políticAética

Notícias da Corrupção, Desvios, Anomalias, Eleições e Meio Ambiente

  • Sobre o blog

    Uma coletânea das notícias da corrupção, desvios, anomalias, eleições e meio ambiente que aparecem na mídia todos os dias a partir de agosto de 2008.
  • Categorias

  • Arquivos

  • Páginas

  • Meta

Mensalão do DEM: MPF denuncia 38

Posted by Pax em 29/06/2012

Em agosto teremos o julgamento do mensalão do PT. Agora o mensalão do DEM tem 38 denunciados depois de três anos de investigações. José Roberto Arruda e Demóstenes Torres saíram do partido pela porta dos fundos e outros pela porta da frente, como Kátia Abreu, Kassab, Indio da Costa etc. O mensalão do PSDB segue na Justiça, porém sem notícias na grande mídia. Eduardo Azeredo, hoje deputado federal pelo PSDB, criador do esquema de desvios através das empresas de Marcos Valério, não tem qualquer questionamento do seu partido.

E o Brasil dos mensalões não vê qualquer iniciativa mais firme para que o modelo de financiamento de campanhas seja alterado. Continuaremos vivendo mensalões e mais mensalões, cachoeiras de escândalos e nada se altera no país que optou pela corrupção como principal método político.

Ministério Público denuncia Arruda e mais 37 investigados na Operação Caixa de Pandora

Débora Zampier – Repórter da Agência Brasil

Brasília – Depois de quase três anos de investigações, o Ministério Público denunciou nesta semana 38 pessoas envolvidas na Operação Caixa de Pandora, que apurou esquema de corrupção na gestão de José Roberto Arruda no governo do Distrito Federal (GDF). A informação foi confirmada hoje (29) pelo procurador-geral da República, Roberto Gurgel.

Segundo o procurador, as apurações provaram que empresas beneficiadas em contratos sem licitação com o GDF pagavam propina a políticos aliados do governo. Os envolvidos foram denunciados pelos crimes de corrupção ativa (empresários) e passiva (políticos) e lavagem de dinheiro.

Gurgel informou que o líder do esquema era o próprio Arruda e que Durval Barbosa foi confirmado como um dos operadores do esquema. A denúncia também envolve deputados distritais e empresários. Apesar de não divulgar quanto dinheiro foi desviado, o procurador confirmou que o esquema começou pouco antes das eleições de 2006.

O ex-governador do Distrito Federal Joaquim Roriz, que à época era senador, chegou a ser citado, mas não foi denunciado porque sua idade avançada impediria a punição.

Anúncios

82 Respostas to “Mensalão do DEM: MPF denuncia 38”

  1. Ulisses said

    E o mensalão do PSDB? Vai ficar ainda embaixo da bunda do procurador Roberto Gurgel? Assim dá muito na cara não? Será que está esperando o Serra ganhar em 2014 e jogar no lixo?

  2. Patriarca da Paciência said

    Eu continuo com a mesma opinião, “mensalão” é uma simples criação do Roberto Jefferson.

    O que existe mesmo é o tal “investimento” em candidatos com bom potencial, pricipalmente de empreiteiras, seguradoras e empresas de mídias.

    Certas editoras que o digam, com seus contratos milionários no estado de São Paulo.

    Como mudar uma “cultura” tão arraigada nos meios políticos?

    Eis aí o grande problema.

  3. Jose Mario HRP said

    Em falando em politica e ética vejam só:
    De agora em diante quando tiver que nomear o atual prefeito de São Paulo será assim, o F D P Kassab, pois o F D P Kassab proibiu que grupos de caridade e benemerencia distribuam sopa e comida nas ruas a sem teto e moradores de rua!
    Só que o F D P Kassab não esperava a reação imediata do MP de SP!
    O promotor responsavel pela pasta dos direitos humanos na Capital ameaçou , ontem, o F D P Kassab de sanções se não levantar a dita proibição!
    Vejam só!, o F D P Kassab não quer que a caridade que Deus nos recomenda como forma de elevação espiritual seja praticada!
    Ter amor a Deus e no coração para com os desvalidos e famintos virou crime!

  4. Pax said

    Caro Patriarca,

    Se você tiver paciência, procure dar uma vista d’olhos no tal relatório Zampronha. Aqui:

    http://www.cartacapital.com.br/politica/a-verdade-sobre-o-relatorio-da-pf/

    Não é na Veja, é na Carta Capital. E não dá para chamar a Carta Capital de PIG, certo?

    Neste primeiro artigo há os links para o relatório, Parte 1, Parte 2 etc.

    Não deixa dúvidas que houve, sim, desvio de dinheiro público (e privado) para financiamento de campanhas, de gente do PT e de aliados. Um esquema para lá de complexo, grana depositada nas contas das empresas do Marcos Valério e sócios e repassada para os políticos.

    Como este esquema será interpretado pelo STF é a questão de agora, do julgamento que vai se iniciar dentro em breve.

    Sinto muito discordar, mas não dá para achar que é uma simples “criação de Bob Jefferson”.

    O que não consegui ver no tal relatório foi o tal esquema, ou sistema, mensal de pagamentos para apoio político no Congresso. Do que vi (e confesso que li algumas partes muito à galope), era um volume enorme de dinheiro para pagamento de campanha.

    A parte que mais incomoda é o desvio de dinheiro da área de marketing do Banco do Brasil que era depositada nas contas das tais empresas do Valério a título de campanhas do BB que nunca aconteceram. Ou seja, grana pública desviada na cara dura.

    Este “suposto” crime é difícil de negar.

  5. Pax said

    A lista de denunciados do Mensalão do DEM:

    Confira lista dos denunciados:

    1) José Roberto Arruda – governador do Distrito Federal entre 2007 e 2010. Acusado de formação de quadrilha, corrupção ativa, corrupção passiva e lavagem de dinheiro.
    2) Paulo Octávio – vice-governador. Acusado de formação de quadrilha, corrupção ativa, corrupção passiva e lavagem de dinheiro.
    3) Durval Barbosa – secretário de Relações Institucionais. Acusado de formação de quadrilha, corrupção ativa, corrupção passiva e lavagem de dinheiro.
    4) José Geraldo Maciel – chefe da Casa Civil do DF. Acusado de formação de quadrilha, corrupção ativa, corrupção passiva e lavagem de dinheiro.
    5) Domingos Lamoglia – conselheiro do Tribunal de Contas do Distrito Federal, afastado desde 2009. Acusado de formação de quadrilha, corrupção ativa e lavagem de dinheiro.
    6) Fábio Simão – chefe de gabinete de Arruda. Acusado de formação de quadrilha, corrupção passiva e lavagem de dinheiro.
    7) Ricardo Penna – secretário de Planejamento e Gestão. Acusado de formação de quadrilha, corrupção passiva e lavagem de dinheiro.
    8) José Valente – secretário de Educação. Acusado de formação de quadrilha, corrupção passiva e lavagem de dinheiro.
    9) Roberto Giffoni – corregedor-geral do Distrito Federal. Acusado de formação de quadrilha, corrupção passiva e lavagem de dinheiro.
    10) Omézio Pontes – assessor de Arruda. Acusado de formação de quadrilha, corrupção ativa, corrupção passiva e lavagem de dinheiro.
    11) Rodrigo Diniz Arantes – assessor de Arruda. Acusado de formação de quadrilha.
    12) Adailton Barreto Rodrigues – funcionário da secretaria de Educação. Acusado de formação de quadrilha, corrupção passiva e lavagem de dinheiro.
    13) Gibrail Gebrim – funcionário da secretaria de Educação. Acusado de formação de quadrilha, corrupção passiva e lavagem de dinheiro.
    14) Masaya Kondo – funcionário da secretaria de Educação. Acusado de formação de quadrilha, corrupção passiva e lavagem de dinheiro.
    15) Luiz Cláudio Freire de Souza França – diretor do posto de serviço Na Hora, do GDF. Acusado de formação de quadrilha, corrupção passiva e lavagem de dinheiro.
    16) Luiz Paulo Costa Sampaio – presidente da Agência de Tecnologia da Informação. Acusado de formação de quadrilha, corrupção passiva e lavagem de dinheiro.
    17) Marcelo Toledo – policial aposentado, um dos operadores do esquema. Acusado de formação de quadrilha, corrupção passiva e lavagem de dinheiro.
    18) Marcelo Carvalho – executivo das empresas Paulo Octávio. Acusado de formação de quadrilha.
    19) Nerci Bussanra – diretora da empresa Unirepro. Acusada de corrupção ativa e lavagem de dinheiro.
    20) José Celso Gontijo – dono da empreiteira JC Gontijo. Acusado de corrupção ativa e lavagem de dinheiro.
    21) Alexandre Tavares de Assis – diretor presidente da Info Educacional. Acusado de corrupção ativa e lavagem de dinheiro.
    22) Antônio Ricardo Sechis – dono da Adler, empresa de informática. Acusado de corrupção ativa e lavagem de dinheiro.
    23) Alessandro Queiroz – dono da CapBrasil Informática. Acusado de corrupção ativa e lavagem de dinheiro.
    24) Francisco Tony de Souza – dono da Vertax, empresa de informática. Acusado de corrupção ativa e lavagem de dinheiro.
    25) Gilberto Lucena – dono da Linknet, empresa de informática. Acusado de corrupção ativa e lavagem de dinheiro.
    26) Maria Cristina Boner Leo – dona do Grupo TBA, da área de informática. Acusada de corrupção ativa e lavagem de dinheiro.
    27) Eurides Britto – deputada distrital. Acusada de corrupção passiva e lavagem de dinheiro.
    28) Leonardo Prudente – deputado distrital. Acusado de corrupção passiva e lavagem de dinheiro.
    29) Júnior Brunelli – deputado distrital. Acusado de corrupção passiva e lavagem de dinheiro.
    30) Roney Nemer – deputado distrital ainda em exercício. Acusado de corrupção passiva e lavagem de dinheiro.
    31) Benedito Domingos – deputado distrital ainda em exercício. Acusado de corrupção passiva e lavagem de dinheiro.
    32) Aylton Gomes – deputado distrital ainda em exercício. Acusado de corrupção passiva e lavagem de dinheiro.
    33) Odilon Aires – deputado distrital. Acusado de corrupção passiva e lavagem de dinheiro.
    34) Rogério Ulysses – deputado distrital. Acusado de corrupção passiva e lavagem de dinheiro.
    35) Pedro do Ovo – deputado distrital. Acusado de corrupção passiva e lavagem de dinheiro.
    36) Berinaldo da Ponte – deputado distrital. Acusado de corrupção passiva e lavagem de dinheiro.
    37) Benício Tavares – deputado distrital. Acusado de corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

    Fonte: http://agenciabrasil.ebc.com.br/noticia/2012-06-29/grupo-de-arruda-desviou-pelo-menos-r-110-milhoes-segundo-ministerio-publico

  6. Patriarca da Paciência said

    Meu caro Pax,

    não tenho a mínima pretensão de negar que existe mau uso do dinheiro público, em todos os níveis e em todos os partidos.

    Mas a história de “um salário mensal extra” para que deputados e senadores apoiem projetos do governo, é uma simples ilação do Roberto Jefferson, o qual aliás, já desmontou tal teoria em depoimento.

    E o fundamento do processo do suposto “mensalão” é isso aí, um salário mensal extra para que os deputados e senadores apoiem projetos do governo.

    Líderes do PT receberiam salários extras para aprovar projetos dlo PT?

    É algo meio surrealista.

    Então, o objeto do processo não faz sentido.

    Acho que o procurador que fundamentou o processo, fundamentou errrado.

    Também, passado sete anos, não foi apresentada uma única prova concreto do envolvimento do José Dirceu.

  7. Zbigniew said

    Permitam-me um ofitopique. Lula, antes de tudo, um ser humano de grande coração:

    “Lula e Civita: a solidariedade no câncer
    Enviado por luisnassif, sab, 30/06/2012 – 18:24
    Autor:  Luis Nassif
    Atualizado às 18:10

    No Sirio, em tratamento, Lula soube que seu arquiinimigo, Roberto Civita, também estava internado, câncer na próstata, só que em situação bem mais grave. Assim que foi informado, decidiu visitá-lo, apesar da resistência de dona Marisa.

    Desceram ao apartamento de Roberto Civita acompanhado do oncologista de Lula, Roberto Kalil. Civita se emocionou com a visita e pediu desculpas pelos ataques a Lula e ao filho. Lula lhe disse para não se emocionar muito para não atrapalhar o tratamento.

    Kalil viu sinais de ironia no alerta de Lula. Quem o conhece, viu a solidariedade para com o próximo.

    A visita foi para a pessoa de Roberto Civita. Mas em nada mudou o julgamento de Lula sobre o publisher Roberto Civita.

    Desdobramentos

    Algumas deduções e desdobramentos da notícia acima.

    Ganha consistência o rumor de que João Roberto Marinho esteve na Casa Civil do governo Dilma, solicitando o empenho do governo para a não convocação de Roberto Civita pela CPI, devido à doença. Da Abril ele seria a única pessoa a poder responder pelos movimentos da Veja nos últimos anos. Nenhum executivo – com exceção de Fábio Barbosa – tem acesso às instâncias mais altas da República.

    A notícia do agravamento da doença, além disso, lança nuvens de suspeita sobre o futuro da editora. Os herdeiros não demonstram pique para segurar o timão. Analista do mercado – com quem acabo de conversar agora – julga que se encerra o ciclo Civita na mídia brasileira, sem conseguir chegar até a terceira geração. Não significa o fim da Abril, mas, a médio prazo, dos Civita à frente do grupo.

    Roberto recebeu uma editora sólida do pai e teve oportunidades de criar um império. A influência da mídia sobre o governo Sarney permitiu-lhe conquistar uma rede de TV a cabo, a TVA. Depois, com a BOL, foi o primeiro grupo de mídia a tentar explorar as possibilidades da Internet.

    Na segunda metade dos anos 90, junto com Otávio Frias de Oliveira, tentou adquirir a Rede Bandeirantes. Na época, fiz uma espécie de meio campo entre ele, Frias e João Saad.

    Gradativamente, o grupo foi fracassando em todas as frentes. A BOL acabou fundindo-se com a UOL – da Folha. Mais à frente, Civita foi engolido por Luiz Frias que, na primeira capitalização do grupo, adquiriu a participação da Abril. De um lado, Civita tentava reduzir o endividamento. De outro, julgava que na hora em que quisesse, o conteúdo do grupo permitiria montar uma nova UOL. Perdeu o bonde.

    Mais tarde, também para reduzir a dívida, vendeu a TVA para o grupo Telefonica, matando sua última oportunidade de virar um grupo multimidia.

    Finalmente, houve um processo de capitalização em que o sul-africano Nasper adquiriu 30% da Abril. Outros 20% ficaram com duas holdings de Delaware, cujo controle nunca foi revelado. Quando vendeu a TVA, provavelmente a Abril recomprou os 20% adicionais.

    Alguns anos atrás, a Abril lançou a toalha do lado midiático. Civita passou a investir em educação, montando cursos apostilados e adquirindo editoras de livros didáticos. O poder de intimidação da Veja, as parcerias políticas permitiram avançar em algumas frentes.

    Montou estratégias de ataques a concorrentes. Atacou um curso de Ribeirão Preto com informações mentirosas. Depois, apoiou-se em uma ONG recem aberta para ataques macartistas contra concorrentes. A aproximação com jornalistas de outros veículos fez com que, uma semana depois de conceder duas páginas ao livro de um deles, este publicasse em O Globo artigo criminalizando politicamente livro de história de editora concorrente.

    Ainda há chão pela frente.

    Mas a saga dos Civita, no Brasil, será conhecida por duas fases: a do velho Victor Civita com suas histórias em quadrinhos, suas coleções de livros de economia, filosofia e música, a ousadia em lançar Realidade, Quatro Rodas e Veja. E a era de Roberto Civita, que errou em todas suas estratégias e transformou a menina dos olhos da Abril – a revista Veja – no mais repelente modelo de jornalismo que o país jamais teve em toda sua história.

    Compartilhar
    407

    » Luis Nassif Online Link Permanente”

  8. Jose Mario HRP said

    O Nassif escreveu essa aí de cima com a faca nos dentes!
    A revista Veja como meio de informação (classe média) só peca pela postura politica,de resto é muito bem feita!
    Acho queo que ela tem de pior é o Reinaldo e antes o Mainardi filho!

  9. Zbigniew said

    E o nosso PIB, será que esta aumentando? (crônica do Paulo Nogueira. Genial).

    “Webbert
    De Webbert

    Nassif, posta essa do Paulo Nogueira!

     
    Do Diário Do Centro Do Mundo
     
    Um Dia Na Vida Do Perfeito Idiota Brasileiro
    30th junho
    2012
    written by Paulo Nogueira

     
    O texto abaixo é uma versão revisada, atualizada e abrasileirada do Manual do Perfeito Idiota Latino-americano, dos anos 1990.
    PIB. Chamemos de PIB. O Perfeito Idiota Brasileiro.
    Vamos descrever o dia do PIB. Vinte e quatro horas na vida de um PIB para que os pósteros, a posteridade, tenham uma idéia do Brasil de 2012.
    Ele acorda às sete horas da manhã. Tem que preparar o próprio café da manhã. Já faz alguns anos que sua mulher parou de fazer isso para ele, e ficou caro demais para ele pagar uma empregada doméstica.
    Ele lamenta isso.  Era bom quando havia uma multidão de nordestinas sem instrução nenhuma que saíam de suas cidades por falta de perspectiva e iam dar no Sul, onde acabavam virando domésticas.
    PIB dá um suspiro de saudade. Chegou a ter uma faxineira e uma cozinheira nos velhos e bons tempos. Num certo momento, PIB percebeu que as coisas começaram a ficar mais difíceis. Havia menos mulheres dispostas a trabalhar como domésticas, e os salários foram ficando absurdos.
    Para piorar ainda mais as coisas, ao contrário do que sempre acontecera, a última empregada de PIB recusou votar no candidato que ele indicou.
    Mulherzinha metida.
    PIB tomou o café na cozinha, com o Globo nas mãos. Assinava o jornal fazia muitos anos. Se todos os brasileiros fossem como o Doutor Roberto Marinho, PIB pensou, hoje seríamos os Estados Unidos.
    Por que ainda não ergueram estátuas para ele?
    Com o Globo, PIB iniciou sua sessão de leituras matinais. Mais ou menos quarenta minutos, antes de ir para o escritório.
    Leu Merval. Quer dizer, leu o primeiro parágrafo e mais o título porque naquele dia o texto, embora magnífico, estava longo demais. Havia um artigo de Ali Kamel. “Um cabeça”, pensou PIB. “Deve ter o QI do Einstein.” Mas também aquele artigo –embora brilhante, um tratado perfeito sobre o assistencialismo ou talvez sobre o absurdo das cotas, PIB já não sabia precisar — parecia um pouco mais comprido do que o habitual. Deixou para terminar a leitura à noite.
    PIB vibrou porque, se não bastassem Merval e Kamel, havia ainda Jabor.
    Um gênio. Largou o cinema para iluminar o Brasil com sua prosa espetacular. Um verdadeiro santo. Podia estar com a sala da casa cheia de Oscar.
    Começou a ler Jabor e refletiu. “Impressão minha ou hoje aumentaram o tamanho do Jabor?” PIB sacudiu a cabeça, na solidão da cozinha, num gesto de reverência extrema por Jabor, mas também achou melhor deixar para ler mais tarde. Era seu dia de sorte. Também o historiador Marco Antônio Villa estava no Globo. “Os primeiros 18 meses do governo Dilma foram fracassos sobre fracassos” era a primeira linha. Bastava. Villa sempre surpreendia com pensamentos que fugiam do lugar comum.
    Como uma terrorista chegou ao poder? Bem, tenho que comprar algum livro de história do Villa. Ele com certeza escreveu vários.
    Completou a sessão de leituras da manhã na internet. Leu Reinaldo Azevedo.  Quer dizer, naquela manhã, leu um parágrafo. Na verdade, metade. Menos. O título. Não importava. Azevedo era capaz de mesmerizar toda uma nação com a luz cintilante de meia dúzia entre milhares de linhas que produzia incessantemente. PIB deixava escapar um sorriso de admiração a cada vez que li a palavra “petralha” em Azevedo.
    Rei é rei. Um cabeça pensante. Por que será que não ocorreu a nenhum presidente da República contratar esse homem como assesor especial? Se o Brasil bobear, a Casa Branca vem e contrata.
    Ainda na internet, uma passagem pelo Blog do Noblat. Naquele dia, no blog havia uma coluna assinada por Demóstenes. PIB deu parabéns mentais a Noblat por abrir espaço a Demóstenes, nosso campeão mundial da moralidade, nosso Catão.
    Por que falam tanto do tal do Assange e do Wikileaks quando temos tantos caras muito melhores?
    A caminho do trabalho, PIB ligou na CBN. Ouviu uma entrevista com o filósofo Luiz Felipe Pondé. “Meu pequeno carro não contribui para o aquecimento do planeta”, disse Pondé, o nosso Sócrates, o Aristóteles verde-amarelo.
    Preciso anotar essa. Meu pequeno carro não contribui para o aquecimento global.
    Isso o levou a reparar nos ciclistas nas ruas de São Paulo. Cada dia parecia haver mais. Mau sinal. Havia muitas bicicletas no trajeto. PIB sentiu vontade de atropelá-las.  Odiava ciclistas. Atrapalhavam os motoristas.
    Abria uma única exceção: Soninha. Desde que ela continuasse a posar pelada em nome das bicicletas.
    Hahaha.
    Na CBN ouviu também informações e comentários sobre o mundo. “Prestígio em Paris dá vantagem a Sarkozy nas eleições presidenciais”, a CBN avisou. PIB admirava Sarkozy. Proibir a burca foi um gesto histórico. As muçulmanas deveriam ser gratas a Sarkozy. Elas haveriam de votar maciçamente nele para dar a ele o segundo mandato para o qual a CBN dizia que ele era o favorito.
    Os maridos obrigam as coitadas a usar burca.
    O tema do islamismo estava ainda em sua mente quando se instalou em seu cubículo de gerente na empresa. PIB refletiu sobre o mundo. Tinha lido em algum lugar que no Afeganistão as pessoas queriam que os soldados americanos fossem embora.  Os afegãos estavam queimando bandeiras dos Estados Unidos. A mesma coisa estava ocorrendo no Iraque. E no Iêmen. Em todo o Oriente Médio, fora Israel.
    Ingratos. Como eles não percebem que os Estados Unidos estão lá para promover a democracia e levar a civilização? Os americanos estão acima de interesses mesquinhos por coisas como o petróleo.
    Era um perigo o avanço muçulmano. Não que apoiasse, mas PIB entendia o norueguês que matara 77 pessoas por considerar que o governo de seu país era leniente demais com os muçulmanos.
    A raça branca está em perigo.
    Entretido em salvar a raça branca, PIB não percebeu o tempo passar. Só notou pela fome que já era hora de comer. A opção, mais uma vez, foi pelo Big Mac do shopping, e mais a Coca dupla. Detestava os ativistas dos direitos dos animais porque combatiam os Big Macs. PIB estava tecnicamente obeso, mas na semana que vem iniciaria uma dieta e começaria também a se exercitar.
    Fim do expediente. A estagiária estava com um decote particularmente ousado. Talvez estivesse sem sutiã. PIB a chamou algumas vezes para discutir assuntos que na verdade não tinham por que ser discutidos. A questão era olhá-la. Valeu o dia, refletiu.
    Na volta, mais uma vez foi tomado pela tentação de atropelar os ciclistas. “Quando você deseja muito uma coisa, todo o universo conspira a seu favor”. PIB se lembrou da frase de seu escritor favorito, Paulo Coelho. Então ele desejou muito que as bicicletas sumissem.
    Xiitas.
    Algum colunista escrevera isso sobre os ciclistas. PIB não lembrava quem era, mas concordava inteiramente. Os ciclistas são gente esquisita que deve fazer ioga e praticar meditação, suspeitava PIB.
    Tudo gay!
    Já incorporara para si mesmo a frase genial de Pondé.
    Meu carro pequeno não contribui para o aquecimento global.
    No churrasco de domingo, ia soltar essa. Teve um breve lapso de inquietação quando se deu conta de que os brasileiros que tanto contribuíam para a elevação do pensamento nacional já não eram tão novos assim, O próprio Merval era imortal apenas pela sua contribuição às letras, reconhecida pela Academia. Então lhe veio à cabeça a juventude sábia de Luciano Huck, e ficou mais sossegado.
    A mulher não percebeu quando ele chegou. Não era culpa dela. A televisão estava ligada com som alto na novela da Globo. PIB lera várias vezes que as novelas tinham uma “missão civilizadora” no Brasil. Mais uma dívida dos brasileiros perante Roberto Marinho: a perpetuação das novelas. A mídia impressa brasileira reconhecia a “missão civilizadora” na forma de uma cobertura maravilhosa das novelas. Uma vez um leitor da Folha reclamou por encontrar na Ilustrada seis artigos sobre novelas.
    O brasileiro só sabe reclamar. E reivindicar. Uma besta!
    PIB deu um alô que não foi ouvido. Ou pensou ter dado. Sentou ao lado da mulher, e o silêncio confirmou para ele sua tese: depois de muitos anos de casamento as pessoas se entendem tão bem que não precisam trocar uma só palavra. Nem se tocar. É quando o casamento chega ao estágio da perfeição: ninguém tem que se empenhar para nada. A cada quinze dias, PIB tomava Viagra e descarregava as tensões sexuais com uma escorte que cobrava 400 reais.
    Tá barato.
    Não ligava para novelas. Mas soubera no escritório que Juliana Paes aparecia de vez em quando pelada. Passou por sua cabeça um pensamento rápido.
    Talvez eu devesse pedir para a patroa me avisar quando a Juliana Paes ficar sem roupa.
    Terminada a novela, era a sua vez na televisão. Futebol. Bacana o futebol passar bem tarde, depois da novela. Provavelmente a Globo pensara nisso para ajudar os pobres que moravam longe e demoravam horas para chegar em casa depois do trabalho.
    “Boa noite, amigos da Globo!”
    Um carisma total o Galvão. Subaproveitado. Devia estar no Ministério da Economia, e não narrando futebol. 
    PIB lera que Galvão estava morando em Mônaco. Sabichão. Ficava muito mais fácil, assim, cobrir a Fórmula 1. Nunca alguém da estatura moral de Galvão optaria por Mônaco para não pagar imposto. Galvão certamente faria bonito na Dança dos Famosos, pensou PIB.
    PIB não torcia a rigor para time nenhum. Era, essencialmente, anticorintiano. Com seu saco de pipocas na mão, viu, contrariado, o Corinthians vencer.
    Amanhã os boys vão estar insuportáveis.
    PIB queria muito ver o Jô.
    Era um final de dia perfeito, ainda mais porque antes havia o aperitivo representado por William Waack. PIB achava um privilegio poder ver Waack não apenas na Globo como na Globonews. Os Marinhos podiam cobrar pela Globonews, mas não faziam isso para proporcionar cultura de graça aos brasileiros. PIB zapeava quando Waack dava suas lições na televisão, mas os fragmentos que pescava eram suficientes.
    Jô. Não posso perder Jô. Uma enciclopédia. Podia ser editorislista do Estadão. Hoje ele vai entrevistar o Mainardi!
    PIB bem que queria ver Jô. Ou pelo menos incluí-lo no zapeamento. Duas palavras de Jô valiam por mil das pessoas normais.
    Mas não foi possível.
    PIB acabou dormindo no sofá, do qual sua mulher achou preferível não o tirar, e onde ele roncou tão alto quanto o som da tevê — e teve, como sempre, o sono límpido, impoluto, irreprochável dos perfeitos idiotas.”

    Essa e pra parte de nossa elite provinciana e atrasada.

  10. Patriarca da Paciência said

    Vejam vocês o quanto a “grande imprensa” consegue manipular as notícias que lhe interessa – até hoje eu nada sabia sobre o câncer do Roberto Civita. Vocês lembram de alguma manchete sobre o assunto?

    Bom, então as aves agourentas contra o Lula agora tem que pensar duas vezes.

    Mas acho que o Roberto Civita, pelo que diz o texto, não terá mais muita influência. O estrago que poderia fazer, já fez, como termina o texto do Nassif:

    “Mas a saga dos Civita, no Brasil, será conhecida por duas fases: a do velho Victor Civita com suas histórias em quadrinhos, suas coleções de livros de economia, filosofia e música, a ousadia em lançar Realidade, Quatro Rodas e Veja. E a era de Roberto Civita, que errou em todas suas estratégias e transformou a menina dos olhos da Abril – a revista Veja – no mais repelente modelo de jornalismo que o país jamais teve em toda sua história.”

  11. Patriarca da Paciência said

    Mue caro Zbigniew ,

    o texto do comentário 09 é iluminadamente esclarecedor e de uma pedogogia exemplar.

    Realmente, um texto execelente!

  12. Zbigniew said

    E isso, Patriarca. O PIB me faz lembrar dos quatro por cento (sem trocadilhos e sem querer generalizar).

  13. Michelle - A Besta Desvairada said

    ehehe ..e o que seria um PIP um Perfeito Idiota Petista?

    hehehe essa turma se contenta com masturbação…no banheiro!

  14. Otto said

    A Michelle é a versão feminina (?) do PIB.

    ;-)

  15. Chesterton said

    Parlamentarios uruguayos denunciaron la realización en instalaciones castrenses de ese país de un acto de carácter político por parte de militares venezolanos. Los ministros de Defensa, Eleuterio Fernández Huidobro, y de Relaciones Exteriores, Luis Almagro, fueron citados a comparecer ante la Comisión de Asuntos Internacionales de la Cámara de Diputados a instancias del legislador nacionalista Javier García Duchini (foto abajo).
    Según el médico y parlamentario, “los jerarcas del Ministerio de Defensa son responsables” por el ingreso a Uruguay, en forma ilegal, de 210 militares venezolanos, que “hicieron un acto político”, el lunes 25JUN12 en el anfiteatro del Instituto Militar de Estudios Superiores de Montevideo, en presencia de oficiales uruguayos.
    “Se permitió que vinieran militares de otro país a arengar políticamente a nuestras fuerzas. Son elementos muy graves”, sostuvo García citado por el diario EL PAÍS.

    Deputado paraguaio Javier Duchini
    Una parte de la exposición de los militares venezolanos estuvo a cargo del general Luis Eduardo Quintero, que, al final de su discurso, exclamó: “¡Independencia socialista!”, lo que fue contestado por sus compatriotas presentes con otro grito: “Viviremos y venceremos”, informan varios medios de Montevideo el 28JUN12.
    Los hechos ocurridos en la sede militar uruguaya fueron narrados por el semanario Búsqueda. Según la revista, luego de la intervención de Quintero también habló uno de los militares que realiza el curso de Estado Mayor en el IAEDEN en Venezuela. El efectivo cuestionó a Estados Unidos y también exclamó “¡Independencia y patria socialista!”.
    Según García, “sabemos que los militares venezolanos están acostumbrados a participar en política, pero en Uruguay no. Acá, la esencia de la República es que los militares no pueden hacer política. Cuando hacen política, están fuera de la ley y son penados”.
    El diputado blanco aseguró que los militares venezolanos entraron al país “en forma ilegal, violando elementos esenciales que hacen a la custodia de la soberanía del país”, porque el Parlamento no aprobó el ingreso, como lo establece el numeral 11 del artículo 85 de la Constitución. Do site Noticias.clic

  16. Pax said

    Fonte, Chesterton, velho e bom Chesterton ?

    Michelle, sentimos sua falta.

    Volte, sim.

    E lembre-se, está por escrito público, nunca te censurei.

    Enviado via iPhone

  17. Jose Mario HRP said

    Quebrando as regras de Brasiilia!

  18. Zbigniew said

    Aí depois se perguntam o porquê de apanharem do PT. Essa é a qualidade da nossa opoisção.

  19. Zbigniew said

    Aqui a versão mais completa. O jornalista pode até ter sido desrespeitoso, mas o Senador poderia ter evitado o ridículo. E esses caras já governaram este país. Putz!

  20. Chesterton said

    O governo do Uruguai afirmou nesta segunda-feira que seu país não esteve de acordo com a forma como foi decidida a entrada da Venezuela no Mercosul na cúpula realizada na sexta-feira passada em Mendoza, na Argentina, e que não “foi dada a última palavra” sobre esse processo, que será revisado “judicialmente”.

    “Nada é definitivo”, e “se todo mundo tivesse tido certeza, a Venezuela teria entrado na sexta-feira em Mendoza. Por alguma razão os países definiram o prazo até 31 de julho”, afirmou o ministro das Relações Exteriores uruguaio, Luis Almagro.

    Em uma entrevista à rádio uruguaia “El Espectador”, Almagro revelou também que a entrada da Venezuela, concretizada após a suspensão do Paraguai, foi tomada pela intervenção “decisiva” da presidente do Brasil, Dilma Rousseff, secundada pela da Argentina, Cristina Kirchner, na reunião de chefes de Governo.

    A decisão de apresentar o ingresso da Venezuela começou com “um pedido da presidente Dilma ROusseff e dessa reunião saiu o acordo. A iniciativa foi mais do Brasil, e o posicionamento brasileiro foi decisivo nessa história”, disse Almagro.

    Almagro considerou que o presidente do Uruguai, José Mujica, “fez o correto” ao dar “mostras mais do que suficientes de ter defendido a outra posição de uma forma bastante implacável”.

    Além disso, ele evidenciou o descontentamento de Montevidéu perante a gestão da situação por seus dois grandes vizinhos, Brasil e Argentina, que formavam o bloco com o Paraguai até a sexta-feira, quando se decidiu pela entrada da Venezuela.

    “No marco negociador que tínhamos na quinta-feira”, quando foi realizada a reunião de chanceleres prévia à presidencial do dia seguinte, “nós fomos especialmente contrários à entrada da Venezuela nestas circunstâncias”, revelou.

    BRASIL E ARGENTINA

    Segundo Almagro, tudo “acabou se resolvendo em reunião fechada dos presidentes, que começou com um pedido da presidente Dilma Rousseff, que disse: ‘tenho que falar politicamente de algo com vocês dois (Mujica e Cristina Kirchner)”.

    Nesse momento, “tivemos que tirar os chanceleres da reunião, e desse encontro saiu este acordo”, relatou.

    “Brasil e Argentina estavam muito de acordo sobre neste assunto, mas o posicionamento do Brasil foi decisivo”, acrescentou.

    O ministro detalhou também que se retirou da sala quando foi lida a declaração final, e que Mujica se sentou na segunda fila, cedendo seu lugar ao embaixador uruguaio na Argentina, Guillermo Pomi.

    Na sexta-feira passada foi realizada em Mendoza uma cúpula semestral do Mercosul na qual Brasil, Argentina e Uruguai suspenderam a participação do Paraguai em rejeição ao impeachment de Fernando Lugo.

    Lugo foi destituído pelo Congresso após um julgamento político por mau desempenho de suas funções. O processo foi questionado por vários países e organismos internacionais, que alegaram falta de respeito ao devido processo.

    Após lembrar que o governo de Mujica sempre esteve a favor de incorporar a Venezuela por sua “visão estratégica” de somar mais países ao bloco, Almagro disse, no entanto, que o Uruguai tem que “atuar de acordo com o mais pleno respeito ao Tratado de Assunção”, que representou a fundação do Mercosul, em 1991.

    ITAMARATY

    Consultado pela Folha, o Itamaraty afirmou que não tem registro deste fato e que essa informação não confere com o fato de que as decisões no Mercosul são tomadas por consenso.

    FSP

    chesterton- claro que esta bosta feita nas coxas não vai ter legitimidade alguma, assim se acaba o mercosul.

  21. Chesterton said

    SÃO PAULO – O capitão Benoni de Arruda Albernaz tinha 37 anos, sobrancelha arqueada, riso de escárnio e fazia juras de amor à pátria enquanto socava e quebrava os dentes da futura presidente do Brasil Dilma Vana Rousseff, na época com 23 anos. Ele era o chefe da equipe A de interrogatório preliminar da Operação Bandeirante (Oban) quando Dilma foi presa, em janeiro de 1970. Em novembro daquele ano, seria registrado o 43º entre os 58 elogios que Albernaz recebeu nos 27 anos de serviços prestados ao Exército.
    VEJA TAMBÉM
    Veja vídeo

    Um certo capitão Albernaz
    Ditadura forneceu armas para repressão no Chile
    Defesa libera arquivos sigilosos até começo de agosto
    Família de Herzog entrará com novo recurso para apurar morte
    “Oficial capaz, disciplinado e leal, sempre demonstrou perfeito sincronismo com a filosofia que rege o funcionamento do Comando do Exército: honestidade, trabalho e respeito ao homem”, escreveu seu comandante na Oban, o tenente-coronel Waldyr Coelho, chamado por Dilma e por colegas de cela de “major Linguinha”, por causa da língua presa que tinha.
    Um torturador com diploma do Mérito Policial
    Quinze anos depois, os caminhos percorridos por Albernaz não o levaram à condição de herói nacional, como ele imaginava. Registro bem diferente foi associado a seu nome na sentença do Conselho de Justiça Militar em que foi condenado a um ano e seis meses de prisão por falsidade ideológica. “Ética, moral, prestígio, apreço, credibilidade e estima são valores que o militar deve desfrutar junto à sociedade e ao povo de seu país. A fé militar e o prestígio moral das instituições militares restaram danificadas pelo comportamento do réu”, concluiu o presidente do conselho, João Baptista Lopes.
    A prensa nada tinha a ver com as sessões de tortura comandadas por Albernaz na Oban. Sua agressividade parecia se encaixar como luva na estrutura criada para exterminar opositores do regime. Apenas um ano depois de torturar Dilma e pelo menos outras três dezenas de opositores, ele recebeu das mãos do então governador de São Paulo, Abreu Sodré, o diploma da Cruz do Mérito Policial.
    Filho de militar que representou o Brasil na 2 Guerra Mundial, Albernaz nasceu em São Paulo e seguiu a carreira do pai. Classificou-se em 107º lugar na turma de 119 aspirantes a oficial de artilharia em 1956, mesmo ano em que se casou. Serviu no Mato Grosso do Sul antes de ser transferido para Barueri, em São Paulo, no início dos anos 1960.
    Tinha fixação pela organização de paradas de Sete de setembro. Estava na guarda do QG do Exército na capital paulista, em fevereiro de 1962, quando o comandante foi alvo de atentado à bala. Conseguiu correr atrás do autor e o espancou. Virou pupilo do general Nelson de Mello, que mais tarde viraria ministro da Guerra no governo de João Goulart.
    Estava em férias na noite do golpe militar de 1964 e, ainda assim, apresentou-se espontaneamente para o serviço. Em 1969, representou o comando de sua unidade na posse do secretário de Segurança Pública de SP, o general Olavo Viana Moog, um dos futuros comandantes do grupo que exterminou a Guerrilha do Araguaia.
    Neste mesmo ano foi convocado pelo general Aloysio Guedes Pereira para servir na recém-criada Oban, centro de investigações montado pelo Exército para combater a esquerda armada. Foi lá que Dilma o conheceu.
    “Quem mandava era o Albernaz, quem interrogava era o Albernaz. O Albernaz batia e dava soco. Começava a te interrogar; se não gostasse das respostas, ele te dava soco. Depois da palmatória, eu fui pro pau de arara”, disse a presidente em depoimento dado, no início dos anos 2000, para o livro “Mulheres que foram à luta armada”, de Luiz Maklouf Carvalho.
    Em 2001, em relato à Comissão de Direitos Humanos de Minas Gerais, Dilma afirmou que já tinha levado socos ao ser interrogada em Juiz de Fora (MG), em maio de 1970, e que seu dente “se deslocou e apodreceu”. No mesmo depoimento, ela explicou: “Mais tarde, quando voltei para São Paulo, Albernaz completou o serviço com socos, arrancando meu dente”.
    Telefone de magneto era usado para choques elétricos
    Albernaz era conhecido por se divertir dizendo aos presos que, por ser muito burro, precisava ouvir respostas claras. Tinha na sala um telefone de magneto que era usado para “falar com Fidel Castro”, metáfora para a aplicação de choques elétricos, segundo relato de Elio Gaspari no livro “A Ditadura Escancarada”.
    “Quando venho para a Oban, deixo o coração em casa”, explicava às vítimas. Uma delas foi o coordenador do sequestro do embaixador americano Charles Elbrick, Virgílio Gomes da Silva, o Jonas, primeiro preso a desaparecer após a edição do AI-5.
    O mesmo general que convocara Albernaz para a Oban anos depois assinou relatório informando que Jonas “evadiu-se na ocasião em que foi conduzido para indicar um aparelho da ALN”. Trinta anos depois, O GLOBO noticiaria a existência de um relatório em que militares admitem a morte do guerrilheiro em decorrência de “ferimentos recebidos”.
    — Albernaz era um homem terrível, o torturador mais famoso da Oban naquela época — confirmou ao GLOBO Carlos Araújo, ex-marido de Dilma, que foi preso alguns meses depois dela e submetido aos mesmos procedimentos da ex-mulher.
    Renegado pelo Exército e atolado em dívidas
    O trabalho na Operação Oban fez com que Benoni Albernaz caísse em desgraça na própria família. Aposentado e dono de uma fazenda em Catalão, Goiás, o pai se chateava ao saber do comportamento do filho:
    — Ele usava o poder que tinha para extorquir as pessoas, e o pai ficava triste. Sempre foi uma família esquisita, muito desunida — conta a dona de casa Maria Lázara, de 60 anos, irmã de criação do capitão.
    — Olha, acho que uma vez ele caiu do cavalo numa parada militar, antes da ditadura, e o cavalo pisou na nuca dele. A partir daí, ele não ficou bom da cabeça — supõe a prima Noemia da Gama Albernaz, que hoje vive em Cuiabá.
    Albernaz deixou a Oban em fevereiro de 1971, quando o aparelho já havia se transformado no DOI-Codi. Por três vezes tentou fazer o curso de operações na selva, mas teve a matrícula recusada. Foi transferido para o interior do Rio Grande do Sul, passando da caça a comunistas às operações de rotina em estradas de fronteira. O Exército tentava renegá-lo. Em março de 1974, foi internado em Porto Alegre, vítima de envenenamento.
    Albernaz tinha problemas com dinheiro. Foi denunciado pelo menos cinco vezes por fazer dívidas com recrutas e não pagá-los, apesar das advertências de seus superiores. Estava lotado no setor medalhístico da Divisão de Finanças do Exército, em Brasília, quando foi declarado inabilitado para promoções, por não satisfazer a dois requisitos: “conceito profissional” e “conceito moral”. Em março de 1977, o presidente Ernesto Geisel o transferiu para a reserva.
    Em um escritório no Centro de São Paulo, passou a coagir clientes a comprar terrenos vestido com farda falsificada de coronel — embora tivesse sido transferido para a reserva como major — e dizendo-se integrante do SNI.
    — Você é uma estrela de nossa bandeira. Vamos investir juntos, ombro a ombro, peito aberto — dizia aos clientes, segundo registros de reclamação levadas ao Exército, pistas que levariam à sua condenação por falsidade ideológica.
    Em 1980, intermediou transações de ouro de baixa qualidade no Pará, vendendo como vantagem seu acesso aos garimpos. Nunca foi responsabilizado pelo espancamento, por encomenda, de um feirante de origem japonesa.
    — Se não pagar agora, vai preso para o Dops — ameaçou, já em 1979, quando não mais pertencia ao Exército.
    O agredido foi à delegacia prestar queixa e, ao saber disso, Albernaz baixou no local.
    — Sou amigo íntimo do presidente da República, foi ele quem me deu isso — falou ao delegado, mostrando a pistola Smith & Wesson. — Na lista de torturadores, sou o número 2.
    No fim dos anos 1980, Albernaz estava atolado em dívidas. Não conseguiu pagar a hipoteca e foi acionado pelo menos quatro vezes em ações de execução extrajudicial. Sofreu um infarto quando estava no apartamento da namorada, nos Jardins, em São Paulo, em 1992. Chegou morto ao Hospital do Exército. Deixou três filhos e herança de R$ 8,4 mil para cada, resgatados 15 anos após sua morte, quando fizeram o inventário. Nenhum deles quis falar ao GLOBO.
    — Siga em frente com o seu trabalho, que a gente está seguindo em frente aqui também — disse o filho Roberto, dentista, desligando o telefone.
    — Isso é coisa do passado, gostaria que não me incomodasse — completou a também dentista Márcia Albernaz.
    — Esquece nossa família, vai ser melhor para você — disse Benoni Júnior, médico do Exército.

    Salvador de Farias02/07/12 – 12:39
    THIAGO HERDY é mentiroso!!! O foca que assina essa reportagem comprada diz que Albernaz quebrou vários dentes da atual chefe da nação. A própria Dilma, em depoimento há mais de dez anos atrás, PARA RECEBER UMA INDENIZAÇÃO, disse que um suposto soco teria comprometido UM dente, que viria a cair tempos depois. THIAGO HERDY está a serviço sujo do PT e da Comissão da Verdade!
    há 9 minutos
    Salvador de Farias02/07/12 – 12:38
    Arranjaram o testemunho perfeito, o de um morto, para justificar as MENTIRAS DESLAVADAS da senhora DILMA VANA ROUSSEFF. Esse mau jornalista, THIAGO HERDY, um foca desajeitado, que teve a cara-de-pau para escrever essa reportagem, só pode estar a serviço do PT e da malfadada Comissão da Verdade. Jornalismo sujo, rasteiro, covarde!!!!
    há 10 minutos
    Salvador de Farias02/07/12 – 12:37
    THIAGO HERDY é mentiroso!!! O foca que assina essa reportagem comprada diz que Albernaz quebrou vários dentes da atual chefe da nação. A própria Dilma, em depoimento há mais de dez anos atrás, PARA RECEBR UMA INDENIZAÇÃO, disse que um suposto soco teria comprometido UM dente, que viria a cair tempos depois. THIAGO HERDY está a serviço sujo do PT e da Comissão da Verdade!
    há 10 minutos
    Tubarão4602/07/12 – 12:20
    A queda de Lina Vieira……..Nos bastidores, a razão apontada para a queda de Lina foi a multa milionária aplicada à Petrobras,devido a uma manobra contábil que permitiu à estatal deixar de recolher R$ 4,3 bilhões aos cofres públicos – isso, no exato momento em que a companhia enfrenta ameaça de investigação por parte de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI). A disputa pública desgastou a secretária, que já era criticada internamente por causa da queda na arrecadação.
    há 27 minutos
    Tubarão4602/07/12 – 12:12
    O porque da demissao de Lina Vieira.—No encontro, Dilma, segundo a versão da ex-secretária da Receita, teria pedido que o Fisco agilizasse a investigação sobre as empresas de Fernando Sarney, filho do presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP). Lina disse ter interpretado como um pedido para encerrar as investigações. Dilma sempre negou o encontro e o pedido.
    há 35 minutos
    Tubarão4602/07/12 – 12:08
    A mais nova envolvendo a Dilma. O radialista e Rodrigo Vieira Emereciano, o Mução, preso por suspeita de envolvimento em uma rede de pornografia infantil, na realidade a familia do comediante e radialista esta sofrendo represarias porque sua mae bateu de frente com a ditadura da Dilma quando ela, Lina Vieira comandava a 4ª Região Fiscal da Receita Federal, custando sua demissao. Este PT nao esquece quem incomoda ou nao concorda com a sujeira que esta acabando com o Brasil.
    há 44 minutos
    Milena Vilela Miranda02/07/12 – 11:49
    FORAM TORTURADOS PORQUE MERECERAM, NENHUM INOCENTE FOI TOURTURADO.
    há 1 hora
    Milena Vilela Miranda02/07/12 – 11:45
    LULA E DILMA ERAM TERRORISTA, NÃO SEI SE AINDA SÃO, POR ISSO FORAM TORTURADOS… SE FOSSE EM OUTRO PAÍS ELES COM O RESTO DA CACHORRADA TERIAM SIDO EXECUTADOS… OS MILITARES BRASILEIROS FORAM MUITO BOM COM OS TERRORISTAS BRASILEIROS.
    há 1 hora
    Edi Cardoso02/07/12 – 11:44
    ele, o Benoni de Arruda Albernaz fez. E QUEM O MANDOU FAZER?????? Nome e sobrenome, também, por favor!!.
    há 1 hora
    Edi Cardoso02/07/12 – 11:42
    Morreu? que pena!!!! Devia haver retorno. Ficar no pau de arara-tucano,gafanhoto, ser esbofeteado por uma mulher, ter fimose, ter os pêlos pubianos arrancados com uma pinça e sofrer de HEMORROIDAS inflamadas e SER ATENDIDO num hospital do SUS. Melhor castigo, impossível
    há 1 hora
    Vitor Cicca02/07/12 – 11:41
    Aposto que os mesmos que participaram da guerrilha para derrubar a “ditadura” daquela época agora defendem o Assad da Síria, o Fidel de Cuba e o Chavez da Venezuela. Quem fizer revolução pra derrubar esses ditadores não serão democratas e sim criminosos, né? Essa gente muda de ideia muito fácilmente, ainda mais quando passam a deter o poder e se encher de grana.
    há 1 hora
    Vitor Cicca02/07/12 – 11:38
    A quem interessa esta notícia? Virou moda falar do passado, mas só na parte que interessa o “outro lado” da moeda. Isso não é jornalismo e sim partidarismo político. Não defendo o que imputam ao falecido Cap Albernaz, porém não aceito que ele seja acusado de pegar pessoas “inocentes” nas ruas para torturar. Quem foi preso naquela época é porque devia, porque matou, sequestrou e participou da guerrilha, portanto eram inimigos das forças de segurança. Guerra é guerra!
    há 1 hora
    Mauro Peixoto Silveira02/07/12 – 11:18
    Porque o Globo está insistindo nesta notícia, já está a quase três dias no site, porque está tão interessado em transformar a Dilma em uma “pessoa angelical” ? A quem interessa saber se Dilma levou um soco ? Foi pouco pelo que Fez. ( E pelo que nada está fazendo)
    há 1 hora
    Fernando Lopes Wiedemann02/07/12 – 10:40
    Já sabemos quem socou. Já sabemos quem pendurou no pau-de-arara. Mas, até agora, não apareceu quem comeu. Esse sim, pelo mau gosto, tem que ser condenado. Dilma Roussef, Angela Merkel, Hillary Clinton, Cristina Kirchner… só tem mocreia!
    há 2 horas
    Rapho02/07/12 – 10:32
    Sequestrar uma pessoa e colocá-la em cativeiro é tortura tambem, oras. Dilmão fez a mesma coisa………
    há 2 horas

  22. Chesterton said

    O Globo

  23. Zbigniew said

    Brasil e Argentina, juntamente com o Uruguai, costuraram um acordo que inclui sanções políticas, mas que garantem a continuidade das ações econômicas de modo que o povo paraguaio não pague pelo “quintacolunismo” de sua classe política (infelizmente não dá pra evitar que existam entreguistas, ainda por cima burros).

    Quem tá rindo à toa é o Chavez que viu a Venezuela ser integrada ao bloco, quando se sabia que o Paraguai não aprovava essa integração. O tiro saiu pela culatra.

    “Por Maíra Vasconcelos

    O atual governo paraguaio passará por um isolamento político, após ser suspenso das reuniões do Mercado Comum do Sul (Mercosul), ao menos até as próximas eleições presidenciais, em abril de 2013. O mandato de nove meses, a ser cumprido por Federico Franco, e o processo que conduzirá o país ás próximas eleições, será monitorado pelo Mercosul, que de acordo com o cenário político internacional, poderá prolongar o prazo de suspensão. Com o Paraguai temporariamente carta fora do jogo, a crise interna do país foi a oportunidade vista pelo Mercosul para crescer com a inclusão da Venezuela.

    “Venezuela é o quarto exportador de petróleo, e tem poder de voto nas Nações Unidas. Distribui petróleo a muitos países e tem negócios fortes. O Paraguai leva o voto de Taiwan. O que posso lhe dizer?”.

    As projeções frente ao atual cenário de conflito político internacional vivido pelo Paraguai foram desenhadas por Milda Rivarola, historiadora e socióloga Paraguaia, exilada política na Espanha e na França, por dez anos, durante a ditadura de Alfredo Stroessner (1954-1989). Ela afirmou não ser “luguista” e contou ter rejeitado o cargo de ministra de Relações Exteriores, ao ver a impossibilidade de trabalhar com os políticos disponíveis no Congresso. (…)”.

    http://www.advivo.com.br/blog/luisnassif/a-saida-do-paraguai-do-mercosul-e-seu-isolamento

  24. Pax said

    Prezados,

    Cá, em viagem, pouco acompanho o noticiário.

    Se puderem manter o blog com as notícias e links fico agradecido.

    Enviado via iPhone

  25. Edu said

    Vamos pensar um pouco…

    Temos:

    1 – Mensalão do PT
    2 – Mensalão do DEM
    3 – Mensalão do PSDB

    Temos:

    1 – Esforço político descomunal destes 3 partidos para incriminar o outro e se livrar

    Temos:

    1 – A mídia da direita atacando a esquerda
    2 – A mídia da esquerda atacando a da direita

    Temos:

    1 – O governo federal está andando a passos de tartaruga, esse governo federal está mais lento que governo do PSDB…

    Vcs não sentem falta de nada não?

    1 – Onde estão as propostas de governo que estão sendo discutidas?
    2 – Onde estão os valores dos partidos, servindo de base para a discussão de propostas políticas?
    3 – Onde estão os investimentos que realmente interessam: infraestrutura e educação?
    4 – Onde estão as reformas que realmente interessam: política e tributária?

    Minha modesta opinião:

    Estamos gastando tempo demais discutindo aquilo que não deveria nos interessar. Todos os partidos têm corruptos, todos têm rabo preso, esses mensalões são a nova moeda de troca política, já que argumentação de lugar à ideologia e se perdeu no passado, assim como a ideologia deu lugar ao pragmatismo e também já ficou para trás recentemente.

    Para mim, basta saber que o político tem rabo preso. Basta saber que tal político é um vendido, tal político disse um “sim”, ou fez vista grossa, quando deveria dizer um grande e grosso “não”. Estes não merecem mais meu voto. E pronto. CPMI, investigações, dossiês… isso é gasto de dinheiro público com gente que não vale nada. Ladrão acusando ladrão, e em ladrão, não se deve confiar.

    O esforço político não deveria estar em limpar o rabo desses vagabundos, deveria ser posto na discussão das propostas. Coisa que há muito foi abandonada pela mídia.

    O país está sem saber o que o governo está fazendo. Daí a aprovação ridícula e absurda da Dilma, que está se provando horrível no que faz a cada dia. Logo ela, a gerentona, logo ela, a que põe os pingos nos “is” logo ela, cuja objetividade é sempre elogiada pela mídia de ambos os lados….

    Cadê o governo?

  26. Edu said

    Zbig,

    E vc está de acordo com isso?

  27. Pedro said

    Pois é. Pra todo lado que se olha tem roubalheira.

    Esta é do Diario Catarinense:

    “Ricardo Teixeira fora da CBF? Pode até ser, mais o seu salário mensal de R$ 100 mil ele contínua recebendo religiosamente. Recentemente a entidade desembolsou a bagatela de R$ 70 milhões para aquisição de uma nova sede. Essa seria uma entidade que deveria entrar no portal da transparência. “

  28. Chesterton said

    ao ver a impossibilidade de trabalhar com os políticos disponíveis no Congresso. (…)”.

    chest- esse povo que não sabe votar, né?

  29. Edu said

    hahahahaah

    E o Kotscho, o socialista, revoltado que o o garagista ganha mais que a Dilma…

    Acho que o Ricardo Teixeira pode, afinal, ele não é um garagista, é um ex-presidente…

  30. Zbigniew said

    Caro Edu,

    Você não estaria potencializando os erros deste governo? Não existe nada de bom que mereça o reconhecimento da sociedade de uma forma que reflita nos índices de aprovação da Presidenta da República?

    Certamente que erros de gerenciamento que atrasam obras importantes de mobilidade urbana ou de integração, como as ferrovias ou a transposição do São Francisco; as questões que envolvem investimentos com outros países, como o caso da Refinaria Abreu e Lima e a Venezuela; das rodovias e seus eternos buracos frutos da desídia e corrupção encruada nos meandros da República; dos serviços de telefonia porcamente oferecidos e das fiscalizações permissivas, entre tantos outros, existem e são reconhecidos pela sociedade.

    A questão que se coloca é: o que tem melhorado e se isto veio para se tornar um ativo para toda a sociedade, independentemente de governos.

    Há algo de bom, Edu? Eu acredito que sim e que, por isso, a Dilma, reconhecida por uma minoria como incompetente, é hoje uma das melhores presidentes que este país já teve, neste caso, reconhecida por uma maioria. Será que a maioria é cega e a minoria é que está com a razão?

  31. Zbigniew said

    José Mário HRP #17, sobre o vídeo:

    “O avião que provocou a quebra das vidraças da fachada do Supremo Tribunal Federal (STF) e assustou as pessoas que assistiam à cerimônia de troca da bandeira nacional é um caça Mirage F 2000 da Força Aérea Brasileira (FAB). Ele já participou de outras solenidades do tipo na Praça dos Três Poderes, mas essa foi a primeira vez que causou tamanho estrago. A Aeronáutica ainda não apresentou uma explicação para o que aconteceu e afirmou que deve apurar os detalhes a partir de hoje. A sensação dos presentes era de que a aeronave teria passado baixo demais e que isso teria ocasionado o problema.

    Leia mais (Read More): Poder Aéreo – Informação e Discussão sobre Aviação Militar e Civil”.

    http://www.aereo.jor.br/2012/07/02/ataque-ao-stf-a-opiniao-de-quem-nao-estava-la/

  32. Zbigniew said

    Pax, você não está sozinho neste calvário. Até quando essa zorra vai ser permitida?!

    Autor:
    Luis Nassif

    Publicada originalmente em 15.03.2012

    A promiscuidade entre a Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações) e as concessionárias de telefonia deveria merecer atenção especial do Ministério Público Federal e do Ministério das Comunicações.

    É inconcebível a leniência da agência em relação aos abusos da telefonia.

    Refiro-me especificamente à minha operadora – nem menciono o nome porque creio ser um problema geral.

    É sabido que ela recorreu a promoções extraordinárias visando aumentar sua base de assinantes, sem dispor de infraestrutura para tal. Há uma deterioração absurda de seus serviços. Em São Paulo, perde-se constantemente o sinal em Higienópolis, na avenida Paulista, na Lapa, no Ceasa, no Jabaquara, na Vila Maria, agora mesmo no Largo São Francisco – refiro-me apenas aos locais em que costumo ir. Qualquer pesquisa in loco da Anatel identificará enormes manchas na cobertura em São Paulo – o maior mercado de telefonia do país. O que não estará ocorrendo em centros menos badalados?

    Qualquer agência séria entraria em campo e proibiria a venda de novos planos até que a operadora alcançasse índices mínimo de eficiência, já que a qualidade depende de uma correlação facilmente medida de capacidade das linhas / (número de usuários x tempo de conexão). O próprio MPF deveria atuar nesse sentido, como o procurador de um estado nordestino que conseguiu a interrupção das vendas até que houvesse a normalização dos serviços.

    Por aqui, não: criou-se uma competição à brasileira que conspurca totalmente o espírito da privatização. Em vez de competirem na busca de eficiência e de tarifas, as operadoras montaram uma segmentação cartelizadora: quem quiser preço aceita a indigitada e se conforma em não ter sequer os padrões mínimos de qualidade previstos no contrato de outorga; quem quiser cobertura paga os olhos da cara para outra operadora, com melhor sinal.

    Fala-se em melhoria de gestão pública. Quando se entra na administração direta, há desafios enormes, de mudança de cultura, de leis, de regulamentos. Ter serviços públicos eficientes, na modalidade de concessão, exige apenas um pequeno esforço: fazer valer os contratos.

    Mas a Anatel não age.

    http://www.advivo.com.br/blog/luisnassif/o-caos-da-telefonia-celular

  33. Chesterton said

    http://veja.abril.com.br/blog/augusto-nunes/feira-livre/marcha-da-insensatez-por-j-r-guzzo/

    J.R. GUZZO

    O advogado paulista Márcio Thomaz Bastos encontra-se, aos 76 anos de idade, numa posição que qualquer profissional sonharia ocupar. Ao longo de 54 anos de carreira, tornou-se, talvez, o criminalista de maior prestígio em todo o Brasil, foi ministro da Justiça no primeiro mandato do presidente Luiz Inácio Lula da Silva e seus honorários situam-se hoje entre os mais altos do mercado — está cobrando 15 milhões de reais, por exemplo, do empresário de jogos de azar Carlinhos Cachoeira, o mais notório de seus últimos clientes. Num país que tem mais de 800 000 advogados em atividade, chegou ao topo do topo entre seus pares. É tratado com grande respeito nos meios jurídicos, consultado regularmente pelos políticos mais graúdos de Brasília e procurado por todo tipo de milionário com contas a acertar perante o Código Penal. Bastos é provavelmente o advogado brasileiro com maior acesso aos meios de comunicação. Aparece em capas de revista. Publica artigos nos principais veículos do país. Aparece na televisão, fala no rádio e dá entrevistas. Trata-se, em suma, do retrato acabado do homem influente. É especialmente perturbador, por isso tudo, que diga em voz alta as coisas que vem dizendo ultimamente. A mais extraordinária delas é que a imprensa “tomou partido” contra os réus do mensalão, a ser julgado em breve no Supremo Tribunal Federal, publica um noticiário “opressivo” sobre eles e, com isso, desrespeita o seu direito de receber justiça.

    Se fosse apenas mais uma na produção em série de boçalidades que os políticos a serviço do governo não param de despejar sobre o país, tudo bem; o PT e seus aliados são assim mesmo. Mas temos, nesse caso, um problema sério: Márcio Thomaz Bastos não é um boçal. Muito ao contrário, construiu uma reputação de pessoa razoável, serena e avessa a jogar combustível em fogueiras; é visto como um adversário de confrontos incertos e cético quanto a soluções tomadas na base do grito. É aí, justamente, que se pode perceber com clareza toda a malignidade daquilo que vem fazendo, ao emprestar um disfarce de seriedade e bom-senso a ações que se alimentam do pensamento totalitário e levam à perversão da justiça. Por trás do que ele pretende vender como um esforço generoso em favor do direito de defesa, o que realmente existe é o desejo oculto de agredir a liberdade de expressão e manter intacta a impunidade que há anos transformou numa piada o sistema judiciário do Brasil. Age, nesses sermões contra a imprensa e pró-mensalão, como um sósia de Lula ou de um brucutu qualquer do PT; mas é o doutor Márcio Thomaz Bastos quem está falando — e se quem está falando é um crânio como o doutor Márcio, homem de sabedoria jurídica comparável à do rei Salomão, muita gente boa se sente obrigada a ouvir com o máximo de respeito o que ele diz.

    O advogado Bastos sustenta, em público, que gosta da liberdade de imprensa. Pode ser — mas do que ele certamente não gosta, em particular, é das suas consequências. Uma delas, que o incomoda muito neste momento, é que jornais e revistas, emissoras de rádio e de televisão falam demais, segundo ele, do mensalão, e dizem coisas pesadas a respeito de diversos réus do processo. Mas a lei não estabelece quanto espaço ou tempo os meios de comunicação podem dedicar a esse ou aquele assunto, nem os obriga a ser imparciais, justos ou equilibrados; diz, apenas, que devem ser livres. O que o criminalista número 1 do Brasil sugere que se faça? Não pode, é claro, propor um tabelamento de centímetros ou minutos a ser obedecido pelos veículos no seu noticiá­rio sobre casos em andamento nos tribunais — nem a formação de um conselho de justos que só autorizaria a publicação de material que considerasse neutro em relação aos réus. Os órgãos de imprensa podem, com certeza, ter efeito sobre as opiniões do público, mas também aqui não há como satisfazer as objeções levantadas pelo advogado Bastos. O público não julga nada; este é um trabalho exclusivo dos juízes, e os juízes dão as suas sentenças com base naquilo que leem nos autos, e não no que leem em jornais. Será que o ex-ministro da Justiça gostaria, para cercar a coisa pelos quatro lados, que a imprensa parasse de publicar qualquer comentário sobre o mensalão um ano antes do julgamento, por exemplo? Dois anos, talvez? Não é uma opção prática — mesmo porque jamais se soube quando o caso iria ser julgado.

    MINISTRO REPROVADO
    A verdade é que a pregação de Márcio Thomaz Bastos ignora os fatos, ofende a lógica e deseduca o público. De onde ele foi tirar a ideia de que os réus do mensalão estão tendo seus direitos negados por causa da imprensa? O julgamento vai se realizar sete anos após os fatos de que eles são acusados — achar que alguém possa estar sendo prejudicado depois de todo esse tempo para organizar sua defesa é simplesmente incompreensível. Os réus gastaram milhões de reais contratando as bancas de advocacia mais festejadas do Brasil. Dos onze ministros do STF que vão julgá-los, seis foram indicados por Lula, seu maior aliado, e outros dois pela presidente Dilma Rousseff. Um deles, José Antonio Toffoli, foi praticamente um funcionário do PT entre 1995 e 2009, quando ganhou sua cadeira na corte de Justiça mais alta do país, aos 41 anos de idade e sem ter nenhum mérito conhecido para tanto; foi reprovado duas vezes ao prestar concurso para juiz, e esteve metido, na condição de réu, em dois processos no Amapá, por recebimento ilícito de dinheiro público. Sua entrada no STF, é verdade, foi aprovada pela Comissão de Justiça do Senado; mas os senadores aprovariam do mesmo jeito se Lula tivesse indicado para o cargo um tamanduá-bandeira. O próprio ex-presidente, enfim, vem interferindo diretamente em favor dos réus — como acaba de acusar o ministro Gilmar Mendes, com quem teve uma conversa em particular muito próxima da pura e simples ilegalidade. Mas o advogado Bastos, apesar disso tudo, acha que os acusados não estão tendo direito a se defender de forma adequada.

    Há uma face escura e angustiante na escola de pensamento liderada por Bastos, em sua tese não declarada, mas muito clara, segundo a qual a liberdade de expressão se opõe ao direito de defesa. Ela pode ser percebida na comparação que fez entre o mensalão e o julgamento do casal Alexandre Nardoni e Anna Carolina Jatobá, condenados em 2010 por assassinarem a filha dele de 5 anos de idade, em 2008, atirando a menina pela janela do seu apartamento em São Paulo — crime de uma selvageria capaz de causar indignação até dentro das penitenciárias. Bastos adverte sobre o perigo, em seu modo de ver as coisas, de que os réus do mensalão possam ter o mesmo destino do casal Nardoni; tratou-se, segundo ele, de um caso típico de “julgamento que não houve”, pois os meios de comunicação “insuflaram de tal maneira” os ânimos que acabou havendo “um justiçamento” e seu julgamento se tornou “uma farsa”. De novo, aqui, não há uma verdadeira ideia; o que há é a negação dos fatos. Os Nardoni tiveram direito a todos os exames técnicos, laudos e perícias que quiseram. Foram atendidos em todos os seus pedidos para adiar ao máximo o julgamento. Contrataram para defendê-los um dos advogados mais caros e influentes de São Paulo, Roberto Podval — tão caro que pôde pagar as despesas de hospedagem, em hotel cinco-estrelas, de 200 amigos que convidou para o seu casamento na ilha de Capri, em 2011, e tão influente que um deles foi o ministro Toffoli. (Eis o homem aqui, outra vez.)

    Ao sustentar que o casal Nardoni foi vítima de um “justiçamento”, Bastos ignora o trabalho do promotor Francisco Cembranelli, cuja peça de acusação é considerada, por consenso, um clássico em matéria de competência e rigor jurídico. Dá a entender que os sete membros do júri foram robôs incapazes de decidir por vontade própria. Mais que tudo, ao sustentar que os assassinos foram condenados pelo noticiário, omite a única causa real da sentença que receberam — o fato de terem matado com as próprias mãos uma criança de 5 anos. Enfim, como fecho de sua visão do mundo, Bastos louvou, num artigo para a Folha de S.Paulo, a máxima segundo a qual “o acusado é sempre um oprimido”. Tais propósitos são apenas um despropósito. Infelizmente, são também admirados e reproduzidos, cada vez mais, por juristas, astros do ambiente universitário, intelec­tuais, artistas, legisladores, lideranças políticas e por aí afora. Suas ações, somadas, colocaram o país numa marcha da insensatez — ao construírem ano após ano, tijolo por tijolo, o triunfo da impunidade na sociedade brasileira de hoje.

    ABERRAÇÃO IRRELEVANTE
    O Brasil é um dos poucos países em que homicidas confessos são deixados em liberdade. O jornalista Antonio Pimenta, por exemplo, matou a tiros sua ex-namorada Sandra Gomide, em 2000, e admitiu o crime desde o primeiro momento; só foi para a cadeia onze anos depois, num caso que a defesa conseguiu ir adiando, sem o apoio de um único fato ou motivo lógico, até chegar ao Supremo Tribunal Federal. Homicidas, quando condenados, podem ter o direito de cumprir apenas um sexto da pena. Se não forem presos em flagrante, podem responder em liberdade a seus processos. Autores dos crimes mais cruéis têm direito a cumprir suas penas em prisão aberta ou “liberdade assistida”. Se tiverem menos de 18 anos, criminosos perfeitamente conscientes do que fazem podem matar quantas vezes quiserem, sem receber punição alguma; qualquer sugestão de reduzir esse limite é prontamente denunciada como fascista ou retrógrada pelo pensamento jurídico que se tornou predominante no país. O resultado final dessa convicção de que só poderá haver justiça se houver cada vez mais barreiras entre os criminosos e a cadeia está à vista de todos. O Brasil registra 50 000 homicídios por ano — e menos de 10% chegam a ser julgados um dia.

    Nosso ex-ministro da Justiça, porém, acha irrelevante essa aberração. O problema, para ele, não está na impunidade dos criminosos, e sim na imprensa — que fica falando muito do assunto e acaba criando um “clamor popular” contra os réus. Esse clamor popular, naturalmente, tem dois rostos. É bom quando vai a favor das posições defendidas por Bastos e por quem pensa como ele; é chamado, nesse caso, de “opinião pública”. É ruim quando vai contra; é chamado, então, de “linchamento moral”. A impunidade para crimes descritos como “comuns”, e que vão superando fronteiras cada vez mais avançadas em termos de perversidade, é, enfim, só uma parte dessa tragédia. A outra é a impunidade de quem manda no país. Não poderia haver uma ilustração mais chocante dessa realidade do que a cena, há duas semanas, em que a maior liderança política do Brasil, o ex-presidente Lula, se submete a um beija-mão em público perante seu novo herói, o deputado Paulo Maluf — um homem que só pode viver fora da cadeia no Brasil, pois no resto do planeta está sujeito a um mandado internacional de prisão a ser cumprido pela Interpol. É, em suma, o desvario civilizado — tanto mais perigoso por ser camuflado com palavras suaves, apelos por uma “justiça moderna” e desculpas de que a “causa popular” vale mais que a moral comum. Um dos maiores criminalistas que já passaram pelo foro de São Paulo, hoje falecido, costumava dizer que o direito penal oferece apenas duas opções a um advogado. Na primeira, ele se obriga a só aceitar a defesa de um cliente se estiver honestamente convencido de sua inocência. Na segunda, torna-se coautor de crimes. O resto, resumia ele, é apenas filosofia hipócrita para justificar o recebimento de honorários. Há um abismo entre a postura desse velho advogado e a do doutor Márcio. Fica o leitor convidado, aqui, a ecolher qual das duas lhe parece mais correta.

  34. Jose Mario HRP said

    Guzzo Chest?
    Fala sério!

  35. Edu said

    Zbig,

    Na verdade eu me referia se vc concordava com a vinda do Chavez para o Mercosul.

    Eu fico feliz… que o Mercosul não sirva pra nada…

    Sobre a Dilma,

    O que será que há de bom?

    Diminuição do IPI, sim, diminuição dos juros, nem dela veio, isso é papel do BC.

    A manutenção de benefícios sociais como o bolsa-família, minha casa – minha vida, etc, tem ajudado, é claro.

    Só que como eu disse, a conta vai chegar para o governo. O povo ainda não está sentindo a crise, quando começar a sentir, quero ver a Dilma colocar a culpa no resto do mundo.

    De resto é um atraso só… ela está se movimentando, como disse, mais devagar que governo do PSDB.

  36. Edu said

    Agora aparece a notícia de que o Paloci terá direito a 4 meses de salário!

    “Com a decisão, Palocci receberá o equivalente a quatro meses de salário, num total de R$ 106.892,60 — considerando o salário de R$ 26.723,15 pago aos ministros.” – FSP

    E aí Kotscho?! O que vc acha disso?!

    O problema do Kotscho, aparentemente, é só com o pobre garagista mesmo…

    Essa esquerda… é muito socialista mesmo…

  37. Edu said

    Depois é o Augusto Nunes que é um boçal….

  38. Pedro said

    Só Einstein, pra explicar o resultado das alianças nesta eleição:

  39. Zbigniew said

    Edu,

    não é Chavez que está vindo para o Mercosul. É a Venezuela, suas reservas de petróleo e seu mercado consumidor.

    Alguns acreditam que Chavez será capaz de levar o bolivarianismo e seu regime “anti-democrático” ao resto da AL. Isto é uma falácia.

    O Paraguai serviu muito bem a interesses outros que não vêem com bons olhos um Mercosul fortalecido, um bloco que coloque suas alianças em outros patamares, e que diminua a força geopolítica que os EUA querem manter nesta região.

    Não, não se trata de antiimperialismo inocente, mas de política pragmática voltada para os interesses dos países daqui, principalmente tendo em vista todo o potencial que temos e que deve ser revertido aos povos da região.

    Que os EUA permaneça como parceiro de todos, mas no seu devido lugar, nem mais, nem menos.

  40. Edu said

    Zbig,

    Mercado consumidor, no Mercosul é só o Brasil. O resto dos países, todos tem a população menor ou estão sem dinheiro.

    Assim como eu acho que a Argentina no Mercosul não contribui em nada para o desenvolvimento do Brasil, também não acho que a Venezuela contribuiria:

    Algumas dúvidas:

    – A Venezuela compraria o que do Brasil?
    – A Venezuela está com dinheiro?
    – Para que o petróleo da Venezuela se nós temos o pré-sal?

    Além disso, estaríamos condescendendo e contribuindo com uma política bolivariana de um lunático, que é o Hugo Chávez. Isso pega mal no cenário internacional, muito mal…

  41. Zbigniew said

    Edu,

    esse seu raciocínio tem muito a ver com a Teoria da Dependência outrora defendida pelo insígne FHC e hoje bem fora de moda.

    Lembro que há algum tempo o Lulão quando resolveu “abrir portos” para outras nações, inclusive as paupérrimas africanas (China e EUA se digladiam pelas novas fronteira petrolíferas naquele continente), os indefectíveis árabes e os distantes hermanos de porta e fronteira, foi defenestrado pela maioria esmagadora dos nossos colunistas e, claro, pela nossa tão esclarecida e propositiva oposição, acusando-o de inocente e até louco.

    Chegou 2008 e o Brasil espirrou, mas foi um dos últimos a pegar a gripe e um dos primeiros a dela sair. Se dependêssemos das exportações apenas para os EUA e Europa teríamos nos ferrado. O mercado interno, outra fronteira desdenhada pelos nossos iluminados direitistas, foi e ainda é de ímpar importância para a saúde econômica do país. E é ele que continua ajudando a Presidenta a ter a aprovação na estratosfera.

    A Venezuela não é uma democracia?

    “(…) Nunca é demais lembrar que Hugo Chávez chegou à presidência numa eleição, em 1998, em que obteve 56,2% dos votos. Dois anos depois resistiu a uma tentativa de golpe de Estado orquestrada pelas velhas oligarquias em conluio com o baronato midiático.

    Em 2004, venceu o referendo revogatório da oposição para, dois anos depois, renovar seu mandato presidencial com quase 60% dos votos. Em 2008, o secretário geral da OEA (Organização dos Estados Americanos), José Miguel Insulza, não poupou elogios ao processo democrático venezuelano ao se referir às eleições regionais.

    Na ocasião, Insulza parabenizou o governo da Venezuela pela “situação de normalidade” e destacou a participação maciça da população no pleito.

    Destacou também o comportamento dos partidos e agradeceu pelos “tempos de paz e tranquilidade”. Em que país os cidadãos participaram mais ativamente de processos decisórios que os 16 milhões de eleitores venezuelanos?(…)”

    http://www.advivo.com.br/blog/luisnassif/uma-analise-sobre-a-entrada-da-venezuela-no-mercosul

    A Venezuela não tem nada a oferecer ao Mercosul?

    1- Em termos comerciais, a incorporação da Venezuela não só abre possibilidades, mas oficializa uma situação existente. Em 2003, quando primeiro Luiz Inácio Lula da Silva e, em seguida, Néstor Kirchner assumiram a presidência, a Venezuela importava de países do Mercosul um total de 916 milhões de dólares. Em 2010 já eram 5,891 bilhões, 1,24 deles da Argentina. Também aumentaram as exportações: de 278 milhões de dólares para 1,562 bilhões em 2010. Quer dizer que o volume total de comércio passou então, nesses sete anos de 1,194 para 7,453 bilhões de dólares. Aumentou em mais de seis vezes.

    2 – A venezuelana PDVSA e a brasileira Petrobras associadas, poderiam ser a primeira empresa petrolífera do mundo. Uma YPF reconstruída, mesmo em outra escala, poderia ser parte desse conglomerado gigante.

    3 – O Mercosul se enriquece com um sócio aberto para a região andina, como acontece com o Brasil e sua participação no grupo negociador multilateral dos BRICs, junto com a Rússia, a Índia, a China e a África do Sul.

    4 – O Brasil e a Venezuela são países fronteiriços que já desenvolveram projetos importantes de integração física: a rodovia que comunicará a cidade amazônica de Manaus com a Venezuela, a interconexão ferroviária do sudeste de Venezuela ao norte do Brasil e a interconexão elétrica entre a empresa venezuelana Del Gurí e Manaus, que ainda é zona franca e centro industrial.

    http://www.cartamaior.com.br/templates/materiaMostrar.cfm?materia_id=20508

    O Lugo é realmente um mal gestor?

    Segundo dados da Comissão Econômica para América Latina (Cepal) que foram processados pelo jornalista brasileiro Paulo Daniel, “em 2007, quando o Partido Colorado comandava a política e a economia do Paraguai, os investimentos líquidos internacionais chegaram a 199 milhões de dólares”. Já com Lugo, pularam para 225 milhões em 2009, 389 em 2010 e 566 em 2011. De 2010 a 2011 os salários aumentaram 8,7% e o salário mínimo 2,7, até alcançar os 330 dólares. A inflação foi reduzida de 7,2% em 2010 a 4,9 em 2011. Aumentou o superávit das contas do Estado, as exportações cresceram 23,1%, as importações 21,5 e o déficit em conta corrente caiu para 2,1% do PIB.

    http://www.cartamaior.com.br/templates/materiaMostrar.cfm?materia_id=20508

    Aliás, muito do golpe no Paraguai tem a ver com o problema do direito de defesa, comum a todo regime democrático. Os golpistas tiveram muito tempo para preparar a acusação e deram 36h pro Lugo se defender.

    Por fim a integração regional, pensando num processo de softpower e de natural ascendência econômica do Brasil, é, também um dos objetivos do nosso país, inclusive previsto na nossa constituição federal, do que este governo não tem descuidado.

  42. Edu said

    Zbig,

    Se a Venezuela está importando realmente 6 bilhões de dólares por ano do Brasil, ela é bem vinda ao Mercosul, e eu retiro tudo o que eu disse. Nem precisa me dizer mais nada! hehehehe

    Exceto pelo fato de estarmos negociando com um ditador.

    Onde a Carta Capital conseguiu esses números será? Bom jornalismo é isso: mostra as fontes claramente!

    Acho que essa teoria da dependência, da qual eu não sei nada, não tem nada a ver com o que eu estou falando, porque abrir portos é bastante diferente de fazer um tratado de comércio comum.

    Assim como o Patriarca, vc anda distorcendo o que eu digo. E isso eu não aceito. Por favor, leia com atenção o que eu escrevo.

    A legitimidade do Hugo Chavez na Venezuela é comparável à legitimidade do impeachment do Lugo, tudo tudo feito, teoricamente, dentro da lei.

  43. Edu said

    Além disso,

    Vamos dar “una mirada” nas referências do Insulza:

    Fonte: http://en.wikipedia.org/wiki/Jos%C3%A9_Miguel_Insulza

    1 – Obviamente, faz parte do partido socialista… excelente referência de isenção para avaliar a legitimidade do Chavez.

    2 – Enquanto o Insulza estava elogiando o Chavez, estávam amiguinhos, quando ele resolveu criticar o dito cujo, aí o Chavez rasga o verbo. Mas claro que volta atrás, né?

    “On January 5, 2007, Insulza criticized Venezuelan president Hugo Chávez’s decision not to renew television channel RCTV’s broadcast license (Chávez had accused the station of being a golpista—a coup d’état instigator.[3]) Three days later Chávez responded to Insulza by calling for his resignation and referring to him as a pendejo—a Spanish profanity which is equivalent to “dumbass”.[4] Insulza later received the support of almost all the OAS members, including the US, and Chávez conceded he had gone too far with his words. On April 2008 Chávez congratulated Insulza for stating in a presentation before the United States House of Representatives Subcommittee on the Western Hemisphere that there was no evidence linking Venezuela to terrorist groups.”

    Já viram isso acontecer em algum outro lugar do PT, ops, do mundo? A esquerda é assim mesmo: pragmática, uma hora dando rabanadas, outra hora dando as mãos aos “eternos inimigos”.

    Ou será que deveríamos chamar de socialização dos relacionamentos partidários?

    Concordo com o Pax, é uma pena que não haja educação o suficiente para enxergar esses absurdos…

  44. Michelle - A Besta Desvairada said

    Edu.br

    Mais lenha na sua fogueira:

    http://www1.folha.uol.com.br/mundo/1114440-paraguai-mostra-video-de-chanceler-venezuelano-com-militares.shtml

    “Cachoeira” filmando a reunião secreta do chanceler da Venezuela, com os comandantes militares paraguaios, com ajuda do Policarpo, o foda. rsrsrs

    Esse “Cachoeira”..hein filmou tudo! Deputalhada tremei…

  45. Chesterton said

    Dilminha e Chaves tentando dar o golpe no Paraguai, hein? Que vexame, que papelão. E ainda por cima falharam.

  46. Patriarca da Paciência said

    “Dilminha e Chaves tentando dar o golpe no Paraguai, hein? Que vexame, que papelão. E ainda por cima falharam.”

    Fantástico o “raciocínio” de certas pessoas.

    O que o Brasil e Venezuela teriam a ganhar aplicando um golpe no Paraguai?

    E ainda por cima, uma “solicitação” de golpe!

    Uma “democracia” que oferece duas horas de defesa para um presidente eleito.

    Deputados e senadores que se perpetuam nos cargos da maneira mais tortuosa possível.

    O Paraguai é mesmo um exemplo de democracia, é claro que apenas para uma pequena minoria, aqueles 4% de superinteligentes leitores da “óia”.

  47. Chesterton said

    Quem ferrou com as ações da Petrobras de Elias?

    Há menos de três anos, em 17 de setembro de 2009, o então presidente Lula apresentou-se triunfante em uma entrevista ao jornal Valor Econômico. Entre outras coisas, contou, sem meias palavras, que a Petrobrás não queria construir refinarias e ainda apresentara um plano pífio de investimentos em 2008. “Convoquei o conselho” da empresa, contou Lula. Resultado: não uma, mas quatro refinarias no plano de investimentos, além de previsões fantásticas para a produção de óleo.
    Em 25 de junho último, a Petrobrás informa oficialmente aos investidores que, das quatro, apenas uma refinaria, Abreu e Lima, de Pernambuco, continua no plano com data para terminar. E ainda assim, com atraso, aumento de custo e sem o dinheiro e óleo da PDVSA de Chávez. Todas as metas de produção foram reduzidas. As anteriores eras “irrealistas”, disse a presidente da companhia, Graça Foster, acrescentando que faria uma revisão de processos e métodos. Entre outros equívocos, revelou que equipamentos eram comprados antes dos projetos estarem prontos e aprovados.
    Nada se disse ainda sobre os custos disso tudo para a Petrobrás. Graça Foster informou que a refinaria de Pernambuco começará a funcionar em novembro de 2014, com 14 meses de atraso em relação à meta anterior, e custará US$ 17 bilhões, três bi a mais. Na verdade, as metas agora revistas já haviam sido alteradas. O equívoco é muito maior.
    Quando anunciada por Lula, a refinaria custaria US$ 4 bilhões e ficaria pronta antes de 2010. Como uma empresa como a Petrobrás pode cometer um erro de planejamento desse tamanho? A resposta é simples: a estatal não tinha projeto algum para isso, Lula decidiu, mandou fazer e a diretoria da estatal improvisou umas plantas. Anunciaram e os presidentes fizeram várias inaugurações.
    O nome disso é populismo. E custo Lula. Sim, porque o resultado é um prejuízo para os acionistas da Petrobrás, do governo e do setor privado, de responsabilidade do ex-presidente e da diretoria que topou a montagem.
    Tem mais na conta. Na mesma entrevista, Lula disse que mandou o Banco do Brasil comprar o Votorantim, porque este tinha uma boa carteira de financiamento de carros usados e era preciso incentivar esse setor. O BB comprou, salvou o Votorantim e engoliu prejuízo de mais de bilhão de reais, pois a inadimplência ultrapassou todos os padrões. Ou seja, um péssimo negócio, conforme muita gente alertava. Mas como o próprio Lula explicou: “Quando fui comprar 50% do Votorantim, tive que me lixar para a especulação”.
    Quem escapou de prejuízo maior foi a Vale. Na mesma entrevista, Lula confirmou que estava, digamos, convencendo a Vale a investir em siderúrgicas e fábricas de latas de alumínio. Quando os jornalistas comentam que a empresa talvez não topasse esses investimentos por causa do custo, Lula argumentou que a empresa privada tem seu primeiro compromisso com o nacionalismo.
    A Vale topou muita coisa vinda de Lula, inclusive a troca do presidente da companhia, mas se tivesse feito as siderúrgicas estaria quebrada ou perto disso. Idem para o alumínio, cuja produção exige muita energia elétrica, que continua a mais cara do mundo.
    Ou seja, não era momento, nem havia condições de fazer refinarias e siderúrgicas. Os técnicos estavam certos. Lula estava errado. As empresas privadas foram se virando, mas as estatais se curvaram.
    Ressalva: o BNDES, apesar das pressões de Brasília, não emprestou dinheiro para a PDVSA colocar na refinaria de Pernambuco. Ponto para seu corpo técnico.
    Quantos outros projetos e metas do governo Lula são equivocados? As obras de transposição do rio São Francisco estão igualmente atrasadas e muito mais caras. O projeto do trem bala começou custando R$ 10 bilhões e já passa dos 35 bi.
    Assim como se fez a revisão dos planos da Petrobrás, é urgente uma análise de todas as demais grandes obras.
    Mas há um outro ponto, político. A presidente Dilma estava no governo Lula, em posições de mando na área da Petrobrás. Graça Foster era diretoria da estatal. Não é possível imaginar que Graça Foster tenha feito essa incrível autocrítica sem autorização de Dilma.
    Ora, será que as duas só tomaram consciência dos problemas agora? Ou sabiam perfeitamente dos erros então cometidos, mas tiveram que calar diante da força e do autoritarismo de Lula?
    De todo modo, o custo Lula está aparecendo mais cedo do que se imaginava. Inclusive na política.
    Carlos Alberto sardemberg

  48. Jose Mario HRP said

    Paraguay sem Lugo virou do bem?
    Ah!
    O negocio é o seguinte, juntam-se os partidários de Lino Oviedo e a direita mais mansa e tramam a coisa toda das mortes dos campesinos.
    Agora vem aí a chance da direita ter mais chances de emplacar uma candidatura forte e com algo a mostrar nas próximas eleições!
    Mas junto com essa coisa toda veremos a velha ordem retrógrada do Paraguay voltar a luz!
    Nosso vizinho periga descer mais na linha de desenvolvimento e ser passado pela Bolívia!
    Um grande entrave a saída de toda a américa do sul do patamar de países de terceiro mundo.

    A reação direitista no Uruguai com a solidariedade de colorados e outros menos expressivo é a mostra de quanto o presidente atual do Uruguai tem de apoio em seu congresso.
    Sua maioria é mínima e tênue.

    A Venezuela no Mercosul é da mais alta importancia pois o país petroleiro tem mercado e poder para fortalecer a união continental!
    Não há o que comparar entre a economia venezuelana e a paraguaia.
    Se a Dilma se impos ótimo, já está na hora de cuidarmos com força de nossos interesses!
    E os descontentes que berrem e chorem, os lençinhos de papel estão baratinhos.

  49. Jose Mario HRP said

    A mascara caiu:
    O filme editado do chanceler venezuelano supostamente reunido com militares paraguaios foi desmascarado com a mostra de todo o filme na Venezuela, onde se ve que outros chanceleres também foram a reunião e nada sobre contra golpe foi tratado!
    Nossa musa direitista atirou na agua!
    “Água”!

  50. Chesterton said

    E Mujica é tupamaro…

  51. Jose Mario HRP said

    É a Dilma também esteve na luta armada……
    No entanto nenhum deles pode ser comparado com Lino Oviedo!
    Campionissimo!

  52. Edu said

    Chest,

    Pois é… depois nós que somos chatos, porque somos contra o PT, porque tudo que o Lula faz é besteira etc etc.

    Nós comentamos sobre o nosso desconforto quanto à interferência estatal em empresas.

    Nós comentamos que apesar das obras serem interessantes, os prazos e a grana para realizá-las estava muito estranha.

    Nós comentamos sobre a incapacidade da Dilma de interferir e tomar decisões realmente gerenciais sobre todas essas obras.

    Repetimos isso, e nos tornamos direitobas, a zelite, a turma que joga contra, a turma do PIG…

    Aí está o resultado.

    Hoje os jornais estão comentando a queda da atividade industrial.

    O mercado interno brasileiro vai resolver o problema?

    Não sabemos. Estamos vendo que os cortes no IPI não estão adiantando muito, estamos vendo que as obras do PAC não desempacam, e que a indústria precisa dessas obras prontas para garantir sua competitividade. Mais que isso, o parque industrial brasileiro é muito mais focado em matéria-prima, que provavelmente deve sofrer menos impacto se as pessoas comprarem mais.

    Minha opinião é de que nem que tudo estivesse rodando perfeitamente seríamos capazes de resolver o problema com o nosso mercado interno. Numa conta burra: se o problema da economia mundial ir mal é porque o Brasil diminui suas exportações, que vão para EUA, Europa, China, etc, nem que o Brasil duplicasse o consumo, iria conseguir absorver a produção que seria exportada.

    Além disso, o Brasil é exportador de alimentos e matérias primas como ferro. O Brasil só come mais se a população aumentar, ainda que o mercado interno fique mais robusto e os brasileiros consigam mais dinheiro pra gastar, eles não iriam gastar com insumos brasileiros, muito pelo contrário, vão procurar produtos de maior valor agregado, que não são produzidos no Brasil, e, portanto, importando e piorando a balança comercial brasileira.

    Teremos tempos difíceis pela frente…

  53. Edu said

    HRP,

    A Dilma é a rainda da barca furada: ela não consegue tomar conta nem do país que está “gerenciando”, fica dando palpite na política de países vizinhos.

    Interesses do Brasil ou do PT?

    Como disse ao Zbig, tenho bastante interesse nos 6 bilhões de dólares que a Venezuela compra do Brasil, mas não tenho interesse nenhum em um ditador como vizinho.

  54. Patriarca da Paciência said

    “Artigo: Roberto Jefferson admite ao STF que mensalão não existiu”

    http://tudosobreomensalao.com.br/?p=258

  55. Edu said

    Patriarca,

    A melhor argumentação do texto é que o pagamento feito pelo PT ao PTB é que foi feito “no limite” da lei, mas ainda assim, dentro da legalidade.

    Então, claro, não houve mensalão.

    Porém, no caso do Paraguai, o impeachment, que também foi feito “no limite” da lei, mas ainda assim, dentro da legalidade, é golpe!

    Que lógica maravilhosa!

    Pare de chorar Patriarca! Deixe que os mensaleiros todos escorram pelo ralo da justiça de uma vez por todas. Vc não tem absolutamente nada a ganhar defendendo o Zé e a turminha dele…

    Ou tem?

  56. Patriarca da Paciência said

    “Pare de chorar Patriarca! Deixe que os mensaleiros todos escorram pelo ralo da justiça de uma vez por todas. Vc não tem absolutamente nada a ganhar defendendo o Zé e a turminha dele… ”

    Meu caro Edu,

    trata-se das alegações finais apresentadas pelo Roberto Jefferson, ou seja, é a palavra final do desencadeador do processo e criador do termo “mensalão”.

    Não fiz qualquer comentário sobre o assunto.

    Mas continuo com a mesmíssma opinião – até hoje, passado sete anos, não foi apresentada uma única prova concreta contra o josé Dirceu.

    É um dos mais graves casos de linchamento, pela “grande mídia”, já ocorrido no Brasil.

    Agora, ganhar mesmo, vão ganhar aqueles que defendem o golpista paraguaio.

    Para defenderem tão apaixonadamente um golpista, só mesmo tendo muito a ganhar!

    Um processo para depor um presidente da república transcorrido num prazo de 24 horas!

    Realmente.

    Que tal pegarmos aquele artigo da nossa constituição “todos são iguais perante a leir” e aplicarmos da seguinte forma, “no Brasil, dentro de 24 horas, todos receberão o mesmo salário”.?

    Interpretação literal da lei é isso aí.

  57. Edu said

    Patriarca,

    Como vc não fez nenhum comentário sobre o assunto?

    Há vários tópicos vc vem comentando isso, nesse tópico, em #2, e #6 vc comenta isso!

    Não dê uma de joão-sem-braço cara, que eu te pego no pulo, assim como venho fazendo.

    Aliás, vc está me devendo respostas de alguns posts atrás! Por que não dá uma olhada lá e responde?

    Espero que o Pax arrume um outro post logo logo, assim vc acredita que fica liberado de responder, e achando que o resto da galera vai esquecer disso! ehehehe

  58. Patriarca da Paciência said

    Edu,

    tenho feito algumas mudanças na minha casa e fiquei com pouco tempo para comentários.

    Mas prometo olhar quando tiver mais tempo.

  59. Edu said

    Além disso,

    Pelo que eu entendi, todas as aberturas de sigilos, todas as documentações e tudo mais tem mais alguns milhares de páginas.

    O Rovai, este exemplo de jornalista de esquerda, toma apenas a defesa que serve exclusivamente para o Roberto Jefferson sob a premissa de que se o mesmo for inocentado, o restante também será.

    Ele se esquece que o Roberto Jefferson apenas atirou a primeira pedra, e o restante do esquema foi sendo descoberto: há outros beneficiados, há um esquema de caixa-dois descoberto (não é crime eleitoral?), além, é claro do esquema de cada um para lavar esse dinheiro todo.

    Pergunta: é burrice, é conveniência ou é a mais pura preguiça jornalística? De qualquer maneira, esse simples fato já serve como material para dar descrédito total a este jornalista.

    E mesmo que isso seja possível, mesmo que ninguém seja pego, o mensalão continuará sendo uma vergonha para o PT e uma vergonha nacional. Porque foi o primeiro caso que veio a público, logo em seguida vem o do PSDB e do DEM.

    Essa é a nova ordem política brasileira: promiscuidade entre os poderes, corrupção e CPMIs.

    E a esquerda adora.

    Agora, Patriarca,

    Como é que vc quer que alguém acredite no Rovai? Mesmo diante de uma preguiça jornalística tão escancarada como essa?

    Ah é, é pq o Rovai defende a esquerda.

    Ruim é o Augusto Nunes…

  60. Michelle - A Besta Desvairada said

    edu.br

    Pat está arrumando a casa e não teve tempo.rsrsrs
    Enquanto isso:

    Lula quer provar que ‘neomalufismo’ compensa
    Quarta, 04 de Julho de 2012, 03h06
    José Nêumanne

    Nestes últimos dias, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva tem desafiado a própria fama de infalível em estratégias políticas com uma série de “pisadas na bola”, como se diz na gíria futebolística, que ele tanto aprecia, num território no qual sempre desfilou com desenvoltura.

    Enquanto os adversários tucanos se engalfinhavam em lutas internas intermináveis e injustificáveis para escolher o candidato à sucessão de Gilberto Kassab (PSD) na Prefeitura de São Paulo, Lula não ouviu lideranças locais, federalizou o pleito e lançou Fernando Haddad com a justificativa de que aposta no “novo” e repete a audácia de ter indicado Dilma Rousseff para presidente, em 2010. O risco é que, se Haddad perder, dará a Dilma a oportunosa ensancha de mostrar que ela não ganhou só por causa do apoio dele, mas teve méritos próprios.

    A aposta isolada de Lula ignorou a lição do poeta britânico William Congreve, que, no século 17, constatou o óbvio ululante: “Não há no céu fúria comparável ao amor transformado em ódio nem há no inferno ferocidade como a de uma mulher desprezada”. Da mesma forma como, segundo Arnaldo Jabor, teria escolhido Dilma para lhe suceder por imaginar que, sendo mulher, ela não o trairia, pensou que, depois de pisar nos calos da senadora Marta Suplicy (PT-SP), pudesse contar com seu apoio leal e entusiástico na campanha do favorito. Deu no que deu: a ex-prefeita virou a “fera ferida” da canção de Roberto Carlos e é, ninguém duvide, o maior empecilho para os planos de Lula conquistar uma vitória pessoal no pleito em São Paulo, cujo eleitorado lhe tem sido historicamente hostil. Ele próprio perdeu para José Serra e para Geraldo Alckmin e seus candidatos Marta Suplicy e Aloizio Mercadante Oliva foram derrotados por José Serra, ela também por Gilberto Kassab há quatro anos, além de Dilma Rousseff para o mesmo Serra nas urnas paulistanas. Outra lambança de Lula na mesma disputa foi deixar-se fotografar afagando o “filhote da ditadura” Paulo Maluf em troca do apoio do Partido Progressista (PP).

    Os 95 segundos do PP malufista no horário gratuito, cedidos em troca dos afagos no jardim da mansão do dr. Paulo, geraram a crise da saída da ex-prefeita Luiza Erundina da chapa lulista, numa evidência de que, como o crime, o “neomalufismo” poderá não compensar.

    No afã de eleger Haddad, o ex-presidente passou a seu eleitorado devoto e leal a impressão de Kassab – que se dispôs a apoiar o favorito dele e chegou a comparecer a uma reunião petista – lhe ter passado a perna. Tenha sido ou não esperteza do prefeito, a iniciativa dele empurrou o ex-governador José Serra para a disputa e convenceu seus desafetos no PSDB a compreenderem que a única forma de manter a oposição ao poder federal na maior prefeitura do País será apoiá-lo sem restrições, embora tapando o nariz.

    Outro episódio posterior ao diagnóstico do câncer na laringe desmentiu mais até do que a fama de infalível do ex-presidente, pois contradisse um histórico de bom senso que o tem aproximado do cidadão comum, responsável por vitórias dele e de seus candidatos e altíssimos índices de popularidade por eles obtidos. Trata-se do encontro com o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Gilmar Mendes no escritório do amigo comum Nelson Jobim. Mesmo que a versão do interlocutor – segundo quem Lula apelou para ele evitar que o julgamento do mensalão coincidisse com as eleições municipais – não seja absolutamente fidedigna, não faz sentido a exposição a que ele e alguns membros da última instância do Poder Judiciário – Gilmar, entre eles – se expuseram, às vésperas de um momento relevante como as sessões nas quais se julgará o maior escândalo de corrupção atribuída a seu governo na vigência do gozo da aposentadoria. Nada justificaria tal cruzada peripatética estando fora da Presidência, período no qual prometera se comportar com o máximo de discrição, e durante delicado tratamento de saúde.

    Fato é que quem se surpreende com essas derrapadas do líder tido como infalível desconhece sua biografia. Nem sempre Lula foi sequer sensato como se pensa que foi. Em 1978, o ex-governador Cláudio Lembo, atendendo ao chefe da Casa Civil, Golbery do Couto e Silva, lhe pediu apoio para a anistia e a volta dos exilados. Ele negou. Em 1985, apoiou a expulsão do Partido dos Trabalhadores (PT) dos deputados Bete Mendes, Airton Soares e José Eudes porque votaram em Tancredo Neves contra Paulo Maluf no Colégio Eleitoral, alegando que os dois candidatos eram “farinha do mesmo saco”. Em 1988, o partido só assinou a Constituição dita “cidadã” por apelo insistente do presidente do Congresso Constituinte, Ulysses Guimarães (PMDB-SP). No mesmo ano, omitiu-se na campanha da candidata petista à Prefeitura de São Paulo, Luiza Erundina, que tivera a ousadia de vencer seu favorito, Plínio de Arruda Sampaio, na convenção. Em 1993, apesar de ter participado da derrubada de Fernando Collor no Congresso, o PT recusou-se a participar do governo tampão do vice Itamar Franco e suspendeu a filiação da mesma Erundina, porque ela ousara desafiar novamente o chefão ao aceitar a Secretaria da Administração Federal – o que a levou a migrar para o PSB em 1997.

    Aconselhado por Aloizio Mercadante Oliva, Lula levou os petistas a votarem contra o Plano Real, acusando-o de “estelionato eleitoral”, posição que o levou a duas derrotas eleitorais seguidas no primeiro turno para o criador do maior projeto social da História do País, Fernando Henrique Cardoso. E, na oposição, se opôs ferozmente à privatização, à adoção do câmbio flutuante, às metas de inflação, à Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) e aos programas sociais propostos pelos tucanos.

    Fiel à condição confessa de “metamorfose ambulante” (apud Raulzito Seixas), contudo, elegeu uma anistiada presidente. E agora enfrenta o desafio de provar que o “neomalufismo” não é crime e pode compensar. Se conseguirá só Deus sabe.

    * JORNALISTA, ESCRITOR E EDITORIALISTA DO JORNAL DA TARDE

  61. Jose Mario HRP said

    Além da musa Michelle temos outro exagerado no blog, o ” Du”!
    Patriarca, o Bob Jeff é uma velha raposa, que caiu do cavalo ao tentar se vingar do LULA EM 2005!
    Agora se ajoelha em busca de perdão……..
    MAS SE CONHEÇO O lULA……

  62. Jose Mario HRP said

    Aqui o video que a Folha SP não mostrou, rendendo-se a meia verdade:

  63. Jose Mario HRP said

    Patriarca e demais colaboradores, a verdade demora mais aparece:
    http://www.jb.com.br/informe-jb/noticias/2012/07/03/cachoeira-aloprados/

  64. Patriarca da Paciência said

    É isso aí, meu caro HRP,

    a maioria sempre soube que essa história de manipular dossiês é a especialidade do Serra.

    Serra 30%.

    Serra ladeira abaixo.

    Aquele Serra que um dia enganou muito gente dizendo-se de esquerda.

    O “presidente de nascença” e “maior dos homens públicos do Brasil” não vai emplacar nada!

  65. Jose Mario HRP said

    A eleição paulistana tem alguém que está sendo nitida e hipocritamente ignorado= Celso Russomano com seus 26% de intenções de voto!

  66. Patriarca da Paciência said

    CPI aprova convocação de Pagot, Cavendish e prefeito de Palmas

    E aí?

    Acho que cantei essa pedra também.

    Tanto que a direitona torceu para que nada acontecesse !

    Mas a CPMI caminha na marcha certa.

    E a hora da “óia” vai chegar também!

  67. Otto said

    É isso aí, Patriarca. E inclusive o Pax dizia que tinha cheiro de pizza…
    A principal diferença é que esta CPI não se deixou pautar pela mídia.

  68. Michelle - A Besta Desvairada said

    E continuando as piadas petistas…
    Lula credita descoberta da partícula de Deus a sucesso de seu governo
    04/07/2012 17:45 |

    Lula credita descoberta da partícula de Deus a sucesso de seu governo

    Cientistas ligados a Jackson Lago construíram um acelerador de propinas ligando São Luis ao Planalto Central

    INSTITUTO LULA – Aturdido com a descoberta de uma partícula de Deus que não faz parte de seu organismo, Lula enviou um comunicado à imprensa através de sua página no Facebook: “Nunca antes na história do Cosmos a comunidade científica esteve tão bem preparada para descobertas como a do companheiro Bóson. Nada disso seria possível sem o ProUni, o Bolsa Família e o sistema de cotas”, explicou o ex-presidente em exercício.Animado, Lula colocou seu dorso à disposição da ciência “caso os companheiros cientistas queiram procurar mais partículas de Deus”. Em seguida, rumou para o gabinete de Gilmar Mendes: “Não há condições de começar o julgamento do mensalão após uma descoberta desta monta”, ponderou.

    No final do dia, um cientista maranhense anunciou que vários bósons foram descobertos nas páginas mais espirituais do romance Saraminda. “Deus iluminou esta obra”, declarou comovido, acrescentando que “a primeira partícula de Deus foi descoberta em 1966, acondicionada no bigode de um eminente autor e político”.

    A polícia maranhense agiu com celeridade e invadiu a sede política do ex-governador Jackson Lago, local onde foi descoberto um poderoso acelerador de propinas. “O curral eleitoral de Jackson Lago é reconhecido internacionalmente como centro de referência em pesquisas nos campos do nepotismo e do fisiologismo”, declarou o delegado e poeta Ribamar Miranda.

    FATO RELEVANTE: Incompetência faz The piauí Herald passar às mãos da concorrência

  69. Patriarca da Paciência said

    “Além disso, o Brasil é exportador de alimentos e matérias primas como ferro. O Brasil só come mais se a população aumentar, ainda que o mercado interno fique mais robusto e os brasileiros consigam mais dinheiro pra gastar, eles não iriam gastar com insumos brasileiros, muito pelo contrário, vão procurar produtos de maior valor agregado, que não são produzidos no Brasil, e, portanto, importando e piorando a balança comercial brasileira.”

    Meu caro Edu,

    digo, com toda a certeza, que você está totalmente equivocado. ” O Brasil só come mais se a população aumentar”?

    Meu caro, você desconhece a realidade brasileira.

    Para que TODOS os brasileiros atinjam uma nível de alimentação, pelo menos satisfatório, ainda falta muito.

    Já melhoramos bastante, mas ainda falta muito!

  70. Patriarca da Paciência said

    “Pergunta: é burrice, é conveniência ou é a mais pura preguiça jornalística? De qualquer maneira, esse simples fato já serve como material para dar descrédito total a este jornalista.”

    Edu,

    você, como um bom leitor do Reinaldinho Cabeção e Augusto Boçal Canalha Nunes, é que está sendo extremamente preconceituoso.

    Simplesmente “sentencia” que o Rovai é mau jornalista e profissional preguiçoso pelo simples fato de ser de esquerda. Coisa típica do Reinaldinho Cabeção e do Augusto Boçal Canalha Nunes, aquele que afirmou que o STF é comandado pelo Lula.

    O Rovai apenas comentou as alegações finais apresentadas pelo Roberto Jefferson.

    E é isso mesmo que o Bob diz, ou seja, que nunca existiu um “salário mensal extra” para que deputados e senadores aprovassem projetos do governo.

    E também não sabe sobre envolvimento do José Dirceu em distribuição de tal salário mensal.

    Então, tenho a mesma opinião, o objeto do processo não faz sentido.

  71. Patriarca da Paciência said

    Pres. Zezinho isola partícula e revoluciona ciência

    MÉRITO: Cientistas reivindicam Nobel de Física para o pres. Zezinho e Nobel de Economia para o Dr. Paulo Caixa Preta Dois.
    O Mais Preparado dos Brasileiros, o futuro pres Zezinho, deu mais uma contribuição inestimável ao conhecimento humano, em importante pesquisa desenvolvida no acelerador de propinas da Caverna do Ostracismo.

    O Presidente de Nascença conseguiu isolar uma particula fundamental, o Bóston de FHC. De imensões insignificantes, essa partícula tem peso desprezível e possui a propriedade de não servir para nada, apenas para atrair jornalistas de programa.

    A nova particula tem, entre suas propriedades mais significativas, uma carga política negativa muito forte, tão negativa que tende a repelir udenistas em campanha eleitoral. É praticamente impossível encontrá-la em um palanque ou em um discurso da UDN.

    PARCERIA ESTRATÉGICA: A UDN implantou um enorme acelerador de propinas em São Paulo, com a ajuda da Alstrom.
    Durante suas pesquisas, o Mais Sábio dos Homens contou com a sempre prestimosa ajuda de seu assistente de pesquisa para ciências propinoviárias aplicadas, Dr. Paulo Caixa Preta Dois, especialista em coleta e desaparecimento de partículas.

    Homenagem
    O Bóston de FHC recebeu esse nome em homenagem ao grande ex-intelectual udenista, que recentemente detectou outra importante partícula, o Fódon de Horns.

    O Fódon de Horns é uma partícula fundamental que compõe os átomos das moléculas das substâncias que formam os chifres e outros adornos encefálicos. Foi descoberta pelo ex-sábio FHC em um laboratório madrilenho, graças ao trabalho de sua parceira, Dra. Miriam, que havia ganho uma bolsa da Fundação Roberto Marinho para passar uma temporada na Espanha.

    Nota triste

    Infelizmente, algumas particulas desapareceram sem explicação, durante os experimentos.

    O Pres. Zezinho (DIREITA) e o Dr. Paulo Caixa Preta Dois agora estão treinando candidatos udenistas a desviar do Bóston de FHC.
    Dos caudalosos esgotos morais da Caverna do Ostracismo jorraram bem fundamentadas hipóteses sobre a causa desse fenômeno de desmaterialização das partículas.

    Segundo vários sábios udenistas, cerca de 4 milhões de Bósons de FHC teriam desaparecido depois de coletadas pelo Dr. Paulo Caixa Preta Dois, que as manipulava em nome do pres. Zezinho.

    Outras versões relatam que as partículas teriam desaparecido e, após um salto quântico, reaparecido em uma ilha caribenha muito descoberta pelo Almirante Sérgio Ricardo, diretor do departamento de limpeza monetária da UDN.

    QUADRILHA: A UDN fez uma bela festa junina para comemorar o novo acelerador de propinas.
    Algumas fontes da seção mineira da UDN, por sua vez, tentam diminuir a importância do feito do pres. Zezinho. Segundo os seguidores de Tancredo Neves, o resultado do experimento teria sido totalmente acidental. Na verdade, o Almirante do Tietê e o Dr. Paulo Caixa Preta Dois estariam fazendo um experimento com as temíveis Partículas Delta, obtidas em uma cachoeira no Centro-Oeste. Os dois estariam tentando fazer desaparecer alguns milhões de Partículas Delta, que, se fossem soltas pelo Dr. Paulo Caixa Preta Dois no recinto do Congresso Nacional, poderiam fazer cair a casa do pres. Zezinho.

    Comentário da tia Carmela
    O Zezinho sempre gostou de brincar de cientista. Quando ele era moleque, ele pegava o Reinaldinho Cabeção para ser o assistente dele para brincarem de fazer experiência. Eles juntavam uns ovos podres e outras porcarias, misturavam tudo e punham numas garrafinhas daquelas de ficar jogando água no carnaval. Aí levavam para a escola e na hora do recreio saíam espirrando aquela água fedorenta em todo mundo…
    http://tiacarmela.wordpress.com/2012/07/06/pres-zezinho-isola-particula-e-revoluciona-ciencia/

  72. Edu said

    HRP,

    Não se importe comigo cara, basta ignorar meus comentários. Eles não são feitos pra te fazer mal não, eu tenho certeza que debate com educação, racionalidade e correta interpretação de texto faz bem pra todo mundo!

    Patriarca,

    “Para que TODOS os brasileiros atinjam uma nível de alimentação, pelo menos satisfatório, ainda falta muito.”

    É mesmo? Mostre sua fonte! Vc tem tido bastante dificuldade em apresentar fontes que sejam realmente confiáveis…

    —-X—-

    “Simplesmente “sentencia” que o Rovai é mau jornalista e profissional preguiçoso pelo simples fato de ser de esquerda.”

    Nossa Patriarca, eu vou começar a pedir ao Pax que exclua os comentários dirigidos a mim que faltem com o devido respeito ao que eu escrevi. Como é que vc tem coragem de dizer uma coisa dessas? Vc leu o resto do que eu escrevi?

    Se vc ler direito, coisa que vc, o HRP e o Zbig insistem em não fazer, vc verá a seguinte frase: “O Rovai,… , toma apenas a defesa que serve exclusivamente para o Roberto Jefferson sob a premissa de que se o mesmo for inocentado, o restante também será.”

    Já que vc tem um problema terrível de interpretação de texto, vou te explicar: não é porque o Rovai é de esquerda, é porque ele ignora um processo de milhares de páginas e se baseia apenas nas páginas da defesa do Roberto Jefferson!

    Preguiça, é porque, obviamente, ele não leu o restante das páginas para emitir a opinião, então é óbvio que ele não tem a menor noção do que aconteceu pra poder emitir a opinião dele, transformando qualquer opinião emitida por ele em uma opinião de fonte ruim. Só isso!

    Ahh, mas porque vc comentou com ironia que ele é um excelente jornalista de esquerda? Porque o preguiçoso Rovai sabe que os militantes da esquerda são preconceituosos, e não conseguem ler jornalistas de direita. O preguiçoso Rovai se vale desse preconceito para manipular as informações que ele escolhe postar e passar um verniz de verdade sobre elas de modo que a militância toda acredite nas barbaridades que ele fala. O que acontece? Os militantes lêem e acreditam!

    Quem é preconceituoso Patriarca? Eu nunca tive medo de ler nada que venha da esquerda. Leio a esquerda com os mesmos olhos críticos com que eu leio a direita. Infelizmente, a esquerda tem produzido apenas textos com argumentação fajuta, fontes manipuladas, um viéz de esquerda barata, ridículo.

    Veja o caso do Kotscho por exemplo. Comecei a ler o Kotscho porque o Pax sugeriu. Quando comecei a ler o Kostcho, gostava bastante das análises dele, ele conseguia apresentar o pensamento da esquerda falando várias coisas interessantes. Só que o Kostcho, ultimamente, para cada 1 bola dentro, ele dá 1 bola fora… ele transparece, no seu texto, seu ar de donzela arrependida com as últimas besteiras que o Lula fez, justo ele, que sempre foi amigo, sempre foi defensor, que sempre daria o braço pelo amigo Lula. Mas sabe o que o Kotscho ainda tem de bom? Ele está custando a vender sua ideologia social-democrata por pragmatismo, ele não engoliu por exemplo a aliança do Lula com o Maluf e está se sentindo traído pelo amigo. Nessa indecisão, ele tem soltado alguns textos esdrúxulos como este que eu insisto em expor, em que ele se indigna com o salário do garagista versus o salário da Dilma. O texto é bacana, realmente expõe algumas incoerências praticadas pelo Estado (justo o Estado que a esquerda defende), mas coitado, o exemplo que ele toma é tão infeliz que chega a dar dó. No dia seguinte aparece a notícia de que o Paloci vai ganhar R$ 100.000 de salário sem ter trabalhado pra isso… mas ele ataca o garagista, que ganha um absurdo, capitalisticamente falando, é claro, pelo menos o garagista ainda trabalha!

    Então não me venha com: “você, como um bom leitor do Reinaldinho Cabeção e Augusto Boçal Canalha Nunes, é que está sendo extremamente preconceituoso.”

    Sim! Sou bom leitor do RA, da DK, do Guilherme Fiuza e do implicante, assim como sou bom leitor do Kotscho, do Sakamoto, do Rodrigo Vianna, do Vermelho e do Luis Nassif… até dou uma passada no PHA de vez em quando. Não é um problema de preconceito, é um problema de qualidade técnica: clareza, racionalidade, capacidade de argumentação…

    Se vc acredita que há outras fontes de esquerda que são úteis, por favor, pode me mostrar, eu realmente gostaria de algo melhor pra ler que o blog da tia carmela pra saber da esquerda brasileira…

    —X—

    Estou esperando as outras respostas!

  73. Patriarca da Paciência said

    “Já que vc tem um problema terrível de interpretação de texto, vou te explicar: não é porque o Rovai é de esquerda, é porque ele ignora um processo de milhares de páginas e se baseia apenas nas páginas da defesa do Roberto Jefferson!

    Preguiça, é porque, obviamente, ele não leu o restante das páginas para emitir a opinião, então é óbvio que ele não tem a menor noção do que aconteceu pra poder emitir a opinião dele, transformando qualquer opinião emitida por ele em uma opinião de fonte ruim. Só isso!”

    Meu caro Edu,

    então, para escrever um texto diário para blog, a respeito de suposto mensalão, o cara tem que ler todos os 138 volumes do processo do suposto mensalão?

    Você já leu os 138 volumes do processo do suposto mensalão?

    Olha, eu sinceramente não li e não tenho a menor intenção de lê-los.

    Escrevo em blogs para simples troca de informações.

    Eu me limitei às alegações finais do Roberto Jefferson e creio que essa foi a intenção do Rovai também.

    Agora, se você está disposto a “estudar” os 138 volumes do processo do “suposto mensalão”, boa sorte para você.

  74. iconoclastas said

    “Lula e Maluf: por que não?
    11:52, 4/07/2012
    gmfiuza
    Geral

    (ÉPOCA – edição 737)

    O Brasil ético está escandalizado com o aperto de mão entre Lula e Paulo Maluf. O ex-presidente teria ido longe demais com esse gesto. É uma concessão muito grave para tentar eleger um prefeito, dizem os homens de bem. E o assunto não sai de pauta, com a corrente de indignação se espalhando pela imprensa, pelas escolas e esquinas desse Brasil ultrajado. Todo cientista político teve sua chance de dizer que aquela foto é um divisor de águas no processo ideológico brasileiro, um retrocesso no campo progressista, um monumento ao vale tudo. Mas nunca é tarde para avisar a esta nação escandalizada: o aperto de mão entre Lula e Maluf não tem a menor importância.

    Um comentarista bradava no rádio um dia desses: “Maluf apoiou a ditadura!” Não, essa não é a grande credencial do ex-governador de São Paulo. Vamos a ela: Maluf é procurado pela Interpol. Independentemente dos resultados dos vários processos de que já foi réu por corrupção, Maluf é símbolo de cinismo e trampolinagem. Mesmo assim, não pode fazer mal nenhum a Lula.

    O ex-operário que governou o Brasil por oito anos escolheu como um de seus principais aliados José Sarney. Para quem não está ligando o nome à pessoa, Sarney é o protagonista do caso Agaciel Maia – aquele que revelou a transformação do Senado Federal em balcão de favores particulares. Em telefonemas divulgados pela TV em horário nobre, Sarney aparecia usando a presidência do Senado para reger o tráfico de influência na cúpula do Poder Legislativo. Mostrando influenciar também o Judiciário, o parceiro de Lula conseguiu, através do filho Fernando, instituir a censura prévia ao jornal “O Estado de S. Paulo”, até hoje proibido de mencionar a investigação dos atos secretos operados por Agaciel.

    O que fez Lula diante desse escândalo? Disse que Sarney não podia ser julgado como uma pessoa comum. Segurou-o bravamente na presidência do Senado. Até que a tempestade passasse, deu-lhe a mão e não soltou mais. Qual o problema então de dar a mão a Maluf, só um pouquinho, para eleger o príncipe do Enem?

    O aperto de mão com Sarney incluiu outras manobras típicas da ditadura que Maluf apoiou. Lula mandou sua ministra Dilma Rousseff intervir na Receita Federal para resolver pendências fiscais da família Sarney. Essa denúncia foi feita por Lina Vieira, ex-secretária da Receita, que contou detalhes do abuso de poder da então chefe da Casa Civil. Lina aceitou uma acareação com Dilma, que fugiu (e depois virou presidente).

    Quando sua sucessora saiu em campanha, Lula nomeou como ministra-chefe da Casa Civil a inesquecível Erenice Guerra. Braço direito de Dilma, com quem confeccionou o dossiê Ruth Cardoso (contrabando de informações de Estado para chantagem política), Erenice montou um bazar com parentes e amigos no palácio. Apesar de ter afundado crivada de evidências de tráfico de influência, Erenice recentemente foi puxada pela mesma mão que apertou a de Maluf: desinibido, o padrinho já tenta publicamente ressuscitá-la.

    As aventuras de Dilma e Erenice só foram possíveis com queda do antecessor, José Dirceu – o que mostra uma verdadeira linhagem criada por Lula na Casa Civil. E Dirceu só caiu porque o suicida Roberto Jefferson resolveu atrapalhar um esquema que estava funcionando perfeitamente. Pois bem: no momento em que a Justiça se prepara para julgar o mensalão, maior escândalo de corrupção já visto na República, protagonizado por todos os homens do presidente Lula, o Brasil resolve se escandalizar porque o chefe supremo dos mensaleiros tirou uma foto com Paulo Maluf.

    É sempre triste deixar a inocência para trás, mas vamos lá. Coragem. Em todo o seu vasto e conhecido currículo, Maluf jamais chegou perto de engendrar um golpe dessa dimensão: o uso do poder central para fazer uma ligação direta dos cofres públicos com a tesouraria do partido do presidente. O malufismo nunca sonhou com um valerioduto.

    Como se vê, o Brasil, esse distraído, precisa atualizar a legenda do famoso encontro: se quiser continuar dizendo que ali está a esquerda sujando as mãos com a direita, vai ter que inverter a foto.

    E para concluir o jogo dos sete erros: qual dos dois usou crachá de coitado para vampirizar o Estado? Roubar a boa fé dá quantos anos de cadeia?”

    é isso aí, foi o Salim quem deu a mão ao cefalópode…

    ;^)

  75. Jose Mario HRP said

    Serra e Cavendish?
    Porque não?
    http://www.viomundo.com.br/denuncias/sao-paulo-fez-contratos-de-quase-um-bi-com-a-delta-paulo-preto-assinou-o-maior-deles-no-governo-serra.html

  76. Pax said

    Prezados,

    Me enrolei de vez por aqui. Desculpem-me a ausência. Nem mesmo atualizado pela TV tenho conseguido.

    Fiz mais um post na correria, sobre as convocações gerais da CPMI.

  77. Michelle - A Besta Desvairada said

    Paulo Moreira Leite em seus melhores momentos…

    http://colunas.revistaepoca.globo.com/paulomoreiraleite/2012/07/05/amigos-de-golpe-paraguaio-nao-desistem/

    “Basta estar escrito na Constituição de um país, que qualquer barbaridade passa a ser democrática.”

    Acho que Pau Mo Le estava bêbado quando escreveu essa bobagem …a régua da democracia tem que ser do mesmo tamanho da dele.
    Se não, é barbaridade.
    Mas em qual Constituição Modelo ele se baseia?
    A Americana ou a Venezuelana?

  78. Patriarca da Paciência said

    “O que fez Lula diante desse escândalo? Disse que Sarney não podia ser julgado como uma pessoa comum. Segurou-o bravamente na presidência do Senado. Até que a tempestade passasse, deu-lhe a mão e não soltou mais. Qual o problema então de dar a mão a Maluf, só um pouquinho, para eleger o príncipe do Enem?”

    Olha, eu estou começando a achar que o Lula é um cara muito poderoso mesmo.

    Os adversários, pelos menos, assim o dizem.

    Será que ele é tudo isso mesmo?

    O Augusto Boçal Canalha Nunes diz diz que o Lula comanda o STF.

    Agora o Fiuza diz que o Lula Comanda o Legislativo.

    Caramba!

    E eu que considero o Lula apenas o maior político brasileiro!

  79. Patriarca da Paciência said

    Constituição Paraguaia.

    Esse pessoal que fica a dizer que o Lugo foi destituído “constitucionalmente”, será que já leram a Constituição Paraguaia?

    Vejam só este artigo:

    “Artículo 6 – DE LA CALIDAD DE VIDA

    La calidad de vida será promovida por el Estado mediante planes y políticas que reconozcan factores condicionantes, tales como la extrema pobreza y los impedimentos de la discapacidad o de la edad. ”

    Não precisamos saber espanhol para entendermos que está escrito claramente que a “qualidade de vida será promovida pelo Estado, mediante planos e políticas que levam em consideração fatores condicionantes, tais como extrema pobreza, deficiências da incapacidade e a idade”.

    Será que este artigo vem sendo aplicado corretamente pelo Congresso paraguaio?

    Ou será que o Congresso faz uma interpretação diferente deste artigo?

    http://pdba.georgetown.edu/Constitutions/Paraguay/para1992.html

  80. Patriarca da Paciência said

    Vejam só outro artigo interessante da Cosntituição Paraguaia:

    “Artículo 128 – DE LA PRIMACIA DEL INTERES GENERAL Y DEL DEBER DE COLABORAR

    En ningún caso el interés de los particulares primará sobre el interés general. todos los habitantes deben colaborar en bien del país, prestando los servicios y desempeñando las funciones definidas como carga pública, que determinen esta Constitución y la ley. ”

    Ou seja, ” em nenhum caso os interesses particulares estarão acima dos interesses comunitários”.

    A julgar pela constituição, o Paraguai é um país socialista.

  81. É uma sequência da tentativa de Golpe Branco no Brasil usando o mensalão e agora os mensalões. Vou enviar endereço de vários destes artigos na sequência de 2 a 6 postados em meu Blog josedamota.blogspot.com
    2a- http://josedamota.blogspot.com.br/2012/07/caixa-de-surpresas-o-galo-cantou-canto_18.html
    2b – http://josedamota.blogspot.com.br/2012/07/erundina-so-lula-com-haddad-e-maluf.html
    3 – http://josedamota.blogspot.com.br/2012/07/mensalao-saga-iii-ricardo-lewandowski-e.html
    4 – http://josedamota.blogspot.com.br/2012/07/o-beijo-patriota-ayres-britto-e-dilma.html
    5 – http://josedamota.blogspot.com.br/2012/07/mensalao-do-golpe-branco-v-do-pt.html
    6 – http://josedamota.blogspot.com.br/2012/07/mensaloes-e-chance-de-alguns-grandes.html

  82. argan oil said

    Though a clarifying face cleaner works wonderful to minimize
    all traces of oil and give you a tidy feeling, in case you begin experiencing terribly itchy skin or red spots quickly stop the use of that particular facial cleanser.

    But if you frequently process your hair, Creme of Nature will be a cut above the rest.
    It brings back a more youthful skin condition that may have diminished because of aging or other determinants.

Faça seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: