políticAética

Notícias da Corrupção, Desvios, Anomalias, Eleições e Meio Ambiente

  • Sobre o blog

    Uma coletânea das notícias da corrupção, desvios, anomalias, eleições e meio ambiente que aparecem na mídia todos os dias a partir de agosto de 2008.
  • Categorias

  • Arquivos

  • Páginas

  • Meta

O buraco mais abaixo do metrô paulista

Posted by Pax em 19/11/2011

A Justiça paulista afastou o presidente do Metrô. Há indícios que houve acordos irregulares na licitação da linha 5, uma obra de R$ 4 bilhões.

Justiça determina afastamento do presidente do Metrô de SP

ALENCAR IZIDORO – JOSÉ BENEDITO DA SILVA – FOLHA DE SÃO PAULO

A Justiça de São Paulo determinou nesta sexta-feira o afastamento do cargo do presidente do Metrô, Sérgio Avelleda, e a suspensão dos contratos de prolongamento da linha 5-lilás –de Adolfo Pinheiro até a Chácara Klabin– por suspeita de fraude na concorrência da obra, de R$ 4 bilhões.

A decisão, da juíza Simone Gomes Rodrigues Casoretti, da 9ª Vara da Fazenda Pública, de caráter provisório, vale até o final da ação, movida por quatro promotores do Ministério Público paulista.

A investigação é decorrente de reportagem publicada pela Folha em outubro de 2010 revelando que os vencedores dos oito lotes estavam definidos havia seis meses.

Segundo os promotores, Avelleda deve ser responsabilizado por ter levado adiante a concorrência apesar das evidências de que havia ilegalidades no processo.

Para o Ministério Público, além de não suspender os contratos e não investigar a suspeita de fraude, Avelleda usou o “artifício insidioso” de tentar desqualificar documento com firma reconhecida, do jornalista Ricardo Feltrin, da Folha, em cartório antecipando os vencedores.

Laudo pedido pela Promotoria, além de depoimento do funcionário do cartório onde o documento foi registrado, atestaram a sua integridade.

O governo utilizou um laudo do Instituto de Criminalística, órgão ligado à Polícia Civil paulista, para afirmar que o documento não era prova irrefutável de que era possível antecipar os vencedores. (continua na Folha…)

Anúncios

18 Respostas to “O buraco mais abaixo do metrô paulista”

  1. Chesterton said

    PT ANÚNCIA REUNIÃO PARA ARTICULAR CENSURA À IMPRENSA E TEM O APOIO DA FEDERAÇÃO NACIONAL DOS JORNALISTAS! PARECE PIADA, MAS NÃO É.
    É aquilo que eu sempre afirmo aqui no blog: o Brasil é o único país do mundo em que os jornalistas conspiram contra a liberdade de imprensa. E o que é pior: as entidades representativas dos jornalistas são todas a favor da censura à imprensa! A Federação Nacional dos Jornalistas – FENAJ -, aparelho do PT, é destaque nesta reunião que tentará mais uma vez impor o “controle da mídia”. Como articulador dessa afronta à liberdade de imprensa, está Franklin Martins, inconformado até hoje por ter sido despedido da TV Globo. Parece piada, mas não é. Esta matéria que reproduzo após este prólogo está no site do deputado federal do PT, Paulo Teixeira. Leiam:

    http://aluizioamorim.blogspot.com/2011/11/pt-anuncia-reuniao-para-articular.html?utm_source=feedburner&utm_medium=feed&utm_campaign=Feed%3A+BlogDoAluizioAmorim+%28BLOG+DO+ALUIZIO+AMORIM%29

  2. Patriarca da Paciência said

    “A Federação Nacional dos Jornalistas – FENAJ -, aparelho do PT, é destaque nesta reunião… ”

    Esta é boazinha, Chesterton, ótima mesmo.

    É o Reinaldinho Cabeção fazendo escola!

  3. Pax said

    Aliás, o malabarismo que o titio fez num post para dizer que as acusações devem ser falsas é uma pérola.

  4. Patriarca da Paciência said

    Veja esta também, Pax,

    É aquela velha história, “pimenta no rabo dos outros…”

    “Alckmin diz que o governo irá recorrer da decisão “na primeira hora de segunda-feira”.

    “Parar uma obra do metrô, das mais importantes de São Paulo, que é a linha 5, sem ter nenhum fato concreto e sujeitando o governo amanhã a ter que pagar bilhões de indenização para construtoras é uma absoluta irresponsabilidade. Vamos imediatamente recorrer, por questões de justiça e para defender o interesse público”, afirmou o governador. ”

    http://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/1009077-afastar-presidente-do-metro-nao-tem-o-menor-sentido-diz-alckmin.shtml

  5. Zbigniew said

    Tanto nesse caso como no da Chevron a imprensa fez questao de ir a reboque dos órgãos oficiais. Cade a sanha investigatoria da Veja? Cade a bola levantada pro JN?

  6. Chesterton said

    Tida como uma das “mulheres mais poderosas do mundo”¹; a presidente “muito competente”²; a gerente “irritadíssima”³ e “severa”³ com seus subordinados; a 1ª presidente mulher do sexo feminino da história brasileira não consegue demitir o falastrão mentiroso que escolheu para gerenciar os mais de R$ 100 bilhões anuais subtraídos na folha de pagamento de todos os trabalhadores.

    Mesmo após ter mentido para os senadores, mentido para os seus colegas de partido, mentido até para a presidente da República, Dilma acha que Carlos Lupi tem condições de permanecer à frente do ministério do Trabalho.

    Leiam o que informam Vera Rosa e Tânia Monteiro na edição on-line do Estadão. Voltamos nos comentários com considerações sobre a versão apresentada pelo Estado de São Paulo.

    BRASÍLIA – Desafiada por um racha no PDT, a presidente Dilma Rousseff concedeu sobrevida de tempo indeterminado ao ministro do Trabalho, Carlos Lupi. Ao detectar um movimento para torná-la refém da ala do PDT que quer derrubar o ministro para ocupar sua cadeira, Dilma resolveu pôr um freio de arrumação na “faxina” para sinalizar aos aliados que é ela quem decide a hora de tirar e nomear auxiliares.
    Ex-integrante do PDT, partido que ajudou a fundar no Rio Grande do Sul, Dilma tenta resistir à política de conspiração levada a cabo por dirigentes da sigla. Embora Lupi não tenha explicado quem pagou o avião King Air providenciado pelo empresário Adair Meira para ele viajar ao Maranhão, em dezembro de 2009, o governo avalia que o titular do Trabalho também não se complicou ainda mais durante depoimento ontem à Comissão de Assuntos Sociais do Senado.
    O Planalto considerou “grave” a denúncia feita pela senadora Kátia Abreu (DEM-GO) de que o pagamento da aeronave consta da prestação de contas da ONG Pró-Cerrado e pediu para emissários investigarem a acusação, vista como “improvável”. O empresário Meira é dono de uma rede de ONGs que tem negócios suspeitos com o Ministério do Trabalho. Por enquanto, a acusação da senadora não foi comprovada. Os convênios da Pró-Cerrado com o Ministério do Trabalho ultrapassam a cifra de R$ 10 milhões.
    Na prática, Lupi não está livre da demissão, mas Dilma só o dispensará agora se houver provas concretas de seu envolvimento em corrupção. A intenção da presidente é preservá-lo até a reforma ministerial, prevista para o fim de janeiro ou começo de fevereiro de 2012. A estratégia do Palácio do Planalto é virar a página da crise política com o lançamento de programas sociais.
    Ainda nesta quinta-feira, 17, Dilma chorou ao anunciar o Plano Nacional dos Direitos da Pessoa com Deficiência. “Esse é o momento que vale a pena ser presidente”, disse ela, com lágrimas nos olhos. No governo, porém, ninguém garante que Lupi não será rifado nos próximos dias. Se aparecerem novas provas contundentes da relação do ministro com ONGs ou a nota do pagamento do avião, a situação se complica.
    “O governo está tornando o PDT uma espécie de vassalo”, protestou o senador Cristovam Buarque (PDT-DF). “Não só o Lupi deveria sair do ministério como é mais do que aconselhável que o partido entregue o cargo. Isso causa muito desgaste para nós”, emendou o senador.

    http://www.implicante.org/noticias/desmontamos-a-versao-oficial-o-amante-embusteiro-manda-mais-que-a-presidente-muito-competente/

  7. Chesterton said

    Tanto nesse caso como no da Chevron a imprensa fez questao de ir a reboque dos órgãos oficiais. Cade a sanha investigatoria da Veja? Cade a bola levantada pro JN?

    chest- temos que concordar que mandar repórteres investigativos para o fundo do mar não seja, talvez, a tarefa mais simples do mundo (rsrsrsr)

  8. Chesterton said

    Perceberam algo de absurdo na notícia publicada pelo Estadão? Reparem neste trecho:

    “Dilma resolveu pôr um freio de arrumação na “faxina” para sinalizar aos aliados que é ela quem decide a hora de tirar e nomear auxiliares”.
    Não dá pra saber se as jornalistas que redigiram o texto agiram consciente ou inconscientemente, agora, o que dá pra inferir é que há um claro esforço para mostrar que Dilma ainda manda no governo. Pela versão exposta no Estadão, e que provavelmente foi plantada pela assessoria oficial, Dilma ainda não demitiu Lupi para mostrar que não cede facilmente à pressões. Entenderam? A permanência de Lupi no cargo seria um sinal de força da presidente, e não o contrário. Brilhante!

    Bom, suponhamos que a versão plantada seja a verdadeira, e que Dilma tenha optado manter Lupi no governo só para mostrar independência, e não por resistência do próprio ministro. Seguindo este raciocínio, podemos concluir que, pra mostrar força, Dilma topa até agir de maneira irresponsável. Ou manter no ministério do Trabalho alguém investigado pela Polícia Federal é uma atitude responsável?

    Há outro trecho na mesma matéria que é ainda mais ridículo:

    Na prática, Lupi não está livre da demissão, mas Dilma só o dispensará agora se houver provas concretas de seu envolvimento em corrupção. A intenção da presidente é preservá-lo até a reforma ministerial, prevista para o fim de janeiro ou começo de fevereiro de 2012.
    A coisa toda é tão inverossímil que nem precisaria ser comentada, mas consideremos a hipótese. A intenção da presidente seria preservar Carlos Lupi até que surgissem “provas de seu envolvimento em corrupção”. Parece que as mentiras e viagens com um empresário que recebeu aportes milionários do ministério do Trabalho, depois de providenciar um jatinho para o ministro do Trabalho, não são motivos suficientes para Dilma. Ok, o conceito de moralidade da presidente parece bastante elástico, mas o pior ainda está por vir:

    “A estratégia do Palácio do Planalto é virar a página da crise política com o lançamento de programas sociais”.
    Claro! Pra virar a “página da crise política” e manter a imprensa ocupada com notícias sobre lançamento de programas sociais, nada melhor do que manter no cargo alguém com o potencial pra gerar notícia negativa como o corrosivo Lupi.

    É ou não é abusar da nossa inteligência? E o pior é que coisas assim vingam e viram verdades.

    ¹ Dilma foi considerada a 3ª “mulher mais poderosas do mundo” pela revista Forbes. Despencou tanto que foi parar na 22ª posição. Na mesma relação estão sumidades como Gisele Bündchen e Beyoncé;

    ² “Presidente muito competente” é a definição de alguns tucanos que não se contentam com saudações protocolares em encontros oficiais com Dilma;

    ³ “Irritadíssima e “severa” são os termos recorrentes soprados por interlocutores de Dilma para para indicar uma pretensa postura austera da presidente.

    http://www.implicante.org/noticias/desmontamos-a-versao-oficial-o-amante-embusteiro-manda-mais-que-a-presidente-muito-competente/

  9. Zbigniew said

    Por que e tão dificil se discutir os meios de comunicação neste pais. Que espécie de trauma e este q atribui ao assunto regulação e democratização um simplismo q beira ao infantilismo de uma suposta tentativa de controle de conteúdo e censura. E o Conselho de Comunicação Social?

    http://www.rodrigovianna.com.br/outras-palavras/cinco-anos-de-ilegalidade.html#more-10568

  10. Zbigniew said

    Interessante q há mais de uma semana o blog do “histérico” Brizola Neto vem alertando sobre o problema. Se um mero blog foi capaz de levantar dados importantes, inclusive com a contribuição de sites estrangeiros, como o skytruth, e muito estranho q a velha mídia não tenha se empenhado. Assim como o governo do Estado do Rio, tão zeloso qdo o assunto e royalties do pre-sal sob o argumento de desastres ambientais. Caladinho tava, caladinho ficou.

  11. elias said

    Ofitópique.

    Deu no Google Notícias:

    “A agência de classificação de risco Standard and Poor’s elevou nesta quinta-feira em um degrau a nota de crédito soberano do Brasil, argumentando que o governo tem demonstrado seu compromisso de atingir as metas fiscais.”

    “A S&P elevou o rating de longo prazo em moeda estrangeira do País para “BBB”, ante “BBB-“, segundo nível de “grau de investimento”, quando a avaliação é de que o País mostra poucos riscos de calote. A perspectiva do Brasil, ainda segundo a S&P, é estável.”

    Já sei! A S&P é financiada pelo Foro SP. Além disso, seus diretores e analistas são filiados ao PT e militam no MST. Vários deles têm notórias ligações com as FARC (como, aliás, é notória a ligação do Google com os irmãos Castro, Hugo Chavez e Evo Morales).

    Não. Não é nada disso. Isso aí é resultado do software que o PSDB escreveu (porque o PSDB escreve software muito bem, embora ainda não tenha aprendido a ler; mas isso é um detalhe sem impostância…).

  12. Zbigniew said

    Elias,
    O mundo ta de cabeça pra baixo. Mas a questão q se coloca e sobre o padrão dólar e o fim do unilateralismo estadunindense. Como essa potência vai se portar, principalmente se tiver os Republicanos novamente no poder. Será q os BRICS poderão se tornar um contra-peso importante nas relações internacionais. O Real e outras moedas poderiam entrar na cesta de moedas do FMI para contrabalançar o Padrão Dólar? Bretton Woods e o Consenso de Washington já estão demode? Grandes desafios despontam no horizonte das nações.

  13. JOSE MARIO HRP said

    Eu gostaria de lençar um desafio aqui , lugar frequentado por gente bem informada e quem sabe capaz de me ajudar.
    Porque o metro paulista tem ritmo de construção tão lento?

  14. Jorge Sá said

    Manda todo mundo pra cadeia…

  15. elias said

    Zbigniew.

    O “Consenso de Washington” há muito se transformou no “Dissenso de Bruxelas” (talvez “Contrassenso de Bruxelas”, por aí…).

    A direita venceu de goleada na Espanha, e deu partida no jogo… estatizando bancos!

  16. elias said

    Deu no “Consultor Jurídico”:

    “O presidente do Tribunal de Justiça de São Paulo, José Roberto Bedran, liberou nesta terça-feira (22/11) as obras da Linha 5-Lilás (Adolfo Pinheiro- Chácara Klabin) do Metrô de São Paulo. As obras foram suspensas na última sexta-feira (18/11), em liminar concedida pela 9ª Vara da Fazenda Pública do Estado, que acolheu denúncia do Ministério Público por suspeita de irregularidade na licitação.”

    “Em sua decisão em recurso apresentado pela Procuradoria Geral do Estado, o presidente do TJ alegou que a suspensão dos contratos ´importará em grave dano à ordem administrativa e à economia pública´. O desembargador alega também que a paralisação das obras ´implicará prejuízo mensal da ordem de mais de R$ 85 milhões, ao passo que, com a operação da linha, os ganhos aos cofres públicos podem superar a cifra de R$ 1 bilhão por mês´.”

    “Bedran, porém, manteve o afastamento do presidente do Metrô, Sérgio Avelleda, determinado pelo juízo de primeira instãncia por entender que isso ´afeta predominantemente o interesse pessoal do administrador´.”

    “De acordo com o Ministério Público, havia indícios de fraude na licitação pela prática de cartel por parte das empresas concorrentes, porque um jornalista teve conhecimento dos vencedores antes do anúncio oficial. Para o Ministério Público, a irregularidade causou prejuízo de R$ 327 milhões.”

    Que eu saiba, sem ser advogado, a liminar é uma medida CAUTELAR e provisória, cuja finalidade é evitar danos irreversíveis.

    No caso, a paralisação da obra foi determinada liminarmente, porque se trata de evidências plausíveis de que a contratação da execução decorre de fraude.

    Se o juiz autorizou a continuidade da obra, ele prejulgou o mérito. Ele parte do princípio de que a contratação é idônea, quando o objeto do processo é, exatamente, a inidoneidade da contratação.

    Isso porque, se a obra continua, a contratada obviamente vai executá-la e, executando-a, terá o direito de receber pela execução, segundo o preço contratual, independentemente do resultado da apuração sobre a inidoneidade ou não da contratação.

    Na prática, o juiz: (1) anulou os efeitos do processo, quaisquer que sejam; (2) deu mais um argumento a favor da reestruturação do Judiciário brasileiro, que tá mais caduco que os espartilhos de minha bisavô.

    Ah, sim: esse papo de que a paralisação das obras ´implicará prejuízo mensal da ordem de mais de R$ 85 milhões, ao passo que, com a operação da linha, os ganhos aos cofres públicos podem superar a cifra de R$ 1 bilhão por mês´ é mais antigo que a posição de fazer cocô. Trinta e cinco em cada 10 corruptos dizem o mesmo, sempre que tentam impedir a apuração de alguma bandalheira.

  17. Zbigniew said

    Elias,

    as esquerdas (centradas e institucionalizadas) foram cooptadas. Que canto do cisne é este que levou vários países europeus ao desastre, estes sob o comando dos sociais-democratas ou socialistas? Que projeto de poder é justificável a ponto de impedir lances mais ousados e colocar os atores em constante estado de “pisar em ovos” para não melindar as forças do mercado e o sistema financeiro?

    A Islândia rejeitou os ditames do FMI, mas é uma economia pequena e não fazia parte do euro. Não antes de experimentar os efeitos perversos do financismo desregulado. Hoje está em franca recuperação.

    Economias maiores não tiveram a mesma sorte, e as forças políticas não quiseram ou não tiveram vontade suficiente para impor sua própria agenda. Dessa forma quem manda mesmo é o capital. E aí os resultados na Espanha, e a queda dos primeiros-ministros na Itália e Grécia.

    Daí porque eles estatizam para depois desestatizarem. Isso chamam de saneamento. Eu chamo de velhacaria.

    Não existem novas idéias? Não há espaço para o confronto que importe uma alternativa ao financismo, com um capitalismo razoavelmente regulado, em que o interesse público se sobreponha ao privado? Esse individualismo exacerbado já provou ser deletério, e toda vez que o homem se colocou como centro de tudo, não deu certo, porque ele não pode ser parâmetro para si mesmo.

    O povo deu o aval, através do voto, mas não foi suficiente. Há! Essas esquerdas!… O PPS do Roberto Freire que o diga.

  18. Zbigniew said

    Peraí. A paralisação da obra vai dar um prejuízo de R$ 85 milhões por mês. E os ganhos com a operação da linha, vai gerar um lucro de R$ 1 bilhão. E a linha já estava em operação? E de quanto seria o prejuízo aos cofres públicos com a possível fraude na licitação?

    É interessante como a própria lentidão do Judiciário serve de justificativa para fundamentar algumas decisões. O nobre magistrado deve entender que o processo vai se arrastar por um tempo bem razoável. Realmente precisamos reformar essa fronteira inexpugnável da República brasileira chamada Judiciário.

    As últimas: o Pelluzo impedindo a publicação das iniciais de juízes em processos que apuram irregularidades; o Presidente do STJ fazendo lobby para parente. Estamos bem servidos…

Faça seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: