políticAética

Notícias da Corrupção, Desvios, Anomalias, Eleições e Meio Ambiente

  • Sobre o blog

    Uma coletânea das notícias da corrupção, desvios, anomalias, eleições e meio ambiente que aparecem na mídia todos os dias a partir de agosto de 2008.
  • Categorias

  • Arquivos

  • Páginas

  • Meta

Em um mês Serra caiu 5 e Dilma subiu 9 pontos

Posted by Pax em 30/01/2010

A nova pesquisa Vox Populi indica que a estratégia do PT está rendendo mais que a estratégia do PSDB.

O resultado da última pesquisa divulgada, realizada entre os dias 14 e 17 de janeiro de 2010, é:

Serra – 34% – eram 39% (a última pesquisa da Vox Pópuli foi realizada entre os dias 11 e 14 de dezembro de 2009)
Dilma – 27% – eram 18%
Ciro – 11% – eram 17%
Marina – 6% – eram 8%

Se analizarmos um período maior, pegando o final de dezembro de 2008 e agora, janeiro de 2009, as diferenças são mais acentuadas. Os dados estão numa planilha que o jornalista blogueiro Fernando Rodrigues, do UOL, mantém e é excelente fonte de informação. Clique aqui.

Em dezembro de 2008 – pesquisa Sensus (entre os dias 8 e 12 de dezembro de 2008)

Serra tinha 46,5% e Dilma 10,4%.

Ou seja, em 13 meses, Serra caiu 12,5 pontos e Dilma subiu 16,6%. Esta é uma das comparações possíveis. Não peguei o melhor número de Serra nem o início, e pior número, de Dilma. Sugiro que cada um entre no site indicado acima e faça suas verificações e análises. Esta é uma das possíveis.

E a constatação básica é: Serra cai e Dilma sobe. Ciro também cai e Marina não empolga. Tirando Ciro, o quadro muda. Serra cai mais e Dilma sobe menos, aumentando o número de indecisos.

Conclusão: analisando o comportamento geral indicado pelas pesquisas, onde insistentemente Serra cai e Dilma sobe, a estratégia do PT é melhor qua a do PSDB nesse período.

O PT já se decidiu faz um tempo e usa o governo como base da campanha. Mais que isso, Dilma tem o cabo eleitoral que qualquer candidato gostaria de ter, um presidente com mais de 80% de aprovação.

O PSDB, indeciso, como uma característica atávica do partido, dividindo seu eleitorado internamente entre Serra e Aécio até o final do ano passado, tende a perder as eleições em outubro.

A questão do PT usar a máquina do governo para a campanha de Dilma é outra.

Assim foi, é e será no Brasil e no mundo inteiro. Se está de acordo ou não com as leis eleitorais do país não me cabe julgar. Somente olho números e tiro a mais básica das conclusões, a das tendências das curvas. Nada além disso.

Anúncios

98 Respostas to “Em um mês Serra caiu 5 e Dilma subiu 9 pontos”

  1. Chesterton said

    “A pessoa que tem acesso à informação viabiliza a democracia, por ter informações referenciadas e diferenciadas. É a formação de um País.”(dilma)

    chest- Hein?

  2. Jorge said

    Minha expectativa é que Dilma faça um governo melhor do que o de Lula. Talvez ela até consiga melhorar as condição de vida e trabalho das mulheres no Brasil, ainda muito precárias, especialmente das trabalhadoras pobres. O Serra, depois que as responsabilidades pelas enchentes no estado de São Paulo forem apuradas, não deve nem mesmo tentar a reeleição para governador, o Alckmim deve assumir o controle do Psdb de São Paulo. Realmente, o Serra se mostrou um governante com ares ditatorias e desapreço por qualquer diálogo, nem mesmo com seus companheiros de partido, como o caso de São Luiz do Paraitinga indica. Deus nos livre de ter alguém assim na presidência, o Brasil iria entrar em guerra civil.

  3. Chesterton said

    Dá para entender a demora da Band para publicar a pesquisa da Vox Populi que a imprensa nacional simplesmente desconheceu. Deve ser vergonha na cara. Um resto que ainda resta. No site do Tribunal Superior Eleitoral está o registro da pesquisa. Uma amostra realizada em 122 municípios e aí está o escândalo. Os municípios foram escolhidos a dedo, meticulosamente, dentro de redutos eleitorais de partidos da base eleitoral de Lula. Atenção! Denúncia 1! Dos 122 municípios que compõem a amostra da Vox Populi, apenas 27 têm prefeituras oposicionistas, do PSDB, DEM ou PPS. Apenas 22%. Atenção! Denúncia 2! Em 45 municípios, ou 37%, além de prefeituras governistas, não houve um só candidato da oposição. Em um terço da amostra não houve oposição nas últimas eleições municipais. Atenção! Denúncia 3! As cidades escolhidas pela Vox Populi que têm prefeitos oposicionistas tiveram férrea disputa eleitoral ou são pequenas e inexpressivas cidades. É uma vergonha estatística. Observem, por exemplo, a amostra do Rio de Janeiro, onde a Vox Populi conseguiu que Dilma Rousseff ultrapassasse José Serra. As cidades escolhidas foram Campos (PMDB), Nilópolis (PP, sem oposição em 2008), Niterói (PDT), Nova Iguaçú (PT, sem oposição nas eleições de 2008), Paraíba do Sul (PMDB), Rio de Janeiro (PMDB), São João do Meriti (PR, sem oposição em 2008) e, finalmente, um município oposicionista: Resende, onde o DEM venceu uma eleição dificílima, com placar embolado. Não há município governado por tucano na amostra da pesquisa e não surpreende que Dilma esteja à frente. No Rio Grande do Sul, dos oito municípios, apenas um é governado pelo PSDB e em três deles não houve candidato a prefeito fora da base do governo. Seria necessário fazer um cruzamento, agora, com as obras do PAC e com aquele programa de Lula, denominado Territórios da Cidadania. Em São Paulo, a manipulação é flagrante. A amostra tem cinco municípios, totalizando 573 mil eleitores, que são dirigidos por tucanos. Já o número de eleitores em três municípios petistas da amostra é de 1 milhão e 400 mil eleitores, incluindo Guarulhos e São Bernardo do Campo. Existem outros indícios de falcatrua das grossas. Em Santa Catarina, montaram uma amostra de cinco municípios, apenas um tucano, onde a eleição foi acirradíssima. Em três municípios não houve oposição aos partidos da base de Lula em 2008. E o mais escandaloso: trocaram a capital Florianópolis por São José, do PSB, onde a filha do Lula é secretária de Ação Social e está entupindo a cidade de verbas federais. O Coturno Noturno fez a sua parte. Que os comentaristas e oposicionistas façam a sua.
    …………………………………………………………..
    Não dá para deixar de comentar a Bahia. A amostra é imensa e tiram dali a representatividade do Nordeste. Por acaso, são 13 cidades no estado do Jaques Wagner. Em 9 delas não houve candidato de oposição em 2008. Sabem quantos municípios governados pelo DEM na amostra? Nenhum! Isto na terra do ACM! O mais engraçado é que escolheram um município, cujo nome é Boa Nova, onde o nome do prefeito é Toinho da Dilma. Nada mais simbólico para emoldurar esta pesquisa da Vox Populi.
    …………………………………………………………..
    E o que dizer do Ceará? Naquele estado, o PSDB fez 30% das prefeituras. Sabe quantas cidades tucanas estão na amostra da Vox Populi? Zero! Das 5 cidades, 2 são do PT e 1 do PCdoB. Melhor do que isso, só patinha de caranguejo.
    ………………………………………………………….
    Em Minas Gerais, então, a Vox Populi chutou o balde. São 13 municípios na amostra, sendo que apenas dois são do DEM. Sabem quantos eleitores os municípios demos de Antonio Dias e Antônio Prado de Minas têm? Menos de 10 mil! Sabem quantos municípios não tiveram concorrência do PSDB, DEM e PPS em 2008, na amostra mineira? Cinco! E sabe quantos municípios governados pelo PSDB do governador Aécio Neves estão na amostra? Nenhum! Aliás, um! Juiz de Fora, com 370 mil eleitores, onde o PSDB elegeu o prefeito com 51% contra 48% do PT. Melhor que isso só uma vaca desatolada!

    cel coturno
    …………………………………………………………
    ORIGINALMENTE POSTADO

  4. Chesterton said

    A denúncia de ontem é completada por mais uma evidência da safadeza que foi esta pesquisa Vox Populi. Nos cartões que são mostrados para os entrevistados escolherem o candidato, o nome de José Serra(PSDB) está nitidamente embaralhado e desfocado. Ou escrito de traz para frente! Coisa de profissional. Coisa de malandro. Coisa de 171. Eles serão capazes de tudo para desempacar a bichinha palanqueira. Clique na figuras para ampliar. Para comprovar, clique aqui no site do TSE e vá até a última palavra: “arquivo”. Lá estão os originais que foram publicados acima.

    tb do coronel coturno

  5. Chesterton said

    A única coisa que podemos concluir, se o Tribunal Superior Eleitoral tirar o arquivo do ar(Protocolo 1057/2010), é que estava informado a respeito. Até agora o TSE pode ser acusado, apenas, de ser relapso e incompetente, pois autorizou uma pesquisa com este tipo de golpe. Se tirar do ar, aí sim, vai estar comprovando um outro tipo de postura, lamentável, no mínimo. É hora da oposição ir com tudo para cima do TSE e exigir, do mesmo, que assuma o controle da campanha eleitoral. Chega de crimes cometidos diariamente. Chega de impunidade. O povo brasileiro não merece isso.

    idem

  6. Pax said

    Chesterton,

    Em dezembro de 2009 a pesquisa DataFolha dava Serra com 37% e Dilma com 23%. Na época, a Vox Populi dava 39% para Serra e 18% para Dilma.

    Com essas informações você poderia chegar as seguintes conclusões:

    A DataFolha é petista.

    e

    A Vox Populi é da imprensa golpista, como alguns alucinados do outro lado chamam.

    Procure fontes menos parciais, meu caro.

  7. Chesterton said

    coloquei aqui para sua apreciação (rs), deposi não diga “eu não sabia”…alías, você não é petista, logo, nunca disse isso….

  8. Chesterton said

    Artigo da Veja defendendo a liberdade de imprensa e atacando a tentativa totalitária de Lula e do PT de acabar com ela. No artigo a comparação entre as visões de Thomas Jefferson e Lênin é simplesmente brilhante. A Veja é um fenômeno da natureza, boa imprensa na selva. Algo raro num país onde a maioria esmagadora dos jornalistas é caracterizada pelo analfabetismo e primarismo intelectual e, portanto, é de esquerda. Essa canalha infesta e corroí a imprensa por dentro, que além disso é anestesiada e corrompida por fora por verbas públicas.
    Posted by SELVA BRASILIS

  9. Olá!

    “Em dezembro de 2009 a pesquisa DataFolha dava Serra com 37% e Dilma com 23%. Na época, a Vox Populi dava 39% para Serra e 18% para Dilma.”

    O Pax apenas se esqueceu de dizer que as pesquisas foram feitas com diferentes composições de candidatos — o que se conclui que cada uma das pesquisas retratam cenários eleitorais diferentes e não podem ser comparadas entre si.

    Para haver comparação, a pesquisa P1 (contendo os candidatos C1, C2, C3, C4 e C5) deveria ser comparada com a pesquisa P2 contendo os mesmíssimos candidatos. Se a pesquisa P1 for comparada com a pesquisa P3 — que contém os candidatos C1, C2, C3 e C4, deixando o candidato C5 de fora –, a comparação é estatisticamente pobre, pois a pesquisa P3 trata-se de um cenário diferente, como se fosse uma nova pesquisa e que pouco tem a ver com a pesquisa P1 feita anteriormente.

    Assim posto, não se poder concluir que houve crescimento ou decrescimento quanto à porcentagem de votos de um determinado candidato quando comparamos entre si as pesquisas P1 e P3, já que tratam-se de cenários diferentes.

    CQD/QED

    Marcelo

    P.S: Um curso rápido de estatística básica.

  10. Pax said

    Marcelo,

    Engano seu. Tomei esse cuidado. Olhe as linhas 6 e 7 da tabela que o Fernando Rodrigues mantém.

    Aqui

    http://noticias.uol.com.br/fernandorodrigues/pesquisas/2010/1turno/presidente.jhtm

    São os mesmíssimos candidatos.

    Boa tentativa.

  11. Olá!

    ERRATA AO MEU COMENTÁRIO ANTERIOR:

    Quando eu escrevi:

    “O Pax apenas se esqueceu de dizer que as pesquisas foram feitas com diferentes composições de candidatos — o que se conclui que cada uma das pesquisas retratam cenários eleitorais diferentes e não podem ser comparadas entre si.”

    Isso que escrevi vale para aquelas comparações toscas que alguns vigaristas intelectuais fizeram com as pesquisas do DataFolha em meados do último trimestre do ano passado. As comparações são inválidas pelo fato de compararem cenários eleitorais diferentes, isto é, com diferentes composições de candidatos.

    Vale lembrar que comparar pesquisas de diferentes institutos (IBOPE, DataFolha, e afins) também é besteira, pois os métodos estatísticos utilizados podem ser diferentes.

    Até!

    Marcelo

  12. Olá!

    Pax, só agora li o seu último comentário, pois eu encontrei um pequeno erro no meu texto acima.

    Apesar desse lapso, o argumento continua válido, Pax.

    Até!

    Marcelo

  13. Pax said

    Você está me chamando de vigarista intelectual? Ou chamou no comentário #9 e se arrependeu na medida que mostrei seu engano?

    As palavras, as flexas e os tiros, depois que saem… Espero estar enganado.

    Comparar as informações de diversas fontes de pesquisa sempre acontece. Ok, são métodos diferentes, mas muito válidas as comparações, pois podemos comparar, também, os institutos e seus métodos e, no apanhado, nas médias de todos os resultados, um número ainda melhor, entendo eu. Se forem muito díspares, algo de errado cheira no ar.

    Foi, é e será assim. Em todas eleições. Aqui, nos EUA ou qualquer lugar.

  14. Pax said

    Agora fui eu quem escrevi sem ter lido teu último comentário.

    Ok, deixa quieto. Está esclarecido.

  15. Olá!

    “Engano seu. Tomei esse cuidado. Olhe as linhas 6 e 7 da tabela que o Fernando Rodrigues mantém.”

    Hehehehehehe!!!!! O tio lá faz exatamente o que observei acima: Ele compara pesquisas feitas por institutos diferentes!

    Isso é uma barbeiragem estatística enorme, Pax. A priori, não se sabe se os métodos de avaliação dos dados são os mesmos para cada um dos institutos de pesquisa, já que diferentes métodos podem dar distribuições de porcentagem diferentes para cada um dos candidatos.

    Olhando as duas pesquisas mais recentes (linhas 1 e 2) e admitindo que cada linha representa uma pesquisa, observa-se que os candidatos estão muito próximos da margem de erro (suponho que aproximadamente de 2 pontos percentuais acima ou abaixo). E como os candidatos estão não tão distante assim da margem de erro, se conclui que essas duas últimas pesquisas não retratam nenhuma novidade!

    Aliás, esse meu último parágrafo também não possui valor estatístico, pois as linhas 1 e 2 mostram cenários eleitorais diferentes, daí que não se pode fazer comparações entre tais cenários.

    Até!

    Marcelo

    P.S: Achei um tanto confusa as tabelas do tio lá.

  16. Olá!

    Calma, Pax. Se eu constatasse alguma vigarice intelectual aqui, eu diria, mas teria o cuidado de dizer que a vigarice se encontra no argumento da pessoa e não na pessoa. Até mesmo as pessoas mais bem intencionadas cometem esse tipo de atitude, algumas o fazem sem sequer saber.

    []’s

    Marcelo

  17. Olá!

    Calma, Pax. Se eu constatasse alguma vigarice intelectual aqui, eu diria, mas teria o cuidado de dizer que a vigarice se encontra no argumento da pessoa e não na pessoa. Até mesmo as pessoas mais bem intencionadas cometem esse tipo de atitude, algumas o fazem sem sequer saber.

    []’s

    Marcelo

    P.S: Pax, por gentileza, apague o meu comentário anterior, pois ele saiu mal formatado. Obrigado!

  18. Chesterton said

    da próxima vez que eu quiser uma opinião isenta vou pedir ao Pax.

  19. Chesterton said

    e o pax vai ficar de novo com a cara no chão…

  20. Chesterton said

    Foram pegos em flagrante. A pesquisa ficará à disposição do PSDB até o dia 19 de fevereiro. A pesquisa fajuta. A pesquisa montada. A pesquisa manipulada pela Vox Populi. Não há como “ajeitar” ou “agilizar”, como eles gostam. Está publicada aqui neste Blog. As provas aqui reproduzidas voam por toda a blogosfera. Qual será a posição da BAND? Aceitará ser cúmplice desta falcatrua? E qual será a disposição da Oposição? Ir para as cabeças e exigir que o TSE assuma seu papel? Os trabalhos do Congresso reiniciam no próximo dia 2, às 11 horas. O Blog conta com vocês para entupir a caixa postal dos senadores e deputados do PSDB.

    do coronel

  21. Pax said

    Chesterton,

    De novo vou te pedir.

    Aqui não uso fontes que sejam extremadas. As que gostam muito do governo ou as que odeiam o governo.

    Se não ficaria repetindo o que diz o Reinaldo de um lado e o Paulo Henrique do outro. Exatamente por achar que esses opostos mais extremados não me ajudam em nada a pensar. Nem os leio.

    Aliás é o que costumo ver nos blogs por aí, uma repetição dessas posições antagônicas que, para mim, enche o saco.

    E, não custa perguntar: você não seria capaz de também escrever textos teus? Vai lá, tenta.

  22. Chesterton said

    Você chamar O Reinaldão de extremado mostra bem tua vontade de tapar com peneira o que vaza de errado desse governo. Ora, você quer que as falcatruas do PT sejam noticiadas por quem? Pelos interessados nelas? Nunca vai acontecer. O que você tem, medo, da patrulha, da censura? O que você já faz há algum tempo é auto censura.

    Olha uma célula da tal pesquisa (de novo do coronel)

    Ninguem mais publicou isso. Me diz aí outra fonte que eu dou a referencia. E n]ão me venha com papo de credibilidade, pois se não fosse verdade já teriam caído e pau em cima dele.

  23. fk said

    Reinaldo não é extremado: é burro mesmo.

  24. Pax said

    Fk,

    Burro ele não é. E, segundo alguns jornalistas que conheço, também não é desonesto no sentido de levar bola. Um desses caras que me disse isso é confiável pacas e o conhece pessoalmente. O outro, também super confiável, mas que não o conhece pessoalmente, confirma que tudo indica que o Reinaldo não é vendido, ou comprado, depende de por onde você olha.

    O que acho é que ele surtou. Só isso. Se acha o grande nome brasileiro da área e ficou histérico. Já não anda dizendo coisa com coisa, bastante quixotesco no meu entender.

    Esses dias vi alguma coisa dele no As Últimas, também de Pandorama, com títulos assim: “Pegamos os caras” ou algo parecido. Quem é ele para pegar quem? Um histérico para pegar o presidente com 80% de aprovação que não mexeu em nada no país no que tange às instituições democráticas? E, veja, Lula não mexeu nem para melhorar nem para piorar.

    Dois exemplos:

    Se Lula quisesse realmente melhorar as instituições: Reforma política, Reforma profunda em Educação, Reforma no Plano Nacional de Segurança Pública, Reforma Tributária, Reforma no Judiário etc Não mexeu.

    Se quisesse piorar: Terceiro mandato, fechamento de jornais oposicionistas, crise energética, crise em tudo que é lugar, talvez fossem bons exemplos, tipo Chávez que o Chesterton, seguindo orientação do líder dele, o tio Rei, tanto quer que a sociedade veja assim.

    Não, não estamos no caminho da Venezuela. O tal do tio Rei precisa tomar uns remedinhos para se acalmar, ou melhor ainda, desinflar um pouquinho sua autoavaliação. Vi uma entrevista dele no Jô, disponível no Youtube, que, segundo minha avaliação de leigo, mostra um cara bem complicado, com o ego tão grande que perturba e obscurece qualquer visão que ele possa ter como analista político. Hoje me parece mais um líder de torcida, desses nervozinhos que “se acham”.

    E, para terminar: esse jogo dos citados egos, entre Rei/Olavo/Diogo e, de outro lado, PHA, Nassif, etc, não acrescenta o país em nada, na minha pobre opinião.

  25. Chesterton said

    Burro? Vou usar o método que ele, Reinaldão, critica KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

  26. Olá!

    Não ler e opinar é vigarice intelectual, Pax. Fui ler o texto com o título que citaste: DEBATE SE AMPLIA: PEGAMOS OS CARAS NO FLAGRA.

    É um texto que trata daquele tal de Programa Nacional de Direitos Humanos 3 (PNDH3). O Reinaldo Azevedo mostra, no citado texto, o enviesamento autoritário que há nesse PNDH3 tendo como pretexto os direitos humanos e a relativamente tardia reação dos maiores jornais do Brasil ao tal programa. Foi o que entendi do que li. Ah sim: O texto não me pareceu histérico.

    Isso aqui vale uma breve análise:

    “[…] [O] presidente com 80% de aprovação que não mexeu em nada no país no que tange às instituições democráticas? E, veja, Lula não mexeu nem para melhorar nem para piorar.”

    Eis uma proposição composta por argumentos toscos, Pax.

    01. Tosquice 1

    “[…] [O] presidente com 80% de aprovação […]”

    Em primeiro lugar, a validade dos fatos não é determinada por pesquisa de opinião, Pax. Afirmar o contrário é cometer uma vigarice estatística e intelectual, afinal de contas, que tal se fizéssemos uma pesquisa de opinião para saber se existe ou não a força da gravidade, Pax?

    O mesmo é válido para o índice de aprovação do presidente Lula: 80% de aprovação não isenta ninguém de ladroagens, Pax, e não deve jamais servir como instrumento de intimidação da opinião pública, da liberdade de imprensa e afins. O governo atual foi o que mais espaço abriu para pilantragens do calibre de um PNDH3 que pretende “verificar” os atos de apenas um dos lados da época da ditadura, se esquecendo, convenientemente, de que a guerrilha armada esquerdista também matou, torturou e prendeu. São atitudes que revelam o viés autoritário que existe dentro do PT e que tende a piorar sob uma presidência da Dilma Rouseff.

    02. Tosquice 2

    “[…] [O] presidente com 80% de aprovação que não mexeu em nada no país no que tange às instituições democráticas? […]”

    Neste quesito, eu discordo 200%, Pax! Quando o Lula deixar a presidência no começo do ano que vem, ele entregará ao seu sucessor um país mais enfraquecido do ponto de vista institucional do que aquele que ele pegou em 2003, sobretudo no que tange aos valores democráticos — exemplo disso foi a tosca tentativa de estabelecer reeleição para um terceiro mandato; as infindáveis investidas contra a liberdade de imprensa; o revanchismo contra os militares; e etc. Lula, mesmo tendo os seus 80% de aprovação, não procurou melhorar o país quanto aos valores e instituições democráticos, Pax. O que se vê é o presidente utilizar esse índice de aprovação para, literalmente, esmagar algumas dessas instituições e leis, como a lei que proíbe propaganda eleitoral fora de época. O TSE que o diga!

    Eis o maior problema do sucessor de Lula: Lula teve um FHC como seu antecessor. O sucessor de Lula não terá o seu FHC.

    Até!

    Marcelo

  27. Olá!

    Não quero fazer o papel de defensor dos outros, mas não posso deixar passar uma incoerência lógica. Ei-la:

    […] “Vi uma entrevista dele [Reinaldo Azevedo] no Jô, disponível no Youtube, que, segundo minha avaliação de leigo, mostra um cara bem complicado, com o ego tão grande que perturba e obscurece qualquer visão que ele possa ter como analista político. Hoje me parece mais um líder de torcida, desses nervozinhos que ‘se acham’.”

    E quando o Lula fala aquele bordão dele de “nunca antes na história deste país”, ele mostra um ego inflado, Pax? Isso perturba e obscurece as atitudes dele como presidente, Pax?

    Um dos maiores problemas da maioria dos esquerdistas é a falta de autocrítica. Atitude deveras estranha, pois as fundações da estrutura mental esquerdista estimula a prática da autocrítica: No marxismo-leninismo, a autocrítica é encorajada como método científico e prática política permanente, na busca pela evolução dialética rumo ao comunismo.

    Responda-me uma coisa, Pax: Tu ages assim sem querer?

    Até!

    Marcelo

  28. fk said

    Nem vou entrar no mérito dessa discussão sobre o PNDH-3, um dos momentos mais baixos da imprensa brasileira e que, me parece, foi sim pautada pelo Reinaldo, pois o plano só ganhou destaque depois desse post malucaço do cara. E, infelizmente, a maioria das notícias seguiu o estilo histérico do sujeito.

    Burro ele não, ams é intelectualmente desonesto, e esse texto dele mostra bem isso.
    Aí vem um bando de gente que não consegue ligar alhos com bugalhos e fica falando que um decreto -decreto, gente, vão ler Kelsen para entende a hierarquia das leis- é a porta de um golpe político.

    Mas nem vale a pena discutir um sujeito tão baixo nível que nem ele.

    Onde estávamos mesmo?

  29. Iconoclasta said

    # 26 e 27

    gostei desse cara. boa M.A!

    FK, vc ta de dar vergonha…

    ;^/

  30. fk said

    Vergonha é um país cujos grandes expoentes da discussão política são, de um lado, Reinaldo Azevedo, e do outro, Paulo Henrique Amorim…

  31. Elias said

    Li ainda há pouco, no MSN, que a pesquisa CNI/Sensus estaria atribuindo 33,2% para Serra e 27,8% para Dilma.

    Também achei esquisito.

    Todas as análises a que tive acesso, calculam que, persistindo a tendência atual, Dilma encostaria no Serra lá por volta de março ou abril. Em junho, ela já estaria abrindo uma pequena diferença sobre o concorrente. Essa diferença se ampliaria durante a campanha.

    Isso persistindo a tendência atual. Que poderia ser completamente subvertida se o PSDB conseguisse uma linha de abordagem mais eficaz, cujos efeitos não fossem anulados pelo PT.

    Foi o que disseram vários especialistas, entre eles o diretor geral do Data Folha.

    Daí o meu espanto com o que foi divulgado pela CNI/Sensus. Ou tem alguma coisa errada aí, ou o eleitor tá a fim de abreviar a agonia tucana…

  32. fk said

    O André Singer publicou um texto de grande repercussão na, acho, revista do Cebrap, falando sobre a mudança do perfil do eleitorado do Lula, mostrando que, se em 2002 recebu ampla votação nas classes médias e alta, em 2006 foi eleito pelo voto das classes mais baixas.

    Bom, o que é interessante nesse estudo é que, ao contrário do que dizem alguns analistas, notadamente o Montenegro do IBOPE, ele acredita que Dilma tem mais margem para crescimento, pois, apesar de muito exposta, essa exposição não atingiu ainda esse público pobre, em geral destituído de acesso aos meios de comunicação em geral. Seria nesse imenso público, portanto, que Dilma poderia realmente acelerar sua candidatura quando ela realmente fosse lançada.

  33. Pax said

    Marcelo Augusto,

    De vez em quando leio, sim, claro. Mas pouco, muito pouco. Cada vez menos. Quando trazem para cá, ou quando olho alguma coisa nos As Últimas que chama muito a atenção ainda leio. E continuo com minha opinião. É um destemperado que não presta para ser chamado de analista político coisa nenhuma. É quixotesco, caricato. “Se acha” como diz a molecada. E, no meu entender, faz mais mal que bem no contexto todo. Aliás ainda não vi algum bem que tenha feito.

    E você querer comparar o Lula ao Reinaldo Azevedo é que me parece de uma tosquice sem tamanho. O Lula é, enquanto o Reinaldo quer ser alguma coisa e de uma forma altamente condenável, assim como o Mainardi. Tente você ser presidente do país ou um bom analista político, ao menos, e veja que é um tanto mais difícil que emitir opiniões num blog insignificante como esse aqui.

    Veja, não sou nenhum defensor incondicional do Lula, muito pelo contrário. Sento o cacete, principalmente em tudo que vejo de corrupção no governo e no PT, que para mim caiu na vala, uma enorme parte dele. Não todo, não senhor. Assim como nem todo o PSDB é ruim, não senhor. E o PSDB também não é todo “limpinho”. Se acho que uma coisa justifica a outra? Claro que não. Exatamente por isso coleciono tudo que acho. Ao menos esse exercício me põe a par do que acontece no país. Antes de tudo este blog é para mim mesmo, é uma coleção de notícias que substancia minhas opiniões. Se quero convencer todo mundo de alguma coisa? Não, não tenho essa pretensão e muito menos este trabalho aqui em qualidade suficiente para isto. Mas que procura não poupar ninguém, ah, meu caro, procura sim. Diga-me um grande escândalo que não esteja colecionado aqui que te agradecerei e passará a constar. Isto está na página do “Sobre o blog”, desde a criação deste espaço.

    De outro lado, entendo que alternância no poder é uma prática maravilhosa num país democrático. Chávez, por exemplo, para mim é um caos, um perigo, mesmo que os que o defendem afirmem que ele olha para o social, que suas ações são neste sentido. Coisa nenhuma, é um arremedo de ditador, acho eu. É o que todos os indícios me fazem acreditar: reeleições ad eternum, fechamento de jornais e tvs, polícia sentando o cacete em protestos nas ruas e um país a caminho da ruína.

    Acho, sinceramente, que o Serra devia dar um chega para lá no Reinaldo Azevedo, no DEM e nesse bando de oligarcas, viúvas chorosas do poder que não conseguem um bom discurso para competir nas eleições. Na verdade a direita no Brasil nem existe, só um “bandeco” sem eira nem beira. Como o Serra não dará esse passo, de se afastar dessa turma, a gente fica, realmente, sem opção. E isso é ruim. Bem ruim. Idem ibidem para o Lula/Dilma com o PMDB do Sarney, Renan e Temer. Os dois cometem o mesmo erro, se misturam com o que há de pior na política. É do jogo? É. É bom? Aí são outros quinhentos… e é claro que não acho bom.

    Você reclamar dos problemas éticos e morais do Lula, PT e suas alianças é um ponto. Mas esquecer da aliança do FHC com o ACM, como um dos muitos exemplos que poderia dar, aí caro, vigarice pouca é bobagem. Falar do Mensalão do PT e esquecer do Mensalão do PSDB, falar da corrupção de sei lá quem e esquecer da Yeda, falar dos problemas da turma do mensalão do PT e esquecer desse caso do Distrito Federal, bem da turma da direita mais convicta, que achava o Arruda a “menina dos olhos” do partido, bem… sei como são essas coisas. Entendo…

    E você acha que eu acho que o FHC foi um péssimo presidente, um calhorda condenável? Não, muito pelo contrário. Acho que “tirarmos os nove fora” foi um bom presidente para o país, assim como Lula também. Nesses quase 16 anos o Brasil andou para frente, bem diferente do que você afirma e insiste. Eu acho, 80% da população e a galera do mundo afora também. Até os neoliberais do FEM. Veja só. Se tá longe de ser um estadista e um grande presidente, que realmente tenha colocado o país no rumo que merece, sim, também acho. Os tais 80% de aprovação não me obrigam a achar que foi um excelente governo. Que não foi. Não teve coragem de mexer onde deveria ter mexido.

    Para terminar, caro, se você está dizendo que minha opinião é uma vigarice, arrume um bom espelho. E corra, senão não dará mais tempo.

  34. Pax said

    Fk,

    O texto que você fala tem o seguinte título:

    RAÍZES SOCIAIS E IDEOLÓGICAS DO LULISMO

    Procure com o Google que você acha fácil. Eu até o guardei aqui, mas não tenho permissão para divulgá-lo. Vale muito a leitura, sim.

  35. Elias said

    FK,

    O diretor do Ibope disse mais ou menos a mesma coisa que o diretor geral do Data Folha.

    Segundo Marcos Paulino, aproximadamente 37% do eleitorado se dispõem a votar em quem Lula indicar. Dilma ainda não teria atingido essa marca porque uma grande parcela de seu eleitorado potencial ainda não sabe que ela é candidata e apoiada pelo Lula.

    Vale dizer:Dilma tem mais ou menos uns 10 ou 12 pontos percentuais de crescimento pela proa. Votos que já são dela; falta, apenas, tomar posse.

    Aí é quando a campanha realmente vai começar…

    Só que a perspectiva era de que esses 10 ou 12 pontos percentuais viessem em aproximadamente 90 a 120 dias, a contar de dezembro.

    Durante esse período, o crescimento seria aos saltos. A partir daí, ela continuaria a crescer, porém a taxas decrescentes. A ultrapassagem aconteceria aproximadamente em junho, por uma pequena margem.

    Aí a decisão ficaria pro jogo bruto da campanha.

    Se a Dilma realmente ultrapassar o Serra antes de abril, é lápide pra ele. Vai ter que esperar mais 4 anos, ou torcer pra que aconteça um terremoto no governo.

    Sendo ultrapassado antes de abril, duvido que Serra mantenha a candidatura. Vai pular fora, e tentar a reeleição em SP.

  36. fk said

    Pax, já que não pode divulgar o texto, procure uma entrevista com o Singer no caderno Agora do Estadão de uma ou duas semanas atrás, no qual ele fala sobre a pesquisa. Acho que é um assunto bem interessante pra ser comentado por aqui.

    Elias, é mais ou menos por aí.
    Agora, o Serra está se mostrando um bananão, covarde, que não pula logo de cabeça nessa eleição. Do jeito que o bonde vai, teremos Alckmin o Forrest Gump brasileiro, mais uma vez disputando pra perder, porque pode apostar: não é o aécio que vai entrar nessa barca sem fundo.

    O Serra, pelo amor de deus, já está para perder sua segunda chance de realizar o sonho da presidência. Falo segunda porque em 2002 ele tinha chance nenhuma…

  37. Olá!

    Interessantes os comentários do Pax.

    Apesar de já ter desconfiado muito do Reinaldo Azevedo e de até mesmo ter feito troça dele, do que li produzido nas lavras dele, pouca coisa eu consideraria de baixa qualidade e teoricamente mal embasado. Não é uma questão de ser de direita ou de esquerda, mas, sim, de fatos.

    Não comparei o Lula ao Reinaldo Azevedo, mas mostrei que, em essência, a tua atitude de dizer que o Reinaldo é um histérico desbragado sem noção por causa de uma mera entrevista no Programa do Jô, ao mesmo tempo em que o Lula mostra atos de megalomanias bem piores, é o tipo de coisa de quem não tem autocrítica, Pax. Nas tuas próprias palavras:

    “[…] […] “Vi uma entrevista dele [Reinaldo Azevedo] no Jô, disponível no Youtube, que, segundo minha avaliação de leigo, mostra um cara bem complicado, com o ego tão grande que perturba e obscurece qualquer visão que ele possa ter como analista político. Hoje me parece mais um líder de torcida, desses nervozinhos que ’se acham’.”

    A entrevista dele ao Jô é de uma humildade monástica se comparada com as magalomaníacas falas do presidente. E isso eu o fiz por tu mesmo, Pax, já teres demonstrado simpatias por atitudes petistas e pelo próprio presidente (mesmo depois de toda a ladroagem que comeu solta na era Lula).

    O Reinaldo Azevedo é, na minha opinião, apenas um cidadão exercendo o seu direito de liberdade de expressão.

    O problema maior que vejo no PT e no petismo é que, ao votar em um partido desses, estamos comprando não apenas aquelas imagens marqueteiras de propaganda eleitoral, mas também um pacotão de idéias atrasadas e que pouco têm a contribuir para o nosso país. Exemplos:

    01. Vistas grossas para as atitudes criminosas do MST e movimentos correlatos. Gostaria de ver um parlamentar petista vir a público e condenar veementemente as atitudes desses baderneiros que utilizam o pretexto de reforma agrária para desrespeitar as leis.

    02. Ojeriza ao livre mercado e à livre iniciativa. Apesar da tímida abertura econômica que foi feita ao longo desses últimos 15 anos, o PT pouco contribuiu para tornar a nossa economia mais aberta, competitiva e globalizada. Existe todo um aparato partidário-sindical que impede de nos tornarmos um país capitalista de fato. Vale lembrar que o PT nos anos noventa foi contra toda e qualquer iniciativa de abertura econômica.

    03. Abriga gatos escaldados da guerrilha armada esquerdista e outros comuno-socialo-fascistas. Aqui não faz-se necessária muita explicação, basta citarmos alguns nomes: CONFECOM; PNDH3; (Conferência Nacional de Cultura) CNC; Conselho Federal de Jornalismo; Dilma Rousseff; Tarso Genro; Zé Dirceu; e etc, etc, etc.

    04. O PT é o partido mais corrupto da história de nosso país. Fato.

    05. O PT sempre foi um partido sem programa de governo. Aliás, o PT só “melhorou” quando se apropriou de um programa de governo que não era seu (era do PSDB).

    06. O PT é um partido que prega o discurso do ódio entre os brasileiros. Basta ver o programa partidário de Dezembro do ano passado. Aquilo foi por demais tosco, tentando opor brasileiros contra brasileiros. Atitude odiosa e abominável.

    O PT só não implantou o “bolivarianismo a brasileira” aqui por falta de espaço, pois, por mais arrebentadas que estejam, as instituições democráticas ainda funcionam, Pax. Não pense que o PT não o faz porque não o quer. Ele não o faz porque não pode.

    Isso aqui é interessante:

    “[…] Na verdade a direita no Brasil nem existe, só um “bandeco” sem eira nem beira. […]”

    Na verdade, a direita no Brasil nunca existiu, Pax. O que há são políticos praticantes do patrimonialismo, tanto os que se dizem de direita, quanto os que estão à esquerda. A esquerda afirma que os militares da ditadura eram de direita. Eu discordo. Esses militares não eram de direita, mas seguiam, na via política, a tradição patrimonialista do Brasil. Tanto isso é verdade que eles, no lugar de liberalizarem a economia para tornar o país mais competitivo, iniciaram um plano extremamente idiota de criações de empresas estatais e de reserva de mercado, estabelecendo um enorme comércio de cabides de empregos.

    Os militares fizeram na economia o que o pessoal da guerrilha armada esquerdista também teria feito, com o detalhe de que muito mais gente teria sido liquidada. A única razão pela qual os esquerdistas atuais chamam a ditadura militar como sendo “de direita” é que os militaresm perseguiram e liquidaram muitos dos guerrilheiros e afins, cometendo odiosas atrocidades contra inocentes também (além de terem dado justificativas para os esquerdistas pedirem generosas indenizações ao Estado brasileiros).

    Capitalismo é outra coisa que nunca existiu por aqui, Pax. Quem nos dera ser capitalistas no sentido amplo do termo. Haveria mais gente com dinheiro no bolso, sobretudo a população mais pobre.

    “Você reclamar dos problemas éticos e morais do Lula, PT e suas alianças é um ponto. […]”

    É triste que no nosso país políticos que queiram mudar algo tenham que se aliar às forças mais retrógradas do Brasil. Quando o FHC teve que se aliar
    a essas forças para, por exemplo, consolidar o Plano Real, ele, pelo menos, conseguiu executar uma “reforma” que foi boa para todo o país e que hoje é, em grande parte, responsável pela boa performance econômica que estamos tendo. Claro, houve os custos políticos e, provavelmente, financeiros disso tudo, o que é condenável.

    Pegue o caso do atual governo. Lula também se aliou às forças políticas mais retrógradas do Brasil. Digam-me: Qual foi o grande salto que o governo Lula executou ao se aliar a essas forças? Será que ele fez algo de comparável ao que o FHC fez quando teve que se aliar com essa gente? Minha resposta: Não houve nenhum salto significativo na mesma escala que foi o Plano Real.

    Lula se aliou a essas forças retrógradas e o que o governo dele fez? Impediu a instalação da CPI do MST. Impediu, violentamente, que a CPI da Petrobrás funcionasse como deveria — a Petrobrás que é, aliás, a caixa de Pandora do petismo. Ampliou benefícios em época de campanha. Etc. Não é à toa que o Lula vive a denegrir a imagem do FHC: Como o Lula nunca fez nada de comparável ao que o governo de FHC fez, o presidente Lula denigre a imagem de FHC para reduzir os feitos do seu antecessor.

    Quanto à corrupção generalizada, Pax, eu tenho uma receita bem simples: Corrupto tem que ser preso. Ponto! Não faço rodeios lógicos para justificar a ladroagem dos outros.

    Até!

    Marcelo

    P.S: Pax, apague, por gentileza, o meu comentário #37. Saiu mal formatado.

  38. Mona said

    Ai, que pena que o Blog do Hermenauta acabou. Ia ser massa ver o duelo Marcelo Augusto x Hermê, tendo como arma os textos, coerências e consistências argumentativas do Reinaldo Azevedo.
    Agora, considero um absurdo colocar como antípodas PHA e RA…

  39. Pax said

    Marcelo Augusto,

    (Apaguei o teu comentário anterior, a teu pedido. O que era 38 virou 37).

    Vamos lá:

    1 – por causa de uma mera entrevista no Programa do Jô

    Não, caro, você está se apegando numa frase, num parágrafo. Já estiveste num auditório para falar para uma platéia? Já estiveste na frente de uma câmera de tv? Assusta pacas, principalmente para quem não tem prática, que pode ficar completamente inibido e que nem consiga mandar seu recado. Na TV não tenho prática alguma. Para platéias (pequenas, bem pequenas) tenho alguma. E confesso que sou muito ruim de palco. As minhas sempre foram profissionais, vendendo meus projetos aqui e alhures.

    Meu ponto não se baseia somente na entrevista do Jô. Se baseia no apanhado da obra. Que é contraproducente, volto a afirmar. Mais que isso, acho que é a vontade de ocupar um espaço sem ter capacidade para tal, o sub do sub do Paulo Francis, e, pior, entendo que ele sabe disso, ao menos seu inconsciente, e aí parte para a apelação braba. Quer, por exemplo, convencer que o Lula e a Dilma são o Chávez. Pelo que parece te convenceu. Não são. O que não quer dizer que sou aplausos para os dois. Não sou. O ponto que você insiste é que o “tio Rei” é equilibrado e que tudo que escreve é baseado em fatos. Isto não é verdade. Analista bom olha a informação, apura, e bate onde pode, escolhe bem, no fígado, no queixo, os bons sabem bater muito bem, não há praticamente defesa possível quando o cara é bom mesmo.

    Reinaldo pega lá uma ou outra informação e inventa seus monstros. E quer que todos o sigam. Como não sou lá muito de seguir “líderes”, muito menos gente que considero fraca, olho com muita crítica. E o cara é fraco, sim. (“É o lobo, é o lobo, é o lobo”).

    Vou pegar um só caso, esse do PNDH-3. Apareceu com um monstro na sua cabeça, se não me engano foi esse o motivo do tal “Pegamos os caras” – sei lá, me recuso a voltar a ler aquela baboseira, e depois teve que escrever mais uma série de posts para explicar as diferenças entre o PNDH-1 e o PNDH-2 do FHC, que, em essência, não são lá tão diferentes. Veja o programa onde o próprio José Gregori fala disso, no William Waak. Mas o bichão lá, esperneando, se achando e entendendo que vai resolver os problemas existenciais do país, ao enfiar sua lança no moinho de vento. Ele, para seu sonho, ou escada, entende que o moinho é o Lula, ou a Dilma, enfim.

    Em alguns momentos parecia querer convocar os militares para derrubar o Lula e ainda assim se dizendo o porta-voz e o guardião das instituições democráticas brasileiras. Sei. Daria para colocar mais uma série, mas não precisa. Meu ponto está feito.

    Você gosta dele? Ótimo, direito seu. Como é direito dele ter opinião e emiti-las. Mas entender que o que ele faz é análise política de qualidade já é um salto que me permito discordar e entendo que também tenho todo esse direito. Não vale o que acha que vale. É comprar gato minguado por lebre. E tem lá sua torcida, que é enorme. Direito dele e da torcida. Mas, cá comigo, me “incluo fora” com muita certeza.

    Patrimonialismo: não discordo muito de como você pensa. Nem vou cavar sepultura se não há defunto.

    2 – Capitalismo é outra coisa que nunca existiu por aqui, Pax.

    Capitalismo: aqui não há? Essa é boa, uma novidade. Tirou da mesma fonte que discutíamos acima? Se você quis reclamar da enorme burocracia que temos, do absurdo do modelo tributário, até posso te entender, pois temos governos que mais atrapalham que ajudam empresários. Tente abrir uma empresa e fazê-la funcionar com tudo nos conformes. Veja o quanto os governos, federal, estadual e municipal te ajudam nessa. É só complicação.

    Isso vem de agora? Não, caro, vem de longe.

    Mas daí a afirmar que eu não posso pensar num negócio e abri-lo, que sou impedido de ter um empreendimento, já é outro abismo colossal que você acaba de inventar. Pode sim, você é livre para abrir negócios, ter sucesso e ganhar muito dinheiro. Pagarás um bocado de impostos e ficarás muito pau da vida por não ter nada, ou quase nada em troca. Isso é outra verdade. Mas uma não nega a outra. Ou você me explica melhor esse teu ponto, ou, caro, sinto lhe informar que estás enganado. E muito.

    3 – Quando o FHC teve que se aliar a essas forças para, por exemplo, consolidar o Plano Real

    Caro, foi para alterar a constituição e permitir um segundo mandato a principal motivação. Coisa, segundo o tio Rei, de comunista.

    4 – Governo FHC, governo Lula, uma comparação.

    Aqui é tudo que o PT quer, entrar nessa discussão. Sabe que vai ganhar. Lógico ou ilógico, pouco importa, mas sabe que ganhará a discussão. As pesquisas indicam que sim.

    FHC fez grandes coisas, iniciou, no governo Itamar, a estabilização da Economia, o fim da inflação. Aqui é um marco. A própria abertura para o mercado interno do Collor, o cheirador das Alagoas, segundo seu irmão disse na Veja (opa, me protegi nessa para não levar um caratê do outro nervosinho), foi outro marco que você pincela no ponto da equivocada reserva de mercados que os milicos fizeram. Mas FHC fez mais, ele é social democrata também, iniciou os programas assistenciais necessários para a transição que vivemos, de um país de fundo de quintal, privatizou algumas estatais que não interessavam mesmo, mas acabou privatizando outras que não sei se faria se estivesse nos sapatos dele, ao menos naquele momento, e também deixou o “diabo” se fartar em alguns destes processos.

    Não sou dessa turma que só fala mal do FHC. Nunca fui.

    E lá vem você, ou o Reinaldo, dizer que Lula não fez nada. Pois aqui é outro ponto do Reinaldo que só o desmerece. E você acaba caindo junto.

    Melhor olhar o todo, os fatos, apurar direitinho, para poder bater bem batido, no fígado, no queixo, lembra.

    A bandeira perdida do combate da corrupção é um bom caminho para bater no PT. Problema é que não tem muito quem possa dar esses golpes sem tomar de volta.

    5 – Megalomania do Lula, segundo você:

    Outro ponto que discordo, mas já cansei de escrever. Leia o artigo do André Singer para termos essa conversa com um pouco mais de base comum. É uma sugestão.

    E esqueça que algum tio vai te levar ao paraíso. Ainda mais um tio furado como esse.

  40. Pax said

    Mona,

    Nem me fale. Hoje a blogosfera está de ressaca. Merecida ressaca por essa informação que o cara deu no seu blog. Quem me dera ter a capacidade do Hermenauta. Mas ele volta, deixa o filho nascer e as coisa se estabilizarem. O Pedro Doria já voltou. Daqui a pouco o Idelber volta também.

    Sobre teu ponto, o tio Rei e PHA são iguais, mas em lado opostos. Sinto discordar de você.

    E ambos não fazem nada que preste para a análise política nacional. Empobrecem muito o que deveria ser bom. Mais que isso, esvaziam a discussão. E entendo que o país precisa. Você verá, essas eleições serão, tomara que não, de uma baixaria sem fim.

    Outro dia fui conversar com um professor da USP, um cara bem conhecido. Não consegui convencê-lo a blogar. Queria que entrasse no projeto Pandorama. Sabe qual foi seu principal argumento?

    “Entrar nessa ladainha de sub do sub do Paulo Francis? Com certeza não quero”.

    Daí que tirei essa que achei ótima, o “sub do sub”.

  41. Pax said

    Fk,

    Agora que li o teu comentário #36. Será que você não pode me ajudar nessa empreita, achando o link. Aqui não achei por enquanto.

  42. Pax said

    Elias,

    mode ironia = on

    O Ibope, a Datafolha, a Vox Populi, a CNT/Sensus, estão todos macumunados no projeto chavizta do Lula e da Dilma.

    Bom tema para o tio Rei.

    mode ironia = off

  43. Elias said

    FK

    Creio que o Serra está seguindo um planejamento político bem medido.

    Na hora do vamos ver, ele terá, mais ou menos, a mesma coisa que Dilma: entre 35% e 40% das intenções de voto.

    É o pessoal que não vota no PT de jeito nenhum, e considera que qualquer outro candidato é preferível ao candidato petista. Pra esse pessoal, tanto faz que seja Serra, Aécio ou o que vier.

    No frigir dos ovos, a disputa eleitoral será, mesmo, pelos 20% a 30% que ainda não têm candidato, ou que em parte votará, no 1º turno, em um dos “alternativos”.

    Esses candidatos alternativos jogam um papel e tanto, como linhas auxiliares, porque podem desequilibrar o jogo.

    Marina, p.ex., vai ser pressionada a apoiar o PSDB no 2º turno. É o que o Gabeira quer. Outras bases do PV, mais ligadas a ela, vão querer que Marina apóie o PT ou que, no mínimo, fique de fora. No próprio PV-RJ, a parcela representada pelo Sirkis já disse que não apóia nenhuma composição que envolva o DEM.

    Mantendo-se essa escrita, o mais provável é que o PV vai rachar no 2º turno. Lógico que haverá uma competição pelos votos que foram pra Marina no 1º. E é quase certo que essa disputa se dará milímetro por milímetro.

    Por ora, o pessoal que apóia Serra tem atrapalhado mais que ajudado seu candidato. Esse pessoal tem o discurso típico da direita radical, que é música para os ouvidos de quem já é anti-PT, mas espanta exatamente quem deveria conquistar: o típico eleitor de Marina que, decididamente, detesta a direita.

    Quanto mais os serristas de extrema-extrema são provocados, mais radicalizam seu discurso e mais antipatia despertam. Se a campanha do Serra fosse feita só por essa turma, iria murchar feito um maracujá na gaveta…

    Claro que não será sempre assim. Daqui a pouco, o PSDB realmente entrará em campo e mostrará o que sabe jogar (e que não é pouco…). Provavelmente, orientará sua campanha no sentido de resgatar a imagem de centro-esquerda que, hoje, está algo borrada pela vociferação da direita hidrófoba.

    Até lá, Serra continuará se guardando. Se ele se mostrasse agora, estaria dando a cara a tapa prematuramente. Claro que o PT fará de tudo para atraí-lo pro centro do ringue, mas dificilmente Serra morderá a isca.

    Com a Dilma, dá-se o oposto. Seu maior ponto fraco era ser desconhecida. Com a enorme capacidade que Lula tem de transferir voto, o melhor pra ela era sair logo.

    Foi o que ela fez e o resultado aí está: praticamente já anulou a fragilidade inicial. Em parte porque operou direitinho; em parte porque o PSDB não soube estruturar e executar táticas de desgaste (que é o pesadelo de quem sai na frente).

    Creio que o PSDB não conseguiu desgastar porque manteve um discurso anti-petista que envelheceu. Repete os mesmos motes com os quais o PSDB foi derrotado 2 vezes. É como se os tucanos acreditassem que 3 erros fazem um acerto… Esse discurso, aliás, foi repetido à exaustão durante os dois mandatos do Lula, e chega ao seu 8º ano de uso contínuo servindo de fundo sonoro pros mais de 80% de popularidade do presidente.

    Mesmo assim, o pessoal não procurou — ou não achou — outro eixo. Isso, claro, vai ser uma dificuldade a mais pro Serra ou pra quem assumir o lugar que hoje é dele. Não que seja fatal, mas…

    O problema pro Serra é Dilma quicar mais rápido e ultrapassá-lo antes de abril. Sem um discurso definido e sem apoio orgânico país a dentro, a derrota seria certa.

    De qualquer modo, pelo que já vi de campanhas eleitorais, o pessoal — de um lado e de outro — está apenas afiando os facões. A briga, mesmo, está longe de começar.

  44. Pax said

    Isso, acima, do Elias, é uma análise política.

    O ponto:

    1 – pegou os números. Não se perdeu em qualquer bobinho achando que as pesquisas foram “compradas” ou distorcidas. Turma dos histéricos.

    2 – apurou os fatos, não se baseou em uma única pesquisa, olhou o apanhado, viu que todas confirmam as curvas.

    3 – fez a análise, bateu onde tinha que bater – a falta de discurso da oposição – mas sem desmerecer ninguém, porque não é bobo.

    4 – sabe do que fala.

    Boa, Elias.

  45. Pax said

    E, como não tenho a competência do Elias, fiz o post que fiz. Acabei de relê-lo. Não alteraria nada se fosse “torturado” para reescrevê-lo.

    Ok, só para provocar um pouco mais o Marcelo Augusto.

  46. Mona said

    Pax,
    se você me permite, vou linkar o comentário do RA acerca das pesquisas eleitorias mais recentes.

    http://veja.abril.com.br/blog/reinaldo/geral/nao-brigo-com-pesquisas-como-sabem/

    Tenho que confessar uma coisa, como alguns que já leram certos comentários que já fiz n’O Hermenauta já devem ter intuído: sou leitora assídua do RA. Para mim, a única coisa que pode aproximar PHA do RA é a facilidade para inventar neologismos.

    Pegue um texto do RA, a elegância da composição, a coerência interna entre os períodos e a consistência argumentativa. Com o perdão de todos que escrevem artigos initerruptamente, diariamente, na blogoseira nacional (que é a única que acesso) não há como comparar os estilos. Ok, aqui a causa da admiração é estética. Mas, no que se refere às análises propriamente ditas – desde o tempo do site da 1ª leitura – é-me um ponto de referência para as demais opiniões às quais acesso. O RA nunca escondeu sua parcialidade – ele é anti-esquerda e pronto. Partindo dessa premissa, tudo o que ele escreve é coerente. Reconheço a sua intolerância contra os assumidamente esquerdas e simpatizantes do lulopetismo – no blog dele esse pessoal não tem vez e isso me incomoda deveras, uma vez que creio que a grande riqueza dos blogs é justamente os comentários ali presentes (por isso a grande saudade do blog do Idelber e do Pedro Dória -penúltima versão…) E quando ele são tal qual um samba de uma nota só, perdem sua dinâmica e viram apenas um coral sem timbres diferenciados. Mas, como no blog do RA, ele – com seu ego e sua vaidade (cara, ele é de escorpião com ascendente em leão; queria o quê?hehehe)- para mim é a atração principal, o fato não inviabiliza minhas visitas.
    O cara influencia opiniões? Isso é incontestável, haja vista a quantidade de pessoas que vão ao lançamento de seus livros. O cara dá voz a uma parcela da população afônica? Sem dúvida, haja vista a quantidade de comentários no seu espaço (com monotonia e tudo). E você quer uma receita para bombar blog? É só começar a criticá-lo. Logo, logo aparece um montão de gente tanto pra malhar o judas como para defendê-lo.
    Como minhas paixões são lúcidas, filtro um montão de coisas que ele fala – principalmente no que se refere a temas ligados a religião e certas condutas morais. Mas, ainda assim, acho uma delícia ouvir essas coisas que contrastam com a minha visão de mundo. No mínimo, levam-me a refletir acerca delas. Na maioria das vezes, saio da reflexão com meu posicionamento fortalecido. Mas, em algumas poucas, a dialética me leva a uma nova síntese.
    É massa, véi!

  47. iconoclasta said

    “Veja, não sou nenhum defensor incondicional do Lula, muito pelo contrário. Sento o cacete ?!?!, principalmente em tudo que vejo de corrupção no governo e no PT…”

    hj vc ta com o senso de humor apuradissimo, hem Pax?!

    ;^)

  48. Pax said

    Mona,

    Vivemos num país livre. Você pode ser leitora e fã do tio Rei, claro, nem preciso te lembrar disso. E aqui pode falar à vontade, se quiser e quando quiser. Você mesmo fez a crítica mais própria que ele merece: não deixa ninguém comentar que não seja sua sobrinhada a escrever por lá, e, mesmo estes, se for para aplaudir. Uma atitude muito democrática, por sinal.

    Aqui só não entra troll.

    Um pouco à além: você tem realmente razão, não quero pautar este blog insignificante com críticas ao cara. Não é um problema meu.

    Quem fazia isto, com competência e, a meu ver, sem querer público, era o Hermenauta, um dos grandes blogueiros, como Pedro Doria (com quem aprendi o pouco que sei), o Idelber, o NPTO e outros feras.

    E, para terminar, aqui não tem pauta baseada em ninguém que eu saiba. Dou uma olhada geral, visito os principais clippings e pronto, volta e meia aparece um assunto. Corrupção é mesmo tema farto neste país. Para mim, uma questão de base, um ponto que pode mudar o país para melhor, tanto quanto tudo que pudermos investir em Educação, outra obviedade tremenda e abandonada. Ano eleitoral é ótimo (e um risco, a primeira vez que me meto a escrever sobre o assunto) e Meio Ambiente é uma dedicação já de um bom tempo, sem nenhuma expressão, mas, sim, uma dedicação.

    Boa, vamos mudar de assunto.

  49. Pax said

    É, iconoclasta. Segundo tua verdade eu omito toda a corrupção que vejo se ela vier do PT. Talvez por isto o Mensalão do PT tenha 35 notícias no catálogo do blog, o do PSDB tenha 4 e o do DEM 9. Quer mais exemplos ou este basta?

    Realmente você está correto e justo. E sabe em quem eu vou votar antes mesmo de mim. Inacreditável.

    Já pensou em vender serviços de equilíbrio, justiça e bola de cristal por aí?

  50. Olá!

    À Srta. Mona (suponho que seja uma Srta.): O embasamento da minha crítica apenas busca ser coerentemente lógica. Só isso.

    Ao Pax.

    Pax, é tolo dar um veredito final sobre alguém que a pessoa não tem conhecimento profundo para fazer esse tipo de afirmação. Tu mesmo disseste que conhece pouco o Reinaldo Azevedo e, assim posto, é complicado fazer uma análise geral de um autor sem conhecê-lo minimamente bem. Eu apenas me reservo ao direito de dizer que, do pouco que li, considero o Reinaldo Azevedo um escritor com coerência lógica na maioria dos casos. Como todo ser humano, ele também é falível, sem dúvida.

    Um troço como esse tal de PNDH3 — sem contar as outras tolices como CONFECOM, Conselho Federal de Jornalismo, Conferência Nacional de Cultura, e etc. –, na minha opinião, dá uma leve prévia do que seria uma presidência da Dilma Rousseff, pois ela deu aval ao PNDH3, além de possuir estreitos laços ideológicos com as outras iniciativas autoritárias do atual governo. Quando houve o apagão elétrico e uma pobre repórter perguntou à Dilma algo sobre as causas, a ministra não titubeou e respondeu para a coitada da repórter no seguinte tom: “Olha aqui minha filha!” É inegável que há semelhanças ideológicas entre o petismo e o chávismo venezuelano, tanto é que os petistas, por uma questão de afinidade, se negam a criticar a proto-ditadura de Chávez.

    Isso aqui é interessante:

    “Em alguns momentos parecia querer convocar os militares para derrubar o Lula […].”

    Poderias, por gentileza, pegar um post do Reinaldo Azevedo que mostre isso, Pax?

    “Você gosta dele? Ótimo, direito seu. Como é direito dele ter opinião e emiti-las. Mas entender que o que ele faz é análise política de qualidade já é um salto que me permito discordar e entendo que também tenho todo esse direito. […]”

    Volto a afirmar: Do que li do Reinaldo Azevedo, pouca coisa eu classificaria como sendo de embasamento lógico pobre. Estruturar um bom argumento é algo difícil, Pax. Alguns blogueiros são logicamente incoerentes não por falta de talento, mas, sim, por serem uns vendidos.

    “Capitalismo: aqui não há? Essa é boa, uma novidade. Tirou da mesma fonte que discutíamos acima? […]

    É isso mesmo, Pax! No Brasil, o capitalismo não existe. O que temos é um proto-capitalismo patrimonialista — ou, como diria Roberto Campos (Bob Fields), mercantilismo patrimonialista. Quem nos dera ter um capitalismo tão desenvolvido quanto o dos países mais avançados! Seríamos menos pobres! Mas, não! Infelizmente, fez-se a escolha pela mediocridade, pela mentalidade do “só tem um pão pra todo mundo”, pela escassez e pelo atraso, enquanto que poderíamos ter fartura e sermos uma nação exemplar. (Sim, eu sei, isso não é de hoje.)

    O capitalismo que temos no Brasil é o que chamo de capitalismo de BNDES. É o capitalismo feito com o dinheiro dos impostos, com o dinheiro público. O governo concentra tanto poder ao ponto de as empresas privadas terem que estender a canequinha para obter um investimentozinho, daí que elas, em alguns casos, fiquem reféns do governo vigente — algumas chegam a patrocinar filmes hagiográficos. Isso não é capitalismo, Pax.

    “4 – Governo FHC, governo Lula, uma comparação.”

    Aqui eu discordo! Sem o governo FHC, o governo Lula atual não teria sido possível, a começar pelo fato de que os petistas, quando se viram sem nenhum projeto de governo, tiveram que se apropriar de praticamente tudo que havia sido feito pelo pessoal do PSDB. Na minha opinião o governo FHC é melhor do que o governo Lula por ter lançado as bases do nosso desenvolvimento atual, além de ter feito algo com a dimensão histórica que foi o Plano Real. Diga-me: Nesses quase oito anos de governo Lula, os petistas fizeram algo com a mesma envergadura histórica de um Plano Real, Pax?

    “Mas FHC fez mais, ele é social democrata também, iniciou os programas assistenciais necessários para a transição que vivemos, de um país de fundo de quintal […].”

    Eu apoio programas como o Bolsa Família e coisas tais. O detalhe é que não estão criando uma porta de saída para esse programa e nem se pensando em uma forma de integrar essas pessoas ao mercado de trabalho.

    “E lá vem você, ou o Reinaldo, dizer que Lula não fez nada. Pois aqui é outro ponto do Reinaldo que só o desmerece. E você acaba caindo junto.”

    Volto a indagar: Qual foi o feito que Lula nos deixou e que tenha uma envergadura histórica comparável ao Plano Real?

    Nesse sentido, considero que Lula não fez nada mesmo, Pax.

    “E esqueça que algum tio vai te levar ao paraíso. Ainda mais um tio furado como esse.”

    Paraíso é coisa de socialo-comuno-esquerdista, Pax! Eles bem que tentaram criar alguns paraísos, mas o problema é que ninguém, ao que parece, quer ficar morando neles, vide Cuba.

    Até!

    Marcelo

  51. iconoclasta said

    “E sabe em quem eu vou votar antes mesmo de mim. Inacreditável.”

    sei?! nao me lembro de haver chutado isso?

    “já pensou em vender serviços de equilíbrio, justiça e bola de cristal por aí?”

    hummm…, não, até pq nao creio nessas coisas. agora, por dinheiro, eu gosto mesmo é de apostar, e se achar por aí no seu blog alguma mentira minha, ou colagem de informações falsas, eu troco de nick e deixo de corrigir todas as barbaridades que eu vir. já vc, se não encontrar, vai passar a exigir de todos os comentaristas que comprovem todas as informações. que tal?

    ;^/

  52. iconoclasta said

    “Segundo tua verdade eu omito toda a corrupção que vejo se ela vier do PT. ”

    a minha verdade? teus posts sobre roubalheira com petista e governista envolvido, a maioria das vezes, tem um porem, tem um papinho de histerismo, de viés da imprensa, de pragmatismo e tal… é falso isto? e qts vezes vc ja afirmou q o moluscao é o melhor presidente q ezte paiz ja tv?

    segura a onda q por ai vc nao vai se criar…

    ;^/

  53. fk said

    Elias – Tenho que discordar quanto à capacidade de transferência de votos do Lula. As eleições municipais já mostraram que essa transferência não é assim tão imediata, assim como o bolsa-família não é a compra de votos que alguns querem parecer que seja.

    Resumindo o resto:
    – FHC criou bases políticas de longo prazo. Recebeu um Estado, reformou-o em parte e entregou outro diferente. Ponto pra ele;
    – Lula recebeu esse mesmo Estado e deu-lhe uma base social, base essa cuja duração não é visível a longo prazo, pois depende dos ventos políticos. Podem xingar o quanto quiserem o fato é que, capitalisticamente falando, o governo Lula colocou mais 11 milhões de brasileiros no consumo, tanto que o consumo da classe c foi o que mais cresceu. Concordo, no entanto, com a crítica de que o programa não tem aparente porta de saída e meio que se basta em si mesmo.
    – Sim, o Brasil é capitalista, ams é um capitalismo muito estranho que estrangula os pequenos negócios, ao mesmo tempo em que poupa os grandes negócios inerentes ao capitalismo; ser capitalista no Brasil é um baita negócio, pois aqui o cara vai à falência e continua rico: vai entender.
    – Reinaldo Azevedo é um cara com argumentações quase sempre erguidas sobre bases frágeis e pseudo-intelectuais, que adora dar uma acochambrada aqui e ali e impressiona um grande número de pessoas que acha que só porque o sujeito escreveu Hobbes em um texto ele é bom. Não resiste a uma análise mais apurada, assim como seu companheiro Mainardi. Pena que a inteligentsia brasileira tenha se contentado em se refugiar nos gabinetes das faculdades. Sempre fomos e continuamos a ser muito pobres no debate público. O Brasil merecia um debatedor de direita melhor. E acho que a equivalência entre PHA e Reinaldo é realmente falsa: Reinaldo tem um alcance muito maior e, por isso, muito mais capacidade de fazer estrago.

    P.s: “Socialo-comuna-esquerdista” é o tipo de termo que já depõe contra a pessoa, pois coloca em um saco coisas completamente diferentes, quando não inimigas históricas. É como dizer que toda direita seja fascista. Menos retórica comburente e mais conceito, senão a coisa fica meio reinaldão…

  54. Carlão said

    Pax
    Agora vc viajou fundo na maionese. Hermeneuta, Idelber…como feras da blogosfera?
    Em que mundo fashion você vive? Avatar do B.?
    O hermeneuta vivia chupando o sangue do Tio Rei dia sim dia não, e publicando algumas nerdices herméticas copiadas de sites internacionais. O Idelber, o biscoito fino se perdeu na massa e chegou até a censurar o seu (dele) até então amigo Gravataí por ter duvidado da seriedade (?) do “auto-coitado” Na$$if no tal dossiê pra lá de fajuto da Veja.
    Paranóico como todo intelectual contestado nunca se conformou com o fato de eu, morando nas Ilhas Virgens e profissional de IT postar de vários IPs diferentes usando o meu nick. O mesmo. Fui chamado de terrorista neocon, por que eu questionava suas opiniões de cagaregras metido a santarrão socialista.
    Chegou a me localizar num bando de tucanos residentes em New York.
    PHA e Reinaldo no mesmo patamar embora opostos, é dose,Pax.
    PHA é um bot … daqueles presentes nos chats “justin.tv” da vida.
    Sempre as mesmas bobagens de pasquim ingles. Uma nova sandice a cada meia-hora.
    Estou com a Mona. Certo ou errado, o Tio Rei é o blogueiro mais influente da atual blogosfera política. Goste eu ou não. Queira vc ou não.
    Digo mais.
    Na minha opinião:
    A ausência do Hermeneuta e do Idelber vieram a preencher uma lacuna.
    Suas 8 ou 9 viúvas trolls permanecerão de luto por algum tempo, esperando pelo retorno dos seus prometidos “avatares”, que resolveram cuidar de suas vidas particulares.Como narcisos roqueiros com medo da obsolecência resolveram morrer cedo. Sair enquanto tinham algum sucesso.Fashion!

  55. Pax said

    Carlão,

    Certo ou errado, o Tio Rei é o blogueiro mais influente da atual blogosfera política. Goste eu ou não. Queira vc ou não.

    Realmente vivo num mundo distante do teu. A mim ele não influencia em nada. Talvez sim, para eu não votar em quem ele apóia, por exemplo. Direito meu. Não quero esse tipo de gente governando. Gente que não aceita crítica mas se diz “mais” democrata que todo o resto.

    Vamos lá, o cara está lá no As Últimas, um presente que o Pedro Doria deixou ao sair do projeto Pandorama. E vai ficar, claro. É um dos blogueiros mais lidos. Continuo me permitindo dizer que não por mim. Cansei do que li, sempre a mesma ladainha com os mesmos desequilíbrios. Não preciso dos olhos dele para ver alguma coisa. Pelo contrário, acho que me colocaria antolhos, desses que os cavalos de carroça usam.

    Prezo pela minha independência e acho que tem uma turma de lá que espera os posts do dia para falar alguma coisa, ou repetir, até nas vírgulas e inflexões, seus posts. Alguns ainda pior, ficam só no Copy and Paste (ou lambe, chupa e cospe, como gostava de brincar quando, também, atuei na área de IT) mesmo sem ao menos parar para pensar, ou emitir uma opinião em cima de outra, o que já acho válido.

    Me repetindo: acredito que o coletivo produz uma inteligência maior que o indivíduo, que talvez seja meu maior ponto de discordância do ídolo dessa galera que não é a minha. Como gostar de um cara que só aceita aplausos? Não há algo de estranho no ar?

    Mas mantenho relações com alguns dessa turma de admiradores, sim, desde que haja respeito de ambas as partes.

    E, caro, não vou entrar na discussão do Idelber, ou do Hermeneuta. Você pode ter tuas opiniões e eu, ao mesmo tempo, posso discordar completamente delas. Mas este não é o tema do blog e solicito com educação que paremos por aqui. Não nos levará a nada. Muito menos contribuiremos com nosso livre arbítrio para escolhermos com quem se relacionar. Não vou mudar tua opinião aqui, nem você a minha.

  56. fk said

    O fato de reinaldo ser influente -e ele é- não depõe a favor dele, mas sim contra o debate político nacional.

  57. Elias said

    FK

    Você acha que Lula não transfere voto?

    Eu acho que transfere. FHC também acha.

    É a velha história: algumas críticas feitas a Lula, refletem menos o que ele é, do que aquilo que o crítico gostaria que fosse.

    Alguns analistas tucanos saíram em campo com o papo de que não estavam muito preocupados com Dilma, porque Lula não teria grande capacidade de transferir voto, etc, etc.

    FHC deu um alerta: “Lula não transfere voto? Como não? Dilma não tinha nada, era um traço, e já está com 15%. E vai continuar sbindo!”

    O desdobramento dos fatos mostrou que FHC estava certo e os luas-pretas tucanos, errados. O Data Folha, aliás, quantificou a avaliação do FHC: aproximadamente 37% do eleitorado votam em quem Lula indicar.

    Eleição municipal e uma coisa. Presidencial, outra, completamente diferente.

  58. Pax said

    Este aqui me parece um post essencial, essa altura do campeonato.

    Do reconhecido Alon Feuerwerker.

    Especialistas em casuísmos (02/02) – http://www.blogdoalon.com.br/2010/02/especialistas-em-casuismos-0202.html

    Reproduzo um parágrafo para provocá-los a irem lá.

    “É divertido assistir ao PSDB reclamar dia sim outro também contra a antecipação da campanha. A diversão fica por conta de um detalhe: no poder, o PT não cometeu casuísmos, não alterou uma vírgula das leis eleitorais para beneficiar-se. Nem precisou. Se o partido situacionista colhe os frutos de um arcabouço deformado e injusto, moldado para favorecer o continuísmo, deve gratidão especial ao PSDB, o verdadeiro pai da criança.”

  59. Chesterton said

    47…realmente essa foi de doer.

  60. Chesterton said

    46. Mona, que coisa linda.

  61. fk said

    Elias – É diferente, mas nem tanto. Lula jogou seu peso em vários candidatos derrotados nas eleições municipais.
    De qualquer forma, acho que o texto do Singer, pelo menos para mim, tornou-se base para parte da discussão eleitoral desse ano. Assim, temos que esperar os trios elétricos entrarem na rua pra ver o impacto na áreas mais pobres, onde Lula avançou nos últimos tempos.
    A verdade é que, sem projeto, não tem a menor possibilidade de o PSDB ganhar. A menor.

  62. fk said

    O artigo com o André Singer.
    http://www.estadao.com.br/noticias/suplementos,os-descamisados-de-lula,500650,0.htm

  63. Elias said

    FK
    O artigo do André Singer aborda questões que já foram tratadas, de passagem, em várias discussões aqui no PolíticAética.

    Só que Singer sistematiza, facilitando a compreensão.

    Uma das questões a se ter em conta é o uso da “gramática do passado”. É a tal história de analisar o governo Lula sob as luzes de compreensão do populismo tradicional, tipo Getúlio Vargas.

    Vargas fez um troço interessante, que, há uns 5 ou 6 anos, foi analisado em detalhes por juristas italianos.

    Ele fez, p.ex., uma legislação trabalhista urbana, numa época em que a população brasileira ainda era, marcadamente, rural. Mas que se urbanizaria rapidamente nas décadas subseqüentes.

    Vargas legislou para o futuro, portanto. Daí porque essa legislação permaneceu vigente por tanto tempo — com as alterações que foram sendo requeridas ao longo desse tempo — sem perda de sua essência.

    No entendimento dos juristas italianos, essa a grande debilidade dos legisladores brasileiros de nossos dias. Eles se limitam a remendar a legislação existente, pra atender demandas que já se estabeleceram. São incapazes de apreender que tipo de sociedade está se formando no Brasil, e que demandas futuras essa sociedade vai produzir.

    Teríamos perdido, assim, no entender desses estudiosos italianos, a capacidade de legislar para o futuro. Proação zero!

    Mas o fato é que a legislação varguista deixou de fora o trabalhador rural. Este só seria lembrado décadas depois, já durante o regime militar, quando se começou a estender ao trabalhador rural — no mercado formal — direitos trabalhistas que, há muitos anos, já eram usufruídos pelo trabalhador urbano.

    Em termos de políticas sociais, entretanto, o empregado e o subempregado rural permaneceram órfãos. Usufruíram, por via indireta, dos benefícios do Plano Real, mas só se tornaram beneficiários diretos de programas inclusivos maciços durante o governo Lula.

    Esse é o dado novo, que fez caducar a gramática pela qual se compreendia o populismo no Brasil.

    O uso dessa gramática envelhece o discurso anti-petista, que vem sendo repetido ao longo de várias décadas. O pessoal não sacou que esse discurso não funciona mais e é — ou tem sido até aqui — incapaz de produzir outro (interessante é que ainda há quem ache o máximo certos analistas que, em outras épocas, seriam considerados menos que caricaturas do Carlos Lacerda, a quem copiam sem nada do brilho retórico que caracterizou o Corvo).

    André Singer antecipou o que, mais recentemente,foi constatado e medido pela pesquisa do Data Folha. Só que, pra ele, o descompasso na chegada da informação tornará mais difícil a vitória de Dilma, que segundo ele entende, acontecerá por uma margem apertada.

    Pode ser que ele esteja certo, mas… creio que é mais razoável supor que, na fase de pré-campanha, provavelmente Dilma ultrapassará seu oponente — Serra, Aécio ou qualquer outro — por uma estreita margem. Iniciada a campanha, entretanto, essa margem se ampliará, junto a essas camadas.

    A meu pensar, tanto a análise do Singer quanto a da Data Folha, não se debruçaram sobre o peso dos “novos eleitores”.

    É aquele monte de gente que nunca votou antes, porque em parte nem tinha título de eleitor. Nos últimos anos, pra ter acesso ao bolsa-família, esse pessoal teve que se registrar no CPF, se alistar eleitoralmente, etc. Provavelmente vai votar em 2010.

    Qual a influência que esse povo exercerá nos resultados das eleições de 2010? Não tenho a menor idéia e ainda não li nada sobre isso. Mas, pelo volume de gente, não é algo a ser desprezado.

    Além disso, creio que a disponibilidade de mecanismos eficazes de comunicação vai, rapidamente, anular o “gap” que ainda existe na área da informação (e que é grande, como demonstram as pesquisas).

    Acho que, se Dilma perder, ou se vencer por margem apertada, não será por causa desse pessoal.

    Será, muito mais, pela perda de espaço em extratos da população que, no passado, foram eleitores cativos do PT. Extratos de renda média e nível de instrução de médio pra alto.

    É aí que o PT tem perdido votos. A questão é saber se essa perda pode ser capitalizada politicamente pela oposição, a ponto de lhe dar a vitória numa eleição presidencial.

    Até aqui, as evidências parecem demonstrar que não. E isto se deve, a meu pensar, em grande parte, ao discurso caduco.

  64. Pax said

    Lembram das fontes do Chesterton, nem lembro mais de qual dos blogs ele trouxe aqui, querendo provar (o blog e o Chesterton, a cabresto, como um pato) que o Vox Populi tinha fraudado a pesquisa?

    Pois é. Olha só:

    http://oglobo.globo.com/pais/noblat/posts/2010/02/02/vox-populi-erro-na-transmissao-de-arquivo-para-tse-262931.asp

  65. Chesterton said

    ha, ha, ha, ha, ha. A posteriori.

  66. Chesterton said

    O Vox Populi lançou ouitra pesquisa com o mesmo erro para jsutificar o “erro” anterior. Só pato cai numa coisa dessas, Pax.

  67. Chesterton said

    Foi o que me contou há pouco por telefone o sociólogo e presidente da Vox, Marcos Coimbra.

    Siga o blog do Noblat

    chest- sei, contra outra da carochinha.

  68. Pax said

    Ok, Chesterton. Vá fundo, tenha sua “fé”.

  69. Olá!

    Vez por outra, dou uma olhada no site do PT. Considero interessantes as “pesquisas de opinião” que os petistas fazem por lá. Eu tenho consciência de que pesquisas em sites da internet tendem a carregar uma enorme carga de enviesamento — dada a pouca diversidade da população de onde os dados são obtidos — e que, por isso e outros motivos, possuem baixo valor estatístico, mas, mesmo assim, vale a pena fazer uma análise da última “pesquisa de opinão lá no site do PT.

    Eis a pergunta da “pesquisa de opinião”:

    A ministra Dilma vem crescendo nas pesquisas porque…

    E eis os resultados (até o momento):

    5% Ela é competente, firme e confiável

    14% O povo está feliz e quer continuar a mudança

    27% O Brasil vai continuar em boas mãos

    55% Ninguém quer de volta os neoliberais do PSDB

    Agora, uma breve análise desses resultados.

    01. 95% consideram que Dilma Rousseff não é competente, nem firme e muito menos confiável.

    02. 86% consideram que o povo está infeliz e quer, sim, fazer mudança

    03. 73% consideram que, se Dilma Rousseff for eleita, o Brasil não estará em boas mãos.

    04. 45% querem de volta os “neoliberais” do PSDB.

    PT, PT, PT… Tosco quando quer exaltar as qualidades que não tem. E mais tosco ainda quando denigre os demais para igualá-los aos petistas.

    Imagem com o resultado da pesquisa aqui. Link direto para o resultado da pesquisa aqui. Com o passar do tempo, é possível que os links fiquem quebrados.

    Até!

    Marcelo

  70. fk said

    Sua conclusão é interessante, mas eu gostaria de colocar uma variável ai nessa sua análise: o fato de que Dilma não é candidata do PT, mas sim do Lula.

    Ela não ser pessoa do partido talvez leve a uma resposta que vá pelo lado ideológico -e anacrônico- que a pesquisa observou.

  71. Chesterton said

    Esse blog ainda é sobre corrupção?

    Lula, o homem do ano de Sarkozy, fechou a operação. Ou melhor: oficializou. Bateu o martelo com a Dassault e vai mesmo comprar os Rafales, os caças franceses. O que se sabia, até então, é que o troço todo custaria algo em torno de R$ 10 bilhões. Errado! Eram R$ 15,1 bilhões! Generosos, os vendedores da pátria de Tartufo deixaram os 36 aparelhos por apenas R$ 11,4 bilhões (US$ 6,2 bilhões). Com o desconto, ficou R$ 1,4 bilhão mais caro do que se anunciava. É uma conta bem petista quando se trata de dinheiro público: aumenta quanto subtrai.

    Na lista dos três aviões analisados pela Aeronáutica, o Rafale ficou em terceiro, perdendo para o americano F-18 e para o Gripen sueco. E daí? O que a Aeronáutica entende do assunto? O pacote dos suecos custava US$ 4,5 bilhões, e o dos americanos, US$ 5,7 bilhões. O de Sarkozy saiu por US$ 6,2 bilhões — e olhem que a pedida inicial era US$ 8,2 bilhões. Lula vai dizer que economizou US$ 2 bilhões.

    Reinaldão

  72. Pax said

    Chesterton,

    Boa questão: o blog tem como tema central a cor0rupção, desvios e anomalias nos governos. E passou a falar (um desatino meu que quero acompanhar) de eleições. Sempre deu umas pinceladas em Meio Ambiente.

    Ultimamente meu tempo anda mais difícil. Gostava de colecionar tudo que saía de corrupção, de fazer a tal coleção, mas não tenho conseguido. O blog tem tomado um rumo um pouco diferente, sem que eu pare para pensar melhor sobre o assunto, coisa que deveria fazer. E farei.

    Mas, agora, pegando o gancho que você coloca, do teu tio: onde está a notícia da corrupção? É porque o tio quer que a sobrinhada arrume esse tema para sair falando por aí? Alguém levou bola? Você, ou teu tio, podem provar? Se sim, a acusação é gravíssima, pois a insinuação do tio é que ou o Lula ou o Jobim levaram. Mas, se não podem provar, aí também é gravíssimo, ou seja, um blogueiro que vocês consideram acusa sem poder provar.

    Diga, então, Chesterton, onde está a notícia sobre corrupção?

  73. vilarnovo said

    32. Fk. Andre Singer??? O ex-porta voz da Presidência??? Isso mesmo??? Fala sério! Não se pode ser tão inocente assim. O cara pode apesentar um arrozado pseudo acadêmico mas no final de contas o trabalho será apenas torturar a lógica – qualquer uma – para que o prognóstico apresentado seja favorável ao governo. E isso acontece com qualquer um. Seja do PT, PSDB, DEM…

    38. Realmente Mona. O fim do blog do Hemenauta é uma lástima para a internet brasileira.

    Reinaldo Azevedo
    Meus amigos da direita liberal: Reinaldo Azevedo é o que existe de pior. Seu histerismo (sim, concordo com o Pax), suas análises poderiam ser bem melhor entendidos ou ate mesmo embarcadas se ele não fosse tão estrelinha. Talvez porque não existia um opisição de “direita” no Brasil. E a bem da verdade ainda não existe pois chamar o PSDB – e principalmente Serra – de direita em um país onde o presidente da FIESP se candidata pelo Partido Socialista Brasileiro não passa de piada.

    Vou usar um exemplo que foi utilizado aqui: Andre Singer. Um ex-porta voz da presidência petista, lulista até a medula faz um texto pseudo acadêmico sem nenhuma prova empirica, baseada em achismo e em análises pessoais como costuma ser com “sociólogos” e “cientistas políticos” brasileiros (quem já leu algum trabalho de um cientista político americano sabe do que estou falando) e carregado de parcialidade, lançado em um momento chave do processo eleitoral é aceito como válido por muitos aqui.

    Seria a mesma coisa que pedir que um tucano fizesse um “estudo científico” do processo eleitoral. É claaaaaaaaro que iria puxar a sardinha para o Serra.

    Ou seja, compactuo com muitas das críticas feitas a Reinaldo Azevedo. Ele tenta ser um Glenn Beck mas não consegue. E olha que eu não gosto muito do Glenn Beck pelo seu estilo não pelo seu conteúdo. Não gosto do Reinaldo nem pelo seu estilo nem pelo seu conteúdo. Ele é um trunfo da esquerda no Brasil. E se ele é o melhor que a “direita” (leia-se o esquerdista PSDB) tem a ofertar, estão fritos.

    Agora, discordo, e muito, com as críticas ao Mainardi. Ainda não vi nenhuma de suas denuncias serem desmentidas. TODAS bateram. O mensalão, a participação de Dantas no mensalão, a participação do PT no mensalão, a negociata BrT-OI…

    Mainardi é vítima dos blogueiros e jornalistas a soldo do PT. E a grande maioria repete o que esses costumam dizer infelizmente.

  74. Pax said

    Não tenho certeza que Singer seja ainda um lulista de marca. Assim como o Eugênio Bucci. Estiveram lá e saíram.

  75. fk said

    Vilarnovo – Vc leu a pesquisa ou está praticando o velho achismo porque o sujeito trabalhou como pota-voz da presidência?

    Concordo, as credenciais são para se desconfiar da pesquisa, ainda mais em um ambiente onde não há profissionalização política, mas ela é muito bem embasada, sendo repercutida até mesmo pelo Estadão.

    Dispa-se dos seus preconceitos e vá ler a pesquisa. Vc tem que admitir que os pontos colocados por ele fazem muito sentido.

  76. fk said

    O Bucci é um dos que mais batem na política lulista para as comunicações.
    Mostrou sua seriedade saindo com a criação da Rede Brasil.

  77. Pax said

    Li uma boa parte do livro do Bucci que acho muito bom: Em Brasília, 19 horas. Se não me engano é o título.

    É uma excelente leitura. Parei nem lembro porque, mas vou reler.

    O Singer encontrei na casa de um amigo comum, uma única vez. Ia no outro dia para Brasília para assumir.

    Gostaria de reencontrá-lo e perguntar porque saiu.

  78. vilarnovo said

    Li sim… já havia lido antes de ser comentado aqui. Tive certa dificuldade em passar por coisas como “trabalhadores que não conseguem renda para participar da luta de classes” ou afirmar que o neoliberalismo tornou as pessoas mais pobres, depois do Real empatou as coisas… até o governo Lula.

    Ou usar trabalho do pai dele que até hoje é Secretário no Ministério do Trabalho…

    Ele diz que houve uma polarização por renda no Brasil. Isso é verdade. Basta ver o desembolso do Bolsa Família. Para onde foi, onde foi usado.

    Diz que houve uma “agenda reformista” no governo Lula. Qual? Pera lá né. O Pax aqui mesmo enumerou dezenas de “agendas” que o governo passou batido. O que o governo reformou?

    O Lulismo não é um fenômeno novo. Não é nada de novo. É apenas a junção do bom e velho coronelismo do DEM com a boa e velha boquinha da esquerda sindical. E no meio ficam os “intelectuais” estilo Chauí que ficam suando para tentar dar alguma roupagem nova a algo que sempre existiu no Brasil.

    Lula não é nada de novo. É apenas uma marionete nova, mas o homem que puxa as cordinhas permanece o mesmo.

    O que diferencia o “programa” de Lula para o progama do FHC? Dinheiro e gasto em propaganda. Só isso. Programas sociais já existiam. O Bolsa Família nada mais é do que a junção dos programas do FHC com outro nome e anabolizado.

    O PAC nada mais é que o Orçamento da União junto com investimentos particulares com outro nome.

    Houve melhora distribuição de renda? Não, apesar da queda da miséria. E apesar de alguns estudos “comprovarem” isso. Confundem migração de classe ( de B para A) como melhora de renda.

    Enfim, o trabalho de André Singer é um wishfull thinking, cheio de achismos e envisado politicamente.

    Porém, entretanto, todavia, contudo é a MINHA opinião.

  79. fk said

    Discordo. Gostei da interpretação dele para o lulismo, dizendo que esse se baseia na população rural esquecida, ao contrário do getulismo, por vezes imputado a lula, que se baseou no trabalhador urbano. É bem por aí mesmo. E essa parte ele baseia em dados e no bolsa-família, assim como baseia em dados o achado mais interessante do seu estudo, que fala sobre a mudança da base eleitoral do lula, antes de classe média, agora nas classes baixas, que sempre foram mais ocnservadoras, mostrando como Lula perdeu nas eleições municipais nos grandes centros, mas ganhou ans regiões periféricas e pobres.

    É nessa questão da base eleitoral que Singer baseia sua visão de que Dilma ainda tem espaço para crescer. Faz todo sentido.

  80. fk said

    Ah, e o que diferencia o programa do FHC para o Lula, alem do nome, é que o bolsa-família colocou 11 milhões de pessoas no mercado consumidor brasileiro.

    Ganham as 11 milhões de pessoas, ganha o setor produtivo e ganha a economia nacional, ainda que concorde com a tal história de que deveria haver uma porta de saída ao programa, e que efetivamente não existe.

  81. Chesterton said

    Porra, pax, O Lula compra um avião que não voou, mais caro que o preço de venda para outros países, CONTRA parecer da aeronáutica, e voc~e ainda não viu corrupção?

  82. Pax said

    Não, não vi, Chesterton. Me mostre uma notícia que o Lula ou o Jobim ou qualquer um tenha levado bola nessa aquisição.

    Uma coisa é você debater sobre o processo decisório da compra, que eu não acompanhei. Outra é você afirmar que houve corrupção, julgando sumariamente.

    Isso é a tua democracia? É esse o teu estado democrático de direito? Onde você aprendeu assim?

  83. vilarnovo said

    Fk – Foi exatamente isso que eu falei. Dinheiro. FHC não teve como bancar um programa maior por conta da crise. Lula teve por conta do céu azul que teve até a crise de agora.

    É a única diferença. Por isso que eu falo que não há um lulismo. O povão segue quem lhe dá grana. Ou seja, o bom e velho coronelismo…

  84. vilarnovo said

    Fk – Foi exatamente isso que eu falei. Dinheiro. FHC não teve como bancar um programa maior por conta da crise. Lula teve por conta do céu azul que teve até a crise de agora.

    É a única diferença. Por isso que eu falo que não há um lulismo. O povão segue quem lhe dá grana (até porque não sabe que essa grana antes de dar, o governo lhe tira). Ou seja, o bom e velho coronelismo…

  85. vilarnovo said

    Chest – “O Lula compra um avião que não voou”.

    O Rafale voou sim. E é um excelente caça.

  86. Pax said

    Vilarnovo,

    Desconfio que você não leu o artigo completo do André Singer. E aconselho.

  87. Olá!

    Sobre a compra dos caças, aqui vai um excelente site com informações muito boas:

    http://www.aereo.jor.br/

    Até!

    Marcelo

  88. Chesterton said

    Pagando 40% mais caro do que o avião indicado e escolhido pelas Forças Armadas, depois de longos anos de estudos, Luiz Inácio Lula da Silva, o “Homem do Ano na França”, acordou invocado e decidiu comprar o caça francês que ninguém na história do mundo tinha comprado. Havia prometido para o “amigo Sarkozy”. O “Homem do Ano na França” vai gastar, de saída, pela sua decisão exclusivamente pessoal, R$ 4 bilhões a mais por puro prazer de comprar os aviões franceses. Com este valor que o povo brasileiro pagou a mais pelo avião francês, poderiam ser construídas 2.000 UPA, Unidade de Pronto Atendimento. Nesta semana, Lula e Dilma fizeram um grande auê para lançar 78 escolas técnicas. Com o dinheiro que o “Homem do Ano na França” torrou a mais por simples deleite, daria para construir 1.800 escolas técnicas no Brasil. Se fizerem uma pesquisa na França para medir a popularidade de Lula, vai chegar em 100%, com certeza. Em segundo lugar, muito longe, com 22%, virá Zinedine Zidane. E nem precisa contratar a Sensus ou a Vox Populi para fazerem o levantamento.

    cel coturno

  89. Pax said

    Chesterton,

    Você acusou a compra de estar envolvida em corrupção. E agora desvia do assunto. Mostre-nos onde você viu a informação sobre corrupção.

    Opinião por opinião, essas que você traz, da mesma fonte que acusou a pesquisa Vox Populi, não me parecem das melhores. Vai, fica então com teu tio que tem mais competência.

  90. Olá!

    Sobre a matéria do André Singer no Estadão, vou fazer alguns comentários.

    […] Dos anos 80 para cá, as condições de vida dessa camada [o subproletariado] permaneceram intactas. Houve um momento de piora até meados dos anos 90, com a implementação de políticas neoliberais no Brasil. Depois, uma certa melhora, após o Plano Real. No cômputo final, ficou como estava – até o governo Lula.”

    Eita! O camarada já começa o seu “artigo” com uma enorme vigarice intelectual. É notório e histórico que as ações embutidas no Plano Real, que aniquilou a hiperinflação, contribuíram, e muito, para que as camadas mais pobres do Brasil não fossem mais aviltadas tão brutalmente pelo fenômeno hiperinflacionário. Isso foi benéfico para toda a sociedade, sobretudo os mais pobres (já que estes não tinham dinheiro depositado em bancos para serem reajustados automaticamente pelos índices daquela época).

    Falar em “piora até meados dos anos 90, com a implementação de políticas neoliberais no Brasil” é fechar os olhos para a realidade e dar amostras de uma enorme má vontade em relação aos que os antecessores do Lula fizeram. “Neoliberalismo” é outra vigarice sem tamanho! Considero deveras complicado implantar “neoliberalismo” em um país que sequer pode ser classificado como capitalista no sentido amplo do termo. Além do que, não passa pela cabeça tosca dos dos esquerdo-comuno-socialo-sindicato-companheiro-petistas, que “neoliberalismo” é apenas um conjunto de medidas que priorizam a facilidade de circulação da riqueza entre todas as pessoas de uma sociedade no intuito de tornar um país mais forte e competitivo nos mercados internacionais. O que essa gente não admite é que o cidadão comum tenha liberdade o bastante para tomar iniciativas próprias no sentido de gerar riquezas sem ter que apelar para sindicatos e corporações companheiras.

    “[…] No Brasil, na eleição de 1989, a identificação dos eleitores de baixíssima renda foi com Collor. Em, 2006, com Lula.

    Estranho (conveniente?) que o André Singer não tenha feito a comparação que seria a mais óbvia e agradável a um intelectual petista: Comparar a quantidade de votos dos eleitores mais pobres obtidos por FHC nas eleições de 1994 e 1998 com aquela obtida por Lula nessas mesmas eleições. André Singer não faz a comparação por uma questão muito simples: O eleitorado mais pobre votou em massa no FHC em 1994 e 1998. Fato! Tivesse ocorrido o contrário, o FHC não teria levado as duas eleições com vitórias esmagadoras sobre o Lula — coisa que o Lula, até hoje, ainda não soube digerir (e, acho eu, jamais saberá).

    “Os números da eleição de 2006 mostraram claramente uma polarização entre ricos e pobres. No segundo turno, o presidente tem 64% das intenções de voto entre os que têm renda familiar mensal de até 2 salários mínimos. O governador Geraldo Alckmin, 25%. No extremo oposto, dos eleitores que recebem acima de 10 salários mínimos, Alckmin tinha 54% de votos contra 36% de Lula. Houve forte polarização por renda, como não ocorria desde 1989, quando os mais pobres preferiram Collor.”

    Outra vigarice. Considerando o mesmíssimo argumento dessa proposição acima, então, houve polarização semelhante em 1994 e 1998, quando esse “fenômeno” se repetiu. A saber: As camadas mais pobres votaram no FHC e uma parcela considerável da classe média urbana foi no Lula (classe média que, hoje, o Lula despreza). Mais uma vez, o intelectual petista evita comparar FHC com Lula nesse quesito que ele próprio coloca sobre a mesa: O destino do voto do eleitor mais pobre.

    O André Singer se esquece de dizer que o eleitor mais pobre tende a votar naquele político já conhecido e com destaque por ter feito alguma coisa em termos políticos (Plano Real, eterna oposição ao PSDB, e etc.), sem dizer que esse mesmo eleitorado possui uma tradição de votar nos políticos ja bem estabelecidos e/ou de situação. O PT que o diga, pois esse partido experimentou ambas as experiências: Ser rejeitado enquanto oposição e aceito quando na situação, sendo eleito para a presidência depois que seu candidato ficou quase que uns 25-30 anos em campanha.

    “Depois da eleição de 89, Lula concedeu uma entrevista em que identifica claramente as razões da derrota: ‘A verdade nua e crua é que quem nos derrotou, além dos meios de comunicação, foram os setores menos esclarecidos e mais desfavorecidos da sociedade. Nós temos amplos setores da classe média com a gente – uma parcela muito grande do funcionalismo público, dos intelectuais, dos estudantes, do pessoal organizado em sindicatos, do chamado setor médio da classe trabalhadora’. Depois de quase 20 anos, houve uma virada, o que chamo de realinhamento eleitoral de 2006: o subproletariado aderiu em bloco a Lula.”

    Eu desconfio dessa tolice do André Singer (destacada em negrito). As eleições de 2002 mostraram que o eleitorado mais pobre não se realinhou com o candidato do partido de situação daquela época e afirmo isso pelo fato de que, sem esse eleitorado, um candidato dificilmente seria eleito para a presidência.

    Concordo que o Lula contou com essa adesão do eleitorado mais pobre, porém, como exemplos passados nos mostram, não creio que seja uma adesão eterna, no sentido de adesismo dos militantes esquerdo-comuno-socialo-sindicato-marxisto-companheiro-petistas do termo. É um eleitorado que tende a migrar quando vê um candidato eleitoralmente “fraco”.

    “Na visão do professor Francisco de Oliveira, foi concedido a Lula um mandato para a execução de reformas que não ocorreram – no que ele chama de ‘hegemonia às avessas’. Em minha opinião, foi cumprida, sim, uma agenda reformista. Ao mesmo tempo, porém, adotaram-se condutas de manutenção da ordem que fazem parte da composição ideológica do subproletariado. Entre elas, a manutenção de uma alta taxa de juros, a elevação do superávit primário e a garantia de liberdade para o capital por meio do câmbio flutuante. Somados, programas como o Bolsa-Família, o aumento do salário mínimo, o crédito consignado, a redução do custo da cesta básica e o Luz para Todos produziram uma mudança perceptível nas condições de vida.

    É um fato: O governo Lula não legará para a posteridade reformas com uma envergadura histórica que foi, por exemplo, o Plano Real.

    No governo Lula não houve uma quebra de valores que ligam o Brasil de hoje a aquele Brasilzão atrasado, mercantilista e patrimonialista. O Plano Real não é, e nunca foi, nenhuma panacéia, porém ele tem o enorme mérito de ter quebrado, consideravelmente, os valores econômicos que nos ligavam ao Brasil da hiperinflação, da reserva de mercado, das estatais-cabides-de-empregos, da estagno-inflação e etc.

    Infelizmente, mesmo com os seus 80% de popularidade, o governo Lula não foi capaz de legar algo semelhante para as gerações futuras, daí que fica complicado de colher no médio/longo prazo os frutos que o atual governo deveria ter plantado, já que praticamente tudo que o governo Lula fez foi, em essência, dar continuidade às políticas do seu antecessor.

    Hehehehehehe… Dizer que faz parte do ideário do subproletariado coisas como a manutenção de uma alta taxa de juros, a elevação do superávit primário e a garantia de liberdade para o capital por meio do câmbio flutuante é ter uma enorme boa vontade de pensamento (ou wishful thinking, como disse o outro colega aqui do site).

    Não quero ser pessimista, mas creio que quase 100% desse subproletariado não saiba nada sobre esses assuntos que o André Singer define como sendo parte do ideário dessa “camada social” (as aspas são apenas para indicar que não acredito nessa idéia de subproletariado, pois isto é apenas mais um daqueles termos toscos criados nos cafundós da mentalidade esquerdo-comuno-socialo-companheiro-sindicato-petismo-marxista universitária). Basta ver as excelentes escolas públicas que temos disponíveis para o subproletariado, onde temas da alta economia são ensinados aos alunos.

    Até!

    Marcelo

  91. Chesterton said

    Pax, você é impagável, corrupção não é apenas dinheiro, pode ser prestígio, homenagens, uma estátua, um Nobel….

  92. Chesterton said

    A CAMINHO DOS 99,9999995% ( Gilberto Geraldo Garbi )

    http://homemculto.wordpress.com/2009/08/03/carta-de-gilberto-geraldo-garbi-para-lula-brasileiro-indignado-analise-da-situacao-politica-brasileira-aluno-do-ita-indignado/

  93. fk said

    Chest – Sua retórica está perdendo a oportunidade de ser válida pelo histerismo e pela completa incapacidade que vc tem de dar ideias proprias.

    Em seu lugar, aparecem pessoas um pouco mais competentes para rebater argumentos: Vilarnovo e Marcelo Augusto. Gente que trás fatos.

    Pre-scriptum: a parte um desastre, Pax, esses devem ser os caras inteligentes que vão divergir de vc.

    Vamos ao marcelo augusto:
    – À parte os benefícios do plano real, foi o bolsa-família que colocou milhões de pessoas no mercado consumidor. Isso é inegável estatisticamente. E deve ter muito cara no PSDB pensando: “Caralho, pq não pensamos nisso antes??”

    Concordo com vc -e espero que vc me tire fora da seara lulista, pq não sou- com sua crítica sobre neoliberalismo. Qaulquer pessoa que tenha estudado um pouco de economia, vai perceber que o plano real foi uma ideia genial -tanto que estamos até hoje com a moeda- por motivos vários, que eu até tenho argumentos pra defender, mas ele se baseava em uma fraqueza externa, o que foi um problema, elevado a enésima potência com a crise de 1999…ai foi crime tucano. Qualquer economista com um ano de faculdade viu que foi um crime. Pra constar, foi um crime eleitoral. OH GOSH!!!!!!

    Vilarnovo- Sobre eleitorado, se vc leu a tese, o argumento dele vence de lavada: antes, a parcela mais pobre votava conservadoramente -elegeram collor, por sinal, e, surpresa, ele escreveu a grande tese sobre o assunto P.S: Leia “Notícias do planalto”-, o tempo passou, e a classe média deu o primeiro mandato a lula, e, agora, a população mais pobre -aquela, lembra, que elegeu collor, conservadora, votou no lula.

    FHC, pegue os números, foi uma votação quase unânime, nos dois governos. Não dá pra comparar.

    Outro ponto: veja as estastísticas da votação municipal. É isso o que ele_ André Singer, diz: Perdeu votos no centro, mas ganhou na periferia. Sinceramente, qualquer pessoa que olhe as estastísticas muito bem feitas do TSE -e saiba interprentar- vai ver que isso é verdade. “Ah, o TSE é do governo!!!”””
    Procure as estatisticas da GV… Acho que a GV não é governista, apesar do professor mais ridicularizado -dica: o que vc coloca na pipoca ao invés de óleo?- ser do governo. Veja as estatísticas.

  94. Olá!

    Algumas breves considerações sobre o que foi posto pelo Fk.

    “- À parte os benefícios do plano real, foi o bolsa-família que colocou milhões de pessoas no mercado consumidor. Isso é inegável estatisticamente. E deve ter muito cara no PSDB pensando: ‘Caralho, pq não pensamos nisso antes??'”

    Eu não nego a realidade, mas é necessário também reconhecer que esse tipo de política representada atualmente pelo Bolsa Família não é nenhuma novidade. Não é de origem petista, assim como o Plano Real também não é. Nasceu no PSDB paulista, na prefeitura tucana de Campinas nos idos de 1994, como o Programa de Renda Mínima. Foi o PSDB que apontou o caminho que os petistas deveriam seguir.

    O Bolsa Família foi a aglutinação de outros programas do governo FHC: Bolsa Escola, Auxílio Gás e Bolsa Alimentação. Logicamente que o Bolsa Família foi ampliado tanto em alcance social quanto em termos de dinheiro disponível para essas famílias beneficiadas. Como a inflação não é mais altíssima como era nos idos de 1990-1993, os preços dos produtos (sobretudo os alimentos — Thanls agribusiness!) tendem a ficar estáveis (Thanks Plano Real!), daí que seja natural sobrar algum dinheiro que poderá ser gasto em outras coisas (eletrodomésticos em geral, serviços e etc.).

    Lula tem muito a agradecer ao seu antecessor por ter preparado o terreno para que ele trafegasse nesse céu de brigadeiro no qual se encontra. Sem o FHC o Lula atual, que flerta o tempo inteiro com a construção de um mito de si mesmo, seria impossível.

    “Concordo com vc -e espero que vc me tire fora da seara lulista, pq não sou- com sua crítica sobre neoliberalismo. Qaulquer pessoa que tenha estudado um pouco de economia, vai perceber que o plano real foi uma ideia genial -tanto que estamos até hoje com a moeda- por motivos vários, que eu até tenho argumentos pra defender, mas ele se baseava em uma fraqueza externa, o que foi um problema, elevado a enésima potência com a crise de 1999…ai foi crime tucano. Qualquer economista com um ano de faculdade viu que foi um crime. Pra constar, foi um crime eleitoral. OH GOSH!!!!!!”

    Eu concedo o seu ponto de vista de que o Plano Real também cometeu erros em determinados aspectos. Foi como eu disse: O Plano Real não é nenhuma panacéia (e, às vezes, me pergunto até quando poderemos extrair os benefícios dele). A implantação do câmbio flutuante, as elevadas taxas de juros, o endividamento público e o corte dos gastos em geral foram vistos como necessários pelo governo de então para que o Plano Real continuasse o seu progresso. Vale lembrar que o PT vivia colocando a companheirada militante-comuno-socialo-esquerdo-sindicado-marxista nas ruas pedindo o fim do Plano Real e a declaração da moratória da dívida externa. Tivessem os petistas implantado apenas essas duas medidas, hoje, seríamos um país economicamente devastado. O preço que pagamos pelos erros tucanos foram altos, mas prefiro pagar esse preço a ter que arcar com medidas que iriam nos colocar como país na rabeira do mundo.

    Houve erros? Lógico! Toda empreitada humana que pretende mudar algo comete diversos erros ao longo do caminho. Acho que aprendemos muito com esses “lapsos” cometidos e hoje colhemos os frutos que foram plantados lá atrás.

    Qualquer pessoa que seja intelectualmente honesta admite que o Plano Real e o governo FHC (no geral) fizeram bem ao Brasil. É bom ver isso.

    Até!

    Marcelo

  95. Pax said

    Prezados,

    A conversa esta ficando boa. Principalmente pelo respeito que uns tem pelos argumentos dos outros. É como vejo.

    Marcelo Augusto: quem não admite que o governo FHC foi bom e que preparou o caminho do governo Lula é a turma que vai-na-valsa de recados mandados. A questão é: não admitir que a partir daí houve acertos no governo atual, também parece a mesma coisa.

    Vocês se fixam no Bolsa Família, mas o que me parece ter maior impacto positivo foi o ganho real do salário mínimo.

    ps1:A correria me impedirá da discussão até mais tarde, mas concordo com o Fk: os debatedores estão exigindo um bocado. O que é excelente.

    ps2: Vocês viram o programa do PV ontem? O Fernando Rodrigues não gostou. Achei que ficou bom, pegou um binômio interessante: sustentabilidade e educação.

    ps3: Fiz um post na correria, mas há duas notícias importantes. Aécio dá sinais que será vice de Serra (verdade?) e o PT prepara o programa de governo para Dilma, onde prevê presença maior do Estado na Economia, injeção de crédito através do BNDES, BB e CEF

  96. Olá!

    Pax, eu admito que houve melhorias ao longo do governo Lula. O que mais me deixa decepcionado com o atual governo (como mostrei acima) é que a gestão Lula não conseguiu fazer uma ruptura abrupta com o passado na mesma escala que o governo FHC fez ao implementar o Plano Real (e outras medidas). Qual seria o “Plano Real” que o governo Lula deixará para a posteridade? O PAC eu desconsidero, pois é apenas calendário de obras — e obras, qualquer governo faz, basta ter dinheiro em caixa.

    Eu não nego os méritos do governo Lula. Porém, há de convir que os petistas melhoraram, e muito, depois que adotaram, de forma considerável, o programa de governo do PSDB — sobretudo nos quesitos econômicos e, em parte, sociais.

    Há meritos para ambos os lados. O único detalhe é que os méritos do atual governo possuem uma forte correlação com o que foi implementado pelo governo anterior. Isso é um fato.

    Até!

    Marcelo

  97. Elias said

    Vilarnovo,

    I
    Nem pensaria em dissociar o André Singer do PT e, menos ainda, do Lula.

    A questão não é essa. O que se discute é a avaliação que ele propôs.

    Em certa medida, ela abre algumas linhas pra se entender por que o discurso oposicionista do PSDB não tem eficácia. O apoio ao candidato desse partido está, exatamente, do mesmo tamanho em que estava quando de sua mais recente participação em eleições presidenciais (2006).

    Ou seja, o PSDB tem evoluído feito cavalinho de carrossel: roda, roda, roda… e não sai do lugar.

    Por que será? Há alguma coisa errada aí, né?

    Se o Lula vai tão mal, o governo vai tão mal, o PT vai tão mal… Por que, com toda essa estrada aberta, a carroça da oposição não anda?

    II
    A meu pensar, o PSDB comete, agora — e em termos — o mesmo erro que o PT cometeu no passado, com relação ao Plano Real.

    Quando saiu o Plano Real, o PT estabeleceu como tática tratá-lo como se fosse mais um plano eleitoreiro, feito um “Merreca 1”, “Merreca 2” da vida. Perdeu feio!

    Aí se tocou que estava sambando errado. Mudou a avaliação, mudou o eixo de abordagem, mudou o discurso e acabou faturando eleitoralmente, num contexto absolutamente difícil: o PSD tinha a máquina federal e a maioria das máquinas estaduais e municipais, e não se fazia de rogado em usá-las adoidado na campanha.

    Agora, ficam alguns bate-paus do PSDB se pendurando em bandeiras que são pouco mais que adjetivos desencavados do baú de memórias dos anos 1970.

    Dia desses, vi um desses caras baixando o pau no projeto “continuísta” do PT.

    Nem parei pra ouvir o resto.

    Ora, boneca:

    1º – Política é luta pelo poder. Pra conquistá-lo, mantê-lo ou ampliá-lo, tanto faz. Os propósitos — efetivos ou alegados – podem variar. Idem os métodos. Mas a essência da atividade política é a luta pelo poder. Quem está no poder, quer mantê-lo e, se possível, ampliá-lo. Quem está fora, quer conquistá-lo. Se alguém não está participando da luta pelo poder, não está fazendo política.

    2º – Todos os mecanismos tendentes ao continuísmo — ou, à “continuidade sem continuísmo”, como dizem outros — foram criados, aperfeiçoados e, mais que isto, usados pelo PSDB. O PT está, apenas, pondo no bicão tucano, o mesmo remédio amargo que os emplumados, empolados e, hoje, empoeirados oposicionistas, enfiaram goela abaixo de todos no passado.

    Pra mim, essa é a questão: o discurso do PSDB não agrega, e o PSDB está encontrando enorme dificuldade em mudar esse discurso.

    Sei de muitos tucanos — inteligentes e politicamente competentes — que há muito perceberam isso. Volta e meia, tornam públicas suas avaliações. Mas, para espanto meu, ainda são minoria no que restou do partido.

    Digo “para espanto meu”, porque imaginei que, completando 8 anos fora do poder, o PSDB já teria se livrado do sangue ruim. Até porque essa ratarada geralmente pula fora diante de qualquer adversidade.

  98. Elias said

    Aí acima:

    PSD = PSDB

    O PSD, como se sabe, funerou faz muito…

Faça seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: