políticAética

Notícias da Corrupção, Desvios, Anomalias, Eleições e Meio Ambiente

  • Sobre o blog

    Uma coletânea das notícias da corrupção, desvios, anomalias, eleições e meio ambiente que aparecem na mídia todos os dias a partir de agosto de 2008.
  • Categorias

  • Arquivos

  • Páginas

  • Meta

CPMI: Chacrinha fez escola

Posted by Pax em 14/06/2012

Nos saudosos programas do grande comunicador Chacrinha havia competições de calouros que eram decididas pelo aplauso da platéia. Quem recebesse o mais sonoro era o vencedor.

A CPMI do mafioso Carlinhos Cachoeira conseguiu se aproximar dos programas televisivos do mestre que não só tinham enorme audiência como servem de modelo para muitos apresentadores atuais.

Os depoimentos dos governadores Marconi Perillo (PSDB-GO) e Agnelo Queiroz (PT-DF), antes de ontem e ontem, expõem ao grande público a capacidade inesgotável do atual Congresso em se mostrar como o pior de todos os tempos.

Não só ficou clara a blindagem preparada com claques e animadores do auditório como fica a suspeita de um acordo entre situação e oposição para que tudo seja levantado e nada seja apurado.

O senador Vital do Rêgo chegou a puxar a torcida com suas intervenções patéticas. Um bom exemplo de ontem, quando Agnelo abriu seus sigilos, o presidente da CPMI se pronunciou e brindou a platéia com sua sabedoria popular: “quem não deve não teme”. O responsável pela CPMI mais esperada pela nação julgou e absolveu antes mesmo que a farsa do depoimento se consumasse.

O deputado Odair Cunha insiste em sepultar sua breve biografia ao impedir, via força da maioria nas reuniões administrativas, que importantes depoimentos sejam realizados. Fernando Cavendish, presidente da Delta, estrategicamente afastado, amigo íntimo de Sérgio Cabral, governador do RJ, com indícios de associação com o “capo” Cachoeira e Luiz Antônio Pagot, ex diretor do DNIT, departamento de dezenas de bilhões e alvo prioritário da máfia, não têm agenda para depor. São dois bons exemplos da atuação vergonhosa do jovem relator. Um afirma que compra senadores e outro quer dizer o que sabe sobre o esquema mafioso e Odair acha que é perda de foco ouvi-los.

Agora temos notícia que todas as provas produzidas podem ser anuladas. Três anos de investigações da Polícia Federal poderão ser jogados no lixo.

O Congresso Nacional se tornou uma vergonha e um vasto celeiro de clientes para advogados caríssimos especializados em defesa de conhecidos corruptos e corruptores.

Como diria o mestre Chacrinha: “vocês querem bacalhau?”

Só precisamos providenciar o enorme relógio e a famosa buzina pendurados no peito para que o risível quadro se complete.

Anúncios

108 Respostas to “CPMI: Chacrinha fez escola”

  1. Zbigniew said

    Certamente que o presidente da CPMI tem que ser o mais sóbrio possível, mas é importante salientar que o Perilo, um dia antes, negou-se a abrir seu sigilo bancário e fiscal, tendo inclusive sua posição defendida ferozmente pelos parlamentares da oposição ali presentes.

    Só após a disposição do Agnelo de abrir seus sigilos é que o Perilo voltou atrás, apressando-se, a bancada da oposição, em manifestar-se de pronto, pra não ficar mal na fita.

    É assim: política. CPMI é embate político entre situação e oposição-mídia. Se vai haver resultados práticos de tudo isto, pela tradição política brasileira, é bem difícil.

    O Elias, em alguns comentários, já alertava para esse fato. Só acrescento que hodiernamente já não há mais como esconder de todo qualquer tipo de acordão ou tentativa de blindagem: a tv e a internet são instrumentos importantes na formação da opinião, embora ainda com alcance limitado.

  2. Pax said

    Apesar dos aplausos das chacretes Perillo ainda deve explicações sobre a confusa venda da tal casa onde o mafioso foi preso e o tal pagamento do jornalista pelos trabalhos na campanha pagos pela empresa de fachada.

    Mas como a suspeita de acordão se torna cada vez mais forte a possibilidade de estes assuntos serem efetivamente apurados se torna cada vez menor.

    Pois é, caro Zbigniew, por essas e outras que manter o povo inculto e sem acesso interessa a muita gente.

    Enviado via iPhone

  3. Patriarca da Paciência said

    Meu caro Zbigniew,

    foi realmente uma grande virado do Agnelo. O que acontece é que a “grande imprensa” tem que “minimizar” o fato e fica a inventar todo tipo de argumento.

    Estão dizendo até que ele foi “treinado” por especialistas.

    Por falar nisso, a “grande imprensa” e sua torcida organizada, que foram os mais ferozes detratores do Tiririca, agora ficam caladinhas com a aliança estabelecida entre o José Serra e o Tiririca.

    Fiquei pasmo hoje de ouvir no telejornal da manhã, da Globo, que o Orlando Silva foi inocentado no Conselho de Ética.

    Mas foi uma notícia simples, em meio às outras, sem nenhum destaque.

    Cumpriram uma simples “obrigação” burocrática.

    Enquanto tivermos uma dezena de caciques a comandar o que pode e o que não pode ser noticiado na “grande mídia”, ainda estaremos muito longe de uma verdadeira liberdade de expressão.

  4. Zbigniew said

    Pax e Patriarca,

    a imprensa tem um grande papel na educação política da nossa população. E eles sabem disso. Não é à toa que manipulam descaradamente as informações de acordo com suas preferências políticas.

    Sabem também que enquanto o país navegar bem nas águas da economia essa manipulação só terá algum efeito nos chamados votos de opinião: aqueles que se manifestam ideologicamente ou por questões de preconceito (no caso do PT sindicalista e do Lula retirante).

    Mas não se enganem: o que eles estão fazendo é defender-se de uma possível sacada em São Paulo. Por ser um Estado rico os efeitos das políticas de inclusão social são menos sentidos, embora não na proporção que se poderia admitir, observando-se que sofre do mesmo mal que o país num todo, a concentração de renda. Só que em menor escala.

    Há ainda o fenômeno do conservadorismo e do complexo de “arranha-céu”, que é daqueles que têm a sensação de riqueza mesmo dela não participando. É irmã siamesa do provincianismo de parte de nossa elite (50% off, delivery, etc., etc.).

    Tudo isso somado à desinformação ou confusão na informação (da qual o panfleto da Abril é mestre), embota a visão política da população, e aqui nem falo do povão, mas da nossa querida classe média, daquela parte que, como diria o poeta, papagaia o telejornal e acredita na imparcialidade da revista semanal, já que discutir futebol, política e religião é uma grande roubada. É por essa e outras que o Chapeleiro deita e rola em algumas mentes, graças a Deus cada vez em menor escala.

  5. Michelle - A Besta Desvairada said

    Enquanto isso…

    Mais confusões de Dilma

    Leia editorial do Estadão:

    Mais uma vez a presidente Dilma Rousseff se perdeu num emaranhado de ideias confusas e fora de propósito, desta vez ao falar sobre política econômica em seu discurso no Palácio da Liberdade, em Belo Horizonte, na terça-feira. Em outras circunstâncias o palavrório seria apenas engraçado. A graça desaparece, no entanto, quando o País se defronta com uma assustadora crise internacional e a chefe de governo discorre sobre os problemas do crescimento com meia dúzia de chavões de comício. Para começar, misturou duas questões muito diferentes – a incorporação de milhões de famílias pobres ao mercado de consumo e o desafio de remover obstáculos à expansão da economia nacional. Detalhe inquietante: a autora dessa confusão tem um diploma de economista.

    O equívoco da presidente é óbvio. A indústria brasileira vai mal, perde espaço tanto no País quanto no exterior, e o emprego industrial diminui, como têm mostrado números oficiais. No entanto, o consumo continua maior do que era há um ano e as importações crescem mais que as exportações. É um disparate, portanto, atribuir os problemas da indústria — mais precisamente, do segmento de transformação – a uma retração dos consumidores. A participação de bens importados no mercado brasileiro de consumo atingiu 22%, um recorde, nos quatro trimestres encerrados em março e essa tendência, ao que tudo indica, se mantém.

    Se examinassem o assunto com um pouco mais de atenção, a presidente e seus auxiliares talvez mudassem o discurso. Não há como atribuir os problemas da indústria nem a estagnação da economia brasileira à permanência de um “consumo reprimido” — um fato social indiscutível, mas sem relação com os atuais problemas de crescimento.

    A presidente acerta quando atribui a quem tem uma melhoria de renda o desejo de comprar uma geladeira, uma televisão, um forno de micro-ondas. Mas é preciso saber de onde sairão esses bens. Não basta dispor de fábricas para produzi-los. A indústria tem de ser capaz de produzi-los com preços e qualidade compatíveis com os padrões internacionais. Recorrer ao protecionismo é apenas uma forma de empurrar o problema para a frente e — pior que isso — de abrir espaço para problemas adicionais, como a elevação de preços e a estagnação da capacidade produtiva. Muitos brasileiros devem ter aprendido essa lição. A presidente parece tê-la esquecido.

    Há uma enorme diferença entre barrar a competição desleal e recorrer ao mero protecionismo. Isso vale para geladeiras, televisores e camisas, mas vale também para equipamentos e componentes destinados a programas de investimento conduzidos pelo governo ou por ele favorecidos. Ao defender a exigência de índices mínimos de nacionalização para certas atividades, a presidente insiste numa política perigosa, muito boa para os empresários amigos da corte, mas muito ruim para o País.

    Apenas de passagem a presidente Dilma Rousseff mencionou a questão realmente séria — a dos investimentos e da capacidade produtiva. Mas, ao contrário de sua tese, há algo mais, no custo do investimento brasileiro, do que a taxa de juros. Há também uma tributação absurda, ao lado de uma porção de outros fatores de ineficiência.

    Um desses fatores, visível principalmente nos investimentos públicos, é a baixa qualidade da gestão governamental. O governo, disse a presidente, continuará a investir — uma declaração um tanto estranha, porque ninguém se opõe à aplicação de recursos públicos em obras de infraestrutura, hospitais, escolas e outras instalações indispensáveis. Ao contrário: cobra-se das autoridades mais empenho na elaboração de bons projetos, na execução das obras e no uso mais eficiente — e mais cuidadoso — do dinheiro público.

    Como gerente do Programa de Aceleração do Crescimento ( PAC) e, depois, como chefe de governo, a presidente Dilma Rousseff se mostrou deficiente em todos esses quesitos. A paquidérmica lentidão do PAC é notória e inflar os resultados com os financiamentos habitacionais — como acaba de ser feito — é só uma forma de enfeitar os relatórios. Fora do governo, poucos têm motivo para aplaudir esse programa. Entre esses poucos estão os donos da inidônea construtora Delta.

  6. iconoclastas said

    uau, belo editorial do Estadão.

    “Como gerente do Programa de Aceleração do Crescimento ( PAC) e, depois, como chefe de governo, a presidente Dilma Rousseff se mostrou deficiente em todos esses quesitos. A paquidérmica lentidão do PAC é notória e inflar os resultados com os financiamentos habitacionais — como acaba de ser feito — é só uma forma de enfeitar os relatórios. Fora do governo, poucos têm motivo para aplaudir esse programa. Entre esses poucos estão os donos da inidônea construtora Delta.”

    na veia… da véia.

    ;^/

  7. Otto said

    Sobre o editorial do Estadão:

    bom mesmo era antes de 2003, quando não havia PAC nem investimento algum e todo dinheiro que sobrava era pra pagar banqueiros e FMI…

  8. iconoclastas said

    alguém lembra que há alguns meses, para variar, eu esculhambei uns iludidos sobre a palhaçada do IOF, a respetito da tentativa patética de rechaçar influxo de grana? pois é…


    Thomson Reuters
    IOF de 6% sobre empréstimo externo é reduzido para até 2 anos
    quinta-feira, 14 de junho de 2012 08:44 BRT

    Imprimir

    SÃO PAULO, 14 Jun (Reuters) – O governo reduziu de cinco para até dois anos a incidência da alíquota de Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) de 6 por cento sobre empréstimos externos, conforme decreto publicado nesta quinta-feira.

    O decreto foi divulgado no Diário Oficial da União (DOU) e passa a valer a partir desta quinta-feira, data de publicação.

    A medida foi anunciada em meio a uma valorização do dólar ante o real. O ministro da Fazenda, Guido Mantega, havia afirmado em entrevista publicada no jornal O Globo de quarta-feira, que, se a crise se agravasse, o governo poderia retirar algumas medidas adotadas quando o dólar estava se desvalorizando, e citou o IOF sobre empréstimos no exterior com prazo inferior a cinco anos como exemplo.

    Na última sessão, o dólar fechou cotado a 2,0717 reais, alta de 0,32 por cento ante o dia anterior.

    (Reportagem de Natália Cacioli; Edição de Camila Moreira)”

    governixo com síndrome (recém adquirida) de hiperatividade começa a voltar atrás na lambança…

    ;^/

  9. iconoclastas said

    “todo dinheiro que sobrava era pra pagar banqueiros e FMI…”

    graaande Otto, todo dinheiro que sobra (do superávit primário) ainda é usado para pagar os credores (ou rentistas, de acordo com o vocabulário ptista) , pois o déficit fiscal persiste…assim é.

    ;^/

  10. Otto said

    Sim, Iconoclastas, ainda não estamos no paraíso — mas já escapamos do inferno.

    Lembra que com FHC chegamos a ter 40% de Selic e 12% de desemprego?

  11. Pax said

    A reunião administrativa de hoje ratifica meu post premonitório. Odair, Jilmar Tato, Paulo Teixeira e o restante da tropa de choque ratificam, ipcis verbiç o que disse no post acima.

    Chacrinhada geral.

    Fico, sinceramente, triste.

    O jovem Odair nem faz mais questão de disfarçar o papel de palhaço mor, lugar que disputa com ardor com Vaccarezza.

    E Vital do Rêgo à frente de todo o circo, como se nada houvesse.

    Como disse, difícil aceitar esse acordão em que o povo, bravo povo brasileiro, se ajoelha de cócoras para estes que querem tudo que esteja distante da verdade.

    O caro Elias tinha razão, sim. Razão esta que me permito discordar com veemência. Razão esta que perpetua este país de coronéis fadado a se sustentar na ignorância do povo.

    Para mim uma decepção do tamanho da descortinagem que a CPI dos Correios produziu.

    Não há para onde correr. O império da corrupção se adona de todos os partidos e, em última instância, do próprio país.

    Impressiona como este grupo de parlamentares se posta como palhaços deste triste espetáculo.

    Ps.: mais infeliz que ver um Collor defendendo os interesses do PT o que poderia ser? Canários belgas, para onde correr se a oposição é composta de Arrudas, Demóstenes, Serras e quetais?

    A Veja, quinta categoria do jornalismo, é pinto quando descortinamos a canalhice que esta CPMI nos expõe.

    Enviado via iPhone

  12. Michelle - A Besta Desvairada said

    Simon adverte Vaccarezza: ‘Você entrou para a História de forma maluca’

    qui, 14/06/12
    por Gerson Camarotti |
    categoria CPI do Cachoeira

    Logo depois do PT conseguir adiar as convocações de Luiz Antônio Pagot e Fernando Cavendish na CPI – como antecipou o blog -, o senador Pedro Simon (PMDB-RS) teve conversa séria com o deputado Cândido Vaccarezza (PT-SP).

    Simon disse que Vaccarezza entrou para a historia “de forma maluca”. “Vaccarezza, para líder do governo, você não serve; mas para fazer essa defesa maluca para evitar o depoimento de Pagot, você serve. Isso é muito ruim para a sua biografia”, disse o senador.

    Simon ainda disse ao blog que conversou com Pagot por telefone e que ele tinha se colocado à disposição para prestar depoimento à CPI.

    De acordo com o senador, ele reafirmou essa disposição do ex-diretor do Dnit na conversa com Vaccarezza e reforçou que seria um erro a CPI evitar a convocação.

    Simon também relatou que disse a Vaccarezza que, com a votação de hoje, nascia um novo PT, que não tem nada a ver o PT das suas origens, com a ética e com sua história.

  13. Michelle - A Besta Desvairada said

    O que Miro Teixeira quer saber (Noblat)

    Há pouco, na sessão em curso da CPI do Cachoeira, depois de ter falado em “tropa do cheque”, o deputado Miro Teixeira (PDT-RJ) disse que apresentará um pedido de informações ao Congresso perguntando três coisas:

    * É verdade que um grupo de senadores e deputados aproveitou a Semana Santa para viajar oficialmente a diversos países africanos?

    * É verdade que alguns deles retornaram a Brasília via Paris, onde almoçaram com o empresário Fernando Cavendish, dono da empreiteira Delta?

    * Parlamentares que confraternizaram com Cavendish em Paris fazem parte, hoje, da CPI de Cachoeira?

  14. iconoclastas said

    # 10

    opa, se não. lembro tb de Selic de 700% antes dele, de inflação de milhares de %…

    eu sei tb que o FH é dentuço, da zelite, tem bafo de cebola e é cabeça de melão…

    mas e daí? o editorial do Estadão é inconsistente? traz alguma inverdade?

    a gerontona é enrolada, e enrolona. fato.

    ;^/

  15. Otto said

    Ô, Iconoclatas, a hiperinflação acabou antes de FHC presidente!

  16. Michelle - A Besta Desvairada said

    Do Josias

    Por 16 votos a 13, parlamentares vetam a convocação do empreiteiro, dono da Delta; praticamente toda a bancada petista, liderada pelo relator Odair Cunha (PT-MG), atuou em conjunto na blindagem da empresa.

    Sob o pretexto do adiamento, outras razões movem o bloco governista.
    Ouvindo-se Pagot, injeta-se na CPI o caixa dois das campanhas e as obras do PAC.
    Convocando-se Cavendish, vai ao banco da comissão um íntimo amigo do governador do Rio Sérgio Cabral (PMDB). São coisas que não interessam nem ao PT nem ao PMDB.

    Eu, convoco os petralhas verborrágicos do pedaço a justificarem o comportamento suspeito do partido.
    O que há de podridão para ser escondido? Dilma estaria com o rabo preso?
    Pax..alguma idéia?

    Otto

    Ô, Iconoclatas, a hiperinflação acabou antes de FHC presidente!

    Por obra do FHC Ministro da Fazenda.Com oposição ferrenha do PT.
    Um pouco mais de seriedade ao comentar seria de bom gosto.
    Não passe por ridículo, à toa!

  17. Otto said

    Michele:

    mas o pai da criança é Itamar, nunca lembrado. Ele que bancou a aposta.

    Aliás, FHC é especialista em assumir filho dos outros.

  18. Otto said

    Do imperdível Miguel do Rosário: http://www.ocafezinho.com/2012/06/14/midia-continua-apoiando-clube-nextel/

    Mídia continua apoiando Clube Nextel

    14/06/2012

    Um desembargador do Tribunal Regional Federal da 1ª Região, Tourinho Neto, declarou as escutas envolvendo Carlinhos Cachoeira como ilegais porque as justificativas do juiz foram “insuficientes”. Em artigo publicado hoje na Folha, o professor de Direito Público, Joaquim Falcão, explica o negócio:

    Indício, diz o dicionário, é sinal aparente de algo que existe. O juiz achou que havia desde o início aparência de ilícitos. Seu cálculo de probabilidade parece se confirmar. Mas o desembargador acha que os indícios só se confirmaram após a escuta.

    Ou seja, a Polícia Federal consegue desbaratar uma das mais sinistas máfias políticas da República, e Tourinho Neto diz que “os indícios só se confirmaram após a escuta”. Se outros desembargadores seguirem Tourinho Neto, Carlos Cachoeira, um dos maiores bandidos do Brasil, será solto e a operação Monte Carlo, que desbaratou uma das maiores máfias políticas que já atuaram na república, estará praticamente morta, com reflexos óbvios sobre a CPMI em curso.

    É como se os EUA descobrissem os reais autores do 11 de setembro, baseados em escutas telefônicas, prendessem-nos, e um juiz os mandasse soltar porque os “indícios só se confirmaram após a escuta”.

    E a mídia, que pressionou o STF a julgar o mensalão às pressas, em pleno período eleitoral, tem dado um apoio tácito à posição de Tourinho Neto. Ninguém manifesta contrariedade. Ao contrário, Jânio de Freitas, para minha grande decepção, vem com aquela conversinha pra boi dormir sobre “uso abusivo de escutas policiais de telefones”.

    É a mídia, mais uma vez, dando uma forcinha ao Clube Nextel.

    Ora, ontem publicou-se notícia de que as escutas representam um percentual mínimo nas investigações da Polícia Federal! Todas as escutas da PF são autorizadas judicialmente, e embasadas em indícios levantados por competentes investigadores.

    A situação é particualrmente absurda porque o esquema desbaratado caracterizou-se justamente por fazer escutas clandestinas.

    O modus operandis da organização quadrilheira baseava-se na realização de grampos ilegais, com os quais abasteciam órgãos de mídia, cumprindo dois objetivos centrais:

    1) Fortalecer seus prepostos políticos, como Demóstenes Torres, que ia para tribuna brandir discursos éticos contra adversários fragilizados pelos grampos clandestinos e pelas reportagens relacionadas.

    2) Chantagear funcionários públicos, forçando-lhes a entrar no esquema.

    3) Descobrindo segredos de Estado que facilitavam suas operações.

    Já se sabe hoje como funcionava a organização Cachoeira. Ela tinha três braços: o político, liderado por Demóstenes Torres, Marconi Perillo e vários outros políticos; o financeiro, liderado pela Delta, que obtinha contratos milionários e derrubava concorrentes a partir das ações da quadrilha; o administrativo, que era comandado por Carlinhos Cachoeira, seus assessores e arapongas.

    Sendo que o braço político tinha ramificações no Executivo (Marconi Perillo), no Legislativo (Demóstenes), no Judiciário (Gilmar Mendes?) e na mídia (revistas Veja, Época e jornalistas a serviço). Os nomes entre parêntes são os mais importantes, mas a quadrilha era grande. Tinha no bolso muitos deputados, delegados, funcionários federais, jornalistas, etc.

    A grande pergunta que se faz agora é: cade a pressão da opinião pública para impedir que membros corruptos ou incompetentes do judiciário apliquem um profundo golpe contra a democracia brasileira? Cadê os movimentos de corrupção? Onde estão os paladinos da ética? Nenhum estrela da mídia irá se manifestar? Quer dizer que agora só bandidos podem grampear?

    Não, Merval Pereira hoje faz a sua bilionésima coluna sobre o… mensalão. Dora Kramer saúda a “concorrência salutar” entre petistas e tucanos, e Fernando Rodrigues repete que a CPMI “perdeu o rumo“.

    *

    Na verdade, quem parece ter perdido o rumo são os jornalões, que voltaram a bater cabeça (o que é raro: em geral caminham sempre de mãozinhas dadas, com as mesmas opiniões, mesmos colunistas, mesmas fontes). Enquanto Dora Kramer elogia justamente o fato de haver concorrência política na CPMI, o que impede “acordões”, Ilimar Franco critica petistas e tucanos por terem transformado a CPI num ringue de “galos de rinha”.

    O raciocínio de Franco, porém, traz um equívoco baseado no pressuposto de que há similaridade entre Agnelo e Perillo. Não há.

    Ninguém jamais disse que Agnelo é santo, mas sim que não há nada que o ligue ao esquema Cachoeira. Muito pelo contrário. Ontem isso ficou bem claro, ao se fazer um levantamento dos fatos durante o seu depoimento. O Clube Nextel tentou derrubar Agnelo porque não conseguiu o que queria de sua administração. Pouco depois de Cachoeira e Dadá protestarem contra seus insucessos junto ao governo do Distrito Federal e externarem desejos de retalização contra Agnelo, Demóstenes Torres sobe a tribuna, pau mandado que era de Cachoeira, para pedir o impeachment do governador. E a revista Época inicia ataques sistemáticos a Agnelo.

    *

    Os jornalões hoje repetem ainda a estratégia de levantar suspeitas sobre a casa de Agnelo Queiroz. Ora, em primeiro lugar, o caso não tem nada a ver com o esquema Cachoeira, então não é escopo da CPI. Se quiserem façam uma CPI da Casa do Agnelo. Para um profissional bem sucedido, médico, deputado federal, ministro, diretor de agência federal e depois governador, comprar uma casa própria para si próprio, com ajuda da esposa, no valor de 400 mil reais, não é evidentemente nenhum absurdo.

    O caso Perillo é totalmente diverso. Ele vendeu a casa ao principal bandido investigado pela CPI! Carlos Cachoeira, o homem central da organização criminosa que é o foco da CPI, morava na casa que o governador lhe vendeu! Ou seja, a casa de Perillo tem obviamente ligação com o esquema Cachoeira. A casa de Agnelo, não.

    *

  19. Chesterton said

    e as ações da Petrobras do Elias?

  20. iconoclastas said

    “Ô, Iconoclatas, a hiperinflação acabou antes de FHC presidente!”

    sim,o AI5, o Senna, o cassino da Urca, os Beatles e a guerra fria tb, mas nada disso, infelizmente, torna Dilmão competente. fazer o que? ela tem que aprender a trabalhar.

  21. Jose Mario HRP said

    A desesperança oposicionista pediu a convocação da Dilma?
    Pra que?

    Pagot, fale o que sabe sobre o Rouboanel!

  22. Jose Mario HRP said

    Hinper inflação?
    Aos 55 eu vi algo parecido….mas isso foi a 02,05 décadas e meia!

  23. iconoclastas said

    “A desesperança oposicionista pediu a convocação da Dilma?”

    sério? será que finalmente eizte paiz volta a ter oposição no congresso?

    ;^?

  24. Pax said

    A convocação do Pagot foi bloqueada pela máquina governista.

    Tudo indica que a base de trocas.

    Pagot não fala do Rouboanel e outras coisitas e não convocam Cavendish para não deixar o amiguinho do patético Vaccarezza em evidência.

    Odair Cunha nem consegue mais falar. Ninguém mais o respeita na CPMI. Muito menos quem acompanha mais amiúde o assunto. Jogou sua biografia no lixo e só funciona como garoto de recados das forças situacionistas.

    Nesta CPMI não é possível defender a posição vergonhosa do governo.

    E a oposição? É tão risível que inventa essa convocação da Dilma, sem pé nem cabeça, à além de inconstitucional. Nem a presidência do Executivo nem a do Judiciário são passíveis de convocação.

  25. Chesterton said

    pax, você que agora é oposição, faz o que?

  26. Pax said

    Como assim, Chesterton, velho e bom Chesterton? Faço o quê? Oposição? Qual? Onde?

    Eu blogo para espantar meus maus espíritos. É, sim, uma forma de fazer política. A que posso, atualmente.

    Bem, tenho atuado em outras frentes, sim. Apartidariamente. Não sei se você faz ideia de como esta política nacional é muitas vezes praticada na ponta, em pequenos municípios. É coisa de arrepiar.

  27. Michelle - A Besta Desvairada said

    A sem-vergonhice do PT é imensa! Veja por que:

    Senador almoça com Cavendish em Paris e vota contra a ida dele à CPI

    Quem discursou, hoje, na sessão da CPI do Cachoeira encaminhando a votação contrária à convocação para depor ali de Fernando Cavendish, dono da empreiteira Delta, considerada inidônea no início da semana pela Controladoria Geral da União?

    Resposta: o senador Ciro Nogueira (PP-PI).

    A Delta depositou R$ 47 milhões nas contas de empresas fantasmas de Cachoeira.

    Ciro foi um dos parlamentares que viajaram durante a Semana Santa em missão oficial do Congresso a Uganda, na África. De lá, Ciro e alguns dos seus colegas voaram a Paris para encontrar suas respectivas mulheres. Aproveitaram a viagem para almoçar com Cavendish no restaurante L’ Avenue.

    Foi o deputado Miro Teixeira (PDT-RJ), esta manhã, que aproveitou sessão da CPI para perguntar sobre a ida de deputados e senadores à África. Ele disse que queria saber se alguns deles tinham almoçado em Paris com Cavendish. E se fazem parte da CPI.

    No final de maio último, o ex-governador Garotinho publicou em seu blog que parlamentares de viagem à África haviam dado uma esticada até Paris para um encontro com Cavendish.

    O PT é corrupto e corruptor. Este governo na verdade nem precisa de oposição. Ele se “auto oposiciona”, protegendo a Delta e o Cavendish,
    de medo que a podridão do PAC venha à tona. E não é apenas a Delta…tá faltando Don Luigi O.

    Sobre Dilma…se arrependimento matasse o doente, teríamos 3 dias de luto nacional! Deus nos salve!
    Dilma continua em choque por ter sido eleita para um cargo sem o devido merecimento. Acima do seu nível de competência.
    No fundo se considera o “poste eleito por Lula” e mostra toda “sua falta de jeito pra coisa”
    O editorial do Estado hoje afirma.
    A rainha está nua!

  28. Otto said

    Debates na CPMI do Cachoeira: Agnelo derrotou Perillo

    A convocação dos dois governadores na CPI do Cachoeira, Marconi Perillo (PSDB-GO) e Agnelo Queiroz (PT-DF), foi como um debate político entre PT e PSDB, com ampla vitória petista.

    A vitória foi em três aspectos: Agnelo ofereceu abrir seus sigilos bancários, fiscais e telefônicos espontaneamente. Marconi havia recusado. Agnelo conseguiu demonstrar que estava do lado oposto à Cachoeira e a Delta, inclusive teve um pedido de impeachment apresentado por Demóstenes a serviço de Cachoeira. Perillo confirmou ter existido sua relação com Cachoeira, se limitando a argumentar que seria em grau não comprometedor. Agnelo mostrou indignação. Perillo mostrou frieza.

    Reações externas também confirmaram a vitória política. No twitter, após Agnelo abrir seu sigilo, o assunto mais comentado foi “Perillo Abra O Sigilo”. O “Jornal Nacional” da TV Globo resumiu, com razoável fidelidade aos fatos, o bom desempenho de Agnelo. E o sinal de que os tucanos se saíram mal, mesmo aos olhos da Globo, é que o JN não incluiu as tradicionais opiniões do senador Álvaro Dias (PSDB-PR) no final da matéria. Talvez tenham gravado e não gostaram do que iria ao ar.

    A própria convocação de Agnelo já era uma vitória do PSDB. Sabiam que a convocação de Perillo era inevitável mais adiante, então queriam empatar o jogo com a convocação de Agnelo agora, junto, mesmo que a operação Monte Carlo da Polícia Federal mostrasse o esquema Cachoeira frustrado na tentativa de corromper o governo do DF, a ponto de conspirar para derrubar o governador do DF.

    Os tucanos acreditavam que Perillo era melhor comunicador e mais carismático do que Agnelo. Acreditava que o tucano se sairia melhor, e que falando agora, estancariam o assunto e pararia de “sangrar” sua imagem e a imagem do partido.

    Foi um tiro no pé para a oposição. Perillo entrou enrolado com Cachoeira e saiu do mesmo jeito. Agnelo entrou distanciado de Cachoeira e saiu do lado oposto ao bicheiro.

    Com a quebra dos sigilos, o assunto está longe de ser estancado para Perillo.

    http://www.redebrasilatual.com.br/blog/helena/debates-na-cpmi-do-cachoeira-agnelo-derrotou-perillo

  29. Pax said

    Essa é a oposição:

    http://www.stf.jus.br/portal/cms/verNoticiaDetalhe.asp?idConteudo=209884

    Parece que as pessoas esquecem quem faz a oposição.

    Arruda, Demóstenes, Serra, Alckmin, Paulo que não é branco etc.

    O que entristece é ver todos seguindo os ensinamentos dos coronéis.

    ACM fez escola, Sarney faz escola e PSDB e PT são excelentes alunos. O DEM é o melhor de todos, disparado. E a base ideológica do que chamam de oposição.

    Eita fase que não passa.

    Demóstenes vai acabar recebido sob aplausos na outra escola, a que Chacrinha definiu, involuntariamente, para estabelecer o conjunto de chacretes que hoje compõem o Congresso Nacional.

    Triste.

    Enviado via iPhone

  30. Pedro said

    Perillo e Agnelo tem tropa de choque;

    Cavendish tem a tropa do cheque.

    Alias, o Cavendish deve estar inconformado, pois aprovaram, o tal regime diferenciado para contratações das obras do PAC.
    Logo agora que ele não vai poder participar da festa.

  31. Patriarca da Paciência said

    Sra. Michelle, a Besta Desvairada,

    comunico a Vossa Bestialidade que PP é uma coisa e PT é outra. Ciro Nogueira, atualmente, exerce seu primeiro mandato como senador pelo PP, tendo como primeiro suplente o empresário João Claudino Fernandes.

    Comunco também a Vossa Bestialidade que o PP é oriundo do antigo PFL, logo, um desmembramento de partido da direita, não tendo o menor parentesco com o PT.

    Desta forma, é muito estranho que Vossa Bestialidade acuse o PT por algo que um senador do PP anda fazendo.

    É que o ódio da direitona pela classe trabalhadora é tanto que os torna completamente cegos.

  32. Edu said

    O mais divertido dessa palhaçada toda é ver o comportamento do PT:

    – Antes eles acreditavam que só o PSDB e a imprensa iam se ferrar – ninguém se ferrou
    – Eles acreditavam que o mensalão ia ser esquecido – não foi
    – Eles acreditavam que a CPMI ia provar que o governo está realmente cuidando da ética na política nacional – agora está provado que não está

    Sem terem mais o que dizer, eles bradam: “O Agnelo venceu Perilo”.

    Pois é… e quem perdeu foi o povo.

  33. Edu said

    Aliás,

    E aí Patriarca?

    Já podemos acreditar que o STF é influenciado pela política, ou devemos aguardar os resultados do que disse o desembargador Tourinho Neto?

  34. Chesterton said

    Pax, quem é melhor, a situação ou a oposição?

  35. Chesterton said

    Completamente e absolutamente correto, uma lição de raciocínio.

    ————————–

    Caso Matsunaga – Luiza Eluf, procuradora de Justiça, responde a uma crítica do blogue. E eu treplico
    Critiquei aqui um comentário que a procuradora de Justiça Luiza Eluf, do Ministério Público do Estado de São Paulo, postou no Facebook sobre o caso Matsunaga. Pareceu-me, vejam lá as razões, que ela foi ligeira e superficial. Seu texto sugere que o responsável último pela própria morte foi Marcos, que deu uma pistola de presente à mulher. Tanto é assim que Luíza recomendou aos “maridos que não querem morrer” que não levem arma para casa… Ela enviou ao blog o comentário que segue abaixo (em vermelho). Volto em seguida:

    Sr. Reinaldo Azevedo,

    O homicídio atribuído a Eliza Matsunaga contra seu marido Marcos leva a crer que foi, sim, mais um “crime da mala”. Ou melhor: das malas. Ela saiu do apartamento levando três malas, conforme gravação das câmeras de segurança do edifício. Se, anos atrás, o esquartejamento de uma mulher foi chamado de crime da mala, por que não reconhecer a semelhança dos casos?
    Quanto à existência de arma em casa, é indiscutível que o fato facilita o crime. A experiência mostra que, dificilmente, uma mulher entra em confronto físico com um homem. Uma faca não dá a mesma segurança de sucesso que uma arma de fogo. Uma faca ou uma Bíblia, como sugerido, requerem luta corporal, esforço físico e risco de fracasso no embate. A arma de fogo é mais rápida, mais segura e mais letal. Quase todos os casos de crimes passionais cometidos por mulheres contra seus maridos foram executados com uso de arma de fogo pertencente ao próprio marido. Veja os casos de Zulmira Galvão Bueno, Dorinha Duval e, quem sabe, a morte do Coronel Ubiratan, dentre os famosos, além de alguns outros sem tanta repercussão, nos quais já trabalhei. Lembrando, aliás, que crimes passionais em que a mulher é a autora representam absoluta minoria dos casos no Brasil. E, por fim, informo que a experiência também mostra que as mulheres cometem crimes violentos por impulso, no calor de uma discussão, em um momento de descontrole emocional. Já os homens premeditam suas ações, preparam friamente o ataque, a emboscada, por vezes durante meses, e terminam executando a vítima exatamente como planejado. Sugiro ao jornalista que leia o livro “A paixão no banco dos réus”, exatamente sobre o assunto.

    Luiza Eluf

    Voltei
    Começo pelo fim. Tenho certa atração pelos imodestos. Luiza Eluf recomenda, para me tirar das trevas da “inguinorança que astravanca o progressio”, um livro de… Luiza Eluf!!! Como amor com amor se paga, eu lhe recomendo “O País dos Petralhas”, “Máximas de Um País Mínimo” e “Contra o Consenso”. Agora vamos de cima pra baixo. A esta altura, juridiquês à parte, certas esculturas é que são “atribuídas” a Aleijadinho porque não se tem certeza da autoria. Eliza Matsunaga é assassina confessa. E há provas materias de que cometeu o crime.

    Uma arma facilita o crime? Tomada pela emoção, uma dessas mulheres com “descontrole emocional”, como diz doutora Eluf, poderia lascar uma garrafada na cabeça do marido colecionador de vinhos. Aí seria o caso de advertir: “Maridos, se vocês não quiserem morrer com o crânio rachado, não tenham uma adega”.

    Justamente porque os crimes passionais cometidos por mulheres representam a absoluta minoria, então não se pode tirar da ocorrência em questão, como fez doutora Luiza, uma regra geral e, pois, uma sentença: “Maridos que não querem morrer não devem levar arma para casa”.

    Quanto à consideração de que mulheres cometem crimes violentos por impulso, e os homens, por cálculo, vejo nisso uma tentativa de usar um preconceito vicioso, como todos (”mulheres são emocionais, homens são racionais”), num contexto supostamente virtuoso. Ora, o impulso, por óbvio, vem carregado de atenuantes, não é? Já o cálculo… Quem mata porque vítima de um lapso da razão parece, evidentemente, menos perverso do que aquele que planejou meticulosamente a ação. Elas, coitadas!, não têm tempo de pensar; eles, os malvados, matam depois de refletir. No caso da assassina em tela, o “impulso” parece ter durado um tempão. Dado o tiro, ela cuidou nas horas seguintes do esquartejamento.

    Sugiro à doutora Luiza que não tente teorizar sobre clichês. Meus livros podem ajudar.

    Por Reinaldo Azevedo

  36. Michelle - A Besta Desvairada said

  37. Patriarca da Paciência said

    Mu caro Edu,

    ternho opinião totalmente oposta!

    – “Antes eles acreditavam que só o PSDB e a imprensa iam se ferrar – ninguém se ferrou”

    Não acredito mesmo que o Perillo e o Policarpo Foda (Foda conforme o Reinaldinho Cabeção) saiam ilesos dessa!

    -” Eles acreditavam que o mensalão ia ser esquecido – não foi”

    Relacionar CPMI e “mensalão” é coisa da Veja, de parte da “grande imprensa e do PSDB. Uma coisa não tem nada a ver com a outra. Achar que o Lula “comanda” o STF é apenas delírio do Augusto Boçal Canalha Nunes e da equipe da revista Veja, principalmente do Reinaldinho Cabeção.

    – “Eles acreditavam que a CPMI ia provar que o governo está realmente cuidando da ética na política nacional – agora está provado que não está”

    Sinceramente, Edu, não sei de onde você tirou que alguma coisa já ficou “provado”. A CPMI está apenas no começo e nunca terá o condão de “provar” definitivamente qualquer assunto.

    “Já podemos acreditar que o STF é influenciado pela política, ou devemos aguardar os resultados do que disse o desembargador Tourinho Neto?”

    Generalizar que o desembargador Tourinho Neto represente toda a Justiça é erro que não cometo. O desembargador Tourinho Neto que responda por seus atos.

    E, como disse o ministro Ayres Brito, “o STF pode levar em consideração, nas suas decisões, pressões sociais e políticas, desde que, por consenso, sejam consideradas justas”. Há uma grande diferença entre SOFRER INFLUÊNCIA e SER COMANDADO.

    É isso aí, meu caroi Edu.

    Quanto ao à polêmica do Reinaldinho Cabeção com a procuradora, acho que a procuradora ganhou de 10 x 0.

    O Reinaldinho Cabeção é apenas um delirante. A procuradora fala por experiência e com profissionalismo.

  38. Patriarca da Paciência said

    Correção,

    Mu caro Edu = Meu caro Edu.

    E eu interpretei a declaração do ministro Ayres Brito. Ele não falou literalmente o que escrevi.

  39. Jose Mario HRP said

    Agnello deu show, Perillo deu mancada, Pagot já falou sobre os 60%,20%,20%/Serra/Alck/Kassab, as gravações de escutas devem ser excluídas dos processos e novamente a oposição ficará sem nada!
    Estranho é ver como eu vi no centro de Mogi, gente comemorando ver Lula voltando ao hospital!
    No mínimo triste esse modo de ver o mundo!

  40. Jose Mario HRP said

    Patriarca:O uso intensivo do caso mensalão por parte da oposição revela só uma coisa:
    falta de qualquer argumentação que possa por a oposição no foco das luzes.
    A intimidação só acabará quando agosto vier, e a mingua de provas robustas ou mesmo de qualquer prova que não o ouvir dizer de certas testemunhas, os ministros isentos , um a um , absolvam o Zé e outros!
    Quem viver verá, enquanto isso , o blá blá blá vai continuar.

  41. Pax said

    Caro Chesterton, velho e bom Chesterton,

    Você me pergunta quem é melhor, se situação ou oposição.

    Boa pergunta. Resposta difícil pacas.

    Onde? Brasil? Estados? Municípios? Partidos? Eventuais candidatos à presidência em 2014? Qual oposição, a formada por PSDB, DEM e PPS ou a outra formada por PSol, PSTU etc?

    Vamos começar pelos extremos para podermos diminuir a dúvida e reduzir o contorno da dúvida, o escopo da questão que colocaste.

    Num extremo, que também poderíamos chamar de direita, vamos colocar o Demóstenes como possível candidato e, no outro extremo, poderíamos chamar de esquerda, vamos colocar o Zé Dirceu.

    Ambos respondem sobre graves suspeitas de conduta não condizente, certo?

    Titio votaria em Demóstenes, PHA votaria em ZD.

    Você votaria em quem?

    Agora vamos reduzir um pouco este contorno, este escopo, para uma mais provável situação em 2014. Dilma versus Serra ou Alckmin ou Aécio. Também complicado, não?

    Tenho profunda preocupação com a situação atual. Acho que as forças políticas brasileiras se deterioraram. O mais natural e democrático seria vivenciarmos um modelo de alternância onde duas ou três forças se revisariam no poder.

    Acontece que a oposição, repetindo uma já velha constatação, não descobriu rumo, ficou completamente sem pai nem mãe quando apeou do poder. O próprio FHC fala disso mas seus aliados o acham velho e a cultura ocidental desrespeita velhos.

    Tanto ficou sem pai nem mãe que consideravam Demóstenes um grande nome. Teu tio é um exemplo vivo deste quadro. Pior, ainda consideram outros caciques tucanos como grandes e naturais opções. Aí eu é que te pergunto: são?

    Infelizmente os candidatos tucanos estão desgastados assim como a aliança política da oposição, a que poderia enfrentar a situação, me repetindo, não sabe para onde ir. Uma hora Álvaro Dias diz que Perillo sangra o PSDB, momento seguinte já não. Quem entende essa turma?

    Do lado da situação a análise também é complicada. Para mim o PT também se perdeu. No fundo seguiu os mesmos passos do PSDB quando este estava no poder, ou seja, para garantir sua posição abriu a guarda para todo tipo de aliança e para manter estas forças chafurda no que há de pior.

    A oposição agora insiste no bordão da baixa competência de Dilma. Será este o tal rumo que não tinham e acharam? Vão continuar se dizendo mais honestos, mais éticos?

    Dilma é mesmo de baixa competência? Onde estão seus erros e pecados capitais?

    Por fim, devolvo tua pergunta, já que não consegui te responder com assertividade: Tanto o PT quanto o PSDB teriam ainda conserto ou será necessário o aparecimento de outras forças para melhorarmos este quadro tão desgastado?

    Enviado via iPhone

  42. Patriarca da Paciência said

    Eu vejo a CPMI da seguinte forma:

    a base governista tenta fazer um trabalho sério e consistente. A oposição e a “grande mídia” tentam tumultuar e criar palanque eleitoral.

  43. Patriarca da Paciência said

    “O uso intensivo do caso mensalão por parte da oposição revela só uma coisa:
    falta de qualquer argumentação que possa por a oposição no foco das luzes.
    A intimidação só acabará quando agosto vier, e a mingua de provas robustas ou mesmo de qualquer prova que não o ouvir dizer de certas testemunhas, os ministros isentos , um a um , absolvam o Zé e outros!”

    Mue caro HRP,

    só não concordo em unaminidade do STF, no mais, concordo totalmente!

    As “provas” contra o José Dirceu são completamente inconsistentes!

  44. Pax said

    Bem, o PT insiste em manter Vaccarezza sob holofotes. O mesmo Vaccarezza que mandou recadinhos de blindagem para Sérgio Cabral, o amigão de Cavendish que afirma comprar senadores e deputados para ser convidado para obras públicas.

    E o mesmo Vaccarezza ontem berrava na CPMI da farsa para não convocarem o amigão de seu grande amor.

    Aí descobrem que senador do PR, o tal partido da base aliada que é “dono” do Ministério dos Transportes, que tem o DNIT, onde o Pagot trabalhava como diretor e quer abrir o bico pra falar como funciona o esquemão, e mais dois deputados, se encontraram em Paris, por acaso, num restaurante de alto luxo. Parecido ou o mesmo que Cavendish jantava com Sérgio Cabral.

    Mas Vaccarezza, Jilmar Tatto, Paulo Teixeira etc mandam o garoto de recados, Odair Cunha, dizer que convocar Pagot e Cavendish é “perda de foco” nas investigações que só são boas para a situação se pegarem o Perillo da oposição.

    Durma com um barulho destes …

    Ou, em outras palavras, o governo acha mesmo que não está se desmoralizando com essa farsa toda?

    Caramba…

    http://clippingmp.planejamento.gov.br/cadastros/noticias/2012/6/15/integrantes-da-cpi-se-reuniram-em-segredo-com-dono-da-delta

    Enviado via iPhone

  45. Michelle - A Besta Desvairada said

    “CPI do Ca-ven-dish”. Ou: A farsa estava escrita na estrela

    Podem anotar aí e denunciar nas redes sociais: PT e PMDB deram fim ontem à CPI ao se negar a convocar Fernando Cavendish, o dono da Delta. Agem assim porque estão com medo. Ele já havia mandado recado: se tentarem mandá-lo para a cadeia, conta tudo! E aí muitos milhões de toneladas de concreto e armação desabam na cabeça dos “éticos”.

    *
    Vocês sabem que este blog não se surpreendeu com a patuscada de ontem protagonizada por petistas e peemedebistas na dita CPI do Cachoeira. Quase todos os objetivos iniciais de Lula e sua turma se frustraram — há ainda a chance de inviabilizar uma nova candidatura de Marconi Perillo (PSDB) em Goiás. Já é alguma coisa. A devastação que Lula prometia na oposição, na imprensa, no Supremo e na Procuradoria-Geral da República não aconteceu. Na comissão, Agnelo Queiroz se safa. Sem nenhum constrangimento, os petistas e o próprio governador do Distrito Federal dizem que a sua mansão está fora do alcance das investigações da CPI. Se Perillo se enrosca ao explicar como vendeu a sua casa, Agnelo não consegue explicar como comprou a sua. Também ele terá dificuldades imensas em 2014. Pesquisas indicam que até os esquartejados José Roberto Arruda e Joaquim Roriz venceriam um hipotético segundo turno contra ele se as eleições fossem hoje. A autonomia política foi a pior coisa que aconteceu na história do Distrito Federal!

    A CPI acabou! Aos parlamentares de propósitos honestos que lá estão só resta denunciar a farsa a que PT e PMDB estão conduzindo a comissão — que já havia começado por maus propósitos, é bom deixar claro. A senadora Kátia Abreu (PSD-TO) propôs, e vocês sabem que essa é também uma tese deste blog, que se crie uma subcomissão para apurar exclusivamente os crimes da Delta. Misturar a rede de tramoias da construtora com as firulas da contravenção de Cachoeira corresponde a produzir embromação. Uma pergunta com resposta óbvia: o que o bicheiro tem a ver, por exemplo, com as atividades da empresa no Rio ou com a maioria dos contratos com o governo federal? Resposta: NADA! Está mais do que claro que ele era apenas o agente da empresa no Centro-Oeste, sem prejuízo de levar adiante o seu outro negócio: o jogo.

    Os petistas que apostaram na CPI, liderados por Lula e Dirceu, não tinham os detalhes da parceria, no Centro-Oeste, entre Fernando Cavendish e Carlinhos Cachoeira. Maus conselheiros lhes sopraram aos ouvidos que a CPI tinha tudo para esmagar “os inimigos” e pronto! Quando a instalação da comissão já era irreversível, começou a ficar claro que aquele fio desencapado poderia produzir um curto-circuito. Descoberto o valor da incógnita Delta, algumas vistosas carreiras políticas podem ser liquidadas. O primeiro cliente da empresa é o governo federal; o segundo é o governo do Rio; o terceiro, o de Pernambuco. E agora? Agora é fazer aquela cara inesquecível do relator Odair Cunha (PT-MG). Ele tentando explicar por que Cavendish e Luiz Antonio Pagot não foram convocados é das cenas mais constrangedoras da política em muitos anos. Concorreu com Cândido Vaccarezza (PT-SP), que escandiu sílabas — como se a escansão, por si, fosse argumento: “Esta é a CPI do Ca-cho-ei-ra!!!”. Sem dúvida! Ocorre que a “CPI do Ca-cho-ei-ra” trouxe à luz um tsunami: “Ca-ven-dish”.

    E não custa lembrar: Cavendish já mandou recados aos montes por intermédio dos seus prepostos. Até aceita perder a empresa, mas cadeia não! Se acontecer, aí bota a boca no trombone. E milhões de toneladas de concreto e armação desabarão sobre a cabeça de alguns graúdos da ética. Se Demóstenes Torres é hoje visto país afora, e por motivos mais do que justificáveis, como o falso moralista, como a “Carminha da política”, o risco de que a Avenida Brasil seja pequena para contar os corpos de eloquentes reputações é gigantesco.

    Atenção, caros! O maior escândalo da história republicana é o mensalão. Em volume de dinheiro, é modesto perto do que o mundo Delta pode revelar. Agora, meus caros, virou questão de sobrevivência. O deputado Miro Teixeira (PDT-RJ) repetiu ontem algo que eu já havia escrito neste blog: como pode o Parlamento brasileiro se negar a investigar uma empresa que o próprio governo federal considera inidônea, sendo ele, governo, o seu principal cliente e sendo essa empresa a que mais recursos recebeu do PAC?

    Isso, por si, já é um escândalo! Em vez de Cavendish, convocaram Andressa, a mulher de Cachoeira? Pra quê? Para transformar a CPI num circo, no qual os brasileiros fazem o papel de palhaços?

    A verdade nua e crua hoje é a seguinte: boa parte dos membros da CPI torce para que o STJ considere ilegais as escutas telefônicas da Operação Monte Carlo. Se acontecer, por óbvio, a CPI não mais poderá fazer uso de algo que a própria Justiça considera ilegal. As informações derivadas daquela escutas não poderão nem mesmo constar do relatório do deputado Odair Cunha. Seria um bom pretexto para todo mundo mudar de assunto.

    A gente não consegue saber se o PT é mais PT quando tenta investigar alguém ou quando tenta impedir que alguém seja investigado!
    Por Reinaldo

  46. Pax said

    Mas, cara Michelle, quem diz isto que reproduzes?

    O profundo admirador do Demóstenes? Aquele mesmo que escorrega na verdade de quando em vez?

  47. Chesterton said

    Titio votaria em Demóstenes,

    chewst- não foi o que ele disse, essa opção entre ZD e Demostenes que inventaste é falsa. Quando o PT tem um dos seus pegos roubando, ele é protegido até a morte, quando a direita pega um dos seus roubando, quer mais que ele vá em cana.

  48. Chesterton said

    Acho que as forças políticas brasileiras se deterioraram.

    chest- Lula acabou com as instituições.

  49. Pax said

    Caro Chesterton, velho e bom Chesterton,

    Mas… O cara é ou não cabo eleitoral (e porta-voz) oficioso do cara que ameaça de processo quem falar de Paulo, o que não é branco?

    A questão da credibilidade é forte, caro Chesterton, velho e bom Chesterton.

    Prefiro “ouvir” os menos “comprometidos”.

    Direito meu. E respeito os teus, também. Mas me permito apontar as discordâncias.

    Enviado via iPhone

  50. Coitado do Chacrinha, comparado a um bando de medíocres.

    Se o Velho Guerreiro (ou seria o filho dele) ficou famoso pelo “jabaculê” (há ampla referência sobre o assunto), seus imitadores, que fazem do Legislativo um palco para suas intervenções patéticas, também nisso o copiaram: a tal “tropa do cheque” é a versão “moderna” daquela prática antiga (o tal jabá praticado pelas gravadoras) que depois foi proibido em 2006, por um projeto de lei do deputado Fernando Ferro – quanta ironia – do PT-PE.

    Nunca é demais lembrar que, se a atual legislatura é a mais medíocre de todas, a próxima poderá ser ainda pior! Lembrem-se de que, em se tratando da política nacional, não há nada que não possa ser piorado

  51. Patriarca da Paciência said

    Não faz muitos dias os telejornais e jornais em geral noticiaram, inclusive apresentando vídeo, um político grego, justamente no país que “inventou” a democracia, jogando um copo d’água na cara de uma deputada e esbofeteando várias vezes outra. Os telejornais já apresentarm, com vídeos, políticos da Corea, Taiwan, Rússia etc. todos aos tapas.

    Estou dizendo que isso seja comportamento normal de políticos?

    Não. Apenas que baixaria acontece em qualquer lugar, seja em país civilizado ou não. São uns ou outros malucos estressados que não conseguem controlar seus impulsos. Sempre vão acontecer tais fatos e uma minoria sempre vai tentar tumultuar as coisas, principalmente em democracias.

    Mas alguns brasileiros acham que todos os políticos brasileiros tem que ser impecáveis, exemplo de moralidade e justiça.

    Realmente acho muito difícil encontrar políticos imaculados, seja no planeta Terra ou mesmo em qualquer parte do Universo.

    Como já disse o Gilberto Gil, ” a perfeição é uma meta”, ou seja, existe apenas como um objetivo a ser alcançado.

    Eu, de minha parte, acho que antidemocrático seria o PT excluir o PMDB do governo.

    Como já falei várias vezes, o PMDB ainda representa boa parte do povo brasileiro, visto que é o partido que elege mais políticos e temos que respeitar a decisão soberana do povo.

  52. Chesterton said

    estou por fora, Pax, no compriendo…

  53. Edu said

    Patriarca,

    Vc acha que a imprensa e o PSDB se ferraram, ok.

    Então eu pergunto: o que o Fernando Collor faz ali? Que moral este senhor tem para participar de uma comissão que avalia a ética?

    A maior prova que ninguém se ferrou é a presença desse cara lá.

    E é uma pena mesmo, pq se o PSDB tivesse realmente se ferrado pelo menos o povo brasileiro sairia ganhando em alguma coisa.

    O povo brasileiro não ganhou absolutamente nada com isso, e é uma pena que TODOS os partidários do PT, sem exceção, acreditem justamente o oposto.

    —X—

    Sobre os juízes… pois é Patriarca, vá somando os pedaços, Gilmar, Tourinho, Pinheirinho, etc… etc… e particularmente, acho que o Ayres Brito, ou se expressou muito mal, ou eu discordo veementemente do que ele diz: a justiça é cega, ela não pode pender para um lado ou para outro dependendo de quem está sendo julgado.

    Até o Ricardo Kotscho disse isso em um de seus últimos posts:

    “A lei é igual para todos, aprendemos desde pequenos na escola. Alguém ainda acredita nisso? A cada dia, o nosso Judiciário nos dá exemplos de que alguns são mais iguais do que os outros perante a lei, dependendo dos juízes e dos advogados envolvidos nos processos.

    Assim, vão se incorporando ao nosso cotidiano expressões como “a polícia prende e a Justiça manda soltar”, “cadeia só foi feita para pobre, preto e puta”, “quem tem dinheiro para contratar um bom advogado não fica em cana”.”

    E é isso que tem acontecido mesmo… infelizmente.

  54. Michelle - A Besta Desvairada said

    Política
    O PT, o PSDB e Luiz Antônio Pagot, por Ilimar Franco

    Ilimar Franco, O Globo

    Foram os petistas, na CPI, que turbinaram o ex-secretário-executivo do Dnit Luiz Antônio Pagot. O deputado Dr. Rosinha (PT-PR) fez uma graça e propôs a convocação do ex-governador José Serra (SP). Pagot declarou ter arrecadado para a campanha do tucano. Os tucanos reagiram e propuseram a convocação e um pedido de informações para a presidente Dilma. Pagot também disse que arrecadou para a campanha da petista. A provocação petista teve resposta à altura dos tucanos. A convocação de Pagot foi rejeitada, mas na próxima semana ele deve prestar depoimento em reunião paralela que está sendo organizada pelo senador Pedro Simon (PMDB-RS). Vem aí a CPI do B.

    Cabeças vão rolar…o ApeDelta ainda vai conseguir sujar a barra da Dilmona.

  55. Patriarca da Paciência said

    “a justiça é cega, ela não pode pender para um lado ou para outro dependendo de quem está sendo julgado.”

    Meu caro Edu,

    essa história de “justiça cega” é apenas um conceito metafísico que nunca existiu nem existirá em país nenhum.

    A Justiça existe, em qualquer país, para permitir um mínimo de harmonia social e o sossego das famílias.

    Para que não vivamos num clima de selva, de lei do mais valente ou do mais forte, é para isto que existe a Justiça.

  56. iconoclastas said

    “Dilma é mesmo de baixa competência? Onde estão seus erros e pecados capitais? ”

    tá de sacanagem?

    a mãe do PAC é madrinha da Delta.

    a mãe do PAC não consegue atender as exigências do TCU.

    a mãe do PAC não conseguiu imprimir um ritmo decente, em atendimento ao cronograma, para a execução de seu projeto filho.

    a mãe do PAC recrutou (acolheu) meia dúzia de ministros que não se sustentaram por um único ano.

    a mãe do PAC mantém na fazenda um de seus piores ocupantes nos últimos 40 anos (pelo menos, e olha que tivemos a Zélia…)

    o Erenicegate (perdoem omitir o autor da sacada) rolava na sala ao lado da dela e ela não sabia…ou era conivente.



  57. Edu said

    Opa!

    Cadê o Elias, que tende a culpar a administração dos municípios e dos estados sobre tudo?

    “A greve dos metroviários de Belo Horizonte, Maceió, Recife, Natal e João Pessoa completou um mês anteontem. E o que o PT tem com isso? O serviço é administrado por uma empresa federal, a Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU).”

    de Reinaldo Azevedo

    Inclusive, Patriarca, acho que o serviço público, a exemplo do metrô, é muito melhor mesmo que o serviço privado, como as cias de telecom: vamos fazer igual à Madame K. e estatizar tudo novamente! Vai ser bacana…

  58. Edu said

    Patriarca,

    Agora sim, chegamos no ponto fundamental que nos faz diferentes, e isso não significa ser esquerdista ou direitista.

    Para mim, justiça é o que manda a lei. E se a lei está cometendo injustiças, elas devem ser discutidas pela sociedade, afinal, ninguém está acima da lei, nem mesmo os juizes que as aplicam.

    Para você, a justiça depende de quem está sofrendo com ela, e, qualquer pessoa dotada de poder para exercê-la pode fazê-lo, primeiro avaliando a situação “social e política” dos envolvidos e depois com base no texto da lei.

    Isso significa que nossos valores são diferentes, e o que pode parecer justo pra vc, não é justo pra mim, e o que é justo pra mim, pode não parecer justo pra vc.

    Não tenho a menor pretenção de mudar seus valores, nem gostaria que vc tentasse me convencer do contrário, mas eu acho que devemos ficar bastante atentos aos resultados da nossa justiça, que ora pende para o meu lado e ora pende para o seu lado. Talvez assim consigamos entender o que pode ser realmente melhor para nossos filhos.

  59. Patriarca da Paciência said

    “Para mim, justiça é o que manda a lei. E se a lei está cometendo injustiças, elas devem ser discutidas pela sociedade, afinal, ninguém está acima da lei, nem mesmo os juizes que as aplicam.”

    Nese ponto não temos nenhuma divergência, muito pelo contrário, concordo totalmente. O que acontece é que as leis são elaboradas visando a harmonia social e ao sossego das famílias. É a própria essência da coisa. o Resto é pura balela.

  60. Pax said

    Prezado Fernando C Monteiro,

    Bem-vindo ao blog.

    Realmente é sacanagem comparar o competente Abelardo Barbosa com essa turba de incompetentes. Mas foi o que me veio à cabeça ao ver os espetáculos tragicômicos das sessões de aplausos para os governadores na farsa desta CPMI.

    Caro Iconoclastas,

    Você fala de PAC, PAC e PAC, lembra do caso Erenice e fala do Guido Mantega.

    Sobre o PAC há muita discussão. Nunca deveriam ter montado um projeto da forma que montaram e muitas coisas não andam por lá. À além disso temos a Delta que Lula fez o favor de nos trazer, via CPMI, para o colo do programa. Agora que se expliquem. Poderíamos, quem sabe, indicar o Vaccarezza para esta nobre tarefa.

    Erenice: sinceramente acho que Dilma sifu nesta. Mas não consigo afirmar que ela sabia dos descaminhos de sua secretária mais íntima. Dou o benefício da dúvida. Acho mesmo que Erenice que ferrou Dilma e não que Dilma tenha usado Erenice para malfeitos. A primeira tese me parece bem mais plausível.

    Guido Mantega/Economia: aqui a conversa é longa. Poderíamos começar comparando os períodos do FHC, Lula e Dilma, associando uma análise de crescimento do PIB, endividamento, etc, colocando as crises nesta mesma linha do tempo e, nesta mesma linha, em uma outra dimensão, as ações desses três governos (tipo, neste momento reduziu o IOF, liberou tal crédito, tirou tal imposto, criou tal imposto, criou o programa tal, acabou com o outro tal e assim por diante). É complicado, não sou economista, mas seria, sim, interessante.

    Onde quero chegar?

    Se você desconsiderar os histéricos da oposição, há uma aceitação de Dilma acima da aceitação de Lula. Seja pela imprensa especializada como até nas pesquisas de opinião. Veja hoje os telejornais, os analistas políticos e asseguro para você que ela tem menos críticas que Lula.

    Enfim, não sou advogado de Dilma, nem mesmo de sua pesquisa de opinião, mas acho que você está adotando o discurso mais radical nesta tua análise.

    Eu ainda dou, sim, um crédito. Assim como gosto e respeito o FHC (que nem mesmo os tucanos fazem), acho que Dilma tem é levado um enorme peso nas costas, que é o rumo que a atual direção deu ao seu partido, o PT.

    Os petistas me odeiam por esta visão/opinião. Paciência.

    Ao mesmo tempo me permito achar que adjetivar Dilma como gepone e quetais é um enorme sinal de falta do que falar, coisa, de novo, dos histéricos e da parte da oposição que mais parece cachorro que caiu do carro em Itatiaia quando a família se mudava do Rio para São Paulo.

  61. Edu said

    Pax,

    Desculpe me intrometer na conversa.

    A verdade é que não sei se era esperado que a Dilma fizesse algo realmente brilhante ou diferente.

    Quando fazemos planejamento estratégico em uma empresa, damos o direcionamento para os próximos 5 a 10 anos da empresa. De um planejamento como esse saem todas as iniciativas estratégicas e ações de curto, médio e longo prazo.

    Após o planejamento estratégico, para que as mudanças ocorram é necessário que os gestores implementem as iniciativas.

    O Lula tinha algumas idéias na cabeça, criou um monte de iniciativas para implementá-las, que culminou no PAC, que é o planejamento estratégico do Brasil.

    A Dilma veio para implementar o PAC, dar continuidade ao planejamento estratégico brasileiro sem tropeçar nas armadilhas econômicas que podem surgir internamente ou externamente. Temos, portanto, que avaliá-la em função do propósito da administração dela, que está intimamente relacionado ao PAC.

    Ela pode se beneficiar da melhor aprovação popular do mundo, realmente, o Brasil está crescendo (a passos de formiga), mas está crescendo, as pessoas sentem isso e, claro, ato contínuo, aprovam o governante.

    Mas de resto, a administração dela patina… e patina bastante… se vc avalia o resultado de um governo pela aprovação popular, sempre estará dando o benefício da dúvida, mas a capacidade de gestão dela, fora a imagem de “dama de ferro” que ela criou, é pífia.

    De resto é economia e, como já disse, espero que o Guido Mantega esteja fazendo as contas dele direitinho… o que parece que não está.

  62. Zbigniew said

    A mãe do PAC agindo:

    Em artigo desta semana, a revista britânica The Economist criticou os altos salários de servidores públicos brasileiros. Os dados foram revelados pela primeira vez nas últimas semanas, após a Lei de Acesso à Informação entrar em vigor.

    Na Câmara Municipal de São Paulo, metade dos 700 nomeados recebe mais de R$ 7.223 por mês, já descontados os impostos. Um enfermeiro chega a ganhar R$ 18.300, 12 vezes o salário médio na iniciativa privada. Os vencimentos foram impulsionados por reajustes anuais e bônus por tempo de serviço.

    O texto da Economist, denominado Envergonhando o ‘invergonhável’ – como os burocratas roubam os contribuintes (tradução literal), diz que a divulgação de dados públicos irritou os sindicatos, que mencionaram o risco de roubo e sequestro que isso representaria aos funcionários. Mas, segundo o texto, quem se sente roubado agora são os contribuintes.
    A presidente, Dilma Rousseff, está usando uma lei de liberdade de informação, em vigor no mês passado, originalmente destinada a descobrir atrocidades cometidas durante a ditadura militar no Brasil, para expor os gordos salários de políticos e burocratas.

    Os nomes de funcionários federais e salários devem ser divulgados na internet a partir do final de junho. O Supremo Tribunal Federal e o Congresso concordaram em seguir o exemplo.

    Segundo a Constituição, nenhum servidor público pode ganhar mais do que um juiz do Supremo Tribunal Federal – R$ 26.700. No entanto, ministros e cerca de 4 mil funcionários federais ultrapassam o teto, de acordo com o site Congresso em Foco.

    O artigo cita ainda os benefícios a deputados federais e senadores, além de altos salários altos de funcionários do Congresso, que gasta, por ano, R$ 6 bilhões só com pagamento de pessoal. Juntando a remuneração de presidente do Senado, pensões por sua atuação como governador e juiz no Maranhão, José Sarney recebe R$ 62 mil. Há informações, segundo o texto, de que alguns atendentes de elevador no Congresso chegam a ganhar R$ 17 mil por mês.

    Amanda Polato

    http://colunas.revistaepoca.globo.com/ofiltro/2012/06/14/the-economist-chama-salario-de-servidores-brasileiros-de-roubo/

  63. Edu said

    Zbig,

    Eu acho que funcionários públicos, pelo poder que têm, devam ganhar bem mesmo.

    Eles devem ganhar mais pois devem ser exigidos padrões mais altos de qualidade dos serviços que eles prestam para a população. Eles devem ganhar mais porque eles deveriam prestar contas publicamente do que fizeram e do que deixaram de fazer, deixando a população ciente do desempenho deles. Eles devem ganhar mais, porque pelo poder que eles têm, se eles ganhassem possivelmente haveria um aumento na corrupção.

    A Dilma então vai fazer o que com os salários dos funcionários públicos? Baixar?

    Como é que ela vai fazer com o nível de serviço prestado à população, que já é uma porcaria?

    Como é que ela vai fazer com a corrupção? Instituir uma CPMI com o Collor pra garantir a ética?

    O que ela quer expondo os “gordos salários”? Sujeitá-los a sequestros?

    Mandou muito bem a Dilma…

  64. Zbigniew said

    Edu,

    criar o fato político. A partir daí dobrar os núcleos de resistência que mantém tais distorções.

    Nada quanto ao fato de se pagar bons salários ao funcionalismo, que deve ser bem remunerado e formado.

    Neste ponto também considero que a Dilma mandou bem.

  65. Edu said

    Patriarca,

    “O que acontece é que as leis são elaboradas visando a harmonia social e ao sossego das famílias. É a própria essência da coisa. o Resto é pura balela.”
    (Patriarca)

    Pois é, eis um exemplo simples: invadir propriedades privadas é proibido, visto que a harmonia social e o sossego das famílias donas das respectivas propriedades se deve ao direito à propriedade, que deve ser respeitado…

    Então por que sem-terras e outros movimentos invadem propriedades privadas e saem impunes?

  66. Edu said

    Zbig,

    Depois que eu falo que a Dilma anda preocupada com a escalada das despesas públicas, o Elias fica nervosinho…

    Pra que a Dilma quer gerar fato político, ou qualquer coisa que o valha? Será que ela não tem outras prioridades não?

    Exemplo: reforma política, reforma tributária…

    Além disso, qual é o impacto de um “ajuste” a menor dos salários desses funcionários públicos no orçamento da União?

  67. Pax said

    Caro Edu,

    Pode se intrometer em qualquer conversa, aqui, lembre, não há censura.

    Conheço um pouco de planejamento estratégico, tive bons mestres neste assunto.

    Acho que você força um pouco a barra em dizer que o PAC é o planejamento estratégico do Brasil. No máximo poderíamos comparar com os planejamentos estratégicos das áreas de uma empresa que têm, necessariamente, que estar alinhados e irem ao encontro do planejamento estratégico da empresa como um todo.

    Mas, antes mesmo do planejamento estratégico de uma empresa, o ideal é que exista um planejamento institucional, uma declaração de princípios, que define o que esta empresa quer ser, como quer ser vista, como quer influir na sociedade, como quer suas relações com todos os atores envolvidos: acionistas, colaboradores, fornecedores, sociedade, governos, meio ambiente etc.

    A partir disto temos o plano estratégico onde olhamos virtudes e fraquezas, oportunidades e ameaças, áreas de atuação, definimos números objetivos para crescimento nas áreas, produtos etc. Depois disso é que cada uma das áreas (Inovação, Mkt e Vendas, Produção e Logística, RH, TI etc) fazem os planos que atendem os objetivos da empresa, tanto institucionalmente como estrategicamente.

    Creio que não mudou muito desde meus tempos de aprendizado e prática.

    Olhando sob este prisma, um pouco mais elevado que simplesmente definir um número seco de crescimento, não consigo concordar que o PAC seja o Plano Estratégico do Brasil definido por Lula etc, como você afirma.

    Muito antes disso houve um plano institucional, o tal “Brasil para todos” e quetais, que definiu como o governo queria e quer influir na sociedade.

    Itamar, FHC, Lula e Dilma não têm grandes divergências do que chamo de “institucional”, querendo aproveitar teu exemplo bom, provocativo.

    Desde que a inflação foi contida, que os primeiros programas de bolsa educação foram criados com Ruth Cardoso etc que o Brasil definiu um rumo à aparte dos rumos que a “direita” toma para si como premissa, que é o poder nas mãos da iniciativa privada e que o sucesso destes acabam por produzir bem-estar social como consequência, como corolário do sucesso exclusivo dos empreededores. Estes, segundo minha simplista colocação, são os que preferem o estado mínimo como opção de governo, ou, caso você queira, como plano institucional que vem a definir um plano estratégico.

    Voltando, então à Dilma, ou à sua administração.

    Como disse, acho temerário definir o PAC como agregador de gestão. Foi uma invenção do governo passado que colocou tudo, projetos do governo federal, de governos estaduais, de PPPs etc tudo num único saco e cunhou a Dilma de mãe do PAC. Tudo como se fosse fácil gerir esta montanha de forças completamente díspares.

    É um prato cheio para os oposicionistas criticarem a presidente como má gestora. A questão que coloco é que é um mau saco de gestão, isto sim, tendo a concordar.

    E estas críticas que vejo parecem não levar em consideração as variáveis políticas, as variáveis externas etc. Não estou reclamando, só estou apontando o que acho falho nas críticas.

    Seria o mesmo que eu criticar FHC por ter feito um governo com relativa estagnação econômica e problemas de gestão complicados, como o apagão elétrico e outros. Só que não analiso FHC por estas questões, analiso o cara pelo que ele deixou para o Brasil, para a sociedade, que foi uma inflação sob controle, um modelo bancário sustentável, um modelo de gestão que é fundamental, o de responsabilidade fiscal etc. E FHC deu início, sim, aos governos sociais-democratas que se sucederam e que são, a meu ver, em minha opinião e vontade política, a melhor opção de governo.

    O problema é que este caminho não é fácil e há rumos com os quais discordo. Principalmente a questão do mote principal deste blog. Com corrupção todos estes planos, institucionais, estratégicos, táticos etc, ficam muito comprometidos.

    Mas tenho críticas, sim. E muitas. As principais, à além dessa composição política e práticas que pressupõem corrupção como forma, o que mais questiono é: onde estão as reformas essenciais? A Política/Eleitoral, a Tributária/Fiscal etc. Mas, ainda mais incomodado fico é que nenhum deles todos (Itamar, FHC, Lula e Dilma) fizeram o que tem que ser feito em definitivo: colocar todas as fichas, todos os centavos, em Educação.

    Nisto, meu caro, todos foram e são incompetentes de marca.

  68. Pax said

    Opa, meu comentário entrou antes de ter visto este teu acima, Edu, o #66. Ou seja, com relação às reformas acho que estamos de acordo.

  69. iconoclastas said

    “Se você desconsiderar os histéricos da oposição, há uma aceitação de Dilma acima da aceitação de Lula. Seja pela imprensa especializada como até nas pesquisas de opinião. Veja hoje os telejornais, os analistas políticos e asseguro para você que ela tem menos críticas que Lula.”

    popularidade != de qualidade, infelizmente…

    “Enfim, não sou advogado de Dilma, nem mesmo de sua pesquisa de opinião, mas acho que você está adotando o discurso mais radical nesta tua análise.”

    radical = prático (apenas para os homens cordiais) , afinal são fatos.

    “Eu ainda dou, sim, um crédito. Assim como gosto e respeito o FHC (que nem mesmo os tucanos fazem), acho que Dilma tem é levado um enorme peso nas costas, que é o rumo que a atual direção deu ao seu partido, o PT.”

    que seja…

    (mas pq os pt simpatizantes sempre recorrem ao ex-presidente tucano qd eu trato dos lamentáveis executivos ptistas? eu costumo (ava) chamar este senhor de MEU?!?! que fixação, eu hem?!)

    ;^?

  70. iconoclastas said

    “Seria o mesmo que eu criticar FHC por ter feito um governo com relativa estagnação econômica e problemas de gestão complicados, como o apagão elétrico e outros.”

    não criticar isso é uma escolha, mas são fatos, tanto q vc lembra bem, certo?

    ;^?

  71. Edu said

    Pax,

    Vc tem razão de dizer que o planejamento estratégico inclui mais coisas além de uma análise de forças, fraquezas, oportunidades levando em consideração fatores externos e internos.

    Certamente que há, junto a tudo isso, a necessidade de uma definição de visão e missão, que os empresários parecem não levar muito à sério, mas que é extremamente importante para a definição do futuro do negócio.

    Mas acho que o PAC também não pode ser comparado somente à um planejamento tático, como se fosse o planejamento de uma área industrial de uma empresa.

    E assim como uma empresa não vive só de investimentos na área industrial, o Brasil também não sobreviveria somente de PAC.

    No entanto, o PAC reflete uma priorização clara do governo anterior: infra-estrutura, que eu já defendi aqui como uma decisão acertada.

    Assim como vc bem disse: o FHC priorizou o controle inflacionário, a responsabilidade fiscal, entre outras medidas de cunho econômico. O FHC não foi um governo popular, já fizemos comparações da evolução de indicadores sociais aqui, eu e mais alguém, acho que foi o Elias, e vimos que realmente alguns indicadores evoluiram menos que os indicadores no governo Lula. Se o FHC encarou a missão dele com base nessa arrumação de casa econômica, acho que posso fazer uma aproximação e dizer que o plano estratégico do governo dele era esse.

    E isso faz com que eu force a barra no sentido de dizer que o planejamento estratégico brasileiro pode se resumir ao PAC.

    A intenção é boa: integrar os interesses e as ações Federais, Estaduais e Municipais. Concordando com vc, os interesses são bastante divergentes, mas se há um projeto a ser realizado e o projeto não está bom, que a Dilma gaste mais tempo desatando os nós do projeto. O que ela não pode fazer de maneira nenhuma, e que seria muito pior, seria justamente parar no meio, abandonar, desviar a atenção dela para outros assuntos. Novamente prioridade: isso faz parte da vida de qualquer ser humano, de qualquer gestor e deveria fazer parte, principalmente, da vida de qualquer político. Aí vem minha maior crítica: onde está esta lista de prioridades dela?

    Eu concordo que a corrupção atrapalha, no entanto, ela entrou lá condescendendo com a corrupção, se não foi isso, ela simplemente foi muito ingênua de não analisar currículo nenhum antes de botar os ministros sentados em suas cadeiras. E aí é que está: ela gasta um tempo e um esforço enormes para dar a volta nesses percalços…

    E concordo também com o lance da educação. Um exemplo disso é energia: o Brasil deveria ser uma potência em construção naval e bioenergia… mas não consegue botar um navio pra boiar e não consegue vender sua bioenergia como alternativa ao petróleo no cenário internacional.

    No entanto, o ex-ministro da educação, que, diga-se de passagem, fez um monte de besteiras está lá, concorrendo à prefeitura de São Paulo…

  72. Chesterton said

    Eu acho que funcionários públicos, pelo poder que têm, devam ganhar bem mesmo.

    chest- eu acho que não. Nunca devem ganhar mais que seus patrões, o povo contribuinte.

  73. Pax said

    Caro Iconoclastas,

    Chamava Lula de meu, sim. Votei nele, ora bolas, era o presidente que escolhi, então… meu presidente. Estamos esclarecidos aqui?

    E confesso que entre Lula e Alckmin e Lula e Serra, acredito que tenha feito uma boa escolha. Aliás, não tenho a menor dúvida quanto a isso.

    Sim, claro que é uma escolha não criticar FHC por conta de seus menores sucessos, ou mesmo insucessos. Olho e analiso a passagem de FHC na presidência pela resultante final. Somatório, noves fora, saca?

    Porque PT simpatizantes (está falando de mim? tem certeza?) citam o ex-presidente tucano? Ora, meu caro, eu cito como forma de comparação, de dizer que 1 metro é alto ou baixo? Se você pegar um anão ou um ala de basquete, 1 m pode ser alto ou pode ser baixo.

    Como você pode dizer que é melhor ou pior sem comparar com algo?

    Quer que eu compare com quem? Deodoro da Fonseca? Floriano Peixoto? Prudente de Moraes? Campos Sales? … Castelo Branco? Costa e Silva, Médici? Geisel? Figueiredo?

    =)

  74. Edu said

    Pax,

    Sim, hehe, estamos plenamente de acordo em relação às reformas.

    Ah, e concordo com o Iconoclastas, por que o fato de eu me opor ao PT (na maioria das vezes) automaticamente ou PSDB?! Eu hein… nem PSDB, nem DEM, nem nada.

    Eu acho que partidos estão para a política assim como times estão para o basquete no Brasil: talvez restem alguns talentos individuais que sejam capazes de carregar o Brasil nas costas.

  75. Pax said

    Caro Edu,

    Opa, acho que você desconhece em profundidade a indústria naval brasileira.

    Já fomos bons e estamos voltando … mas houve um período negro neste meio do caminho. Tenho um irmão engenheiro naval, visitei estaleiros, vi tecnologia de ponta e depois vi isso tudo enferrujar ao completo abandono.

    Levante e veja em que épocas isto tudo ocorreu e acho que me dará razão.

  76. Edu said

    Chest,

    Eu aposto na meritocracia e transparência. Não ligo de pagar bem e garantir a estabilidade do sujeito que está lá, desde que ele comprove os resultados dele e mantenha um altíssimo nível de transparência.

    Afinal, que político é político só por amor à pátria, ao povo ou ao desejo de mudar o país? Sejamos mais realistas e, portanto, mais capitalistas, né? hehehe

  77. Edu said

    Pax,

    Eu sei bem disso, fiz análise de mercado de construção naval. Este meio do caminho é bastante tempo e, apesar de pelo menos estarmos retomando algum ritmo, estamos atrasados e totalmente dependentes de tecnologia externa…

  78. Zbigniew said

    Não se pode negar que a industria naval brasileira renasceu com o governo Lula.

    É natural que haja uma demanda de tempo para atualizações tecnológicas, em face do período em que o país passou sem construir navios, preferindo adquiri-los no exterior. Mais uma característica burra dos direitobas encastelados no governo tucano da época. Afinal desenvolvimentismo era coisa de esquerdista nacionalista bolchevista. Coisa de atrasado.

    Sim, a iniciativa foi importante para contribuir com o incremento dos níveis de empregos que o país apresenta e que tanta inveja provoca, principalmente nos europeus.

  79. iconoclastas said

    “Como você pode dizer que é melhor ou pior sem comparar com algo?”

    pois é, por isso são adjetivos comparativos…

    mas saber se o sujeito(a) tem competência é mais simples: quem faz direito é competente, quem não faz…

    Dilmão não consegue se identificar com o primeiro caso. pena, quer dizer, penamos nós…

    ;^/

    ps – construção naval no Brasil é casca, só põe os rebites nas placas da Usiminas, e mesmo assim o que sai é um João Cândido…

  80. iconoclastas said

    “Olho e analiso a passagem de FHC na presidência pela resultante final. Somatório, noves fora, saca?”

    ooo, como não… do cefalópode e de sua cria tb, suponho…

    aí dá no que dá.

    mas Cabralzinho, Geraldo e Serrote, Giba K, Aécinho, Cidinho, Duda Paes e etc. tb contam com “análises” deste porte?

    pq aí fica todo mundo muito bem na fita, né não?

    ;^?

  81. Pax said

    Caro Iconoclastas,

    Tento, mal e porcamente, entender a política nacional. Sou um completo amador e aprendo muito por aqui.

    Isto posto não posso fazer as mesmas análises dos carinhas que você citou acima. Mas algumas estou mais próximo por ter me mudado do RJ para SP em 1993, ou seja, 20 anos de vivência por aqui.

    Por conta dessa específica regionalidade que peço encarecidamente que FHC viva por mais 20 anos e renove as forças do tucanato paulista.

  82. iconoclastas said

    faz sentido, mas com essa profundidade de “análise” não faria diferença…

    então diz aí no que São Paulo piorou nos últimos 20 anos?

    ;^?

  83. Zbigniew said

    Problema de gestão?

    De Valor Econômico
    Falhas custam R$ 400 mi à estatal Valec

    Estatal terá despesa extra para consertar falhas de ferrovia

    Por André Borges | De Brasília

    A estatal Valec, responsável pela construção da Ferrovia Norte-Sul, fez um pente-fino nos 855 km entre Palmas (TO) e Anápolis (GO) e concluiu que terá de gastar mais R$ 400 milhões para consertar estruturas e trilhos mal instalados. Precisará ainda erguer nove pátios logísticos, estruturas que constavam dos contratos com empreiteiras e não foram feitos.

    “Tocaram os trilhos e não fizeram os pátios. Ainda que toda a linha estivesse pronta, não teria onde estacionar para receber e entregar a carga”, disse José Eduardo Castello, que há oito meses assumiu a presidência da Valec para colocar ordem na casa. Há falhas grosseiras como ausência de proteção de taludes, falta de sistemas de drenagem e aterros mal construídos.

  84. Zbigniew said

    Pode-se colocar na conta de Dilma o problema de operacionalização? É do ministério ou do ministro? O que falta numa estrutura como esta?

  85. Pax said

    Das atribuições estaduais, caro Iconoclastas, não vejo grande avanços em áreas como Educação, Segurança, mobilidade urbana etc.

    E ainda péssimos exemplos de gestão somente para interesses de um menor público. Obras lindíssimas para carros de luxo e quase nada para as periferias. Um modelo com o qual me permito discordar. Você vive em São Paulo? Conhece bem a capital e grande capital?

    Sem falar dos abafos da necessária CPI dos Pedágios e algumas outras investigações necessárias. Sabemos que há fortes suspeitas, por exemplo, nas execuções das grandes obras e os caras ameaçam de processo quem abrir o bico para falar de paulos e pedros, brancos e pretos.

    E a polícia gosta um bocado de mandar bala e cassetete e a politicagem mascara números para aparecer bem na foto.

    Enfim, dá pra ficar um bom tempo elencando o que não gosto.

    (p.s.: assim como gosto do FHC, nutro relativa simpatia pelo Aluysio Nunes, o novo senador, apesar dele ser muito ligado ao Serra. Do que temos de tucanato no Senado me parece que é um dos melhores)

  86. iconoclastas said

    # 83 e 84 são hoax. tem algum direitoba, tucano, demo, republicano ou seja lá o que for usando o nick do Zigb.

    ;^)

  87. Pax said

    Não, vem do mesmo IP.

  88. Chesterton said

    do Nelson Motta publicada no Estadão.

    Pisando na bola, errando passes, falhando nos desarmes, atropelando seus próprios companheiros de time e, em lance inusitado, tentando driblar até o juiz, para usar as metáforas futebolísticas que lhe são caras, Lula sem barba está parecendo um Sansão sem cabelos. E a Dalila a lhe cortar a força não é a doença, mas sua própria vaidade. Enfrentar o câncer e a morte, e sobreviver, talvez tenha lhe provocado o efeito colateral de aumentar a sua onipotência e fazê-lo vítima de sua já desmesurada vaidade. Ao lado de Sérgio Cabral e Eduardo Paes, Lula foi flagrado em mais um impedimento clamoroso no futebol político.
    “É com muito orgulho que eu posso dizer ao povo do Rio de Janeiro: um dia tive a coragem de ir para a televisão e pedir votos para este moço.”
    A vaidade de Lula é tanta que ele se sente orgulhoso do que qualquer um se envergonharia, chamando de coragem pedir votos para um moleque que detestava, que era secretário-geral do PSDB e havia infernizado a sua vida e dos petistas na CPI dos Correios, e pior, tinha denunciado seu filho Fábio Luis como beneficiário de uma associação suspeita com a Brasil Telecom, que o fazia ainda mais odiado por dona Marisa Letícia. Dobrar a ira da mãe e a decepção do filho em nome da política e da luta pelo poder não dá para orgulhar ninguém.
    Cometendo faltas e culpando o adversário, pressionando o juiz e insuflando a arquibancada, Lula prende demais a bola e centraliza todas as jogadas, mas erra na distribuição e não consegue armar os contra-ataques. O craque dos palanques está em fase mais para Ronaldinho Gaúcho do que para Fenômeno.
    Disse que pouco conhecia Eduardo Paes em 2008 e por isso tinha dúvida em apoiá-lo, mas foi convencido por Sérgio Cabral: “Não me arrependo de ter pedido voto para ele e farei isso em 2012 com muito mais convicção”.
    Assim como não sabia do mensalão, Lula não conhecia um dos oposicionistas que mais o denunciavam. Assim como José Dirceu está cada vez mais convencido de sua inocência, Lula agora está muito mais convicto de que pode enganar todo mundo o tempo todo. Assim não há teflon que aguente.

  89. iconoclastas said

    “não vejo grande avanços em áreas como Educação, Segurança, mobilidade urbana etc.”

    sua percepção quanto a educação pública é senso comum, generalizada para o país, e possivelmente correta…

    qt a segurança não faz sentido algum, pois os números de São Paulo melhoraram significativamente nas últimas duas décadas e estão entre os melhores do país. números mascarados pq? pq não corroboram a tua tese? se é para tratar dados exponha-os.

    qt a mobilidade urbana, se vc apenas não vê avanços, no que eu concordo, já é do KCT, pq em grande parte do país isso só piorou.

    vou à São Paulo algumas vezes por ano, mas não sou um conhecedor da cidade, menos ainda do estado, exceto por algumas áreas específicas.

    é contraditório que alguém que goste do petismo no executivo federal reprove uma administração estadual por abafar CPI, investigações, censuras e etc.

    o método é teu, por ele, eu afirmo que Cabralzinho e Duda Paes tb se saem muito bem (apesar do trânsito caótico, da Delta, da (falta de) educação, do controle da câmara e da assembléia…), mas não têm meu voto, não…

    ;^/

  90. Chesterton said

    Edu, você está acompanhando os dramas dos estados de Nova Jersey, California, Wisconsin e outros que estão em via de serem quebrados e os governadores suam a camisa para acabar com mordomia de funcionalismo?
    Um emprego estatal , numa sociedade saudavel, tem que ter sempre remuneração equivalente ou inferior ao mercado, pois são as pessoas que trabalham no mercado que sustentam os funcionarios.

  91. Pax said

    Caro Iconoclastas,

    Você está me acusando (ou insinuando, ou achando que…) de concordar com os abafamentos das CPIs e CPMIs no âmbito federal?

    Putz.

    Não tenho os dados sobre segurança pública. Nem é meu foco, nem vou procurar. Vivo aqui e afirmo. Concordo que é dez vezes melhor que no Rio, sim, mas afirmo para você que o quadro que pintam não é o que está nas ruas.

    Aqui já fui vítima de assalto, de sequestro relâmpago, já tentei atuar junto à Polícia Militar para implantar policiamento comunitário quando era presidente de uma associação de moradores etc e sei bem que a real é diferente do que o Geraldo, por exemplo, alardeia.

    O papo aqui não é negociar não, é baixar o porrete e ver no que dá. Hoje mesmo você verá duas dezenas de estudantes presos por conta de uma má fadada operação policial. Não estou julgando os estudantes, nem favorável nem contra, nem sei o que eles reivindicavam, só sei que prender estudante universitário por conta de greve não é o caminho correto. Tenho certeza disso.

    Bem, morasse eu no Rio também não votaria em Cabral nem muito menos no Paes. Só não sei em quem votaria. Muito menos na péssima aliança de Lula com o Garotinho e a Bolotinha.

  92. Chesterton said

    Maluf na campanha do Hadad?
    Putz! (a la Pax)

    Por apoio a Haddad, Maluf emplaca secretário nas Cidades

    ANDRÉIA SADI
    DO “PAINEL”, EM BRASÍLIA

    Atualizado às 15h22.

    O deputado federal Paulo Maluf (PP-SP) conseguiu emplacar um indicado seu como secretário nacional de saneamento ambiental do Ministério das Cidades, comandado pelo pepista Aguinaldo Ribeiro.

    A indicação de Osvaldo Garcia, publicada no “Diário Oficial” desta sexta-feira (15), ocorre dias antes de o partido definir o apoio a Fernando Haddad, pré-candidato do PT à Prefeitura de São Paulo.

    PP convoca reunião para decidir aliança em SP

    Garcia é engenheiro e não é filiado ao PP, apesar de ser ligado ao deputado.

    Para convencer Maluf, o governo federal vai tirar Leodegard da Cunha, nome do PP nacional, da secretaria de acessibilidade e programas urbanos e realocá-lo em uma secretaria das Cidades comandada pelo PSC.

    O apoio do PP ao tucano José Serra na corrida eleitoral de São Paulo era dado como certo, mas as relações do PSDB com o PP azedaram e Maluf decidiu intensificar contatos com a campanha petista.

    O partido convocou para segunda-feira uma reunião da direção executiva paulista durante a qual pretende anunciar seu rumo na eleição para a Prefeitura de São Paulo. O encontro será presidido por Maluf, que conduz as tratativas de alianças desde março.

    O PP é dono de fatia de 1min35s na propaganda eleitoral de TV

  93. Chesterton said

    Um fenômeno se instalou no país após a ascensão do PT no poder. Determinadas pautas, sempre presente em governos anteriores, praticamente sumiram do noticiário. A greve em instituições federais é um exemplo. Só no ano passado, funcionários de mais de 40 universidades federais entraram em greve. A paralisação durou 120 dias. Durante esse período, a maior parte dos veículos de comunicação apenas tangenciou o tema. Tratamento semelhante teve a greve dos Correios, estatal que detém o monopólio dos serviços postais no país. Durante 28 dias, o país inteiro sofreu com atrasos na entrega de correspondência sem que o assunto fosse amplamente debatido, e as reivindicações dos trabalhadores, antes exaustivamente propagadas, fossem ouvidas. Sobretudo nos meios televisivos.
    No dia 17 maio deste ano, 29 universidades decretaram greve. A imprensa novamente se calou. É preciso um pouco de paciência para encontrar alguma informação a respeito do assunto. Não fossem as excessões de sempre, dificilmente saberíamos que, no próximo domingo a paralisação dos servidores completará um mês, e que, até o momento, 55 instituições de ensino aderiram à greve.

    de Implicante

  94. Chesterton said

    Cadê o Elias?

  95. iconoclastas said

    “Você está me acusando (ou insinuando, ou achando que…) de concordar com os abafamentos das CPIs e CPMIs no âmbito federal?”

    sem essa. vc aprova um governo que faz isso…e reprova outro governo por causa disso. é vc mesmo quem diz, pq jogar para cima de mim?

    “Concordo que é dez vezes melhor que no Rio”

    mas o que importa, pelo teu método, é a comparação com o passado. e melhorou muito.

    “Aqui já fui vítima de assalto, de sequestro relâmpago,” .

    eu aposto que vc tem conhecimento estatístico suficiente para saber que isso não é uma amostra confiável…

    “a real é diferente do que o Geraldo, por exemplo, alardeia.” ,

    provavelmente, como vc sabe tb que é diferente do q o Guido fala, do que Dilmão se enrola, do que o guru propaga…

    “Tenho certeza disso.”

    não deveria, para o seu próprio bem a lei tem que ser respeitada, a punição tende a inibir os excessos, e preservar a sociedade.

    ;^/

  96. Pax said

    Caramba, caro Iconoclastas, hoje você está naquela “bisogno de littigare” (não sei se é assim, não conheço italiano).

    Estás como o velho e bom Chesterton, me acusando de ser petista. Precisa me mostrar a carta assinada de filiação.

    Eu aprovo um governo que abafa CPIs? Onde, me mostre, por favor.

  97. iconoclastas said

    chega de comparações. isso mais esconde do que expõe.

    é evidente que em termos numéricos o país está melhor, há fatores externos fundamentais para isso, acontece que é necessário observar como estaria se fosse tocado competentemente…

    governos de forma geral atrapalham muito mais do que ajudam. acontece de ajudarem, mas é raro. espera-se, pelo menos, que executem aquilo que propuseram ao eleitor (não que seja necessariamente bom para o país, muitas vezes não é, pode piorar muito até, mas a expectativa de turno é essa), quando nem isso nego é capaz de realizar…resta contar com o que vem de fora…

    ;^/

  98. iconoclastas said

    ” Eu aprovo um governo que abafa CPIs?”

    então todos ficam sabendo que o Pax não está entre os que aprovam o governo federal ptista. eu havia me enganado, pois ele reprova a gestão do Dilmão.

    ;^/

  99. Pax said

    Você está distorcendo minhas palavras, caro Iconoclastas. Não faça isso, por favor.

  100. Pax said

    Aliás, caro Iconoclastas, você fugiu do tema principal que coloquei no meu comentário #85.

    Vou repetir: E ainda péssimos exemplos de gestão somente para interesses de um menor público. Obras lindíssimas para carros de luxo e quase nada para as periferias.

    Quero ver teu contraponto. Se é que você me permite este querer.

    =)

  101. Michelle - A Besta Desvairada said

    Enquanto isso no Palácio do Planalto…

    Maluf disfarçado de Jesus…

    Dilma deu a Paulo Maluf o cargo que ele queria no Ministério das Cidades (já trato do assunto) na esperança de que o PP apoie Fernando Haddad em São Paulo. Os petistas, claro!, estão doidos para chamar Maluf de “companheiro”. Já lavaram a reputação de gente até pior. “Arbustus”, no Twitter, saiu-se com esta:

    “Às vezes, Jesus se disfarça de Maluf só para testar a fé da militância.”

    É uma excelente sacada! O diabo faz a mesma coisa! Finge-se de anjo só para ver se o petismo é tentado mudar de vida. Mas jamais se decepcionou, se é que vocês me entendem.
    Por Reinaldo Azevedo

  102. Chesterton said

    pax é um petista secreto…

  103. iconoclastas said

    “Você está distorcendo minhas palavras, caro Iconoclastas.”

    não, é estupidez minha mesmo. me explica, pf: vc, afinal, aprova o governo federal ptista, que recorrentemente abafa CPIs, ou reprova?

    “Obras lindíssimas para carros de luxo e quase nada para as periferias.

    Quero ver teu contraponto. Se é que você me permite este querer.”

    vc vê como eu sou uma mula, nem consegui identificar isso como o ponto principal…

    não sei do q se trata, mas se vc diz eu creio q devem estar fazendo kk… eu particularmente acho a pavimentação de SP incomparavelmente melhor do que a do Rio, não sei se é isso q serve aos carros de luxo…

    ai pelos teus critérios, eu imagino que Pita, Quércia, Maluf e etc. eram mais ciosos…não é isso, comparação?

    vc vê, o tesouro teve um custo de R$ 28 Bi nos últimos três anos para subsidiar crédito a empresas (via BNDES, que este tiozinho tanto falou há alguns meses), muitas delas com capacidade de se financiar no mercado, e outras que são incapazes de honrar tais empréstimos (quer dizer, a conta ainda vai ficar maior). enquanto isso 50% da população não tem acesso a saneamento básico…

    o tal do trem bala era uma fixação de Dilmão, e eu não sabia que se tratava de um vultoso projeto popular. por ora está parado (tem que passar um pouco a onda da Delta, né?!) mas em seguidinha volta…

    acho q não chega a ser um contraponto, eu só tento entender pq vc crê que um serve e o outro não, pois foi vc que lançou a idéia de comparação…

    ;^/

  104. Michelle - A Besta Desvairada said

    #102

    Na minha humilde opinião…ele é um petista herbívoro….
    Tem ideais não realizados pelo partido de simpatia e resolve “projetar”
    suas frustrações em todos os partidos…Todo mundo é igual.
    Mas lula é mais igual que todos. Inimputável.
    Afinal das contas ele “salvou” o Brasil que só havia feito cagadas antes de sua posse em 2003.Assumiu o Brasil do ZERO.Tudo estava por fazer.
    E assim é se lhe parece.
    Não somos da mesma ala do hospício que se converteu o Brasil
    nestes quase 10 anos de semi-governo.
    Lula e Dilma estão sendo governados pelas circunstâncias externas.
    Falta investimento de boa qualidade em tudo.Trocamos a qualidade pela quantidade. Na Educação nem se fala. Mercadante Ministro da Educação…é loucura…o cara dizia-se doutor sem ter defendido tese e quando o fez…sobre o governo lula, tão chã que até Delfin Neto tirou um sarro da sabugice do irrevogável/revogável.
    Se as circuntâncias mudarem pra pior …ninguem sabe onde iremos parar.
    Dilma declarou hoje q não há luz no fim do tunel e Mantega replicou dizendo que a difusa luz tem cara de locomotiva ( Josias)

    Pax …mude o remédio! Este está vencido.

  105. Jose Mario HRP said

    Enquanto nós nos digladiamos com politica, os caras se preparam para o confronto do futuro.
    O pré sal pode nos deixar nus!

  106. Michelle - A Besta Desvairada said

    Haja paranóia…

    Enquanto nós nos digladiamos com politica, os caras se preparam para o confronto do futuro.
    O pré sal pode nos deixar nus!

    Eles vão chupar petróleo a 8 kilometros de profundidade com um “canudinho” japonês…”Made in China” comprado no Paraguay.

    E ai ficaremos nus!

  107. Michelle - A Besta Desvairada said

    Cascatinha e Cachoeira.
    Odair Cunha é o Cascatinha, o meu garoto do PT…Com os trabalhos da CPI do Cachoeira em baixa, o relator Odair Cunha (PT-MG) vai se dedicar, na semana que vem, a um treino intensivo com delegados da Polícia Federal e promotores para aprender a inquirir os depoentes. As “aulinhas” vão acontecer depois dos depoimentos dos governadores de Goiás, Marconi Perillo (PSDB), e do Distrito Federal, Agnelo Queiroz (PT), que evidenciaram a falta de traquejo de Cunha.

    “Vai ser um intensivão. Como não sou desse mundo da investigação, é preciso fazer um treinamento de investigação, saber quais são as técnicas”, explicou o relator. “Não é esse negócio de pergunta e resposta”, disse. Assim como ele, os governadores também fizeram intensivos para “fazer bonito” na CPI: Perillo treinou exaustivamente com assessores sua fala na comissão, enquanto Agnelo foi preparado pela profissional de mídia training Olga Curado.

    O treinamento de Cunha na próxima semana será possível porque a CPI vai dar uma parada nas sessões de depoimento e administrativas para votar requerimentos. O motivo para o “recesso branco” é a Conferência Rio +20 e as festas juninas, frequentadas principalmente por parlamentares do Nordeste. Sem sessões, Odair Cunha pretende centrar o trabalho na análise de documentos.

    Integrantes da CPI pretendem reunir-se com o presidente do Banco Central, Alexandre Tombini, para reclamar da demora do envio de quebras de sigilos bancário e fiscal. Também deverão se encontrar com a diretoria da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para solicitar o envio de informações sobre o laboratório farmacêutico Vitapan, de propriedade da família do contraventor Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira.

    O recesso da semana que vem CPI vai servir para amainar os ânimos na CPI. Nesta sexta, o líder do PSDB no Senado, Álvaro Dias (PR), defendeu o desligamento de parlamentares da comissão que almoçaram, em Paris, com o ex-presidente da Delta Construções Fernando Cavendish. O senador Ciro Nogueira (PP-PI), que votou contra a convocação do empresário, e o deputado Maurício Quintella (PR-AL) admitiram ter se encontrado com Cavendish, durante a Semana Santa, na França, depois de uma viagem oficial a Uganda.

    “O mais adequado seria os que estão sob suspeição pedirem para sair da CPI”, afirmou Dias. “O correto teria sido eles se declararem impedidos de deliberar sobre o tema”, disse o tucano. (Estadão)

  108. Michelle - A Besta Desvairada said

    Mas parece que estamos nus desde agora…

    15 de Junho de 2012 às 20:17

    247 – Em sua polêmica decisão, que mandou soltar o Carlos Cachoeira, e que só não foi efetivada porque outra operação da Polícia Federal impede sua soltura, o desembargador Tourinho Neto listou diversas pessoas com quem o bicheiro, uma vez em liberdade, não poderá manter contato. Uma delas é o jornalista Policarpo Júnior, diretor da sucursal brasiliense da revista Veja. Outra, curiosamente, é o também jornalista Eugênio Bucci. Ex-presidente da Radiobrás, Bucci é também consultor do empresário Roberto Civita, dono da Editora Abril.

    Tourinho Neto determinou ainda que Cachoeira mantenha distância de três governadores: Marconi Perillo, de Goiás, Agnelo Queiroz, do Distrito Federal, e Sérgio Cabral, do Rio de Janeiro. Além disso, terá que manter distância dos deputados Stepan Nercessian, Protógenes Queiroz, Carlos Alberto Leréia, Sandes Júnior e Leonardo Vilella. São também citados o empresário Fernando Cavendish, dono da empreiteira Delta, e seus comparsas mais diretos, como o sargento Dadá.

    Ao citar os nomes das pessoas de quem Cachoeira não poderá se aproximar, o desembargador Tourinho Neto acabou lançando uma sombra de suspeição sobre todos eles. Seriam parte da organização?


    Estamos nus! Concordam?

Faça seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: