políticAética

Notícias da Corrupção, Desvios, Anomalias, Eleições e Meio Ambiente

  • Sobre o blog

    Uma coletânea das notícias da corrupção, desvios, anomalias, eleições e meio ambiente que aparecem na mídia todos os dias a partir de agosto de 2008.
  • Categorias

  • Arquivos

  • Páginas

  • Meta

O estrago de Demóstenes

Posted by Pax em 03/04/2012

Capturei a foto abaixo no Facebook. Um conhecido teve a perspicácia de expor o estrago que Demóstenes causa não só ao Senado como a todo o Congresso Nacional.

Ainda pior, a toda luta que a sociedade trava contra esta chaga brasileira, a corrupção.

As ligações de Demóstenes com o mafioso da jogatina, Carlinhos Cachoeira, segundo farto noticiário, deixaram a situação, a base aliada, com farta munição, e o tiroteio está à além de qualquer lógica, de qualquer racionalidade.

As alianças do governo, somadas aos vários escândalos de quadros importantes do próprio PT, indicariam um pouco de cautela e menos sapato alto neste gramado escorregadio.

Como diz o dito popular: cipó vai, mas volta.

Vale observar nesta foto (cujo autor infelizmente desconheço e peço perdão antecipado pelo uso indevido, mesmo pela causa nobre) a figura de Duarte Nogueira, ex líder do PSDB na Câmara, que também sumiu dos holofotes após noticiário de mau uso de funcionários pagos pelo Congresso (ver post abaixo: Até tu, Duarte Nogueira?)

A bandeira anticorrupção merece nomes melhores que a empunhem.

Enviado via iPhone

Anúncios

248 Respostas to “O estrago de Demóstenes”

  1. Otto said

    Umas das mais lúcidas análises do caso Demóstenes, o Tartufo da república.

    Da Carta Maior

    O caso Demóstenes Torres e as raposas no galinheiro
    O rumoroso caso Demóstenes Torres é uma chance única de reavaliar o que foi a política brasileira na última década, e de como ela – venal, hipócrita e manipuladora – foi viabilizada por um estilo de cobertura política irresponsável, manipuladora e, em alguns casos, venal. E hipócrita também.

    Maria Inês Nassif

    O rumoroso caso Demóstenes Torres (DEM-GO) não é apenas mais um caso de corrupção denunciado pelo Ministério Público. É uma chance única de reavaliar o que foi a política brasileira na última década, e de como ela – venal, hipócrita e manipuladora – foi viabilizada por um estilo de cobertura política irresponsável, manipuladora e, em alguns casos, venal. E hipócrita também.

    p class=”texto”>Teoricamente, todos os jornais e jornalistas sabiam quem foram os arautos da moralidade por eles eleitos nos últimos anos: representantes da política tradicional, que fizeram suas carreiras políticas à base de dominação da política local, que ocuparam cargos de governos passados sem nenhuma honra, que construíram seus impérios políticos e suas riquezas pessoais com favores de Estado, que estabeleceram relações profícuas e férteis com setores do empresariado com interesses diretos em assuntos de governo.
    Foram políticos com esse perfil os escolhidos pelos meios de comunicação para vigiar a lisura de governos. Botaram raposas no galinheiro.

    Nesse período, algumas denúncias eram verdadeiras, outras, não. Mas os mecanismos de produção de sensos comuns foram acionados independentemente da realidade dos fatos. Demóstenes Torres, o amigo íntimo do bicheiro, tornou-se autoridade máxima em assuntos éticos. Produziu os escândalos que quis, divulgou-os com estardalhaço. Sem ir muito longe, basta lembrar a “denúncia” de grampo supostamente feita pelo Poder Executivo no gabinete do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Gilmar Mendes, então presidente da mais alta Corte do país. Era inverossímil: jamais alguém ouviu a escuta supostamente feita de uma conversa telefônica entre Demóstenes, o amigo do bicheiro, e Mendes, o amigo de Demóstenes.

    Os meios de comunicação receberam a suposta transcrição de um grampo, onde Demóstenes elogia o amigo Mendes, e Mendes elogia o amigo Demóstenes, e ambos se auto-elegem os guardiões da moralidade contra um governo ditatorial e corrupto. Contando a história depois de tanto tempo, e depois de tantos escândalos Demóstenes correndo por baixo da ponte, parece piada. Mas os meios de comunicação engoliram a estória sem precisar de água. O show midiático produzido em torno do episódio transformou uma ridícula encenação em verdade.

    A estratégia do show midiático é conhecida desde os primórdios da imprensa. Joga-se uma notícia de forma sensacionalista (já dizia isso Antonio Gramsci, no início do século passado, atribuindo essa prática a uma “ imprensa marrom”), que é alimentada durante o período seguinte com novos pequenos fatos que não dizem nada, mas tornam-se um show à parte; são escolhidos personagens e conferido a ele credibilidade de oráculos, e cada frase de um deles é apresentada como prova da venalidade alheia. No final de uma explosão de pânico como essa, o consumo de uma tapioca torna-se crime contra o Estado, e é colocado no mesmo nível do que uma licitação fraudulenta. A mentira torna-se verdade pela repetição. E a verdade é o segredo que Demóstenes – aquele que decide, com seus amigos, quem vai ser o alvo da vez – não revela.

    Convenha-se que, nos últimos anos, no mínimo ficou confusa a medida de gravidade dos fatos; no outro limite, tornou-se duvidosa a veracidade das denúncias. A participação da mídia na construção e destruição de reputações foi imensa. Demóstenes não seria Demóstenes se não tivesse tanto espaço para divulgação de suas armações. Os jornais, tevês e revistas não teriam construído um Demóstenes se não tivessem caído em todas as armadilhas construídas por ele para destruir inimigos, favorecer amigos ou chantagear governos. Os interesses econômicos e ideológicos da mídia construíram relações de cumplicidade onde a última coisa que contou foi a verdade.

    Ao final dos fatos, constata-se que, ao longo de um mandato de oito anos, mais um ano do segundo mandato, uma sólida relação entre Demóstenes e a mídia que, com ou sem consciência dos profissionais de imprensa, conseguiu curvar um país inteiro aos interesses de uma quadrilha sediada em Goiás.

    Interesses da máfia dos jogos transitaram por esse esquema de poder. E os interesses abarcavam os mais variados negócios que se possa fazer com governos, parlamentos e Justiça: aprovação de leis, regras de licitação, empregos públicos, acompanhamento de ações no Judiciário. Por conta de um interesse político da grande mídia, o Brasil tornou-se refém de Demóstenes, do bicheiro e dos amigos de ambos no poder.

    Não foi a mídia que desmascarou Demóstenes: a investigação sobre ele acontece há um bom tempo no âmbito da Polícia Federal e do Ministério Público Federal. Nesse meio tempo, os meios de comunicação foram reféns de um desconhecido personagem de Goiás, que se tornou em pouco tempo o porta-voz da moralidade. A criatura depõe contra seus criadores.

  2. Patriarca da Paciência said

    Chega a ser apavorante o que aconteceu no Brasil.

    Como disse antes, o tal Carlinhos Cachoeira transformnou o famoso Al Capone num aprendiz de meia tijela.

  3. Anrafel said

    E numa CPI da Corrupção no Congresso brasileiro, vai e deve voltar tinindo. Daí que ninguém vai se atrever a levar essa bandeira tão longe. O negócio é ficar tergiversando, jogando para as câmeras e deixar a coisa esfriar até que apareça outro ‘evento’. Os poderes Executivo, Legislativo e Judiciário e a imprensa agradecem.

  4. Pax said

    No domingo mantive um diálogo via twitter com a cantora Maria Rita, uma simpatia à além de sua competência.

    Puxou a mãe não só no dom artístico como no inconformismo. É uma Pimentinha 2. E segue este blog, o que nos orgulha.

    Segundo ela tá na hora do povo ir às ruas.

    Eu concordo.

    Tá mais que na hora desses canalhas tomarem umas boas “porradas”.

    Suponha um fdp que mete a mão no dinheiro da merenda escolar, nos remédios dos hospitais públicos etc. O que um cara desses merece?

    Essa corja não teme nossa (in)Justiça. Quando a barra aperta chamam aquele advogado de BSB, o tal de Kakai, que livra a cara de todos. Este advogado, por si só, já condena. Só pega caso de corrupto brabo que não tem mais pra onde correr.

    Mas o povão com porrete na mão, confesso, gostaria de ver na saída do Congresso, sim.

    Ok, tô incomodado demais. Minha paciência já foi pras cucuias.

    Enviado via iPhone

  5. Pax said

    Vale a leitura…

    Este jornalista é dos bons, segundo o mínimo que entendo e me sinto no direito de emitir opinião. Quem dera um titio histérico voltasse ao banco escolar e tivesse um Fernando Rodrigues como mestre.

    http://fernandorodrigues.blogosfera.uol.com.br/2012/04/03/suplentes-de-demostenes-42-vezes-mais-ricos/

  6. Patriarca da Paciência said

    Pax,

    certa vez um estagiário me falou, “olha, eu tenho muito inveja da geração de vocês. Vocês queriam mudar o mundo, tinham altos ideiais, hoje nós só pensamos em sacanagens”.

    Eu não concordei muito com ele e disse que hoje em dia eles estão, em tudo, muito mais preparados que nós.

    Como diz o Elias, nossa geração já está próxima da terceira idade, então o negócio é ficar só no aconselhamento mesmo.

    Mas faço votos que essa nova geração tome iniciativas.

    Acredito mesmo que eles estão bem melhor preparados que nós e… em tudo.

    Não são radicais, já perderam muito da nossa ingenuidade, tem um bem melhor nível mental e intelectual.

    Vão lá “filhos da nossa pátria”, concluam o que iniciamos.

  7. Walter said

    Como assim, “Até tu Duarte Nogueira”?
    Vamos deixar de hipocrisia, né?
    O que esse simpático grupo que aparece na foto desejava era criar uma cortina de fumaça que encobrisse o mar de lama em que está metida a elite política brasileira desde sempre. Gostaria de lembrar, de passagem, que o falecido Antonio Carlos Magalhães, José Roberto Arruda, Agripino Maia, Marconi Perilo e José Serra são personagens sobre as quais pesam denúncias graves de corrupção, mau uso de dinheiro público, uso de cargos públicos para benefício de parentes ou apaniguados, etc etc.
    Grato pela atenção.

  8. Pax said

    Caro Patriarca,

    Também acho que as novas gerações são melhores que as anteriores. Como regra geral. Basta ver as sociedades medievais, as anteriores e as atuais.

    Mas cá, no nosso Brasil, estamos devendo um bocado para o tema Educação. Não basta sermos a 5a economia do mundo, precisamos de uma sociedade mais preparada.

    Às vezes vejo nossa tendência de achar que temos culpa pelos políticos que elegemos. Às vezes fico pensando que se tivéssemos uma decisão geral, do país, em apostar tudo em Educação, quanto mais rápido não evoluiríamos.

    Talvez esta decisão não precise esperar as urnas, a limpeza que mais cedo ou mais tarde acontecerá na política. Como o Ficha Limpa, foi um movimento da classe média, um movimento de gente que já teve mais sorte na vida, que já tem uma vantagem à acima da média nacionail. Sei lá… pensamentos.

  9. Pax said

    Caro Walter,

    Bem-vindo ao blog.

    Não sei se você entendeu bem a ironia e o título do post que está aqui, neste link https://politicaetica.com/2011/12/22/ate-tu-duarte-nogueira/

    Cá este blog tem por obrigação, desde seu início, de apontar notícias de corrupção, desvios e anomalias de quem quer que seja. E pede aos leitores que critiquem à vontade caso este rumo seja desviado.

    Duarte Nogueira era o líder do PSDB na Câmara, fazia uma pose danada de bom moço etc. Até que pegaram o bichão usando funcionário da Câmara como motorista de seus filhotes mimados. Simplesmente sumiu dos holofotes.

    Demóstenes Torres era um que berrava a corrupção dos outros. Pois bem, agora estamos vendo o estrago que causou em todos que o cercavam.

    De novo, bem-vindo. Sinta-se em casa.

  10. Pax said

    De novo, uma boa análise de Fernando Rodrigues. O truque de Demóstenes ao abandonar o DEM.

    É que quer voltar, e logo.

    http://fernandorodrigues.blogosfera.uol.com.br/2012/04/03/so-infiel-demostenes-pode-voltar-em-2014/

  11. catatau said

    “o tiroteio está à além de qualquer lógica, de qualquer racionalidade”

    Isso é muito interessante: será que não haveria uma racionalidade desse “tiroteio”? Por exemplo, enxergamos irracionalidade pq vemos a corrupção como uma espécie de “corpo estranho” dentro do que seriam as relações saudáveis e institucionais do país.

    Mas e se… a corrupção não fosse um corpo estranho, mas – como a história o mostra – parte constitutiva dessas instituições mesmas, a despeito do projeto das instituições serem “isentas” de corrupção? Um pouco como os intérpretes do Brasil falarem que o público sempre teve um pouco de privado, a rua sempre um pouco de casa…

    Não seria importante encarar a corrupção como algo já imerso na maquinaria do país, alheia às instituições (que são mais recentes, não mais escravocratas etc.), mas constitutivamente relacionada com elas? Talvez aí poderíamos encontrar uma racionalidade, pois tantos casos repetidos só podem indicar alguma, mesmo que à primeira vista “absurda”.

    Abração,

  12. Pax said

    Caríssimo Catatau,

    Cara, você sempre provoca pensar.

    Já estava entrando em eventuais análises sociológicas, filosóficas etc, dentro da minha enorme limitação, quando lembrei de uns exemplos bastante simplórios que simplificam muito este pensamento.

    Se olharmos os países nórdicos, sociais democracias que gostamos de citar como exemplos, onde os níveis de corrupção são baixíssimos. Então, como dizem os paulistas, em meados do século passado, por volta de 1950, 1960, segundo poucas informações que tenho, estes países eram atacados pela mesma chaga que nos atinge.

    Eram países super corruptos, a classe política era um lixo como é a nossa.

    O que aconteceu?

    Investiram todas as fichas em Educação.

    Mudou completamente o jogo. Em duas, três gerações, a coisa saiu do vinagre para o vinho.

    Simples assim.

    Vale desconfiar desse meu relato, eu mesmo não lembro de onde tirei esta informação, mas não costumo ser muito inventivo, ainda mais por aqui.

    Abração

  13. Zbigniew said

    Os “atos falhos” muitas vezes revelam aquilo que, infelizmente, ou nao conseguimos, ou nao queremos evitar.

  14. catatau said

    Olá Pax!

    Sim, você tem toda razão, educação seria uma boa chave…

    Mas o tipo de pergunta que coloquei não é propriamente filosófico ou sociológico no sentido de uma “análise” sobre o acontecimento, mas sim é algo que sempre me pergunto sobre nossa própria postura – todos nós – diante disso tudo. Encaramos como irracionais casos demais para que não nos movamos para combatê-los em sua maquinaria, e é muito curioso por exemplo nossos próprios jornalistas serem tão preguiçosos em apurar essas maquinarias (será preguiça mesmo?).

    Por exemplo, o título do teu post, “o estrago de Demóstenes”: é certo que ele fez o maior estrago para os que simpatizavam com ele, ou que pelo menos acreditavam em um contraponto de qualquer espécie.

    Mas mudando um pouco o ponto de vista, saindo do nível do desapontamento psicológico para com o “estrago”, será que ocorreu mesmo um estrago, algo que estava realmente bom e então “estragou”? O estrago já não era prévio ao desapontamento? E isso não significa dizer que deveríamos todos ficar desapontados, indignados e afins, mas sim que nossa confiança ou desapontamento psicológicos não evitaram ou preveniram qualquer estrago, e sim contribuiram para manter Demóstenes acima de qualquer suspeita. O Tio Rei por exemplo (que não sei se é burro, inocente ou o que), todo crente num Demóstenes que o citava de um lado e falava com o Cachoeira do outro.

    Daí a necessidade de perguntar em cada caso, por exemplo nesse, como é que o “estrago” veio à tona, quando antes ele estava velado. Ora, algo ocorreu para que ele viesse à tona, e não parece ter sido simplesmente a “descoberta” de ávidos e pudicos investigadores juntados com uma imprensa livre de qualquer suspeita. Enquanto não conseguirmos dar conta dessa maquinaria que deixa ou não os estragos aparecerem, para então serem “investigados” pela rede mesma que os deixou aparecer, não passamos muito mais de moscas ao redor de alguma lâmpada, seres esperando cada nova notícia e tendo, com todas elas, desapontamentos ou não.

    Enfim, é uma pergunta que me coloco sempre em relação a nossa postura e, por extensão, a da imprensa…

    Abraço!

  15. Pax said

    Caro Catatau,

    Uma das coisas mais exigentes em um blog é colocar o bendito título do post.

    Quando disse estrago me referia a duas coisas:

    1 – estamos sem oposição. E não vejo esta situação com bons olhos, não. Muito ao contrário. Demóstenes, Artur Virgílio e outros eram vozes que faziam contrapontos ao governo. Independente de agora sabermos pelo noticiário que o figura era “funcionário” de mafioso. Quando a casa dele cai, a oposição fica ainda mais fraca. E aí? Aí quem é governo acha que o modelo está certo, afinal não há qualquer ameaça. Neste bojo vem Sarney, Renan, Jucá, Collor etc. Neste bojo, também, aparecem umas Land Rovers em garagens de dirigentes (ex) do PT etc.

    2 – outro estrago é em cima da própria bandeira anticorrupção. Acabamos, nós, a sociedade civil, de empurrar goela abaixo, a Ficha Limpa. É uma reação nossa, de mais ninguém. De gente que teve o privilégio de ter um mínimo de educação e não compõe algum curral eleitoral. A cada vez que penso no assunto, mais fico incomodado com a afirmação que a culpa é da sociedade que vota nestes canalhas. Ora bolas, mas os próprios canalhas sustentam o modelo que lhes permite gerir os tais currais. Isso é lá culpa da sociedade? O brasileiro é, a priori, venal, canalha, corrupto? Creio que não.

    Abraço e obrigado pelo debate.

    Enviado via iPhone

  16. Elias said

    Pax,

    O Demóstenes é que está estragado. Temporariamente…

    Mas, ele terá trazido estragos ao seu entorno? Ao Cachoeira, provavelmente, um pouco, por algum tempo. As pessoas vão se afastar publicamente do Cachoeira, como de um cão leproso. Por algum tempo… Por ora, ninguém tá a fim de receber respingos dessa Cachoeira contaminada.

    Na próxima semana, o escândalo de agora já começará a ser esquecido, e tudo continuará como dantes…

    Reinaldo Azevedo, por exemplo, fingirá que nunca botou azeitona na empada do Demóstenes, que a Veja não tem porróidas a ver com isso, etc., e continuará posando de arauto da moralidade, esculhambando com a corrupção alheia.

    Aquele jornalista passará um tempo quieto (macaco que muito pula, quer chumbo…). Talvez seja posto no freezer… Por algum tempo. Mas, se a revista tiver algum interesse nele, logo arranjará um prêmio por uma reportagem sensacional que, no frigir dos ovos, poderá até nem ter sido escrita por ele. E, aí, sempre que alguém lhe fizer alguma crítica, ele logo argüirá com o tal prêmio, etc, etc, etc (a gente já viu filmes assim um porradal de vezes, né?).

    E, logo, a oposição arranjará outro sacana, cuja bicheira ainda não tenha sido exposta, pra fazer as mesmas remelências que o Demóstenes fazia.

    A “bandeira anticorrupção” da qual tu falas, ainda não entrou pra agenda do brasileiro. Ela está no noticiário muito mais como ferramenta pra luta política, mas não como um projeto consistente de aperfeiçoamento das instituições. Ou seja, está nas ruas muito mais como um exercício de hipocrisia.

    Quando a “bandeira anticorrupção” realmente entrar para a agenda do brasileiro, ele será mais seletivo na hora do voto. Deixará de eleger tantos vigaristas — de direita, de centro e de esquerda — como tem feito.

    E não acho que seja uma boa argüir com a educação como uma panacéia pra esse mal. Educação formal e educação política não andam necessariamente juntas.

    Dia desses tu mesmo lembraste Israel. Lá o analfabetismo é praticamente nulo (quase toda a população maior de 18 anos tem o equivalente ao Ensino Médio); a miséria está praticamente erradicada; a ocorrência de assaltos nas ruas é risível, se comparada a qualquer grande cidade brasileira… No entanto, a corrupção na administração pública é imensa… Às vezes, penso que a politicalha israelense consegue ser mais corrupta que a brasileira… Uma disputa política em Israel mataria de vergonha os antigos chefões da Máfia… E não é de hoje que é assim. O grande Ben Gurion nunca recuou em forjar dossiês com falsas provas contra seu opositores, inclusive dentro do Partido Trabalhista.

    A luta contra a corrupção vai muito além da luta contra a ignorância. A luta contra a corrupção tem a ver com os valores que cada sociedade cultiva. Tem a ver, p.ex., com a posição que o trabalho ocupa nessa sociedade, e um monte de outras coisas mais (parece que não, mas o fato do Brasil ter sido um país escravagista, e durante tanto tempo, tem muito a ver com a corrupção e com a desonestidade nacionais).

    O próprio fato da gente tratar a corrupção como uma coisa simples, sensível a remédios que podem ser ministrados de modo objetivo, por meio de leis e regulamentos, por exemplo, já é parte da hipocrisia. Sabemos que isso não vai mudar nada, fundamentalmente, mas agimos como se acreditássemos que, sim, estamos no rumo das melhorias…

    A maior parte dos brasileiros pode não ser venal, canalha, etc. Mas o fato é que essa maior parte não tem muito contra o sujeito ser venal, canalha, etc. Se o cara “der certo” (ou seja, ficar rico, se tornar poderoso, etc), tudo bem. Não pode é ser apanhado com a mão na massa. Se for apanhado, tem uma grande chance de ir pro tronco, embora não necessariamente. A sociedade brasileira é tolerante com o canalha que “deu certo”.

    O “ficha limpa” teve o apoio de um porrilhão de gente boa, sim. Mas — sejamos francos –, esse porrilhão de gente boa é uma minoria mais barulhenta, dentro da sociedade brasileira. A maior parte da sociedade brasileira andou e andou, e continua andando e andando, pro “ficha limpa”.

    Por isto é que o “ficha limpa” se tornou uma questão técnica, cheia de minudências e maneirismos jurídicos. O político safado sabe que, se ele driblar tecnicamente o “ficha limpa”, nada terá a temer nas urnas.

    Lá, na hora do voto, ele poderá contar com o hímen complacente que garante seguidos orgasmos para um monte de salafrários brasileiros.

  17. Anrafel said

    A corrupção não é uma anomalia, um elemento estranho no organismo político brasileiro. Ela é parte e, às vezes, até ajuda o metabolismo a funcionar.

    Ponto.

    É a partir daí que qualquer luta, campanha, argumentação devem ser encaminhadas,

    Quando, de quando em quando, a imprensa ou a polícia descobre um esquema graúdo e esmera-se em denunciar ou punir, a coisa, deliberadamente ou não, transparece como algo alheio ao processo, ou mesmo escandaloso, e a justiça deve fazer valer a sua mão pesada, preservando assim a lisura do restante dos membros e da instituição, talvez assim fazendo com que o que resta de confiança degringole de vez.

    Quem foi que disse que a hipocrisia é um tributo que o pecado presta à virtude?

    (Aqui na Bahia, a Polícia Federal descobriu e melou um esquema de desvio de recursos patrocinado por um deputado estadual quase sósia de Tiririca chamado Roberto Carlos-PDT. Atenção, o nome da operação é Operação Detalhes.

    Os assessores, em número de oito, não levavam quase nada dos bons salários que deviam perceber. O grosso da grana ia todo para o nobre parlamentar, sua mulher e o filho. Os colegas da Assembléia Legislativa estão indignados com o cabra e o acinte à sociedade.

    Como diz um blogueiro daqui, é graça uma porra dessas?!)

  18. Patriarca da Paciência said

    É algo que tem muita importância nessa história toda e que está sendo esquecido:

    O desmonte da operação Operação Satiagraha:

    http://esquerdopata.blogspot.com.br/2012/04/bob-fernandes-comenta-o-caso-demostenes.html

  19. Patriarca da Paciência said

    Um bandido conseguir manipular decisões da mais alta corte de um país é algo realmente estarrecedor!

    Algo que, tristemente, entrará para a História do Brasil.

  20. Patriarca da Paciência said

    Acho que o Dr. Gilmar Mendes se encontra num terrível dilema:

    Ou foi conivente ou foi ingênuo!

  21. Zbigniew said

    O Brasil precisa de uma cartase.

    Seria de um simbolismo efetivo que, comprovadas as denuncias, um Senador e um Ministro da mais alta corte do pais fossem algemados, presos e processados. O efeito pedagogico seria redentor e teríamos ultrapassado a “barreira psicológica” que alimenta a impunidade e mantém intacto a corrupção endêmica no Brasil? Será que estamos preparados?

  22. mona said

    Zig,
    Ia ser lindo, mesmo, assistirmos um BBB, direto de um presídio onde em uma das celas, tripla, estivessem Demóstenes, Zè Dirceu e Gilmar Dantas, cada um representando um dos poderes da República… E que República, hein?
    Beijo em todos e feliz páscoa.

  23. Pax said

    Que papo é esse envolvendo o GM?

    Insisto no ponto da Educação como base para uma sociedade menos corrupta. Não são os maus exemplos de Israel e EUA que desmontam minha tese. Os bons exemplos nórdicos é que são a base empírica do alvo onde miro.

    Eram, segundo me consta, países atrasados e corruptos. Dois movimentos aconteceram. Focaram em educação e decidiram não dar guarida a corrupto, nem mamata a políticos.

    Segundo uma série de reportagens exibidas a menos de um ano pela tv, não existem mordomias por lá. As pessoas se dedicam à política por paixão. Se não me engano uma deputada ou similar foi defenestrada por comprar chocolates com dinheiro público.

    Minha paciência anda curta, mas o otimismo não. Posso dar como exemplo a questão do Meio Ambiente. Quando me interessei por isto, mais de 30 anos atrás, não era pauta em lugar algum, praticamente. Estava na UERJ e participei de alguns estudos sobre a poluição do rio Paraíba. E os impactos sociais decorrentes.

    Bem, hoje, trinta e poucos anos depois, vejo o Meio Ambiente na pauta geral. Há gerações que apareceram vendo programas e mais programas de tv sobre este assunto. A consciência da sociedade brasileira, ainda com muito a ser trabalhada, é muito maior e melhor que naqueles tempos.

    De grão em grão a galinha enche o papo, afinal.

    Com a chaga da corrupção a tendência é seguir o mesmo caminho.

    Portanto insisto no meu ponto: Educação!

    É o único e absoluto caminho? Não.

    Mas é condição “sine qua non”.

    Enviado via iPhone

  24. Patriarca da Paciência said

    “Que papo é esse envolvendo o GM? ”

    Pax,

    você já viu o vídeo do comentário 18?

  25. Zbigniew said

    Mas o GM, o Demóstenes Torres, o Daniel Dantas e toda essa rataiada que se alimenta nas tetas do governo em esquemas espúrios não são educados?!

    Acredito que a noção de cidadania em conjunto com a educação formal – por evidente – e um sistema de fiscalização e punicação efetivos, além de uma imprensa séria e desinteressada (nos esquemas – vide o caso da Veja e o pool midiático em torno do sistema político), farão com que o país diminua os estratosféricos índices de corrupção que nos assola desde priscas eras.

    Um bom exemplo de educação para a cidadania é o programa Eleitor do Futuro da Justiça Eleitoral que procura, através de aulas nas escolas públicas e privadas, dar uma noção do valor do voto consciente e da vigilância sobre os políticos.

  26. Zbigniew said

    Mona,

    precisamos quebrar paradigmas e mostrar que podemos, sim, sancionar até os mais graúdos. Esta sim uma boa aula de como não se deve agir sob pena de ir para trás das grades.

    Uma boa páscoa pra vc também e para todos.

  27. Edu said

    O Brasil não pune a mentira. Aliás, pelo contrário, declarar-se inocente é sempre a primeira coisa a ser feita diante de qualquer acusação. Daí a instituição da covardia e falta de caráter do brasileiro médio em admitir o erro.

  28. Elias said

    Pax,

    Dá uma zoiada na Bolívia.

    É um país problemático, institucionalmente instável, pobre, com partidos fracos e ideologicamente indefinidos, militarmente frágil — um monte de gente tirou casquinha com a Bolívia e se deu bem: o Chile tomou Atacama na marra; o Paraguai ficou com um naco do Chaco; o Brasil garfou o Acre (mas, pelo menos, ensaiou indenizar, né?), e assim por diante.

    E educação, decididamente, não é o ponto forte da Bolívia.

    No entanto, a Bolívia tem menos corrupção que o Brasil. Nem dá pra comparar…!

    Qual a diferença? É que, na Bolívia, os partidos são fracos, mas a sociedade civil é forte e atuante.

    Há uma instituição estrangeira que mede o “índice de democracia” dos países. O “índice de democracia” do Brasil é baixo, segundo essa instituição, apesar da liberdade de organização, de expressão, política, de imprensa, etc.

    O que puxa o “índice de democracia” do Brasil pra baixo? A ausência de participação política, segundo a tal instituição.

    O brasileiro tem, mas não usa, a liberdade de organização. Por isso, ele tende à passividade política. Esta é a regra, com exceções espasmódicas, tipo “caras-pintadas”, “ficha limpa”, etc.

    A meu pensar, a corrupção também tem muito a ver com essa passividade política. O brasileiro simplesmente deixa as raposas “cuidando” do galinheiro, ouve as galinhas se esgoelando ao serem atacadas pelas raposas, mas não faz nada. Resmunga, vira pro outro lado e continua a dormir.

  29. Elias said

    A instituição a que me referi é a “Economist Intelligence Unit – EIU”, vinculada à revista inglesa Economist.

    Ela faz um arranjo, colocando os países em 4 grupos:

    Grupo 1: “Democracias”, com 26 países. São as “democracias plenas”. O Brasil tá fora desse grupo. Aqui, os únicos latino-americanos são o Uruguai e a Costa Rica.

    Grupo 2: “Democracias Imperfeitas”. É a turma do Brasil, que, no ranking geral, está em 47º lugar, abaixo de 6 países latino-americanos, 4 africanos e, ainda, do Timor Leste, um dos caçulas entre os países do planeta.

    Grupo 3: “Regimes Híbridos”. São os “meio lá, meio cá”: Rússia, Líbano, Turquia, Bolívia (apesar da corrupção boliviana ser menor que a de vários países do Grupo 2, Brasil incluso).

    Grupo 4: “Regimes autoritários”. São as ditaduras, em bom português. Aqui estão quase todos os países do Oriente Médio, a China, a Coréia do Norte (que é a última colocada em todo o ranking, levando o troféu de mais ditadura entre todas as ditaduras).

    Quando se olha mais de perto os critérios e índices parciais, a realidade brasileira vai se tornando mais transparente. Vejam só:

    a – Processo Eleitoral: aqui o Brasil tem nota 9,5, a mesma da Suécia.

    b – Liberdades Civis (que envolve liberdade de religião, de expressão, de imprensa, etc): a nota do Brasil é 9,12, igual à da Alemanha e da Áustria.

    Aí, quando se chega no quesito “participação política”, o Brasil simplesmente despenca para níveis do Oriente Médio, ou africanos.

    De qualquer forma a EIU é clara nas conclusões. As mudanças de que o Brasil necessita atualmente, dependem muito mais da sociedade civil do que do Estado.

  30. Otto said

    Pax, a coluna do miguel do Rosário está muito boa, hoje, além de hilária. Dê uma olhada:

    BB e Caixa baixam juros
    5 APRIL 2012

    O Globo de hoje estampa um manchetão que é música para os ouvidos de todos os desenvolvimentistas do país. Por determinação da presidente, os bancos públicos reduziram drasticamente os juros e o spread cobrados ao consumidor.

    Leia os trechos abaixo da reportagem. São para ler bebendo um bom vinho chileno (abaixo a taxa de importação de vinho, aí também é demais! Ainda mais de vinho latino!) e assobiando um chorinho:

    No BB, os juros do financiamento de veículos, por exemplo, caíram de no mínimo 1,24% ao mês para 0,99% ao mês. Quem recebe salário pelo banco terá juros de 3% ao mês no crédito rotativo do cartão. A taxa anterior chegava a 13,62%.
    (…)
    Quem recebe salário pelo banco – por exemplo, boa parte dos funcionários públicos – poderá pagar juros de apenas 1,30% ao mês no cheque especial. No cartão de crédito, a taxa cairá de 12,86% para 5,98%.

    Nem vou comentar o chororô de alguns operadores de mercado contra a decisão, dizendo que BB e Caixa vão perder valor no mercado. Acho incrível o súbito interesse deles pelo índice de lucro dos bancos públicos.

    Meu único lado realmente radical e socialista é a convicção de que somente bancos públicos deveriam existir. Bancos privados só servem para quebrar a economia do mundo, invariavelmente, a cada 10 ou 15 anos; obrigando os Estados a injetar recursos do Tesouro Nacional nessas instituições para salvá-las e salvar o país. O Proer de FHC, em valores atualizados, deve estar chegando a uns R$ 100 bilhões.

    Mas deixemos o proselitismo ideológico e utópico de lado porque hoje temos muito assunto. A economia brasileira vai muito bem. A indústria voltou a crescer. O governo lançou um ousado pacote de incentivo que deve acelerar ainda mais essa recuperação, e agora os bancos públicos lideram a redução de juros e spreads.

    Os analistas econômicos estão reclamando que o governo está beneficiando apenas alguns setores. Dou-lhes plena razão. Mas o governo prometeu estender os benefícios a todo o setor industrial e também aos serviços, até 2014. Então tá beleza. Agora é a Fiesp e os industriais pararem de choradeira e começarem a investir pesado em inovação, aumento de produtividade e redução de desperdícios.

    Outra reclamação dos analistas é que o governo não resolveu os problemas estruturais. Ora, aí são coisas que não se fazem da noite pro dia. Vai demorar 10 a 20 anos para o Brasil dar soluções a seus gargalos estruturais. O que ele fez foi apagar alguns incêndios e distribuir chupetas para a Fiesp parar de chorar. Agora é bola pra frente e trabalho duro. Ao brasileiro comum cabe estudar muito, e sobretudo especializar-se. Os salários de trabalhador especializado no Brasil estão entre os maiores do mundo. Então, pelo pouquinho que conheço da raça humana, daqui a poucos anos brotarão da terra milhões de ultra-especialistas, porque nada como um salário alto para inspirar um cristão de boa índole.

    Agora vamos ao noticiário político. O caso Demóstenes ainda está queimando na pradaria, e o fogo chegou ao governo Marconi Perillo. A imprensa, no entanto, iniciou uma interessante operação de blindagem. É incrível a boa fé dos jornais quando o envolvido é um tucano. O Estadão prefere pegar no pé do Agnelo, governador do DF, por causa do envolvimento de um diretor do Detran local num dos esquemas do Cachoeira. Mas eu acho válido. Tem mais é que pegar no pé mesmo.

    De qualquer forma, uma coisa é certa. Com a internet, o poder da imprensa de blindar os amigos reduziu-se sensivelmente. As gravações e relatórios vazam para a rede e não há como segurar a tsunami de podridão.

    A Folha hoje trouxe, finalmente, a versão do ex-ministro Altermir Gregolin, responsável pela compra das tais lanchas que, segundo o Tribunal de Contas, não estariam sendo usadas. Gregolin diz que a informação é desatualizada, e que as lanchas estão sendo usadas sim. A resposta do ministro é fundamental e silencia boa parte das críticas. A verdade dos fatos, portanto, é que apenas algumas lanchas (2 a 4, pelo que entendi) estão paradas. Segundo o Gregolin, mesmo estas deverão ser usadas em breve.

    Ora, então tudo bem! É perfeitamente compreensível, e até louvável, que o ministério da Pesca adquira lanchas. Estranho seria se comprasse aviões!

    Quanto ao pedido de um petista à empresa fornecedora, também não há crime algum. A imprensa finge surpresa, mas a verdade é que, desde que o financiamento das campanhas vêm de empresas privadas, os partidos políticos, forçosamente, contatam todas as empresas de sua esfera de influência durante o processo eleitoral. Isso é normal. A empresa forneceu ao ministério da Pesca? Beleza, mais uma razão para contatá-la. Desde que a doação seja declarada e legal, e desde que o empresário não denuncie algum tipo de chantagem, não há problema. Ninguém é criança aqui, sabemos que na vida real, deve rolar muita corrupção, extorção, nesse processo todo, mas esse tipo de acusação só vale quando há denúncias e provas. Escandalizar um pedido de verba para campanha e uma subsequente doação devidamente registrada é o cúmulo da hipocrisia da mídia.

    Voltando ao caso Demóstenes, temos hoje uma informação bombástica, que chega ser positivamente divertida, embora uma diversão bem maligna, admito. Segundo gravações obtidas pela Época, Cachoeira pressionou Demóstenes a migrar para o PMDB para se aproximar do governo Dilma, para assim fazer um lobby melhor de seus negócios junto ao Executivo. Agora quero ver os colunistas dizerem que o senador fazia um bom mandato! Quero ver virem com esse papo de bipolaridade!

    *

    Há outras coisas que gostaria de comentar. A coluna de Merval Pereira é uma piada. Já está meio clichê citar o Conselheiro Acácio, mas não vejo outra comparação. Reparem só o trecho inicial:

    O recorde de 77% de aprovação pessoal que a presidente Dilma obteve na mais recente pesquisa de opinião do Ibope pode ser explicado por uma conjunção de apoios, pois ela mantém a hegemonia na Região Nordeste (82%) e entre os cidadãos que ganham entre um e dois salários (59%), mas conseguiu ser igualmente bem avaliada entre os eleitores com renda familiar superior a dez salários mínimos (60% de ótimo e bom) e na Região Sudeste (75%).

    Não vou me estender muito para explicar a falta de sentido lógico nesse raciocínio. Merval apenas jogou um ossinho para os preconceituosos que querem atribuir a popularidade da presidente aos paraíbas de pé descalço. Mas a aprovação da Dilma cresceu fortemente nas regiões Sul e Sudeste e entre a classe média, e também no Nordeste e também entre os mais pobres. Então vamos esquecer Merval e seus curto-circuitos mentais. Não vale a pena.

    http://www.ocafezinho.com/2012/04/05/bb-e-caixa-baixam-juros/

  31. Elias said

    É…

    Mas a reação dos operadores de mercado é mais que compreensível. Hoje, caíram as cotações das ações dos bancos, por causa dos juros mais baixos. Pela mesma razão, subiram as cotações das ações das construtoras…

    A redução da taxa básica de juros era mais que esperada. E, só não baixou mais desde o mês passado porque o Marco Aurélio falou muito mais do que devia, obrigando dona Dilma a lhe dar um puxão de orelhas em público (na Alemanha) e, também levando o Copom a maneirar a mão, pra não fazer a festa da especulação que o linguão do Marco Aurélio provocou.

    Essa redução da taxa básica de juros tem por objetivo:

    (1) Evitar a entrada excessiva, no Brasil, do absurdilhão de Euros que o Banco Central Europeu liberou a custo zero, pra ajudar Grécia, Portugal, Espanha, etc, a tirar o pé da m… A turma lá tá pronta pra pegar dinheiro a custo zero na Europa, aplicar no Brasil a juros muito mais altos e, em seguida, repatriar os ganhos… Um modo de fazer com que países como o Brasil paguem uma parte da conta da crise européia, drenando riqueza daqui pra lá. Daí porque a Dilma foi à Alemanha, exercitar o jus esperneandi…

    (2) Dar um impulso no PIB brasileiro, cujo crescimento em 2011 foi pra lá de discreto.

    Se o objetivo (1) não for alcançado com a redução dos juros, certo como dois e dois que virá um aumento da alíquota da tributação sobre operações financeiras.

    Tem gente querendo aumentar essa alíquota imediatamente. De um lado, porque ela seria mais eficaz pra conter os Euros da especulação. De outro, porque ela reforçaria o orçamento federal, aumentando sua capacidade de investimento.

    O terceiro lado, do qual ninguém fala, seria um monte de investidores nacionais, que ficariam como poodles metidos em briga de dobermans…

    O que fazer? Correr pra caderneta de poupança?

    Tô achando que dona Dilma vai operar com mão pesada em 2012… Quem quiser duvidar, que duvide, mas o mar não tá pra peixe…

  32. Zbigniew said

    E aí? Sai ou nao sai a CPI do Cachoeira? E a Veja, o Policarpo e seus duzentos telefonemas, e o Civita? Vão ou nao ser investigados? Até quando o Brasil vai evitar passar a limpo essas verdadeiras “clausulas pétreas” que sao as Forcas Armadas e a imprensa? Porque até o Judiciário já entrou na roda.

  33. Zbigniew said

    Eis como o paladino da moral, ética e bons constumes era tratado pela grande imprensa e suas penas amestradas:

    Da série “Os 100 Brasileiros Mais Influentes de 2009” da Revista Época, sob as penas do Demétrio Magnoli:

    “LÍDERES E REFORMADORES (sic?????)

    DEMÓSTENES TORRES

    Do mensalão petista aos atos secretos do Sarney, o Congresso amarga uma longa e penosa trajetória de desmoralização. Esse cenário deplorável tende a ocultar do público a atuação de figuras, de diferentes partidos, que atestam o caráter insubstituível do parlamento. Uma das mais destacadas é o Senador Demóstenes Torres (DEM-GO). Não é preciso concordar com tudo que ele pensa ou faz para homenageá-lo. Demóstenes não é um comerciante no mercado em que se trafica influência em troca de cargos ou privilégios. Ele tem princípios e convicções. Foi o primeiro parlamentar graduado a erguer a voz contra as propostas de cotas raciais nas universidades. Poucos ousam enfrentar ONGs racialistas, financiadas por fundações internacionais. Seu exemplo, espero, estimulará outros parlamentares a também externarem sua contrariedade.(…)”

    http://3.bp.blogspot.com/-1Vh_bU8sa48/T34vhAdJIqI/AAAAAAAAC4Q/s46L8x2DRfQ/s1600/demo.bmp

    Vem cá… niguém do mainstream (à época e na Época) sabia das ligações do parlamentar com o crime organizado?! Oi?!! E as “fontes” e informantes dentro da PF? Não tinha um delegado Bruno pra dar informações ou vazá-las?

  34. Patriarca da Paciência said

    “Ele (Demóstenes) tem princípios e convicções. Foi o primeiro parlamentar graduado a erguer a voz contra as propostas de cotas raciais nas universidades. Poucos ousam enfrentar ONGs racialistas, financiadas por fundações internacionais. Seu exemplo, espero, estimulará outros parlamentares a também externarem sua contrariedade.(…)”

    É isso aí, meu caro Zbigniew,

    em idéias confusas e estapafúrdias, esse tal de Demétrio Magnoli: só perde mesmo para o Reinaldinho Cabeção.

    Chega a ser correto dizer – se o fulano diz que algo é de um jeito, certamente é o contrário.

  35. Patriarca da Paciência said

    “Márcio Thomaz Bastos cobrou 15 milhões de reais para assumir a defesa de Carlinhos Cachoeira. Serão pagos em três prestações mensais. A primeira já está na conta-corrente de Thomaz Bastos.”

    http://veja.abril.com.br/blog/radar-on-line/tag/carlinhos-cachoeira/

    São essas coisas que nos fazem acreditar na piada daquele advogado que, ao perder o próprio braço num acidente, só se preocupava com o rolex – “Meu rolex, cadê meu rolex?”

    É claro que a grande maioria dos advogados não são assim, mas que o Thomaz Bastos é assim, não resta a menor dúvida!

  36. Zbigniew said

    Sei não, Patriarca. O Merval tá assim, assim, com o Cabeção. Ultimamente tô achando que ele tá querendo tomar o lugar do chapeleiro. Sente o grau de sofismas que o cara destila, vendo que as oposições (incluindo aí as empresas de comunicações que conhecemos) perderam a exclusividade no assunto corrupção.

    “POLÍTICA
    CPI do Cachoeira a ninguém interessa, por Merval Pereira
    Merval Pereira, O Globo

    (…)

    Diferentemente dos outros partidos, no entanto, no PT ser corrupto não invalida a atuação política de um líder importante.

    Ao contrário, o partido, mesmo que tenha no primeiro momento que fingir estar se livrando do filiado apanhado em flagrante, assume a proteção de seus políticos acusados até que o tempo ajude a nublar a memória do cidadão mediano.

    E todos vão sendo acomodados novamente na burocracia partidária ou mesmo nos diversos escalões dos governos que o PT assume, como se não devessem nada.

    O caso do senador Demóstenes Torres é emblemático. Seu ex-partido, o DEM, abriu um processo de expulsão que o obrigou a se desfiliar, o mesmo tratamento dado anteriormente ao ex-governador do Distrito Federal José Roberto Arruda.

    Quem o PT expulsou de suas fileiras nos últimos anos, quando escândalos de diversos quilates estouraram no seu colo?

    (…)”

    Afora as ilações ainda não comprovadas, e o fato de que – vamos dar nome aos bois – o José Dirceu não foi pego em conversas telefônicas em “tretas” com um bicheiro que mandava e desmandava em Goiás; ou recebendo dinheiro num pacote, fruto de propina, o que ele queria? Que o PT se dobrasse aos interesses e à pressão da mídia corporativa?

    Todas essas práticas são reprováveis, mas, venhamos e convenhamos que, se a mídia corporativa – que já não tem mais o poder que tinha antigamente – não tiver imagens ou sons envolvendo diretamente os personagens, não vai conseguir impor seus interesses sem a chancela dos tribunais. Não vivemos mais na época de Collor, e também este não é o caso.

  37. Patriarca da Paciência said

    meu caro Zbigniew,

    acho que os caras estão com “síndrome de ausência”.

    Os caras se julgavam “formadores de opinião”, “monopolizadores da verdade” e outras coisitas mais e, de repente, o mundo deles ruiu.

    Malharam e malharam o presidente Lula e a popularidade do presidente Lula só cresceu.

    Malharam e malharam a presidenta Dilma e a popularidade da presidenta só cresce.

    Fizeram centenas e centenas de acusações contra o José Dirceu e o José Dirceu continua firme e forte, com o prestígio inabalado.

    Os caras estão mesmo desesperados!

  38. Patriarca da Paciência said

    Um comentário que já fiz no “Altofante”:

    Até hoje nada ficou provado contra o José Dirceu.

    E já está quase ficando provado que tudo não passou de uma armação de Carlinhos Cachoeira em conjunto com o Demóstenes Torres e a revista Veja.

    Mas o José Dirceu já está quase reabilitado, apesar de ter sido açoitado e crucificado em público.

    O que fica provado é que todas as papagaiadas que a Veja gestou em seu ventre podre para tentar incriminar o José Dirceu estão ruindo.

    E é só o começo do virada.

  39. Patriarca da Paciência said

    “Perillo contrata hackers para bloquear oposição nas redes sociais, denunciam ativistas.”

    “O movimento continua firme e forte, mas hackers foram contratados para desarticular o evento na rede social. Estamos lutando para que o movimento continue e cresça, pois dessa o Estado não escapa. A população quer justiça e teremos a nossa vontade feita”, disse o ativista identificado apenas por Dann. “O governo (Perillo) domina todos recursos de divulgação local e estadual das sujeiras e vergonhas que vêm acontecendo, cada tentativa de fazer o movimento ser suprimido ou fragmentado é mais um motivo para nos unir e fortalecer. Tomou banho de Cachoeira agora segura o tsunami de eleitores indignados com as injustiças e a forma como tudo isso tem ocorrido. Queremos a nossa justiça e o Fora Marconi será apenas o começo”, acrescenta.”

    http://adf.ly/75o8q

  40. Elias said

    Patriarca,

    Nada ficou e, creio eu, nada ficará provado contra o Dirceu.

    O que não significa dizer que será fácil pra ele.

    Uma fonte do Judiciário já deixou claro, de viva voz, que o Judiciário tem medo de absolver o Dirceu, embora não tenha provas contra ele.

    Medo do quê? pergunta-se. E a dita cuja responde: da reação da opinião pública.

    Conclusões:

    1 – O Dirceu é um “anti-teflon”, como o Jader Barbalho. Tudo o que se joga neles, pega…

    2 – Um Judiciário que julga com medo da opinião pública é tudo o que o Brasil não precisa, pra se moralizar. Um Judiciário assim é tão necessário quanto um tiro de escopeta nos testículos…

  41. Patriarca da Paciência said

    Elias,

    já nesse assunto eu penso diferente. O José Dirceu tem se mostrado confiante desde o início do processo e, agora, parece estar mais confiante ainda.

    Também confio nos ministros do STF. Caso não apareça uma prova real e concreta, creio que nenhum ministro votará pela condenação.

    E a opinião pública, hoje, é bem mais favorável ao Dirceu.

    Átualmente, quem se encontra em situação péssima diante da opinião pública, são os acusadores.

    Vamos aguardar!

  42. Elias said

    Patriarca,

    Já eu não confio nem um pouco no Judiciário. Exceção feita à Justiça do Trabalho, o resto não me inspira confiança.

    Vi, p.ex., o que o TSE fez com o ex e agora atual governador do Pará, Simão Jatene, de 2003 a 2006.

    As provas contra ele eram avassaladoras. Jatene usara e abusara da máquina estadual pra turbinar sua campanha eleitoral. Usara inclusive o jatinho do governo pra transportar políticos e material de campanha (tudo filmado pela Polícia Federal), além de um amplo etc.

    E o que fez o TSE? Adiou o julgamento por nada menos que 4 anos, até terminar o mandato de Jatene. Aí o processo foi encerrado por esgotamento de objeto. Lavado e limpo, Jatene se candidatou novamente em 2010 e até foi eleito…

    Enquanto isso, baseado na declaração de um único indivíduo, segundo o qual havia recebido R$ 50,00 pra votar no senador Capiberibe, o mesmo TSE em pouco mais de 24 horas cassou o Capiba.

    Pro Jatene, o TSE declarou que o prazo legal de 24 horas era insuficiente pra se elaborar uma defesa, e iniciou o jogo prorrogando esse prazo por 30 dias. A lei não autoriza prorroghar o prazo de defesa, mas o TSE prorrogou assim mesmo. Na marra!

    A partir daí houve de tudo. Houve até prorrogação de julgamento por falha no trâmite do processo. Como o processo foi tramitado incorretamente, ele voltou ao protocolo de entrada e começou tudo novamente, outra vez, de novo…

    Enquanto isso, o tempo foi passando… Passando… Passando… Até que… Passou!

    Não… Não confio… Enquanto a estrutura da coisa for essa que tá aí, não confiarei… E não recomendo a ninguém que confie. Já vi boi voar de costas e fazer piruetas no ar…

  43. Michelle de Souza Malone said

    Good day for everyone

    Marcelo Augusto, vide https://politicaetica.com/2012/03/12/ushuaia-e-torres-del-paine/
    #207
    “Nunca dirás que te trato como a Michelle. Eu te respeito, e dou importância ao que tu dizes, embora tu sejas um chato.”
    Eu falei antes…hehehe
    Oi Marcelo (Augusto,ma non troppo)

    Obrigada pelo coice inesperado. Ao menos foi um coice fino…
    Como vc disse que ignora meus comentários,
    por favor, ignore este também.
    Marcelo “enfia o dedo e rasga”!
    como o Zé Eduardo Dutra, elogiando a Dilma pela popularidade de 77%,
    escreveu no tw …é de uma maugosto petralha…
    depois eles me xingam quando eu falo que todo petralha é um babaca.

    leia aqui:
    DIRETOR CORPORATIVO E DE SERVIÇOS DA PETROBRAS CAUSA POLÊMICA NO TWITTER COM COMENTÁRIO GROSSEIRO SOBRE OS 77% DE POPULARIDADE DA PRESIDENTE DILMA ROUSSEFF

    http://brasil247.com/pt/247/poder/52328/Dutra-celebra-popularidade-de-Dilma-%E2%80%9CEnfia-o-dedo-e-rasga!%E2%80%9D.htm

    Pra seu coice fino, intelectualizado, eu respondo
    “Marcelo enfia o dedo no cú e rasga!
    discutir Bob Fieds com petralha é prova de doença, narre o caso ao seu psiquiatra e escute o que ele lhe dirá.E peça pra não ser internado preventivamente.
    ..quando quero ser ruim…eu sou ótima.
    HAHAHAHA
    O “enrabador-mor” já sabe.

    bejinhos

  44. Michelle de Souza Malone said

    (continua)
    E para que ninguém dizer que esqueci dos nossos 3 porquinhos do PAX,
    lá vai um puro Reinaldinho Cabeção, hehehe

    06/04/2012 às 20:46
    Exclusivo: Um diálogo entre José Eduardo Dutra e a “presidenta” da Petrobras

    O petista José Eduardo Dutra é, como sabem, “Diretor Corporativo e de Serviços” da Petrobras, como ele faz questão de alardear em seu perfil no Twitter. E foi também no Twitter que ele mandou um recado, dada a pesquisa do Ibope, a qualquer um que se oponha ao governo Dilma: “Enfia o dedo e rasga!” Escrevi um post a respeito. Como é um cargo de confiança de Graça Foster e como a mensagem do “diretor corporativo e de serviços” continua lá, entende-se que a “presidenta” da Petrobras considera essa uma forma aceitável de se expressar, que traduz um bom norte para a resolução de conflitos.

    Leio no organograma da Petrobras que estão subordinadas à diretoria de Dutra as seguintes áreas: “Organização, gestão e governança; recursos humanos; Segurança, Meio Ambiente, Eficiência Energética e Saúde”.

    Recebi aqui um fita de uma reunião sigilosa entre ambos, que ouço no meu aparelho especial, dotado de TSI (Tecla SAP para Ironias). Transcrevo os diálogos com exclusividade:

    Graça – Estão reclamando que os procedimentos da Petrobras são pouco transparentes e que a gestão da empresa é uma verdadeira caixa preta. Você já tomou providências para responder?
    Dutra – Já, sim!
    Graça – O que você fez?
    Dutra – Presidenta, eu disse assim para os críticos: “Enfiem o dedo e rasguem”!
    Graça – Muito bem!
    Dutra – Obrigado, presidenta! Eu sou foda mesmo!
    Graça – Há reclamações aqui e ali de que a situação dos trabalhadores nas plataformas não é tão segura quanto deveria. Você certamente tem ciência disso.
    Dutra – Tenho, sim!
    Graça – O que você fez?
    Dutra – Presidenta, eu disse assim para os críticos: “Enfiem o dedo e rasguem”!
    Graça – Muito bem!
    Dutra – Obrigado, presidente! Viva o Botafogo!
    Graça – Esses chatos do meio ambiente estão começando a pegar no pé da empresa, acusando a gente de não respeitar padrões internacionais de preservação do meio ambiente. Você certamente não ignora isso.
    Dutra – Certamente não!
    Graça – E o que você fez?
    Dutra – Presidenta, eu disse assim para os críticos: “Enfiem o dedo e rasguem”!
    Graça – Muito bem!
    Dutra – Obrigado, presidenta! Viva a cavadinha de Loco Abreu!

    Por Reinaldo Azevedo

    Preciso como sempre e sem precisar explicar nada.
    Reinaldo dá nó em cabeças petralhas, hehehe, há tempos,né,petralhada?
    Como diria o “louco”Jânio Quadros:
    “Se pudessem, mata-lo-iam!” (metaforicamente falando,é claro)
    Mas pasmem, Senhores…eles não conseguem matá-lo (RA) nem em pensamentos.
    Vira e mexe aqui acontece um rosário de reclamações sobre o quanto a Veja é isso ou aquilo.
    O RA é HISTÉRICO.
    (Histeria ao julgar o personagem ou histeria do personagem alvo, ainda permanece obscuro, subjetivo).
    Mino e PHA já trabalharam lá na VEJA e agora, foram desmascarados pelo Pannunzio…- sempre foram lambe-sacos do governo de plantão.
    Qualquer governo.Uma dupla dinâmica.
    Viomundo e Nassif são “aquilo”, sem tirar nem por.
    Livres como um taxi, diria Millor, falecido dias atrás.

    by by crianças, drive carefully
    and please don’t pee on the bed, again!

    Por favor ao responder…usem de inteligência.
    Minha cabeça tem um
    filtro “mata-burro, de última geração.

    Pax leva mal não.
    Estou apenas animando a discussão.

    ..quando quero ser ruim…eu sou ótima.
    HAHAHAHA
    O “enrabador-mor” já sabe.

    bejinhos

    e Boa Pascoa, aí no Brasil! for everyone!

  45. Patriarca da Paciência said

    Michelle de Souza Malone,

    a única coisa que sei sobre você é que você continua cada vez mais delirante e falando cada vez mais coisas estapafúrdias e sem nexo, tal qual o Reinaldinho Cabeção.

    Acho que você faria bem
    em consultar um psiquiatra também.

    Rimou não é?

    às vezes faço trovinhas, mesmo se querer!

    Acredite Michelly,

    o ódio faz mais mal a quem o carrega do que a quem é dirigido.

  46. Pax said

    Prezados (principalmente os que defendem Zé D),

    Sugiro a leitura do artigo “As duas cabeças da corrupção” do Eugênio Bucci, no Estadão, dia 5 de abril.

    Alguém poderia me fazer a gentileza de procurar o link e compartilhar aqui?

    O resumão é que a tanto a direita, com seu atávico patrimonialismo, quanto a esquerda, com a desculpa esfarrapada de uma suposta necessidade de envolvimento para garantir um projeto, fazem parte de duas cabeças raivosas e que se odeiam, mas de um mesmo corpo.

    E este corpo é, sim, a corrupção.

    Querer absolver ZD porque Demóstenes está encalacrado é algo que não consigo compactuar.

    Waldomiro Diniz que me diz.

    Eita nomezinho que teima em não sair da minha memória.

    Instalado no Palácio da Planalto, assessor do Ministro Chefe da Casa Civil e, tudo indica, segundo o noticiário, com ligações perigosas com a máfia da jogatina que, a cobra então morde o rabo, agora detona Demóstenes.

    Data vênia camaradas. Vamos devagar nas pedras que os santos são de barro.

    Enviado via iPhone

  47. Zbigniew said

    A Veja já utilizou do testemunho de um bandido para derrubar um ministro da Dilma. A Abril parece não ter nenhum problema em se associar a criminosos no intuito de fazer valer seus interesses. Silêncio sepulcral na grande mídia sobre o Policarpo e o Carlinhos Cachoeira. Enquanto isto a Carta Capital é recolhida (censurada!!! Cadê os bastiões da liberdade sem limites da imprensa?!!!) em Goiás e “O Caso Veja” é retirado do google não se sabe o porquê? Cadê o MPF, a OAB e ABI?

    EDITORIAL DO MINO CARTA (CARTA CAPITAL)

    “Demóstenes, Marconi e Policarpo

    Mino Carta, editorial de CartaCapital

    O caso do senador Demóstenes Torres é representativo de uma crise moral que, a bem da sacrossanta verdade, transcende a política, envolve tendências, hábitos, tradições até, da sociedade nativa. No quadro, cabe à mídia um papel de extrema relevância. Qual é no momento seu transparente objetivo? Fazer com que o escândalo goiano fique circunscrito à figura do senador, o qual, aliás, prestimoso se imola ao se despedir do DEM. DEM, é de pasmar, de democratas.

    Ora, ora. Por que a mídia silencia a respeito de um ponto importante das passagens conhecidas do relatório da Polícia Federal? Aludo ao relacionamento entre o bicheiro Cachoeira e o chefe da sucursal da revista Veja em Brasília, Policarpo Júnior. E por que com tanto atraso se refere ao envolvimento do governador Marconi Perillo? E por que se fecha em copas diante do sequestro sofrido por CartaCapital em Goiânia no dia da chegada às bancas da sua última edição? Lembrei-me dos tempos da ditadura em que a Veja dirigida por mim era apreendida pela PM.

    A omissão da mídia nativa é um clássico, precipitado pela peculiar convicção de que fato não noticiado simplesmente não se deu. Não há somente algo de podre nas redações, mas também de tresloucado. Este aspecto patológico da atuação do jornalismo pátrio acentua-se na perspectiva de novas e candentes revelações contidas no relatório da PF. Para nos esclarecer, mais e mais, a respeito da influência de Cachoeira junto ao governo tucano de Goiás e da parceria entre o bicheiro e o jornalista Policarpo. E em geral a dilatar o alcance da investigação policial.

    Quanto à jornalística, vale uma súbita, desagradável suspeita. Como se deu que os trechos do documento relativos às conversas entre Cachoeira e Policarpo tenham chegado à redação de Veja? Sim, a revista os publica, quem sabe apenas em parte, para demonstrar que o chefe da sucursal cumpria dignamente sua tarefa profissional. Ou seria missão? No entanto, à luz de um princípio ético elementar, o crédito conferido pelo jornalista às informações do criminoso configura, por si, a traição aos valores da profissão. Quanto à suspeita formulada no início deste parágrafo, ela se justifica plenamente: é simples supor vazamento originado nos próprios gabinetes da PF. E vamos assim de traição em traição.

    A receita não a dispensa, a traição, antes a exige nas mais diversas tonalidades e sabores. A ser misturada, para a perfeição do guisado, com hipocrisia, prepotência, desfaçatez, demagogia, arrogância etc. etc. E a contribuição inestimável da mídia, empenhada em liquidar rapidamente o caso Demóstenes, para voltar, de mãos livres, à inesgotável tentativa de criar problemas para o governo. Os resultados são decepcionantes, permito-me observar. A popularidade da presidenta Dilma acaba de crescer de 72% para 77%.

    E aqui constato haver quem tenha CartaCapital como praticante de um certo, ou incerto, “jornalismo ideológico”. Confesso, contristado, minha ignorância quanto ao exato significado da expressão. Se ideológico significa fidelidade canina à verdade factual, exercício desabrido do espírito crítico, fiscalização diuturna do poder onde quer que se manifeste, então a definição é correta. E é se significa que, no nosso entendimento, a liberdade é apanágio de poucos, pouquíssimos, se não houver igualdade. A qual, como sabemos, no Brasil por ora não passa de miragem.

    E é se a prova for buscada na nossa convicção de que Adam Smith não imaginava, como fim último do capitalismo, fabricantes de dinheiro em lugar de produtores de bens e serviços. Ou buscada em outra convicção, a da irresponsabilidade secular da elite nativa, pródiga no desperdício sistemático do patrimônio Brasil e hoje admiravelmente representada por uma minoria privilegiada exibicionista, pretensiosa, ignorante, instalada no derradeiro degrau do provincianismo. Ou buscada no nosso apreço por toda iniciativa governista propícia à distribuição da renda e à realização de uma política exterior independente.

    Sim, enxergamos no tucanato a última flor do udenismo velho de guerra e em Fernando Henrique Cardoso um mestre em hipocrisia. Quid demonstrandum est pela leitura do seu mais recente artigo domingueiro na página 2 do Estadão. O presidente da privataria tucana, comprador dos votos parlamentares para conseguir a reeleição e autor do maior engodo eleitoral da história do Brasil, afirma, com expressão de Catão, o censor, que se não houver reação, a corrupção ainda será “condição de governabilidade”.

    Achamos demagógica e apressada a decisão de realizar a Copa no Brasil e tememos o fracasso da organização do evento, com efeitos negativos sobre o prestígio conquistado pelo País mundo afora nos últimos dez anos. Ah, sim, estivéssemos de volta ao passado, a 2002, 2006 e 2010, confirmaríamos nosso apoio às candidaturas de Lula e Dilma Rousseff. Se isso nos torna ideológicos, também o são os jornais que nos Estados Unidos apoiaram e apoiarão Obama, ou que na Itália se colocaram contra Silvio Berlusconi. Ou o Estadão, quando em 2006 deu seu voto a Geraldo Alckmin e em 2010 a José Serra.

    Não acreditamos, positivamente, que de 1964 a 1985 o Brasil tenha sido entregue a uma “ditabranda”, muito pelo contrário, embora os ditadores, e seus verdugos e torturadores, tenham se excedido sem necessidade em violência, por terem de enfrentar uma resistência pífia e contarem com o apoio maciço da minoria privilegiada, ou seja, a dos marchadores da família, com Deus e pela liberdade. Hoje estamos impavidamente decepcionados com o comportamento de muitos que se apresentavam como esquerdistas e despencaram do lado oposto, enquanto gostaríamos que a chamada Comissão da Verdade atingisse suas últimas consequências.

    Agora me pergunto como haveria de ser definido o jornalismo dos demais órgãos da mídia nativa, patrões, jagunços, sabujos e fâmulos, com algumas exceções, tanto mais notáveis porque raras. Ideologias são construídas pelas ideias. De verdade, alimentamos ideias opostas. Nós acreditamos que algum dia o Brasil será justo e feliz. Eles querem que nada mude, se possível que regrida.”

  48. Patriarca da Paciência said

    Pax,

    guardadas as devidas proporções, Júlio César foi assassinado por um filho adotivo. Por que José Dirceu não poderia ser traído por um assessor?

    Eu quero mais é que o Waldomiro Diniz se explique e que responda por seus crimes, mas daí a condenar o José Dirceu por causa disso vai uma grande distância.

    Quanto gente boa andava fazendo os maiores elogios ao Demóstenes Torres!

    Todos eram cúmplices dele?

    Inclusive o Reinaldinho Cabeção, o qual continua dizendo que “não tira uma palavra dos elogios que fez ao Demóstenes”.

    O que ficou provado mesmo foi a armação da Veja em conjunto com o Demóstenes e o Carlinhos Cachoeira.

    Ou seja, houve uma grampo que ninguém viu, ou ouviu, e um grampo que todo o Brasil ouviu através de todos os telejornais.

  49. Pax said

    Caríssimo Patriarca,

    Você contrataria Waldomiro Diniz e o colocaria numa sala a poucos metros de Lula, sem se preocupar com isso?

    Sinto muito, mas tudo indica que a decisão do PT, àquela época, condenou Dirceu.

    Ele aceitou a missão porque quis.

    Vamos encarar os fatos.

    Enviado via iPhone

  50. Pax said

    Caros, achei o artigo que sugiro, veementemente, a leitura, do Eugênio Bucci, no Estadão, dia 5 passado…

    Aqui está

    http://www.estadao.com.br/noticias/impresso,as-duas-cabecas-da-corrupcao-,857673,0.htm

    Gostaria muito da crítica de vocês com relação à análise deste respeitado jornalista.

  51. Patriarca da Paciência said

    Meu caro Pax,

    1º – O Estadão já declarou seu apoio formal ao PSDB, especificamente ao Serra, imagina só o apoio “informal”,! Vem desde quando?

    2º – O próprio autor do texto diz que está fazendo uma metáfora, Justiça não se fundamenta em metáforas em sim em fatos reais e concretos.

    3º – ” À esquerda, a corrupção principia como um atalho pragmático, aparentemente eficaz. Mas logo ela se converte num fim e, tornada fim, nega e aniquila qualquer projeto de justiça social.”. O Autor do texto está claramente fazendo editorial, um verdadeiro libelo contra os governos Lula e Dilma, que em nada se assemelham à metáfora que o autor está propondo.

    4º – O mundo inteiro reconhece que o Brasil tem avançado na questão social, distribuição de renda, redução da pobreza, aumento da clásse média etc. O autor da metáfora simplesmente ignora todos esses fatos.

    5º – Conclusão, o autor está mesmo fazendo uma metáfora, ou melhor, é um simples editorial partidário camuflado de “imparcial”.

  52. Patriarca da Paciência said

    Mais uma observação, caro Pax,

    o pesssoal do PSDB vive “acusando” o Lula de simplesmente ter “continuado” o governo FHC.

    No entando esse mesmo pessoal do PSDB vive tentando, a todo custo, destruir as obras do governo Lula.

    Para mim, paradoxo é isso aí.

  53. Patriarca da Paciência said

    É muito engraçada a “indignação” do Reinaldinho cabeção com as declarações do Dutra, quando, esse mesmo Reinaldinho Cabeção, fez vários textos elogiando um dos diretores da Veja de ser foda!

    Vá entender o Reinaldinho Cabeção!

    É simplesmente impossível!

  54. Olá!

    No meu computador, eu tenho um programinha que me avisa sempre que o meu nome é citado aqui. Às vezes, uma ou outra citação escapa, mas, no geral, a eficiência dele é em torno de 75% a 80%. Com tal programinha, posso saber quando algum dos colegas daqui do site do Pax citam meu nome e, assim, venho até o post e verifico se preciso ou não responder.

    É uma pena que só funcione em sistemas UNIX e/ou UNIX-based, mas deve haver algum semelhante no Windows também.

    Foi assim que eu soube que a Michelle de Souza Malone afirmou no outro post que acha meus comentários um saco. E foi assim, também, que soube do que ela escreveu sobre mim neste post em um comentário mais acima (#43). Excerto:

    “Pra seu coice fino, intelectualizado, eu respondo
    ‘Marcelo enfia o dedo no cú e rasga!’ [. . .].”

    Pax, por gentileza, haveria a possibilidade de você tomar alguma atitude a respeito disso?

    Até!

    Marcelo

  55. Olá!

    Pax, você que usa o iPhone para enviar comentários para cá, você já experimentou um negócio chamado de iPhone Tethering?

    Com isso, você pode conectar o seu computador ao iPhone e utilizar este como conexão à Internet.

    Veja se esse serviço existe aí na sua cidade.

    Até!

    Marcelo

  56. Michelle de Souza Malone said

    Oi Marcelo (Augusto,ma non troppo)
    “Olá!

    No meu computador, eu tenho um programinha que me avisa sempre que o meu nome é citado aqui. Às vezes, uma ou outra citação escapa, mas, no geral, a eficiência dele é em torno de 75% a 80%. Com tal programinha, posso saber quando algum dos colegas daqui do site do Pax citam meu nome e, assim, venho até o post e verifico se preciso ou não responder.

    Foi assim que eu soube que a Michelle de Souza Malone afirmou no outro post que acha meus comentários um saco. E foi assim, também, que soube do que ela escreveu sobre mim neste post em um comentário mais acima

    Pax, por gentileza, haveria a possibilidade de você tomar alguma atitude a respeito disso?”

    1. Sugiro que você instale também um programinha que te avise quando você NÃO está sendo chato.
    Eita programinha supérfluo este né?

    2. Que tipo de atitude vc gostaria que o Pax tomasse? Dê asas à sua imaginação….que tal o Pax me proibir de comer sobremesa? Ou me proibir de assistir TV antes de eu terminar minha lição de casa? Ou melhor ainda, passar pimenta na minha boca quando eu falar palavras feias?
    Vamos lá vamos ouvir às suas sugestões…não seja inibido meu garôto.

    O “enrabador-mor”, por exemplo, foi buscar o assassinato de Julio César pra tentar inocentar o Dirceu no caso do Mensalão…eita imaginação fértil
    coisa de petralha de casco duro e cabeça mole..

    bejinhos

  57. Pax said

    Caro Patriarca,

    Parece que você esquece que Eugênio Bucci foi presidente da Agencia Brasil no governo Lula.

    Desculpe-me, mas desmerecer quem quer que seja só porque não apóia esta campanha infame de inocentar Zé D, é sinal de aceitar tudo. Nesta toada deveriam, também, aceitar os deslizes de Demóstenes, ora bolas.

    Dirceu colocou um bandido no Planalto, segundo farto noticiário, a serviço do esquema de alimentar o caixa 2 do partido, o pagamento das mesadas dos congressistas, e, segundo muitas indicações, um pouco à além disso.

    Já disse, repito, segundo minhas fontes petistas, ZD não queria o modelão de comprar no varejo. Queria comprar no atacado, o PMDB, esquema hoje em vigor em troca de históricas sesmarias, hoje disfarçadas em ministérios.

    Caro, encerrando, vivi nos tempos em que só podia haver uma opinião divulgada, a da ditadura.

    Não quero isso nunca mais.

    Se a militância petista entrar neste rumo de patrulha ideológica e absolvição” discriminada, só para os integrantes do politiburro, arrumarão um inimigo, bem fraco, bem pequeno, mas absolutamente convicto: eu.

    Ps.: Não esqueça, também, só a guisa de colocar todas as tintas nesta pintura, que ZD enricou. Hoje vive em condomínio de luxo, faz festas milionárias em sua suntuosa residência (moro bem pertinho), ou seja…

    Enviado via iPhone

  58. Patriarca da Paciência said

    Caro Pax,

    se houver uma coisa que não passa, nunca passou e nem passará pela minha cabeça é “patrulha ideológica”.

    Aliás eu nem sei como funcione isso e o que seja.

    Acho que você tem todo o direito de ter sua opinião sobre o José Dirceu e eu a minha, Vmos ver o que diz a Justiça.

    O que eu nunca vi mesmo foi nenhuma prova conclusiva contra o José Dirceu.

    Segundo farto noticiário, Waldomiro Diniz fazia parte da cota do Bob Jef, não do José Dirceu.

    Considero-me um simples cidadão com direito a opinião.

  59. Zbigniew said

    Esses “macacos velhos” da politica nacional foram ou deixaram-se enganar assim, tão facilmente? Elegeram o cara como arauto da ética impressionados pela atuação e destaque midiatico do “nobre” Senador?
    Sinceramente, os políticos brasileiros sao que nem mulher de malandro na mão da imprensa brasileira (a dita grande, mais conhecida como PIG). Todo mundo protegendo o rabo (preso).

    Parabéns, Flavio. São atitudes como esta, de nós, eleitores e contribuintes que podem ajudar a mostrar à classe política que aí está o que de fato esperamos dela!!!!

    Menos espírito de corpo (ou seria melhor “de porco”) também ajudaria!

    Congresso em Foco: Os 44 ex-defensores de Demóstenes no Senado

    do Congresso em Foco, sugestão (artigo e foto) de Gerson Carneiro

    Há exatamente um mês, parlamentares de todos os partidos se revezavam na tribuna para defender o senador goiano, hoje isolado e sem partido. Veja o que cada um deles disse

    Bem que o presidente do DEM e hoje líder do partido no Senado advertiu na ocasião: “A cautela recomendava que as pessoas não fizessem qualquer tipo de aparte”. Porém, ele próprio se traiu. E na companhia de outros 43 colegas. “Mas este Plenário, sábio como é, pela voz dos seus líderes, dos seus integrantes, reduziu o fato à sua real dimensão. […] Vossa Excelência não cometeu nenhuma afronta à ética!”, emendou José Agripino (RN).

    A sessão de 6 de março do plenário do Senado passará à história pelo desagravo coletivo ao senador Demóstenes Torres (então DEM-GO), acusado de envolvimento com o contraventor Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira. Será lembrada também pelo corporativismo explícito de boa parte dos 44 aparteantes e pelo derradeiro voto de confiança de um diminuto grupo de parlamentares que, a exemplo de Demóstenes, também empunha a bandeira da ética e do combate à corrupção.

    Um mês depois da encenação, Demóstenes está sem partido e só. Esses mesmos senadores que o apoiaram agora convivem com o constrangimento e a decepção. Muitos se dizem traídos pelo colega após o desdobramento das investigações, que jogaram por terra a retórica desfilada naquele dia, quando o senador usou o aparato de comunicação do Senado para mentir que mantinha apenas relação de amizade com o contraventor.

    Confira abaixo trechos das loas proferidas em plenário por cada um dos aparteantes, por ordem de registro*:

    Eduardo Suplicy (PT-SP) – “Aprendemos a respeitá-lo como um dos membros do Senado que, sobretudo na área jurídica, na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania, que Vossa Excelência presidiu, e como membro do Ministério Público, sempre demonstrou um conhecimento em profundidade da Constituição e das leis brasileiras.”

    Luiz Henrique (PMDB-SC) – “Nobre senador Demóstenes, quero saudar Vossa Excelência como um verdadeiro homem público, de primeira qualidade. A minha solidariedade e a minha confiança.”

    Jarbas Vasconcelos (PMDB-PE) – “Levantei o microfone de aparte, porque, embora tivesse sido feito um entendimento para não se apartear, já que apartearam, eu não poderia ficar de fora. Vossa Excelência foi uma das coisas boas que conheci no Senado desde que aqui cheguei. […] pela sua correção, pela sua coragem cívica, pela sua determinação e pela sua grandeza. Vossa Excelência é uma pessoa com imensa grandeza.”

    Pedro Simon (PMDB-RS) – “Em todos os momentos, quer nas questões internas do Senado, quer nas questões mais graves, mais difíceis e mais escandalosas que apareceram nesta Casa, Vossa Excelência sempre esteve firme, com argumentos, com conteúdos e com absoluta firmeza. Sinceramente, não me passa pela cabeça a imagem que querem fazer de Vossa Excelência.”

    Antonio Carlos Valadares (PSB-SE) – “Minha palavra é de confiança de que a sua atuação aqui no Senado, e fora do Senado, é uma atuação que não compromete a sua honra, a sua dignidade e o seu passado.”

    Eduardo Braga (PMDB-AM) – “Vossa Excelência é daqueles que, quando erra [sic], sabe reconhecer o erro e, com o espírito humano, chega até a pedir desculpas. Agora, quando fazem uma acusação a esse ponto, vem à tribuna e diz: ‘Não, não apenas quero refutar as acusações, como me coloco para ser investigado pelo Supremo Tribunal Federal’. Só assim agem aqueles que têm valores éticos e humanos elevados, e um comportamento e uma conduta, na função pública, elevados.”

    Waldemir Moka (PMDB-MS) – “Conheço a sua trajetória, a sua luta e a sua postura. […] Tenho certeza absoluta de que sairá desse episódio exatamente da mesma forma que fez em sua vida inteira.”

    Vital do Rêgo (PMDB-PB) – “Cheguei a esta Casa nutrindo muito respeito por Vossa Excelência, uma admiração a distância. A convivência com Vossa Excelência neste plenário, na Comissão de Justiça, vendo a sua grandeza, a sua coragem cívica, o seu espírito republicano, fez-me aumentar esse conceito, esse respeito e essa admiração.”

    Cristovam Buarque (PDT-DF): “Senador Demóstenes, feliz aquele que, quando é criticado, acusado, pode subir à tribuna e dizer que não tem nada a esconder, que não precisa usar subterfúgios, que não precisa dizer nem que o que está sendo dito é ou não verdade. […] mesmo aqueles que divergem sabem que o senhor é o homem não apenas do DEM, mas do bem.”

    Alfredo Nascimento (PR-AM) – “Estamos diante de um companheiro, de um colega do Senado, de um homem que tem passado e presente de retidão, de comportamento ilibado, e que, com todas as forças, tem defendido os interesses do Brasil e do Estado que representa.”

    Romero Jucá (PMDB-RR) – “Todos nós sabemos da sua seriedade, do seu compromisso, da sua honestidade. Mas, sem dúvida nenhuma, essa palavra é uma palavra para toda a sociedade brasileira, tranquiliza a Casa, a sociedade brasileira […] Vossa Excelência deu as explicações necessárias, e todos nós estamos tranquilos, satisfeitos.”

    Lobão Filho (PMDB-MA) – “Quero demonstrar minha absoluta, inamovível confiança na figura do senador Demóstenes, na sua probidade, na sua moral inatacável. […] Não acredito que alguém nesta Casa seja medíocre, até porque eu acredito que o momento espetacular vivido pelo Brasil de hoje […] é consequência dos políticos que estão vivendo agora, do seu Executivo e do Legislativo. Mas, entre todos nós, Vossa Excelência é uma figura que realmente merece ser destacada.”

    Cyro Miranda (PSDB-GO) – “Conheço a sua probidade como promotor, como secretário da Justiça, quando ficou conhecido como ‘o grande justiceiro’, sempre aliado à lei. Melhor do que ser seu colega é ser seu amigo. Obrigado.”

    Lúcia Vânia (PSDB-GO) – “Todos nós, de Goiás, esperávamos de Vossa Excelência uma conduta como essa. […] faz as explicações com seriedade e responsabilidade. Vossa Excelência sabe da admiração que o povo brasileiro, especialmente o goiano, tem por sua trajetória. Receba os meus cumprimentos e a minha solidariedade.”

    Alvaro Dias (PSDB-PR) – “Queremos manifestar, em nome do PSDB, nossa confiança absoluta em Vossa Excelência, nossa crença no seu comportamento e dizer, sobretudo, da importância de Vossa Excelência para o país na oposição. Somos limitados numericamente na oposição e sua presença tem oferecido grandeza à tarefa de se opor. Infeliz do país que não tem uma oposição responsável e competente.”

    Jayme Campos (DEM-MT) – “Vossa Excelência tem todo o nosso apoio. Essa conversa é aquela velha história de ‘chover no molhado’. Ninguém acredita nela; todo mundo sabe que Vossa Excelência é um homem de retidão, de caráter invejável – não só como promotor, mas, certamente, como senador da República, que é exemplo para todos nós.”

    Blairo Maggi (PR-MT) – “Disse-lhe ontem, por telefone, quando conversamos, que não se abata com isso, porque todos nós, homens públicos, estamos sujeitos a esse tipo de situação. Portanto, é um período de turbulência, mas nenhum período de turbulência permanece para sempre. Ele passará e o senhor sairá vitorioso.”

    Pedro Taques (PDT-MT) – “Eu o conheço desde 1996, nas barrancas do rio Araguaia, do rio Tocantins. Nós defendendo a parte lindeira dos nossos estados. Nós dois fomos forjados na luta contra a criminalidade.”

    Inácio Arruda (PCdoB-CE) – “Quase todos nós somos alvo desse tipo de meia chantagem, que é como vejo isso às vezes, para a gente entender do ponto de vista político, para a gente não perceber isso apenas do ponto de vista também moral. […] Falei para Vossa Excelência que tinha a minha solidariedade, e posso dizer que também tem a solidariedade do meu partido, o Partido Comunista do Brasil.”

    Vicentinho Alves (PR-TO) – “Vim aqui dizer que lhe sou grato e um amigo leal. Portanto, confio em Vossa Excelência. Essa sua conduta de abrir ao Ministério Público, ao Supremo, não tenho nenhuma dúvida e tenho segurança de que não vão encontrar nenhum deslize da parte de Vossa Excelência.”

    Aécio Neves (PSDB-MG) – “Vossa Excelência é um homem digno, sempre agiu dessa forma em todos os cargos públicos que ocupou. E digo mais, Vossa Excelência, senador Demóstenes, é dos mais preparados e destemidos homens públicos deste país. E, por isso mesmo, dos mais respeitados.”

    Roberto Requião (PMDB-PR) – “As insinuações de que Vossa Excelência foi vítima […], não se compatibilizam com a sua história de vida e com as suas atitudes. Neste plenário múltiplo, que funciona como uma espécie de júri, todas as insinuações foram rejeitadas. Portanto, recomendo-lhe tranquilidade.”

    Mário Couto (PSDB-PA) – “Quero pedir licença ao nobre presidente para apartear o nobre Senador Demóstenes Torres de pé. […] Quem dera, senador Demóstenes Torres, todos os políticos fossem iguais a Vossa Excelência!”

    Eunício Oliveira (PMDB-CE) – “Acompanho a trajetória política de Vossa Excelência há vários anos por ter negócios e uma propriedade no estado de Goiás. Portanto, há vários anos, acompanho a trajetória de Vossa Excelência como seu admirador.”

    Rodrigo Rollemberg (PSB-DF) – “Admiro Vossa Excelência pela luta que desempenha. Vossa Excelência é uma referência inclusive no respeito à lei. […] Saiba que tem a nossa confiança.”

    Cássio Cunha Lima (PSDB-PB) – “Acredito que todos os oradores que me antecederam já foram pródigos na manifestação de confiança a Vossa Excelência por toda uma trajetória de vida ilibada, honrada, digna, transparente, corajosa. […] receba não apenas o meu abraço, minha solidariedade, mas o reconhecimento de que o senhor é um dos melhores exemplos de que é possível, sim, se fazer política com honra e com dignidade no nosso país.”

    João Ribeiro (PR-TO) – “Sucesso, senador Demóstenes! Tenho certeza de que não existe nada contra Vossa Excelência. Então, minha compreensão de que Vossa Excelência é um homem limpo, um homem público dos mais corretos que eu conheço.”

    Benedito de Lira (PP-AL) – “O exercício da democracia é exatamente isso aí… O homem público tem de estar altamente preparado para todas e quaisquer demandas, e nós, homens públicos, temos uma missão nobre: representar o povo dos nossos estados no Senado Federal com absoluta dignidade.”

    Casildo Maldaner (PMDB-SC) – “Não podia ficar calado neste instante sem dizer que por onde ando no meu estado, Santa Catarina, as pessoas me perguntam como que eles podem conseguir que Vossa Excelência vá lá fazer uma palestra. […] Perguntam-me: que homem é esse? De onde vem, Maldaner, esse homem? Esse é o clamor, isso é o que a gente sente. […] Santa Catarina acompanha de pé a maneira, a coragem, a hombridade, o destemor, as linhas que tem adotado aqui no Senado e neste país.”

    Randolfe Rodrigues (Psol-AP) – “Vossa Excelência sabe muito bem que um dos princípios fundantes do Estado como nós o conhecemos, do pacto civilizatório que nos rege, é aquele da presunção da inocência. Todos são presumidamente inocentes até que se prove o contrário. […] aqui é lógico que estabelecemos relações. Em particular, tenho a honra de estabelecer relação pessoal com Vossa Excelência, com o querido senador Pedro Taques.”

    Mozarildo Cavalcanti (PTB-RR) – “Geralmente um político, quando é acusado, a primeira coisa que faz é declarar que isso é armação dos seus inimigos políticos, ou que é uma conspiração da imprensa, ou que, por fim, está sendo caluniado. Vossa Excelência, ao contrário, disse que quer ser investigado e, em nenhum momento, se disse vítima de algum tipo de conspiração.”

    Flexa Ribeiro (PSDB-PA) – “O que nós vimos aqui […], de reconhecimento pelo seu trabalho e pela sua conduta, é suficiente para que a nação brasileira o tenha como uma das reservas morais do nosso país.”

    Francisco Dornelles (PP-RJ) – “Eu queria reiterar a Vossa Excelência o meu maior respeito e a minha maior admiração, e manifestar a minha confiança ampla, geral e irrestrita na conduta e nos procedimentos de Vossa Excelência. Muito obrigado.”

    Ana Amélia (PP-RS) – “Confesso que, no final de semana, ao ler o noticiário sobre a divulgação das gravações de escutas telefônicas das conversas de Vossa Excelência, fiquei perplexa […]. E, num momento de perplexidade, fico mais tranquila agora com os esclarecimentos […] aos seus colegas que, aqui como eu, aprenderam a admirar essa firmeza e esse compromisso com a legalidade, com a responsabilidade e com o trabalho comprometido com a ética na política.”

    Paulo Paim (PT-RS) – “Convivo com Vossa Excelência há praticamente dez anos. Nem sempre defendemos as mesmas posições. Mas eu aprendi a respeitar Vossa Excelência pela transparência.”

    Aloysio Nunes Ferreira (PSDB-SP) – “Ilustre senador Demóstenes Torres, não é por acaso que a Casa hoje verifica esta interminável sucessão de apartes ao pronunciamento de Vossa Excelência. É que todos nós aqui o conhecemos. […] Então, para quem o conhece, evidentemente, não carecia nenhuma explicação.”

    Jorge Viana (PT-AC) – “Certamente, Vossa Excelência vai ajudar-nos a fazer com que este país fique um pouco melhor do ponto de vista do manuseio de processos inconclusos, de acusações sem provas e, especialmente, de ilações. […] Há questões absolutamente pessoais, que não se podem confundir com a postura pública de Vossa Excelência.”

    Marta Suplicy (PT-SP) – “Quero dizer que sua atitude de vir aqui e de se posicionar levou toda esta Casa, pela sua trajetória pública e também pela maneira como está lidando com essas insinuações, a ter uma postura uníssona de situação e de oposição, o que é muito raro. […] A seriedade de acusações desse tipo, vazamentos, insinuações fazem com que o cidadão, no caso um senador brilhante de oposição, passe por uma situação absolutamente constrangedora.”

    Kátia Abreu (PSD-TO) – “Tenho a convicção de que tudo isso não vai passar de um grande dissabor, e de que Vossa Excelência vai provar sua inocência, como já está fazendo neste momento. Com muita dignidade, sobe à tribuna, pede o apoio dos colegas, fala sua versão, trabalhando com transparência, como sempre fez no Senado Federal.”

    Ricardo Ferraço (PMDB-ES) – “A obra de Vossa Excelência como promotor e como secretário de Segurança Pública, com o combate destemido ao crime organizado em Goiás, e a trajetória de Vossa Excelência no Senado da República já me faziam ser seu admirador ainda a distância – quando, do meu estado, eu admirava a forma destemida, com o coração aberto, com o peito aberto, com que Vossa Excelência sempre exerceu suas convicções.”

    Armando Monteiro (PTB-PE) – “A proximidade do convívio me permitiu ser testemunha de sua atuação, do zelo e da seriedade no desempenho de seu mandato. […] Receba, portanto, o testemunho do meu apreço e a manifestação da minha confiança.”

    Antonio Russo (PR-MS) – “Professor Demóstenes, eu queria agradecer-lhe os ensinamentos que nos oferece neste momento. […] E, com altivez, dando um ensinamento, o senhor dá um exemplo do que é a classe política, do quanto ela paga, de qual o preço que ela paga, injustamente às vezes.”

    José Agripino (DEM-RN) – “A cautela recomendava que as pessoas não fizessem qualquer tipo de aparte. Para surpresa do plenário, quando Vossa Excelência ia descer da tribuna, o senador Suplicy pediu um aparte. […] Mas este Plenário, sábio como é, pela voz dos seus líderes, dos seus integrantes, reduziu o fato à sua real dimensão. […] Vossa Excelência não cometeu nenhuma afronta à ética!”

    Ivo Cassol (PP-RO) – “De repente, alguém de dentro da família, infelizmente, no meio da caminhada, pode seguir um caminho torto, e o restante da família não se pode sacrificar. Portanto, sou solidário ao senhor.”

    * Declarações registradas em plenário pelo serviço de taquigrafia do Senado.

     

    http://www.viomundo.com.br/politica/congresso-em-foco-os-44-ex-defensores-de-demostenes-no-senado.html

     

  60. Patriarca da Paciência said

    meu caro Zbigniew,

    segundo a história as última palavras de Nero foram, “que grande artista o mundo irá perder”.

    Pode-se aplicar o mesmo ao Senador Demóstenes Tôrres, ou seja, o homem é um dos melhores atores de todos os tempos.

    Enganou calejados macados velhos.

    Realmente um grande artista, embora péssimo senador.

  61. Elias said

    Caros Zbigniew e Patriarca.

    I
    No porrilhão de manifestações transcritas pelo Zbigniew no comentário # 59, há uma que reputo ABSOLUTAMENTE sincera.

    É a do senador Mário Couto, do PSDB-Pa.

    Disse ele: “Quero pedir licença ao nobre presidente para apartear o nobre Senador Demóstenes Torres de pé. […] Quem dera, senador Demóstenes Torres, todos os políticos fossem iguais a Vossa Excelência!”

    É ISSO AÍ, COUTÃO!!!

    Pra quem não sabe, Mário Couto é zooempresário, assim como o Cachoeira. Nada mais compreensível ele desejar que todos os políticos sejam iguais ao Demóstenes.

    No mínimo, ficaria mais barato pra um bicheiro comprar um senador. Não precisaria gastar a baba que o Cachoeira gastou com o Demóstenes. Os bicheiros poderiam se dedicar aos seus bichos, e não precisariam se tornar senadores.

    Como Mário, o Tapiocouto, assim chamado porque, como Presidente da Assembléia Legislativa, gastou milhões de reais comprando tapiocas. (O que ele fez com tanta tapioca até hoje é um mistério. Suspeita-se que ele as teria usado pra alimentar um monte de ratos que infestam o Palácio da Cabanagem, hoje — e por causa — também chamado “Palácio da Sacanagem”.)

    Como se sabe, Mário Tapiocouto continua em liberdade…

    II
    Mas, afinal, como é que ficou mesmo aquela história do desembargador, que, segundo o Demóstenes, aceitou uma babinha pra desembargar uns policiais que moram e namoram na gaveta do Cachoeira?

    A sentença saiu ou não saiu como o Demóstenes disse que sairia?

  62. Zbigniew said

    Sabe, Patriarca.
    Faz parte do “espirito de corpo” a liturgia dos desagravos e confetes. No Parlamento e no Judiciário então e uma festa só. Nao posso acreditar que parlamentares governistas (os da oposição eu até posso entender) tenham caído nesta esparrela. Orra! E muita ingenuidade ou vontade de sair bem na fita, principalmente com a midia.

  63. Elias said

    De qualquer forma, é uma tristeza ver gente como o Suplicy e o Pedro Simon com tanta disposição pra bancar o Cavaleiro da Triste Figura…

    Gozado que, no início do inferno do Dirceu, o Suplicy assumiu, numa reunião, o compromisso de dizer uma coisa, no Senado. Na hora do vamos ver, disse o exato oposto.

    Na época, grampearam uma ligação telefônica do Dirceu em que ele se referia à conduta do Suplicy. “É um ator…”, disse o Dirceu, na conversa grampeada e reproduzida na imprensa (e no Weblog, do PD).

    Agora, pro Demóstenes, foi essa rasgação de seda toda…

    Estranho, esse Suplicy…

  64. Patriarca da Paciência said

    Elias,

    também concordo que o Mário Tapiocouto, o popular Coutão, aquele senador que apresenta todas as virtudes, trejeitos e modos de um verdadeiro orador de boteco, teve um rasgo de sinceridade impressionante.

    Defendeu a sua classe com incrível competência!

  65. Patriarca da Paciência said

    E a manifestação do Aécio?

    Realmente fantástica:

    Aécio Neves (PSDB-MG) – “Vossa Excelência é um homem digno, sempre agiu dessa forma em todos os cargos públicos que ocupou. E digo mais, Vossa Excelência, senador Demóstenes, é dos mais preparados e destemidos homens públicos deste país. E, por isso mesmo, dos mais respeitados.”

  66. Otto said

    Pax, você pode me citar uma única prova contra ZD?

    “O chamado Mensalão, termo inventado pela mente criativa do Roberto Jeferson, sob encomenda do grupo Veja-Cachoeira, Folha e Cia Ltda. já havia sido desmascarado pela absoluta falta do óbvio: PROVAS. A imprensa por meses a fio, gozando de plena liberdade para investigar e publicar quaisquer fatos que surgissem, as CPI’s, MP, PF, investigando, e tudo o que foi comprovado foi a existência de caixa 2, o que obviamente é crime e merece punição. O que não houve foi comprovação de compra de votos, o que caracterizaria o mensalão da denúncia. O próprio Roberto Jeferson já admitiu que inventou a denúncia, que mentiu. Mas na mídia, ninguém se retratou, e continuam com a armação. Agora que se sabe que a Veja-Cachoeira grampeava políticos, tendo até invadido o hotel em que estava José Dirceu recentemente para instalar câmeras e espioná-lo, é só raciocinar: por que em tantos anos de arapongagem não conseguiram sequer uma única prova de ilícito, de participação dele no fictício mensalão, uma foto ao menos, um filme, um documento, nada. As investigações da oposição, das CPI’s, da imprensa com suas manchetes sensacionalistas diariamente por mais de um ano em 2005/2006, e agora sabemos, as espionagens da quadrinha do Cachoeira e seus arapongas em conluio com a Veja, são de certa forma uma prova de idoneidade para José Dirceu.”

  67. Michelle de Souza Malone said

    Good day for everyone

    medeus…a coisa tá piorando. O “enrabador-mor” é uma tartaruga ninja, sim senhor.

    Um carinha nomeado pelo lula (o ex PGR) resolveu propor o indicimento da
    “sofisticada organização criminosa, supostamente, chefiada por ZD” por sufiência de provas e enviar o caso ao STF, que acolheu a recomendação do PRG e outro carinha ( o Min Joaquim, também indicado por lula), o ministro-juiz relator, decidiu que havia provas suficientes para apontar quase 40 pessoas como reus do processo da “sofisticada organização criminosa supostamente chefiada por ZD”.
    O STF acolheu a recomendação do exPRG e do ministro relator. Isto é fato real. Todos eles são réus no processo.

    E agora os idiotas petistas de plantão resolvem achar que tudo é um engano.
    Dizem que nada foi provado:
    – Nada foi provado. A culpa é do Cachoeira e da Veja que mandaram o PT pagar
    6 milhões de dolares ao marketeiro da campanha, numa conta offshore ( gravado em video na CPI). Veja mandou e o PT pagou. (O PT é tão bonzinho).

    A Veja e o Cachoeira também mandaram o PT (Delubio) se enrolar com “recursos não contabilizados”. O PT acatou a ordem vinda da VEJA e depois se enrolou nessa ( Genoino se apagou) e decidiram expulsar “de mentirinha” o nosso Delúbio.
    Mas hoje “se percebe” que tudo não passou de uma armação da direita.
    O PT apenas cumpriu ordens da VEJA e do Cachoeira.
    Veja mandou e o PT pagou o mico. (O PT é tão bonzinho).

    Comento
    Homens barbados -alguns sexagenários -declarando que acreditam na inocência do ZD ( ou existência de Papai Noel ou do Saci Pererê, por que não?) revelam a verdadeira
    natureza dos petralhas: casco duro e miolo mole!

    eijinhos…sem o b

    P.S. Logo, logo o “enrabador-mor” achará que ele próprio é uma Tartaruga-Ninja!
    E eu concordarei em genero, número e grau!
    – Vossa Excelência é uma tartaruga ninja! Sem sombra de dúvida.

    rsrsrsrs risinhos de menininha inocente.

  68. Pax said

    Caro Patriarca,

    Creio que devo-lhe desculpas por um desentendimento que causei. Em momento algum quis lhe imputar qualquer desejo de patrulhar ideologicamente este minúsculo espaço do qual tenho o prazer da tua companhia.

    O que quis dizer, e parece que foi uma acertada antevisão, foi que a base, a militância, tendia a esquecer suas mazelas dentro do principal escopo deste blog e entrar de sapato alto n gramado muito escorregadio.

    Ainda como corolário aconteceu o pior dos mundos, que é colocar a culpa das tais mazelas, que existem, sim, em uma tese que já cansei de dizer aqui que não comungo, a tal existência de um projeto articulado da mídia para retomada do poder pela direita tacanha.

    Zé Dirceu, para mim, morreu política-eleitoralmente. Nunca terá o lugar que me parece querer, se pensarmos que este lugar só se conquista nas urnas. E não o absolvo, muito menos advogo sua inocência no processo em que é réu. ZD paga por uma atitude pessoal que é sua escolha, única e exclusivamente sua. Opção pessoal. O poder, em minha opinião, não lhe fez muito bem.

    Patrulha ideológica vejo no que li alhures. Nos conhecemos virtualmente já faz muito anos e mantenho por você o mesmo respeito que tenho a absoluta certeza que você mantém por mim.

    Isto posto, meu caro, não tenho problema algum em repetir quantas vezes for necessário: desculpe-me pelo mal entendido.

    Caro Marcelo Augusto,

    A questão do meu link é que eu teclo onde acho sinal. Moro numa serra. Dentro do terreno daqui de casa há alguns morretes. Num deles há sinal 3G. Levava o notebook para lá, mas é um local sem infra alguma. Mato e um pequeníssimo pasto. Com o iPhone fica muito mais fácil porque todos os dias dou uma ou mais passeada numa trilha que percorre o pequeno sítio. É o maior prazer dos cachorros e também gosto muito.

    Quando estou com sinal 3G e infra levo meu Mac e o modem USB que funciona bem se tiver sinal bom.

    Ainda estou procurando a solução e sei que dentro em breve voltarei a ter uma banda larga, mesmo que fraca. Aqui em casa. Mesmo assim agradeço muito tua vontade em ajudar.

    Cara Michelle,

    Este espaço é aberto. É, ao menos tento desesperadamente, democrático. Todas as opiniões são livres. Todas tem direito de serem expressas. Qualquer que seja.

    Só que há moderação, sim. Pós moderação. Problema é fazer isto neste modelo que arrumei de fazer posts e comentar via email. Para moderar tenho que entrar como administrador e fazer esta tarefa. Que é muito chata.

    Depois de vários anos participando e administrando blogs tenho algumas verdades minhas. Que compartilho com todos, quando o blog é administrado por mim. Uma delas é a certeza que o trato educado com todos, principalmente de minha parte, produz um ambiente que facilita o que mais gosto, o motivo de ter este trabalho diletante: o espaço de discussão.

    Onde quero chegar? Em dois pontos. O primeiro é reforçar que sua participação é bem-vinda, sim. O segundo é afirmar que, nas CNTP eu teria excluído tua manifestação para com o Marcelo Augusto que considero desnecessária e contrária ao fomento das boas discussões. Posso te pedir para evitar?

    Uma boa Páscoa a todos e meu eterno agradecimento por contribuírem para que este espaço seja livre e diverso.

    Enviado via iPhone

  69. Pax said

    Caro Otto,

    Você me pede provas contra ZD? Mas, ora, não sou promotor nem polícia.

    Estes, produziram tantas provas que o STF recebeu a denúncia.

    Sua pergunta para mim está nos autos do processo que não tenho acesso.

    Cá, do meu cantinho, só tenho achismos e uma boa lembrança do Waldomiro Diniz sentado à porta próxima do réu.

    =)

    Enviado via iPhone

  70. Patriarca da Paciência said

    É isso aí, meu caro Pax,

    às vezes a gente está num momento desagradável e não entende as coisas no seu verdadeiro significado.

    De minha parte não há qualquer ressentimento. Acho que você está fazendo mesmo uma grande tentativa de ser democrático e está conseguindo algum êxito, o que não fácil. Tudo bem e feliz Páscoa para você também.

    Quanto ao Zé Dirceu continuo com a mesma opinião – tudo foi uma grande armação do Carlinhos Cachoeira, Demóstenes Torres e revista Veja em combinação explosiva com o histerismo do Bob Jeff.

    Há uma imensa diferença entre as provas que apareceram contra o Demóstenes Torres e as suposições contra o Zé Dirceu – contra o Demóstenes, todo mundo viu e ouviu, contra o Zé Dirceu, apenas a “grande imprensa” trombeteou e muitas pessoas acreditaram, simplesmente acreditaram. Há mesmo uma imensa e enorme diferença.

    É isso aí. É o que acredito eu. Vamos ver o que diz a Justiça.

  71. Patriarca da Paciência said

    Só mais uma observaçãozinha, meu caro Pax,

    eu me sinto preparado e aceitarei a decisão de Justiça, qualquer que seja ela.

  72. Chesterton said

    DEmóstenes perdeu seu eleitorado.
    Dirceu et caterva mantem seu eleitorado.

    obs belas fotos

  73. Otto said

    Pax:

    todo mundo sabe que o STF aceitou a denúncia do mensalão com a faca no pescoço, pressionado pela mídia que agora toda mundo sabe que era sócia do Cachoeira (refiro-me a Veja).
    E se com todas as arapongagens da mídia eles não conseguiram um vídeo, um áudio que incriminasse o ZD, é porque isso tá com cara de armação, aliás, uma prática comum em nossa história, veja o exemplo do plano Cohen.

  74. Michelle de Souza Malone said

    Happy Easter for everyone

    Nada como um “petralha antiquado”: Plano Cohen…rsrs
    Daqui a pouco vão dizer que a culpa é pelo Mensalão da
    “rebimboca da parafuseta” ou da CIA como acreditam
    as minhas cantoras brasileiras preferidas : a Marron e a
    Beth Carvalho.
    Fazer o que né?

  75. Michelle de Souza Malone said

    (continua)
    E pra animar um pouco a discussão:

    Contículos 2 – LUIZ FERNANDO VERISSIMO
    O ESTADÃO – 08/04/12

    Dois homens tramam um assalto.

    – Valeu, mermão? Tu traz o berro que nóis vamo rendê o caixa bonitinho. Engrossou, enche o cara de chumbo. Pra arejá.

    – Podes crê. Servicinho manero. É só entrá e pegá.

    – Tá com o berro aí?

    – Tá na mão.

    Aparece um guarda.

    – Ih, sujou. Disfarça, disfarça…

    O guarda passa pelos dois, que fingem estar discutindo.

    – Discordo terminantemente. O imperativo categórico de Hegel chega a Marx diluído pela fenomenologia de Feurbach.

    – Pelo amor de Deus! Isso é o mesmo que dizer que Kierkegaard não passa de um Kant com algumas sílabas a mais. Ou que os iluministas do século 18…

    O guarda se afasta.

    – O berro tá recheado?

    – Tá.

    – Então vamlá!
    *****
    pra bom entendedor…meia palavra basta

  76. Patriarca da Paciência said

    Pra bom entendedor, como diz a Bíblia, “as pessoas julgam os outros por si mesmas”.

  77. Michelle de Souza Malone said

    (continua)
    Pra bom entendedor, como diz a Bíblia, “as pessoas julgam os outros por si mesmas”.
    …sinto muito Excelência, embora eu concorde com Vossa Excelência, a Bíblia não fala nada disso.Pode ser que seja uma nova edição petralha à qual eu não tive acesso. Por favor corrigir-me caso seja necessário.

    Para consolo eu ofereço novas reflexões:
    Pra 1/2 entendedor 1/4 de palavra basta ou + ainda:
    Pra 1/4 de entendedor 1/8 de palavra basta…

    Pra 1/32 de entendedor 1/64 de palavra basta…
    Seria esse último, o caso de Vossa Excelência?

  78. Pax said

    Caro Otto,

    Você quer, sinceramente, que eu acredite que só existe um processo do mensalão do PT, no STF, porque a revisteca Veja fez pressão?

    Desculpe-me, mas esta é história da carochinha que só militante desinformado aceita e repete.

    Cá entre nós, vamos na real.

    Se você procurar neste blog verá que há um post em que opino que Lula foi o melhor presidente do Brasil. Se fosse reescrever provavelmente seria outro texto, mas a afirmação, o ponto central do post, continuaria.

    Pois bem, só que sabemos como foi o governo, sabemos como é governar um país onde a classe política virou o que virou. Em essência não foi muito diferente do que passou com FHC.

    Deu no mensalão. O maior erro de ZD, na minha opinião, foi a arrogância, a prepotência. Achou que tudo podia ao estar por cima da carne seca. E há o dito erudito infalível: vacilastes sun, enrabadus est.

    O que me incomoda nesta história toda? A galera querer tapar o Sol com a peneira e não encarar o problema de frente, fazer a reforma política, a eleitoral, a fiscal e tributária etc etc.

    O que vai acontecer? Vai não, já está em curso e a bom vapor, o PT virou um partido tão honesto quanto um PMDB e similares. Ainda não chegou ao “grau” de aprimoramento final. Mas está se esforçando bem…

    Enviado via iPhone

  79. Zbigniew said

    O duplipensar e tipico. Certezas?! So em relacao ao PT e seus asseclas. PSDB e DEM?! O tom e de decepcao por nao poderem manter a ideia de mantenedores e fiscais da etica e dos bons costumes. O DEMostenes tava servido tao bem!

    O Caroni tem toda razao. O PIG vai enterrar o assunto, embora isto ja nao seja mais “conditio sine qua non” para que o assunto seja definitivamente enterrado.

    “(…)

    O incômodo Demóstenes deve, após a sequência de denúncias, ter um diagnóstico clínico que despolitize o seu desvio. Merece, pelos serviços prestados, um roteiro que conte a tragédia do Catão caído, até que, finalmente, desapareça na lata de lixo reservada aos que fugiram da trama original. Assim agem os bons autores ao tomar como ponto de partida uma realidade familiar e palpável e transformá-la em espetáculo perecível. Em tempo: o DEM, assim como o PFL, nunca contou com o apoio das corporações midiáticas por um simples motivo: nunca existiu.

    (…) Vejam como operam nossos talentosos colunistas. Orwell ficaria tão contente que, com certeza, lhes arrumaria um lugar no Ministério da Verdade.

    “Em um mês, o senador Demóstenes Torres passou de acima de qualquer suspeita para abaixo de qualquer certeza, num episódio que desafia os romances policiai s mais surpreendentes. Alem da atuação implacável contra a corrupção, ele tinha a cara, vestia o figurino e se comportava como um incorruptível homem de bem – e talvez seja mesmo sócio da holding criminosa de Cachoeira (Nélson Motta, 6/04/2012, o Globo)

    “Demóstenes Torres não seria beneficiado pelo “vício insanável da amizade” – expressão usada pelo notório Edmar Moreira (o deputado do “castelo”) para definir o principal obstáculo a punições -, pois os amigos que fez ali estão entre as exceções e os demais confirmam a regra.Por terem sido alvos do senador na face clara de sua vida agora descoberta dupla, podem querer mostrar-se ao público em brios. O problema, porém, é a falta de credibilidade” (Dora Kramer, 6/04/2012, Estado de S. Paulo)

    “Esse personagem que o senador criou para si próprio não era uma mentira de Demóstenes, ele incorporou esse personagem e acreditava nele. Podia acusar com veemência seus colegas senadores apanhados em desvios, como Renan Calheiros, enquanto mantinha o relacionamento com o bicheiro Carlinhos Cachoeira porque, como todo psicopata, não misturava as personalidades “(Merval Pereira, reproduzindo argumento do psicanalista Joel Birman, 30/03/2012, O Globo)
    (…)”
    http://www.viomundo.com.br/politica/gilson-caroni-filho-demostenes-e-o-duplipensar-da-grande-imprensa.html

    A direita e uma comedia. O Demostenes e o soldado americano que matou pelo menos 16 no Afeganistao sao duplices, psicopatas, coitados! Podiam viver em duas realidades sem mistura-las. Precisam de medico, urgentemente! Os petistas e muculmanos?! Vcs ja sabem. Da pra levar a serio?

  80. Pax said

    Caro Zbigniew,

    De que adianta bater em cachorro morto?

    Mais vale a pena bater em cachorro que ainda pode, eventualmente, ter alguma solução.

    Parece que a militância quer adotar o modelo Sarney de existir.

    É isso?

    Porque, se sim, aí temos mais um cachorro morto estendido no asfalto.

    Seria uma lástima.

    Enviado via iPhone

  81. Otto said

    Pax:

    Concordo com você sobre a necessidades de reformas urgentes. E a mais urgente, sem a qual a corrupção nunca será enfrentada adequadamente, é a reforma política, acabando com a financiamento privado de campanhas.

    Quanto ao assunto mensalão, vc. viu o Domingo Espetacular ontem?

    Eis como PHA relatou:

    “O programa Domingo Espetacular exibiu uma entrevista que este ansioso blogueiro fez com o ex-prefeito de Anápolis, Ernani de Paula.

    Ernani fez importantes revelações:

    – Foi Carlinhos Cachoeira quem mandou filmar o ato de suborno nos Correios que deu origem à crise do “mensalão” (que, segundo Mino Carta, ainda está por provar-se);

    – Que quem contou isso a Ernani foi o Carlinhos, que chegou a descrever o tipo de câmera usou na operação clandestina;

    – Carlinhos mandou gravar para vingar Demóstenes, porque José Dirceu, chefe da Casa Civil do Governo Lula, impediu que Demóstenes assumisse o cargo de Secretário Nacional de Justiça, o que equivale a vice-Ministro da Justiça;

    – Que, como Demóstenes, ele, Ernani, tinha um rádio Nextel para receber mensagens seguras;

    – Que viu um repórter da Veja na empresa de genéricos de Cachoeira em Anápolis;

    – Que o vídeo de Valdomiro Diniz com Cachoeira tinha o mesmo objetivo: incriminar Dirceu, chefe da Casa Civil.

    – Cachoeira entregou o vídeo à Veja dois anos depois, quando Diniz trabalhava com Dirceu.”

  82. Otto said

    Pax:

    ó o link com a reportagem: http://noticias.r7.com/videos/ernani-jose-de-paula-diz-que-video-do-mensalao-foi-produzido-por-cachoeira/idmedia/4f824473fc9b95f3dc516ab5.html

  83. Zbigniew said

    Cachorro morto, Pax?!

    E o esquema de corrupção que sustenta essa corja e que se capilariza por todos os partidos e instituições da Republica?!

    Só porque ainda nao pegaram o ZD (afora tua antipatia pelo arrogante indigitado e, claro, “indícios suficientes” de autoria que autorizaram o recebimento da denuncia no STF, que outras provas robustas e irrefutáveis existem?), vamos passar a mão na cabeça dos demais corruptos?!

    Dois pesos, duas medidas?

  84. Elias said

    Por que não fazer do limão uma limonada?

    O Senado já está a meio caminho de se tornar um valhacouto de bandidos. Por que não fazer com que ele percorra a outra metade desse caminho e, enfim, realize sua mais ostensiva e grata vocação?

    O Senado se tornaria um organismo para abrigar bandidos declarados irrecuperáveis para o convívio social. Ele funcionaria num presídio de segurança máxima, construído especialmente pra essa finalidade.

    As atuais instalações do Senado seriam aproveitadas pra funcionamento do Museu Nacional da Pornografia. O plenário passaria a ser usado pra exibição de filmes pornôs em 3D, numa homenagem às mães de alguns senadores brasileiros.

    Antes de cada sessão, o cinema do Museu da Pornografia exibiria flashes dos debates no Senado (estou chutando os diálogos, mais ou menos como li num blog há alguns anos):

    – …………….

    – Vossa Excrescência me concede um aparte?

    – Concedo. Ouvirei com atenção o que dirá Vossa Marginalidade.

    – Obrigado, Excrescência. E pergunto: a família de Vossa Imundície tem algum parentesco com minhoca? Vá gostar de terra assim, na casa daquela santa criatura que defeceou Vossa Gatunidade!!! Só neste ano, a gangue — perdão! — a família de Vossa Vagabundagem já grilou 3 ou 4 absurdilhões de hectares de terra…

    – Saiba Vossa Imbecilidade que quem gosta de minhoca é a honrada esposa de Vossa Cornice. Todos, nesta Augusta Casa de Tolerância, já tiveram a oportunidade de desfrutar dos irresistíveis prazeres que aquela respeitável dama tão bem proporciona, ao exercitar sua “expertise” em manipulações de minhoquinhas (como a de Vossa Incompetência), minhocas e minhocões (como a deste humilde interlocutor de Vossa Mansidão Cornal).

    ………

    Teríamos, assim, um Senado com uma finalidade social à altura de seus membros…

  85. Pax said

    Sinceridade, caro Otto?

    Se fosse me basear no que (des)informa PHA e eu minimamente tentasse algum equilíbrio teria que dar ouvidos ao titio histérico.

    São duas faces da mesma moeda. Cada um com seu lado.

    Não é porque tenho convicções social democráticas que meu ouvido virou lixo.

    Enquanto ficarmos nesta aceitação de “coisas” porque elas são do nosso lado, mais afundamos este país nesta lama em que está metido, o mote central deste blog.

    Digo isto aos meus amigos petistas como digo exatamente o mesmo para meus amigos tucanos e verdes.

    Todos chafurdam e arrumam as desculpas mais esfarrapadas para justificar suas “escorregadas”.

    A minha triste impressão é que a rapaziada acha que o modelo é esse e que não há outro a ser almejado.

    PQP.

    Renan, Jucá, Collor, Sarney, etc etc adoram ver a militância petista defendendo estas “bandeiras” borradas de bosta.

    Sabem que enquanto isto estiver acontecendo seus lugares no alto poder da República estarão mais que garantidos.

    Ou vocês acham que, na hipótese do PT perder as próximas eleições, esta turma ficará ao lado de Lula e Dilma?

    Enviado via iPhone

  86. Patriarca da Paciência said

    Michelle,

    vou desenhar:

    “Assim como julgueis, sereis julgados; assim como medirdes, sereis medidos (por vós mesmos).

  87. Pax said

    Caro Elias,

    Seria um bom corolário do “Estrago do Demóstenes”.

    Virou uma casa de tolerância de profissionais pelancudas e, uma enorme parcela, bandidas de navalha.

    Boa.

    Enviado via iPhone

  88. Patriarca da Paciência said

    O Lula tentou emplacar um projeto de financimaneto público de campanha. Conversou com um, conversou com outro, foi daqui, foi para ali e se aquietou.

    Viu que a coisa não tem a menor chance.

    Ou seja, pelo menos por enquanto, a mãe de todas as corrupções, o financiamento privado de campanhas políticas, não tem chance de ser exterminada.

    É uma equaçãoi simples – alguém investe num candidato que tem bom potencial e depois cobra a conta.

    Complexo e difícil mesmo é enquantrar uma fórmula que resolva o problema.

  89. Pax said

    Ou, caro Patriarca, Lula gostou de jogar o jogo.

    Não é porque tenha sido um bom presidente que tenho que achar que é santo.

    Não é.

    Taí o Lulinha que não me deixa mentir.

    Aliás, desnecessário demais macular a imagem por conta de mimar filho.

    Uma pena.

    Tomara que a filha de Dilma não tenha a mesma gula do Lulinha.

    Enviado via iPhone

  90. Edu said

    Um post sobre o Demóstenes.

    70% dos comentários sobre a inocência do Zé Dirceu.

    Que isso gente! É tudo mal entendido, ambos são inocentes… afinal, nada foi provado…

  91. Patriarca da Paciência said

    Pax,

    o próprio Lula declarou que “em política não há irmãs de caridade”.

    Em qualquer lugar do mundo, o corrupto só não praticará corrupção se não houver condições para isso.

    Uma vigilância real e concreta de uns partidos contra os outros e leis que realmente não permitam corrupção e sejam duras em punição.

    O problema é que ainda é possível fazer política no Brasil do jeito em que o sistema se encontra.

    E muitos políticos aprenderam o tal jogo e o jogam muito bem.

    Então, não querem aprender “truques novos”, como diz o Elias.

    É uma batalha longa e consativa que a sociedade brasileira tem que encarar.

    Uma batalha para algumas décadas!

  92. Pax said

    Caro Patriarca,

    Vários países nórdicos mudaram um cenário parecido com este nosso, nojento, em 30 anos.

    Mas é preciso começar.

    Uma das máculas de Lula foi não ter iniciado este processo. E tinha apoio da sociedade para fazer, para acertar um pouco o rumo.

    Porque não fez?

    Enviado via iPhone

  93. Patriarca da Paciência said

    Pax,

    na minha modesta opinião o Lula não só iniciou como está com toda a espectativa de continuar trabalhando para isso.

    Mas como você mesmo diz, isso países nórdicos levaram trinta anos para conseguir algum resultado.

    Edu,

    vou repetir para você o mesmo comentário que já fiz para o Pax:

    “Há uma imensa diferença entre as provas que apareceram contra o Demóstenes Torres e as suposições contra o Zé Dirceu – contra o Demóstenes, todo mundo viu e ouviu, contra o Zé Dirceu, apenas a “grande imprensa” trombeteou e muitas pessoas acreditaram, simplesmente acreditaram. Há mesmo uma imensa e enorme diferença.”

  94. Zbigniew said

    Ja que existe uma cruzada contra a corrupcao e pela etica por parte da grande midia (em especial no governo federal e contra o PT, logico), pergunta-se: por que raios de motivos este caso nao esta sendo explorado em ambito nacional. Sera que e porque tem a ver com algumas, digamos, afinidades politicas inconfessaveis e que podem bater, mais uma vez, na oposicao, atingindo, inclusive, um senador famoso, aquele que levou uma bordoada da Dilma e ficou com cara de tacho.

    “Por Carlos Alberto Barbosa

    Caro Nassif. sou jornalista em Natal (RN) e tenho um blog (www.blogdobarbosa.jor.br) Ocorre que está havendo um grande escândalo no TJ do RN e a imprensa nacional até agora não deu nenhum destaque. Trata-se do caso dos precatórios, desvio de recursos de precatórios dentro do Setor de Pricatórios do TJRN. A pivô do escãndalo, Carla Ubarana, ex-chefe do setor, está em prisão domiciliar. Ela e o marido, por ter participado também do esquema. Na delação premiada, que acordou com a Justiça, Ubarana delatou dois desembargadores – Osvado Cruz e Rafael Godeiro.

    Nesta terça-feira (10_ está previsto a leitura do relatório de uma sindicância interna, cujo presidente da Comissão é o desembargador Caio Alencar. Já se sabe, de antemão, que os dois desembargadores estão relacionados no relatório. O caso já bateu as portas da prefeita de Natal Micarla de Sousa. Estou enviando um Editoral que publiquei no meu blog que fala sobre o caso. Desde já agradeço a atenção dispensada. (…)”

    http://www.advivo.com.br/blog/luisnassif/o-caso-dos-precatorios-no-tj-do-rn#more

  95. Otto said

    Oi, Pax:

    O miguel do Rosário fez um texto que diz mais ou menos o que eu penso.
    É meio longo, mas vale a pena a leitura:

    http://www.ocafezinho.com/2012/04/09/umberto-eco-o-mensalao-e-a-pizza-da-morte/

  96. Michelle de Souza Malone said

    Goodday for everyone

    1. Lucas 6, 36-38 –
    “Sede misericordiosos como vosso Pai é misericordioso . Não julgueis e não sereis julgados, não condeneis e não sereis condenados; perdoai e sereis perdoados; daí e vos será dado. Derramarei em vosso regaço uma boa medida, calcada, sacudida e tansbordante . Porque a medida com que medirdes servirá de medida para vós” (Palavras atribuídas a Cristo, segundo o evangelista Lucas).
    Excelência, a citação correta é essa e humildemente sugiro que Vossa Excelência passe do discurso petralhotário à ação cristã.

    Ou o que vale para a comunidade cristã não vale pra Vossa Excelência, que sentindo-se incluído na anedota do Veríssimo ((vestiu a carapuça?)) resolveu vomitar e “cagar regras” usando situações evangélicas ? Faça direito da próxima vez. Chega de hipocrisia.
    ________________________________

    2. Pax se você me ameaçar novamente de censura, eu vou amarrar meu burro em outra freguesia. Simples assim.
    Mas por respeito ao seu trabalho de “moderador” ( além de dono do blog,é claro) resolvi te responder.
    Na semana passada apesar de simpatizar com algumas coisas que o Marcelo Augusto escreve, fiquei impaciente com a chatice costumeira do comentarista e assim escrevi.
    Marcelo resolveu me dar um coice fino e aproveitei para lhe dar um coice grosso no rabo do infeliz..
    Na verdade, era um gancho pra comentar a finesse do Diretor da Petrobrás S.A., o porquinho da Dilma -o Zé Dutra -que mandou a Oposição “enfiar o dedo e rasgar”, tema que passou batido entre os comentaristas do pedaço…mais preocupados em caluniar a Veja e o R.A. como fazem todo dia.
    Marcelo, o intocável “farsante liberal” que quer impor seu modo de pensar custe o que custar, resolveu partir pra pedir censura no blog.
    E vc “hipocritamente” (na minha opinião ) concordou.
    Sugiro que você leia cuidadosamente todos os meus comentários antes de me ameaçar de censura por causa do meu comportamento irreverente.
    Caso contrário serei obrigada a repetir a frase infeliz do Zé Dutra, com vc também.

  97. Michelle de Souza Malone said

    (continuação)
    3. Nascido no Facebook, o movimento “Queremos Ética na Política” acaba de lançar ─ em parceria com o Transparência Brasil e outros 21 grupos também criados na internet ─ a campanha batizada de Missão Ampulheta.
    https://www.facebook.com/groups/eticanapolitica/

    Objetivo: pressionar os integrantes do Supremo Tribunal Federal, especialmente o ministro Ricardo Lewandowski, para que o processo do mensalão seja julgado ainda neste semestre.

    Um manifesto redigido pelos organizadores será entregue ao ministro Ricardo Lewandowski, revisor do processo, durante a audiência marcada para as 16h do próximo dia 25, no salão branco do STF. Os militantes envolvidos na Missão Ampulheta, como avisa o nome da campanha que já contabiliza mais de 60 mil adesões, querem deixar claro que a passagem do tempo beneficia os mensaleiros impunes.

    Convocadas para o feriado de 21 de abril, manifestações de protesto divulgarão o encontro com Lewandowski e insistirão numa nova palavra de ordem: “SOS STF: julgamento do mensalão já”. Mais informações podem ser encontradas no Facebook , na página Mensalômetro.
    https://www.facebook.com/pages/Mensal%C3%B4metro/351276648256723

    Eu apoio o movimento!

  98. Michelle de Souza Malone said

    (continuação)
    4. Da série “A realidade adora desmentir os petralhotários”.

    Novo relatório do mensalão propõe investigação no BB
    (continuação)
    DE SÃO PAULO

    O relatório final da Polícia Federal sobre a origem do dinheiro do mensalão aponta total descontrole nos gastos do Banco do Brasil com publicidade, informa reportagem de Andreza Matais e Rubens Valente, publicada na Folha desta segunda feira (a íntegra está disponível apenas para assinantes do jornal e do UOL).

    O documento também propõe que um inquérito apure o “incrível poder discricionário” dos diretores do banco para indicar empresas que são “agraciadas com recursos públicos”.

    O relatório confirma que recursos repassados pelo BB foram uma das principais fontes do esquema, revelado pela Folha em 2005.

    O banco disse que “refuta a ilação” feita no relatório de que recursos foram usados no mensalão.

    Pergunto: E petralha admite alguma coisa?
    Quando flagrados roubando ( ou deixando roubar) eles se comportam exatamente como na anedota do Veríssimo…começam a discutir a essência filosofia socialista alemã( ou preceitos religiosos cristãos., de forma canhestra)
    A Excelência (aquela) já tinha nos revelado alguns posts atrás..hehehe


    Alguém discorda?

  99. Michelle de Souza Malone said

    (continuação)

    5. Da série “A realidade adora desmentir os petralhotários”.
    Constrangido por Paulo Henrique Amorim, Ayres Britto recusa convite para abrir encontro da BESTA

    Miro, PHA, e Klouri com Ayres Britto: jornalista precisa de advogado para ir ao STF?

    Na noite da última terça-feira, o STF foi palco de uma cena de constrangimento como há muito não se via. O protagonista — vítima — dessa cena foi o festejado ministro Carlos Ayres Britto, que abriu uma brecha em sua tumultuada agenda para receber uma entidade que supostamente atuaria em defesa da liberdade de imprensa. A tal entidade solicitara o encontro para entregar-lhe pessoalmente um “honroso” convite para participar da abertura de um evento que acontecerá em Salvador, no dia 25 de Maio. É o terceiro encontro dos autoproclamados “blogueiros progressistas”.

    A solicitação foi encaminhada por um nome conhecido entre os jornalistas brasileiros: Paulo Henrique Amorim. Consultada, a assessoria de imprensa do STF aquiesceu. A defesa da liberdade de expressão e de imprensa tem sido a pedra angular a orientar as posições de Ayres Britto no curso de processos históricos. Portanto, pelo menos em tese, não haveria nenhum inconveniente em ceder 30 minutos do tempo do magistrado ao presidente da tal entidade.

    As surpresas começaram quando, às sete e meia da noite, a porta do gabinete se abriu para a entrada dos solicitantes da audiência. Além de Miro Borges, presidente do Instituto Barão de Itararé (o braço institucional da BESTA [Blogosfera Estatal]), estavam com ele o próprio Paulo Henrique Amorim e seu advogado, Marcos Cesar Klouri. O encontro foi registrado por um fotógrafo. A foto, que reproduzo acima, foi estampada na capa do Conversa Afiada, o blog de PHA.

    A primeira pergunta que ocorreu a alguém que testemunhou a cena: por que um jornalista, ao se encontrar com um ministro do STF, se faria acompanhar por um advogado ?

    Não é difícil saber a resposta. Ela pode ser encontrada no post escrito por Paulo Henrique Amorim sobre a reunião (no pé desta página. Se quiser ampliar, clique sobre a imagem). “No encontro , (…) Miro foi acompanhado deste ansioso blogueiro e seu advogado para causas cíveis – são umas 40 – Cesar Marcos Klouri”. Ou seja: PHA levou seu advogado para fazer lobby junto a Ayres Britto, antecipando teses que serão discutidas durante o julgamento de questões envolvendo seu notório cliente.

    Recorro uma vez mais ao texto do Conversa Afiada para demonstrar como isso aconteceu. “Sobre a crescente judicialização da censura à liberdade de expressão, Britto acredita que o próprio STF já se pronunciou em diferentes decisões – inclusive dele, Britto – de forma a assegurar a liberdade”. E quem apresentou o problema da “judicialização” (eufemismo para introduzir a discussão das “mais de 40 ações” contra o blogueiro) ao ministro ?

    Ao post:

    “Klouri lembrou que, em recente vitória do ansioso blogueiro na Justiça do Rio contra Daniel Dantas, corajosa decisão da Juiza se baseou em muitos pontos em decisões de Britto. O Judiciário progressivamente entenderá inclusive a linguagem irreverente – à la Itararé – e crítica da Internet, observou Klouri: que precisa ser diferente da linguagem da mídia tradicional, inclusive por seu caráter interativo”. O ministro desconversou: “É uma questão de tempo”, disse ele, que não estava disposto a debater a tese do advogado de defesa de um réu contumaz.

    É possível que Ayres Britto tenha ficado confuso com o paradoxo dos argumentos que seus visitantes foram defender. Por um lado, o convite tinha como objetivo conseguir que o ministro levasse sua credibilidade para abrilhantar o evento da BESTA em Salvador. O foco do evento, no entanto, estava centrado na “luta pelo Marco Regulatório da Comunicação e a crescente censura a blogueiros pela Justiça”.

    Traduzindo: ao mesmo tempo em que pugna pela nova censura para a imprensa convencional, rotulada agora como “Ley de Medios”, PHA pretende obter da Justiça o reconhecimento de que a internet pode ser utilizada como um octágono de vale-tudo, selva sem normas em que até injúrias raciais, como as de que ele lançou mão para ofender o colega Heraldo Pereira, da Globo, poderiam ficar imunes a qualquer sanção.

    Não é demais lembrar que o “ansioso” blogueiro, quando acuado por seus contendores, ameaça processar em série quem o critica, “judicializando” as contendas sempre que está em desvantagem — como estava quando foi obrigado a se retratar diante de Heraldo Pereira e a indenizá-lo com R$ 30 mil por tê-lo qualificado como “negro de alma branca”. O próprio editor deste Blog está na relação de 15 veículos, blogues e jornalista que ele anunciou que irá processar. Assim, PHA reivindica para si algo que quer suprimir dos outros: o direito à crítica.

    Voltemos à reunião com Ayres Britto.

    Lá pelas tantas, o ministro tentou explicar cordialmente por que não iria ao encontro da BESTA. “Ayres Britto informou que aceitará o convite, desde que não haja um impedimento técnico: assunto correlato estar em julgamento no Supremo”, diz o post do Conversa. Ou seja: recusou o convite.

    O “assunto correlato em julgamento no Supremo” atende pelo número AI 770191 (clique para consultar) no protocolo do STF. Trata-se de um Agravo de Instrumento em processo de indenização por danos morais movido por PHA contra Diogo Mainardi e a Editora Abril.

    Paulo Henrique e Miro fingiram que não entenderam a recusa. Pediram ao ministro pelo menos para ”enviar mensagem que possa ser lida como abertura oficial do evento” que discutiria a nova censura proposta dentro do cavalo-de Tróia da “Ley de Medios”, a despeito de o juiz da corte suprema ter afirmado que “não vê necessidade de qualquer lei que regule a liberdade na Comunicação, porque a Constituição regula tudo”.

    E foram além. Diante da resistência de Ayres Britto, ”Miro informou que o Encontro reproduzirá o que fez no I Encontro Nacional de Blogueiros Sujos, em São Paulo, dois anos atrás: colocar um banner acima da mesa de abertura, com uma frase do Ministro”.

    Ayres Britto reagiu sugerindo duas frases, ambas filosoficamente contrárias ao tal controle social da mídia que a BESTA pretender ver implantado no País: “’A liberdade de expressão é a maior expressão da liberdade’; e ’os excessos da liberdade se corrigem com mais liberdade “, assinaladas no post de PHA .

    Para o fim a que se propunha, o resultado da reunião foi catastrófico. Ayres Britto decidiu que não vai ao encontro da BESTA. Desta forma, os blogueiros “sujos”, como eles se autodefinem, vão ter que encontrar outro patrono para abrilhantar sua festa. Não vai ser fácil, a julgar pelo que promete o próprio Paulo Henrique Amorim em seu blog para a abertura do evento: “um ato solene na Praça Castro Alves, em que este ansioso blogueiro, com voz de locutor de baile de debutante, lerá trechos do poema ‘O livro e a América”.
    __________________________________

    Como já disse o saudoso Millor:
    Imprensa que apoia o governo é armazem de secos e molhados.
    PHA é “livre como um taxi”.
    Mas a petralhada local vivem repercutindo suas palhaçadas, enquanto o pato maluco
    se vangloria de seus 2 aps em New York

  100. Michelle de Souza Malone said

    (continuação)

    6. Esta é da série “Todo petralha é idiota , mas nem todo idiota é petralha”
    ou “Pau que bate em Chico, bate em Francisco” ou ainda “Haddad brochou o Lula”

    O prefeito paulistano Gilberto Kassab (PSD) fez nesta segunda (9) uma visita a Lula no hospital Sírio Libanês. Conversaram por 50 minutos. Ainda não se sabe sobre o quê falaram. Mas Kassab, decerto, há de ter explicado a Lula o porquê do balão que deu no ex-soberano, trocando o prometido apoio ao petista Fernando Haddad pela aliança natural com o tucano José Serra.

    A propósito, a imagem do inusitado encontro, levada ao site do Instituto Lula,
    http://www.institutolula.org/2012/04/lula-recebe-a-visita-de-gilberto-kassab/
    serve mais a Serra do que a Haddad. Como fará o petismo para convencer o eleitorado de que a prefeitura de São Paulo está em ruínas se o patrono de Haddad confraterniza tão gostosamente com o prefeito ruinoso?

    (do josias que está cabreiro com a hipótese de Serra vencer no 1o.turno tratorando os demais pretendentes).

    Sorry, petralhada. Em Sampa, não.
    “Non ducor, duco”
    http://en.wikipedia.org/wiki/Non_ducor,_duco

  101. Michelle de Souza Malone said

    (continua)
    CARLOS CACHOEIRA PARA PRESIDENTE!!!

    Lendo a imprensa amestrada, (BESTA ou JEG,escolha petralha), e vendo as reportagens na TV do Bispo.
    Pelo visto Carlos Cachoeira tem mais influência no Brasil do que Lula ou até o “inocente Zé Dirceu”. O réu -chefe da organização criminosa do mensalão.É fato.
    Até Lula comeu ( e come?) na mão do mequetrefe .
    O bicheiro manda prender e manda soltar.
    É a verdadeira “eminência parda” nos corredores do poder em Brasília e em Goiás.
    tem influência dentro das empreiteras que trabalham para o PAC. Delta!
    Manda no Rio. Delta!
    É contraventor e concorrente no jogo da Caixa Economica Federal.
    Manda e não pede. Lula sabe, mas “não sabia”.
    É responsável pela invenção do mensalão, comprou a Veja e cooptou vários políticos influentes. Mandou o PT pagar o marketeiro arretado numa off-shore.
    6 milhões de dólares!
    Mandou Lula demitir Palocci, no escândalo do caseiro. Lula demitiu, mas não sabia.
    Mandou o PT expulsar o Delúbio.
    Lula concordou, mas não sabia.
    O “nosso” Delúbio e Genoino pagaram as mesadas dos venais deputados e deputadas (sem ofensa, é claro) , sem discutir. Por que?
    Porque Lula sabia, mas não sabia.
    Derrubou Demóstenes (o filho da puta enrustido) que era o provável relator do mensalão no Congresso.
    Tem amigos em todas as esferas do poder, compra corações e mentes sem a menor cerimônia. MTB custou 15 milhões. 5 milhas avançado.
    Lula tirou fotografia muito feliz e amigável com Kassab…e ainda publicou no Instituto…enfraquecendo mais ainda o incompetente ex ministro, na campanha por Sampa.
    Cachoeira recheou a cueca do assessor do irmão do Genoino com dólares “não contabilizados”.
    Esquenta qualquer caixa2. Lula, não sabia. Lula sabia, mas jura que não sabia.
    Conseguiu em uma semana abafar todos os escândalos do ministério da pesca e suas lanchas superfaturadas. E da ONG plantadora de mandioca em viveiros de peixe,como se propôs ao receber a erva ( ~ 700 mil barões) da ministra petista. Dilma, não sabia.Dilma é sempre surpreendida pela realidade desde a época em que era gepone da CASA CIVIL.
    É rico pra caramba, o Cachoeira. Lula, sabe. Dilma sabe. Mas dizem que não sabiam.
    Manda mais que o Daniel Dantas. Comprou Gilmar Mendes.Comprou a Folha, o Estadão e a Globo, incluindo o jornal.Comprou a Veja mas não comprou o Policarpo…Policarpo é foda!
    Cachoeira é o cara!!! Obama, não sabia.Lula sabia. Mas diz que não sabia
    Lanço a campanha: CARLOS CACHOEIRA PARA PRESIDENTE DO PT!!!


    e a lei do uso do gênero pra designação do título profissional hein? Eu comentarista terei que conviver com “comentaristos profissionais”, alguns dentistos ou terapeutos e até mesmo alguns petralhos turistos que resolverem aparecer e ajudar os porquinhos comentaristos, quando sob ataque de oposicionistos e oposicionistas, como eu.
    É uma vergonha o Brasil petralha.
    Dilma é presidente e se acha, presidenta.
    A Merkel “enquadrou” a presidenta e Obama finge que não sabe.Mas sabe!
    Cachoeira (ou Cachoeiro, posto que é homem), mandou e manda no Brasil.
    Lulo ficará com inveja.

    hehehe

  102. Patriarca da Paciência said

    Michelle de Souza Malone ,

    o que fiquei desconfiado mesmo é que o tal Carlinhos Cachoeira possa estar por trás de você (ou atrás).

    Os comentários 96 a 101 são uma verdadeira cachoeira de boçalidades.

  103. Patriarca da Paciência said

    Michelle de Souza Malone,

    mas uma coisa eu achei engraçado – você citar o capítulo e versículo da Bíblia. Vou até dar uma gargalhada internet, kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk. Você, além de outras preocupações, se preocupa também que alguém possa reclamar direitos autorais sobre a Bíblia?

    Eu não estou muito preocupado e faço citações de memória.

  104. Pax said

    Cara Michelle,

    Boa tentativa retórica esta de dizer que eu quis censurá- la. Titio faz escola mesmo.

    Para quem gosta de ironia e maiêutica é um pouco difícil de colar. Mas a tentativa é livre.

    =)

    Enviado via iPhone

  105. Pax said

    Da série “ando de saco cheio”:

    Agnelo define a cara do PT. Marconi define a cara do PSDB. Sarney, Renan e Jucá definem a cara do PMDB. Arruda e Demóstenes definiram a cara do falecido DEM e os rumos dos supra citados.

    Enquanto os partidos agasalharem nomes como estes, sabemos o que pensam suas diretorias.

    Simples, não?

    Talvez simples demais, generalizante demais. Errado demais. Mas, como disse, a paciência tá curta.

    Waldomiro para presidente com Cachoeira de vice, na chapa de um novo partido, Hipocrisia Sócio Liberal Brasileira.

    Enviado via iPhone

  106. Pax said

    Caro Patriarca,

    Você pode, por favor, me listar os esforços hercúleos que Lula envidou para fazer a Reforma Política?

    Não me recordo, sinceramente.

    Tenho 52 anos, sou um tiozão que tem a felicidade de ver a promessa de um país do futuro se aproximar da verdade. E isto aconteceu porque o povo vive melhor e este povo, bravo povo brasileiro, faz este país acontecer.

    Mas este povo, bravo povo brasileiro, precisa de Educação e uma Reforma Política que mitigue nossa maior chaga: a corrupção que ceifa as esperanças de termos uma economia forte (em andamento) com uma sociedade preparada (muito longe disso, atualmente).

    A mãe de todas as reformas represa as outras.

    O que falta para colocarmos o assunto em pauta?

    Enviado via iPhone

  107. Patriarca da Paciência said

    Pax,

    o Lula adoeceu, mas todas as suas declarações são no sentido de que não desistiu de fazer uma reforma política.

    Sinceramente, acho que o único político brasileiro que tem alguma condição de, pelo menos, iniciar alguma reforma política.

    Ou então, como diz o Elias, vamos botar esperança na nova ageração que vem por aí.

    De qualquer forma, considero que o Brasil já realizou grande avanços e que nossa democracia já está bem consolidada.

    Com mais uns vinte anos de democracia chegaremos lá.

  108. Elias said

    Pax,
    Talvez não seja uma boa casar todas as fichas numa determinada bandeira, como se ela fosse uma panacéia capaz de curar todos os males.

    Foi o erro que muitos cometeram nos primeiros momentos da redemocratização, lembra? Dizia-se que a Constituinte seria o primeiro, imprescindível e decisivo passo para a solução de todos os grandes problemas nacionais, etc, etc.

    E agora? Bem, agora, sabe-se que a Constituinte trouxe, sim, algumas soluções… E um monte de outros problemas, também, né?

    O mesmo pode-se dizer da reforma política. Sabemos que ela é a mãe de todas as reformas. Mas, exatamente, o que queremos com essa reforma e, sinceramente, que tipo de reforma política poderia ser feita pelos políticos que temos hoje? Que reforma queremos e que reforma “podemos”, com esses políticos?

    Há uns 3 anos, Lula comentou essa questão, aqui em Belém. Ele disse que a maior parte dos intelectuais brasileiros o critica por não ter provocado a reforma política. Mas disse não saber qual desses intelectuais parou pra imaginar que tipo de reforma seria feita, com a correlação de forças atualmente existente.

    Aí arrematou, problematizando: de uma perspectiva de centro-esquerda, o que será melhor: fazer a reforma política agora ou acumular forças e fazer a reforma política em um contexto mais favorável?

    No momento, existem 3 posições se entestando no Brasil: (1) Não vamos fazer nenhuma reforma política (esta posição tem uma variante que diz: “vamos fazer melhorias pontuais…”). (2) Vamos acumular forças pra tocar uma reforma política de centro-esquerda. (3) Vamos fazer a reforma política agora, dê no que der.

    O pessoal da proposta “3”, diz que a turma da proposta “2” é, na verdade, parte e parcela envergonhada da gangue da proposta “1”. É uma fração da proposta “1” que não tem coragem de assumir…

    Já o pessoal da proposta “2” diz que a turma da proposta “3” é inconseqüente. Só consegue ver o processo, perdendo de vista o objetivo, esquecendo que, sem este, aquele perde o sentido. É aí que entra, ressuscitado, aquele velho papo de que é melhor saber pra onde se vai, mesmo que não se saiba exatamente como, do que se saber como vai, sem saber pra onde.

    No final de 2010, cheguei a pensar que o 1º semestre de 2011 seria o momento ideal pra se deflagrar o debate sobre a reforma política. Lendo os mapas de apuração das eleições daquele ano, mudei de idéia.

    Das duas, uma: ou a sociedade brasileira se organiza e se mobiliza, ou, por artes do diabo, a correção de forças tem que mudar.

    Sem uma dessas, a reforma política vai acabar confirmando o dito de que, no Brasil, nada é tão ruim que não possa ser piorado…

  109. Pax said

    Se quisermos olhares otimistas, caro Patriarca, podemos ter esta esperança, sim.

    Minha juventude foi nos tempos da ditadura. Infame e covarde ditadura.

    Depois se poucas décadas de liberdade hoje temos um país menos vassalo de outros, dos impérios da vez.

    Agora é hora de tirarmos os imperadores internos, os velhos e canalhas coronéis que acham que o que é público é de ninguém e, se não tem dono, é deles.

    Valem menos que estrume.

    E os novos canalhas, uma nova geração de corruptos que não vem dessa leva mofada, mas que causam os mesmos males.

    E, por fim, coibir a corrupção privada, desde as grandes empreiteiras aos donos de mercado e profissionais liberais que tem por hobby sonegar e colocar o peso dos impostos na massa ordeira e trabalhadora que forma a grande maioria do povo, bravo povo brasileiro.

    Pra corrupto, porrete. A vontade é que seja real, mas o melhor é exigirmos que nossa inJustiça faça tudo nos conformes do estado democrático.

    (sem esquecer que a massa às ruas, de porrete nas mãos, não deixa de ser um tipo de manifestação, só que extremada demais para o bom andamento das coisas)

    Enviado via iPhone

  110. Pax said

    Caro Elias,

    Não coloco todas as fichas na reforma política. Ela, pra começar, precisa definir uma pauta.

    Desde financiamento de campanha à uma lista que se estende, como por exemplo a fidelidade partidária e adentra em itens da reforma eleitoral, com certeza.

    Este blog se dedica, como bens sabe, num item de pauta de fácil entendimento social. Tanto que o Ficha Limpa entrou, exatamente por esta facilidade de compreensão.

    Não foram somente as assinaturas que obrigaram Câmara e Senado e posteriormente o STF a estabelecerem a lei.

    Foi o povo, bravo povo brasileiro.

    Enviado via iPhone

  111. mona said

    Meu querido Pax, tiozão (que casar comigo? Tou enxutaça, apesar dos meus 89 aninhos…rs, rs, rs):
    Muitos povos mais sem educação possuem uma sociedade menos corrupta. Daí que, embora a educação seja muitíssimo importante, mais necessário ainda é o povo se dar conta que a IMPUNIDADE e a TOLERÂNCIA com os maus feitos (como diria a Tia) é o que alimenta diuturnamente esse triste câncer.

    Me dói na alma ouvir os simpatizantes e filiados petistas que frequentam este nosso boteco clamarem tanto contra essa chaga desgraçada que ceifa milhares de vidas indiretamente todo santo dia, mas, na hora H, livrarem a cara dos bandidos que fazem parte de seus quadros (Elias, falando nisso, vc não é mais minha 2ª paixão, menino: o lugar agora é do PAX…). Nisso, a direita é um pouco mais honesta…

    Agora, mesmo, por conta da inoperância de um governador corrupto e fraco, um colega ciclista (é, com os meus 89 aninhos ainda dou minhas pedaladas nas mountains tracks da vida) morreu estupidamente aí em Bsb. Tinha 31 anos; filha recém-nascida, gente boa todo. A polícia levou 1 hora para chegar, ao ser acionada, quando normalmente levaria 3 minutos, por conta de uma tal operação tartaruga. Triste. Como triste é a segurança na Bahia; coincidentemente dois estados governados por petistas…
    Beijo, gatoso.

  112. Edu said

    Patriarca,

    Vou repetir um ditado popular: “o pior cego é o que não quer ver”.

  113. Patriarca da Paciência said

    Edu,

    volto a repetir,

    apresente uma única prova real e concreta contra o José Dirceu, tal como aquelas que foram apresentadas contra o Demóstenes Torres.

  114. Pax said

    Ué, cara Mona,

    Quem sabe não rola. Mas ambas as partes precisariam an(alisar) as condições primeiro, creio eu.

    E nada de política nas horas dos conformes.

    Pensamentos à direita seriam, para mim, antiVagras.

    =)

    Mas, sim, voltando ao Agnelo. Pois, então, a aceitação de nomes como este nos quadros de qualquer partido, denotam um bocado de falta de auto estima da agremiação. Idem para um Marconi e tantos outros.

    Não se renovam e se depuram por quê mesmo?

    Enviado via iPhone

  115. Edu said

    Patriarca,

    Apresentar provas não cabe a mim, talvez aos advogados dele.

    No entanto, até que ele tenha sido devidamente julgado, eu não confiaria nele nenhuma responsabilidade envolvendo dinheiro, nem público, nem o meu. Mas serve pra mim, se vc confia nele, confie o seu dinheiro particular a ele, quanto ao público, não teríamos uma alternativa melhor, dado que alguns ficariam extremamente desconfortáveis?

  116. Elias said

    Pax,
    Achei um motivo pra concordar com o Demóstenes.

    É que o DEM (Deu Esta M…) andou dizendo pelaí que o Demóstenes teria “se afastado” dos postulados partidários.

    Demóstenes negou veementemente! Concordo com ele…

    Mas o Demóstenes já é lixo do mês passado…

    A bola agora está com outro oposicionista: o deputado federal e ex-ator porno-chanchadeiro Stepan Nercessian (lembro dele pouco mais que um adolescente, num dos episódios de “Como era boa nossa empregada”).

    Pois não é que nosso talentoso Stepan pegou uma bolada do Cachoeira, pra comprar um apartamento?

    Como não dá mais pra negar, ele diz que foi “empréstimo”. Não sei se isso melhora ou piora a situação.

    Explico: (1) Agora Stepan vai ter que admitir um relacionamento íntimo (epa!!!) com Cachoeira. Do contrário, como explicar o “empréstimo”. (2) Se foi “empréstimo”, então Stepan deve ter começado a pagar… Como? Quando? Quanto? Esse dinheirinho entrou nas contas do Cachoeira? Como? Quando? Quanto? E quando saiu, de onde veio e saiu por onde? E nosso talentoso e honrado Stepan, que tanto cobra “ética” e “moralidade” dos outros, não sabia quem é seu grande amigo, Cachoeira? Não sabia que o dinheiro que pediu e recebeu “emprestado” pra comprar um apartamento, saiu do submundo?

    Pax, checa esse negócio e leva pra ribalta…

  117. Edu said

    O DEM faz o mensalão ficar pequenininho… perto do DEM o PT é um mero aprendiz de ladrão!

    Viram só como o PT é bem intencionado?

    Inclusive, nada foi provado mesmo…ou agora, que foi provado tudo contra todos os partidos, pra que falarmos sobre ética e moralidade?

    O PT rouba, mas faz, e ainda não foi julgado.
    O DEM faz, mas rouba, e ainda não foi julgado.

    Já que todos fazem tudo, vamos retirar as críticas sobre a ética e a moralidade do governo federal da pauta e deixar o PT livre para roubar com seu ministério!

  118. Patriarca da Paciência said

    Edu,

    você, como sempre, usando de argumentação totalmente vazia. Se você não consegue distinguir a diferença entre as evidências que apareceram contra Demóstenes Torres e as suposições que a “grande imprensa” trombeteou contra o José Dirceu, realmente a coisa fica difícil.

    E acusar alguém de roubar é algo muito sério.

    Se alguém provar, com provas realmente fundamentadas, que alguém do PT andou roubando, eu quero mais é que esse alguém responda por seu crime.

  119. Otto said

    Pax:
    pelo jeito vc. não leu o link do Miguel do Rosário que eu te passei…
    Por isso colo aqui o último post do Rovai, em que pese sua extensão, no qual ele transcreve a defesa do Bob Jefferson ao STF, que alega que o “mensalão” foi um invenção dele e não corresponde aos fatos. Se a nossa imprensa fosse idônea teria repercutido isso. Se a única prova contra o Zé Dirceu era a palavra do Roberto Jefferson, como fica agora que ele desdiz o que disse?

    Ai vai. vale a pena ler, Pax, já que você é um formador de opinião e um blogueiro que eu considero honesto e idôneo:

    “A jornalista e blogueira Hildelgard Angel divulgou em 15 de setembro passado link para as alegações finais da defesa do ex-deputado Roberto Jefferson ao STF. São um documento para a história.

    Fiz uma leitura do documento e grifei com negritos os trechos mais impactantes. O maior é quando a defesa de Jefferson sustenta que o mensalão foi “uma criação mental” dele.

    Ou seja, o autor do termo diz que o termo mensalão é uma invenção. Que é uma retórica…

    Diz também que o dinheiro que recebeu do PT era lícito.

    Graças ao Sandro Serpa editei essa nota porque tratei a informação como nova por desatenção. De qualquer forma, a peça que segue é algo que precisa ser lido e relido com atenção.

    EXCELENTÍSSIMO SENHOR MINISTRO-RELATOR PERANTE O EXCELSO PLENÁRIO DO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL.

    Ref.: Ação Penal nº 47

    ROBERTO JEFFERSON MONTEIRO FRANCISCO, acusado já qualificado no feito da referência, por seu procurador, comparece respeitosamente à ilustrada presença de Vossa Excelência, a fim de apresentar com esta suas alegações finais:

    I. Em decisão publicada pelo e-DJ de 15 Jun 2011, em atenção ao pedido formulado pelo protocolo nº 30.298, de 27 Mai 2011-6ªf, Vossa Excelência deferiu a juntada dos documentos que a acompanharam, mas, malgrado integrante daqueles mesmos, indeferiu a requisição de cópia da Ação Civil Pública nº 7807-08.2011.4.01.3400, aforada perante a 13ª Vara Federal do Distrito Federal, onde demandado LUIZ INÁCIO LULA DA SILVA e outro, embora relacionada com esse feito.
    Pois o Requerente agora conseguiu a cópia aludida, que junta com estas alegações finais.

    II. Estando pendente de julgamento a Arguição de Impedimento nº 4, de fato, de suspeição de Vossa Excelência, proposta por co-acusado e interessando sua solução aos demais, com implicações na validade e higidez desse feito, acaso venha de ser acolhida, se pede seu pronto julgamento, antecedendo o desta Ação Penal.

    Agora, às alegações.

    III. Em preliminar, se renovam aqui, em toda sua extensão, os fundamentos que inspiraram os seis agravos regimentais opostos ao longo da instrução, a título de violação do devido processo legal e ampla defesa (CF, art. 5º, LIV e LV).

    IV. Como dito já desde a defesa prévia, verbis,

    “1. O Defendente é acusado dos crimes de corrupção passiva e de lavagem de dinheiro (fls. 114/118, da denúncia).

    Nega e se declara inocente, no entanto, de ambas as acusações.

    2. Diz o requisitório, à sua fl. 10, que “A presente denúncia refere-se à descrição dos fatos e condutas relacionados ao esquema que envolve especificamente os integrantes do Governo Federal que constam do pólo passivo; o grupo de Marcos Valério e do Banco Rural; parlamentares; e outros empresários. Os denunciados operacionalizaram desvio de recursos públicos, concessões de benefícios indevidos a particulares em troca de dinheiro e compra de apoio político,

    condutas que caracterizam os crimes de quadrilha, peculato, lavagem de dinheiro, gestão fraudulenta, corrupção e evasão de divisas”.

    Também esclarece, mas ressalva, à mesma fl. 10, que “A origem desses recursos, em sua integralidade, ainda não foi identificada” (grifos aqui).

    No entanto e contraditoriamente, quanto ao Defendente, na qualidade de Presidente do Partido Trabalhista Brasileiro – PTB e de Deputado Federal, com outros de sua agremiação partidária, acusa-o do “recebimento direto ou disfarçado dos pagamentos de propina em troca de integrarem a base de apoio do Governo Federal” (fl. 95) e ainda, de que estaria(m) “cientes de que os montantes recebidos tinham como origem organização criminosa” (fl. 114).

    Tudo isso seria para “venda de apoio político ao Governo” (fl. 114) e, nesse sentido, “Para ilustrar o apoio político do grupo de parlamentares do Partido Trabalhista Brasileiro ao Governo Federal, na sistemática acima narrada, destacam-se as atuações dos Parlamentares Roberto Jefferson, Romeu Queiroz e José Carlos Martinez Santos na aprovação da reforma da previdência (PEC 40/2003 na sessão do dia 27/08/2003) e da reforma tributária (PEC 41/2003 na sessão do dia 24/09/2003)” (fl. 117).

    Especificamente em relação ao Defendente, assegura que “Como resultado do acordo estabelecido com o núcleo central da quadrilha entre os meses abril e maio de 2004, onde ficou acertado o repasse de R$ 20.000.000,00 do PT para o PTB em cinco parcelas de R$ 4.000.000,00, Roberto Jefferson e Emerson Palmieri, no mês de junho de 2004, receberam na sede nacional do PTB, diretamente de Marcos Valério, a importância de R$ 4.000.000,00, sendo a primeira parcela de R$ 2.200.000,00 e, logo após, R$ 1.800.000,00, em cédulas envoltas em fitas do Banco Rural e Banco do Brasil” (fl. 116).

    Menciona, certo, outros episódios relacionados com José Carlos Martinez, Romeu Queiroz, José Hertz e Alexandre Chaves (fls. 116/117), mas esses são fatos de que somente invoca o testemunho do Defendente, embora – sem descrição de conduta criminosa, por eles intente responsabilizá-lo, mas exclusivamente na classificação dos supostos crimes correspondentes, sem outra sustentação (fl. 118).

    O estilo oblíquo e mesmo confuso da narrativa da denúncia impunha esta especificação defensiva, porquanto, embora muito citado ao longo dela, o que efetivamente se imputa ao Defendente é somente e tão só o quanto acima gizado.

    Salvo, claro, a assertiva surpreendente – que fez de uma vital testemunha para a acusação, apenas um réu de acusação inepta e sem procedência – de que “Relevante destacar, conforme será demonstrado nesta peça, que todas as imputações feitas pelo ex Deputado Roberto Jefferson ficaram comprovadas” (fl. 9).

    Por quê?

    3. Pois bem. Seja como for, certo é que as acusações contra o Defendente não se sustentam e são claramente improcedentes e destituídas de qualquer fundamento fático.

    Com efeito e isso a todo tempo ficou dito e mostrado, sem contraste, que o Defendente andou sempre nos limites que a lei garante.

    Como Presidente de partido político, o PTB, formulou acordo para a campanha eleitoral de 2004, eleição de vereadores, vice-prefeitos e prefeitos, com o Partido dos Trabalhadores – PT.

    Não se tratava aí de apoio ao Governo Federal. A eleição era municipal.

    No âmbito federal, o PTB apoiou, desde o 2º turno da eleição presidencial, em 2002, o candidato e a coligação que elegeu o Presidente Lula, detendo um ministério do governo, o do Turismo e compondo a base parlamentar de apoio, na Câmara dos Deputados e no Senado Federal.

    Isso é notório.

    O acordo político para as eleições municipais de 2004 com o PT, envolveram, sim, doação financeira deste para o PTB, da ordem de R$ 20 milhões.

    Essa doação aprovada por ambos os partidos tem apoio em lei e, naquele pleito, estava regulada pelas Resoluções do egrégio Tribunal Superior Eleitoral.

    Era a Resolução nº 21.609/04, art. 3º, parágrafo único, inciso I, que considerou recurso, dinheiro em espécie e, a Resolução nº 20.987/02, art. 10, inciso IV, que indica doação de partido político como fonte de arrecadação.

    Assim, os R$ 4 milhões pagos pelo PT, como parte do dito acordo, nada têm de irregular, dirá criminoso.

    A origem desse recurso, que não se poderia presumir ilícita – como, de resto, a própria denúncia afirma que “ainda não foi identificada” (fl. 10) – segundo o PT, é fruto de recursos próprios seus e de empréstimos bancários.

    Não se trata, portanto, como dito na denúncia, de propina.

    É recurso lícito, fonte de arrecadação prevista em lei e destinada à eleição municipal de 2004.

    Com o governo federal iniciado com a eleição vitoriosa de 2002, de que fazia e faz parte o PTB, suas bancadas, na Câmara e no Senado, desde então sempre votaram e conformaram sua base parlamentar de apoio.

    E isso é conceitual e rudimentar na prática parlamentar e política, que aqui se quer criminalizar.

    Mas crime não é.

    Assim, nada de incomum, estranho ou ilícito, do Defendente, então Líder do PTB na Câmara, defender e votar a favor da reforma da previdência – como já pregava desde a Constituinte e da indispensável e urgente reforma tributária.

    Nem de novo, desde que essa é a postura programática do PTB e de notória defesa, antes mesmo da Constituinte de 1987.

    E se não sabe o acusador a origem daquele recurso, como afirmar que é ilícito e, por isso, atribuir ao Defendente que empenhou-se no seu branqueamento ou lavagem ? Non sense !

    É quanto basta, eminente Senhor Ministro-Relator, para deixar mostrado e a se robustecer com a prova a mais a produzir, para que a falada improcedência da denúncia seja reconhecida”.

    Pois, dada como ultimada a instrução, a prova produzida não desmentiu e, por cima, confirmou o alegado.

    V. Independente de em sede de alegações finais tenha o ilustre acusador se esmerado em esforço retórico para buscar a condenação do Defendente, da retórica não passou.

    Nada da situação de fato – geralmente invocada da fase inquisitorial – conforta ou demonstra sua pretensão.

    Em nenhum momento há indicação, documental ou oral, que desminta a versão do acusado.

    Sem elemento material de prova, tenta, claro, formular teorias que, de lege ferenda, poderiam vir a serem discutidas no Congresso Nacional.

    VI. Assim é, quando para formular pedido de condenação no crime de corrupção passiva, louva-se em referência a opinião isolada e, citando parte do v. acórdão na Ação Penal nº 307-3-DF, primeiro, diz que na configuração dessa infração é prescindível ato de ofício, que, aliás, não indicou na sua denúncia, praticado ou deixado de praticar.

    Ora, mas tanto isso não é exato, nem verdadeiro que, já desde a ementa do v. acórdão respectivo, ali se pode ler, verbis,

    “1.2. Improcedência da acusação. (…) em virtude (…) mas também por não haver sido apontado ato de ofício configurador de transação ou comércio com o cargo então por ele exercido” (DJ de 13 Out 1995).

    Depois, diz que voto de parlamentar abrigado pela imunidade material que decorre do disposto pela CF, art. 53, sem qualquer especificação, pode ser escrutinado e submetido a controle pelo Ministério Público ou mesmo pelo Poder Judiciário, em rematado absurdo.

    VII. Do mesmo modo, na imputação de lavagem de dinheiro, esmera-se em sustentar que embora reconheça que não haja tipo penal de organização criminosa no direito positivo brasileiro, isso merece uma espécie de interpretação extensiva que, em tudo, agride a garantia pétrea da CF, art. 5º, inciso XXXIX, de modo a instituir modalidade criminosa através de só argumentos.

    Ora, ainda que uma tal possibilidade se viabilizasse – como não há – haveria de estar calcada em prova (que não se realizou), da ciência prévia do Defendente da origem criminosa do recurso que lisamente admitiu lhe ter sido aportado, como fruto de acordo partidário lícito e não desmentido. Ao contrário.

    Assim, se sequer se desincumbiu de provar a origem do recurso – que desde a denúncia dizia não saber – todas as afirmações que faça, a partir de prova judicializada, no ocaso desta ação penal, de ser dinheiro público, de ser fruto de prática delituosa, de se ter inspirado em contratos e empréstimos fictícios, não passam de sua mera criação mental.

    Dirá, que o Defendente disso soubesse ou pudesse saber, previamente, de modo à integração do tipo penal de que trata que, em todas as suas modalidades, apresenta tal exigência como requisito de sua configuração.

    VIII. Efetivamente, o pedido condenatório não passa de esforço retórico que, por isso mesmo, não pode ser acolhido, como se pede.

    IX. Já, qual a razão do ilustre acusador ter deixado de denunciar aquele que, por força de disposição constitucional, é o único que no âmbito do Poder Executivo, tem iniciativa legislativa (CF, art. 61), o Presidente da República, para somente acusar três de seus auxiliares (CF, art. 76), Ministros de Estado, que iniciativa para propor projetos de lei não têm, embora se diga que para aprovação daqueles teriam corrompido Deputados, isso é um mistério que esta Ação Penal incompleta e descabelada não revela.

    Muito menos, diante do princípio da obrigatoriedade da ação penal pública, revelou.

    Certo, o Defendente se debate, desde o recebimento da denúncia para que a matéria seja submetida ao Plenário dessa Alta Corte, à luz do que dispõe o CPP, art. 40, sem sucesso, porque travado por Vossa Excelência, ora sob alegação de que isso incumbiria ao acusador, ora de que isso descabia ao Supremo Tribunal, ora ainda que já fora decidido, mas que, em verdade, jamais foi proposto à Corte tal qual suscitado.

    Afinal vige o disposto pelo CPP, art. 40, “Quando, em autos ou papéis de que conhecerem, os juízes ou tribunais verificarem a existência de crime de ação pública, remeterão ao Ministério Público as cópias e os documentos necessários ao oferecimento da denúncia” ou, estamos todos submetidos à vontade incontrastável do Procurador-Geral da República, embora a clara evidência de crime praticado pelo então Presidente da República, a partir mesmo do teor da denúncia, quando se recuse imotivadamente a exercer seu munus em delito de ação penal pública plena, com omissão do Supremo Tribunal ?

    Se assim não for, então, que se enfrente a matéria, dando-se aquela disposição processual penal do art. 40 como não recebida pela Carta de 1988.

    Intolerável, é a omissão.

    X. Por isso mesmo, já desde a defesa prévia, reiterado em quatro séries de embargos de declaração, se disse e pediu, verbis,

    “4. Outra coisa é – e se diz que tudo ficou comprovado – o pagamento periódico a parlamentares para votar projetos de iniciativa ou interesse do Presidente da República, por parte inclusive de Ministros de Estado, co-réus neste estranho e incompleto processo criminal.

    E se diz incompleto e aberrante da lógica jurídica, a mais desmerecer aquela que presidiu a denúncia açodada e preferencial, porquanto, como expresso em sede de embargos de declaração opostos ao v. acórdão que a recebeu, [ainda sem julgamento], ali se propôs, até aqui sem resposta, verbis,

    “4. Admitindo a plausibilidade da acusação, como o admite o v. acórdão, no sentido de que pelo menos três (3) Ministros de Estado, constitucionalmente definidos como auxiliares do Presidente da República (CF, art. 76), se organizaram em quadrilhas autônomas, para, entre outras práticas, atentarem contra o livre exercício de Casa do Poder Legislativo, a Câmara dos Deputados, através de pagamento periódico em dinheiro a parlamentares, para votar em favor de projetos do Chefe do Poder Executivo, o “mensalão”, em delitos diversos, no entanto, nada dispôs o v. aresto sobre igual prática desses crimes, em óbvia co-participação, pelo próprio Presidente, silenciando em face do que dispõe a CF, art. 102, inciso I, alínea “b”, c.c. CPP, art. 40

    Se descobre aí omissão e contradição, para que se pede declaração”.

    Nesse sentido e para formulação de sua defesa aqui, o Requerente que dera notícia da dita prática delituosa ao Senhor Presidente da República, requereu certidão a respeito das providências que o Chefe do Poder Executivo envidara, mercê da notitia criminis, no âmbito do Poder.

    Com surpresa, como evidenciam os documentos anexos, informa-se por certidão que nada foi localizado a respeito“.

    XI. Já agora, com a representação dada por ilustre Procurador-Regional ao Senhor Procurador-Geral da República contra atos do ex-Presidente LUIZ INÁCIO LULA DA SILVA totalmente imbricados com os fatos de que cuida esta Ação Penal – acostada aí pelo Defendente com a petição citada no item I desta – lá protocolada em 19 Abr 2011, sem qualquer pronunciamento conhecido de Sua Excelência, nem mesmo aditamento de sua denúncia, para incluí-lo, se a matéria não for objeto de deliberação expressa dessa Suprema Corte, como se pede, então, que fiquem os documentos alusivos nesses autos, para que, no futuro, um pesquisador distraído da história possa ajuizar sobre o assunto.

    XII. Eis porque, ilustrado Senhor Ministro-Relator, o Defendente, respeitosamente, pede sua absolvição.

    Pede deferimento.

    Sapucaia do Sul, 30 Ago 2011-3ªf.

    p.p.

    Luiz Francisco Corrêa Barbosa,

    OAB/RS nº 31.349.”

  120. Patriarca da Paciência said

    Na mesma linha, carto Otto:

    Renato Dias
    Especial para o Jornal Opção

    O ex-procurador-geral da República Aris­tides Junqueira diz ao Jornal Opção que o mensalão, escândalo detonado por Roberto Jefferson (PTB-RJ) que abalou a república petista em 2005, não existiu. “Não pode haver mensalão, já que não há repetição mensal de pagamento. Se houve um ou outro pagamento eles não foram contínuos durante meses”, afirma.

    Após criticar o Ministério Público Federal, ele frisa que não houve desvio de recursos públicos para bolsos privados nem para abastecer os cofres petistas e de legendas aliadas. “A denúncia também não consegue provar isso. Não demonstrou nada disso. Evidentemente está provado nos autos que os recursos foram oriundos de empréstimos em bancos particulares”, explica.

    Segundo ele, a denúncia do MP é improcedente.”Não se trata de uma crítica ao MP, mas um reconhecimento da improcedência dela quando se leva em conta a defesa feita por esse grupo de advogados, com relação a um réu apenas, já que são 40. Hoje, parece-me que são 38: um morreu e outro foi reconhecido que a denúncia contra ele era improcedente, que é o Luiz Gushiken”.

    O advogado exorciza supostos pecados da mídia. “Ele já está condenado pela mídia. Aliás, não é só ele. É um grupo. Eu diria que eles já estão até demonizados. A defesa dele não quer que ele seja santificado, mas que não seja também demonizado eternamente. O fato é que com esse resultado todo falar em Delúbio Soares é um palavrão muito grande que a sociedade não pode admitir.”

    Com ironia, o ex-procurador-geral de Justiça diz que o Ministério Público “coloca quadrilha em tudo”. Mais: avalia que não há risco de prescrição. “Não. Em pouco tempo não prescreve não. Isso não é interessante”, adianta. Ele ingressou no auditório do Bloco B da Pontifícia Universidade Católica de Goiás (PUC-GO) escoltado por Delúbio Soares e Marcus Vinícius de Faria Felipe, ex-presidente da Agecom.

    Aristides Junqueira participou de fórum, na PUC, Câmpus 5, em Goiânia, ao lado do ex-prefeito de Goiânia Darci Accorsi, hoje secretário Legislativo do prefeito da Capital, Paulo Garcia (PT). O ato era para debater os aspectos jurídicos da denúncia do MP Federal e da defesa do matemático de Buriti Alegre Delúbio Soares, apontado como um dos chefes do mensalão do PT.

    Qual é o objetivo do debate sobre a defesa jurídica de Delúbio Soares?
    O objetivo do debate é saber se juridicamente a defesa apresentada pelos advogados de Delúbio Soares é uma peça satisfatória e que possa levar à improcedência da denúncia. Esse é o objetivo.

    A defesa de Delúbio Soares diz que o mensalão não existiu. A tese tem fundamento jurídico?
    Primeiro, eu quero saber o que é mensalão. Eu não sei. Nós temos de perguntar ao Roberto Jefferson, que inventou a palavra e não explicou direito o que é isso. E também ao Ministério Público. Para saber o que que é mensalão. A defesa do Delúbio, que não foi feita por mim, estou apenas apreciando, mas por um grupo de advogados capitaneado pelo advogado Arnaldo Malheiros Filho, de São Paulo, demonstra que não pode haver mensalão, já que não há repetição mensal de pagamento. Se houve um ou outro pagamento eles não foram contínuos durante meses.

    Não houve pagamento regular pelo governo a deputados federais da base aliada?
    Não houve. Não houve. Pelo menos dentro dos autos, a defesa diz que isso não está provado. Dentro dos autos ele não está provado. Não houve pagamento mensal a deputados da base aliada.

    Houve desvio de recursos públicos para bolsos privados?
    A denúncia também não consegue provar isso. Não demonstrou nada disso. Evidentemente está provado nos autos que os recursos foram oriundos de empréstimos em bancos particulares

    Existem provas desse empréstimos?
    Os empréstimos estão provados. Empréstimos de bancos particulares. Isso não é negado por ninguém.

    Trata-se de uma crítica à denúncia do Ministério Público Fe­deral?
    Não. Não diria que é uma crítica à denúncia do Ministério Público, mas um reconhecimento da improcedência dela quando se leva em conta a defesa feita por esse grupo de advogados de Delúbio Soares, com relação a um réu apenas, já que são 40. Hoje, parece-me que são 38. Já que um morreu e outro foi reconhecido que a denúncia contra ele era improcedente, que é o Luiz Gushiken.

    A defesa de Delúbio Soares diz que os grandes conglomerados de comunicação querem condená-lo previamente…
    Eu penso que ele já está condenado pela mídia. Aliás, não é só ele. É um grupo. Eu diria que eles já estão até demonizados. Penso que a defesa dele não quer que ele seja santificado, mas que não seja também demonizado eternamente como é hoje. O fato é que com esse resultado todo, falar em Delúbio Soares é um palavrão muito grande que a sociedade não pode admitir.

    O advogado Luiz Eduardo Green­halgh admite a utilização de recursos não contabilizados.
    E daí? Se forem ler a defesa que Arnaldo Malheiros faz de Delúbio Soares, ele confessa isso. Mas trata-se de um crime eleitoral cuja prescrição já ocorreu.

    Há indícios de formação de quadrilha, como apontou o Mini­stério Público federal?
    O Ministério Público Federal vê e coloca [formação de] quadrilha em tudo.

    Existe risco de prescrição?
    Não. Em pouco tempo não prescreve, não. Isso não é interessante.

  121. Elias said

    Sei não, Patriarca…

    Sempre será possível recorrer a tecnicalidades, pra obter a absolvição de réus. Isso existe há milhares de anos.

    Pra mim, em se tratando de partido político, e de líderes políticos, o julgamento que conta é o julgamento político.

    E, a meu pensar, figuras como o Delúbio, o Silvinho “Land Rover”, o Genoíno, etc., jogaram fora um capital político fantástico, penosamente acumulado ao longo de décadas de muito esforço de dezenas de milhares de pessoas. Não os perdôo por isso.

    Do Delúbio, acho que nem vale a pena falar. É um traste…

    O Sílvio, surpreendentemente (pelo menos pra mim), se degradou por inteiro, dando-se à canalha em troca da porra de um carro usado, como uma puta do baixo meretrício.

    O Genoíno, também se lançou ralo abaixo, de modo absolutamente deprimente.

    O Genoíno do PC do B estava absolutamente errado na confusão em que se meteu, vestindo o foquismo com uma fantasia esfarrapada de guerra popular. Estava errado, mas merecia respeito. Lá por volta de 2002/2003, ouvi da boca de uns quatro oficiais superiores do Exército, que ele seria uma alternativa interessante para o Ministério da Defesa. Praticamente toda a liderança militar do país o tinha em alta conta.

    Dois anos depois, o que restou disso? Nada!

    Lembro do dia em que Genoíno prestou depoimento ao Congresso. Lembro do Pedro Simon dizendo a ele: “Quero que Vossa Excelência saiba o quanto me deprime vê-lo nessa situação…”.

    Sei que Pedro Simon tem uma irresistível compulsão pra dramatizar no papel de “virgem de puteiro”, que ele adora representar… Mas, dessa vez, acho que ele estava corretíssimo…

    Essas criaturas podem ser mil vezes absolvidas em mil diferentes tribunais. Do ponto de vista político, a meu pensar, estão irremediavelmente condenadas, com justa razão…

  122. Patriarca da Paciência said

    O vídeo é do blog do PHA, mas há ali claramente a voz de Demóstenes e Carlinhos Cachoeira tratando de “negócios”. E o vídeo, até agora, não foi contestado.

    http://noticias.r7.com/videos/ernani-jose-de-paula-diz-que-video-do-mensalao-foi-produzido-por-cachoeira/idmedia/4f824473fc9b95f3dc516ab5.html

  123. Patriarca da Paciência said

    Elias,

    uma coisa que ninguém nega é que o Lula seja um cara bem informado, principalmente em relação ao PT. E o Lula está claramente empenhado para que saia as tais CPIs.

    Acho que a coisa vai. Se alguém do PT estiver envolvido, que assuma as consequências:

    “Com incentivo do ex-presidente Lula ao PT e sem resistência do governo, o Congresso anunciou a criação de uma CPI para investigar a ligação de autoridades com o empresário Carlos Cachoeira, preso sob acusação de explorar o jogo ilegal. A expectativa é que ela seja aberta até o fim da semana. O senador Demóstenes Torres (ex-DEM) e o governador de Goiás, Marconi Perillo (PSDB), são o foco da comissão.”

    http://www1.folha.uol.com.br/fsp/

  124. Edu said

    Elias,

    Meu apoio à sua última colocação.

  125. Pax said

    Caro Elias,

    Qual a dimensão de um Stepan em comparação com um Agnelo? Ao escrever o post, recém chegado de viagem, parece que tive uma bola de cristal ao afirmar que sapato alto em gramado escorregadio era uma temeridade.

    O que aconteceu? Em pouco tempo surge a relação de asseclas do Cachoeira com asseclas de Agnelo. Onde? No modelito mais que batido das empresas de coleta de lixo. O noticiário está farto.

    Volto a insistir: se a militância se esquivar da indignação o futuro do partido é claro, basta olhar para o PMDB e lá estará a imagem. Quem abriga um Agnelo abriga qualquer coisa.

    Caro Otto,

    Obrigado pelo elogio. Mas sei que o blog melhora com críticas, muito à além das eventuais manifestações de respeito com este minúsculo espaço. Claro que massageia o ego, ainda mais vindo de um interlocutor como você.

    Mas, vamos lá, o tal desmentido do Bob Jefferson. Que valor tem esta peça de informação? Para mim menos que nada.

    Não li tudo, continuo na minha batalha campal (literalmente e em vários sentidos) em busca de uma inclusão digital, e peço que entendas minha dificuldade. Às noites e às manhãs eram os momentos em que me informava pelo rádio – via web – e material da internet. Atualizava a pauta e fazia os posts. Hoje não tenho nem um, nem outro.

    Voltando, o Bob Jefferson é um ator de meia pataca. Diz e atua para onde os ventos apontem alguma vantagem pessoal. Esta é minha opinião baseada em tudo que há disponível de informação por aí. Qual a diferença entre “eventuais” pagamentos de congressistas vendilhões, com dinheiro público surrupiado, e um processo mensal de pagamento. Um é corrupto e outro não, por acaso?

    Hoje mesmo deu no noticuário o caso dos asseclas acertando a “compra” de cidadão que facilitaria os tais contratos de lixo no DF. Algo assim e algo parecido com o seguinte diálogo, confiando em minha memória do que vi na tv:

    – Precisamos dar um presente para o fulano…
    – Dá vinte agora e cinco por mês…

    Modelito normal para canalhas que usam dinheiro do povo, bravo povo brasileiro, para instalar bandidos em cargos de decisão onde as máfias atuam.

    Bob Jefferson já foi aliado do PT, do PSDB, do DEM etc etc. É, segundo uma boa metáfora, como aquelas senhoras mais experientes das casas de tolerância. Pagou, levou. Ganha-se em troca pelanca e sacanagem.

    Já faz um tempo que Bob percebeu que seu movimento fez água. Queria o berço de Lula e não suportou o desprezo de ZD. Botou a boca no trombone. Se ferrou, perdeu a mamata. Hoje faz qualquer “boquete” para voltar ao jogo.

    ZD é o maior corrupto do país? Quem sou eu para provar e julgar? Não posso fazer isto, nem tenho elementos, nem, muito menos, quero julgar.

    É um dos caras mais preparados da República. Conhece como poucos a política nacional e os quadros e injunções regionais. E poucos tem uma visão estratégica interna e externa como ele.

    Até aí, meu caro, morreu “o Neves”.

    ZD, por um questão pessoal de sua personalidade prepotente, perdeu sustentação na sociedade.

    Pior que isso é que parece ter a vontade impossível que o povo, bravo povo brasileiro, o adore como adora Lula, e passa a adorar Dilma. Como na fala do Tropa de Elite (1 e 2): “nunca será”. Opinião pessoal.

    O povo, bravo povo brasileiro, perdoou Lula pelas “estripulias” do Lulinha, pelas defesas idiotas que fez a Sarney (“não pode ser julgado como uma pessoa qualquer”) etc etc etc. Lula, no imaginário, é um homem do povo que governou para o povo. E foi mesmo, em muitos sentidos. Claro que governou para o coronelato e para os banqueiros ao mesmo tempo. Mas deu no que deu. O Brasil está muito melhor e os brasileiros, mais felizes e gordos, ligam Lula ao momento e vice-versa.

    Mas não ligam ZD.

    O melhor para ele, ZD, seria admitir ser o Golbery do modelito canalha que se encontra nossa política.

    Mas não, quer ter blog, quer escrever artigos e mais artigos, incluindo para grandes veículos que a turma chama de PIG etc. Na boa? Deveria fazer isto restringindo a veiculação para a militância, essa que parece ensaiar aceitar Agnelos, Renans e Sarneys.

    Tem todo direito de querer holofote, claro que sim. Só que o resultado é o que os gringos chamam de “back fire”.

    Enviado via iPhone
    (obs.: coisas da tecnologia… já havia escrito este comentário desde cedo e não veio para cá. Agora com meu notebook é que percebi que a Vivo é tão falível quanto o caráter de muito político…)

  126. Chesterton said

    Aí, Pax, divertido ver você tentar manter a sanidade nesse mundo “relativista” que é o governo do PT.

  127. Elias said

    Pois é…

    Logo o Chester, que não é nem um pouco “relativo”, né?

    Quem? O Chester? “Relativo”? Magina…!

    Ele nunca mudou de assunto nem jamais fez cara de paisagem quando se tratou de bandalheiras feitas pelos direitococus ou direitreponemas pálidos e nem sempre discretos.

  128. Elias said

    Patriarca,

    Tô nem aí, para o fato do corrupto ser do PT ou de que diabo de partido for…

    A coisa vai se for obedecida a lei do cão: errou, leva pau!

    É isso que acho difícil acontecer, por iniciativa dos políticos. Ainda mais político brasileiro, com toda a tradição de acochambramento, conciliação, panos quentes…

    Se a sociedade civil brasileira se desse suficientemente ao respeito e assumisse essa iniciativa, acho que os vagabundos pelo menos pensariam 2 vezes…

    Evidentemente que isso nunca acontecerá.

    Mas às vezes eu me divirto imaginando os desdobramentos de uma coisa desse tipo: políticos de todos os partidos, donos de revistas de circulação nacional, grandes jornais e redes de tevê e rádio, empresários, bicheiros, traficantes, donos de redes hospitalares, enfim, os mais diferentes e graduados representantes da marginalidade brasileira de alto coturno, todos enfiados no mesmo saco nojento…

    Melhor que isso, só um “paredón”…

  129. Patriarca da Paciência said

    “Mas às vezes eu me divirto imaginando os desdobramentos de uma coisa desse tipo: políticos de todos os partidos, donos de revistas de circulação nacional, grandes jornais e redes de tevê e rádio, empresários, bicheiros, traficantes, donos de redes hospitalares, enfim, os mais diferentes e graduados representantes da marginalidade brasileira de alto coturno, todos enfiados no mesmo saco nojento…”

    Totalmente de acordo, meu caro Elias.

    Minha torcida é toda nesse sentido também.

    Como disse aquele pensandor alemão meio maluco (ou será totalmente maluco?), Nietzsche, “é preciso o caos para dar à luz uma estrela brilhante”.

    Talvez daí surja a verdadeira democracia brasileira.

  130. Pax said

    Opa, já lancei a campanha do “porrete às ruas”.

    Quem sabe vocês não gostariam de aderir.

    Agnelo seria um candidato bom pra começar e mostrar “ao mundo” que a militância continua briosa.

    Enviado via iPhone

  131. Chesterton said

    Elias, bandido de direita bom, é bandido morto.
    Já você quer a bandidagem petista (olhe aí onde se mete, hein) roubando ao ar livre.

  132. Elias said

    “Elias, bandido de direita bom, é bandido morto.” (Chesterton)

    Certo, Chester. Fico aguardando tuas manifestações nos próximos episódios de bandidagem de direita (até agora, não convenceste).

    “Já você quer a bandidagem petista (olhe aí onde se mete, hein) roubando ao ar livre.” (Chesterton)

    Certo, Chester. Ficou claro. Não sabes ler. Mas não tem problema, ninguém é perfeito…

    E por que esse “ao ar livre”? Se for a portas fechadas, com ar (condicionado) preso, pode?

    Pax,
    Conte comigo nessa campanha do porrete.

    Vamos porretar não só a corruptalha, mas também quem apoia e/ou faz vista grossa.

    Te cuida, Chesterton…!

  133. jesus da silva said

    Quer dizer então que o ZD que muitos blogs diziam ser a própria KGB ambulante
    foi derrubado por James Bond caipira.
    Que papelão seu Zé.
    Jésus da Silva

  134. Patriarca da Paciência said

    Jesus da Silva

    James Bond caipira.?

    Se você disser que foi por um Al Capone tupiniquim que transformou o Al Caponje noarte-americano num verdadeiro aprendiz, se aproxima mais da verdade.

    Além do mais o José Dirceu não mantém qualquer relação com a “de cuja” KGB.

  135. Patriarca da Paciência said

    Aliás, Jesus da Silva,

    “trabalharam” contra José Dirceu, um Al Capone tupiniquim, o qual transformou o original num aprendiz, um grande “capo” internacional, Victor Civita e um dos maiores atores de todos os tempos, Demóstenes Torres.

  136. Michelle de Souza Malone said

    Good day for everyone

    Mais um vexaminoso capítulo da série:
    “Os petralhas mentem descaradamente pra livrar o rabo dos companheiros

    José Dirceu,
    réu no processo do Mensalão, o ex-ministro-chefe da Casa Civil José Dirceu acusou a imprensa de tentar poupar o DEM das “ações de sua maior estrela”, o senador Demóstenes Torres (GO).
    “(É) preciso agir já, antes que abafem o caso Demóstenes”, defendeu Dirceu em seu blog.

    Joaquim Falcão
    Num vídeo de quase dois minutos postado nesta quarta-feira no site oficial do partido, o presidente nacional do PT, Rui Falcão, conclama que centrais sindicais, partidos políticos que defendem o combate a corrupção e movimentos populares se mobilizem contra o que chamou de “operação abafa” que visa impedir a realização de uma Comissão Parlamentar de Inquérito para desvendar o escândalo Carlinhos Cachoeira. No vídeo, pela primeira vez Falcão vincula a CPI com a estratégia do PT de neutralizar o escândalo do mensalão que está para ser julgado no Supremo Tribunal Federal (STF).

    Ele começa sua fala dizendo que está em operação nesse momento “uma verdadeira operação abafa, uma tentativa de setores políticos e veículos de comunicação que tentam a qualquer custo impedir que se esclareça plenamente toda a organização criminosa montada por Carlinhos Cachoeira em conluio com o senador Demóstenes Torres, que já se afastou com DEM na tentativa de isolar o partido do escândalo”.

    Putz a mentira é tão cabeluda que até o Noblat (o isentista) se indignou com o tamanho da mentira e comentou:
    (Comentário do Noblat: Como o presidente do PT pode falar em “farsa do mensalão” depois que o Procurador Geral da República denunciou 40 mensaleiros, “integrantes da sofisticada organização criminosa” que tentou se apoderar do aparelho do Estado? E depois que o Supremo Tribunal Federal acatou a denúncia e abriu processo contra eles?

    Como o presidente do PT pode acusar a imprensa de tentar abafar o Caso Demóstenes se ela trata do assunto diariamente há quase dois meses, antecipando peças da investigação da Polícia Federal e descobrindo novos fatos relacionados à atuação da gang do ex-bicheiro Carlinhos Cachoeira?

    Como o presidente do PT pode apontar a imprensa como adversária da CPI do Cachoeira se ela, a CPI, até aqui, ainda não se pronunciou a respeito? De resto, se algum veículo de comunicação se opuser à CPI – o que duvido – nem por isso deixará de publicar tudo o que tenha a ver com ela.

    E por uma razão muito simples: se não publicar perderá leitores para os outros que publicarão. Conspiração do silêncio não vinga mais num país onde há 80 milhões de internautas. Antes de ser presidente do PT, Rui é jornalista e está careca de saber disso. Careca, não. Calvo.)

    Putz até o Noblat, petralhada, pegou vocês mentindo publicamente.
    Que vexame!

  137. Patriarca da Paciência said

    Correção:

    No comentário 135, eu falei no “capo” internacional Victor Civita, na verdade o capo atual da abril é o Roberto Civita.

  138. Otto said

    Oi, Pax,
    como vc. está com dificuldades de conexão, quero mandar alguns textos para te manter informado das últimas. Aí vão dois do Blog da Cidadania:

    “Mídia demo-tucana já faz menção à relação entre Veja e Cachoeira

    Está caindo a ficha da grande mídia demo-tucana quanto ao potencial explosivo da vindoura Comissão Parlamentar de Inquérito que investigará as relações entre o bicheiro Carlinhos Cachoeira e empresas privadas, sem prejuízo de suas relações com o governo de Goiás e, sobretudo, com órgãos de imprensa ligados ao PSDB e ao DEM, como a revista Veja. Essa tomada de consciência transparece em denúncias fracas que essa mídia está fazendo ao PT.

    A tentativa da grande mídia de envolver também o PT em um escândalo que atinge em cheio dois expoentes da oposição – o senador Demóstenes Torres, do DEM (agora desfiliado), e o governador tucano de Goiás, Marconi Perillo – é absolutamente frágil e busca, apenas, tentar induzir a sociedade à crença de que o partido do governo estaria envolvido com um criminoso que, agora se sabe, é responsável pelas maiores denúncias contra petistas durante a década passada.

    As denúncias da mídia contra o PT em nada se comparam ao envolvimento de Perillo com Cachoeira, que transparece em dezenas de nomeações e contratos com o governo de Goiás.

    Está sendo usada gravação da Polícia Federal, feita no ano passado, na qual Claudio Abreu, à época diretor da empreiteira Delta, aparece conversando com o araponga Idalberto Matias de Araújo, o Dadá, um dos braços-direitos do bicheiro, sobre tentativa de suborno de Claudio Monteiro, chefe de gabinete do governador de Brasília, Agnelo Queiróz (PT), para que facilite manutenção de contrato de limpeza urbana firmado pelo governo anterior, do demo José Roberto Arruda.

    Além disso, também está sendo difundida, com grande destaque, menção da quadrilha de Cachoeira ao subchefe de Assuntos Federativos da Secretaria de Relações Institucionais do governo Dilma, Olavo Noleto.

    Contudo, as acusações são tão frágeis que a Polícia Federal não indiciou nenhuma dessas pessoas. A exposição desproporcional dessas escutas que a mídia pretende que atinjam ao PT visa apenas ludibriar a sociedade, fazendo-a pensar que o escândalo em questão seria “suprapartidário”, o que é um absurdo porque escutas da PF mostram que o bicheiro Carlinhos Cachoeira esteve por trás de grande parte das acusações da Veja ao PT.

    O ataque da mídia tucana ao PT se torna ainda mais absurdo quando se nota que uma das informações mais estarrecedoras oriunda das escutas da PF, a que versa sobre o envolvimento da Veja com Cachoeira, até agora não havia sido divulgada por nenhum desses grandes meios de comunicação.

    Todavia, isso mudou nesta quarta-feira (11/04). A Folha publicou “análise” de seu colunista Fernando Rodrigues em que, ao acusar o PT de “ira mal-resolvida” contra PSDB e DEM por suas condutas durante o escândalo do mensalão, acaba citando um caso que a mídia terá que divulgar, pois o deputado federal do PT de Pernambuco Fernando Ferro já avisou que fará requerimento à CPI pedindo convocação – não será convite, mas convocação – de Roberto Civita, dono da editora Abril, que edita a Veja.

    Fernando Rodrigues distorce os fatos na página A7 da Folha de São Paulo de quarta-feira 11 de abril ao dizer que “(…) Os governistas vislumbram a possibilidade de usar a CPI do Cachoeira para constranger jornalistas que usaram as informações do empresário na apuração de reportagens (…)”.

    Na verdade, as gravações mostram o bicheiro confraternizando com o editor da Veja Policarpo Jr. por ataques que a revista fizera ao governador petista de Brasília, Agnelo Queiróz. Em outro ponto, as escutas mostram membros da quadrilha afirmando que praticamente todas as matérias da Veja contra o PT partiram de seu chefe, Cachoeira. Há centenas de telefonemas trocados entre Policarpo e Cachoeira que mostram relação íntima entre o bicheiro e a revista.

    Até aqui, não há nada minimamente comparável entre petistas e Cachoeira ao que há envolvendo a oposição. Podem até surgir relações do bicheiro com alguém da base aliada, mas o forte empenho do PT, de Lula e do governo Dilma para que a CPI seja instalada mostram que o governismo está disposto a finalmente escancarar a espantosa promiscuidade da mídia demo-tucana e da oposição com o crime organizado.”

  139. Otto said

    O outro post, do mesmo blog:

    PT deveria processar a Globo por reportagem do JN contra Agnelo

    Matéria da edição de ontem (11/04) do Jornal Nacional veiculou informação falsa, sem fundamento e lógica. A apresentadora Patrícia Poeta proferiu uma mentira contra o governador de Brasília. Disse que “A Polícia Federal afirma que o governador Agnelo Queiróz pediu para falar diretamente com o bicheiro”.

    Assistindo à reportagem, já se percebe que a PF não poderia fazer tal afirmação apenas por que Cachoeira e o araponga “Dadá” disseram que Agnelo quereria falar com o bicheiro. O que a PF diz é apenas isso, que é uma declaração do araponga que foi captada. Aliás, a PF não acusou formalmente nem o governador tucano Marconi Perillo, quanto mais Agnelo.

    Ao assistir àquilo, àquela imensa manipulação e àquele desfilar de denúncias inconclusivas contra o PT veiculadas como condenações, liguei para uma fonte do partido que recomendou confiança em que o troco será dado na CPI, onde serão reveladas mais a fundo, inclusive, as relações de setores da mídia com o crime organizado.

    Apesar disso, este blog acha pouco. A locução da apresentadora do Jornal Nacional foi um anátema sobre a cabeça do governador de Brasília e sobre seu partido. Aliás, vale dizer que o pouco de voz que a Globo deu a ele na reportagem criminosa em questão foi usado para dizer que tentam atingir o PT inteiro através de si.

    Diante do exposto, faz-se, aqui, uma recomendação ao Partido dos Trabalhadores: processe a Globo por difamação ao ter afirmado que existe uma acusação formal da Polícia Federal ao governador Agnelo Queiróz. É inadmissível que uma concessão pública seja usada para distorcer dessa forma uma investigação tão importante.

  140. Edu said

    Pax e Elias,

    Se porrete significa não votar em quem contribui, compactua e/ou ignora a corrupção, podem contar comigo.

  141. Otto said

    Oi, Edu, vote no PSOL.

  142. Pax said

    Caro Otto,

    Desculpe-me, mais uma vez, alertá-lo que este blog procura informações em fontes mais equilibradas. Respeito o Edu Guimarães, sim. Mas não compartilho nem comungo várias de suas lutas.

    A principal é esta cata-vento quixotesco que a mídia quer derrubar os governos e, carregando nas tintas, implantar uma “ditadura” da extrema direita. É forte demais pra mim. Outro ponto é desmerecer o Fernando Rodrigues, um dos melhores jornalistas políticos brasileiros da atualidade, em minha opinião. Outro dia desmereceram Eugênio Bucci, outro das grandes. E são poucos, sim.

    Repito, tenho profundo respeito pelo Edu Guimarães, mas tenho por mim que há formas mais eficazes de mostrar que existe, sim, uma imprensa que é de se jogar no lixo. Um bom exemplo é o descrédito que a Veja conquistou ao adotar uma linha editorial histérica, com analistas políticos que andam com suas credibilidades abaixo do ânus da cobra.

    Caro Edu,

    Porrete é uma boa metáfora que abrange várias interpretações. Incluindo a simpática alusão a Luís XVI. Claro, inclui, também, votar em gente sem rabo preso com mafioso político.

    O Ficha Limpa é só um começo. Quero ver quando a militância briosa do PT, comprar esta briga. O projeto “Porrete” talvez tenha que ganhar outra alcunha, algo como “Foice” ou “Forca”.

    Tá mais que na hora de corrupto deixar de se achar “dono” do Brasil.

    O Brasil não é dos corruptos. O Brasil é do povo, bravo povo brasileiro.

    Ps.: ontem estive com um amigo petista em Sampa. Me deixou feliz. Afirmou que está mais que na hora do partido dar um pé na bunda em Agnelo. Tomara que sua opinião cresça dentro do PT. Ou, então, ficarão rotos reclamando dos maltrapilhos.

    Enviado via iPhone

  143. Pax said

    O problema do PSOL, me metendo no assunto, é sua anacrônica ideologia.

    Mas, com certeza, um partido muito acima da média em questões morais e éticas.

    Me lembra o PT de outrem.

    Enviado via iPhone

  144. Elias said

    Não acho que seja uma boa o PT processar a Globo, pelos motivos que apresentaste.

    Quem tem que processar é o governador de Brasília e demais pessoas diretamente atingidas pelas falsas informações jornalísticas.

    A rigor, o partido não foi atingido pelas mentiras veiculadas, embora seja certo que os adversários tentarão usar cada acusação a membro do PT como aplicável a todos os membros. Nós, petistas, fazemos o mesmo com os partidos adversários. É parte do jogo…

    Agora, também é certo que as ligações dos barões da imprensa com o crime organizado serão exploradas na CPI, nas campanhas eleitorais, etc. A meu pensar, a duplicata da Veja, que já venceu há uma pá de tempo, pode entrar em fase de execução. Vamos ver o estrago que fará .

    Creio que a Globo vai esperar pra ver. Em vez de hostilizar o PT, provavelmente ela vai aguardar que o PT ponha abaixo a porta dos Civita e, assim, ganhar com uma eventual queda da Veja. Já o PT pode precisar da Globo pra fustigar os Civita. Por isto, dificilmente o partido moverá uma palha contra os Marinho. A bola da vez é a Abril…

    Ou eu tô muito enganado ou vai ser briga de cachorro grande. A essa altura, deve ter um monte de gente que só anda por aí com o rabo grudado à parede…

    Tenho curiosidade, também, sobre uns lances envolvendo a Folha de São Paulo. Uma boa cacetada nos Frias viria a calhar (não é fácil…! Os Frias são experts em farejar fria. Como ratos experientes, eles sempre pulam fora a tempo…). Ao que parece, já começaram a se desligar dos Civita, com quem vinham de braços e abraços há muito tempo…

    Mas não creio que seja possível um acerto mínimo de convivência pacífica entre a FSP e o PT. Também não creio que os Frias sejam de grande utilidade na briga com os Civita, até porque eles não têm interesse direto. A Globo tem interesse, porque opera no mesmo mercado de revista semanal. De qualquer modo, se tudo der certo no confronto com os Civita, o próximo alvo será a FSP.

    Cá pra nós, a FSP é até mais detestável que o Estadão e seu ar pernóstico de aristocrata de aldeia…

  145. Edu said

    Otto,

    Infelizmente o PSOL não me representa.

  146. Elias said

    Também vejo o PSOL com algumas reservas.

    Ele “demarca” com o PT usando um discurso superficial e anacrônico, segundo o qual todos são de “direita”, etc e tal.

    Acaba caindo na fulanização, que, na verdade, é uma prática política de direita.

    Esse tipo de conduta denota pobreza de conteúdo. Pode até não ser, mas é o que parece…

    O PSOL se diz “socialista”. Poderia se esforçar um pouco mais em explicar o que significa isso. No que consiste o socialismo que ele defende. “Socializar” é estatizar a economia? Não? É o quê, então?

  147. Michelle de Souza Malone said

    Good day for everyone

    O video abaixo foi feito aí no Brasil por um amador, mas serve pra reflexão:

    Vale a intenção do alerta

  148. Chesterton said

    Hilario, agora me ameaça fisicamente….tsc, tsc, o PT é realmente o refúgio dos sem talento….

  149. Patriarca da Paciência said

    Bom humor entre deputados. Esta é realmente ótima!
    Uma das melhores que li ultimamente!

    “Sempre que encontra Pedro Novais no plenário da Câmara, Arlindo Chinaglia costuma dispensar a mesma deferência ao chamar o ex-ministro do Turismo de “meu herói”. Ontem à noite, depois de repetir o gesto, Chinaglia explicou a dois assessores o motivo da cortesia:

    – Esse cara é investigado no TCU por ter gasto o dinheiro da Câmara num motel. É ou não é um herói?”
    Por Lauro Jardim

    http://veja.abril.com.br/blog/radar-on-line/

    Vejam só a cara do velhinho do Link. Ele tem mesmo cara de herói!

  150. Michelle de Souza Malone said

    Good day for everyone

    Estou inaugurando um nova série:
    A MENTIRA PETRALHA DO DIA
    Esta está na capa no Estadão online:

    De acordo com a Polícia Federal, assim que Agnelo foi eleito, a Delta tentou emplacar aliados em cargos-chave de administrações regionais e do Serviço de Limpeza Urbana (SLU) de Brasília, o que facilitaria seus negócios. Além disso, tentava receber débitos do GDF por serviços supostamente prestados.

    Para o líder do PT na Câmara, Jilmar Tatto (SP,), as exigências feitas pela Delta para receber a fatura do governador Agnelo Queiroz mostram que é preciso mudar o sistema de financiamento das campanhas. “Isso vai nos levar a tratar do tema. Essas cobranças de faturas, que não devem acontecer só aqui na capital, são fruto do financiamento privado. Por isso é que nós defendemos o financiamento público de campanha. Só a mudança acabará com esse tipo de coisa, em que empreiteiros exigem contratos e outras benesses depois da eleição”, disse Tatto.

    “Veja só a situação em que chegamos. A Delta é uma empresa nacional, legalmente constituída, com CNPJ conhecido, que participa das licitações e vence. Tem aí não sei quantas obras do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento). E agora aparecem essas notícias de que está cobrando a fatura pelas doações”, disse Jilmar Tatto. Ele afirmou que tem confiança no governador e que, na sua opinião, Agnelo Queiroz vai explicar tudo.”

    Ou seja a culpa pela corrupção dos petralhas é do “sistema eleitoral”.

    ah!ah!ah!

    Ei Pax…vc negar ter me ameaçado, por escrito, de censurar meu (releia seu post) e depois negar é coisa de petralha enrustido que não estava nas CNTP, porque debilitado digitalmente.
    Parece coisa do Vossa Excelência
    Saia do armário, neguinha!
    Dói não.

  151. Patriarca da Paciência said

    Meu caro Pax,

    parece que você arranjou em “encosto” no blog.

    Lembra que tinha um comentarista que fazia “trabalhos”?

    Acho que nós estamos precisando de um cara entendido em assuntos “transcendentais” por aqui.

    Que karma!

    Coisa de doido!

    Michelle de Souza Malone,

    só uma perguntinha,

    você ja leu algum comentário favorável ao Agnelo por aqui?

    Você não desconfia que está fazendo chover no no molhado!

  152. Otto said

    Pax, Elias, Edu: o Psol também não me representa. Mas tem bons quadros.

  153. Pax said

    Cara Michelle,

    Calma. Se você se sentiu ameaçada de censura, peço desculpas pelo desentendido.

    Nunca quis censurar quem quer que seja, em qualquer circunstância. Sofri isso e não quero ser agente deste tipo de coisa.

    Disse, e vou repetir: nas CNTP, com meu notebook, com um link que me possibilitasse entrar no modo administrador do blog, eu cortaria seu comentário, sim.

    Quem acompanha este espaço sabe bem que meus cortes, via de regra, são supressões de expressões que considero desnecessárias. Um ou outro o corte é do comentário todo porque sua totalidade me parede ser desnecessária.

    De outro lado posso afirmar que sempre gostei e estimulei não só a diversidade de opinião como o exercício contínuo do exercício do desafio filosófico. Ironia e maiêutica.

    Como vivi tempos que a contradição filosófica era “contestada” no cassetete tenho certeza absoluta que este não é o método mais eficaz. Este, por sinal, é um dos meus fundamentais antagonismos com o tal titio histérico. Ele pode ter, segundo minha opinião, qualquer lógica imbecil, ou mesmo canalha, mas tem o direito disso. Mas perde qualquer credibilidade ao censurar, aí sim, opiniões divergentes.

    De novo, peço desculpas se te passei uma impressão errada. Tenha todas as opiniões contrárias às minhas.

    Mas me reserve o direito de querer estabelecer a não agressão, ou baixo calão, como forma de otimizar, de facilitar e estimular a livre expressão.

    Enviado via iPhone

  154. Michelle de Souza Malone said

    Oi Vossa Excelência.
    que bom tê-la de volta..estava com saudades
    de suas intervenções “inteligentes”.
    rsrsrsrs
    É claro que V. Ex.ª sabe que não citei o Agnelo.
    Nada disso.
    Colei a fala o líder do PT na Câmara, Jilmar Tatto (SP)
    Meu assunto são os petralhas
    e principalmente os petralhotários, seu caso.
    Para sua informação:
    Eu afirmei com todas as letras que o PT e os petralhas
    são mentirosos. E mostrei a prova. No caso Jilmar Tatto (SP).
    Ainda nem comentei o caso do presidente do PT que hoje
    se desmentiu na maior cara de pau.
    O cara grava um vídeo.Está no site do PT.
    Todos os petralhas assistem e apoiam o que ele fala e depois ele diz que não disse o que o vídeo e seu discurso, ipses literis, provam que ele disse.
    J.Falcão fica pra depois.

    Enquanto isso,V. Ex.ª, tente ler e entender o que está escrito e refletir antes de escrever. Não se avexe e tente, ao menos uma vez na vida.
    Fará bem para seu cérebro, V. Ex.ª, garantem os cientistas chineses.

    Devagarinho pra não interromper nenhuma sinapse sorrateira.

    beijinhos

    1.V. Ex.ª, na minha opinião, é um petralhotário de procedência certificada pelo governo! Carimbado pelo S.I.F. Meus parabens!

    2.Acho que a turminha do Pax -os 3 porquinhos (os “encostos” regulares, principalmente)- vive falando asneiras e quando alguém deles toma um tranco…pedem logo a atenção do Tio Pax….rs,rs,rs

  155. Patriarca da Paciência said

    O Reinaldinho Cabeção mantém um ódio espumante contra o Lula há muitas décadas!

    Odeia a sombra do Lula. Odeia o cachorro do Lula.

    E Comete o disparate de dizer que o Lula odeia alguém.

    O Lula é um homem de paz. Sempre procurando harmonizar as partes mais conflitantes.

    E o que faz o Reinaldinho Cabeção?

    Promove a discórdia, o ódio, a inveja.

    Reza a oração de São Francisco ao contrário:

    Onde houver paz, que eu leve o ódio!

    Mas um dia ele ainda vai morder a própria língua e morrer envenenado!

  156. Zbigniew said

    O discurso politico da oposicao midiatica (Globo a frente), e a seguinte:

    1. Lula odeia o Perillo, por isso o Lula quer a CPI do Cachoeira.

    2. Dilma nao queria, mas vai se curvar aos ditames do tutor (sic?????).

    3. A CPI do Cachoeira e estrategia do Lula para melar o julgamento do mensalao.

    4. Cacete no Agnelo, que tem que incluir o PT de qualquer maneira no imbroglio.

    Facamos o seguinte: instala a CPI do Cachoeira (Veja) e julga-se o mensalao. Qual o problema?

  157. Zbigniew said

    Conhecem Murilo Portugal (o cara-de-pau)?!

    “Murilo Portugal, o presidente do sindicato brasileiro dos bancos (a Febraban), resolveu peitar a prioridade da Presidenta Dilma Rousseff no decisivo braço-de-ferro para derrubar os juros. Em vez de apresentar um cronograma de corte das taxas, como esperava o governo, cobrou ‘incentivos e desonerações’ ao setor mais lucrativo da economia para baixar o spread. Com a soberba típica dos centuriões da plutocracia, divulgou a lista das ‘condicionalidades’ através do dispositivo midiático, ao mesmo tempo em que a entregava em Brasília e sentenciou: ‘A bola agora está com o governo’.
    (…)

    Indicado pelo tucanato como representante brasileiro junto ao FMI, valeu-se de suas relações para manter-se no cargo no início do governo Lula. Quando Nestor Kirchner decretou a renegociação unilateral da dívida argentina de US$ 145 bilhões, em 2003, ele perfilou ao lado dos caças rentistas. Agindo como se falasse em nome do Brasil, pilotou vôos rasantes para derrotar o mau exemplo da Casa Rosada. Depois se soube: Murilo tinha a cobertura do então ministro da Fazenda Antonio Palocci (a quem posteriormente serviria como Secretário Executivo do Ministério da Fazenda, de 2005 até a queda do aliado, em 2006).
    (…)”

    Do site da Carta Maior.

    Entao os bancos captam a 9.5% numa ponta e emprestam a 30, 40, 50 e ate 80% na outra e reclamam da “inseguranca juridica”, tributos e custos da inadimplencia??? Esse Portugal e realmente um cara de pau.

  158. Elias said

    Zbigniew,

    Lembra de quando comentamos a viagem da Dilma à Alemanha?

    Era sobre isso.

    O Banco Central Europeu injetou vários absurdilhões de Euros no mercado, a juros ZERO, pra socorrer os países do rodapé que estão ferrados (Grécia, Portugal & adjacências).

    Aí, o que faz quem pode? Pega dinheiro na Europa, a juros zero, aplica em países com juros altos (leia-se: TODOS os países em desenvolvimento), fatura uma ponta e repatria os rendimentos.

    No fim, quem paga a conta é a economia dos países em desenvolvimento.

    Dilma & outros foram à Europa chiar, mas tudo o que conseguiram foi uma promessa de que o Banco Central Europeu só faria a injeção uma única vez. Não a repetiria.

    É o mesmo que dizer: “É só a cabecinha, meu bem…”.

    Resultado: Dilma teve que derrubar os juros no Brasil, pra evitar a entrada em massa de capital especulativo europeu e a conseqüente sangria de boa parte da renda brasileira pra Europa. Ao mesmo tempo, os juros baixos ajudam a dar uma levantadinha no PIB, cuja evolução foi baixíssima em 2011.

    Aí os banqueiros fazem o que tu acabaste de destacar no teu comentário. Eles tão pouco ligando se, com isso, ferram milhares de empresas, dezenas de milhares de empregos e centenas de milhares de vida. Tão nem aí… Querem aproveitar a deixa pra faturar outros absurdilhões adicionais.

    O resultado disso é que, sem outra saída, Dilma vai: (a) aumentar a tributação sobre ganhos financeiros (pra alegria de um monte de gente que vem pressionando pra ela fazer isso há um tempão); (b) usar os bancos estatais pra contrabalançar a ganância da canalha, que, prontamente, vai reclamar de “corner” e sei lá mais o quê…

    Só que a medida “a” vai afetar negativamente um porradal de investidores pequenos e médios. São os poodles enfiados em briga de dobermans, conforme comentei há algumas semanas atrás, cantando a pedra que fica mais nítida agora, com a mais que esperada conduta facinorosa dos banqueiros brasileiros.

    Eles têm sorte do presidente do BC brasileiro não ser um Paulson, Secretário do Tesouro do Baby Bush…

    A elite brasileira tem esse lado meio doido… Meio suicida…

  159. Elias said

    Quanto ao Palocci, nada de ruim que vier dele me surpreende.

    Ele tem uma enorme capacidade de engrandecer as equipes de governo das quais não participa.

    Quando soube que ele tem o hábito de frequentar bordéis, o primeiro pensamento que me veio à cabeça foi: “Nada mais adequado e coerente, em se tratando de alguém tão prostituído…”.

  160. Elias said

    Chesterton,

    Sei que tu és descendente de português, mas… Não exagera!

    O “porrete” de que o Pax, o Edu e eu estamos falando é figura de linguagem.

    Não estamos falando de um pedaço de pau pra bater na cabeça das pessoas.

    Entendeu, pá?

    Demais disso, na ora de se meter o cacete (êpa!), tu estarias no rabo da bicha…

    Pra quem não sabe, “rabo da bicha” em Portugal significa “fim da fila”, o mesmo que significava em Belém há algumas décadas).

  161. Zbigniew said

    Elias,

    esses banqueiros são muito cara-de-pau. O pior foi o gerente deles lá ir ao governo exigir
    providências para “melhorar” as condições de sei lá o que eles querem. Eles realmente estão em outro mundo. Acho que essa gente é viciada em orgias financeiras. Bando de escrotos.

    O maior absurdo são as taxas “equivocadamente” cobradas dos clientes. Isso é roubo!

    Aliás, neste país é assim. Todo mundo atrás do lucro brasil. O setor automobilístico? Cartel. Postos de gasolina? Cartel. Bancos? Cartel.
    Tudo caro, muito além daquilo que se podia cobrar pra se diminuir os efeitos da escorchante carga tributária. E nós, pagando.

    A Foxcom produz Iphones e Ipads aqui no Brasil. O preço foi reduzido? Pelo contrário.

    Tem muita coisa pra ser consertada. Muita coisa…

  162. Patriarca da Paciência said

    O ministro Ricardo Lewandowski, do STF (Supremo Tribunal Federal), negou nesta sexta-feira (13) pedido da defesa do senador Demóstenes Torres (sem partido-GO) para suspender o inquérito que investiga o parlamentar.

    A defesa do senador quer a suspensão até que o plenário da corte analise a anulação das gravações que o ligam a Carlinhos Cachoeira, acusado de explorar jogo ilegal. As gravações foram realizadas durante a Operação Monte Carlo, da Polícia Federal, que levou Cachoeira à prisão.

    Composição de CPI reflete opção de eleitores nas urnas, diz Tatto
    Esquema de Cachoeira funcionava como ‘polvo’, diz OAB-RJ
    Há clima de ‘frieza e decepção’ em relação a Demóstenes, diz senador

    Demóstenes argumenta que, por ter foro privilegiado, não poderia ter sido monitorado sem o aval do Supremo.

    O advogado de Demóstenes, Antônio Carlos de Almeida Castro, o Kakay, disse que a decisão não representa derrota para a defesa do parlamentar.

    “Em liminar, o ministro considerou que não era o caso de suspender o inquérito. Um ministro não pode liminarmente tornar nulas as provas. O pedido era para paralisar as investigações até o julgamento do mérito. Vamos agora ao mérito”, afirmou o advogado à Folha.

    O mérito do caso vai ser julgado pelo plenário do STF. A defesa de Demóstenes espera que os ministros decidam pela ilegalidade das gravações que envolvem o parlamentar, assim como proíbam a sua utilização.

    Segundo Kakay, Lewandowski atendeu parte do pedido da defesa ao permitir que as escutas e a ação penal que tramita na Justiça de Goiás sejam encaminhadas integralmente ao STF.

    Demóstenes planejava esperar a anulação das provas pelo STF para discutir uma eventual renúncia.

    Com a liminar, a expectativa é que o senador se mantenha no cargo para manter o foro privilegiado no Supremo. O parlamentar responde a processo por quebra de decoro parlamentar no Conselho de Ética do Senado que pode resultar na cassação do seu mandato.

    http://www1.folha.uol.com.br/poder/1075655-stf-nega-pedido-para-suspender-inquerito-contra-demostenes.shtml

    Pois é, parece que os “grandões” já não conseguem “facilidades” nas instâncias superiores..

  163. Michelle de Souza Malone said

    Good Day everyone

    A CPMI E A BURRICE INFINITA DOS PETRALHAS

    Prejuízo social clube
    13 de abril de 2012 | 3h 06
    DORA KRAMER – O Estado de S.Paulo
    Onde havia a dúvida, o presidente do PT, Rui Falcão, instituiu a certeza: a defesa enfática da criação da CPI para investigar a rede de traficâncias do contraventor Carlos Augusto Ramos, vulgo Cachoeira, não pode ser tomada como um retorno do partido às lides da ética na política.

    Significa, antes, uma tentativa de socializar desde já os prejuízos decorrentes do julgamento do processo do mensalão. De onde se conclui que o PT não faz as pazes com a legalidade, mas apenas volta a se utilizar da bandeira sob a qual fez carreira.

    Até quarta-feira essa era apenas uma ilação. Uma versão corrente entre adversários de governo ou oposição, tornada oficial por Falcão em um vídeo divulgado na internet pedindo apoio para a investigação “do escândalo dos autores da farsa do mensalão”.

    Um recibo com certidão firmada em cartório. Tão completamente explícito que até petistas mais ajuizados manifestaram contrariedade. Entre eles o senador Jorge Viana, que foi ao ponto: “Ela (a CPI) não pode estar vinculada ao tema mensalão, pois esse é um problema de que nós, no PT, temos uma versão e o Brasil tem outra”.

    Questão que caberá o Supremo Tribunal Federal resolver dizendo de que lado está a razão. Sem a interferência de ensaios canhestros de desvio de foco ou atos de pressão, cujo primeiro resultado é a exposição pública dos propósitos baixos do partido.

    Ordens de Lula, sedento que está o ex-presidente de desmoralizar personagens e ações-chave no desmonte da imagem proba do PT? É o que consta e o que faz sentido, partindo-se do princípio de que Rui Falcão não lançaria mão de uma ofensiva tão escancarada sem um forte muro de arrimo a escorá-lo.

    Aliou-se à defesa da tese difundida pelo réu mor do processo, José Dirceu, e saiu “denunciando” a existência de uma “operação abafa”, organizada pelos meios de comunicação para impedir as investigações sobre as relações da rede Cachoeira com o mundo político em geral, com um órgão de imprensa em particular (a revista Veja) e, se possível, resvalar no Judiciário melhor ainda, na perspectiva dos que são vistos como “autores da farsa do mensalão”.

    Um truque conhecido, esse de partir para a ofensiva usando armas com sinal trocado a fim de aplicar vacina nas próprias mazelas.

    Se possibilidade real de CPI passou a existir, se a rede de traficâncias está se revelando ampla e profunda, se personagens são desmascarados e negócios suspeitos vêm à tona é justamente por ação dos meios de comunicação.

    Um ato categórico de acobertamento quem cometeu foi Rui Falcão ao citar nominalmente apenas os adversários, Demóstenes Torres (ex-DEM) e Marconi Perillo (PSDB), deixando de lado o petista Agnelo Queiroz.

    A manobra de construção de um atalho que leve a uma derivação de curso deu certo uma vez com a história engendrada pelo então ministro da Justiça, hoje advogado de Cachoeira, Márcio Thomaz Bastos e contada por Lula. Na condição de presidente da República, não teve pejo em confessar crime eleitoral para tentar na ocasião como agora socializar e, assim, neutralizar o prejuízo.

    Agora está ainda mais à vontade como eminência parda e militante da causa de fortalecer a tese de que o esquema de desvios e fraudes montado para financiar campanhas partidárias e, assim, cooptar uma base aliada substancial no Congresso, foi pantomima inventada por inimigos municiados por bandidos.

    Ora, se foi mesmo uma farsa para que tanto esforço. Melhor deixar que a Justiça a desconstrua com a força dos fatos.

    Difícil que ministros do Supremo se deixem engambelar, preferindo referir-se nas impressões que na precisão das provas.

    O mirabolante plano dado a conhecer por Rui Falcão parece partir do pressuposto de que o PT tem gordura para queimar dada a força política de Lula e a popularidade da presidente Dilma Rousseff.

    É um lado da história.
    O outro é que se a oposição está no osso isso significa que tem muito menos a perder do que quem detém o poder. Risco por risco, com a CPI o do governo é maior.
    ****
    Em resumo:
    O PT toma pau até em exame de Massinha 1

  164. Michelle de Souza Malone said

    (continuação)
    Lula em 17 de julho de 2005

    Se passaram 2462 dias desde esta entrevista e a mentira continua.

  165. Michelle de Souza Malone said

    (continuação)
    6 anos, 8 meses, 3 semanas, 6 days ou 2462 dias e a mentira continua.

    Nem precisa abrir se não quiser…o assunto está enunciado no address:

    se-o-mensalao-nao-existiu-silvinho-land-rover-ficara-na-historia-dos-tribunais-como-o-primeiro-inocente-que-fez-questao-de-ser-punido-pelo-crime-que-ninguem-cometeu
    Petralhotário, se quiser leia
    http://veja.abril.com.br/blog/augusto-nunes/direto-ao-ponto/se-o-mensalao-nao-existiu-silvinho-land-rover-ficara-na-historia-dos-tribunais-como-o-primeiro-inocente-que-fez-questao-de-ser-punido-pelo-crime-que-ninguem-cometeu/

    A semana que vem promete muito mais.
    Vai ser instalada a CPMI do fim do mundo parte 2 ?
    Eu duvido. A petralhada percebeu (?) que essa CPMI é uma tremenda furada.
    Pra Dilma é um contrato caracú onde a oposicinha entra com a cara…
    Petralhas tremei…
    E ainda tem Veja mais tarde.

    …bons pesadelos!

  166. Patriarca da Paciência said

    Michelle de Souza Malone ,

    vou simplesmente repetir um comentário que já fiz acima:

    “Mas às vezes eu me divirto imaginando os desdobramentos de uma coisa desse tipo: políticos de todos os partidos, donos de revistas de circulação nacional, grandes jornais e redes de tevê e rádio, empresários, bicheiros, traficantes, donos de redes hospitalares, enfim, os mais diferentes e graduados representantes da marginalidade brasileira de alto coturno, todos enfiados no mesmo saco nojento…”

    Totalmente de acordo, meu caro Elias.

    Minha torcida é toda nesse sentido também.

    Como disse aquele pensandor alemão meio maluco (ou será totalmente maluco?), Nietzsche, “é preciso o caos para dar à luz uma estrela brilhante”.

    Talvez daí surja a verdadeira democracia brasileira.

    Estou na maior torcida para que saia a tal de CPI do Fim do Mundo!

  167. Patriarca da Paciência said

    E o vídeo do Lula é simplesmente ótimo.

  168. Chesterton said

    “O alcance dessa CPI é inimaginável. Só a empresa Delta Construções (que aparece nas gravações telefônicas feita pela Operação Monte Carlo, da Polícia Federal, e recebeu R$ 4,13 bilhões do governo federal por obras do Programa de Aceleração do Crescimento – PAC) – está presente em quase todo o País, principalmente na construção e reforma de estradas”, disse o senador Delcídio. “Eu já fiz vários alertas sobre isso. Estão brincando com fogo”, afirmou ainda o senador petista.

    A frase é praticamente uma confissão de culpa. E a reunião de Dilma para implorar que Lula não incentive a CPI Delta do Rio Cachoeira só comprova isso.

  169. Patriarca da Paciência said

    Chesterton,

    até agora, quem está mesmo colando o rabo na parede é o pessoal do PSDB. Eles sim, tem muito do que temer.

    O pessoal do PT, presidente Dilma, Lula e todos os demais legítimos representantes do partido, querem mais é que a “CPI do Fim do Mundo” saia o quanto antes.

    Aí o capo da Veja vai finalmente se explicar!

    E o Reinaldinho Cabeção e sua moralidade de aluguel vai ficar com a mesma cara do Demóstenes Torres.

  170. Patriarca da Paciência said

    “O que temos é uma tentativa meio desesperada de lançar uma cortina de fumaça sobre o episódio e confundir a opinião pública. A CPI do Cachoeira NÃO TEM O PODER DE ABAFAR O MENSALÃO, e sim de esclarecer alguns de seus aspectos. Parte da mídia parece desejar que o mensalão seja julgado sumariamente, sem que a sociedade seja esclarecida sobre as lutas políticas, lícitas e, sobretudo, ilícitas, que ocorreram em seus bastidores. Entre as últimas, temos a atuação de Carlinhos Cachoeira, seus arapongas e os editores da Veja.

    Tudo que trouxer mais dados à tôna não servirá para abafar nada e sim para dar substância às investigações e aos debates. Se os mensaleiros têm culpa no cartório, esta culpa será maximizada com a divulgação de mais fatos. Aparecerão outros implicados. A importância de uma CPI é, basicamente, o seu poder de quebrar sigilos fiscais, bancários e telefônicos, e convocar depoentes, produzindo uma investigação à luz do dia, com acompanhamento da sociedade. No caso da CPI do Cachoeira, há um trunfo que é preciso destacar. Ela tem como seu fundamento duas ou três grandes operações da Polícia Federal, que produziram enorme quantidade de material investigativo. Não é uma CPI sem foco e sem material de acusação. Ao contrário, os parlamentares terão à sua disposição relatórios completos escritos pelos setores mais preparados da Polícia Federal, cuja idoneidade nestas investigações é provada pela prisão de um significativo número de autoridades, incluindo gente da própria PF.

    http://www.ocafezinho.com/2012/04/12/cpi-do-cachoeira-exigira-esforco-cidadao/

  171. Patriarca da Paciência said

    Para mim, não vai haver nenhum “Fim de Mundo” e sim, pelo menos há grandes possibilidades, do fim de um procedimentos que se arrastam há séculos pelo Brasil, ou seja, o jeito de fazer política.

    Que os velhos cachorros treinados, os quais aprenderam tão bem certos truques que não os querem abandonar, ou aprendam novos truques ou sejam substituídos por novos participantes.

    A sociedade já está saturada e não suporta mais o velho jeito de fazer política no Brasil.

  172. Zbigniew said

    O embate está se aproximando, as posições estão sendo tomadas. De um lado Veja, Globo e o PIG em geral na defesa da oposição e do outro a Dilma, Lula e o PT. Parece que o governo e o PT vão partir para o confronto. Isto será bom. É uma grande oportunidade do próprio PT fazer uma boa faxina nos seus quadros e desmascarar de vez veículos como a Veja.

    Há um comentário do N. no blog do Nassif que sintetiza bem a posição do PIG em todo este imbroglio:

    “Pelo que estou acompanhando nesse processo de tentativa de abafa da CPI do Cachoeira pela velha mídia:

    1) A Veja até então mostrou-se acuada. Quando tentou defender o jornalista Policarpo Jr., acabou dando um tiro no pé. Agora parece sair do estado de letargia e partir para o confronto. Ao que tudo indica a estratégia será direcionar a “opinião pública” no sentido de desacreditar a CPI do Cachoeira. Argumentará que a criação da CPI tem o único objetivo de encobrir e abafar o escândalo do mensalão, como a própria chamada de capa da mais nova edição mostra. Porém está trilhando um caminho perigoso. Mas para mim a revista não tem outra opção. Há muito tempo a revista escolheu esse caminho e, no ponto em que se encontra, não há mais possibilidade de volta. Está jogando todas as suas fichas no prestígio que ainda acredita ter e na colaboração e ajuda de outros órgãos imprensa. Destacadamente, Organizações Globo de Jornalismo e o jorna O Estado de São Paulo.

    2) A Globo encarnou o papel da Veja nesse caso Cachoeira-Demóstenes-Veja. Pelo destaque que está dando a matérias contra o governador Agnelo, publicações um tanto quanto suspeitas, tendenciosas e aparentemente inventadas no blog do Noblat, a colocação do principal articulista, Merval Pereira, na linha de frente para tentar minar a CPI do Cachoeira (da mesma forma que ele apareceu para tentar minar a credibilidade do autor e do conteúdo do livro Privataria Tucana e bloquear uma possível CPI da Privataria Tucana). Pelo tom utilizado pela Globo, acho que ela tem muito a perder com o aprofundamento nas investigações. Não me surpreenderá se aparecer algo que incrimine ou que mostre ligações de jornalistas da empresa nesse esquema Veja-Chachoeira. Como já foi mostardo aqui no blog em outras ocasiões, há um acordo entre a Veja e a Globo. A Globo recebe em primeira mão informações sobre o conteúdo das reportagens que sairão na Veja. Depois disso, vende a reportagem de capa da Veja no JN.

    3) O Estadão parece compor a tríade contra a instalação da CPI. Também está apresentando matérias com o intuito de ligar o governo do GDF à quadrilha do Cachoeira. Além disso, atua em outra frente, tentando mostrar a preocupação da Presidente Dilma com o desenrolar do assunto. Como sempre cita pessoas próximas à presidente ou auxiliares da Presidente como fonte de informação. Também procura mostrar que existe exitação por parte dos membros do PT e que a CPI teria uma alto poder destrutivo para o governo e para a base aliada. Cita os contratos existentes entre a empresa Delta com obras do PAC e no estado do Rio de Janeiro como fontes de preocupação.

    4) A Folha para mim é a mais tímida dos três em relação ao tema CPI do Cachoeira. Talvez tenha o rabo preso e esteja querendo ficar fora dos holofotes nesse momento de incertezas.

    Ao que tudo indica, a velha mídia estava trabalhando de forma atabalhoada e testando hipóteses para ver a linha de argumentação que poderia “colar” para a “opinião pública”. Chegou a estampar reportagens e artigos tentando mostrar que a operação Monte Carlo era uma armação da PF/PT/governo federal e que o problema do senador Demóstenes era psiquiátrico e não um problema de moral, ética e falta de caráter.

    Parece que nas próximas semanas veremos o continuar de algumas táticas escolhidas: 1) mostrar exitação do PT e dos aliados no sentido de abertura da CPI do Cachoeira, que poderá se transformar em um tiro no pé, 2) continuar batendo na tecla do envolvimento do governo do GDF no esquema Cachoeira, 3) mostrar que a CPI do Cachoeira nada mais é que uma tentativa para desviar o foco do julgamento do Mensalão, 4) tentar convencer que a CPI é uma tentativa de cercear a liberdade de expressão dos órgãos de imprensa e 5) apresentar gravações envolvendo outras autoridades do governo federal e partido aliados.”

  173. Patriarca da Paciência said

    “Em setembro do ano passado, ao apresentar sua defesa no STF, Jefferson negou a existência do mensalão e afirmou que a expressão era apenas “retórica”. Um dos grampos da PF demonstra com precisão a ligação da quadrilha de Goiás com a Veja. Em uma conversa com o araponga Jairo Martins, cinegrafista do pagamento ao ex-diretor dos Correios, Cachoeira revela o seguinte: “Porque os grandes furos do Policarpo fomos nós que demos, rapaz. Todos eles fomos nós que demos”.

    Leia mais em: O Esquerdopata
    http://esquerdopata.blogspot.com.br/

  174. Patriarca da Paciência said

    “PORQUE OS GRANDES FUROS DO POLICARPO FOMOS NÓS QUE DEMOS, RAPAZ. TODOS ELES FOMOS NÓS QUE DEMOS.” (Carlinhos Cachoeira)

    Gravação que todo o Brasil ouviu, através de todos os telejornais.

  175. Elias said

    Patriarca,

    I
    Parece que a Veja colocou na Web todas as edições da revista. Dá uma olhada nas edições de MAIO DE 2002. Em uma dessas edições, a matéria de capa é uma denúncia da privataria tucana.

    A Veja denunciando a privataria tucana? Impossível…!, dirão alguns.

    Mas a verdade é que denunciou, sim, em 2002. Na época, quem pautava a revista era o Toninho Malvadão, que detestava o Serra até a raiz do cabelo.

    II
    Acho que o PT e o governo devem encarar firme a Veja, e jogar pesado, sem se preocupar com a Globo e os demais.

    A meu pensar, PT e o governo devem operar politicamente. Os aspectos legais devem seguir seu curso, na forma da lei. As chances devem ser de 15 em cada 1, quanto a que os barões da imprensa vão se safar, do ponto de vista legal. No Brasil, tá longe o dia em que bilionário se ferra na (in)Justiça. Agora, dá pra se trabalhar um baita custo político (e econômico) para um monte de gente.

    Aos costumes, a canalha vai botar o rabo entre as pernas, quando sacar que será jogo bruto. E a Globo tem todo o interesse em garfar um pedaço do leitorado da Veja.

    Quanto aos parlamentares da oposição, não há com que se preocupar. Eles farão o que os donos da porcada mandarem fazer… Num ano eleitoral, então…

    A cambada da senzala da direita vai urrar, babar e espumar, requentando coisas como mensalão, dólar na cueca, etc e tal. Por mim, é uma boa que as mucamas e os escravos de renda da direita façam assim. Faz parte…

    Além do mais, mais cedo ou mais tarde isso vai ajudar na chamada “luta interna”. Será uma bala de prata a mais no coldre de quem tem na mira os vampiros do PT, que já merecem uma estaca cravada no peito há uma pá de tempo.

    Eu quero é mais!

    Em tempo: “mucama”, “escravos de renda”, “bala de prata”, “estaca cravada no peito”, etc, é tudo linguagem figurada, viu Chesterton?

  176. Chesterton said

    http://www.estadao.com.br/noticias/nacional,dilma-pede-a-lula-cautela-com-cpi-do-cachoeira-por-temer-reflexo-no-governo,860793,0.htm

  177. Chesterton said

    Em tempo: “mucama”, “escravos de renda”, “bala de prata”, “estaca cravada no peito”, etc, é tudo linguagem figurada, viu Chesterton?

    chest- ????

  178. Chesterton said

    Esta matéria que está no site do jornal O Estado de São Paulo (transcrevo abaixo) mostra que a CPI do Cachoeira, o Homem-Bomba, tem poder destrutivo incalculável. Mais ou menos como a quimioterapia que pode salvar o paciente enquanto deixa-o estropiado. Por isso a Dilma, flanando com 77% de aprovação, segundo pesquisa Ibope, vê no estratagema de Lula, homem tido como muito esperto, um grande ventilador no qual pode ser atirado material orgânico em decomposição capaz de afogar o Palácio do Planalto.
    Há quem diga que o processo do mensalão acaba se tornando coisa de ladrão de galinha, ante à capilaridade gigantesca do cipoal de corrupção que pega desde obras como o tal PAC, Copa do Mundo, lanchas, pacotes de dinheiro, dólares em cuecas e calcinhas, enfim, toda a sorte de sacanagens e mutretas que envolvem gente de todos os partidos em todo o país.
    Em meio a esse turbilhão de iniqüidades a CPI tem tudo para se transformar num caldeirão infernal de intrigas, acusações e, sobretudo, vinganças.
    Sem contar o fato de que possa surgir um novo deep-throat, no estilo do ex-deputado Roberto Jefferson.
    A.A.

    chest- é, cipó vai e volta como diz o Pax.

  179. Zbigniew said

    E se invertéssemos a equação? Se a revista Veja tivesse sido censurada num estado governado por um político do PT e um senador deste mesmo partido estivesse envolvido, juntamente com o citado governador, com o chefe de uma quadrilha, este o principal informante da revista censurada? O país pararia, não?(ou pelo menos tentariam pará-lo). Pois bem, vamos ao confronto!

    “Só se ocupa um espaço quando ele está vazio. A Veja ocupa um espaço deixado vazio pela covardia do PT, que apanha calado há anos, e é comodamente defendido por terceiros anônimos na blogosfera, que deixam de lado os seus afazeres e passam raiva se indispondo com vizinhos, parentes, colegas de trabalho, etc. para defender quem parece não se importar com isso ( salvo raras exceções).

    Se a porcaria desse inquérito vaza mais que o casco do titanic, qual a razão para ninguém do PT ainda ter proposto formalmente ao STF a quebra do sigilo e a liberação total de todos os grampos, inclusive do Policarpo, para desmontar de vez essas teorias estapafúrdias, e cobrar do estadão um posicionamento sobre essa “Censura” ( ou só é censura quando a figurinha é o Sarney filho?).

    Porque diabos jamais criam um fato político, estão sempre a reboque ou correndo atrás do prejuízo? Chega de amadorismo. Quem não tem competência não se estabaleça. Isso não é jogo para amadores. Pintem a cara a vão para a guerra senhores! MEXAM-SE!!!!!”
    (por M.S. no blog do Nassif)

  180. Patriarca da Paciência said

    Elias e Zbigniew,

    concordo totalmente que o foco do PT deve ser a revista Veja. Vejo na Folha um grande instinto de sobrevivência e na Globo, apesar de tudo, uma atitude um pouco mais saudável.

    O Estadão é caso perdido, já se declaraou formalmente ao lado do Serra.

    E acho também que não resta ao PT senão o confronto direto. Quem tiver rabo preso que assuma as consequências.

    Minha torcida é toda para que as CPIs saiam o mais rápido possível!

  181. Chesterton said

    Apenas Parasitas Amealham Fortunas na Selva
    Na economia mercantilista do Brasil apenas os “empresários” com ajuda do governo fazem fortunas formidáveis da noite pro dia. O mais interessante é que esses milionários não produzem porra nenhuma, além da usual gratificação de 10% para os políticos não-petistas, 20% pros petistas e 30% se rolar um maranhense na parada. Confiram a trajetória bem sucedida de uma empresa parasita dos cofres públicos, a Delta.
    POSTED BY SELVA BRASILIS
    –Fernando Cavendish, presidente do conselho de administração da Delta Construção, é amigo do rei. Formado em engenharia civil pelas Faculdades Integradas Veiga de Almeida, no Rio de Janeiro, o empresário conseguiu um feito raro: em dez anos, fez o faturamento de sua empresa saltar de 67 milhões de reais para 3 bilhões de reais. Conforme levantamento da ONG Contas Abertas, apenas em obras contratadas pelo governo federal, a Delta arrecadou nesse período nada menos que 4 bilhões de reais. A cifra é equivalente ao atual valor de mercado da Marfrig, uma das maiores produtoras de carne do país.

    Na segunda metade da década, o empresário – que já exibia a peculiar habilidade de manter bons relacionamentos com gestores públicos, sobretudo no Rio – transformou-se no “príncipe do PAC” ao arrebatar a grande maioria dos contratos de infraestrutura do Programa de Aceleração do Crescimento lançado pelo governo em 2007. Ao final de 2011, a Delta era a principal fornecedora do programa, com contratos avaliados em mais de 2 bilhões de reais.

    O Rio de Janeiro, apesar de não ser o estado onde Cavendish nasceu, rendeu-lhe boa parte de sua riqueza e sucesso empresarial. Segundo levantamento da ONG Contas Abertas, o governo fluminense repassou 450 milhões de reais à Delta entre 2002 e 2011 – de longe a construtora que mais ganhou licitações no estado no período. Houve também outros tantos contratos sem licitação, da ordem de 53 milhões de reais.

    Aditivos – Os ganhos da empresa no Rio foram inflados por aditivos aos contratos. Do início do primeiro mandato de Sérgio Cabral (PMDB/RJ) até 2010, quase 100 milhões de reais entraram nos cofres da Delta por meio dessas alterações contratuais. Entre os empreendimentos que levam a assinatura da construtora estão o Estádio Olímpico João Havelange, o Parque Aquático Maria Lenk, e a reforma, em curso, do emblemático Estádio do Maracanã. A Delta também foi responsável pela construção da nova pista do Aeroporto Internacional de Cabo Frio, em 2006, e por obras de reurbanização no Complexo do Alemão, em 2008.

  182. Chesterton said

    Grandes amigos – A estreita ligação entre a Delta e o Palácio Guanabara – mais especificamente, entre o empresário Fernando Cavendish e o governador Sérgio Cabral – foi escancarada em 2011, quando um acidente de helicóptero no Sul da Bahia matou sete pessoas, entre elas a mulher de Cavendish, seu enteado de 3 anos de idade e a namorada do filho de Cabral. Na mesma viagem, porém não no mesmo helicóptero, estavam o governador e seu filho Marco Antônio. Em outra ocasião, meses antes, as famílias Cavendish e Cabral haviam passado uma semana em um navio na costa de Nassau, nas Bahamas. A cortesia do transporte em jato executivo para as duas famílias foi de outro amigo: Eike Batista.

    Parte desse sucesso de Cavendish na alta cúpula da política fluminense e em Brasília deve-se ao estreito relacionamento com o lobista número um do Planalto, o ex-ministro da Casa Civil e chefe da quadrilha, José Dirceu. Segundo reportagem de VEJA publicada em maio de 2011, a JD Assessoria e Consultoria, de Dirceu, prestou serviços de “relacionamento” aos principais executivos da empresa, apresentando-os a figuras proeminentes da República. Ao contratar o consultor, Cavendish tinha a intenção de ganhar mercado no Mercosul. Por incompetência do político ou falta de interesse dos hermanos, o plano não avançou. No final, o erro transformou-se em acerto. Graças ao empurrão de Dirceu, o empreiteiro expandiu seus domínios para além da Guanabara e chegou ao Planalto Central. Dali, a Delta não saiu mais.

    Pasta dos Transportes – Na seara do PAC, o principal cliente da Delta é o Ministério dos Transportes. Em 2011, dos 884,5 milhões de reais recebidos pela construtora, 796,8 milhões de reais foram pagos pela pasta. No exercício anterior, a relação não foi diferente. Do total de 769,1 milhões de reais embolsados, cerca de 674,4 milhões de reais vieram dos Transportes. O Ministério foi dilacerado em 2011 depois que VEJA mostrou o esquema de corrupção que se alastrava pelo Departamento Nacional de Infraestrutura de Transporte (Dnit), justamente o órgão que mais se relacionava com a Delta.

    Obras de infraestrutura em transporte, aliás, estão no DNA da companhia. Fundada em 1961 pelo pai de Cavendish, Inaldo Soares, a Delta construiu, ao longo de três décadas, estradas e rodovias para órgãos públicos, sobretudo no Nordeste, de onde a família é originária – mais precisamente de Pernambuco. Só quando Cavendish assumiu o lugar do patriarca, em meados de 1990, a empresa passou a flertar com outras áreas – ainda que timidamente. Soares faleceu no final de 2003.

    Reinado no DF – Outro terreno onde a Delta prosperou é o Distrito Federal. Além de prestar serviços milionários de limpeza pública em Brasília, a construtora também teria negociado facilidades em contratos diretamente com a cúpula do governo distrital em troca de favores em campanhas eleitorais. Em conversas gravadas pela Polícia Federal na Operação Monte Carlo, aliados do contraventor Carlinhos Cachoeira – acusado de comandar uma rede de jogos ilegais no país – afirmaram que a diretoria da Delta fazia doações milionárias ao PT e ao PMDB. Posteriormente, cobrava favores em troca, como a nomeação de amigos em cargos específicos para garantir que a empresa se mantivesse favorecida nos contratos locais.

    Segundo a ONG Contas Abertas, as doações eleitorais alcançam o valor de 2,3 milhões de reais à direção nacional do PT e PMDB, referentes às últimas eleições de 2010. Os repasses foram de 1,15 milhão de reais a cada partido.

    Cavendish, o sobrinho – Recentemente, Cavendish criou uma holding, a DTP Participações e Investimentos, com valor de mais de 300 milhões de reais, segundo a Junta Comercial do Rio de Janeiro, com objetivo de consolidar ali a gestão de todas as suas empresas (Delta Construção, Delta Energia, Delta Incorporação e Delta Montagem Industrial).

    Segundo o contrato social da companhia, disponível na Junta, a DTP detém 99% do capital da Delta Construção, a maior empresa do grupo. Consta no documento que a diretora e principal representante da holding que congrega toda a fortuna do empresário é Ligia Maria Soares Silva. Curiosamente, a “executiva” é tia de Cavendish, irmã de seu pai, professora de ensino médio em uma escola na cidade de Salgueiro, no sertão de Pernambuco.

  183. Pax said

    Caro Chesterton, velho e bom Chesterton,

    Coloca o crédito do texto, por favor.

    Sabemos que algumas fontes são complicadas.

    Entramos na fase pesada da contra-informação. Já não acredito nem no que minha bistataravó, aquela safada, falava.

    Tô gostando de ver as bernes amadurecerem.

    Enviado via iPhone

  184. Elias said

    O pessoal que tá com o rabo colado à parede não fala noutra coisa, senão no “poder destrutivo” da CPI do Cachoeira.

    E daí, caceta? Tá com medo? Do quê?

    Quem for quebre que se podre…!

  185. Patriarca da Paciência said

    Os textos falam dos negócios do empresário e de algumas tragédias que aconteceram envolvendo a família deste.

    E faz várias insinuações sobre negócios que não devem estar corretos. E só.

    Mas provas, provas mesmo, vídeo, áudio, como a voz do senador Demóstenes Torres tratando de “negócios” com o capo Carlinhos Cachoeira, nada. Algum documento, nada.

    Típico da revista Veja.

  186. Zbigniew said

    Patriarca, cá pra nós: sabemos que jornalismo, direito, medicina, economia, etc., todas as ciências hoje estão a serviço do dinheiro e do poder, afastando, por conseguinte, aqueles princípios que encerram valores morais e éticos e que são encontrados em todos os manuais referentes às matéiras.

    O que vemos neste caso Cachoeira? Uma briga de foice, onde grupos de comunicação se associam a organizações criminosas (associação criminosa, seja qual for o intuito) para forçar interesses junto aos poderes constituídos. Será que até aqui o sagrado direito de expressão e liberdade de imprensa vão sobrepujar o interesse da sociedade? Sim, porque aí parem o mundo que eu quero descer!

    Olha. O Brasil não pode mais conviver com esse tipo de esquema. A tendência é que, mais cedo ou mais tarde a bomba estoure e pessoas comecem realmente a pagar pelos malfeitos. Digo pagar mesmo. Não dá mais para vivermos com juízes desequilibrados que escravizam servidores ou vendem sentenças ou votos sem a menor cerimônica e depois são aposentados a título de sanção. Isto é um absurdo! Ou que banqueiros continuem roubando através de taxas indevidas que vêm escondidinhas lá nos nossos extratos bancários (há! desculpem! foi um engano senhor! – vai tirar de um banqueiro pra tu veres. Dêem uma olhadinha na Europa), conseguem lucros astronômicos e depois, na maior cara-de-pau, vão ao governo chiar porque não querem diminuir taxas de juros para a oferta de crédito. Ou políticos que são financiados por empresas e depois, para pagar a dívida, alugam pedaços da República para que as mesma se locupletem oferecendo um serviço de péssima qualidade. E por aí vai.

    Já deu pra Veja. O PT e o governo têm a obrigação de colocar esse grupo no devido lugar. Dentro das regras do estado de direito democrático, na seara política, é botar pra ferver nesses arrogantes e investigar até o fim, doa a quem doer. Depois e deixar que as instituições pertinentes façam a sua parte. E fiscalizar para que façam mesmo. Outra coisa: botar pra ferver também nos elementos dentro do próprio PT e que de há muito já deviam estar fora da agremiação.

  187. Zbigniew said

    Que tal seguirmos o manual do PIG e comçarmos a testar hipóteses? Quem será o “repórter do G” que aparece numa das gravações da PF referente ao caso Cachoeira?

    “(…)(Diálogo):

    Dois arapongas conversam. O dia: 19 de maio de 2011. Quatro dias antes, o “Fantástico” da TV Globo havia publicado reportagem sobre

    a compra de máquinas caça-níqueis. Os arapongas fazem referência à reportagem:

    “LENINE – (…) O CHICO sentou com o repórter aí rapaz que fez, cê sabe rapaz, sentou ontem, sentou hoje…

    OLÍMPIO – oh rapaz, o duuuu o do G, aquele do G que fez tudo?

    LENINE – é o repórter aí homem que fez o trem do FANTÁSTICO pô”

    (…)

    Jornalistas muitas vezes falam com bandidos para denunciar outros bandidos. Falar não significa virar parceiro. Mas está claro que uma parte da imprensa brasileira usou sistematicamente os serviços do “empresário de jogos clandestinos” (é assim que a “Folha”, respeitosamente, trata Cachoeira; por que será, hem?). E o fez não apenas para publicar reportagens sobre caça-níqueis que, eventualmente, pudesem agradar a turma de Cachô. A parceria, diz o deputado Fernando Ferro, parece ser mais profunda.

    Por isso, o deputado quer que Bob Civita seja convocado pela CPI. A Abril precisa explicar os 200 telefonemas entre o diretor da revista (Policarpo) e Cachoeira. E precisa explicar se o escândalo do Mensalão foi mesmo criado a partir de uma parceria “Veja”-Cachoeira.

    A velha imprensa brasisleira tá com medo da CPI. medo de ver Bob Civita interrogado. Medo que se descubra quem são os outros jornalistas do esquema. O “repórter do G” é apenas parte dessa imensa teia que precisa ser desvendada. Levantemos a cortina de fumaça pra enxergar o que há atrás.

    A Globo de Ali Kamel tem todo interesse em revelar tudo que se passa, tenho certeza. Não está preocupada apenas em mostrar as ramificações no Distrito Federal. Não. Tanto que a Globo, curiosamente, pediu acesso aos autos que estavam no STF. Curiosidade jornalística sem limites. O site CartaMaior também pediu acesso aos autos. Aí, o que fez o STF? Decretou segredo de Justiça.

    Mas já havia cópias dos autos circulando. E nelas pode-se ler a referência ao “Fantástico” e ao misterioso “repórter do G”. Sobre isso, a Globo ainda não falou.”

    Comentário de M.A.L no blog do Nassif.
    http://www.advivo.com.br/blog/luisnassif/clipping-do-dia-595#comments

  188. Zbigniew said

    E entrou em cena com tudo. Será que o PT e o governo vão encarar?! Ou, como dirão alguns, o Brasil tem coisas mais importantes do que se importar com isto?

    O DISPOSITIVO ENTRA EM CENA

    Passado o primeiro momento de perplexidade e catatonia, depois que savonarolas, bicheiros e jornalistas foram flambados nas próprias chamas, o dispositivo midiático demotucano se recompõe. A pasmaceira aos poucos recupera a afinação cúmplice de um coral de igreja: o importante no primeiro momento é confundir. A desempenadeira torta da suspeição entra em campo para nivelar partidos e reputações. A mensagem é martelada: a política é uma confederação de quadrilhas; todos os gatos são pardos. Instalada a neblina, a hierarquia se inverte: o secundário se sobrepõe ao principal. Demóstenes & Cia são vítimas de uma estratégia do PT para encobrir o ‘mensalão que Gilmar Mendes quer julgar antes das eleições municipais (leia-se: antes que Serra naufrague em SP). Sombra e luz, tudo a mesma coisa. Agora é fixar a versão: não há mais fatos A versão diz que a verdadeira origem e destino da corrupção é o governo e o PT. A mídia vocifera e o judiciário togado de conservadorismo insolente pontua. Nivelado o terreno, borbulha a cachoeira de recados. A chantagem se amolda ao veículo e ao grau de cinismo do emissor. Oscila da sutileza ao ranger descarado dos blindados golpistas. Mas a ameaça velada a Lula é uma só: ‘E aí, vai encarar?’. Deveria. Dificilmente haverá outro momento tão pedagógico para desnudar o condomínio midiático-conservador que tem feito gato e sapato da democracia brasileira. Sempre em nome da ética.

    http://www.cartamaior.com.br/templates/index.cfm

  189. mona said

    Sem teorias de conspiração, mas:
    1) se existe uma parceria entre o Charlie Waterfall e a Delta;
    2) se a Delta é a pricipal empreiteira que toca as obras do PAC;
    3) se essa empresa, que tinha um patrimônio modesto e, em 10 anos, vê esse mesmo patrimônio se multiplicar exponencialmente;
    4) se a multiplicação desse patrimônio coincidentemente aconteceu após o Zé Dirceu prestar serviços de consultoria a essa empresa…

    HUUUMMMM: tem um caroção bem grandão nesse angu, que envolve boa parte do PT e as práticas ortodoxas e tradicionais de se manter no poder e, de quebra, fazer crescer o patrimônio de algumas estrelas do partido…

    Essa CPI era pra ontem!!!!
    Incrível foi até agora a “blogosfera progressista” ainda não ter enfiado o nome do indefectível Serra – pai de todas as malvadezas midiáticas, ser onipotente, onisciente e onipresente que está por trás de todos os ventos contrários ao PT – no meio dessa lambança. Pelo contrário: foi detectado contatos entre o autor da Privataria Tucana e aquele megaespião, o Dadá… mas creio que ainda vão encontrar uma maneira de o Serra ser padrinho do Cavendish, ou do Cabral, ou do Charlie, ou do Zé Dirceu (!!!!). O nome dele vai ter de aparecer, de algum modo…

  190. mona said

    O mensageiro faz parte do PIG, mas a fonte é a impoluta PF:

    http://www1.folha.uol.com.br/fsp/poder/37173-dinheiro-da-delta-abasteceu-grupo-de-cachoeira-em-2010.shtml;

    http://www1.folha.uol.com.br/fsp/poder/37175-em-8-anos-repasses-federais-para-a-delta-cresceram-2000.shtml

    Como explicar isso, meus amores (PAX, se vc ainda não for casado, quer casar comigo? Sou podre de rica e tenho 89 aninhos bem vividos… vc pode se dar bem, meu dengo!)?

  191. Zbigniew said

    Mona,

    é o mesmo princípio que diz que a empresa que prestava serviços à campanha da Dilma e estava envolvida no vazamentos de informações financeiras de políticos da oposição tinha o aval da Dilma. Tinha? Ficou provado?

    E a Delta que atua no PAC e pra vários governos. Inclusive o de Sum Paulo?

  192. Patriarca da Paciência said

    meu caro Zbigniew,

    a direitona está simplesmente desesperada.

    Vai se apegar às mínimas coisas para tentar envolver o governo. Até se a prima da comadre da sogra fez algum malfeito, vão imputar o malfeito ao genro.

    Mas acho que o PT agora não tem mais como recuar.

    E quem tiver rabo preso que aguente o tranco. Deveria ter pensado antes.

    Para mim, não resta outra saída agora senão o confronto direto.

  193. mona said

    Creio que desesperados estão todos os que mantêm ou mantiveram qualquer relação com o Charlie. Seus tentáculos são muitos, variados, suprapartidários, sem qualquer ideologia, a não ser a do utilitarismo. Não restará pedra sobre pedra, se ele começar a falar. Não estranharei nadica de nada se a criatura “acordar” morta qualquer dia desses. Por esquemas muito menores, alguns petistas “honestamente ideológicos” (mas corruptozinhos como todos os outros), a exemplo do Celso Daniel, já foram conversar com o demo; imaginem um ser que pode dar uma abração de urso no Zé…
    E essa balela de o PIG querer inviabilizar a CPI, cantada em verso e prosa pela blogosfera “progressistas”? É de matar de rir… Onde e quando essa operação abafa está acontecendo? Na abundância de notícias acerca dos tentáculos do Charlie? Com isso constrangeria o governo e ele tentaria barrar a Comissão? Desenhem para mim, plis. A velhinha aqui num tá inteindeindo…

  194. Zbigniew said

    Na verdade, Mona, eles não vão conseguir inviabilizá-la. Isto porque já foi batido o martelo. E se assim o foi é porque já há algum acordo pra livrar “caras e bocas” (será?!). O PIG não pode se furtar a dar as notícias – a Veja o fez na defensiva (o tom da reporcagem de capa) levantando a tese de que o Lula, a Dilma, o PT querem lançar uma cortina de fumaça sobre o julgamento do mensalão.

    Certamente que o panfleto não confia no nosso queridíssimo Judiciário (como a grande maioria do povo brasileiro) e quer continuar a ter status para poder pressionar o Poder para o julgamento, afinal, as eleições municipais se avizinham e eles não podem perder os padrinhos no governo de Sum Paulo.

  195. Patriarca da Paciência said

    Mona,

    “A velhinha aqui num tá inteindeindo?”

    Vou tentar explicar.

    Você já ouviu falar em “interesses criados?.”

    A coisa funciona mais ou menos assim: uma pessoa ou mesmo toda uma organização, “trabalham” em cima de algo que é do interesse delas, mas dizendo sempre que é do interesse daqueles a quem se dirigem.

    E tanto “trabalham” e tanto insistem que as pessoas, objeto dos seus interesses, acabam por acreditar.

    Uma vez que as pessoas acreditam, a coisa forma raízes que ficam bem difíceis de serem arrancadas.

    É o que fez a revista Veja ao longo de décadas.

    Agora as pessoas que cairam na armação sequer sabem que apenas tem fé em algo a que foram induzidas.

  196. mona said

    Vou acreditar em tudo o que vc disse, Oh, Pai de todos os pacientes, se vc me disser que tudo aquilo que a imprensa levantou, ao longo dos anos, era uma grande mentira.
    Que a propina nos correios não ocorreu.
    Que os empréstimos fraudulentos a irrigar a conta do PT não existiram.
    Que os deputados cassados no auge do escândalo do mensalão o foram por pura maldade dos seus pares.
    Que a grana depositada para o Duda Mendonça não existiu…
    A tese que está sendo construída é que os atores do mensalão não passaram disso: atores, dirigidos pelo Waterfall e encenando uma peça tragicômica em “n” atos. Nada era real, tudo era armação. O Marcus Valério e sua empresa de propaganda, por meio da qual milhões de reais transitaram e abasteceram o caixa 2 do PT também eram uma peça de ficção… Delúbio Soares? Non ecxistiu!
    Silvinho Land Rover? Non ecxistiu!
    João Paulo Cunha? Non ecxistiu!
    A única realidade é a conduta honrada e imaculada dos companheiros petistas, vítimas dos malvadões de sempre e, altruístas que são, dando consultorias a empresas que exponenciam o seu patrimonio (coincidentemente, detendo contratos com o setor público) depois de uma palavrinha dessas criaturas tecnicamente imbatíveis. Que o digam ZÉ DIRCEU, PALLOCI, PIMENTEL…
    E a Veja? Vai continuar a noticiar o que é notícia, tendo sua fontes no submundo do crime. É uma prática só dela? Quem for jornalista aqui que me diga…
    Ela estava envolvida em algum esquema para SE beneficiar? Que venha a CPI e que traga essa questão à luz.

    A briga vai ser boa, não, meu povo crédulo e honrado?

  197. Patriarca da Paciência said

    Mona,

    eu dizer ou não dizer algo, não significa muita coisa, o que interessa mesmo são provas incontestáveis, como aquelas que apareceram contra o Demóstenes Torres.

    Mostre-me uma só prova, contra o José Dirceu, tão incontestável como aquelas que apareceram contra o Demóstenes Torres e eu concordarei com você.

    Na inglaterra um jornal foi extinto por muito, muitíssimo menos que a Veja tem praticado.

    Os mais de 200 telefonemas que o diretor da Veja trocou com o Carlinhos Cachoeira são também incontestáveis.

    É isso aí, cara Mona, mais deixar de acreditar em algo que se acreditou por décadas, realmente é muito difícil.

  198. Patriarca da Paciência said

    Correção:

    É isso aí, cara Mona, mas deixar de acreditar em algo que se acreditou por décadas, realmente é muito difícil.

  199. Patriarca da Paciência said

    “A única realidade é a conduta honrada e imaculada dos companheiros petistas, vítimas dos malvadões de sempre e, altruístas que são, dando consultorias a empresas que exponenciam o seu patrimonio (coincidentemente, detendo contratos com o setor público) depois de uma palavrinha dessas criaturas tecnicamente imbatíveis. ”

    Mona, isto realmente está muito engraçado.

    vou até dar uma gargalhada internet: kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk.

    Onde, como e quando você viu alguém do PT se fazendo de santo? ou de vítima de malvadões?

    Ora, ora, ora, realmente muito engraçado!

  200. mona said

    Que lindinho…
    Um inquérito de trouxentos páginas, que foi aceito pelo Ministério Público, virou processo, que foi aceito pelo Juízo, que tem 38 réus e que será julgado pelo STF… As provas, meu caro impaciente, estão nos autos, os quais serão destrinchados tanto pela imprensa tradicional, quanto pela blogosfera dita “progressista”, ao sabor do humor do Carlos Ayres, qdo resolver julgar o tal do mensalão.

  201. Patriarca da Paciência said

    Mona,

    eu não sei se você concorda, mas os juízes tem duas opções – ou condenam ou absolvem.

    Ser processado nunca significou ser condenado !

    Todo e qualquer cidadão pode ser processado!

    Não há nenhuma desonra nisso.

    Inclusive os repórteres da Veja já sofreram vários processos.

    O Diogo Mainardi, da Veja, é que foi condenado várias vezes e inclusive fugiu do país, safando-se de pagar as indenizações a que foi condenado!

    Volto a insistir – aponte uma prova incontestável contra o José Dirceu como aquelas que apareceram contra o Demóstenes Torres.

  202. Patriarca da Paciência said

    Só uma lembrancinha, minha cara Mona:

    PORQUE OS GRANDES FUROS DO POLICARPO FOMOS NÓS QUE DEMOS, RAPAZ. TODOS ELES FOMOS NÓS QUE DEMOS.” (Carlinhos Cachoeira)

    Gravação que todo o Brasil ouviu, através de todos os telejornais.

  203. Michelle de Souza Malone said

    Good day for everyone

    Mona e V. Ex.ª

    Refrescando a memória da BESTA*: O Mensalão existiu, sim senhores.

    Para quem não leu segue o link da DENÚNCIA na íntegra.
    http://www.pannunzio.com.br/wp-content/uploads/mensalao.pdf

    Esta é a primeira página:

    EXCELENTÍSSIMO SENHOR MINISTRO JOAQUIM BARBOSA
    O PROCURADOR-GERAL DA REPÚBLICA, nos autos do
    Inquérito nº 2245 e no uso de suas atribuições constitucionais e legais, com
    fundamento no artigo 129, inciso I, da Constituição Federal e no artigo 6º,
    inciso V, da Lei Complementar n.º 75/93, vem oferecer

    D E N Ú N C I A contra:

    1) JOSÉ DIRCEU DE OLIVEIRA E SILVA, brasileiro, casado, advogado, CI
    n.º 3.358.423 SSP/SP, nascido em 16/03/1946, filho de Castorino de
    Oliveira e Silva e Olga Guedes da Silva, residente na SQS 311, Bloco I,
    apto. 302, Brasília/DF;
    2) JOSÉ GENOÍNO NETO, brasileiro, professor, natural de
    Quixeramobim/CE, nascido em 03/05/1946, filho de Sebastião Genoíno
    Guimarães e Maria Laiz Nobre Guimarães, portador do RG 4.037.657-6-
    SSP/SP e CPF 996.068.798-87, residente na Rua Maestro Carlos Cruz,
    154, Butantã, São Paulo/SP;
    3) DELÚBIO SOARES DE CASTRO, brasileiro, nascido em 16/10/55,
    portador do CPF n. 129.995.981-49, filho de Joanira Alves de Castro,
    residente na Al. Jaú, 66, apto 21, Cerqueira César, São Paulo/SP;Denúncia no Inquérito nº 2245 2
    4) SÍLVIO JOSÉ PEREIRA, brasileiro, nascido em 04/05/61, portador do
    CPF n. 032.824.968-85, filho de Maria Alice da Silva Pereira, residente na
    Rua Dr. Seng, 287, Bela Vista, São Paulo/SP;
    5) MARCOS VALÉRIO FERNANDES DE SOUZA, brasileiro, nascido em
    29/01/61, portador do CPF n.º 403.760.956-87, filho de Aide Fernandes
    de Souza, residente na Rua Castelo de Feira, 122, Castelo, Belo
    Horizonte/MG;

    e por aí vai…

    Mais ainda: O PGR foi nomeado por lula e o Ministro Relator Joaquim Barbosa
    também.
    Nada de herança maldita, petralhotário.

    Noto também que, para uma “bravata” do criminoso, lidando com um assecla: “PORQUE OS GRANDES FUROS DO POLICARPO FOMOS NÓS QUE DEMOS, RAPAZ. TODOS ELES FOMOS NÓS QUE DEMOS.” (Carlinhos Cachoeira)
    tem mais credibilidade para V. Ex.ª que o PRG e vários Ministros do STF, o relator e outros que votaram com o relator.
    Concluo:
    – Acima de tudo o petralhotário é um burro que adora escrever asneiras.

    * BESTA significa Blogueiros Estatais
    ( também conhecida como
    JEG -Jornalistas da Esgotosfera Governista)

    Beijinhos Mona.

  204. Zbigniew said

    Vamos la! Mensalao e CPI do Cachoeira. Vamos passar este pais a limpo!

    Da serie “a nossa gepone”:

    Observando que o ultimo dirigente brasileiro a visitar a instituicao foi FH… Fh… fh…. foi nao, foi D Pedro II:

    “(…)
    Harvard faculty and administrators from across the University with ties to Brazil, including representatives from the David Rockefeller Center for Latin American Studies, gathered in Loeb House for the official signing.

    Guests enjoyed iced tea, lemonade, and a selection of pastries and cakes before Faust escorted Brazil President Dilma Rousseff into the room. Among the guests were HSPH Dean Julio Frenk and SEAS Dean Cherry Murray, as well as several diplomats and members of Rousseff’s cabinet, including Brazil’s ministers of education and of science, technology, and innovation.

    During the event, Rousseff thanked Faust and through a translator called Harvard, “one of the world’s most distinguished research and education institutions.”

    “We intend to build permanent, consistent ties between [Brazil] and Harvard,” said Rousseff, indicating that she hoped the agreement would be followed by other initiatives.

    Harvard Vice Provost for International Affairs Jorge I. Dominguez, Glaucius Oliva of Brazil’s National Council for Scientific and Technological Development, and Jorge Almeida Guimarães from the Brazilian Federal Agency for Support and Evaluation of Graduate Education signed the agreement as Faust and Rousseff looked on.

    (…)”

  205. Patriarca da Paciência said

    Refrescando a memória da BESTA que postou o comentário nº 203, existe sim, uma DENÚNCIA contra o José Dirceu e vários outros políticos, denúncia esta que o PIG chama de MENSALÃO, por obra e graça do Bob Jeff, o qual já negou tudo que falou.

    Refrescando ainda um pouco mais a memória da BESTA que postou o comentário nº 203, DENÚNCIA nunca foi prova de nada.

    DENÚNCIA precisa ser comprovada e, após transformada em processo e para que seja reconhecida como verdade, precisa ser sentenciada, no caso, pelo STF.

    Então, minha cara Sra. BESTA, tenho certeza que Vossa Senhoria está falando uma grande bobagem!

  206. Patriarca da Paciência said

    E, vejam bem, senhores, com base apenas numa DENÚNCIA, a revista Veja julgou e condenou várias pessoas, sem ter competência para tal e sem ter a mínima preocupação com os danos que tal atitude poderia causar aos indiciados e respectivas famílias .

  207. Michelle de Souza Malone said

    (continua)
    V. Ex.ª
    Caso V. Ex.ª ainda não tenha se dado conta
    essa DENUNCIA é do PRG e foi referendada pelo Min. Joaquim, foi acolhida pelo STF
    quase unanime a partir desta peça da acusação os denunciados se tornaram RÉUS (o Mensalão) e serão julgados proximamente.
    Em resumo, Ex.ª
    A Veja nada tem a ver com isso, petralhotário!
    Pare de falar asneiras a torto e a direito.
    Informe-se antes de abrir a boca no teclado.
    É nisso que dá só seguir ordens da BESTA ou do JEG.
    Nem posso desejar que vc ENFIE O DEDO E RASGUE porque Pax ficaria magoado comigo ( Pax, desculpas aceitas, viu!)
    E nem vou responder adequadamente às suas agressões.
    Abençoai os pobres de espírito, como V. Ex.ª, porque deles é o reino dos Céus
    da Marta Suplicy!
    hehehe

  208. Michelle de Souza Malone said

    (errata)
    corrigindo
    Nem posso desejar que V. Ex.ªENFIE O DEDO
    E RASGUE
    porque Pax ficaria magoado comigo ( Pax, desculpas aceitas, viu!)

    pensar não doi…nem fede.
    Seu cérebro agradecerá, petralhotário!

  209. Patriarca da Paciência said

    Minha cara Sra. BESTA,

    Vossa Senhoria está muito alterado. Poderá fazer mal ao seu mircrocéfalo!

  210. Patriarca da Paciência said

    Mais uma lembrancinha, minha cara Sra. BESTA,

    as 200 escutas telefônicas que envolvem o Policarpo ( Policarpo Foda, conforme o Reinaldinho Cabeção) foram feitas pela Polícia Federal com as devidas autirizações judiciais.

    Já os vídeos que envolvem o PT foram feitos clandestinamente, a mando e a soldo do Carlinhos Cachoeira.

  211. Patriarca da Paciência said

    Corareção:

    os vídeos envolvem gente dos Correios, que à época era dominado pelo pessoal do PTB e comendado pelo Bob Jefff. O PT não aparece em nenhum vídeo.

  212. Patriarca da Paciência said

    Correção:

    as 200 escutas telefônicas que envolvem o Policarpo ( Policarpo Foda, conforme o Reinaldinho Cabeção) foram feitas pela Polícia Federal com as devidas autorizações judiciais.

  213. Patriarca da Paciência said

    …os vídeos envolvem gente dos Correios, que à época era dominado pelo pessoal do PTB e comendado pelo Bob Jefff. O PT não aparece em nenhum vídeo.

  214. Patriarca da Paciência said

    …vídeos estes que foram feitos clandestinamente, a mando e a soldo do Carlinhos Cachoeira.

  215. Zbigniew said

    Qual o mantra da direita liberaloide, que vem sempre com a virulencia e virilidade que todo fraco argumento encerra? Investiguem e prendam os corruptos (do PT, claro!). Investigar e punir corruptores e “cortina de fumaca”. Investigar e punir no esquema Cachoeira, e “cortina de fumaca”. E as esquerdas? Nao aquelas erigidas a paladinos da pureza e da moral pela velha midia (leia-se PIG), como o fizeram com o carequinha da vez, o DEMostenes (ex-quase-vice do Serra). Mas as que realmente se preocupam com uma sociedade mais justa e igualitaria? Ate quando vao ficar nesta de tentarem compor com estas forcas retrogradas (mas ainda poderosas, temos que reconhecer)? De que tem medo, afinal? Se tiver que cortar na propria carne, que cortem entao! Porque se fugirem ao destino historico serao co-responsaveis pelos atropelos e retrocessos que um regime de direita representado pelo PSDB e DEM possam trazer ao pais. O momento e agora. A chance e esta. Temos uma democracia em pleno funcionamento, instituicoes solidas (apesar dos graves problemas) e uma economia robusta. E so saber aproveitar.

    O Tarso Genro tem muito a dizer sobre o assunto.

    “(…)
    Os partidos de esquerda, que queiram efetivamente mudar a sociedade para melhor, não podem deixar de sustentar, em que pese o reconhecimento de que a corrupção é inextinguível (mas pode ser muito reduzida), que é necessário -política e moralmente- travar uma luta sem tréguas contra a corrupção. É preciso antecipar-se às agendas da mídia sobre o tema, investigando em profundidade quaisquer suspeitas de corrupção que atinjam os bens públicos -venham de onde vierem- expondo abertamente à sociedade todas as mazelas que encontrarmos e, ainda, organizando nos executivos que detemos, mecanismos de transparência e controle capazes de mostrar a diferença.

    Se não se aceitam as razões morais e políticas que recomendam este comportamento que, pelo menos, se aceitem as razões pragmáticas: os erros da esquerda sempre serão expostos -sejam eles irregularidades ou crimes- de maneira total e superlativa pela mídia; os erros ou crimes da direita neoliberal, sempre serão relativizados ou escondidos, numa selva de informações manipuladas. Por quais motivos? Por razões políticas, ideológicas e programáticas: o projeto de nação dissolvida na globalização financeira, que a grande mídia defende, é o projeto da direita neoliberal. Não, obviamente, o nosso, de democracia plebéia, de combate frontal às desigualdades sociais, de inserção soberana na nova ordem mundial, que é incompatível com o modelo de crescimento pós-keinesiano, em vigor. No esforço de golpismo político, que eles encetaram para inviabilizar o projeto representado pelos dois governos do Presidente Lula, está a comprovação clara desta política.
    (…)”
    http://www.cartamaior.com.br/templates/materiaMostrar.cfm?materia_id=19962

  216. mona said

    Hummm,
    não restará pedra sobre pedra… que venha a CPIIIIII!

    Guerra na quadrilha: Cachoeira detona o sócio Cavendish, da Delta

    Por meio do ex-assessor e porta-voz Mino Pedrosa, o contraventor Carlos Cachoeira divulga grampo em que Fernando Cavendish, dono da Delta, maior empreiteira do PAC, fala sobre o preço de um político; ele não gosta de raia miúda, mas sim de colocar R$ 30 milhões na mão de alguém

    Brasil 247

    Brasília vai amanhecer nervosa nesta segunda-feira. Na verdade, vai amanhecer fervendo. Por meio do jornalista Mino Pedrosa, que foi seu assessor e tem trabalhado como uma espécie de porta-voz informal, o bicheiro Carlos Cachoeira decidiu incendiar o circo.

    Mino acaba de postar um vídeo no seu site Quidnovi, em que Fernando Cavendish, dono da Delta, aparece falando sobre o preço de um político. Detalhe: a Delta é a principal empreiteira do PAC e recebeu R$ 884 milhões do governo federal só em 2011.

    No vídeo, Cavendish diz que não se interessa por “raia miúda”. Diz que seu negócio é botar R$ 30 milhões nas mãos de um político ou R$ 6 milhões nas mãos de um senador. Aí sim, diz ele, o empreiteiro é convidado para fazer “coisa pra caramba”.

    É o fim da linha para a Delta – e o governo, especialmente o ministro da Corregedoria Geral da União, Jorge Hage, tem a obrigação moral de declarar a empresa inidônea, proibindo-a de participar de licitações públicas. Afinal, quando tomou esta providência em relação à Gautama, alvo da Operação Navalha, Hage declarou que sua medida exemplar visava proteger o PAC e inibir a repetição de atos de corrupção.

    Hoje, o PAC está nas mãos da Delta.

  217. mona said

    HUUUmmm 2: é um lixo só…

    Blog de João Bosco Rabello

    O PT acumula um histórico de denúncias envolvendo contratos de coleta de lixo, firmados por prefeitos e governadores do partido, que vai municiar a oposição na CPI do Carlinhos Cachoeira. A mais recente atingiu o governador do Distrito Federal, Agnelo Queiroz (PT), e a Delta Construções, principal construtora do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC).

    E a Delta também presta serviços de coleta de lixo para as Prefeituras de Goiânia (GO) e Anápolis (GO), cidade-sede dos negócios do contraventor Carlinhos Cachoeira. Goiânia e Anápolis têm as prefeituras comandadas pelos petistas Paulo Garcia e Antônio Gomide, respectivamente.

    Em Goiânia, o Ministério Público instaurou um inquérito no mês passado para investigar a contratação direta, sem licitação, da Delta para o serviço de coleta de lixo, o que pode configurar improbidade administrativa. Em Anápolis, a Delta venceu licitação em 2009, primeiro ano da gestão de Gomide, assinando contrato no valor de R$ 100 milhões para varrer as ruas do município e coletar o lixo por cinco anos.

    A oposição vai lembrar, ainda, que petistas do primeiro escalão já tiveram que dar explicações ao Poder Judiciário sobre contratos irregulares de coleta de lixo: o ministro Gilberto Carvalho, quando era secretário de governo da Prefeitura de Santo André. E o ex-ministro Antonio Palocci sobre sua gestão na Prefeitura de Ribeirão Preto (2001-2002).

    Já o ex-ministro Antonio Palocci foi investigado – e inocentado – pelo Supremo Tribunal Federal (STF) pelo suposto envolvimento com a “Máfia do Lixo”, que teria operado quando ele era prefeito de Ribeirão Preto (2001-2002). O Ministério Público denunciou suposto esquema de pagamentos de propina por parte do Grupo Leão Leão, responsável pela coleta do lixo.

    Segundo Rogério Buratti, ex-secretário de Palocci e ex-diretor da Leão Leão, a empresa pagaria R$ 50 mil mensais para formação de caixa dois do PT. Mais tarde, Buratti recuou e retirou a acusação.

  218. Elias said

    Zbigniev,

    De fato, a FSP passou a chamar o Cachoeira de “empresário de jogos clandestinos”.

    Respeito é bom e Cachoeira gosta…

    Dentro de mais alguns dias, a FSP vai divulgar com estardalhaço as “obras sociais” patrocinadas pelo Cachoeira. A responsabilidade social da contravenção…

    Cachoeira, o piedoso (ele nunca mata seus inimigos… Apenas manda matar…).

    Essa FSP… Como diria a Madre Tereza de Calcutá: prostituta é foda…!

  219. Pax said

    Se houve um post que tenha feito mais ou menos às pressas, foi este. Se teve, também, um post que tenha feito meio no escuro, mas com muita certeza da claridade geral (a corrupção geral), foi este.

    Meio assim, desinformado, só sabia que Demóstenes tinha sido desmascarado, segundo farto noticiário, como funcionário a serviço de uma máfia pilotada por Cachoeira, ou Tsunami.

    E a coisa começa a se alongar. As hienas estão em polvorosa. Sabem que há cheiro de carne morta no ar.

    Como disse o Elias, “quem for quebre que se podre” (gostei dessa).

    Acontece que a chaga da corrupção é mais que isso, é como uma peste. A mais famosa que tenho memória foi a bubônica, que criava bubões segundo a médica sanitarista que está aqui onde teclo. Estes bubões causavam muita dor antes da morte.

    É a mesma situação que vejo agora. Àqueles tempos 1/3 da população morreu sofrendo. Sempre há pestes após guerras. Oportunistas, de vírus a homens, gostam quando pegam a população enfraquecida e atacam mesmo.

    Claro que hoje em dia a peste é mais forte que tudo. É mais que certo que vão dançar os canalhas mais vacilões, os que deixaram rastros inapagáveis. Mas o resto? Esses posarão de vestais e prepararão os novos golpes contra a merenda escolar, contra a compra de livros, contra o dinheiro da pesquisa, enfim, contra qualquer coisa que fortaleça a sociedade para que ela jamais esteja preparada para combater a peste no seu nascedouro.

    Claro que estas poses todas de todo tipo de gente pública “querendo” CPI e esclarecimentos, não tem nada com as eleições deste ano, claro que não. A gente não dá o devido valor às coincidências.

    Só que a imbecilidade também tem limite. Uma hora a gente cansa. Uma hora a gente percebe que a coisa toda está podre, do lado esquerdo e do lado direito, que um lado estimula o outro, que o jogo todo jogado é sempre o mesmo.

    E quem sempre perde, seja quem estiver na manchete da corrupção da vez, é o pacote de macarrão que não vai chegar lá em Catolé do Rocha, na mesa daquela escola de chão batido, onde a criança andou 3 léguas para comer a refeição do dia com a desculpa que ia estudar.

    Carlinhos Cachoeira é rei.

    Rei morto, rei posto.

  220. Patriarca da Paciência said

    Pax,

    toda a minha torcida era para que a CPI do Demóstenes se tornasse irreversível.

    E, pelas declarações do presidente da Câmara, a CPI já se tornou irreversível.

    Realmente, daqui pra frente, muita coisa vai rolar, além de água por baixo da ponte..

  221. Elias said

    Patriarca,
    Não acredite muito nisso.

    Uma CPI como a do Demóstenes/Cachoeira é sempre benvinda, porque é uma chance pra por a nu as mazelas da República. Tem muito pilantra posando de palmatória do mundo, quando não passa de um igual aos outros vagabundos que ele denuncia. Uma CPI como essa é sempre uma oportunidade pra desmascarar pelo menos uma parte da ratarada.

    Mas, não se iluda. Se a CPI vier, ela não virá pra preservar a moralidade no Legislativo, até porque não há como preservar o que não existe. Também não virá pra restabelecer a moralidade no Legislativo, porque não se pode restabelecer o que nunca existiu. Menos, ainda, virá pra instituir a moralidade, porque, em sua maioria, isso seria a última coisa em que pensariam os cabras que lá estão.

    Pra quê virá, então, essa CPI? Simples: ela é parte e parcela de uma luta política. Neste momento, ela servirá pra fustigar e desgastar politicamente a direita. O objetivo é estabelecer um alto preço eleitoral pra direita, em 2012.

    O resultado de tudo isso será visto nas urnas, nas eleições municipais de 2012.

    A direita já sacou isso. Daí porque está tão desesperada…

  222. Chesterton said

    Para não investigar a Delta, partido do Mensalão já admite abortar a CPI.
    A presidente Dilma Rousseff não está satisfeita com o presidente do PT, Rui Falcão, por causa da atropelada criação da CPI do Cachoeira. Dilma se queixou com ministros e petistas de que Falcão não podia ter saído atirando – e defendendo a criação da CPI – sem consultá-la antes. Agora, o partido tenta puxar o freio de mão. Com o afastamento do presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), internado desde sábado com insuficiência coronariana, se as assinaturas forem coletadas a tempo, caberá à vice-presidente Marta Suplicy (PT-SP) instalar a comissão na terça-feira. A preocupação de Dilma com o anunciado descontrole da CPI foi tema da conversa, na sexta-feira, entre ela e o ex-presidente Lula, um dos entusiastas da investigação parlamentar sobre os negócios e relações do bicheiro Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira.

    Dilma ficou especialmente irritada com o vídeo em que o presidente do PT, Rui Falcão, diz que a CPI ajudaria a desviar o foco e neutralizar o desgaste do julgamento do mensalão no STF, que deve começar em maio. Para Dilma, há o risco de a CPI ser um tiro no pé e paralisar o governo. Governadores e governistas também temem que as investigações virem uma bola de neve e desnudem as relações da Delta Construções com governos de todos os partidos.

    blog do coronel

  223. Elias said

    O texto desse “coronel” expõe mais um desejo do que uma constatação.

    Pelo cacarejar das galinhas e os grunhidos da porcada, parece que o desespero transbordou pelas portas e janelas da casa grande e já chegou ao terreiro, à pocilga…

    Vamunessa!

  224. Chesterton said

    http://www1.folha.uol.com.br/mundo/1076759-governo-argentino-ja-tomou-controle-da-ypf-diz-agencia.shtml

  225. Michelle de Souza Malone said

    Good Day for everyone

    Oi Mona e V. Ex.ª

    Tendo em vista que V. Ex.ª é “desinformado”, abaixo segue o relato
    da DENÚNCIA do Procurador Geral da República (nomeado por indicação do Lula) apresentada ao relator Min. Joaquim Barbosa (nomeado por indicação do Lula) que recomendou a abertura de um PROCESSO CRIMINAL no STF. Este processo é conhecido como “O Mensalão”.

    1. “Trata-se da mais grave agressão aos valores democráticos que se possa conceber.” É assim que a Procuradoria-Geral da República (PGR) qualifica o mensalão, nas alegações finais do processo. E a explicação da PGR é cristalina: “No momento em que a consciência do representante eleito pelo povo é corrompida (…), a base do regime democrático é irremediavelmente ameaçada”.
    Para chegar a esta síntese do maior escândalo de corrupção da história do país, agora prestes a ser julgado pelo Supremo Tribunal Federal, o Ministério Público reuniu as mais variadas evidências de recebimento de propina – testemunhos, recibos, livros contábeis, laudos, TEDs, DOCs, entre outros – e, a exemplo das CPIs que se debruçaram sobre o assunto, mostrou sua correspondência com a votação de matérias caras ao governo.
    Infográfico de VEJA.com aponta os beneficiários do esquema, as datas, os valores, os intermediários e as votações citadas na denúncia, que se transformou em processo criminal.
    Para não restar dúvidas sobre as provas apresentadas pelo PRG, clique no link:
    http://veja.abril.com.br/o-julgamento-do-mensalao/o-preco-do-voto/

    Mona vc acha que algum “desinformado” petralhotário ainda vai dizer que tudo isto foi uma “farsa”?
    O JN de hoje também não deixa dúvidas…A Delta é a “queridinha” do PAC.
    Plano de Aceleração da Corrupção.
    http://globotv.globo.com/rede-globo/jornal-nacional/t/edicoes/v/dono-da-construtora-delta-aparece-em-gravacao-falando-sobre-para-dar-dinheiro-a-politicos/1906762/
    E veja a opinião do PSOL no mesmo programa.

    2. Mona, no rastro da decisão do STF sobre o aborto de fetos anencéfalos, por favor responda rápido:

    A médio prazo, irá diminuir o número de petralhotários no Brasil?

    Beijinhos, Mona.

  226. Michelle de Souza Malone said

    (continua)
    Reproduzo um comentarista do G1 sobre a matéria da Delta comprando políticos:
    Apaguei o nome do valente cidadão opinador, por sentir “vergonha alheia”.
    Ora, ora! Desde o inicio dos tempos isso existe. Dar uma garrafa de vinho, ou outra benesse, para um funcionário, é corrupção? Lógico que aumentando a importância dos agentes, aumenta o prêmio. A rainha Vitoria, dos ingleses, ganhou até um diamante roubado de um templo indu. E, ainda, mostrava na coroa! Orgulhosa. Todos os reizinhos do passado e do presente sempre receberam agrado. Pque, sim, por que os srs. congressistas não podem receber, desde que não traia a pátria e o povo? Tem cada uma.

    Típico comentário merdiocre de um petralhotário. Um anencéfalo moral.
    Não tenho dúvidas: Lula introduziu no Brasil a “Era da Merdiocridade”!
    ….
    Pax esse cara acaba de detonar o propósito do seu website…a corrupção que não traia a Pátria e o Povo não é corrupção.Trata-se de negócio político particular, como se defendem Palocci e Pimentel.
    E a Ética que “enfie o dedo e rasgue” como aconselhou
    o ex-presidente do PT e atual Diretor da Petrobras, mostrando como pensa um petralhotário em cargos de DIREÇÃO E RESPONSABILIDADE.
    Os acionistas que se danem. Dilma a gepone..fingiu que não soube.
    Estava aporrinhada porque o US Governement não incluiu um discurso seu(dela) na programação da visita.
    (o Min. Antonio Patriota esqueceu de avisar a “entourage” da Prepone…)

    SOCORRO!

  227. Michelle de Souza Malone said

    (continuação)

    Risco da CPI faz base aliada negociar ‘operação abafa’ para poupar políticos
    Temor do Planalto com desdobramentos da investigação alertou governistas

    16 de abril de 2012 | 22h 30

    BRASÍLIA e CURITIBA – Diante do alerta do Palácio do Planalto sobre os riscos de desgaste do governo, tomou corpo no Congresso, com ajuda da base aliada, uma “operação abafa” na Comissão Parlamentar de Inquérito do Cachoeira, a ser instalada nos próximos dias. Uma das estratégias é poupar políticos de diversos partidos citados na Operação Monte Carlo da Polícia Federal, que levou à prisão o contraventor Carlinhos Cachoeira.

    Ficariam fora do radar deputados flagrados em escutas com integrantes do esquema, os governadores petista Agnelo Queiroz (DF) e o tucano Marconi Perillo (GO), além do ex-ministro José Dirceu. A única exceção seria o senador Demóstenes Torres (sem partido-GO), que teve 298 conversas telefônicas com Cachoeira grampeadas pela PF nos últimos três anos. O senador está sendo investigado também pelo Conselho de Ética e pelo Supremo Tribunal Federal (STF).

    A “operação abafa” é resultado da pressão da presidente Dilma Rousseff para que setores do PT defensores da CPI do Cachoeira tenham calma e não usem a comissão como palco de vingança, o que poderia causar danos políticos ao governo. Dilma conversou com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva sobre a CPI na sexta-feira, em São Paulo, conforme revelou o Estado.

    O presidente da Câmara, Marco Maia (PT-RS), defendeu nesta segunda-feira, 16, que a CPI investigue os negócios de Cachoeira e não se transforme numa disputa política entre governo e oposição. “Queremos é desmantelar esta rede de poder paralelo que foi constituída por esse cidadão chamado Cachoeira e que vai desde o Legislativo, passa pelo Executivo e pelo Judiciário, pelo setor privado e pela imprensa brasileira.”

    “Todos serão investigados independente de onde estejam, de qual papel tenham cumprido”, afirmou Maia, a despeito da operação abafa em curso no Congresso. Ele negou que o PT queira barrar as investigações.

    Até a semana passada arauto de uma investigação que atingisse as entranhas da oposição, o líder do PT na Câmara, Jilmar Tatto (SP), adotou um discurso conciliador. “Acho um exagero chamar o Agnelo Queiroz (governador do Distrito Federal, do PT) e o Marconi Perillo (governador de Goiás, do PSDB)”, disse o líder, ao responder se os dois deveriam ser convocados pela CPI. Em seguida, porém, retomou a luta política: “O envolvimento do governador do PSDB com Cachoeira é muito maior. É mais razoável chamar o Marconi do que o Agnelo”.

    O movimento em gestação no Congresso visa a salvar os políticos ao mesmo tempo em que tentará fazer com que a CPI concentre suas investigações no contraventor Carlinhos Cachoeira e nos empresários mais citados nos grampos da Polícia Federal, como Fernando Cavendish, dono da Delta Construções S.A. e Cláudio Abreu, representante da empresa no Centro-Oeste.

    Entre os parlamentares poupados, neste momento, estão os tucanos Carlos Alberto Leréia (GO), que admitiu ser mesmo amigo de Cachoeira e saber que ele estava envolvido com o jogo ilegal, e Leonardo Vilela (GO), pré-candidato à prefeitura de Goiânia. Também foram citados nas gravações Jovair Arantes (PTB-GO), líder do PTB na Câmara, Sandes Júnior (PP-GO), Rubens Otoni (PT-GO), gravado em vídeo negociando financiamento de campanha com o empresário preso, e Stepan Nercessian (PPS-RJ), que tomou um empréstimo de R$ 175 mil do contraventor.

    Oposição. O líder do DEM na Câmara, ACM Neto (BA), disse ter a certeza de que o governo usará a imensa maioria que terá na CPI para impedir investigações mais aprofundadas. Dos 30 titulares da CPI, os partidos de oposição vão nomear apenas 6. Caberá ao governo preencher as outras 24 vagas.

    O presidente do Conselho de Ética do Senado, Antonio Carlos Valadares (PSB-SE), e os senadores Vital do Rego (PMDB-PB) e Humberto Costa (PT-PE) encontram-se nesta terça-feira, 17, com o ministro do Supremo Tribunal Federal Ricardo Lewandowski para pedir acesso ao inquérito que apura as relações de Cachoeira com políticos.
    A investigação está sob sigilo.

    Conversa de bobo pra trouxa. “”Se lula quiser se “afundar” que se “afunde” sozinho””, disse um deputado da base aliada, interessado na aprovação de em suas próprias “emendas ao orçamento” para se reeleger.

    SOCORRO!

  228. Patriarca da Paciência said

    Elias, 221,

    nesse ponto não concordo muito com você. Acho que essa CPI tem tudo para ir fundo e mexer com muita sujeira e vai voar pena para todo lado, principalmente de tucanos.

    O PSDB fica ameaçando investigar a Delta. Por mim podem investigar a Alfa, A Beta, a Gama e todo o alfabeto grego.

    Como disse o senador Rendolfe, não prosseguir com a CPI seria o maior mico dos últimos trinta anos.

    A direitona está em polvorosa, arranjando as desculpas mais esfarrapadas para tentar barrar a CPI..

    Mas minha opinião é que não deve haver recuo e que não será possível recuar.

  229. Pax said

    Se houver diligências por parte do PT para que esta CPI não aconteça será uma desmoralização do partido inaceitável.

    Aí a vaga vai para o brejo de uma vez por todas.

  230. Edu said

    Elias e Patriarca,

    Na verdade acho que seus comentários não são totalmente excludentes e concordo em parte com ambos.

    Como diz Patriarca, de fato, qualquer CPI sobre qualquer tipo de corrupção é boa, seja envolvendo direita, esquerda, qualquer empresa e qualquer letra do alfabeto grego, chinês, russo etc.

    E como diz Elias, o principal motivo não de ser boa não é a punição de quem sair culpado, mesmo porque o povo acaba ignorando.

    Em minha opinião, e boa porque mostra o circo que é a política brasileira e porque pelo menos os relatores têm que apresentar os argumentos pelos quais incriminam ou não um acusado. Para mim, a maneira de analisar as informações diz muito sobre o que está em pauta na ética da política brasileira, e isso não está sendo noticiado.

    Quem sabe uma hora a população cansa desse circo e resolve entender direito o que vai ao longo desses inquéritos e começa a questionar os 2 lados de verdade. Aí o circo pega fogo.

  231. Elias said

    “O presidente da Câmara, Marco Maia (PT-RS), defendeu nesta segunda-feira, 16, que a CPI investigue os negócios de Cachoeira e não se transforme numa disputa política entre governo e oposição. ´Queremos é desmantelar esta rede de poder paralelo que foi constituída por esse cidadão chamado Cachoeira e que vai desde o Legislativo, passa pelo Executivo e pelo Judiciário, pelo setor privado e pela imprensa brasileira.´”

    Impossível!

    A CPI vai chegar nos políticos, claro.

    Excluindo as baratas leprosas do Kafka, como o Demóstenes (que, como Gregor Samsa tornado barata leprosa, vai ser abandonado no munturo de lixo mais próximo), os políticos são do governo ou da oposição. Quando a CPI esbarrar num oposicionista que ainda não tenha se transformado em barata leprosa — o que é inevitável –, a oposição sairá em defesa dele. E sairá em defesa dele atacando o governo. Que revidará, atacando ainda mais fortemente a oposição.

    Vai ser assim, a menos que se faça um conchavão.

    Vamos ver como isso se encaixa naquilo que disse o sábio Nicolau, lá pelo início do Século XVI:

    (1) O governo tem 24 dos 30 membros da CPI (daí porque a OPOSIÇÃO, e não o governo, está apavorada com essa CPI). (2) Confronto entre governo é oposição é inevitável. (3) Se você adia um confronto inevitável, quando pode vencê-lo, o adiamento beneficia apenas o inimigo, que, assim, ganha tempo, e pode usar esse tempo pra se tornar mais forte. (4) Mais à frente, quando o confronto inevitável acontecer, você terá que enfrentar um inimigo fortalecido, que, por isto mesmo, poderá até te vencer…

    Até as pedras sabem que a oposição de direita escorregou e caiu de bunda na frente do governo. Deve, agora, ser comida no chute. Deve apanhar feito boi ladrão…

    Repito: quem for quebre que se podre…

    E o conchavão? Sem chance…

    Não teria sentido fazer um conchavão que tire o rabo dos Civita da reta, e, depois, apanhar de pau da Veja, exatamente por ter feito o conchavão que livrou o rabo dos Civita.

    A oposição de direita mosqueou na hora errada. Azar dela…!

  232. Elias said

    Creio que as declarações do Marco Maia têm endereço certo: amplos setores do PSDB.

    A meu pensar, ele diz o que deve ser dito. Um recado pra uma parte da tucanarada. “Olha gente: esse pessoal aí tá rifado… Já dançou! Vamos só oficializar os óbitos e enfiar os de cujus num buraco bem fundo. Fiquem de lado e não se comprometam com eles, porque macaco que muito pula quer chumbo. Se vocês chiarem demais, alguns dos de vocês poderão acabar no mesmo caixão… E na mesma cova…”. Algo assim…

    Aí o PSDB fará as encenações protocolares, mas, no geral, como bloco, se acomodará no poleiro preferencial de tucano: o muro.

    Tem uma poesia aí que diz: “Quem dentre amigos, tão amigo / que divida o meu túmulo comigo?”.

    A resposta a essa pergunta é: ninguém!

  233. Elias said

    E… Se o PSDB pular do muro?

    Sim, porque a Veja & adjacências farão o possível e tentarão o impossível pra tirar os tucanos do poleiro. Os Civita não aceitarão ser abandonados à própria sorte, descartados como uma barata leprosa, a exemplo do que está acontecedendo com o Demóstenes. Vão tentar de tudo pra dirigir, dos bastidores, a atuação da tucanarada, a exemplo do que fizeram na campanha presidencial de 2010.

    Aí o PSDB virá com tudo, empurrado pela Veja & adjacências. E o confronto se estabelecerá.

    Na CPI, o escore será de 24 a 6 (em algumas ocasiões, de 20 a 10 ou mais ou menos isso, né?).

    Não vai ser mole pros tucanos…

    A questão é: em que situação estarão os mais envolvidos, lá por volta de agosto/setembro?

    Se o bloco majoritário da CPI atuar dentro dos conformes, os Civita & adjacências deverão estar se virando mais que charuto em boca de bêbado, pra evitar o abraço de afogado de Demóstenes & Cachoeira.

    Estes dois (e outros mais), compreensivelmente, p… da vida por terem sido deixados sem pai nem mãe, na roda de fogo, tentarão de tudo que é jeito obsequiar os Civita & adjacências, e quem mais apareça, com o mais autêntico e estreito abraço de afogado…

    A alta hierarquia da corte tucana deve estar roendo as falanges (as unhas já se foram há muito tempo)…

    Se ela mete os peitos… Vai ter troco pesado do governo!

    Se fica no muro, faz cara de paisagem, se finge de morta… Vai levar pau da Veja e ainda terá que se livrar do abraço de afogado do Demóstenes!

    São tempos estranhos e insalubres pra aves de bico grande…

    A coisa promete… Vai ser divertido acompanhar esse xadrez…

  234. Chesterton said

    Se houver diligências por parte do PT para que esta CPI não aconteça será uma desmoralização do partido inaceitável.

    chest- hilário você achar alguma moral em partido político.

  235. Pax said

    Ops, o que tinha escrito no #229, hoje de manhã, foi incompleto (vai saber a razão). Aqui está meu comentário completo que foi salvo na maquininha infernal…

    ——-

    Se houver diligências por parte do PT para que esta CPI não aconteça será uma desmoralização do partido inaceitável.

    Aí a vaca vai para o brejo de uma vez por todas.

    Este negócio que vocês chamam de PIG, e eu de imprensa ruim, noticiou ad nauseam que o Zé Dirceu fez consultoria para a tal Delta e esta empresa alavancou seus contratos federais. Que papo é esse?

    O primeiro parágrafo tem ligação com o segundo?

    O PSDB não vai se pronunciar sobre o Marconi? Que vergonhosa posição de avestruz!

    O noticiário sobre o tal Cavendish, ou como quer que se chame o dono do PAC, digo, da Delta, mostrou o preço dos nossos senadores, vergonhosos senadores. Segundo o dono do PAC, digo, da Delta, um verme custa entre 8 ou 30 milhões.

    Só um instante que vou ali vomitar um pouco, antes de escolher um galho de arueira para fazer um porrete.

    Enviado via iPhone

  236. Chesterton said

    Até Jornalista do WSJ Sabe Mais Economia do que os Petistas do Mantega
    Excelente artigo de Mary O’Grady do Wall Street Journal sobre a economia brasileira:
    As demand heats up Brazil’s low investment-rate-to-GDP of 18% (versus China’s at 50%) means imports are needed. Protectionism blocks imports, so prices of tradable goods rise. Prices of services, which are not imported, also rise.The higher consumption without the corresponding production capacity provokes inflation, raising wage costs for those domestic manufacturers the government is supposed to be helping. The central bank has to rely on high interest rates to control the situation. Growth suffers.The way out of this trap is to embrace the strong real and the nation’s comparative advantages in services and commodities. Allowing the centrally planned manufacturing industry to restructure won’t be painless. But better to do it now, alongside pro-growth reforms in tax and regulation, than to wait for the inevitable crisis.
    POSTED BY SELVA BRASILIS A

  237. Elias said

    Pax,
    I
    Já disse várias vezes, mas vou repetir: acabar com o Senado é uma medida sanitária… E de economia também.

    No local onde hoje funciona o Senado, seria instalado o Museu Nacional da Pornografia. O plenário funcionaria como cinema para filmes pornôs em 3D. A sala de projeção se chamaria “Salão das Mães dos Filhos da Puta”, em homenagem a alguns dos atuais senadores brasileiros.

    II
    Sabe o que o PSDB e do DEM, e o PPS, e o escambal da Bahia vão fazer em relação à Delta?

    Exatamente isto: NADA! Não vão fazer absolutamente nada!

    Sabe por quê? Porque mais da metade dos contratos em execução pela Delta, decorrem de licitações promovidas por Governadores e Prefeitos do PSDB, do DEM, do PPS…

    Pra essa canalha, levantar a lebre da Delta é como cuspir catarrada pra cima…

    Quem tá fazendo isso é a turma do rodapé, que não tá no jogo que está sendo jogado. Essa turma ainda nem entendeu direito qual é o jogo que tá sendo jogado… Quando entenderem, será tarde demais pra fazerem alguma coisa útil.

    Como de hábito, aliás…

  238. Pax said

    Caro Elias,

    O Senado Brasileiro precisa acabar. Disso não tenho menor discordância.

    O que precisamos discutir é qual o modelo legislativo que teríamos se tivéssemos a felicidade de mandar os senadores colocarem pijamas ad eternum.

  239. Elias said

    Pax,
    A CPI tem 30 membros. Destes, a oposição tem 6 e o governo 24.

    Dá uma paradinha, olha, analisa o noticiário, pensa… Aí me diz: quem, realmente, está com medo dessa CPI? Quem tá fazendo de tudo pra desviar a atenção dessa CPI?

  240. Pax said

    Caro Elias,

    Tomara que a imprensa esteja errada, mas há uma série de notícias que gente do PT anda fazendo corpo mole para instalar esta CPI.

  241. Elias said

    Pax,
    A permanência ou não do Senado seria um dos pontos de pauta da reforma política, a mãe de todas as reformas.

    Aí te pergunto: a permanência ou não do Senado está na agenda do brasileiro? Duvido! Não está, assim como não estão o voto distrital, a revisão das “cláusulas de barreira”, as listas partidárias (“fechadas” ou mistas?), o financiamento das campanhas e um porrilhão de etc.

    Por essa e por muitas outras é que a CPI do Demóstenes/Cachoeira, no frigir dos ovos, é, apenas, o escândalo do momento. Daqui a algum tempo, quase ninguém mais vai lembrar dela, porque estarão na ordem do dia novos, maiores e mais escabrosos escândalos.

  242. Pax said

    Caro Elias,

    Desculpe-me mudar de assunto, mas olha só o que acabei de ver através do Twitter do Sérgio Guerra

    https://www2.psdb.org.br/index.php/agencia-tucana/noticias/psdb-vai-ao-conselho-de-etica-contra-protogenes-queiroz

    Xi, marquinho… será?

  243. Chesterton said

    Tomara que a imprensa esteja errada, mas há uma série de notícias que gente do PT anda fazendo corpo mole para instalar esta CPI.

    chest- finalmente se deram conta?

  244. Elias said

    Pax,
    Que imprensa está “errada”?

    Do ponto de vista dos interesses de cada um, ninguém está errado. Estão, todos, casando suas fichas e fazendo força pro vento soprar na direção que mais lhe interessa.

    Na chamada “grande” imprensa, quem mais levanta a lebre do abafamento da CPI sabe o que faz.

    De um lado, esse pessoal sabe que, quanto mais barulho fizer nesse sentido, menos provável será o abafamento. De outro, também sabe que, se a CPI não for abafada, ela pode por uma bomba com pavio aceso no colo de gente como os Civita, né?

    Tu, que vens do mundoi corporativo, sabes que, nos negócios, assim como na política, não existe espaço vazio… Qualquer brechinha que se abre é, de imediato, preenchida por quem se qualificar — e se posicionar — pra isso.

    Ou não?

    Quando a gente se toca pra essas variáveis, o jogo começa a mostrar uma cara assim… Típica do futebol brasileiro, né? Cheio de negaceios, manhas & mumunhas…

    Fique atento, “seo” Pax!

  245. Patriarca da Paciência said

    Até a veja já está reconhecendo o inevitável:

    “A CPI do Cachoeira já tem o apoio necessário para sair do papel – ao menos no Senado. A liderança do governo na Casa recolheu até agora as assinaturas de 28 senadores, um balanço que ainda não inclui a maior parte do PMDB, o bloco PTB-PR e a oposição.

    Para que a comissão seja instalada, é necessário o apoio de 27 senadores e 171 deputados. Na Câmara, o saldo das assinaturas só deve ser divulgado no fim da tarde, mas tudo indica que o número mínimo será ultrapassado já nesta terça-feira. O passo seguinte será a leitura do requerimento de instalação em uma sessão do Congresso.

    (Gabriel Castro, de Brasília)”

    http://adf.ly/7X6x9

  246. Pax said

    Tomara, caro Patriarca, tomara.

    Como Elias diz, quem for quebre que se podre.

    Enviado via iPhone

  247. Elias said

    Pax & Patriarca,

    No site do PSDB, as notícias são de que o partido está “mobilizado” pra garantir a CPI. As mesmas notícias criticam um “recuo” do governo.

    Na vida real, a maior parte dos senadores do PSDB ainda não assinou o requerimento pra tirar a CPI do papel.

    Mais à frente, vai ter gente do PSDB dizendo que a CPI só saiu porque os tucanos se mobilizaram, assinaram manifesto, etc (em vez de assinar manifestos, esses vigaristas tinham é que assinar o requerimento da CPI, né?).

    Negaceios, manhas & mumunhas… A cara da política brasileira…

  248. itq.im said

    By adding Wi-Fi connectivity to a radio, it can play thousands
    of Internet radio stations formerly only accessible with a
    computer. In our Spanish courses in mumbai spread all over mumbai, the practice
    of including such high frequency Spanish words has enabled Spanish learners in mumbai to rapidly master the
    language. It was developed by the African American community
    in the southern United States during the beginning of the 20th
    century.

Faça seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: