políticAética

Notícias da Corrupção, Desvios, Anomalias, Eleições e Meio Ambiente

  • Sobre o blog

    Uma coletânea das notícias da corrupção, desvios, anomalias, eleições e meio ambiente que aparecem na mídia todos os dias a partir de agosto de 2008.
  • Categorias

  • Arquivos

  • Páginas

  • Meta

Dilma 39, Serra 34, Marina 7, Datafolha 0

Posted by Pax em 31/07/2010

Ibope confirma Vox Populi, questiona Datafolha e indica para Serra a necessidade de achar uma agenda positiva para sua campanha. O efeito Indio não demonstra ser um bom caminho.

G1: Ibope mostra Dilma com 39% e Serra com 34% na corrida pela Presidência
Marina Silva aparece com 7% das intenções de voto.
Margem de erro é de dois pontos para mais ou para menos.

A candidata Dilma Rousseff (PT) lidera com cinco pontos percentuais à frente de José Serra (PSDB), segundo pesquisa Ibope de intenção de voto para presidente da República divulgada nesta sexta (30) pela TV Globo. De acordo com a pesquisa, Dilma tem 39% das intenções de voto; José Serra (PSDB), 34%; e Marina Silva (PV), 7%.

O Ibope ouviu 2.506 eleitores com mais de 16 anos em 174 municípios de segunda (26) a quinta (29). A margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos. Isso quer dizer que Dilma pode ter entre 37% e 41%; José Serra, entre 32% e 36%; e Marina Silva, entre 5% e 9%.

Continua no G1…

Anúncios

55 Respostas to “Dilma 39, Serra 34, Marina 7, Datafolha 0”

  1. Olá!

    Pax, você acaba se aproximando daquelas pessoas que, entre fevereiro e março deste ano, colocaram o mesmo DataFolha em dúvida pelo fato de ter concluído em uma pesquisa que o José Serra havia voltado a subir um mês após ter mostrado que a Dilma Rousseff havia encostado nele.

    Você dar nota zero ao DataFolha pelo simples fato de sua última pesquisa não ter confirmado o que os outros dois institutos observaram, acaba lhe aproximando ainda mais dessas pessoas.

    Pesquisas de opinião são assim mesmo, Pax.

    Até!

    Marcelo

  2. Patriarca da Paciência said

    A verdade é muito doída para certas pessoas, por isso elas vão se enganando, ao mesmo tempo em que vão tomando doses homeopáticas da realidade.

    A própria Folha, nas notas explicativas, deu larga vantagem para a Dilma.

  3. Pax said

    Caro Marcelo Augusto,

    Passando um pouco ao largo do que você ou quem quer que seja queiram acusar o blog ou a mim disto ou daquilo…

    1 – já disse inúmeras vezes que vi e vejo alguns problemas na campanha do Serra

    2 – um deles foi de postergar a decisão de se lançar candidato no final do ano passado (problemas dele, do PSDB etc…)

    3 – Dilma, apoiada por Lula, saiu do zero e ganhou fôlego

    4 – Serra começou, então, no início do ano, bem. Elogiando o governo e anunciando que teria algumas propostas diferenciadas, uma delas para segurança (o tal novo ministério), a questão da saúde que ele tem chão percorrido como dois bons exemplos.

    5 – neste início Serra cresceu

    6 – logo depois entrou a questão da escolha do vice que foi uma novela dantesca que ninguém em sã consciência pode dizer que foi bom para a campanha. Mostrou além de uma confusão na base aliada, outra ainda pior, interna no PSDB. Foi um bate-cabeça que se tornou público e fragilizou a posição do Serra.

    7 – em paralelo Serra permitiu (sim, permitiu..) que vozes histéricas tomassem o papel de seu alter-ego, ou seja, tudo que ele não falava deixava que outros falassem, tipo jornalistas que perdem cada vez mais credibilidade etc. Além de alguns políticos que, no meu entender, fazer o papel de bobos da corte. Um bom exemplo aqui é o tal cantor fracassado de ópera.

    8 – Serra entrou neste embalo, achou, em minha opinião, que partir pra campanha da baixaria teve boa repercussão. E juntou-se com alguns cardeais do PSDB.

    9 – A gente tem que lembrar que o maior partido aliado do Serra tem uma imagem um tanto comprometida. Daria para montar este quadro da seguinte forma: (a) a herança do ACM, que, vamos combinar, é tudo menos o que podemos dizer ou chamar de probidade, de lisura no ambiente político – neste item soma-se a questão muito forte do problema do Arruda no DF, (b) outro lado é o lado catarinense, dor Bornhausem, que representam o louvor ao passado, ao regime dos coturnos e cassetetes e (c) um terceiro também fragilizado que são dos mamões das tetas dos financiamentos rurais que ainda pegou uma carona ruim na tal reforma do Código Florestal, assunto em pauta e absolutamente criticado por uma enorme maioria da sociedade.

    10 – Chegou o homem das flechas, um ilustre “Quem?”. E chegou puxando seu arco e soltanto setas para todos os lados, como que tivesse um histórico e base para aguentar uma briga de cachorro grande.

    11 – O blog levantou uma tese e vem falando nela já faz um tempo: este caminho, da baixaria, da agenda negativa, é ruim para a campanha do Serra.

    12 – As últimas pesquisas divulgadas na semana passada divergiram muito, uma dava 8 pontos de vantagem para Dilma e outra dava 1 ponto de vantagem para Serra. Disse, só ver nos posts abaixo, que seria uma semana de discussão sobre os institutos.

    13 – Agora sai uma terceira pesquisa que confirma o crescimento de Dilma. De certa forma apoia a tese que baixaria é ruim para o Serra e questiona, sim, o método utilizado pelo Datafolha.

    É isso, nada mais que isso, sem nenhuma teoria da conspiração nem nada. Um simples amador tentando analisar a política e levantando as questões para um debate entre os comentaristas. Nada além disso. Não, não sou petista, não sou filiado, não recebo nenhuma bola pra escrever o que escrevo etc etc.

    Sim, me perguntaram em quem vou votar. Então vou confessar meu voto: votarei em alguém que defenda a social democracia.

    (ok, os três candidatos defendem… isto posto, a sorte está lançada, que vença o melhor, ou, como já afirmei, acho que entre Dilma e Serra ganhará mais por uma questão de quem vai errar menos que por uma questão de quem vai acertar mais).

    (parêntesis dois: fosse eu trancaria no armário os amaluquetes dos dois lados, tipo Indio, Bob Jefferson, Dirceu, Genoino e traria pra frente do palco gente como o Gustavo Fruet, o Eduardo Cardozo etc).

    (parêntesis três: se eu estivesse no sapato do Serra, tentaria colocar de novo na frente da sua campanha a agenda positiva, e até permitiria os ataques por alguns de seus alter-ego, mas trocaria o alvo… ao invés de tentar provar que Lula, Dilma e o PT são traficantes de drogas – um despautério que não vai dar em nada, de novo -, apontaria para a questão do mensalão que, segundo farto noticiário, era operado pelo Dirceu etc. E se eu estivesse nos sapatos de Dilma, planejaria tudo para colar cada vez mais a imagem de Lula em sua campanha e permitiria os ataques para a imagem do ACM, da Yeda Crusius, Azeredo, do Arruda etc – afinal, se é pra jogar, que sejam, ao menos, profissionais, o que não está me parecendo muito).

  4. Jorge said

    com o apoio dos indiotas demotucanos e internéticos, Dilma deve ganhar no primeiro turno.

    e vamos lembrar que o dono do ibope fez campanha aberta para o serra até dia desses, dizia que Dilma não tinha a menor chance, hehehehehehehe… Até agora que tem acertado em todas é o Vox Populi, o resto vem atrás confirmando. Datafraude ficou desmoralizado de vez.

    Quem sabe o Uribe, depois que deixar a presidência, não virá ao Brasil participar da campanha do Serra. Os dois vão poder atacar o chaves e o Lula juntos, hehehehehehehe, vai ser um grande sucesso entre os indiotas, hehehehehehehehe….

  5. Patriarca da Paciência said

    Fiz um comentário que mandei para o post errado, transcrevo aqui:

    O problema do Serra e, que ele parece ser incapaz de perceber, é o desrespeito para com os brasileiros.

    Serra pensa no povo apenas como algo “manipulável”, que se deixa levar por isso ou aquilo. O “medo” da Regina Duarte é a prova incontestável disso.

    Acho que o principal para o Serra é aprender a ter respeito pelo povo, mas já é muito tarde para isso.

  6. emerson57 said

    emerson57 Diz:

    31/07/2010 at 11:52
    pax,
    concordo com a nota zero para a “foia”
    com a internet os grandes “fabricadores” de opiniões vão caindo um a um.
    não conseguirão mais fazer presidentes como no passado.
    não elegerão mais os seus maiores clientes / amigos.
    e isso é um alento para a democracia.

    por outro lado, serra cai nas pesquisas também por isso que está no blog do brizolinha:

    Brizola Neto Comentários (10)
    Vale lucrou em três meses mais do que ela custou
    quinta-feira, 29 julho, 2010 às 23:55

    O dia em que este país for, de novo, do povo brasileiro, ao menos a memória dos homens que entregaram, de mão beijada, a imensa riqueza do povo brasileiro representada pela Vale vai fazer companhia à de Joaquim Silvério dos Reis na galeria dos grandes traidores da brasilidade.
    Saiu agora á noite o resultado semestral da Vale e só no segundo trimestre do ano ela deu lucros líquidos – líquidos! – de R$ 6,63 bilhões ou US$ 3,75 bilhões.
    O valor é mais que os US 3,3 bilhões pelos quais ela foi vendida pelo Governo Fernando Henrique Cardoso.
    Tentei, inutilmente, nesta legislatura, abrir uma CPI sobre esta privatização criminosa.
    Se conseguir se eleito, volterei á carga no ano que vem. E no outro, e no outro e no outro e enquanto eu puder.
    Posto aí em cima um videio, da insuspeita Veja, para que todos saibam, da boca do próprio Fernando Henrique Cardoso, quem foi o grande incentivador deste crime de lesa-pátria.
    o filme vale a pena e está aqui:

  7. Olá!

    Pax, não me leve a mal, mas você demonstra uma ingenuidade incompatível com a sua idade.

    Vamos aos seus argumentos.

    “1 – já disse inúmeras vezes que vi e vejo alguns problemas na campanha do Serra”

    OK! Já havia reparado isso também. Mas, nos diga: É apenas na campanha do José Serra que há problemas?

    Por exemplo: A participação de pessoas ligadas aos círculo internos da campanha de Dilma Rousseff na fabricação de dossiês contra a atual oposição e contra membros do seu alto escalão também não seria um desses problemas? O fato de haver ligações dessas pessoas com a quebra do sigilo fiscal do vice-presidente do PSDB não seria um indício de problemas também?

    Por quais motivos olhar para apenas um dos lados, Pax? Isso soa muito parecido a indignação seletiva.

    “2 – um deles foi de postergar a decisão de se lançar candidato no final do ano passado (problemas dele, do PSDB etc…)”

    Ora, o José Serra buscou postergar ao máximo o lançamento da sua candidatura exatamente para evitar entrar em choque com o presidente Lula, que tem uma boa avaliação popular.

    “3 – Dilma, apoiada por Lula, saiu do zero e ganhou fôlego”

    A tendência era essa, Pax. Era natural que a Dilma Rousseff ganhasse espaço.

    “7 – em paralelo Serra permitiu (sim, permitiu..) que vozes histéricas tomassem o papel de seu alter-ego, ou seja, tudo que ele não falava deixava que outros falassem, tipo jornalistas que perdem cada vez mais credibilidade etc. Além de alguns políticos que, no meu entender, fazer o papel de bobos da corte. Um bom exemplo aqui é o tal cantor fracassado de ópera.”

    Quem seriam esses jornalistas, Pax? Você poderia citar os nomes dessas pessoas?

    “8 – Serra entrou neste embalo, achou, em minha opinião, que partir pra campanha da baixaria teve boa repercussão. E juntou-se com alguns cardeais do PSDB.”

    Não seria interessante discutir o mérito de quem começou primeiro a baixaria, mas o pessoal do PT tem uma boa parcela de responsabilidade nesse quesito. A fabricação de dossiês foi, ao que indicam os fatos, o passo inicial nessa direção.

    O seu blog sequer se posicionou a respeito dos dossiês, assunto que você nem trouxe ao blog de tão imbecilizado ao seu ver. Como você afirmou:

    “3.c – agora estão em cima do tal dossiê, assunto que nem trouxe ao blog de tão imbecilizado que achei, já são quase dois meses em cima do assunto que um disse que o outro ouviu que o terceiro entendeu… putzgrila, como o Serra permite que os babaquaras dêem o tom que acaba aparecendo nas capas de jornal e nos telejornais todos os dias.”

    Na opinião do Pax, a quebra do sigilo fiscal de uma pessoa, a fabricação de informações falsas para fazer terrorismo eleitoral e o desrespeito aos direitos do cidadão são coisas imbecilizadas.

    Pax, não me leve a mal, mas fico completamente incrédulo ao ver você, uma pessoa inteligente e mais vivida, se posicionar de maneira tão tosca sobre assuntos importantes, que são os pilares do país e dos direitos das pessoas. Se avacalharam com os direitos desses personagens políticos, então, poderiam avacalhar com os direitos de qualquer pessoa. O caseiro Francenildo que o diga.

    “9 – A gente tem que lembrar que o maior partido aliado do Serra tem uma imagem um tanto comprometida. Daria para montar […].”

    Nesse parágrafo você questiona o antigo PFL, atual Democratas, e a ligação dele ao antigo regime militar, bem como a herança deixada por tal partido. Se você for analisar, praticamente nenhum partido deixou alguma herança que prestasse em termos de reformas estruturais. Um dos poucos que fez isso foi o PSDB com o Plano Real, que conseguiu fazer a reforma monetária e estabilizar a economia, condições essenciais para que o Brasil vivesse o atual o momento. É um fato.

    Se o Brasil tivesse posto em prática o que os partidos de esquerda pregavam até um tempo atrás, hoje o país seria uma completa catástrofe. Ou você se esqueceu da moratória da dívida externa, da sabotagem que tentaram fazer em cima do Plano Real, da expulsão do capital estrangeiro e do FMI? Qual herança teria saído disso, Pax?

    “13 – Agora sai uma terceira pesquisa que confirma o crescimento de Dilma. De certa forma apoia a tese que baixaria é ruim para o Serra e questiona, sim, o método utilizado pelo Datafolha.”

    Esse questionamento quanto ao método do DataFolha é algo que não dispõe de fatos e dados suficientes que o comprovem. Você pode questioná-lo apenas no espaço das suposições, mas nada além disso. Demonstrar tal questionamento é algo para o qual não há informações suficientes que permitam fazê-lo.

    Das três pesquisas feitas até o momento, a do DataFolha foi a que utilizou o maior espaço de amostras. Foram 10800 amostras. Na pesquisa Vox Populi foram 3000 e nessa última do IBOPE foram, mais ou menos, 2500.

    O espaço amostral do DataFolha é 3.6 vezes maior do que o espaço amostral do Vox Populi e, mais ou menos, 4.3 vezes maior do que o do IBOPE. Talvez, essa seja uma das razões pelas quais o DataFolha obteve resultados diferentes em relação aos demais institutos — sem contar os métodos que são diferentes.

    Seria interessante saber se os resultados obtidos pelo Vox Populi e o IBOPE iriam se manter caso o espaço amostral de ambos fosse igual ao espaço amostral do DataFolha.

    “(parêntesis três: se eu estivesse no sapato do Serra, tentaria colocar de novo na frente da sua campanha a agenda positiva, e até permitiria os ataques por alguns de seus alter-ego, mas trocaria o alvo… ao invés de tentar provar que Lula, Dilma e o PT são traficantes de drogas […].”

    É uma simplificação tremenda. Ninguém quer colar no PT, no Lula e na Dilma a imagem de que eles são traficantes de drogas. O problema é um tanto mais sério: Há ligações do PT com as FARC e outras entidades que buscam, invariavelmente, derrubar o poder político local legalmente estabelecido.

    O PT repudia ou não o que essas organizações praticam? O PT repudia ou não os valores que elas pregam e seus métodos? Por quais motivos há essas ligações?

    Veja aqui o que disse, no Twitter, o André Vargas sobre a ligação do PT com as FARC. Transcrição (grifos adicionados):

    “Não temos ligação,voce acha que se tivessemos ligação com as FARC o INDIO E SUA TRIBO estariam ou sequestrados ou mortos.Rsss

    Então, Pax, você considera essa uma declaração que repudia os valores e métodos que as FARC utilizam para chegarem aos objetivos delas? Você, Pax, considera que essa declaração repudia o sequestro, a tortura, a execução e a prisão como métodos para atingir um determinado fim?

    Imaginem se fosse um membro do PSDB que tivesse dado declaração semelhante, o Pax já estaria afirmando se tratar de um erro tático da campanha, que a campanha do José Serra se deixou pautar por jornalistas histéricos sem credibilidade e coisas desse tipo.

    Além do mais, há os problemas sociais que o tráfico de drogas traz ao Brasil, principalmente no quesito segurança pública. As FARC possuem uma relação direta com isso e como o PT possui ligações com as FARC, então, que esclareçam os fatos, ora.

    Até!

    Marcelo

  8. Olá!

    Isso aqui vale um comentário em separado:

    “Sim, me perguntaram em quem vou votar. Então vou confessar meu voto: votarei em alguém que defenda a social democracia.

    (ok, os três candidatos defendem… […].”

    Aos fatos, Pax: Dos três partidos que estão disputando a presidência, apenas o PSDB foi capaz de fazer reformas que modernizaram o capitalismo brasileiro. Nesse quesito, o que veio depois foi apenas uma continuação dos ditames estabelecidos no governo anterior.

    Em um outro post aqui do blog, houve uma interessante discussão sobre a social-democracia européia, sobretudo as dos países escandinavos e da Alemanha, e os meios que tais nações utilizaram para chegar nesse nível de desenvolvimento, com pouca corrupção, Welfare State e etc.

    Os países escandinavos e a Alemanha conseguiram chegar aonde estão exatamente por terem adotado um modelo de economia em que há um elevado grau de liberdade econômica, permitindo ao setor privando atuar com maior fluidez, sem os entraves estatais e coisas deste tipo.

    Nesses países o grau de liberdade econômica é tão grande que permite que a livre iniciativa gere os recursos necessários para manter um Welfare State gigantesco. Não é o Estado que gera tais recursos, ele apenas os arrecada e os devolve à população na forma de serviços públicos, como educação e etc.

    Vejam uma tabela mostrando o grau de liberdade econômica dos países escandinavos e da Alemanha, juntamente com suas respectivas rendas per capita:

    País. . . . . . Lib. Econ. . . .Renda Per Capita

    Dinamarca. . . .77.90. . . . .U$ 36.845,00
    Finlândia. . . .73.80. . . . .U$ 36.195,00
    Islândia. . . . 73.70. . . . .U$ 36.902,00
    Suécia. . . . . 72.40. . . . .U$ 36.961,00
    Noruega. . . . .69.40. . . . .U$ 58.714,00
    Média. . . . . .73.44. . . . .U$ 41.123,40

    Alemanha. . . . 71.10. . . . .U$ 36.449,00

    Os dados são cristalinos: Nas sociais-democracias escandinavas e na Alemanha há elevados índices de liberdade econômica, o que permite que haja um setor privado dinâmico e eficiente na geração de recursos que irão sustentar a estrutura estatal de assistência ao cidadão (com serviços de educação, saúde e etc.), bem como permite que haja uma quantidade maior de recursos disponíveis nas mãos dos cidadãos desses países, como indica a renda per capita de tais países.

    Eis os dados do grau de liberdade econômica do Brasil nos últimos 16 anos:

    1995. . .51.4
    1996. . .48.1
    1997. . .52.6
    1998. . .52.3
    1999. . .61.3
    2000. . .61.1
    2001. . .61.9
    2002. . .61.5
    2003. . .63.4
    2004. . .62.0
    2005. . .61.7
    2006. . .60.9
    2007. . .56.2
    2008. . .56.2
    2009. . .56.7
    2010. . .55.6

    Notem que de 2003 até 2010 a tendência é de queda na liberdade econômica do Brasil.

    A pergunta que cabe fazer aqui é a seguinte: Você, Pax, considera que o PT e a Dilma Rousseff estariam dispostos a promover políticas que permitissem dar maior liberdade econômica ao Brasil, que permitissem maior fluidez ao setor privado e à livre iniciativa para que houvesse uma maior geração de recursos no sentido de bancar serviços públicos de qualidade?

    A Dilma Rousseff afirmou que defende o Estado forte e o próprio PT segue essa mesma onda.

    Durante o governo Lula, a liberdade econômica apenas caiu e o Estado ficou ainda maior. Já se fala, inclusive, na criação de mais estatais, como a Segurobras e a Adubobras.

    Um governo que dificulta a liberdade econômica e preza pela criação de mais estatais, acaba por defender a concentração do pode econômico nas mãos de poucos, bem como o uso político desse poder, o que acarreta, de maneira quase que inescapável, em corrupção. Sem dizer que tira do cidadão empreendedor a chance de encontrar um nicho de mercado que poderia enriquecê-lo.

    Até!

    Marcelo

  9. Olá!

    Isso aqui é risível:

    “O dia em que este país for, de novo, do povo brasileiro, ao menos a memória dos homens que entregaram, de mão beijada, a imensa riqueza do povo brasileiro representada pela Vale vai fazer companhia à de Joaquim Silvério dos Reis na galeria dos grandes traidores da brasilidade.”

    Claro, claro. . . todos se lembram como o Brasil era uma verdadeira Escandinávia tropical na época em que a Vale do Rio Doce era estatal, possuía um valor de mercado dezenas de vezes maior do que o atual, não era cabide de emprego para apadrinhados políticos, não dava prejuízos aos cofres públicos, possuía um elevadíssimo grau de eficiência e conseguia se capitalizar no mercado com muito mais facilidade do que hoje.

    Por acaso quando a Vale do Rio Doce era estatal o Brasil era um país rico? Heheheehehehe. . . imensa riqueza do povo brasileiro. Só podia ser brizolo-populista.

    “Saiu agora á noite o resultado semestral da Vale e só no segundo trimestre do ano ela deu lucros líquidos – líquidos! – de R$ 6,63 bilhões ou US$ 3,75 bilhões. [. . .]”

    Ué. . . mas a Vale do Rio Doce não era uma imensa riqueza exatamente quando era estatal? Então, por quais motivos a Vale privatizada de hoje dá lucros muito maiores do que antes?

    Vai entender essa gente!

    Até!

    Marcelo

  10. Zbigniew said

    Pax, permita-me a citação de um post lá do Tijolaço. Acho que vale a pena para reflexão em face dos argumentos apresentados:

    “Aquela frase que ficou famosa nas gravações telefônicas entre o então diretor do Banco do Brasil, Ricardo Sérgio, e o ministro Mendonça de Barros, quando da privatização das teles, no Governo FHC, parece ser a mais apropriada pela descrever o que está se passando com as pesquisas eleitorais do Datafolha.

    O resultado da pesquisa IBOPE divulgado hoje mostra que o braço estatístico do Grupo Folha perdeu, até mesmo, a solidariedade de seu mais importante congênere e, principalmente, do maior contratador de pesquisas do país, o grupo Globo.

    Afinal, houvesse confiança total nos resultados da pesquisa que contratou ao Datafolha – em parceria com a Folha de S. Paulo – porque a ainda rainha das telecomunicações empregaria, na mesma semana, outras centenas de milhares de reais contratando outra pesquisa de intenção de voto?

    Fica cada vez mais claro – até pela mudança de “método” estatístico que adotou em sua última pesquisa, usando uma distribuição de amostra que não é utilizada por nenhum instituto, nem o próprio Datafolha, até este levantamento – que seu resultados são construídos “sob medida” para dar fôlego à candidatura José Serra, ao menos até o início da campanha eleitoral pela televisão.

    Não há maneira, dentro de um procedimento estatístico correto, de haver tamanha diferença. Não se argumente que a margem de erro de 2% que permitiria que a vantagem de cinco pontos de Dilma no Ibope (39 a 34%) se reduzisse a 1% porque isso, além de ser, nas palavras da própria responsável pelo Datafolha, Sra. Renata Nunes, um “raríssima hipótese”, poderia justificar o raciocínio inverso, de que a diferença para 41 a 32%, nove pontos de diferença.

    Nem mesmo na mais generosa aplicação da tal “raríssima hipótese” os intervalos admitidos na pesquisa Datafolha são compatíveis com os do Ibope, menos ainda com os do Vox Populi. A menos que queira se acusar, como se fez a este último, de manipulação dos dados para favorecer a candidata de Lula, mesmo depois que o próprio presidente do Ibope, publicamente, viesse se declarando há um ano convencido de que Serra venceria e que Dilma teria um teto, progressivamente “reformado”, de 15, 20, depois 30%.

    A pesquisa Datafolha foi produzida para gerar um resultado desejado. Quem quiser olhar os dados detalhados do Datafolha (download em PDF, no final da página) facilmente perceberá o que se fez. A tal “ponderação das bases” é escandalosa.

    No Sudeste, há uma correspondência entre a base de entrevistas real e a ponderada (4672 entrevistas realizadas, ponderadas para 4756). No Sul, região mais favorável a Serra, a proporção é uma (2556 entrevistas realizadas ponderadas para 1634); no Centro-Oeste é outra (1060 entrevistas realizadas, reproporcionadas para 1572).

    No Nordeste, basta a aritmética. Pernambuco e Bahia, onde houve pesquisas estaduais, entram com 2174 das 2617 entrevistas realizadas. Os dois estados têm segundo o IBGE, 12,2% da população brasileira. Todos os demais estados nordestinos, que somam 15,4% da população nacional, foram mensurados por apenas 443 entrevistas, portanto. Ou uma amostra de 67.720 pessoas por entrevista.

    O Distrito Federal, com 1,3% da população, teve 706 entrevistas. Os demais estados do Centro-Oeste e do Norte , com 14,4% da população brasileira, portanto, ficaram com 354 entrevistas. Uma entrevista para cada 75.140 pessoas.

    No Sul, das 2556 entrevistas, 2440 foram feitas no Rio Grande do Sul e no Paraná . Ficaram 116 para Santa Catarina, portanto. Uma entrevista para cada 52.741 pessoas.

    Claro que não se pode tomar mecanicamente bases amostrais diferentes e que, em pesquisa alguma haverá exatamente a mesma proporção se tomados segmentos isolados. Mas a simples observação das distorções representativas exibidas por este método “sanfona” – bases amostrais que esticam e encolhem de forma exuberante – não podem conduzir a resultados corretos.

    Mas podem conduzir a resultados desejados, certamente.”

  11. emerson57 said

    marcelo augusto,
    eu….ia lhe respondendo, mas affff cansei.

    aceite uma crítica:
    voce já foi um pouco mais coerente, mas seu comentário a respeito da vale está ridiculo.
    acredito até que se voce ler o que escreveu vai sentir vergonha da debilidade dos argumentos.
    reconheça que pelo menos foi bom para voce rever seu lider, o fhc, tambem conhecido como farol da alexandria, figura de triste lembrança.
    se essa criatura não fosse obstada pelos militares e outros patriotas, teria doado inclusive a petrobras (petrossauro) e junto o pré sal.

    marcelo augusto,
    quando leio alguns dos seus comentários, quer me parecer que marcelo augusto é algum pseudomino do reinaldo azevedo, tambem conhecido como tio rei, ou reinaldinho cabeção.

    abraço e bom fim de semana.

  12. HRP SUPER said

    É……a Dilma está deixando o PSDB na rabeira!
    Boas tardes convivas…..ainda em reuperação!
    Mais um mes e volto a atazanar o PAX, Pedro Doria, Darwin e cia!
    Zbi e Patriarca…..abração!

  13. Zbigniew said

    Um abraço HRP. Boa recuperação. Quer dizer que o Doria voltou? Bom saber.

    Não é bom ficarmos passivos quanto às pesquisas. Elas têm poder sobre o eleitorado e sobre as forças políticas. E olhe que para essas eleições estamos falando de um governo bem avaliado, certamente o mais bem avalidado da história do país.

    O que constata-se é que métodos podem ser manipulados. Métodos só são amigáveis para quem entende do babado. Pesquisas eleitorais não podem ser herméticas. Têm que ser auditadas.O Poder Judiciário e o Ministério Público precisam averiguar as pesquisas eleitorais. Uma sugestão é a utilização de um método padrão que fosse aprovado por todos os envolvidos ou por especialistas no assunto. Não é possível ficarmos a mercê da mudança de metodologias exclusivamente para esconder preferências ou adiar a realidade. Isto é desonestidade e não pode ser tolerada pela sociedade uma vez que pesquisa eleitoral faz parte do processo, sendo, inclusive, regulada a sua forma de dar publicidade neste período.

    Enquanto não formos maduros o suficiente para termos institutos realmente críveis a saída será a regulamentação das pesquisas e seus métodos pela lei.

  14. Patriarca da Paciência said

    Grande abraço HRP,

    Desejo de ótima recuperação.

  15. Carlão said

    O PAX anda fumando muito Carta Capital…mas não tragando é claro.
    Seus arrazoadaos temtam demonstrar uma re;ação de causa e efeito entre eventos não correlatos.
    Seqüencia histórica não configura causa e efeito.
    Se a amostra do Datafolha for realmente representativa do universo, os outros resultados são um absurdo, escondido entre intervalos de confiança e margens de erro. A esta altura é impossível afirmar.
    TODOS os institutos tem por hábito esconder seus “erros técnicos” nos votos “brancos e nulos” e na candidatura pesquisada e menos votada (no caso a Marina).Por que?
    Porque ninguém reclama e fica mais fácil explicar discrepâncias posteriormente.
    Lembrem-se das eleições da Colômbia, onde o candidato verde estava eleito e perdeu.
    Cabeça de Juiz, bunda de nene e urna eleitoral…tem que esperar o resultado.
    Qualquer pré julgamento é puro chute.Ou torcida disfarçada.

  16. Pax said

    Caro Carlão,

    Aproxime-se da realidade que você não conhece… eu não leio Carta Capital. Aliás, não leio revistas. Me informo pela internet, pela rádio CBN e pelos telejornais, o da BAND e da Globo. Mas a internet ganha disparado. E nem nela leio Carta Capital.

    Sequência histórica e causa-efeito? Bem, minha interpretação acima não foi ligando uma coisa com a outra, eu simplesmente fiz o relato que me veio à cabeça, com certeza pulando muitas coisas, sem me preocupar muito. E, segundo algumas análises que li aqui e ali, ou vi na tv, até acho que há alguns acertos. O maior deles, insisto, é a tal da tese que a campanha do Serra partir para a agenda negativa não lhe trará grandes vantagens. É nela que estou me concentrando e é onde acho que o Serra deveria mudar o rumo.

    Torcida disfarçada? Você já sabe em quem vou votar? Tem certeza absoluta?

  17. Jorge said

    Pax, não perca tempo com o Carlão, o mais provável é que ele seja caboeleitoral virtual, somente faz o serviço que mandam ele fazer. Ou então, trabalha para alguma firma terceirizada em São Paulo e está com medo do contrato não ser renovado se o Psdb perder.

  18. Pax said

    Caro Jorge,

    Não acho que seja perda de tempo. Estou explicando mesmo. Quem quiser pode me pedir explicações e eu, se o pedido for razoável, acho que tenho que dar. Também não me incomodaria se tivéssemos cabos eleitorais frequentando aqui, que não acredito ser o caso do Carlão, não mesmo. Se viessem cabos eleitorais a gente teria uma boa noção da qualidade dos candidatos, tão simples quanto isso, e até um pouco além: cabos eleitorais são pessoas, como advogados, engenheiros, comerciantes etc. Não vejo nada ilegal nesta atividade. O que vejo, isto sim, é um baixíssimo nível em atuação, na maioria dos partidos.

    O que incomoda são acusações infundadas.

    Exemplos:

    – dizer que minhas opiniões são baseadas em (a) ou (b), afinal eu tento trazer tudo que tenha alguma confiabilidade, de todos os lados, excluindo os radicais. O blog não vai entrar nesta linha radical, seja de que lado for.

    – afirmar minha decisão de voto. Já tomei a decisão que esta ficará comigo, não vou declarar.

    O que estou afirmando direto e reto: alguns jornalistas, analistas etc estão pautando a campanha do Serra com as baixarias. Elas existem? Existem sim, claro que sim, e tem pra todo lado. É a parte podre da política que invadiu todos os partidos, ao menos os grandes em disputa eu não tenho a menor dúvida.

    PT escapa disto: Não, um sonoro não. PSDB escapa disto? Outro sonoro não. Mas pior que o PT e o PSDB tem o PMDB e o DEM. Esta é a parte ruim da política. A sociedade vem dizendo que não quer mais isto. O Ficha Limpa é a concretização desta vontade popular. E a urna será o decreto final de cada cidadão nesta questão.

    Do meu lado afirmo que não vou votar em quem tiver problemas na praça. Aliás, até agora não sei porque o Portal Ficha Limpa http://www.fichalimpa.org.br ainda não registrou nenhuma inscrição. Será que não vai pegar?

  19. Pax said

    Aliás, passei o findes um pouco off line, e tem esta questão do dossiê PT vs PT – Mantega vc Berzoini.

    Não vou fazer um post na correria, mas acho que merece, sim.

  20. Mona said

    Pax,
    quanto mais leio os seus escritos, mais eu acredito na sua sincera busca pelo voto que lhe parece o mais acertado, embora eu perceba que haja um certo viés para o lado, digamos assim, mais “à esquerda” da atual conjuntura política, se é que faz algum sentido falar em direita-esquerda nessa celeuma ideológica atual.
    Eu acredito, piamente, que é no debate franco e não-automaticamente alinhado e na leitura crítica da realidade que nossas construções mentais vão se delineando: às vezes, podemos rever alguns posicionamento; às vezes, os argumentos utilizados na defesa de um posicionamento contrário ao nosso só faz reforçar nosso pensamento, em função das falhas ou desonestidades intelectuais evidenciadas.
    Tudo isso para dizer que a não-interdição do debate, por mais espinhoso que seja o tema, só nos favorece,a nós cidadãos, que suportamos com nossos impostos o palco político. Os papéis que os atores encenam nesse palco têm que ser bem analisados por nós; a dissecação de cada persona tem de ser realizada, a fim de que percebamos as tramas que cada um enreda. Essa trama, ao fim e ao cabo, é que vai determinar o tipo de sociedade que nos aguarda. Que país queremos? Que valores buscamos? Qual o projeto no curto, médio e longo prazo capaz de trazer um desenvolvimento sustentável e duradouro ao País e ao nosso povo? É interessante que boa parte da população miserável seja perenizada por meio de apenas uma ajuda de custo que não lhe proporciona mecanismos de emancipação dessa miséria?
    Afinal, proporcionar educação e qualificação à população é mais eficaz do que apenas apostar em programas de transferência de renda não-estruturantes? São questões que procurei entender desde que comecei a perceber os mecanismos de dominação material e mental que nos foram colocados ao longo de nossa existência enquanto nação. Quero um estado tutelador e paternalista ou um que me forneça os mecanismos para que eu possa me tornar um indivíduo capaz de sobreviver pelo meu esforço físico e mental?
    Perguntas e mais perguntas…
    A campanha política vai ter uma maior visibilidade agora, que vão começar os debates e os programas televisivos.
    (Por mim, só existiriam os debates, numa espécie de sabatina constante por parte da sociedade aplicada em cada um dos postulantes ao cargo máximo do executivo. Ademais, as campanhas seriam muito mais baratas e talvez diminuísse a corrupção envolvida nos esforços de financiamento dos candidatos.)
    Assim, que aqui apareçam e se manifestem os cabos-eleitorais, os acriticamente alinhados, os absolutamente independentes, os pragmático-apaixonados, os só pragmáticos, os só apaixonados (os militantes de antigamente), os niilistas, os irônicos, os cínicos. Quero que falem, falem à exaustão.

  21. Jorge said

    Mona, o serra é conhecido como vampiro, pois é parecido com o nosferatu do cinema, então, se ele vencer as eleições, satã irá governar o Brasil. Voce quer o diabo governando o Brasil?
    É evidente que discutir uma idiotice com essa que acabo de escrever não ajuda em nada o debate eleitoral. É isso que caboseleitorias virtuais e blogs de esgoto fazem: que discutamos mentiras e idiotices como se fossem assuntos sérios. Então, nada de catarse, discutamos temas sérios, com base na verdade, e que cada um pense bem antes de escrever. Senão é apenas lixo virtual.

  22. Patriarca da Paciência said

    “É interessante que boa parte da população miserável seja perenizada por meio de apenas uma ajuda de custo que não lhe proporciona mecanismos de emancipação dessa miséria?
    Afinal, proporcionar educação e qualificação à população é mais eficaz do que apenas apostar em programas de transferência de renda não-estruturantes? São questões”

    Esta é ja mais vergonhosa e aviltante desonestidade intelectual que a direita foi capaz de conceber.

    Como que uma pessoa, faminta e doente, poderá sair, “com suas próprias pernas”, para uma vida social aceitável, com o Estado apenas “reduzindo impostos e cortando custos”?

    O mínimo que o Estado tem que fazer é alimentar e curar essa pessoa, depois sim, exigir que ela seja também produtiva.

    Como “proporcionar educação e qualificação à população” apenas “reduzindo impostos e cortando custos?”

    Esse pessoal da direita tem uma lógica muito estranha. Faz tempo que peço que eles expliquem esse tipo de raciocício.

  23. Uma estratégia para Mercadante
    (publicado no “Amálgama”)

    As próximas movimentações da campanha de Aloizio Mercadante esclarecerão se ele está de fato empenhado em vencer a disputa para governador de São Paulo, ou se busca apenas fortalecer pretensões futuras (por exemplo, à prefeitura da capital). Caso planeje satisfazer as expectativas da militância, o senador dispõe de um repertório muito restrito de manobras.
    Seu desafio imediato, chegar ao segundo turno, é mais difícil do que parece. Como se sabe, Geraldo Alckmin (PSDB) possui vantagens quase insuperáveis: maior tempo de propaganda no rádio e na TV, apoio dos grandes veículos de comunicação e das maiores empresas do país, imensa estrutura administrativa, ocupada há quase duas décadas por quadros peessedebistas.
    Dadas as circunstâncias, a única maneira de minimizar esses trunfos nos poucos meses disponíveis seria unir esforços com a campanha de Dilma Rousseff, para benefício de ambos. Em outras palavras, trata-se de regionalizar o embate presidencial e identificar a candidatura de José Serra com a sucessão paulista.
    As pesquisas apontam ampla vantagem do tucano em São Paulo, cuja densidade populacional é suficiente para influir no contexto nacional. O adiamento da definição paulista ajudaria a encerrar as disputas presidenciais já no primeiro turno. Centrando esforços no front estadual, as campanhas petistas atingiriam a máscara de bom administrador que Serra exibe no resto do país. Expondo as fraquezas da hegemonia do PSDB paulista, minariam a vantagem de Alckmin, constrangendo-o a defender (ou, mais provavelmente, atacar) os desafetos de partido.
    Desunidos em São Paulo, como já estão em Minas Gerais e no Rio Grande do Sul, os tucanos caminhariam juntos para a derrota presidencial imediata. No segundo pleito, desgastado, Serra teria participação apenas protocolar na campanha de Alckmin. Ao mesmo tempo, Mercadante seria beneficiado pelo prestígio de Lula e Dilma.
    Mas, para tanto, petistas e aliados precisam tomar a iniciativa e atacar, impondo a pauta dos debates sucessórios. Tudo que Alckmin quer agora é uma campanha propositiva e enfadonha, que anestesie o eleitor até outubro.
    Temas não faltam para constrangê-lo: as atrocidades impunes da PM, a vergonha do sistema carcerário, as violências praticadas contra os menores da Fundação Casa (antiga Febem), as suspeitas no Rodoanel e no Metrô, o sucateamento do ensino público, as enchentes nas marginais paulistanas e, principalmente, os escorchantes pedágios que cercam as principais cidades do Estado. Aliás, é assombroso que alguém precise forçar a inclusão de escândalos dessas proporções na agenda eleitoral.
    Impera certa mistificação no meio político em torno da chamada campanha negativa. Basta que os ataques demonstrem respeito às demandas populares para conquistar a empatia do eleitorado. Denunciar adversários e esclarecer o público não exigem necessariamente uma comunicação pesada ou repulsiva. As peças audiovisuais criadas com esse fim podem assumir inúmeros formatos, da comédia à reportagem, passando pelo drama e até pela animação.
    Recursos técnicos e humanos não faltam. Mas haverá verdadeiro interesse dos personagens envolvidos?

  24. Olá!

    Não é à toa que, no Brasil, o presidente Lula é uma das inteligências mais brilhantes da esquerda. No PT, ele vem logo depois do Palocci. Querem ver? Observem:

    “Mona, o serra é conhecido como vampiro, pois é [. . .].”

    Viram? Pois, então. . .

    “Como que uma pessoa, faminta e doente, poderá sair, ‘com suas próprias pernas’, para uma vida social aceitável, com o Estado apenas ‘reduzindo impostos e cortando custos’?”

    É exatamente pelo fato de o governo ter direcionado a maior parte dos recursos de que dispõe para atividades que nada têm a ver com o seu verdadeiro papel, que existem pessoas vivendo sob condições brutais. Traço típico de países que nunca puderam viver nem absorver valores liberais, coisa que todos os países desenvolvidos do mundo, sem exceção, fizeram.

    Basta ver como o atual governo se vangloria da Petrobras e se mostra bastante acanhado quando o assunto é educação, saúde, segurança pública e etc. O governo não se gaba tanto desses setores quanto se gaba da Petrobras.

    Se a pessoa não recebe uma instrução educacional razoável, dificilmente estará equipada com as habilidades necessárias para obter sucesso no mercado de trabalho e, assim, os meios indispensáveis para se manter sem recorrer aos auxílios estatais.

    Se a saúde é colocada em segundo plano, o resultado é quase que inescapável: Haverá problemas generalizados nesse setor ao longo da sociedade e que serão mais fortemente sentidos pelas camadas mais pobres.

    E aí ocorre um mecanismo de feedback, um círculo vicioso: O governo é incapaz de arcar com as suas verdadeiras obrigações, o que coloca as pessoas que mais dependem disso sob condições indignas de sobrevivência. Diante desse cenário, o governo põe em prática programas sociais assistencialistas para amenizar essa situação, sem fazer os devidos investimentos para que tal cenário não ocorra novamente. E, assim, a coisa se repete ad infinitum.

    E, aí, os esquerdistas vêm se gabar do Bolsa Família, da Petrobras, da popularidade do atual presidente e etc. . . e ainda têm a desonestidade intelectual de dizer que se preocupam com o social e blá, blá, blá.

    “Como ‘proporcionar educação e qualificação à população’ apenas ‘reduzindo impostos e cortando custos?'”

    Muito simples: Basta colocar o Estado para atuar nas suas verdadeiras áreas, como educação, saúde, segurança pública e etc., deixando atividades como venda de gasolina, seguros e planos de Internet banda larga para o setor privado. Por exemplo, neste ano, só em socorro à Petrobras, o governo colocará disponível à ela uma valor equivalente à metade de tudo aquilo que é investido em educação. Claro, a principal e única beneficiada por isso é a própria Petrobras.

    Encerrar a criação de estatais que, invariavelmente, apenas servem de cabide de empregos para os apadrinhados políticos e de sorvedouros do dinheiro público.

    Reduzir impostos para que os pobres tenham mais dinheiro no bolso. Afinal de contas, quanto menor a renda da pessoa, mais ela paga impostos em relação à sua renda.

    Dar maior liberdade econômica para que o setor privado possa se desenvolver ainda mais e se tornar mais dinâmico. O melhor programa social é o emprego.

    Até!

    Marcelo

  25. Patriarca da Paciência said

    É mesmo?

    no século XIX os operários europeus viviam mergulhados na mais profunda miséria e o tal Estado Capitalista não “direcionava” nenhum recurso para beneficiá-los… e a miséria só aumentava.

    Quando as políticas de interesse social começarama ser implantadas, houve grandes melhoras, que perduram até hoje.

    O resto não passa de blá, blá, blá.

    Toda a volumosa obra de Friedman pode ser resuminda em poucas palavras: ” O essencial é cortar custos, reduzir impostos e oferecer total liberdade aos capitalistas”.

    Exatamente o que acontecia no século XIX, um dos séculos mais vergonhosos da humanidade.

  26. Mona said

    Patriarca,
    releia o período:

    “…interessante que boa parte da população miserável seja perenizada por meio de apenas uma ajuda de custo que não lhe proporciona mecanismos de emancipação dessa miséria?
    Afinal, proporcionar educação e qualificação à população é mais eficaz do que apenas apostar em programas de transferência de renda não-estruturantes? …”
    Existe uma partícula que faz toda a diferença em relação à exegese de meu texto feita por você e é a palavra “apenas”.

  27. Carlão said

    Vamos por partes como diria Joãozinho, o esquartejador:
    PAX
    “Dilma 39, Serra 34, Marina 7, Datafolha 0
    Qualquer pré julgamento é puro chute. Ou torcida disfarçada.
    “Torcida disfarçada? Você já sabe em quem vou votar? Tem certeza absoluta?
    A carapuça serviu, Pax? Eu não sei em quem você irá votar.
    Presumo que você não votará no Serra/Índio e nem na Dilma/Temer.
    De onde tirei esta conclusão?
    Pelas chamadas tendenciosas dos títulos de de seus posts, como o acima.
    E pela falta de interesse em dar sequência ao assunto Dilma/mulher do Medina (FARC). O assunto é grave.
    É crime comprovado e recente, de 2006.
    Ai pego carona na sua afirmação: “Do meu lado afirmo que não vou votar em quem tiver problemas na praça”.
    Donde concluo que vc não irá votar na Dilma e no Temer (Camara, Ficha Limpa e Castelo de Areia).
    Mas para você o irresponsável é o Índio. Serra não tem problemas na praça, mas é culpado.
    Escolheu um vice inexperiente.etc Baixaria.
    Sobram então Marina e Plinio de Arruda Sampaio,
    afora os chamados “nanicos”.Ou anular o voto.

    JORGE
    “Pax, não perca tempo com o Carlão, o mais provável é que ele seja caboeleitoral virtual, somente faz o serviço que mandam ele fazer. Ou então, trabalha para alguma firma terceirizada em São Paulo e está com medo do contrato não ser renovado se o Psdb perder”.
    Deve ser a tal campanha do medo do PT. Jorge, o militante dedicado aprendeu direitinho:
    Acuse os outros daquilo que você pratica!

    PACIÊNCIA, PATRIARCA
    Estamos no século XXI e você continua no século XIX, esperando o PT se pronunciar oficialmente sobre o caso FARC, que como sabemos “demora um pouco nestes casos”.

    Sigamos em frente, meus amigos.hehe

  28. Olá!

    “no século XIX os operários europeus viviam mergulhados na mais profunda miséria e o tal Estado Capitalista não ‘direcionava’ nenhum recurso para beneficiá-los. . . e a miséria só aumentava.”

    É bastante curioso saber se, nas épocas anteriores, o trabalhador médio estava melhor ou pior do que o trabalhador médio do século XIX em termos de consumo de calorias diárias, moradia e etc. Sem dúvida alguma que pelos padrões atuais de saneamento básico, direitos trabalhistas, nível salarial, habitação e etc. as condições sob as quais aqueles trabalhadores do século XIX viviam eram brutais. A questão a se perguntar é: Como esses mesmos trabalhadores estariam sem os empregos disponíveis naquela época?

    Cobrar a existência de valores e instituições modernas em uma época em que sequer algo semelhante existia é um clássico erro de anacronia histórica. Falar dessas coisas no século XIX faz tanto sentido quanto falar de supercomputadores digitais no período medieval.

    Seria interessante verificar estimativas da quantidade de recursos disponíveis nos períodos anteriores ao século XIX para entender melhor o período.

    A tabela com os dados é bastante cristalina: Ao final do século XIX, havia uma quantidade de recursos disponíveis inimagináveis até então. O que proporcionou isso foi, exatamente, o desenvolvimento do capitalismo que, inclusive, permitiu, gradativamente, ao longo do século XIX, que uma parte desses recursos fosse direcionada para a melhoria das condições de vida dos trabalhadores.

    Foi apenas a partir do século XIX que uma quantidade de recursos sobrantes foi obtida em quantidade suficiente para proporcionar aos trabalhadores melhores condições de trabalho e sobrevivência. Mais uma vez, foi a própria estrutura do capitalismo a responsável por montar uma base sobre a qual esses recursos puderam ser gerados e utilizados em prol dos trabalhadores.

    “Quando as políticas de interesse social começarama ser implantadas, houve grandes melhoras, que perduram até hoje.”

    Correto. E essas políticas de interesse social apenas foram possíveis pelo fato de haver uma quantidade de recursos disponíveis que puderam ser direcionados para a sua implementação. O responsável por gerar tais recursos foi o próprio capitalismo.

    “Toda a volumosa obra de Friedman pode ser resuminda em poucas palavras: ‘ O essencial é cortar custos, reduzir impostos e oferecer total liberdade aos capitalistas'”

    Mostre-nos em qual obra Milton Friedman faz essa afirmação. Esse tipo de argumento é coisa típica de quem nunca leu nada sobre esse autor.

    “Exatamente o que acontecia no século XIX, um dos séculos mais vergonhosos da humanidade.”

    Não se esqueça de que foi no século XIX que nasceu uma das maiores loucuras da humanidade, responsável pela eliminação de dezenas de milhões de pessoas, que serviu de inspiração para tiranias mundo afora e que é, ainda, tão querida nas hostes esquerdistas: O marxismo.

    Até!

    Marcelo

  29. Carlão said

    Continuando a lógica “non sense” da Dilma, a candidadata nariz-de-cera:
    Banco de dados não é dossiê. Blackout não é apagão. Rubricar não é assinar…
    Carta anônima não é dossiê.

    So far.
    Outubro ainda está longe…
    vamos aguardar.

  30. Carlão said

    Durante visita nesta segunda-feira ao Comitê Olímpico Brasileiro (COB), no Rio de Janeiro, a candidata do PT à Presidência Dilma Rousseff falou sobre caos aéreo. Segundo a petista, no primeiro dia de seu governo, ela já começaria a resolver os problemas dos aeroportos brasileiros. Dilma atribuiu esses problemas aos “anos de zero planejamento em infra-estrutura”, e acrescentou que “não se resolve tudo em oito anos”.

    Então o “caos aéreo” ainda não foi resolvido? Em 8 anos !!! OITO ANOS ! sem nenhum sucesso.

    Putz essa mulher abrindo a boca é um perigo
    Imagine quantos anos mais Dilma precisará para resolver um melhor equilíbrio das contas públicas, melhorar a Saúde, a Educação ou a Segurança.
    O Brasil tem pressa.
    Estamos muito atrasados.
    E Dilma se desculpa de sua incompetência em público dizendo serem 8 anos insuficientes …?
    E onde ela estava este tempo todo? Montando “bancos de dados” e apresentações de powerpoint bonitinhas para impressionar lula?

    Desculpem-me Pax, Mona e senhoras leitoras pelo comentário machista e de baixíssimo calão:
    PRA MAU FUDEDOR ATÉ O SACO ATRAPALHA!

    Já demiti gerentes na minha empresa por desculpas mais inteligentes!

  31. Chesterton said

    Se não fosse o risco de se tornar uma tragédia seria uma comédia.

  32. Patriarca da Paciência said

    “Já demiti gerentes na minha empresa por desculpas mais inteligentes!”

    Eis aí a “preocupação social” de certo grupo de pessoas, felizmente minoritário!

    Eu também conheci um gerente que se orgulhava de não ter a menor dor de consciência em demitir um pai de família, ainda que este tivesse seis filhos pequenos para sustentar!

    Esse tipo de “filosofia” também tem as redações:

    “Farinha pouca, meu pirão primeiro”!

    “Eu estando bem, quero mais é que os outros se lasquem”!

    Felismente são minorias! Felizmente!

  33. Mona said

    AH, Patriarca
    fazendo de suas palavras as minhas, ainda bem que você não administra empresas. A lógica é diferente: vale a lei da eficiência; administra-se os malfeitos até o momento em que eles não interferem no resultado da empresa, pois, a partir desse momento, ao invés da demissão de 1 gerente com seis filhos, vão ser demitidos 6 gerentes, não importando se com filhos ou não.
    Mudando de assunto, permitam-me linkar o artigo que o Alon publicou hoje. Lembre-me imediatamente do Marcelo Augusto.

    http://www.blogdoalon.com.br/

  34. Patriarca da Paciência said

    “Mostre-nos em qual obra Milton Friedman faz essa afirmação. Esse tipo de argumento é coisa típica de quem nunca leu nada sobre esse autor.”

    Ele diz claramente: Não deveveria existir salário mínimo; não deveria existir previdência social; não deveria existir Estado.
    Se não houvesse impostos, as pessoas fariam poupanças para assegurar uma velhice confortável! (ótima esta!).

    Para mim, das duas uma, ou o Friedman vivia num mundo de fantasia, onde as pessos sempre procuram o melhor para si e os outros (O cara nunca leu Dostoievski ou Freud, nem mesmo uma cartilha de psicologia!).

    Ou então o cara era mesmo um sejeito extremamente perverso que queria que “todo mundo se lascasse”.

  35. Patriarca da Paciência said

    Mona,

    esse Alon, para mim, não diz coisa com coisa.

    “Segue firme o tripé responsabilidade fiscal, metas de inflação e câmbio flutuante”

    Isto aí é “invenção” do FHC ou o básico, feijão com arroz mesmo, da economia em qualquer parte do mundo?

    Além do mais, a grande mudança na economia brasileira aconteceu no governo Itamar Franco. O próprio FHC reconheceu, em entrevista, que a decisão política de derrotar a inflação foi de Itamar Franco. “O Itamar estava disposta a trocar de ministro da fazenda até que algum resultado fosse alcançado”.

    Então, a equipe que criou o Real foi obra de Itamar Franco.

  36. Mona said

    Patriarca:

    “Isto aí é “invenção” do FHC ou o básico, feijão com arroz mesmo, da economia em qualquer parte do mundo?”

    Né, não. Não sou a melhor para explicar esse ponto, mas – se eu não me engano – é uma receita digamos neo-liberal, recomendada pelo FMI e antigamente repudiada pelo PT. Os mais entendidos nesse assunto podem discorrer a respeito.

  37. Depois de merecidas férias voltemos ao batente…

    Patriarca:

    “É mesmo?

    no século XIX os operários europeus viviam mergulhados na mais profunda miséria e o tal Estado Capitalista não “direcionava” nenhum recurso para beneficiá-los… e a miséria só aumentava.”

    Você está completamente errado. Qualquer estudo econômico demonstra que a revolução industrial melhorou a qualidade de vida das pessoas em comparação a situação anterior.

    Até mesmo Karl Marx que estava certo (sic) de que o capitalismo era mau, bobo e feio, foi obrigado a realizar uma fraude intelectual e utilizar dados com 30 anos de defasagem para escrever o Das Kapital.

    ““Segue firme o tripé responsabilidade fiscal, metas de inflação e câmbio flutuante”

    Isto aí é “invenção” do FHC ou o básico, feijão com arroz mesmo, da economia em qualquer parte do mundo?”

    Então porque o PT foi contra? Porque Maria da Conceição Tavares atacou o plano Real com todas as suas forças? Ela que é uma das “divas” econômicas do PT?

    Esse “tripé” nunca foi o “básico” da economia brasileira. É só abrir um livro de história do Brasil e verá que isso não é verdade.

    PAX

    Não entendo uma coisa. Porque a fala de Índio da Costa sobre a ligação do PT com as FARC é uma “baixaria”?

  38. Patriarca – Eu sei que o que Friedman fala é um pouco complexo. Teorias liberais não são de fácil entendimento. Mas vou tentar explicar.

    Você quase acertou. As pessoas procuram sempre o que é melhor para si, e ao fazer isso o todo (você poderia chamar de sociedade) acaba se beneficiando.

    Um exemplo simples: você quer comprar um sorvete. Há dois locais com produtos similares e preços diferentes. Um custa mais caro que o outro. Logicamente você procura o mais barato. Ok? Ok.

    Quando todas as pessoas fazem isso, buscando o melhor para si, a informação é de que o preço praticado pelo outro vendedor está errado.

    Você pode extrapolar essa teoria para qualquer interação social entre agentes livres de coerção.

    Pense um pouco sobre isso.

  39. Patriarca da Paciência said

    Pois é, Pablo,

    Será que o Friedman é mais “profundo” que Freud e Dostoievski?

    Ambos dizem que nem sempre as pessoas procuram o que é melhor para si e, muitas vezes, procuram o que lhes é necivo.

    O que você me diz dos adolescentes que procuram más companhias e acabam entrando no mundo das drogas, eles estão exercendo a “livre iniciativa”?

  40. Bom, não sou fã de Freud. E desconheço o que disse Dostoievski sobre o assunto.

    Mas sobre sua outra pergunta a resposta é sim.

  41. Carlão said

    LULA E NULA
    Contribuindo com a recente discussão sobre “arbítrio” informo aos incautos que o que diferencia o “ser humano” de outros “seres” viventes no Planeta é a presença de 2 características únicas(ou quase):
    Livre arbítrio e acumulação e transmissão de informações úteis à comunidade.
    Nos outros “seres” viventes. o arbítrio é limitado e (com poucas exceções como alguns roedores)a acumulação e transmissão de informações úteis à comunidade é praticamente nula.

    Por falar em “livre arbítrio”, torno a lembrar aos petistas presentes que lula decidiu “livre e arbitrariamente” (em nome deles) eleger uma “idiota inútil” como sua sucessora.A Nula.
    “Me pediram rubrica. Rubricar é rubricar, e eu rubriquei”.
    Ela não é capaz de acumular e transmitir informações úteis à comunidade.É Nula.
    Dilma mente até sobre seu próprio currículo e rubrica o que pedirem, por falta de “livre arbítrio”,
    como ela mesmo afirmou.

    Neste passo até Outubro “dilma_maravilha”(coisa do Padilha) ela se tornará boquirrota, torneiro-mecânicA e perderá um dedo “tuitando” na refrega da campanha.A famosa @DilmaBr.
    Aquela que se transformou fisicamente (nem tanto) para seduzir eleitores/eleitoras.
    A Nula de Lula.
    Transformou-se pelo cabelo de pata em gansa, mas a voz continua a mesma: quac! quac! pac? quac!

    Acabei de assistir ao Direito de Resposta do PT no site tucano. Pra quem não viu recomendo:

    Putz!
    E o que tem as “Farc” a ver com as calças? Cadê a negação peremptória?
    FARC e tudo o mais….foram camuflados em afirmações inócuas.
    O PT Amarelou. Não negou. E mentiu de novo.

    Agora exerço o meu direito de resposta:
    1.A PF no Senado, confirmou o que Serra denunciou meses atrás (Bolivia). Governo é conivente com o tráfico.
    2.A senadora Kátia Abreu (DEM-TO) disse que o percentual destinado no Orçamento da União à PF não é empenhado integralmente, o que prejudica as ações do órgão. Segundo a senadora, nos primeiros seis meses deste ano a Polícia Federal recebeu R$ 141 milhões dos R$ 2,7 bilhões destinados na dotação orçamentária para a instituição.
    (Ou seja ~5%).
    3.Ainda, Dilma favoreceu indevidamente a “Mona do Medina” das FARC em 2006…entre outros indícios já divulgados.
    4. A violência no Brasil está aumentando ano a ano (media de ASSASSINATOS X 1000 habitantes) menos em São Paulo que tem reduzido regularmente este índice estatístico mórbido.
    E Nula elogia o modelo do RJ que tem que pedir licença para os chefes narco-traficantes antes de entrar.
    A polícia tem que pedir licença antes de entrar em algumas áreas.Rubricou de novo.Me pediram.
    5. etc

    Paciência,Patriarca …estas coisas no PT demoram um tempão…e no fim saem erradas.
    hehe

  42. Carlão said

    “Guerra é Paz; Liberdade é Escravidão; Ignorância é Força; Nula é Lula”.
    George Orwell em 2010?
    kct…
    Incluam-me fora dessa!

  43. Chesterton said

    a resposta do PT foi tiro no pé.

  44. Patriarca da Paciência said

    Carlão,

    você pode falar de Farc à vontade.

    Fale também que o Uribe, o qual, conforme relatório da CIA, teve sérias ligações com o Pablo Escobar (um dos maiores traficantes de droga de toda a história).

    Quá, quá, quá…

  45. Patriarca – Tem esse relatório da CIA??? Pelo que sei Uribe sempre negou sua relação com Escobar. E até agora não há nenhuma prova disso. Até porque se houvesse você não acha que as FARC há muito tempo já teriam mostrado isso???

    E o que tem de igual a relação do PT com as FARC e de Uribe com as FARC?

    Você acha que devemos fazer vista grossa ao PT pelo suposto (e até agora não provado) relacionamento de Uribe com Escobar??

    O que uma coisa tem a ver com a outra?
    Ou será apenas uma tentativa ridícula de enterrar o assunto?

  46. Chesterton said

    Então está combinado, O PT e Uribe tem ligações com o narcotráfico.

  47. Patriarca da Paciência said

    O que eu acho mesmo é que FARC não tem nenhuma interferência nas eleições brasileiras.

    Dizer que o PT tem ligações com o tráfico de drogas é uma paranóia que vai custar caro ao índio maluco.

    Digo com todas as letras – não acredito que o PT tenha qualquer ligação com tráfico de drogas. Só um simplório acreditaria numa coisas dessas!

    Para mim, pessoalmente, FARC é assunto dos colombianos.

    O relatório da CIA é de 1994, veja por você mesmo:

    1. Presidente Uribe é acusado de ligação com tráfico

    02 de agosto de 2004 • 11h39Um relatório até agora secreto da agência de inteligência do Pentágono afirmou em 1991 que o presidente da Colômbia, Álvaro Uribe, era um colaborador do mais poderoso traficante de drogas do país. O jornal The New York Times acrescentou que um porta-voz do presidente colombiano qualificou as conclusões do relatório da agência, como “a mesma informação que foi usada em uma campanha de difamação dos adversários de Uribe” na campanha presidencial de 2002.
    Uribe é um firme aliado de Washington na luta contra as drogas, e o governo do presidente George W. Bush elogiou em numerosas ocasiões a atuação da polícia e os militares colombianos na luta contra os traficantes e a guerrilha. “O relatório (da DIA, sigla em inglês), datado de 23 de setembro de 1991 e obtido sob a Lei de Liberdade de Informação, indica que o então senador Uribe, de Antioquia, estava dedicado na colaboração com o cartel de Medellín em altos níveis do governo”, segundo o jornal.
    O documento da DIA qualifica Uribe como “um amigo pessoal e próximo” do então chefe do cartel de Medellín, Pablo Escobar, e acrescenta que participou dos esforços deste para obter uma cadeira como membro auxiliar do Congresso. Além disso, o relatório da DIA sustenta que Uribe estava vinculado com um negócio, não identificado, relacionado com o contrabando e distribuição de narcóticos nos EUA, e que quando era senador se opôs à extradição de narcotraficantes a esse país.
    O documento da DIA sustenta que Alberto Uribe, o pai do agora presidente, foi assassinado por seus vínculos com a droga. O porta-voz de Uribe, Ricardo Galán, disse ao Times que em 1991 Uribe estava estudando em Harvard e que jamais teve negócios nos EUA. Acrescentou que o pai do presidente Uribe foi morto por guerrilheiros que tentaram seqüestrá-lo.
    http://noticias.terra.com.br/mundo/noticias/0,,OI354408-EI317,00-Presidente+Uribe+e+acusado+de+ligacao+com+trafico.html

  48. Patriarca da Paciência said

    Correção – é de 1991.

  49. Patriarca da Paciência said

    a data saiu incorreta – Correção – é de 1991.

  50. Chesterton said

    Patriarca, não deve ser muito difícil para você admitir que tendo relações com as FARC no Foro de São Paulo, dando emprego ao pessoal das Farc – por motivos políticos -, e sendo as FARC uma organização narco-terrorista, perante a lei, qualquer associação implica em cumplicidade.
    Mulher de traficante antigamente não era presa, hoje em dia, vai em cana junto com o maridinho. Jogador de grande clube carioca saiu do país para não ter que prestar contas, a simples simpatia verbalizada ( e o PT assina documentos ) é apologia do crime. Esses são fatos, independe da minha vontade, do meu humor e da minha opinião.

  51. Chesterton said

    independem…

  52. Chesterton said

    definição magistral

    http://www.marcovilla.com.br/2010/08/o-nosso-18-brumario.html

  53. Carlão said

    Paciência, Patriarca
    Sim eu posso falar das Farc, o quanto quiser.
    Quem não pode é você. Nem o PT.
    Eu não posso afirmar que o PT tem ligações comprovadas com o tráfico de drogas.
    Mas eu posso afirmar que o PT tem ligações comprovadas com as FARC.
    Quem não pode desmentir é o PT. Nem você.
    Eu posso afirmar que a candidata do PT à Presidência, Dilma Rousseff, empregou no governo federal a mulher de Olivério Medina (FARC), o oficio assinado comprova.
    Você não pode desmentir. Nem o PT.
    O Direito de resposta do PT quer encerrar o assunto.Você quer encerrar o assunto.
    Eu não.

  54. Patriarca da Paciência said

    Caro Carlão,

    como disse antes, pode continuar falando de FARC à vontade.

    Pelo que me consta, no Brasil, quem iniciou “conversações” com as FARC foi Arthur Virgilio, do PSDB.

    Para 96% do povo brasileiro, FARC não tem nada a ver com eleições no Brasil.

    Caso você tenha alguma prova da “ligação” do PT com as FARC, que apresente, então.

    Essas metas do José Serra, tais como: “Invadir a Bolívia, combater as FARC, romper relações com o Irã etc. também não parecem interessar nada ao povo brasileiro. Não é à toa que ele só cai nas pesquisas.

  55. vilarnovo said

    Patriarca –

    “Caso você tenha alguma prova da “ligação” do PT com as FARC, que apresente, então.”

    Na boa… tú está de sacanagem não é!?

    Muitos risos…

    Aliás, o relatório da Cia estava completamente errado… E, acredite se quiser, não é novidade.

Faça seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: