políticAética

Notícias da Corrupção, Desvios, Anomalias, Eleições e Meio Ambiente

  • Sobre o blog

    Uma coletânea das notícias da corrupção, desvios, anomalias, eleições e meio ambiente que aparecem na mídia todos os dias a partir de agosto de 2008.
  • Categorias

  • Arquivos

  • Páginas

  • Meta

O Estado e o Mercado

Posted by Pax em 10/09/2010

Este blog não fala de economia, mas na iminência da vitória de Dilma uma questão se impõe: qual deve ser o tamanho do Estado e onde os valores liberais deveriam ser mais incentivados.

O Estadão publicou uma entrevista da BBC com Pier Carlo Padoan, economista chefe da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico -OCDE – que afirma:

O Brasil é uma história de sucesso porque o país encontrou um novo equilíbrio entre a livre concorrência dos mercados e a intervenção do Estado na economia.

Parece interessante a discussão. O artigo do Estadão está abaixo. O blog entende que o Estado deve atuar, sim, mas que os incentivos à livre iniciativa estão muito aquém do necessário. Experimente empreender no Brasil e o tamanho da dificuldade vai aparecer rápido. E não é pequeno. Estado bom é estado que funciona bem em Educação, Saúde incluindo saneamento básico, Segurança Pública, infraestrutura e raras atividades econômicas estratégicas, não admitindo incompetências advindas de trocas políticas nem sempre aceitáveis e que, de outro lado, estimula fortemente a livre iniciativa a produzir renda e emprego.

Aceitar e aplaudir o governo atual e o provável futuro sem exigir que a fila ande, que a produção de riquezas seja incentivada, parece um enorme erro. Como o tema principal do blog é a corrupção, talvez seja um bom ponto de iniciar esta discussão. Incompetência e corrupção são entraves enormes para o futuro brasileiro.

Equilíbrio entre governo e mercado é sucesso no Brasil, diz economista-chefe da OCDE

Pier Carlo Padoan diz que país conseguiu equilibrar necessidades do mercado com controle estatal e pode dar lição a outros países.

O italiano Pier Carlo Padoan, secretário-geral adjunto e economista-chefe da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), vê o Brasil como uma “história de sucesso” no contexto da crise financeira global porque soube encontrar um novo equilíbrio entre o livre mercado e a intervenção do Estado na economia.

Em entrevista à BBC Brasil, Padoan diz que o “Brasil encontrou um equilíbrio importante entre o crescimento econômico e as questões sociais” embora possa crescer mais se houver melhorias na educação e no sistema fiscal.

Ele fala também dos desafios da Europa diante da crise econômica global e diz que essa “é uma oportunidade importante para mudanças positivas” no continente.

BBC Brasil – Por que o Brasil atravessou melhor a crise do que as economias ricas da OCDE?

Pier Carlo Padoan – Acho que o Brasil, como outros países emergentes, mostrou uma grande capacidade para reagir à crise atual. Isso é o resultado do aprendizado com crises passadas. Eu me lembro muito bem da transformação efetuada pelo Brasil na primeira metade dos anos 2000 porque trabalhava no Fundo Monetário Internacional naquela época. Agora, a performance do Brasil é muito favorável. No início de 2000, a taxa de crescimento da economia brasileira era muito baixa e atualmente é muito forte. Isso não é algo que possa ser obtido sem transformações importantes.

BBC Brasil – Quais foram as mudanças no Brasil nesse período?

Padoan – O Brasil é uma história de sucesso porque o país encontrou um novo equilíbrio entre a livre concorrência dos mercados e a intervenção do Estado na economia. É um caso muito interessante de sucesso, que é certamente permanente porque é o resultado de uma transformação estrutural da relação entre os setores público e privado na economia.

Continua no Estadão

Anúncios

20 Respostas to “O Estado e o Mercado”

  1. Pax said

    Prezados,

    Peço mil desculpas pela correria desses dias e minha pouca participação nas boas discussões. Procurei algo no noticiário político ou sobre a corrupção e confesso que a agenda está mais triste que velório de pai.

    Um dos assuntos que fico devendo é a questão do Ficha Limpa que deve ir ao plenário do STF em breve. E aqui estou de orelhas em pé. Os ministros parecem bem divididos e na melhor das contas estamos com um empate, segundo alguns analistas. Como não quero fazer este post na correria, deixo para o fim de semana.

    Enquanto isso, para sair um pouco da pauta chata da fofocaiada que entrou a campanha presidencial, coloco este post para mais ouvir de vocês que qualquer outra coisa.

    Afirmo de antemão que se Dilma, provável presidente, se dedicar a perseguir os incompetentes, e apoiar o combate à corrupção, talvez consiga fazer um excelente governo. Uma difícil tarefa, que é suceder o presidente do Brasil com maior índice histórico de aprovação.

    Aqui mora uma esperança que reside ao lado de uma enorme apreensão.

    Semana que vem acalma do lado de cá. Espero que sim.

  2. Patriarca da Paciência said

    Entendo que o economista italiano está com toda a razão.

    Lula nunca foi stalinista, tampouco o vi citando Marx alguma vez!

    Acho que a prioridade número um do Brasil é erradicar a miséria, sobre esse pilar se construirão todas as outras metas.

  3. Elias said

    Patriarca,

    Você está completamente enganado.

    Esse Pier Carlo Padoan são sabe do que está falando.

    Pior: talvez ele seja um agente do Foro São Paulo, que se infiltrou no FMI.

    Agora, sim, as coisas estão ficando mais claras. Não resta a menor dúvida. O FMI está dominado por comunistas.

    Valei-me, meu São Olavo de Carvalho!

  4. Chesterton said

    o IBOPE me entrevistou
    setembro 9, 2010 in ranhetices
    Uma cabeça de bacalhau, com crachá do IBOPE pendurado numa das guelras, abordou-me no meio da rua:

    – Qual a sua posição em relação ao presidente Lula?

    – Sou agnóstico.

    – Você não acredita nele?

    – Dizem existir uma política que transcende a razão humana, sei lá… Não creio num deus barbudo e bonachão que senta nas nuvens e nos leva ao paraíso – ao inferninho é mais provável.

    – Você, então, não é petista, certo?

    – Não, não acredito em religião institucionalizada.

    – Acredita em pesquisas de opinião?

    – Nas pesquisas, sim; nas opiniões, nunca.

    – Última: também não crê na honestidade e na inteligência dos políticos?

    – Mais ou menos, sempre vem um estraga-prazeres dizendo que são balões metereológicos ou montagem fotográfica. Fiquei desiludido, mas vai que um deles resolve fazer contato imediato conosco.

    – OK, muito obrigado pelo seu tempo.

    – Nada! Fique com Deus…

  5. Chesterton said

    http://moscaazul.wordpress.com/2010/09/09/o-ibope-me-entrevistou/#comment-1663

  6. Chesterton said

    Quando o governo diz que só quer “debater propostas”, só um tipo de disputa democrática lhe interessa: uma divertida guerra de travesseiros entre moralistas de pijama.

    Devemos debater pessoas, analisar o caráter, as coisas que disseram e as reações que tiveram em situações importantes. Ninguém elege uma idéia, ninguém elege intenções, elegemos pessoas – com um histórico de disposições – por trás delas. Todo político deve, pela natureza extraordinária e perigosa da concentração de poder que tem em mãos, ser ferrenhamente vigiado e criticado pelos que ainda tem liberdade e meios de fazê-lo. A lassidão moral da sociedade civil é o único termômetro real da decadência de si mesma, como coletividade organizada, e da classe política que a representa.

    Pessoas importam mais que idéias, passsado importa mais que futuro, realidade importa mais que hipótese. Quando passarem dessa fase, a gente discute as propostas dos sem programa.

    mesmo autor

  7. Luiz said

    Tudo bem, Pax. É bom mudar um pouco o foco de vez em quando…

    Mas a prisão de um governador de Estado no exercício do mandato E tentando a reeleição), junto com um ex-governador e candidato ao Senado, e de quebra um presidente de Tribunal de Contas, já dá um belo post…

    http://noticias.uol.com.br/politica/2010/09/10/pf-prende-governador-do-amapa-durante-operacao-no-estado.jhtm

    Aliás, foi essa turma (mais o Sarney) que perseguiu e persegue o ex-governador João Capiberibe, cujo mandato no Senado foi cassado.

  8. Chesterton said

    é, parece que a PF não tem medo (ainda) dos governantes…..

  9. Chesterton said

    Tudo bem, Pax. É bom mudar um pouco o foco de vez em quando…

    chest- o Pax quer mudar o foco para bem longe do PT e do Lulla.

  10. Chesterton said

    que silencio ensurdecedor…

  11. emerson57 said

    ches,
    o sr. escreve propositalmente lula com tres eles,
    este fato te desqualifica para o debate.
    nada pessoal.
    sinceramente.

  12. Pax said

    Caro Patriarca,

    Acho que erradicar a miséria é um mote pra lá de bom, sim. Se olharmos a passagem do Brasil pela crise de 2008 já podemos ter uma idéia que alterando a configuração da pirâmide social reduzindo sua base é um ótimo negócio para a economia e, consequentemente, para o país.

    Mas coloquei outro ponto.

    É que acho que dá para ter maior eficácia se exigir competência dos aliados que assumirem partes do governo (vide o caso da ECT, como um exemplo) e, de outro lado, ser firme na questão do combate à corrupcão.

    Aqui acho que há muitas oportunidades, digamos assim. Um outro bom exemplo foi a passagem do Edson Lobão pelo Ministério das Minas e Energia. Entendemos que o cara pode ser considerado um poço de competência? Acho que não. E no Ministério dos Transportes, famoso antro de roubalheira? Sacou onde quero chegar?

    É ótimo ter uma visão social do papel do Estado, claro que é. Lula está levando o governo com sua capacidade política acima do normal, sua capacidade de comunicação que é um benchmark político, mas poderia ter feito ainda mais. Cá do meu lado não fico só em aplausos não. E acho que é papel da sociedade exigir e exigir.

    Tanto que chegou no projeto Ficha Limpa. É um dos belos exemplos dessa exigência.

  13. Pax said

    Caro Chesterton,

    Onde que fujo do foco no governo Lula? Aponte uma questão, por favor. Ajudaria um tanto para discutirmos o teu ponto.

  14. Jorge said

    acho que Dilma manterá esse equilíbrio entre estado e mercado. Sabemos, graças a fhc, que somente mercado não leva a lugar nenhum. o que eu gostaria é que ela fizesse um esforço grande para desburocratizar a vida das pequenas e médias empresas, o que é possível nessa era digital. e que abrisse as concorrências públicas com um bônus para pequenas e médias empresas com responsabilidade ambiental e social.

  15. Chesterton said

    Emerson 57, é por causa disso

    http://3.bp.blogspot.com/_VG3RxCIyKl0/SmecZHr1O_I/AAAAAAAAAww/27Mq8iXgPVs/s400/Lula+Collor.bmp

  16. Pax said

    Caro Jorge,

    Não podemos esquecer que além de facilitar a vida de micros, pequenas e médias empresas há que se fazer uma enorme faxina nas áreas fiscais.

    Estado bom não precisa ser estado incompetente e corrupto. Pode e deve ter um tamanho suficiente para atuar em defesa da sociedade, claro. Esta opinião todos sabem que tenho.

    Mas não compartilho com nenhuma opinião que a corrupção deva ser aceita. Muito pelo contrário. Nem corrupção nem incompetência. Se arrumarem a casa a coisa explode e ninguém segura mais. É só acalmar a ganância de muitos e ser muito acertivo nestes pontos.

    Vejam a notícia do Amapá acima. Dinheirama da União para a Educação desviada dos objetivos. Quem aceita isso não tem as mesmas torcidas que eu. Aliás, deste caso já emendamos num outro que discutimos com frequência aqui, a tal da reforma tributária. Toda essa dinheirama na União, em Brasília, é um erro colossal. Os municípios precisam de muito mais verba. São eles que atuam no dia a dia da sociedade. E são eles que ficam se sujeitando a ficar de joelhos e com o pires na mão para conseguirem as verbas em BSB. Palco para as maiores barbaridades com dinheiro público.

  17. Chesterton said

    Exatamente, sem tirar nem por, o que o PT vem fazendo desde o primeiro mandato do atual presidente da República: a administração federal loteada entre os partidos políticos da “base aliada” e seus órgãos aparelhados por militantes petistas, para os quais a obediência às ordens do partido passam a ter prioridade absoluta sobre os deveres funcionais.

    Se a candidata do presidente vier a ser eleita, este alerta bem poderá ser considerado como sendo a crônica de um desastre anunciado: o enterro da democracia representativa.

    Osmar Ribeiro

  18. Chesterton said

    A Polícia Civil de São Paulo informou na tarde desta sexta-feira que a servidora da Receita Federal Ana Maria Rodrigues Caroto Cano e o seu marido, o contador José Carlos Cano Larios, foram detidos suspeitos de tentar “esquentar” a violação do sigilo fiscal de contribuintes. De acordo com o delegado Marcos Carneiro, o casal informou que seguia orientações da Corregedoria da Receita.

    chest- como é que é? DA CORREGEDORIA? quem manda nessa joça? Qual “quadro” petista é responsável por isso? A mando de quem? Isso é CRIME previsto no código penal.

    http://www1.folha.uol.com.br/poder/796830-policia-detem-servidora-da-receita-sob-suspeita-de-esquentar-procuracoes-falsas.shtml

  19. Patriarca da Paciência said

    Pois é, Elias,

    acho que você tem razão,

    como diz o Chesterton,

    O Lula plantou vários comunistas debaixo da cama do Olavo de Carvalho e tentou controlar telepaticamente a mente do Reinaldo Azevedo, mas os dois resistiram heroicamente e continuam grandes guerreiros defensores da democracia.

  20. Pax said

    Caros Elias e Patriarca,

    Por favor não zoem com o filósofo Olavo e o isento analista político Reinaldo.

    =)

Faça seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: