políticAética

Notícias da Corrupção, Desvios, Anomalias, Eleições e Meio Ambiente

  • Sobre o blog

    Uma coletânea das notícias da corrupção, desvios, anomalias, eleições e meio ambiente que aparecem na mídia todos os dias a partir de agosto de 2008.
  • Categorias

  • Arquivos

  • Páginas

  • Meta

Criada a CPI da enxurrada

Posted by Pax em 19/04/2012

Demóstenes Torres, senador, ex-DEM, e Carlinhos Cachoeira, mafioso segundo farto noticiário, promovem mais uma CPI no Congresso Nacional, formado pela pior classe política de todos os tempos.

Dentro da enxurrada de acusações, situação e oposição posam de defensores da moral e dos bons constumes. Não tem a menor condição de empunhar esta bandeira.

Se olharmos para Demóstenes, se olharmos para Marconi Perillo, se olharmos para Agnelo Queiroz, temos uma nítida fotografia do que se tornaram os partidos políticos brasileiros. Uma boa amostragem. Um do DEM, quer dizer, ex DEM, o mesmo de José Roberto Arruda e outros do mesmo calibre. O outro do PSDB, o mesmo partido de Eduardo Azeredo, José Serra e outros envolvidos em vários escândalos. E o outro, Agnelo, bem no cerne do governo que está em evidência ao ter uma enorme parcela de seu quadro de ex-dirigentes como ré do processo do Mensalão do PT, em vias de ser julgado pelo STF.

De toda a enxurrada de escândalos que esta CPI pode trazer à tona, a opinião deste blog é que deveria começar pelo envolvimento do governador do DF. Se o PT quer que esta CPI seja séria, deve começar fazendo o dever de casa.

Congresso cria CPI do Cachoeira em meio a desconfianças – Último Segundo

A presidenta interina do Congresso, Rose de Freitas, deu prazo até a próxima terça para os partidos indicarem os membros da CPI

Adriano Ceolin, iG Brasília

O Congresso Nacional criou na manhã desta quinta-feira (19) a CPI mista que vai investigar os braços político e empresarial do esquema de contravenção do empresário de jogos Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira, preso desde fevereiro.

Após a leitura do requerimento, assinado por deputados e senadores, a presidenta interina do Congresso, deputada Rose de Freitas (PMDB-ES), deu prazo até o próximo dia 24 (terça-feira) para os partidos indicarem os nomes dos membros da comissão e convocou sessão no mesmo dia, às 19h30, para que a CPI seja instalada. O documento teve apoio de 337 deputados (de um total de 513) e de 72 senadores (de um total de 81).

(continua no Último Segundo – IG…)

Atualização: bom post de Bob Fernandes, do Terra Magazine – CPI, a guerra: Novos e velhos escândalos e personagens

Anúncios

121 Respostas to “Criada a CPI da enxurrada”

  1. Otto said

    Se o Agnelo se banhou na cachoeira, quero mais que se ferre, doa a quem doer.
    No entanto os indícios de banho nele são menores que os do Perillo e do governador do Tocantins, sobre o qual o PIG fala quase nada.
    Agora, o grande escândalo são as relações “carnais” do Policarpo Jr. com o o “empresário dos jogos”. Sobre isto, um silêncio mortal, o que incrimina grande parte de nossa mídia. É como a omertà mafiosa.
    Aí que o bicho vai pagar.

  2. Otto said

    Edu:
    postei uma resposta sobre a fonte dos dados do PIB argentino no texto anterior. Passe lá.

  3. hermenegildo coelho said

    seria bom se passace uma cachueira e levasse o cachueira demostines torres sarnei e passase por betim minas gerais ou melhor pelo pais enteiro ,chuva seria tao grande que politicos honesto que se salvasse com serteza seria o mesmo numero da arca de noe, vamos pedir este milagre a Deus quem sabe seremos atendidos.

  4. Elias said

    Sim, claro… Ferrar com o Agnelo, se ele tiver o rabo preso.

    Mas sem esquecer de por a pique o Titanic direitoba.

    Com toda a ratarada, gambás, mucuras e fuinhas dentro dele. Incluindo a alta direção da Editora Abril, formada pelos empresários Cara de Cavalo, Praga de Mãe e Coisa Ruim.

    Vamos lá, putada…! Pau pra cima da canalha!

  5. Pax said

    Por mim, na boa, porrete de aroeira em todo mundo que não conseguir se justificar.

    Roubou dinheiro do povo, da escola, da merenda, do hospital, do remédio do povo, bravo povo brasileiro, porrete neles todos.

    Seja de que lado for.

    Enviado via iPhone

  6. Chesterton said

    BACEN continua fazendo sua parte para implodir o país
    O Banco Central reduziu a taxa de juros básica de 9,75% para 9% ao ano. Há mais de um ano este blog vem alertando que o BACEN já descartou o sistema de metas de inflação. A cada dia fica mais óbvio que tal sistema inexiste no país.

    Ainda nesta semana, o BACEN atuou fortemente no mercado cambial. A atuação do BACEN deixou evidente seu propósito: desvalorizar o real. Isto é, o BACEN também está tentando bicar para escanteio a taxa de câmbio flutuante. Isto é, dos três pilares macroeconômicos que sustentaram a economia brasileira nos últimos 10 anos (taxa de câmbio flutuante, sistema de metas de inflação, e responsabilidade fiscal), o BACEN está prestes a destruir dois deles.

    Do lado fiscal, o governo tem feito sua parte para desequilibrar ainda mais a situação das contas públicas. Em resumo: em menos de 1 ano e meio o governo Dilma já descartou a fórmula que garantiu a precária estabilidade brasileira nos últimos anos.

    POSTADO POR BLOG DO ADOLFO ÀS 22:05

  7. Patriarca da Paciência said

    Os telejornais da Globo e Bandeirantes tentam a todo custo pautar a CPI do Carlos Cachoeira, sempre martelando em cima da construtora Delta.

    Sempre repetindo que um diretor da Delta falou com o Carlinhos Cachoeira e etc. e tal.

    Nada sobre as conversas do Carlinhos Cachoeira com o Policarpo Foda, (Foda conforme o Reinaldinho Cabeção) ou sobre as conversas do Carlinhos Cachoeira com o Marconi Perillo, que realmente interessam.

    Chega a ser ridículo!

    Apesar de tudo, o tal Carlinhos Cachoeira é um “empresário”, assim como o Diretor da Delta, então a coisa é particular entre dois “empresários”.

    E ainda duvidam que exista um tal de PIG!

  8. Chesterton said

    Ferrar com o Agnelo, se ele tiver o rabo preso…

    chest- se?

  9. Patriarca da Paciência said

    Eu sempre considerei a taxa de juros do Brasil uma verdadeira afronta ao povo.

    Quase todos pensam assim.

    A presidenta Dilma está fazendo um grande esforço para baixar um poucos a absurda taxa de juros.

    Pois não é que agora aparece uma pessoa que tem a brilhante idéia de defender a alta taxa de juros, o tal Adolfo, cujo texto foi postado pelo Chesterton.

    É realmente muito estranho!

    Se Estados Unidos, Japão, Alemanha, etc. vivem com taxas de juro próximas a zero, no caso do Japão, já houve até taxas negativas, por que o Brasil deve manter para sempres as absurdas taxas de juros?

    Bom, eu desconfio que a resposta seja – interesses particulares.

  10. Chesterton said

    Tua burrice já é lenda Patriarca, ….

  11. Pax said

    Acho que o tal Adolfo é que postou uma tremenda bola fora, caro Chesterton, velho e bom Chesterton.

    Já te disse inúmeras vezes: procure boas fontes.

    Quem segue morcego morre queimado, diz o dito popular.

    Basta ver o titio histérico e seu fiel escudeiro, o grande senador Demóstenes Cachoeira, digo, Carlinhos Torres, digo, Reinaldo Cachoeira, digo… Ah, sei lá mais o que posso dizer. Minha cabeça anda meio confusa esses dias.

    =)

    Enviado via iPhone

  12. Patriarca da Paciência said

    Chesterton,

    já a tua burrice é uma realidade concreta e palpável!

  13. Elias said

    Patriarca,

    As altas taxas de juros do Brasil são uma necessidade.

    O crédito “cria” moeda, porque ele permite gastar o dinheiro que ainda não existe. Se você aumenta a quantidade de moeda, sem que a produção aumente em proporção igual ou maior, na prática você está criando inflação.

    Ou seja, se você favorece o crédito sem aumento de produto (fazendo com que surja a “renda sem produto”), você cria inflação.

    Existe exceção pra isso? Existe.

    Quando o país está operando com capacidade ociosa, por exemplo. É o nosso caso. Lembra que a evolução do PIB, em 2011, foi devagar, quase parando? Pois é… Nesse caso, o governo pode e deve baixar os juros, sem medo da “pressão de demanda” que isso vai provocar. Essa pressão será absorvida pela capacidade ociosa existente.

    Outra exceção: quando há risco de invasão de dinheiro da especulação internacional. No caso atual, da invasão do Euro especulativo que o Banco Central Europeu está liberando a custo zero. Aí o mega-especulador internacional pega Euro a custo zero na Europa e vem aplicar no Brasil. O rendimento ele repatria…

    Nessas circunstâncias, os juros altos brasileiros se tornam um mecanismo de drenagem de renda do Brasil para o exterior.

    É por essa razão que a Dilma tá pressionando os juros pra beixo.

    E é por essa razão que os blogueiros vira latas estão ladrando sem parar contra a baixa dos juros. A cachorrada pulguenta que faz isso, é formada pelos mesmos cães sarnentos que, no passado recente, ladravam contra os juros altos.

    Não se aborreça com eles. Vira lata é assim mesmo. Só faz merda, empesteia o ambiente e exala mau cheiro.

    Eles estão sempre contra seu próprio país, contra seu próprio povo, e sempre a favor dos patrões de fora. Sempre na expectativa de que um dia os patrões os promovam, e os tirem do terreiro, permitindo que durmam e cocem pulgas no alpendre da casa grande…

    Gentalha, seu Patriarca… Gentalha…

    Não perca tempo com a cachorrada. Vamos brigar com os donos dela…

  14. Edu said

    Essa CPI, nós deveríamos chamar de CPI do cafezinho…

    100% dos envolvidos têm rabo preso, inclusive os relatores.

    Resultado mais provável: vai virar água, ou pizza… ao gosto do freguês.

  15. Patriarca da Paciência said

    Concordo, Elias,

    o Brasil tem uma chance de ouro de baixar as taxas de juros e os especuladores estão em polvorosa.

    Lembram aquele personagem do Falabela: ” de uma hora para a outra acabam com a inflação, baixam as taxas de juros … e eu? Como é que fico nessa história?”

    Mas eu não fico chateado com o Chesterton – ele tem mesmo um burrice real, concreta e palpável.

    Não me faz sequer cócegas!

  16. Patriarca da Paciência said

    Edu,

    você que gosta de análises minunciosas, está praticando uma generalização imperdoável.

    Generalizar desse jeito é um inegável erro !

    Aliás, toda e qualquer generalização é um erro.

  17. Edu said

    Chest, Elias e Patriarca,

    Desta vez eu tenho que concordar com o Elias, apesar de a Dilma estar se arriscando, acredito que o mercado brasileiro não está desenvolvido suficientemente para auto-regular a taxa de juros, o governo, nesse caso, tem a obrigação de dar uma cutucada. Coisa que o FHC e cia nunca tiveram culhões para tal.

    Tomara que o Guido Mantega esteja fazendo as continhas dele direitinho, senão teremos problemas no futuro. Aliás, o que me preocupa não é a intervenção da Dilma e sim as contas do Mantega… o cara não acerta uma meta de inflação! Que espécie de economista é ele?

    Só não concordo que devamos baixar os juros simplesmente para evitar capital especulativo. Eu fico imaginando: se o Brasil corta as taxas de juro para 4,5% ao ano, metade do que está hoje, vai haver evasão de divisas? Eu acho que não… visto que o Brasil tem apresentado crescimento estável nos últimos anos e que os juros da Europa continuam bem abaixo disso. Na verdade, nesse ponto, acho que o Brasil concorre apenas com a China, talvez com a Índia, pq com a Argentina é que não vai ser. A China tem taxas de juros mais baixas e já está declarado que eles vão segurar o crescimento para evitar a inflação.

    Na verdade acho que o Brasil deveria aproveitar esse investimento externo justamente para fazer o PAC andar. Sabemos que o Brasil é carente de infra-estrutura e o PAC é fundamental para a competitividade da indústria brasileira. O crescimento do Brasil é a única coisa que vai fazer o Brasil pagar a conta desses juros altos no futuro, e o PAC não anda, rasteja. E nesse ponto a Dilma, a gerente, está mandando mal, muito mal…

  18. Chesterton said

    A taxa de juros é alta porque o governo gasta mais do que arrecada e tem que pedir emprestado para fechar as contas. Se a Dilma realmente quisesse baixar os juros, cortava gastos, logo, preparem-se para INFLAÇÂO!!

    Elias, leia isso:

    http://gonzaloraffoinfonews.blogspot.com.br/2012/04/whats-behind-brazils-slow-growth-wall.html

    As demand heats up Brazil’s low investment-rate-to-GDP of 18% (versus China’s at 50%) means imports are needed. Protectionism blocks imports, so prices of tradable goods rise. Prices of services, which are not imported, also rise.The higher consumption without the corresponding production capacity provokes inflation, raising wage costs for those domestic manufacturers the government is supposed to be helping. The central bank has to rely on high interest rates to control the situation. Growth suffers.The way out of this trap is to embrace the strong real and the nation’s comparative advantages in services and commodities. Allowing the centrally planned manufacturing industry to restructure won’t be painless. But better to do it now, alongside pro-growth reforms in tax and regulation, than to wait for the inevitable crisis.

  19. Elias said

    Patriarca,

    Mais outra: dinheiro é mercadoria. Quando há excesso de oferta, a tendência é que o preço dessa mercadoria caia.

    Se há excesso de dinheiro estrangeiro entrando no Brasil, a tendência é a supervalorização do dinheiro brasileiro. Neste caso, a renda (da especulação) produzida em Real, passa a valer mais em Euro, Dólar, etc. (já que a renda é produzida em Real, mas é repatriada em outra moeda).

    Em outras palavras, a supervalorização da moeda brasileira, nesse contexto, intensifica a drenagem de renda do Brasil para o exterior, para as mãos de especuladores estrangeiros.

    Daí que, nessas circunstâncias, o movimento inevitável do governo é no sentido de reduzir a supervalorização da moeda brasileira. Exatamente pra evitar a intensificação da drenagem de riqueza para fora do país, por força da especulação.

    Esse papo de “pilar” é conversa de prostituta do baixo meretrício. Os governos atuam segundo as circunstâncias. O que é recomendável em um determinado contexto poderá não sê-lo em outro.

    Analisar medidas de política econômica sem analisar o contexto em que elas são adotadas é papo de vigarista.

  20. Edu said

    Patriarca,

    Infelizmente é o nível de detalhe que eu consegui alcançar, perdoe minha ignorância. Por isso que eu digo, estou aqui para aprender.

    Ao que parece, no entanto é o seguinte: o Cachoeira fazia a ponte para empresas se contratarem com o governo. Aprendi com o Elias que as obras são muitas vezes licitadas e pagas pelos Estados, e que muitas vezes os governantes dos Estados são oposição, mas na esfera federal, o governo é maioria, o que o Cachoeira quer com a minoria na esfera federal? Acho que ele seria muito burro de tentar fazer essa ponte com quem não está mandando nada…

    Daí a generalização. Posso estar completamente enganado Patriarca, mas para mim tá todo mundo enfiado até as narinas neste córrego repleto de bagres cegos…

  21. Elias said

    Chesterton,

    Se o governo precisasse de juros altos pra conseguir dinheiro e, assim, fechar suas contas, não teria sentido, agora, o governo pressionar as taxas de juros pra baixo, né, rapaz?

    Não é, Chester? Hein?

    Presta atenção nas coisas que tu copias e colas, rapaz… Não estás dizendo coisa com coisa…

    Uma coisa é uma coisa… Outra coisa é outra, Chester.

    Juro, Chester, é preço da mercadoria dinheiro. O juro tende a aumentar ou diminuir, conforme a escassez ou a abundância da mercadoria dinheiro.

    Te orienta… Lê com atenção o que copias… Aí, lê de novo… E de novo.. E d…

  22. Chesterton said

    Desta vez eu tenho que concordar com o Elias,

    chest- acho que o post dele começou muito bem, mas será que temos capacidade ociosa?

    apesar de a Dilma estar se arriscando, acredito que o mercado brasileiro não está desenvolvido suficientemente para auto-regular a taxa de juros, o governo, nesse caso, tem a obrigação de dar uma cutucada. Coisa que o FHC e cia nunca tiveram culhões para tal.

    chest- isso é muito engraçado, Edu, você diz que Dilma arrisca e depois reza para que o Mantega , o pior economista que já apareceu, tenha feito as contas certas….O governo não tem que dar uma cutucada, tem que sinalizar a direção certa: cortar gastos!! Aí o mercado, auto-regulado por definição, vai reagir a esse estímulo.

    Tomara que o Guido Mantega esteja fazendo as continhas dele direitinho, senão teremos problemas no futuro. Aliás, o que me preocupa não é a intervenção da Dilma e sim as contas do Mantega… o cara não acerta uma meta de inflação! Que espécie de economista é ele?

    chest- do pior tipo, parece argentino de tão ruim. Dilma e Mantega são uma coisa só, você não pode dividi-los. Seria esquizofrenia governamental. O que vai acontecer aqui, indo nessa direção, é o que está acontecendo na Argentina, a inflação vai subir, o governo tentará maquiar os índices, não vai dar certo, aí a estrada da burrice não tem fim (o fiom seria Buenos Aires).

    Não precisa ser economista para entender que a heterodoxia é uma fantasia.

  23. Chesterton said

    Juro, Chester, é preço da mercadoria dinheiro. O juro tende a aumentar ou diminuir, conforme a escassez ou a abundância da mercadoria dinheiro.

    chest- exatamente Elias, cortando gastos sobra dinheiro (de verdade, não fictício) e há como negociar juros menores sem forçar a barra.

    Aliás, hoje há um empe3cilho para a queda dos juros que se chama poupança um rendimento tão bom qye está ficando pesado para o governo (que cria inflação para recuperar alguma coisa).

  24. Patriarca da Paciência said

    “Se a Dilma realmente quisesse baixar os juros, cortava gastos, logo, preparem-se para INFLAÇÂO!!”

    Esta é a única fórmula que os tais neoliberais recomentadam. Parecem até discos quebrados.

    Já recomendaram isso milhões e mihões de vezes e, apenas os burros seguem tal conselhoe e sempre quebram a cara.

    Se as coisas fossem simples assim, qualquer criança de seis anos poderia ser ministro da fazenda.

  25. Chesterton said

    Patriarca, dá licença e vai ver novela.

  26. Elias said

    Edu,

    I
    Quando o PAC não anda, a despesa pública não aumenta.

    Uma das razões pelas quais o orçamento da União não foi pressionado pelo PAC nos últimos anos, foi, exatamente, pelo fraco desempenho do programa nos Estados e Municípios.

    Como as obras não andaram, o desembolso da União ficou menor que o previsto (já que as obras são tocadas por Estados e Municípios, mas com recursos na União). Como o desembolso foi menor que o previsto, ele não fez pressão sobre o orçamento (cuja arrecadação também foi menor que a prevista).

    II
    Outra informação, pra reflexão.

    Nem toda despesa do PAC sai da União a fundo perdido. Boa parte das obras do PAC nos Estados e Municípios, em especial as relacionadas à habitação e saneamento, são feitas com OPERAÇÕES DE CRÉDITO vinculadas ao PAC.

    Nesses casos, a União não dá dinheiro aos Estados e Municípios. Ela empresta, em especial recursos do FGTS (que nem fazem parte da receita tributária da União).

    Só pra comparar: quando o FGTS emprestava pra projetos de saneamento a juros de 8,4% ao ano, o BID emprestava, pra mesma finalidade, a juros de menos de 5% ao ano. Ou seja, era — e ainda é — muito mais negócio pedir emprestado ao BID que à União, embora nesta segunda hipótese o trâmite seja bem mais rápido.

    Mas o negócio é que, no caso dos financiamentos com recursos do FGTS, as obras do PAC não só não geram, pra União, despesa a fundo perdido, como ainda geram RECEITA para um fundo administrado pela União, no qual ela não bota um único centavo (os recursos do FGTS vêm, em sua totalidade, de CONTRIBUIÇÕES DAS EMPRESAS, calculadas sobre as respectivas folhas de pagamenbto e depositadas em contas vinculadas aos empregados).

    No final das contas, a União, que não casou um único centavo no FGTS, acaba ficando com uma parte da renda que ele gerou, ao emprestar a juros altíssimos para Estado e Municípios. É a tal da “taxa de administração” do fundo.

    Lembrem disso, e pensem…

  27. Elias said

    Chest, rapaz,

    A briga da Dilma, neste momento, não é com a escassez. É com o EXCESSO de dinheiro.

    Ela foi à Alemanha reclamar, lembra? Não?

    Esse é o problema de vocês, direita brasileira. Vocês têm um esqueminha de análise dos anos 1960, e continuam usando o mesmo esquema o tempo todo, mesmo quando as circunstâncias são completamente diferentes.

    Aí ficam assim, perdidões… Não dizem coisa com coisa e acham que estão dizendo tudo.

    O que a Dilma quer, neste momento, é: (a) estimular o consumo, pra induzir o crescimento do PIB em, pelo menos, uns 3 ou 4 pontos percentuais; e (b) reduzir a drenagem de renda nacional para fora do país, provocada pela defasagem entre a taxa de juros do Brasil e a taxa de juros dos países ricos (todas próximas do zero).

    Tá na cara que a Dilma está evitando ao máximo, atingir o objetivo “b” por meio da tributação das operações financeiras (como fez o Lula, no 2º mandato). Se ela fizer isso, vai haver (já está havendo) uma migração em massa do pequeno e médio investidor para as cadernetas de poupança (e excesso de dinheiro em caderneta de poupança também não é uma boa pro governo).

    Vocês, direita, estão fazendo um excelente comentário sobre uma partida de basquete. Muito bom, mesmo…

    Só tem um problema: a partida que vocês estão comentando não é basquete. É volei!

    Sacou, Chester?

  28. Chesterton said

    Elias, excesso de dinheiro que não é seu (nosso). Há uma montanha de gente querendo emprestar para agente de olho no desespero que Dilma tem pois não fecha as contas, gasta mais do que arrecada. Esse dinheiro a 9% ao ano enquanto crescemos 3 ou 4 % é a ruina.

    Lembre Elias, há (pelo menos) 2 tipos de dinheiro, o nosso, e o que não é nosso.

  29. Chesterton said

    Os EUA enriqueceram tomando emprestado dos aposentados ingleses a 5% enquanto cresciam 8-9% no inicio do século passado.

  30. Patriarca da Paciência said

    Chesterton,

    você já leu o Reinaldinho Cabeçao hoje para saber o que você anda pensando?

  31. Patriarca da Paciência said

    “Os EUA enriqueceram tomando emprestado dos aposentados ingleses a 5% enquanto cresciam 8-9% no inicio do século passado.”

    Chesterton,

    agora você realmente se seperou. Ostentou, em sua plenitude, toda a sua burrice real, concreta e palpável.

    Isto é uma simplificação tão absurda que nem uma criança de seis anos acredita!

  32. Michelle de Souza Malone said

    Gooday everyone

    1.Pax: Já que o tema é corrupção, convém
    lembrar onde tudo começou:

    http://veja.abril.com.br/180505/p_054.html

    Aqui vão 2 homenagens ao atual momento político no Brasil:

    Cansei de ser rotulada de “elite” e “de direita” por me recusar a aceitar tanta podridão, incompetência, mau caratismo e impunidade!
    Sou cidadã brasileira. Exijo respeito!

    2.V.Ex.ª se comporta como um agente provocador…
    provocador de risos.

    beijinhos de judas

    Para os interessados:

    http://veja.abril.com.br/blog/augusto-nunes/o-pais-quer-saber/movimento-contra-a-corrupcao-volta-as-ruas-neste-21-de-abril-em-80-cidades-veja-no-mapa-a-hora-e-o-local-das-manifestacoes/

  33. Elias said

    Chesterton,

    Continuas fazendo ótimos comentários de basquete pra uma partida de volei…

    O excesso de dinheiro que é afetado pela baixa dos juros, é o dinheiro do mercado spot. Aquele que tá hoje de manhã no Brasil, à tarde nas Filipinas, à noite na Coréia, pela madrugada, nos EUA…

    Não se trata do Brasil tomar dinheiro emprestado na Europa, moço.

    Quem está tomando emprestado não é o Brasil, Chester… É o especulador do mercado spot. Ele é que tá tomando na Europa, inundada por Euros do BCE a juros zero. E ele não aplica esse dinheiro no aparelho produtivo brasileiro. Ele aplica no mercado spot, que todo mercado financeiro tem porque não tem jeito de evitar que tenha…

    O cara que empresta pro aparelho produtivo raramente é afetado pelas oscilações do juro a curto prazo, Chester.

    Os contratos de empréstimo para o aparelho produtivo — financiamento de uma usina de cimento,. p.ex. — são de prazo muito mais longo. Nesses contratos, o que mais conta, além da capacidade empresarial do tomador e da capacidade de retorno do empreendimento financiado, é a estabilidade econômica e institucional do país.

    Por que os banqueiros brasileiros estão p… da vida com a Dilma? Porque eles também estão pegando Euros a juros zero, e querem aproveitar a farra…

    Pára de te portar como um teleguiado ideológico e presta atenção no jogo, rapaz. Aí tu vais começar a entender.

    E, se bem pensares, poderás até melhorar o gerenciamento do teu próprio dinheiro. É só prestar atenção, Chester… Fica esperto, rapaz…!

  34. Pax said

    Cara Michelle,

    Se a CPI voltar atrás, chegar no Mensalão do PT, eu não tenho nada contra. Muito ao contrário. Ainda mais agora na iminência do julgamento no STF. Quero mais é que as questões apresentadas no processo estejam avivadas na memória do povo, bravo povo brasileiro.

    Assim como quero que as questões do José Serra, da Privataria Tucana, da empresa da Verônica etc, estejam sempre na memória. Pegando o gancho, porque não exigirmos uma CPI dos Pedágios paulistas? Porque mesmo Alkmin e Serra têm tanto medo desta investigação? Alguma coisa com a Camargo Corrêa que detém uma belíssima parcela da CCR, a tal empresa que detém quase a totalidade das concessões de rodovias paulistas? Algo com a nova marginal? Com o Rodoanel? Aquele Paulo, o Paulo Preto, o tal que era assessor direto mas que Serra disse que não conhecia, essas coisas da memória das pessoas e das criaturas…

    Assim como quero que as questões do José Roberto Arruda, do Demóstenes Torres etc, estejam claramente expostas, para vermos como são os tais participantes (ex) do DEM. Sim, o DEM, aquele do falecido ACM, santa criatura, que os deuses o tenham.

    No fundo, no fundo, torço é para que todos os podres continuem aparecendo, ad nauseam, no noticiário geral.

    Uma hora o povo, bravo povo brasileiro, vai procurar seus porretes de aroeira para colocar essa turma toda pra correr. Pode demorar gerações, mas uma hora isso vai acontecer.

  35. Pax said

    Off Topic:

    Barbaridade!

    http://fernandorodrigues.blogosfera.uol.com.br/2012/04/20/supremo-conflito-joaquim-bate-duro-em-peluso/

  36. Pax said

    Barbaridade II – Caramba, o Ayres Brito já começa com um barulho destes…

    http://www.estadao.com.br/noticias/nacional,farpas-expoem-clima-tenso-no-stf-as-vesperas-do-julgamento-do-mensalao,863417,0.htm

  37. Elias said

    Pax e Patriarca,

    Viu como não dá pra confiar no Judiciário brasileiro?

    Certo que lá tem muita coisa boa… Mas, também, não lhe faltam frutas podres.

    Tem que ser totalmente reestruturado (a meu pensar, a primeira reforma depois da reforma política). Reestruturado e peneirado, com peneira de trama extra fina.

  38. Pax said

    Caramba, caro Elias,

    A jurupoca piou, o galo cantou, a siriema pegou cobra, a onça apareceu, o gato miou, o cachorro latiu e o apito do Titanic foi ouvido das profundezas.

    Que josta isso tudo vai dar eu não sei.

    Só sei que o Ayres Brito vai ter que rebolar um bocado.

  39. Elias said

    E, Chesterton,

    Tu estás criticando a Dilma porque os juros estão caindo ou porque eles ainda estão altos?

    Tua primeira alusão ao assunto foi transcrevendo um cara que reclama da queda de juros. Agora, no # 28, tu já estás dizendo que 9% tá alto demais…

    Diz, mais ou menos, o que tu queres dizer, pra que a gente possa estabelecer um debate mentalmente saudável…

  40. Elias said

    Pax,

    Até as pedras sabem o que o Ayres quer.

    Ele só tem 7 meses pra exercer o cargo. Aí completa setentão e cai na expulsória…

    Então, ele quer correr contra o tempo, pra estar na presidência da casa durante o julgamento do mensalão.

    Pode ser que eu me engane, mas ele vai ficar com a boca cheia de formiga…

    Exatamente pra não dar esse confeito pra biografia do Ayres, a coisa será retardada. Em agosto, vários ministros se afastam pra assumir a Justiça Eleitoral, por causa das eleições municipais.

    Quando acabar o 2º turno, em novembro, Ayres cai fora. Aí entra o Joaquinzão, que será o presidente do julgamento do mensalão.

    No fim, é só uma guerra de egos…

    O Peluso é um franco atirador de baixa potência. Cada vez que ele e Gilmar atiram uma pedra, recebem uma montanha de volta. O que eles têm não é nem telhado de vidro… São dois hangares de vidro…

    O Joaquinzão joga solto contra gente como o Peluso e o Gilmar, exatamente por não ter bicheiras onde se possa cutucar com eficácia (o ponto fraco dele são as licenças por motivo de saúde; mas ele sabe como se cobrir quanto a isso e quem casar os ovos nessa cesta vai acabar se ferrando…).

  41. Elias said

    Pax,

    90% dos próceres direitobas brasileiros só andam agora com as respectivas bundas coladas na parede mais próxima…

    Os restantes 10% não se levantam de jeito nenhum.

    No desespero a cachorrada tá se alimentando de cachorro morto…

    Canibalismo…!

  42. Edu said

    Chest,

    Na verdade, esquizofrenia seria a Dilma tomar uma decisão sem que antes o Guido Mantega tivesse feito as continhas dele… por isso que eu disse: tomara que ele esteja fazendo as contas direito.

    O histórico nos mostra que o Guido não sabe fazer conta pra inflação. Quem sabe o foco de economia que ele estudou na faculdade foi em outra área… ele pode estar mirando no longo prazo… vai saber o que se passa nessa cabecinha…

    Agora, auto-regulação não existe no mercado bancário brasileiro. Os fatos são: os juros aos bancos caem, os juros às empresas e pessoas físicas caem desproporcionalmente, como é que isso pode ser um mercado auto-regulado? O spread bancário era altíssimo na época do FHC e no primeiro mandato do Lula, em que todas as economias estavam indo de vento em popa. Depois da crise houve uma pequena consolidação do mercado bancário brasileiro… o que era ruim tende a piorar. Embora esteja distante de um oligopólio, o spread bancário continua alto. Nesse caso, minha opinião é de que o poder político atue sim. Não sei que tipo de linha de pensamento econômico posso chamar isso, nem sei se interessa. A minha única crítica é que temos o BC e a CVM para fazer isso. Por que a Dilma tem que fazer?

    Elias,

    Sobre o seu I:

    Exatamente isso que eu quis dizer. Só que, para cada ano que o orçamento do governo não é investido, não temos retorno nenhum sobre esse investimento: seja social, seja econômcio, seja financeiro. E os juros continuam os mais altos do mercado… e um dia a conta vem… se o raciocínio é pagar os juros de hoje com o desenvolvimento de longo prazo arbitrado pelo governo, é bom que o governo se apresse com isso, antes que a conta chegue, não é mesmo? E se isso é problema do Governo Federal ou dos governos Municicpais ou Estaduais, to nem aí. Alguém tem que botar fogo no rabo desse povo pra fazer as coisas andarem…

    Sobre o II:

    Não entendi o que vc quer dizer com isso… para mim isso só significa que o Brasil está sentado sobre uma montanha de dinheiro empatado e que as pressões inflacionárias devem estar altíssimas….

  43. Chesterton said

    Pensamentos confusos e lagos enlameados parecem profundos. (Nicolas Gomes Davila)

    Entendam, os juros não são “baixados” na marra sem consequencias na inflação. Não são uma maldade de BC independente. O PT em geral criticava o BC independente como um sádico que queria ver as pessoas sofrerem.
    Aí vocês dizem: a Dilma está querendo baixar os juros… ora, a Dilma está fazendo alguma coisa para mudar a situação em que juros altos são necessários para a inflação não disparar? cadê as REFORMAS? Lula não fez, Dilma não fez.
    Reformas. O que quer dizer reformas? Simples. Parar de subir a carga tributária e gastar menos. Tudo fora disso é pastel de vento.

    Então eu quero quero juros baixem? SIM! Eu quero que a Dilma baixe? NÂO. Mas porque? Porque baixar os juros de modo voluntarioso ( a la Argentina) não dá certo.

    Receita

    1. controlar a inflação,
    2. cortar gastos
    3. gerar superávits para reduzir a dívida pública.
    4- reformas, principalmente da Previdência Social, paradiminuir o dramático déficit público.

  44. Patriarca da Paciência said

    Edu, 20,

    eu tenho uma teoria que, quando a gente se decepciona profundamente com alguém, tende a generalizar aquilo para a humanidade inteira.

    É isso que noto nos meus contatos diários. E a tal de “grande imprensa” fez e faz um esforço tremendo para generalizar que todos os políticos são ladrões e desonestos, o que um tremendo desserviço para a sociedade.

    Imagine-se um país sem governo. Seria simplesmente o retorno à selvageria!

    O que acontece é que, em política, como disse o Lula, não há irmãs de caridade, ou seja, político nenhum faz nada gratuitamente. No mínimo ele quer ganhar votos.

    Tudo bem, uns querem ganhar votos, outros querem ganhar reconhecimento, outros querem ganhar fama e há também aqueles que só querem ganhar dinheiro.

    Mas os políticos, principalmente nas democracias, são um retrato perfeito da sociedade.

    E isso é assim em todos os países. Essa história de exigir imacularidade” de políticos é perda de tempo aqui, na Suécia, na Dinamarca, na China, no Senegal, na Bolívia, nos Estados Unidos ou em qualquer outro país.

    Nos países onde há pouco corrupção (na há nenhum país que esteja totalmente livre da corrupção) é porque há uma forte vigilância da sociedade.

    Mas eu realmente não acredito que todos os políticos brasileiros sejam ladrões e desonestos.

    Isso é uma generalização que só traz prejuízos ao Brasil.

  45. Elias said

    Edu,

    O que eu quis dizer é o que está escrito.

    O PAC é um programa que articula recursos de diferentes origens. Privadas, inclusive.

    Nem tudo que se gasta no PAC é despesa orçamentária da União.

    As operações de crédito que Estados e Municípios fazem com o FGTS, via Caixa Econômica, são um exemplo disso.

    O FGTS não é um fundo estatal. É privado. É alimentado pelas empresas e seus proprietários são os empregados celetistas. A União apenas administra esse fundo. Da renda que ele gera, a União (Caixa) saca um bom naco, a título de taxa de administração.

    No frigir dos ovos, os investimentos do PAC feitos com recursos do FGTS, não só não geram um centavo de desembolso pra União, como também ainda geram receita pra ela, por causa da taxa de administração que ela cobra.

    É uma montanha de dinheiro? Claro! Empatado? Nem pensar! Há uma imensa fila de projetos de Estados e Municípios, esperando uma oportunidade de fazer operação de crédito com o FGTS.

    A questão não é essa, Edu. O questão que eu coloco é que, investimento via operações de crédito de Estados e Municípios com o FGTS NÃO GERAM despesas pra União. Geram RECEITAS.

    A maior parte dos analistas da imprensa acaba metendo tudo num mesmo saco, porque a maior parte dos analistas da imprensa não conhece a estrutura pública brasileira.

    Pensei que tu fosses questionar minha afirmação de que “excesso de dinheiro em caderneta de poupança também não é uma boa pro governo”…

    Outra: os juros do mercado não têm nada a ver com o grau de execução do orçamento federal. O manejo das taxas de juros têm a ver, principalmente, com a expectativa de inflação, o grau de ocupação da capacidade instalada do aparelho produtivo, as pressões externas, etc (lá por volta de 2005, o redator de atas do COPOM se referia a um tal de “fator chave” de instabilidade nos preços do petróleo. A expressão “fator chave”, em português de botequim, significava “fator Hugo Chavez” & suas maluquices, que acabavam fazendo com que o Brasil, por prudência, mantivesse as taxas de juros mais altas do que seriam, se o trapalhão venezuelano não fizesse tanta besteira…).

  46. Chesterton said

    “los brasileños siempre han tenido una visión un tanto inflada de su propio país. Paradójicamente, este sentimiento de autoimportancia se traduce, con frecuencia, en un complejo de persecución; en un percibir, en cada acto de los países avanzados, un insulto o una ofensa. Esto se refleja en la rabia con que los analistas cariocas han comparado el tratamiento amistoso -casi de compinche- que Obama le dispensó al primer ministro británico, David Cameron, con la frialdad espartana con que recibió a Dilma.(…)De acuerdo con el influyente estudio Doing business, del Banco Mundial, Brasil ocupa el lugar 126 en el ranking sobre facilidad para invertir y hacer negocios. En esa posición lo rodean Suazilandia, Uganda y Tanzania. No se trata, exactamente, de un vecindario apetecido. En todas las categorías consideradas en este estudio, excepto una (la facilidad con que se pueden obtener servicios eléctricos), Brasil está por debajo de la posición 75. Chile, para poner estos números en contexto, se encuentra en el lugar 39 del ranking; Perú en el 41, Colombia en el 42 y México en el lugar 53. Cuando uno le menciona estos resultados a un economista brasileño, éste pide que, por favor, no comparemos a su país con pequeñas naciones sin importancia geopolítica; luego sonríe con arrogancia y habla de fútbol. Pero lo del Doing business no es todo. De acuerdo con Transparencia Internacional, Brasil está en el lugar 73 en el índice de corrupción (mientras más abajo está un país, más alta la corrupción); Chile está, en contraste, en el lugar 22. Además, el sistema educativo brasileño deja muchísimo qué desear. De acuerdo con la prueba Pisa de la Ocde, Brasil está en el lugar 53 de 65 países, en lo que a educación de niños y niñas de octavo grado se refiere, por debajo de Chile (44), Uruguay (47) y México (48).Todo esto se traduce en que Brasil sea un país con un nivel de productividad bajísimo, que difícilmente puede competir en los mercados globales. ”

    http://focoeconomico.org/2012/04/19/dona-dilma-va-a-washington/

  47. Patriarca da Paciência said

    Meus caros Pax e Elias,

    realmente os juízes tem egos enormes, ministros do STF mais enormes ainda.

    Aquela piada de que a diferença entre um juiz e um desembargador é que o juiz pensa que é Deus, o desembargador tem certeza, não de toda sem fundamento.

    Parece ser uma consequência natural do cargo que ocupa, ou seja, grande prestígio social e poder real e vitalício.

    Mas eles sempre são muito civilizados e acabam se entendendo.

    E tanto o Ayres Brito quanto o Joaquim Barbosa são grandes sujeitos. Grandes mesmo no perfeito significado da palavra.

    Confio muito nos dois.

    Acredito que farão gestões que entrarão para a história.

  48. Patriarca da Paciência said

    “1. controlar a inflação,
    2. cortar gastos
    3. gerar superávits para reduzir a dívida pública.
    4- reformas, principalmente da Previdência Social, paradiminuir o dramático déficit público.”

    Se essa tal receita valesse alguma coisa, os juros dos Estados Unidos seriam os juros mais altos do mundo.

    Itália, Espanha, Japão, tudo com juros nas alturas!

    Todos com despesas e dívida pública na estratosfera!

  49. Patriarca da Paciência said

    Dívida pública dos Estados Unidos – 100% do PIB

    Déficit Público. 10% do PIB

    Orçamento dos Estados Unidos – Três trilhões e meio.

    Juros dos Estados Unidos – ZERO.

    Onde está a lógica?

  50. Olá!

    Ver petista elogiando ministro do STF é um sinal de preocupação e não de júbilo.

    Até!

    Marcelo

  51. Edu said

    Elias,

    Se eu entendi direito, vc está querendo dizer que a União não é tão deficitária quanto parece, e, não sendo deficitária, fica fácil pagar a conta… é isso?

    Em outras discussões que tivemos aqui, fomos lá no site do BC e vimos que, apesar de o Brasil estar caminhando para um déficit fiscal, ele ainda está superavitário. O que é ótimo, ainda. Eu não sei se o Guido ou a Dilma estão mirando no longo prazo, ou sabem como equacionar essa tendência no médio-longo prazo, porque é aí que mora o problema.

    Tenho preocupação de déficit público? Sim! Eu acho especialmente perigoso pq a população não entende, não acompanha e, se o Governo Federal fizer besteira nesse sentido, a população demorará muito, mas muito tempo para ligar uma recessão a um problema desses… No entanto, acredito que esteja equacionado. Meu hoje é com relação à execução dos investimentos… eles simplesmente não estão acontecendo.

    Mas o dinheiro está parado. Pô Elias, sinto muito, dinheiro em caixa tem altíssima liquidez, mas é dinheiro parado! Se os Estados, Municípios, quem quer que seja, não está usando esse dinheiro, é dinheiro parado…

    Por isso não estou muito preocupado em questionar o que os analistas comuns vêem e em que saco eles colocam as coisas! hehe

    Quanto ao fato de o dinheiro estar em caderneta de poupança, não vejo porque isso seria ruim. Significa que o povo está poupando… que mal há nisso? Claro que investir em cadernetas de poupanças não é a mesma coisa que investir em empresas, mas o povo não está preparado para isso, acho que o Brasil não alcançou tanta estabilidade para permitir que o povo faça isso com tranquilidade, e não acho que a economia brasileira seja prejudicada por conta disso. Acho que seria preocupante se o real se valorizasse demais ou todo mundo comprasse de uma vez, no primeiro caso desbalancearíamos a balança comercial, no segundo caso haveria inflaçao. Mas ao que parece, não é esse o resultado.

    Sobre a taxa de juros ser reflexo de política monetária eu não tenho dúvidas… eu deixei entender que os gastos do governo influenciam os juros? Se deixei peço desculpas. Até acho que o Brasil tem que se preocupar com o “fator Chavez” e hoje, talvez, “fator Argentina”… mas bem menos que no início da primeira década do milênio. Para mim o mais importante hoje é a melhoria da competitividade industrial brasileira, com ela vc diminui a pressão por demanda, com ela vc melhora a competitividade e a auto-regulação do mercado, com ela é possível conseguir abrir mais o Brasil, gerar empregos, aumentar a renda e ainda diminuir os efeitos de uma demanda extra na inflação (com o aumento da capacidade produtiva).

    No entanto, o PAC está rastejando, nem sinal da reforma tributária, a Dilma está bastante articulada pra reclamar dos juros dos outros, meter o dedo na máquina econômica e está gastando tempo demais para organizar esse galinheiro político que ela aceitou do seu antecessor.

  52. Michelle de Souza Malone said

    Gooday for everyone
    PAX on 34

    Já que vc está interessado sobre a Privataria Tucana…”Assim como quero que as questões do José Serra, da Privataria Tucana, da empresa da Verônica etc, estejam sempre na memória”.

    Caro Pax..JÁ ESTÃO! leia abaixo:

    http://www.implicante.org/blog/dossie-do-dossie-as-mentiras-do-livro-do-amaury/

    http://www.implicante.org/blog/dossie-do-dossie-o-metodo-amaury-de-narrar-lorotas/

    E o ínclito delegado Protógenes prometeu abrir um CPI sobre o caso e depois resolveu esquecer do assunto…hehehe

    “Pegando o gancho, porque não exigirmos uma CPI dos Pedágios paulistas”?

    Pax: Pra que CPI? se em São Paulo estão as melhores estradas do Brasil (não as federais é claro)?
    E nesta semana foi noticiado que o Rio de Janeiro tem os pedágios mais caros do Brasil.
    Acho que vc não leu Estudo do Ipea revela que pedágios do RJ são os mais caros do país

    http://www.redebomdia.com.br/noticia/detalhe/19302/Pedagio+de+SP+e+o+segundo+mais+caro

    Pax você é desinformado? Ou lê demais a BESTA(Blogueiros Estatais) ou o J.E.G. (Blogueiros da Esgotosfera Estatal) trazidos à discussão no blog pelos petralhotários de plantão.

    Agora se vc se sentir livre para responder, sem se comprometer com seus amigos eu gostaria que vc respondesse apenas uma pergunta:

    Afinal Lula sabia ou não do chamado “Mensalão”?

    beijinhos

  53. Michelle de Souza Malone said

    Pax

    não sei como publicar fotos aqui…
    mas esta vale a pena.
    Brasilia indo em direção a uma enorme cachoeira é de muito fino humor
    De qualquer modo fica o link

    Ah e o bate boca de baixo nível entre Ministros reflete o momento atual do Brasil. Estamos em plena Era da Merdiocridade!
    Nunca antes neste país, como dizia o Molusco Etílico.

  54. Michelle de Souza Malone said

    (continuação)

    1. É porressas e porroutras que o Pax (e seus 3 porquinhos petralhas) odeia(m)
    REINALDO AZEVEDO!
    Por sentimentos inconscientes.Insegurança.Ele mina as bases de raciocínio intelectual-ideologia-e isto os deixa inseguros.
    Pax chega a proclamar que ele é regido pelo útero (histérico) e fica orgulho da batatada,se achando.
    Pax se julga não regido pelo útero (histérico) e portanto se dá ao direito de julgar
    o útero do RA. Como diríamos no Sul:
    Bah, tche! Olha pro teu rabo,bagual!

    Aguentem petralhotários:
    Reinaldo Azevedo vai ao ponto.
    Ele não acerta sempre, mas quando acerta é um coice de porco.
    Preciso!

    “O ministro Joaquim Barbosa, apesar do vocabulário a que recorre, não é um homem qualquer. É um membro do Supremo Tribunal Federal. Em dezembro, daqui a oito meses, ocupará a presidência do tribunal.

    Se ele acusa um colega de manipular decisões de tribunal, a matéria interessa, acho, ao Senado. Num mundo em que as palavras fazem sentido, ou ele retira essa acusação — que mantenha as ofensas pessoais a Peluso, que também o atacou, eis um problema que diz respeito a ambos, embora lamentável —, ou, comprovada a acusação, Peluso tem de ser condenado por crime de responsabilidade. Não comprovada, então o futuro presidente do Supremo cometeu crime de calúnia, no mínimo.

    Se as palavras deixarem de fazer sentido até no Supremo, o que nos resta?

    2. Pra refletir antes de falar bobagens:

    “Um governo democrático deve, naturalmente, nutrir um profundo respeito pela imprensa. Não apenas para manter o título de democrático, mas por conveniência: a imprensa faz sozinha as acusações contra os malfeitores, sem custar nada ao próprio governo.

    Se você é um governante honesto, vai achar tal efetivo uma benção.
    Se você é um governante corrupto, também vai gostar de ver a imprensa apontando a ladroagem e te livrando da concorrência e de mais sequazes com quem dividir o butim”.

    Sei que é pedir muito..mas Pax (e companheiros petralhotários) procurem pensar a respeito.
    Nunca é tarde pra adquirir sabedoria.
    Deus oferece “DI GRATIS”
    E sem pagamento de dízimos!
    hehehe

    Ah beijinhos pra Mona…saudades.
    Vc ja assistiu NOITES DE CABIRIA?
    Achei um saco!

  55. Michelle de Souza Malone said

    (continuação)

    1.A Delta, uma das principais contratantes do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), deve abandonar o consórcio responsável pela reforma do Maracanâ até o dia 1º de maio(Estadão).
    Acabou a grana- os financiamentos bancários.
    A saída da Delta, segundo o Estadão, é dada como irreversível. A empresa teria situado o Maracanã em último lugar em sua lista de prioridades. Como previu o próprio Fernando Cavendish entrevista à Folha de S.Paulo, o crédito bancário rareou.
    As dificuldades da empreiteira podem afetar também as obras do PAC, já que a Delta é uma das principais contratantes do programa.

    2. Delta provoca saia justa de Cabral com Lula, segundo comentarista do Nassif:

    “Ontem, antes de deixar Brasília, conversei demoradamente com um deputado do PT próximo a Lula. Ele me afirmou categoricamente que Lula está se sentindo traído e magoado com Cabral. O motivo é a empreiteira Delta que foi introduzida nas grandes obras do governo federal pelas mãos de Cabral.
    A traição, segundo o deputado petista, é que a empreiteira Delta recebe milhões do governo federal e patrocinava os maiores inimigos de Lula e do PT:
    Marconi Perillo e Demóstenes Torres.

    É ou não é uma grande ironia? Cavendish com a ajuda de Cabral ganhou vários milhões dos governos petistas, mas patrocinava os maiores inimigos de Lula e do PT.
    Ainda segundo esse deputado, Lula e Cabral tiveram uma conversa ríspida, onde Cabral negou que soubesse das ligações da Delta com Carlinhos Cachoeira.
    No que Lula teria rebatido: ”Cabral com tudo o que você me pediu pra fazer por esse cara (Cavendish), com a intimidade que você tem com a família dele e com ele, querer que eu acredite que você não sabia do envolvimento dele como Demóstenes, é achar que eu sou bobo”.
    A conversa segundo o deputado terminou assim, Cabral constrangido e nervoso e Lula de cara feia.”

    3.Cadê o “porrete” de aroeira, Pax?

  56. Michelle de Souza Malone said

    Desde 2010, as obras do Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia (Into),situado no Rio de Janeiro e vinculado ao Ministério da Saúde, vinham sendo questionadas pelo Tribunal de Contas da União. Um sobrepreço de mais de R$ 20 milhões havia sido constatado.
    Vide conclusão do TCU
    http://www.tcu.gov.br/Consultas/Juris/Docs/judoc/Acord/20120403/AC_0720_10_12_P.doc

    Isso não impediu que Dilma Rousseff, Alexandre Padilha (ministro da Saúde), Sérgio Cabral e outros figurões da República, em novembro de 2011, no auge das investigações, fizessem uma grande festa de inauguração de mais um monumento à corrupção do governo petista.

    Assistam ao vídeo abaixo:

    Em 28 de março de 2012, o TCU permitiu que a construtora , em caráter excepcional, substituisse as retenções de pagamentos, determinado por medida cautelar, em razão de sobrepreço apurado de R$ 20.995.364,76 (vinte milhões novecentos e noventa e cinco mil trezentos e sessenta e quatro reais e setenta e seis centavos), no âmbito do contrato 16/2010, firmado com o Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia (Into), por caução, seguro-garantia ou fiança bancária, liberando os pagamentos.

    Quem era a construtora? A Delta Construções, envolvida até o pescoço na lama da CPI do Cachoeira.
    A Delta que, ao que tudo indica, tinha salvo-conduto presidencial para inaugurar obras superfaturadas.

    DEMÓSTENES DEVE SER PUNIDO É CLARO!UM FDP SEM VERGONHA!
    Mas é peixe-pequeno…
    Esta “rede de arrastão” a CPI, tem chance de abalar a presidência da nossa querida Dilma, a Prepone (ex-gepone).
    Estejam preparados!

    Ah!e ponham a culpa no povo!
    (no RA, na VEJA ou no Cabral do PMDB)

  57. Patriarca da Paciência said

    A Sra.. BESTA, como sempre, descarregando seu tsunami de bestialidades!

    E, como sempre, já leu o Reinaldinho Cabeção para saber no que anda pensando!

    Ora, ora, Sra. BESTA, Vossa Senhria baba, espuma, brada e berra contra os governantes do PT, mas não salvará o Veja do castigo que merece.

    A batata da Veja está assando e o Policarpo Foda (Policarpo Foda conforme o Reinaldinho Cabeção) responderá por seus 200 telefonemas ao Carlinhos Cachoeira.

    Não adianta vir com essa cortina de fumaça de Construtora Dela.

    Construtora Delta e Agnelo que respondam pelo que lhes compete.

    Tremei que o castigo vem à cavalo!

  58. Pax said

    Cara Michelle,

    Mesmo com receio de ousar questionar sua inteligência, superior a de todos os simples mortais, ainda assim fico me questionando sobre as razões que a CPI dos pedágios paulistas foi impedida de ser instalada.

    Também considero um mero acaso que Serra e Alckmin tenham se empenhado um bocado para que a base de deputados estaduais tucanos e outros aliados votassem contra a instauração desta investigação. Claro que as inteligências superiores à minha sabem os porquês. Mas, como sou um ser desprovido de capacidade mental…

    Problema é que:

    – teimo em desconfiar desta turma da direita que considera todos os outros “seres” inferiores. Parece, dentro da minha inferioridade, coisa de gente que considerava escravos uma sub classe humana, ou mesmo uma sub raça.

    – teimo, também, em desconfiar de gente mantém relações estreitas com senadores a serviço de mafiosos.

    – teimo, outra vez, em ficar com a pulga atrás da orelha, quando vejo jornalistas cheios de rococós e salamaleques, arrotando democracia e cuspindo censura.

    Me lembro do tempo em que ao povo, bravo povo brasileiro, só era servido o noticiário oficial, cuja canalhice era garantida com choques elétricos, pau de arara e alguns assassinatos.

    Sei lá, essa minha burrice é tão teimosa, que prefiro dar liberdade até aos seres superiores, tão superiores que se fingem se imbecilizados, ao ponto de achar que qualquer um de opinião diferente possui capacidade intelectual desprezível.

    Por fim, como sou um absoluto imbecil, teimo, também, em querer a liberdade de criticar gregos e troianos quando assunto é o tema central deste blog burro.

    Enviado via iPhone

  59. Patriarca da Paciência said

    Caro Pax,

    o risco é a Sra. BESTA entender a tua ironia como uma declaração de subserviência. O que não é nada impossível!

  60. Zbigniew said

    O caldo ta entornando.

  61. Patriarca da Paciência said

    “Nas pesquisas eleitorais que focam o segundo turno, Sarkozy aparece entre seis e 14 pontos abaixo de Hollande. A imprensa francesa, os institutos de pesquisas e, inclusive, a classe política do país já parecem cultivar a ideia de que a vitória de Hollande está mais que encaminhada. ”

    http://www1.folha.uol.com.br/mundo/1079161-na-franca-campanha-se-encerra-com-hollande-a-frente-nas-pesquisas.shtml

    É a velha Europa voltando a criar juízo. Logo se seguirão Inglaterra, Espanha, Portugal….

    E o mundo voltará ao normal.

    A velha Europa tem umas crises de menopausa mas logo recupera.

  62. Patriarca da Paciência said

    Zbigniew,

    o delegado e deputado Preotógenes está cada vez mais decidido e corajoso. Vai encarar a briga custe o que custar.

    Tremei revista Veja e corruptos!

  63. Zbigniew said

    Patriarca,

    um Presidente de um partido que diz que praticou um ato politico ao retirar um cartaz afixado na porta do gabinete do Protogenes que conclamava a CPI da privataria tucana e indicio de que democracia nao e o forte deste povo. Alias, da pra notar pelo desespero das oposicoes que nao se encontram, estao sem discurso e so sobrevivem as custas dos grupos midiaticos tradicionais, um deles, inclusive, socio da bancada criminosa. Estamos bem arranjados de oposicao, mesmo.

  64. Michelle de Souza Malone said

    Gooday everyone

    1.Pax…Nada me dá mais preguiça do que uma pessoa inteligente se fazendo passar
    por idiota.Não tem graça.Poupe-me por favor de suas ironias de fraco espírito.
    Eu me divirto muito mais com os idiotas petralhotários se fazendo passar por inteligentes…rsrsrs

    2.Por que nasceu a CPI?

    Ainda hoje muita gente em Brasília pergunta por que, diabos, um governo popular e com maioria no Congresso deixou ser criada a CPI do Cachoeira. Até governadores petistas andaram demonstrando espanto com a iniciativa encabeçada pelo seu próprio partido. Afinal, reza a tradição que CPI nunca é bom para governo.

    Quem conversou recentemente com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, com o ex-ministro José Dirceu e com cardeais petistas obteve algumas pistas que ajudam a explicar a origem dessa CPI. Em resumo, Lula e Dirceu não pretendem aceitar que o mensalão passe para a história como o escândalo de corrupção mais grave dos 512 anos de existência do Brasil.

    Lula e Dirceu estariam dispostos “a dividir o país”, nas palavras de um cardeal petista, para evitar que o mensalão seja catalogado como o maior caso de corrupção da história. Isso significa mobilizar os setores mais organizados da sociedade que defendem o PT para uma batalha nas ruas, nas redes sociais e nas articulações em Brasília.

    Só para lembrar, no início de 2006, quando Lula começava sua campanha pela reeleição, uma linha de ação que poderia ter sido adotada foi batizada internamente de “venezuelização” da campanha eleitoral.

    Traduzindo: adotar a estratégia de enfrentamento que Hugo Chávez aplicou em relação aos setores da sociedade venezuelana que não lhe apoiavam. Lula cogitou abandonar o figurino paz e amor e adotar uma linha de cisão política, no estilo “nós contra eles”.

    Quando fala em “farsa do mensalão”, o ex-presidente busca relativizar o que ele mesmo sabe ser um desvio de conduta grave de uma legenda que nasceu se dizendo defensora da ética na política. Lula já disse que o PT errou, mas tenta minimizar o episódio, dando a ele ar de financiamento eleitoral e partidário ilegal. Não aceita que seu governo seja tachado como o mais corrupto da história, que ele seja retratado como o presidente mais tolerante com malfeitos e que Dirceu seja transformado no maior vilão da república.

    É assim que o ex-presidente pensa.

    Para Lula, Dirceu e uma parcela de dirigentes do PT, é preciso fazer uma disputa política neste momento. E eles acreditam que o melhor palco para isso é a CPI do Cachoeira.

    Motivo: consideram que há enorme possibilidade de o STF (Supremo Tribunal Federal) julgar em breve o processo do mensalão e que a imprensa e a oposição farão pressão por uma condenação política e penal dura.

    Na opinião de Lula, Dirceu e alguns caciques petistas, a CPI do Cachoeira daria ao PT a oportunidade de investigar como acusações de corrupção contra o partido tiveram origem nos últimos anos. A esperança de Lula, Dirceu e cia. é obter evidências e provas de que boa parte dessas acusações teria tido origem na turma de Carlinhos Cachoeira. Mais: eles acreditam que seria possível encontrar laços mais consistentes dessa turma com setores da oposição.

    Se estiverem corretos, Lula, Dirceu e dirigentes da cúpula do PT acham que a importância do mensalão poderá ser relativizada e que a foto histórica do episódio manchará menos os dois governos lulistas. Também têm a esperança de que alguns ministros do STF poderão se sentir confortáveis para absolver acusados no processo.

    Eis, portanto, algumas razões que levaram o PT a patrocinar a CPI do Cachoeira.

    *
    cadê o porrete de aroeira, Pax?

    3.Sobre o “inclito” Delegado Protógenes:

    E mais recentemente:Protógenes grampeado falando com Dadá…

    http://radio.estadao.com.br/audios/audio.php?idGuidSelect=B7FD29CD3B4940C3B52BAA5317345437

    http://radio.estadao.com.br/audios/audio.php?idGuidSelect=E8D7BFB48518425AA676E27734BE6AE3

    http://www.estadao.com.br/interatividade/Multimidia/ShowAudios.action?destaque.idGuidSelect=C1F0538D21BC4032AE46466C6486C99F

    Nestas gravações efetuadas pela PF (Operação Montecarlo), Protógenes conversa com Idalberto Matias Araújo, o Dadá, e passa a ele orientações para se manter calado no inquérito instaurado para apurar desvios de conduta dele, Protógenes, durante a condução da Operação Satiagraha.
    A operação, que culminou com a prisão do banqueiro Daniel Dantas, teve todas as suas provas anuladas por decisão do STJ. Entre outros vícios, ela se utilizou ilegalmente de agentes da ABIN e até uma equipe de televisão foi chamada para produzir um flagrante de suborno.

    Pax, como já disse lá no alto:
    Eu me divirto muito mais com os idiotas petralhotários do pedaço se fazendo passar por pessoas inteligentes…rsrsrs
    E afinal …Lula sabia ou não sabia do desvio de conduta de Dirceu e seus companheiros da “organização criminosa” (Mensalão)?

  65. Elias said

    Edu,

    1 – Excesso de dinheiro em caderneta de poupança é ruim pro governo, porque caderneta de poupança é investimento garantido pelo governo, e que nunca dá resultado negativo.

    2 – Quem disse que o dinheiro tá parado? Dá uma olhada nos resultados da Caixa e do BB. Estão, ambos, bamburrando (demais pro meu gosto, aliás). Repito: há uma enorme fila de espera na Caixa, de projetos estaduais e municipais, querendo financiamento do FGTS (apesar dos juros altos).

    3 – Edu, o lance da pressão do governo brasileiro pra baixar os juros é uma queda de braço, entre a Dilma e o governo de alguns outros países (EUA incluso), sobre mais aporte ou não de grana brasileira no FMI.

    3.1 – Desde o governo Lula, que o FMI vem pressionando o Brasil, a Rússia, a Índia e a China, pra que casem mais grana no FMI.

    3.2 – O Brasil não está a fim, evidentemente. Ele prefere casar dinheiro em multilaterais como o BID e a OEA, para aplicação em projetos na América Latina, porque isto aumenta as chances de participação de empresas brasileiras na execução desses projetos. A Rússia, a Índia e a China têm posicionamentos semelhantes, em relaçãos às suas próprias áreas de influência.

    3.3 – A enxurrada de dinheiro do Banco Central Europeu no mercado é só mais um lance dessa briga. Eles querem forçar o pessoal do BRIC a fazer xixi pra trás.

    3.4 – É por essa razão que, nesse lance, a turma do terreiro e da senzala que atua na imprensa está fazendo o alarido que sempre faz a propósito de qualquer coisa que seja feita pelo governo petista, enquanto que o pessoal da casa grande permanece em silêncio… O pessoal da casa grande sabe o que faz…

    3.5 – Tem até um pirado que acha que o BC vai “implodir” o país. Ele tirou do baú um comentário escrito para um jogo de basquete, e ainda não se tocou que a partida que ele tenta comentar é volei.

    3.6 – A direita brasileira tá completamente doida. A representação da direita brasileira na imprensa é pior, ainda. No máximo, consegue ser panfletista de partido político pra povão, esquecendo que o povão no Brasil não lê o que ela escreve. Resultado: ela acaba falando só pra ela mesma e pra uma galera ainda mais pirada que ela. Quase que fala só, feito doida, mesmo. Não consegue verbalizar nem mesmo os interesses do grandes empresários do país (que, em última análise, é quem a sustenta…). Dia desses, vi um cara do Sistema CNI reclamar da ausência de bons analistas na imprensa brasileira.

    3.7 – A questão é: quem ganha a queda de braço em andamento? Quase certo que não será o Brasil. A queda das taxas de juros no Brasil não poderá continuar indefinidamente. Tem um limite. Já EUA, Alemanha, Holanda, Bélgica, etc., estão operando com juros zero há um porradal de tempo, e não estão nem um pouco propensos a acabar com isso, porque precisam de juros baixos pra relançar as respectivas economias.

    3.8 – O Brasil vai ceder, então? Acho que sim. É só achismo, lógico, mas é o que vai ocorrer. Estou querendo ver se advinho é a troco do quê…

    3.9 – Quem tem alguma economia aplicada, sabe do que estou falando… E por que estou falando…

  66. Patriarca da Paciência said

    Helena Sthephanowitz, via Rede Brasil Atual

    Seria compreensível se a velha imprensa cobrasse celeridade do Judiciário como um todo. Mas causa estranheza quando, em ano eleitoral, essa velha imprensa só bate o bumbo sobre o processo do chamado “mensalão”.

    Por que então não cobrar o julgamento também do processo que José Serra responde por atos praticados ainda no governo FHC e que se arrasta até hoje? Em termos de réus ilustres supera o chamado “mensalão” e em termos de valores também, além de ser bem mais antigo, pois se arrasta desde 2003.

    Não é um processo qualquer. Trata-se do rombo no Banco Econômico, socorrido com R$3 bilhões no âmbito do Proer, quando Serra era ministro do Planejamento. São réus também praticamente toda a equipe econômica do governo FHC, incluindo o ex-ministro Pedro Malan, ex-ministro e banqueiro Ângelo Calmon de Sá e os ex-presidentes do Banco Central Gustavo Loyola e Gustavo Franco.

    A juíza Daniele Maranhão Costa, da 5ª Vara da Seção Judiciária do Distrito Federal, acatou a denúncia apontando dano ao erário, enriquecimento ilícito e violação aos princípios administrativos no caso.

    Note-se que Serra é o candidato mais célebre destas eleições de 2012, e a celeridade no julgamento seria uma oportunidade para o tucano sair inocentado, ou para o eleitor saber se estará votando em alguém condenado em primeira instância.
    (blog Limpinho e Cheiroso)

  67. Patriarca da Paciência said

    “A aprovação pessoal da presidente também evoluiu. Para 68%, o desempenho de Dilma é ótimo ou bom; 25% dizem que é regular; 4% avaliam como ruim ou péssimo

    Leia mais em: O Esquerdopata”

    Ou seja, o percentual de de pessoas que desaprova a presidenta é o mesmo percentual que aprova a revista Veja, ou seja 4%.

    Alguma coincidência?

  68. Patriarca da Paciência said

    “O governo da petista é avaliado como ótimo ou bom por 64% dos brasileiros, contra 59% em janeiro.

    Trata-se de um recorde sob dois aspectos: é a mais alta taxa obtida por Dilma desde a sua posse, em 1º de janeiro de 2012, e é também a maior aprovação presidencial com um ano e três meses de mandato em todas as pesquisas até hoje feitas pelo Datafolha. ”

    http://www1.folha.uol.com.br/poder/1079625-dilma-tem-aprovacao-recorde-mas-lula-e-favorito-para-2014.shtml

  69. Patriarca da Paciência said

    “Àqueles que continuam zombando diante de tão simples obviedades, é bom lembrar que não são poucos os homens públicos brasileiros sérios, cuja honra não se afasta com o tilintar de moedas, com promessas de poder ou mesmo com retaliações, e que a imensa maioria dos servidores públicos abomina a falta de princípios dos inescrupulosos que pretendem vergar o Estado ao peso de ideologias espúrias, de mirabolantes projetos de poder. Aos que laboram em tamanhas tolices, nunca é demais frisar que se a ordem jurídica não aceita o desconhecimento da lei como escusa até do mais humilde dos cidadãos, muito menos há de admitir a desinformação dos fatos pelos agentes públicos, a brandirem a ignorância dos acontecimentos como tábua de salvação.”

    (Ministro Marco Aurélio)

  70. Pax said

    Esta CPI tem a chance de ser um bom derramamento de sangues ruins. Tomara que sim. Seria uma pequena depuração de uma parcela de vermes que se instalaram em nossa política.

    De ambos lados. Situação e oposição.

    Como corolário um exposição da imprensa ruim que temos, de uma parcela de vermes que se acha e se diz jornalista. Não são, são pulhas a serviço de seus mandantes e pagantes.

    Dos dois lados, também.

    Como corolário do corolário ainda podemos ter a exposição de fraquezas inadmissíveis do nosso judiciário.

    Este blog torce que a CPI tenha a menor distorção possível. Que vai ter, vai. Mas que seja a menor possível.

    O melhor de tudo é trazer à tona todas as podridões para que o povo, bravo povo brasileiro, aumente ainda mais sua ojeriza com o status quo.

    Tá mais que na hora de haver mudanças. Quem dera o resultado final fosse um movimento no sentido de promover uma reforma política e eleitoral.

    O pior que pode acontecer é a CPI ensaiar uma enorme pizza e desmoralizar ainda mais nosso Congresso, formado pela pior classe política de todos os tempos.

    Será, neste caso, um tremendo tiro no pé.

    Espero que o PT e o PSDB tenham hombridade para admitir suas próprias mazelas e cortem fundo em suas carnes. Gangrena é pior que amputação.

    A segunda salva. A primeira mata mesmo.

    Enviado via iPhone

  71. Elias said

    “hombridade”, Pax?

    Por que “hombridade”?

    Eu quero mais é que o PT e o PSDB sejam fêmeas bonitas, gostosas, honestas e corajosas.

    Não quero papo com hombridade! Meu negócio é com fêmeas.

    Hombridade eu como na porrada!

  72. Michelle de Souza Malone said

    E para contrariar o Pax…
    “…

    Caldo de galinha. Um ministro do PT, experiente participante de comissões de inquérito, avalia que o caso Cachoeira é a mais grave denúncia já vista por ele. Pela amplitude e profundidade da rede de ilegalidades. Pior até que o esquema PC. Como petista, não faz referência à gravidade comparativa do mensalão.

    Não obstante o alcance das suspeitas, ele aposta (descontado o imponderável) que as investigações ficarão restritas ao âmbito do já apurado pela Polícia Federal e que, pelos nomes já ventilados para compor a CPI, prevalecerá a “prudência”.

    O ministro não acredita que suas excelências enveredem pelo caminho da retaliação recíproca nem que tenham interesse em ampliar o espectro de acusados. Faz um cotejo com a CPI da Petrobrás: começou embalada em clima de fim de mundo e terminou em estado de reversão de expectativas justamente por ação da aludida “prudência”.”

    (da Dora Kramer)

    Parece que o único imprudente nesta história de CPI tem sido o sem vergonha, “ex”
    encarnado, que não abre mão do poder.

    O poder corrompe!

  73. Michelle de Souza Malone said

    (continua)
    Pax…Xiii a “coisa” começa a fazer sentido…a tal da “prudência” do PT

    AVISO: Petralhotários leiam com cuidado antes de xingar fulanos e cicranos, teclando novos comentários inconsequentes para se livrar da ansiedade e impotência diante de pessoas mais inteligentes.

    Na CPI do Cachoeira, a oposição quer saber se Cachoeira financiou A campanha de Lula em 2002
    Incentivador da CPI do Cachoeira, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva pode virar um dos focos da comissão de inquérito.

    A oposição tirou da gaveta depoimento do advogado Rogério Buratti à CPI dos Bingos, em 2005, no qual ele diz que em parceria com “empresários dos jogos” do Rio de São Paulo, Carlinhos Cachoeira teria dado R$ 1 milhão de caixa dois para campanha de Lula em 2002.

    Cachoeira foi preso pela Polícia Federal por envolvimento com o jogo ilegal e seus negócios serão investigados por uma CPI no Congresso.

    A comissão deve ser criada hoje e terá maioria governista, com votos suficientes para barrar os planos da oposição.

    Diz o texto da CPI dos Bingos: “Rogério Tadeu Buratti afirmou de maneira firme e clara que o senhor Waldomiro Diniz, representando José Dirceu, arrecadou dinheiro de ‘bingueiros’ no Estado do Rio de Janeiro, e ainda da Gtech e do empresário de jogos Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira, e que o valor arrecadado por Waldomiro seria algo em torno de R$ 1 milhão.”

    No total, segundo o relatório, “empresas de jogos” irrigaram “a campanha do presidente Lula e o PT” com R$ 2 milhões de reais. “Os recursos transitaram pelo comitê financeiro da campanha.”
    Buratti foi secretário do ex-ministro Antonio Palocci na prefeitura de Ribeirão Preto (SP). Waldomiro Diniz, citado por ele, era braço direito do então ministro José Dirceu, que coordenou a campanha de Lula em 2002.
    O ex-senador Efraim Morais (DEM-PB), relator da CPI dos Bingos, disse que a investigação dessa denúncia não foi aprofundada na época porque houve uma manobra governista que impediu a quebra de sigilos bancários.
    Assessor do ex-presidente Lula, Paulo Okamoto, disse à Folha que a oposição tem que convocar outro ex-ministro, José Dirceu, para explicar a declaração, e não o Lula. “Se o Buratti está dizendo que recebeu o dinheiro tem que chamar o Buratti, o Cachoeira, o Zé Dirceu.”
    “O Lula queria tanto a CPI que pode até ser sorteado com um depoimento para explicar o dinheiro do Cachoeira na sua campanha”, afirmou o líder do PPS na Câmara, Rubens Bueno (PR).
    “Teremos o vale a pena ver de novo. Se o propósito dessa CPI era atingir as oposições ou criar uma névoa sobre o julgamento do mensalão o tiro pode sair pela culatra”, complementou o líder do PSDB, deputado Bruno Araújo (PE).
    Buratti, que mora hoje na Itália, não foi localizado pela Folha. Ele foi investigado pela CPI dos Bingos devido a sua ligação com a Gtech, empresa que a CEF (Caixa Econômica Federal) tinha contrato para operar as loterias.

    Acho que o porrete de aroeira vai ficar pro Carnaval do ano que vem, né Pax
    o “Padin” pode ter que depor…pra dizer que não sabia.
    Nunca soube de nada e até tem raiva de quem sabia que ele sabia. rsrsrs
    Xiii Lula depois de ter sido tratado do cancer no Sirio Libanes…e se reunido com Sarney
    entrou em decadência!

    Vá male, male! como dizia meu falecido nono piemontês ou
    “Era meglio quando era peggio! – “Era quando era pior”

  74. Edu said

    Elias,

    1 – Caderneta de poupança é o goveno que paga ou, na impossibilidade do banco não pagar, quem paga é o governo? Ainda assim, qual é o tamanho do vulto desse investimento em poupança? Será que é tão grande a ponto de afetar as contas do governo? Além disso, se o governo pagar, a conta é bem barata, afinal, pagando 9% de títulos de dívida e 5% ao ano para o povo…

    2 – Mas FGTS é uma parcela, qual é esta parcela do total? Além disso, se há uma fila, significa que o capital está parado….

    3 – Eu não gosto de teorias de conspiração… no nível que estamos falando mais parece com uma delas, mas ok, sua teoria faz sentido.

    3.1, 3.2 – Eu não vi notícias nem nada a respeito disso, vc tem alguma fonte? Algo que possamos pelo menos ter uma idéia de que isso realmente seja verdade?

    3.3 a 3.9 – Eu não concordo que os juros altos sejam uma questão exclusivamente externa. Se for assim, o Brasil sempre será alvo de fazer xixi para trás com o teto de vidro que tem: a falta de infra-estrutura que garanta a competitividade da indústria brasileira. Enquanto essa situação ocorrer, os juros estarão altos. Por outro lado, se o Brasil está tão organizado internamente assim, pra que juros altos? Bastava baixar os juros… mas isso sabemos que tem limite, como vc mesmo disse, e que vai devagar…

  75. Michelle de Souza Malone said

    (continua)
    Agora na íntegra!

    O PAÍS DO FAZ DE CONTA
    Infelizmente, vivenciamos tempos muito estranhos, em que se tornou lugar-comum falar dos descalabros que, envolvendo a vida pública, infiltraram na população brasileira ─ composta, na maior parte, de gente ordeira e honesta ─ um misto de revolta, desprezo e até mesmo repugnância. São tantas e tão deslavadas as mentiras, tão grosseiras as justificativas, tão grande a falta de escrúpulos que já não se pode cogitar somente de uma crise de valores, senão de um fosso moral e ético que parece dividir o País em dois segmentos estanques ─ o da corrupção, seduzido pelo projeto de alcançar o poder de uma forma ilimitada e duradoura, e o da grande massa comandada que, apesar do mau exemplo, esforça-se para sobreviver e progredir.

    Não passa dia sem depararmos com manchete de escândalos. Tornou-se quase banal a notícia de indiciamento de autoridades dos diversos escalões não só por um crime, mas por vários, incluindo o de formação de quadrilha, como consignado em 2005 pela denúncia do Procurador-Geral da República, Doutor Antônio Fernando Barros e Silva de Souza. A rotina de desfaçatez e indignidade parece não ter limites, levando os já conformados cidadãos brasileiros a uma apatia cada vez mais surpreendente, como se tudo fosse muito natural e devesse ser assim mesmo; como se todos os homens públicos, nas mais diferentes épocas, fossem e tivessem sido igualmente desonestos, numa mistura indistinta de escárnio e afronta, e o erro passado justificasse os erros presentes.

    A repulsa dos que sabem o valor do trabalho árduo se transformou em indiferença e desdém. E seguimos como se nada estivesse acontecendo. Perplexos, percebemos, na simples comparação entre o discurso oficial e as notícias jornalísticas, que o Brasil se tornou um país do faz-de-conta. Faz de conta que não se produziu o maior dos escândalos nacionais, que os culpados nada sabiam ─ o que lhes daria uma carta de alforria prévia para continuar agindo como se nada de mal houvessem feito. Faz de conta que não foram usadas as mais descaradas falcatruas para desviar milhões de reais, num prejuízo irreversível em país de tantos miseráveis. Faz de conta que tais tipos de abusos não continuam se reproduzindo à plena luz, num desafio cínico à supremacia da lei, cuja observação é tão necessária em momentos conturbados.

    Se, por um lado, tal conduta preocupa, porquanto é de analfabetos políticos que se alimentam os autoritarismos, de outro surge insofismável a solidez das instituições nacionais. O Brasil, de forma definitiva e consistente, decidiu pelo Estado Democrático de Direito. Não paira dúvida sobre a permanência do regime democrático. Inexiste, em horizonte próximo ou remoto, a possibilidade de retrocesso ou desordem institucional. De maneira adulta, confrontamo-nos com uma crise ética sem precedentes e dela haveremos de sair melhores e mais fortes. Em Medicina, “crise” traduz o momento que define a evolução da doença para a cura ou para a morte. Que saiamos dessa com invencíveis anticorpos contra a corrupção, principalmente a dos valores morais, sem a qual nenhuma outra subsiste.

    Nesse processo de convalescença e cicatrização, é inescusável apontar o papel do Judiciário, que não pode se furtar de assumir a parcela de responsabilidade nessa avalancha de delitos que sacode o País. Quem ousará discordar que a crença na impunidade é que fermenta o ímpeto transgressor, a ostensiva arrogância na hora de burlar todos os ordenamentos, inclusive os legais? Quem negará que a já lendária morosidade processual acentua a ganância daqueles que consideram não ter a lei braços para alcançar os autoproclamados donos do poder? Quem sobriamente apostará na punição exemplar dos responsáveis pela sordidez que enlameou gabinetes privados e administrativos, transformando-os em balcões de tenebrosas negociações?

    Essa pecha de lentidão recai sobre o Judiciário injustamente, já que não lhe cabe outro procedimento senão fazer cumprir a lei, essa mesma lei que por vezes o engessa e desmoraliza, recusando-lhe os meios de proclamar a Justiça com efetividade, com o poder de persuasão devido. Pois bem, se aqueles que deveriam buscar o aperfeiçoamento dos mecanismos preferem ocultar-se por trás de negociatas, que o façam sem a falsa proteção do mandato. A República não suporta mais tanto desvio de conduta.

    Ao reverso do abatimento e da inércia, é hora de conclamar o povo, principalmente os mais jovens, a se manifestar pela cura, não pela doença, não pela podridão do vale-tudo, que corrói, com a acidez do cinismo, a perspectiva de um futuro embasado em valores como retidão, dignidade, grandeza de caráter, amor à causa pública, firmeza de propósitos no empenho incondicional ao progresso efetivo, e não meramente marqueteiro, do País. Ao usar a voz da urna, o povo brasileiro certamente ouvirá o eco vitorioso da cidadania, da verdade ─ que, sendo o maior dos argumentos, mais dia, menos dia, aparecerá.

    Àqueles que continuam zombando diante de tão simples obviedades, é bom lembrar que não são poucos os homens públicos brasileiros sérios, cuja honra não se afasta com o tilintar de moedas, com promessas de poder ou mesmo com retaliações, e que a imensa maioria dos servidores públicos abomina a falta de princípios dos inescrupulosos que pretendem vergar o Estado ao peso de ideologias espúrias, de mirabolantes projetos de poder. Aos que laboram em tamanhas tolices, nunca é demais frisar que se a ordem jurídica não aceita o desconhecimento da lei como escusa até do mais humilde dos cidadãos, muito menos há de admitir a desinformação dos fatos pelos agentes públicos, a brandirem a ignorância dos acontecimentos como tábua de salvação.

    Incumbe a cada eleitor perceber que o voto, embora individualizado, a tantos outros se seguirá, formando o grande todo necessário à escolha daqueles que o representarão. Impõe-se, nesse sagrado direito-dever, a conscientização, a análise do perfil, da vida pregressa daqueles que se apresentem, é de presumir – repito – para servir com honestidade de propósito e amor aos concidadãos, dispostos, acima de tudo, a honrar a coisa pública.

    O Judiciário compromete-se com redobrado desvelo na aplicação da lei. Não haverá contemporizações a pretexto de eventuais lacunas da lei, até porque, se omissa a legislação, cumpre ao magistrado interpretá-la à luz dos princípios do Direito, dos institutos de hermenêutica, atendendo aos anseios dos cidadãos, aos anseios da coletividade. Que ninguém se engane: não ocorrerá tergiversação capaz de turbar o real objetivo da lei, nem artifício conducente a legitimar a aparente vontade das urnas, se o pleito mostrar-se eivado de irregularidades. Esqueçam, por exemplo, a aprovação de contas com as famosas ressalvas. Passem ao largo das chicanas, dos jeitinhos, dos ardis possibilitados pelas entrelinhas dos diplomas legais. Repito: não haverá condescendência de qualquer ordem. Nenhum fim legitimará o meio condenável. A lei será aplicada com a maior austeridade possível – como, de resto, é o que deve ser. Bem se vê que os anticorpos de que já falei começam a produzir os efeitos almejados. Esta é a vontade esmagadora dos brasileiros.

  76. Patriarca da Paciência said

    “AVISO: Petralhotários leiam com cuidado antes de xingar fulanos e cicranos, teclando novos comentários inconsequentes para se livrar da ansiedade e impotência diante de pessoas mais inteligentes.”

    Caro Pax,

    acertamos em cheio!

    A Sra. BESTA se julga mesmo um “ser superior”.

    Vou dar mais uma risada internet: kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

  77. Patriarca da Paciência said

    “Pois bem, quando todos imaginavam a presidente acuada, ou trabalhando para preservar a Delta, a presidente reuniu-se com a Controladoria Geral da União (CGU) e pediu uma devassa dos contratos entre a União e a construtora. Não quis nem saber se a ação causará atrasos em obras importantes. Ética em primeiro lugar. Esta é uma marca muito forte e muito pessoal de Dilma Rousseff.”

    http://www.ocafezinho.com/2012/04/22/as-garcas-nao-se-sujam/

    Cortou o mal pela raiz. Bravo, presidenta Dilma.

    O PIG e a oposição agora estão sem pai e sem mãe!

  78. Elias said

    Edu,
    Estamos desenvolvendo um debate paralelo que não tem nada a ver com o tema do post. Além do mais, estamos repetindo questionamentos e respostas, o que é pra lá de maçante.

    De qualquer modo, vamos lá:

    1 – Sobre os pedidos do FMI de mais aportes do Brasil, Rússia, Índia e China: faz uma busca na Internet, que vais encontrar dezenas de notícias sobre isso, de 2008 pra cá. Na semana passada a BBC Brasil publicou sobre o assunto. Tem sido tema de todos os Foruns Econômicos, todas as reuniões do G-20, etc.

    2 – A caderneta de poupança é administrada pelo governo federal. Quando um banco privado opera com poupança, ele está, apenas INTERMEDIANDO (tanto faz que seja na captação ou na aplicação). O rendimento da poupança é menor, porque não implica riscos, já que é garantido pelo governo (e ainda dá isenções de impostos, etc). No Brasil, quando as taxas de juros caem muito, e isso é acompanhado pela maior taxação nos ganhos de – operações financeiras (o que eu acho que a Dilma vai acabar fazendo), acontece uma migração de dinheiro dos micro, pequenos e médios investidores para a caderneta de poupança. Isso aumenta o volume de recursos sobre os quais o governo tem que oferecer garantia. Não é uma boa para quem está no governo. Nunca foi. Nunca será. É só.

    3 – Se há fila de espera — e há…! — pra usar recursos do FGTS, isto não é indício de que o dinheiro está parado. Ao contrário: é indício de que o volume de dinheiro disponível é pequeno pra atender a demanda… Daí a fila de espera. Não esquece que o FGTS banca uma boa parte da indústria de construção civil brasileira…

    4 – Teoria da conspiração? Putz! A história dessa queda de braço tá sendo contada pela imprensa internacional há pelo menos uns 3 anos. Desde que o FMI começou a pressionar por mais dinheiro do BRIC. A Economist cantou a pedra da liberação de Euro a juros nulos pelo BCE. Essa história é antiga pra carajo! Paradoxalmente — e compreeensivelmente — a grande imprensa brasileira não fala muito sobre o assunto. Mas que usa a Internet como fonte de informação, principalmente consultando sites de publicações americanas e européias tem conhecimento desses fatos. Não é nada secreto. É uma disputa pública, com os contendores falando abertamente o que querem e até onde podem chegar pra conseguir o que querem.

    5 – Não se trata de concordar ou não, com os juros assim ou assado… Concordar eu também não concordo, mas… E daí? A coisa é como é, independentemente de concordares ou não com elas. No caso, a competitividade é tema lateral. Como diria o Pax, o orifício anal nada tem a ver com as pantalonas.

    6 – Neste momento, na Europa e nos EUA, pratica-se uma taxa de juros baixíssima (quase nula em alguns casos), porque o aparelho produtivo desses países está operando com capacidade ociosa. Em países como o Brasil não dá pra fazer isso. Se os juros baixarem demais, isso provocará um aumento da demanda acima da capacidade de atendimento pelo aparelho produtivo. Em conseqüência, os preços subirão rapidamente. Ou seja, inflação.

    7 – Por que isso? Porque juros baixos favorecem o crédito. E crédito significa gastar a renda que ainda não existe. Significa gastar a renda antes dela ser ganha. Usar o ovo que a galinha ainda não pôs. Significa colocar mais moeda em circulação. Quando se coloca mais moeda em circulação sem que tenha ocorrido — ou sem que seja possível ocorrer — aumento da produção, está se provocando inflação (que é, sempre, um descompasso entre os fluxos real e nominal da economia).

    8 – Então, por que a Dilma está baixando juros? Porque a evolução do PIB em 2011 foi muito discreta, muito abaixo da real capacidade do aparelho produtivo brasileiro. Há, assim, uma capacidade ociosa de bom tamanho a ser aproveitada. Baixando os juros, ela espera mobilizar essa capacidade ociosa, sem provocar pressão de demanda (ou pressão inflacionária). Assim que a mobilização dessa capacidade ociosa for alcançada, os juros vão subir novamente (embora talvez acabem estabilizados em um patamar menor que o existente antes da crise).

    9 – Essa aí foi uma das razões pra baixa de juros. A outra é o excesso de “capital volátil” como conseqüência da liberação de Euros pelo BCE. E, vê só, Edu: estou me referindo ao CAPITAL VOLÁTIL, ou seja, aquele que busca rendimentos na esfera do mercado financeiro, sem penetrar no aparelho produtivo. É a grana do chamado “mercado spot”. O dinheiro amanhece no Brasil, anoitece na Coréia do Sul, torna a amanhecer na Europa… Fica, assim, feito mosca de bolo, voando de um lugar pra outro, sem se deter em nenhum… Ninguém, a não ser os donos, gosta da porra desse dinheiro… Mas não há como evitá-lo. Dilma tenta tornar o Brasil menos interessante ao capital volátil, reduzindo os juros. Acredito que ela não vai ficar nisso. Cedo ou tarde, ela vai partir pra mecanismos tributários.

    10 – Se o PIB brasileiro não houvesse crescido tão pouco em 2011, provavelmente que Dilma já teria apelado há muito tempo pro aumento da tributação sobre ganhos financeiros, pra segurar a barra da “inundação de Euros”. O Lula fez a mesma coisa, aproveitando pra compensar a queda de arrecadação provocada pelo fim da CPMF.

    É a velha história de sempre: a vida te deu um limão? Faz uma limonada! Nem sempre é possível fazer isso, mas, sendo possível, vai-se pro algodão (deixando a oposição mais zonza e sem rumo do que de costume).

    Vamos partir pra outro assunto?

  79. Elias said

    Edu,

    Dá uma olhada no noticiário da MSN (com material da Reuters):

    “SÃO PAULO, 23 Abr (Reuters) – O mercado financeiro reafirmou a previsão de que a Selic será mantida em 9 por cento ao ano na próxima reunião do Comitê de Política Monetária (Copom), em maio, mesmo depois de o Banco Central, segundo alguns analistas, ter deixado a porta aberta para mais reduções.”

    ……………………………………………………………..

    “O mercado agora espera que a ata do Copom, a ser divulgada na quinta-feira, traga uma ideia mais clara de quais deverão ser os próximos passos da autoridade monetária em relação à taxa de juros.”

    “Uma das principais preocupações diante do cenário incerto envolve a caderneta de poupança, que pode eventualmente impedir novos cortes na Selic, a não ser que o governo mude a remuneração da aplicação.”

    “O rendimento da poupança é fixado em 0,50 por cento ao mês, mais a variação da Taxa Referencial, mas o aplicador é isento de Imposto de Renda. A queda da Selic pode provocar uma migração dos investidores das aplicações em renda fixa, que são remuneradas pela taxa básica, para a poupança, o que causaria distorções no mercado.”

    …………………………………………………………………..

    “A redução da Selic está em linha com a estratégia do governo de estimular mais a economia e garantir o crescimento do PIB neste ano na casa dos 4 por cento. Com o barateamento dos custos dos empréstimos via Selic, o consumo é estimulado e, consequentemente, a atividade.”

    Certo?

    Posto isto (disse a galinha, olhando o ovo), vamos mudar de assunto?

  80. Michelle de Souza Malone said

    Gooday for everyone

    Pax, Edu e Elias

    Este artigo é interessante discutir. Prós e Contras.

    Poupança e anistia – DENIS LERRER ROSENFIELD
    http://arquivoetc.blogspot.com.br/2012/04/poupanca-e-anistia-denis-lerrer.html

    um excerto para aguçar a curiosidade:


    Abre-se agora uma oportunidade de aumento da poupança doméstica pela internalização de recursos de brasileiros que se encontram fora do País. Estima-se o seu valor entre R$ 50 bilhões e R$ 100 bilhões, sendo a última cifra provavelmente mais próxima da realidade. Internalizado, tal montante se converteria numa poupança propriamente doméstica, não havendo mais dividendos a serem enviados ao exterior, o que ocorre com a poupança externa.

    Há, nesse sentido, em tramitação no Senado um projeto de autoria do senador Delcídio Amaral, extremamente bem elaborado, que trata das condições dessa anistia fiscal, e outro na Câmara, do deputado José Mentor. O primeiro encontra-se na Comissão de Assuntos Econômicos e o segundo, na Comissão de Constituição e Justiça.

  81. Pax said

    Doce vida de um mafioso no Brasil

    Cachoeira negociou mansão em Miami e avião, segundo PF

    http://www1.folha.uol.com.br/poder/1080053-cachoeira-negociou-mansao-em-miami-e-aviao-segundo-pf.shtml

  82. Pax said

    Dura vida de um manifestante em São Paulo

    Qual é, Alckmin? Porrada em manifestante é coisa anacrônica!

    Sabe negociar não?

    Não pode fazer passeata anticorrupção? Nem em Brasília bateram no povo, porque mesmo em Sampa o negócio é tratar o povo na porrada?

    E não me venha dizer que não tem nada com isso, você é o comandante em chefe da PMSP, sim.

    Caramba!

    http://blogs.estadao.com.br/radar-politico/2012/04/23/video-mostra-prisao-de-ator-em-ato-anticorrupcao-em-sp/

  83. Edu said

    Elias,

    E não acho que estejamos repetindo as coisas, estamos falando de aspectos macroeconômicos, em que há várias variáveis que impactam o resultado das contas. Para construirmos uma imagem mais clara, e menos genérica do cenário macroeconômico precisamos repetir algumas variáveis, é isso que estamos fazendo.

    Mas tudo bem, é outro tópico mesmo e se vc tá cansado eu não vou insistir, é que eu gosto do tema e acho que há mais espaço para entendimento conjunto que em política, onde as pessoas simplesmente travam suas posições.

    Enfim, mudemos de assunto.

  84. Elias said

    Michelle # 80,
    Esse tipo de projeto de lei vem sendo reivindicado há um bom tempo.

    Pessoalmente, acho uma boa.

    Pelo que diz o artigo quer linkaste, os projetos de lei satisfazem, a meu pensar, os requisitos essenciais para sua aprovação:

    a – o dinheiro a ser repatriado não pode ter origem criminosa (narcotráfico, corrupção, etc);

    b – o dinheiro repatriado deve ser tributado no momento de sua internalização;

    c – a anistia fiscal abrange, portanto, somente o período em que o dinheiro permaneceu fora do país.

    Tem muita gente que vai chiar contra.

    A rigor, é mesmo uma injustiça para com as pessoas que mantiveram seus recursos no Brasil, se submetendo ao ambiente extremamente insalubre criado pelos sucessivos e mal sucedidos planos econômicos…

    Ao mesmo tempo, é uma questão de realismo.

    No momento, os proprietários dessa grana estão loucos pra trazê-la pro Brasil. Com as taxas de juros baixinhas lá fora, como estão agora, manter essa dinheirama por lá é quase tão insalubre quanto foi ficar com ela aqui dentro, no passado não tão distante…

    Por isto mesmo, e em respeito àquelas pessoas que mantiveram seu dinheiro no Brasil, apesar de tudo, acho que os projetos de lei de repatriação financeira deveriam incorporar uma palmatória…

    Nada deve ser de graça, né?

  85. Elias said

    Pax,
    Li o artigo que linkaste sobre o Cachoeira.

    Me chamou atenção, nos “artigos relacionados”, o destaque às declarações do bundão Buratti, e o abanar de rabo de alguns parlamentares da oposição.

    A declaração do Buratti é sobre doações do Cachoeira à campanha do Lula. O abanar de rabo do parlamentar de oposição é a convocação de Lula pela CPI, pra sde pronunciar sobre as declarações de Buratti.

    Ora, se as declarações são de Buratti, ele é que deve ser convocado pra reafirmá-las… E prová-las.

    Do contrário, se alguém disser que parte do dinheiro fornecido pelo Cachoeira era repassado às mães e esposas dos deputados de oposição, isso será motivo pra convocar as mães e esposas dos deputados de oposição?

    Se o Cachoeira bem pensar, ele deve declarar, em alto e bom som, que deu dinheiro pras campanhas do Lula, do Serra, do Alckmim e do FHC. Como ninguém declara dinheiro recebido de marginal, ele pode dizer que doou dinheiro até pro próprio Papa…

    E é até possível que, em alguns casos, ele esteja falando a verdade. Mas claro que o Cachoeira vai mentir pra cacete! Em primeiro lugar, porque marginal sempre mente; em segundo, porque, quanto mais ele mentir, menos será possível provar, e isso vai ser bom pra ele…

    Por isto, até ele vai torcer pra que considerem como mentira a maior parte do que ele declarar.

    Quanto à convocação do Lula… Tá difícil!

    Numa comissão de 30 membros, o governo tem 24. Num contexto assim, o Lula só vai se for pra dar mijada em quem propõe a convocação de alguém baseado numa afirmação destituída de qualquer elemento de convicção, fazendo com que a própria convocação, ao mais desarmado olhar, pareça mais uma desastrada tentativa de desviar a atenção das pessoas pro que realmente interessa.

    Ou seja, o parlamentar que fizer isso, vai acabar sendo tratado como empregado do Cachoeira…

    E, passar por serviçal de marginal em decadência nesta Terra de Santa Cruz, é metade de uma boa bronca eleitoral.

    Como dizia aquele marginal húngaro, sócio de Janos Kadar na roubalheira e patrocinador do programa do Chacrinha na Globo: o Brasil não é pra amadores.

  86. Elias said

    Em tempo: o nome do marginal húngaro a que me referi é Peter Kellemann.

  87. Dr. Honorio Causa said

    Corrupfão???????

    Fó fei que nada fei.

  88. Michelle de Souza Malone said

    Gooday everyone

    Esta é especial pra petralhotários!…

    Mantendo providencial distância do rolo da CPI mista do Cachoeira no Congresso, a Senadora Marta Suplicy, vice presidente do Senado Federal, recebeu, em 2004, um senhor empurrão da Delta Construções na disputa pela Prefeitura de São Paulo.

    A empreiteira de Fernando Cavendish doou 415 000 reais ao comitê de campanha do PT na capital paulista. Naquele ano, a Delta distribuiu 1,7 milhão de reais a candidatos e partidos políticos em todo o país.
    Por Lauro Jardim
    Explicando para petralhotários…
    Na entrevista que concedeu ao jornal Folha de S.Paulo, na semana passada, Fernando Cavendish foi questionado se já havia recebido pedido de propina e se já havia pago propina a políticos.
    Com rara sinceridade, respondeu:
    – Olha só, o que se pede são apoios políticos, para campanhas, que é uma coisa legitimada, oficializada e que várias empresas fazem. Se apoio projetos, faço doações, não é que depois vá ganhar [licitações para obras]. Mas posso estar pelo menos bem representado, tenho a oportunidade de ter informação dos futuros investimentos, das prioridades políticas.

    Sendo assim, em 2004, além dos 415 000 doados ao comitê petista de Marta Suplicy em São Paulo, Cavendish distribuiu 1 milhão de reais em “apoios políticos” a doze campanhas municipais do PMDB, 160 000 reais a três candidatos do extinto PL, 19 600 reais a dois candidatos do PSC e 120 000 reais à campanha do PSDB em Macaé.


    esse cara é um corruptor sem vergonha!
    Paga e declara que recebe “facilidades”.
    Quem aceitou se vendeu por um “punhadinho de Reais”…

    (AVISO: Minha Honra não está à venda por 415 mil reais. Por 50 milhões, se alguém achar que eu valho esta quantia, que eu valho,
    estarei me “certificando sobre como não ser apanhada feito um petralhotário”. Banco,País,sigilo fiscal,privacidade …etc)

    E a sua honra, carapálida?
    E a honra do seu partido? Vale quanto?
    Só não vale mencionar mais vezes a senhora mãe de V. Ex.ª .
    A D. Besta, aquela santa. Mãe é jogo sujo.
    Tenha vergonha petralhotário!
    Meu nome é Michelle e pra você D. Michelle!

  89. Otto said

    Ola, pessoal, andei meio longe por conta da conexão.
    trago aqui um post do Tijolaço sobre um assunto aqui que não foi — ou foi pouco — ventilado: as relações espúrias da Veja com o Cachoeira.

    “CONTRATOS DA DELTA ESTÃO NA WEB. ES AS LIGAÇÕES DO POLICARPO?

    Quem achava – e, sobretudo, quem escrevia nos jornais – que a presidenta Dilma Rousseff estava temerosa do que a CPI do Cachoeira pudesse descobrir sobre os contratos da empreiteira Delta com o Governo Federal, vai ter de arranjar outra história para contar.

    Ela mandou e o Ministério dos Transportes colocou na internet todos os contratos entre Dnit e a empresa. Que vai ser auditada até à medula dos ossos.

    Enquanto isso, continuam secretos os diálogos – seriam mais de 200 – entre o padrinho da Delta, aquele que a Veja chama de “empresário de jogos” e seu editor de escândalos, Policarpo Júnior.

    Em matéria de transparência, o placar é de 100 a zero.

    Por mais mistificação que se faça, os fatos vão deixando claro quem tem medo que aflore toda a verdade.

    E ela vai surgir, revelando a central de conspiração Veja-Cachoeira, uma associação para obter vantagens. Econômicas para o bicheiro, políticas para a revista.

    Uma relação de cúmplices que já dura quase uma década.

    Agora, por mais que tente abafar, a Veja é a protagonista do escândalo. Um escândalo que vai deixar o caso Murdoch parecendo brincadeira de criança.”

  90. Patriarca da Paciência said

    Cara Sra. BESTA,

    Saiba Vossa Bestialidade que não sou casado, sequer sou ex da Sra. senadora Marta Suplicy. Então, a Sra. Seanadora Marta Suplicy que responda por seus atos, em conjunto com a Delta, a qual já está sendo investigada, conforme determinação da presidenta Dilma.

  91. Patriarca da Paciência said

    Ainda um lembrete, Cara Sra. BESTA,

    Sugiro a Vossa Bestialidade a ler o comentáriio nº 89, postado pelo Otto.

  92. Patriarca da Paciência said

    Mais uma informaçãozinha, cara Sra. BESTA.

    O blog do PHA publicou:

    “Dilma entope a CPIdaGlobo:
    contratos com a Delta são públicos”

    Há link para serem acessados TODOS os contratos da Delta com o governo federal.

    Vossa Bestialidade fique à vontade para examinar minuciosamente cada um dos contratos.

    http://www.conversaafiada.com.br/politica/2012/04/23/dilma-entope-a-cpidaglobo-contratos-com-a-delta-sao-publicos/

  93. Michelle de Souza Malone said

    Gooday everyone

    V. Ex.ª …vou desenhar

    A Operação Mão Dupla, que foi feita em parceria com a Polícia Federal e com a própria CGU, é de 2010.
    Ela, a operação, V. Ex.ª , deixou claro que a Delta estava metida num monte de falcatruas.
    Naquele caso, as irregularidades estavam concentradas do Ceará — ou, ao menos, foram investigadas pela CGU, as que se deram naquele estado.
    Diante da recomendação da Controladoria…
    o que fez a GEPONE? PREPONE?
    Assinou mais 31 contratos com a construtora, no valor de R$ 758 milhões.

    Em julho do ano passado, 2011, na inauguração do teleférico do Complexo do Alemão, Pezão, o vice-governador do Rio, fez um elogio em cena aberta à Delta, na presença da presidente Dilma Rousseff. E ainda exaltou a obra afirmando que ela significava a vitórias sobre “os ministérios públicos”, referindo a órgãos de investigação e controle do estado — como é o caso, diga-se, da CGU.
    Uma das perguntas que, sem resposta, não querem calar: por que só agoraV. Ex.ª, ?
    A idoneidade da DeltaV. Ex.ª, não deveria ter sido investigada antes?
    V. Ex.ª, tudo o que a PF e a controladoria constataram no Ceará depunha a favor da empresa?
    Vai dar merda,V. Ex.ª.
    Vamos ver que tipo de merda vai dar esse negócio:

    Interessante será se a Delta for declarada IDÔNEA depois de tudo o que se sabe. Seria a Merda #1

    Se, ao contrário, constatar-se a inidoneidade, então estaremos diante de algo ainda mais fabuloso:
    a principal empresa do PAC terá um carimbo: INIDÔNEA! Sobreviverá a isso?
    Se a resposta for negativa, o que acontece com as obras que
    estão em curso? Seria a Merda #2

    Cabe a V. Ex.ª, agora escolher a merda. Prefere a #1 ou a #2?
    Take your time. Pense a respeito.

    E por favor, pare de citar a senhora sua mãe em seus arrulhos petralhotários.
    Tenha mais respeito por aquela santa figura. Ela merece.
    Afinal ela te pariu, petralhotário solteirão.
    rsrsrs

  94. Patriarca da Paciência said

    Cara Sra. BESTA,

    Vossa Bestilalidade está muito perturbada.

    A presidenta Dilma tem ótimos assessores, equipes de advogados, equipes de economistas etc., todos eles milhares de vezes mais bem preparados que Vossa Bestialidade.

    Então, acalme-se e vamos aguardar os resultados.

    A presidenta não está nada preocupada e eu confio plenamente na presidenta.

    Acho que seria melhor Vossa Bestialidade consultar um psiquiatra!

  95. Zbigniew said

    A imprensa brasileira (o famoso PIG) costuma ser mais realista que o rei (numa realidade paralela pródiga em gerar personalidades como a BESTA citada pelo Patriarca). Nesta ela (e suas BESTAS) quebraram a cara e, em verdade, entreguistas que são por defenderem interesses outros (por ideologia ou mal-caratismo mesmo), ficaram falando só. A cada dia tornam-se cada vez mais irrelevantes.

    “(…)
    A elite (financeira, não intelectual ou moral) brasileira é, quase sempre, mais realista que o rei, mostra seguidamente sua vocação para capacho. A última demonstração de baba-ovismo apareceu no caso da nacionalização, pelo governo argentino, na empresa petrolífera YPF, entregue a um grupo espanhol na privataria que dominou a América Latina no final do século 20. Mal foi anunciada, os jornais e tevês brasileiros se apressaram em condenar Cristina Kirchner e seu governo, pouco ou nada sabendo do que acontecia de fato por lá. Nada disseram sobre a longa queda de braço do governo argentino com os proprietários espanhóis, sobre a diminuição de investimentos, a queda de produção de gás, o endividamento público na importação de petróleo.

    Passados alguns dias descobrimos que a nacionalização da YPF não só é apoiada pela maioria dos argentinos e por todos os partidos, inclusive os de oposição, como também pelo FMI. Ou seja: a imprensa brasileira, sem um segundo de reflexão, alinha-se automaticamente com o capital, com os especuladores e com os europeus, contra os interesses dos trabalhadores e consumidores e contra os argentinos.

    Mais realistas que o rei, os tais “formadores de opinião” que frequentam a imprensa brasileira tem vocação para… bom, os sinônimos no Houaiss são muitos, pode escolher: adulador, adulão, aduloso, babão, baba-ovo, bajoujo, banhista, caçambeiro, cafofa, canonizador, capacho, chaleira, chaleirista, cheira-cheira, chupa-caldo, corta-jaca, derrengado, engrossador, escova-botas, lambe-botas, lambe-cu, lambedor, lambe-esporas, lambeta, lambeteiro, lisonjeador, louvaminheiro, mesurado, mesureiro, pelego, puxa-saco, sabujo, servil, servilão, sorrabador, turibulário, turiferário, turificador, turificante, xeleléu, xereta, zumbaieiro.”

    http://www.casacinepoa.com.br/o-blog/jorge-furtado/mais-realistas-que-o-rei

  96. Zbigniew said

    O Bresser é como o Lembo. Têm suas próprias opiniões e convicções e não se dobram às loucuras da direita burra brasileira, travestida que foi de social democrata. O lema era “atrair capital estrangeiro a qualquer preço”. Nunca me esqueço daquela foto do FHC nos jardins da Casa Branca com o Bill Clinton por detrás, aquele se achando sócio do clube, e o Bill… bem, o Bill, tava na dele… e a gente se ferrando.

    “A Argentina tem Razão
    por Luiz Carlos Bresser Pereira (na Folha)

    A Argentina se colocou novamente sob a mira do Norte, do “bom senso” que emana de Washington e Nova York, e decidiu retomar o controle do Estado sobre a YPF, a grande empresa petroleira do país que estava sob o controle de uma empresa espanhola. O governo espanhol está indignado, a empresa protesta, ambos juram que tomarão medidas jurídicas para defender seus interesses. O “Wall Street Journal” afirma que “a decisão vai prejudicar ainda mais a reputação da Argentina junto aos investidores internacionais”. Mas, pergunto, o desenvolvimento da Argentina depende dos capitais internacionais, ou são os donos desses capitais que não se conformam quando um país defende seus interesses? E, no caso da indústria petroleira, é razoável que o Estado tenha o controle da principal empresa, ou deve deixar tudo sob o controle de multinacionais?

    Em relação à segunda pergunta parece que hoje os países em desenvolvimento têm pouca dúvida.

    Quase todos trataram de assumir esse controle; na América Latina, todos, exceto a Argentina.

    Não faz sentido deixar sob controle de empresa estrangeira um setor estratégico para o desenvolvimento do país como é o petróleo, especialmente quando essa empresa, em vez de reinvestir seus lucros e aumentar a produção, os remetia para a matriz espanhola.
    (…)”

    http://www.tijolaco.com/so-quem-se-defende-se-desenvolve/

  97. Pax said

    Pequenos detalhes do noticiário que deveriam ser posts nas CNTP, ou seja, se este país funcionasse e não houvesse exclusão digital:

    1 – mataram um blogueiro, jornalista, em São Luís, MA. Vai ficar impune? O cara escrevia sobre política. PF em cima disso!

    2 – o Senado criou uma cobra pra morder o próprio rabo. Contrataram a equipe de juristas para propor alterações no código penal e os caras propuseram prisão e confisco para enriquecimento ilícito. Agora os senadores têm que aprovar esta proposta. Fico aqui no meu cantinho imaginando como seria um presídio, ou cela de presídio, composta de uma parcela destes nobres cidadãos. Imagina só um ex presidente da casa, desses que gostam de boquetes de jornalistas, tendo que explicar sua fortuna vendo o Sol nascer em quadrinhos? Imagina só um ex líder da casa, desses que gostam de colocar laranjas à frente de negócios de mídia, rádios e tvs, fazendo o mesmo? Imagina só um desses que trabalha à serviço de máfias da jogatina ilegal, tendo que explicar a origem de suas cozinhas composta de artigos importados da alto luxo? Imagina só um presidente da casa… Ops, alto lá, andam matando blogueiros por aí!

    3 – ou esta CPI termina em pizza marguerita ou será ao molho cabidela, feito de sangue. Gosto das margueritas aos domingos, mas quero mesmo um molho de sangue. Seja azul, vermelho, verde, ou qualquer cor do espectro.

    4 – se esta CPI ensaiar uma pizza de enormes proporções, o negócio é montar uma empresa de fornecimento de porretes de aroeira. Vai vender como água no Saara.

    Peraí que vou ali me esconder pra escrever um pouco mais sobre a eventual prisão de senadores que enricaram sem muita justificativa.

    Enviado via iPhone

  98. Chesterton said

    Esse caso do blogueiro estou acompanhando, olha aqui

    http://www.blogdodecio.com.br/2012/04/23/pistoleiros-pedem-transferencia-de-juri-de-pedro-teles-para-capital-alegando-jogo-de-cartas-marcadas/

  99. Chesterton said

    A presidenta não está nada preocupada e eu confio plenamente na presidenta.

    Acho que seria melhor Vossa Bestialidade consultar um psiquiatra!

    chest- isso aqui é de morrer de rir.

  100. Chesterton said

    se esta CPI ensaiar uma pizza de enormes proporções, o negócio é montar uma empresa de fornecimento de porretes de aroeira. Vai vender como água no Saara.

    chest- quanta ilusão.

  101. Chesterton said

    A Catástrofe ainda pode ser evitada
    A conjuntura econômica internacional atual é extremamente favorável ao Brasil. Os preços das mercadorias que o Brasil exporta estão em alta, e a taxa de juros internacional está num dos patamares mais baixos da história. O que o Brasil deveria fazer? Simples, aproveitar tal cenário para fazer fortes ajustes nas contas públicas. Deveríamos aproveitar essa oportunidade, onde temos gordura para queimar, para cortar severamente o gasto público, e com tal brecha reduzirmos a carga tributária brasileira.

    Com os juros internacionais em baixa, existe espaço para a taxa de juros doméstica ficar em patamares favoráveis. Com juros domésticos mais baixos, fica mais fácil conseguir superávits fiscais que efetivamente reduzam a necessidade de financiamento do setor público. Precisamos aproveitar esse momento para reduzir a dívida pública. Precisamos aproveitar esse momento para reduzir a carga tributária. Precisamos aproveitar esse momento para fazermos as mudanças estruturais de que este país precisa.

    Vou ser bem claro: os juros internacionais não ficarão neste patamar para sempre. Os termos de troca não serão favoráveis ao Brasil para sempre. O cenário internacional é um cenário de curto prazo. Devemos aproveitar a chance para nos prepararmos para o que vem depois. E o que vem depois? Depois virá a inflação nos EUA, e com ela virão os aumentos das taxas de juros internacionais, e com tal aumento virá também a consequente redução da atividade econômica mundial, com redução da vantagem brasileira na questão dos termos de troca.

    Meus amigos, é a volta da década de 1970!!! Será que é tão difícil aos dirigentes desse país notarem isso??? Irá acontecer com o Brasil exatamente o que já nos aconteceu na década de 1980: tão logo os EUA aumentem a taxa de juros, o Brasil será jogado numa terrível recessão. Nós já passamos por isso antes, não é possível que os dirigentes econômicos da nação não estejam percebendo o que irá nos acontecer em breve.

    Meus amigos, eu entrei no mercado de trabalho nos anos 1990. Vou dizer o que não havia: não havia emprego. Tenho colegas que entraram no mercado de trabalho nos anos 1980, vou dizer o que não havia: não havia emprego. As décadas de 1980 e 1990 foram terríveis, e tudo aconteceu da mesma maneira que está ocorrendo agora: as taxas de juros internacionais estavam baixas, o Brasil não fez os ajustes, a inflação voltou, as taxas de juros internacionais subiram, e o Brasil se estagnou. Será que iremos passar novamente por isso?
    Blog do Adolfo

  102. Elias said

    O Adolfo entende do assunto tanto quanto eu entendo de física nuclear.

    Fundo musical pra leitura do texto do Adolfo:

    “………………
    Mas, Chica da Silva,
    tinha outros pretendentes,
    e obrigou a princesa
    a se casar com Tiradentes”

    “Das estradas de Minas, seguiu pra São Paulo
    e falou com Anchieta.
    O vigário dos índios aliou-se a D. Pedro
    e acabou com a falseta.
    Da união deles dois, ficou resolvida a questão.
    E foi proclamada a escravidão.”

    Esse samba deveria ser o hino oficial da oposição brasileira.

    “Com os juros internacionais em baixa, existe espaço para a taxa de juros doméstica ficar em patamares favoráveis. Com juros domésticos mais baixos, fica mais fácil conseguir superávits fiscais que efetivamente reduzam a necessidade de financiamento do setor público. Precisamos aproveitar esse momento para reduzir a dívida pública. Precisamos aproveitar esse momento para reduzir a carga tributária. Precisamos aproveitar esse momento para fazermos as mudanças estruturais de que este país precisa.”

    Doido!

    Com os juros internacionais em baixa, o governo brasileiro TEM que baixar os juros internos. Não há outra alternativa.

    O pior é que além disso, talvez o governo brasileiro ainda TENHA que aumentar as alíquotas incidentes sobre rendimentos financeiros.

    Outro problema é que, baixando os juros há risco de inflação.

    Se a carga tributária for reduzida neste momento, não haverá superávit fiscal, e sim déficit, até porque a despesa é inflexível.

    Só um doidão amalucado e biruta é que imagina que o gasto público de um país como o Brasil pode ser reduzido de uma hora pra outra, como se isto aqui fosse a mercearia da esquina… De uma hora pra outra, o Brasil pode “decidir” cortar gastos com investimentos e, mesmo estes, levariam meses pra produzir resultados perceptíveis.

    Mas, se a União cortar investimentos, isso não trará absolutamente nenhum benefício pro país. Só um doido amalucado e biruta não percebe isso.

    Um programa de redução de gastos públicos num país como o Brasil leva anos e anos pra mostrar resultados minimanente significativos.

    Até lá… Barata vôa, né?

  103. Patriarca da Paciência said

    Chesterton,

    eu e mais 64% dos brasileiros, confiamos plenamente na presidenta Dilma.

    Você e mais 4% dos brasileiros, ditos cujos também leitores da revista Veja, desconfiam plenamente da presidenta Dilma.

    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

  104. Elias said

    “Vou ser bem claro: os juros internacionais não ficarão neste patamar para sempre.”

    Isso é verdade…

    Mas, porém, todavia, contudo, entretanto, no entanto, se o Adolfo pensar um micromilímetro, e pesquisar um pouquinhozinhozinhozinho, ele vai constatar que os juros dos países ricos SEMPRE foram muito mais baixos que os juros dos países pobres.

    Ele poderia, só pra exemplificar, dar uma olhada no assunto, usando os dados dos últimos, digamos… 600 anos.

    Ou seja: não é que isso vá durar para sempre, mas… — quem sabe? –, nos próximos 100 anos…

    Ora, Chester. Parece até aluno relapso… Aquele que começa cada ano esquecendo tudo o que aprendeu no ano anterior…

    Vou repetir pra ti, Chester… Mas só esta vez, tá?

    Dinheiro é mercadoria. E juro é o preço da mercadoria dinheiro.

    Agora, lembra da “Lei da oferta e da procura”?

    Pois é… Nos países mais ricos, ou seja, onde o dinheiro é mais abundante, os juros tendem a ser MENORES. Por quê? É a lei da oferta e da procura, Chester. Mercadoria abundante, preço mais baixo.

    Já nos países menos ricos, ou pobres, onde o dinheiro é mais escasso, os juros tendem a ser MAIORES. Por quê? Novamente a lei da oferta e da procura, Chester. Mercadoria escassa, preço mais alto.

    Entendeu, neném?

    Nos países ricos, os juros serão SEMPRE — eu disse SEMPRE! — tendencialmente MENORES que nos países pobres. Quanto maior a distância, em termos de riqueza, maior a distância em termos de taxa de juros.

    País pobre com juros baixos, é só um doido a caminho do suicídio…

    Entendeu, neném?

  105. Elias said

    E mais, Chestertão,

    Se o Brasil baixar demais os juros e/ou aumentar demais a tributação sobre rendimentos financeiros, haverá uma migração em massa pra caderneta de poupança.

    Como a CP é garantida pelo governo, este tenderia a perder muito mais dinheiro do que se essa baba toda continuasse no mercado, correndo risco…

    É aquela história de “comer como pinto e cagar como pato”. Para cada 3 que economiza, gasta 8 a mais…

    É complicada a realidade moderna da contemporaneidade do mundo atual de hoje em dia, Chester…

    Lembra daquele papo de “pão e vinho sobre a mesa” e “um cheirinho de alecrim”?

    Lembra?

    Pois é… Esquece!

  106. Chesterton said

    Angolano mediou doação de
    Cachoeira a Lula
    Ex-assessor e amigo do peito de Antonio Palocci, ex-ministro da Fazenda do governo passado, Rogério Buratti, que pode ser convocado à CPI do Cachoeira, apontou o angolano Roberto Kurzweil como intermediário da suposta doação de R$ 1 milhão à campanha presidencial em 2002, sob o compromisso de o presidente legalizar os bingos. O doador, disse Buratti, foi o bicheiro Carlinhos Cachoeira.

    24/04/2012 | 00:00
    Caixa dois
    A doação de Cachoeira, que revelou Rogério Buratti à CPI dos Bingos, seria para o caixa dois (“recursos não contabilizados”) da campanha.

    24/04/2012 | 00:00
    Jogo da memória
    Na operação Xeque-Mate da PF, até Vavá, irmão de Lula, se enrolou nos bingos de Dario Morelli Filho, compadre preso do ex-presidente.
    CH

  107. Chesterton said

    Se o Brasil baixar demais os juros e/ou aumentar demais a tributação sobre rendimentos financeiros, haverá uma migração em massa pra caderneta de poupança.

    chest- mas isso eu disse primeiro que você, o PT está até pensando em tungar a CP para poder baixar os juros. Vamos imaginar que a CP , por decreto, renda metade do dia para a noite, o que vai acontecer?

  108. Patriarca da Paciência said

    Pois é, Elias,

    mas no cérebro do Chestertão a coisa é muito simples.

    Basta os brasileiros tomarem dinheiro emprestado dos aposentados ingleses a juros de 1% , enquanto o Brasil cresce a 3%, 4%, 5%, 7,5% e todos os brasileiros ficarão ficos!

    Batata!

  109. Chesterton said

    Meu Deus, alguem salve essa pobre alma.

  110. Patriarca da Paciência said

    Pois é, pobre alma Chesterton,

    O José Serra anda metido com a Delta e o Aécio Neves com o Demóstenes Torres.

    E agora, Chesterton?

    Deconfio que a prima da sogra da comadre da dona Marisa Letícia também deve andar metida com o Carlinhos Cachoeira.

    E agora, pobre alma em vias de perdição, Chesterton?

  111. Patriarca da Paciência said

    Chesterton, esta tua, copiada abaixo, foi realmente histórica e merece até ficar registrada nos anais da História Norte-Americana e Inglesa.

    Uma descoberta espantosa:

    “Os EUA enriqueceram tomando emprestado dos aposentados ingleses a 5% enquanto cresciam 8-9% no inicio do século passado.” (comentário 29)

  112. Elias said

    Ah, Chestertão!

    Então é isso?

    O governo quer atrair o dinheiro do mercado financeiro pra CP e, depois, tungar?

    Bem, mas não é exatamente isso o que o Adolfo está dizendo, certo? Ou será que não leste? Ou será leste e não entendeste? Ou será que não entenderias, mesmo que lesses?

    Mas… Vá lá que seja… Consultaste tua bola de cristal e isso é isso….

    Por que, então, o governo tá dificultando tanto essa migração, se é exatamente ela que ele quer?

    Admite, Chester: vocês, a oposição de direita, estão mais perdidos que filhos de puta em festa do Dia dos Pais…

    Não estão entendendo nada…!

    O Adolfo, que tu citaste, já tentou até revogar a lei da oferta e da procura…

    Logo vocês, que tanto obram pela teoria liberal…

    (E haja obra! As páginas dos jornalões brasileiros vivem completamente obradas das obras que os “teóricos” liberais não param de obrar…).

  113. Elias said

    “O José Serra anda metido com a Delta e o Aécio Neves com o Demóstenes Torres.”

    Pô, Patriarca,

    A CPI ainda nem começou e os doidivanas já estão aloprando?

  114. Patriarca da Paciência said

    É incrível, Elias,

    mas apenas hoje, em várias semanas, pela primeira vez, eu dou uma olhada geral nas manchetes da Folha e do Globo e não há várias delas sobre alguém do PT ou do governo envolvido com a Delta ou com o Carlinhos Cachoeira.

    Será que desistiram do terrorismo psicológico?

  115. Patriarca da Paciência said

    “Escutas telefônicas da Polícia Federal revelam que o senador Demóstenes Torres (ex-DEM/GO) intercedeu diretamente junto a seu colega, Aécio Neves (PSDB/MG), e arrumou emprego comissionado no governo de Minas para uma prima do contraventor [bicheiro] Carlos Augusto de Almeida Ramos, o Carlinhos Cachoeira. Mônica Beatriz Silva Vieira, a prima de Carlinhos Cachoeira, assumiu em 25 de maio de 2011 o cargo de diretora regional da Secretaria de Estado de Assistência Social em Uberaba.

    Do pedido de Cachoeira a Demóstenes até a nomeação de Mônica bastaram apenas 12 dias e sete telefonemas. São citados nos grampos o deputado federal Marcos Montes (PSD), ex-prefeito de Uberaba, e Danilo de Castro, articulador político de Aécio em seu Estado e secretário de Governo da gestão Antônio Anastasia (PSDB), governador de Minas. Eles negam envolvimento na nomeação.”

    http://limpinhocheiroso.blogspot.com.br/

    “Quem não se lembra da propaganda milionária da SABESP na TV Globo, em rede nacional, apesar da empresa só abastecer água em São Paulo? Aconteceu quando José Serra (PSDB/SP) era governador e já candidato a presidente.

    Pois grande parte daquelas obras da SABESP foram contratos com a Delta Construções.

    O governo federal já fez (desde o governo Lula) e continua fazendo auditorias nos contratos com a empreiteira para sanar irregularidades e exigir dinheiro de volta aos cofres públicos, se e quando for o caso.

    E o governador Geraldo Alckmin não vai fazer o mesmo em São Paulo? Ou vai ficar só abafando a corrupção tucana na gestão de Serra, fazendo campanha para elegê-lo prefeito? ”

    http://osamigosdopresidentelula.blogspot.com.br/2012/04/jose-serra-contratou-delta-para-obras.html?utm_source=feedburner&utm_medium=feed&utm_campaign=Feed:+blogspot/Eemp+%28Os+Amigos+do+Presidente+Lula%29

  116. Chesterton said

    Por que, então, o governo tá dificultando tanto essa migração, se é exatamente ela que ele quer?

    chest- que dificuldade, Elias, vopcê realmente não sabe? Pô, esperava mais de você.

  117. Patriarca da Paciência said

    Elias,

    minha opinião é que a escolha da relatoria da CPI tem tudo a ver com a renovação de lideranças dentro do PT.

    Achei muito positivo:

    “MINHA VIDA PÚBLICA

    Odair disputou pela primeira vez um cargo eletivo em 2002, quando foi eleito Deputado Federal pelo PT, com 34.846 votos. Em 2005, foi coordenador da bancada Mineira do PT na Câmara dos Deputados e Vice-Líder do Partido em Brasília.

    Em 2006 disputou nova eleição geral, sendo reeleito com 87.100 votos. Odair representa para a região sul de Minas o primeiro Deputado Federal do PT eleito. Em 2008 disputou as eleições internas da Câmara dos Deputados para compor a Mesa Diretora da Casa. Odair Cunha exerceu o cargo de Terceiro-Secretário da Mesa até o final da Legislatura, em fevereiro de 2011.

    Sua atuação parlamentar é focada no fortalecimento do Poder Legislativo, no desenvolvimento do turismo, na formulação de políticas públicas voltadas para a redução das desigualdades sociais, na defesa dos direitos das crianças e adolescentes, em ações pelo desenvolvimento social e econômico regional e nacional, na política do café e em assuntos tributários.

    Foi membro titular na Câmara dos Deputados das Comissões Permanentes de Agricultura e Pecuária, Constituição e Justiça e de Cidadania. Atuou ativamente como membro titular das Comissões Especiais da Reforma Tributária e de Políticas Públicas para a Juventude. Foi Presidente da Comissão Especial destinada a debater a gestão do FUNCAFÉ e propor medidas para aperfeiçoar a legislação do setor do agronegócio do café. Foi suplente das Comissões de Minas e Energia, Segurança Pública, e Turismo e Desporto.

    Odair relatou mais de 180 proposições entre Projetos de Leis, Projetos de Decretos Legislativos, Propostas de Emendas à Constituição e Medidas Provisórias. Destacou-se como relator da Medida Provisória que criou o “Programa Bolsa Família”, da principal Medida Provisória do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), que tratou de incentivos fiscais para a compra de máquinas, equipamentos e prestação de serviços nos projetos de infraestrutura em rodovias, hidrovias e ferrovias e de outras Medidas Provisórias que implementaram importantes inovações no sistema tributário.

    Nas eleições de 2010 Odair José da Cunha foi reeleito deputado federal com 165.644 mil votos , quase o dobro se comparado à votação de 2006.

    ATUALMENTE

    Deputado Odair Cunha exerce agora seu terceiro mandato. Na Câmara é vice-líder do Governo, titular da Comissão de Constituição e Justiça e Cidadania (CCJ), suplente na Comissão de Fiscalização e Controle, é vice-presidente do grupo parlamentar Brasil X Estados Unidos, secretário geral da Frente Parlamentar José Alencar em Defesa da Industria Têxtil e de Confecção, vice-presidente da Frente Parlamentar em defesa da cafeicultura, e titular da Frente Parlamentar em Apoio à Mídia Regional.

    Recentemente o deputado Odair relatou importante proposta do Governo, a PEC 061/2011 que trata da Desvinculação dos Recursos da União (DRU). A DRU permite que o governo invista 20% da arrecadação de todos os tributos existentes e aplique onde achar mais necessário. Essa é uma matéria de suma importância para o governo Dilma que terá recursos para enfrentar uma crise financeira no cenário internacional e terá também recursos para garantir investimentos nas políticas sociais.”

    http://www.odaircunha.com.br/institucional.asp?paginas=biografia

  118. Pax said

    Que Odair tenha força para sentar o porrete de aroeira em troianos e petistas eventualmente envolvidos com o Cachoeira, a Delta e qualquer outro problema levantado.

    Caso contrário estarão enterrando sua carreira.

    Dá-lhe Odair, baixa o cacete!

    Enviado via iPhone

  119. Chesterton said

    BLOG DO ADOLFO
    Doutor em Economia e defensor do livre mercado como forma de se preservar o mais nobre de nossos direitos: o direito ao livre arbítrio, o direito à liberdade de escolha.

    chest- parece que agora eu entendi porque o Adolfo não faz muito sucesso por aqui.

  120. Patriarca da Paciência said

    Pax,

    eu compreendo sua impaciência e creio também que há muitos brasileiros impacientes, mas esta CPI, em minha opinião, é apenas o começo de um longo processo que o Brasil irá passar.

    Um bom começo, mas não acredito em muitas soluções.

    E todos os deputados, principalmente o relator, deverão se comportar com muita serenidade. Com imparcialidade, mas com serenidade.

    É isso que acho.

  121. Elias said

    Chestertão,

    Então é isso. O Adolfo, doutor em economia, está prevendo que o govern o Dilma vai atrair aplicações do mercado financeiro pra poupança e, depois, vai reduzir por decreto o rendimento da poupança.

    É isso, Chester?

    Confirma aí a previsão do “Doutor Adolfo”, só pra gente checar mais adiante. Vou te cobrar isso.

    Não foge do pau agora, ou vou te perseguir pelo resto do ano…

Faça seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: