políticAética

Notícias da Corrupção, Desvios, Anomalias, Eleições e Meio Ambiente

  • Sobre o blog

    Uma coletânea das notícias da corrupção, desvios, anomalias, eleições e meio ambiente que aparecem na mídia todos os dias a partir de agosto de 2008.
  • Categorias

  • Arquivos

  • Páginas

  • Meta

O futuro que Aldo nos oferece

Posted by Pax em 04/11/2011

Há dois assuntos da pauta nacional que tem em Aldo Rebelo o ponto de interseção. São eles o novo Código Florestal e a necessária rearrumação do Ministério do Esporte que tem pela frente não só suas missões e atribuições rotineiras como uma Copa do Mundo e umas Olimpíadas que demandam esforço e competência extraordinários.

Se nos basearmos na confusão criada pela proposta do novo Código Florestal relatada pelo deputado Aldo, teremos tempestades à vista na condução do desporto nacional.

Aldo conseguiu agradar a bancada ruralista ao produzir uma emenda que misturou sob uma mesma legislação os agricultores familiares com grandes desmatadores, protegendo os interesses legítimos dos primeiros e acobertando as irregularidades e crimes ambientais de alguns dos segundos.

Ao mesmo tempo produziu outras confusões que, segundo especialistas, não têm qualquer nexo científico, como exemplos a redução de 30 para 15 metros de área de proteção de mata ciliar e a nova regulamentação de topos de morros que pode reduzir em até 90% o que hoje é considerado área de preservação permanente. À além destas aberrações há uma curiosa anistia – súbita e suspeita – dos recentes crimes ambientais mais graves.

Supondo a boa fé do então deputado, hoje ministro, o mínimo que se pode deduzir é que sua competência ao tratar do assunto ambiental é abaixo da crítica.

De outro lado o Ministério do Esporte se tornou, segundo o próprio STF, um modelo de sangria de verbas públicas que alimenta o PCdoB e meia dúzia de supostos criminosos escondidos atrás de ONGs suspeitas.

Concordemos ou não com o ideário, o socialismo já teve melhores representantes no país. Luis Carlos Prestes deve estar se revirando em seu túmulo.

O Código Florestal no mundo da escassezWashington Novaes – O Estado de S. Paulo – 04/11/2011

Aproxima-se a hora de votações decisivas no Senado do controvertido projeto de lei sobre um novo Código Florestal. E aumentam as preocupações, tantos são os pontos problemáticos que vêm sendo apontados por instituições respeitáveis como a Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), a Academia Brasileira de Ciência, o Ministério Público Federal, o Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia, o Museu da Amazônia, os comitês de bacias hidrográficas e numerosas entidades que trabalham na área, entre elas o Instituto SocioAmbiental e a SOS Mata Atlântica.

Não faltam motivos para preocupações graves. Entre eles, a possibilidade de transferir licenciamentos ambientais para as esferas estadual e municipal, mais suscetíveis a pressões políticas e econômicas; a anistia para ocupações ilegais, até 2008, de áreas de proteção permanente (reconhecidas desde 1998 como crime ambiental); a redução de 30 para 15 metros das áreas obrigatórias de preservação às margens de rios com até 10 metros de largura (a proposta atinge mais de 50% da malha hídrica, segundo a SBPC); a isenção da obrigação de recompor a reserva legal desmatada em todas as propriedades com até 4 módulos fiscais (estas são cerca de 4,8 milhões num total de 5,2 milhões; em alguns lugares o módulo pode chegar a 400 hectares); a possibilidade de recompor com espécies exóticas, e não do próprio bioma desmatado; nova definição para “topo de morro” que pode reduzir em 90% o que é considerado área de preservação permanente.

São apenas alguns exemplos. Há muitos. Para que se tenha ideia da abrangência dos problemas: o professor Ennio Candotti (ex-presidente da SBPC), outros cientistas e o Museu da Amazônia lembram que naquele bioma há uma grande variedade de áreas úmidas, áreas alagadas, de diferentes qualidades (pretas, claras, brancas), baixios ao longo de igarapés, áreas úmidas de estuários etc.; cerca de 30% da Amazônia pode ser incluída entre as áreas úmidas e cada tipo exige uma regulamentação específica, não a regra proposta no projeto. No Pantanal, são 160 mil quilômetros quadrados.

Mas não bastassem todas essas questões, recentes portarias ministeriais (Estado, 29/10) e do Ministério do Meio Ambiente mudaram – para facilitar – os procedimentos obrigatórios para licenciamento de obras de infraestrutura e logística, com o argumento de que há 55 mil quilômetros de rodovias, 35 portos e 12 mil quilômetros de linhas de transmissão de energia sem licenciamento – como se o problema estivesse nos órgãos ambientais, e não nos empreendedores/construtores.

E tudo isso ocorre no momento em que as últimas estatísticas dizem que o desmatamento na Amazônia permanece em níveis inaceitáveis: em sete meses deste ano foram mais de 1.800 km2, número quase idêntico ao de igual período do ano passado (Folha de S.Paulo, 1.º/11). E no momento em que se reduz a área de vários parques nacionais na Amazônia para facilitar a construção de hidrelétricas questionáveis (já discutidas várias vezes neste espaço). Esquecendo a advertência do consagrado biólogo Thomas Lovejoy: o desmatamento no bioma já chegou a 18%; se for a 20%, poderá atingir o turning point irreversível, com consequências muito graves na temperatura e nos recursos hídricos, ali e estendidas para quase todo o País. É uma advertência reforçada por estudo do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais e do Escritório Meteorológico do Hadley Centre, da Grã-Bretanha. Já o professor Gerd Sparovek, da USP (Estado, 26/10), adverte: o passivo com o desmatamento no País já é de 870 mil km2. (continua no Clipping do Ministério do Planejamento…)

Anúncios

42 Respostas to “O futuro que Aldo nos oferece”

  1. elias said

    Pax,

    Excelente escolha, a do texto de Washington Novaes, cidadão de respeito, muito boa pena e que acumula um conhecimento fantástico sobre a questão ambiental no Brasil. O trabalho dele sobre a área do Xingu é um clássico, pra dizer o mínimo.

    Se a reforma do Código Florestal servir de parâmetro pra demonstrar no quê o Aldo Rebelo se transformou, as pessoas de bem deste país tem uma boa tonelada de razões pra que se sintam mais ou menos como o granjeiro que descobre que uma matilha de raposas acaba de entrar no seu galinheiro.

  2. Chesterton said

    LC Prestes? Valha-me Deus.

  3. Chesterton said

    Detrito Federal: Governador Bandido, Corrupto, Mafioso… Claro, Ele é Comunista!
    O Distrito Federal é a latrina do Brasil. Estão abrindo lentamente a fossa comuno-petista do atual governador, ex-chefe da quadrilha chamada PCdoB que assaltava o ministério dos esportes. Como bom stalinista ele tenta esconder seus inumeros crimes perseguindo implacavelmente quem ele identifica como inimigo:
    Após o vazamento de gravações feitas pela Policia Civil do Distrito Federal, que comprovam a ligação do governador Agnelo Queiroz com o PM João Dias Ferreira , 43 delegados-chefes e sete diretores da corporação foram exonerados. As demissões dos cargos de confiança se seguem à troca do comando da Polícia Civil, chefiada pela delegada Mailine Alvarenga até a revelação, na última terça-feira, das conversas entre o governador e o delator do suposto esquema de corrupção no Ministério do Esporte. O governo nega que as substituições ocorram em represália à divulgação dos diálogos e sustenta que serviram para “reafirmação de um comando em um momento de movimento grevista”.
    POSTED BY SELVA BRASILIS

  4. Edu said

    Pax,

    Calmaí cara, acho que há uma agressividade abusiva da mídia sobre o texto do Aldo Rebelo.

    Vamos tomar um exemplo, o dos 30 metros de APP.

    Os 30 metros de APP para leitos de rios permanece. O que muda são aqueles leitos de rios que já estejam sendo usados para quaisquer atividades agrossilvopastoris, estes sim, devem recuperar em 15 metros.

    Se estiverem em dúvida consultem o art. 4 e em seguida o art. 35: http://www.noticiasagricolas.com.br/dbarquivos/final.pdf

    Agora vamos para a realidade:

    1 – imaginando que um pecuarista familiar esteja usando a beira do rio para pasto, e o rio cruza a propriedade dele. Imaginem o tamanho da mudança que este pecuarista terá que fazer na propriedade dele, ao ser obrigado a revestir com mata ciliar 30 metros a partir do rio! Em uma pequena propriedade rural isso é realmente muita coisa… qualquer pessoa que tenha tido um pouco de contato com o interiorzão e os diversos tipos de propriedade existentes sabe disso.

    2 – Normalmente, latifundiários não fazem esse tipo de coisa porque sabem que, além de contaminar o rio, podem prejudicar a fauna e assorear o rio. Água represada significa mais doenças, além disso prejudica a irrigação dos pastos. Quem faz esse tipo de coisa são pequenos proprietários, que já dispõem de pouco espaço em suas propriedades. Daí dizer que o texto favorece os ruralistas eu acho que é agressividade gratuita sem base de conhecimento prático nenhum, se o texto permanece em 30 metros quem será o grande prejudicado será o pequeno proprietário, justamente quem se está buscando defender!

    Eu perdi o link para o documento. Mas o IPEA informa que os maiores responsáveis pelo crescimento do desmatamento são os pequenos proprietários. Poxa vida, se o texto contribui para que os pequenos proprietários consigam fazer um reflorestamento, novamente, pra que essa agressividade?

  5. Edu said

    É, faltou clareza no meu raciocínio, explico:

    1 – Eu não entendo pq essa agressividade da mídia sobre o texto.

    2 – Essa agressividade só pode ser explicada porque favorece, em tese, ruralistas, que são latifundiários.

    3 – Mas os ruralistas não são favorecidos. Aí o exemplo acima.

  6. Chesterton said

    è inveja de quem realmente alimenta o povo com comida barata.
    A esquerda precisa do povo com fome para promover a revolução.

  7. Olá!

    O problema básico de 95% das pessoas que criticam o Código Florestal e a atuação do Aldo Rebelo é que elas sequer leram umas duas ou três páginas desse código.

    Até!

    Marcelo

  8. Pax said

    Vocês têm todo direito de reclamar, de achar que li ou não isto ou aquilo.

    Não tomo por base nenhum sentimento socialista, social democrata, liberal, neoliberal, o escambau ou qualquer que seja, mas, sim, sobre a questão ambiental pura e simples.

    A proposta de alteração do Código Florestal que Aldo Rebelo produziu é um estrupício. Tenho por base as discussões que acompanho (incluindo aqui ao vivo e à cores) no Instituto de Pesquisas Avançadas da USP, entre outras entidades e vozes que respeito.

    Há um futuro para o Brasil – nesta questão – que está sendo jogado no lixo por descuidos imediatistas e desnecessários. Por inúmeras vezes muito mais que isso, canalha mesmo. Outras das vezes ainda pior, crimonoso.

    Poderíamos subir em um pódio que abandonamos para ficarmos na rabeira, à beira de rebaixamentos, neste campeonato onde jogam sete bilhões de vidas, um destes bilhões que deita às noites com fome.

  9. Chesterton said

    Bem, Pax, isso é uma apelação. Um bilhão deita com fome por falta de liberdade e excesso de governo.
    A verdade é que os outros já acabaram com suas florestas, e isso não dá a eles o direito de opinar sobre as nossas.
    Se a Marina Silva não gosta, alguma coisa de positivo deve haver, pois ela está a soldo de organ izações e mecanismos itnernacionais, políticos se aliando a políticos…cheira mal.

  10. Chesterton said

  11. Edu said

    Mas Pax, eu simplesmente não entendo o que tem de tão ruim nesse código florestal…

  12. Chesterton said

    Pax é amiguinho da Marina Silva, então nem pensa em explicar racional e logicamente o CF para a gente.

  13. Pax said

    Caro Chesterton,

    Você faz acusações fortes sobre Marina Silva. Tem como provar ou são só os achismos do titio? Sinceramente desconheço. Marina, como bem previu o caro Elias, conseguiu avinagrar seu caminho político achando que desentortaria o putrefato PV e se deu mal nesta. Mas afirmar que ela está a soldo de organizações e mecanismos internacionais? Prove o que você fala.

    Ah, obrigado pelo vídeo acima, o do comentário #10 sobre a posição do Tea Party com relação às questões de Saúde Pública na visão republicana radical. É muito bom mesmo. Acho que todos deveriam ver. Tive esta pachorra. E sabe porque é bom? Para saber que esta corrente está crescendo nos EUA por conta do enfraquecimento das outras alas do partido Republicano. E aí a gente percebe que a coisa pode ficar preta neste aterrizar do império.

    Como um cara pode ser tão imbecil e pronunciar um discurso tão fascista como este? Pior, como pode ter um público que ainda o aplaude? A síntese da estupidez que o cara fala é que todo mundo que não é rico é “irresponsável” como ele mesmo afirma. Caramba. Tenho certeza e convicção que este tipo de pensamento deve ser combatido com tudo que tivermos às mãos. Na minha cabeca esta gente não está defendendo liberdade individual coisa nenhuma, está defendendo a volta ao feudalismo. Quem tem pai rico, quem tem herança é do bem. Quem não tem nada disso é uma “chaga” que atrapalha. Valham-me todos os santos do meu ateísmo.

    Aliás, caro Chesterton, aqui no Brasil a coisa está parecida. Como a oposicão se enfraquece cada vez mais aparecem estes histéricos, as alas radicais da política da direita que afasta ainda mais a sociedade da oposição. O que acontece? O país fica sem oposição e a situação acaba metendo os ‘pes pelas mãos por não haver qualquer reação e contraposição competente.

    Caro Edu,

    A proposta do Aldo Rebelo é tão ruim que existem 150 emendas no Senado para serem aprovadas. Só para consertar os absurdos, a colcha de retalhos e a confusão estabelecida. É absolutamente ingerenciável.

    Acima, no corpo do post, já falei de algumas das principais besteiradas da proposta. No texto do Washiington Novais há mais. Leia com atenção que você vai identificar. (misturar agricultor familiar com desmatador criminoso, estabelecer regras absurdas para topo de morro, a questão da mata ciliar, a curiosíssima, pra não dizer suspeitíssima, anistia do crimes recentes de desmatamento etc etc).

  14. Chesterton said

    Fascismo é o oposto de individualismo, fascismo é um movimento de massa , de sindicatos controlados pelo estado. É coletivismo.
    Está na hora de dar o nome correto às coisas, Pax.

  15. Chesterton said

    Quem acusa Marina é Aldo rebelo

    http://www1.folha.uol.com.br/poder/959864-aldo-rebelo-critica-marina-silva-e-ongs-internacionais.shtml

  16. Pax said

    Você tem razão, caro Chesterton.

    Troco chamar o cara de fascista por chamar o cara de estupidista militante.

    Obrigado pela correção.

    ps.: você nutre alguma simpatia por esta corrente de pensamento do Tea Party? – devolvendo o teu: “está na hora de”… neste caso, de nos situarmos concretamente sobre nossas posições. A minha você já sabe faz tempo.

  17. Pax said

    Caro Chesterton,

    Neste link que você aponta afirmando que Aldo acusou Marina, não há menção de “estar a soldo”.

    Prove o que você acusou em #9. Ou retrate-se.

    Repito para você lembrar com mais facilidade: Se a Marina Silva não gosta, alguma coisa de positivo deve haver, pois ela está a soldo de organ izações e mecanismos itnernacionais, políticos se aliando a políticos…cheira mal..

    Você deve ter lido demais o tal titio que se diz um defensor da democracia mas que julga a três por quatro sem dar qualquer chance de defesa. Há leituras, caro Chesterton, que fazem mal. E existem de todos os lados.

    É por essas e outras que prefiro ler dos dois lados e evitar “entrar” nas linhas de raciocínio de histéricos. Sejam da situação ou da oposição. É uma opção da minha parte. Não quer dizer que está certa ou errada, só estou declarando.

    Quer um exemplo? Eu gosto do FHC e se afirmar isto em alguns ambientes sou apedrejado. Da mesma forma que gosto do Lula e … idem ibidem. Acho que o PSDB se perdeu assim como o PT se perdeu. Assim como acho que o FHC não foi forte o suficiente para colocar ordem e moral no PSDB e seus aliados e o mesmo aconteceu com Lula do seu lado. Todos acabaram fazendo o jogo sujo para governarem e acabaram com os possíveis bons futuros de suas correntes políticas.

    Sim ou não?

    É só ver o que temos em jogo. Do lado do PSDB não vejo futuro para Alckmin, Serra, nem mesmo para o Aécio. Quem mais? Do lado do PT a coisa também ficou bastante comprometida. Quais são as lideranças capazes de tocar o projeto adiante? Dirceu? Genoíno? Berzoíni?

    Infelizmente FHC e Lula estão sem descendentes.

    Dilma? Bem, se formos frios e analíticos veremos que a maior oposição à Dilma parece vir do próprio seio do PT então a coisa complica mais ainda.

    Enfim… divagações de um sabadão de manhã.

  18. Chesterton said

    Tea Party? Sim, sou a favor de seus principios, mas não acompanho o suficiente para poder afirmar que eles podem representar a mim.
    Se você retira a acusação fascista para os Tea Parties eu retiro que a Marina esteja a soldo de ONGs internacionais, apenas que são sócios num projeto que ´prejudica a alimentação do brasileiro pobre e é de interessa da elite mundialista. Mas vou ver o que o Tio Rei tem a dizer a respeito dela.

  19. Chesterton said

    Xi, Aldo Rebelo acusou a Marina de contrabando de madeira através do marido…..

  20. Chesterton said

    Marina e seus sócios deram para trás…

    http://www.noticiasagricolas.com.br/noticias/blogs/94264-ong-americana-da-sumico-a-documento-que-defende-que-agricultura-e-coisa-para-pais-rico-e-mato-para-pais-pobre–como-o-brasil.html

  21. Chesterton said

    No Brasil, a Usaid consta como “parceira” de ongs como a SOS Amazônia e Centro dos Trabalhadores da Amazônia, organização fundada pela ex-ministra do Meio Ambiente e atual candidata do PV à presidência da República, Marina Silva. As ongs que recebem dinheiro da Usaid costumam funcionar como satélites das chamadas “king ongs” (as ongs maiores, com sedes no exterior e que estabelecem as linhas-mestras de atuação para suas congêneres menores e locais). Foi também a Usaid que formulou a campanha Iniciativa para a Conservação da Bacia Amazônica, com o objetivo de aprimorar a “governança ambiental” de ongs na região.

    http://forodobrasil.info/fb/?p=1748

  22. Chesterton said

    Como sempre denunciei aos companheiros de partido, a posição de Marina é, na verdade, aquela defendida pelas grandes ONG’s ambientalistas, especialmente as que recebem a maior parte de suas receitas provenientes de fundações de empresas transnacionais e agências de governos estrangeiros, sobretudo a USAID. A gestão de Marina Silva no Ministério do Meio Ambiente possibilitou uma expansão inédita da atuação de tais organizações no interior desse órgão, tornando-o um verdadeiro “ministério das ONG’s”, implementando políticas públicas que afrontam os interesses reais de conservação da floresta e de garantia de vida digna para as populações tradicionais que dela sobrevivem. Assinou “chorando”, desconfio que “lágrimas de crocodilo”, a Lei dos Transgênicos, a Lei de Florestas Públicas e apoiou o selo FSC.

    http://defesadotrabalhador.blogspot.com/2011/10/ambientalista-rechaca-aproximacao-do.html

  23. Chesterton said

    ONGs estrangeiras querem impedir o desenvolvimento econômico do país

    A grita contra a aprovação do novo Código Florestal reuniu o que há de pior e mais atrasado entre organizações ditas “ambientalistas”. Entre elas, a Imazon – financiada por organizações como Fundação Ford, WWF-Usaid, Banco Mundial e Comissão Européia/Joint Research Center – e o Greenpeace, com sede na Holanda e financiada, entre outras, por empresas produtoras de petróleo, as maiores poluidoras do planeta.

    O deputado Aldo Rebelo, durante debates e audiências, denunciou a ação dessas ONGs, interessadas em obstruir o desenvolvimento do Brasil. Quando apresentou seu relatório à Comissão Especial da Câmara, onde foi aprovado, Aldo destacou: “Constrangidas pelas evidências de suas ambições mesquinhas, as nações ricas usam o longo braço de suas organizações não governamentais, que desembarcam no Brasil como portadoras da boa nova da defesa da natureza, mas não conseguem esconder a causa que verdadeiramente protegem – o interesse das nações onde têm suas sedes e de onde recebem farto financiamento”. “Observando o esforço de algumas organizações não governamentais estrangeiras contra a expansão da nossa fronteira agropecuária, é o caso de se perguntar como o padre Antônio Vieira: estão aqui em busca do nosso bem ou dos nossos bens?”, indaga o deputado.

    Como não poderia ser diferente, Marina Silva reuniu-se com o chefe da Casa Civil, Antonio Palocci, na terça-feira, acompanha de representantes de ONGs estrangeiras, entre elas o Greenpeace, para tentar impedir a aprovação do projeto. Recém chegada dos EUA, onde foi discutir meio ambiente com os estrangeiros, ao final do encontro com Palocci Marina Silva revelou que “todo mundo aqui virou a noite tentando entender o texto [do projeto]”. E concluiu: “Dá para entender esse texto de hoje para amanhã? Impossível”.

    http://www.horadopovo.com.br/2011/maio/2956-06-05-2011/P4/pag4b.htm

  24. Chesterton said

    Onde estão certas Fundações e seus filhotes as ONGs é preciso ter cuidado e muita atenção. Apesar das atuações inescrupulosas de muitas Fundações que visam apenas os Bens de nosso país, trabalham sempre com as “minorias” , termo neoliberal para designar o oposto – a maior parte do povo brasileiro – (negros, pobres, mulheres, homossexuais, crianças, indígenas…) enganam tão bem no uso da palavra que a maioria se, de fato, MINORIAS!

    Dona Marina Silva defensora do Brasil está sempre com Fundações, Ongs penduradas no pescoço – estrangeiras claro!

    Pergunto de novo, por que a Natura (o proprietário a Ecocapitalista Marina Silva convidou para seu vice, lembrem-se! que também foi seu financiador de campanha) – tão brasileira – transferiu-se para a Inglaterra??? Seria para lucrar mais (tirar emprego dos brasileiros, pagar menos impostos) ou para poder levar nossa biodiversidade de forma legal para fora do país? ou ambos? EcoGolpe…EcoCapitalismo…ou bio-pirataria?

    Por outro lado, por que o governo ainda não expulsou as tais Fundações, Ongs, Oscips etc de nosso país? A Polícia Federal deveria investigar estas questões!

    http://midiacrucis.wordpress.com/2011/05/07/ongs-estrangeiras-querem-impedir-o-desenvolvimento-economico-do-pais/

  25. Chesterton said

    Neste contexto, a ação da USAID vem reforçar financeiramente as intensas atividades de ONGs como o Fundo Mundial para a Natureza (WWF), Survival International, Conservation International, The Nature Conservancy e outras, financiadas tanto pela USAID como por agências governamentais do Canadá, Reino Unido, Holanda e outros países europeus, além de fundações familiares do Establishment (Resenha Estratégica, 16/05/2007).”

    Na verdade, a campanha contra os projetos hidrelétricos no rio Xingu constituiu a primeira grande investida do aparato ambientalista contra o Brasil, com o famigerado Encontro de Altamira (fevereiro de 1989), convescote que reuniu centenas de militantes “verdes” do País e do exterior, lideranças indígenas da região e outros atores. A pajelança contou com um generoso financiamento de órgãos governamentais estrangeiros do porte da Canadian International Development Agency (CIDA), como demonstrou a jornalista canadense Elaine Dewar em seu livro Uma demão de verde, publicado em 2007 no Brasil pela Capax Dei Editora.

    http://www.joaodorio.com/site/index.php?option=com_content&task=view&id=550&Itemid=117

  26. Chesterton said

    Deve receber dinheiro da USAID e da embaixada da Inglaterra.

    Leia mais em: O Esquerdopata: Traíra Silva sai do PV; grandes negócios em vista
    Under Creative Commons License: Attribution

    (blog Lulista)

    http://esquerdopata.blogspot.com/2011/07/traira-silva-sai-do-pv-grandes-negocios.html

  27. Pax said

    Provas, caro Chesterton. Onde estão?

    A afirmação “estar a soldo” é um muito forte e exige que seja acompanhada de provas concretas.

  28. Chesterton said

    Ja as retirei depois que você retirou a acusação de fascistas aos conservadores individualistas norte anmericanos. Vá ler o que escrevi.

    ______________________________

    Romário x João Paulo Cunha.
    Romário, deputado pelo PSB do Rio, quer ser candidato a prefeito. Pode. Nestes nove meses, quem esperava que o “Baixinho” fosse matar sessões, pedalando e andando para o mandato, quebrou a cara. Dizem que ele está sendo um bom deputado. E que pegou gosto pela política. Quanto à falta de conhecimentos em gestão pública, que experiência tinha o atual prefeito Eduardo Paes, a não ser em trairagem, fazendo fama atacando Lula no PSDB e mudando para o PMDB para lamber os pés de Lula e viabilizar a candidatura? O problema da política não é ter um Romário querendo subir de posto. É ter um mensaleiro como João Paulo Cunha, do PT paulista, cuja mulher sacou R$ 50 mil para pagar a TV a cabo e que, ontem, estava colocando um projeto na CCJ, que ele preside, para anistiar José Dirceu, o chefe da sofisticada organização criminosa do Mensalão. Isso mesmo, João Paulo Cunha é o presidente da Comissão de Constituição e Justiça da Câmara Federal. Romário prefeito do Rio é uma bênção.
    POSTADO POR O Coronel

  29. Pax said

    FHC escreveu sobre a postura de Aldo e os problemas do sistema fisiológico.

    Vale a leitura.

    Corrupção e poder

    http://oglobo.globo.com/pais/noblat/post.asp?cod_post=415143&ch=n

    Se tiver que fazer observações diria que FHC começaria com um deslize em suas afirmações que não me parece correto de todo. Aqui:

    A corrupção e, mais do que ela, o “fisiologismo”, o clientelismo tradicional sempre existiram. Depois da redemocratização, começando nas prefeituras, o PT — e não só ele — enveredou pelo caminho de buscar recursos para o partido nas empresas de coleta de lixo e nas de transporte público (sem ONGs no meio…).

    Basta procurar saber da origem da empresa Tejofran, de coleta de lixo no interior de SP, que verá que a origem desta chaga não é do PT. Neste caso foi com o próprio PSDB. Ok, o PT não mexeu em nada para consertar. Talvez até pelo contrário. Mas FHC deve reconhecer para não perder a potência de seus escritos.

    Este, por exemplo, é bem profundo, como disse, entendo que vale a leitura e a reflexão.

  30. Patriarca da Paciência said

    O “saudoso” de cujus Jânio Quadros, quando foi eleito, pela última vez, prefeito de São Paulo, falou sobre um projeto de desapropirar um quilômetro de cada margem do rio Tíetê, transformando tal área em em dois grandes bosques.

    Maravilhoso! Já pensou São Paulo com duas imensas florestas bem no coração da cidade.

    Algo realmente de arrepiar!

    Porém, é viável?

    Alguém se arrisca a dizer que tal empreitada é viável?

    Devolver todas as áreas tomadas ao mangue?

    Demolir todas as cidades construídas em encontas ou topos de serras?

    Ora gente, vamos ter um pouco de bom senso, como o sábio Aldo Rebelo.

  31. Pax said

    Caro Patriarca,

    Sei que aqui temos divergências colossais. Mas me permita uma única colocação que, talvez, seja o ponto das nossas posições antinômicas.

    – Eu defendo que a legislação para a agricultura familiar seja diferente a legislação dos grandes ruralistas. Acho que as famílias que estão estabelecidas há gerações em suas propriedades não podem e não devem ter o mesmo tratamento legal dos grandes empreendimentos. Estes segundos, sim, devem respeitar os tais 30 metros, os topos de morro etc etc.

    Dentro das minhas maiores reclamações com a proposta do novo C.Florestal está esta questão. Aldo fez uma mistureba ingerenciável. Tanto que há, só nesta questão, várias emendas corrigindo o estrupício do texto produzido.

    Outra das minhas reclamações foi esta misteriosa anistia dos crimes ambientais cometidos de 98 para cá. Qual a razão? Com certeza não foi por conta dos agricultores familiares.

    E fico, ou me permito, uma opinião, uma curiosidade: se Aldo realmente é convicto do ideário socialista, porque mesmo ele não dedicou sua “competência e sapiência” à reforma agrária?

  32. Patriarca da Paciência said

    Chesterton, 10,

    é isso aí, Chesterton, o negócio é voltar à “Lei das Selvas”.

    Que vença o mais valente!

    O nazismo foi um bom exemplo do que leva tal filosofia!

  33. Chesterton said

    Desigualdade é inerente à humanidade e essencial à sua felicidade.

    obs: devemos combater a miséria abjeta (de corpo e alma).

    http://pjmedia.com/blog/in-praise-of-capitalist-inequality/

  34. Chesterton said

    Não Patriarca, a selva é hoje, e aqui, onde inúteis bem relacionados vivem as custas da pobreza de milhões. Parasitas como políticos e funcionários públicos sobre-pagos devem ser mandados para casa.

  35. Patriarca da Paciência said

    “Desigualdade é inerente à humanidade e essencial à sua felicidade.”

    É isso aí, Chesterton,

    e uma das maiores ironias da história humana: os “primitivos” russo venceram de forma insofismável e definitiva os evoluídos e ariostocráticos alemães.

    Um amigo meu, descendente de alemão, me falou uma vez que o estupro das mulheres alemães, durante a Segunda Guerra Mundial, foram tão avassaladores, quie é calculado em um terço os alemães atuais que descendem de russos!

  36. Patriarca da Paciência said

    “- Eu defendo que a legislação para a agricultura familiar seja diferente a legislação dos grandes ruralistas. Acho que as famílias que estão estabelecidas há gerações em suas propriedades não podem e não devem ter o mesmo tratamento legal dos grandes empreendimentos. Estes segundos, sim, devem respeitar os tais 30 metros, os topos de morro etc etc.”

    Caro Pax,

    Se você observar a proposta do Aldo Rebelo, ele não defende nada diferente disto!

    É bem isso aí mesmo, tratar de maneira desigual os desiguais.

    “Outra das minhas reclamações foi esta misteriosa anistia dos crimes ambientais cometidos de 98 para cá. Qual a razão? Com certeza não foi por conta dos agricultores familiares.”

    Pax,

    Como já foi exaustivamente noticiado pela mídia, a lei (de uma certa época) incentivava ao desmatamento!

    Como pode estar fora da lei, alguém que simplesmente cumpria a lei?

    O que tem que ser usado é o bom senso.

    A lei é datada, serve para uma época.

    Mas não pode retoragir para condenar!

  37. Chesterton said

    Um amigo meu, descendente de alemão, me falou uma vez que o estupro das mulheres alemães, durante a Segunda Guerra Mundial, foram tão avassaladores, quie é calculado em um terço os alemães atuais que descendem de russos!

    ches- foi avassalador o numero de abortos tambem, as alemãs preferiam ter filhos de soldados aliados.

  38. Patriarca da Paciência said

    Então ficamos assim, Chesterton:

    Um terço dos alemães atuais descendem de russos, um terço de soldados aliados e e um terço de “puros” arianos.

    Grande “pureza” de raça!

  39. Patriarca da Paciência said

    Correção:

    a lei não pode retroagir para condenar.

  40. Chesterton said

    Many of the rapes resulted in pregnancies, but there were also pregnancies resulting from convenience relationships for food and protection from rapists, and also from real love stories during the occupation.[26] The children were despised in German society, and the Soviet army did not allow soldiers who wanted to assume family responsibilities to do so; many of the children are still searching for their fathers.[26]

    By Soldiers of Allied Forces
    The Allied forces maintained a presence in Germany for several years after World War II. The book GIs and Fräuleins, by Maria Hohn, lists 66,000 children as born to soldiers of Allied forces in the period 1945–55:
    American parent: 36,334
    French parent: 10,188
    British parent: 8,397
    Soviet parent: 3,105
    Belgian parent: 1,767
    Other/unknown: 6,829

  41. Patriarca da Paciência said

    Chesterton,

    Eu não estou falando em “real love stories during the occupation” e também não é sobre o período 1945/1955.

    Fala principalmente sobre os últimos anos de guerra, quando os russos ocuparam boa parte do território alemão e fizeram uma verdadeira “cata às louras”.

    Imagino o soldado russo, com toda aquela delicadeza que lhe é peculiar, “cantando uma “nativa alemã”.

    – E aí minha loura, é verdade que você é de uma raça superior? Sou tarado numa mulher de raça superior.

    E a chamava na chincha!

  42. Chesterton said

    A wave of rapes and sexual violence occurred in Central Europe in 1944–45, as the Western Allies and the Red Army battered their way into the Third Reich.[1] The majority of the assaults were committed in the Soviet occupation zone; estimates of the numbers of German women raped by Soviet soldiers range from the tens of thousands to 2 million.[2][3][4][5][6][7] In many cases women were the victims of repeated rapes, some as many as 60 to 70 times.[8] At least 100,000 women are believed to have been raped in Berlin, based on surging abortion rates in the following months and contemporary hospital reports,[5] with an estimated 10,000 women dying in the aftermath.[9] Female deaths in connection with the rapes in Germany, overall, are estimated at 240,000.[10][11] Antony Beevor describes it as the “greatest phenomenon of mass rape in history”, and has concluded that at least 1.4 million women were raped in East Prussia, Pomerania and Silesia alone.[12]

    A number of “Russian babies” were born during the occupation, many of them as the result of rape.[5]
    According to Norman Naimark we may never know how many German women and girls were raped by Soviet troops during the war and occupation, their numbers are likely in the hundreds of thousands, and possibly as many as 2 million.[43]

    chest- bem 70 curras em uma mulher só dão no máximo uma gravidez. Abortos multiplicaram nessa época, assim como mortes de mulheres estupradas. Duvido muito que uma mulher currada por um russo, se sobrevivesse, pudesse cuidar de nenês nessa época.

Faça seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: