políticAética

Notícias da Corrupção, Desvios, Anomalias, Eleições e Meio Ambiente

  • Sobre o blog

    Uma coletânea das notícias da corrupção, desvios, anomalias, eleições e meio ambiente que aparecem na mídia todos os dias a partir de agosto de 2008.
  • Categorias

  • Arquivos

  • Páginas

  • Meta

Roberto Jefferson cai atirando em Lula

Posted by Pax em 14/08/2012

O midiático Roberto Jefferson, através de seu advogado, afirma que Lula não só sabia como ordenou o mensalão. Resta saber o que sobra da credibilidade do ex-deputado federal e onde quer chegar. Durante o aparecimento escândalo o próprio Jefferson afirmou à época que Lula nada sabia e que teria se sentido traído por quem tivesse praticado qualquer ação no sentido de comprar votos no Congresso.

O que motivou mais esta mudança? Quantas versões para o mesmo fato tem o “Ex-deputado, 58 anos, advogado, cantor amador e motociclista” como define seu blog?

Advogado de Roberto Jefferson diz que Lula ordenou mensalão

Daniella Jinkings – Repórter da Agência Brasil

Brasília – O advogado Luiz Francisco Corrêa Barbosa, defensor do ex-deputado federal Roberto Jefferson (PTB-RJ) no processo do mensalão disse hoje (13) que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva não só sabia, como ordenou o esquema de compra de votos no Congresso Nacional conhecido como mensalão. Segundo ele, ministros do governo da época e o PT pagavam para partidos votarem a favor de projetos de interesse do ex-presidente.

Para Barbosa, os projetos eram de interesse de Lula e não do governo, pois o ex-presidente era o único com legitimidade para enviar projetos de lei ao Congresso Nacional. “Não é de interesse do governo [os projetos de lei], governo é Leviatã. Vamos parar com esse negócio de governo, é interesse do presidente da República. […] Tudo isso aconteceu sob suas barbas e nada. Não só sabia como ordenou tudo isso “, diz Barbosa.

De acordo com o advogado, Roberto Jefferson procurou Lula para alertá-lo sobre o esquema do mensalão. Barbosa relatou ainda que Lula se mostrou surpreso e chegou a “lacrimejar” após ser informado da compra de votos. “O tempo passou e ainda nada [de tomar providências]”.

Barbosa também criticou a postura do procurador-geral da República de não incluir o nome de Lula na ação penal. “Não se pode afirmar a partir disso que o presidente fosse um pateta, um deficiente. [Lula] é safo, é doutor honoris causa. Aqueles ministros eram apenas executivos dele. Os auxiliares obedeceram o patrão e o patrão ficou de fora. O procurador-geral deixou [Lula] de fora [do processo]”

Durante a sustentação oral, Barbosa confirmou que Roberto Jefferson recebeu R$ 4 milhões do PT, no entanto, alegou que o valor foi usado nas eleições de 2004 e, não, para votar a favor do governo. De acordo com o advogado, foram acertados anteriormente R$ 20 milhões, mas Jefferson recebeu apenas R$ 4milhões. “As direções nacionais do PT e do PTB ajustaram apoio material por meio da transferência de recursos em dinheiro.”

Segundo o advogado, Jefferson não sabia se o dinheiro recebido tinha origem lícita ou ilícita. Barbosa disse ainda que o PT afirmou ter tomado empréstimos bancários nos bancos BMG e Rural para fazer o pagamento de deputados para garantir a aliança nas eleições. “Não há nada nos autos, a não ser sua própria palavra de que ele [Jefferson] recebeu. Isso é algum tipo de dissimulação? Não, isso é um arrombamento”.

De acordo com o Ministério Público Federal, o ex-deputado recebeu dinheiro do esquema operado por Marcos Valério em troca de apoio político do PTB ao governo. Além do dinheiro ao partido, ele próprio teria se beneficiado do esquema, ficando com milhares de reais. No processo, Jefferson responde pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

Anúncios

29 Respostas to “Roberto Jefferson cai atirando em Lula”

  1. Patriarca da Paciência said

    Eu continuo na maior curiosidade para ouvir os votos dos ministros do STF. Não o rosário que cada um vai desfiar por mil páginas, mas principalmente o final, aquilo
    que vem depois do “isto posto”.

    Continuo com a mesma idéia de que não foi apresentada uma única prova concreta contra o José Dirceu, portanto o tal mensalão, realmente como mensão, não existiu.

    Em caso de condenação, seria um precedente perigoso, “uma condenação por hipótese”.

    Afinal:

    Logo, para dar fundamento às palavras do procurador-geral Roberto Gurgel, só admitindo-se que José Dirceu “idealizou” tudo uns cinco anos antes do mensalão do PT. E, melhor ainda, que “idealizou” o “sistema ilícito” para beneficiar o PSDB de Eduardo Azeredo, hoje senador ainda peessedebista.

    Os votos dos ministros do Supremo não suscitam expectativa só por carregarem consigo a absolvição e a condenação, mas pela maneira como encarem as divergências perturbadoras entre acusação e defesas. ”
    (Janio de Freitas)

  2. Edu said

    Como é que nenhum ministro se manifestou? Ninguém se mexeu, ninguém fez uma pergunta sequer ao advogado!

    Eu acreditava que haviam instituições públicas decentes no Brasil. Eu acreditava que a lei e que o processo legal brasileiro era bem feito e bem zelado pelos ministros do STF.

    Mas esse julgamento do mensalão traz descrédito para a justiça brasileira como um todo:

    1 – A PF me pareceu leniente: investigaram de tudo um pouco, porém dá a impressão de que investigaram superficialmente.

    2 – Aparentemente os promotores deixaram brechas: a PF anuncia que havia muito mais provas do que as apresentadas pelos promotores. E como na dúvida a decisão é tomada em favor do réu, eu duvido que alguém sairá condenado.

    3 – Os ministros do STF também deixaram brechas:

    – Como é que os ministros do STF permitem que a opinião pública levante a bandeira do julgamento político? Isso deveria ter sido cortado de imediato, a postura deles deveria ter sido umas trinta vezes mais enérgica para sustentar a idoneidade da instituição da qual participam.

    – Como é que, diante de uma colocação como essa, que aparentemente foge ao tema, nenhum ministro se pronuncia? Nenhum ministro pergunta nada? Ninguém sequer perguntou aonde o advogado do Roberto Jefferson queria chegar! Isso não foi uma defesa, foi um discurso, um discurso desprovido de objetividade, um discurso que deu voltas retóricas e mal costuradas, que qualquer pessoa com um mínimo de criticidade e um mínimo de curiosidade teria cortado pela metade. Discurso um advogado deve fazer a um juri, e não aos juízes! Aliás, os juízes não deveriam sequer tolerar discursos.

    —X—

    Não estou defendendo ninguém, aliás nunca defendi o Lula porque nunca gostei dele, mas infelizmente, nesse caso não há o menor motivo para que os ministros do STF permitam esse tipo de comentário.

    Minha opinião é que ninguém é isento o suficiente. Ninguém está agindo pelo Brasil, isso que estamos vendo é um circo, porque todos lá dentro se conhecem, todos lá dentro possuem algum tipo de rabo preso.

    A separação de poderes em algum lugar da história foi para o vinagre.

    Se o próprio mensalão não prova isso, o expediente adotado pela instância máxima da justiça brasileira vem confirmando isso a todos os brasileiros.

  3. Pax said

    E o cara continua…

    http://www.blogdojefferson.com/mostranoticia.aspx?codNoticia=19421

  4. Pax said

    Situação do Policarpo Jr, Veja e Civita pode se complicar. Segungo o Kotscho o Dr Rosinha vai convocar o jornalista e o empresário.

    Bem, cá do ponto de vista deste blog, que a verdade seja exposta, custe o que custar.

    Segundo o Kotscho, segundo Leandro Fortes, a coisa fede um bocado.

    http://noticias.r7.com/blogs/ricardo-kotscho/2012/08/14/a-hora-da-verdade-da-sociedade-veja-cachoeira/

  5. Edu said

    De acordo.

  6. Olá!

    Hum, sei não, mas um partido e seus políticos que, após chegarem ao poder, ficaram extremamente hostis à liberdade de expressão e de imprensa e, agora, decidem chamar para depôr numa CPI pessoas que, até onde se sabe, nunca saquearam um mísero centavo que fosse dos cofres públicos e que contribuíram decisivamente para mostrar à sociedade a corrupção galopante que absorveu completamente o PT e os petistas, bom, isso soa estranho demais.

    E como é que o Dr. Rosinha se porta diante de casos verdadeiros de corrupção do seu próprio partido? Bom, deixemos o Dr. Rosinha explicar por si mesmo. Excerto:

    No sábado, 04 de agosto, acordei pensando em Eremildo. O que será que ele acha do julgamento do suposto “mensalão”? [. . .]

    Ou seja, para o Dr. Rosinha, o Mensalão não existe e nem existiu, sendo apenas um suposto esquema de corrupção e que, dada a hostilidade do seu partido e colegas petistas à imprensa, deve ter sido feito pelos grandes veículos de comunicação e as elites “golpistas” para derrubar o governo do povo, o Governo Lula.

    Na cabeça do Dr. Rosinha, o que o STF está atualmente julgando, o que a PF e o que o Procurador Geral da República investigaram não passa de uma fantasia criada por uma imprensa “golpista” e uma elite preconceituosa. Restaria perguntar a ele se também era “suposto” o carro-forte chamado para transportar apenas uma das parcelas da dinheirama que alimentou o Mensalão. Vai ver que, no mundo de ilusões e fantasias onde vive o Dr. Rosinha, o carro-forte não era, na realidade, um carro-forte, mas, sim, um carro cheio de sorvetes, doces, bolos e outras guloseimas que o PT iria distribuir entre os parlamentares para que estes votassem com o governo.

    Mais adiante no texto, o Dr. Rosinha resolve, para sustentar sua hipótese, se agarrar a um dos jornalistas da tal imprensa “golpista”:

    Busco novamente a luz de Janio de Freitas, dessa vez em “O julgamento da imprensa”, também na Folha, no dia 31 de julho. Segundo ele o “julgamento do mensalão pelo Supremo Tribunal Federal é desnecessário. Entre a insinuação mal disfarçada e a condenação explícita, a massa de reportagens e comentários lançados agora, sobre o mensalão, contém uma evidência condenatória que equivale à dispensa dos magistrados e das leis a que devem servir os seus saberes”.

    Ou seja, jornalista legal e imparcial é aquele que concorda com as hipóteses pré-concebidas de um partido e que têm por principal finalidade absolver notórios corruptos. Tivesse sido o Mensalão feito pelo PSDB sob as mesmíssimas condições em que foi feito pelo PT, o Dr. Rosinha e seus colegas de partido seriam os primeiros a pedir a condenação de todos.

    Isso que o Dr. Rosinha faz se chama vigarice intelectual. Ele defende que sejam chamadas para depôr em uma CPI pessoas que nunca roubaram um centavo que fosse dos cofres públicos e que, até onde se sabe, nunca mantiveram relações de corrupção fosse com quem fosse. Mas, ao mesmo tempo, o Dr. Rosinha faz o maior sapateado mental para safar pessoas que assaltaram aos montes o dinheiro do cidadão, chegando até mesmo ao ponto de negar a existência do esquema que permitiu tal falcatrua.

    Não dá, assim não dá.

    Quanto ao Ricardo Kotscho, esse tem lado e é um notório defensor das propostas petistas para limitar e censurar as liberdades de expressão e de imprensa. Foi um dos principais defensores da criação do tal Conselho Federal de Jornalismo que tornaria o país menos livre e dificultaria consideravelmente o combate à corrupção.

    Poxa, o Kotscho mostrar aquela edição manipulada de gravações para dar a entender que havia um conluio entre o jornalista e a sua fonte, não dá. E vale, aqui, ressaltar outro ponto importante: A Rede Record já deu mostras de que está extremamente disposta a se colocar sob as ordens de um partido, pois espera, com isso, obter suculentos retornos financeiros via dinheiro público.

    Vale lembrar também o tosco comportamento do Kotscho perante a Marcha Contra a Corrupção organizada por jovens através das redes sociais. Excerto:

    Eles não aprendem e não desistem. Derrotados três vezes nas eleições presidenciais, os valentes da fina flor paulistana foram de novo às ruas para protestar “contra tudo o que está aí”. Desta vez, o álibi foi a Marcha Contra a Corrupção organizada nas redes sociais em várias regiões do país.

    Qualquer pessoa com o mínimo de decência teria dado o seu apoio à uma causa tão nobre quanto o combate à corrupção. Mas não contem com o Kotscho caso a corrupção em questão seja petista, pois, neste caso, qualquer iniciativa nesse sentido vira um conluio armado pelas elites para derrubar o governo.

    E outra, muito convenientemente, o Kotscho não citou as Marchas realizadas em Brasília e que reuniram muito mais pessoas. É. . .

    Quanto ao tal de Leandro Fortes e o panfleto estatal onde trabalha, a Carta Capital, apenas digam uma coisa: Quantas vezes a Carta Capital publicou alguma reportagem mostrando as falcatruas do Governo Lula/Dlma? Se dependesse dessa gente, os mensaleiros não estariam sendo julgados pelo STF, os Aloprados jamais teriam sido pegos, o caso do caseiro Francenildo jamais teria vindo à tona e etc., etc., e etc.

    Se a Revista Veja, os seus executivos e jornalistas tiverem cometido algum crime, então, que paguem pelo o que fizeram. Mas jornalistas, uma revista panfletária e um canal de televisão que são partidários/defensores do atual governo e/ou possuem claros interesses em obter ganhos financeiros via dinheiro público virem dar uma de representantes do jornalismo imparcial e de excelência, não dá.

    Se por algum acaso essa gente vier a se tornar as principais fontes de informação do Brasil, esqueçam qualquer denúncia de corrupção contra o PT e os petistas. O posicionamento que essa gente mostra hoje é apenas uma diminuta amostra do que aconteceria caso essa gente tivesse alguma relevância e/ou comandasse algum veículo de imprensa com alguma relevância. Isto é: Essa gente iria muito voluntariamente se subordinar aos caprichos e às vontades de um partido nem que isso custasse esconder as verdades e os fatos. Eles já fazem isso ganhando migalhas, imaginem o que não fariam quando tivessem ao seu dispor quantias volumosas de dinheiro.

    Até!

    Marcelo

  7. Michelle - A Besta Desvairada said

    Marcelo

    Dr.Rosinha não merece o post q vc escreveu.
    Brilhante. Porém continua sendo “pérolas para porcos”
    idem Edu.br

    Vida longa e feliz!

  8. Pax said

    Ué, não entendi, caro Marcelo Augusto.

    Se a notícia tende a ser ruim para uma suposta imprensa podre, melhor matar o mensageiro?

    Não seria uma atitude de avestruz?

    Enviado via iPhone

  9. Olá!

    Pax, não há nada de atirar no mensageiro. A questão é outra:

    “Isso que o Dr. Rosinha faz se chama vigarice intelectual. Ele defende que sejam chamadas para depôr em uma CPI pessoas que nunca roubaram um centavo que fosse dos cofres públicos e que, até onde se sabe, nunca mantiveram relações de corrupção fosse com quem fosse. Mas, ao mesmo tempo, o Dr. Rosinha faz o maior sapateado mental para safar pessoas que assaltaram aos montes o dinheiro do cidadão, chegando até mesmo ao ponto de negar a existência do esquema que permitiu tal falcatrua.”

    Entendeu?

    E outra, se houvesse, de fato, evidências de que os Civita, a Revista Veja e seus jornalistas mantiveram relações promíscuas com as suas fontes, os membros da CPI do Cachoeira já teriam decidido chamá-los. Até o momento, pelo menos, não há essas evidências e não houve manifestações categóricas dos membros da CPI nesse sentido. Os únicos que clamaram para que os Civita fossem convocados foram as vertentes mais toscas dentro do PT e, como não poderia deixar de ser, os blogs e sites alugados pelo governo e que estão a serviço do PT.

    Se ficar comprovado que os Civita e sua revista cometeram algum tipo de crime, então, não há alternativa, só resta que a lei seja aplicada e as punições sejam rigorosas.

    Mas, Pax, dá uma relida no meu comentário anterior onde há a comparação de como agem gente como o Dr. Rosinha, o Kotscho, o Leandro Fortes e a Carta Capital quando a corrupção é do grupo que eles defendem/simpatizam e quando a corrupção é dos grupos que eles hostilizam. Veja se há, realmente, imparcialidade da parte dessa gente e se eles têm, de fato, algum compromisso no combate à corrupção e coisas tais.

    Até!

    Marcelo

  10. Patriarca da Paciência said

    “Estudos realizados pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj) e pela Universidade de Campinas (Unicamp) mostraram que o desempenho médio dos alunos que entraram na faculdade graças ao sistema de cotas é superior ao resultado alcançado pelos demais estudantes.

    O primeiro levantamento sobre o tema, feito na Uerj em 2003, indicou que 49% dos cotistas foram aprovados em todas as disciplinas no primeiro semestre do ano, contra 47% dos estudantes que ingressaram pelo sistema regular.

    No início de 2010, a universidade divulgou novo estudo, que constatou que, desde que foram instituídas as cotas, o índice de reprovações e a taxa de evasão totais permaneceram menores entre os beneficiados por políticas afirmativas.

    A Unicamp, ao avaliar o desempenho dos alunos no ano de 2005, constatou que a média dos cotistas foi melhor que a dos demais colegas em 31 dos 56 cursos. Entre os cursos que os cotistas se destacaram estava o de Medicina, um dos mais concorridos – a média dos que vieram de escola pública ficou em 7,9; a dos demais foi de 7,6.

    A mesma comparação, feita um ano depois, aumentou a vantagem: os egressos de escolas pública tiveram média melhor em 34 cursos. A principal dificuldade do grupo estava em disciplinas que envolvem matemática. ”

    http://esquerdopata.blogspot.com.br/2012/08/desempenho-de-cotistas-fica-acima-da.html

  11. Patriarca da Paciência said

    “Isso que o Dr. Rosinha faz se chama vigarice intelectual. Ele defende que sejam chamadas para depôr em uma CPI pessoas que nunca roubaram um centavo que fosse dos cofres públicos e que, até onde se sabe, nunca mantiveram relações de corrupção fosse com quem fosse.”

    Isto é o que se chama de verdadeira visão seletiva.

    É aquela mesma que se pode notar no Reinaldinho Cabeção, Augusto Boçal Canalha Nunes e outros.

    Ora dizer que a Veja nunca manteve relações de corrupção fosse com quem fosse?

    O Carlinhos Cachoeira foi editor chefe da Veja por um bom tempo!

    Desde que o dito cujo foi preso nunca mais apareceram aquelas matérias bombásticas da Veja contra gente do governo.

    Pura coincidência?

    Só para quem acredita em Papai Noel.

    E os milhões que a Abril recebe do governo e da prefeitura de São Paulo?

    Também é pura coincidência?

    Ora não me faça rir!

  12. Edu said

    Patriarca,

    Acho que vc está um pouco atrasado na discussão cara, retorne ao post anterior e leia atenamente a todos os comentários, os meus e os do Otto.

    Ao contrário da sua fonte blogueira, que na verdade é o Estado de S. Paulo, fonte que vc mesmo considera PIG, eu e o Otto apresentamos estudos realizados, os estudos realizados foram escrutinizados, analisados e as devidas restrições/observações foram esclarecidas.

    Obviamente, a repórter é uma daquelas jornalistas que faltou às aulas de estatística básica e metodologia de pesquisa, ela não leu nenhum estudo sequer com atenção para escrever a boçalidade que escreveu.

  13. Edu said

    Marcelo,

    Acho que vc fez observações perfeitas cara, mas se o Policarpo Jr. tem rabo preso mesmo e por qualquer motivo pode ser condenado, que seja condenado!

    Eu cansei de ver pizza cara. Se o Policarpo Jr. tiver que ser condenado pra mídia ficar mais enfurecida e acabar transformando seus jornalistas em detetives particulares para botar qualquer político à prova, ótimo! E se o PT e sua máquina de propaganda resolverem denunciar as falcatruas do PSDB, em retaliação da retaliação, melhor ainda!

    Obviamente vc já viu o filme Os Infiltrados, né? Pois é, eu gostaria de ver um fim igual àquele! hehe

  14. Edu said

    Michelle,

    Sou brasileiro e não desisto nunca! hehehehe

    Obtivemos alguns progressos afinal: agora há links para estudos, agora há análises baseadas em índices oficiais!

    Aos poucos vamos trazendo a discussão para uma mesma base: a base da racionalidade.

    Aí o bicho pega! hehe

  15. Jose Mario HRP said

    Porque sempre há o outro lado:
    http://mariafro.com/2012/08/11/quando-leitores-sentem-vergonha-alheia-de-jornalistas-noblat-e-o-foi-para-mim-os-xingamento/

  16. Jose Mario HRP said

    Começo a dar toda a razão ao Patriarca.
    Lendo tudo em que se baseia a denuncia de Gurgel contra os réus da 470 expos fiquei mais convicto ainda que o que houve foi nada mais que “forçar a barra” da vontade vingativa de Bob Jeff e dos velhos opositores anti PT de sempre!
    Golpe dissimulada é muito brando para se definir a armação toda.
    Mas quando vejo esse bando de falsos moralistas babando por sangue “tipo PP” sei que minhas convicções são as mais legitimas possiveis.
    E como li em algum blog dessa vida , O que seria de nós se José Serra Chirico tivesse ganhado a eleição em outubro/novembro de 2002?
    CALAFRIOS!!!!

  17. Jose Mario HRP said

    Será que alguém vai apurar isso ou a covardia contaminou a todos?????

  18. Jose Mario HRP said

    O que haveria a conversar entre o empregado de Cachoeira, sr. Jairo “o espião” e Policarpo da veja?
    O que justifica horas de conversas telefonicas entre a bandidagem e o Policarpo da veja?
    Normal?
    OK!
    Deve ser ok, certo?

  19. Pax said

    Caro Marcelo Augusto, acima, em #6 e #9,

    Não é uma questão de parcialidade ou imparcialidade, um pedido utópico quando falamos de políticos.

    A questão é se há ou não indícios de ligações entre Cachoeira, a Delta, o Policarpo Jr e a revista Veja. Simples assim. Esquece as fontes, atenha-se aos indícios, às gravações. Somente nisso.

    E aí permanece a pergunta: tem ou não tem que investigar?

    Não esqueça que este blog tenta não proteger quem quer que seja. Se há notícia, se está nos parâmetros que este blog se comprometeu desde seu início a seguir (vide Sobre o Blog), então, meu caro, todo mundo ou veste calça de veludo ou está com a bunda de fora.

  20. Edu said

    Po HRP,

    Segundo a Maria Frô, agora o Noblat tem que carregar um gravador e uma testemunha a tiracolo aonde quer que ele vá pra conseguir confirmar a notícia dele.

    Mas ela mesma, Maria Frô, blogueira, diz com a maior cara de pau do mundo:”Mas o que mais me espanta nesta história (tendo ela acontecido ou sendo invenção de Noblat) é a constatação do que se transformou essas colunas dos grande portais. Nelas o jornalista é a notícia, mesmo que a notícia pareça um relato de meninos de quinta série.”

    E os blogs tipo o do Rovai, Rodrigo Vianna, do Edu (xará que o Otto tanto gosta), são relatos oficiais, com gravações e testemunhas….

    E vc diz que isso te traz mais convicções?! Sobre o que HRP?! Sobre sua fé política?!

    Simples assim

    Ps: só pra vc entender, agora, segundo o Otto, quando alguém precisa ironizar alguma coisa, tem que escrever “simples assim”. Estou tentando usar a mesma linguagem que vcs para conseguir me comunicar.

  21. Patriarca da Paciência said

    Edu,

    eu considero três questões básicas para um raciocício válido, quais sejam, há fatos, há opiniões e há opiniões sobre fatos. Toda opinião é discutível e pode ser negada, já o fato pode ser discutido, mas nunca negado.

    Querer que um aluno de escola fundamental ou média, “concorra” com um aluno classe média ou alta, de escolas particulares, é o mesmo que querer que um atleta faminto e anêmico concorra com um atleta bem alimentado e bem treinado.

    Primeiro vamos oferecer boa alimentação e bom treinamento a todos, depois sim, estarão em condições de igualdade.

    Não sou a favor de cotas permanentes, tampouco o governo. Se não me engano, o sistema de cotas foi colocado para vigorar por 10 anos, ou seja, o tempo que o governo precisa para melhorar o ensino básico no Brasil.

  22. Edu said

    Pabriarca,

    Então vamos aos fatos:

    – Fato 1: as cotas estudadas são diferentes: há cotas raciais, cotas sociais. Muito diferente de simplesmente “cotas” como a jornalista disse.

    – Fato 2: As cotas raciais servem para negros, essas cotas raciais servem a negros pobres e negros ricos. O estudo apresentado pelo Otto ajuda a demonstrar isso e lá mesmo no estudo está apontado que a maior parte de quem se beneficia com essas cotas são de classe superior, ou seja, negros ricos.

    – Fato 3: Em nenhum estudo apontado a análise se baseia em: alunos oriundos de escolas públicas X alunos oriundos de escolas particulares; os estudos analisam apenas cotistas X não-cotistas, o que resulta na interpretação equivocada sobre o benefício do sistema de cotas.

    – Fato 4: O próprio ministério da educação está identificando o aumento no índice de evasão de alunos cotistas. Apesar de as causas reais não terem sido estudadas (por motivos óbvios, se não se consegue fazer nem um estudo isolando a variável social, como é que se fará um estudo identificando as causas reais da evasão), há suspeitas de que isso afeta principalmente os alunos cotistas oriundos de escolas públicas.

    Agora, baseado nos fatos, segue minhas opiniões:

    – Concordo contigo que uma certa quantidade de cotas cairia bem, dada a diferença de qualidade do ensino privado X ensino público atual.

    – Porém, o sistema de cotas não foi bem estudado: mistura 2 aspectos diferentes (raça e origem escolar), quando na verdade o objetivo é a classe social, ou seja, uma confusão danada.

    – Os critérios para “aceitar” um aluno como negro ou como de classe baixa não estão claros e, aparentemente, podem resultar em interferência na impessoalidade dos processos seletivos.

    – Em suma, foi uma decisão tomada populisticamente e já está produzindo efeitos negativos como o aumento do índice de evasão.

    – Para minimizar os problemas, acho que a proporção de cotas deveria ser diminuída, e os critérios devessem ser reavaliados, com a abolição de cotas raciais, que prejudicam ainda mais o efeito “social” das cotas.

    – Nem tinha pensado na questão da perenidade do sistema de cotas, mas nesse ponto, concordo totalmente contigo, o sistema de cotas deve ter um prazo determinado e não-prorrogável, de modo a obrigar os estados e municípios a fazerem a sua parte.

  23. Patriarca da Paciência said

    Edu,

    eu também não concordo que um aluno de classe média ou alta entre no sistema de cotas, apenas porque seja negro.

    Não sei como a medida colocou a questão, mas deve haver alguma salvaguarda.

    Enfim, tudo se resolve, desde que haja bom senso e boa vontade.

    Se esse ponto ainda não foi discutido, está mais que na hora de discutir.

  24. Jose Mario HRP said

    Edu, questão de ponto de vista!
    Nunca chegaremos ao mesmo resultado!

  25. Edu said

    Patriarca,

    Pois é, agora vejamos: a lei de cotas que faz essa confusão toda já foi praticamente aprovada e aguarda somente os ajustes da Dilma.

    Será que a Dilma devolverá o assunto para ser discutido?

    É nesse momento que a Dilma tem que ser gerente de verdade e apresentar a análise crítica dela.

    Vamos ver o que acontece.

  26. Edu said

    HRP,

    Vc está errado.

    Vc sabe o que determina um ponto de vista?

    As premissas pelas quais vc analisa uma situação e o método de análise envolvido.

    Vc tem razão nesse ponto: as nossas premissas e métodos de análise são bastante distintos.

    Eu analiso tendo como premissas as informações de diversas fontes, e fatos comprovados, e uso como método de análise a racionalidade.

    Vc analisa tendo como premissa qualquer idéia de esquerda que vc encontra em qualquer lugar, e usa como método de análise a distância que essa idéia está da direita política.

    E por que vc está errado?

    Porque, nesse caso específico, apesar da análise e do método serem diferentes, chegamos a um mesmo resultado.

  27. Edu said

    Agora sabemos de onde vem o exemplo de educação do Brasil:

    http://www1.folha.uol.com.br/esporte/1137715-comitiva-tenta-mas-protocolo-da-bandeira-olimpica-e-quebrado-novamente.shtml

  28. Pax said

    Off topic

    E aí, o que vcs acharam?

    http://clippingmp.planejamento.gov.br/cadastros/noticias/2012/8/16/dilma-privatiza-rodovias-e-ferrovias

    A priori gostei bastante. Principalmente por reativar as ferrovias nacionais.

  29. Pax said

    Opinião de O Globo que compartilho somente porque a corrupcão no Brasil supera todas as expectativas e ainda nos surpreende a cada dia.

    Educação e Corrupção: nossos gargalos muito à além da questão da infraestrutura. Acho eu.

    Enfim, vamos à opinião de O Globo sobre a questão das novas “privatizações” ou concessões.

    —-> no Clipping do Minist. do Planejamento: http://clippingmp.planejamento.gov.br/cadastros/noticias/2012/8/16/pacote-de-concessoes-supera-dogma-ideologico

    Pacote de concessões supera dogma ideológico
    O Globo – 16/08/2012

    Os problemas estruturais enfrentados pela economia nas últimas décadas – inflação aguda, endividamento público elevado, crédito internacional restrito etc. – afetaram profundamente a capacidade de investimento do país, em especial na infraestrutura, cujo horizonte é de longo prazo. Ainda na fase de superação destes problemas estruturais, para retomar investimentos, a economia brasileira teve que se apoiar na mobilização de grupos privados, nem sempre dentro de uma situação ideal, mas na que foi possível naquele momento. E com resultado positivo, pois, graças a privatizações e concessões de serviços públicos, passos foram dados e o país não parou.

    Esse modelo foi inicialmente rejeitado pelo governo Lula, com tal posição servindo até de bandeira no embate com seus adversários políticos. Felizmente, o dogma ideológico foi perdendo força, à medida que a infraestrutura se deteriorava, e terminou superado com a constatação do governo Dilma de que, sem a atuação do setor privado, o crescimento da economia continuará anêmico. Saber se é por meio de “privatizações” ou “licitações” não passa de dúvida semântica.

    É neste contexto que se coloca o pacote, anunciado ontem pela presidente Dilma, de concessões ao setor privado calculadas em R$ 133 bilhões ao longo de três décadas. O programa, para a ampliação de investimentos em transportes (espera-se, agora, que, além de rodovias e ferrovias, os demais segmentos do setor venham a ser contemplados), é, portanto, bem-vindo.

    Que a essência do programa mantenha um caráter pragmático, reconhecendo o papel fundamental do setor privado na alavancagem e execução dos investimentos, cabendo ao setor público a função de coordenação, planejamento, parceria e complementaridade. Função em que se espera uma qualidade gerencial ainda não demonstrada em Brasília.

    Não é de hoje que os especialistas em transportes defendem uma maior integração das modalidades de transportes. Os diferentes modais podem ser concorrentes entre si, mas em grande parte dos casos um ajuda o outro. Ferrovias e hidrovias certamente podem oferecer maior capacidade de transporte de granéis (minérios, grãos, combustíveis), mas seus traçados nem sempre vão até os pontos de carregamento e descarga. O caminhão possibilita a capilaridade do sistema.

    Então, ferrovias, rodovias, hidrovias, portos e aeroportos constituem, na verdade, uma mesma malha, que, para funcionar bem, precisa de coordenação, planejamento e condições que viabilizem investimentos. É uma tarefa para políticas públicas. A operação dessa malha, porém, se faz de maneira mais eficiente nas mãos de concessionários privados. Se formos mesmo por este caminho, a possibilidade de acerto será muito maior que a de erro. Ataca-se, assim, causa importante do chamado custo Brasil.

Faça seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: