políticAética

Notícias da Corrupção, Desvios, Anomalias, Eleições e Meio Ambiente

  • Sobre o blog

    Uma coletânea das notícias da corrupção, desvios, anomalias, eleições e meio ambiente que aparecem na mídia todos os dias a partir de agosto de 2008.
  • Categorias

  • Arquivos

  • Páginas

  • Meta

Serra ataca Zé Dirceu

Posted by Pax em 12/08/2010

Bem melhor que as entrevistas dos candidatos feitas pelo Jornal Nacional da TV Globo e conduzidas de forma tempestiva pelos apresentadores, foram as entrevistas do Jornal das Dez, da Globonews.

Na de ontem José Serra defendeu o DEM apesar de um dos entrevistadores, Carlos Monforte, insistir que o partido, principal aliado do PSDB, está desgastado com os escândalos de corrupção. O contra-ataque do candidato tucano foi acusar José Dirceu. Segundo o oposicionista o mensalão do PT foi muito maior, capitaneado pelo ex-ministro da Casa Civil e que hoje comanda não só o PT como a campanha de Dilma.

Veja as notícias aqui:

Globonews com a íntegra da entrevista.

Estadão: Serra defende DEM e nega que papel de vice seja atacar

Anúncios

16 Respostas to “Serra ataca Zé Dirceu”

  1. Jorge said

    hehehehehehehe, acho que Dilma vai mesmo ganhar no primeiro turno, o Serra dá tiro para tudo que é lado. Está mais perdido que cachorro que caiu do caminhão de mudança – a mudança do Psdb de Minas Gerais que vai apoiar a Dilma, o do Ceará, etc, etc…

    E haverá o debate entre os candidatos a vice! Não vejo a hora de ouvir o Indiota.

  2. Anderson said

    Bonner , Globo e Serra tentando pateticamente requentar o mensalão , como se o povo já não o tivesse julgado em 2006 e como se o PSDB/DEMOS não tivessem dois mensalões nas costas. Globo, não vai adiantar , o povo já está vacinado contra suas deturpações.

    Serra é o candidato das trevas, aquele que vai governar pras elites paulistas e arrochar o povo. Vender e dilapidar o patrimonio brasileiro. Isso é que o PSDB e PFL sempre fez e sempre fará. Mas a população não é trouxa mais não e sabe que ele é o atraso.

  3. Mona said

    Se depender das ações do Mantega e da Fazenda…

    http://www1.folha.uol.com.br/fsp/poder/po1208201008.htm

    Coisa aética, não, pax? Tem o “outro lado”:

    http://www1.folha.uol.com.br/fsp/poder/po1208201009.htm

    Agora, cá pra nós, é muita cara de pau, não?

  4. Pax said

    Cara Mona,

    Não consegui abrir os links, são para assinantes…

    Do que se tratam?

  5. Carlão said

    Pax

    Gostei da entrevista: Serra tranquilo, ao natural e firme como sempre.
    Não inventa números nem foge das respostas.É verdadeiro.Passa firmeza.
    Além da entrevista do Serra, é interessante também a entrevista da Dilma…
    http://globonews.globo.com/Jornalismo/GN/0,,MUL1612502-17665-313,00.html
    …aí o bicho pega…
    vejam a verdadeira Dilma no enrolation…errando nomes de jornalistas, pedindo desculpas, mudando a história – o Vietnan “uma guerra que está aí”, afirmou – criando uma nova guerra (a do Irã) errando cifras e pedindo desculpas…gaguejando.Dilma sem Lula é um fracasso.
    Lipstick on a pig!
    O visual melhorou mas o raciocínio titubeante e rasteiro continua o mesmo.
    A embalagem mudou…
    Dilma virou perú mas com gosto de mortadela.

    Obs:PESSOALMENTE ADORO MORTADELA E NÃO GOSTO DE PERÚ

    vamos adiante…

  6. Jorge said

    Mona, voce acha isso ético? O Estadão só não disse na chamada que era campanha para o Geraldo Alckmin…

    O Mutram é um malufista histórico, se elege como o candidato das ambulâncias (ele oferece ambulância aos mais necessitados da Vila Maria e região).

    http://www.estadao.com.br/Brasil

    Mutran faz campanha com carro oficial
    Corregedor participou de evento com o filho, que é candidato a deputado pelo DEM

    12 de agosto de 2010 | 0h 00

    Roberto Almeida – O Estado de S.Paulo
    O corregedor da Câmara Municipal de São Paulo, Wadih Mutran (PP), usou na manhã de ontem carro oficial para participar de evento de campanha de Geraldo Alckmin (PSDB), candidato ao governo de São Paulo.

    O carro, um Vectra prata com placa da Corregedoria da Câmara, foi estacionado irregularmente na Praça Oscar da Silva, na Vila Guilherme, zona norte de São Paulo. O filho de Mutran, Ricardo Mutran (DEM), é candidato a deputado estadual e também participou do evento.

    Mutran gasta, segundo prestação de contas à Câmara, R$ 1.714,75 ao mês para locação do veículo e uma média de R$ 700 mensais para combustível. Os valores, custeados pela verba indenizatória, são ressarcidos ao corregedor com apresentação de nota fiscal.

    Wadih Mutran caminhou pela praça com adesivos colados na lapela promovendo as candidaturas de Alckmin e do candidato do PMDB ao Senado, Orestes Quércia. Entrou, ao lado do tucano, na Base Comunitária da Polícia Militar da Vila Guilherme e posou para fotos.

    “Eu não estou fazendo campanha. Eu não estou fazendo campanha. Eu estou na minha região. Já atendi dez pessoas aqui com problema”, reagiu o corregedor, que está em seu sétimo mandato como vereador na capital paulista.

    Sobre os adesivos de Alckmin e Quércia na lapela, Mutran disse que não negaria se alguém quisesse colá-los. “O rapaz chegou, colocou, vou dizer não? Vou recepcionar o homem (Alckmin). E colei aqui (mostrando um envelope pardo com adesivo do tucano), qual o problema?”

    Perguntado sobre o uso do carro oficial para o evento de campanha, Mutran disse não ver ilegalidade. “E daí? E daí? Não tem problema. Se vocês acham que tem, me condenem.”

    O corregedor – responsável por investigar irregularidades de seus colegas vereadores no Palácio Anchieta – foi ao evento de Alckmin a convite do subprefeito da Vila Maria, Antonio Perosa.

    O subprefeito disse ao Estado considerar um “absurdo” o uso do carro oficial. “É exatamente contra o que lutamos, o uso da máquina, que Lula faz tanto por

  7. Jorge said

    E o corregor participou da lambança !!!

  8. Carlão said

    Boa Noite Patriarca e Paciência
    sem comentários…

  9. Elias said

    Pax,

    Você cantou a pedra: “Seu mensalão é maior que o meu.”

    Sei não… requentar o Plano Real… requentar o mensalão…

    Acho que ambos já deram o que tinham de dar, em termos eleitorais. Pode até dar um alento a quem já está com eles, mas não ganha novos adeptos.

    Alguém poderá dizer que quem não tem cão…

    Ao que se dirá: se não tem cão, nem meta a cara em eleição.

    Outra tática, dentro da mesma estratégia, é tentar descolar a Dilma do Lula.

    Vale dizer: vão fazer o Serra gastar uma energia imensa tentando “desconstruir” a adversária, quando ele próprio necessita ser “construído”. Vai passar um tempão olhando o rabo alheio e esquecendo o próprio em cima do trilho… com o trem chegando.

    Pelo visto, o PSDB está decididamente empenhado em fazer o Serra perder. E — pra espanto meu — parece que o Serra tá topando…

    A coisa já está indo pra reta final e os caras não se dispuseram em reavaliar a estratégia. Insistem em manter a mesma que, ao longo de quase 8 meses, não foi capaz de adicionar pelo menos uns míseros 5 pontos percentuais na intenção de voto no cara.

    E isso com a Dilma saindo do traço pra 37% ou mais.

    Se continuar desse jeito, Serra vai acabar diplomado como aquele tipo de adversário que todo candidato pede a Deus que o traga e ao diabo que o carregue.

    Bem, claro que eu torço pra que ele continue assim…

    Dá vontade de dizer: Vai lá, Serra! Vai que dá!

    Mas… não. Nem vou insistir nisso. É como olhar uma funerária e desejar bons negócios a ela.

    Mórbido…

  10. Anrafel said

    Talvez alguém saiba por que Serra aceitou aquele vice e entrou no jogo dele e dos seus DEMocráticos mentores. Ele teria que exigir do ex-PFL um candidato com boas credenciais e que adicionasse votos, afinal trata-se de um partido moribundo necessitado de uma urgente transfusão de sangue. Essa transfusão seria a vitória eleitoral, que o colocaria de novo nos cargos e com as mãos nos recursos de onde sempre tirou a sua força.

    Mas, não. O DEM, que não acredita mais no poder eleitoral dos seus caciques, indicou um sujeito inexpressivo e o incitou a usar a calúnia, o xingamento, a acusação sem prova, ou seja, a política sempre adotada pelos pefelista, a que acreditam sensibilizar o tipo de eleitorado que esclerosou-se em suas idealizações político-eleitorais.

    Serra não podia aceitar isso, até porque ele é melhor do que isso, tem outra história. Mas está se afogando na estratégia que escolheu.

    O pior é que, assim como o DEM não está ajudando o candidato tucano, onde os DEMs acreditam ter voto estão procurando se afastar da figura de Serra. Parece que Artur Virgílio já está fazendo isso no Amazonas (é verdade, Elias?).

    Aqui na Bahia, na inauguração do comitê central do candidato a governador do DEM, Paulo Souto, que é uma das figuras mais razoáveis do antigo grupo carlista, percebeu-se a ausência de fotografias de Serra. Depois de registrado pela imprensa, o ‘esquecimento’ foi ‘desesquecido’ – botaram umas três fotos lá. Mas ninguém tem percebido muita convicção na campanha.

    (Parece que Wágner vai ganhar no primeiro turno. Falo sobre isso depois).

  11. Carlão said

    Em primeira mão, a nova imagem de Dilma!
    Aguardem !

    Dilma Kahlo…versão 2010

  12. Carlão said

    Serra respeitando e agradecendo ao casal assassino do JN
    sem comentários…

  13. Carlão said

    Lula bêbado dando uns tapas na Dilma após o debate no Jornal das 10! GloboNews
    sem comentários…

  14. Carlão said

    hehehe….
    DILMA …SUMINDO…SUMINDO E SUMIU!
    problemas técnicos- foi a “rebimboca da parafuseta” …

    PRICELESS!!!
    Como já disse o “Marx” do Pat (ao Tico e Teco jornalistas!)
    André e Trigueiro…boa noite!

    Chega de sinapses!

  15. Mona said

    Pax, como você não conseguiu acessar as notícias que postei em minha mensagem anterior, permita-me transcrever os artigos:

    1º link:

    “Fazenda erra dados e infla feitos de Lula
    Boletim com estatísticas econômicas tem números e conceitos errados e subestima resultados do governo FHC

    Cálculo do crescimento da gestão tucana omitiu 1995, o que fez a média cair de 6,2% para 3,5%; site de Dilma usa dados

    GUSTAVO PATU
    DE BRASÍLIA

    Boletim de estatísticas divulgado anteontem pelo Ministério da Fazenda apresenta números e conceitos errados ou distorcidos para inflar os feitos do governo Luiz Inácio Lula da Silva, subestimar resultados da gestão anterior e esconder fragilidades atuais da política econômica.
    Repleto de quadros com títulos em tom otimista e gráficos destinados à exibição em slides, o documento de 136 páginas privilegia comparações com o passado e aborda temas que têm sido explorados pela campanha da candidata governista ao Planalto, Dilma Rousseff (PT).
    Conforme a Folha noticiou ontem, a compilação de dados foi divulgada pelo próprio ministro Guido Mantega, algo inusual, como parte de uma agenda de eventos oficiais favoráveis à estratégia eleitoral petista.
    Números relativos ao crescimento econômico, por exemplo, foram no mesmo dia para a página oficial da campanha de Dilma.
    Em meio às centenas de cifras citadas no boletim, há desde informações negadas pelos próprios gráficos que as ilustram até erros de cálculo -e as contas erradas favorecem o governo.
    Um caso evidente é o do quadro destinado a atestar a solidez das contas do Tesouro Nacional, cujo texto diz que, “até 2010, já são 12 anos de superavit acima de 2% [do Produto Interno Bruto]”.
    O gráfico logo abaixo mostra, neste ano, receitas de 19,9% e despesas de 18,5% do PIB ou, numa subtração simples, superavit de 1,4%.

    LULA X FHC
    Os números do ano passado não estão explicitados nas curvas coloridas, mas deveriam mostrar um superavit ainda menor, de 1,25%.
    Mais importante, omite-se a meta oficial para o superavit federal, de 2,15% do PIB, que o governo não tem conseguido cumprir -pela primeira vez nesta década- mesmo com recordes de arrecadação tributária.
    É falsa também a taxa de crescimento da renda per capita atribuída aos dois mandatos de Fernando Henrique Cardoso (PSDB), ou, seja, ao período 1995-2002.
    O quadro informa o percentual de 3,5% nos oito anos, o que o texto descreve como “praticamente estável”. O cálculo, no entanto, desconsidera o crescimento do primeiro ano tucano, que elevaria o percentual a 6,2%.
    “Deficit de transações é passageiro e não compromete crescimento”, diz título sobre o desempenho do país nas transações de bens e serviços com o exterior. Já o quadro mostra tendência de piora desde 2005.
    Mesmo quando os números usados no boletim não estão errados, outros critérios utilizados ajudam a alavancar os resultados.
    A evolução do salário mínimo, em dólares, aproveita a queda da moeda americana e produz um salto dos valores; o custo da máquina administrativa não contabiliza gastos com pessoal e fica abaixo dos investimentos em infraestrutura.”

    2º link:

    “OUTRO LADO

    Governo reconhece erros e diz que fará correções
    Fazenda diz, no entanto, que não houve intenção de induzir uma leitura favorável dos dados divulgados por Mantega

    DE BRASÍLIA
    A assessoria da Fazenda reconheceu haver erros e impropriedades no boletim divulgado pelo ministro Guido Mantega, mas negou a intenção de induzir uma leitura favorável dos dados.
    A afirmação de que o superavit fiscal está acima de 2% do PIB há 12 anos, informou a pasta, foi equivocadamente incluída no quadro sobre o governo federal.
    O dado se refere aos resultados de todo o setor público, incluindo Estados, municípios e estatais. Nesse caso, a meta de superavit, de 3,3%, também não vem sendo cumprida desde 2009.
    O cálculo do crescimento da renda per capita sob FHC, afirma-se, será corrigido, assim como a informação de que o gasto com juros acumula seis anos de queda. A assessoria diz que, no primeiro caso, os números continuarão mostrando forte aceleração da renda nos últimos anos; no outro, a ideia era mostrar uma tendência.
    Segundo a Fazenda, a taxa de câmbio foi escolhida para demonstrar a evolução do salário mínimo com objetivo de variar em relação ao boletim anterior, de maio, em que o salário mínimo era deflacionado pelo INPC, índice usado para os reajustes anuais.
    A afirmação de que o deficit nas transações de bens e serviços com o exterior é “passageiro”, argumenta-se, baseia-se na expectativa de melhora da economia internacional, alta das exportações e ganhos futuros como o petróleo do pré-sal.
    De acordo com a Fazenda, o conceito de “custeio da máquina administrativa” segue jargão da área técnica e não considera despesas com pessoal, compromissos em saúde, educação e transferências de renda, entre outros.”

  16. Anderson said

    Carlão, vai chorar na caminha vai! haahahahahahahaha

Faça seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: