políticAética

Notícias da Corrupção, Desvios, Anomalias, Eleições e Meio Ambiente

  • Sobre o blog

    Uma coletânea das notícias da corrupção, desvios, anomalias, eleições e meio ambiente que aparecem na mídia todos os dias a partir de agosto de 2008.
  • Categorias

  • Arquivos

  • Páginas

  • Meta

JN – Dilma

Posted by Pax em 10/08/2010

do blog do Noblat

Anúncios

40 Respostas to “JN – Dilma”

  1. Pax said

    Vi agora de manhã. Achei bom se excluir o fato de nem tocar em Educação.

    Colocarei todos os candidatos sem comentários nos posts. Eles ficam por conte de vocês.

    (vi agora por conta da estrada para onde vou de novo)

  2. emerson57 said

    pax,
    não vejo a globo
    na verdade vejo só a formula 1 (narração pelo rádio)
    mas aqui no seu blog vi toda a entrevista da dilma.
    gostei de ver a dilma mais articulada,
    gostei do foco que terá o governo dela,
    gostei inclusive dos atropelamentos pelo casal entrevistador,
    sintomática a pedida de tempo pela entrevistadora para que a candidata completasse o raciociínio 10:30 min.
    veremos aqui o tratamento dispensado aos próximos candidatos
    abraço.

  3. Jorge said

    a Dilma desconcertou o bonner, visivelmente alterado.
    Foi uma ótimo entrevista para ela. Eu, por exemplo, não tinha noção dos avanços na área do saneamento.

  4. Chesterton said

    essa foi “ótema”

    Leandro, um menino do Brasil negro e miserável, ousou não enxergar em Manguinhos, no fim de maio de 2009, a favela-maravilha que Lula pariu e Sérgio Cabral amamenta. Só viu dois reizinhos nus — e contou o que tinha visto. O vídeo divulgado nesta sexta-feira pelo blog do Ricardo Gama documenta a reação do Pai dos Pobres e do Governador do Povo. Sem perceber que estava na mira de uma câmera, a dupla mostrou-se como efetivamente é.

    Em apenas 73 segundos, desfilam na telinha a prepotência, a vulgaridade, a demagogia, a intolerância, o oportunismo político e o vale-tudo eleitoreiro. Lula e Sérgio Cabral se merecem. Os brasileiros decentes é que não merecem ser governados por gente assim.

  5. Mona said

    Jorge, nem você, nem o resto do Brasil. Apenas a Dilma tem esses números.

  6. Jorge said

    Mona, apresente os números corretos para a gente. É um assunto importante.

    Chesterton, esse rapazote pobre que te emocionou, (quem diria, voce se preocupando com os pobres é novidade para mim, boa novidade quero dizer), trabalha para o Jair Bolsonaro… Já foi denunciado nos blogs livres. Desculpe.

  7. Italo said

    A candidata melhorou, mas os entrevistadores……

  8. Chesterton said

    Jorge, não sei se trabalha ou não, mas que o Cabral age dessa maneira a torto e a direito é verdade.

    Sobre Dilma, Augusto Antunes mata o pau e mostra a cobra:

    Uma tentativa de assalto transmitida ao vivo

    Até ser promovida a candidata, Dilma Rousseff só fez de conta que nunca foi contrária ao Plano Real. Há dois meses, começou a insinuar que o governo Lula pôde reconstruir o Brasil por ter, primeiro, liquidado a inflação. Na entrevista ao Jornal Nacional, dispensou-se de pudores: para justificar as anêmicas taxas de crescimento registradas nestes sete anos e meio, garantiu que o chefe herdou um país flagelado pela inflação sem controle.

    chest- isso é puro estelionato, roubo, mentira deslavada. Essa mulher não sabe que a inflaçaõ ameaçou disparar justamente pelo risco de o PT tomar o poder? E que se Lula não tivesse traído o programa do PT, a inflação estouraria? Bah…

  9. Chesterton said

    Quer dizer que Lula assina as sanções contra o Irã “contrariado”?

    chest- mas que barbaridade, ou é um covarde ou….sei lá, boa coisa não é. Contrariado com o quê?

  10. Chesterton said

    http://www.escandalodomensalao.com.br/

    Para nunca esquecer

  11. Carlão said

    Chest

    O companheiro Jorge aparentemente não sabe distinguir entre capitão-de-fragata e cafetão-de-gravata.
    Vou explicar de novo:
    O “rapazote” se queixou de problemas do cotidiano na favela e os dois 2 valentões senhores, na base da “prepotência”e usando linguagem vulgar/autoritária, “comeram-lhe o rabo”. Ao vivo e em cores.
    O vídeo virou viral – 32196 exibições em apenas 3 dias. O “bicho pegou!”
    Os chamados “blogs livres” para justificar a “baixaria” criaram o “dossiê Leandro”: O “rapazote” “trabalha secretamente” para o Jair Bolsonaro, relata você.
    Seguindo essa “lógica nassifiana” do dossiê Leandro devemos concluir também que Lula e Cabral também “trabalham secretamente” para Jair Bolsonaro, pois quem foi “pilhado na baixaria” foram eles e não o “rapazote”: – Por que você não treina,pôrra? Tênis é esporte da burguesia,pôrra!” e “Vá estudar, sacana!”
    Jorge, o “rapazote” tem o direito de falar em público o que quiser. Certo ou errado.
    Ele não é Presidente da República nem Governador de Estado.
    Aliás nem merece ser chamado de “rapazote” como você preconceituosamente fez.
    Ele é um cidadão brasileiro que paga impostos como todos nós.
    Entendeu agora Jorge ou seria preciso desenhar?

  12. Mona said

    Não adianta, Chest.
    Qualquer ato que o Lula cometer, por mais ignóbil que seja, vai ser objeto de aplauso da militância, que incriminará quem ousou provocar tal ação por parte de seu chefe… E a coisa vai nessa mesma toada com a Dilma. Jorge, o Elias – se eu não me engano – tem os números do PAC relativos a saneamento e qual a parte que vem do estado e dos municípios. Se você quiser saciar sua curiosidade, pergunta para ele. Aproveita para perguntar como estamos rankiados nos índices de lepra e tuberculose – excelentes medidores do saneamento, dado que são doenças típicas da falta de.

  13. emerson57 said

    e tem mais uma coisa:
    ela é linda!

  14. Jorge said

    Qualquer coisa que o Lula e o PT fizerem, Mona, voce, o Chesterton e outros mais irão demonizar. Mona, antes de acusar os petistas, acho que voce devia fazer uma autocrítica.

    80% de aprovação sob pesada e ininterrupta crítica da revista semanal de maior tiragem, do jornal diário de maior tiragem, da tv de maior audiência e da rádio de maior audiência e voces querem argumentar que o governo é um fracasso. Todos são livres para negar a realidade.

    Bolsonaro, aquela pessoa amável e ponderada, hehehehehehehe, o Sergio Cabral é uma freira perto do Bolsonaro.

  15. Jorge said

    Emerson, também acho que a Dilma está bonitona. Aliás, no debate, arrasou.

  16. Jorge said

    Carlão, voce está descontrolado, não fala mais coisa com coisa, descambou para a agressão gratuita, está parecendo o vice do Serra, um tonto.
    Acho que não é mais possível dialogar com voce.

  17. Chesterton said

    Qualquer coisa que o Lula e o PT fizerem, Mona, voce, o Chesterton e outros mais irão demonizar.

    chest- negativo, sempre aplaudi a rasteira que o Lula deu no PT, que acabou dando na criação do PSOLTU e essas coisa aí. Sempre aplaudi a traição do Lula aos principios do PT e sempre aplaudi a maneira como Lula deixa os petistas com cara de idiotas.

  18. Zbigniew said

    A Dilma foi bem. O Bonner tentou imprimir um conveniente estilo “hard talk”, mas ficou na tentativa, inclusive com direito a uma “chamada” no ar da esposa e co-apresentadora.
    Dilma fez o que pode no pequeno espaço de tempo que dispunha para responder e sob pressão do apresentador.
    Mas, sinceramente, este tipo de entrevista é inócua. E na Globo só serve para tentar fazer a cabeça dos Hommers que assistem. Não se perguntou sobre projetos de governo, focando em aspectos como se a candidata maltratava subordinados ou outros ministros. Se era tutelada pelo Lula, ou se tinha jogo de cintura. O porquê do Brasil não crescer como outros países (colocando Uruguai e Rússia num mesmo patamar). E por fim, foi a Fátima que tentou “salvar” a entrevista, com a questão do saneamento. Em doze minutos? Não serve pra muita coisa.
    Vamos ver como vai ser com o José Serra. Tem que pegar leve senão o homem estrila. Aí vai ficar feio…

  19. Jorge said

    Zbigniew, o Boner, dessa vez, parecia o Homer, hehehehehehehe.

  20. Zbigniew said

    Pois é, Jorge. Outro aspecto foi a questão das alianças políticas. Putz! Não sei como a Dilma não perguntou pro Bonner sobre as filiadas nas mãos dos Sarney, Jader Barbalho e outros políticos pelo Brasil afora. O negócio deles não é debater: é só saia justa. Será que vão fazer o mesmo com o Serra?

  21. Chesterton said

    Os fascistas e suas ameaças ao blog e ao blogueiro

    Este sujeito já mandou este comentário mais de uma vez. Ele se assina “Rick”, o e-mail, segundo ele ao menos, é rickmello@yahoo.com.br, e o IP “189.52.1.5″. Tenho a data e a hora direitinho caso a Polícia Federal de interesse pelo caso. Não chegam nem dois nem três com essas características, mas às centenas.

    “Sei endereço, e onde freqüentas, seu canalha. Logo, logo, farei mais um buraco nessa sua cabeça. Se sua democracia não vale um peido, vamos tratá-la como você quer. Você não perde por esperar!”

    Não temos só um poder que se organiza mimetizando métodos fascistas. Temos também em curso uma cultura do fascismo. O negócio deles é a intimidação: na rede, nas ruas e, se possível, até nos tribunais. Ou você concorda com a particular noção de democracia que têm, ou eles prometem fazer um buraco na sua cabeça, entenderam? Qual é o nosso papel? Resistir e denunciar a empulhação, nos marcos que não lhes permitam botar as patas aqui, conforme o texto que escrevi nesta madrugada.
    Por Reinaldo Azevedo

    chest= depois do islamofascismo o petofascismo…..por isso que desprezo petistas em geral.

  22. Carlão said

    Chest Matou a pau cara!
    chest- negativo, sempre aplaudi a rasteira que o Lula deu no PT, que acabou dando na criação do PSOLTU e essas coisa aí. Sempre aplaudi a traição do Lula aos princípios do PT e sempre aplaudi a maneira como Lula deixa os petistas com cara de idiotas.

    Eles agora ficam apaixonados pela “nova embalagem” do iogurte.
    Vejam a diferença…:

    Jorge e outros, eu nunca perderei o direito de revelar suas, assim por dizer, asneiras.
    Podem tirar “o equino da intempérie”.Meus companheiros.
    Mas roubar a verdade em público é muito grave.
    No vídeo do JN de ontem, prestem atenção quando ela é desmentida em público aos 5 mim. e 33 seg.
    Depois dizer aos 9 mim. e 33 seg. que em jan de 2003 a inflação estava fora do controle é roubar a verdade em público.É falso.
    É falta de respeito.
    Palocci em 2003 assumiu e não mudou uma vírgula da política anterior e até elogiou. Na verdade.
    Vide debate da Band.Essa é a verdade dita por Serra na cara de Dilma e Palocci presentes e ninguém…nem vc nem o PT chiaram porque contra fatos reais não é possível fabricar dossiês, por mais que o PT tente.
    Situar a Baixada Santista no Rio é pouco diante de tanta mentira deslavada sendo falada no JN de ontem.

    Sinceramente eu acredito mais no vídeo acima de Copenhagen onde ela declara que
    O MEIO AMBIENTE É UMA AMEAÇA AO DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL!
    com a mesma cara de lagarto que apresentou ontem no JN.
    Ontem ela apenas…sorriu das suas caras.Estava fingindo falar a verdade.Eu não enguli.
    E acho vcs gostaram de ser enrolados. Até acharam ela bonita…relativamente.
    Eu até poderia dizer: Bonitinha mas ordinária se ela tivesse 17 anos…mas agora após a moça completar 64 anos, eu só posso dizer que bonitinha ela não é mais.
    Prefiro iogurte ao natural, sem aditivos.
    Gostou… leve ela pra sua casa!
    Mas guarde na geladeira!!!.
    Vai estragar.

  23. emerson57 said

    coisa mais fácil,

    Chesterton, não se preocupe

    afinal é o reinaldinho cabeção.

    isso é o não argumento,
    ou o argumento ridículo,

    o blog citado é um blog humoristico,
    não é para ser lido ao pé da letra,

    de quiser citar gente séria,
    leia aqui:
    http://hariprado.wordpress.com/
    ou aqui:
    http://byebyeserra.wordpress.com/

    abraço.

  24. Patriarca da Paciência said

    Chesterton,

    eu tinha melhor juízo de você!

    Então você acha que em época de eleição um partido político, seja ele qual for, vai sair por aí fazendo ameaças?

    Caramba, Chesterton!

    Você está ultrapassando os limites do normalidade!

    Bom, mas pode ser que você esteja fazendo piada.

    Eu acho o Reinaldão muito cômico.

  25. Patriarca da Paciência said

    Caro Jorge,

    que concidência!

    Escrevemos comentários parecidos ao mesmo tempo!

  26. Jorge said

    Zbigniew, quando o PT não fazia aliança, era acusado de radical,de se achar o dono da verdade, hehehehe, não tem jeito, eles somente querem atacar o PT.
    É uma questão de classe.

    Vamos ver se eles vão perguntar ao Serra sobre o Maluf, Quercia, FHC, Gabeira e outros que o apoiam.

  27. Jorge said

    é verdade Patriarca.
    Eu não vi a entrevista da Marina Silva no JN? Ela foi bem? O casal homer aproveitou a oportunidade para atacar Lula, Dilma ou o PT?
    Eles só pensam nisso… ou então é ordem da chefia.

    Emerson, esse pessoal plagia o professor Hariovaldo. Chega a ser vergonhoso. Inclusive, o professor Hariovaldo já foi ameaçado dezenas de vezes, é um bravo.

  28. Carlão said

    Jorge e Zib
    Maluf e Quercia são “ladrões de galinha” (ou meros ladrões oportunistas sem vergonha) se comparados com Barbalho e Sarney.Estes são da pesada.Pará e Maranhão continuam países de 4o. mundo.Eles milionários.
    De Maluf ou de Quercia, Lula nunca os xingou em público e depois beijou a mão em público e privado.
    Collor então nem se fala. Tratou lula como um cachorro sarnento.Foi apeado da presidência por total falta de caráter. Hoje é aliado.
    Isso se chama aliança? Ou falta de caráter.
    Falta de noção de dignidade.Chamo de negócio sujo. É o que penso.
    O próprio Brizola sempre desprezou Lula…e seu neto hoje, diante do próprio fracasso como parlamentar escolheu ser capacho blogueiro do petismo.
    Ontem, dia dos pais, o velho avo Brizola deve ter dado um esporro no neto ingrato às suas bandeiras e ideais.O Neto degenerou.Se vendeu ao Grande Capital de Brasília.
    Brizola disse que pra se eleger (e se manter no poder) Lula pisaria no pescoço da própria mãe.
    Ele tinha razão.O Lula e PT agora chamam Jader, Collor e Sarney de “aliados”.
    E se orgulha de ter amadurecido …
    virou cafetina – a puta-velha mais poderosa e esperta do bordel!
    Parabéns!
    hehe
    Pat…nenhuma bobagem “supostamente” catastrófica hoje?
    estou estranhando…só as costumeiras?
    emerson57…e tem mais uma coisa:
    ela é linda!

    e sua esposa sabe disso?…”galinha velha ao molho de champignon”
    hum hum

  29. Chesterton said

    Então você acha que em época de eleição um partido político, seja ele qual for, vai sair por aí fazendo ameaças?

    chest- mas aí já é burrice….

  30. Chesterton said

    “Em 2006, procurei sua empresa como coordenador financeiro da campanha de reeleição do presidente Lula. Naquele momento, sua empresa não aceitou o convite para contribuir com nossa campanha. De todo modo, acredito que ela tenha se beneficiado com os avanços conquistados pelo Brasil…”

    chest- “daquela vez passou; mas agora é melhor contribuir”.

  31. Zbigniew said

    Esta questão de alianças já foi bastante debatida. O que temos é uma política de ocasião, uma distorção, se assim podemos dizer, do processo demcrático no que se refere ao projeto de poder que todo partido ou coligação almeja para si.
    Ora, FHC governou com Calheiros, Jader, ACM e outros oligarcas país afora. Serra e sua coligação fazem alianças com figuras espúrias da política nacional (mais especificamente de São Paulo por razões óbvias), não importando se “roubaram mais ou menos”. O PT idem.
    O que não cola mais é esta indignação seletiva, e agora com o qualificativo de que uns são fichinhas em relação a outros, como se fazer alianças com estes fosse menos prejudicial à ética do que com aqueles. Não faz o mínimo sentido.

  32. Mona said

    Jorge,
    o Elias ainda não te repassou os números relativos às obras de saneamento? Não faz mal. Segue o artigo abaixo, que traz alguns dados (de o Globo):

    “Em entrevista ao ‘JN’, petista disse que governo investiu R$ 270 milhões na Rocinha, mas valor real não chega a 30% disso

    Fábio Vasconcellos

    Diferentemente do que afirmou a candidata do PT à Presidência, Dilma Rousseff, o governo federal não investiu R$ 270 milhões em saneamento na favela da Rocinha.

    Segundo dados da Empresa de Obras Públicas do estado (Emop), órgão responsável pela execução das obras do PAC no Rio, a comunidade será beneficiada com R$ 80 milhões em projetos de saneamento, ou cerca de 30% do que valor citado pela ex-ministra em entrevista anteontem ao “Jornal Nacional”, da Rede Globo.

    Se forem considerados apenas os recursos repassados pela União, a verba federal para o saneamento na favela é ainda menor. Do total previsto nos convênios para as obras do PAC na Rocinha, cerca de 56% dos recursos são de responsabilidade do governo federal, e 44% do estado.

    Na entrevista ao “JN”, Dilma foi confrontada com indicadores modestos com relação a saneamento no país. Em sua resposta, a candidata do PT disse que os investimentos apenas na Rocinha se equiparavam a tudo o que tinha sido aplicado por governos passados.

    — O Brasil investia menos de R$ 300 milhões no país inteiro. Hoje, aqui no Rio, numa favela, a Rocinha, nós investimos mais de R$ 270 milhões — afirmou Dilma, citando dados errados.

    O valor citado pela ex-ministra corresponde, na verdade, ao pacote total das obras do PAC na Rocinha, que prevê ainda projetos de urbanização, construção de uma passarela, centro esportivo — onde Dilma foi anteontem gravar imagens para o seu programa eleitoral — e uma unidade de atendimento médico.

    Segundo a Emop, 81% das obras já foram entregues.

    O vice-presidente da Associação de Moradores da Rocinha, Raimundo Lima, disse ontem que a Rua 2 é um dos trechos com maior problema de saneamento na comunidade:

    — Estamos acompanhando as obras com expectativa. Muitas ruas tinham sérios problemas de saneamento que, aos poucos, estão sendo resolvidos. Houve ainda intervenções nas ruas Ápia, Dianéia e Estrada da Gávea.

    As intervenções na Rocinha na área de saneamento acontecem também na Rua 4, no entorno do complexo esportivo da favela e para atender o Complexo de Atendimento à Saúde (Cias/UPA).

    O argumento usado pela candidata do PT para enaltecer os investimentos do governo federal foi semelhante ao apresentado pelo presidente Luiz Inácio Lula, quando esteve no Rio em fevereiro para inaugurar um gasoduto na Refinaria de Duque de Caxias.

    Na ocasião, o presidente afirmou que “nos últimos 30 anos, se pegar tudo o que foi investido em saneamento básico para a população, não deu nem a metade do que nós investimos”.

    Apesar de ter inflado os números do investimento do governo federal em saneamento na Rocinha, Dilma Rousseff esqueceu de projetos do PAC que estão sendo realizados nos Complexo do Alemão e de Manguinhos, e que preveem melhorias no esgotamento e abastecimento de água.

    Em Manguinhos, as obras somam R$ 661 milhões, dos quais R$ 297,8 milhões são recursos do Orçamento da União e R$ 363,96 de contrapartida do estado e da prefeitura do Rio.”

  33. Patriarca da Paciência said

    Quem acreditasse nas bobagens que o Carlão escreve ficaria apavorado – o Brasil está acabando! (comentário 28).

    Ou então que que estamos vivendo num hospício!

    Olha Carlão, pode ser que sua situação não esteja muito agradável, mas para maioria dos brasileiros, inclusive eu, a situação é muito tranquila.

    E é por isso que queremos que a política implantada pelo presidente Lula continue, através da Dilma.

    Situações de desespero são lamentáveis, mas passam!

  34. Patriarca da Paciência said

    Zbigniew,

    os caras chegam a dizer que o Maluf e Quércia são “fichinhas”!

    A que ponto chega o ódio e o ressentimento!

  35. Jorge said

    30% de 270 milhões. Mona, mesmo isso é um dinheirão. Voce podia nos dizer quanto o FHC investiu no saneamento da Rocinha. Eu acho que não chega a 1% dos 30%.

    Será que voce consegue esse número? Mas o PIG não irá publicar esses dados, acredite.

  36. Zbigniew said

    Eu fico pensando nestes dados inflados pela Dilma
    no que se refere aos investimentos em saneamento na Rocinha. Reza a prudência com o trato da coisa pública que se liberem verbas a medida que as obras avancem. Esquecem-se que os aportes são contínuos e o valor verbalizado pela Ministra pode ser verdadeiro, embora ainda não totalmente investido. Até porque não pararam de investir nos 80 milhões (ou pararam?). Mas a semântica quando vítima da imprudência revelada na crítica fácil nos mostra a verdadeira intenção por trás dos métodos: imprimir na candidata a pecha de mentirosa. O que nos faz questionar quanto foi mesmo que o PSDB, enquanto governo, investiu naquela localidade? O negócio é se pegar nesta firulas pra ver se espremendo sai alguma coisa.

  37. Mona said

    Queridos, o Brasil não é só a Rocinha. Pode até ser que o exemplo seja emblemático, pelo simbolismo que carrega, mas os pontos não são esses. Os pontos são a distorção de números e a negação de passado, como se não tivesse existido vida política e ações governamentais antes da era Lula. É aquele velho discurso usado e abusado do “nunca antes neste País”. Se é para usar essa estratégia, que pelo menos seja preservada a verdade.
    Ou apenas distorcendo-a é que se chega a um discurso convincente?
    E não adianta vir com a balela de que os 80% de aprovação já indicam que o discurso é suficientemente convincente… apenas corrobora o fato de que o povo se contenta com pão e circo, coisa que qualquer governante sabe. Pergunte a cada um que aprova o Governo, que vota de olhos fechados em qualquer criatura que ele indicar e que é usuário dos serviços governamentais oferecidos nas áreas de educação, saúde (saneamento incluído) e segurança, que a resposta será a mais negativa possível. É por que falei em pão e circo? A esse respeito, reproduzo um artigo do Rubem Alves que saiu em 2002 no Correio Popular:
    ——
    “Mesmo o mais corajoso entre nós só raramente
    tem coragem para aquilo que ele realmente conhece”,
    observou Nietzsche.

    É o meu caso.
    Muitos pensamentos meus, eu guardei em segredo.
    Por medo.
    Alberto Camus, leitor de Nietzsche, acrescentou um detalhe
    acerca da hora em que a coragem chega:
    “Só tardiamente ganhamos a coragem de assumir aquilo que sabemos”.
    Tardiamente.
    Na velhice.
    Como estou velho, ganhei coragem.

    Vou dizer aquilo sobre o que me calei:
    “O povo unido jamais será vencido”, é disso que eu tenho medo.

    Em tempos passados, invocava-se o nome de Deus
    como fundamento da ordem política.
    Mas Deus foi exilado e o “povo” tomou o seu lugar:

    a democracia é o governo do povo.
    Não sei se foi bom negócio;
    o fato é que a vontade do povo, além de não ser confiável,
    é de uma imensa mediocridade.
    Basta ver os programas de TV que o povo prefere.

    A Teologia da Libertação sacralizou o povo
    como instrumento de libertação histórica.
    Nada mais distante dos textos bíblicos.
    Na Bíblia, o povo e Deus andam sempre em direções opostas.
    Bastou que Moisés, líder, se distraísse na montanha
    para que o povo, na planície,
    se entregasse à adoração de um bezerro de ouro.
    Voltando das alturas, Moisés ficou tão furioso
    que quebrou as tábuas com os Dez Mandamentos.

    E a história do profeta Oséias, homem apaixonado!
    Seu coração se derretia ao contemplar o rosto da mulher que amava!
    Mas ela tinha outras idéias.
    Amava a prostituição.
    Pulava de amante e amante enquanto o amor de Oséias
    pulava de perdão a perdão.
    Até que ela o abandonou.
    Passado muito tempo, Oséias perambulava solitário
    pelo mercado de escravos.
    E o que foi que viu?
    Viu a sua amada sendo vendida como escrava.
    Oséias não teve dúvidas.
    Comprou-a e disse:
    “Agora você será minha para sempre.”.
    Pois o profeta transformou a sua desdita amorosa
    numa parábola do amor de Deus.

    Deus era o amante apaixonado.
    O povo era a prostituta.
    Ele amava a prostituta, mas sabia que ela não era confiável.
    O povo preferia os falsos profetas aos verdadeiros,
    porque os falsos profetas lhe contavam mentiras.
    As mentiras são doces;
    a verdade é amarga.

    Os políticos romanos sabiam que o povo se enrola
    com pão e circo.
    No tempo dos romanos, o circo eram os cristãos
    sendo devorados pelos leões.
    E como o povo gostava de ver o sangue e ouvir os gritos!
    As coisas mudaram.
    Os cristãos, de comida para os leões,
    se transformaram em donos do circo.

    O circo cristão era diferente:
    judeus, bruxas e hereges sendo queimados em praças públicas.
    As praças ficavam apinhadas com o povo em festa,
    se alegrando com o cheiro de churrasco e os gritos.
    Reinhold Niebuhr, teólogo moral protestante, no seu livro
    “O Homem Moral e a Sociedade Imoral”
    observa que os indivíduos, isolados, têm consciência.
    São seres morais.
    Sentem-se “responsáveis” por aquilo que fazem.
    Mas quando passam a pertencer a um grupo,
    a razão é silenciada pelas emoções coletivas.

    Indivíduos que, isoladamente,
    são incapazes de fazer mal a uma borboleta,
    se incorporados a um grupo tornam-se capazes
    dos atos mais cruéis.
    Participam de linchamentos,
    são capazes de pôr fogo num índio adormecido
    e de jogar uma bomba no meio da torcida do time rival.
    Indivíduos são seres morais.
    Mas o povo não é moral.
    O povo é uma prostituta que se vende a preço baixo.

    Seria maravilhoso se o povo agisse de forma racional,
    segundo a verdade e segundo os interesses da coletividade.
    É sobre esse pressuposto que se constrói a democracia.

    Mas uma das características do povo
    é a facilidade com que ele é enganado.
    O povo é movido pelo poder das imagens
    e não pelo poder da razão.
    Quem decide as eleições e a democracia são os produtores de imagens.
    Os votos, nas eleições, dizem quem é o artista
    que produz as imagens mais sedutoras.
    O povo não pensa.
    Somente os indivíduos pensam.
    Mas o povo detesta os indivíduos que se recusam
    a ser assimilados à coletividade.
    Uma coisa é a massa de manobra sobre a qual os espertos trabalham.

    Nem Freud, nem Nietzsche e nem Jesus Cristo confiavam no povo.
    Jesus foi crucificado pelo voto popular, que elegeu Barrabás.
    Durante a revolução cultural, na China de Mao-Tse-Tung,
    o povo queimava violinos em nome da verdade proletária.
    Não sei que outras coisas o povo é capaz de queimar.

    O nazismo era um movimento popular.
    O povo alemão amava o Führer.

    O povo, unido, jamais será vencido!

    Tenho vários gostos que não são populares.
    Alguns já me acusaram de gostos aristocráticos.
    Mas, que posso fazer?
    Gosto de Bach, de Brahms, de Fernando Pessoa, de Nietzsche,
    de Saramago, de silêncio;
    não gosto de churrasco, não gosto de rock,
    não gosto de música sertaneja,
    não gosto de futebol.
    Tenho medo de que, num eventual triunfo do gosto do povo,
    eu venha a ser obrigado a queimar os meus gostos
    e a engolir sapos e a brincar de “boca-de-forno”,
    à semelhança do que aconteceu na China.

    De vez em quando, raramente, o povo fica bonito.
    Mas, para que esse acontecimento raro aconteça,
    é preciso que um poeta entoe uma canção e o povo escute:
    “Caminhando e cantando e seguindo a canção.”,
    Isso é tarefa para os artistas e educadores.
    O povo que amo não é uma realidade, é uma esperança.
    ——–

  38. Elias said

    “a democracia é o governo do povo.
    Não sei se foi bom negócio;
    o fato é que a vontade do povo, além de não ser confiável,
    é de uma imensa mediocridade.
    Basta ver os programas de TV que o povo prefere.”

    É… Democracia pode não ser, mesmo, um bom negócio.

    O problema é que a outra alternativa é mil vezes pior.

    E os programas de tevê, nem por isso melhoram, né?

  39. Zbigniew said

    Mona, isto realmente é um negócio que “pega” na Oposição e nos seus acólitos: o desmerecimento. Certamente que houve vida política antes do governo Lula e que o Brasil tinha uma estrutura.

    Mas Lula é o paradigma. E o interessante é que ele foi “O Cara” certo no momento certo. E porque isto? Será apenas uma elucubração radical?

    O que é difícil para os acólitos é o descompasso com o discurso. E aí montam-se duas realidades: a da oposição e a do governo.

    A oposição utilizou-se (mais certo é “foi utilizada”) de uma estrutura montada no inconsciente através dos braços da mídia engajada. Isto se dava não exatamente pelos mais de 60 milhões de telespectadores do JN ou dos quase dois milhões de assinantes da Veja (utilizados aqui como exemplos maiores). Mas pelo padrão que estes números reforçavam nas mentes dos brasileiros. Um exemplo? “No Brasil não existe racismo”; ou “somos um povo pacífico”; ou “Deus é brasileiro”; ou “noventa milhões em ação” – o patriotismo verde e amarelo; entre outros aforismas alienadores. A Oposição não só se encaixou nos propósitos desta elite mas dela também se utilizou.

    Fora deste discurso está outra realidade: a de uma nova forma de governar. Não com o objetivo de só adequar o Estado ao discurso alienador, mas de adequá-lo a um projeto de nação. E aí novos conceitos foram acrescidos e o discurso mudou: “sim, nós somos racistas e temos que mudar”; “o brasileiro não é pacífico, é antes marginalizado, mas temos que mudar”; “Deus é tão brasileiro quanto qualquer outra nacionalidade”; “somos ricos porque nossos vizinhos também o são”; entre outros.

    O que vivemos hoje é este embate entre as duas realidades. Qual a que está ganhando? Qual a que é a verdadeira? Também é certo que em questões de humanidade não existem conceitos absolutos. Mas existem resultados. É a partir deste raciocínio que se pode dizer que hoje um discurso está substituindo o outro, e a partir daí, a realidade.

  40. Elias said

    Jorge,

    Aceitando a provocação da Mona, aí vão alguns dados sobre o PAC.

    Total dos investimentos previstos: R$.503,9 bilhões, sendo:
    Orçamento Geral da União – OGU: R$.67,8 bilhões
    Orçamento de investimento das estatais federais: R$.219,2 bilhões
    Iniciativa privada: R$.216,9 bilhões

    Movimentação do OGU em 2010:
    Dotação: R$.28,6 bilhões
    Empenhado: R$.15,6 bilhões
    Executado: R$.2,3 bilhões (até o 1º Tri/2010)

    Pago em 2010 (até o 1º Tri/2010): R$.8,9 bilhões, sendo:
    Execução de 2010: R$.2,3 bilhões
    Restos a Pagar de exercicios anteriores: R$.6,6 bilhões

    Passivo:
    Restos a pagar em aberto: R$.19,4 bilhões

    Estão em execução aproximadamente 6 mil projetos (ou seja, 50% dos 12 mil projetos originalmente previstos).

    Não é, portanto, nem tudo aquilo que o governo pretendia nem o fracasso que a oposição acredita (ou diz que acredita) que seja.

    Alguns motivos:

    1 – Baixa velocidade de execução orçamentária do programa, a partir da mobilização recursos da iniciativa privada.

    Exemplo: Investimentos da iniciativa privada em habitação

    A coisa funciona assim:

    (a) o empreendedor privado constrói unidades habitacionais, com recursos próprios ou tomando emprestado no sistema financeiro;

    (b) o empreendedor privado coloca à venda as unidades que construiu ou está construindo;

    (c) por ocasião da venda, o PAC subsidia o preço do imóvel. Digamos que o valor do imóvel (popular) seja R$.30,0 mil: o PAC paga R$.10,0 mil; os restantes R$.20,0 mil serão financiados pelo SFH.

    Vale dizer: só no momento em que ocorrer a venda do imóvel é que acontecerá o desembolso do programa. É quando o investimento se torna aparente do ponto de vista contábil. Mas, na verdade, desde há muito esse investimento vinha sendo realizado (pelo empreendedor privado).

    Por essa mesma razão, sempre heverá discrepância entre os números informados pelo governo e os que aparecem na execução orçamentária.

    Como a maior parte dos jornalistas geralmente se baseia na execução orçamentária do OGU, volta e meia aparece alguém achando que descobriu a América, quando só está sendo desinformado (e dsinformando). É que essa “metodologia” não leva em conta os investimentos das estatais e da iniciativa privada.

    2 – Condição de inadimplemento de Estados e Municípios

    Para ter acesso aos recursos do PAC — seja de convênios, seja de operações de crédito — os Estados e Municípios têm que estar em situação regular junto à Previdência Social, aos Tribunais de Contas, etc. Um Estado ou Município cadastrado no CADIM ou no CAUC, p.ex., não pode celebrar operações de crédito nem convênios.

    Acontece que é enorme a quantidade de Estados e Municípios com esse tipo de pendência. Eles têm seus projetos aprovados, mas o fluxo de recursos do PAC só se estabelece depois que essas pendências são equacionadas.

    É por essa razão que, contraditoriamente ao que se desejava, estados como SP, MG, PR, SC e RS têm tido maior acesso aos recursos do programa. É que, nesses estados, os municípios são mais bem organizados e a ocorrência de inadimplementos é bem menor que nos demais.

    Aqui no Pará, p.ex., o Estado teve que assumir quase que totalmente o PAC. Pouquíssimos municípios estavam em condições de ingressar diretamente no programa.

    Essa situação está se modificando aos poucos. Uma quantidade crescente de municípios está saindo da condições de inadimplemento, até mesmo pra ter acesso aos recursos do PAC. Daí porque a intensidade dos investimentos tem se elevado substancialmente de um ano para outro.

    3 – Impropriedades e irregularidades na execução dos projetos

    Sobre as irregularidades nem seria necessário dizer nada. Mas vale a pena lembrar que numa amostragem em 100 projetos, o TCU encontrou irregularidades em aproximadamente um terço.

    Para reduzir essa incidência, o Governo Federal criou um grupo de trabalho que monitora os projetos mais… digamos, vulneráveis.

    O maior problema, acho, são as tais impropriedades. São projetos mal feitos, que acabam embananando na execução.

    Não raro, a correção das falhas de um determinado projeto custa mais de um terço do valor pelo qual ele foi contratado. Acontece que o limite legal é 25%. Resultado: o contrato tem que ser rescindido e a obra novamente licitada. E tome tempo… E tome dinheiro desperdiçado…

    Sempre que ouço um servidor público dizer “vamos agilizar tal ou qual projeto”, sinto calafrios.

    Pra mim, ele está dizendo: “Vamos fazer tudo errado, nas coxas. Vai dar uma bronca tremenda e teremos que fazer tudo de novo. No fim, o projeto será executado no dobro ou triplo do tempo e pelo dobro ou triplo do preço que seria, caso tudo fosse feito como devido.”

    Há uma tendência quase que patológica a isso.

    É necessário normas mais rígidas e punições mais severas, pra que essa malandragem pare de atravancar a vida, de encher o saco e de esvaziar os bolsos dos brasileiros.

Faça seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: