políticAética

Notícias da Corrupção, Desvios, Anomalias, Eleições e Meio Ambiente

  • Sobre o blog

    Uma coletânea das notícias da corrupção, desvios, anomalias, eleições e meio ambiente que aparecem na mídia todos os dias a partir de agosto de 2008.
  • Categorias

  • Arquivos

  • Páginas

  • Meta

Dilma 47%, Serra 30% e Marina 9%

Posted by Pax em 21/08/2010

Acertos da campanha de Dilma Rousseff e erros da campanha de José Serra se evidenciam na primeira pesquisa de intenções de voto após o início da propaganda eleitoral na rádio e televisão iniciada nesta terça feira passada. O salto à frente da petista é prova inequívoca que colar a imagem da candidata ao presidente Lula é uma estratégia imbatível ainda mais considerando que a oposição se esfacela com sua falta de união e o estabelecimento de uma agenda negativa como principal mensagem batucada por seus cabos eleitorais.

Segundo a notícia da Folha de São Paulo sobre a pesquisa realizada pelo instituto Datafolha ontem, Dilma venceria em primeiro turno se as eleições fossem realizadas neste momento.

Vale ressaltar o trabalho de marketing político realizado pela equipe no programa exibido nesta semana que apresentou Dilma. As propagandas de Serra e Marina receberam críticas até de seus correligionários.

A recuperação de Serra e a possível escalada de Marina parecem cada vez mais difíceis neste momento. O primeiro por oscilar em suas mensagens, ora aparecendo com Lula, ora criticando o governo e a segunda por ter tão pouco tempo de exposição e uma mensagem também confusa que ainda não estimulou o eleitorado insatisfeito com o PT e que não vê no PSDB uma oposição competente.

Dilma abre 17 pontos sobre Serra e venceria no 1º turno, aponta Datafolha

FERNANDO RODRIGUES
DE BRASÍLIA

Na primeira pesquisa Datafolha depois do início da propaganda eleitoral no rádio e na TV, a candidata a presidente Dilma Rousseff (PT) dobrou sua vantagem sobre seu principal adversário, José Serra (PSDB), e seria eleita no primeiro turno se a eleição fosse hoje. A reportagem completa está disponível para assinantes da Folha e do UOL.

Segundo pesquisa Datafolha realizada ontem em todo o país, com 2.727 entrevistas, Dilma tem 47%, contra 30% de Serra. No levantamento anterior, feito entre os dias 9 e 12, a petista estava com 41% contra 33% do tucano.

A diferença de 8 pontos subiu para 17 pontos. Marina Silva (PV) oscilou negativamente um ponto e está com 9%. A margem de erro máxima do levantamento é de dois pontos percentuais. Os outros candidatos não pontuaram. Os que votam em branco, nulo ou nenhum são 4% e os indecisos, 8%.

Continua na Folha de São Paulo…

Atualização: Acabo de ver no blog do Noblat a notícia que o senador Arthur Virgílio (PSDB-AM) apeou da campanha de José Serra como vários outros candidatos do PSDB, do DEM e do PPS. Parece inacreditável, mas não é, a notícia está aqui. Culpa do Serra? Do PSDB? Entendo que vale analisar a situação pois a ausência de uma oposição competente não parece nada interessante para um estado democrático que pressupõe disputa de forças e alternância no poder. Segundo o maior histérico da internet, Virgílio não é tucano, mas um jumento. Procurem no blog do tio a explicação desta afirmação não muito educada e muito menos equilibrada que justifica o entendimento deste blog sobre histeria.

Anúncios

37 Respostas to “Dilma 47%, Serra 30% e Marina 9%”

  1. Chesterton said

    ttp://www.4shared.com/account/document/FhdfVN65/DOUGLASS_Joseph_D_-_Red_Cocain.html

  2. emerson57 said

    bom dia pax,
    “temos um candidato que é cavalo paraguaio”
    até os menos inteligentes estão desmontando.
    agora foi a vez da folha.
    que com esses números, visivelmente tenta se redimir dos apresentados anteriormente.
    tem outra “montaria” igual tentando o governo estadual.
    apesar do aparente favoritismo, perderá.
    quem de fato cumpria o papel de oposição era a “imprensa”.
    será necessário oposição para a sanidade do próximo governo,
    uma oposição que honre o nome.
    que fiscalize, cobre, apresente alternativas.
    está ai a base para formação de um partido para enfrentar o pt.
    necessário. porque os partidos na oposição que restarem dessa eleição não terão representatividade.
    abraço.

  3. Chesterton said

    a folha voltou a imprimir o ENEM.

  4. emerson57 said

    ches,
    faltou na sua indicação acima citar a fonte:
    By: GAYSDEDIREITA
    Joined: 1 year ago
    Send Private Message
    abraço.

  5. Zbigniew said

    O Idelber fez uma crítica à Folha nestas eleições. A Folha também vai ter que se readaptar. O trecho é bem pertinente:

    “(…)
    Por isso, é de uma desfaçatez inominável que a Folha faça um editorial de cônjuge traído, chilique de cornudo(a) que se sente abandonado(a) pelo seu candidato, o mesmo que a Folha teimosamente insiste em não endossar em editorial. Lendo a Folha de hoje, não há como não fazer a pergunta: como é possível que ela não soubesse que essa seria a estratégia, que esses “erros” de Serra, afinal de contas, não são simples erros, mas consequências necessárias da própria concepção de política de Serra nos últimos tempos? Descobriram agora que ele é autoritário, não ouve ninguém, adora conchavos e tem tendência ao autismo político? Onde estiveram nos últimos vinte anos em que lhe ofereceram apoio, editorialistas da Folha? Ou vocês não enxergaram antes porque estavam lá nos bastidores dos conchavos também? Que tal agora descobrir que Serra tem uma política de comunicação baseada no unilateralismo, na troca de favores com os oligopólios e com a distorção mentirosamente neutra da informação? Que tal, por exemplo, fazer uma investigação e revelar como é possível que três funcionários ou membros do PSDB sejam “sorteados” para fazer perguntas num debate aí na sua própria cozinha, Folha? Que tal avançar nas descobertas, Folha?

    A Folha não pode dizer claramente que os “erros” de Serra não foram “erros”, mas consequência lógica e inevitável de uma concepção de política. Afinal de contas, essa foi a concepção na qual a Folha apostou também, a da fabricação de escândalos, falsificação de documentos, a mentira pura e simples e a blindagem vergonhosa em volta do Sr. Serra (ao ponto de jamais terem publicado, por exemplo, jornalismo real sobre os escabrosos negócios da Educação em São Paulo).
    (…)”

    Fonte: http://www.idelberavelar.com/archives/2010/08/serra_e_folha_decadencia_de_um_modelo_de_manipulacao_midiatica.php#comments

  6. Chesterton said

    Emerson 51, o povo brasileiro tá dominado.

  7. Chesterton said

    UM MILHÃO DE DEPENDENTES DE CRACK NO PAÍS a manchete do jornal.

    Lula dá de presente ao Evo indio cocalero uma estrada que só serve para escoar a produção de coca para o Brasil.

    Lula manda votar numa candidata pior que o Tiririca (pior não fica) e o povo obedece….

    Só pode ser efeito de drogas.

    Evo e Lula conduzem uma guerra biológica de baixo impacto e longo prazo contra a população brasileira através da cocaína. E o poço se mostra cada vez mais fundo.

  8. Pax said

    Caro Chesterton,

    Este teu comentário, brilhante, por sinal, me remete a duas constatações:

    1a – que valeu a pena ser de esquerda esse tempo todo.

    2a – que você e teus colegas fizeram um enorma favor à campanha da Dilma.

  9. Chesterton said

    você confessa que valeu a pena sacrificar os viciados e dependentes para atingir o poder e dele usufruir. É esse o risco do fascismo, a união de interesse dos socialistas com os grandes bancos internacionais.
    Pax, fiquei rico com meu trabalho nesse período, mas o dinheiro não me cega como o poder cega você.
    O livro que dei de presente se chama Red Cocaine, e mostra com depoimentos de desertores dos países comunistas como as drogas foram usadas contra o ocidente do mesmo modo como imperialistas usaram contra a China dos mandarins.

  10. Patriarca da Paciência said

    Caramba,

    o comentário nº 7 do Chesterton parece aqueles filmezinhos de 5ª categoria que eram feitos durante a Guerra Fria.

    O cara parece também aqueles japoneses que se esconderam durante a 2ª Guerra e só recentemente apareceram.

  11. emerson57 said

    pax,
    que horror,
    não sabia que voce é o responsável por cada “pedreiro” de todas as cracolândias desse meu brasil.

    sr. ches,
    seus comentários se parecem com a campanha do serra.

    sr. ches, já que dilma é inevitável
    faça como nos ensinou a exprefeita e futura senadora por são paulo.

    abraço

  12. Chesterton said

    A Dilma é sintoma, estou realmente decepcionado. Ninguem quer saber de onde vem esse personagem, que nunca ganhou uma eleição e vai de paraquedas cair na cadeira de presidente. Há riscos enormes nessa manobra do Lula. E olhe que não tenho nenhuma simpatia por Serra, outro papai-sabe-tudo autoritário.

    Os representantes comerciais do EVO e das FARC atuam com desenvoltura no Rio de Janeiro

    http://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/786768-policia-diz-que-chefe-do-trafico-da-rocinha-participou-do-tiroteio-no-rio.shtml

  13. Chesterton said

    A Dilma é sintoma, estou realmente decepcionado. Ninguem quer saber de onde vem esse personagem, que nunca ganhou uma eleição e vai de paraquedas cair na cadeira de presidente. Há riscos enormes nessa manobra do Lula. E olhe que não tenho nenhuma simpatia por Serra, outro papai-sabe-tudo autoritário.

    Os representantes comerciais do EVO e das FARC atuam com desenvoltura no Rio de Janeiro….

    http://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/786768-policia-diz-que-chefe-do-trafico-da-rocinha-participou-do-tiroteio-no-rio.shtml

  14. emerson57 said

    ches,
    “nunca ganhou uma eleição ”
    quercia ganhou várias,
    maluf idem,
    heráclito também,
    yeda crusius,
    joaquim roriz,
    arruda e uma infinidade de outros do mesmo naipe.
    eu fico pensando que o fato da dilma nunca ter tentado nenhum cargo eletivo no passado pode ser positivo.
    dilma chega ao poder minimamente contaminada por essa turma ai.
    pode ser bom.

  15. Chesterton said

    Emerson, sei bem no que dá essas experiências.

    O combate à corrupção não pode ser feito ao custo de rasgar a Constituição. O mesmo vale para outros combates, mas o Ficha Limpa tornou urgente a discussão. A lei, infraconstitucional, não tem o poder de alterar a Carta, ainda que esta seja, no frigir dos ovos, o que os ministros do Supremo Tribunal Federal entendem que ela é.

  16. Carlão said

    Pax e demais companheiros
    Teste de Inteligência Eleitoral
    Copiei da FSP, a seguinte frase dita por Dilma Roussef em comício hoje, em Maua-SP:
    “Pesquisa não ganha eleição pra ninguém. Ganha uma eleição o povo votando no dia 3 de outubro.
    Daqui até lá são mais de 40 dias”.

    (Pat não adianta dizer que esta frase é de Marx/Terêncio.É da Dilma.Ponto.)

    Pergunto aos companheiros de luta, aqui no blog:
    Dilma está falando a verdade (como sempre)
    ou mentindo (como sempre) ???


    Tá bom Pax não precisa responder. Já sei a sua resposta…né?
    (e aproveitando…tem lido o fino biscoito…tá ficando cada vez mais fino.
    Ele afirma querer voltar para o Brasil daqui a uma década e meia (2025/2026).
    E com cidadania e aposentadoria americana (Social Security),por que não é hipócrita.
    …)
    hahaha

  17. Chesterton said

    dilma chega ao poder minimamente contaminada por essa turma ai.

    chest- mas aqui você já está de gozação, tribudiando em cima da minha cabeça. Se aliou ao Collor, ao Sarney, a todo PMDB….você que eles não vão pedir a volta? ora, quanta ingenuidade.

  18. Carlão said

    Lula:
    “A pesquisa de hoje, Dilma, você vai perceber, que você tem mais voto entre os homens que entre as mulheres. Porque nós ainda temos resquícios de preconceito, nós ainda achamos que mulher é sexo fraco, que tem que ganhar menos que o homem. Acabou isso, acabou”, disse Lula, durante comício em Mauá (SP).

    – As companheiras mulheres, pelo jeito são culpadas de preconceito contra as mulheres…os homens não..e isso acabou!
    Acabou o que? Lula bebeu de novo. Dona….. a esposa (como chama mesmo?) concordaria?
    O porre de afirmações estapafúrdias vai até as eleições, pelo jeito.
    Saco.

  19. Jorge said

    Não tem nada a ver a acusação de que Serra colocou o Lula no programa dele por interesses eleitoreiros.
    No link abaixo a prova de que Serra e Lula sempre foram amigos.

    http://www.viomundo.com.br/humor/exclusivo-fotos-provam-que-amizade-lula-serra-vem-de-longe.html

  20. Chesterton said

    18…é uma anta atrás da outra….my god, quem é que vai realmente conduzir este país????? essa dupla de comediantes é que não é.

  21. Chesterton said

    A infantilização do eleitorado brasileiro denunciada pela candidata do Partido Verde, Marina Silva, é um dos sustentáculos da alta popularidade do presidente Lula. E a campanha eleitoral vai se desenrolando de acordo com os planos desenhados por ele à imagem e semelhança do seu governo, praticando o que talvez seja o maior mal que esteja fazendo ao país: a esterilização da política.

    O controle dos partidos através da distribuição de cargos e de métodos mais radicais como o mensalão neutraliza a ação congressual, permitindo a formação de uma aliança política tão heterogênea quanto amorfa, com partidos que em comum têm apenas o apetite pelos benefícios que possam obter apoiando o governo da ocasião.

    A quase unanimidade a favor se deve também ao assistencialismo e à cooptação dos “movimentos sociais”, de um lado, e de outro a uma política econômica que aumenta os gastos com juros, Previdência e programas assistenciais.

    Uma frente que tem, num extremo, o setor financeiro e, no outro, os mais pobres, numa estranha aliança dos rentistas do Bolsa Família com os rentistas financeiros.

    O pragmatismo que rege essa maneira de fazer política fez com que o PT engolisse a candidata oficial, tirada da cartola do ilusionista Lula e literalmente maquiada pela equipe de marqueteiros, que vende ao eleitorado uma persona política tão falsa quanto a favela cenográfica do programa de estreia do candidato do PSDB.

    A ex-guerrilheira, durona e de trato difícil, transformouse em tempo real numa senhora simpática que quer se tornar “a mãe” do Brasil.

    O governo Lula vem acelerando sua transformação, neste segundo mandato, na direção de um Estado nacionalista, populista e patrimonialista, dependente cada vez mais da vontade do líder carismático, que não aceita os limites da lei, muito menos críticas. E se considera “o pai” do “seu” povo.

    A autoestima exagerada provoca sentimento de onipotência que faz o seu possuidor acreditar estar acima das regras que o constrangem.

    Na política, pode produzir ditadores ou, no nosso caso, uma versão pós-moderna do caudilhismo latino-americano, que o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso definiu como um “subperonismo lulista”.

    Essa geleia geral que hoje apoia a candidatura oficial pode ter o mesmo destino do peronismo argentino na era pós-Lula que se avizinha, com diversos grupos disputando o espólio político do lulismo.

    E Lula, fora do governo, querendo controlar os cordéis de seu fantoche.

    Ao mesmo tempo em que aprofunda suas críticas aos órgãos fiscalizadores do Estado, como o Ibama, o Tribunal de Contas da União (TCU) ou até mesmo o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), tentando constrangê-los, o presidente Lula insiste na tentativa de neutralizar os veículos da grande imprensa, no pressuposto de que, com sua imensa popularidade, pode controlar a opinião pública.

    Não é suficiente uma nota oficial para garantir a liberdade de expressão, quando há tentativas concretas, desde o início do governo, de “democratizar” os meios de informação, uma ideia recorrente que vem sendo derrotada desde que primeiramente foi oferecida a debate, com a proposta de criação de um Conselho Nacional de Jornalismo, que fiscalizaria os jornalistas para evitar “desvios éticos”.

    Ela ressuscitou com a aprovação, na Conferência Nacional da Comunicação (Confecon), de um Observatório Nacional de Mídia e Direitos Humanos para monitorar a “mídia” e é similar à proposta contida no Programa Nacional de Direitos Humanos de punir os órgãos de comunicação que transgredirem normas a serem ditadas por um conselho governamental.

    A questão é que, quando o governo fala em democracia, não está se referindo aos regimes em vigor no mundo ocidental, mas aos regimes bolivarianos gerados a partir do autoritarismo chavista na Venezuela, onde Lula acha que há “democracia até demais”.

    Não é simples coincidência que tanto lá quanto na Argentina dos Kirchner os meios de comunicação são perseguidos ou coagidos com base em legislações nascidas de poderes cada vez menos democráticos.

    E também não é mera coincidência que esses regimes esquerdistas da América do Sul tenham sua gênese no Foro de São Paulo, uma reunião da esquerda da América Latina que Lula e Fidel Castro organizaram em 1990 para o estabelecimento de uma estratégia comum, na definição do próprio Lula em discurso.

    O problema é que o Foro de São Paulo abrigava na sua fundação não apenas partidos políticos de vários matizes da esquerda, mas também organizações guerrilheiras como as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farcs) ou a Unidade Revolucionária Nacional Guatemalteca (UNRG), consideradas terroristas, acusadas de tráfico de drogas e outras atividades criminosas.

    Negar a relação do PT com as Farcs é imaginar que não existam registros confirmando, como uma entrevista de Raul Reys, o número dois das Farcs que morreu recentemente em confronto com o exército da Colômbia, contando como conheceu Lula num desses encontros.

    As Farcs classificaram certa vez em nota oficial o Foro de São Paulo como “uma trincheira onde podemos encontrar os revolucionários de diferentes tendências, e diferentes manifestações de luta e de partidos (…)”.

    A continuidade dessa política de aparelhamento do Estado é o que está em jogo nestas eleições, e é por isso que o presidente Lula está tão empenhado em vencêlas, e não apenas elegendo sua candidata à Presidência da República.

    A estratégia de tentar influenciar a eleição do Congresso, sobretudo a do Senado, tem por trás o desejo de abrir caminho para aprovar legislação que aumente o controle do governo sobre o Estado brasileiro e, eventualmente, sobre a sociedade, através da “democracia direta”, à base de plebiscitos.

  22. Chesterton said

    Merval pereira

  23. Chesterton said

    E o Lula que não sabia o que era o FSB…

  24. Patriarca da Paciência said

    Infantil, patético mesmo, é achar que a grande maioria do eleotorado brasileiro é “burro”, como o fazem o Serra e alguns jornalistas e comentaristas.

    Dilma vai ganhar no primeiro turno e essa turma continua com a mesma “cantiga de perua”, herança do “positivismo” (o povo não sabe o que é bom para si) e os 400 anos de escravidão (que tornaram vergonhoso o trabalho físico).

    Continuem, “grandes sabichões”. O povo é que não é bobo igual a vocês.

  25. Carlão said

    Jorge

    Estou esperando o Lula entrar com ação pessoal contra Serra, por uso de imagens públicas
    do futuro ex-presidente e do ex-governador, se relacionando.
    O TSE jogou a bola nas mãos de lula.
    Estou apostando que ele vai amarelar, de novo.
    Vai pintar o maior silêncio…aqui no blog sobre
    este assunto.
    hehehe

  26. Patriarca da Paciência said

    Silêncio mesmo é o do índio, que nunca mais sequer exigiu apito!

  27. Carlão said

    Pat&Pac

    Sei não…mas acho melhor calar a boca do que abrir a boca pra contar historinha infantis sem pé nem cabeça na TV! E no horário eleitoral:
    “Tem uma cena da minha infância que eu não esqueço, apareceu um menino na porta da minha casa querendo comer, eu tinha uma nota de dinheiro, rasguei e dei metade a ela”.
    Medeus…
    “Dilma Rousseff, na propaganda eleitoral na TV, ao contar pela milésima vez que a história do neurônio solitário que rasgava dinheiro na infância,
    sem esclarecer por que deu metade da cédula a “ela”, se quem bateu na porta querendo comer foi um menino”.


    Na minha opinião, o povo brasileiro não é bobo, mas está sendo neste momento iludido por lula
    para tentar eleger a Dilma a qualquer custo. Mais do mesmo. Diz a propaganda.
    Mas Dilma não é aquela Brastemp ®! Diz a Oposição.
    Afinal Dilma é ou não é aquela Brastemp ®?

    Você Patriarca e Paciência é que ainda não se deu conta da propaganda enganosa… e fica brincando de “índio e apito”.
    Nostalgia? Obsessão? Regressão Anal?
    Então vamos lá!
    Vem pra Caixa ® você também! e Lula não sabia do Mensalão!
    Tosse bronquite ou rouquidão? Xarope São João®! e Lula recomendou!
    Dilma é aquela Brastemp ®! e Lula já comprovou!
    Patriarca e Paciência é uma gracinha. Diria Hebe Camargo® na TV! Ele acredita em tudo!

    tsk,tsk,tsk! LOL

    PS.O que isto tem a ver com o “socialismo” do Pax…eu sei lá.
    Talvez seja nostalgia. Ele até parou de elogiar o Alon!…Por que?
    Taco Bell® | Think Outside The Bun!
    Alon pensa fora do pãozinho!
    O fino biscoito não gosta de pensar fora do pãozinho.
    Prefere McDonalds® |I’m lovin’it!
    o biscoito adora o pãozinho!
    Isto sim é que é marxismo!
    Entendeu a diferença Pat&Pac?
    Never mind!
    hehe

  28. Pax said

    Caro Carlão,

    Vou tentar a ironia com você também, pra ver se dá certo:

    Aqui, ó: http://palavraterapia.files.wordpress.com/2008/11/domquixote.gif

  29. Pax said

    Sugestão de leitura: o último post do Josias de Souza

    Jefferson: Serra fez ‘mal uso’ do tempo que PTB deu

    http://josiasdesouza.folha.blog.uol.com.br/arch2010-08-01_2010-08-31.html#2010_08-22_20_15_11-10045644-0

    Ou seja, a aliança esfacelou-se. Difícil momento para o Serra.

  30. Zbigniew said

    Pax, interessante com o bob jefferson tornou-se termômetro da candidatura Serra. É realmente o fundo do poço. E com o índio quem?, não tem como sair de lá. Aliás, não me causa espanto a posição política das pessoas. Mas acho interessante sabermos porque o “orgulho e preconceito” é tão enraizado nos neo-udenistas de plantão. E o interessante é que não há nada de novo no discurso. Do sítio da Carta Maior:

    “O ‘AMIGÃO VISTO PELO RETROVISOR

    Em outubro de 2002, em momento igualmente desfavorável como candidato de FHC contra Lula, Serra que hoje se apresenta como o novo amigão do peito do Presidente da República, dizia coisas distintas sobre o adversário. A tese da ‘inexperiência’ e do ‘despreparo’ para chefiar o país ,agora endereçada contra Dilma Rousseff, era recorrente na boca do tucano e da mídia que o apoiava. Em vez da ‘mulher inexperiente, que nunca foi eleita para nada’, o alvo era o metalúrgico ‘ que nunca administrou nada’, como alardeava a matraca conservadora do candidato e de sua entourgae. Liderar sindicatos e conduzir greves históricas, como se sabe, pertence ao universo do nada na visão do conservadorismo nativo, que já nasce póstumo graças a uma vocação inata para mandar e ser obedecido. Inclui-se entre os clássicos dessa visão da casa-grande, o episódio-síntese da cordialidade do serrismo em relação a Lula. Em plena campanha, o herdeiro de conhecido jornal de São Paulo, em almoço na sede da empresa, apontaria seu dedo magro e deselegante para Lula a ponto de causar constrangimento no próprio pai, então diretor do veículo e hoje falecido. Apoplético, o filho que atende pelo diminutivo, desautorizou o candidato-operário a postular a presidência entre outras coisas por não ter diploma universitário e não falar inglês. Ontem, como hoje, mídia e candidato tucano operavam na cadência de um jogral. Se o petista vencesse as eleições –como de fato venceu e gerou 14 milhões de empregos até agora– o Brasil, de acordo com a pregação do tucano, seria palco de uma inevitável tragédia econômico financeira, associada a devastadora desestabilização política. Segundo o ‘amigão’, Lula na presidência cindiria o Brasil, a exemplo do que já ocorria, segundo ele, na Venezuela. Índio da Costa era só um aspirante a picollo balilla, mas o udenismo lacerdista já maturava no arsenal político de Serra, a inocular na classe média o veneno de um apartheid social cevado a uma dieta de medo, mentiras e arrogância. Com Lula, alardeava o serrismo, haveria uma argentinização da economia. O desemprego e a inflação explodiriam. Ao jornal Gazeta Mercantil , o tucano ardiloso gotejava em 9 de outubro de 2002 o mesmo bordão que agora martela contra Dilma: “Precisamos mostrar quem está mais preparado e mais cercado de forças políticas capazes de garantir a governabilidade”. Diante da escalada terrorista, dias depois, o saudoso economista Celso Furtado faria um desabafo incomum para um homem público conhecido pelo estilo reservado e austero. Aspas para as atualíssimas observações do grande economista brasileiro ao site de campanha do PT, em 13-10-2002. ‘O Serra está aperreado. Como ele vê que todos os apoios vão para o Lula, ele se destempera, diz coisas descabidas, tenta juntar fatos sem nexo. Mistura tudo, Brasil, Venezuela, descontrole cambial e eleições. Um pouco mais de seriedade. O Brasil precisa de seriedade. Existe uma expressão francesa para definir esse comportamento [de Serra]: aux bois, quer dizer, ladrando a torto e a direito. Enfim, o sujeito está no sufoco, fala qualquer coisa. É o fim de festa’.”
    (Carta Maior; 22 -08)

  31. Carlão said

    Pax
    Na mosca.
    Estou muito ansioso mesmo. Cada um escolhe seus heróis, conforme a época.
    (D.Quijote de La Mancha y Sancho Panza de 1605)
    No livro de Cervantes, Sancho Panza, era apenas uma pessoa servil desprovida de preocupações intelectuais.
    Os tempos mudaram.
    No Brasil de 2010, D.Quijote é da Oposição. Sancho Panza da Situação(o operário comilão) quer eleger Dulcinea del Toboso, a formosa quase-virgem candidata para presidente.
    Sai Sancho Panza(o operário comilão) e entra Dulcinea del Toboso…. e tem mais: (Pat fica tranqüilo!não vou falar de você)
    Rocinante o cavalo pangaré de Cervantes, agora é um marxista americano e tem até um blog. E mais, leciona numa Universidade Americana.
    Leciona o que?
    Novistória marxista brasileira! recolhendo ao US Social Security todo santo mês.
    As últimas:
    – Serra e Folha: Decadência de um modelo de manipulação midiática
    -Autocrítica do dunguismo de esquerda
    – Baile de Dilma no primeiro dia de TV; Serra inventa a favela de plástico
    -A estupefação dos vestais: Sobre “Ficha Limpa”

    Putz! o cara “roncina” como ninguém!

    E tudo por uma “boquinha” em dólares, menor que o salário de uma cozinheira competente aqui nos US. McDonalds® |I’m lovin’it! e por mais uma década e meia…de social security, rapá!
    hehe
    Tenho ou não razão para estar ansioso? Rocinante,Sancho Panza e Dulcinea del Toboso rewind é aterrorizonte!
    Cruz Credo!

    Ah Pax você não foi mencionado no livro.
    Como diria o Patriarca…paciência!

    ah e o Alon…Pax? esqueceu…de novo.
    tsk,tsk,tsk (3 muxoxos)
    Shame on you!

  32. Chesterton said

    Alon é o cara.

  33. Elias said

    A revista Veja desta semana é bem um exemplo da falta de rumo, de senso e de vergonha da oposição.

    A matéria de capa é “A pesca dos indecisos”. Fala do esforço que os candidatos terão que fazer pra conquistar a preferência dos indecisos.

    Na ilustração da capa, Dilma, Serra e Marina, nesta ordem, figuram como iscas de anzóis. O anzol de serra pescou algo (o “c” de indecisos). O de Marina também (o “o”). Só Dilma, com os olhos esbugalhados, tenta se aproximar dos indecisos, sem êxito…

    Ou seja: exatamente o oposto do que está acontecendo…

    Dentro da revista, a coisa piora (passo um tempão sem ler a Veja; quando o faço, me espanto com a capacidade da revista de se afundar — e de chafurdar — no anti-jornalismo). Veja parece um panfleto de estudantes de direita.

    Um monumento à mediocridade! À burrice politicamente emburrecente.

    Quase ao mesmo tempo — quem sabe, antecipando o que virá — alguns bate-paus da imprensa tida e havida como “grande” começam a abandonar a canoa tucana, na qual, o índio do Serra também parece ter desistido de remar (também, pudera: ele remava pra trás…).

    E essa imprensa (ex-serrista?), como é praxe em todo derrotado de véspera, já começa a cruzar cabra com periscópio pra tirar bode expiatório.

    No momento, o melhor candidato a bode é o próprio Serra. Já foi abandonado pelo seu partido na maioria dos Estados. Se for deixado ao sol e à chuva pela tal “grande” imprensa, poderá perder mesmo no 1º turno. A meu pensar, ele tem menos de 2 semanas pra reverter o jogo (algo tão difícil de fazer que nem lembro se alguém já conseguiu).

    Sua carreira política corre sério risco de acabar em outubro. Provavelmente vai sobreviver na política paulista, como deputado ou — mais dificilmente — como senador.

    Uma vez derrotado, Serra vai apanhar mais do que boi ladrão! E quem vai bater nele são seus atuais — e, já agora, alguns assumidamente “ex” — companheiros de jornada.

    Vão jogar no lombo dele toda a culpa pela mediocridade da campanha tucana.

    Como se eles próprios não fizessem parte dessa mediocridade! Como se eles próprios não fossem os principais responsáveis por ela…

    De qualquer modo, agora é a hora da jagunçada entrar em campo. Os ataques a Dilma, a Lula e ao PT ficarão cada vez mais desesperados e, por isto mesmo, mais violentos e nojentos.

    Sem outra alternativa política, a oposição terá que apelar pra baixaria em grande escala. Deixará que porcada assuma a administração da pocilga.

    Mas, com os olhos no próprio futuro, os donos dos porcos discretamente se colocarão à sombra, e tentarão manter prudente distância da porcaria que a porcada fará.

    Em português de botequim: os donos dos porcos vão desertar da campanha tucana e vão dizer que nada eles nada têm a ver com imundície em que essa campanha provavelmente mergulhará.

    É o que esta semana talvez nos reserve.

    Claro que a porcada não conseguirá nada pra Serra, a não ser, talvez, colar nele a imagem de um candidato derrotado e sujo.

    É de se ver se, pelo menos isso, Serra será capaz de evitar.

    Tenho cá minhas dúvidas… Até porque Serra já começa a exibir tiques de desepero.

    É pena… Ele poderia mostrar que sabe morrer bem.

  34. Pax said

    Caro Carlão,

    Tenho absoluta certeza que tua hombridade não te impedirá de colocar suas manifestações sobre o blog do Idelber in loco.

    Uma hora entendo o que você quer que eu traga do bom blog do Alon para cá, continue se esforçando porque realmente não entendi o que você quer.

    Talvez seja porque de um tempo para cá teus comentários tenha passado para algo parecido com trollagem e eu tenha passado batido em alguma das tuas colocações. Talvez, não tenho certeza. O que foi que o Alon disse de tão importante que este blog – que não tem nenhum compromisso de seguir a pauta de qualquer outro – tenha esquecido? (desculpe-me a absoluta sinceridade).

  35. Pax said

    Caro Elias,

    Ontem assisti o programa da Band com o Sérgio Guerra, no fim da noite. Já meio sonado, mas assisti alguns pedaços em estado de vigília. E confesso que gostei da postura do presidente do PSDB não se entregando e afirmando que Serra irá ao segundo turno. Lembrou das eleições de 2006 na qual tudo indicava que Lula ganharia no primeiro turno mas Alckmin foi para o segundo.

    Enfim, entendo que Sérgio Guerra está fazendo o seu papel com dignidade, muito diferente de outros que abandonaram o navio no primeiro sinal de naufrágio, sem vontade alguma de lutar, o que me parece uma covardia sem tamanho.

    Como já naveguei por aí, sei que desistir ao primeiro buraco no casco, significa morrer mesmo. No meio de um oceano não existe socorro rápido e fácil. Aqui não uso metáfora não, falo de experiência de vida.

  36. Elias said

    Pax,

    O que eu acho que, daqui por diante, prevalecerá cada vez mais, na campanha tucana, o conteúdo histérico, o baixo calão.

    O irônico é que talvez seja exatamente essa a razão pela qual o Serra está sendo derrotado com uma facilidade que ninguém, nos mais loucos sonhos, imaginou que haveria.

    Tanto quanto desistir no primeiro rombo, se deixar levar por esses maluquetes histéricos e descabelados também não é morrer bem…

    Também concordo com você quanto ao Sérgio Guerra. Deve-se lutar até o último minuto, porém sem perder a compostura. Se tiver que morrer, que seja… mas que seja com dignidade.

    A médio e longo prazo isso vai contar pra caramba. Afinal, o mundo não acaba nesta eleição, né?

    Quero é ver o Sérgio Guerra convencer disso o pessoal que, diante de uma derrota iminente, prefere jogar no pisão…

  37. Chesterton said

    autoritarismo?

    http://turmadochapeu.com.br/blog/

Faça seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: