políticAética

Notícias da Corrupção, Desvios, Anomalias, Eleições e Meio Ambiente

  • Sobre o blog

    Uma coletânea das notícias da corrupção, desvios, anomalias, eleições e meio ambiente que aparecem na mídia todos os dias a partir de agosto de 2008.
  • Categorias

  • Arquivos

  • Páginas

  • Meta

O fim do PT e do PSDB

Posted by Pax em 06/04/2010

FHC com Joaquim Roriz, Dilma com Garotinho, Sérgio Guerra com Yeda, Serra com Quércia, Lula com Sarney, são alguns de vários exemplos que se pode elencar para afirmar que PT e PSDB chegaram ao fundo do poço e ambos não tem vontade alguma de mudar.

No atual jogo do poder nacional os principais partidos da situação e da oposição se sentem obrigados a montar alianças suspeitas, apoiar correligionários envolvidos em escândalos e toda sorte de abandono da ética e moral.

Em pleno ano eleitoral situação e oposição desviam a discussão de propostas para o país para elogios a políticos de quinta categoria e acusações mútuas de bandidagem generalizada.

Ontem tivemos mais um aperitivo da baixaria que esta campanha se transformou, exibindo ao povo brasileiro a baixíssima categoria de nossa classe política.

Do lado da situação a candidata Dilma querendo mostrar valentia, ao lado do ex-governador Garotinho, lotado de suspeição em toda sua vida política, disparou que seu concorrente é um “lobo em forma de cordeiro”. Do outro lado quem foi o porta-voz da baixaria foi o presidente do PSDB, o mesmo que batalhou árduamente para preservar a governadora Yeda Crusius do RS também lotada de suspeição em seu mandato, afirmando que aceita a disputa do debate ético, cobrando o famoso “dossiê dos aloprados” e a biografia do tesoureiro do PT, Joao Vaccari Neto e seu envolvimento nas acusações do caso Bancoop.

Dilma e Serra, FHC e Lula, Sérgio Guerra e José Eduardo Dutra, os grandes nomes atuais do PT e PSDB, desistiram de qualquer encaminhamento moral em sua atuação no ano eleitoral. Decretaram o vale-tudo da baixaria generalizada demonstrando enorme desrespeito com quem gostaria de discutir os rumos políticos do Brasil.

O que interessa é tão somente a discussão de poder pelo poder, da formação da quadrilha que assaltará a nação pelos próximos quatro anos.

Nem Dilma nem Serra vencerão as eleições presidenciais de 2010. Serão as alianças que manterão suas propriedades em ministérios de estatais com o único objetivo de desviar dos cofres públicos o futuro do país, tirando das escolas, hospitais, segurança pública e infraestrutura nacional.

Triste.

Anúncios

8 Respostas to “O fim do PT e do PSDB”

  1. Jorge said

    é o circo do horror. contudo, creio que é preciso cobrar responsabilidade do judiciário, que deveria expurgar da vida pública rapidamente políticos envolvidos com corrupção, etc. depois, é preciso aprovar o financiamento público de campanha para coibir o caixa 2.

  2. Pax said

    Jorge,

    Quem dera todos os simpatizantes do PT fossem iguais a você. Parabéns pela tua postura cara.

    Quem dera todos os filiados ao PT fossem iguais ao Elias também.

    E quem dera o PT e o PSDB resolvessem se juntar e expurgar os cânceres das alianças e tumores internos dos seus partidos.

    Você já imaginou que país poderiamos ter? Imagina um PMDB virando pó e o DEM desaparecendo? (aliás, este último já está em vias de)

    E você já imaginou esses outros partidecos que acabam virando donos de alguns ministérios perdendo força?

    Não acho que devemos ter somente 2 partidos, não mesmo, mas que tenhamos partidos sérios e não essa bandidagem generalizada que tomou conta do jogo político.

  3. O direito de comparar
    (publicado na revista Caros Amigos)

    A mídia conservadora menospreza o tom plebiscitário das eleições presidenciais porque tem horror a promover um confronto direto entre os resultados dos governos FHC e Lula. Embora a imensa aprovação ao petista represente um julgamento público que jamais estaria dissociado de méritos administrativos, seu caráter subjetivo permite atribuí-la parcialmente ao carisma ou à índole populista do mandatário. Já as estatísticas são perigosas, pois menos permeáveis a contaminações ideológicas de qualquer espécie.
    Por isso há tamanho esforço para omitir os dados existentes ou diluí-los em amostragens de longa duração. A previsível tendência evolutiva dos grandes períodos atenua as particularidades das gestões, conferindo base pseudocientífica à falácia de que elas foram semelhantes e indissociáveis. O passo seguinte é adotar o discurso oposicionista contra a “malandragem de Lula”, não apenas para roubar-lhe a discutível glória de superar seu medíocre antecessor, mas porque, em 2006, a candidatura de Geraldo Alckmin ruiu no momento em que o impopular FHC foi trazido ao debate.
    A tentativa de desqualificar as comparações é uma estratégia antidemocrática para empobrecer a campanha eleitoral em favor da candidatura do PSDB. O golpe visa neutralizar um elemento fundamental da definição do voto, mais importante ainda quando a escolha envolve continuidade e ruptura, personificadas por partidos adversários, que protagonizaram governos sucessivos. Excluída a possibilidade de cotejar experiências administrativas, restam demagogias, ataques pessoais e falsas reputações fabricadas pelos tendenciosos veículos de São Paulo e Minas Gerais.
    A imprensa viola suas prerrogativas constitucionais quando sonega informações cruciais para o exercício da cidadania. O eleitor tem o direito de conhecê-las, e só ele pode julgar sua relevância.

  4. iconoclasta said

    “Sérgio Guerra com Yeda…também lotada de suspeição em seu mandato”

    eu hem?! o guerra não é o presidente do partido cujo a governadora é membro? suspeição?

    vem cá, o moluscão já superou há muito este papo de suspeição, fosse pouco os 10 contos da Dusseldorf e outra jogaditas, a mudança da lei das comunicações é uma vigarice sem par…

    eu concordo, deixar de comparar obras e sem-vergonhices é estúpido, só precisa de alguém com um tikim de memória e capacidade de discernimento…

    “vou te contar, que os olhos já não podem ver, coisas que só coração pode entender…”

    ;^/

  5. Pax said

    Iconoclasta,

    Se você acha que a Yeda é santa, não dá nem para começar a conversa. Ou, talvez, você ache que o Joaquim Roriz seja o político mais limpo do Brasil.

    Pois é, a tal questão de só olhar para um lado desvirtua mesmo as cabeças, deixam de ser iconoclastas e passam a ser iconófilos, cheios de ícones religiosos… tipo, se é do meu lado, então é santo.

    Não, não são.

  6. iconoclasta said

    “Se você acha que a Yeda é santa, não dá nem para começar a conversa.”

    eu acho???

    que mané achar, leia de novo…depois, quem sabe?, dê para começar a pensar em conversar…

    ;^/

  7. Pax said

    Você questionou se há suspeição com relação ao governo da Yeda, iconoclasta. Leia de novo o que escreveu. E, sim, o Sérgio Guerra foi um tanto aguerrido na defesa desta governadora que envergonha.

  8. iconoclasta said

    “Você questionou se há suspeição com relação ao governo da Yeda, iconoclasta.”

    não, sábio blogueiro, não foi nda disso, eu apenas considero absurda a comparação.

    eu acho q vc esta de sacanagem, pois me parece inverossimil q um alfabetizado, com acesso a pelo menos 3 refeições diárias, tenha tanta carência de discernimento. mas, ok, não me custa muito.

    yeda = suspeita .

    doutora dilma = CV falso + pactóide+…ahha, suspeita dossiê Dna. Ruth e FH.

    moluscão = Dusseldorf + OIBRT

    entendeu? fatos > suspeitas…

    ;^/

    ;^/

Faça seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: