políticAética

Notícias da Corrupção, Desvios, Anomalias, Eleições e Meio Ambiente

  • Sobre o blog

    Uma coletânea das notícias da corrupção, desvios, anomalias, eleições e meio ambiente que aparecem na mídia todos os dias a partir de agosto de 2008.
  • Categorias

  • Arquivos

  • Páginas

  • Meta

Suspeito de suspeitar

Posted by Pax em 22/12/2009

O juiz Fausto de Sanctis foi declarado suspeito. Claro que é. Como um juiz pode afrontar o status quo brasileiro onde qualquer um que tenha dinheiro arrasta indefinidamente processos sobre corrupção, crimes financeiros, evasão e lavagem de dinheiro?

Primeiro o afastaram do caso MSI-Corinthians que investiga supostas evasões de divisas, agora foi declarado suspeito no caso Satiagraha que envolve o Grupo Opportunity e Daniel Dantas.

Fausto de Sanctis deveria se preocupar com pobres que roubam pães em supermercados ou litros de leite em padarias para alimentar esses filhos que não param de chorar de fome, incomodando toda a sociedade brasileira. Para eles é que são feitas as cadeias brasileiras.

Para ricos não.

No Brasil os processos são muito bem estratificados. Há processos para a classe D e E, esses que nem sabem o que significam expressões como “direito”, “contraditório” etc, para a C, outros para a B, melhores para a A e ainda muito mais agradáveis para a classe AAA. Esses não cometem crimes. Crime é achar que ricos cometem crimes.

Evasão de divisa, lavagem de dinheiro, assalto a cofre público, claro, fazem parte de nossa cultura. Querer alterar o status quo é uma afronta.

Juiz Fausto de Santis: pare de afrontar a nação e ponha-se no seu lugar.

(somente com ironia para comentar a Justiça no Brasil)

STJ suspende condenação de Daniel Dantas na Operação Satiagraha

Habeas corpus concedido pelo ministro Esteves Lima a pedido da defesa do banqueiro vale ao menos até fevereiro

Fausto Macedo – Estadão

Três dias depois de ser afastado do caso MSI-Corinthians – inquérito sobre suposto esquema de evasão de divisas -, o juiz federal Fausto Martin De Sanctis conheceu novo revés. Por decisão do ministro Arnaldo Esteves Lima, da 5ª Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ), está suspensa toda a Operação Satiagraha – investigação contra o banqueiro Daniel Dantas, do Grupo Opportunity.

A medida tem alcance ilimitado. Bloqueia qualquer ato relativo à Satiagraha, inclusive a ação penal que culminou na condenação de Dantas a 10 anos de prisão por crime de corrupção ativa – sentença imposta por De Sanctis, em novembro de 2008, que era alvo de apelação da defesa perante o Tribunal Regional Federal da 3ª Região.

Está suspenso também o processo principal da Satiagraha – em que Dantas foi denunciado pela Procuradoria da República por crimes financeiros, evasão e lavagem de dinheiro. A acusação teve base no inquérito da Polícia Federal, inicialmente dirigido pelo delegado Protógenes Queiroz, depois restaurado pelo delegado Ricardo Saadi.

Continua no Estadão…

Anúncios

124 Respostas to “Suspeito de suspeitar”

  1. Pare de afrontar a lei, De Sanctis! Ou será que todas as instâncias superiores estão erradas, nos mais diversos processos, e só ele está certo? Ah, tenha dó!
    De Sanctis é o maior amigo de Dantas, mesmo que não queira. Cada trapalhada, cada atropelo, cada ação para as câmeras de TV em detrimento à lei, mais longe Dantas fica da prisão.
    Juízes que ignoram a lei são um mal para a democracia. NENHUM juiz está acima da lei, especialmente os que estão lá para defender facções de brigas internas de partidos, como a briga entre Gushiken e Dirceu que envolve Dantas.
    PS – Me divirto ao ver o contorcionismo dos petistas para ignorar que um dos principais advogados de Dantas é Luiz Eduardo Greenhalgh.

  2. Chesterton said

    Falei exatamente a mesma coisa, nada como um processo mal feito (lembrem do filme Hells Kitchen?) para beneficiar o acusado.

  3. Pax said

    Como o post é uma ironia, só posso responder aos comentários de tão ilustres brasileiros com outra:

    Que bom que vocês acabam por me convencer que a Justiça brasileira é igualitária e todos são iguais perante nossas leis.

    Ainda bem que tenho leitores que me abrem os olhos para as verdades da vida.

    Obrigado, Lula Borges e Chesterton.

  4. fk said

    Concordo, quem diria, com o Lula e o Chest.

    Quando De Sanctis saiu da sua posição de juiz e passou à posição ativa de militante, respondendo às acusações -muito espertas- da defesa de Dantas, ele assinou sua sentença de suspeição.

    Pode olhar: o caso mais clássico em que se declara a suspeição do juiz é quando ele passa a militar. Como o De Sanctis.

  5. E quem é que vai “questionar” a legitimidade da justiça? De Sanctis? Suas decisões estão acima do STJ e do STF? Tá me gozando né? Ele agora será a corte revisora de toda justiça brasileira?
    Sabe que eu mais lamento na esquerda é o ateísmo, os substitutos que eles arrumam para Deus são de matar.

  6. fk said

    Pax, claro que a justiça brasileira não é igualitária, mas vc deveria defender o principal da igualdade pelo respeito do devido processo legal para toda e qualquer pessoa, e não pelo atropelo das leis de acordo com cada caso.

    Na verdade, não é nem que a justiça não seja igualitária. A questão passa pela defesa, e ai a insistência da OAB em boicotar as Defensorias Públicas promovendo o corporativismo dos advogados dativos -geralmente o que há de pior nos quadros da advocacia- vai contra o interesse público de uma maioria incapaz de pagar defensores privados de qualidade.

  7. vilarnovo said

    Pax – Não é problema da justiça. O problema, em qualquer lugar do mundo, é que gente com mais dinheiro tem condição de se defender melhor.

    Ora bolas, advocacia é uma profissão igual às outras: existem profissionais melhore e profissionais piores. Os melhores custa caro, são especialistas, conhecem as leis melhor do que muitos juizes por aí. E custam caro. Esse é um ponto.

    A lei é igual a todos, mas nem todos conhecem a lei.

    O segundo ponto foi o que o Lula, o Chest e o Fk disseram. O melhor amigo de Dantas foi Protógenes e o De Sanctis. A quantidade de palhaçada e merreca que fizeram, aliado à capacidade de Dantas de contratar o melhor advogado que seu dinheiro pudesse comprar só poderia causar isso.

    Mas é muito mais fácil, mas “progressita”, mais conveniente culpar a lei do que apontar a incompetência do novo paladino da justiça do planeta. Do homem que foi ungido pelo povo para nos defender de todo o mal.

    Protógenes é incompetente. Apenas isso.

  8. vilarnovo said

    Fk – Exatamente isso. Mas é mais fácil dizer que a lei não é igualitária.

  9. Chesterton said

    Que bom que vocês acabam por me convencer que a Justiça brasileira é igualitária e todos são iguais perante nossas leis.

    chest- claro que não é, justamente por causa de idiotas como esse juiz e esse promotor. Que miopia.

  10. Pax said

    Ajufe e Ajufesp repudiam ato de corregedor do TRF

    http://www.conjur.com.br/2009-mai-14/associacoes-saem-defesa-juizes-notificados-causa-sanctis#Leia_a_nota_da_Ajufe

    Corregedor quer explicações de juízes que apoiaram juiz Fausto De Sanctis na Satiagraha

    http://www.agenciabrasil.gov.br/noticias/2009/05/14/materia.2009-05-14.4764578328/view

    Bem, há opiniões de todos os lados, cada um escolhe a que quer. Ou isso também já está sob suspeição?

  11. Chesterton said

    rotógenes é incompetente. Apenas isso.

    chest- na mosca.

  12. Chesterton said

    Bem, há opiniões de todos os lados, cada um escolhe a que quer.

    chest- não é GreNal, nem FlaFlu. As escolhas são feitas de modo racional, para isso se tem massa cinzenta.

  13. Pax said

    Pimenta Neves está há 10 anos impune

    http://veja.abril.com.br/noticia/brasil/pimenta-neves-esta-ha-10-anos-impune-499689.shtml

    Pra gente se lembrar que a Justiça é realmente excelente, como meus colegas estão me provando com tanta insistência.

  14. fk said

    O De Sanctis caiu na bela estratégia da defesa, que tentou desqualificar o juiz. Quando ele caiu na armadilha, um abraço.

    Já quanto ao inquérito presidido pelo Protógenes, não tem nem o que falar. É um manual de tudo que não se deve fazer em uma investigação policial.

    Sobre a questão da defesa, não existe outra opção possível que não a criação e fortalecimento das defensorias públicas. O resto é história pra boi dormir.

  15. Chesterton said

    Pax, não foge do assunto. Os casos Pimenta Neves e satiagraha são completamente diferentes.

  16. Chesterton said

    Pra gente se lembrar que a Justiça é realmente excelente, como meus colegas estão me provando com tanta insistência.

    chest- mais uma vez a falacia do espantalho. Pax, que coisa mais…assim….a.dolescente.

  17. vilarnovo said

    Fk – Também não é só isso. Passa também por criação de leis mais claras, objetivas. Nossos códigos são arcaicos e aí sim concordo com o Pax pois existe pouca ou nenhuma vontade de mudá-los.

  18. fk said

    Pax, é claro que há desvios terríveis na nossa justiça que, se por um lado deixa Pimenta Neves solto por 10 anos, deixa preso anônimos sem sentença pelos mesmos 10 anos.

    Mas não há como negar que parte do problema passa sim pela qualidade da defesa, e que adotar a sua postura de querer dar uma flexibilizada na lei quando interessa não vai ajudar em nada no avanço da justiça brasileira.

  19. fk said

    Vilarnovo – A coisa está tão rápida por aqui que sua postagem veio antes da minha. Vc está certo. Mas a mudança tem que ser nos Códigos de Processo, pois é ai que a coisa atravanca, assim como na modernização dos tribunais.

  20. vilarnovo said

    E não é só questão de rico ou pobre. É só ver a dificuldade de manter alguém que tenha assassinado outra pessoa na cadeia…

    Mas o que fico mais intrigado é que Dantas é um corrupto. Disso não há dúvidas. Mas há uma certa “seletividade”. As mesmas pessoas que atacam Dantas (com toda razão) não atacam as pessoas que se beneficiaram com a corrupção de Dantas.

    Isso atinge políticos de antes e políticos de hoje.

    Hélio Luz que era um petista que eu admirava, falava muito bem disso. Se a lei funcionar vai ter mandato de prisão, pé na porta na Vieira Soto.

    Se a lei funcionar, não só Dantas deveria ir para a prisão, mas seus comparsas. Da turma de FHC à turma de Lula (ele inclusive).

  21. Chesterton said

    e o Lulinha, Pax?

  22. Pax said

    “Como um juiz pode afrontar o status quo brasileiro onde qualquer um que tenha dinheiro arrasta indefinidamente processos sobre corrupção, crimes financeiros, evasão e lavagem de dinheiro?”

    Este é o assunto do post, Chesterton.

  23. Chesterton said

  24. Chesterton said

    Pax, prestenção, o juiz não é pago para afrontar status quo. Isso é fazer “justiciamento”, justiça com as próprias mãos. E é crime em qualquer lugar do mundo.
    Deu para entender ou quer que desenhe?

  25. fk said

    “Como um juiz pode afrontar o status quo brasileiro onde qualquer um que tenha dinheiro arrasta indefinidamente processos sobre corrupção, crimes financeiros, evasão e lavagem de dinheiro?”

    Pax, juiz não tem que afrontar nada. Juiz tem que aplicar a lei. Ele não afrontou nada. O que aconteceu foi um descontrole, durante o qual ele saiu de sua posição publicamente imparcial para tornar-se um paladino de só deus sabe o que.

  26. Chesterton said

    Num grau mais moderado, e usurpação de poder. O judiciário não pode tomar prerrogativas do legislativo para si.
    Fazer leis, mudar leis = LEGISlativo.
    Separação dos poderes é princípio fundamental de qualquer democracia.

  27. Chesterton said

    http://revistaepoca.globo.com/Revista/Epoca/0,,EMI111519-15223,00-SINDICALISTA+E+EMERGENTE.html

    me preocupo mais é com isso.

  28. vilarnovo said

    Até acredito na boa vontade do De Sanctis. Sério mesmo. Acho que ele é um homem de bem. Infelizmente como diz o ditado: de boa vontade o inferno está cheio.

    O negócio é esse: entre prender um criminoso (qualquer um, rico ou pobre) através de medidas ilegais e deixar o criminoso solto fico com a segunda opção.

  29. José Antonio Lahud Neto said

    Pax,
    demita-se o juiz, só pode ser imcopetente. Só dá sentença “errada”…

  30. Chesterton said

    Juiz condena pessoas por causa de crimes (que por ventura tenham cometido), não pode condenar crimes por causa de pessoas.

  31. Pax said

    Vocês são ótimos:

    Julgaram e condenaram o Juiz sumariamente!

  32. Pax said

    http://maierovitch.blog.terra.com.br/2009/12/22/daniel-dantas-stj-erra-e-favorece-o-banqueiro/

    Juiz do STJ erra e favorece o banqueiro Daniel Dantas

    O Superior Tribunal de Justiça, –por decisão cautelar do ministro Arnaldo Esteves Lima, da 5ª Câmara, (1) suspendeu as apurações policiais relativas à Operação Satiagraha, (2) afastou o juiz Fausto de Sanctis e (3) paralisou todos os atos investigatórios e processuais em curso.

    No jargão popular, “colocou-se tudo no congelador”. Tudo paralisado, no interesse do potente banqueiro Daniel Dantas, já condenado à pena de 10 anos de reclusão e mais R$12 milhões de multa patrimonial por consumada corrupção.

    Por coincidência, a decisão judicial faz recordar uma certa interceptação telefônica referente à “quadrilha” do banqueiro Dantas, que, num restaurante da capital de São Paulo e com tudo filmado e gravado, quis corromper a polícia federal.

    Da referida interceptação constou que Daniel Dantas apenas temia os juízes de primeiro grau, instância inicial. Nos tribunais superiores, acertava tudo.

    O ministro Arnaldo Esteves Lima errou e minou, com a sua decisão, a segurança social, pública. Suspender toda a atividade policial diante de um oceano de indicativos de crimes graves, representa, no mínimo, um ato temerário, data vênia. Uma inversão tumultuária, contra o prevalente interesse público e à luz de veementes indícios de gravíssimos crimes.

    Em outras palavras, com habeas corpus canhestro conferido a Daniel Dantas pelo ministro Gilmar Mendes, e confirmado por voto do relator Eros Grau, ambos do Supremo Tribunal Federal (STF), só faltava parar com a investigação e o processo. E Daniel Dantas, com a liminar do ministro Arnanldo Esteves Lima, conquistou, embora provisoriamente, um “bill” (declaração) de indenidade.

    Afastar um juiz cautelarmente por suspeição, tudo bem. Mas, não colocar outro no lugar, em substituição e para tocar atos urgentes, só favorece o infrator, ou melhor, a criminalidade operada pelos potentes.

    Mais uma vez, Daniel Dantas obtém sucesso na Justiça.

    Pano Rápido: Um pequeno aviso. Não estamos mais no tempo do obscurantismo. Portanto, decisão judicial pode ser comentada e criticada. Num Estado democrático, a decisão judicial tem de ser cumprida, mas não está imune à crítica.

    –Wálter Fanganiello Maierovitch–

  33. Chesterton said

    Pax, ele está livre e solto.

  34. Chesterton said

    Lula e o apertão.
    “Minha querida Inês, eu só queria te dizer uma coisa: valeu a pena cada gesto que vocês fizeram. Cada choque que vocês tomaram, cada apertão que vocês tiveram, valeu a pena porque nós aprendemos. E, na medida em que a gente aprende, a gente garante que não haverá mais retrocesso neste país e isso nós devemos a vocês que lutaram por nós.”

    Lula, ontem, em cerimônia de Direitos Humanos, fazendo a gente relembrar os apertões que ele tentou dar no Menino do MEP. Lula acha que os apertões valeram a pena, como aprendizado. Será que estava se referindo aos que foram dados, como no seu caso, pelo próprio companheiro de cela?

    co Coronel Coturno

  35. Chesterton said

    Irá Tarso Genro, ministro da Justiça, revelar, finalmente, de onde veio a maleta de dinheiro dos aloprados, apreendidas com o alto escalão petista e destinado a comprar um dossiê contra José Serra? Irá Tarso Genro autuar o genro e a filha do Lula por receberem dinheiro vivo de empresário corrupto? Irá Tarso Genro investigar Michel Temer, em vez de fazer declarações de bombeiro? “Podem estar certos de que, independentemente de 2010 ser um ano eleitoral, esse trabalho vai continuar cada vez mais profundo e cada vez mais responsável”, afirmou o ministro, falando sobre as investigações da Polícia Federal. Leia-se “esse trabalho” como as operações desferidas contra adversários políticos, como a que foi comandada contra a atual governadora gaúcha Yeda Crusius. Leia-se “cada vez mais profundo” como ainda mais próximas a José Serra e aos seus aliados. Leia-se “independentemente de 2010” como especialmente por ser 2010.

    idem

  36. José Antonio Lahud Neto said

    Pax
    não julguei nem condenei o juiz; ao contrário, fiz uma ironia.

  37. José Antonio Lahud Neto said

    Ah,e o Arruda continua lá…e Sarney…o Renan…o Jáder…Maluf…todos inocentes!

  38. Chesterton said

    Então vamos colocar TODOS em cana?

  39. José Antonio Lahud Neto said

    Bem Chesterton, a gente vai tentando. O Maluf já tirou umas férias lá!

  40. Pax said

    Porque o destaque para TODOS, Chesterton?

    Há alguns diferentes de outros perante a Lei?

  41. Esquerdista é engraçado mesmo. O De Sanctis estaria certo e a “prova” é um post do blog do Maierovitch! Rá! Só faltou chamar o Dalmo de Abreu Dallari, o sogro do Suplicy! Claro que ninguém vai consultar um “conservador” como o Ives Gandra Martins, por exemplo, vai que ele fala algo que não deve né? Melhor ficar entre caros amigos.
    Se precisar de uma idéia “alternativa” sobre uma questão jurídica, buscam o Plínio de Arruda Sampaio, que está ainda mais à esquerda. É o que eles entendem por debate.
    A pauta jurídica mais importante do ano é a entrevista de ontem do promotor Marcelo Goulart na Folha. Ao final, você entende perfeitamente, com todas as letras, os riscos que a democracia brasileira está correndo com a infiltração desses cupins no judiciário.
    Assinante Folha ou UOL pode ler (e ficar três noites sem dormir) aqui: http://www1.folha.uol.com.br/fsp/dinheiro/fi2112200921.htm

  42. José Antonio Lahud Neto said

    Pax,
    vou responder: Sim, há! Um desmbargador, comprovadamente!, ligado à família Sarney pariu uma liminar proibindo o Estadão de publicar gravações comprometedoras contra o filho de José Sarney(Madre Superiora?!). A limimar não foi cassada até hoje. Repito, liminar parida por um desembargador ligado aos Sarney.

  43. fk said

    Lula, seu argumento é furadíssimo. Colocar o argumento do Maierovitch não é sinal de que tal ou qual lado está certo. É apenas trazer mais um lado, assim como vc traz outro com a entrevista do promotor, que eu não pude ler, mas cujo tom consigo até advinhar. No mundo jurídico é assim, cada um defende seu lado. Advogado defende direito mínimo, promotor defende pena de morte, e a vida prática trata de equilibrar as duas posições -ainda que, na verdade, a pena de morte esteja vencendo por franca vantagem e total anuência do sistema prisional.

    O ideal seria colocar todos em cana, sem dúvida, desde que com o devido processo legal. É claro que é difícil de falar isso quando pegamos um caso extremo como o do Maluf, mas é a garantia do devido processo legal pra ele que garante que todos, sem exceção, terão o mesmo benefício, desde que com uma defesa minimamente competente. Entendo a tentação de se rasgar a lei pra jogar um Maluf na cadeia. Mas será que é isso realmente o melhor pra sociedade?

    Lahud – Já tive longos papos sobre a questão da suspeição, inclusive sobre esse do Sarney, e cada vez mais a tendência é a suspeição só ser admitida em casos de protagonismo judiciário.

  44. José Antonio Lahud Neto said

    Fk,
    seus argumentos são corretíssimos; mas você há de convir que pra nós, leigos, é, no mínino, estranha a atitude do desembargador? Ele próprio não poderia se abster?

  45. Pax said

    Lula Borges,

    Você é quem já julgou e condenou o Juiz, além de outros. E depois vem com a conversa bonita de Estado Democrático de Direito.

  46. Fk, acho que você me entendeu mal, não estou dizendo que o Maierovitch está sempre errado ou o Ives Gandra está sempre certo, por exemplo. Ninguém está sempre certo, nem eu, nem você, nem ninguém. Mas normalmente você tem um conjunto de valores e princípios que norteiam de algum modo o que você pensa.
    Se alguém que é um militante assumido, como o Dalmo de Abreu Dallari, é colocado para opinar sobre um assunto onde o governo ou o PT são diretamente interessados, a probabilidade de se ouvir uma opinião que reflita a posição do partido é considerável. A opinião deveria ser descartada? Não, mas entendida dentro de um contexto ou, ao menos, confrontada com quem representa o pensamento militante da corrente oposta. Se você coloca o Gustavo Franco para falar sobre a economia brasileira dos anos 90, por exemplo, poucos economistas seriam mais indicados ou habilitados tecnicamente ou intelectualmente, mas é evidente que ele foi protagonista de muitos dos fatos que vai analisar e isso deve ser levado em conta, certo?
    Você chamaria o “biólogo” Richard Dawkins para falar de religião sem nem citar a sua militância ateísta, seus livros e as campanhas que faz na defesa da sua tese da inexistência de Deus? Faria sentido?
    Você ficaria satisfeito apenas com a opinião “jurídica” do Dalmo de Abreu Dallari ou do Maierovitch sobre os aloprados, sobre o dossiê da Erenice Guerra, sobre os cartões corporativos federais, sobre o dinheiro da Oi para o Fabio Lulinha, sobre a farra das Bolsas-Ditadura ou sobre o mensalão do PT?
    Pouca gente lembra, mas o analista da Globo para “assuntos internacionais”, durante anos, foi o Emir Sader! E o corresponde nos EUA era o Azenha! Aquilo era jornalismo? Hoje é mais fácil saber o que era, mas como saber na época? Aliás, até bem pouco tempo o Emir Sader era sempre um “sociólogo” consultado pela Folha, como se fosse um mero professor e não um militante político radical, eu mesmo escrevi ao Ombudsman reclamando da omissão desta informação na época. Quer ouvir o Emir Sader, o Wanderley Guilherme dos Santos, a Marilena Chauí ou o Marcio Pochmann? Beleza, mas tem que identificar o cara com a militância que ele faz, não? O leitor tem direito de saber.
    Então não me venha “provar” uma tese citando um militante e apenas ele.

  47. A condenação do De Sanctis foi feita pelos superiores dele, o STF e o STJ, e mais de uma vez. Ou alguém me prova que há uma conspiração satânica de todas as cortes superioras contra ele, daquelas tão bem feitas que todos os envolvidos concordam e que ninguém abre a boca, ou o juiz cometeu erros e terá que responder por eles dentro de todo rito processual previsto nestes casos, o que é uma defesa intransigente do estado democrático de direito.
    Eu não condeno, no sentido jurídico, ninguém.

  48. Pax said

    Nota de apoio

    A Associação Nacional dos Procuradores da República (ANPR) vem a público demonstrar irrestrito apoio aos Juízes Federais que oficiam na 3.ª Região em detrimento da atitude do Corregedor de Justiça Federal, Desembargador Federal André Nabarrete Neto. O Corregedor, arbitrariamente, notificou 134 Juízes Federais que manifestaram, em um ato de livre expressão, apoio ao Juiz Federal Fausto De Sanctis.

    A argumentação de que o ato poderia classificar violação à Lei Orgânica da Magistratura (Loman) é infundado e demonstra falta de respeito para com a Magistratura por parte do Desembargador. A ANPR reitera apoio à Associação dos Juízes Federais do Brasil (Ajufe), que ingressou com medidas no Conselho da Justiça Federal e no Tribunal Regional Federal da 3.ª Região para a defesa dos magistrados federais injustamente notificados.

    Por outro lado, a ANPR louva o entendimento do Corregedor-Geral da Justiça Federal, Ministro Hamilton Carvalhido, que concedeu, no dia 14 de maio, liminar suspendendo o ato do Corregedor Nabarrete.

    Brasília, 15 de maio de 2009.

    Antonio Carlos Bigonha
    Presidente da ANPR

  49. Em tempo: Pax, defina por favor “status quo brasileiro”. Pela primeira vez na história desse país, temos um partido, que representa uma corrente política bem específica, controlando a Presidência da República, a maioria das duas casas do Legislativo, os ministérios, que indicou 7 dos 11 ministros do STF, que controla os fundos de pensão, as estatais, as ONGs, o MST, a UNE, o Itamaraty, o BNDES, tem a simpatia de uma parte considerável da imprensa e da academia e ainda tem os cofres abertos de boa parte do empresariado brasileiro, ao menos os mais dependentes do estado, com direito até a produção de um filme da vida do fuhrer para doutrinação de um povo que reluta em votar na sua candidata? Se isso não é o status quo, o que é?
    Que partido, corrente política ou ideológica um dia sonhou controlar o Brasil do jeito que este partido controla hoje e ainda acha pouco, tentando agora avançar sobre a liberdade de imprensa?

  50. Pax said

    Xi, Lula Borges, agora você perdeu as rédeas, os estribos e o cavalo saiu em disparada…

    Lula e Hitler? Vem de onde esse grande argumento? Olavão? Reinaldão? Ou essa você conseguiu sozinho?

    Meu caro, o status quo brasileiro é que crimes de colarinho branco, crimes de políticos, crimes de ricaços, nunca, ou quase nunca, chegam a colocar os culpados na cadeia, xilindró.

    Quem está colocando ideologia política é você.

    É a tal questão, primeiro perde um dos estribos, depois o outro, aí se atrapalha todo e perde uma rédea, quando vê segura no sepilho da sela para não cair e o cavalo dispara a esmo…

  51. Hitler? Onde você leu isso? Corta o cogumelo! ;-)

  52. Pax said

    “até a produção de um filme da vida do fuhrer para doutrinação de um povo” – escrita é tua ou tivemos invasão de hackers e trolls?

  53. Chesterton said

    PaX, TODOS significa que a maior parte do governo vai para o xilindró, assim como os políticos que o apoiam.

  54. Ah, isso? Fuhrer é “guia”, “condutor” ou “líder” em alemão e quem o chamou de “Nosso Guia”, que é como o Hitler era chamado pela militância dele, pela primeira vez, foi o Celso Amorim. O Elio Gaspari percebeu o absurdo e usa sempre em seus textos. Antes de pegar no meu pé, vá se entender com o Elio Gaspari.
    Da próxima vez que fizer uma ironia, colocarei uma nota de rodapé ;-)

  55. Chesterton said

    noçoguia

  56. Pax said

    Duas perguntas, Chesterton:

    – qual governo? federal? o do RS? o do DF? o de SP? ou todos de todos os lados?

    – e o julgamento foi teu? sumário? vai ter paredão e tudo?

  57. Chesterton said

    O julgamento foi teu, a proprosta é tua, a ânsia de vingança é sua e o governo é o federal.

  58. Chesterton said

    tua, tua, sua, não dá. Tututu.

  59. fk said

    “…com direito até a produção de um filme da vida do fuhrer para doutrinação de um povo que reluta em votar na sua candidata?” – Se isso usar o termo fuhrer não for colocar Hitler na jogada, então não sei o que é.

    Pax, vc tem que admitir que, por enquanto, seus argumentos foram apenas colocar as palavras dos outros, e esses outros não vão ao fundo da questão: De Sanctis está obviamente suspeito para julgar o caso, pois largou sua posição de juiz para se tornar um militante.

    Sinceramente, acho que o juiz não começou o processo dessa maneira, mas sim, como eu disse, caiu na armadilha das provocações públicas da defesa. Juiz não pode nem deve falar nada antes do julgamento final, uma lição que, por sinal, certos ministros do STF poderiam seguir.

    Agora diga, Pax, qual a sua questão. Vc não acha que De Sanctis adotou uma posição militante? Vc acha que não há problema em adotar uma posição militante desde que seja para pegar um óbvio crápula como Dantas?

  60. Pax said

    Lula Borges, sabemos bem quem ficou conhecido como Fuhrer na história … e, cá entre nós, não acho nem um pouco conveniente a provocação. Nem correta.

  61. Chesterton said

    Pax quer condenar as pessoas porque são ricas ou poderosas. è a mesma coisa que perseguir os pobres e desvalidos.

  62. Pax said

    Fk: “pois largou sua posição de juiz para se tornar um militante.”

    Pois é, como estou dizendo, você já o julgou e condenou.

  63. Pax said

    Não, Chesterton, de forma alguma. Ninguém é culpado por ser rico. Desde que esta riqueza seja produzida com trabalho, ou mesmo herança, sei lá, formas lícitas.

  64. fk said

    Discordo, Chest, acho que o Pax quer condenar aqueles que são ricos e poderosos, ams que também fazem deus e o diabo com o dinheiro público. É, infelizmente, uma reação até compreensível diante do mar de lama e da impunidade generalizada de corruptores e corrompidos.

    Não tente pintar isso com tintas vermelhas. O muro caiu, a URSS foi pro saco. Elevemos o nível do debate…

    Entendo o Pax, mas não concordo com ele.

  65. Chesterton said

    63, pois é, Pax, você acha a riqueza de alguns ilegítima sem provar nada. Então sai em cruzadas contra eles.

  66. Chesterton said

    Discordo, Chest, acho que o Pax quer condenar aqueles que são ricos e poderosos, ams que também fazem deus e o diabo com o dinheiro público.

    chest- então porque ele não se preocupa com os cartões corporativos do Palacio do Planalto? Nunca vi um comentário do Pax contra o Lulinha et caterva.

  67. Chesterton said

    62, Pax, é um fato facilmente comprovavel, auto-explicativo, que o juiz ultrapassou de suas funções. Não é condenação sumária de ninguem.

  68. Pax said

    O dia que vocês descobrirem que o que eu quero é mostrar que o nível de corrupção e impunidade no Brasil chegou a patamares insuportáveis, que nos faz pagar mais impostos e ter um país menor e pior que o possível, talvez vocês parem de achar isso ou aquilo.

    20% do PIB vão ralo abaixo, na casa de uns 200 bilhões de reais por ano, uns 20 bolsas família, e a gente precisa cada ano pagar mais imposto, as escolas públicas se tornaram sucatas, os professores desestimulados e mal capacitados, os jovens saem do ensino fundamental sem saber fazer regra de três, nem taboada na verdade sabem, sem conseguir ler e interpretar um texto, muito menos escrever alguma coisa inteligível, os hospitais abandonados e cheios etc etc e, sem esquecer, a nossa magnífica segurança pública.

    Não tem ideologia alguma, há corrupção desvairada e impune na situação, na oposição, no norte, no sul, leste e oeste.

    É bem mais simples que os monstros que vocês ficam imaginando.

    Este blog começou com um experimento da ferramenta WordPress, tinha feito um em Blogspot e, como não tinha assunto, comecei a colecionar os da corrupção.

    Tão simples quanto isso…

  69. Chesterton said

    por culpa do tue Lula, do PT, que transformou um vício numa instituição.

  70. Pax said

    Chesterton,

    Você acha que a oposição é santa, né?

    Ok, Santa Claus. Vou mandar um panetone para você de natal.

    E você acha que eu acho que a situação é melhor que a oposição, ou mais honesta, né?

    Ok, além do panetone vou mandar um par de óculos mais calibrados para você entender melhor o que lê.

  71. Chesterton said

    Não acho que a oposição é santa, VOCÊ é que acha que Lula está acima do bem e do mal.

  72. Pax said

    Agora você deu de, além de julgar juiz, julgar blogueiro.

  73. A menção ao Nosso Guia, um expediente usado por exemplo pelo Gaspari, como esclarecido anteriormente, é uma ironia, nada mais do que isso.
    O filme tem uma intenção doutrinadora e mitificadora, como pode atestar nosso amigo comum que já viu, lembra os filmes da Leni Riefenstahl da Alemanha nazista sim (ao menos na intenção), e não há porque negar isso, mesmo quando somos patrulhados pela tropa de choque petista.
    Regimes com inspiração autoritária ou populista adoram investir no culto à figura carismática do líder e filmes são perfeitos para isso, especialmente quando não se tem qualquer compromisso com a verdade dos fatos e com a verdadeira biografia do personagem principal. Muitas passagens do filme do Lula são inverídicas, como já se sabe, mas serviam a um propósito.
    Getúlio Vargas tinha seu próprio Departamento de Imprensa e Propaganda (DIP) exatamente para isso. Os posters soviéticos dos tempos do Stálin hoje são até cult e coleciados como arte. Hitler passou a ser chamado de Fuhrer nos anos 20, antes de chegar ao poder, quando liderava o Partido Nacional-Socialista dos Trabalhadores (epa!). A palavra, que quer dizer “líder”, “condutor” ou “guia” é usada até hoje na Alemanha.

  74. fk said

    Vc já viu o filme?

    Eu não vi, mas assisti aos filmes de Leni. Parece-me que o filme sobre o Lula, ainda que seja uma exaltação da figura, não chega aos pés do nível do que fez Leni, pois, para além de mistificar um líder, os filmes dela mistificavam todo um regime e uma forma de vida. Como já disse Benjamin e ressaltou o cineasta Peter Cohen, o nazismo foi uma experiência estética invadindo o campo da política. O filme do Lula, pelo que eu sei, não chega aos tempos da presidência.

    Mas eu nem sei porque ainda me dou ao trabalho de rebater argumentos bobos que insistem em botar um selinho de fascista/nazista em tudo que desagrade. Sem falar na velha e tosca incinuação de ligação entre esquerda e fascismo/nazismo, que só pode ocorrer ou por ignorância ou por desonestidade intelectual.

    De qualquer forma, por acaso vc vibrou com o acidente do Fábio Barreto? É só curiosidade, juro!

  75. fk said

    Ah, podem me desancar por causa da “incinuação”, ainda que lapsos aconteçam com qualquer um…

  76. Pax said

    Srs,

    Vamos sair dessa frequência?

    O post quer provocar a seguinte discussão:

    – porque há tanta impunidade no Brasil?
    – porque poderosos conseguem empurrar seus processos por tanto tempo?
    – houve má condução no processo Satiagraha pelo juiz Fausto De Sactis? Qual?
    – porque o sentimento que a Justiça no Brasil só prende pobre? É um sentimento errado?

  77. Fk, teremos oportunidade de discutir o nazismo em outra mesa do bar ok? Gosto dos seus textos e terei prazer em voltar a esse assunto com você.
    Ah, é evidente que não “vibraria” com o acidente de ninguém, nem de seres execráveis como Chávez ou Ahmadinejad, por exemplo, imagina então de um sujeito que apenas resolveu ganhar um dinheiro fácil com o Estado brasileiro depois que foi privatizado por um projeto de poder de um partido.
    Se eu fosse desejar um acidente para todo mundo que arruma uma boquinha (ou bocarra) com o Estado por conta deste projeto de poder ia falta carro.
    Desejo de coração que o Fabio Barreto se recupere sem seqüelas deste acidente. Se não fosse ele a fazer esse filme, seria outro. Cineasta com esse tipo de “motivação” é o que não falta no Brasil de hoje. Foi ótimo que tenha sido ele a fazer o filme. Se fosse um cara talentoso como o Fernando Meirelles o estrago seria bem maior.

  78. – porque há tanta impunidade no Brasil?

    Judiciário lento e arcaico, possibilidades quase ilimitadas de protelação e recursos, além de investigadores, promotores e juízes incompetentes que, por despreparo ou cegueira militante, deixam furos que podem ser facilmente usados por advogados experientes.

    – porque poderosos conseguem empurrar seus processos por tanto tempo?

    Podemos perguntar ao Thomaz Bastos, ao Greenhalgh ou ao Kakay, mas é evidente que um sistema judicial complexo, baseado num cipoal infindável de leis, ajuda bancas de advogados mais estruturadas e dificulta a vida de advogados menos preparados. O mesmo sistema que “ajuda poderosos” pode liberar Champinha, que matou Liana Friedenbach e Felipe Caffé, pela idade. Tentar associar os problemas da justiça brasileira apenas a questões de classe, nessa visão marxista de tudo, é fugir da questão.

    – houve má condução no processo Satiagraha pelo juiz Fausto De Sactis? Qual?

    Leia a decisão do STJ, está tudo lá.

    – porque o sentimento que a Justiça no Brasil só prende pobre? É um sentimento errado?

    Existem mais pobres do que ricos no Brasil.
    Ricos podem pagar melhores advogados, médicos, contadores, massagistas, agentes de viagem ou cortadores de unhas.

  79. Pax said

    Isto é o que chamamos de Estado Democrático de Direito?

    Achei que fosse um quadro melhor que este.

  80. Chesterton said

    estado democrático de direito não pressupõe igualdade de resultados.

  81. Ninguém disse que o judiciário é perfeito, nada é. Só que ele deve ser aprimorado, deve evoluir sempre, e não ignorado ou vilipendiado por qualquer um. Uma coisa é você não gostar de um livro, outra é tocar fogo na biblioteca. Não se joga a criança fora junto com a água suja da bacia.
    Quer melhorar o judiciário? Leis mais claras (less is more nesse caso), universidades melhores, legislativo mais comprometido com a causa, judiciário mais ágil e informatizado e juízes que julguem dentro da lei.
    Quer piorar o judiciário? Cada juiz julga do jeito que dá vontade, ignorando os ritos processuais e respeitando apenas sua ideologia, seus interesse e suas paranóias. Ou um judiciário colocado no cabresto pelo executivo.
    Não há sociedade sem poderosos, nunca houve, nunca haverá. Mas há sociedades com e sem mobilidade social pelo mérito.

  82. Quer saber como se destrói um sistema judiciário? http://oglobo.globo.com/mundo/mat/2009/12/16/relatores-da-onu-acusam-hugo-chavez-de-coagir-justica-915238957.asp

  83. Chesterton said

    Pax é imune a argumentações baseadas em fatos.

  84. fk said

    Olha, quanto à justiça criminal, posso dizer com absoluta certeza que os pobres tomam a maior parte da cacetada, não porque sejam a maioria ou mais sujeitos à criminalidade, mas sim porque quem trabalha na justiça criminal sabe que tem que enfrentar tanto o promotor que acusa quanto o juiz que já vem com pré-julgamentos. Ali, meus caros, a coisa é braba, e não se trata de proselitismo esquerdista: qualquer pessoa que troque duas palavras com um defensor público vai perceber o show de horrores que é nossa justiça criminal. Ou seja, as vezes nem mesmo uma defesa boa, como aquela levada por defensores públicos, é capaz de impedir certas excrecências…

    De resto, nossa justiça é realmente lenta, dotada de uma infinidade de recursos que, para alem de garantirem o contraditório, servem para garantir a impunidade.

  85. Fk, e a justiça do trabalho? Não é claramente pró-trabalhador? Não estou dizendo que isso é certo ou errado, mas um fato.

  86. Pax said

    Srs,

    Até parece que o sentimento de impunidade para poderosos inexiste no Brasil, que políticos pegos com a boc na botija dos cofres públicos são exemplarmente punidos etc etc.

    Bem, digamos que mesmo tendo um gosto amargo, fico feliz de vocês estarem satisfeitos, ao menos.

    Confesso que estou longe desse estágio de evolução em que vocês se encontram.

    Só para provocar um pouco, pesquisem por aí quantos delegados, promotores e juízes foram perseguidos por atuarem nos crimes dos poderosos.

    Dantas, segundo ouvi de várias fontes, é realmente um poderoso. Como tal, colocou tentáculos em várias esferas do poder, seja pelo lado da economia como da política. Com isso ameaça gregos e troianos e o status quo entende ser melhor não “bulir” neste caldeirão.

    Posso não aplaudir a situação?

  87. Pax said

    Segundo notícia da Folha, o processo beneficia 62 cotistas do Opportunitty que “enviavam” dinheiro para as Ilhas Cayman, suspeitos de cometer crimes de lavagem de dinheiro, evasão de divisas e sonegação fiscal.

    Há notícias que informam a exitencia US$ 150 bilhões de brasileiros em paraísos fiscais.

    Dinheiro que, aparentemente, não pagou imposto.

    Pois é. Para resolvermos a situação nosso caminho tem sido: libera os sonegadores e aumenta imposto para os pagadores.

    Grande caminho.

  88. fk said

    Pax, é claro que a impunidade incomoda, é claro que pessoas como Dantas acabam se safando pelos mais variados meios, mas também é claro que a lei deve ser respeitada, senão entramos no vale-tudo total.

    Uma pergunta pra vc, e gostaria que vc respondesse: Vc acha que, em um caso como esse do Dantas, pode-se relevar infrações à lei para conseguir pegá-lo?

    Lula – Sim, a justiça do trabalho é totalmente pró-trabalhador, mas isso porque a legislação é pró-trabalhador. Talvez seja a única justiça onde pobres consigam efetivamente algo. A questão aqui é discutir a legislação trabalhista, pois nada é julgado fora da lei. Acho que esse não é um assunto para o momento, certo?
    A justiça criminal, por outro lado, é totalmente contra pobres. Não existe “in dubio pro reu” para pé rapado, e não, isso não é um exagero esquerdista.

  89. Pax said

    Não, FK, não acho que a lei deva ser colocada de lado para que se consiga pegar corrupto.

    O que acho, mais que acho, o que tenho certeza, é que as leis e os modelos processuais que estão aí praticamente não permitem que poderosos sejam pegos.

    E a quem cabe mudar as leis? Como disse o Chesterton, num lapso de consciência: O Legislativo, esse que comporta em seus quadros bandidos de toda natureza e que não tem interesse algum em mudar as leis.

    Se acho que devemos fazer uma revolução? Não, claro que não, sei perfeitamente que Democracia é lenta e dolorosa.

    Mas, então, devo aceitar e ficar quieto? Bem, até quando for permitido, também por lei, ter e emitir opinião, continuo reclamando. Dos gregos e dos troianos.

  90. Chesterton said

    está começando a apreender, Pax, esse é o caminho. Dane-se o “sentimento” de impunidade, o que vale é a impunidade como fato.
    Outra coisa, rico quando comete crime violento (essa coisa de pobre) vira noticia de jornal e a vigilância é tamanha que o cara fica preso (nardoni, aquela que matou os pais, etc..).

    Aliás, viram a pesquisa que saiu mostrando o que eu dizia para vocês há décadas, que o crime de tráfico de drogas não é por dinheiro, mas por sexo e poder? Pois é, está provado que os adolescentes entram no tráfico para ter uma arma e arrumar uma gatinha-putinha. A grana é mínima.

    Logo, pobreza em si não leva ao crime.

  91. Pax said

    agradeço a Santo Expedito pelos comentaristas que me ensinam…

  92. fk said

    E quando o crime é praticado por pobre, ele fica preso porque esquecem ele lá. Vide a mulher do shampoo, a garota que pixou a Bienal, o cara que ficou 11 anos no xadrez sem condenação e mais um monte de outros anônimos por ai…

  93. Chesterton said

    é verdade, o cara pobre tem amis é que andar na linha.

  94. Chesterton said

    tem amis = tem mais

  95. Pax said

    Não dá para elogiar muito…

    Chesterton,

    A desigualdade social é causa de criminalidade, sim. Não exclusiva.

  96. Clever Mendes de Oliveira said

    Pax (68) (22/12/2009 às 16:11),
    A transcrição no blog do Luis Nassif no post “A rotina insólita do HC de Dantas” de 23/12/2009 às 10:21 de autoria Luciano Prado de matéria que saiu hoje, 23/12/2009, na Folha de S. Paulo com o título Ministro do STJ diz que nada mudou por Mônica Bergamo retira muito sentido de parte do que vocês discutiram neste post (Especificamente as acusações ao STJ e também ao juiz Fausto de Sanctis).
    De certo modo os advogados de defesa de Daniel Dantas conseguiram dar mais repercussão a decisão do juiz do STJ do que a decisão merecia. Para isso eles (os advogados de defesa) contaram com os serviços da imprensa favorável a Daniel Dantas e a ingenuidade dos que são contrários ao Daniel Dantas.
    Quanto ao seu comentário (68) de 22/12/2009 às 16:11, eu vou de novo colocar a minha opinião contrária. Diz você:
    “20% do PIB vão ralo abaixo, na casa de uns 200 bilhões de reais por ano, . . . . .”
    Bem, já disse em algum post no seu blog que uma análise matemática e estatística do gasto público chegará a conclusão de que o total da corrupção, mesmo em um sentido não jurídico do termo, não pode ultrapassar 2,0% do PIB o que representaria 5 pontos percentuais do total de gastos públicos se eles forem tomados como 40% do PIB. É uma afirmação de um leigo, mas com anos de acompanhamento dos gastos públicos no Brasil e no mundo. E é uma afirmação que pode ser checada com algum auditor dos nossos tribunais de conta e que tenha uma visão mais geral do problema.
    O PIB brasileiro está na casa de R$ 3 trilhões e, portanto, 2% é cerca de R$ 60 bilhões. É muito, mas fica na mesma ordem de grandeza de outros países no nosso atual estágio de desenvolvimento econômico, se não for semelhante aos valores que se observam em países já desenvolvidos como Estados Unidos, Itália e Japão. De todo modo, 20% do PIB corresponderia a R$ 600 bilhões e o seu 20% correspondendo a 200 bilhões ficou difícil de encontrar (Só espera que não seja essa sua dificuldade em encontrar esses valores que você considera como corrupção).
    Clever Mendes de Oliveira
    BH, 23/12/2009

  97. Chesterton said

    Pax, o tráfico de drogas não tem porra nenhuma a ver com pobreza, pessoas de classe media alta volta e meia váo para o morro por causa de poder e sexo. Crimes relacionados a drogas não tem nada a ver com pobreza. Quem entra não vai por grana, que é pouca.

  98. Pax said

    Ok, Clever, tenha sua fé. E ore forte por ela.

    Posso não comungar da mesma?

  99. Chesterton said

    http://noticias.uol.com.br/cotidiano/2009/12/21/ult5772u6722.jhtm

    vê se abre aí.

  100. Pax said

    Chesterton,

    Você acha que eu iria comentar se não tivesse lido a matéria?

    Acha, mesmo?

  101. Chesterton said

    que bom, então discordas?

  102. Pax said

    Desta tua frase “Logo, pobreza em si não leva ao crime.” discordo, sim.

  103. Chesterton said

    então todo pobre é criminoso?

  104. Chesterton said

    Mania de perfeição

    Primeiro, foi a Previdência, agora são as leis que tornam o país “quase perfeito”, diz Lula. Ainda caminharemos sobre as águas desse Nirvana.

  105. Pax said

    Báh…

    Próximo passo de Dantas será descongelar contas e bens nos EUA

    http://maierovitch.blog.terra.com.br/2009/12/23/daniel-dantas-proximo-passo-sera-descongelar-contas-e-bens-nos-eua-tarso-genro-afastou-protogenes-e-agora-fala-em-impunidade/

  106. Quantos moradores de uma favela são bandidos? 1%? 5%? 10%? Para associar pobreza à criminalidade é preciso provar que há mais criminosos (proporcionalmente) na Rocinha do que há na Avenida Paulista ou na Vieira Souto. Alguém pode provar isso?
    Infelizmente o submarxismo e a narco-sociologia precisam provar que ser pobre é meio caminho para ser bandido, o que é um preconceito horroroso, uma ofensa comparável a dizer que mulher pobre é uma candidata à prostituição por ser mulher e pobre. Há mais prostitutas na Rocinha do que há na Avenida Paulista ou na Vieira Souto?
    Há uma parcela de qualquer sociedade humana formada por sociopatas que transgridem as leis e isso não está diretamente associado a quanto dinheiro tem, mas a uma série de fatores psicossociais que incluem histórico familiar, com quais valores morais, éticos e religiosos o sujeito foi criado e, especialmente, qual a sua distância do tráfico de drogas ou das drogas em si. Se você ler o Freakonomics, por exemplo, vai descobrir que a esmagadora maioria dos presos americanos, independente de raça, classe ou religião, é formada por filhos de lares com o pai ausente, desconhecido ou violento. Fato. Um pai ausente, um lar desfeito, é um fator que predispõe à criminalidade muito mais do que se o sujeito tem 1 real ou 1 milhão de reais no bolso. E, nunca é demais repetir, onde há narcotráfico, há violência desenfreada.
    Sobre a polícia, o Brasil tem 50.000 assassinatos por ano e os EUA tem 10.000, com uma população 50% maior. Mas lá não se dá tanto espaço para a narco-sociologia e traficante, se for pego, é cadeia e cadeia braba. O Rio de Janeiro, meu estado, foi praticamente entregue aos traficantes e bicheiros nos anos 80 com o brizolismo e o “polícia não sobe morro” e está há anos tentando consertar o estrago.
    São Paulo é o grande exemplo brasileiro de combate à violência. Nos últimos 10 anos houve uma queda de 65% no número de homicídios, uma taxa que cai todo ano. São Paulo tem, proporcionalmente, o dobro de presos que o resto do Brasil. Menos ladrões na rua, menos crimes. Que surpresa, não?

  107. fk said

    É, Lula, mas a esmagadora maioria da população carcerária americana é negra. Vc acha que isso não tem nada a ver? Essa é uma variável que simplesmente não pode ser descartada.
    Vc acha que não tem nada a ver a esmagadora maioria da população carcerária brasileira ser de pobres? Ou a esmagadora maioria da população carcerária brasileira ser de reincidentes?

    Se, por um lado, associar pobreza diretamente com criminalidade é uma besteira -coisa que, por sinal, o Pax não fez-, também é uma besteira a sua postura de achar que todo criminoso é sociopata.

    Tem bandido sociopata, tem bandido que faz por diversão e tem bandido que faz por necessidade. Qual a proporção entre eles, não sei dizer. Até porque é mais importante perguntar o que se pode fazer.

  108. Chesterton said

    O problema da cultura negra estar predisposta ao crime é enorme nos EUA. Ser careta, cumpridor das leis é “ser branco” para eles.

    Cometer crime por diversão é uma sociopatia grave.

  109. fk said

    Chest, nessa vc se superou! Parabéns, sinhozinho!

  110. Pax said

    Confesso que fui buscar pelo Google em pesquisas usando os argumentos “criminalidade e pobreza” e “desigualdade social e criminalidade” e achei pouca coisa até agora.

    Para não passar em branco e prometendo estudar um pouco mais o assunto, fico numa só fonte, a Agência Brasil, onde achei dois artigos interessantes, mas que ainda não me satisfazem.

    À eles, então, com meus destaques dos textos:

    1 – Números da violência no Brasil ainda são assustadores, diz diretor do Sou da Paz ( http://www.agenciabrasil.gov.br/noticias/2007/02/28/materia.2007-02-28.9654800056/view )

    Destaque:

    “Não é nem a pobreza, como se dizia antigamente, nem a extrema riqueza que determinam os problemas, mas o convívio dos dois.”

    2 – Livro analisa crime e violência entre os jovens na região metropolitana de Belém ( http://www.agenciabrasil.gov.br/noticias/2008/12/05/materia.2008-12-05.0284433777/view )

    Destaque:

    “De acordo com o professor Thomas Mitschein, um dos autores do livro, uma das causas da criminalidade juvenil se deve às condições de vida de 40% das crianças em Belém, cujas famílias têm renda mensal de meio salário mínimo: “Quando você vive a precariedade da favela e você tem acesso às imagens dos produtos, e você não tem acesso a isso, sobretudo entre os jovens, isso se transforma em violência”.

  111. Dizer que a culpa da violência é a vontade de ter um tênis Nike (conheço muita gente que acredita nisso) é uma asneira desmontável por um simples argumento: então a violência nasceu com o capitalismo, com Adam Smith? Países que aboliram a propriedade privada não tinham violência? Sociedades tribais que desconhecem qualquer forma de moeda são Jardins do Éden, sem que ninguém resvale a mão em ninguém? Ah, pelo amor de Deus né?
    O Eduardo Gianetti da Fonseca, que é tudo menos um direitista, já disse que a abolição da propriedade privada sempre criou sociedades ainda mais violentas, nas quais as disputas de poder são decididas apenas pela lei do mais forte, ou seja, pela barbárie.
    Fk, você está tirando conclusões apressadas do que eu disse. Nunca disse que todo criminoso é sociopata! Eu disse que existem sociopatas, o que já me diferencia de quem acha que a pobreza explica tudo. O extremista não sou eu neste caso.
    A maior causa de violência hoje é o narcotráfico que, neste continente, é ideologizado como movimento revolucionário ou bolivariano. Por que você imagina que Caracas hoje é a capital mais violenta do mundo?

  112. Chesterton said

    FK, vi que você não sabe ler.

  113. fk said

    “O problema da cultura negra estar predisposta ao crime é enorme nos EUA. Ser careta, cumpridor das leis é “ser branco” para eles.” – Talvez essa frase seja a coisa mais racista que eu li na minha vida. Mas talvez ela apenas uma ironia mau feita

    Lula – O Eduardo Gianetti da Fonseca pode ser tudo, menos um esquerdista.
    O narcotráfico é uma causa de violência, mas não exclusivamente. Na década de 1990, quando combateu-se o tráfico, intensificou-se o sequestro no RJ. Não estou justificando uma leniência com o tráfico para evitar outros crimes. Nem justificando Sergio Cabral quando diz que a criminalidade no RJ cresce porque está sendo combatida, um argumento tautológico. Quero dizer que a criminalidade é muito mais complexa do que esta ou aquela causa. Não há fatores isolados, como eu falei sobre os dados do Freakonomics, que, por sinal, vc não comentou.

    Não dá pra isolar uma variável e elegê-la como “A” questão. É muito mais complicado do que isso.

    No Brasil, por exemplo, o sistema prisional é uma variável que não pode ser descartada, mas muitos parecem simplesmente deixá-la de lado.

  114. É exatamente o que eu disse, Fk! Não é possível isolar um único fator (como a pobreza), mas é possível analisar fatores relevantes na equação, certo? E a pobreza não é o primeiro nem o mais relevante.
    Veja o caso de São Paulo, onde é claro e evidente que o combate ao crime tem um papel preponderante nos bons resultados. Se o Brasil todo tivesse a taxa de homicídios de São Paulo, umas 20.000 vidas de brasileiros seriam poupadas anualmente e 20.000 mortes/ano é um número de guerra, seria uma “guerra” a menos. Mas como São Paulo não goza da simpatia da imprensa, o fato é ignorado fora dos círculos acadêmicos ou técnicos do assunto.
    O que aconteceu nos anos 90 precisa de um debate mais profundo, já que sequestros aconteceram em várias cidades e não só no Rio. O sequestro do Abilio Diniz em SP em 1989, aliás, foi um dos primeiros “grandes” sequestros da série e foi realizado pelo MIR (Movimento de Esquerda Revolucionária) do Chile. Outro comunista chileno próximo ao grupo, Mauricio Hernández Norambuena, comandou o sequestro de Washington Olivetto e os movimentos de esquerda do Chile também são suspeitos dos sequestros do VP do Bradesco Antonio Beltran Martinez e do publicitário Luiz Sales. O MIR era um partido político reconhecido no tempo do Allende (o que Lula sugere que aconteça com as FARC hoje, o que não é coincidência) e participa do Foro de S. Paulo, como as FARC. O MIR é uma prova de que o buraco é muito mais embaixo e de como o narcotráfico ideologizado está presente na política sulamericana.
    Não entendi o que você quer que eu comente sobre o Freakonomics.

  115. Clever Mendes de Oliveira said

    Lula Borges (106) (23/12/2009 às 16:05),
    A questão da violência é realmente bem complexa, mas o exemplo que você dá comparando o Rio de Janeiro com São Paulo vai contra o seu argumento. São Paulo é cidade muito mais rica do que o Rio de Janeiro. E a questão da criminalidade no Rio de Janeiro não aflorou na época de Brizola. Basta pegar as estatísticas. Assim como em São Paulo os índices de criminalidade não são menores a partir dos governos tucanos.
    É claro que os governos tucanos tiveram um pouco de ligação com a melhoria da situação de São Paulo. O volume de obras em São Paulo no governo de FHC foi muito maior. E obra cria empregos formais que dão mais estabilidades aos núcleos familiares. A construção do gasoduto da Bolívia para São Paulo (Sem greve de padre paulista), a duplicação da Fernão Dias (Até hoje não duplicaram a BR 040 para o Rio de Janeiro nem a 262 para Vitória, obrigando as exportações e importações de Minas passarem por São Paulo), a construção do Rodonel a todo vapor que só diminuiu o ritmo no governo de Lula, as quadruplicações das vias São Paulo – Santos e coisas semelhantes geraram muito mais empregos formais em São Paulo do que no Rio de Janeiro.
    Também no governo Lula o setor industrial que é maior em São Paulo foi quem comandou o crescimento no Brasil o que de certo modo privilegia São Paulo. Agora, com a retomada do crescimento após a crise mais voltado para o consumo interno que pode beneficiar o setor de serviços pode ser que o Rio de Janeiro possa seguir pari passu com São Paulo, embora progressivamente para São Paulo se desloquem as grandes firmas de Advocacia, Arquitetura e Engenharia e Design, inclusive o de modas, sem esquecer que São Paulo roubou do Rio de Janeiro a Bolsa de Valores, é o grande centro Bancário e desenvolve melhor a rede hoteleira para as grandes convenções e seminários.
    A este respeito da relação de criminalidade com situação econômica lembro que ali por volta de 1997, FHC esteve no México tecendo loas à globalização, enquanto a Folha de São Paulo publicava uma entrevista que o, à época já falecido, ex-presidente Ernesto Geisel dera ao jornal em que este tentava justificar não ter feito uma política econômica mais restritiva para enfrentar o aumento dos preços do petróleo alegando que o grande problema para uma sociedade como a brasileira era o desemprego, pois isso desestrutura as famílias e deixa pais e filhos à beira da criminalidade. Parecia um discurso de maior sensibilidade sociológica do que o discurso de FHC. Como a popularidade de FHC estava baseada na baixa inflação, ele pouco ligou para o fato que nos 8 anos de governo dele houve baixa geração de empregos.
    Clever Mendes de Oliveira
    BH, 24/12/2009

  116. Clever Mendes de Oliveira said

    Lula Borges (114) (24/12/2009 às 6:45),
    Sobre o livro Freakonomics que você menciona no final do seu comentário e que fora uma demanda de FK em comentário (113) de 24/12/2009 às 2:14 gostaria de tecer alguns comentários. É opinião de leigo, mas achei o livro tosco e que se mais burilado talvez se revelasse como apenas tolo. Uma das primeiras chamadas sobre o livro foi de Elio Gaspari reproduzindo a idéia de que a queda da criminalidade nos Estados Unidos estava associada à política de descriminalização do aborto. Quando o governador Sérgio Cabral, jornalista como Elio Gaspari, foi dizer a mesma coisa, o Elio Gaspari já sabendo que as idéias do livro Freakonomics não faziam o sucesso da época do lançamento tratou de espinafrar o governador.
    Da segunda vez, o Elio Gaspari tinha razão. A criminalidade nos Estados Unidos esteve mais associada à geração de emprego. Com a estagflação da década de 70, a criminalidade atingiu o ápice naquele país. A irresponsabilidade de Ronald Reagan criando grandes déficits permitiu que mesmo com juros elevados para acabar com a inflação a economia americana pudesse crescer gerando empregos. E depois da recessão na época de George Bush pai e com o aumento dos impostos tanto em George Bush como em Clinton, reduzindo o déficit público, o que permitiu a redução dos juros, a economia americana voltou a crescer. E depois de leve recessão no início do Séc. XXI, a economia americana voltou a crescer só que com George Bush filho e com mais irresponsabilidade fiscal, mas com juros baixo sem problema inflacionário em decorrência da superprodução chinesa. Se o crescimento nos Estados Unidos não voltar a gerar empregos provavelmente a criminalidade volta a subir nos Estados Unidos.
    Clever Mendes de Oliveira
    BH, 24/12/2009

  117. Chesterton said

    epa, e o Carter?

  118. Clever Mendes de Oliveira said

    Pax (98) (23/12/2009 às 13:12)
    O que eu disse no meu comentário (96) de 23/12/2009 às 13:03 é só opinião, não é questão de fé. Posso estar errado, mas pela vivência que tenho na área qualquer erro que tenha cometido apenas mostrará que o meu limite está muito alto. Certamente ele está, pois o escolhi de modo a não se ter contestação fática, mas apenas de fé.
    Clever Mendes de Oliveira
    BH, 24/12/2009

  119. Clever Mendes de Oliveira said

    Chesterton (117) (24/12/2009 às 12:05),
    O Carter do motor? Bem toda a década de 70 foi uma década perdida para os Estados Unidos. Inflação crescente e estagnação econômica. No final do governo de James Carter a inflação americana estava em 12% ao ano. Em 1979 James Carter indicou Paul Volcker para presidente do Banco Central Americano e a inflação foi debelada na década de 80 já com Ronald Reagan como Presidente, mas o grande responsável foi Paul Volcker que era indicação de James Carter.
    E pensando com mais atenção, a década de 70 não foi de toda perdida para os Estados Unidos. Com inflação alta e juros baixo a dívida pública em relação ao PIB despencou. atingindo menos de 25% do PIB no final dos anos 70. De lá para cá ela só tem aumentado. Por isso que Alan Greenspan no livro autobiográfico dele prognosticou uma nova etapa na economia nos Estados Unidos com inflação mais alta: só assim a dívida pública que já representa mais de 60% do PIB americano volta a decrescer. É claro que ele não sabia que teríamos uma crise como a que tivemos que permitiu os Estados Unidos injetar muito mais dinheiro na economia (uma parte aumentando a dívida, mas outra representando simples emissão de dinheiro que serviu para os Estados Unidos comprarem ativos sem valor que mais à frente se a economia se recuperar podem ser vendidos mais caros, abatendo um pouco a dívida pública)
    Clever Mendes de Oliveira
    BH, 24/12/2009

  120. Chesterton said

    Você é muito condescendente com o Carter.

  121. Clever Mendes de Oliveira said

    Chesterton (120) (24/12/2009 às 12:36),
    O cara ganha um prêmio Nobel da Paz e eu que sou condescendente? O cara indica Paul Volcker que fez a maior revolução em toda a metade final do Séc. XX, levando os países em desenvolvimento a maior crise que eles jamais passaram e transformando a moeda americana na moeda mais cara do planeta e eu que sou condescendente?
    Jimmy Carter pegou os Estados Unidos já descendo a ladeira e não teve pulso para reverter a situação. Até porque o Partido Democrata Americano é um misto de direita (os sulistas que perderam a guerra para o Partido Republicano) e de esquerda e para James Carter foi difícil aprumar e poder dar uma nova direção para a economia americana. Reconheço que ele não tinha grandes méritos para vencer Edward Kennedy na disputa interna no partido, pois o senador por Massachusetts ficara diminuído com o Escândalo de Chappaquiddick em 1969 em que morreu afogada Mary Jo Kopechene. E só ganhou a eleição para presidente porque disputou com Gerald Ford que era muito fraco (Dele se dizia que não era capaz de andar e mascar chiclete ao mesmo tempo).
    Pode ser que ele não soubesse o que Paul Volcker iria fazer, mas foi Paul Volcker a razão de os Estados Unidos terem vencido a corrida armamentista com a União Soviética. Os Estados Unidos produziam dólar no fundo de quintal e o vendiam ao preço mais caro que a moeda americana alcançou. Além disso, os Estados Unidos obrigaram os países de periferia a produzir mercadorias de consumo do povo americano a preço de banana. Café, ouro, petróleo só voltaram a alcançar o preço de 1979 em 2007.
    Clever Mendes de Oliveira
    BH, 26/12/2009

  122. Chesterton said

    Jimmy Carte foi o pior presidente da história dos EUA, de longe. Premio Nobel? Ora, essa o Obama levou muito mais cedo e não fez nada até agora, o que mostra a importancia (zero) desse premio.

  123. Clever Mendes de Oliveira said

    Chesterton (122) (26/12/2009 às 22:34),
    O prêmio para Obama foi um pouco o esforço da Europa cristã mais liberal para o ajudar a enfrentar, sem precisar de usar as forças armadas americanas como fez o Bush filho, a tendência isolacionista do Partido Republicano e foi muito a tendência da Europa cristã de estigmatizar o mundo muçulmano uma vez que o Obama é um filho de uma cristã com muçulmano que escolheu a religião cristã.
    Jimmy Carter não teve nenhuma desses requisitos ou necessidades para ganhar o prêmio. Foi tudo conquistado só com a ação dele.
    Clever Mendes de Oliveira
    BH, 26/12/2009

  124. Chesterton said

    sei, um premio “futuro”. Ora, Clever, na meritocracia o mérito vem antes, essa josta virou um circo.
    Além do que, Obama nada pode contra o anti-amercanismo, mesmo depois de se curvar literalmente a meia duzia de déspotas, o culto anti-americano-capitalista continua.

Faça seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: