políticAética

Notícias da Corrupção, Desvios, Anomalias, Eleições e Meio Ambiente

  • Sobre o blog

    Uma coletânea das notícias da corrupção, desvios, anomalias, eleições e meio ambiente que aparecem na mídia todos os dias a partir de agosto de 2008.
  • Categorias

  • Arquivos

  • Páginas

  • Meta

Cai Lupi

Posted by Pax em 05/12/2011

Ministro Carlos Lupi pede demissão do Ministério do Trabalho

Da Agência Brasil

Brasília – Alvo de denúncias de desvio de recursos públicos de convênios assinados com organizações não governamentais para capacitação de trabalhadores, o ministro do Trabalho e Emprego, Carlos Lupi, acaba de pedir demissão do cargo. Em nota publicada agora há pouco no site do ministério, ele disse atribuiu sua saída à “perseguição política e pessoal da mídia”.

Eis a íntegra da nota: “Tendo em vista a perseguição política e pessoal da mídia que venho sofrendo há dois meses sem direito de defesa e sem provas; levando em conta a divulgação do parecer da Comissão de Ética da Presidência da República – que também me condenou sumariamente com base neste mesmo noticiário sem me dar direito de defesa – decidi pedir demissão do cargo que ocupo, em caráter irrevogável.

Faço isto para que o ódio das forças mais reacionárias e conservadoras deste país contra o trabalhismo não contagie outros setores do governo.

Foram praticamente cinco anos à frente do Ministério do Trabalho, milhões de empregos gerados, reconhecimento legal das centrais sindicais, qualificação de milhões de trabalhadores e regulamentação do ponto eletrônico para proteger o bom trabalhador e o bom empregador, entre outras realizações.

Saio com a consciência tranquila do dever cumprido, da minha honestidade pessoal e confiante por acreditar que a verdade sempre vence.

Anúncios

120 Respostas to “Cai Lupi”

  1. Chesterton said

    Bem, qual o próximo?

  2. iconoclastas said

    é o 7º que cai em menos de um ano de mandato, e o 6º por corrupção. nunca na hisçtória descfe paísç…

    o único que não saiu por pilantragem foi exatamente aquele declarou – enquanto ainda exercia o cargo – não ter votado na gerentona.

    que coisa… vai escolher mal assim na @#$%¨&*…

    ;^/

  3. Zbigniew said

    Interessante a tese levantada sobre quais atores estão envolvidos na queda desse ministro. Briga de foice.
    http://www.advivo.com.br/blog/luisnassif/miguel-do-rosario-o-desfecho-do-caso-lupi

  4. Zbigniew said

    E aí vamos à questão dos números (sim! eles também são importantes). A mídia vai atrás dos jatinhos emprestados a ministros. Mas… e quanto a números como esses (seriam relevantes, ou a mídia só se importa com a questão ética (ironic mode on)????):

    “(…)Voltando à questão da relevância, à questão central das proporções: se todos os R$ 230 mi em convênios do Ministério do Trabalho forem fraudes absolutas, eu disse todos, mesmo assim representariam apenas uma parcela de dois pequenos (pequenos pela relevância na mídia) escândalos recentes no governo de São Paulo.

    Primeiro escândalo, a Justiça pediu o afastamento do presidente do Metrô de SP por indícios de fraudes em processo licitatório. Prejuízo ao cofres públicos: a bagatela de R$ 326 milhões. O homem foi mantido no cargo, o julgamento transcorre na Justiça, neste caso não existe julgamento político, tudo na mídia se passa como um fragmento de tapioca. Fragmento irrelevante, pois a roubalheira em SP é probleminha local, de escassa importância diante das cifras astronômicas desviadas no âmbito da União. Desculpem-me pelo exagero nas figuras de linguagem.

    Segundo escândalo, o Ministério Público de SP pediu afastamento e bloqueio de bens do prefeito Kassab por irregularidades relacionadas à contratação de empresa para inspeção veicular. Forçou a barra em concorrências vencidas e nulas, perdoou a inabilitação técnica e financeira, acolheu tolerantemente alterações fajutas no controle acionário da hoje poderosa Controlar. Prejuízo aos cofres públicos: outra bagatela de R$ 1 bilhão. Um bilhãozinho, quase o preço de um jatinho. Irrelevante, a notícia frequenta as manchetes por um ou dois dias.(…)”

    É como o Elias constatou por estas plagas. A cara de paisagem da mídia é a mesma, como a daqui e alhures.

    http://www.advivo.com.br/blog/luisnassif/questao-de-relevancia

  5. Elias said

    “Foram praticamente cinco anos à frente do Ministério do Trabalho, milhões de empregos gerados,…”

    Milhões de empregos gerados… Não necessariamente graças ao Ministério do Trabalho. Volta e meia, apesar dele.

    Zbigniew,
    O cara que assume o cargo de ministro tem que se mancar…

    Então tá… A mídia é hostil e parcial. E daí? Ela tem o direito de ser hostil e parcial. Claro que o chiado moralista tem um propósito político e ideológico, mas… O cara não sabe disso? Então, por que fica jogando o fiofó no pisão, ou expondo o supra-citado-dito-cujo orifício no telhado, ao vento, como um convite pra passarinho beliscar?

    Tem mais é que se ferrar, mesmo…!

    Aqui no Pará, um cara — gente fina! — nunca havia sido eleito nem vereador na cidade dele, Santarém. Mas foi indicado pelo partido dele, o PSB, pra sair vice numa chapa do PT ao governo do Estado. O PT ganhou e o rapaz se tornou vice-governador.

    Aí, pirou!

    Era andar de helicóptero pra cá; andar de helicóptero pra lá…

    Em visita a Santarém, no dia de um jogo de futebel — o fla-flu de lá… — o moço achou de descer de helicóptero, no centro do gramado e, daí, sair andando até à tribuna de honra…

    Tomou uma das maiores vaias — se não a maior — da história republicana desta pátria que me pariu!

    Por causa de um monte de coisa bôba, desnecessária, perfeitamente evitável, o cara perdeu uma bela chance de se projetar no cenário político, e de se tornar como uma das principais lideranças para o futuro imediato.

    Era só se comportar com sobriedade. Arranjar uns 2 ou 3 bons redatores de discurso e aprender a falar (e a ficar calado) na hora certa…

    Em vez disso, soltou ao vento…! Acabou ganhando o que Luzia ganhou na horta…

  6. iconoclastas said

    obrigado Zigb!

    “seg, 05/12/2011 – 14:59
    Andre Araujo

    O apostolo-guru PHA conseguiu fazer uma lavagem cerebral em mentes monotrilhos, que só conseguem pensar em uma direção e não captam a complexidade dos temas, reduzem tudo a um unico fator, inventou uma contradição em termos, o partido da imprensa golpista, quando Golpe de Estado só pode existir, é da essencia dele, de dentro do aparelho do Estado e não fora dele.

    A imprensa em uma democracia e parte de um sistema, de um modelo de Estado, que considera essencial a liberdade de expressão, conceito do qual deriva a liberdade de imprensa.

    Pode existir um pais sem liberdade de imprensa mas ai não será dentro do modelo democratico, será um Estado autoritario. Qualquer derivação sinuosa não vence o campo dos conceitos: NÃO EXISTE DEMOCRACIA COM CONTROLE DE CONTEUDO DO QUE A IMPRENSA PUBLICA. Ponto. Ponto final. Não adianta dar volta em circulos. Um Governo pode sim restringir a liberdade de imprensa, mas ai não será um Estado democratico. Exemplo: Siria, Cuba, Coreia do Norte, Irã, Venezuela caminhando para o controle total e outros. Uma Lei de Imprensa até razoavel, posta em vigor pelo regime militar, foi derrogada pelo STF que achou que essa Lei era inconstitucional, não tinha abrigo na Constituição de 1988, não ficou de pé nenhum artigo dessa Lei e hoje estamos só com a Constituição, Codigo Civil e Codigo Penal para dar moldura à pratica da imprensa no Brasil.

    A liberdade de imprensa presume que:

    1;A imprensa não é obrigada por nenhuma lei ou principio legal ser neutra, isenta, apartidaria, equilibrada, justa, progressista, que distribua seu espaço equitativamente por tendencias politicas, governos de situação e oposição, em nenhuma Democracia do planeta a imprensa funciona assim.

    2.A imprensa põe em circulação a opinião de seus donos e redatores, não a opinião que leitores individualmente acham adequadas. O veiculo reflete a opinião do dono, suas convicções e objetivos.

    Assim é porque a empresa jornalistica tem contrle privado e esse controle tem liberdade de imprimir ao veiculo a opinião que desejar. Nos regimes autoritarios, como Cuba, o jornal do Governo, o GRANMA, muito bem feito, reflete a opinião do Governo de Cuba e só essa. Não refelte a opinião dos cubanos de Miami e nem dos individuos cubanos em Cuba. É só a opinião do aparelho do Estado. O GRANMA não é isento, neutro, apartidario. Porque então se pretende que os veiculos nos paises de plena Democracia sejam,isentos, apartidarios, neutros, se os veiculos dos regimes autoriatarios não são?

    3.Se um veiculo dá mais importancia a malfeitorias federais que estaduais, é seu legitimo e incontestavel direito. Não é obrigado a tartar igualmente todos os escandalos, nem por principio jornalistico.

    No atual contexto politico não existe nenhuma viabilidade politica, nem remotamente, para um modelo de controle de conteudo de imprensa, que é o que pregam certos grupos radicais de esquerda. Nem no Congresso, nem no Judiciario e menos ainda no Executivo há espaço para essa discussão, o que nada tem a ver com regulação de concessão de frequencias de radios e TV, propriedade de empresas de telecomunicação, isso tudo pode ser melhorado, apaerfeiçoado, o Brasil ja tem essa legislação desde 1933, pode ser apertada, sintonizada mas nada disso tem a ver com “controle de conteudo”” que é ao que se referem os radicais do Estado autoritario de esquerda. Portanto é uma absoluta perda de tempo discutir com intensidade esse tema porque ele é no momento uma fantasia, a imprensa via continuar a atacar governos, como atacaou violentamente o governo FHC, vai atacar o atual e os futuros, assim é em todas as democracias e o governante tem que conviver com isso, como convive com o Congresso, com a OAB, com a Transparencia Nrasil, com a OEA, faz parte do jogo.

    Quanto aos casos Metro e Controlar, as questões são controversias burocraticas, em todas as grandes licitações, sem exceção, há disputas entre concorrentes, acusações, em todas as grandes usinas hidroeletricas acontecem esses disputas, aconteceu em Itaipu, esta acontecendo em Belo Monte, é uma materia bem diferente de dinheiro pelo ralo em convenios fajutos. Pode ou não ser uma fraude, pode ser retaliação do concorrente perdedor, existem empresas que entram em concorrencias só para bloquear o processo e vender a desistencia na briga, isso acontece até em pequenas concorrencias, imagine no Metro mas deve ser mesmo investigado e está sendo pelo MP, pelo TCE, pela policia, por quem tiver obrigação de investigar e esses dois casos estão tendo ampla cobertura da imprensa paulista, não sei do que estão reclamando.”

  7. Zbigniew said

    Olha, não confundam. Não se está aqui a querer controlar o que a imprensa publica ou não. Já disse e repito: a imprensa tem todo direito de publicar o que quiser e arcar com as conseqüências. Assim como qualquer cidadão tem todo direito de criticá-la. Por que não?!!

    É este o ponto! Não se pode calar em frente a qualquer poder. A parcialidade deve ser apontada, até como forma de equilibrar o jogo político. Não existe essa de empresa capitalista, de que tá no sangue, de que é DNA e temos que aceitar calados. Não! De forma nenhuma!

    O consumidor tem o direito de reclamar da parcialidade. Tem o direito de criticar a emissora que diz “tocar notícia”, a revista que diz ser “indispensável”, o jornal que diz querer “formar a nossa opinião”. Eu quero os dois lados, independentemente se o ministro é um “falastrão”, um “porra louca”, um “incompetente”.

    Onde só há um lado, o produto, a notícia, é capenga, é desonesta, é direcionada.

    Ninguém em sã consciência, com um mínimo de tirocínio, vai achar que os ministros são santos e a mídia é o encardido. Mas ninguém é obrigado a ficar com uma única versão. Nem tampouco se calar diante da parcialidade reinante.

    Por isso, cacete na Veja, na Globo, na Record, na Carta Capital, em qualquer uma que ouse debochar da inteligência de quem busca notícia. Basta de tanta hipocrisia.

  8. Zbigniew said

    O AA é bem articulado, bem informado, tem muito conteúdo, mas quando quer torcer, distorcer, retorcer, já sabe. Não concordo com muita coisa que ele diz. Ele que defendeu a Chevron com o mantra do “risco inerente ao negócio, e o Estado que arque com a incompetência de não saber fiscalizar”. Esse cara só pode ser acionista da Chevron.

    A imprensa (que tem todo o direito), não dá “ampla cobertura” ao caso paulista, dá cobertura sem viés político (tem todo o direito). E o AA tem todo o direito de defendê-la, de associar-se a esse tipo de cobertura. E qualquer um tem o direito de achar o contrário, de apontar as diferenças e não concordar. Estamos ou não numa democracia?

  9. elias said

    Zbigniew,

    Fora do Brasil, em democracias, o que não falta é publicação de boa qualidade que trabalha com imparcialidade, embora não seja obrigada a isto.

    Um exemplo: o NYT. Mesmo quando ele, em editorial, declara seu apoio a tal ou qual candidato, seus articulistas continuam mantendo a pluralidade. Uns apoiam o candidato do patrão; outros, o oponente; outros, ainda, preferem baixar a porrada em todos, ou não falar de nenhum, e por aí vai.

    Outro exemplo: o jornal El Deber, de Santa Cruz de La Sierra, Bolívia. É um jornal com mais de 100 anos, acho, que consegue manter a pluralidade em suas páginas. Fiquei impressionado com o conteúdo desse jornal nos últimos meses do governo Carlos Mesa. Com uma reforma constitucional à porta, Carlos Mesa despencando, rumores de golpe de Estado pra todos os lados, El Deber promovia um acirrado debate sobre a nacionalização ou não dos hidrocarburos e a possibilidade ou não da Bolívia
    vender gás pro Chile.

    Pra quem não sabe, os bolivianos — de esquerda, direita, centro, de cima e de baixo — como regra, detestam o Chile e os chilenos, desde a Guerra do Pacífico. Qualquer presidente boliviano que decida vender algum produto do país ao Chile, corre o risco de ser apedrejado.

    Pois o El Deber abria suas páginas até mesmo pra intelectuais doidos o bastante pra cutucar a fera com vara curta e defender o estabelecimento de relações comerciais com o Chile (como forma de reduzir o que alguns consideram a excessiva dependência em relação ao Brasil).

    Como a maior parte da imprensa crucenha, El Deber é, decididamente, liberal. Anti-socialista, portanto. Mas, em suas páginas, não faltam articulistas de esquerda, socialistas inclusive. Muitas vezes, numa única página, dois ou mais articulistas debatem um mesmo assunto, a partir de enfoques políticos e ideológicos diferentes e, não raro, antagônicos.

    No Brasil, parece que não temos nada parecido. É uma pena, mas, o que se há de fazer?

    É preciso lembrar que as publicações são mercadorias. Atendem uma expectativa de mercado. Veja, FSP e Estadão são o que são, porque o público pagante assim quer e se mostra disposto a pagar pelo que recebe. Sem leitores, a publicidade some e, com ela, a publicação.

  10. elias said

    Zbigniew,

    Agora mesmo a Veja se posicionou CONTRA a divisão do Pará, que será decidida em plebiscito, daqui a alguns dias.

    Vou votar contra, só que por motivos completamente diferentes daqueles que Roberto Pompeu de Toledo alinhavou, na última página da Veja da semana passada (acho; não leio a revista, a menos que seja em sala de espera de consultório do dentista — um amigo me mandou uma cópia do artigo do RPT).

    Pra Veja, parece que o maior argumento contra a divisão, é o fato da campanha secessionista estar sendo dirigida por aquele cara que foi marqueteiro do Maluf, do Pita e do Lula. Aquele carinha do mensalão, da briga de galo…

    Ora p…! O mesmo cara foi marqueteiro da campanha CONTRA o fracionamento da Bahia. E aí? A Veja seria a favor?

    Comecei a ficar preocupado. A uma, como dizem os advogados, porque a Veja tem pava. É pé frio! Dá azar! A duas, porque ela costuma estragar as causas que defende (mesmo quando acerta a causa, a Veja erra nos motivos).

    O artigo de Roberto Pompeu de Toledo só confirma a regra.

    Parece trabalho de um pai-de-santo contratado pelo Mino Carta…!

    Por via das dúvidas, já bati na madeira 3 vezes, e estou pedindo a Deus, Tupã, Oxalá, Alá, Zeus e quem mais pintar, que Belzebu escureça dos caminhos da família Civita e a Veja passe a defender a divisão do Pará.

    Prefiro a Veja longe das propostas políticas que defendo. Daí porque peço aos deuses que a esqueçam… E ao diabo que a carregue pra longe de mim.

  11. Pax said

    O problema do país está longe de ser a imprensa.

    Tem petista querendo comprar esta briga. Na minha opinião é um tremendo tiro no pé.

    Lupi diz que foi a imprensa com sua “perseguição política e pessoal” contra ele que motivou sua saída. Ora bolas, que balela mais sem tamanho. Caiu de podre mesmo, caiu porque havia motivos concretos para cair.

    Se tudo que foi levantado fosse falso, não só não caía como poderia tentar alçar voos até maiores. Mas o cara, além de dar pano pra manga, ainda é um despreparado “tem que me derrubar à bala, tiro de grosso calibre”… “Dilma, mamãe, eu te amo, assinado Édipo” e por aí afora.

    A questão é que os indícios são fortes demais, uma montanha de problemas com as ONGs, com as viagens, com os cargos, as mamatas, uma série interminável de indícios levantados que levaram à sua queda.

    Não é a imprensa o problema. Ela pode ser ruim, parcial ou o que for, mas não é lá que mora o âmago destas questões. Minha opinião.

    O cerne está em fazer alianças com quem não tem o menor compromisso com o país e deixar a coisa rolar solta. Uma hora a casa cai.

  12. Zbigniew said

    Elias, vc trás exemplos importantes de pluralismo. Quem sai ganhando é a sociedade. Infelizmente no Brasil isto é utópico e encarado como algo que não pode, sequer, ser criticado, como se fosse uma tentativa de censura. Que ranço!

    Pax, o problema da corrupção no país não é um problema de imprensa? Diria que não é o principal, mas não podemos esquecer que os coronéis que se perpetuam no poder têm redes e mais redes de rádio e televisão país afora. São instrumentos de pressão poderosíssimos. Há muito mais “coisas” entre a imprensa e os governos do que a nossa vã filosofia possa imaginar. É por aí que a virtuose da liberdade de expressão se confunde com o jogo de poder.

    Só pra citar alguns exemplos: outro dia o Boni declarou num programa de TV aquilo que todo mundo sabia: manipulou, editou no JN o debate entre presidenciáveis em favor de um candidato. Há também o caso PROCONSULT, a bolinha de papel na cabeça do Serra, a invasão do hotel do Dirceu, e por aí vai. Isto é crime? Longe disto! Entretanto, esses veículos, ao omitirem ou darem tratamento diferenciado a determinados casos, estão ajudando a perpetuar a corrupção como elemento central da política brasileira, além de quebrarem um desejável equilíbrio nas disputas eleitorais.

  13. Pax said

    Uma boa hora de dar um pé na bunda desse cara…

    http://noticias.terra.com.br/brasil/noticias/0,,OI5504578-EI7896,00-Deputado+acusa+PT+de+ajudar+a+organizar+saida+de+Carlos+Lupi.html

  14. Pax said

    Caríssmo Zbigniew,

    Respeito tua opinião. Só não consigo comungar.

    Veja o link acima que coloquei. Isto, sim, é que é problema para o PT.

  15. Chesterton said

    Olha a imprensa sustentado por dinheiro tungado por petistas

    http://www.implicante.org/pig/nassif-erra-sabino-acerta/

  16. elias said

    Pax,

    Claro que o Lupi não merece menos que um pé na bunda.

    Claro que a Dilma escolheu mal pra caraca o primeiro escalão dela. É quase que um ministro por mês!

    Agora, caro amigo, também é verdade verdadeiríssima que a imprensa, especialmente aquela tida e havida como “grande” é parte e parcela do problema brasileiro.

    Não vou, aqui, questionar o direito de tal ou qual jornal ou revista ser assim ou assado. Quem tem o mel, dá o mel; quem tem o fel, dá o fel… Problema de cada qual!

    Mas é a velha história: se você não faz parte da solução, faz parte do problema.

    Quando a imprensa se partidariza, escolhe um lado ela está exercendo o direito que ela tem, de fazer isso, mas, ao mesmo tempo, ela abdica da possibilidade de contribuir para a solução do problema.

    Dá na vista que, ao fazer isso, ela deixa de ser contra a corrupção, p.ex. Ela passa a ser contra apenas a corrupção dos adversários.

    Direito dela? Claro! Mas isso a coloca do lado do problema, não da solução.

    Ou não?

  17. Pax said

    Caro Elias,

    Veja, o link que coloquei no “pé na bunda” foi a notícia que o Paulinho da Força está acusando o PT na saída do Lupi. Este deputado, trocado por nada, ainda sai caro. Aliás, hoje almoçando com um amigo petista, houve, para minha felicidade, concordância na avaliação deste nome.

    Com relação ao teu ponto acima, me mostra onde eu neguei que a grande imprensa tem batido forte somente na corrupção do governo federal?

    Pelo contrário, tenho insistido que esquecem o Paulo Preto (Rodoanel e muito mais), esquecem o Faustino e a Controlar, esquecem os pedágios paulistas, esquecem a demissão pela Justiça do presidente do Metrô paulista, e mais uma que ninguém fala, um suposto acordo na obra da nova marginal Tietê etc etc.

    Nunca tive opinião diferente.

    A saída da Maria Rita Kehl do Estadão ao fazer um artigo onde apoiava Dilma é um destes exemplos de partidarização da tal grande imprensa que não pode ser esquecida, como um exemplo concreto e sintomático desta questão. Tem mais, por exemplo o caso que o caro Zbigniew insiste das declarações recentes do Boni nas eleições que levaram Collor ao poder etc etc.

    Mas meu ponto é outro.

    O que venho dizendo é que, tanto o PT quanto o PSDB são os melhores partidos brasileiros, o que sobrou. E que ambos estão deteriorados pelo modelo, precisaram jogar um jogo que os corrompeu. Foi o que foi possível? Pode ser, acho que sim. Se enfraqueceram neste jogo? Claro que sim. Mesmo assim ainda são os melhores, tem algum conceito, projeto, compromisso com o Brasil, mesmo que cada vez menor.

    O que reclamo é ver a base destes partidos entrando numa seara pouco evolutiva, este jogo de só ver problemas dos outros. Acho, dentro da minha enorme ignorância, que as bases, a militância, tem que começar a reclamar, a exigir que estes partidos se voltem para um exercício interno de depuração, de retorno ao exercício de estabelecer princípios, desenvolver de novo seus ideários etc. E, dentro deste exercício, que façam suas necessárias depurações, na medida do possível. O futuro cobra seus preços e o futuro é logo ali, amanhã.

    O que me incomoda profundamente é este jogo de ficar às cordas e reagir tentando tapar o Sol com a peneira.

    A imprensa, caro Elias, é esta aí. Podemos e devemos reclamar, apontar, mostrar indignação com a “corrupção” deste quarto poder. A internet está aí pra isso. Mas, ao contrário de uma militância mais doutrinada, não consigo entrar neste jogo que este poder, a imprensa, é que tem toda a culpa do estado atual que estamos passando.

    Não acho que ela, imprensa, seja causa. Mesmo sendo a josta que é.

    Este é o ponto.

    Num português mais erudito eu diria: calça de veludo ou bunda de fora.

    (desculpa o texto ruim, é que um neurônio aqui e outro vendo o Roda Viva com o FHC)

  18. Zbigniew said

    Sem duvida, Pax. So posso agradecer o espaco e a forma civilizada com que vc trata as opinioes divergentes.
    No outro post havia colocado um comentario sobre forcas internas do governo, nos partidos e em centrais sindicais, tramando contra o Lupi. E verdade. Tem muita gente que queria ve-lo fora do governo. E nao e dificil queimar um ministro. Basta ele ser apenas descuidado. Isto nos remete ao Humberto Costa e o caso da mafia dos sanguessugas. O cara pagou o pato sem ter nada com o esquema. Mas foi queimado por pessoas de dentro do proprio partido e da alianca.

    Esse pessoal da Veja nao perdoa o Nassif. A era dos pitbulls ta chegando ao fim. E o Sabino na Veja e o Kamel la no Jardim Botanico.

    Elias, so acho que o um governante, por mais que queira colocar bons nomes no primeiro escalao, fica refem das aliancas politicas. E a historia da relacao de confianca e das cotas do fisiologismo. O governante torce para que de certo ou pelo menos o ministro indicado nao atrapalhe os tecnicos que carregam o piano. Por ester prisma, a Dilma ta sendo ajudada pela midia e suas denuncias.

  19. Pax said

    Caro Zbigniew,

    Você diz:

    Elias, so acho que o um governante, por mais que queira colocar bons nomes no primeiro escalao, fica refem das aliancas politicas. E a historia da relacao de confianca e das cotas do fisiologismo. O governante torce para que de certo ou pelo menos o ministro indicado nao atrapalhe os tecnicos que carregam o piano. Por ester prisma, a Dilma ta sendo ajudada pela midia e suas denuncias.

    E eu digo: bingo – é isto aí.

    Tomara que Dilma consiga colocar uma marca neste xadrez complicado que tem sido esta questão ministerial.

    O que tenho visto? Um bocado de petista jogando contra o governo Dilma, mesmo achando que está fazendo um enorme bem ao PT. Na minha opinião estão é cometendo um tremendo erro político. Se pegarmos a lista de auto-proclamados “blogueiros progressistas” não sei se sobra algum que esteja fora deste jogo de criticar Dilma.

    A mim, sinceramente, incomoda um bocado. Estão fazendo um tremendo favor ao PSDB. Burrice total, segundo minha opinião.

    Do lado do PSDB a mesma coisa, um monte de gente repetindo ad nauseam as baboseiras histéricas e doentias do titio, do Mainardi, etc. Sinceramente fico super incomodado. Burrice total. Estão fazendo um enorme favor ao PT.

    E ambos meus incomodos acima fazendo um tremendo desfavor ao Brasil.

  20. elias said

    Pax,
    Eu contestei, apenas, sua afirmação de que a imprensa não é problema. É, sim.

    O brasileiro não tem educação política, e a imprensa, em vez de contribuir para a educação política, prefere traficar com a deseducação.

    Ela tem o direito de ser assim? Claro que tem! Não nego esse direito. Apenas digo que, desse jeito, ela faz parte do problema, não da solução.

    Zbigniew,
    No momento, nenhum partido brasileiro tem condições de vencer eleições majoritárias sem aliança política. E aliança política a gente faz com quem é diferente da gente.

    Aliança política implica negociação e concessão. Como se sabe, o PT é um partido saído dos movimentos sociais. Daí que a negociação e a concessão estão no DNA do partido. Negociar e fazer concessão — mesmo fingindo que não quer fazer, não vai fazer ou não fez concessão — nunca foi novidade no PT. Como ensinavam as velhas raposas mineiras, no PT, quanto mais “radical” a fala, maior a disposição em fazer concessão. Eu me preocupo é quando o PT amacia a fala: quase sempre isso significa um endurecimento na ação. Ou na negociação.

    Não é esse o problema. O problema é essa marca de quase um ministro por mês. É certo que, tirando Palocci, os demais foram, todos, pessoal de segunda linha. Mesmo assim, quase um ministro por mês é, digamos, excessivo.

    Se a gente diz que não a nada demais nisso, então a gente está concordando que a coisa continue assim. Só que, se continuar assim, essas áreas não vão funcionar. Vão ficar o tempo todo fazendo transição de um ministro pra outro.

    Não dá, né?

    Tem que chamar a base aliada e dizer: “Tudo bem, gente. Aliança polítrica é aliança política. Só que, daqui pra frente, é bom NÃO indicar gente que, em vez de currículo, tem folha corrida…”.

    Tem que mandar o pessoal da inteligência levantar o perfil de cada indicado, pra não ficar aceitando gato por lebre. Ou não ficar mantendo rabo escondido com o gato de fora…

  21. elias said

    “Se a gente diz que não a nada demais nisso,”

    “Se a gente diz que não HÁ nada demais nisso,”

    Caraca!

  22. elias said

    Pax,

    Com seu perdão, outro ófitópique:

    Deu na ADVFN News Letter:

    “Acabou a festa? S&P ameaça rebaixamento generalizado.”

    “Os atores principais do drama europeu, Angela Merkel, chanceler da Alemanha e Nicolas Sarkozy, presidente de França, têm mais um incentivo para forçar um novo tratado na Zona do Euro: a agência de classificação de risco Standard & Poor’s afirmou ontem à noite, após o fechamento dos mercados, que colocou em revisão o rating (nota de crédito) de 15 países europeus, inclusive o da Alemanha e França, que podem perder a nota máxima de crédito AAA. Os mercados acionários europeus reagem com pouca confiança nesta manhã, oscilando entre leves ganhos e perdas. Os futuros dos principais índices norte-americanos, no entanto, apresentam valorização e dão esperança para que o mercado nacional não receba mal a notícia.”

    Já sei. Se e quando essa bomba explodir, aquele pessoal de sempre dirá que foi o desequilíbrio fiscal, foi o desequilíbrio fiscal, foi o desequilíbrio fiscal… Até mesmo quando os bancos privados americanos levaram farelo, eles disseram que o culpado foi o desequilíbrio fiscal, o desequilíbrio fiscal, sabem? O desequilíbrio fiscal…

    Menos mal: se fosse a Veja, o culpado seria o Lula, em cumplicidade com o desequilíbrio fiscal, o desequilíbrio fiscal… E a FSP diria que Lula sempre soube das verdadeiras intenções do desequilíbrio fiscal…

    Obviamente que, quando a turma lá de cima rebaixou a carga tributária em alguns países como Portugal, Grécia, etc, pra incentivar o consumo, ninguém disse que carga tributária irrealmente baixa só pode ter como consequência… o desequilíbrio fiscal, né?

  23. Pax said

    Caro Elias,

    De novo vou insistir no meu ponto: a imprensa não é causa primária dos problemas. Faz parte do problema? Pode ser que sim, uma participação secundária, corolária. Não causa primária. Coloco agora esta qualificação (primária, secundária) para deixar meu ponto mais bem definido.

  24. Zbigniew said

    A causa primária de toda corrupção está relacionada com a questão de ética e moral, e muito espiritual. Governos, imprensa, empresas, o cidadão, todos fazem parte de uma engrenagem, com maior ou menor relevância, dependendo do fato da vida e sua configuração em corrupção.
    E é importante que se destaque que não existe corrupto sem corruptor, e todos nós podemos nos enquadrar nestas figuras, em menor ou maior grau.
    A imprensa é parte desta engrenagem quando ela faz acepção, quando tem lado, quando omite, ou quando carrega nas tintas. Não existem inocentes nesta história toda.

  25. Pax said

    Como disse acima, já tem uma galera Lulista pedindo a cabeça da Dilma.

    Era só o que faltava.

    Não bastasse o PSDB estar desorientado agora o PT resolve seguir os passos tucanos.

    Acho que nem o Lula concorda com essa turma, mas estão lá, chamando Dilma de bunda mole pra baixo. Não só são pouco inteligentes, segundo minha opinião, como desrespeitosos.

  26. elias said

    Zbigniew,

    Imagino que a maior ou menor incidência da corrupção em uma sociedade está relacionada aos valores cultivados por essa sociedade.

    Numa sociedade onde o que importa é o êxito que o sujeito alcance, independentemente dos meios de que se serve pra isso, provavelmente haverá uma elevada incidência da corrupção.

    Mas não existe Estado corrupto sem que a sociedade também não seja desonesta. O Estado é aquilo que a sociedade fez dele.

    Na Islândia, o índice de corrupção é baixo. Mas também a incidência de assaltos, de furtos, de falsificações, etc, é baixa.

    No Brasil é o oposto. Existe um código de defesa do consumidor, certo? Mas, como regra, as empresas só o cumprem se forem obrigadas a isso. Se você levá-las a um tribunal e, neste, elas forem condenadas (elas farão o possível pra tirar o fiofó da reta).

    Em setembro do ano passado, comprei impressoras térmicas de cupon fiscal, de uma marca tida e havida como das melhores do país. Uma das impressoras só começou a funcionar em novembro passado, mais de um ano depois da compra.

    O equipamento passou mais de 90 dias no laboratório da fábrica, quando o código de defesa do consumidor diz que, ultrapassado o prazo máximo de 30 dias na assistência técnica autorizada, para conserto, o fornecedor é obrigado a substituir o equipamento defeituoso por um novo.

    Tente-se obter isso pela via administrativa ou negocial. Tempo perdido! Ou você processa a empresa ou se submete ao jogo dela, restando-lhe, no máximo, o “jus esperneandi”. O meu caso, botei um out door bem em frente à filial da empresa e em outros pontos da cidade; aí finalmente ela se mexeu e acabou resolvendo o problema. Mas o que gastei em out door é bem mais que o valor da impressora (aqui em Belém, uma impressora térmica de cupom fiscal está pelos R$ 2,2 mil).

    Contrate uma equipe de pedreiros, carpinteiros e marceneiros, pra tocar uma reforma. Você vai penar feito charuto em boca de bêbado. Os prazos não serão cumpridos, alguns serviços não serão executados, ou o serão a cu de cavalo…

    Experimente, checar a execução de um apartamento em qualquer faixa de preço (mas, principalmente, na faixa de R$ 800 mil pra cima), comparando-a com a convenção de construção. Aí precifique cada item em desacordo, e você terá uma idéia do quanto foi roubado. Num apartamento de R$ 1,3 milhão, perde-se pelo menos R$ 250 mil pras construtoras, somando-se as gambiarras das áreas privativas com as das áreas comuns. Pouca gente sabe disso, porque pouca gente se dá ao trabalho de comparar a execução com a convenção de construção. E quase nada pode ser feito, por causa da expressão “ou similar”, abusivamente usada nas convenções. Seria o caso de se dizer que o pagamento será feito em R$ “ou similar” (pesos bolivianos, por exemplo).

    É roubalheira de alto a baixo. No Brasil, honestidade não é regra. É exceção.

    Numa sociedade doente a esse ponto, só por milagre o Estado, os partidos políticos e a imprensa seriam honestos…

  27. Chesterton said

    rapaz premiado pela Viva Rio por seu empenho no desarmamento foi preso porque flagrado vendendo um fuzil para “Nem”, o chefão do narcotráfico da Rocinha.

  28. Chesterton said

    Elias disse

    05/12/2011 às 21:25
    Pax,

    Claro que o Lupi não merece menos que um pé na bunda.

    chest- yes

    Claro que a Dilma escolheu mal pra caraca o primeiro escalão dela. É quase que um ministro por mês!

    chest- é o que sempre dissemos…

    Agora, caro amigo, também é verdade verdadeiríssima que a imprensa, especialmente aquela tida e havida como “grande” é parte e parcela do problema brasileiro.

    chest- êpa!

    Não vou, aqui, questionar o direito de tal ou qual jornal ou revista ser assim ou assado. Quem tem o mel, dá o mel; quem tem o fel, dá o fel… Problema de cada qual!

    chest- ahã…

    Mas é a velha história: se você não faz parte da solução, faz parte do problema.

    chest- logically incoherent

    Quando a imprensa se partidariza, escolhe um lado ela está exercendo o direito que ela tem, de fazer isso, mas, ao mesmo tempo, ela abdica da possibilidade de contribuir para a solução do problema.

    chest- vai falar isso para os jornais do teu partido ou comprados pelo PT.

    Dá na vista que, ao fazer isso, ela deixa de ser contra a corrupção, p.ex. Ela passa a ser contra apenas a corrupção dos adversários.

    chest- wishfull thinking

    Direito dela? Claro! Mas isso a coloca do lado do problema, não da solução.

    Ou não?

    chest- claro que não, a imprensa cobre a corrupção petista com muito candor.

  29. Zbigniew said

    Elias, a sociedade é realmente o retrato do parlamento, e vice-versa. Sabemos que o processo de amadurecimento é lento, complexo e sujeito a retrocessos.
    A melhoria das condições econômicas, a educação formal em combinação com uma educação para a cidadania são elementos basilares para uma mudança de paradigma nas relações de poder. Nós já começamos: temos boas leis, iniciativas importantes no combate à corrupção e ao crime com uma Polícia Federal atuante, Ministério Público e Controladorias; uma imprensa que, apesar de parcial, é livre; e um Judiciário que funciona, mas sofre de um anacronismo patológico.
    Podemos aplicar aqui o raciocínio que atribuimos ao PT. A acomodação. Essas instituições não podem se acomodar, se deixar cooptar pelo sistema. Para isso é necessário, não apenas processos internos de controle e aperfeiçoamento técnico, mas sistemas de controle externo e uma sociedade atuante, exigente, que conheça e cobre seus direitos.

  30. Chesterton said

    Conversa entre dois integrantes não identificados do PCC interceptada às vésperas de um dos ataques em São Paulo

    A: A chapa esquentou pra nóis, hein, irmão.

    B: Por quê?

    A: Olha o salve do dia aqui. Geral aqui, que eu acabei de pegar com o Cara Branca: “Todos aqueles que são civil, funcionário e diretores e do partido PSDB: xeque-mate, sem massagem. E todos os irmãos que se (incompreensível) será cobrado com a vida. Salve geral, dia 12/6″. Peguei ele meio-dia.

    B: Fé em Deus. Você tá aí na quebrada, irmão?

    A: Tô aqui na quebrada. Vem pra cá que nós vamos puxar esse bando. Eu vou arrumar um menino bom pra nóis derrubar esse baguio aí, tio.

    B: Então, é o seguinte, irmão: vou ver se dá pra mim ir hoje praí.

    A: Então, se não der, arruma umas ferramentas (armas) aí. Nem que seja uns oitão. Pra gente juntar o baguio aí e sair no bonde aí.

    B: Tá. Firmeza

    “É PRA ELEGER O GENOÍNO”

    Maria de Carvalho Felício, a “Petronília”, então mulher de José Márcio Felício, ex-líder do PCC, transmite ao preso José Sérgio dos Santos, a quem chama de “Shel”, orientação repassada por um líder da organização sobre as eleições de 2002

    Maria de Carvalho Felício: Ele mandou uma missão pro Zildo (piloto-geral de Ribeirão Preto). Vamos ver se o Zildo é capaz de cumprir.

    José Sérgio dos Santos: Tá bom. Você quer passar pra mim ou dou particularmente pra ele?

    Maria: Não, não. Ele quer festa (ataques) até a eleição. E é pra eleger o Genoíno. E, ser for o caso, ele vai pedir pro pessoal mandar as famílias não irem nas visitas pra votar, entendeu? Ele falou que um dia sem visita não mata ninguém. Ele falou: “Fica todo mundo sem visita no dia da eleição pra todo mundo votar pro Genoíno”.

    Santos: Não, mas isso… Acho que todo mundo… A maioria das mulher de preso… Vai votar no Al? Nunca.

    Maria: Então, é pra pedir isso. Se, por exemplo, a mulher vai, daí a mãe, a irmã tudo vota pro Genoíno. Se só a mulher que vota, então essa mulher não vai na visita e vota no Genoíno. É pra todo mundo ficar nessa sintonia: Genoíno.

    Santos: E é dali que vem, né?

    Maria: Isso. É o (incompreensível)

    Santos: Tá bom.

    Maria: Tá bom, então?

    Santos: Tô deixando assim um boa-tarde aí. Se cuida agora. Vai descansar.
    *

  31. Chesterton said

    O hoje assessor do Ministério da Defesa José Genoino recorreu à Justiça para tentar tirar do ar estes textos publicados por VEJA e reproduzidos na VEJA Online. Foram publicados na edição de 16 de agosto de 2006. A Justiça, obviamente, negou o pedido. Dona Maria Rita Kehl deve achar que esta lembrança só poderia mesmo partir de alguém “de direita”, não é mesmo? Na campanha eleitoral de 2006, o PSDB não levou ao ar essas gravações. Bem, é dispensável dizer que eu as teria levado, sim! Até porque havia um Lula do outro lado acusando o governo de São Paulo de não cuidar direito da segurança pública. Aos textos.

    *
    Desde o primeiro ataque massivo do PCC em São Paulo, espalhou-se a notícia da existência de gravações telefônicas que revelariam uma suposta ligação da máfia dos presídios com políticos do PT. VEJA teve acesso a uma série de diálogos entre membros da organização criminosa, interceptados pela polícia, contendo referências ao PT e ao PSDB. Neles, fica evidente a simpatia do PCC pelo PT, bem como a aversão da organização pelo PSDB (foi na gestão tucana, em 2003, que o estado de São Paulo implantou em alguns presídios o temido RDD – Regime Disciplinar Diferenciado, que prevê isolamento rigoroso e é odiado pelos detentos). Nenhuma das conversas às quais VEJA teve acesso, no entanto, comprova a existência de elo entre o PT e o PCC.

    chest- RA

  32. Pax said

    A questão para os petistas e tucanos é:

    O que estão fazendo para mitigar a corrupção?

    Vi hoje no twitter (não li o resto) que o Sérgio Guerra fez um discurso ou documento falando que o PSDB não é corrupto, que é mais limpo que o PT etc. Tá lá no site do PSDB. Quem quiser ver é só ir lá. Quem quiser acreditar também tem lá seus direitos. Me permito questionar baseado no que sei e no que coleciono por aqui, mesmo a gente constatando que sai menos que seria o decente, na tal grande imprensa.

    Pois bem, aí fica a pergunta: e o PT? Vai ficar parado, reativo, esperando o novo ministro da fila? Hum… já tem o Negromonte, agora começam a falar do Pimentel e por aí vai.

    Se todos entrarem nessa que o modelo é esse mesmo, que é isso que o Brasil merece, o rumo está tomado. E este rumo é bom?

    Questiono um bocado.

  33. Chesterton said

    SÃO CARLOS MARIGHELLA

    Há duas semanas, comentando o instituto criado por Cristina Kirchner para reescrever a história da Argentina, eu afirmava que tal idéia nada tem de novo para quem vive no Brasil. Mas se antes as revisões históricas eram feitas em séculos, hoje os ocupantes do poder estão acelerando o ritmo e as fazem em décadas. Vide este país nosso. Não se passaram cinqüenta anos, e as esquerdas brasileiras reescreveram a história do Brasil. Os militares que, em 64, salvaram o país de tornar-se uma republiqueta soviética, são vistos hoje como bandidos. E bandidos são vistos como heróis.
    Janer

  34. Chesterton said

    ministra do bem estar social chorando porque acabou a grana…..

  35. Pax said

    Tenho insistido neste ponto: petistas são os maiores adversários de Dilma.

    E não é só na blogosfera auto-proclamada “progressista”. Agora o problema se desloca para Belo Horizonte, dos inimigos internos do Pimentel. Fico de espectador mas, sinceramente, incomodado.

    Vale a pena ler a boa reportagem do Sergio Leo, no Valor Econômico.

    Aliados de Pimentel veem ‘fogo amigo’
    Autor(es): Sergio Leo | De Brasília
    Valor Econômico – 07/12/2011

    http://clippingmp.planejamento.gov.br/cadastros/noticias/2011/12/7/aliados-de-pimentel-veem-fogo-amigo

    Cá do meu ponto de observação, não petista, não tucano, fica parecendo que está faltando liderança no partido.

    Ok, é um partido grande, saudavelmente multifacetado, mas sem liderança acabará como o PSDB onde tem dono em tudo que é canto. Parece coisa de criar cachorros onde a frase mais correta que se tem é: “cachorro com mais de um dono, morre de fome”.

    A oposição está adorando o jogo e vai aproveitar um bocado. Atacaram o ministério herdado e agora passarão a atacar uma das únicas escolhas pessoais de Dilma. A economia está se segurando como pode, a crise lá fora tem mostrado seus reflexos aqui. O crescimento do PIB neste terceiro trimestre, como todos viram ontem, foi rosca.

    Se a economia começar a ratear, os petistas “oposicionistas” começarem a crescer, teremos tucanos, demos e quetais fazendo um festão em 2012.

  36. elias said

    Pax,
    Dê uma olhada no que se dizia do PT, há alguns anos.

    Dizia-se que era um partido cheio de facções, incapazes de se por em acordo a respeito de qualquer coisa. Pra usar uma imagem de Alfredo Sirkis, era uma espécie de “Prometeu ensandecido, que dispensava abutres e roía ele mesmo o próprio fígado…”. Por isto, estava condenado a ser eternamente oposição; nunca chegaria ao poder.

    Se os caras que diziam isso tivessem que ganhar a vida como videntes… Tavam ferrados!

    As lideranças do PT, agora, são exatamente as mesmas de há 10 anos. Só que deu pra elas… Chegou a hora de partir.

    O que você tá vendo é um começo… Que também pode ser o início do fim. Ou o fim.

    Mas tinha que acontecer.

    E o tempo dirá quem estava com a razão.

    A oposição pode estar adorando os ataques a alguns “ministros herdados”, mas não sabe o que fazer com essa adoração. Tanto que não está fazendo nada. A oposição é burra e incompetente, Pax, e não há nada que se possa fazer, agora.

    Ja a Dilma terá 2012, 2013 e 2014 pra agradecer…

    No fim, a depuração do ministério acabou sendo feita pelo próprio PT, que não passou a mão na cabeça de ninguém.

    A oposição acabou sendo mera expectadora. Limitou-se a papagaiar monocordicamente o que disse a imprensa, cuja capacidade de formar opinião foi mais que testada — e desmoralizada! — nas eleições de 2010.

    De minha parte, Pax, e mais ou menos às proximidades do olho do furacão, não estou nem um pouco preocupado.

    A oposição pode até ganhar as próximas paradas — em 2012 e 2014 — mas vai ter que tufar a veia jangoulart… Dê uma olhada no que dizem as melhores cabeças do PSDB, e você perceberá um certo desalento… É que essas melhores cabeças já sacaram o jogo que tá sendo jogado.

    Tudo tá como o diabo gosta… Tá!

  37. elias said

    “No fim, a depuração do ministério acabou sendo feita pelo próprio PT, que não passou a mão na cabeça de ninguém.”

    Mas figuras como Aldo ainda estão fora de lugar.

    Tal como o Palocci, Aldo costuma preencher enormes lacunas com a sua ausência…

  38. Pax said

    Caro Elias,

    De novo devo insistir que também gostaria, e muito, de ver esta renovação no PT. É mais que necessária, é vital. Basta ver a própria decisão de escolher Dilma para suceder o Lula. Foi porque não havia mais nomes disponíveis. Os que tinham, com projeção nacional, estavam – e estão – completamente sem capital político para tal.

    Capital político que falo não é apoio na militância. É capital político no povo, capacidade de ganhar voto. Fosse somente na militância teria o Zé Dirceu como candidato natural. Agora coloca este nome como candidato que até a Agripino Maia ganha eleição, ou Arthur Virgílio.

    A oposição não sabe o que fazer? Concordo. No programa Roda Viva com o FHC (que foi meia boa) fica claro que eles estão batendo cabeca. FHC criticou (não abertamente, mas claramente) o Alckmin. E já criticou o Aécio (tem que entrar no jogo) etc. Eles estão perdidos em suas eternas indecisões. Pior ainda, sem um programa, um leque de bandeiras para chamarem de suas. Agora aparece notícia que Serra vai disputar a prefeitura de Sampa de novo. Será?

    Mas…

    Independente da eterna posição acocorada em cima do muro da ave de bico grande, o PT tem demonstrado essa confusão que tem me incomodado. Uma boa parcela tem reclamado um bocado de Dilma. Outra boa parcela tem mesmo é jogado contra Dilma, como se ela fosse traidora do papai Lula. Um bando de enfraquecidos mentais, me parece.

    E…

    Ora bolas, acontece que esta situação petista abre uma enorme brecha para que os tucanos, mesmo perdidos, arrumem um caminho.

    Ou…

    Ou outra aparição qualquer. Quem está ensaiando colocar time em campo hoje em dia é o PSB e o PSD.

    Mas..

    Mas entre PSB ou PSD ainda prefiro que PT e PSDB arrumem suas casas para que o jogo fique entre os melhores.

  39. Chesterton said

    Uma empresa que pagou R$ 400 mil à consultoria do ministro Fernando Pimentel (Desenvolvimento Industrial) manteve contrato com a Prefeitura de Belo Horizonte no período em que o petista administrou a capital mineira, informa reportagem de Paulo Peixoto, publicada na Folha desta quarta-feira (íntegra disponível para assinantes do jornal e do UOL, empresa controlada pelo Grupo Folha, que edita a Folha).

    Paulinho diz que Pimentel deve ir à Câmara para ser ‘transparente’
    Prefeito de BH diz que contratos não têm relação com consultoria
    Oposição pressiona mais um ministro a se explicar no Congresso

    A empresa de informática QA Consulting Ltda. firmou contrato de R$ 173,8 mil com a Prodabel, empresa municipal de processamento de dados, em agosto de 2005.

    Após Pimentel deixar a prefeitura, em 1º de janeiro de 2009, a QA contratou a consultoria do petista por R$ 400 mil, valores pagos em duas parcelas de R$ 200 mil.

  40. Pax said

    VEJA quer calar a democracia

    http://terramagazine.terra.com.br/interna/0,,OI5506735-EI16410,00-VEJA+quer+calar+a+democracia.html

  41. elias said

    “Após Pimentel deixar a prefeitura, em 1º de janeiro de 2009, a QA contratou a consultoria do petista por R$ 400 mil, valores pagos em duas parcelas de R$ 200 mil.”

    Então o ministério do FHC tá ferrado…!

    Entendeu por que a oposição acaba ecoando mal o que a imprensa diz? E por que a imprensa, ao tentar ajudar a oposição, acaba falando de corda em casa de enforcado? E por que ela acaba não ajudando?

    Pax,
    Mas o pessoal petista que joga abertamente contra Dilma é representativo ou é só gente que está sendo posta de lado no preenchimento dos cargos? E Dilma está certa ou errada ao deixar esse pessoal de lado? (A meu pensar, ela está certa).

    No mais, é aquela velha história dos derrotados de 2010, que, numa compensação pra si mesmos, passaram a dizer que, em 6 meses, Dilma estaria rompida com Lula.

    Não estão entendendo nada… Mas são ilustrativos da falta de rumo da oposição: antes, durante e depois da campanha de 2010, a oposição tem ficado inerte, na expectativa de que o PT cometa uma grande bobagem política, supondo que isto automaticamente a beneficiará. É a praga de urubu, tentando matar cavalo…

    O capital político que bancou a sucessão do Lula foi, totalmente, o capital político do Lula. Do ponto de vista político e eleitoral, como bem assinalou FHC, Dilma era um traço antes da indicação.

    Cá pra nós: se o pessoal do Acre não houvesse rachado, certamente que a indicação seria outra. Mas não seria Marina, algo que esta jamais conseguiu digerir (aliás, o tempo mostrou que Lula estava certo ao colocar Marina fora do jogo; definitivamente, ela não estava à altura).

    Daqui pra frente, a dinâmica será outra. Não se pode pretender que a política brasileira vá parir “um outro Lula”. Lula é o produto de uma época. Deu seu recado. Fez coisas boas, outras nem tanto. Agora, o problema dele é com a História.

    Pouca gente se preparou tanto quanto o Lula, pra exercer a Presidência da República. Ele fez isso praticamente em horário integral, de 1988 a 2002. Quase uma década e meia. Acabou acumulando um acervo que, a partir de um certo momento, fez dele uma super fera da política, praticamente imbatível (antes disso — é bom lembrar — ele já era um fenômeno…).

    A força do PT foi o que, para muitos, seria a sua fraqueza: ter poucos quadros com projeção nacional. Lula brilhou solitariamente. O partido jamais cogitou outra opção de candidato. As urnas de 1989 ainda nem tinham sido totalmente contadas, e já se sabia que Lula seria o candidato do PT na próxima presidencial.

    Veja, em contraste, o PSDB. Nos arraiais tucanos, sobravam políticos com pretensões presidenciais, todos de primeiríssima linha: Mário Covas, FHC, Serra… Como é impossível que 2 corpos ocupem simultaneamente um mesmo lugar, alguém tem que ser deslocado. E o deslocamento gera resentimentos e desuniões.

    A reeleição, urdida pelo próprio PSDB, se tornou uma de suas desgraças. Em 2010, p.ex., Aécio não apoiou Serra porque isso melaria suas pretensões em 2014, e ele acha que não deve esperar até 2018. A reeleição foi tramada pra beneficiar FHC, mas este, sem querer, apenas facilitou as coisas pro PT…

    Aquilo que, numa leitura mais ingênua, seria uma grande vantagem do PSDB — a profusão de bons quadros políticos — acabou sendo sua fraqueza, que contribuiu bastante para suas sucessivas derrotas.

    Mas não dá pra repetir esse caminho de Santiago. O mundo mudou, o Brasil mudou e, agora, o futebol será outro.

    O PT está sem caciques? Está. Isso é ruim? Não necessariamente…

  42. Chesterton said

    VEJA está aturdida e indignada com a afirmação de que existe direito além da lei. Os nazistas também ficavam, porque as barbáries escritas no período mais negro da história da humanidade eram legais. Jamais deixaram de ser barbáries por causa disso.

    chest- falácia, Red hering again. Comparar o positivismo de Carl Schmidt à crítica à defesa de que bagunceiros da USP são inimputáveis é de uma idiotice sem par.

  43. Elias said

    Pax,
    Acho interessante a leitura ocasional de Veja e de RA, porque são representativas de como pensa e age a oposição.

    É aquele ar superior, pernóstico,arrogante, de quem se acha melhor que os outros…

    É de se destacar a facilidade com que RA classifica como “idiotas brasileiros e cretinos semelhantes mundo afora”, quem pensa diferente dele.

    Ele deve se considerar um gênio! Ele acredita, provavelmente, que os coices verbais que ele escreve são pérolas da literatura em língua portuguesa. Ou obras primas da análise política.

    Não surpreende que esse pessoal venha sendo derrotado politicamente por tanto tempo. Quanto mais idiota o comportamento deles, mais eles pensam que idiotas são os outros.

    Não espanta que essa turma continue a caçar comunistas nos fundilhos das próprias mães, como zumbis amalucados, saídos das trevas dos anos de chumbo.

    É de se ver se o Brasil ainda tem espaço pra esse tipo de pirado, além do gueto dos trinta e poucos por cento dos últimos anos.

    Gostaria de ter acesso a um histórico da tiragem de Veja nos últimos anos, pra ter uma idéia de onde ela vem e pra onde vai.

  44. Pax said

    O titio faz um bem danado ao PT.

    Tenho dito isto faz um tempo. Há uma turma da oposição que adora e encarna suas histerias. Não são todos que votaram no Serra ou na Marina não. É uma turma muito menor.

    Mas a Veja, se não me engano, cresce.

    Acho que passou de uns 600 mil assinantes para mais de 1 milhão.

    O que me parece muito apropriado no texto acima, do Marcelo Semer, está resumido neste parágrafo do seu artigo:

    Que a falta de pluralismo de suas páginas já fosse, por assim dizer, um oblíquo atentado à liberdade de expressão, o explícito intuito de extirpar opiniões contrárias não deixa de ser aterrorizador. Sob esse prisma, lembrar o nazismo não é mais do que medir o outro com a própria régua.

    Como podem querer se auto-declarar guardiães da democracia se qualquer opinião contrária é expressamente proibida?

    Democracia assim a gente já viu um bocado. Boa parte destas tais democracias caíram em Agosto de 1945.

  45. Chesterton said

    TERÇA-FEIRA, 6 DE DEZEMBRO DE 2011

    O que eu disse em 2010 sobre 2011…
    Em 24 de novembro de 2010, eu escrevi o post abaixo sobre o ano de 2011. Na época, a imprensa ressaltava que o país cresceria perto de 5% em 2011, e que a inflação não seria problema.

    Sem falsa modéstia: credibilidade é construída assim.

    2011: O Começo de um Longo Pesadelo

    2011 será um ano ruim tanto do ponto de vista econômico como político. Do lado político teremos as quatro grandes forças éticas do país brigando entre si: PT e PMDB pelo controle do governo, PSDB brigando consigo mesmo para nada fazer, e o que sobrar do DEM tentando fazer alguma oposição (o que parece ser a única boa notícia no campo político).

    Do lado econômico teremos a volta da inflação. Em 2011 a inflação começará sua escalada sob aplausos de boa parte dos que deveriam lutar para detê-la. As contas públicas continuarão bagunçadas, e a situação fiscal brasileira ficará cada vez mais deteriorada. Cedo ou tarde as operações parafiscais entre Tesouro e BNDES começarão a dar resultados: isto é, piorar ainda mais a situação fiscal. O petróleo do pré-sal (caso único no mundo onde uma empresa descobre petróleo e perde valor acionário) cobrará seu preço. O fracasso do trem bala (que o governo insiste em construir) se encarregará de mostrar a dura realidade: dinheiro não cai do céu.

    O cenário externo também será um duro golpe: a crise americana (que por aqui os gênios julgam águas passadas) vai lembrar ao mundo (e ao Brasil) que o aval do governo NÃO É capaz de eliminar os custos de decisões erradas, ele é capaz apenas de transferir esses custos. O custo fiscal que vários países incorreram para salvar seus bancos irá começar a pressionar negativamente o crescimento econômico. Ajustes mundo afora terão que ser feitos, ajustes esses que marcarão 2011 como um ano difícil.

    Mas, para o Brasil, a desgraça vai vir mesmo quando o governo, sob o aplauso dos especialistas, desvalorizar o câmbio por medidas artificiais. Esse erro gigantesco que será feito terá duas consequências imediatas: aumento dos juros e mais inflação. Mas fiquem tranquilos, com ministros da categoria de Guido Mantega e Miriam Belchior não temos o que temer…
    POSTADO POR BLOG DO ADOLFO ÀS 15:41 0 COMENTÁRIOS

  46. elias said

    Pax,
    Pelo que um amigo me disse agora, a Veja tem perto de 700 mil assinantes e vende mais uns 300 mil de exemplares nas bancas. Esse amigo também me disse que o índice de releitura da Veja é, no mínimo, 4.

    Isso dá, por baixo, uns 5 milhões de leitores!

    Parece que ela é a 4ª revista de maior circulação, no mundo todo, e a maior fora dos EUA.

    Uma potência!

    Mas parece que sua capacidade em formar opinião é desproporcional a esses números.

    A Veja fez campanha cerrada contra o Lula, durante 8 anos consecutivos (vou contar só o tempo em que Lula ficou na Presidência da República…). Ao longo desse período, a popularidade do Lula só fez crescer…

    Sei não… Quanto maior a altura, maior o tombo…

  47. Pax said

    Caro Elias,

    Obrigado pela informação de circulação que teu amigo passou.

    Acho que vale a pena ler o novo post do Kotscho

    Economia estaciona e denúncias não param
    http://noticias.r7.com/blogs/ricardo-kotscho/2011/12/07/economia-estaciona-e-denuncias-nao-param/

    Fala da atual situação de Dilma com os problemas ministeriais, a nova questão com o Pimentel e a estagnação da economia.

    Achei que o caso Pimentel não fosse sair do chão, mas o Kotscho, segundo entendi, vê diferente.

  48. elias said

    “Esse erro gigantesco que será feito terá duas consequências imediatas: aumento dos juros e mais inflação.”

    Chesterton, avisa pro Adolfo que, pela segunda vez consecutiva, o COPOM reduziu a Selic.

    Sabe o que significa uma Selic parada (como em reuniões anteriores do COPOM), ou caindo? Significa uma redução da pressão inflacionária.

    Uma decisão de reduzir a taxa Selic em fins de novembro significa uma expectativa de baixa inflação para o ano seguinte. Se a expectativa de inflação é ruim, se a inflação periga de sair do controle, ninguém tem peito de baixar juros. No mínimo, deixa como estiver.

    Se o Adolfo depende das previsões dele pra ter credibilidade, ele deve começar a se preocupar.

    No mais, seria melhor ele se dedicar a previsões menos óbvias, tipo assim:

    “Previsões pra 2012. O ano de 2012 começará no dia 1º de janeiro e terminará em 31 de dezembro. Os dias serão, alternadamente, ímpares ou pares, iniciando-se sempre logo em seguida às 24 horas do dia anterior e terminando invariavelmente 24 horas depois. No Brasil, haverá recorrentes episódios de corrupção. A cada semana, a imprensa noticiará com destaque um novo escândalo, que será por todos esquecido 2 ou 3 semanas depois…”

    Isso foi só uma dica de como iniciar previsões. Se ele for por esse caminho, fará previsões certeiras, e a credibilidade dele irá pro algodão!

  49. Chesterton said

    O que me parece muito apropriado no texto acima, do Marcelo Semer, está resumido neste parágrafo do seu artigo:

    Que a falta de pluralismo de suas páginas já fosse, por assim dizer, um oblíquo atentado à liberdade de expressão, o explícito intuito de extirpar opiniões contrárias não deixa de ser aterrorizador. Sob esse prisma, lembrar o nazismo não é mais do que medir o outro com a própria régua.

    chest – é um absurdo que você , PAx, concorde com isso. É prova de pensamento torto. É de um autoritarismo atroz querer interferir na pauta de uma revista. A pluralidade de expressão, o pluralismo,é de todo jornalismo, há liberdade para isso ou não. Um jornal, revista, tem todo direito de defender e seguir sua linha editorial, e VEJA faz isso às claras.
    É lastimável que você não consiga perceber isso.
    Que outros tentem vender revista com suas próprias ideias. Não parasitar a ideia dos outros.

  50. Pax said

    Caro Chesterton,

    Se a Veja quer ter uma linha editorial de oposição, tem todo direito de ter.

    Há dois pontos que me parecem criticáveis:

    1 – fazer-se de plural, omitir seu lado, não declarar o fato de ser oposição. Veja declara? Não me recordo de ter visto isto.

    2 – aqui é o pior ponto: impedir que opiniões contrárias sejam publicadas em seus sites e blogs.

    Uma coisa é você barrar troll, outra coisa é você negar a opinião de quem não concorda com você.

  51. elias said

    Pax,
    A estagnação do consumo no trimestre já havia sido cantada há vários dias.

    Daí também porque a inflação parou e o COPOM baixou a Selic. O raciocínio deles é de que há espaço pra retomar o consumo baixando os juros, principalmente às proximidades das festas de fim de ano.

    Agora, a questão do Pimentel é braba!

    Parece que o 8º já está a caminho…

    Fico triste por ele, mas essa história de fogo amigo é conversa pra boi dormir. Quem não deve, não teme. Quem não faz presepada não dá alvo pra fogo de amigo nem de inimigo.

  52. Pax said

    Caro Elias,

    Acho que na Economia a coisa está bem direcionada. Claro que gostaria de muito mais, mas vejo em Dilma um pulso forte no controle orçamentário e um direcionamento firme no meio desta crise européia (e americana). Nada a reclamar. Acho que o feito foi bem feito.

    A questão do Pimentel é que não sei avaliar ainda. Não conheço o dito cujo. E não sei, também, quanto uma eventual saída dele vai abalar Dilma.

    Mais natural, para mim, seria o Negromonte estar como bola da vez.

  53. Chesterton said

    1 – fazer-se de plural, omitir seu lado, não declarar o fato de ser oposição. Veja declara? Não me recordo de ter visto isto.

    chest- a linha atual editorial é liberal, pela democracia representativa e contra todo tipo esquerdismo tupiniquim..precisa mais que isso?

    2 – aqui é o pior ponto: impedir que opiniões contrárias sejam publicadas em seus sites e blogs.
    chest- mas o blog é dela e de mais ninguem, está no direito dela. VEJA não impede que seus adversários publiquem suas ideias em outras revistas.

    Democracia é um tipo de governo. Não se aplica em empresas privadas. Empresas privadas não tem como ser “democráticas”, nem num time de futebol, nem nas fam,ilias.

  54. Chesterton said

    Claro que gostaria de muito mais, mas vejo em Dilma um pulso forte no controle orçamentário e um direcionamento firme no meio desta crise européia (e americana).

    chest- quisera eu.

  55. elias said

    Pax,

    Sua opinião coincide com a da Standard & Poor’s, a temida S & P, que aumentou a nota do Brasil, ao mesmo tempo em que ameaça rebaixar EUA, Alemanha e França.

    Mas, o que é a opinião da S & P, diante da opinião do Reinaldo Azevedo, ou do Adolfo, ou da FSP, ou da Veja, esses monumentos da isenção, da análise, da informação e da opinião equilibrada?

    De qualquer modo, Pax, é, também uma questão de preferência. Em que companhia você prefere estar? (Não precisa responder, evidentemente).

  56. iconoclastas said

    Que a falta de pluralismo de suas páginas já fosse, por assim dizer, um oblíquo atentado à liberdade de expressão, o explícito intuito de extirpar opiniões contrárias não deixa de ser aterrorizador. Sob esse prisma, lembrar o nazismo não é mais do que medir o outro com a própria régua.

    mas q mula!!!

    ;^/

  57. Chesterton said

    Petista falando bem de agencias de risco…..tsc, tsc, tsc, não se fazem mais petistas como antigamente.

  58. iconoclastas said

    krai, agencias classificadoras de risco?

    hohhoho:

    http://drunkeynesian.blogspot.com/2011/12/agencias-de-classificacao-de-risco.html

    ;^/

    bichinho pé trocado q ainda ilude alguém…

  59. elias said

    Evidentemente que a avaliação de uma S & P é nada, diante da opinião do Drunk@#%&xxz.

    Evidentemente que, por não disporem de tão raso e manso saber, os titulares dos governos dos EUA, da Alemanha e da França dão declarações oficiais comentando as decisões de classificação da S & P, ao mesmo tempo em que ignoram solenemente a abalizada opinião do monumental Drunk@#%&xxz, que, como todos sabem, é o famoso… Quem?

    Chesterton,
    Por que o estranhamento, ao ver um petista falando sobre agência classificadoras de risco?

    Tu não vives falando em democracia e liberdade de expressão?

    Demais disso, garoto, as agências de risco vêm se referindo elogiosamente aos governos petistas, lembra? Por que os petistas deveriam ignorá-las?

    Vocês é que têm que falar mal delas, agora.

    E ficar linkando a abalizada opinião do Drunk@#%&xxz.

  60. Chesterton said

    Elias, você tá falando sério?

  61. iconoclastas said

    Evidentemente que a avaliação de uma S & P é nada, diante da opinião do Drunk@#%&xxz.

    opinião?!?!

    q o teu conhecimento é profundo como um pires vc faz sempre questão de deixar claro, mas devo confessar q me surpreende a incapacidade de compreenser um gráfico e uma tabela tão claros.

    ta q ospa…

    eu explico, para variar:

    os títulos da dívida americana se valorizaram (queda nos yields), de forma substancial, após o downgrade pela S&P(gráfico). ou seja, o contrário do que se espera em tal situação.

    os prêmios de seguros das dívidas européias estão totalmente descolados da avaliação da moody´s (tabela).

    portanto, brilhante, não é a opinião do Drunken, é um fato que os mercados não têm se baseado nas avaliações da principais agências de risco.

    de novo, não precisa agradecer, mas vê se aprende, e não repete mais.

    ;^]

  62. Chesterton said

    Lupi, o injustiçado

    14:10, 5/12/2011 GMFIUZA GERAL TAGS: CORRUPÇÃO, DILMA, LULA, LUPI
    Carlos Lupi caiu. Seja qual for a verdade dos fatos que provocaram sua queda, ele foi injustiçado.

    O ministro do Trabalho construiu uma rede de promiscuidade com ONGs companheiras, envolvendo pelo menos 280 milhões de reais em convênios voadores.

    Não foi demitido por isso.

    Andou em avião arranjado pelo dono de uma dessas ONGs, em missão oficial.

    Não foi demitido por isso.

    Mentiu descaradamente à presidente da República, dizendo que nunca entrara no tal avião.

    Não foi demitido por isso.

    Desafiou publicamente a autoridade da presidente, afirmando que só sairia do Ministério abatido à bala.

    Não foi demitido por isso.

    A bala finalmente acertou-lhe a cabeça, quando a Comissão de Ética Pública da Presidência recomendou expressamente a Dilma Rousseff a sua demissão, pelo conjunto da obra.

    Não foi demitido por isso.

    A preservação do cargo de Carlos Lupi ao longo de toda a sua temporada de achincalhe aos bons costumes foi garantida, bravamente, por Dilma e Lula – a turma do casco duro.

    Todos os envolvidos na investigação da cachoeira de delitos no Trabalho – Ministério Público, imprensa, Polícia Federal, Controladoria-Geral da União, Comissão de Ética Pública – foram desautorizados pela firme decisão da presidente Dilma de prestigiar o delinquente.

    Depois de tão brava resistência do governo popular contra a conspiração das elites, um passarinho vai ao ouvido do ministro dizer-lhe que ele não passa de segunda-feira.

    Não é justo.

    Carlos Lupi deveria botar a boca no trombone, denunciando a incoerência de seus ex-chefes, em contradição com as boas práticas do fisiologismo.

    Não é possível que um ministro tão falante vá se calar logo agora. Fale, ex-ministro. O Brasil finalmente quer escutá-lo.

  63. elias said

    Chesterton,

    Nunca me passaria pela cabeça contrariar a opinião do conceituado Drunk@#%&xxz.

    Já disse lá em cima: a S & P não á com nada! Obama perde tempo respondendo à S & P. O quente, mesmo, é o Drunk@#%&xxz.

    Tá bom assim?

    Lembra do início do governo Lula, quando tu mesmo falavas no “risco Brasil”?

    Pois é… Eu também nem lembro mais… Isso, evidentemente, foi antes de ouvir falar no Drunk@#%&xxz.

    O Drunk@#%&xxz sabe das coisas, Chesterton.

    Fica com ele. Boa companhia… E bom proveito…

  64. elias said

    Pede aí pro teu… sei lá, passar essas informações pro Obama.

    Obama ficou pau da vida com a S & P, porque ela ameaçou dar uma rebaixadinha nos EUA (em seguida, fez a mesma ameaça à Alemanha e França).

    As bolsas reagiram. Houve queda e tudo o mais…

    Mas tudo isso por quê? Porque o mercado ainda não tomou conhecimento do que diz o Drunk@#%&xxz.

    Não é uma droga? Milhões de dólares e de Euros perdidos a cada dia, só porque ninguém ainda sabe o que diz o Drunk@#%&xxz.

    A Alemanha e a França, aliás, logo em seguida anunciaram injetar mais grana (estatal) na economia européia, reforçando o velho fundão…

    Já imaginou quanto seria economizado, se os governos alemão e francês houvessem se aconselhado com o Drunk@#%&xxz?

  65. elias said

    Pede aí pro teu… sei lá, passar essas informações pro Obama.

    Obama ficou pau da vida com a S & P, porque ela ameaçou dar uma rebaixadinha nos EUA (em seguida, fez a mesma ameaça à Alemanha e França).

    As bolsas reagiram. Houve queda e tudo o mais…

    Mas tudo isso por quê? Porque o mercado ainda não tomou conhecimento do que diz o Drunk@#%&xxz.

    Não é uma droga? Milhões de dólares e de Euros perdidos a cada dia, por um monte de gente, só porque ninguém ainda sabe o que diz o Drunk@#%&xxz.

    A Alemanha e a França, aliás, logo em seguida anunciaram injetar mais grana (estatal) na economia européia, reforçando o velho fundão…

    Já imaginou quanto seria economizado, se os governos alemão e francês houvessem se aconselhado com o Drunk@#%&xxz?

    Mais modestamente, a ADVFN é outra que tá pagando mico.

    Imagina, Chesterton: a ADVFN dá a maior importância ao que faz a S & P.

    Por que será? Vai ver, a ADVFN ainda não tomou conhecimento do Drunk@#%&xxz.

    Quanta ignorância, né? Esse o conhecimento desse pessoal tem a profundidade de um pires…

  66. Pax said

    Caso Pimentel…

    Qual das notícias tem algum fundo de verdade? Juro, não consegui chegar a nenhuma conclusão. São antinomias completas:

    Notícia 1 – O Globo – Gerson Camarotti

    Planalto tenta evitar crise como a de Palocci
    Depois de barrar convocação de Pimentel no Congresso, estratégia do governo agora é retirar tema do noticiário
    http://clippingmp.planejamento.gov.br/cadastros/noticias/2011/12/8/planalto-tenta-evitar-crise-como-a-de-palocci

    Notícia 2 – Estadão – Tânia Monteiro e Vera Rosa

    Para evitar novo caso Palocci, ordem é não se esconder da mídia
    O Planalto ordenou ao ministro Fernando Pimentel (Desenvolvimento, Indústria e Comércio) uma terapia de choque de publicidade para neutralizar as suspeitas de tráfico de influência.
    http://clippingmp.planejamento.gov.br/cadastros/noticias/2011/12/8/para-evitar-novo-caso-palocci-ordem-e-nao-se-esconder-da-midia

    Cá fico de observador.

    Mas tem uma que complica um pouco

    Pimentel confirma ter recebido dinheiro da ETA; donos negam
    Thiago Herdy Fabio Fabrini Letícia Lins Cassio Bruno – O Globo

    http://extra.globo.com/noticias/brasil/pimentel-confirma-ter-recebido-dinheiro-da-eta-donos-negam-3404613.html

    Prezados,

    não vamos nos aborrecer sem motivos maiores… a Economia não vai mal, não. Europa e EUA passam por problemas que afetarão as vendas da China e outros. O Brasil venderá menos para a China e outros na sequência.

    Mas o Brasil pode fazer deste limão uma limonada. Aqui estamos com o mercado interno aquecido, nunca se vendeu tanto carro novo como este ano, como um parâmetro. Se soubermos driblar este momento saímos bem de mais esta crise externa. Não sabemos exatamente quanto tempo ela vai durar, mas parece que não vai ser muito breve.

    Reflexos no Brasil acontecerão, com certeza. O tamanho ainda não sabemos. Se estes impactos forem muito grandes com certeza a culpa será repassada para a política.

    Caso estivéssemos como timoneiros, o que faríamos diferente do que está sendo feito?

    Seguraram a inflação, deu uma freiada de arrumação na ecomomia (crescimento zero no terceiro trimestre) e agora estão aquecendo de novo (linha branca como exemplo).

    Deu certo em 2009, pode ser que dê certo em 2011 / 2012?

    A priori acho que sim, mas não entendo nada disso.

    Como estamos com nossas contas relativamente controladas (mérito de FHC que Lula respeitou, ainda bem), as agências classificadoras de risco estão com bons olhos para Pindorama.

    Nosso mercado é gigantesco, 200 milhões de brasileiros, uma parcela enorme cheia de demanda reprimida.

    É acertar a mão e ir em frente.

    Uma hora, quem sabe, nos preocupamos também com qualidade. Os brasileiros precisam melhorar – e muito – a Educação. Se juntar (a) com (b), demanda que aquece a economia mais investimento no capital humano, o caminho é promissor.

    Achismo por achismo, também tenho o meu.

  67. iconoclastas said

    “a ADVFN dá a maior importância ao que faz a S & P.”

    ADVFN?!?!

    hohoho…

    foram eles q te contaram q as negociações de adr da vale haviam sido suspensas?

    cara, sério, vc é real?

    ;^)))

  68. Grilo D said

    Eu vejo os problemas que qualquer presidente (e outros cargos executivos) enfrenta, em parte, causados pela trágica qualidade dos nossos parlamentos, em todas as esferas. Vamos lá: por que Dilma, Lula, FHC, Itamar e Collor tiveram de se sujeitar a Sarney? Porque o rico diabo é senador e seu partido tem votos suficientes para colocá-lo na presidência da casa – e quando não está lá, tem poder imensurável de qualquer jeito. E poderia passar o dia citando outros exemplos, mas vou ficar só em São Paulo: no caso da investigação da compra de emendas parlamentares na assembleia legislativa, UM deputado não aceitou o engavetamento.
    E é inegável o papel da imprensa em aprofundar e perpetuar esta situação desgraçada, ao apoiar direta e incondicionalmente a escória da política nacional. Será que teríamos tanta corrupção em SP se a imprensa local não escondesse praticamente tudo que acontece aqui? Será que muitos parlamentares conseguiriam se reeleger eternamente se a imprensa desse ao povo ciência do que eles realmente fazem?
    Mas a raiz de tudo é o povo. O brasileiro concorda com a corrupção e tem preguiça de pesquisar. Prefere votar em quem conhece, mesmo que o tal não valha o que caga. Aí, quando aparece algum político honesto (e existe mesmo!), o povo desdenha, desacredita e cuida para que ele não cresça. Ou, se o cara é morto por isso, ninguém liga. Aí não tem como mesmo!
    Abraços,
    Grilo D

  69. Pax said

    Caro Grilo D,

    Tem uma questão que me incomoda um bocado quando culpamos o povo, ou atribuímos a raiz dos problemas nos próprios brasileiros.

    Eu defendo que Educação, Saúde e Segurança sejam assuntos de responsabilidade do Estado. Na minha opção política estas três áreas deveriam ser responsabilidade primária do Estado. Mesmo assim não acho que tenham que ser monopólios estatais.

    Quando quero imputar ao povo a falência de um modelo me pergunto quanto o Estado providenciou Educação para este poder ter dicernimento sobre o que é bom ou o que é ruim.

    Minha tendência é culpar o Estado pela falta de boa Educação para todos.

    Olhando a mesma opinião de outra forma: imagine um país que tivesse escola de primeiríssima qualidade, pública, gratuíta, que fornecesse todo ensino – até o vestibular – excelente. Depois disso o Estado poderia, também, oferecer universidades públicas.

    Mas garantiria que todos os cidadões tivessem os ensinos básicos e fundamentais com excelência.

    Será que, nesta hipótese, o povo votaria tão mal?

  70. elias said

    Evidentemente que a ADVFN, com seus milhares de associados e assinantes, em sua maior parte investidores, não pode ser páreo para o Drunk@#%&xxz.

    O Drunk@#%&xxz é o Drunk@#%&xxz.

    Talvez por isso, as principais bolsas de valores de todo o mundo tenham reagido tão mal ao anúncio da S & P.

    Se o pessoal houvesse lido o Drunk@#%&xxz isso não teria acontecido.

    Obama, Merkel, Sarkozy e seus assessores estão fazendo besteira em cima de besteira, por não tomarem conhecimento do Drunk@#%&xxz.

    Depois do anúncio da S & P, Alemanha e França, num contexto de resposta às agências de risco, anunciaram a injeção de mais recursos na economia.

    Por que? Por não terem tomado conhecimento do que diz Drunk@#%&xxz.

    A própria S & P, coitada, fica aí falando e fazendo essas coisas que fala e faz, pagando mico… Ela ganharia muito se ouvisse o que diz o Drunk@#%&xxz.

    Tão bom quando ele só o outro citado pelo Chesterton, que se gaba de ter acertado sua previsão de que os juros brasileiros iriam subir. É só dar uma olhada nas atas das 3 últimas reuniões do COPOM, pra ver como ele estava certo.

    São a cara da oposição brasileira. Quando mais faz besteira e toma na cara, mais se acha genial… Os outros é que não sabem nada.

    ADVFN? Foi quem deu a dica sobre a mais recente oscilação das ações da Vale, como decorrência do passivo fiscal de R$ 85 bi (que, se for pago, leva quase todo o lucro de um trimestre inteiro).

    Não me queixo, não. Nunca perdi dinheiro com a ADVFN.

    Já o Drunk@#%&xxz…

    Putz! Cada um que aparece…

  71. Edu said

    O Kostcho é um fofinho, não é?

    Ele quer ensinar a Dilma a fazer o que ela não sabe/não faz a menor questão de fazer! E incentivando os leitores do blog a levantarem mais perguntas.

    ” O senhor por acaso tem ou já teve empresa de consultoria?

    * O senhor já pegou carona em jatinho de empresários?

    * O senhor está preparado para enfrentar o “fogo amigo”?

    * O senhor costuma ter controle sobre as despesas da sua casa?

    * O senhor lê e fiscaliza os contratos que assina?

    * O senhor tem boas relações com os barões da imprensa?

    * O senhor já pagou contas pessoais com dinheiro público?

    * O senhor tem alguma pendência com ex-mulheres, ex-sócios ou ex-assessores?

    * O senhor pode apresentar a sua “ficha limpa” sempre que for solicitado?

    * O senhor quer mesmo ser ministro do meu governo?” – Ricardo Kostscho

    Olha que legal!

    E o mais legal são as perguntas: “fogo amigo”?! “Despesas da sua casa”?! “Boas relações com os barões da imprensa”?! “Quer mesmo ser ministro do meu governo”?!

    Pelo teor das perguntas que ele mesmo levanta, dá pra perceber que ele não está incentivando o profissionalismo, ele está incentivando a aparência profissional que alguém tem que ter… dá gastura de tão ridículo.

    Eu tenho uma pergunta mais simples:

    Uma presidente do país que não sabe fazer sozinha essas perguntas merece ser presidente?

  72. elias said

    Aliás, por falar na Vale… Pra quem aplaudiu freneticamente a decisão do Roger Agnelli, de comprar aqueles navios (do noticiário da ADVFN):

    “A estratégia de utilização de super navios para o transporte de minério de ferro até a China foi colocada em risco após os problemas com o navio atracado no Maranhão. Segundo os analistas, os super navios seriam utilizados para reduzir os custos de transporte marítimo da Vale, mas o que tem acontecido na prática é diferente. Dos 35 cargueiros encomendados, a empresa possui 6 em circulação, sem, no entanto, conseguir autorização para atracar em portos chineses. Com o problema no Maranhão cerca de 750 mil toneladas de minério de ferro deixaram de ser embarcados para a China. Agora o governo do Maranhão quer que o navio com problemas seja levado para outro local para reparos, pois mesmo com a pequena probabilidade de que a embarcação afunde, se isto acontecer poderia colocar em risco as operações de todo o porto no Maranhão. A Vale está irredutível em relação aos planos de novos cargueiros e afirma que os embarques no porto já estão normalizados.”

    Não custa lembrar que é a 2ª vez que a Vale tem problemas com super navios. Há alguns anos houve aquele lance do cargueiro japonês, na época o maior navio do mundo, que, por causa de uma barbeiragem de sua tripulação, encalhou no canal de Itaqui, se inutilizando. Teve que ser descartado.

    Já tem gente falando que os atuais super navios da Vale são mais outros elefantes brancos do Agnelli. Não seguraram nem um ano de funcionamento (qualquer cargueirozinho marca xpto dura, no mínimo, uns 50 anos…).

    Nem a Veja nem a Exame estão dando essas notícias. A Exame, aliás, também foi discretíssima em relação à decisão judicial sobre o passivo fiscal da Vale (ele rói mais de 80% do lucro de um trimestre, ou seja, no mínimo, uns 16% do lucro total de 2011).

    Quem se guiar pelas páginas dessas revistas, tá bem arrumado…

    Já sei: a culpa é do Lula, e a ADVFN não sabe de nada. Quem sabe é o Drunk@#%&xxz…

  73. iconoclastas said

    “08/12/2011 às 11:59”

    pede o peniquinho…

    vc ja passou vergonha demais aqui.

    agora, debochar de um sujeito que vc não tem capacidade de entender, e nem mesmo discernir sobre o que é fato e o que é oipnião naquilo que ele posta, já é algo que revela falta de caráter.

    ADVFN? Foi quem deu a dica sobre a mais recente oscilação das ações da Vale, como decorrência do passivo fiscal de R$ 85 bi (que, se for pago, leva quase todo o lucro de um trimestre inteiro).”

    eu duvido q alguém tenha errado tão grotescamente em uma conta.

    ;^/

  74. iconoclastas said

    ah, sim.

    sobre a ADVFN eu não tenho nda a comentar sobre o conteúdo, pois não conheço, não vejo citações a ela, e só agora q tomei ciência e chequei o site. a aparência é de uma penteadeira de put@ interiorana, cheio de propaganda de corretoras varejistas, cursos pega clientes e etc, mas não significa q não haja artigos interessantes. talvez role.

    o q eu tenho dificuldade de entender é q com tanta fonte sobre economia e mercados cujo acesso é livre, e direto, inclusive de alguns dos maiores expoentes do setor, pq alguém crê q citar um site comercial varejista como hipotética fonte intelectual – e aqui até ignorando a baixa capacidade interpretativa daquele q cita, concede legitimidade a uma idéia…

    ;^/

  75. Chesterton said

    Iconoclasta, você virou muslim ou está praticando a auto-flagelação por algum outro motivo?
    Gente que pensa torto vai morrer teimando…

  76. Zbigniew said

    E o q mais importa: as forcas reais, o poder econômico q esta por trás do chamado “presidencialismo de coalizão”. O texto e da Maria Inês Nassif:
    “Mais adiante, depois de mais alguns ministros derrubados, pode consolidar-se o consenso nessa classe mais tradicional (que tem mais tempo de vida na sociedade de consumo e consome mais) de que Dilma é boa técnica, mas está inviabilizada pela política. Agora, a moda é bater no “presidencialismo de coalizão”, como se o problema fossem as alianças, e não a excessiva exposição dos partidos ao poder econômico, via financiamento privado de partidos e de eleições.”
    http://www.advivo.com.br/blog/luisnassif/a-despolitizacao-estrategica-por-maria-ines-nassif#more

  77. Zbigniew said

    E, verdade seja dita: já a a grande mídia esta fazendo politica, porque os partidos políticos não partem para o confronto? E muito rabo preso.

  78. Zbigniew said

    E saiu o livro do jornalista Amaury Ribeiro Jr. sobre a “Privataria Tucana”. Interessante a resenha de capa: “Os documentos secretos e a verdade sobre o maior assalto ao patrimonio publico brasileiro. A fantastica viagem das fortunas tucanas ate o paraiso fiscal das Ilhas Virgens Britanicas. E a historio de como o PT sabotou o PT na campanha de Dilma Rousseff”. Sera que vao processa-lo? E a grande midia? Vai dar uma palhinha? Acho que so pra referencia final da dita resenha.

  79. Chesterton said

    Rui Falcão, presidente do PT, deu um declaração realmente fabulosa sobre Fernando Pimentel, o ministro enrolado com suas “consultorias”. Prestem atenção:
    “Pela sua história de vida e pela sua conduta pública, o ministro Pimentel está acima de qualquer suspeita”.

  80. Chesterton said

    Este blog nunca incomodou tanto. Mas por quê?
    Este blog nunca incomodou tanto. Mas por quê?

    – Se sou mesmo “ultradireita”, como dizem os babacas, por que não encontram, então, os meus textos “de ultradireita” e os trazem a público?

    – Se alguma vez defendi algo fora da Constituição e das leis, por que não demonstram?

    – Se a defesa do aparato legal do meu país, democraticamente definido, faz de mim um homem horrível, por que não dizem, então, abertamente, que o certo é transgredir as leis?

    – Se acham que o certo é transgredir as leis, por que não dizem, então, quais devem ser respeitadas e quais não devem?

    – Por que, em vez de me satanizar, não provam, com o texto legal, que a polícia agiu ilegalmente na USP, por exemplo?

    – Eu digo por que não gosto daqueles que chamo “esquerdopatas” e demonstro onde está o seu erro de raciocínio. Por que, em vez de simplesmente me xingar, não fazer o mesmo comigo? A resposta é simples: porque não podem!

    O fato é o seguinte: para que pudessem demonstrar que estou errado, seriam obrigados a defender o cumprimento seletivo da lei. Para explicar por que me satanizam tanto, teriam de fazer a defesa aberta do arbítrio.

    Ora, se sou um incitador do descumprimento das leis e da Constituição, por que não me processam? O que essa gente sustentaria no tribunal? “Eis aqui, meritíssimo, este homem horrível! Ele tem a coragem de declarar que todos os homens são iguais perante a lei; ele tem o topete de sustentar que uma determinação judicial, de reintegração de posse, é de cumprimento obrigatório; ele tem a impiedade de sustentar que o papel de um juiz não é fazer justiça segundo princípios da luta de classes, mas segundo as leis democraticamente instituídas”.

    Ora, criem o “Caso Reinado Azevedo”, que ousou desafiar os grupos de assalto à democracia para defender a Constituição da República Federativa do Brasil!

    Coragem, valentes! Ficar gritando “Cortem-lhe a cabeça!”, como a Rainha de Copas, é de uma covardia asquerosa.

    Por Reinaldo Azevedo

  81. Zbigniew said

    Uma parte da entrevista do Amaury na Carta Capital (via Tijolaco – http://www.tijolaco.com/presente-de-natal-do-serra-saiu-o-livro-do-amaury/):
    “(…)
    CC: Você é o responsável pela quebra de sigilo de tucanos e da filha de Serra, Verônica, na agência da Receita Federal de Mauá?

    ARJ: Aquilo foi uma armação, pagaram para um despachante para me incriminar. Não conheço ninguém em Mauá, nunca estive lá. Aquilo faz parte do conhecido esquema de contrainformação, uma especialidade do PSDB.

    CC: E por que o PSDB teria interesse em incriminá-lo?

    ARJ: Ficou bem claro durante as eleições passadas que Serra tinha medo de esse meu livro vir à tona. Quando se descobriu o que eu tinha em mãos, uma fonte do PSDB veio me contar que Serra ficou atormentado, começou a tratar mal todo mundo, até jornalistas que o apoiavam. Entrou em pânico. Aí partiram para cima de mim, primeiro com a história de Eduardo Jorge Caldeira (vice-presidente do PSDB), depois, da filha do Serra, o que é uma piada, porque ela já estava incriminada, justamente por crime de quebra de sigilo. Eu acho, inclusive, que Eduardo Jorge estimulou essa coisa porque, no fundo, queria apavorar Serra. Ele nunca perdoou Serra por ter sido colocado de lado na campanha de 2010.

    CC: Mas o fato é que José Serra conseguiu que sua matéria não fosse publicada no Estado de Minas.

    ARJ: É verdade, a matéria não saiu. Ele ligou para o próprio Aécio para intervir no Estado de Minas e, de quebra, conseguiu um convite para ir à festa de 80 anos do jornal. Nenhuma novidade, porque todo mundo sabe que Serra tem mania de interferir em redações, que é um cara vingativo.”

  82. Yellow_SUBmarine said

    Whazuuuuup! E aí seu Pax… Tu tranqs?!

    Aí Chest, até que esse Reinaldo é um cara valente, mas pra mim ainda azedo. Essa parada de ficar falando de carta, papel. O tal preto no branco. Sacumé! Uma turma nojenta que escreve lei a bel prazer. A constituição é confusa demais, poucas coisas bastariam. Estamos falando de humanos aqui. Com idéias, delírios e um cérebro que ainda é um mistério.

    As conseqüências conhecemos. Acompanhamos cotidianamente o comportamento humano. Só quem tá numa bolha ou tem uma vida de glamour falso pago pelo dinheiro (mais papel), não vive de verdade. Eles não enfrentam dificuldades econômicas, muitas vezes encontram problemas somente no campo de relacionamento, estado físico e espiritual.

    A massa, além de enfrentar as mazelas inerentes ao ser humano, das quais o mais podre dos ricos não conseguirá escapar (tipo um CA), rala muito, ganha pouco e se fode sempre. Nem mesmo a Constituição Federativa dos Brasas consegue livrar o povo de tomar naquele lugar…E sempre se ferrando… E tenho que engolir os nazistas falarem que é preguiça, por isso tão na merda, por que merecem. Ó…alguns acho que sim, merecem. Outros estão ferrados, mas tão ferrados, que num dá tesão pra mais nada, pode apostar. Não há ânimo que de conta de ressuscitar o orgulho de alguns por aí. Orgulhos soterrados pelo delta da pirâmide, e mantido sobre controle, bem formatado, lá onde deve estar.

    Os atuais códigos que legislam essa terra estupidamente colonizada (e outros cantos onde povoam gente), foram feitos pra favorecer ladrão. Não qualquer unzinho ladrãozinho de quinta. Refiro-me à aquelas leis que favorecem aos ladrões com pedigree, tipo o Bigode. Eu até me orgulho do Bigod (cultivo um). O meu orgulho do Bigode é porque meu país tem um vilão de quilate. E põe quilate nisso… E pasmem, é um nordestino, com sotaque carregado e coronel. É o nosso Bush galera, “Skull and Bones”, o texano mais pirado da história, vendedor de petróleo e armas.

    Leis…Dinheiro…Humanos. Só podia acabar em desgraça. Desgraças por vezes imensuráveis pelas leis. É a tal justiça cega. Não enxergar é um fator proposital. Sua ação é, na maioria dos casos obscuros, determinada pelo olfato, pelo cheiro do dinheiro. Aponte-me um rico preso? Sejam desprendidos dos seus valores nesse momento… Apontem-me um rico preso?!!! Se forem espertos e tiverem uma resposta eu dificulto pra vocês. Apontem-me um político rico preso?! A tá… Saquei… Imunidade parlamentar, um super trunfo (joguei demais isso) dos homens de bem, esquentadores de assento do parlamento, meramente. Ao menos não me representam, disso tenho certeza. Aí… Mó parada constitucionalis esse negócio de Imunidade parlamentar.

    As leis ajudam, e bastariam poucas, estilo os 10 mandamentos sem o teor cristão da parada e considerando a atual condição humana, porém sempre favorecendo todos igualmente, o que é impossível.

    São várias pragas. Muito humanas. Foras da lei. Lei dos espertos, vale salientar. Lei do controle.

    Cansei… vou dormir.

    Resumindo… Lidar com gente não é fácil, e nem precisa estudar na França pra sacar… É só tentar harmonizar com seu vizinho mais pé no saco. Já tentou?!

    Abraço procês

  83. Pax said

    Fala caro Sub! Tudo tranquilo por aqui. E a XRE300? Alguma viagem prevista?

    Caro Chesterton,

    Titio está pirando de vez, tadinho. E se esquivando do ponto central. Senão, vejamos o que ele diz:

    “Eis aqui, meritíssimo, este homem horrível! Ele tem a coragem de declarar que todos os homens são iguais perante a lei; …

    Todos os homens são iguais perante a lei para ele? Curioso que ele sistematicamente esquece de apontar qualquer problema de corrupção de quem é da oposição.

    Deve ser uma enorme coincidência. Só pode ser. Um homem tão equilibrado assim não erraria tanto.

    Insisto: o titio é cabo eleitoral do PT. Tudo indica que sim. Nunca vi alguém fazer tanto estrago para o PSDB. Aquela foto dele com o Serra deveria ter um título: “Abraço de afogado”.

  84. iconoclastas said

    Iconoclasta, você virou muslim ou está praticando a auto-flagelação por algum outro motivo?

    por hábito, extensão, e distração da minha atividade, de natureza um tanto belicosa.

    mas o que importa é que a figurinha se admite irritada, e este é o bônus.

    ;^/

  85. elias said

    A ADVFN não é um site de debate político nem acadêmico.

    Ela presta serviços a quem tem grana no fogo. Claro que seus propósitos são comerciais.

    Não vejo como o e sua claque possam ser úteis pra esse fim.

    Insisto: não me queixo das dicas da ADVFN. Inclusive (e, num determinado momento, principalmente), com relação às ações da Vale.

    É altamente questionável a afirmação de que a cotação dos títulos da dívida americana não caíram como decorrência do rebaixamento de sua nota de risco, a menos de uma semana do anúncio da INTENÇÃO do rebaixamento, e sem levar em conta o imediato e subseqüente anúncio das medidas adotadas pelo presidente dos EUA.

    Tá muito cedo pra falar uma coisa dessas, rapaz!

    Irritado? Não mesmo.

    Acho que irritado é quem substitui a argumentação pelas ofensas pessoais.

    O recurso à ofensa é a mais notória evidência da incapacidade de argumentação.

    Em tempo: no acordo que a UE está fechando agora (com a Inglaterra de fora, por causa da City), inclusive a expectativa de intervenção do BCE, todos os itens, um a um, fazem parte da pauta de recomendações da S & P.

    Li agora a antecipação dos itens do acordo, na BBC (só falta agora o Chesterton e o outro dizerem: “a BBC? Ho, ho, ho… A BBC não é nada! Quente é o Drunk@#%&xxz…!”).

    E a Europa, que não se emenda, novamente ignorando o judicioso Drunk@#%&xxz.

    Essa gente não se emenda…

    Chesterton,
    Qual é, realmente, tua opinião?

    Há poucos dias, disseste que a economia americana estava “insolvente”.

    Agora, já estás concordando com quem diz, citando o Drunk@#%&xxz, que os títulos da dívida americana não se desvalorizaram…!

    Como é que é isso? A economia americana está insolvente e, mesmo assim, os títulos da dívida não se desvalorizam? Quer dizer: o cara vai levar calote mas, mesmo assim, não libera o papel micado?

    Tás piorando, Chesterton… Piorando… Há algum tempo atrás, pelo menos tinhas um pouco de coerência…

    Um cavalo cego, guiado por um ginete bêbado… Galopa resolutamente em todas as direções e não chega a lugar nenhum.

    A cara da oposição brasileira…

  86. Chesterton said

    “Eis aqui, meritíssimo, este homem horrível! Ele tem a coragem de declarar que todos os homens são iguais perante a lei; …

    Todos os homens são iguais perante a lei para ele? Curioso que ele sistematicamente esquece de apontar qualquer problema de corrupção de quem é da oposição.

    chest- Pax, tu pensas torto mesmo. RA é ministro do Supremo Tribunal Federal.

  87. elias said

    Onde está:
    “Não vejo como o e sua claque possam ser úteis pra esse fim.”

    Leia-se:
    “Não vejo como o Drunk@#%&xxz e sua claque possam ser úteis pra esse fim.”

    O Drunk@#%&xxz, vocês sabem… é o Drunk@#%&xxz.

    Por ignorá-lo, a Europa inteira está levando farelo.

    Além disso, ele está ensinando ao Chesterton como é que os títulos da dívida de uma economia “insolvente” não se desvalorizam.

    Deve ser o cara que escreveu o software do PSDB, com o qual o partido tucano alcançou 3 brilhantes fracassos.

  88. Chesterton said

    Uma psicanalista me censura
    Recebi de uma psicanalista de expressão em seu meio uma mensagem me censurando pelas críticas que fiz a Maria Rta Kehl. Ela deixou claro que sua restrição nada tinha a ver com a “contestação objetiva” que fiz ao que a petista havia dito sobre a polícia. Segundo a missivista, com quem tenho alguma proximidade por razões que não vêm ao caso, isso foi até positivo. Ela não gostou foi de outra coisa. Eu transcrevi no post a fala de Maria Rita e demonstrei que ela tem um raciocínio tortuoso, confuso. Em sua intervenção, afirmou que iria fazer uma “pergunta dupla”, que tentaria “juntar as pontas” de ambas, que eram, na verdade “duas coisas paralelas”… Mais adiante, completamente perdida no raciocínio, ao fazer a segunda insagação, considerou: “Por outro lado, parece que não tem a ver, mas acho que tem…”

    Bem, eu observei que Maria Rita seria a primeira pessoa na história a “juntar as pontas das paralelas”, que isso era uma verdadeira revolução geométrica e notei: “Além de militante petista — e era nessa condição que estava no Roda Viva -, Maria Rita é psicanalista. Consta que é lacaniana. Huuummm… A linguagem exerce, assim, papel importante no seu ofício. (…) É o que chamo linguagem da “lacanagem”. Estamos no meio de um tumulto mental, mas o propósito, é evidente.”

    “Ao fazê-lo, Reinaldo, você tenta desqualificá-la profissionalmente, o que é uma desnecessidade”, escreveu a missivista. Bem, lamento discordar. Começo esclarecendo que “lacanagem” é uma ironia que faço com os lacanianos há muito tempo. É, não sou exatamente fã de Lacan, mas isso não cabe agora aqui. Ora, por que Maria Rita estava lá? Porque petista? Há outros mais qualificados intelectualmente para debater política com um ex-presidente. Suponho que estivesse por sua outra especialidade: a psicanálise. Sendo assim, qual é o grande pecado de cobrar algo a alguém que seja pertinente a sua área? (RA)

    chest- escreveu, falou, suspirou merda, tem que tomar porrada. Ou essa tambem se julga acima da crítica? Grande Tio Rei!

  89. Chesterton said

    O problema é outro
    Não! O problema é outro! As personalidades de esquerda e a militância de modo geral se acostumaram a jamais ser contestadas pela imprensa. Ao contrário. Publiquei ontem aqui um post sobre as barbaridades ditas por Marina Silva antes e depois da aprovação do novo Código Florestal. Ela falou, está falado. Separaram-se as esferas de opinião em dois blocos: o das pessoas que estão sempre certas e o das pessoas que estão sempre erradas. Algumas, como quer Rui Falcão, “estão acima de qualquer suspeita”, e outras, como diria Louis, o policial corrupto do filme Casablanca, são “os suspeitos de sempre”.

    Eu estou entre os poucos — não sou o único — que resolveu afrontar essa lógica. Os difamadores, em vez de ler o que escrevo, atacam-me pelo que nunca escrevi. Querem ver? Eu nunca escrevi que pessoas presas pelo regime militar e que morreram ou foram seviciadas não devam receber indenização — ou seus familiares. Nunca! Ao contrário: afirmei que, nessas condições, é justo e imperioso. Mas escrevi, sim, e acho, sim, que indenizar alguém que pegou em armas — porque quis — para derrubar o regime e instalar o socialismo no país, não se encaixando na condição acima, é indecoroso. Eu nunca defendi as ações dos porões — ao contrário: fui vítima de um agente da repressão. Mas escrevi, sim, que as esquerdas armadas nunca quiseram democracia e que é um impostura, uma mentira factual, afirmar o contrário. Fatos, fatos, fatos… Por que, até hoje, não surgiu um só documento daqueles esquerdas defendendo a democracia? Porque não existe! Mas existe, sim, o “Minimanual da Guerrilha urbana”, de Marighella, transformado em “herói do povo brasileiro” pela Comissão de Anistia, defendendo o terrorismo. Fatos, fatos, fatos… O mundo dos fatos!

    chest- RA é meu ídolo.

  90. Chesterton said

    Outras verdades
    As esquerdas não suportam ser contestadas porque acham que detêm o monopólio do bem! Há anos defendo que viciados em crack sejam compulsoriamente retirados das ruas e internados. Andrea Matarazzo, um dos pré-candidatos do PSDB à Prefeitura, sempre pensou o mesmo. Ele, um político, e eu, um jornalista, fomos demonizados por um desses padres de passeata que não saberia rezar um “Pai Nosso” — eventualmente fã do “vinde a mim as criancinhas” (não gostam do meu humor? Que pena!) — e tachados de “higienistas”. A proposta foi agora incorporada pelo tal programa do governo federal de combate ao crack e defendida com entusiasmo pelo ministro da Saúde, Alexandre Padilha, do PT. Pronto! O que antes era “higienismo de direita” passou a ser agora uma proposta ousada, corajosa, sei lá o quê? Cadê o padre vermelho? Cadê o amigo das criancinhas? Cadê as ONGs fazendo barulho? Eu me nego a ser patrulhado por esse tipo de vigarice intelectual.

    Além do ódio à contestação, há duas outras coisas que odeiam em mim. Uma delas é o fato de que não sou, de fato, um sujeito nem-nem, que pensa com escusas, pedindo licença. Não sou exatamente suave e não tentarei dizer o contrário. Mas o que realmente os deixa enfezados é o fato de quem não conseguem quebrar a lógica com a qual opero; não conseguem, em suma, é articular o contra-argumento. Então preferem sair gritando por aí: “Reinaldo me ofendeu! Reinaldo ofende as pessoas! Reinaldo só sabe xingar!”

    Uma ova! Se Reinaldo vivesse do xingamento, não haveria motivo para braveza e para rancor. Bastaria xingá-lo também. E pronto! Ao contrário: o Reinaldo que mais os ofende é justamente o Reinaldo que não ofende ninguém! Até tentam me arrastar para a baixaria, mas eu não vou. No esgoto, eles ganham! Na língua pátria, ganho eu.

    É pouco provável que os milhares de leitores deste blog venham aqui, todos os dias — inclusive os petralhas — em busca de duas ou três ofensas. Vêm em busca de argumentos. Há até quem o faça só para poder defender o contrário. Pode haver evidência maior de Reinaldo-dependência?

    E não! Eu não vou parar! Também não vou mudar! Nem vou “pegar mais leve”. É o que eu tenho a fazer de mais digno para e com os meus, bem…, muitos milhares de leitores! Podem formar correntes à vontade! Mal sabem os difamadores que, ao proceder assim, fortalecem o blog porque outros tantos vão chegando. A corrente do bem é maior.

    Podem vir quente que eu estou fervendo!

  91. elias said

    “sobre a ADVFN eu não tenho nda a comentar sobre o conteúdo, pois não conheço…”

    Depois que ele já comentou — e desqualificou — o conteúdo, é que ele diz que “SOBRE a ADVFN eu não tenho nda a comentar SOBRE o conteúdo…”.

    SOBRE esse comentário, tenho a declarar SOBRE o que quer que o distinto venha a dizer SOBRE o conteúdo do site da ADVFN, que isso certamente nada influirá SOBRE a opinião que os milhares de assinantes da ADVFN têm SOBRE ela. SOBREtudo, porque será irrelevante.

  92. elias said

    Pax,

    A lei de anistia será revista.

    Os turturadores terão que ser punidos.

    O RA vai ficar ainda mais doido do que já é…

  93. Pax said

    Me divirto com o titio.

    Cada dia fica melhor.

    O PT deveria lhe dar uma medalha. Não consigo ver nenhum jornalista mais eficiente para gerar ojeriza à oposição que este cidadão. E olha que tem, basta ver o Olavo, o Mainardi e outros parecidos.

    Este é o problema. Quem fica indignado com os problemas do PT de hoje em dia vai procurar outras soluções e se depara com estes tipos. Hoje saiu notícia que o Serra afirma que o governo está sem direção.

    Pois é, quem sabe Dilma não contrata o PSDB para dar umas consultorias sobre direção. Eles são craques. Tanto que em Minas tem as suas, bem eletrizantes e brilhantes, mas com habilitação cassada, em SP a coisa é ainda melhor, devem ter umas 3 direções, uma de linha especial de metrô para a loja da Daslu que só pode embarcar se estacionar com BMW, outra que pretende fazer pistas novas na marginal Tietê exclusivas para Mercedez, outra que vai exigir prova de inglês para as novas eleições para que todos entendam o “Yes, we care”. E todas, claro, não se encontram.

    Com uma oposição como essa o PT se sente solto e tem o descaramento de colocar o Agnelo Queiroz em sua propaganda de ontem. Um cuspe na cara de qualquer cidadão minimamente informado.

    Tem horas que desanima.

  94. elias said

    “Padre de passeata”? “Padre vermelho”?

    Sei não… As expressões são de autoria do Nelson Rodrigues, mas, este sim, escrevia bem!

    “…um desses padres de passeata que não saberia rezar um ´Pai Nosso´ — eventualmente fã do ´vinde a mim as criancinhas´”.

    Caramba! Tá chamando o padre de pedófilo e, logo em seguida, diz que não xinga ninguém.

    Imagina se xingasse…!

    Imagino o RA saudando a mãe dele, no Dia das Mães: “Feliz Dia das Mães, sua vagabunda!”

    Pros valores dele, isso deve ser uma expressão carinhosa.

    É um problema médico…

  95. elias said

    Pax,
    Pois é. O Serra diz que o governo tá sem direção.

    O Serra! Aquele bom rapaz que, no ano passado, deu aquele baile, dirigindo a própria campanha eleitoral…!

    Já pensou, o Serra dando conselhos à Dilma sobre como não deixar que a coisa fique assim, feito aquilo n´água?

    Sei não… Acho que o fracasso subiu à cabeça dele…

  96. iconoclastas said

    É altamente questionável a afirmação de que a cotação dos títulos da dívida americana não caíram como decorrência do rebaixamento de sua nota de risco, a menos de uma semana do anúncio da INTENÇÃO do rebaixamento, e sem levar em conta o imediato e subseqüente anúncio das medidas adotadas pelo presidente dos EUA.

    uma passagem só de ida abelén para quem entender o q significa isso…

    Depois que ele já comentou — e desqualificou — o conteúdo,

    aonde, quando?

    e quem disse…

    …mas a verdade é que elas irritam, e acabam dando margem pro revide.

    …?

    ;^?

    sempre disposto…

  97. Chesterton said

    O PT deveria lhe dar uma medalha. Não consigo ver nenhum jornalista mais eficiente para gerar ojeriza à oposição que este cidadão.

    chest- Pax, ele não é candidato a nada. Achei que você tivesse algum apreço por quem fala o que pensa, e não se preocupa com a opinião dos outros….

  98. iconoclastas said

    “Os turturadores terão que ser punidos.”

    sei… são portunhóis…

    ;^)))

  99. Zbigniew said

    O Serra tá nervoso com o livro do Amaury Jr. O Tio Rei tá nervoso com… bem… com tudo que diga respeito à esquerda.

    Da política de combate ao crack à Maria Rita Kehl. Desqualificar e não debater. Falar como quem tem autoridade e está acima do outro, em atenção à destruição do diferente. Aplica os princípios de Schopenhauer e está muito mais interessado em confundir do que esclarecer qualquer coisa.

    O Tio Rei é sim um grande artífice da ojeriza pela direita. Mas pra quem ele escreve, tá de bom tamanho. Do tamanho da relevância dos seus escritos.

  100. Chesterton said

    SEXTA-FEIRA, 9 DE DEZEMBRO DE 2011
    Helena Chagas virou ministra, Palocci ficou milionário e Francenildo desempregado…
    Na véspera do Dia Internacional de Combate à Corrupção o ex-caseiro que denunciou o ex-ministro Antonio Palocci fez ontem um desabafo em entrevista ao portal do Estado. Francenildo Santos Costa reclama da dificuldade que tem tido para arrumar emprego fixo nestes últimos cinco anos e meio. “Só porque falei a verdade eu vou ser prejudicado pelo resto da vida?”. Francenildo vive de bicos como jardineiro e fazendo limpezas de piscina. Aconselhado pelo advogado Wlicio Nascimento, retomou os estudos. Ele aguarda a conclusão de um processo em que pede indenização pela violação de seu sigilo bancário.

    do coronel…

    Chest- e olha que hoje é o Dia Internacional Contra A Corrupção…

  101. Pax said

    Caro Chesterton,

    Nunca disse que ele fosse candidato a qualquer cargo público. Disse, e digo, que qualquer candidato a cargo público deveria lhe dizer:

    Titio, quer me ajudar? Fique bem longe de mim, por favor.

    Claro que tenho apreço por quem fala o que pensa. Não fosse isto não estimularia – e muito – todas as vertentes de opinião que aparecem por aqui, neste mísero blog insignificante.

    Aqui é o ponto. Eu gosto do que leio de todos, sejam de situação, de oposição, do Norte, do Sul, de onde for.

    E o titio?

    Ao que me consta todos podem comentar em seu blog, desde que estes todos pensem como ele, ou, de outra forma, que não tenham qualquer simpatia por quem ele ataca. Opinião contrária nem pensar.

    Isto é lá um modo democrático de ser?

    Então, meu caro Chesterton, velho e bom Chesterton, você passa a entender porque eu não gosto nem destes caras nem dos outros similares que estão nas trincheiras opostas. Gente assim não faz minha cabeça, não. Vivi os tempos em que para me expressar tinha que correr de tiro e porrada. Não quero mais.

  102. Chesterton said

    Faça um aparte fundamentado usando de toda sua inteligência sem faltar a lógica que ele responde. Sempre vejo comentários que discordam dele serem aprovados.
    Mas tem que ter nível, não vai falar abobrinha por lá.

    Agora, se “pensar como ele” significa não sacrificar a lógica, eu acho que sim, todos deveriam preservar a lógica em seus argumentos.

    Trincheiras opostas…hum….

  103. Chesterton said

    Livro aponta corrupção e
    espionagem tucanas
    O livro A Privataria Tucana, do jornalista Amaury Ribeiro Jr., fartamente documentado, está à venda a partir desta sexta-feira em todo o País revelando fortunas tucanas em paraísos fiscais, após as privatizações do governo FHC, e a rede de espionagem montada pelo ex-governador de São Paulo José Serra contra seu adversário interno no PSDB, o também tucano Aécio Neves, que era governador de Minas Gerais.

    09/12/2011 | 00:00
    Monitoramento
    O objetivo da espionagem, que não foi alcançado, seria o de flagrar em vídeo Aécio Neves consumindo bebidas alcoólicas ou até cocaína.

    09/12/2011 | 00:00
    Acusações graves
    Amaury acusa Verônica e Alexandre Bourgeois, filha e genro de Serra, de evasão de divisas, lavagem de dinheiro e recebimento de propina.

    09/12/2011 | 00:00
    Fios desencapados
    Ricardo Sergio de Oliveira, ex-diretor do Banco do Brasil, e Gregório Marin Preciado, primo de Serra, também são denunciados no livro.

    09/12/2011 | 00:00
    Polêmica
    Repórter investigativo muito talentoso, Amaury Ribeiro foi envolvido no suposto esquema de arapongagem a serviço da campanha de Dilma.

    09/12/2011 | 00:00
    Editor revela
    que José Serra
    tentou intimidá-lo
    O editor Luiz Fernando Emediato, da Geração Editorial, sentiu-se intimidado ao ser chamado para “uma conversa” com o ex-governador José Serra, que tomou conhecimento do iminente lançamento do livro A Privataria Tucana, de Amaury Ribeiro. Emediato contou à coluna que ofereceu seu cartão de visitas ao emissário tucano, sugerindo que, se Serra quisesse falar com ele, que o procurasse na sede da editora.

    09/12/2011 | 00:00
    Cautela
    Temendo ordem judicial de apreensão do livro, a Geração fez uma operação silenciosa para distribuir 15 mil exemplares em todo o País.

    09/12/2011 | 00:00
    Compromisso
    Ao receberem o livro A Privataria Tucana, as livrarias assumiram o compromisso de que não seria exposto nas vitrines antes desta sexta.

    09/12/2011 | 00:00
    Nada a declarar
    O ex-governador José Serra informou que, por enquanto, sua decisão é não comentar as acusações contidas no livro de Amaury Ribeiro Jr.

    chest- do Claudio Humberto

  104. Pax said

    Ah, tá, entendi, caro Chesterton,tuas fontes são o Claudio Humberto, aquele ex-funcionário e porta-voz do Collor e o titio.

    Vou te fazer uma pergunta simples pacas: você conhece algum jornalista que merece algum respeito? Se sim, pergunta pra ele o que acha do CH.

    Essas tuas fontes, meu caro Chesterton…

  105. Zbigniew said

    Os “apartes fundamentados” no blog do tal do tio têm que ser fundamentados na linha dele. Senão vão pro lixo. Quer dizer, o lixo do lixo.

  106. Chesterton said

    Meu caro, quando o que importa é a notícia, dane-se o carteiro.

  107. Chesterton said

    Têm que ser fundamentados na linha dele.

    chest- tem que ser sérios, baseados em fatos, não em desejos, e com lógica cristalina. Na linha aristotélica (rs)…

  108. Edu said

    Caraca pessoal!

    É impressão minha ou o natal está animando os ânimos da galera?

  109. elias said

    SOBRE o comentário SOBRE a desqualificação da ADVFN, recomendo leitura do teu comentário # 67, quando te manifestaste SOBRE a ADVFN.

    Turturadores, mesmo! O pessoal que fez turtura…

    Tem um sinal aí que faz falta… Mas só pra alguns…

    “uma passagem só de ida abelén”

    Abelén?

    Chesterton,
    E aí, a economia americana continua “insolvente”?

    Ou já ficou “solvente” depois que o abelén fez uma citação SOBRE o que diz o Dre5%4$###zzzxx*** SOBRE os papéis da dívida americana, o que desmoraliza o conceito SOBRE as agências de risco e as avaliações destas SOBRE as economias?

    O abelén recomenda a compra maciça de papéis da dívida americana. Eles vão se valorizar pra caramba, segundo o abelén.

    Compra pra ti, Chesterton. Aliás, aproveita e compra também da Grécia, da Itália. Esses países também estão recebendo notas baixas da S & P.

    Logo, segundo o abelén e o Dre5%4$###zzzxx***, vão bamburrar…

    E os juros, Chesterton, continuam subindo, como profetizou o Adolfo?

  110. Chesterton said

    A inflação está subindo………o Brasil tem os maiores juros reais do planeta.
    Elias, não precisa ficar nervosinho.

  111. Chesterton said

    Aviso às ratazanas que saem dos esgotos e tentam mostrar aqui o focinho e o rabo
    É inútil!

    Tenho mecanismos para impedir a publicação de comentários de correntes a soldo. Supostas “denúncias” feitas por bandidos investigados pela Polícia Federal — penas de aluguel, meliantes morais, que um dia, caso se faça justiça, passarão uma temporada na cadeia — não terão curso aqui. É bobagem insistir. Não passam! Se alguma escapar, há sempre os leitores vigilantes para me alertar. Vou lá e corto.

    Estão tentando criar um novo “Dossiê Cayman”.

    “Estão” quem?

    Uma quadrilha que junta pistoleiros de aluguel e toda a escória do subjornalismo que hoje vive, direta ou indiretamente, pendurada nas tetas do governo. Afinal, há eleições no ano que vem. É preciso cercar de todo lado. Quem sabe os Pimentéis e Agnelos saiam dos jornais um pouquinho, né?

    Dilma Rousseff fez hoje o elogio da liberdade de imprensa. Faz bem. Mas há algo mais a dizer sobre o assunto. Daqui a pouco, trato do assunto.

    Voltem para o esgoto, ratazanas! Aqui não entram!

    Por Reinaldo Azevedo

  112. Pax said

    Voltem para o esgoto, ratazanas! Aqui não entram!

    Por Reinaldo Azevedo

    O processo de surto está em adiantado estado de composição. Como se o bicho fosse o centro do mundo, o guardião da demoditaduracracia que ele inventou. “Eu falo e ninguém me contesta”.

    Idi Amin Dada era parecidão, só um pouco mais gordo. Figueiredo era um pouco mais leve: “Prendo e arrebento”.

    Dá-lhe tio! Mais, mais, mais, por favor.

  113. Yellow_SUBmarine said

    É isso aí Seu Pax, “dá-lhe”.

    To pensando em ir até Salvador. Vai ser a maior que já fiz com ela. Tá bacana a bichinha, vou conservando.

    E Chest e sua velha mania de Reinaldo. Manda a letra Chest. Aqueça os dedos, que eu to ligado que tu sozinho se garante.

    People. É uma confusão enorme. Pelos comentários dá pra sacar quem é contra quem, Principalmente o duelo PaxXchesT…Mas só até aí.

    Não estou aqui constante.

    Sou um troll ambulante!

    Existem as diferenças partidárias e pra acontecer o equilíbrio, que permite o ficar de
    pé, é preciso que existam dois lados. Até ai tudo bem.

    Olhem aqui pra vocês se manifestando!!! É o reflexo perfeito de um parlamento. São cultos pakas. Argumentam bem. Mostram ter base de pesquisa e boas fontes de informação. Eu me informo por aqui. Percebo os posicionamentos. Tento aprender um pouco com a forma como se busca erguer e sustentar uma idéia. Um ponto de vista.

    Qual a diferença daqui e de lá?!

    E “se” a necessidade dessas discussões estivessem valendo os zilhôes de arrecadação anual do governo. Imaginem aqui uma enorme fatia gorda “colesterólica” de uma torta.

    Vocês se matariam.

    É o que eles estão fazendo. Porém não se matam.

    Quem morre?

    “Somos nozes”

    E olha que eu poderia incluir no debate as alianças partidárias que vão e vem, e que tiram o crédito de qualquer partido político, ou político isolado (considerando o pulador de galho em galho… vulgo vira casaca). Saquem a maior cagada da história. PT/PMDB, quem te viu quem te vê.

    Desculpem. Partido nenhum presta. É um engodo. Só tem oposição X situação nisso tudo. Quem comanda a máquina, e quem consequentemente fica chupando o dedo esperando a vez.

    Acha mesmo que eles se preocupam conosco, o tal fodido povo.

    Tudo bem. Fico na minha, e espero o dia de votar, pra tentar fazer algo, né isso?!

    Contribuir, como cidadão e tals, lá no meu lugarzinho, esperando a minha vez, que só acontece em largos espaços anuais… Eu to mesmo fodido.

    Resumindo: acho que vou engolir mais um sapo nas próximas eleições.

    Me dá aí um nome de político que nunca meteu a mão ou nuca meterá?! (pode usar sua bola de cristal)

    Vou nessa pruma festinha ali…!

    Bom Pax, abraço procê.

  114. Yellow_SUBmarine said

    Sub: sai da sala

  115. Pax said

    Caríssimo Sub

    Natal – Salvador – Natal já é uma viagem considerável. São 2.000 km ida e volta. Dá até para fazer uma perna (Natal-Salvador – 1.000 km) em um dia mas é um desgaste desnecessário. O máximo que já rodei em um dia foram 970 km. No outro dia o corpo paga o preço. Mas que dá, dá sim. Hoje acho um tamanho ideal para rodar por dia algo em torno de 600km.

    Partidos, política, alianças, povo. Bem, meu caro, eu acho que quanto mais nos afastamos da política mais ela piora. E tem piorado.

    Você pede para apontarmos “Um nome de um político que nunca meteu a mão e nunca meterá?” Até acredito que haja, sim. O problema dessa pergunta é se você colocar o ingrediente mais complicado. Ficaria assim: “Um político que nunca meteu a mão, que nunca meterá e que nunca deixará meter a mão“.

    A parte em negrito é que dói.

    Atualmente para existirem condições mínimas de assumir o poder há que se ajoelhar para uma escória política que detona qualquer imagem de partido ou político.

    Bigodão está aí para não nos deixar cair em mentira.

  116. Zbigniew said

    Outros fatores tem que ser considerados nesta equacao, Pax.
    O bigodao esta ai, o Calheiros, o Collor, entre muitos outros, assim como o ACM esteve (e so nao continua porque morreu). Mas porque esta longevidade ja que sao tao perniciosos para a politica nacional? Sera que se trata apenas de “ignorancia politica do povo”?
    Quem sustenta estes individuos no poder?
    O poder economico casou muito bem com o sistema democratico na manutencao de politicos desta jaez. E isto e um padrao mundial. Isto se chama defesa de interesses proprios. Dai o porque do “nosso homem no congresso”, ou o “nosso homem” em qualquer lugar de importancia para a defesa de tais interesses. O problema e quando estes interesses se sobrepoem ao da sociedade como um todo (e normalmente se sobrepoem). E aquela questao de corruptos e corruptores em que se insiste em colocar os holofotes apenas na primeira parte da equacao. Nao vai resolver nunca! Logico que o corrupto e uma figura execravel pela sua fraqueza e falta de compromisso com a coisa publica (pra dizer o minimo). Mas o corruptor e tao ou pior, porque ficar na penumbra, nas sombras, agindo sorrateiramente.
    E como combater essa distorcao? A reforma politica e importante, principalmente se alcancar a questao dos financiamentos de campanha e caixa 2, bem como o combate aos crimes de colarinho branco.
    O ministro Jorge Hage, da Controladoria Geral da Uniao traz algumas consideracoes importantes sobre o assunto.

    “Para Jorge Hage, ministro-chefe da Controladoria Geral da União (CGU), corrupção tem ‘causas profundas’ no financiamento de campanhas com doação empresarial e na impunidade de crime do colarinho branco. Segundo ele, impunidade diferencia Brasil do exterior e dá sensação de que aqui as coisas são piores. ‘Ninguém diz que Estados Unidos são ‘estado policialesco”, diz.” (http://www.cartamaior.com.br/templates/materiaMostrar.cfm?materia_id=19181).

    Nesse diapasao e lamentavel que sequer sejam feitas consideracoes a respeito do livro do Amaury Jr. pela imprensa, um desservico a populacao. Dai observamos que, realmente, a equacao da corrupcao passa inapelavelmente pelo papel dos meios de comunicacao.

  117. Pax said

    Caro Zbigniew,

    Acabo de fazer um post novo sobre o livro do Amaury Jr.

    Concordo com tuas colocações acima, bem como acho a visão do Jorge Hage muito certeiras.

    O problema é que:

    1 – não temos certeza absoluta se o financiamento público de campanha vai resolver a questão dos grandes doadores de campanha que se tornam receptores da coisa pública. Pode ser que minimize, pode ser até que não. Se não houver controles pode ser que a coisa ainda fique pior. Mais dinheiro público somado aos atuais corrompimentos de doações de grandes empresas.

    2 – voto distrital, distrital misto – também não temos certeza de onde pode se chegar, mas tendo a achar que deveríamos ao menos tentar.

    E aí o grande problema: esta discussão não está na pauta nacional.

  118. Chesterton said

    Muitos analistas, ingenuamente, creditam os atuais problemas europeus ao euro, à especulação, à moderna engenharia financeira e até mesmo ao famigerado neoliberalismo. Embora as evidências saltem aos olhos, costumam ignorar que, muito além de uma mera crise monetária ou de crédito, o que está em xeque é o próprio modelo de bem estar social.

    Como bem colocou em recente editorial o The Wall Street Journal, seja na Itália, na Grécia, na Espanha, em Portugal ou até na França, o welfare state atingiu o limite. Sucessivos governos no continente, tanto à direita quanto à esquerda, têm financiado “direitos” generosos com altos impostos e pilhas enormes de dívidas. Suas economias, porém, não conseguem crescer rápido o suficiente para manter a farra – como prevê a boa teoria econômica. O acerto de contas chegou.

    O visionário Aléxis de Tocqueville foi talvez quem melhor definiu o que viria a ser, mais tarde, a “social-democracia”, ainda que não tenha vivido para testemunhá-la. Na obra A democracia na América, ao imaginar sob que possíveis novas características poderia reaparecer no mundo a tirania que tanto desprezava, ele anteviu uma espécie de “escravidão disciplinada, moderada e serena”, a qual, sob a égide da igualdade, seria aceita e até desejada.

    Segundo Tocqueville, os futuros governantes, movidos pela compaixão para com seu povo, tratariam de “prover sua segurança, antecipar e satisfazer suas necessidades, dar gosto a seus prazeres, resolver suas principais inquietudes, dirigir seu trabalho “. O tirano moderno, diz o mestre, controla toda a vida social por meio de uma rede de normas secundárias e complexas. ” Não anula a vontade das pessoas, mas a refreia, a inclina e a dirige; raramente ordena atuar, mas frequentemente inibe as iniciativas; não destrói nada, mas impede que se criem muitas coisas; não é em absoluto despótico, mas obstrui, reprime, debilita, sufoca e embrutece, a ponto de transformar os povos num mero rebanho de animais medrosos…”.

    Malgrado sua concepção eminentemente coletivista e inibidora da liberdade, a experiência social-democrata que floresceu na Europa Ocidental após a Segunda Guerra manteve o modelo econômico capitalista, pelo menos no sentido de que a propriedade privada dos meios de produção era permitida, ainda que altamente concentrada nas mãos de uns poucos.

    O arquétipo do “capitalismo selvagem” foi substituído por um sistema híbrido, que combina grandes conglomerados industriais e financeiros, frequentemente patrocinados e tutelados pelo Estado, uma agricultura altamente subsidiada, além de empresas miúdas – quase sempre comerciais ou de prestação de serviços. Fora isso, a hipertrofia dos governos formou um enorme contingente de funcionários públicos, que em alguns países chegou perto de 50% da população economicamente ativa.

    O advento da social-democracia europeia ocorreu em meio à Guerra Fria, em um período marcado pela limitação à livre movimentação de pessoas, de capitais e de produtos, quase sempre mediante rígidos controles burocráticos e a imposição de barreiras tarifárias.

    Com a queda do Muro de Berlim e, em especial, a aceleração do processo de globalização – consequência direta da profusão de novas tecnologias, que permitiram a movimentação muito mais dinâmica da informação, dos capitais, dos produtos e do próprio trabalho – as sociedades europeias se viram, da noite para o dia, numa sinuca de bico, obrigadas a uma reavaliação profunda do modelo, algo até então impensável.

    Essa mudança traumática de rumo, notadamente para aqueles que se acostumaram a ter e almejar privilégios “sociais” abundantes à custa do trabalho alheio, ocorre muito mais por falta de opção do que por escolha. E não é para menos: enquanto a taxa de natalidade não para de cair e os velhos vivem cada vez mais, crescem os gastos com saúde e aposentadorias. Por outro lado, a relação entre trabalhadores ativos e inativos diminui rapidamente, tudo em meio ao baixo crescimento, que já dura décadas.

    Margareth Thatcher foi uma das primeiras a entender que as políticas da social-democracia precisavam ser revistas . Ela compreendia a natureza da armadilha econômica em seus dois aspectos principais. Em primeiro lugar, não é possível manter um mercado de trabalho baseado na estabilidade do emprego, especialmente em vista da evolução tecnológica, que cria e destrói ofícios e profissões numa velocidade tremenda. Em segundo lugar, as instituições de proteção social, concebidas fundamentalmente para compensar o fracasso individual, fomentam a ineficiência, num mundo cada vez mais competitivo.

    Thatcher concluiu, há 30 anos, que as premissas do “marco social” – que imperou a partir da 2ª Guerra – haviam sido derrubadas e, a menos que a social-democracia se transformasse profundamente, seria varrida pelo furacão da globalização. As reformas liberalizantes que seu governo produziu, no entanto, se deram algum fôlego à economia britânica, por algum tempo, já foram completamente revertidas pelos governos esquerdistas que a sucederam – preocupados, como sempre, não com os baixos índices de crescimento e produtividade, mas com a demagogia do “bem comum”.

    Evidentemente, a derrocada do welfare state não se dá de forma uniforme. Dependendo da cultura, é mais lenta ou mais rápida. O modelo é mais resistente, por exemplo, nos países nórdicos e anglo-saxões, de ética protestante e valorização do trabalho, do que nos países mediterrâneos, mais afeitos ao patrimonialismo e à cultura de privilégios. Mas não se iludam: mesmo na forte Alemanha, mais dia, menos dia, mudanças de rumo terão de ser feitas, nos moldes das feitas pela Dama de Ferro inglesa.

    Publicado pelo Diário do Comércio em 30/11/2011

  119. elias said

    “Aviso às ratazanas que saem dos esgotos e tentam mostrar aqui o focinho e o rabo.”

    “meliantes morais,”

    “Uma quadrilha que junta pistoleiros de aluguel e toda a escória do subjornalismo que hoje vive, direta ou indiretamente, pendurada nas tetas do governo.”

    “Voltem para o esgoto, ratazanas! Aqui não entram!”

    “padre vermelho”, “padre de passeata”, “padre do tipo ´vinde a mim as criancinhas`”

    É como ele sempre diz: “MAMÃE, SUA F.D.P.! EU NÃO GOSTO DE OFENDER NINGUÉM, VIU PORRA?”

    “Tenho mecanismos para impedir a publicação de comentários de correntes a soldo.”

    Aprenda, Pax. Não é que ele tenha medo de que apareçam opiniões contrárias no blog dele. Medo? Ho, hoho! Nada disso!

    Ele consegue perfeitamente conviver com opiniões contrárias, viu Pax? Mais que você! Desde que não seja no blog dele, entendeu, Pax? É que o blog é propriedade dele, e…

    Mas ele é um democrata, viu Pax? Tá certo que ele prefere uma democracia como aquela que foi inmplantada em 1964… Melhor: aquela de 1968!

    Foi uma democracia que, em boa hora, evitou a ditadura do João Goulart e do Juscelino (que já estava se preparando pra voltar…). Aquele tiranos autoritários…! Bem que patriotas como o Lacerda, o Haroldo Veloso e o Burnier tentaram impedir a ditadura em 1955, 1956 e 1959. Infelizmente não foi possível. Mas 1964 corrigiu tudo: a ditadura foi derrubada e, finalmente, o Brasil passou a ter uma democracia, que ficou ainda melhor com o aperfeiçoamento democrático de 1968, mais conhecido como AI-5, baixado numa sexta feira, 13…

    Pax, lamento dizer: você não entende nada de democracia.

    “penas de aluguel,”

    É que a pena do RA é gratuita viu, Pax? Ele não ganha nada fazendo o que faz. Vive de doações democráticas do… da… Ah, daixa pra lá…!

  120. elias said

    “A inflação está subindo………o Brasil tem os maiores juros reais do planeta.”
    “Elias, não precisa ficar nervosinho.” (Chesterton)

    Não estou nervoso. Apenas um pouco preocupado com o estado de confusão mental em que te encontras.

    Na semana passada, dizias que a economia dos EUA estava “insolvente”. Nesta semana, já estás concordando com quem diz que os títulos da dívida americana NÃO estão se desvalorizando.

    Aí, imaginei: os longos períodos de exposição do Chesterton aos textos do RA, podem estar fazendo mal ao nosso comentarista. O cérebro dele pode estar se transformando em isopor…

    Agora já estou mais tranquilo. Já vi que é só a falta de rumo da oposição brasileira, que a leva a ficar assim, sem dizer coisa com coisa…

    De qualquer modo, estimo tuas melhoras, Chesterton.

    Um abraço.

Faça seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: