, não nos demos conta.

    Como baratas que sobrevivem ao inverno nuclear, o PMDB prepara-se para assumir o controle do Congresso Nacional. São os mesmos de sempre, como diz o personagem de Beckett ao perguntarem quem lhe deu uma surra na rua.

    O calendário de Marco Maia terminou com uma ação importante: a compra de 1.500 iPads para os deputados. Medida econômica destinada a poupar montanhas de papel. Acontece que os iPads serão pregados nas mesas. É compreensível o medo de serem subtraídos. Tantos recursos, conhecimento e inovação foram gastos para criar uma tecnologia móvel e os deputados vão usá-la pregada. A esquerda no poder sempre pode argumentar: se a aristocracia reacionária pregou Cristo na cruz, qual o problema de pregar uma conquista tecnológica? O problema é que, se fizessem um aplicativo para celular, poderiam economizar os iPads, montanhas de papel e, naturalmente, os pregos. Todos os deputados têm celulares e do bolso dos assessores brotam celulares como dinheiro amassado do bolso dos bicheiros.

    Do iPad vamos para o Photoshop. É um programa, com muitas funções, para tratar imagens. Com o Photoshop, os políticos sempre parecem mais novos do que sua idade real e as contas, mais arrumadinhas do que autoriza a crise real. Algumas rugas em forma de débito foram suprimidas. Dizem as notícias que as manobras feitas pelo governo para formalizar a maquiagem, mobilizando estatais e o BNDES, deram um prejuízo de R$ 4,7 bilhões, via mecanismo, forçado pela urgência, de comprar ações na alta e vendê-las na baixa.

    Na energia, Edison Lobão é a cara do fim do mundo. Ele aconselhou a usar energia à vontade num momento em que os reservatórios estão baixos, as empresas hidrelétricas se desidratam na Bolsa e as térmicas a todo vapor emitem milhões de toneladas de gases de efeito estufa. Em todo o mundo, o conselho dos dirigentes é usar energia com critério e procurar economizá-la sempre que possível.

    Lobão é generoso. Como Dilma, que nos promete uma redução de 20% na conta de luz, nesta conjuntura complicada. Como as térmicas encarecem a energia, a única saída será subsidiar uma parte da redução. Parte do que Dilma nos dá com toda a pompa devolvemos silenciosamente ao pagar a conta.

    O sistema brasileiro é considerado bom por muitos analistas do setor. Precisa de investimento e gestão. Hidrelétrica fechada há quase 20 anos e central eólica funcionando sem linhas de transmissão para distribuir a energia são sinais de desgoverno. Costumo dizer que Barack Obama escolheu um Prêmio Nobel de Física para a pasta de Energia; quis o destino, graças à coligação vitoriosa, que nosso ministro fosse Lobão. Os vitoriosos impõem-nos condições constrangedoras. No passado, decisões brasileiras com repercussão continental eram pelo menos comunicadas às Comissões de Relações Exteriores do Congresso. Em alguns casos, falava-se até com a oposição.

    A Venezuela está sendo governada por aparelhos. Eles são o vínculo de Hugo Chávez com a vida. Os chavistas poderiam respeitar a Constituição e eleger Nicolás Maduro dentro de um mês. Resolveram suprimir esse caminho, afirmando ser apenas uma formalidade constitucional.

    Um assessor especial brasileiro viaja para Havana, discute com cubanos e venezuelanos e afirma: a posição do Brasil é apoiar o adiamento das eleições na Venezuela. Os vitoriosos não deveriam poder tudo. A política externa do Brasil não precisa coincidir totalmente com a do PT. Ela é o resultado de um pacto com a maioria que elegeu Dilma. E quando se trata de decisão de peso é preciso ao menos comunicar à oposição.

    Marco Aurélio Garcia encarnou o PT, o governo e o Brasil. Que viagem! Enquanto espera as malas na esteira, proclama: a posição do Brasil é pelo adiamento das eleições na Venezuela.

    Com o esfacelamento da oposição, os vitoriosos deixaram de fazer política. Desfilam solitários. Um partido substitui o País, que, por sua vez, é substituído por um assessor especial.

    Na crise energética de 2001, fazíamos comissões, íamos ao Planalto, chamávamos o Pedro Parente, responsável pela gestão do problema, ao Congresso. Hoje está tudo morto por lá. E o PMDB prepara-se para roer os escombros. Esses dois momentos em que um setor vital como a energia invade a agenda revelam a devastadora decadência da política no Brasil.

    Aos vencedores, as baratas. Pena que a paisagem na oposição seja também tão desoladora. O calor do debate político poderia levar-nos a pensar numa alternativa para tudo isso. A alternativa não é fácil. Os grandes partidos da oposição parecem não se interessar por ela. No mínimo, estariam se reunindo, discutindo os temas, lançando notas sobre a energia, a posição do Brasil nas eleições da Venezuela, a maquiagem das contas públicas.

    Se a imprensa se tornou o único setor que questiona tudo isso, melhor talvez fosse distribuir os iPads aos repórteres. De que vale ser eleito como oposição e não realizar a tarefa?

    Um certo mundo acabou. Ainda não apareceram aquelas brumas do amanhecer nos rios do Pantanal. Elas nos dão a ilusão de uma nova gênese, um outro mundo despontando gradualmente da névoa. Não espero nenhum paraíso. É pedir muito que o Brasil tenha um ministro da Energia à altura da importância do tema, que a política externa seja mais democraticamente exercida, que as contas públicas não sejam maquiadas? E que o Congresso funcione, a oposição se oponha?

    Começam pregando iPads, daqui a pouco vão comprar aviões para a linha de ônibus Madureira-Central do Brasil, desativando sua capacidade de decolar. Começam com o ministro da Energia estimulando o consumo e, daqui a pouco, o da Saúde aconselhará a fumar.

    O mundo acabou de certa forma. De tão felizes, não percebemos que está de pernas para o ar

  48. Michelle 2 said

    1. Sonhar não é pecado. O pecado é mentir.

    2. Pax achei excelente a sua parábola do PT (cavalo) x PT ( cachorro).
    O problema é que o “veterinário” não é do ramo, o molusco do PT. Ele vai tentar fugir da raia. Quando dá merda ele grita: Eu não sabia
    Ele se acostumou resolver os problemas com a barriga…

    Vergonha!

  49. Pax said

    Terceiro dia seguido que a SKY afirma que o técnico virá consertar o problema. Terceiro dia de castigo esperando os inomináveis, incompetentes, irresponsáveis e protegidos pela ANATEL.

    Cinco dias sem sinal, sem tv em casa.

    Uma maravilha de escrotice com um cliente de 12 anos. Sem uma única conta atrasada.

    É isso que dá o país se tornar um Império da Corrupção.

    Cliente vira lixo. Conta vira piada que pode ser aumentada da forma que quiserem. O lixo/cliente que se desdobre para pagar. E não reclame.,

  50. Chesterton said

    http://www.implicante.org/blog/trofeu-algemas-de-ouro-lula-e-eleito-o-politico-mais-corrupto-de-2012/

  51. Pax said

    Nada de defender Lula. Agora deixo essa missão para Rosemary Nóvoa Noronha.

    Mas, caro Chesterton, esta votação é o mesmo que ir na Convenção do PT e fazer uma enquete de quem eles acham o pior político do Brasil.

    Pula essa.

  52. Chesterton said

    achei que fosse uma piada.

  53. Chesterton said

    As classes sociais
    DE SÃO PAULO

    Aí você sai para jantar com amigos e vai a um restaurante bem chique. O maître, que de paletó preto e calça listada parece até um noivo, é cheio de gentilezas; faz maneirismos, propõe pratos interessantíssimos e ainda diz que o chef pode fazer qualquer coisa que você invente, só para te dar prazer. Por outro lado, os garçons não deixam seu copo ficar vazio um só instante, e ficam de olho para ver se o pão acabou, se o guardanapo caiu no chão, tudo para seu conforto e felicidade.

    Aí, uma noite você volta ao mesmo restaurante e, como o clima está bom, a bebida descendo bem e todos alegres, a noite vai passando, as outras mesas vão indo embora, menos a sua, que vai ficando, ficando, até ser a única que sobrou.

    Lá pelas tantas os funcionários começam a ir embora; um dos maîtres, daqueles tão elegantes, sai vestindo uma camisa de algodão feia e de má qualidade, com uma capanga debaixo do braço. Aos poucos vão saindo os garçons; a maioria usa camiseta com uma estampa, algumas do seu time do coração, todos loucos para chegar em casa e poder descansar. Aí então você tem uma súbita percepção da realidade, pensa que passou a noite num teatro, e mais: fazendo parte do espetáculo.

    Aqueles funcionários tão educados e de tão boas maneiras são pessoas que passam parte da vida representando, e depois de lidar com as comidas e bebidas mais caras, quando terminam o trabalho vão esperar o ônibus para voltar para casa, uma casa modesta onde alguém está esperando: a mãe, uma namorada, ou mulher e filhos já dormindo, já que não puderam sair mais cedo porque seu grupo ficou dando risada e dizendo bobagem.

    É curioso que esses garçons, que te tratam tão bem, não se despedem quando estão indo embora. Na hora da volta à realidade, quando o espetáculo termina –já na vida real, portanto–, garçons não falam com clientes. Já pensou encontrar na praia, que é o lugar mais democrático que existe, aquele que é tão solícito e simpático, vocês dois de calção? Vão sorrir um para o outro da mesma maneira? Provavelmente não vão nem se reconhecer.

    Você bebe seu penúltimo drinque pensando nessas loucuras da vida. A conta de uma das mesas resolveria o problema de fim de mês daquele garçom; o que se passa na cabeça dele? Será que fica feliz porque tem gente consumindo, o que é a segurança do seu emprego, ou enquanto serve e é gentil pensa no preço do vinho italiano e tem vontade de quebrar a garrafa –cheia– na cabeça do cliente que já pediu mais uma? Não necessariamente para matar, só para fazer aquele estrago, e exatamente na cabeça daquele que dá as maiores gorjetas. E alguém tem o direito de dar uma gorjeta, alta ou baixa, só porque quer? Porque pode? É muita humilhação.

    Mas não faz nada; dentro de sua relativa ignorância –ou sabedoria–, sabe que pegaria vários anos de cadeia se fizesse o que está com vontade de fazer, e sabe também que ninguém entenderia. Afinal, sempre foi considerado um funcionário exemplar.

    Ela vê tudo isso como se fosse um filme; toma mais um drinque, o último, dá várias risadas, as últimas, e vai para casa pensando se não seria mais feliz se não pensasse em tanta bobagem.

    Tanta bobagem?

    Danuza Leão

    chest- essa é “top” da esquerda festiva do Rio de janeiro. Esse texto é o texto mais vagabundo que já vi na FSP. Para ela garçon é criminoso, não existe a profissão de garçon e são todos invejosos. Dava um bom processo no sindicato.

    “se fizesse o que está com vontade de fazer” ….quem está com vontade de fazer é ela, deve ter ficado pobre e está com ódio do mundo. Ou feia e velha, mulher bonita que se esquece que vai ficar velha morre de raiva. Já vi uma top model de antigamente morrer de raiva porque não tinha mais o poder que a beleza e juventude lhe proporcionavam. Morreu xingando ex-marido, filha, genro, dantesca cena.

    O equivalente ao garçon das fantasias dela seria eu, que atendo convenios, ficar com raiva do cara da Vieira Souto que vai lá pelo plano de saude em vez de pagar particular. Ora, um absurdo. Que venham todos, quanto mais, melhor. E quanto mais ricos ficarem, mais feliz fico eu.

  54. Pax said

    Esses 5 dias sem tv até que ajudam um pouco em:

    1 – confirmar o post. A ANATEL está impregnada de incompetência. Se houver uma turma que suspeita que também esteja impregnada de corrupção podem me incluir na lista. E isto, meus caros, é área estratégica para o país. Mais uma que vai por água abaixo e que dará um trabalhão e custará uma fortuna para consertar mais à frente, quando limpar um pouco a área.

    2 – confirmar a certeza hora de trocar de ladrão, quer dizer, de operadora de tv por satélite. Vou para outra droga, certamente também a$$ociada com a ANATEL. Mas nestas horas que você se move, sempre dá pra reduzir algum custo fixo em casa. Só com o novo link-porcaria já reduzi minha conta mensal em mais de R$ 200.

    3 – reforçar o nojo dessas situações tipo Valdemar Costa Neto, Rosemary Nóvoa Noronha, desse gente que invadiu e se adonou do país. Quem são os padrinhos? Não, não pensem que só é marido da traída, é gente pra todo lado.

    4 – voltar a medir temperatura em outras redes sociais. Teve lugares virtuais que não via há quase um ano. Tem uma galera muito pau da vida com essa corrupção toda. Gente de todo lado, até petistas, vários – muitos – ex-petistas, tucanos, histéricos, gente de toda sorte de tendência política. Sim, ok, não faço parte da maioria da população, mas dos meus conhecidos afirmo de cadeira que tem muita gente puta da vida. Tá todo mundo ficando de saco cheio. Isso é ótimo. Agora é o momento de aparecer mais e mais canalhice, carrapatos de povo agindo. Não vejo a hora de começar o julgamento do mensalão tucano, do mensalão democrata, das prisões da AP470. Quanto mais melhor neste momento. Uma hora a sociedade vai chegar em algum lugar que será um ponto de transição. Nenhum passe de mágica, claro que não, um processo demorado pacas, mas haverá um ponto de transição, de mutação.

    5 – a fazer coisas que estavam na lista e que vários momentos deixamos de fazer porque tem o jornal da Band, tem a Globonews, tem a tv Brasil, o filme tal etc. Nestes dias quase terminei um levantamento chato que tinha que fazer faz horas.

  55. Chesterton said

    a melhor coisa que fiz foi cancelar a net….

  56. Patriarca, Otto, Zbi, olha só com que lirismo o Azenha escreveu isso:
    http://www.viomundo.com.br/voce-escreve/o-pt-e-uma-sensacao-que-as-pesquisas-nao-medem.html

  57. Pax said

    Paulo Moreira Leite foi para a diretoria da IstoÉ em Brasília.

    Beleza, tomara que continue com a mesma linha editoria que tinha em seu blog. É preciso mais que as versões que a mídia (Globo, Estadão, Folha e Veja) divulgam.

    Na média ponderada de tudo que sai, acaba-se com uma visão mais apropriada. Se ficarmos somente com as versões da tal grande mídia, que hoje é a real oposição no Brasil, com certeza a visão é distorcida. Muito distorcida.

    Quem acompanha política sabe muito bem disso.

  58. Pax said

    Esta moça, Eliane Brum, merece ser lida todas às segundas.

    http://revistaepoca.globo.com/Sociedade/eliane-brum/noticia/2013/01/perdao-aaron-swartz.html

  59. Zbigniew said

    Gostei muito, José Mário. Principalmente a “sensação de pertencer” que não pode ser medida pelo IBOPE ou DATAFOLHAS da vida, ainda que muitos problemas existam, como bem apontado aqui neste post do Pax (espero que as palavras do Elias se concretizem em relação ao furdunço que se tornaram as Reguladoras nas mãos do PT e seus assiciados). E o final diz tudo:

    “O grande problema da oposição brasileira é que, gostem ou não do PT, o partido está associado a esta sensação compartilhada hoje por milhões de brasileiros.

    Colocado de forma simples, o PT pode até ser aquele homem (mulher) feio (a), mas foi o único (a) que, no baile, me tirou para dançar.”

  60. Elias said

    “Para ela garçon é criminoso, não existe a profissão de garçon e são todos invejosos. Dava um bom processo no sindicato.” (Chester # 53)

    Hipótese 1: Chester tá doidin, doidin…

    Hipótese 2: Chester tem um grave problema de cognição.

    Hipótese 3: Chester é o típico brasileiro que — tendo um pouco mais onde tantos nada têm ou têm menos do que necessitariam pra sobreviver com dignidade –, não tá nem aí pra isso.

    O típico brasileiro cuja insensibilidade social chegou a níveis idióticos (ou imbecílicos), a ponto de pensar que as pessoas do andar de baixo não vêm com inveja e ressentimento — algumas com ódio — o pessoal dos pavimentos mais elevados esbanjar, numa única noitada, o que bastaria e sobraria pra sustentá-las e às suas família durante meses.

    É preciso ser muito tonto pra não conseguir nem imaginar que muitas dessas pessoas têm, si, ódio de classe, ressentido, surdo, mudo, recalcado, que, volta e meia, se manifesta de diferentes maneiras.

    É esse tipo de mentalidade que produz miséria de montão, e que transforma o garoto de 10 anos que vende chiclete no sinal de trânsito, num delinquente feroz que, volta e meia, aparece com um “berro” pra cobrar a conta de um cara que nunca se importou com ele, ou com alguém como ele, quando vendia chiclete no sinal de trânsito.

    Desigualdade social extremada, gera sentimentos extremados.

  61. Chesterton said

    Na média ponderada de tudo que sai, acaba-se com uma visão mais apropriada.

    chest- emcimadomurismo

  62. Chesterton said

    60- Elias, não é porque você é um analfabeto moral que todo brasileiro tambem é.

  63. Chesterton said

    Aliás, essa sempre foi a grande queixa da esquerda: a falta de ódio de classe no Brasil para fazer a “verdadeira revolução”.

  64. Chesterton said

    Acuado pelas denúncias do Mensalão, Lula reúne governo e desiste de 2014.
    O presidente do Instituto Lula, Paulo Okamotto, classificou como “especulação” a possibilidade de o ex-presidente voltar a se candidatar ao Palácio do Planalto em 2014. “A candidata nossa em 2014 chama-se Dilma Rousseff”, disse ele, na manhã desta segunda (21), ao chegar ao seminário “Caminhos Progressistas para o Desenvolvimento”, promovido pelo instituto para discutir a integração da América Latina.”Vamos trabalhar por sua reeleição, para que a gente continue fazendo esse governo extraordinário, que tem dificuldades, mas pode fazer muita coisa pelo Brasil.”

    O dirigente afirmou que qualquer discussão sobre a sucessão presidencial em 2013, “antes do Carnaval”, é “mera especulação e não contribui em nada para a gente entender o que está acontecendo com o Brasil”. O ex-presidente Lula fez a fala de abertura do encontro, que não pode ser acompanhado pela imprensa, em um hotel na zona sul de São Paulo. Entre os participantes estão integrantes do governo Dilma, como o ministro da Defesa, Celso Amorim, o assessor especial a Presidência para assuntos internacionais Marco Aurélio Garcia e o presidente do BNDES, Luciano Coutinho.

    Okamotto disse considerar natural que participantes da administração federal se reúnam com o ex-presidente. “O Lula nunca deixou de fazer isso. Ele sempre está debatendo, tentando construir política”, afirmou. Segundo o dirigente, neste ano Lula planeja ir a Brasília para intensificar conversas com as bases parlamentares na Câmara e no Senado, como fez no início do governo Dilma, em 2011. O ex-presidente também prepara o roteiro de uma série de viagens pelo Brasil, para defender o legado de sua passagem pelo Planalto. (Folha Poder)

    blog do coronel coturno

  65. Pax said

    Amputado o rabo do cachorro. Aquele tal veterinário que achava 3 x 1/3 agora já acho diferente.

    É 2/3 charlatão e 1/3 ladrão.

    De veterinário nao tem nada.

    Enviado via iPhone

  66. Elias said

    Chester # 62

    Analfabeto moral és tu, que vives apresentando aqui textos que não são teus, como se teus fossem.

    Analfabeto moral és tu, que apresentas aqui ideias que não são tuas, como se tuas fossem.

    Analfabeto moral és tu, que propagas aqui mentiras e calúnias, como se fossem acontecimentos e circunstâncias verdadeiras.

    Analfabeto moral és tu, e gente da tua laia e do teu proceder, mesquinho e desonesto.

  67. Elias said

    “Aliás, essa sempre foi a grande queixa da esquerda: a falta de ódio de classe no Brasil para fazer a ´verdadeira revolução´.” (Chester)

    O comentário acima demonstra que, até mesmo gente como tu, Chester, quando se esforça, consegue produzir metade da metade de um raciocínio que se aproveite.

    A estratégia dos marxistas foi basicamente essa: potencializar o “ódio de classe”, aumentá-lo ao máximo, e, ao mesmo tempo, industriá-lo, dar-lhe forma orgânica e canalizá-lo para a luta política e para a conquista do poder.

    É o que eles chamam de “salto de qualidade” do proletariado.

    A passagem das classes proletárias da condição de “classe em si” (determinada pela condições objetivas de vida), à condição de “classe para si”, ou seja, da classe consciente de si mesma, e determinada a deixar de ser “classe dominada” para se tornar “classe dominante”. O “salto de qualidade” estabelece a chamada “condição subjetiva”, que torna possível a luta pelo poder, e de onde derivam, prospectivamente, conceitos como “ditadura do proletariado” & afins.

    Essa é a abordagem dos marxistas. Não “da esquerda”, porque nem todas as correntes de esquerda (social-democratas, socialistas, etc) são marxistas. Nem toda a “esquerda” concorda com isso.

    Por isto, a metade do teu raciocínio vale pela metade, como qualquer indivíduo minimamente familiarizado com os rudimentos do be-a-bá do início do começo dos primeiros passos da Ciência Política pode facilmente perceber.

    Mas também é correto dizer que essa xaropada nunca seduziu os trabalhadores brasileiros. Os comunistas jamais conseguiram mobilizar para suas teses uma parcela expressiva dos trabalhadores deste país.

    Pessoalmente, acho que isso aconteceu porque os comunistas nunca se empenharam em adaptar sua doutrina à realidade brasileira. Eles sempre operaram a partir de um figurino importado da Europa, como se esse figurino fosse capaz de se adaptar, por si mesmo, a qualquer latitude, longitude, clima, cultura, experiência histórica, etc.

    Equívoco que, por sinal, os liberais brasileiros também cometeram. Ainda hoje, é comum que se leia uma análise de um liberal brasileiro, e se tenha a sensação de que ele pensa que está na Europa do século XIX…

    No caso dos comunistas brasileiros, não é que o “ódio de classe” e o “ressentimento de classe” não existam. O que faltou aos marxistas brasileiros, se bem me parece, foi competência política pra chegar junto e dar um sentido político a isso.

    Não conseguiram fazer isso quando o marxismo podia ser apresentado como uma ferramenta capaz de colocar a utopia ao alcance mão.

    Menos conseguirão, agora, quando o marxismo já escancarou suas virtudes (na análise crítica do capitalismo), e sua falha congênita (uma ideologia falida, como eixo para formulação de uma nova forma de organização social).

    Mas, de qualquer forma, Chester, parabéns!

    Conseguiste, sem copiar e colar de ninguém, formular a metade da metade de um raciocínio inteligente (a constatação restante não está computada neste cálculo porque tá na cara, até mesmo pra alguém como tu, Chester).

    Falta, agora, abandonar o analfabetismo moral.

    É perfeitamente possível ser de direita e, ao mesmo tempo, ser intelectualmente honesto…

    Quer ver? Tenta, Chester. Vais acabar conseguindo…

  68. Chesterton said

    Eu não me chamo Danuza Leão, talvez você…à noite! Seu mentiroso safado. (eu sou muito malvado….hahahahahaha)

  69. Chesterton said

    Para que a democracia funcione adequadamente, argumenta Mujica, os líderes eleitos deveriam ser postos um degrau abaixo. “Temos feito todo o possível para tornar a Presidência menos venerada”, disse ele.

    chest- Mujica, do Uruguai…é, até relógio parado acerta a hora 2 vezes ao dia.

  70. Elias said

    Chester,

    Sabe quando tu estás num restaurante e devolves o filé, porque pediste “bem passado” e ele veio quase cru? Sabes quando tu devolves um prato qualquer pra que ele seja ajustado na cozinha?

    Sabes o que às vezes acontece, nesses casos, mesmo em restaurantes caríssimos?

    Nesses casos, é comum que o pessoal da cozinha cuspa no prato, esfregue o filé no chão e daí pra pior. Tanto que também é comum que o “maitre” fique de olho, acompanhando tudo, exatamente pra evitar que algo assim aconteça. Tem lugar metido a besta que, à menor chance, os caras emporcalham a refeição de quem pediu um ajuste no prato.

    É isso aí… Ódio ou ressentimento de classe…

    Se tu nunca ouviste nada a respeito disso, morando no RJ, sinceramente, és um sério candidato a ter almoçado ou jantado filé bem passado ao molho de catarro…

  71. Elias said

    “Eu não me chamo Danuza Leão…” (Chester)

    Claro que não, boneca…

    Com um pseudônimo desse (Chesterton), jamais serias Danuza.

    Estás mais pra Karen, Greta, Lynn, Sally, Shirley, por aí…

    E quem tem mentido e propagado mentiras aqui és tu, Karen, safadinha esconde-brachola…

    Tu só és malvadinha quando escondidinha num pseudônimo. Aposto que, num cara a cara tu afrouxas, Shirley…

  72. Elias said

    Poxa Karen/Chester,

    Logo agora, que eu tinha encontrado uma razão pra te elogiar…

    Lá tu baixaste de vez o nível e, agora, vou ser obrigado a te tratar como tu mereces e gostas de ser tratada…

    Já sei… Deves ser uma dessas pervertidas, que adora ser amarrada e chicloteada…

    Entonces…

  73. Elias said

    Karen,

    Vou adivinhar: tu pintas o cabelo e passas esmalte nas unhinhas, certo?

    Não há problema nenhum em fazer isso, boneca. Não pensa que eu tenho alguma prevenção contra ti, só porque és enrustida.

    Nada disso! Enrustida também é gente. E, se a boneca é de direita, nada mais compreensível que ela viva enrustida, porque a direita é muito preconceituosa com bicha.

    Mas eu não sou de direita, Karen. Sou de esquerda.

    E considero que mesmo uma criatura nojenta, defensora do que há de mais reprovável na sociedade brasileira; mesmo alguém desprezível, como tu, uma enrustida tirando onda de machão, merece ser tratada com respeito.

    É por isso que eu sempre te trato respeitosamente, Karen.

  74. Chesterton said

    Elias é fácil de perturbar. Antigamente seria o Mate Leão (já vem queimado).

  75. Elias said

    Shirley

    I
    Estou me divertindo, Karen.

    Qualquer um que der uma olhadinha no # 68, verá que tu é que perdeste as estribeiras.

    E, como sempre acontece quando fazes isso e tens resposta à altura (ou seja, à baixeza), ficas dizendo que os outros é que estão ficando nervosos…

    É só outra manifestação do teu analfabetismo moral, Karen.

    Pra mim, Shirley, tanto faz… Eu me divirto debatendo em qualquer nível.

    Se a oponente vai ou não aguentar o tranco é outra questão…

    Entendeu, Babette?

    II
    Pessoalmente, gostaria de debater um pouco mais a questão das Agências Reguladoras sob um outro prisma.

    É sintomática, p.ex., a ausência de comentários ditos “liberais” nesta caixa.

    Como é sintomático o fato de que a Karen, como sempre, fique copiando e colando textos de outras pessoas, sobre outros assuntos…

    Durante anos ela & outros disseram que os serviços das teles eram excelentes. Que a privatização tinha colocado o setor no caminho do progresso.

    Há anos ela & outros dizem que o mercado tem solução pra qualquer problema, sem necessidade da intervenção estatal. Que, no caso das teles, a má qualidade do serviço de uma implicaria a migração de sua clientela pra outra… Que a concorrência induziria um padrão de qualidade cada vez mais alto.

    Quem disse isso, fica, agora, “boca de abiu” com a má qualidade dos serviços das teles e a inoperância das agências reguladoras.

    Se a interação concorrencial no Brasil servisse pra aguma coisa, as agências reguladoras nem seriam necessárias. A inoperância delas não faria a menor falta, porque, com elas ou sem elas, as teles só melhorariam o padrão de qualidade dos serviços que elas prestam.

    Toda a argumentação pseudo-liberal fica prejudicada pelo que está acontecendo com as teles, com a distribuição de energia elétrica, com o setor financeiro, etc.

    As relações de cada um desses setores com as respectivas clientelas, exigem, com urgância, um Estado forte, regulador, interventor quando necessário, e, evidentemente, honesto.

    Exatamente o oposto da cantilena pseudo-liberal.

    Resta pros pseudo-liberais dizer que, até onde eles percebem, o serviço das teles, dos bancos privados e das distribuidoras de energia elétrica está bom.

    O problema é que isso trava o discurso político deles. E eles ficam sem argumento pra criticar a (in)ação das agências reguladoras (ou seja, o governo ao qual eles fazem oposição sistemática).

    Ao mesmo tempo, eles se dissociam politicamente do monte de gente que, com justa razão, reclamam das concessionárias de serviço público e da leniência do Estado em fiscalizá-las.

    E, no fim, a Globo só pautou o assunto com olho da caixa registradora. Assim que esta começar a tilintar, a coisa será convenientemente esquecida…

    III
    Se a Dilma der uma vassourada nas agências reguladoras, lá por volta de 2022 a direita e os pseudo-liberais de plantão estarão bradando contra a falta da “liberdade de empreender”, como parte de mais uma campanha do candidato derrotado à Presidência da República.

    No rodapé, estarão o Dirceu e o Genoíno (como quer o Pax), assistidos de seus bisnetos, denunciando a manipulação de que foram vítimas no STF: o Genoíno, por não terem respeitado seu direito à ampla defesa, e o Dirceu, por ter sido condenado sem provas no processo (Não sei em que sala esses bodes vão feder mais…).

  76. Pax said

    Nunca vi um post mais apropriado. Atirei em gato e matei lebre, jacaré, tatu e sussuarana.

    Andava revoltado com a questão do meu link. Todos habitués sabem. Vamos relembrar um pouco para desopilar meu fígado.

    DEZ de 2011: Pagava por volta de R$ 500,00 por um link Star One da Embratel. Link de 1/5 de 1 Mbps. Isso mesmo, 200 kbps para download. Quer dizer, isso era o que eles vendiam. Na prática meu contidiano era viver com 30, 40 kbps. E tenho uma planilha onde anotava todos os chamados técnicos por falta de funcionamento. Se calhasse de cair o sinal numa sexta, bau bau, só segunda de manhã para ser atendido. Ainda assim os canalhas mandam uma carta afirmando que cancelariam a entrega do serviço. Sem maiores explicações.

    DEZ de 2011: A Tele(a)fonica inicia uma campanha de telemarketing ativo na região onde moro dizendo que a Internet banda larga havia chegado. Eu e mais uma lista de infelizes enganados assinamos o tal serviço e ficamos esperando, ansiosos, claro, mas felizes da vida. E continuamos esperando, esperando, entregariam o modem no outro dia, no outro, no outro, reclamação, ouvidoria e chega a informação que na verdade era tudo mentira. (mas, provavelmente o diretor comercial ganhou seu bônus de final de ano pela meta superada).

    JAN de 2012: Lembro como se fosse ontem, não desligaram no dia 31 de dezembro, desligaram no dia 2 de janeiro, o maldito sinal da canalha Embratel. E o tal modem da Tele(a)fonica era uma propaganda enganosa. À época já reclamava da inoperância da ANATEL assim como anunciava o noivado entre Elias e Chesterton depois de anos de convivência amorosa e relações promíscuas virtuais. Tentei registrar a queixa no Juizado de Pequenas causas e fui ameaçado de processo pelo diretor deste departamento da nossa Justiça injusta.

    FEV de 2012: Desistido, desamparado, ferrado de quatro, ardido em minha mais íntima proximidade do cóccix, comprei modem USB da Claro, da Vivo, antenas e mais antenas de amplificação de sinal de celular e nada, sinal algum na minha casa. Tinha que ir no alto de um platô deste pequeno sítio onde moro para me conectar. Instalei duas antenas neste platô, uma apontando para o local da antena 3G mais próxima ligada pelo rabo com outra apontada para minha casa na tentativa orientada por engenheiro de telecom que o sinal seria retransmitido e nada. Amigo gaúcho veio me visitar, trazer a filha para eu conhecer e tomamos a decisão de ir até Ushuaia de moto, para ver se o Brasil daria uma melhoradinha e, quem sabe, o somatório de problemas de telecom indicassem ao governo que uma faxina na ANATEL era mais que necessária. Quem sabe até com elementos sanitários como Cloro, Iodo e até a Polícia Federal.

    MARÇO de 2012: volto renovado, feliz da vida do tiozão ter conseguido terminar a aventura planejada, dos três que saíram fui o único que cumpriu a meta de ir até o Fim do Mundo, subir a Ruta 40 e adentrar o Chile pela Carretera Austral. Estava me achando o máximo, capaz de mover montanhas etc. Sinal 3G, nem pensar.

    ABRIL ou MAIO de 2012: num momento de reflexão profunda – cagando no banheiro do quarto de hóspedes, deixo meu iPhone em cima do bidê ao lado enquanto filosofo Sócrates, Platão, Aristóteles, dou um pulo secular até Descartes e chego em Schopenhaur e Nietzsche. Ao voltar ao mundo dos vivos olho para o aparelho do falecido inventor e criador da MacIntosh e vejo que tem um palinho 3G na posição exata onde o deixei.

    MAIO a DEZ de 2012: depois de muitas frustrações, decepções, condenações do mensalão, visitas na prestimosa vizinha que cedia o Wifi da sua casa que fica 2 km daqui mas pega internet via rádio, usando o iPhone como roteador para o MacBook com sinal pra lá de fraco, mas a vida segue com as restrições e o blog se mantém apesar de todos os esforços da canalha geral da ANATEL et caterva, as operadoras que agradam o mundaréu de conselheiros, superintendentes, diretores, gerentes e, quiçá, filhores de Rosemary. Sabe-se lá como o esquema funciona, mas deve ser com lingerie de luxo e posições estratosféricas para que o gozo flua inse$$antemente.

    DEZ de 2012: a Vivo oferece um novo pacote que tem um Modem que aceita antena externa e volto a ter uma internet que funciona de madrugada com 2 Mbps e depois que todos acordam, umas 3 horas depois do galo cantar (ele canta entre 4h50 e 5h), meu link cai para 0,2, com soluços de 0,5 Mpbs e alguns tombos gerais. Nem jogo mais xadrez online de tantas que já perdi por perda de sinal. Mas estou de novo no ar, leio sites, consigo ver Youtubes, até o Facebook dá pra usar. Quem nunca come mel quando vê um grão de açúcar se lambuza.

    JAN de 2012: Precisamente dia 17 assisto o programa da Mônica Waldvogel, o “Entre Aspas” que entrevista dois canalhas de marca que mentem descaradamente durante os 30 minutos de duração. Opa, aí já é demais. Ora de fazer um post. Afinal o blog fala de corrupção, desvios e anomalias no trato da coisa pública. Coincidentemente um dos meus pontos da SKY tv deixe de funcionar e faço um chamado no seu 10611 solicitando reparo.

    JAN de 2012: Depois de 6 dias sem sinal, hoje acaba o quarto dia em que agendam uma visita técnica e ninguém aparece, não telefonam, não dão satisfação. Já tenho uns 15 protocolos registrados, já protocolei também na ANATEL e agora só me resta sofrer. Beleza, mas sofrer calado não. Só no Twitter já coloquei uns 20 posts. Até de canalha já chamei os cara. Quero mesmo é que me processem. Podem, como estão, ferindo, de novo, minha moral mais profunda, aquela mesma, perto do cóccix, mas não esperem que eu fique calado. Esta ardência tem que se tornar pública.

    (tudo baseado em fatos vividos, uma ou outra referêbcia de data pode não ser precisa, mas o relato e a ardência são reais)

    Este Brasil, tomado pela corrupção como o rabo do meu pastor alemão foi tomado por bactérias, não funciona e não funcionará. Melhoraremos aqui e ali, tiraremos dezenas de milhões da miséria, e isto é muito, sim, mas continuaremos sendo um país do atraso, atacado por uma infestação incontrolável de carrapatos e sanguessugas do dinheiro público.

    O rabo do meu cachorro foi amputado hoje, uns 15 cm em sua parte final e ainda não sabemos se não termos que amputar mais.

    É a mesmíssima situação brasileira. Ou se amputam essas bactérias devoradoras de cofres públicos ou a infecção nos matará, aniquilando nosso futuro.

  77. Pax said

    Pra não me acusarem como acuso certos jornalistas de mentirosos, aqui está o desabafo no Twitter. Tem que ler debaixo para cima

    Pax ‏@politicAetica
    @skybrasil , @SKYresponde : cheguei a pensar que não “festejaríamos” nosso aniversário de uma semana sem sinal. Mas o técnico não veio. Ufa.
    Expand
    1h Pax ‏@politicAetica
    @skybrasil @SKYresponde Facebook lotado de reclamações de vcs. Tem gente que cancelou a assinatura e estão cobrando o serviço. Que vergonha.
    Expand
    1h Pax ‏@politicAetica
    @skybrasil : 10611 não funciona, mail não funciona, CHAT não funciona, @SKYresponde não funciona. Mas a conta chega, sem falha. E cara.
    Expand
    1h Pax ‏@politicAetica
    @SKYresponde , @skybrasil -> Amanhã faremos aniversário de 1 semana sem sinal e atendimento. Parabéns pela falta de compromisso e vergonha.
    Expand
    1h Pax ‏@politicAetica
    @SKYresponde @skybrasil : mais um dia sem qualquer sinal de atendimento ou retorno. @SKYresponde não disse que entraria em contato? Q lixo!
    Expand
    5h Pax ‏@politicAetica
    @SKYresponde @skybrasil : empresa canalha ! Seis dias sem sinal, quarto dia em que o técnico prometido não vem. Alô @brasil_ANATEL !
    Expand
    8h Pax ‏@politicAetica
    @SKYresponde @skybrasil : como meu problema é sério, a atendente do CHAT, Renata Souza, simplesmente me desconectou. Isso é a SKY Brasil.
    Expand
    8h Pax ‏@politicAetica
    @SKYresponde : quarto dia esperando atendimento. A empresa pode pensar que sim, mas cliente não é lixo não.
    Expand
    22h Pax ‏@politicAetica
    @SKYresponde não funciona. @skybrasil trata clientes como lixo. Quarto agendamento feito agora pelo tel. Não virão mais uma vez. E a ANATEL?
    Expand
    22h Pax ‏@politicAetica
    @SKYresponde Já informei todos os protocolos dos chamados. Se não conseguem identificar o cliente pelos chamados porque criam perfil no SKY?
    View conversation
    23h Pax ‏@politicAetica
    @skybrasil @SKYresponde : terceiro dia seguido em que prometeram vinda de técnico. Terceiro dia de castigo esperando. 5 dias sem sinal.
    Expand
    20 Jan Pax ‏@politicAetica
    @SKYresponde Mandei 8 protocolos registrados e não resolvidos. O que mais vocês querem para resolver o problema? 5 dias sem sinal. Vergonha.
    View conversation
    20 Jan Pax ‏@politicAetica
    @SKYresponde @skybrasil : vocês pedem para tratar em Direct Messages. Só para esconder que não responderão os clientes que tratam como lixo.
    Expand
    20 Jan Pax ‏@politicAetica
    @SKYresponde Atendimento de 5a categoria. 5 dias sem sinal. Técnico não aparece, deixam a gente esperando. Vergonhoso.
    Expand
    20 Jan Pax ‏@politicAetica
    @skybrasil Porcaria de atendimento de vocês! Vergonhoso o tratamento com um cliente de 12 anos.
    Expand
    18 Jan Pax ‏@politicAetica
    ANATEL: o Brasil que não funciona. http://bit.ly/105cZ0w
    Expand
    17 Jan Pax ‏@politicAetica
    Cara de pau dos entrevistados do “Entre Aspas”? Pres da Anatel e dir do sindicato das operadoras. Um incompetente, outro mente sem piscar.

  78. Elias said

    I
    ” À época já reclamava da inoperância da ANATEL assim como anunciava o noivado entre Elias e Chesterton depois de anos de convivência amorosa e relações promíscuas virtuais.” (Pax)

    Pax, uma coisa eu te garanto: jamais comi a Karen!

    Se enfiei alguma coisa nela foi involuntária e virtualmente, mesmo.

    Não trabalho com esse artigo…

    Mas… Nada contra quem faz isso, viu Bette Davis, a malvadinha?

    II
    “Tentei registrar a queixa no Juizado de Pequenas causas e fui ameaçado de processo pelo diretor deste departamento da nossa Justiça injusta.” (Pax)

    Isso é só a microponta de um espesso e paquidérmico novelo…. O Judiciário brasileiro precisa ser totalmente redesenhado. De alto a baixo. De baixo ao alto…

    É impressionante — e frustrante — a facilidade com que juiz brasileiro “interpreta” e “reinterpreta” leis, disso originando decisões não raro estapafúrdias e conflitantes entre si (num momento, 2 + 2 = 5; noutros, a mesma conta dá 22, 43, 6,5, etc), sem que nada lhe aconteça.

    De tal modo isso acontece que, não raramente, o CNJ já teve que exorbitar de suas funções, pra desfazer malfeitos de juiz.

    Quando é necessário uma ilegalidade pra desfazer outra, socialmente danosa, é porque alguma coisa está muito errada, mesmo…

  79. Edu said

    Elias,

    Para mim a dúvida é: o que é mais fácil fazer?

    1 – Facilitar a vida do empreendedor, que elevaria a concorrência até impactar positivamente os níveis de serviço
    2 – Atuar por meio das já existentes agências reguladoras para forçar uma elevação dos níveis de serviço
    3 – Atuar por meio de empresas estatais até que a concorrências se encarregue de melhorar os níveis de serviço

    No curto prazo, é muito mais fácil que o Estado atue pelas já criadas agências reguladoras. Só que a melhoria das mesmas esbarra em problemas conjunturais do próprio Estado brasileiro: a corrupção e a vinculação política.

    O liberalismo fica inviável quando é mais fácil criar mil regras, leis, autorização do Ibama, autorização da anvisa, 1 ano pra conseguir alvará de funcionamento, 1 ano pra conseguir desembaraçar mercadoria, 1 ano pra conseguir montar uma fábrica que cumpra com todas as metas de nacionalização dos equipamentos (se vc quiser entrar no time das empresas protegidas pelo governo, é claro). ATENÇÃO ESSES NÚMEROS SÃO EXAGERADOS EXATAMENTE PARA DAR DESTAQUE À BUROCRATIZAÇÃO BRASILEIRA. Fora o esforço para alcançar a atuação nacional, que é gigantesco, visto que mal há estradas que favoreçam a integração nacional, portos com tecnologia adequada e cujo embarque e desembarque de mercadorias sejam eficientes, etc, etc.

    Tudo isso baseado na crença de que o Brasil é o país do futuro (sim, mesmo com essa burocracia, o Brasil terá em 2020 quase 195 milhões de almas para serem saciadas pelas mercadorias mais capitalistas), e que, se as empresas multinacionais quiserem uma boquinha, terão que “pagar o pedágio público” para atuar aqui. Coisa simples e barata.

    Mas no longo prazo, tanto essa atuação ruim quanto essa burocratização podem trazer problemas. A Rússia, se não me engano, sofre com isso: é tanta corrupção e máfia, que a pouca atividade empresarial existente tem todo um sistema de regras paralelas – derivados justamente do controle estatal do modelo comunista – e apesar do mercado consumidor e economia relativamente estáveis, multinacionais relutam em abrir operações por lá.

    Além disso, no longo prazo (fora a morte, que o Totó tanto gosta de mencionar), o que interessa é que o número de empreendedores cresça, afinal, sem que os empresários invistam, ou sem que recolhamos impostos dos mesmos, quem é que vai tornar o país competitivo? Quem é que vai investir em tecnologia? Como é que o Brasil vai se tornar o país do presente, quando o futuro chegar? Como é que o país vai deixar de ser um mero exportador de produtos agrícolas e matérias-primas? Com uma Petrossauro, um Banco do Brasil, uma ANATEL e uma ANTAQ, etc?

    Acho difícil.

  80. Elias said

    Edu,

    Se os prazos pra obter alvará, instalar empresa estão sendo exagerados, eles não têm consistência como argumento, porque a questão central aí é exatamente essa: prazo.

    Ora, Edu: o Brasil tem milhares de empresas, micro, pequenas, médias e grandes. Milhares de empresas estão prosperando, crescendo, gerando emprego e lucros.

    Quem quer que tenha se disposto a montar uma empresa no Brasil — e não estou falando de uma grande estrutura empresarial — sabe do que estou falando.

    A burocracia é uma droga? É.

    A gente tem que apresentar o mesmo documento várias vezes, às vezes para o mesmo órgão? Sim.

    É uma aporrinhação? É.

    As taxas são injustificadamente caras? São.

    Isso impede que a pessoa coloque a empresa em condições de funcionamento em, no máximo, 20 dias? Não.

    Uma das coisas que demora, p.ex., é a liberação do nome empresarial, do nome de fantasia, etc.

    Por que? Porque é necessário dar um tempo, para que esse nome seja, eventualmente contestado por alguém que já esteja providenciando um registro empresarial. As Juntas Comerciais concedem um prazo para essa contestação. E o interessado, obviamente, tem que aguardar a expiração do prazo. Isso nada tem a ver com incompetência burocrática.

    Daí porque sempre digo que é balela essa história de que, em tal lugar, registra-se uma empresa em 5 dias, 72 horas, 48 horas. Mentira! Só se for no Haiti, e, talvez, nem lá. Quem diz isso, não tem a menor ideia das implicações práticas de se montar e registrar uma empresa.

  81. Elias said

    Um outro problema: impostos. “Custo Brasil”. O custo sobre a folha de pagamento é elevado? É.

    Mas não pensa que é muito mais alto que nos países mais ricos. Sempre uso como exemplo o SAT (Seguro de Acidente do Trabalho).

    No Brasil, ele é de, no máximo, 3% sobre a folha de pagamento, além do adicional de insalubridade — mínima, média ou máxima, paga a algumas categorias profissionais (mas que não incide sobre a folha, e sim sobre o salário mínimo geral ou profissional). Dá um máximo de 7% sobre a folha. Na Europa, o máximo esbarra em 12%, 16% sobre a folha, por aí, conforme o país, e independentemente das compensações específicas às categorias profissionais diretamente expostas à insalubridade ou periculosidade.

    Pra escapar dessas taxas altíssimas, a empresa tem que investir pesado em saúde ocupacional (prevenção de acidentes do trabalho e de patologias ocupacionais), coisa que, no Brasil, acontece em menos de 10% das empresas. Na maior parte dos casos, no Brasil, programas de saúde ocupacional só existem nas grandes empresas que operam com o mercado externo, e que dependem desses programas pra obter a certificação, que lhe dá mais competividade diante das exigências do país importador (aí, exportar pra Alemanha ou pra China, fará uma enorme diferença…).

    Uma das razões pelas quais empresas estrangeiras se instalam no Brasil é, exatamente, porque aqui o custo da mão-de-obra é mais barato que nos seus (delas) países de origem. Nada que se compare à Índia, à China, etc., evidentemente, onde se usa irrestritamente mão-de-obra infantil, praticamente não se dispõe de segurança do trabalho, previdência social, etc. Mas é um absurdo lamentar que no Brasil não seja assim. Um brasileiro minimamente sensato, deveria respirar aliviado em saber que, pouco a pouco, o Brasil está se distanciando dessa condição de barbárie…

    Aqui o trabalho do menor aprendiz e o da mulher dispõem de proteções legais, de limitações a horas extras, de impedimento a condições de insalubridade e periculosidade, etc. À medida que o país avança no cumprimento dessas e de outras disposições legais, a sociedade vai se tornando mais civilizada, mais saudável e melhor.

    Civilização custa dinheiro. Paga-se mais por ela. Mas, também, ganha-se mais com ela.

    Um monte de exigências legais sobre saúde ocupacional, p.ex., gera todo um mercado de saúde ocupacional. Empresas especializadas em saúde ocupacional já existem no Brasil. Trabalham no Brasil, geram empregos no Brasil, lucram no Brasil. No Haiti, essas empresas não existem. Em vários países do Caribe também. E isso não faz desses países nem um pouco melhores que o Brasil. Não se sabe de nenhum país que tenha ficado rico super-explorando seus trabalhadores, ou praticando conceitos do Século XIX. Ao contrário, né?

    Quanto às agências reguladoras, não tenho nem dúvida. Devem existir. Com esse nome ou com qualquer outro. E devem cumprir sua missão institucional. E isso só acontecerá se e quando o cidadão brasileiro parar de ficar se lamentando e culpando os outros por suas mazelas, e se tornar mais exigente em relação ao Estado.

    O crime, a delinquência, o roubo, a falsificação, o estelionato, não são criaturas de tal ou qual ideologia. Nem se tem notícia de que tal ou qual ideologia se mostrou mais eficaz no combate à delinquência.

    A delinquência é inerente ao ser humano (e a outros animais que vivem em sociedade, como os chipanzés, os babuínos, etc).

    Achar que “menos Estado” implica, necessariamente, “menos delinquência” é, no mínimo ingenuidade. “Menos Estado” pode significar, simplesmente, regressão à barbárie. E “mais Estado” pode significar, simplesmente, mais corrupção.

    Pode? Pode. Mas não necessariamente. Como a história fartamente já demonstrou, determinismo histórico é papo furado.

    As sociedades que avançaram substancialmente na redução da delinquência, não alcançaram essa condição porque têm mais nem menos Estado. Elas avançaram porque conseguiram entranhar em si mesmas o cultivo de valores éticos progressivamente mais elevados.

    Há um monte de exemplos de sociedades que avançaram, ou estão avançando nesse sentido, e com perfis de organização social substancialmente distintos: Suécia, Chile, Israel, Japão… Países que, praticamente, só têm em comum, o fato de que não consideram a Educação uma questão meramente técnica (até porque, se for assim, o próprio sistema educacional acaba se tornando corrupto, como é o caso de um certo país da América do Sul, né?).

  82. Pax said

    No Brasil, vale ressalvar, caro Elias. Amigo meu montou e colocou pra rodar uma empresa no Chile em 20 dias. Em 2 meses tinha tudo absolutamente em ordem.

    Aqui no Brasil a média é de 150 dias para isso acontecer.

    Para fechar é pior ainda, uns 2 a 3 anos.

  83. Patriarca da Paciência said

    “Stanley Burburinho, no Facebook

    Estive fazendo umas pesquisas na internet e encontrei quem é o responsável pelo “Movimento 31 de julho”, que organiza passeatas contra o PT e o Troféu Algemas de Ouro.

    1. O responsável pelo “Movimento 31 de julho”, que organiza passeatas contra o PT e organizou o Troféu Algemas de Ouro é Altamir Tojal, que é ligado ao PSDB e ao Instituto Millenium, que é mantido pelas Organizações Globo, Folha de S.Paulo, Estadão e Editora Abril. Eis a explicação para todos veículos da velha mídia terem noticiado a farsa do tal troféu.”

    http://novobloglimpinhoecheiroso.wordpress.com/2013/01/21/stanley-burburinho-o-tal-trofeu-algemas-de-ouro-e-coisa-do-psdb-e-do-millenium/

  84. Chesterton said

    segunda-feira, janeiro 21, 2013
    4.500 SOLDADOS CUBANOS ESTÃO AQUARTELADOS NA VENEZUELA, DENUNCIA DIRIGENTE POLÍTICO DA OPOSIÇÃO.

    4.500 soldados cubanos estão aquartelados no Forte Tiuna.
    O ex-deputado e dirigente do Movimento Trabalhista venezuelano Pablo Medina, denunciou a presença no Forte Tiuna, de um contingente militar de 4.500 homens a mando do general de divisão cubano Leonardo Vadés. Assegurou que se trata de uma “invasão planejada e ordenada pelo governo cubano com o beneplácito do inconstitucional Governo de Nicolás Maduro”.

    Num manifesto ao povo venezuelano, Medina pergunta se a presença destas forças militares cubanas têm como propósito “reprimir os legítimos protestos dos cidadãos venezuelanos ante ao vazio de poder e a situação de anarquia que vive o país”.

    Transcrevo na íntegra no original em espanhol matéria publicada no site Notitarde.com.:

    EN ESPAÑOL – O ex-deputado e dirigente do Movimiento Laborista, Pablo Medina, denunció este domingo la presencia en Fuerte Tiuna de un contingente militar de 4.500 hombres al mando del general de división cubano Leonardo Valdés. Aseguró que se trata de una “invasión planificada y ordenada por el Gobierno de Cuba con el beneplácito del inconstitucional Gobierno de Nicolás Maduro”.

    Se pregunta también, en un manifiesto al pueblo venezolano, si la presencia de estas fuerzas militares tiene como propósito “reprimir las legítimas protestas de los ciudadanos venezolanos ante el vacío de poder y la situación de anarquía que vive el país”.

    “Venezolanos, hoy más que nunca peligra nuestra nación ante la bota extranjera! y, democrática y constitucionalmente, todos estamos llamados a defenderla. Venezuela recibió el año 2013 con una invasión de tropas cubanas; un contingente de 4.500 hombres de infantería organizados en ocho batallones de 500 efectivos cada uno y un escuadrón estacionado en Fuerte Tiuna, al mando del General de División cubano, Leonardo Valdés. Invasión planificada y ordenada por el Gobierno de Cuba con el beneplácito del inconstitucional Gobierno de Nicolás Maduro. ¿Es acaso esta fuerza invasora para reprimir las legítimas protestas de los ciudadanos venezolanos ante el vacío de poder y la situación de anarquía que vive el país?”, dijo Medina en manifiesto público.

    Se preguntó si el vicepresidente Maduro conoce que la Fanb institucional se niega a disparar contra los ciudadanos ante los inminentes y justos reclamos de trabajadores, estudiantes, sociedad civil, empresarios y transportistas.

    Calificó como “aberración” si esta acción es apoyada por Maduro y por una minoría del Alto Mando, pero rechazada por la gran mayoría de la Fuerza Armada Nacional.

    Instó al Gobierno de Raúl Castro a que deje de trabajar en la sombra y pidió a los sectores de oposición contundencia ante estos hechos, comenzando por demandar el retiro inmediato de la bandera cubana de las oficinas públicas.

    Asimismo alertó a los oficiales de la Fuerza Armada Nacional Bolivariana que “las hojas de la Constitución de la República Bolivariana de Venezuela han sido manchadas cuando la Sala Constitucional del TSJ dicta la torcida sentencia de Continuidad Administrativa a su conveniencia”, dijo.

    Finalizó haciendo un llamado al pueblo venezolano a protestar contra las series de irregularidades jurídicas en el país. Del sítio Notitarde.com

  85. Pax said

    Chesterton,

    Este texto acima não é teu. Diga de quem é para não ficar feio.

  86. Chesterton said

    Notitarde.com

  87. Chesterton said

    Ah, via o blog do Alisio Amorim, é isto que te incomoda?

  88. Olá!

    Elias,

    “Durante anos ela & outros disseram que os serviços das teles eram excelentes. Que a privatização tinha colocado o setor no caminho do progresso.”

    Parece que quem escreveu isso foi algum menino nascido em 1995 e não um senhor entre os 50/60 anos de idade que bradou contra o temível Roberto Bob Fields Campos. Não dá para acreditar que uma pessoa que viveu os anos de 1980 seja capaz de escrever a estrovenga que vai no excerto acima.

    Que tal se você pegasse o setor de telecomunicações antes das privatizações e o comparasse ao que existe hoje? Ou será que você se esqueceu da época tosca quando uma simples linha telefônica tinha que ser declarada no imposto de renda, custava um preço estratosférico (bagatela de U$ 6000,00), o cliente tinha que dar uma baita de uma entrada em dinheiro e demorava uma eternidade para que a estatal Telebrás viesse instalá-la? Isso não foi numa época tão remota assim, não. Final dos anos de 1980 e começo dos 1990, a coisa estava desse jeito. Excerto:

    “[Após as privatizações], o número de telefones fixos dobrou. Hoje é possível obter rapidamente uma linha telefônica ao custo de R$ 70 para instalação. Antes, havia uma fila de 13 milhões de consumidores não atendidos, mesmo aceitando pagar quase R$ 1.200 com dois anos de antecedência.”

    Fonte: Folha de São Paulo, 29/07/2003

    Aliás, como seria o acesso à Internet hoje caso o setor de telecomunicações tivesse ficado nas mãos do Estado e dos estatólatras? Será que o cidadão comum teria fácil acesso a esse serviço? Bob Fields mostra uma coisa interessante que, realmente, aconteceu (link):

    “[. . .] Em meados de 1995, a arrogância burocrática da nossa Embratel pretendeu oferecer a 250 formadores de opinião, quase como graça divina, uma senha para o acesso à rede. [. . .].”

    É isso aí! Nada de deixar o cidadão comum acessar a Internet! É melhor re-estatizar o setor de telecomunicações e tirar do cidadão comum as tribulações e os tormentos que esses serviços da vida moderna traz! Aliás, o estatismo e os estatólatras são muito superiores ao sistema de livre iniciativa, afinal de contas, quando foi que alguma empresa privada conseguiu o milagre econômico de fazer uma empresa estatal defunta, do dia para a noite, se valorizar em 35000%? Quem aqui confiaria numa estatal comandada por mensaleiros?

    O excerto do artigo do Bob Fields indica uma coisa muito importante: O total fracasso do Estado/estatólatras de construir uma rede de telecomunicações que pudesse atender as demandas do mercado consumidor.

    E tem um detalhe interessante: No Brasil, o setor de telecomunicações ficou sob as rédeas curtas do Estado durante umas três ou quatro décadas. Nunca que o Estado e seus burrocratas conseguiram democratizar os serviços de telecomunicações e proporcionar ao homem comum os serviços e confortos que o livre mercado oferece sem grandes custos.

    “Há anos ela & outros dizem que o mercado tem solução pra qualquer problema, sem necessidade da intervenção estatal. Que, no caso das teles, a má qualidade do serviço de uma implicaria a migração de sua clientela pra outra… Que a concorrência induziria um padrão de qualidade cada vez mais alto.”

    Isso de fato aconteceria caso as agências reguladoras não tivessem sido destruídas pelo Governo Lula. Eu sou a favor que o Estado mantenha agências reguladoras. Aliás, essa é a regra na maioria dos países civilizados. O lance é que lá agência reguladora não é utilizada como moeda de troca política ao estilo do que é feito no Brasil, onde os cargos decisivos são alocados de acordo com as afinidades político-ideológicas das pessoas e não pelo mérito técnico/profissional.

    “Se a interação concorrencial no Brasil servisse pra aguma coisa, as agências reguladoras nem seriam necessárias. A inoperância delas não faria a menor falta, porque, com elas ou sem elas, as teles só melhorariam o padrão de qualidade dos serviços que elas prestam.

    Toda a argumentação pseudo-liberal fica prejudicada pelo que está acontecendo com as teles, com a distribuição de energia elétrica, com o setor financeiro, etc.”

    O problema não é o liberalismo. A contribuição liberal, isto é, as privatizações, já foi dada a um monte de setor. O problema, de fato, está naquilo que foi feito das agências reguladoras, sobretudo nos dois governos petistas.

    Existe toda uma legislação regulando os setores de telecomunicações, de energia elétrica, de aviação civil, de transações financeiras e etc. O lance é que, no geral, tal legislação não é posta em prática por um monte de razões, tais como: Interesses escusos dos políticos; um aparelhamento predatório das agências reguladoras; uma relação promíscua entre as agências reguladoras e os seus respectivos setores que elas deveriam regular; uma corrupção galopante está presente nessas agências; e por aí vai.

    Legislação para regular existe. Multas previstas nas leis reguladoras também devem existir para aquelas empresas que não respeitam o consumidor. Se tudo isso não é aplicado, a culpa não é do liberalismo, mas de partido político que coloca os Dirceus, Delúbios, Genoínos e Rosemarys da vida em cargos que deveriam ser ocupados por pessoas de comprovada competência técnica e profissional.

    Ah, sim: O lance da energia elétrica podem colocar completamente na conta da Dona Dilma. Ela foi ministra das minas e energia por um bom tempo.

    “As relações de cada um desses setores com as respectivas clientelas, exigem, com urgância, um Estado forte, regulador, interventor quando necessário, e, evidentemente, honesto.

    Exatamente o oposto da cantilena pseudo-liberal.”

    Sim, sim! Ruas feitas de biscoito recheado, tijolos amarelos e rios por onde correm torrentes de chocolate!

    Só uma coisa: Você poderia nos dar um exemplo de um Estado forte, regulador, interventor quando necessário e, evidentemente, honesto?

    Hehehehehehe. . . a parte do e, evidemente, honesto foi a mais engraçada!

    O excerto acima é um lamaçal de contradições.

    Já existe burocracia para regular os mais variados setores da economia. O problema é que as leis reguladoras não são aplicadas. Aí o camarada vem e propõe criar ainda mais burocracia/regulação para lidar com uma situação que só acontece pela total ausência das agências reguladoras, se esquecendo de que, mesmo com a atual estrutura, a corrupção é galopante nessas agências (vide o caso da Rosemary e seus filhotes gulosos pelas tetas do dinheiro público). Se fossem aumentar ainda mais tal estrutura, a corrupção iria pelo mesmo caminho e, no final, o camarada ainda quer um Estado honesto.

    Não dá! Não dá! Às vezes, a esquerda parece não ter noção do que escreve.

    O resto dos seu comentário sobre liberalismo é puro blá-blá-blá. Não vale a pena comentá-lo.

    Em suma: A privatização do setor de telecomunicações foi boa para o país. O problema está na ausência do Estado na fiscalização/regulação dos setores que foram entregues à iniciativa privada. O problema está aí e nada tem a ver com liberalismo.

    Até!

    Marcelo

  89. Olá!

    Onde há:

    “É isso aí! Nada de deixar o cidadão comum acessar a Internet! É melhor re-estatizar o setor de telecomunicações e tirar do cidadão comum as tribulações e os tormentos que esses serviços da vida moderna traz! Aliás, o estatismo e os estatólatras são muito superiores ao sistema de livre iniciativa, afinal de contas, quando foi que alguma empresa privada conseguiu o milagre econômico de fazer uma empresa estatal defunta, do dia para a noite, se valorizar em 35000%? Quem aqui confiaria numa estatal comandada por mensaleiros?”

    Leia-se:

    “É isso aí! Nada de deixar o cidadão comum acessar a Internet! É melhor re-estatizar o setor de telecomunicações e tirar do cidadão comum as tribulações e os tormentos que esses serviços da vida moderna traz! Aliás, o estatismo e os estatólatras são muito superiores ao sistema de livre iniciativa, afinal de contas, quando foi que algum empreendedor privado conseguiu o milagre econômico de fazer uma empresa defunta, do dia para a noite, se valorizar em 35000%? Quem aqui confiaria numa estatal comandada por mensaleiros?”

    Sorry!

    Até!

    Marcelo

  90. Pax said

    Não concordo com tudo, mas tem muito sentido este artigo do Paulo Nogueira – Diário do Centro do Mundo

    http://www.diariodocentrodomundo.com.br/como-o-psdb-foi-se-tornando-irrelevante/

  91. Pax said

    Chutei o pau da barraca. Fui por um mundo de links dos links dos links e achei os emails da Vice-presidente “Customer Care” e os emails de contato dos investidores e acionistas da DirecTV, controladora da SKY Brasil.

    Ferrem-se. Quero mais é que todos saibam o que está acontecendo.

    O mais provável é que ninguém vai me responder. Pouco me importa.

    ellen.filipiak@directv.com, investorrelations@directv.com, shareholder@broadridge.com

  92. Pax said

    A incompetência tem rosto, sim. Aliás, vários.

    Aqui você pode conhecer uma dessas caras.

    http://veja.abril.com.br/noticia/economia/as-operadoras-se-descuidaram-afirma-presidente-da-anatel

  93. Pax said

    Pax ‏@politicAetica
    @SKYresponde @skybrasil : Vocês me disserem que haveria contato imediato. Uma hora atrás. Qual o conceito de imediato para um incompetente?

  94. Patriarca da Paciência said

    Interessante a enquete do Paulo Nogueira.

    Distoa totalmente dos dudus alarmistas!

    “Qual sua avaliação dos 10 anos do PT no poder:

    boa: milhões de excluídos foram enfim notados e beneficiados (34%, 204 Votes)

    excelente: o Brasil hoje é outro (34%, 204 Votes)

    razoável: houve avanços sociais, mas o partido não trouxe a renovação ética que prometia (21%, 122 Votes)

    péssima: trouxe um grau inédito de corrupção ao país (7%, 43 Votes)

    má: a popularidade do partido se deve basicamente a programas assistencialistas (4%, 22 Votes)

    Total Voters: 595″

    Bate exatamente com os números atribuídos aos leitores da “óia”, ou seja, são os mesmos 4%.

  95. Zbigniew said

    Pax,
    é o mínimo que se pode fazer. Desconfio que vc vá depender de uma boa alma na direção dessas empresas (duvido que existam), ou do Judiciário (vai demorar, viu?). Dos políticos, daqui que saneiem essas agências, no atual passo, não estaremos mais aqui.

    Ofitópique. Rapaz! Juro que me esforço pra garimpar alguma coisa boa nos telejornais da Globo. Mas não tem jeito. Reclamam dos políticos que não mudam?! E essas empresas?! Olha: depois de ver Barack Obama e Michelle bailando para o mundo com indicação de ir ao G1 conferir a lista de músicas escolhidas pelo Presidente estadunidense, e saber que o príncipe Harry acaba de voltar de missão do Afeganistão, tudo isso flambado com o Renato Machado, lá de Londres, babando de inveja do Fernando Silva Pinto, que acompanhou a posse do Obama, só dá pra se chegar a uma conclusão: bando de caipiras!

  96. Edu said

    Elias,

    Antes de começar, apenas reiterando que não sou contra o Estado participar da regulação, muito pelo contrário. O problema central da participação no estado para regular quaisquer setores está nos dois pontos observados: corrupção e vinculação política.

    Sem mecanismos que sejam capazes de gerenciar estes dois problemas, e apresentá-los à população/mercado os resultados, mais ou menos Estado, e eu concordo com vc, só significará mais deliquência de ambos os lados.

    O problema é cultural relacionado à transparência: só que não há político que banque a bandeira da transparência, nem de esquerda, nem da pseudo-direita que existe no Brasil hj.

    Agora indo aos pontos destacados:

    Corrupção:

    Aproveitando o ponto, talvez eu não tenha me expressado corretamente em relação aos prazos de abertura e funcionamento de uma empresa. Eu concordo que tenha que haver um tempo para qualquer pessoa contestar um nome jurídico ou nome fantasia na junta comercial, ou que deva haver prazos para que a Anvisa inspecione, ou para que o IBAMA faça a sua avaliação técnica sobre o EIA-RIMA, ou que demore um tempo para que o técnico da receita federal libere uma mercadoria importada, ou para que o fiscal do trabalho faça o seu papel.

    O que eu discordo, e aí que entra a corrupção, é o seguinte: o empresário ter está com tudo em dia, com tudo perfeito, ainda se sujeita à:

    1 – Por exemplo, ter que pagar para que a Anvisa libere o laudo dela, caso contrário, o funcionário público se compromete a demorar uma eternidade para soltar o laudo. E aí estamos falando de portas fechadas, problemas de capital de giro, problemas de vendas, etc, etc para o empresário.
    2 – Por exemplo, ter que pagar para que o agente fiscal da receita libere uma mercadoria “encalhada” na alfândega. Seguindo o mesmo expediente acima.

    Eu não tenho a menor ilusão de que o empresariado também não seja corrupto: dizem que a Schincariol funcionava e sobrevivia na base da sonegação, e dizem que o Grupo Petrópolis vai pelo mesmo caminho. Isso para tomar como base dois grandes grupos de um produto super conhecido, que é a cerveja, imaginemos outros mais desconhecidos. Só que na pouca experiência que eu tenho no mercado eu conheço poucas empresas médias que tenham crescido e se tornado grandes sem fazer algum tipo de gambiarra envolvendo a fiscalização ou as agências reguladoras.

    E finalizando sobre o problema de corrupção, dos dois lados, há a quem recorrer? Adianta recorrer? Talvez o judiciário precise ser revisto, mas qual é o prazo para que isso alcance efeitos práticos? Antes de rever o judiciário, o servidor público deveria se lembrar a quem serve. O próprio nível de serviço tanto das agências reguladoras e quanto dos agentes fiscais é sofrível.

    Vinculação política:

    Em qualquer momento as instituições de que estamos falando acabam sendo assediadas por algum partido. Eu desconheço mecanismos legais para reverter a situação, e se eles existem, simplesmente não são aplicados. Não há governança, não há transparência, e sem qualquer uma das duas não há confiança, nem do mercado, nem da população. Mais uma vez, estamos diante da patente incompetência do Estado em não conseguir dar sequência ao desenvolvimento e autonomia política ao que criou.

  97. Edu said

    Errata:

    Onde está escrito:

    “O que eu discordo, e aí que entra a corrupção, é o seguinte: o empresário ter está com tudo em dia, com tudo perfeito, ainda se sujeita à:”

    Leia:

    “O que eu discordo, e aí que entra a corrupção, é o seguinte: o empresário que está com tudo em dia, com tudo perfeito, ainda se sujeita à:”

  98. Otto said

    Gente, ando meio sumido por conta de concentração total prum concurso!

    Mas tamos aí!

    Marcelo Augusto, continuando rapidinho aquela assunto do outro post.

    Não dá pra querer que a África em algumas décadas supere os problemas decorrentes — entre os quais corrupção — de séculos de espoliação ocidental.

    Quanto tempo a Europa levou para superar as guerras religiosas e criar estados laicos? QUATRO séculos!

    E a Europa ainda continua intervindo/obstando o desenvolvimento desse continente. Os atuais governos do Mali e da Argélia ascenderam ao poder por conta de golpes de estado — e são apoiados pelo Ocidente.

    Assim como a África do Sul do Apartheid. Quem pressionou pelo fim do sistema foi a sociedade civil, não os governos ocidentais, que só se moveram no final do processo. É bom lembrar que Israel fornecia tecnologia nuclear para um estado racista — sim, pois a África do Sul queria ter a bomba.

    Outra coisa, se Estado mínimo fosse sinônimo de eficiência e desenvolvimento, Paraguai, Haiti e Honduras seriam suíças.

    Aliás, o Elias acima têm colocado os pontos nos ii com muita propriedade.

  99. Pax said

    Caro Edu,

    Você acha que corrupção e vinculação política são pontos distintos? Não são.

    Por conta da vinculação política colocam em cargos pessoas como os bebês de Rosemary. Falo com esta metáfora porque foi a que apareceu e todos conhecemos.

    Em todos os governos a coisa se dá da mesma forma. Com o PT não mudou nada nesta questão.

    E estes tais bebês de Rosemary, bebês de Valdamar da Costa Neto e por aí afora entram nas Agências Regulatórias para trabalhar?

    É claro que não, entram para estabelecerem suas máfias de poder e corrupção.

    Caro Zbigniew,

    Você é advogado? Me parece que sim. É um achismo. Me perdoe a pergunta e não precisa me responder se não quiser.

    Me ligou uma moça da SKY. Primeiro retorno depois de mais de 20 protocolos. Priscila.

    Moça contratada pelo @SKYresponde, para acalmar clientes. Tadinha. Nem fui mal educado, nada disso. Só alertei a moça, que me pareceu de bom nível, sim, que não precisava exatamente de uma ligação para falarmos de tudo que estou escrevendo no Twitter. O que preciso mesmo é o que o técnico venha aqui e resolva o problema.

  100. Pax said

    Olha o email que recebo agora da SKY… sim, estou reclamanto pelo 10611, pelo CHAT, pelo Twitter e por todos os orifícios que encontro.

    Pedimos desculpas pelo transtornos causados e informamos que a SKY tomará todas as providências cabíveis para que ações como esta não volte a ocorrer.
    Caso o atendimento agendado para hoje não ocorra, entre em contato conosco, imediatamente após as 18:00h.
    Anote o protocolo desse atendimento: 1875378xxx.

    1 – imaginem uma empresa de bilhões de faturamento que monta uma das áreas de atendimento com scripts prontos de resposta. Com erro grave de português.

    2 – imaginem uma empresa que deixa um cliente de 12 anos uma semana sem sinal e com mais de 20 protocolos de atendimento registrados.

    Agora imaginem a relação promíscua da Agência Regulatória com essa empresa, na medida que há milhares e milhares de reclamações. Fiquei sabendo de problemas muito mais sérios que os meus, gente sendo cobrada em 4 vezes o valor contratado e um processo kafkaniano em cima do infeliz.

    É o que dá aceitarmos viver num país que se torna o Império da Corrupção.

    Me incluam fora dessa.

    Não é partidarismo não, estão todos apodrecidos. E todos se desculpam querendo parecer virgens na esquina da zona do meretrício da cidade, de salto alto, microsaia e rodando bolsinha.

  101. Pax said

    Caro Otto,

    Desejo, do fundo do coração, que você se dedique ao máximo e tenha o êxito merecido no tal concurso.

    Go, Otto, Go !!!

  102. Zbigniew said

    Pax,
    tenho formação jurídica e como o Otto, estou centrado para uns concursos.
    Olha: lutar contra essas operadoras depois que um cara que no papel de servidor público, representando uma “agência reguladora” – sim, porque quem trabalha na direção dessas agências deveria ter em mente que está desempenhando um serviço para o público – diz que a situação “não é tão ruim assim” (deveria ser exonerado) é um ato inglório.
    Infelizmente um “outdoor” na via mais movimentada de uma cidade daria mais resultado do que entrar num PROCOM ou no próprio Judiciário – até porque se se fizer isto quem vai acionar o Judiciário são eles; sem falar nas próprias agências.
    Tem que levar a briga até o final. É desgastante, oneroso, e tem que ter muita paciência, além de um espírito de desprendimento, com o único objetivo de aporrinhar esses sacanas e, quem sabe, criar uma jurisprudência contra eles. É meio que uma aventura, mas se se chegar ao ponto deles pedirem um acordo, aí é o céu. Manda eles tomar no… banho e vai em frente. Infelizmente nos tribunais superiores (e nos das capitais também), os Ministros (não todos) são meio que sensíveis aos apelos dessas empresas, daí terem criado jurisprudências que “inibem o enriquecimento sem causa” pra derrubar alguma decisão de um juiz de colhões que joga nas fuças dessa gente uma multa bem salgada pela ganância desmedida que impregna o negócio dessas empresas. Mas se todos que se sentissem lesados entrassem com uma ação na Justiça ou se juntassem para combater as práticas abusivas que as agências reguladoras viciadas deveriam evitar, com certeza a situação começaria a mudar. Se formos esperar que a Dilma e o PT encontrem o momento político místico-esotérico-escatológico para enquadrar as reguladoras, vai ser difícil. Até porque a política muda o tempo todo, aos sabores de interesses que só de vez em quando se alinham com os da população. E quem garante que esse grande momento vai chegar?

  103. Otto said

    Pax, são 64 candidatos para três vagas.

    Vou dar o melhor de mim mas sem muitas ilusões…

    Semana que vem vou ficar “internado” num local sem televisão, internet nem família, só pra estudar…

    Obrigado pelo apoio. Você é um gentleman.

  104. Pax said

    Caro Zbigniew,

    Lula, Dilma e o PT deixam de fazer muito pelo Brasil. Tanto que até suas obras acabarão maculadas pela inoperância em tantas áreas onde buracos se somam. O povo enche o saco também. Um hora, como aconteceu com o Plano Real, a inclusão vira passado e os problemas se tornam o presente.

    Boa sorte, meu caro, onde investes em concursos. Assim como torço pelo caro Otto, torço por você. Do fundo do coração.

    Go, Zbigniew, Go.

    Lembrem-se daquela famosa frase supostamente dita por Júlio César: Veni, vidi, vici – Vim, vi e venci.

    Estudem tudo que puderem. Quando acharem que está bom, é onde todos os outros vão parar, então estudem mais e mais.

    Caro Otto,

    Quer ficar sem TV? Assine a SKY!

    Como não quero o teu mal, pode vir para cá até o concurso. Tenho certeza que não terei tv por mais uns dias.

    =)

  105. Zbigniew said

    Valeu, Pax!

  106. Edu said

    Pax,

    “Você acha que corrupção e vinculação política são pontos distintos? Não são.”

    Bom, eu acredito que até poderia haver vinculação política sem corrupção, ingenuidade talvez, mas pô, não é disso que o blog trata? Apresentar os casos políticos relacionados à corrupção, de modo que possamos escolher melhor nosso voto e, no final das contas, tentar minimizar o problema de corrupção dos políticos especificamente.

    Mas, da maneira como vc coloca, Pax, só posso entender q vc não gostaria de intervenção Estatal, pois essa sempre traz a reboque a corrupção.

    Veja se estou correto: se a administração do Estado é essencialmente política, e vinculação política resulta sempre em corrupção, a mera presença estatal resulta em corrupção.

    Então o que fazer, Pax?

    Para mim isso é mais do que político, e, como disse, não é esquerda ou pseudo-direita que existe. Não é PT, PSOL, DEM ou PSDB, é cultura, e tudo relacionado à transparência, princípio básico de Governança Corporativa, que, creio eu, se aplicaria muito bem à política.

    Eu torço para que haja maior transparência.

    Essa que existe aí do governo ainda é igual àquela que existe nos sites de RI das empresas: tudo muito bonito, tudo muito bom, pra inglês ver. No fim das contas, assim como somente um auditor faria as perguntas certas para dissecar os balanços das empresas, somente alguém de dentro da política para dissecar as páginas de transparência do governo. Mas é melhor ter do que não ter, né?

    Uma hora alguém, a mídia por exemplo, pode dar mais atenção a estes recantos obscuros da internet e a população pode passar a gostar de ver de tempos em tempos.

    A diferença é que os investidores olham mesmo esses sites de RI e botam seus analistas para escrutinizá-los. Ao passo que os cidadãos além de não olhar os sites de transparência dos governos, não possuem analistas confiáveis para dizer nada a respeito das informações lá contidas…

  107. Pax said

    Talvez não tenha me feito entender corretamente, caro Edu.

    O problema é que a politicagem, essa que não presta e impregnou este país, acha que os cargos devem ser ocupados pelos politiqueiros de plantão, como prêmio pelas atuações de cabos eleitorais e quetais.

    O que deveria ser bem diferente.

    Agências Regulatórias deveriam ser ocupadas por técnicos especializados no assunto. Economistas (para ver a questão do mercado), engenheiros (para as questões técnicas), administradores (para as questões operacionais) e assim por diante.

    E absolutamente protegidos, escudados para que a politicagem não invadisse a atuação das agências em suas verdadeiras missões, que são regulamentar para que a concorrência proporcione qualidade, abrangência, preços razoáveis etc.

    O que vemos é que as agências são preenchidas por canalhas indicados por políticos e amantes de políticos somente para montarem máfias onde o que menos se preserva é o interesse nacional e muito menos o interesse do cliente.

  108. Elias said

    I
    “Isso de fato aconteceria caso as agências reguladoras não tivessem sido destruídas pelo Governo Lula.” (Marcelo)

    Ora, rapaz…!

    Como liberal que dizes ser, deverias agradecer Lula por isso.

    Afinal, se o mercado, por si só, é capaz de sde auto-regular, pra quê regulação estatal? O sistema concorrencial se encarregaria de punir as empresas de mau funcionamento, por meio da interação darwiniana que lhe seria inerente. Os menos capazes simplesmente desapareceriam.

    (Se bem que, a essa altura, seria necessário um entendimento mais exato sobre Darwin. Para ele, quem sobrevive não é o maior, nem o mais forte, nem o mais bonito, nem mesmo o mais inteligente. Para Darwin, quem sobrevive é quem melhor ser adapta. Por essas e por outras, que animal campeão de sobrevivência é… a barata. O único animal que sobreviveria até mesmo a uma hecatombe nuclear. Tão boa nisso, que dá inveja até mesmo ao pessoal do PFL/DEM…).

    Transposto o axioma para a sociedade brasileira, caberia perguntar: se adaptar a quê?

    Aí teríamos a bolha da régua de nível se movimentando, alternativamente, em qualquer direção, né? Para o “bem” ou para o “mal”. Para o melhor e para o pior.

    Tudo dependerá do ambiente predominante que se estabelecer na sociedade, em tal ou qual época, certo?

    II
    “Agências Regulatórias deveriam ser ocupadas por técnicos especializados no assunto. Economistas (para ver a questão do mercado), engenheiros (para as questões técnicas), administradores (para as questões operacionais) e assim por diante.” (Pax)

    Pois é bom que saibas que essa agências têm economistas, engenheiros, administradores, advogados, contadores, médicos, odontólogos, assistentes sociais, sociólogos, etc, a dar com os pés…

    E entre economistas, engenheiros, administradores, advogados, contadores, etc., não há corruptos nem corruptíveis?

    Pax, corrupção e delinquência em geral são problemas CULTURAIS, portanto, problemas POLÍTICOS (mas não ideológicos).

    Só a sociedade tem cacife pra combater a corrupção e a delinquência em geral (lembra que a corrupção anda de mãos dadas com a delinquência em geral; um ato corrupto, quase sempre se dá em benefício de um particular, pessoa física ou jurídica, que, como contrapartida a pagamento, se locupleta com a corrupção do agente público).

    Se a sociedade se mobilizar, a coisa vai… Caso contrário, podemos tirar nossos cavalinhos da chuva.

    Se a sociedade começa a criar um ambiente progressivamente insalubre para corruptos, a corrupção recua. Se não… Não!

    O que é um ambiente insalubre para corruptos? É um ambiente onde o Judiciário realmente funcione. Onde não haja impunidade. Onde as leis sejam bem feitas e sejam cumpridas.

    Não acho que seja uma boa dizer “a culpa é dos políticos”. É fácil dizer isso. A galera adora, porque, assim, não é preciso pensar muito nem assumir responsabilidades…

    Mas, sendo intelectualmente honestos, teremos que reconhecer que não há diferença entre lidar com um político desonesto e um técnico desonesto. Muito frequentemente, aliás, os políticos também são técnicos.

    A corrupção e a delinquência não tem a ver com isso, assim como não tem relação com a maior ou menor presença do Estado no domínio econômico.

    Supõe, p.ex., que morasses na Dinamarca, e a operadora de telefonia fizesse contigo o que fez a Oi (ou Vivo, ou Morto, ou Tim, Tom, Tão, Til, sei lá…). O que aconteceria? E se morasses no Japão?

    Na Dinamarca “tem muito mais Estado” que no Japão. No entanto, se fores pesquisar não terás dificuldade em concluir que o resultado seria mais ou menos o mesmo, em qualquer desses dois países. Em ambos, resultado muito diferente do brasileiro.

  109. Elias said

    E, Marcelo Augusto,

    Faz favor de comentar o raciocínio e o argumento, sem tecer considerações pessoais sobre quem faz o comentário.

    Do contrário, vou começar a disparar matacões em cima do teu telhado de vidro…

    Que jerda, caceta!

  110. Edu said

    Pax,

    Aí sim, de acordo.

    Vc viu essa notícia?

    -http://www1.folha.uol.com.br/mercado/1218542-oi-confirma-troca-na-presidencia.shtml

    O cara tinha um contrato de R$ 100 milhões, e vai receber o dinheiro integralmente a título de “indenização” pela saída antecipada!

    Pô! Acabei de enviar meu currículo. Coloquei na pretensão salarial R$ 80 milhas, porque tenho pouca experiência no setor. Se tudo der errado, podem me mandar embora tranquilamente, basta me pagarem a “indenização”. hehehe

    Sabemos que das Teles, a Oi é a mais estatal delas e a mais complicada, basta vermos pela saída do ex-presidente Luis Eduardo Falco, que pareceu bem justificada ao mercado.

    -http://www.istoedinheiro.com.br/noticias/54675_OI+DA+TCHAU+PARA+FALCO
    -http://oglobo.globo.com/economia/luiz-eduardo-falco-antecipa-saida-deixa-hoje-comando-da-oi-2797040
    -http://www.agora.uol.com.br/brasil/ult10102u852153.shtml

    Ele teve que lidar com a participação cruzada de uma lista bastante interessante de acionistas: Fundos de pensão, BNDES, Andrade Gutierrez (AG Telecom), La Fonte (Carlos Jereissati). Durante esse tempo, ele, ou alguém da equipe dele, autorizou a compra das debêntures do Lulinha e sua BR4, que tornou o filho do homem milionário da noite para o dia.

    Se qualquer executivo fosse convidado a ser presidente da Oi, a menos que fosse muito ingênuo – e eu duvido que exista executivo ingênuo nesse meio – esse executivo pediria uma bolada muito grande, sabendo que teria que lidar com todo o tipo de falcatrua e pressões. Esse cara pediria uma grana para que fosse possível se aposentar após o seu exercício, pq numa empresa desse tamanho, com tanto conflito, é muito fácil voltar queimado ao mercado.

    E isso, Pax, pode bem ser uma das justificativas porquê o serviço é ruim e as tarifas altas demais: sustentar esses salários requerem bem mais do que simples reduções de custos e eficiência operacional.

  111. Pax said

    Caro Elias,

    Não force a barra ao interpretar o que disse acima.

    Você sabe, e sabe bem, o que seria necessário para as Agências Regulatórias funcionarem.

    As técnicos que hoje existem, tirando os canalhas e bandidos de plantão, os bons técnicos estão embaixo do jugo de pessoas como os irmãos Vieira (essa é, sim, para provocar), filhote mamão da Rosemary, íntima do nosso amigo que gosta de baranga para seus excessos e lambeções.

    O que digo, e você sabe bem o que quero dizer, é que as Agências deveriam ter papel exclusivamente técnico e não o papel que fazem, de abrigar máfias que mais parecem carrapatos do país.

    Se Dilma quiser, se Lula tivesse querido, idem FHC, teriam chutado o pau da barraca e consertado a questão. Não fizeram porque são ou cúmplices ou incompetentes.

    Bastaria ir a público e anunciar: “Alô povo, vocês estão se fud…rrando com telefones, tvs por assinatura, planos de saúde, estradas etc? Então, vou derrubar esse esquema de corrupção mas preciso de apoio de vocês. Prometo que estas áreas vão melhorar”.

    Me diga um único infeliz que não aplaudiria? Me aponte um único nome de gente (não bandido) que se negaria a apoiar um movimento destes que me rendo e admito que meu discurso é falho.

    Acontece que nos bastidores é aquilo que sabemos, que a AP 470 fez questão de escancarar, são os Valdemares da vida que adentram o Planalto, fazem suas chantagens e são atendidos. Ou, numa outra versão bem plausível, são chamados ao Planalto por Zés da Silva para montar as máfias de arrombamento dos cofres públicos.

    Não, caro Elias, não aceito este teu discurso que a culpa é da sociedade.

    Não foi o PT quem convenceu a sociedade que se entrasse no poder mudaria o quadro? A sociedade não acreditou, votou e ficou a ver navios?

    Não foi a sociedade que mudou. Foi o PT que resolveu ser igual ou pior a tudo que já existia.

    Ok, melhorando a situação de milhões de brasileiros, pegando a onda iniciada por FHC e respeitando essa parte da promessa. Ótimo, você sabe muito bem que aplaudo toda inclusão acontecida.

    Mas na corrupção, caro Elias, a conversa é bem outra.

  112. Pax said

    Caro Edu,

    Afora os processos que estes bandidos – travestidos de executivos – têm que encarar.

    Mas não são todos os executivos que são bandidos. Alguns é que perdem a cabeça e adentram para o mundo do crime.

    Tenho um amigo, antigo, que virou o fio. Cara brilhante, trabalhador, excelente formação. A melhor do Brasil complementada pela primeira empresa que trabalhou, uma gigante da área do Petróleo. Depois foi ao mundo, sai da “concha” e foi para empresa brasileira líder de seu setor. Até esse momento o cara continuava sendo brilhante, trabalhador etc.

    Não sei em que exato momento nem porque a cabeça do canalha virou, passou a andar com corruptos, trabalhar para corruptos e virou um deles.

    Hoje preside uma empresa da área de Portos, toma uísque com Valdemar e recebe Rosemary e seus bebês no camarote que a empresa corrupta em que trabalha mantém no carnaval carioca para agradar a máfia em que se meteu.

    (baseado em informações reais)

  113. Pax said

    Correção importantíssima: ex-amigo. Hoje, se o encontrar, enfio a mão na cara sem o menor pudor.

  114. Pax said

    Pax ‏@politicAetica
    @SKYresponde @skybrasil : o dia está do meio para o fim. Quinto que me fazem esperar o técnico q não vem. Vocês são canalhas. 7d sem sinal.

  115. Edu said

    Pax,

    Não to dizendo que sejam bandidos não. Executivos são sim ambiciosos, gostam de desafios e não raro possuem um ego que mal cabe na Argentina… não tenho amigos nem ex amigos executivos. Conheço gente do meio e sei que de bobo ninguém tem nada. Em toda a minha pequena carreira, conheci uns 3 ou 4 que eram realmente mal intencionados. Os demais, muito preocupados com a perenidade das empresas em que atuavam, e em fazer um bom trabalho.

    Só que em empresas cuja existência dependa ou se aproxime muito do Estado, coisas estranhas começam a acontecer: as pessoas são super desconfiadas; tudo é secreto, tudo é confidencial; o jogo político nessas empresas é muito mais intenso que o normal; há uma necessidade de autopromoção estranhamente alta… vai saber, né?

    E por isso mesmo (ninguém ser bobo e essa aproximação com o Estado), que um executivo que quisesse fazer um bom trabalho cobraria o olho da cara para assumir uma posição dessas. Ainda que fosse na melhor das intenções: para chegar lá e dar o melhor de si.

    Agora, volto ao ponto: a Governança Corporativa tem melhorado bastante as relações das empresas com seus investidores, aqui no Brasil isso tem sido muito positivo. Quero ver o político que vai bancar essa ideia junto à população para seu próprio mandato.

  116. Edu said

    Inclusive,

    Um dos motivos pelos quais a reestruturação acionária da Oi é pauta permanente para o Conselho de Administração da empresa?

    Justamente por conta do famigerado princípio de Transparência de Governaça Corporativa. O não atendimento a esse princípio traz desconfiança a investidores, que, em vez de serem fiéis como o Elias à Petrobras, passam a oportunistas, fazendo com que as ações de uma empresa desse tamanho oscilem além do necessário.

    As empresas aos poucos estão descobrindo que se elas não se posicionarem ao lado dos seus investidores minoritários, terão problemas para gerenciar investimentos, planos etc. Isso é, novamente: transparência. E sabe do mais incrível? Em alguns casos, empresas fazem abertura até de partes de suas estratégias, para que os acionistas continuem confiando e investindo nas mesmas.

  117. Pax said

    Ufa, todo esforço merece recompensa. Recebi ligação de alguém da SKY. Exigi os nomes do VP de Atendimento e do presidente da empresa. Descobri quem são. E continuo com meu esforço hercúleo: (tem que ler debaixo para cima)

    1m Pax ‏@politicAetica
    @SKYresponde @skybrasil @vcneto: Sr Bap e Sr Vitto, não precisam acreditar em mim. Olhem o Facebook da empresa e vejam. É um crime isso.
    Expand
    2m Pax ‏@politicAetica
    @SKYresponde @skybrasil @vcneto: Não estou sozinho nestes problemas, são muitos casos de clientes sem sinal, contas superfaturadas etc.
    Expand
    3m Pax ‏@politicAetica
    @SKYresponde @skybrasil @vcneto: Vito Chiarella e Luiz Eduardo (Bap) Vcs têm ideia do que passa com os clientes com problemas? Alguma noção?
    Expand
    6m Pax ‏@politicAetica
    @SKYresponde @skybrasil @vcneto: O presidente se chama Luiz Eduardo Baptista, vulgo Bap. Incompetentes que afundam a imagem da empresa.
    Expand
    10m Pax ‏@politicAetica
    @SKYresponde @skybrasil @vcneto: Sr Vitor, tens ideia do que acontece com clientes SKY. 7 dias sem sinal, 5 dias esperando o técnico e nada!
    Expand
    11m Pax ‏@politicAetica
    @SKYresponde @skybrasil @vcneto: depois de 5 dias esperando atendimento descobri o VP de clientes da SKY @vcneto. Vitor Chiarella. Insiro-o.
    Expand

  118. Edu said

    Pax,

    Vc viu que existe um equipamento q vc compra com aqueles vendedores paraguaios, que te enviam sinal de graça?

    Dizem que pega todos os canais. Eles te dão uma senha, o equipamento, instalam e fazem a manutenção.

    Isso é livre concorrência…. depois o Vito Chiarella e o Bap vão chiar na própria TV contra a pirataria.

  119. Pax said

    Caro Edu,

    Se eu adotasse métodos corruptos como poderia reclamar de corrupção. Meu CPF é absolutamente imaculado. Acredite que é verdade.

    Meu nome, muito mais que meu CPF que pode ser vítima de alguma empresa canalha, é ainda mais valioso que qualquer coisa.

    Depois deste caminho sem fim, depois de twittar para o VP de Clientes da SKY, já me ligaram 3 vezes pedido referências de como chegam aqui que o técnico está a caminho.

    Talvez dê certo. Não sei.

    E não me dou por satisfeito. Medindo a temperatura nas redes sociais o problema é muito mais grave que somente o meu. Agora é hora de ajudar as outras vítimas.

    (Trabalhei com Atendimento de uma grande empresa, além de outras áreas, gerenciava 500 pessoas só para clientes, chamados e reclamações, entendo um pouco deste assunto. Tempos atrás, já faz décadas. Mas o processo independe da tecnologia. Depende de posicionamento da empresa, de moral e ética com os clientes, de modelos e processos bem definidos, de colocar um ponto entre o lucro e o bom atendimento, enfim, de ter scripts bem definidos, de aceitar chamados fora dos scripts, dos executivos estarem à disposição para os casos especiais etc etc etc).

  120. Edu said

    Pax,

    Sei que vc não faria isso. Mas quantos brasileiros, insatisfeitos com os serviços prestados e os preços cobrados pelas empresas registradas não fazem?

    O Brasil ainda está longe de ter o tão valorizado e marketeado CRM.

  121. Elias said

    Pax,

    Se for por aí por onde tu dizes, no carnaval que se aproxima recomendo uma fantasia de Mandrake… Porque vais precisar de muita mágica, mesmo.

    Ora, Pax… O PT é um partido político brasileiro. É uma instituição brasileira, tal como todos os demais partidos brasileiros.

    No PT tem caras desonestos, assim como tem caras desonestos em todos os demais partidos, nas organizações religiosas, sindicais, empresariais, etc.

    O que acontece é que, como o PT está no poder, no âmbito federal, agora, os ladrões que existem dentro dele têm mais oportunidade de roubar. Antes, quem teve essa oportunidade foram os ladrões da Arena, do PDS, do PMDB, do PFL, do PSDB, do DEM, do PL, etc. E, em todas essas oportunidades, os respectivos ladrões atuaram intensamente e roubaram fartamente. Como ainda roubam fartamente no âmbito dos Estados e Municípios em que estão no governo.

    E aí? Quem moraliza os partidos? E por que há tanto ladrão, assim, nos partidos brasileiros?

    Tu sabes que esse papo de procurar “culpado” não leva ninguém longe…

    Mas, se for o caso, pode-se encontrar a “culpa” da crônica corrupção brasileira numa série de fatores e circunstâncias históricas, políticas, culturais, etc., etc.

    Só que não é esse o nosso assunto.

    Não estou dizendo que a sociedade é “culpada”, Pax. Estou dizendo que somente a sociedade tem cacife pra combater a corrupção e a delinquência, e moralizar a política.

    As instituições não são, nunca foram e nunca serão os agentes dessas transformações. Ao contrário, em vez de agentes, elas são o alvo e o objeto dessas mudanças, se e quando elas chegarem. As instituições são, sempre foram e sempre serão, refratárias às mudanças. Mesmo aquelas que, supostamente, pregam a mudança.

    O discurso do PT é um discurso anti-corrupção? É.

    E daí?

    O do PSDB também é. Idem o do PSOL. Também o do PSB, do DEM, do PMDB, do PV…

    No Brasil ou em qualquer outra parte do mundo, agora ou em qualquer outra época, não sei de nenhum partido, cujo programa e discurso defendam a corrupção e a roubalheira. Todos são contra.

    Já seria uma realização e tanto se cada partido pelo menos se livrasse de seus próprios ladrões. Alguém sabe de algum que tenha feito isso?

    Não, né? No máximo, eles metem o facão na goela do bode, depois que o cara se transformou num bode. Num Gregor Samsa partidário. Ele não é punido por ser desonesto. Ele é punido porque se deixou pegar com a boca na botija… Se deixou flagrar… Não soube encobrir sua desonestidade. Enquanto ele se manteve fora de linha de tiro, foi, hipocritamente, festejado como alguém honesto e trabalhador, mesmo pelas pessoas que, cá pra nós, o sabiam desonesto. Ocioso citar nomes. E tem pra tudo que é gosto: esquerda, direita, centro…

    A “limpeza ética” nos partidos jamais acontecerá como produto de um processo interno. Isso jamais aconteceu em nenhuma democracia. “Expurgos” são práticas possíveis somente nos partidos totalitários.

    E, se os partidos democráticos são incapazes de proceder a uma “limpeza ética” dentro de suas próprias fileiras (até porque o próprio procedimento democrático os impede de fazer isso), muito menos serão capazes de, usando os mesmos procedimentos democráticos, realizar uma “limpeza ética” no Estado e na sociedade.

    Nas democracias as instituições não purgam a sociedade, assim como o rabo não balança o cachorro… Tenta projetar isso em termos práticos, em medidas concretas e realistas, e, mais cedo do que gostarias, te verás desenhando um Estado totalitário ou, na melhor das hipóteses, uma fantasia voluntarista (que só um aventureiro finge colocar em prática).

    Nas democracias, a sociedade é que purga e purifica as instituições, nestas incluídos os partidos políticos.

  122. Pax said

    Caro Elias, já te respondo, mas antes veja só o que rolou… (tem que ler dabaixo para cima).

    Pax ‏@politicAetica
    @SKYresponde @skybrasil @vcneto: esta, a meu ver, seria a primeira atitude moral que a empresa poderia fazer sem custo algum.
    Expand
    1m Pax ‏@politicAetica
    @SKYresponde @skybrasil @vcneto: E, por favor, reformem a regra interna que os atendentes não podem escalar os atendimentos para superiores.
    Expand
    2m Pax ‏@politicAetica
    @SKYresponde @skybrasil @vcneto: E gostaria, sinceramente, que outros clientes que não têm a mesma pachorra e iniciativa sejam bem atendidos
    Expand
    3m Pax ‏@politicAetica
    @SKYresponde @skybrasil @vcneto: Não, não quero nada à além do que pago em dia faz 12 anos. Quero somente meu sinal e meus direitos (cont)
    Expand
    5m Pax ‏@politicAetica
    @SKYresponde @skybrasil @vcneto: que poderiam dar o mesmo tratamento, sem tamanho incômodo, para todos os clientes SKY. (continua)
    Expand
    8m Pax ‏@politicAetica
    @SKYresponde @skybrasil @vcneto: que eu teria como forma de amenizar o transtorno por que passei. Disse que sim, claro que sim…(continua)
    Expand
    9m Pax ‏@politicAetica
    @SKYresponde @skybrasil @vcneto: Fez os cálculos do desconto dos dias parados e me perguntou se haveria alguma outra demanda (continua)
    Expand
    10m Pax ‏@politicAetica
    @SKYresponde @skybrasil @vcneto: Por fim ligação de uma Sra da empresa (omitirei o nome) que me deu número especial de atendimento (cont…)
    Expand
    11m Pax ‏@politicAetica
    @SKYresponde @skybrasil @vcneto: Vice Presidente de Atendimento, recebi mais de uma dezena de ligações de retorno e técnico Adeilton.(cont)
    Expand
    12m Pax ‏@politicAetica
    @SKYresponde @skybrasil @vcneto : Depois de enorme incômodo finalmente resolveram meu problema. Depois que contactei @vcneto (continua…)
    Expand

  123. Pax said

    Caro Elias,

    Teu raciocínio tem lógica, mas não convence.

    É claro que a sociedade adotou métodos não cartesianos de sobreviver. Desde Cabral (não esse cafaja do RJ) É claro que a sociedade vota nos corruptos que estão no plantão do poder. Mas, cá entre nós, nem você, nem eu, nem a grande maioria é assim, vive assim, falcatrua as regras, rouba cofres públicos e tudo mais que podemos indicar.

    Tanto você, que é mais novo que eu, e este que vos fala, acreditamos, sim, que o PT mudaria o rumo desta prosa.

    Houve uma enorme mudança, caro Elias. O governo deixou de estar nas mãos patronais e se tornou um governo de base sindical. Lula é a essência disso tudo. Não nasceu corrupto, foi operário, entrou na vida sindical, política, fez o partido que demorou mais de 20 anos até se tornar governo. Sabemos de cabo a rabo a História.

    E aí, quando chegou ao poder?

    Infelizmente, caro Elias, por mais que as estruturas obrigassem atitudes não canônicas, o que houve, realmente, foi que o PT virou as costas para tudo que tinha de compromisso e adotou, sem tirar nem por, talvez aprofundando, os mesmíssimos métodos existentes. Independente de ter conseguido resultados de inclusão bla, bla, bla.

    É triste? É sim. Sabemos que é. Tenho absoluta certeza tu, como petista, não está confortável com os acontecimentos.

    Foi necessário? Talvez sim, uma parte.

    Mas com certeza todo o pragmatismo jamais poderia ter destruído a essência da coisa. Que é um partido que nasceu no povo trabalhador, que hoje, caro Elias, mesmo que e Zézão lá da fábrica não viva as histerias da grande mídia, se incomoda um bocado com uma enorme parte do partido que prometia mudar o status quo.

  124. Pax said

    Só pra terminar o raciocínio, caro Elias,

    E esse cara, o Zézinho, operador de carrinho de carga, não pode ser culpado da corrupção do governo.

    Eles, o Zézinho, o Joãozinho, o Manequinho, o Tião, vieram da roça quando crianças, não aprenderam as safadezas da cidade e hoje trabalham das 07h às 19h. Acordam às 4h:30 para poder colocar o café no bule e pegar as três conduções necessárias para chegar no horário do cartão de ponto. Nem bem têm 5 horas completas de sono se atenderem as necessidades da Maria, da Zeca, da Marialva que tomam banho antes dele chegar em casa exausto.

    Esses caras, caro Elias, de novo, não são culpados do status quo. Não mesmo. Nem vem que não há o que me convença disso.

  125. Pax said

    Vejam só como são as coisas….

    Pax @politicAetica 22 Jan
    @SKYresponde @skybrasil @vcneto: esta, a meu ver, seria a primeira atitude moral que a empresa poderia fazer sem custo algum.

    Vito Chiarella
    @vcneto
    @politicAetica obrigado pelo contato e sugestões. Peço desculpas pelos transtornos e com certeza iremos rever aquilo que for necessário.
    05:55 PM – 22 Jan 13

  126. Michelle 2 said

    Pax esse é o ponto. Acertou na mosca, mas o Elias não deixa de ter razão. A Sociedade (representada por vc, neste caso) teve que reclamar pra cacete pra ser atendida.
    O que me preocupa é avaliar positivamente um governo cheio de falhas como o atual e para se safar colocar a culpa nos outros.
    Resultado:
    Atrasará mais ainda a Sociedade e o Brasil que queremos.

    Esse é o ponto!

  127. Olá!

    Elias,

    “Afinal, se o mercado, por si só, é capaz de sde auto-regular, pra quê regulação estatal? O sistema concorrencial se encarregaria de punir as empresas de mau funcionamento, por meio da interação darwiniana que lhe seria inerente. Os menos capazes simplesmente desapareceriam.”

    O problema das teles, no Brasil, se iniciou na maneira como o setor de telecomunicações foi privatizado. O Governo FHC criou, na realidade, monopólios regionais, não foi uma privatização que prezasse pela livre concorrência. Durante um certo tempo, havia apenas uma operadora para toda uma região do Brasil. Faltou capitalismo nesse negócio.

    Porém, vale ressaltar uma coisa aos estatistas e estatólatras de plantão: A experiência de quase 40 anos de monopólio estatal no setor de telecomunicações continuará a reverberar os seus efeitos nefastos durante um certo tempo. Esse é o tipo de coisa que não se apaga do dia para a noite e, gradualmente, as forças de mercado irão se encarregar de amenizar e/ou eliminar tais efeitos.

    Exemplo de um desses efeitos nefastos que as forças de mercado amenizaram/eliminaram é o acesso à uma linha telefônica. Antes, havia milhões na lista de espera por uma linha telefônica e essas pessoas pagavam os tubos para tê-la. Hoje, até banca de jornal vende “linha” telefônica (celulares) e a pessoa já sai com a linha habilitada, sem precisar esperar anos para isso.

    Fato: As forças de livre mercado conseguiram o que o monopólio estatal da Telebras/Embratel nunca foi capaz de fazer: Democratizar o acesso aos serviços de telecomunicações. O problema, agora, não é mais o acesso, mas, sim, a qualidade do serviço. Antes das privatizações, sequer havia serviços para as pessoas reclamarem, pois o acesso a eles era exclusividade de uma pequena elite. Ninguém gostaria de retornar à essa triste e lamentável conjuntura.

    Além do mais, agências reguladoras são importantes para auxilar o Estado/governo na manutenção da concorrência no livre mercado e evite o surgimento de monopólios. Isto é, mais cedo ou mais tarde uma agência reguladora seria necessária.

    A questão da qualidade do serviço também será resolvida, mais cedo ou mais tarde, pelas forças de livre mercado.

    Pegando um exemplo de um país onde o setor de telecomunicações sempre esteve nas mãos da iniciativa privada: Para se ter uma idéia, certas cidades do interior (interiorzão mesmo, daqueles que ficam deserto adentro) da Califórnia têm mais prestadoras de serviços de Internet do que regiões inteiras do todo o Brasil. Um dia, o Brasil também poderá chegar nesse nível. Só uma pergunta: Se o setor de telecomunicações fosse re-estatizado, será que o Brasil, um dia, chegaria nesse nível? Será que, hoje, o país teria democratizado o acesso aos serviços de telecomunicações?

    “Faz favor de comentar o raciocínio e o argumento, sem tecer considerações pessoais sobre quem faz o comentário.

    Do contrário, vou começar a disparar matacões em cima do teu telhado de vidro…”

    Qual foi a parte do meu comentário que lhe ofendeu?

    Matacões em cima do meu telhado de vidro? Você poderia dar um exemplo?

    Até!

    Marcelo

  128. Patriarca da Paciência said

    Em homenagem ao comentário 126 da Michelle, (será que a moça finalmente vai passar a se comportar como gente?), pois bem, em homenagem ao comentário 126 da Michelle, vou passar a chamar o rola-bosta 100% idiota de Reinaldo Azevedo.

    Mas vamos pelo começo.

    O Olavo de Carvalho escreveu um texto, muito admirado pelo Chesterton, que o plano de Isaac Newton, ao publicar sua descoberta sobre a Lei da Gravitação Universal, era, na verdade, destruir o Cristianismo Trinitário. E ainda completa “só os sonsos não percebem isso”.

    Agora o Reinaldo Azevedo afirma, com todas as letras, que os Estados Unidos virarão terceiro mundo por causa do Obama!

    Caramba!

    E ainda tem gente que leva esses caras a sério!

  129. Elias said

    Pax,

    Do jeito que tu colocas as coisas, parece algo sobrenatural, ou sem solução.

    “O PT não nasceu corrupto, mas se corrompeu”. “O Lula não nasceu corrupto, mas se corrompeu” (ou se tornou conivente com a corrupção, o que dá no mesmo…).

    O que causaria isso? A genética? O ar atmosférico ao sul do Equador e às margens do Atlântico? A constelação do Cruzeiro do Sul? O carnaval, o samba e o frevo rasgado? O futebol e a Copa do Mundo? Uma maldição rogada pela família real portuguesa ou pela família imperial brasileira? O Zé Dirceu e a Rose?

    Nada disso, né?

    E aí, como ficamos? Vamos deixar como está, pra ver como é que fica? Não, né? Eu, p.ex., tenho filhos, e quero algo melhor pra eles. Enquanto eu puder pelo menos tentar alguma coisa pra romper com esse troço que está aí, farei isso.

    E essa, pra mim, é a questão: o que fazer? Por onde começar?

    Esse negócio de ficar lamentando que tal partido se corrompeu e se desnaturou, que tal liderança se corrompeu e se desnaturou, que os políticos são assim, assim, e assim, assado… Com essa conduta, não avançamos um milímetro.

    Pra mim, o ponto de partida é reconhecer que os partidos políticos brasileiros, sem exceção, não têm condições de deflagrar nenhum processo moralizador. Não têm condições porque colocam a luta pelo poder acima de qualquer princípio (e, veja bem: entendo a luta pelo poder entre as principais e mais elevadas missões de um partido político, mas não acima de princípios); não têm condições porque já nasceram tortos ou se desnaturaram ao longo da existência (caso do PMDB, do PT e do PSDB), etc, etc.

    O mesmo se aplica aos Poderes da República, todos, sem exceção, contaminados pelas mesmas mazelas que afetam negativamente os partidos políticos.

    De mais a mais, como nos ensinam a Ciência Política, a Sociologia e o escambal a quatro, as instituições, de qualquer lugar e em qualquer época, sempre são refratárias a mudanças (e, se não fossem assim, não seriam instituições, né?).

    Quem ficar esperando por transformações exclusivamente a partir das instituições, pode esperar sentado. Dessa mata não sai coelho…

    Resta quem, por eliminação?

    Lembro de um cartum do Henfil, no qual a Graúna, o bode Orellhana e sei lá quem (acho que o Ubaldo), dizem que estão vendo a “esperança, que vem vindo”. E ela vem vindo, vem vindo… Até que, ao chegar bem perto dos três, eles constatam, surpresos: “Ué… Somos nós…!”. (Um dos personagem se volta para o leitor e diz: “Não fala nada, não, mas acho que estou vendo um leitor com um sorriso inteligente…).

    Acho que é por aí. Algo acima dos partidos (melhor seria, não fosse o desgaste da expressão: “algo transversal aos partidos”). Um longo, profundo e firme processo de instauração da vigência de noções essenciais de cidadania. Uma atitude cada vez mais firme de tolerância zero em relação à corrupção e a delinquência de modo geral.

    Sabe o “ficha limpa”? Pois é… Fazer com que o “ficha limpa” se incorpore e se aplique a todas as instâncias, todos os níveis e todas as esferas da vivência pública.

    Nenhum partido político pelo menos tentará fazer isso, por si só, porque, como instituição que é, não tem interesse nisso. Mas todos os partidos ajudarão — uns mais, outros menos — se forem constrangidos a isso.

    No processo de constranger os políticos, ocorrerá uma saudável revonação de lideranças. Boa parte das lideranças atualmente existentes simplesmente iria para o lixo, porque, gradualmente perderiam votos.

    Dá uma olhada em como aconteceu com os países escandinavos (que já tiveram problemas sérios com corrupção braba e roubalheira generalizada).

    Não se trata de votar em esquerda, direita ou centro. Trata-se de eleger pessoas respeitáveis. Só isso.

    E quem elege não são os partidos, Pax.

    Somos nós…

  130. Elias said

    Marcelo,

    Como estou excepcionalmente bem-humorado, vou, apenas, te dar uns toques.

    Se tu queres defender as teles, vai em frente. Mas, pelo menos, arranja argumento melhor.

    Por exemplo: não argumenta pelo QUANTITATIVO. Se fizeres isso, vais, apenas, botar lenha na fogueira de quem critica as teles.

    Lê com mais atenção o que estamos debatendo aqui. O problema das teles é QUALITATIVO.

    QUALITATIVO, Marcelo. QUALITATIVO!

    Tem a ver com a QUALIDADE dos serviços que elas prestam, não com a QUANTIDADE de assinaturas que elas vendem.

    Claro que elas estão vendendo muito, e muito rapidamente.

    O problema, Marcelo, é exatamente esse. Elas estão vendendo MAIS do que podem entregar. É isso que provoca um “gap” entre o QUANTITATIVO e o QUALITATIVO. É aqui que está o nó da questão.

    Exatamente por essa razão é que uma das punições aplicáveis às teles é PROIBIR A VENDA de novas assinaturas, até que elas consigam atender adequadamente o que já venderam.

    E, pra isso, elas precisam INVESTIR em capacidade instalada, Marcelo. INVESTIR!

    Daí os “Termos de Ajuste de Conduta” que todas elas vêm firmando, comprometendo-se a investir em capacidade instalada, em contrapartida à proibição de novas vendas.

    Se o problema não existisse, elas não teriam assinado “Termos de Ajuste de Conduta”. Esses termos só são firmados quando uma empresa viola os princípios mais elementares da ética empresarial.

    Se tu argumentas com elementos QUANTITATIVOS, Marcelo, tu estás, apenas, reforçando as mais graves acusações que se faz às teles.

    Em vez de ajudá-las, estás ajudando a derrubá-las.

    Ainda não percebeste isso, rapaz? Caceta!!!!!

    Nas defesas que as teles apresentaram, pra se livrar da proibição de novas vendas, elas argumentaram EXATAMENTE, com o oposto do que tu estás dizendo. Elas disseram que não estavam vendendo, não haviam vendido nem pretendido vender tanto assim, como se diz delas, etc, etc, etc, etc.

    Entendeu agora, Marcelo?

    Caceta!!!!

  131. Elias said

    Onde está escrito:

    “Daí os “Termos de Ajuste de Conduta” que todas elas vêm firmando, comprometendo-se a investir em capacidade instalada, em contrapartida à proibição de novas vendas. ”

    Leia-se:

    “Daí os “Termos de Ajuste de Conduta” que todas elas vêm firmando, comprometendo-se a investir em capacidade instalada, em contrapartida à SUSPENSÃO DA proibição de novas vendas.”

    Caceta!!!

  132. Olá!

    Otto,

    “Não dá pra querer que a África em algumas décadas supere os problemas decorrentes — entre os quais corrupção — de séculos de espoliação ocidental.

    Quanto tempo a Europa levou para superar as guerras religiosas e criar estados laicos? QUATRO séculos!”

    Maçãs e laranjas. Você precisa comparar maçã com maçã e laranja com laranja.

    No caso dos países africanos, uma coisa é interessante ressaltar: Desde que os ocidentais saíram das suas colônias africanas, são poucos os casos de antigas colônias que buscaram rumar com seriedade em direção à uma sociedade democrática. Isso é de total responsabilidade dos africanos e das suas lideranças, que escolheram criar esse tipo de coisa para eles.

    O Robert Mugabe é um exemplo muito bom de liderança que lutou contra a dominação ocidental, mas que, tendo derrotado tal dominação, em vez de construir uma democracia liberal, escolheu o caminho do autoritarismo.

    “E a Europa ainda continua intervindo/obstando o desenvolvimento desse continente. Os atuais governos do Mali e da Argélia ascenderam ao poder por conta de golpes de estado — e são apoiados pelo Ocidente.”

    Ué!? No caso da Argélia pelo menos, não foi aquele lance de Primavera Árabe que a esquerda ocidental de boutique tanto festejou e apoiou?

    O Mali, você pode colocar na conta do socialista francês François Hollande. É a esquerda ocidental intervindo no Mali. Onde está, agora, aquele papo tosco de que os esquerdistas ocidentais são os bonzinhos e etc.?

    “Assim como a África do Sul do Apartheid. Quem pressionou pelo fim do sistema foi a sociedade civil, não os governos ocidentais, que só se moveram no final do processo. É bom lembrar que Israel fornecia tecnologia nuclear para um estado racista — sim, pois a África do Sul queria ter a bomba.”

    Otto, havia empresas ocidentais que boicotavam a África do Sul na época do Apartheid. Isso está registrado na história.

    Sobre a colaboração nuclear entre Israel e a África do Sul, nunca nada foi, de fato, confirmado. O que há são especulações. Não há certezas de que nem mesmo Israel tenha armamentos nucleares.

    “Outra coisa, se Estado mínimo fosse sinônimo de eficiência e desenvolvimento, Paraguai, Haiti e Honduras seriam suíças.”

    Novamente, vamos aos dados! Vejamos qual é a média de Haiti, Honduras e Paraguai para as variáveis de liberdade econômica, corrupção e facilidade para fazer negócios no período 2004-2011:

    Legenda

    Coluna 01: Índice de Liberdade Econômica (Heritage Foundation)
    Coluna 02: Índice de Percepção da Corrupção (Transp. International)
    Coluna 03: Qtd. de Procedimentos Para Abrir Um Negócio (Banco Mundial)
    Coluna 04: Qtd. de Dias Para Se Abrir Um Negócio (Banco Mundial)
    Coluna 05: % da Renda Per Capita Gasta Para Se Abrir Um Negócio (Banco Mundial)

    Média Para Haiti, Honduras e Paraguai?

    Média: . . . 55.53 . . . 2.10 . . . 12.67 . . . 93.33 . . . 152.99

    Ou seja, os três países, na média, há um baixo índice de liberdade econômica e eles são extremamente corruptos e muito burocráticos na questão do empreendedorismo. Veja que, na média, nesses três países um empreendedor, para começar um negócio, passaria por um calvário burocrático de quase 13 procedimentos, que levam mais de 90 dias para serem completados e consomem mais de 150% da renda per capita.

    Haiti, Honduras e Paraguai são países extremamente burocráticos e, consequentemente, não têm como serem considerados Estados mínimos, pois burocracia, Otto, é coisa criada pelo Estado, pelo governo.

    Vejamos, agora, os mesmíssimos dados, no mesmo período (2004-2011), para a Suíça que você citou:

    Média: . . . 79.70 . . . 8.95 . . . 6.00 . . . 20.00 . . . 4.55

    Não tem comparação. A Suíça, na média, é um país com um elevado índice de liberdade econômica, sendo pouco corrupto e pouco burocrático.. Na média, um empreendedor na Suíça, para começar o seu negócio, precisa de apenas 6 procedimentos, que levam 20 dias para serem completados e custam apenas 4.55% da renda per capita suíça.

    Comparada a Haiti, Honduras e Paraguai, a Suíça é um país extremamente desburocratizado. O tipo de realidade econômica que a Suíça construiu é muito diferente do que há nesses três países.

    A moral da história disso tudo não é a inexistência de um Estado, pois, nesse caso, o que haveria seria o caos e a anarquia, como é o caso do Haiti. O ponto fundamental reside, de fato, no tipo de realidade institucional que tal Estado busca criar para os cidadãos. Os países que puderam experimentar e absorver valores liberais são exatamente os mesmos países que criaram as ordens sociais mais civilizadas para os seus respectivos cidadãos, como é o caso da Suíça.

    Até!

    Marcelo

  133. Olá!

    Elias, mas no meu comentário #127, eu falo exatamente sobre isso que você citou. O problema qualitativo, isto é, o acesso à uma linha telefônica, foi amplamente resolvido após a privatização do setor de telecomunicações. A questão, agora, é a qualidade do serviço prestado. Isto também será resolvido com o tempo. Excerto:

    “Fato: As forças de livre mercado conseguiram o que o monopólio estatal da Telebras/Embratel nunca foi capaz de fazer: Democratizar o acesso aos serviços de telecomunicações. O problema, agora, não é mais o acesso, mas, sim, a qualidade do serviço. Antes das privatizações, sequer havia serviços para as pessoas reclamarem, pois o acesso a eles era exclusividade de uma pequena elite. Ninguém gostaria de retornar à essa triste e lamentável conjuntura.”

    Não precisa ter um chilique. É só ler com atenção.

    Até!

    Marcelo

  134. Patriarca da Paciência said

    Elias,

    você estava “afastado” quando postei aqui a novidade que está acontecendo na cidade de Joinville/SC, ou seja, um prefeito que exercerá o cargo sem receber remuneração e que, inclusive, dirige o maior hospital da cidade, há quarenta anos, também sem receber salários. O homem é, simplesmente, um dos grandes empresários brasileiros, principal acionista e diretor do conselho de administração da empresa Döhler.

    Mas sobre essas coisas o PIG não fala!

    Daí é que surgiu a minha idéia de que as agências reguladoras fossem formadas por pessoas representativas da sociedade.

    Veja só:

    9.Patriarca da Paciência disse
    15/12/2012 às 15:26

    Corrupção ao contrário?

    Como se poderia chamar tal processo?

    “O deputado estadual Kennedy Nunes (PSD) deu entrada com uma ação contra pedindo a impugnação da candidatura de Udo Döhler (PMDB) e consequentemente o resultado das eleições municipais deste ano por abuso de poder político e econômico.

    Derrotado nas eleições, Kennedy questiona o uso da propaganda peemedebista que falava que Udo doaria o salário para entidades assistenciais, enquanto Kennedy utilizava diárias pagas pela Assembleia Legislativa para dormir em Joinville.

    No processo, é pedido tutela antecipada. Ou seja, caso seja aceito os argumentos do processo de Kennedy, Udo Döhler não poderia ser diplomado na tarde de hoje. O juiz Hildemar Meneguzzi de Carvalho, da 19ª Zona Eleitoral, está responsável pelo caso.

    — Não estou questionando o resultado das eleições, mas sim a propaganda fictícia que se fez por causa do assunto do salário. Estou questionando a peça publicitária deles. Não fizemos isso de cabeça quente. Mas estou me defendendo dos boatos que falam que o Udo me comprou — diz Kennedy. ”

    http://anoticia.clicrbs.com.br/sc/noticia/2012/12/kennedy-tenta-impugnar-candidatura-de-udo-dohler-3982613.html

  135. Chesterton said

    O que foi que aconteceu?

    A primeira nação da América espanhola, incluindo a Espanha e Portugal, que utilizou máquinas e barcos a vapor foi Cuba, em 1829.

    A primeira nação da América Latina e a terceira no mundo (atrás da Inglaterra e dos EUA), a ter uma ferrovia foi Cuba, em 1837.

    Foi um cubano que primeiro aplicou anestesia com éter na América Latina em 1847.

    A primeira demonstração, a nível mundial, de uma indústria movida a eletricidade foi em Havana, em 1877.

    Em 1881, foi um médico cubano, Carlos J. Finlay, que descobriu o agente transmissor da febre amarela e definiu sua prevenção e tratamento.

    O primeiro sistema elétrico de iluminação em toda a América Latina (incluindo Espanha) foi instalado em Cuba, em 1889.

    Entre 1825 e 1897, entre 60 e 75% de toda a renda bruta que a Espanha recebeu do exterior vieram de Cuba.

    Antes do final do Século XVIII Cuba aboliu as touradas por considerá-las “impopulares, sanguinárias e abusivas com os animais”

    O primeiro bonde que circulou na América Latina foi em Havana em 1900.

    Também em 1900, antes de qualquer outro país na América Latina foi em Havana que chegou o primeiro automóvel.

    A primeira cidade do mundo a ter telefonia com ligação direta (sem necessidade de telefonista) foi em Havana, em 1906.

    Em 1907, estreou em Havana o primeiro aparelho de Raios-X em toda a América Latina.

    Em 19 maio de 1913 quem primeiro realizou um vôo em toda a América Latina foram os cubanos Agustin Parla e Rosillo Domingo, entre Cuba e Key West, que durou uma hora e quarenta minutos.

    O primeiro país da América Latina a conceder o divórcio a casais em conflito foi Cuba, em 1918.

    O primeiro latino-americano a ganhar um campeonato mundial de xadrez foi o cubano José Raúl Capablanca, que, por sua vez, foi o primeiro campeão mundial de xadrez nascido em um país subdesenvolvido. Ele venceu todos os campeonatos mundiais de 1921-1927.

    Em 1922, Cuba foi o segundo país no mundo a abrir uma estação de rádio e o primeiro país do mundo a transmitir um concerto de música e apresentar uma notícia pelo rádio.

    A primeira locutora de rádio do mundo foi uma cubana: Esther Perea de la Torre. Em 1928, Cuba tinha e 61 estações de rádio, 43 deles em Havana, ocupando o quarto lugar no mundo, perdendo apenas para os EUA, Canadá e União Soviética. Cuba foi o primeiro no mundo em número de estações por população e área territorial.

    Em 1937, Cuba decretou pela primeira vez na América Latina, a jornada de trabalho de 8 horas, o salário mínimo e a autonomia universitária.

    Em 1940, Cuba foi o primeiro país da América Latina a ter um presidente da raça negra, eleita por sufrágio universal, por maioria absoluta, quando a maioria da população era branca. Ela se adiantou em 68 anos aos Estados Unidos.

    Em 1940, Cuba adotou a mais avançada Constituição de todas as Constituições do mundo. Na América Latina foi o primeiro país a conceder o direito de voto às mulheres, igualdade de direitos entre os sexos e raças, bem como o direito das mulheres trabalharem.

    O movimento feminista na América Latina apareceu pela primeira vez no final dos anos trinta em Cuba. Ela se antecipou à Espanha em 36 anos, que só vai conceder às mulheres espanholas o direito de voto, o posse de seus filhos, bem como poder tirar passaporte ou ter o direito de abrir uma conta bancária sem autorização do marido, o que só ocorreu em 1976.

    Em 1942, um cubano se torna o primeiro diretor musical latino-americana de uma produção cinematográfica mundial e também o primeiro a receber indicação para o Oscar norte-americano. Seu nome: Ernesto Lecuona.

    O segundo país do mundo a emitir uma transmissão pela TV foi Cuba em 1950. As maiores estrelas de toda a América, que não tinham chance em seus países, foram para Havana para atuarem nos seus canais de televisão.

    O primeiro hotel a ter ar-condicionado em todo o mundo foi construído em Havana: o Hotel Riviera em 1951.

    O primeiro prédio construído em concreto armado em todo o mundo ficava em Havana: O Focsa, em 1952.

    Em 1954, Cuba tem uma cabeça de gado por pessoa. O país ocupava a terceira posição na América Latina (depois de Argentina e Uruguai) no consumo de carne per capita.

    Em 1955, Cuba é o segundo país na América Latina com a menor taxa de mortalidade infantil (33,4 por mil nascimentos).

    Em 1956, a ONU reconheceu Cuba como o segundo país na América Latina com as menores taxas de analfabetismo (apenas 23,6%). As taxas do Haiti era de 90%; e Espanha, El Salvador, Bolívia, Venezuela, Brasil, Peru, Guatemala e República Dominicana 50%.

    Em 1957, a ONU reconheceu Cuba como o melhor país da América Latina em número de médicos per capita (1 por 957 habitantes), com o maior percentual de casas com energia elétrica, depois Uruguai, e com o maior número de calorias (2870) ingeridas per capita.

    Em 1958, Cuba é o segundo país do mundo a emitir uma transmissão de televisão a cores.

    Em 1958, Cuba é o país da América Latina com maior número de automóveis (160.000, um para cada 38 habitantes). Era quem mais possuía eletrodomésticos. O país com o maior número de quilômetros de ferrovias por km2 e o segundo no número total de aparelhos de rádio.

    Ao longo dos anos cinqüenta, Cuba detinha o segundo e terceiro lugar em internações per capita na América Latina, à frente da Itália e mais que o dobro da Espanha.

    Em 1958, apesar da sua pequena extensão e possuindo apenas 6,5 milhões de habitantes, Cuba era 29ª economia do mundo.

    Em 1959, Havana era a cidade do mundo com o maior número de salas de cinema: (358) batendo Nova York e Paris, que ficaram em segundo lugar e terceiro, respectivamente.

    E depois o que aconteceu?

    VEIO A MALDITA REVOLUÇÃO COMUNISTA…e se apropriou de TUDO para eles até hoje…..reina à beira da miséria e falencia desde que a RUSSIA se emendou.

    chest- email recebido de um amigo. (eu não sei quem escreveu isso, pax)

  136. Patriarca da Paciência said

    Aí o Chesterton fez um pesquisa e achou o seguinte sobre o Udo Döhler:

    38.Chesterton disse
    21/12/2012 às 12:16
    Presidente e diretor do Conselho de Administração da Döhler S.A, empresa importante nos setores de cama, mesa, banho e decoração. Além de conduzir desde 1971 a trajetória da companhia, o empresário dedica parte de seu tempo, há mais de duas décadas, para administrar o Hospital Dona Helena, de Joinville

    chest- é do setor têxtil, como José de Alencar, outro biliardário.

    Chegou ao hospital – hoje referência em tecnologia e qualidade em toda a região Sul do país – por intermédio da Associação Beneficente Evangélica, entidade mantenedora da instituição.

    chest- é evangélico, logo protestante e capitalista.

    É também Cônsul Honorário da Alemanha na cidade e presidiu cinco vezes a Associação Comercial e Industrial de Joinville (Acij). Esteve durante vários anos à frente do Corpo de Bombeiros Voluntários, do qual ainda hoje faz parte do Conselho Deliberativo. Foi também integrante do Conselho de Política Industrial da Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina (FIESC), conselheiro master da Confederação Nacional da Indústria (CNI) e diretor da Associação Brasileira da Indústria Têxtil. Presidiu o Instituto Joinville [2] 150 Anos, na coordenação das comemorações do sesquicentenário da cidade, em 2001, e foi também conselheiro do Desenville – Conselho de Desenvolvimento de Joinville.
    É eleito prefeito de Joinville em 2012 pelo PMDB, com 54,65% dos votos válidos.

    chest- Associação Brasileira da Industria Têxtil….

    http://www.dohler.com.br/site/

    Emprega o sobrinho Carlos que é diretor comercial…nepotismo.

    História
    Com um rústico tear de madeira feito com as próprias mãos no ano de 1881, o imigrante alemão Carl Göttlieb Döhler começou a produzir tecidos artesanalmente no município de Joinville. As primeiras peças de brim e xadrez eram comercializadas por ele mesmo, de casa em casa, e, já naquela época, foram muito bem recebidas pela população.

    A atividade industrial brasileira começava a dar seus primeiros passos, e Joinville, com apenas 30 anos de fundação, sequer imaginava que viria a se tornar um dos maiores polos industriais do país. Mas Carl confiou no potencial brasileiro. Empreendedor corajoso e com visão de futuro, fez a empresa crescer, trazendo os primeiros teares mecânicos.

    A partir do início do século XX, o crescimento e a evolução tecnológica não pararam mais. Com uma administração focada na aquisição de equipamentos automáticos,

    chest- sei, não precisa pagar encargos salariais, as máquinas devem ser alemãs, não brasileiras, nítido explorador dos brasileiros (rsrsrsrsr)

    contratação de funcionários, verticalização da produção e intensa exportação, a Döhler prosperou.

    Com posição de destaque, a empresa ofereceu valiosa contribuição ao país no início da década de 1980, adotando ações pioneiras de cuidado ambiental e responsabilidade social.

    Hoje, a Döhler S/A destaca-se entre as principais empresas têxteis brasileiras e, também, por ser uma das mais tradicionais do País. Sua longa trajetória, porém, só dá sinais de vitalidade. Nos últimos anos, a empresa tem demonstrado visão de futuro e agilidade ao adequar seu perfil exportador para atender o mercado nacional em mais de 90% da produção.

    chest- Sei, não consegue mais competir com A China e vai vender seus trapinhos para os trouxas brasileiros…herdou a industria da familia que fez tudo para ele….(hilário se comportar como os socialistas)

  137. Patriarca da Paciência said

    Eis uma história de Cuba mais parecida com a realidade:

    “Presença Norte americana
    Cuba proclamou sua independência no ano 1902 com uma série de restrições impostas pelos Estados Unidos. Este periodo do ano 1898 a 1959 é conhecido como “Pseudo-República”, já que a presença norte americana contava com certos privilégios, como o controle sobre os tratados exteriores, a possibilidade de invadi-la militarmente ou a adquisição de bases navais no litoral (Guantánamo e a Ilha de Pinos).

    A ditadura de Fulgéncio Batista
    Durante os primeiros quarenta anos do século XX seguiram-se diversos governos militares e civis, caraterizados pela corrupção, provocando o deterioração do sistema político. Em 1925 o general Machado toma o poder e continua com o regime repressivo. Os problemas da ilha expandiram-se enquanto o preço da cana nos mercados internacionais cai sensivelmente, e o povo faz uma greve geral. Em 1936 Miguel Mariano Gómez derrota Machado, adotando medidas de caráter social urgentes. Esta época dura por pouco tempo já que o coronel Fulgêncio Batista, quem controla os destinos políticos desde as sombras, assume o poder no ano 1940. Permanece por quatro anos até ser derrotado em eleições pelo Dr. Grau San Martín. Após dele segue Prío Socarrás no mandato, com um governo de corrupção e violência. Porém, em 1952 Batista subiu de novo ao poder após dar um golpe militar sob pretexto da má gestão do governo, iniciando assim uma ditadura que iria-se prolongar até o ano 1959, com a chegada de Castro e seus homens”

    http://www.portalsaofrancisco.com.br/alfa/cuba/cuba.php

  138. Chesterton said

    eu nunca vi alguem tão sem assunto e tão sem imaginação pra trazer um post meu antigo para debater……deixe de ser viado patriarca.

  139. Sinal de alerta !
    Bom dia, e a oposição super preocupada!
    PSDB é o Palmeiras da politica:
    Sem quadros!

  140. Patriarca da Paciência said

    Chesterton,

    foi um dos poucos posts onde você colocou o link, de pronto e também, um dos poucos que traz um bom assunto, o que é uma notável novidade, e também para o Elias tomar conhecimento do que eu comentei, então, há bons motivos para a reprise!

  141. Patriarca da Paciência said

    Como é do conhecimento de todos, Cuba era uma famoso bordel internacional, administrado pelos Estados Unidos. O autor do e-mail do comentário 135 deve ter sido um dos gerentes de algum bordel de luxo.

  142. Patriarca da Paciência said

    O Partido da Ganância, movimento iniciado por Friedman, “a ganância é a força maior que movimento o mundo”, está cada vez mais perdendo terreno.

    Bill Gates anuncia que vai participar de um movimento para acabar com a fome em todo o mundo.

  143. Olá!

    Houve um pequeno deslize no meu último comentário. Onde há:

    “Elias, mas no meu comentário #127, eu falo exatamente sobre isso que você citou. O problema qualitativo, isto é, o acesso à uma linha telefônica, foi amplamente resolvido após a privatização do setor de telecomunicações. A questão, agora, é a qualidade do serviço prestado. Isto também será resolvido com o tempo. [. . .].”

    Leia-se:

    “Elias, mas no meu comentário #127, eu falo exatamente sobre isso que você citou. O problema quantitativo, isto é, o acesso à uma linha telefônica, foi amplamente resolvido após a privatização do setor de telecomunicações. A questão, agora, é a qualidade do serviço prestado. Isto também será resolvido com o tempo.”

    Sorry!

    Até!

    Marcelo

  144. Chesterton said

    141, Patriarca, Cuba continua sendo um bordel do mundo, mas sem luxo, é tudo decadente. As putas além de boquete caprichado são baratas segundo leio por aí.

  145. Chesterton said

    Coluna de Dora Kramer, no Estadão

    O ex-presidente Luiz Inácio da Silva usurpa o poder de suas criaturas, é o que se diz sobre seus movimentos de interferência explícita no governo Dilma Rousseff e nos primeiros acordes da administração Fernando Haddad na Prefeitura de São Paulo.Lula é alvo de toda sorte de críticas por desenhá-los como meras marionetes e tentar exercer de fato um poder que de direito não possui.Não foi eleito, portanto não tem razão para se reunir com a equipe de Haddad para “traçar diretrizes”. Não recebeu delegação presidencial para atuar como coordenador e, no entanto, age como se fosse a eminência mais nítida do governo federal.

    Isso é o que parece; não necessariamente é o que acontece.Primeiro, porque Dilma e Haddad detêm o poder de direito, estão lá sentados nas cadeiras que lhes couberam por candidaturas ungidas pelo criador e corroboradas pelo eleitor. Isso ninguém lhes tira.Segundo, porque têm a perfeita noção de que estão à frente de duas importantes trincheiras de um projeto partidário cujo condutor é Lula. Estão – todos os participantes dessa “marcha” – pouco ligando para essas formalidades que assombram analistas da cena política. Querem mais é que o chefe suba ao palco. Quanto mais o ex-presidente exercita suas artes de atrair todas as atenções, menos o PT precisa tratar de seus problemas com a ética e com (a falta de) resultados concretos de sua gestão federal. O debate nacional se desvia dos problemas reais para uma questão surreal.

    É como disse o ex-secretário geral da Presidência Luiz Dulci: “A movimentação de Lula é natural e desejável para o PT”.Até semana passada, crescia o debate sobre inflação, investimentos, fornecimento de energia, maquiagem de dados das contas governamentais, PIB pífio, excesso de interferência estatal na economia, reclamações de políticos e empresários, construção de alternativas eleitorais para 2014.

    Até a reunião com a equipe de Haddad para produzir fotografia passível de gerar análises sobre a interferência de Lula, o PT ainda enfrentava rescaldo do julgamento do mensalão, graças à iniciativa da juventude petista de promover “jantar vaquinha” para ajudar a pagar as multas dos condenados. Como se José Dirceu, por exemplo, precisasse de auxílio para juntar R$ 676 mil.

    Até então Lula estava calado, fugindo de jornalistas por lavanderias de hotel para não comentar as acusações contra sua protegida Rosemary Noronha e o depoimento de Marcos Valério à Procuradoria-Geral da República, que ensejou pedido de abertura de investigação contra o ex-presidente no esquema posto a nu pelo Supremo Tribunal Federal.

    Nos últimos dias a pauta mudou: são os encontros de Lula com secretários, aconselhamentos de Lula para Dilma mudar o rumo do governo, anúncios de reuniões dele com ministros, a caravana de Lula País afora, a conversa de Lula com a presidente nesta sexta-feira, o papel de Lula como articulador da base no Congresso, a inadequação da conduta de Lula, enfim, uma virada de agenda com Lula ao centro em seu mais confortável papel.

    Critica-se o ex-presidente por não “desencarnar”do cargo como havia prometido, levantam-se bandeiras em defesa da autonomia de Dilma, aceitam-se versões de que ela estaria desolada com essa interferência e, assim, cumpre-se exatamente o roteiro que interessa a Lula, ao Planalto e ao PT: fazer do ex-presidente o centro de tudo, privilegiando o acessório (as andanças dele) em detrimento do principal (as questões éticas e administrativas em aberto).

    O truque não é novo, mas continua eficaz porque há quem caia nele: por vontade ou falha de percepção. Resta conferir o efeito da realidade adiante sobre o prazo de validade desse tipo de dom de iludir a quem se dispõe a ceder às artimanhas do ilusionismo.
    POSTADO POR O EDITOR

  146. Chesterton said

    Bill Gates anuncia que vai participar de um movimento para acabar com a fome em todo o mundo.

    chest- ele vai para a cozinha? Ou para a churrasqueira?

  147. Patriarca da Paciência said

    Pesquisas de boca de urna mostram perda de terreno dos partidos de direita em Israel e um avanço da centro-esquerda no país.

    http://www.bbc.co.uk/portuguese/noticias/2013/01/130122_israel_boca_de_urna_gf.shtml

  148. Patriarca da Paciência said

    “O ex-presidente Luiz Inácio da Silva usurpa o poder de suas criaturas, é o que se diz sobre seus movimentos de interferência explícita no governo Dilma Rousseff e nos primeiros acordes da administração Fernando Haddad na Prefeitura de São Paulo.”

    O poder do Lula, realmente, é uma coisa impressionante. Acho que o Lula é, não só o cara mais poderoso da atualidade, como de toda a história humana!

  149. Pax said

    A coluna de Dora Kramer, que o velho e bom Chesterton, coloca, é interessante.

    Exatamente por ser o que a mídia (a tal…) fala diuturnamente esses dias recentes. A mesma tecla.

    E tem uma pergunta que não quer calar?

    Quem, neste mundo, resolveu que o ex-presidente (que, segundo as más linguas anda dormindo na casa do totó em S. Bernardo), não tem mais direitos políticos?

    Em outras palavras, não seria o mesmo que criticar o FHC por ele ter decidido que é o Aécio o candidato tucano de 2014?

    (aliás, FHC fez muito bem, Serra e Alckmin seriam uma derrota ainda mais escandalosa)

    Esse jornalismo político anda fraquinho pacas.

    Caro Elias… nossa conversa não acabou. É que tenho que terminar coisas que ficaram paradas aqui nestes dias.

  150. Jose Mario HRP said

    Por Renato Rovai, em seu blog:

    Em breve você vai participar de um encontro de família no final de semana e o papo vai começar pela última convocação do Felipão, vai passar pela porcaria do Big Brother e em algum momento vai chegar no desgaste da relação entre Lula e Dilma. Quando isso acontecer, aquele parente ou amigo reaça da família não vai ter dúvida em dizer: “Tá vendo, nem a Dilma aguenta mais o Lula”. Ao que um outro ainda mais politizado pelo PIG acrescentará: “Mas quem aguenta o PT e o Lula? Só o fulano mesmo..”. E vai apontar, morrendo de rir, pra você. Que terá o direito de ficar calado ou então o de ser chamado de encrenqueiro. Afinal, nesses casos, ser bem educado é fazer de conta que o melhor para o Brasil é ser o que era nos tempos de FHC.

    Os próximos capítulos da novela piguiana que se iniciou quando Lula ganhou as eleições em 2002 certamente tratarão dessa questão. É algo pouco criativo, mas que ao menos segura uma parte da audiência. Principalmente aquela que se diverte muito xingando o petismo. E que se divertia muito xingando os comunistas que queriam acabar com a “democracia” brasileira nos tempos da ditadura militar. Tive um amigo que adorava dizer, mudam-se as moscas…

    Mas voltando a novela que começou a entrar em cartaz, Dilma está perdendo a paciência com Lula. Afinal, ela teria recebido um país quebrado e está tentando colocar as coisas nos trilhos, mas o sujeito e o PT não lhe dão paz. Por isso, decidiu organizar o seu grupo. Claro, para parecer verdadeira a história precisa de detalhes. Mas quem seria o grupo de Dilma? Aqui e ali já começam a aparecer os nomes dos atores: Gleise, Fernando Pimentel, Tarso Genro, Zé Eduardo Cardoso (que o Lula odeia) e Marta (que estaria muito puta com o Lula por conta do passa moleque da eleição paulistana).

    Como o amigo pode ver a história vai ganhando sentido. E aí começam a surgir reuniões fechadas, com informações em off, revelando que um teria falado mal do outro. Que um estaria puto com o outro. E na sequência, boatos de demissão no governo por conta disso. E aí, claro, este enredo acabará desembocando numa reforma ministerial. E as especulações serão sobre quem está ganhando força no governo: a turma da Dilma ou o grupo do Lula.

    Ficou fácil fazer jornalismo político hoje em dia. Basta você ir escrevendo colaborativamente a novela da vez com outros colegas dos veículos comerciais. Sem necessidade de fontes que sustentem a história. E sem se preocupar com a possibilidade de que nada daquilo venha a se confirmar. Afinal, o seu compromisso não é com a verdade factual, mas com o interesse do veículo.

    Para os donos da mídia, a boa historia da vez é a de que Dilma e Lula estão se distanciando. E é isso o que interessa.

    O fato é que isso não existe. Lula ficou doente e está voltando a fazer o que gosta: política.

    Dilma só tem a ganhar com isso. Com ele no jogo, a oposição e os que estavam pensando em pular fora do barco do governo, vão pensar duas vezes.

    Dilma e Lula hoje não disputam o mesmo espaço. Só um idiota ou mal intencionado pode fazer uma narrativa apostando nisso.

    A conta deles é de mais. Não de dividir. Se um ganha algo o outro ganha também.

    Há diferença entre eles. Há quem ache um melhor do que o outro. Mas isso não chega a ser nem ao menos um detalhe. O projeto político deles está sacramentado para os próximos muitos anos.

    Mas isso não será suficiente para ouvir relatos diferentes no almoço da família. Até porque a mídia tradicional já decidiu que não é assim.

  151. Patriarca da Paciência said

    “Cortar em 20% o consumo como o governo (FHC) havia decidido, além de deteriorar a qualidade de vida da população, acarretaria a redução do crescimento, desorganização da cadeia produtiva e desemprego. A Fundação Getulio Vargas (FGV) projetava que um racionamento de energia em 15% por seis meses para as casas e 22% para as empresas provocaria uma perda de R$ 15 bilhões na produção de bens e serviços além da perda de 17 mil postos de trabalho.

    Onde estavam Merval, Catanhede, Miriam Leitão e Ricardo Noblat, entre tantos outros milicianos das redações partidarizadas? Por que nunca questionaram o que viam? Diante da imprevidência dos banqueiros, o governo de FHC criou o Proer, pagando a conta dessa imprevidência. Com relação à questão energética, por que os consumidores teriam que pagar pela incúria da gestão tucana? E, pior, pagariam duas vezes para que as concessionárias, tal como estava nos contratos, não tivessem prejuízos.

    Por que os jornalões não contam a história toda? O motivo é simples. A partir do momento em que optou por fazer as vezes da direita – ou até assumir papéis e funções que caberiam aos seus partidos – a grande imprensa passou a ter que blindar o passado. Assim como faz com Serra, Aécio, Álvaro Dias e outros aliados/colaboradores. Frustradas, até agora, as tentativas de ressuscitar eleitoralmente o tucanato esfacelado, cabe às antigas oficinas de consenso exterminar o passado.

    Parafraseando Shakespeare, com a pobreza típica das paráfrases, só resta dizer: “Ambivalência, teu nome é redação partidarizada”

    * Gilson Caroni Filho, professor, é sociólogo – Gilson.filhobr@terra.com.br

    http://www.jb.com.br/sociedade-aberta/noticias/2013/01/23/merval-pereira-o-exterminador-do-passado/

  152. Pax said

    Experiência que faço (depois de constatar que o Twitter é uma poderosa ferramenta).

    Ler debaixo para cima.

    Pax ‏@politicAetica
    … que indica, no fundo, que parte da mídia tomou a si o papel de oposição, já que esta está mais fraca que nunca. O que é muito ruim.
    Expand
    3m Pax ‏@politicAetica
    … Tanto FHC quanto Lula são lideranças políticas e não só podem como devem continuar em seus papéis. Fraquinhas as análises políticas hj.
    Expand
    5m Pax ‏@politicAetica
    Analistas políticos caem de pau na atuação de Lula com Haddad, Dilma. Mas esquecem que FHC acertadamente aponta Aécio para 2014. (cont…)

  153. Chesterton said

    Afinal, Lula é prefeito de SP e presidente do Brasil?

  154. Pax said

    Caro Chesterton, velho e bom Chesterton,

    Na boa, tire as pedras das mãos por um único instante e me responda, por favor:

    Afinal, FHC é presidente do PSDB e coordenador da campanha tucana de 2014?.

    Esse é o ponto, Chesterton.

    A mídia entra em uma histeria, inventa uma pauta e fica nela ad nauseam. Parece que nem param para pensar um pouco.

    E aí todas as críticas que a mídia (parte dela, da grande) é que realmente passou a fazer oposição, dada a fraqueza existente, tem algum sentido. Quando você pega este artigo da Dora Kramer e lê, nota-se que as análises políticas de principais jornalistas (analistas) são fracas, fáceis de serem criticadas pela sua incoerência.

    E acho isso muito ruim. Na verdade acho péssimo. É essencial que a imprensa seja boa.

    Pode ser partidária, não há ilegalidade nisso, mas tem que ser boa.

  155. Pax said

    O artigo do Renato Rovai, que o caro HRP traz em #150, diz quase o mesmo que digo.

    Merece ser lido. É melhor que o fraquíssimo artigo da Dora Kramer.

  156. Pax said

    E a crítica do “* Gilson Caroni Filho, professor, é sociólogo” que o caro Patriarca traz em #151, também faz sentido.

    Quando os analistas políticos assumem papel que não de análise política mas de militância partidarizada, têm mais é que serem criticados e alertados.

    E, ainda mais e pior, desconsiderados.

    E a oposição? Acha-se o máximo, que tudo está bem colocado para a sociedade, que o mundo vai mudar e os eleitores vão mudar seus votos etc etc. Tadinhos.

    A sociedade não é estúpida. E mentira tem perna curta.

  157. Pax said

    Por fim, merece leitura este artigo.

    Olha o perigo quando a imprensa deixa seu papel para assumir outros. Merece a leitura:

    http://clippingmp.planejamento.gov.br/cadastros/noticias/2013/1/23/corrupcao-e-democracia

  158. Edu said

    Pax,

    A mentira tem perna curta, dependendo do comprimento da língua de quem conta.

  159. Elias said

    Marcelo,

    Até parece que as teles tinham um plano em etapas: (a) resolver o problema quantitativo; (b) atacar o problema qualitativo.

    Uma coisa ficou clara, Marcelo: não estás entendendo nada do problema das teles brasileiras, ou não tens um mínimo de habilidade em manipular fatos pra criar uma imagem positiva (serias um péssimo assessor de comunicação).

    Numa hora assim, alguém como tu seria de pouca ajuda pra essas empresas. O primeiro passo pra se ter alguma utilidade no enfrentamento de um problema é entender o problema.

    Mais uma vez, Marcelo: o problema qualitativo DECORRE do crescimento quantitativo. A qualidade do serviço das teles está despencando exatamente porque elas estão vendendo mais do que deveriam.

    Pra elas venderem o que estão vendendo, elas deveriam, ANTES, ter realizado investimentos de ampliação de sua capacidade instalada. Até aqui, elas só fizeram aproveitar ao máximo a capacidade instalada feita pelo Sistema Telebrás. Essa capacidade instalada foi plenamente mobilizada, exauriu, e, por isto, necessita ser urgentemente ampliada.

    Daí, Marcelo, os “Termos de Ajuste de Conduta”. Elas não fizeram os investimentos mais elementares. Lá na área onde o Pax mora, por exemplo, salvo engano, o problema poderia ser resolvido com um investimento de R$ 500 mil a R$ 750 mil, dependendo do nível de capacitação que se pretenda alcançar. A situação é a mesma num porrilhão de outros locais, o que situa as necessidades de investimentos em várias centenas de milhões de reais.

    Esse é um problema constantemente enfrentado por empresas de CAPITAL ABERTO que atuam na área de infra-estrutura de serviços públicos.

    A demanda por esses serviços cresce continuamente. Por isso, a capacidade instalada sempre tende à exaustão. Em consequência, há uma permanente demanda — frequentemente reprimida — por investimentos de ampliação da capacidade instalada.

    Por que esses investimentos não são feitos, se a empresa é lucrativa?

    Simples: quase todas as empresas de capital aberto são refratárias à realização de investimentos, em especial se a demanda por eles implica redução no lucro líquido distribuído aos acionistas.

    Sabe aquela velha história dos tempos dos primeiros passos em economia: investimento = poupança?

    Pois é… Taí uma exemplificação prática.

    Quando há investimento, é porque alguém, antes, poupou. Ou o próprio investidor poupou, ou um outro alguém poupou e emprestou dinheiro a ele… A empresa se prepara pra investir com recursos próprios, retendo parte do lucro. A retenção de lucro (ou seja: lucro não distribuído), é a “poupança” da empresa, para futuro investimento. Na contabilidade da empresa, isso recebe o nome de “Reserva para Investimentos”.

    Quando uma empresa faz “Reserva para Investimentos”, ela necessariamente reduz a distribuição de lucros aos seus acionistas, porque a “reserva” nada mais é que a retenção de parte dos lucros.

    Numa empresa de capital aberto, quando a distribuição de lucro despenca, o valor de mercado das ações também despenca. Aí duas coisas acontecem: (1) os acionistas ficam duplamente p… dentro das calças; e (2) a diretoria da empresa vai pra degola.

    Pra se manter no mando, a diretoria prioriza o lucro, mantendo felizes os acionistas. Ao fazer isso, entretanto, deixa de fazer os investimentos de que a empresa necessita pra continuar operando bem.

    Por outro lado, a diretoria sabe que, mais cedo ou mais tarde, a empresa terá que fazer esses investimentos, sob pena de, numa perspectiva de prazo mais longo, a empresa perder “market share” (por motivos óbvios…), e, com ele, receita e lucro.

    Nuvens negras no horizonte, portanto…

    Solução? Sei lá…! Eles que se virem. São muito bem pagos pra isso…

    Dirigir uma empresa de capital aberto é carregar um saco de cascavéis nas costas, sem poder matar nenhuma. É um inferno, Marcelo! (Mas, geralmente, a remuneração paga a pena… O negócio é ficar lá, fazer o pé-de-meia e sair enquanto está por cima).

    Problema deles, portanto. Só sei que o cidadão deve exigir o que tem direito.

    Esse, em termos simplificados, é, mais ou menos, o embrulho das teles brasileiras, hoje, conforme amplamento divulgado nos meios de comunicação (até a Rede Globo já fez isso!!!!!).

    A partir daí podemos aprofundar, se quiseres. Mas sem blá, blá, blá pseudo ideológico, até porque as teles brasileiras não estão diante de nenhum dilema entre ideologias conflitantes.

    O dilema delas (investir ou distribuir lucros?) é típico de uma sociedade capitalista. E acontece todos os dias, nas melhores famílias…

  160. Pax said

    Pois é, caro Edu. Quando o comprimeito da língua abrange os principais jornais e analistas políticos brasileiros, a coisa fica feia pacas.

    Ainda mais alguns que gostam de faltar com a verdade.

    Pois bem, criança negra não pode entrar em loja da BMW, certo?

    Então, deu merda.

    http://g1.globo.com/rio-de-janeiro/noticia/2013/01/casal-acusa-concessionaria-bmw-de-racismo-contra-filho-de-7-anos-no-rio.html?utm_source=Twitter&utm_medium=Social&utm_campaign=Pesquisa2

  161. Pax said

    Elias, meu caro,

    Você está preciso em seu comentário #159.

    É uma análise pertinente. As operadoras investem mais em marketing que em capacidade operacional.

    Não fosse assim a incompetente ANATEL (até onde não é além de inconpetente$?) não estaria aplicando as multas e proibindo a comercialização de planos e mais planos que são, sabemos, pegadinhas e mais pegadinhas que depois aparecem estranhamente mal detalhadas nas contas das vítimas.

    Outra precisão da tua parte é: sim, se a Tele(a)fonica/Vivo investir num único pequeno – mas relativamente caro – equipamento chamado Mini DSLAM, algo em torno de R$ 500.000,00, poderia multiplexar o sinal banda larga para umas 2.000 famílias que moram nos dois bairros da roça onde moro.

    E olha que isso é a menos de 30 km – em linha reta – de São Paulo, capital da América do Sul. Isso mesmo, é mais que capital de um estado brasileiro. É a cidade mais importante da América do Sul.

    Porque os canalhas não fazem este investimento?

    1 – porque tem áreas mais populosas que darão mais assinaturas, mais vítimas. É para lá que dirigem suas áreas comerciais. Um único objetivo, ganhar mais, sem o menor compromisso com regras e qualidade.

    2 – porque a ANATEL é a porcaria que é, com incompetentes como o João Resende à frente e toda a cambada de bezzerros mamões que não exigem que a Tele(a)fonica/Vivo cumpra a obrigação de colocar banda larga na região, assim como as outras deveriam também oferecer (Embratel/Claro), Tim etc.

    Se esta estrovenda da ANATEL funcionasse a região não só teria banda larga como diversidade de oferta permitindo que a vítima escolhesse a ladra operadora que quisesse.

    Como a josta toda não funciona, desde o modelo e a agência, parte do povo brasileiro fica às escuras de sinal banda larga.

    Agora o que me incomoda: e o ministro das Comunicações. Não podemos esquecer que ele também está pra lá de incompetente.

    E nesta escalada chegamos em Dilma, que tem zilhões de coisas para atender, mas não pode ser excluída da culpa.

  162. Michelle 2 said

    Afinal meus caros comentaristas deixo aqui minhas perguntas:

    Qual é a área do atual governo que merece elogios?
    Onde Dilma platypus mostra competência?

  163. Pax said

    Enviei algumas mensagens em particular para o Twitter do Vito Chiarella, VP de Clientes da SKY.

    Como ele não conseguir me responder por lá, porque não o seguia, me passou seu email (que obviamente não vou repassar). Vejamos o que quer.

    Ao menos este cidadão está se comportando com decência, certamente que nem tinha noção do meu – e de vários outros clientes – problema.

    Minhas mensagens para ele, no privado do Twitter, foram somente de alerta, para que efetivasse o monitoramento das redes sociais que, durante meu problema, oscultei um bocado nestes dias de castigo esperando o técnico acertar meus aparelhos e sinal.

    Minhas sugestões ao Vito foram simples e de baixo custo:

    1 – mudar a regra, permitir que clientes escalem os problemas, falem com supervisores, gerentes, quando o processo de atendimento tradicional não funcionar (poderia, também, ser uma área de ouvidoria, mas a mudança de regra é ainda mais barato).

    2 – colocar funcionários respondendo as redes sociais, principalmente Facebook e Twitter, de forma mais eficaz/

    Se o cliente vai pra rede social é porque já tentou o atendimento e não deu certo. E aí entra num processo kafkaniano e vai reclamar nas redes. Com toda razão.

    Agora, meus amigos, tentem registrar uma reclamação no site da ANATEL. Todos têm reclamação a fazer.

    Fiz duas, a primeira com relação a Telefonica, ano passado, quando não entregaram o modem e o sinal que me venderam. A tal que não deu em nada. A segunda foi agora.

    Pois bem, já trabalhei com sistemas, programando, analisando, projetando, elaborando planos diretores etc. Conheço um pouco do assunto, sei analisar um sistema, sei usar.

    Confesso que o sistema da ANATEL é “INUSÁVEL”.

    Agora que fui registrar esta reclamação, mesmo já tendo usado o ano passado, gastei um tempão pra achar onde mesmo a vítima registra, está num link no meio de um texto, e como se faz o registro.

    Algo parecido com necessidade de uma pós graduação em sistemas neuronais para fazer o tal registro.

    É que é mais fácil impedir registros que atuar. É o que parece e acho que estou certo.

    E o João Resende? E o ministro das Comunicações?

  164. Elias said

    Logo depois do resultado das eleições de 2010, surgiu um monte de “análises” políticas, dizendo que, seis meses depois de sua posse, Dilma estaria praticamente rompida com Lula.

    O Chesterton até copiou e colou uma dessas “análises” aqui no PolíticAética…

    É fácil dizer isso. Acontece demais no Brasil. Um tuxaua promove um de seus auxíliares. Em pouco tempo, o auxiliar se acha mais e melhor que o antigo chefe. Aí, acaba mordendo a mão que o auxiliou. Quase sempre, o resultado final é que ambos perdem.

    Tantas vezes isso acontece, que as cabeças menos capazes — ou “capazes, porém preguiçosas”, ou “capazes, porém empenhadas em dizer aquilo que agrada ao patrão” — acham que acontece sempre. E nem se tocam pra montanha de casos em que o tal ex-subordinado continua aliado do ex-chefe por décadas a fio.

    Eles preferem colocar tudo numa equação simplória: Lula vai continuar exercendo, ou, pelo menos, tentando exercer liderança política + ao fazer isso, vai interferir no governo + Dilma vai ficar ressentida = Dilma vai romper com Lula.

    Agora mesmo, houve carinhas que publicaram artigos tentando fomentar intriga entre Lula e o prefeito de São Paulo, como se Lula estivesse usurpando o poder do cara… (e como se eles tivessem algum interesse em contribuir para o êxito político do atual prefeito de São Paulo…).

    É preciso ser muito otário, ou estar politicamente desesperado, pra entrar nessa (os caras nem lembram, a esta altura, dos anos em que passaram dizendo que o Lula não governava o Brasil, que quem fazia isso era o Meirelles, etc, etc.).

    Há, quase sempre, pelo menos uma explicação científica, complicadíssima, pra qualquer coisa que aconteça no mundo. Como política é política, prefiro abordar de modo mais simples.

    Vamos lá:

    1 – Será que esses “analistas” ainda não conseguiram sacar o projeto político do Lula? (Logo eles, que consideram Lula um cara “tosco”, e que consideram a si mesmos muito mais inteligentes, mais bem preparados e infinitamente mais sofisticados intelectualmente que o Lula…).

    2 – Será que eles ainda não se tocaram para o fato de que Dilma e Lula trilham caminhos políticos paralelos (e que as paralelas so se encontram no infinito)? E que, onde há troca de influência, os dois projetos são mutuamente complementares (ou seja, que o êxito de um não só não atrapalha, como é essencial para o êxito do outro)?

    3 – Será que eles nunca pararam pra pensar no quê ganharia Dilma, rompendo com Lula? Ou no quê perderia Dilma, rompendo com Lula? (E que isso torna ainda mais improvável o tal rompimento?)

    Às vezes, quase chego a pensar que o Lula tem algum “quinta coluna” embutido dentro da direção de todos os órgãos da grande imprensa brasileira.

    É incrível a capacidade desse cara, de fazer com que a grande imprensa faça o que ele quer que ela faça, e, ao mesmo tempo, fazer com que ela pense que, ao fazer o que faz, está fazendo o que ele não quer que ela faça…

    Acumulando erro em cima de erro, análises que, rapidamente, se revelam totalmente furadas, amontoando pilhas de previsões que não se realizam, a grande imprensa brasileira perdeu quase que totalmente sua credibilidade. Hoje, está quase que reduzida à condição de órgão partidário, cuja opinião só influencia a quem já pensa igual.

    Para parcelas cada vez maiores da população, a grande imprensa brasileira acabou absorvendo, por osmose, o mesmo perfil arrogante, preconceituoso e antipático e falso atribuído aos principais partidos de oposição.

    Se continuar desse jeito, 2014 vai acabar sendo mais fácil que 2010…

    Caraca! Há um ano atrás, quem acreditaria nisso? (E eu, que há anos venho identificando claros sinais de fadiga de material…).

    Putz!

  165. Em nosso país a corrupção está institucionalizada. A Anatel só continua em pé porque ela é um dos feudos da corrupção institucionalizada. Na idade média, haviam os senhores feudais que protegiam e cobravam pelo uso da terra. Hoje os feudos são virtuais e protegem as prestadoras de serviços.

    Em 2009 eu denunciei um caso anômalo: um agente da Anatel veio fazer achaque de fiscalização em minha empresa para fins de pedir propina… assim chamei a polícia, denunciei no MPF, na corregedoria da Anatel e… nada aconteceu. Aí então caiu a ficha e observei que existe um esquema de fraude processual dentro da Anatel que, em tese, já é para proteger as grande operadoras das pequenas operadoras. Chegam a chamar as pequenas operadoras de “ilegais” apesar de possuir autorização da Anatel para operar. Então criei um blog sobre o tema:

    http://anateirar.blogspot.com

    Mas nada aconteceu… aliás, uma denúncia de corrupção e improbidade administrativa vira alvará de achaque. Muitos contatos que fiz através do blog, me fizeram conhecer mais e mais casos de improbidade administrativa praticados pela Anatel. Então o site passou a ser perseguido, bem com eu também passei a ser mais perseguido ainda. Em 2011 a Anatel tentou censurar o blog mas perdeu o processo:

    http://anateirar.net84.net

    De praxe, no final de 2011 fui ilegalmente preso. Minha empresa e a empresa de um cliente meu foram expostos de maneira vexatosa na mídia local. Os vídeos estão disponíveis no Youtube:

    http://www.youtube.com/user/Anateirar

    Óbvio que a situação abusiva torna impossível ser empresário de telecomunicações legalmente autorizado pela Anatel, motivos pelos quais fui obrigado a fechar o negócio e jogar todo dinheiro investido no lixo:

    http://cmplxs.wordpress.com/

    Pouco tempo depois o processo foi ganho e foi comprovada a prisão ilegal. Eu descobri que existem incontáveis casos parecidos que também ganharam o processo. O difícil é encotrar advogados que conheçam o assunto para elaborar a devesa. Porém eu sou perito no tema e meus advogados (bem como o advogado de meu cliente) não tiveram dificuldade já que, o procedimento Anatel é aproveitar a oportunidade da ignorância sobre o tema e enganar o judiciário e o MPF… lesgislam em causa própria à margem da legalidade. Por este motivo, já impetramos as ações indenizatórias e engordamos cada vez mais a lista de crimes praticados por agentes corruptos e desonestos que atuam na Anatel:

    http://criminis.site90.net/

    PROCESSO 0007670-53.2012.4.03.6110
    DATA PROTOCOLO 12/11/2012
    CLASSE 29 . PROCEDIMENTO ORDINARIO
    AUTOR ONEI DE BARROS JUNIOR
    REU UNIAO FEDERAL
    ADV. Proc. SEM PROCURADOR
    ASSUNTO DANO MORAL E/OU MATERIAL – RESPONSABILIDADE OBJETIVA – ADMINISTRATIVO
    SECRETARIA 3a Vara / SP – Sorocaba
    SITUAÇÃO NORMAL
    TIPO DISTRIBUIÇÃO DISTR. AUTOMATICA em 12/11/2012
    VOLUME(S) 1
    LOCALIZAÇÃO 230 em 19/11/2012
    VALOR CAUSA 5.000.000,00

    PROCESSO 0007671-38.2012.4.03.6110
    DATA PROTOCOLO 12/11/2012
    CLASSE 29 . PROCEDIMENTO ORDINARIO
    AUTOR ONEI DE BARROS JUNIOR
    REU AGENCIA NACIONAL DE TELECOMUNICACOES – ANATEL
    ADV. Proc. SEM PROCURADOR
    ASSUNTO DANO MORAL E/OU MATERIAL – RESPONSABILIDADE OBJETIVA – ADMINISTRATIVO
    SECRETARIA 1a Vara / SP – Sorocaba
    SITUAÇÃO NORMAL
    TIPO DISTRIBUIÇÃO DISTR. AUTOMATICA em 12/11/2012
    VOLUME(S) 1
    LOCALIZAÇÃO W C em 21/01/2013
    VALOR CAUSA 6.420.000,00

    É um grande desafio ser brasileiro, mas anotei uma quandidade interessante de envolvidos na gangue da Anatel no Estado de São Paulo o suficiente para pagar os falor a me indenizar no futuro. O dinheiro vem, mesmo em precatório… mas vem. Porém, como sempre digo, é exercício de cidadania denunciar corruptos. Porém o artifício ardil dos bandidos da quadrilha da Anatel é tentar transformar você em não cidadão para tentar te calar.

  166. Chesterton said

    Opinião minha: ou Dilma rompe com Lulla ou ele “rompe” ela. Se Lula manda, o governo Dilma acabou.

  167. Elias said

    Onde o atual governo vai bem?

    Meus palpites:

    I
    Na política. Em 2011 houve o “jogo da gata parida” com as cadeiras ministeriais. Em 2012, o mensalão. Foi petardo explodindo pra todos os lados, ao longo de dois anos…

    Mesmo assim, a taxa de aprovação ao governo continuou lá em cima. É preciso ter muita competência política pra conseguir algo assim, sem dispor de estações de rádio e tevê, jornais, revistas. “Só no sapatinho”, como dizia um cara que trabalhou comigo…

    II
    Na educação básica. O projeto de FHC, iniciado em 1996 (via Fundef) foi aperfeiçoado pelo Lula (via Fundeb). Entrou em vigor em 2007 e vai até 2020, quando, provavelmente, o Brasil não terá mais analfabetos.

    Inicialmente com o Fundef e, agora, com o Fundeb, o Brasil passou a ter uma política de educação básica minimamente consistente. Nada mágico, que se diga capaz de erradicar o analfabetismo em 2 ou 3 anos, até porque isso é balela… O projeto do Brasil vai de 1996 a 2020. Quase um quarto de século, portanto. Como fizeram os países europeus, no passado. Quem viaja pelo interior do país já começa a ver os resultados…

    III
    Na economia, apesar dos percalços. Ao longo de toda essa crise braba, em todo o mundo, o PIB brasileiro continuou crescendo, ainda que a taxas menores. Sem recessão, portanto, ao contrário de muitos outros países “emergentes” ou “em desenvolvimento”, que têm por aí…

    No meio disso tudo, a inflação continuou em níveis civilizados (média de 6,5% a.a., bem mais baixa, portanto, que a média de FHC, que, por falar nisso, também não teve vida fácil…). Além do mais, o atual governo acabou conseguindo (até porque foi obrigado, né?) a baixar a taxa básica de juros, o que poderá facilitar a retomada do crescimento econômico, mais adiante.

  168. Chesterton said

    Confesso que o sistema da ANATEL é “INUSÁVEL”.

    chest- parece mais um nicho propinodúctico.

  169. Pax said

    Caro Onei,

    Bem-vindo ao blog. As denúncias que fazes são gravíssimas.

    Mas o Brasil está longe de funcionar bem. Infelizmente. Boa sorte e sucesso nos processos que move.

  170. Pax said

    Off

    Não, Chesterton, você não pode ir lá. Vai que resolve caçar… sei lá. =)

    .http://www.youtube.com/watch?v=k61I-hqBbK8&feature=youtu.be

  171. Chesterton said

    Legal, mas só sou a favor de armas para auto-defesa.

  172. Pax said

    Vai morar nos EUA, Chesterton. E reza forte para nenhum maluco entrar na escola dos filhos com uma AK pra fazer tiro ao alvo na cabeça das crianças.

    Cada coisa que o velho e bom Chesterton gosta. Que barbaridade. Pra começar é o maior devorador de lixo publicado na internet que conheci nestes longos anos de blogosfera.

    És um campeão, caro Chesterton. Disso não tenho dúvidas.

  173. Chesterton said

    Pax, os atiradores procuram “gun-free zone” para praticarem os massacres na certeza de não serem incomodados. O estado onde ocorreu o último massacre tinha leis severas contra o porte de armas e após o massacre decidiram que direitores de escola e inspetores andarão armados.
    Se queres a paz, prepara-te para a guerra.

    É impressionante que você não acerta uma….

  174. Elias said

    Um pouco mais sobre o que conversamos aqui.

    Do boletim diário da ADVFN de hoje:

    “Após anunciar a saída de Francisco Valim da presidência da empresa e ver suas ações despencarem 8% no dia, a Oi (OIBR4) surpreendeu e decidiu antecipar informações importantes de seu balanço do ano de 2012. São indicadores e informações preliminares consolidadas e ainda não auditadas, mas já dão uma ideia de como será seu resultado anual: A Receita Líquida totalizou R$ 27,5 bilhões, com um EBITDA (lucro antes dos juros, impostos, depreciação e amortização) de R$ 8,7 bilhões e uma uma Dívida Liquida de R$ 25 bilhões. A companhia ainda reiterou o compromisso de pagar R$ 1 bilhão adicionais em dividendos referentes a 2012. A divulgação dos resultados de 2012 auditados ocorrerá em 18 de fevereiro, informou a Oi. ”

    A dívida líquida (R$ 25, 0 bi), é quase equivalente à Receita Líquida (R$ 27,5 bi). Isso em parte explica por que a empresa não investe por alavancagem (ou seja, pedindo dinheiro emprestado).

    Mas o EBITDA (R$ 8,7 bi), representa 31,6% da Receita Líquida…! Ou seja, a direção recém-degolada priorizou mesmo a felicidade dos acionistas, o que torna absolutamente compreensível que as ações tenham despencado 8% (foi só isso, mesmo?), em cima da bucha, logo depois de anunciada a degola…

    Viu, Marcelo?

    Entendeu por que é se diz que é o mesmo que carregar um saco cheio de cascavéis às costas, sem poder matar nenhuma?

    Compara isso aí com o que escrevi, mais acima…

    E esquece esse papo de influência dos ventos alísios na menstruação da borboleta azul, ou do comportamento pré-nupcial da porca e suas repercussões sobre a psicologia dos leitões…

  175. Pax said

    Caro Elias,

    Um pequeníssimo acerto nos teus (parêntesis) que definiram EBITDA acima.

    O único imposto que não é retirado do raciocínio é Imposto de Renda. Os outros impostos são retirados, sim. Logo no início do Demonstrativo dos Resultados no Exercício, DRE.

    Há diversas formas de montar o DRE e depende de como a empresa quer se administrar, mas esta parte, dos impostos, é uma regra geral, sai logo abaixo da Receita Bruta.

    Um exemplo posssível de um DRE de uma empresa que vende produtos. Pode ser desde uma pizzaria até uma loja de pneus, ou uma empresa que vende material elétrico, ou, até, uma fábrica.

    Receita Bruta
    – impostos
    = Receita líquida
    – custo das mercadorias vendidas
    = Resultado Bruto
    – despesas operacionais
    = Resultado Operacional
    – despesas Marketing e Vendas
    = Resultado Comercial
    – despesas administrativas
    = LUCRO (EBTIDA)
    – despesas financeiras, depreciação e amortização de empréstimos
    = LUCRO Antes do Imposto de RENDA
    – imposto de renda
    = LUCRO LÍQUIDO

    Se pegar outro tipo de empresa, por exemplo, uma Agência Publicitária ou uma Consultoria, você pode alterar os fatores, quem se deduz antes de quem, normalmente (depois dos impostos), olha-se as contas de maior monta de despesas.

    E porque as empresas passaram a trabalhar com isso, com o tal EBTIDA? Por alguns motivos:

    1 – Olhando o EBTIDA você tem uma boa noção da capacidade de geração de caixa da empresa. Se você fizer isso depois de pagar juros e amortizações de empréstimos esta capacidade fica difícil de enxergar numa batida rápida de olhos.

    2 – as regras de depreciação de ativos fixos variam pacas de país para país

    3 – outras taxas idem, dependendo do país você tem cada barbaridade que nem dá para colocar numa análise comparativa entre uma empresa alemã, uma brasileira, uma chilena e uma americana. Por isso apartam-se essas coisas regionais e foca-se na tal capacidade de geração de caixa.

    4 – também porque o Imposto de Renda varia muito de país para país.

    Bem, não é exatamente minha área de atuação, mas está bem próximo da vida real.

    Chesterton, velho leitor de porcaria e rabujento Chesterton,

    Ok, vá morar nos EUA e depois nos conta.

  176. Elias said

    Pax,
    O texto entre aspas não é meu. É da ADVFN, conforme anunciei previamente.

    Eu apenas fiz a comparação do EBTDA com a Receita Líquida: 31,6%. Tá muito bom. E é, sim, indicador da priorização na distribuição do lucro (em dinheiro vivo, porque a geração de caixa tá lá em cima…). Uma grande participação de ajustes monetários do Ativo na formação do lucro, ele se torna uma fantasia. A distribuição vira uma ficção. Uma boa geração de caixa tranquiliza quanto a isso.

    Não é lucro de existência apenas contábil. É grana mesmo.

    Repito: o texto entre aspas é da ADVFN, conforme avisei previamente. Por isso está entre aspas, né?

    Os meus parênteses NÃO definiram o EBITDA. Eles apenas CITARAM os números divulgados pela Oi e noticiados pela ADVFN.

    No meu comentário, repito, apenas estabeleci comparações entre alguns desses números: Dívida Líquida em relação à Receita Líquida e EBITDA em relação à Receita Líquida.

    Uma dívida líquida quase igual à receita líquida, mas ainda abaixo desta, pode ser um indicador de que a empresa está próxima de um limite saudável de endividamento (poderia explicar, p.ex., porque a empresa se recusa a investir por alavancagem). Já um EBITDA de 31% sobre a Receita Líquida, indica que os custos e as despesas da empresa (ou seja, quase tudo o que ela gastou pra se manter em funcionamento), levou menos de 70% da Receita Líquida.

    É um belo número, se considerarmos que, no Brasil, geralmente o custo engole quase 50% da receita líquida. No caso da Oi, sendo assim, toda a despesa dela (operacional, administrativa e comercial), estaria consumindo alguma coisa em torno de 20% da Receita Líquida.

    Quanto ao esquema que apresentaste, tenho um reparo: do Lucro Líquido Antes dos Impostos, temos que deduzir o IMPOSTO DE RENDA (IR), e a CONTRIBUIÇÃO SOCIAL SOBRE O LUCRO LÍQUIDO (CSL).

    No mais, observa o que o jornalista da ADVFN disse: “EBITDA (lucro antes dos juros, impostos, depreciação e amortização)”.

    Compara com o que tu disseste:

    = LUCRO (EBTIDA)
    – despesas financeiras, depreciação e amortização de empréstimos
    = LUCRO Antes do Imposto de RENDA
    – imposto de renda
    = LUCRO LÍQUIDO

    Onde está “juros” na exposição dele, está “despesas financeiras” na tua.

    Ele disse “impostos”, quando deveria dizer “impostos diretos”. Tu disseste “Imposto de Renda” quando deverias dizer IR e CSL.

    Tirando esses pequenos senões, vocês dois disseram praticamente a mesma coisa.

    E nenhum dos senões invalida o essencial, que é o sentido, o significado, dos números noticiados.

  177. Michelle 2 said

    1.Elias Onde o atual governo vai bem?

    O único que postou seus palpites até agora foi o Elias #167.

    É claro que discordo de alguns pontos , politica e economia, em especial. Quanto à educação básica, não disponho de informações para concordar ou discordar, por enquanto.
    Mas deixarei pra comentar após outros postarem suas respectivas opiniões.

    2. Pax Infelizmente o Brasil é um país que tem uma das mais altas taxas de assassinatos por 100M habitantes do Planeta. Apesar de toda violência inerente às guerras morre mais gente (por dia) no Brasil que nas zonas de conflito armado do Oriente Médio.

    3. Chest pode mudar para os US sem medo. A probabilidade de morrer assassinado no Brasil é muitíssimo maior. Onde moro você poderá andar sem medo pelas ruas à noite ou estacionar o carro sem trancar em qualquer lugar durante dia e noite.
    Outra coisa: sofri uma forte acidente de automóvel há alguns meses. Em menos de 10 minutos através do 911 chegou a polícia e a ambulância que me levou pro hospital (e mais ainda a conta do hospital e da ambulância ficou em 3,400 dólares e a seguradora do motorista culpado cobriu e já me pagou 20,000 dólares de indenização pelo “sofrimento” e outras despesas médicas causadas pelo acidente).
    Deu pra entender…ou preciso desenhar.

  178. Michelle 2 said

    Se duvidar veja o mapa mundial da ONU (UNODOC)
    “United Nations Office on Drugs and Crime”

    “List of countries by intentional homicide rate”
    em http://en.wikipedia.org/wiki/List_of_countries_by_intentional_homicide_rate#By_country

  179. Elias said

    Mais drama do mundo corporativo:

    A Vale comunicou ao distinto público (a) “…o reconhecimento do impairment antes de impostos de US$ 4,2 bilhões, o que impactará nosso resultado contábil no quarto trimestre de 2012.”; (b) “…diante da atual situação de mercado para ferro-níquel, a valoração de Onça Puma determinou a necessidade de reconhecimento de impairment antes de impostos de US$ 2,858 bilhões…”. (Os US$ 2,858 bi do Onça Puma estão computados nos US$ 4,2 bi citados anteriormente).

    Além disso, a Vale levou farelo na venda do seu circuito alumínico (Mineração Rio do Norte, Albrás, Alunorte), que começa na mineração de bauxita alumínica (MRN), passa pela produção de alumina (Alunorte) e vai até o alumínio em lingote (Albrás), todos aqui no Pará, e a exportação nos três estágios (bauxita, alumina e alumínio). Esse circuito foi vendido à norueguesa Norsk Hydro, que pagou pela compra cedendo à Vale 22% de suas ações.

    Acontece que as ações da Hydro foram passadas à Vale por US$ 3,5 bilhões, e agora valem US$ 2,2 bilhões. Um tranco de US$ 1,3 bilhão, que, somado ao “impairment” acima citado, totaliza US$ 5,5 bilhões.

    Por conta disso, a Vale caiu do 2º para o 3º lugar, no ranking mundial.

    A compra do Onça Puma (um projeto canadense, que a Vale não consegue colocar pra rodar: o problema, agora é com alto fornos que precisam ser reconstruídos do zero) e a venda do circuito alumínico paraense foram duas das três heranças malditas de Roger Agnelli. A terceira foi a compra daqueles mega-navios que, até hoje, não foram postos a navegar (a China proibiu o ingresso dos navios do Agnelli em seus portos, por causa do risco ambiental que eles representam).

    Parece que o diabo tem andado solto nas grandes corporação instaladas neste país tropical…

  180. Pax said

    Ok, caro Elias.

  181. Pax said

    Vão falar o diabo de tudo que é forma, mas o pronunciamento da Dilma em cadeia nacional foi bom.

    Muito bom.

  182. Michelle 2 said

    Agora veja a lista dos estados brasileiros com maiores índices de assassinatos:
    List of Brazilian states by murder rate

    http://en.wikipedia.org/wiki/List_of_Brazilian_states_by_murder_rate

    e brinque com a tabela nos rankings , para descobrir “com surpresa” que São Paulo, por competência, lidera o índice de redução da criminalidade(assassinatos).
    Por que?

  183. Pax said

    Este aqui não é um mau jornalista.

    http://g1.globo.com/platb/blog-do-camarotti/2013/01/23/dilma-usa-pronunciamento-para-mandar-recado-a-oposicao/

  184. Pax said

    Essa aqui é fraquinha pacas, nem mesmo tem opinião que consiga produzir de sua lavra.

    Gioconda Brasil ‏@GiocondaBrasil
    Bingo! RT “@henriquegb: Me parece que Dilma passou mais tempo falando dos “do contra” que da redução da energia, não?”

  185. Pax said

    Esse aqui está pedindo pro juiz apitar pênalti num jogo de buraco

    Alvaro Dias ‏@alvarodias_
    Se fosse eu presidente do Psdb pediria direito de resposta para responder a certas afirmaçoes descabidas, ouvidas ha pouco na TV ,

  186. Chesterton said

    O Comitê de Igualdade da Dinamarca (ah, os países nórdicos que o pax tanto adora) declara; corte de cabelo feminino TEM QUE custar o mesmo que corte masculino…

    http://www.dailymail.co.uk/news/article-2265959/Denmark-rules-men-womens-haircuts-cost-SAME-PRICE.html

    Pax é tão preocupado em se politicamente correto, em ser conciliador, em respeitar a opinião de quem nada entende sobre o assunto.que abdica do direito de usar o cérebro para pensar.

    Pensando no pax, hoje na radio, voltando para casa, ouvi uma comentarista falando que os crimes de morte a tiro fúteis (parece que ocorreram 2 hoje e ontem ) não aconteceriam se as pessoas devolvessem as armas que tem em casa. Tem que ter muito miolo mole, muito “wishfull thinking” para acreditar que essas pessoas carregam armas velhas em casa, ou ainda, armas registradas. Alguem tem um indice de assassinatos com armas registradas no Brasil? Chuto que deve ser algo em torno de 0,01%.

    Alguem crê que bandido compra arma em loja?

  187. Chesterton said

    Agora momento zen. Golfinho com anzol e linha presos em nadadeira ventral pede socorro a mergulhador e espera pacientemente que este retire o material que tanto o incomodava…

    ´(é verdade)

    http://www.dailymail.co.uk/news/article-2266794/Stricken-dolphin-asked-Hawaii-diver-help-Moment-mammal-stuck-fishing-line-pushed-scuba-instructor-waited-patiently-freed.html

  188. Michelle 2 said

    1. Como é morar nos US:

    Hoje ~11:30 Comprei um item (um HD externo de 2 terabytes) no eBay…por 79 dólares e paguei imediatamente pelo Paypal. Estava feliz como o preço atraente. Mas… em seguida, pesquisando melhor, descobri um preço ainda melhor…~30% mais barato. Meio puta da vida resolvi reclamar com o vendedor e pedi pra cancelar minha compra.

    ~14:30 Minha compra foi cancelada e minha conta no Paypal foi creditada no valor da compra cancelada.

    ~15:00 Comprei o item ~30% mais barato.

    ~15:30 Recebi confirmação da minha nova compra já com o tracking do USPS (do Correio – para acompanhar o processamento e do prazo de entrega de 5 dias uteis prometido).

    Deu pra entender a diferença…ou preciso desenhar.

    2.Pax

    “Vão falar o diabo de tudo que é forma, mas o pronunciamento da Dilma em cadeia nacional foi bom.

    Muito bom.”
    ______________
    Meu comentário:

    — “Quando o sol da cultura está baixo, mesmo os anões lançam sombras”
    Karl Kraus

    Mais sobre Karl Kraus:

    http://quotes.dictionary.com/search/karl_kraus

  189. Chesterton said

    Eu torço pela Dilma.

    O Pax crê realmente que morar nos EUA é menos seguro que no Brasil. Isso é negar a realidade dos fatos mais simples.

  190. Olá!

    Elias,

    “Até parece que as teles tinham um plano em etapas: (a) resolver o problema quantitativo; (b) atacar o problema qualitativo.”

    Em nenhum momento eu afirmei que as teles tinham planejado alguma coisa nesse sentido. Apenas chamei a atenção para um fato inegável: Após a privatização do setor de telecomunicações, o problema do acesso à uma linha telefônica foi amplamente resolvido, pois, antes, isso era coisa para poucos e, agora, qualquer um compra celular até em banca de jornal.

    Se havia um “plano” para isso, eu não sei, mas os fatos da realidade são inegáveis: A privatização fez bem ao setor de telecomunicações no Brasil. Mais bem do que mal.

    “Uma coisa ficou clara, Marcelo: não estás entendendo nada do problema das teles brasileiras, ou não tens um mínimo de habilidade em manipular fatos pra criar uma imagem positiva (serias um péssimo assessor de comunicação).”

    O meu entendimento é o seguinte, que, aliás, já foi mostrado mais acima, mas parece que você não prestou atenção: Após a privatização do setor de telecomunicações no Brasil, houve, ao longo do tempo, a democratização do acesso à uma linha telefônica e, posteriormente, uma explosão na quantidade de linhas/aparelhos/serviços vendidos. Quando a quantidade aumenta de maneira muito rápida, é óbvio que a qualidade do serviço vai deteriorar, que é o caso da atual situação.

    É nesse ponto que as agências reguladoras deveriam intervir e mesmo multar as teles.

    “Pra elas venderem o que estão vendendo, elas deveriam, ANTES, ter realizado investimentos de ampliação de sua capacidade instalada. Até aqui, elas só fizeram aproveitar ao máximo a capacidade instalada feita pelo Sistema Telebrás. Essa capacidade instalada foi plenamente mobilizada, exauriu, e, por isto, necessita ser urgentemente ampliada.”

    Claro, claro. . . Todo mundo se lembra que o Sistema Telebrás tinha rede 3G/4G instalada, uma robusta malha DSL, fibras óticas cortando o país de norte a sul, uma constelação de satélites que fornecia Internet aos rincões desse Brasil varonil e outras coisinhas mais.

    Caramba! Afirmar o que você afirmou acima é um troço atroz, pois a capacidade instalada do Sistema Telebrás, na época das privatizações, sequer tinha como dar capacidade de instalação a tecnologias tipo 3G/4G, DSL e outras mais que existem hoje, já que, naqueles tempos, tais tecnologias sequer existiam ou ainda eram meros assuntos de laboratório.

    Você deveria se informar, pois, após as privatizações, as teles investiram mais de R$ 100 bilhões. Excerto:

    “[Antes das privatizações], [m]uitas localidades do Brasil não tinham nem previsão de obter o serviço [de telecomunicações]. Após o processo, houve investimentos da ordem de 100 bilhões de reais pelo setor privado, que modernizou e universalizou a posse de uma linha telefônica fixa ou celular. “

    Imaginem R$ 100 bilhões nas mãos de gente legal como Dirceu, Delúbio, Genoíno e demais.

    No mais, obrigado pela explicação sobre o funcionamento do mundo dos negócios.

    Até!

    Marcelo

  191. Chesterton said

    Lula, a Caverna do Dragão, e o Retrato de um Sério Problema Moral

    Na minha infância o desenho “Caverna do Dragão” fazia considerável sucesso. Em determinado episódio o arqueiro, que era o líder do grupo, se calou quando viu o cavaleiro fazendo algo errado. O arqueiro foi então repreendido pelo guia espiritual do grupo, e se defendeu dizendo “Mas não fui eu quem cometeu o erro”. Em resposta, o guia espiritual apenas disse “Um líder nunca deve abrir mão da liderança”. Princípio moral este que guardo comigo até hoje.

    Há 60 dias o ex-presidente Lula está calado. Não fala com a imprensa. Sumiu do mapa para não ter que responder questões sobre corrupção em seu governo. Vejo pessoas comentando “Lula é muito esperto, excelente político, saiu de cena na hora certa”, e coisas do gênero. De maneira equivalente, vejo governadores que desaparecem durante momentos de crises em seus respectivos estados. Apenas para não serem associados a catástrofes. Vejo também ministros de Estado que somem quando problemas em seus ministérios ganham vulto. Prefeitos, em número expressivo de casos, fazem o mesmo.

    O parágrafo acima é o retrato de um problema moral que está se perpetuando: os líderes se escondem quando mais se precisa deles. Mas, que tipo de líder é esse que desaparece na hora do perigo? Pois são essas lideranças que estão hoje no comando do Brasil. Fica evidente que algo de moralmente grave esta minando a sociedade brasileira.

    O que descrevi acima ocorre não apenas com governantes, mas em várias instâncias de nossa sociedade. Hoje pune-se o líder voluntarioso, pune-se o líder proativo, punem-se os indivíduos que dão a cara a tapa e se expõem ao perigo. De maneir equivalente, aquela pessoa que se esconde dos problemas é admirada como alguém inteligente.

    Quando uma sociedade pune os voluntariosos e recompensa os covardes isso tem sérias implicações econômicas. Mas, pior do que isso, o vazio moral gerado por esse sistema de incentivos acaba por destruir também as lideranças proativas, e aumenta o número de líderes que se escondem quando mais são necessários. Esse é o retrato moral do Brasil de hoje, um país sem governo e sem oposição.
    POSTADO POR BLOG DO ADOLFO

  192. Michelle 2 said

    1. Para os que ainda acham que morar no Brasil é melhor que morar nos US…eis a sequencia do meu comentário #188:

    Faça o teste. ( copie e cole no navegador)
    https://tools.usps.com/go/TrackConfirmAction_input?origTrackNum=9405510200881642708785

    Aqui funciona.

    Pax…Nos US, os caras da “Anatel” estariam presos, faz tempo…
    __________
    2. http://www1.folha.uol.com.br/mercado/1219229-arrecadacao-federal-soma-mais-de-r-1-trilhao-pela-primeira-vez-na-historia.shtml

    O povo brasileiro, o bravo povo brasileiro pagador de impostos escorchantes de mais de 1 trilhão, merece menos…o PT garante!

    Mas em compensação os brasileiros gastaram 22 bilhões de dólares em viagens ao exterior, em 2012. Por que?

    É tudo mais barato e os serviços funcionam.

    No Brasil, o que funciona?

    Discurso da Dilma platypus?

  193. Pax said

    Onde que eu disse que morar nos EUA é menos seguro que morar aqui, Chesterton.

    Você pode me apontar o comentário, data, hora etc?

  194. Chesterton said

    words have consequences

    Pax: Vai morar nos EUA, Chesterton. E reza forte para nenhum maluco entrar na escola dos filhos com uma AK pra fazer tiro ao alvo na cabeça das crianças.

  195. Olá!

    Sobre o debate acerca do controle de armas nos EUA, eis uma informação interessante: A quantidade de assassinatos por rifles de assalto é a menor entre todos os tipos de armas utilizadas, incluindo socos e chutes!

    Calculei a média para todos os tipos de armas utilizadas. Eis os resultados, os dados são para 2011 (fonte dos dados):

    Legenda

    Coluna 01: Revólveres
    Coluna 02: Rifles
    Coluna 03: Espingardas
    Coluna 04: Armas de Fogo de Tipo Desconhecido
    Coluna 05: Armas Brancas
    Coluna 06: Outras Armas
    Coluna 07: Chutes, Socos e Pontapés

    Média:. . . 124.40 . . . 6.46 . . . 7.12 . . . 33.68 . . . 33.88 . . . 33.18 . . . 14.56

    Muita coisa foi dita sobre a venda de rifles de assalto e, também, sobre a proibição da venda desse tipo de arma. Seria melhor que proibissem os socos e as armas brancas, pois estes dois causam muito mais assassinatos, quase 7.5 vezes mais, do que os rifles.

    Até!

    Marcelo

  196. Pax said

    Você lê tanto lixo, a começar por aquele canalhinha que idolatras, que começou a praticar o exercício da distorção.

    É um perigo esse caminho, Chesterton.

  197. Pax said

    Caramba, falta de projeto dá nisso, o cara não parou até agora…

    Alvaro Dias ‏@alvarodias_
    O pronunciamento nao foi para anunciar a reduçao da conta de luz,já anunciada através de farta e milionaria publicidade.O objetivo foi outro

  198. Chesterton said

    distorção? Pura lógica dedutiva. Você que não mede a consequência do que passa pela sua cabeça.

  199. Michelle 2 said

    putz

    Chest 10 a zero!

    “words have consequences

    Pax: Vai morar nos EUA, Chesterton. E reza forte para nenhum maluco entrar na escola dos filhos com uma AK pra fazer tiro ao alvo na cabeça das crianças.”
    —————-
    que vergonha!

    fala bobagem e depois nega e ainda pede provas…

  200. Chesterton said

    Então qual é a lógica verdadeira atrás desta sentença, que os EUA são seguros? Não há outra alternativa. Você falou com todas as letras que se for para os EUA terei que rezar para meus filhos não levarem um tiro, E QUE, no Brasil não preciso rezar.

    (não se faça de ofendido, nem faça nhem-nhem, conte-nos sua explicação)

  201. Elias said

    “A quantidade de assassinatos por rifles de assalto é a menor entre todos os tipos de armas utilizadas, incluindo socos e chutes!”

    É…

    E a quantidade de assassinatos por disparos de bazuca e de canhões anti-aéreos é menor, ainda.

    Nem aparece nas estatísticas…

    Mas, falando sério… Controle de armas? Bobagem!

    No Canadá é infinitamente mais fácil comprar uma arma de fogo do que no Brasil. Lá, a caça é um esporte dos mais praticados.

    Nerm por isso as ruas brasileiras têm pelo menos o arremedo da segurança que têm as ruas de lá…

  202. Otto said

    ” Surpreende que, desde o mês passado, algumas pessoas, por precipitação, desinformação ou algum outro motivo, tenham feito previsões sem fundamento, quando os níveis dos reservatórios baixaram e as térmicas foram normalmente acionadas. Como era de se esperar, essas previsões fracassaram. O Brasil não deixou de produzir um único kilowatt que precisava(…). Cometeram o mesmo erro de previsão os que diziam, primeiro, que o governo não conseguiria baixar a conta de luz. Depois, passaram a dizer que a redução iria tardar. Por último, que ela seria menor do que o índice que havíamos anunciado. Hoje, além de garantir a redução, estamos ampliando seu alcance — e antecipando sua vigência. Isso significa menos despesas para cada um de vocês e para toda a economia do país (…)Todos, sem exceção, vão sair ganhando(…) Espero que, em breve, até mesmo aqueles que foram contrários à redução da tarifa venham a concordar com o que eu estou dizendo.Aliás, neste novo Brasil, aqueles que são sempre do contra estão ficando para trás, pois nosso país avança sem retrocessos, em meio a um mundo cheio de dificuldades.Hoje, podemos ver como erraram feio, no passado, os que não acreditavam que era possível crescer e distribuir renda. Os que pensavam ser impossível que dezenas de milhões de pessoas saíssem da miséria. Os que não acreditavam que o Brasil virasse um país de classe média. Estamos vendo como erraram os que diziam, meses atrás, que não iríamos conseguir baixar os juros”.

    Presidenta Dilma; 23-01-2013

  203. Olá!

    Elias,

    “É…

    E a quantidade de assassinatos por disparos de bazuca e de canhões anti-aéreos é menor, ainda.

    Nem aparece nas estatísticas…”

    Isso era para ser engraçado? Try again. . .

    Há um detalhe: Bazucas e baterias anti-aéreas não estão à venda para o cidadão comum.

    Aliás, existe um país onde há pessoas andando com bazucas em plena luz do dia: É o Brasil! Basta ir a um desses morros/favelas da vida e encontrar traficantes caminhando livremente com bazucas, sem serem incomodados.

    Até!

    Marcelo

  204. Elias said

    Por falar nisso, Belo Monte está a todo vapor. Mesmo agora, com as chuvas paraenses, que não deixam por menos (há algumas semanas encerrou-se a estação do ano em que chove todo dia; agora estamos na estação em que chove o dia todo…).

    Já concluíram a primeira ensecadeira, com 1.200 metros. Agora vem a segunda, com 1.300 metros. Feito isto, o Xingu terá sido desviado de seu leito. A barragem principal será, assim, construída “a seco”. Parece que é a primeira vez que fazem isso numa hidrelétrica desse porte.

    Mas a construção “a seco” da barragem principal é que fará a obra andar infinitamente mais depressa que as hidrelétricas anteriores. Ela terá 24 turbinas. A primeira deve entrar em funcionamento em 2015. A última, em 2019. Sozinha, Belo Monte responderá por aproximadamente 33% de toda a expansão de geração de energia elétrica prevista para o período 2015 a 2019.

    Disso ninguém duvida. Nem se duvida de uma hidrelétrica na Amazônia cuja potência firme seja praticamente a mesma que a potência nominal. Afinal, água é o que não falta aqui.

    O problema é:

    1 – Como se eleva a potência firme de uma hidrelétrica? Estocando água, para uso nos meses em que baixa o volume dos rios. Caso contrário, a potência firme desaba, como na China, em que mais da metade das turbinas da hidrelétrica do Rio Amarelo é desligada na época da estiagem, por falta de água para movê-las (daí porque os chineses passaram a importar alumina e alumínio do Brasil, preferindo desmontar algumas fábricas que eles tinham por lá… Ao importar eletrointensivos, como o alumínio, eles estão, de fato, importando energia elétrica).

    2 – E como se estoca água? Represando água em lagos.

    Eis a questão: Quantos lagos serão necessários pra segurar a barra de Belo Monte? Qual a superfície que eles alagarão?

    Tem gente falando em províncias minerais inteiras que serão submersas em uma lâmina d´água de várias dezenas de metros de espessura, pra garantir a potência firme de Belo Monte.

    Fala-se em enormes jazidas de cobre, por exemplo.

    E, sabem qual é o subproduto do cobre? É o ouro. Já pensaram em milhões de toneladas de cobre, e centenas de toneladas de ouro, definitivamente perdidas?

    Sei não… Pra mim, essa história ainda está cheio de buracos…

    De qualquer modo, vai já-já escassear o cimento em todo o país, como na época de Itaipu e Tucuruí. A demanda da hidrelétrica é brutal.

    E parece que o Governo Federal já está com outra mega-usina na prancheta. Essa é no Tapajós. Provavelmente ela vai descer o linhão pelo Mato Grosso, em direção ao Sul.

    Por conta disso, parece também que os ativos do BNDES já estão maiores que os do Banco Mundial.

    É a história que está pipocando pelo “mercado”, em janeiro. Vou tentar checar esse papo, pra saber se essa mentira é verdade…

  205. Elias said

    “Bazucas e baterias anti-aéreas não estão à venda para o cidadão comum.” (ora, quem…)

    E o “cidadão comum” vive matando com rifle de assalto?

    Esse teu “cidadão comum” está um tanto quanto… Incomum!

    Essa tua tirada era pra ser… Inteligente…?

    Barbaridade!

  206. Patriarca da Paciência said

    Sobre essa história de de crimes por armas de fogo, minha opinião é que há uma grande diferença entre aqueles praticados no Brasil e aqueles praticados nos Estados Unidos, ou seja, no Brasil os assassinatos, em sua quase totalidade, acontecem entre traficantes e usuários de drogas ou entre quadrilhas de bandidos.

    Já nos Estados Unidos os assassinatos, em sua quase totalidade, acontecem contra estudantes, adolescentes ou crianças.

    Ou seja, são crimes hediondos, por motivos fúteis e sem possibilidade de defesa!

    Para mim faz uma grande diferença!

  207. Patriarca da Paciência said

    “O Brasil é o terceiro país com a melhor perspectiva de crescimento para empresas para os próximos 12 meses. O País (com 15% das respostas dadas por CEOs) fica atrás apenas de China (31%) e dos Estados Unidos (23%) em importância para as empresas e na frente de Alemanha (12%) e Índia (10%). Os dados foram apresentados durante a reunião dos líderes empresariais em Davos, na Suíça, pela PricewaterhouseCoopers International (PwC).”

    http://www.jb.com.br/economia/noticias/2013/01/23/davos-brasil-e-3o-mais-importante-para-crescimento-das-empresas/

  208. Patriarca da Paciência said

    “O empresário brasileiro não lê jornais?

    Levantamento apresentado no Fórum Econômico de Davos, que começa hoje na Suíça, revela que os empreendedores e executivos brasileiros estão entre os quatro mais otimistas do mundo, a despeito de toda a gritaria relacionada ao colapso do setor elétrico e do pibinho; Brasil é também destino preferencial das grandes multinacionais”

    http://www.brasil247.com/pt/247/economia/91431/O-empresário-brasileiro-não-lê-jornais.htm

  209. Patriarca da Paciência said

    Esta enquete do PHA é ótima!

    O que mais vai acontecer em 2014, segundo o PiG ?

    Vai faltar apito para a Copa (34%, 338 Votos)

    O rio São Francisco vai secar (25%, 247 Votos)

    O Gilmar vai soltar o Dantas (de novo) (23%, 234 Votos)

    O Maracanã vai desabar (6%, 60 Votos)

    O Lula vai se separar da D Marisa (5%, 54 Votos)

    O Dirceu vai entrar para o Hare Krishna (4%, 38 Votos)

    A Dilma vai ceder o lugar ao Eduardo (3%, 28 Votos)

    Nº Votos: 999

  210. Olá!

    Elias,

    “E o ‘cidadão comum’ vive matando com rifle de assalto?”

    Nos EUA, nas estatísticas sobre assassinatos por armas de fogo, o uso de rifles de assalto é o menor se comparado a todas as outras armas. Assim posto, sim, o cidadão comum, nos EUA, tem total acesso ao uso de rifles de assalto para cometer assassinatos.

    “Esse teu ‘cidadão comum’ está um tanto quanto… Incomum!”

    Nossa. . . que engraçado. . .

    Até!

    Marcelo

  211. Michelle 2 said

    206

    “… no Brasil os assassinatos, em sua quase totalidade, acontecem entre traficantes e usuários de drogas ou entre quadrilhas de bandidos.

    Já nos Estados Unidos os assassinatos, em sua quase totalidade, acontecem contra estudantes, adolescentes ou crianças.

    Fonte: Instituto Totó da Paciencia

    E quem discordar é do contra

  212. Pax said

    Úbere farto.

    http://clippingmp.planejamento.gov.br/cadastros/noticias/2013/1/24/justica-cassa-12-4-mil-cargos-comissionados-em-sao-paulo

    Somos nós que pagamos o milho que alimenta esta vaca sagrada.

    Uma coisa é ter estado forte, atuante. Outra é sustentar canalha.

  213. Pax said

    Cara Michelle 2,

    Vamos esclarecer um pouco o espaço.

    Você se diz Michelle e usa os mesmos IPs do Carlão.
    Diz que mora nos EUA, que mora no Caribe e os acessos vem de um terceiro lugar.
    Você diz que fala a verdade e a gente sabe o que rola.

    Então, fique à vontade, fique livre, solta(o), mas não espere respostas da minha lavra.

  214. Michelle 2 said

    Com vocês mais um episódio da série
    Everybody loves Carlão

  215. Patriarca da Paciência said

    Mais uma “tabelinha” comparativa entre os governos do PT e do PSDB:

    1. Taxa de inflação (IPCA)

    FHC (1995–2002) – 100,6%

    Lula (2003–2010) – 50,3%

    2. Taxa de desemprego (IBGE)

    FHC (dezembro de 2002) – 10,5%

    Dilma (dezembro de 2011) – 4,7%

    3. Taxa Selic (Banco Central)

    FHC (dezembro de 2002) – 25% a.a.

    Dilma (agosto de 2012) – 7,5% a.a.

    4. Salário mínimo (IBGE)

    FHC (dezembro de 2002) – R$200,00 (US$56,00)

    Dilma (agosto de 2012) – R$622,00 (US$306,00)

    5. Investimentos públicos (Banco Central)

    FHC (2002) – 1,5% do PIB

    Lula (2010) – 2,9% do PIB

    6. Dívida pública líquida (Banco Central)

    FHC (dezembro de 2002) – 51,5% do PIB

    Dilma (julho de 2012) – 34,9% do PIB

    7. Reservas internacionais líquidas (Banco Central)

    FHC (dezembro de 2002) – US$16 bilhões

    Dilma (agosto de 2012) – US$372 bilhões

    8. PIB (Banco Central)

    FHC (2002) – US$459 bilhões (2º da América Latina e 15º do Mundo)

    Dilma (2012) – US$2,4 Trilhões (1º da América Latina, 2º das Américas e 6º do mundo)

    9. Exportações (Banco Central)

    FHC (2002) – US$60 bilhões

    Dilma (2012) – US$256 bilhões

    10. Empregos formais (Caged – Ministério do Trabalho)

    FHC (1995–2002) – 5 milhões

    Lula-Dilma (2003–2011) – 17 milhões

    11. Escolas técnicas federais (MEC)

    FHC – 11

    Lula – 224

    12. Universidades federais (MEC)

    FHC – 1

    Lula – 14

    13. ProUni (MEC)

    FHC – Não existia

    Lula-Dilma – 1 milhão de estudantes beneficiados

    14. Crescimento econômico

    FHC (1995–2002) – 2,3% a.a.

    Lula (2003–2010) – 4,6% a.a.

    15) Balança comercial (Banco Central)

    FHC (1995–2002) – Déficit de US$8,7 bilhões

    Lula-Dilma (2003–2011) – Superávit de US$290 bilhões

    http://novobloglimpinhoecheiroso.wordpress.com/2013/01/23/aecio-neves-fala-muito-mas-a-realidade-e-outra/

  216. Edu said

    Muito bem!

    Dilma-mão-pesada-neoliberal-ornitorrinca-guarani-kaiowá usando, finalmente, a mão-pesada!

    O bolso de todos nós, no curto-prazo, agradece.

    Minha dúvida é: no longo prazo estaremos garantidos?

  217. Zbigniew said

    Edu,
    faz uma simples perguntinha: nos últimos dez anos a vida do brasileiro melhorou ou piorou?
    Se a Dilma tem problemas de gerenciamento, e a Transposição do São Francisco é apenas um dos graves problemas de obras que se iniciam por pressão política e sem um projeto executivo bem elaborado, bem como a questão das reguladoras, no mais, melhorou ou piorou? Seja honesto.

  218. Pax said

    Pra quem tem link possível…

    Anatel Informa ‏@Anatel_Informa
    Acompanhe, ao vivo, a reunião do Conselho Diretor, a partir das 15h: http://migre.me/cXwn1
    Expand
    8m Anatel Informa ‏@Anatel_Informa
    O conselheiro Jarbas Valente será o relator da proposta de revisão do Regimento Interno da Anatel: http://migre.me/cXuhS

  219. Pax said

    Uma iniciativa privada interessante pacas. Não conhecia.

    https://twitter.com/youca_st

    ou

    http://youca.st/

    Fui dar uma conferia nos “Termos De Uso E Condições Gerais “YOUCA.ST”

    Aqui: http://youca.st/ajax.php?pagina=termos&id=gerais

    Um pouco drakoniano (não sei se é assim que se escreve). Você posta uma notícia. Se algum veículo (rádio, tv, jornal) quiser usar, paga para o YouCast e você recebe 60% do que eles receberam.

    Só uma vez.

    Depois disso tua notícia é deles e vc não recebe mais nada.

    Mas… enfim, as regras estão estabelecidas, entra quem quer.

  220. Pax said

    O baixinho, aquele que fazia gol de bico, abriu o bico. Recebi a informação – que é pública – nas internas, de uma amiga que é jornalista. Sei lá…

    Pan, Copa, montanhas de dinheiro jogado fora.

    De outro lado:

    http://noticias.r7.com/blogs/ricardo-kotscho/2013/01/24/dilma-faz-discurso-de-candidata-na-tv/

  221. Pax said

    Caro Edu, em #216.

    Fizeste uma pergunta se estamos ou não garantidos no longo prazo na questão energética.

    Pois bem, meu caro, é exatamente isto que estudo nos últimos meses por questões aqui, particulares.

    Minha sugestão, para você não ficar acreditando em opiniões de toda sorte e espécie, inclusive de uma mídia que nem sempre é honesta, é buscar na fonte.

    Quem planeja energia no Brasil é a EPE. E as informações são públicas. A empresa é pública, vinculada ao Ministério das Minas e Energia que, apesar deste ser entregue por razões políticas ao bando do Sarney, nem tudo é tão ruim assim. A EPE, por exemplo, não me parece ser. Não pode ser. Se o planejamento furar o país para mesmo.

    Está tudo lá, detalhe do detalhe. Procure os .pdf, planos decenais, análises, tem tudo.

    http://www.epe.gov.br/

  222. Pax said

    Barrigada pouca é bobagem. As do Brasil? Bem, nem sequer pedem desculpas na maioria dos casos. No Brasil tem muita canalhice mesmo. Algumas inclusive encomentadas. Carlinhos Cachoeira está aí para não nos deixar mentir.

    http://colunas.revistaepoca.globo.com/ofiltro/2013/01/24/el-pais-publica-foto-falsa-de-chavez-entubado-e-pede-desculpas/

    Neste exato momento tem uma lista de jornalistas, políticos e uma cambada que não sabe mais o que fazer, reclamando do pronunciamento e Dilma ontem.

    Pois bem.

    Estes mesmos, vários de moral bastante duvidosa, atacam diariamente, fazem alardes diários, vários com razão e uma enorme lista puramente invenção. Veículos que empregam jornalistas que se dobram por qualquer tostão e são usados para fazer política de baixíssima qualidade.

    Muitos sabidamente desonestos, pilantras de todo.

  223. Elias said

    Patriarca,

    Que eu saiba, nenhum especialista em geração de energia elétrica diz que o Brasil corre risco de colapso nesse setor.

    Ao contrário. Pelo que se vê por aí, a geração de energia hidrelétrica tende ao crescimento acelerado e a produção de óleo e gás também opera com perspectiva de grande crescimento (principalmente agora, com o pré-sal).

    Que eu saiba, o que os especialistas mais debatem — e no que mais divergem — é quanto ao custo ambiental, potencial ou efetivo, das opções que o Brasil está fazendo.

    Há, também, quem acrescente a isso, o possível custo econômico da formação de lagos na Amazônia. Segundo esses críticos, os lagos das hidrelétricas amazônicas estão submergindo riquezas incalculáveis (cobre, ouro, diamante, e sei lá o que mais).

    A polêmica não versa, portanto, sobre a produção de energia, mas sobre o que a produção de energia implica, em termos de danos ambientais, destruição da biomassa continental, etc (confusão de bom tamanho…).

    Só as duas novas hidrelétricas paraenses (do Xingu e do Tapajós), p.,ex., já cobrem mais da metade da expansão projetada para 2019 (ou seja: da energia que será demandada a partir de 2020, caso o Brasil apresente uma taxa de crescimento econômico igual ou maior que a média atual).

    Até onde eu vejo o papo rolar, o Brasil opera a matriz energética com uma antecipação mínima de 10 anos. Os “bam-bam-bam” do assunto não polemizam quanto a isso. Eu, pelo menos, não tenho visto isso.

    Há uns 2 anos, assisti uma exposição de representantes de investidores noruegueses, japoneses e chineses, que estão pretendendo implantar algumas plantas no Brasil: aços laminados a quente, alumina, etc. São megaplantas. Pelo menos uma delas envolve, numa única plataforma, o projeto industrial, um porto fluvial para embarcações de grande calado, ferrovia, terminal de integração intermodal (combinando os modais ferroviário e fluvial), etc. As quantidades que se falava eram de impressionar, mesmo a pessoas como nós, que estamos acostumados a ver composições ferroviárias de 4 km de extensão, fazendo 9 viagens redondas por dia, pra dar conta dos produtos que estão sendo exportados. Quando alguém falava em “energia”, eles rodavam os dedos indicadores das duas mãos, indicando que esse assunto podia ser “pulado”. Não estavam nem um pouco preocupados com isso…

    A preocupação deles era outra… E tinha a ver com o comunicado da Vale que eu reproduzi parcialmente, acima…

  224. Elias said

    Marcelo Augusto,

    Já eu te acho engraçado pra caramba!

    Hilário!

    É só eu ler teu nome… Já me dá vontade de rir.

    HUÁ! HUÁ! HUÁ! HUÁ! HUÁ! HUÁ! HUÁ!

    Mas que cara engraçado…

    HUÁ! HUÁ! HUÁ! HUÁ! HUÁ! HUÁ! HUÁ!

    Para, Marcelo! Eu não aguento mais de rir!

    HUÁ! HUÁ! HUÁ! HUÁ! HUÁ! HUÁ! HUÁ!

  225. Elias said

    Quer dizer, então, que os “cidadãos normais” dos EUA compram rifles de assalto e cometem assassinatos?

    Certo…

    E os “cidadãos anormais”, o que fazem?

    Já sei! Compram bazucas e canhões anti-aéreos, e não matam ninguém com isso.

    Não! Nada disso! Os “cidadãos anormais” trabalham, constituem família, vão à igreja nos domingos de manhã. Volta e meia, a gente vê um bando de anormais nos gramados, com suas famílias, assando carne nas churrasqueiras…

    Enquanto isso, ali perto, escondido na torre de uma caixa d´água, um “cidadão normal” espreita, com os olhos injetados, um sorriso violento nos lábios e um rifle de assalto nas mãos.

    Putz!

    É cada um que aparece…

  226. Pax said

    Lúcio Flávio Pinto condenado de novo.

    Cadê o CNJ?

    http://revistaforum.com.br/blog/2013/01/jornalista-paraense-e-novamente-condenado-a-pagar-indenizacao-exorbitante-a-empresario/

    Enviado via iPhone

  227. Edu said

    Pax,

    Obrigado pelo Link.

    Não sei se a EPE é criação da Dilma quando ministra ou não, mas fiquei satisfeito em ver um site do governo com tanta informação atualizada e disponível para qualquer cidadão/contribuinte curioso.

    Uma coisa que eu não entendo é: por que raios a EPE não está ligada à ANEEL?! O governo precisava de 2 instituições distintas para cuidar do mesmo assunto?

    Especificamente em relação às informações: só dei uma primeira olhada, e deu pra entender que estamos à salvo até pelo menos 2020 em relação à questão energética, o que de fato é muito reconfortante.

    No entanto, talvez porque não tive tempo de olhar tudo, tem algumas coisas confusas:

    1 – Eu não achei a separação do que é exclusivamente elétrico e do resto de energia consumida. Em certo ponto dos relatórios parece que há uma mistura do que é petróleo, gasolina, querosene, etc… que eu saiba são usados para gerar energia para outras coisas e não para a luz elétrica de uma empresa ou de nossas residências. Como eu vi os números todos juntos, aparentemente estamos OK. Mas e na energia elétrica mesmo?

    2 – Mesmo para esses dados juntando toda a capacidade de geração (incluindo petróleo, gasolina, querosene), não vi uma taxa de crescimento composto anual versus a taxa anual de crescimento composto do que é consumido. Aparentemente, isso se sustenta, mas sem fazer contas e sem saber qual a parcela de geração e de consumo exclusivamente elétricos, isso fica mais difícil.

    3 – Em um determinado arquivo eu vi a gestão de riscos energéticos do Brasil. Essencialmente o resultado é: ao nos aproximarmos de 2020, a oferta de energia elétrica passa a se apoiar cada vez mais em térmicas. Talvez seja o infeliz efeito da industrialização.

    4 – Eu ainda não achei, e espero encontrar, uma apresentação do cronograma de desenvolvimento da matriz energética em paralelo com as contas de geração e consumo, para mostrar que, caso os projetos previstos pelo governo sejam realizados, estaremos garantidos no futuro. Também não achei (ainda) o previsto x realizado desses programas até o momento.

    Enfim, impressões iniciais.

  228. Zbigniew said

    Muito boa a fala da Presidenta. Melhor ainda por enquadrar os “pessimistas”. Quero ver a claquete refutar os argumentos. Chupem essa!

  229. Edu said

    Sobre a recepção do Lula em SP ou em Brasília.

    Não vejo problema nenhum em o Lula conversar com o Haddad, ou com a Dilma, ou com o ZD, ou quem quer que seja do partido, mas no lugar apropriado.

    Mas eu não entendo uma coisa: qual é o cargo do Lula mesmo? Pra mim se vc for recebido oficialmente, vc precisa participar dentro do contexto oficial, isto é, ter um cargo, uma função, uma obrigação, um objetivo, qualquer coisa que o torne responsável pelo que for debatido a portas fechadas ou não dentro de uma instituição pública.

    Deixa eu tentar fazer uma analogia: o presidente de uma empresa privada não pode receber o presidente do clube de campo dele na sala dele. Pelo menos não deveria, pega mal, o clube de campo dele não tem nada a ver com a empresa privada, existem milhares de outros lugares onde o presidente da empresa privada pode conversar com o presidente do clube de campo: na casa de um deles, em um restaurante, em um happy hour, etc. A menos que ambos estejam fazendo negócio. Só que se eles estiverem fazendo negócio, aí há uma agenda profissional envolvida. E se for assunto do clube de campo, muito melhor que o presidente da empresa privada fosse ao clube de campo ter a reunião com o presidente do clube de campo.

    Aí volto à questão do Lula: qual é o cargo do Lula mesmo? Ele ocupa um cargo oficial de relações institucionais do PT? Qual é a agenda oficial do Lula? Ou ele está lá para tratar de assuntos oficiais de interesse dos cidadãos e que deveriam ser transparentes à população, ou ele está com uma agenda do PT debaixo do braço. Mas aí há um conflito de interesse, não é mesmo? Tanto a Dilma quanto o Haddad tem total direito de representar o PT politicamente, porém antes disso eles devem satisfação à população, coisa que modestamente eu acho que eles ignoraram completamente.

    O sujeito lá Petrobras, talvez por muito menos, tomou uma cotovelada no rim da Dilma-mão-pesada-ornitorrinca-guarani-kaiowá… mas Lula pode. Afinal ele é o civil mais importante do Brasil, não é mesmo? Depois ainda falamos em igualdade….

  230. Zbigniew said

    E no entanto, Pax, nossos jornalões se comportam como verdadeiros partidos políticos. E pior, esqueceram de praticar jornalismo. Lembram da Erenice Guerra? Pois é…

    “Venício A. Lima

    Se o leitor (a) ainda precisa de alguma comprovação sobre o comportamento partidário dos jornalões brasileiros, sobretudo nos períodos eleitorais, recomendo a leitura do excelente A Ditadura Continuada – Fatos, Factoides e Partidarismo da Imprensa na Eleição de Dilma Rousseff, resultado de uma cuidadosa pesquisa realizada por Jakson Ferreira de Alencar, recentemente publicado pela editora Paulus.

    O livro se concentra na cobertura política oferecida pelo jornal Folha de S.Paulo e parte da divulgação da falsa ficha “criminal” dos arquivos do Dops da militante da VAR-Palmares Dilma Rousseff, em 4 de abril de 2009, então pré-candidata à Presidência da República.

    Jakson Alencar faz um acompanhamento minucioso de todo o caso, ao longo dos três meses seguintes, registrando a “semirretratação” do jornal, em matéria antológica para o estudo da ética jornalística, na qual se reconhece como erro “tratar como autêntica uma ficha cuja autenticidade, pelas informações hoje disponíveis, não pode ser assegurada – bem como não pode ser descartada” (p. 67).
    (…)
    Destacam-se nesse período “acusações, ilações e insinuações que viraram condenações sumárias” (p. 147), sobretudo o caso do suposto “dossiê” preparado pelo PT sobre dirigentes tucanos, com dados fiscais sigilosos, e o “escândalo” envolvendo a então substituta de Dilma na Casa Civil (registro: o Tribunal Regional Federal da 1ª Região arquivou o processo contra Erenice Guerra por suposto tráfico de influência, depois de acatar recomendação do Ministério Público Federal e por decisão do juiz Vallisney de Souza Oliveira, da 10ª Vara Federal, em 20 de julho de 2012).
    (…)”
    http://www.advivo.com.br/blog/luisnassif/a-partidarizacao-da-imprensa-por-venicio-lima

  231. Zbigniew said

    Essa aqui é de uma organização respeitável e que constata a real situação do sistema de comunicação no país: concentrado e nada democrático.

    “Do Terra, via Luis Nassif.

    Brasil é o país dos 30 Berlusconis, diz ONG Repórteres Sem Fronteiras
    (…)

    A agência de notícias France Presse distribuiu em todo o Brasil um pequeno resumo do relatório. ”O Brasil apresenta um nível de concentração de mídia que contrasta totalmente com o potencial de seu território e a extrema diversidade de sua sociedade civil”, explica a ONG de defesa da liberdade de imprensa. “O colosso parece ter permanecido impávido no que diz respeito ao pluralismo, um quarto de século depois da volta da democracia”, assinala a RSF, recordando que em 2012 houve 11 jornalistas assassinados no país.

    (…)”

    http://noticias.terra.com.br/mundo/brazil-no-radar/blog/2013/01/24/brasil-e-o-pais-dos-30-berlusconis-diz-ong-reporteres-sem-fronteiras/

  232. Zbigniew said

    Aqui o link do relatório em inglês:
    http://en.rsf.org/IMG/pdf/brazil_report.pdf

  233. Zbigniew said

    Ainda sobre energia elétrica (tão em voga), vcs sabiam disso?

    http://vimeo.com/32296930

  234. Edu said

    Zbig,

    Nos ultimos 40 anos, a vida do brasileiro melhorou ou piorou?

    E nos ultimos 500 anos?

    Seja honesto vc! Ou, se quiser, seja mais especifico no que quer analisar…

  235. Zbigniew said

    Edu, abaixe as armas. Não estou lhe chamando de desonesto.
    Sejamos sinceros: a melhora significativa da vida do brasileiro deu-se nos últimos dez anos, embora possamos falar em controle inflacionário no período FHC, mas com poucos efeitos sobre a população em face da “perda da mão” nos últimos anos do seu governo.
    Outro aspecto. Vejo vc achincalhar a capacidade da Presidenta como gerente. Tomemos especificamente o setor elétrico. Sejamos honestos: sendo ela a idealizadora do maior sistema interligado já idealizado para o país, há algum risco de chamarmos a mesma de incompetente?
    Dá uma olhadinha no vídeo da empresa espanhola que está construindo Torres de transmissão sobre a Amazônia pra levar energia de Tucuruí para Manaus e Macapá, reduzindo os valores cobrados em virtude da dependência de Balbina e da termelétrica de Tambaqui.

    Ha! E aqui como a nossa querida oposição reage às iniciativas do governo nessa área:

    “Nota à imprensa (PSDB)

    O governo do PT acaba de ultrapassar um limite perigoso para a sobrevivência da jovem democracia brasileira.

    Na noite desta quarta-feira, o país assistiu à mais agressiva utilização do poder público em favor de uma candidatura e de um partido político: o pronunciamento da presidente Dilma Rousseff, em rede nacional de rádio e TV, sob o pretexto de anunciar, mais uma vez, a redução do valor das contas de luz, já prometida em rede nacional há quatro meses e alardeada em milionária campanha televisiva paga pelos contribuintes.

    O caráter político-partidário do pronunciamento oficial da presidente pode ser constatado inclusive pela substituição do brasão da República pela marca publicitária do atual governo na vinheta de abertura da “peça publicitária” veiculada em cadeia nacional.

    Durante os oito minutos de divulgação obrigatória por parte das emissoras de rádio e TV brasileiras, a presidente Dilma faltou com a verdade, fez ataques a seus adversários, criticou a imprensa e desqualificou os brasileiros que ousam discordar de seu governo.

    O conceito de República foi abandonado. A chefe da Nação, que deveria ser a primeira a reconhecer-se como presidente de todos os brasileiros, agora os divide em dois grupos: o “nós” e o “eles”. O dos vencedores e o dos derrotados. Os do contra e os a favor. É como se estivesse fazendo um discurso numa reunião interna do PT, em meio ao agitar das bandeiras e ao som da charanga do partido.

    O PSDB denuncia o uso indevido feito de um instrumento reservado ao interesse público para promoção pessoal e política da presidente, e alerta os brasileiros para a gravidade desse ato que fere frontalmente os fundamentos do Estado democrático.

    No governo do PT, tudo é propaganda, tudo é partidarizado. Nada aponta para o equacionamento verdadeiro dos problemas do país ou para uma solução efetiva.

    Em vez de assumir suas responsabilidades de gestora, fazendo o governo produzir, o que se vê é o lançamento prematuro de uma campanha à reeleição, às custas do uso da máquina federal e das prerrogativas do cargo presidencial.

    Brasília, 24 de janeiro de 2013
    Deputado Sérgio Guerra, presidente nacional do PSDB”
    http://www.advivo.com.br/blog/luisnassif/fora-de-pauta-1043#comments

  236. Zbigniew said

    Desculpe! Destaquei apenas a reação da parte mais fraca da oposição. A verdadeira oposição reagiu assim após o pronunciamento da Presidenta:

    FSP
    Notícia principal: Governo terá de gastar R$ 8,46 bilhões para reduzir conta de luz
    Notícia abaixo da notícia principal: BC projeta reajusta de 5% na gasolina em 2013

    EST
    Notícia principal: Queda na conta de luz vai custar R$ 8,4 bi ao Tesouro Nacional
    Notícia abaixo da notícia principal: Gasolina poderá ter reajuste ‘em torno’ de 5%, diz Banco Central

    G1
    Notícia principal: Redução na conta de luz vai custar R$ 8,4 bi ao Tesouro
    Notícia abaixo da notícia principal: BC projeta aumento de 5% para gasolina

    Veja
    Notícia principal: Desconto na conta de luz vai custar R$ 8,4 bi ao Tesouro
    Notícia abaixo da notícia principal: BC projeta aumento de 5% no preço da gasolina em 2013

  237. Elias said

    “Cadê o CNJ?” (Pax # 226)

    Viu, Pax, como a coisa está?

    E até tu, pedindo que o CNJ exorbite, de novo, pra desfazer injustiça…

    Te todos os organismos do Judiciário brasileiro, o CNJ é o único que não tem competência jurisdicional específica.

    Legalmente, a função do CNJ é, apenas, ADMINISTRATIVA e FINANCEIRA.

    Todos os demais excelentes serviços que o CNJ tem prestado ao Brasil, o foi exorbitando de suas atribuições.

    Quanto ao Lúcio, a decisão já era esperada. Principalmente partindo de quem partiu… De mais a mais, como ele mesmo diz, são milhares e milhares de pessoas, em todo o Brasil, em situação igual ou pior.

    O negócio é subir nas instâncias, até a última, se necessário, e fazer disso uma demonstração, tão ampla quanto possível, de como o Judiciário brasileiro está doente, e do quanto ele necessita, urgentemente, ser reorganizado. De alto a baixo.

    Se nada disso der certo, paciência… Lá vai um monte de gente pro mutirão, arrecadar dinheiro pra atender mais uma injustiça da Justiça brasileira.

  238. Pax said

    Caro Elias,

    A discussão sobre a missão do CNJ é enorme.

    No seu site diz:

    Missão, Visão e Valores do CNJ

    Missão do CNJ – Contribuir para que a prestação jurisdicional seja realizada com moralidade, eficiência e efetividade, em benefício da Sociedade.

    Descrição – Contribuir para a efetividade da prestação jurisdicional para obter o reconhecimento da Sociedade.

    Visão do CNJ – Ser um instrumento efetivo de desenvolvimento do Poder Judiciário.

    Descrição – Coordenar a gestão do Poder Judiciário, atuando em parceria com suas unidades para que alcancem seus objetivos estratégicos, visando a melhoria da prestação jurisdicional.

    Atributos de Valor para a Sociedade
    Agilidade
    Ética
    Imparcialidade
    Probidade
    Transparência

  239. Elias said

    É…

    Tá vago pra caramba…

    Mas o fato é que a função do CNJ é administrativa e financeira. Ele é que audita licitações, folhas de pagamento & coisas afins, do Judiciário. Também está em sua competência lidar com juízes que faltam ao trabalho, engavetam processos, etc.

    Mas não lhe cabe meter o bedelho em decisões ou sentenças judiciais. Mesmo assim tem metido.

    Ainda bem…

    Nos Judiciários estaduais há uma grita generalizada por causa disso.

  240. Elias said

    Pax,

    Segue um trecho da EC 45:

    “Art. 103-B. OMISSIS

    OMISSIS

    § 4º Compete ao Conselho (Nacional de Justiça) o controle da atuação administrativa e financeira do Poder Judiciário e do cumprimento dos deveres funcionais dos juízes, cabendo-lhe, além de outras atribuições que lhe forem conferidas pelo Estatuto da Magistratura:

    I zelar pela autonomia do Poder Judiciário e pelo cumprimento do Estatuto da Magistratura, podendo expedir atos regulamentares, no âmbito de sua competência, ou recomendar providências;

    II zelar pela observância do art. 37 e apreciar, de ofício ou mediante provocação, a legalidade dos atos administrativos praticados por membros ou órgãos do Poder Judiciário, podendo desconstituí-los, revê-los ou fixar prazo para que se adotem as providências necessárias ao exato cumprimento da lei, sem prejuízo da competência do Tribunal de Contas da União;

    III receber e conhecer das reclamações contra membros ou órgãos do Poder Judiciário, inclusive contra seus serviços auxiliares, serventias e órgãos prestadores de serviços notariais e de registro que atuem por delegação do poder público ou oficializados, sem prejuízo da competência disciplinar e correicional dos tribunais, podendo avocar processos disciplinares em curso e determinar a remoção, a disponibilidade ou a aposentadoria com subsídios ou proventos proporcionais ao tempo de serviço e aplicar outras sanções administrativas, assegurada ampla defesa;

    IV representar ao Ministério Público, no caso de crime contra a administração pública ou de abuso de autoridade;

    V rever, de ofício ou mediante provocação, os processos disciplinares de juízes e membros de tribunais julgados há menos de um ano;

    VI elaborar semestralmente relatório estatístico sobre processos e sentenças prolatadas, por unidade da Federação, nos diferentes órgãos do Poder Judiciário;

    VII elaborar relatório anual, propondo as providências que julgar necessárias, sobre a situação do Poder Judiciário no País e as atividades do Conselho, o qual deve integrar mensagem do Presidente do Supremo Tribunal Federal a ser remetida ao Congresso Nacional, por ocasião da abertura da sessão legislativa.

    § 5º O Ministro do Superior Tribunal de Justiça exercerá a função de Ministro-Corregedor e ficará excluído da distribuição de processos no Tribunal, competindo-lhe, além das atribuições que lhe forem conferidas pelo Estatuto da Magistratura, as seguintes:

    I receber as reclamações e denúncias, de qualquer interessado, relativas aos magistrados e aos serviços judiciários;

    II exercer funções executivas do Conselho, de inspeção e de correição geral;

    III requisitar e designar magistrados, delegando-lhes atribuições, e requisitar servidores de juízos ou tribunais, inclusive nos Estados, Distrito Federal e Territórios.

    § 6º Junto ao Conselho oficiarão o Procurador-Geral da República e o Presidente do Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil.

    § 7º A União, inclusive no Distrito Federal e nos Territórios, criará ouvidorias de justiça, competentes para receber reclamações e denúncias de qualquer interessado contra membros ou órgãos do Poder Judiciário, ou contra seus serviços auxiliares, representando diretamente ao Conselho Nacional de Justiça.”

  241. Elias said

    Pax,

    Esse pessoal do “planejamento estratégico” me racha…

    Vejamos qual é a missão institucional do CNJ:

    “Missão do CNJ – Contribuir para que a prestação jurisdicional seja realizada com moralidade, eficiência e efetividade, em benefício da Sociedade.”

    As pessoas lêem uma xaropada dessas e entendem o quê? P… nenhuma! Nada remete à Emenda Complementar que, afinal, estabelece a razão de ser do Conselho.

    E a razão de ser é a missão, né? É só pegar o que está na EC, compactar pra uma frase expressiva e pronto…

    Há algum tempo atrás, me mostraram uma tabela com 3 colunas, cada uma delas com 10 termos. A brincadeira era pegar qualquer termo da primeira coluna e combinar com qualquer termo da segunda e da terceira.

    Em qualquer caso, o significado era sempre o mesmo: expressões equivalentes a “Classificação Funcional-Programática”, que, no passado, já atendeu pela alcunha de “Orçamento-Programa”, criado para a Ford pelo Robert McNamara e seus “homens de ouro”, e por ele levado para a Administração Pública americana, daí se disseminando mundo afora.

    Hoje, no Brasil, a “Classificação Funcional-Programática” é só um arremedo presunçoso e ineficaz do sistema simples e prático que McNamara e sua equipe desenvolveram.

    O “Planejamento estratégico” vai pela mesma esteira. Ele se tornou o ganha-pão de um monte de consultorias, que têm umas quatro ou cinco “soluções” padronizadas. Aí elas combinam elementos desses pacotes pré-fabricados, pra se adaptar aos mais diferentes tipos de organização, nas mais diferentes circunstâncias.

    Aí saem coisas assim, como essa que se vê no site do CNJ…

    A capacidade do brasileiro de esculhambar com qualquer coisa parece não ter fim,…

  242. Pax said

    Vi essa tal tabela também….

    Mas, está lá, olha só, do teu comentário acima:

    § 5º O Ministro do Superior Tribunal de Justiça exercerá a função de Ministro-Corregedor e ficará excluído da distribuição de processos no Tribunal, competindo-lhe, além das atribuições que lhe forem conferidas pelo Estatuto da Magistratura, as seguintes:

    I receber as reclamações e denúncias, de qualquer interessado, relativas aos magistrados e aos serviços judiciários;

    II exercer funções executivas do Conselho, de inspeção e de correição geral;

  243. Chesterton said

    Lula deve ser convidado a prestar esclarecimentos sobre o Rosegate no começo de fevereiro
    Edição do Alerta Total –

    Por Jorge Serrão –

    No começo de fevereiro, Luiz Inácio Lula da Silva será convidado a prestar os tão aguardados e devidos esclarecimentos sobre a atuação de sua melhor amiga e apadrinhada Rosemary Nóvoa Noronha na chefia do gabinete da Presidência da República em São Paulo. Claro que Lula vai alegar que nada sabia e nem tinha nada a ver com negócios escusos que levaram Rosemary a ser indiciada por formação de quadrilha, falsidade ideológica, tráfico de influência e corrupção ativa na Operação Porto Seguro, da Polícia Federal.

    Embora não tenha mais foro privilegiado e nem seja mais formalmente uma autoridade, mas apenas um cidadão com direitos e deveres como outro qualquer, Lula terá tratamento privilegiado na tomada de depoimento pelo Ministério Público Federal. Já começa pelo termo “convidado” – e não convocado ou intimado a depor. Alem disso, a conversa com Lula poderá acontecer em ambiente fora do Judiciário e, com certeza e de preferência, bem longe do conhecimento da imprensa.

    Lula deverá ser ouvido em casa, em São Bernardo do Campo, na sede do Instituto Lula, no bairro do Ipiranga, em São Paulo, ou em qualquer outro lugar que lhe seja conveniente. Todo mundo sabe que “tio” Lula tem tudo a dizer, mas que tranquilamente nada dirá que o comprometa ou crie ainda mais problemas para a “pequena” Rose. O estranho e indevido silêncio público de Lula sobre o Rosegate é um dos maiores erros estratégicos cometidos pelo ex-Presidente. Evidência de que o escândalo lhe causa, no mínimo, tensão.

    Rose está blindada e bem defendida por uma equipe de três advogados coordenados pelo ex-ministro da Justiça, Márcio Thomaz Bastos. A (ex-) mulher de confiança de Lula – que estaria estressada e temendo assédios desde 23 de novembro – até conseguiu uma permissão especial para entrar e sair pela garagem do Fórum Federal Criminal, sem ser vista pela imprensa, sempre que for prestar depoimentos ou apenas se apresentar à juíza Adriana Zanetti, da 5.ª Vara Federal Criminal. A próxima visita discreta de Rose ao Tribunal seria no dia 4 de fevereiro.

    Pelos altos figurões envolvidos e pela complexa dinâmica do sistema criminoso de compra e vendas de pareceres ou tráficos de influência cometidos por servidores em cargos de confiança federais, o processo da Operação Porto Seguro tem tudo para andar com a mesma lentidão do escândalo do Mensalão. Como, em princípio, não há potenciais réus com direito a foro privilegiado, o caso deve tartarugar na burocracia da Justiça Federal, a partir da primeira instância. Mas isto também deve beneficiar os acusados, que ganharão tempo entre um julgamentos na Vara Federal e os infindáveis recursos no STJ ou no STF, até o famoso “transitado em julgado” que pode levar algum culpado para a cadeia.

    Uma eventual prisão da melhor amiga de Lula sequer foi cogitada. Desde a primeira hora da Operação Porto Seguro, ela foi claramente poupada. Apenas foi acordada por policiais federais e agentes da Agência Brasileira de Inteligência em 23 de novembro. Também sofreu o desgaste de exposição de sua imagem, da filha e do ex-marido com o escândalo. De resto, está blindada pelo mesmo esquema de poder que sempre protegeu o bem amado Lula da Silva.

    Por isso, a não ser que existam poderosos interesses em prejudicar Lula da Silva, o Rosegate tem tudo para se transformar em um dos maiores casos de impunidade – entre os muitos já antes vistos – na História da republiqueta sindicalista brasileira.

  244. Chesterton said

    Já escrevi alguns textos tratando dos delírios totalitários de uma ONG chamada Instituto Alana, que se propõe a defender os direitos da criança. Se há coisa que não falta no país, como se sabe, é infante maltratado. A Alana, no entanto, não parece especialmente preocupada com a criança de rua, com a precariedade das escolas, com o trabalho infantil e tal. Nada disso! Sua obsessão é impedir que o capitalismo perverta a mente dos inocentes, incitando-os ao consumo irresponsável, o que poderia ser prejudicial à sua saúde. Huuummm…

    Tio Rei , inicio de mais um excelente texto.

  245. Chesterton said

    Mientras el presidente venezolano, Hugo Chávez, se aferra a la vida en un hospital de la Habana, en Caracas se desata una intensa lucha por el poder; los ideólogos con respaldo del régimen cubano contra los narco-generales venezolanos. Mientras tanto, la inepta oposición democrática venezolana no cuenta con una estrategia para defender sus intereses y los diplomáticos de carrera estadounidenses torpemente se acercan a la legitimación de un narcoestado autoritario sin recibir nada a cambio. El futuro de Venezuela cuelga de un hilo.
    Dos facciones han emergido dentro del chavismo. La primera está liderada por Nicolás Maduro, quien se desempeño durante seis años como ministro de relaciones exteriores de Venezuela y que encabeza un grupo ideológico leal a La Habana. En octubre, Chávez nombró a Maduro vicepresidente y llamó a sus seguidores a apoyarlo en las elecciones anticipadas que se llevarían a cabo en caso de su muerte.
    Pero incluso con la bendición del presidente moribundo, Maduro no quedará sin competencia. Diosdado Cabello, militar veterano, antiguo colaborador de Chávez y actual presidente de la Asamblea Nacional, se convertiría en el mayor rival de Maduro en una eventual lucha por el poder a pesar de haber perdido la aceptación de muchas de las figuras principales del chavismo. Cabello y un grupo de militares de alto rango -implicados por las autoridades estadounidenses en el narcotráfico- nunca correrán el riesgo de perder el poder y la impunidad. Por otra parte, Cabello tiene un rencor personal contra los hermanos Castro por el papel que estos jugaron en su expulsión del círculo íntimo de Chávez hace ocho años cuando su fortuna mal habida le proporcionó con una fuente independiente de poder. Los narco-generales facilitaron la reinserción de Cabello a las posiciones de poder a comienzos del año pasado para proteger sus intereses ante el escenario de la tambaleante salud de Chávez y no están dispuestos a someterse a Maduro y su grupo compuesto por civiles.
    La habilidad de Chávez para tomar el juramento de su cargo para un nuevo mandato el próximo 10 de enero determinará cuál de las facciones obtendrá el poder. Si lo hace, Maduro será designado vicepresidente, posicionándolo para suceder a Chávez y ganar las elecciones anticipadas. Por otro lado, si Chávez no es capaz de tomar el juramento de su cargo, la presidencia pasará a la cabeza de la Asamblea Nacional, Diosdado Cabello, hasta que se elija un sucesor. Es evidente que este último escenario le daría una ventaja a Cabello. Por lo que, Maduro esta esperando que Chávez, en su condición de presidente pueda iniciar un nuevo mandato al tomar el juramento en la embajada de Venezuela en La Habana o cuando eventualmente regrese a Venezuela. Cualquiera de esos escenarios puede fracturar la legitimidad de un régimen sucesor.
    Es probable que los cubanos desesperadamente trabajen para gestionar la sucesión de Maduro para así asegurar los miles de millones de dólares en asistencia petrolera y financiera que actualmente les proporciona Caracas. Pero los cubanos no son los únicos con un interés por asegurar la continuidad del chavismo. China ha proporcionado al régimen con cerca de 25 mil millones de dólares en préstamos que deben ser pagados en los próximos años. Rusia ha vendido cerca de 9 mil millones de dólares en armas a Venezuela y tiene mucho interés en los depósitos gasíferos y petroleros del país. Irán explota el territorio venezolano como una plataforma para evadir las sanciones internacionales y para proyectar la presencia de Hezbollah y de las Fuerzas Quds en la proximidad de los Estados Unidos.
    Además, los narcotraficantes han adoptado al Estado venezolano como un socio dispuesto a participar en sus actividades peligrosas. De acuerdo con fuentes cercanas a las investigaciones en curso, las autoridades estadounidenses poseen información nueva y convincente que implica a Chávez, Cabello, el ex ministro de defensa, el jefe del ejército, el recién nombrado ministro adjunto del interior y a docenas de otros altos funcionarios militares en el tráfico de cocaína y en el lavado de activos. Estos funcionarios venezolanos ayudan a transportar toneladas de cocaína a Centroamérica, México, el Caribe, Estados Unidos, África occidental y Europa.
    Los riesgos son muy altos para los intereses de seguridad, energía y estabilidad de los Estados Unidos. En noviembre, la subsecretaria de Estado, Roberta Jacobson, sostuvo una larga conversación telefónica con Nicolás Maduro para discutir la normalización de las relaciones diplomáticas con el régimen chavista. Esto sería un error.
    Si Washington y Caracas fuesen a restaurar a sus respectivos embajadores en este momento crucial, se produciría una desmoralización de la oposición democrática, se legitimaria a Maduro y a la sucesión chavista y se interferiría con las investigaciones que actualmente conduce la justicia estadounidense contra el narco venezolano. Para el momento, la única explicación de tal iniciativa mal concebida es que los diplomáticos de carrera se apresuran a actuar antes de que el Congreso pueda anticipar sus acciones – en particular en el contexto de las audiencias de confirmación del Secretario de Estado designado, John Kerry.
    Los líderes de ambos partidos en el Congreso de los Estados Unidos están prestando más atención a las peligrosas actividades que acontecen en Venezuela que las agencias de política exterior del poder ejecutivo. Es de vital importancia que intervengan para garantizar que la ley fundamental, la seguridad y los derechos humanos sean condiciones para cualquier acercamiento con Caracas.
    Sorprendentemente, la propia oposición democrática de Venezuela es prácticamente invisible en este proceso – actuando de meros observadores en Caracas y con una presencia inexistente en Washington y otras capitales extranjeras. Irónicamente y a pesar de haber eludido cualquier tipo de asociación con los Estados Unidos durante años, Maduro ahora se encuentra impaciente por aceptar los avances del Departamento de Estado. Los líderes putativos de la oposición podrían capturar cierta relevancia si trataran de rechazar el intervencionismo cubano y si exigieran mayor transparencia sobre el estado de salud de Chávez. También deben preparar una lista de demandas prácticas – reformas de seguridad, políticas, económicas y electorales significantes – por si acaso una de las facciones chavistas ofrece compartir el poder en un intento de legitimación. Cuando las elecciones se lleven a cabo, es improbable que la oposición logre consensuar un candidato de unidad– en particular porque muchos creen que su último abanderado, el gobernador Henrique Capriles Radonski fue demasiado rápido para admitir su derrota en noviembre de 2012.
    No será ninguna sorpresa si las facciones chavistas hacen a un lado sus diferencias para mantener el control del poder. Sin embargo, mientras los diplomáticos estadounidenses no se adelanten a normalizar las relaciones diplomáticas, se tratará de un régimen criminal con un tenue control del poder. Una vez que se exponga el verdadero legado de Chávez – la creación de un estado narco-terrorista con alianzas oscuras – los venezolanos decentes podrán tener la oportunidad de recuperar y reconstruir su país.
    Roger Noriega fue subsecretario de Estado adjunto para asuntos del Hemisferio Occidental y embajador ante la Organización de Estados Americanos en la administración del presidente George W. Bush (2001-2005) y es un investigador visitante en el American Enterprise Institute. Su firma, Visión Américas LLC, representa a clientes estadounidenses y extranjeros.

  246. Chesterton said

    A filha mais velha do presidente de Angola, Isabel dos Santos, de 40 anos, tornou-se a primeira bilionária africana, segundo a revista norte-americana Forbes.

    A publicação, que realizada frequentemente rankings dos maiores bilionários do mundo, afirma que a fortuna da empresária atingiu o valor de ao menos US$ 1 bilhão após a compra de mais ações de empresas de capital aberto em Portugal, incluindo participações em um banco e em uma empresa de TV a cabo (veja aqui o texto original, em inglês).

    No ranking das 40 maiores fortunas da África, divulgado em novembro de 2012 pela revista, ela aparecia na 32ª posição e patrimônio estimado em US$ 500 milhões.

    Isabel estudou engenharia na Kings College, em Londres, onde vivia com sua mãe, que é divorciada do presidente da Angola, José Eduardo dos Santos, no poder há 33 anos. Santos. Ela abriu seu primeiro negócio em 1997, aos 24 anos, um restaurante chamado Miami Beach, em Luanda.

    Em maio de 2012, a empresária aumentou a sua participação na ZON Multimedia, maior companhia de TV a cabo de Portugal, de 4,9% para 14,9%. Mais tarde, ela voltou a aumentar sua participação na companhia através das empresas Kento e Jadeium, e agora detém 28,8% da ZON, no valor de cerca de US$ 385 milhões, segundo os cálculos da Forbes.

    Além de ser a maior acionista da ZON, empresa. A filha do presidente da Angola também é dona de 19,5% do Banco BPI, um dos maiores bancos de capital aberto de Portugal. de capital aberto, o que acrescenta ao seu patrimônio cerca de US$ 465 milhões.

    Em Angola, Isabel dos Santos é membro do conselho do Banco BIC e, segundo a Forbes, teria uma participação de 25% na instituição, no valor de US$ 160 milhões em estimativas conservadoras. Fontes afirmaram à revista que a empresária seria ainda acionista da Unitel, uma das duas redes de telefonia móvel de Angola, com participação de 25%.

    implicante

  247. Chesterton said

    “Hoje podemos ver como erraram feio os que não acreditavam que era possível crescer e distribuir renda. Nesse novo Brasil, aqueles que são sempre do contra estão ficando para trás”.

    Dilma Rousseff,

    chest- tá bom, Dilma, para essa frase ser verdade, só falta uma coisa: crescer!

    Crescimento real só com aumento da PRODUTIVIDADE. No Brasil a economia cresce menos que a população, pelo que entendi a população cresce mais ou menos 1,246% ao ano, se a economia crescer abaixo disto, não cresceu nem para acompanhar o aumento populacional.

  248. Jose Mario HRP said

    “My Gosh”!”
    O drama do PSDB não tem fim!
    Agora ele chora porque as contas de luz vão ficar mais baratas!
    Diz que isso é inconstitucional, onde é que se viu abaixar tarifas e taxas?
    Quem pensa que é essa presidente , que ousa retirar peso das costas do trabalhador?
    Chamem os militares!
    Desculpem a brincadeira mas é hilário o esperneio do pSDB!
    “TÔ” imaginando o Roberto Freire rosnando contra a Dilma!

  249. Pax said

    Pegando o gancho do comentário do caro HRP:

    O PSDB entra na campanha de 2014 da mesma forma que entrou na campanha de 2010.

    1 – rachado – hoje tem notícia que Serra quer prévias enquanto FHC e Sérgio Guerra já anunciaram que seria a vez de Aécio. E não tenham dúvidas que Alckmin vai jogar contra o Aécio também.

    2 – sem programa, sem discurso (digam-me um só que discutimos aqui)

    3 – com uma única pauta que são os ataques ao governo (muitas delas bola fora total, como essa nota agora do Sergio Guerra reclamando do pronunciamento de Dilma que a grande maioria aplaude – ouvindo aqui a Band News e o editorial elogiou um bocado)

    Dessa forma vai tomar uma paulada de dar pena.

  250. Olá!

    Elias,

    “Quer dizer, então, que os ‘cidadãos normais’ dos EUA compram rifles de assalto e cometem assassinatos?”

    Não falei de “cidadãos normais”, mas, sim, de cidadãos comuns.

    O resto do seu comentário é um blá-blá-blá cheio de alucinações. Não vale a pena argumentá-lo.

    Até!

    Marcelo

  251. Olá!

    Elias,

    “Marcelo Augusto,

    Já eu te acho engraçado pra caramba!

    Hilário!

    É só eu ler teu nome… Já me dá vontade de rir.

    HUÁ! HUÁ! HUÁ! HUÁ! HUÁ! HUÁ! HUÁ!

    Mas que cara engraçado…

    HUÁ! HUÁ! HUÁ! HUÁ! HUÁ! HUÁ! HUÁ!

    Para, Marcelo! Eu não aguento mais de rir!

    HUÁ! HUÁ! HUÁ! HUÁ! HUÁ! HUÁ! HUÁ!”

    Caramba! Quantos zurros!

    Nossa. . . Isso é. . . muito. . . engraçado. . .

    No mais, não precisa emitir zurros gratuitamente. Sequer mostrei o maço de alfafa.

    Até!

    Marcelo

  252. Pax said

    Caro Edu,

    Respondendo o teu #227, seria melhor ler o que escreve o presidente da EPE hoje.

    Aqui:

    Sem racionamento
    Autor(es): Mauricio T. Tolmasquim
    O Globo – 25/01/2013

    http://clippingmp.planejamento.gov.br/cadastros/noticias/2013/1/25/sem-racionamento

    Agora, pedindo desculpas antecipadas, nem vou responder o teu #229. Me perdoe, mas é tanta incoerência que não dá pra comentar. Seria o mesmo que reclamar que FHC está se metendo nas coisas do PSDB.

    E aqui, meu caro Edu, vou usar uma expressão que conheci quando moleque (faz tempo…), naquela época em que todos experimentavam tudo de alucinógeno que tinha disponível. Pois bem, o conselho que acabei ouvindo claro que não foi de pai, mãe etc, foi na rua quando um amigo comentou comigo quando encontramos um outro conhecido vagando sujo, magro e absolutamente transtornado (acho que de ácido, cogumelo, loló ou algo parecido): “Quem acompanha morcego morre queimado”.

    É isso mesmo. Veja essa cambada que segue as histerias de jornalista vagabundo a serviço dos outros. Acabam falando tanta besteira que perdem argumento, foco, coerência.

    Não esqueça, caro Edu, que “essa cambada” que me refiro não é de um lado só, não. Tem dos dois lados.

  253. Olá!

    Ei, Zbigniew, você ainda não respondeu a pergunta que lhe fiz no outro post. Cadê a resposta, Zbigniew?

    Para refrescar a sua memória, eis, novamente, a pergunta:

    Zbigniew, após eu ter demonstrado (aqui e aqui) para você que aquele artigo do Teothonio dos Santos Júnior não passa de uma fraude intelectual e estatística, você ainda acredita nas informações que estão contidas em tal artigo?

    Dê a resposta aí, Zbigniew.

    Até!

    Marcelo

  254. Pax said

    Aqui uma crítica que parece coerente.

    Se (vejam, SE – a gente desconfia sempre..) esta notícia for correta, Dilma cria um problema que nunca mais terá solução.

    Criar duas vice-presidências e uma porrada de diretorias para abrigar os apaniguados do Kassab?

    Nunca mais reduzirão estes quadros e o peso vai ser carregado para sempre. Afora o que vão fazer por lá. Vindo de quem vem, o tal ex-prefeito, desconfio que boas coisas não serão.

    http://clippingmp.planejamento.gov.br/cadastros/noticias/2013/1/25/dilma-muda-caixa-para-abrigar-aliados-de-kassab

  255. Olá!

    Pax, a presidente Dilma pretende também criar um ministério para abrigar essa galera do PSD. Será o ministério da pequena empresa ou, sei lá, um troço parecido com isso.

    Até!

    Marcelo

  256. Chesterton said

    O problema da oposição não é que ela não tenha um programa de governo, mas sim que o governo não temm programa de governo. Após abandonar o programa histórico petista o governo roubou a agenda semi-neo-liberal do PSDB. Qual a diferença do programa de FHC e do Henrique Meirelles?
    Dilma não tem programa, governa “a la minuta”, arrecada aqui, tapa um buraco ali, quem chia mais alto leva um desconto acolá, desonera temporariamente um imposto mais adiante, enfim, o governo dela é ditado por grupos de pressão, não passa de um balcão de cessão de benesses.
    Como a oposição pode ir contra isto E AINDA ganhar votos?

  257. Pax said

    Caro Elias,

    Como não é atribuição do CNJ dar uma olhada no caso do Lúcio Flávio Pinto? Qual a lógica? Veja esta notícia:

    CNJ afastou juiz do Piauí suspeito de trama com Coêlho
    O Estado de S. Paulo – 25/01/2013

    http://clippingmp.planejamento.gov.br/cadastros/noticias/2013/1/25/cnj-afastou-juiz-do-piaui-suspeito-de-trama-com-coelho

    O CNJ afastou, em 2010, o desembargador do TJ-PI Antonio Peres Parente, autor de decisões envolvendo o pagamento elevadíssimo de danos morais e materiais. No caso, ele é suspeito de conluio com Coêlho, que advogava para uma das partes. Em razão desse suposto acerto, o processo, que envolvia uma dívida de R$ 80 mil, resultou numa condenação por danos morais e materiais de R$ 9 milhões. A empresa alemã Basf teria de pagar esse valor por ter indevidamente protestado o pagamento de títulos de um revendedor. Em outro caso, também julgado por Peres Parente e com Coêlho como advogado, um banco foi condenado a pagar R$ 6 milhões por apreender indevidamente um carro por falta de pagamento.

  258. Pax said

    Caro Chesterton,

    Há um programa e discurso, sim. Se saem ou não deles podemos discutir. Mas vamos lá, a coisa é top down. De um foco principal abrem-se os projetos que devem atender ao tal do foco. Como nas empresas, há sempre um foco: “Nascer e aparecer”, “Capilaridade e/ou crescimento”, “Rentabilidade”, “Perpetuação”. São fases naturais de uma empresa que sabe se planejar estrategicamente.

    Nos governos a coisa muda, mas não muito:

    – Inclusão social
    – Acabar com a miséria
    – Crescer e distribuir renda
    etc
    etc

    São posicionamentos, visões que acabam em assinaturas da marca do tal governo. Assim como empresas tem marcas que tem assinaturas, governos fazem a mesma coisa.

    Lembre de algumas:

    Brasil: Um País de Todos – Lula
    Brasil sem Miséria – Dilma

    E agora pare, pense e me diga: qual é o foco do PSDB? Do DEM? Do PPS?

    Pois bem, são estes os principais componentes da atual oposição.

    Sacou?

  259. Patriarca da Paciência said

    http://blogdoonipresente.blogspot.com.br/2013/01/pronunciamento-de-requiao-em-favor-de.html?)

  260. Patriarca da Paciência said

    Aqui o vídeo está melhor. No link acima parece ter problemas:

  261. Elias said

    Pax,

    1 – O CNJ tem feito isso que tu destacaste, sim. Coisas assim é que eu chamo de “bons serviços prestados ao país”. Mas, pra fazer isso, o CNJ tem se valido de uma interpretação, digamos, elástica das atribuições que lhe são conferidas constitucionalmente, como se pode facilmente perceber, pela leitura do trecho da EC que transcrevi acima. Daí as recorrentes acusações de que o CNJ vem, sistematicamente, exorbitando de suas funções, já que não lhe compete poder judicante.

    O pior de tudo, é que essas “exorbitâncias” têm sido socialmente necessárias e, por isso, desejáveis.

    É aí que está o problema a que me refiro: quando se torna necessário recorrer a ilegalidades pra corrigir injustiças, é porque a coisa tá muito doente, né?

    2 – A Dilma começou a tricotar a estratégia eleitoral pra 2014. E isso implicará, evidentemente, abrir portas do campo em que ela está e fechar portas pro campo adversário. O apoio do PMDB deve ser sempre ponderado, porque esse partido diz uma coisa em Brasília e faz outra nos estados. Em 2010, p.ex., o PMDB estava de mala e cuia na campanha do PSDB, em vários Estados, tentando — e, em alguns casos, conseguindo –, garfar pra si mesmo o melhor de dois mundos: fazer parte da “base aliada” do PT no governo federal, e da “base aliada” do PSDB no governo estadual. A tendência, agora, será forçar uma definição. O PSD faz parte disso.

    3 – A galera “liberal” do PolíricAética deve estar “boca de abiu” com o PSD, cujo surgimento foi causa de muitos fogos de artifício nas caixas de comentários deste botequim, lembra?

    Eu até registrei meu estranhamento acerca de um discurso pretensamente “liberal”, estar sendo usado pra justificar ideologicamente um partido “social democrata”.

    Mas era só a velha história: “Mais vale um pássaro na mão do que água mole em pedra dura”. Ou será: “Água mole em pedra dura, tanto fura até que bate”? Não? Seria: “Devagar se vai à casa do ferreiro”?

    4 – O desmembramento das áreas de habitação e saneamento na CEF já vem tarde. A carteira esteve em expansãpo contínua ao longo dos últimos 8 ou 10 anos e, isoladamente, já é maior que muito banco que há por aí. Além disso, hoje, as operações na área de habitação são mais intensas com a iniciativa privada, enquanto que as de saneamento envolvem mais o Poder Público. Por conta da legislação vigente, os procedimentos são completamente diferentes.

    Dilma tá matando uma porção de coelhos com uma só paulada (principalmente se lembrarmos o tricô…).

    Claro que a oposição vai chiar. Ela tem que chiar. Está sentido o garrote apertando o pescoço, e sabe que tem que chiar, pra ser se arranca alguma coisas dessa chiadeira.

    5 – Então o governo Dilma não tem programa? Dilma deve orar todas as noites, pedindo a Deus que a oposição realmente pense assim…

  262. Zbigniew said

    Certo, Marcelo. O cara MENTIU sobre a questão da inflação no governo FHC.
    Mas… Você não refutou o resto do texto.
    Aliás, visto por um outro ângulo, pelo que ocorreu no final do governo éfeagáciano peéssedebista, numa questão de proporcionalidade, poderíamos dizer que a inflação teve efeitos devastadores sobre uma população cujo salário mínimo não guardava um poder de compra digno (até porque ela estava em patamares altos, se comparados com os atuais), bem como submetida a um índice de desemprego bem maior que o atual. Em suma o autor do texto, embora MENTINDO em relação à questão inflacionária (mas não tão distante assim se formos levar em conta os efeitos sobre a população), soube descrever bem o DESASTRE que foi o governo FHC, em expecial pelo seu período final.
    Aliás, gostaria de saber qual tua opinião sobre o sistema elétrico daquela época. Parece que o teu governo tinha uma dependência excessiva dos humores de São Pedro, não?

  263. Zbigniew said

    Edu,
    Tu não reclamavas de reformas estruturais?
    Dá uma olhadinha no vídeo do Requião que o Patriarca postou aqui e vê o que é reforma estrutural. Tá na hora do Brasil pensar grande.

  264. Elias said

    Onde está:

    “pra ser se arranca alguma coisas dessa chiadeira.”

    Leia-se:

    “pra VER se arranca alguma coisas dessa chiadeira.”

    Putz.

    Marcelo,

    Então não são os “cidadãos normais” que matam com rifles de assalto.

    São os “cidadãos comuns”.

    E os “cidadãos incomuns”?

    Já sei: os “cidadãos incomuns” são como os anormais. Trabalham, têm mulher & filho & tralha e tal, vão à igreja aos domingos, fazem churrasco, votam no partido Democrata ou no Republicano e, sobretudo, NÃO MATAM NINGUÉM.

    Só não entendi porque os “cidadãos incomuns” gostam de comprar bazucas e canhões anti-aéreos… Ou será que quem faz isso são os “cidadãos anormais”?

    Mas não é comum que os incomuns sejam anormais?

  265. Pax said

    Caro Elias,

    A discussão sobre os papéis do CNJ chegaram ao plenário do STF ano passado. Lembra?

    Queriam fritar a Eliana Calmon.

    E qual foi a decisão do plenário?

    Que o CNJ poderia, sim, investigar as excelências.

    Então, meu amigo, se há uma decisão do STF, onde está a “exorbitância”?

    E que ponham logo o CNJ em cima de quem está acobertando os Maiorama, pelo que tudo indica.

    Pô.

  266. Chesterton said

    Pax 258, v. confunde slogan e marketing com Programa de Governo (que é exatamente como chegar lá). Até agora o que se viu foi ampla distribuição de dinheiro, bolsas, direitos, com nenhum resultado permanente, estrutural, sustentavel de verdade. É só tira de um para dar a outro. Ora, isso não é um programa de governo , é atender a grupos de pressão.

  267. Chesterton said

    Sei que não vai gostar, Pax, mas essa surra tem que ficar registrada aqui

    Sustentabilidade e anticonsumismo são faces de um moderno autoritarismo, com tendência fascistizante. Ou: O que faria Tio Rei entre Dilma e Marina, além de lamentar?
    Recebi um texto de um leitor chamado Fernando Rolim. Ele diz apreciar a minha honestidade intelectual e escreve um arrazoado sobre a Alana — aquela entidade que quer estuprar a Constituição para proibir a publicidade, no estado de São Paulo, de produtos “pobres em nutrientes e com alto teor de açúcar, gorduras saturadas ou sódio”. Também quer tornar ilegal o Kinder Ovo porque traz dentro um brinquedinho… Tudo isso incentivaria o consumismo nas crianças. Já publiquei três textos a respeito. O Rolim manda um libelo em defesa da Alana para, segundo entendi, testar a minha honestidade intelectual. Abaixo, reproduzo seu texto em vermelho e respondo em azul. E teço algumas considerações.

    Vamos lá Reinaldo. Aprecio sua honestidade intelectual e a defesa que faz dela. É preciso sua coerência agora.
    Vamos lá, Rolim.

    Não tenho procuração da Alana, não conheço seus fomentadores e estive apenas uma única vez em sua sede para tratar de um futuro projeto dela, ligado à Síndrome de Down ( um projeto não eugênico, como a maioria que recebe as maiores verbas). Conheci alguns dos executivos e funcionários que me apresentaram por alto os demais projetos subvencionados; gostei do que vi e do que li no farto material que me forneceram.
    Ótimo! Eu não gostei nem do que li nem do que vi. E gostei menos ainda quando percebi que uma ONG faz pressão para que um governador de Estado desrespeite a Constituição. Suponho que exista por lá assessoria jurídica para informar que a competência para legislar sobre publicidade é federal. Os dois projetos de lei aprovados na Assembleia Legislativa de São Paulo são inconstitucionais. Quanto à Alana, dizer o quê? Ninguém chama Frei Betto como conselheiro se tem apreço pela democracia. É uma questão de fato, não de gosto.

    Feitas essas observações preliminares que candidamente expõem a inexistência de qualquer vínculo de interesses com a Alana, gostaria que você considerasse:

    1. querer bem e patrocinar boas causas é louvável e direito legítimo de qualquer um; misturar isso com outros atos, atitudes ou condições pessoais desses patronos, por mais incoerente que possa parecer, é desonestidade intelectual;
    Como discordar da primeira parte da sua observação, não é, Rolim? Quanto à segunda, aí a desonestidade intelectual, lamento!, é sua. O mínimo que se pode exigir é que as pessoas vivam conforme as regras que querem IMPOR aos outros. Nesse caso, as “condições pessoais” dos patronos fazem toda diferença, sim! Tivemos, claro!, o caso notório de Engels, o milionário, que usava a sua fortuna pessoal para financiar Marx, enquanto este massacrava os furúnculos do traseiro e imaginava o sistema que resultaria no maior morticínio em massa da história da humanidade. Naquele caso, vá lá, era evidente que Engels vislumbrava mesmo o fim do capitalismo. No caso em espécie, parece que o que incomoda o capitalismo… alheio.

    2. se quiser criticar a causa patrocinada, faça-o baseado em fatos e nos seus valores, não no nome ou sobrenome de quem a defende;
    Não seja intelectualmente desonesto! Para mim, pouco importa o sobrenome. Importa é o que efetivamente se pratica. Se não se pode vender biscoito de chocolate para crianças, por que elas podem ser estrelas de comerciais de bancos? Responda você! Aí pouco me importa se o sobrenome do sujeito é Rolim, Villela, Azevedo, Montecchio ou Capuleto… Aí, sr. Rolim, há que se fazer como recomendou Julieta: “Despreza o pai, despoja-te do nome…”. O que não é possível é acender uma vela para aquele que se considera o capeta e querer mandar para a fogueira os outros, que estariam sob o comando do diabo, entendeu? Eu não acho nem o capitalismo nem a liberdade de expressão um pecado. A Alana é que parece achar — ao menos aquele praticado pelos outros. Repudio o que pensava Trotsky, por exemplo, mas lhe reconheço uma honestidade necessária. Quando decidiu que era mesmo um socialista, abandonou a casa do pai latifundiário e foi morar num casebre, junto com um jardineiro. A questão não é de sobrenome, mas de coerência.

    3. como uma família pode ser o maior acionista individual? família não é indivíduo e os indivíduos mencionados, se de fato são acionistas, o seu post não o quantificou;
    Você entendeu direitinho o que escrevi. Quanto aos detalhes, vá ao Google.

    4. em qualquer empresa, não se confunde a pessoa física com a pessoa jurídica; propriedade e controle (controle esse que define a gestão e o poder de mando) não se misturam. Seu post também não informa se esses supostos acionistas têm algum conselheiro ou administrador eleito ou mesmo se participam do bloco de controle ou ainda se têm assinado algum acordo de acionistas que viesse torna-los responsáveis pela publicidade e pelo marketing do Banco;
    Procure e verá que têm. De toda sorte, para os propósitos do meu texto, continuaria irrelevante, uma vez que a Alana, que defende as criancinhas, poderia submeter também as publicidades a que me referi a um exame, não? Ou será que o “consumo consciente” só se aplica à indústria de alimentos e brinquedos?

    5. as empresas de Cubatão, responsáveis décadas atrás pelo ar mais poluído do mundo, patrocinaram o maior exemplo de recuperação ambiental já visto, sem abrir mão da produção… Desonestidade intelectual?
    A desonestidade intelectual está no seu exemplo, que absolutamente não se aplica ao caso. Eu sou favorável a que todas as empresas procurem poluir o mínimo possível. O que uma coisa tem a ver com outra?

    6. você consegue enxergar o liberalismo que defende sem os Bancos exercendo o exato papel atual?
    Epa! Você me parecia, até aqui, um leitor um pouco mais atento. Você acha mesmo que eu critiquei os bancos ou que considerei desonestas as propagandas do Itaú? Problema de interpretação de texto, rapaz! Eu acho aquelas peças excelentes! Não vejo nada de errado com elas. Como não vejo, com uma exceção aqui e outra ali, nada de errado com a publicidade da indústria de alimentos.

    Agora vamos ao mérito da causa, ou causas, patrocinadas pela Alana, mesmo com o meu raso (porém informado) conhecimento sobre algumas delas e suas práticas:
    Como diria Marquês de Sade, não se faça de inocente (ele usava outra expressão…), Rolim. O vocabulário do seu texto denuncia — ou melhor, anuncia — as suas preocupações.

    1. o consumismo é, por definição, o desvirtuamento do consumo; significa comprar ou utilizar mais recursos do que se pode ou se precisa e, portanto, é condenado pela sustentabilidade, pois mais cedo ou mais tarde comprometerá o futuro (a conta bancária devedora, a falta de recursos na velhice, do ponto de vista pessoal ou a falta de água, petróleo ou qualquer outro recurso natural para as gerações futuras);
    Sei… E, por isso, surgiram os bons samaritanos da sustentabilidade. Como eles confiam pouco na educação, decidiram que o melhor caminho é mesmo proibir, cassar dos indivíduos o livre-arbítrio, decidir em seu lugar. Existe um mal muito mais grave do que o consumismo: o autoritarismo. Não há perigo, Rolim, de a gente se entender nesse caso. Alguns profetas da sustentabilidade, hoje em dia, são o que de mais próximo temos do fascismo.

    2. combater o consumismo, portanto, é bom em si; se for o consumismo infantil, melhor ainda, pois evita o vício prematuro e de gente (crianças) com o poder de escolha limitado; esperar dos pais que lhes coloquem uma burka ou os exclua de suas tribos é pouco razoável, porque impossível;
    O que faz esse “portanto” no seu texto? Você acha que provou alguma coisa? Como??? “Combater o consumismo é bom em si?” Isso quer dizer que não importam os meios? É por isso que a Alana cobra que o governador Geraldo Alckmin rasgue a Constituição? Para nos salvar do consumismo?

    Entendi. Você é do exército da “sustentabilidade”. E, definitivamente, essa causa é mais autoritária do que parece. Seu texto o evidencia. Como vocês não confiam na capacidade que têm os país de educar os seus filhos; como fica difícil excluir as crianças de sua “tribo”, então devemos apelar ao Estado que use a sua mão forte para salvar os infantes! Afinal, o “consumismo” é um mal em si… Entregaremos aos militantes dessa causa o nosso destino e o nosso futuro. Eles conhecem as coisas “boas em si”.

    3. qualquer menino quer a chuteira igual do amigo que é igual a do Neymar e não interessa se original ou genérica, se comprada no shopping center mais caro ou no camelô da periferia;
    E daí? O que há de errado nisso? É pecado querer a chuteira do Neymar? No seu mundo ideal, Rolim, o estado — ou um Conselho de Sábios da Alana — vai definir as necessidades das crianças? Vamos constituir o Comitê de Salvação Pública para impor o “consumo consciente”? Quem será o Robespierre? Quem será o Marat? Quem vai entrar com as cabeças?

    4. combater a obesidade infantil e a alimentação saudável é garantir qualidade de vida, a longevidade e a reducão do custo da assistência médica futura;
    Relevo a sua confusão. Creio que você quis escrever “combater a obesidade infantil” e “defender a alimentação saudável”. Digamos que eu concorde com a premissa. Não se pode fazer isso respeitando a Constituição e a democracia? Acho que sim! Todos os regimes de força se impuseram, rapaz, alegando bons propósitos. Quem disse que vocês — desculpe-me: os que você defende — detêm o monopólio das soluções?

    Vejam o caso de Marina Silva, a beata da sustentabilidade… Os amigos da natureza tanto pressionaram que, para preservar alguns quilômetros quadrados de mata — irrelevantes quando se considera o conjunto —, as hidrelétricas passaram a funcionar a fio d’água, sem reservatório. Para compensar essa concessão estúpida feita aos ecochatos, o Brasil precisa ligar a toda potência dezenas de usinas termelétricas, que são poluidoras, a um custo quase dez vezes maior. Tudo porque existem as causas “boas em si”…

    Devagar aí, rapaz! A turma da “sustentabilidade” não é salvadora da humanidade, não! E ninguém lhes delegou poder para pôr fim à democracia.

    5. combater a fome mundial através da redução do desperdício das sociedades afluentes e da consciência sobre isso é desnivelar as diferenças sem tirar dos que já têm;
    Isso é um fundamento moral bacaninha, que não tem a menor importância na escala econômica. Desculpe-me: é puro delírio. A cada vez que leio que a comida que se joga fora nos restaurantes daria para alimentar não sei quantos, sinto uma enorme preguiça. E até entendo como nasce essa conversa mole. A turma da sustentabilidade quer acabar com a fome, mas também é contra o agronegócio, né?, que produz comida barata. Quando se aponta a contradição, surge a resposta mágica: “Vamos acabar com o desperdício! Os países ricos têm de consumir menos!”. Claro, claro… E têm de gerar menos empregos, consumir menos matéria-prima e… matar de fome os países pobres — uma consequência óbvia desses nobres princípios moais. De resto, nem sei o que isso tudo tem a ver com o caso original: violar a Constituição! Era esse o tema do meu texto original.

    6. você consegue enxergar o liberalismo que defende sem progresso social, melhoria da qualidade de vida e a agência dos indivíduos empenhando recursos pessoais para o bem comum?
    Não, Rolim, porque você e os seus não são as únicas pessoas boas no mundo. Também sou bom. E louvo que os indivíduos gastem seu dinheiro para o bem comum. Mas não precisamos tirar dos indivíduos o direito de escolha porque, afinal, estamos empenhados em protegê-los.

    Espero que a sua intransigente honestidade intelectual volte a ser sua principal ferramenta de polemista.
    Rolim, eu já vivi o bastante para não cair nesse tipo de truque. Pelo visto, você aprecia a minha “honestidade intelectual” quando concorda comigo e acha que sou desonesto quando discorda. Ou por outra: não é a “minha” honestidade intelectual que você aprecia, mas aquela que considera ser a sua. Você se tem, pois, como “a” referência da honestidade intelectual.

    Seu texto é um bom exemplo do que tenho percebido nesses novos “amigos da humanidade”, os tais defensores da “sustentabilidade”. A exemplo dos “socialistas” do passado, eles julgam ter uma causa altruísta, uma verdadeira chave para o bem-estar permanente da humanidade.

    Ocorre que o homem, vocês sabem, é dado ao egoísmo e coisa e tal. Uma crítica de Stálin, referindo-se ao bigodudo, afirmou: “Eles sabia que não se faziam omeletes sem quebrar ovos”. Assim é a Alana. Assim são esses novos utopistas. Se é para defender a natureza, se é para combater o consumismo, se é para o bem geral da humanidade, que mal há em ser um pouquinho autoritário?

    Essa gente tem uma espécie de compulsão para o que considera “pureza” que, lamento, lembra algumas práticas fascistas. Ora, querem se organizar para pregar o boicote aos biscoitos, aos sorvetes, aos refrigerantes e aos brindes? Que o façam! Por que precisam impor ao conjunto das pessoas as suas mesmas preocupações, considerações e preconceitos? Ah, porque existem as causas que são “boas em si”, a exemplo das usinas a fio d’água, que resultam na poluição das termelétricas.

    Eu odeio e repudio todas as misérias humanas, viu, Rolim!? Mas aprecio a humanidade com as suas imperfeições. A história nos prova que os reformadores de homens são muito mais perigosos do que alguns homens tortos.

    Encerro com uma outra provocação: se, um dia, o destino cometesse a maldade de me deixar entre Dilma Rousseff e Marina Silva, a minha primeira disposição seria anular o voto. Se, no entanto, houvesse o risco real de Marina vencer, eu taparia o nariz das minhas convicções e votaria em Dilma. Sabem por quê? Porque ao menos eu estaria combatendo um autoritarismo que é deste mundo… Prefiro enfrentar a estupidez ao irracionalismo militante.

    Por Reinaldo Azevedo

  268. Pax said

    Caro Chesterton,

    Até que idade você vai seguir esta “igreja Jim Jones”?

    A turma que está pensando a estratégia de campanha da Dilma em 2014 deve estar babando de alegria sabendo que o “pastor” estará ao lado de Aécio.

    E numa torcida danada para que Malafaia entre logo nas fileiras do mineiro.

    Vai ser uma farra, de novo. Sumanta de pau.

  269. Pax said

    Não precisa dizer mais nada.

    Dep. Efraim Filho ‏@efraimfilho
    Democratas reunidos p o almoço em Jpa: Rodrigo Maia, Efraim, Ronaldo Caiado, Mendonça Filho e Major Fábio. N http://instagr.am/p/U6Gxy-BBFH/

    Os caras vão de Efraim, Caiado, Major sei lá o quê…

    De novo, os estrategistas do PT devem estar dando pulos de alegria.

  270. Zbigniew said

    É a oposição que todo governo sonha. E a mídia partidarizada tá indo no mesmo barco.
    Eu acho que a Dilma pensa assim: pra quê Ley dos Médios se a grande imprensa brasileira está se desmoralizando cada vez mais a cada dia.
    E o Lula dando corda pra eles se enforcarem.

  271. Elias said

    I
    Pax,
    Dá uma olhada na Constituição, na parte que transcrevi acima.

    O CNJ não é uma CORREGEDORIA à qual sejam, de de ofício, submetidas as decisões judiciais.

    Também não é uma CORTE DE APELAÇÃO à qual possa recorrer o cidadão que se sinta prejudicado por uma decisão judicial. Aliás, o CNJ, sendo “conselho”, não é “tribunal”. Ou seja, nem é “corte”, quanto mais “corte de apelação”.

    Nesse território, as iniciativas do CNJ não são de ofício nem provocadas pela parte supostamente prejudicadas. Em consequência, decorrem, necessariamente, de “ato de império”.

    Vale dizer: tremenda distorção do próprio conceito de justiça.

    Decisão do STF? Ora…

    Por uma questão de insatisfação, de inconformidade, por sabermos que o Judiciário brasileiro está corrompido até à medula, roído por dentro, os cidadãos de bem aplaudem a maior parte das interferências do CNJ, mesmo sabendo-as exorbitantes.

    Ou seja, aplaude-se como medidas de exceção, lamentáveis por serem de exceção, porém dignas de aplauso por serem socialmente úteis e necessárias.

    Agora, daí a achar que essas interferências são “constitucionais”, vai uma enorme distância, pelo menos para os cidadãos alfabetizados, que se deram ao trabalho de ler o texto atual da Constituição Federal, na parte pertinente.

    De qualquer modo a decisão do STF sobre o CNJ — descontados seus propósitos evidentemente demagógicos — foi das melhores que aquela depreciada Corte já pariu, nos últimos anos. Aliás, das poucas dignas de algum elogio, malgrado seu conteúdo evidentemente demagógico (e estranhíssimo, aliás, porque devolve a bola ao gramado como se ele próprio, o STF, não fizesse parte do jogo…).

    Agora, se formos debater o assunto seriamente, falaremos num mecanismo corregedor e de apelação ao qual o cidadão tenha livre acesso, nos casos em que se sinta prejudicado por sentenças eventualmente injustas, sem que seja necessário subir instâncias. O cidadão não ficaria, portanto, dependente do voluntarismo de um ato de império. Ele teria direito a acionar o mecanismo de correição e apelação.

    A correição, por ser correição, não se limitaria a reformar ou cancelar sentenças, mas, também, apurar e punir o juiz, se restasse provado que ele sentenciou de má fé, ou em causa própria, ou em benefício de interesses seus ou interesses ilegítimos de terceiros, etc.

    Numa correição, não se modifica ou cancela uma decisão por se discordar dela, mas sim porque ela está errada, está viciada ou é desonesta. Não é, simplesmente, estabelecer “um outro olhar”, de uma outra instância decisória. É estabelecer o olhar que deveria ter prevalecido originalmente, na decisão objeto da correição (daí porque, havendo dolo, a correição deve afunilar no sentido de uma punição, cumpridos os requisitos legais que isso implica).

    Sentiu a barra?

    II
    “…as empresas de Cubatão, responsáveis décadas atrás pelo ar mais poluído do mundo, patrocinaram o maior exemplo de recuperação ambiental já visto…” (RA, citado por vocês sabem quem…)

    Verdade…

    Tem a recuperação ambiental do Tâmisa, mas… O que é o Tâmisa, diante de Cubatão, esse prodígio da responsabilidade social verde e amarela?

    E foi isso mesmo! As empresas de Cubatão “patrocinaram” a recuperação ambiental!

    Viram como elas são boazinhas?

    As mudanças nas NRs não tiveram nada a ver com isso. A instituição do PCMSO e do PPRA não teve lhufas a ver com nada. O porrilhão de multas aplicadas nas empresas de Cubatão, pelo não cumnprimento das novas regras, também não teve nada a ver com o que aconteceu depois. Assim como nada tiveram a ver os incentivos fiscais e creditícios.

    Elas passaram a colocar filtros nas chaminés não porque isso passou a ser obrigatório, implicando multas progressivamente maiores em quem não os instalasse.

    Elas passaram a colocar filtros nas chaminés porque elas são boazinhas. São socialmente responsáveis.

    A mudança das regras do SAT, transferindo para as empresas o ônus dos acidentes do trabalho e patologias ocupacionais liqjuidadas em até 15 dias da data de ocorrência também não teve nada a ver…

    Esse rejeito da Convergência Socialista não tem o menor respeito pela inteligência dos leitores dele.

    E, aparentemente, ele tem toda a razão em fazer isso…

  272. Otto said

    Não deixem de assistir:

  273. Chesterton said

    Até que idade você vai seguir esta “igreja Jim Jones”?

    chest- na igreja da razão, sou candidato a pastor.

  274. Chesterton said

    A tradição cristã atribui ao primeiro homem a responsabilidade sobre a concretização do pecado e, como conseqüência, a expulsão do paraíso.
    Se não fosse pela curiosidade de Adão, atiçada por Eva, jamais conheceríamos o pecado ou tudo que ele representa: sofrimento, angústia, dor. Mas por que retornar à origem da humanidade? Porque ironicamente Adão é o nome do mais novo bode expiatório da Saúde Pública brasileira, o inimigo público número 1.
    Para os que ainda não captaram vou resumir: na véspera do Natal uma menina foi vítima de uma bala perdida que atingiu sua cabeça, foi levada ao Hospital Municipal Salgado Filho, onde foi diagnosticada a lesão, mas o neurocirurgião escalado não comparecera ao plantão, faltou. A menina ficou aguardando na unidade pela chegada do especialista da equipe seguinte, perdeu-se 8 horas em um paciente com lesão neurológica.
    O caso ganhou a imprensa e todos os dedos apontam para o Dr. Adão, como podemos observar pelas manchetes de hoje: “Morre a menina que ficou oito horas esperando atendimento”, “Diagnosticada morte cerebral de menina vítima de médico que faltou o plantão”. Enquanto a opinião pública se dá por satisfeita por ter encontrado o culpado, vejo neste caso claramente o jogo dos sete erros da Saúde Pública, a saber:

    1. O próprio Dr. Adão que se expôs a este tipo de situação ao optar por faltar ao plantão errou gravemente. Observe-se, no entanto que ele não infringiu a lei, apenas exerceu o direito de qualquer empregado: faltar. Um empregado pode faltar ao emprego quando quiser, haja vista que por ocasião da disputa do título mundial de futebol pelo Corinthians diversas pessoas foram entrevistadas afirmando que faltariam o emprego para acompanhar o time do coração (o curioso é que em nenhum destes casos a imprensa deu conotação negativa a este comportamento como fez com o neurocirurgião). O empregado que falta está sujeito a diversas conseqüências, aparecer como vilão na imprensa, no meu modo de ver é apenas uma delas.

    2. O chefe do plantão errou de forma ainda mais grave já que sua equipe atendeu um paciente com grave traumatismo cranioencefálico e, na impossibilidade de dar na unidade o tratamento necessário, não solicitou transferência para uma unidade que estivesse apta a este atendimento, aqui podemos ver fortes indícios de omissão ou negligência. A imprensa tem dado tanta atenção à falta do Dr. Adão que não informa se houve a solicitação para a remoção da menina. Se houve o chefe cumpriu com seu dever e jogou a bomba para a central de regulação e para as secretarias municipal e estadual de saúde.

    3. A secretaria municipal de saúde errou ao não cumprir a resolução 100 do CREMERJ que determina a necessidade de 02 neurocirurgiões nos plantões em emergências de grande porte. Esta exigência não é descabida e muito menos corporativista como afirmou o prefeito Eduardo Paes. Imagine que o Dr. Adão estivesse em seu posto no dia 24, que tivesse avaliado a criança e indicado a cirurgia, quem seria seu auxiliar? Teria de operá-la sozinho? E se chegasse outro paciente em condições semelhantes? E se ele passasse mal durante a cirurgia, se enfartasse, quem terminaria o procedimento? O prefeito foi especialmente infeliz ao comentar esta resolução porque disse “… não adianta vir com o papo corporativista que precisa de dois (neurocirurgiões). Não precisa de nada, ele tem de ir ao plantão…” ato falho ele revelou o que pensa sobre os hospitais de emergência sob sua administração “não precisa de nada”. Não é verdade, como podemos observar. Equipes completas são mais eficientes, sofrem menor desgaste e podem atender de forma mais adequada à população. Este é o teor da resolução do Conselho.

    4. O SUS, em sua precária forma de organização, errou porque não é capaz de prestar de forma 100% adequada o atendimento pré-hospitalar, se este atendimento fosse adequado os pais teriam acionado o SAMU, que chegaria rapidamente, daria o primeiro atendimento e levaria a criança a um hospital que pudesse dar-lhe o melhor atendimento. Funciona desta forma em todo o mundo, aqui no Brasil o SAMU é apenas um outdoor do governo, mesmo quando faz o primeiro atendimento de forma ágil não consegue ter um relacionamento minimamente adequado com a rede objetivando a melhor destinação do paciente.

    5. O chefe do serviço de neurocirurgia do Salgado Filho, supostamente avisado previamente da ausência do seu subordinado, por não ter antecipado o problema, ou por não ter resolvido o ocorrido. Se um plantonista falta, o chefe deve ser contactado, e na ausência de um substituto para o faltoso, ele próprio deve assumir o plantão. Existe aí mais um aspecto do caso, como exigir que o chefe tenha tantas responsabilidades sem uma contrapartida à altura? Na maior parte dos serviços públicos a gratificação pela chefia do serviço não atinge R$100,00! Novamente, o setor público não se organiza no macro e nem no micro. As esferas federal, estadual e municipal não se relacionam, os serviços dentro destas unidades não se relacionam e os indivíduos dentro dos serviços não se relacionam. Desta forma, qualquer êxito do sistema de saúde só pode decorrer de duas condições: esforço de um ou de alguns indivíduos, ou mera sorte. Abordar uma menina com um tiro na cabeça é simples, ela precisa ser operada. Mas como fazer com lombalgias (a segunda causa mais freqüente de absenteísmo ao trabalho nos EUA)? E os tumores, aneurismas e demais patologias neurocirúrgicas de caráter eletivo? Apenas com redes de atendimento coordenadas e integradas é possível garantir o atendimento de todos, entretanto, até o momento não há vestígio deste tipo de organização no sistema de saúde fluminense.

    6. Errou a secretaria de segurança que permite que pessoas tenham e utilizem armas de grosso calibre e que até o momento não apresentou o responsável pelo disparo. O que matou a menina não foi à falta do Dr. Adão, ele poderia mesmo tê-la operado e o desfecho ser trágico, como foi, não temos garantias, a lesão inicial já era suficientemente grave. Claro que o atraso no atendimento não ajudou, mas a lesão inicial foi decorrente da violência de nossa cidade, haja vista que mais 04 foram vitimados somente nos últimos dias, sem a participação do Dr. Adão. Até o momento nenhum responsável foi apresentado. Vivemos numa cidade violenta, que dá pouco valor a vida alheia e permeada pela ineficiência policial e pela certeza da impunidade.

    7. A imprensa, por fim, tem de penitenciar-se por seus erros. Ao abordar o caso se rendeu a idéia que o Dr. Adão é o inimigo público número 1. Não é, embora o seu ato tenha suscitado este tipo de raciocínio e ele certamente está pagando por sua escolha, e certamente será julgado por seus atos, mas enquanto ele é crucificado sozinho, no melhor estilo boi de piranha, o restante da boiada de responsáveis está passando incólume, alguns até, como o prefeito, com voz ativa na mídia para desferir impropérios contra o doutor, desviando a atenção da sua omissão diante da resolução 100 do CREMERJ. O próprio conselho, associado ou não ao sindicato dos médicos, teve em 2012 diversas ações em defesa da medicina pública, alertando para os riscos envolvidos na terceirização do atendimento, que no entender do STF é ilegal, e na carência de profissionais na rede.

    Raramente a imprensa repercutiu estas ações, mas sempre deu grande espaço as versões oficiais, mesmo quando elas não tinham respaldo na realidade, como no caso em questão. Eu não vi, em nenhum momento, a imprensa confrontar o prefeito e sua secretaria de saúde pelo não cumprimento de uma resolução do CREMERJ que tem força de lei (o conselho é uma sucursal de uma autarquia federal cujo objetivo é regulamentar a atividade médica).
    Assim, não sei se de forma deliberada, ou meramente por uma miopia do seu papel, a imprensa tem se comportado como “chapa branca”, um púlpito onde os governantes discursam, mas nunca dialogam. Ainda ontem o jornalista Elio Gaspari faz referência ao Dr. Ribeiro Neto, que se lamentou por não ter recorrido à imprensa para denunciar o desmonte da saúde pública. A dúvida que temos hoje, é se há voz para os que querem discordar do governo ou se todos são colocados no balaio de golpistas, corporativistas, vagabundos, delinqüentes, etc. Desde o ano passado tenho observado uma série de colegas buscando a imprensa para denunciar o que vive em seus cotidianos de médicos de unidades públicas, especialmente federais, mas os resultados em relação a publicação ou repercussão é desanimador.
    Sou médico, funcionário público federal, mas já atuei em todas as esferas. Sou filho de médico, também funcionário público, hoje aposentado (recebendo o miserável salário de menos de R$2.000,00 após ter dedicado 33 anos ao serviço público estadual). Procuro executar minhas tarefas dentro dos meus compromissos éticos e profissionais, não tenho nem de longe o brilho de um Ribeiro Neto, por isso mesmo não tem a ilusão de que isto venha a ser publicado.
    Compreendo a revolta das pessoas diante de casos como o de Adrielly, mas não posso suportar generalizações e declarações referindo-se aos médicos como “máfia de jaleco”, que ouvi na imprensa me motivaram a escrever esta carta.
    Temos maus médicos, maus carteiros, maus policiais, maus jornalistas, etc. Até mesmo bons profissionais estão sujeitos a maus passos e devem assumir suas responsabilidades, mas condenar uma maioria de bons profissionais por erros alheios e eximir de culpa os co-autores do delito é inaceitável.
    Sou médico, como já disse não me sinto especial por isso. Escolhi minha profissão como todo mundo, e a executo como todo mundo, procurando fazer o melhor possível, às vezes eu consigo, às vezes não, como todo mundo. Mas não economizo meu esforço.
    Conheço muitos colegas que compartilham desta conduta, por isso, só por isso exijo respeito a minha profissão, não somos vilões e nem mocinhos, não salvamos e não matamos, só trabalhamos, cuidamos, ajudamos, nada que qualquer outro profissional não faça. Solicito somente que casos isolados sejam tratados conforme sua individualidade.
    Milhões de pessoas são atendidos pela rede pública de saúde, pelo menos alguns dependem quase que exclusivamente dos esforços de profissionais, médicos ou não, e nenhuma linha é publicada, nenhuma generalização é feita. Respeitem-nos, não somos santos nem demônios, somos apenas médicos.
    Adão, afinal, não nos deu apenas o pecado, mas ao originar Eva, deu-nos toda a dimensão da humanidade, da diversidade e do amor.

    Atenciosamente, Alberto Vieira Pantoja

  275. Zbigniew said

    Mother Fuck!

    Quer dizer que o Governador do Estado de São Paulo e o seu secretário estão putos da vida com a Dilma por causa dos acionistas da CESP como o HSBC, a UBS, o Credit Suisse e aqueles que negociam os papéis da empresa em Bolsa?
    E o governador tem empresa intermediadora?!
    Hummmmmmm…. Muito estranho…..

  276. Chesterton said

    Cuba devolve propriedades da Igreja Católica nacionalizadas em 1961
    Em Havana 25/01/201315h09

    Autoridades da província de Granma, no sudeste de Cuba, devolveram à Igreja Católica dois edifícios e um terreno, como parte de uma política do presidente Raúl Castro de restituir bens da instituição nacionalizados pelo regime revolucionário em 1961.

    “É um gesto totalmente positivo que a Igreja recebe como muito bem-vindo”, declarou à AFP Alvaro Beyra, bispo da Diocese de Bayamo-Manzanillo, Granma.

    Além da restituição das três propriedades, o governo provincial deu à Igreja um terreno para construir um novo templo.

    chest- ladrão arrependido.

  277. Chesterton said

    Termômetro do mundo…

    http://static.cdn-seekingalpha.com/uploads/2013/1/20/161612-13586971584431152-Tim-Iacono.jpg

    Galinhas pulando direto na assadeira
    JEFFREY NYQUIST

    Por conta de o planejamento econômico ser incompatível com a liberdade, quem quer que proponha uma economia controlada estará propondo uma ditadura, esteja essa pessoa ciente disso ou não.

    Em seu discurso inaugural, Obama está tentando reconciliar duas ideias que são irreconciliáveis.

    No noticiário noturno da NBC, anunciou-se a manchete: “Na segunda cerimônia de posse, Obama faz apelo à base progressista”. Também podemos ler na coluna de Tim Iacono: “Repatriação do ouro alemão e alta nos Fundos de Índice de ações da prata aumentam preços dos metais preciosos”. Na coluna de Iacono, diz-se que “O vai e vem da crise do débito em Washington certamente foi responsável por algumas compras no mercado de metais preciosos na semana passada”. E devemos ficar surpresos? As pessoas estão preocupadas com o valor do papel. Para entender isso, precisa-se apenas considerar as obrigações contratuais de um governo que sustenta mais de cem milhões de seres humanos. Como disse Obama em seu discurso inaugural, “juntos, podemos decidir que uma grande nação deve cuidar dos vulneráveis e proteger seu povo dos piores perigos e infortúnios da vida”.

    Podemos fingir que o presidente estava fazendo referência a algum vago ideal filantrópico. Na verdade, ele estava propondo o que de fato ele acredita ser necessário, isto é, a intervenção governamental na economia. De acordo com Obama, “nós – o povo – entendemos que nosso país não pode ir bem quando um número cada vez menor vai indo cada vez melhor e outro cada vez maior mal consegue se sustentar”. O presidente quer eliminar a “dificuldade” de muitos. “Não acreditamos que neste país a liberdade está reservada para os sortudos ou que a felicidade seja para poucos. Reconhecemos que não importa o quão responsavelmente vivemos nossas vidas, qualquer um de nós a qualquer hora enfrentará a perda de um emprego, um mal súbito ou uma casa destruída em uma terrível tempestade. Os compromissos firmados entre nós, faz, através do Medicare, Medicaid e do Social Security, com que essas coisas não minem nossa iniciativa. Esses compromissos nos dão forças.”

    E mesmo assim estamos aqui, com US$16.5 trilhões em débito – isso só contando o débito do governo federal. Além do mais, o presidente também nos lembrou que uma grande nação deve salvar o planeta. “nós, o povo” disse ele, “ainda acreditamos que nossa obrigação como americanos não é apenas consigo mesmos, mas para com toda a posteridade. Responderemos às grandes ameaças climáticas, sabendo que se falharmos, trairemos nossas crianças e as gerações futuras. Alguns ainda negam o acachapante juízo científico, mas ninguém pode evitar o impacto devastador dos violentos incêndios, das fortes secas e das tempestades cada vez mais poderosas. O caminho rumo às fontes de energia sustentável será longo e, algumas vezes, difícil. Mas a América não pode impedir ou resistir essa transição. Devemos, sim, liderá-la”.

    Sejam quais forem os detalhes dessas abrangentes propostas intervencionistas (e elas são muitas), a ciência econômica ensina que esses efeitos serão negativos; isto é dizer que severas perdas econômicas e financeiras ocorrerão como resultado desses programas. E foi o economista austríaco, Ludwig von Mises explicou isso em seu livro “Liberalismo segundo a tradição clássica” onde ele diz que a intervenção governamental na economia “se revelará, necessariamente, malsucedida”. Não importa se você está salvando corujas ou tentando prevenir o aquecimento global. “A intervenção governamental significa um planejamento elaborado pelo governo com o reforço policial”. Como tal, é uma negação da liberdade, “a antítese do livre empreendimento e da propriedade privada dos meios de produção”. E quando a você é negada a liberdade, sua produtividade é destruída.

    No discurso de posse de Obama está implícito que tal planejamento econômico se tornou necessário por conta das “vulnerabilidades”, do aquecimento global e da desigualdade social. O governo deve intervir com um plano – e conforme Mises enfatizou em seu livro “Governo onipotente” (p. 240), “Planejamento (governamental) e capitalismo são completamente incompatíveis. Dentro de um sistema, a produção é planejada de acordo com as ordens do governo e não de acordo com os planos dos empreendedores capitalistas ávidos em lucrar por meio do melhor serviço oferecido às necessidades do cliente”. Segundo Mises, onde quer que as autoridades governamentais direcionem a economia em qualquer plano, “há ali um planejamento socialista”. Dentro de tal sistema, as empresas capitalistas não são mais livres, mas “subordinadas a órgãos estatais, que são limitados a obedecer”. A essa altura, a liderança governamental adquire aquilo que Mises chama de “o complexo de ditador”.

    Por conta de o planejamento econômico ser incompatível com a liberdade, quem quer que proponha uma economia controlada estará propondo uma ditadura, esteja essa pessoa ciente disso ou não. Tudo o que temos são suas palavras e ações para julgar. Olhando por qualquer perspectiva, o presidente Obama acredita que um planejamento socialismo é necessário em algum grau. Evidentemente ele fala de liberdade e dos princípios fundadores da América, mas esses princípios sempre são contraditos por preocupações sociais e ambientais.

    Em seu discurso inaugural, Obama está tentando reconciliar duas ideias que são irreconciliáveis. Esse é um problema para os nossos políticos e para nossa economia, pois em última análise, precisamos escolher um dos dois caminhos. Não podemos ter liberdade e prosperidade junto com o socialismo. Não dará certo.

    Publicado no Financial Sense.

  278. Otto said

    NOTA DE FALECIMENTO:

    http://www.cartacapital.com.br/politica/nota-de-falecimento/

  279. Elias said

    Otto,

    É isso aí!

    Mas o “jus esperneandi” é legítimo.

    As galinhas não esperneiam quando estão sendo degoladas? Por que a tucanagem não pode fazer o mesmo?

    Agora a Petrobras. A Petrobras… O ajuste no preço dos combustíveis tem que sair agora, no início de 2013, que é pra ser assimilado no sapatinho, pra maior desespero tucano.

    Nada de deixar pra fazer reajuste no final do ano.

    Em 2014, nem pensar… Esse ano deve ficar reservado para as boas notícias.

    No ano que vem o trem tem que rodar su-a-ve-men-te…

    Quanto maior a suavidade do trem, maior o desespero oposicionidiota.

    Vai ser assim, até a canalha aprender que torcer pro “quanto pior, melhor” não ganha jogo, deixar de ser preguiçosa, sentar o rabo numa cadeira e começar a colocar a cabeça pra pensar, se é que ela, a cabeça deles, ainda serve pra isso.

    Aí — quem sabe? — talvez os babões consigam elaborar alguma coisa parecida com um programa de governo, e o país comece a ter a chance de ver um debate político sério e digno desse nome.

    Se os tucanos não começarem a trabalhar, vão acabar perdendo terreno pro PSOL, e a disputa deixará de ser centro equerda X centro esquerda, e passará a ser centro esquerda X esquerda.

    Pensando bem… Não seria melhor assim?

  280. Otto said

    Sem dúvida, mas o PSOL tem que nadar muito chão!

  281. Chesterton said

    Obama vem com tudo para socializar a América…..

  282. Chesterton said

    Parece que finalmente os EUA arrumarão um caudilho populista como resto do hemisfério sempre teve. …não deixa de ter sua graça.

  283. Otto said

    E o Rooselvet, não foi um “populista” também?

  284. Elias said

    Otto,

    Mas o PSDB anda tão de…va…gar…, que vai acabar sendo alcançado e ultrapassado pelo PSOL, montado na carapaça de um jabuti manco.

  285. Otto said

    Elias;

    o PSDB acabou.

    Agora resta saber se o novo partido de oposição vai ser o PSB, o novo partido da Marina ou ainda um outro.

    Nesse meio tempo, o PSOL vai ganhando músculo, vindo pro centro e… virando um novo PT ou um novo PPS…

  286. Olá!

    Zbigniew,

    “[. . .] O cara MENTIU sobre a questão da inflação no governo FHC. [. . .].”

    Pelo menos isso você admite. Mentira ainda é pouco para o que aquele energúmeno econômico e intelectual afirmou, pois, assim como eu fiz, ele também poderia ter ido até o site do Banco Mundial, poderia ter coletado os dados e feito os cálculos para saber quais foram os verdadeiros índices de inflação durante o ano de 1993 e para o período do Governo FHC.

    Isso ele não deve ter feito por uma série de razões mas, sobretudo, pelo fato de que os dados reais iriam contradizer a hipótese tosca dele sobre a inflação.

    “[. . .] Mas… Você não refutou o resto do texto.”

    Se o camarada usou da mentira mais deslavada para justificar os argumentos dele perante uma questão que ele poderia facilmente ter obtido os dados para verificar se o que ele dizia era ou não verdade, você acha mesmo que o resto do texto está livre desse tipo de vício mentiroso?

    “Aliás, visto por um outro ângulo, pelo que ocorreu no final do governo éfeagáciano peéssedebista, numa questão de proporcionalidade, poderíamos dizer que a inflação teve efeitos devastadores sobre uma população cujo salário mínimo não guardava um poder de compra digno (até porque ela estava em patamares altos, se comparados com os atuais), bem como submetida a um índice de desemprego bem maior que o atual. [. . .].”

    Foi como afirmei em um comentário anterior: Pegue os índices inflacionários do 8 anos anteriores ao Governo FHC e compare-os àquilo que o FHC entregou ao Lula em 2003.

    Quer saber quando foi a época quando isso que você descreveu realmente aconteceu? A era hiperinflacionária de 1980-1994. Os planos econômicos dos decanos dos economistas idiotas brasileiros, Maria da Conceição Tavares e Bresser Pereira, só fizeram aprofundar ainda mais essa situação. Nesses tempos, sim, aconteceu isso. A população mais pobre via todos os dias a sua renda ser diminuída pela inflação e não havia nada que essa gente pudesse fazer para buscar proteção monetária, pois essas pessoas não tinham acesso ao sistema financeiro.

    “[. . .] Em suma o autor do texto, embora MENTINDO em relação à questão inflacionária (mas não tão distante assim se formos levar em conta os efeitos sobre a população), soube descrever bem o DESASTRE que foi o governo FHC, em expecial pelo seu período final.”

    Hehehehehe. . . A parte do embora mentindo foi a melhor!! É muito fanatismo. Quem mente, Zbigniew, não merece confiança.

    Caramba, hein? O Governo FHC foi um desastre! Vejam só que desastroso foi tal governo no controle da inflação:

    O FHC pegou o país com o seguinte histórico hiperinflacionário:

    1980 . . . . . . . . N/A . Brazil
    1981 . . . . . 101.72 . Brazil
    1982 . . . . . 100.54 . Brazil
    1983 . . . . . 135.03 . Brazil
    1984 . . . . . 192.12 . Brazil
    1985 . . . . . 225.99 . Brazil
    1986 . . . . . 147.14 . Brazil
    1987 . . . . . 228.34 . Brazil
    1988 . . . . . 629.11 . Brazil
    1989 . . . . 1430.72 . Brazil
    1990 . . . . 2947.73 . Brazil
    1991 . . . . . 432.78 . Brazil
    1992 . . . . . 951.65 . Brazil
    1993 . . . . 1927.98 . Brazil
    1994 . . . . 2075.89 . Brazil

    Média:. . . . . . 768.45

    E entregou ao sucessor dele, em 2003, o seguinte registro inflacionário:

    1995 . . . . . . 66.01 . Brazil
    1996 . . . . . . 15.76 . Brazil
    1997 . . . . . . . 6.93 . Brazil
    1998 . . . . . . . 3.20 . Brazil
    1999 . . . . . . . 4.86 . Brazil
    2000 . . . . . . . 7.04 . Brazil
    2001 . . . . . . . 6.84 . Brazil
    2002 . . . . . . . 8.45 . Brazil

    Média:. . . . . . . 14.89

    Caramba! Que desastroso! Coisa de país civilizado era ter 2000% de inflação ao ano. Aliás, o Lula só perdeu duas eleições consecutivas no primeiro turno por causa da imprensa golpista da época.

    No mais, Zbigniew, procure um economista mais decente para criticar o Governo FHC. Uma pessoa que engana e mente para os seus leitores não merece respeito. Novamente vale ressaltar: Quem mente não merece confiança.

    Zbigniew, os dados são esses. Não procurei mentir e nem mesmo lhe enganar. Uma pessoa pode julgar certa situação a partir de experimentos e de dados reais ou tal pessoa pode, simplesmente, aceitar o argumento mais furado de alguma “autoridade”. Para a mente científica, a prova experimental via dados é o que de fato importa, sendo a teoria uma mera formalidade que é conveniente na descrição de um determinado fenômeno. No entanto, para a mente de um fanático, a autoridade, por mais fraudulenta e charlatã que seja, é tudo e os dados e os fatos devem ser jogados no lixo quando ambos não mais se encaixam na teoria estabelecida por tal autoridade.

    “Aliás, gostaria de saber qual tua opinião sobre o sistema elétrico daquela época. Parece que o teu governo tinha uma dependência excessiva dos humores de São Pedro, não?”

    Em primeiro lugar, não era o meu governo. Isso é coisa de petista e petistófilo que adora uma teta estatal para sugar.

    Sobre o setor elétrico daqueles tempos, ele sofreu de dois problemas básicos: Falta de investimentos e planejamento.

    Aliás, Zbigniew, falando em apagões, parece que o Governo Dilma tem uma considerável possibilidade de passar por um apagão no setor elétrico. E qual é a desculpa que tal governo dá? Falta de chuvas!

    É esperar para que aquele apagão homérico e histórico de 2009 não vire coisa corriqueira, ainda mais quando há notórios corruptos e incompetentes na direção do setor elétrico.

    Até!

    Marcelo

  287. Patriarca da Paciência said

    “Fox demite Sarah Palin. A onda chega ao Brasil?

    247 – A partidarização da imprensa americana sofreu um duro revés nesta sexta-feira. O canal Fox News, que foi classificado por Barack Obama como um partido político e inspirou, no Brasil, a criação da expressão “Partido da Imprensa Golpista”, abreviada como PIG, acaba de demitir a comentarista Sarah Palin. Ex-governadora republicana do Alaska, Palin era representante máxima do movimento neoconservador nos Estados Unidos e do chamado Tea Party, que prega rígidos valores morais – ainda que, na prática, eles não sejam seguidos com rigidez pela família Palin.

    Fontes próximas à Fox enxergaram no movimento de Rupert Murdoch, dono da News Corporation, uma tentativa de aproximação com Obama, que acaba de tomar posse no seu segundo mandato. Murdoch estaria cansado de dar murro em ponta de faca.

    No Brasil, os grandes jornais também vivem um momento inédito de partidarismo explícito, tendo como representantes máximos desse movimento jornalistas como Augusto Nunes e Reinaldo Azevedo, na Abril, e Merval Pereira, no Globo – entre muitos outros. Miriam Leitão, por exemplo, nesta sexta aponta paralelos entre a presidente Dilma e o general Garrastazu Médici – por mais esdrúxula que pareça a comparação.

    Nos Estados Unidos, o principal magnata da mídia começa a constatar que, na era da internet e da informação livre, o poder de manipulação da opinião já não é o mesmo do passado. E o ódio acaba de perder uma tribuna na Fox News. A piada da hora é que Sarah Palin poderá, agora, se candidatar ao “Obamacare”, como é apelidado o seguro-desemprego nos Estados Unidos.”

    http://www.brasil247.com/pt/247/midiatech/91762/Fox-demite-Sarah-Palin-A-onda-chega-ao-Brasil.htm

  288. Michelle 2 said

    A onda chegou ao Brasil: o Paulo Moreira Leite foi demitido da Época. rsrsrs

  289. Pax said

    No Brasil o crime compensa?

    http://www.istoe.com.br/reportagens/270770_A+BOA+VIDA+DE+DEMOSTENES

  290. Pax said

    PSB? Sei não, onde vai “parar” – http://oglobo.globo.com/pais/psb-considera-que-fala-de-dilma-libera-candidatura-de-campos-7402416

    (link que peguei num post do Josias de Souza – http://josiasdesouza.blogosfera.uol.com.br/2013/01/26/para-psb-de-campos-dilma-liberou-sucessao/)

    PSOL – É um partido simpático com um programa antipático.

    Marina – vai “incomodar” mais à frente.

    PDT – Ou expurga o presidente e o forcinha do paulo ou ficará na corda bamba entre o “bem” (Fruet, Cristovan etc) e o mal…

    PV – Não sai mais da lama.

    DEM – se já enterraram o defundo, esqueceram de avisar o Chesterton.

    PSD – mais parece voo de galinha, mas incomoda tanto que resolveram chamar “pra dentro”

    PT – será que Dirceu continua no comando em 2014?

    PSDB – em 2055 tomará uma grande decisão não unânime em meio a bengaladas na cabeça numa briga na assembleia entre Serra, Alckmin e Aécio que, à esta altura, estará usando fralda geriátrica.

    etc

  291. Chesterton said

    Uma belíssima aula de português!

    Foi elaborado para acabar de vez com toda e qualquer dúvida se tem presidente ou presidenta.
    A presidenta foi estudanta?
    Existe a palavra: PRESIDENTA?
    Que tal colocarmos um “BASTA” no assunto?

    Miriam Rita Moro Mine – Universidade Federal do Paraná.

    No português existem os particípios ativos como derivativos verbais. Por exemplo: o particípio ativo do verbo atacar é atacante, de pedir é pedinte, o de cantar é cantante, o de existir é existente, o de mendicar é mendicante… Qual é o particípio ativo do verbo ser? O particípio ativo do verbo ser é ente. Aquele que é: o ente. Aquele que tem entidade.
    Assim, quando queremos designar alguém com capacidade para exercer a ação que expressa um verbo, há que se adicionar à raiz verbal os sufixos ante, ente ou inte. Portanto, a pessoa que preside é PRESIDENTE, e não “presidenta”, independentemente do sexo que tenha. Diz-se: capela ardente, e não capela “ardenta”; se diz estudante, e não “estudanta”; se diz adolescente, e não “adolescenta”; se diz paciente, e não “pacienta”. Um bom exemplo do erro grosseiro seria: “A candidata a presidenta se comporta como uma adolescenta pouco pacienta que imagina ter virado eleganta para tentar ser nomeada representanta. Esperamos vê-la algum dia sorridenta numa capela ardenta, pois esta dirigenta política, dentre tantas outras suas atitudes barbarizentas, não tem o direito de violentar o pobre português, só para ficar contenta”. Por favor, pelo amor à língua portuguesa, repasse essa informação.

    chest- Pax, sou sem partido, independente.

  292. Chesterton said

    SÁBADO, 26 DE JANEIRO DE 2013

    Sentindo-se ameaçada, Rose pede à Justiça proteção especial da Polícia Federal para ela e a filha Mirelle

    Por Jorge Serrão –

    A melhor amiga e afilhada de Lula já teme pela própria segurança. Por isso, no recente depoimento na 5.ª Vara Federal Criminal em São Paulo, Rosemary Nóvoa Noronha pediu proteção especial para ela e a filha Mirelle – ex-assessora técnica da Diretoria de Infraestrutura Aeroportuária da Anac. Rose já estaria sob proteção e vigilância da Polícia Federal.

    Na audiência com a juíza Adriana Zanetti, Rose reclamou que se sente ameaçada. A ex-chefe de Gabinete da Presidência da República em São Paulo não explicitou uma ameaça concreta. Mas preferiu se precaver para não virar um “arquivo morto”. Rose demonstrou o temor de quem pertence ao partido de Celso Daniel e Toninho do PT – dois prefeitos covardamente assassinados, em crimes claramente políticos não esclarecidos até agora.

    Com ou sem ameaça, o caso Rose terá um capítulo especial na próxima segunda-feira. A ministra Gleisi Hoffmann (Casa Civil) decidirá se aceita a recomendação da comissão de sindicância do governo que pediu a abertura de um processo disciplinar contra Rosemary. Caso acabe punida pela Corregedoria ou pela Controladoria-Geral da União, Rose deve acabar proibida de ocupar novamente um cargo público e de se candidatar em eleições. Também corre o sério risco de ficar com seus bens indisponíveis ou ser obrigada a ressarcir o erário público de eventuiais prejuízos causados por seus atos como assessora de Lula e Dilma.

    Como não dá para separar Rose de Lula – que é no mínimo o padrinho da indicação dela como “ocupante de cargo de confiança no serviço público” -, o ex-Presidente da República será convidado, no começo de fevereiro, a prestar esclarecimentos sobre sua relação pessoal e de “trabalho” com Rose – flagrada pela Operação Porto Seguro da Polícia Federal. Rosemary foi exonerada por Dilma “a pedido”, em 24 de novembro, tão logo o escândalo estourou. Rose está indiciada por formação de quadrilha, falsidade ideológica, tráfico de influência e corrupção ativa.

    A ordem é abafar tudo sobre o Rosegate, para tentar o milagre de poupar Lula. Até quando vai se conseguir tal façanha, só Deus sabe. Daqui a pouco, vão usar o mesmo falso-argumento que patrocinou a impunidade ao verdadeiro chefe do mensalão (na acusação de Marcos Valério). Em nome da segurança nacional e para preservar a imagem internacional do Brasil diante dos efeitos de uma terrível crise econômica, é melhor dar uma aliviada nos desdobramentos das investigações da Operação Porto Seguro, para que tudo só acabe julgado daqui a uns 10 anos…

    Não há dúvidas de que o Código Penal também vale para Lula. A grande questão é: será que vão lhe aplicar a Lei, algum dia, antes do Juízo Final?

  293. Pax said

    Rir pra não chorar

    1

    http://colunas.revistaepoca.globo.com/felipepatury/2013/01/25/malafaia-processara-forbes-nos-estados-unidos/

    Tucan… quer dizer, disfarça, pastorato em ação.

    2

    http://noticias.terra.com.br/mundo/america-latina/chavez-entrou-em-etapa-de-tratamentos-complementares-contra-cancer-diz-maduro,638e6dd43c17c310VgnCLD2000000ec6eb0aRCRD.html?ECID=BR_RedeSociais_Twitter_0_Noticia

    Se “ressucitar” vai deixar um monte de gente, digamos, sem graça, chupando barriga de corrupto gordo.

  294. Patriarca da Paciência said

    “A melhor amiga e afilhada de Lula já teme pela própria segurança. Por isso, no recente depoimento na 5.ª Vara Federal Criminal em São Paulo, Rosemary Nóvoa Noronha pediu proteção especial para ela e a filha Mirelle – ex-assessora técnica da Diretoria de Infraestrutura Aeroportuária da Anac. Rose já estaria sob proteção e vigilância da Polícia Federal.”

    O tal do Serrão (será mesmo um Serra com ego maior ainda?), além do mais, é um total desinformado.

    Faz poucos dias atribuiu a Lula a criação e implementação do pro-alcool.

    Agora atribui a Lula a nomeação de uma afilhada e indicada do senador pelo PSDB do Pará, Mário Couto, conforme relatório da Policia Federal. Há inclusive um requerimento assinado pelo famoso político de botequim, requerendo a noemação da tal de Rosemary.

  295. Patriarca da Paciência said

    “Paulo Moreira Leite
    Desde janeiro de 2013, é diretor da ISTOÉ em Brasília. Dirigiu a Época e foi redator chefe da VEJA, correspondente em Paris e em Washington. É autor do livro A mulher que era o general da casa — Histórias da resistência civil à ditadura. ”

    “Superávit de hipocrisia
    O debate sobre o cumprimento das metas do superávit primário esconde, na verdade, um superávit de hipocrisia. ”

    http://istoe.com.br/colunas-e-blogs/coluna/270451_SUPERAVIT+DE+HIPOCRISIA

  296. Chesterton said

    Destruição programada do Brasil

    Por Humberto de Luna Freire Filho

    Estão destruindo o país e ninguém faz absolutamente nada para impedir, confiram.

    Na primeira página de um dos principais jornais do país poderão ser lidas hoje (25/01) as seguintes manchetes:

    Primeira manchete: “Tesouro arcará com R$ 8,5 bi para garantir corte na conta de luz”. Isso menos de 48 hs após a dona Dilma fazer um pronunciamento em rede nacional e horário nobre, onde deitou proselitismo desrespeitando a nossa inteligência; agrediu governos que não fazem parte da base “alugada” e não concordaram com seu plano eleitoreiro de redução de tarifas de energia; criticou todos os que falam a verdade sobre a nossa matriz energética; e deu inicio à sua campanha à reeleição usando dinheiro público.

    Segunda manchete: “Dilma muda Caixa para abrigar aliados de Kassab”. O loteamento do país continua. Funcionários incompetentes e políticos corruptos são nomeados para servir ao projeto do governo em sua meta de permanência no poder. Criam-se partidos e criam-se ministérios – o último, Ministério da Micro e Pequena Empresa, tudo para presentear as quadrilhas recém formadas. Logo faltará sigla para nominar os novos bandos. E o contribuinte, burro de carga da nação, pagando a conta da má-fé e dos desmandos cometidos pela megaquadrilha.

    Terceira manchete: “BC prevê gasolina 5% mais cara e não mexe nos juros”. Desde quando e baseado em que, o Banco Central regula preços de commodities e consequentemente de seus derivados? Desde quando a política econômica da Petrobras passou a ser prerrogativa do BC? Desde quando gasolina e óleo diesel são combustíveis para queimar inflação? Estão destruindo o que foi a maior empresa brasileira e uma das maiores do mundo, além de dilapidar o patrimônio dos acionistas que pensaram ser esse goveno digno de crédito, ter planejamento e capacidade administrativa.

    Quarta manchete: “STF prorroga regra atual de fundo de Estado”. O Supremo Tribunal Federal está em recesso, mas por essa medida já dá para saber quem está interinamente na presidência da corte. Sim, ele mesmo, Ricardo Lewandowisk, que depois de ouvir uns gritos da múmia do Senado prorrogou por 150 dias a vigência dos atuais critérios de distribuição dos recursos do Fundo de Participação dos Estados, desrespeitando resolução tomada pelo próprio STF em 2010, que considera as atuais regras inconstitucionais. Essa medida vai beneficiar os estados do Maranhão, da Bahia e de Permanbuco. Sintomático, não? Em uma democracia, os poderes Executivo, Legislativo e Judiciário são independentes, e devem ser, porque quando se juntam exalam um tremendo mal cheiro.

    Quinta manchete: “Embraer faz negócios de US$ 4 bi nos EUA”. A Embraer fecha negócio para a venda de 94 jatos modelo E175 para a americana Republic Airways. Metade das aeronaves em transação já consumada e a outra metade, opção de compra. Dá para perceber uma grande diferença entre as quatro primeiras manchetes e a quinta. Isso porque passamos do público para o privado. A Embraer é uma empresa privada, produz, desenvolve tecnologia, gera empregos, paga grandes somas em impostos, e lá se alguém roubar um parafuso termina o expediente preso, é demitido e vai responder processo. Abaixo do Equador, de maneira geral, governos não passam de balcões de negócios sujos, fábricas de milionários, sedes de roubalheiras impunes e baixarias impublicáveis, principalmente no atual governo, o mais corrupto entre todos os que eu tenho conhecimento.

    Humberto de Luna Freire Filho é Médico.

  297. Chesterton said

    http://www1.folha.uol.com.br/poder/1220815-indios-alugam-terras-para-exploracao-ilegal-de-madeira.shtml

    Indios alugam terras para exploração de madeiras.

  298. Jose Mario HRP said

    Graves denúncias contra Kátia Abreu!
    Bom , quem lê o Sakamoto sabe quem ela é!

    http://correiodobrasil.com.br/destaque-do-dia/em-artigo-dom-tomas-balduino-faz-graves-acusacoes-a-senadora-katia-abreu/574087/

  299. Pax said

    Isso não se faz, caro HRP.

    O Chesterton, velho e bom Chesterton, ficará sem pai nem mãe politicamente.

    =)

  300. Chesterton said

    Nem tô, esse bispo decrépito é da esquerda radical, lembram quando apoiou a filharada do Lugo.
    Enfim, na verdade torço para que nenhum posseiro ou “movimento” invada suas terras, pax, mesmo que não tenha intenet de qualidade. Depois do o link da sensacional resposta da Katia Abreu a essa corja.

    Vamos em frente

    O contrabando chavista é nosso

    16:46, 25/01/2013 GMFIUZA GERAL
    (ÉPOCA – edição 765)

    O Brasil apoiou o adiamento da posse presidencial na Venezuela, para esperar um pouco mais por Hugo Chávez. O jeitinho venezuelano de preservar sua democracia na marra tem dessas licenças poéticas. A lei é soberana, desde que não contrarie as conveniências do espírito bolivariano, encarnado no coronel-presidente. Diante desse truque da esquerda bandoleira, o Brasil poderia até ter deixado passar, ter fingido que não viu, ter mudado de assunto. Mas, não: ergueu-se a voz do Itamaraty, sacudindo o Barão do Rio Branco nas catacumbas, para anunciar que o governo da companheira Dilma apóia o contrabando político do companheiro Chávez.

    A solidariedade é compreensível. São dois projetos – o que governa o Brasil e o que governa a Venezuela – irmanados no mesmo princípio essencial: não largar o osso, custe o que custar. Nunca é demais lembrar que o Itamaraty, na era do governo popular, segue a linha doutrinária de Marco Aurélio Garcia – aquele flagrado comemorando com gestos obscenos (o clássico “top-top”) a notícia de que as duas centenas de mortes no acidente da TAM se deveriam a falhas do avião, e não do governo.

    A escala de valores dessa turma, como se vê, obedece a códigos humanitários muito especiais. Também ficou na história – ou melhor: não ficou, porque o Brasil esquece tudo – a declaração do então ministro da Previdência e prócer do PT, Ricardo Berzoini, durante uma operação para recadastramento de aposentados do INSS. Depois de insistir em obrigar velhinhos de 90 anos a penar em filas imensas a céu aberto, Berzoini finalmente recuou diante das imagens de idosos desmaiando nas calçadas. E justificou o recuo, placidamente, dizendo que o “desgaste” seria grande. Com aposentados sob tortura nas ruas, o ministro se referia ao desgaste do PT. Eles só pensam naquilo.

    É, portanto, absolutamente natural o apoio do Itamaraty ao cambalacho constitucional dos companheiros chavistas. O que importa é manter viva a lenda terceiro-mundista da revanche popular sobre as elites – conto de fadas que alimenta a mais formidável indústria do voto da história das Américas.

    Foi sob essa mesma doutrina que Lula trocou carinhos em público com o sanguinário Muammar Khadafi, o falecido (linchado) ditador líbio que brilhava no presépio do antiamericanismo. Com Mahmoud Ahmadinejad, o tarado atômico do Irã, o governo popular foi mais longe, convidando-o para passear de queixo empinado em nossos quintais – como parte da pantomima de resistência contra o império yankee. Sem falar na comparação antológica do lulismo entre bandidos paulistas e presos políticos cubanos – para legitimar o apoio do PT a Fidel Castro.

    E tome literatura progressista, com a aliança folclórica entre as “presidentas” Dilma Rousseff e Cristina Kirchner – na qual a brasileira banca ideologicamente os arroubos autoritários da colega argentina, em sua cruzada contra a liberdade de expressão. O mesmo plano de controle da mídia está firme no ideário do PT, e só não foi posto em prática (ainda) porque a imprensa brasileira é mais vigorosa. Mas a demagogia tarifária que apodreceu o setor elétrico argentino já foi devidamente importada, com as consequências devastadoras a que o Brasil hoje assiste nas empresas de energia.

    O alinhamento do Itamaraty com mais esse golpe da democracia privatizada venezuelana não é só um ato vergonhoso, para enriquecer o folclore de um governo que fala com o mundo através do sectarismo obsceno de um Marco Aurélio Garcia. Esse gesto expressa a inequívoca tentação chavista do regime liderado pelo PT, que está há dez anos manobrando para subjugar o Estado brasileiro pelo aparelhamento político. O mensalão nada mais foi do que o capítulo mais escandaloso dessa doutrina.

    Mas os brasileiros não se importam com a implantação desse parasitismo institucionalizado, e marcham para dar-lhe o quarto mandato presidencial consecutivo, visando o aperfeiçoamento da obra.

    O Itamaraty pode apoiar todos os golpes chavistas, assim como pode dar passaporte diplomático para Valdemiro e Franciléa, líderes da Igreja Mundial do Poder de Deus, alegando que isso seja de interesse nacional. Deve ser mesmo. Os interesses da nação têm obedecido a crenças que até Deus duvida.

  301. Chesterton said

    Katia Abreu

    Li, com surpresa, nesta Folha, um texto rancoroso e eivado de fúria acusatória e caluniosa (“Apreensão no campo” ), assinado pelo bispo emérito de Goiás Velho, dom Tomás Balduino, atribuindo-me pecados que não cometi.

    Como católica praticante, jamais imaginei um dia polemizar com um representante da mais alta hierarquia da fé que professo. Mas a fé que professo não parece ser a mesma que a dele. As palavras que me dirigiu não foram de um cristão.

    Minha fé não é a do ódio revolucionário, que incita o conflito e trata como pecadores os que dele divergem ideologicamente. É a fé que o papa Bento 16, em seu livro “Jesus de Nazaré, da Entrada em Jerusalém à Ressurreição”, proclama como sendo a da paz.

    “A violência”, diz o papa, “não instaura o Reino de Deus, o Reino da Humanidade. É, ao contrário, instrumento preferido do Anticristo. Mesmo com motivação religiosa idealista, ela não serve à humanidade, mas à inumanidade”.

    Não há mistura mais letal que a da política com a religião. O fundamentalismo é, em si, antirreligioso. Os católicos da Irlanda, em nome de sua fé –que seguramente não é a de Cristo–, usaram o terrorismo e o sangue de inocentes como arma política, em nome de Alguém que resumiu sua doutrina numa frase: “Amai-vos uns aos outros”.

    Minha mais remota lembrança de dom Tomás é diametralmente oposta ao espírito de seu artigo. Remonta a um tempo anterior à criação do meu Tocantins, então integrado a Goiás.

    Ele, ainda padre, ensinava, num Sermão das Sete Palavras, na Sexta-Feira da Paixão, que Jesus, ao pedir ao Pai que perdoasse seus algozes, “pois não sabiam o que faziam”, mostrava a importância de interceder não só pelos amigos, mas sobretudo pelos inimigos.

    Ao que parece, algo mudou na transição de padre Tomás para o bispo dom Balduino. Invoco, pois, o espírito cristão do padre para responder ao bispo, com absoluta serenidade, as imputações que me faz –a mim e a meus irmãos Luiz Alfredo e André Luiz. Mesmo perdoando-o desde já, cumpro o dever de desmenti-lo.

    Não é verdade, dom Balduino, que tenha perseguido, despejado e feito perseguir “por 15 policiais armados” um pequeno agricultor em Campos Lindos, Tocantins. Tratava-se do grileiro Juarez Vieira, cuja crônica de violências e maldades qualquer morador da região atestará. Obtive na Justiça reintegração de posse de terra de minha propriedade legítima.

    Não é verdade também que a tenha recebido de “mão beijada”. Adquiri-a em moeda corrente e a preço justo, como os demais fazendeiros. Era área inóspita e desabitada; hoje, é a internacionalmente conhecida região do Mapito, referência de produtividade em soja, milho e algodão, com infraestrutura bancada pelos produtores pioneiros.

    Outra injúria atinge meus dois irmãos. O bispo acusa Luiz Alfredo de grilagem e André Luiz, de promover trabalho escravo. Mas Alfredo adquiriu com recursos próprios as terras que possui, devidamente documentadas. E André jamais foi proprietário da fazenda citada pelo bispo.

    Apenas alugou dois tratores, sem os tratoristas, para o proprietário, nada tendo a ver com as denúncias, que não o envolveram. É, inclusive, funcionário do Ministério Público do Trabalho, onde jamais foi questionado.

    Esclareço também que não sou responsável pela decisão da Advocacia-Geral da União de estender as condicionantes da demarcação de Raposa Serra do Sol às demais terras indígenas. Foi o Supremo Tribunal Federal que assim o determinou.

    Sem seu grau de santidade e sabedoria, não lhe devolvo as insolências. E se for o caso de terminar com uma citação, tomo, com respeito, a palavra do Senhor, no Antigo Testamento: “Não darás falso testemunho contra o teu próximo” (Êxodo, 20, 16).

  302. Patriarca da Paciência said

    Como dizia o Coalhada, personagem do Chico Anísio,

    Mas heinnnn!

    Em outubro do ano passado, Elba revelou que estava casta há um ano, o que causou certa polêmica. Personalidades como Vera Fischer, a vereadora Myrian Rios e a cantora Rosanah também declararam que estão em abstinência sexual há um bom tempo.

    http://br.omg.yahoo.com/blogs/notas-omg/elba-ramalho-vive-fase-religiosa-e-sem-sexo-161912950.html

  303. Otto said

    Do Houaiss:

    PRESIDENTE

    substantivo de dois gêneros
    indivíduo que preside (algo)
    1 indivíduo que dirige os trabalhos numa assembleia, congresso, conselho, tribunal etc.
    2 título oficial do chefe do governo no regime presidencialista
    3 título oficial do chefe da nação nas repúblicas parlamentaristas
    4 título que às vezes se dá ao dono ou ao diretor-geral de uma empresa, clube, banco etc.
    adjetivo de dois gêneros
    5 que preside, que dirige

    fem.: presidenta (mas a presidente tb. é us.)

  304. Otto said

    14,5 milhões de empregos em dez anos

    Por Vitor Nuzzi, na Rede Brasil Atual:

    O país criou 1,3 milhão de empregos com carteira assinada em 2012 (exatos 1.301.842), segundo os dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgados na tarde de hoje (25) pelo Ministério do Trabalho e Emprego. O crescimento foi de 3,43% sobre o estoque. O número é inferior ao dos dois anos anteriores – justamente os dois melhores na série histórica –, mas supera o registrado em 2009, quando o mercado de trabalho sofreu os impactos da crise.

    Somados dez anos de governos Lula/Dilma, o total de vagas supera 14,5 milhões. Nos oito anos do governo FHC, foram abertos pouco menos de 800 mil postos de trabalho formais, sempre com base nas informações do Caged.

    O resultado final de 2012 veio após a eliminação de quase 497 mil vagas em dezembro, mês em que os números são sempre negativos, principalmente por causa do encerramento de contratos temporários e da menor atividade. Foram criados 1,2 milhão de empregos e fechados 1,7 milhão.

    No acumulado do ano, foram 21,6 milhões de contratações e 20,3 milhões de demissões no mercado formal. Praticamente metade dos empregos criados foi do setor de serviços, com saldo de 666.160, crescimento de 4,32%. O comércio abriu 372.368, expansão de 4,38%, e a construção civil criou 149.290, com alta de 5,17%. Com atividade menos intensa, a indústria de transformação teve saldo de 86.406 empregos com carteira, aumento de 1,06%. Agropecuária e administração pública ficaram praticamente estáveis, com saldos de 4.976 (0,32%) e 1.491 (0,19%), respectivamente.

    O melhor momento do Caged foi registrado em 2010, com mais de 2.555.421 vagas, crescimento de 7,74%. Em 2011, segundo melhor ano da série histórica, foram abertos 1.966.449 postos de trabalho, alta de 5,47%.

    No período Lula, de 2003 a 2010, o saldo acumulado é de 11.271.503 empregos formais. Nos oito anos de FHC, o saldo somou 796.967. E nos dois primeiros anos de gestão Dilma, foram abertas 3,2 milhões de vagas.

    http://altamiroborges.blogspot.com.br/2013/01/145-milhoes-de-empregos-em-dez-anos.html#more

  305. Otto said

    Ah, os EUA já tiveram seu presidente socialista:

    “Já quando era membro da Câmara Legislativa de seu estado de Illinois, Lincoln simpatizou claramente com as demandas socialistas do movimento operário, não só dos EUA, mas também mundial.
    Na realidade, Lincoln considerava como um Direito Humano o direito do mundo do trabalho de controlar o produto de seu trabalho, postura claramente revolucionária naquela época (e que continua sendo hoje) e que nem o filme nem a cultura dominante nos EUA lembram ou conhecem, sendo convenientemente esquecida pelos aparatos ideológicos do establishment estadunidense controlados pela Corporate Class. Na realidade, Lincoln considerou que a escravidão era o domínio máximo do capital sobre o mundo do trabalho e sua oposição às estruturas de poder dos estados sulinos se devia precisamente a que percebia estas estruturas como sustentadoras de um regime econômico baseado na exploração absoluta do mundo do trabalho. Daí que visse a abolição da escravidão como a liberação não só da população negra, mas de todo o mundo do trabalho, beneficiando também a classe trabalhadora branca, cujo racismo ele via ser contra seus próprios interesses.”

    http://rudaricci.blogspot.com.br/2013/01/o-que-o-filme-lincoln-de-spielberg-nao.html

  306. Pax said

    Tadinha da Kátia do Chesterton.

    Deu uma peninha.

    Quanta injustiça com essa paladina da moral e dos bons costumes.

    Fosse ela chamaria seu grande amigo, Demóstenes, e processaria todos.

    Enviado via iPhone

  307. Patriarca da Paciência said

    Muito interessante, caro Otto 305,

    constatar que Lincoln e Marx, vivendo na mesma época, compartilhavam das mesmas idéias, sendo que o presidente norte-americano era até um pouco mais velho.

    Interessante também é que, naquela época, o Partido Republicano era de esquerda, sendo que o Partido Democrata o representava os grandes proprietários.

  308. Patriarca da Paciência said

    Em 25 páginas, Época exalta Campos. É candidato?

    http://www.brasil247.com/pt/247/pernambuco247/91806/Em-25-páginas-Época-exalta-Campos-É-candidato.htm

    Muito interessante essa história da direitona estar apoiando um neto de Miguel Arraes, um homem que foi de esquerda até o fim, sendo que Campos sempre foi aliado incondicional de Lula, a quem deve muito do seu sucesso como governador e que também pertence a um partido mais à esquerda que o PT.

    25 páginas da revista Época! Isto não é propagando política antecipada!

    O que incomoda mesmo a direitona é o PT e o Lula. Não tem nada a ver com direita ou esquerda.

    O problema mesmo da direitona é que não engolem um nordestino, que chegou a São Paulo num pau-de-arara e se tornou o presidente mais popular da história do país.

    É puro preconceito mesmo!

  309. Chesterton said

    Pax, você acusa Katia ABREU de quais crimes mesmo?

  310. Chesterton said

    NELSON MOTTA

    Com grandes espetáculos, cenários luxuosos, elencos competentes e salas lotadas em longas temporadas, os musicais se tornaram o sucesso do momento no teatro brasileiro.

    Em tese, qualquer tema pode inspirar um musical, bastam boas músicas e letras e uma historinha para costurar tudo. Até o mensalão daria um musical.

    A abertura seria a cena verídica (relatada por José Casado) do encontro de Lula e Zé Dirceu com Roberto Jefferson para celebrar o acordo do PT com o PTB. Com bons vinhos e largos sorrisos, eles chegam para o jantar festivo na casa de Jefferson. Depois do lauto repasto, dos risos e das garrafas vazias, passam à biblioteca para o café, conhaque e charutos.

    Desabado no sofá vermelho, com o olhar já meio turvo, Lula é surpreendido por Jefferson, que começa a cantar acompanhado ao piano por sua professora de canto lírico:

    “Eu sei que vou te amar/ por toda a minha vida eu vou te amar/ Em cada despedida eu vou te amar/ desesperadamente eu sei que vou te amar …”

    Os convidados emudecem, a voz do barítono ressoa na sala, com gestos largos e interpretação grandiosa, olho no olho de Lula, Jefferson canta a música inteira com intensa emoção e termina com a voz embargada, enquanto uma lágrima furtiva rola pela face de Lula.

    Trinta políticos de vários partidos, com ternos brilhantes, gravatas medonhas e cabelos acaju invadem a cena cantando e dançando para Lula e Jefferson: “Ei, você aí/ me dá um dinheiro aí/ me dá um dinheiro aí…”

    Segue dueto de Jefferson e Zé Dirceu em “Vou festejar”:

    Jefferson: “Chora, não vou ligar/ chegou a hora/ vais me pagar/ pode chorar, pode chorar.”

    Dirceu: “É o teu castigo/ brigou comigo/ Sem ter por quê”.

    Jefferson: “Eu vou festejar/ vou festejar/ o teu sofrer/ o teu penar.”

    Os dois juntos: “Você pagou com traição/ a quem sempre lhe deu a mão.” (bis)

    Dirceu canta “Segredo”, de Herivelto Martins, para Jefferson: “Teu mal é comentar o passado/ ninguém precisa saber do que houve entre nós dois/ o peixe é pro fundo das redes/ segredo é pra quatro paredes/ primeiro é preciso julgar pra depois condenar.”

    Joaquim Barbosa bate o martelo. Black out.

  311. Elias said

    E os “particípios ativos” da professora Miriam Rita Moro Mine – Universidade Federal do Paraná, citada pelo Chesterton?

    “No português existem os particípios ativos como derivativos verbais. Por exemplo: o particípio ativo do verbo atacar é atacante, de pedir é pedinte, o de cantar é cantante, o de existir é existente, o de mendicar é mendicante…”

    Foi mal, fessôra… Foi mal…

    A regra básica diz que os “particípios ativos”, também chamados “gerundivos”, são formas NOMINAIS derivadas de verbos. Mas, no idioma português — que é a corruptela, da corruptela da corruptela –, as regras costumam ser quebradas porrilhões de vezes.

    Pra início de conversa, no português nem todos os “particípios ativos” são derivados de verbos, professora. Existem os “particípios ativos” drivados de substantivos.

    Alguns exemplos?

    Lá vão eles, fessôra: “VESTIBULANDO”, derivado de “vestibular”, que não é verbo; “DOUTORANDO”, derivado de “doutor”, que também não é verbo…

    Outra regra diz que os gerundivos são formados com o auxílio dos sufixos “ANTE”, “ENTE” e “INTE”, segundo o verbo do qual se origina cada gerundivo seja da primeira, segunda ou terceira conjugação.

    Exemplo: estudAR: estudANTE; batER: batENTE; pedIR: pedINTE.

    Mas presidIR, deu presidENTE e não presidINTE, né não, fessôra?

    Viu como, novamente, a regra não foi observada? E, veja só… Exatamente no particípio ativo no qual a senhora quer c… regra…

    Sabe por quê, né fessôra? No latim, NÃO EXISTIA a terceira conjugação. Ela surgiu em idiomas como o português, porque, como disse acima, ele é a corruptela da corruptela…

    No português um monte de coisa que surgiu como erro (presedere… presidire… presidir…), mas que, consagrada pela prática, acabou se incorporando ao vernáculo.

    Tem coisa desse tipo que acabou até recepcionada na norma culta, fessôra…

    Idioma é coisa viva, que se constrói no dia a dia dos povos.

    É por isso que, dentre outras coisas, NEM TODOS os “particípios ativos” derivam de verbos; NEM TODOS os “particípios ativos” derivados de verbos da 3ª conjugação usam a partícula “INTE”, e por aí afora.

    No caso de “presidente” o verbo acabou se tornando da 3ª conjugação por erro de pronúncia consagrado pelo uso. Mas o gerundivo se manteve usando a fórmula da 2ª conjugação original.

    Veja outro exemplo: “general”. No espanhol é uma só palavra. No português, que se origina do espanhol, essa palavra virou duas: “general” e “geral”.

    A fórmula original é usada apenas para designar o posto militar.

    Mas, “generalidade”, uma derivada largamente usada em português, mantém a raiz original. No Brasil quase não se usa “geralidade”, né mesmo, fessôra?

    De nada, fesssôra…

    Precisando, num se avexe…

  312. Pax said

    Nao acuso ninguém, nao sou promotor.

    Apenas observo.

    Enviado via iPhone

  313. Chesterton said

    se você sabe de alguma coisa, apoio você, vamos persegui-la. Me mostre as evidencias e terá meu apoio. Agora, se você não sabe de nada, não acuse , pois isso é crime. E crime dá cadeia.

  314. Chesterton said

    Aliás, PAX, o PT já deve ter revirado a vida da senadora de cabeça para baixo, não deve ter nada encontrado e apelou para um bispo inimputavel no intuito de atingir a reputação dela. So far, so good. Parece que ela passou pelo teste. Tambem estou observando.

  315. Chesterton said

    Elias, então Lulla foi presidANTO? Ou presidEnto?

  316. Chesterton said

    Ninguem pousa no SBRJ

    http://www.flightradar24.com/

  317. Michelle 2 said

    1.No caso de Lula é puro pós-conceito mesmo.

    2.Pra mim tanto faz essa “cagação de regras” de um lado ou de outro.
    Eu a chamo de presidANTA. Ponto.
    Minha língua é viva e dilma é incompetente.
    Ou incompetenta, questão de gosto.
    Pra mim é dilma é incomptANTA.

    3.Joaquim? Manoel?

    “Supertele brasileira” será portuguesa

    http://www.brasil247.com/pt/247/portfolio/91775/Supertele-brasileira-ser%C3%A1-portuguesa.htm

    Agora vai?

  318. Chesterton said

    Hackers solidários com o prodígio da computação, o falecido Aaron Swartz, alegaram neste sábado ter invadido o site da Comissão de Penas do Departamento de Justiça dos EUA, e disseram que pretendiam divulgar dados do governo.

    O site da Comissão de Penas, foi derrubado na manhã de sábado.

    Identificando-se como Anonymous, um grupo de proveniência desconhecida associado a uma série de ações virtuais recentes, os hackers expressaram indignação com o suicídio de Swartz em 11 de janeiro.

    Em um vídeo postado on-line, os hackers criticaram a perseguição do governo a Swartz, que vinha enfrentando um processo sob acusações de que teria usado a rede de computadores do MIT (Massachusetts Institute of Technology) para roubar mais de 4 milhões de artigos da JSTOR, um serviço de distribuição de jornais e arquivo digital.

    Swartz enfrentava uma sentença máxima de 31 anos de prisão e multa de até US$ 1 milhão.

    O FBI está investigando o ataque, segundo Richard McFeely da divisão de crimes cibernéticos da agência.

    “Ficamos atentos assim que aconteceu e estamos lidando com isso como uma investigação criminosa”, disse McFeely em um comunicado por email. “Sempre estamos preocupados quando alguém acessa ilegalmente a rede de outra pessoa ou da agência do governo”.

    chest- aí o governo deles prende, processa, o cara pega 20 anso, se mata, e o Pax sai acusando todo mundo de assassinato… tsc, tsc, tsc…..

  319. Elias said

    “Elias, então Lulla foi presidANTO? Ou presidEnto?” (Chester)

    Nem uma coisa, nem outra.

    Ele é só O CARA que vive ferrando politicamente com vocês…

    E, pelo jeito, vai continuar ferrando… Deixando vocês assim, frustrADOS, emburrecIDOS.

    Ano que vem, teremos novo embate de inteligência, competência política, etc.

    Vamos ver quem se sai melhor.

    Até aqui, os petistas têm tido a sorte de enfrentar adversários mais burros que eles…

  320. Chesterton said

    É, o Pará, tirando assim pelo Elias, é um lugar estranho.

    “Ele é só O CARA que vive ferrando politicamente com vocês…”

    chest- é mesmo, ferrando todo mundo e levando o resultado para depósitos em paraisos fiscais.
    Competência política? Ora, você confunde política com Política. A coisa mais difícil é tomar o poder de um partido de esquerda, depois que colocam a mão na chave do cofre compram votos e mais votos eleições atrás de eleições…..isso é muito velho. Viramos a Venezuela, não há oposição a não ser na imprensa e na internet. Bom, vamos continuar juntando dinheiro para fazer a festa quando a bolha explodir….

  321. Otto said

    Bin Laden Está Vivo, Já Seus Assassinos…

    Uma nova maldição está a entrar para a História, muito pior que a de Tutankamon. A maldição de Bin Laden.
    Mais da metade da equipe que localizou e matou Bin Laden em Abbottabad, no Paquistão, em 2 de maio de 2011, está morta. Morreu em “acidentes”, em fatalidades “inexplicáveis”.

    Diferente da maldição do falecido Tutankamon, essa é a maldição do Bin Laden vivo, do Bin Laden que não foi morto.
    Porque é óbvio que o barbudão ainda está vivo. Muito bem escondido e protegido pelo governo estadunidense, provavelmente em algum local paradisíaco e a gozar de todas as regalias que conquistou pela ajuda sempre prestada ao governo dos EUA.
    A primeira delas foi assumir o atentado às Torres Gêmeas, o que garantiu a reeleição de George W. Bush; a segunda foi se deixar “matar” por uma operação militar, das mais confusas que já vi, realizada no primeiro mandato de Obama, o que também garantiu a esse o seu segundo mandato.

    Será que alguém engoliu mesmo aquela história do Bin Laden ter sido sepultado no mar? De que o governo estadunidense lhe concedeu esse favor em respeito à sua religião? O corpo não foi mostrado porque não houve defunto. Bem diferente do que ocorreu com Saddam Hussein, que teve seu enforcamento assistido mundialmente e o seu cádaver exibido, exaustivamente, durante sei lá quantos dias em todos os meios de comunicação.

    Bin Laden está vivo. O que está a matar os integrantes dos comandos militares que o “eliminaram” é a maldição para que o Bin Laden continue a ser dado como morto. Vai que amanhã ou depois, um dos soldados envolvidos tenha uns 5 minutos de bobeira e revele que tudo foi uma farsa? A maldição de Bin Laden é uma queima de arquivo, das brabas. Todos os envolvidos gradualmente eliminados.
    As baixas provocadas pela maldição de Bin Laden não foram poucas e não se restringiram aos escalões menores das forças armadas. O comandante de um dos grupos da missão, Job Price, de 42 anos, segundo informações não oficiais, teria se “suicidado” no dia 22 de dezembro do ano passado.

    Além disso, 20 soldados dos SEALs (unidades de operações especiais da Marinha dos Estados Unidos) que participaram da missão estão mortos. Esses nem voltaram para casa, morreram em missão ainda no Afeganistão, ou também, feito Job Price, “suicidaram-se”.
    A maldição do morto mais vivo do mundo não para por aí. Três meses depois da ação militar, um acidente de helicóptero matou, de uma só vez, 20 homens, em 6 de agosto. As Forças Armadas americanas abriram uma investigação para apurar a circunstância das mortes.
    Resultado das investigações? Ora, a maldição de Bin Laden. Querem explicação mais lógica?

    Fico a imaginar o Bin Laden, de bermudão, chinelão de dedo, deitadão numa rede em alguma praia particular do caribe, com seu harém a lhe abanar com folhas de coqueiro, a tomar pinãs coladas o dia todo e, vez ou outra, a receber visitas de seus amigos George Bush, Barack Obama e outros, em eterna dívida para com ele.

    Uma bela vida para um morto. Até eu queria. Obviamente que dispenso o bermudão florido, o chinelão havaianas, a praia e as visitas dos ianques.

    http://amarretadoazarao.blogspot.com.br/2013/01/bin-laden-esta-vivo-ja-seus-assassinos.html

  322. Chesterton said

    Alem do Lulla, da Dilma, quem me ferra É o Cabral, é o Eduardo paes….

    Informação do jornal O Globo:

    A Controladoria-Geral da União (CGU) apontou pelo menos 2,8 mil irregularidades no programa Bolsa Família em 24 municípios, sorteados para receber fiscalização do órgão. Segundo o site Contas Abertas, o principal problema verificado é de beneficiários com renda per capita superior à estabelecida na legislação do programa.

    Em Arraial do Cabo (RJ), por exemplo, foram identificados 397 beneficiários com a média de rendimentos acima do limite permitido. A prefeitura informou que bloqueou o valor pago aos beneficiários que não deveriam receber do programa e solicitou o comparecimento deles à Secretaria de Assistência Social, para formalização dos pedidos de cancelamento.

    Outra irregularidade encontrada nos município é o fato de vários funcionários públicos receberem o Bolsa Família. Santana (PE) tem 101,2 mil habitantes e PIB per capita de R$ 9,9 mil. Lá, 319 famílias recebem o benefício e foram encontrados 99 casos de favorecidos empregados na esfera municipal. A Secretaria Municipal de Assistência Social e Cidadania disse que “a gestão municipal do programa estabeleceu um Cronograma de Ações que verificará, caso a caso, as famílias relacionadas pela equipe de fiscalização da CGU”.

    Também foram encontradas irregularidades referentes aos estudantes pertencentes às famílias que recebem o benefício. Há divergências entre as frequências registradas com as informações prestadas pelas escolas, alunos beneficiários não localizados nos centros de ensino cadastrados e estudantes com frequência escolar inferior à estipulada pelo programa. Foi o que constatou a fiscalização em Sobral (CE), onde 43 alunos beneficiários que constavam nos registros como estudantes com presença integral não se encontram mais nas escolas relatadas. A prefeitura informou que as frequências foram registradas de forma integral para que os alunos não fossem prejudicados. “Vimos que estes beneficiários estavam matriculados e frequentando outras escolas. Porém, se o colocássemos como “não localizado”, eles seriam prejudicados”.

    do site o implicante

    obs: poxa Otto, agora Obama é presidente dos EUA, ele é de esquerda, cool, sumpimpan, tip=top.

  323. Otto said

    Quem é responsável pelo cadastramento dos beneficiários do Bolsa Família são os municípios.

    Obama cool? Poder ser, mas é um pau-mandado.

  324. Chesterton said

    Pau mandado de quem?

  325. Otto said

    Ora, quem manda nos EUA é um conglomerado de interesses corporativos.

  326. Chesterton said

    Tradição

    http://en.wikipedia.org/wiki/Oswaldo_Aranha

  327. Chesterton said

    Otto, Obama é o coletivismo a ser imposto, o sindicato mandando.

  328. Otto said

    Gente, que tal rir um pouco?

    imperdível. Impagável.

  329. Otto said

    “PSDB quer impedir Dilma de usar roupas vermelhas”

    PSDB entra com representação contra descendentes do Saci-Pererê.
    Alegam que o gorro vermelho é propaganda eleitoral antecipada e permanente para o Partido dos Trabalhadores.

  330. Marco Vinicius Chaim said

    O marxismo prossegue a tradição clássica onde ele diz que Lula fez a fala do último discurso televisivo da Presidenta. Melhor ainda, pois isso enquadra os pessimistas.

    Quero ver a Agência Nacional de Telecomunicações – e eu duvido que exista gente ingênua nesse meio – pedindo uma bolada muito grande, sabendo que o governo de Washington, no cenário internacional, irá induzi-la a trabalhar com isso, isto é, a única abordagem válida. O PT aparelhou as agencias reguladoras! Mas, e os tormentos que esses serviços da vida moderna causam ao brasileiro, melhoraram ou pioraram?

    As concepções da natureza tanto pressionaram que, para preservar a imagem internacional do Brasil nas eleições da Venezuela, fizeram a maquiagem das contas públicas.

    Aliás, alguém aí sabe de alguma empresa privada que conseguiu o milagre econômico de fazer política?

    Pena que a mão forte do governo não impeça nenhum maluco de entrar na escola dos filhos com uma agenda orquestrada pela grande mídia!!!!

  331. Jose Mario HRP said

    Terrivel tragédia se abateu sobre o Rio Grande do Sul e sobre o país.
    Uma casa noturna em Santa Maria pegou fogo e já se levantaram dados de 150 mortos e mais de 200 feridos!
    Desculpem o off topic.

  332. Chesterton said

    O RS terá que importar funcionarias da noite?

  333. Chesterton said

    Caraca, só vi agora. 200 mortos por causa de uma imbecilidade.

  334. Zbigniew said

    245 mortos! (até agora).
    Pela irresponsabilidade, estupidez e ganância.
    Fogos, isolamento acústico de espuma, mais de mil pessoas num ambiente fechado com uma única saída.
    Quem deu o alvará, quem molhou a mão e quem deixou-se molhar?
    A sociedade exige uma apuração rigorosa e imediata para um absurdo dessas proporções!

  335. Jose Mario HRP said

    O drama tem cores mais fortes porque a grande maioria dos frequentadores eram moços e moças universitários com idade entre 18 e 23 anos.
    Então além das mortes há o dor dos parentes.
    As vezes o que nos iguala como brasileiros é que os picaretas existem em todo lugar.
    Como bem destacou o Zbigniew

  336. Pax said

    Caramba. Que tragédia.

  337. Otto said

    Tchau, gente: tô indo me “internar” num local sem tevê, internet, família, nada, pra meter a cara nos estudos durante uma semana!

    Se o mundo acabar (em Santa Maria quase acabou!) não ficarei sabendo.

  338. Chesterton said

    A Funai sabe, mas finge-se de morta: índios estariam contrabandeando nióbio “a pedidos” na Reserva Raposa do Sol, em Roraima. Morro dos Seis Lagos, em São Gabriel da Cachoeira (AM), tem a maior reserva do mundo do mineral, que, segundo experts, “poderia salvar o Brasil”.

    chest- reclamar para quem , para a presidanta ou para o paralelo?

  339. Chesterton said

    mais do CH

    O PARTIDO ANTROPOFÁGICO
    Por Carlos Chagas

    José Dirceu, em recente artigo, acusa a imprensa e as oposições de pretenderem desconstruir o PT. Com todo o respeito às agruras do ex-ministro e deixando que PSDB e penduricalhos respondam por eles, vale registrar a injustiça praticada contra a mídia. Não somos nós que erodimos o PT: é o partido que se desconstrói.
    Quando fundado, vinte e três anos atrás, o PT entusiasmou meio mundo. Seria uma legenda diferente, despojada dos vícios que caracterizavam o quadro partidário, empenhada na construção de um país novo.
    Não apenas os trabalhadores e os jovens aderiram. Houve grande adesão à proposta nos planos filosófico e ideológico. A chamada intelectualidade aplaudiu a promessa de uma sociedade mais justa, mais fraterna, mais igualitária. Relevou-se, até, certo desconforto diante do sectarismo de alguns dos fundadores.
    O diabo é que o radicalismo foi crescendo até a imposição de um comportamento automático a todos os companheiros. Diretrizes viraram ucasses. Começaram as expulsões e as defecções. Estas, até, em maior número. O que era para ser um fórum de debates virou um batalhão em ordem unida. Qualquer passo errado significava desligamento. A Igreja pediu para sair, cientistas, escritores e profissionais liberais escafederam-se, em grande parte. Parlamentares, também. Em nome da pureza dogmática sufocaram as divergências e as discussões.
    Adiantou muito pouco o PT fatiar-se em grupos variados. Todos são obrigados a reger a mesma partitura, deixando a impressão de que se dividiram apenas para cuidar do espólio, depois de alcançarem o poder.
    Assim, dr. Dirceu, não somos nós, da imprensa, a desconstruir o PT. É o próprio partido, cultor do Manifesto Antropofágico.

  340. Elias said

    “Competência política? Ora, você confunde política com Política. A coisa mais difícil é tomar o poder de um partido de esquerda, depois que colocam a mão na chave do cofre compram votos e mais votos eleições atrás de eleições…..isso é muito velho. Viramos a Venezuela, não há oposição a não ser na imprensa e na internet. Bom, vamos continuar juntando dinheiro para fazer a festa quando a bolha explodir….” (Chesterton)

    Ah, sei…

    O Chesterton faz Política…

    Napoleão de hospício,,,

    Mas, segundo o Carlos Chagas, o PT não está se “desconstruindo”? (Vai ver quer ele considera o PSDB monoliticamente estruturado…).

    Aliás, ele leu uma coisa e entendeu outra.

    O artigo do Zé Dirceu diz que a imprensa e as oposições PRETENDEM desconstruir o PT. O que não significa dizer que estejam conseguindo.

    O Carlos Chagas comentou o artigo, argumentando como se o PT estivesse sendo desconstruído…

    Não é nada disso, seu CC do Chester… O Sr. tá ficando velho… Ou cansado… Ou as duas coisas… Ou as duas coisas e, ainda por cima, desesperançado por estar por baixo…

    O PT pode estar DESNATURADO (e está mesmo). Mas a máquina partidária está longe de ser “desconstruída”, o que quer que isso signifique.

    Tanto que já está se organizando e se armando pra encher o PSDB de porrada, no ano que vem.

    Seu CC do Chester: não confunda desejo com constatação.

    Nem pato no tucupi com entupir o cu do pato. Nem Nabucodonosor com nabo do cu do senhor, viu?

  341. Chesterton said

    Afinal, o PT está desnaturado, mas a máquina não está desnaturada? Olha Elias, eu não sei, coloquei aí para vocês entendidos darem uma opinião. Mas eu acho que se Lula desaparece, o PT vai junto. Se tiver mesmo máquina, aí não vai.

  342. Chesterton said

    A fórmula do crescimento

    No momento em que tanto se discute o aumento de produtividade no Brasil, é importante olharmos exemplos de países que foram bem-sucedidos na área. Cingapura é um caso muito interessante.

    O país tornou-se totalmente independente na década de 60. Era, na época, uma pequena cidade-Estado portuária, sem recursos naturais e muito pobre. O desafio era adicionar valor e crescer com base exclusivamente na produtividade, na sua capacidade de prestar serviços e de produzir bens que pudessem ser consumidos por outras regiões do mundo.

    Sua renda per capita naquele período equivalia à das regiões mais pobres do Brasil. Hoje, como um dos líderes globais em produtividade, sua renda per capita é de cerca de US$ 40 mil/ano, um dos países mais ricos do mundo.

    Conversando, certa vez, com Lee Kuan Yew, primeiro premiê e principal líder do país, ele citou aspectos esclarecedores da bem-sucedida estratégia cingapuriana. Inicialmente, disse ele, é importante desenvolver estratégia adequada às características do país.

    Ao contrário do Japão, da Coreia do Sul e da China, Cingapura decidiu basear seu crescimento, nesse primeiro estágio, em indústrias subsidiárias de multinacionais. Em seguida, estimulou fornecedores das empresas globais usando o banco nacional de desenvolvimento. Depois, o objetivo foi tornar-se grande centro financeiro e de prestação de serviços global com investimentos em infraestrutura, comunicação e qualidade de serviço. Para isso, focou investimentos em educação.

    Questionado por que não optara por estimular logo no início a criação de grandes indústrias, Lee disse que não havia escala necessária no país. Perguntado se estava se referindo ao fato de Cingapura não ter mercado interno suficiente para sustentar o nascimento de grandes grupos, respondeu que não era este o ponto, pois esses grupos poderiam vender para o mundo todo, prescindindo de um mercado doméstico. Esclareceu que se referia à escala de talento, ao número de profissionais qualificados para administrar as empresas, fazer pesquisa e desenvolvimento, criar, construir e administrar um grupo global.

    Os EUA, por exemplo, têm não só educação de primeira, mas também número de formados muito elevado, criando a escala que viabiliza a seleção de profissionais para desenvolver grande número de empresas globais.

    O que Cingapura mostra é que, independentemente da estratégia, que precisa se adequar às condições de cada país, a capacidade nacional de desenvolvimento dependerá da capacidade de produção da população. Ou seja: os três fatores mais importantes para o crescimento de um país no longo prazo são educação, educação e educação.

    HENRIQUE MEIRELLES

    chest- vejam bem que ele falaem educação financeira e tecnológica, não sociologia, geografia, e outras humanas por aí….

  343. Pax said

    Acredito que todos estejamos “passados” desde ontem. Confesso que estou.

    Aqui um alerta interessante, sem querer entrar em posição de julgar o que quer que seja.

    Fogos de artifício, pirotecnia, o que seja, em lugar fechado, não é boa ideia, segundo histórico trágico mundo afora.

    Pirotecnia em locais fechados causou tragédias em várias partes do mundo

    http://www.bbc.co.uk/portuguese/noticias/2013/01/130127_uso_pirotecnia_incendios_ss.shtml

  344. Jose Mario HRP said

    Bem a seu estilo Dilma botou pra trabalhar seu ministério mastodontico!
    Todo mundo convocado a atuar na ajuda as vítimas e aos familiares do terrivel incêndio.
    Desse drama atroz um fato de destaque:
    Não havia mais onde estocar sangue na cidade e no estado!
    E por fim , a estréia dos CH 60, helicopteros norte americanos , do esquadrão Pantera, que são os “tops” aqui e nos EUA, na ponte aérea médica entre P.Alegre e Santa Maria.
    Êxito total como sempre com a FAB!

  345. Pax said

    Na boa, Dilma merece elogio, sim,

    Não somente se comoveu como todos, voltou rapidinho do Chile e botou a máquina a seu alcance pra funcionar.

    – – –

    Agora é tirar lição da tragédia. Fico cá pensando em coisas a serem feitas:

    1 – proibir terminantemente fogos de artifício em espetáculos fechados. E os que tem, tipo reveillon etc, somente com gente especializada. Outra é atuar nas fábricas destes artifícios. Quantas tragédias já vimos em situações dessas, fabriquetas de fogos sem segurança alguma etc etc.

    2 – imediatamente fiscalizar as casas de espetáculo. Conheço uma em SP que não volto nunca mais. É uma arapuca igual a tal boate de Sta Maria. Uma só porta, mesmo labirinto para entrar e sair pelos caixas de pagamento, sempre lotada. Fui no aniversário de uma radialista amiga e não volto mais. Em todas, infelizmente para os proprietários, que sejam fechadas até que tenham todo um esquema de saída muito bem equacionado e os esquemas de incêndio (extintores, luzes, equipes) funcionando nos trinques.

    Ao menos essas parecem necessárias e urgentes.

    Se vão fazer? Claro que não. Depende de legislação, de fiscalização, de prefeituras, de estados, etc. Tudo, pra variar corrompido.

  346. Jose Mario HRP said

    Em Buenos Ayres, depois do grande incêndio de um night club, há alguns anos atrás, com quase duas centenas de mortos, a vida noturna nunca mais foi a mesma, e a legislação ficou draconiana.
    Não posso afirmar com toda a certeza , mas ao que parece os night clubs ficaram proibidos de funcionar enquanto se criava uma nova legislação, norteando o funcionamento desses tipos de empreendimentos.
    Ao que parece deu resultado.

  347. Pax said

    Como funcionam as coisas por aqui…

    http://blogdosakamoto.blogosfera.uol.com.br/2013/01/28/um-alvara-nao-torna-uma-casa-noturna-segura-em-sao-paulo/

    pois é.

  348. Elias said

    “Afinal, o PT está desnaturado, mas a máquina não está desnaturada?” (Chesterton)

    E isso ainda quer ensinar a diferença entre “política” e “Política”…

  349. Elias said

    Pax # 347

    O artigo do Sakamoto serve como desabafo pertinente, aproveitando a onda de indignação provocada pela tragédia.

    Mas ainda não explica muita coisa.

    O problema, no caso, não são as dificuldades burocráticas pra se licenciar um empreendimento desse tipo.

    O problema são as “facilidades” que são vendidas, das quais resultam a liberação para funcionamento de prédios absolutamente inadequados às finalidades a que se destinam.

    Casas noturnas, no Brasil, são sinônimos de insegurança predial. Os proprietários montam verdadeiros cenários. Pelo lado “direito”, tudo muito bonitinho. Pelo “avesso”, são paredes feitas de compensado ou MDF, isolamento termo-acústico de isopor, instalações elétricas não estruturadas, nenhuma saída de emergência, nenhum sistema anti-incêndio… E daí pra baixo!

    Em circunstâncias assim, um pequeno curto-circuito pode se transformar numa tragédia de grandes proporções.

    Estive dando uma olhada nas exigências legais pra licenciamento de casas noturnas. Poucos estados regulamentam o material construtivo. Menos, ainda, as técnicas construtivas.

    Aí o sujeito aluga um galpão, enche de divisórias de compensado e MDF e… Tudo bem.

    Em lugares assim, a distância entre uma faísca e uma fogueira é mínima…

    Interessante é que existem coisas nas NBRs, que, se postas em prática evitariam tragédias como essa do RS. Um amigo lembra, ainda, que as NBRs estão desatualizadas; ainda não absorveram materiais e técnicas construtivas recentemente desenvolvidos.

    Talvez fosse um caminho: (a) atualizar científica e tecnologicamente as NBRs; (b) tornar legalmente obrigatório a observância dessas normas para a liberação de casas noturnas e casas de espetáculos em geral (inclusive cinemas), em todo o país.

    Seria mais um golpe na autonomia dos Estados… Mas um golpe necessário.

  350. Zbigniew said

    Até que ponto vai o ódio político e a estupidez humana (esse cara só pode ser doente, é impressionante!):

    “247 – Para o blogueiro neocon Reinaldo Azevedo, de Veja.com, Luiz Inácio Lula da Silva erra até quando demonstra solidariedade. Segundo ele, a nota divulgada pelo ex-presidente e pela ex-primeira-dama Maria Letícia seria uma evidência de que “não tem mesmo limites”. Leia abaixo:

    PS – Por mais que fique constrangido e até envergonhado de escrever isto num texto dessa natureza, é inevitável. Vamos lá. Dilma Rousseff fez bem ao interromper a sua viagem e se deslocar para Santa Maria. É a presidente de todos os brasileiros, e uma grande tragédia aconteceu por lá. Goste-se ou não disso, representa todos os brasileiros. A presidente chorou, e acho que estava sendo sincera. Dispensável, porque tem o cheiro inevitável da exploração política, é a nota de Lula e sua mulher, Marisa. Ele não exerce mais cargo público. E não se espera que cada político se manifeste a respeito. Dilma está investida do cargo mais importante da República. Ele, embora não se dê conta disso, não. É só mais uma evidência de que não tem mesmo limites.

    Ontem, em sua página no Facebook, como um cidadão comum, e não como autoridade pública, Lula publicou a seguinte mensagem:

    O Brasil inteiro está triste e de luto pelas mortes ocorridas no incêndio em Santa Maria. Nesse momento difícil, expressamos nossa solidariedade aos amigos e familiares das vítimas e à toda a população da cidade, mas em especial aos pais e mães por essas perdas irreparáveis. Nossos sentimentos.
    Marisa Letícia e Luiz Inácio Lula da Silva”

    http://www.brasil247.com/pt/247/midiatech/91870/Reinaldo-vê-erro-de-Lula-até-numa-tragédia.htm

  351. Elias said

    Do noticiário da ADVFN:

    “O banco Bradesco (BBDC4) apresentou hoje pela manhã o resultado de suas operações referentes ao quarto trimestre de 2012 (4T12). No período, a instituição lucrou R$ 2,92 bilhões, um crescimento de 6,1% na comparação anual, mas levemente abaixo da expectativa dos analistas. O Lucro Líquido Ajustado do exercício 2012 foi de R$ 11,52 bilhões, alta de 2,9% em relação a 2011, correspondendo a R$ 3,02 por ação, com rentabilidade de 19,2% sobre o Patrimônio Líquido Médio. Desse resultado, R$ 7,93 bilhões foram provenientes das atividades financeiras e R$ 3,58 bilhões foram gerados pelas atividades de seguros, previdência e capitalização. Os Ativos Totais encerraram 2012 com saldo de R$ 879,1 bilhões, crescimento de 15,4%. ”

    Geração de lucro: pelas atividades financeiras = 69%; pelas atividades de seguros, previdência e capitalização: 31%.

    Pelo que soube, no Itaú-Unibanco também não tem ninguém chorando… Pelo contrário…

    Quer dizer, então, que aquele papo da Febraban (e da FSP, e do Estadão, e da Veja, e da Exame…) não era pra valer? Era mentira?

    Esses caras não têm o menor respeito pela inteligência dos leitores deles. Eles agem como se os leitores deles fossem verdadeiras toupeiras… Imbecis absolutos!

    Já pensou se algum desses imbec…, digo, leitores, houvesse tomado decisões de aplicação financeira, com base nas “análises econômicas” desses “respeitáveis” veículos da imprensa?

    Bem… Há alguns dias, houve gente perdendo uma grana braba, porque pegou corda da Veja On Line. No dia seguinte a empresa pediu desculpas. Disse que o erro se devia a uma “falha de procedimento interno” (ah, booom… Se é assim, está perdoada…).

    Quem pagou o mico, dificilmente ainda enterrará dinheiro no que quer que seja, com base no que essa revista publicar. Vai botar as duas patas pra trás…

    Isso, sim, Chester, é auto-desconstrução!

    Ninguém precisa fazer nada contra esses caras. É só deixá-los entregues a si mesmos.

    Alguém precisa recomendar ao jornalista Charles Cataract Waterfall, editor e pauteiro da Veja, que ele dê um jeito de contratar um astrólogo (ou um pai-de-santo, tanto faz…), pra fazer análise econômica para a revista.

    Talvez assim ela aumente um pouco a taxa de acerto…

    Mas — veja bem, Veja… — não pode ser aquele astrólogo que profetizou que, a partir de agosto de 2010, quando Mercúrio entrasse em conjunção carnal simultânea com Netuno, Urano e Júpiter (tremenda suruba…!), José Serra iria disparar nas intenções de voto, do que resultaria sua tranquila eleição para Presidente da República.

    Uma outra opção pra Veja, FSP e Estadão, seria contratar lixeiros europeus.

    Numa pesquisa de largo prazo — 10 anos — feita pelo Financial Times, os lixeiros europeus foram a categoria profissional com maior índice de acerto, nas previsões sobre o que aconteceria com a economia da Europa. Os lixeiros surraram impiedosamente categorias como economistas, contadores, advogados, publicitários, etc.

    JA SEI…!

    O PSDB poderia contratar alguns desses lixeiros pra assessorar o partido.

    Assim — quem sabe? — o PSDB poderia ter um programa e, nas eleições, não se veria obrigado a dizer que “vai dar continuidade à obra do Lula”… Até porque dizer isso, como fez o Serra, é burrice à quinquagésima potência… (passa 8 anos criticando O CARA para no fim, dizer que, quando crescer, que ser como ele e fazer o que ele fez…).

    Vamunessa, tucanada! Corram pro lixo!

    Assessorados pelos lixeiros, pode ser que vocês façam uma campanha mais inteligente…

  352. Chesterton said

    calma coma guilhotina, ser dono de casa noturna ainda não é crime no Brasil.
    Mas alguem me conte uma coisa, alguma casa noturna do mundo é imune a fogos de artifício e pirotecnias?

  353. Pax said

    sinceramente…

    o que é crime no Brasil?

    http://www.observatoriodaimprensa.com.br/news/view/efeitos_especiais_de_um_beijo_macabro

  354. Chesterton said

    Tascar fogo na casa dos outros.

  355. Chesterton said

    Bom o texto do Dines, mas me explica o porquê da expressão “alegria privatizada”.

  356. Zbigniew said

    Não podemos tratar o empresário como inimputável. Ele tem responsabilidades com os clientes pelo serviço oferecido e deve assumir o risco do negócio (não só o econômico). Até porque ele quer o sucesso do empreendimento e a sua manutenção o máximo de tempo possível se o mesmo consegue auferir lucro. Na página da internet da banda um dos atrativos é o show pirotécnico. Ora, o empresário não sabe fazer a leitura do perigo quando ele é o resposável pelo isolamento acústico pelo tipo de espuma aplicada, altamente inflamável e tóxica?
    E ainda, uma única saída vigiada por seguranças para evitar “evasão de divisas”. Acredito que se tivesse mais saídas estariam trancadas.
    Outrossim não podemos esquecer da responsabilidade do Estado na figura da Prefeitura, Defesa Civil, Corpo de Bombeiros e de quem deveria fiscalizar o funcionamento dessa casa.
    A apuração deve ser rigorosa e originar leis draconianas para que se evitem tragédias desse tipo. Vidas foram ceifadas pela ganância e estupidez.

  357. Pax said

    http://commons.wikimedia.org/wiki/File:Emergency_Exit,_Ballroom_of_Romance,_Glenfarne_-_geograph.org.uk_-_1089901.jpg?uselang=pt

    http://www.lmc.ep.usp.br/people/valdir/wp-content/PTSIII/saidas.html

  358. Zbigniew said

    Se existem normas e especificações de segurança para cada ambiente como bem trouxe o Pax não é nada forçado dizer que ali se praticou um crime, num primeiro momento por negligência, tanto do empresário quanto do Poder Público. Esses sim, terão que ser responsabilizados.

  359. Chesterton said

    356, ZIG, concordo. Tem-se que investigar. mas lembre-se que o bombeiros aprovaram o alvara até agosto. Então tem que dividir a responsabilidade.

  360. Zbigniew said

    É isso, Chesterton.
    Há uma cadeia de eventos em que podemos achar diversos responsáveis, cada um com seu peso.
    Podemos (e devemos) aprender com outros exemplos como na Argentina, como a tragédia da Boate República Cromáñon, observando que neste caso específico existiam outras saídas mas estavam fechadas para evitar que penetras entrassem (essa foi a desculpa dos empresários). O governo chamou os empresários do setor, músicos, arquitetos, engenheiros e os grupos que representam os pais das vítimas daquela tragédia e tomaram as seguintes providências:

    “As medidas incluíram mais sinalização interna das discotecas indicando a saída de emergência; menos tolerância no tocante ao limite de público autorizado para cada local e a colocação de cartazes indicando a quantidade permitida de pessoas no recinto.
    Locais com mais de um andar devem também agora atualizar, regularmente, informações sobre a resistência do prédio, segundo documento da Agência Governamental de Controle publicado (AGC) no site do governo da cidade de Buenos Aires.”
    http://www.bbc.co.uk/portuguese/noticias/2013/01/130127_cromagnon_tragediarg.shtml

    Obviamente que a observância das normas técnicas para casas dessa natureza já existem e devem ser do conhecimento dos empresários do ramo e dos órgãos de fiscalização. Com essa tragédia (a de Santa Maria) considero obrigatórios que todos os empresários do ramo no país, além de prefeitos, Ministério Público e demais órgãos de fiscalização e controle se debrucem nas atuais condições de TODAS as casa de shows e espetáculos, boates e congêneres, para que situações como essas não se repitam, sob pena de termos que, novamente, prantearmos a perda de vidas preciosas. A repetição de um fato dessa natureza seria um fracasso de uma sociedade que se queira ter por civilizada.

  361. Chesterton said

    É assim na aviação, se aprende nas tragédias.

  362. Michelle 2 said

    lula no twiter dizendo-se solidário à tragedia de St.Maria, assinando junto com D.Marisa Letícia, hum…

    Surrealismo puro. lula no twiter junto com D. Galega é soberbo. Nem Buñuel conseguiria tanto clima.

  363. Michelle 2 said

    lula tuitando …já é. Agora imagine lula tuitando junto com D. Galega …, eu diria q é:
    é x 10

    lula não tem vergonha. É covarde e contrata RPs pra fazer a presença.

  364. Pax said

    Sim, já sabemos da posição do vosso líder e pastor, desnecessário repetir tudo que o Jim Jones político fala.

  365. Pax said

    http://oglobo.globo.com/pais/socios-da-boate-kiss-tem-ficha-na-policia-por-agressao-estelionato-7429062

  366. Elias said

    Mais do noticiário da ADVFN de hoje:

    ” Vale propõe remuneração mínima a acionista
    A Vale informou ontem, após o fechamento do mercado, a proposição para o pagamento de remuneração mínima aos acionistas para 2013 no valor de US$ 4 bilhões, correspondente a US$ 0,776190372 por ação ordinária (VALE3) ou preferencial (VALE5), a ser distribuído aos acionistas em duas parcelas nos dias 30 de abril e 31 de outubro de 2013. O valor é 33% menor do que o proposto para pagamento no ano passado. Segundo a companhia esta remuneração é consistente com suas diretrizes da política financeira. ”

    É… É consistente, sim, com as diretrizes de política financeira da Vale.

    E consistente, também — e muito mais! — com a perda de US$ 4,2 bilhões, por conta de malfeitos do Agnelli, destacadamente: (a) a compra do Onça Puma, que, até hoje, jamais rodou com as quatro (nem com as três, nem com as duas… A buchada do momento é a perda total de um alto forno, que terá que ser feito do zero, entendendo-se por zero alguns zilhões de dólares que terão de ser gastos da reconstrução total); (b) a compra dos mega-navios que não navegam; (c) o enfrangalhamento da Docenave (exatamente quando o preço do frete da tonelada da alumina e do alumínio ficou mais alto que o preço da tonelada da alumina e do alumínio); e, por fim, (d) a venda da Albrás e da Alunorte, recebendo como pagamento papéis que, em pouco mais de um ano, se desvalorizaram em mais de US$ 1 bilhão.

    Um executivo com a taxa de acerto do Agnelli faliria uma mercearia em 3 meses…

  367. Michelle 2 said

    Cada um tem o líder e pastor que merece.

  368. Pax said

    Dilma promete mudanças nas Agências. Será que melhora?

    http://app.folha.com/m/noticia/224041

  369. Pax said

    Essa foi boa, enquanto a Míriam Leitão falava das Agências, a ligação… caiu.

    Dá-lhe João Resende. Quem te mantém por aí?

    http://cbn.globoradio.globo.com/comentaristas/miriam-leitao/MIRIAM-LEITAO.htm

  370. Pax said

    O Brasil que não funciona, com estes loteamentos todos, continuará não funcionando.

    Caso uma grana que qualquer das pastas relacionadas na notícia abaixo não melhorarão em nada.

    http://oglobo.globo.com/pais/dilma-define-reforma-ministerial-em-reuniao-com-temer-7824598

Faça seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 36 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: