políticAética

Notícias da Corrupção, Desvios, Anomalias, Eleições e Meio Ambiente

  • Sobre o blog

    Uma coletânea das notícias da corrupção, desvios, anomalias, eleições e meio ambiente que aparecem na mídia todos os dias a partir de agosto de 2008.
  • Categorias

  • Arquivos

  • Páginas

  • Meta

Estadão acusa Lula de degenerar a Receita Federal

Posted by Pax em 03/09/2010

Editorial do Estadão acusa Lula diretamente pela “degenerescência” da Receita Federal em seu editorial de hoje.

Se tivesse uma gota de vergonha, aliás, o secretário Otacílio Cartaxo já teria se demitido. Eis, em suma, o que o governo Lula e a cultura petista fizeram do Fisco: uma repartição em que o livre tráfico de informações presumivelmente seguras sobre os contribuintes brasileiros se entrelaça com o uso da máquina, literalmente, para intuitos eleitorais torpes. O crime comum e o crime político se complementam. Agora, destampada a devassa nas declarações de Verônica Serra, vem o presidente Lula falar em “bandidagem”. Se quiser saber quem é o responsável último por essa degenerescência, basta se olhar no espelho.

Leia o editorial completo aqui neste link.

Anúncios

14 Respostas to “Estadão acusa Lula de degenerar a Receita Federal”

  1. Anderson said

    hahahahahahahahahahahahaahahahahahahahahahaah , que piada. Essa velha midia podre tá cada vez mais patética.

  2. Elias said

    É verdade…

    Talvez por estar assim tão desmoralizada, a Receita Federal bate recordes de arrecadação. Um atrás do outro…

    Bom mesmo era na época em que ela não dava conta nem do IRPF, que é o imposto mais fácil de arrecadar, porque quase todo ele é arrecadado na fonte, né?

    Mas, o que se pode esperar de um dono de jornal brasileiro? Vamos pretender que ele entenda de Receita Federal, de impostos?

    Como? Jornal não paga impostos. Pode lucrar rios de dinheiro (e jornais como o Estadão lucram mesmo…). Sem problema. Jornal (e rádio e tevê…), no Brasil, tem imunidade tributária.

    Esse cara é que deveria ter vergonha na cara, e jamais falar em vergonha na cara.

    Afinal, quem ganha muito dinheiro e não paga impostos é um parasita.

    É o caso do dono do jornal Estado de São Paulo. Ganha muito dinheiro e não paga impostos.

    Parasita! Deveria ter vergonha na cara e nos poupar do seu cinismo.

    Tomara que os brasileiros mostrem que têm vergonha na cara, e elejam congressistas que também tenham vergonha na cara, e que estes façam uma reforma tributária com vergonha na cara, para que o Brasil comece a cobrar impostos de ricaços parasitas sem vergonha na cara.

  3. Elias said

    Quando seus candidatos vão mal das pernas, vítimas de sua própria incompetência, a canalha passa a ofender seus adversários.

    Se o adversário é o PT, e este ganha na Justiça o direito de resposta, a canalha diz que o PT é contra a liberdade de imprensa.

    Para a canalha, liberdade de imprensa é o direito que ela acha que tem, de ofender quem ela queira ofender, sem que o ofendido tenha o direito de contradizê-la.

    A canalha é assim.

    A canalha morre de saudade dos tempos da casa grande e da senzala.

    A canalha jamais se tornará civilizada, até porque, caso se tornasse civilizada, deixaria de ser canalha. E a canalha não abre mão de ser canalha, de viver canalhamente até morrer canalha.

    A canalha tem que ser tratada de modo condizente com o que ela é.

  4. Pax said

    Caro Elias,

    Vamos por partes, como apregoava o Jack, the ripper.

    1 – uma coisa é a Receita bater recordes de arrecadação.

    2 – outra é que seu banco de dados seja mais aberto que a fronteira do Brasil com a Bolívia.

    São questões bem diferentes. A notícia é forte. O Estadão está acusando claramente o PT de aparelhar a Receita para usos muito longe dos que podemos chamar de democráticos. Mais que isso, afirma que Lula está envolvido na degeneração dos “bons costumes” da Receita.

    De novo:

    a – uma coisa é a campanha do Serra ser bastante fraca, como até seus aliados acham

    b – outra coisa é a campanha de Dilma ser bastante forte, mas deixar, segundo as insinuações, a porta do vale tudo aberta.

    Como o blog não investiga nem julga, só coleciona notícias, fico no aguardo das investigações.

  5. Ponto com nó

    O levantamento de gastos do casal FHC provava a hipocrisia da imprensa oposicionista nas denúncias dos cartões corporativos do governo Lula. O dossiê dos aloprados fornecia atalhos investigativos para desvendar a máfia das ambulâncias, que operou no Ministério da Saúde na gestão de José Serra. O caseiro Francenildo recebeu uma soma vultosa em sua conta bancária, sem que até hoje alguém tenha fornecido uma explicação plausível para o depósito. Romeu Tuma e Roseana Sarney demoraram décadas para cair nas garras midiáticas, enquanto Orestes Quércia desfruta impunemente da aliança demotucana em São Paulo.
    Os escândalos do governo Lula foram uma sucessão de cortinas de fumaça para encobrir suspeitas envolvendo os amigos da mídia com eventuais deslizes dos seus inimigos. Mas aqueles episódios ainda preservavam uma abrangência pouco mais que pessoal e localizada. Por isso tiveram a repercussão preventiva de praxe e depois sumiram. Coisa muito diversa é alguém puxar capivaras de gente como Eduardo Jorge, Luiz Carlos Mendonça de Barros e Verônica “Dantas” Serra. Não precisa de guru indiano para saber que vem chumbo grosso pela frente. Subestimar a força dessa reação é um erro gravíssimo.

    http://guilhermescalzilli.blogspot.com/

  6. Chesterton said

    Santos concilia, Chávez conspira
    CEL. LUIS ALBERTO VILLAMARÍN PULIDO

    O Foro de São Paulo, Lula, Chávez, Correa, as FARC, etc., querem a Colômbia na lista dos lacaios da ditadura cubana. Para isto jogam todas as cartas, como por exemplo, a hipocrisia de Chávez e Lula para com Santos, enquanto escondidos planejam assassiná-lo,

    Enquanto Santos explora caminhos para recompor as relações diplomáticas e comerciais da Colômbia com a Venezuela, Chávez se associa com as FARC para assassiná-lo.

    Assim se infere da apreensão de material de guerra e documentos, em operações das Forças Militares e o CTI (Corpo Técnico de Investigação) da Fiscalização, contra terroristas das FARC em Bogotá, três dias antes da posse de Santos como presidente dos colombianos.

    Terroristas do ETA em associação com as FARC e um venezuelano, engenheiro de sistemas, tinham prontas cinco armas de tiro curvo para lançar granadas contra objetivos precisos na Praça de Bolívar, no Capitólio Nacional e no Palácio de Nariño.

    O objetivo principal: assassinar o presidente Uribe, que saía, e Santos que entrava, o Congresso da República, as Altas Cortes, o Alto Comando Militar e as personalidades convidadas. O propósito: gerar um caos nas instituições da Colômbia. E o fim estratégico: que as FARC canalizassem a desordem e a dificuldade da Força Pública para controlar a situação, com o imediato reconhecimento do status de beligerância por parte dos governos pró-terroristas do Brasil, Bolívia, Venezuela, Equador, Nicarágua, Cuba, El Salvador, Uruguai, Paraguai e Argentina, assim como o respaldo às FARC com homens, armas, recursos destes governantes e dos partidos comunistas do hemisfério, do Foro de São Paulo e do Movimento Continental Bolivariano.

    Talvez o mais grave de todos os planos terroristas urdidos por Chávez e as FARC contra a Colômbia, é também a mais preocupante ingerência comunista no continente desde quando Fidel Castro colocou seu peão Hugo Chávez na Venezuela.

    Não obstante, os meios de comunicação, os analistas políticos, os internacionalistas, os colunistas de opinião e os jornalistas que cobrem o tema guardaram discreta indiferença, conduta que só é justificável em uma estupidez funcional coletiva.

    É oportuno perguntar se a ministra Holguín terá a mais superficial idéia da dimensão deste complô, ou se o presidente Santos acredita de verdade que Chávez procede com sinceridade depois de ter financiado as FARC para que o assassinassem. Ou se os auto-denominados “Colombianos pela Paz”, dados a questionar e até processar o Estado colombiano por tudo o que afete os direitos humanos dos comunistas, têm algum assomo de patriotismo para condenar a intenção criminosa de seu mentor e sócio Hugo Chávez, ou se os colombianos em geral seguiremos imersos na indiferença e no apaziguamento.

    O Foro de São Paulo, Lula, Chávez, Correa, as FARC, etc., querem a Colômbia na lista dos lacaios da ditadura cubana. Para isto jogam todas as cartas, como por exemplo, a hipocrisia de Chávez e Lula para com Santos, enquanto escondidos planejam assassiná-lo, derrocar o governo legítimo e pôr um amigo das FARC no Palácio de Nariño.

    Não há tempo a perder. O problema não é só com a Venezuela, mas com Lula e seus cúmplices. O assunto deve ser levado ao Conselho de Segurança da ONU, à OEA, à Corte Penal Internacional, à Casa Branca, à União Européia, à OTAN, etc.

    A chanceler não pode cair no jogo resvaladiço das reuniões bilaterais e do fingido formalismo, impróprio em truões como Chávez ou Maduro. A ministra Holguín deve dirigir uma estratégia integral e concreta, desenvolvida por cônsules, embaixadores, adidos, adjuntos, plenipotenciários e demais burocratas com ribombantes e improdutivos cargos diplomáticos no exterior. Sem os horários de “doutores importantes”, devem vestir a camisa da Colômbia, suá-la e desmascarar em cenários acadêmicos, políticos, jurídicos, diplomáticos e jornalísticos o complô contra a Colômbia.

    O Ministério da Defesa deve encabeçar uma estratégica integral de operações militares com guerra psicológica, tendente a localizar e neutralizar os cabeças do Secretariado das FARC, incrementar a deserção dos bandidos, aclimatar a união do povo com as Forças Militares, e gestar com os demais ministérios planos concretos de desenvolvimento sócio-econômico, geração de emprego e ativação da economia nas áreas geográficas de tradicional presença narco-subversiva.

    Chávez não é confiável. Enquanto o novo governo lhe estende uma ponte de conciliação, ele urde um complô com as FARC e seus cúmplices nacionais e internacionais, para assassinar o presidente da Colômbia e, ao mesmo tempo, legitimar os terroristas.

  7. iconoclastas said

    e o mantega, hem?! sua ignorancia economica é incontestável, o q não se sabia era que sua inconpetência gerencial seria por ele proprio admitida. mas eis q hoje o mais ridicularizado ministro da fazenda q se tem noticia depois da ZCM, assume que a receita é mesmo um parque de diversão para a bandidagem, e a prova disso, segundo ele proprio, é q não foram apenas figuras políticas q tiveram seus dados devassados, mas mais de um centena de cidadãos, inclusive sem ligações político partidárias.

    formidável.

    mais uma coisinha. não vou nem ler tudo, tampouco rebater item por item, mas vc ou mente, ou é convenientemente mal informado, de uma ou outra maneira, presta um desserviço ao afirmar:

    “O caseiro Francenildo recebeu uma soma vultosa em sua conta bancária, sem que até hoje alguém tenha fornecido uma explicação plausível para o depósito.”

    FALSO. a grana, faraonicos R$ 30.000,00 foram depositados por seu (dele) pai. fato sabido e confirmado.

    aproveita e reve o resto, para pelo menos, tangenciar a verossimilhança.

    ;^/

  8. Elias said

    Pax,

    Lamento discordar em parte.

    O editorialista do Estadão acusa frontalmente o Lula de ser o responsável pela “degenerescência” da Receita Federal.

    Quase assim como o patrão dele ser acusado pelo fato de um empregado lotado na cúpula da empresa ter premeditado e cometido o assassinato de uma ex-namorada dele, também jornalista. Pela lógica do editorialista, o proprietário do jornal é responsável pela degenerescência moral de seu empregado, que levou a perpetrar um crime hediondo.

    Ora Pax, venhamos e convenhamos.

    Durante o governo Lula, a PF, a Receita Federal e a Previdência funcionaram como nunca. Nesses últimos 8 anos a PF, a Receita e a Previdência também bateram recordes de prisões, flagrantes e processos abertos contra toda a sorte de degenerados.

    Do jeito que o editorialista do Estadão escreveu, até parece que essas quebras de sigilo começaram com Lula. Até parece que, antes, a Receita Federal e a Previdência eram exemplos de honestidade e competência.

    Esse editorislista (é, sempre, um jornalista de aluguel), e seu patrão, têm a mesma credibilidade de uma virgem num puteiro. Uma prostituta virgem…

    Claro que há quebras de sigilo da RFB. Mas isso não vem de hoje nem de anteontem, ao contrário do que tenta fazer crer a pretensa virgem do puteiro.

    Bem feitas as contas, a RFB, a PF e a Previdência, estão bem menos corruptas e bem mais eficientes do que há 8 anos. Longe do que todos nós temos por ideal, sim, mas bem melhor do que antes.

    O espelho cujo uso a virgem prostituída recomenda, costuma ser enganoso.

    Ele próprio, p.ex., editorialista, se mirasse o tal espelho, deveria ver a imagem de uma cortesã ajagunçada. E o patrão dele veria uma ameba ou um tumor maligno. Um parasita altamente danoso ao bem comum.

    Se eles vissem a verdadeira imagem que parcelas crescentes da população brasileira têm deles, e tivessem a vergonha na cara que prescrevem para seus desafetos, dificilmente se animariam a escrever um editorial tão cretino e pernóstico.

    Decididamente, degenerescência — em mais de um sentido do termo — não é a melhor pauta pro Estadão.

    É falar de corda em casa de enforcado.

  9. Chesterton said

    O que fazer quando os comunistas roubam sua propriedade?

    greve de fome?

  10. Pax said

    Caro Elias,

    Não estou cá a aplaudir o editorial do Estadão. Estou, sim, pedindo que as investigações sejam rápidas, mas profundas.

    E, insisto, discordando e pedindo vênia, que se deixaram as portas abertas para as quebras de sigilo, independente de analisarmos passados ou erros de outrem, há muito a ser feito neste sentido.

    A questão se foi ou não a mando de quem quer que seja, deixo para a Polícia Federal.

    (um exemplinho bem simples, hoje meu banco usa o tal do aparelhinho que eu vejo a senha que ele fica mudando toda hora, só com ele consigo fazer as transações bancárias, além de ter que digitar duas senhas, ou seja, tecnologia disponível para mitigar estes problemas existem)

  11. Chesterton said

    Essa é para você, Pax

    |Educação não reza mais sobre fatos, mas sentimentos.

    http://pajamasmedia.com/zombie/2010/09/02/in-pursuit-of-cultural-hegemony/

  12. Elias said

    Certo, Pax.

    Eu também quero que fique bem claro que não considero o dono do Estadão um parasita, só porque ele é dono de jornal.

    Não penso o mesmo dos donos do Economist ou do New York Times. Eles pagam impostos.

    Considero o dono do Estadão um parasita, porque ele tem um negócio lucrativo e esse negócio não paga impostos.

    Pros meus valores, do ponto de vista social ele está equiparado a um contrabandista, um banqueiro de jogo do bicho ou coisa pior.

    O fato desses caras terem feito aprovar uma norma constitucional que os isenta da obrigação de pagar impostos, não os torna melhores que os contrabandistas ou os contraventores.

    Ao contrário. Isso os torna ainda piores, mais perigosos e danosos à sociedade, porque chegam ao extremo de legalizar o que, por qualquer medida, deveria ser — como de fato é –considerado um crime.

    É um parasita. Não o reconheço como portador de credenciais que o qualifiquem a dar lição de moral em quem quer que seja.

    No frigir dos ovos, as contas dele — e de seus similares — vêm pros nossos bolsos.

    Estou de saco cheio dessa erva daninha!

    Quando o negócio dele começar a pagar impostos, aí sim, ele estará credenciado a falar sobre excesso de carga tributária, sigilo fiscal e assuntos afins.

    Agora não! Agora não tenho saco pra aturar perorações eleitoreiras de virgens de puteiro.

  13. Pax said

    Elias,

    Por mim não só os jornais deveriam pagar impostos como as igrejas também.

    E, voltando ao cerne da questão, daqui ate 3 de outubro a coisa ainda vai piorar. Ou então não entendo nada do assunto.

  14. William said

    hahahaha, como tem troll demente nesta internet. Acho que é o indio da costa na verdade.hahahahahahaha

Faça seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: