políticAética

Notícias da Corrupção, Desvios, Anomalias, Eleições e Meio Ambiente

  • Sobre o blog

    Uma coletânea das notícias da corrupção, desvios, anomalias, eleições e meio ambiente que aparecem na mídia todos os dias a partir de agosto de 2008.
  • Categorias

  • Arquivos

  • Páginas

  • Meta

Campanha desceu a ladeira

Posted by Pax em 05/06/2010

Nos últimos dias a campanha presidencial de 2010 desceu a ladeira da baixaria com os principais candidatos. Trocaram a discussão do Brasil pelas acusações de qual é a pior opção.

Os principais jornalistas da blogosfera alimentam esta decadência institucional atrás de público fácil. Salvam-se raríssimas exceções. O futuro já condenou o atual modelo das empresas de comunicação à morte e a forma que estes veículos encontram de comprar um pouco de tempo é estimular péssimos profissionais ao exercício da desinformação e prática do que há de pior com o tratamento do que é notícia. Uma pena.

Com relação aos partidos a situação ainda é mais grave. Ao acompanharmos os presidentes dos dois principais em disputa, pelo Twitter, PT e PSDB, a decepção chega ao extremo. Parecem crianças mimadas sem qualquer conteúdo além da última fofoca da tia de plantão na venda ou salão de beleza.

Inacreditável é a incapacidade de leitura dos anseios da sociedade. O projeto Ficha Limpa, mesmo com a tentativa de estupro feita pelo senador Francisco Dornelles, é a grande mensagem passada pelo povo que não aguenta mais tanta corrupção e baixaria na política nacional. E como os nobres partidos e candidatos respondem a este desejo inequívoco? Com mais baixaria.

A terceira colocada nas pesquisas, Marina Silva, mesmo se salvando deste triste espetáculo, ainda não encontrou um discurso convincente, que se enfraquece ainda mais pelo partido que necessita uma faxina nacional que sustente uma proposta moralizadora de fato. Some-se a isso a questão religiosa que a atrapalha, com um posicionamento transcendente e um discurso imanente de mundo. Sua última declaração contrária à união homossexual, movida por sua convicção religiosa, foi um tremendo tiro no pé da campanha. De novo, uma pena.

Resta olhar para os pequenos candidatos. À esquerda as expressões mais conhecidas seriam, no meu entender, o candidato do PSTU, Zé Maria e o candidato do PSol, Plínio de Arruda Sampaio. À direita o candidato que surge é o Mario Oliveira, que aparece como quarto colocado nas intenções de voto na última pesquisa Sensus em Minas Gerais, como ele ressalta na entrevista concedida ao site Congresso em Foco.

Zé Maria, do PSTU, faz duras críticas ao governo Lula em seu Twitter. Algumas de seus posts por lá:

Depois de destinar dezenas de bilhoes às grandes empresas, o governo corta investimentos na educaÇao e na saude. Uma vergonha.

A Dilma ja esta ai, propondo mais anos de trabalho antes da aposentadoria. No mesmo dia em que as Centrais governistas declaram apoia-la.

Fica cada vez mais claro o que seria um governo Dilma. E também o capachismo dos dirigentes destas Centrais Sindicais.

Plínio de Arruda Sampaio, do PSol, também faz críticas ao governo Lula e à esta baixaria instaurada na campanha, em seu Twitter:

Sobre a reforma agrária: O governo cortou nossa meta pela metade e não executou nem a metade.

Sobre a baixaria na campanha: Não estou discutindo quem tem razão, mas a pobreza do debate, que deixa os assuntos sérios para trás.

Debater não é acusar. É chamar sua atenção sobre o fato de que ambos estão sonegando suas posições sobre os problemas do povo.

Por enquanto, pelo visto, o jeito é torcer para que a decisão do TSE sobre o projeto Ficha Limpa seja pela aplicação imediata da lei sancionada ontem por Lula e já valha para estas eleições, deprezando a canalhice do artifício semântico de Francisco Dornelles, do PP de Maluf, vale ressaltar.

Obs.: destacar candidatos alternativos talvez seja uma forma de protesto pelo caminho que a campanha tomou na última semana. Quem sabe se as próximas pesquisas venham a indicar mais votos para outros candidatos e opções e assim os principais descubram que suas campanhas precisam de acertos profundos? Como na fábula do beija-flor no incêndio da floresta, não custa levar uma gota d´água no bico.

Anúncios

28 Respostas to “Campanha desceu a ladeira”

  1. Patriarca da Paciência said

    Acho que nós temos que parar com essa história de que qualquer resposta mais contundente é “baixaria”.

    Política é assim mesmo, seja aqui ou na China. Principalmente Democracia.

    Arruaças acontecem na França, nos Estados Unidos, na Inglaterra, em Formosa, na Coréia do Sul, em Singapura etc. Todos os dias os telejornais estão cheios de fatos “pitorescos”.

    Mas brasileiro tem essa história de querer ser mais realista que o rei.

    É isso aí, meus amigos. O que temos que ter é vidraça forte para aguentar as pedradas.

    Baixaria mesmo são os “e-mails” que circulam pela internet a respeito do Lula e da Dilma. Baixaria da pior qualidade! E existe a suspeita que partem de assessores do candidato Serra!

    E tanto o Lula, como a Dilma, ficam cada vez mais fortes!

  2. Pax said

    Caro Patriarca,

    Insisto em afirmar que é baixaria, sim. Acompanhe os twitters do Zé Eduardo e do Sérgio Guerra e me diga se não estou correto.

    A campanha mal havia começado a discutir questões como reforma política, reforma tributária, segurança pública, educação etc e passou a discutir fofocaria da pior qualidade. O que isto interessa ao Brasil?

    Não acredito que este caminho adotado traga qualquer coisa de boa para as eleições. O que interessa é compromisso, o que interessa é ver quão dispostos e preparados os candidatos estão sobre os temas que realmente determinarão os rumos do país a partir de janeiro do ano que vem, onde os eventuais governos colocarão seus focos.

    O resto não passa besteirol absolutamente desnecessário e improdutivo, ou seja, baixaria.

    Em eleições passadas, quando campanhas descambaram para baixaria, elegemos o Collor. Lembra?

  3. Patriarca da Paciência said

    Eu acho que a Dilma tem apresentado seus pontos de vita de forma brilhante, mas a parte adversária insiste em só ver “tropeços” na candidata, (inclusive o nosso caro Villas)
    então, fazer o quê?

    Então é isso, temos que “cantar a nossa canção, embora muitos ouvidos sejam surdos”.

    Quem tiver algo para apresentar, que apresente!

    O eleitorado é muito mais inteligente do que julga a vã filosofia dos políticos, jornalistas e “formadores de opinião”.

  4. Pax said

    Patriarca,

    Concordo com tua última frase, que o eleitorado é mais inteligente que muitos supõem.

    A expectativa da oposição era que Dilma não se sustentasse sem a presença de Lula e não foi isso que aconteceu. Já disse aqui, pode ter dado um ou outro tropeço mas nada comprometedor. Mais que isso, tem mostrado capacidade de aprendizado político, para infelicidade da concorrência.

    Villas é um dos pouquíssimos analistas políticos que não caiu nessa baixaria dos dossiês. Ele bate no governo? Sim, quase todos os dias, mas isto faz parte, acredito eu. É uma das tais raríssimas excessões de analistas políticos que merece ser lido.

    Outro dia estava conversando com um amigo da área, falando exatamente deste assunto. A opinião dele é que hoje há tanta opinião que fica difícil escolher quem ler. Tempos atrás tínhamos três ou quatro analistas políticos respeitados, podiam ter posicionamentos, ser chatos ou o diabo, mas todo mundo os lia. Hoje temos muitos e poucos são respeitados, a não ser por suas torcidas, aliás, bem bobinhas essas torcidas, pra lá de infantis, na minha opinião.

    E vou concordar mais uma vez contigo, há fortes indícios que a oposição se desespera pela falta de um grande discurso que motive o eleitorado e com os últimos resultados das pesquisas de intenção de votos. Mas este é um problema desta oposição que ainda não achou um rumo e muito menos uma unanimidade, nem na base aliada e muito menos dentro do próprio PSDB.

    A questão do vice para o Serra já incomoda um bocado, a cada santo dia aparece uma notícia, verdadeira ou não, que existe mais esta ou aquela possibilidade. A última agora é o Álvaro Dias do PR, mas já tivemos Aécio, Dornelles, Jereissati, Sérgio Guerra, Kátia Abreu e até o diabólico Arruda foi ressucitado naquele famoso vídeo do “compre um careca e leve dois”. Fora os que esqueço neste momento. O fato é que não há um vice para Serra e o boato é que parece que ninguém quer o desafio.

    Dilma não, Dilma já tem um que é bem ruim e é isto mesmo. O que fazem é tirar a importância dessa questão, e fazem muito bem em levar por este caminho, porque Temer e atraso parecem sinônimos que não devem ser ressaltados na campanha da situação. Melhor abafar mesmo.

  5. Patriarca da Paciência said

    É meu caro Pax,

    você é um dos poucos titulares de blog que procura manter a mente aberta, o que é bastante louvável.

    Muitos blogs de esquerda são também fechados em suas posições, mas creio que isso é resultado da atitude totalmente maniqueísta dos blogs “liberais”, o que é uma enorme contradição.

    É aquela história de “a cada ação, corresponde uma reação…”

    Eu também respeito muito o caro Villas, mas acho que ele tem exagerado em seus elogios ao candidato Serra e críticas à candidata Dilma.

    No mais, sinceramente, concordo, em grande parte, com as posições que você defende.

  6. Jorge said

    acredito que o principal é manter o critério. A crítica implacável se vale para um deve valer para o outro no caso dos analistas políticos. Infelizmente não é isso que vemos, com a mídia sendo profundamente crítica em relação a Dilma e profundamente complacente em relação ao Serra. Basta ver a história dos “tropeços”. Bem, se a Dilma tropeçou o que seria correto dizer de Serra, que no último semestre viu sua diferença em relação a Dilma desaparecer cerca de 35%? Não foi um tropeço, foi uma tombaço, um capote…Chega a ser patético o comportamento da imprensa para qualquer leitor minimamente informado. Por outro lado, a midia, ao cair nesse maniqueismo induz os políticos a praticá-lo vigorosamente, ao invés de criticar sua conduta.

    Daí porque eu concordo com o Pax, mas, infelizmente vejo o origem disso na mídia brasileira rebaixou o debate político brasileiro, o colocou no esgoto.

  7. Pax said

    Obrigado caro Patriarca e caro Jorge,

    Crítica é o que mais faço, dentro dos limites do que entendo como responsável. E quero, ou tento, como todos aqui, que sejam em função do bem comum. Acredito muito mais no coletivo que no individual. Acredito que a sociedade é a única chance aceitável de mudar o que há de ruim.

    Mais que isso, este pequeno e desprezível espaço é uma válvula de escape e uma forma, acima de tudo, de aprendizado.

  8. Jorge said

    Fazendo minha leitura habitual na internet, encontrei o que realmente vale discutir:

    A 3a geração das políticas sociais, segundo Marina
    Enviado por Luis Nassif, em 05/06/2010 – 11:51
    Do Estadão

    Marina propõe unir todos os programas sociais do País – politica – Estadao.com.br
    WELLINGTON BAHNEMANN – Agência Estado

    A pré-candidata à presidência da República pelo Partido Verde (PV), a senadora Marina Silva, propôs hoje a integração dos programas sociais da União, Estados, municípios e iniciativa privada por meio de um cadastro único, aproveitando-se da base de dados do programa Bolsa Família. A proposta, batizada de “3ª Geração de Programas Sociais”, tem como objetivo a “inclusão produtiva das pessoas” na sociedade. “Além dos benefícios, os programas sociais precisam permitir que as pessoas passem de beneficiários para protagonistas”, disse Marina, em coletiva de imprensa realizada hoje na capital paulista.
    http://www.advivo.com.br/luisnassif/

  9. Pax said

    Este é um bom ponto. Os programas assistencialistas, Jorge, tem que ter uma “válvula” de saída, seja pelo caminho da Educação como pelo caminho de oportunidades de emprego.

    Emprego não parece ser nosso maior problema atualmente, mas Educação sim.

    E se quisermos um grande Brasil, que tudo tem para isso, é o ponto onde deveríamos, acho eu, colocar todas nossas fichas, todo nosso esforço.

  10. Patriarca da Paciência said

    Eu, sinceramente, acho a dona Marina uma pessoa digna, mas não é a pessoa mais indicada para ser presidente.

    No Brasil ainda há muitas crianças famintas, muitos adultos em situações deploráveis, adolescentes se prostituindo e outras tantas mazelas.

    Reduzir os programas brasileiros a programas ambientais seria uma verdadeira calamidade.

    Eu não tenho nada contra o batráquio raro que vive em florestas que podem ser alagadas. Vamos salvar o batráquio, mas que construamos a hidrelétrica.

    Então, precisamos mesmo são de projetos que contemplem todos os setores, sejam industriais, comerciais, agrícolas, pecuários, ferroviários, rodoviários, hidroviários, agropecuários etc. Há um campo enorme para o Brasil crescer. Ficar criando entraves burocráticos seria um enorme desserviço.

    Acho que a Dilma tem todas as condições para levar à frente a grande marcha iniciada pelo Lula.

    Agora, se dona Mariana declarar apoio à Dilma, é ótima notícia.

  11. Zbigniew said

    Esse imbróglio do suposto dossiê é um exemplo de como se faz política no país. Os grandes meios de comunicação fazem o famoso “lobby” para contribuir com este estado de coisas. Um levanta a bola pro outro.

    Vejam que o caso do dossiê começou pela notícia da publicação de um livro que conta a história das privatizações no país (querem que essa fase do país seja tão intocável quanto à da ditadura). Foi o suficiente para que o “stablishment” midiático pró-Serra partisse para o contra-ataque.

    A internet, com o Graeff e os blogs de esgoto a serviço do PSDB sempre tiveram uma atitude de confronto e desqualificação. E agora ainda mais, com as proximidades do pleito.

    Nunca recebi um email falando mal do Serra. São sempre hoaxs sobre a Dilma guerrilheira, a Dilma seviciada por guerrilheiros, o bolsa-marginal, A Dilma que matou o filho de um sargento, o filho do Fábio Jr. falando entregando o pai por falar mal do Lula.

    Falar em baixaria apenas pelas trocas de mensagens “mimadas” via twitter entre o Sérgio Guerra e o Dutra é simplificar uma situação que, a toda prova, foi incrementada pelo PSDB. É só ver o banner no site deles que acusa “gente que mente”. Esse é o nível? Chamar o adversário de mentiroso?!

    A verdade é que a candidatura Serra não decolou. Está estacionada na casa dos trinta por cento, com a ajuda providencial dos institutos de pesquisa “oficiais” da candidatura. E, o mais significativo de tudo isto, a Dilma tem conseguido uma performance que não se esperava.

    Esta é a linha da candidatura da oposição. É esse grupo de pessoas que cercam o Serra e que, se ele ganhar a eleição (queira Deus que isto não ocorra!) vai ajudá-lo a governar o país.

  12. Patriarca da Paciência said

    Pra falar a verdade, eu não vi a Dilma cometer uma única baixaria e, quando o Agripino tentou levá-la a isso, respondeu com a maior dignidade, o que deixou o senador totalmente sem ação.

    Falam que o PT tem bastante dinheiro para a campanha. Por acaso o PSDB é franciscano?

    São tudos umas acusações sem pé nem cabeça.

  13. Zbigniew said

    Aí na seção de cartas da Veja, o Onézimo, personagem imporante na reportagem “bomba” do panfleto, assim se manifesta (repercutido no Nassif):

    ” Casa do Lago Sul
    Como advogado militante, por força de dispositivo legal, sou obrigado a manter o devido sigilo sobre as conversações havidas com clientes, potenciais clientes ou qualquer outra pessoa que busque os meus serviços profissionais, independentemente da aceitação ou não dos trabalhos requeridos. Não sendo assim pertinente nenhuma referência ou informação de minha parte quanto ao assunto abordado na reportagem “Ordem na casa do Lago Sul” (2 de junho), informo jamais ter estado no endereço indicado. Confirmo apenas ter sido sondado a prestar assessoria àquele escritório, não tendo aceitado por divergir cabalmente quanto à metodologia e ao direcionamento dos trabalhos a ser ali executados.
    Onézimo Sousa
    Advogado
    OAB-DF 13.600″

    E aí um dos comentaristas arremata:

    “Então um dos supostas participantes das supostas reuniões em supostos endereços de Brasília, supostas reuniões essas de onde saiu decidido a confecção de um suposto dossiê supostamente “dilmo-petista” contra Serra (isso tudo segundo uma reportagem “bomba” da Veja repercutida aos quatro ventos na Globo, sempre ela) está simplesmente desmentindo a revista?
    O que o Sérgio Guerra vai dizer agora?”

    Pela “credibilidade” da Veja, eu apostaria no desmentido.

  14. Pax said

    Esse caso do dossiê é sintomático da baixaria. Os veículos e jornalistas que entram jogam neste patamar, ou seja, baixo. Esta é minha firme opinião. Pelo que li do Villas tanto no post como na sua participação nos comentários, o velho mestre também concorda.

    A questão do Meio Ambiente, Patriarca, é um tanto maior que salvar um batráquio endêmico. Recentemente vimos o escândalo do Mato Grosso onde foram presas pessoas do governo, do legislativo, do judiciário, todos, segundo o noticiário, envolvidos em produção de guias falsas de exploração da madeira em áreas de conservação e reservas indígenas. Neste caminho a gente vira deserto, em última instância. Como me envolvo com a questão posso te dizer que é assunto como enxugar gelo. Não dá para parar de pedalar. No fundo acho que tanto a situação como a oposição devem é namorar com a candidatura do PV desde logo. Supondo que a situação atual permaneça, que é, sim, uma possibilidade, o PV e Marina serão importantes no segundo turno. Bater nesta campanha dentro do jogo da baixaria não me parece produtivo (que aliás, não é o que você faz no teu comentário acima).

    Concordo que temos que investir em energia, em transporte, em infraestrutura em geral, ainda mais sabendo que o nosso futuro já está presente, chutando a porta. Mas esquemas como estes montados em MS, de novo, segundo o noticiário, devem ser combatidos com vigor. E aí volta ao ponto do parágrafo acima, supondo um segundo turno, quem tiver o apoio da Marina vai levar uma fatia do eleitorado que pode ser decisivo.

    Ontem saiu um artigo do Elio Gaspari muito bom sobre o estado do tucanato, que ele resume no título “O tucanato está tonto e zangado”. Procurem por aí que acham fácil. Em resumo diz que Serra entrou na campanha (atrasado, diga-se) parecendo Tancredo e agora tá igual a Collor. Ainda segundo o Gaspari, neste caminho, a campanha da oposição afunda, como afundou a campanha da Hillary nas prévias em que Obama levou.

    Em resumo, parece que o tiro do dossiê vai acabar ferindo o pé do tucano que poderá, desta forma, deixar de voar. É uma possibilidade.

  15. Zbigniew said

    Pax, não se trata de mera baixaria. O Ribeiro Jr. é amigo do Aécio. Depois do “Pó parar Governador?” do Mauro Chaves, pro mineiro, a vingança é prato que se come frio.

  16. Pax said

    Essa história não conheço Zbigniew, você pode me atualizar?

  17. Zbigniew said

    Leia aqui: http://www.viomundo.com.br/voce-escreve/os-poroes-da-privataria.html

    E aqui: http://www.estadao.com.br/estadaodehoje/20090228/not_imp331197,0.php

  18. emerson57 said

    bom dia, pax.
    cheguei tarde ao debate.
    opinião:
    acho que a importância que se dá para a marina é demasiada.
    quem é o eleitor de marina?
    a meu ver é uma classe média medianamente informada que desistiu do psdb e não quer se misturar com os “corintianos” do pt.
    acredito que na hora da eleição muitos vão debandar, preferencialmente para a dilma.
    marina é candidata de si própria. abandonou o pt porque perdeu espaço. perdeu espaço porque não soube enxergar o que estava em jogo. ficou presa nas suas idiosincrasias e perdeu o rumo do bem maior.
    marina é “bala” para o futuro.
    vai depender de quem ela apoiar.
    abraço.

  19. Carlão said

    Pax
    sugiro a eleição de @exilado como o melhor humorista anti Dilma Roussiê em 2010:
    A onésima explicação dos petistas

    Bom humor acima de tudo!
    Chega de baixarias!
    E para atualizar os comentaristas acima:
    Deu na FSP:
    http://www1.folha.uol.com.br/poder/746942-delegado-reafirma-que-jornalista-pediu-investigacao-sobre-jose-serra.shtml

  20. Zbigniew said

    Para os incautos, que gostam do auto-engano como forragem de uma “realidade” que passa bem longe da factualiade, por isso acreditar em factóides e nos veículos que os propagam:

    Por Ricardo R.(do blog do Nassif)

    A Nova Estratégia Aloprada da Velha Mídia e de Serra: O “Livro-Dossiê”A matéria de o Globo online mostra bem como eles (os estrategistas da velha mídia em conlúio com oss estrategistas de Serra) devem ter passado o final de semana e a segunda feira tentando bolar um discurso no qual pudesse finalmente citar o jornalista Amaury Ribeiro Jr. e seu envolvimento nessa história.

    Até hoje a noite, esconderam o jornalista da história, pois o conteúdo de seu livro era (e é) destruidor para ca candidatura de Serra.

    Pois bem: a estratégia suja desta velha imprensa e dos serristas é chamar o livro de Amaury Jr. de “livro-dossiê”, acusá-lo de fazer parte da campanha de Dilma e afirmar que o PT sabia da existência deste material contido no “livro-dossiê” desde 2009. Esta obra de pesudo-jornalismo merece ser estudada em profundidade, pois demonstra a que ponto chegou a velha mídia quando o assunto é esconder a realidade e defender os seus interesses, custe o que custar!

    Divirtam-se

  21. Carlão said

    Pax

    Reproduzo texto de blogueiro que não pode ser citado aqui, referente à interpelação judicial do PT contra Serra:

    Ao analisar os motivos que teriam levado Serra a fazer aquela afirmação, a interpelação do PT resolveu fazer uma leitura do resultado das eleições de 2006, recontando assim o passado. Leiam:

    Ao acusar Dilma, Serra tenta desestabilizar a campanha petista, a exemplo do que ocorreu em 2006, quando a candidatura de Aloizio Mercadante ao governo paulista foi abatida em meio ao escândalo dos aloprados. A idéia é reeditar o clima de 2006. Até hoje, tucanos creditam a vitória fácil de Serra em 2006 à descoberta de uma operação para compra de dossiês contra o partido. A aparição de dinheiro destinado à compra também beneficiou Geraldo Alckmin, então candidato ao Planalto.

    O leitor não se assuste que não terá cometido nenhum erro de interpretação. A interpelação petista quer dizer rigorosamente o que vai acima: Serra estaria atuando de modo similar ao que fez em 2006, quando, segundo o documento, “a candidatura de Mercadante foi abatida em meio ao escândalo dos aloprados”. Observem que o texto não contesta que o tal escândalo tenha existido. Ao contrário: chega a lembrar que o próprio Lula batizou aquela canalha de “aloprados”, embora pertencessem quase todos à sua cozinha política e à sua churrasqueira moral.

    A interpelação é um documento precioso de um tempo da política brasileira, em que aos petistas tudo é permitido, inclusive posar de vítimas enquanto confessam abertamente um crime. Eles não negam as ações dos “aloprados”, como se pode constatar. Mas insistem na tecla de que foram os principais prejudicados.
    A tese fabulosa é a seguinte (exposta em primeira pessoa):
    1 – nós, petistas, tentamos mesmo armar contra eles em 2006;
    2 – deu tudo errado;
    3 – a gente quebrou a cara, e nosso candidato ao governo de São Paulo se deu mal;
    4 – a gente acha que Serra acabou beneficiado;
    5 – logo, isso nos torna vítimas e inocentes e faz do Serra o beneficiário indireto da nossa ação destrambelhada, o que é expressão de sua… (do Serra) culpa
    !

    “EFEBEAPÁ PURO”, como diria o saudoso Stanislau Ponte Preta!

  22. Zbigniew said

    Nada mais certo do que disse o Eduardo Guimarães no seu blog, no final do post “Porque a Mídia insiste no Dossiê”:
    (…)
    “O objetivo do vasto noticiário sobre o suposto dossiê não é o de desgastar Dilma junto ao eleitorado, mas o de desacreditar as denúncias sobre os negócios de Serra com Daniel Dantas. O público alvo dessa campanha, portanto, não é o eleitorado, mas o livro de Amaury Ribeiro Júnior. A mídia e o PSDB acham que o PT ainda irá usar o que o livro mostra e, assim, tentam desacreditá-lo.”

  23. Pax said

    Carlão,

    Claro que o tal blogueiro pode ser citado aqui. Lá é que há restrições às opiniões alheias, aqui não.

    O que acho, de fato, é que enquanto ele e outros pseudoanalistas políticos forem os portavozes da oposição, a situação continuará a crescer e nadar de braçadas.

    Cada dia que passa vejo algum amigo meu dizendo que não aguenta mais essa turma como autofalante da oposição. Adorariam que gente menos histérica e tanto mais competente assumisse o discurso da oposição. Como não acontece, a sobrinhada reduz, se encolhe num canto cada vez menos expressivo e o governo fica solto, o que não é bom.

    Há que se ter gente competente apontando os erros de qualquer governo, diuturnamente, seja este governo qual for, de que lado for. Quando essa tarefa cai na mão de gente fraca, boba, a coisa só piora. Ou então, caso eu esteja errado, me aponte alguma das histerías que efetivamente surtiram efeito, por favor.

    Com relação ao que todo mundo insiste em discutir, eu insisto em afirmar: baixaria que não traz nada de bom.

  24. Mona said

    Pax,
    posso te dar um só exemplinho de “histeria” que deu um resultado danado: a análise arrasadora, em primeirissima mão, feita pelo Reinaldo Azevedo, que deflagrou toda a reaçao negativa ao PNDH e que resultou, recentemente, na proposta de alteração do decreto, sob a batuta do Lula.
    Acho que tem gente séria apontando erros do Governo e apontando erros dos partidos que lhe dão sustentação, vide cartões corporativos, escândalo do Bancoop, atos não-publicados do Senado, a negociata da BrOi, as constantes infringências à lei eleitoral – que já renderam umas 4 multas ao presidente (fato inédito na república )e por aí vai. Mas, também, existe toda uma reação a esses apontamentos, que normalmente começa assim: “mas o Presidente tem 85% de popularidade…”, ou, “isso é um factóide…”, ou ainda, “o PIG quer desestabilizar o governo…”, ou, “o TSE é golpista”.
    Como se a popularidade do Lula justificasse tudo o que ele faz, fez ou fará; como se os pontos evidenciados carecessem de importância;como se a imprensa não estivesse no seu papel de investigar, denunciar, vigiar, fiscalizar (coisa que foi feita em todos os governos, é só pegar as capas das revistas dos períodos do Sarney, Collor, do FHC).
    O que temos, então, é um governo composto por pessoas especializadíssimas em vivenciar aquele slogan do Lobão (o cantor, não o ministro):”peidei, mas não fui eu”.

  25. Pax said

    Cara Mona,

    Para você ver, quando escrevi meu comentário acima pensei nos mesmos exemplos como contrários ao que você diz. Cada um de nós tem uma visão das coisas.

    O caso do PNDH3 é um excelente exemplo. Me lembro de ter lido uma histeria do tipo: “Pegamos os caras” ou coisa parecida, chilique dessa magnitude, de tia de plantão no salão de beleza que não tem mais o que fazer na vida.

    Explico um pouco melhor. O responsável pelo PNDH3 hoje manda menos que moleque de recado. Sumiu. Tentou fazer bonito e estrumou seu próprio caminho com as extravagâncias à além do que o plano deveria ter tratado, que em essência não diferia muito do proposto pelo governo FHC. Aí as tias quiseram atribuir a Dilma todas as besteiradas da Secretaria de Direitos Humanos. Foi ou não foi? Agora deixo somente uma pergunta para tua reflexão: pegou? As pesquisas de intenção de votos de dezembro passado para cá tiraram votos de Dilma? Ou foi o Serra quem caiu? Fatos. Não vamos além dos fatos..

    Insisto, quem hoje é porta-voz da oposição faz mais mal que bem o que tenta fazer, exatamente por falta não só de substância, apesar de todo rococó, como por falta de competência política mesmo.

    Entre nós, que ninguém nos ouça, vou te contar uma discussão que tive recentemente, com gente muito antenada em política, vou repetir, MUITO antenada: “se ao menos o PSDB usasse o que tem de melhor, como por exemplo o Fruet do PR…. etc etc”.

    E veja, caríssima, acredite porque é verdade, o assunto em pauta era que o melhor para o Brasil seria que a oposição fosse melhor. Believe it or not.

  26. Carlão said

    Pax
    A Mona está coberta de razão.
    E vc parece ter perdido a razão ao afirmar: “E veja, caríssima, acredite porque é verdade, o assunto em pauta era que o melhor para o Brasil seria que a oposição fosse melhor. Believe it or not”.
    Segundo seu raciocínio, a culpa pelo subdesenvolvimento moral do Brasil é da Oposição (leia-se PSDB e DEM).
    A Situação (leia-se PT e PMDB) não é responsável por nada.
    Lula é inimputável porque tem altos índices de aprovação popular.
    Mas quando o PT era a Oposição, a culpa era da Situação (leia-se PSDB e PFL, atual Democratas).

    Believe it or not.
    I don’t. That’s not truth.

  27. Dossiê é detergente

    Funciona assim: contrato alguém para espionar a mim mesmo, descobrir segredos que possam interessar aos adversários. Aparece uma lista de capivaras incômodas e a partir de então ficamos atentos. Assim que os farejadores alheios puxam aqueles rabichos, e antes que possam organizá-los em alguma investigação compreensível, saímos a público denunciando que estão a elaborar um maldoso dossiê. Para provar, até divulgamos o assunto. Sempre que aparece aquela suspeita, reagimos com indignação democrática, devolvendo o prejuízo à imagem dos “arapongas”.
    Qualquer campanha a prefeito de cidade mediana tem sua equipe de contra-informação. A maioria é formada por jornalistas (quem disse que o diploma não serve para nada?), mas há também publicitários, ex-policiais e aspones em geral. Eles se conhecem, é um meio relativamente fechado. E não há ingênuos: repórter ou analista que cobre eleições para grande veículo e nega a existência desses grupos em todos os partidos está sendo mentiroso. Para entender o alcance da estrutura a serviço de José Serra, basta realizar uma pesquisa rápida nos arquivos de qualquer jornal, procurando menções a Serra, à Polícia Federal e a Marcelo Itagiba. Isso vem de longe e não deveria mais causar espanto.
    Talvez o PT esteja correto em sua estratégia de tratar o caso como histeria de perdedor. Mas, precisando, pode partir das próprias denúncias preventivas da Veja, que levantou a lebre e misteriosamente “esqueceu” de averiguá-la. É batata.

  28. Pax said

    Caro Carlão,

    Acho que você teve uma interpretação completamente diferente do que quis dizer.

    Ao você afirmar

    Segundo seu raciocínio, a culpa pelo subdesenvolvimento moral do Brasil é da Oposição (leia-se PSDB e DEM).

    você parece insinuar que eu tenha afirmado que a culpa é do PSDB e do DEM?

    Então deixa eu ser menos ambíguo e bem direto: Não, em absoluto, não disse isto.

    O que disse, e vou repetir, é que não faz bem ao país não ter uma forte oposição. Sem tê-la a situação nada de braçadas, sem ser questionada efetivamente onde deve ser.

    No caso em específico, do PNDH3, a histeria de alguns chegou a aventar a possibilidade que Dilma cairia, que, segundo esses pseudoanalistas afirmavam, o projeto teria passado pela Casa Civil, e como Dilma era a ministra de lá, então … etc. Entraram numa viagem transcendental ridícula. Você acompanhou a histeria toda.

    Como disse para a Mona: deu em quê mesmo?

    E isso se repete e repete. O que acontece é que a questão fica tal e qual a fábula dos porquinhos com o lobo, ou seja, o dia em que há lobo, ninguém mais acredita.

    E há lobos, para todos os lados… seja dos gregos como dos troianos.

    Aqui tento colecionar exatamente para não esquecer disso, que há lobos gregos, lobos troianos e lobos de toda a especie. Corrupção, meu caro, é um mal generalizado. Muito infelizmente.

Faça seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: