políticAética

Notícias da Corrupção, Desvios, Anomalias, Eleições e Meio Ambiente

  • Sobre o blog

    Uma coletânea das notícias da corrupção, desvios, anomalias, eleições e meio ambiente que aparecem na mídia todos os dias a partir de agosto de 2008.
  • Categorias

  • Arquivos

  • Páginas

  • Meta

Terremoto e tsunami no PT

Posted by Pax em 27/02/2010

Forte terremoto no Chile gera alerta de tsunami em todo o Pacífico. O mensalão do PT e Zé Dirceu geram alerta de tsunami na campanha de Dilma, incluindo aqui a onda mineira do Pimentel.

A revista IstoÉ desta semana publicou notícia que acusa Fernando Pimentel, ex-prefeito petista de Belo Horizonte, de operador de remessas ilegais de dinheiro ao exterior através de uma suposta ligação sua com o empresário Glauco Diniz Duarte e com o contador Alexandre Vianna de Aguilar. Ambos, segundo o Ministério Público Federal, enviaram ilegalmente para os Estados Unidos cerca de US$ 80 milhões. Parte desse dinheiro, como afirma o procurador, teria sido destinada às contas de Duda Mendonça, um dos personagens centrais do escândalo do Mensalão. O roteiro final do mensalão

O site TerraMagazine publicou, ontem, um desmentido feito pela assessoria do procurador federal Patrick Salgado Martins afirmando que os fatos narrados pela revista IstoÉ “estão fora de contexto”. MPF: “Não há nenhuma prova ligando Pimentel ao mensalão”

A revista Veja desta semana traz uma notícia sobre Zé Dirceu e suas consultorias, acusando o ex-ministro da Casa Civil: o “consultor” mais quente da República, aparece no meio de uma bilionária operação que pretende botar em pé uma empresa estatal de internet e, claro, fazer a fortuna de alguns bons companheiros O maior lobista do país

Zé Dirceu, em seu blog, critica tanto a IstoÉ quanto a Veja: além de reproduzir as matérias caluniosas da Folha, acrescenta outras, tentando vincular meu nome ao caso do russo Boris Berezovsky; aos negócios do empresário Carlos Slim, que atua no setor de telecomunicações em toda América Latina; e não satisfeita, a fusão da Oi/Brasil Telecom. Só falta agora me acusarem de ter sido o responsável pela compra da GVT pelo grupo francês Vivandi, como se eu fosse responsável por tudo que acontece no mercado de telecomunicações no país e o ator de um movimento, mundial, de concentração de empresas do segmento. Os abusos da mídia. Sem surpresas.

Os petistas se fartaram com as notícias do Mensalão do DEM recentemente. Agora os anti-petistas estão eufóricos com as recentes notícias envolvendo Zé Dirceu, a Eletronet – dentro do Plano Nacional de Banda Larga – e com este suposto envolvimento de Pimentel no desvio de dinheiro público em Belo Horizonte, ainda mais porque o ex-prefeito hoje atua como um dos coordenadores da campanha da pré-candidata petista à Presidência.

Os cipós que vão de um lado voltam de outro nessa nossa política mais suja que pau de galinheiro. Quem perde é o povo brasileiro que vê seu dinheiro desviado – de escolas, hospitais e segurança pública – transportado em meias e cuecas de políticos e assessores.

As discussões sobre as propostas de governo dos pré-candidatos à eleição presidencial de outubro ficam como pauta menor dentro desta disputa de quem é mais corrupto.

O PT entendeu que seu mensalão é munição pequena para a oposição e reincorporou seus principais atores que participam abertamente na direção do partido e na campanha da pré-candidata Dilma Rousseff. Talvez cometa um erro que lhe custe o governo, apesar das últimas pesquisas mostrarem uma tendência contrária à essa afirmação.

Estes escândalos serão capazes de alterar as intenções de voto? Uma pergunta que deve ser feita por Lula, afinal a eleição da sua candidata é o objetivo maior do presidente em 2010, segundo suas próprias palavras.

Anúncios

12 Respostas to “Terremoto e tsunami no PT”

  1. Zbigniew said

    Nao vejo Dirceu como principal articulador da campanha de Dilma. Mas como alguem que continua no PT e tem sua preominencia no partido. Dito isto sera sempre o elo com o passado sujo e o presente incerto no que se refere ao carater etico e politico, municao para a oposicao levantar suspeitas contra a candidatura governista.

  2. Zbigniew said

    Desculpem, “proeminencia”.

  3. […] https://politicaetica.com/2010/02/27/terremoto-e-tsunami-no-pt/A PT entendeu que seu mensalão é munição pequena para a oposição e reincorporou seus […]

  4. Carlão said

    Brilhante, Pax.
    Post muito interessante. Intrigante.
    Zbigniew, o Dirceu é uma “proeminência” …
    Zbigniew, com todo respeito à sua opinião, eu discordo.
    Dirceu é uma tremenda “eminência parda” e bota parda nisso.
    Eu sinceramente não entendo porque o PT não põe esse cara pra correr.
    Só causa problemas e sempre denigre as causas partidárias. Tornando-as ainda mais pardas.
    Daqui a pouco vou achar que o Dirceu é o Cabo Anselmo.
    Doubled Crossed implantado no PT pela Oposição.Um 5a. coluna.
    Giro Gomes até já o acusou de tentar ferrar o lula.Ninguém responde à altura. E tudo fica por isso mesmo.
    Dilma não tem o poder de aglutinação de lula e esse cara pode por tudo a perder. Ou então lula é omisso e conivente com Dirceu. Rabo preso.
    Acorda PT.
    Aviso aos navegantes: Outubro é depois de amanhã e a Dilma é marinheira de primeira viagem.
    Como diria Mão Santa: ô Luiz Inácio…atentai bem!
    Esse episódio da Isto É, é emblemático.Tem caroço nesse angú.
    Tem PT contra PT. Né não? Por que não?
    Qual o partido que não tem dissidências internas?

  5. Olá!

    Eis aí um exemplo arquetípico de como a mentalidade jurássico-estatal é perniciosa para o país e, sobretudo, para o batalhado dinheirinho do cidadão comum. Independentemente das quantias citadas, o que importa, de fato, é que houve, sim, corrupção nos casos citados.

    Não cola essa desculpa fajuta de levar banda larga para quem não pode pagar e, assim, fingir toscamente estar fazendo “justiça social”, posando de benfeitor dos pobres e oprimidos, ao passo que o real motivo é roubar o dinheiro público (obtido através da coleta de impostos) e enriquecer alguns membros seletíssimos da companheirada amiga.

    Se um troço desses acontecesse em uma empresa privada, os acionistas, as agências reguladoras e a polícia iriam para cima do grupo de bandidos responsáveis, sem dizer que os corruptos seriam considerados, literalmente, marginais dentro do mercado — queria ver alguém confiar em um figura desse náipe para qualquer coisa (investimentos e etc.).

    Basta ver o caso da empresa Enron e o do Bernard Madoff. A Enron foi completamente liquidade e mereceu o seu destino final: A falência. Quanto ao Madoff, ele foi preso e encarcerado e, hoje, é considerado um pária. Vejam lá o que aconteceu com os mensaleiros e sua trupe que dançaram e rolaram sobre o dinheiro público. Quantas escolas poderiam ser construídas com 80 milhões de dólares (aproximadamente 140 milhões de reais em valores atuais)?

    Eis o resultado final que aqueles que cultivam a mentalidade jurássico-estatal obtêm: 80 milhões de dólares desviados de investimentos mais urgentes, como educação e saúde, e que poderiam trazer mais benefícios para as pessoas que são donas dessa dinheirama toda.

    Quando saberemos quem são os responsáveis por essa pilantragem? Nunca… Dada a “excelência” que a burocracia estatal tem em termos de transparência administrativa, nunca saberemos quem são os reais responsáveis por esse esquema de roubo do dinheiro público.

    Suspeito que esse esquema seja apenas a ponta do iceberg. As outras empresas estatais devem possuir corrupção em escala semelhante — guardadas as proporções entre umas estatais e outras. A Petrobrás é, na minha opinião, a caixa de Pandora do petismo. Não é à toa que os petistas se revoltaram na época da instalação da CPI da Petrobrás, sem dizer que muito contribuíram para sabotá-la do começo ao fim. Depois não querem que privatizem essas empresas para que possam retirar o entulho que há nelas.

    Fazendo as contas:

    01. 80 milhões de dólares no mensalão petista.
    02. “Valorização” de 35.000% da Telebrás.
    03. Retorno de 200 milhões de reais para cada real investido.
    04. Os envolvidos do PT não foram presos/expulsos até agora.
    05. Este já é o governo mais corrupto da história brasileira.

    Esse é apenas o exemplo mais típico de corrupção que acontece em decorrência da mentalidade jurássico-estatal.

    O cara disse que queria fazer bondade com os pobres que não podem pagar por Internet banda larga e coisas tais, mas, na real, só queria embolsar uma grana para si e os seus comparsas.

    Na época do mensalão petista, houve até mesmo algumas pessoas que diziam que esse mensalão era a tal da “corrupção do bem”. Sei…

    É exatamente isso que acontece quando o Estado tem que fornecer da Internet banda larga à mortadela.

    Vejam a que ponto chegou a esquerda brasileira: Começa pregando banda larga para, no final, dar “de graça” 200 milhões de reais em esquemas de “investimento” espúrios. Tira 80 milhões de dólares do cidadão para comprar votos de duas ou três dúzias de bandidos, deixando de investir em educação e saúde, por exemplo. Triste…

    Até!

    Marcelo

  6. Pax said

    Marcelo Augusto,

    Além de você já julgar sumariamente, que é um tanto arriscado, você entende que o PSDB e o DEM, por exemplo, nunca utilizaram os mesmos artifícios? Ou que o PSDB e o DEM, supondo que você admita que sim, que já utilizaram de mensalões e de caixas 2 em campanhas, também fazem parta da “esquerda brasileira”?

    Ou, em outra possibilidade, você está relativizando. Talvez haja outras possibilidades, mas espero ouvir de você alguma resposta a esses questionamentos.

    A questão das caríssimas campanhas eleitorais brasileiras levaram todos, ou quase todos, partidos a cometerem esses desvios absurdos. Que parecem ser, sim, uma roubalheira descarada de dinheiro público.

    Mas não sairia isentando qualquer lado. Tomaria certo cuidado para não perder argumentação.

    Prefiro achar que estão todos enlameados e que o erro de um não justifica o do outro.

    Prefiro, ainda mais, que o Projeto Ficha Limpa evolua e saia do papel, ande na Câmara onde patina, apesar de achar que o futuro vice de Dilma, Michel Temer, não fez nem fará nenhum esforço para tal. Pode até enganar em discurso, mas efetivamente não vejo nenhuma dedicação para andamento e aprovação do projeto.

  7. Pax said

    Carlão,

    Obrigado. E se o Zé Dirceu não é “eminência parda”, ao menos, com certeza, posa como tal.

    E se posa como tal não vejo com bons olhos suas consultorias que envolvem assuntos do Estado. É o mínimo que posso dizer.

  8. Zbigniew said

    Com relacao aos esquemas de corrupcao, pela nossa cultura, tem pra todos os gostos. E necessario serenidade na abordagem dos assuntos pra nao cairmos na vala comum dos julgamentos sumarios e das condenacoes politicas com base em reportagens de capa.

    A “Isto e” tem mais credibilidade do que o representante do MP? E a questao dos repasses do SUS desviadas justamente pelos governos do DF, MG, SP e RS, nao reveberadas pelas “grandes revistas”? Por ter sido a auditoria feita por orgao do governo, nao tem credibilidade?

    Importante que se va aos pontos e aos argumentos para que se possa ter uma nocao clara do que se passa nos bastidores da republica, sabendo que, com certeza, nenhum interesse inocente esta em primeiro plano, mas, antes de tudo, a “retomada” ou a “manutencao” do poder pelas forcas em evidencia hoje na vida politica do pais.

  9. Olá!

    Ao Pax:

    “Além de você já julgar sumariamente, que é um tanto arriscado, você entende que o PSDB e o DEM, por exemplo, nunca utilizaram os mesmos artifícios? Ou que o PSDB e o DEM, supondo que você admita que sim, que já utilizaram de mensalões e de caixas 2 em campanhas, também fazem parta da ‘esquerda brasileira’?”

    Você deveria reler o que escrevi, pois, como considerei acima, expus que, independentemente de valores (e pessoas envolvidas), o mensalão envolveu situações que se configuram em corrupção perante a lei e o dinheiro que alimentou o esquema deve ter saído dos cofres públicos. Eu estou convencido disso.

    Você cita o PSDB e o DEM, como se, caso eu falasse da corrupção que houve/há nesses partidos, estaria mostrando o quanto sou isento quando o assunto é roubalheira. Você deveria ler o Gaspari, que jamais critica o PT sem dar umas lapadas no PSDB (considero o Gaspari um completo idiota). Mas, vamos a eles, já que você os citou.

    O PSDB na década de 1990, por ter sido situação de 1995 a 2002, deve ter feito concessões — como o PT fez inicialmente aos partidos da base aliada (comprando votos) e, depois, ao PMDB — que, acredito, devem ter resultado em corrupção. No entanto, não vimos nessa época nada parecido — tanto em escala, quanto em abrangência — com o caso do mensalão petista e todas as provas que foram obtidas que os políticos iam ao guichê dos bancos sacar a mesada movida a dinheiro público.

    Eu estou convencido de que todos os partidos utilizam o dito “caixa dois”. Mas, dizer que o mensalão do PT foi caixa dois é ser muito bondoso, Pax. O mensalão petista foi um esquema voltado para a compra de votos e com dinheiro público (seja em parte, seja na totalidade).

    Qual foi o mensalão do PSDB, Pax? O Azeredo? Quantos votos de políticos foram comprados com o dinheiro recebido pelo Azeredo, Pax? Esse é um dos maiores problemas dos esquerdistas: Procuram igualar pela essência, aquilo nem sequer possui semelhança na aparência. O caso Azeredo é um exemplo de corrupção — estou convencido disso e não farei rodeios lógicos para dizer o contrário (os esquerdistas é que precisam ser a Marilena Chauí de si mesmos).

    Outro caso que os esquerdistas citam com frequência como exemplo do mensalão do PSDB foram as medidas tomadas para implantar a reeleição no Brasil. Até hoje, nada ficou comprovado na mesma escala em que está o mensalão petista. Um excerto da Wikipédia sobre o caso?

    “O episódio [da reeleição] foi investigado na época pela Comissão de Constituição e Justiça — numa investigação que durou poucas horas — e anos depois foi abordada pela CPI do Mensalão. Em ambas as circunstâncias, não se conseguiu comprovar a efetiva compra de votos diretamente por FHC. Havia o lobby de diversos governadores e prefeitos a favor na emenda constitucional.”

    Bem diferente do que aconteceu no mensalão petista, onde há provas materiais (como comprovantes de saque, depósitos e etc.). Se você tiver alguma, nos mostre, Pax.

    O DEM agiu corretamente ao expulsar o Arruda e os outros bandidos envolvidos no vergonhoso e abominável esquema de corrupção no DF. Espero, apenas, que o DEM não aja como PT: Primeiro expulsa e depois readmite os seus mensaleiros, seja dentro das colunas decisórias do partido, seja como membros/militantes. Isso é, sem dúvida alguma, vergonhoso. Algo deveras triste para a esquerda, que começa pregando banda larga para todos e, no final, tem que reabrigar seus antigos bandidos e companheiros de militância. Triste.

    “Ou, em outra possibilidade, você está relativizando. Talvez haja outras possibilidades, mas espero ouvir de você alguma resposta a esses questionamentos.”

    Não estou relativizando, Pax. Apenas considero tosca essa estratégia de que, se for criticar um lado, então, obrigatoriamente, o outro lado tem que ser criticado, pois, assim, demonstra-se isenção. Isso é bobagem.

    “Mas não sairia isentando qualquer lado. Tomaria certo cuidado para não perder argumentação.”

    Leia acima o que escrevi dos esquemas de corrupção dos outros partidos, Pax.

    Até!

    Marcelo

  10. Pax said

    Marcelo Augusto,

    Você diz:


    Você cita o PSDB e o DEM, como se, caso eu falasse da corrupção que houve/há nesses partidos, estaria mostrando o quanto sou isento quando o assunto é roubalheira.

    (obrigado, aprendi como usar esse tal de “blockquote”)

    Mas você sempre deixou claro que é um anti-petista. Então fica monotônico e, sim, bate só num lado. Desculpe-me, mas é verdade. Você a nega?

    Isso é errado? Não, você tem todo direito de ser um anti-petista. Vivemos num país democrático que nos permite liberdade de opinião e expressão.

    Mas chamar a si a característica de isenção é um pouco desvirtuado da realidade de sua posição, exposta em toda sua participação aqui no blog. A coleção de seus comentário me permite esta opinião.

    E, veja, nunca reclamei dos seus comentários, a não ser quando você agride as pessoas e o blog quando acho o tom desnecessário, pois também me permito tentar levar as discussões neste blog com a regra da civilidade, que você parece ter, educadamente, entendido minhas reclamações.

  11. Olá!

    Ao Pax.

    “(obrigado, aprendi como usar esse tal de “blockquote”)”

    De nada, Pax.

    “Mas você sempre deixou claro que é um anti-petista. Então fica monotônico e, sim, bate só num lado. Desculpe-me, mas é verdade. Você a nega?”

    Essa informação não é 100% precisa, Pax. Não me considero um antipetista. Prefiro me ver como um cidadão comum que observa os fatos ao seu redor e tira conclusões a partir disso usando o máximo de bom senso possível a mim.

    Meu primeiro contato com o esquerdismo radical (o tal do esquerdismo universitário, bem como com o forró universitário), foi, obviamente, na universidade. Isso nos idos de 2002-2003. Lembro que os militantes do PT, PSOL, PSTU, PCO, MST e afins tinham acabado de organizar um protesto contra a invasão do Iraque pelos EUA. Eles queriam que o governo brasileiro enviasse remédios, médicos, militares, armamentos, logística, civis, alimentos e etc. para combater o imperialismo do norte.

    O detalhe que eles “não percebiam” é que a universidade fica bem no meio de um favelão. Eu até perguntei para o tio, que me entregou o papelzinho com as requisições, se ele não sentia remorso em protestar para enviar tudo aquilo para o Iraque enquanto que bem ali, a menos de 100 metros da universidade, há pessoas que mais precisariam daquelas requisições do que, até mesmo, os iraquianos. Ele não respondeu nada e foi embora entoando o grito de protesto contra a burguesia e o neoliberalismo. (Esse tio, hoje, é professor de geografia de um dos colégios mais caros da cidade onde moro. Mensalidade custa mais de um salário mínimo.) Foi a partir daí que passei a observar com mais atenção os esquerdistas e suas vertentes.

    A situação acima apenas ilustra uma das bases da estrutura mental esquerdista: É mais fácil se preocupar com problemas distantes de nós do que com aqueles que fazem, de fato, parte do nosso cotidiano e estão a dois passos de distância.

    Ou como diria o poeta:

    “É mais provável que uma pessoa se preocupe com a sua própria vida quando esta vale a pena receber alguma atenção. Quando não vale a pena, a pessoa desvia suas forças dos assuntos insignificantes da sua vida pessoal e passa a se preocupar com os problemas dos outros.”

    Certeiro!

    Outro traço da mente esquerdista que considero interessante é quando vejo as esquerdas esbravejarem (com certa ferocidade) em prol do casamento homoafetivo e coisas tais. Ao que parece, essa idéia de liberdade sexual é tratada com bastante esmero pelas esquerdas. Mas quando o assunto é liberdade econômica, espere receber, desses mesmos esquerdistas, uma chuva de flechas que cairá do firmamento.

    Outro exemplo clássico: Já vi esquerdista fazer militância em prol do combate à homofobia e coisas tais, mas, ao mesmo tempo, dar as boas vindas a um presidente (Ahmadinejad) de uma autocracia que pune brutalmente os homossexuais e, ainda por cima, o convidou a tomar uma cachacinha. Isso é, sem dúvida alguma, um abominável absurdo.

    Quando eu era universitário, às vezes, parava para ouvir o discurso de algum esquerdista acima dos 45 anos de idade. Era realmente triste ver como uma pessoa se deixou consumir, por completo, por uma ideologia que pouco (ou nada) contribuiu para o progresso do mundo. A relidade dessas pessoas não existe fora da ideologia e é apenas através desta que o mundo faz sentido para grande parte dessa gente. O detalhe que elas, novamente, se esquecem é que o mundo não é tão simplista quanto a ideologia que elas seguem. A falta de autocrítica é, no geral, bastante presente na estrutura mental das esquerdas. Foi nesse episódio que eu percebi o quanto é perigoso se deixar consumir por uma ideologia ao ponto desta anular completamente a própria individualidade da pessoa.

    Por esses exemplos que mostrei, Pax, não me vejo, essencialmente, como um antipetista. Observo os traços gerais das esquerdas e procuro entender as razões que as levam a agir dessa forma.

    “Mas chamar a si a característica de isenção é um pouco desvirtuado da realidade de sua posição, exposta em toda sua participação aqui no blog. A coleção de seus comentário me permite esta opinião.”

    Eu não sou isento, Pax. Não chamei a mim a qualidade da isenção. Apenas afirmei que é bobagem considerar isenção uma opinião que critique os dois lados de um assunto (como o Gaspari faz). O perigo disso é que a pessoa pode acabar se deixando aparelhar pelo patrulhamento ideológico que está à solta por aí.

    Até!

    Marcelo

  12. Olá!

    Uma correção ao meu comentário anterior:

    Em 2002-2003, o PSOL ainda não existia. Portanto, a citação dele é inválida, mas as dos outros permanecem válidas.

    Sorry!

    Até!

    Marcelo

Faça seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: