políticAética

Notícias da Corrupção, Desvios, Anomalias, Eleições e Meio Ambiente

  • Sobre o blog

    Uma coletânea das notícias da corrupção, desvios, anomalias, eleições e meio ambiente que aparecem na mídia todos os dias a partir de agosto de 2008.
  • Categorias

  • Arquivos

  • Páginas

  • Meta

Cassação de Demóstenes não depende da CPMI do Cachoeira

Posted by Pax em 03/05/2012

O relator do caso Demóstenes, no Conselho de Ética do Senado, pediu abertura de processo disciplinar contra o senador Demóstenes Torres (ex-DEM).

O julgamento é político. Demóstenes mentiu para seus pares ao afirmar, em 6 de março, que não conhecia as atividades de Carlinhos Cachoeira, o mafioso que lhe brindava com presentes caros e recebia em troca favores e informações privilegiadas, no mínimo.

O relator da CPMI do Cachoeira, deputado Odair Cunha (PT-MG), apresentou, ontem, o plano de trabalho para o colegiado. Foi aprovado com algumas emendas. Parte do noticiário está bastante distorcida da realidade da reunião de ontem, televisionada. Não foram poucos os elogios à estrutura do plano. E as ressalvas e correções foram anotadas e discutidas no final da primeira reunião da CPMI.

Há um enorme temor que esta comissão se torne mais uma enorme pizza do nosso desgastado Congresso. Após um mês de farto noticiário, com exposição de inúmeros áudios, vídeos e documentos que indicam uma intrincada rede de corrupção envolvendo o Senador Demóstenes Torres (ex-DEM GO), o mafioso Carlinhos Cachoeira, o empresário Fernando Cavandish e sua empresa Delta Contrução, os governadores Marconi Perillo (PSDB-GO), Agnelo Queiroz (PT-DF) e Sérgio Cabral (PMDB-RJ), policiais civis e federais, servidores públicos de todos os níveis e todos os ingredientes indigestos deste caldeirão de malfeitos e malfeitores.

O próprio ex-presidente Lula fez questão de aportar seu apoio à comissão parlamentar para esta investigação. Há quem diga que para desviar o foco do iminente julgamento do mensalão do PT pelo STF.

Caso esta CPMI acabe em pizza o tiro sairá pela culatra. De cara teremos o enterro político do jovem deputado petista Odair Cunha. Na sequência o próprio PT e seus candidatos nestas próximas eleições. Será um prato cheio para qualquer oposicionista apontar esta atitude incompatível com qualquer boa intenção pública.

A oposição tem a maior perda política evidente neste processo. O senador Demóstenes Torres era um dos principais mastros da furada bandeira de peregrinação ética e moral dos principais partidos oposicionistas, seus discursos e declarações à imprensa eram aplaudidos e comemorados. Há indícios que o senador chegava a participar da elaboração de alguns editoriais quando queria atender aos interesses de Cachoeira. O governador Marconi Perillo é outro peso considerável neste jogo de motoserra política.

Do outro lado tem o desgastado governador do DF, Agnelo Queiroz, que muito bem pode ser lançado rio abaixo, como boi de piranha. O PT não perderá muita coisa. A questão é que esta CPMI envolve a jogatina que lembra as loterias e acaba chegando em Waldomiro Diniz e sua imagem plantada no Palácio do Planalto como assessor de José Dirceu à época do primeiro governo Lula.

Já o governador Sérgio Cabral do Rio de Janeiro tem uma forte espada sobre seu pescoço. Se forem comprovadas as ligações pouco republicanas de Fernando Cavendish nas contas das viagens nababescas ao sul da Bahia – que acabou e forma trágica e abafou seu pano de fundo – e capital francesa, sua imagem política vai para o esgoto. Já seu partido, o PMDB de Sarney, Renan, Jucá etc, nem tem mais imagem a defender.

As torcidas organizadas estão em polvorosa. Cada lado tenta defender seus acusados como se corrupção só existisse fora de suas searas. Mas todos sabem que esta chaga se apoderou do tabuleiro político nacional como uma epidemia que não poupa nenhum dos grandes partidos nacionais.

Para o povo, o bravo povo brasileiro que paga todas as contas ao final, desde os voos de helicóptero, as viagens em jatinhos, as cozinhas importadas, os vinhos franceses e jantares luxuosos, será uma lástima que esta CPMI se torne uma fraude generalizada pelo corporativismo geral.

Que os envolvidos sejam jogados aos leões, sejam eles quem forem. Alguma hora um ou outro acusado se cansará, se perderá e abrirá o bico. É nesta hora que o sangue correrá no Coliseu brasiliense.

Relator pede processo disciplinar contra Demóstenes – Estadão

Humberto Costa lembrou discurso de Demóstenes em 6 de março, quando ele negou conhecer Cachoeira

Denise Madueño e Eugênia Lopes

O Conselho de Ética do Senado deu mais um passo no processo de cassação do senador Demóstenes Torres (sem partido-GO) com a apresentação do parecer do relator, senador Humberto Costa (PT-PE). O relator pediu a abertura de processo disciplinar contra Demóstenes, que aparece na operação Monte Carlo, da Polícia Federal, como um dos integrantes da organização do empresário do jogo Carlos Augusto Ramos, conhecido por Carlinhos Cachoeira. O presidente do colegiado, senador Antonio Carlos Valadares (PSB-SE), afirmou que, depois da reunião do conselho, dará início à discussão do parecer ainda nesta quinta-feira, permitindo a participação da defesa de Demóstenes. (continua no Estadão…)

Anúncios

175 Respostas to “Cassação de Demóstenes não depende da CPMI do Cachoeira”

  1. Michelle de Souza Malone said

    Gooday everyone

    товарищами, V.Ex.ª e Bonehead (or Moe, Larry, and Curly), meus desafetos anencéfalos.

    Para reflexão:
    1. Pai de novo ministro do Trabalho pode constranger PT
    José Vicente Brizola denunciou esquema de governo petista com o jogo
    por:Paulo Celso Pereira

    BRASÍLIA – Se José Vicente Brizola comparecer nesta quinta-feira à posse de seu filho Brizola Neto como novo ministro do Trabalho, no Palácio do Planalto, o constrangimento será geral entre os petistas presentes. Filho de Leonel Brizola, José Vicente denunciou entre 2004 e 2005 um esquema do governo do PT no Rio Grande do Sul com o jogo do bicho. Vicente presidiu a empresa de loterias do estado (Lotergs) no governo Olívio Dutra e disse ter sido pressionado a levantar recursos junto aos empresários de jogos para as campanhas do PT a senador e a governador.

    — Propuseram a mim que eu angariasse recursos, para a campanha majoritária do PT, perante esses concessionários de serviços públicos e, eventualmente, outros operadores de jogos, legais ou ilegais. Como me recusei, pediram-me, então, que eu apenas apresentasse as pessoas. Foi feito isso. Posteriormente, tive a notícia de que a empresa que geria o jogo Totobola teria contribuído com algo entre R$ 100 mil e R$ 150 mil — contou na CPI dos Bingos no Congresso, em 2005.

    A suposta relação entre o governo Olívio Dutra com a contravenção já havia sido explorada em uma CPI estadual, em 2001. No entanto, o Ministério Público rejeitou as acusações contra Olívio Dutra e a maioria dos citados. O depoimento de José Vicente já tratava do bicheiro Carlinhos Cachoeira. Ele afirmou que uma empresa do contraventor ganhara uma licitação de forma “estranha”. O governo gaúcho havia aberto concorrência para terceirizar produtos lotéricos. A empresa de Cachoeira ganhou a licitação, que acabou revogada. O bicheiro entrou na Justiça e obteve ganho de causa em primeiro grau. O estado não recorreu.

    URL: http://glo.bo/JFJRIv

    2.Homenagem póstuma.

    Discurso da Gepona ( como diz meu ginecologisto):

    “Trazemos ao Ministério do Trabalho um jovem que simboliza, principalmente pelo sobrenome, um século de lutas pelas conquistas do trabalhador brasileiro. Carrega a história de seu bisavô João Goulart”, disse ela relembrando que, na mesma idade de Brizola Neto, Jango foi empossado ministro do Trabalho do governo Vargas. “Brizola Neto ocupa a partir de hoje um cargo criado por um estadista e levado por um trabalhista”, disse.

    Não tendo nada a dizer a favor do novo ministro Brizola Neto, do Trabalho, que nem deputado federal conseguiu se eleger pelo Rio de Janeiro, Dilma fez a única coisa que poderia na sua posse, hoje: uma homenagem póstuma.

    ERA DA MERDIOCRIDADE
    Petralhotários (e assemelhados) são animais sinantrópicos.

    E aí V.Ex.ª, o Ascensorista do blog, vai mudar seu nome para seguir a Gepona?

    Sent from my iPad

  2. Michelle de Souza Malone said

    Gooday everyone

    Em especial
    товарищами, V.Ex.ª e Bonehead (or Moe, Larry, and Curly), meus desafetos anencéfalos.
    E Pax, o “sobrinho histérico” do RA (brincadeirinha rsrsrsrs)

    Um puro Reinaldo Azevedo para reflexão e indignação:

    Lula na abertura do seminário “Investindo na África”, promovido pelo Ministério do Desenvolvimento e pelo BNDES, marcando os 60 anos do banco.

    A fragilidade física de Lula, a aparente ao menos, surpreendeu muita gente.
    Conversei com uma pessoa que esteve presente ao seminário, e ela me conta que houve certo desconforto geral.
    O ex-presidente se apoiava numa bengala — há boatos de que teria sofrido uma queda subindo uma escada; pode ser por isso — e está bastante inchado. Ao vivo, mostra-se bem diferente da imagem que se vê nas fotos de Ricardo Stuckert, do Instituto Lula.

    A única coisa razoável é desejar a plena recuperação do líder petista. Já escrevi a respeito algumas vezes e não preciso me repetir. Nenhuma manifestação diferente dessa seria admitida no blog, como sabem. Não porque somos “educadinhos”, mas porque somos decentes. Como já disse aqui, sei bem o que é enfrentar as hordas do mal.

    Inegável é que o estado de saúde do ex-presidente deixou muita gente surpresa e apreensiva. A equipe médica do Sírio Libanês, liderada por Roberto Kalil, assegura que está tudo bem.
    Que assim seja!
    Por Reinaldo Azevedo

    ERA DA MERDIOCRIDADE
    Petralhotários (e assemelhados) são animais sinantrópicos.
    E aí V.Ex.ª, o Ascensorista do blog, vai mudar seu nome para seguir a Gepona?
    Sugiro o “Ascensorista da Paciência”. Não é lindo?
    Nada mais adequado.

    Sent from my iPad

  3. Michelle de Souza Malone said

    (correção)
    Onde escrevi:

    ERA DA MERDIOCRIDADE
    Petralhotários (e assemelhados) são animais sinantrópicos.
    E aí V.Ex.ª, o Ascensorista do blog, vai mudar seu nome para seguir a Gepona?
    Sugiro o “Ascensorista da Paciência”. Não é lindo?
    Nada mais adequado.

    Leia-se:

    ERA DA MERDIOCRIDADE
    Petralhotários (e assemelhados) são animais sinantrópicos.
    E aí V.Ex.ª, o Ascensorista do blog, vai mudar seu nome para seguir a Gepona?
    Sugiro o “Ascensoristo da Paciência”. Não é lindo?
    Nada mais adequado.

  4. Patriarca da Paciência said

    “Não porque somos “educadinhos”, mas porque somos decentes. Como já disse aqui, sei bem o que é enfrentar as hordas do mal.”

    “O senador Demóstenes Torres era um dos principais mastros da furada bandeira de peregrinação ética e moral dos principais partidos oposicionistas, seus discursos e declarações à imprensa eram aplaudidos e comemorados. Há indícios que o senador chegava a participar da elaboração de alguns editoriais quando queria atender aos interesses de Cachoeira. O governador Marconi Perillo é outro peso considerável neste jogo de motoserra política. ” Pax, faltou acrescentar que o senador também era o ídolo maior do Reinaldinho Cabeção.

    Alguma semelhança entre Demóstenes Torres e o Reinaldinho Cabeção?

    Os fariseus são todos iguais.

    Sra. BESTA suas bestialidades!

  5. Patriarca da Paciência said

    E a Sra. BESTA voltou a mencionar o nome do Reinaldinho Cabeção em seus comentários. Ultimamente ela o estava “incorporando” diretamente.

    Como se sabe, caso a Sra. BESTA não leia o Reinaldinho Cabeção, ela não sabe no que está pensando.

  6. Pax said

    Deu uma pena danada saber que o mafioso aniversariou ontem. Fez 49 anos no presídio da Papuda.

    Que crueldade deixar um multiempresário desta magnitude e abrangência privado de suas amizades nesta data tão importante.

    O deputado Carlos Leréia, por acaso do PSDB, fez- nos o imenso favor de informar esta condição do mega-czar nacional, na plenária da Câmara Nacional. Diz-se amigo do preso.

    Fiquei emocionado.

    Ontem algumas tvs mostraram um dialogo entre tão íntimos amigos em que Leréia pede ao amigão o apartamento do Rio de Janeiro para passar uma temporada de fim de ano.

    Resta saber se o outro mega amigo do preso, Fernando Cavendish, agradaria o deputado com um jantar luxuoso, tudo em nome do czar enjaulado.

    Vai saber.

    A nós do povo, bravo povo brasileiro, só servem brioches neste reino da corrupção.

    Enviado via iPhone

  7. Chesterton said

    http://worldnews.msnbc.msn.com/_news/2012/04/23/11144098-gaia-scientist-james-lovelock-i-was-alarmist-about-climate-change

    Enfim, a verdade aparece, independente de consensos, maiorias, eleições, unanimidades. Gaia, é uma farsa segundo seu próprio autor.

  8. Chesterton said

    http://programadojo.globo.com/videos/v/o-aquecimento-global-e-uma-mentira-e-o-que-afirma-o-climatologista-ricardo-augusto/1930554/

  9. Pax said

    Arrãm, caro Chesterton. Que bom saber que podemos passar a motoserra na Amazônia sem prejuízo algum.

    Que tal colocar uma usina elétrica movida a carvão em Ipanema e outra no Leblon?

    97% dos cientistas dizem uma coisa e você procura os 3% restantes para firmar tua posição.

    Cada cousa que vejo neste minúsculo espaço.

    Peraí que vou ali comprar uma motoserra antes que os preços aumentem.

    Enviado via iPhone

  10. Zbigniew said

    A Selic, os juros e agora a poupanca. O timing da equipe foi perfeito. A Globo e o Roberto Freire nao vao poder estrebuchar. O poste e fogo!

  11. Zbigniew said

    Segundo o Kotscho, e assim que o Poste trabalha:

    “(…)
    Para quem a conhece, até que demorou muito para Dilma perder a paciência. Sem subir o tom de voz, com o semblante sereno, mas com firmeza, ela foi direto ao ponto no pronunciamento da noite sesta segunda-feira:

    “É inadmissível que o Brasil, que tem um dos sistemas financeiros mais sólidos e lucrativos, continue com os juros mais altos do mundo”, cobrou a presidente na TV.

    Até abril, o governo tentou negociar a redução dos juros com o presidente da Febraban (Federação Brasileira de Bancos), Murilo Portugal, mas o setor não queria ceder nada e ainda tentou tirar alguma vantagem.

    Foi a gota d´água. O presidente do Banco Central, Alexandre Tombini, dispensou a interlocução de Portugal e determinou aos principais bancos públicos do pais, o Banco do Brasil e a Caixa Economia Federal, que tomassem a iniciativa de reduzir os juros. Os grandes bancos privados, para não perder a freguesia, teriam que vir atrás, o que de fato já está acontecendo.
    (…)”

  12. Elias said

    Zbigniew,

    Modestamente, cantei essa pedra há algumas semanas atrás, quando comentei a viagem da Dilma à Alemanha: o uso dos bancos estatais pra empurrar a taxa de juros pra onde o governo quer (e precisa!).

    Se as taxas do mercado não acompanhassem o movimento da taxa básica (que é de baixa), isso apenas aumentaria o lucro dos bancos e tornaria ainda mais atraente a invasão dos Euros subsidiados.

    Só um doido poderia esperar que o governo aceitasse isso passivamente. Nenhum governo aceitaria…

    A atitude da Febraban acaba fortalecendo a posição do pessoal que defende com unhas e dentes a continuidade da existência de bancos estatais.

    Pena que o Pablo Vilarnovo não participe mais dos debates do PolíticAética. Os últimos acontecimentos mostram o quê, realmente, significa a chamada “independência do Banco Central”, nos EUA, na Europa e no Brasil.

    Significa isto: nada! Não significa absolutamente nada!

    O próximo passo do governo será reorientar o fluxo de alguns fundos quase que exclusivamente para o Banco do Brasil e a Caixa Econômica, o que vai deixar os bancos privados chupando o dedo.

    Se a estratégia der certo, alguns dos maiores bancos vão fazer xixi pra trás e, discretamente, engavetarão a fala grosssa da Febraban.

    Se, nos bastidores, a briga for feia, o atual presidente da Febraban vai renunciar. Caso contrário, ele fica, mas vai ficar um tempo sem fala ou vai falar em falsete… Bem fininho…! Uma alternativa intermediária seria ele tirar uma licença por motivos de saúde (lembrando os velhos tempos da União Soviética pós-Krushev, quando os dirigentes em desgraça nunca eram derrubados… Eles simplesmente “adoeciam”…).

    Tudo isso em nome do retorno à “interlocução”… (leia-se, restabelecimento do fluxo dinheiral em direção à banca privada…).

    Se isso não acontecer rapidinho, o resultado final dessa trama toda será uma presença ainda mais forte dos bancos estatais no sistema financeiro brasileiro e o consequente (e indesejado) enfraquecimento das instituições privadas.

    De qualquer modo, a mobilização dos bancos estatais é o segundo nível da briga da Dilma com o Banco Central Europeu.

    Ainda tem um terceiro nível: o aumento da tributação sobre ganhos financeiros.

    Resistindo a uns & outros dentro do governo, Dilma não quer chegar a esse ponto, por dois motivos: (a) ao contrário da queda na taxa de juros, o aumento da tributação sobre ganhos financeiros não produz efeitos positivos sobre a evolução do PIB (que é o objetivo paralelo, mas não menos importante, da estratégia dela); (b) se aumentar a tributação sobre ganhos financeiros, será inevitável a migração em massa do médio investidor pra baixo e dos depósitos a prazo, pra caderneta de poupança (aí, barata vôa, né? quem quer intervenção no sistema financeiro agora?).

    O quarto nível seria uma intervenção à Paulson (o liberal que rompeu o himen do liberalismo, no apagar das trevas da era Baby Bush).

    Como parece que tá virando moda, que ninguém se espante… (já imaginaram a União “comprando” fatias gordas do Bradesco, do Itau/Unibanco…?).

    Mais surreal, ainda, seria Dilma pular sobre o terceiro nível e passar direto pro quarto (epa!! Pro quarto? Foi sem querer… Até porque o pessoal da Febraban vai dizer que foi sodomizado…)

    Huá! Huá! Huá! Huá! Huá!

  13. Chesterton said

    Aí, Elias, que tal a Dilma estatizar a previdencia privada?

  14. Chesterton said

    Aí, Pax, Lovelock foi o inventor do aquecimentismo e confessa que errou.

  15. Chesterton said

    Foi a gota d´água. O presidente do Banco Central, Alexandre Tombini, dispensou a interlocução de Portugal e determinou aos principais bancos públicos do pais, o Banco do Brasil e a Caixa Economia Federal, que tomassem a iniciativa de reduzir os juros.

    chest- cantei esta pedra aqui mesmo há uns 2 meses…..

  16. Elias said

    Pax,

    Se a cassação do Gregor Samsa for tratada de maneira independente, isto vai esvaziar a CPMI (que, como está ostensivamente demonstrado, ela foi estruturada pra culminar com uma bala na nuca da barata do Kafka).

    A meu pensar, não será exatamente assim.

    Creio que, independentemente do discurso pra inglês ver, ouvir e aplaudir, o pessoal da Comissão de Ética vai ajustar o passo, pra que, no fim do jogo, a cassação aconteça como um evento paralelo, porém relacionado à CPMI. O encerramento dos trabalhos da Comissão de Ética aconteceria quase que concomitantemente com a crucificação do Demóstenes na CPMI, ocupando todo o espaço nos meios de comunicação (ou seja, dando pasto às bestas feras, como dizia Geisel).

    Pra mim, a coisa continua meio estranha. Demóstenes sempre me pareceu um membro do alto clero e gente desse nível nunca é totalmente descartada (até porque o alto clero sempre sabe demais, e, se bota a boca no trombone, causa grandes estragos…).

    Será que, até nisso, o cara era um blefe?

    A esquisitice começou com a oposição quietinha na apresentação do “plano de trabalho” da CPMI. Com um plano daquele, a oposição tinha que espernear…

    Pelo menos, pra manter as aparências…

    De qualquer forma, só saberemos que jogo está sendo jogado quando a bandidagem começar a falar…

  17. Elias said

    Chester,

    Pra que fique bem claro entre nós:

    1 – Sou absolutamente contra estatização de bancos, até porque estatizar bancos é estatizar dívida (o verdadeiro patrimônio de um banco privado é um bem imaterial impossível de ser comprado ou vendido: credibilidade).

    2 – Pra mim — inclusive em termos pessoais — seria péssimo que o governo aumentasse a tributação sobre ganhos financeiros.

    Previdência privada? Tu tá ficando pirado, seu doido? Como diz o Pax, o que tem a ver o orifício anal com as pantalonas?

  18. Elias said

    Diz o Estadão:

    “A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Cachoeira furou nesta quarta-feira, 2, a blindagem montada pelo PT para proteger o governo federal e decidiu investigar as ligações da Delta Construções S.A. com o empresário Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira, em todo o Brasil, e não somente na Região Centro-Oeste, como havia sido proposto pelo relator Odair Cunha (PT-MG). A CPI determinou a quebra dos sigilos bancário, fiscal e telefônico de Cachoeira a partir de 1.º de janeiro de 2002.”

    Destaco:

    1 – A CPMI focou as relações da Delta com os Estados, não com a União. E a oposição nem chiou… Ficou quietinha!

    2 – “…empresário Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira…”?

    Caraca! Por que não: “Sua Excelência, o professor-doutor Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira, jornalista, empresário e editor-geral de várias publicações brasileiras de grande porte…”?

    Mas o Estadão!!!???

    E eu, que achava que, depois da Veja, quem mais tinha medo da língua solta do Cachoeira era a FSP…

    Por um momento, cheguei a pensar que o Estadão (por puro pedantismo…!), tinha se mantido longe da ralé…

    “A CPI determinou a quebra dos sigilos bancário, fiscal e telefônico de Cachoeira a partir de 1.º de janeiro de 2002…”.

    O Cachoeira deve estar morrendo de medo… Afinal, ninguém sabe o que ele tem falado ao telefone nesse tempo todo, né?

    PUTZ!

  19. Chesterton said

    A Fernandez já privatizou a Previdencia Privada.

  20. Pax said

    Pois eu gostaria que investigassem os contratos da Delta com a União, sim.

    Ao contrário do que insinua o Fiúza, que Dilma estaria envolvida em desvios das obras do PAC, pelo menos foi isso que depreendi do post dele trazido pelo caro Iconoclasta, acredito que Dilma não é mancomunada com os malfeitores de plantão.

    Se for, e ficar comprovado, ela que pague por isso.

    Como o Fiúza usou e abusou de volteios lógicos, o que custa mesmo investigar tais contratos?

    Vamos lá:

    Se Dilma não tem envolvimento e ficar sabendo, há chance de mais umas limpadas na área. Quem ganha? O povo, bravo povo brasileiro e a própria Dilma.

    Caso haja algo de errado na conduta de Dilma nesta questão só quem ganhará será o povo, bravo povo brasileiro.

    Ou seja, por esta lógica, se estiver correta, nas duas possibilidades o povo, bravo povo brasileiro, sai no lucro.

    Enviado via iPhone

  21. Zbigniew said

    Elias,
    providencias como essas nao sao pra amadores. E jogo de xadrez e a equipe economica tem atuado com muita ousadia e perspicácia. Como disse: paradigmas estão sendo quebrados, e estes dos juros e poupança sao emblemáticos. E sem traumas políticos ou muxoxos, como o que o Roberto Freire fez, irresponsavelmente há algum tempo atras. Sabe, Elias. Acho que a oposição morgou. Ta num mato sem cachorro. Só sobrou o PIG e as reinaldetes.

  22. Zbigniew said

    Pax,

    Os dados das obras do PAC estão no portal do governo na internet. Aqueles que consideram que há irregularidades que os levem à CPI para investigação. Cadê a oposição que não levanta a lebre?

    O que não dá é pra investigar por ilações. Até porque quem acusa é que deve provar.

  23. Patriarca da Paciência said

    “Ao lado da presidente Dilma Rousseff, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva recebeu nesta sexta-feira (4) mais um título de doutor honoris causa, agora de universidades do Rio de Janeiro.

    O evento ocorreu no Teatro João Caetano, na Praça Tiradentes.

    O título foi entregue a Lula pelas universidades Uerj (Universidade Estadual do Rio de Janeiro), Unirio (Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro), UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro), UFF (Universidade Federal Fluminense) e UFRRJ (Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro). ”
    http://www1.folha.uol.com.br/poder/1085457-ao-lado-de-dilma-lula-recebe-titulo-de-doutor-no-rio.shtml

    E isso é porque Lula é uma apedeuta!

    Já pensou se Lula fosse um letrado?

  24. Chesterton said

    Essa é a Universidade que vende vagas;..

  25. Anrafel said

    Roberto Freire e Raul Jungman, diga-se bem. O diabo é que não dá para chamá-los de nem de O Gordo e o Magro, nem de Os Três Patetas.

  26. Elias said

    Zbigniew,

    Mas é preciso que fique bem claro que a queda de braço da Dilma não é com os bancos brasileiros. É com o Banco Central Europeu.

    Os banqueiros brasileiros entraram nessa porque não podem contrariar a própria natureza: são um bando de f.d.p., sempre dispostos a se colocar contra seu próprio país…

    Pra essa gentalha, pouco importa que milhões de reais fossem drenados daqui pra Europa, e que milhares de empresas fechassem suas portas no Brasil, levando o desemprego e a miséria a milhões de brasileiros. Desde que eles lucrem alguma coisa com isso, o resto, pra eles, não tem a menor importância…

    O governo fez bem em peitar a canalhada, e colocá-la no seu devido lugar.

    Mas a queda de braço com o BCE apenas começou. E ela é que importa…

    Com a “nova poupança”, e a separação entre antigos e novos investimentos no setor, o governo ganhou fôlego pra trabalhar mais na taxa básica de juros.

    Mas isso tem um limite, seja em termos de taxa, seja em termos de tempo em que a economia brasileira pode operar com taxa de juros baixa.

    Suponha que o crescimento do PIB chegue a 4,5% a.a. (dificilmente isso aconteceria em 2012, mas é possível que se chegue a algo parecido em 2013, com a taxa de juro básica igual ou menor que 9%). Uma vez alcançado esse teto, o estímulo ao consumo poderia trazer de volta a inflação.

    Tem um pessoal aí dizendo que a expansão do aparelho produtivo brasileiro absorve um crescimento da demanda de, no máximo, 3,5% a.a. Pode até ser que esse pessoal esteja errado quanto à taxa, mas a verdade é que, sempre que o crescimento da demanda interna se aproximou de 5% a.a, a inflação mostrou sua cara feia no horizonte.

    Não vale a pena crescer a esse preço, né?

  27. Chesterton said

    que bom ver você, Elias, preocupado com a inflação. E nossos gargalos estruturais?

  28. Pax said

    Pelo que entendi Chesterton, velho e bom Chesterton, o Elias fala exatamente disso em seu comentário abaixo.

    Temos gargalos e não são poucos. Se crescermos a taxas muito altas o bicho papão da inflação fica guloso.

    E a industria, srs?

    Quando vamos exportar tecnologia à além da Embraer? Antes disso, quando vamos exportar chapas à além de minério? Quando vamos exportar ração para engordar os rebanhos mundo afora à além de soja?

    Enviado via iPhone

  29. Pax said

    Ah, já sei, quando o megamafioso resolver entrar na FIESP.

    Aí ele dominará o Congresso, a mídia e a industria nacional.

    Soltem o homem!

    Senador, desculpa por ter entendido errado seu objetivo final.

    Cada cousa …

    Enviado via iPhone

  30. Elias said

    Preocupado também, Chester, com nossos gargalos estruturais…

    É uma pena que a oposição brasileira seja tão incompetente, e que a direita seja tão burra…

    Esses muares poderiam ajudar, pressionando o governo pra dar partida nas reformas estruturais, começando pela reforma política.

    Acontece que a manada direitosa pensa com o intestino grosso… (Não estou me referindo aos políticos da direita, e sim ao rebanho que eles controlam, certo?).

    Aí tudo fica mais difícil, né?

    Vê só: um dos mais acatados órgãos do, digamos, pensamento conservador brasileiro, o Estadão, chama um marginal, aliás um marginal enjaulado, de “empresário”…

    Poderia, pelo menos, chamá-lo de “contraventor”, pra manter uma aparência minimamente respeitável, né?

    Aliás, seria interessante saber o que há por trás da maneira reverente com que o Estadão trata Sua Marginalidade (além do dinheiro de origem espúria, evidentemente).

    Será que Sua Excrescência sabe de algo que compromete o Estadão?

    Será que Sua Bandidagem controla a torneira de algum direiroduto que alimenta os cofres do Estadão?

    Ou será que os donos do Estadão enloqueceram de vez, e se convenceram ou foram convencidos de que a propriedade é um roubo, razão pela qual concluíram que todo empresário é bandido e, silogisticamente, que todo bandido é empresário?

    Se for o caso desta última hipótese, vai haver um monte de bandido p… da vida com o Estadão…

    Sugiro encomendar camisas de força de boa qualidade pros aristocratas da boca do lixo da economia brasileira.

  31. Chesterton said

    Delta também
    financiou a
    campanha de Dilma
    É longo o braço da Delta nas campanha eleitorais. Segundo registra a Justiça Eleitoral, a empresa de Fernando Cavendish doou oficialmente R$ 1,150 milhão à campanha de Dilma Rousseff (PT) à presidência da República, em 2010. E se transformou na empresa que mais recebeu recursos para tocar obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). Estima-se que esses valores podem ter chegado a R$ 4 bilhões. (CH)

    Elias disse: É uma pena que a oposição brasileira seja tão incompetente, e que a direita seja tão burra…

    chest- sei, a culpa não é da situação, que afinal não tem nada a ver com isso apesar das promessas de campanha. ora, Elias, a culpa do crime não é do criminoso, mas da falta de policia? Tenha paciência.

  32. Elias said

    Chester,

    Confundiste Tratado de Tordesilhas com tarado atrás das ilhas.

    Vai daí que dê-se o dito por bem dito: a oposição brasileira é incompetente, a direita etc e tal…

  33. Patriarca da Paciência said

    A entrevista do deputado Odair Cunha foi simplesmente ótima.

    Seguro, calmo, poderado, não cometeu um deslize sequer.

    Também não fugiu de nenhum assunto e respondeu a tudo com sabedoria.

    Não poderia haver melhor escolha:

    http://www1.folha.uol.com.br/poder/poderepolitica/1085313-se-houve-corrupcao-midia-sera-investigada-diz-relator-de-cpi.shtml

  34. Chesterton said

    Ok, Elias se a oposição é incompetente e a oposição burra, porque os geniais petistas liderados pela genial pedetista não mostram seu valor? Estão de algum modo inibidos?

  35. Chesterton said

    ….razão pela qual concluíram que todo empresário é bandido e, silogisticamente, que todo bandido é empresário?

    chest- me responde você, eu não sou empresario como você (do valoroso ramo das bijuterias)

  36. Chesterton said

    “Essa iniciativa é reacionária, conservadora e filosoficamente violenta”.

    José Genoino, uma das estrelas do mensalão, em 30 de setembro de 2009, revoltado com o projeto de lei que proíbe a candidatura a cargos públicos de políticos com a ficha suja.

  37. Pax said

    Sinceramente Chesterton, velho e bom Chesterton?

    Quero mais é que o Genoíno fique bem nervosinho e impedido de se candidatar, se estiver nas condições que o Ficha Limpa estabelece para determinar quem está sujo.

    O tal programa CQC é um certo tipo de tira teima. Não é muito preciso, mas já dá pra tirar um cheiro da coisa. Repara só.

    Exemplos:

    O próprio Genoíno quando o provocaram. Uma das vezes foi com uma cueca borrada. O cara espumou. Ora bolas, porquê? O cara preso no aeroporto perfumando dólares com sua intimidade não era assessor do irmão dele? Suponha que ele não tenha relação alguma com o episódio, e temos que dar a todos acusados direito ao contraditório, porque se alterar? Mais fácil chegar junto, dizer que o tal assessor e, eventualmente seu irmão, fez/fizeram besteira e ele não tem nada com isso. Seria o esperado de quem está tranquilo e firme nos arreios.

    Outro, aquele ex ministro do turismo, o baixinho, como é mesmo o nome? Vamos chamar de Xpto Novaes. Mal chega um cara do CQC e o bicho arrepia. Nem gostaria de lembrar que era da cota do Sarney que essas coisas não são do meu feitio.

    Às vezes este parâmetro não funciona bem. Um dos bons contra exemplos é o Maluf que tira de letra qualquer abordagem que lhe provoquem.

    Enviado via iPhone

  38. Elias said

    “….razão pela qual concluíram que todo empresário é bandido e, silogisticamente, que todo bandido é empresário…”

    Bem, Chesterton:

    1 – “….razão pela qual concluíram…”: significa que a conclusão não é minha. Se fosse minha, estaria na 1ª pessoa do singular e não na 3ª pessoa do plural.

    2 – “silogisticamente…”. Silogismo, Chesterton, é a falsa lógica. Tipo assim: “Cachorro tem quatro patas; gato tem quatro patas. Logo, cachorro é gato.”

    Entendeu, agora, o que escrevi? Não?

    Não tem importância, Chester. Fica à vontade… De vez em quando voltarei pra deixar as coisas mais claras pro nosso alentejano de estimação… (Que tal alguns exercícios de cognição? Começamos assim: junto!; deitado!; rola!; morto!; vivo!; senta!; cumprimenta!…).

    Do valoroso ramo de bijuterias, jóias, semijóias, confecções e acessórios.

    Infelizmente ainda não tenho 40 mil clientes. Quem me dera ter metade disso…

    É… Futebol é assim mesmo… Uma caixinha de surpresas… Mas a gente estamos aí, na luta, e eu vou dar tudo de si pra que nossa equipe leve de vencida mais esse desafio…

    Huá! Huá! Huá! Huá! Huá! Huá!

  39. Elias said

    “Ok, Elias se a oposição é incompetente e a oposição burra, porque os geniais petistas liderados pela genial pedetista não mostram seu valor? Estão de algum modo inibidos?”

    Geniais petistas? Geniais uma ova…!

    Eles só estão ganhando uma eleição depois da outra, e faturando recordes de aprovação, porque a oposição é incompetente e burra…

    Huá! Huá! Huá! Huá! Huá!

  40. Elias said

    Não estou dizendo que a oposição é incompetente e burra?

    Lá vai ela desancavar babaquice que o Genoíno bostejou em 2009.

    2009?

    Ora. caceta: de lá pra cá, ele já contaminou o ambiente com centenas de idiotices muito maiores e piores…

    Haja incompetência!

  41. Chesterton said

    1 – “….razão pela qual concluíram…”: significa que a conclusão não é minha. Se fosse minha, estaria na 1ª pessoa do singular e não na 3ª pessoa do plural.

    chest- sim, meu caro, concluiram que você é bandido, não eu. Ou você seria capaz de concluir pela própria bandidagem?

    2 – “silogisticamente…”. Silogismo, Chesterton, é a falsa lógica. Tipo assim: “Cachorro tem quatro patas; gato tem quatro patas. Logo, cachorro é gato.”

    chest- não brinca! Conta mais (Huá! Huá! Huá! Huá! Huá! Huá!)

  42. Michelle de Souza Malone said

    Gooday everyone

    товарищами, V.Ex.ª e Bonehead (or Moe, Larry, and Curly), meus desafetos anencéfalos

    Vamos começar leve …Para reflexão:

    “Antigamente os cartazes nas ruas, com rosto de criminosos, ofereciam recompensas; hoje em dia, pedem votos”.

    ERA DA MERDIOCRIDADE
    Petralhotários (e assemelhados) são animais sinantrópicos.
    Nada mais engraçado do que ler os comentários do V.Ex.ª, o Ascensoristo da Paciência.

    Aguardem os meus (continuação)… later on

  43. Chesterton said

    “Ok, Elias se a oposição é incompetente e a oposição burra, porque os geniais petistas liderados pela genial pedetista não mostram seu valor? Estão de algum modo inibidos?”

    Geniais petistas? Geniais uma ova…!

    Eles só estão ganhando uma eleição depois da outra, e faturando recordes de aprovação, porque a oposição é incompetente e burra…

    chest- não, Elias, você não é tão pobre assim. Está certamente nervoso.

    Elias disse:
    Preocupado também, Chester, com nossos gargalos estruturais…
    É uma pena que a oposição brasileira seja tão incompetente, e que a direita seja tão burra…

    chest- animal que se coça com a pata traseira, como é que a oposição vai arrumar gargalos estruturasi se ela não é situação. O governo (situação) não dá conta da montanha de gargalos estruturais e a culpa é da incompetência da oposição? Perdeu o juízo?

    (Huá! Huá! Huá! Huá! Huá! Huá!)

  44. Chesterton said

    2 – “silogisticamente…”. Silogismo, Chesterton, é a falsa lógica. Tipo assim: “Cachorro tem quatro patas; gato tem quatro patas. Logo, cachorro é gato.”

    Elias, portuguesa loira, silogismo é assim:

    Todo homem é mortal.
    Sócrates é homem.
    Logo, Sócrates é mortal.

    O que você escreveu acima é um ELIASNISMO!

  45. Elias said

    Chester,

    Quem tá nervosinho és tu, que perguntas e esqueces de colocar o ponto de interrogação.

    Mas não há de ser nada, não, meu caro alentejano de estimação. Eu tô aqui pra te ajudar.

    Agora, senta e… Quieto!

    Primeiro, vamos olhar de perto o que escreveste:

    “como é que a oposição vai arrumar gargalos estruturasi se ela não é situação?”

    Realmente, a oposição não é situação. Se ela fosse situação seria situação e não oposição. Sendo oposição ela não pode ser situação já que é oposição.

    Só mesmo um alentejano genial pra problematizar tão brilhantemente uma questão fundamental da realidade brasileira…!

    Parabéns Chester!!!

    Deita e… Rola!

    É o seguinte, meu caro alentejano: as reformas estruturais das quais o Brasil tanto necessita, SE e QUANDO forem feitas, não o serão pelo governo. Este apenas — e quando muito — deflagrará o processo.

    Mas elas serão feitas, mesmo, no CONGRESSO NACIONAL, que dará forma final e as aprovará.

    Só nas ditaduras, nos regimes totalitários, é que as reformas estruturais são feitas pelo governo. Entendeu até aqui?

    Então, senta e… Atento!

    O que se pode fazer pra induzir o governo a deflagrar as reformas estruturais?

    Pode-se, por exemplo, mobilizar a população, dar organicidade às insatisfações, deflagrar o debate sobre as mudanças necessárias, formular propostas, enfim, colocar as reformas estruturais na agenda política do país.

    É preciso ser governo pra fazer isso? Não, meu caro alentejano. A oposição pode e deve fazer isso.

    Notadamente se a oposição mantém divergências de fundo ideológico em relação ao governo, ela deve tomar a iniciativa de deflagrar o debate e conquistar adeptos para suas propostas.

    Entendeu, meu caro alentejano de estimação?

    Então deita e… Dorme!

  46. Michelle de Souza Malone said

    Gooday everyone

    товарищами, V.Ex.ª e Bonehead (or Moe, Larry, and Curly), meus desafetos anencéfalos

    Eu ia começar leve …Para reflexão:

    Epa! someone is on Friday Night Fever!!!
    Fala as maiores bobagens com ares de autoridade. Cagador de regra.

    A culpa pelo fracasso da ERA DA MERDIOCRIDADE é da oposição. Hein?
    Logo…os sucessos também.rsrsrs
    A Situação estava olhando a banda do chico passar…quando foi surprendida pela fraqueza da Oposição e…pela Direita burra ( dê nome aos bois, meu querido ou se cale, pateta).
    Dai os sucessos e fracassos.
    Até Gregor Samsa se sentiu aliviado.

    Cite nominalmente quem é a Direita burra no Brasil. E diga por que?
    Até minha filha adolescente é menos irresponsável quando discute assuntos sérios.
    Menas, meu caro…Menas! rsrsrs

    PS Eu sabia que o bolinho de bacalhau frito em Extra Virgin Olive Oil do 1o. de Maio iria dar diarréia mental! A Gepona lá ele cá! rsrsrsrs
    A culpa pela incompetência dos petralhas no governo é da Oposição!
    Eu humildemente, sugiro adicionalmente ao anfitrião, Pax, que pense antes de escrever bobagens assemelhadas, como de costume.
    Depois falarei mais…me aguardem.

    ERA DA MERDIOCRIDADE
    Petralhotários (e assemelhados) são animais sinantrópicos.
    Nada mais engraçado do que ler os comentários do V.Ex.ª, o AscensoristO da PaciênciA,
    que maltrata a própria mãe, ao mencioná-la pejorativamente todo santo dia. A D. Besta.

    Aguardem os meus (continuação)… later on this Bat Channel, rsrsrs

  47. Chesterton said

    Eli-asnismo again. O Congresso é dominado pelo governo do PT, que chegou ao ponto de comprá-lo. As soluções para os gargalos estruturais exigem investimentos que o governo não pode fazer, exige audácia privatista que o governo TERIA QUE TER, e não esse PAC da porra de contrato com a Delta et caterva. A campanha de Dilma foi regada por dinheiro do Cavendish, para ver a situação. E voc~e vem falar em culpa da oposição, culpa de FHC nessa altura do campeonato? Ora, o PT cagou com tudo, estragou instituições, Lula fez o STF mais petista da história, uma merda a trás da outra, e você vem falar que a culpa é da oposição que não tem força?
    Então a vítima de estupro tem culpa, o assassinado tem culpa, o esfaqueada assaltado tem culpa, é um relativismo que não acaba mais. Você não tem vergonha na cara? Você não é um idiota como certos colegas daqui, você faz de propósito, por falta de vergonha nacara. Teu pai não te ensinou o que é certo e o que é errado não?
    Vai estudar lógica e para El-asinismo.

  48. Chesterton said

    “Trazemos ao Ministério do Trabalho um jovem que simboliza, principalmente pelo sobrenome, um século de lutas pelas conquistas do trabalhador brasileiro. Carrega a história de seu bisavô João Goulart” I(Dilma)

    chest- porra nenhuma, esse cara é neto da Neuza Goulart, irmão do Jango….que cagada (sei Elias, vai ganhar eleições, mas ganhar eleições não torna essa bobagem em verdade).

  49. Chesterton said

    Dilma em diplomata
    gera incidente
    Como distribui broncas sem olhar a quem, a presidenta Dilma criou um incidente ao tratar com rispidez a embaixadora da Colômbia no Brasil, María Elvira Pombo Holguín, em recente visita a Cartagena. Gentil, a embaixadora informou em bom português que o avião já estava pronto para decolar, ao contrário do que haviam dito à Dilma. A presidenta aplicou-lhe uma lambada daquelas, chamando-a até de “incompetente”.

    05/05/2012 | 00:00
    Explicações
    A Colômbia pediu explicações informais do esbregue na embaixadora. Ouviu que Dilma se confundiu: achou que era uma diplomata brasileira.

    05/05/2012 | 00:00
    Visita adiada
    Aparentemente constrangida com o incidente que provocou, Dilma adiou sua visita a Bogotá, com passagem por Lima (Peru), este mês

    tc

  50. Pax said

    Chesterton, velho e bom Chesterton, quem é o tal tc da sua fonte?

    A mim pouco importa o humor de Dilma. Importa, sim, o que ela faz ou deixa de fazer no cargo de presidente do país.

    Neste caso, se for fato, mais parece incompetência de sua assessoria direta, a que a acompanhava na viagem.

    Ouvi de jornalistas gaúchos que chegavam para entrevistá-la quando secretária do governo do RS, que só de estarem na sala de espera cumpriam parte da tarefa da entrevista de tantos berros que Dilma dava.

    Pois bem, e daí?

    Não me consta que no job description da presidência da república brasileira exista a condição Zen budista como requisito de personalidade.

    Aliás, pegando o gancho, o animal político Dilma melhorou um bocado. Tem falado melhor, tem apresentado mais simpatia em suas aparições no noticiário etc.

    Se cometeu tal gafe, não me parece de maior importância à além de motivo para a relevante pauta desta oposição nacional que não tem coisa mais nobre pra fazer.

    Quando os caros Elias, Patriarca, Zbigniew, Otto etc riem dessa situação tenho que lhes dar razão. Se a oposição continuar achando que pregar a pecha de poste na presidente vai ganhar as próximas eleições para o governo federal, o problema da fraqueza da tal oposição é ainda maior do que parece.

  51. Michelle de Souza Malone said

    Gooday everyone

    товарищами, V.Ex.ª e Bonehead (or Moe, Larry, and Curly), meus desafetos anencéfalos

    Pax A fonte citada pelo Chesterton é Tereza Cruvinel – uma opsicionista desde criancinha.
    rsrsrs.

    ERA DA MERDIOCRIDADE
    Petralhotários (e assemelhados) são animais sinantrópicos.

    Aguardem os meus (continuação)… later on this Bat Channel, rsrsrs

  52. Elias said

    Chester,

    Senta e… Atento!

    Tu continuas pensando (???) em termos de trabalho imediato no parlamento.

    Aí vens com o ramerrão de que a oposição é minoria.

    Claro, quadrúpede!

    Se estás na oposição é porque és minoria. Tens menos votos. Se tivesses mais votos, serias maioria. E, sendo maioria, logo serias situação.

    Se fosses maioria, uma derrota na majoritária seria meramente circunstancial. Logo seria revertida. Não permaneceria por 12 anos…

    Deita e… Quieto!

    A questão é: por que és minoria? Porque não estás conseguindo sensibilizar a sociedade com teu discurso. Qual a saída? A saída é tornares teu discurso politicamente mais eficaz.

    Assim, terás mais votos e, na medida de teu êxito, gradativamente acumularás maior poder de decisão no Parlamento e nas demais esferas de poder político.

    Pra isso, tens que levar teu discurso à sociedade.

    Lembra daquela carta-manifesto da Kátia? Pois é… Embora ela distorça na análise de conjuntura, ela vai direto ao ponto quanto a estratégia política.

    O pé quebrado da carta dela é dizer que está criando um partido social democrata pra fazer a defesa da doutrina liberal.

    É o mesmo que fundar uma associação vegetariana pra divulgar receita de churrasco de picanha, costela de ripa…

    Quieto!

  53. Elias said

    Chester,

    Agora senta e… Atento!

    As eleições presidenciais são um bom indicador do quanto a oposição dispõe de proposições politicamente amadurecidas, ou seja, capazes de capitalizar apoio político.

    Lembra da campanha do Serra? Quais foram os motes?

    (a) apresentar o Serra como um qualificado “continuador” da política do Lula (se tudo o que a oposição tem a oferecer é a “continuidade” da situação, pra quê votar nela?);

    (b) falar, falar e falar no Plano Real, sem perceber que quase a metade do eleitorado nem era nascida ou era criança quando o Plano Real foi implantado, e não tinha a menor idéia do que havia sido viver num país com inflação galopante (ou seja, não tinha a menor idéia da importância do Plano Real para o Brasil);

    (c) apoiar a campanha na denúncia de escândalos, reais ou inventados (dando a entender que estava em desespero de causa, e aparentemente não percebendo que, para o eleitor brasileiro, no quesito “moralidade”, não existe nenhum partido político digno de confiança).

    Foram essas, Chester, as 3 linhas de estratégia que a oposição adotou em 2010. Nenhuma delas tem a ver com a formulação de propostas nem com a tentativa de conquistar apoio da sociedade para essas propostas.

    Chester, a oposição vence eleição exatamente quando ela diz ao eleitor que, se eleita, fará coisas DIFERENTES de como a situação está fazendo.

    DIFERENTE, Chester, significa que não será IGUAL, entende? Se fosse IGUAL, não seria DIFERENTE, sacou?

    Vai daí, Chester, que a oposição tem que ter algo pra dizer. Tem que chegar com o eleitor e dizer assim: “Olha, cara, eles estão fazendo assim e assim. Se nós formos eleitos, faremos assim e assado…”

    Entendeu, Chester?

    Deita e… Dorme!

  54. Elias said

    Chester, meu caro alentejano de estimação.

    Quieto e… Atento!

    Vocês vivem dizendo que o Lula manteve as mesmas estratégias do FHC. Que há um “piloto automático”, um “software”, e sei lá o quê…

    Caramba! Vocês ainda não perceberam que é burrice dizer isso?

    Vocês ainda não sacaram que é uma idiotice monumental repetir isso por 12 anos?

    O que significa dizer isso? No limite, significa que vocês não são oposição. No mínimo, que vocês eram oposição ao FHC.

    Mas, se vocês eram oposição ao FHC, por que vocês apoiaram o FHC e os candidatos do PSDB?

    Se não eram oposição ao FHC, como vocês podem ser oposição a quem está fazendo exatamente a mesma coisa que FHC, segundo vocês mesmos dizem?

    Entendeste, Chester, por que se diz que vocês parecem doidos, sem rumo?

    Vocês parecem doidos, sem rumo, porque vocês agem como doidos, sem rumo…

    O discurso de vocês é incoerente… Insano… Sem lógica…

    Passados mais de 8 anos desde que vocês foram derrotados numa presidencial, vocês não foram capazes de estruturar um discurso com um mínimo de coerência interna.

    É como se vocês ainda não houvesses se recuperado do trauma da primeira derrota…

    Nestas circunstâncias, chamar de burro a quem se aproveita da tua burrice pra te derrotar é… burrice!

    Agora, vai fazer xixi na caixinha de areia e…

    Quieto!

    P.S.: Na Suécia, a oposição de direita ficou sem rumo por 40 anos. Quando saiu dessa, o país era outro (e a oposição tembém…).

    Já pensou se algo parecido acontecesse no Brasil? Se a Dilma emplacar um segundo mandato e fizer o(a) sucessor(a) — o que, pelo andar da carroça, não está tão difícil — serão 20 anos…

    Agora, já pensou ficar ouvindo esse discurso de oposição babaca por 20 anos? Ninguém merece!!!

    Na próxima presidencial acho que vou votar na oposição.

    Quem sabe, ela vence e, aí, o Brasil voltará a ter uma oposição inteligente…

  55. Chesterton said

    elias, nos conte mais sobre silogismo.

  56. Pax said

    Os tentáculos da máfia na Anvisa. Alguém tem dúvidas que as agências regulatórias precisam ser implodidas e recriadas?

    http://www.estadao.com.br/noticias/nacional,esquema-de-cachoeira-fez-lobby-na-anvisa-para-liberar-medicamentos,868834,0.htm

  57. Chesterton said

    mais uma instituição demolida pelo pt zinho.

  58. Elias said

    Senta, e… Tranquilo… Tranquilo… Tranquilo…

    Bom garoto… Bom garoto…

    Tranquilo… Tranquilo…

    Bom garoto…

  59. Zbigniew said

    O texto é do Muniz Sodré e fala da questão ética dos agentes sociais, principalmente os que estão envolvidos no acobertamento de falcatruas com um objetivo específico. Será que tudo isso é justificável?

    “Imagine-se um gestor público entregue ao superfaturamento, à licitação direcionada e ao pagamento de serviços mal feitos. Este é o tipo de prevaricação que, normalmente, o cidadão comum entende como “roubar do Estado”. Em torno disso costuma girar o foco denunciativo da imprensa, ampliado por um tráfico de influências ao qual não escapam autoridades dos três poderes constituídos da República. É tal a proliferação dos escândalos e a amplitude do apodrecimento moral que se torna cada vez mais difícil para o leitor não especializado o acompanhamento racional dos casos, assim como o discernimento do que está em jogo nas denúncias.

    A questão do discernimento é propriamente ética e, em última análise, um dos fundamentos da imprensa moderna. Em meio à crise do momento, ela aparece com mais clareza quando se toma conhecimento de que um órgão de imprensa (no caso, a revista Veja) foi manipulado no passado recente pelo bicheiro situado no centro da atual CPI, com o objetivo de detonar denúncias capazes de afetar grupos rivais (casos da propina dos Correios, da Operação Satiagraha etc.).

    Diante de parcerias dessa natureza, a que se agregam declarada ou sub-repticiamente partidos políticos e autoridades constituídas, perdem-se as balizas éticas que deveriam nortear os comportamentos e as atitudes morais dos agentes sociais.
    (…)”

    http://www.observatoriodaimprensa.com.br/news/view/a_crise_moral_da_noticia

  60. Patriarca da Paciência said

    Caro Zbigniew,

    o último parágrafo aniquila todos os enormes e intermináveis textos nos quais o Reinaldinho Cabeção tenta justificar as atitudes da revista Veja:

    “Mas é precisamente isso o que deixa de existir quando a imprensa, tornada parceira do fato social, chafurda no lodaçal que está sempre à margem do terreno mais sólido desse mesmo fato. O índice mais evidente desse descaminho é o denuncismo cego, que não visa à saúde da coisa pública, mas ao aniquilamento dos interesses rivais. O exagero da “profecia autorrealizadora” é a autodesmoralização da imprensa livre. E o mais grave: é a obnubilação da consciência moral do público leitor.”

  61. Chesterton said

    O PT fez uma eleição para decidir a definição de silogismo, e ganhou a versão do Elias . Para o PT essa é a definição. Afinal, a verdade é o que a maioria decide que é. Isto leva o nome na vida real de Subjetivismo, um dos 2 pilares principais da insanidade intelectual de nosso tempo.

    Já ia esquecendo, Elias

    HuaHuaHuaHuaHuaHuaHuaHuaHuaHuaHuaHuaHuaHuaHuaHuaHuaHuaHuaHuaHuaHua

    (tu és burro para cacilda )

  62. Elias said

    “O PT fez uma eleição para decidir a definição de silogismo, e ganhou a versão do Elias . Para o PT essa é a definição. Afinal, a verdade é o que a maioria decide que é. Isto leva o nome na vida real de Subjetivismo, um dos 2 pilares principais da insanidade intelectual de nosso tempo.”

    Tu tá doido? (Vou checar tua vacinação anti rábica, pra ver se tá em dia…).

    Tranquilo… Tranquilo…

    Um monte de gente leu acima. Então… Tranquilo… Tranquilo…

    Bom garoto… Vai ganhar um passeio, com coleira e guia, mas sem enforcador… Bom garoto…

    Zbigniew e Patriarca,

    Análises com esse enfoque do Muniz Sodré não me agradam.

    Uma coisa é rejeitar socialmente essa mistura abjeta, que abriga na mesma cloaca o senador, o bicheiro e a revista.

    Outra coisa é usar isso pra, de algum modo, diminuir a importância de tal ou qual denúncia feita pela revista, em especial se essa denúncia se refere a malfeitorias efetivamente cometidas.

    O fato da revista ter se valido de sua associação com o bandido, pra ter acesso aos elementos comprobatórios das malfeitorias que ela denunciou, não tornam essas denúncias menos verdadeiras.

    Assim como o fato dela ter denunciado essas malfeitorias não tornam menos criminosa sua associação com a bandidagem.

    Melhor que a sociedade brasileira considere e trate ambos os lados como aquilo que eles realmente são: peixes podres do mesmo cesto; farinha bolorenta e contaminada do mesmo saco…

    Enquanto isso…

    Chester, meu alentejano de estimação…

    Lê de novo o texto do silogismo. Um dia entenderás…

    Além de não entenderes nada, ainda fizeste uma enorme bobagem em tomar as dores da família Mesquita…

    Que nunca vai nem saber o que eu disse dela…

    E, se tu morreres hoje à noite, ou amanhã, ou depois de amanhã, esmagado e transformado em patê de carne humana, num acidente de trânsito, só valerás pra ela como uma notinha de jornal…

    Que cabra mais otário…

    Tranquilo… Tranquilo… Dorme!

  63. Chesterton said

    Elias, eu te entendo, ah como te entendo, vi muitos assim na Santa Casa.

  64. Zbigniew said

    Nao sao as denuncias, caro Elias. A questão e o denuncismo como “modus operandi” através de associação criminosa.
    E mais do que obvio que as denuncias de corrupção comprovadas nao podem ser consideradas invalidas porque foram agitadas por uma organização criminosa. Problema dos corruptos.
    Agora, isso nao pode ser impeditivo para que se discuta a imprensa nesse jogo sujo. O Murdoch esta tendo que se explicar pra “Rainha” e nem por isso estão acusando a Gra-Bretanha de autoritária. Como diria o filosofo: uma coisa e uma coisa; e outra coisa, outra coisa…

  65. Chesterton said

    http://www.dailymail.co.uk/news/article-2134092/Gaia-scientist-James-Lovelock-I-alarmist-climate-change.html

    mais uma fonte , PAx.

  66. Michelle de Souza Malone said

    Gooday everyone

    товарищами, V.Ex.ª e Bonehead (or Moe, Larry, and Curly), meus desafetos anencéfalos

    Para reflexão. Por enquanto eu estou aguardando os desdobramentos dessa CPI bichada.

    ERA DA MERDIOCRIDADE
    Petralhotários (e assemelhados) são animais sinantrópicos.

    Aguardem os meus (continuação)… later on this Bat Channel, rsrsrs

  67. Jose Mario HRP said

    Ué?
    O blog do Pax não ía acabar?
    Que bom que não acabou!
    Patriarca nervoso?
    Com quem?
    Essa é nova pra mim?
    Demostenes perder o mandato?
    Como o Zé da Porteira Dirceu!
    Nem foi julgado mas foi com toda certeza defenestrado(não jogaram pela janela mas quase!).
    Bom dia e boa surpresa nessa minha volta ao “Brazil”!

  68. Patriarca da Paciência said

    A Sra. BESTA parece que não anda mais lendo o Reinaldinho Cabeção, consequentemente, não sabe mais no que anda pensando.

    Vejam só se não é a própria descrição do Chesterton e Michelle:

    “Os 40 mandamentos do reacionário perfeito”

    Apenas alguns, mas todos são ótimos e ‘inspirados” em pessoas reais.

    O Link com os “mandamentos” vai logo abaixo.

    “7. Atribua a culpa pelos altos índices de criminalidade aos migrantes vindos de regiões pobres e imigrantes de países miseráveis. Estas criaturas não conseguem nem reconhecer a generosidade da sociedade que os acolhe.

    8. Associe, sempre que possível, o uso de drogas a universitários transgressores e militantes de esquerda, mesmo sabendo que o pó mais puro costuma ser encontrado nas festas da “boa sociedade”. É necessário ampliar ou pelo menos sustentar o nível de reacionarismo da população em geral.

    9. Tente revestir seu conservadorismo com uma face humanitária, reivindicando o direito à vida de todos os fetos, ainda que, na prática, vá pagar um aborto caso sua filha fique grávida de um indesejável, e seja favorável ao uso indiscriminado de cassetete e spray de pimenta contra os filhos de indesejáveis já crescidos.

    10. Assuma o partido, em qualquer querela, daquele que for mais valorizado socialmente. Não é prudente que os “de baixo” testemunhem quebras de hierarquia, nem nos casos de flagrante injustiça.

    11. Tente justificar, em qualquer ocasião, os ataques militares da Otan contra países da Ásia, África ou da América Latina, mesmo que estes não representem a menor ameaça concreta para os agressores. Pondere que não é fácil carregar o fardo da civilização”

    http://limpinhocheiroso.blogspot.com.br/2012/05/conheca-os-40-mandamentos-do.html

  69. Patriarca da Paciência said

    Elias,

    reforçando o que disse o Zbigniew , o foco não é a corrupção em si, esta que deve ser combatida de todos os modos e por todos os meios, o foco é a atitude de certa parte da mídia, a qual fica sempre “no denuncismo cego, que não visa à saúde da coisa pública, mas ao aniquilamento dos interesses rivais”.

    A revista veja sempre soube, desde o início, das “transações” do Demóstenes Torres com o Carlinhos Cachoeira, mas nunca publicou um vírgula sobre o assunto, até que a coisa veio a público através da Polícia Federal.

    Aí a Veja, mais do que rápido, tentou tirar o dela da reta, mas não há nada que justifique tal atitude.

    Ou é cumplicidade, ou é conivência ou é mesmo sociedade.

    Em qualquer hipótese é crime e merece punição exemplar.

  70. Patriarca da Paciência said

    “Patriarca nervoso?
    Com quem?”

    é verdade, meu caro HRP,

    se houver uma coisa que não faço é odiar ou carregar mágoas.

    Desde cedo aprendi que o ódio e a mágoa prejudicam mais a quem os carrega do que a quem é dirigido.

  71. Elias said

    Zbigniew e Patriarca,

    Não tenho reparos ao que vocês dois dizem.

    Minhas restrições são quanto ao enfoque do Muniz Sodré. Não concordo com o que ele diz.

    É certo que o clima de denuncismo acaba banalizando a corrupção.

    No Brasil de hoje, quando um escândalo ganha as manchetes, as pessoas são levadas a pensar: “…É só o escândalo do momento… Daqui a 2 ou 3 semanas vão aparecer vários outros, ainda mais escabrosos, e quase ninguém mais vai lembrar do escândalo de agora…”.

    E, lamentavelmente, isso é verdade…

    Mas é bom lembrar que as negociatas com as bandalheiras denunciadas só se tornaram possível, porque há bandalheiras que podem ser objeto de negociatas.

    Claro que a Veja sabia das ligações de Demóstenes com Cachoeira, até porque a revista era parte e parcela dessas ligações. E claro que não disse nada.

    E daí? O que mais ela poderia fazer? O Muniz tá pretendendo que a Veja denunciasse a si mesma?

    A Veja deve ser denunciada, sim, por suas ligações com bandos criminosos. Mas isto sem causar nem um arranhão às denúncias que ela fez, quando estas se revelaram procedentes.

    A única diferença é que, agora, a Veja também passa a fazer parte do balaio de denunciados. Só isso e pronto…

    E acho que ela não vai ficar só nessa… Acho que a FSP tem alguma coisa a ver com esse embrulho, também.

    Por um momento, imaginei que o Estadão estivesse fora disso. Mas a maneira respeitosa, quase reverente, com que ele trata o Cachoeira (o Estadão só o chama de “empresário”, e o cara não está na cadeia por ser “empresário”, né?) está me fazendo rever essa opinião.

    Creio que o assunto vai ficar mais claro quando forem esmiuçadas as relações do Cachoeira com algumas áreas da Polícia Federal e o MP (e, aí, é preciso ter cuidado pra que a CPMI não seja instrumentalizada pelos grupos em permanente disputa dentro da PF e do MP, locais onde têm sempre muito bicho-bala voando em todas as direções…).

    Essas relações, a meu pensar, seriam as fontes de informações que tornaram possível a aproximação do Cachoeira com as redações dos órgãos da grande imprensa.

    O Demóstenes, aparentemente, seria um dos operadores do Cachoeira. Ele fazia as intermediações.

    Da maneira como as coisas estão vazando, elas permitem supor que Demóstenes não operava só com a Veja. O pessoal tem feito referências à participação dele na redação de editoriais em mais de uma publicação…

    O tratamento cerimonioso com que órgãos da grande imprensa obsequiam o marginal, a meu ver, só coloca lenha na fogueira da desconfiança…

    É como se eles jogassem com a expectativa de que uma negociação em curso vai permitir que os dedos sejam salvos, mesmo que com o sacrifício de alguns anéis (e outro tanto de bodes expiatórios…).

    De qualquer forma, entendo que a ligação desses órgãos com a organização criminosa de tal ou qual bandido de modo algum deve ser usada pra reduzir a importância das denúncias que esses órgãos fizeram.

    No Brasil, a corrupção é tanta que sua banalização ocorreria com ou sem a imprensa de péssima qualidade que temos.

    O fato da imprensa brasileira ser esse traste que é, significa, apenas, que a imprensa brasileira, de péssima qualidade, faz parte dos problemas brasileiros, e não das soluções…

    Paciência…

    Chester,

    Senta e… Quieto!

    Agora estamos falando sério.

    Bom garoto… Bom garoto… Vai ganhar outro passeio com guia e coleira… Sem enforcador…

    Bom garoto…

  72. Michelle de Souza Malone said

    Gooday everyone

    товарищами, V.Ex.ª e Bonehead (or Moe, Larry, and Curly), meus desafetos anencéfalos.

    A estupidez do V.Ex.ª, o Ascensoristo da Paciência é incomensurável.
    Ele usa a BESTA pra atacar a prória mãe, a D.Besta, aquela santa senhora.
    Deixe de ser malvado com quem te pos no mundo, idiota.

    ERA DA MERDIOCRIDADE
    Petralhotários (e assemelhados) são animais sinantrópicos.

    Aguardem … later on this Bat Channel, rsrsrs

  73. Elias said

    Um vizinho meu, que se considera bem informado, diz que o Estadão e a FSP teriam sido ou são vítimas de “chantagem” do Cachoeira.

    Que seja, então… Vítimas.

    Mas, se o cara chantageou ou está chantageando aguém — do que não duvido, em se tratando de quem é… — é porque esse alguém tem algo a esconder, né?

  74. Patriarca da Paciência said

    Elias,

    veja só algumas das coisas absurdas e sem comprovação que a Veja já colocou como matéria de capa:

    “As FARC teriam enviado 5 milhões de dólares para candidatos petistas em 2002.”

    “Campanha de Lula recebeu dinheiro de Cuba”.

    “Supremo Tribunal Federal foi alvo de espionagem”.

    “Diálogos “comprovam” espionagem em presidene do STF. (por incrível que pareça, a única “prova” até hoje que apareceu sobre o caso foi a palavra do ex-ministro “Nerson” Jobim.)

    Meu caro Elias, nenhuma dessas “denúncias” tem qualquer fundamento, no entanto, provacaram um grande estrago na opinião pública, graças ao apoio maciço de toda a “grande mídia”.

  75. Patriarca da Paciência said

    “Intelectuais historicamente ligados ao PSDB decidiram nas últimas semanas embarcar na campanha do candidato do PT à Prefeitura de São Paulo, Fernando Haddad.

    Principal adversário do ex-governador José Serra (PSDB) na eleição deste ano, Haddad conseguiu atrair dois ex-ministros do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso e até acadêmicos que no passado foram ligados a Serra. ”

    http://www1.folha.uol.com.br/poder/1086092-fernando-haddad-ganha-apoio-de-intelectuais-tucanos.shtml

    Isto é surpreendente!

    Será que o PSDB está rachando?

    Como dizem por aí, o “Serra é sempre um elemento desagregador.”

  76. Elias said

    Patriarca # 74

    Eu me referi às denúncias que se revelaram verdadeiras. Não foram poucas, né?

    Agora, esse troço de FARC, Foro SP, dinheiro de Cuba (será que Cuba lança?), espionagem no STF… Convenhamos: é coisa pra alimentar pesadelo desses debilóides que vivem procurando comunistas até nos fundilhos das próprias mães…

    Esse tipo de denúncia, no frigir dos ovos, prejudica mais quem as faz… Veja que, nos últimos anos, a capacidade da grande imprensa de formar opinião declinou ao limite da desmoralização…

    Patriarca # 75

    Modestamente, cantei essa pedra em 2010. Aqui mesmo, no PolíticAética…

    E cantei a pedra achando ruim… Porque será péssimo pro Brasil que o PSDB se enfrangalhe.

    Duas citações sobre outro assunto:

    1 – Economist: “Quanto mais a podridão na política brasileira é exposta, menor o número de políticos nos quais os brasileiros sentem que podem confiar”.

    Meio acaciana e meio, mas corretíssima.

    2 – Datafolha: Aprovação de Dilma cresceu de 59% em janeiro pra 64% em abril.

    É… Essa mulher é mesmo incompetente… Será que ela não consegue fazer nada — mas nada, mesmo! — direito?

  77. Zbigniew said

    Sabe, Elias?! Nao sei se e tão ruim o PSDB se esfrangalhar. Alias, o Brasil ta precisando mesmo e de uma nova oposição. Independente do braço midiatico e mais identificada com os anseios da população. Essa que aí esta, calcada em princípios liberais acima dos sociais e cada vez mais a reboque da velha midia, vulgo PIG; essa nao faz falta nenhuma. Alguém tem saudade desse pessoal quando estavam no poder central? Será que eles sobreviveriam sem a blindagem midiatica em Sao Paulo? Por falar no Estado, a Delta nao tem nenhum negocio por essas bandas?

  78. iconoclastas said

    “2 – “silogisticamente…”. Silogismo, Chesterton, é a falsa lógica. Tipo assim: “Cachorro tem quatro patas; gato tem quatro patas. Logo, cachorro é gato.””

    ah, é… é?!

    pela mãe do guarda…

    ;^))))))))))))

  79. Patriarca da Paciência said

    Há um outro silogismo, que vem ainda dos antigos gregos, que também é muito bom. Se não me engano, é de Protágoras.

    – Dizes que tens um cachorro?
    – Sim
    – E que esse teu cachorro é pai de outros cachorrinhos?
    – Sim
    – Então o cachorro é teu e é pai?
    – Sim
    – Então se o cachorro é pai e é teu, logo ele é o teu pai e os cachorrinhos são teus irmãos.

  80. Zbigniew said

    E a esquerda volta ao poder na Franca depois de 10 anos. Sarkozy perde pela sua arrogancia e mimetismo. Um contra-ponto a receita alema de defesa do financismo contra o desenvolvimentismo e a necessidade de gerar empregos?

  81. Elias said

    Zbigniew,

    I
    Aqui no Pará Delta venceu licitações para construção de rodovias durante o 1º mandato do Simão Jatene (PSDB). Também venceu uma licitação durante o governo Ana Júlia (PT).

    Ela concluiu todas as obras dentro do prazo. Pelo menos uma delas foi fiscalizada pelo BID, que a financiou. O BID elogiou a execução.

    Uma das obras projetadas pelo governo Jatene e contratadas à Delta não foi executada, porque encerrou o prazo do contrato de empréstimo com o BID, que decidiu não prorrogá-lo. Já tinha havido duas prorrogações. A prorrogação de um contrato de empréstimo externo é complicadíssima. Tem que ser aprovada pelo financiador e por uma comissão formada pelos ministérios do Planejamento, das Relações Exteriores e da Fazenda (este último representado pela Secretaria do Tesouro Nacional). Um saco!

    II
    De qualquer modo, que eu saiba, nunca houve denúncias relacionadas a obras executadas pela Delta aqui no Pará.

    A meu pensar, melhor que a alternância se dê entre o PT e o PSDB. Governo e oposição de centro-esquerda.

    Prefiro um PSDB forte, mantendo a oposição de direita no cabresto curto, como coadjuvante.

    III
    Sarkozy dançou. É sempre bom ver subir um governo de esquerda.

    Mas, bem feitas as contas, pro Brasil, agora, melhor seria governos europeus fracos e problemáticos, né?

    Patriarca,
    A turma aí acima levou 2 dias pra consultar o dicionário… Conseguiu encontrar a palavra, mas, como esperado, acabou não entendendo…

    É que ainda não inventaram aquele sinal…

    Mas eu só treino cachorro de raça!

    Nada contra os vira-latas, mas não trabalho com eles…

  82. Michelle de Souza Malone said

    Gooday everyone

    товарищами, V.Ex.ª e Bonehead (or Moe, Larry, and Curly), meus desafetos anencéfalos.
    Todos os 3 (ou 4) petralhotários jogando juntinhos é uma gracinha.

    Para reflexão: (petralhotários, eu disse reflexão e não refeição.)

    O mal feito a nós

    Os escândalos passam pelo noticiário numa procissão infindável, uma cachoeira de escândalos. Tenebrosas transações vão surrupiando recursos públicos, esgarçando a confiança nas instituições, consolidando a sensação de que os políticos são assim mesmo; todos iguais. No ano passado foi um dominó que derrubou sete ministros e consumiu o ano inteiro. Este ano, a CPI que começa é outra que tem o nome de CPI do fim do mundo.

    Onde é que estão os riscos e como entender essa avalanche? A imprensa é apenas a mensageira da notícia. Ela divulga. Não é a responsável pelo ambiente de cansaço e apreensão diante de tanto fato que ofende o país.

    O problema alcançou uma dimensão que vai além do evento em si, vai além da política, e compromete ganhos importantes que o país conquistou nas últimas décadas. Cada evento tem que ser apurado, e seus responsáveis, punidos. Mas seria normal que a esta altura dos malfeitos houvesse algum temor entre os corruptos. Eles parecem, fita após fita, diálogo após diálogo, ter a mesma sem cerimônia, a mesma incorrigível desfaçatez.

    Políticos com posições de destaque, com ambições ainda maiores, são capazes de exibições de espantosa falta de noção do conflito de interesses e dos limites que devem reger as relações entre o público e o privado. Se colocassem apenas as suas carreiras em risco, vá lá. Mas o perigo se abate também sobre políticas públicas que esses políticos colocaram em marcha, e para as quais contribuem pessoas e servidores sinceramente convencidos da sua qualidade.

    Tudo isso desanima. Abate. Confunde. O brasileiro honesto diante de tanta recorrência pode achar que é assim mesmo, é da natureza da política. Pode considerar que o melhor é aderir a esse padrão moral nas suas próprias relações. Ou pode simplesmente se afastar de tudo, não querer mais perder tempo em entender tanto organograma dos esquemas criminosos, ouvir trechos de tantos diálogos tortuosos.

    A generalização, a perda de valores, ou a alienação, qualquer dessas reações é perigosa para o país. A primeira vai minar o apoio à democracia, porque a conclusão pode ser: se todos os políticos são iguais, melhor não tê-los. A segunda porque ela tornará a corrupção endêmica, parte da cultura nacional. A terceira, essa do abandono do navio aos ratos, é a renúncia à busca de um país decente.

    Um escândalo é apenas um escândalo. Todos eles juntos vão formando a cachoeira que pode nos arrastar para longe do objetivo que o Brasil tinha quando lutou suas lutas recentes.

    Na conversa da redação, quando a equipe da Globonews preparava a reportagem sobre Rubens Paiva, nos demos conta de que a maioria dos brasileiros não tinha nascido quando o deputado foi preso e desapareceu em 1971. Fui verificar no IBGE, e o número era espantoso: 68% dos brasileiros têm menos de 41 anos. O Brasil tem uma população jovem. Isso é um bônus, mas o risco aumenta. Os que na minha geração entenderam a dor vivida pelo país durante a ditadura estão dispostos a tudo para manter o Congresso aberto. Mas e os jovens? Os que nada daquilo viveram? Até quando tolerarão a sequência de escândalos sem serem capturados por algum vendedor de poção mágica e autoritária para os males nacionais?

    Na economia, a corrupção é devastadora. O que normalmente se tem em mente é o volume de recursos desviado dos cofres públicos através das estratagemas de sempre: empresas fantasmas que não prestam o serviço para o qual são pagas; sobrepreço na compra de bens e serviços pelo governo; compras aprovadas por políticos e funcionários que receberam a sua parcela do dinheiro sujo; desperdício de obras inacabadas.

    Há muitas outras perdas. As empresas fornecedoras do governo adotam normas de organização gerencial que promovam o funcionário que sabe o caminho, ou descaminhos, do cofre. Como o Estado é o grande comprador, se a má prática se dissemina, todos os milhares de fornecedores do Estado serão colocados em algum momento diante do dilema: aceitar ou não a regra vigente. Hoje, já se vê no Brasil o desdobramento disso, que é a corrupção nos negócios entre empresas privadas.

    Grandes investidores podem considerar que o Brasil não é um país para o qual se deva ir. A corrupção de tão frequente pode estar neste momento desanimando alguma diretoria a tentar voos maiores para o Brasil. Ou então desembarcam com a orientação de adotar padrões éticos mais flexíveis para se adaptar à cultura local.

    A democracia corre riscos evidentes a cada nova pancada que a opinião pública recebe. A economia vai se viciando, encontrando os atalhos, perdendo sua eficiência, atraindo apenas os piores, os que sabem se movimentar em ambiente tão degradado.

    O Brasil tem sonhos altos e nesse momento tem mais confiança de que pode alcançá-los. Quer estar entre os primeiros países do mundo, mesmo sabendo que o sexto lugar em PIB só será efetivo quando houver o mesmo grau no desenvolvimento humano.
    Ninguém desconhece que há uma lista grande de tarefas por fazer.
    A dúvida é quanto do nosso destino está sendo diariamente sabotado pela corrupção no momento em que temos tantas chances.

    (Postado por MURILO às 08:37 )

    ERA DA MERDIOCRIDADE
    Petralhotários (e assemelhados) são animais sinantrópicos. Todos os 3 (ou 4) jogando juntinhos é uma gracinha.

    Aguardem os meus (continuação)… later on this Bat Channel, rsrsrs

  83. Michelle de Souza Malone said

    (continua)
    Gooday everyone

    товарищами, V.Ex.ª e Bonehead (or Moe, Larry, and Curly), meus desafetos anencéfalos

    Reinaldo Azevedo puro para porcos….

    http://veja.abril.com.br/blog/reinaldo/geral/ah-que-bonitinho-cachoeira-agora-virou-atestado-de-inocencia-de-gente-que-dilma-defenestrou-por-bons-motivos/

    V.Ex.ª, o Ascensoristo da Paciência vai adorar e discutir o assunto com os outros patetas..
    Querem ver? acompanhem o desenrolar nessa “mesa redonda” petralha.
    Tem de tudo desde Ascensoristos até domadores de cães de raça…sobretudo, petralhotários cagadores de regras.
    Silogistas do capital alheio.

    ERA DA MERDIOCRIDADE
    Petralhotários (e assemelhados) são animais sinantrópicos.

    Aguardem os meus (continuação)… later on this Bat Channel, rsrsrs

  84. Jose Mario HRP said

    Tanto a Veja quanto os participantes do esquema goiano/federal tramaram as tratativas que resultaram nas CPIs do gov. Lula.
    Vejo que a inveja que o isolamento trás causa sofrimento a “Doroty Malone” desse blog, uma legitima embaixadora do “país do Reinaldão Reaça”!
    Que folego para a vilania!
    KKKKKKKKKK……

  85. Zbigniew said

    Voces sabem que escreveu isto? Sera o proximo demitido pelo PIG. Podemos dizer que comecam a surgir vozes dissonantes no conservadorismo brasileiro. Talvez um sinal de que uma nova mentalidade esta surgindo.

    “(…)
    A história da democratização brasileira é, basicamente, a história da luta da população mais pobre para conseguir uma fatia melhor na distribuição de renda. Este era o processo em curso antes do golpe que derrubou Jango. A luta contra o arrocho e contra os truques para escamotear a inflação esteve no centro das principais manifestações populares contra o regime.

    Desde a posse de José Sarney que o sucesso e o fracasso de cada presidente se mede pela sua competência para para responder a esse anseio.

    Aquilo que os economistas chamam de plano anti-inflacionário, estabilização monetária e etc, nada mais é, para o povão, do que defesa de seu quinhão. O Cruzado e o Real garantiram a glória e também a desgraça de seus criadores apenas e enquanto foram capazes de dar uma resposta a isso.

    Essa situação também explica a popularidade de Lula, ponto de partida para o Ibope-recorde de Dilma. E aí chegamos à pior notícia. O conservadorismo brasileiro aposta em embustes porque não quer colocar a mão no bolso. Quer votos mas não quer mexer – nem um pouquinho – na estrutura de renda. Quer embustes, como Demóstenes.
    (…)”

    http://maureliomello.blogspot.com.br/2012/05/se-ele-continuar-assim.html

  86. Zbigniew said

    Em relacao ao texto, muito bom o comentario de R no site do jornalista em foco. Tomo a liberdade de reproduzi-lo:

    “O conservadorismo aqui não difere muito daquele que existe em outros lugares do mundo. Seu único objetivo é defender privilégios dos ricos, mas, como não pode fazê-lo abertamente, veste a máscara do moralismo. O que singulariza do conservadorismo brasileiro é que ele não se constrange em aliar-se ao crime. Todo brasileiro com alguma informação e inteligência sabia quem era o Senador Demóstenes desde a farsa do “grampo sem áudio” e sabia que a Veja montou aquela farsa para derrubar a Operação Satiagraha e livrar Daniel Dantas da cadeia. Nem Demóstenes, nem a Veja, nem o Gilmar Mendes não me surpreendem em nada.”

    http://colunas.revistaepoca.globo.com/paulomoreiraleite/2012/05/03/o-segredo-de-demostenes-torres/#comments

  87. Jose Mario HRP said

    A Record e o R7 tiveram a coragem de clamar pelo óbvio:
    Exigir que a CPI ouça os Civittas!
    http://noticias.r7.com/brasil/noticias/domingo-espetacular-mostra-a-influencia-de-carlinhos-cachoeira-sobre-a-revista-veja-20120506.html

  88. Pax said

    Cá do meu cantinho fico imaginando se vale a pena a utilização de agressões escritas entre debatedores de blogs é um método eficiente de argumentação.

    Como esta não é uma atividade nova para os mais assíduos será que o desenvolvimento de uma casca mais grossa, que permite “passar batido” nestas fraquezas lógicas, não merece alguma reflexão e esforço?

    Sei que muitas vezes é um certo tempero, me lembro das inúmeras vezes que um certo comentarista, velho e bom comentarista, me mandava estudar. De tanto teimar em meus argumentos acho que o tal velho conhecido desistiu e resolveu me mostrar seus argumentos, ou links que sustentam sua discordância.

    Agora mesmo um dos nossos “cavalos de batalha” volta à cena. O tal aquecimento global.

    Continuo com meu ponto de vista, mas o tal debatedor, velho e bom debatedor, tem colocado seus links. Parece que o padrinho da tese publicou contraditos a si mesmo. Tipo de links que leria se não fosse um excluído digital, um desprotegido da canalha Anatel que está acabresrada pelos grandes grupos investidores deste setor.

    Mas, enfim, voltando ao ponto, confesso que a atividade de administrar blogs que estimulam discussões democráticas traz em seu bojo este enxugar de gelo de convidar os participantes à reflexão sobre este tema. O mais interessante é que o próprio administrador, volta e meia, também precisa olhar no espelho “para não cair em tentação”

  89. Pax said

    E se chegar no Civita, na Veja, na Olhe, na Observe, no PJr, ou em quem quer que chegue, porque mesmo restringir a CPI?

    Que ela se torne um porrete de aroeira para quem quer que seja.

    Quanto mais pressão popular, mais a canalha política passará a entender que o dono do Brasil, o povo, bravo povo brasileiro, anda um tanto descontente com os que já foram e os que ainda não foram pegos metendo a mão na botija, nos cofres da viúva, no dim dim da merenda escolar, no dim dim dos remédios dos hospitais públicos etc.

    Porrete de aroeira em todos eles, ora bolas. Está bem na hora, com as eleições deste ano.

    Suponhamos que o povo, bravo povo brasileiro, consiga tirar 2 ou 3 % da canalha via o Ficha Limpa, mais 2 ou 3 % via exposição de escândalos, mais 3 a 4 % via o natural acerto pelo método democrático de votar errado, aprender e mudar. Só aí já temos uma limpeza de 10 % da sujeira grossa.

    Em 10 anos este método democrático já mudaria um bocado este quadro assustador da política nacional.

    E mais …

    Quer uma bandeira fácil de grudar no gosto do povo, bravo povo brasileiro?

    Que tal começar a tirar mordomia dos políticos de todos os âmbitos, municipais, estaduais e federais?

    É ou não uma bandeira, um discurso, fácil de pegar e uma bola quicando na frente da área com o goleiro caído?

  90. Patriarca da Paciência said

    A Sra. BESTA voltou a ler o Reinaldinho Cabeção, logo, já sabe no que anda pensando!

  91. Patriarca da Paciência said

    Pax,

    pelos meus cálculos, entre corrupção e sonegação, a coisa vai muito além dos 10%.

    Sempre disse que, no meu entender, a carga tributária no Brasil não passa de 20%. O problema é que apenas uma parte da população paga impostos.

    Mas a nossa democracia ainda é muito jovem.

    Estamos apenas aprendendo a viver num país democrático.

    Com mais algumas décadas de democracia chegaremos lá.

  92. Zbigniew said

    Aqui o “modus operandi” da revista Veja e seu sócio, o bicheiro Carlinhos Cachoeira:

  93. Elias said

    Pax, Zbigniew e Patriarca,

    Pois eu mantenho minhas reservas.

    Se a CPI do momento pegar 2 bandidos, tá bom. Se pegar 10, melhor ainda. Se forem 100, ótimo…!

    Taí um caso em que quantidade é, também, qualidade.

    Agora, excelente seria se ela fizesse parte de um esforço nacional pela moralização do país. Não faz.

    Infelizmente, a CPI faz parte, apenas, de um jogo político. De um xadrez. É um campo de batalha pra jogadas ensaiadas e espertezas.

    A oposição fez o possível, e fará mais, ainda, pra fazer com que a CPI se torne um fator de desgaste pra situação. Já a situação vai tentar mostrar que é infinitamente mais competente que a oposição, fazendo com que cada pedra atirada pelo estilingue oposicionista tenha como contrapartida uma saraivada de matacões.

    No fim uma ou outra terá perdido o jogo, embora sem jamais reconhecer isso.

    A meu pensar, pelo que foi jogado até aqui, a oposição vai perder. Ao que parece, ela tem muito o que esconder e poucos truques pra manter escondido o que precisa esconder.

    Não creio que os Civita sejam convocados. Não imediatamente. O PT, pelo menos, não tem interesse nisso, pois a convocação acabaria se tornando um veículo a mais, um palanque, pros Civita se defenderem das acusações e insinuações.

    Creio que, inicialmente, a tática será a de manter uma espada pendurada sobre a cabeça dos Civita. É o tal do “deixa sangrar”. Eles vão ficar pisando em ovos, pra não desagradar inimigos nem amigos (porque estes podem botar a boca no trombone). E, quanto mais tempo ficarem assim, mais se dasgastarão, mesmo que nada se prove contra eles.

    Os Civita serão convocados se, p.ex., o Cachoeira e/ou o Demóstenes, sentindo-se isolados, abandonados, deixados às feras, derem com a língua nos dentes, expondo o esquemão. Se isso não acontecer, mais que provavelmente vai valer a tática do “deixa sangrar”.

    Afinal, a CPI já tem pelo menos 2 bodes. Sem fazer esforço, é possível duplicar e até triplicar esse número. Pra tradição política brasileira, isso é mais que o suficiente.

    Neste momento, Cachoeira e Demóstenes devem estar finalizando suas negociações.

    De um lado, eles precisam ser convencidos de que devem ir pro saco… De outro, eles precisam convencer seus aliados de que isso terá um preço…

    E isso nada terá a ver com moralização do país. Pelo contrário…

  94. Pax said

    Sim, claro que vai pegar 2 ou 3 nomes. O que me incomoda é se estes nomes ficarem, na força bruta, restritos aos nomes do tal senador e do tal governador da oposição.

    Que sejam eleitos os nomes mais em evidência da situação, também.

    Ou teremos ainda mais munição para desmoralizar e queimar o jovem deputado petista que jogaram no Coliseu, sob o título de relator. Este é meu raciocínio. E a munição? Ora bolas, provar que ou virou pizza ou virou carnificina só para um lado.

    Não me parece nada bom se isto acontecer.

  95. Elias said

    Bandeiras pra reforma política?

    1 – Extinção do Senado.

    2 – Redução de 1/3 da Câmara Federal, das Assembléias Legislativas e das Câmaras Municipais.

    3 – Fixação de teto de remuneração para parlamentares. A remuneração do deputado federal não poderia exceder a 70% da remuneração do Presidente da República. O teto da remuneração dos deputados estaduais seria 70% da remuneração dos deputados federais e o teto dos vereadores seria 70% da remuneração dos deputados estaduais. No caso dos deputados estaduais e vereadores haveria, ainda, a condição cumulativa da soma da remuneração dos parlamentares não exceder a um percentual da arrecadação tributária do Estado ou município, no exercício anterior.

    4 – Extinção da “verba de gabinete”, das verbas para deslocamento e dos auxílios-moradia para parlamentares (juntos, esses “afagos” mais do que triplicam a remuneração dos parlamentares).

    Isso independentemente do voto distrital, das listas partidárias, do financiamento público da campanha, das “cláusulas de barreira”, etc.

    Sabe qual é o problema? A população brasileira não tá nem aí pra isso…

  96. Chesterton said

    Parece que o padrinho da tese (global warming) publicou contraditos a si mesmo. Tipo de links que leria se não fosse um excluído digital, um desprotegido da canalha Anatel que está acabresrada pelos grandes grupos investidores deste setor.

    chest- ah não, dono de blog reclamando de ser excluido digital? Então fecha e deiste. Voc~e não lê porque não quer, prefere permanecer na zona de conforto.

    Lovelock admite- era tudo uma farsa, ERRRRRAAAAMOSSSSSSS!!!!

    E tem mais, diz que os que ainda defendem a hipótese s~/ao professores universitários sem coragem de admitir o erro pois perderiam suas bolsa s de pesquisa.

    EXATAMENTE O QUE VENHO DIZENDO HÁ ANOS!!!

  97. Chesterton said

    He pointed to Gore’s “An Inconvenient Truth” and Tim Flannery’s “The Weather Makers” as other examples of “alarmist” forecasts of the future.

    http://www.inquisitr.com/224934/global-warming-scientist-james-lovelock-admits-to-being-an-alarmist/

    http://www.wnd.com/2012/04/lovelock-admits-to-being-alarmist-on-climate/

    http://worldnews.msnbc.msn.com/_news/2012/04/23/11144098-gaia-scientist-james-lovelock-i-was-alarmist-about-climate-change?lite

    http://www.dailymail.co.uk/news/article-2134092/Gaia-scientist-James-Lovelock-I-alarmist-climate-change.html

  98. Chesterton said

    Aí, Pax, como desde a primeira vez que discutimos até hoje me parece que andou estudando muita filosofia, ensina aí para o Elias o que é silogismo.

  99. Elias said

    Chester,

    Quieto!

    Se continuar se comportando mal não vai passear hoje. E vou por no enforcador.

    Quieto!

    Enquanto isso, procura aprender o que significa “denotativo”.

    Aliás, sabes quantos alentejanos são necessários pra trocar uma lâmpada?

  100. Chesterton said

    se loiros, 8….

  101. Pedro said

    Está aparecendo cada coisa nesta CPMI

    http://www.quidnovi.com.br/novo/mino/detalhe.asp?c=409

  102. Elias said

    Chester,

    E se for uma lâmpada fluorescente?

  103. Patriarca da Paciência said

    Uma teoria que vai botar pra feder:

    “Dinossauros podem ter ajudado a aumentar a temperatura do planeta com sua flatulência, segundo pesquisadores britânicos.”

    http://www.bbc.co.uk/portuguese/noticias/2012/05/120507_dinossauros_clima_cc.shtml

  104. Jose Mario HRP said

    Chest….a casa caiu!

  105. Elias said

    Patriarca,

    A direita brasileira tenta fazer a mesma coisa hoje em dia.

    O Apatolosaurus Direitosus Brasiliensis (também chamado Broncossauro) tem como característica principal o olho gordo e um enorme rabo preso.

    Tal como o saurópode, Apatosaurus louise (que já foi chamada de Brontossauro), o Apatolosaurus Brasiliensis também tem a cabeça pequena, porque não precisa dela pra pensar. Ele usa a cabeça apenas pra criar jogadas burras e/ou denonestas.

    Dizem os cientistas que a fantástica atividade flatulencial do Apatolosaurus Brasiliensis decorre da ingestão diária de dezenas de quilos de remela, produzidas pelo seu olho gordo e nojento.

    Daí porque, na comunidade científica, o Apatolosaurus Direitosus Brasiliensis é também chamado Nojentosaurus ou Repugnantodontus Desonestus.

  106. Olá!

    Essas manipulações e esses ataques que os petistas estão desferindo contra a imprensa, sobretudo a Revista Veja, têm um objetivo bastante cristalino, bastante claro: Diminuir ao máximo possível os prováveis danos que virão com o julgamento do Mensalão. No fundo, no fundo, os petistas gostariam mesmo é que nem houvesse esse julgamento e estão se esforçando como podem para passar a idéia de que o Mensalão não passou de uma farsa montada por um criminoso em coluio com um dos principais veículos de informação do país.

    Até parece que eram os Civita que mensalmente depositavam no banco o dinheiro que patrocinou o Mensalão e outras falcatruas. Não foi a imprensa que violou o sigilo bancário do caseiro Francenildo. Não foi a imprensa que mudou uma lei do setor de telecomunicações que beneficiou diretamente um dos filhos do presidente da república, transformando-o, do dia para noite, de um simples zelador de zoológico em um empresário mega-milionário. Não foi a imprensa que pagou quase U$ 1.5 milhões para comprar um dossiê falso cujo objetivo era destruir a candidatura de um membro da oposição. Não era a imprensa que cobrava, na Casa Civil, uma tal de “taxa de sucesso” para que o BNDES liberasse verbas e a imprensa nada teve a ver quando um cheque de R$ 200 mil apareceu na gaveta de um dos funcionários da Casa Civil, quando chefiada pela Erenice Guerra (lembram do “Caraca!! Que dinheiro é esse?!? Isso aqui é meu mesmo?“). Não foi a imprensa que torturou, brutalizou e assassinou o petista Celso Daniel, quando este deu pinta de que poderia denunciar coisas que respigariam sobre alguns dos atuais figurões do governo. Não foi a imprensa que mandou para um paraíso fiscal a grana que iria pagar os serviços do marqueteiro Duda Mendonça. Não foi a imprensa que roubou e utilizou criminosamente para formação de caixa dois o dinheiro de simples bancários que sonhavam em um dia ter uma casa própria para viver. . .

    E o mais importante: Não foi a imprensa que implementou e pôs em prática o mais grave esquema de corrupção que este país já viu ao longo da sua história democrática recente, um esquema onde um dos poderes da república subornava um outro poder para que este agisse segundo os caprichos do primeiro, mandando para o espaço um dos principais pilares que sustentam uma ordem social baseada na democracia: A separação entre os poderes. O Mensalão foi isso.

    A imprensa não inventou nenhum desses fatos. Peguem pelo menos um e digam se foi inventado.

    A bem da verdade é que o Mensalão fez um mal danado ao PT. Se vocês forem ler os jornais de antes da explosão do escândalo dos mensaleiros, vocês verão que o Governo Lula quase não atacava os seus antecessores, sobretudo o Governo FHC. Na época anterior ao Mensalão, era só de vez em quando que o Lula se referia ao FHC como um “neoliberal” e outros xingamentos da criancice esquerdista. Havia uma convivência relativamente pacífica entre os dois.

    No entanto, quando o Mensalão explodiu e trouxe à tona a gravidade desse esquema, parece que o Governo Lula e o próprio Lula mudaram bastante. De 2007 em diante, diariamente, havia um ataque do Lula contra os seus antecessores, principalmente ao FHC. Os ataques iam se tornando cada vez mais violentos. O Governo Lula foi ao extremo de contratar, via dinheiro público, uma gangue de blogueiros para desqualificar aqueles que eram vistos como obstáculo. O problema é que atitudes assim acabam pegando inocentes pelo meio do caminho, como foi o caso do jornalista Heraldo Pereira, vítima do racismo de um desses blogueiros que o governo alugou, o que é um troço asqueroso, pois o blogueiro que fez isso é sustentado por dinheiro público e dinheiro público não deveria sustentar atividades desse tipo.

    O Mensalão também fez com que o Governo Lula se tornasse mais conivente perante a corrupção. Quantos não foram os denunciados por corrupção que receberam o afago carinhoso do então presidente Lula?

    Outro ponto negativo que o Mensalão trouxe foi a intensificação dos ataques que o PT e o próprio governo federal petista fazem à liberdade de expressão e à liberdade de imprensa. Se vocês forem contar, houve, pelo menos, uns quatro planos/projetos que traziam nas suas bases a censura à essas liberdades tão fundamentais em uma ordem social democrática. Neste ponto, não se pode deixar passar em branco a ironia: Os petistas tentaram colocar em prática, mais ou menos, umas quatro tentativas de controlar e censurar a imprensa. Quantas foram as tentativas de reformas estruturais que eles propuseram? Quantos foram os projetos que o PT propôs para melhorar a vida do empreendedor? Quantos foram os projetos para que um empreendedor possa abrir a sua empresa em menos de 30 dias? Quantos estudos o governo petista fez para avaliar como medidas que facilitam a vida do empreendedor também contribuem para a redução da corrupção? Respondam aí.

    Seria legal se fazer uma reforma estrutural fosse tão fácil quanto implementar um projeto de controle e censura da imprensa e/ou tão fácil quanto fazer um Mensalão. Se assim fosse, o Brasil seria um país extremamente moderno.

    Passado tudo isso, chega-se à situação atual, onde um ex-presidente da república anda para cima e para baixo com personagens corruptas do seu próprio governo na tentativa de reduzir ao máximo possível os danos que o Mensalão venha a causar nos seus aliados, isto é, nos mensaleiros.

    Busquem na história do Brasil qual foi o presidente que, passado o seu mandato, começou a fazer o possível e o impossível para proteger corruptos e, de quebra, atacar a imprensa.

    Apenas para comparação, peguem as grandes lideranças decentes de outros países e vejam o que elas fizeram após terem terminado os seus mandatos. Para ficar apenas em duas: Konrad Adenauer, por exemplo, após o seu mandato de chanceler alemão, pôde se orgulhar da Alemanha que ele ajudou a construir, uma Alemanha democrática e livre do nazismo. Nelson Mandela, hoje, celebra as suas contribuições na construção da democracia sul-africana e no fim do asqueroso regime do Apartheid.

    A questão é: Houve corrupção no Governo Adenauer? Provavelmente, sim. Houve corrupção no Governo Mandela? Provavelmente, sim. O Adenauer e o Mandela, após terem terminado os seus mandatos, saíram por aí fazendo o possível e o impossível para defender corruptos? Não! E isso é por causa de uma escolha moral que ambos fizeram: Não defender corruptos.

    O ex-presidente Lula também teve a oportunidade de fazer a mesmíssima escolha moral que os seus colegas alemão e sul-africano fizeram, só que, diferentemente deste dois, o Lula rejeitou tal escolha e, hoje, está aí, defendendo notórios corruptos, fazendo o possível e o impossível para que eles não sejam punidos e, de quebra, ainda ataca a liberdade de imprensa. São nessas horas sombrias que uma pessoa mostra aquilo que realmente é.

    Um papel desses é um troço bastante lamentável para alguém que já foi presidente. Isso evidencia de maneira ainda mais explícita como o Mensalão fez mal ao PT.

    Enfim. . .

    Marcelo

  107. Michelle de Souza Malone said

    Gooday everyone

    товарищами, V.Ex.ª e Bonehead (or Moe, Larry, and Curly),
    meus desafetos anencéfalos

    “O ex-presidente Lula também teve a oportunidade de fazer a mesmíssima escolha moral que os seus colegas alemão e sul-africano fizeram, só que, diferentemente deste dois, o Lula rejeitou tal escolha e, hoje, está aí, defendendo notórios corruptos, fazendo o possível e o impossível para que eles não sejam punidos e, de quebra, ainda ataca a liberdade de imprensa. São nessas horas sombrias que uma pessoa mostra aquilo que realmente é.

    Um papel desses é um troço bastante lamentável para alguém que já foi presidente. Isso evidencia de maneira ainda mais explícita como o Mensalão fez mal ao PT.”

    Marcelo Augusto Tô contigo e não abro.
    Belíssimo post. Subscrevo.

    Pax ..ainda desatualizado? Culpa da Anatel?
    9 anos depois o Pax descobre – na carne- que a Anatel lulista é apenas um “cabide de emprego” – uma moeda de troca.
    Desse verdadeiro “troca-troca” sexual em que se transformou a agência. Uma suruba de baixo calão. Onde os petralhas sentam a bunda..dá sempre nisso.
    Pax vc é a velhinha de Taubaté?

    ERA DA MERDIOCRIDADE
    Petralhotários (e assemelhados) são animais sinantrópicos.

    Aguardem os meus (continuação)… later on this Bat Channel, rsrsrs

  108. Michelle de Souza Malone said

    Gooday everyone

    товарищами, V.Ex.ª e Bonehead (or Moe, Larry, and Curly),
    meus desafetos anencéfalos

    O PT começou citando Karl Marx e terminou no colo do “bispo”.
    rsrsrsrs

    Pax ..ainda desatualizado? De novo? Caidaço? Culpa da Anatel?
    9 anos depois o Pax descobre – na carne- que a Anatel lulista é apenas um “cabide de emprego” – uma moeda de troca.
    Desse verdadeiro “troca-troca” lulista permissivo em que se transformou o governo.
    Uma suruba moral de baixíssimo calão.(*)
    Ah mas Lula é o melhor presidente que o Brasil já teve!
    Dilma anda mostrando competência…. Pax …
    Pax vc é a velhinha de Taubaté?

    ERA DA MERDIOCRIDADE
    Petralhotários (e assemelhados) são animais sinantrópicos.

    (*) Nunca se esqueçam que eu sou puta e por experiência própria posso afirmar: O PT no governo é pornografia hard core. Feito na Rua Aurora.
    Apenas mudaram de hotel.

    Aguardem os meus (continuação)… later on this Bat Channel, rsrsrs

  109. Michelle de Souza Malone said

    Gooday everyone

    товарищами, V.Ex.ª e Bonehead (or Moe, Larry, and Curly),
    meus desafetos anencéfalos

    O PT começou citando Karl Marx e terminou no colo do “bispo”.
    rsrsrsrs

    PALAVRAS (por lULA)
    O tempo ensina muita coisa. Uma das mais importantes parece ser apreciar e dar valor às coisas simples da vida.
    Eu, por exemplo, gosto de palavras. Para mim, poucos prazeres se comparam a ler um bom livro, diante de uma xícara de café.
    Ler um bom livro é a possibilidade de sonhar e imaginar significados para palavras. É viajar e conhecer sem sair do lugar. É aproveitar tudo aquilo que as palavras têm a oferecer.
    Palavras têm vida própria. Uma vez ditas, as palavras pertencem aos ouvintes (ou leitores). Estes, por sua vez, interpretam as palavras baseados em suas próprias percepções e experiências. Como camaleões, palavras têm diferentes significados dependendo do tempo e contexto em que são usadas.
    Por isso, aquilo que é entendido por quem as lê ou ouve, dificilmente corresponde exatamente ao que pretendia aquele que as disse ou escreveu.
    Neste sentido, palavras são, na melhor das hipóteses, mensageiros imperfeitos de pensamentos e sentimentos. A diferença entre a intenção de quem disse (ou escreveu) e interpretação de quem ouviu (ou leu) está na raiz de boa parte dos conflitos.
    Nas ultimas décadas, tem crescido a percepção de que os indivíduos, ao se comunicarem mais eficientemente, são capazes de resolver suas diferenças pacifica e rapidamente. Nesses casos, a mediação tem sido vista como uma das formas mais eficientes de resolução de disputas.
    Mediação é a tentativa de melhorar a eficiência do uso da palavra como mensageira das ideias e sentimentos de cada parte envolvida na disputa.
    Na mediação, as partes envolvidas na disputa devem, ao mesmo tempo, assumir a responsabilidade da busca por uma solução; e estar dispostas a compreender as motivações das outras partes.
    O papel do mediador é ajudar a esclarecer, através de perguntas, as verdadeiras origens do desentendimento: os interesses de cada parte.
    O mediador separa o problema das pessoas de sorte que as partes possam construir uma interpretação comum dos fatos e utilizar as palavras como solução, e não como causa, do conflito.
    Mediação implica em reduzir a distância entre o que é dito e o que é entendido. Se isso acontecer, a disputa pode ser resolvida.
    Na maior parte das vezes, diferenças não são incompatibilidades. O simples conhecimento das diferenças expõe soluções possíveis e compatíveis. São as palavras, sempre elas, que apontam o caminho.
    Mediação é ajudar as partes a ouvir com mais atenção. Afinal, não ouvimos aquilo que é dito. Ouvimos aquilo que estamos preparados para ouvir.

    LUIS INÁCIO IULA DA SILVA mora no Canadá há 2 anos. Formado em Direito (PUC); Administração de Empresas (FGV); MBA (INSEAD), com Mestrado em Resolução de Conflitos (University of Victoria)
    HEHEHE

    Pax ..ainda desatualizado? De novo? Caidaço? Culpa da Anatel?
    9 anos depois o Pax descobre – na carne- que a Anatel lulista é apenas um “cabide de emprego” – uma moeda de troca.
    Desse verdadeiro “troca-troca” lulista permissivo em que se transformou o governo.
    Uma suruba moral de baixíssimo calão.(*)
    Ah mas Lula é o melhor presidente que o Brasil já teve!
    Dilma anda mostrando competência…. Pax …
    Pax vc é a velhinha de Taubaté?

    ERA DA MERDIOCRIDADE
    Petralhotários (e assemelhados) são animais sinantrópicos.

    (*) Nunca se esqueçam que eu sou puta e por experiência própria poso afirmar:
    O PT no governo é pornografia hard core. Feito na Rua Aurora.

    Aguardem os meus (continuação)… later on this Bat Channel, rsrsrs

  110. Pax said

    Fratura de maléolo fibular (antiga tíbia), sem desvio. Bota por uns dias.

    Costelas ok.

    Meno male.

    Enviado via iPhone

  111. Michelle de Souza Malone said

    Gooday everyone

    товарищами, V.Ex.ª e Bonehead (or Moe, Larry, and Curly),
    meus desafetos anencéfalos

    O PT começou citando Karl Marx e terminou no colo do “bispo”.
    rsrsrsrs

    http://www.r7.com/r7/media/2012/20120506-VtDEcachoera/20120506-VtDEcachoera.swf

    Pax ..ainda desatualizado? De novo? Caidaço? Culpa da Anatel?
    9 anos depois o Pax descobre – na carne- que a Anatel lulista é apenas um “cabide de emprego” – uma moeda de troca.
    Desse verdadeiro “troca-troca” lulista permissivo em que se transformou o governo.
    Uma suruba moral de baixíssimo calão.(*)
    Ah mas Lula é o melhor presidente que o Brasil já teve!
    Dilma anda mostrando competência…. Pax …
    Pax vc é a velhinha de Taubaté?

    ERA DA MERDIOCRIDADE
    Petralhotários (e assemelhados) são animais sinantrópicos.

    (*) Nunca se esqueçam que eu sou puta e por experiência própria poso afirmar:
    O PT no governo é pornografia hard core. Feito na Rua Aurora.
    Apenas mudou o hotel.

    Aguardem os meus (continuação)… later on this Bat Channel, rsrsrs
    Pax desejo rápida recuperação!

  112. Patriarca da Paciência said

    “Não foi a imprensa que torturou, brutalizou e assassinou o petista Celso Daniel, quando este deu pinta de que poderia denunciar coisas que respigariam sobre alguns dos atuais figurões do governo. Não foi a imprensa que mandou para um paraíso fiscal a grana que iria pagar os serviços do marqueteiro Duda Mendonça. Não foi a imprensa que roubou e utilizou criminosamente para formação de caixa dois o dinheiro de simples bancários que sonhavam em um dia ter uma casa própria para viver. . .

    E o mais importante: Não foi a imprensa que implementou e pôs em prática o mais grave esquema de corrupção que este país já viu ao longo da sua história democrática recente, um esquema onde um dos poderes da república subornava um outro poder para que este agisse segundo os caprichos do primeiro, mandando para o espaço um dos principais pilares que sustentam uma ordem social baseada na democracia: A separação entre os poderes. O Mensalão foi isso.”

    Nunca ficou provado qualquer envolvimento do PT no assasinato de Celso Daniel, mas os direitobas acham que o PT deve aceitar a imputação do crime, simplesmente porque eles querem!.
    Foi a impensa, principalmente a revista Veja, que tentou vender ao público que Lula recebeu dinheiro de Cuba para a sua campanha eleitoral, que o PT recebeu dinheiro das FARC para sua campanha eleitoral, que o STF foi espionado, que o presidente do STF foi grampeado, tendo como única prova a “confirmação” do “Nerson” Jobim. Foi a imprensa, principalmente a revista Veja, que tentou vender ao público como “o maior escândalo de corrupção de toda a história do Brasil, o recebimento de 3 mil reais por um funcionário dos Correios, o qual era da cota do Bob Jeff e não do PT. E os direitorbas acham que o PT deve aceitar tudo e ficar caladinho?

    Vão esperando, seus babacas!

    Vocês vão é pagar a conta e… caro!

  113. Jose Mario HRP said

    A revista Veja usava informação privilegiada para filtrando as contras seus “chegados”, chargear aqueles que eram e são seus desafetos, isso é crime!
    Na verdade a Veja aliou-se a um mafiosso , usando de métodos ilegais e criminosos como no caso da tentativa de invasão do quarto de hotel de José Dirceu recentemente!
    Veja é mafiosa e deve ter punição para seus donos e diretores!
    Aliás Zé Dirceu já punido politicamente não tem nenhuma prova contra si no tal Mensalão como se mostrará no julgamento do do processo!
    Quer apostar?
    Quem viver verá!
    Já o Demostenes………..

  114. Patriarca da Paciência said

    Inclusive já houve declarações de representantes da ABI de que é lícito o jornalista receber informações de todas as pessoas, desde que mantenha o controle sobre aquilo que deve ser publicado.

    A partir do momento em que o informante pauta as publicações, como é o caso da revista Veja, em que o Carlinhos Cachoeira foi o editor chefe durante um bom período, a situação é totalmente ilícita.

  115. Zbigniew said

    Sabe qual foi a maior volta que o Lula deu nos direitobas que tentaram incutir no povo a idéia de que o mensalao foi o maior escândalo de corrupção da história da humanidade? O Lula fez um governo que anulou o discurso. Se com Lula, no calor da refrega, a Veja e seus moralistas com sangue nos olhos, nao conseguiram derrubar o cara, com Dilma e a distancia dos eventos, vcs acham que isso vai dar um caldo? Nem nos 4%.

  116. Elias said

    Patriarca,

    Quando a imprensa partidária tem fato novo, ela usa fato novo. Quando ela não tem, parte pra retórica e pra matéria requentada.

    Sabe aquele papo da mentira contada mil vezes, etc e tal?

    A imprensa partidária brasileira acredita nisso.

    Na verdade, essa tática funciona bem nos regimes totalitários, onde a mentira, contada mil vezes, não é contestada. Onde a informação circula livremente, quanto mais alardeada a mentira, mais desmoralizado fica o mentiroso.

    Observe o que aconteceu com a “grande” imprensa brasileira. Ela é grande, mesmo! Há uns meses, vi uns dados sobre a Veja. Parece que ela é lida, semanalmente por mais de 8 milhões de pessoas. Junte isso aos demais órgãos da grande imprensa, e terá números fantásticos.

    No entanto, a capacidade desse pessoal de formar opinião só tem despencado, nos últimos anos… Hoje, o discurso político e ideológico desse povo praticamente só tem força dentro de um “gueto” cujo tamanho tende a estagnar em termos absolutos (o que significa ficar menor em termos relativos, frente ao crescimento da população).

    A exemplo do que aconteceu nas eleições presidenciais de 2010, eventos como o da atual CPI são excelentes pra se observar melhor e, assim, se ter uma idéia da real capacidade da grande imprensa brasileira, porque, em ambos os casos, ela tomou partido. Agora, é só observar os desdobramentos…

    A proliferação de artigos na grande imprensa, referindo-se à CPI de maneira retórica e requentando matérias de escassa credibilidade, é uma forte indicação de que:

    a – tem muita gente na grande imprensa brasileira, com medo do que pode aflorar na CPI do momento;

    b – a grande imprensa brasileira, hoje totalmente partidarizada (o que não é crime), ainda não foi capaz de montar uma estratégia pra recuperar o poder de influência na formação de opinião que teve há umas duas décadas. Continua presa a táticas que, comprovadamente, não se adequam à contemporaneidade moderna do mundo atual de hoje em dia.

    A grande imprensa brasileira é o “Apatolosaurus direitosus brasiliensis”, o “Nojentosaurus”, o “Repugnantodontus desonestus”, monstro colossal, cujas características físicas são: um imenso rabo preso; uma cabeça pequena, desproporcional ao corpo descomunal; e o olho gordo, produzindo dezenas de quilos diários de remela, que o monstro usa como alimento, em consequência do quê passa o dia disparando flatulências fétidas, extremamente danosas ao meio ambiente.

  117. Olá!

    Patriarca da Paciência,

    “[. . .] Foi a imprensa, principalmente a revista Veja, que tentou vender ao público como ‘o maior escândalo de corrupção de toda a história do Brasil, o recebimento de 3 mil reais por um funcionário dos Correios, o qual era da cota do Bob Jeff e não do PT. E os direitorbas acham que o PT deve aceitar tudo e ficar caladinho?”

    Isso só pode ser piada. Então quer dizer que o Mensalão não passou de um simples esquema onde um funcionário de quinta categoria dos Correios recebia ilegalmente algumas centenas de reais?

    Patriarca da Paciência, veja, após aquele vídeo flagrando um funcionário dos Correios recebendo uma propina, o Roberto Jefferson resolveu revelar o que o Poder Executivo estava fazendo para receber votos favoráveis no Congresso. Foi nesse momento que o Jefferson decidiu mostrar como funcionava o Mensalão, as pessoas que o comandavam, quais eram os empresários envolvidos, quanto era a quantia mensal recebida pelos parlamentares, os bancos públicos que participaram da tramóia, qual o grau de envolvimento do Poder Executivo, quais funcionários do alto escalão do Governo Federal tinham participação, e etc., etc., e etc.

    Quem dera que o Mensalão tivesse sido “apenas” o recebimento de uns R$ 3000,00 de propina por um desqualificado dos Correios.

    O Mensalão é isso que está descrito mais acima: O mais grave esquema de corrupção que este país já viu ao longo da sua história democrática recente, um esquema onde um dos poderes da república subornava um outro poder para que este agisse segundo os caprichos do primeiro, mandando para o espaço um dos principais pilares que sustentam uma ordem social baseada na democracia: A separação entre os poderes.

    O Mensalão foi o ataque mais violento que as instituições democráticas brasileiras receberam desde o golpe de 1964 e os efeitos desse ataque ainda irão reverberar por anos, talvez, até mesmo, décadas. Os recentes ataques que os petistas estão desferindo contra a liberdade de imprensa e a liberdade de expressão são apenas o começo e são, também, as primeiras ondas de choque dessa reverberação. Ainda virão coisas bem piores por aí.

    Quanto à defesa apaixonada e, ao mesmo tempo, cheia de ódio que os esquerdistas/petistas estão fazendo para safar os mensaleiros, só tenho uma coisa a dizer: Fiquem despreocupados. O julgamento do Mensalão vai acabar em pizza. O STF que aí está, é um STF majoritariamente petista e há até mesmo desconfianças de que um dos ministros tenha vendido voto favorável aos mensaleiros em troca da nomeação ao cargo. A massa já está no forno e vocês poderão se deliciar com a pizza muito em breve!

    Muito em breve vocês poderão dormir agarrados aos mensaleiros.

    Até!

    Marcelo

  118. Zbigniew said

    Afora a palavra do Bob (que disse e depois desdisse) lá no processo há mais alguma testemunha que elenque os milhares de deputados, senadores, empresas, a velhinha da esquina envolvida com o esquema?

  119. Pax said

    1 – o post é do mensalão? Não. Então quer dizer que a oposição está atuando. Pelo que me consta o mensalão está arrastado do STF. Mas a bola da vez é o esquemão do Cachoeira que envolve meia República. Impressionante a quantidade de tentáculos. Aí pegaram, segundo o noticiário geral, o senador com as pantalonas nas mãos, empresário amigão e os governadores lambões. Se a pauta virou o mensalão o trabalho da oposição parece bem encaminhado. É a saída pela tangente, famosa.

    2 – o mensalão não existiu? Que baita exercício de contorsionismo lógico. Enganaram até o MPF e o STF.

    3 – a imprensa, leia-se Policarpo e Veja, devem ser investigadas? Sei lá, não sou eu quem determina escopo, mas deveria, se os indícios mostram que o foco da investigação, o mafioso Cachoeira, produz verdades que a revista e o editor se propõem a publicar para o povo, bravo povo brasileiro.

    Agora, se a situação quer, como opinaram alguns jornalistas, tirar o foco do julgamento do mensalão com a lambanças de Carlinhos Cachoeira, será algo como carregar uma arma, encostar no pé e apertar o gatilho.

    Enviado via iPhone

  120. Elias said

    Iihh…! Tem um monte de gente fazendo tudo errado…!

    Pois não é que o pessoal do combustível fóssil tá vindo em massa pro Brasil?

    Aliás, a Petrobrás também vai concentrar seus novos investimentos no Brasil. Daí o “desinvestimento” no restante do Cone Sul, que acabou pondo, hoje, um assessor bocudo da Petrobrás na imprensa internacional. O linguão do assessor boquirroto vai acabar criando problemas nas relações do Brasil com nuestros hermanos do Rio da Prata & adjacências.

    Mas a verdade é que ele está falando a verdade, né?

    O pré-sal acabou se tornando a melhor oportunidade de negócio do momento, no setor.

    Absurdo!

    Esse pessoal não se cansa de fazer as coisas erradas. Alguém tem que encaminhar aos presidentes dessas empresas, com máxima urgência, os comentários do Marcelo Augusto e os gráficos que ele carrega pra onde vai.

    Aí eles vão ver que no Brasil não existe liberdade econômica. Que o índice de liberdade econômica em nosso país é quase nulo, principalmente durante os períodos de lua cheia, se Saturno estiver alinhado exatamente atrás de Júpiter, no momento em que este estiver em conjunção carnal com Vênus…

    Investir no Brasil é uma grande bobagem… É preciso dizer isso com todas as letras!

    Esse pessoal tem que ser avisado que deve mesmo investir no Chile, aquele país que, desde 1961, vai se tornar um país rico em 10 anos…

    Marcelo, nunca tantos dependeram tanto de uma só pessoa: TU!

    Corre e vai alertar esse pessoal. Vais livrá-los de um desastre econômico monumental. E certamente que vais ganhar algum, também.

  121. Zbigniew said

    Não só liberdade econômica, Elias.

    No Brasil não existe liberdade de imprensa. Os pobres Civita então, coitados! Estão sendo objeto da sanha petista de amordaçar a imprensa, de desviar o foco do maior escândalo que se tem notícia na face da terra (cuja única imagem é o da entrega de três mil reais para uma funcionário de terceiro escalão, como bem ressaltou o Patriarca.).

    E a Globo, a FSP, o Estadão e todos os demais meios de comunicação no Brasil, sentindo-se constrangidos pela possibilidade, ainda que remota, da convocação de um repórter que não fazia mais do que sua obrigação em efetuar 200 míseros telefonemas para um empresário do ramo de diversões eletrônicas, cujo único e grande pecado foi querer ajudar um governador e um senador a conseguir algumas vant… desculpem… conseguir que os interesses do povo que representam fossem atendidos.

    Pobre imprensa brasileira!

  122. Elias said

    Zbigniew,

    É mesmo… O Brasil não tem liberdade de imprensa…

    Isso aqui é uma ditadura!

    Que país é este, em que se critica publicamente uma editora como a Abril, só porque ela se associou a um crimin…, digo, empresário, como Carlinhos Cachoeira, tendo como intermediário um vagab…, digo, senador, como o Demóstenes, e um capang…, perdão, jornalista como o “PJ”, vulgo “Poli”, expressões carinhosas que, no idioma quirguiz neo-clássico, dialeto erudito da região de Jala-Abad, NÃO significam “Policarpo”, e sim “Quincas, tira o dedo do nariz, minino, e para de comer meleca, ou eu conto pro teu pai…!”?

  123. Pax said

    A gente até brinca, mas confesso que fico aterrorizado com esta imprensa.

    Mas, caros amigos, não esqueçam que o PHA ganha uma fortuna de estatais para fazer seu blog.

    Há, então, de tudo e pra todo lado.

    Navegar (na web) é preciso e muito impreciso. Filtrar as fontes é bom para a cabeça, as opiniões, espinhela caída e, segundo algumas fofocas, até para impotência cerebral.

    Enviado via iPhone

  124. Edu said

    Pax,

    Sim, o post não é sobre o mensalão. Mas nunca é demais lembrar a ala mais canhota do blog q o mensalão existe e o q ele representa, como bem disse o Marcelo Augusto.

    A pizzaria do PT funcionou realmente mto bem… e pelo jeito continua funcionando… aliás, parece ter ganhado bastante eficiência.

    Vamos ver como ficará o resultado desta CPI do cachoeira, minha modesta opinião é que os tomates estão sendo cortados… só não sabemos direito quem está empunhando a faca.

  125. Zbigniew said

    Se a CPI virar um acordão onde só o Cachoeira e o Demóstenes vão pro saco será muito ruim para a democracia. Se o PT, o governo e a base governista estão pensando em, com essa CPI, conseguir dividendos políticos para emparedar a editora Abril e seu Capo e, por conseguinte, diminuir o poder do PIG via constrangimento de bastidores, vão quebrar a cara. Estão sendo, no mínimo, coniventes com este sistema. Não se perde oportunidade como esta. Até porque governos passam. Entretanto, sabemos que as coisas, em política, se resolvem com barganhas e compensações. Será que avançaríamos nestes pontos?

  126. Michelle de Souza Malone said

    Gooday everyone

    товарищами, V.Ex.ª e Bonehead (or Moe, Larry, and Curly),
    meus desafetos anencéfalos

    O PT começou citando Karl Marx e terminou no colo do “bispo”.
    rsrsrsrs

    Na última semana, a Santíssima Trindade do PIG (composta pela TV Record e revistas Istoé e Carta Capital) vem tentando aproveitar o embalo da CPI do Cachoeira para emplacar matérias com o objetivo de confundir o público, atrapalhar as apurações e estimular a militância contra adversários do PT e do governo. A blogosfera sustentada com dinheiro público repercute diariamente as “notícias” surgidas nesses três veículos. A seguir, analisaremos o que há por trás desta verdadeira campanha empreendida pelos amigos do poder:
    Record e CartaCapital atacam a revista Veja

    A denúncia não é nova para quem acompanha as notícias sobre o caso Cachoeira: em longa reportagem em seu “Fantástico genérico” apresentado pelo ex-jornalista processado por ofensas racistas Paulo Henrique Amorim ontem (06), a TV do autodenominado bispo Edir Macedo afirma que o bicheiro teria mantido contato com o editor de Veja (alguns blogueiros governistas chegaram a falar em 200 telefonemas trocados; mesmo que o número fosse verdadeiro, não seria prova de envolvimento do jornalista com o esquema), e teria sido responsável por “ao menos 5 capas” da revista.

    Na capa de CartaCapital desta semana, reportagem compara o empresário Roberto Civita, presidente do grupo Abril, que edita a Veja, com Rupert Murdoch, dono do tabloide inglês News of The World, envolvido em escândalo recente por espionar políticos e celebridades em busca de notícias. A revista de Mino Carta só deixou de lado um “pequeno” detalhe na comparação: no caso do News of the World, havia diversas provas da conduta ilegal de seus editores e repórteres. Aqui, do que surgiu até agora, não há nenhum fato desabonador da conduta do repórter. Em uma das conversas vazadas (obviamente ignorada pelos setores governistas da blogosfera), Cachoeira chega a reclamar com um comparsa sobre a falta de “reciprocidade” na relação com Veja.

    A ofensiva contra Veja tem dois objetivos: fornecer um pretexto verossímil para que o governo desengavete projetos de controle da imprensa, como querem os setores mais radicais do petismo, e desqualificar a denúncia do Mensalão. Como se Cachoeira tivesse plantado José Dirceu e Delúbio Soares no governo Lula…
    IstoÉ, a revista de Daniel Dantas, ataca Serra e o governo paulista por manter contratos com a Delta

    Vocês certamente conhecem o histórico da revista IstoÉ com o PT. Ela foi o veículo que publicou o tal “dossiê Vedoin” contra a candidatura Serra nas eleições de 2006, caso que entrou para a história como o escândalo dos aloprados.

    Alguns meses antes, por conta da cobertura do primeiro escândalo envolvendo Antônio Palocci (a quebra de sigilo do caseiro Francenildo), o editor de política demissionário Luiz Cláudio Cunha havia se despedido da revista com uma carta bombástica endereçada a seu ex-chefe, publicada no site Observatório da Imprensa:
    http://www.observatoriodaimprensa.com.br/news/view/como_a_istoe_tornouse_istoera

    (…)

    ISTOÉ, pelo jeito, não quer afligir mais ninguém, principalmente os poderosos. Deve ser por isso que a ISTOÉ desta semana consegue o milagre de produzir uma matéria sobre o caseiro Nildo, aquele que viu as bandalheiras da “República de Ribeirão Preto”, sem citar uma única vez o santo nome de Antonio Palocci. E discorre sobre a vergonhosa quebra de sigilo do caseiro omitindo acintosamente o nome do assessor de imprensa Marcelo Netto, um dos suspeitos de envolvimento no crime. Reclamo porque fui eu que escrevi a matéria, e nela constavam os dois nomes – Palocci e Marcelo. Meu texto foi lipoaspirado, desintoxicado dos nomes do ministro e do assessor, e assim publicado. Por isso, recusei assinar a matéria, que não refletia o que o repórter mandou de Brasília na noite de quinta-feira 23 . E nem precisaria tanto drama, porque os nomes da dupla já estavam, desde manhã cedo, nas edições da Folha de S.Paulo e do Correio Braziliense. A revista não estaria fazendo carga contra ninguém, estaria apenas sendo fiel aos fatos. Perdeu uma bela oportunidade de não ficar calada. Até porque, momentos atrás, o Palocci acaba de se demitir, por todos os motivos que tínhamos e não explicitamos.

    (…)

    Diogo Mainardi também dedicou uma coluna às relações da revista com o petismo em setembro de 2006, intitulada IstoÉ, a mais vendida:

    “Fim de agosto. Base aérea de Congonhas.
    Lulase encontra com Domingo Alzugaray,
    dono da IstoÉ. O encontro está fora da
    agenda presidencial. Alzugaray se lamenta
    dos problemas financeiros da revista.
    Lula pergunta como pode ajudá-lo…”

    Pois bem. Esqueçam tudo isso. Os problemas financeiros da revista acabaram. Alzugaray acabou vendendo 51% da Editora Três, que publica a IstoÉ, em março de 2007. Desde então, a revista encontra-se “sob nova direção”. Confiram reportagem da Folha sobre a disputa pela empresa:

    Depois de três meses de negociações, o banqueiro Daniel Dantas, dono do Opportunity, comprou 51% da Editora Três, do empresário Domingo Alzugaray. O negócio será assinado até a próxima terça-feira, quando o grupo deverá fazer um comunicado oficial do negócio.

    Dantas disputou a compra da Editora Três, que publica a revista “IstoÉ”, com o empresário Nelson Tanure, do ‘JB’, e com os grupos Bandeirantes/Camargo Comunicações. Alzugaray optou pela proposta de Dantas.

    Nos dois últimos dias, a TV Record, do Bispo Edir Macedo, ainda tentou fazer uma proposta para a compra da editora, mas Alzugaray considerou o lance inviável.

    Os detalhes e os valores da operação de transferência de controle da Três para Dantas ainda não são conhecidos. Assim que o negócio for oficializado, ficou acertado que Dantas irá regularizar os salários atrasados. A maioria dos jornalistas da Editora Três encontra-se em estado de greve desde o início da semana.

    É preciso reconhecer aqui que a “blogosfera progressista” acertou ao menos uma: durante a Operação Satiagraha, Protógenes Queiroz e os blogueiros governistas afirmavam que Leonardo Attuch, repórter de IstoÉ, trabalhava a serviço de Daniel Dantas, relação trabalhista devidamente oficializada desde a aquisição da editora por parte do banqueiro.

    O jornalista Mino Pedrosa abordou o assunto recentemente em seu blog Quid Novi, confiram um trecho:

    (..)Leonardo Attuch foi flagrado na Operação Satiagraha como assessor de comunicação da organização criminosa. Certa vez, Carlos Rodemburg foi chamado na Editora Três, Revista Isto É Dinheiro, pelo presidente Domingos Alzugaray, para mostrar uma matéria feita por Leonardo Attuch denunciando o banqueiro Daniel Dantas usando o nome de laranjas no contrato do Opportunity com o Citybank. A matéria foi produzida a partir de um dossiê da Telecom Itália, que estava em litígio com a Brasil Telecom.

    Attuch foi chamado pela direção da Editora Três para apresentar a matéria que tinha produzido. A matéria não foi veiculada. Mas Attuch se cacifou perante Daniel Dantas, tornando-se seu homem de confiança na Imprensa.

    A partir daí foram várias as matérias publicadas na Isto É Dinheiro, “confeccionadas” por Attuch. Daniel Dantas fez uma compra de R$ 15 milhões em livros da Editora Três. E Attuch ficava visivelmente satisfeito com os negócios entre a BR Telecom e a Editora Três.

    Humberto Braz, “o mala”, era responsável mensalmente pela felicidade de Attuch. A imprensa , na época da Operação Sathiagaha, denunciou Attuch de receber propinas e presentes de Daniel Dantas, como por exemplo uma confortável casa no bairro classe A, de São Paulo, o Alphaville.

    A quadrilha de Daniel Dantas até hoje sustenta o “jornalista”. Montaram um site http://www.brasil247.com, onde Attuch atua sem se identificar, a serviço não só da quadrilha de Dantas, como também cuidando dos interesses de empresários como José Batista Junior, da Friboi, que se filiou ao PSB em Goiás para disputar o governo com Marconi Perillo (PSDB), e empresas como a Odebrech, apadrinhada pelo deputado cassado e personagem central no Mensalão do PT José Dirceu e o Banco BVA.

    (…)

    Nova direção, velho alvo

    A revista, agora sob o comando de Daniel Dantas, publicou reportagem essa semana sobre contratos da construtora Delta com a prefeitura e o governo de São Paulo, tentando envolver o ex-governador e ex-prefeito José Serra (sob cuja administração os contratos foram assinados) no rolo da CPI do Cachoeira. Ignorando o fato que a Delta mantinha contratos em 20 estados (trata-se da única empresa do ramo dedicada exclusivamente a obras públicas) e que nenhuma escuta revelada até agora cita o ex-governador, a revista afirma que a Delta “multiplicou contratos” durante suas gestões.

    O problema é que a construtora do amigão de Sergio Cabral nunca fez doações às campanhas de Serra, muito pelo contrário: segundo levantamento do site Contas Abertas, a Delta doou R$ 1,5 milhão para a campanha de Dilma Rousseff à Presidência em 2010, além de mais R$ 1,5 milhão ao diretório nacional do PMDB na mesma eleição. A construtora financia campanhas eleitorais desde 2002, e não há registro de doação a nenhuma campanha do PSDB nacional ou paulista.

    O objetivo aqui é livrar a cara dos governadores aliados do Governo Federal que realmente tiveram relação com a construtora e com o bicheiro. Ao sugerir o envolvimento de Serra, os aliados do governo na imprensa e no Congresso buscam na verdade “livrar a cara” dos governadores aliados que realmente tiveram relação próxima com a construtora e/ou com o esquema de Cachoeira: Sergio Cabral (PMDB-RJ) e Agnelo Queiroz (PT-DF), além de Marconi Perillo (PSDB-GO), que não deve (ou não deveria) ser poupado nem pelos próprios aliados.

    O Partido da Imprensa Governista quer melar a CPI do Cachoeira, melar o julgamento do Mensalão e ainda colocar sob suspeita adversários do governo e do PT.

    ERA DA MERDIOCRIDADE
    Petralhotários (e assemelhados) são animais sinantrópicos.

    (*) Nunca se esqueçam que eu sou puta e por experiência própria poso afirmar:
    O PT no governo é pornografia hard core. Feito na Rua Aurora.
    Apenas mudou o hotel.

    Aguardem os meus (continuação)… later on this Bat Channel, rsrsrs

  127. Elias said

    Zbigniew,

    A meu pensar, a bola está com Cachoeira e Demóstenes. Temos que esperar pra ver o acordo que eles fizeram.

    Que eles vão pro crematório, não há dúvida.

    Pro Cachoeira, será algo particularmente difícil. Ele vai puxar cana dura? Num presídio, ele teria pouco tempo de vida, até porque as áreas que ele hoje controla seriam disputadas por outros grupos. No “mercado” em que ele atua, essas coisas costumam ser resolvidas por meio de — como eles dizem — “providências executivas”, que são definitivas e não dependem de aperto de mão ou documentos assinados.

    Por isso, provavelmente o Cachoeira não é sensível a nenhum acordo que não inclua sua libertação.

    Será que o outro lado do balcão tem como bancar algo assim? Se tiver… Pizza! Se não tiver… Ele pode botar pra ferver!

    O Demóstenes, pra mim, é outra incógnita. Imagino que ele já deu o mandato de senador por perdido e tirou de seu horizonte o sonho de uma reeleição.

    Mas acho que ele considera plenamente alcançável, no futuro, um mandato de deputado federal ou estadual. Ele deve pensar: “E daí? Jader não conseguiu? Collor não voltou como senador? Por que não eu?”

    Se ele está pensando assim, ele deve se distanciar de Cachoeira (o que poderá fazer com que este fique ainda mais p… da vida). Acontece que quando Demóstenes for ouvido, o resultado da CPI já estará mais ou menos definido. Há, assim, uma grande chance de que um eventual (e remoto) revide do Cachoeira em cima do Demóstenes só aconteça pós-CPI.

    Pro Demóstenes, portanto, o preço pelo bom comportamento seria a manutenção dos direitos políticos, mesmo com a perda do mandato. Isto abreviaria o tempo de espera até a conquista de um novo mandato. Como ele terá que enfrentar processos na área penal, o mandato parlamentar lhe garante o foro privilegiado.

    A outra hipótese é o Demóstenes e o Cachoeira se darem um abraço de afogados… Aí o jogo anima. Com os dois falando o que sabem teria material pra muitos paletós… Vários deles com todos os botões…

    Mas acho esta última hipótese improvável.

    Pra mim, o mais certo é rifarem o Demóstenes, que perderá o mandato. Ele vai aceitar a penalidade de bico fechado, pensando num retorno futuro, como Collor e Jader…

    E os Civita?

    Bem, dificilmente o PT vai tomar a iniciativa de tentar ferrar com os Civita. No contexto atual, o PT perderia toda a vantagem que acumulou até aqui, nesse jogo.

    Quanto a isso, não tenho a menor dúvida: se acontecer alguma coisa ruim com os Civita, será por obra de graça dos depoimentos dos federais e, principalmente, do Cachoeira e/ou do Demóstenes. A CPI se movimentará “premida pelas circunstâncias, em face dos graves fatos revelados pelos depoentes” e, evidentemente, “por uma questão de respeito à opinião pública nacional, que exige a apuração da verdade, doa a quem doer…” e blá, blá, blá, blá…

    Se algo assim não acontecer, os Civita só terão que se preocupar com as insinuações e as quase-provas que assombrarão seu sono nos próximos anos… Sempre que o Apatolosaurus Repugnantus empestar o ar com alguma flatulência, o troco virá a galope…

    No momento, porém, os Civita têm muito mais a temer de seus aliados do que da CPI. Se é verdade que os aliados vão topar um acordo, então os Civita nada têm a temer.

    Ou seja, o Nojentosaurus Brasiliensis poderá continuar com sua dieta diária de remela… Ele não terá dificuldades em sobreviver…

  128. Patriarca da Paciência said

    Elias,

    não acho que a coisa esteja assim tão fácil para o Civita.

    Veja a declaração da Dilma:

    “Quem a conhece sabe que Dilma não tem medo de cara feia. Ainda na semana passada, quando recebeu um aviso dos barões da mídia, repassado pelo vice presidente Michel Temer, de que eles aceitariam a convocação de jornalistas da “Veja” na CPI, mas não a do dono da Editora Abril, Roberto Civita, respondeu com apenas duas palavras: “Problema deles”. ”

    http://noticias.r7.com/blogs/ricardo-kotscho/2012/05/08/coragem-e-a-marca-do-governo-dilma/

  129. Michelle de Souza Malone said

    Gooday everyone

    товарищами, V.Ex.ª e Bonehead (or Moe, Larry, and Curly),
    meus desafetos anencéfalos

    O PT começou citando Karl Marx e terminou no colo do “bispo”.
    rsrsrsrs

    Odebrecht cobra Lula

    Vera Magalhães, Folha de São Paulo

    A CPI do Cachoeira levou desconforto às empreiteiras, que se ressentem de voltar à berlinda depois de ficar estigmatizadas como fonte de corrupção em escândalos anteriores, como o dos anões do Orçamento, nos anos 90, e a Operação Castelo de Areia da Polícia Federal, de 2009, que depois foi sustada pela Justiça.

    Um dos expoentes do setor, Emílio Odebrecht, deixou clara a contrariedade em conversa reservada com o ex-presidente Lula, recentemente. O empresário disse que temia que, ao apoiar a CPI, Lula tivesse cometido seu primeiro erro político. Lula a princípio contra-argumentou, mas, depois de escutar bastante, silenciou.

    A TV Record do Bispo Macedo:

    ERA DA MERDIOCRIDADE
    Petralhotários (e assemelhados) são animais sinantrópicos.

    (*) Nunca se esqueçam que eu sou puta e por experiência própria poso afirmar:
    O PT no governo é pornografia hard core. Feito na Rua Aurora.
    Apenas mudou o hotel.

    Aguardem os meus (continuação)… later on this Bat Channel, rsrsrs

  130. Elias said

    Patriarca,

    I
    Que outra resposta a Dilma poderia dar?

    Se o Michel Temer passou o recado desse jeito, fez ele muito mal.

    Os barões da imprensa devem, rapidinho, arranjar um garoto de recado mais hábil…

    II
    Já leste o material que vazou? Eu já. E, notoriamente, ali não está tudo. Tem um monte de coisa apenas sugerida…

    Com o que tem lá, seria bobagem convocar a Veja. Ali há motivos de sobra pra muitas suspeitas, mas nenhuma prova de algum delito realmente grave. É só o cara negar… Esse ou aquele cara vai ficar “falado” porque é amigo de bandido, aceita favor de bandido, mas… Só isso.

    Agora, se tem coisa (que ainda não foi revelada) suficientemente sólida pra chamar a Veja, ou se essa coisa aparecer, dependendo do que for, claro que não se poderá convocar só o jornalista, o ascensorista, o estafeta e o chefe dos serviços gerais.

    Se, p.ex., em suas declarações, o Cachoeira implicar diretamente os Civita, e apresentar prova do que disser, claro que os Civita entram no rolo.

    Pelo que dizem, o Cachoeira tinha um esquema dentro da PF, outro dentro do MP, etc. Esses esquemões levantavam podres de um monte de gente. Ele usava esses podres pra se aproximar das pessoas e estabelecer relações de cooperação. Uma espécie de chantagem muito mais sutil que a extorsão pura e simples.

    Se isso é realmente verdade, então o Cachoeira teria, em seu poder, um vasto arquivo produzido pela arapongagem que ele aliciou. A questão é: esse vasto arquivo realmente existe? Existindo, o Cachoeira está disposto a usá-lo? O que ele teria a ganhar e a perder com isso? O PC Farias nunca abriu o jogo. Mas isso não impediu que ele fosse despachado. E olha que ele nem estava preso…!

    Como o Cachoeira está preso, seu cacife de negociador cai bastante. Pra ele, já não se trata de perder os anéis pra manter os dedos. De bom grado, ele abriria mão dos dedos pra manter o resto (até porque mão sem dedo não fecha, né?).

    Pelo que me falam alguns amigos, o que de pior o Cachoeira diria dos Civita, assim como de outros empresários, nada teria a ver com jornalismo ou jornalistas. Haveria coisas referentes aos Civita as quais o Policarpo, até hoje, ignora. Não teria por que o Policarpo ser convocado pra responder sobre coisas que ele notoriamente ignora.

    Que coisas são essas? Não faço a menor idéia. Vai que isso é só fantasia desse pessoal…

    Por mais que não seja, nada impede que passe por ser, né?

  131. Chesterton said

    Blogs e veículos de imprensa chapa branca que atuam como linha auxiliar de setores radicais do PT desfecharam uma campanha organizada contra a revista “Veja”, na esteira do escândalo Cachoeira/Demóstenes/Delta.
    A operação tem todas as características de retaliação pelas várias reportagens da revista das quais biografias de figuras estreladas do partido saíram manchadas, e de denúncias de esquemas de corrupção urdidos em Brasília por partidos da base aliada do governo.
    É indisfarçável, ainda, a tentativa de atemorização da imprensa profissional como um todo, algo que esses mesmos setores radicais do PT têm tentado transformar em rotina nos últimos nove anos, sem sucesso, graças ao compromisso, antes do presidente Lula e agora da presidente Dilma Roussef, com a liberdade de expressão.
    A manobra se baseia em fragmentos de grampos legais feitos pela Polícia Federal na investigação das atividades do bicheiro Carlinhos Cachoeira, pela qual se descobriu a verdadeira face do senador Demóstenes Torres, outrora bastião da moralidade, e, entre outros achados, ligações espúrias de Cachoeira com a construtora Delta.
    As gravações registraram vários contatos entre o diretor da Sucursal de “Veja” em Brasília, Policarpo Jr, e Cachoeira. O bicheiro municiou a reportagem da revista com informações e material de vídeo/gravações sobre o baixo mundo da política, de que alguns políticos petistas e aliados fazem parte.
    A constatação animou alas radicais do partido a dar o troco. O presidente petista, Rui Falcão, chegou a declarar formalmente que a CPI do Cachoeira iria “desmascarar o mensalão”.
    Aos poucos, os tais blogs começaram a soltar notas sobre uma suposta conspiração de “Veja” com o bicheiro. E, no fim de semana, reportagens de TV e na mídia impressa chapas brancas, devidamente replicados na internet, compararam Roberto Civita, da Abril, editora da revista, a Rupert Murdoch, o australiano-americano sob cerrada pressão na Inglaterra, devido aos crimes cometidos pelo seu jornal “News of the World”, fechado pelo próprio Murdoch.
    Comparar Civita a Murdoch é tosco exercício de má-fé, pois o jornal inglês invadiu, ele próprio, a privacidade alheia.
    Quer-se produzir um escândalo de imprensa sobre um contato repórter-fonte. Cada organização jornalística tem códigos, em que as regras sobre este relacionamento – sem o qual não existe notícia – têm destaque, pela sua importância.
    Como inexiste notícia passada de forma desinteressada, é preciso extremo cuidado principalmente no tratamento de informações vazadas por fontes no anonimato.
    Até aqui, nenhuma das gravações divulgadas indica que o diretor de “Veja” estivesse a serviço do bicheiro, como afirmam os blogs, ou com ele trocasse favores espúrios. Ao contrário, numa das gravações, o bicheiro se irrita com o fato de municiar o jornalista com informações e dele nada receber em troca.
    Estabelecem as Organizações Globo em um dos itens de seus Princípios Editoriais: “(…) é altamente recomendável que a relação com a fonte, por mais próxima que seja, não se transforme em relação de amizade. A lealdade do jornalista é com a notícia”.
    E em busca da notícia o repórter não pode escolher fontes. Mas as informações que vêm delas devem ser analisadas e confirmadas, antes da publicação. E nada pode ser oferecido em troca, com a óbvia exceção do anonimato, quando necessário.
    O próprio braço sindical do PT, durante a CPI de PC/Collor, abasteceu a imprensa com informações vazadas ilegalmente, a partir da quebra do sigilo bancário e fiscal de PC e outros.
    O “Washington Post” só pôde elucidar a invasão de um escritório democrata no conjunto Watergate porque um alto funcionário do FBI, o “Garganta Profunda”, repassou a seus jornalistas, ilegalmente, informações sigilosas.
    Só alguém de dentro do esquema do mensalão poderia denunciá-lo. Coube a Roberto Jefferson esta tarefa.
    A questão é como processar as informações obtidas da fonte, a partir do interesse público que elas tenham. E não houve desmentidos das reportagens de “Veja” que irritaram alas do PT.
    Ao contrário, a maior parte delas resultou em atitudes firmes da presidente Dilma Roussef, que demitiu ministros e funcionários, no que ficou conhecido no início do governo como uma faxina ética.

    Editorial de O Globo de hoje.

  132. Elias said

    Patriarca,

    A Michelle transcreveu, aí acima, uma nota da Vera Magalhães, relatando uma conversa “reservada” que Emílio Odebrecht teria tido com o Lula.

    Se a conversa já vazou pra FSP, então não foi tão “reservada” assim.

    Quem vazou?

    Dificilmente teria sido o Lula ou à ordem deste, pelo teor da conversa, pela forma como ela foi relatada à jornalista e, principalmente, porque o Lula detesta o pedantismo de aristocrata de aldeia dos Frias.

    Resta quem? O próprio Dom Emílio (ou, o que é mais provável, à sua ordem), certo?

    Como é comum acontecer nesses casos, pode ser que a coisa tenha sido passada diretamente por Dom Emílio pro topo da pirâmide da FSP, que, depois, escolheu a dedo quem e como deveria noticiá-la.

    Agora refaz os passos: alguém da posição de Emílio Odebrecht se movimenta pra achacar um ex-presidente da República. Em seguida, torna público o achaque que cometeu (face às circunstâncias, não há por que duvidar que o achaque tenha acontecido, exatamente como foi relatado pela jornalista), quando as mais elementares regras da prudência recomendariam sigilo. Afinal de contas, achaque é achaque, né?

    Mais, ainda: o achaque se relaciona a apuração de malfeitorias em que o nome de Dom Emílio não é citado nem lateralmente!

    Pra Dom Emílio, seria fácil uma reunião com as maiores construtoras do país, onde aprovaria a palavra de ordem: “Daqui pra frente, nem mais um centavo pras campanhas do PT”. Em seguida, alguém do segundo ou terceiro time “vazaria” pra imprensa um recado traduzindo essa palavra de ordem em tom ultra diplomático, como é do estilo das lideranças empresariais. Lula saberia pelos jornais.

    Em vez disso, ele preferiu comprar a dor que, aparentemente, não é sua, fazer o achaque pessoalmente, numa conversa “reservada” com Lula e, em seguida, “desreservar” a conversa. E pra quem? Exatamente pra FSP, a quem Lula adora, né?

    Por que Dom Emílio Odebrecht se deixa expor, assim, como autor de um achaque a um ex-presidente da República, e em tais circunstâncias?

    O que será que será isso?

    Coisas assim fazem a gente matutar sobre o potencial explosivo do material em poder do Cachoeira…

  133. # 106

    “Marcelo Augusto disse
    07/05/2012 às 20:59”

    escreve bem esse guri, hem?!

    CDF, sem deslumbre e empolação, apegado aos fatos, não cai em constrangedoras confusões lógicas…

    ;^)))

  134. Patriarca da Paciência said

    Análise do editorial do Globo:

    Comecemos pelo título. Evidentemente, Civita não é Murdoch. É pior. Murdoch queria só ganhar mais dinheiro. Civita queria ganhar mais dinheiro e derrubar governos. Murdoch espezinhava celebridades, divulgando fofocas e intimidades. Civita aliou-se a um mafioso para espionar autoridades com objetivo de chantageá-las e obter vantagens financeiras e políticas. É como se descobrissem que a Fox aliou-se a Bin Laden para tentar derrubar Obama, ou que o Times aliou-se à máfia chinesa, que lhe fornecia vídeos oriundos de grampos ilegais, com objetivo de derrubar o primeiro-ministro inglês.

    Blogs e veículos de imprensa chapa-branca que atuam como linha auxiliar de setores radicais do PT desfecharam uma campanha organizada contra a revista “Veja”, na esteira do escândalo Cachoeira/Demóstenes/Delta.

    Globo inicia o texto através de uma desqualificação grosseira. Baixou o nível. Blogs não tem obrigação de ser neutros, nem de apoiar, nem de ser críticos. Blogs políticos nascem do desejo pessoal de cidadãos brasileiros de expressarem sua opinião. Chamá-los de chapa branca é aplicar-lhes um conceito já meio anacrônico do jornalismo comercial. É ofensivo e equivocado. O Globo jamais chamou o blog da Veja, ou a própria Veja, que são notoriamente pró-tucanos, de chapa-brancas em relação ao governo de São Paulo. Na verdade, com o aumento do poder da mídia, somado às circunstâncias políticas e históricas da democracia brasileira, de repente ficou muito conveniente para a imprensa corporativa alardear sua ideologia de que “jornalismo é oposição”. Pena que não fez isso durante a ditadura brasileira, quando serviu à esta com submissão voluntária.

    Além disso, Globo difunde uma inverdade ao atribuir a postura dos blogs à “linha auxiliar de setores radicais do PT”. A indignação pública contra os desmandos de Rupert Murdoch não veio de setores esquerdistas radicais, assim como a indignação contra a Veja também funciona num diapasão muito acima do PT. É um movimento popular autêntico. E a campanha não é organizada, como são as campanhas “anti-corrupção” patrocinadas pela mídia e setores do conservadorismo. Aí sim, há dinheiro e espaço nos jornais, em ações coordenadas que usam oportunisticamente a luta contra a corrupção para fazer proselitismo ideológico barato.

    A operação tem todas as características de retaliação pelas várias reportagens da revista das quais biografias de figuras estreladas do partido saíram manchadas, e de denúncias de esquemas de corrupção urdidos em Brasília por partidos da base aliada do governo. É indisfarçável, ainda, a tentativa de atemorização da imprensa profissional como um todo, algo que esses mesmos setores radicais do PT têm tentado transformar em rotina nos últimos nove anos, sem sucesso, graças ao compromisso, antes do presidente Lula e agora da presidente Dilma Rousseff, com a liberdade de expressão.

    O que o Globo chama de retaliação, seria mais apropriado chamar de reação natural. Reação não apenas de petistas, mas de amplos setores da intelectualidade, e da esquerda em geral, e não só do Brasil, mas de todas as Américas (incluindo aí os EUA), às consequências nocivas da concentração da mídia ao processo democrático. Esta é uma crítica que se faz desde Cidadão Kane, de Orson Welles, filmado em 1941. É uma crítica democrática, saudável. Ou o Globo acha que devemos achar muito normal que uma revista use, ao longo de vários anos, grampos clandestinos fornecidos por uma máfia sinistra, fazendo matérias que beneficiam financeiramente este grupo e a própria revista?

    A mídia omite a si mesma de suas análises políticas. Ela se trata como uma espécie de deidade intocável, a “imprensa independente”, ou “imprensa livre”, quando na verdade sabemos que são empresas com interesses econômicos muito específicos. A Veja, por exemplo, tem empresas que vendem livros didáticos para o Estado, e tem faturado milhões com esse negócio, onde há uma relação promíscua entre política, imprensa e, como agora está claro, máfia.

    A manobra se baseia em fragmentos de grampos legais feitos pela Polícia Federal na investigação das atividades do bicheiro Carlinhos Cachoeira, pela qual se descobriu a verdadeira face do senador Demóstenes Torres, outrora bastião da moralidade, e, entre outros achados, ligações espúrias de Cachoeira com a construtora Delta. As gravações registraram vários contatos entre o diretor da sucursal de “Veja” em Brasília, Policarpo Jr., e Cachoeira. O bicheiro municiou a reportagem da revista com informações e material de vídeo/gravações sobre o baixo mundo da política, de que alguns políticos petistas e aliados fazem parte.

    Exatamente, a “manobra” se baseia em grampos legais. Quer dizer que a Globo defende que apenas ela pode “manobrar” grampos, de preferência ilegais?

    A constatação animou alas radicais do partido a dar o troco. O presidente petista, Rui Falcão, chegou a declarar formalmente que a CPI do Cachoeira iria “desmascarar o mensalão”. Aos poucos, os tais blogs começaram a soltar notas sobre uma suposta conspiração de “Veja” com o bicheiro. E, no fim de semana, reportagens de TV e na mídia impressa chapas-brancas, devidamente replicadas na internet, compararam Roberto Civita, da Abril, editora da revista, a Rupert Murdoch, o australiano-americano sob cerrada pressão na Inglaterra, devido aos crimes cometidos pelo seu jornal “News of the World”, fechado pelo próprio Murdoch.

    Comparar Civita a Murdoch é tosco exercício de má-fé, pois o jornal inglês invadiu, ele próprio, a privacidade alheia. Quer-se produzir um escândalo de imprensa sobre um contato repórter-fonte. Cada organização jornalística tem códigos, em que as regras sobre este relacionamento – sem o qual não existe notícia – têm destaque, pela sua importância. Como inexiste notícia passada de forma desinteressada, é preciso extremo cuidado principalmente no tratamento de informações vazadas por fontes no anonimato. Até aqui, nenhuma das gravações divulgadas indica que o diretor de “Veja” estivesse a serviço do bicheiro, como afirmam os blogs, ou com ele trocasse favores espúrios. Ao contrário, numa das gravações, o bicheiro se irrita com o fato de municiar o jornalista com informações e dele nada receber em troca.

    A comparação é válida, e Civita leva a pior, como já expliquei acima. Murdoch espionou a privacidade alheia. Civita aliou-se à uma máfia política. Há várias gravações que mostram uma relação promíscua entre a revista e o bicheiro sim. Globo quer tapar o sol com peneira. Além disso, há muitas gravações que ainda não chegaram ao conhecimento do público. Há sim uma indignação muito grande de amplos setores da sociedade contra a ética jornalística da Veja. E contra o Globo também. Os platinados tentam blindar a Veja porque tem medo que sejam atingidos por algum petardo similar, visto que as reportagens que Civita publicava, a mando de Cachoeira, repercutiam imediatamente no Globo, em especial no temível Jornal Nacional. Na verdade, a Veja era apenas a porta de entrada para o noticiário televisivo, onde, aí sim, os estragos políticos contra os inimigos do esquema Cachoeira (honestos ou não) eram quase sempre fatais. Eu não engulo aqueles 7 a 8 minutos que o Globo deu a Rubnei Quicoli, bandidinho de terceira categoria, ex-presidiário, no Jornal Nacional, às vésperas do primeiro turno das eleições presidenciais, com base em matérias da… Veja.

    Estabelecem as Organizações Globo em um dos itens de seus Princípios Editoriais: “(…) é altamente recomendável que a relação com a fonte, por mais próxima que seja, não se transforme em relação de amizade. A lealdade do jornalista é com a notícia.” E em busca da notícia o repórter não pode escolher fontes. Mas as informações que vêm delas devem ser analisadas e confirmadas, antes da publicação. E nada pode ser oferecido em troca, com a óbvia exceção do anonimato, quando necessário.

    Os princípios editoriais do Globo são uma piada de mau gosto. A Globo se transformou numa empresa que oprime ideologicamente seus jornalistas, violentando-lhes a liberdade de se manifestarem politicamente. A Globo é inimiga da liberdade de expressão de seus próprios empregados. Princípios não valem nada, além disso, se não correspondem à prática. O Globo escolhe despudoradamente suas fontes de acordo com seus interesses políticos, e sua lealdade não é com a notícia e sim com a ideologia dos patrões, mesmo que para isso precise sacrificar a notícia.

    O próprio braço sindical do PT, durante a CPI de PC/Collor, abasteceu a imprensa com informações vazadas ilegalmente, a partir da quebra do sigilo bancário e fiscal de PC e outros. O “Washington Post” só pôde elucidar a invasão de um escritório democrata no conjunto Watergate porque um alto funcionário do FBI, o Garganta Profunda, repassou a seus jornalistas, ilegalmente, informações sigilosas. Só alguém de dentro do esquema do mensalão poderia denunciá-lo. Coube a Roberto Jefferson esta tarefa.

    Uma coisa é o vazamento ilegal de grampos realizados com autorização judicial. Não é um crime tão grave, embora também tenhamos aí uma situação muito irregular e, às vezes, perigosa, já que se formam conluios interessados entre setores da polícia e imprensa. Outra coisa é o vazamento de dados sigilosos bancários e fiscais. Aí temos um crime grave contra a privacidade, que tem sido muito raro nos últimos anos. O vazamento dos dados do caseiro Francenildo, por exemplo, derrubou um ministro da Fazenda. O Globo sempre atacou com muita virulência esse tipo de prática, então fica incongruente pregar o “locupletemo-nos todos” apenas para defender o uso de grampos clandestinos pela revista Veja.

    Uma terceira coisa, porém, totalmente distinta, é usar grampos ilegais, pagos e realizados por uma máfia política, que tem naturalmente interesses financeiros escusos em divulgá-los. É um crime infinitamente mais grave. A comparação com o caso Watergate é descabida também por causa disso. A fonte era um alto funcionário do FBI, ou seja, alguém do Estado, não era um membro do esquema Cachoeira, um bandido corrupto, com interesses partidários, como eram as fontes de Veja.

    A questão é como processar as informações obtidas da fonte, a partir do interesse público que elas tenham. E não houve desmentidos das reportagens de “Veja” que irritaram alas do PT. Ao contrário, a maior parte delas resultou em atitudes firmes da presidente Dilma Rousseff, que demitiu ministros e funcionários, no que ficou conhecido no início do governo como uma faxina ética.

    Mais uma vez a mídia omite seu próprio poder, além de mentir. Houve sim desmentidos, fortes, dos envolvidos. A presidenta Dilma demitiu alguns ministros sem prova, por conta da instabilidade política provocada pela própria mídia. Alguns talvez tivessem culpa no cartório, como aliás quase todo ser humano tem, mas sua maior culpa consistia em serem ministros de um governo trabalhista. As crises ministeriais tinham início através de uma denúncia, mas depois nem importava que essas denúncias não fossem verdadeiras: iniciava-se uma campanha maciça, organizada, para derrubar aquele alvo específico, atacando membros do partido, mesmo que nada tivessem a ver com o acusado. Foi o caso de Orlando Silva, em que a mídia começou a atacar o PCdoB de forma generalizada, inclusive Manuela D’Ávila, quadro importante do partido e ao mesmo tempo vulnerável por ser candidata à prefeitura de Porto Alegre, disputando um eleitorado fortemente politizado e, por isso, sensível a campanhas de imprensa. A mídia não perdoa nem a família. No caso do Sarney, não escapou nem uma neta de menos de 20 anos, que cometeu o crime terrível de ligar para o avô e pedir emprego para o namorado. Quando os envolvidos são aliados da mídia, aí a blindagem é completa. Demóstenes Torres ligou para Aécio para pedir emprego para a prima de Cachoeira, foi atendido, e não se criou escândalo nenhum. Ou seja, os Princípios do Globo me parecem bem flexíveis.

    O editorial do Globo, por outro lado, corresponde a mais um atestado de que a blogosfera vem se tornando cada vez mais influente. É um contrapeso importante à mídia corporativa. É um verdadeiro ombudsman coletivo e independente do trabalho da imprensa brasileira. Em nome da liberdade de expressão, da democracia, do jornalismo, o Globo deveria agradecer a blogosfera, que lhe presta um serviço, gratuitamente, permitindo-lhe aprimorar-se. A imprensa, pressionada pela blogosfera, se vê obrigada a frear um pouco o conservadorismo doentio, fanático e partidário para o qual parece eventualmente enveredar.

    Nem sempre a blogosfera está certa. Mas ela não se pretende infalível. A blogosfera é, na maioria dos casos, assumidamente tendenciosa, ideológica, partidária, ou seja, totalmente oposta à neutralidade higiênica e hipócrita da imprensa corporativa. A blogosfera, todavia, é bem mais livre das amarras que prendem jornais a uma série de interesses econômicos. Blogueiros e comentaristas não são amordaçados pelos “códigos de conduta” que alguns meios impõem – tiranicamente – a seus empregados. Como blogueiro, observo às vezes até meio estupefato como as mesmas massas que apoiavam a Dilma, de repente passam a criticá-la ferozmente no dia seguinte, para voltar a apoiá-la posteriormente, tendo como base sempre e exclusivamente a independência de seu juízo. As massas blogosféricas (hoje integradas em redes sociais) são instáveis, anárquicas, imprevisíveis e livres, como jamais a imprensa, ou a velha mídia, será. Ao detratá-la, portanto, o Globo ataca o próprio símbolo da contemporaneidade, e dá recibo de sua insegurança perante um novo mundo.
    http://www.ocafezinho.com/2012/05/08/globo-ataca-blogosfera/

  135. Elias said

    Gostei do editorial d´O Globo.

    Que bom que, lá é assim…

    Me faz lembrar uma notícia dada há muitos anos, pelo Jornal Nacional, de que a Petrobrás tinha achado óleo na Baía do Marajó, no Pará.

    Um novo Mar do Norte!!!

    A tevê colocou no ar imagens do então presidente José Sarney, visivelmente constrangido, falando ao telefone com um técnico da plataforma da Petrobrás.

    No dia seguinte, os jornais ligados à Rede Globo, em todo o país, deram a notícia… Que só ganhou esse destaque nos veículos da Rede Globo…

    Depois se viu que era tudo papo furado. As perfurações na Baía do Marajó não acharam nem água quente…

    Mas é claro que essa notícia nada teve a ver com a subsequente valorização das ações da Petrobrás, nem com o vencimento das operações de opção.

    Também nada teve a ver com o fato do megaespeculador Naji Nahas estar “vendido” no vencimento das opções, nem com a consequente falência dele, que, no passado recente, desafiara a poderosa Roma (pra quem não sabe, “Ro” de Roberto e “Ma” de Marinho, um megabanco de investimentos).

    O Brasil não é pra amadores… Aliás, mesmo profissionais da esperteza, como Nahas (que, tempos antes, havia estourado a boca do balão especulando com ouro nos EUA), têm que tomar cuidado, ao nadar em águas brasileiras…

    Bem, agora ele sabe… Só que descobriu tarde demais, né?

    Até amanhã.

  136. Patriarca da Paciência said

    Elias,

    já inventaram um monte de coisas sobre a CPI, entre outras, que o PT estava fazendo operação de abafa, que a Dilma estava contrariada, que o maior prejudicado seria o PT etc.etc.etc.

    Dilma até agora não tem se mostrado nem um pouco contrariada. O pessoal do PT está apoiando a CPI em peso e Lula também.

    Para mim, esse “encontro reservado” com o Lula é só mais uma tentativa de intimidação.

  137. “Também nada teve a ver com o fato do megaespeculador Naji Nahas estar “vendido” no vencimento das opções, nem com a consequente falência dele, que, no passado recente, desafiara a poderosa Roma (pra quem não sabe, “Ro” de Roberto e “Ma” de Marinho, um megabanco de investimentos).”

    fica quieto, deixa de ser sem vergonha, vai estudar e parar de dizer bobagens…

    ;^)))

  138. Jose Mario HRP said

    Sensacional:
    Patriarca percebeu que Ruppert Murdoch é anjinho perto dos Civittas!
    Aliás noooooossssaaa imprensa se encastelou na santidade da Liberdade de Imprensa e passou a praticar a Imprensa Marron como se fosse o ritual da Livre Expressão!
    Nossa Doroty Malone é o exemplo clássico do vegetal criado nas estufas Hidroponicas do “VEJISISMO” endemico!
    MARRON de todos os matizes!
    Petralha sou, burrego manietado jamais!

  139. Patriarca da Paciência said

    É isso aí, meu caro HRP,

    a análise do Miguel do Rosário (blog o cafezinho) é bem superior ao editorial do Globo.

    E tem muito mais classe

  140. Patriarca da Paciência said

    “A revista, (IstoÉ) agora sob o comando de Daniel Dantas, publicou reportagem essa semana sobre contratos da construtora Delta com a prefeitura e o governo de São Paulo, tentando envolver o ex-governador e ex-prefeito José Serra (sob cuja administração os contratos foram assinados) no rolo da CPI do Cachoeira. Ignorando o fato que a Delta mantinha contratos em 20 estados (trata-se da única empresa do ramo dedicada exclusivamente a obras públicas) e que nenhuma escuta revelada até agora cita o ex-governador, a revista afirma que a Delta “multiplicou contratos” durante suas gestões”

    Sra. BESTA,

    isto ultrapassa, em muito, o samba do crioulo doido!

    É algo pra lá de surrealista, ultrapassando até o psicodélico !

    Só mesmo Vossa Bestialidade para acreditar em algo tão estapafúrdio!

    Ou seja, a luta do século, Daniel Dantas contra José Serra!

  141. Michelle de Souza Malone said

    Gooday everyone

    товарищами, V.Ex.ª e Bonehead (or Moe, Larry, and Curly),
    meus desafetos anencéfalos

    O PT começou citando Karl Marx e terminou no colo do “bispo”.
    rsrsrsrs

    1. Para os petralhotários curiosos eis minha foto:
    http://projects.latimes.com/hollywood/star-walk/dorothy-malone/

    2.#138 afirmou “Petralha sou, burrego manietado jamais!”

    Eu não estou aqui para desmentir ninguém.
    Também nunca afirmei que vc era “manietado”.
    Na minha opinião, vc seria apenas um animal sinantrópico.
    Um típico petralhotário.
    Nem menos, nem mais.
    E daqui por diante ao se referir a mim, sem minha autorização, me chame de Senhora Malone…como eu acho que vc chama a Senhora HRP, sua mãe, aquela santa Senhora.
    Não faça como V.Ex.ª. o Ascensoristo da Paciência, que vive chamando a própria mãe de D. Besta.

    ERA DA MERDIOCRIDADE
    Petralhotários (e assemelhados) são animais sinantrópicos.

    (*) Nunca se esqueçam que eu sou puta e por experiência própria posso afirmar:
    O PT no governo é pornografia hard core. Feito na Rua Aurora.
    Apenas mudou o hotel.

    Aguardem os meus (continuação)… later on this Bat Channel, rsrsrs

  142. Patriarca da Paciência said

    Sra. BESTA,

    Vossa Bestialidade precisa ler com mais regularidade o Reinaldinho Cabeção. Pelo menos assim, Vossa Bestialidade saberá no que anda pensando.

  143. Patriarca da Paciência said

    Pois é, Sra. BESTA,

    EM 1945 Vossa Bestialidade era bem bonita.

    Mas isso já faz um bom tempo, não é mesmo?

  144. Michelle de Souza Malone said

    Segredo de polichinelo
    08 de maio de 2012 | 3h 06
    Dora Kramer – O Estado de S.Paulo

    Tem sido desproporcional a energia empregada por parte de integrantes da CPMI para resguardar o sigilo de informações que todos os dias chegam de alguma forma à imprensa e o esforço empregado nas investigações propriamente ditas.

    Instalam-se câmeras na sala do “cofre”, fica proibida a entrada de assessores, veta-se o uso de aparelhos eletrônicos, monta-se vigilância 24 horas ao molde de um aparato de preparação para a guerra. Empreendimento um tanto inútil frente aos vazamentos diários por outras vias que não o Congresso.

    Fica parecendo mais um teatro com vistas a, em algum momento, criminalizar a comissão desviando o foco da discussão do conteúdo para a forma, ou uma justificativa prévia para proteções indevidas.

    Não deixa de ser uma contradição em termos, pois o autointitulado “Poder mais aberto da República” só instalou a comissão de inquérito para esmiuçar o alcance das relações de um “capo” do jogo ilegal com agentes públicos e privados por causa da divulgação dos grampos telefônicos feitos pela Polícia Federal, na Operação Monte Carlo, a despeito do sigilo de Justiça.

    Se a imprensa não tivesse publicado o conteúdo de telefonemas entre o contraventor Carlos Augusto Ramos, vulgo Cachoeira, e o senador Demóstenes Torres, não haveria nem CPMI nem abertura de processo no Conselho de Ética contra o parlamentar.

    Continuaríamos acreditando na lisura e no rigor de Demóstenes, bem como as relações da empreiteira Delta com o poder público federal, estadual e municipal ainda seriam apenas objeto de dispersas suspeitas.

    Até então só o que se sabia sobre a empresa de Fernando Cavendish era que apresentava um crescimento exorbitante em seus negócios País afora e que o dono mantinha amizade com o governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral Filho.

    Proximidade tão passível de questionamentos de ordem pública, que por causa dela o governador providenciou a elaboração de um código para informar a si e à administração estadual o que significa comportamento ético.

    O plano de trabalho da CPMI aprovado na semana passada saiu até bem razoável. Mas, uma coisa é o plano, outra o trabalho propriamente dito.

    Nesse aspecto está se desenhando um cenário preocupante de lentidão e confusão no tocante às investigações em contraste com a agilidade para a montagem de uma casamata para o abrigo das informações.

    Há diferenças, como já alertaram o deputado Miro Teixeira e o senador Pedro Taques, ambos integrantes da comissão, entre o segredo necessário ao bom andamento das investigações e o sigilo que protege o bandido.

    No Brasil ninguém está obrigado a fazer nada que não seja por determinação de lei. E a lei maior, a Constituição, em seu artigo 37, obriga a administração pública a seguir os princípios da probidade, da impessoalidade, da eficiência e da publicidade.

    O esforço demandado em prol do segredo pode vir a se chocar com todos esses preceitos. Eventualidade que começará a ser esclarecida no debate interno sobre a convocação de governadores de alguma maneira, direta ou indireta, suspeitos de possíveis ligações com as organizações Cachoeira.

    Nesse embate já vamos perceber se vai prevalecer a disposição de desvendar os crimes ou se a ideia é fazer da comissão uma arena de joguinhos de queda de braço entre partidos.

    O esclarecimento sobre envolvimentos de poderes executivos estaduais e municipais só será possível ser feito sob o olhar de todo o País no ambiente do Congresso Nacional, como indicam os frágeis ensaios de se instalarem comissões de inquérito locais.

    A dificuldade guarda relação com a influência de governadores e prefeitos sobre os respectivos legislativos e também com o déficit de independência da imprensa no âmbito regional.

    Se quiser ser levada a sério a CPMI precisa oferecer ao público mais que segredos de polichinelo. Sem uma aliança com a transparência não avança para além daquilo que já se sabe. E sabe-se, aliás, graças à liberdade de imprensa um dos pilares do resguardo do direito da sociedade à informação.

  145. Michelle de Souza Malone said

    (continuação)
    Gooday everyone

    товарищами, V.Ex.ª e Bonehead (or Moe, Larry, and Curly),
    meus desafetos anencéfalos

    O PT começou citando Karl Marx e terminou no colo do “bispo”.
    rsrsrsrs
    Para reflexão:

    Exclusivo: 247 obtém 40 Giga de informações da Operação Monte Carlo

    O que a CPI não quer mostrar ao público estará disponível ainda nesta noite no 247, seja no site, no Facebook ou em endereços alternativos. Apesar de toda a adversidade enfrentada nos últimos dias, quando nos vimos obrigados a redirecionar a página do Brasil 247 para o Facebook, continuamos a buscar – e conseguir – a melhor informação para os nossos leitores

    247 – No dia 27 de abril, o Jornal Nacional, da Rede Globo, creditou ao 247 a publicação do inquérito enviado pelo ministro Ricardo Lewandowski, do STF, à CPI Mista do Congresso Nacional que investiga as atividades do bicheiro Carlos Cachoeira. A divulgação da íntegra da Operação Monte Carlo contrariou os interesses de todas as forças que lutam para evitar a transparência e o acesso do público a informações fundamentais para a compreensão de um dos maiores escândalos políticos da história do País.

    Desde então, nossos leitores têm enfrentado dificuldades para acessar nossas páginas, pelo que nos desculpamos. Diante disso, estamos realizando um diagnóstico completo sobre o ocorrido – o que pode incluir causas internas e também externas, como eventuais ataques. Se for este o caso, os responsáveis serão identificados e punidos na esfera criminal.

    Em paralelo, estamos também promovendo uma migração da plataforma tecnológica para que o movimento 247 se torne o site mais rápido e seguro da internet brasileira. Esta migração está em pleno curso e deverá ser concluída nas próximas horas. Apesar das adversidades, estamos, assim, em plena execução de um importante salto qualitativo.

    O cenário de dificuldades com a área de tecnologia não impediu que continuássemos lutando, 24 horas por dia, sete dias por semana, na busca pela informação quente, relevante e de qualidade.

    Neste sentido, graças ao trabalho jornalístico do editor Vassil Oliveira, responsável pela operação do Goiás 247, obtivemos toda a informação relacionada às investigações da Operação Monte Carlo. Temos agora mais de 40 giga de arquivos de texto, áudio e vídeo – quase todos ainda inéditos.

    Este pacote de informação está sendo preparado e ficará à disposição dos leitores nas próximas horas. Nossa proposta de jornalismo é também colaborativa. Quando divulgamos o inquérito, muitos leitores nos ajudaram a garimpar informações relevantes. Agora, mais uma vez, todos estão convidados a se unir a nós neste esforço pela verdade e pela transparência….

    Entenderam petralhotários ou será necessário usar imagens. Massinhas coloridas, Lego ou etc ?

    Como sabemos uma imagem fala por 1 zilhão de palavras. Menos para os petralhas.
    but
    “Menas ainda” é claro para V.Ex.ª, o Ascensoristo da Paciência….o sinantrópico petralhotário.
    Saudações respeitosas à Senhora sua mãe, a D.BESTA, aquela santa.

    ERA DA MERDIOCRIDADE
    Petralhotários (e assemelhados) são animais sinantrópicos.

    (*) Nunca se esqueçam que eu sou puta e por experiência própria posso afirmar:
    O PT no governo é pornografia hard core. Feito na Rua Aurora.
    Apenas mudou o hotel.

    Aguardem os meus (continuação)… later on this Bat Channel, rsrsrs

  146. Elias said

    Bundão # 137,

    Eu coloquei isso de propósito, pra te provocar, porque sabia que tu virias dizendo esse tipo de merda…

    Vai ver, a Veja mentiu quando contou essa história.

    A direita, além de burra, e desmemoriada e hilária.

    Idiota…!

    Huá! Huá! Huá! Huá!

  147. Elias said

    Aliás, a Exame também contou. Com muito mais detalhes…

  148. Michelle de Souza Malone said

    (continuação)
    Gooday everyone

    товарищами, V.Ex.ª e Bonehead (or Moe, Larry, and Curly),
    meus desafetos anencéfalos

    O PT começou citando Karl Marx e terminou no colo do “bispo”.
    rsrsrsrs
    Para reflexão:

    Who let the dogs out?

    ERA DA MERDIOCRIDADE
    Petralhotários (e assemelhados) são animais sinantrópicos.

    (*) Nunca se esqueçam que eu sou puta e por experiência própria posso afirmar:
    O PT no governo é pornografia hard core. Feito na Rua Aurora.
    Apenas mudou o hotel.

    Aguardem os meus (continuação)… later on this Bat Channel, rsrsrs

  149. Michelle de Souza Malone said

    (continuação)
    Gooday everyone

    товарищами, V.Ex.ª e Bonehead (or Moe, Larry, and Curly),
    meus desafetos anencéfalos

    O PT começou citando Karl Marx e terminou no colo do “bispo”.
    rsrsrsrs
    Para reflexão:

    terça-feira, 8 de maio de 2012
    JBS, onde o BNDES é sócio com 30%, doou R$ 65 milhões para partidos e candidatos em 2010.
    Para quem fatura mais de R$ 60 bilhões, uma doação de R$ 65 milhões pode ser pouco. É muito quando esta empresa recebeu sucessivos aportes do BNDES, ao ponto do banco estatal possuir 30% do seu capital. Podemos inferir que o BNDES doou quase R$ 20 milhões dos cofres públicos para o bolso de candidatos. O PT, como sempre, foi o mais beneficiado. Recebeu R$ 13 milhões como partido e entre os seus candidatos mais beneficiados estão o Mercadante com R$ 1 milhão e a Marta Suplicy com R$ 500 mil. Mas também tem a Ana Júlia Carepa, envolvida até os olhos com a Delta, que recebeu R$ 280 mil. Mas não pensem que só o PT se beneficiou. O tucano Marconi Perillo, outro que está envolvido com a gang do Cavendish, recebeu R$ 3 milhões. E Jarbas Vasconcellos, membro da CPMI, do PMDB, também levou R$ 1,5 milhão.

    Por que tudo isso sobre a JBS, o maior conglomerado de carne do mundo? Simples. Ela está comprando a Delta. Como o BNDES tem 30% da empresa, o bancão também está comprando. No final das contas, tem dinheiro público tapando o buraco de roubalheira de dinheiro público. Alguém vai reclamar? Possivelmente não. Um doador de R$ 65 milhões é praticamente intocável

    Who let the dogs out?

    ERA DA MERDIOCRIDADE
    Petralhotários (e assemelhados) são animais sinantrópicos.

    Hoje estou com a macaca. (*)

    Nem se preocupem, a macaca não é mãe de ninguém aqui.
    A mãe de V.Ex.ª é a D. Berta, digo D. Besta, aquela santa senhora.
    A mãe do outro é D. HRP, aquela santa senhora.
    Que não tem nada a ver com Dona Besta ou D. HRP.
    Outra Santa.
    Ela é apenas a mãe do outro.

    (*) Nunca se esqueçam que eu sou puta e por experiência própria posso afirmar:
    O PT no governo é pornografia hard core. Feito na Rua Aurora.
    Apenas mudou o hotel.

    Aguardem os meus (continuação)… later on this Bat Channel, rsrsrs

  150. Pax said

    Dor…

    Ao menos já estou em casa. A moto tb. Seguro bom vale cada centavo quando se precisa e ele funciona.

    Mas… Dor…

    Enviado via iPhone

  151. Chesterton said

    Collor não aprendeu nada em 20 anos. Também não esqueceu nada! E empresta o seu velho rancor aos novos rancores que petistas foram acumulando nesses sete nos. Há duas décadas, eles próprios estavam entre as fontes principais da imprensa. Se há bobalhão achando que a rusga é com a VEJA e pronto!, está errado. Hoje, tentam um tribunal político contra a revista; amanhã é contra outro qualquer.

    A CPI vai decidir se, contra os fatos e contra as evidências, será refém da conspiração do ódio.

    Por Reinaldo Azevedo

  152. Michelle de Souza Malone said

    (continuação)
    Gooday everyone

    товарищами, V.Ex.ª e Bonehead (or Moe, Larry, and Curly),
    meus desafetos anencéfalos

    O PT começou citando Karl Marx e terminou no colo do “bispo”.
    rsrsrsrs
    Para reflexão:

    terça-feira, 8 de maio de 2012
    JBS, onde o BNDES é sócio com 30%, doou R$ 65 milhões para partidos e candidatos em 2010.
    Para quem fatura mais de R$ 60 bilhões, uma doação de R$ 65 milhões pode ser pouco. É muito quando esta empresa recebeu sucessivos aportes do BNDES, ao ponto do banco estatal possuir 30% do seu capital. Podemos inferir que o BNDES doou quase R$ 20 milhões dos cofres públicos para o bolso de candidatos. O PT, como sempre, foi o mais beneficiado. Recebeu R$ 13 milhões como partido e entre os seus candidatos mais beneficiados estão o Mercadante com R$ 1 milhão e a Marta Suplicy com R$ 500 mil. Mas também tem a Ana Júlia Carepa, envolvida até os olhos com a Delta, que recebeu R$ 280 mil. Mas não pensem que só o PT se beneficiou. O tucano Marconi Perillo, outro que está envolvido com a gang do Cavendish, recebeu R$ 3 milhões. E Jarbas Vasconcellos, membro da CPMI, do PMDB, também levou R$ 1,5 milhão.

    Por que tudo isso sobre a JBS, o maior conglomerado de carne do mundo? Simples. Ela está comprando a Delta. Como o BNDES tem 30% da empresa, o bancão também está comprando. No final das contas, tem dinheiro público tapando o buraco de roubalheira de dinheiro público. Alguém vai reclamar? Possivelmente não. Um doador de R$ 65 milhões é praticamente intocável

    Who let the dogs out?

    ERA DA MERDIOCRIDADE
    Petralhotários (e assemelhados) são animais sinantrópicos.

    Hoje estou com a macaca. (*)

    Pergunto:
    QUE CATZO TEM UMA EMPRSA DE PROCESSAMENTO DE CARNES A VER COM
    UMA CONSTRUTORA DE GRANDES OBRAS FEDERAIS…?
    Don Elio responde;
    – Nada pessoal. Apenas negócios.

    Nem se preocupem, a macaca não é mãe de ninguém aqui.
    A mãe de V.Ex.ª é a D. Berta, digo D. Besta, aquela santa senhora.
    A mãe do outro é D. HRP, aquela santa senhora.
    Que não tem nada a ver com D. Besta ou D. HRP.
    Outra Santa. Santíssima Senhora
    Ela é apenas a mãe do outro.

    (*) Nunca se esqueçam que eu sou puta e por experiência própria posso afirmar:
    O PT no governo é pornografia hard core. Feito na Rua Aurora.
    Apenas mudou o hotel.

    Aguardem os meus (continuação)… later on this Bat Channel, rs

  153. Patriarca da Paciência said

    O mundo dá voltas!

    Enquanto a Veja vivia espalhando injúrias, calúnias, difamações, chacotas, deboches e todo o seu arsenal de asneiras, estava apenas exercendo o seu direito democrático de “livre expressão”.

    Agora que o informativo marrom descobriu que também tem telhado de vidro, diz que está sendo vítima de “conspiração do ódio”. Ou seja, já está pedindo penico!

    Como diz o antigo provérbio, “colhe-se o que se planta”.

    Boa colheiita, caro informativo marrom.

  154. Patriarca da Paciência said

    Pax,

    votos de rápida e total recuperação. Moto é mesmo uma arma apontada para o dono. Uma vez tive a idéia de comprar uma, mas cada vez que eu falava no assunto minha mulher tinha um ataque de nervos. Desisti.

    Mas você foi até a Patagônia, voltou e nada aconteceu!

    Acidentes são mesmo imprevisíveis. Fazer o quê ?

    É se recuperar e partir para outra!

    Ainda bem que você teve sorte com o seguro, o que não é tão comum.

  155. Jose Mario HRP said

    http://omeninoquenaomachuca.wordpress.com/2011/08/26/a-veja-na-berlinda/

    A V……eja! está afundando na própria lama?
    Algumas de suas artes aqui!

  156. Jose Mario HRP said

    Se voce ao invés da Xuxa não acredita em Duendes então pode tranquilamente me explicar porque isso ainda está proibido no Brasil:
    http://diogo-martins.sites.uol.com.br/historiatvglobo.htm

    Midia Marron, imprensa manipuladora e etc etc e tal……….
    http://diogo-martins.sites.uol.com.br/historiatvglobo.htm

  157. Chesterton said

    Está na hora de tirar o Partido Nacional Socialista dos Trabalhadores do Brasil, senão ele acaba com o Brasil inteiro.

  158. Pax said

    Caro Patriarca,

    Pois é, moto é realmente um perigo. E olha que me considero motociclista e não motoqueiro. Mas é como cavalo, só cai quem monta e do chão não passa, como dizem os hipistas.

    Num átimo, faltando menos de 1 km pro destino, simplesmente tive uma ausência, não consigo explicar até agora, me distraí, e dancei. Sorte que bem devagar.

    Obrigado pelos votos de melhora. Vai demorar um pouco, mas passa e cura, sim.

    Diacho é ter que vir de muletas até o banheiro do outro lado de onde fica meu quarto e a sala, onde fico, para conseguir pegar o sinal da web com o iPhone. Nem o modem da Vivo pega, mesma operadora que uso no celular.

    Ah Anatel, ah se eu te pego…

    Enviado via iPhone

  159. Elias said

    Patriarca,

    Outra mudança de tom: há menos de 2 semanas, a oposição dizia que ela, oposição, queria a CPI, e que a situação é que estava fazendo tudo pra evitá-la.

    Não sei se o Chester, ou o Pax, ou sei lá quem, deu até um link pra uma notícia no site do PSDB, com parlamentares tucanos e psolistas posando, juntos, pra uma foto que sugeria um movimento pela realização da CPI…

    Depois, quando ficou claro que o governo queria, sim, a CPI, passaram a dizer que ele estava dando tiro no pé…

    Ontem mesmo, a Michelle transcreveu notinha da FSP, falando de um achaque de Emílio Odebrecht ao Lula, segundo o qual, o apoio do Lula a essa CPI seria o “primeiro erro político do Lula” (putz! O próprio Lula costuma citar pelo menos uns 10 graves erros políticos nos quais ele embarcou, entre os quais a conduta frente ao Plano Real, logo após a implantação deste…).

    Agora estão aí com esse chororô…

    E a fossa nem foi aberta, ainda… Seu conteúdo ainda nem começou a ser exposto…!

    Essa direita brasileira é mesmo uma cagoninha… Quando abre a boca pra falar, não sabe o que vai dizer; quando está falando, não sabe o que está dizendo; quando acaba de falar, não sabe o que disse…

    Pô, caceta! Decidam! Afinal, vocês querem ou não a droga dessa CPI?

    Não foi isso o que vocês pediram? Por que não querem mais, agora? Tá grande demais? Tá grossa demais? Tá ardendo? Tá doendo? Tá arrombando?

    Se não querem, porque ficaram dizendo que queriam? Então, como diria dona Marta: relaxem… (e, se alguém disser: “é só a cabecinha, bem…”, tentem acreditar… Aproveitem!).

  160. iconoclastas said

    “Pax disse
    08/05/2012 às 23:06

    Dor…

    Ao menos já estou em casa. A moto tb. Seguro bom vale cada centavo quando se precisa e ele funciona.

    Mas… Dor… ”

    krai, vaca de moto?!?!?! se machucou muito? lamento, sei que p1c@ é isso, torço para que se recupere bem, e rápido.

    ;^/

  161. Patriarca da Paciência said

    Elias,

    parece que já começaram a abrir algumas tampas da fossa:

    “BRASÍLIA – O depoimento do delegado da Polícia Federal Raul Alexandre Souza, que comandou a Operação Vegas, complicou a situação do procurador-geral da República, Roberto Gurgel. O procurador recebeu o relatório da Vegas em 15 de setembro de 2009 e nada fez. Gurgel só pediu abertura de inquérito contra o senador Demóstenes Torres (sem partido-GO) no Supremo Tribunal Federal (STF) em 27 de março deste ano, cinco dias depois de O GLOBO revelar o conteúdo das ligações entre o senador e Cachoeira. As declarações do delegado surpreenderam os parlamentares e devem redefinir os rumos da CPI.

    Pelo menos dois parlamentares que integram a CPI e não são da base governista mudaram de opinião em relação ao procurador depois de ouvir o delegado. O senador Randolfe Rodrigues (PSOL-AP) e o deputado Onyx Lorenzoni (DEM-RS) deixaram a reunião da comissão defendendo a convocação de Gurgel.”

    http://oglobo.globo.com/pais/depoimento-de-delegado-da-pf-na-cpi-complica-situacao-de-gurgel-4847485

  162. Pax said

    Sim, caro Iconoclastas, vaca de moto. Vacilei e dancei.

    Fratura da cabeça da Fíbola (Tíbia), o osso fino da perna.

    Não foi grave. Vai curar bem.

    Tks.

  163. Chesterton said

    http://coturnonoturno.blogspot.com.br/2012/05/o-mito-ruralista.html

    QUARTA-FEIRA, 9 DE MAIO DE 2012
    Hora de dar um basta à demonização do campo brasileiro.
    É impressionante a desinformação e a mentira espalhadas contra o Brasil Rural. Ontem, a culpa da não votação da PEC do Trabalho Escravo foi creditada à “bancada ruralista”. Da mesma forma que os “ruralistas” foram demonizados pela devastação das florestas e pelo envenenamento dos rios na votação do Código Florestal. Contra as mentiras, nada melhor do que números.

  164. Elias said

    Patriarca,

    O PGR deu várias declarações à imprensa dizendo que havia “sobrestado” o processo. O delegado já diz que ele “devolveu” à origem para nova apuração.

    Estranho, né? A depender das circunstâncias, o depoimento do delegado seria até mais favorável ao PGR, não houvesse este dito que sobrestou.

    “Sobrestar” é um dos procedimentos mais controversos na condução de um processo, porque ele pode mascarar o famoso “embargo de gaveta”. No passado, houve um PGR que ficou famoso por isso. O Zé Simão o chamava de “Engavetador Geral da República”.

    Já quando o processo é devolvido à origem, pra diligência, pra complementação da apuração, o papo é outro, porque a tramitação não está sendo interrompida. No sobrestamento, a tramitação congela em mãos da autoridade administrativa que sobrestou. O processo simplesmente fica lá e pronto.

    Então, a primeira questão é saber o que realmente aconteceu. Afinal, o PGR sobrestou ou devolveu o processo à origem? Em qualquer caso, o procedimento terá sido documentado.

    A segunda questão é checar se, independentemente de ter sido “sobrestado” ou “devolvido”, o processo tinha ou não elementos suficientes pra iniciar um processo judicial. Se tinha, tanto faz que o cara tenha “sobrestado” ou “devolvido”. Em qualquer caso, ele se complicou.

    É… A temperatura da fogueira aumenta…

    Mas ainda não veio o que mais interessa, né?

    Pax,
    Que bom que os danos físicos foram leves.

    Melhor, ainda, que não afetaram as costelas. Uma fratura na costela é um saco… Só dói quando se respira. Uma tosse ou um espirro… putz!

  165. iconoclastas said

    “PT quer pegar a imprensa de todo jeito

    Vera Magalhães, Folha de São Paulo

    O PT decidiu investir todas as fichas em transformar a CPI criada para apurar as relações de Carlinhos Cachoeira com autoridades de várias instâncias numa investigação sobre a imprensa. A estratégia, antes discreta, se intensificou após reunião de petistas ontem.

    No depoimento secreto do delegado Raul Alexandre Sousa, que conduziu a Operação Vegas, as perguntas de petistas e aliados se concentraram nas ligações de Cachoeira com jornalistas. Sousa disse que, após longa investigação, a Polícia Federal não verificou nada de impróprio nessas relações nem viu razões de indiciar jornalistas ou investigar órgãos de imprensa.

    A reunião em que petistas e aliados decidiram concentrar o foco na imprensa foi feita na liderança do PT no Senado. Um senador petista saiu externando o espírito reinante: “Se a mídia quer guerra, vai ter guerra”. – UAAAAU, que meda!!!

    A tropa de choque anti-imprensa na sessão secreta de ontem foi composta pelos senadores Fernando Collor (PTB-AL) e Humberto Costa (PT-PE) e pelos deputados Luiz Sérgio (PT-RJ), Doutor Rosinha (PT-PR) e Protógenes Queiroz (PC do B-SP).” – diz aí, só puro sangue, hem?!

    ;^)))

  166. Pax said

    Caro Chesterton, velho e bom Chesterton,

    Mais uma vez tuas fontes parecem pouco informadas. A PEC da Trabalho Escravo, que tira as terras de quem cometer este crime, está na pauta da Câmara. A bancada ruralista já disse que não votará contra. Claro.

    Só que…

    Tudo indica que não aparecerão no plenário para votar. Aí não tem votação.

    Espertinhos os amiguinhos do Aldo Rebelo.

  167. Chesterton said

    Esse papo de trabalho “análogo” ao escravo é bullshit comunistoide.

  168. Pax said

    Como assim, Chesterton, velho e bom Chesterton?

    Que papo brabo cara.

    Enviado via iPhone

  169. Michelle de Souza Malone said

    (continuação)
    Gooday everyone

    товарищами, V.Ex.ª e Bonehead (or Moe, Larry, and Curly),
    meus desafetos anencéfalos

    O PT começou citando Karl Marx e terminou no colo do “bispo”
    e de Fernando Collor.

    rsrsrsrs
    Para reflexão:

    ERA DA MERDIOCRIDADE
    Petralhotários (e assemelhados) são animais sinantrópicos.

    (*) Nunca se esqueçam que eu sou puta e por experiência própria posso afirmar:
    O PT no governo é pornografia hard core. Feito na Rua Aurora.
    Apenas mudou o hotel.

    Aguardem os meus (continuação)… later on this Bat Channel, rs

  170. Chesterton said

    Mais uma vez tuas fontes parecem pouco informadas. A PEC da Trabalho Escravo, que tira as terras de quem cometer este crime, está na pauta da Câmara. A bancada ruralista já disse que não votará contra. Claro.

    chest- dentro dos 250 itens que exigem dos dormitorios par aos peões há um que exige 1,5 metros de distancia entre o beliche (a parte de cima) e o teto. Se você colocar 1,35m dependendo do fiscal é condição análoga a trabalho escravo. Alem disso ser uma idiotice compelta, é mais uma interferencia excessiva nas relações de trabalho no campo, com o objetivo de transformar o país num matagal sem valor para não prejudicar o lucro de empresas agrícolas do hemisfério norte.

  171. Chesterton said

    dentro dos 250 itens que exigem dos dormitorios par aos peões há um, digo,

    dentro dos 250 itens de exigencias da lei do trabalho escravo há um item que exige….

  172. Chesterton said

    Vitória de Pirro
    Assim o britânico Financial Times define a guerra de Dilma contra os juros: “as medidas até agora não vão curar a tendência inflacionária do Brasil, com indústria pouco competitiva, baixa taxa de investimento, e governo grande e perdulário. As medidas vão afastar investidores”. ch

    chest – e a oferta de empregados domesticos vai aumentar…

  173. Pax said

    Caro Chesterton, velho e bom Chesterton,

    Pelo que me consta ainda não estão definidas as condições que determinam, configuram, trabalho rural escravo.

    O que temos hoje em dia é farto noticiário de trabalhadores que são arregimentados e passam a trabalhar em fazendas com jornadas estafantes, carteiras de trabalho recolhidas, quando há registro, direito de ir e vir cerceado etc.

    Se houver uma boa regulamentação que configure trabalho escravo corretamente, a lei me parece mais que bem-vinda.

    Enviado via iPhone

  174. Pax said

    Este CH… Afastar investidores ou especuladores?

    Chesterton, velho e bom Chesterton, renove suas fontes.

    Enviado via iPhone

  175. Olá!

    Elias, o seu comentário #120 foi um off-topic?

    Até!

    Marcelo

Faça seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: