políticAética

Notícias da Corrupção, Desvios, Anomalias, Eleições e Meio Ambiente

  • Sobre o blog

    Uma coletânea das notícias da corrupção, desvios, anomalias, eleições e meio ambiente que aparecem na mídia todos os dias a partir de agosto de 2008.
  • Categorias

  • Arquivos

  • Páginas

  • Meta

Dilma dispara e abre 20 pontos

Posted by Pax em 26/08/2010

A última pesquisa Datafolha aponta um crescimento de Dilma Rousseff nas bases onde Serra ainda vencia, em SP, RS e PR. Outra constatção importante é o crescimento da candidata nas faixas de maior poder aquisitivo, outro reduto de votos de José Serra.

O resultado da pesquisa: Dilma 49%, Serra 29%, Marina 9%.

Veja a notícia da Folha de São Paulo abaixo:

Dilma abre 20 pontos e já ultrapassa Serra em SP e no RS

FERNANDO RODRIGUES de Brasília

A candidata do PT a presidente, Dilma Rousseff, manteve sua tendência de alta e foi a 49% das intenções de voto. Abriu 20 pontos de vantagem sobre seu principal adversário, José Serra, do PSDB, que está com 29%, segundo pesquisa Datafolha. Os contratantes do levantamento são a Folha e a Rede Globo.

Realizada nos dias 23 e 24 com 10.948 entrevistas em todo o país, o levantamento também indica que Dilma lidera agora em segmentos antes redutos de Serra. A petista passou o tucano em São Paulo, no Rio Grande do Sul e no Paraná e entre os eleitores com maior faixa de renda.

Em São Paulo, Estado governado por Serra até abril e por tucanos há 16 anos, Dilma saiu de 34% na semana passada e está com 41% agora. O ex-governador caiu de 41% para 36%.
Na capital paulista, governada por Gilberto Kassab (DEM), aliado de Serra, ela tem 41% e ele, 35%.

No Rio Grande do Sul, a petista saiu de 35% e foi a 43%. Já Serra caiu de 43% para 39% entre os gaúchos.

A margem de erro máxima da pesquisa é de dois pontos percentuais, para mais ou para menos. Todas as oscilações nacionais se deram dentro do limite.

Dilma tinha 47% na sondagem do dia 20 e foi a 49%. Serra estava com 30% e agora tem 29% Marina Silva (PV) manteve-se em 9%. Há 4% que dizem votar em branco, nulo ou em nenhum. E 8% estão indecisos. Os demais candidatos não pontuaram.

Se a eleição fosse hoje, Dilma teria 55% dos votos válidos (os que são dados apenas aos candidatos) e venceria no primeiro turno.

Serra se mantém ainda à frente em alguns poucos estratos do eleitorado. Por exemplo, entre os eleitores de Curitiba, capital do Paraná, onde registra 40% contra 31% de sua adversária direta.

Continua na Folha…

Anúncios

34 Respostas to “Dilma dispara e abre 20 pontos”

  1. Pax said

    Minha única análise deste momento é que a campanha de Dilma no horário eleitoral realmente está muito melhor que a campanha de Serra. Indiscutível.

    Somos uma minoria que acompanha política no dia-a-dia, que gostamos do noticiário, que participamos em blogs. A maioria acha o assunto chato, infelizmente.

    Ao entrar a campanha atual nota-se que o marketeiro de Dilma preparou mensagens muito bem feitas em cima da estratégia de colar a imagem de Dilma em Lula, e mostrá-la para os eleitores, contando sua história etc.

    Não estou aqui fazendo qualquer análise política, o que fazemos todos os dias, estou, sim, olhando uma questão absoluta de marketing. Serra perdeu neste quesito também, é indiscutível. O resultado está aí.

    Some-se a isso as flechadas que Serra vem recebendo de sua próprio (um vice bobo que fez questão de fazer estragos logo na chegada), aliados do próprio PSDB que debandam e outros aliados que nem o diabo gostaria de ter, como Roberto Jefferson e outros.

    Enfim, situação difícil para Serra. Muito difícil.

    (sem contar que o novo índice de aprovação de Lula passou de 77 para 79% entre ótimo e bom)

  2. Jorge said

    Dilma passou Serra no Estado de São Paulo e na capital paulista. Na família, meu irmão estava em dúvida entre Serra e Dilma, mas depois do Indio Brasil cravou Dilma. Os indiotas afundaram o Psdb. Agora é o Mercadante ir para o segundo turno. Cada vez mais real.

  3. Patriarca da Paciência said

    Sinceramente, eu estava achando que o Datafolha estivesse usando de uma tática diferente, ou seja, depois de manipular os números da Dilma para baixo, estivesse manipulando os números da Dilma para cima e… depois começasse a manipular os números para baixo novamente para mostrar que a “Dilma está caindo”.

    Mas a verdade é que a coisa é tão evidente que não há mais como esconder. Vai ser mesmo uma avalanche!

  4. Elias said

    Acho que, a partir de agora, o que está em cheque não é mais a candidatura do Serra.

    É o próprio futuro do PSDB.

    A partir de 1993 o PSDB se tornou um partido de costura fraca. Seu crescimento se deu na esteira do sucesso de FHC e do Plano Real.

    Um exemplo de “peessedebista” é o Albano Franco. Durante o regime militar ele era da Arena, depois PDS. Veio a eleição do Tancredo e Albano Franco imediatamente entrou no PMDB. Quando Collor foi eleito, Albano passou para o PRN. Aí chegou a era FHC, fazendo de Albano Franco um social-democrata desde menino…

    Não se pode contar com gente assim, pra atravessar uma tempestade.

    Essa é a turma da costura fraca: aquela que se rompe à primeira pressão.

    Acontece que o PSDB inflou com gente assim. Tá cheio de gente assim…

  5. Jorge said

    Elias, se perder SP (2 orçamento do Brasil), já era.
    Ganhando em SP e Minas, terá sobrevida. Ganhando em um só estado, indefinido. De modo geral haverá uma vitória da esquerda nos estados. E no Congresso, o que pode abrir caminho para avanços sociais na legislação.

    O futuro do Brasil nunca foi tão promissor.

  6. Elias said

    A capa da Veja da semana passada foi uma charge onde Serra e Marina pescavam indecisos. Só Dilma não conseguia pescar ninguém…

    Há um tempão que venho avisando: Veja dá azar!

    Alguns militantes do PT estão formando uma comissão. Querem elaborar um abaixo-assinado contendo milhões de assinaturas, colhidas em todo o Brasil.

    O documento é um apelo aos editores da revista Veja. Um pedido para que essa revista nunca, em nenhuma hipótese e sob qualquer pretexto, publique uma matéria elogiando o PT.

    Os Civita têm pava…

  7. Elias said

    Jorge,

    Ao que parece, a direção nacional do PSDB já decidiu que só vai investir na campanha em SP, PR, MG e GO. Desistiu até mesmo do PA e do PI, onde, até há uma semana, o partido tinha boas chances de vencer.

    Fazer uma declaração desse tipo praticamente implica dizer que abandonou à sua própria sorte o candidato tucano a presidente.

    De minha parte, não gosto nem um pouco da hipótese de se ter, no futuro próximo, um PSDB esfacelado.

    É a velha história: em política não existe espaço vazio. Se o PSDB murchar ou sumir, o espaço que ele deixar será imediatamente ocupado.

    E aí cabe a pergunta: por quem?

    Se a liderança da oposição for assumida pela direita, poderemos ter pela frente algumas crises institucionais.

    A direita latino-americana, como sabemos, é golpista. E a direita brasileira, excepcionalmente obtusa, jamais fez questão de fugir à regra. Antes pelo contrário, confirma essa regra feito doida que é.

    Vendo-se incapaz de chegar ao poder pelas urnas, ela costuma tomar — ou, pelo menos, tentar tomar — atalhos, pelo rompimento do processo democrático.

    Primeiro ela inventa um inimigo, qualquer que seja. Depois, ela inventa que o inimigo está prestes a romper com a ordem constitucional. Aí, pra “evitar” que o inimigo rompa com a ordem constitucional, ela… rompe com a ordem constitucional.

    Em 1964, a direita proclamou aos 4 ventos que os comunistas estavam prestes a tomar o poder no Brasil.

    Aí deu o golpe, sem disparar um único tiro…

    Minto: no dia 1º de abril de 1964, foram disparadas algumas salvas de canhão no Forte de Copacabana, pra saudar a visita de Castello Branco àquela instalação militar. As salvas acabaram sendo interrompidas, porque os moradores da vizinhança ficaram assustados com o barulho.

    Foram os únicos tiros disparados durante o golpe.

    Se os comunistas estivessem, assim, tão preparados como disseram os golpistas, duvido que a coisa houvesse rolado com tanta facilidade.

    Dê uma geral na América Latina, e você verá que algo igual ou parecido aconteceu num porrilhão de países. Com muito mais ou menos tiros; com muito mais ou menos sangue…

    É um treco complicado. Muita gente acha que golpista deve ser tratado na porrada (eu, p.ex., penso assim). Acontece que, ao baixar a porrada nos golpistas, você periga se tornar um deles, ainda que com o sinal trocado.

    Melhor, mesmo, é não se ter golpista, de nenhum dos lados. Isto acontece quando se dispõe de partidos políticos bem estruturados, política, material e ideologicamente.

    E é isso que favorece a alternância no poder, que está para a democracia assim como o oxigênio está para a vida.

    Pode ser que Aécio Neves & adjacências tenham pela frente uma tarefa muito mais braba do que ele mesmo, talvez, tenha suposto inicialmente…

  8. Jorge said

    Elias, vou pensar sobre o que voce disse.

  9. Chesterton said

    A lógica da máfia sindical

  10. Chesterton said

    E é isso que favorece a alternância no poder, que está para a democracia assim como o oxigênio está para a vida.

    chest- Elias parece, mesmo que de muito longe, perceber os riscos que corremos. Ainda que aposte em golpe do outro lado (para camuflar a máfia sindical que domina a política nacional).
    Pergunto: que democracia é essa onde os 4 candidatos mais fortes a presidencia da república são de matiz marxista? Uns mais ilustrados que outros, mas todos “por um mundo melhor” (sem dizer quem paga a conta).
    Que alternancia de poder é essa que o poder se alterna sempre entre as esquerdas, as vampirescas e as de luva?

  11. so nas urnas vamos saber da verdade

  12. Elias said

    Chester,

    O comunismo é uma ideologia falida. Acabou!

    Comunistas tomarem o poder no Brasil? Mais fácil é o São Raimundo Esporte Clube de Jaburutirica vencer o campeonato mundial de futebol de clubes…

    Esse é um dos problemas de vocês, da direita brasileira. Principalmente a ala hidrófoba da direita nacional.

    Vocês vivem da indústria do medo. Toda a estratégia política de vocês se baseia na indústria do medo e do messianismo.

    Pra vocês, a luta política se resume nisso: “há um inimigo à espreita. Ele vai detonar com o sistema. É necessário impedir isso. Quem impedirá? Nós, a direita. Nós vamos salvar o país, o sistema, o planeta…”

    Parece argumento de filme de ficção científica de 5ª categoria…

    Quem acredita nisso? Quem engole essa baboseira? Só os muito ingênuos, os muito estúpidos e os muito doidos.

    Durante décadas, o monstro foi o comunismo. Era preciso impedir que os comunistas tomassem o poder.

    Aí o comunismo acabou e vocês ficaram sem bandeiras.

    Só que, em vez de se atualizar, vocês preferiram manter o comunismo como um cadáver insepulto, mal conservado em formol.

    É como se vocês só conseguissem justificar a própria existência como contraparte ao comunismo. Daí que vocês necessitam continuar encarando o comunismo como ameaça porque, sem ele, vocês temem desaparecer.

    Pura flatulência política!

    O resultado é essa linha política anacrônica e ridícula, cada vez mais restrita a um gueto ideológico onde vociferam um ou outro doidivanas só ouvidos por seu similares.

    Por isso é que vocês estão cada vez menores, cada vez mais inexpressivos, cada vez mais insignificantes para o jogo político, num quadro democrático.

    Se vocês dessem uma olhada na Europa, vocês descobririam que, pra ser de direita, não é necessário ser cretino.

    Sai dessa, rapaz!

  13. Chesterton said

    Elias, vamos combinar o seguinte. Não vai haver desrespeito a propriedade privada, não vai haver invasões, o MST para de emcher o saco, a carga tributária cai a niveis toleráveis, os jornais não serão perseguidos (a la Kirchner), o governo para de apoiar as FARC, Lula deixa de visitar todo e qualquer ditador que exista no mundo, o PT pare de elogiar Chaves, comecem a criticar a perpetuação desse idiota na presidencia da Venezuela, os sindicatos ficam proibidos de aparelhar o estado, as escolas publicas param de fazer propaganda ideológica elogiando Cuba, Cuba deixa de ser um ideal politico e passa a ser criticada pela ditadura que é….aí eu começo a respeitar as esquerdas. Ok?

    Cretino é seu progenitor.

  14. Chesterton said

    O que o PT conserva da herança esquerdista é o dirigismo, a vocação autoritária, o entendimento de que a sociedade deva ser conduzida por um ente de razão que é, a um só tempo, supra-histórico e encarnação da própria história.

    chest- do Reinaldão, em texto ótimo. Mostra que o PT pretende se adonar do que não lhe pertence em absoluto.

    A crítica ao estelionato eleitoral não pode e não deve se esgotar nas muitas vezes em que o partido nega seu passado. Eis uma acusação a que a cúpula partidária responde com conforto: ora evoca a sua maturidade, ora confessa as “bravatas”, ora atribui suas ações à herança maldita.

    Atrevo-me a propor um ponto de vista e uma consideração que me parecem novos: para o PT, “trair” o seu ideário era parte do jogo. Até porque não havia propriamente um ideário, mas a determinação de construir o partido como ente de razão.

    http://veja.abril.com.br/blog/reinaldo/geral/a-incrivel-e-triste-historia-da-joaninha-boba-e-da-vespa-desalmada-ou-para-luiz-carlos-mendonca-de-barros/

  15. Chesterton said

    O Moderno Príncipe, desenvolvendo-se, subverte todo o sistema de relações intelectuais e morais, uma vez que seu desenvolvimento significa, de fato, que todo ato é concebido como útil ou prejudicial, como virtuoso ou criminoso, somente na medida em que tem como ponto de referência o próprio Moderno Príncipe e serve ou para aumentar o seu poder ou para opor-se a ele. O Moderno Príncipe toma o lugar, nas consciências, da divindade ou do imperativo categórico, torna-se a base de um laicismo moderno e de uma completa laicização de toda a vida e de todas as relações de costume”.

    Gramsci

  16. Chesterton said

    Ocupar um cargo público é, digamos, uma honraria na hierarquia dessa teologia. Se não contribui, não tem cargo. E isso escancara uma evidência: o PT se considera o dono natural e original dos recursos que pagam os eleitos e nomeados. Estes seriam meros intermediários dessa posse.

  17. Elias said

    Chester,

    Eu não te pedi pra respeitar a esquerda.

    Eu só disse que pro sujeito ser de direita não necessita ser cretino.

    Esse negócio de apelar para ofensas à família bem demonstra a tua incapacidade de argumentação.

    O que faz de ti mais cretino, ainda.

    Mas não vou dizer que teu mal é hereditário (mesmo que seja).

    Não vou ofender teu pai, embora só o fato de te ter expelido já o deixe em dívida com a humanidade.

    Até toparia em ir mais além, caso não protegesses tua agressividade sob o manto de um conveniente pseudônimo.

    O que faz de ti um cretino covarde e frouxo.

    De qualquer forma, Chesterton, fica o convite: aparece, pra gente discutir politicamente…

  18. Pax said

    Caros Elias e Chesterton,

    Vocês nunca se entenderam e agora deram de brigar?

    =)

    Eu bem que bancava uma caixa de cerveja para estar neste encontro.

  19. Chesterton said

    Esse negócio de apelar para ofensas à família bem demonstra a tua incapacidade de argumentação.

    chest- sei, ofender a familia é falta de argumentação, chamar o oponente de cretino é o supra-sumo da capacidade argumentativa. Ora, vá se catar.

    Até toparia em ir mais além, caso não protegesses tua agressividade sob o manto de um conveniente pseudônimo.

    chest- Pax tem meu nome, sobrenome, endereço e telefone.

  20. Chesterton said

    Em campanha no Sul do País, a candidata Marina Silva, do PV, fez críticas em relação ao desconhecimento geral sobre a biografia da candidata do PT, Dilma Rousseff. Em café da manhã em Curitiba nesta quinta-feira, 26, com lideranças do PV paranaense, Marina pediu ao povo brasileiro que “pense duas vezes” antes de fazer suas escolhas. “Que o povo brasileiro pense duas vezes antes de entregar o futuro do Brasil para quem não conhecemos direito”, disse ela. Marina fez uma comparação entre algumas figuras da política nacional para questionar a experiência de Dilma.”Nós conhecemos o presidente Lula, a gente conhecia o Fernando Henrique Cardoso, a gente conhece o Serra – eu discordo dele, mas conheço. O povo pode até discordar de mim, mas me conhece. Eu estou aí há 16 anos na política nacional”, afirmou Marina. E em seguida concluiu: “Mas, com todo respeito à ministra Dilma, nós não conhecemos ela nesse lugar de eleita. Conhecemos como ministra de Minas e Energia, da Casa Civil e até respeitamos o trabalho dela, mas daí a ser presidente da República?”.

  21. Chesterton said

    Aí em cima é do Estadão. falando nisso, cad~e o PD?

  22. Chesterton said

    Ei, A Dora Kramer é uma cretina de direita!

    Dora Kramer:
    Meta comum. Os caminhos são diferentes, mas o objetivo dos governos da Venezuela, da Argentina e do Brasil é o mesmo: tutelar a sociedade e assegurar trânsito livre de críticas aos respectivos projetos de poder, por intermédio do controle da informação.
    O governo Lula ensaia, recua e insiste em manietar a imprensa por meio de instâncias colegiadas e sugestões corporativas. Os Kirchner alteram as leis para prejudicar os grandes grupos de comunicação.Chávez é explícito. Hoje prende e arrebenta, mas nem sempre foi assim, embora caminhe nesse sentido desde o início. Os fascinados por “governos do povo” – os bem-intencionados, não os vendidos – é que não percebem o andar da carruagem do autoritarismo.
    Só se dão conta e protestam quando suas vozes já não podem mais ser ouvidas

  23. Pax said

    Chesterton,

    Endereço e telefone? Tenho não cara… nunca tive.

    Nome e sobrenome tenho porque você mandou por engano. Nunca saiu daqui, como prometido. E nunca sairá.

  24. Elias said

    Chester,

    Não quero saber teu nome ou sobrenome. Isso fica pros teus.

    Quero apenas saber se, cara a cara, tens a mesma valentia…

  25. Pax said

    Prezados,

    Acho que já faz uns 5 anos, ao menos, que vocês dois vivem neste entrevero.

    Algumas vezes me lembro, não sei porque, disso aqui:

    http://www.2001video.com.br/detalhes_produto_extra_dvd.asp?produto=4846

  26. Pax said

    =)

  27. Pax said

    Agora me lembrei do Mr X, enorme e desengonçado Mr X, outro que se perdeu em olareinalmainardices. Uma pena, o desengonçado era, muitas vezes, bem engraçado.

    Até que chegou ao ponto que foi e não voltou, o surto passou do limite, um caso perdido, o velho, bom e desengonçado Mr X de 2,11 m de altura e uma alma que se perdeu.

    Já vi casos similares para os dois lados. À esquerda e à direita, no extremo, surta mesmo.

  28. Alba said

    Desculpem, amigos, mas essa briga é desnecessária, até porque (desculpem, mas é como eu vejo) há adjetivos demais e questões substantivas de menos. Que o PT persegue um projeto de poder, é claro, todos os partidos fazem isso.

    Importa pra mim, discutir como chegarão lá (e a eleição de Dilma, concordando ou não, parece barbada, com forte ajuda do “Zé” Serra, cuja campanha enfiou definitivamente os pés pelas mãos e provou de algum modo algo que o Gaspari gostava de atribuir ao FH – a demofobia). Só isso explica aquele vexame abissal que já está cobrando seu preço.

    Mais: Quércia é candidato a senador por São Paulo, apoiado pelo “Zé”, omitindo que o PSDB nasceu exatamente para combater o PMDB quercista.

    Certamente outras e mais radicais mudanças estão por acontecer. Não poderíamos discutir este cenário?

  29. Pax said

    Boa, Alba.

    O cenário das mudanças é bem interessante. Achismos, claro, futurologia. O Elias sempre diz a célebre frase: “Não existe espaço vazio em política”.

    Em cima desta frase é que imagino este pensar.

    Serra sairá, ao que tudo indica, bastante enfraquecido. Alckmin, de outro lado, fortalecido. A não ser que o Lula resolva colocar todas as fichas em São Paulo, mas acho muito difícil que Alckmin não leve de lavada aqui. Mesmo com Lula acho difícil reverter o quadro. Onde quero chegar?

    Que no espaço vazio que Serra deixará, Alckmin ocupará. Mas…

    E o Aécio? Aí a coisa complica pra frente. Aécio tem muito mais força que Alckmin que, se apertar bastante, não tem caldo algum que preste, no meu entender. Afirmo isso pela questão da Educação no estado de São Paulo que já me basta para nunca aceitá-lo como bom político, discordando da maioria paulista. Aqui concordo bastante com o Cristovam Buarque: “quer saber se um político é bom? Olhe o que ele faz pela Educação”.

    Voltando. Alckmin, o fraco, em minha opinião, ocupa o espaço do Serra. Mas baterá de frente com Aécio lá na frente.

    Sei lá, escrevendo essas coisas, acabei lembrando da música infantil:

    o cravo brigou com a rosa
    debaixo de uma sacada
    o cravo saiu ferido
    e a rosa despedaçada.

    Acho que se aplica bem ao PSDB.

    Já o DEM, da aliança, no que vai dar? Voltando aos espaços vazios… Olhando o quadro acima, onde o PSDB sai ferido e despedaçado, tendo somente Aécio, um mineiro querendo o partido paulista, sobra o DEM como reduto da oposição, da direita, ou, para não ofender, para os que não gostam muito da social democracia.

    Só que a direita mais inteligente quer quem segure a bandeira liberal. E o DEM é capaz disso? Claro que não. Hoje o DEM tem mais força em antigos representantes do poder à época das restrições de liberdade (vamos chamar assim a dita, a dura) e nos ruralistas. Representam os ideais liberais? Acho que não. Não sou o melhor cara para responder esta pergunta, mas acho que não.

    Então, fechando o achismo de idas e vindas, a oposição será formada por um partido despedaçado e outro que, também em crise, poderá agrupar a viuvada toda do poder. (veja, nem estou falando em viúvas da ditadura, mas do poder mesmo, desses últimos 20 anos com a democracia restabelecida).

    Em outras palavras, a oposição, de forma geral, sairá despedaçada nestas eleições, ao que tudo indica. Bom? Acho que não.

    Principalmente porque a situação precisa do que resta para compor. E o que resta é o PMDB e estas outras “coisas” que se venderão fácil e engordarão muito, todos querendo a boquinha na teta farta de um país muito melhor, mas que poderia estar disparadamente melhor se não carregássemos esses ranços políticos de tanto tempo que a tal reforma política que nunca sai promete dar uma melhorada.

  30. Chesterton said

    24, Elias, sou pior ao vivo.
    Pax você nunca colocou meu nome no Google? Não dei meu nome por acidente, achei que iríamos nos encontrar no Rio de Janeiro, esqueceu? (quem sabe um dia?)
    Oi Alba (Que o PT persegue um projeto de poder, é claro, todos os partidos fazem isso.)
    A questão é que o projeto do PT não é democrático, pretende desmantelar as instituições democráticas por dentro, calar a imprensa, regular todas questões da vida em sociedade. Usa para isso métodos de gangue mafiosa, intimidações e ameaças a políticos, jornalistas E artistas. Leia a Dora Kramer aí em cima.

    Ou o Alon.

  31. Chesterton said

    Pax, mandei e-mail para você.

  32. Chesterton said

    Bonner manda a Dilma calar a boca

  33. Patriarca da Paciência said

    Nossa!

    A Dilma vai ficar traumatizada com a “ordem” do bonner.

    Quá, quá, quá…

  34. Patriarca da Paciência said

    Nenhum brasileiro tem mais dúvidas,

    como disse o Ciro, Serra numa campanha é sinônimo de baixaria.

Faça seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: