políticAética

Notícias da Corrupção, Desvios, Anomalias, Eleições e Meio Ambiente

  • Sobre o blog

    Uma coletânea das notícias da corrupção, desvios, anomalias, eleições e meio ambiente que aparecem na mídia todos os dias a partir de agosto de 2008.
  • Categorias

  • Arquivos

  • Páginas

  • Meta

Petrobras: indícios sugerem aprofundamento nas investigações

Posted by Pax em 11/04/2014

O Congresso reclama que o STF legisla. Mas o próprio Congresso instiga a Justiça a legislar. Neste momento a ministra Rosa Weber tem pedidos da situação e da oposição sobre a abertura de CPI para apuração de irregularidades que envolvem a Petrobras, trens e metrô de SP e o porto de SUAPE. CPI é atribuição do Congresso. Que para no STF.

Como o PT não inova nem reforma, agora aparecem notícias que a Alston (uma das empresas acusadas de formação de cartel na roubalheira paulista dos trens e metrô) também teve contratos assinados com a Petrobras, apesar de alertas contrários de seu departamento jurídico. Estes contratos se iniciaram nos governos FHC e continuaram nos governos Lula e Dilma. Envolvem o senador Delcídio Amaral (PT-MS) que foi diretor da área de Gás e Energia da empresa e o já arrolado nas denúncias, Nestor Cerveró, executivo da empresa. Veja mais informacões nesta notícia em O Globo.

O outro diretor da empresa, Paulo Roberto Costa, preso, teve documentos apreendidos pela PF na Operação Lava a Jato que indicam sua proximidade com políticos. Veja esta outra notícia em O Globo.

CPI em ano eleitoral, sob análise dos mesmos políticos de sempre, conhecidos pizzaiolos como Vital do Rêgo (enterrou a CPI do Cachoeira quando o esgoto fedeu demais para todos os lados) e Romero Jucá (conhecido do noticiário da corrupção), é pizza na certa. Na verdade palanque para que os políticos de todos os lados façam seus escândalos, uns apontando crimes dos outros, crimes que todos parecem cometer, segundo o noticiário nos indica pensar.

No final das contas os brasileiros ficam com uma certeza reafirmada: a roubalheira anda alta demais.

Rosa Weber analisa em conjunto pedidos de governistas e oposição sobre CPI

Da Agência Brasil Edição: Stênio Ribeiro

A ministra Rosa Weber, do Supremo Tribunal Federal (STF), disse hoje (10) que vai analisar em conjunto pedidos da oposição e de parlamentares governistas sobre a criação da CPI da Petrobras. A ministra, relatora dos mandados de segurança, está analisando as argumentações apresentadas, e a decisão não vai sair nesta quinta-feira. Ela não tem prazo para julgar os mandados.

No primeiro mandado de segurança, parlamentares da oposição querem garantir a instalação de uma comissão parlamentar de inquérito (CPI) no Senado para investigar exclusivamente denúncias envolvendo a Petrobras. Os parlamentares defendem que a comissão não pode investigar vários temas diferentes ao mesmo tempo. “Haverá dano irreparável aos direitos da minoria parlamentar, uma vez que restará completamente comprometida a capacidade investigativa da CPI legitimamente requerida, tendo em vista a necessidade de investigação de fatos completamente desconexos entre si”, afirmam os parlamentares no pedido.

Governistas também entraram ontem (9) com mandado de segurança, pedindo que a Corte defina o que é “fato determinado” para criação de CPI. O mandado foi protocolado pela senadora Ana Rita (PT-ES), que quer uma definição da mais alta Corte do país sobre o tema, para que não pairem dúvidas sobre a matéria. De acordo com a senadora, o mandado tem por objetivo esclarecer uma questão de ordem da senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR) sobre o pedido de criação de CPI, feito pela oposição, com quatro “fatos determinados”. A solicitação de Gleisi foi indeferida pelo presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL).

O impasse sobre a criação da comissão está em torno de dois requerimentos para criação de CPIs, apresentados ao Senado. O primeiro, pelos partidos de oposição, que pedem a investigação de denúncias envolvendo a Petrobras como a compra da Refinaria de Pasadena (EUA); o segundo, apresentado por partidos da base governista, mais abrangente, que propõe investigações também nos contratos dos metrôs de São Paulo e do Distrito Federal, supostas irregularidades no porto de Suape (PE) e suspeitas de fraudes em convênios com recursos da União, além das denúncias sobre a Petrobras.

Na sessão de ontem (9), a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado aprovou parecer do senador Romero Jucá (PMDB-RR), favorável à instalação de uma CPI mais ampla. A matéria deve ir à votação do plenário da Casa na semana que vem.

About these ads

301 Respostas to “Petrobras: indícios sugerem aprofundamento nas investigações”

  1. Patriarca da Paciência said

    Eu acho a maior bobagem essa história de ficar falando o sujo do mal lavado. A tal “velha política” brasileira era isso mesmo, ou seja, caixa 02 rolando solto.

    Nenhum, mas nenhum partido mesmo fica fora do caixa 02. E quem não fizesse isso não elegia ninguém, porque as campanhas políticas no Brasil são caríssimas !

    Acreditar que o partido da Marina das Periquitas Verdes está fora do caixa 02 é acreditar em conto de fadas.

    O Campos está fazendo política “nova” adotando as mesmas “políticas velhas”´ de sempre.

    O José Serra foi o superlativo das políticas velhas, Aécio vai pelo mesmo caminho. FHC ? Ora, esse aí é um dois patronos.

    Qual a única saída ? Financiamento público de campanha.

    O Lula já fez várias tentativas e nada conseguiu. Ninguém se anima a fazer algo que realmente resolva o problema. Então a solução é esperar que o povo vá ficando um pouco mais educado e esclarecido, como aconteceu nos países realmente civilizados, dos quais não constam os Estados Unidos.

  2. Pax said

    Caro Patriarca,

    Como ninguém se anima o negócio é enaltecer e fortalecer o jogo jogado onde os oligopólios detém o poder?

    Lula fez várias tentativas de mudar o jogo? Quando? Onde? Coloca as notícias em links aí pra gente se lembrar.

    Que eu saiba Lula anda agarrado com gente envolvida com quem está envolvido em abastecer os caixas 2 de campanha. Senão vejamos (olha, eu vi essa notícia de uma amiga petista, no Facebook (posso provar) que postou dizendo “é de embrulhar o estômago). Vamos lá.

    A notícia que a amiga postou: Lula leva Blairo Maggi para Cuba.

    http://www.estadao.com.br/noticias/nacional,lula-leva-maggi-a-cuba-para-aconselhar-castro-sobre-soja,1135014,0.htm

    Agora uma pequeníssima pesquisa, só dois ou três links para refrescarmos nossa memória:

    Época em que Blairo Maggi era defendido por Agripino Maia e, ainda mais simbólico, por ACM:

    http://www12.senado.gov.br/jornal/edicoes/2005/05/30/jonas-defende-blairo-maggi-de-acusacao

    As acusações de Blairo Maggi e outros bancando campanhas (PT, PSDB, seja quem for)

    http://www.cartacapital.com.br/politica/ex-diretor-do-dnit-ataca-o-pt-e-o-psdb

    O jubilo da CNA – Confederação Nacional de Agricultura mostrando foto da Katia Abreu com Dilma (precisa lembrar que Kátia Abreu xingava Lula de todos os impropérios possíveis?) – olhe a foto, mas não vomite no teu teclado que o prejuízo é maior ainda.

    http://www.canaldoprodutor.com.br/comunicacao/noticias/katia-abreu-debate-prioridades-da-agropecuaria-com-presidente-dilma

    Então, caro Patriarca, sugiro rever essa afirmação que Lula fez das tripas coração para mudar o jogo do caixa 2. Não fez. Muito ao contrário.

  3. Patriarca da Paciência said

    Caro Pax,

    O Lula já atentou mobilizar parlamentares para conseguir aprovar o projeto de financiamento público de campanha e ficou falando sozinho.

    Já fez várias declarações de que o governo financiar campanhas políticas sai bem mais barato para a sociedade do que as inúmeras obras e compras superfaturadas !

    É uma causa que só ganha corpo com o apoio da maioria dos parlamentares, o que parece impossível de conseguir.

    Realmente é um problema que parece insuperável, justamente porque o Executivo não tem atribuição para tal assunto, ou seja, elaborar leis !

    Talvez só com a forte pressão da sociedade, ou algum milagre, a coisa aconteça !

  4. Elias said

    Sem esse papo de que Fulano ou Sicrano não fez nada pra mudar isso ou aquilo.

    Quem, no Brasil, está realmente fazendo alguma coisa séria pra mudar alguma coisa e torna-la alguma coisa mais séria?

    É pra investigar? Então, vamos investigar tudo: Petrobras, metrôs de São Paulo e DF, Porto de Suape (PE), convênios com recursos de transferências voluntária da União, etc.

    Quem for quebre que se podre!

    Como dizia Tia Zulmira: ou nos locupletemos todos, ou restaure-se a moralidade…

  5. Elias said

    Fora do tópico (mas só um pouquinho…).

    Do noticiário da ADVFN:
    “Reportagem do jornal Valor Econômico desta manhã aponta que Eike Batista se utilizou de informações privilegiadas da OGX PETRÓLEO (OGXP3) para ganhos no mercado acionário. Segundo o jornal, uma investigação da CVM indica que a OGX levou dez meses para informar o mercado sobre a inviabilidade de campos de petróleo da companhia, enquanto Eike, já ciente dos dados, vendia parte de suas ações da OGX no mercado. Eike seria acusado de descumprir o artigo 13 da Instrução 358 da Lei das SA, que trata do dever do administrador de guardar sigilo sobre informações não divulgadas da empresa e proíbe seu uso para obter vantagem própria, informou o jornal.”

  6. Patriarca da Paciência said

    “Rafael Moraes Moura – O Estado de São Paulo
    BRASÍLIA – Em reunião com lideranças de jovens no Palácio do Planalto, a presidente Dilma Rousseff afirmou que o momento eleitoral é propício para a implementação de uma reforma política, destacando que os movimentos sociais devem sair às ruas e se engajar nesta discussão. Dilma também prometeu que o Planalto não enviará projeto de lei que criminalize os protestos ou aumente qualquer tipo de repressão, segundo relatos de participantes da reunião.

    “Não pensem que conseguiremos a reforma política só na relação entre governo e Congresso. É algo que exige a participação dos brasileiros para coesão de forças”, afirmou a presidente na reunião, de acordo com relatos de participantes. A reunião não foi aberta à imprensa.

    “Sem a mobilização de vocês, não haverá reforma política. O momento eleitoral é de discutir a reforma política e é preciso que os movimentos sociais pautem essa reforma”, ressaltou a presidente.”

    Está vendo aí, caro Pax,

    A Dilma também está lutando por uma reforma política. Está apelando para os jovens, acho porque são mais receptivos às mudanças !

  7. Pax said

    Acho ótimo, caro Patriarca. Que Dilma incentive manifestações para exigir reforma política.

    Torço para que aconteçam as manifestações e a reforma.

    Minha crença é que anda pequena, crença que dê em algum resultado.

    De outro lado todos, situação e oposição, se unem para implantar a tal lei antiterrorismo, só pelo nome já diz a que veio, para que ninguém faça qualquer “terrorismo” de reclamar desse mundão de ladroagem que somos brindados a cada instante.

    Parece que tem mais PF no campo prendendo a turma da Operação Lava a Jato. É aguardar pra ver. Vai espirrar bolo fecal pra todo lado, se forem bem sucedidos.

  8. Pax said

    http://www1.folha.uol.com.br/poder/2014/04/1439147-pf-cumpre-21-mandados-de-prisao-na-2-fase-da-operacao-lava-jato.shtml

  9. Joana said

    Pax

    Começo a entender porque o PT está com medo de perder a eleição.

    Ouça a entrevista do Aécio Neves na radio estadão:

    http://radio.estadao.com.br/audios/audio.php?idGuidSelect=185C7B3B3AF3428F92EFE44DB9B79001

    e compare com qualquer discurso (sem teleprompter) da atual presidente.

  10. Chesterton said

    André Vargas, o deputado petista sócio do doleiro preso pela PF na Operação Lava Jato, mandou avisar: quer o PT defendendo o seu mandato ou abre o bico e leva mais gente junto. Citou nominalmente dois candidatos a governos estaduais. Exigiu manifestações de apoio e disse que quer o PT solidário enquanto ele for julgado pela Comissão de Ética da Câmara. Vargas está um poço até aqui de mágoa. É uma bomba relógio, segundo um deputado petista, prestes a explodir.

    Após o recado explícito, a Executiva Nacional do PT decidiu ontem mesmo instalar uma comissão formada por três dirigentes da sigla para ouvir o deputado licenciado e ex-vice-presidente da Câmara, André Vargas (PT-PR), antes de instaurar qualquer procedimento interno.

    blog do Coronel.

  11. Chesterton said

    http://veja.abril.com.br/blog/reinaldo/geral/justica-ordena-e-pf-cumpre-mandado-de-busca-na-presidencia-da-petrobras/

  12. Otto said

    Explica-me, Pax:

    “Uma matéria da Reuters, assinada por Jeb Blount, com base em opiniões de especialistas em petróleo de Nova York, Chicago e São Paulo, corrobora nossa argumentação, de que a compra da refinaria de Pasadena foi um ótimo negócio.

    Diz o repórter: ”a refinaria de Pasadena pode ter sido o melhor negócio com refinaria que a empresa já fez em três décadas”.

    Logo em seguida, o repórter explica que, na verdade, a Petrobrás não pagou um preço excessivo.

    A matéria não é “chapa branca”. É feita por um repórter americano ou inglês com gana de falar mal da Petrobrás. Só que, após entrevistar especialistas em pelo menos três praças comerciais importantes, ele conclui que a Petrobrás pode ter mil outros problemas, mas não é Pasadena.

    O foco da matéria é falar mal da refinaria Abreu Lima, que a Petrobrás está construindo em Pernambuco, comparando seus custos com a de outras refinarias no mundo. Só que o repórter mesmo admite que é difícil comparar refinarias. Uma coisa é construir uma refinaria numa área já dotada de logística e infra-estrutura. Outra é montar uma no meio do nada.

    O repórter observa, além disso, que investigações sobre Abreu Lima podem trazer mais prejuízos a Eduardo Campos, candidato de oposição, do que a Dilma Rousseff.

    Blount também observa que o preço de US$ 1,2 bilhão pago por Pasadena superestima o valor da refinaria porque inclui quase US$ 600 milhões em ativos não ligados à refinaria, como estoques, custos bancários e o braço comercial da Astra.

    O preço pago pela Petrobrás pela refinaria em si, segundo a matéria, com base na avaliação de uma firma de Chicago, a Good and Margolin, foi US$ 486 milhões.

    Entretanto, mesmo considerando os US$ 1,2 bilhão, trata-se de um valor que Pasadena poderá pagar em apenas cinco anos de operação, estima o jornalista, em virtude do fantástico momento vivido pelas refinarias norte-americanas, principalmente as situadas no Texas.

    O novo boom de produção de petróleo de xisto nos EUA reduziu os custos da matéria-prima, e ao mesmo tempo o preço dos derivados está alto, por causa da recuperação econômica do país, de maneira que as margens de lucro das refinarias nunca foram tão altas.

    Espero que os deputados e senadores que cometem o equívoco de não ler o Cafezinho, ou se lêem, de não acreditarem no que escrevo, apesar de trazer sempre a fonte, ao menos leiam a Reuters.”

    – See more at: http://www.ocafezinho.com/2014/04/11/reuters-confirma-cafezinho-pasadena-foi-um-otimo-negocio/#sthash.ifkcYGv9.dpuf

  13. Otto said

    E isto, Pax:

    “Na edição de ontem, o Jornal Nacional manipulou informações, sonegou dados recebidos e produziu uma denúncia factualmente falha contra a Petrobras.

    A denuncia seguiu o padrão atual de criação de factoides abrindo mão do rigor jornalístico. Tratava de um contrato com entidades e pessoas que entraram na linha de fogo da mídia: Petrobras, Alstom, senador Delcídio do Amaral e o ex-vice presidente internacional Nestor Cerveró.

    A partir daí, produziu-se mais uma salada que envergonha o jornalismo.

    A matéria “Documentos mostram que Petrobras desprezou opinião de advogados para fechar contrato com a Asltom” (http://tinyurl.com/lrcmbbk) referia-se a compras e manutenção de turbinas em termelétricas adquiridas nos governos Fernando Henrique Cardoso, Lula e Dilma Rousseff.

    A matéria começa dando destaque aos gastos de viagem (R$ 44 mil) de um executivo que foi à Suíça negociar a compra das turbinas. Depois informa que o Departamento Jurídico levantou 22 problemas que poderiam causar prejuízo.

    Não explicou que em toda compra dessa natureza, cabe ao Jurídico levantar dúvidas, que são respondidas ou não pela área técnica. Se as respostas forem satisfatórias, mantem-se as cláusulas; não sendo, aprimoram-se.

    O que a reportagem fez foi colocar apenas as dúvidas e sonegar do leitor as explicações que foram aceitas pelo Jurídico.

    Segundo a matéria, “o contrato previa que “o único remédio possível” seria receber até 15% do valor, e não o valor integral da peça. Na mesma cláusula, deixava-se ao critério do vendedor, a Alstom, a alteração de garantias de desempenho. O jurídico sugeriu a supressão dessa possibilidade, e completou: é de se notar que, caso haja atraso por culpa do vendedor, não existe nenhum tipo de penalidade, mesmo considerando-se os prejuízos que poderão advir”.

    A nota da área técnica – que foi entregue à reportagem do JN (segundo nota divulgada há pouco pelo senador Delcídio Amaral) – explicava que o reembolso de 15% referia-se apenas ao caso das usinas não apresentarem a performance prevista. “A possibilidade de quebra é tratada em outra cláusula do contrato (cláusula de garantia) que obriga o vendedor a repor as peças quebradas durante o período da garantia”.

    A segunda denúncia do JN foi a de que o contrato permitiria à Alstom uma revisão unilateral das condições estabelecidas.

    Máquinas térmicas têm seu desempenho alterado pelas condições ambientais do local de instalação e pela composição do combustível. A cláusula em questão obrigava o vendedor a corrigir os valores de performance padrão para as condições ambientais reais. Ou seja, a Petrobras adquiriu a performance. Se não fosse atendida pelos equipamentos entregues, o vendedor teria a obrigação de mudar as especificações para atender ao contratado.”

    http://jornalggn.com.br/noticia/jornal-nacional-manipulou-denuncias-sobre-petrobras-alstom

  14. Marcelo said

    Prezados e prezadas…

    A Petrobras merece ser investigada ou não?

    http://blogs.estadao.com.br/fausto-macedo/lava-jato-2-mira-negocio-de-r-443-milhoes-na-petrobras/

    CPI da Petrobrás já!

  15. Margarida said

    Lula ficou obsoleto?

    O vídeo acima exibe Lula num palanque de Dilma Rousseff na sucessão de 2010. Ao microfone, ele usa a Petrobras para desqualificar os adversários. O petismo quer fazer a mesma coisa em 2014. Mas a Polícia Federal, em parceria com o Ministério Público Federal, talvez não permita.

    Menos de 24 horas depois de o Partido dos Trabalhadores divulgar uma nota “em defesa da Petrobras”, agentes da Polícia Federal realizaram uma batida de busca e apreensão na sede da estatal, no Rio. Uma coisa não orna com a outra. Ou o PT perdeu o nexo ou a PF enlouqueceu.

    O PT escreveu em sua nota: “A ofensiva da oposição, que se voltou contra o sistema de partilha e o pré-sal, tem um único objetivo: fazer prevalecer interesses privados numa empresa que é acima de tudo patrimônio do povo brasileiro.” Dois raciocínios, ambos errados.

    Primeiro erro: quem faz a ofensiva não é a oposição, mas a PF, uma corporação chefiada pelo ministro petista José Eduardo Cardozo. Segundo equívoco: a incursão visa resgatar o patrimônio do povo brasileiro, momentaneamente sequestrados pelos interesses patrimonialistas do petismo e de seus aliados.

    A nota do PT acrescentou que a Petrobras “está sendo atacada pelos mesmos que no passado tentaram mudar seu nome para Petrobrax e tentaram privatizá-la.” Afirma, por fim, que o PT assume a defesa incondicional da Petrobras e adverte que quem agride a Petrobras agride o Brasil.” De novo: duas teses, dois erros.

    Segundo erro: o ataque à Petrobras veio de Dilma Rousseff, não da oposição. Foi a presidente da República quem disse que, se não tivesse sido induzida a erro pelo parecer de um ex-diretor indicado pelo PT e endossado pelo PMDB, não teria avalizado o prejuízo de mais de US$ 1 bilhão que a Petrobras arrostou na compra da refinaria de Pasadena. De resto, quem deu voz de prisão a outro ex-diretor -patrocinado por PT, PMDB e PP- não foi o PSDB.

    Terceio equívoco: um partido que aparelha politicamente a maior estatal brasileira e se acha no direito de fazer pose de defensor “incondicional” do conglomerado não agride apenas o Brasil, mas a lógica. É como se uma freira administrasse o bordel e recitasse as sagradas escrituras todo final de noite, ao fechar a caixa registradora.

    O PT ainda não se deu conta, mas o feitiço utilizado contra os adversários em eleições passadas virou-se contra o feiticeiro.

    Quem com Petrobras feriu, com Petrobras será ferido.

    Lula ficou obsoleto!

  16. Margarida said

    Em tempo: o post anterior é copiado do Josias de Souza

    PF ANIQUILA O DISCURSO DO PT SOBRE A PETROBRAS

    Fonte:

    http://josiasdesouza.blogosfera.uol.com.br/2014/04/11/pf-aniquila-o-discurso-do-pt-sobre-a-petrobras/

  17. Eric said

    Pobre Dilma

    Vai sair a CPI da Oposição. A min. Rosa Weber deu um prazo de 48 horas pro Renan se explicar…E ele não vai conseguir explicar nada…como sempre hehehe ( lembrem o caso da multiplicação de bois pra esconder a mesada pra sua amante paga por uma construtora?)

    Quem escolhe Gleisi, Mercadante e Berzoini para coordenar politicamente as ações do Governo no Congresso Nacional não poderá nunca reclamar se for derrotada na próxima eleição.
    Idem o Ministro Cardoso que não controla a Polícia Federal.Outro bundão, metido a besta

    Dilma deve renunciar a candidatura.
    Não é do ramo.
    Alegue problemas de saúde…e chore na TV em cadeia nacional

    Volta Lula!

  18. Patriarca da Paciência said

    Brasília, 11 de abril de 2014

    OF.001-RP/2014

    Prezados(as),

    O Partido dos Trabalhadores elaborou um projeto de iniciativa popular para coletar 1,5 milhão de assinaturas a fim de propor alguns pontos de mudança na nossa política. Já estamos nas ruas com uma campanha nacional em busca do apoio da sociedade. No ano passado para a campanha foram enviados documentos e um formulário para recolhimento de adesão/assinaturas. O intuito era que no processo do PED, pudéssemos ter arrecadado o máximo de assinaturas possíveis. Ocorre que alguns estados e municípios ainda não enviaram para o Diretório Nacional.

    Iniciaremos a partir de maio próximo a 2° etapa da Campanha, com o objetivo de envolver toda a sociedade civil e queremos fazer do PT o protagonista da grande e necessária Reforma que certamente, mudará os rumos das eleições em nosso país.

    A proposta do PT é Fundamentada basicamente em quatro pilares:

    • FINANCIAMENTO PÚBLICO E EXCLUSIVO DE CAMPANHA;
    • VOTO EM LISTA PRÉ-ORDENADA PARA OS PARLAMENTOS;
    • AUMENTO DA PARTICIPAÇÃO FEMININA;
    • ASSEMBLÉIA CONSTITUINTE EXCLUSIVA ;

    Para esta nova etapa, iremos percorrer todo o Brasil, construindo o debate com a nossa base social, levando uma nova narrativa ainda mais convicta da precisão desta Reforma. Haverá também um novo material, com mais didática e acessibilidade levando em conta todo o movimento de junho/2013. Em breve nossa campanha estará nas redes, nas caixas de correios e sobretudo nas mentes e corações de quem quer um Brasil sem corrupção.

    Desta forma é fundamental, que você identifique em seu município se houve a campanha, se colheram as assinaturas e por fim que nos envie com grande rapidez, pois precisamos concluir esta 1º etapa até 30 de abril.

    Solicitamos que faça contato conosco, através do e-mail: reformapolitica@pt.org.br

    Os Formulários já preenchidos e assinados deverão ser enviados para a nacional até 30 de abril para o seguinte endereço:

    DIRETÓRIO NACIONAL DO PARTIDO DOS TRABALHADORES SCS, Quadra 02, Bloco C, nº 256, Edifício Toufic – 1° ANDAR – Brasília/DF – CEP 70302000

    Saudações Petistas,

    GLEIDE ANDRADE

    RUI FALCÃO

    Vice-Presidente Nacional do PT

    Coordenadora da Reforma Política

    Presidente Nacional do PT

    Viu aí, caro Pax, o PT está tomando medidas concretas para fazer uma reforma política !

  19. Pax said

    Caro Patriarca,

    1 – acho ótimo, o caminho é esse mesmo

    2 – porque só querem fazer agora que suas vísceras estão espalhadas por aí?

    no mínimo, estranho, vésperas de eleições.

    mas, mesmo assim, continuo achando ótimo, mesmo que seja com essa pressão toda, aparecendo podre pra todo lado

    se é assim que funciona, pelo menos que funcione assim

    — me permito, neste momento, duvidar um bocado —

    Caro Erica,

    Volta Lula?

    Sim, claro que há um movimento interno no PT para este “Volta Lula”.

    A mim parece que seria um caos, mas eu não sou petista. E o PT e os petistas têm seu livre arbítrio.

    A mim parece que a coisa toda degringolou aqui

    http://pt.wikipedia.org/wiki/Caso_Gamecorp

    o chefe deu o tom.

    Fez o que tinha que fazer, mas deu o tom errado da música logo na introdução. Depois os subordinados entenderam a mensagem e cada um foi arrumar o seu, tocar seu próprio tambor. André Vargas está aí e não nos deixa mentir.

    É uma forma de ver.

    infelizmente o tom errado parece que foi longe demais. O noticiário tá muito farto.

    Sabe aquele coisa de desvio de rota. Mesmo que seja de 1%. O que acontece? Quanto mais se anda, mais distante se fica do objetivo.

    Você, salvo engano, é novo por aqui. Mas posso te assegurar que não é de hoje que venho dizendo que o PT precisava expiar suas culpas, acertar seu rumo.

    Sinceramente? Fico muito mais triste que satisfeito. Não gosto de pensar com a bilis, não gosto de ver os dois maiores partidos brasileiros em potencial de assumirem (PT e PSDB) envolvidos em tantos desvios.

    Isso significa que o tal rumo, independente do PT, não será corrigido tão cedo.

    Seja com PT, ou com PSDB, e mesmo com PSB, as três possibilidades em 2014, não vejo qualquer possibilidade de desmontarem esses esquemões de desvios do dinheiro público.

    Taí essa Operação Lava a Jato para nos mostrar. Quer outros exemplos? Procura na coluna da esquerda do blog, categorias, tem quase todas as megaoperações da PF colecionadas. Castelo de Areia é uma importante nesse jogo.

  20. Patriarca da Paciência said

    Caro Pax,

    infelizmente acho que você foi mesmo influenciado pelos alaridos da “grande mídia”.

    Minha mãe gostava sempre de relembrar de que quando ela era ainda uma menina de dez anos, gostava de ficar junto com o seu pai, no armazém de secos e molhados, que era o negócio do meu avô. E ouvia sempre as pessoas comentando:
    – Está tudo pela hora da morte ! Ninguém consegue comprar mais nada ! Desse jeito o povo vai morrer de fome !

    – Políticos são todos ladrões ! Eles só pensam em roubar ! Desse jeito o Brasil vai acabar !

    E minha mãe completava, “e o povo não morreu de fome até hoje, nem o Brasil acabou e, muito pelo contrário, antigamente tinha poucas coisas para comprar e hoje tem uma variedade incrível e não havia luz elétrica, máquinas de lavar, água encanada, fogão a gás, estradas asfaltadas, televisão, telefone e tudo o mais. É uma grande bobagem achar que as coisas estão piorando”.

    Mas parece que você continua achando que o “Brasil está à beira do precipício”, como diziam os velhos lacerdistas. “Mar de lama, mar de lama”, é a velha cantilena.

    O PT está com as vísceras espalhadas por aí?

    Muito pelo contrário, acho que o PT nunca esteve mais forte !

    E agora vai trilhar pelo o único caminho possível para fazer a reforma política, depois de ter tentado todos os atalhos.

    Atalhos, canetadas, rompantes, está mais que provado, não funcionam mesmo. Então o negócio é obedecer a ordem natural das coisas.

    Quem acompanha meus comentários pode observar que venho dizendo isso faz anos .

  21. Chesterton said

    Falta você entender a mensagem materna de que as coisas estão melhorando apesar dos petistas e não por causa dos petistas.

  22. Pax said

    Caro Patriarca,

    Se você reparar…. eu me fio no que sai, principalmente, na EBC – Agência Brasileira de Notícias… órgão oficial do governo.

    Exatamente para não cair na esparrela da grande mídia, que tenho um bocado de crítica.

    —-

    Vou te dar um exemplo do que reparei ontem. Só pra você ver como olho pra grande mídia. No caso de reintegração de posse, ontem, no Rio. Por acaso reintegração de posse de um terreno e prédios da Oi (por acaso… só pra te provocar mesmo, Brasil Telecom–> Telemar—> Oi —> GameCorp+Rede Bandeirantes)

    Pois bem. Acompanhei a porradaria como todos nós, brasileiros, pelo noticiário. Versões de um lado e de outro. Só que, sem fazer juízo de valor, houve uma gravação do porta-voz da PM-RJ num determinado telejornal, não lembro bem qual pois vejo vários, e o oficial da PM disse em alto e bom tom: “Bala de borracha a PM do Rio de Janeiro não usa desde setembro do ano passado”.

    Do outro lado a versão do povão afirmando que os caras entraram barbarizando, atirando em todo mundo etc.

    Houve, sim, gravação de PM com megafone dizendo para todo mundo ficar calma, retirar suas coisas etc etc. Mas, claro, as imagens são veiculadas e não se sabe exatamente – ao menos eu não consegui ver – quando começou a porradaria, tiros, bombas etc. De novo, não estou fazendo juízo porque não deu, para mim, uma visão clara da sequência, do momento exato que começou a verdadeira batalha campal entre os invasores e a PM.

    Mas também vi, com muita clareza, tropas da PM em formação, atirando bombas e… dando tiros de bala de borracha. Com muita clareza.

    Aí, vi o noticiário, Na GloboNews, na Band, na RecordNews e… no Jornal Nacional.

    E o que me chamou muito a atenção?

    Que o Jornal Nacional cortou da fala do tal porta-voz a afirmação que a PM do Rio não usa mais bala de borracha, uma mentira claramente mostrada pelas imagens de TV.

    Esse é só um exemplo, caro Patriarca, de como vejo o noticiário. Só um exemplo.

    —-

    Quer mais, vamos lá. Alguns casos esquisitos pacas.

    1 – Helicóptero do Pó: Como é que um helicóptero com 450 kg de cocaína pura, de propriedade de um deputado ligado ao Aécio Neves, pousa numa fazenda do, salvo engano, próprio deputado, todo mundo vai preso (piloto e o resto) e, depois, ninguém mais acha quem era o dono dessa fortuna em forma de uma das drogas mais venais, essa que é misturada com tudo que é pó branco, de farinha a pó de mármore, embalada e colocada à venda pra molecada e viciados marmanjos brasileiros? E uma outra parte sei lá como produzindo a tal pedra de crack que destrói um turma enorme que vemos pelas ruas das cidades?

    Segundo o noticiário nem mesmo a PF achou link entre a droga e o deputado.

    Agora os caras estão soltos (piloto e o resto). Todo mundo solto pela Justiça.

    Vai lá na delegacia mais próxima de onde você mora e vê se não encontra algum moleque negro, magricelo, esquecido da Justiça, ainda sem processo julgado e tramitado, por ter sido pego com um pouco de pó. Tá cheio.

    Mas a imprensa não está nem aí, não tem a menor curiosidade de fuçar quem era o dono da droga, não se espanta que os caras estejam soltos, não fica curiosa que a PF, competente para muita coisa, não descobre quem era o dono daquele fortuna em tabletes de cocaína pura etc etc.

    Não te parece estranho? A mim parece, sim. Muito estranho. Mas para nossa grande mídia, não.

    2 – Propinoduto tucano: A imprensa não conseguiu omitir a torrencial fartura de notícias do cartel que abasteceu, segundo indícios tão fortes que até minha bistataravó acha que sim, o tucanato durante décadas. De Mario Covas pra cá parece que montaram um esquema rico pra dedéu.

    E ninguém consegue ligar esse propinoduto com as campanhas, com o alto tucanato, um ou outro nome, um ou outro secretário, mas aquele link final simplesmente não aparece.

    Não te parece estranho? A mim, sim.

    3 – E os pedágios de SP?

    Caramba, inúmeras vezes as investigações foram completamente abafadas. Mas vamos raciocinar um pouco. O PSDB é meio caduco, uns dizem ser neoliberal, mas como é que neoliberal gosta tanto de imposto como o PSDB? É imposto pra todo lado, os caras adoram (assim como o PT).

    Ano passado, no meio daquela reação toda da sociedade, o famoso junho de 2013, de uma hora pra outra o governador de SP, Alckmin, anuncia que os pedágios não terão reajustes. Estranhamente as operadoras das concessões envolvidas não deram um pio.

    Cá pra nós, se você é uma operadora de uma rodovia em concessão e não recebe o reajuste anual, não gritaria pelos quatro cantos? Lembra como gritaram quando Dilma reduziu a conta de luz (e hoje sifu por conta disso)?

    Pois bem, nenhum pio da grande imprensa, nenhum pio das operadoras, principalmente a CCR, que tem a Camargo Correa com sócia, que sabemos da Operação Castelo de Areia (minha memória para certos casos é boa, sim) etc.

    Não te parece estranho? A mim parece, sim, muito estranho.

    E você viu algum veículo da grande imprensa preocupado com essa generosidade do Alckmin? Com dinheiro das operadoras das rodovias paulistas?

    Confesso que não vi nenhum desses repórteres investigativos fuçando o assunto. Como não sou jornalista e não tenho dinheiro pra bancar uma investigação jornalística, fico só com minha curiosidade e minha opinião sobre esses veículos.

    Quer falar do Rodoanel? Quer falar da Nova Marginal Tietê? Quer falar da quinta faixa, agora, da Rodovia Bandeirantes?

    Tem pra todo lado, caro Patriarca.

    —–

    Resumo dos casos acima: Ora bolas, caro Patriarca, você realmente acha que eu monto minha opinião pela grande mídia?

    —-

    Mas … aí é que mora o perigo. Acontece, caro Patriarca, que há notícias a dar com pau, basta você ficar na Agência Brasil, para ter a clara noção que um caminhão de gente importante do PT resolveu adorar o patrimonialismo, o velho e conhecido patrimonialismo dos velhos coronéis, pra fazer seu pé de meia, afora a bufunfa que abastece o caixa 2 de campanha… exatamente como os velhos coronéis sempre fizeram.

    Esse caso da Operação Lava a Jato levantou um lebreiro enorme, uma (como diz nosso colega daqui de SC, o caro Pedro) fieira de siris de patolas grossas.

    E aí a minha curiosidade não é seletiva não, caro Patriarca, ela é pra todos os lados. Bendita a hora que o blog escreveu o texto se comprometendo em ver notícia de corrupção seja ela envolvendo quem for, partido que for. Bendita hora. Me obrigou a ficar de fora do fla x flu que vejo – de cadeira – dominar os que gostam de política e que torcem fervorosamente por algum partido.

    Então vamos numa curiosidade que me afeta diretamente, e que não está escrita na grande mídia. Senta na cadeira e me diz onde estou errado neste pensar. Por favor me aponte, ficarei muito feliz se você tirar essa pulga que está me incomodando pra caramba. Confesso que sim. Vamos lá.

    1 – pegaram o Alberto Youssef, doleiro que presta serviços gerais pra galera. Pelo que estou vendo, sem muito ideologia.

    2 – descobre-se que é amigo de bolita do André Vargas, o cara que o PT colocou no mais alto topo do Congresso que pode, pois teve que entregar a presidência da Câmara para o Henrique Alves e a do Senado para o Renan Calheiros, ambos do PMDB que deita e rola. (e vai deitar e rolar seja qual partido governar o Brasil).

    3 – descobre-se que André Vargas e Alberto Youssef mantinham negócios em Londrina, PR.

    4 – descobre-se que André Vargas e Alberto Youssef responderam processo por desvios de dinheiro público no PR, segundo li por aí, foi o maior escândalo que já teve em Londrina. Resta apurar melhor. Vargas se livrou do processo mas parece que Youssef ainda responde. De novo, tudo carece ser apurado, me fio no que li, nas coisas que achei no Google, jornais e sites de Londrina e PR.

    5 – sabe-se que Paulo Bernardo, ministro das Comunicações de Dilma, ex-ministro de Planejamento de Lula, foi deputado pelo PR em três mandatos. Vá lá e pesquise, foram 3, sim.

    6 – tem notícia que quem coordenava as campanhas do Paulo Bernardo era… ora bolas, ninguém menos que André Vargas.

    7 – e por acaso o presidente da Anatel, indicado por Paulo Bernardo é …. (ou tem família, disso tenho certeza absoluta)… de Londrina.

    E tem gente que acha que eu não posso reclamar que esta ANATEL é um desastre, que tenho um caminhão de questionamentos sobre a competência do Paulo Bernardo e que tenho um caminhão de questionamentos sobre… bem, deixa pra lá porque só posso afirmar o que posso te mostrar em links disponíveis na internet.

    Quando você vê um André Vargas chegar onde chegou, quando você vê uma degravação dele comemorando com o Alberto Youssef que eles estariam arranjando suas independências financeiras, quando você vê essas coisas que estão registradas nas investigações e publicadas por aí, você começa a se incomodar, sim. Claro que sim.

    Aí entram as fofocas, a imprensa é boa de plantar fofocas e suspeitas contra quem ela decide que quer fazer isso (de novo, veja como enxergo a imprensa, caro Patriarca, antes de atirar as pedras que tem atirado em mim), que André Vargas diz que não vai cair sem atirar, que o PT está reunido para analisar a questão André Vargas etc etc, você acaba, sim, ficando com a orelha, o radar, apontado para o caso.

    É claro que sim. Em cima de tanto fato, há que se deixar o radar super ligado e, com calma, aguardando as notícias ficarem realmente maduras, com provas mais importantes e inquestionáveis, aí você escreve sobre isso, você faz post, se arrisca a ser processado, mas com um mínimo de coerência.

    Graças ao Alessandro Molon (sim, do PT-RJ), vocês podem escrever o que quiserem no blog, no nosso blog. Eu não.

    Eu não posso mais ser processado por alguma coisa que você, Patriarca, ou o Chesterton, escreverem. Se alguém se achar prejudicado, caluniado, difamado etc, vai na Justiça, a polícia vai procurar o IP de origem e vocês é que terão que responder por isso, não eu. Graças ao bom trabalho do Alessandro Molon, no Marco Civil da Internet (excelente trabalho, quero reafirmar).

    Mas eu, Patriarca, por mais ínfimo que seja este blog, por mais insignificante, eu respondo pelos meus posts e pelos meus comentários. Já estamos no ar desde agosto de 2008. Tem notícia demais colecionada, tem muitos nomes relacionados. Quando inventei de classificar (e nem fiz isso lá muito bem, mas não é tão ruim assim) de colocar as categorias com nomes de pessoas, empresas, instituições em cada post, hoje muita coisa que aparece sobre corrupção, desvio e anomalia, o politicAética aparece na primeira ou segunda página da pesquisa do Google. Por relevância dentro do algorítmo que eles dominam (e ganham dinheiro em cima).

    O que isso significa? Que, sim, tem um monte de gente babando de raiva porque este minúsculo blog existe.

    E eu? Bem, com certeza tomo meus cuidados. Um deles é não criar notícia. Eu só emito opiniões sobre notícias. E isso é garantido na nossa Constituição.

    Por enquanto.

    Pra terminar voltando a te responder, caro Patriarca, meu amigo Patriarca (e você sabe que lhe tenho com carinho, mais que respeito, já lá se vão tantos anos… lembra?)

    Sim, o PT está com as vísceras espalhadas por aí.

    Você sabe muito bem que posição tive até não aguentar mais. Nunca deixei de colecionar notícia porque gostava do que estava vendo. Uma hora, de tanta víscera espalhada, comecei a questionar, sim. Caramba. Tem coisa demais.

    Afora minhas discordâncias ideológicas, na questão ambiental, na questão indígena, na questão do laicismo do estado, enfim, tem uma série de coisas que quem mudou não fui eu… coisa que tenho repetido ad nauseam por aqui.

    Isso quer dizer que já defini meu voto, ou minha tinta está a serviço de A ou B, da campanha de C ou D?

    NÃO!

    Abraço, velho Patriarca de tantos anos de convivência. Só te peço que não me acuse do que não tenho culpa, por favor. E sei que você se comoverá com meu pedido, que é sincero.

  23. Elias said

    Autopiedade é o fim da picada…

  24. Patriarca da Paciência said

    Obrigado pela resposta, caro Pax,,

    Vou refletir um pouco e tentar responder tudo !

  25. Elias said

    Lembrei agora, de um “pequeno” detalhe dos tempos tucanos.

    A bandalheira do Banco Nacional custou aos cofres públicos R$ 111,3 bilhões.

    Na época, isso correspondeu a 12,3% do PIB brasileiro.

    Por coincidência, também nessa época, um dos principais “capos” do Banco Nacional era filho do sociólogo Fernando Henrique Cardoso.

    Também por coincidência, nessa mesma época, o sociólogo-pai era Presidente da República.

    Que coisa, né? Tanta coincidência… Mundo pequeno…

  26. Patriarca da Paciência said

    Pax,

    adiantando um pouco as minhas respostas, acho que a tal “reintegração de posse” foi um tremendo tiro no pé do Pezão.

    O Lindberg Farias pode faturar um monte em cima disso e, se o Pezão já era inviável, agora ficou mais inviável ainda !

  27. Pax said

    o o problema do filhote de um justifica o problema do filhote do outro?

    esqueceu das privatizações?

    ora bolas, esse tipo de argumento é algo a ser levado em consideração?

    que barbaridade…

  28. Elias said

    “Graças ao Alessandro Molon (sim, do PT-RJ), vocês podem escrever o que quiserem no blog, no nosso blog. Eu não. Eu não posso mais ser processado por alguma coisa que você, Patriarca, ou o Chesterton, escrever. Se alguém se achar prejudicado, caluniado, difamado etc, vai na Justiça, a polícia vai procura o IP de origem e vocês é que terão que responder por isso, não eu. Graças ao bom trabalho do Alessandro Molon, no Marco Civil da Internet (excelente trabalho, quero reafirmar).” (Pax)

    Pra coisa ficar pouquinha coisa mais correta, faltou lembrar o que tu disseste, a respeito do governo e do PT, tão logo começou o debate do Marco Civil da Internet no Congresso.

    Faltou dizer que tu adaptaste ao Marco Civil da Internet, os mesmos mantras antipetistas que costumas recitar, até à náuseua, sem ter a mínima preocupação em checar qual a posição do partido e do governo quanto a essa questão (sem esquecer a velha e igualmente nauseabunda fulanização).

  29. Pax said

    Caro Patriarca,

    Se eu fosse oposição ao governo do Rio, usaria a porradaria de ontem ad nauseam, sim.

    Meu medo é que, do jeito que a coisa anda, uma surpresa como um Garotinho ou um Crivella é que acabe faturando a bagaça.

    Não gostaria de estar na pele dos cariocas nestas eleições.

    Mesmo porque já tenho um caminhão de questionamento sobre o Lindbergh.

  30. Elias said

    “o o problema do filhote de um justifica o problema do filhote do outro?” (Pax)

    Evidentemente que não.

    Mas também nada justifica que se fale tanto dos “problemas” de um filhote, e nada dos “problemas” do outro.

    Mas, se tu prestares um pouco mais de atenção ao que eu escrevi, não terás dificuldade em perceber que a questão maior não é com relação a filhote, filhote…

    O filhote está aí apenas como isca pra quem tem foco na fulanização.

    Independentemente de filhotes, o verdadeiro escândalo foi mobilizar 11,3% do PIB pra liquidar passivo de um banco privado.

    Aí é que está a coisa, neném…

    No foi “problema” de filhote. Foi muito mais que isso…

    Percebe?

  31. Elias said

    E, Pax.

    Meu comentário # 25 não contém uma única palavra que possa ser considerada “justificativa” do que quer que seja.

    O uso dessa palavra, como tática de desclassificação, é, apenas, outro procedimento DESONESTO teu.

    Apenas lembrei um episódio de roubalheira, que garfou, de uma só porrada, mais de 11% do PIB, sem que ninguém tenha sido processado…

  32. Pax said

    Eu é que sou desonesto? Afinal quem pratica procedimento desonesto nada mais é que… um desonesto, ora bolas.

    Sei…

    Resta saber em que régua sou classificado como desonesto.

    Se for a que boa parte PT adotou, ótimo, dessa honestidade não quero fazer parte.

    Essa tal “honestidade”, pelo farto noticiário, se farta de…. dinheiro público.

    Seja para manter o paradigma, ou, como nos mostra o grande André Vargas, nas degravações da PF, para “arrumar sua independência financeira”.

    NÃO, prefiro ficar como estou, cada vez com menos dinheiro.

    Mas feliz pacas com meu travesseiro.

  33. Pax said

    Caro Elias, pra não te deixar sem resposta, no teu questionamento acima, em #28

    Aqui está o que escrevestes:

    “Graças ao Alessandro Molon (sim, do PT-RJ), vocês podem escrever o que quiserem no blog, no nosso blog. Eu não. Eu não posso mais ser processado por alguma coisa que você, Patriarca, ou o Chesterton, escrever. Se alguém se achar prejudicado, caluniado, difamado etc, vai na Justiça, a polícia vai procura o IP de origem e vocês é que terão que responder por isso, não eu. Graças ao bom trabalho do Alessandro Molon, no Marco Civil da Internet (excelente trabalho, quero reafirmar).” (Pax)

    Pra coisa ficar pouquinha coisa mais correta, faltou lembrar o que tu disseste, a respeito do governo e do PT, tão logo começou o debate do Marco Civil da Internet no Congresso.

    Faltou dizer que tu adaptaste ao Marco Civil da Internet, os mesmos mantras antipetistas que costumas recitar, até à náuseua, sem ter a mínima preocupação em checar qual a posição do partido e do governo quanto a essa questão (sem esquecer a velha e igualmente nauseabunda fulanização).

    Eu fui, se não me engano, procura aí, nunca apago o que escrevo (às vezes até me arrependo, mas não apago – volta e meia me permito corrigir erros crassos de português, mas, de novo – NÃO APAGO) foi algo como:

    “O Eduardo Cunha, o cara que mais tem resultado nas chantagens com o governo nos últimos tempos, fará com que o PT abra as pernas para os desejos das teles e não haverá Neutralidade na rede”.

    Ainda bem que eu estava errado. Ainda bem que a sociedade piou alto do lado do Alessandro Molon que, repito, fez um bom trabalho relatando o processo, chamando todos para opinar, toreando desejos de todos os lados e produzinho o que acho que foi muito bom. Um marco civil, base para as leis que termos sobre a matéria, muito boa.

    À aquela altura eu estava, sim, duvidando que a bancada do PT (cabe lembrar o nome do mais alto posto do PT na Câmara ou não? Ah, vou lembrar sim, ele, o André Vargas) não abrisse as pernas para as teles.

    Repito, ainda bem que estava errado. Ainda bem que o bom projeto relatado pelo Molon foi o que vingou, mesmo porque essa jararacada toda monitora o que rola na internet e viu a quantidade de opinião e apoio que perderia se votasse a favor das teles.

    Foi diferente, caro Elias?

    Caramba. Está se tornando o quê, cara? A cada dia te conheço menos.

  34. Pax said

    fora do tópico, a eficiência da ANAC – Agência Reguladora para aviação civil, incluindo aqui infraero e outros quetais. Mas, claro, 12 anos foram insuficientes para resolver a questão, claro que sim…

    E a fonte? Ora bolas, claro que a fonte é dessas que eu uso, que são da mídia podre, da direita, golpista, claro que sim… pois bem, é longo, mas sugiro a leitura, pra quem acha que não termos problemas na Copa do Joseph Blatter, presidente do Brasil, que já determinou que Dilma, sua súdita, não pode falar aos vassalos brasileiros. Isso mesmo, Blatter já mandou recado pra Dilma, que se cale durante a Copa (procurem no Google que acharão).

    Mas, então, voltando a minha fonte neoliberal, golpista, safada, que quer derrubar o governo, leiam aí:

    http://noticias.r7.com/blogs/ricardo-kotscho/2014/04/12/vai-viajar-de-aviao-muita-calma-nesta-hora/

    Ah, mas o que tem isso com o post? Nada, é fora do tópico, eu avisei e, também, porque estava agora mesmo conversando com umas amigas, feministas e petistas, quer dizer, metade delas já desistiu e uma tinha desistido e voltou, só que mandou sua ficha de filiação faz um tempão e ninguém do PT se deu ao trabalho de respondê-la. Duvida de mim? Me acha desonesto? Não posso fazer nada.

    Falei pras feministas do nosso blog e dos absurdos que tenho lido por aqui, sem citar o santo, mas duas delas conhecem, sim. Uma que saltou fora faz um tempo, dessas que viravam noite contanto voto pra não roubarem do partido e outra que não desistiu ainda.

    Enfim, divirtam-se com o longo texto da Mariana Kotscho, que provavelmente quer derrubar Dilma e Lula e faz parte da conspiração que a CIA armou para isso tudo, segundo os mais empedernidos, desses que acreditam em tudo que alguns blogs escrevem.

  35. Patriarca da Paciência said

    Portal Terra

    O economista norte-americano Joseph Stiglitz, ganhador do Prêmio Nobel em 2001, afirmou na terça-feira, dia 8, durante uma palestra no 7º Fórum Mundial de Cidades, que os Estados devem desempenhar o papel que lhes corresponde no planejamento das cidades ao considerar que o sonho norte-americano, modelo que deixa as urbes nas mãos dos mercados, é um mito.

    “O Estado tem de desempenhar um papel importante. O que me preocupa é que nos últimos 20 anos perdemos esse equilíbrio entre o papel do Estado e o do mercado”, disse Stiglitz durante a palestra no fórum que acontece na cidade de Medellín, na Colômbia.

    Para o economista, as cidades norte-americanas de Detroit e Gary – lugar onde nasceu – são urbes “que fracassaram porque os governos não fizeram o que tinham que fazer” e as consequências da desindustrialização, de automóveis e aço respectivamente, as condenaram. “Os mercados não tratam bem a reestruturação urbanística”, disse.

    Além disso, questionou o sonho norte-americano, que chamou de “mito”, já que o progresso dos cidadãos nos Estados Unidos depende dos estudos custeados por seus pais, enquanto na Europa, com modelos considerados “mais rígidos”, a educação é universal.

    Stiglitz contrapôs o modelo dessas cidades norte-americanas com a asiática Cingapura, “onde o Estado teve um papel fundamental em seu desenvolvimento”; a inglesa Manchester, reconvertida em polo musical, cultural e estudantil após sua desindustrialização; e a própria Medellín.

    “Em muitos países querem copiar o modelo norte-americano e eu quero chamar a atenção sobre isso: tenham cuidado com o que desejam, os EUA alcançaram o maior nível de desigualdade de todos os países desenvolvidos”, disse Stiglitz, que atribuiu esse fenômeno a decisões políticas e não só a “forças econômicas”.

    Durante a manhã de ontem, em entrevista coletiva, Stiglitz alertou sobre as consequências para a Colômbia da assinatura de um Tratado de Livre-Comércio (TLC) com seu país: estes acordos “são elaborados para o interesse dos Estados Unidos e a favor de outros países avançados”, disse o economista.

    “Se seguimos as regras do jogo dos EUA terminamos com seus resultados negativos”, acrescentou o economista. Além disso, Stiglitz pediu que o setor público pensasse nos pobres na hora de planejar a remodelação das cidades ou de construir novas urbes porque “o Produto Interno Bruto (PIB) não é uma boa medida do bem-estar”.

    “São os pobres que sofrem com uma cidade mal planejada: os pobres sofrem com os transportes ruins, com a falta de parques públicos e de habitação”, disse. O Prêmio Nobel foi um dos convidados principais do 7º Fórum Mundial de Cidades de Medellín, que tem como objetivo buscar soluções para diminuir a crescente desigualdade nas cidades dos cinco continentes e reverter essa tendência para a promoção de um desenvolvimento mais igualitário.

    “No Brasil, o governo focou na educação, na alimentação, na pobreza e é muito surpreendente como essas políticas provaram ser adequadas”, disse Joseph Stiglitz, prêmio Nobel de Economia

    Compartilhe:

  36. Chesterton said

    Esses tais “pobres” (em geral cheios de privilégios e dinheiro) vão acabar destruindo a civilização ocidental. :)

    Mas olhem aqui a mulher do Mujica confessando que quando terrorista matou inocentes:

    http://www1.folha.uol.com.br/mundo/2014/04/1440043-casada-com-lider-do-uruguai-senadora-vai-concorrer-a-vice-presidencia.shtml

  37. Pax said

    Caro Chesterton,

    na entrevista da Folha (obrigado pelo link) não há essa confissão.

    viagem da tua cabeça.

    Por mim que o Mujica assuma a ONU!

  38. Chesterton said

    Entrei na luta porque estava convencida.
    Que fique claro.

    – Quais erros?

    Na luta armada pode morrer gente que não tem nada a ver.

    chest- Ou isto é uma confissão , ou é uma confissão. Lembre-se que começaram a luta armada 9 anos antes dos militares assimirem o poder no Uruguai.

  39. Chesterton said

    Be, Mijica deve ser presidente da ONU para confirmar sua aboluta irrelevância nos últimnos 60 anos. (no mínimo)

  40. Chesterton said

    http://veja.abril.com.br/blog/rodrigo-constantino/corrupcao/o-doleiro-dos-oprimidos-por-guilherme-fiuza/

  41. Pax said

    Esse Constantino é algum novo filósofo ou pensador que segues, caro Chesterton?

    vou me permitir nem abrir o link.

    não vejo a menor necessidade de ler histeria da Veja.

    basta o que já achei, já linkei, já comentei.

    André Vargas e a Operação Lava a Jato são uma fartura e uma alegria para a oposição. Só o PT que ainda “analisa” se o cara deve permanecer ou não em seus quadros.

    Assim como o PSDB, de prêmio para o Eduardo Azeredo, o promoveu a presidente do PSDB, acho que o PT vai fazer nada, ainda mais sob – segundo a boataria – ameaças do cara que diz que não vai cair sozinho.

    Assim andam as coisas nas terras dos tupiniquins.

  42. Patriarca da Paciência said

    “Em meio a tanta crise, com a invasão dos sem-terra no antigo prédio da Oi, no Engenho Novo, na Zona Norte do Rio de Janeiro, com tantos feridos no confronto com a polícia durante a desocupação, as autoridades do Rio de Janeiro estão rindo de que? Da invasão, da truculência ou da pobreza?”

    http://www.jb.com.br/opiniao/noticias/2014/04/12/a-invasao-na-telerj/

    É caro Pax, minha opinião é que o Pezão não vai dá pé.

    Em poucos dias de “governo” o cara já queimou o filme !

  43. Patriarca da Paciência said

    “Esses tais “pobres” (em geral cheios de privilégios e dinheiro) vão acabar destruindo a civilização ocidental. :)”

    Eu continuo cada vez mais espantado com as ideias do Chesterton !

    Ele acha que não apenas o Brasil vai acabar em 2014, toda a “Civilização Ocidental” também.

    Lembro-me que li que certo assessor do papa, não recordo de qual papa, chegou muito apavorado e comunicou algo que “poderia destruir a Igreja”.

    o papa calmamente respondeu:

    Meu filho, nós estamos tentando destruir a Igreja faz séculos e ela continua cada vez mais forte !

  44. Chesterton said

    Pax, você não abre por causa do frio na espinha.

  45. Pax said

    Caro Patriarca,

    Aqui está a cara do governo Pezão (que é a cara do governo Cabralzinho)

    Link

    Caro Chesterton,

    Não por causa de frio na espinha, o que vejo por aí e leio por aqui já criou casca grossa. É, mesmo, que não acho que histeria da Veja como histeria do outro lado sejam qualquer coisa que preste para o Brasil.

    São extremos, parciais, abobalhados, chatos mesmo. Afora os que se acham pensadores e não passam de tinta biliática.

  46. Joana said

    Pax

    Na minha opinião já estava na hora de alguém ser responsabilizado (além do “bagrão” Cerveró demitido 8 anos depois).

    Toda decisão tem consequências! Começaram como vc pode ler:

    Procuradoria do TCU pede que Dilma e conselheiros respondam por Pasadena

    Relatório aponta indícios de ‘gestão temerária’ e falhas ‘acima do razoável’ na compra de refinaria

    http://www.estadao.com.br/noticias/nacional,procuradoria-do-tcu-pede-que-dilma-e-conselheiros-respondam-por-pasadena,1152962,0.htm

    E Pax…parece que seu sonho de consumo (Paulo Bernardo, Gleisi e de quebra Padilha) vai se realizar) :

    Versão de André Vargas sobre tráfico de influência na Saúde foi desmentida

    http://josiasdesouza.blogosfera.uol.com.br/2014/04/13/versao-de-andre-vargas-sobre-trafico-de-influencia-na-saude-foi-desmentida/

    Destaco trecho:
    “…
    A revista Veja também informa que, sentindo-se abandonado por seu partido, André Vargas recorreu a uma ferramenta inusitada para reconquistar o PT: a chantagem. Disse a petistas que, faltando-lhe a solidariedade, vai entregar companheiros. Em privado, relaciona entre seus alvos o próprio Padilha, o ministro Paulo Bernardo (Comunicações) e a mulher dele, a senadora Gleisi Hoffmann, ex-chefe da Casa Civil e candidata do PT ao governo do Paraná.

    Longe dos refletores, Vargas insinuou que Paulo Bernardo é beneficiário de desvios praticados na Petrobras. Nessa versão, o ministro teria intermediado contratos entre um grupo empresarial chamado Schahin e a estatal petroleira. Em troca, teria recebido uma “corretagem” recolhida pelo doleiro Youssef.

    Em converas com deputados petistas, André Vargas citou outra logomarca: a agência Heads Propaganda. “a Heads é esquema deles”, afirmou, referindo-se a Paulo Bernardo e a Gleisi Hoffmann. Sob Dilma, anota a revista, a agência tornou-se líder no recebimento de verbas do governo. Encontra-se sob investigação do TCU.

    Neste sábado, André Vargas comentou a reportagem pelo Twitter. Absteve-se de falar sobre o desmoronamento do discurso que pronunciara da tribuna da Câmara. a respeito da chantagem, escreveu: “Atribuir a mim ameaças contra valorosos companheiros é pura ilação. Sou o único responsável pelos meus atos e vou provar inocência.”

    Por meio de nota, Paulo Bernardo negou que houvesse intermediado contratos do grupo Schahin com a Petrobras. “Conheci executivos do grupo há muitos anos. Não me lembro de nenhum encontro ou contato telefônico com nenhum desses executivos nos últimos cinco anos, pelo menos. Acredito que a senadora Gleisi nem os conheça.”

    Quanto à agência Heads, Paulo Bernardo disse conhecer o dono, Cláudio Loureiro. Mas nega ter negócios com ele. “Tenho relação muito cordial com ele. Com a Heads, não tenho relação”, disse Paulo Bernardo. Acrescentou: Loureiro “nunca nos prestou serviços como agência e não tenho informações ou envolvimento com os negócios da empresa dele. Não tive influência nenhuma a respeito de contratos da empresa dele com o governo federal”.

    De resto, Bernardo declarou ter encontrado o doleiro Youssef uma única vez. “Como deputado federal, fui membro da CPI do Banestado, que investigou o caso. E participei de sessão para ouvir o senhor Youssef. A audiência foi realizada em Curitiba”.

    Diante das últimas divergências sobre posturas políticas e de caráter de comentaristas documentadas recentemente aqui no blog…
    eu sugiro uma “blogCPI x-tudo” privada destinada a não apurar nada além do longos traços afetivos.
    É um direito da minoria, meu caro

  47. Chesterton said

    Ta bom, Pax, Veja está censurada na tua mente.

    http://oglobo.globo.com/opiniao/o-doleiro-dos-oprimidos-12173162

  48. Joana said

    Pax

    A “imagem simbolo” do sucesso da Petrobrás, sob lula:

    PETROBRAS: O petróleo suja as mãos…concorda?

  49. Chesterton said

    Joana, Pax não lê a Veja nem quando é o Josias que a cita.

  50. Chesterton said

    Por Laryssa Borges,
    Procurador do Ministério Público do Tribunal de Contas da União há quase duas décadas, Marinus Marsico já comprou briga com corruptos que aparelharam o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit), enfrentou servidores que insistiam em receber supersalários no Congresso e participou do acordo com o Grupo OK, do senador cassado Luiz Estevão, para reaver 500 milhões de reais desviados do Tribunal Regional do Trabalho de São Paulo. Há cerca de dois anos, revira cada detalhe da ruidosa compra da refinaria de Pasadena, no Texas, pela Petrobras, um dos mais malsucedidos negócios da história da petrolífera brasileira. Para ele, apesar de o caso Pasadena ser “indefensável”, a Petrobras sofre com desmandos políticos desde o segundo mandato do ex-presidente Lula. “A Petrobras está afundando. Há uma mistura de má gestão com o fato de ter se tornado um braço político do governo. Se a empresa não fosse pública, já tinha quebrado”, disse em entrevista ao site de VEJA.

    As denúncias envolvendo a Petrobras, incluindo irregularidades em contratos, não são exatamente uma novidade para o TCU. A Petrobras é uma caixa-preta?
    A Petrobras é uma empresa muito difícil de fiscalizar e, com certeza, se fosse mais transparente, se não se preocupasse tanto com essa questão de sigilo comercial, muitas vezes indevido, tenho certeza que esses contratos desastrosos, como o de Pasadena, não teriam ocorrido. Se há dez anos houvesse a possibilidade de a Petrobras ser fiscalizada como deve ser, hoje não teríamos esse tipo de situação. Ela se fecha em um falso argumento de que é uma empresa de mercado e com sigilos comerciais. Chama muito a atenção no caso da Petrobras a quantidade de irregularidades e a magnitude dessas irregularidades. Não falamos de milhões, mas de bilhões de reais.

    Qual foi a influência do governo nas decisões tomadas pela Petrobras nos últimos anos?
    Esse mal de misturar o público com o privado é algo que sempre existiu, desde o surgimento dessa esdrúxula figura da sociedade de economia mista. Mas, ultimamente, essa situação aumentou muito, é só ver os escândalos. Problemas sempre existiram, mas agora são problemas em grau exponencial e se chegou a um ponto intolerável em que a empresa, se não fosse pública, quebraria. E isso tudo ocorreu no período de 2005 a 2010 [no governo Lula]. Esse foi o período mais sério para a Petrobras mesmo.

    A gestão de José Sergio Gabrielli, presidente da Petrobras na época da compra da refinaria de Pasadena, era fechada?
    Havia muito mais resistência da Petrobras, resistência à fiscalização do tribunal como um todo, na gestão do Gabrielli. Agora está um pouco mais transparente, mas há um longo caminho a percorrer. Nas informações que pedi à Petrobras sobre Conselhos de Administração e Fiscais, os dados foram passados parcialmente. Sonegar informação ao Ministério Público causa uma ação de improbidade contra as pessoas que o fizeram. A tarefa da atual presidente da Petrobras, Graça Foster, é muito difícil porque cabe mudar uma empresa que ultimamente andou se descuidando muito de sua eficiência, realizando gastos desnecessários e, sobretudo, sem autonomia, sem condições de determinar pelas leis de mercado quais seriam suas fontes de receita.

    Quando o senhor fala em falta de autonomia, quer dizer que existe ingerência política?
    Sim, há uma forte ingerência política na Petrobras. A presidente da Petrobras não consegue colocar o preço do seu produto principal, que é a gasolina, em um patamar compatível com uma empresa de mercado. Por isso, a Petrobras tem hoje o maior nível de endividamento entre as grandes petroleiras no mundo, três vezes maior do que o razoável para o resultado operacional dela. Isso é resultado dessa mão invisível do governo. Sempre tem um braço forte do governo.

    A Petrobras está afundando?
    A Petrobras está afundando, sem sombra de dúvida. Por mais que se fale e se apresentem números, ou por mais que se coloquem recordes de produção petrolífera, vemos que ela está afundando. É isso que o mercado pensa sobre a empresa. Há uma mistura de má gestão com o fato de a empresa ter se tornado um braço político do governo. Não há nenhuma teoria conspiratória em relação a isso. E se o mercado precifica a empresa nesse sentido, é sinal de que ela não vai nada bem.

    A compra da refinaria de Pasadena foi o pior negócio da Petrobras nos últimos anos?
    Não há defesa em Pasadena. A coisa foi tão abertamente um escândalo que não há a mínima possibilidade de se defender qualquer coisa na transação. Tudo ocorreu justamente na época em que a administração pública federal atravessava aquela euforia de que tudo era possível, tudo se podia, com índices políticos de popularidade muito altos. Criou-se aquela ilusória sensação de que o mundo pertence a nós. Por conta disso fizeram a transação sem o mínimo cuidado. Fiquei escandalizado com a questão da Petrobras em Pasadena e me senti até ofendido com o negócio porque, como órgão de fiscalização, ofendeu a minha inteligência o fato de se ter feito uma contratação sem o mínimo cuidado. Parece que a Petrobras considera que nós somos idiotas, que a gente não vai ver nada e que nunca vão descobrir nada.

    Há críticas à refinaria Abreu e Lima?
    Abreu e Lima é pior nos valores — e o foco do TCU é economizar para o contribuinte. Mas, no lado simbólico, Pasadena é uma afronta. Na época do contrato, a Astra [empresa belga parceira que vendeu metade da refinaria para a Petrobras] colocava avisos aos acionistas afirmando ‘que maravilha, fizemos um grande negócio, muito maior do que qualquer expectativa razoável’.

    O que o TCU pode fazer em relação a Pasadena?
    Na minha representação pedi que se apurassem responsabilidades na diretoria-executiva e eventualmente nos conselhos. Configurado o débito, tem-se o rol de responsáveis que são obrigados a devolver esses recursos. O tribunal também pode aplicar multas, que podem ser proporcionais ao débito ou decorrentes de atos de gestão temerários, ilegítimos, antieconômicos. O problema é que não é factível que se paguem as multas.

    A área internacional da Petrobras, que foi comandada por Nestor Cerveró, é a mais problemática?
    A área internacional é a que tem mais irregularidades. É uma área problemática. O que quero é que a Petrobras passe a funcionar em prol da sociedade brasileira. É uma coisa decepcionante e triste porque a Petrobras é uma empresa que não precisava passar por essas vicissitudes. A gente vê muitos indícios de uso político da empresa. É uma tristeza ver tanto potencial desperdiçado. Veja o caso do parecer falho. O parecer era falho e isso foi descoberto depois e nada foi feito com quem fez o parecer? A pessoa continuou muito bem em uma subsidiária da Petrobras [Cerveró foi para a Diretoria Financeira da BR Distribuidora] e só agora, depois do escândalo, é que foi exonerada. Por que as medidas não foram adotadas antes? Tem que ser investigada se essa omissão no parecer é dolosa e, se for, isso é um crime. Se foi culposa, por incompetência ou falta de cuidado, essa pessoa não poderia mais continuar na empresa. Se em um banco um funcionário causasse um prejuízo de 1 bilhão de dólares para a instituição, certamente ele não continuaria com o trabalho e poderia até ir para a cadeia.

    O que acha da CPI da Petrobras?
    Se a CPI for realmente um instrumento em que todos os seus integrantes tenham a vontade genuína de investigar e corrigir os problemas encontrados na Petrobras, ela é muito bem-vinda. A CPI tem instrumentos superiores aos do TCU para a investigação. Mas esse talvez seja um mundo utópico. Não ponho muitas esperanças no avanço dessas investigações, por mais respeito que eu tenha pelo Parlamento. A CPI é um instrumento da minoria. Se ela é sufocada pela maioria governista, não há investigação. Seria bom se houvesse uma evolução política, que os direitos da minoria fossem respeitados e que as investigações não fossem bloqueadas. Mas acho que isso é sonhar muito.

  51. Chesterton said

    http://congressoemfoco.uol.com.br/noticias/ze-de-abreu-dispara-contra-lula-pt-e-dilma-por-%E2%80%9Comissao%E2%80%9D-com-dirceu/?omissao?-com-dirceu/

  52. Pax said

    Cara Joana, caro Chesterton,

    Li o Josias, sim. Interessante. Apesar de alguns pontos da notícia/matéria da revista suspeita que mostro abaixo. Vale lembrar que até hoje não sabemos “quanto” Cachoeira fazia parte de seu “conselho editorial” – vide CPI do Cachoeira, enterrada embaixo de 4 queijos quando tudo chegou perto de Cavendish que chegou do lado do Cabral que chegou em um monte de obras Brasil afora e o governo ligou o “basta geral”.

    Aí Vital do Rego colocou tudo com molho de tomate, queijo, rodelas de tomate, folhas de manjericão e saiu uma bela Marguerita.

    Minha suspeita – já adiantando – é que o que veremos à frente vai ser mais do mesmo, talvez uma Calabreza, uma rúcula com muçarela de búfala, mas, como sempre, no forno a lenha e o que sai de lá é pizza mesmo.

    Mas, segundo o que ainda me parecem boatos e suspeitas – tipo, na matéria diz …”Longe dos refletores, Vargas insinuou que Paulo Bernardo é beneficiário de desvios praticados na Petrobras…..

    Mas acaba que Paulo Bernardo, segundo a revista que tenho um caminhão de dúvidas, alega, confirma pontos como a tal Heads, Schain, bem, tá lá no post do Josias.

    Mas a revista é useira em vezeira em parágrafos como:

    Em converas com deputados petistas, André Vargas citou outra logomarca: a agência Heads Propaganda. “a Heads é esquema deles”, afirmou, referindo-se a Paulo Bernardo e a Gleisi Hoffmann. Sob Dilma, anota a revista, a agência tornou-se líder no recebimento de verbas do governo. Encontra-se sob investigação do TCU. Ou seja, Josias, se baseia no que a Veja diz, mas …não mostra. Como a revista já cometeu alguns “deslizes”, seguidos, a gente fica com direito à desconfiança. Porém…

    Diz o dito popular, onde há fumaça há fogo. Nem sempre os ditos populares acertam na mosca. Mas de uma pulga agora temos um vespeiro atrás de orelhas que devem estar bastante incomodadas.

    Paulo Bernardo e Gleisi Hoffmann, bem, quem acompanha aqui sabe meu conceito sobre estes ilustres. Preciso falar que cunhei a hashtag #LINK_PADRÃO_DILMA? Preciso lembrar quantas vezes alertei que Gleisi na casa civil tava andando de lado meio à ré?

    Se acho que Dilma tá no rolo? Me parece que nesse, do Paulo Bernardo, não. Me parece vítima de um esquema antigo, o cara vem dos governos anteriores, vem de Londrina, assim como o presidente da Anatel, e suas campanhas, segundo noticiário que pesquei em meia hora de google, eram coordenadas pelo… André Vargas e aí chega-se no doleiro mor.

    Enfim, em momentos como esse, a boataria está aí, a mídia de todos os lados idem, o alvoroço tá grande, é bom andar devagar nas pedras.

    Os indícios são graves pra caramba. Quando uma degravação entre conversas do André Vargas com Alberto Youssef os caras falam de grandes “negócios” que vão produzir suas “independências financeiras”, quando o vice-presidente (ex) da Câmara viaja em avião fretado pelo doleiro, quando o mesmo assume que sim e diz que “mal conhece o doleiro” — tudo fato, registrado, público e notório, a coisa começa a cheirar forte, cheiro ruim.

    O PT, de tudo que tenho lido por aí, parece bastante preocupado com André Vargas. Mais que a CPI da BR. CPI e pizza é questão de tempo, de molho e molhadas nas mãos certas, disso estamos cansados de saber.

    Agora de companheiro traído, o que esperar? O mesmo que bunda de nenê, pata de cavalo, essas coisas, pode sair coice, merda, sei lá.

    A outra opção será agarrar o companheiro, protegê-lo. E o preço a se pagar por isso?

    O que vai dar? Tenho menor ideia, só sei que o bagulho tá sinistro, como vejo a molecada falar por aí.

    Pra finalizar, li também o movimento do Zé de Abreu. É a tal questão da segunda opção, que é o partido ficar do lado do André Vargas, algo do gênero.

    Parece que a cadeia de mal feitos está com elos fragilizados. E aí a sensação é que tudo pode ruir.

    Só que…

    Desafortunadamente nem mesmo uma enormidade de gente bem informada acompanha os casos, mal sabe do link Londrina, não tem menor ideia. Gente relativamente bem informada. Afora a grande maioria que se você perguntar o que é Pasadena vão achar que é uma nova marca de táboa de passar roupa e se falar em Londrina vão dizer que é a capital daquel país que não se lembra o nome mas que teve uma princesa chamada Diana.

    Da mesma forma que poucos sabem que talvez, finalmente, saia a tal CPI dos pedágios de São Paulo.

    Aí o quadro fica bonito de ver, podre de um lado, de outro e voltamos ao mais do mesmo: “meu corrupto é melhor que o teu”.

    Tudo indica que esse será o pano de fundo das Eleições 2014.

    Neste momento, continua dando Dilma no primeiro turno. Se a ameaça aumentar, se Dilma cair muito nas pesquisas, aí entra o Volta Lula com força e vamos jogar o jogo que tem que ser jogado já sabendo que a goleada será de uns 15 a 1 mais ou menos. Até nisso a oposição é míope, não enxerga 1 palmo à frente do nariz. Bater em Dilma é chamar Lula de volta e a goleada garantida.

    Mas, fazer o quê mesmo, se a oposição até agora não tem uma proposta? Se tem, alguém pode me dizer qual é?

  53. Chesterton said

    Pax, se você não lê a Veja fica sendo o último a saber das falcatruas dos petistas.

  54. Pax said

    Caro Chesterton,

    Não tenho nenhum compromisso com vanguarda de notícia. Prefiro, sempre, colecionar o que vale a pena no tema central do blog.

    Se outros veículos confirmam a Veja, se o que a revista levanta “acaba se mostrando jornalismo”, a gente coleciona. Mas, entre nós, não acho que o blog perca tanto assim por não usar essa fonte.

    Veja, caro Chesterton, vou provocar tua razoabilidade, me responde aí: se eu usasse o Paulo Henrique Amorin como fonte primária do politicAética, você viria aqui comentar ou consideraria que nem vale a pena?

    Diz, responde aí.

  55. Pax said

    off topic… da Agência Brasil (viu, caro Chesterton, rabugento Chesterton, a fonte)

    Essa aqui é interessante, diz muito sobre o que venho falando, há um caldeirão latente… latente…

    Faltando 60 dias para a Copa, policiais federais prometem parar durante o evento

    http://agenciabrasil.ebc.com.br/geral/noticia/2014-04/ha-60-dias-da-copa-policiais-federais-prometem-parar-durante-o-evento

  56. Chesterton said

    Já deu na Veja. Compreendo tua dificuldade, comparando o PHA com a VEJA….beco sem saída para você.

  57. Olá!

    Em um outro post, o Elias afirmou que certos comentaristas desaparecem daqui quando o Pax faz uma postagem mostrando os crimes dos tucanos/direita. Retruquei a tal colocação afirmando que a minha opinião é a de que os corruptos, independentemente de partido, devem ser punidos com o máximo rigor existente nas leis, que não tenho a mínima vontade de defender bandidos do dinheiro público e que nunca me beneficiei de cargos dados por políticos.

    Logo em seguida, chamei a atenção para dois fenômenos interessantes que acontecem por aqui:

    01. Quando a corrupção é dos tucanos/direita, não aparece uma vivalma sequer para defender a canalha que perpetrou tal crime.

    02. Agora, quando a corrupção é petista, há uma inundação de defesas dos ladrões do PT. Os defensores desses bandidos são tão sem noção que não se importam de buscar nos cafundós da Internet os mais esdrúxulos “argumentos” para defender a canalha petista.

    Neste site, quem geralmente se dedica a defender corruptos petistas é o pessoal da ala esquerdo-comissionada. O ponto mais baixo dessa galera foi na época do julgamento do Mensalão. Diariamente, esse pessoal vinha choramingar por causa da prisão dos mensaleiros. É como se dissessem sobre os mensaleiros: “Ele [o mensaleiro/petista corrupto] é ladrão sim! E roubou mesmo, e daí?! É ladrão mas é o MEU ladrão!

    Nunca vi por aqui algum direitista/liberal reclamando da prisão de um Arruda e/ou do debacle do Demóstenes Torres.

    Assim posto, trago dois casos muito emblemáticos que mostram que há, sim, uma diferença substancial quanto à reação que a corrupção petista estimula. É o tipo de coisa que não se vê quando a corrupção vem de um outro partido.

    O primeiro caso é o de um tosco e fascista militante petista que perseguiu o ministro do STF Joaquim Barbosa quando este saía de um restaurante. O militante foi atrás do ministro cantarolando “Dirceu guerreiro do povo brasileiro“, fazendo cobranças sobre a vida pessoal do ministro e ainda o acusou de ser um “tucano”, um “projeto de ditador”, um “autoritário” e coisas tais, além de maltratar a língua portuguesa.

    O segundo caso é o do ator da Rede Globo, José de Abreu, que fez uma defesa furiosa e apaixonada do mensaleiro José Dirceu, chegando até mesmo às raias da loucura de cobrar que o Lula e a Dilma sejam menos omissos e se dediquem mais a defender publicamente o mentor do Mensalão.

    Nesses últimos anos, não lembro de ninguém fazendo o mesmo pelos bandidos dos outros partidos. Hoje, são os petistas que realmente gostam de defender políticos bandidos, seja por obrigação de militância, seja por deverem certos favores.

    Até!

    Marcelo

  58. Olá!

    O Pax tem uma forma muito peculiar de avaliar alguns veículos de comunicação: Ele não gosta da Revista Veja, mas adora a Revista Fórum, que é tão governista quando o Paulo Henrique Amorim.

    Até!

    Marcelo

  59. Pax said

    Caro Marcelo Augusto,

    Você poderia me apontar algum post daqui que tenha a revista Fórum como fonte do post?

    Agradeçeria, para justificar teu comentário acima é preciso matar a cobra e mostrar o post.

  60. Patriarca da Paciência said

    “Transitou em julgado a ação em que o ex-presidente Fernando Collor reclamava indenização da Editora Abril por ofensas morais publicadas nas páginas de Veja; o Superior Tribunal de Justiça fixou a indenização em R$ 500 mil que, corrigida, ultrapassa R$ 1 milhão; desse total, R$ 945 mil já foram depositados pela Abril e deverão ser pagos nesta semana; outros R$ 195 mil referentes ao tempo de protelação na execução da sentença ainda estão sendo questionados; decisão terá efeito pedagógico? ”
    (blog 247)

    Quanto será que o José Dirceu vai ser indenizado por ter sido chamado de “chefe de quadrilha” por mais de uma década ?

    Acho que o “reverterium” já começou.

  61. Patriarca da Paciência said

    “Nesses últimos anos, não lembro de ninguém fazendo o mesmo pelos bandidos dos outros partidos. Hoje, são os petistas que realmente gostam de defender políticos bandidos, seja por obrigação de militância, seja por deverem certos favores.”

    Caramba !

    Tem gente que é mesmo cego, surdo e doido varrido !

    O José Dirceu sofreu um atentado a bengaladas que, se não tivesse sido contido, poderia ter sido fatal, filmado ao vivo e a cores !

    O quarto do hotel onde José Dirceu estava hospedado em Brasília foi invadido, durante sua ausência, por um “repórter”, que agiu mais como um meliante, (linguagem do Collor).

    José Dirceu vem sendo chamado de “chefe de quadrilha” por quase mais de uma década e o STF o absolveu de tal acusação.

    Só mesmo sendo cego, surdo e doido varrido para comparar as atrocidades que o José Dirceu vem sofrendo com o protesto ao ministro Joaquim Barbosa.

  62. Chesterton said

    Zé Dirce é inocente?

  63. Chesterton said

    A construção do Porto de Mariel, em Cuba, ganhou o noticiário nos últimos meses porque o governo brasileiro concedeu, via BNDES, um empréstimo de 682 milhões de dólares à ditadura cubana para assegurar a obra – dois terços do valor total estimado para o porto. Além disso, os detalhes da transação foram estranhamente mantidos em sigilo. Em janeiro deste ano, a presidente Dilma Rousseff esteve na ilha dos irmãos Castro para a inauguração oficial do terminal portuário.

    Mas a história não acaba aí: um relatório elaborado por um painel de especialistas do Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU) mostra que Cuba utilizou o Porto de Mariel para abastecer com 240 toneladas de armamento um navio norte-coreano, em descumprimento a sanções internacionais contra o regime autoritário da Coreia do Norte. A operação, realizada há menos de um ano, fracassou porque a carga secreta foi descoberta por autoridades do Panamá, já no caminho de volta à Ásia.

    Por causa do flagrante, foi possível encontrar os registros de navegação e reconstituir a rota do navio: em 4 de junho, o cargueiro Chong Chon Gang parou em Havana, onde descarregou rodas automotivas e outros produtos industriais. Em 20 de junho, o navio aportou secretamente em Mariel. Lá, o material bélico foi embarcado. Em 22 de junho, o Chong Chon Gang chegou a Puerto Padre, onde recebeu a carga de açúcar que seria usada na tentativa de esconder o armamento.

    A maior parte da carga era formada por componentes que seriam usados em mísseis terra-ar, dos modelos C-75 Volga e C-125 Pechora. Dois caças Mig-21, desmontados, estavam no carregamento. Muita munição foi encontrada. Também havia lançadores de mísseis, peças de radares, antenas, transmissores e geradores de energia. Para diminuir os riscos, parte do material enviado recebeu uma nova mão de tinta: os containers perderam a cor verde, indicativa da carga militar, e foram pintados de azul.

    Entre os fatos que chamaram a atenção dos investigadores, aparece justamente a escolha pelo Porto de Mariel: O relatório cita que a opção, em detrimento de Havana e Puerto Padre, é mais uma prova das más intenções de cubanos e norte-coreanos. “A carga foi aceita pelo navio sem os documentos básicos de envio, recibos de carregamento, relatórios de carregamento e relatórios de inspeção de carga”, diz o texto da ONU. O navio Chon Chong Gang trazia uma declaração falsa de que carregava apenas cana-de-açúcar. E, na lista de portos pelos quais a embarcação passou, não há referência a Mariel.

    O terminal construído com dinheiro do Brasil é descrito desta forma pelo relatório: “Mariel está sendo desenvolvido como um grande porto de águas profundas e como área de livre comércio por um consórcio Cuba-Brasil”.

    Os dois governos admitem que Cuba estava enviando as armas para a Coreia do Norte, mas alegam que o material passaria por reparos e seria devolvido à ilha dos irmãos Castro. O painel da ONU não se convenceu: o fato de a carga estar escondida se soma a orientações por escrito, encontradas a bordo, orientando a tripulação a preparar uma declaração falsa e enganar as autoridades do Panamá. O relatório fala em “clara e consciente intenção de burlar as resoluções”.

    As sanções que proíbem a venda de armas para a Coreia do Norte são consequência da insistência do regime comunista em manter seu projeto nuclear, inclusive para fins militares.

    Regardez!

  64. Chesterton said

    Em meio à crise que atinge o setor elétrico e ao risco crescente de racionamento, uma importante usina do Estado de Santa Catarina, a hidrelétrica de Garibaldi, no rio Canoas, foi invadida no fim de março por cerca de 200 integrantes do Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB) e o Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST). Os invasores permaneceram nas instalações entre 3h da manhã do dia 17 e 11h da manhã do dia 18 de março, quando policiais militares e civis de cidades da região lideraram a desocupação. Segundo a Polícia Civil de Lages (SC), que comandou a operação, houve somente uma prisão em flagrante por posse de arma. A delegada da regional, Luciana Rodermel, disse que oito mandados foram expedidos, mas não houve cumprimento porque os acusados estão foragidos. Os sem-terra continuam acampados no entorno da usina.

    A Secretaria-Geral da Presidência da República, encarregada de mediar o conflito, se reuniu apenas no dia 9 de abril com as partes envolvidas — mais de três semanas após o incidente. Não fosse a atuação da Polícia, o local poderia estar ocupado até essa data. A demora do governo em estancar investidas semelhantes não espanta — sobretudo em ano eleitoral. Mas o quadro ganha contorno grave quando se trata da tomada de propriedades capazes de gerar um bem que corre o risco de faltar à população, como a energia. “Os danos financeiros não foram tão significativos, mas a usina ficou dias sem jogar energia no sistema. Quem saiu perdendo foram os consumidores”, disse ao site de VEJA Carlo Bottarelli, presidente da Triunfo.

    Antes de ser invadida, a usina estava em pleno funcionamento, mantendo o nível de geração em 192 megawatts (MW), o suficiente para abastecer uma cidade de 500 mil habitantes. Foram quase cinco dias sem operar, pois as atividade só foram retomadas em 21 de março. Segundo a empresa, durante a ocupação, os técnicos foram obrigados a desligar as unidades geradoras e os invasores expulsaram os operadores, assumindo o controle da sala de comando. “Eles sabiam o que estavam fazendo, tinham conhecimento das operações da usina”, disse Bottarelli.

    Em laudo, a perícia destacou danos no sistema de gerenciamento da usina e desperdício da vazão do rio, que estava ajudando o abastecimento do Estado. Segundo Cristiane Granzatto da Silva, perita criminal do Instituto Geral de Perícias do Estado de Santa Catarina, todas as salas do edifício de comando tiveram danos generalizados em equipamentos e instalações. Janelas e mesas foram quebradas, monitores, TVs, impressoras, retroprojetores e telas foram roubados, assim como ferramentas do almoxarifado. Arquivos da operação foram destruídos e houve pichação nas instalações. Mas o pior, segundo a perícia, foi a tentativa de contaminação da água da represa. “Eles derramaram um tanque de emulsão asfáltica (usado na construção civil) na rede pluviométrica e isso foi parar no rio. Fizeram barbaridades no local”, disse Cristiane.

    A Triunfo ajuizou uma ação de indenização e reparação de perdas e danos causados pelos invasores. Segundo o presidente do grupo, dias antes do ocorrido, representantes do MAB e do MST ameaçaram invadir o local se a empresa não pagasse 18 milhões de reais aos movimentos. Os mesmos indivíduos que jogaram propositalmente emulsões químicas na água alegaram que a Triunfo não havia cumprido suas responsabilidades sociais e ambientais pela construção da usina. Diante da negativa da companhia em pagar o valor, eles deram “um desconto”: baixaram a conta para 9 milhões de reais, quantia que também foi negada pela empresa. O pedido financeiro decorre de uma indenização que a Triunfo tem de pagar às famílias afetadas pela construção da barragem. O valor, contudo, é alvo de impasse.

    Segundo a Secretaria-Executiva da Presidência, a invasão foi motivada pelo fato de os sem-terra contestarem o Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) da usina, assinado em agosto de 2013 com os Ministérios Públicos do Estado e Federal e o órgão licenciador do empreendimento — a Fundação do Meio Ambiente (Fatma). O termo prevê os critérios usados para o pagamento às famílias afetadas. O ministro-chefe Gilberto Carvalho afirmou ao site de VEJA, por meio de sua assessoria, que os movimentos não aceitam a métrica de ressarcimento usada pela empresa. A Triunfo, por sua vez, diz que vem cumprindo as obrigações previstas no documento. Diante do impasse, o papel de mediação da Secretaria tem se mostrado falho.

    A usina é alvo de investidas dos movimentos desde 2012. Isso significa que há quase dois anos o governo poderia ter entrado em ação para viabilizar um acordo para o pagamento das indenizações devidas pela Triunfo e também neutralizar novas invasões. No entanto, nada foi feito para satisfazer nenhuma das partes. Numa área que já é alvo de insegurança jurídica e atrasos de projetos, como é o caso do setor elétrico, conflitos de terra sem atuação firme do governo são mais uma razão para espantar investimentos – como se os motivos atuais já não fossem suficientes.

    chest- só dá bandido

    Look!

  65. Pax said

    Caro Chesterton,

    Onde estão os links dos comentários acima, ou a fonte? Textos teus? (#63 e #64).

    Caro Patriarca,

    Será que a (vou cunhar agora) #CONEXÃO_LONDRINA chega em Dirceu?

    Vamos acompanhar.

    Aliás, gostei desse #CONEXÃO_LONDRINA, modéstia à parte. Assim que tiver um tempo vou colecionar os links do noticiário que já percorri, do PR, de Londrina etc e montar o esquema que me provoca a curiosidade.

    Em síntese os links são:

    Alberto Youssef –> André Vargas –> campanhas a deputado de Paulo Bernardo –> presidência da ANATEL João Rezende

    Vocês, que gostam do PT, e que é um direito legítimo, vão me perdoar.

    É que eu, aqui, sofri e sofro um bocado com a ANATEL, e é um direito meu, absoluto, levantar lebres, achar notícias, ligar fatos relatados neste noticiário.

    Afora a questão central do blog, corrupção que, segundo o noticiário envolve Saúde, Petrobras e sei lá mais o quê, esta conexão Londrina pode ser que, talvez, acabe sendo apurada mais amiúde e, caso apareçam coisas desagradáveis, quem sabe, oxalá, não haja uma pequena mudança no comportamento da ANATEL?

    Direito meu esse querer, claro que sim, desde que eu não invente notícia e nem levante suspeitas que não estajam substanciadas em fontes que têm responsabilidade de responder por elas.

  66. Chesterton said

    A revista LOOK, Regardez, SEH, SEHEN, SEE, SIEN, دیدن, हेर्नुहोस्, lát

  67. Elias said

    “Nesses últimos anos, não lembro de ninguém fazendo o mesmo pelos bandidos dos outros partidos. Hoje, são os petistas que realmente gostam de defender políticos bandidos, seja por obrigação de militância, seja por deverem certos favores.”

    Defender do quê?

    Alguém do governo FHC foi processado pelos 11% do PIB (mais de R$ 111 bilhões) de recursos públicos, enterrados no Banco Nacional?

    Alguém foi processado por causa do SIVAN?

    Alguém foi processado pela compra de votos para aprovação da EC que permitiu a reeleição do FHC?

  68. Elias said

    “À aquela altura eu estava, sim, duvidando que a bancada do PT (cabe lembrar o nome do mais alto posto do PT na Câmara ou não? Ah, vou lembrar sim, ele, o André Vargas) não abrisse as pernas para as teles. Repito, ainda bem que estava errado. Ainda bem que o bom projeto relatado pelo Molon foi o que vingou, mesmo porque essa jararacada toda monitora o que rola na internet e viu a quantidade de opinião e apoio que perderia se votasse a favor das teles. Foi diferente, caro Elias? Caramba. Está se tornando o quê, cara? A cada dia te conheço menos.” (Pax)

    Bem antes disso eu já te desconhecia…

    Pax, o projeto — que, agora, tu chamas de “bom” — foi feito pelo governo, e por este enviado ao Congresso, por meio de uma Mensagem e sob a forma de Projeto de Lei.

    Acontece, desmemoriado que, mesmo sabendo que o projeto havia sido elaborado pelo governo. Foi projeto de lei do governo, e não “projeto legislativo” de iniciativa do Congresso (e, dado o teor da matéria, nada impedia que o assunto fosse objeto de lei de iniciativa do Legislativo…). Mesmo assim, tu escreveste que não se podia esperar nada desse governo, que estava abrindo as pernas, etc. e tal. A crítica que fizeste à bancada do PT foi lateral e complementar.

    Está lá, escrito. E quando te rebati, vieste com o velho e remelento mantra do “mantra” (que se tornou teu principal argumento no últimos tempos…).

    E, Pax, deixa de onda fraca…!

    O pessoal (“jararacada”, segundo disseste) só começou a discutir “Marco Civil da internet” DEPOIS que o governo mandou o projeto de lei ao Congresso. Antes disso, não havia debate sobre o “Marco Civil” na internet, exceto nos fóruns especializados…

    Uma das maiores queixas do pessoal que vinha debatendo o marco civil, era, exatamente, a apatia, a passividade e a inconsciência do internauta brasileiro, cujo perfil é, essencialmente, reativo: se alguém levanta a lebre, e ela vira notícia, o pessoal comenta e opina; caso contrário, passa batido…

    Mesmo que a pessoa se sinta prejudicada, ela tende a sofrer calada…

    (É a mesma coisa que acontece com as reformas política, tributária, do Judiciário, etc…).

  69. Elias said

    Onde está:
    “Acontece, desmemoriado que, mesmo sabendo que o projeto havia sido elaborado pelo governo. Foi projeto de lei do governo, e não “projeto legislativo” de iniciativa do Congresso…”

    Leia-se:
    “Acontece, desmemoriado, que, mesmo sabendo que o projeto havia sido elaborado pelo governo, QUE FORA projeto de lei do governo, e não “projeto legislativo” de iniciativa do Congresso…”

  70. Patriarca da Paciência said

    “Será que a (vou cunhar agora) #CONEXÃO_LONDRINA chega em Dirceu?”

    Esse é o problema, caro Pax,

    Em dez anos do tal “mensalão”, nenhuma prova concreta foi apresentada. Mas basta um jornalista de qualquer revista ou jornal, suspeitar que José Dirceu está “envolvido” e pronto, já se transforma “numa prova robusta”.

    Eu já estou bem convicto que o José Dirceu vai entrar para a História do Brasil como um mártir. Ele realmente conseguiu mexer com as entranhas do patriarcado brasileiro e este, realmente, se sente ameaçado e vai usar de todas as armas possíveis e imagináveis para combater a ameaça.

  71. Pax said

    É, caro Patriarca, talvez não chegue em Dirceu e cheguemos a conclusão que o estrategista mesmo seja o … Alberto.

    Melhor prender o mordomo.

    Caro Elias,

    Falaste, falaste, falaste, mas o que mesmo queres dizer?

    Essa aqui é boa, quem ousa processar o mago, gênio, virtuose dos negócios brasileiro? Tem mais é que tomar processo na cara.

    (aliás, como os gênios dos dois lados são geniais, não?)

    http://www.diariodocentrodomundo.com.br/essencial/caluniador-de-filho-de-lula-na-internet-executivo-do-instituto-fhc/

    E se… a gente colocasse uma regra que nenhum ex-presidente que tivesse filho envolvido em aumento patrimonial durante o governo do pai pudesse mais participar da política?

    Será que Dilma sobrava? Até onde sei, sim.

    Porque o resto…

  72. Elias said

    “Falaste, falaste, falaste, mas o que mesmo queres dizer?” (Pax)

    Estranho que não tenhas entendido, já que escrevo usando o idioma português… Enfim, como se trata do Pax, nada mais me surpreende…

    É o seguinte, meu caro e desmemoriado mau entendedor:

    1 – Tão logo o projeto de lei do “Marco Civil” começou a ser debatido na Câmara, tu, mau entendedor desmemoriado, postaste um comentário, dizendo que tu, mau entendedor desmemoriado, não acreditavas que tais e quais coisas fossem aprovadas; que tais e quais coisas nunca seriam aprovadas enquanto o governo fosse esse que aí está… e Paulo Bernardo e não sei o que mais (como tu não deletaste, o texto ainda está lá… É só abrir e ler, pra não esquecer, se é esse o teu caso).

    2 – Aí eu te contestei, e tu me respondeste do mesmo jeito que tu me respondes sempre que eu discordo de ti, etc., etc., etc. (e mantra… e carnaval fantasiado de Colombina… Após o que eu criei pra ti uma fantasia de Chiquita Bacana segurando a minha banana, etc., etc., etc…..).

    3 – Agora, que o projeto passou, com tudo aquilo que tu dizias que não passaria, mau entendedor desmemoriado, caberia reconhecer que, no mínimo, avaliou muito mal. Algo assim: “Eu me enganei redondamente. Tanto o governo quanto a bancada do PT estavam, sim, empenhados em construir uma lei realmente moderna e democrática, que favorece enormemente a liberdade de expressão em nosso país”. Seria a mais pura verdade, mau entendedor desmemoriado.

    4 – É desonesto dizer, como disseste, tu, mau entendedor desmemoriado, que o projeto só passou porque “…essa jararacada toda monitora o que rola na internet e viu a quantidade de opinião e apoio que perderia se votasse a favor das teles…”. É desonesto, porque o “Marco Civil” só entrou para a agenda dos internautas DEPOIS que o governo mandou a lei. Quem participou minimamente do debate do “Marco Zero”, sabe que a inconsciência é característica marcante do perfil do internauta brasileiro. Ele só comenta e opina se alguém levantar a lebre e isso fizer sucesso. Do contrário, ele passa batido…

    5 – Em outras palavras, mau entendedor desmemoriado: o governo e a bancada do PT firmaram posição quanto ao Marco Civil antes, bem antes, muito antes, da galera internauta — a “jararacada”, como tu dizes — começar a postar comentários sobre o assunto, na internet. Quando a “jararacada” começou a se manifestar, foi mais pra reafirmar e defender aquilo que o governo e o PT já haviam colocado no projeto de lei, e estavam batendo de frente com a direita, esta sim, comprometida com as teles e com a limitação da liberdade de expressão.

    Entendeu, agora, mau entendedor desmemoriado? Ou é necessário explicar de novo?

  73. Elias said

    “Nunca vi por aqui algum direitista/liberal reclamando da prisão de um Arruda e/ou do debacle do Demóstenes Torres.”

    “Direitista/liberal”?

    Deve ser cruza de hiena com piranha…

    Putz!

  74. Guatambu said

    Elias,

    Vc assina embaixo do que está escrito no marco civil da internet?

    Vc já criticou, e muito, a legislação brasileira…

    Não entendo nada de leis, mas me parecem um amontoado de obviedades e generalizações, daquelas que dão margens a discussões infindáveis… eventualmente dando abertura até para resultados de julgamentos baseados em domínio do fato.

  75. Marcelo said

    Enquanto os circunstantes ficam discutindo entre si sobre “disse-não-disses” e trocando elogios desaforados, eu sugiro ler o Josias para conferir o acontecimento atual ( que é s.m.j. o tema do post):

    http://josiasdesouza.blogosfera.uol.com.br/2014/04/14/autocritica-dilma-ataca-os-inimigos-da-petrobras/

    “Dilma Rousseff disse que tem gente “trabalhando contra” a Petrobras. Esboçou uma reação. “Não podemos permitir, como brasileiros, que amam essa empresa, que defendem esse país, que se utilizem de ações individuais e pontuais, mesmo que grave, que se destrua a nossa empresa ou suje a imagem.” Prometeu “combater todo tipo de malfeito, tráfico de influência, corrupção, ou ilícito de qualquer espécie.”

    Todo brasileiro de bem deveria se aliar a Dilma nessa cruzada. Os inimigos da Petrobras são poderosos, muito poderosos, poderosíssimos. Deveriam ser processados. Mas se escondem atrás do escudo da imunidade parlamentar. Lideram partidos tradicionais —PT e PMDB, por exemplo. Os inimigos da Petrobras têm as costas quentes. Imagine o drama que Dilma viverá quando descobrir que foi Lula quem entregou a estatal a essa gente.

    O confronto da presidente com o antecessor há de ser doloroso. Mas nada será mais dramático do que o embate de Dilma consigo mesma. A presidente declarou guerra aos adversários da Petrobras em Pernambuco, numa cerimônia de batismo de navios encomendados pela Braspetro, subsidiária da estatal comandada por Sérgio Machado.

    Ex-parlamentar, Sérgio Machado é um apadrinhado de Renan Calheiros. Chegou ao posto sob Lula, em 2003. Permanece na poltrona até hoje. Quer dizer: você não pode abandonar a presidente numa hora dessas. Dilma vai ficar Rousseff da vida na hora em que se der conta do mal que o descuido de Dilma faz à Petrobras”.

  76. Marcelo said

    As mentiras do discurso de Dilma sobre a Petrobras. Ou: Governante tem o direito de mentir?

    Governantes têm o direito de mentir? A resposta é “não”. Nem que seja sob o pretexto de “salvar a nação”. Na vida pública, não existe mentira virtuosa. Quando muito, pode existir a omissão prudente. Dou um exemplo: se o ministro Guido Mantega vislumbrar pela frente uma escalada inflacionária, se indagado a respeito, ele não tem de confirmar nem de se estender a respeito, ou haverá o efeito óbvio: como a economia se move, em parte, por expectativas, ele poderia piorar a situação se dissesse a verdade. Poderia, no discurso, omitir esse vislumbre para não piorar o que já seria ruim. Mas é certo que não poderia afirmar o contrário dos fatos. A mentira, na vida pública, é trapaça contra o interesse coletivo.

    Nesta segunda, a presidente Dilma participou da inauguração de navios petroleiros no porto de Suape, em Pernambuco, terra de um de seus futuros adversários na disputa presidencial, Eduardo Campos. E resolveu deitar falação sobre a Petrobras, segundo leio na Folha. Afirmou: “Não hesitarei em combater o malfeito, a ação criminosa, corrupção ou ilícito de qualquer espécie. Mas também não ouvirei calada a campanha negativa, por proveito político, em ferir a imagem dessa empresa que o povo construiu com suor e lágrimas”.

    Há duas verdades ai e duas mentiras. Primeira verdade: a Petrobras está eivada de malfeitos, ações criminosas, corrupções e ilícitos. Segunda verdade: a empresa foi construída com o suor e lágrimas dos brasileiros. Ainda que Dilma esteja plagiando Churchill, isso é verdade. Primeira mentira: a presidente hesitou, sim, em defender a Petrobras, tanto que deixou de apurar a compra da refinaria de Pasadena e ainda deu emprego para o executivo que, segundo ela própria, foi o responsável pela operação. Segunda mentira, não existe campanha nenhuma contra a empresa. Campanha contra a Petrobras fazem os larápios que lá estão incrustados.

    Mas Dilma foi mais longe na impostura. Disse ainda: “Desde o inicio da empresa, teve gente sendo contra, dizendo que não havia petróleo no Brasil. Depois, mudaram o discurso, e chegaram a dizer que havia petróleo demais para ser controlado por uma empresa pública. Era uma forma sorrateira que prepararam para a Petrobras parar em mãos privadas. Foi um processo tão requintado, que foi interrompido pela pressão externa, que chegaram a fazer a troca do nome da empresa. Queriam chamar ela de ‘Petrobrax’, sonegando a sílaba que é nossa identidade. Bras, de Brasil”.

    É a mentira mais escandalosa de todas.

    Desafio Dilma e o PT a apresentar uma miserável evidência de que se tentou privatizar a Petrobras. Privatizada ela está hoje: transformou-se numa soma de feudos, distribuídos entre partidos políticos: PT, PP, PMDB, PTB… Eles vão usando a estatal para cuidar de seus próprios interesses. Em sua fala, Dilma sugeriu que as sem-vergonhices na estatal são ações isoladas, coisas deste ou daquele.
    Mentira também!
    O PT está afundando a Petrobras porque usa a estatal para distribuir prebendas políticas e para manter unidos os partidos da base aliada.

    Venham cá: por que vocês acham que um partido político quer tanto ter direções de áreas técnicas de estatais? Como é que isso poderia ajudar a legenda? A resposta é simples: essa diretoria, fatalmente, terá de comprar coisas, de construir obras, de contratar serviços e consultorias. O dinheiro sai da corretagem.

    Privatizada, no sentido mais vagabundo da palavra, que é o único que o PT conhece — já que execra o virtuoso —, a Petrobras está hoje. Ela precisa voltar a ser uma empresa pública.

    Fonte: Reinaldo Azevedo

  77. Pax said

    Caro Marcelo (novo aqui ou o habitué Marcelo Augusto? – não fui olhar endereço IP)

    Fonte Reinaldo Azevedo? Aqui a gente pula essa.

  78. Pax said

    Caro Elias,

    A tal “bancada do PT” que tanto se referes no comentário #72?

    Aquele mesma que tinha no mais alto posto na Câmara o nosso tal André Vargas?

    –> morre-se pela boca fácil, não?

    Àquela época em que futurologiei errado, tinha o Eduardo Cunha, esse tal “dissidente/chantagista” jogando o jogo das teles e o Vargas lá no alto, mexendo seus pauzinhos.

    O jogo do Paulo Bernardo, e do presidente da Anatel, esse que a gente conhece e sabe bem, então, suspeitar que a Câmara pudesse abrir as pernas para as tais teles não me parece nada razoável. Viagem desses golpistas que teimam em pensar fora do eixo definido.

    Esperneie, caro Elias, ando, afinal, abastecido. Tanto que nem consigo acompanhar o farto dispositório de notícias, indícios, provas etc.

    Se formos falar de Telecom tenho um caminhão pra contrapor.

    Claro que Paulo Bernardo pode ser um mártir, como o nosso caríssimo Patriarca acha que Zé Dirceu é, mas, cá, tenho motivos suficientes para ficar com dois pés atrás.

    Afinal pode ser amigo de bolita de André Vargas (+Alberto Youssef) e não saber de nada do que rolava, mesmo depois de 3 campanhas a deputado coordenadas por Vargas. Claro que há uma enorme chance de Bernardo não saber de nada. Amigo de infâncial, bolita, primeiro porre, que nos trai tantos anos, saca?

    Aí a gente só fica com uma tremenda incompetência nas áreas estratégicas onde Paulo atuou. Pobre Paulo, vira de suspeito a só um tremendo incompetente. Tadinho. (a não ser que achemos que nossas telecoms estejam funcionando a milhão e os usuários felizes. bem servidos e amparados, claro, sempre há a possibilidade de algum alucinado afirmar isso)

    Claro que devemos dar essa chance às análises. Pelo bem da Democracia e das garantias que temos com o Estado Democrático de Direito. Ao acusador o ônus da prova. E assim deve ser…

    Claro que Youssef e Vargas podem ter enganado Bernardo. Quem sou eu pra dizer ao contrário? Só se fosse desonesto, inocente útil, militante ou seguidor de mantras, leitor de Veja e quejandos.

  79. Marcelo said

    Pax

    64.38.226.73 este é o meu IP se quiser me censurar.

    Fonte Reinaldo Azevedo? Aqui a gente pula essa

    a gente pula?
    a gente? pula?
    alguém entendeu …?
    O cara pirou?

  80. Chesterton said

    O Reinaldão fala, e o Pax pula! De raiva.

    “segunda-feira, 14 de abril de 2014

    Terror dos petistas é que nome de Palocci e de 47 políticos apareçam em documentos da Lava Jato”

    http://www.alertatotal.net/

  81. Pax said

    Caro Marcelo,

    Este blog não usa o Reinaldo Azevedo como fonte. Assim como não usa Paulo Henrique Amorim. Nem de um lado, nem de outro.

    Censurar? Nope. A não ser que o comportamento seja de troll e não é o caso de linkar texto do titio histérico da Veja, assim como não censuro textos histéricos de blogs governistas.

    Só não uso como fonte.

    Só isso.

    (aliás, quem gosta de censurar quem pensa diferente, um deles, público e notório, é o titio da Veja)

  82. Pax said

    Super interessante… (off topic)

    http://www.labic.net/cartografia-das-controversias/dilma-no-twitter-ou-como-a-bipolaridade-politica-acabou/

  83. Marcelo said

    Presidenta eloquenta!

    http://josiasdesouza.blogosfera.uol.com.br/2014/04/15/presidenta-eloquenta/

    Pax

    Você já foi censurado pelo Reinaldo Azevedo?
    Ou está falando por ouvir dizer?

    Conta pra nós, vai. A “gente” está curioso.

  84. Patriarca da Paciência said

    É, a “óia” vai pagar um milhão ao Collor por injúrias e difamações, sentença que já transitou em julgado, ou seja, não há mais possibilidades de recursos !

    Minha opinião é que foi apenas a primeira. Logo as ações contra o reinaldo rola-bosta e o augusto boçal canalha nunes transitarão em julgado em última instância também.

  85. Patriarca da Paciência said

    “COLLOR DERROTA VEJA E LEVA INDENIZAÇÃO HISTÓRICA”

    http://www.brasil247.com/pt/247/midiatech/136674/Collor-derrota-Veja-e-leva-indeniza%C3%A7%C3%A3o-hist%C3%B3rica.htm

  86. Patriarca da Paciência said

    “O primeiro gesto partiu do tucano Aécio Neves. Em cerimônia política em Salvador, pela manhã, Aécio abençou a costura político-eleitoral feita pelo prefeito ACM Neto. Num acordo que juntou todas as oposições ao governo Dilma – um sonho de Aécio no plano nacional -, conseguiu-se na Bahia montar uma chapa com o DEM, representado pelo ex-governador Paulo Souto, na cabeça, Joaci Góes, do PSDB, como candidato a vice-governador e o ex-ministro Geddel Vieira Lima, do PMDB, como postulante ao Senado.

    – É a mais importante construção política já feita até aqui nesta campanha”, comemorou. Embalado pela sustentação dada pela articulação na Bahia, o terceiro colégio eleitoral do País, Aécio apresentou um discurso duro em relação ao governo, indicando que será cada vez mais assim ao longo da eleição:”

    http://www.brasil247.com/pt/247/poder/136798/Dilma-Aécio-e-Campos-mostram-suas-armas.htm

    É o Ah é sim apresentando sua ” nova maneira de fazer política”.

    No Rio, o “presidenciável” tem também o Pezão !

    Campos e Marina das Pererecas Verdes, trabalham a todo vapor na “nova política” também, cavando acordos com DEM e PMDB ! Inclusive já conseguiram uma banqueira para tesoureira da campanha ! Eles são verdes por causa dos dólares verdinhos !

    Como se pode observar, há “muitas novidades” na praça.

  87. Chesterton said

    Pax mandou um comentário para um texto do blog do Reinaldo, não foi publicado, e desde então faz biquinho.

  88. Olá!

    Pax,

    “Você poderia me apontar algum post daqui que tenha a revista Fórum como fonte do post?

    Agradeçeria, para justificar teu comentário acima é preciso matar a cobra e mostrar o post.”

    Não lembro se você fez um post tendo o pessoal chapa-branca da Revista Fórum como fonte, mas que você, em mais de uma ocasião, já citou e indicou matérias desse pessoal, isso é verdade.

    Sem dizer que você lê diariamente o Idioelber Avelar, colunista dessa revista governista.

    E é isso que acho estranho em você, Pax: Citar a Revista Veja não é considerada uma boa atitude por aqui, mas não há problemas de usar a Revista Fórum, um veículo tão ou mais governista/chapa-branca do que o Paulo Henrique Amorim.

    Até!

    Marcelo

  89. Olá!

    Elias,

    “Defender do quê?”

    Hehehehehehe. . . E você ainda pergunta, Elias? A militância do PT e seus simpatizantes fazem uma defesa furiosa e apaixonada dos petistas corruptos. É uma gente que afirma ad infinitum que os mensaleiros são inocentes e sempre que um petista é pego na roubalheira, vem esse pessoal dizer que é um golpe das elites e coisas tais. É o tipo de atitude que não se vê quando a corrupção vem de um outro partido.

    “Alguém do governo FHC foi processado pelos 11% do PIB (mais de R$ 111 bilhões) de recursos públicos, enterrados no Banco Nacional?

    Alguém foi processado por causa do SIVAN?

    Alguém foi processado pela compra de votos para aprovação da EC que permitiu a reeleição do FHC?”

    Há uma diferença substancial entre esses três casos de corrupção que você citou e o Mensalão e outros casos mais recentes de corrupção petista (como a parceria André Vargas-Doleiro Youssef): O Mensalão tem existência jurídica, vide o número da ação penal desse esquema (AP-470), e o caso do André Vargas é apenas questão de tempo para também ter.

    É verdade que os corruptos desses três casos que você citou não foram processados, mas também é verdadeiro que não houve comemorações ao estilo Ângela Guadagnin e sua Dança da Pizza por esses bandidos terem ficado impunes.

    Novamente, repito: Hoje, são os petistas que gostam de defender políticos bandidos, seja por obrigação de militância, seja por deverem certos favores a esses políticos.

    Até!

    Marcelo

  90. Pax said

    André Vargas diz que vai renunciar, sair da Câmara. Não tinha visto. Ontem e hoje foram dias sem acompanhar muito o noticiário.

    Pois bem, os fatos, que temos de concreto e abstrado (mas com fartura), são (sem querer ser completo, só pra montar meu raciocínio):

    – noticiário da Operação Lava a Jato com prisão de doleiros e diretores (?) e ex-diretores da Petrobras.

    – noticiário que os desvios chegariam a R$ 10 bilhões envolvendo negociatas com o Ministério da Saúde, empresa Labogen, contratos com a Petrobras e uma tal empresa EcoGlobal (e Quality Holding, Sunset Global Participações e a Tino Real Participações) com participação do tal ex-diretor da BR Paulo Roberto Costa.

    – André Vargas vai ao “púlpito” da Câmara e afirma que ““Amizade é uma palavra sagrada. Não dá para dizer que ele é meu amigo. É no máximo um conhecido corriqueiro. Eu tinha ele como um cidadão comum, que tinha passado por problemas como outros passaram. Posso ter incorrido em alguma coisa imprópria, mas eram apenas conversas, nada ilegal. Se eu soubesse que ele estava sendo investigado de novo eu não teria falado com ele”. Em outras palavras, menos carinhosas, mentiu descaradamente. Os dois se tratam de irmão. E só irmãos bancam R$ 100 mil reais pra fretar jatinho pro outro passear de férias no NE. Irmãos com dinheiro sobrando, ou por negócios legais, ou com dinheiro público roubado na cara dura, convenhamos.

    – Se for auscultar coisas que saem em Londrina, PR, onde a patota Vargas/Youssef é oriunda, você encontra coisas curiosas:
    **** atenção, não conheço essas fontes, e, a priori, fico desconfiando — sempre assim, mas é que tem muita notícia, basta vcs usarem o google ***

    —- http://www.jornaldelondrina.com.br/blogs/baixoclero/tag/antonio-carlos-belinati/

    —- http://www.paranaoeste.com.br/noticia.php?id=4409

    — Essa fonte abaixo é conhecida e a gente sempre tem que olhar com calma (mas tem em O Globo, Veja etc e já disse como olho essas fontes, sempre com pé atrás, mas quando sai pra todo lado e esses caras precisam responder pelo que sai em suas mídias, a gente fica com todas as orelhas em pé, sim —

    —- http://www1.folha.uol.com.br/poder/2014/04/1437645-vargas-e-doleiro-sao-reus-no-mesmo-caso-de-corrupcao-no-pr.shtml

    Ou seja, dado um pouco colecionado acima, dá pra afirmar com certa tranquilidade que André Vargas é bem complicado para estar num partido político. Se eu fosse importante em algum deles, não gostaria de tê-lo nos quadros. Essa afirmação é bem simples e tranquila de se fazer, sem qualquer histerismo.

    Segundo as fontes de Londrina acima, Vargas teria envolvimento com Paulo Bernardo e Gleisi Hoffmann. Aí já é coisa pra gente ficar auscultando, mesmo porque Vargas passou a ser a alegria da oposição, muito mais que qualquer pizza que saia de qualquer CPI aberta no Congresso.

    — O que pode nos beneficiar (digo isso com relação ao mote do blog) é que uma CPI da Petrobras pode fazer com que o PT consiga o que está querendo, provar que é “mais do mesmo”, conseguindo abrir CPI da roubalheira tucana em SP, da roubalheira no porto de SUAPE (estão dizendo, não tenho coleção disso, mas não deixo de acreditar, mesmo porque obra grande no Brasil sem roubalheira é como cabeça de bacalhau, eu nunca vi)

    Resumindo, cá pra um leigo, um blogueiro amador, nossas eleições, me permitindo uma liberdade poética, é algo como “queremos mudar de ladrão?”.

    Aí o povo vai lá, entra na urna, e decide. Pensando bem, nada diferente do de sempre.

    O triste é que as discussões sobre as propostas, os programas, os compromissos com Educação, Saúde, Segurança, Transportes etc, ficarão em segundo plano. Isso incomoda, sim.

    Falando por alto, sem compromisso com precisão dos dados. À minha época estudei em escola pública. No meio do primário sabia ler perfeitamente, fazer contas, sabia interpretar textos, raciocinar matematicamente (ontem fiquei fuçando os programas educacionais, olhando o tal PNE etc). Então, voltando, à minha época gastava-se 1% do PIB em Educação. Hoje gasta-se 4% do PIB em Educação. A grosso modo é isso aí. Algumas fontes dizem números um pouco diferentes mas próximos. A grosso modo é isso, década de 60 do século passado e década de 10 deste século a grana pra educação quadruplicou. E hoje a molecada sai do tal ensino fundamental (http://pt.wikipedia.org/wiki/Ensino_fundamental) sem conseguir ver filme legandado porque não consegue ler as legendas.

    E aí o futuro fica como mesmo?

    Podem jogar todas as pedras, aqui tá uma diversão, gente tucana, gente petista, gente de todas as cores, o que é ótimo. Mas alguém pode me desdizer que nosso ensino, com quatro vezes mais grana, está cumprindo sua missão de criar uma sociedade educada?

    Afirmo, aqui do meu lado, da minha cadeira e ponto de vista que me parece claramente que não.

    E aí, se tem caras tipo Vargas e quetais tirando dinheiro da Saúde, segundo inúmeros e fortíssimos indícios (e provas), imaginem quanto da Educação está saindo pelo ladrão, em todas as instâncias, municipal, estadual e federal.

    Simples o raciocínio. Salvo engano, o orçamento federal para Saúde e Educação é da ordem de grandeza de uns R$ 100 bilhões / ano. É muita tentação para as quadrilhas de plantão.

    E tem gente que acha que corrupção não é um problemão.

  91. Pax said

    Caro Marcelo Augusto,

    Por acaso estás me patrulhando?

    Era só o que me faltava.

    Quer dizer que eu não posso ler e comentar sobre o que leio de gente que me parece profunda pacas. Idelber é, sim, profundo pacas.

    Nem concordo com tudo que ele defende, mas tenho muitos pontos que acompanho e acho que ele tem um caminhão de razões, profundas razões:

    – questão indígena brasileira
    – questão da necessária desmilitarização das polícias brasileiras
    – questão da laicidade do Estado brasileiro (envolve, também a questão homofóbica etc)

    Então, caro Marcelo Augusto, fique à vontade para fazer tuas críticas e patrulhas ou o que for, já estou bem acostumado, de todos os lados, mas continuarei não só lendo Idelber como acompanhando vários temas que ele acompanha com muito mais profundidade que a grande maioria dos fla x flu zeiros de plantão.

    Obrigado pela oportunidade que me deu para esclarecer o ponto.

    Caro outro Marcelo,

    Você me pergunta se Reinaldo Azevedo censura comentaristas? Precisa responder? Ah, me poupe. Vai lá e lê.

  92. Olá!

    Não fuja pela tangente, Pax. Não estou lhe patrulhando coisa nenhuma. Você pode ler o que bem entender e citar o que quiser. Apenas considero estranho que você não goste do Paulo Henrique Amorim por este ser governista, mas adore a Revista Fórum, que é tão ou mais governista do que o tal jornalista.

    Mas, enfim, fique aí com as suas escolhas.

    Até!

    Marcelo

  93. Olá!

    Elias,

    “‘Direitista/liberal?”

    A barra “/” significa que pode-se usar um termo ou outro termo no texto, isto é, ou direitista ou liberal.

    Agora, quanto ao cruzamento de animais para se obter posicionamentos políticos, há um que é interessante: Pegue uma hiena e a cruze com um abutre, uma piranha, um chacal, um carcará, uma víbora, um corvo, uma ratazana, todos os tipos de vermes e todos os animais que praticam o cleptoparasitismo e o resultado será algo bem próximo de um petista. Para que o resultado final possa ficar ainda mais próximo da versão real do petista, basta colocar nele a inteligência de uma anta.

    Até!

    Marcelo

  94. Pax said

    Caro Marcelo Augusto,

    Você tira conclusões erradas, meu caro. Não tenho a revista Forum entre meus bookmarks. Assim como não tenho a Veja, a Época, a Carta Capital, a IstoÉ etc.

    Acompanho o Idelber, hoje em dia, pelo Facebook. Nem twitter tenho usado, haja vista a porcaria do meu #LINK_PADRÃO_DILMA.

    E aí você, inteligente que é (e é, nota-se pela tua tinta que fostes bem educado) tira uma conclusão…. errada.

    Como várias outras que já percebi. Esse é um juízo de valor meu, sim, sobre você. Mas parta do princípio do primeiro item: considero-te muito preparado, educado.

    E onde vejo que você se perde? Aliás, onde vejo que a maioria se perde…

    Quando a gente adota uma torcida fervorosa por alguma coisa, qualquer coisa, seja ela uma religião, um time de futebol, uma ideologia política, qualquer coisa.

    Provavelmente é onde me perco ao adotar a social democracia. Tendo a defender meu ponto de vista, muitas vezes emocionalmente. E, claro, também me perco.

    Só que a idade, os cabelos grisalhos, as amizades com todo tipo de gente, de capiau da roça que considero inteligente pacas – e muitos são, de caiçaras idem, inteligentes, mas ambos tipos que nem conseguiram terminar o ensino fundamental (a maioria dessas pessoas teve escola, quando teve, até a 4a série), até outras pessoas mais preparadas, sim, de diversas áreas, escolhas políticas, decepções, e não só elas, claro que algumas alegrias como a de não ver nosso sistema financeiro quebrar quando uma Europa inteira quebrou, de ver inúmeros desprivilegiados hoje com roupas novas, motos, carros, entupindo aeroportos que não estão preparados para receber tanta gente etc, enfim cara, hoje em dia acho que há que se olhar as coisas com menos radicalismo.

    Só que aqui, neste fórum que quero pequeno, que não tem uma única propaganda, que nunca ganhou um centavo, que nunca censurou a não ser trolls, eu sou chato, sim, radical, sim, contra a chaga que me parece atrapalhar um bocado o país.

    Por fim, para terminar minha resposta a você, pensa, se me permites, o seguinte:

    – Jornalismo: nem todos jornalistas de um veículo tem a mesma ideologia de sua linha editorial. Tenho amigos jornalistas, sobrinho jornalista etc e sei muito bem do que estou falando.
    – Nem sempre acho produtivo atacar e ofender quem tem opinião diferente da minha como elemento de argumentação. Claro que às vezes caio nas esparrelas, mas quase sempre me arrependo.

    (*** a não ser com nosso velho, bom e rabugento Chesterton, claro que sim, mas é que nosso “código ofensivo” já chegou num ajuste que a gente passa batido e segue em frente :D ***)

  95. Olá!

    Pax,

    [. . .] Idelber é, sim, profundo pacas.

    Nem concordo com tudo que ele defende, mas tenho muitos pontos que acompanho e acho que ele tem um caminhão de razões, profundas razões:

    – questão indígena brasileira
    – questão da necessária desmilitarização das polícias brasileiras
    – questão da laicidade do Estado brasileiro (envolve, também a questão homofóbica etc)”

    Pax, considero que o Idioelber não é a melhor opção para a defesa dos homossexuais. Vale lembrar que, em 2009, o Idioelber escreveu um texto dando boas vindas a um dos maiores homofóbicos da atualidade: Mahmoud Ahmadinejad.

    O Idioelber dá as boas vindas a um presidente de uma teocracia islâmica que executa homossexuais em praça pública e esse idiota ainda vem falar de laicidade do Estado e dos direitos dos homossexuais. . . ?! Isso é hipocrisia demais. Isso é canalhice intelectual da pior espécie, Pax.

    Você pode achar o Idioelberprofundo pacas“. Para mim, ele é um idiota e até um pires é mais profundo do que ele. Mas você vai dizer que estou lhe patrulhando ou vai, simplesmente, ignorar essas observações que fiz a respeito do Idioelber e das contradições dele.

    Até!

    Marcelo

  96. Pax said

    Caro Marcelo Augusto,

    Como disse acima, você parte para ofensas e se perde…

    (sim, gostaria muito que você não ofendesse meu amigo Idelber)

    Este é um ponto que não parei, sinceramente, para acompanhar e tentar entender os porquês do Idelber ter essa posição. Mas não parto do princípio que ele seja um idiota, como muitas tintas vendidas que trazem para cá, por exemplo.

    Idelber, meu amigo com quem tive um único encontro para uns deliciosos chopes e uma tarde muito agradável e vários contatos por email, enfim, sempre teve uma posição radical em defesa dos palestinos. Aqui é um ponto onde tenho várias concordâncias com ele e algumas discordâncias.

    As discordâncias, me permito achar, são quando sua defesa aos palestinos fica radical. E, cá do meu ponto de vista, mesmo sendo o lado mais fraco e bem massacrado, este povo, parte dele, também erra. Falo isso sem profundidade, não é minha pauta.

    Então, se me permites pedir, voltemos ao tema do blog.

    Já tem assunto pra dar com pau no ar, por esses dias, no cerne que move este blog.

  97. Pax said

    Curiosidade, as categorias que mais geraram acesso ao politicAética nos últimos dias. Da ferramenta do WordPress que analisa os acessos.

    Tópico Visualizações

    Paulo Roberto Costa: 258
    Petrobras : 256
    CPI da Petrobras: 255
    Nestor Cerveró: 247
    Delcídio Amaral, Porto de Suape: 246
    Renan Calheiros: 168
    TCU, Gim Argello: 162
    Alstom: 120
    Propinoduto tucano: 119

  98. Elias said

    “Há uma diferença substancial entre esses três casos de corrupção que você citou e o Mensalão e outros casos mais recentes de corrupção petista …”

    Há mais de uma diferença, Marcelo Augusto. A principal é que ninguém foi processado por causa dos 3 casos de corrupção que eu citei. E só um deles — o do Banco Nacional — dá mais de mil mensalões.

    E não diz que não apareceu nenhum direitopata pra defender os caras neste blog…

    A menos que tu também estejas perdendo a memória (porque o sizo… Já era!).

  99. Elias said

    “Falando por alto, sem compromisso com precisão dos dados. À minha época estudei em escola pública. No meio do primário sabia ler perfeitamente, fazer contas, sabia interpretar textos, raciocinar matematicamente (ontem fiquei fuçando os programas educacionais, olhando o tal PNE etc). Então, voltando, à minha época gastava-se 1% do PIB em Educação. Hoje gasta-se 4% do PIB em Educação. A grosso modo é isso aí. Algumas fontes dizem números um pouco diferentes mas próximos. A grosso modo é isso, década de 60 do século passado e década de 10 deste século a grana pra educação quadruplicou. E hoje a molecada sai do tal ensino fundamental (http://pt.wikipedia.org/wiki/Ensino_fundamental) sem conseguir ver filme legandado porque não consegue ler as legendas.” (Pax)

    Isso parece conversa de velho: “no meu tempo é que era bom…”.

    Eu também estudei em escola pública, desde o ginasial até os cursos superiores (de graduação e de pós).

    O ensino era de boa qualidade, sim. Os professores eram mais bem remunerados e isso atraía e mantinha bons profissionais na rede pública. Na maior parte das capitais brasileiras, as escolas públicas eram as melhores. As escolas particulares eram os chamados “pronto socorros”, escolas para onde se direcionavam os alunos que não conseguiam acompanhar o ritmo das escolas públicas (havia, claro, as exceções: escolas particulares de alto nível — e alto custo! — pra quem podia pagar…).

    O problema é que isso existia pra poucos. Pouquíssimos. Havia um crivo, chamado “exame de admissão”, que travava as pessoas na 5ª série do primário. Para o aluno entrar no curso ginasial, ele tinha que ser aprovado na 5ª série, e, adicionalmente, ser aprovado no exame de admissão. Mas a gente podia dar “by-pass” na 5ª série do curso primário e passar da 4ª diretamente para o 1º ano do ginásio, desde que fosse aprovado no exame de admissão (foi o que eu fiz).

    Mas o fato é que a maioria das pessoas ficava, mesmo, travada na 5ª série. Com apenas 1% do PIB sendo aplicado na educação, o jeito era excluir do sistema o máximo possível de pessoas. O sistema era estruturado pra isso: pra excluir! Era consistente com uma sociedade de maioria analfabeta.

    O regime militar mudou isso. Ele ampliou as vagas no ginásio (que, mais tarde, passou a se chamar “1º grau maior”, em continuidade ao “1º grau menor”, como o antigo primário passou a se chamar), e eliminou o “exame de admissão”. Os aprovados na 5ª série passaram automaticamente a cursar a 6ª série, e assim por diante.

    Por outro lado, o regime militar também abandonou o antigo sistema de formação, substituindo-o por outro, supostamente voltado à formação para o mercado de trabalho (que, na expectativa do regime, iria se expandir intensamente, com a economia crescendo a taxas próximas de 10% ao ano). Com a economia se modernizando rapidamente, e o aparelho produtivo demandando mão-de-obra cada vez mais bem preparada, não dava nem pra pensar numa população majoritariamente analfabeta.

    Isso, mais do que qualquer outra coisa, é que determinou o abandono do antigo sistema de formação.

    A partir da 1ª série do ginásio, p.ex., começávamos a estudar Latim, o que é absolutamente recomendável para quem quer ter algum domínio na linguagem escrita, em retórica, etc. As provas de história, geografia e biologia, eram 50% dissertativas (as técnicas de narração e descrição eram restritas à disciplina Língua Portuguesa). Algumas escolas públicas, como a que eu estudei, funcionavam em regime de semi-internato, com 8 horas de aula por dia, sendo 2 horas por dia de estudo dirigido, para preparar o “dever de casa” (que, no caso, não era feito em casa).

    O regime militar (notadamente na gestão Jarbas Passarinho, que pegou do meio para o fim do governo Costa e Silva e foi até o fim do governo Médici), considerou que essa “superatenção” a poucos alunos, limitava quantitativamente a capacidade do sistema. Além disso, eliminou as disciplinas que, no e entender dos técnicos, não tinham uma vinculação direta com o mercado de trabalho.

    Foi a partir dessa reestruturação que a qualidade do ensino no Brasil começou a despencar. Nem se manteve a qualidade do antigo sistema, nem se preparou mão-de-obra direta efetivamente adequada às novas necessidades do aparelho produtivo. A qualidade despencou e nunca mais se recuperou.

    Atualmente, há toda uma massa crítica acumulada no que diz respeito à estrutura do sistema. A questão dos recursos, salvo pequenos ajustes ainda necessário, está resolvida.

    Onde está o nó? O nó está no conteúdo. Não há como dizer que “o futuro é o passado”. Que uma “volta ao passado” vai fazer com que as coisas melhores. O mundo mudou e o sistema tem que se adequar aos novos tempo. A questão é: como?

    Hoje, todos sabemos dizer o que não queremos. É fácil dizer isso. É só dizer que a coisa está ruim e por a culpa nos governos municipais e estaduais e no governo federal.

    O difícil não é se dizer o que não se quer, e sim dizer o que se quer. Quando a coisa chega a esse ponto, ouve-se um silêncio ensurdecedor…

    E isso não acontece somente no ensino fundamental. No ensino superior dá-se o mesmo…

  100. Elias said

    “Agora, quanto ao cruzamento de animais para se obter posicionamentos políticos, há um que é interessante: Pegue uma hiena e a cruze com um abutre, uma piranha, um chacal, um carcará, uma víbora, um corvo, uma ratazana, todos os tipos de vermes e todos os animais que praticam o cleptoparasitismo e o resultado será algo bem próximo de um petista. Para que o resultado final possa ficar ainda mais próximo da versão real do petista, basta colocar nele a inteligência de uma anta.”

    Marcelo, estás me plagiando. Não consegues ter uma ideia original?

    É impróprio que tu fales de “inteligência de uma anta”.

    Quem se dá ao trabalho de ler as caixas de comentário deste blog, já sacou que, de todos os comentaristas do PolíticAética, tu és o que menos sabe argumentar.

    És repetitivo… Tens péssima construção frasal… Enfim, és o tipo do cara chato… Aquele tipo de babaca que faz a mulher bocejar em plena função…

    E, agora, ainda deste pra me copiar…

    Por falar em argumentar mal… Quando foi, mesmo, que a Vale deu prejuízo e o governo federal teve que cobrir o buraco com recursos públicos?

    Putz!

  101. Guatambu said

    É uma pena ver uma profissional da envergadura da Graça Foster ter que se prestar a fazer o tipo de declaração que fez: dizer que “não sabia”.

    Não ser informado não é uma opção para nenhum conselheiro de administração, ainda mais da maior empresa do país.

    Em qualquer compra de operação, a mais simples que seja, em qualquer lugar do mundo, existem cláusulas de saída. Não sei quantos conselheiros existem na Petrobras. Não devem ser poucos, e não é possível que nenhum conselheiro, do alto das suas experiências em negócios, incluindo transações de compra e venda, não tenham questionado as cláusulas de saída.

    Lembrando que a cláusula de saída é um dos problemas… a refinaria tinha inúmeros problemas operacionais internos, sua capacidade de refino era ruim, a Petrobras teria que fazer investimentos pesados para “colocar no ar” a operação.

    Devem existir inúmeras refinarias à venda no mundo. Não é possível que alguma delas não fosse melhor do que essa. A decisão não era urgente. A Petrobras, sendo o monstro que é, poderia esperar tranquilamente mais 1 ano.

    Eu acredito que a compra dessa refinaria tenha sido uma tremenda irresponsabilidade. Feita como muita coisa foi feita no governo do PT: às pressas e sem avaliar os riscos.

    Foi uma irresponsabilidade tremenda do conselho de administração da empresa, sendo ou não informado sobre a cláusula de saída.

    Adotando esse discurso, a Graça Foster cai no meu conceito.

    Se ela não pode dizer a verdade, peça demissão.

    Mas é difícil demais dizer a verdade no meio do olho do furacão político, né…

  102. Chesterton said

    Eu não sabia. Aqui está meu pedido de demissão.

    Não existe outra atitude digna.

  103. Guatambu said

    Chesterton,

    O meu ponto é: ela sabia.

    Impossível que uma pessoa do gabarito dela não tenha conhecimento de, ou sequer tenha questionado, algo tão essencial em uma transação de compra de empresa.

    E se ela sabia, que fale que alguém resolveu omitir a informação pro processo de compra andar.

    Mas, naturalmente, ela não pode dizer uma coisa dessas. Isso levantaria novas investigações, a coisa ficaria pior, o pessoal ia querer saber outros porquês, e esses outros porquês poderiam ameaçar forças políticas….

    Ou seja, da posição onde ela está, ela nunca pode dizer esse tipo de verdade, só que aí ela está “defendendo” uma compra que beira a irracionalidade, para não dizer que foi uma compra política.

    Sempre gostei da Graça Foster, conheço gente no mundo de hunting que a tem em alta conta.

    Ela não precisa entrar no jogo.

    Poderia oferecer o cargo e falar a verdade.

    Para que cooperar com algo que está quase claro que foi um desvio proposital de conduta?

  104. Guatambu said

    Pax,

    Nem sei se concordo com tudo o que a Sheherazade falou, mas liberdade de expressão é liberdade de expressão.

    E esse tipo de censura?

    http://noticiasdatv.uol.com.br/noticia/televisao/sheherazade-pensou-que-seria-demitida-governo-pressionou-sbt-3033

    “Há duas semanas, Marcelo Parada (diretor de jornalismo do SBT) se reuniu em Brasília com o ministro da Secretaria de Comunicação Social, Thomas Traumann. Na ocasião, Traumann manifestou desconforto com os comentários de Sheherazade.”

    “O ministro controla as verbas do governo federal, que investe cerca de R$ 150 milhões em publicidade por ano no SBT”

    Não é a grande mídia que controla o governo… é o governo que controla a grande mídia.

    Para mim isso tem nome: censura.

  105. Pax said

    Prefiro que fique a Graça Foster que volte o Gabrielli, simples assim. Nem sei do que vcs estão falando. Tem alguma notícia? Confesso que estou enrolado e não acompanhando amiúde.

  106. Pax said

    Caro Guatambu,

    Esse jogo do poder com a mídia é cheio de nuances que não faço a mínima ideia de como funciona no topo.

    Sei que o que a militância fala aqui embaixo é muito longe do que acontece lá em cima.

    Por simples lógica e dedução.

    Supondo que a notícia seja essa mesmo – não estou dizendo que sim nem que não – é censura, sim. Concordo contigo. Vergonhosa e subreptícia censura. Aliás, a mais podre que há. A que não diz, a que é comprada.

  107. Pax said

    Caramba…

    do Facebook do Idelber.


    Idelber Avelar
    4 h ·
    Saiu o relatório da ONG Global Witness sobre assassinatos de ambientalistas até 2013. Disparado em primeiro lugar, o Brasil. Não só somos o país do mundo que mais mata ambientalistas. METADE dos assassinados por defender o meio ambiente no período 2002-2013 morreram no Brasil. Foram pelo menos 908 mortos nesse período e 448 deles morreram em território brasileiro. Cerca de 1% dos assassinos e mandantes foram julgados e punidos.
    Vale lembrar que a maioria desses assassinatos ocorre em regiões nas quais fazer a denúncia já implica um enorme risco. Ou seja, o número real tende a ser bem maior do que o incluído no relatório da Global Witness, que traz o nome completo e a data de morte de todas as vítimas.
    Aqui o relatório na íntegra: http://t.co/zNM89KFq8y.

    E olha que eu sei o que é isso… já tive que sumir por uns tempos de dois lugares. (não, não sou herói, nada, nadica de nada, não mesmo, só me envolvi com comunidades e interesses de grileiros… e fiquei do lado das comunidades, claro)

  108. Guatambu said

    Pax,

    Tem mais notícias no Valor, mas acho que essa resume bem a situação a que me refiro.

    http://noticias.uol.com.br/politica/ultimas-noticias/2014/04/15/foster-defende-dilma-em-compra-de-refinaria-de-pasadena.htm

    A Foster foi fazer Graça pra Dilma…

    Dentro do modelo operado pelo PT:

    “Na época era importante”
    “Nós não sabíamos”

    Resultado: a Petrobras está devolvendo a refinaria de Graça…

  109. Guatambu said

    Pax,

    Sobre seu comentário #106, vamos ampliar o escopo dele e juntá-lo ao seu #107.

    O jogo de poder de tudo isso aí que mexe com a opinião política das pessoas é bastante complexa e da missa nós não sabemos a metade.

    Mídia
    Agora a internet (com o marco civil)
    MST
    Posseiros urbanos
    Indígenas
    Gays
    Feministas
    Ambientalistas
    Defensores de cotas raciais
    etc

    Conheci gente que foi em acampamento de MST; conheci gente que falou com a liderança política de posseiros urbanos.

    É desprezível.

    A conclusão que eu cheguei é a origem e o objetivo desses grupos até pode ser legítimo e bonito, mas a liderança deles transforma é uma máquina de degradação.

    Resumindo: pessoas, na maioria das vezes bem intencionadas, humildes e dispostas a enfrentar qualquer adversidade pela causa que defendem servindo de massa de manobra para pequenos grupos que querem alçar vôos políticos.

  110. Pedro said

    A Maria Caveirão não sabe nada.
    Se o Patriarca disse que foi um bom negócio, então, foi um bom negócio.
    E o IPEA confirma….. o lucro para o povo brasileiro foi de 436%.

  111. Guatambu said

    Pedro,

    Nós não vamos pagar nada… é tudo free.

    tsc tsc

  112. Pax said

    Caro Guatambu,

    Vou contrapor, em parte, teu comentário #109. E vou me permitir dois ou três exemplos que falo de cadeira, que vivenciei.

    1 – Comunidade caiçara: ainda não completou dois anos, dediquei (vai ter um monte de eu, me perdoe o umbigo grande neste momento) mais de 2 meses a uma comunidade. Que brigava com um Parque Nacional que ficou ausente por mais de 30 anos, um grupo de grileiros, outro grupo de ricos e essa comunidade estava rachada e, pior, sem ter o que dizer: é isso que queremos. Como já tinha feito planos, alguns, um monte, e como pesco nessa comunidade faz mais de 30 anos, e como participo de sua luta para não sairem do local desde sempre, e como conheço mais de 90% das pessoas de lá, resolvi dedicar meu tempo pra eles. Toda semana, durante esses 60, 70 dias, na Associação de Moradores, todas às segundas às noites, reuniões com todos. Uma frequência média de uns 30, às vezes, quando o pau quebrava uns 70, os líderes, os antigos, a rapaziada, enfim, todo mundo dentro de uma sala, quadro negro, arrumei um retroprojetor, preparava as reuniões em apresentações, projetava, organizava para que todos pudessem falar sem virar zona, tinha secretário da reunião que anotava nomes de quem pedia a palavra, cada um tinha seu tempo, enfim, e disse pra comunidade: “Qual é o sonho de vocês? O que vocês querem pra vida lá na frente? Como é que a gente organiza esse querer? Enfim, plano, nada mais que plano. O troço cresceu, começou a aparecer gente de todo lado, gente da Universidade de Montreal (brasileiro que passava férias, dr em comunicação, participou todo seu mês de férias, ajudou no texto final à distância, gente da Unicamp, um monte de gente, uns legais, outros chatos pra caralho, mas todo mundo tinha direito de falar, de contestar, de votar. E de trabalhar. Nas terças, quartas e quintas os grupos de trabalho trabalhavam às noites. Grupos menores, separamos os assuntos e montamos os GTs. Na mesma sala, todos trabalhando. Às segundas, de novo, mostrávamos o andamento que tinha rolado na semana, a comunidade aplaudia, às vezes, o pau comia, muitas vezes, mas só saíamos com o consenso. Seja por convencimento ou, caso necessário, por voto. No fim de todo o processo a comunidade tem um projeto que, modéstia a parte, ajudei eles a produzirem. Não fui eu quem fez, foram eles, eu só aportei com o meu tirocínio, de fazer o que já tinha feito tantas vezes em empresas e … outras comunidades. Este ano esse plano, que ficou só na lista de projetos, encadernado, publicado, apresentado, aprovado, teve sequência e me pegaram com uma enorme e feliz surpresa. Uma turma de estudantes de arquitetura de uma universidade de São Paulo, com mestre acompanhando, com apoio da prefeitura (podem estrilar, mas a nova é do PT e é disparadamente melhor que as anteriores, que faziam parte do grupo de grileiros, sim), com apoio do ICMBio que gere o Parque Nacional, com apoio da associaçao dos ricos vizinhos, enfim, apoio mesmo de todo mundo. Esses estudantes e seu mestre produziram um plano urbanístico baseado no plano estratégico que a comunidade tinha em mãos. Duca.

    E agora fica muito mais fácil de correr atrás de apoios, financiamentos, verbas de toda sorte, brasileiras ou estrangeiras, porque tem o que mais precisa ter, projeto, projeto bem feito.

    Envolve desde saneamento até escola, área de turismo, enfim cara, é um projeto bacana. Tenho um super orgulho de ter participado disso e, assim que possível, vou retomá-lo. Tudo tem seu tempo, sua maturação, tem horas que vc tem que ficar, insistir, perseverar, hora de sair fora por conta da máfia, e hora de voltar. A água da região está toda feita. O ICMBio liberou a área que não podia nem pensar, a prefeitura deu os canos e máquinas, a comunidade entrou com mão de obra e a rede está lá. Saca verão em litoral lotado de turista? Pois é, agora eles têm tanta água com pressão que outro dia me falaram que tinha estourado cano lá de tanta pressão, bem no meio do verão.

    Quando vai sair a nova escola? A finalização da rede de esgoto? Nào sei. A praça de esportes? Não sei. O novo posto de saúde? Não sei. A área de manobra para os microônibus de turismo, um ponto melhorado, uma minúscula rodoviária pra pelos menos ter banheiro e centro de informação turística? Não sei. Sei que tem plano e que, aos poucos, quiçá, oxalá, uma coisa anda esse ano, outra no outro ano, vai voltar a ter problema, mas tem um rumo.

    ah, cansei, ia escrever sobre uma reserva que faço parte e a comunidade onde moro mas tá muito longo.

    —-

    Ou seja, caro Guatambu, tenho cá minhas restrições, sim, a várias ongs, entidades etc etc, mas se a gente desacredita de tudo, o que rola é que essas ongs, entidades que a gente questiona, entram nesses espaços vazios (isso é política, afinal) e tomam conta, da comunidade e da grana que rola.

    Quanto eu ganhei nesse trabalho acima? Uns 30 mil, ou mais, calculo, negativos, do dinheiro que deixei de ganhar, do que gastei me locomovendo e tomando cerveja por lá (hospedagem e comida, claro que lá tenho de graça) etc.

    Sim, eu faço política. E não participo de nenhum partido. Zero.

  113. Chesterton said

    Confesso que estou enrolado e não acompanhando amiúde.

    chest- não lê a VEJA, dá nisto.

  114. Chesterton said

    O meu ponto é: ela sabia.

    chest- Guatambu, então ela é…….

  115. Pax said

    Olha, liguei a Globonews agora e todo mundo elogiando a Graça Foster… Cristiana Lobo e outros que afirmaram que até o pessoal da oposição elogiou.

    Ainda tenho algumas tarefas, mas assistirei o noticiário até não poder mais. Segundo o que vi, foi o que já tinha sido falado, CPI vai dar em nada, o buraco é com a Lava a Jato, diretor preso, André Vargas nervoso etc.

    Vamos com calma que esse trecho do caminho é cheio de pedra lisa.

  116. Marcelo said

    Na minha opinião a “Graciosa” pode ser acusada de prevaricação,
    Por saber do malfeito e não abrir o bico quando se tornou presidente da Petrobrás.
    Quem não tem saída nesta historia é a Dilma que sabia pelo menos desde 2008 quando a Astra resolveu melar o negócio e exigir a put-option.

    Só abriu o bico agora por que o Estadão publicou que ela e o Conselho aprovara o negócio em 2006.
    Dilma, Gabrieli ( e seu padrinho Lula) ficaram de bico calado – cúmplices na patranha.

  117. Marcelo said

    Reforçando a minha opinião anterior, o Josias publicou:

    http://josiasdesouza.blogosfera.uol.com.br/2014/03/23/pasadena-na-camara-graca-foster-omitiu-o-aval-de-dilma-e-protegeu-cervero/

    http://josiasdesouza.blogosfera.uol.com.br/2014/04/15/duvidas-sobrevivem-a-6-horas-de-graca-foster/

    Falta ouvir ainda o Cerveró, o “bagrão” demitido 7 anos depois do suposto malfeito….

    Muita água vai rolar antes de atingirmos o “pré-sal” desta patranha petista.

  118. Pax said

    Gostei da análise do Kotscho que é, sim, governista.

    http://noticias.r7.com/blogs/ricardo-kotscho/2014/04/15/campanha-comeca-em-clima-de-todos-contra-dilma/

    O PMDB, a cobra criada, que vai continuar governando nos próximos 4 anos, independente de quem for, tá como oásis no deserto, disputado por gregos, troianos, enfim, todas as “quadrlhas”.

    No Rio criaram o Aézão, que maravilha, Aécio e Pezão. Na BA outra trinca de peso, enfim, leiam aí.

  119. Pax said

    Acabo de ver a Graça Foster em sua arguição hoje. Mandou bem. Minha opinião. Já o Gabrielli… nunca gostei mesmo.

    Posso deixar de gostar da Foster assim que sentir cheiro que a faxina levantou o tapete pra empurrar a sujeira pra lá. Aí a Foster cai, no exato momento que fizer qualquer coisa nesse sentido.

    Enfim, cada um tem direito a uma opinião. Hoje, agora, essa é a minha.

    Pausa para uma boa, da Piauí Herald

    http://revistapiaui.estadao.com.br/blogs/herald/esporte/robalo-e-o-novo-mascote-da-copa-do-mundo

    Continuo achando que vai ter muita confusão quando o presidente do Brasil, Joseph Blatter, colocar os pés fora do avião que o trouxer. Calma, rapaziada, é só uma ironia da minha parte. Claro que sei que O presidente é … ops.

    =)

  120. Pedro said

    Pax #112, gostei. Parabéns.

  121. Chesterton said

    Opinião qualquer um tem, mas fatos são um só. Como o Marcelo falou ” saber do malfeito e não abrir o bico quando se tornou presidente da Petrobrás.”.

  122. Chesterton said

  123. Pax said

    Outro off topic, da primeira edição de uma nova revista.

    O artigo é bom. Muito bom.

    Carta ao Lobão (de um ex-fã)
    por Pedro Sprejer, abril de 2014

    http://revistapolivox.com/?p=381

  124. Pax said

    Caro Pedro, #120, obrigado.

  125. Chesterton said

    A Polícia Federal concluirá até quinta-feira o inquérito da Operação Lava-Jato, com o indiciamento das 28 pessoas presas nas duas fases da ação policial que investiga desvios de pelo menos R$ 10 bilhões para o exterior. O número de indiciados pode até aumentar, segundo os delegados que preparam o relatório final, com a inclusão de outras pessoas que não foram presas e cujos nomes surgiram ao longo das investigações.

    As 15 pessoas que continuam presas preventivamente, entre elas o ex-diretor de Abastecimento da Petrobras Paulo Roberto Costa e o doleiro Alberto Youssef, deverão permanecer na prisão. Nesta semana, eles devem ser transferidos para o presídio de segurança máxima de Catanduvas, no interior do Paraná.

    O relatório da PF será enviado ao juiz federal Sérgio Moro e ao Ministério Público Federal. O MPF vai analisar o documento da PF e decidir se oferece denúncia ao juiz. Aceita a denúncia, todos se transformam em réus e aguardarão presos pela sentença. Os presos da Lava-Jato serão indiciados por evasão de divisas, manutenção de contas não declaradas no exterior, operações não autorizadas pelo sistema de câmbio, desvio de recursos públicos, fraudes em licitações, corrupção ativa e passiva, formação de quadrilha e financiamento ao tráfico de drogas. Este último crime deve ser imputado aos quatro doleiros presos na operação, sobretudo a Carlos Habib Chater, de Brasília, que foi flagrado financiando traficantes.

    Ex-diretor foi preso no dia 20

    A Lava-Jato investiga principalmente corrupção e fraudes em licitações da Petrobras, tendo o ex-diretor de Abastecimento da estatal como o centro das ações coordenadas pela PF. Paulo Roberto Costa foi preso no dia 20, em seu apartamento, no Rio, onde os policiais apreenderam centenas de documentos.

    O deputado Fernando Francischini (Solidariedade-PR), membro da Comissão Externa na Câmara que investiga se houve pagamento de propinas nos negócios da empresa holandesa SMB com a Petrobras, disse que vai pedir a investigação dos dados publicados pelo GLOBO segundo os quais empresas fornecedoras da Petrobras pagariam “taxas de sucesso” para Costa em percentuais que variavam de 5% a 50%.

    Além desses contratos, o ex-diretor da Petrobras receberia mesadas de grandes empreiteiras, como a Camargo Corrêa, que pagaria mensalmente R$ 100 mil, totalizando R$ 3 milhões durante a vigência do contrato, em setembro de 2015. Numa nota de apenas uma linha, a construtora disse apenas que “manteve em 2013 relação contratual com a consultoria Costa Global”.

    — Taxas de 50% só podem ser resultado de corrupção — disse Francischini, que também é delegado da PF. Ele quer investigar também os negócios de Costa com a Astromarítima Navegação S/A, com sede no Rio. Segundo o “Fantástico”, da TV Globo, a empresa tem negócios de R$ 550 milhões com a Petrobras no fornecimento de navios petrolíferos para a estatal e está entre as empresas que pagam taxas de sucesso para o ex-diretor. As planilhas apreendidas mostram que a empresa pagava uma taxa de sucesso de 5% do bruto dos contratos com a estatal, mais 50% do que excedesse o total de R$ 110 milhões: — Vamos investigar se esses navios não são fantasmas.

    Em nota, a empresa diz que, “em consequência de seu valor no mercado, recebeu pelo menos dez propostas de compra, que não se consumaram” e que assinou “um acordo com a Costa Global para intermediação com a companhia J&F, que teria interesse em aportar recursos na Astromarítima ou, alternativamente, adquirir participação societária. A remuneração ajustada foi de 5% do preço de venda das ações, cujo valor global foi fixado em R$ 110 milhões. Apenas se a transação ultrapassasse este valor, a Costa Global faria jus, ainda, por êxito, à remuneração de 50%do excedente, conforme prática usual do mercado”. (O Globo)

  126. Pedro said

    Chesterton #122, tenso.

    Se for vero, vai feder.

  127. Chesterton said

    Tensíssimo.

    Mas parece que o PD aprendeu alguma coisa com “nosotros”.

    Deixa Sheherazade falar
    Só quando garantimos o livre discurso dos mais radicais em uma sociedade é que realmente expomos seus vícios
    Em fevereiro, a comentarista e âncora do telejornal SBT Brasil Rachel Sheherazade se tornou uma das mais conhecidas personagens das redes sociais. “No país que ostenta incríveis 26 assassinatos a cada 100 mil habitantes”, disse no ar, “a atitude dos vingadores é até compreensível.” Referia-se aos justiceiros cariocas que acorrentaram um adolescente de rua negro contra um poste, pelo pescoço, com uma tranca de bicicleta. Qual fora escravo. A deputada Jandira Feghali (PCdoB-RJ) pediu investigação à Procuradoria Geral da República. O Sindicato de Jornalistas do Rio publicou nota de repúdio. No início de abril, quando Sheherazade saiu de férias, circulou pela imprensa o rumor de que havia sido afastada pela emissora por pressão do governo. Houve quem celebrasse. É um erro.
    Sheherazade é um fenômeno da internet que provavelmente não ganharia tanto espaço noutros tempos. A baixa audiência de seu telejornal é compensada por inúmeras cópias de seus comentários, quase sempre inflamatórios, no YouTube. Muitos a defendem. Assim como muitos por ela sentem repugnância. A jornalista não faz concessões ao bom gosto: é uma radical. Mas liberdade de expressão jamais é testada pelos razoáveis, pelos moderados, pelos de bom gosto.
    O principal argumento contra Sheherazade parece partir do bom senso: faz apologia ao crime. Parece bom senso. Não é. Apologia ao crime é dos argumentos mais perigosos que se pode levantar contra a opinião de alguém. Há quem defenda o livre fumo de maconha. É crime. O aborto tem defensores. Igualmente crime. Defende-se a ocupação de propriedade privada por quem precisa de moradia e não a tem. Crimes todos. As duas primeiras defesas não costumam incomodar quem é liberal ou de esquerda. A última raramente perturba a esquerda. Considerar alguns crimes defensáveis ou não tem a ver com ideologia, não com o que é razoável. Nossa ideologia, claro, sempre nos parece razoável. O inferno são os outros.
    Há um excelente argumento para permitir que Sheherazade fale, por mais desagradáveis que possam ser suas opiniões. Ela representa um pedaço do Brasil. Basta passar os olhos pelas discussões na rede. Um bom naco dos brasileiros vai para além do conservadorismo: é reacionário. Talvez seja aquele quarto da população que, segundo o Ipea, considera que a roupa da mulher justifica o estupro. Seus representantes talvez sejam os que defendem abertamente os justiceiros ou fazem justiçamentos. Este é um pedaço do Brasil. Se calamos uma voz que “os compreende”, desligamos um alerta. Sem este alerta, desaparecem as vozes e os argumentos contra.
    Thomas Jefferson, cuja data de nascimento foi celebrada domingo, disse que “a liberdade de expressão não pode ser limitada sem ser perdida”. Os EUA, país que ajudou a fundar, têm a legislação mais incisiva na defesa da livre expressão. Não quer dizer que seja absoluta. Mas que, antes de punir o discurso, pesam se vale o risco. Porque, a não ser que os critérios para punir o discurso sejam extremamente rigorosos, fica fácil demais. E a censura se estabelece.
    Incitação ao crime é critério para punir a fala. Mas é preciso provar que um crime ocorreu causado por ela. Uma coisa é desejar a morte de alguém numa conversa de bar. Outra é clamar pela morte da pessoa, em frente a sua casa, perante uma turba em fúria. Não se pune a mensagem. Punem-se os efeitos concretos da mensagem.
    Pode não parecer intuitivo, mas é só quando garantimos o livre discurso dos mais radicais em uma sociedade, à direita e à esquerda, que realmente expomos seus vícios. Só assim somos realmente livres. A internet é uma máquina de livre expressão. Que seja amplamente usada.

    Leia mais sobre esse assunto em http://oglobo.globo.com/sociedade/tecnologia/deixa-sheherazade-falar-12195667#ixzz2z0McgIOC

  128. Pax said

    Consegui assistir ao vídeo que o Chesterton, o rabugento, colocou em #122.

    Aí fui buscar um pouco mais de notícias, velho e bom Google.

    Achei várias. Lendo algumas aqui. Meu argumento de pesquisa foi só: “Caio Gorentzvaig”, o cara do vídeo. De cara sinistra pacas.

    Nesta notícia da IstoÉ diz que a família é bem complicada.

    http://www.istoedinheiro.com.br/noticias/13447_LAMA+PETROQUIMICA

    E nessa aqui outra informação importante, é do PPS, se candidatou numa coligação com PSDB, DEM e PPS.M

    http://noticias.uol.com.br/politica/politicos-brasil/2010/deputado-federal/11041957-caio.jhtm

    Independente dessas notícias que li, pouco importa, que investiguem tudo, ora bolas.

    Alberto Youssef, André Vargas e os ex-diretores presos, e o que mais vier à tona, por mim que nada fique sem investigação. Sem que esqueçamos dos links no Ministério da Saúde e os desvios dessa outra área.

    Porque estão esquecendo os desvios na Saúde ainda não estou entendendo.

    Mas acho que não vai ficar muito tempo sem que voltem a aparecer notícias da área da Saúde.

    Mudando de saco pra mala, parece que há alguma chance do Pizzolato engrossar as fileiras da Papuda. Segundo a Agência Brasil.

    http://noticias.uol.com.br/politica/politicos-brasil/2010/deputado-federal/11041957-caio.jhtm

  129. Marcelo said

  130. Pax said

    Com a Copa e as eleições, você acha que os ânimos estão muito exaltados no Brasil?

    Muito, e no mundo também. No Brasil ainda mais, porque você tem certas fagulhas. Uma foi ano passado. As manifestações trouxeram um pavio que ainda está aceso. Estou prevendo um ano complicado.

    Ninguém menos que Alberto Dines. Entrevistado por um conhecido meu, ex-vizinho, bom vizinho, quando ainda morava na megalópolis.

    http://blogdomorris.blogfolha.uol.com.br/2014/04/15/alberto-dines-a-imprensa-se-atrelou-demais-ao-mercado/

  131. Chesterton said

    Acionado nesta segunda-feira por uma representação do investidor minoritário Romano Allegro, o Ministério Público Federal tem todos os argumentos técnicos para solicitar à Justiça Federal que impeça um prejuízo estimado em pelo menos R$ 17 bilhões à Eletrobras e seus acionistas. Romano pede ao MPF que entre com ação judicial contra União Federal, na qualidade de acionista controladora da Eletrobras, pelo descumprimento do art. 115, § 1º, da Lei 6.404/76 – a Lei das S.A..

    Romano Allegro foi o mesmo investidor minoritário que pediu ao MPF que responsabilize Dilma Rousseff e Guido Mantega, como ex e atual presidentes do Conselho de Administração da Petrobras, pelos prejuízos causados na compra da refinaria Pasadena. Se a Procuradoria Geral da República tiver coragem de aceitar a denúncia, e acionar o Supremo Tribunal Federal, Dilma corre risco de sofrer impeachment. O Procurador Rodrigo Janot está em uma sinuca de bico político-jurídica.

    Agora, o investidor denuncia que o governo votou em situação de conflito de interesses no tocante à renovação das concessões deliberada na Assembleia Geral Extraordinária realizada em 3 de dezembro de 2012 – que tem tudo para ser anulada. Investidores reclamaram e as instâncias técnicas da Comissão de Valores Mobiliários entenderam que ela não poderia ter proferido voto em assembleia geral extraordinária realizada pela Eletrobras, que gerou uma redução substancial na indenização devida pela própria União à companhia. “Houve um claro conflito de interesses, bem como um benefício particular à própria União”.

    O MPF tem campo aberto para agir porque a União já é alvo de um Processo Sancionador promovido pela Comissão de Valores Mobiliários, autarquia do Ministério da Fazenda que fiscaliza o marcado de capitais no Brasil. A CVM decidiu que a União feriu o dispositivo que estabelece que o acionista não poderá votar nas deliberações das assembleias “que puderem beneficiá-lo de modo particular, ou em que tiver interesse conflitante com o da companhia”. Só que o governo fez a indecorosa proposta de cancelar o caso, firmando um por meio do qual se compromete a “realizar um evento com o tema central do interesse do mercado de capitais e da economia brasileira como um todo a ser oportunamente acordado com a CVM”.

    O investidor Romano Allegro pede ao MPF que impeça tal manobra: “A proposta formulada é um verdadeiro despropósito (para se dizer o mínimo). Chega a ser ofensivo à relevância do mercado de capitas brasileiro que a União se proponha a resolver a questão (que é de grande relevância e gerou um prejuízo bilionário à Eletrobras e a seus acionistas minoritários) por meio da realização de um simples “evento”. Na realidade, o processo em tramitação na CVM é um grande divisor de águas para que se estabeleça um mercado de capitais efetivamente sério e a serviço do desenvolvimento do país. Assim, a questão demanda a atuação imediata desse MPF para impedir a consolidação de danos irreversíveis e irreparáveis ao patrimônio das sociedades de economia mista envolvidas e ao próprio funcionamento do mercado de capitais brasileiro”.

    Romano insiste, legalmente, porque a CVM não pode aceitar o acordo proposto pelo governo federal: “A proposta apresentada não atende à exigência do inciso I, do §5º, da Lei 6.385/1976 (aptidão da obrigação estabelecida no termo para cessar a prática de atividades ou atos considerados ilícitos pela Comissão de Valores Mobiliários). Afinal, a mera realização de um evento não atinge a finalidade do inciso I (cessar a prática ilícita). A realização do evento não é apta a fazer cessar a atuação irregular da União, ao atuar na condição de controladora de sociedade de economia mista”.

    Romano Alegro insiste ao MPF que, da forma como proposto, o termo de compromisso até mesmo viola o princípio da moralidade: “Não se presta a qualquer medida de desestímulo, mas verdadeiramente estimula a União a manter indefinidamente a conduta ilegal que é objeto do processo administrativo. Afinal, se atuar de forma contrária ao estabelecido em lei no futuro, bastará à União realizar um novo evento ou curso e, assim, resolver a questão sem qualquer aplicação de penalidade e sem a reparação dos significativos prejuízos que forem causados”.

    Na tese de Romano, se o MPF e a Justiça agirem, é grande a chance de que seja anulada a Assembleia da Eletrobras em que o voto da União causou prejuízos bilionários à empresa e aos investidores: “No caso, era claro o interesse conflitante da União. Ao mesmo tempo em que é a controladora da Eletrobras (e, portanto, de suas controladas – CHESF, Eletronorte, Eletrosul etc.), é a responsável por arcar com a indenização devida pelos bens não amortizados. Assim, teria um benefício muito particular caso a indenização pelos bens não amortizados fosse a mais baixa possível. A decisão tomada pela Eletrobras, com a votação da União, implicava inclusive a renúncia de direitos por parte da companhia, conforme previsto no art. 11, § 4º, da MP 579. Tal circunstância demandava ainda maior isenção e cautela na decisão que viesse a ser tomada”.

    Eletrizante

    O pedido do investidor minoritário tem tudo para ser acatado pelo MPF, que já acompanha, criticamente, as besteiras do governo no setor elétrico.

    O procurador da República no Distrito Federal, Paulo José Rocha Júnior, já recomendou ao Ministério de Minas e Energia (MME) e à Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) mais transparência na divulgação de dados e informações a respeito dos processos de renovação das concessões do setor elétrico:

    “A decisão do administrador, nesse caso, não se funda em critérios de conveniência e oportunidade, mas sim na realização de pareceres, laudos, relatórios e estudos que revelem a melhor escolha e demonstrem capacidade técnica, econômica e jurídica da solução”.

    O procurador lembrou que tanto o MME como a Aneel já foram advertidas pelo Tribunal de Contas da União sobre a metodologia de renovação das concessões do setor elétrico, mas não atendeu às determinações do órgão de controle…
    serrão

  132. Chesterton said

    O Departamento de Justiça dos Estados Unidos da América está solicitando à Justiça Federal do Brasil o envio de informações sobre o processo do Banestado.

    Curiosamente, um dos pivôs daquele escândalo de lavagem internacional de dinheiro, foi o doleiro Alberto Youssef – que está com o nome sujo agora na Operação Lava Jato.

    O EUA colaboraram, ativamente, no caso do Banestado, e, agora, desejam uma “reciprocidade” no que pode ser uma grande investigação sobre lavagem de grana para financiar narcotráfico e terrorismo, a partir do esquema de corrupção bilionário montado no Brasil.
    seerao

  133. Chesterton said

    As lições de Cingapura. Ou: Lee Kuan Yew: um “déspota esclarecido”

    Cingapura era um local agrário, sem recursos naturais e muito pobre à época de sua independência, em 1965. Hoje, é uma cidade-estado modelo para o mundo, uma das economias mais dinâmicas e modernas da Ásia, com uma renda per capita acima de US$ 60 mil. Por trás dessa reviravolta impressionante está a figura controvertida de seu “pai fundador”, Lee Kuan Yew.

    Nascido em 1923 e descendente de imigrantes da província chinesa de Guangdong, Lee estudou em Cambridge, na Inglaterra, e formou em 1954 o People’s Action Party, que foi eleito cinco anos depois. Lee se tornou primeiro-ministro em 1959, com apenas 35 anos. O nome do partido era adequado, pois ação era o que Lee representava. Mas não qualquer ação; e sim uma esclarecida, aberta ao reconhecimento de erros, pragmática e focada nos resultados. Lee dizia que faria o que fosse correto, não “politicamente correto”.

    Tenho em minha prateleira, na enorme fila de espera, sua biografia From Third World to First, um tijolo com 700 páginas que ainda não tive a oportunidade de ler. Enquanto isso, devorei em apenas dois dias o livro bem menor Lee Kuan Yew: The Grand Master’s Insights on China, the United States, and the World, de Graham Allison e prefácio de Henry Kissinger, com vários trechos de entrevistas organizadas por tópicos. A seguir, vou resumir sua visão econômica sobre o sucesso de Cingapura, deixando outros temas igualmente interessantes para uma outra ocasião.

    Sendo Cingapura um local sem recursos naturais, era preciso se destacar em inteligência superior e disciplina para prosperar num mundo competitivo. Ciente disso, Lee colocou enorme ênfase no capital humano, na qualidade dos funcionários do governo, atraindo gente capacitada e pagando altos salários em troca, de acordo com seu custo de oportunidade na iniciativa privada. Ninguém deveria ir para o governo por sacrifício pessoal, e sim por merecimento, e o ganho deveria estar à altura.

    A palavra de ordem em sua gestão seria meritocracia. Lee é obcecado pelo conceito, acredita piamente que sem ele não há progresso. Ele é totalmente contrário a uma sociedade feudal, em que o nascimento define o futuro do indivíduo, ou a uma sociedade de castas como a indiana, ou ainda a um estado de bem-estar social exagerado que tenta proteger todos do risco de fracasso e alimenta um foco igualitário nos resultados.

    Quem produz riqueza é o empreendedor que assume riscos. A única forma de melhorar a vida dos mais pobres é estimulando o crescimento do bolo, o que ocorre quando esses empreendedores trazem inovações para o mercado que melhoram a produtividade da economia. Tolerar ganhos bastante desiguais e combater a inveja social deles decorrentes é crucial no processo. É do interesse coletivo que cada um possa e queira dar o melhor de si para prosperar.

    Com uma população de apenas 5,5 milhões de pessoas (hoje), Cingapura precisa atrair os melhores do mundo todo para competir em pé de igualdade com gigantes como Estados Unidos e China. Lee sempre defendeu uma abertura para a imigração, especialmente dos mais qualificados, e abraçou como poucos a globalização. Cingapura é um dos locais mais abertos do mundo, com um comércio exterior (importação + exportação) que ultrapassa 350% do PIB.

    Mas para atrair capital humano e físico de qualidade, era preciso desenvolver um ambiente extremamente amigável aos investimentos, e com regras do jogo muito claras e confiáveis. O império das leis seria outra grande obsessão de Lee, assim como a drástica redução da burocracia. A facilidade em abrir ou fechar empresas seria enorme. Cingapura precisa de talentos, e atraí-los é questão de sobrevivência.

    Outro pilar seria a língua. Lee percebeu cedo que se dependesse do mandarim não teria a mesma condição de se tornar um hub do comércio mundial e um centro de inovação tecnológica global. O inglês, mais fácil e objetivo, língua dos negócios, da ciência, da diplomacia e da academia, falada pelo mundo todo, tornaria-se não a segunda, mas a primeira língua oficial de Cingapura.

    A imagem de “déspota esclarecido” faz algum sentido quando pensamos que muitas dessas decisões foram tomadas ou lideradas por um homem só, muito influente nos rumos do país. Mas Lee era o oposto do governante que impõe um dirigismo econômico de cima para baixo. Ao contrário: sua crença no livre mercado era tanta que ele focou justamente naquilo que o governo podia fazer para garantir seu funcionamento de maneira mais eficiente.

    Lee abomina o socialismo, o protecionismo comercial disfarçado de regionalismo, as políticas econômicas intervencionistas, que produzem apenas má-alocação de capital e corrupção. Para ele, cabe ao governo garantir uma ordem social (ele coloca bastante peso no papel da família ao ensinar a diferença entre certo e errado para as crianças, e Cingapura não brinca em serviço quando se trata de atos ilegais ou “malfeitos”), uma boa infraestrutura, serviços públicos de boa qualidade e o império das leis.

    Como resultado disso, Cingapura está em segundo lugar no ranking de liberdade econômica do Heritage Foundation, em trajetória ascendente. Trata-se de uma das economias mais livres do planeta. Não vou dizer em que posição está o Brasil, cujos males a esquerda diz que é culpa do “neoliberalismo”, para poupar o leitor do choque e do constrangimento (ok, eu digo: estamos em 114, e caindo, mas ao menos estamos à frente da Índia e da Rússia – uau!).

    A qualidade da elite faz toda a diferença. Sua criatividade, sua disposição em aprender com as lições de outros lugares, seu desejo de implementar boas ideias de maneira rápida e decisiva, e sua capacidade de convencer a maioria do povo de que tais reformas compensam, eis o segredo do sucesso. O espírito da inovação deve estar presente, disseminado nas diferentes esferas da sociedade, caso contrário não há avanço.

    Meritocracia, disciplina, foco nos talentos individuais, império das leis, credibilidade e previsibilidade na gestão do governo, ampla abertura comercial e liberdade econômica, investimento em infraestrutura de ponta, burocracia reduzida, valorização do inglês, ordem social: essa é a receita do enorme sucesso de Cingapura, sob a forte liderança de Lee Kuan Yew.

    Agora que já sabemos o que deve ser feito, resta apenas descobrir quem e como, em nossa democracia sujeita aos riscos populistas e em nossa cultura afeita ao coletivismo igualitário. A parte mais difícil já está resolvida…

    Roberto carlos

  134. Pax said

    Um relato de uma amiga que trabalha numa das empresas da Petrobras, que colhi no Facebook,

    XXXXXXX Como funcionaria da petrobras afirmo que as empresas viraram cabides para os partidos políticos . Grande parte dos gerentes e 100% dos diretores são ligados ao partidos . Muita corrupção dentro da sede ! Uma pena, não da para sentir mais orgulho de trabalhar lá . A Graca parece ser séria ,mas difícil acabar com os grupinhos internos e pouco mexeu até agora .

    Duro de ler.

    —-

    E o vai-e-vem do André Vargas, no post do Josias de Souza

    http://josiasdesouza.blogosfera.uol.com.br/2014/04/16/amigo-associa-vaivem-de-vargas-a-depressao/

    Não é um bom momento para o partido do governo.

    mas ontem fiquei pensando com meus botões, eleições brasileiras, cipó indo solto e não voltando muito por enquanto

    vai ter hora que o PT vai soltar seus cipós?

    quais serão?

    helipóptero? trens e metrô SP? Suape?

  135. Chesterton said

    A Graca parece ser séria ,

    chest- ela ´feia

    Não é um bom momento para o partido do governo.

    chest- péssimo momento para o país atacado por uma nuvem de gafanhots predadores.

    vai ter hora que o PT vai soltar seus cipós?

    chest – pax, quanto peleguismo.

  136. Pax said

    Peleguismo, caro Chesterton?

    Onde? Me fala.

    Acordou mais rabugento que o normal?

  137. Chesterton said

    A tragédia é que Dilma se acha a maior economista do país

    :: Isso é ainda pior do que toda a incompetência dela. Por Sérgio Vaz
    Só li hoje o texto “Vou-me embora pra Bruzundanga”, do historiador Marco Antonio Villa. Vi no Facebook que o texto – publicado na Coluna do Augusto Nunes no site da Veja em 11/2 – foi tido como algo que humilhou a presidente Dilma Rousseff.

    Não há nada de ofensivo no texto. Tudo o que Villa cita lá são fatos, verdades.

    Que Dilma é absolutamente incompetente, os jornais dão provas disso todo santo dia. Todos os dias do ano, há 3 anos, 3 meses e meio. Eu mesmo já publiquei 135 coletâneas semanais de notícias e análises que comprovam a incompetência dela.

    Mas o mais trágico de tudo não é a incompetência sabida, conhecida, comprovada do poste que foi vendido ao país como a gerentona competente, capaz, incansável, detalhista.

    O mais trágico é o que está dito no Globo de hoje, 14 de abril, por uma fonte que é identificada no jornal como “um interlocutor da presidente”:

    “Ela não acha que a melhor economista deste país, ela tem certeza disso”.

    Dilma no comando da economia do Brasil é como um louco varrido com uma arma de fogo carregada nas mãos num salão apinhado de gente.

    http://50anosdetextos.com.br/2014/a-tragedia-e-que-dilma-se-acha-a-maior-economista-do-pais/

  138. Chesterton said

    Ok, vou aliviar o peleguismo então.

  139. Pax said

    ufa…

    =)

    achei que nem soubesse o que significa peleguismo, aliás, moda que voltou firme.

    vá estudar, caro Chesterton!

  140. Chesterton said

    Você foi dúbio.

    Gosto muito disto aqui: http://www1.folha.uol.com.br/colunas/monicabergamo/2014/04/1441386-ator-jose-de-abreu-diz-que-atacou-lula-porque-dirceu-esta-mal-na-prisao.shtml

    Se xingando em público, uns sabendo do caráter de outros e vice-e-versa

  141. Pax said

    US$ 18 — acabei de pagar a renovação do domínio do politicAética por mais um ano. Uns 40 e poucos pilas por ano. Que, sim, me dão enorme prazer em manter.

    Propaganda no Blog? Nope. Patrocínio? Nope.

    Liberdade de opinião e expresão? Yeap.

    Compromisso com o Sobre o Blog? Yeap.

    Por conta disso, vou reproduzir seu texto aqui, me permitam:

    Sobre o blog

    Este blog não cria notícias. Este blog coleciona notícias vinculadas com a corrupção, desvios ou anomalias no tratamento da coisa pública. Tece alguns comentários sobre algumas das notícias colocadas. Sobre os comentários sou responsável. Sobre as notícias colecionadas aqui não. A responsabilidade é dos jornais que as publicaram. Em todos os posts há os links de onde a matéria selecionada foi colhida.

    Este blog procura, de toda forma, não privilegiar nenhum partido político, ou seja, as notícias que são dadas pela mídia, no tempo que disponho de olhá-las pela internet, são colecionadas sem isentar qualquer entidade ou cidadão. Aqui admito reclamações ou alertas pertinentes que porventura possam surgir. Mais que isso, sinceramente ficarei agradecido sobre qualquer observação que venha a contribuir para que o blog se mantenha nessa posição de isenção.

    Também são evitadas notícias de sites e blogs extremados, pelos mesmos motivos acima. As preferências são para notícias vinculadas nos grandes jornais e entidades respeitadas pela sociedade brasileira.

    Este é o compromisso e o pedido para que as observações continuem. A posição é de isenção.

    A casa é nossa. Obrigado a todos.

  142. Patriarca da Paciência said

    Continuo com a mesma opinião, ou seja, esse furdunço sobre a Petrobrás é claramente eleitoreiro e o PT nada tem a temer.

    CPI nunca resolveu nada, apenas faz barulho,

    A Petrobrás continua a mais rentável, a que mais cresce, a que mais tem reservas, enquanto todas as outras companhias petrolíferas mínguam.

    Não há o mínimo indício de desvio de dinheiro público na Petrobrás.

    Esse negócio de que a refinaria teria custado 42 milhões de dólares para outra companhia é pura má fé. Em verdade teria custado 360 milhões de dólares, o que corrigido, seria bem maior ainda.

    A imprensa vem alardeando outras opiniões de má fé, como compra de estoques e serviços como se fossem acréscimo ao preço da refinaria.

    O que a presidente da empresa falou é que, à época, parecia ser um bom negócio, com as mudanças que a economia sofreu, hoje é um mal negócio, mas o tamanho do “prejuízo” é apenas má fé que a oposição anda alardeando.

    Eu já falei em outros comentários que, empreendedorismo é um risco e sempre pode ser exitoso como causar problemas. Ninguém é profeta no ramo empresarial.

    Ou seja, se esse é todo o arsenal que a oposição dispõe, a coisa está feia mesmo para o lado dela !

    CPI por CPI, acho que o caso do metrô de São Paulo e da refinaria de Pernambuco tem mais mais coisas a serem esclarecidas.

  143. Patriarca da Paciência said

    Post 129,

    acho que o PT tem aprendido e muito. O risco de não cortar certos males pela raiz e o risco de escolhas mal feitas. O PT tem aprendido cada vez mais. E o mais animador é que a nossa jovem democracia resiste bravamente. O Brasil, definitivamente, entrou na primeira linha. Nenhum chanceler brasileiro irá mais tirá sapatos para entrar em solo norte-americano ou de qualquer outro país. O Brasil nunca mais irá pedir licença para fazer comércio, livremente, como todos os países do mundo, conforme seus interesses e não interesses das “potências ocidentais”.

    É isso que está incomodando o patriarcalismo brasileiro, o qual sempre foi sustentado por forças externas. Este é o motivo da extrema perseguição que sofre José Dirceu, justamente por ter sido um dos arquitetos do novo Brasil.

  144. Patriarca da Paciência said

    Nenhum chanceler brasileiro irá mais tirar sapatos para entrar em solo norte-americano ou de qualquer outro país. O Brasil nunca mais irá pedir licença para fazer comércio, livremente, como todos os países do mundo, conforme seus interesses e não interesses das “potências ocidentais”.

    Lula, como sempre, tem uma visão claríssima da situação política.

  145. Pax said

    Caro Patriarca,

    A própria Graça Foster admitiu, ontem no Senado, que Pasadena foi um péssimo negócio, prejuízo de mais de US$ 500 milhões.

    Só estou repetindo o que ouvi a Foster falar em público, gravado, divulgado nuns 4 telejornais que assisti ontem à noite.

  146. Elias said

    “Um relato de uma amiga que trabalha numa das empresas da Petrobras, que colhi no Facebook, ´XXXXXXX Como funcionaria da petrobras afirmo que as empresas viraram cabides para os partidos políticos . Grande parte dos gerentes e 100% dos diretores são ligados ao partidos.´” (Pax)

    Ou essa senhora está mentindo, ou ela está sendo conivente com uma grave irregularidade.

    Existe uma lei que regulamenta o preenchimento de cargos de direção e assessoramento superior. A cada nível — diretoria, gerência, chefias de departamento, etc. — há um percentual de cargos de livre nomeação e exoneração. Os demais são, obrigatoriamente, preenchidos por funcionários do quadro de carreira.

    Se essa senhora trabalha na Petrobras, então ela é exercente de “emprego público” (que difere do “cargo público” porque este existe nos órgãos e entes de direito público, enquanto o “emprego público” existe nos entes da Administração Pública de direito privado).

    Como exercente de “emprego público”, ela está obrigada, por lei, a denunciar formalmente toda e qualquer irregularidade que ela constate na Administração Pública, sob pena de conivência. Se foi ultrapassado o limite legal para livre nomeação e exoneração de exercentes de cargos de direção e assessoramento superior, é dever dessa senhora, como exercente de “emprego público”, denunciar aos órgãos competentes (no caso, o TCU, o MPF, etc.).

    100% dos diretores? Duvido! Ninguém é bobo a esse ponto…

    Creio mais que essa senhora esteja mentindo. É o típico papo de bêbado em mesa de bar, que usa percentuais pra impressionar os interlocutores: 95% disso, 80% daquilo, 100% dos diretores…

    100% dos que fazem isso geralmente mal sabem do que estão falando… :</) [à falta de um "sinal de ironia"… :</) ]

  147. Elias said

    “Nenhum chanceler brasileiro irá mais tirar sapatos para entrar em solo norte-americano ou de qualquer outro país. O Brasil nunca mais irá pedir licença para fazer comércio, livremente, como todos os países do mundo, conforme seus interesses e não interesses das `potências ocidentais´.” (Patriarca)

    Não conte muito com isso, Patriarca.

    Vai que a murraça vence as eleições…

    Aécio Neves, p.ex., é contra o hábito de tirar os sapatos do diplomata brasileiro… Ele quer substituí-lo por 3 lambidas na sola do sapato do agente alfandegário em serviço no aeroporto…

    Já FHC achava que, enquanto o presidente americano fosse o Clinton, essas 3 lambidas poderiam ser muito mais bem empregadas em outro lugar… (lembra da entrevista do FHC, falando do encontro dele com o Clinton? “E lá estava eu, ao lado daquele homão, com quase dois metros de altura…”. Faltou pouco pra ele dar as medidas do esguicho que melecou o vestido da Chupinsky…).

  148. Pax said

    Caro Elias,

    1 – essa senhora, sim, é mãe e arrimo de família, sustenta não só sua casa como a dos pais.

    2 – você dizer que ela é obrigada e que deveria denunciar o que rola, me perdoe, é patético.

    3 – o PT conhece muito bem grande parte de seus ladrões (isso mesmo, é forte, mas é isso), chega a coloca-los em altíssimos cargos da administração pública, incluindo aqui filhos, amantes, apaniguados de forma geral. Quer que o lembre de uma lista ou basta a afirmação que posso trazer o noticiário que sustenta minha afirmação?

    eu conheço essa senhora bem de perto, faz muitos anos.

    nunca a vi mentir, posso assegurar que não é sua característica

    (todos mentimos, as mentiras necessárias, essa afirmação dela não me parece uma)

    essa senhora não gosta de política.

    Você escolheu a pessoa errada pra atacar.

    Teu caminho me entristece, mas não posso fazer nada com relação a isso, só sentir muito.

  149. Pax said

    Ah, sim, só pra complementar, até acho que a tal senhora acima, minha conhecida, amiga, se arriscou um bocado, porque disse isso que disse com seu nome, por extenso, num ambiente público, e monitorado.

    Se estivesse nos sapatos dela faria a mesma coisa. Ao invés de denunciar, ser perseguida, processada e demitida, faria, sim: POLÍTICA.

    É por aí que vamos dar uma arrumada nas coisas.

    Não com “valentias” como indicas.

    Tipo a “valentia” do valentão André Vargas (conhecido do PT, colocado na Vice-presidência da Câmara pelo PT) ao fechar o punho ao lado do Joaquim Barbosa. Valentão, pacas. Cheio de dólares em suas cuecas e outras peças do vestuário.

    Provocaste, mandaste o cipó, pra cima de amiga minha, recebas o troco.

    Você, do PT, denunciou o André Vargas?

    Prove-nos.

    A casa, politicAética está aberta para teus links e documentos.

    Mas, claro, talvez você não soubesse de nada. O que é possível, sim.

  150. Elias said

    Pax,
    Vou repetir, em caixa alta, o que eu disse: eu disse que essa senhora é obrigada, POR LEI, a denunciar qualquer irregularidade, etc, etc.

    Quem diz isso não sou eu, Pax. É a lei. A LEI, rapaz!

    POR LEI, Pax, todo(a) exercente de cargo ou emprego público é OBRIGADO(A) a denunciar qualquer irregularidade que ele detecte na Administração Pública da qual ele ou ela faz parte.

    Tu achas que isso está errado? Direito teu. Mas não me culpa por isso. Eu apenas mencionei a obrigação legal, Pax. Uma lei que existe há um porradal de tempo.

    Eu nem era nascido quando essa norma entrou em vigor no serviço público brasileiro, Pax.

    Entendeu, Pax? Não? Porra, cara! Tu és mesmo um péssimo entendedor.

    Pax, tu é que estás te tornando um cara patético…

    Em qual lugar 100% dos diretores são pessoas indicadas partidariamente? Em que empresa 100% dos diretores não são componentes do quadro de carreira?

    Isso é ilegal Pax! A lei PROÍBE que 100% dos cargos de direção sejam preenchidos por pessoas não integrantes do quadro de empregados.

    Se o TCU for informado disso, ele é OBRIGADO a nulificar os atos de nomeação. Se o MPF souber disso, ele é OBRIGADO a responsabilizar judicialmente o autor das nomeações.

    É ilegal, Pax! É crime, com tipificação do CPB.

    É público e notório que, nos últimos tempos, deste pra te portar se fingindo de doidinho…

    Só que estás passando das medidas… Estás perdendo o respeito por ti mesmo.

    Não se acusa as pessoas do cometimento de um crime, sem que se tenha um mínimo de elementos de convicção a esse respeito.

    Isso é irresponsabilidade, Pax.

    Foi nisso que tu te transformaste: num irresponsável! Num inconsequente!

    É o que te leva a dar foros de verdade a uma pessoa que, provavelmente, não sabe direito do que está falando, nem tem noção da gravidade do que diz… Apenas propaga uma fofoca…

  151. Elias said

    “Provocaste, mandaste o cipó, pra cima de amiga minha, recebas o troco. Você, do PT, denunciou o André Vargas?” (Pax)

    Por que eu faria isso, doido?

    Sei lá o que esse porra fez… Tomei conhecimento pelos jornais, e, por mim, ele que se estrepe! Tô nem aí…

    Pax, mau entendedor maluquinho, o negócio é o seguinte: eu peguei leve com tua amiga, exatamente porque me pareceu que ela não sabe do que está falando.

    A mim me pareceu que ela ouviu uma fofoca, acreditou e passou em frente. Estou dando a ela — e a ti, menino maluquinho — a atenuante da ignorância.

    Quando se lida com crime, Pax, é preciso ter um mínimo de cuidado. Se tu acusas alguém de cometer um crime sem que tenhas provas, das duas uma: ou tu tens um tribunal depravado pra segurar tuas pontas ou tu podes estar te metendo numa confusão de bom tamanho. Lembras do Paulo Francis?

    Se atribuis falsamente a alguém o cometimento de um crime, estás CALUNIANDO. Se esse alguém se sente ofendido com a acusação falsa que perpetraste, essa acusação constitui INJÚRIA. Como estás tornando pública a tua calúnia e injúria, também estás DIFAMANDO.

    Entendeste, até aqui?

    Não é que vás ser processado por isso (embora isso seja possível). Mesmo que não sejas processado, isso não altera o quadro, pra quem acompanha teu blog, tem a cabeça no lugar e a usa pra pensar.

    Se tu rebaixas teu blog ao papel de propagador de injúrias, calúnias e difamações, tu perdes o respeito de quem tem te acompanhado até aqui.

    No máximo, quem se move por interesses políticos e partidários, vai te apoiar porque vê nisso utilidade política. Mas uma coisa é ser politicamente útil a um determinado propósito político; outra, é ser respeitado.

    Qual é a minha tese: é a de que nem essa tua amiga, nem tu, sabem exatamente o que vocês estão falando. Nem ela nem tu sabem que existe uma lei que regulamenta a nomeação para cargos de direção e assessoramento superior na Administração Pública Federal, que, nos níveis de diretoria, gerências, chefias de departamento, etc., é absolutamente impossível preencher 100% das vagas com pessoas que não pertençam ao quadro efetivo do órgão ou ente, e que o não cumprimento dessas disposições legais é crime tipificado no CPB.

    A meu pensar, vocês — tu e tua amiga — não sabiam de nada disso. Por ignorância, deram seguimento a uma fofoca que ela ouviu.

    Entendeu, Pax? Não estou criando obrigações para a tua amiga.

    As obrigações que ela tem são estabelecidas em LEI, e no REGIMENTO INTERNO da empresa em que ela trabalha, e que, por certo, ela não desconhece.

    São obrigações LEGAIS e REGIMENTAIS.

    Entendeu, Pax?

    Também não estou dizendo que ela e tu são desonestos.

    Estou dizendo que vocês dois são ignorantes. Não sabem do que estão falando.

    Viu como eu sei pegar leve?

  152. Elias said

    Não estou dizendo que tua amiga e tu são desonestos… NESTE CASO EM PARTICULAR.

    Em outras oportunidades, como tu mesmo já reconheceste, tu te portaste desonestamente, sim, atribuindo a certa pessoa palavras que ela não disse, e opinião em tudo oposta àquela que essa pessoa reiteradamente exteriorizou.

    Certo?

  153. Pax said

    arrâm….

    a culpa é da minha amiga, trabalhadora, arrima de duas famílias, funcionária de terceiro escalão de uma das empresas com participação da Petrobras, que desabafa no Facebook que não tem mais orgulho de trabalhar na empresa…

    arrâm….

    sei.

    claro que a culpa é dela, que deveria ser chicoteada, talvez apedrajada, talvez chamada de inocente útil, criminosa por não cumprir as leias feitas sei lá quando…

    claro que sim

    acho que vou ligar pra Polícia Federal e denunciar minha amiga que desabafa no Facebook.

    arrâm

  154. Mona said

    Pax,
    não se intimide com essas perorações elisianas, querido. Folgo em saber que houve a renovação da “assinatura” do blog. Considero este espaço, com suas figuras bem emblemáticas, um excelente espaço de discussão, verdadeiramente democrático, e conduzido com maestria por vc. É um dos poucos blogs “abertos” que não descamba para uma escatologia repugnante, apesar do hercúleo esforço de alguns. E esse espaço saudável se mantém assim, graças à sua gentil, mas firme, condução.

  155. Elias said

    “A própria Graça Foster admitiu, ontem no Senado, que Pasadena foi um péssimo negócio, prejuízo de mais de US$ 500 milhões.” (Pax)

    Mentira!

    Quem assistiu o depoimento da Graça Foster há de ter notado que ela deu uma no cravo outra na ferradura…

    Em primeiro lugar, Graça Foster procurou não bater de frente com a Dilma (essa, sim, há tempos vem sustentando que a compra de Pasadena foi um péssimo negócio).

    Em segundo, Graça Foster procurou não desqualificar tecnicamente a decisão de comprar. Em resumo, ela disse que, à época da compra, Pasadena era um bom negócio. Deixou de ser devido a mudanças ocorridas no mercado DEPOIS da compra, e, sobretudo, devido a mudanças de estratégia da própria Petrobras, em decorrência da descoberta do pré-sal.

    Em terceiro, Graça Foster declarou que o prejuízo não é o que tem sido alardeado pela oposição, dentre outras razões, porque esta não leva em conta a amortização proporcionada pelos lucros que a refinaria vem produzindo.

    Quem ficou atento ao depoimento da Graça Foster há de ter percebido que, se a oposição bancar uma CPI, facilmente pode dar com os burros n´água…

    Principalmente ao se levar em conta que a oposição tem apenas um mês e meio pra tirar a lebre da cartola. A partir de junho, começa a corrida eleitoral, e cada um terá que se virar com o que conseguir até o final de maio…

  156. Pax said

    Obrigado, cara Mona.

  157. Elias said

    “a culpa é da minha amiga, trabalhadora, arrima de duas famílias, funcionária de terceiro escalão de uma das empresas com participação da Petrobras, que desabafa no Facebook que não tem mais orgulho de trabalhar na empresa…” (Pax)

    Sei… Tá cada vez mais claro. “Terceiro escalão de uma das empresas…”.

    E tu, Pax, és a Lilian Bife Quibe, personagem que o Jô Soares fazia na TV: “Um importante ascensorista de elevador do Ministério da Fazenda me confidenciou que…”.

    Ela é tua amiga e arrima duas famílias. Logo, está correta e é verdadeira a declaração dela, de que 100% dos diretores das empresas do grupo Petrobras são indicações partidárias.

    E se ela, sendo tua amiga, arrimasse apenas uma família, qual seria o percentual de diretores? 70%?

    E quem falou em “culpa”, doidinho?

    Isso não nada a ver com “culpa”, rapaz!

    O que eu estou dizendo é que tu e tua amiga estão dando seguimento a fofoca que servidor público e funcionário de estatal costuma fazer no cafezinho (e eles tomam dezenas de cafezinhos por dia… Ô raça pra gostar de café…!).

    Fofoca, Pax! Só isso!

    Fofoca, em grande medida ditada pela ignorância, pelo desconhecimento das leis e pela irresponsabilidade e inconsequência de quem a propaga.

    Patético!

  158. Pax said

    Na ditadura que vivi – e, ainda adolescente, combati, a música que mais me agradava não era aquela do Geraldo Vandré cantava:

    Pra Não Dizer Que Não Falei Das Flores – http://letras.mus.br/geraldo-vandre/46168/

    A que mais me tocava, me agradava ouvir, era a do Chico Buarque

    Apesar de Você – http://letras.mus.br/chico-buarque/7582/

    Dizia e eu gostava de ouvir: “apesar de você, amanhã há de ser, outro dia”. Alimentava uma esperança.

    Nos momentos em que minha esperança não fica muito abalada, penso que demos vários passos à frente, e outros ao fundo do poço. Só que o fundo não sustenta.

    Aí gosto de ouvir uma das maiores cantoras de todos os tempos, a Clara Nunes, na música de Mauro Duarte:

    Lama: .https://www.youtube.com/watch?v=X9C654MARxs

    Ouçam aí. Essa mulher faz uma falta danada. Confesso saudades. Como cantava.

  159. Patriarca da Paciência said

    “Esquerda caviar”
    Infelizmente, a atitude intelectual de Rodrigo Constantino é desonesta, procedendo por reduções e simplificações grosseiras

    Francisco Bosco

    O mundo já é muito complexo e turvo para os que se propõem a compreendê-lo honestamente. Por compreensão honesta designo fundamentalmente a atitude intelectual que tem como princípio examinar quaisquer argumentos sem o preconceito ideológico que costuma obscurecer a construção coletiva do diagnóstico da realidade. Todos têm, de modo consciente ou não, posições ideológicas prévias, mas essas devem ser sempre submetidas ao teste da realidade; são pontos de partida, não pontos de chegada. Infelizmente, a atitude intelectual de Rodrigo Constantino — como demonstrou Jean Wyllys, com a clareza devida, em artigo recente — é desonesta, procedendo por reduções, simplificações grosseiras, maniqueísmos sistemáticos, diversos procedimentos que agem no sentido de obscurecer o trabalho público e coletivo da compreensão da realidade (sem falar no abuso da dimensão imaginária das polêmicas — recorrendo sempre a argumentos ad hominem e ridicularizando pessoas famosas, a fim de produzir uma espécie de sensacionalismo intelectual).

    Ao contrário, vou propor aqui uma leitura honesta do que considero, até onde li, seus argumentos principais na defesa da pertinência da expressão “esquerda caviar”, com tudo o que ela carrega de desqualificação. Vou fazê-lo porque julgo que por meio dessa expressão pode-se compreender melhor quais os sentidos e as possibilidades efetivas da esquerda no mundo atual.

    O argumento principal de Constantino é o que a expressão sugere de cara: haveria uma contradição entre ser de esquerda e usufruir das benesses propiciadas pelo capitalismo às classes sociais mais altas. Admitida essa contradição, segue-se logicamente que os ricos autodeclarados de esquerda são hipócritas, apenas adotando o semblant de uma retórica socialmente valorizada — e que a sua diferença para os ricos de direita está tão somente em que esses últimos não capitulam a coerção social da hipocrisia.

    Comecemos então por nos perguntar: o que é ser de esquerda? Sem dúvida, ser de esquerda significa primordialmente considerar a redução das desigualdades econômicas e sociais um objetivo fundamental. Isso, entretanto, não implica necessariamente adotar uma perspectiva anticapitalista utópica, seja nos moldes da experiência efetiva da esquerda no século XX ou de algum modelo a se inventar. Concordo com T. J. Clark, para quem, em vez disso, é preciso que a esquerda contemporânea faça profundamente a experiência da sua derrota, das catástrofes intoleráveis por ela produzidas, e se esvazie de sua dimensão utópica, engajando-se antes numa política moderada, operando no interior do capitalismo, “por pequenos passos”, “propostas concretas” agindo no sentido de produzir igualdade em diversos âmbitos.

    Provavelmente a experiência de esquerda mais bem-sucedida no mundo hoje é a dos países nórdicos, capazes de dirigir o capitalismo por meio de um Estado pequeno, porém eficaz no sentido de promover equilíbrio social, conciliando assim os princípios do mercado e da seguridade social, da individualidade e do coletivo, em suma, da liberdade e da igualdade (como mostrou ampla matéria da revista “The Economist”, recentemente). Ser de esquerda não implica portanto um anticapitalismo sistêmico e revolucionário — concordo ainda com T. J. Clark quando escreve que, nas condições atuais, a esquerda moderada é que é revolucionária —, cuja prova pessoal de coerência seria uma espécie de franciscanismo, de resto inútil. Mas sim engajar-se, seja por qual via for, na luta pela promoção da igualdade de direitos (conforme fazem, cada um a seu modo, as pessoas desqualificadas por Constantino como símbolos da “esquerda caviar”: Wagner Moura, Regina Casé e Gregorio Duvivier, entre outros).

    É oportuno desconstruir outra suposta contradição. Segundo Constantino, os membros da “esquerda caviar” costumam criticar instituições, notadamente a polícia, mas recorrer a elas quando necessário. Deveria ser escusado lembrar que a crítica é um princípio democrático de aperfeiçoamento, e não um instrumento de negação absoluta. Quando pessoas de esquerda criticam a polícia, não estão a defender sua extinção, ingênua ou irresponsavelmente; antes repudiam a sua ação hierarquizante, logo antidemocrática.

    O que nos leva a um último aspecto da expressão. Ao negar a possibilidade de cidadãos de classe média e alta serem de esquerda, é nada menos que a mediação social da solidariedade o que se está anulando. Parece ser impossível para Constantino assimilar a ideia de que há pessoas dispostas a defender causas igualitárias mesmo em detrimento de suas vantagens pessoais. Mas, pasme, é precisamente isso o que, como princípio, define a esquerda.

  160. Pax said

    e esse tal Constantino merece mesmo tanta tinta assim?

    não perco meu tempo

    como não perco lendo muitos blogs da tinta paga do outro lado.

    passo batido.

  161. Pax said

    Post ou poste?

    http://www.blogdokennedy.com.br/orientacao-de-lula-muda-estrategia-de-dilma/

    Não gosto muito do Kennedy, mas, em raras ocasiões, vejo, sim. Dessa vez fui conferir pela manchete em seu blog:

    Orientação de Lula muda estratégia do PT

    Neste post, segundo minha interpretação, fala de poste.

    O que me parece ruim. Prefiro Dilma a Lula.

    Faz tempo que gostaria de dizer isso. Até o dia que me mostrarem que a filha de Dilma enricou também.

    Aí já vou achar que não prefiro mais ninguém da turma.

  162. Guatambu said

    Se a compra da refinaria foi um péssimo negócio, por que foi feito?

    Nesse nível, toma-se decisões baseadas em risco e retorno tendo em vista a estratégia.

    Estratégias de empresas desse tamanho não mudam de um ano pro outro, demoram anos pra mudar.

    A menos que existam outras motivações que não sejam estratégicas… e é isso que eu acho que estão querendo esconder.

    A Dilma assume que a compra da refinaria foi um péssimo negócio.

    Foi ela que comprou.

    Então ela, no posto de presidente do CA, bem como seus pares, fez um péssimo trabalho.

    Seja para definir a estratégia, seja para definir as premissas de risco e retorno (principalmente risco), seja para tomar a decisão.

    Então a Graça deveria explicar com clareza que:

    1. A equipe inteira, incluindo a Dilma, fez um péssimo trabalho.
    2. A decisão não tinha absolutamente nada a ver com a estratégia, e sim a ver com política.

    E é pro ponto 2 que eu acho que a Foster não quer dar o ar da Graça.

    O resto é conversa pra boi dormir.

  163. Guatambu said

    Pax,

    Sobre seu comentário em que explica como ajudou uma comunidade a se organizar.

    Parabéns, acho que o Brasil precisa de muitos Pax.

    Apenas um contraponto: não sei como vc chama essa sua atividade.

    Se é hobby, se é filantropia, se é boa vontade, se é amor à comunidade…

    Vc mesmo diz que não ganhou um puto com isso.

    Mas veja que quando vc conseguiu organizar a comunidade, politicamente vc se torna um líder para a comunidade, nesse caso, se vc fosse uma pessoa mal intencionada… nem iria tão longe, nesse caso se vc fosse um político profissional, se vc vivesse disso, vc teria que cobrar algo em troca.

    Há muitos políticos profissionais que vivem disso, e que transformam esse papel de líder em uma espécie de máfia, onde ele se transforma no “poderoso chefão” do grupo.

    Isso não te traz lembrança nenhuma? Vc não conhece nenhuma instituição, entidade, comunidade, que se organiza diante de um líder “poderoso chefão”, que manda e desmanda em seguidores fiéis e cegos, cujo senso de propósito se perdeu há tempos?

    E é desse conflito de interesses que eu falei no meu comentário anterior.

    O que vc fez, Pax, é louvável e mto bonito, mas não podemos contar com filantropos (ou como vc quiser se auto-entitular) como você para esse papel. Precisamos de políticos de fato…. e aí o jogo é completamente diferente.

  164. Pax said

    Não tenho dúvidas, caro Guatambu, precisamos de políticos.

    O que acontece é que, no Brasil, a classe política se deteriorou completamente. Eu não consigo, de cabeça, listar 12 congressistas que assinaria embaixo.

    E aí é onde acho que nós, os insatisfeitos com a política, devemos fazer…. política.

    Vamos lá, vou me fiar no caso que contei, que é verídico.

    Uma das lideranças da comunidade em questão, o cara que mais lutou à época que a Rio-Santos foi construída e que a especulação imobiliária nacional e internacional cometeu barbaridades nessas comunidades, acabou mudando o fio. Se juntou com a tal máfia que assumiu a prefeitura, começou a participar de jogo. Inacreditável, chegou a ponto de vender terras que eram da própria comunidade, participar das grilagens, enfim cara, um cara que mudou de lado.

    Essa turma, que envolvia a prefeitura da cidade (essa comunidade é um distrito dessa prefeitura), era de um partido desses melequentos. Pouco importa, poderia estar no PT, PSDB, DEM, PSD, PMDB, PSB, mas era desses partidinhos menores, só por questão de ocasião.

    Quem chegou com força para brigar com essa turma, perigosa, foi um candidato do PT (poderia ser do PSDB, do PMDB etc etc). Alguns amigos se envolveram na disputa partidária. Dei maior força, mas não me envolvi. FIquei de fora só dizendo que eles precisavam escolher quem eles confiavam mesmo. Uma amiga, filiada do PT, que chegou a concorrer à vereança e perdeu, se envolveu pra caramba na campanha.

    Eu fiquei no meu trampo, não me envolvi em nada. Outro amigo, médico, qua adotou a região e passou a morar lá, entrou na campanha também, arrumou legenda no PV. E não fez campanha alguma, cheguei até a conversar com ele, tentar organizar sua vida, dizer o que ele poderia ter como slogam de campanha. E fiz isso porque o conheço faz mais de 20 anos. Uma única criança morreu, nesse tempo todo, de uma infecção. Ele dedica tudo que faz nas comunidades, nos distritos da tal cidade, para essa criança. Nunca mais morreu nenhuma. E tem, sim, seu consultório particular também.

    Atende todo mundo, se tem dinheiro paga, se não tem atende no posto de saúde. Se é no horário particular, atende também, se puder pagar paga, se não, tudo bem também.

    O PT se aliou ao PV nessa campanha, e colocaram esse médico na chapa.

    Pois bem.

    Hoje o prefeito é do PT, encontrei com ele umas 3 vezes, eles nem sabe quem sou. Mas o médico, que se elegeu vereador, hoje é o secretário de saúde. A minha amiga, do PT, é a secretária de bem estar social, sei lá como chama, a que distribui leite, assistência etc. E outra amiga, que nem tinha participado da campanha, casada com um caiçara, ex advogada do Itaú, acabou assumindo um cargo na secretaria do meio ambiente.

    Essa outra amiga que pegou o projeto, conseguiu a turma da faculdade de SP, fez o plano urbanístico baseado no plano estratégico que fizemos.

    Minha amiga do PT continua andando no mesmo Uno Mile que deve ter uns 10 anos de uso. Seu marido é meu parceiro de pesca. Frequento a casa deles. Não vi nenhum sinal de riqueza extra. Nenhum.

    O médico, continua fazendo o que sempre fez, atende as regiões, conseguiu melhorar um bocado os postos de saúde.

    E eu já encontrei o prefeito, em duas ocasiões, da seguinte maneira, relato de fato:

    – na padaria da comunidade, tratando da tal questão da água. Ele e dois secretários, um monte de pasta, de projetos, despachando na padaria, depois de ter visto as obras em andamento, conversado com todo mundo. Eu estava junto, olhando, tomando um café e comendo um queijo quente, sacando de longe.

    Este prefeito já tem denúncia, sim. Questionei esses meus três amigos e disseram que não, mas tem projeto da família dele que eu não gosto do cheiro. O cara tem dinheiro, na boa, nem precisa. Mas a tentação sempre é grande.

    Apareceu uma grana preta para o tal projeto de saneamento, uma parte, teoricamente, é pra tal comunidade que atuei, que atuo. Vai ser aplicada lá? Não sei. Para a prefeitura, até onde sei, o papo é de dezenas de milhões que chegaram. Um quarto amigo, sanitarista, está envolvido no projeto.

    Aí, voltando a tua pergunta, cara, eu prefiro fazer política assim, sem me comprometer, sem me filiar a nenhum partido, mas metendo o nariz e o dedo onde posso.

    Hoje em dia mantenho esse blog, falo um bocado no Facebook, todo santo dia, convoco todos meus aproximadamente 400 contatos de lá para fazerem política, boa parte das notícias aqui tenho colocado lá também. Hoje escrevi uma frase lá dizendo que: ou a gente faz política ou a política vai nos estuprar de quatro, como tem acontecido.

    Tenho amigos nas artes, desses cheio de amigos, desses que lotam no Facebook que só aceita 5.000 amigos e eles tem que fazer páginas de fãs etc. Para esses eu escrevo também, convoco-os mesmo, digo que, independente deles terem opção a ou b na política, se gostam desse ou daquele governo, eles tem que se manifestar, pelo laicismo do estado, na questão da neutralidade da internet, na questão indígena, na questão dos agrotóxicos, e, muito, chego a ser um chato, na questão das agências reguladoras.

    Isso, caro Guatambu, eu entendo que é fazer política sim.

    Aqui como lá fico sempre alertando que os que posam de vestais, de limpinhos, não são. E que seremos nós, cidadãos comuns, reclamando ad nauseam, que mudaremos o quadro.

    Governos e políticos têm que ser cobrados à exaustão, fiscalizados, seus podres expostos nus, pra todos verem. Eles só tem medo de uma coisa: que nossa opinião contrária ganhe vulto. E, em alguns casos, como esse André Vargas, da Polícia Federal.

    Enfim, preciso dar uma saída, mas volto ao tema.

  165. Mona said

    Caro Pax,
    Sei que vc, caríssimo Pax, não lê o RC, mas como tem que o leia, e aqui foi colado, na íntegra, um artigo do Franscico Bosco, nada mais justo de ser apresentado o contraponto feito pelo Rodrigo Constantino a esse mesmo artigo, neste mesmíssimo espaço. Segue o link.

    http://veja.abril.com.br/blog/rodrigo-constantino/

  166. Pax said

    Cara Mona,

    fique à vontade.

    Caro Guatambu,

    Esqueci de dizer e precisa ser dito. Não tenho vocação para liderança. Fui gestor, tive equipe enorme, mas não me acho desses líderes nato. Sabendo dessa minha faceta, nunca estimulei, nem na comunidade caiçara, nem aqui onde já fui presidente da Associação de Moradores, nem na reserva particular onde sou conselheiro, que me vissem como liderança.

    Mas mantenho o prumo. E sei que, quando falo, as pessoas me ouvem, sim.

    E aí, quando acho necessário, possso conduzir um ou outro processo. Aqui, ano passado, conduzi um relativamente grande, e hoje temos policiamento comunitário na nossa região rural. Pra falar a verdade muito meia boca porque a polícia militar do estado está muito meia boca. Infelizmente acho que estudei mais policiamento comunitário que os comandantes da PM da cidade. E os soldados, a dupla que hoje é alocada aqui, cara, é triste, os caras vivem mais para os bicos que fazem fora da PM do que para a PM.

    Como eu chamo isso? Não acho que seja filantropia, isso é coisa pra rico e eu não sou. Não acho que seja altruísmo porque não tenho personalidade pra isso, acho mesmo é que gosto de política, talvez chamasse de diletantismo.

  167. Chesterton said

    Vai virar chefe indigena.

  168. Pax said

    mais provável um eremita pobre.

    Enviada do meu iPhone

    >

  169. Pax said

    Voltando ao caso que estamos explorando, caro Guatambu, vou reproduzir tua colocação, me permita:

    …”Há muitos políticos profissionais que vivem disso, e que transformam esse papel de líder em uma espécie de máfia, onde ele se transforma no “poderoso chefão” do grupo.

    Isso não te traz lembrança nenhuma? Vc não conhece nenhuma instituição, entidade, comunidade, que se organiza diante de um líder “poderoso chefão”, que manda e desmanda em seguidores fiéis e cegos, cujo senso de propósito se perdeu há tempos?”

    Não vou até onde você quer chegar, vou ficar neste exemplo que temos de concreto. O tal líder comunitário, que foi importante pacas na década de 70/80 do século passado, tentou política, mas é um cara sem estudo. Inteligente pacas, liderança nata, mas sem estudo.

    Também tentou vereança, perdeu. E aí se associou ao tal prefeito, na verdade uma família local. Da cidade onde a comunidade pertence. Mais que isso, se ligou na igreja evangélica da comunidade.

    Você não faz ideia do que vi por lá, essa era uma força impressionante. Que, por meio político, por força da maioria, foi vencida, no tal do plano que fizemos. Isso me custou um tanto, acredite. Mas um outro amigo me ajudou um bocado na hora e desenvolvemos um slogam que trabalhamos um bocado, no convencimento da maioria.

    E o slogam era simplório, tinha que ser, mas forte, tinha que ser também. E ficou assim: “o meu perde, o nosso ganha”.

    Os interesses pessoais tenderiam a perder, os interesses comunitários tenderiam a ganhar, esse foi o trabalho mais político, fora o trabalho de organizar os desejos, os tais sonhos da comunidade, definir isso numa lista de projetos e escrevê-los, colocar tudo num caderno que foi reproduzido, com fotos, exemplos, textos impecáveis com ajuda da Universidade de Montral, enfim. Este caderno foi distribuído e está na mão de cada família da vila. E aqui tem mais um detalhe a ser colocado (**). Mas vamos fechar esse ponto anterior antes deste outro.

    A turma “do lado de lá” querida defender que as terras que tinham se adonado eram deles, que o tal Parque Nacional não poderia dizer que agora, 30 anos depois de ausente, seria terra da União. Há inúmeros casos assim, áreas de conflito entre posseiros e áreas públicas, em especial, no caso em questão, em área de Parque Nacional.

    E aí essa turma bateu de frente com o Parque Nacional, com o ICMBio, Instituto Chico Mendes que hoje administra os parques. E o ICMBio, como boa parte das instituições públicas, tratou o assunto com a delicadeza de um elefante numa loja de cristais. Passou a tratar toda a comunidade como esse grupo, como se todos fossem a mesma coisa e tivessem os mesmos interesses. Como disse lá em cima, nada colocado em papel, nada por escrito, tudo num disse que disse danado, tudo mal amarrado, sem chances para a maioria sair com seus interesses bem defendidos.

    Estive no ICMBio, com os gestores, expliquei que poderia tentar ajudar, tentar organizar a comunidade, antes de fazer o trabalho. À essa altura do jogo achei que iria algumas poucas vezes e faria o que achava que poderia fazer. Ledo engano. O gestor do ICMBio, arrogante, concordou em esperar o resultado do meu trabalho. E comecei, fiz uma primeira reunião na Associação de Moradores, preparei um Power Point lembrando a todos sua própria História, colecionei um monte de fotos de fotógrafos que registraram as lutas nos anos 70/80 passados, falando que somente a união deles, como tinha havido àquela época, poderia gerar um resultado melhor para a maioria, enfim, fiz o dever de casa. Foi bom. Muito bom. Nessa primeira reunião, sede de Associação lotada, aplausos pra caramba, todo mundo animado etc.

    No outro dia… já pensando no que fazer à frente, na organização do plano pra negociação com o Parque Nacional, fui pescar com meus parceiros. Minha pesca é sair de manhã com uns 30 kg de isca e voltar no fim da tarde, de barco. Foi o que aconteceu. Na chegada na praia um burburim danado, gente chorando, a vila em comoção. Souberam que tinha um monte de Polícia Federal na cidade, com máquinas, que no outro dia chegariam na comunidade para derrubar os bares construídos na tal área de conflito. Cabe ressaltar que, depois da reunião do dia anterior, troquei mensagens pelo celular com o tal gestor do ICMBio, disse que tinha sido ótimo, o cara me responde: “que bom, conte conosco!”. Até hoje tenho o mesmo celular, o mesmo iPhone e a mesma mensagem armazenada.

    Cheguei da pescaria, falei com um bocado de gente, todo mundo na praia, depois na padaria, no bar, enfim, até que tomei meu banho, pensei um bocado e liguei pro gestor, já sabendo o que ia falar, já com minha posição decidida e combinada com meus amigos e a turma que estava do meu lado, sabendo e apoiando o que tinha me proposto a fazer. Falei com o cara por celular, disse que toda a vila já sabia das tropas na cidade, e pedi que ele cancelasse a operação, que me desse mais um tempo para terminar o que tinha mal começado. O cara me disse: “agora não dá mais pra parar, os parceiros estão acionados”. Canalhice total. O cara tinha combinado uma coisa comigo e outra com “seus parceiros”, a PF, a PM, as máquinas, o INEA (meio ambiente RJ) etc. Não deu outra. Disse pra ele: infelizmente você me obriga a ficar contra vocês e junto com a comunidade. Desliguei.

    A turma do prefeito, enfim, a turma que eu não defendia, sem eu saber, montou barricada na única estrada de acesso, encheu de óleo, ladeira forte, um fuzuê do caramba que eu não organizei, nem mesmo sabia que fariam. E fizeram de madrugada.

    No outro dia de manhã fui lá ver a confusão, tentar ajudar. No meio do caminho liguei para uma amiga comum, que é amiga do tal gestor do ICMBio, pedi para ela pedir pra ele que não houvesse agressão etc. Fiz o que consegui fazer. E o pau só não comeu por uma questão de milímetro. Colocaram fogo nas barricadas, comunidade de um lado, polícia do outro, polícia federal, uns 10 agentes, acho eu, mal organizado, a PM não chegou na hora e os caras com as retroescavadeiras deram com as barricadas, ficaram putos, queriam prender gente. Enfim, o troço ficou feio.

    Eu mancava um bocado, tinha quebrado a perna num tombo de moto, tornozelo enfaixado e mancando, e andando de um lado pro outro, hora falando com os polícias federais, hora falando com a comunidade, clima tenso pra caramba e eu no deixa disso, o dia inteiro, da manhã até o fim da tarde quando os federais chamaram uma comissão para conversar, do lado deles. A comunidade elencou 4 pessoas e pediram para eu ser mais um, a quinta pessoa. Fui, claro. Fui filmado pelos federais, fotografado, os caras devem ter minha ficha em algum lugar. Pouco me importa.

    A sorte é que o delegado da PF era um cara muito razoável. Muito. Os agentes bem invocadinhos, durante o dia me ofenderam, tipo: “quem é você, cadê seus documentos?”. Falei que estavam na casa onde estava parando: “Vai buscar agora!”. Aí eu falei: “Antes você ligue para o gestor do ICMBio, diga que sou eu quem está aqui tentando acalmar, se isso não se confirmar você pode me prender”. Mas, enfim, no fim do dia, a tal reunião, num posto de polícia militar, os caras do ICMBio bufando pelo fracasso, junto com os caras do INEA, com um tenente e um sargento da PM-RJ que, impressionante, foram os caras que seguraram a onda para não ter porrada e sei lá mais o que aconteceria, o delegado da PF, os tais 4 da comunidade e eu. O delegado da PF que conduziu essa reunião, tensa pra caralho. E disse pra todo mundo falar o que entendia serem suas razões. Todos falaram, todos. Pediram pra eu falar e disse que seria o último a falar. Aí chegou minha vez. Contei exatamente o que tinha acontecido, minha reunião no ICMBio, meu compromisso em tentar ajudar, os caiçaras sabiam que tinha havido essa reunião, nessa hora se você lidar com mentira se ferra, falei tudo, e que no dia anterior, chegando da pesca, bla bla bla, e peguei meu celular, estava sentado do lado do delegado da PF, e mostrei a tal mensagem do cara do ICMBio, pra provar o que estava falando. Pronto, aí o cara enfureceu, o do ICMBio. E eu o acalmei dizendo: cara, eu só estou mostrando o que nós combinados, não foi? Está aqui, ó, e mostrei o celular pra todos, de longe, o delegado da PF já tinha visto.

    Esse tal delegado, nem sei seu nome, uns 38 anos, terminou dizendo que o que a comunidade tinha feito era ilegal, que ele além de delegado era um advogado, enfim, sem alterar a voz, sem dar uma de fodão, sem ameaçar ninguém, muito educado. E a reunião terminou assim. Resultado: deram os tais dois meses para que a comunidade produzisse seu plano.

    Foi uma correria do cacete fazer o plano, alinhavar a comunidade, mas na data exata marcada, aí sim, o presidente da Associação falou do processo e pediu que eu apresentasse o plano.

    Quando terminei, foi bem legal, houve aplauso até da turma do ICMBio. Até hoje não me dou muito bem com esse tal gestor. Nem acho que seja possível mais. Mas o cara me respeita, sim. Nesse dia da apresentação, depois do plano exposto, ele iniciou dizendo que não tinha entendido minha postura de ficar do lado da comunidade naquele dia do quiprocó, mas que agora fazia sentido blá blá blá.

    Logo depois meus amigos de lá me mandaram um recado. Era pra eu não aparecer por uns tempos. Souberam que os grileiros estavam muito exaltados. E nessa cidade, morrer por questão de terras é bem fácil. Não só não quero morrer assim como acho que tudo tem seu tempo, sua maturação, seus arranjos, como madeira de obra que trabalha, geme, empena e se acomoda, fiquei um tempo sem ir, sem pescar, telefonando pros amigos. Uns 4 meses sem aparecer, nesse meio tempo houve as eleições, governo trocado, acomodação, a turma que falei acima assumiu, o prefeito novo apareceu, a água foi resolvida e agora a prioridade é o esgoto. Ah, e a comunidade arrumou uma área enorme e passou a explorar o estacionamento da vila pros turistas, o faturamento vai pra associação, tenho acesso a contabilidade. Antes? Era dos grileiros…

    (**) O detalhe lá de cima. Um outro trabalho que fizemos, importante pra caralho, no meu entender. Equilibrar as expectavivas, não gerar maiores que as possíveis. Fiz isso usando uma analogia, com um casal novo, recém casado, que gostaria de ter uma casa com varanda pra seu fim de vida, sentado na cadeira e olhando o mar. Primeiro trabalha anos pra comprar o terreno, depois outros anos para fazer uma cozinha boa com um banheiro, depois um quarto, depois outro, anos e anos, com um projeto na mão, mas fazendo cada ano, cada dinheiro economizado, um pouco da casa dos sonhos pensada lá atrás. Naquele momento, a comunidade era o casal, que tinha que trabalhar para o primeiro passo, o terreno. Não fizesse isso hoje todos estariam putos com o plano dizendo que tinham sido enganados. Agora tem terreno, tem água, daqui a pouco terão esgoto, mais à frente escola nova (a antiga já teve uma reforma boa, mas não tem espaço adequado, tem que ter outra, centro comunitário, praça de esportes, mini rodoviária. Tomara, oxalá, espero muito que sim, este se torne um caso de sucesso onde uma comunidade tradicional manteve suas terras e desenvolverá um ponto turístico de primeira. Vai demorar um bom tempo. Mas tem plano, sim.

  170. Marcelo said

    Mas voltando ao tema do blog, após assistir ontem a Graciosa e hoje o bode expiatório manso, o Cerveró, eu chego à seguinte conclusão;

    O negócio da compra era um bom negócio que se transformou em mau negócio posteriormente

    Se os dois estiverem falando a verdade …a única que está errada hoje é a Dilma, ao afirmar que cláusulas importantes não foram incluídas. E que se soubesse teria votado contra.

    Cheira a incompetência pura e simplesmente. Mais ainda cagona pois era só repetir os argumentos dos Diretores. Dilma é cagona. Até o lula parece concordar,em privado.

    Put option é normal em sociedades (50%/50%) de grande porte deste tipo e a clausula Marlin era apenas um aspecto negocial tendo em vista os objetivos estratégicos de cada um dos sócios. Compreensível.

    Cerveró mostrou competência ao defender seus pontos de vista. Quem sai mal nessa história, mais uma vez, é a Dilma que acabou acusando-o de omisso e demitindo o Cerveró, apenas agora. 7 anos depois.

  171. Zbigniew said

    A Dilma não tem habilidade política, isso é fato.
    Agora, querer colocar nas suas costas o débito por uma aquisição mal feita, neste caso, por circunstâncias típicas de uma álea (mais um dos efeitos da CAGADA dos neolibs endeusados pelos libs tupiniquins) não prevista pelo Conselho da Petrobrás, é mimimi com objetivo eleitoreiro. Daí a necessidade da CPI exclusiva que a oposição xôxa tanto deseja.

    Ao governo coube o que tinha mesmo que fazer. Bota tudo num balaio só e tome merda no ventilador. O problema é que a mídia oligopolizada se encarrega de potencializar na mente das pessoas (principalmente a classe média coxinha indignada) aquilo que a CPI exclusiva poderia fazer de forma mais efetiva, no sentido de colocar o governo de uma vez por todas contra as cordas. Aqui faz falta um Lula pra virar o jogo e colocar a mídia e a oposição xôxa na defensiva. Isso a Dilma não sabe fazer.

  172. Zbigniew said

    A explicação da Foster no Senado (isso aí a mídia oligopolizada deixou passar em branco):

  173. Marcelo said

    Obrigado Zbigniew por concordar comigo.

    ” A Dilma não tem habilidade política, isso é fato”. Sua opinião.

    Quanto à mídia oligopolizada não ter noticiado, eu discordo.

    Eu tenho minha opinião construídas através da leitura de jornais com compromisso com a verdade. A tal “mídia oligopolizada”.
    E um pouquinho e experiência e inteligência.
    E não de blogueiros amestrados – lojinhas de secos & molhados, como já disse Millor.

    Toda a situação descrita por “Graciosa” e Cerveró confirmam exatamente isso:
    Era um bom negócio que acabou gerando prejuízo.
    Era um negócio vultoso porém estrategicamente interessante, Mesmo perdendo dinheiro a médio prazo. A expectativa de médio prazo não se realizou, Infelizmente.

    Tudo mudou no mercado do petróleo desde 2006.

    Mas a Dilma resolveu subir nos tamancos e dizer que a culpa foi do cegueta e do tal “relatório falho”. Mostrou a bunda sem necessidade. Revelou toda a sua incompetência.
    E para tanto resolveu mandar a Petrobrás demitir agora o cegueta Cerveró. Resolveu escolher um bode expiatório 7 anos depois. Qual é a explicação ?

    ” A Dilma não tem habilidade política, isso é fato”. Na sua opinião.

    Na minha é Dilma além de incompetente que sempre foi , “cagou” agora.
    NÃO ANTES.
    Tomou a decisão adequada às circunstâncias. E as info disponíveis.
    Discutível porém compreensível.
    E continua dizendo que os culpados são os outros que querem destruir a Petrobrás.

    Criou uma tempestade num copo dagua e só está prejudicando o PT

    Na minha opinião…que me desculpem os petistas do pedaço, mas alguém aguenta mais 4 anos desse bate cabeças e atraso?

    Aécio seria melhor? Eduardo Campos? Sei lá!
    mas CHEGA DE DILMA.!

    QUALQUER UM É MELHOR QUE ESTA SENHORA!


    Hipótese: Também cabe lembrar que sempre que alguém tem prejuízo alguém tem lucro.
    O tal negociador da Astra, ex-funcionário da Petrobrás que não me recordo o nome, deve ter ganho uma nota preta …e provavelmente não sozinho (???)

    Deve ter pago a famosa “taxa de sucesso”. Tão comum no mundo das “consultorias” que assombram negócios vultosos de petroleiras e construtoras. E hoje em dia doleiros.

  174. Zbigniew said

    Marcelo,
    com todo o respeito, continuas a reverberar o mimimi eleitoreiro que quer a qualquer custo a CPI exclusiva da Petrobrás. Isto chega a ser pueril por parte da oposição.

    Pasadena foi um negócio que se tornou ruim por circunstâncias alheias à vontade da parte adquirente, no caso, a Petrobrás. E a Dilma com isso? Lógico que ia sobrar pra ela, e ela, neste caso, saiu-se muito mal. Não possui a inteligência política do seu mentir. Agiu como um poste. Mas não se pode exigir de alguém algo que ela não pode dar.

    Quer um bom escândalo? Vai nas relações das empreiteiras com a Petrobrás lá na Abreu e Lima. Tu sabes por que isto não está sendo tão explorado quanto Pasadena? Porque a empreiteira que “come” aqui, “come” acolá também. E ninguém quer perder “doação” de empreiteiro, seja do governo, seja da oposição.

    Pasadena é diversionismo pra alimentar pauta que não vai dar em nada. Pra nada, por nada. É feito a AP 470 em relação à jurisprudência pátria.

  175. Chesterton said

    Zbgw$%¨&, você deve receber uma boa grana para defender esta turma…

  176. Marcelo said

    Zbigniew

    Com exceção do mantra do mensalão petista de Zé Dirceu et caterva, com o qual eu não concordo, eu também acho que a cagada é sim na Abreu de Lima e de outras tantos malfeitos ainda não investigados pela Policia Federal. E para não desmentir ninguém apoio integralmente seu parágrafo abaixo copiado:

    “Pasadena foi um negócio que se tornou ruim por circunstâncias alheias à vontade da parte adquirente, no caso, a Petrobrás. E a Dilma com isso? Lógico que ia sobrar pra ela, e ela, neste caso, saiu-se muito mal. Não possui a inteligência política do seu mentir. Agiu como um poste. Mas não se pode exigir de alguém algo que ela não pode dar*.

    A isto chamamos de lapso lingual …querer dizer “mentor” e escrever “mentir”. O inconsciente o traiu.Palavras tem sentido sim.

    Afinal todos sabem quem é que voa nas asas da Odebrecht fazendo palestras pelo mundo afora prospectando mirabolantes negócios. A Abreu de Lima tem as mãos sujas de Lula, da Dilma e de outros sacanas mentirosos afins. Inclusive Renan e Temer da Operação Castelo de Areia.

    Por exemplo: vc acredita que a Alston e a Siemens corromperam “apenas” dirigentes do Metro de Sampa? E Belo Horizonte e Porto Alegre ( além do DF). E a Eletrobrás Brasil afora, como fica???

    Isso é 100 vezes maior do que o mensalinho do Zé, o inocente e seu chefe “mentir”, como vc o chama.

    Dilma é apenas cagona! Um poste parado no meio do caminho do Brasil.

  177. Marcelo said

    New York Times, Brazil Tracks From Boom to Rust

    http://nyti.ms/Re9qs1

  178. Zbigniew said

    “Lapso lingual”(sic)?
    Não, amigo. Foi o corretor ortográfico, mesmo.

    Olha, o Brasil tem um sistema político que privilegia as relações patrimoniais como centrais dos seus negócios. Por isso a força dos lobbies. Aliás, com um pouco de História na cabeça dá pra perceber que a nossa tradição não mudou muito desde as Capitanias Hereditárias e a Política dos Governadores, só que agora difusa por todos os âmbitos da República, de cima a baixo. E sob o manto da hipocrisia que é a faceta mais detestável de tudo isso. E a mídia tem um papel relevante na manutenção desse status quo. Nunca tivemos um projeto de nação que pensasse o país como um todo. Não tivemos uma elite capaz de atuar nesses parâmetros. Nunca foi a nossa praia.

    Quanto à Dilma ela é inábil politicamente. Não é desonesta, tampouco incompetente como querem propagar vcs da oposição xôxa, tão ruim que dá dó. Na verdade a Dilma é sim uma gerentona, mas não pode exercer este cargo na posição que ocupa. De qualquer modo, sob um outro ponto de vista, até que se saiu bem durante esse primeiro mandato, colocando-se numa posição mais conciliadora e menos pró-ativa em face dos desmandos praticados pelos seus aliados. Foi sim mais reativa, o que explica a incapacidade de romper com séculos de leniência com a corrupção nas estruturas responsáveis pelo trato com a coisa pública. Isso vai ficar pra mais à frente, quando a educação no país estiver mais desenvolvida, embora reconheçamos que foi nos governos petistas que ocorreram os maiores investimentos nessa área. Aqui dá pra se perceber o “start” que os governos tucanos sempre procuraram adiar, corrompidos que foram pela lógica de mercado. Na verdade até hoje são vassalos dessa lógica. Vide o discurso desbotado do Aecim.

    Ah, e só um adendo: ainda sobre escândalos e falando de hipocrisias. É bom que se rompa mesmo com esse acordo tácito de “não-revanchismo” aceito pelo PT quando alcançou o poder (o que deveria ter sido feito, ainda que a conta-gotas durante esses doze anos), e se comece a investigar o processo de privatização operado pelos tucanos e que (só dizem) teria desviado um montante próximo aí de mais de 11% do PIB brasileiro. O PT paga o preço, não só da governabilidade, mas da capacidade de manter o poder sem correr riscos de confrontos de que poderiam levar a uma ruptura institucional. Para isso acovardou-se e acomodou-se ao sistema. Se foi melhor assim? Só o tempo e o devido distanciamento histórico, talvez, possam revelar.

  179. Patriarca da Paciência said

    http://www1.folha.uol.com.br/fsp/poder/161816-pedido-para-rastrear-dirceu-atinge-ate-stf-e-congresso.shtml

    Pois então, até a Folha já está achando que os procedimentos em relação ao tal processo “mensalão” são insólitos.

    Eu venha dizendo, faz um bom tempo, que tal que esse processo é surrealista e é uma concretização das previsões mais sombrias de Kafka.

  180. Olá!

    Elias,

    [. . .] [N]inguém foi processado por causa dos 3 casos de corrupção que eu citei. E só um deles — o do Banco Nacional — dá mais de mil mensalões.”

    Você está fugindo do assunto principal que foi levantado por você mesmo, isto é, a ausência de certos comentaristas deste site quando o Pax posta algum caso de corrupção dos tucanos/direita.

    Tendo essa sua acusação como base, afirmei que não tenho a menor vontade de defender políticos corruptos, que os canalhas sejam punidos com o máximo rigor existente nas leis e que nunca dependi da vontade deles para obter o que fosse.

    Logo em seguida, chamei a atenção para um fenômeno curioso que acontece aqui no site do Pax (e em outros lugares também): Quando a corrupção é dos tucanos/direita, não aparece uma vivalma sequer para defender a canalha. Agora, quando a corrupção é do PT, vem uma enxurrada de defesas usando os argumentos mais esdrúxulos possíveis para aliviar a barra da bandidagem petista.

    Para embasar esse meu argumento, usei a época do julgamento do Mensalão, momento em que a ala esquerdo-comissionada deste site atingiu seu ponto mais baixo quando defendeu furiosamente bandidos do dinheiro público, os mensaleiros.

    Além desse exemplo, utilizei outros dois casos em que há militantes/simpatizantes petistas defendendo bandidos do PT. O primeiro foi o de um militante fascista do PT que perseguiu o ministro do STF Joaquim Barbosa, fazendo a este um monte de acusações infundadas. O segundo foi o do ator global José de Abreu que fez, no Twitter, uma defesa apaixonada do mensaleiro José Dirceu.

    Não lembro de coisas assim serem feitas em prol dos bandidos da oposição. Quando o Arruda e o Demóstenes Torres foram pegos praticando bandidagem, não lembro de ninguém fazendo por eles o que alguns daqui (e alhures) fizeram/fazem pelos bandidos petistas, a exemplo dos mensaleiros.

    Como você, Elias, não tem uma maneira de contra-argumentar tudo isso, você foge pela tangente, vai buscar casos de impunidade de 15 ou 20 anos atrás para traçar um falso paralelo com exemplos mais recentes de corrupção.

    Um paralelo mais intelectualmente honesto seria entre André Vargas e Demóstenes Torres/Arruda. Os Mensaleiros são incomparáveis na história recente da corrupção brasileira, pois o que eles fizeram é um quase-golpe de Estado. O interessante nisso é que apenas quando há um bandido petista envolvido é que aparecem pessoas dispostas a defendê-los.

    “E não diz que não apareceu nenhum direitopata pra defender os caras neste blog…”

    Se você quiser realmente provar essa sua hipótese, você terá que mostrar exemplos em que pessoas deste blog defenderam o pessoal do Banco Nacional, a galera do SIVAM e os políticos envolvidos na emenda da reeleição.

    Até!

    Marcelo

  181. Olá!

    Elias,

    [. . .] Não consegues ter uma ideia original?
    [. . .]
    E, agora, ainda deste pra me copiar…”

    Negativo, Elias. Apenas peguei uma construção frasal extremamente medíocre que você fez e a transformei em uma obra de arte. Aposto que você não tinha noção da existência do termo cleptoparasitismo.

    “É impróprio que tu fales de ‘inteligência de uma anta’.”

    Primeiro você escreve um troço desses e, logo em seguida, escreve uma barbaridade destas:

    “Por falar em argumentar mal… Quando foi, mesmo, que a Vale deu prejuízo e o governo federal teve que cobrir o buraco com recursos públicos?”

    Ah, mas claro! Inteligente mesmo é quem acredita nos balanços contábeis de uma ditadura militar, sem transparência quanto ao uso do dinheiro público e coisas tais.

    Além do mais, já expliquei essa questão em outros comentários (aqui, aqui e aqui).

    O último link é o mais elucidativo de todos e mostra muito bem como a ingerência, incompetência e corrupção do governo geravam rombos na Vale (e em outras estatais), que, nos idos de 1970-1980, eram cobertos via inflação e/ou via dinheiro público.

    Até!

    Marcelo

  182. Olá!

    Elias,

    “Quem se dá ao trabalho de ler as caixas de comentário deste blog, já sacou que, de todos os comentaristas do PolíticAética, tu és o que menos sabe argumentar.

    És repetitivo… Tens péssima construção frasal… Enfim, és o tipo do cara chato… Aquele tipo de babaca que faz a mulher bocejar em plena função…”

    Hehehehehehe. . . Em vez de você rebater o que coloquei no meu comentário #57, você vem me xingar de “babaca” e fazer ilações sobre a minha vida íntima. Que decadente, Elias.

    Elias, traga argumentos e deixe a minha piroca em paz. A última coisa que precisamos por aqui é de um Fiscal de Pirocas. Aliás, na próxima administração petista aí do seu estado, poderiam criar o cargo de Fiscal de Pirocas. Seria, obviamente, um cargo comissionado a ser ocupado por pessoas que possuem experiência na administração pública e que se preocupam demasiadamente com a piroca alheia.

    Até!

    Marcelo

  183. Guatambu said

    Pax,

    Achei muito interessante o trabalho que você fez, de verdade. Ainda bem que correu tudo bem pra você e para a comunidade.

    Eu sempre gostei de ajudar, mas não sou bom de ser ouvido, então nunca consegui ultrapassar essa barreira para poder mobilizar quem quer que seja.

    Mas, para não ser repetitivo, em vez de tentar relembrar meu ponto, vou falar de um jeito diferente:

    Nós não temos uma estatística, não sabemos quantos Pax existem por aí, altruístas e com boa vontade, para fazer esse trabalho. Reitero: é um trabalho!

    Para cada Pax, vc acha que existam quantos outros babando para arrematar uns trocados para sua suja e fedorenta cueca?

  184. Pax said

    Caro Guatambu,

    Nem tanto à Terra nem tanto ao Mar. Conheço um bocado de gente voluntária que trabalha para os outros, para o social, para o Meio Ambiente, pra um monte de coisas. O ser humano não é tão ruim assim. Eu nunca fiz, mas imagino a alegria que um idoso abandonado numa casa de repouso teria se recebesse uma única visita que o ouvisse por meia hora que fosse, alguma história de sua vida.

    Parece coisa de bobão. Não é.

    De outro lado concordo contigo. Muitas, inúmeras, ONG acabaram virando método de desviar dinheiro. Uma pena.

  185. Olá!

    Pax, muito obrigado pelos elogios que você fez à minha singela pessoa no seu comentário #94. Fico lisonjeado sobretudo porque tenho você em grande conta e igualmente lhe considero uma pessoa inteligente; um esquerdista realmente civilizado (e admito isso sem nenhum tipo de ironias), um social democrata de verdade, muito diferente de uns e outros por aí que se dizem social-democratas, mas que, na realidade, são é bolivarianos.

    Pax, quando ao radicalismo, eu procuro evitar esse tipo de atitude. Quando chamei o seu amigo Idelber de idiota, o fiz tendo como base uma contradição visível dele: Ele se diz defensor da laicidade do Estado e dos direitos dos homossexuais ao mesmo tempo em que dá as boas vindas a um presidente de uma teocracia islâmica que extermina homossexuais em praça pública.

    Isso é hipocrisia demais, Pax. É um nível muito elevado de desonestidade intelectual.

    Mais dois exemplos da idiotice do Idelber.

    01. Este post extremamente ufanista sobre a Petrobras e como os tucanos/direita tentaram privatizar essa estatal que apenas dá orgulhos ao país. Excerto:

    “[. . .] As diatribes se repetem com tremenda virulência: E essa roubalheira na Petrobras?, e esse cabide de empregos da Petrobras?, e por que a gasolina não é mais barata? Um dos presentes aproveita uma brecha e lança a pergunta: pessoal, qual era o valor de mercado da Petrobras em 2002 e qual é o valor dela hoje? Silêncio sepulcral. Não tinham sequer um número para chutar. Sentindo que havia encaixado um jab, o visitante incômodo lança mais uma pergunta: pessoal, como se chama mesmo o presidente da Petrobras? Outro silêncio desconfortável de uns 20 segundos. Com duas simples perguntas, desnudava-se a ignorância da República Morumbi-Leblon-Belvedere, eterna repetidora dos factoides Globo-Veja. O visitante incômodo decide não tripudiar e deixa que o silêncio faça seu trabalho.”

    Esse post do Idioelber é de maio de 2009. Enquanto ele colocava em prática esse nacionalismo ufanista do pior tipo, a bandidagem na Petrobras rolava solta. O Caso Pasadena já estava a pleno vapor, sem dizer os bilhões envolvidos em outras maracutaias como a Operação Lava-a-Jato e os R$ 90 bilhões sem licitação. E o idiota vem falar de “República Morumbi-Leblon-Belvedere”, complô “Globo-Veja” e coisas tais. Aliás, foi um jornalista das Organizações Globo que revelou a maracutaia de Pasadena.

    02. Os tweets dele sobre a Venezuela. Entre todos esses tweets, este daqui é o mais interessante. Bom, o resto é história.

    Mas, enfim. . .

    Até!

    Marcelo

  186. Guatambu said

    Voltando ao tema:

    http://www1.folha.uol.com.br/poder/2014/04/1441850-petrobras-puniu-gerente-que-se-opos-a-fraude-afirma-viuva.shtml

    Imaginem quantos Gésios devem existir na Petrobras…

    Que coisa horrorosa.

    O Elias diz que o funcionário público que vê corrupção tem que denunciar.

    Este aí denunciou…

    Agora vemos o que acontece quando se denuncia.

  187. Pax said

    Caramba, essa notícia da Folha sobre o tal engenheiro Gesio Rangel de Andrade deve ser apurada o máximo possível! Obrigado pelo link, caro Guatambu.

    (enrolado pacas aqui, e isso vai permanecer por uns bons dias… por favor, toquem o barco)

    *** LINK_PADRÃO_DILMA

    >>> hoje passei umas 2 horas para pagar 2 tributos. Tributos federais. Guias de recolhimento. Meu link caiu umas 15 vezes. A gente fica incomodado, muito, algumas das vezes já tinha dado o no site e o troço trava. Você tem que entrar de novo, ver se a transação foi executada ou não, pelo teu extrato, fazer de novo, o link cai de novo, enfim.

    >>> aí você se lembra que o ministro das telecom é o Paulo Bernardo, e se lembra que viu notícia, várias, que o tal André Vargas, ligado ao doleiro Alberto Youssef, enrolados um bocado nessa tal Operação Lava a Jato, teve o deputado participando de suas campanhas, todos de Londrina, PR. Aí você se lembra que desenvolveu uma hashtag boa, a #CONEXÃO_LONDRINA.

    >>>> aí você descarrega tua raiva relatando isso em todos os lugares públicos que tem direito.

    >>>>>>>>> confesso que dá uma certa aliviada, muito pouco, mas dá <<<<<<<<<<<<<<<<<

    (ps.: tive que pedir para alguém de casa ir até o banco pagar um dos tributos, um deu certo, o outro… não — e isso, meus amigos, é fato)

  188. Marcelo said

    #178 Zbigniew

    “Lapso lingual”(sic)?
    Não, amigo. Foi o corretor ortográfico, mesmo.

    Companheiro se vc aplica o corretor ortográfico e ele transforma “mentor” em “mentir” fico a imaginar o que resultaria se vc aplicasse um “corretor” – tipo detector de mentiras no resto do texto desse comentário…

    Sobraria alguma coisa?

    Pena que não possamos aplicar um corretor de besteiras nos discursos da Dilma.
    Este vídeo é uma amostra antológica das inúmeras besteiras que ela fala sem teleprompter ou discurso escrito pelo J.Santana.

    Mas em uma coisa concordamos plenamente Dilma está acima do seu nível de competência!

    Fico aterrorizado só de pensar na hipótese de termos que aguentar mais 4 anos de besteirol.

  189. Marcelo said

    Líderes do PT defendem a renúncia
    de Vargas ao mandato de deputado (FSP)

    “Tem gente no PT disposta a fazer uma vaquinha para convencer André Vargas a renunciar.”(Tuty

    Se o cara não renunciar, o PT poderia fazer como o DEM fez no caso do Demóstenes Torres…expulsá-lo do partido.

    Mas acontece que tem gente poderosa com o rabo preso nesta historia…O Padilha, o marido da Gleisi e ela própria, na tal #CONEXÃO_LONDRINA, entre outros

  190. Marcelo said

    Pax

    E o Requião também faz parte da conexão?

    Veja porque:

    O que vc acha?

  191. Chesterton said

    THURSDAY, APRIL 17, 2014

    Brasil Estagnado: Trabalhadores Incapazes e Improdutivos, Gerentes Analfabetos
    Dilma desvia o jabá da The Economist para os blogueiros progreçistas e dá nisso, The Economist publica um artigo falando a verdade sobre o Brasil, mostrando que se trata de uma roubada sideral: Few cultures offer a better recipe for enjoying life. But the notion of opportunity cost seems lost on most Brazilians. Apart from a brief spurt in the 1960s and 1970s, output per worker has either slipped or stagnated over the past half century, in contrast to most other big emerging economies (see chart). Total-factor productivity, which gauges the efficiency with which both capital and labour are used, is lower now than it was in 1960. Labour productivity accounted for 40% of Brazil’s GDP growth between 1990 and 2012, compared with 91% in China and 67% in India, according to McKinsey, a consultancy. The remainder came from an expansion of the workforce as a result of favourable demography, formalisation and low unemployment. This will slow to 1% a year in the next decade, says Mr Bonelli. If the economy is to grow any faster than its current pace of 2% or so a year, Brazilians will need to become more productive. Economists trot out familiar reasons for the performance. Brazil invests just 2.2% of its GDP in infrastructure, well below the developing-world average of 5.1%. Of the 278,000 patents granted last year by the United States patent office, just 254 went to inventors from Brazil, which accounts for 3% of the world’s output and people. Brazil’s spending on education as a share of GDP has risen to rich-world levels, but quality has not, with pupils among the worst-performing in standardised tests. Mr Watkins complains that his 18-year-old barbecuers have the skills of 14-year-old Americans. Less obviously, many Brazilian companies are unproductive because they are badly managed. John van Reenen of the London School of Economics found that although its best firms are just as well run as top-notch American and European ones, Brazil (like China and India) has a long, fat tail of highly inefficient ones.
    POSTED BY SELVA BRASILIS

  192. Chesterton said

    Blogueiros Progreçistas
    Rolou um jabá do governo? Podem apostar que as penas eletrônicas estarão em ação. Conheçam os blogueiros progreçistas, aqueles que lutam diariamente com o dinheiro do contribuinte pelo lulo-petismo: Para contar quem foram os eleitos para a conversa com o ex-presidente, “O Globo a Mais”, revista digital do GLOBO para celulares e tablets, procurou os nove participantes do evento, mas apenas quatro deles aceitaram ser entrevistados: Renato Rovai (Blog do Rovai), Eduardo Guimarães (Blog da Cidadania), Kiko Nogueira (Diário do Centro do Mundo) e Miguel do Rosário (Cafezinho).Fernando Brito (Tijolaço), Marco Weissheimer (RS Urgente), Rodrigo Vianna (Escrevinhador) e Conceição Lemes (Viomundo) se negaram a falar, mas publicaram em seus blogs críticas à reportagem antes mesmo de sua publicação. Já Altamiro Borges (Blog do Miro) não respondeu aos contatos.A entrevista coletiva, definida por Eduardo Guimarães como “uma conversa entre camaradas”, repete os moldes do encontro com Lula em 2010. Na ocasião, o então presidente recebeu dez blogueiros para entrevista no Palácio do Planalto. Quatro dos nove blogueiros da semana passada estiveram no encontro em Brasília: Borges, Rovai, Vianna e Guimarães.
    POSTED BY SELVA BRASILIS AT 3:49 PM

  193. Chesterton said

    O cientista político C. Gurr, em seu livro “Conflito Político” ( Ed. UnB), relata que, aparentemente, o que causa “revolta de uma classe social com outra” é a discrepância que um grupo sente diante dos outros ( “eu não tenho nada e eles têm demais”).
    Isto explica, pelo menos em parte, porque o Brasil tem pouca “revolta social” ( aqui a revolta é canalizada para a briga de futebol ). Nós temos poucos empresários inovadores, poucos inventores, pouca ciência e tecnologia e, consequentemente, relativamente poucos milionários. No hemisfério norte a obsessividade intelectual é estimulada, aqui é ridicularizada, discriminada, até punida. A burrice aqui é valorizada, Valeska Popozuda é nossa “filósofa”, Neymar e Pelé são os nossos gênios. Entre nós, os “ricos” são ricos não por causa de méritos intelectuais, mas por causa de suas relações privilegiadas com os Governos, seja como empregados do Governo ( a “classe alta” em peso é funcionária do Governo ) , seja como “beneficiados” do Governo, p.ex., Eike Batista, Júnior Friboi, “Lulinha da Oi”, fabricantes de carro do sudeste, usineiros do nordeste, plantadores de soja do centro-oeste, etc.
    Quem é “inteligente” no Brasil não quer, como Jobs, Gates, Thomas Alva Edson, criar uma invenção milionária, quer é entrar para o Tribunal de Contas da União ( aquele que “fiscalizou” a Petrobrás ). Com isto não temos muitos “grandes milionários” como no hemisfério norte ( lá a obsessividade intelectual, a inteligência, vira riqueza ). Com poucos “ricaços”, temos pouca inveja das “classes superiores”, temos menos gente a quem invejar. Com poucos ricaços ( relativamente ), o dinheiro circula também de modo mais “igual” pelo país, não está concentrado demais na mão de uns em detrimento da pobreza de baixo ( como na Índia, p.ex., onde este desnível é “acalmado” pela resignação imposta pelo sistema de castas sociais ). No Brasil, portanto, o dinheiro circula “mais igual” ( “compramos as mesmas coisas” ), e entre mais “iguais” ( temos relativamente “poucos maiores que nós”). Nossa “cordialidade” também diminui as diferenças sociais : como o patrão “trata bem” a empregada doméstica, aqui a plebe sente-se menos diferente da nobreza.
    A Índia, onde a inteligência é cultivada por algumas castas, gera muito mais ciência e tecnologia que o Brasil. Consequentemente, mais ricaços, e muito maiores discrepâncias sociais; isto só não degenera em lutas de classes porque lá as classes são “amansadas” pela religião que incute nas mentes que “o sistema de casta é justo”. O Brasil não padece deste problema porque por aqui, onde a inteligência não é cultivada, não há este problema de “castas de inovadores-cientistas-empreendedores-ricaços”. Os poucos que se arvoram em mostrar a inteligência-empreendedorismo, o Governo – sobretudo este que aí está, esquerdista – se prontifica em destruí-los, seja em forma de impostos, seja em forma de exigências, seja em forma de “concorrência desleal”, etc ( p.ex. trazendo falsos-médicos de Cuba para concorrer com os brasileiros ). Os médicos hoje viraram alvo preferencial desta necessária “destruição da Inteligência” no Brasil. Assim como a Sociedade Brasileira- que tem raiva, inveja e medo da inteligência – o objetivo dos Governos Brasileiros, em todos os níveis, não só federal, é destruir este empreendedorismo, esta inteligência, o objetivo é destruir a “desigualdade”, destruir os “que querem ficar ricos”, os que “querem ser diferentes dos outros”, os “que querem estudar mais e trabalhar mais que os outros”. Diz o Governo, ecoando a Sociedade : “Não ! vocês têm de ser burros como todos nós somos”.
    Os cientistas sociais estrangeiros chegam aqui e não entendem muita coisa : como é que um povo com tão poucos recursos é feliz ? Não se revolta ? Vive e se contenta com tão pouco ? Aceita tudo de bico calado ?
    Pois é, aqui basta poder comprar um iogurte que está tudo bem. Com pequenos aumentos na renda, com o poder de “comprar um iogurte”, cala-se a revolta com os mais ricos e com a discrepância. Contenta-se aqui com “muito pouco”, pensam os sociólogos. Somos uma sociedade “socializada pela burrice”. Estamos em paz, estamos “salvos” pela burrice.
    …………………………………….
    Marcelo Caixeta, médico

  194. Patriarca da Paciência said

    Fernando Brito
    “O artigo de Eliane Cantanhede hoje, na Folha, quase suplicando que o Ministro Joaquim Barbosa cumpra a lei e execute a pena dada ao ex-ministro José Dirceu tal como ela foi decidida: em regime semiaberto e não em reclusão absoluta, como vem sendo há seis meses (!), não é, infelizmente um espírito pascoal que tenha amolecido sua alma dura…

    A própria colunista o entrega, ao final do texto: o que a preocupa é que o comportamento de Joaquim Barbosa já o desqualificou como magistrado equilibrado e como ser humano zeloso da dignidade de seus semelhantes.

    “Não transforme o réu em vítima, Excelência. Até porque isso teria, ou até já tem, o efeito inverso ao que queremos e precisamos.”

    Se efeito que “queremos e precisamos” é o da prisão de quem se corrompa, esperamos para ver as ardentes e apaixonadas colunas da jornalista defendendo-a para os implicados no “trensalão” paulista e aqueles que, pela mesma lógica do “domínio do fato” com a qual se inculpou Dirceu, dirigiram estas operações.

    Ou que ela se refira a Aécio Neves patrocinar, pessoalmente, uma candidatura ao Governo de Minas Gerais de alguém que recebeu um bom dinheiro de Marcos Valério para prestar uma “consultoria jurídica” que não se expressa em um parecer, em uma petição, sequer em uma procuração destas que se manda o modelinho para ser preenchido.

    Está claro, porém, que “o efeito que queremos e precisamos” é o alijamento de Dirceu e de Genoíno porque são quadros políticos capazes de dar espinha vertebral a um partido político que se desmilinguiu organicamente, o PT, ao ponto de este André Vargas, como um pateta, ficar brincando de desgastá-lo com este “renuncio-não renuncio”.

    Esta, talvez, seja a percepção mais nítida que se esteja formando nas pessoas que veem as caretas, as chicanas, os expedientes de que vem se servindo Joaquim Barbosa para “perpetuar” a prisão fechada de Dirceu.

    Barbosa tornou-se “over”. Demais, além da conta.

    Está pondo em risco uma trabalhosa e demorada processo de erosão da imagem da esquerda brasileira.

    Adoraria poder louvar o espírito humano da colunista – e o faço, se houver um decigrama disso em sua motivação – mas na idade em que estou, coelhinho da Páscoa não faz mais parte do meu imaginário.”

  195. Marcelo said

    Pax

    Leia este parágrafo: Ao final colo o link completo do colunista responsável:

    “Bem, se nada disso der certo, e as pesquisas teimaram em mostrar Dilma bem à frente dos outros, restará apenas uma última alternativa para as oposições partidárias-midiático-financeiras: marchar novamente para o Supremo Tribunal Federal e pedir o adiamento das eleições por “falta de clima” _ exatamente o clima de instabilidade que se está querendo criar com os planos relatados acima”.

    Pasme. É do Kostcho. O manso.

    Deve ter tomado um puta esporro na semana passada por ter publicado aquele post da odisseia da filha dele viajando e sofrendo os “serviços aéreos” brasileiros.
    Denegrindo a imagem do governo que é o responsável.
    Aquele que vc indicou, lembra?

    Tenho também uma curiosidade antiga. Alguém possui alguma info a respeito?

    Por que este jornalista foi defenestrado da equipe de Lula ainda no primeiro mandato? Foi incompetência?

    A mim parece que:

    O poder costuma devorar a alma dos grandes repórteres
    Transformou-se num escriba do faraó. Eunuco envelhecido.

    E o fracasso subiu-lhe à cabeça. Infelizmente.

    Fonte: http://noticias.r7.com/blogs/ricardo-kotscho/2014/04/17/nova-pesquisa-vai-aticar-a-guerra-contra-dilma/

  196. Patriarca da Paciência said

    Na sexta-feira da Paixão, o poeta Lula Miranda, colunista do 247, escreve sobre o calvário de José Dirceu, que há mais de cinco meses está encarcerado em regime fechado na Papuda, embora condenado ao semiaberto; “um homem cujo martírio está sendo forjado, também diuturnamente, à margem de sua(s) suposta(s) culpa(s), pelas reiteradas injúrias e injustiças que, tal qual chibatadas ultrajantes, rasgam-lhe a carne e lhe penalizam o espírito”, diz o escritor; “Quanto sangue mais terá que ser servido às feras?”, questiona o poeta; “Renascerá Dirceu como uma espécie de mito que alimentará aqueles que têm fome de esperança, palavra e pão?”; leia a íntegra

    http://www.brasil247.com/pt/247/poder/137101/A-paix%C3%A3o-de-Jos%C3%A9-Dirceu.htm

    Pois é, muita gente já está bem convicta também que José Dirceu é um mártir.

    Mas o patriarcalismo brasileiro, sustentado pelas “forças ocultas internas e externas” sofreu um golpe mortal !

    José Dirceu até poderá ser sacrificado, mas quanto maior for o seu sacrifício, maior será a sua vitória !

  197. Chesterton said

  198. Pax said

    Caro Marcelo,

    Esse teu tipo de tinta, de escrita, é bem conhecido. Ricardo Kotscho é um dos melhores jornalistas que conheço. Erra? Claro. Erra pouco. E bate no governo quando acha que deve bater. E é governista, amigo do Lula, do Dirceu, amigo da cúpula.

    Não achei o artigo dele tão ruim assim. Em síntese ele fala uma enorme verdade que é: a oposição não tem proposta.

    Caro Patriarca,

    Tentar alçar Zé Dirceu a mártir, desculpe-me a absoluta sinceridade, chega a ser patético. Se há equívocos, se há tratamento errado em sua pena, sei lá, que corra atrás de seus direitos de presidiário. Ele não é advogado? Ele não pode pagar um bom advogado? Claro que pode.

    Dirceu comandou um esquema (ok, não vamos chamar de quadrilha porque, segundo a maioria do plenário, o STF entendeu que não se enquadra no tipo) que todos conhecemos. Dinheirama de caixa 2, ajustamento de apoios através dessas benesses financeiras seja lá como for, enfim. A não ser que queiramos dizer que o chefe foi o Genoino, ou o Delúbio, ou o Silvinho. Não bate muito com a realidade. Quem comandava?

    Mas, claro que a turma pode tentar colocar o Dirceu de mártir, é um direito ter esse desejo. Só acho impossível que pegue. A não ser para a militância e simpatizantes mais empedernidos.

    Mesma coisa aconteceu com o Eduardo Azeredo, de tão queridinho do PSDB acabou sendo alçado à presidência do partido depois que todos já sabiam do esquemão que tinha montado em Minas. Agora Azeredo saiu, pediu as contas do contas, em fevereiro renunciou ao mandato de deputado, a justiça (em minúscula) mandou devolver o seu processo para a instância de MG para enterra-lo de vez. Mas… mártir do PSDB? Hum…

    Caro Chesterton,

    Se a oposição ficar nessa que Dilma afunda a Petrobras, você acha que vai ganhar as eleições com essa “plataforma de governo”, com essa “proposta”?

    Acho que não.

    Talvez a oposição ganhe alguma coisa sim, há um cheiro no ar, que é o “volta Lula”. E aí perde de 17 a 1.

    Uma pequena curiosidade: porque a grande mídia não esmiuça a roubalheira tucana com toda a gana que esmiuça a roubalheira petista? Não seria um pouco mais decente?

    Isso quer dizer que eu defendo a roubalheira petista: que nada. Colocaram a bunda de fora, comeram camarão e lagosta estragada e agora a diarréia está aí, exposta.

    Petrobrás é micharia, André Vargas (Lava a Jato) é mais, bem mais. Tudo indica que sim.

  199. Patriarca da Paciência said

    Caro Pax,

    o texto do Lula Miranda é belíssimo e cheio de verdades. Veja só este parágrafo:

    “José Dirceu é apenas um homem, um inequívoco líder carismático de um partido político, cujo pecado capital talvez tenha sido o fato de ser o arquiteto que desenhou a grande catedral petista; um homem culpado, em sua máxima culpa, quem sabe, por ter transformado, juntamente com seus companheiros de geração, um ex-operário e líder sindical em presidente da República; um homem cujo martírio está sendo forjado, também diuturnamente, à margem de sua(s) suposta(s) culpa(s), pelas reiteradas injúrias e injustiças que, tal qual chibatadas ultrajantes, rasgam-lhe a carne e lhe penalizam o espírito. Dirceu foi condenado, e preso, com base num suposto e esdrúxulo “domínio do fato”. Como se não bastasse a condenação, e a consequente prisão, está confinado, como e sabe, há meses, no regime fechado, quando foi condenado ao semiaberto.”

    Essa “estória” de dizer que “O José Dirceu tinha que ser chefe da quadrilha, porque quadrilha tem que ter um chefe”, é o cúmulo do absurdo, conforme as previsões mais sombrias de Kafka. Não há o mínimo dos mínimos embasamento jurídico para tal afirmação.

    Em primeiro lugar o próprio STF já descartou esse negócio de “quadrilha”, então, José Dirceu não poderia ser chefe de uma quadrilha inexistente.

    É um argumento criado pelo Ayres Britto, apresentando uma interpretação totalmente equivocada da física quântica.

    Até hoje, faz quase uma década, não foi apresentada uma única prova cabal sequer que José Dirceu tenha praticado algum crime.

    Agendas ?

    Reuniões ?

    É o cúmulo do absurdo. Qual homem público não tem uma agenda e qual homem público não faz reuniões ?

    Ah ! Mas a ex-mulher de José Dirceu conseguiu financiar um apartamento !

    Caramba ! Esse é o crime de José Dirceu ?

    Ah, mas José Dirceu é um “poderoso chefão”. É mesmo ? Submetido aos caprichos e às vontades de um juiz que transgride todas as regras jurídicas, enquanto Daniel Dantas permanece livre, leve e solto ?

    José Dirceu nunca quis ser mártir, mas sem dúvida nenhuma, o transformaram num grande mártir.

    Já há milhares de pessoas no Brasil pensando a mesma coisa.

  200. Chesterton said

    Pax, e eu lá tenho alguma coisa com a oposição que está aí? A charge é gozada, e relata bem a realidade.

  201. Pax said

    Caro Patriarca,

    o cara diz: “José Dirceu é apenas um homem, um inequívoco líder carismático de um partido político, cujo pecado capital talvez tenha sido o fato de ser o arquiteto que desenhou a grande catedral petista;

    eu pergunto: na tal catedral que o André Vargas é coroinha? que o Paulo Bernardo é Cardeal? que o Silvinho era padre? e assim por diante…

    desculpe-me, caro Patriarca, tá difícil qualquer boa vontade por esses dias.

    Caro Chesterton,

    Sei lá com quem você anda, nem mesmo de que formas preferes teus prazeres, pouco me importa. Só estou dizendo que o que tenho visto é que, de novo, não há qualquer projeto de oposição.

  202. Patriarca da Paciência said

    “o cara diz: “José Dirceu é apenas um homem, um inequívoco líder carismático de um partido político, cujo pecado capital talvez tenha sido o fato de ser o arquiteto que desenhou a grande catedral petista;”

    Caro Pax,

    Que tal esquecer o Vargas ou Silvinho e lembrar dos 40 milhões de brasileiros que saíram da miséria absoluta ?

    Os quase trinta milhões de brasileiros que entraram para a classe média ?

    A estabilidade econômica mantida ?

    Fazer com que o Brasil Passe da 16º economia do mundo para a 7ª ?

    Elevar o valor da Petrobrás de 15 bilhões para 90 bilhões ?

    Das 98% de crianças brasileiras que, atualmente, frequentam a escola ?

    Das centenas de universidades e escolas técnicas ?

    A contabilidade é altamente positiva para o PT.

    E José Dirceu foi um dos principais arquitetos de tudo isso. O patriarcado brasileiro foi ferido de morte e fará de tudo para eliminar o seu principal adversário.

    Acredito que José Dirceu renascerá das cinzas, tal qual um Fênix, totalmente recomposto e renovado.

    E Barbosão irá para o lixo da História.

  203. Chesterton said

    “José Dirceu é apenas um homem, um inequívoco líder carismático de um partido político, cujo pecado capital talvez tenha sido o fato de ser o arquiteto que desenhou a grande catedral petista;

    chest- hahahahahahahaha

  204. Chesterton said

    Pax, quem deve estar torcendo que a Dilma perca é o Elias, pois aí terá chance de recuperar a fortuna que investiu na Petrobras. É só ela cair nas pesquisas que as ações sobem um tiquinho.

  205. Chesterton said

    PT até quando?
    Publicado em abril 18, 2014 por thomazlinoamorim
    Como deixa claro o dito popular, “errar é humano, permanecer no erro é ignorância”. Há mais de uma década no poder o PT está mal, e pior, está mal e recusa-se a assumir seus erros. As medidas econômicas de crescimento a curto prazo já não funcionam mais, a conta bate à porta e o investimento, que nunca foi de dar muito as caras, permanece quieto, calado e mudo. Problemas hoje, problemas para o amanhã.

    Em um ambiente macroeconômico as expectativas dos agentes têm vital importância. Têm o poder de trazer o longo prazo para o presente e, dependendo da situação, adiantando problemas. Como é o caso da inflação. Expectativa de inflação para o futuro aumenta a demanda por moeda hoje. Logo, inflação hoje. Dado que uma das funções da moeda é ser reserva de valor, se creio que no futuro parte do seu valor será corroído, transaciono hoje, demando moeda hoje. Sendo assim, conter as expectativas é de suma importância para manter estabilidade na economia.

    Uma alternativa de manter as expectativas sob controle é contando algumas mentiras. Você pode dizer que está tudo bem enquanto está tudo mal. Se você tiver um background interessante, como Dilma tem o de Lula, afinal, agora as pessoas podem ter geladeira e televisão de plasma, a mentira pode até funcionar. O problema é que a natureza econômica não acredita em mentiras, ela respeita as premissas básicas da economia de que não há almoço grátis, de que é necessário haver poupança para que ocorra investimento e que um Banco Central com credibilidade é o mínimo para se pensar em estabilidade da moeda, entre outros.

    Hoje a verdade bate à porta e as mentiras, assim como as burras políticas econômicas, não estão funcionando mais. IPCA de 0.92 no mês, escândalos da Petrobras e aumento dos impostos para financiar dívida de um governo que não reconhece que errou e teima em continuar errando. Não reconhece porque tem medo. Tem medo de o teatro acabar, medo das pessoas descobrirem que existe algo de errado nesse discurso demagógico de “povo” e de “estado”.

    O que se observa entre os governos de esquerda a redor do mundo é a insistência em querer vender “O Estado”, uma maquina de benevolência, pronta para gastar e alimentar os famintos. Mentira, balela. E pior, além de vender a idéia errada de um suposto “Estado Ideal”, ataca o privado através de um discurso fundamentado no materialismo histórico de Marx, onde os meios de produção definem as classes em um sistema econômico injusto e desigual. Hoje, no Brasil, um empresário ao contratar o trabalhador mediano brasileiro, sem instrução alguma para atender as demandas básicas que sua função exige, pratica caridade e não injustiça. Ao vender a Idéia de um estado bonzinho e de um privado malvado, cria-se por meio de um governo autoritário uma classe muito mais opressora e ineficiente, O Governo. A incoerência reina, mas detendo eles o monopólio das virtudes, uma argumentação inteligente e fundamentada em teoria política e econômica vira agressão, ataque.

    “Ataque político” é como Dilma descreve as criticas à gestão da Petrobras. Mesmo tendo perdido mais da metade de seu valor de mercado nos últimos dois anos, mesmo com as polêmicas em volta da compra da refinaria em Pasadena, mesmo sendo uma das empresas mais endividadas do mundo, a presidente do país tem a coragem de ir a público e dizer que estão tentando acabar com a imagem de uma empresa que “o povo tanto lutou para construir”. Mais uma vez, valendo-se do “povo” para justificar os seus erros de seu governo. Bem sabe ela que a Petrobras foi fundada por um ditador, fascista, que deu um monte de pão e circo para o povo acreditar nas suas boas intenções. Algo bem parecido com o que ela faz hoje. Petrobras não tem nada de “povo”.

    Confesso que tenho medo de onde isso pode parar, caso as eleições de outubro coroem a incompetência desse partido populista mentiroso. Um partido com líderes que não reconhecem os seus erros, um partido que tem mobilizado a máquina pública em favor de seus interesses, que tem colocado em risco a saúde financeira do Brasil. Um dos cases de corrupção com a maior condescendência pública da história, dando sequencia ao estereótipo criado por José Murilo de Carvalho em “Os Bestializados”. Bestializado, o “povo” assiste de camarote os absurdos de Dilma e sua trupe em nome de suas ideologias ultrapassadas e mentirosas.

    Conter expectativas com mentiras tem sido o carro chefe do PT nos últimos doze anos de seu governo e como favas contadas, o discurso seguirá adiante. E assim o será porque é desta forma que eles sabem fazer política. Cabe a nós tirá-los de lá.

    http://gustibusgustibus.wordpress.com/2014/04/18/pt-ate-quando/

  206. Chesterton said

    xiiiiii

    http://cristinabenevides.wordpress.com/2013/12/17/urgente-ppodridao-enviem-pelo-amor-que-temos-pelo-brasil-esta-mensagem-para-o-maior-numero-de-pessoas-possivel-salvem-o-nosso-brasil/

  207. Chesterton said

    qual o projeto do PT?

    [IMG]http://i.imgur.com/i8dXnB1.png[/IMG]

  208. Chesterton said

    Quando a rede de proteção básica vira um substituto ao trabalho…
    Liberais podem tolerar ou até defender uma rede de proteção básica estatal, cientes de que alguns ficam muito para trás em um ambiente competitivo de livre mercado. A ressalva que fazem é que tal rede precisa ser realmente básica, sempre temporária, e de preferência descentralizada.

    Ou seja, os governos locais manteriam programas de auxílio-desemprego por algum tempo até que os perdedores possam se readaptar às condições de mercado, buscar novas qualificações e voltar a se sustentar por conta própria. Esse seria um modelo que, sem dúvida, muitos liberais estariam de acordo.

    Claro que o estado de bem-estar social não tem mais nada a ver com esse ideal. O welfare state se transformou naquilo que Bastiat já temia no século 19: o estado passou a ser a grande ficção pela qual todos querem viver à custa de todos. Muitos passaram a crer que tinham “direitos” aos montes, e deveres de menos. Acreditaram que recursos nascem em árvores, brotam do solo ou caem do céu. Todo mundo tem direito a uma “vida digna”, e o outro que pague a minha conta…

    Era óbvio que não daria certo, que os gastos públicos aumentariam sem controle, que o fardo para os que realmente trabalham e produzem ficaria insuportável, que o mecanismo de incentivos seria totalmente inadequado. Agora é preciso reformar esse estado de bem-estar social no mundo todo, com medidas liberais, para resgatar aquela ideia de rede de proteção básica e temporária.

    Quem sair na frente nessa mudança impopular, porém necessária, irá despontar, com ganhos de produtividade incríveis. No que depender da consciência do problema e da vontade política (nunca suficiente), a Inglaterra parece bem na foto. Sendo um dos que mais avançaram nesse welfare state equivocado, o país tem um governo que, ao menos no discurso, deseja alterar o quadro. Foi o que disse o ministro das Finanças britânico, George Osborne, em entrevista nas páginas amarelas da Veja esta semana:

    Ihttp://i.imgur.com/clnce66.png

    O melhor programa social que existe é trabalho! Isso, nenhum esquerdista será capaz de negar, a menos que reconheça publicamente que defende o “direito” a uma vida parasitária, acomodada, em que vagabundos podem obrigar os demais a labutar em seu benefício. Alguém disposto a endossar tal ideologia abertamente?

    Portanto, o que se deve buscar é um modelo que incentive não o parasita, mas aquele que deseja regressar ao mercado de trabalho o mais rápido possível. Sim, o governo pode ajudá-lo no processo, justamente com uma rede de proteção básica, até que ele consiga se reerguer.

    Por isso mesmo deve cobrar, como contrapartida, o esforço na qualificação e um prazo de validade para tal ajuda. Caso contrário, trata-se apenas de mamata, de privilégio indevido, de punir os trabalhadores para sustentar os parasitas. É nisso que o welfare state se transformou. Passou da hora de mudar esse modelo perverso e ineficiente.

    Roberto Carlos

  209. Chesterton said

  210. Pax said

    Caro Patriarca,

    Confesso que está difícil esquecer, pra todos os lados que se olha o método adotado parece bastante malcheiroso. Olhe as agências reguladoras, como um grupo de exemplo crítico. Afora esses caras que enriqueceram às custas do dinheiro do povo.

    Mesmo que eu aceitasse todos teus pontos (e não é verdade – por ex: Educação) nada justifica o clima de patrimonialismo, o aparelhamento e apodrecimento que estamos vendo.

    Só falta dizer que “sempre foi assim”.

    É uma desculpa não só esfarrapada como errada, a capilaridade onde a corrupção se embrenhou parece uma verdadeira metástase. Sinto muito, tá difícil.

  211. Pax said

    Caro Chesterton,

    De quem é esta pérola podre que linkaste em #209?

  212. Chesterton said

    Ministro das finanças da Inglaterra.

  213. Chesterton said

  214. Chesterton said

  215. Chesterton said

  216. Chesterton said

  217. Patriarca da Paciência said

    Do Facebook:

    Demagoga eleitoreira, mentiu pra mim.
    Junto com Lula tirou o Brasil do décimo sexto lugar entre as economias mundiais e trouxe para o sexto lugar, só para ganhar o meu voto.
    Conseguiu o terceiro lugar em reservas cambiais, só para me enganar, ganhar o meu voto.
    Reduziu o desemprego a um dos menores em todos os tempos, e um dos menores do mundo, só pra me roubar o voto.
    Impõe o terceiro lugar no crescimento do PIB, entre todos os países, só pra me sacanear e levar o meu voto.
    Junto com Lula sai semeando universidades Brasil a fora só para me seduzir e levar o meu voto.
    Essa populista, colocando negros nas universidades, pobres nas universidades, aumentando os engarrafamentos porque esses pobretões estão comprando carro, enchendo os aeroportos de pobres, dando Bolsa Família só pra pobre não morrer de fome, importando médicos estrangeiros pra pobre parar de adoecer e morrer.
    Eleitoreira! Quer saber de uma coisa? Eu vou votar na Dilma! E você?
    Francisco Costa
    Rio, 18/04/2014.

  218. Patriarca da Paciência said

    “Mesmo que eu aceitasse todos teus pontos (e não é verdade – por ex: Educação) nada justifica o clima de patrimonialismo, o aparelhamento e apodrecimento que estamos vendo.”

    Caro Pax,

    este é o velho e desgastado discurso da UDN e Lacerda (dos tempos de meu pai). “O Brasil está à beira do abismo”. “Mar de lama, mar de lama”. “A inflação e a corrupção vão acabar com o Brasil”. etc.etc.etc.

    Eu já contei aqui a história da minha mãe. Pois é.

    É claro que o Brasil tem problemas e… muitos. Todos os países os tem. Agora, esse discurso velho e desgastado de “podridão” é o fim da picada !

    O Brasil nunca esteve tão vigoroso. Como disse o presidente da bolsa de valores, “é um boing deslizando na pista com aceleração máxima para decolar. Não há como detê-lo”.

    Podridão ?

    Ora, caro Pax,

    Por todo lado que eu olho, vejo milhares de pessoas saudáveis e esperançosas !

    Então a Igreja Católica vai acabar por causa de alguns padres pedófilos ?

    Os evangélicos vão acabar por causa de alguns pastores desonestos ?

    Os políticos vão acabar por causa de alguns que são corruptos ?

    Acho que todo mundo já está de saco cheio com esses discursos lacerdistas !

    O malfadado Lacerda, aquele que foi para o lixo da História !

  219. Patriarca da Paciência said

    “DONO” DO SITE DE FHC FOGE DO CASO DE LULINHA
    Daniel Graziano, em nome de quem está registrado o site “Observador Político”, do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, já foi intimado três vezes para depor no inquérito criminal que investiga rumores falsos na internet sobre Fábio Luis Lula da Silva, filho do ex-presidente Lula; em nenhuma dela, compareceu; entre as mentiras, a de que “Lulinha” teria comprado uma fazenda de R$ 47 milhões 64

    http://www.brasil247.com/pt/247/poder/137224/Dono-do-site-de-FHC-foge-do-caso-de-Lulinha.htm.

    O Chesterton postou algumas vezes a “notícia” sobre a fazenda do Lulinha, inclusive fotos, que na verdade são de uma universidade agrícola.

    É a verdade vindo à tona.

    Eu mantinha um certo respeito pelo FHC, mas confesso que tenho sido decepcionado constantemente. Primeiro as acusações ridículas sobre o suposto “mensalão”, do PT, quando na verdade o tal suposto “mensalão” do PSDB é muito mais escandaloso e, se alguma vez houve compra de votos de parlamentares, foi na reeleição do FHC.

    Agora ele contrata uma pessoa que faz acusações falsas contra um filho do Lula.

    E o homem já foi intimado três vezes, não compareceu, e ficou por isso mesmo !

  220. Patriarca da Paciência said

    “A apuração, que corre em segredo de Justiça, pretende identificar “os responsáveis pela circulação de boatos” contra ele nas redes sociais – entre os quais de que seria sócio da Friboi e dono de mansões, aviões e grandes áreas de terras, como o terreno onde está instalada a Escola Superior de Agricultura (Esalq), na cidade de Piracicaba.”

    Lembro-me de um post que o Chesterton colocou sobre uns papagaios, falando em espanhol e “discorrendo” sobre a grande fortuna do Lulinha e, inclusive, apareceu uma bela foto da ESALQ, a qual, conforme os papagaios, seria a sede da fazenda do Lulinha.

  221. Patriarca da Paciência said

    Compartilhar é a nossa arma contra a atuação tenebrosa do império midiático… COMPARTILHE as postagens da nossa página Mulheres com Dilma

    A CAPA DO LIVRO É UMA MONTAGEM, FEITA COM RECORTES DE MANCHETES, DE ALGUMAS MATÉRIAS VEICULADAS, NA ÉPOCA. DUAS DESSAS METÉRIAS DÃO IDÉIA DO VERDADEIRO GENOCÍDIO QUE FOI IMPOSTO ÀS NOSSAS CRIANÇAS. CONFIRA:

    • FHC MANDA CORTAR MERENDA ESCOLAR
    • ONDA DO NEOLIBERALISMO INVADE CIDADES
    E MASSACRA CRIANÇAS
    • DESEMPREGO RECORDE ATINGE SÃO PAULO
    • BRASIL DE FHC É CAMPEÃO EM DESIGUALDADE SOCIAL
    • DÍVIDA MOBILIÁRIO DO TESOURO CRESCEU
    60% EM DEZEMBRO
    • DESEMPREGO RECORDE ATINGE SÃO PAULO
    • BRASIL DE FHC É CAMPEÃO EM DESIGUALDADE SOCIAL
    • FHC TEM MEDO DA CPI
    • O GENRO DE FHC ERA HUMORISTA DE
    TELEVISÃO, AGORA MANDA NO PETRÓLEO
    DO BRASIL E NA PETROBRAS

    OBS.: ESCLARECIMENTO SOBRE O LIVRO (antes que digam que saí do PSDB por não ter conseguido me dar bem): são relatos da minha decepção com o PSDB. FHC era ministro do Itamar Franco, e mandou que esquecêssemos o que ele tinha escrito. Saí do partido em meado de 1993. Minhas discordâncias relatadas evidenciam que NUNCA VOTEI NESSE SUJEITO.
    (Ester Neves, ex-psdbista)

    Pois é,

    ex-psdbistas colecionam manchetes de jornais e revistas para acusar seu antigo partido. Ex-petistas colecionam calúnias e difamações.

  222. Patriarca da Paciência said

    http://pocos10.com.br/?p=5565#

  223. Patriarca da Paciência said

    “A trajetória política de José Dirceu teve início em 1965, quando se tornou líder do movimento estudantil e chegou a ser presidente da UNE. Foi preso em 1968, durante o 30º Congresso da UNE, organizado clandestinamente. No ano seguinte foi libertado junto a outros 14 presos políticos, em contrapartida à libertação do embaixador dos EUA Charles Burke Elbrick, sequestrado por corajosos militantes que ousaram pegar em armas para resistir à ditadura militar.

    Banido do país, José Dirceu trabalhou e estudou em Cuba durante o exílio. Destemido, voltou ao Brasil clandestinamente em 1971 e em 1974. Só voltaria à legalidade em 1979, com a anistia política e o início do longo processo de abertura. No ano seguinte, participou ativamente da fundação do PT, partido que logo se tornaria a principal ferramenta de organização política dos trabalhadores brasileiros, diretamente responsável pela fundação da CUT, em 1983, e com forte influência sobre a criação do MST, em 1984.

    Feita a opção política pela luta no campo institucional, José Dirceu disputou as eleições de 1986 e foi eleito deputado estadual pelo PT de São Paulo. Em 1990 elegeu-se deputado federal e em 1994 concorreu ao Governo do Estado, quando recebeu dois milhões de votos. Voltaria a se eleger deputado federal em 1998 e em 2002, com a segunda maior votação do país naquele ano.

    Assumiu a presidência do PT em 1995, sendo reeleito por três vezes, até que se licenciou em 2002 para coordenar a campanha vitoriosa que levaria Lula a se tornar o primeiro operário eleito presidente do Brasil. Com o início do governo, Dirceu assumiu a função de ministro-chefe da Casa Civil da Presidência da República.

    Para que Lula pudesse conduzir o inédito acordo social que permitiu ao Brasil crescer com distribuição de renda, Dirceu carregou o piano da articulação política. Internamente, enquadrou as correntes partidárias e capacitou o PT para enfrentar o jogo pesado da política institucional. No âmbito externo, ajudou o Partido a superar barreiras que poderiam comprometer a governabilidade, forjando pactos com os operadores dos grandes interesses de Estado, com o mercado, com os militares e com a mídia.

    Sua incomum visão do todo e capacidade de aglutinação política, no entanto, logo o transformariam em alvo. Os problemas começaram em 2005, quando o deputado Roberto Jefferson foi acossado por denúncia de corrupção praticada por um de seus indicados nos Correios. Era uma armação do bicheiro Carlinhos Cachoeira, em associação com a revista Veja, que procurava desalojar da estatal o grupo de Jefferson. Mas o então presidente do PTB julgou que a denúncia tinha partido do “superpoderoso” Dirceu. Foi o estopim do conhecido “mensalão”, hoje o sabido “mentirão”, que viria a revelar a hipocrisia política, o uso seletivo das denúncias e o falso moralismo do Judiciário.

    Dirceu foi pré-julgado pela imprensa e sofreu um linchamento midiático sem precedentes, diariamente, em rede nacional. Negou-se a renunciar e teve seu mandato cassado. Transformada em circo midiático com transmissão ao vivo das sessões e massacrante cobertura da imprensa oligopolizada, a Ação Penal 470 (AP470) foi marcada por arbitrariedades e infrações à Constituição. Os réus foram condenados sem direito ao duplo grau de jurisdição e, no caso de Dirceu, sem qualquer prova de envolvimento com ilicitudes. Sem dúvida, foi o mais vexaminoso julgamento de exceção já vivenciado na história do Brasil.

    Em 2013, às vésperas do aniversário da República, o presidente do STF, Joaquim Barbosa, buscou apropriar-se do simbolismo da data e mandou prender José Dirceu e José Genoíno – outro herói da democracia brasileira. Com dinheiro público, Barbosa promoveu deprimente espetáculo ao usar um camburão a jato para transportar os “perigosos meliantes” algemados de São Paulo a Brasília, em pleno feriado nacional. O fez sem aguardar a conclusão do julgamento e, numa clara violação dos direitos dos réus, sem possibilitar à defesa as condições de estabelecer o contraditório, garantia consagrada pela tradição jurídica brasileira.

    Ao cabo, a AP470 evidenciou a primazia da vingança sobre a justiça. O resultado foi muito aplaudido pelos adeptos de torpes mantras como “preto é tudo ladrão” e “bandido bom é bandido morto”. Um pessoal que acha que o Governo “não tem que dar bolsa esmola pra vagabundo”, mesmo sabendo que o Programa Bolsa Família tirou 35 milhões de brasileiros da miséria e reduziu a mortalidade infantil em 17%.

    O recolhimento ao cárcere, no entanto, não impediu que Dirceu e Genoíno continuassem a ser perseguidos. Este cumpre prisão domiciliar fora de seu estado, sem acesso aos meios adequados para tratar a grave cardiopatia que lhe acomete. Enquanto o outro cumpre pena em regime fechado, embora tenha sido condenado ao semiaberto, enfrentando uma série de armadilhas institucionais montadas por Barbosa e pela mídia para lhe impedir o direito de trabalhar fora da penitenciária.

    José Dirceu é odiado, atacado e perseguido por tudo o que representa. Tinha tudo para ser um operador político das elites, mas fez a opção de, por meio de sua militância, ser um instrumento para a chegada do povo ao poder. Em grande medida graças a Dirceu, o PT entrou no jogo para ganhar e fez o que deveria ser feito para chegar ao poder, inverter as prioridades da administração pública e promover a maior transformação social já registrada na história do Brasil. Companheiro Zé Dirceu, saiba que não descansaremos ou nos calaremos enquanto esta grande injustiça não for desfeita.”
    (Deputado pelo PT, Edson Santos, um digno representante dos brasileiros negros)

  224. Chesterton said

    olha a graça, Pax. Depois destes dados pode ter certeza que nunca o país será algo que preste, já há gerações de familias de inuteis improdutivos dependentes de bolsa.

  225. Chesterton said

    mas tu és lerdo mesmo, só agora descobriu Patriarca?

  226. Patriarca da Paciência said

    Chesterton,

    você é movido a jabá ! Tenho quase completa convicção de que teu negócio, em realidade, é negociante de jabá !

  227. Otto said

    Tucanos, tremei. Ele está de volta. O homem que explodiu a falsa virgindade tucana, ao lançar o campeão de vendas Privataria Tucana, Amaury Ribeiro Júnior, afirma que tem documentos que provam que Alberto Yousseff, o doleiro que a mídia hoje só trata como “amigo de André Vargas”, deputado federal do PT, é na verdade uma bomba que pode estourar no colo do PSDB.
    Isso porque as principais negociatas de Yousseff aconteceram durante a era tucana. Uma CPI para investigar Yousseff ou a Petrobrás acabaria, segundo Amaury, em Ricardo Sérgio de Oliveira, ex-diretor do BB, ex-caixa de campanha de Serra.
    Amaury afirma que “quem montou o esquema de propinas na Petrobras foi o Youssef, não no governo do PT, mas no do PSDB”.
    As observações de Amaury nos levam novamente a questão do domínio da narrativa da corrupção pela mídia. Assim como ocorreu com o mensalão, os jornalões conseguem transformar temas que poderiam servir para o Brasil combater antigos esquema de desvios de verba em cruzadas morais que visam exclusivamente desgastar o PT.
    Com isso, os grandes escândalos nacionais: Banestado, privataria, Daniel Dantas, valerioduto, corrupção na Petrobrás, para dar alguns exemplos, são abafados ou manipulados, infelizmente às vezes com ajuda de setores corrompidos do Ministério Público. Procuradores têm o estranho costume de “errar gavetas” quando se trata de investigar escândalos tucanos. Outros se acham no direito de quebrar o sigilo telefônico de Brasília inteira por causa de uma fofoca de jornal, mas não ousam investigar pra valer as tramóias de um José Roberto Arruda, flagrado em vídeo contando dinheiro durante o chamado mensalão do DEM, e que permanece livre, leve e solto e candidato fortíssimo ao governo do Distrito Federal.
    Leiam a matéria de Vasconcelos Quadros, do IG:
    Doleiro ligado a Vargas é tiro no pé do PSDB, diz autor de livro
    Por Vasconcelo Quadros – iG São Paulo | 19/04/2014 06:00
    Alberto Youssef, ligado ao deputado petista André Vargas, já teria operado para Ricardo Sérgio de Oliveira, ex-diretor do BB e ex-caixa de campanha do ex-ministro José Serra
    A empenho de figuras do PSDB para a criação da CPI da Petrobras pode se transformar em um tiro no pé dos próprios tucanos. A observação é do jornalista Amaury Ribeiro Jr, autor de “A Privataria Tucana”, livro que denuncia irregularidades na privatização das teles e um suposto esquema de evasão de divisas para paraísos fiscais durante o governo Fernando Henrique Cardoso.
    O livro traz uma revelação que parece ter sido esquecida pelos tucanos ávidos pela criação da CPI da Petrobras: o doleiro Alberto Youssef, ligado agora ao deputado André Vargas (PT-PR), já teria operado para Ricardo Sérgio de Oliveira, o ex-diretor internacional do Banco do Brasil e ex-caixa de campanha do ex-ministro José Serra, duas vezes candidato derrotado à Presidência.
    “Quem montou o esquema de propinas na Petrobras foi o Youssef, não no governo do PT, mas no do PSDB”, afirma o jornalista. “Ele havia feito a mesma coisa no Caso Banestado”, lembra Amaury. No livro, ele relata que entre 1996 e 1997 o doleiro enviou para Nova York, por meio de uma off-shore, a June International Corporation, US$ 56 milhões descobertos em uma subconta bancária hospedada na Beacon Hill Service Corporation, uma espécie de conta-ônibus no Chase Manhattan (hoje JP Morgan Chase). O dinheiro tinha como destino final uma agência das Ilhas Virgens Britânicas.
    O esquema Banestado alimentou a remessa de US$ 30 bilhões que escoaram através de movimentações pelas CC-5 (Carta Circular nº 5, do Banco Central), criadas para permitir saques e depósitos de estrangeiros em trânsito cuja finalidade foi deturpada. Uma das pontas da imensa rede era operada por Youssef, que utilizava laranjas no Paraguai e no Uruguai para despistar o rastreamento bancário.
    A conta tinha o sugestivo nome de Tucano e, segundo Amaury, era integralmente administrada pelo advogado americano David Spencer, procurador de Ricardo Sérgio de Oliveira. “Está se repetindo agora o mesmo que ocorreu no mensalão: o PT foi procurar um personagem que já operou para o PSDB”, diz Amaury. Ou seja: o Youssef, segundo o jornalista, é o Marcos Valério da Petrobras, uma segunda herança tucana ao PT na seara de malfeitos.
    Pela voracidade com que os tucanos têm investido na criação da CPI da Petrobras, Amaury acha que as informações mais apimentadas de um suposto relatório do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf), do Ministério da Justiça, ainda não vieram à tona. Pelos indícios do apurou, ele aposta, no entanto, que há matéria-prima para desgaste nos dois maiores partidos.
    “Estou ansioso para ser chamado à CPI”, afirma Amaury, que diz ter guardado alguns documentos não revelados em “A Privataria Tucana”. O livro, já vendeu mais de 150 mil exemplares, traz também uma revelação que está sendo robustecida pelas novas investigações da Polícia Federal: a participação de doleiros em grandes esquemas de financiamento de tráfico de drogas no atacado.
    No livro de Amaury, Youssef é apontado como um profissional eclético. O doleiro atuava, ao mesmo tempo, para tucanos de penas reais e traficantes barra pesada, como Fernandinho Beira Mar ou o bicheiro João Arcanjo Ribeiro, conhecido como comendador. Em Foz do Iguaçú, no rastro da Operação Lava Jato, a Polícia Federal descobriu doleiros financiando operações de alta envergadura no tráfico internacional.
    O deputado Protógenes Queiroz (PCdoB-SP) tentou por duas vezes criar a CPI da Privataria. Delegado da Polícia Federal, o deputado investigou o caso e conhece o doleiro ao ponto de prever que ele fará, mais uma vez, acordo de delação privada para escapar de uma pesada sentença. Youssef estaria “no ponto” para ser ouvido numa CPI.

    http://tijolaco.com.br/blog/?p=16852

  228. Patriarca da Paciência said

    Caro Otto,

    é isso que o PT tem que fazer, ou seja, parar de ser “compreensível” e partir para o ataque !

    Esse pessoa não quer acordo, só aceita a rendição total, então, que se rendam.

  229. Patriarca da Paciência said

    Correção:

    Esse pessoal não quer acordo, só aceita a rendição total, então, que se renda !.

  230. Chesterton said

    Que democrático….

  231. Chesterton said

  232. Chesterton said

  233. Chesterton said

    Acabou o sossego do Pax…

    http://veja.abril.com.br/blog/reinaldo/geral/pt-faz-camping-digital-para-organizar-guerrilha-virtual-que-medinho/

  234. Pax said

    Quer dizer que o Alberto Youssef chega até José Serra?

    Caramba, que doleiro eclético.

    De André Vargas que chega em Paulo Bernardo e Gleisi agora chega no Serra…

    Bá.

    Tipo strike no boliche, cai uma montanha numa só bolada?

  235. Otto said

    Pax, por que o Vargas não pode e o Álvaro Dias pode?

    Do post acima:

    “Não foi uma só viagem do senador [Álvaro Dias] com a família, como aconteceu com André Vargas. O jatinho de Yousseff foi disponibilizado para o senador durante toda a campanha eleitoral de 1998.”

  236. Patriarca da Paciência said

    É bem isso aí, caro Otto,

    do PT, com o Yousseff, parece que vai mesmo só o André Vargas.

    Já com o tucanato, vai voar penas para todos os lados.

    O Serra, ao que tudo indica, era também “íntimo” do homem.

    O PSDB vai verter lágrimas de sangue por ter levantado essa lebre.

  237. Marcelo said

    Agora sim! Está explicado!

    Agora eu entendi porque TODO o PT, inclusive Lula estão pressionando o André Vargas para renunciar o mais rápido possível e calar a boca.

    Vamos que ele, ao confessar, de novo, o seu envolvimento com o doleiro Alberto Youssef, acabe se dizendo inocente e revelando o envolvimento do eclético doleiro com o José Serra também . Isto segundo Amaury Jr, é claro.

    É tudo o que o PT quer evitar…envolver Serra com o doleiro sócio do Paulo Roberto Costa. Ex-Petrobrás.

    E isto tudo porque a Oposição não tem propostas!!!

  238. Pax said

    Não sei se é só o André Vargas, caro Patriarca. Há fortes indícios que tem mais gente graúda nesse ninho de marimbondo. Procure as conexões em Londrina… quem sabe. Só pra começar.

    E o Alberto Youssef, pelo jeito, vai ser como Cachoeira, que deu no Cavendish, que deu na Delta, que deu pra todo mundo e virou pizza.

    Pelo que vi vai desde o caso Banestado, papo de uns US$ 20 bi, uns dizem 19…

    Essa Youssef vai dar trabalho ao blog.

    Pra quem é do ramo, boa Páscoa. Cá, não sou, mas respeito.

  239. Pax said

    E não é papo de Amaury Jr não, como insinua o caro Marcelo… a não ser que a Folha tenha virado blog “sujinho”…

    Aos 17, já havia aprendido a pilotar monomotores, segundo seus amigos, e ingressou no ramo que o pai e uma irmã já atuavam: o contrabando de produtos eletrônicos do Paraguai. Foi por meio de outra irmã, dona de uma casa de câmbio do lado paraguaio, que ele aprendeu o ofício de doleiro.

    Ela confiou a ele, nos anos 1990, uma casa de câmbio de Londrina que atuava no mercado paralelo.

    Aos 47 anos, Youssef tem uma folha corrida que já conta com oito prisões: cinco da época em que era contrabandista, duas no início dos anos 2000 por atuar como doleiro e, finalmente, uma no último dia 17 de março, quando foi apanhado pela Operação Lava Jato, da PF, sob acusação de comandar um esquema de lavagem de dinheiro que movimentou R$ 10 bilhões.

    Grandes cifras não são uma novidade para Youssef. Quando foi preso preventivamente no início dos anos 2000, sob acusação de usar uma agência do Banestado -banco do governo do Paraná- para fazer remessas ilegais para o exterior, duas contas dele haviam movimentado US$ 832 milhões em apenas dois anos (1997 e 1998), segundo laudos da PF.

    O chamado caso Banestado foi o maior escândalo já investigado no Brasil sobre remessas ilegais. As movimentações chegaram a US$ 28 bilhões, segundo o Ministério Público Federal, que criou força-tarefa para investigar o caso entre 2003 e 2007.

    http://www1.folha.uol.com.br/poder/2014/04/1442940-doleiro-preso-pela-pf-ja-foi-contrabandista-e-vendedor-de-pastel.shtml

    O papo do doleiro é antigo.

    Pelo jeito o PT não consegue reformar nem mesmo esquemão. Marcos Valério, Alberto Youssef…

  240. Patriarca da Paciência said

    “Pelo jeito o PT não consegue reformar nem mesmo esquemão. Marcos Valério, Alberto Youssef…”

    O jogo não acabou, caro Pax,

    Creio mesmo que agora é que está começando. A natureza não dá saltos e Roma não se fez em um dia.

    Só quando a maioria da sociedade desejar mudanças, a mudança acontecerá. Se não for assim, não será sustentável – será uma simples bolha ética.

    Minha confiança se assenta no fato de que a nossa jovem Democracia resiste bravamente.

    Parte do PT “caiu em tentação” e está pagando um preço altíssimo.

    Acho que a maioria do PT estava contando com um preço justo, mas o preço veio inflacionado e exagerado. Espero que tenham aprendido !

    Acho que o PT não acreditava em joaquins barbosas, Gilmares mendes, bolsonaros, campos, marinas das pererecas verdes, gabeiras os adversários são apenas suburbanos, ex-comunista bobs freires, ex-petistas e ex-comunistas tipo reinal-rola bosta, etc.etc.etc.

    Agora sabe que eles existem e que a batalha é dura.

    “O que não mata, fortalece”.

  241. Patriarca da Paciência said

    Jornalista Luis Nassif questiona a conduta do presidente do STF, Joaquim Barbosa, no pedido de quebra de sigilo dos telefones na região do Palácio do Planalto: “No episódio da tentativa de espionagem sobre o Palácio do Planalto, Barbosa agiu com mão de gato ou foi fundamentalmente displicente? O simples fato de existir essa dúvida mostra a desmoralização a que o STF está submetido com os atos de seu presidente”; para Nassif, “há muitos elementos para suspeitar que, ao remeter o pedido para o PGR sem nenhuma observação, ou ao não recusar o pedido liminarmente, Barbosa participou da trama para espionar o Planalto – juntamente com a promotora Márcia Milhomens Sirotheau Corrêa, o ex-juiz da Vara de Execuções de Brasília Bruno Ribeiro”

    http://www.brasil247.com/pt/247/midiatech/137329/Nassif-coloca-JB-sob-suspeita-de-espionagem.htm

    Um comentário bem interessante:

    “Nego Bom 20.04.2014 às 15:02
    Não tenho a menor duvida que ele estava a par de tudo.De acordo com a teoria do domínio de fato ele é o grande é responsável por esta tentativa criminosa de devassa da privacidade da Presidenta e do Congresso.Ao agir em conluio com o seu Bruno Boy e a Mil Homens(prá que tantos???)caracteriza-se também o crime de formação de quadrilha…Pimenta no dos outros é refresco…”

    Parece que o Barbosão está numa enrascada e tanto !

    Caiu na sua própria armadilha.

    A coisa está esquentando.

  242. Otto said

    Ao lacerdinhas da área:

    “A publicação panfletária VEJA dessa semana acusa o PT de afundar a Petrobrás. Nada de novo é acrescentado além das elucubrações da mídia em um ataque especulativo coordenado que a empresa vem recebendo nos últimos meses, e intensificado nas últimas semanas.

    O noticiário negativo faz com que o pequeno investidor se desfaça com preços de baixa, as ações compradas com seus esforços de poupança e retirada do FGTS, causando o prejuízo para essas pessoas e fazendo a felicidade de especuladores, que aproveitam o valor mais baixo para comprar e lucrar quando elas voltarem a se valorizar, até porque sabem que elas vão voltar a valorizar.

    Campanha de meias-verdades

    Para alimentar o terror contra a Petrobrás eles se valem de denúncias não comprovadas de irregularidades (aí vale requentar notícias antigas), misturando com dados incompletos que levam o investidor a crer que as informações passadas por esses veículos são honestas.

    Com o intuito de confundir, se baseiam em apenas dois indicadores econômicos para criticar as últimas gestões da Petrobrás: o valor de mercado, que depende mais do humor de investidores do que propriamente das boas práticas de gestão e o endividamento da empresa.

    Em relação ao endividamento, esses números realmente aumentaram desde a descoberta do Pré-sal e posteriormente com definição do modelo de partilha que dá a Petrobras a responsabilidade de gerenciar toda a extração.

    Esse endividamento se dá porque a empresa precisa se estruturar e investir mais para se tornar apta a aumentar a sua capacidade de produção de forma exponencial. Isso é explicado no quadro de comparação da Petrobrás 2002 x Petrobrás 2013, em relação ao investimento.

    Qualquer análise séria pode verificar por números que a Petrobrás precisa investir antes de tirar o Petróleo do Pré-sal, e isso gera o endividamento momentâneo, com perspectiva de ser reduzido de forma drástica quando o pré-sal estiver em plena produção.

    O escárnio com o leitor é flagrante em relação ao assunto do valor de mercado da companhia. Fazem comparações com períodos escolhidos a dedo: 2008, 2010? qual foi a mudança de gestão relevante que aconteceu dentro de um período em que não houve alteração do partido que governa o país? nenhuma.

    A escolha da data se deve ao preço da Petrobrás alcançar no mercado nessas épocas, sobrevalorização por diversos motivos: a descoberta de campos do pré-sal, preço internacional do petróleo nas alturas, o processo de capitalização da Petrobrás quando a empresa recebeu aporte do governo federal para aumentar investimentos. A comparação com momentos extremos e valores de pico é desaconselhável em qualquer situação, a menos que a intenção seja a desonestidade intelectual.

    Empresa perdeu valor no Governo FHC

    Enquanto a imprensa acusa o governo de desvalorizar a Petrobrás, foi no governo FHC que a empresa chegou ao seu nível mais baixo no mercado US$ 15,5 bilhões. Mesmo com empresa perdendo valor de mercado no último ano, seu valor hoje é de US$ 179 bilhões, ou seja, vale mais de onze vezes mais que valia no governo tucano.

    Se levarmos em conta a receita ela pulou de R$ 69 bilhões em 2002 para R$ 304,9 bilhões em 2013, com um aumento de arrecadação na ordem de 340%. No mesmo caminho, o Lucro líquido aumentou 190% (R$ 8,1 bilhões em 2002 para R$ 23,6 bilhões em 2013) e os investimentos passaram de R$ 19 bilhões em 2002 para 104 bilhões em 2013 (aumento impressionante de 447%.

    Investimento em pesquisas e tecnologia de produção

    O PSDB tentou sucatear a empresa para depois privatizá-la. Estancou investimentos em pesquisas e amargou estagnação na produção de óleo. Não foram descobertos grandes campos de petróleo, e o pré-sal estava debaixo dos seus bicos.

    Com a chegada do governo Lula em apenas três anos a Petrobras conseguiu o retorno do investimento que se traduziu na autossuficiência na produção de petróleo e descoberta dos campos do pré-sal. A produção que não passava de 1,5 milhões de barris diários em 2012, hoje chaga a quase 2 milhões por dia, sendo que a perspectiva é que esse aumento de produção se intensifique a partir desse ano, com a colocação de novas plataformas em produção.

    Com a intenção de entregar o maior patrimônio da população brasileira para americanos, tucanos da Petrobrás tentaram mudar o nome da empresa para “torná-la mais atrativa para investidores estrangeiros. E a entrega do patrimônio seria consolidada, capitaneada pelo genro de FHC, David Zylbersztajn, se petroleiros e trabalhadores de várias categorias não saíssem as ruas para impedir a privatização da empresa.

    O símbolo mais significativo do descaso com que a Petrobrás foi tratada no governo tucano se sintetiza na imagem do naufrágio da plataforma P-36. Uma plataforma de US$ 356 milhões (quase um bilhão de Reais no câmbio da época) foi parar no fundo do mar em consequência da forma com que a empresa foi sucateada pela administração tucana.

    Como se vê, com apenas o exercício de memória, conseguimos descobrir quem na verdade tentou afundar a Petrobrás e por muito pouco o petróleo do pre-sal Brasileiro não foi parar todo nas mãos das petroleiras americanas Exxon e Chevron e das britânicas BP e BG, que adoram o PSDB.”

    http://pontoecontraponto.com.br/2014/04/06/como-o-pt-salvou-a-petrobras-de-afundar-como-a-p-36-de-fhc/

  243. Chesterton said

    http://coturnonoturno.blogspot.com.br/2014/04/petrobras-gabrielli-incrimina-dilma.html

  244. Chesterton said

  245. Patriarca da Paciência said

    O Pondé ponderou que é mesmo um babaca aí o abilolado endoidou de vez: Ou será que o abilolado finalmente viu alguma luz?

    PONDÉ APONTA O PROBLEMA MAIOR DO DIREITISTA: ELE NÃO “PEGA MULHER”

    http://www.brasil247.com/pt/247/cultura/137364/Pond%C3%A9-aponta-o-problema-maior-do-direitista-ele-n%C3%A3o-pega-mulher.htm

    Vejam que pérola:

    “Vou repetir, porque eu sei que questões altamente filosóficas são difíceis de se entender: o maior desafio para um jovem estudante liberal no Brasil é pegar mulher (no meio universitário e afins), sendo liberal. Claro, charme pessoal, simpatia, inteligência, grana, repertório cultural, sempre são fatores importantes, mas a esquerda tem um ponto a favor dela que é indiscutível: se você é de esquerda, pegar mulher é a coisa mais fácil do mundo. Qual o segredo da esquerda? É ser festiva.”

  246. Patriarca da Paciência said

    Eu acho que o problema do direitista é que, além de não pegar mulher, ele só pensa em jabá !

  247. Chesterton said

    A luta de Tiradentes

    No dia 21 de abril de 1792 era enforcado no Rio Joaquim José da Silva Xavier. Tiradentes se tornaria o mártir da Inconfidência Mineira, um movimento revolucionário inspirado nas ideias iluministas. O fascínio pela história permanece vivo. Pedro Doria, que acaba de lançar um livro sobre o assunto, resume o motivo: “Não é à toa que virou mito. A Inconfidência fascina pelo sonho do Brasil que poderia ter sido”.

    O relato de Doria, seguindo a linha do historiador britânico Kenneth Maxwell, é realista e desconstrói o mito em muitos aspectos. Sim, havia provavelmente interesses mais prosaicos no movimento. Parte da elite queria fugir das dívidas com Portugal. E no caso do próprio alferes, o desejo por mudança após muitos anos estagnado com a mesma patente militar pode ter contribuído também.

    Mas é inegável a influência das ideias como pano de fundo da revolta. Aquela era a época, afinal, da Revolução Americana liderada pelos “pais fundadores”, entre eles Thomas Jefferson, que chegou a manter contato com um membro da elite mineira e cujos escritos chegaram até Tiradentes.

    O governo mineiro era corrupto e a prosperidade não era mais a mesma em Vila Rica. A chegada do novo representante de Lisboa, com recomendações para endurecer com os devedores e combater a sonegação, deixou a elite local tensa. Mas isso serviu para que essa mesma elite percebesse o quão frágil era esse equilíbrio de forças, pois como colônia, os desejos da metrópole eram soberanos.

    Nas contas da coroa, havia oito toneladas de ouro por pagar. Era o resultado do Quinto, o imposto cobrado por Portugal, que não havia sido arrecadado. O governo poderia apelar para a prerrogativa da Derrama, cobrando retroativamente de toda a população local, o que ficaria pesado demais para os mais pobres.

    A rebelião americana, não custa lembrar, teve como principal causa justamente o aumento de impostos pela metrópole. Em um ambiente de novas ideias, que condenavam todo tipo de taxação sem representação política. O aumento dos impostos era uma perigosa faísca que poderia acender a revolução.

    Há precedentes históricos. Em “A Marcha da Insensatez”, a historiadora Barbara Tuchman descreve o caso de Roboão, rei de Israel, que sucedeu a seu pai Salomão em 930 a.C. As dez tribos do norte se relatavam descontentes com as pesadas taxações impostas já no tempo do rei Salomão. Roboão foi procurado por uma delegação que solicitou o abrandamento da ríspida servidão imposta, dizendo que, em troca, haveriam de servi-lo como súditos fiéis.

    Roboão não aceitou a proposta, endurecendo ainda mais com as tribos. Estava declarada a guerra. As lutas prolongadas enfraqueceram os dois Estados, encorajando regiões vassalas conquistadas por Davi a reconquistar sua independência, além de abrir caminho para a invasão dos egípcios. As tribos jamais se reunificaram, acabando sob o domínio dos assírios, em 722 a.C. A insensatez de um governante, alimentada pela ganância por mais extorsão, abriu uma cicatriz de 2.800 anos no povo judeu.

    Impostos, como diz o nome, não são voluntários. Por isso são sempre impopulares. Quando abusivos e com a sensação de que são pagos a fundo perdido, tornam-se um barril de pólvora para insurreições. Os inconfidentes mineiros se revoltaram com o Quinto, ou seja, 20% de tributo sobre a produção de ouro. Hoje, nós brasileiros pagamos quase 40% de impostos. E qual o retorno?

    Roberto Campos fez um diagnóstico certeiro da situação nacional: “Continuamos a ser a colônia, um país não de cidadãos, mas de súditos, passivamente submetidos às ‘autoridades’ – a grande diferença, no fundo, é que antigamente a ‘autoridade’ era Lisboa. Hoje é Brasília”.

    A questão que permanece incomodando é: quando deixaremos de ser súditos e passaremos a ser, de fato, cidadãos? Continuamos sonhando com a verdadeira independência, com um país mais livre, com um modelo de representatividade que efetivamente corresponda aos nossos interesses e descentralize o poder.

    Uma elite esclarecida faz toda a diferença. Foi assim nos Estados Unidos. Na França, o tiro saiu pela culatra, e a revolução dos ressentidos logo descambou para o Terror e, depois, para a ditadura napoleônica. Como teria sido se a Inconfidência Mineira tivesse vingado e aqueles nobres pensadores e empresários tivessem desenvolvido um modelo republicano nos moldes do americano?

    Jamais saberemos. Mas se não podemos voltar atrás e fazer um novo começo, podemos mudar agora e construir um novo futuro, muito melhor. Eis o sentido da luta de Tiradentes.

    Rodrigo Constantino

  248. Chesterton said

    Verdades inconvenientes sobre o sistema de saúde sueco
    por Klaus Bernpaintner, sexta-feira, 21 de março de 2014

    Um mito ainda ronda o mundo: o mito da excelência do sistema de saúde estatal da Suécia.
    Normalmente, apenas alguns poucos e básicos argumentos econômicos já bastam para fazer uma pessoa entender, de maneira lógica, por que é impossível um sistema de saúde gerenciado pelo estado manter sua excelência no longo prazo.

    No entanto, e infelizmente, apenas teorias não convencem. E dado que não é factível convidar todo o mundo para fazer uma excursão-surpresa nas salas de emergência dos hospitais estatais da Suécia — o que estraçalharia de maneira irreparável as ilusões dos mais crentes —, terei aqui de me ater apenas às palavras.

    E a realidade é que o sistema de saúde sueco é a perfeita ilustração da tragédia do planejamento central. Além de ser extremamente caro, ele ainda mata pessoas inocentes.

    A saúde universal e gratuita foi implantada na Suécia na década de 1950 como parte de um projeto do Partido Social Democrata para criar a “Casa do Povo” (Folkhemmet). Este grande esforço também incluiu educação gratuita em todos os níveis, moradias modernas para os pobres, pensão estatal obrigatória, e outras coisas. Vamos aqui conceder o benefício da dúvida e supor que ao menos algumas dessas propostas eram bem intencionadas. Como quase sempre ocorre, boas intenções pavimentam a estrada que leva à servidão.

    Demorou um pouco, mas hoje já está um tanto óbvio para o cidadão comum que absolutamente todos os aspectos deste projeto se revelaram um desastre. O cidadão pode até ter alguma dificuldade para ligar causa e consequência, mas ele já é capaz de ver que o sistema definitivamente não está funcionando como o propagandeado. Pior: está se deteriorando rapidamente.

    Antes de este projeto utópico ser implantado, a Suécia tinha uma das mais baixas cargas tributárias do mundo civilizado. Tanto a quantidade de impostos, quanto o valor deles, era um dos mais baixos do mundo desenvolvido. O país, nada surpreendentemente, estava no topo em termos de padrão de vida. O projeto alterou completamente a Suécia. O país passou a ter a segunda maior carga tributária do mundo (a maior é a da Dinamarca), vivenciou períodos de acentuada inflação de preços, e apresenta uma economia em contínuo enfraquecimento.

    Não há nada de economicamente misterioso a respeito de serviços de saúde; trata-se de um serviço como qualquer outro. Os princípios que governam os serviços de saúde são imutáveis e não podem ser alterados por meros decretos governamentais ou por “vontade política”. Como qualquer serviço, a medicina pode ser plenamente fornecida em um livre mercado a preços razoáveis e com qualidade crescente. No entanto, como qualquer outra área, tão logo o governo assume o controle e passa a fazer um planejamento centralizado, ele entre em colapso. A qualidade despenca e passa a haver escassez e racionamento.

    Alegar que os atuais problemas no sistema de saúde sueco se devem a uma “falha de mercado” — como já fazem alguns social-democratas no país — é o equivalente a dizer que houve uma falha de mercado na produção de pão na União Soviética.

    Analisemos o que ocorreu quando os serviços de saúde passaram a ser fornecidos “gratuitamente” pelo governo sueco (isto é, pelos pagadores de impostos). Observe que os mesmos incentivos e princípios econômicos se aplicam a qualquer outro serviço que o governo decida assumir e fornecer “de graça”.

    De início, ficou estabelecido que o sistema de saúde gratuito seria somente para os pobres. Ele não iria afetar aqueles que estavam satisfeitos com os serviços até então vigentes. No entanto, ocorreu o óbvio: quando um governo passa a repentinamente oferecer uma alternativa gratuita com promessa da qualidade, várias pessoas abandonam seus fornecedores privados e adotam os bens gratuitos. Trata-se de uma questão de incentivos. Logo, esse sistema público tem de ser expandido. Médicos privados irão perder clientes. Ato contínuo, os médicos privados serão forçados ou a procurar emprego no sistema público ou a abandonar a profissão. O resultado inevitável será a criação de um único sistema público de saúde.

    Alguns ainda alegam que é possível haver economias de escala dentro das operações de um sistema de saúde estatal, tornando-o eficiente. Possível até é. Porém, mesmo que existam, elas serão inevitavelmente sobrepujadas pelos custos e ineficiências inerentes a qualquer burocracia que inevitavelmente se agiganta quando passa a gerenciar um sistema desses.

    Tais resultados são claramente visíveis na Suécia. Restaram poucos médicos privados. Dos poucos que restaram, a maioria faz parte do sistema nacional de seguridade social. Uma enorme burocracia foi erigida para administrar todo o necessário planejamento centralizado dos sistemas de saúde público e pseudo-privado.

    Quando os suecos vão às urnas a cada quatro anos, eles elegem três níveis de governo: o nacional, o landsting, e o kommun. Um landsting é uma espécie de governo regional. Há 20 deles. Os landstings são quase que inteiramente voltados para o gerenciamento do sistema de saúde estatal. Como era de se esperar, eles sempre reclamam de escassez de fundos e regularmente incorrem em déficits.

    A vantagem de um sistema de livre mercado é que a contínua interação entre demanda e oferta forma os preços. Esses preços funcionam como sinais emitidos pelos consumidores, guiando os médicos a identificar o que seus pacientes mais desejam e do que eles mais necessitam. Assim, se houver um súbito aumento na demanda por cirurgias cardiovasculares, os preços de tal serviço iriam, ceteris paribus, aumentar. Essa elevação de preços motivaria mais médicos a irem para estas áreas, que agora se tornaram mais lucrativas. Ato contínuo, mais médicos passariam a fornecer mais serviços de cirurgias cardiovasculares, e a oferta de tais serviços iria aumentar. Com a demanda agora satisfeita, os preços voltariam a cair.

    Algumas pessoas protestam e dizem que é imoral que médicos queiram maximizar seus lucros e viver à custa dos problemas médicos de outras pessoas. Isso faz tanto sentido quanto dizer que agricultores — inclusive os pequenos — lucram com a fome de terceiros.

    Assim, um arranjo de livre mercado sistematicamente direciona a produção (“oferta”) e a realoca de forma a rapidamente satisfazer as necessidades dos pacientes (“demanda”). Por causa da concorrência, tal sistema apresenta outra vantagem: ele está sempre tentando reduzir preços e aumentar a qualidade. Este princípio vale tanto para serviços médicos quanto para quaisquer outros serviços, sejam eles tecnológicos ou de jardinagem.

    Já a burocracia inerente a um sistema de saúde estatal não tem como utilizar preços de mercado para alocar recursos. Ela tem de recorrer a outros métodos. Primeiro, ela tentará planejar de acordo com a demanda estimada. Ela tentará adivinhar o número de fraturas ósseas, de cirurgias cardiovasculares e de transplantes de rins que ocorrerá no ano que vem. As estimativas irão invariavelmente estar erradas, o que gerará escassez em algumas áreas e excesso de oferta em outras. Isso significa que haverá, ao mesmo tempo, desperdício de recursos e sofrimento humano.

    Sem a motivação da busca pelo lucro, não há incentivos para se adaptar à realidade, para se utilizar equipamentos mais caros e de mais qualidade, para otimizar a capacidade, para aprimorar o nível dos serviços prestados, e para tratar pacientes com dignidade. Todas as mudanças serão impostas, por decreto, pelos burocratas planejadores. Médicos e enfermeiras inevitavelmente ficarão frustrados. Eles não mais serão livres para exercitar sua arte ao melhor de suas habilidades, e nem para ajudar as pessoas o tanto quanto gostariam. Boa parte dos melhores profissionais irá abandonar a área e migrar para outros setores.

    É impossível fazer comparativos numéricos, mas é bastante óbvio que o nível de energia entre os profissionais da medicina na Suécia é baixo quando comparado ao de outros países. Um residente americano, amigo meu, passou um ano em um grande hospital sueco. Ele ficou abismado quando descobriu que os alunos nunca dedicavam parte de seu tempo livre observando procedimentos em salas de cirurgias. Simplesmente não há incentivos para se tornar bom na profissão. É claro que há entusiastas que ainda assim gostam de sua profissão e fazem um trabalho fantástico, mas o sistema não é propício a essa atitude.

    O planejamento central sempre fracassa. Os planejadores inevitavelmente acabam percebendo que o mercado é superior. Mas, em vez de admitir e recuar, eles aprofundam o esquema. Eles começam a tentar emular um mercado, recorrendo a modismos técnicos como “gestão pública moderna” ou sistemas de vouchers. Os resultados destas soluções normalmente se revelam ainda mais desastrosos do que o planejamento direto. Para fazer com que a coisa funcione minimamente, eles começam a simplesmente atribuir códigos e números a tudo: cada tipo de doença passa a ser designada por um código, cada paciente se torna um número de identificação, e cada procedimento passa a ter um custo planejado (arbitrário) e uma receita estimada.

    Recentemente, um grande jornal da Suécia relatou que médicos foram ordenados por burocratas a priorizar pacientes tomando por base seu valor futuro como pagadores de impostos. Sob esse critério, idosos naturalmente têm um valor futuro muito baixo, de modo que eles inevitavelmente passaram a ter baixa prioridade no aparato estatal e se tornaram menos propensos a receber tratamento adequado. Em um sistema de saúde privado você pode, como paciente, criar suas próprias prioridades: você pode, por exemplo, vender alguns ativos e gastar as receitas para melhorar sua saúde. Já em um sistema socializado, uma outra pessoa é que irá determinar quais são suas prioridades.

    Como sabemos da prática, toda ação induzida por um planejamento central gera pelo menos cinco inesperadas reações em sentido oposto, sendo que cada uma delas será, por sua vez, contra-atacada com ainda mais regulamentações e planejamentos. Com o tempo, o sistema inevitavelmente entra em colapso. Na Suécia, o sistema de saúde é “gratuito”, mas não é acessível.

    Para os casos que não configuram emergência, um sueco tem de ir à “Central de Serviços de Saúde”, que é estatal. Este sempre é o ponto de partida para qualquer consulta médica, desde uma simples gripe até um tumor cerebral. O sueco tem de ir à Central que lhe foi especificada, tudo de acordo com o distrito médico em que ele vive. Ele só será atendido se tiver hora marcada. Normalmente, há uma janela de 30 minutos todas as manhãs, quando você pode ligar para reivindicar uma das vagas que foram disponibilizadas no orçamento do governo. Mas você tem de madrugar, caso contrário elas acabam.

    Raramente você consegue uma consulta no mesmo dia. Um burocrata irá lhe designar um médico que estiver de plantão, provavelmente um que você nunca viu antes; e provavelmente um que não fale sueco; e muito provavelmente um que odeie seu emprego. Se você tiver uma doença grave, você será encaminhado a uma fila de espera, na qual, quando chegar a sua vez, você receberá algumas orientações médicas de um especialista. Esse procedimento pode demorar meses. E isso não é um mero defeito do sistema sueco; isso é uma característica inevitável de um sistema de planejamento central, análogo às filas de pão que ocorriam na União Soviética.

    É nesta “fila para o pão” do sistema de saúde que as pessoas morrem. As demoras ocorrem com tanta frequência que, quando chega a data de o paciente ser atendido por um especialista, sua condição já se agravou para além de qualquer possibilidade de cura. Também é frequente o sumiço dos pareceres médicos e o desaparecimento das listas dos encaminhamentos médicos, o que faz com que todo o tempo de espera tenha sido em vão. Burocracias criam empregados apáticos e desatentos, que não se importam com ninguém, que não fazem nenhum esforço, e que nunca são responsabilizados por suas falhas.

    Já se a sua situação for de emergência, você irá à seção de emergência de um dos vários e enormes hospitais de estilo soviético. Estocolmo tinha dois desses enormes hospitais. Em 2004, eles se fundiram em um só. Obviamente, a “fusão” foi um fracasso, de modo que nos últimos anos tem havido grandes debates sobre a necessidade de separá-los novamente.

    A sala de emergência é uma experiência completamente inusitada. A menos que você esteja sufocando ou apresentando uma copiosa hemorragia, você esperará de 5 a 7 horas até ser atendido. E você só receberá esse serviço de “alto nível” se chegar ao hospital em um dia útil e durante o horário comercial. Portanto, se você for um sueco, é bom programar antecipadamente o dia em que você sofrerá algum acidente grave. Após o horário comercial, ou durante os fins de semana, a coisa é muito pior. Em vez de atender os pacientes, os médicos estão majoritariamente ocupados preenchendo formulários para as autoridades do sistema central e rabiscando códigos em pequenos quadrados para relatar os serviços que foram prestados. Já foram relatados casos em que os pacientes conseguiram ser imediatamente atendidos, mas tais casos são raros.

    Um fenômeno cada vez mais comum é o de negar ambulâncias àquelas pessoas gravemente acometidas por todos os tipos de sintomas, desde queimaduras severas e septicemia, a infarto do miocárdio ou derrame cerebral.

    Se você planeja sofrer algum sério problema de saúde, é importante também que isso não ocorra nos meses de junho, julho e agosto, pois nesses meses de verão os hospitais estão praticamente fechados para férias.

    Devido à ausência da busca pelo lucro, serviços gratuitos não apenas são ruins como também são muito caros. Um dos principais bancos da Suécia (o Swedbank) recentemente apresentou um estudo dizendo que o assalariado médio gasta aproximadamente 70% de seu salário com impostos para o governo, incluindo-se aí a enorme e invisível fatia que é retida na fonte. Dado que sistemas gratuitos se tornam mais caros com o tempo, e dado que é impossível compensá-lo com aumentos constantes de impostos, torna-se inevitável que, anualmente, novas doenças sejam listadas como não-graves, e portanto deixem de ser cobertas.

    Na etapa final do fracasso do planejamento central, os planejadores simplesmente desistem. Eles lavam as mãos para tudo, e decidem “privatizar” os serviços. Isso começou a ser feito na Suécia. Só que, na prática, isso significa que eles desovam hospitais a preços de liquidação para empresários com boas conexões políticas. Ato contínuo, os próprios planejadores se tornam supervisores e reguladores. Isso cria um “mercado” extremamente protegido no qual os “empreendedores” devem apenas entregar serviços de qualidade estatal a preços que são estipulados de acordo com cálculos que estimam quanto custaria ao governo fazer o mesmo serviço.

    Obviamente, isso cria distorções tão grandes, que seria possível atravessá-las com ambulâncias. E não há nenhuma livre concorrência para trazer alguma racionalidade a isso.

    O mercado de saúde privado na Suécia é pequeno. Poucas pessoas podem pagar por ele, uma vez que elas já pagam 70% de impostos para todas as outras coisas “gratuitas” e dado também que o sistema é altamente regulado e não há livre concorrência (o que significa preços artificialmente altos). Os políticos, obviamente, utilizam o sistema privado, mas quem paga são os cidadãos suecos. Aparentemente, eles são pessoas tão especiais que o sistema estatal que eles amorosamente criaram para os outros não serve para eles.

    Aos apologistas do modelo de saúde sueco: eu vivo neste modelo. Creiam-me: ele não funciona.

    _______________________________

  249. Patriarca da Paciência said

    Pois não é, dá um jabazinho, (ou uma jeba) para o Klaus Bernpaintner, que ele vai ficar feliz da vida, morando na periferia de Miami e escolhendo “os clientes que melhor pagam”.

    Por que ele não faz isso ? Acho que não há nenhuma lei na Suécio que o proíba !

  250. Marcelo said

    PETROBRAS: Fatos e dados -
    O GLOBO – 22/04

    O ex-presidente da Petrobras José Sérgio Gabrielli tem defendido não só a compra da refinaria de Pasadena mas exaltado sua gestão à frente da empresa. Mostra a evolução do valor de mercado da companhia, deixando a entender que o mérito foi todo seu. Os fatos e dados: as petrolíferas subiram no mundo inteiro nos anos 2000, puxadas pela alta do barril. Difícil é justificar a queda da Petrobras.

    Durante os anos 90, a cotação do barril de petróleo se manteve baixa e as petrolíferas ficaram desvalorizadas. O preço médio do WTI no ano de 1990 foi de US$ 24,5. Em 1999, valia menos: US$ 19,1. Até 2002, continuou com cotação baixa, de US$ 26, 1. Houve então a disparada nos preços, que atingiu o pico em 2008, pouco antes do estouro da crise internacional: US$ 31 (2004); US$ 41,4 (2005); US$ 56,4 (2005); US$ 66 (2006); US$ 72,2 (2007); US$ 99,5 (2008). O valor de mercado de todas as empresas subiu junto.

    O aumento da cotação entre 2003 e 2008 aconteceu porque a China cresceu puxando o preço de todas as matérias-primas, como petróleo, minério de ferro, cobre, grãos. Além disso, a bolha financeira nos Estados Unidos e na Europa estimulava a compra de papéis ligados ao setor de commodities.

    A Petrobras deu um salto. De acordo com o ranking internacional da Forbes, a cotação da empresa, que estava na casa de US$ 3 em 2002, chegou a US$ 62 em 2008. O mesmíssimo aconteceu com outras grandes do setor. A inglesa BP saltou de US$ 27 para US$ 55. A francesa Total subiu de US$ 19 para US$ 56. A americana Chevron foi de US$ 29 para US$ 81, apenas para citar três exemplos.

    Ótimo a Petrobrás ter acompanhado o movimento das grandes, mas Gabrielli conta como se tivesse encontrado a empresa quebrada e a salvado. Explica a queda como resultado da crise externa, mas não diz que a petrolífera, agora, está no sentido contrário ao seu setor. A ação da Petrobras cai há cinco anos, mesmo com um novo aumento dos preços do barril.

    Com o estouro da crise americana, todas as petrolíferas tiveram quedas, assim como o barril de petróleo. Passado o pior momento, no entanto, a recuperação foi generalizada. Menos da Petrobras.

    O preço médio do barril WTI caiu de US$ 99,5, em 2008, para US$ 61,6 em 2009. Voltou a US$ 97,9 em 2013. O movimento das empresas foi o mesmo. A BP teve queda de US$ 55 para US$ 31, entre 2008 e 2009, mas voltou para US$ 48 este ano. A Total tem o preço de ação hoje mais alto do que no auge de 2008: US$ 63. A Chevron também: a ação vale US$ 124. Muito acima do pico de 2008.

    As ações da Petrobras despencaram nos últimos anos e estão na casa de US$ 14, longe do pico de US$ 62 de 2008. Ou seja, a empresa se descolou das demais porque o mercado passou a reagir às intervenções do governo, principalmente na política de preços.

    Gabrielli, em entrevista ao “Estado de S. Paulo”, também afirmou que a empresa conseguiu a autossuficiência durante sua gestão. Faltou explicar em quê. É público que o Brasil é grande importador de petróleo, gás, gasolina, diesel, querosene de aviação. O déficit na conta de petróleo e derivados foi de US$ 27 bilhões em 2013. Entre janeiro e fevereiro deste ano, mais US$ 5 bi.

    O endividamento líquido aumentou 50% no ano passado e chegou a R$ 221 bilhões, o que já equivale a 3,5 vezes da geração de caixa da empresa, medida pelo Ebtida. Cerca de 64% das dívidas estão em dólar, o que deixa a Petrobras exposta à desvalorização cambial. Há prejuízos com a importação e venda de derivados, obrigatoriedade de compra de conteúdo nacional. Orçamentos cresceram em sua gestão, como o da refinaria Abreu e Lima.

    Não há campanha contra a empresa, como ele sustenta. Nem ele foi o salvador da Petrobras. Os fatos mostram que num primeiro momento a companhia surfou na onda do mundo. Isso, aliado às descobertas de novas reservas — que resultaram de pesquisas feitas ao longo dos anos —, valorizou a empresa. Depois “a maior capitalização da história do mundo” derrubou as ações. E houve ainda intervenções na gestão, negócios danosos e coisas piores, como as que estão sendo descobertas nas investigações da Polícia Federal e que levaram à prisão do ex-todo-poderoso Paulo Roberto Costa, ex- diretor da área de Refino e Abastecimento na gestão do próprio Gabrielli. Esses são os fatos e os dados. O resto é tentativa de Gabrielli de, mais uma vez, usar a empresa em campanha política.

    MIRIAM LEITÃO

  251. Guatambu said

    Interessante essa matéria.

    Mostra, dentre muitas coisas, como o brasileiro médio não tem maturidade política.

    Quanto tempo será que vai levar pra mudar isso?

    http://www.valor.com.br/politica/3522256/indecisao-e-antipetismo-sao-marcas-dos-redutos-de-pt-e-psdb

  252. Pax said

    Off Topic: resolvi ir com funcionário novo até a escola pública municipal onde matriculou sua filha de 5 anos, no prézinho (sei lá como chama). Fui junto com ele, muito bem atendido na secretaria, deram-lhe, segundo disseram, a última vaga. Pedi para conhecer a escolinha. Estranharam mas a coordenadora veio e nos mostrou (a mim e ao funcionário) todas as dependências, 4 salas de aulas, refeitório, parquinho de diversão etc. Achei muito bem organizada, limpa, profissionais me pareceram simpáticos, era hora do recreio e a molecada fazendo uma barulheira danada, mas sem algazarra, só a conversaiada e brincadeiras.

    Agora vou acompanhar a inscrição deles no posto de saúde do bairro e ver como funciona.

    Nada melhor que olhar de perto para poder falar com propriedade sobre um exemplo concreto, tanto em Educação como em Saúde.

    Vejamos… dou notícias.

  253. Chesterton said

    Caso Dilma fosse Presidente da Malasia, como seria seu pronunciamento a respeito do desaparecimento do avião??

    Meu amigos, minhas amigas,

    O avião, que foi uma máquina descoberta pelo brasileiro Santos Dumont quando comprou seu primeiro aeroporto, é uma máquina mais pesada que o ar, porque o ar é leve, tanto assim que flutua.
    No nosso governo nós conseguimos aumentar a leveza do ar porque não fizemos nada de peso, porque quem faz coisas de peso é a Argentina, que não tem a moeda Real como nós temos.
    O Real, aliás, fez aniversário este ano e como foi um programa criado pelo Presidente Lula junto com a roda, o fogo, o mapeamento do genoma humano e a cura do câncer, eu realmente gosto muito do Real, sem trocadilhos para que o pessoal do Porta dos Fundos não faça piada!
    Quer dizer, então, que nós confiamos que infelizmente o avião caiu, ou pousou, porque o ministro Mantega me disse hoje que provavelmente o avião não tinha combustível para ficar voando 7 dias, então acreditamos que o avião tenha caído em algum lugar que ninguém viu, porque senão já tinham ligado e dito que o pessoal do partido tinha roubado os destroços.
    Ou então caiu no mar porque no mar o celular não pega. Ou se pega poderia ser da Tim. Mas vejam bem o que eu estou dizendo: o mar certamente foi um oceano, provavelmente o Pacífico, o Atlântico ou o Índico, também podendo ter caído no Ártico. Quer dizer, se caiu no oceano é porque não caiu na terra e nós temos um programa de inclusão social que fixa o homem na terra. A sete palmos de profundidade que é para ele ficar bem fixado.
    Então, meus amigos, eu quero dizer que já liberamos os recursos necessáriospara encontrar todos aqueles que infelizmente tenham morrido nesse acidente, para trazê-los de volta sãos e salvos para seus entes queridos.
    Eu tenho convição, enfim, que se esse avião não caiu na terra nem no mar,nem também decolou nem pousou, é porque não tem avião, certamente porque o PMDB pediu o avião de presente junto com mais uns 7 ministérios, mas eu só dei mais 6 porque no nosso governo quem manda sou eu.
    Obrigada”

  254. Chesterton said

    Ira do Gabrielli

    A maior ameaça concreta atual ao poder de Dilma Rousseff se chama José Sérgio Gabrielli.

    O ex-presidente da Petrobras na gestão Lula, PT da vida com o que a turma de Dilma lhe fez – ameaça dar o troco nesse episódio de Pasadena – que a Presidenta gostaria de ver logo superado e esquecido.

    O desgaste de Dilma só aumenta no tiroteio midiático entre ela e Gabrielli (que insiste que Dilma tem responsabilidade “como conselheira” na decisão de compra de Pasadena).

    Ignorância inaceitável

    É um tiro técnico no pé a “gerentona” vir a público evocar as atas de reunião do Conselhão da Petrobras para alegar que desconhecia as cláusulas lesivas à empresa no contrato de compra da velha refinaria texana.

    Qualquer bebê de colo sabe que é obrigação dos conselheiros de administração (ainda mais da “presidente” do conselho) votar e tomar decisões gerenciais com base em informações seguras e confiáveis.

    Por isso, Gabrielli (afilhado de Lula) está certíssimo quando ressalta que Dilma não “pode fugir da responsabilidade dela”.

    Serrão

  255. Chesterton said

    , Gabrielli : “A oposição precisa aprender que assuntos técnicos requerem uma abordagem diferente do espetáculo de uma CPI em ano eleitoral”.

    chest- hahahahahahahahahaha

  256. Marcelo said

    Aécio enquadrou o Lindbergh…
    O cara sofre processo na Justiça e ainda tenta cagar regra.
    Foi humilhado.Ao vivo e em cores

  257. Chesterton said

    http://atarde.uol.com.br/politica/noticias/1586001-pt-ameaca-vargas-com-expulsao-caso-ele-nao-renuncie

  258. Pax said

    Nesse link do velho e rabugento Chesterton acima #257, há a informação que André Vargas tem tropa de choque a seu favor. Quem faz parte dessa tal tropa? Ora bolas, ninguém menos que Cândido Vaccarezza.

    O PT vai alimentando seus quadros com restos não colocados no lixo…

    Dá no que dá.

    Uma pena.

    Off Topic: um artigo com algumas correções a serem feitas, mas uma vasta maioria de acertos, que o Juca Kfouri colocou em seu blog. Vale ser lido. Eu o chamaria de A Copa saiu pela culatra, mas Juca Kfouri o chamou de A Copa já era!

    http://blogdojuca.uol.com.br/2014/04/a-copa-ja-era/

    Conhecida minha, arquiteta de SP, teve seu celular desligado. Foi ver o que tinha acontecido. Era da Vivo e tinha sofrido portabilidade para a Claro. Correu atrás e descobriu que roubaram uma Carta de Habilitação antiga e vencida e uma salafrária, 171, roubou seu número de celular e não se sabe ainda o que mais.

    E aí? O que isso tem com o blog?

    Perguntei pra ela se tinha acionado a #ANATEL. Sua resposta foi clássica, para quase tudo que envolve as Agências Reguladoras brasileiras: O telefone da ANATEL, 1331, só dá ocupado, ninguém atende

    Triste.

  259. Pax said

    Mas vamos, ao menos, falar algo que é bom, sim (fora do tópico).

    Comemoremos!

    O Marco Civil da Internet foi aprovado no Senado sem emendas que a oposição, com ares de perdida, queria alterar a favor das teles.

    Viva. Parabéns ao relator, Alessandro Molon.

  260. Patriarca da Paciência said

    “Aécio enquadrou o Lindbergh…
    O cara sofre processo na Justiça e ainda tenta cagar regra.
    Foi humilhado.Ao vivo e em cores”

    Aébrio não tem apenas um processo na Justiça, tem vários ! Deve ter algumas dezenas a mais que Lindbergh.

    Faz bem pouco tempo que ele foi salvo pelo gongo ! Desvio de 4 bilhões ! A presidente do sindicato dos professores o desmentiu da falácias dele apenas alguns minutos após o seu mentiroso “programa político”.

    A Presidente do sindicato dos professores de Minas Gerais falou alto e em bom som; “Aécio está mentindo, os professores nunca receberam nada do que ele está dizendo”.

    E o que faz Aébrio ? Dá “carteirada”. ” Vossa Excelência” sabe com quem está falando ? Vossa Excelência não tem “estatura moral para discutir comigo”.

    Aí o Tapiocouto tenta dar de dedo no senador Lindbergh.

    E ainda tem gente que diz que o Aébrio “ganhou” ?

    Ganhou o quê ? Ele apenas demonstrou muito claramente que é um “projeto de coronel”, visto que não tem “estatura” sequer para ser um coronel.

    Aébrio, como sempre, profundamente patético. E quem o vai defender ? O TAPIOCOUTO, o político de boteco .

  261. Patriarca da Paciência said

    Acho que o senador Lindbergh tem todos os motivos para abrir um processo por falta de decoro parlamentar contra o Tapiocouto !

    E faria um grande favor aos brasileiros se conseguisse livrar o senado daquele traste, político de boteco !

  262. Marcelo said

    Marco Civil: se você está comemorando, é porque não leu o texto aprovado

    Publicado em 27 de março de 2014 ANTES da aprovação do Senado

    Acompanhar o debate legislativo já não é atividade das mais prazerosas, ainda mais quando você acrescenta o burburinho das redes sociais. Fazer isso durante a votação do Marco Civil da Internet na última terça (25/03) foi daquelas experiências que, ou te jogam na mais profunda prostração, ou te levam aos píncaros da indignação.

    Felizmente, a interação com o mano @gravz https://twitter.com/gravz no twitter durante a votação (e diante das reações quase histéricas dos defensores “desinteressados” do projeto) chegou ao segundo resultado. De uma rápida conversa, surgiu a ideia do texto a quatro mãos, para publicação conjunta aqui e no http://www.implicante.org (vejam lá os comentários indignados dos anti #mimimi). Essa parceria inter-portais é o embrião da FAR (Frente Ampla Reaça). Chega de moleza para os progressistas de miolo mole.

    Vamos ao texto.

    Houve uma mobilização tremenda na web acerca do Marco Civil, verdadeira comoção internética para que todos apoiassem a aprovação do texto. Os partidos, de forma unânime, foram nessa onda. Ser contra esse texto – foi o que pareceu claro – seria como ser contra o país.

    Bobagem. E vocês descobrirão a enrascada em que nos metemos. O lado ruim é ter de falar disso apenas DEPOIS do texto aprovado pela Câmara, mas a parte boa é que ainda passará pelo Senado. É preciso, desse modo, fazer pressão para que os senadores não entrem na conversa-mole.

    Ou então, já que TODOS os partidos aprovaram, talvez para eles o Marco Civil seja um ótimo negócio. Ninguém estranhou que militância e parlamentares tivessem a mesma posição diante de um tema notadamente polêmico?

    Mas vamos lá. E comecemos pela tão alardeada e comemorada “neutralidade da rede”, prevista no artigo nono e parágrafos:

    Art. 9º O responsável pela transmissão, comutação ou roteamento tem o dever de tratar de forma isonômica quaisquer pacotes de dados, sem distinção por conteúdo, origem e destino, serviço, terminal ou aplicação.

    § 1º A discriminação ou degradação do tráfego será regulamentada nos termos das atribuições privativas do Presidente da República previstas no inciso IV do art. 84 da Constituição Federal, para a fiel execução desta Lei, ouvidos o Comitê Gestor da Internet e a Agência Nacional de Telecomunicações, e somente poderá decorrer de:

    I – requisitos técnicos indispensáveis à prestação adequada dos serviços e aplicações; e

    II – priorização a serviços de emergência.

    § 2º Na hipótese de discriminação ou degradação do tráfego prevista no § 1º, o responsável mencionado no caput deve:

    I – abster-se de causar dano aos usuários, na forma do art. 927 do Código Civil

    II – agir com proporcionalidade, transparência e isonomia;

    III – informar previamente de modo transparente, claro e suficientemente descritivo aos seus usuários sobre as práticas de gerenciamento e mitigação de tráfego adotadas, inclusive as relacionadas à segurança da rede; e

    IV– oferecer serviços em condições comerciais não discriminatórias e abster-se de praticar condutas anticoncorrenciais.

    § 3º Na provisão de conexão à Internet, onerosa ou gratuita, bem como na transmissão, comutação ou roteamento, é vedado bloquear, monitorar, filtrar ou analisar o conteúdo dos pacotes de dados, respeitado o disposto neste artigo. (em todas as transcrições do texto aprovado, os grifos são nossos)

    Então não vai poder discriminar ou diminuir o tráfego? CLARO QUE VAI! Desde que isso seja avisado e pactuado pelas partes. O que, considerando todo nosso sistema jurídico, é algo não só legítimo como até mesmo óbvio (não seria cabível uma lei PROIBINDO duas partes de realizar um contrato dentro das regras constitucionais de negociação de serviços e preços).

    Contratante e contratado, portanto, tem todo o direito de estabelecer as condições de sua relação. É plenamente razoável, especialmente em busca de ajustar preços e condições, que as partes discriminem algumas especificidades do serviço objeto do contrato.

    Circulou pela web uma imagem pintando um quadro de terror caso o Marco Civil não fosse aprovado, pois sem ele as operadoras poderiam contratar planos específicos, inclusive indicando sites que teriam velocidades menores ou de acesso mediante pagamento extra (algo que até hoje nunca foi feito). Pois é justamente o texto aprovado pelo Marco Civil que REGULA e PERMITE isso. Sim, as operadoras podem, mediante contrato e seguindo os termos estabelecidos pelo artigo 9º e parágrafos, realizar essa discriminação nos serviços.

    Ou a militância é excessivamente burra, ou não leu o texto aprovado ou tem a mais inescapável má-fé. Na prática, não mudou nada, pois o atual Código de Defesa do Consumidor já veda esse tipo de coisa (desde que não haja previsão em contrato).

    Quanto ao mais, vale esclarecer: o CGI (Comitê Gestor de Internet) será “ouvido”, ou seja, terá função consultiva e não decisória (o que também é óbvio, mas a militância tenta passar ideias equivocadas acerca disso). Não haverá poder de veto nem nada do tipo. Na prática, trocam documentos de “sugestão” e fim de papo.

    E essa consulta será feita quando da regulamentação da lei pela Presidência da República, ocasião em que serão dispostos os termos de PERMISSÃO da discriminação e diminuição da velocidade (ou seja, a não-neutralidade da lei mediante contrato). As operadoras, portanto, incluirão cláusula ou parágrafo explicando como isso se dará e tudo será permitidíssimo.

    Também não contaram isso a vocês, né? Pois agora segurem o PACOTAÇO que vem de carona com a “neutralidade”.

    As barbaridades já começam no segundo artigo do projeto de lei:

    Art. 2º A disciplina do uso da Internet no Brasil tem como fundamento o respeito à liberdade de expressão, bem como:
    I – o reconhecimento da escala mundial da rede;
    II – os direitos humanos, o desenvolvimento da personalidade e o exercício da cidadania em meios digitais;
    III – a pluralidade e a diversidade;
    IV – a abertura e a colaboração;
    V – a livre iniciativa, a livre concorrência e a defesa do consumidor; e
    VI – a finalidade social da rede.

    A tara esquerdista pelos “direitos humanos” (não os reais, aqueles elencados na Declaração Universal da ONU, mas os que embasam a luta ideológica da esquerda e que excluem, entre outras categorias de seres humanos, os reaças, policiais etc.), pelo “exercício da cidadania” e pela “finalidade social” parece coisa inocente, mera perfumaria para agradar os corações mais sensíveis. Ledo engano.

    Como não há letra morta na lei, essas expressões são o ponto de partida para movimentos sociais, ONGs defensoras de gêneros, etnias, orientações sexuais e “excluídos” em geral intentarem ações contra provedores, sites, blogs, perfis de redes sociais e qualquer outro gerador de conteúdo que, no entendimento desses grupos, não esteja usando a internet de acordo com tais diretrizes, agora expressas em lei.

    A internet, que deveria ser uma ferramenta para o pleno exercício da liberdade de expressão, quando é “aprimorada” pelos progressistas mostra, já no início do seu “marco civil”, suas garras contra o que não seja o pensamento dominante.

    Art. 10. A guarda e a disponibilização dos registros de conexão e de acesso a aplicações de Internet de que trata esta Lei, bem como de dados pessoais e do conteúdo de comunicações privadas, devem atender à preservação da intimidade, vida privada, honra e imagem das partes direta ou indiretamente envolvidas.
    § 1º O provedor responsável pela guarda somente será obrigado a disponibilizar os registros mencionados no caput, de forma autônoma ou associados a dados pessoais ou outras informações que possam contribuir para a identificação do usuário ou do terminal, mediante ordem judicial, na forma do disposto na Seção IV deste Capítulo, respeitado o disposto no artigo 7º.
    § 2º O conteúdo das comunicações privadas somente poderá ser disponibilizado mediante ordem judicial, nas hipóteses e na forma que a lei estabelecer, respeitado o disposto nos incisos II e III do art. 7º.
    § 3º O disposto no caput não impede o acesso, pelas autoridades administrativas que detenham competência legal para a sua requisição, aos dados cadastrais que informem qualificação pessoal, filiação e endereço, na forma da lei.

    Quem pode sentir segurança quanto à inviolabilidade de seus dados diante de uma expressão tão genérica quanto “autoridades administrativas que detenham competência legal para sua requisição”? Agora, imaginem essa “autoridade administrativa”, que porventura considere seu blog, site, perfil de twitter ou facebook contrário à “finalidade social da rede”.

    marco civil

    Esse cara aí, um progressista cheio de boas intenções provavelmente, pode solicitar SEM ORDEM JUDICIAL sua qualificação pessoal, filiação e endereço. Vejam como o Marco Civil avançou… direto na jugular da sua intimidade!

    Art. 13. Na provisão de conexão à Internet, cabe ao administrador de sistema autônomo respectivo o dever de manter os registros de conexão, sob sigilo, em ambiente controlado e de segurança, pelo prazo de um ano, nos termos do regulamento.
    § 1º A responsabilidade pela manutenção dos registros de conexão não poderá ser transferida a terceiros.
    § 2º A autoridade policial ou administrativa ou o Ministério Público poderá requerer cautelarmente que os registros de conexão sejam guardados por prazo superior ao previsto no caput.
    § 3º Na hipótese do § 2º, a autoridade requerente terá o prazo de sessenta dias, contados a partir do requerimento, para ingressar com o pedido de autorização judicial de acesso aos registros previstos no caput.

    Não é da conta de ninguém quanto tempo você ficou conectado na internet, que horas você costuma acessar a rede, qual o IP utilizado, etc, etc… certo? Não era. Se antes o armazenamento desses dados dependia de uma autorização expressa e pessoal (aqueles termos e condições de uso que você escolheu não ler para acessar logo o site ou aplicativo), agora você não precisa mais se martirizar pela displicência. O Estado obrigará os provedores de sistemas a armazenar tudo, por um ano.

    Com o Marco Civil, você não precisa mais ler e aceitar os termos de condições. O Estado já fez isso por você.

    “Ah, mas é só armazenamento, ninguém vai acessar isso como bem entender e, ainda assim, é só por um ano”, dirão os “empreendedores esforçados”, que tanto comemoraram a aprovação do Marco. Seria, não fosse a possibilidade de extensão desse prazo, mediante requisição de “autoridade policial ou administrativa”. Qual autoridade administrativa? Perguntará o incauto. Aquela definida por um decreto ou portaria do executivo, fique tranquilo.

    Art 15. O provedor de aplicações de Internet constituído na forma de pessoa jurídica, que exerça essa atividade de forma organizada, profissionalmente e com fins econômicos, deverá manter os respectivos registros de acesso a aplicações de internet, sob sigilo, em ambiente controlado e de segurança, pelo prazo de seis meses, nos termos do regulamento.
    § 1º Ordem judicial poderá obrigar, por tempo certo, os provedores de aplicações de Internet que não estão sujeitos ao disposto no caput a guardarem registros de acesso a aplicações de Internet, desde que se tratem de registros relativos a fatos específicos em período determinado.
    § 2º A autoridade policial ou administrativa ou o Ministério Público poderão requerer cautelarmente a qualquer provedor de aplicações de Internet que os registros de acesso a aplicações de Internet sejam guardados, inclusive por prazo superior ao previsto no caput, observado o disposto nos §§ 3º e 4º do art. 13.
    § 3º Em qualquer hipótese, a disponibilização ao requerente, dos registros de que trata este artigo, deverá ser precedida de autorização judicial, conforme disposto na Seção IV deste Capítulo.

    Os defensores mais extremados do marco civil, aqueles aferrados atavicamente à tutela estatal, ou mesmo aqueles que já vislumbram boas oportunidades (afinal, para dar conta destas novas obrigações e demandas, tanto as empresas quanto o poder público terão que contratar empresas, serviços, consultorias especializadas, adquirir novos equipamentos, enfim, uma rede de interesses e negócios nada neutra), ainda podem ter a cara de pau de dizer: “Ah, mas saber que horas eu acesso a internet ou quanto tempo eu fico conectado não me prejudica em nada”.

    Então, o art. 15 veio para intervir e monitorar também o conteúdo de suas navegações, amigo internauta. Agora, todas as empresas provedoras de internet têm não só respaldo legal, mas a OBRIGAÇÃO de armazenar seu histórico de navegação por SEIS MESES. Pode apagar o histórico do seu navegador, abrir janela anônima, queridão, não vai adiantar. Seu provedor de internet não só estará guardando tudo (tudo bem, provavelmente ele já esteja fazendo isso hoje, graças ao “termo e condições de uso” que você não leu mas concordou), como estará amparado em lei para fazer isso.

    As “autoridades policiais ou administrativas”, por seu turno, podem pedir a prorrogação desse prazo de armazenamento por mais tempo, caso você não esteja usando a internet para respeitar os direitos humanos ou desenvolver sua personalidade. Tudo feito com muita neutralidade…

    Enfim
    A essa altura, muitos de vocês não devem estar nada felizes com o texto aprovado. Na verdade, quase ninguém está. Vocês foram enganados e todos nós, gostando ou não do novo “Marco”, poderemos estar sob a tutela dessa péssima lei – caso seja aprovada pelo Senado.

    Os felizes, raros, são aqueles que terão um novo mercado profissional com as obrigações geradas. Deixa eu adivinhar… Foram justamente eles que disseram ser essa uma boa lei, né? Dava para imaginar.

    Para esses, o Marco Civil reservou um filé: recursos públicos. Vejam o que a Lei prevê como “Atuação do Poder Público”

    Art. 22. As iniciativas públicas de fomento à cultura digital e de promoção da Internet como ferramenta social devem:
    I – promover a inclusão digital;
    II – buscar reduzir as desigualdades, sobretudo entre as diferentes regiões do País, no acesso às tecnologias da informação e comunicação e no seu uso; e
    III – fomentar a produção e circulação de conteúdo nacional.

    Art. 23. O Estado deve, periodicamente, formular e fomentar estudos, bem como fixar metas, estratégias, planos e cronogramas referentes ao uso e desenvolvimento da Internet no País.

    Sabem o que significa “promover a inclusão digital”? Num país com as ideias no lugar seria fomentar a concorrência para diminuir preços e melhorar qualidade de serviços, viabilizar infraestrutura de transmissão de dados, dar segurança jurídica para investimentos de longo prazo.

    No Brasil, a expressão significa: grupos de estudos, seminários, debates, simpósios, cartilhas, capacitações, tudo devidamente custeado com dinheiro público para ensinar o “cidadão” a ser “digitalmente incluído” (sempre respeitando os direitos humanos e desenvolvendo sua personalidade, não podemos esquecer).

    Esses dois artigos são sob medida para financiar mais um braço de doutrinação cultural, com o nome fantasia de “promoção da cidadania”.

    Enfim, LEIA o projeto de lei aprovado pela Câmara, tire suas próprias conclusões, não caia na conversa dessa militância que se diz em favor de “direitos”, especialmente quando TODOS os partidos da Câmara concordam com essas “liberdades”.

    Lembremos todos de fazer pressão quando o projeto chegar ao Senado. Em caso de dúvidas, peça para o militante que o convenceu a apoiar o Marco Civil que explique os artigos comentados neste post.

    E espere sentado.

  263. Guatambu said

    Pax,

    O que tem de tão bom no Marco Civil assim?

    Chesterton,

    Muito boa essa da Dilma e do avião da Malásia!

  264. Patriarca da Paciência said

    DANIEL QUOIST
    22 DE ABRIL DE 2014 ÀS 15:00
    As picuinhas são muitas, abusadas, intoleráveis e rotineiras. E com relação ao apenado José Dirceu as contas do rosário de ilegalidades parecem infindas
    O STF sob a presidência de Joaquim Barbosa se transformou num verdadeiro hospício: ninguém entende ninguém, as leis são descumpridas de forma escancaradas e ao fim e ao cabo suprema Corte se apequenou a ponto de lembrar claramente esses juizados de pequenas causas.

    Todo santo dia o STF de Joaquim Barbosa está pendurado nas manchetes da mídia amiga e parceira dos tempos em que os holofotes pareciam parte interessada no ofício de julgar.

    As picuinhas são muitas, abusadas, intoleráveis e rotineiras.

    E com relação ao apenado José Dirceu as contas do rosário de ilegalidades parecem infindas. E é o mais emblemático exemplo de uma Corte absolutamente desgovernada e avessa a observância de princípios jurídicos e modos condizentes à urbanidade.

    E isso seria o mínimo a se esperar de uma instância maior do Poder Judiciário.

    Condenado a regime semiaberto, José Dirceu, mesmo cinco meses depois de preso, continua amargando o regime fechado, exposto diariamente a humilhações públicas, ao oscilante, raivoso e sempre imprevisível temperamento de Joaquim Barbosa, e tendo que suportar maus humores da Vara de Execuções Penais do Distrito Federal e a contínua sanha persecutória da grande imprensa, sempre em busca de um petista de alta estirpe para ser levado ao pelourinho do mais infame partidarismo político.

    Que Dirceu foi injustamente condenado em um julgamento claramente politizado não deve mais pairar quaisquer dúvidas: ao longo de meses referido por ministros como Joaquim Barbosa, o controvertido Gilmar Mendes, o pouco fulgurante Luiz Fux e até o professoral Celso de Mello como “chefe da quadrilha” do mensalão, eis que, a própria Suprema Corte, tendo que julgar embargos decorrentes do julgamento, volta a se debruçar sobre a existência ou não do crime de quadrilha e entende por expressiva maioria que este crime não existiu no mensalão. Portanto, sem quadrilha não existem quadrilheiros e sem quadrilheiros não existe chefe de quadrilha.

    Entendo que as ilegalidades e toda sorte de desatinos praticados contra José Dirceu depois do dia em que foi preso – 15 de novembro de 2013 – guardam relação direta com a não aceitação, a não aquiescência de Joaquim Barbosa à decisão da Corte que preside por não validar a tese de quadrilha por ele defendida tão arduamente como relator da AP-470. É como se a tese fosse derrubada apenas de direito, mas permanecesse viva de fato: Dirceu é quadrilheiro, é chefe de quadrilha e para ele se reservam mais que os rigores da lei, os rigores dirigidos aos fora da lei.

    O descalabro é de tal monta que até a suspeita de Dirceu haver falado ao celular enquanto preso na Penitenciária da Papuda se transformou num crime de lesa-pátria, lesa-humanidade, latrocínicio seguido de morte e coisas desse mesmo tipo penal.

    Afinal, e se tivesse falado, qual o problema?

    Afinal, por ter sido preso Dirceu não teve sua liderança política abolida por ato judicial, ao contrário, insuflou ainda maior ânimo aos que se batem por sua inocência e que repudiam por completo o exótico uso da Teoria do Domínio do Fato. E todos sabemos que essa “teoria” foi a única forma encontrada por Joaquim Barbosa para conseguir na marra a sua condenação.

    Portanto, que mal teria se Dirceu tivesse falado ao celular que lhe fosse passado, mesmo que instintivamente, por um de seus convidados?

    Seria o ex-ministro da Casa Civil da Presidência da República tão perigoso assim para a ordem pública, a ponto de com uma simples chamada telefônica colocar em risco o estado de direito vigente no Brasil, uma conquista em que o próprio Dirceu teve papel proeminente em sua luta sem tréguas contra a ditadura militar que tomou de assalto o Brasil em abril de 1964?

    Depois temos, ainda em fevereiro deste ano, a indevida pressão de Joaquim Barbosa, ainda pouco explicada, na mudança do juiz que responde pela VEP-DF, saindo Ademar Vascncelos, juiz tarimbado e experiente, cioso de fazer cumprir as normas penais e entrando em ação Bruno Ribeiro, juiz jovem, filho de antigo dirigente do PSDB no Distrito Federal e que, dentre outras atuações heterodoxas coloca sob suspeição até mesmo o governador do Distrito Federal, tratando-o “de igual para igual”, constrangendo-o em público como se não existisse qualquer noção de hierarquia entre juiz de uma Vara de Execuções Penais e Governador de Estado, no caso, do Distrito Federal.

    Nem precisamos nos debruçar sobre a situação kafkiana como que vem sendo deliberadamente postergado os pedidos de Dirceu para trabalhar fora, direito perfeitamente atinente ao cumprimento de sua pena no semiaberto. Tudo é pretexto para dificultar, atravancar, inviabilizar a Dirceu esse seu direito comezinho fosse o nosso Judiciário mais atento ao que dispõe em nossa constituição, em seu artigo 37 quando trata da “impessoalidade”.

    José Dirceu vem sendo tratado da maneira mais pessoal possível e, no caso, o tratamento pessoal existe apenas para fazer valer intenções claramente discriminatórias. Outros apenados na mesma ação penal que ele vem sendo tratados com impessoalidade. Por isso são tratados de forma mais justa. Dirceu, não.

    A promotora Márcia Milhomens Sirotheau Corrêa foi acionada – adivinha por quem? – para investigar suspeitas de que o ex-ministro José Dirceu usou um telefone celular na prisão. Sim, volta o caso do telefonema de Dirceu, crime de tal magnitude que na ótica de nosso Judiciário deve ter força para alterar a ordem natural dos planetas em nossa galáxia.

    Agora, sendo os desatinos no judiciários a regra e não mais as exceções, Márcia Milhomens Sirotheau Corrêa, pediu à Justiça a quebra de sigilo de aparelhos usados no Palácio do Planalto. E em uma área que, de acordo com o pedido da promotora Milhomens, inclui a quebra de sigilo telefônico também do Congresso Nacional, e possivelmente alguns telefones de mnistros do próprio STF.

    O que se pretende com mais essa investida? Encrencar a presidenta Dilma Rousseff, seu chefe de gabinete Gilberto Carvalho e outros funcionários do estafe da presidenta da República.

    E, se por algum motivo, um dos antigos auxiliares e amigos de Dirceu tiver ligado do Planalto para Dirceu na Papuda, que mal teria isso? Constranger a Presidência da República.

    Ou, será que Joaquim Barbosa pensa que a sentença de Dirceu incluía como bônis adicional e aleatório a perda sumária de todos os seus amigos e admiradores, detentores ou não de cargos na alta administração do país?

    Houvesse um mínimo de sobriedade, lhaneza de trato, zelo para com a observância dos devidos processos legais, teríamos o seguinte quadro:

    – O ministro Joaquim Barbosa responderia por seus desatinados atos perante os ministros membros da Corte que preside e seria investigado pelo Conselho Nacional de Justiça, instado a responder por cada polêmica decisão e cada controvertida omissão tomada ao longo e ao fim do processo e do cumprimento das penas decorrentes da AP-470

    – O juiz Bruno Ribeiro responderia a processo e não a mera investigação por suas investidas contra o governador do Distrito Federal, sempre desirosas e beirando a hostilidade

    – A promotora Márcia Milhomens Sirotheau Corrêa seria exonerada de suas funções, responderia a processo por ordenar a quebra do sigilo telefônico das mais altas autoridades da República

    Também difícil de entender e o porquê de tanta eficiência investigatória, tanta mobilização no judiciário para saber se José Dirceu falou ou não ao celular e tão pouco interesse em investigar assuntos que realmente merecem ser investigados, como por exemplo a compra do apartamento em Miami por Joaquim Barbosa e suas controvertidas férias na Europa com diárias pagas pelo Poder Judiciário; a existência e funcionamento do Instituto de Direito Público de Gilmar Mendes em Brasília e as ligações pouco usuais deste em convênios sob suspeição com o Tribunal de Justiça da Bahia.

  265. Guatambu said

    Eu gosto do Zé Dirceu: mesmo preso ele continua dando emprego ao povo brasileiro, particularmente à imprensa que não tem outro assunto.

    Enquanto isso, o resto do Brasil já esqueceu quem ele é, infelizmente.

  266. Chesterton said

    Edição do Alerta Total – http://www.alertatotal.net
    Por Jorge Serrão – serrao@alertatotal.net

    Uma das cinco “tendências” na Polícia Federal arma uma desagradável surpresa para uma pessoa muito próxima do Presidentro Luiz Inácio Lula da Silva. A equipe de um delegado pertencente a uma banda anti-governista da PF, com atuação consistente em combate à corrupção e lavagem de dinheiro, ameaça abrir um procedimento investigatório para acompanhar suspeitas de crimes na evolução patrimonial incompatível com a renda declarada à Receita Federal pelo personagem ligadíssimo a Lula. A fortuna familiar do investigável é estimada em US$ 4 bilhões 770 milhões de dólares.

    O patrimônio é impressionante. Usando “laranjas” (familiares, amigos pessoais e empresários parceiros), o alvo da PF é, ocultamente, um dos maiores pecuaristas do Brasil. Em três fazendas – em São José do Rio Preto e Botucatu (SP) e no Mato Grosso, em sociedade com um famoso cantor romântico) -, o investigável cuida de 4 milhões e 800 mil cabeças de gado. Também ostenta dois jatos (cada um avaliado em US$ 8 milhões). As aeronaves operaram em nome de empreiteiras amigas, para chamar menos a atenção, como se isso fosse possível, pelas tantas viagens que faz pelo Brasil e para paraísos fiscais, principalmente o Panamá.

    O próspero negociante, em que a PF está de olho, tem participações em seis grandes hotéis (três no Distrito Federal, dois em Recife e um resort na Bahia). O agora alvo da PF – e provavelmente da Receita e da Justiça Federal – fez muitos investimentos em imóveis, o que chama a atenção e acaba facilmente rastreado. Tem um prédio avaliado em US$ 12 milhões e um terreno gigantesco, em áreas valorizadas na Zona Sul de São Paulo. Empenhou muita grana na construção de lucrativos mini-shoppings, onde fatura alto com aluguéis. Também injetou dinheiro em uma incorporadora e numa empreiteira que atua na região do Grande ABC.

    Em tempos de problemas na Petrobras, chama atenção que o investigável seja detentos de lotes de 650 mil ações preferenciais da estatal de economia mista – em baixa no mercado. Além de muitas ações da Vale e Usiminas, o investidor também tem 10% de participação em uma grande companhia aérea e 20% de uma poderosa empresa de telecomunicações. Também tem ações de um grande grupo universitário em São Paulo, e uma lucrativa participação na Ambev. Em função da criação bovina, é acionista minoritário de vários frigoríficos.

    O empreendedor pródigo conseguiu uma representação para negociar jatos da Embraer na França, no Canadá e nos EUA. Além das aplicações na hotelaria nacional, junto com outro brasileiro, controla um hotel na França. Para facilitar os negócios, tem um apartamento em seu nome em Paris, a partir de onde opera suas contas correntes na Europa. O empresário brasileiro transita facilmente pela Itália, onde tem cidadania. Em sociedade com os Irmãos Castro, recebe dividendos, em dólares, de hotéis em Cuba. Sempre que pode, viaja para lá junto com Lula.

    No rastro da Operação Lava Jato, o estouro deste escândalo, caso realmente se confirme, tende a superar, em impacto político negativo para o PT, o Mensalão (que rendeu condenações para apenas 24 dos 40 denunciados, sendo 13 milagrosamente absolvidos, poupando, principalmente, Lula da Silva). Também deve causar mais estrago que outras broncas que também chegaram próximas, mas ainda não afetaram Lula, como a Operação Porto Seguro – que rende um processo, que corre em estranho sigilo, contra a ex-chefe do gabinete da Presidência da República em São Paulo, Rosemary Nóvoa Noronha, amiga a apadrinhada e ex-assessora de confiança do ex-Presidente.

    As cúpulas do PSDB e DEM sabem de quem é o alvo da provável investigação que vai abalar o corrupto modelo capimunista da República Sindicalista do Brazil. A eleição presidencial deste ano promete ser um abatedouro de políticos – principalmente do lado governista da pocilga. Existem dossiês em profusão para alimentar a guerra suja pela sucessão de Dilma Rousseff. A ordem, dos investidores de fora, que gastaram centenas de milhares de dólares em espionagem, é destronar o PT do Palácio do Planalto.

    No marketing policial, a ação programada para ser deflagrada a qualquer momento pode ser batizada de “Operação Famíglia” – numa alusão direta a como a máfia costuma ser conhecida no idioma italiano, além do termo “Cosa Nostra”. Grandes lobistas de Brasília já comentavam, na noite de ontem, do alto risco político desta operação. O Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República, comandado pelo General de Exército José Elito, já sabe deste risco explosivo. A Presidenta Dilma e o Presidentro Lula, meio brigados por causa das confusões na Petrobras, também sabem do perigo à vista. A petralhada está mais aloprada que nunca.

    Aviso aos especuladores de boatos

    Antes que alguém tire conclusões precipitadas, uma advertência.

    O alvo bilionário dessas investigações não será o empresário Eike Batista – também grande amigo de Luiz Inácio Lula da Silva.

    A atuação de Eike no mercado de capitais, por causa dos problemas na petrolífera OGX, já é investigada pela Polícia Federal, o Ministério Público e, por ações de investidores prejudicados, também com a Justiça.

  267. Pax said

    Caro Guatambu,

    A literatura é farta. Cá meio corrido, mas te sugiro a leitura e, caso queiras, discussão sobre itens objetivos. Aqui estão alguns links.

    http://www.ebc.com.br/tecnologia/2014/03/conheca-os-principais-pontos-do-marco-civil-da-internet

    http://idgnow.com.br/internet/2014/03/26/entenda-os-principais-pontos-do-marco-civil-da-internet/

    http://pt.wikipedia.org/wiki/Marco_Civil_da_Internet

  268. Patriarca da Paciência said

    “Eu gosto do Zé Dirceu: mesmo preso ele continua dando emprego ao povo brasileiro, particularmente à imprensa que não tem outro assunto.

    Enquanto isso, o resto do Brasil já esqueceu quem ele é, infelizmente.”

    É mesmo Guatambu ?

    “Assim é, se assim lhe parece”

    Quanto a mim, percebo que o José Dirceu nunca será esquecido e, muito pelo contrário, tem o seu lugar garantido na História do Brasil.

    Ontem mesmo o senador Humberto Costa fez um contundente discurso, na tribuna do Senado, apontando todas as perseguições que José Dirceu sofreu e vem sofrendo.

    E também anunciou que vai entrar com medidas concretas !

    Foi apoiado por outros senadores do PT.

    José Dirceu já está esquecido ? Chega a ser surrealista, tal qual o famigerado processo do “mensalão”.

  269. Pax said

    Caro Patriarca,

    Entre tua opinião e a do Guatambu, creio que a dele esteja mais correta.

    Dirceu é ídolo de uma massa petista. E nem de toda massa. Há divergências internas, mesmo que muito minoritárias.

    Para o Brasil? Cara, o carinha que recebe Bolsa Família lá no sertão do MA, da BA etc, não liga o nome a qualquer figura que o conheça. Todos se lembram de Lula, sem a menor sombra de dúvidas, mas não sabem quem é o Zé Dirceu.

    Já nos grandes centros, ou mesmo numa turma mais politizada, você terá uma polarização. A maior parte terá a cabeça que a grande mídia fez, que é ruim, por conta do que Zé Dirceu fez. A mídia, complicada, parcial, desequilibrada, não fez o que o Zé Dirceu fez. Ela explora, aumenta, exagera, desequilibra, mas pega os pontos onde qualquer pessoa se abaixa e deixa a bunda de fora.

    Zé Dirceu é um nome que está presente numa minoria das cabeças brasileiras. E dentro dessas cabeças, creio que a maioria o condena.

    Juro que tentei um comentário mais equilibrado possível.

  270. Patriarca da Paciência said

    Caro Pax,

    você tem todo o direito e ter a sua opinião, mas é apenas uma opinião.

    Você leu o artigo do comentário 264? É de ontem.

    Você acha que o DANIEL QUOIST fala de alguém que já está esquecido ?

    Inclusive minha opinião é que José Dirceu não é líder de massa, este é o Lula. José Dirceu é um grande intelectual, articulador e que desperta admirações sólidas.

  271. Patriarca da Paciência said

    Veja só que coisa, caro Pax,

    tentaram ressuscitar a ARENA, o Partidão da Ditadura !

    “TSE REJEITA REGISTRO DO PARTIDO ARENA ”

    http://www.brasil247.com/pt/247/poder/137539/TSE-rejeita-registro-do-partido-Arena.htm

    Acho que o Chesterton deve estar entre aqueles que tentaram ressuscitar o Frankestein.

  272. Chesterton said

    Tenho um exercicio para você, Pax ( e quem mais quiser)
    Qual das 2 oções você prefere?

    1. eu resolvo o problema dos teus caiçaras com terras , matas sementes, sei lá, o que você quiser, mas me torno milionário

    2. deixo os caiçaras como estão e perco 20% da minha renda anual.

    então, 1 ou 2?

  273. Pax said

    Caro velho e rabugento Chesterton,

    Tua lógica pode pegar os incultos, mas juras que queres me pegar nela?

    – Não é necessário se tornar milionário pra resolver o problema dos caiçaras.
    – Não é necessário perder 20% da sua renda anual

    Você quer – qual das duas opções:

    – Virar transexual e se tornar o maior e mais rico oncologista do mundo

    ou

    – Dedicar sua vida ao bem comum e se tornar um social democrata classe média alta que tem tv digital 119 polegadas e que troca de carro a cada 2 anos

    Não é assim que a banda toca, rabugento Chesterton. Vá estudar Sócrates, ironia e maiêutica! (cada Chesterton que me aparece… só que existe um único na blogosfera brasileira!)

    —-

    Caro Patriarca,

    Não li o artigo 264 de ontem. Não tenho conseguido acompanhar noticiário nem abrir links por aqui por conta do André Vargas, digo, Paulo Bernardo, digo, João Rezende, digo, da conexão Londrina desse neoPT…

    Mas continuo com minha firme opinião: Zé Dirceu é ídolo de meia dúzia de militantes. Hoje o PT deve ter por volta de 1,5 milhão a 2 milhões de assinaturas. Nem toda essa turma aceita o “modelo ZD de ser”. Os outros? Mal sabem quem é ZD.

    Mas, mais que isso, Dirceu plantou o que colhe, é minha opinião.

    — não quer dizer que concorde que cumpra sua pena de semi-aberto em regime fechado, mesmo tentando aplicar o golpe de gerente do hotel que tem cara de Anatel.

  274. Guatambu said

    Pax,

    Segue atualização sobre a educação no Brasil.

    http://educacao.uol.com.br/noticias/2014/04/23/1-em-cada-5-professores-de-6-a-9-ano-nao-fez-curso-superior.htm

  275. Guatambu said

    Pax,

    E para encerrar o assunto sobre o Marco Civil: mudei minha opinião, achei que era ruim, mas já não acho mais.

    Li todos os artigos.

    Mas… vamos ver, a lei no Brasil tem funcionado teoricamente, mas na prática tem se mostrado bastante flexível.

  276. Guatambu said

    Patriarca,

    Eu acho que a nossa agenda política (dos cidadãos comuns), deveria estar mais ocupada com outros temas, e não com o que o ZD foi ou deixou de ser.

    Pra começar, o Zd tem um ponto em comum com o Maluf: a falta de transparência.

    Sendo um cidadão comum, me interessa muito pouco saber se eles são ou não culpados pelas acusações de desvios que fizeram, lideraram, participaram, influenciaram… não interessa.

    Eu acredito que se eles são pessoas públicas, eles devem prestar contas aos cidadãos, sendo, para isso, transparentes em suas atitudes, e aí está o ponto comum entre eles: eles não foram transparentes nas atitudes.

    Tanto que levantaram suspeitas, e suspeitas graves, de coisas graves, de desvios que ameaçam a integridade da política brasileira.

    Isso para mim é o suficiente para eu, como cidadão comum, deixar de dar credibilidade a qualquer um deles como pessoas públicas. Porque eu, como qualquer cidadão comum, estou cansado de agendas ocultas de políticos brasileiros. São nessas agendas ocultas em que se escondem todas as maracutaias.

    Não podemos condescender com maracutaias mais, mesmo que elas sejam bem intencionadas.

    Além disso, depois das acusações e do julgamento, ele já não pertence ou não deveria, pelo menos, pertencer ao cenário político.

    Depois do julgamento ele se tornou um ficha-suja, e como tal, não deveria participar da política brasileira.

    Sendo assim, Patriarca, eu prefiro discutir as propostas do PT e dos demais partidos para a educação, como eles vão dar conta da necessidade de infraestrutura brasileira, qual é o programa econômico (que hoje está à deriva) deles.

    Agora é o momento de discutir o futuro.

  277. Chesterton said

    Pax, a pergunta é legítima como exercício mental.

    Responda sim ou não: ” Você parou de bater na sua mulher?” Esta sim é uma pergunta falaciosa. Vamos lá, responde a enquete, é um exercício mental.

  278. Chesterton said

    Virar transexual e se tornar o maior e mais rico oncologista do mundo

    chest- percebi aqui um preconceito profundo.

  279. Pax said

    preconceito, eu, caro Chesterton? bateste em porta errada meu caro… não, não bati, bato e acho que nunca baterei em mulher alguma…

    caro Guatambu, o Marco Civil que falta Dilma canetar é bom, sim.

    ZD não só não é transparente como o que chega até nós não parece bom, a não ser para os petistas mais empedernidos.

    Sua atuação na Casa Civil era uma áurea de mistérios, reuniões esquisitas, gente do Banco Rural, da Portugal Telecom, gente envolvida com dinheirama que foi parar em apoios a partidos. Sua atuação como lobista, como no caso do Backbone da Internet brasileira, Eletronet, sempre foram cercadas de mistérios e enormes suspeitas, enfim, se essa foi a tal de base para criar o PT de hoje, confesso que teria uma série de poréns e questões a formular.

  280. Chesterton said

    Pax, você prefere igualdade ou prosperidade?

  281. Pax said

    não são mutuamente excludentes, e esse erro é crasso, caro Chesterton…

    você acha que numa real social democracia, que pressupõe propriedade privada e livre empreendedorismo não há prosperidade? ora bolas, claro que há, o que se mitiga (ou se tenta mitigar, se você assim preferir) é a desigualdade social insustentável

    e, o mínimo que se faz nesse sentido, para que não haja extremo de miséria convivendo com poucos com prosperidade, dá um resultado danado.

    por mais que você e outros esperneiem esse é o rumo traçado pela Constituição Cidadã de 1988, que deixa claro o estado do bem estar social

    se quiserem mexer nisso, caro Chesterton, caia na real, tem que fazer uma nova Constituinte

    e não vão conseguir mexer

  282. Zbigniew said

    Em tempos de marco civil da internet, reconheçamos, o Brasil mandou bem. E como. Agora, não vamos exigir que isso saia no JN, pelamordedeus, não é D. Dilma?

    “(…)
    Um dos principais jornais da Europa, o francês Le Monde destacou a seguinte manchete: “O Brasil lidera a batalha contra a hegemonia norte-americana na Web”.

    Para o Le Monde, o Marco Civil da Internet garante a liberdade de expressão, a proteção da vida privada e a igualdade de tratamento de qualquer tipo de conteúdo. Além disso, para eles o Brasil, diferente da França, enfrentou os Estados Unidos após o escândalo sobre as escutas feitas pela agência americana NSA, denunciadas por Edward Snowden.

    Logo no início da reportagem, o jornal francês coloca a presidente Dilma Roussef como grande líder mundial na luta contra o monopólio dos EUA na web. Foi graças à indignação dela com as espionagens por parte do governo americano que se difundiu a discussão do Marco Civil no país e de toda a revolta mundial em prol da segurança e privacidade na rede.
    (…)”

    http://jornalggn.com.br/noticia/brasil-e-pioneiro-na-luta-contra-monopolio-dos-eua-na-web-diz-le-monde#comments

  283. Chesterton said

    de 88 para cá a desigualdade aumentou.

  284. Chesterton said

    é uma pergunta…

  285. Marcelo said

    Zbigniew

    Para esclarecer os circunstantes, eu sugiro que vc explique para nós o que significa segurança e o que significa privacidade na rede?

    Estou aguardando suas explicações iluminadas, como sempre.

    A pergunta também vale para outros comentaristas, é claro.
    Alguém sabe?
    Pax incluído.

  286. Pax said

    Caro Chesterton,

    Vivemos um paradoxo. Os mais ricos acumularam mais riquezas, isso está nos dados disponíveis. De outro lado, os mais miseráveis melhoraram um bocado. Basta ver o consumo interno que não tem contrapartida na produção e, por consequência, a inflação que o governo não consegue torear com as três torneirinhas que tem disponível (câmbio, impostos e taxa básica de juros).

    Mas foi essa classe ascendente, que passou a consumir comida, roupa, serviços, carros, motos, viagem de avião, que acabou por sustentar a crise de 2008 que a maioria dos países sofreu bem mais que nós. Isso é fato, não é torcida.

    Resumindo, e voltando, vivemos o tal paradoxo. Mas diria que a desigualdade diminuiu e isso não me parece ruim. Muito pelo contrário.

    O que é ruim, o que me faz espernear, é o desperdício. Basta pegar o valor de um bolsa família, em 2013 foi de, salvo engano, R$ 24 bilhões. Isso é um nada no orçamento da União. Só pra ter uma ideia, os desvios vinculados na tal operação Laca a Jato da PF fala em R$ 10 bilhões. Ou seja, um mínimo que gastamos com um projeto para não deixar 20, 30, 40, sei lá milhões de pessoas passarem fome, gera um resultado enorme no consumo interno.

    Afora isso o aumento real do salário mínimo, outro fato. Havia quem dissesse que era um problemão. Pois bem, hoje a maioria das agências publicitárias, novelas da grande mídia, produtos e serviços em produção, estão focados nessas classes D, C, essas que ascenderam e que hoje representam mais de 50% da economia nacional.

    Isso não te faz pensar nem um pouco?

    Agora, se você me perguntar se isso vale a roubalheira que estamos vendo descortinadas, aí o assunto muda de figura. O governo adotou os mesmos métodos, o mesmo patrimonialismo, e uma enorme capilaridade de gente enfiada em todo canto, mamando nas tetas. Gente tipo André Vargas pra baixo (e esse é o problema ainda maior, o número de apaniguados que achou uma tetinha pra mamar) que acaba, segundo meu achismo, sendo ainda pior que um André Vargas da vida, um canalha que só quer saber de roubar, alimentar a máquina pra roubar ainda mais (segundo farto noticiário), aí a coisa fica não só esquisita, mas muito questionável.

    Quando um PT fica remoendo a decisão de expulsar gente como Vargas, como Vaccarezza etc, ele nos diz a que veio. É triste, nossos amigos petistas podem espernear à vontade, mas é isso, sim, que representa essa gente da teta.

    Da mesmíssima forma, sem tirar nem por, que um PSDB deu a presidência do partido pro Eduardo Azeredo depois dele inventar e montar (de novo, segundo farto noticiário) esse esquema do valerioduto que o PT adorou imitar.

    Quando digo que é tudo farinha do mesmo saco, tem um monte de gente que reclama, fica nervozinho, mas os sintomas são exatamente iguais, o que a semiótica nos faz afirmar: são iguais, neste ponto não há diferença conceitual, qualquer que seja.

  287. Zbigniew said

    Privacidade e segurança?
    Direitos e deveres na linha da democratização do acesso. É aí que se quebra a espinha dorsal do sistema de dominação exercido pela mídia oligopolizada.
    Não é à toa que, apesar de veículos como a Rede Globo continuarem a arrecadar bem, estão vendo o poder de influenciar a sociedade como um todo se restringir cada vez mais a certos ninchos, haja vista os cada vez menores índices de audiência de seus programas, em especial os telejornais.
    Nisso o PT está fazendo direitinho.

  288. Marcelo said

    Zbigniew

    Privacidade? Segurança? NA INTERNET!

    O que é? Acho que vc não sabe.Sabe?

  289. Zbigniew said

    Marcelo,
    é isso aí.
    Ninguém sabe. É um conceito abstrato e incerto criado pelo PT pra vê se diminui um pouco o processo de desconstrução da Dilma que está a todo vapor.
    Até o Le Monde, jornalão francês das antigas, caiu nessa esparrela.
    Ah, esse PT. Só podia ser o pior partido de todos os tempos e sua presidente incompetente.
    Obrigado Marcelo por abrir meus olhos.

  290. Chesterton said

    Isso é papo de quem tá chateadinho com a capacidade do Obama de saber tudo o que se passa pelo mundo.

    Pax, existe maior desigualdade que em Cuba?

  291. Zbigniew said

    Meu Deus, Marcelo!
    Até o El País parece ter sido enganado pelo PT com esse negócio de março civil da internet! Em que mundo estamos vivendo?!
    Só os saxões como o FT e Economist para mostrar corretamente ao mundo a falsidade dessa obra legislativa.

    Veja o que manchetou o jornal espanhol:
    El futuro de internet se decide en Brasil
    El Senado aprueba su ley de Marco Civil, un día antes de la cumbre #NETmundial de São Paulo
    In English: Brazil passes far-reaching internet law

    No link: http://internacional.elpais.com/internacional/2014/04/23/actualidad/1398219461_337462.html

  292. Marcelo said

    Meu caro Zbigniew

    Nem privacidade nem segurança na Internet são conceitos abstratos!
    Puxe outra cola e veja se dessa vez dá certo.
    Até agora, sinto muito meu caro, o senhor deveria ter permanecido calado. O reporter do LeMonde também não sabe o que quer dizer Segurança ou Privacidade na Internet

    CONCLUSÃO ATÉ AGORA : ninguém AQUI sabe o que é Segurança e/ou Privacidade na Internet.E nem querem aprender.

    MAS batem palmas para um Marco Civil que em nome da Segurança desrespeita a Privacidade dos cidadãos ( dica para os outros comentaristas!) Se e quando vier a ser implantado.
    Aviso: Se for implantado do jeito que foi aprovado TODOS os sites do Governo teriam que ser tirados da rede. Portanto meus caros…

    Continuem na ignorância conveniente…

  293. Chesterton said

    Pax, você prefere igualdade ou prosperidade?

    Pax disse

    não são mutuamente excludentes, e esse erro é crasso, caro Chesterton

    chest- parece que são excludentes.

  294. Zbigniew said

    Pois é, caro Marcelo,

    Nesta seara precisamos de mais honestidade intelectual e menos partidarismo.
    Um bom começo para nós leigos (faço referência a mim) é a entrevista dada pelo Vint Cerf (sabes quem é?) sobre esse projeto. Parece que ele até gostou, fazendo ressalvas técnicas importantes. A entrevista tá lá no Vida Digital da (argh!) Veja. Só um trechinho inicial:

    “Qual o impacto do Marco Civil no debate global? O Marco Civil é parte de um processo e representa um grande passo para o país. O deputado Alessandro Molon, relator do projeto de lei, deve se sentir orgulhoso. Mas o Marco é só parte de uma discussão maior acerca da internet. Há também outros assuntos importantes ligados a políticas de governança da rede. O Marco Civil é uma solução criada para um território. É um projeto local.”

    http://veja.abril.com.br/noticia/vida-digital/e-preciso-avaliar-a-eficacia-do-marco-civil-diz-pai-da-web

  295. Marcelo said

    Meu caro Zbigniew

    cada vez que vc escreve fico mais confuso.
    Acho que vc habita outro planeta.
    Mas afinal foi buscar um pouco de informação na VEJA hehehe

    A entrevista dele Vint Cerf (na qual é citado o Tim Berners-Lee) revela que o Marco Civil da Internet 1.0 no Brasil (da Dilma) é regional e que precisará ser posto em prática antes de qualquer julgamento a favor ou contra.
    Foi delicado.

    Neste país onde a presidente afirma que aprovou uma negociação internacional de porte (Pasadena) sem ler o contrato, confiando no presidente da Petrobrás à época, acabou por chiar revelando-se traída, por não ter lido o contrato (assessorias servem pra que?)…
    tudo pode acontecer…

    Agora o que eu não entendo é por que vc ( e outros aqui) batem palmas sem saber do que se trata.

    Lembro do Idelber ( o amigo do Pax) afirmando que os negócios gerados pela Copa das Confederações não devem ser incluídos no PIB hehehe Por que? Porque ele acha!

    Essa e outra bobagens cabeludas circulam por aqui todo dia.

    Afinal alguém aqui sabe diferenciar segurança de privacidade na Internet ou em redes privadas? ? ?

    Por exemplo: Dilma foi espionada (?) numa rede privada? Ou pública?
    Vargas foi pego fazendo negócios com o doleiro numa rede privada ou pública?

    Pelo jeito ficarei sem respostas inteligíveis.

    Meu amigo Zbigniew ..deixe prá lá. Teu negócio é outro.
    Faço minhas as tuas palavras:

    Nesta seara precisamos de mais honestidade intelectual e menos partidarismo.

    Provavelmente um Marco Civil da Internet 2.0 em 2015, junto com o reajuste dos preços de combustíveis e energia elétrica. após a eleição apresentar o novo presidente.

    Na minha opinião, Dilma irá perder a eleição.
    Ainda não sabemos pra quem.

  296. Patriarca da Paciência said

    CPI é uma vergonha! É apenas uma lavagem de roupa suja em público. Nada ter a ver com Justiça ou busca da verdade ! Parem com essa vergonha. Final do vídeo do Bisol, gravado em 2008.

    http://www.senado.gov.br/noticias/tv/programaListaPadrao.asp?ind_click=&txt_titulo_menu=Hist%F3rias%20Contadas&IND_ACESSO=S&IND_PROGRAMA=S&COD_PROGRAMA=91&COD_MIDIA=109765&COD_VIDEO=104766&ORDEM=0&QUERY=&pagina=1&PARTE_VIDEO=2

  297. Zbigniew said

    Pois é.
    No entanto vc usa Pasadena pra justificar tua desconfiança quanto ao
    marco civil.
    Agora eu é que estou confuso. Dilma, Pasadena, marco civil, tudo misturado? Realmente bem objetivo.
    Obviamente que para o entrevistado trata-se de um primeiro modelo regional (e não mundial). Obviamente. E o que tem isso?
    É um primeiro e importante passo de alcance regional mas de significado mundial por lançar bases para, quem sabe, outras iniciativas de âmbito global. Isto é sim, bastante significativo.
    Se existem imperfeições de ordem técnica nada impede o seu aperfeiçoamento.
    No entanto não vi o pai da internet fazer qualquer ressalva quanto a esse aspecto.
    Mas, sabe-se lá, vai ver o cara não teve a percepção que tu tivesses.
    Quanto à Dilma não se eleger, pode ser. O problema, meu caro, são as alternativas. Aí o negócio começa a desandar.

  298. Patriarca da Paciência said

    Em verdade, final do segundo vídeo.

  299. Patriarca da Paciência said

    É também nesse vídeo que Bisol fala que, “política brasileira é uma eterna tentativa de destruir o oponente”

  300. Marcelo said

    Pax

    Acho que vc terá que fechar o seu site por ser anti econômico.
    Armazenar durante 6 meses os dados dos comentaristas, para eventuais transgressões ao Marco Civil 1.0 vai custar mais caro.

    E vai sair do se bolso, meu caro.

    Leia o artigo do Ronaldo Lemos que é do ramo:

    http://www1.folha.uol.com.br/tec/2014/04/1444334-texto-do-marco-civil-pode-ser-melhorado-na-justica-diz-pesquisador.shtml

    Marco Civil 2.0 no STF hehehe ( Pax)

    Ah e a mulata assanhada do STF – Rosa Weber- acaba de proferir seu voto a favor da CPI exclusiva Petrobrás. Cabe recurso ao plenário.Ricardão votará contra, imagino.

    CPI eleitoreira ? sem dúvida.
    Mas Dilma (e o PT) fica cada vez mais no papel de INCOMPETENTA ou não? Por meses.

    Mas convenhamos…a culpa é da Oposição que não tem propostas!

  301. matwinck said

    Quem tem “autoridade moral”, Aécio?

    Em 2012:

    http://congressoemfoco.uol.com

    Aécio – 20 ausências

    Lindbergh – 4 ausências

    De fato, Lindbergh é um quinto do “grande” senador que é Aécio Neves

    Faltas por senador em 2013:

    http://congressoemfoco.uol.com

    Em suma:

    Aécio – ausências em 15 sessões

    Lindbergh – ausências em 3 sessões

    Em tempo: o suposto valente senador Mário Couto, que gosta
    de usar o suposto dedo indicador, e
    tomou as dores de Aécio, faltou mais que ambos.

    Em 2012, o senador tucaníssimo eleito pelo Pará faltou 51 vezes. Em 2013 também
    faltou, mas reduziu as ausências para 22.

    Em tempo II:

    O senador Mário Couto (PSDB) pediu impeachment de Dilma.

    Ele é acusado de fraude em 11 processos. Somente escândalos com desvios somam, segundo cálculos do Ministério Público Estadual,
    R$ 13 milhões.

Faça seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 37 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: