políticAética

Notícias da Corrupção, Desvios, Anomalias, Eleições e Meio Ambiente

  • Sobre o blog

    Uma coletânea das notícias da corrupção, desvios, anomalias, eleições e meio ambiente que aparecem na mídia todos os dias a partir de agosto de 2008.
  • Categorias

  • Arquivos

  • Páginas

  • Meta

Administração necessária: blog em suspensão

Posted by Pax em 18/09/2010

Este blog para de postar e moderar os comentários, por força maior.

Há um ser, aqui, que sofre. Uma égua, um animal, dito irracional, mas que sofre. Se contorce na dor. Este blog abandona qualquer compromisso e acompanhamento das questões de corrupção, desvios e anomalias no trato de coisas públicas até que o trato das questões domésticas estejam devidamente resolvidas.

Até, qualquerquesejaojosé!

Anúncios

16 Respostas to “Administração necessária: blog em suspensão”

  1. Chesterton said

    Depois do caso Celso Daniel, a gente sempre fica desconfiado.
    Mas cólica equina tem que sacrificar.

  2. Carlão said

    Pax
    Voce está suspenço(sic).
    Enquanto o Pax cuida…o governo “lava a égua”!
    ‘Caraca! Que dinheiro é esse?’

  3. Carlão said

    Pax

    Pra não perder a piada…
    O blog está em “suspenção” ou em “suspeição”?

    lapso lingual? (Lapsis linguae como diria nosso companheiro Pat).
    Que Deus o tenha!

  4. Carlão said

    Pax

    “Bless the beasts and the children”
    música em homenagem à sua égua e
    às Bettys e Matildes aqui do Blog
    hehe

  5. Mona said

    Deixemos o Pax confortando o pobre animal (pelo amor que você tem aos bicnhinos, se não há jeito para a dor dele, seja misericordioso) e vamos aos bons textos sintetizadores de nossa realidade:

    “O lulismo, ou a mentira como conforto intelectual
    por Marcos Guterman

    Seção: América Latina

    História

    18.setembro.2010 01:02:30
    Há pelo menos três boas desculpas para os seguidos escândalos do final do mandato do presidente Lula. A primeira delas é o interesse eleitoreiro da oposição. A segunda é a versão segundo a qual o governo anterior também aprontava. A terceira minimiza os crimes, dando-lhes caráter de coisa comum.
    Como toda boa desculpa, os argumentos acima servem somente para burlar a realidade, de modo a relativizar os desmandos da administração lulista, isto é, de modo a diminuir-lhes a importância ante a missão histórica que Lula julga cumprir. Tudo o que interessa, ao fim e ao cabo, é o “bem do povo”. Em nome disso, opera-se uma clara inversão moral: aceita-se como “natural” que haja corrupção, porque, afinal, “todo mundo faz” – e, ademais, a vulnerabilidade da administração pública é vista como problema menor, quando não como mera construção da “oposição golpista”, quando colocada na perspectiva das conquistas sociais do lulismo.
    A experiência dos grandes regimes autoritários do século 20 mostra que eles se assentaram em modelos desse tipo. Em torno de um líder carismático, o real dá lugar à retórica, e a história é substituída pela certeza de que o passado não existe senão como prova da necessidade da revolução que o líder opera. É dele que emana o sentido de tudo – e então, aos demais, resta renunciar à razão, já que refletir sobre o real e suas contradições é tarefa que cabe somente ao líder, travestido de profeta.
    A experiência desses regimes também mostra que mesmo cidadãos intelectualmente muito preparados aceitam a ideia de que o líder está ali para salvá-los da insegurança da democracia, um regime tão frágil que precisa ser cultivado dia a dia para sobreviver. No Estado autoritário de perfil totalitário, por outro lado, nada é confuso – ao contrário: é confortavelmente lógico. Se o líder determina que algo é verdade, então materializa-se a verdade, mesmo que não seja.
    Desse modo, as “verdades” emanadas do líder devem ser defendidas a todo custo, porque permitir que elas sejam negadas, por meio do contraditório, significa desmontar todo o sistema de pensamento sobre o qual se assentam as mentiras usadas justamente para destruir a pluralidade democrática.”

  6. Carlão said

    Mona

    Prefiro o popular: A CASA CIVIL SE TRANSFORMOU NO BANHEIRO DO PLANALTO.
    Cheio de mulheres baratas…

  7. Zbigniew said

    Pax, que tudo possa se resolver da melhor maneira possível.
    É uma pena vc se ausentar num momento tão conturbado e tão importante da democracia brasileira. Num momento em que a velha mídia escancara de vez suas predileções, num jogo sórdido e irresponsável, onde se faz de tudo, menos jornalismo. Mas é uma característica medieval de nossa sociedade que está nos seus estertores. E quem menos vai ganhar é o candidato deles.
    A mídia sairá ainda mais enfraquecida, e a sociedade estará pronta para as primeiras providências no sentido de rever, principalmente, as relações desses órgãos com o Estado.
    Mas, tudo de bom, Pax, e que Deus ilumine esta sua jornada.

    Deixarei este comentário aqui, lá do Nassif. Espero que em 4 de outubro, após a maior derrota que o stablishment midiático sofrerá, de um Presidente “semi-alfabetizado”, que foi capaz de eleger uma ilustre desconhecida nas barbas dos outroras “monstros sagrados” do jornalismo brasileiro, e mudar todo o paradigma político do país, inclusive com a reconfiguração das oposições, mandando para a irrelevância aqueles que já quiseram bater ou exterminar a “raça” do Presidente, que hoje é acusado de censor por se dar o direito de fazer campanha dentro das regras do jogo.

    O comentário é sobre o panfleto:

    “As Aulas de Jornalismo da Veja

    Por S

    A revista da Editora Primeiro de Abril já havia criado:

    . O grampo sem áudio do presidente do STF

    . O vídeo sem imagem de Lina Vieira no Planalto

    . O dossiê sem recheio do “grupo de inteligência”

    . O contrato sem assinatura do falso empresário

    Esta semana o jornalismo investigativo da Veja volta a inovar com:

    . O intermediário de monopólio – um tipo que recebe propina para obrigar o Ministério da Saúde a comprar um remédio diretamente do único fabricante, desde que o fornecedor faça um abatimento considerável no preço.

    . O off gravado – um amigo do tal tipo contou essa história para o repórter, que gravou tudo mas não pode revelar a fonte, se é que a fonte sabe que foi gravada.

    . O favorecimento futuro – o sujeito tem uma empresa que vai bombar quando alguém fizer um decreto que pode modificar uma regra, que pode abrir para a empresa a oportunidade de se adaptar a um setor de serviços que pode vir a existir. Também conhecido como antecipação fraudulenta.

    Um abraço do seu leitor.”

    http://www.advivo.com.br/blog/luisnassif/as-aulas-de-jornalismo-da-veja

  8. Pax said

    Prezados,

    Deu tudo certo. A égua passou por maus bocados mas está boa. Cavalo é um bicho maravilhoso mas tem um erro de projeto: não vomita. O que entra tem que sair. Quando acontece uma cólica, ou você alivia ou o animal tranca o sistema e o que está errado fermenta. Chega ao ponto de explodir, ou, em outros casos, de tanto o animal se deitar tentando que a dor passe, as tripas se enrolam e dá o popularmente chamado “nó nas tripas”. Aí não tem muito jeito, só com cirurgias que dificilmente se consegue arrumar a tempo. Em certo casos é melhor sacrificar mesmo que deixar o animal morrer de dor.

    Nos casos mais graves às vezes dá tempo do veterinário colocar um tubo pelo nariz e tira-se o que ainda está no estômago, tem que limpar tudo mesmo, e depois coloca-se água e vai se repetindo a operação para a lavagem estomacal.

    Nos casos menos grave aplica-se um relaxante, faz-se o animal andar, não deixando-o deitar e rolar, e os movimentos peristálticos voltam a funcionar e o que está errado percorre os quase 30 metros de tripas e acaba saindo no estrume. São horas de cuidados necessários.

    Enfim, a égua ficou boa. Deu tudo certo. Ainda bem.

    Voltemos aos assuntos do blog. Sinto ter mudado o rumo e postado este problema pessoal. Acho até que nem deveria. Em outras ocasiões que coloquei questões pessoais a trollagem cai de pau em cima.

  9. Chesterton said

    Uma égua é uma égua, mas agora me responda aqueles comentários por favor.

  10. Pax said

    Quais, caro Chesterton,

    Como afirmei passei um tempo fora da discussão. Motivo mais que justo.

    Aponte o post e o comentário e “back to business”.

  11. Colafina said

    Pax, em ’76 fui beiçudo em Brasília, ou seja, servi o exército na cavalaria, e perdi a conta de quantas vezes tivemos que levantar durante a madrugada para “puxar cavalo” até o amanhecer. E, como vc citou, quando só caminhar não adiantava, era introduzida pela narina uma mangueira transparente, flexível, com 1 polegada de diâmetro. Enquanto o desafortunado soldado puxava o bicho de um lado para o outro no potreiro, pela da mangueira ia saindo material fermentado, espuma e gases que impestavam o ar, deixando uma área considerável em volta do animal em que era praticamente impossível respirar.
    Em casos mais extremos (e tive o desprazer de assistir um deles), um veterinário raspava o pelo na altura do ‘vazio’ – o encontro da barriga com a perna traseira – e martelava (literalmente falando) um tubo de metal com ponta em formato de agulha até alcançar o estômago, e tudo o que saía pela mangueira passava a sair por este cano de metal, e nem o veterinário conseguia ficar perto. Este procedimento era feito sem anestesia, com o cavalo em pé ao lado de um buraco no chão previamente cavado, e sem uma única reação que fosse do animal.
    Depois disso, se o procedimento não surtisse efeito, e a única reação do cavalo fosse o estremecimento ou dobra dos joelhos, o oficial de dia era chamado para sacrificá-lo: quatro ou cinco soldados empurravam-no em direção à cova simultaneamente ao tiro com a pistola encostado na testa, e acabava o sofrimento. Do animal, e de todos os que se obrigavam a assistir o ritual.

  12. Chesterton said

    back to business

    https://politicaetica.com/2010/09/17/aecio-vou-sair-do-psdb/#comment-8878

  13. Pax said

    Grande Colafina!
    Abraço.

  14. Mona said

    Pax,
    você subiu uns 1.000% no meu conceito. Rendo-lhe as devidas homenagens.
    Sem a menor sobra de sacanagem, cinismo, ironia, sarcasmo, digo-lhe que sua obstinação em salvar o animal demonstra sua infinita fé e otimismo na reversibilidade de situações graves e, melhor de tudo, lutar para que isso aconteça, com as armas e técnicas que você dispõe. Seu blog é um esforço individual na iniciativa de entender dialeticamente a realidade, dando espaço para o contraditório e com infinita paciência para trazer à razão os mais exaltados. As discussões trazidas à baila não se perdem num vazio. São tijolos na construção de nosso pensamento.
    Parabéns e longa vida ao animal.

    a

  15. Pax said

    Ô, Mona, cara Mona,

    Emocionou o velho aqui. Obrigado.

  16. Chesterton said

    Lágrimas me correm…

Faça seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: