políticAética

Notícias da Corrupção, Desvios, Anomalias, Eleições e Meio Ambiente

  • Sobre o blog

    Uma coletânea das notícias da corrupção, desvios, anomalias, eleições e meio ambiente que aparecem na mídia todos os dias a partir de agosto de 2008.
  • Categorias

  • Arquivos

  • Páginas

  • Meta

Dilma, Serra e nada que preste

Posted by Pax em 01/04/2010

Dilma Rousseff - foto Wikipédia

Dilma e Serra, principais candidatos à presidência, deram início à disputa eleitoral ontem, ao deixarem seus cargos públicos. E não apresentam nada que preste para o futuro do Brasil.

José Serra - foto Wikipédia

Se você conversar com qualquer eleitor mais interessado em política e na visão de um futuro melhor para o Brasil verá que várias prioridades são citadas. E que os discursos iniciais dos dois candidatos passam ao largo delas, ou as tangenciam sem o mínimo foco.

Uma possível lista:

1 – Educação: todo foco, cada centavo disponível para o tema, os brasileiros têm fome de saber e o Brasil tem fome de capital humano bem preparado. É uma verdade absoluta: Não há futuro sem um povo altamente educado. E qual a proposta dos candidatos com relação à esta questão? Em algum momento elencaram em seus discursos o item como prioritário? A resposta é simples: um sonoro não.

2 – Enxugar e otimizar a máquina governamental: A atuação governamental em todos os âmbitos, Federal, Estaduais e Municipais, é uma lástima. Máquinas pesadas e ineficientes, que consomem o dinheiro público de forma equivocada, quando não desviam completamente em assaltos descarados, um enorme desperdício. E qual o discurso dos dois candidatos para a eficiência governamental? A resposta é simples: um silêncio sepulcral.

3 – Facilitar a vida de quem empreende: Empreender no Brasil, gerar empregos e renda, é uma atividade em que o governo é um fardo quase impossível de ser carregado, seja pela absurda estrutura e carga tributária como pela inacreditável burocracia que estimula a corrupção pública e privada e enche o bolso de fiscais e empresários canalhas espalhados por todos os cantos. E qual o discurso dos principais candidatos com relação ao assunto? A resposta é simples: nenhum.

4 – Segurança Pública: os brasileiros passaram a conviver com o aumento constante do medo. Máfias se instalam a cada instante em todos municípios brasileiros, drogas e armas são vendidas praticamente nas esquinas, as polícias não se integram ou se entendem, união, estados e municípios atuam de forma independente em problemas comuns, as forças são mal treinadas, mal remuneradas, mal equipadas, desestimuladas e o povo paga a conta muitas das vezes com a própria vida. E qual o discurso dos dois candidatos com relação ao assunto? A resposta é simples: não é prioridade.

5 – A praga da corrupção: O que você acha que daria para fazer com mais R$ 200 bilhões nos cofres públicos? Sim, é este, aproximadamente, o tamanho do problema no Brasil todos os anos, pares e ímpares, eleitorais ou não. E qual a proposta dos dois principais candidatos com relação ao assunto? A resposta é simples: acusar o outro e não encarar os graves problemas que suas próprias legendas estão envolvidos, como que tapando o Sol com peneira e achando que vão convencer o eleitorado indeciso que os corruptos do outro lado são mais corruptos que eles. Um pouco à além, qual a posição que os candidatos tomaram com relação ao Projeto de Lei Ficha Limpa? A resposta também é simples: absoluta mudez.

6 – Reforma política: O Congresso Nacional virou um verdadeiro balcão de negócios, quem quer que venha a assumir o governo terá que compor uma aliança, montar uma base de apoio. E os brasileiros já estão cansados de saber que em política compor significa comprar. Tão simples quanto isso. E lá se vão ministérios, presidências e diretorias de estatais e cargos e mais cargos que, no fundo, são simplesmente postos avançados do tráfico de dinheiro público para interesses privados. Este modelo já se provou bandido, que isola a sociedade da atividade, fere a nação e assalta o povo. Um bom exemplo comentado seria a possibilidade de uma aliança nacional, PT e PSDB se juntos em um projeto comum, extirpando os cânceres políticos que os apóiam e os tumores internos de cada um. E qual o discurso dos dois candidatos com relação ao assunto? A resposta é simples: desconversar para ver se todo mundo esquece. Melhor que meter a mão na massa ou o pé no barro.

E você? Elencaria mais alguma prioridade?

Os dois principais candidatos simplesmente não apresentam nada de novo, é mais do mesmo, mais de um caminho que, apesar de um pouco melhor, fruto dos acertos de ambos governos passados nestes 16 últimos anos, não consegue definir o futuro que o país precisa e merece.

Os outros candidatos? Infelizmente não tem a menor chance, então melhor focar na cobrança nos dois.

p.s.: O post, obviamente, é uma provocação. É hora de cobrar compromissos. É hora do eleitor, não dos candidatos.

Anúncios

36 Respostas to “Dilma, Serra e nada que preste”

  1. Mona said

    Que tal começar a buscar tais respostas – se é que elas existem, neste estágio tão embrionário da campanha eleitoral – comparando o discurso de despedida dos respectivos cargos detidos pelos dois principais postulantes à presidência da República Federaiva do Brasil?

  2. emerson57 said

    “Me diz com quem andas, te digo quem és”
    pode ser um bom início…

  3. Sílvia said

    Ler o descaso do então governador em aceitar diálogo quanto À greve dos professores em SP também seria um primeiro passo para perceber o quanto esse PSDB acabou com a educação no Brasil. E Dilma? Sem candidatos estou ainda.

  4. Olá!

    “1 – Educação: todo foco, cada centavo disponível para o tema, os brasileiros têm fome de saber e o Brasil tem fome de capital humano bem preparado. É uma verdade absoluta: Não há futuro sem um povo altamente educado. E qual a proposta dos candidatos com relação à esta questão? Em algum momento elencaram em seus discursos o item como prioritário? A resposta é simples: um sonoro não.”

    Em São Paulo, alguma medidas interessantes foram implementadas na educação, como o um novo plano de carreira para os professores, a limitação das faltas dos docentes, o estabelecimento de diversas FATECs e o aumento salarial do professorado tendo como critério o mérito.

    Pode até ser que o José Serra não tenha sido mais explícito nesse sentido, porém, vale lembrar, ele é governador de um estado e possui, justamente por isso, uma política educacional que foi implantada. Já a Dilma Rousseff…

    “2 – Enxugar e otimizar a máquina governamental: A atuação governamental em todos os âmbitos, Federal, Estaduais e Municipais, é uma lástima. Máquinas pesadas e ineficientes, que consomem o dinheiro público de forma equivocada, quando não desviam completamente em assaltos descarados, um enorme desperdício. E qual o discurso dos dois candidatos para a eficiência governamental? A resposta é simples: um silêncio sepulcral.”

    Vale relembrar aqui o discurso do tal do “Estado Forte” defendido por Dilma Rousseff. O quê vocês vêem em um troço desses? Menos ou mais burocracias? Camadas adicionais de burocracia ajudam ou atrapalham na solução de problemas? Contribui em que sentido para a redução da corrupção? Qual a experiência da Dilma Rousseff em utilizar de forma mais otimizada os recursos disponíveis, reduzindo o nível de aparelhamento da máquina pública? Ela já tomou alguma medida que exemplificasse isso? Qual o exemplo que o governo do qual ela faz parte nos mostra?

    O José Serra, pelo fato de ter governado um estado, aplicou políticas de redução da burocracia para se abrir um negócio e há até mesmo um Programa Estadual de Desburocratização (PED).

    A Dilma Rousseff sequer pode falar em ter algo semelhante para se comparar, já que, para começo de conversa, ela nem mesmo foi eleita para nada.

    “3 – Facilitar a vida de quem empreende: Empreender no Brasil, gerar empregos e renda, é uma atividade em que o governo é um fardo quase impossível de ser carregado, seja pela absurda estrutura e carga tributária como pela inacreditável burocracia que estimula a corrupção pública e privada e enche o bolso de fiscais e empresários canalhas espalhados por todos os cantos. E qual o discurso dos principais candidatos com relação ao assunto? A resposta é simples: nenhum.”

    Discordo de você, Pax, 100%! Ou melhor: 35.000%!

    Bom, a Dilma Rousseff defende um Estado mais forte e no que vocês acham que isso vai dar? Em mais ou menos impostos e dificuldades para empreender? O governo do qual ela faz parte, simplesmente, parou todo o processo de privatização de empresas que poderiam agilizar ainda mais a geração de riquezas e a criação de empregos para os cidadãos. Peguem o caso da Vale do Rio Doce: Quantos novos empreendedores não devem ter surgido para ofercer serviços à essa empresa a partir do momento em que ela foi privatizada e passou a crescer até estabelecer o tamanho que tem hoje?

    No meu parágrafo anterior, eu citei algumas medidas que o José Serra tomou no sentido de reduzir o fardo que é abrir uma empresa. Considero ser injusto dizer que, em ambos os lados, não há propostas.

    “4 – Segurança Pública: os brasileiros passaram a conviver com o aumento constante do medo. Máfias se instalam a cada instante em todos municípios brasileiros, drogas e armas são vendidas praticamente nas esquinas, as polícias não se integram ou se entendem, união, estados e municípios atuam de forma independente em problemas comuns, as forças são mal treinadas, mal remuneradas, mal equipadas, desestimuladas e o povo paga a conta muitas das vezes com a própria vida. E qual o discurso dos dois candidatos com relação ao assunto? A resposta é simples: não é prioridade.”

    O problema da segurança pública é generalizado e todos falham miseravelmente em solucionar esse problema. Porém, há de convir que em São Paulo existe um política nesse sentido, PaX. Em um estudo lançado recentemente, há a constatação de que São Paulo sequer está entre as dez capitais mais violentas do Brasil. Isso é sinal de que há um conjunto de medidas para manter esse estado nessa condição, isto é, há uma política de segurança pública. Pode até não ser a melhor coisa do mundo, mas, pelo menos há.

    Quantas políticas semelhantes a Dilma Rousseff fez?

    “5 – A praga da corrupção: O que você acha que daria para fazer com mais R$ 200 bilhões nos cofres públicos? Sim, é este, aproximadamente, o tamanho do problema no Brasil todos os anos, pares e ímpares, eleitorais ou não. E qual a proposta dos dois principais candidatos com relação ao assunto? A resposta é simples: acusar o outro e não encarar os graves problemas que suas próprias legendas estão envolvidos, como que tapando o Sol com peneira e achando que vão convencer o eleitorado indeciso que os corruptos do outro lado são mais corruptos que eles. Um pouco à além, qual a posição que os candidatos tomaram com relação ao Projeto de Lei Ficha Limpa? A resposta também é simples: absoluta mudez.”

    Aqui nesse aspecto, não faço rodeios: O império da lei deve ser implacável com político corrupto. No entanto, é necessário fazer a observação de que o partido que mais sofreu, recentemente, com a corrupção e que viu as principais figuras do seu alto escalão serem ceifadas por envolvimento em esquemas corruptos é, sem dúvida alguma, o PT. A Dilma Rousseff é a prova mais evidente disso, pois — se não fosse a corrupção em que Palocci, Dirceu e outros se envolveram –, ela sequer existiria, hoje, em termos eleitorais. A candidatura da Dilma Rousseff é, de uma forma ou de outra, fruto direto dessa corrupção.

    O PT não teve sequer a iniciativa de expulsar os seus corruptos — expulsou os seus antigos companheiros (Babá, Heloísa Helena e outros) quando estes não mais serviam de idiotas úteis do petismo. Mas os corruptos de verdade, esses continuam por aí.

    “6 – Reforma política: O Congresso Nacional virou um verdadeiro balcão de negócios, quem quer que venha a assumir o governo terá que compor uma aliança, montar uma base de apoio. E os brasileiros já estão cansados de saber que em política compor significa comprar. Tão simples quanto isso. E lá se vão ministérios, presidências e diretorias de estatais e cargos e mais cargos que, no fundo, são simplesmente postos avançados do tráfico de dinheiro público para interesses privados. Este modelo já se provou bandido, que isola a sociedade da atividade, fere a nação e assalta o povo. Um bom exemplo comentado seria a possibilidade de uma aliança nacional, PT e PSDB se juntos em um projeto comum, extirpando os cânceres políticos que os apóiam e os tumores internos de cada um. E qual o discurso dos dois candidatos com relação ao assunto? A resposta é simples: desconversar para ver se todo mundo esquece. Melhor que meter a mão na massa ou o pé no barro.”

    Aí está o Plano Real do PT que o Lula poderia ter legado ao país e à posteridade. O presidente Lula poderia ter tomado alguma iniciativa nesse sentido e ter construído sobre essa base o seu figurino de estadista. Mas, infelizmente, não fez, mesmo contando com aprovação recorde da população e tendo uma enorme base no congresso para tanto. Claro, devem haver outros fatores envolvidos nisso.

    Vale lembrar que o PT contribuiu significativamente para que o congresso chegasse ao atual estágio em que se encontra. O Mensalão foi um passo sem vergonha nessa direção e, mais grave do que isso, representou um dos poderes da república (o executivo) corrompendo um outro poder (o legislativo). É o tipo de coisa que, fosse o Brasil um país mais sério, resultaria em dissolução do PT como partido, em prisão para os arquitetos desse plano e em impeachment (ou mesmo prisão) para o Lula.

    Acho que a reforma tributária seria outra medida importante que os candidatos deveriam tocar. Liberalização da economia é outro ponto. Acho que o Pax já tocou nos principais pontos.

    Até!

    Marcelo

    P.S: Pax, apague, por gentileza, o comentário anterior. Faltou uma palavra em um dos parágrafos.

  5. Mona said

    O artigo do Helio Shwartzmann (help! é assim que se escreve?) de hoje está muito interessante… há ser verdadeiro que nós somos muito mais fígado que cérebro em um processo eleitoral, todos nós já temos candidato, pelo menos no primeiro turno. O que estamos procurando, agora, são as justificativas racionais (ou pseudo-racionais) para embasar nossa decisão. E com um bom marqueteiro a potencializar nossa emoção em prol daquele previamente escolhido, aí é que a decisão não muda mesmo…
    Mas, sim, existem aqueles que mantém uma certa distância emotiva relativamente aos contendores: aí pesam enormemente as mensagens subliminares e a narrativa que são lançadas. Mas, mesmo assim, a captura primeira será do emocional e, de novo em segundo lugar, e como força auxiliar da decisão, o racional.
    Assim, caro Pax: pelo jeito o eleitor até ouve as promessas de campanha e pode até educadamente se interessar pelos programas que serão apresentados (com uma das sobrancelhas erquidas…). Mas será um blá-blá-blá que entrará por um ouvido e sairá por outro…

  6. Pax said

    Marcelo Augusto,

    Teus comentários têm ficado bloqueados por conterem mais de um link externo, uma regra que vou alterar para ver se dá certo.

    O problema maior é que há spans demais que são bloqueados por esta regra. Vou alterar quando der um minuto de folga aqui.

    Comentários sobre os comentários: de noite acho que consigo.

  7. Jorge said

    o psdb governa SP desde 1994. A educação em São Paulo está uma catástrofe. SP passou de vanguarda para retaguarda no ensino. o ensino de SP é péssimo, não há como não responsabilizar o psdb, chega ser cômico a mídia e os militantes virtuais fingirem que o problema não é com o partido tucano.

    o psdb é agente que promove a destruição do ensino, assim, condena o Brasil ao atraso e sua população à ignorância. felizmente não destruirão o sistema federal de ensino.

  8. André said

    O comentário do Jorge só pode ser piada. Ou saído da APOESP.

    Sistema Federal de Ensino??? Só rindo…

    Pelo menos o Estado de SP implementou um projeto que associa o DESEMPENHO e a QUALIDADE dos professores ao SALÁRIO recebido (e merecido).

    Coisa que não é entendida por professores sindicalistas que vivem de fazer greve e paralisação, com NENHUM compromisso com os estudantes ou com o ensino de qualidade.

    Abs

  9. Jorge said

    André, voce não sabe o que está falando. Ou então é funcionário de confiança do Paulo Renato ou de alguma ong ou empresa terceirizada. É difícil acreditar que seja apenas ignorante e arrogante.

    O plano de carreira: 25% dos professores, os melhores classificados num sistema de avaliação do governo, poderá concorrer a 20% de aumento,se houver dinheiro no orçamento. Há dinheiro agora, ano que serra quer ser presidente, haverá ano que vem?

    A última do psdb. Parte dos professores temporários (cerca de 100 mil em 220 mil professores) que forem aprovados na prova de seleção e ministrarem disciplina aonde faltem professores deverá cumprir carência de 200 dias letivos depois de um ano de contrato de trabalho.

    Ano passado o PSDB fez um acordo com a Veja (durante 1 ano pagou assinatura da revista Nova Escola para os professores), com a Folha e o Estadão (este dois jornais chegam todos os dias nas escolas).

    André, o seu filho estuda na escola pública estadual? os seus sobrinhos? André, o psdb governa SP desde 1994. De lá para cá a educação está cada vez pior. O resto é propaganda enganosa.

  10. Pax said

    Marcelo Augusto e demais,

    Liberei os comentários para mais links. Agora podem ter até 5.

    Vou experimentar essa configuração de comentários com respostas. Se agradar vocês fica, caso contrário voltamos ao modelo anterior.

  11. Pax said

    Mona no comentário #1 – Do que me lembro, do que ficou na cabeça esses dias em que não pude acompanhar direito, foi:

    Dilma: vamos continuar..
    Serra: o Brasil pode mais

    Uma vincula a candidatura no presidente que tem um altíssimo índice de aprovação e o outro foge do presidente do seu partido como diabo da cruz, não explorando o que FHC fez de bom. E fez bastante coisa.

    Enfim, nesse discusro de desencompatibilização, ao menos o que ficou na minha cabeça, não diz, ainda, muita coisa.

    Lembro também que Serra falou de seriedade, de não escândalos ou coisa parecida nos trechos de notíciário televisivo que vi.

    Mas, diga, como quem está desinformado sou eu, o que você viu nos tais discursos?

  12. Pax said

    Aqui é duro.

    Um anda com Sarney e Temer e o outro com Kátia Abreu e Efraim.

  13. Pax said

    Sílvia,

    Nestas questões das greves de São Paulo há dois lados da moeda, claro. Um é que a oposição ao governo paulista é aguerrida mesmo, está acostumada a lutas e mais lutas, o movimento sindical tem em São Paulo, desde a ditadura, o berço mais forte. E a turma vai à luta mesmo, seja para reclamar, seja em movimento para ajudar ou atrapalhar eleição, por tudo. E isto faz parte da democracia. Se alguns desses últimos incidentes foi por ordem ou não de quem quer que seja, como alguns analistas políticos da oposição andam berrando histericamente, não sei, bem provável que sim. Sei é o que disse: em São Paulo tem um turma que se mobiliza. Se o PSDB não consegue montar sua própria turma é um problema do PSDB. Mais que reclamar da mobilização do PT e aliados, o PSDB deveria é imitar, fazer o mesmo, mobilizar pessoas, entidades, colocar o povo na rua, acho eu.

    Serra não parece muito bom em negociação, nem com a própria base aliada nem nestas situações de conflito. Esta é uma questão que o candidato deve repensar na sua postura política, no meu entendimento.

    Dilma é melhor? Não tenho a menor ideia, afinal ela nunca governou. Segundo alguns, chefiando ministério ela é osso duro de roer. Mas, enfim, critico o Serra sem saber se Dilma é melhor, este é o ponto.

    Vou um pouco mais longe, você e muita gente, muita mesmo, ainda está indecisa para outubro. Acredito que esperando os programas, os compromissos, ou algo que os convença que A é melhor que B ou que C. As propagandas eleitorais virão para isto. A digulgação dos programas virão neste bojo.

    Sabemos que vão falar de 859 coisas que prometerão cumprir, mas as 2 ou 3 que insistirem serão as verdadeiras bandeiras.

  14. Pax said

    Marcelo Augusto,

    1 – todas as informações não corroboram muito com tua afirmação, Educação em São Paulo não é um grande ponto para Serra não. Aliás, quer saber, não é um grande ponto para ninguém. Aqui sou cruel mesmo, exigente pacas. Um fala que fez isto e aquilo, outro fala que fez mais. E eu falo que todos são uns tremendos incompetentes, míopes de tudo. Quem quer que tivesse realmente focado seu governo em Educação, depois de tantos anos, teria uma enorme vitrine para mostrar sua obra.

    Ninguém tem. Não adianta rebolarem discursos. Sâo falsos.

    2 – Máquina do Estado: aqui há um ponto, aqui Dilma precisa dizer que história é esta de Estado forte que ela fala. Uma coisa é ter um Estado forte que seja enxuto e eficiente, com bala para investir. Outra é criar um paquiderme, obeso, beberrão, ladrão. O Estado em São Paulo é melhor gerido? Pode ser que na tua visão seja. Não vejo lá enormes diferenças não.

    3 – Você fugiu do tema, o meu é: o que fazer para o país ser fácil para empreender? E quem pode fazer isto melhor? Quem está se comprometendo com esta bandeira?

    4 – São Paulo tem uma política, sim. Na capital. No interior não sei se está assim tão elogiável. E mesmo a política paulista na capital merece várias críticas. O Rio também adotou uma política que começa da dar algum resultado. Mas, enfim, o assunto é nacional, não só local. Onde moro participo de algumas reuniões sobre esta questão por estar envolvido com a associação do bairro e com a preservação do meio ambiente de uma área de reserva. Posso te afirmar que a coisa não funciona como deveria. Guarda Municipal não fala com PM Estadual que não fala com a Polícia Civil e todos batendo cabeça não resolvem os problemas como deveriam. E olha que é pertíssimo de SP capital.

    5 – Corrupção – O PT se ferrou nesta questão? Claro que sim. Caiu do cavalo, chafurdou na lama e parece ter gostado. A oposição é mais ou menos corrupta? Bem, você afirma que sim e não é de hoje, e eu sempre te pergunto: como você mede? 3 é menos que 4, sim, então como você chega em 3 ou 4? Para mim todos são grávidos e nenhum é meio grávido. E para engravidarem tiveram que pular a cerca. E depois que se pula… aí você conhece a história. Chaga-se, por exemplo, no caso do Arruda, como exemplo mais recente. Aquilo que vimos direto e reto, com fartas imagens disponíveis no Youtube, não é privilégio do DEM. É de todo mundo que pula a cerca. O modelão é o mesmo, em todos os âmbitos, em todos os lugares. O que fazer para mitigar o problema é que é a questão.

    E é digno de nota que nem PT nem PSDB admitem seus problemas e propõem soluções. Fique super feliz quando o Gilberto de Carvalho, braço direito do Lula, o cara que acorda e “leva o café de bom dia” e que “tira os sapatos” para Lula deitar afirmou que a praga da corrupção tinha se instalado no PT. Pena que o assunto não foi para frente. Gilberto, no meu entender, mandou uma mensagem que nem seu chefe nem os grandes caciques entenderam e se moveram.

    E é digno de nota que não vi nada parecido no PSDB. Só afirma a corrupção do PT e aliados e fazem vista grossíssima para a sua e de seus aliados.

    Todos os dois, PT e PSDB, neste aspecto, deixam muito a desejar. Muito.

    6 – Reforma política – bem, caro, tendo a concordar com você. Lula poderia ter movido montanhas aqui e procrastinou, empurrou de barriga, piorou o que já estava ruim. E pegando tua conclusão, sobre reforma tributária, idem. Lula poderia ter produzido uma e não fez.

  15. Pax said

    Cara Mona,

    Pode ser que sim, mas não acho uma verdade absoluta para os indecisos. Uma parcela dos indecisos pode ter suas próprias bandeiras pessoais que não necessariamente estão abraçadas por uma das duas principais forças.

    Vou dar um exemplo: vamos supor que o indeciso seja interessado na questão da Educação. Então esse cara pode estar esperando para ver qual dos dois vai bater mais nessa tecla, de falar do futuro do Brasil baseado no capital humano. É um dos muitos exemplos. Outro exemplo é o Meio Ambiente. Engraçado que uma boa parcela de quem se preocupa com a questão não abraçou a candidatura da Marina. Então este indeciso esperará para ver se Dilma ou Serra tocam nesta questão o suficiente para convencer que será uma bandeira. Enfim, é um achismo meu. Só um contraponto.

  16. Pax said

    Educação em São Paulo não pode ser colocado como vitrine do PSDB. Concordo com o Jorge. Talvez não seja tão entusiasmado na crítica “promove a destruição do ensino”, mas não vejo Educação em Sâo Paulo andando bem, não mesmo. E os números mostram isso.

  17. Pax said

    André,

    O projeto de remuneração por desempenho, a priori, é bom, sim. Mas não só não resolveu a questão como sozinho não resolverá.

  18. Pax said

    André e Jorge,

    Creio que já respondi os dois acima.

    Mas relembro 2 pontos:

    1 – Em São Paulo há uma turma mobilizada, politizada, gostemos ou não ela existe. E ela é vinculada ao sindicalismo. Me parece que melhor que ao invés de ficar reclamando de movimentos é melhor conseguir colocar o povo na rua. Repito: porque o PSDB não consegue colocar o povo na rua? Para de reclamar e faz isso pra ver se não é a melhor arma contra o que tanto reclamam.

    2 – Não adianta, nem PT nem PSDB, nem FHC nem Lula deram foco para Educação. Sabem porquê? Porque a própria sociedade brasileira ainda não aprendeu a colocar este foco na pauta. O povo não tem mais fome no estômago mas tem fome de saber, fome de conhecimento. Só que não sabe dizer isso de forma objetiva. Não sabe se mobilizar para a questão e, portanto, não é a bandeira que mais dará voto. Muito infelizmente.

  19. Olá!

    “1 – Em São Paulo há uma turma mobilizada, politizada, gostemos ou não ela existe. E ela é vinculada ao sindicalismo. Me parece que melhor que ao invés de ficar reclamando de movimentos é melhor conseguir colocar o povo na rua. Repito: porque o PSDB não consegue colocar o povo na rua? Para de reclamar e faz isso pra ver se não é a melhor arma contra o que tanto reclamam.”

    Se por turma mobilizada e politizada você se refere ao pessoal da APEOESP, você a descreve com certa precisão, esquecendo apenas um importante detalhe: A APEOESP é uma dessas forças retrógradas que o PT abriga em seu íntimo. Pura massa de manobra e um exército de idiotas úteis a serviço do petismo. O Lula teve oito anos para implantar diretrizes que pudessem alavancar a educação e nada fez — e olha que ele não precisou fazer estabilização monetária, combater índices inflacionários estratosféricos e nem contava com uma oposição deletéria como foi a do PT no governo anterior.

    É lamentável que um partido político dê abrigo a um grupo de militantes que se dizem representar os professores e que comandam queima de material de ensino em praça pública. Queimar livros/material de ensino é algo perigoso e sinal de que coisas muito piores podem vir pela frente.

    A APEOESP representa o povo, Pax? Vá até a periferia de São Paulo e pergunte a um cidadão, que tenha os filhos estudando em escola pública, se ele aprova que material de ensino seja convertido em fogueira e, consequentemente, em desperdício de dinheiro público.

    O PSDB não coloca “o povo” na rua pelo simples fato de não ter à sua disposição associações das mais retrógradas e que vão à rua reclamar até mesmo de medidas que são favoráveis a um determinado segmento profissional e/ou pedir aumentos impossíveis de serem dados com o orçamento em questão.

    O PSDB tem eleitor e não dispõe de um exército de idiotas úteis a seu serviço, como tem o PT. Mas seria bom esses idiotas úteis do petismo tomarem cuidado, pois é conhecido de todos nós como o PT trata os seus idiotas úteis quando estes não mais são necessários.

    Até!

    Marcelo

  20. Pax said

    Marcelo Augusto,

    Vamos lá, eu não conheço essa tal de APEOESP. Faço a menor ideia de quem se trata. Acabo de olhar o site deles, Sindicato dos Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo.

    Mas não sei sua representatividade, origem, nada.

    E, de novo, insisto com você, porque o PSDB não coloca o povo na rua?

    Veja, sem julgar o que não conheço, neste caso a APEOESP, me permito achar que há sindicatos que não valem nada. Mais que isso, acho que há líderes sindicais muito canalhas, pelegos que só querem mamar em negociatas. Isso existe sim, sempre existiu.

    Mas entendo que você erra, na minha opinião e vou tentar colocar onde vejo este erro:

    1 – a existência de Sindicatos por si é um direito democrático. Nem entro na discussão se são bons ou não. Só afirmo: é um direito. Vivemos num país livre.

    2 – uma classe de trabalhadores se mobilizar para defender seus direitos e ter mais força para suas reinvindicações não me parece ruim não. Olhe pelo outro lado, o patronal. Eles também se reúnem e defendem seus interesses. Dois bons exemplos são a Fiesp, a Febraban.

    3 – O que existe e me parece ser saudável, é essa concentração de forças antagônicas, de um lado patrões, de outro empregados.

    4 – Sim, claro que há desvios, de todos os lados.

    Mas tudo faz parte do processo democrático.

    Se toda a APOESP é formada de idiotas é uma afirmação tua. Agora veja, os policiais civis também detestam o Serra. Então já temos duas classes que você, segundo a lógica, chamará de idiotas. Aí você pega os metalúrgicos, os bancários etc etc. Daqui a pouco você vai achar que o mundo inteiro é idiota e que só você não é.

    Onde provoto teu pensamento: cara, se toda essa turma acaba indo contra o Serra, ou, em outra hipótese, contra a Dilma, ou contra quem quer que seja, algum sinal há. E não há quem segure o povo quando ele se junta.

    O povo é que não sabe bem disso. Esqueceu, lembrou um pouco com os caras-pintadas na derrubada do Collor e acabou esquecendo de novo, aí ficam só estes movimentos mais localizados.

    Então veja, sei que você odeia o governo atual, é um direito teu tentar juntar todo mundo que pensa igual a você e sair às ruas pedindo substituição. De novo, faz parte da democracia. E assim deve ser.

    O que a última pesquisa da Datafolha disse é que 76% do povo acha o governo Lula bom ou ótimo, e somente 4 ou 5% acha ruim ou péssimo, se não me falha a memória.

    Isso quer dizer que se você tivesse 100% de sucesso em tentar mobilizar todo mundo que não gosta do governo, as chances que você teria de sucesso, de uma mobilização popular suficiente que obrigasse o presidente a renunciar ou mesmo, em última instância, através de alguma acusação qualquer tentasse um impedimento, seriam ínfimas, diria impossível.

    Mesmo porque, voltando às agremiações, o lado patronal não é lá contra o Lula não. Uma parte sim, mas outra não. Aí significa que você não teria nem a força do povo do teu lado, nem muito menos a outra força, a do poder econômico dos donos dos meios de produção.

    Tava na lida da roça aqui e pensando, vou escrever algo sobre isso em breve. Raciocina comigo, por favor.

    As aves cantam pra caramba. Tenho o privilégio de ouvi-las soltas no mato que moro. Pois bem. Há alguns motivos para isso. Um deles é o “amor”, o acasalamento. Outro é pelo perigo, chamando atenção de um iminente.

    Mas há um outro canto, o canto do nascer do Sol, e ainda mais no pôr do Sol. Aí as aves cantam porque cantam, cantam a natureza, cantam porque É sua natureza.

    Onde quero chegar: há a política do amor, quem gosta da situação, quem gosta da oposição, quem “canta” por amor, ou por perigo etc.

    Mas há os que cantam porque entendem que política é da natureza do homem.

    Confesso que prefiro este canto aos outros. Pensa nisso.

  21. Olá!

    “E, de novo, insisto com você, porque o PSDB não coloca o povo na rua?”

    Novamente, insisto: A APEOESP não representa o povo. Sequer mobiliza o grosso da sua categoria para aderir à atual greve.

    “Mas entendo que você erra, na minha opinião e vou tentar colocar onde vejo este erro:

    1 – a existência de Sindicatos por si é um direito democrático. Nem entro na discussão se são bons ou não. Só afirmo: é um direito. Vivemos num país livre.”

    Essa colocação é sua, Pax. Eu não coloco em dúvida o direito democrático à existência de sindicatos e coisas do gênero. A minha crítica é ao uso que esses sindicatos se prestam com objetivos unicamente de sabotagem política dos adversários do PT, pois é exatamente isso que a APEOESP faz na atual “greve”: Converte-se em pau mandado do petismo e este o abriga no seu íntimo e na máquina pública, dando aos líderes da APEOESP cargos de certa relevância na estrutura estatal — a APEOESP é apenas um desses casos, mas creio que devem haver outros.

    “3 – O que existe e me parece ser saudável, é essa concentração de forças antagônicas, de um lado patrões, de outro empregados.”

    Eu também apoio isso. O detalhe é que agremiações políticas como o PT possuem uma forte tendência a devorar o grupo representante dos funcionários e substituí-lo pelo próprio partido, transformando essa situação de embate entre forças antagônicas em uma forma de fazer a máquina militante funcionar e obter vantagens políticas a partir disso.

    “Se toda a APOESP é formada de idiotas é uma afirmação tua. Agora veja, os policiais civis também detestam o Serra. Então já temos duas classes que você, segundo a lógica, chamará de idiotas. Aí você pega os metalúrgicos, os bancários etc etc. Daqui a pouco você vai achar que o mundo inteiro é idiota e que só você não é.”

    Pax, na minha concepção, a APEOESP se presta a esse papel de se fazer de idiota útil do petismo com objetivos de sabotagem política dos adversários do PT. Essa prática não é de hoje.

    As reivindicações da APEOESP são absurdas levando-se em consideração o orçamento anual de São Paulo. Um aumento de 34% acarretaria em menos verbas para cuidar do restante desse setor. Reportagem da revista Veja evidencia isso:

    No caso dos professores, o reajuste salarial exigido pelo movimento grevista aumentaria em 3,5 bilhões de reais por ano o gasto com a folha de pagamento. O Orçamento da Secretaria de Educação de São Paulo é de 16 bilhões de reais, dos quais 10,4 bilhões já estão comprometidos com salários. Se o valor gasto com salários chegar a 13,9 bilhões, sobrarão apenas 2,1 bilhões para pagar transporte dos alunos, merenda, material, obras etc.

    Acho que o pessoal da APEOESP, inclusive, sabe disso. Mas, o que vale mesmo, é fazer sabotagem política.

    O que os delegados pedem é outro troço absurdo. Eles querem que a carreira deles seja salarialmente equiparada à carreira jurídica (e seus salários de marajás que ganham fortunas). A mesma reportagem que linkei acima dá uma explicação mais detalhada:

    A Adpesp (Associação dos Delegados de Polícia do Estado de SP) reivindica uma reestruturação que inclua o reconhecimento da profissão como carreira jurídica, o que possibilitaria equiparar o salário de um delegado ao de um promotor.

    Em 10 anos de carreira, o delegado ganharia cerca de 20 mil reais, ou US$ 11 mil por mês. Com 13º salário e férias chega-se a um total de US$ 149 mil por ano. Entre os mais de 40 mil policiais de Nova York, apenas onze da alta hierarquia recebem os maiores pagamentos da corporação, que somam US$ 138 mil por ano. Quando se aposentam, os americanos levam apenas 50% do salário.

    O que apenas onze membros do alto escalão da polícia de Nova York ganham, no Brasil, querem ampliar o mesmo rendimento para mais de 3000 pessoas. Sem dizer que o Brasil é muito mais ineficiente em gerar riquezas do que os Estados Unidos.

    A classe policial tem pleno direito de se organizar em um sindicato/agremiação/etc. e de reivindicar melhores salários, condições de trabalho e afins. Apenas considero estranho que essa classe utilize esse direito para reivindicar o absurdo.

    “Então veja, sei que você odeia o governo atual, é um direito teu tentar juntar todo mundo que pensa igual a você e sair às ruas pedindo substituição. De novo, faz parte da democracia. E assim deve ser.”

    Eu não odeio o governo atual. Apenas faço considerações bem embasadas sobre a essência do que se tornou o atual governo. O liberalismo, no Brasil, é algo raro. Sempre foi.

    “O que a última pesquisa da Datafolha disse é que 76% do povo acha o governo Lula bom ou ótimo, e somente 4 ou 5% acha ruim ou péssimo, se não me falha a memória.

    Isso quer dizer que se você tivesse 100% de sucesso em tentar mobilizar todo mundo que não gosta do governo, as chances que você teria de sucesso, de uma mobilização popular suficiente que obrigasse o presidente a renunciar ou mesmo, em última instância, através de alguma acusação qualquer tentasse um impedimento, seriam ínfimas, diria impossível.”

    Nesses dois parágrafos você faz uma tosca correlação. A saber: Aqueles que aprovam o atual governo seriam incapazes de discordar do que esse governo faz. Eu mesmo considero o governo Lula razoável em termos econômicos. Consideraria um pouco melhor se tivesse legado à posteridade alguma reforma estrutural importante. Mas não fez.

    O governo Lula não caiu por acomodação da oposição atual e das forças democráticas como a imprensa e afins. Tivesse ocorrido pelo menos metade do empenho dessas forças que houve para a dissolução do governo Collor, o PT já teria sido dissolvido há muito tempo de sua condição de partido político, suas lideranças estariam encarceradas e o presidente Lula já teria sofrido impeachment — ou, até mesmo, sido preso.

    “Mesmo porque, voltando às agremiações, o lado patronal não é lá contra o Lula não. Uma parte sim, mas outra não. Aí significa que você não teria nem a força do povo do teu lado, nem muito menos a outra força, a do poder econômico dos donos dos meios de produção.”

    Eis aí um dos reflexos da mentalidade econômica do empresariado brasileiro: O Patrimonialismo bancado com dinheiro público. É um tanto triste ver um partido como o PT, que sempre se declarou como uma força de progresso no quesito patrimonialista, ter aderido quase que totalmente à essa prática nefasta que muito tem de responsabilidade pelo atraso brasileiro. É esse o resultado que um país colhe quando se afasta dos valores do liberalismo. E depois vem delegado brasileiro pedir para ganhar o mesmo salário da alta cúpula policial de uma das principais capitais da maior potência econômica do mundo.

    A geração de riquezas no Brasil já é tão ineficiente e ainda aparecem segmentos profissionais querendo ganhar aquilo que o próprio país é incapaz de produzir.

    Enfim…

    Até!

    Marcelo

  22. Jorge said

    Marcelo Augusto, voce estudou na rede pública do fundamental e médio? Alguem da tua família é professor? Voce acha que o governo de SP deve comprar apostilas para professores e alunos, sendo que já existe o programa nacional do livro didático. Voce é favorável que um professor faça seleção, seja aprovado e depois de um ano fique 200 dias letivos sem poder lecionar mesmo que a rede precise de professores da matéria dele? É isso que o paulo renato criou. que beleza, não é? a mídia esconde isso criminosamente.

    Voce não pode ser tão inocente. Toda negociação começa com um índice alto, para depois ser negociado. É básico. O governo de São Paulo não negocia. Então, chega a ser criminoso acusar a Apeoesp do que quer que seja.

    Quem representa os professores? o paulo renato? a veja, a globo, a folha, ah, sim, esses sim representam os professores. Ah, agora entendi, voce que não é professor diz quem representa os professores. Desejo de autoritarismo.

    Marcelo, voce ainda não me respondeu se acredita que a ficha falsa da Dilma que a folha publicou é verdadeira? E então, a folha publicou ficha falsa da Dilma ou não? Foi apenas incompetência ou má fé?

    Quem destrói a educação, destrói a democracia e o futuro do Brasil. E quem se omite diante disso por conveniências eleitorais é nocivo também. A educação em São Paulo é um calamidade, o psdb governa São Paulo desde 1994. Não adianta quererem fingir que o partido e sua despolítica não são responsáveis por isso. É criminoso querer culpar os professores pelo descalabro tucano.

  23. emerson57 said

    tem razão,pax.
    sarney e temer, não sei qual dos dois é pior…
    ainda acho que lula tolera essa gente em nome do bem maior.
    agora, que é dureza, isto é.

  24. Pax said

    Segundo deixam a entender, Lula até tentou tirar o Temer. E não conseguiu.

    Se é fato ou não, não sei dizer. Mas quase 100% certo que será o vice de Dilma.

    Agora preciso aprender a rezar, pois sou ateu. Mas, com certeza, rezarei pela saúde de Dilma. Imagina o vice assumindo em caso de algum problema com a eventual presidenta.

    E, de outro lado, espera a definição do vice de Serra. Tempos atrás chegou-se a aventar a hipótese do José Roberto Arruda. É, este mesmo que passa uma temporada no spa da Polícia Federal lá em Brasília.

  25. Olá!

    “Marcelo Augusto, voce estudou na rede pública do fundamental e médio? Alguem da tua família é professor? […]”

    Eu venho da classe média baixa e meus pais sempre se esforçaram ao máximo para pagar um colégio particular para mim. Podia não ser a melhor escola da cidade, mas pelo menos sempre havia aulas e os professores não faltavam. Mas, bem mais do que isso, foram os livros que meus pais me deram para que eu pudesse estudar em casa e cultivasse esse valor da leitura.

    Minha irmã é professora da rede pública em uma região remota do estado onde moro. Ela ficou aterrorizada quando viu os professores de São Paulo queimando material de ensino, pois na escola onde ela leciona, faltam materiais básicos, como giz, cadeiras em bom estado, merenda, livros extra-classes e coisas tais.

    “Voce acha que o governo de SP deve comprar apostilas para professores e alunos, sendo que já existe o programa nacional do livro didático. […]”

    Leitura nunca é demais. Idem quando o assunto é material de leitura. Apenas nos diga uma coisa, Jorge: Pelo fato de haver o Programa Nacional do Livro Didático, você considera que isso é motivo para que os professores queimem material de ensino?

    “Marcelo, voce ainda não me respondeu se acredita que a ficha falsa da Dilma que a folha publicou é verdadeira? E então, a folha publicou ficha falsa da Dilma ou não? Foi apenas incompetência ou má fé?”

    Não sei os detalhes dessa publicação da folha corrida da Dilma Rousseff. Se a ficha é verdadeira ou não, honestamente, eu não sei. Porém, uma coisa é certa: Independentemente dessa ficha criminal da Dilma Rousseff, a Dilma se envolveu com grupos terroristas, na época da ditadura militar brasileira, tendo como objetivo a instalação de um regime ditatorial ideológico, feroz e capaz de eliminação em massa das opiniões dissonantes. Foram esses grupos que colocaram explosivos em bancas de jornal, pontos de ônibus e aeroportos. Essa esquerda revolucionária, armada, terrorista e guerrilheira faz parte da história da Dilma Rousseff — e esses esquerdistas não pensavam em democracia coisa nenhuma. Eles queriam um regime autoritário ao estilo cubano-soviético.

    A Dilma Rousseff é responsável, em parte, pela situação de pessoas como o Orlando Lovecchio Filho. E ele é apenas uma das vítimas da esquerda terrorista da qual a Dilma participou.

    O problema é que o Lovecchio não tem como pedir uma indenização justa ao Estado brasileiro, já que os esquerdistas, que perpetraram o ataque terrorista que o prejudicou, não representavam esse Estado. E aqui vem a parte mais tosca dessa história: Esses mesmos esquerdo-terroristas, que colocaram o Lovecchio na situação em que se encontra, hoje, recebem generosas indenizações por terem sido perseguidos pelo regime militar, enquanto que o Lovecchio recebe míseros R$ 500,00 por mês.

    Vamos esperar o Emir Sader escrever alguma ode aos esquerdistas dessa época.

    Sei lá, mas esses esquerdo-terroristas bem que poderiam ter feito como o Marco Aurélio Garcia: Ele se auto-exilou na época da ditadura militar brasileira e, hoje, posa por aí de perseguido pelos militares e coisas tais. Talvez, poderiam, até mesmo, pedir indenizações por perseguição.

    Essa é a nossa esquerda.

    Até!

    Marcelo

  26. Olá!

    Bem que poderiam perguntar para a Dilma Rousseff o que foi feito com o dinheiro do cofre do Adhemar.

    Até!

    Marcelo

  27. emerson57 said

    imagino quanto sucesso voce faria no blog do tio rei !!!!

  28. Mona said

    O blog do tio só tem espaço para uma estrela: o próprio (e com razão, hehehe…).
    Constelações, apenas em outros blogs. Como este aqui, por exemplo.

  29. André said

    E qual o projeto do Governo Federal que é MELHOR que esse? Ou que oferece uma idéia NOVA, diferente e que solucione o problema?

    No DF, por exemplo, o maior problema do ensino público (assim como acontece na saúde) é a FALTA. Os professores pedem licença, conseguem atestados médicos… tudo, menos ficar em sala de aula.

    Aí querem fazer greve pra ganhar mais salário! Está errado.

    Eu só tenho aumento se produzo mais e melhor. Nunca com greve.

    Mas as pessoas querem o benefício do funcionalismo público (estabilidade especialmente), mas querem remuneração de escola particular!

    Porque os competentes professores da rede pública não buscam emprego nas escolas particulares?

  30. Pax said

    André,

    Não me lembro de ter dito que existe um projeto melhor. O que afirmei é que somente este projeto não resolve o problema da Educação.

  31. André said

    Pax,

    um projeto é melhor que projeto NENHUM.

    Mas concordo com vc que somente isso não resolve a questão.

    Pena que o Governo Federal se recuse a dar um passo, ao menos, nesse sentido.

    E o Governo de SP, apesar das críticas, está tentando.

    E só para esclarecer a dúvida do Jorge, que acha que a greve foi movida não por questões eleitoreiras, eu não trabalho para o PSDB, nem para partido nenhum.

    Não tenho simpatia especial por nenhum candidato. E trabalho, inclusive, prestando serviços para o governo federal.

    Abs,

  32. Carlão said

    Pax
    E agora que o Serra fez o discurso de candidato, delineando o futuro programa de seu futuro governo.
    Algum coisa que preste?

    inté

  33. Pax said

    Carlão,

    Ainda não li o discurso. Tá no site do PSDB. Lerei, com certeza, e te respondo.

  34. Carlão said

    Pax
    Facilito o seu trabalho:
    http://colunistas.ig.com.br/luisnassif/2010/04/10/o-discurso-de-serra-2/
    Vamos comentar oportunamente.

  35. Pax said

    Carlão,

    Li com calma o discurso, copiei num arquivo Word, marquei em azul e vermelho os principais pontos. Em azul os pontos onde acho que ele toca em pontos corretos e Serra teria moral para falar sobre eles e em vermelho os pontos onde acho que Serra, pela história ou dele ou do PSDB, não têm tanto a dizer.

    Vou tentar colocar tudo num post. Não sei quando, aqui tá duro o tempo.

  36. Pax said

    André,

    Um projeto é melhor que nenhum, claro que sim. Mas, segundo informações que foram divulgadas, Educação não é a melhor bandeira do PSDB. Haja vista o Estado de São Paulo.

Faça seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: