políticAética

Notícias da Corrupção, Desvios, Anomalias, Eleições e Meio Ambiente

  • Sobre o blog

    Uma coletânea das notícias da corrupção, desvios, anomalias, eleições e meio ambiente que aparecem na mídia todos os dias a partir de agosto de 2008.
  • Categorias

  • Arquivos

  • Páginas

  • Meta

Procuradora aciona Tuma e Maluf por ‘ossadas de Perus’

Posted by Pax em 27/11/2009

Denúncia é por ocultação de cadáver de vítimas dos órgãos de segurança

Marcelo Godoy – O ESTADO DE S. PAULO

O Ministério Público Federal entrou ontem na Justiça Federal com uma ação civil pública contra o senador Romeu Tuma (PTB-SP) e o deputado federal Paulo Maluf (PP-SP) por causa de fatos ocorridos no regime militar. Tuma era delegado de polícia e dirigiu o Departamento de Ordem Política e Social de São Paulo (Dops-SP). Maluf foi prefeito de São Paulo de 1969 a 1971. A procuradoria alega que, nesses cargos, eles participaram da estratégia da ditadura de desaparecer com os corpos de presos políticos mortos por órgãos de segurança e enterrados nos cemitérios de Perus, na zona oeste de São Paulo, e de Vila Formosa, na zona leste.

Essa é a primeira vez que políticos e civis são acusados por delitos da repressão política dos nos 60 e 70. Tuma trabalhou no Dops-SP de 1966 a 1983. Dirigiu o Serviço de Informações e foi diretor-geral do órgão. Maluf voltaria à prefeitura em 1993. Além deles, também são acusados na ação o ex-prefeito de São Paulo Miguel Colasuonno (1973-1975), o ex-diretor Fábio Pereira Bueno, do Serviço Funerário, e Harry Shibata, ex-chefe do necrotério do Instituto Médico-Legal (IML).

Em outra ação, os procuradores pedem a punição de universidades, legistas e peritos que teriam contribuído para que ossadas de desaparecidos achadas em Perus, em 1990, ficassem sem identificação. As duas ações são assinadas por quatro procuradores e fazem parte da estratégia da procuradoria de processar civilmente os suspeitos de crimes da ditadura, driblando, assim, a Lei da Anistia, que impede ações criminais contra os acusados.

A procuradoria quer que os acusados tenham aposentadorias cassadas e sejam condenados à perda das funções públicas. No caso de Maluf e de Tuma, o processo civil não atinge os mandatos dos dois. A procuradoria pede ainda que paguem indenização de até 10% de seu patrimônio pessoal, dinheiro que seria investido em ações de preservação da memória dos crimes ocorridos na ditadura.

Continua…

Anúncios

Faça seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: