políticAética

Notícias da Corrupção, Desvios, Anomalias, Eleições e Meio Ambiente

  • Sobre o blog

    Uma coletânea das notícias da corrupção, desvios, anomalias, eleições e meio ambiente que aparecem na mídia todos os dias a partir de agosto de 2008.
  • Categorias

  • Arquivos

  • Páginas

  • Meta

Mensalão tucano: data maxima venia, que barbaridade

Posted by Pax em 27/03/2014

Que interpretação leiga se tira da decisão de hoje, do STF, que o mensalão tucano não será julgado pela suprema corte?

Que o pau que bate em Francisco (PT – mensalão petista) não é o mesmo que bate em Chico (PSDB – mensalão tucano). Temos Justiça para brancos diferente que para negros, justiça para camisas azuis e justiça para camisas vermelhas?

Data maxima venia.

STF decide que Azeredo será julgado pela Justiça de Minas – Agência Brasil

André Richter – Repórter da Agência Brasil Edição: Juliana Andrade
O Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu hoje (27) que Ação Penal 536, o processo do mensalão mineiro, será julgada pela Justiça de Minas Gerais. Com a decisão, o ex-deputado federal Eduardo Azeredo (PSDB-MG), investigado por desvio de dinheiro público durante a campanha pela reeleição ao governo estadual em 1998, não responderá às acusações no STF.

Os ministros decidiram que, após renunciar ao mandato de deputado federal, em fevereiro, Azeredo perdeu o foro privilegiado, e não pode ser julgado pelo Supremo. A maioria seguiu o ministro Luís Roberto Barroso, relator da ação penal, que votou a favor da remessa do processo à Justiça de Minas. Seguiram o relator os ministros Teori Zavascki, Rosa Weber, Luiz Fux, Dias Toffoli, Gilmar Mendes, Marco Aurélio e Celso de Mello.

Barroso também estabeleceu critérios gerais para evitar que, em julgamento de casos futuros, a renúncia de agentes públicos que tenham prerrogativa de foro evite a mudança de competência dos tribunais para julgar as ações penais. Segundo Barroso, após o recebimento da denúncia pelo Supremo, parlamentares serão julgados pelo STF, mesmo se renunciarem ao mandato. No entanto, não houve consenso, e a questão voltará a ser debatida na próxima semana.

O presidente do STF, Joaquim Barbosa, votou a favor do critério proposto pelo relator, mas entendeu que a regra é válida no caso do ex-deputado. Barbosa afirmou que a renúncia de Azeredo teve a finalidade de evitar o julgamento pelo STF e na Justiça de primeiro grau, tendo em vista a possível prescrição das penas. “O processo tramita aqui há nove anos. Começou na mesma época da Ação Penal 470 [processo do mensalão], foi decorrente dela. Só de abertura da ação penal vamos para mais de quatro anos. Não parece bom para o tribunal permitir essa valsa processual, esse vai e volta.”

Eduardo Azeredo renunciou ao mandato parlamentar em fevereiro, após o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, apresentar as alegações finais no processo, última fase antes do julgamento, pedindo a condenação do ex-deputado a 22 anos de prisão.

Nas alegações finais, o procurador-geral da República disse que Azeredo atuou como “um maestro” no esquema, desviando recursos públicos em benefício próprio para financiar a campanha política. Janot ressaltou que a prática dos crimes só foi possível por meio de um esquema criminoso montado pelo publicitário Marcos Valério, condenado na Ação Penal 470.

No documento enviado ao STF, Janot detalha como funcionava o esquema de desvios. Segundo ele, o então governador Eduardo Azeredo autorizava três empresas estatais – as companhias de Saneamento de Minas Gerais (Copasa) e Mineradora de Minas Gerais (Camig) e o Banco do Estado de Minas Gerais (Bemge) – a liberar o pagamento de patrocínios de R$ 3,5 milhões, valores da época, para três eventos esportivos de motocross. A partir daí, o dinheiro passava pela agência de publicidade de Valério, por contas de empréstimos fraudulentos feitos no Banco Rural, e chegava à campanha do candidato.

Mesmo com a renúncia, o advogado de Eduardo Azeredo apresentou defesa ao Supremo. José Gerardo Grossi negou que o então governador mineiro tenha determinado a aquisição de cotas de patrocínio dos eventos pelas empresas citadas na denúncia.

O advogado também negou que Azeredo tivesse conhecimento da participação do publicitário Marcos Valério na contratação de empréstimos fictícios. Valério foi condenado a 37 anos de prisão na Ação Penal 470, por ser operador do núcleo financeiro que abastecia o esquema.

Na rede social Twitter, o ex-deputado disse que acata a decisão do STF. “Espero que processo referente à campanha de 98 siga na normalidade, sem provas falsas ou contaminação política”, afirmou.

About these ads

49 Respostas to “Mensalão tucano: data maxima venia, que barbaridade”

  1. Otto said

    Pax, é o que eu venho dizendo:

    o julgamento da AP 470 foi um ponto fora da curva, isto porque eles eram feios, malvados e petistas…

  2. Chesterton said

    Ora, o mesmo STF que livrou Dirceu livrou Azeredo. Nomeado em sua maioria pelo PT. O STF mudou ou vocês não notaram?

  3. Otto said

    “Ora, o mesmo STF que livrou Dirceu livrou Azeredo.”

    Uai, eu não sabia que o Dirceu tinha sido solto?

  4. Jose Mario HRP said

    E mais e mais da tucanização do STF!
    Valeu Gilmar!
    Tá tudo dominado!

  5. Chesterton said

    Diceu foi aliviado ou não foi?

  6. Patriarca da Paciência said

    A tal ação penal 470 sempre foi e sempre será um monstrengo jurídico ! Não formou jurisprudência e tem tudo para ser anulada ! Se o azarado, boi piranha, bode expiatório etc.etc.etc. do PSDB, simplesmente porque renunciou ao mandato, com a firme intenção de escapar do STF, vai ser julgado em primeira instância, como justificar o Pizzolato, José Dirceu, Delúbio e todo aquele pessoal do banco e até simples funcionários que foram julgados pelo STF ?

    Só mesmo na cabeça do Barbosão !

    E o Barbosão já deu provas cabais que não é detentor de “notável saber jurídico”.

  7. Elias said

    Patriarca,
    Tem uns trecos, aí, que valem a pena olhar com cuidado.

    Um deles, é o fato do processo ter sido aberto no STF, e, no meio do caminho, ser encaminhado a instância inferior, porque o réu renunciou ao mandato.

    Outro, é o fato do crime prescrever com o processo em tramitação.

    Em qualquer país que se dê ao respeito, a contagem do prazo prescricional é interrompida a partir do momento em que o processo começa a tramitar.

    Aqui, é essa m… aí…

    A coisa fica fácil: o réu adota uma tática procrastinatória… Vai retardando o proce$$o com o$ mais$ diferente$ argumento$ e procedimento$, um$ mai$ ou meno$ ortodoxo$, outro$, nem tanto, e outro$ mai$, qua$e $empre muito mai$, totalmente heterodoxo$.

    Aí, é só dar tempo ao tempo…

    A mesma coisa é a renúncia do parlamentar, como estratégia para mudança de foro (que, na verdade, é uma das táticas de procrastinação).

    Azeredo não é o primeiro a fazer isso. Muitos outros fizeram o mesmo. E continuarão a fazer, enquanto a lei não for mudada.

    Jader Barbalho, p.ex., quando entrou em rota de colisão com Toninho Malfadeza (foi quando Jader perdeu a fama de mocinho e ganhou a reputação de bandido), acabou com um processo nos cornos, no STF.

    O que ele fez? Primeiro, procrastinou no STF. Só que o Malvadeza Durão marcava em cima do lance, e fez a coisa andar. Então Jader renunciou ao mandato de senador. Meses depois, o processo foi encaminhado à primeira instância no TJE do Pará. Tomou embargo de gaveta durante anos… Quando recomeçou a andar, Jader já havia sido eleito deputado federal. Foro privilegiado, portanto. Depois de alguns meses mais, quase um ano, voltou ao STF. Novo embargo de gaveta e… Malvadeza desembarcou… O delito prescreveu!

    Com Dirceu foi diferente. Ele não renunciou ao mandato de deputado federal. Ao contrário, ele saiu do governo e assumiu o mandato e foi cassado. Um monte de gente recomendou que ele não fizesse isso, mas ele preferiu do jeito dele. Pagou pra ver… E viu, né?

    De qualquer modo, o que estou pretendendo é chamar a atenção para o fato de que, no Brasil, vigora o absurdo do prazo prescricional ser contado com o processo em andamento (“em andamento” por assim dizer… No STF, pra quem pode, processo pode estar “em andamento” dormindo na gaveta de alguma “excelência” durante anos.

    O próprio Joaquim Barbosa, aliás, foi publicamente esculhambado pelo Gilmar, inúmeras vezes, por ficar fazendo viagens aos exterior, uma atrás da outra, enquanto processos mofavam em sua (dele, Barbosa) gaveta, sem nenhuma providência.

    O Barbosa sempre se defendia, alegando que viajava pra tratar daquele problema que ele diz que tem no rabo…

    (As porradas entre Barbosa e Gilmar foram públicas. Ganharam as manchetes e estão na internet, pra quem quiser rememorar).

    Sem menosprezar o problema que Sua Excelência tem no fiofó — até porque o fiofó de Sua Excelência, mesmo que esteja podre, merece o maior respeito — este filho de meu pai, como cidadão brasileiro, acha que não tem a menor obrigação de ter a menor sombra respeito pela porra dum tribunal no qual um processo passa 9 anos, vagando como um fantasma, sem nenhuma decisão…

    …Nem pela lei que permite que aberrações como essas aconteçam, impunemente.

    Por mim, num caso como esse, quem deveria ir pra cadeia não seria o réu, e sim os juízes.

    Pra se ter uma ideia de como a reforma do Judiciário — o mais corrupto entre os poderes do Brasil! — é necessária e urgente.

  8. Otto said

    Pax, gostaria de saber sua opinião sobre esse post do PML:

    ENTRE A JUSTIÇA E A FARSA
    Depois da vitória correta de Azeredo no STF cabe perguntar por que os réus da AP 470 não tiveram o mesmo direito

    Ao decidir, por 8 votos a 1, que Eduardo Azeredo deve ser julgado em Minas Gerais pelas denúncias ligadas ao mensalão tucano, o Supremo fez a opção correta entre a farsa e a justiça.

    A farsa, como se sabe, consistia em negar a Azeredo o direito de ser julgado em primeira instancia – e depois pedir um segundo julgamento em caso de condenação, como a lei assegura a todo cidadão sem prerrogativa de foro – apenas para manter um teatrinho coerente com a AP 470.

    Eduardo Azeredo teve seu direito reconhecido pacificamente, por 8 votos 1, placar tão folgado que desta vez não se ouvirá o coralzinho de quem culpa os “dois ministros da Dilma” por qualquer resultado que não lhe agrada.

    Em nome da mitologia em torno do “maior julgamento da história” se poderia querer repetir uma injustiça por toda a história.

    Assim: já que nenhum réu ligado ao PT teve direito a um julgamento em primeira instância, o que permite a todo condenado entrar com um recurso para obter um segundo julgamento, era preciso dar o mesmo tratamento a pelo menos um dos réus ligados ao PSDB.

    Para esconder um erro, era preciso cometer um segundo – quando todo mundo sabe que isso não produz um acerto, mas apenas dois erros.

    Com decisão de ontem ficou um pouquinho mais fácil reconhecer um fato que já é reconhecido por um número crescente de estudiosos, de que a AP 470 foi resolvida como um julgamento de exceção.

    Nas fases iniciais das duas ações penais, não custa lembrar, o STF deu sentenças diferentes para situações iguais, o que sempre pareceu escandaloso.

    Desmembrou o julgamento dos tucanos. Apenas réus com mandato parla

    mentar – Azeredo e o senador Clésio Andrade – ficaram no Supremo.

    O mesmo tribunal, no entanto, fez o contrário na AP 470. Todos – parlamentares ou não — foram julgados num processo único, num tribunal único.

    Mesmo quem não tinha mandato parlamentar foi mantido no STF, onde as decisões não têm direito a recurso e, apenas em casos muito especiais, é possível, entrar com os embargos infringentes.

    Mesmo assim, na AP 470 havia até o risco, como se viu, de negar embargos, não é mesmo?

    Ao decidir que o ex-deputado mineiro deve ser julgado nas regras que a Constituição e a jurisprudência sempre asseguraram a todos os réus em situação semelhante – a única exceção foi o notório Natan Donadon, com várias particularidades – o STF coloca outro debate em questão.

    Se Eduardo Azeredo terá direito – corretamente — a um segundo julgamento, caso venha a ser condenado, por que os réus da AP 470 não podem fazer o mesmo?

    Essa é a pergunta, desde ontem. Se os réus da AP 470 não tiveram direito a um novo julgamento — seja através de uma revisão criminal, seja na Corte Interamericana de Direitos Humanos — teremos a confirmação da farsa dentro da farsa, a exceção dentro da exceção. Tudo para os amigos, nem a lei para os adversários.

    http://www.istoe.com.br/colunas-e-blogs/coluna/354703_ENTRE+A+JUSTICA+E+A+FARSA

  9. Elias said

    Otto,
    Eu falei sobre isso ao Pax, há muito tempo atrás.

    Aberto o precedente, só caberia ao STF duas alternativas: (a) manter o mesmo procedimento em todos os casos similares subsequentes; (b) se desmoralizar.

    O STF preferiu se expor à desmoralização. Vamos ver em que termos ela vai se dar, e quais as consequências.

    O Brasil não dispõe de uma instância Judiciária especializada em rever procedimentos dos tribunais superiores, STF incluso. Então, os carinhas do STF acham que podem fazer o que quiserem.

    Ficamos assim: num momento, o STF é a favor de uma coisa; noutro, é contra a mesma coisa…

    Esse tribunal, em vez de cumprir e fazer cumprir a lei, não só faz suas próprias “leis”, como também escolhe o momento em que ele próprio cumpre ou deixa de cumprir as “leis” que ele impropriamente faz.

    Nunca vi isso dar certo, em lugar nenhum…

  10. Zbigniew said

    Elias,
    o STF é a última instância e Corte Constitucional,
    sendo assim seus atos só podem ser revisados por uma turma ou pelo Pleno através dos mecanismos de recursos previstos nas leis ordinárias (códigos) ou no seu próprio Regimento.

    E sim, os carinhas acham que podem fazer o que quiser, e não é só no STF, não.

    Nosso problema é um Poder Judiciário hermético, que não presta contas a ninguém, ao contrário dos outro poderes que se submetem ao crivo do voto popular periódico.

  11. Otto said

    Elias,

    no país da Casa Grande só neguinho da senzala (ou quem se alia a ela) é punido.

    Os “brancos” são sempre salvos: ditadores militares, generais torturadores, Malluf, Arruda, Azeredo…

  12. Jose Mario HRP said

    PSDB em ação:

    http://altamiroborges.blogspot.com.br/2014/03/choque-de-gestao-demite-71-mil-em-mg.html

  13. Patriarca da Paciência said

    Imagina só, caro HRP, no meio de 98 mil pessoas que “entraram sem concurso”, quantos apadrinhados do Ah é sim havia !

    É o “choque de jeitão” do PSDB. “criativos demais”, como notou o STF.

  14. Patriarca da Paciência said

    Elias,

    minha opinião é que as “estrelas”, Barbosão/Gilmar estão em processo de murchamento !

    Não vão mais encontrar ambiente para seus arranca-rabos !

    O PT precisa fazer o “mea culpa” das nomeações desastradas do Ayres, Fux, Barbosão… e aprender com os erros !

    Realmente, o PT não estava preparado para escolher ministros do STF !

  15. Pax said

    off topic

    Duro quando a coisa chega na tua cerca. Fiz uma denúncia. Agora soube que o responsável para apurá-la saiu do local do suposto crime, todo documentado por mim com fotos e mais fotos, com um cheque.

    E já abri outro processo, na prefeitura. Sigo todos os passos dentro das possibilidades e caminhos oficialemente disponíveis.

    Logo após, já sabendo que nada vai acontecer pela boca do próprio diretor da área na prefeitura em telefonema de ontem, irei com a Assoc de Moradores, na Promotoria.

    Problema é que envolve muitos interesses a partir do interesse de um só. Eu? Só tenho a força dos dedos, da voz e das relações. E alguns destes interesses detém o monopólio da força. Ontem foram azeitados pelo tal cheque.

    E, como todos sabemos, o monopólio da força, hoje em dia, de forma bastante ampla, não defende o interesse do cidadão, do povo. Defende interesses de alguns, mediante sabe-se lá muito bem que esquemas.

    Os agentes deste monopólio são meros usuários, mal remunerados pelo Estado. Complementam sua renda usando a força que têm para defender quem pode lhes auferir remuneração extra.

    E o cidadão, que não participa do modelão, fica com o encargo de se defender não só de quem comete o crime, mas, também, de quem deveria combatê-lo, que passa a defender quem comete o crime, através do complemento de remuneração que passa a usufruir.

    Em outras palavras, agora eu tenho que temer o criminoso e os agentes do monopólio da força.

    Tão simples e triste quanto isso. Resumindo: me ferrei. E o pior? Não vou parar.

    Ao menos vou deixar registro para todos os lados. O quanto mais puder.

  16. Patriarca da Paciência said

    Caro Pax,

    acho que você está se comportando como o “homem de pouco fé”.

    Tenha um pouco de fé e lute por seus direitos com unhas e dentes.

    Você vai se surpreender com os apoios que receberá !

    É isso aí. Apenas para aqueles que assumem o risco da batalha … está reservada a vitória !

  17. Patriarca da Paciência said

  18. Elias said

    Zbigniew,

    Aí é que está, doutor!

    Os países civilizados costumam dispor de Cortes de Apelação.

    As Cortes de Apelação só fazem rever julgamentos feitos por outras Cortes.

    No Brasil, o STF é arqueiro, arco e flecha…

    Isso é uma porta aberta pra isso que vê…

  19. Elias said

    Fora do tema (mas nem tanto…).

    Do JusBrasil:

    ===================================================
    Ficou conhecido nessa semana o advogado mineiro Vinícios Leôncio, que compilou numa publicação todas as legislações tributárias adotadas por municípios, Estado e União, um trabalho de 23 anos. Resultado: o livro possui 41 mil páginas, 7,5 toneladas e 124 mil m² de papel presos a sete pinos. Um objeto de 2,1 metros de altura.

    O objetivo do advogado é enviar a publicação para Brasília e deixa-lo em frente ao Congresso Nacional em forma de protesto à complexa legislação tributária. De acordo com IBPT (Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário) em 25 anos (1988-2013) foram editadas 309,1 mil normas tributárias, uma média de 31 por dia.

    Numa visão conspiratória sobre o mundo, essa complexidade tributária poderia ser considerada elaborada de propósito pelos legisladores, com a finalidade hedionda de confundir o contribuinte. A justificativa disso se dá nos resultados de um estudo, também do IBPT: 95% das empresas brasileiras recolherem mais tributos que o devido.

    Em casos de revisão de impostos elaborados pela Studio Fiscal em empresas de médio e grande porte, foi identificado o recolhimento errôneo de valores equivalentes a mais de 50% do faturamento. Figurativamente, é possível comparar isso a um vírus alojado na empresa e debilitando sua saúde financeira.

    Nessa situação, o empresário acaba obrigado a aumentar o valor final do seu produto, encarecendo toda a cadeia de produção até chegar ao consumidor que vê seu poder de compra deteriorado. O incorreto recolhimento de tributos diminui consideravelmente a competitividade da organização, impedindo o investimento em melhorias estruturais ou no produto, tornando-a uma vitima potencial ao fracasso, diante do mercado acirrado atual.

    Por isso, é de suma importância que a empresa invista em planejamento tributário de longo prazo. Além de recuperar os tributos já pagos a maior, o mapeamento fisco-tributário garante ao gerente estratégias decisivas e fundamentais para saúde financeira organizacional. Somente assim, as organizações estarão mais preparadas para lidar e se blindar antes a nossa hedionda legislação tributária.
    =====================================================

    Destaque para o dado estatístico: 95% das empresas brasileiras recolhem mais impostos que o devido.

    Acrescento: em compensação, as que sonegam engolem com larga margem…

    De qualquer maneira, já passa da hora de se fazer uma faxina nessa lixarada pseudo legal…

  20. Patriarca da Paciência said

    É bem isso aí, Elias,

    tive um professor de direito que sempre dizia: “A legislação brasileira é um verdadeiro cipoal. Em lugar de ficarem criando mais e mais leis, deveriam criar um comissão de pessoas realmente competentes e honestas com a missão de fazer um enxugamento de todas as contradições, redundâncias e inutilidades das leis brasileiras”.

    Já lá se vão mais de trinta anos e nada foi feito ! E olhe que esse professor era e é um homem influente, diretor jurídico de uma grande empresa e respeitado como uma grande autoridade em Direito !

    Mas a nossa jovem democracia ainda não atem trinta anos e já tem gente por aí fazendo passeata “com Deus e a família” pela volta da ditadura !

    Será que nossa jovem democracia resistirá ?

    Bem, teremos que aprender a conviver com os bolsonaros, “coutões”, reinaldos rola-bosta, augustos boçais canalhas nunes, barbosões, gilmares etc.etc.etc.

    Até agora estamos resistindo bem !

    Penso que nossa jovem democracia agora é pra valer !

  21. Patriarca da Paciência said

    A foto da reportagem diz tudo, O Putin com ar de interrogação e o Obama com a cara de babaca de quem realmente não sabe o que fazer !

    http://www.brasil247.com/pt/247/mundo/134909/Putin-pede-a-Obama-proposta-dos-EUA-sobre-Ucrânia.htm

    Em política Putin dá de dez a zero no Obama. O homem parece jogar xadrez, calculando as mínimas jogadas.

    No Egito as “potências ocidentais” depuseram uma ditadura, depois depuseram um governo democraticamente eleito, o qual estava a caminho de instaurar um teocracia islâmica e restauraram a ditadura e a bagunça só aumentou !

    Na Líbia as “potências ocidentais” estão a destruir um país que era o mais desenvolvido do continente africano.

    O Iraque permanece destruído e andando cada vez mais para trás.

    Realmente o Obama tem uma moral imensa para ficar “passando lição de moral” na Rússia !

    É o sujo, muito sujo, sujíssimo, extremamente sujo, falando do mal lavado !

    Se a Ucrânia cair nas mãos do FMI, vai se transformar em mais uma Grécia, carregando uma dívida espantosa, várias vezes maior que o seu PIB!

  22. Chesterton said

    É, pelo estraqo que fizeram na Petrobrás, o PT todo deveria estar na cadeia.

  23. Patriarca da Paciência said

    29 de Março de 2014 às 20:35

    247 – O ex-presidente da Petrobras José Sérgio Gabrielli afirmou neste sábado (29) que há um exagero das informações sobre a aquisição da refinaria de Pasadena, no Texas (EUA), motivado por questões eleitorais. “Não há dúvida que essa exacerbação das informações é campanha eleitoral. É claramente uma ação da oposição contra a presidente Dilma. Não tenho dúvida que é uma questão política”, disse.

    Gabrielli defendeu ainda a compra da refinaria de Pasadena como um bom negócio no contexto da época da aquisição, em setembro de 2006. Ele afirmou que atualmente a refinaria tem produção de 100 mil barris por dia, gerando um faturamento de R$ 3,6 bilhões para a petroleira brasileira. “A refinaria dá lucro para a Petrobras”, afirmou. Gabrielli classificou como falsa a informação de que a refinaria norte-americana teria custado R$ 1,1 bilhão à Petrobras. “A refinaria saiu, em termos de ativo da refinaria, por 486 milhões de dólares, que correspondem a 4,86 mil dólares por barril. Eu desafio qualquer analista a dizer que este preço está acima do mercado”, afirmou.

  24. Chesterton said

    esse então, nem a Dilma aguentou.

  25. Chesterton said

    Até o primo dele levou um chute na bunda.

    A Petrobras demitiu o engenheiro José Orlando Azevedo, ex-presidente da Petrobras America entre 2008 e 2012, período em que a compra da refinaria de Pasadena, nos Estados Unidos, foi questionada judicialmente pela estatal. A refinaria era controlada pela subsidiária. Azevedo é primo do ex-presidente da Petrobras, José Sérgio Gabrielli, e ocupava atualmente o cargo de diretor comercial da Transportadora Associada de Gás (TAG).
    Azevedo estava à frente da subsidiária durante o processo que resultou no pagamento de 820 milhões de dólares pela Petrobras para aquisição da refinaria de Pasadena. Funcionário de carreira, ele foi indicado ao cargo pelo primo, mas foi substituído em 2012, logo após a posse da atual presidente da estatal, Graça Foster. Desde então, ele ocupava a diretoria da subsidiária de gás. A demissão foi definida na última quinta-feira, em reunião da diretoria da empresa, e revelada pelo jornal O Globo deste sábado. (da Veja)

  26. Jose Mario HRP said

    Ocupação completa das favelas da Maré, Rio.
    Primeiro “bote” da policia, na vila olimpica, local onde jovens praticam esporte, encontrou 500kg de drogas, e farta munição e inumeras armas.
    Isso é o Brasil de hoje.
    Inundado pelas drogas.
    Por isso quando voce estiver dando aquele peguinha, aquela cheirada pense que essa m**da só destrói e voce está f***ndo o país e nossos filhos!

  27. Chesterton said

    Tudo através das FARC sustentado pelo Foro de São Paulo. Quem fundou?

  28. Jose Mario HRP said

    A brincadeira vai ser boa!
    Mas não será o que os caras queriam………
    Olha só:

    http://altamiroborges.blogspot.com.br/2014/03/a-cpi-e-o-contra-ataque-do-governo.html

  29. Patriarca da Paciência said

    Post, 27, Tudo através das FARC sustentado pelo Foro de São Paulo. Quem fundou?

    Pois não é ? Europa e Estados Unidos traficam e consomem 80% das drogas fabricadas no planeta Terra, tudo através das FARC sustentado pelo Foro de São Paulo.!

  30. Chesterton said

    sim, Patriarca, agora você entendeu.

  31. Chesterton said

  32. Chesterton said

    Patriarca, para que você melhore sua compreensão

  33. Patriarca da Paciência said

    Roberto D’Ávila tem aquele jeito de moço fino, bonzinho e elegante, mas pode ser maquiavelicamente cruel. Em seu retorno à tevê, a bordo do Globo News, o suave D’Ávila elegeu uma notável vítima. Na estreia, sábado de madrugada (com incansáveis repetições), anunciou que iria levar ao ar o lado humano do ministro Joaquim Barbosa, presidente do STF. Os telespectadores continuam procurando por ele. O apresentador esperou sete meses pelo sim de Joaquim Barbosa. O que mostra a férrea premeditação de sua malvadeza.

    Foi uma interessantíssima entrevista, do ponto de vista do entrevistador. Para o entrevistado, um desastre. Mostrou que, por trás da toga punitiva, existe um vazio abissal. Barbosa é um nada estrepitoso. Duvido que um único dos torcedores partidários do ministro não tenha chegado ao fim daquela hora inteira de platitudes sem saborear insuportável decepção. Barbosa não produziu uma escassa ideia. Ele não tem nada a dizer além dos autos de sua particular Inquisição. Foi constrangedor.

    D’Ávila, com luvas de pelica, jogava a isca e Barbosa, encouraçado em sua arrogância, nem sequer percebia. D’Ávila indicava, na delicadeza das perguntas, saída lisonjeira para a resposta. “O senhor lê muito, não é? Balzac?” Barbosa estufou o ego: “É, Balzac”. E mais não disse. “O que o senhor escuta?” “Tudo.” “Beatles ou Rolling Stones?” “Os dois.”

    O único momento em que Barbosa demonstrou alguma emoção foi ao falar de racismo. Daquele jeito. O rancor pauta a vida dele. Deve ter sido mesmo muito humilhado. Sugeriu até que Lula nomeou-o para o STF de olho na cota, não em reconhecimento por seu currículo, brilhante, cosmopolita. Fica difícil assim: deixar de nomear um negro teria sido racismo. Nomear também é?

    http://www.cartacapital.com.br/blogs/qi/o-ser-e-o-nada-4336.html/view

  34. Chesterton said

    http://cubanosporelmundo.com/2014/03/30/balseros-cubanos-rescatados-mar/

    e a Flórida é um sonho, vale a pena atravessar o estreito do “Tubarão Feliz”.

  35. Patriarca da Paciência said

    O Ferreira Gullar, quando escreve, é um bom poeta, quando fala, é um perfeito pateta !.

  36. Patriarca da Paciência said

    O Ferreira Gullar
    Quando escreve
    É um bom poeta
    Quando fala
    É um perfeito pateta

  37. Chesterton said

    batatinha quando nasce…

  38. Elias said

    Patriarca,
    Isso aqui continua sendo a América Latina, a pátria dos cucarachas & miguelitos.

    Nunca vai faltar miguelito brasileiro querendo um general montado em cima dele, com cabresto e rebenque, dando ordens.

    Não é só um problema político-ideológico. É uma coisa quase hormonal… Uma espécie de fixação erótica.

    O máximo que se pode fazer por esse pessoal, é, no finzinho da passeata, dar a cada um um folha de urtiga, pra que eles passem no rabo…

    Talvez assim eles se sintam um pouco mais satisfeitos, em seus desejos mais secretos…

    O Pax nunca entendeu porque, a partir da nossa divergência quanto a quem compete a responsabilidade pela realização — ou não — de um processo moralizador, eu comecei a dizer que ele se tornou (ou sempre foi, sei lá…), um cara de direita.

    É que ele cobra a moralização dos partidos. Já eu digo que só quem pode fazer isso é a sociedade.

    Os partidos políticos, como a própria designação indica, são organizações que devem representar correntes de pensamento existentes na sociedade. Um partido político só merece essa designação, se emergir dessa condição.

    Para que um verdadeiro partido político existe, é necessário, primeiro, que exista uma parcela da sociedade compartilhando as mesmas convicções; e, em seguida, que essa parcela da sociedade se disponha a lutar politicamente por essas convicções.

    Um partido político, além de ser cria da sociedade, só representa uma parte dela. Nas democracias,um partido político pode até receber o apoio de maior parte da sociedade. Mesmo assim,ele jamais representará toda a sociedade.

    Por isso mesmo, somente um partido tirânico, que exerça o poder ditatorialmente, pode se arrogar ao direito de reformar a sociedade. Foi o caso dos partidos comunista, nazista e fascista, na Europa. Foi o caso de algumas correntes de pensamento na América Latina, inclusive os “cesaristas” brasileiros (um coronel do Exército, já falecido, e que foi meu chefe e grande (e saudoso) amigo, dizia que os cesaristas fizeram uma cesariana no Brasil, e partejaram vários monstros…).

    Quem atribui tamanha responsabilidade a um, ou dois, ou três partidos políticos, está, na realidade, exercitando o “princípio do líder”, tão caro às mentalidades totalitárias, e mais antigo que a posição de fazer cocô…

    O que essa pessoa quer é um tirano (pra ela, sempre um “bom tirano”), que, na cabecinha preguiçosa dela (e só mesmo na cabecinha preguiçosa dela), fará as reformas com que essa cabecinha preguiçosa sonha.

    O que essa cabecinha preguiçosa nunca leva em conta são coisas da vida, simples e eternas, tais como: (a) não existe o “bom tirano”; (b) jamais haverá o tirano ou o governo democrático que faça as coisas exatamente como a cabecinha preguiçosa quer; (c) que uma sociedade é formada por milhões de indivíduos, o que torna o consenso uma utopia (sempre o que prevalecerá — no máximo, e nas sociedades democráticas — é a opinião da maioria, num determinado momento, o que implicará, necessariamente, milhões de outras pessoas insatisfeitas, outro tanto apenas parcialmente satisfeitos, e assim por diante); (d) etc.

  39. Elias said

    Patriarca,
    O “princípio do líder” é tão intenso nas mentalidades totalitárias, que ele é aplicado aos partidários e aos opostos.

    Observa que a mentalidade totalitária tem uma tendência irreprimível à fulanização.

    Esses estão sempre fulanizando, seja pra endeusar um “salvador da pátria”, seja pra arranjar um bode expiatório, a quem eles atribuem — às vezes de modo unipessoal — a culpas pelo que eles consideram reprováveis na sociedade.

    Observa, p.ex., a fixação erótica que a direita tem no Lula…

    Esse negócio já rendeu montanhas de livros de psicólogos, sociólogos, cientistas políticos & outros mais que gostam de perder tempo com esse tipo de coisa.

    (Mas não conheço nenhuma análise que explique porque o objeto dessa estranha fixação erótica é, quase sempre, um homem… Será que…? Não! Simplesmente não quero pensar isso do Pax… — Huá! Huá! Huá!…)

  40. Elias said

    Patriarca,
    No Brasil, tão cedo a sociedade não se mobilizará para fazer algo no sentido da construção de uma sociedade mais saudável, menos injusta, menos egoísta e menos desonesta.

    Os miguelitos brasileiros tendem à indolência.

    Observa, p.ex., os liberais.

    Eles vivem dando “aulas” repetindo, até dar náusea”, a nauseabunda teoria da “maozinha invisível”, que tudo sabe e tudo corrige.

    Tubo bem… Eu sei que isso é pouco mais (ou pouco menos), que uma superstição.

    Mas o que acontece é que, no Brasil, um monte de gente acredita nisso.

    Agora, cadê que esses miguelitos se dispõem a tirar os traseiros gordos das cadeiras, e partem pra se organizar politicamente? Cadê que esses miguelitos partem pra formação de um partido político que, genuinamente, os represente?

    Nada disso! Como bons miguelitos brasileiros, os miguelitos liberais preferem fazer a siesta, e parasitar outros partidos — de direita, principalmente.

    Quando a direita assume o poder — em especial ditatorialmente — os miguelitos liberais fazem com ela um pacto de mediocridade: eles, os miguelitos liberais, abrem mão de suas convicções, relativas às liberdades individuais, direitos humanos, direitos políticos, etc., esperando, em troca, que a ditadura de direita coloque em prática suas (deles, miguelitos liberais) fantasias pseudo econômicas.

    Como isso nunca acontece, salvo por um pequeno período de tempo (como ocorreu no Brasil, durante o governo Castelo Branco, que quase levou o país à falência), os miguelitos brasileiros acabam rachando. Uma parte deles abandona as superstições da “mãozinha mágica”, e se torna abertamente de direita. A outra, acaba se tornando opositora da ditadura, e vai compartilhar com a esquerda os calabouços, os paus-de-arara e, o que é pior, os necrológios (e os cemitérios) clandestinos.

    Vida de miguelito não é fácil…

  41. Elias said

    Patriarca,
    Na internet, é muito frequente uma forma de exercitar o “princípio do líder”.

    Observa que o debatedor de direita dificilmente formula um raciocínio de sua própria lavra.

    Ao contrário, ele gosta de repetir coisas que outros dizem.

    Quem diz? Os “líderes” dele.;; Aqueles que pensam por ele…

  42. Chesterton said

    Grande dia hoje, não é mesmo?

  43. Chesterton said

    Da série TUDO É SEMPRE IGUAL……

    á no PCdoB, que ainda usa comunista no nome!, temos empresários em busca do lucro capitalista com muita ganância. Não é incrível? Jandira Feghali, que pretende disputar o governo do Rio, vai administrar seu tempo entre a campanha e seu restaurante. Isso mesmo: é proprietária de um estabelecimento comercial que visa ao lucro!

    Para adicionar insulto à injúria, não pensem que é um restaurante popular na periferia. Nada disso! Fica em Copacabana, zona sul carioca. Foram investidos R$ 400 mil no empreendimento. E como a ganância na prática não é condenável, ela pretende abrir mais dois restaurantes novos esse ano. Dá licença que eu tenho sede por mais lucro!

    http://veja.abril.com.br/blog/rodrigo-constantino/politica/esquerda-radical-discurso-e-realidade/

  44. Patriarca da Paciência said

    Pois é, depois de tanta papagaiada, o próprio Jornal Nacional da Globo hoje esclareceu tudo, ou seja, trata-se de mais uma pirataria do Estados Unidos Maravilha, ou seja, a Petrobrás foi obrigada, pela Justiça Norte-Americana, a pagar os preços exorbitantes que tanto papagaiam !

  45. Patriarca da Paciência said

    É Elias,

    também concordo, e venho comentando também há bastante tempo, que a única forma da corrupção baixar a níveis aceitáveis, é com a firme vigilância da sociedade. Nos últimos vinte anos, na minha opinião, evoluímos bastante. Pelo menos já não se percebe mais com tanta frequência o famoso “eu quero mais é que você seja safado para que eu possa ser também”, ou seja, aquele triste “se eu estivesse no lugar dele, faria o mesmo”. Ouvi demais essa frase em ambiente de trabalho, faz um bom tempo que não a ouço !.

    Também noto uma melhora acentuado no nível intelectual e moral dos nossos jovens. Estou falando na grande maioria das pessoas de bem, as quais, felizmente, são maioria.

    É como disse o diretor da bolsa, “o Brasil é como um boing já com toda a aceleração para levantar voo, não há como detê-lo.”

    O miguelito brasileiro ” querendo um general montado em cima dele, com cabresto e rebenque, dando ordens”, ainda existe, mas já não é tão influente.

    E a nossa jovem democracia resiste bravamente aos barbosões, gilmares, reinaldos rola-bosta, serras, dudus traíras, marinas das pererecas verdes, bob freire, bob Jeff, augustos boçais canalhas nunes, bolsonaros etc.etc.etc.

    Continuo bastante otimista com o Brasil, embora reconheça que as dificuldades ainda são enormes !

  46. Chesterton said

    Os EUA forçaram a Petrobras a comprar o mico….é culpa do Bush.

  47. Chesterton said

    54% dos brasileiros entrevistados pelo Datafolha acham que os guerrilheiros deveriam ser punidos.
    46% dos brasileiros, portanto bem menos, entendem que os torturadores também deveriam ser julgados.

  48. Patriarca da Paciência said

    Eu sempre achei que havia muito de má fé nessas “contas” que a grande mídia vinha apresentando !

    Aos poucos as coisas vão se esclarecendo.

    1º O preço pago foi realmente exorbitante, mas foi um imposição de Justiça Norte-Americana, E também ficou bem abaixo do que a grande mídia anda papagaiando. Grande parte dos pagamentos foi pori serviços prestados pela outra metade não adquirida e também pela compra de estoques !

    2º A refinaria continua valendo um bom dinheiro e já deu bastante lucro.

    3º Não foi encontrado o menor indício de pagamento de propina.

    3º A coisa é mesmo eleitoreira e usando de muita má fé.

  49. Chesterton said

    Então porque a Dilma disse que foi enganada?

    http://www.estadao.com.br/noticias/nacional,dilma-diz-que-nao-quer-revisao-da-lei-de-anistia,1147521,0.htm

Faça seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 37 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: