políticAética

Notícias da Corrupção, Desvios, Anomalias, Eleições e Meio Ambiente

  • Sobre o blog

    Uma coletânea das notícias da corrupção, desvios, anomalias, eleições e meio ambiente que aparecem na mídia todos os dias a partir de agosto de 2008.
  • Categorias

  • Arquivos

  • Páginas

  • Meta

Mais, Erenice?

Posted by Pax em 18/09/2010

Segundo notícia publicada na Revista Veja e divulgada no blog do Noblat, as denúncias envolvendo parentes de Erenice Guerra, ex-ministra da Casa Civil, aumentam. Um bocado. E jogam na lama, se comprovadas, a ANAC, as ações do Ministério da Saúde na compra do remédio Tamiflu contra a gripe suína (H1N1) e desponta um novo escândalo envolvendo o Plano Nacional de Banda Larga, a ANATEL e o marido da Erenice.

A revista Veja mantém em seus quadros jornalistas políticos absolutamente tendenciosos. Isto é fato. Tem, também, uma linha editorial contrária ao governo, apesar de lhe faltar coragem de assumir publicamente a posição, o que seria legal e mais honesto. Estas questões sugerem que as denúncias sejam olhadas com cautela.

Mas que são graves, são. Graves não é bem o termo, são mais que graves. São bombásticas.

As Agencias Regulatórias de hoje, em especial as duas apontadas e outras conhecidas, viraram cabides políticos que recheiam este blog dedicado a colecionar notícias da corrupção. Este é outro fato conhecido. Quem perde? O bolso do contribuinte que paga caro por serviços que poderiam ser muito melhores.

Tudo indica que Erenice Guerra causará um estrago bem maior à imagem de Lula e Dilma que se supunha inicialmente. Impossível não imputar incompetência em gestão de equipe. Erenice estava ao lado de Dilma e Lula por tempo suficiente para merecer uma análise sobre sua conduta ética à frente dos postos em que atuou.

Veja a notícia da revista Veja, que baseia o post, no blog do Noblat.

‘Caraca! Que dinheiro é esse?’

Funcionário da Casa Civil recebeu propina dentro da Presidência da República, perto do gabinete da então ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff, e a um andar do presidente Lula

Diego Escosteguy e Otávio Cabral

Numa manhã de julho do ano passado, o jovem advogado Vinícius de Oliveira Castro chegou à Presidência da República para mais um dia de trabalho. Entrou em sua sala, onde despachava a poucos metros do gabinete da então ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff, e de sua principal assessora, Erenice Guerra Vinícius se sentou, acomodou sua pasta preta em cima da mesa e abriu a gaveta.

O advogado tomou um susto: havia ali um envelope pardo. Dentro, 200 mil reais em dinheiro vivo – um “presentinho” da turma responsável pela usina de corrupção que operava no coração do governo Lula.

Vinícius, que flanava na Agência Nacional de Aviação Civil, a Anac, começara a dar expediente na Casa Civil semanas antes, apadrinhado por Erenice Guerra e o filho-lobista dela, Israel Guerra, de quem logo virou compadre.

Apavorado com o pacotaço de propina, o assessor neófito, coitado, resolveu interpelar um colega: “Caraca! Que dinheiro é esse? Isso aqui é meu mesmo?”. O colega tratou de tranquilizá-lo: “É a ‘PP’ do Tamiflu, é a sua cota. Chegou para todo mundo”.

PP, no caso, era um recado – falado em português, mas dito em cifrão. Trata-se da sigla para os pagamentos oficiais do governo. Consta de qualquer despacho público envolvendo contratos ou ordens bancárias. Adaptada ao linguajar da cleptocracia, significa propina. Tamiflu, por sua vez, é o nome do remédio usado para tratar pacientes com a gripe H1N1, conhecida popularmente como gripe suína.

Dias antes, em 23 de junho, o governo, diante da ameaça de uma pandemia, acabara de fechar uma compra emergencial desse medicamento – um contrato de 34,7 milhões de reais. A “PP” entregue ao assessor referia-se à comissão obtida pela turma da Casa Civil ao azeitar o negócio Segundo o assessor, o governo comprara mais Tamiflu do que o necessário, de modo a obter uma generosa comissão pelo negócio.

Até a semana passada, Vinícius era assessor da Casa Civil e sócio de Israel Guerra, filho de Erenice Guerra, ex-ministra da pasta, numa empresa que intermediava contratos com o governo usando a influência da petista. Naturalmente, cobravam comissão pelos serviços.

Depois que VEJA revelou a existência do esquema em sua última edição, Vinícius e outro funcionário do Planalto, Stevan Knezevic, pediram demissão, a ministra Erenice caiu – e o governo adernou na mais grave crise política desde o escândalo do mensalão, e que ronda perigosamente a campanha presidencial da petista Dilma Rousseff.

Lançado ao centro do turbilhão de denúncias que varre a Casa Civil, Vinícius Castro confidenciou o episódio da propina a pelo menos duas pessoas: seu tio e à época diretor de Operações dos Correios, Marco Antonio de Oliveira, e a um amigo que trabalhava no governo. Ambos, em depoimentos gravados, confirmaram a VEJA o teor da confissão.

Antes de cair em desgraça, o assessor palaciano procurou o tio e admitiu estar intrigado com a incrível despreocupação demonstrada pela família Guerra no trato do balcão de negócios instalado na Casa Civil. Disse o assessor: “Foi um dinheiro para o Palácio. Lá tem muito negócio, é uma coisa. Me ofereceram 200 000 por causa do Tamiflu”.

Vinícius explicou ao tio que não precisou fazer nada para receber a PP. “Era o ‘cala-boca”. O assessor disse ainda ao tio que outros três funcionários da Casa Civil receberam os tais pacotes com 200 000 reais; porém não declinou os nomes nem a identidade de quem distribuiu a propina. Diz o ex-diretor dos Correios: “Ele ficou espantado com aquela coisa. Eu avisei que, se continuasse desse jeito, ele iria sair algemado do Palácio”.

O cândido ex-assessor tem razão: dinheiro sujo dentro de um gabinete da Presidência da República é um fato espantoso. Nos últimos anos, sobretudo desde que o presidente Lula relativizou os crimes cometidos durante o mensalão, sempre que se apresenta um caso de corrupção à opinião pública surgem três certezas no imaginário popular.

* Primeiro, nunca se viu um escândalo tão escabroso

* Ninguém será punido

* O escândalo que vier a sucedê-lo reforçará as duas certezas anteriores.

A anestesiada sociedade brasileira já soube de dinheiro na cueca, dinheiro na meia, dinheiro na bolsa, dinheiro em caixa de uísque, dinheiro prometido por padre ligado a guerrilheiros colombianos. Mas nada se compara em ousadia ao que se passava na Casa Civil. Ficará consolidado no inverno moral da era Lula se, mais uma vez, esses eventos forem varridos para debaixo do tapete.

Continua no blog do Noblat

Observação: Este blog não concorda com as indiretas colocadas na matéria que tentam vincular Dilma Rousseff às acusações. Mas este blog confirma sua colocação, haja vista a quantidade de denúncias e parentes envolvidos nas denúncias envolvendo os parentes de Erenice: tremenda incapacidade de zelar pela própria imagem com os devidos cuidados com a equipe que gerencia.

Anúncios

140 Respostas to “Mais, Erenice?”

  1. Jorge said

    ser pautado pela revista veja, Pax, sem chance… não tem credibilidade alguma, é lixo tóxico altamente concentrado.

  2. Pax said

    Caro Jorge,

    Este blog não é pautado pela revista Veja. Este blog é pautado pelo noticiário da corrupção, desvios e anomalias que aparecem nos principais veículos de comunicação do Brasil.

    Tomo um certo cuidado em momentos como o atual, reta final das eleições onde o denuncismo fica exacerbado. Em outras eleições já aconteceram fatos que nos fazem, por experiência, tomar todos os cuidados possíveis.

    Repito aqui o que escrevi acima, no post:

    “A revista Veja mantém em seus quadros jornalistas políticos absolutamente tendenciosos. Isto é fato. Tem, também, uma linha editorial contrária ao governo, apesar de lhe faltar coragem de assumir publicamente a posição, o que seria legal e mais honesto. Estas questões sugerem que as denúncias sejam olhadas com cautela.”

    Quem mantém em seus quadros gente que generaliza, que chama os outros de petralhas, stalinistas (sim, chama pela lógica – pela história – de assassino também), de apedeuta, de anta, de canalha etc, não merece crédito imediato. Tudo que falam a gente tem que olhar bem, para não cair nas armadilhas de torcidas organizadas. Se a revista os abriga e incentiva, então a própria revista merece o crédito devido, ou seja, de um veículo tendencioso.

    Acontece que há tanto parente e tanta denúncia, seja da atuação da Erenice na Casa Civil, como das Agências Regulatórias, que o correto é que a sociedade cobre investigações profundas sobre todas as anomalias apontadas. A polícia e a justiça que cumpram seu papel.

    Este blog faz o que se propõe. Coleciona as notícias.

    Emite opiniões, sim, com bastante cautela. Aprendi com jornalistas craques algumas das cautelas que uso aqui. Mas aprendi na vida, nestas décadas, que julgamentos sumários, generalizações irresponsáveis, são erros crassos e muitas vezes catastróficos.

    A opinião que emiti, fundamentalmente, é que tudo indica que Erenice causará um estrago maior que o imaginado. No mínimo na competência em gestão de equipes. Seja para Lula quanto para Dilma. O noticiário está farto demais. E aqui, sinceramente, não é culpa da Veja, da tendenciosa Veja. É dos protagonistas. Neste caso Erenice e sua parentada.

  3. Patriarca da Paciência said

    Cocordo totalmente com o Jorge.

    Infelizmente, digo com tristeza mesmo, que a “óia” desceu aos últimos degraus da baixaria!

    Simples acusação, não apresenta a mínima prova. A ´”oia” é o kamikaze do Serra.

    “Serra entrará para a história como o Carlos Lacerda repetido em farsa!”

  4. Pax said

    Caro Patriarca,

    Só teu comentário acima depois de postar minha resposta ao caro Jorge. Mas acho que é a mesma questão.

  5. Chesterton said

    vamos acabar com essa farsa? pax falou, a coisa é gravíssima.

  6. Chesterton said

    http://colunas.epoca.globo.com/guilhermefiuza/

    esse é da Época, não da VEja

    A grife Dirceu-Dilma-Erenice é de uma eficiência impressionante. Precisam de muito pouco tempo com a mão na máquina para posicionar seus companheiros e passar a ordenhar o Estado – sempre em nome do povo, essa entidade altamente lucrativa. São mesmo uns revolucionários.
    Se não fosse a imprensa burguesa com sua mania de perseguir o governo popular, Erenice teria dado continuidade tranqüilamente à sua obra. Isso não pode ficar assim. Guerra é guerra.

    Vamos ver o que o Plano Dilma trará para coibir essas manchetes inconvenientes, que vivem atrapalhando a revolução particular do PT.

  7. Patriarca da Paciência said

    Acusão para o Chesterton é coisa gravíssima!

    Fatos?

    Bem… fatos a gente distorce!

    A reinaldo taí para isso mesmo!

  8. Patriarca da Paciência said

    Acusação para o Chesterton é coisa gravíssima!

    (o teclado não acompanha meu pensamento)

  9. Chesterton said

    Este blog não concorda com as indiretas colocadas na matéria que tentam vincular Dilma Rousseff às acusações.

    chest- claro, Pax, ela não sabia de nada, que santinho ingenuo que você é.

  10. Patriarca da Paciência said

    “Serra entrará para a história como o Carlos Lacerda repetido em farsa!”

  11. Chesterton said

    Se essa mulher não sabe o que a secretaria faz, como é que pretende governar o país? A secretaria governaria?

  12. Chesterton said

    Esquece o Serra, a Dilma pretende governar como?

  13. Patriarca da Paciência said

    Pax,

    só para esclarecer,

    eu concordo que a Veja desceu aos últimos degraus da baixaria, não que o blog esteja se pautando pela Veja.

  14. Pax said

    Prezados,

    Tomo a liberdade de trazer um micropost do Sérgio Leo em seu twitter. Acompanho o Sergio Leo como todos sabem. Ultimamente mais ainda, depois que ele passou a criticar esta últimas reportagens da Veja e mantém diálogo com o autor, o jornalista Diogo Escosteguy, que o respeita e chama de mestre.

    Sergio Leo deu vários puxões de orelha no Diogo na semana passada, não sobre as apurações, mas sobre a forma com que a as notícias foram colocadas. Muito interessante ver isso, tanto da parte do Sérgio Leo, quanto, também do respeito e respostas do Diogo.

    Acabo de ver o seguinte twitter do Sérgio Leo

    “Não dár para rejeitar as novas denúncias como “coisa de Veja”.Chocante ação do marido e de Erenice na Anatel e banda larga.Exige explicação.”

    Fico feliz de aprender um pouco olhando gente que sabe fazer o que faz. Sergio sabe, na minha opinião. Acredito que meu post tenha falado de forma similar à opinião deste jornalista que respeito.

  15. Patriarca da Paciência said

    Já que você se interessou, Chesterton,

    eis aí algumas idéias da Dila:

    por Dilma Rousseff,
    Protagonista de um extraordinário enredo de progresso e amadurecimento, o Brasil está diante de um desafio imposto a poucos países. Manter a rota virtuosa traçada nos últimos anos ou pôr um freio às recentes conquistas sociais e econômicas? Promover o salto ainda maior, esperado por uma população que voltou a sonhar alto, ou retroceder aos passos lentos e sofríveis das duas décadas anteriores? Os que me conhecem sabem que, diante dessas indagações, eu fico com as primeiras respostas.
    Não se trata de ver o país como uma escala binária entre o certo e o errado, entre o bom e o mau, entre o bonito e o feio. Trata-se de reconhecer a vitalidade de um momento definidor dos rumos do Brasil. Há vinte anos batendo às portas do clube dos países desenvolvidos, estamos a um passo de atravessar o seu umbral. Com estabilidade. Sem sobressaltos.
    Poucas nações tiveram a oportunidade posta à disposição do Brasil. Estamos diante de uma versão nacional do Tratado de Kanagawa, firmado entre Japão e Estados Unidos, em 1854, que permitiu aos japoneses iniciar a grande virada em sua industrialização. Ou algo como a etapa seguinte à Guerra da Secessão nos Estados Unidos, quando norte-americanos se viram sob o acúmulo crescente de capital, expansão territorial e revolução nos transportes, a ponto de ultrapassarem os britânicos como a maior economia mundial. Talvez haja semelhança com o passo fundamental das reformas chinesas, iniciadas ao fim da década de 1970 por Deng Xiaoping, que impulsionaram a arrancada capaz de trazer à China a marca do gigante.
    Resguardadas as circunstâncias históricas específicas de cada trajetória de desenvolvimento, o Brasil vive o seu momento. Sem se resignar à condição de cópia melhorada, mera reprodução de modelos importados, está construindo sua própria história, a partir das suas necessidades, singularidades e esperanças. Buscamos enterrar, de uma vez por todas, uma marca que se repetia de maneira exasperante: a enorme distância entre o falar e o fazer, entre o discurso e a realidade.
    A gigantesca incorporação de grandes contingentes do povo ao mercado de consumo, por via do controle da inflação, das políticas sociais agressivas e da distribuição de renda, mostra que é hora de deixar o passado onde ele deve estar: para trás. Do mesmo modo, pode-se citar o fato de que, no governo Lula, do qual fiz parte, com muito orgulho, o Brasil rompeu a rotina histórica segundo a qual os países subdesenvolvidos e em desenvolvimento crescerão quando crescerem os países ricos, e entrarão em crise junto com eles. Fomos os últimos a trafegar pelo terreno pantanoso da crise financeira internacional, e os primeiros a atravessá-lo. Repita-se: com estabilidade e sem sobressaltos. E sempre sob a proteção visível da democracia.
    Não é boa política ignorar o passado. É preciso coragem para voltar os olhos aos erros cometidos, a fim de evitá-los no futuro. É assim que se constrói algo novo. Políticos que têm legítima ambição de chegar ao poder não podem fingir que caíram de paraquedas no meio da refrega. Como se não tivessem pisado em outros tapetes. Devem, contudo, uma vez esclarecido o que fizeram ou deixaram de fazer em suas trajetórias, voltar-se para o futuro e oferecer propostas ao julgamento do eleitor.
    O Brasil é um país sedento de novas ideias, ávido por políticas públicas inovadoras que atendam às suas maiores carências. Quem aspira ao poder deve exibi-las, desde já, em vez de se preocupar apenas em depreciar o que está sendo feito. O salto para o futuro, em construção no presente, exige que se desatem alguns nós que nos prendem ao passado. Não há exemplo mais importante dessa imposição do que o caráter indispensável, fundamental, de uma educação de qualidade.
    A educação é um dos gargalos para o desenvolvimento sustentado e para a elevação definitiva do padrão de vida dos brasileiros. O Brasil tem pressa. Enfrentará em breve – e nesse assunto não medimos o tempo por décadas ou anos, mas por meses – os desafios da sociedade do conhecimento. Precisa superar um atraso de raiz secular e, ao mesmo tempo, saltar para um futuro de acesso pleno, democrático, popular, à educação, ao ensino, à informação. Com rapidez. Sem pestanejar.
    O governo Lula lançou as bases para essa nova etapa do desenvolvimento brasileiro. Retirou a política educacional de um estado de lassidão e a levou a uma mudança de paradigma. Ainda que se deva reconhecer que no governo anterior houve significativo investimento no aumento da escolaridade, no incremento do número de matrículas e na efetiva implantação da Lei de Diretrizes e Bases da Educação, na virada do milênio esses acertos se mostraram escassos para a exigência da nação. Houve negligência em relação ao ensino médio, estagnação do ensino técnico, paralisia das universidades públicas – com a duvidosa contrapartida de uma concepção privatista da educação, estimulando a criação desenfreada de escolas e faculdades particulares.
    Lula reconstruiu a gestão da educação brasileira. Corrigiu a política da indiferença e estabeleceu novas prioridades – menos teóricas do que práticas, realizadas de fato ao longo de seu governo: uma política integrada de ensino, da creche à universidade; universalização da educação básica de qualidade; democratização do acesso ao ensino; garantia de permanência dos alunos na escola; superação da exclusão por classe social, etnia ou gênero; fortalecimento da relação do ensino com o trabalho; e, por último, mas, no entanto, mais importante, valorização dos profissionais da educação.
    A revolução na educação brasileira não está marcada para começar no ano que vem. Começou com Lula, a partir de tudo o que havia sido construído antes dele, e a despeito de tudo o que se deixou de fazer antes que ele chegasse à Presidência. Política educacional – boa ou má – demora a mostrar resultados, e não pode ser feita aos soluços, mas como processo, caminhada constante. O espaço deste artigo, mesmo que generoso, não é suficiente para enumerar o que se fez nos últimos sete anos pela educação. A campanha eleitoral oferecerá o tempo necessário. O mais oportuno, aqui, é falar do próximo grande passo. O pulo do gato, talvez. O movimento que pode significar a diferença entre um salto para o futuro e uma volta à estagnação.
    Assegurada a continuação das mudanças implantadas por Lula, a revolução evoluirá naturalmente para a ampla democracia no acesso à informação, à tecnologia, à cultura e, para usar a expressão mais contemporânea que resume tudo isso, ao conhecimento. O próximo grande passo é o pleno direito popular de acesso à internet em alta velocidade. Quanto maior a capacidade de um povo de processar informações complexas, mais conhecimento, riqueza e poder esse povo terá. A inclusão digital é uma exigência econômica, social e cultural, imprescindível para a competição entre os países e para as necessidades dos cidadãos.
    Há enormes desigualdades a vencer nesse campo. Tão acentuadas ou até maiores que as que separam os brasileiros pobres e ricos em outros ramos de atividade. Mas nós temos um compromisso: superar a exclusão digital e, já numa primeira etapa, democratizar e universalizar o uso da internet de maneira massiva nas escolas públicas de todo o país. Nós temos os meios e os recursos para promover a revolução digital na educação. Teremos, inclusive, amparo legislativo, com uma lei, de autoria do senador do meu partido, Aloizio Mercadante, que prevê o uso intensivo de banda larga e a produção de material didático digitalizado em todas as escolas públicas.
    Não vai demorar muito para que o Brasil seja, também, um país democrático quanto ao acesso pleno à informação. Essa revolução já começou nas escolas. E levará sua riqueza para todos os professores e estudantes do país.
    *Dilma Rousseff é candidata do PT à Presidência da República

  16. Pax said

    Caro Chesterton, em #9

    Você diz: chest- claro, Pax, ela não sabia de nada, que santinho ingenuo que você é.

    E eu digo, não, caro Chesterton, eu não me declaro mais inteligente ou mais esperto que ninguém. Só declaro abertamente que não quero fazer julgamentos sumários.

    Caro Patriarca, em #13,

    Sei disso meu caro, quando você quer reclamar do blog, reclama. Como já reclamou, que eu lembre, algumas vezes com razão, outras que eu contestei. Aqui isto pode e todas tuas crítica serão bem-vindas, como sempre.

    Diferente dos jornalistas que a Veja abriga.

    Acredito que tenha deixado bem claro o quanto tomo todas as cautelas por conta desta minha opinião sobre esta revista e sobre os jornalistas que ela abriga e estimula.

  17. Chesterton said

    Ora, pax, tem hora que não dá para se fixar em firulas. As denuncias são graves, de crimes graves.

    ARTHUR: 17 setembro, 2010 as 17:22
    Vocês lembram que Dilma queria a Erenice no TCU? Faz sentido.

    Já pensou uma presidente da República com o seu “braço direito” dentro do Tribunal de Contas da União? Todos sabemos o papel do TCU. Imaginem Erenice Guerra aprovando projetos do PAC, da Copa do Mundo e das Olimpíadas? Dilma Rousseff lutou com “unhas e dentes” para indicar a amiga para o TCU. Só desistiu porque trocou, à época, a indicação para o tribunal pela garantia de que Erenice seria a sua sucessora. Depois de toda a lama que escorre da Casa Civil, a insistência para colocar a principal assessora no TCU começa a fazer muito sentido.

    chest- comentarista do Fiuza

  18. Pax said

    As denúncias são graves, de crimes graves, diz o caro Chesterton acima, no comentário #17.

    E onde foi que eu disse que não, caro Chesterton? Mostre-me, por favor.

  19. Chesterton said

    não quero fazer julgamentos sumários.

    chest- julgamento sumário? Porra, a mulher tá há 7 anos na cola da Dilma e você acha que ela não sabia de nada? PQP, assim não dá, é se fazer de idiota em demasia.

    Se Dilma tivesse um pingo de vergonha na cara pedia as contas.

    Claro que sei que a lógica é de quadrilheiros, o que desde a década de 70 não é novidade para ela, ingenuo eu não sou.

  20. Chesterton said

    Pax, me diz uma coisa com sinceridade. Você realmente acredita que a Erenice operava independentemente de Dilma? Sim ou não.

  21. Patriarca da Paciência said

    É isso aí caro Pax,

    Quanto ao Sergio Leo, eu o acho muito parecido com aquele caro comentarista do Pedro Doria, o Caramujo, o qual sempre achava que há políticos imaculados no planeta Terra.

    Para mim, não há honestidade genética ou pessoa imaculada, mas quem errou há que assumir seus erros.

    Agora, simples suposições, acusações sem provas etc?

    Até hoje o José Dirceu não foi condenado em nenhum processo!

    Mas alguns da direita o consideram a própria reencanação do demônio.

    A verdade é cristalina.

    Ninguém duvida mais que o tal “empresário” (aquele acusou o filho da Erenice), seja um receptador de cargas roubadas e passador de dinheiro falso! Está devidamente provado.
    Em bem pouco tempo.

    Mas… onde está o áudio? também reportagem da “revista”.

  22. Patriarca da Paciência said

    Se a Veja, Folha, Serra e PSDB, tivessem um pingo de vegonha na cara, não teriam se associado a um receptador de cargas roubadas e passador de dinheiro falso para fazer campanha política!

  23. Chesterton said

    Não adianta matar o carteiro que traz más notícias. As noticias estão aí, o casdtelo cai pedra a pedra.
    Patricarca, você é um sujeito com dificuldades, mas a coisa é tão simpels que até você já poderia ir admitindo os erros passados.

  24. Chesterton said

    E folha corrida por folha corrida, Zé Dirceu cometeu crimes bem piores.

  25. Pax said

    Caro Chesterton, #20

    Sim ou não?

    Não sei, não posso afirmar nada.

    Este é o problema, caro Chesterton, vamos por partes, as Jack, the Ripper:

    – na Santa Inquisição acusavam alguém de qualquer coisa, colocavam nos estiradores, nas fogueiras e o acusado confessava. Isso vale? Sei que você concorda que não.

    – suponha que haja um jornalista que chama todos que discordem dele de assassinos, burros etc. Todos, indiscriminadamente. Basta não aplaudir o bobalhão que ele logo te julga sumariamente. Pior que isso, nem dá direito ao contraditório. Só vale o que ele fala. Você acha que este jornalista comete uma generalização bastante perigosa, irresponsável? Acredito que você concorda.

    – por outro lado, você se diz um admirador do estado democrático de direito, certo? Se sim, e eu acho que sim, então vale lembrar, nestes momentos, o que diz a Declaração Universal dos Direitos do Homem, da ONU. Veja só

    Artigo V.
    Ninguém será submetido à tortura nem a tratamento ou castigo cruel, desumano ou degradante.

    Artigo VI.
    Todo ser humano tem o direito de ser, em todos os lugares, reconhecido como pessoa perante a lei.

    Artigo VII.
    Todos são iguais perante a lei e têm direito, sem qualquer distinção, a igual proteção da lei. Todos têm direito a igual proteção contra qualquer discriminação que viole a presente Declaração e contra qualquer incitamento a tal discriminação.

    Artigo VIII.
    Todo ser humano tem direito a receber dos tribunais nacionais competentes remédio efetivo para os atos que violem os direitos fundamentais que lhe sejam reconhecidos pela constituição ou pela lei.

    Artigo IX.
    Ninguém será arbitrariamente preso, detido ou exilado.

    Artigo X.
    Todo ser humano tem direito, em plena igualdade, a uma justa e pública audiência por parte de um tribunal independente e imparcial, para decidir sobre seus direitos e deveres ou do fundamento de qualquer acusação criminal contra ele.

    Artigo XI.
    1. Todo ser humano acusado de um ato delituoso tem o direito de ser presumido inocente até que a sua culpabilidade tenha sido provada de acordo com a lei, em julgamento público no qual lhe tenham sido asseguradas todas as garantias necessárias à sua defesa.
    2. Ninguém poderá ser culpado por qualquer ação ou omissão que, no momento, não constituíam delito perante o direito nacional ou internacional. Também não será imposta pena mais forte do que aquela que, no momento da prática, era aplicável ao ato delituoso.

    Ou seja, caro Chesterton, como que você quer que eu julgue sumariamente, se eu declaro abertamente que sou completamente adepto dos direitos humanos?

    Não dá, caro Chesterton. A revista Veja insinua? Sim, é só ler a notícia. Eu tenho que assinar embaixo tal insinuação? Claro que não.

    Prefiro aguardar.

    Uma coisa é torcer, um direito que todos temos, outra é distorcer e julgar, direito que não temos. Isso é coisa para a polícia e para a justiça. E com valiosas ajudas de um bom jornalismo. Não de opinião de analista político tendencioso. Já cansei de falar aqui para você que o tio, num hora dessas, coloca a revista sob suspeição, também. O quadro de jornalismo político da Veja indica cautela em cima de suas acusações, no mínimo. Quem generaliza perde credibilidade. Olhe os pontos do DUDH da Onu e veja em quantos pontos o tal tio e seu paceiro Diogo parecem escorregar.

    Recentemente queriam que todos julgassem sumariamente o Receitagate imputando a Dilma e a sua campanha as culpas. O mundo rodou, nasceu o Sol, veio a noite, nasceu o Sol de novo e hoje já não estão mais nem batento tanto nesta tecla. Engraçado, não? Eu também não estou dizendo que o Receitagate tem ou não vínculo com a campanha de Dilma, continua aguardando as investigações. De novo, coisa para a polícia e para a justiça.

    Também não coloquei post sobre a tal empresa da Verônica Serra com a Verônica Dantas que saiu em veículos do outro lado, não achei que merecesse post de uma coisa que me parece requentada.

    Nem para um lado, nem para o outro, caro Chesterton.

    Sugiro cautela. E canja de galinha. Pelo que consta, ambos não fazem mal algum.

  26. Chesterton said

    Você tem medo, Pax, e tem receio de contrariar seus colegas. mas você não está dentro do esquema (tem um amigo seu aqui que está).
    Tudo bem que não queira se posicionar em o público, aceito a sua resposta, mas não agrida a inteligência. Ou Dilma é cúmplice da Erenice, ou deixou que ela praticasse crimes, afinal é sua subordinada. Alegar ignorância nessa altura já não mais é possível.

    A oposição, ou o que resta dela depois de ser comprada pelo Lula, tem a semana que vem para salvar a Pátria (rs), Dilma empossada é crise institucional, 4 anos de confusão e sabemos como isso acaba, certo?

    Dilma tem que renunciar a sua candidatura para que se esclareçam os fatos, e como você diz, duela a quem duela. (Sarney)

  27. Mona said

    Sabe qual a impressão que tenho?
    A Dilma vai ganhar, vai tomar posse, mas dificilmente governará. Vai ter um governo mais efêmero do que o do Collor. Agora, adivinha quem vai se locupletar com esse quadro? hahaha. Acertou… o PMDB, do Temer, do Sarney, do Renan…
    Puta que pariu! Que retrocesso…

  28. Chesterton said

    Exatamente, essa é a opção pacífica.

    Pax, procure no dicionario a palavra prevaricação. Dilma eleita, não poderá ser impichada por atos que tenha cometido antes de eleita, isto é, agora. Será um tapa na cara do Judiciário. Tipo, cometi crime e vocês nada podem fazer. É o que dá Lula apostar sua biografia numa aventureira. Aliás, emt ermos de biografia, Lula vai passar a história como o quê depois dessa?

  29. Pax said

    Caro Chesterton, em #26

    Medo do quê? Agora estou sendo acusado também. Sobrou pra mim? =)

    Esquema? Qual? O da Erenice? Caramba, alguém ficou com duas cotas, se vierem a ser comprovadas as denúncias. Eu abro meu sigilo telefônico, bancário, fiscal, já me comprometo em público. =) (xi, vão descobrir que um dia eu não declarei umas meias da Reebock que trouxe dos EUA, ferrou! Ah, já confesso logo, o notebook que comprei foi em loja no Brasil, mas não tenho certeza absoluta que todos os sws sejam absolutamente legalizados. Comprei em loja, tem NF, o sistema operacional é Mac OS, e não instalei nada de novo nele não, mas vai saber…

    Tem um amigo seu aqui que está? – Acusação sem provas, julgamento sumário, erro crasso. Chato isso. Sugiro não continuar nesta linha.

  30. Carlão said

    Calma Matilde

    Semana nova e novas e surpreendentes revelações… Valium 2 vezes ao dia.
    Ou vocês acham que ter declarado “dinheiro vivo” guardado debaixo do colchão…
    vai ficar sem explicação ???hehe

  31. Chesterton said

    29, falacia do espantalho, Pax (que falta faz a você estudar as falacias). Eu disse que você NÂO está no esquema, que você é um inocente útil.

    olha aqui, Pax (unsuspected friend) , é muito legal

    http://pt.wikipedia.org/wiki/Fal%C3%A1cia

  32. Chesterton said

    amazing

    http://www.therightperspective.org/2009/02/11/putin-warns-us-about-socialsm/

  33. Carlão said

    Betty

    113 mil guardado debaixo do colchão é muito mais do que vc ganha por ano. Ou não?
    Semana que vem …ou antes.
    pau que bate em chico bate em francisco…hehe

  34. Pax said

    Cara Mona,

    Temer não me agrada. Confesso. Acho, não posso afirmar peremptoriamente, que não agrada nem Dilma nem Lula, se a gente pudesse oscultar (é assim que escreve, caro Chesterton?) seus corações.

    Mas o Indio assusta até simpatizantes do Serra. Juro que isto já me foi dito. E eu nem preciso me fiar nestas opiniões alheias, a minha com certeza é esta.

    Você parte de uma premissa que se Dilma vencer e tomar posse não conseguirá governar. Calma. Não dá para ir tão longe. E eu também não confesso esses medos, não compartilho. Quem vier a suceder Lula, e tudo indica que será Dilma, terá um compromisso enorme com a sociedade brasileira. Lembre sempre da economia. Há uma nova classe C que cobrará que o estado atual não se altere para pior. O que melhorou, e melhorou, não pode piorar, voltar pra trás.

    Do que li de alguns analistas interessantes, esta classe não tem vinculação política forte não, pelo contrário. Se a vida estiver boa, ótimo, que continue assim. É o que vai eleger Dilma, provavelmente. Mas se a coisa piorar esta multidão de brasileiros, que não é idiota, pelo contrário, vai cair de pau em cima. Quem garante o Brasil, então, neste lógica, são os próprios brasileiros. O que acho ótimo. Melhor que ótimo. Isto se chama Democracia.

  35. Patriarca da Paciência said

    “Serra entrará para a história como o Carlos Lacerda repetido em farsa!”

    Mar de lama! Mar de lama!

    Ou seja, se afoga na própria lama que produz.

  36. Pax said

    Caro Carlão,

    Sou todo ouvidos (e links) desses 113 contos debaixo do colchão.

    Do que estamos falando?

  37. Chesterton said

    oscultar = auscultar

  38. Chesterton said

    Lembre sempre da economia…

    chest- quem disse que só o Lula, ou sua candidata, ou o mkeireles pode manter a economia estável? Falacia de novo, Pax.

    pesquise ” Ignoratio Elenchi “

  39. Patriarca da Paciência said

    A Mona tem todo o direito de sonhar.

    Muita gente imaginava coisas bem mais catastróficas para o governo Lula e… Lula sai como um dos governantes brasileiros mais bem sucedidos de toda história.

  40. Chesterton said

    Patriarca, o programa de governo do PT era tão catastrófico que Lula deu um pé na bunda do PT e roubou o programa de FHC.

  41. Patriarca da Paciência said

    Chesterton,

    essa história não engana nem simplório.

  42. Patriarca da Paciência said

    Chesterton,

    convença-se de uma vez.

    Como dizem os norte-americanos: “Quem não tem competência não se estabelece”

    E como falou um célebre presidente daquele país:

    “Pode-se enganar o povo por algum tempo… etc”

  43. Chesterton said

    Para com isso patriarca, não dá hoje em dia se reescrever a história. Tem internet, tá tudo registrado.

  44. Carlão said

    Pax
    :) :) :)
    Tudo a seu tempo.
    Deixe a Betty e a Matilde se estressarem mais alguns dias…
    hehe

  45. Patriarca da Paciência said

    Vejam que “máximo”.

    Guru de Serra pede demissão (ou foi demitido?)

    (Folha online 18/09/10)

    O “guru” gorou. Contratado no final de agosto para turbinar a campanha de José Serra na internet, o americano de ascendência indiana Ravi Singh, da empresa ElectionMall, voltou para os EUA sem ter o contrato renovado.
    A coordenadora da campanha tucana na internet, Soninha Francine, argumenta que o trabalho dele “foi concluído conforme o combinado”. A versão, porém, não contempla o pandemônio causado pela contratação do “guru” nas hostes serristas.
    Bobardeado por todo lado –de interneteiros preteridos ao setor de marketing, passando pelo núcleo político.
    Um profissional que trabalhou com o indo-americano relata que ele era truculento e costumava rejeitar sugestões afirmando: “Vocês não estão aqui para ter ideia, quem tem ideia sou eu”.
    As críticas mais frequentes foram às mudanças implantadas pelo consultor na página de Serra na internet (
    De saída, o “guru” priorizou um burocrático cadastramento de eleitores pelo site.
    “Ele não tem sentido de rede, tem sentido de spam”, criticou um colaborados, referindo-se aos e-mails que depois inundaram a caixa postal dos cadastrados.
    SLOGAN
    Outra criação tida como infeliz foi adotar um novo slogan para a página oficial, “É a Hora da Virada”, em vez de “O Brasil Pode Mais” usado na propaganda serrista.
    Soninha, que atua em conjunto com a empresa DDBR, que contratou Singh, diz ter “adorado” trabalhar com o consultor. “O site é hoje muito mais interativo, colaborativo, 2.0”, afirmou.
    “Mudei de ideia sobre o papel do site oficial. Estamos todos aprendendo a dirigir com o carro em movimento, mas felizmente internet não é folheto e dá para mudar e corrigir o tempo todo.”
    A ex-vereadora elogiou a ferramenta que exibe depoimentos on-line de eleitores. “Eu acho o máximo ler, em pé de igualdade, o depoimento de um agricultor do interior do Espírito Santo, de um casal de 80 anos da Paraíba, de um estudante da Fatec da zona leste.”
    Entre os tucanos, ninguém assume a paternidade da ideia de trazer Singh. Uma versão diz que o primeiro contato com ele foi feito por Arnon de Mello, filho do ex-presidente Fernando Collor e sócio da Loops, uma das fornecedoras de serviços de internet da campanha.
    Outra atribui a ideia à filha de Serra, Veronica.
    Soninha afirmou saber apenas que “algumas pessoas da campanha” fizeram contato com Singh no ano passado e que depois o consultor fez uma proposta à DDBR –que foi aceita.
    Ninguém, nem críticos nem entusiastas, quis revelar quanto custou a aventura.

  46. Patriarca da Paciência said

    Ué,

    O Collor é aliado também do Serra?

  47. Carlão said

    Carlão também é cultura:

    :) :(

  48. Carlão said

    Pax

    Procurando nas categorias ai ao lado…estranhei a ausencia de Roberto Teixeira, o cumpadre do lula
    tá na hora de atualizar…hehe ;) :0

  49. Carlão said

    Pax

    “Tem dias em que alguns setores da imprensa são uma vergonha. Os donos de jornais deviam ter vergonha. Nós vamos derrotar alguns jornais e revistas que se comportam como partidos políticos. Nós não precisamos de formadores de opinião. Nós somos a opinião pública”, afirmou.

    vamos ver…:) :)

  50. Chesterton said

    cáspita!

  51. Carlão said

    Frases recorrentes sobre escândalos petistas. (Lula nos ensinou o caminho?)

    Dilma ‘não sabia’
    A candidata do PT à Presidência, Dilma Rousseff, afirmou hoje de manhã em Campinas que não sabia da atuação de Israel Guerra no governo.
    http://www1.folha.uol.com.br/poder/800900-dilma-afirma-que-nao-sabia-de-lobby-na-casa-civil.shtml

    Erenice Guerra foi traída
    admite que não tem controle sobre o trabalho do filho, diz que foi traída e se considera vítima de uma campanha
    http://www.istoe.com.br/reportagens/101542_MEUS+FILHOS+VAO+TER+QUE+VIVER+TODOS+A+MINHA+CUSTA+?pathImagens=&path=&actualArea=internalPage

    Eu já vi este filme antes (lula em 2005) e o final sofrerá importantes alterações…:):);)

  52. Carlão said

    melhor dizendo
    :) :) ;)

    Agora assista ao vídeo abaixo:

    Entenderam agora?

  53. Chesterton said

    Num comício em Campinas, interior de São Paulo, o presidente do PT, José Eduardo Dutra, afirmou, referindo-se à oposição:
    “[são] falsos defensores da liberdade que acusam o senhor [Lula] de governar em cima de palanques, mas eles sentem falta dos que governavam em cima de tanques”.

    chest- falacia: Ad Baculum

    que negócio divertido isso de ver as falacias petistas….

  54. Carlão said

    Percebam…
    O entrevistador pergunta sobre o ponto de vista moral e ético e lula responde do ponto de vista jurídico e legal…

    Entendeu a “diferença” PAX?
    Agora entenda a “semelhança” juntando o que eu já disse nos posts acima.

    Chest …e os jornalistas da Veja são maus elementos, segundo Pax, aquele que não julga ninguém porque já tem a “cabeça-feita”… :)

    E en atenção especial ao Pat cito Marx:

    “A história se repete como farsa”
    (Karl Marx, extraída do 18 Brumário de Luis Bonaparte)

    TIC TAC,TIC TAC,TIC TAC diz o relógio
    Tá na hora do Valium…

  55. Chesterton said

    Fuga para nunca mais
    Leonardo Cavalcanti

    Tamanho do Texto
    Correio Braziliense – Internet

    Irmão da ministra Erenice retirou documentos da Editora UNB momentos antes de operação da Polícia Federal

    Desaparecido do cargo de assessor do Departamento de Auditoria da Novacap desde o início desta semana, José Euricélio Alves de Carvalho ” irmão da ministra-chefe da Casa Civil, Erenice Guerra ” protagonizou uma fuga memorável há dois anos. À época, ele despachava na Editora UNB, localizada no prédio 78, do Setor Comercial Sul. Ali, em 13 de maio de 2008, ao ser informado que a Polícia Federal faria apreensão de documentos e computadores, Célio, como é conhecido por amigos, tirou o disco rígido da máquina, juntou documentos e “fugiu” antes da entrada dos agentes. O HD e os papéis que não chegaram às mãos dos investigadores da PF traziam detalhes de contratos. Célio era gestor de projetos negociados com empresas e instituições, posteriormente acusadas de abastecer o esquema de corrupção no Governo do Distrito Federal, desmantelado na Operação Pandora.
    Durante a permanência na UNB, o irmão de Erenice gerenciou pelo menos R$ 33,7 milhões em recursos federais repassados a seu setor de coordenação por meio de convênios. A fuga de “Célio”, que deixou o local com documentos embaixo do braço e nunca mais voltou, nem mesmo para receber a rescisão contratual, ocorreu em meio às investigações do escândalo da UNB de desvio de dinheiro público. Na universidade, o irmão de Erenice cuidava das contas da Fundação de Apoio à Pesquisa (FAP) do Distrito Federal e de outros quatro projetos de inclusão digital apontados, pela Operação Pandora, como foco de desvio de dinheiro na administração de José Roberto Arruda.
    O atual diretor da Editora UNB, Norberto Abreu, antecipou ontem ao Correio boa parte do relato que fará à Controladoria-Geral(1) da União. Norberto foi convocado a prestar depoimento na CGU segunda-feira para falar sobre o esquema de desvio de verbas envolvendo o irmão da ministra da Casa Civil. “Em maio de 2008, com menos de um mês na direção da Editora, recebi uma ligação informando sobre a presença da Polícia Federal no prédio para fazer a apreensão de computadores. Não sei como a informação chegou, mas o Célio saiu e levou tudo. Depois disso, ele sumiu”, disse Abreu.
    O irmão de Erenice atuava como coordenador executivo da extinta Agência de Desenvolvimento Institucional (ADI), órgão que usava o CNPJ da Editora UNB para fechar contratos e transações. A entidade que acabou logo depois da investigação da PF movimentava cerca de R$ 98 milhões dos R$ 99 milhões creditados como receita da editora. Entre os contratos suspeitos citados na Pandora, e com participação gerencial do irmão de Erenice, estão acordos com a Adler e a Tecnolink. Os negócios foram intermediados pela Companhia de Planejamento do Distrito Federal (Codeplan) e o Instituto Candango.

    Convênios
    Além de recursos do GDF, a FAP mantém convênios com o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), pagos pelo Ministério de Ciência e Tecnologia. A entidade também tem parceria com o Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia (Censipam). No órgão, ligado à Presidência da República, está lotado Stevan Knezevic, sócio da empresa Capital, de propriedade do filho de Erenice, Israel Guerra. A empresa é investigada por tráfico de influência no governo. O secretário de Ciência e Tecnologia do GDF, Divino Valero, afirmou que o convênio da Censipam com a FAP é “recente” e não quis comentar o assunto.

    1 – Contratação suspeita
    À frente de projetos da Editora UNB, o irmão da ministra é responsabilizado pela Controladoria-Geral da União (CGU) por fraudes na contratação de pessoal. Euricélio repassou dinheiro até mesmo para o sobrinho Israel Guerra, filho de Erenice, conforme noticiou ontem o Correio. As irregularidades ocorreram durante a gestão do ex-reitor Timothy Mulholland e Alexandre Lima, à época diretor da Editora UNB.

    Frase
    “Não sei como a informação chegou, mas o Célio saiu e levou tudo. Depois disso, ele sumiu”
    Norberto Abreu, atual diretor da Editora UNB

    O número
    R$ 33,7 milhões
    Valor gerenciado pelo irmão de Erenice durante o tempo em que permaneceu na UNB

  56. Chesterton said

    Em resposta a Aécio Neves
    Mauricio Dias
    18 de setembro de 2010 às 16:38h
    O ex-governador Aécio Neves trocou a entrevista coletiva que seus assessores anunciaram, por um comunicado no qual desmentiu, longe das interrogações dos jornalistas, que vai sair do PSDB conforme reportagem que publiquei na edição da revista CartaCapital que está nas bancas.

    Eu afirmei: “Há duas semanas, em um jantar no Rio de Janeiro, o ex-governador Aécio Neves se empolgou ao falar da necessidade de reformas políticas no Brasil e, para sustentar os argumentos que desenvolvia junto a um grupo restrito de amigos, ele anunciou: “Eu vou sair do PSDB”.

    Aécio desmentiu: “Essa informação não tem qualquer fundamento. É mais uma especulação infundada, sem qualquer relação com a realidade, a exemplo dos mesmos boatos que, ano passado, davam como certa minha saída do PSDB. O PSDB é minha casa e, não apenas vou permanecer nele, como estou lutando para dar ao partido uma bela vitória em Minas”, diz a nota distribuída na sexta-feira, 17.

    O ex-governador não negou, no entanto, o jantar. E me surpreende que o anfitrião, Alexandre Accioly, um dos maiores empreendedores da área de entretenimento no Rio de Janeiro, tenha entrado em cena para dizer que o apartamento dele é em Ipanema e não em Copacabana, como indiquei, e que o jantar foi a mais de dois meses e não em duas semanas como informei.
    Confesso que errei.

    chest- da carta capital

  57. Chesterton said

    Não custa lembrar como as coisas mudam….hilário.

    Nota à Imprensa – Casa Civil

    Sobre a matéria caluniosa da revista VEJA, buscando atingir-me em minha honra, bem como envolver familiares meus, cumpre-me informar:

    1) procurados pelo repórter autor das aleivosias, fornecemos – tanto eu quanto os meus familiares – as respostas cabíveis a cada uma de suas interrogações. De nada adiantou nosso procedimento transparente e ético, já que tais esclarecimentos foram, levianamente, desconhecidos;

    2) sinto-me atacada em minha honra pessoal e ultrajada pelas mentiras publicadas sem a menor base em provas ou em sustentação na verdade dos fatos, cabendo-me tomar as medidas judiciais cabíveis para a reparação necessária. E assim o farei. Não permitirei que a revista VEJA, contumaz no enxovalho da honra alheia, o faça comigo sem que seja acionada tanto por DANOS MORAIS quanto para que me garanta o DIREITO DE RESPOSTA;

    3) como servidora pública sinto-me na obrigação, desde já, de colocar meus sigilos fiscal, bancário e telefônico, bem como o de TODOS os integrantes de minha família, a disposição das autoridades competentes para eventuais apurações que julgarem necessárias para o esclarecimento dos fatos;

    4) lamento, por fim, que o processo eleitoral, no qual a citada revista está envolvida da forma mais virulenta e menos ética possível, propicie esse tipo de comportamento e a utilização de expediente como esse, em que se publica ataque à honra alheia travestido de material jornalístico sem que se veicule a resposta dos ofendidos.

    Brasília, 11 de setembro de 2010.

    Erenice Guerra

    Ministra-Chefe da Casa Civil da Presidência da República

  58. Carlão said

    Chest e Pax

    A corrupção começou antes e continuou depois. Leiam a FSP e escutem a a conversa no áudio.
    http://www1.folha.uol.com.br/poder/800757-erenice-planejava-defender-investigados-por-corrupcao-quando-saisse-do-governo.shtml
    18/09/2010 – 16h45
    Erenice planejava defender investigados por corrupção quando saísse do governo.
    Foi o que ela confidenciou em conversa telefônica gravada, com autorização da Justiça, pela Polícia Federal no dia 14 de maio de 2008.

    Erenice (6 ou 5%, depende)então secretária executiva da Casa Civil e Silas Rondeau, 22 maio 2007 … Investigado pela Polícia Federal, o ministro Silas Rondeau (Minas e Energia-sucessor de Dilma) entregou nesta terça-feira uma carta pedindo demissão do cargo … (citado 5 vezes pelo Pax nas tags do blog)

    Prestem atenção ao tom de voz e a referência a Marcio Thomas Bastos e um tal de “Cardeal”

    Quem seria o tal de CARDEAL ??? que Silas estava curioso em conversar antes de decidir?
    E que estaria a Casa Civil trabalhando para ajudar na escolha de advogados do ex-ministro que fora “extirpado” exatamente 1 ano antes?
    É vergonhoso e vai piorar mais ainda, sentem-se Bettys e Matildes porque o nível vai baixar ainda mais.
    :) :) :)

  59. Iconoclasta said

    “Democrata é este governo que permite que eles batam.””

    q porr@ é essa?

    daqui a pouco esse picareta vai xingar a mae dos outros e nda vai acontecer.

    ;^/

  60. Patriarca da Paciência said

    Carlão e Chesterton,

    Realmente, vocês incondicionalmente, ao lado do “empresário” ex-presidiário, receptador de cargas roubadas e passador de dinheiro falso.

    Aquele que achava que tinha o “direito” de “tocar” um projeto de R$ 9. bilhões.

    Façam bom proveito!

  61. Carlão said

    Pat

    A questão é exatamente esta. Você acertou.
    O que fazia o “o “empresário” ex-presidiário, receptador de cargas roubadas e passador de dinheiro falso” sendo recebido pela “tchurma” da Casa Civil?
    Foi usar o banheiro respondo eu.
    A Cas Civil se transformou no banheiro público do Planalto.
    Sujo e fedido.

    Ei Pat acorda, o escândalo já mudou.
    Agora é: “Caraca, que dinheirama é esta?”

    Exagerou no Valium, Matilde? Escutou a conversa gravada pela Polícia Federal?

  62. Carlão said

    Carlão disse
    18/09/2010 às 18:51
    A corrupção começou antes e continuou depois. Leiam a FSP e escutem a a conversa no áudio.
    http://www1.folha.uol.com.br/poder/800757-erenice-planejava-defender-investigados-por-corrupcao-quando-saisse-do-governo.shtml
    18/09/2010 – 16h45
    Erenice planejava defender investigados por corrupção quando saísse do governo.
    Foi o que ela confidenciou em conversa telefônica gravada, com autorização da Justiça, pela Polícia Federal no dia 14 de maio de 2008.

    Reinaldo Azevedo
    18/09/2010
    às 20:12
    Uma impressionante conversa de Erenice, então braço-direito de Dilma Rousseff

    E Cardeal?
    Relembro quem é ele recorrendo a uma biografia muito sintética escrita por Diogo Mainardi em uma coluna:
    “Dilma Rousseff é associada a dois nomes. O primeiro nunca dependeu dela para fazer carreira, por isso tenho de calar o bico. O segundo – Valter Cardeal – é mais constrangedor. Em 2003, ele foi nomeado por Dilma Rousseff para a diretoria da Eletrobrás. No mesmo período, tornou-se presidente do conselho da CGTEE e da Eletronorte. Em 2006, ganhou o cargo de presidente da Eletrobrás. Sempre na esteira de Dilma Rousseff. No ano seguinte, foi acusado de envolvimento com o esquema de propinas da Gautama, depois de ser grampeado pela PF. Sim: ele foi grampeado. Sim: pela PF.”

    Em 12 de maio de 2004 foi nomeado presidente e membro do conselho de administração da Centrais Elétricas Brasileiras (ELETROBRÁS) por José Sarney. Anteriormente, fora presidente da Centrais Elétricas do Norte do Brasil (ELETRONORTE).
    Da famiglia Sarney.Vamos rememorar…
    “em 22 de maio de 2007, Silas Rondeau entregou uma carta de demissão ao presidente Lula devido ao seu envolvimento em esquemas de fraudes em licitações para realização de obras públicas[1]. Segundo a investição da Polícia Federal, foram feitas gravações que comprovariam o envolvimento de Silas com a empreiteira Gautama[2].

    Quando foi denunciado na Operação Navalha, em maio de 2008, Rondeau já era alvo de outro inquérito da PF, desta vez destinado a apurar tráfico de influência em órgãos públicos e outros ilícitos, também com o envolvimento do empresário Fernando Sarney, filho do presidente do Senado José Sarney (PMDB-AP), de quem Rondeau é amigo e aliado político.

    Após o escândalo dos atos secretos, foi descoberto também que a filha de Silas Rondeau, a jovem Nathalie Rondeau, de 23 anos, foi nomeada em 26 de agosto de 2005, por meio de um ato secreto, para trabalhar no Conselho Editorial do Senado[3].”

    dizem as más linguas que Cardeal e Dilma andaram se enroscando no sentido bíblico. :) :)

  63. Patriarca da Paciência said

    Diogo Mainardi, Reinaldo, tudo gente fina!

    Vem mais um escândalo por aí?

    Caçamba!
    Tô morrendo de medo!

    “Serra entrará para a história como o Carlos Lacerda repetido em farsa!”

    Mar de lama! Mar de lama!.

    E o próprio, enterrado até os chifres, no seu próprio mar de lama, juntamente com suas vaquinhas, que também todas já foram pro brejo faz muito tempo!

  64. Chesterton said

    59. voce perdeu a noção? isso é assunto passado, só está começando.

  65. Chesterton said

    PD faz parte do pig?

    http://www.estadao.com.br/noticias/nacional,diretor-dos-correios-e-argentino-se-unem-para-controlar-transporte,611907,0.htm

  66. Carlão said

    Betty e Matilde
    SER OU SER ?
    é a questão.

    “Na propaganda eleitoral, Dilma é vendida como superministra.
    Por vezes, tem-se a impressão de que mandava mais do que o próprio Lula.
    O marketing fez da candidata uma espécie de coordenadora-geral da República.
    Uma mulher assim, genial, mãe de todas as gestoras, não condiz com a Dilma cega da Casa Civil.
    A platéia fica autorizada a se dividir em dois grupos.
    Num, os que vêem em Dilma uma cínica.
    Noutro, os que enxergam nela uma banana, incapaz de refrear o ilícito.”

    “Em nenhum dos dois casos Dilma é a utopia que 74 milhões de eleitores se dispõem a eleger a próxima presidente da República.”
    Putz Até o idiota do Josias já percebeu…a furada…mas como perfeito idiota aproveita para lançar suspeitas contra o Serra 9 anos depois…ele contesta a falta de concordância da Justiça com as suas convicções pessoais.
    e todo dia vai ter mais…
    hoje já teve mais.ANAC e Centurion no estadão de amanhã, já publicada online.
    A ANAC (e o cumpadre Roberto Teixeira)…por exemplo.
    Par contra corrupção valium na veia é a recomendação.
    fica esperto! a ansiedade irá a 1000 !!!

    E a saúde da candidata denunciada…aguentará?
    Cantarolemos juntos…do mestre Ataulfo já nos ensinava:
    “Laranja madura na beira da estrada..tá bichada Zé, ou tem marimbondo no pé!”

  67. Carlão said

    Vergonha na cara!
    Serra Presidente – Programa de 18/09 (noite) from José Serra on Vimeo.

    já dozia Boldrin acima…;)

  68. Patriarca da Paciência said

    É lamentável que, em lugar de se discutir idéias, fique-se entulhando o blog que essas verborréias indigestas da “óia” e outros que tais.

    Deve-se ser a “doutrinação” do guru do Serra.

    Realmente lamentável!

  69. Pax said

    Caro Patriarca,

    Com certeza seria ideal se estivessemos discutindo algo parecido com:

    – A proposta de fulano para Educação é melhor que a de cicrano por isto e mais aquilo.
    – A proposta de beltrano para Saúde tem um furo no ponto tal.

    Mas sabemos como são eleições. Sempre entram as questões complicadas, o denuncismo etc. Há que se ter um enorme cuidado com o momento, na minha opinião.

    A questão é que este caso da Erenice tem tanta fartura de notícias apontando problemas que não dá para o blog deixar de colecionar as notícias e abrir a discussão.

    Confesso que preferia discutir propostas, também. Principalmente para os pontos essenciais como:

    – Educação, Saúde, Segurança.
    – Infraestrutura
    – Tamanho do Estado, atuação do Estado, onde e como.
    – etc

    Enfim, estas questões acabam caindo do caminhão num momento como este. Uma pena.

    Há um post no blog do Josias onde, segundo o informado, nem mesmo os caciques tucanos e democratas acreditam mais na possibilidade do segundo turno, vale dar uma lida

    O título do post é: Aliados de Serra tratam derrota como favas contadas e foi feito em 17/09.

    Acontece que a oposição tem direito de brigar com tudo que entende que pode para tentar a última cartada. Faz parte do jogo. Isto pode não ser o melhor para a discussão, mas está dentro do processo democrático. Se saírem da lei, que a justiça interfira.

  70. Zbigniew said

    A oposição tem direito. Mas a mídia também? O denuncismo seletivo é típico de quem apóia uma candidatura e não faz jornalismo. E por que, na época (como se fosse há tanto tempo) não se reverberou o caso da filha do Serra na questão dos vazamentos (que, interessante, já não é mais tão importante). Só saiu na Carta Capital. Tragamos então a questão das privatizações a lume e os contratos do governo de São Paulo com empresas ligadas ao Rodoanel e ao metrô, com no caso da Alston. Será que não há nada para ser investigado?
    Nâo falo aqui que não se denuncie, nem se apure. O problema é que as denúncias têm conotação estritamente política. E é por essas e outras que não vão fazer muita diferença nestas eleições, porque, pelo menos pela leitura das mais recentes pesquisas de opinião, o voto já está bem cristalizado. A leitura que se faz é de que, na realidade, o Serra tem perdido votos para a Marina.

  71. Pax said

    Caro Zbigniew,

    Acredito que sim. Se eu não acreditasse que sim teria que pensar em alguma forma de censura. E aí eu não consigo defender qualquer pensamento neste sentido.

    Veja o post do Kotscho

    Manchetes que viram propaganda eleitoral
    http://colunistas.ig.com.br/ricardokotscho/2010/09/17/manchetes-viram-propaganda-eleitoral/

    Onde quero chegar?

    Prefiro que a imprensa seja completamente livre, absolutamente livre. E que sobreviva a imprensa que seja boa e as outras que definhem.

    Se Globo, Veja, Folha, ou quem quer que seja, atuam de uma forma ou de outra, como o Kotscho bem escreve (notar, claro, que o bom jornalista – como escreve bem – é ligado ao governo e declara abertamente isso, tem essa coragem), o que se pode fazer?

    De outro lado, meus caros, este caso da Erenice, como diz o Sergio Leo, não pode ser tratado como “Coisa da Veja”. Não dá. Sinto muito. Há tanta informação disponível neste noticiário, bom ou ruim, que indicam que a sociedade tem direito de saber em detalhes o que aconteceu, doa a quem doer.

    Tem já notícia que Erenice não forneceu dados de familiares em órgãos públicos. Se é fato, e se este fato significa que ela escondeu de Dilma estas informações por tanto tempo, que isto seja devidamente esclarecido.

    Enfim, com imprensa boa ou com imprensa ruim, o ótimo é que tenha imprensa, sim. E que seja totalmente livre.

    Há justiça para coibir o que deve ser coibido. Claro que uma denúncia falsa causa um tremendo estrago em quem quer que seja, mas há o caminho da justiça paro o denunciado recorrer.

    Se eu preferiria que tivéssemos uma imprensa muito melhor? Claro que sim. Mas eu me lembro do tempo em que havia censura e controle e não consigo querer estes momentos de volta, tempos duros de uma ditadura covarde.

  72. Patriarca da Paciência said

    Caro Pax,

    a coisa é mesmo muito complicada.

    Creio que aguentar o direito de espernear é um grande sacrifício, mas é também um direito. Então, com sua permissão, vou fazer mais uma colagem.

    (Blog esquerdopata, 19/09/10).

    Em primeira mão

    Notícia quente de fonte mais quente ainda. A coisa está prestes a feder para um jornalista da Veja.

    Segundo a fonte, o delegado aposentado da Polícia Federal Onésimo de Souza, deu depoimento à Polícia Federal que desdiz a alegação que teria sido convidado a participar de um grupo de inteligência da campanha de Dilma Rousseff. Quando perguntado sobre afirmações anteriores respondeu que “ouviu errado”.

    Segundo Onésimo, quem inventou toda a história de grupo de espionagem da campanha de Dilma foi o jornalista Policarpo Junior, da revista Veja. Onésimo acusa o jornalista ainda de estar de posse de documentos que foram roubados no comitê de Dilma, o tornando responsável no mínimo de receptação de produto de furto. Policarpo poderá ser processado segundo o agente da Polícia Federal que informou a nossa fonte.

    Onésimo, que depois de aposentado se tornou da membro da equipe de espionagem chefiada pelo Marcelo Itagiba que José Serra montou no Ministério da Saúde, revelou que depois brigou com o grupo, porém ainda possui as gravações ilegais que fez a mando do grupo de espionagem montado por Serra. Segundo Onésimo, o grupo investigou a vida de todo mundo, desde adversários até aliados.

    O depoimento de Onésimo à Polícia Federal corre em segredo de justiça, portanto não temos link para apontar para o depoimento, mas podemos afirmar que a fonte é quente e depois que vazar essa informação, a PF não vai mais conseguir segurar a informação.

    Em breve, muito em breve, essa bomba vai estourar no colo do Serra e do jornalismo criminoso da revista Veja. O jantar entre Policarpo e Onésimo noticiado pelo Conversa Afiada na semana passada era um acerto de contas entre os dois. Policarpo está tremendo na base e querendo saber do teor do depoimento de Onésimo.

    Se nós conseguirmos a cópia do documento nós publicamos aqui.

    Leia mais em: O esquerdopata

  73. Zbigniew said

    Pax, que fique bem claro que aqui se trata de uma crítica à postura da imprensa, especificamente à velha mídia, e não de uma forma de querer calar a mesma.
    É com base neste raciocínio que entendo que é bem melhor uma imprensa hostil do que uma imprensa amiga. Sendo assim, melhor que a Dilma seja eleita. Ou vc acha que o panfleto estamparia este mesmo assunto na sua capa se o governo fosse o do José Serra?
    Entretanto, embora concorde que a imprensa livre é o melhor para a democracia, este comportamento específico tem agido contra os valores democráticos, porque apenas os interesses dos conglomerados são evidenciados. Daí as denúncias seletivas.

  74. Patriarca da Paciência said

  75. Chesterton said

    19/09/2010 às 9:17 \ Sanatório Geral
    Multidão em disparada

    “Se entregarmos a Erenice, que cabeças pedirão depois?”

    Franklin Martins, na tentativa de convencer os companheiros de que Erenice Guerra deveria continuar na Casa Civil, como noticiou a coluna de Lauro Jardim, reforçando a suspeita de que, se alguém gritar “Olha o rapa!” na Praça dos Três Poderes e na Esplanada dos Ministérios, Brasília se transformará no cenário de uma versão tamanho família da Maratona de Nova York.

  76. Chesterton said

    “Democrata é este governo que permite que eles batam.” Lula

    chest- da onde esse energúmeno tirou que saõ os governos que permitem ou deixam de permitir que se cumpra a lei?

  77. Patriarca da Paciência said

    Chesterton,

    Não se esqueça de que algumém pode te denunciar, berrando no meio da rua, que você está sonegando bens e rendimentos para a Receita Federal.

    Até que você prove que focinho de porco não é tomada, você vai passar por bons constrangimentos.

    “Quem cospe para cima, o cuspe cai na própria cara”, dizia minha mãe.

  78. Patriarca da Paciência said

    Acho, e creio que 99% das pessoas concordam comigo, que são os governos que garantem o cumprimento das leis.

    Sem governo não há leis.

    Data Venia, quem pensa diferente é que é energúmeno.

  79. Pax said

    Caro Zbigniew (#73)

    Nunca imaginei você torcendo por censura.

    Quanto a sua colocação:Ou vc acha que o panfleto estamparia este mesmo assunto na sua capa se o governo fosse o do José Serra?

    Minha resposta é que acho que sim. À época de FHC sentava o pau também, pelo que lembro.

    Faz parte.

    O que acho é que se estes veículos fossem um pouco mais equilibrados estariam, sim, aparecendo o noticiário, por exemplo, da Yeda no RS, e colocariam também as questões sobre estas acusações de Verônica Serra e Verônica Dantas. Eu gostaria de saber em detalhes o que aconteceu nesta história. E tem a dar com pau, pra todos os lados.

    Sim, o caso Alston, o caso Rodoanel, o caso Metrô que você aponta no comentário #70. Também acho muita ingenuidade da oposição mais raivosa achar que seus representantes podem pousar de vestais. Não são. Calça de veludo ou bunda de fora, como diria Maquiavel.

    Como tais veículos ficam em cima de uma nota só, de bater só de um lado, nós, leitores, consumidores, temos todo o direito de escolha.

    O prejuízo à imagem, à campanha e tudo mais? Bem, quem está na chuva é para se queimar, como diria o filósofo Vicente Matheus.

    Não vou ficar com pena de A ou de B. O governo é bem grandinho para se defender e está fazendo isto. A oposição também.

  80. Pax said

    Caro Patriarca,

    Este vídeo (#74) é duro pacas. E diz muita coisa.

  81. Patriarca da Paciência said

    Pois é, caro Pax,

    bem que o Serra poderia dormir sem essa!

    O homem é mais que cabeça dura e não precisaria passar por todos esses constrangimentos.

    Primeiro, nenhum cacique, seja do seu partido, seja do partido aliado, aceitou ser seu vice.

    Terminou arrumando um vice abaixo da crítica.

    Agora, um dos principais caciques do seu próprio partido, declara que vai votar na Dilma e, alguém diz isso em palanque e… na cara dele.

    O Serra está ficando patético!

    Mas ele continua achando que o povo é que é burro e se deixa enganar por qualquer docinho. (ele vai aumentar o salário mínimo para R$ 600,00).

    E o guru do Serra, aquele: “Um profissional que trabalhou com o indo-americano relata que ele era truculento e costumava rejeitar sugestões afirmando: “Vocês não estão aqui para ter ideia, quem tem ideia sou eu”.
    As críticas mais frequentes foram às mudanças implantadas pelo consultor na página de Serra na internet (
    De saída, o “guru” priorizou um burocrático cadastramento de eleitores pelo site.
    “Ele não tem sentido de rede, tem sentido de spam”, criticou um colaborados, referindo-se aos e-mails que depois inundaram a caixa postal dos cadastrados.”

    A Veja e a Folha vão pagar por suas “faltas”, pena que a coisa seja um pouco demorada.

    Que triste fim de carreira. ” Triste Fim do José Serra”.

  82. Chesterton said

    Não se esqueça de que algumém pode te denunciar, berrando no meio da rua, que você está sonegando bens e rendimentos para a Receita Federal.

    chest- vamos ver se te ensino alguma coisa, já que tem mestrado foi um desastre. Numa democracia os governos não tem o mesmo direito dos cidadãos. Ninguem pode me denunciar sem provas que toma um processo legal nas costas.
    Mas sim, se pode denunciar o governo sem provas. O governo é que tem que provar que é inocente. Governo e funcionarios publicos comissionados tem que ser transparentes. Ninguem os forçou a trabalhar lá, foram porque quiseram. Quiseram gerir a coisa pública, logo são alvos constantes de checagens e auditorias de toda espécie para ver se não estão roubando,=.
    Como você tem memória curta e seletiva, foi exatamente isso que o PT fez na oposição, quando você achava ótimo.
    Governos ditatoriais são diferentes, e por causa desse seu ranço, comum ao PT, que há sempre a suspeita de autoritarismo. O PT quer ser governo sem se expor ao crivo da oposição.
    Sorry, só em ditaduras.

  83. Chesterton said

    Acho, e creio que 99% das pessoas concordam comigo, que são os governos que garantem o cumprimento das leis.

    Sem governo não há leis.

    Data Venia, quem pensa diferente é que é energúmeno.

    chest- não, animal, as leis provem da constituição, a lei maior (entre outras coisas) entra governo e sai governo e os sistema judicial continua funcionando ininterruptamente.

  84. Chesterton said

    e creio que 99% das pessoas concordam comigo

    chest- o fato de a maioria concordar com você não significa que você está certo, significa que 99% da população está errada. Isso não é uma marcha de um batalhão onde a maioria decide o passo. (LOL)

  85. Patriarca da Paciência said

    E quem garante a constituição, animal irracional?

    Qual é o juramento que o presidente da república faz, animal irracional?

    Só uma liçãozinha que talvez, mesmo um inimal irracional possa entender, o governo é constituídos de três poderes, Executivo, Legislativo e Judiciário.

  86. Chesterton said

    Caro Zbigniew (#73)

    Nunca imaginei você torcendo por censura.

    chest- Pax e suas companhias autoritárias. Ainda bem que Pax está(lentamente ) acordando.

  87. Chesterton said

    E quem garante a constituição, animal irracional?

    chest- o Judiciario. O presidente, como quem entra na festa, tem que jurar que vai defendê-la. Esse juramento serve para que ele se lembre que existe um poder maior que o dele, a Carta Magna, quadrúpede.

  88. Chesterton said

    O presidente para ir contra a constituição tem que impor um AI (lembra Ato Inconstitucional). se você crê que os AIs são parte de uma democracia, não mpode mais dizer que os militares eram ditadores.

  89. Patriarca da Paciência said

    Como eu já te falei, animal irracional, o poder judiciário faz parte do governo.

    O governo é constituído de: Executivo, Legislativo e Judiciário.

    Para você cai muito bem aquela tirada do Barão de Itararé.

    “Há trabalhadores que são animais irracionais porque não tem ração.

    Agora, você, você é animal irracional porque não tem razão”

  90. Chesterton said

    Existe imprensa partidaria no Brasil. A imprensa governista que depende de patrocionio estatal para sobreviver.

    Carta Capital
    Amorim
    Nassif

    O governo dá dinheiro atraves de verbas publicitarias para veículos que dizem amén a seus atos. Numa democracia isso não é permitido. Alias, governo fazer propaganda em orgãos de imprensa é uma anomalia.

  91. Patriarca da Paciência said

    Você, animal irracional, e mais essa turma do Coturno, Reinaldo Azevedo, e outras tantas é que morre de saudade do AI5.

  92. Patriarca da Paciência said

    A Veja e a Folha não são patrocinadas, são diretamente sustentadas pelo governo de São Paulo.

  93. Chesterton said

    O governo é constituído de: Executivo, Legislativo e Judiciário.

    chest- sua burrice é caricatural. Confunde governo com poderes. Governo é só o Executivo. Há independencia (numa demcoraci, bien sur) entre os 3 poderes justamente para que um governo não tenha poderes demais.

  94. Chesterton said

    Você, animal irracional, e mais essa turma do Coturno, Reinaldo Azevedo, e outras tantas é que morre de saudade do AI5.

    chest- esse tipo de argumento (bobo é quem chama) em nada contribui a duiscussão. Você está desde o começo pedindo que o Lula faça AIs e não percebe.

    Patriarca da Burrice, não tem jeito, você é imune a verdade, tal qual amebas só reage a estímulos dolorosos.

  95. Chesterton said

    duvido que o saudoso Aporelly tenha dito isso.

  96. Pax said

    Caríssimos Chesterton e Patriarca,

    A discussão já e boa o suficiente e não precisa de agressões pessoais que acabam destruindo os argumentos. Pensem nisso, é um pedido.

    Posso contar com a colaboração?

    Obrigado, antecipadamente.

  97. Chesterton said

    Veja vende 1.ooo.ooo de cópias, faturamento bruto de 8 milhoes por semana, mais a publicidade de anunciantes privados, outros 8 milhoes, que 64 milhoes por mes, 720+ 48= 768 milhoes por anos.

    Sem fazer favor a governinhos de plantão. Por isso Franklin Martins quer acabar com VEJA.

  98. Chesterton said

    LOL

  99. Pax said

    Tô cá pensando em como fazer um post bem feito.

    Lembram de São Luiz do Paraitinga? Aquela cidade histórica entre Taubaté e Ubatuba?

    Então…

    À época do desastre das chuvas de janeiro, Serra apareceu por lá, prometeu ajudar etc etc. Esta cidade vive, entre outras coisas, do turismo. E faz uns 3 ou 4 anos, não lembro exatamente, que há um festival de música lá que movimenta a cidade.

    Enfim, justo no ano em que estão tentando se reerguer, o que acontece?

    A Secretaria de Cultura tira o apoio.

    É dose.

  100. Chesterton said

    Ohhhhhh…

  101. Chesterton said

    Faz um post sobre o PAC da Dilma onde não aconteceu nada.

  102. Chesterton said

    O candidato Luiz Inácio Lula da Silva, que jura nada saber sobre os negócios nada lícitos que acontecem na Casa Civil de sua Presidência, comprovou ontem que não tem mesmo apreço pela liberdade de expressão. Da mesma forma que seus companheiros do Foro de São Paulo – Fidel Castro e Hugo Chavez -, Lula só aceita a imprensa quando ela o elogia. Se ela o critica, a chama de “golpista”. Lula é um legítimo Odorico Paraguaçu inventado pelo Golbery do Couto e Silva, no final da década de 70, para neutralizar, no movimento trabalhista, Leonel Brizola – o mesmo que o chamou Lula de “filhote da ditadura”.

    O falecido Brizola tinha razão. Ontem, em Campinas, durante discurso com sua candidata (a amiga de Erenice Guerra), o presidente proclamou que a vitória de Dilma Rousseff na eleição significará também a derrota da imprensa. $talinácio deu seus motivos para a soberba eleitoreira: “Nós não vamos derrotar apenas os nossos adversários tucanos, nós vamos derrotar alguns jornais e revistas que se comportam como se fossem um partido político e não têm coragem de dizer que são um partido político, que têm candidato e não têm coragem de dizer que têm candidato, que não são democratas e pensam que são democratas”.

    J.S.

    chest- aí a explicação do amor de Lula por ditadores. Ele quer ser um. Só que não pode, ainda há liberdade de expressão no país.

  103. Zbigniew said

    Caro Pax, entenda: o panfleto e demais meios associados têm interesses. Seria muito ingênuo acreditarmos que apoiam o Serra porque gostam pura e simplesmente do candidato, ou porque estão em defesa da democracia, já que a oposição está enfraquecida.

    Eles apóiam Serra porque Serra apóia eles, lhes dá suporte e guarida (até aí tudo bem). Há, evidentemente, outras nuances que vão de um orgulho de classe até um preconceito desta mesma classe, e, lógico, uma identidade de classes que tais meios representam.

    Dito isto, o panfleto, pelo que também me lembro, circula muito bem no sistema político, nele influenciando e dele se beneficiando. Isto vale para os demais veículos associados (Globo, Estadão, Folha e congêneres). Trata-se de um modelo que se apresenta desde a época de Getúlio, com a figura proeminente de Assis Chateaubriand, passando por diversos governos, como os de Kubitsheck, Jango, os da Repressão desde 64 e a Nova República: Tancredo, Sarney, Collor, Itamar, FHC e Lula. É interessante constatar que todos os governos que se atreveram a introduzir determinadas ações que visavam uma melhoria das condições de vida da população foram tachados de “populistas” e atrasados. Não precisamos nem citar o governo Lula.

    Sim, o panfleto estampou nas primeiras páginas possíveis escândalos da era FHC, mas, lógico, com um viés que atendia a interesses político-econômicos que poderiam muito bem ser enquadrados em crimes de lesa-pátria.

    Quer um exemplo de como funciona? A Petrobrás, que hoje é o centro da retomada economica do país, principalmente com o advento de pré-sal. Você tem acompanhado as matérias em diversos jornais sobre o pré-sal, e em especial uma do Estado de São Paulo, de 13/09 último, que se colocou contra a exploração, afirmando que trata-se de águas internacionais? (http://www.estadao.com.br/estadaodehoje/20100913/not_imp608963,0.php). Com toda sinceridade: a quem interessa este tipo de reportagem?

    Outro questionamento: porque um jornal como a Folha de São Paulo, que não acompanha mercado, que abdicou de ter um caderno de Economia competitivo, interessa-se tanto pelo assunto da realização de ações por parte da empresa, a ponto de coloca-lo em suas manchetes principais? Coincidentemente num período que as manchetes foram bem desfavoráveis à Petrobrás (um exemplo: http://www1.folha.uol.com.br/mercado/766630-petrobras-perde-14-do-valor-em-bolsa-com-incertezas-sobre-capitalizacao.shtml).

    Não, não se deve ter pena de A ou B – interessante que quando o Lula desancou o DEM lá em SC muitos censuraram o Presidente por “chutar quem já estava no chão” – mas isto não pode ser empecilho para impedir-nos de enxergar que o jogo é pesado, e a velha mídia não tem feito outra coisa a não ser resguardar apenas os seus interesses.

  104. Chesterton said

    A candidata do PT à Presidência, Dilma Rousseff, afirmou na manhã deste domingo (19) que o senador Alvaro Dias (PSDB-PR) está tentando “tumultuar as eleições” com “factoides” ao convidá-la para prestar esclarecimentos à Comissão de Constituição e Justiça do Senado. “Isso não é um convite, é uma tentativa de se criar um factoide. Convite do Alvaro Dias eu não aceito nem pra cafezinho”, disse a presidenciável.

    Dilma definiu como “estranha” reportagem da última edição da revista Veja, publicada nesta sexta-feira (17), segundo a qual servidores da Casa Civil teriam recebido propina após o Ministério da Saúde adquirir, em 2009, um grande lote do remédio Tamiflu, usado para combater a gripe A H1N1. A petista repetiu as informações dadas ontem (18) pelo Ministério da Saúde em nota oficial, em que rechaça as denúncias da publicação.

  105. Chesterton said

    A Presidência da República deu atestado único de capacidade técnica à Unicel do Brasil Telecomunicações, empresa que tem como consultor o marido da ex-ministra Erenice Guerra.

    Foi a primeira e única vez que a Diretoria de Telecomunicações da Presidência avalizou um serviço experimental, o que causou surpresa às empresas do setor por não ser de praxe órgãos públicos atestarem capacidade baseados somente em testes.

    chest – estranho

    os dois acima da AP

  106. Zbigniew said

    Pax, fica aqui uma sugestão. Dá uma olhadinha lá no Nassif, sem qualquer preconceito, e veja se ele tem ou não razão, se é ou não plausível o enredo por ele destrinchado. A parte final do post é muito interessantes:

    “(…)
    Ficam as lições:

    1. Os esquemas de aliciamento político, através da entrega de cargos a aliados, é uma ameaça à estabilidade política. Não dá mais para manter esse “pacto de governabilidade” que garantiu a tranquilidade dos governos FHC e Lula.

    2. A velha mídia é sócia dos lobistas no que interessa aos dois. Não está aí para moralizar a política, mas para utilizar as jogadas dos lobistas em proveito próprio.”

    http://www.advivo.com.br/blog/luisnassif/para-entender-o-caso-erenice#more

  107. Chesterton said

    Dora Kramer tb é sub dos ub?

    DORA KRAMER – O Estado de S.Paulo

    Consta que o PT e o Planalto ficaram desolados com a divulgação da palestra feita para uma plateia de petroleiros pelo ex-presidente do partido, deputado cassado, réu processado por corrupção e autoproclamado “camarada de armas” de Dilma Rousseff, José Dirceu.

    O secretário de Comunicação do PT, André Vargas, chegou a discorrer muito claramente sobre o espírito da coisa.

    “O aconselhável é que todos nós, eu, qualquer dirigente do PT, o José Dirceu, falemos pouco, falemos menos ou não falemos de jeito nenhum. Se queremos ajudar a campanha, todos nós temos de falar o menos possível”, disse Vargas.

    Uma campanha presidencial em que quanto menos falarem os que estão envolvidos nela, melhor? O natural seria exatamente o oposto. Durante a campanha mesmo é que se deve falar muito, os concorrentes precisam ser expostos, responder a tudo e a todos, fazer frente a cobranças de toda ordem, ter passado, presente e futuro muito bem esquadrinhados.

    A lei enunciada pelo secretário de Comunicação prega a ocultação. Em outras palavras, a manutenção do eleitor na ignorância a respeito das coisas como elas realmente são.

    Por essa norma não se pode repetir em público o que em particular dizem os petistas por todo lado, graduados ou soldados rasos.

    Justificam o engajamento na campanha de uma candidata imposta e antipatizada justamente em nome do “projeto” a que se referiu Dirceu naquela fala menos discutida do que merecia, por causa da queda da ministra da Casa Civil.

    O projeto está detalhado em documento aprovado pelo partido em fevereiro último e causador de constrangimento quando apresentado à Justiça Eleitoral como sendo o programa de governo de Dilma. A campanha reapresentou uma versão “light” provisória, prometendo uma definitiva nunca apresentada.

    O assunto morreu na imprensa e, depois, não valia a pena abrir uma guerra entre partidos aliados por causa do programa de governo nem seria produtivo dar destaque ao PMDB em demasia.

    Essas coisas devem ser escondidas, assim como deve ser ocultada a proximidade de José Dirceu, bem como a candidata é mantida atrás do biombo de Lula a fim de que a massa do eleitorado não tenha contato mais espontâneo e amiúde com ela.

    Por quê? Porque Dilma não segura a onda, Dirceu é malquisto pelo público, o PMDB é mal falado e o PT divide a “base” – dentro e fora do Congresso.

    José Dirceu disse duas verdades: que o PT considera o governo Dilma sua grande chance de exercer de fato o poder e que considera excessiva a liberdade da imprensa.

    Mas se esqueceu de que antes da eleição a palavra de ordem é bico calado.

    Cenografia. Foram 70 dias entre o prazo regulamentar e as duas notificações da Comissão de Ética Pública para que Erenice Guerra apresentasse informações sobre o patrimônio e a família. Ela ficou 170 no cargo.

    Portanto, havia 100 dias que a ministra estava em situação irregular sem que ocorresse aos conselheiros dirigir-lhe a censura feita depois da saída. O silêncio teria sido menos desmoralizante.

    A então ministra não atendeu aos pedidos porque ninguém no governo dá bola para a referida comissão nem para a ética pública.

    Certidão. “Onde está a prova de que eu esteja envolvida?”, pergunta a candidata do PT, a propósito da rede de tráfico de influência, extorsão, empreguismo e nepotismo que envolvia sua sucessora na Casa Civil.

    A prova é o aval que Dilma deu à nomeação de Erenice.

    Dissociar uma da outra seria como considerar que o presidente Lula não tenha responsabilidade alguma sobre o que faça e diga ou venha a fazer e dizer Dilma Rousseff.

    Em português. Pode ser mais sonoro, mas é errado dizer “doa a quem doer”. As coisas doem “em” alguém e não “a” alguém.

  108. Pax said

    Caro Zbigniew,

    Li o post inteiro do Nassif.

    O que posso dizer?

    Bem, que faz sentido. E mesmo assim, supondo que o Nassif esteja 100% correto, eu não consigo achar que Erenice não merece sair da Casa Civil. E que, também, de outro lado, fez um estrago para Dilma.

    Que Erenice corra atrás de se defender. Direito dela que deve ser exercido com toda e total liberdade. Se tudo se comprovar, tudo que o Nassif escreve, que ela processe deus e o mundo.

  109. Chesterton said

    Dora é sub do sub?

  110. Pax said

    Sub do Sub, não. Mas não acho Dora Kramer nenhum supra sumo.

    Nesta matéria que você colocou aí em cima, por exemplo, acho que ela dá uns saltos ornamentais muito maiores que um bom jornalismo, em minha opinião, indica.

  111. Pax said

    Afinal, Chesterton, “Sub do Sub” é uma expressão de um amigo meu, um intelectual, um cara acima de qualquer crítica rasteira, um pós doutorado em literatura bastante conhecido também por essa e inúmeras outras atividades que ele tem (não, não vou declinar seu nome).

    E foi fatal, numa conversa com ele, certa altura veio a discussão sobre os analistas políticos, eu citei alguns, falei do tio e ele veio com essa:

    “sub do sub, nem discuto esse tipo de imprensa”

    Como eu gostei da expressão que ele utilizou, adotei. E sempre afirmei que não era uma invenção minha, antes que alguém esqueça.

  112. Patriarca da Paciência said

    Pax,

    eu estou tranquilíssimo e o Chesterton não me faz sequer consquinha.

    Note que o animal irracional já me endereçou um bom estoque de palavrões e, até agora, apenas sustento o que ele realmente é.

    Até pela lógica de Aristóteles é possível provar.

    veja só:

    Chester é um animal irracional

    O Chesterton é um Chest

    Logo o Chesterton é um animal irracional.

    Ô animal irracional, eu gostaria muito de ser o autor de tão brilhante tirada.

    Mas realmente não sou.

    Quando o Barão já estava velhinho, assisti uma entrevista do brilhante jornalista onde ele, não sei se improvisou, a inesquecível tirada.

    Eu, pelo menos, nunca esqueci.

  113. Zbigniew said

    Tanto tinha que sair, que saiu. Nisto ele tem razão: não dá mais para aceitar os pactos de governabilidade com base nesta lambança toda, sob pena de continuar a vilipendiar o interesse público e dar munição à velha mídia para agir como age. Neste ponto o governo tem sua parcela de culpa.

  114. Chesterton said

    um intelectual, um cara acima de qualquer crítica rasteira, um pós doutorado em literatura bastante conhecido também por essa e inúmeras outras atividades que ele tem..

    chest- você acha que com isso aí em cima vai convencer alguem? Intelectual com pos-doutorado em literatura? Porra, Pax, isso é a mesma coisa que nada.

  115. Chesterton said

    Quando o Barão já estava velhinho, assisti uma entrevista do brilhante jornalista onde ele, não sei se improvisou, a inesquecível tirada.

    chest- claro, nada escrito, fica o dito pelo não dito. Meu Deus, Pax, o Patriarca tem mestrado! Logo ele não é sub do sub. Vai mentir assim na @#$%¨&*

  116. Chesterton said

    Tanto tinha que sair, que saiu. Nisto ele tem razão: não dá mais para aceitar os pactos de governabilidade com base nesta lambança toda, sob pena de continuar a vilipendiar o interesse público e dar munição à velha mídia para agir como age. Neste ponto o governo tem sua parcela de culpa.

    chest- pacto de governabilidade equivale a roubar e deixar roubar , então essa a conclusão dele. Aí a “velha” imprensa tem culpa em denunciar (quando deveria ficar quieta).

    Quen belos democratas.

  117. Chesterton said

    Lembram-se daquela reportagem da VEJA da semana passada, chamada de “mentirosa” e “caluniosa” pelos petistas? Pois é… Ela “mentiu” tanto, mas tanto!, que já caíram a ministra mais poderosa do governo e dois assessores da Casa Civil. Mais um se vai agora, o diretor de Operações do Correio, que também é testa-de-ferro da MTA, empresa em favor da qual, mediante um pagamento generoso, agiu Israel Guerra, filho de Erenice. Vocês sabem, né? Reportagens mentirosas contumam derrubar, assim, as pessoas em penca, feito moscas…

    chest- do sub do sub, fazendo excelente jornalismo.

  118. Chesterton said

    Na Folha Online:
    A ANJ (Associação Nacional dos Jornais) e a OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) reagiram aos ataques feitos pelo presidente Lula à imprensa neste sábado.

    Em nota, a ANJ disse ser “preocupante” que o presidente manifeste desconhecimento em relação ao papel da imprensa em sociedades democráticas.

    “O papel da imprensa, convém recordar, é o de levar à sociedade toda informação, opinião e crítica que contribua para as opções informadas dos cidadãos, mesmo aquelas que desagradem os governantes”, declarou a associação na nota.

    “Ele [Lula] jamais criticou o trabalho jornalístico quando as informações tinham implicações negativas para seus opositores”, ressaltou a ANJ.

    O presidente da OAB, Ophir Cavalcante, também criticou o teor do discurso de Lula. “Esse é um país onde a imprensa é livre. Denúncias sempre existiram, hoje e antes, quando o presidente estava na oposição”, afirmou.

    chest- que que o post-doctor em literatura acha disso, Pax?

  119. Patriarca da Paciência said

    Tá bom, Chesterton,

    Já que você insiste, eu sou o autor da brilhante tirada (só para você, naturalmente).

    Mas para todas as outras pessoas, eu continuo afirmando que a tirada é do barão de Itararé.

  120. Chesterton said

    Azar seu é que conheci familiares do Aporelly, a familia Torelly inteira do RS.

  121. Chesterton said

    um intelectual, um cara acima de qualquer crítica rasteira, um pós doutorado em literatura bastante conhecido também por essa e inúmeras outras atividades que ele tem

    —-Argumentum ad Verecundiam (Apelo à autoridade) ou Magister Dixit (Meu mestre disse)

    chest- pax raciocina por falacias o tempo inteiro.

  122. Pax said

    Chesterton, caro Chesterton,

    Acalme-se. Tente de todas as formas brigar por tuas ideias, pelos teus ideais, tudo que você quiser. Seja livre, como uma boa Democracia apregoa, com liberdade de opinião, de expressão e a responsabilidade necessária.

    Teu sub do sub não fez o excelente jornalismo que você diz. Não foi ele que fez a matéria da Veja, lembre-se.

    No fundo, caro Chesterton, o sub do sub só faz histeria. Tanta que até gente da oposição faz questão de fica bem distante dele. E do Diogo idem. Gente assim não ajuda em nada nas eleições. É só dar uma olhada nas pesquisas recentes.

    Mas vá lá, tem direito de existir. Claro que tem. Ele talvez consiga que o Serra chegue a 4% das intenções de voto.

    Lembre daqui pra frente disso, o sub do sub merece um elogio público do Lula e da Dilma. Ele e um monte. Ajudaram pacas. Aposto uma cerveja bem gelada que o Indio deve ser fã dele. Vai?

  123. Pax said

    Caro Chesterton,

    Meu amigo somente cunhou um termo. Esquece ele. Faz de conta que nem existiu.

    Eu estou dizendo que o teu tio é sub do sub. Substrato de pouca coisa. Me mostre uma só ação que ele fez que deu resultado prático para seu maior intento que é derrubar o Lula e eleger o Serra?

    Basta?

  124. Chesterton said

    Teu sub do sub não fez o excelente jornalismo que você diz. Não foi ele que fez a matéria da Veja, lembre-se.

    cheast- epa, sem saber acabou de chamar a reportagem da VEJA de excelente….

  125. Chesterton said

    Gente assim não ajuda em nada nas eleições.

    chest- mas claro que não, a verdade nunca ganhou eleições, O problema é que os que ganham eleições querem ditar o que é verdade e o que não é.
    Aí tem que ter alguem que aponte: – assim não!!! Cana!

  126. Patriarca da Paciência said

    “Azar seu é que conheci familiares do Aporelly, a familia Torelly inteira do RS.”

    E você sabe que ele era um ferrenho comunista, filiado e tudo?

    Que foi também preso e torturado, igual a Dilma?

    Bem vou te contar onde ouvi, eu era bem juvenil ainda, assistindo a antiga TV Record, um apresentador, contemporâneo do Blota Junior, do qual não lembro o nome, estava fazendo uma entrevista com ele e tentou debochar do título de Barão.

    O velhinho, com suas longas barbas brancas, baixou a bola do indivíduo rapidinho:

    – Olha aqui, se você continuar com essas gracinhas, para continuar a entrevista, eu posso exigir que você me trate por Excelentíssimo Senhor Barão!

    O sujeito não tinha onde meter a cara.

    Aí ele ainda completou com a tirada do animal irracional.

    Pode pesquisar nos arquivos da Record.

  127. Chesterton said

    Lembre daqui pra frente disso, o sub do sub merece um elogio público do Lula e da Dilma. Ele e um monte. Ajudaram pacas. Aposto uma cerveja bem gelada que o Indio deve ser fã dele. Vai?

    chest- Pax , você parou de bater em sua mulher?

    (falácia com falácias se combatem, a minha foi Pressuposição)
    Falácia da Pressuposição :

    “Consiste na inclusão de uma pressuposição que não foi previamente esclarecida como verdadeira, ou seja, na falta de uma premissa.”

  128. Chesterton said

    Ser comunista foi amenor cafagestada dele. Um dia te conto porque ele teve que sair as pressas do RS.

  129. Jésus da silva said

    Em qualquer época alguém ser subornado dentro de um palácio deve ou deveria ser motivo um tremendo escarcéu. Deixar para divulgar nas proximidades de uma eleição não é uma atitude muito republicana.
    Pelo menos é o que eu penso.
    Jésus da Silva

  130. Zbigniew said

    É por isto, Jésus, que o Lula, no alto de sua sabedoria, de sua inteligência política bem mais aguçada do que toda a oposiação junta, criou um fato político para chamar a atenção de todos para os métodos “stalinistas” do panfleto, ao afirmar, em discurso em Campinas que a tal da “Óia” destila ódio. Só se safam porque têm o governo de São Paulo para oferecer-lhes contratos em troca de proteção. Aliás, a Dra. Cureau deveria se interessar também por esses contratos, já que agora se animou em investigar contratos entre o Estado e veículos de comunicação. Interessante como ela se animou justamente contra a Carta-Capital.

  131. Pax said

    Caro Jésus da Silva,

    Pode não ser o que achamos mais ou menos correto, mas acredito que faz parte do jogo, sim. O ideal é que a sociedade saiba dividir entre o que é importante e o que é tentativa de “jogada” eleitoral de baixo nível.

    Entendo que, neste caso, quem deve julgar é o povo. Nas urnas.

  132. Andre said

    Gravíssimo é um meio de comunicação ao iinvés de se posicionar claramente acerca de sua escolha política inventar uma coleção de acusações improvadas sem qualquer consequência, isso não é imprensa isso é bandidagem. Cadê as provas de cada uma das acusações colocadas, até agora nenhuma!!!! Processo nesses irresponsáveis!!! mas toma cuidado com a distribuição porque senão vai cair na mão do Gilmar Mendes ou da Ellen Gracie e aí coisa fica entre amigos.

  133. Andre said

    Fosse essa imprensa realmente interessada em alguma investigação séria estaria procurando o destino do dinheiro da Alston no governo de São Paulo, estaria investigando a espionagem e chantagem comprovada feita pelos funconários de Gabinete da Yeda Crusius, lembraria aa seus eleitores quem que os empregados nos conselhos de administração de empresas públicas de São Paulo são os coligados políticos do Serra, Antero Paes de Barros (envolvido com mafiosos)e o Freire (comunista!?!?!?!)

  134. Andre said

    “Emite opiniões, sim, com bastante cautela. Aprendi com jornalistas craques algumas das cautelas que uso aqui. Mas aprendi na vida, nestas décadas, que julgamentos sumários, generalizações irresponsáveis, são erros crassos e muitas vezes catastróficos.”

    o que vcs acham de emitir uma opinião sobre uma denúncia calcada em um “projeto” de uma “empresa” de dois sócios, que não põe nem seu CNPJ no site, e que pede 9 Bilhões ao BNDES (em 2002, o diabo mora nos detalhes…), em 2009 contrata um ex-presidiário para chantagear o BNDES, e oportunamente na última semana antes da eleição aparece se dizendo prejudicada.
    Lembremo-nos:
    Angra III custará 9 Bi!!!
    As 2 hidroelétricas do rio Madeira Custarão 9 Bi juntas!!!
    Quem se diz repórter, jornalista ou qualquer coisa do genêro, e não comenta ISSO, vá procurar outra profissão. Isso é coisa de assessor, papagaio de pirata.

  135. Pax said

    Caro Andre,

    Bem-vindo ao time de comentaristas.

    E, sim, concordo que este caso é bastante estranho. Ao mesmo tempo que não posso me furtar de dizer que, segundo as informações, a atuação dos filhotes de Erenice também não parecem muito adequadas, digamos assim. Deram trela, ao menos, para o tal criminoso. Posso usar esta expressão em cima da condenação já existente em cima do cidadão.

    (só para deixar claro – não sou jornalista, sou um cidadão comum, sem vínculo com qualquer partido e que tenta fazer um blog equilibrado, permitindo que todos tenham voz, sejam elas quais forem)

    De novo, bem-vindo. Sugiro, caso queira e não tenha lido, o Sobre o Blog no menu.

  136. Andre said

    Quem faz a matéria, não o Blog ou comentário, tinha sim obrigação de verificar o contorno da denúncia, não faze-lo porque, neste caso, explicaria que não há o que se denunciar, é leviandade. Por outro lado reproduzir um assunto sem crítica, só para fazer eco, é, como eu disse, coisa para papagaio de pirata.

  137. Andre said

    O esquema a ser investigado aqui é o que justifica chamar de denúncia uma coleção de e-mails que um sujeito manda para chantagear alguém! Não houve troca de e-mails, só existem os e-mail do ex-presidiário chantageando todo mundo!
    O crime é querer apresentar isso como denúncia!!!
    Agora veja bem…vou enviar um monte de e-mails para você ou para o seu blog dizendo que sei que vc vai cometer um crime e te chantageando para fazê-lo, e mesmo que você na cometa o crime será culpado porquê eu quis que você fosse…a argumentação não consegue nem ser infantil! S
    Caro colega…se você é bem intencionado, não seja papagaio de pirata!

  138. Pax said

    Caro Andre,

    Papagaio de pirata? Quem? Seja um pouco mais claro, por favor.

  139. Chesterton said

    É evidente que Lula não haveria de ficar feliz com as acusações que pesam contra o seu governo, com demissão da ministra da Casa Civil. É claro que ele teme um eventual efeito eleitoral, impedindo “a vitória no primeiro turno”, como alardeia o programa do partido na TV. Mas ele é também arrogante o bastante para achar que a fatura já está liquidada. Por que, então, a fúria, apelando a uma violência retórica que, não sei não, deve ser inédita nos seus quase oito anos como presidente?

    O problema aí é sua própria biografia. Está a pouco mais de três meses do fim do segundo mandato e sabe que sai maculado do cargo. Seu governo, nos dois períodos, é impróprio para o consumo ético. Convenham: mensalão, aloprados, dossiê na Casa Civil, dossiês eleitorais, invasão inconstitucional de sigilos, politização da Receita (caso Lina Vieira), associação explícita, sem tarja preta, com Renan Calheiros e Sarney… Já estava de bom tamanho.

    As lambanças na Casa Civil vêm coroar todo o resto. Entre os crimes, os cometidos no coração do palácio são os mais graves. Caso Dilma venha mesmo a se eleger, o começo pode não ser nada auspicioso nesse terreno, ainda que a PF decida enterrar tudo antes da posse, num daqueles casos em que o crime fica sem criminosos — e, pois, sem punição. O problema é que ela iniciaria uma gestão que já teria um passado maior do que o futuro.

    Por Reinaldo Azevedo

  140. André said

    Ao governo caberia a função de ser firme e duro ao menor sinal de suspeita, ao mais simples suspiro de acusação.

    No entanto, o que vemos é o oposto. Se baseiam nessa discurseira estúpida de que “temos que provar” antes. Na boa, claro que ANTES de condenar é preciso provar. Mas afastar do cargo é o primeiro passo para garantir que seja apurado de fato.

    E o governo insiste em segurar ao máximo os acusados. Só isso já demonstra a conivência, camuflada debaixo desse discurso irresponsável de “temos que provar primeiro, antes de acusar”.

Faça seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: