políticAética

Notícias da Corrupção, Desvios, Anomalias, Eleições e Meio Ambiente

  • Sobre o blog

    Uma coletânea das notícias da corrupção, desvios, anomalias, eleições e meio ambiente que aparecem na mídia todos os dias a partir de agosto de 2008.
  • Categorias

  • Arquivos

  • Páginas

  • Meta

O fracasso da COP 15

Posted by Pax em 19/12/2009

A melhor fonte que encontrei sobre o patético fim da COP 15 está no site O Eco, onde há uma reportagem completa da equipe deles em Copenhague e uma entrevista com Carlos Minc explicando as discussões do grupo chamado BASIC – Brasil, África do Sul, Índia e China que Obama entrou no final. E entrou para, segundo parece, atrapalhar qualquer possibilidade aceitável.

Veja a notícia e o vídeo no site O Eco no link abaixo:

Rumo ao fracasso

E leia a notícia da Agência Brasil, abaixo

Acordo sobre o clima fica para 2010

Da Agência Brasil

Brasília – A decisão sobre um novo acordo climático, que deveria sair da 15° Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas (COP-15), em Copenhague, na Dinamarca, vai ficar para 2010. Os 192 países que participam da reunião não chegaram a um consenso sobre um novo instrumento legal e vinculante para limitar as emissões de gases de efeito estufa e enfrentar o aquecimento do planeta.

Um acordo parcial foi fechado entre os Estados Unidos, a China, Índia, o Brasil e a África do Sul com apoio de outros países, mas ainda depende de aprovação formal e deixa muitos pontos da negociação em aberto.

Uma nova reunião, em seis meses, deve ser realizada em Bonn, na Alemanha, para preparar a próxima conferência sobre o clima, no México, no fim de 2010. O anúncio foi feito pela chanceler alemã, Angela Merkel. As informações são da agência de notícias portuguesa Lusa.

De acordo com o presidente francês, Nicolas Sarkozy, todos os países industrializados “aceitaram informar por escrito” seus compromissos para a redução das emissões de gases responsáveis pelo efeito estufa até 2020.

Segundo Sarkozy, a ausência de objetivos de redução das emissões mundiais em 50% até 2050, necessária para limitar o aumento da temperatura do planeta em 2 graus Celsius, é uma “decepção”.

Anúncios

53 Respostas to “O fracasso da COP 15”

  1. José Antonio Lahud Neto said

    Bom, então está resolvido: O mundo vai acabar! Ao menos, Pax, paramos de sofrer com o Botafogo.

  2. Pax said

    Prefiro que o mundo não acabe e que o Fogão vire campeão, seu lugar de destino… (argh, tá difícil achar isso com o alvinegro).

    Ok, pelo menos o mundo não acaba e ficamos no 1 a 1.

  3. Chesterton said

    Pô, Pax, era para eu embarcar para NY hoje. Mas basta haver uma reunião sobre aquecimento global e as piores tempestades de neve congelantes de todos os tempos se abatem sobre o hemisfério norte…que coisa!

  4. Zbigniew said

    O texto do site indicado esta meio truncado (ou nao entendi direito). Uma hora diz que o BASIC junto com os EUA firmaram um acordo, outra hora diz que o Obama fechou a porta que o Lula tinha aberto e que o grupo dos 77 + China haviam rechacado o que o BASIC + EUA haviam acordado (sabendo que a China e o Brasil tambem fazem parte do BASIC). Ou o autor nao soube separar elementos particulares que foram negociados e juntou tudo numa coisa so, ou juntou tudo numa coisa so, as noticias que mandaram la de Copenhague, sem checar direito a sua logica. Ta meio dificil de entender.

  5. Pax said

    Qual o texto que está truncado para você, Zbigniew?

    Vou tomar a liberdade de reproduzir o do O Eco que indiquei e coloquei o devido link:

    Rumo ao fracasso
    Equipe COP15
    19/12/2009, 01:24
    Um acordo costurado pelo presidente americano Barack Obama com os presidentes do Brasil, China e Índia levou, na madrugada deste sábado, as negociações da 15a Conferência das Nações Unidas sobre Mudança Climática à beira do colapso. Diversas delegações afirmam que não aceitam a declaração política comandada por Obama e propõem o adiamento das discussões do novo tratado para junho de 2010.

    O acordo proposto pelo EUA e as nações emergentes teve início em reuniões do chamado BASIC (sigla formada pelas iniciais dos países participantes do encontro – Brasil, Africa do Sul, Índia e China), às quais posteriormente Obama se juntou. O “Acordo de Copenhague”, como foi chamado o documento negociado, é uma declaração política que descreve de forma bastante geral qual devem ser os elementos de um novo tratado legal que será negociado durante o ano de 2010. O texto teve diversas versões durante o dia, mas seu formato final acabou eliminando qualquer referência direta a metas de redução de gases de efeito estufa.

    Na verdade, optou-se por criar um anexo onde países desenvolvidos incluem suas propostas de redução até 2020. Mas por ora esses números não são comparados ao esforço requerido pela Ciência de que um corte de 25% a 40% deve ser feito por países ricos.

    À parte da ausência de metas de emissão de gases de efeito estufa, o documento menciona o alvo de 2oC , como temperatura limite para o planeta. Durante o dia, houve muita discussão se não seria possível abrir a possibilidade de utililizar um teto mais baixo, de 1,5oC. A decisão foi não mencionar o nível mais baixo, mas sugerir uma revisão da meta dos 2oC em 2016.

    As outras metas de relevância que estão no acordo final são as ofertas de financiamento. O texto diz que países desenvolvidos vão se comprometer a forncer US$ 30 bilhões entre 2010 e 2012 e comprometimento de juntar 100 bilhões por ano em 2020.

    Bastidores do acordo

    Embora sua natureza pouco ambiciosa tenha causado problemas, foi a forma como a proposta surgiu sobre a mesa que enlouqueceu os negociadores, ou seja da noite para o dia.. Além disso, tão logo o acordo foi fechado entre China, India, Brasil e EUA, Obama apareceu nos telões do centro de conferência Bella Center, durante coletiva a imprensa americana, afirmando que o acordo estava fechado e seria uma “coisa boa com qual os Estados Unidos estão envolvidos.”

    A resposta ao anúncio antecipado por Barack Obama veio logo em seguida, através, do embaixador sudanês Lumumba Stanislaw Di-Aping, em nome do grupo dos países em desenvolvimento (G77+China). Ele deu o primeiro esclarecimento oficial do último dia de negociações em Copenhague. Ele chamou os jornalistas, que haviam passado o dia inteiro ouvindo que as coletivas de imprensa tinham sido canceladas, para dizer que ao contrário que se falava, não havia acordo na COP15. Pelas regras da Convenção Quadro de Mudanças Climáticas da ONU, só há acordo quando todos os membros – e neste caso são 193 nações – concordam. Por isso mesmo é sempre tão difícil. “Se um recusa, não há acordo. E muitos países recusaram, como vocês verão na sessão plenária de logo mais”, anunciou. E de fato a sessão plenária mostrou que ele não estava brincando, em uma sequência, Tuvalu, Venezuella, Bolívia, Cuba e Nicaragua afirmaram que não havia condições de se aprovar o documento.

    Outras manifestações de frustração e descontentamento apareceram por todos os lados. “Atrasando as ações, os países ricos condenaram milhões das pessoas mais pobres do mundo à fome, ao sofrimento e à morte, conforme a mudança climática se acelera”, declarou Nnimmo Bassey, diretor da organização Amigos da Terra Internacional. A entidade chegou a elogiar o esforço de negociação da China e dos países africanos, e culpou especialmente os Estados Unidos, maior emissor histórico de gases estufa.

    “O Obama fechou a porta que o Lula tinha aberto”, considera Paulo Adário, do Greenpeace. “Os Estados Unidos não cederam em nada. Disseram que só vão colocar dinheiro num fundo climático se forem atendidas suas três pré-condições. Dinheiro é parte do problema sim, mas o que falta é vontade política”, criticou o ambientalista.

    As pré-condições dos Estados Unidos são que o acordo aceite a proposta de mitigação de 4% de cortes em relação às emissões de 1990, financiamento, participação para fundo de 100 bilhões de dólares por ano aos países em desenvolvimento e transparência, com exigência de autorias externas às ações de mitigação de países que receberem recursos do fundo. Segundo Tasso Azevedo, consultor do MMA, não há por enquanto comprometimento de países desenvolvidos com recursos novos para as nações mais pobres, quando propõem financiamento de curto prazo de 30 bilhões de dólares por ano entre 2010 e 2012. “Estaríamos falando de dinheiro novo se eles oferecessem algo como 50 bilhões de dólares”, explica.

    Veja entrevista do ministro de Meio Ambiente, Carlos MInc, sobre o Acordo de Copenhague

  6. Chesterton said

    graças a Deus.

  7. vilarnovo said

    Cara eu fico abismado em ver que seres humanos chegaram ao ponto da presunção de se acharem capazes de regular até mesmo a temperatura do planeta, impondo limites para sua variação.

    E ninguém acha isso ridículo… quer dizer, não na grande mídia…

    Debato com alguns cientistas climatológicos e quando cito isso eles caem na gargalhada.

    Aliás, começaram a serem descobertas as ligações do chefe do IPCC com várias empresas de comércio de carbono e outras. Coisa feia pacas…

    Não me admiro se cedo ou tarde ele caia.

  8. Pax said

    O mais impressionante é que conseguiram convencer a grande maioria da comunidade científica e das lideranças de todos os países, não, Vilarnovo?

    Como conseguiram? Acho que deve ser estratégia da V ou VI ou, sei lá, vai saber se já não estão na XXIII internacional socialista ou algum demônio destes soltos por aí.

    Peraí que vou ali ver se o comunista atrás do armário não está tomando uma Don Pérignon da minha adega e já volto.

  9. Chesterton said

    Pax, os democratas socializaram a medicina nos EUA….

  10. Pax said

    What?

  11. Chesterton said

    Pax, a “comunidade científica” não precisa ser convencida, pois faz parte da agenda dela obter mais verbas governamentais para sobreviver. Os cientistas ao longo do século 20 viveram a sombra do estado e com sua hipertrofia ficaram completamente dependentes dele.
    Quando você, por ideologia, aponta o big oil, ou os interesses transnacionais, deveria estar pensando em descobrir realmente que interesses são esses.
    Ainda tenho fé que você caia da cama e abra os olhos.

  12. Pax said

    É, uma conspiração global…

    Ufa, até que enfim abriram meus olhos!

  13. Pax said

    Só para provocar os amigos

    http://www.greenblog.org.br/?p=4532

    Calma, easy…

  14. Chesterton said

    papai noel hoje anda de submarino atomico.

  15. Chesterton said

    http://www.commercialappeal.com/news/2009/dec/18/memphis-attorney-sued-allegedly-biting-portion-man/

    que tempos inacreditaveis….

  16. fk said

    Sugiro a todos que falam em “conspiração global” na questão ambiental que repitam seus argumentos olhando-se no espelho, para, quem sabe, perceberem o ridículo do que estão falando e sentirem uma pontada de vergonha…

  17. iconoclasta said

    “Cara eu fico abismado em ver que seres humanos chegaram ao ponto da presunção de se acharem capazes de regular até mesmo a temperatura do planeta, impondo limites para sua variação.”

    há mesmo muita presunção, acho que há coisa até pior: interesses dissimulados. mas…mas é o seguinte: talvez seja possível sim o homem agir de forma a alterar as temperaturas do planeta. fato é que o estudos na área ainda são incipientes. a medição confiável de temperaturas tem um banco de escassos dados. essas conferências são uma nulidade para a maioria da população. podem servir a alguns bonecos vaidosos, mas no fim prevalece a praticidade e ninguém abre mão de desenvolvimento (econômico) em nome de uma hipotética salvação do planeta.

    ;^/

  18. iconoclasta said

    não é conspiração, é conluio mesmo.

    ;^/

  19. Chesterton said

    o comentario do FloKinho reflete uma fé cega nos cientitas.

  20. Chesterton said

    ah, parece que a idade do gelo está chegando “nasoropia”.

  21. Zbigniew said

    Foi o texto da Eco mesmo, Pax. Mas tudo bem.
    Acho interessante que queiram anular ou mesmo negar a existencia de problemas climaticos serios no planeta sob o argumento da existencia de
    emails comprometedores, conspiratorios para favorecer o mercado de credito de carbono em relacao a alguns interesses. Ha quem diga que o “peido” dos bovinos prejudica muito mais o clima do que a humanidade com seus carros e fabricas. Putz! E por isto que tem gente que comemora o Obama como o “cara” que desvendou todos estes interesses escusos, detonando a COP15.
    E muita miopia.

  22. José Antonio lahud Neto said

    Pax,
    acho que a questão climática virou um grande negócio, com certeza o maior do século XXI; aí está o X do problema. Mudanças climáticas ocorreram, ocorrem e vão continuar a ocorrer.
    Olhe as grandes empresas, inclusive as petrolíferas, e suas propagandas na mídia. Todas “preocupadíssimas” com ecologia.
    Quando sera´que as esquerdas vão perceber que uma das grandes virtudes do capitalismo é se adaptar a situações novas e instrumentalizá-las a seu favor.
    EX: Che Guevara e todo seu radicalismo anti-capitalista, virou uma fonte imensa de lucro para a indústria. Livros, pôsters, filmes, etc.
    Como disse DENG XIO PING, não importa a cor dos gatos, desde que eles peguem os ratos.
    Tá certo que o ditado acima não funciona no Brasil, onde os ratos tomaram o lugar dos gatos. Mas, vida que segue.

  23. iconoclasta said

    http://www.cnn.com/video/#/video/podcasts/fareedzakaria/site/2009/12/20/gps.podcast.12.20.cnn

    se for mesmo tão ruim, ainda há alternativas…

  24. fk said

    Mais uma vez, gostaria que os profetas da grande conspiração me explicassem como indústrias bilionárias -automóveis, petróleo- ficam à parte de todo esse processo “conspiratório” que, em última instância, representa um ataque direto a elas. Por que?

    Até a indústria do tabaco tinha seus próprios estudos. Por que essas outras indústrias, tão ou mais fortes do que a do tabaco, simplesmente não fazem nada?

    Bem, talvez seja porque os cientistas são realmente uma força muitíssimo poderosa e sempre estiveram no centro das grandes decisões mundiais…hahahahahahahahahahahahaah!!!!!!

  25. Iconoclasta said

    “Por que essas outras indústrias, tão ou mais fortes do que a do tabaco, simplesmente não fazem nada?”

    ah é, então quer dizer que os lobistas das empresas de energia já estabelecidas são uma nulidade e que este evento foi um sucesso?
    o Pax, será que o cara tá insinuando que teu leading tá errado?

    ;^/

  26. fk said

    Se o aquecimento fosse essa farsa alardeada por alguns, não seria muito mais fácil simplesmente provar isso do que movimentar os bastidores da política?

    Afinal, se a farsa do aquecimento global é tão evidente que pode ser exposta com o vazamento de meia dúzia de mails, pq contratar lobistas caríssimos para movimentar os bastidores?

    Faz sentido fazer lobby se o seu ponto é tão evidente?

  27. Iconoclasta said

    #26

    vc tá de sacanagem?

    1- a farsa sobre dados divulgados é inequívoca.

    2- agora, como eu já falei em outra oportunidade, não se consegue provar se há ou não aquecimento global; em havendo seria uma tendência irreversível ou parte de um ciclo; se provocado pelas ações humanas, atividade solar ou outra hipótese; se pelo homem pelas emissões de carbono ou o que for…

    3- o ônus da prova é de quem acusa, ou seja, quem afirma que somos nós os culpados que corram atrás de mostrar. eles de fato correm, forjam provas, disseminam catastrofismo e tal, mas vão ter que fazer melhor…

    4- me surpreende essa sua questão qt ao lobby. se trata de uma atividade constante, com profissionais preparados para defender os interesses da parte que representam. vão buscar seus objetivos da maneira mais eficiente e são remunerados para isso. se vc se acha capaz de oferecer melhores serviços candidate-se.

    ;^/

  28. Zbigniew said

    Umas perguntinhas, entao: esta ou nao havendo aumento da temperatura media do planeta? Esta ou nao havendo elevacao do nivel dos oceanos? Existe ou nao o buraco na camada de ozonio? Temos ou nao o aumento da incidencia de cheias, secas, nevascas, furacoes e outas manifestacoes naturais em escalas mais concentradas e mais desturidoras? O degelo nos polos e ou nao uma realidade? O que se quer entao? Que se prove cientificamente com dados concretos que isto e uma realidade? Mas como se nem supercomputadores conseguem preve com exatidao o clima e suas manifestacoes. O que temos sao modelos aproximados. A questao e que interesses poderosos em jogo nao estao preparados para abrir mao de seus ganhos em prol dos outros, o que, mais cedo ou mais tarde vai se revelar uma grande burrice, porque sem um mundo mais equilibrado os lucros, certamente, diminuirao, ou mesmo cessarao.

  29. Chesterton said

    24, porque são elas que estão se preparando para lucrar.

    Mas você realmente acredita em cientistas, quanta fé!

  30. fk said

    Só para lembrar, os mails vazados não falam que não há aquecimento global, mas sim sugerem que os números foram inflados.

    Chest, quer dizer que as petrolíferas estão se preparando para lucrar com a diminuição do uso do petróleo? Qual a lógica disso?? Ah, e vc, pelo jeito, acredita em design inteligente e criacionismo, né. Não é questão de acreditar, como, por sinal, estava escrito em um texto da Economist que eu mandei pra cá umas semanas atrás. A divergência faz parte do processo científico. Mas onde estão os cientistas que divergem seriamente da tese do aquecimento global? Pq eles não recebem financiamentos de quem tem interesse em manter os níveis atuais de emissão de carbono? E olha que esses tem muito, mas muito dinheiro.

    Iconoclasta, realmente, essas indústrias tem um lobby pesadíssimo que inegavelmente funciona. Mas por que não travam o combate sobre o aquecimento global na arena cinetífica também, onde seus ganhos poderiam ser potencialmente muito maiores e impassíveis de reversões, como na esfera política?

  31. Chesterton said

    28
    não
    não
    sim
    não
    não

    A questao e que interesses poderosos em jogo nao estao preparados para abrir mao de seus ganhos em prol dos outros

    chest- mudar a matriz energética é deixar a pé e no frio ou calor o povo, não os “poderosos”.

  32. Chesterton said

    30- investindo em energias alternativas com altissimos subsidio estatais.

    A divergência faz parte do processo científico. Mas onde estão os cientistas que divergem seriamente da tese do aquecimento global?

    chest- justamente nos emails descobertos se vê um esquema dos editores para brecar os dissidentes, ora bolas.

  33. Zbigniew said

    Talvez o final nao tenha sido tao patetico assim. Talvez tenha servido para alguma coisa:

    “(…)EUA e EU (Japão e Rússia tiveram papel tímido nesta COP) estavam acostumados a ditar tudo. Controlavam as estratégicas relatorias das comissões, enquanto colocavam diplomatas de países pobres nas burocráticas presidências dos grupos. Compravam pequenos e dependentes países com acordos de cooperação. Desta vez não. Brasil e China assumiram um papel de liderança dos “emergentes”, negociaram e apoiaram os países menos desenvolvidos. Quando EUA e EU começaram a ceder alguma coisa (no fim da 6af, dia 18), mesmo com a concordância do Brasil, Índia e China, foi a vez dos liderados dizerem não. Outra novidade. Mostra que o Brasil não exercerá o tipo de liderança dos EUA, hegemônica. Não é, juntamente com Índia, uma nova potência. É um novo tipo de liderança. Expressão de um mundo mais complexo e multipolar.

    Dentro destes líderes, a China ainda mantém uma postura mais tradicional de liderança porque tem países em sua órbita de dominação.

    Força e potencial econômico, biomassa e petróleo, diplomacia com prioridades nas relações SUL-SUL, carisma pessoal do presidente, etc. Cada um pode e deve discutir os motivos que levaram o país a assumir esta posição (que não é relativa ao clima, é no cenário internacional como um todo). Se bom ou ruim, cada um faça seu juízo. Mas, não é possível que estejamos ignorando este novo papel global e discutindo suas implicações.”

    (Por Eduardo Nunes, no blog do Nassif).

  34. iconoclasta said

    o Fk, se eu sou ascético qt ao aquecimento, suas causas e consequências, e eu sou, quem sou para dizer como os economicamente, socialmente, politicamente e etc interessados devem agir…agora, na mesma linha, a última coisa que eu iria propor é que se tentasse provar a falsidade de pesquisas que podem ou não ser úteis em algum momento para que me expor? eu, em minha insignificância atual, chuto que manter a discussão no aspecto econômico, enquanto incentivo pesquisas na área, procurando maquiar-me de ecológicamente correto, é mais proveitoso.

    ;^/

  35. iconoclasta said

    esse ascético ficou ruim.

    eu não sou é crente. tô mais para agnóstico, nesse caso.

    ;^/

  36. Chesterton said

    10 RESOLUÇÕES QUE PODERIAM TER SIDO TOMADAS NA CONFERÊNCIA DO CLIMA EM COPENHAGUE

    1. Decidir na porrinha quem polui mais: China ou Estados Unidos.

    2. Vender os direitos de transmissão do fim do mundo com direito a Galvão Bueno dizendo que a situação está dramáááátiiicaaaa!!!

    3. Estatizar os parques aquáticos pra galera se refrescar de graça.

    4. Cobrar pelo transporte de ursos polares em blocos de gelo.

    5. Determinar que o gelo derretido no Ártico só pode ser usado em uísque 12 anos.

    6. Entregar os gráficos do IPCC pro Vik Muniz fazer altos trabalhos instigantes dignos do Discovery Kids.

    7. Proibir a venda de CDs de Phil Collins e Jean-Michel Jarre (não podemos perder esta oportunidade!!!).

    8. Criar o Dia Mundial sem Al Gore.

    9. Botar a culpa no Fernando Henrique e no Bush.

    10. Cair na real e acabar com essa histeria.
    Detonado por Felipe Flexa, o Persegonha

  37. Zbigniew said

    36, quanta bobagem!
    A escatologia, tao afeita aos pregadores do fim do mundo, remete-nos a processos que podem durar muito tempo, ou nao. A figura de linguagem, a poesia, as parabolas, as hiperboles, que fazem parte das profecias, sao mais um sinal de que devemos ser prudentes, a sermos arrogantes perante a natureza. Neste ultimo caso, sempre perdemos.
    Esse descuido me faz lembrar de casos como o da Union Carbide, em Bhopal, ha uns vinte e cinco anos atras; Three Mary Islands, Chernobyl, Exxon Valdez, entre tantos outros, que terminam por agredir a natureza e o proprio ser humano. Acho ate que ja passou da hora de refletirmos, temos que agir, porque o homem, em escala planetaria, ja de ha muito vem agredindo o meio ambiente. E pra toda acao existe uma reacao…

  38. Chesterton said

    Nunca na história nevou tanto por ali

  39. Chesterton said

    A Era do gelo está aí, só não vê quem não quer.

  40. Chesterton said

    Em NY tb é recorde.

    http://www.nytimes.com/2006/02/12/nyregion/12cnd-storm.html

  41. Chesterton said

    Biggest Snow Storm in recorded History – Hitting Washington

    http://www.gather.com/viewArticle.action?articleId=281474977955131

  42. fk said

    Chest, uma das consequencias do aquecimento global é a atual maluquice do tempo. Se agora neva como nunca no hemisfério norte, 2009 também foi a temporada com a maior média de calor da história do planeta, segundo estudos. Mas é claro que é muito conveniente esquecer esse dado, e só ressaltar o outro.

    Assim como esquecer outros indícios um tanto quanto óbvios, como a maior intensidade e incidência de furacões, devido ao aqeucimento dos oceanos, fundamentais na regulação dos ventos e do clima…

  43. iconoclasta said

    “2009 também foi a temporada com a maior média de calor da história do planeta, segundo estudos.”

    q estudos são esses? faz um favor p/ galera e cita a fonte.

    ;^/

  44. fk said

    http://noticias.terra.com.br/ciencia/cupuladoclimacopenhague/noticias/0,,OI4145240-EI14539,00-Temperatura+global+tem+subido+desde+mostram+dados.html

    http://oglobo.globo.com/ciencia/mat/2009/12/08/temperatura-global-tem-subido-desde-1850-mostram-dados-915102983.asp

    A fonte zero: http://www.metoffice.gov.uk/climatechange/science/hadleycentre/

  45. Chesterton said

    Terra
    O Globo
    E o Instituto Ingles onde foram descobertas as fraudes

    Para com wilson, JK

  46. fk said

    Desculpe por citar os comunistas do Terra e do Globo, e por citar o instituto inglês, do qual, pelo visto, vc nem leu o site.

  47. Chesterton said

    O Globo e A Veja estão torcendo pelo aquecimento global.

  48. Iconoclasta said

    Fk, vc continua devendo a fonte de:

    “2009 também foi a temporada com a maior média de calor da história do planeta,…

    não corre não. se (SE!)há tendência desde 1850 é uma coisa, 2009 e “história do planeta” é outra, um minimo de compostura, por favor…

    ;^/

  49. fk said

    Ok, mudo história do planeta por “da série histórica”. Melhorou?

  50. Chesterton said

    A conferência de Copenhaga preparava-se para aprovar a chamada “governança”, isto é, um governo supranacional que decidiria acima dos governos dos países membros da ONU.

    Na preparação psicológica das massas para aceitar esse governo anti-democrático, muitas foram as afirmações feitas por vários responsáveis nacionais e internacionais que pretendiam amedrontar as pessoas com perspectivas diabólicas para o clima do planeta.

    Vários leitores do Brasil se dirigiram ao MC afirmando que esta campanha atingia níveis inconcebíveis. Muitas das afirmações estavam relacionadas com as previsões astronómicas dos aumentos das temperaturas locais e globais, do nível dos oceanos, da violência e frequência das tempestades, da retracção dos gelos árcticos no Verão, etc., etc.

    http://mitos-climaticos.blogspot.com/2009/12/temperaturas-de-lisboa_22.html

  51. Réquiem para Copenhague

    Terão esses jovens privilegiados uma vaga idéia de quão genérica, imponderável e distante é a plataforma pela qual se mobilizam ferozmente? Saberão que fazem parte de uma encenação cujos antagonistas, estranhamente complementares, servem apenas para conferir estatuto oficioso aos tradicionais documentos inofensivos, com os mesmos compromissos vagos?
    Não se trata de menosprezar um problema escancaradamente grave e ameaçador. Mas a intransigência unidimensional do discurso ambientalista, que vê interesses corporativos em qualquer questionamento, provoca uma reação contrária de ceticismo. Parece fácil demais assimilar esse fatalismo apocalíptico de causas difusas e responsabilidades generalizadas, tão adequado a tempos conservadores e cínicos. A era da ditadura da longevidade encontrou sua pregação messiânica de apelo coletivo.
    Mesmo leigos, percebemos que há muitas lacunas técnicas nas previsões do aquecimento global. Os enormes custos sociais e econômicos envolvidos na sua prevenção (e não apenas para os países emergentes) são sistematicamente desprezados. Ninguém tampouco menciona o poderosíssimo lobby ávido pelos dividendos resultantes do mercado de carbono e de novas fontes energéticas. Ou Al Gore trabalha de graça?
    A abrangência planetária do problema dissimula sua responsabilidade localizada em alguns poucos países industrializados, que dão bananas para o que pode acontecer a uma ilha no Pacífico. Acontece que são também as maiores potências geopolíticas deste mundinho doente, e é preciso um fabuloso otimismo para acreditar que, podendo sanar tantos absurdos cotidianos perpetrados contra a Humanidade, elas escolham justamente uma causa remota e onerosa para inaugurar sua solidariedade.
    Talvez o cidadão de classe média sinta conforto espiritual em tomar banhos curtos, separar lixo nos recipientes do condomínio ou o que mais acredite (às vezes ilusoriamente) servir para amenizar danos ambientais. Mas os esforços de uma vida inteira são ridiculamente inúteis comparados com o malefício causado em algumas horas por aquela fábrica poluidora que ignoramos no caminho de casa.
    É preciso estabelecer de uma vez por todas que as soluções relevantes passam exclusivamente por ações governamentais, ou seja, dependem de legitimidade popular. Isso significa, em contexto democrático, respaldo eleitoral. Já que não convém manchar o salvacionismo climático de veleidades autoritárias, seria interessante verificar se as pessoas realmente concordam em sacrificar prioridades urgentes em benefício de um futuro já bastante incerto, com ou sem calotas polares.

  52. Chesterton said

    é verdade…

  53. dani said

    quanto mais poder mas dificil fica controlar os problemas,isso tudo é por causa da economia eles ñ querem diminuir os gases porque vai ter um baixa na economia eles ñ pesam que com o aumento da temperatura,havera um degelo na antartida vai elevar o nivel do mar entre 7 a 8 metros em 2100 e o caloe podera tranfosmar 40%da amozonas em região savana e o nordeste tbm vai sofrer muito socorooooooooooooooo.

Faça seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: