políticAética

Notícias da Corrupção, Desvios, Anomalias, Eleições e Meio Ambiente

  • Sobre o blog

    Uma coletânea das notícias da corrupção, desvios, anomalias, eleições e meio ambiente que aparecem na mídia todos os dias a partir de agosto de 2008.
  • Categorias

  • Arquivos

  • Páginas

  • Meta

PT e PMDB – Câmara e Senado

Posted by Pax em 03/11/2010

Segundo notícia na Agência Brasil, os presidentes do PMDB e do PT chegaram a um acordo sobre as presidências da Câmara e do Senado a partir de 2011: haverá rodízio.

Divisão de poder é natural e lógico. Interessa saber se a capacidade do PMDB em barganhar fatias do governo pode comprometer, ou não, o projeto de Dilma Rousseff.

No governo Lula algumas fatias entregues ao PMDB não funcionaram. Ao contrário, comprometeram e deixaram claro que participações do partido aliado somente serviram políticos da velha guarda interessados em acomodar desejos pouco republicanos nos orçamentos das áreas ocupadas. Um exemplo que podemos apontar é nos Correios. Há vários outros.

Em entrevista para a TV Bandeirantes:

Dilma Rousseff repetiu o que havia dito na segunda-feira e reafirmou a intenção de nomear cargos de acordo com capacidades técnicas e políticas. Questionada sobre corrupção em sua futura administração, foi enfática: “quero deixar claríssimo para todos os que integraram o governo que não terei complacência, quem errar vai ser mais que afastado”.

Talvez tenha sido sua mais importante declaração. Que assim seja.

Temer e Dutra fecham acordo para rodízio na Câmara e no Senado

Luciana Lima – Repórter da Agência Brasil

Brasília – Em um jantar, o presidente do PT, José Eduardo Dutra, e o vice-presidente eleito, Michel Temer, os dois dirigentes dos partidos que integram a base da presidente eleita, Dilma Rousseff, fecharam acordo para estabelecer um “rodízio” entre o PT e o PMDB na presidência da Câmara e do Senado, durante o próximo governo.

Com o acordo, as duas legendas que elegeram as maiores bancadas de deputados e senadores se alternarão na presidência das duas casas legislativas. “Fechamos este acordo para que possamos ter um governo tranquilo”, disse Michel Temer, atual presidente da Câmara, após o jantar que ocorreu na residência oficial da Câmara, em Brasília.

Ele negou a existência de queixas entre integrantes do PMDB em relação à participação na campanha e na equipe de transição. “Se existem queixas, elas são isoladas, não são queixas generalizadas no PMDB”. Outro acordo de rodízio já foi fechado entre o PT e o PMDB no passado, durante o segundo mandato do presidente Lula.

Os dois presidentes não definiram qual dos dois partidos ficará na presidência das duas casas no primeiro biênio. De acordo com Dutra, esta decisão será tomada posteriormente, após conversas internas. “Vou conversar com os integrantes do PT e Temer vai fazer a mesma coisa no PMDB. Tenho certeza que vamos fechar este acordo em total harmonia”, disse Dutra.

Temer e Dutra também conversaram sobre o início dos trabalhos da equipe de transição, previsto para a próxima segunda-feira (6), às 11h, em reunião a ser realizada no Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB) em Brasília. De acordo com Dutra, após instalada a equipe de transição, que será coordenada por Temer, Dutra, pelo ex-ministro Antonio Palocci e pelo secretário-geral do PT, José Eduardo Cardozo, os dirigentes tratarão de conversar individualmente com cada partido da coligação que elegeu Dilma.

O objetivo das conversas, de acordo com Dutra, é levantar as expectativas de cada legenda de participação no governo e ter, até o fim da próxima semana, um quadro para ser apresentado à presidente eleita.

“Nós não vamos definir ministérios. Isto é uma tarefa da presidente eleita. Vamos realizar as conversas para que, quando ela voltar da viagem que fará com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, possamos apresentar um quadro com a expectativa de cada partido”, disse Dutra.

O presidente do PT evitou falar de prazos para as definições sobre o novo ministério. “Quem vai definir o tempo é a presidente. Ela vai definir o tempo, a forma e a composição”, afirmou.

Anúncios

9 Respostas to “PT e PMDB – Câmara e Senado”

  1. Patriarca da Paciência said

    Entendo que tanto José Eduardo Dutra, quanto Michel Temer, são pessoas do diálogo e do bom senso.

    Não há o mínimo risco de sair atrito.

  2. Pax said

    Atrito de interesses haverá, caro Patriarca. É até normal que tenha. Mas que sejam resolvidos de boa forma.

    O que mais interessa, na minha opinião, é que Dilma cumpra o que falou, o que ressaltei acima, ou seja, que cobre probidade e desempenho dos que assumirem as fatias de governo.

    De tudo que se fala, Dilma é mais técnica que política. Técnicos gostam de metas, de indicadores etc. Não é lá muito difícil gerir sob estes conceitos.

    O difícil, ao menos a mim parece, é “digerir” as questões políticas. Agradar gregos, troianos, fariseus e filisteus e que todos estes acabem atuando a favor do povão e não a favor do “bolsão”.

    E aí ela pode ganhar ou perder o jogo. Os últimos dezesseis anos foram bons para o país. Colocaram a vara numa altura que se o governo não for bom o bicho pega. E pega da melhor maneira que a Democracia pressupõe, com o povo cobrando. Simples pacas, eficiente pacas.

    A imprensa nestes dias está fazendo o jogo bobo de advinhação e invenção de notícia. Pode reparar. Poucos fatos e muitos boatos.

    Mas a imprensa, sim, ela mesmo, até a mais questionável, ajudou Dilma. Onde? Bem, na hora que apontou que Erenice não era bem a flor que se devia cheirar. Assumamos que neste ponto Dilma foi enganada. Nesta tese, o melhor que pode ter acontecido foi:

    – O problema Erenice não lhe custou a vitória. Talvez parte do problema que lhe custou a vitória em primeiro turno. Mas não lhe tirou a vitória no final, no segundo.

    – Com vitória e sem Erenice, fica ainda mais fácil. Se tivéssemos Erenice e a parentada sem terem sido pegos nas acusações que foram, e que várias se confirmaram, provavelmente e ex-braço direito teria uma posição relevante a partir de janeiro.

    O que aconteceu? A tal imprensa que alguns chamam de PIG e que eu insisto que não concordo, acabou fazendo um favor a Dilma. Verdade ou não? Pra mim, ajudou um bocado. Menos um problemão que iria estourar e estourar forte, ainda mais se a tal moça e sua parentada continuassem na Casa Civil.

    Resumo da novela: a imprensa tem um papel em qualquer governo. Seja ela ruim ou péssima. Melhor que seja um pouco mais imprensa e menos torcida organizada como a gente percebe. Mas, mesmo assim, livre ela é bem melhor.

    E Dilma marcou outro gol nestas primeiras declarações. Calou a boca de histéricos e disse algo como:

    “Imprensa totalmente livre no que se refere à conteúdo, qualquer que seja”

  3. Jose Mario(HRP) said

    Uma curiosidade sobre o Dutra:
    Formado na Federal Rural do RJ.
    Com dois dos meus melhores amigos!
    Um cara que mesmo nesse mundo sujo da politica ponho minha mão no fogo.
    Já bati uns papos com ele.

  4. Elias said

    Não creio que, durante seus 2 mandatos, Lula tenha criado qualquer obstáculo à liberdade de imprensa.

    Basta ler um jornal ou revista brasileiro, notadamente durante a campanha eleitoral. É preciso fazer muita força pra acreditar que algum deles operou sob restrição.

    No passado recente, o mais próximo que se sabe de alguma restrição, que que eu lembre, foi uma reunião que o então presidente FHC, no fim do seu primeiro mandato, supostamente realizou com alguns capitães da área, pra negociar um pé no freio nas notícias desfavoráveis ao governo, pra não criar embaraços à sua reeleição.

    Supondo que tal reunião realmente aconteceu, terá sido uma autocensura negociada; livremente consentida pelos “capos” presentes.

    De lá pra cá, o jogo tem corrido leve, livre e solto.

    Agora, a mesma liberdade que a imprensa deve ter, para criticar quem quer que seja, a qualquer propósito, deve ser extensiva a qualquer cidadão, de também criticar a imprensa a propósito seja do que for.

    Para que não sejamos mais cretinos do que o estritamente necessário, não devemos admitir que a imprensa tenha o direito de criticar e, ao mesmo tempo, exigir que ninguém tenha o direito de criticá-la.

    A menos que se estabeleça que todos são iguais, mas os donos de jornais, revistas e estações de rádio e tevê são mais iguais do que todos….

  5. Eduardo said

    Começa a divisão do espólio do Estado, a divisão das capitanias aos arrendatários dos proximos 4 anos de desgoverno petista.

    Após uma eleição que permite a prorrogação de um péssimo governo petista pela margem de 12 milhões de votos.

    Para quem considerava este um governo de 82% de aprovação é nada, pois a diferença pró Dilma foi de 8,8% do eleitorado.

    Provavelmente continuaremos a marcha para um Estado aparelhado como efeito do espólio pós eleitoral, repleto de novos cargos, secretarias e ministerios para acomodar partidos e partidários em nome da ineficiência Estatal. Sem esquecer que foram gastos milhões nessa campanha e agora devem voltar para o bolso de investidores ávidos pelo lucro que o Estado possa proporcionar, ou que já esteja proporcionando.

    Continuaremos sem reformas, com o crescimento da Dívida Pública e com uma péssima admnistração econômica. Teremos bolsa miséria, mas sem saúde, segurança, infra-estrutura, educação e saneamento…

  6. Eduardo said

    Que avanço podemos esperar?

    Controle dos gastos públicos, redução da Dívida Pública, redução da máquina pública e consequentemente da burocracia Estatal, menores impostos e maior eficiência?

    Evidentemente que não, elegemos o pior partido e as piores idéias de um Estado forte e independente que se possa imaginar. Tivemos o pior governo desde as ‘diretas já’.

    Continuaremos a dar um bolsa miséria aos pobres (que votam) e financiar com o bolsa fortuna a elite (que financia campanhas) na forma de Bancos-ciranda financeira e grandes empresas nacionais e internacionais via financiamentos subsidiados via BNDES-emissão de títulos públicos.

    Endivida-se o Estado em pró de grandes empresas, esta dívida é paga aos Bancos nacionais e internacionais, a elite satisfeita e os pobres ainda mais com a farra de emissões de títulos públicos.

    Em contrapartida atrasamos o desenvolvimento do país, sua independência financeira, criação de poupança interna e investimento sustentado.
    Após economistas fora de série que surgiram até o governo FHC, hoje temos excrecências como Mantega que ao fim do ano reclama de guerra cambial, quando o que manteve os parâmetros de controle da inflação no país foi justamente o câmbio permitindo que a demanda interna fosse atendida pela oferta externa de produtos beneficiados pela valorização do real.

    Quem não controla os gastos não controla a moeda nem juros. Ficamos sem mecanismos de controle com a farra de emissões de títulos públicos que foi o ‘samba de uma nota só’ na política econômica petista.

    Ao contrário de Collor, lulla concedeu benefícios sem fim às elites, por isso sua permanencia diante de tantos casos de corrupção postos em prática na sala ao lado da presidência, aliado a uma opinião pública sem discernimento embevecida pela falsa impressão de sucesso econômico.

    A classe média por sua vez continua pagando caro escolas, planos de saúde e impostos recordes para receber a promessa de mais impostos, menor segurança e piores serviços públicos.

    Os pequenos empresários e os micro-empresários permanecem sem crédito e muitas vezes na informalidade tal a fome fiscal de um Estado elitista na alma e populista na propaganda.

  7. Eduardo said

    Pergunta-se:

    Qual Banco anunciou lucros recordes esta semana?

    Em 2.011 serão 180 bilhões (só de juros) que nós teremos de pagar aos bancos pela emissão de Dívida Pública…os 70 bilhões de amortizações com certeza o governo petista não terá competência de liquidar e ira imprimir mais títulos para ‘rolar’ essa dívida. Os 250 bilhões garantidos para o PAC bancário de 2.011 já está garantido pelo petismo, mas saúde, educação, saneamento, segurança, infra-estrutura, tecnologia…

    O aparelhamento Estatal consumirá outros 12% do PIB com o custeio da máquina pública se contarmos apenas o primeiro mandato petista. Ao final será meio TRILHÃO em impostos pagos a Bancos e pelegos ineficientes. E nem contamos com o absurdo que é consumido pela corrupção neste país.

    Pergunta final:

    Aonde está o governo maravilhoso? O presidente fantástico?
    Resposta: Ele já esteve aqui a 8 anos atrás.

  8. Chesterton said

    Elias, ele expulsou um jornalista estrangeiro. Quer mais restrição a liberdade de imprensa que isso? E o jornalista só falou a verdade, que Lula é um pé-de-cana (o que para mim não tem nada de mais).

  9. Elias said

    Chester,

    Então vai lá pros EUA e faz o mesmo, pra ver o que te acontece.

    Aí, o que terá acontecido? Os EUA estarão cerceando a liberdade dos doidões?

Faça seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: