políticAética

Notícias da Corrupção, Desvios, Anomalias, Eleições e Meio Ambiente

  • Sobre o blog

    Uma coletânea das notícias da corrupção, desvios, anomalias, eleições e meio ambiente que aparecem na mídia todos os dias a partir de agosto de 2008.
  • Categorias

  • Arquivos

  • Páginas

  • Meta

Ok Chávez, bienvenido

Posted by Pax em 29/10/2009

A Comissão de Relações Exteriores do Senado aprovou hoje (29) por 12  votos a 5  a adesão da Venezuela ao Mercosul.

O blog não tem ambições de tratar de Mundo, mas a Venezuela parece Brasil, sob certos aspectos.

Comissão do Senado aprova adesão da Venezuela ao Mercosul

 

Hugo Chávez

Foto: Wikipédia

Renata Giraldi – Repórter da Agência Brasil

Brasília – A Comissão de Relações Exteriores do Senado aprovou hoje (29) por 12 votos a 5 a adesão da Venezuela ao Mercosul, depois de muita controvérsia e resistência por parte dos senadores da oposição, contrários ao ingresso do país vizinho no bloco. Com maioria, a base aliada do governo assegurou a aprovação do voto em separado do senador Romero Jucá (PMDB-RR).

A expectativa, segundo Jucá, é que o protocolo de adesão dos venezuelanos seja levado ao plenário do Senado na próxima semana. Para a aprovação da proposta, basta ter maioria simples dos presentes no plenário, o que facilita a articulação por parte da base aliada.

A votação do relatório de Jucá foi antecedida por discussão e rejeição do texto relatado pelo senador Tasso Jereissati (PSDB-CE). O tucano recomendou que a Venezuela não fosse aceita no Mercosul.

A base aliada do governo ganhou reforço com a presença e voto do senador Mozarildo Cavalcanti (PTB-RR) – que entrou no lugar do senador Fernando Collor de Mello (PTB-AL), que havia sinalizado ser contrário à aprovação da proposta.

Para a oposição, a Venezuela não deveria ser integrada ao Mercosul porque Chávez teria imposto um regime antidemocrático no país. No entanto, os governistas defendem que a sociedade e o país não podem ser punidos em decorrência do perfil político de um governante que é transitório, uma vez que as eleições permitem a variação de autoridades no Poder.

Segundo Jucá, a imprensa seria responsável por atribuir a Chávez um perfil que não corresponde à realidade. Desde o governo do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, o protocolo de adesão da Venezuela tramita no Congresso Nacional.

O ingresso da Venezuela no Mercosul depende ainda de aprovação do Congresso Nacional do Paraguai. Os parlamentos do Uruguai e da Argentina já aprovaram a adesão dos venezuelanos no bloco.

O ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Miguel Jorge, afirmou que o Brasil tem um superavit comercial com a Venezuela de US$ 5 bilhões ao ano. De acordo com ele, o comércio bilateral entre os dois páises envolve aproximadamente US$ 6 bilhões por ano.

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva estará hoje no final da tarde na Venezuela. Lula e Chávez se reunirão, inicialmente, em Caracas e depois na cidade de El Tigre, na parte oeste venezuelana. Eles vão participar da primeira colheita de soja plantada com apoio de tecnologia brasileira.

Anúncios

16 Respostas to “Ok Chávez, bienvenido”

  1. Chesterton said

    estamos pendurados no Paraguai, amazing!

  2. Patriarca da Paciência said

    O Romero Jucá foi muito feliz em seu pronunciamento: ” Brasil aprovou a entrada da Venezuela no Mercosul. Governos passam, os Estados permanecem.

    O Bush achava que resolveria todos os problemas do Iraque enforcando o Saddam Hussein e, até hoje, os problemas do Iraque só pioram.

    A sociedade cria os líderes que necessita, eis uma grande verdade. É o próprio fundamento da democracia.

    Chavez representa hoje a vontade da maioria dos venezuelanos, no dia em que deixar de representar essa vontade, perderá importância… mas a Venezuela continuará.

  3. fk said

    Patriarca, tão ou mais importante quanto garantir a expressão da maioria, a democracia serve tambem para garantir a expressão da minoria. É nesse ponto, principalmente, que Chavez pode ser contestado.

    Quanto à passagem do governo, bem, acho meio difícil que isso aocnteça tão cedo em um ambiente de reeleição ilimitada.

    A grande jogada de Chávez foi usar os intrumentos democráticos pra criar algo que se fantasia de democracia, mas que não chega efetivamente a sê-lo.

    Por fim, não sei como parte da esquerda compra o discurso de um cara que é em sua essência um conservador em termos valorativos. Deve ser por causa das raízes católicas de certa parcela de nossa esquerda, que só consegue ser progressista até certo ponto, não conseguindo discutir a plena emancipação do ser humano, pois isso implicaria necessariamente em um ataque a pontos centrais dos valores cristãos, como a família. Mas aí é só divagação.

  4. Patriarca da Paciência said

    FK
    As minorias devem ser respeitadas, mas deve prevalecer a vontade da maioria.

    A liberdade de cooperar, aglutinar, socializar, agregar é bem mais importante que a liberdade de desagregar, individualizar etc.

    Para mim o sujeito mais ingênuo que já existiu foi o Friedman, com sua idéia de que cada um olhando apenas para o próprio umbigo, se chegaria à sociedade perfeita.

    Desde Aristóteles, e até bem antes dele, os mais sábios já chegaram à conclusão que o homem é um ser social.

    A Venezuela é uma dos países que tem melhor desempenho em vários itens, na América do Sul. O problema é que Globo e Veja só mostram o lado negativo do Chavez.

  5. fk said

    Sim, deve prevalecer a vontade da maioria, ams quando simplesmente coloca-se a minoria de escanteio, aí já não é mais maioria, é ditadura mesmo.

    O problema é que a minoria defende coisasa que a maioria não gosta? Pois bem, é exatamente isso que faz a minoria uma minoria!

    Eu não falo isso baseado no Friedman, na verdade, bem longe disso.

  6. Zbigniew said

    A posicao recrudescida do Chavez se deu porque essa minoria tentou derruba-lo atraves de um golpe. Ou nao foi verdade? Toda atitude extrema leva a outras de mesma intensidade ou maior. Nao defendo aqui a postura do Chavez, mas e muito simplista a visao de que todo o mal (o ouro de Moscou) provem do Chavez (o ditador eleito de forma democratica), o que, convenientemente tem sido usado para todo tipo de justificativa: e Honduras, e a nao inclusao da Venezuela no Mercosul, e a Revolucao Bolivariana, sao as bases americanas na Colombia.
    O Governo Brasileiro tem feito o papel correto. Chavez e antes de tudo um parceiro comercial, e, com isso, tem isolado e ate mesmo anulado qualquer pretensao mais “fora da realidade” do Caudilho.
    Certamente, assim como em Honduras, o Brasil nao admitiria qualquer atitude anti-democratica da Venezuela, inclusive por ser uma das clausulas para inclusao do pais no Mercosul. Ha problemas internos, mas deverao ser resolvidos a contento. Chavez nao sera para sempre.

  7. fk said

    É, mas colocar o Chavez no mercosul, a meu ver, é colocar o último prego no bloco. Bom, quem sabe não seja mesmo essa a intenção…
    Por mais que seja um bloco econômico, é difícil não acreditar que Chavez não vá, de qualquer maneira possível, tentar politizar o bloco, que já está, por sinal, de todo enfraquecido.
    O governo Chavez, por sua vez, é um grande mistério, e vai ser preciso gastar muita tinta ainda até chegarmos à conclusão do que ele realemnte é, pois, como eu disse, usa de instrumentos democráticos para fazer pequenos avanços contra-democráticos. E ainda acho que parcela da esquerda brasileira ainda compra gato por lebre apoiando Chavez, nem tanto por resquícios autoritários, mas por ele ser em parte socialmente conservador.

  8. fk said

    Analisando pelo viés da geopolítica,a entrada da Venezuela no Mercosul será uma vitória fantástica do Chávez.
    A América do sul hoje se divide em 3: os que estão com Chávez -Equador, Bolívia, Paraguai, Argentina-, os que não estão nem aí pro Chávez -Peru, Chile, Uruguai, Colômbia-, e o Brasil, que não sabe bem onde se posicionar.
    A Venezuela no Mercosul, apesar do blah blah blah de que governantes passam, mas países ficam -o que é correto em Estados sujeitos a uma normal alternância de poder-, é sim uma vitória chavista, pois acerta em cheio a única instância política na qual o Brasil ainda conseguia exercer algum tipo de influência no continente. Pior ainda, o Brasil, enquanto signatário do Tratado de Montevidéu, coloca parte de sua política comercial refém dos humores chavistas. Por isso, eu acho que o Mercosul subiu o telhado.
    Mas não se preocupem, caros binários da política nacional, pois, na minha opinião, o Mercosul começou a morrer já com o FHC, quando ele liberou o câmbiou e, dessa forma, quebrou a Argentina.

  9. Chesterton said

    tendo a concordar com isso.

  10. fk said

    E só mais um detalhe que eu tinha esquecido: ao contrário da boa prática internacional quando se trata de qualquer bloco comercial, a Venezuela será admitida sem que tenha havido qualquer tipo de negociação prévia sobre as questões de taxação, seja intra-bloco, seja em relação a países fora do bloco.
    Coisa de maluco isso!

  11. Zbigniew said

    Mas por que o Mercosul ficara ao sabor dos humores chavistas? Se a maior economia do bloco e o Brasil? Estar com Chavez e o mesmo que compactuar com o plano do mesmo de levar a revolucao bolivariana aos quatro cantos do planeta?
    Pra ficar so no campo economico, estaria ai um superdimensionamento do poder de Hugo Chavez no continente. O mesmo ocorreu com a Bolivia e o Evo Morales que, a despeito de ter nacionalizado refinarias, hoje encontra dificuldades para vender seu gas, e ainda, forcou o Brasil, seu maior cliente, a procurar fontes alternativas dentro do propio territorio. Hoje o Brasil discute o gas boliviano em posicao de vantagem politica evidente.
    Chavez a depender excessivamente da matriz petroleo, num momento de crise internacional.
    A quem defenda que e melhor integrar do que isolar. Filio-me a esta corrente. Nao ha militarismo, tampouco acoes que se possam considerar hostis a outras nacoes. Ha problemas internos, e verdade.
    Mas dai a afirmar que o Chavez vai bater o ultimo prego no caixao do Mercosul, e no minimo temerario.

  12. Eduardo said

    Certo fez Collor de não querer participar dessa votação, pois é contrário à entrada da Venezuela no Mercosul. Para mim, a Venezuela só deveria entrar no bloco depois que Chávez sair do governo do país. Essa seria até mesmo uma forma de protesto contra as medidas tomadas por Chávez.

  13. Carolina said

    É uma loucura permitir a entrada desse ditador dentro do bloco econômico.

  14. fk said

    zbigniew – As decisões no Mercosul tem que ser tomadas por unanimidade. Acho que isso já é problema suficiente. Sem falar que o Mercosul não serve apenas ao comércio intrabloco -é um Mercado Comum, e, como tal, os países só podem negociar comercialmente em bloco. Será que as preferências ideológicas de Chávez não poderiam atrapalhar tais negociações?
    Por fim, essa coisa de aceitar um país sem a prévia negociaçãi de tarifas mostra que o Mercosul já foi pro saco faz tempo. Bem, um bloco no qual os dois principais parceiros -Brasil e Argentina- digladiam-se não tem muito futuro mesmo…uma pena…
    Quanto ao poder do Chávez, é inegável que ele exerce uma ascendência absurda sobre Equador, Bolívia,Paraguai e, porque não, Argentina. Não acho que seja superdimensionado, ainda que depende muito das oscilações do preço do petróleo.

  15. Maria Paula said

    Collor conseguiu uma forma de não ir contra sua posição e ao mesmo tempo não contrariar o pedido do Presidente Lula. Não sei se foi a melhor opção, mas certamente Collor mostrou sua habilidade como político.

  16. Zbigniew said

    Realmente e um risco, FK, nao se pode negar. Mas acredito que o Mercosul tenha mecanismos suficientes para evitar a paralisacao do bloco. Na realidade isso esta mais para uma maturidade politica do bloco. A Uniao Europeia nao uniu paises tao dispares como a Alemanha e a Inglaterra? Problemas sempre existirao, mas o que vai definir o sucesso ou nao do bloco, no meu sentir, nao sera o Chavez, mas sim a capacidade dos paises da regiao superar seus desfios internos e externos, inclusive uma eventual postura inflexivel do Presidente da Venezuela, tendo como principio a manutencao das instituicoes democraticas. Mas acredito que a posicao do governo brasileiro tenha sido correta, porque, embora desconfie-se do Chavez, temos comercio com a Venezuela, inclusive superavitario em relacao a nos, e devemos, nao so mante-lo, mas aumenta-lo, assim como em relacao aos demais paises, e, quem sabe, integrar toda a America Latina num so bloco. Por que nao?

Faça seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: