políticAética

Notícias da Corrupção, Desvios, Anomalias, Eleições e Meio Ambiente

  • Sobre o blog

    Uma coletânea das notícias da corrupção, desvios, anomalias, eleições e meio ambiente que aparecem na mídia todos os dias a partir de agosto de 2008.
  • Categorias

  • Arquivos

  • Páginas

  • Meta

Vez e hora de Azeredo

Posted by Pax em 14/10/2012

O STF tem um débito que precisa ser pago com urgência. O julgamento do Mensalão do PSDB ou, caso queiram, o processo do Eduardo Azeredo, querido e protegido ex-presidente do partido.

A gênesis criminosa do esquema de desvios de dinheiro público e privado, articulada e operada pelos condenados Marcos Valério e sócios é criação de Azeredo, segundo o processo que não só repousa indigestamente no Supremo como é abandonado pela pauta da grande mídia.

A sociedade brasileira quer saber que fim será atribuído para a malvada Carminha da novela das 9, o tamanho das penas que os condenados do mensalão petista terão, se estes verão ou não o Sol nascer quadrado e quem ficará com o traído Tufão.

Mas este mesmo povo tem que ser informado que a origem desta bandidagem é mineira, tucana e disfarçadamente escondida nos principais veículos de comunicação.

O ministro Joaquim Barbosa brilha e se torna herói nacional. Zé Dirceu, Genoíno e Delúbio terão futuro político questionável, Marcos Valério e sócios devem puxar algum tempo em cana – assim espera o povo – mas a hora e a vez do criador do esquema criminoso tem que chegar.

A não ser que o STF queira sair do papel de mocinho e assumir o papel de vilão nacional.

Este débito precisa ser pago.

Anúncios

285 Respostas to “Vez e hora de Azeredo”

  1. Chesterton said

    Fuzila o Azedo.

  2. Pax said

    Precisa avisar ao PSDB. Azeredo é queridinho do tucanato nacional.

    Enviado via iPhone

  3. Michelle said

    1.Pode parar!

    O Pax (ou fulana ou sicrano, tanto me importa), como diria meu amigo lusitano, o Manoel, (Pax) andou tomando banho sem usar sabonete…ora, pois… o cheiro permanece.
    Agora quer cheirar pelo menos igual aos supostos membros do valerioduto mineiro. “Empatar foda” em linguagem chula.

    Pax ansioso pede a celeridade neste julgamento porque aparentemente, tem certeza e já julgou o Azeredo e o condenou.
    Mas o STF ainda não.
    Vamos aguardar o tal julgamento.
    Pau que bate em Chico bate em Francisco.
    A cada dia sua agonia, dizia minha mãe.
    Vivemos no presente. Pax vive no futuro.
    No futuro, se Azeredo errou e julgado culpado deverá ser condenado e até ver o sol nascer quadrado.
    Exatamente nas mesmas condições dos já condenados pelo STF Zé Dirceu e Zé Genoíno. Inapelavelmente.

    Assim é no Estado de Direito, que para informação dos presentes é diferente da vontade da maioria.Eleição não absolve ninguém. Paulo Maluf adorou ter sua mão beijada por lula nos jardins de sua mansão, na Rua Costa Rica -Jardim Europa.

    Pax parece tentar jogar merda nos outros pra parecer cheiroso.

    Caso Azeredo seja condenado prevalecerá a Teoria do Domínio do Fato nos julgamentos do STF e….
    aí a petralhada vai gritar contra a falta de prova, falta de atos de ofício, documentos assinados?
    julgamento de exceção? Pressão da mídia? Setores elitistas? Judicialismo da política?
    Outra bobagem qualquer?

    Façam suas apostas. hehehe

    2. Porém:

    1.O Presidente da República não pediu desculpas em rede nacional de TV e nem é acusado “de saber e dizer que não sabia”.
    2.O Presidente da República, em Paris, não banalizou o crime afirmando que se tratava de Caixa 2,crime de menor gravidade no Brasil.Teoricamente.
    3.O Presidente da República nunca afirmou que era um golpe conduzido por setores populistas e midiáticos, que tudo não passou de uma farsa e nunca tentou atrasar a data do julgamento para não casar com eleições.
    4. O ex-Presidente da República nem tentou, sem conseguir, chantagear um Ministro do Supremo. E depois se eximiu de comentar o assunto. O ex-Presidente da República não dá palpites no governo do atual Presidente da República.
    5. O ex- Presidente da República não se deixou fotografar beijando a mão de Paulo Maluf noss jardins de sua mansão, na Rua Costa Rica – Jardim Europa.
    6.O ex-Presidente da República não fugiu da raia. Covardemente. Não enfiou o rabo no meio das pernas e convocou terceiros para fazerem manifestos contra um suposto golpe pra derrubar um ex-presidente da república, como se isso tivesse algum sentido lógico pra pessoas acima de 12 anos de idade com inteligência normal.

    Perceberam a diferença?
    Pax percebeu a diferença? Eu duvido.
    Pax faz me lembrar Manoel, o meu amigo português. Ora pois.
    Para os petralhas é preferível viver fedendo do que morrer cheiroso
    Ora pois! seo Manoel.
    hehehe

  4. Michelle said

    Diferenças
    Estado de Direito

    Tem idiota aqui que acredita ser normal alguém atirar uma “bolinha de papel” num candidato a Presidente da República (ou hoje atirar café num Governador de estado, numa campanha pelas eleições).

    Se fosse numa campanha americana os atiradores seriam abatidos a tiros pela Polícia.

  5. Jose Mario HRP said

    Politica e Ética:
    o Brasil precisa se gostar!

  6. Patriarca da Paciência said

    “Tem idiota aqui que acredita ser normal alguém atirar uma “bolinha de papel” num candidato a Presidente da República (ou hoje atirar café num Governador de estado, numa campanha pelas eleições).

    Se fosse numa campanha americana os atiradores seriam abatidos a tiros pela Polícia.”

    É verdade!

    Lá nos Estados Unidos, os malucos pegam armas e saem atirando em todos que encontram pela frente!

    Principalmente colegas de aula e professores!

  7. Patriarca da Paciência said

    Pax,

    saiu um texto no blog 247 que mostra um ponto de vista bem parecido com aquele que você já vem mostrando faz muito tempo.

    “Depois de contar a trajetória do exílio – Dirceu deixou o País e depois retornou com outra identidade, voltando a ser quem era apenas ao final de 1979, com a anistia – o ex-parceiro relata que ele tirou o PT do atoleiro de seita fechada ou partido sindical quando presidiu o partido. “Mas, ao se abrir à sociedade, o PT assimilou os velhos vícios políticos, como vírus pelas veias”, afirma.

    “A degradação chegou ao próprio PT”, diz. “Na tragédia, o terrível é que a determinação de Zé Dirceu o tenha levado ao topo de tudo, como bode expiatório da degradação maior. Mas nem seu passado de coragem pode livrá-lo da parcela de culpa. O passado não está em julgamento nem serve de escudo ao presente”, conclui o autor”

    http://www.brasil247.com/pt/247/brasil/83048/Meu-amigo-Zé.htm.

    É, o que não é justo é que o Dirceu e o Genoino sejam bodes expiatórios.

    O problema é que a maioria não acredita que a coisa cointinue.

    Que a “jurisprudência” pegue.

    E o Serra e o FHC continuarão descaradamente a dizer que “mensalão é coisa do PT”.

    E os blogueiros da “óia” continuarão a dizer que são puros e honestos!

    Mas podem ter certeza de uma coisa.

    O povo brasileiro não é bobo!

    Também acho que, “ou o STF continua ou fica desmoralizado”.

  8. Jose Mario HRP said

    Veio a ação, agora a reação.
    É por isso que N juristas já condenaram os atos do STF, mas não digam depois que não foram avisados:
    http://esquerdopata.blogspot.com.br/2012/10/stf-sera-julgado-por-corte-internacional.html

  9. Patriarca da Paciência said

    Meu caro HRP,

    o trecho abaixo sintetiza tudo aquilo que vínhamos tentando dizer:

    Pedro Paulo Me­deiros (especialista em Direito Penal) – “Qual­quer juiz de pri­meira ins­tância se sen­tirá ava­li­zado para tomar de­ci­sões idên­ticas, des­res­pei­tando ga­ran­tias cons­ti­tu­ci­o­nais e pra­ti­cando in­qui­si­ções à von­tade. Nos rin­cões, com pes­soas sim­ples, ad­vo­gados sim­ples vão so­frer hor­rores nas mãos de in­qui­si­dores com o poder da ca­neta para sen­ten­ciar. Juízes vão se sentir muito à von­tade para julgar na base do “ouvi dizer”. Ima­gine só que terror não será uma si­tu­ação assim! O Su­premo está cri­ando um pa­ra­digma pe­ri­go­sís­simo ao julgar por in­dí­cios e con­denar. As pes­soas estão achando muito bom isso agora, porque o STF está jul­gando o rico, bo­nito e fa­moso dis­tante, o bem si­tuado. O dia em que isso co­meçar a acon­tecer na casa delas, verão o monstro que cri­aram e que se tornou in­con­tro­lável. Na época do re­gime mi­litar, da di­ta­dura dos mi­li­tares, eles pren­diam as pes­soas, tor­tu­ravam e as dei­xavam in­co­mu­ni­cá­veis, e achavam que es­tavam agindo dentro da le­ga­li­dade e da le­gi­ti­mi­dade, com toda a na­tu­ra­li­dade pos­sível, dentro da mais per­feita jus­tiça. Ti­nham seus fun­da­mentos para prender sem fun­da­mento, para julgar por “ouvir dizer” e para con­denar sem provas, tudo muito pró­ximo do que está sendo feito nesse pro­cesso do men­salão. Ter­mi­nan­te­mente, as provas pro­du­zidas pe­rante o Su­premo Tri­bunal Fe­deral sob o con­tra­di­tório não com­provam as acu­sa­ções.”

  10. Chesterton said

    Bobagem, em país sério por muito menos gente graúda está em cana.

  11. Chesterton said

    Pode até ser que o mensalão não impeça o PT de vencer a eleição para a Prefeitura de São Paulo, como indicam as primeiras pesquisas, mas me parece inegável que o partido sofrerá a médio prazo as consequências de seu desprezo pelas regras éticas na política. O PT nasceu defendendo justamente uma nova maneira de fazer política, e foi assim que chegou ao Poder, mesmo que no período anterior à eleição de 2002 já estivesse envolvido em diversas situações nebulosas nas prefeituras que vinha governando, especialmente no interior de São Paulo.
    Os assassinatos de Celso Daniel, Prefeito de Santo André, e Toninho do PT, Prefeito Campinas, são dois exemplos da gravidade dos problemas que envolviam o PT já antes de chegar ao poder central do país, com irregularidades em serviços como a coleta de lixo e distribuição de propinas para financiamento de eleições.
    Quando o escândalo do mensalão eclodiu, em 2005, dois dos fundadores do PT, o cientista político César Benjamin e o economista Paulo de Tarso Venceslau revelaram os bastidores da luta de poder dentro do partido nos anos 90 do século passado, ocasião que eles identificam como o “ovo da serpente” no qual teria sido gestado esse projeto de poder que acabou desaguando nas práticas de corrupção, aprofundadas quando o partido chegou ao governo federal.
    Coordenador da campanha de Lula a presidente em 1989, o cientista político César Benjamin garantiu que “o que está aparecendo agora é uma prática sistêmica que tem pelo menos 15 anos no âmbito do PT, da CUT e da esquerda em geral. Nesse ponto, a responsabilidade do presidente Lula e do ex-ministro José Dirceu é enorme”.
    O episódio do mensalão seria o desdobramento de uma série de práticas que começaram na gestão do FAT (Fundo de Amparo ao Trabalhador) no fim dos anos 90, quando Delúbio Soares foi nomeado representante da CUT na gestão do FAT. Esse tipo de prática, segundo César Benjamin, deu “ao grupo do Lula” uma arma nova na luta interna da esquerda. O esquema de Marcos Valério foi apenas um upgrade na prática de desvio de verbas públicas para financiar campanhas eleitorais.
    “Esse esquema pessoal do Lula começou a gerenciar quantidades crescentes de recursos, e isso foi um fator decisivo para que o grupo político do Lula pudesse obter a hegemonia dentro do PT e da CUT”, garantiu Benjamin.
    Paulo de Tarso Venceslau, companheiro de exílio do ex-ministro José Dirceu, foi expulso no começo de 1998 depois de denunciar um esquema de arrecadação de dinheiro junto a prefeituras do PT organizado pelo advogado Roberto Teixeira, compadre do presidente Lula, na casa de quem morou durante anos.
    Um relatório de investigação interna do PT, assinado por Hélio Bicudo, José Eduardo Cardozo, hoje ministro da Justiça do governo Dilma, e Paul Singer concluiu pela culpa de Roberto Teixeira, mas quem acabou expulso do partido foi Paulo de Tarso Venceslau.
    Ele identifica esse episódio como o momento em que “Lula se consolida como caudilho e o partido se ajoelha diante dele”. Para ele, “o poder do Lula passou a ser quase que absoluto diante da máquina partidária. Um caudilho com esse poder, um partido de joelhos e um executor como o Zé Dirceu, só podia levar a isso que estamos vendo hoje”, garante Venceslau. S
    Segundo ele, na entrevista daquela ocasião, “evidentemente que Lula não operava, assim como não está operando hoje, mas como ele sabia naquela época, ele sabe hoje, sempre soube”.
    A reação do PT ao julgamento do mensalão tem obedecido a uma oscilação que depende dos interesses políticos do partido. Da reação inicial de depressão e pedido de desculpas à afirmação de que o mensalão não passava de caixa 2 eleitoral, o então presidente recuperou forças para se reeleger.
    A partir daí, o mensalão passou a ser “uma farsa”. Agora, que o esquema foi todo revelado à opinião pública, o PT diz que o julgamento é um golpe dos setores reacionários do país contra um governo popular. O que importa é vencer a eleição no segundo turno em São Paulo, comanda José Dirceu, como sempre comandou. O mensalão não terá a menor influência no eleitorado, diz o imediatista Lula, que pensa na próxima eleição sem pensar na próxima geração.
    Os ensinamentos que o episódio poderia proporcionar ao partido, permitindo que recuperasse o rumo que, pelo menos em teoria, era o seu quando da sua fundação, vai sendo engolido pelo pragmatismo que levou o PT onde está hoje: no poder, mas em marcha batida para se transformar em mais uma legenda vulgarizada pela banalização da política.

    revista Época

    Chest- antes de Lula e o Dirceu comprarem o Congresso Nacional compraram o próprio PT…

  12. Otto said

    Chesterton #10:

    ninguém está preso nos EUA por conta das falcatruas que resultaram na quebradeira de 2008.

    Vc, viu “Inside Job”?

    “Baseado em uma extensa pesquisa e séries de entrevistas com políticos, economistas e jornalistas, o filme revela as corrosivas relações de governantes, agentes reguladores e a Academia. “Inside Job” expõe também uma teia de mentiras e condutas criminosas que prejudicaram seriamente a vida de milhões de pessoas, principalmente por conta de cobiça, cinismo e mentiras.”

    http://exame.abril.com.br/mercados/noticias/documentario-inside-job-escancara-os-podres-de-wall-street

    O único país que prendeu banqueiros foi a Islândia, deu um chute no ideário da austeridade e já saiu da crise.

  13. Otto said

    Serra é pego na mentira outra vez:

    http://osamigosdopresidentelula.blogspot.com.br/2012/10/jose-serra-e-o-pai-do-kit-gay-e-foi-o.html

  14. Otto said

    A Folha está desembarcando da campanha do Serra.

    Vocês repararam que faz tempo não sai DataFolha em São Paulo?

    Se agarrar ao Serra agora é abraço de afogado.

  15. Otto said

    Sera pego na mentira outra vez:

    “José Serra passou a vida toda falando que foi pobre e estudou em escola pública.Pois na sexta-feira ele desmentiu a si mesmo.
    Ao participar de uma missa católica, o tucano contou que estudou em colégio Salesiano quando criança. A escola católica é um instituto privado.”

    http://osamigosdopresidentelula.blogspot.com.br/2012/10/serra-pego-na-mentira-viveu-falando-que.html

  16. Otto said

    “Tucano abre horário eleitoral gratuito na tevê para interpretar situações de mais de dez anos atrás, na gestão de Marta Suplicy, e bater na tecla das falhas do Enem; José Serra disse que gestão de prefeito Gilberto Kassab é exemplar em relação a creches, apesar do déficit de mais de 100 mil vagas; Fernando Haddad exibiu apoio de Gabriel Chalita e programa de incentivos fiscais para empresas se instalarem na periferia da cidade; um vê a eleição pelo retrovisor, outro acende os faróis para enxergar mais longe.”

    http://www.brasil247.com/pt/247/sp247/83109/Na-TV-Serra-chafurda-o-passado-e-Haddad-prop%C3%B5e.htm

  17. Otto said

    Edu, veja por que o PSB não será novo cavalo de troia da direita:

    http://www.brasil247.com/pt/247/poder/83101/A-direita-n%C3%A3o-vai-nos-usar.htm

  18. Michelle said

  19. Michelle said

    Vale a pena ver de novo:

  20. Otto said

    Olha, Pax, o que eu vinha falando:

    Hélmiton Prateado, jornal Diário da Manhã, de Goiânia_ O advogado Pedro Paulo Guerra de Medeiros diz que o julgamento da Ação Penal 470, popularmente chamada de mensalão, está sendo uma sucessão de problemas causados pelos ministros e que de-verá ser a origem de um constrangimento para o Brasil. “É praticamente certo que esse julgamento será levado a organismos internacionais, como a Corte Interamericana de Direitos Humanos, pela forma arbitrária como está se processando esse jul-gamento”, explicou.

    Pedro Paulo é especialista em Direito Penal, conselheiro da OAB-GO e professor universitário. Em entrevista ao DM, ele detalha os principais pontos de discórdia sobre o julgamento e o que deverá ser objeto de questionamento em uma corte internacional para rever as possíveis condenações.

    “Alguns pontos não respeitados pelos ministros do Supremo Tribunal Federal estão colocando em grave perigo o estado democrático de direito, situação que não podemos permitir, pois a democracia é um valor muito caro para a sociedade brasileira. O direito a uma revisão do julgamento e o princípio do juiz natural são alguns desses quesitos que estão sendo afrontados pelos eminentes componentes do STF”, frisa.

    Para o advogado, a forma deste processamento está se assemelhando a um tribunal de exceção ou mesmo aos julgamentos da inquisição, o que tira o caráter democrático da mais alta Corte do País. “Precisamos impedir violações, sob pena de criarmos um monstro incontrolável que se voltará contra nós no futuro.”

    Diário da Manhã – O julgamento do mensalão é passível de ser revisto?

    Pedro Paulo Medeiros – Sim, por certo que deverá ser. Esse julgamento, assim como qualquer ato de poder público do Estado brasileiro, pode ser submetido à Corte Interamericana de Direitos Humanos se existir alguma nuance a caracterizar que esse ato afronta a Convenção Americana de Direitos Humanos. Essa convenção é um tratado internacional de direitos humanos, da qual o Brasil é signatário. De forma soberana, o Brasil aderiu a esse tratado e se comprometeu a cumpri-lo. Dessa forma, algumas premissas são de cumprimento obrigatório e estão sendo violadas nesse julgamento.

    DM – De forma mais direta, quais são essas violações?

    Pedro Paulo Medeiros – Neste caso concreto, o Supremo Tribunal Federal está julgando e condenando acusados. Nós, advogados, entendemos que está afrontando a Convenção Americana em alguns pontos bem claros. O primeiro é que está se dando um julgamento parcial, pois o mesmo juiz que colheu as provas na fase de inquérito, ministro Joaquim Barbosa, é o mesmo juiz que está agora julgando. Isso é muito próximo do que víamos na inquisição, até porque também não está estabelecido o contraditório. Outro ponto crucial nesse julgamento é a inexistência de um duplo grau de jurisdição. Esse princípio reza que o cidadão tenha sempre o direito de recorrer a uma instância acima quanto à sua eventual condenação. Como já estão sendo julgados pelo mais alto Tribunal do País, esses acusados não terão direito à revisão de seu caso, como se os ministros do STF fossem infalíveis e seus atos sejam de forma dogmática irrecorríveis.

    DM – Esta convenção prevê possibilidade de recurso?

    Pedro Paulo Medeiros – Justamente nesse ponto, está havendo a mais grave agressão. A Convenção Americana de Direitos Humanos estabelece que em casos de julgamentos criminais o indivíduo terá sempre direito de recorrer a alguma instância superior, o que não existe no Brasil. Em resumo, os acusados que forem condenados no STF têm o direito previsto na convenção de recurso de revisão para seus casos e não há previsão no ordenamento brasileiro para isso. Dois casos semelhantes já foram levados à Corte, e neles a Corte admitiu que houve violações e determinou que fossem corrigidas as distorções. No caso Las Palmeras, a Corte Interamericana mandou processar novamente um determinado réu (na Colômbia), porque o juiz do processo era o mesmo que o tinha investigado anteriormente. Uma mesma pessoa não pode ocupar esses dois polos, ou seja, não pode ser investigador e julgador no mesmo processo, sob pena de repetirmos a inquisição e o regime militar autoritário que há pouco nos cerceava os direitos mais simples. No caso Barreto Leiva contra Venezuela, se depreende precedente indicativo de que o julgamento da Ação Penal 470 no STF poderá ser revisado para se conferir o duplo grau de jurisdição para todos os réus, incluindo-se os que gozam de foro especial por prerrogativa de função. Além da violação ao princípio do juiz natural, que é um direito previsto na convenção americana de o cidadão não ser julgado por juiz que não tenha competência expressa para fazê-lo.

    DM – Caso a Corte Americana julgue contra o STF, qual é o resultado prático?

    Pedro Paulo Medeiros – A Corte prolata uma decisão para o Brasil para que o Supremo cumpra o que foi pactuado na convenção. O Brasil tem de cumprir de bom grado, corrigindo as distorções, ou sofrerá sanções internacionais, como embargos, e estará dando uma demonstração para a comunidade internacional de que não cumpre normas que ele mesmo prega: respeito e cumprimento. Não se pode conceber que o Brasil tenha esta postura, principalmente quando quer ser ator de primeira grandeza no cenário internacional, inclusive postulando um assento permanente no Conselho de Segurança da ONU.

    DM – Há opiniões sobre a falta de contraditório no processo. Isso procede?

    Pedro Paulo Medeiros – Sim, esse é um dos argumentos dos defensores. Basta prestar atenção nos votos dos ministros que condenam os envolvidos. Eles estão aceitando indícios como provas e elementos colhidos fora do processo, como dados da Comissão Parlamentar de Inquérito dos Correios ou mesmo durante o inquérito. Está patente que esses elementos não passaram pelo contraditório e pela ampla defesa. É regra no direito brasileiro que, remonta a toda a doutrina jurídica, que só se pode utilizar elementos colhidos em juízo, com a presença de advogados, de membros do Ministério Público e com a garantia do amplo direito de defesa e do magno contraditório, como está preconizado na Constituição Federal e que a democracia brasileira ainda mantém como soberana. São preceitos inabaláveis, que também estão contidos na Convenção Americana de Direitos Humanos e que, portanto, devem ser levados à apreciação da Corte Interamericana.

    DM – O Supremo está fugindo à sua tradição e fazendo um julgamento mais político que jurídico?

    Pedro Paulo Medeiros – Acredito que o Supremo está transpondo sua jurisprudência de décadas, que era absolutamente libertária, constitucional e garantista. Estão fazendo um julgamento diferente do que foi feito em décadas, muito mais duro, julgando por indícios, sem provas juntadas aos autos e atropelando preceitos constitucionais. Espero que seja o único e que isso não se repita, mas de que isso vai virar um precedente muito perigoso, não temos dúvida.

    DM – Qual o efeito posterior a isso?

    Pedro Paulo Medeiros – Qualquer juiz de primeira instância se sentirá avalizado para tomar decisões idênticas, desrespeitando garantias constitucionais e praticando inquisições à vontade. Nos rincões, com pessoas simples, advogados simples vão sofrer horrores nas mãos de inquisidores com o poder da caneta para sentenciar. Juízes vão se sentir muito à vontade para julgar na base do “ouvi dizer”. Imagine só que terror não será uma situação assim! O Supremo está criando um paradigma perigosíssimo ao julgar por indícios e condenar. As pessoas estão achando muito bom isso agora, porque o STF está julgando o rico, bonito e famoso distante, o bem situado. O dia em que isso começar a acontecer na casa delas, verão o monstro que criaram e que se tornou incontrolável. Na época do regime militar, da ditadura dos militares, eles prendiam as pessoas, torturavam e as deixavam incomunicáveis, e achavam que estavam agindo dentro da legalidade e da legitimidade, com toda a naturalidade possível, dentro da mais perfeita justiça. Tinham seus fundamentos para prender sem fundamento, para julgar por “ouvir dizer” e para condenar sem provas, tudo muito próximo do que está sendo feito nesse processo do mensalão. Terminantemente, as provas produzidas perante o Supremo Tribunal Federal sob o contraditório não comprovam as acusações.

    http://www.brasil247.com/pt/247/goias247/83103/STF-ser%C3%A1-julgado-por-corte-internacional-diz-jurista-Mensal%C3%A3o-corte-interamericana-exce%C3%A7%C3%A3o-julgamento.htm

  21. Pedro said

    Faz tempo que o Brasil é condenado por desrespeito aos direitos humanos, e nunca aconteceu embargo nenhum.

    Esta choradeira é tola e inútil.

    Como dizem o Pax e o Edu, se querem fazer alguma coisa, que pressionem para que aconteça o julgamento da mensalão mineiro.

    Quem sabe não vemos mais alguns espertalhões na cadeia.

  22. Otto said

    Essa doeu!

    OS POBRES E O INSTITUTO MILLENIUM

    Paulo Nogueira

    Não conhecia o Instituto Millennium.

    Depois de conhecer, concluí imediatamente que poderia ter continuado a não conhecer.

    É o triunfo do arquiconservadorismo nacional. Naveguei pelo site, e vi basicamente uma duplicação desinspirada do que você já vê na grande mídia brasileira: as mesmas pessoas, os mesmos articulistas, as mesmas ideias, o mesmo nhenhenhém.

    E a mesma desconexão com o mundo moderno.

    Vejamos o que o Millennium tem a dizer sobre o tema mais importante da agenda dos líderes globais: a questão da desigualdade social.

    Nada. Simplesmente nada. É como se isso não existisse no Brasil. A história está abarrotada de situações em que a extrema desigualdade levou ao caos social, ou a revoluções. Mas para o Millennium isto não é um problema brasileiro.

    Vejamos.

    A desigualdade é o tema de uma reportagem especial desta semana da excelente revista The Economist, conservadora como o Millennium – mas com a diferença de que é competente, lúcida e persuasiva na defesa de seu ideário.

    A Economist afirma, com razão, que o movimento Ocupe Wall St trouxe a desigualdade para a mesa dos debates mundiais. Nos Estados Unidos, ela está no centro da campanha de Obama para derrotar Romney e ganhar uma nova temporada na Casa Branca.

    Nos últimos 30 anos, escreve a Economist, uma “dramática” concentração de renda nos Estados Unidos remeteu a uma situação “parecida ou pior” do que a que marcou a infame “Gilded Age” do começo do século 20. Foi a era dos “barões ladrões”, como passaram para a história magnatas americanos como os Vanderbilts, e da miséria para a maior parte da sociedade.

    Biltmore, a casa de George Vanderbilt II com 250 quartos
    Foi um tempo de extravagâncias chocantes. George Vanderbilt II, por exemplo, ergueu ao longo de seis anos na Carolina do Norte a Biltmore, uma mansão de 250 quartos na qual trabalharam 1000 pedreiros. Passados cem anos, a casa de Bill Gates em Seattle não faz feio diante de Biltmore.

    A fatia da riqueza nacional das 16 000 famílias mais ricas dos Estados Unidos – 0,01% — quadruplicou nas três últimas décadas. “A ampliação da desigualdade começa a preocupar até os plutocratas”, afirma Economist.

    Não os nossos, aparentemente. Ou não, pelo menos, os agrupados no Millennium. Eles parecem ignorar que, quanto menos desigual uma sociedade, menores as chances de radicalismos ou extremismos florescerem.

    A despeito dos avanços recentes, o Brasil tem uma iniquidade pavorosa. No mundo da economia, há uma medição para isso, o chamado Coeficiente Gini. Os países escandinavos, como sempre, são os que aparecem no topo dos lugares em que a distribuição de renda é boa.

    O Brasil é um dos últimos colocados. Tem disputado com a África do Sul a duvidosa honra de ser o primeiro da relação dos iníquos.

    Segundo números do Banco Mundial, os 20% mais ricos do Brasil concentram 43,3% da riqueza nacional. Os 20% mais pobres têm 2,9%.

    O Millennium se bate por esse status quo. Brotam de lá as habituais ladadinhas em relação ao excesso de impostos do Brasil. Isso lembra a pregação cínica de Romney, um especialista em achar maneiras de evadir impostos – com o assim chamado planejamento fiscal, uma arte disseminada entre a plutocracia brasileira. (A Receita cobra na Justiça uma dívida de 2,6 bilhões de reais da Globo, presentíssima no Millennium pelo acionista João Roberto Marinho e mais os colunistas de sempre.)

    O Millennium defende um mundo velho, feito de privilégios – e é por isso que não influencia e não comove os brasileiros.

    http://www.diariodocentrodomundo.com.br/?p=13251

  23. Otto said

    Pedro #21:

    acontece que o réus do mensalão tucano, caso condenados, poderão recorrer à segunda e terceira instância, já que o processo foi desmembrado.

    E não haverá este circo armado pela mídia — ou então você acredita em papai-noel.

  24. Otto said

    Viram esta?

    “É possível que a quantidade de pedidos de autógrafos e paradinhas para fotografias diminua em relação ao ministro Joaquim Barbosa. O relator da Ação Penal 470, afinal, fez no início da tarde de hoje o que dele não se esperava. Para absolver o réu confesso Duda Mendonça da acusação de lavagem de dinheiro e evasão de divisas referentes a cinco saques no Banco Rural, Barbosa usou como argumento central a tese de que o acusado não conhecia “os fatos antecedentes”, para a primeira acusação, e o de que ele não remeteu para o exterior mais do que o permitido pelo Banco Central sem necessidade de informação oficial. Ateve-se, assim, ao rigor da legislação.

    O que já se estranha nos meios jurídicos e políticos é a mudança de postura de Barbosa. Até a semana passada, quando pontificava sobre o núcleo político, o relator lançou mão de teses polêmicas no mundo do Direito, como a do domínio do fato, para condenar, sem nenhuma prova concreta (flagrante delito, áudio, vídeo ou até mesmo depoimento acusatório, à exceção do delator Roberto Jefferson), o chamado “núcleo político” da AP 470. Agora, porém, com base na ausência de provas, e sem apelar para o “domínio do fato”, mas, ao contrário, questionando como Duda Mendonça e sua então sócia Zilmar Fernandes poderiam saber que estavam em meio a uma ação criminosa.

    Se até aqui a postura de Barbosa, bem ao gosto da classe média, foi a de um xerife implacável, hoje sua estrela perdeu grande parte do brilho que havia adquirido.”

    http://www.brasil247.com/pt/247/brasil/83137/Ira-e-rigor-de-Barbosa-s%C3%A3o-instrumentos-seletivos-Ira-rigor-Barbosa-s%C3%A3o-instrumentos-seletivos.htm

  25. Pedro said

    Otto, vc diz que a turma do saque na boca do caixa é honesta, e sou eu que acredito em papai noel? Putz, ou vc é tapado ou aspone de algum deles.

    A diferença de tratamento da mídia, em parte é porque o mensalão do PSDB é de ambito regional e o mensalão do PT é nacional.
    Lógico que o segundo tem mais destaque.
    Por aqui no estado também acontecem um monte de falcatruas que não repercutem em nível nacional.

    Simples assim (copyright Edu)

  26. Chesterton said

    Cotas para negros em concursos públicos
    No dia 28 de março de 2010 escrevi o post abaixo. Ele terminava com a seguinte pergunta: “Para finalizar uma pergunta: o que vem depois de cotas na universidade? Será que em breve teremos cotas raciais em concursos públicos?”.

    Como sempre, muitos me chamaram de alarmista, de só falar besteira… o que tais pessoas não entendem é que, em todo lugar do mundo onde foi implementado, o sistema de ações afirmativas sempre se diz LOCALIZADO e TRANSITÓRIO. Mas, nunca fica apenas localizado (sempre se expande) e de transitório torna-se permanente…

    Clique aqui para ver a idéia do governo de criar cotas para negros em concursos públicos.

    Uma Mentira Contada sobre o Sistema de Cotas Raciais

    Tenho visto algumas pessoas comentando um estudo que mostra que, na Universidade de Brasília, os alunos cotistas tinham desempenho superior aos não cotistas numa ampla gama de cursos (tal estudo foi inclusive publicado na capa do Correio Braziliense de Domingo de meses atrás). Quando li este estudo, mandei uma mensagem ao Correio Braziliense dizendo que tal estudo estava metodologicamente equivocado.

    A imprensa, e boa parte de acadêmicos, esta ansiosa para noticiar que o sistema de cotas raciais funciona. Na busca pela aceitação do sistema de cotas, estudos favoráveis são amplamente divulgados sem receberem a devida atenção metodológica. Uma das críticas ao sistema de cotas é que os indivíduos que entram por meio de cotas não seriam capazes de acompanhar o ritmo da turma. Dessa maneira, o estudo realizado na UnB, mostrando que os cotistas se saiam melhor nas provas do que os não-cotistas, é uma importante defesa do sistema de cotas. Infelizmente, para os defensores das cotas, existe um problema metodológico com esse estudo.

    O estudo compara a nota média dos alunos que entraram pelo sistema de cotas (numa série de matérias) com a média obtida pelos alunos não-cotistas. O estudo mostra que, após entrarem na UnB, os alunos cotistas tinham média superior aos não-cotistas. Esse procedimento está equivocado. Ele apenas mostra que a média dos alunos que entraram por cotas é superior a dos demais alunos. Essa média NÃO PODE ser usada para se defender a adoção de cotas. Se você quer usar a nota média para dizer que cotas funcionam, o procedimento correto é diferente: você deve comparar a nota média dos alunos que entraram pelo sistema de cotas MAS QUE NÃO ENTRARIAM caso não houvesse cotas com a média dos demais alunos. Isto é, você deve RETIRAR da amostra de alunos cotistas os alunos cotistas que teriam entrado na UnB independente do sistema de cotas (tais alunos devem ser incluídos no grupo de comparação).

    Esse erro de coleta e separação da amostra geralmente passa despercebido pela imprensa. Mas não deveria ser estranho a pessoas acostumados com o uso mais rigoroso da estatística. A rigor, o estudo favorável ao sistema de cotas mais difundido no mundo é o livro “The Shape of the River”. Onde os reitores de Princeton e Harvard usam dados dessas universidades para mostrar que o sistema de ações afirmativas (cotas) funciona. Este estudo tem apenas um pequeno defeito: os reitores se RECUSAM a entregar os dados para que pesquisadores independentes possam replicar os resultados. Desnecessário dizer que tal tipo de evidência tem muita pouca validade científica. Seja em Harvard, em Princeton, ou na UnB, a discussão sobre cotas é muito mais política do que científica. Se você quer estudar o sistema de ações afirmativas a fundo a referência básica é o livro de Thomas Sowell “Ação Afirmativa ao Redor do Mundo: Evidência Empírica”.

    Para finalizar uma pergunta: o que vem depois de cotas na universidade? Será que em breve teremos cotas raciais em concursos públicos?
    POSTADO POR BLOG DO ADOLFO SACHIDA

    chest- alha aí, pax, mais um acerto do Adolfo.

  27. Michelle said

    O Tribunal de Exceção (STF) segundo o PT, acaba de absolver por insuficiência de provas ou falha na acusação os réus Duda Mendonça e Zilmar Fernandes.

    Ué não era Tribunal de Exceção? Agora não é mais?
    Mas se condenar Zé Dirceu como chefe da organização criminosa….voltará a ser.
    Aposto uma garrafa de Romané Conti no Antiquarius hehehe
    Alguém topa?

  28. Zbigniew said

    E por falar em ENEM (esse Haddad, sei nao).. quem diria, hein?! (rsrsrsrs)

    Da Redação
    A Justiça Federal determinou que o consórcio formado pela gráfica Plural do grupo Folha, que edita o jornal Folha de São Paulo, terá que pagar ao governo R$ 73,4 milhões, em função do vazamento da prova do ENEM em 2009.
    O valor deverá ser pago ao INEP (Instituo Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais). O ressarcimento serve para indenizar o INEP que na época precisou contrata emergencialmente enditades para repetir a aplicação da prova.

    http://sul21.com.br/jornal/2012/10/grafica-da-folha-de-sao-paulo-que-vazou-enem-e-condenada-pela-justica-a-indenizar-o-governo/

  29. Michelle said

    Monica Bérgamo pega na mentira tem seu artigo retirado da FSP.
    Quanto a Haddad vejam a Dilma mandando o MEC parar:

  30. Otto said

    Pedro,

    eu não falei que a turma da boca no saque é honesta. Acho que houve crime, sim. Caixa 2. Mas não pagamento de mesadas pra votar com o governo. Isto não foi provado.

    Mas o que eu quis dizer mesmo é enquanto alguns são julgados diretamente na última instância, outros terão direito a recorrer uma ou duas vezes. Muito igualitário.

    Quanto ao mensalão tucano, o próprio Azeredo disse que arrecadou para a campanha da reeleição de FHC. Então o troço foi nacional.
    E se valeu de dinheiro das estatais mineiras. E em valores bem maiores. Você, como alguém bem (des)informado pelo PIG, aposto que não sabia disso.

  31. Otto said

    Michelle, o artigo da Mônica Bérgamo foi retirado da Folha simplesmente porque o Serra, como sói acontecer, deu um esporro no Frias.

    Este Zé Bolinha de Papel é o mestre dos fariseus…

  32. Patriarca da Paciência said

    “Esse erro de coleta e separação da amostra geralmente passa despercebido pela imprensa. Mas não deveria ser estranho a pessoas acostumados com o uso mais rigoroso da estatística. A rigor, o estudo favorável ao sistema de cotas mais difundido no mundo é o livro “The Shape of the River”. Onde os reitores de Princeton e Harvard usam dados dessas universidades para mostrar que o sistema de ações afirmativas (cotas) funciona. Este estudo tem apenas um pequeno defeito: os reitores se RECUSAM a entregar os dados para que pesquisadores independentes possam replicar os resultados. Desnecessário dizer que tal tipo de evidência tem muita pouca validade científica. Seja em Harvard, em Princeton, ou na UnB, a discussão sobre cotas é muito mais política do que científica. Se você quer estudar o sistema de ações afirmativas a fundo a referência básica é o livro de Thomas Sowell “Ação Afirmativa ao Redor do Mundo: Evidência Empírica”.

    Ou seja, quando contraria os ideais dos reinaldinhos e blogueiros da óia em geral, adolfos, etc. toda a imprensa, o STF, Harvard, Princeton, estão errados, apenas os ditos cujos estão certos!

    Até chega a paranóia!

  33. Patriarca da Paciência said

    “Se até aqui a postura de Barbosa, bem ao gosto da classe média, foi a de um xerife implacável, hoje sua estrela perdeu grande parte do brilho que havia adquirido.”

    Meu caro Otto,

    acho que o STF está começando a perceber o alcance do embrulho jurídico que o tal “domínio do fato” pode levar.

    E o inquisidor Barbosão, como o inventor da guilhotina, (que também tinha pescoço e acabou guilhotinado) pode ser vítima de sua própria armadilha.

  34. Jose Mario HRP said

    Zbig, R$ 73,4 milhões, em função do vazamento da prova do ENEM em 2009.!
    Imagine agora como a Folha SP virá pra cima do Haddad e da Dilma?

  35. Jose Mario HRP said

    Pedro disse

    15/10/2012 às 16:39
    Um dia o raio cai na cabeça dele e então……..

  36. Jose Mario HRP said

    Mais más notícias para o Carequinha em São Paulo Capital:
    http://www.estadao.com.br/noticias/nacional,tj-inocenta-marta-em-acao-de-improbidade-administrativa,945910,0.htm

  37. Zbigniew said

    Jose Mário,

    eles ainda podem recorrer até chegar lá no STJ e, quem sabe, até no STF. É lá, nos tribunais superiores, que mora o perigo.

    O julgamento do mensalão colocou tais tribunais, em especial o STF, no centro das atenções. Se vacilarem vão ser criticados e perder poder politico na medida que a sociedade passar a desacreditar da instituição (além da desmoralização, é claro). A internet já é uma ferramenta poderosa que derruba facilmente versões mentirosas. O caso da bolinha de papel do nosferatu é um exemplo emblemático.

    Quanto à Folha ir com tudo pra cima do Haddad e Dilma, é direito dela. Mas é dever nosso apontar as sabujices desses órgãos de imprensa, suas canalhices e incoerências (e são muitas!). O bom é o “day after”. A cara dos jornalistas e as manchetes são de dar pena. Rapaz! Eles não cansam de apanhar.

  38. Zbigniew said

    A hipocrisia desse pessoal é impressionante. Quando se quer discutir o controle social da informação fala-se logo em censura, em controle de conteúdo, e por aí vai. Não querem nem discutir. Mas quando um candidato medíocre é criticado, dá uma ligadinha pro barão e manda tirar o conteúdo. Peraí? Que joça é essa?!

  39. Zbigniew said

    Ganha um brinde quem achar a notícia da condenação da Folha na velha mídia.

  40. Pax said

    Controle social da informação? De novo este assunto?

    Há alguns itens que o PT precisa se tocar, ou vai, segundo meu achismo, perder o bonde da História.

    – Imprensa tem que ser livre, qualquer tentativa de controle sobre ela deve ser combatida. Querem melhorar as leis sobre injúria, calúnia, difamção etc, ótimo. Mas controlar? Tiro no pé.

    – Sérgio Cabral como ministro ou candidato a vice na chapa de Dilma em 2014: querem colocar o Cavendish no colo de Dilma? Caramba, xô satanás. Não bastou a lambança do Vaccarezza? (“nós somos teu…”). Aliás, esqueceram de promover o Vaccarezza para o anonimato, outro vacilo sem tamanho.

    – Apoiar Renan Calheiros para presidência do Senado.

    – 300 etc aqui. Aos poucos vou lembrando.

    Ontem o ministro Joaquim Barbosa, mais uma vez, destemperou ao argumentar com os pares. Ruim para ele. Independente destes rompantes, não vejo nada que macule seu juízo na 470 até aqui. O que interessa neste momento é o trabalho que realizou com relator. E me parece bom, sim.

    A Infraero, ANAC etc são pior que lixo. Já faz um tempo que alerto para a necessária implosão das Agências Regulatórias e sua recriação. Deixar como está vai cobrar um preço altíssimo para a sociedade brasileira e para o governo que estiver à frente.

  41. Jose Mario HRP said

    O fato inédito quando falamos em recurso a uma corte internacional , no caso desse julgamento, é a impossibilidade de recurso como manda o direito internacional, visto que foi a mais alta corte brasileira que julgou o fato.
    O bom direito manda dar direito a qualquer processado de recurso a uma outra instancia.
    São só palavras, mas Mandela também só lutou com palavras.

  42. Jose Mario HRP said

    Zbig, aqui o local original da noticia da condenação, repassada pelo Azenha:
    http://www.spressosp.com.br/2012/10/justica-condena-grafica-da-folha-de-s-paulo-a-pagar-734-milhoes-ao-governo/

  43. Jose Mario HRP said

    Zbigniew, Otto, Patriarca, Pax e outros colegas, agora não há mais o que se falar de Cuba:
    http://portuguese.ruvr.ru/2012_10_16/91397681/

  44. Chesterton said

    Logo, logo, o PT vai processar o Barbosão por racismo….

  45. Jose Mario HRP said

    Srs, politica e ética, esse assunto inclui certos momentos de humor, mas verdadeiros.
    Olha só a Rosa no olhar de Demóstenes Torres:

    Eu já havia escrito por aí disso e muitos concordaram com ele, ela não está a altura do cargo.

  46. Patriarca da Paciência said

    Meu caro Pax,

    por que você acha que o STF está absolvendo alguns, inclusive o Duda.

    É que os advogados começaram a abrir a boca de que, pelo tal “domínio do fato”, todos os advogados criminalistas poderiam ser criminalizados.

    Qual o advogado que não sabe que o dinheiro dos bandidos vem do crime?

    Eu acho que o Barbosão meteu o STF numa grande embrulhada jurídica.

  47. Pax said

    Caro Patriarca,

    Acho que o STF está absolvendo e condenando por conta da formação de juízos de cada ministro. Como é colegiado, a maioria vence.

    Não tenho visto nada demais, nem na atuação de Joaquim Barbosa nem na atuação de Lewandowski. Até ao contrário. Segundo me parece o ministro Lewandowski tem feito um bom trabalho ao contrapor a interpretação de Barbosa dos autos. Desta forma a discussão se estabelece, todos trazem seus fundamentos jurídicos, os debates têm sido abertos e públicos e a maioria define o juízo final.

    Não vejo nada de errado nisto tudo.

  48. Otto said

    Viram esta?

    Além de golpista, é ladrão!

    “Foi um erro”, diz presidente do Paraguai; quantia registrada de maneira fraudulenta em declaração oficial de bens equivale a US$ 645 mil; caso de patrimônio mal explicado pode causar reviravolta na situação política do país vizinho; Veja e PSDB foram os primeiros a apoiar substituição do ex Fernando Lugo e saudar honestidade de Federico Franco; e agora?

    http://www.brasil247.com/pt/247/parana247/83203/Franco-comete-fraude-de-13-bilh%C3%A3o-de-guaranis.htm

  49. Michelle said

    O “mensalão mineiro” do PT

    A Justiça Federal acaba de condenar em Belo Horizonte, em primeira instância, Delúbio Soares, José Genoíno, Marcos Valério e quatro diretores do BMG por operações irregulares de empréstimo entre o banco e o PT.

    A partir de uma denúncia “gestão fraudulenta e falsidade ideológica” feita pelo Ministério Público, a Justiça considerou que o banco liberou ao PT 44 milhões de reais em “empréstimos simulados”.

    Lauro Jardim

  50. Pax said

    O Serra perdeu as estribeiras.

    http://cbn.globoradio.globo.com/cbn-sp/2012/10/16/SERRA-PROMETE-REVER-AS-LINHAS-DE-ONIBUS-PAULISTANAS.htm

    O titio faz um bem danado. Ao Haddad.

  51. Otto said

    “Ao imputar a José Dirceu (?!) a matéria da Folha de S.Paulo que revelou a existência de um “kit-gay” elaborado por ele quando governava São Paulo, José Serra demonstrou que não está à esquerda ou à direita. Está é completamente doido.

    Se jogarem outra bolinha de papel, dessa vez ele simula um AVC!”

    Leandro Fortes

  52. Pax said

    Fabiano Angélico ‏@FAngelico
    Pertinente a observação do @alceucastilho: “em tempos de jornalistas ameaçados, Serra comporta-se como troglodita contra @KennedyAlencar”

  53. Pedro said

    Jose Mario # 35

    O raio cai na minha cabeça todos os meses, alias, doze tipos de raios diferentes, fora os raios eventuais.

    Raios são os impostos que eu pago, e são tantos, pra ter tão pouco de volta.

    Por isso quando eu vejo um espertalhão destes ser condenado, tenho pelo menos uma vaga esperança, que outros pensem um pouco antes de se meter em falcatruas.

    Só isso.

    ……………………

    Vez ou outra, uma boa notícia:

    Maluf, foi condenado a devolver 21 milhões, por conta do escandalo dos precatorios.

    Só pra constar: esta mesma operação fraudulenta dos precatorios foi feita aqui no
    estado, e até hoje ninguem foi condenado.

    E aí, não vão sair por aí chorando porque o Maluf foi injustiçado?

  54. Michelle said

    Genoino condenado no “mensalão mineiro”. Suplicy vai chorar de novo?

  55. Otto said

    O Mussolini do Mooca enlouqueceu de vez. O fascista, diante de uma provável derrota, está brigando até com quem o apoia.
    E já disse: se eu ganhar a prefeitura de São Paulo eu invado a França. Ou será que ele disse que invaderia FRANCA, no interior de São Paulo?
    Agora, falando sério: É grande a possibilidade do Serra terminar esta campanha completamente louco. E eu não vou sentir nenhuma pena dele.

  56. Zbigniew said

    Aqui o áudio. Esse Serra nao se emenda;

  57. Michelle said

    1. Otto parece estar se cagando de medo de que o Serra seja eleito.
    Calma meu garoto, a eleição será apenas no dia 28. O militonto tenta jogar merda nos outros pra disfarçar o cheiro do PT. Kennedy fez uma pergunta capciosa e foi humilhado por Serra quando não conseguiu responder se tinha lido a cartilha.

    2. Pax saiu caçando borboletas tentando “antecipar” o julgamento do Azeredo e acabou aprisionando o Delúbio e o Genoíno, no mensalão mineiro, que foram condenados por falsidade ideológica. 4 anos de cadeia.

    3. É muita falta de vergonha na cara. O PT inventou a merda alucinógena. Quem cheira viaja na maionese.Vide Suplicy.

    4. Cristiano Paz vai abrir a boca. Lula sabia.

  58. Chesterton said

    aula de economia basica para o PAx

    Por que acreditar que alguém que ganha 100 mil/ano pode ser mais esperto que outro que ganha 1 milhão/ano NA MESMA PROFISSÃO?

    No fundo essa é a crença de todo indivíduo que acredita no sucesso da intervenção governamental: acreditar que um regulador, que ganha 100 mil/ano, é mais esperto (e pode se antecipar) que um especulador que NA MESMA PROFISSÃO, mas trabalhando no setor privado, faz 10 vezes mais por ano.

    Claro que existem exceções, claro que existem pessoas extremamente capazes trabalhando no setor público. Talvez até a média de habilidade dos servidores públicos seja maior que a média de habilidades de seus pares no setor privado. Contudo, no que tange à regulação não estamos nos referindo a média dos trabalhadores, mas sim ao topo dos executivos e dos funcionários públicos. Nessa sub-amostra, que inclui apenas o topo da distribuição de habilidades, parece ser pouco provável assumir que a média de habilidades dos servidores públicos seja maior que a dos executivos trabalhando no setor privado. O motivo é simples: a diferença salarial entre eles é gigantesca, não parece correto assumir que o mercado pagaria tanto a mais para ficar com os menos capazes.

    Assim, toda vez que você defender a intervenção do setor público lembre-se de que o setor privado, cedo ou tarde, conseguirá burlar a regra e tirar proveito dela. Pior: as grandes corporações, capazes de contratar os melhores profissionais, estará sendo BENEFICIADA pela regulação. Uma vez que podem se ajustar mais rapidamente à regulaçao que as pequenas empresas, que não possuem os profissinais necessários para tanto. Dessa maneira, o efeito prático de QUASE toda regulação governamental é diminuir a competição e favorecer as grandes empresas.

    Esse post tem um endereço: a idéia dos Bancos Centrais de aumentarem a regulação no setor bancário. Esse blog é CONTRA tal idéia. Ela apenas REDUZIRÁ a competição entre os bancos, piorando a situação de toda a sociedade. E o que será pior: com menos bancos, teremos bancos necessariamente maiores, ou seja, os problemas potenciais de um banco serão cada vez mais onerosos para a sociedade, implicando que o governo irá no futuro ajudá-los em caso de crise. Tal procedimento apenas aumentará o custo das crises bancárias. O melhor mesmo é aumentar a competição entre os bancos, diminuindo o tamanho dos mesmos e tornando as crises bancárias muito mais restritas e menos onerosas.
    POSTADO POR BLOG DO ADOLFO ÀS 11:51 NENHUM COMENTÁRIO:

  59. Chesterton said

    Kennedy Alencar é viúva do mensalão. Se fizer rx no saco do Lula, lá estarão suas digitais. outro dia ele comentava na radio que Lula agora iria dar palestras para “arrumar” a vida, como se não fosse já triliardário….

  60. Olá!

    Sobre o último imbróglio envolvendo o “jornalista” Kennedy Alencar e o José Serra, há alguns pontos interessantes sobre essa questão.

    É interessante uma coisa: O Pastor Silas Malafaia fez parte do Conselho Econômico e Social do Governo Lula e nunca, mas nunca mesmo, o Kennedy Alencar resolveu fazer ao Lula uma cobrança na mesma veia poética da pergunta feita ao José Serra.

    O Kennedy Alencar poderia perguntar ao então presidente Lula algo mais ou menos assim: “Senhor Presidente Lula, não seria uma contradição da sua parte, que é um representante da esquerda e da sua agenda progressista, colocar no seu Conselho Econômico e Social uma pessoa que tem, abertamente, um posicionamento homofóbico e reacionário a respeito dos homossexuais? Uma pessoa que considera o homossexualismo uma doença, deveria ter representatividade dentro de um governo que tem como um dos objetivos a defesa das principais bandeiras progressistas?

    E olha que o Kennedy Alencar foi o jornalista que mais conseguiu entrevistas exclusivas com o então presidente Lula no período 2007-2010. Oportunidade não faltou.

    Mas para um jornalista que amaciou nas perguntas sobre o Mensalão e coisas tais, não era de se esperar outro comportamento senão esse que aí está. Aliás, dizem por aí que o próprio Lula fazia questão de que o entrevistador fosse o Kennedy Alencar. Legal, né?, um mundo onde os políticos determinam quem deve ou não entrevistá-los.

    Outro ponto interessante tem a ver com o fato de que o Kennedy Alencar foi assessor de imprensa do PT durante um tempo e, não raro, recebe informações privilegiadas sobre assuntos do momento e, pasmem, mesmo de assuntos que ainda estarão por acontecer (como foi o caso da liberação de um resultado judicial sem que nem mesmo os órgãos oficiais de justiça tivessem publicado tal resultado). Um partido político só libera informações desse calibre para jornalistas que sabem se comportar, o que no caso do Kennedy Alencar significa utilizar sua posição de jornalista para atacar os adversários políticos do tal partido e amaciar quando os membros do partido forem pegos em situações embaraçosas, como casos de corrupção.

    E ainda dizem que a Folha de São Paulo é de direita e reacionária! Basta ver que a sua redação tem um posicionamento abertamente pró-Haddad nessas eleições municipais. Ah, sim, e outra: Quando veículos da “imprensa progressista” (como a Carta Capital) colocariam entre os seus jornalistas um ex-assessor de imprensa do PSDB? Nunca!

    O Kennedy Alencar, ao agir como agiu, fez propaganda política para o Haddad e tentou prejudicar o José Serra. Isso é inegável. Seria até salutar que a imprensa utilizasse critérios que estabelecessem que um jornalista que tivesse algum tipo de vínculo partidário não poderia ser escalado para entrevistar um candidato.

    Existem alguns jornalistas do Grupo Abril pelos quais eu não tenho nenhum respeito. Kennedy Alencar, Fernando Rodrigues e Gilberto Dimenstein são apenas três deles. O Dimenstein, inclusive, escreveu um artigo no qual dizia sentir nojo e pena da maneira pela qual a campanha eleitoral em São Paulo se desenrolava. O comentarista Jason Lagos resumiu magnanimamente esse tipo de atitude de certos jornalistas como o Dimenstein e o Kennedy Alencar. Segue o comentário dele com algumas adições (em itálico) e ênfases (em negrito):

    Nada deu mais nojo nessa eleição do que a campanha de destruição de Serra, por conta da renúncia da prefeitura. Dimenstein sempre esteve na linha de frente dessa campanha nojenta. Só que o resultado disso foi catapultar Russomano para o primeiro lugar, já que o Haddad é um péssimo candidato.

    Se o candidato do Dirceu e do Maluf, [o Haddad], estivesse garantido no segundo turno, a sensação de Dimeinstein não seria de nojo e [muito menos de] pena, mas, sim, de dever cumprido.

    Foi exatamente esse o sentimento que o Kennedy Alencar teve ao fazer ao José Serra uma pergunta que ele próprio, o Kennedy Alencar, nunca faria a alguém do PT, como o ex-presidente Lula ou o próprio Haddad: O sentimento de dever cumprido.

    Até!

    Marcelo

  61. Michelle said

    O País dos Petralhas dá vergonha:

    Primeiro a governanta muda o dia do apoio em palanque ao Haddad em Sampa por medo de não ter presentes por causa do final da novela.
    e agora o aprofundamento …da merda alucinógena
    Estão viciados.

    Comício de Pelegrino com Dilma terá exibição de ‘Avenida Brasil’

    Coordenação da campanha quer evitar que evento fique esvaziado por causa do último capítulo da novela

    Maria Lima, O Globo

    A coordenação da campanha do petista Nelson Pelegrino está montando estratégias para evitar a fuga do eleitor durante o comício da presidente Dilma Rousseff, nesta sexta-feira em Salvador, no dia do último capítulo da novela ‘Avenida Brasil’, da Rede Globo. Para que Dilma não seja trocada pela vilã Carminha, todos os discursos estão programados para terminarem até as 20h30m. A novela começa às 21h30m.

    A segunda providência é instalar um telão para que os soteropolitanos possam ver Dilma, mas também Carminha e toda a turma de Avenida Brasil. O líder do PT no Senado, Walter Pinheiro, disse que a presidente quer voltar no mesmo dia para Brasília, por isso o comício começará mais cedo.

    – O comício vai começar 19h30m. Dilma fala, depois fala Pelegrino e 20h30m já acabou tudo – diz Pinheiro. – A gente ainda bota um telão para depois o povo ver a novela. Depois de Dilma, Carminha. Mesmo porque Dilma também quer ver Carminha – completou Pinheiro.

    O deputado João Leão (BA) sugeriu outra alternativa para atrair os fãs de Avenida Brasil no dia do comício:

    – Vamos levar o Nilo para o palanque – sugeriu João Leão, lembrando que o ator José de Abreu, que faz na novela o personagem Nilo, é petista de carteirinha.
    —————

    O PT inventou a merda alucinógena. Eles cheiram, mal cheiram e viajam….na corrupção de costumes.Passivos e ativos.

  62. Chesterton said

  63. Patriarca da Paciência said

    “O PT inventou a merda alucinógena. Eles cheiram, mal cheiram e viajam….na corrupção de costumes.Passivos e ativos.”

    Fala aí, Edu, sou eu que provoco a dita cuja?

    Como diz o HRP, isto é linguagem de mulher?

    Mas como diz o Pax – essa claque do titio histérico, juntamente com o dito cujo, fazem um bem danada para as campanhas eleitoriais do PT.

  64. Zbigniew said

    Marcelo, meu caro: “dizem por aí” e mesmo uma grande base para fundamentar um argumento.

    Alias, tu justificas a postura do Serra e, por conseguinte, o estilo truculento de destratar e detratar o jornalista (uma pratica bastante comum do candidato), apontando o fato de que o pastor Silas Malafaia faz ou fez parte do Conselho Econômico e Social do governo federal (sic) e da contradicao/conveniencia do referido jornalista nunca ter feito uma pergunta ao Lula no contexto da homofobia. Reforça o argumento pelo fato de o jornalista “pegar leve” no caso do mensalão, e por ter sido assessor de imprensa do PT, e a partir dai um rosario de ilações sobre um possível tratamento privilegiado ao profissional.

    Ou seja, desqualifica o Kennedy Alencar como entrevistador isento (a nao ser achismos) de um tema levantado pela campanha do próprio Serra que tem um viés discriminatório e homofobico, e que utiliza-se de um ventríloquo extremista que, se fez parte de um conselho do governo federal, NUNCA falou por esse mesmo governo em materia de politicas sociais e de educacao, muito menos em campanhas eleitorais.

    Esquece do varejo para se concentrar no atacado, posicionando o candidato como vitima sem adentrar no tema que o próprio Serra teve dificuldades de explicar: no seu governo foi adotada ou nao uma cartilha que também tratava da homofobia (?) – segundo o Serra junto com outros temas relativos a preconceitos e discriminações, o que nao anula o fato de que hoje, hipocritamente, ele (sua campanha) atacam o Haddad em cima da questão do que se passou a chamar de “kit gay”, quando em outro momento o seu governo também adentrou e adotou o tema da homofobia como um dos temas de campanha.

    Essa aqui e ótima: conclui que o Kennedy Alencar, com a postura perante o Serra, estaria (pasmem!!!) fazendo propaganda política do Haddad. Essa conclusão e realmente de lascar! A tua idéia de propaganda política esta bastante equivocada. Se partidária, o Kennedy deveria estar propagando um conteúdo programático e ideológico. Se eleitoral, tinha que estar pedindo voto. Mistura os conceitos (mistura nao, enrola), para condenar e mascarar a pergunta de fundo, que era a da migração do candidato para o espectro conservador da direita reacionária.

    Seria muito mais honesto para o Serra se ele respondesse educadamente ao jornalista, dissesse que, sim, anteriormente já teve uma outra postura relativamente ao tema, mas que hoje mudou (ate dentro da própria comunidade gay há opiniões de que o tal kit foi um exagero e que deveria ser revisto). Mas nao e do feitio de um candidato que muda de acordo com as conveniências. E muito mais fácil desqualificar um jornalista do que enfrentar as perguntas.

    Até.

  65. Chesterton said

    Quanta lágrima, troféu Kleenex para o PT (rsrsrs)

  66. Michelle said

    “O PT inventou a merda alucinógena. Eles cheiram, mal cheiram e viajam…na corrupção de costumes. Passivos e ativos.”

    O PP cheirou e por isso lula e Haddad foram beijar a mão do espertalhão corrupto nos jardins de sua mansão na rua Costa Rica.
    O PP cheirou e Maluf conseguiu um cargo no governo da governanta.
    Maluf foi condenado a devolver 21 milhões.
    lula se calou.Cheirou.
    Haddad se calou. Cheirou.

    No mundo real, o STF cheirou a verdade e condenou a cúpula do PT no governo lula. Fedor total versão Banco Rural.
    Suplicy chorou. Tarso Genro gozou.

    Delúbio e Genoino foram condenados por falsidade ideológica no “mensalão mineiro” e após condenados pelo STF irão pra cadeia.
    Fedor total versão BMG
    O PP quer censurar os meus comentários com medo que eu não seja mulher. Minha boca pode ser suja mas nunca comi merda em nome do PT. Degradação de valores.
    Merda alucinógena da nisso.Cheira e pira.

    PP vá tomar banho! E pare de cheirar. Ativa e passivamente.

  67. Patriarca da Paciência said

    “O PP quer censurar os meus comentários com medo que eu não seja mulher. Minha boca pode ser suja mas nunca comi merda em nome do PT. Degradação de valores.
    Merda alucinógena da nisso.Cheira e pira.”

    Acredito Michelle!

    Acredito mesmo!

    Você é muito convincente!

    É uma prova viva! E que prova!

  68. Michelle said

    Paulo Maluf é um grande administrador!

    Segundo a Brasil Atual, para Marilena Chaui, o ex-governador Paulo Maluf, cujo partido (PP) está aliado ao PT não eleições paulistanas, não se enquadra na tradição política conservadora e direitista representada por Russomanno, mas na do “grande administrador”, que ela identifica com Prestes Maia (prefeito de São Paulo de maio de 1938 a novembro de 1945) e Faria Lima (prefeito de 1965 a 1969).
    “Afinal, Maluf sempre se apresentou como um engenheiro.”

    Marilena cheirou e mal cheirou.

  69. Michelle said

    Esta é para o Chest comentar:

    Cuba deixa de exigir visto de saída do país…
    só exigirá de dissidentes e atletas para evitar fuga em massa.

  70. Edu said

    Otto,

    Eu não me importo de ser governado por uma esquerda que tenha os valores da esquerda preservados. Se o PSB continuar crescendo, será uma novidade para mim, que não sou especialista em partidos políticos. Na verdade eu vou aprendendo conforme vamos discutindo e eu vou pesquisando.

    Lembra daquela opinião de adolescente, quando nós ouvíamos uma banda de rock por alguns anos e depois algum amigo nosso dizia: essa banda eu não ouço mais, os caras “se venderam”. Para mim foi isso que aconteceu com o PT. É uma esquerda vendida… ou comprada, dependendo do mensaleiro que se está considerando.

    O PSB não deu demonstrações de ser uma esquerda vendida, e eu avalio isso muito bem porque eu vejo que há uma possibilidade de que haja um partido realmente disposto a tomar decisões em direção à social democracia sem usar de atalhos sujos como o PT usou: vigarices intelectuais, alianças pragmáticas, corrupção e uma propaganda militante e midiática que beira a guerra santa.

    Mas ainda assim eu confesso que tem algumas palavras-chave que doem os olhos ao lê-las:

    – Luta social – esse é o maior absurdo que qualquer esquerda que queira fazer política honestamente pode propagar. Como já discutimos antes: o melhor modelo social-democrata do mundo não foi construído sobre alicerces de lutas sociais, mas de reformas políticas e de uma revolução ética na política. Luta social é coisa de pequenos países ditatoriais que já sabemos.

    – PSDB como direita – para quem é de direita isso é uma piada. Quem diz isso com certeza está combatendo um inimigo imaginário

    – Imprensa direitista/elitista – outro absurdo.

    É uma pena que a esquerda decente do Brasil ainda use de termos tão retrógrados para se apresentar como partido… é desanimador.

  71. Edu said

    Patriarca,

    Eu cobrei do Pax uma postura em relação a isso ele se manifestou como um PSDBista: ficou em cima do muro.

    Vc também não retirou o que disse em nenhum momento, inclusive piorou a situação, apelando para deficiências genéticas, etc.

    O que vc esperava? Vc acredita mesmo que ela tenha que deixar de agredir só pq sua agressão foi mais elegante?

    Quer dar uma resposta elegante que ela irá considerar?

    Use de boas fontes, use de critérios únicos para basear suas opiniões e, principalmente, pare de agir como um evangélico na praça da Sé.

  72. Edu said

    Pessoal,

    E falando em educação, parece que o Mercadante anunciou uma série de INVESTIMENTOS para as Universidades Federais de reforços, aulas especiais, currículos paralelos e uma série de outras coisas para ajudar ALUNOS COTISTAS QUE NÃO ACOMPANHAM AS AULAS.

    Eu queria ter a reportagem aqui no momento para colocar as palavras dele que eu ouvi no rádio hoje entre aspas.

    Sério, em relação ao clima eu sou uma pessoa otimista, em relação a políticas públicas sem planejamento nenhum eu sou extremamente pessimista. Eu levantei a bandeira e… pra ser sincero com vcs: EU DETESTO ESTAR CERTO.

    Eu avisei. Avisei que cotas iam forçar investimentos dobrados em educação para resultar em soma zero. Por que soma zero? Porque o esforço financeiro é dobrado para formar exatamente a mesma quantidade de alunos.

    Esses milhões em investimento poderiam estar sendo usados para rever e reforçar a estrutura do ensino básico e médio brasileiros. Eu não sei se essa verba pode ser repassada da federação para os estados, mas, se o programa minha casa-minha vida permite isso, por que isso não poderia acontecer?

    E claro, esses investimentos repassados deveriam se tornar projetos acompanhados, auditados e os resultados deveriam ser apresentados publicamente para que a população acompanhasse.

  73. Michelle said

    Edu.gov hehehe

    Enquanto o PP faz um reboot selvagem vamos trocar ideias…

    Haddad x Serra em Sampa

    Se vc fosse votar conscientemente em Sampa, quais seriam os prós e contras de cada candidato?

    Penso no bem estar da população de 11.5 milhões de brasileiros que moram em Sampa.
    Morei lá desde nascer até 2003 e me mudei para fora do Brasil.
    Não vou votar fisicamente.

    Euzinha votaria no Serra. Não votaria no PSDB.
    E você?
    Ressalto que a tarefa de ser prefeito, de Sampa, é muito difícil pra cada um dos candidatos que vier a vencer.
    Mas Serra tem experiência de administrar situações complexas e provavelmente seria a melhor escolha.
    Haddad não tem currículo comprovado.
    Como ministro do MEC foi abaixo de médio.
    A não ser errar. Nada fez de importante.
    As greves de universidades federais não me deixam mentir
    Qual a sua opinião?
    Se fosse votar você votaria em quem?
    No partido ou na pessoa?
    ….
    O Pax nunca sairá do armário.Edu.
    Pode tirar o equino da intempérie.

  74. Michelle said

    Corrijo:
    Haddad: A não ser errar, nada fez de importante.

  75. Michelle said

    Edu.gov

    Acho que levará anos pro povo do blog entender a implicação entre despesa x receitas dinamicamente.
    Fluxos de caixa projetados. Investimentos a médio e longo prazo.
    Nem a diferença entre fatura e duplicata, que Maluf tentou ensinar em eleições passadas, foi aprendida.
    Responsabilidade, equilíbrio fiscal e desenvolvimento é coisa dos conservadores inimigos do PT …invejosos do operário condutor,

    O povo, o bravo povo brasileiro paga sem saber .
    A viúva paga e fica tudo esfumaçado e adiado. O mais importante agora é salvar lula do vexame do PT no mensalão e tentar eleger o Haddad.
    É trágico.

    Por oportuno:

    “O PT inventou a merda alucinógena. Eles cheiram, mal cheiram e viajam…na corrupção de costumes. Passivos e ativos.”

  76. Jose Mario HRP said

    O Serra parece estar necessitado de tratamento psiquiátrico.
    Ele o Barbosa estão “muito loucos”.

  77. Otto said

    Edu, o que eu admiro em você é a capacidade de manter uma argumentação educada.
    Isto é importante.
    Quanto ao termo “luta social”, não creio que isto não tenha ocorrido na Escandinávia, entendendo-se a luta social não apenas como escaramuças nas ruas ou ocupação de prédios públicos, mas também e sobretudo como debates de ideias, eleições, greves… A diferença é que lá houve uma elite que soube ceder, talvez pelo medo do que ocorria ao lado (a URSS).
    Quanto ao PSB, não creio que ele não seja tão pragmático, como a maioria dos partidos brasileiros. A ver.
    E sobre o PSDB, ele simplesmente está ocupando um espaço vazio no espectro político: a direita reacionária.

  78. Chesterton said

    Na Suecia a “elite” soube ceder…para os islamitas.

  79. Pax said

    Prezados,

    Assim como o Otto, admiro todos que mantém argumentação educada neste espaço. O que mais me move a manter este blog – e será mantido – é criar o espaço para discussão aberto a todos. Estimulo a pluralidade de opiniões e realmente me incomodo quando a discussão sai do âmbito das argumentações para o âmbito das agressões e baixarias.

    O caso da Michelle é complicado mesmo. Tempos atrás coloquei um bloqueio no WordPress com alguns argumentos (IP, expressões, nomes etc) para um tal de Carlão que passou a comentar aqui com comportamento que não fazia sentido algum, somente com intenção de agredir a todos e com dedicação especial a mim. Enche o saco. A Michelle usa os mesmos IPs do tal Carlão, seus comentários vem da mesma região e seu comportamento é praticamente idêntico. Nem sou um especialista em internet nem muito menos dedico meu tempo a pesquisar sobre quem comenta aqui. Cada apelido (nick) é respeitado como tal. O que interessa, no meu entender, são as opiniões. Descobri estas informações sobre a Michelle quando ela reclamou que eu teria bloqueado um comentário seu, coisa que não tinha feito. Ao abrir a ferramenta de administração do blog que vi que o comentário vinha de um IP bloqueado para o tal Carlão. É uma dedicação curiosa de agredir os comentaristas, o blogueiro etc. Sei lá se Carlão e Michelle são a mesma pessoa, se são duas, pouco me importa.

    Uma coisa é ser democrático, criar uma casca grossa para aceitar argumentos nem sempre tranquilos, permitir que as opiniões contrárias sejam livres mesmo que em determinados momentos agressivas etc. Outra é aceitar o comportamento troll que a Wikipédia define bem em seu verbete ( http://pt.wikipedia.org/wiki/Troll_(internet) ).

    Quem é blogueiro volta e meia encara um destes por aí.

    Mas também entendo que é direito do blogueiro não alimentar este tipo de comportamento. Conheço vários blogs que já perderam a mínima condição de participar nos comentários por ser invadido por comentaristas com este comportamento. Alguns até acham que não podem ser classificados assim, seja lá porque motivo, mas são, no meu entendimento.

    Outro ponto importante é sobre pré ou pós moderação. Acho bastante chato a pré-moderação, mas os sites profissionais passaram a usar este mecanismo até para se protegerem legalmente. Aqui é pós-moderado. Na verdade é quase-nunca-moderado. Sinceramente não lembro de quantos comentários retirei desta caixa, de tão poucos que foram.

    Caro Edu,

    Você tem reclamado um bocado porque o caro Patriarca reclamou disso ou daquilo. Não vi no comentário específico ele chamar “O Edu é babaca” ou coisa parecida. Mesmo assim entendo que o caro Patriarca poderia ter evitado, mas confesso que este comentarista também é agredido pra caramba em suas opiniões aqui. Enfim, não quero me meter em detalhes e, muito menos, vou tomar partido neste tipo de discussão que não me parece comportamento Troll.

    Se puderem evitar os ataques pessoais e voltarem às argumentações lógicas vocês, todos, ajudarão o espaço a se manter minimamente saudável.

    Por vezes um pedido de desculpas cai como uma radioterapia e quimioterapia bem sucedida em um câncer malígno. Cura, deixa algumas sequelas, mas extirpa a doença. Não custa tentar, acho eu.

    Claro, o velho e bom Chesterton, infalível Chesterton, é um caso aparte. Este, tal como Lula disse sobre Sarney, “não pode ser julgado como uma pessoa qualquer”… ele faz parte do folclore da blogosfera e será preservado, até o limite do razoável.

    De novo, não vou bloquear a Michelle. O espaço é livre. Mas me permitirei apartar, ou mesmo pós-moderar, a hora que entender que o limite chegou, o que está bem perto.

  80. Patriarca da Paciência said

    Só uma curiosidade, Caro Edu,

    eu li também vários comentários seus falando em “moderar” o Elias.

    Você não desconfia por que o Elias anda sumido?

    Sinceramente, eu achava ótimo os comentários do Elias – divertidos, antenados, bem humorados, bem contextualizados, etc.etc.etc.

    Mas eu não acho divertido ter um maluco na porta da minha casa me xingando de tudo que é nome.

    Creio que nem eu nem ninguém ache.

    Eu apenas tento mostrar para esses alienados que xingar é a coisa mais fácil do mundo, principalmente pela internet.

    Agora, ao cotrário de certas pessoas que se dizem democratas, eu nunca solicitei moderar ou excluir quem quer que seja.

    E, para ficar bem esclarecido, eu não refiro a minha pessoa quando digo “um maluco me xingando de tudo que é baixo calão bem na porta da minha casa”.

  81. Otto said

    Aos Amigos, Tudo…

    Marcos Coimbra

    Onde terão estado nossos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) nos últimos anos? Em que país moravam?

    É fato que muitos só chegaram recentemente à Suprema Corte. E que, portanto, não seria razoável perguntar o que fizeram – e, especialmente, deixaram de fazer – no passado frente a casos e decisões que suscitam questões semelhantes às do julgamento do “mensalão”.

    Como não exerciam a função, nada teriam a dizer.

    Mas todos eram cidadãos e profissionais do direito com notório saber e elevada reputação. Muitos pertenciam à Magistratura ou ao Ministério Público. Alguns eram conhecidos professores. Outros tinham experiência na administração pública e no Congresso, como assessores de governos ou partidos políticos.

    O que pensavam a respeito dessas matérias?

    Sabemos, por exemplo, como votaram vários dos atuais integrantes do STF quando, em 2006, julgaram inconstitucional o dispositivo da Lei nº 9.054, que estabelecia uma cláusula de desempenho para os partidos políticos, limitando, na prática, o multipartidarismo caótico que temos.

    Há seis anos, em seu voto, o ministro Ayres Britto foi enfático ao assinalar o prestígio que a Constituição confere aos partidos como forma de associação, sublinhando que ela tem por eles “especial apreço”. E sustentou que a Constituição assegura aos eleitos a liberdade de “escolher lideranças, participar de bancadas, atuar em blocos, participar de comissões (…)”.

    Fez, portanto, a correta defesa da autonomia dos partidos e dos parlamentares.

    Que diferença em relação ao voto que emitiu agora! Nesse, considerou espúria qualquer forma de coligação partidária que perdure após a eleição. Sabe-se lá com qual fundamento, condenou algo que a prática política mundial considera absolutamente normal.

    Afinal, para ele, o eleito pode “atuar em blocos” ou não?

    Alguns dos atuais ministros já pertenciam ao STF quando, em 1997, foi votada a Emenda Constitucional nº 16, que estabeleceu a reeleição.

    Qual foi seu comportamento quando a imprensa denunciou a compra de votos de parlamentares para aprová-la? Quando conversas de deputados a respeito de valores recebidos foram gravadas e publicadas?

    No caso, não se precisava elucubrar sobre se, em determinada votação, o governo comprou determinado voto. Ficava claro quem estava sendo comprado, por quanto e por quê. O beneficiário era óbvio, tinha o “domínio do fato” e a identidade do operador era inequívoca.

    Algum dos atuais ministros ficou indignado? Externou sua indignação? E os que integravam o Ministério Público Federal, se manifestaram?

    Se o fizeram, não ficou registro. Pelo que parece, preferiram um cauteloso silêncio. O inverso da tonitruância de hoje.

    E quando votaram pela ausência de provas contra Collor? Quando consideraram que ninguém pode ser punido sem prova cabal? Estavam errados e estão certos agora, quando dispensam essa formalidade?

    O que explica contradições como essas?

    De uma coisa podemos estar certos: não foi em resposta aos “anseios da sociedade” que mudaram na hora de julgar o “mensalão”, ficando, subitamente, ferozes. O País sempre desejou firmeza e rigor.

    Talvez alguém afirmasse “Antes tarde do que nunca!”. Mas seria muito grave se fossem apenas manifestações de um dos piores defeitos de nosso sistema jurídico: a seletividade na administração da Justiça.

    Como está em outro aforismo: “Aos amigos, tudo! Aos inimigos, a lei!”.

    http://www.advivo.com.br/blog/luisnassif/contradicoes-na-atuacao-do-stf-por-marcos-coimbra

  82. Pax said

    Ao que interessa… (também sinto falta do caro Elias)

    O debate de ontem, Obama e Romney? Vi um pouco, confesso que cansei. Alguém viu?

    Do pouco que vi o Obama não tomou a mesma “sumanta de pau” – como dizem na minha terra – como da outra vez.

    E o Collor, velho e conhecido Collor, pagando seus funcionários particulares com dinheiro do Senado. Tem gente que não muda.

    E o Senado querendo que nós paguemos o Imposto de Renda de seus 14o e 15o salários. Caramba. Esses caras, liderados pelo Sarney, parece que não tem limite em suas tentativas de jogar esta casa na sarjeta.

  83. Pax said

    Caro Otto,

    Uma questão em cima da opinião do Marcos Coimbra:

    O STF tem que continuar igual, sempre? Mesmo que tenha errado no passado? Não se pode aceitar uma mudança para melhor?

    O que consigo concordar é que o STF não deve nem pode legislar. Se quisermos colocar cláusula de barreira, mudança na legislação sobre financiamento de campanhas, alterar a legislação sobre as coligações etc etc, isto tem, necessariamente, que sair do Congresso.

    Por pior que ele esteja, lá é o poder Legislativo.

  84. Pax said

    Caros,

    Aqui me parece uma opinião interessante, do juiz Marcelo Semer, sobre a “nova jurisprudência”…

    http://terramagazine.terra.com.br/blogdomarcelosemer/blog/2012/10/17/mensalao-e-guinada-na-jurisprudencia-liberal-do-stf/

  85. Jose Mario HRP said

    Uma coisa na terra do tio Sam me admira.
    Esse debate de ontem entre o republicano e o democrata foi muito bom , com elegancia e clareza.
    Não imagino um sujeito como José Serra num debate assim.
    Aliás, esse tipo de debate daria em pau puro por aqui, mas posso estar enganado.
    Os caras criaram um comite nacional de debates, sobre fiscalização da justiça.

  86. Patriarca da Paciência said

    “Mas o endurecimento penal deve representar, ao longo do tempo, um efeito devastador no sistema penitenciário, voltando-se, afinal, justamente contra os mais vulneráveis, sobre os quais a fiscalização policial é sempre mais intensa.”

    Caro Pax,

    creio que o teto do Marcelo Semer sintetiza bem as preocupações que já apresentamos por aqui:

    O STF está realmente inovando, criando novos paradigmas.

    Que não há segurança nenhuma se tais inovações continuarão em novos julgamentos.

    E, principalmente, que o alcance do tal “domínio do fato” é muito amplo e até incontrolável.

    E que as consequências podem ser nefastas e imprevisíveis.

  87. Chesterton said

    Claro, o velho e bom Chesterton, infalível Chesterton, é um caso aparte. Este, tal como Lula disse sobre Sarney, “não pode ser julgado como uma pessoa qualquer”… ele faz parte do folclore da blogosfera e será preservado, até o limite do razoável.

    chest- isso é que é apelar para a ignorância.

  88. Zbigniew said

    O GZ no Nassif traz, com lucidez, um argumento sobre a vitimização pela qual o Serra está tentando passar com a entrevista desastrosa que concedeu na CBN, quando destratou o Kennedy Alencar.

    “”Comentário ao post Os ataques de Serra aos jornalistas da CBN”

    Serra é muito engraçado. Ele faz a denúncia do uso da propaganda “pega-ladrão”, mas é ele mesmo que diz “roubaram minha carteira”!

    Isso de se autovitimizar chamando a imprensa de petista, quando obviamente não é, é uma transposição da mesma estratégia.

    Uma outra variante é quando ele fala “O PT é do quanto pior melhor”. Na verdade é ele quem é assim.

    Aquela vinda do “guru” em 2010 deve ter ensinado muitas coisas do gênero (como disseminar os videos de Dilma falando sobre aborto poucos dias antes do 1º turno, para não dar tempo de resposta)

    É claro que tudo isso é velho e já era usado no Brasil, mas talvez nunca de modo tão sistemático. ”
    http://www.advivo.com.br/blog/luisnassif/a-autovitimizacao-de-serra

  89. Pax said

    Caro Patriarca,

    Cá ouço a CBN SP, via internet, a entrevista do Fernando Haddad. Sugiro ouvi-la. Está disponível. E o arquivo lá ficará.

    Haddad afirma que tanto o procurador foi reconduzido por Lula como 8 dos 10 ministros foram indicados pelos governos do PT. Acredita – ele, Haddad – que o julgamento deve ser respeitado e que representa uma depuração na política nacional.

    Se as consequências forem nefastas e imprevisíveis, de novo, SE FOREM…, então nós, sociedade brasileira, temos que reagir e consertar o problema.

    Trouxe o comentário do Marcelo Semer porque acho importante a discussão. Mas, de outro lado, já deixei claro que nada neste processo me incomoda. Nem a mim, nem mesmo a petistas que conheço. Claro que respeito as opiniões contrárias, mas não são as minhas.

    De novo, acho que está mais que na hora de mudarmos, de tentarmos mudar este modelo corrupto da nossa política. Calhou de o PT pagar primeiro? Paciência. O mesmo tacape deve ser aplicado a todos os casos? Claro que sim. Em especial, como o post diz, no caso embrionário do esquema, segundo o Ministério Público.

    Lembro que discutimos um bocado, aqui, sobre o Ficha Limpa. Houve uma enorme discussão entre mim e o caro Elias, lembrado hoje, que não apoiava tanto assim este projeto de Lei. Aqui sempre foi defendido por mim, e muito.

    Hoje vemos as propagandas do TSE aplaudindo a lei, incluindo sua essência em seus comunicados.

    Acho eu, espero que sim, que daqui um tempo todos aplaudamos o resultado deste julgamento da AP470. Dói no petismo? Acho que dói na tal Chapa Majoritária, atual Construindo um Novo Brasil. Mas não dói em todos os petistas não.

  90. Pax said

    Caro Chesterton, velho e bom Chesterton, infalível Chesterton,

    Se você não entendeu a ironia, posso desenhar. Quer?

  91. Pax said

    Off. Barra pesada…duro de ler.

    Carta da comunidade Guarani-Kaiowá de Pyelito Kue/Mbarakay-Iguatemi-MS para o Governo e Justiça do Brasil

    Nós (50 homens, 50 mulheres e 70 crianças) comunidades Guarani-Kaiowá originárias de tekoha Pyelito kue/Mbrakay, viemos através desta carta apresentar a nossa situação histórica e decisão definitiva diante de da ordem de despacho expressado pela Justiça Federal de Navirai-MS, conforme o processo nº 0000032-87.2012.4.03.6006, do dia 29 de setembro de 2012. Recebemos a informação de que nossa comunidade logo será atacada, violentada e expulsa da margem do rio pela própria Justiça Federal, de Navirai-MS.

    Assim, fica evidente para nós, que a própria ação da Justiça Federal gera e aumenta as violências contra as nossas vidas, ignorando os nossos direitos de sobreviver à margem do rio Hovy e próximo de nosso território tradicional Pyelito Kue/Mbarakay. Entendemos claramente que esta decisão da Justiça Federal de Navirai-MS é parte da ação de genocídio e extermínio histórico ao povo indígena, nativo e autóctone do Mato Grosso do Sul, isto é, a própria ação da Justiça Federal está violentando e exterminado e as nossas vidas. Queremos deixar evidente ao Governo e Justiça Federal que por fim, já perdemos a esperança de sobreviver dignamente e sem violência em nosso território antigo, não acreditamos mais na Justiça brasileira. A quem vamos denunciar as violências praticadas contra nossas vidas? Para qual Justiça do Brasil? Se a própria Justiça Federal está gerando e alimentando violências contra nós. Nós já avaliamos a nossa situação atual e concluímos que vamos morrer todos mesmo em pouco tempo, não temos e nem teremos perspectiva de vida digna e justa tanto aqui na margem do rio quanto longe daqui. Estamos aqui acampados a 50 metros do rio Hovy onde já ocorreram quatro mortes, sendo duas por meio de suicídio e duas em decorrência de espancamento e tortura de pistoleiros das fazendas.

    Moramos na margem do rio Hovy há mais de um ano e estamos sem nenhuma assistência, isolados, cercado de pistoleiros e resistimos até hoje. Comemos comida uma vez por dia. Passamos tudo isso para recuperar o nosso território antigo Pyleito Kue/Mbarakay. De fato, sabemos muito bem que no centro desse nosso território antigo estão enterrados vários os nossos avôs, avós, bisavôs e bisavós, ali estão os cemitérios de todos nossos antepassados.
    Cientes desse fato histórico, nós já vamos e queremos ser mortos e enterrados junto aos nossos antepassados aqui mesmo onde estamos hoje, por isso, pedimos ao Governo e Justiça Federal para não decretar a ordem de despejo/expulsão, mas solicitamos para decretar a nossa morte coletiva e para enterrar nós todos aqui.

    Pedimos, de uma vez por todas, para decretar a nossa dizimação e extinção total, além de enviar vários tratores para cavar um grande buraco para jogar e enterrar os nossos corpos. Esse é nosso pedido aos juízes federais. Já aguardamos esta decisão da Justiça Federal. Decretem a nossa morte coletiva Guarani e Kaiowá de Pyelito Kue/Mbarakay e enterrem-nos aqui. Visto que decidimos integralmente a não sairmos daqui com vida e nem mortos.

    Sabemos que não temos mais chance em sobreviver dignamente aqui em nosso território antigo, já sofremos muito e estamos todos massacrados e morrendo em ritmo acelerado. Sabemos que seremos expulsos daqui da margem do rio pela Justiça, porém não vamos sair da margem do rio. Como um povo nativo e indígena histórico, decidimos meramente em sermos mortos coletivamente aqui. Não temos outra opção esta é a nossa última decisão unânime diante do despacho da Justiça Federal de Navirai-MS.

    Atenciosamente, Guarani-Kaiowá de Pyelito Kue/Mbarakay

  92. Chesterton said

    Elias é um blefe, posa de grande sabedor do PT e foi passado para trás, alguem lá dentro mandou ele comprar ações da Petrobras dias antes do anuncio de um prejuizo monumental.
    Esse papo de que mandar corrupto para a cadeia é inovação é choro de petista, o que aconteceu é que o PT em geral acha que está acima da lei e faz lambança demais da conta. Aí fica fácil.
    Sorte tem o dantas que tem um Protogenético para fazer (de propósito?) um inquérito de merda que o inocente….

  93. Chesterton said

    Indio? Oh, não! Que atraso de vida.
    Mande todo mundo para a escola viver como gente.

  94. Chesterton said

    Ironia sutil de elefante….magoei.

  95. Pax said

    Tadinho… que dó.

    =)

  96. Pax said

    Será que acusarão Josias de Souza de assessorar Haddad?

    Fala dos destemperos de Serra neste final de campanha.

    http://josiasdesouza.blogosfera.uol.com.br/2012/10/17/na-campanha-dos-outros-o-kit-gay-e-refresco/

  97. Jose Mario HRP said

    Patriarca, Otto, Pax, Zbigniew, Edu, Elias, aqui uma curiosa análise:
    http://www1.folha.uol.com.br/fsp/opiniao/71338-a-alcada.shtml

  98. Otto said

    Pax, se esta nova jurisprudência valer pra todos, nada a obstar.

    Mas ainda acho que os juízes são mais “rigorosos” sob a pressão — e chantagem — da mídia.

    Mudando o alvo — o mensalão tucano, do Dem — acaba esta pressão e os supremos juízes voltam a suas velhas práticas.

    Além disso, o perigo é sempre o que um juiz de comarca, cumpliciado com um coronel local, poderá fazer com esta nova doutrina do domínio do fato…

  99. Otto said

    José Mario: eu já tinha lido este artigo. É isso aí.

  100. Otto said

    Pax:

    veja este comentário do Nassif há pouco:

    “É acachapante a diferença de tratamento dos Ministros do STF a um membro da indústria midiática – publicitário Duda Mendonça – e aos demais réus do julgamento.

    Com Duda Mendonça, um rigor absoluto em relação a supostos erros da peça acusatória do Procurador Geral da República. Admite-se que houve processo de lavagem de dinheiro mas que o PGR não logrou trazer as provas para os autos. Como errou – segundo os Ministros -, eles se atem aos autos e absolvem o réu.

    Com os demais, compreensão absoluta quanto à falta de provas e inconsistências das acusações.

    Nem defendo absolvição dos demais nem a penalização de Duda Mendonça. Mas há um discricionarismo que beira a falta de pudor no comportamento de alguns ministros.”

    Você acha que isto é indício de que alguma coisa realmente mudou?

    A única coisa é que agora foi acrescentado um outro “p” ao rol das pessoas com que a justiça é pesada: pretos, pobres, putas e… petistas.

    Então qual é a explicação para esta seletividade?

  101. Pax said

    Por partes…

    No final do século XVIII já vivíamos o iluminismo que nasceu sob as ideias do século antecessor, com influêmcia positiva de Spinoza, Locke e Newton etc, mas… aqui em Pindorama éramos colônia. Nem precisamos nos aprofundar na História ou Filosofia para entender que as colônias viveram sob a espada (real e intelectual) dos dominantes. Aí, meus caros, não havia a totalidade dos direitos dos réus. Nunca houve. Hoje mesmo temos nossas “colônias” e há povos que vivem debaixo de leis e julgamentos bastante questionáveis. Basta olharmos o Oriente Médio para nos certificarmos que muita coisa torta precisa de acerto.

    Outro ponto importante é que sempre, desde que o homem passou a deixar registros, a história foi contada pelos vitoriosos. Como eles variam, a história varia. Mas a História com maiúscula, a que se eterniza, tende a reduzir as distorções. Onde quero chegar? Que o tempo é sempre senhor da razão, a tal que os iluministas procuraram alavancar.

    Acho que nenhum de nós discorda que a corrupção é uma chaga mundial e que, em especial, o Brasil passa por uma enorme necessidade neste aspecto da nossa cultura política e privada. E a corrupção mina a própria democracia.

    Comparar o julgamento da Ação Penal 470, ou o Mensalão do PT, com o julgamento dos inconfidentes não é nenhum problema. Pelo contrário, parece uma sacada boa, uma comparação interessante. Mas, de outro lado, no extremo é uma forçada de barra. Assim me parece.

    A realpolitik já aventada aqui pelo Otto (salvo engano) não é a política corrupta. Isto é uma distorção do verbete, um uso pejorativo. Deixando bem claro: Realpolitik é diferente de Corrupção. O termo é aplicável para entendermos que no dia-a-dia da política democrática muitas das vezes as ideologias são relegadas ao segundo plano para que governos possam atuar.

    As alianças políticas, desde que pragmáticas, são o maior exemplo da tal Realpolitik. Contrários se unem. Partidos com ideologias e programas diferentes acabam se unindo para que haja uma maioria capaz de sustentar determinado governo eleito honestamente, nas urnas.

    Não é de hoje que vivemos – e não só nós – um modelo em que a tal Realpolitik implicou em um desvio colossal. Passaram a comprar as alianças ao invés de dividir o poder de forma aceitável. Um bom exemplo seria um partido verde, ecológico, compor um governo de ideologia (a) ou (b) desde que recebesse a pasta do Meio Ambiente ou similar. Me parece aceitável. Desde que… esta aliança não seja por compra descarada de seus integrantes. Nesta segunda hipótese as ideologias e programas vão para o espaço e passa-se a viver o estado, ou império como gosto de nominar, da corrupção mesmo. Abandonam-se as bandeiras e a política passa para o vale tudo financeiro, corrupto, canalha.

    O que aconteceu no Brasil dos últimos tempos, no Brasil democrático pós ditadura militar, foi um paradoxo complicado. O país vive uma “tendência social-democrata” que nos fez melhor. Estabilizamos nossa moeda, criamos regras importantes de responsabilidade que coibiram a jogatina de muitos, passamos a entender o Estado como agente inibidor de maiores desigualdades sociais etc etc. E estamos muito melhor que estávamos.

    Mas o modelo corrupto da nossa política ganhou corpo, se estabeleceu, se musculou. Ao ponto, segundo meu entendimento, de ameaçar a própria democracia e a independência dos poderes. Já está mais que na hora de dar um basta neste caminho torto. Qualquer viajante sabe que se sair do rumo, um grau que seja, quanto mais tempo levar para consertar a trilha, mais distante ficará de seu objetivo.

    Minha esperança é que mudemos este rumo, ao menos um pouco, porque não estamos mais com um desvio de um grau somente, estamos nos derivando muito do rumo e aí nem sabemos onde mesmo vamos chegar. Só sabemos que certamente não será algo parecido com uma democracia plena, onde a vontade da maioria prevalece sobre a vontade de poderosas minorias.

    Neste caso em específico, se o julgamento não estabelecer novos parâmetros no âmbito jurídico que seja aplicado a todos, teremos um problemão e não haverá outra saída senão reformularmos o modelo todo. Porém, se o julgamento trouxer novos ares que iluminem nosso sistema judiciário a ser menos complacente com a corrupção, entendo que ganharemos um bocado.

    Como vivemos numa democracia, não vivemos somente de direitos, temos nossos deveres. Um deles é fiscalizar quem quer que seja, de que poder faça parte, executivo, legislativo e judiciário.

  102. Pax said

    Caro Otto, pelo que entendi o STF achou que:

    1 – os recebimentos de Duda Mendonça no Brasil foram legítimos. O cara prestou o serviço ao PT – e prestou mesmo, inegavelmente – e recebeu os honorários.

    2 – os recebimentos no exterior se salvaram por conta de uma norma mal escrita do Banco Central.

    Mas confesso que não sou capaz de ir mais longe que isso.

  103. Chesterton said

    Em documento, PT pretende pressionar o governo a aprovar marco regulatório para a imprensa

    Durante o 4º Congresso do partido, realizado neste final de semana, em Brasília, petistas discutiram coligações partidárias e reformas no estatuto

    Adriana Caitano
    O Congresso Nacional do Partido dos Trabalhadores (PT), realizado em Brasília, foi encerrado na tarde deste domingo com a aprovação de um texto que indica o posicionamento da legenda diante de questões como o controle à imprensa e as coligações para o período eleitoral. O texto final aprovado indica que PSDB, DEM e PPS são rivais absolutos do PT e que os meios de comunicação devem ser vigiados.

    Ao longo das 25 páginas da resolução concluída durante o encontro, há seguidas referências ao que o partido chama de “democratização dos meios de comunicação”. O partido tem a intenção de pressionar o governo e os parlamentares a aprovarem um marco regulatório para a imprensa. “A proposta deixada pelo ex-presidente Lula está sendo revisada pelo ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, depois será enviada ao Congresso e nós pretendemos auxiliar com nossa opinião”, afirmou o presidente da legenda, Rui Falcão.

    Uma emenda sugerida pelo próprio Falcão acrescentou à resolução formalizada no evento um trecho resumindo a estratégia de controle à imprensa: “Um novo marco regulatório que enfrente questões como o controle de meios por monopólios, a propriedade cruzada, a inexistência de uma Lei de Imprensa, a dificuldade para o direito de resposta, a regulamentação dos artigos da Constituição que tratam do assunto, a importância de um setor público de comunicação e das rádios e televisões comunitárias.”

    A resolução também evidencia a posição do PT sobre a reforma eleitoral, defendendo o financiamento público das campanhas e o voto em lista pré-ordenada, e deixa claro que as legendas de oposição são inimigas do partido, com as quais não haverá possibilidade de coligação. Para outros partidos, porém, não há restrições.

    Uma emenda para impedir alianças futuras com o PMDB chegou a ser apresentada, mas não recebeu apoio. Já o PSD, partido do prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, que ainda está em processo de criação, poderá ser aliado do PT. Mas a decisão final será do diretório nacional. “Ainda vamos avaliar porque não há como fechar aliança com um partido que nem existe”, afirmou Rui Falcão.

  104. Olá!

    Zbigniew,

    “Alias, tu justificas a postura do Serra e, por conseguinte, o estilo truculento de destratar e detratar o jornalista (uma pratica bastante comum do candidato) [. . .].”

    Já começou errando, Zbigniew. E o seu erro é duplo. Vi a entrevista do Serra e, sobretudo, o trecho no qual o Kennedy Alencar participa com a “pergunta” dele. O Serra não agiu com a truculência que vocês do PT tanto espalham por aí. Não houve gritarias, xingamentos e coisas desse gênero vindos do Serra. Usando um tom de voz calmo, o Serra apenas afirmou o óbvio: Que o dito “jornalista” não tinha embasado a sua pergunta em fatos e que o mesmo está a serviço dos interesses eleitorais de um partido. Quem lê as colunas do Alencar sabe que o segundo ponto é verdadeiro, pois em mais de uma ocasião o tal “jornalista” pôs a sua coluna a serviço do PT.

    Assim posto, Zbigniew, não houve da minha parte justificativas para a tal “truculência” do Serra simplesmente pelo fato de que tal “truculência” não existiu. Leia de novo o meu comentário, pois ele não é para justificar fatos inexistentes, mas, sim, para mostrar que o dito “jornalista” tem lado e jamais trataria o pessoal do lado dele da mesma maneira que ele trata aqueles que são vistos, por ele e pelos dele, como inimigos.

    “[. . .] [A]pontando o fato de que o pastor Silas Malafaia faz ou fez parte do Conselho Econômico e Social do governo federal (sic) e da contradicao/conveniencia do referido jornalista nunca ter feito uma pergunta ao Lula no contexto da homofobia. [. . .]”

    Bom, isso é um fato. O Kennedy Alencar nunca fez ao então presidente Lula cobranças seguindo a mesma veia poética daquela pergunta feita ao Serra sobre o Silas Malafaia e a homofobia. O Malafaia fez parte do Conselho Econômico e Social do Governo Lula e nunca o Kennedy Alencar foi até o Lula perguntar se um governo representante das bandeiras progressistas deveria ter entre os seus alguém que é visto como reacionário e homofóbico pela esquerda. E olha que o Alencar conseguiu, mais de uma vez, entrevistas exclusivas com o Lula.

    “[. . .] Reforça o argumento pelo fato de o jornalista ‘pegar leve’ no caso do mensalão [. . .].”

    Esse é outro fato. Em nenhuma das entrevistas exclusivas que o Kennedy Alencar teve com o então presidente Lula, o “jornalista” buscou ter como assunto principal o Mensalão. Em certas ocasiões, o que ele fazia era deixar a bola na marca do pênalti para o Lula marcar. Um troço ridículo. Nunca, mas nunca mesmo, o Kennedy Alencar teve a iniciativa de perguntar ao então presidente Lula se o Mensalão poderia ser visto como um golpe às instituições democráticas e republicanas do país (como o próprio Ministro Ayres Britto afirmou recentemente com todas as letras: O Mensalão foi um golpe!).

    “[. . .] [E] por ter sido assessor de imprensa do PT [. . .].”

    Você pode até não gostar, mas isso também é verdade. O Kennedy Alencar foi durante um tempo assessor de imprensa do PT. Para alguém ser assessor de imprensa de um partido como o PT, o cidadão precisa, pelo menos, ter certas afinidades com as práticas petistas e estar disposto a defender o partido mesmo sob situações indefensáveis (a exemplo do que você, Zbigniew, e os demais esquerdistas do site estão fazendo para defender o PT no Mensalão).

    “[. . .] [E] a partir dai um rosario de ilações sobre um possível tratamento privilegiado ao profissional.”

    Não são ilações, são fatos. O Kennedy Alencar já recebeu, sim, tratamento privilegiado do PT, basta ver que ele foi o jornalista que mais conseguiu entrevistas exclusivas com o então presidente Lula no período 2007-2010 e, também, foi o único jornalista de toda a grande imprensa a noticiar um resultado jurídico que nem mesmo os órgãos oficiais de justiça tinham liberado tal resultado ao público.

    Quem deu tudo isso ao Kennedy Alencar foi o PT e dado que tal partido considera qualquer um como um inimigo potencial, tais privilégios não vieram de graça. Eles têm um preço e o Kennedy Alencar soube muito bem retribuir essas bondades petistas, vide a pergunta ao Serra no contexto da homofobia, o tipo de coisa que ele, o Alencar, jamais faria a um petista.

    “Ou seja, desqualifica o Kennedy Alencar como entrevistador isento (a nao ser achismos) de um tema levantado pela campanha do próprio Serra que tem um viés discriminatório e homofobico [. . .].”

    Entrevistador o Kennedy Alencar pode até ser, apenas não o considero isento pelos seus vínculos partidários com o PT e, também, pela maneira como ele, em mais de uma ocasião, colocou a sua coluna na Folha de São Paulo a serviço de um partido político.

    A campanha do Serra tem um viés discriminatório e homofóbico? Diga aí, Zbigniew, se o Serra, caso eleito, pretende estabelecer leis que irão discriminar as pessoas por causa da orientação sexual delas. Isso, sim, seria homofobia.

    “[. . .] [E] que utiliza-se de um ventríloquo extremista que, se fez parte de um conselho do governo federal, NUNCA falou por esse mesmo governo em materia de politicas sociais e de educacao, muito menos em campanhas eleitorais”

    É a velha história: “Só foi Caixa 2!”.

    A questão verdadeira é que o Silas Malafaia fez parte, sim, do Conselho Econômico e Social do Governo Lula e nunca, mas nunca mesmo, “jornalistas” como o Kennedy Alencar fizeram críticas sobre isso no contexto da homofobia e nem vocês de esquerda reclamavam quando os votos dos evangélicos ajudavam (e ajudam) a aprovar as matérias dos governos Lula e Dilma no congresso. A isso se chama de hipocrisia.

    Quer dizer então que os evangélicos nunca influenciaram nada em matéria de políticas sociais e de educação nos governos Lula e Dilma, Zbigniew? Você tem noção da grande besteira que você está afirmando, Zbigniew?

    Você parece se esquecer de que a presidente Dilma na campanha de 2010 viu-se obrigada a assumir posições mais moralmente conservadoras por causa da pressão dos evangélicos. Lembra da Carta Aberta ao Povo de Deus, Zbigniew? Lembra também, Zbigniew, que o kit-gay só não foi adiante por causa da pressão dos evangélicos, o que obrigou a presidente Dilma a vir a público afirmar que tal kit-gay não seria levado às escolas e que o kit fazia propaganda de opção sexual?

    Veja só, Zbigniew, a grande influência que os evangélicos têm nos governos de vocês de esquerda. Mas, ao que parece, apenas o Serra é homofóbico e reacionário.

    “Essa aqui e ótima: conclui que o Kennedy Alencar, com a postura perante o Serra, estaria (pasmem!!!) fazendo propaganda política do Haddad. Essa conclusão e realmente de lascar! [. . .]”

    Esse tipo de coisa que o Kennedy Alencar fez nessa pergunta dele é algo que vem sendo feito sistematicamente desde uns tempos para cá, sobretudo depois que o PT chegou ao poder. Nas campanhas presidenciais de 2010, havia aqueles jornalistas toscos da TV Lula que viviam cercando o Serra e demais membros da oposição para perguntar se eles iriam acabar com o Bolsa Família, o ProUni e coisas tais. Nessa sua última pergunta, o Kennedy Alencar deu continuidade à essa tradição de utilizar os meios de imprensa para atacar os adversários partidários do PT, fazendo a estes perguntas que tais “jornalistas” jamais fariam a alguém do PT.

    “[. . .] A tua idéia de propaganda política esta bastante equivocada. Se partidária, o Kennedy deveria estar propagando um conteúdo programático e ideológico. Se eleitoral, tinha que estar pedindo voto. [. . .]”

    Você acha mesmo, Zbigniew, que um jornalista simpatizante do PT na grande imprensa iria a um extremo desses? É claro que não, ora. Até pelo fato de que tal jornalista gosta de se mostrar “isento” mesmo quando não é. É a velha história de ter um lado mas dando a entender que não tem lado nenhum. É o tipo de estratégia que só serve mesmo para enganar alguns trouxas.

    Enfim. . .

    Até!

    Marcelo

  105. Chesterton said

    Duda Mendonça não lavou dinheiro, e recolheu impostos.

  106. Otto said

    Pax:

    o dinheiro que o Duda recebeu foi através de offshores (aliás, como o Serra, na Privataria Tucana).

    Só que pra ele valeu a presunção da inocência, não o domínio do fato. Ele não era obrigado a saber que o dinheiro não era legal.

    Agora, para o Genuíno, não, mesmo sem ele saber, ele era culpado.

    Dois pesos, duas medidas…

  107. Pax said

    Caro Otto,

    Afirmar que Genoino não sabia é uma opção sua. Não foi a da maioria dos ministros. Aceito tua opinião, respeito, mas não consigo compartilhar.

    Aliás, parece que hoje há vários empates nas decisões sobre Duda e Zilmar, ou seja, nem mesmo os ministros tiveram maioria nesta decisão. Não sei bem, só olhei no twitter agora há pouco, por alto. Mais tarde vejo na Agência Brasil o que rolou.

    Mas, de novo, insisto, na minha humilde opinião o quadro todo chega a ser impeditivo para a conclusão que Genoino nada sabia da utilização do esquema. Sem querer me meter nas questões jurídicas que estão muito fora do meu alcance.

  108. Chesterton said

    recebi por e-mail.

  109. Otto said

    Pax:

    o STF não é infalível, você sabe. Em 1964 ele sancionou o golpe.

    O fato de sincronizarem o julgamento com os dois turnos das eleições, mostra pelo menos o quanto eles são títeres da mídia.

  110. Otto said

    … isso é hora de dar BOM DIA Serra?
    E ainda quer se eleger?
    Vai começar na prefeitura a trabalhar essa hora?
    Fala sério.

    Disse o eleitor no twitter. Eram 11:38 quando José Serra acordou, entrou no twitter e deu “bom dia”.

    É por isso que José Serra ganhou a fama de prefeito de meio expediente.

    O próprio tucano sempre confessou ser notívago. Nas eleições de 2010 disse em uma rádio que não dava para ficar de bom humor quando acordava cedo.

  111. Otto said

    IBOPE ACABA DE ENTERRAR SERRA: 60% X 40%!!!

  112. Otto said

    Comparem quem é o mais preparado para administra São Paulo:

    http://www.viomundo.com.br/politica/as-entrevistas-de-jose-serra-e-fernando-haddad-a-cbn.html

  113. Otto said

    Buemba! Buemba! Jornal Nacional omite resultado de pesquisa contratada pela própria Globo!

  114. Otto said

    Do twitter do Eduardo Guimarães:

    “Tem jornalista da Globo dizendo ter vergonha de trabalhar lá depois de a emissora encomendar pesquisa e esconder porque não saiu como queria.”

  115. Chesterton said

    A i pressão é realmente de que Serra quer salvar o PT….

  116. Chesterton said

    Penitência
    Fundador do PT, Plínio de Arruda Sampaio foi execrado por petistas no Twitter,ao advertir que a vitória de Haddad fortalece Lula e o mensalão. (CH)

  117. Jose Mario HRP said

    Não que eu queira levantar alguma suspeita, mas se fosse da oposição já colocava um monte de dinheiro nesse rolo!
    Será?

    http://ultimosegundo.ig.com.br/politica/2012-10-17/ministros-mudam-voto-e-apertam-placar-pela-absolvicao-de-duda-mendonca.html

  118. Chesterton said

    meu Deus do céu……

  119. Chesterton said

    Julgamento do mensalão pode ser usado contra torturadores, diz defesa de Ustra
    Para advogado do coronel que comandou DOI-Codi, uso da teoria do domínio do fato no STF deve mudar entendimento de casos futuros semelhantes ao de seu cliente

    Ricardo Galhardo – iG São Paulo | 18/10/2012 06:00:00

    A teoria jurídica do “domínio funcional do fato”, usada pelos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) para condenar alguns réus do mensalão , pode ser aplicada aos comandantes de repartições militares onde ocorreram crimes como torturas e assassinatos no período da ditadura. A opinião é do advogado Paulo Esteves, defensor coronel da reserva Carlos Alberto Brilhante Ustra, que entre 1970 e 1974 comandou o DOI-Codi, um dos piores centros de tortura do período militar (1964-1985).

    chest- que interessante. Só faltou dizer que serve tambem para condenar quadrilheiros subversivos terroristas (aliás, acho que foi esse o objetivo da informação).

  120. Pax said

    Da pescaria matinal…

    Voltando ao tema do post relativo ao mensalão do PT e o mensalão do PSDB.

    Ontem o ministro Joaquim Barbosa contou uma que eu realmente não sabia, que a tal Simone Vasconcelos, gerente nas empresas do Marcos Valério et caterva, trabalhou na campanha de Eduardo Azeredo onde, segundo o Ministério Público, houve a gênesis do esquema criminoso num julgamento que se arrasta tanto no STF quanto na Justiça mineira. Ou seja, a já condenada que levava dinheiro a granel em quartos de hotel para os mensaleiros de agora já era experiente no assunto, militante destes crimes, assim como seus patrões.

    Fonte:
    http://oglobo.globo.com/pais/barbosa-dirceu-comandava-nucleo-politico-ordenava-acoes-do-publicitario-6433109

    Trecho:

    – Segundo a denúncia, “para exata compreensão, é preciso salientar que Valério é um profissional do crime, já tendo prestado serviços ao PSDB na eleição de Eduardo Azeredo em Minas Gerais. Como forma de ilustrar a realidade, Simone Vasconcelos operadora do esquema, trabalhou na eleição de Azeredo e foi indicado por Valério. Foi nessa empreitada criminosa que ele adquiriu o conhecimento oferecido ao PT, que o grupo de Dirceu aceitou”.

    E agora a situação de José Dirceu se complica ainda mais. O carequinha mineiro chegava a “dominar” a agenda do ex-ministro da Casa Civil.

    Fonte:
    http://clippingmp.planejamento.gov.br/cadastros/noticias/2012/10/18/barbosa-diz-que-dirceu-comandava-o-mensalao

    Trecho:

    Segundo Barbosa, cabia a Marcos Valério, por exemplo, informar aos dirigentes do Rural a disponibilidade na agenda do então ministro da Casa Civil. Delúbio era, por sua vez, quem indicava os nomes dos deputados que poderiam sacar recursos do esquema no caixa do Banco Rural.

    Ou seja, meus amigos, voltando ao tema do post: Joaquim Barbosa, ao menos que me lembre, pela primeira vez lembra do mensalão tucano mineiro. Ricardo Lewandowski já havia lembrado neste julgamento do esquema anterior, mas não lembro de Barbosa tê-lo feito.

    E, para concluir, à além dos crimes que José Dirceu, Genoino e Delubio já estão condenados, insisto no ponto em que afirmo que os pecados da soberba e da burrice foram cometidos à exaustão neste caso.

  121. Pax said

    Off – eleições paulistas.

    Os coordenadores da campanha de Fernando Haddad estão eufóricos com a atuação do cabo eleitoral mais atuante de José Serra, o famoso titio.

    A cada tuitada do histérico Serra perde mais uns 1.000 votos na capital paulista.

    Afora o abraço de afogado que o pastor Silas Malafaia deu no candidato, o titio ainda lhe desfere golpes e mais golpes ao tentar ajudar o náufrago.

    Cada coisa que vejo na política nacional. De um lado a cúpula do PT adota o modelo e os operadores tucanos para seus malfeitos achando que nada poderia lhes acontecer. De outro o tucanato aposta em histeria e radicalismo religioso.

    Tá na hora de rever conceitos.

  122. Pax said

    Seguindo a tradição, a esquerda racha mas não falha… =)

    http://www.lucianagenro.com.br/2012/10/nota-ao-psol-sobre-as-aliancas-no-segundo-turno-em-macapa/

    Vão perder o Randolfo Rodrigues.

    E no PR, só falta o Ratinho Jr vencer o Gustavo Fruet que era o melhor tucano brasileiro. Era tão bom que o tucanato o mandou para fora do partido.

    Cada coisa que vejo na política nacional. Hora de rever conceitos.

  123. Zbigniew said

    Caro Marcelo, #104,

    respeito seu ponto de vista mas continuo achando equivocado. O Serra tem sido truculento e ainda que se possa achar o KA partidário a postura do candidato e de destempero e antipatia. Isto nao vai ajuda-lo em nada nestas eleições.

    Repare por volta dos 6min da gravação a seguir. Diferença de estilos?

    E aqui. Será que a repórter do uol também trabalhou pro PT?

    Sabes o resultado da parceria com o Silas Malafaia?

    “SERRA DESPENCA ENTRE OS EVANGÉLICOS” – Mais detalhes aqui:http://blogs.estadao.com.br/vox-publica/2012/10/17/efeito-malufaia-poe-uso-do-kit-gay-em-xeque/

    Serio. O PSDB precisa se reinventar porque com candidatos como esse nao vai a lugar nenhum. E isso e um raciocínio simples. Quanto mais extremado, menos votos. Porque o que a maioria das pessoas quer em política e moderação e bons resultados. O Serra fala e agride demais. Nem a velha midia ta agüentando mais o cara.

    Nem o FHC:
    Da Folha
    FHC critica a campanha de Serra e lamenta flerte com conservadores.
    http://www1.folha.uol.com.br/poder/1170959-fhc-critica-a-campanha-de-serra-e-lamenta-flerte-com-conservadores.shtml

    O Janio de Freitas, na Folha, também abordou o tema:

    “(…)
    Apesar daquelas oportunidades de aprendizado e compreensão, José Serra mantém um clima hostil e intimidatório na proximidade de repórteres. Daí seguem-se agressões verbais em direção errada e às quais não falta um componente de covardia, dada a improbabilidade da resposta adequada.
    (…)
    Diante disso, a disputa eleitoral em São Paulo-capital volta a ser submetida ao “kit Serra”, composto de insultos, desdizer-se, agressões verbais e mania de perseguição.”
    http://www1.folha.uol.com.br/fsp/poder/72630-kit-serra.shtml

    Enfim, na pratica a teoria e outra e o Serra, com este estilo, esta caminhando a passos largos para um polpuda e recheada aposentadoria compulsória.

  124. Pax said

    A imprensa é, sim, corporativista, como a maioria das atividades. Ao atacar o Kennedy Alencar o Serra deu mais um tirambaço em seu próprio pé. Jornalistas simpáticos a Serra e neutros tomaram as dores e agora atacam o tucano.

    Não bastasse as “ajudas” afogadas de Silas Malafaia e o titio histérico.

    Já há quem esteja estimulando as tuitadas do titio. Cada uma é mais voto para o Haddad.

    Essa gente não tem capacidade de aprendizado? É a única conclusão que posso chegar.

    Para não deixar de dar uma na ferradura, após martelar o cravo, coisa parecida acontece com o PT, sim. Atacam o Ministério Público, o STF, os ministros etc bem às vésperas da dosimetria das penas e já com os juízos proferidos na maioria das fatias do processo. E vão além, reunem-se às vistas da imprensa, a tal Chapa Majoritária, para aplaudir ZD e Genoino.

    Será que ajuda? Tenho cá minhas dúvidas.

  125. Patriarca da Paciência said

    De minha parte estou achando ótimos os cabos eleitorais do Serra – O silas e o Reinaldinho!

    Não poderia tê- los escolhidos melhor!

    O Serra não falha, ou como disse um ex-colega de ministério FHC, o Serra não muda!

  126. Olá!

    Zbigniew, é como já foi observado antes: Nessas eleições municipais de São Paulo, há uma campanha sistemática para atacar e desconstruir o candidato tucano, bem como dar tratamento mais ameno ao petista Haddad. A imprensa de São Paulo tem atuado consideravelmente nesse sentido.

    Isso já começa pela pergunta militante do Kennedy Alencar, que se baseou em um factóide da Mônica Bergamo publicado na Folha de São Paulo. Isto é, um não-fato é tratado como informação bona fide e transformado em tema eleitoral para prejudicar uma candidatura e, consequentemente, beneficiar a outra, colocando no candidato tucano o rótulo de hipócrita, homofóbico, conservador, obscurantista e reacionário. E, assim, busca-se a desconstrução de um candidato.

    Em nenhum momento o Haddad recebeu o mesmo tipo de tratamento. Isso é um fato. Cadê o Kennedy Alencar e suas perguntas capciosas para cobrar do Haddad o apoio que mensaleiros como José Dirceu está dando à sua candidatura? Ou então o apoio que políticos deletérios como o Maluf deram à candidatura petista? Ou então o estado de ruína que a administração dele deixou as universidades federais? Ou mesmo para cobrar alguns aspectos do kit-gay e do seu proselitismo homossexual (por exemplo, ser bissexual é legal e aumenta as chances de arrumar alguém para se relacionar)?

    Quantas vezes o Haddad teve jornalistas no seu encalço fazendo dele o mesmo tipo de cobranças que a jornalista do UOL fez do Serra? E olha que assunto não falta. Para citar apenas três: Apoios dos mensaleiros; apoio do Maluf; e o kit-gay de proselitismo homossexual.

    Essas eleições municipais de 2012 em São Paulo repetem o que era feito sistematicamente nas eleições presidenciais de 2010: Alguns acólitos do PT na imprensa livre e, também, na imprensa estatal e na imprensa comprada via dinheiro público viviam no rastro do Serra para perguntar se ele, caso eleito, iria acabar com o Bolsa-Família, o ProUni e coisas tais. É claro que ele não faria nada disso, mas perguntas assim eram feitas para criar factóides que, posteriormente, seriam lançados nas manchetes dos grandes jornais.

    O Haddad nunca passou por esse tipo de coisa e ninguém o cobra pelas coisas que ele próprio foi/é o responsável.

    Até!

    Marcelo

  127. Patriarca da Paciência said

    “José Serra, como se sabe, começou a campanha eleitoral contando com a simpatia escancarada de veículos como Veja, Folha de S. Paulo, Globo e Estado de S. Paulo. Entre os blogueiros, o mais entusiasmado serrista sempre foi Reinaldo Azevedo. Mas seria difícil imaginar que Reinaldo, com sua retórica pontuada pelo ódio, fosse capaz de dar o tom da campanha de Serra. Como foi isso o que aconteceu, Serra, segundo Reinaldo, hoje tem toda a imprensa paulistana contra si. Nada mais natural. Quem escolhe a companhia de Reinaldo, acaba ficando sozinho. Leia, abaixo, post do blogueiro que se intitula “Tio Rei”:

    http://www.brasil247.com/pt/247/midiatech/83348/Reinaldo-vê-toda-a-imprensa-contra-a-Serra.htm

  128. Jose Mario HRP said

    Patriarca, voce sugere então que o Reinaldo é o escorpião?
    Aquele que se defende com o rabo?
    Hummmmmmmm……

  129. Patriarca da Paciência said

    Meu caro HRP,

    longe de mim imaginar tal coisa!

    Mas um comentarista do 247 formulou uma idéia bem interessante. “Já pensou se o Serra e o Reinaldinho resolvem fazer sexo e nasce um filhos dos dois. Que criatura estranha não seria!”

  130. Patriarca da Paciência said

    Mas o Olavão está mais pirado ainda que o Reinaldinho!

    Acusou TODOS os brasileiros de serem de esquerda!

  131. Chesterton said

    Todo brasileiro (98%) quer viver às custas dos outros, logo são de esquerda.
    Pax, desça do salto alto que a eleição está longe de estar decidida.

  132. Zbigniew said

    Marcelo # 126,

    na entrevista do Haddad na CBN, sinceramente, nao observei que o KA tenha aliviado para o lado do candidato. Ele abordou o mesmo assunto (kit gay) e perqueriu com firmeza questões consideradas polemicas (por volta de 5min30s). A ancora foi no mesmo sentido. A diferença e que nao houve um tensionamento desnecessário como foi na entrevista do Serra.

    Quanto a toda a imprensa estar contra o Serra e provável que a insistência sobre um tema tenha deixado o candidato desconfortável a ponto de coloca-lo numa posição defensiva, principalmente por achar que essa mesma imprensa deveria ter comprado a sua linha de campanha e defendido sua posição, como estão fazendo o Reinaldo Azevedo e outros próceres da direita hidrofobica.

    Ocorre que o Serra já vem apresentando fadiga de material há algum tempo, exatamente por ter adotado um discurso conservador com um tom de enfrentamento, inclusive com conteúdos de natureza religiosa. Pelas ultimas pesquisas nao esta dando certo e aqueles que antes eram a favor, ou pelo neutros, já nao estão mais tão dóceis aos caprichos do candidato.

    Ao que parece o estilo “watchdog” dos “falcões” da Veja perdeu credibilidade e enfraqueceu-se, nao apenas por um discurso enfadonho e raivoso, mas principalmente por nao encontrar eco na realidade. O Serra prendeu-se a esta linha por achar que era fácil enganar as pessoas. Mas as pessoas nao se deixam enganar para sempre.

  133. Chesterton said

    recebida da inter-neta

    As pesquisas de mercado são manipuladas e não refletem a tendência do eleitorado.

    Um amigo meu realizou um levantamento por conta própria e concluiu que a próxima Presidente da República vai ser a mãe dele.

    Ele telefonou para 1.253 pessoas entre duas e quatro horas da madrugada e perguntou:

    – EM QUEM VOCÊ VAI VOTAR PARA PRESIDENTE?
    .
    .
    .
    .
    .
    .
    .
    .
    .
    .
    .
    .
    .
    .
    .
    .
    .
    .
    .
    .
    .
    .
    .
    .
    .
    .
    .
    .
    .
    .
    .
    .
    .
    .
    .

    Todos os entrevistados responderam: NA PUTA QUE TE PARIU.

  134. Pax said

    Chesterton, velho e bom Chesterton

    Não é ficar de sapato alto. Acho ruim que o Serra despenque assim.

    Entre Serra e Sarney, Renan, Collor etc nao teria dúvidas em votar no tucano. Serra não é o desastre que os petistas querem afirmar. ( vou arrumar uma confusão aqui, paciência)

    O que acho, sinceramente, é que ele perdeu a cabeça ao dar corda para gente muito ruim como o tal Silas e o titio que tem gente que chama de jagunço da Veja.

    Nessas ele sifu. Verdade seja dita.

    Agora resolveu atacar o jornalista Kennedy Alencar e sifu de novo. Jornalista, como a maioria das profissões, é corporativista.

    Estivesse nos sapatos do comando da campanha do Serra mudaria o tom. Estes ataques tem se mostrado tiros nos pés. Um atrás do outro.

    Enviado via iPhone

  135. Pax said

    Ah, inclua o Temer na lista acima.

    Enviado via iPhone

  136. Edu said

    Michelle,

    Eu particularmente não gosto do Serra, já me manifestei aqui nesse sentido. Para quem trabalha em empresa e vive em ambiente corporativo, eu até entendo que um gestor muitas vezes, e eu digo muitas vezes mesmo, não tem que ser simpático com ninguém, ele tem que fazer um trabalho bem feito, ele tem que mostrar resultados e usar dos recursos humanos disponíveis para ajudá-lo a fazer isso, e quando a equipe carece de competência, o gestor tem que ser enérgico e bravo mesmo. No entanto ser um gestor político envolve fazer concessões, envolve convencimento, também envolve liderança, e o Serra não tem essas características. Todas as outras ele tem e já provou ter.

    Embora haja claramente uma diferença em termos de capacidade de gestão (que eu já disse antes) entre o Haddad e o Serra, minha análise então caminharia para um outro lado: todas as vezes que o Serra ocupou cargos executivos, ele saneou as contas de responsabilidade dele. Seja na prefeitura de SP, seja no governo do estado de SP. Já o PT tem o histórico de provocar mais dívidas. A esquerda, para governar se endivida mais, isso é histórico, isso é ideológico, e, na minha opinião, como simpatizante da direita, isso é errado. E justamente por pensar que isso é errado eu não votaria no Haddad.

    Serve como resposta?

  137. Edu said

    Otto,

    “Quanto ao termo “luta social”, não creio que isto não tenha ocorrido na Escandinávia, entendendo-se a luta social não apenas como escaramuças nas ruas ou ocupação de prédios públicos, mas também e sobretudo como debates de ideias, eleições, greves… A diferença é que lá houve uma elite que soube ceder, talvez pelo medo do que ocorria ao lado (a URSS)”

    Com essa resposta eu vou ter que ser mais incisivo cara.

    Quando que “luta social” mudou de significado nos dicionários marxistas? Poxa vida Otto, isso é desonestidade intelectual.

    Luta social é a luta de classes: elite opressora X trabalhador coitadinho. Não tem nada a ver com debate de idéias.

    Debate de ideias para mim é o seguinte: a esquerda acredita que investir no social vem antes de investir em estrutura sem se preocupar com gastos e a direita acredita que o controle dos gastos vem primeiro e o investimento nas oportunidades vem antes dos investimentos no social; a esquerda ajuda diretamente as pessoas, a direita busca dar oportunidades a elas.

    Daí a resposta que eu dei: eu não me importo de passar por um período de governo de esquerda, porque apesar de discordar dessa postura ideológica de ajudar diretamente as pessoas, eu concordo que às vezes isso pode favorecer pessoas miseráveis que realmente precisem, afinal, assim como eu não generalizo que todo branco de classe média é elite, eu tbm não generalizo que todo pobre é vagabundo.

    Acho que isso encerra a primeira parte.

    A segunda parte sobre a elite ceder. Como assim ceder? Pelo que eu entendi, o problema não foi da elite x povo, mas de quem estava no poder x quem não estava no poder, independentemente se era elite ou não. Quem estava no poder teve que ceder à pressão pela diminuição de corrupção, porque parece que esses países aos quais nos referimos passaram por períodos onde a corrupção foi bastante grave.

    Posso estar enganado sobre tudo isso, porque não conheço a história desses países, mas duvido muito que foi o modelo russo que motivou essa revolução ética. Até porque é uma contradição: vc resolve assumir um modelo social-democrata por medo do socialismo puro? Para mim é o contrário: vc se organiza para não perder a liberdade do capitalismo até o limite da social-democracia.

  138. Edu said

    Eu acho que o Olavão está errado:

    Na verdade, a direita do Brasil está sendo enganada por um partido chamado PSDB.

    E eu tbm discordo de alguém que disse que o PSDB é o reduto da direita reacionária.

    O PSDB definitivamente não dá conta de representar a direita, do meu modesto ponto de vista.

  139. Otto said

    Genial esta análise. Edu, estou correndo, depois te repondo com calma ao seu post.

    ARCUS VINÍCIUS

    18 DE OUTUBRO DE 2012 ÀS 14:45

    Por que Duda Mendonça não foi condenado com base no “Fato Motivador”, como foram os réus do núcleo político diante da ausência completa de provas da PGR?

    Além de filósofo, economista e “pai do comunismo”, Karl Marx batia um bolão como jornalista. No próximo 25 de outubro completa-se 151 anos de uma das análises mais contundentes sobre a Guerra da Secessão. O texto foi escrito por Marx para o Die Presse, um diário austríaco burguês de tendência liberal, e mostra como a Corte Suprema dos Estados Unidos se tornou o último bastião das elites escravistas do Sul contra os brancos livres do Norte.

    As elites sulistas se valiam de seu domínio sobre o Congresso Norte-Americano para manter e ampliar o regime escravagista. Esse poder, no entanto, erodia-se devido ao crescimento acelerado da população dos estados do Norte e Nordeste, não escravistas. Como a representação na Câmara dos Representantes é ligada à população dos estados, e as populações dos estados livres cresciam acima daquela dos estados escravistas, as elites escravistas perdiam gradativamente o controle da Câmara e dependiam cada vez mais do Senado, onde cada estado, independente da população, tinha dois representantes.

    Ocorre que, os senhores de escravos também estavam perdendo o controle do Senado e para manter o status quo se valeram da JUDICIALIZAÇÃO DA POLÍTICA. Notou aí semelhanças com as elites do Brasil? Sim, as elites norte-americanas recorreram à Corte Suprema dos EUA para garantir seus privilégios, e foram os Juízes Supremos, que segundo Marx, deram veredicto pela escravidão:

    “Ela (Corte Suprema) decidiu, em 1857, no notório caso Dred Scott, que todo cidadão americano possui o direito de levar consigo para qualquer território qualquer propriedade reconhecida pela Constituição. Consequentemente, com base na Constituição, os escravos poderiam ser forçados pelos seus donos a trabalhar nos territórios. E assim todo senhor de escravos estaria individualmente habilitado a introduzir a escravatura em territórios até agora livres conta a vontade da maioria dos colonos. O direito de eliminar a escravidão foi tirado das legislaturas territoriais e o dever de proteger os pioneiros do sistema escravagista foi imposto ao Congresso e ao governo da União (pela Corte Suprema)”.

    Luta de classes

    No Brasil, desde a eleição do presidente Luis Inácio Lula da Silva (PT), as elites conservadoras, que se valeram do Golpe Militar de 1964 para chegar ao poder, têm perdido gradativamente espaço na Câmara Federal e no Senado. O DEM (ex-PFL, ex-PDS, ex-Arena), desmilinguiu-se. No período(1995-2002) de governo do presidente Fernando Henrique Cardoso(PSDB) o partido chegou a ter 105 deputados federais e 17 senadores na legislatura de 1999. Os eleitos em 2010 foram 4 senadores e 43 deputados, número que reduziu-se a 28, pela migração para outras siglas como o PSD. Em 2004 o PFL tinha 6.460. Em 2012 o DEM reduziu-se a 3.271, ou seja 3.189 vereadores a menos! Em 1996, o PFL elegeu 934 prefeitos, saltou a 1.028 no ano 2000 e em 2012, o DEM elegeu somente 271, ou seja 757 prefeitos a menos!

    Até o segundo mandato do presidente Lula, o equilíbrio de forças no Senado era desfavorável ao petista. Com a eleição de sua sucessora, a aliança trabalhista formada por PT-PMDB-PSB-PC do B-PDT e outros partidos, passou a ter domínio no Congresso Nacional. A presidenta Dilma Roussef assumiu com uma bancada de 311 votos(de 513) na Câmara Federal e de 50(de 81) no Senado. Assim como Karl Marx testemunhou a JUDICIALIZAÇÃO DA POLÍTICA via Corte Suprema nos EUA, numa reação conservadora a perda de comando no Legislativo, o Brasil assiste movimento similar, no STF que se expressa com mais vigor no julgamento da Ação 470, o dito, “Julgamento do Mensalão”.

    Exagero? Não.

    O que justifica que no julgamento do publicitário Duda Mendonça os ministros do Supremo Tribunal Federal tenham considerado lícito o pagamento de seus serviços na campanha de 2002, com recursos oriundos do Banco Rural, mas em relação aos empréstimos feitos no mesmo banco, para pagamento de despesas de campanha no PR, de Waldemar Costa Neto, no PP, de Pedro Henry, ou pelo PT de Delúbio Soares e José Genoíno, o mesmo dinheiro do Banco Rural transformou-se em “corrupção passiva” e lavagem de dinheiro?

    Não houve, nos dois casos, pagamento de despesas de campanha?

    Por que apesar da ausência completa de provas no relatório da Procuradoria Geral da República, os chamados “réus do núcleo político” foram condenados com base no “Fato Motivador”, no entanto, apesar do esculacho do ministro Joaquim Barbosa contra o procurador Roberto Gurgel, pela PGR não ter produzido provas contra Duda Mendonça, o empresário não foi enquadrado no mesmo “Fato Motivador”?

    O Fato Motivador só se aplica a Puta, Preto, Pobre e Petista, como diria o ator José de Abreu?

    Por que o caixa dois do PSDB, o chamado “Mensalão Tucano”, efetivado na tentativa de reeleição do governador Eduardo Azeredo em 1998, teve seu processo desmembrado para julgamento em 1ª e 2ª instâncias, enquanto o “mensalão do PT” teve direito a apenas uma instância de julgamento?

    Por que o ministro relator, que colheu as provas na fase de inquérito, também participa do julgamento, tal e qual nos Tribunais da Inquisição?

    As respostas estão novamente na análise cento-cinquentenária de Karl Max: as elites, quando perdem o poder popular, recorrem aos últimos nacos de poder que controlam: seus pares no judiciário e às armas.

    Em 1860 foram à guerra contra Lincoln. Em 1964, ao golpe contra Jango. E em 2012, ao STF contra Lula e o PT.

    Nos EUA, os aristocratas do Sul, no Brasil, os Barões da Mídia a comandar a Corte Suprema.

    Ah, diriam alguns, mas o relator da Ação 470, Joaquim Barbosa é um filho do povo, um ministro cujo pai era pedreiro, que veio do interior do país, de Paracatu-MG. Sim, de lar humilde, mas, ao que tudo indica, sem compromissos com sua classe de origem, pois somente isto justifica sua frase: “Presidente, o Supremo Tribunal Federal não tem que dar satisfação a ninguém!”

    Se o Supremo como Poder da República, segundo o ministro Barbosa, não deve satisfações ao povo, é porque do povo está divorciado. Se a Corte Suprema Brasileira não está casada com o povo que banca neste ano de 2012, com impostos, os R$ 614,073 milhões aprovados na LDO para manutenção do STF, cumpre a este povo perguntar: a quem serve o STF?

    Marx responderia: “Serve às elites, estúpido”!

    http://www.brasil247.com/pt/247/brasil/83388/Marx-diria-STF-serve-%C3%A0s-elites-est%C3%BApido!.htm

  140. Otto said

    “A maior rede de televisão do país contrata uma pesquisa sobre a disputa eleitoral em São Paulo; omite o resultado esfericamente desfavorável a seu candidato no telejornal de maior audiência. O relator de um julgamento polêmico contra o maior partido de esquerda da América Latina estabelece um calendário desfrutável e acopla os trabalhos ao processo eleitoral em curso; na véspera do primeiro turno oferece as cabeças de algumas das principais lideranças partidárias à boca de urna conservadora; agora, alega consulta médica –na Alemanha– para acelerar o anúncio das penas, 48 horas antes do 2º turno. O candidato do conservadorismo em baixa nas pesquisas age com deselegância contra jornalistas, dispara ofensas no ar e boicota desairosamente os que não seguem a pauta de sua conveniência. Os editoriais e colunistas da indignação seletiva emudecem miseravelmente.”

    Do Carta Maior, hoje.

  141. Otto said

    Pax:

    São Paulo está um caos e o Serra é um bom administrador?

    Só se for pro bolso dele.

    Aliás, vc. leu Privataria Tucana, o livro com provas e não domínio do fato?

  142. Otto said

    Edu:

    a luta social é mais ampla que a luta de classes, pois pode se dar entre gêneros, etnias etc.

    Concorde ou não, a luta de classes (associada a outras lutas, transversais) é o motor da sociedade. E se dá de várias maneiras, como o artigo postado por mim acima mostra, quando esta luta se deu na Suprema Corte Americana entre a aristocracia decadente e a nova burguesia ascendente.

    Você acha que a burguesia desbancou a nobreza num chá de comadres? Quantas guerras, revoltas, revoluções ocorreram entre o século XV e XIX, para que a burguesia assumisse o poder do Estado!

    “Quando que “luta social” mudou de significado nos dicionários marxistas? Poxa vida Otto, isso é desonestidade intelectual.”

    Cara, você não leu Gramsci e Altusser. Luta social também se dá na mídia, na academia, nas conversas de botecos, nos blogs, em discussões como esta. É uma luta pela hegemonia, pela narrativa que vai interpretar a história. Estamos assistindo a isto no Brasil agora, por exemplo, com o embate entre velha mídia e novas mídias.

    “Luta social é a luta de classes: elite opressora X trabalhador coitadinho. Não tem nada a ver com debate de idéias.”

    Pelo jeito você não conhece o pensamento de esquerda, mas apenas versões caricatas dele.

    Quanto à Escandinávia (e a Europa ocidental e central como uma todo), havia uma elite obviamente, e diante da perspectiva de perder tudo com uma revolução, eles cederam os anéis pra não perder os dedos. Esta a razão da construção do estado do bem estar social. Deram para o trabalhador educação e saúde pública de qualidade, bons salários, segurança etc. contanto que ele não se apropriasse dos meios de produção.

    Agora que o “perigo vermelho” acabou — ou foi substituído pelo espectro islâmico — os capitalistas, por meio da Troika, tratam de pegar os anéis de volta. Esta é a explicação do recente e constante empobrecimento do trabalhador nos EUA e na periferia do Euro. O resto é ideologia, ou seja, uma visão distorcida da realidade.

  143. Pax said

    Caro Otto,

    Por favor não coloque palavras no meu texto. Leia de novo.

  144. Pax said

    Celso de Mello prestou um enorme elogio ao Ricardo Lewandokski após este ter absolvido os réus da imputação de formação de quadrilha.

    Mello afirmou que Lewandowski provocou o STF ao rigor de vários aspectos do julgamento ao contrapor as interpretações, juízos, de Joaquim Barbosa.

    Enquanto a turma histérica da oposição acusa Lewandowski de ser lulista e outros absurdos, o decano do STF – seguido do presidente Ayres Brito – o elogia exatamente por exigir do colegiado toda desenvoltura neste julgamento.

    Cá do meu canto leigo, concordo com Celso de Mello. Ricardo Lewandowski merece elogios, sim.

  145. Chesterton said

    Eu acho que o Olavão está errado:

    Na verdade, a direita do Brasil está sendo enganada por um partido chamado PSDB.

    chest- Edu, você nunca leu nada sobre o que o Olavão diz sobre o PSDB. Olha o “S”, “esssse” de que mesmo?
    De novo, tal qual FHC apoiou Lula contra Serra, Serra quer salvar o PT dando a prefeitura para o Hadda ( que convenhamos, é uma besta).

  146. Chesterton said

    Da sempre atenta professora Mara Montezuma Assaf, descrevendo o verdedeiro perfil do PT:

    “O momento que vivemos torna oportuno recordarmos uma frase do falecido Mauro Chaves, jornalista, advogado, artista plástico e editorialista do Estadão, a respeito dos políticos filiados ao PT: “Eles são falsos, mentirosos, aleivosos.Eles passaram mais de duas décadas fingindo ser o que nunca foram.Eles se tornaram uma cambada de ladrões que preparou, durante muito tempo, um grande golpe. O golpe da ascensão social sem o esforço do aprendizado e sem o trabalho produtivo…” (Mauro Chaves, Estadão, 23/07/2005)

    “Mauro estaria feliz se vivo fosse…a máscara da mentira está sendo arrancada deles pela força da lei, principalmente graças a um ministro do Supremo Tribunal Federal , um negro de origem pobre mas digna, que ao contrário de Lula ,fez questão de estudar , trabalhou duro para poder formar-se advogado, estudou durante anos na Europa, fala várias línguas, é exímio pianista…palmo a palmo conquistou seu mundo e hoje esbanja dignidade e sabedoria nas audiências do STF julgando com o rigor da lei os mensaleiros. Mauro Chaves estaria mesmo feliz!”

  147. Pax said

    De direita mesmo, no Brasil, talvez sejam o DEM e o PP

  148. Chesterton said

    Centro….

  149. Chesterton said

    para o ax, quando tiver tempo

    http://www.thedailybeast.com/newsweek/2012/08/19/niall-ferguson-on-why-barack-obama-needs-to-go.html

  150. Edu said

    Chest,

    Pois é.

    Pax,

    Pode até ser, eu pelo menos não me identifico com nenhum deles.

  151. Patriarca da Paciência said

    O Pax mostrou preocupação que o Fruet poderia perder a eleição.

    Pelo jeito não corre o menor perigo.

    Repete-se a mesma situação de São Paulo, onde Haddad tem 60% dos votos válidos.

    Após pesquisa do Instituto IRG apontar vantagem de 12 pontos de Gustavo Fruet (PDT) sobre Ratinho Júnior na disputa de segundo turno à Prefeitura de Curitiba, levantamento do Datafolha revela distância ainda maior entre os dois candidatos. De acordo com o instituto, Fruet tem 52% das intenções de votos, enquanto seu adversário aparece com 36%.

    Quando se trata de votos válidos, Fruet aparece com 60% e Ratinho, 40%, pois 8% dos entrevistados afirmaram que votarão em branco ou nulo e os indecisos somam 4%. As pesquisas de segundo turno revertem o quadro estabelecido no primeiro turno, quando Fruet ultrapassou o prefeito Luciano Ducci (PSB) na reta final de campanha.

    http://www.brasil247.com/pt/247/parana247/83416/Pesquisa-aponta-Fruet-16-pontos-à-frente-de-Ratinho-Pesquisa-aponta-Fruet-16-pontos-frente-Ratinho.htm

  152. Patriarca da Paciência said

    “Ah, diriam alguns, mas o relator da Ação 470, Joaquim Barbosa é um filho do povo, um ministro cujo pai era pedreiro, que veio do interior do país, de Paracatu-MG. Sim, de lar humilde, mas, ao que tudo indica, sem compromissos com sua classe de origem, pois somente isto justifica sua frase: “Presidente, o Supremo Tribunal Federal não tem que dar satisfação a ninguém!”

    Se o Supremo como Poder da República, segundo o ministro Barbosa, não deve satisfações ao povo, é porque do povo está divorciado. Se a Corte Suprema Brasileira não está casada com o povo que banca neste ano de 2012, com impostos, os R$ 614,073 milhões aprovados na LDO para manutenção do STF, cumpre a este povo perguntar: a quem serve o STF?

    Marx responderia: “Serve às elites, estúpido”!

    Sinceramente, eu também acho o Barbosão bem estranho.

    Uma vez eu assisti a uma entrevista do Brizola onde ele dizia que o “capitão do mato”, aquele escravo que era encarregado de caçar os escravos fugitivos, era bem mais cruel dos que os fazendeiros!

    O Barbosão se arvorou mesmo de inquisidor!

    Ora não ter que dar satisfações a ninguém!

    Será que nem à própria Constituição?

  153. Chesterton said

    Pax, decifra

    PPDVCCMC

  154. Michelle said

    Que eu saiba racismo dá cadeia até para o dono do blog.
    Mas como já sabemos …hehehe

  155. Michelle said

    Corrigindo meu comentário anterior:
    Que eu saiba racismo PODE dar cadeia até par o dono do blog.
    Mas como já sabemos…hehehe

  156. Chesterton said

    Patriarca é racista.

  157. Michelle said

    Oi Edu grata pela resposta.
    Bingo. Não esperava outra resposta.
    Além do mais, cavalheiresca. Coisa rara hoje em dia.

    Vamos adiante.
    Hei Hei Hei Pax é o meu tio rei…hehehe
    Tenho que me comportar.Senão…

  158. Patriarca da Paciência said

    “O candidato do PT à prefeitura de São Paulo, Fernando Haddad, lidera a corrida do segundo turno e abre 17 pontos de vantagem em relação a José Serra (PSDB) a dez dias do pleito. Segundo pesquisa Datafolha, divulgada nesta sexta pelo jornal Folha de S. Paulo, Haddad tem 49% das intenções de voto totais contra 32% de Serra. A margem de erro é de dois pontos percentuais, para mais ou para menos.”

    “O levantamento aponta também que a rejeição de Serra chegou a 52%. No último Datafolha antes do primeiro turno, nos dias 5 e 6 deste mês, 42% dos eleitores diziam que não votariam no tucano. É a primeira vez que mais da metade do eleitorado rejeita Serra.”

    http://www.jb.com.br/eleicoes-2012/noticias/2012/10/19/datafolha-haddad-abre-17-pontos-de-vantagem-sobre-serra-em-sp/

  159. Patriarca da Paciência said

    Rejeição de 52%!

    Silas Malafaia e Reinaldinho Cabeção, continuem, continuem, vocês é que são os “donos da verdade”.

  160. Pax said

    O debate de ontem foi muito ruim. Não consegui acompanhar tudo de tão chato. Ruim para os dois.

    Como Haddad está à frente do Serra foi pior para este segundo.

  161. Pax said

    Acabo de ouvir na Band News o Boechat falando que os petistas atacam Joaquim Barbosa ao extremo e que, no outro extremo deveriam atacar o Lewandowski.

    Pois bem, me permito discordar.

    Ontem no final da “assentada” do STF, após o voto em que Lewandowski absolveu todos os réus de formação de quadrilha, o ministro Celso de Mello, decano do tribunal, fez um enorme elogio à atuação de Lewandowski afirmando que este faz um trabalho excepcional neste julgamento por provocar nos pares a exigência requerida para julgar este processo.

    Lavagem de dinheiro e formação de quadrilha são dois itens que têm tantas divergências de interpretação no STF que seriam suficientes para uma revisão das leis em questão.

    No meu ponto de vista tanto Barbosa quanto Lewandowski são merecedores dos maiores elogios, sim. Ainda bem que há ponto, contraponto, discussão e conclusão. Cá do meu canto sinto mais tranquilidade ao observar a atuação do STF, em especial neste caso.

  162. Zbigniew said

    O julgamento da AP 470 no STF tem como principal objetivo garantir a possibilidade da manutenção das principais forcas conservadoras no campo político. Com o PSDB, claro. Nao fosse assim nao haveria a coincidência de datas para os desfechos no primeiro, e agora, no segundo turno. Tampouco a utilização do tema pelo candidato José Serra.

    Outrossim a utilização de uma nova jurisprudência – que já teve seu primeiro teste de vacilo com o julgamento do Duda Mendonça – revela-se feita sob medida para uma determinada agremiação e ideologia, e que prepara terreno para alcançar o ex-Presidente Lula, num processo que, se tudo for conforme tais forcas políticas desejam, culminara com o julgamento do mesmo as vésperas das eleições de 2014.

    Tudo isso porque os estertores das velhas forcas conservadoras se aproximam, e, quando nao da pra diminuir ou eliminar os adversários pelas urnas, nada como novas jurisprudências para resolver nos tribunais.

    Os efeitos nas urnas nao foram o que a velha midia e seus articulistas esperavam. A ponta de lança do conservadorismo brasileiro esta entre de decepcionada e delirante (a Globo preferiu nao divulgar o ultimo resultado da pesquisa IBOPE no seu JN). Dependendo de como for as eleições em São Paulo no segundo turno e possível que a velha midia se isole cada vez mais num mundo próprio e destacado dos interesses da maioria da população.

  163. Jose Mario HRP said

    Corra, Serra, corra! Faltam apenas 7 pontos para alcançar recorde de rejeição de Maluf – 59%

    Tirado do Blog do Mello.
    Uma boa leitura.

  164. Chesterton said

    Ontem no final da “assentada” do STF, após o voto em que Lewandowski absolveu todos os réus de formação de quadrilha, o ministro Celso de Mello, decano do tribunal, fez um enorme elogio à atuação de Lewandowski afirmando que este faz um trabalho excepcional neste julgamento por provocar nos pares a exigência requerida para julgar este processo.

    chest- Pax, não entendeu a ironia?

    Com o PSDB, claro. Nao fosse assim nao haveria a coincidência de datas para os desfechos no primeiro, e agora, no segundo turno.

    chest- muito melhor seria para o PSDB se a eleição se realizasse com o julgamento terminado antes do primeiro turno. Se assim não fosse, Lewandowski “porfora” não teria feito tantas tramoias para atrasar o dito cujo.

  165. Jose Mario HRP said

    A execução das penas deve ficar para as calendas.
    Mesmo sob a pressão do Gurgel as penas devem ser impostas na sua base mínima.
    E os recursos em transito devem demorar mais de ano e meio até serem julgados na integra, muito diferente do que a mídia divulga.
    Portanto veremos lá por 2014 a volta desse fantasma de lençol furado na eleição presidencial , pelo menos em sua fase inicial.
    Ufa!
    Oposição manterá alguma bandeira afinal.
    Não fosse isso e seria o fim!

  166. Jose Mario HRP said

    Chest esqueceu que há dois dias Gilmar e Barbosa mudaram seus votos quanto a Duda, usando do mesmo expediente tão criticado.

  167. Otto said

    Pax, veja porque eu acho que essa nova jurisprudência do STF só vale para um lado.

    De um comentarista do Nassif:

    “É impossível, de acordo com a Teoria “Domínio do Fato” recentemente adotada pelo STF, que o mesmo tribunal rejeite denúncia contra Garotinho no caso de Campos, em 2004.

    O ocorrido em Campos foi um escândalo, diversos funcionários do governo estadual do primeiro escalão (inclusive secretários estaduais) foram prá lá na véspera da eleição somente prá “trabalhar” para o candidato de Garotinho, pois não existia perspectiva de vitória tranquila para o fraco Pudim.

    Se o hábil Garotinho mexeu os pauzinhos, por outro lado é impossível negar o conhecimento do então governador sobre a compra de votos em sua cidade, ou seja, caso típico de “Domínio do Fato”.

    Daqui em diante, o STF nos oferecerá um série de exemplos sobre a sua rotina de “um peso, oito medidas”.

    http://www.advivo.com.br/blog/luisnassif/a-denuncia-de-compra-de-votos-contra-garotinho

  168. Pax said

    Caro Otto,

    Tb achei estranha essa decisão sobre este caso em Campos. Mas…

    Como nao acompanhei como acompanho a ap470 fica difícil dizer qua A = B

    Enviado via iPhone

  169. Edu said

    E o índice de rejeição do Serra ganhará as eleições para o incompetente Haddad…

    O PSDB não podia ser mais burro!

    Coitados dos paulistanos.

  170. Edu said

    Eu tenho uma dúvida, ou uma dívida:

    Nenhum executivo assume a presidência de uma empresa falida, a menos que:

    1 – Tenha um histórico curricular impressionante de recuperação de empresas
    2 – Seja louco

    Por que um político se compromete a assumir uma gestão endividada como a do Kassab?

    Políticos não costumam conquistar popularidade (nem com o povo e nem com outros partidos) por austeridade fiscal, na verdade, parte da rejeição do Serra é justamente originada pela sua austeridade fiscal.

    Fico pensando no que o Haddad vai fazer:

    1 – Se ele optar por sanear as contas da cidade: ele decepcionará muito a população que votou nele.
    2 – Se ele se esquecer das contas da cidade: ele nunca mais irá se reeleger em SP

    —X—

    Paralelo a isso, penso no seguinte, vejam se estou viajando muito:

    Se o objetivo do PT é tirar dos ricos e dar aos pobres, não há o menor sentido em conquistar SP.

    O PT em SP significa liberar SP do compromisso de superávit primário, que significa parar de contribuir com as contas do governo federal.

    SP com as contas em dia, para o governo federal, grosso modo, significa que o governo federal pode ser menos austero com o superávit primário de regiões mais pobres como o norte e nordeste.

    SP dominado pelo PT e sem as contas em dia, o governo federal pode ter um sério problema de arrecadação e endividamento, estragando de uma vez por todas a herança superavitária que o FHC deixou e permitiu que o Lula fizesse a gracinha dele de ser “credor” no FMI.

    Qual é o interesse político por trás disso? Já que os benefícios de médio/longo prazo parecem ruins, pelo menos no que diz respeito aos aspectos financeiros…

  171. Chesterton said

    Barbosão e Leva….

  172. Patriarca da Paciência said

    “Se o objetivo do PT é tirar dos ricos e dar aos pobres, não há o menor sentido em conquistar SP. ”

    Meu caro Edu,

    realmente, um raciocínio desses é de lascar!

    Se não me engano quem fazia isso era o LENDÁRIO Robin Hood!

    A idéia que você faz do PT é essa mesma?

    Tem gente que acha que todo socialista tem a obrigação de ser santo.

    Você pensa assim também, acha que todo socialista é santo?

    Você acha que os ricos ficaram menos ricos no governo Lula?

    Ou será que foram apenas os mais pobres que ficaram menos pobres?

  173. Edu said

    Patriarca,

    Não é essa a ideia que eu faço do PT.

    Essa é a ideia que o PT vende à população inteira do país: luta de classes, como dito ao Otto.

    Ok, existe a “definição” gramsciana, mas como ele mesmo disse: luta de classes sempre foi na base da porrada.

    Aliás, na verdade eu diria que a história da burguesia versus nobreza não era uma luta de classes no sentido de riqueza, era uma luta de classes no sentido de origem social, mesmo porque, para se sustentarem no poder, os reis se baseavam no dinheiro da nobreza e passaram a se valer do dinheiro da burguesia, ou seja, os burgueses não eram nada pobres. Eles também tinham bastante dinheiro.

    A ideia de que a luta de classes deve ser feita nos jornais, na mídia, na academia, na verdade é um eufemismo dessa luta de classes de Robin Hood, que vcs oscilam, ora esbravejando isso claramente, ora escondendo isso.

    Isso podemos ver claramente: o discurso de um comício, de um líder sindical, as falas dos líderes dos MST estão carregadas de “luta de classes” no sentido mais Robin Hoodiano que pode existir.

    Só que quando eu digo que essa luta de classes de “tomar dos ricos e dar aos pobres” é ridícula, vcs dizem que não é bem assim…

    Acho que a esquerda toda, inclusive o PT, deveria se posicionar melhor quanto a isso Patriarca. Eu cansei de dizer aqui que eu não acho ruins as ideias de esquerda, eu só não confio nas pessoas que as defendem por serem inconstantes e incoerentes…

  174. Pax said

    Creio que o “inventor” do estado social domocrata deva estar em rodeios no seu túmulo.

    Caramba. Quanta distorção do papel do Estado.

    Estou na estrada. Prometo para o fim de semana um post sobre o STF e, quando der, outro sobre esta discussão.

    Alias há um aqui sobre Estado Forte, salvo engano.

    Muito boa a charge que o Chesterton, velho e bom Chesterton colocou acima.

    Enviado via iPhone

  175. Chesterton said

    Tem gente que acha que todo socialista tem a obrigação de ser santo.
    Você pensa assim também, acha que todo socialista é santo?

    chest- todo socialista se diz santo e é um fdp.

  176. Chesterton said

    quem vota no PT vota em bandido

    http://www.implicante.org/noticias/em-macapa-lula-grava-video-pedindo-voto-para-prefeito-preso-em-operacao-da-pf/

  177. Pax said

    Chesterton, velho e bom Chesterton

    E quem vota no DEM do Arruda, Efraim e demais?

    E quem vota no PSDB do Azeredo e demais?

    Grande Chesterton, velho e bom Chesterton, infalível Chesterton.

    Enviado via iPhone

  178. Pax said

    Soninha Francine tá nervosa…

    http://oglobo.globo.com/pais/derrotada-no-primeiro-turno-soninha-xinga-fernando-haddad-em-seu-blog-6459827

  179. Pax said

    Aqui o post sobre o Estado Forte… escrito em 2010 durante a campanha para presidência. Curiosamente quando Serra também tinha perdido a cabeça no final. De novo os mesmos erros.

    https://politicaetica.com/2010/02/07/o-estado-forte-comunismo-e-capitalismo/

  180. Chesterton said

    Quem vota do DEM e demais partidos não é bandido, uma vez que apenas o PT se caracterizou como uma quadrilha condenada pelo STF.
    Quem vota no PT é cúmplice, o PT é a origem de todos os males e Lula seu (mal) feitor.

  181. Chesterton said

    BAGÉ, RS – Uma onda de politicamente correto atingiu o Rio Grande do Sul e acabou alterando o nome de uma das lendas mais tradicionais da história Gaúcha. O Negrinho do Pastoreio, famoso causo do menino escravo que perde o cavalo do seu dono e como castigo é colocado dentro de um formigueiro, terá que ser chamado a partir de 1º de novembro de Afrodescendentezinho do Pastoreio.
    A mudança ocorrerá por conta de uma série de protestos realizados através das redes sociais. O movimento conhecido como clicksaving, ou ativismo de cadeira, realizou um tuitaço e gerou uma série de compartilhamentos no Facebook, alegando que o nome da lenda era preconceituoso. Sinal dos tempos. Para o professor de História, Raoni Moreira, essa é mais uma massificação de uma ideia do que propriamente um protesto.
    – É muito fácil fazer sua parte por trás de uma tela de computador. É o tal do ativismo de cadeira – disse Moreira.
    Agora os ativistas estão atrás de outras peças literárias, lendas e músicas para alterar seu nome indiscriminadamente. O primeiro alvo do grupo é a canção de ninar Boi da cara preta e a famosa música de Elton Saldanha e Rui Biriva, Castelhana.
    – Boi da cara preta está claro que se trata de um preconceito racial. Já a tal Castelhana é uma imagem pejorativa da mulher cisplatina. Queremos que o nome da música seja Mulher Uruguaia ou Argentina, no máximo Mulher Fronteiriça – disse a Presidente da organização, Márcia Coelho Santos.
    O Professor Raoni espera que o mesmo milagre que salvou o Negrinho do Pastoreio nos ajude a sobreviver à bunda-molização do mundo.
    – Se continuar desse jeito vai acabar o humor e a ironia. O mundo será um lugar apático – disse o professor.

  182. Pax said

    Ok, os filmes do Arruda recebendo aqueles calhamaços de dinheiro foram viagens lisérgicas minhas.

    Nem nos meus tempos de moleque experimentei as tais “balas”. Agora, depois de velho, estou viajandão.

    E o Efrain, ah, sim, aquela flor de pessoa. Pois bem. Ah, sim, o Azeredo, então, o Ministério Público é um agente a serviço do PT e está perseguindo o queridinho do tucanato nacional. Sei.

    A questão de quadrilha ainda está em julgamento. Melhor aguardar o resultado antes de sair fogueteando.

  183. Chesterton said

    Pax, o PT criminaliza o petista, enquando que o Arruda não criminaliza o partido. Conhece gRAMSCI?

    “Agora que os mensaleiros estão no fundo do poço, não cessam de erguer-se vozes indignadas de petistas, comunistas e socialistas fiéis que os condenam como oportunistas e traidores. Mas por que deveria algum líder ou militante ser atirado à execração pública pela simples razão de ter cumprido à risca a sua obrigação de revolucionário?

    Não é certo que a estratégia marxista-leninista ordena e determina não só atacar o Estado burguês desde fora, mas corrompê-lo desde dentro sempre que possível para em seguida acusá-lo de depravado e ladrão e substituí-lo pelo Partido-Estado?

    Não é notório que, na concepção mais ampla e sutil de Antonio Gramsci, inspirador e guia da nossa esquerda há meio século, a corrupção do Estado não basta, sendo preciso estendê-la a toda a sociedade, quebrantar e embaralhar todos os critérios morais e jurídicos para que, na confusão geral, só reste como último símbolo de autoridade a vontade de ferro da vanguarda partidária?

    Não é óbvio e patente que, se na perspectiva gramsciana o Partido é “o novo Príncipe”, ele tem a obrigação estrita de seguir os ensinamentos de Maquiavel, usando da mentira, da trapaça, da extorsão, do roubo e do homicídio na medida necessária para concentrar em si todo o poder, derrubando pelo caminho leis, instituições e valores?

    Na perspectiva marxista, nenhum dos artífices do Mensalão fez nada de errado, exceto o crime hediondo de deixar-se descobrir no final, pondo em risco o que há de mais intocável e sagrado: a boa imagem do Partido e da esquerda em geral.

    Para não perceber uma coisa tão evidente, é preciso desviar os olhos para os aspectos mais periféricos e folclóricos do episódio, apagando da memória a essência, a natureza mesma do crime cometido.

    Que foi, afinal, o Mensalão? Uma gigantesca operação de compra de consciências. E para que as consciências foram compradas? Para enriquecer os srs. José Dirceu, Genoíno, Valério e mais alguns outros? De maneira alguma. Foram compradas para neutralizar o Legislativo e concentrar todo o poder nas mãos do Executivo, portanto do Partido dominante. Que pode haver de mais leal, de mais coerente com a tradição marxista?

    Toda a geração que, cinquentona ou sessentona, chegou ao poder nas últimas décadas foi educada num sistema moral onde as culpas pessoais são insubstantivas em si mesmas, dependendo tão somente da cor política e transmutando-se em virtudes tão logo tragam vantagem ao “lado certo” do espectro ideológico.

    Bem ao contrário: segundo o que essa gente aprendeu desde os tempos da universidade, qualquer concessão à “moral burguesa”, se não é útil como jogo de cena provisório, é delito maior que a consciência revolucionária não pode tolerar. Nessa ótica, que pode haver de mau ou condenável em juntar dinheiro por meios ilícitos para comprar consciências burguesas e forçá-las a trabalhar, volens nolens , para o Partido Príncipe?

    Uma vez que se abandonou a via da revolução armada – não por reverência ante a vida humana, mas por mera oportunidade estratégica –, que outro meio existe de instaurar a “autoridade onipresente e invisível” senão a corrupção sistemática dos adversários e concorrentes?

    Não faltará quem, movido pela incapacidade geral brasileira de conceber que um político, ao meter-se em tal embrulho, o faça movido por ambições muito mais vastas que o mero desejo de dinheiro, levante aqui a objeção: mas os mensaleiros não ficaram ricos?

    Ficaram, é claro, mas desejariam vocês que eles depositassem todo o dinheiro sujo na conta do Partido, atraindo suspeitas sobre a própria organização em vez de protegê-la sob suas contas pessoais como bons agentes e testas de ferro? Ou desejariam que, de posse de imensas quantias, continuassem levando existências modestas, dando a entender que eram apenas paus mandados em vez de expor-se como vigaristas autônomos e bandidos comuns sem cor política, que é como agora são vistos por uma opinião pública supremamente inculta, sonsa e – novamente – ludibriada?

    Pois induzir o povo a vê-los exatamente assim, salvaguardando a boa reputação do esquema de poder partidário que os criou e ao qual serviram, é precisamente o objetivo de toda essa corja de moralistas improvisados que agora os cobre de impropérios em nome da pureza e idoneidade da esquerda.

    Os mensaleiros não são, é claro, bodes expiatórios inocentes. São culpados parciais incumbidos de pagar sozinhos pela culpa geral de uma organização que há trinta anos vem usando do discurso moral, com notável eficiência, como disfarce e instrumento do crime.

    Os que agora tentam se limpar neles são ainda piores que eles. Pois o que fazem é tentar levar o povo a esquecer que os mensaleiros de hoje são os moralistas de ontem, os mesmos que, nas CPIs dos anos 90, brilharam como paladinos da lei e da ordem, enquanto já iam preparando, sob esse manto cor de rosa, o esquema de poder monopolístico do qual o Mensalão viria ser nada mais que instrumento. E para que fariam isso, se não fosse para aplanar o terreno para novos e maiores crimes?

    Se os indignados porta-vozes do antimensalismo esquerdista tivessem um pingo de sinceridade, teriam se insurgido, anos atrás, contra o acobertamento petista das FARC, organização terrorista e assassina, perto de cujos crimes o Mensalão se reduz às proporções de um roubo de picolés num carrinho da Kibon.

    Como não o fizeram, a narcoguerrilha colombiana cresceu até tornar-se, sob a proteção do Foro de São Paulo, a maior distribuidora de drogas no mundo, prestes a receber do sr. Juan Manuel Santos, sabe-se lá em troca de que, as chaves do poder político.”

  184. Pax said

    De quem é este texto infantil, Chesterton?

  185. Chesterton said

    HAHAHAHAHAHA

  186. Chesterton said

    pAX, DECIFRA;

    PPDVCCMC.

  187. Chesterton said

    http://otambosi.blogspot.com.br/2012/10/pt-o-partido-dos-quadrilheiros.html

    epa, fui copiado!

  188. Otto said

    Gente, com a perspectiva da derrota acachapante de Serra, o neocarola, a direita está surtando.

    A Sonsinha, por seu turno, está em crise de abstinência!

  189. Patriarca da Paciência said

    Sobre o tal “domínio do fato”

    Se você está diante de uma coisa que tem orelha de porco, costela de porco, rabo de porco, toucinho de porco etc.etc.etc. você está diante de um porco?

    Não. Você está diante de uma feijoada!

  190. Michelle said

    A piada pronta
    “Para ser petralha…basta distinguir entre um porco e uma feijoada”.

    Hei Hei Hei Pax é o meu tio rei…hehehe
    Tenho que me comportar. Senão…
    Pax irá aplicar a teoria do domínio do fato:
    guilty by proxy

    Beijinhos Pax

  191. Pax said

    Dei minhas risadas aqui, com internet que funciona…

    http://josiasdesouza.blogosfera.uol.com.br/2012/10/20/a-semana-o-kit-baixaria-e-as-supremas-ironias/

    Serra com Malafaia e titio a caminho do fosso abismal. Impressionante. A campanha do Haddad fica na torcida para cada novidade, post novo, entrevista do Serra com jornalistas perguntando sobre o kit gay e cada tuitada. Já fazem conta: post novo do titio = 100 mil votos para Haddad, tuitada = 10 mil votos pro Haddad, Youtube do Malafaya = 200 mil votos para Haddad e coices do Serra em jornalistas estimam que devem dar uns 300 mil votos para o Haddad.

    Quem é o marketeiro do Serra? Dilma deveria contratá-lo para a campanha do Aécio 2014.

  192. Patriarca da Paciência said

    “Quem é o marketeiro do Serra? Dilma deveria contratá-lo para a campanha do Aécio 2014.”

    Também acho, meu caro Pax,

    estou na maior torcida para que o Aécio contrate o marketeiro do Serra.

  193. Pax said

    Sim, caro Patriarca. Sem esquecer de dar corda pro titio. Quanto mais melhor.

    Abraço de afogado pouco é bobagem.

    Enviado via iPhone

  194. Jose Mario HRP said

    Soninha Francine mandou um torpedo no Twitter contra o Haddad chamando-o de FDP..
    Pouco politico e sem nenhuma ética.
    Aqui um relax com ela:

  195. Patriarca da Paciência said

    “De direita mesmo, no Brasil, talvez sejam o DEM e o PP”

    Caro Pax, 147,

    na minha opinião, metade do PMDB não é de esquerda e, apesar do PSDB ter um projeto de esquerda, pelo menos, metade do PSDB não é de esquerda.

    O Olavão via comunistas debaixa da cama e dentro do armário, agora, olha para uma multidão e vê que TODOS são esquerdistas!

    Que paranóia mais estranha!

  196. Otto said

    Edu:

    “Essa é a ideia que o PT vende à população inteira do país: luta de classes, como dito ao Otto.”

    Eu, pessoalmente, acho o PT muito light. A Dilma disse recentemente que quer transformar o Brasil num país de classe média. Isto não é o discurso típico da esquerda

    O Hollande e o Obama, por exemplo, têm um discurso muito mais esquerdista que o nosso PT.

  197. Otto said

    LENTES DA MÍDIA TURVAM A MENTE DO PSDB

    por Luiz Carlos Azenha

    Prefiro duvidar, sempre, das pesquisas eleitorais. E acreditar na volatilidade dos eleitores, que colocaram Marina Silva no caminho de Dilma Rousseff e tiraram Celso Russomano do caminho de Fernando Haddad, respectivamente em 2010 e 2012.

    José Serra enfrenta graves obstáculos, mas nada é impossível faltando uma semana para o segundo turno.

    Dito isso, porém, uma eventual derrota de José Serra deveria servir ao menos para acordar os tucanos.

    Gilberto Kassab fez o Cidade Limpa. Boa decisão numa questão que não era central à qualidade de vida do conjunto de paulistanos, ou pelo menos não tão importante quanto o transporte público, a saúde e a educação. O Cidade Limpa deslocou milhões de reais de publicidade antes investidos em espaços públicos para dentro dos jornais, que se não apoiaram Kassab abertamente foram cruciais para a reeleição do aliado de José Serra. Vamos dizer que os jornais pouparam Kassab de um tratamento tão rigoroso quanto aquele destinado, por exemplo, aos governos petistas.

    Kassab encarna a especulação imobiliária e o higienismo social. Os principais jornais paulistanos vivem dos anúncios imobiliários e representam, basicamente, aquela classe média que se identifica com as rampas antimendigo. A simbiose entre os interesses de Kassab/PSDB e a mídia alimentou nos tucanos a impressão de que seriam imbatíveis em São Paulo, seu principal reduto, especialmente se lançassem o experiente José Serra. Deram de barato que a experiência do candidato aliada ao antipetismo seriam suficientes para garantir a vitória.

    Estavam cegos no nevoeiro, parcialmente por “ler” São Paulo a partir da lente turva da mídia, que é de classe média e para a classe média. Foram pegos de surpresa pela revolta dos grotões, que primeiro produziu Celso Russomano e agora é o principal motor a impulsionar Fernando Haddad.

    É preciso ir aos extremos de São Paulo para entender o que significa ausência de Estado.

    Já fiz isso dezenas de vezes, mas me lembro especialmente da cobertura que fiz das eleições presidenciais de 2010, quando minha pauta foi explicar o motivo de Dilma Rousseff ter obtido votações expressivas em algumas regiões da Grande São Paulo.

    Fui à casa de algumas famílias que tinham sido beneficiadas pelo programa Luz para Todos, por exemplo, que haviam entrado no século 21 sem energia elétrica em casa no estado mais rico e mais desenvolvido do Brasil.

    As famílias vibravam pelo fato de, agora, ter geladeira e água quente no banheiro!

    Não quero sugerir que a maioria dos votos de Fernando Haddad se deve ao patrocínio de Lula, nem esse é o ponto da reflexão.

    O ponto é que só raramente os tucanos e os jornais dos tucanos vão aos extremos de São Paulo. Colunistas desinformados produzem previsões sombrias sobre o futuro do PT e os tucanos acreditam. É o equivalente a uma fábrica de espelhos e fumaça, que encena um universo paralelo calcado em teses que acreditam autorealizáveis.

    Este universo frequentemente encontra um poste pela frente. Derrotas eleitorais deveriam servir para uma correção de rota, uma mudança de rumo. Mas, não é o caso. Hoje, por exemplo, uma colunista da Folha sugere que, depois da ditadura militar, vivemos uma espécie de ditadura lulista (o jornal é o mesmo que, através de um colunista gringo, conseguiu provar que Hugo Chávez perdeu na Venezuela). Fica implícito que remover Lula é a solução para os tucanos. Depois, é só remover o povo.

    http://www.viomundo.com.br/politica/lentes-da-midia-turvam-a-mente-do-psdb.html

  198. Patriarca da Paciência said

    “Fica implícito que remover Lula é a solução para os tucanos. Depois, é só remover o povo.”

    É, realmente. O Bush achava que bastava enforcar o Saddam Hussein para que todo o Iraque se transformasse num cordeirinho obediente aos caprichos norte-americanos.

    Esse caras não aprendem nunca que líderes são apenas a ponta do Iceberg e que a força que realmente move a sociedade é o povo.

    Como dizia o caro Elias, é uma pena que esses caras sejam tão primários e nunca consigam ver que uma boa oposição é de extremo valor, seja para que lado for.

  199. Jose Mario HRP said

    Pois é , o Azenha mandou bem !
    Mas lendo aquele texto me vem o pensamento de que em 2013 teremos uma nova tentativa de enfiar a faca nas costas do Lula.

  200. Jose Mario HRP said

    Uma indicação de leitura clara e salutar do grande jornalista!
    http://www.maurosantayana.com/2012/10/dilma-em-cadiz.html

  201. Chesterton said

    SATURDAY, OCTOBER 20, 2012

    O Mercantilismo, o Braço Esquerdo de Dilma e o Rent Seeking
    O mercantilismo é um sistema que só funciona na base do compadrio, dos acordos entre governantes e privilegiados que dependem das relações pessoais e políticas. Na sua essência está o estado limitando a competição para criar rendas, essas rendas são disputadas por compadres, aqueles mais próximos aos governantes geralmente ganham acesso aos mercados controlados e obtêm lucros estratosféricos que então dividem com os governantes que concederam a licença. O PT renovou o mercantilismo brasileiro, são seus militantes que aparecem como governantes outorgantes e beneficiados e também como intermediários; uma nova curriola de empresários [os vencedores do BNDES] a reboque do partido aparece na outra ponta, é uma indústria milionária que alimenta o partido e o torna mais guloso e dependente do poder. Mas o PT é o PT, seus quadros deveriam estar pendurados na papuda, mas circulam livre e serelepemente nos bastidores da máquina de criar licenças e concessões do Estado. Considerem o caso do braço esquerdo de Dilma, a infame erenice: Afastada da Casa Civil em 2010 após a revelação, por VEJA, da existência de um balcão de negócios operado por seu filho, Israel Guerra, no coração do governo, a ex-ministra Erenice Guerra voltou a tratar de negócios públicos, agora nos bastidores do Tribunal de Contas da União (TCU). Ex-braço direito da presidente Dilma Rousseff, ela circula por gabinetes de ministros debatendo processos sobre a concessão das linhas interestaduais de ônibus. O documento deve ser lançado pela Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) em 2013. Levantamento nas agendas de parte dos ministros, neste ano, confirmam pelo menos três encontros da ex-ministra. De acordo com fontes do tribunal, Erenice recolheu informações e discutiu a situação de processos envolvendo a concessão. A licitação definirá o futuro de um setor que fatura 3 bilhões de reais anuais, e esbarra no lobby das grandes viações do país, autoras de ação no TCU contra o plano de outorgas de mais de 1.600 linhas. Erenice marca audiências e transita no tribunal na condição de advogada. Segundo a corte, ela não consta como representante de nenhum cliente nos processos em tramitação. Nos últimos três meses, Erenice esteve duas vezes no gabinete do ministro José Múcio. Ex-colega de governo Lula, com quem disputou vaga no TCU, ele é relator do processo de acompanhamento do plano de outorgas.
    POSTED BY SELVA BRASILIS

  202. Chesterton said

  203. Edu said

    Otto,

    Eu não acho o PT light. Eu acho incoerente.

    Aliás, o Obama me parece bastante incoerente: eu não entendi até agora, como um democrata resolve fazer com que a população do país pague pelo seguro de saúde público… cada um pagando o seu não é para ser uma medida mais direitista?

    Agora, o Hollande sim, esse é bastante coerente com a esquerda: pressiona a Merkel para que a Alemanha pague a divida do assistencialismo e da falta de controle fiscal dos demais países da Europa só para salvar o Euro. O Hollande é o típico presidente que fará de tudo para manter o Estado mais assistencialista possível. Depois dele provavelmente entrará no poder alguém de direita, como aconteceu na Espanha, para arrumar a bagunça feita. Aí o povo vai chorar…

    —X—-

    Vcs conhecem o Pastafarianismo?

    http://en.wikipedia.org/wiki/Flying_Spaghetti_Monster

    Já que vcs tocaram nesse assunto (religião), antes, permito-me compartilhar a minha crença.

  204. Michelle said

    Tese sobre quadrilha tende a prevalecer
    Ministros do STF entendem que, ao se definir que mensalão tinha uma cadeia de comando, ficam claros papéis de Dirceu, Valério e Delúbio.

    BRASÍLIA – O Estado de S.Paulo

    A ideia de que havia uma cadeia de comando organizando as ações do mensalão, sedimentada pelos ministros do Supremo Tribunal Federal desde o início do processo, em agosto, é tida por alguns desses ministros como forte indicação de que o crime de quadrilha acabará sendo caracterizado. O ex-ministro da Casa Civil José Dirceu e outros dez réus correm alto risco de serem condenados nessa sétima e última fatia do caso.

    Em repetidas ocasiões Dirceu foi qualificado como mandante do esquema. Marcos Valério, apontado como broker (corretor) do ex-ministro, e o ex-tesoureiro do PT Delúbio Soares, como operador. Essa hierarquia, conforme ministros, é típica da existência de uma quadrilha.

    Alguns lembram que o mensalão foi montado para as eleições de 2002 e se estendeu ao longo de 2004, como admitiram réus em seus depoimentos. Ou seja, os crimes continuaram ocorrendo. O esquema só deixou de funcionar quando o deputado federal Roberto Jefferson (PTB-RJ) o delatou em 2005. Todos esses pontos foram traçados pelo relator do processo, ministro Joaquim Barbosa, e devem ter o apoio da maioria dos ministros.

    Além dessa “arquitetura” do crime, a análise da jurisprudência do STF, entendem eles, aponta para a condenação. Apesar dos argumentos contrários do revisor do processo, Ricardo Lewandowski, decisões anteriores do STF sugerem que esse tipo de associação ocorre quando há a participação de pelo menos três pessoas para cometer um crime.

    “No crime de quadrilha ou bando, pouco importa que seus componentes não se conheçam reciprocamente, que haja um chefe ou líder ou que cada um desempenhe uma tarefa específica, bastando que o fim almejado seja o cometimento de crimes pelo grupo”, decidiu o STF ao condenar há pouco mais de um ano o deputado Asdrúbal Bentes (PMDB-PA).

    O parlamentar foi acusado de cometer crimes antes das eleições de 2004, quando era pré-candidato a prefeito de Marabá. Ele teria usado uma fundação para recrutar eleitoras em troca do fornecimento gratuito de cirurgias de laqueadura.

    O STF o condenou, pelo crime de esterilização cirúrgica irregular, à pena de reclusão de 3 anos, 1 mês e 10 dias. Os ministros concluíram que houve quadrilha, mas o crime prescreveu. Bentes fez 72 anos no dia da sentença.

    Outro caso. Em 2010, o STF condenou o deputado Natan Donadon (PMDB-RO) a 13 anos, 4 meses e 10 dias de reclusão por quadrilha e peculato. Na ocasião, a ministra Cármen Lúcia disse que tinha ficado comprovado o envolvimento de pelo menos quatro pessoas no esquema. Foram detectados ao menos 22 pagamentos indevidos, num desvio total de R$ 1,6 milhão. “É atuação duradoura e organizada”, afirmou.

    O ministro Marco Aurélio Mello disse que é será um eterno aprendiz. “Se me convencerem, muito bem. Se não, vou manter minha posição. O Supremo não estava acostumado com quadrilha em se tratando de crime do colarinho branco.”

    Marco Aurélio discorda da interpretação de que o crime de quadrilha está atrelado a tráfico, roubo e receptação. “Se a lei não faz distinção, não cabe ao intérprete da lei distinguir. Surgiu a corrente (no STF) de que não haveria a quadrilha, mas simplesmente coautoria na prática dos múltiplos crimes.”

    Caixa de surpresas. O ministro declarou que “colegiado é sempre uma caixa de surpresas”. Para ele, no plenário prevalece a espontaneidade. “Eu componho o tribunal e não o teatro. Quadrilha é o que está no artigo 288 do Código Penal, associação de mais de 3 pessoas visando o cometimento de crimes. É preciso que haja o entrosamento entre os partícipes desse crime, mas ele independe, ao contrário da lavagem de dinheiro, por exemplo, da prática de um crime posterior. Pode haver quadrilha sem que se tenha posteriormente a prática de diversos crimes. O caso do mensalão é a regência do artigo 288.”

    Ante a sucessão de empates que marca o julgamento, Marco Aurélio invoca o estatuto da corte que confere ao presidente o poder do desempate. “Por que o tribunal aprovou a norma regimental prevendo a prevalência da corrente na qual estiver o presidente? Nada surge sem uma causa.”

    Sobre as declarações do ex-presidente Lula que, na Argentina, disse que já foi julgado nas urnas, em 2006, quando reelegeu-se, o ministro anotou: “O presidente Lula não é acusado no processo. Evidentemente, ele lançou algo que sensibiliza, mas sensibiliza muito o leigo”.

    Hei Hei Hei Pax é o meu tio rei…hehehe
    Tenho que me comportar.Senão…

    Beijinhos Pax

    Sent by my iPad

  205. Otto said

    De poste em poste, o Brasil vai sendo iluminado: Dilma, Haddad, Pochmann…

  206. Chesterton said

    Edu, Obama é estatizante como foram os miliatres brasileiros.

  207. Chesterton said

    militares…

  208. Michelle said

    Manchete de todos os jornais do Brasil na próxima terça feira:

    Cúpula do PT condenada por formação de quadrilha.
    A dúvida é se será por 9 a 1 ou 8 a 2.

    Aí ficará faltando o chefe…

  209. Patriarca da Paciência said

    Meu caro Otto, 205,

    aproveitando o gancho.

    “247 – O ex-presidente Lula ironizou neste sábado o termo “poste”, usado para designar os candidatos que ele ‘concebeu’, como a presidente Dilma Rousseff e o candidato do PT à Prefeitura de São Paulo, Fernando Haddad. A resposta aos críticos ocorreu durante comício do candidato petista em Campinas, Márcio Pochamnn, e ao lado de Dilma. “No começo, diziam que o Márcio era apenas um poste, como diziam que a Dilma era um poste, que ela não ia governar. O Márcio é um poste. Pois bem, é de poste em poste, o Brasil vai ficar iluminado”, disse o ex-presidente.”

    É essa a grande diferença entre um verdadeiro político e um péssimo político como o José Serra.

    Um homem que transforma limão em limonada e alguém que transorma carne de primeira em comida de terceira.

    http://www.brasil247.com/pt/247/poder/83551/De-poste-em-poste-o-Brasil-vai-ficar-iluminado-poste-Brasil-vai-ficar-iluminado.htm

  210. Patriarca da Paciência said

    Correção:

    É essa a grande diferença entre um verdadeiro político e um péssimo político como o José Serra.

    Um homem que transforma limão em limonada e alguém que transforma carne de primeira em comida de terceira.

  211. Michelle said

    Em entrevista ao ‘Clarín’, Lula revelou quem foi o chefe do mensalão

    Blog do Augusto Nunes

    A Argentina é logo ali, mas a entrevista concedida por Lula ao jornal El Clarín nesta quarta-feira sugere que o ex-presidente não reagiu bem à viagem sem mudança de fuso horário. Convidado a comentar o julgamento do mensalão, o palanque ambulante desta vez não se refugiou em golpes imaginários, nem enxergou “um problema de caixa dois” na imensa roubalheira descoberta em meados de 2005. Preferiu inventar outra história para safar-se do escândalo. E a discurseira resultou em outro perfeito tiro no pé.

    “Para um presidente que teve oito anos de mandato, o fato de terminar com 87% de aprovação popular é um enorme julgamento”, viajou o entrevistado.

    Ao confundir o Ibope, o Sensus e o Vox Populi com o Supremo Tribunal Federal, o ex-presidente não só admitiu que o mensalão existiu como se instalou voluntariamente no banco dos réus.

    O desastre se consumou quando o declarante confundiu eleição com tribunal e eleitor com jurado.

    “Já fui julgado pelas urnas”, decidiu. “A vitória de Dilma Rousseff foi um julgamento extraordinário”.

    Faz de conta que sim. Nesse caso, Lula foi absolvido por 55 milhões de eleitores que votaram em Dilma. Em contrapartida, foi condenado por 43 milhões que rejeitaram a sucessora que escolheu. Não é pouca coisa.

    Para essa imensidão de brasileiros ─ quem está dizendo é o próprio Lula ─, o país foi governado durante oito anos pelo chefe supremo de uma organização criminosa.


    Lula é realmente o homem que transforma limão em limonada, como diria meu amigo Patriarca, o dolicocéfalo

  212. Michelle said

    A confissão de Genoíno
    (já condenado por corrupção ativa e provavelmente por formação de quadrilha).

    Genoino: ‘Nunca entreguei ninguém na vida. Nem no pau de arara’

    Se não foi traído, o sr. admite que foi omisso?

    Não, eu não me omiti em defender o governo Lula.
    Sou um militante que aprendeu que se ganha coletivamente.
    Não acredito em vitória do ‘eu sozinho’.
    Sem aliança ampla a gente não governaria o País e o País poderia quebrar.


    O cara abre o bico até sem pau de arara.

  213. Michelle said

    Eu nunca vi nenhum dos petralhas daqui elogiando o Haddad.
    Só escrevem criticando o Serra.
    Mamãe que nunca foi idiota concluiria de forma cabal:
    Haddad realmente não tem qualidades. Sua passagem pelo MEC
    foi um desastre total.

    Mamãe tem razão.

  214. Michelle said

    Dilma se compara a Haddad em comício em São Paulo.

    EU TAMBÉM SOU UM POSTE !

  215. Jose Mario HRP said

    A agressividade do termo petralha é consistente com o geral de quem o usa?
    É……

    Mais um pouquinho de “relax” com a politica e ética:

  216. Jose Mario HRP said

    Com Haddad eleito, a área metropolitana e grande abcd serão ” area ” vermelha , já viabilizando a hegemonia estadual em 2014.
    Calafrios nas hostes opositoras.
    Tempos nebulosos no palácio dos bandeirantes.

  217. Zbigniew said

    Já notaram que, com uma possivel perda de SP para o PT, a queda do mais poderoso baluarte oposicionista, começa a surgir nas hostes midiaticas a teoria de uma ditadura lulista?

  218. Pax said

    A Folha virou petralha?

    Mais uns 500 mil votos pro Haddad.

    http://www1.folha.uol.com.br/colunas/monicabergamo/1171799-nao-estou-em-concurso-de-beleza-diz-pastor-silas-malafaia.shtml

  219. Zbigniew said

    Uma boa opinião sobre o julgamento do mensalão:

  220. Jose Mario HRP said

    Haja isenção:

    Nem o ” Zorra total ! é tão engraçado!

  221. Pax said

    É, a Folha virou petista mesmo… Jânio de Freitas

    …José Serra é o homem que não aprende. Mostrou-se, mais uma vez, nas palavras do jargão, grande puxador de votos –para o adversário….

    Basta dar corda, instigar o titio a tuitar e o Malafaia a falar. Com essa capacidade de escolher “aliados” ou, há quem diga, cabos eleitorais, os adversários de Serra se fartam.

  222. Zbigniew said

    Olha o Gilmar Mendes ali, bem no cantinho do vídeo!

    O RA tem uma postura típica dos egolatras. E o tempo todo falando de si, como polemico. E tome platitudes: Dilma terrorista, oposição a FHC, ausência de propaganda no seu blog (como se a propaganda no portal da Veja nao fosse supedâneo para a manutenção do dele).

    Concordo com vc, José Mário. Só achando engraçado.

  223. Otto said

    Ótima análise. Depois eu dou o link e o autor.

    A provável derrota de José Serra, para a prefeitura de São Paulo, derrotado pelo adversário Fernando Haddad e pelos seus próprios índices de rejeição, marca simbolicamente o fim de uma era, a dele e de seu padrinho FHC.

    A grande questão pela frente é sobre quais bases se sustentará a política brasileira, o partido da situação e a oposição.

    ***

    Nenhum partido que se pretende hegemônico, disputando o poder, se constrói a partir do vazio de propostas. Os alicerces, a base central são um conjunto de ideias sobre as quais se assentarão as primeiras lideranças, os primeiros quadros, as primeiras bases sociais para depois se expandir pelo país.

    ***

    Desde o século passado, na política brasileira, a formação de ideias políticas se dava a partir dos grandes movimentos ocidentais, as grandes ondas ora pendendo para o liberalismo financeiro, ora para a maior participação do Estado.

    Competia aos líderes políticos nacionais farejar os ventos externos e adaptá-los aos movimentos internos, geradores de um pensamento autônomo.

    Embora fundamentalmente intuitivo, JK não prescindia do arcabouço teórico dos nacionalistas do ISEB (Instituto Superior de Estudos Brasileiros).

    No final dos anos 80, Fernando Collor assimilou os conceitos do tatcherismo, trouxe um discurso liberalizante mas temperado com conceitos desenvolvidos internamente – desde a teoria da “integração competitiva”, de Júlio Mourão, aos princípios de gestão e inovação.

    ***

    Quando FHC assumiu o poder, o PSDB dispunha dos seus isebianos, um conjunto de pensadores capazes de dar racionalidade aos rumos da liberalização.

    Tudo foi deixado de lado pela falta de vontade crônica de FHC de costurar um pensamento autônomo sequer, de adaptar os princípios do neoliberalismo às condições brasileiras, de perceber os ventos que sopravam os coqueiros daqui, não as nogueiras de lá.

    Tivesse um mínimo de sensibilidade em relação ao mundo real brasileiro, teria percebido a importância da inclusão social, não apenas como objetivo de governo mas como projeto de país.

    ***

    Nos próximos anos, o PT continuará surfando nas ondas da inclusão e da redução das desigualdades. Como lembrou André Singer, em seus estudos sobre o lulismo, trata-se de uma tendência irreversível, duradoura, a ser abraçada por qualquer partido que ambicione o poder, seja o PT ou outro que vier.

    Com Dilma Rousseff, à bandeira da inclusão somaram-se as da gestão e do desenvolvimentismo – mais duas bandeiras deixadas de lado pelo PSDB, preso ao discurso monocórdico das privatizações de FHC.

    ***

    Qual será o desenho, então, da oposição? Nos últimos anos, FHC e especialmente Serra, limitaram-se a entrar na onda do rancor, do negativismo, refletindo a posição de alguns articulistas.

    É bem provável que, depois da radicalização liberalizante de FHC, o pêndulo da economia volte-se cada vez mais para o intervencionismo estatal da nova era. Como em todo movimento pendular, no início obedece a demandas racionais e legítimas. Depois, cria sua própria lógica e vira o fio.

    É possível que em um futuro distante, uma das bandeiras da oposição possa voltar a ser a redução do papel do Estado.

    No entanto, a discussão sobre o papel do Estado não pode estar divorciada da discussão maior: a busca do bem estar dos cidadãos e a ampliação da inclusão social.

    O neoconservadorismo – 1

    Os conservadores autênticos sempre amarraram o tema redução do Estado ao da promoção da igualdade de oportunidades. Ocorre que a crítica ao Estado – formulada pelo pensamento neoconservador que se apossou da mídia – vem acompanhada de um discurso deplorável contra qualquer forma de inclusão social, de políticas igualitárias. Com isso tirou toda a legitimidade, restringiu o discurso no cercadinho da intolerância.

    O neoconservadorismo – 2

    Políticas sociais brasileiras – Bolsa Família, Prouni, Luz para Todos – são incensadas internacionalmente. Tornaram-se um contraponto à falta de sensibilidade social do neoliberalismo. Principalmente porque deixam a opção de gastar o dinheiro (ou escolher a Faculdade) para o próprio beneficiário, sem interferência do Estado. Esse tipo de política sempre foi bandeira liberal. Não por aqui, com trogloditas políticos.

    O neoconservadorismo – 3

    No novo quadro político brasileiro haverá espaço para um partido conservador, mas que não ambicione disputar poder. E esse partido não será o PSDB. Ao longo de sua história política, a atual cara mais visível do PSDB – Serra – comportou-se com um oportunismo que o tornou alvo de desconfianças gerais, à esquerda e à direita, e afastou do partido toda uma nova geração de intelectuais.

    O neoconservadorismo – 4

    Dias atrás FHC criticou-o por supostamente ter jogado o PSDB no conservadorismo do pastor Malafaia e companhia. Na fase inicial da intolerância religiosa e política, o próprio FHC estimulou essa radicalização. Serra nunca teve fôlego intelectual para montar um conjunto articulado de princípios-guia. Essa tarefa cabia a FHC. Mas seu tempo político passou.

    A nova oposição

    Agora, há duas lideranças despontando, Aécio Neves e Eduardo Campos, governador de Pernambuco. Aécio não disse a que veio, sequer demonstra vontade política de abdicar dos prazeres da vida. Campos tem se mostrado o melhor governador da atual safra. Em caso de desgaste na agenda petista, seria uma alternativa presidencial (provavelmente em 2020), mas preservando os princípios originais do lulismo.

    Ventos externos

    Restaria aguardar por ventos externos. Mas internacionalmente assiste-se aos estertores do neoliberalismo, com políticas antipopulares, economicamente desastrosas, sendo impostas goela abaixo dos países europeus. Para a falta de ideias de FHC, não haverá sétima de Cavalaria que o salve dos ataques indígenas. Assim, só restará o esperneio da intolerância reiterada e politicamente suicida.

  224. Patriarca da Paciência said

    José Serra vair terminar por se tornar uma unanimidade… negativa!

    Haddad bate Serra entre eleitores conservadores!

    “O candidato petista à prefeitura de São Paulo, Fernando Haddad, iniciou a campanha sem muito apelo entre os conservadores, mas mudou o cenário entre setembro e agora. Segundo dados do Datafolha, divulgados neste domingo pela Folha de S. Paulo, no mês passado o ex-ministro da Educação tinha apenas 12% das intenções de voto neste segmento da população, enquanto Celso Russomano (PRB), que não chegou ao segundo turno, somava 41% e José Serra (PSDB) outros 21%.

    Hoje, o petista ganha a confiança de 46% dos conservadores, contra 33% do rival tucano. Somadas as ideologias, Haddad tem 49% das intenções e Serra, 32%. Entre os posicionamentos listados pelo instituto de pesquisa, Haddad faz mais sucesso entre os liberais, mas ainda ganha do ex-governador paulista em quatro dos cinco grupos.”

    http://www.jb.com.br/eleicoes-2012/noticias/2012/10/21/datafolha-haddad-bate-serra-entre-eleitores-conservadores/

  225. Edu said

    Otto,

    Vc chama esse artigo que disse de boa análise? Quais os critérios usados para avaliar essa análise assim?

    Vc chama isso de debate de idéias? Ou seja um artigo como esse está incluso no rol de “luta social” de que vc falava?

    A esquerda é engraçada: até quando vão tentar imaginar como será a oposição no futuro, acabam esquecendo do tema e falando das maravilhas que fazem.

  226. Otto said

    Edu, na minha modesta opinião este artigo faz sim uma boa análise da política brasileira contemporânea.

    “Qual será o desenho, então, da oposição? Nos últimos anos, FHC e especialmente Serra, limitaram-se a entrar na onda do rancor, do negativismo, refletindo a posição de alguns articulistas.”

    Não aconteceu isto?

    FHC e Serra são um pote até aqui de mágoa.

  227. Edu said

    Pessoal,

    Alguém sabe mais alguma coisa sobre esse caso?

    http://veja.abril.com.br/blog/reinaldo/geral/tudo-pelo-social-esta-mulher-puniu-trabalho-escravo-em-empreiteira-do-minha-casa-minha-vida-e-foi-posta-no-olho-da-rua-pelo-governo-dilma/

    Se isso for verdade, vai ficar pequeno para o Brizola Neto (o blog mais popular do Brasil)….

  228. Zbigniew said

    Edu,
    Vc interdita o debate “ab initio”.
    Se vc já entra na discussão julgando os “de esquerda”, e, considerando a analise sem criterio sem rebater nenhum ponto, como pode, honestamente, buscar o bom debate?

    Observe que alguns pontos foram levantados e que o cerne do texto firma-se na questão do neoconservadorismo. Muito validos os argumentos.

    Por exemplo, quando se levanta o fato de que o rancor e o negativismo tem impedido que lideranças importantes do PSDB atuassem como indutores de uma renovação do partido e, consequentemente, de uma nova oposição. Neste ponto e que se abrem espaços para novos atores, de outros partidos, de modo que o próprio PSDB, refém desse discurso nao-propositivo, corre o risco de desaparecer na irrelevancia. E um ponto interessante a ser discutido.

  229. Edu said

    Otto,

    O articulista se propõe a falar sobre a situação e a oposição e termina falando somente da situação! Como é que vc quer que eu avalie essa análise como boa?

    Vamos lá: vc acha que definir a oposição como “rancorosa” é uma boa análise? É esse o seu critério? Se vc prestar atenção, ao contrário do que diz o Zbig (que desnecessariamente saiu em seu socorro), eu não estou considerando a análise sem critério, eu só não consigo avaliar porque para mim os critérios não estão claros. É que eu acho que “rancor” uma péssima definição do status da oposição, e por isso, sob esse critério, eu não consigo avaliar como boa a análise. Tem algum outro critério Otto? Se tiver diga, porque baseado em “rancor” acho que a análise perde um pouco sua credibildade, não é mesmo?

    Vejamos:

    Como é que eu vou saber se o futuro da oposição é o “rancor”, baseando-se no que o FHC e no que o Serra estão pensando? Eu não sou “bróder” do FHC! E muito menos do Serra! hahaha

    No entanto, a última entrevista que eu li do FHC, se não me engano foi na Veja, o FHC se apresentou bastante confortável: confirmou a saída dele do cenário político e discutiu o que o Lula fez usando de argumentos técnicos (e não puxou a sardinha para ele). Não vejo o FHC disputando nada com ninguém.

    Pergunta1: o Lula conseguiu chegar perto disso?
    Pergunta2: se não conseguiu, quem é o magoado?

    O Serra está o olho do furacão político. Embora tenha um histórico bom, vem de derrota. Eu estranharia se ele
    não estivesse atacando o adversário. Na verdade eu acho até engraçado que um partido apático como o PSDB resolva esbravejar quando fica sem saída. Parecem gatinhos acuados… pobrezinhos! hehehe

    E, incrível Otto. A análise sobre o futuro da oposição no artigo acaba aí. O resto do artigo inteiro é dizendo que a moda agora será intervenção estatal e inclusão social.

    Poxa… não tinha nada mais interessante para esse articulista dizer?

    Já que ele não tem, eu tenho: sabe qual é o problema da oposição?

    Toda vez que a discussão estiver em torno de “inclusão social”, o PT vai ganhar a parada. Porque os programas do PT, embora sejam sempre mal gerenciados, viraram uma marca. Tal qual o “rouba mas faz” virou marca do Maluf.

    Enquanto a oposição não mudar o foco da discussão, ela não vai conseguir superar o PT. E convenhamos, reconhecemos as políticas de inclusão que o PT fez.

    Mas sejamos sinceros, o COMO as coisas são feitas é terrível. O mensalão, em minha opinião é a penas a ponta do iceberg. As práticas usadas para seguir com essas políticas são criminosas.

    Quem são os maiores parceiros do PT? ONGs, que não sofrem nenhum tipo de regulação ou fiscalização. Onde está o “estado forte e atuante” nesse caso? Isso ninguém conta, né?!

    Os programas e obras estão sendo bem administrados?
    Não, vide o PAC patinando, com obras paradas, superfaturadas, com o governo atuando por meio de uma legislação paralela de licitações, e com irregularidades para muitas das empresas contratadas. Além, é claro, do Elias dizendo que isso é problema dos ESTADOS, entendeu?! hehehe

    Os programas e obras foram planejados adequadamente?
    As idéias são ótimas mesmo. Só que eu postei aqui o próprio Mercadante dando o braço a torcer dizendo que o Ministério da Educação terá que investir em aulas de reforço, aulas especiais, etc, para os cotistas, porque eles definitivamente não estão conseguindo acompanhar os cursos. Onde que a política de cotas é inclusiva, se o Estado começa a pagar aulas particulares para uma pequena parcela dos estudantes em vez de usar esse dinheiro para toda a população?

    Eu repito: estaria confortável se o governo fosse de esquerda e seguisse com essa linha de assistencialismo, mas de uma maneira planejada. De modo que o longo prazo fosse garantido. Da maneira como está sendo feito, os nossos filhos terão que trabalhar para pagar as dívidas de um governo irresponsável com suas contas. É isso que vcs querem?

    Essa é a minha visão como oposição ao que existe aí. Sou um só. Não esperava que o articulista reproduzisse a minha visão. Mas esperava que no mínimo ele apontasse as fraquezas do modelo atual, sobre as quais a oposição pudesse trabalhar/ estivesse trabalhando.

  230. Edu said

    Zbig,

    Economize seu latim e não poupe sua capacidade de interpretação de textos.

    Se vc tiver dificuldade eu ajudo:

    1 – Leia novamente, com bastante atenção, o que eu escrevi. E, por favor, não distorça o que eu disse. Não há margem para interpretação no que eu escrevo.

    2 – Leia em seguida a resposta acima. Novamente, não distorça, nem coloque palavras no que eu disse. Apenas leia. Como é uma resposta grande, anote em uma folha à parte as idéias principais. Ao final da leitura, releia as idéias principais e vc chegará ao entendimento do que eu escrevi.

    3 – Elabore sua resposta e responda. Ficarei feliz de receber uma resposta coerente e manter o debate.

  231. Edu said

    Ps: esse debate, Otto, pode ser considerado “luta social”?

  232. Otto said

    Edu: todo debate é luta social.

    Cara, os programas sociais do PT são elogiados no mundo inteiro, inclusive pelo seu gerenciamento.

    Como você se informa pelo jeito só pela grande imprensa, você acaba tendo uma visão distorcida.

    Se você acha que o PAC está patinando, o que você diria da cratera do metrô paulista? Imagina se isto acontecesse numa gestão petista?
    Está vendo a diferença de tratamento?
    Até em termos de gestão (a única bandeira tucana), o PT é melhor do que o PSDB.
    Se o Serra é um bom gestor, o que ele fez por São Paulo, que até os conservadores estão votando no Haddad?

    Cara, a oposição se desconectou do Brasil, vive numa ilha separada do país, mantida à tona pelos anabolizantes da mídia, esta sim a verdadeira oposição.

    Agora, faz favor, o Serra-aborto-kit-gay-malafaia é o cúmulo do desespero e do reacionarismo!

    Foi a pá de cal na sua biografia. Além, é claro, da Privataria Tucana, jamais questionada pela mídia.

  233. Otto said

    Engraçado, domingão e nenhum DataFolha, nenhum Ibope…

  234. Edu said

    Otto,

    Vamos voltar ao ponto: vc acha que o artigo é bom por que mesmo?

  235. Zbigniew said

    Caro Edu,
    penintencio-me da colocação. Ofereço minhas escusas e baixemos as armas. Sim, um bom debate e sempre bem vindo.

    As duvidas que te assaltam eu mesmo me deparei, mas reservo-me o entendimento de que, agora, acredito que haja sim um rancor e negativismo que prejudicam a capacidade propositiva do PSDB.
    No mais parabenizo-o pela busca de uma dialética, ainda que perceba conceitos cristalizados e preconceitos nas suas intervenções, o que e direito seu, afinal todos somos demasiadamente humanos.

  236. Chesterton said

    Cara, os programas sociais do PT são elogiados no mundo inteiro, inclusive pelo seu gerenciamento.

    chest- argumentum ad populum

  237. Patriarca da Paciência said

    “Eu repito: estaria confortável se o governo fosse de esquerda e seguisse com essa linha de assistencialismo, mas de uma maneira planejada. De modo que o longo prazo fosse garantido. Da maneira como está sendo feito, os nossos filhos terão que trabalhar para pagar as dívidas de um governo irresponsável com suas contas. É isso que vcs querem?”

    Temos 400 bilhões de dólares em reserva, inflação sob controle, um dos menores déficits da história, não temos dívida externa, o Brasil não está estagnado etc.etc.etc.

    Você poderia me explicar o que nossos filhos vão pagar, caro Edu?

  238. Michelle said

    Edu
    acompanhei interessada o desenlace deste interessante debate e percebi que contra os fatos que vc apresentou os debatedores se calaram e saíram pela tangente.

    No fundo todos concordam secretamente com o que vc falou.

    Também estão insatisfeitos com o governo e apelam para aleivosias para tentar defender não uma ideologia socialista que supostamente poderia, caso bem implementada no Brasil beneficiar o povo, o bravo povo brasileiro (do Pax). Ao contrário lançam mão de “fatos” imaginários e sem comprovação para tentar responder.
    Como este ensandecido comentário: Cara, os programas sociais do PT são elogiados no mundo inteiro, inclusive pelo seu gerenciamento.
    Coisa de dolicocéfalos.rsrsrs

    Euzinha penso que o que está em jogo, nos finalmente, não é a discussão ideológica socialismo lulista x capitalismo (chamado de neo liberalismo, pejorativamente).

    Na minha opinião, o que está em jogo é cada vez mais evidente o conhecimento e a cumplicidade de lula com os mal feitos do seu ex- “capitão do time” e com a atual falta de competência da Dilma, a Mulher tomate.
    No fundo o que aqui eles temem é a corrosão da imagem de lula pois isto os deixaria inconsoláveis com o vazio. Dilma é apenas a governanta fantoche.
    Estão aterrorizados com a depressão do fracasso e a provável decrepitude galopante de lula, o eterno operário revolucionário (sem ter sido).Simple ou complexo assim

    José Genoino e Delubio Soares declarando que jamais entregariam companheiros é sintoma da podridão que dominou a cúpula do PT no primeiro governo lula.Cumplicidade criminosa.
    Depois piorou…Palocci já foi drenado do governo 2 vezes e ainda continua assessorando a equipe presidencial chefiada por lula.
    É vergonhoso.

  239. Michelle said

    “Dias de Ira”, por José Roberto Guzzo

    Com o julgamento do mensalão a caminho da sua fase final no STF, é realmente notável a extrema dificuldade, por parte dos condenados e de quem os apoia, de entender que precisam obedecer ao Código Penal quando estão no governo.

    Mudar o nome do cachorro não muda o seu temperamento, como todo mundo sabe; mas o PT e suas brigadas acham que, chamando de “vingança” o que é apenas sua derrota diante da Justiça, podem anular a realidade.

    Tudo o que têm a dizer, desde que a casa caiu, é: “Seja lá o que tenha acontecido, a culpa não é nossa; se a Justiça achou o contrário, é porque se aliou aos nossos inimigos”.

    Fim da argumentação. Essa tentativa de colocar-se acima da lógica é ao mesmo tempo tolo e inútil.

    Não consegue, simplesmente, mudar o que já aconteceu, mesmo com a turbinagem que vem recebendo de três homens que estiveram na linha de frente da política brasileira nos últimos 25 anos: o ex-presidente Lula, o ex-ministro José Dirceu e o presidente do PT na época do mensalão, José Genoino.

    Tudo o que conseguiram foi exibir à luz do sol o que cada um tem, de verdade, dentro de si – e o que mostraram não os recomenda, nem como pessoas nem como homens públicos.

    O remorso, como se diz, sempre vem na hora errada – aparece depois da tentação, quando não serve mais para evitar o pecado.

    No caso do mensalão, para o PT e os seus grão-duques, o remorso não veio nem antes nem depois.

    Não há, após tudo o que foi provado na suprema corte da Justiça do país, o menor vestígio de arrependimento: ao contrário, os culpados vivem dias de ira.

    Lula, quando a coisa toda estourou, sete anos atrás, pediu desculpas “ao povo brasileiro”.

    Hoje, com a própria pele salva, faz o papel do indignado número 1 – na verdade considera-se vítima, e acha que é ele, agora, quem deve exigir desculpas.

    São vítimas bem estranhas, essas que Lula representa: se estão no governo federal e mandam em quase tudo neste país, como podem se colocar no papel de perseguidos?

    O ex-presidente, cada vez mais convencido de que é uma combinação de mártir, profeta e herói de si próprio, diz que sua biografia não será escrita pelos ministro do STF.

    Tem razão. A biografia de Lula está sendo escrita por ele mesmo – os anos que a contaminaram, do mensalão à aliança política com Paulo Maluf, um foragido da polícia internacional, são de sua exclusiva responsabilidade.

    Um segundo membro a suprema trindade petista, José Genoino, também optou por romper com o bom-senso em sua reação às condenações que recebeu.

    Alegou, e alegaram em seu favor, que não poderia ser condenado porque tem uma vida limpa: no seu entender, foi vítima de modo “cruel” por “setores” reacionários” que controlariam “parcelas do Judiciário” e da imprensa.

    Mas o que esteve em julgamento não foi a sua honestidade pessoal – foi o fato concreto de ter colocado sua assinatura em documentos destinados a executar uma fraude financeira envolvendo milhões de reais.

    Não foram os “reacionários”, nem os jornalistas, que assinaram esses papéis; foi ele mesmo – e se não sabia o que estava fazendo é porque não quis saber.

    Num conjunto de dez juízes, levou de 9 a 1. Estariam todos errados?

    No seu caso, ficou, também, uma aula de ingratidão, quando comparou os jornalistas e hoje aos torturadores de ontem.

    Genoino conheceu muito bem uns e outros, e sabe na própria pele a diferença que existe entre eles; esqueceu, quando veio a adversidade, quem sempre lhe estendeu a mão.

    Como é bem sabido, o líder petista escreveu durante longo tempo u a coluna no jornal O Estado de São Paulo. Suas declarações sempre foram publicadas. Foi o político do PT mais respeitado pela imprensa desde que voltou à política.

    No STF, além disso, recebeu um tratamento de príncipe: a ministra Carmem Lúcia quase pediu desculpas ao condená-lo.

    Por que então o rancor?

    Ao terceiro nome da trinca, Jose Dirceu, sobrou, além de uma condenação por 8 a 2, o título de “guerreiro do povo brasileiro”, entoado pela tropa de choque que precisa usar hoje para poder sair à rua.

    Que guerra teria sido essa?

    Pela democracia certamente não foi. Sua guerra, na verdade, foi com o deputado Roberto Jefferson, que mandou para o espaço o sistema de corrupção montado no governo a partir de 2003.

    Ao entrar no jogo bruto com ele, Dirceu se arriscou – e perdeu.

    “Sai daí, Zé”, ouviu Jefferson lhe dizer, numa frase que ficará para sempre em sua biografia.

    Saiu rápido, e sem um único gesto de Lula para defendê-lo.

    Não foi “linchado”, como diz desde sua condenação.

    Foi derrotado – só isso.

  240. Edu said

    Otto e Zbig,

    Não é visão distorcida. Vc sabe que sempre que foi apresentada uma questão aqui no blog, principalmente quando eu estava discutindo, fui em outras fontes, busquei outras visões. Eu já provei aqui que não tenho medo de mudar de opinião (caso da decisão judicial sobre o Pinheirinho).

    Então por favor, não me acusem de preconceito ou de aceitar a visão distorcida da grande imprensa. Isso é baixeza, é vigarice, e é inaceitável para uma boa discussão!

    O que vcs querem que eu faça para que vcs percebam isso? Apresentem-me suas fontes então! Eu canso de pedir isso… e vcs me vem com wikipedia… vermelho.org…. depois eu que sou enviesado! Se for pra argumentar assim retiro o que eu disse e vcs podem voltar pra vida de vcs achando que me convenceram de alguma coisa! Sejam homens e tenham coragem de apresentar seus argumentos de maneira clara!

    Quanto aos fatos:

    Os atrasos nas obras estão aí, documentados fartamente pela internet, senão:

    – Onde está o pré-sal?
    – Onde estão as ferrovias?
    – Onde estão as universidades de que tanto falamos aqui, e o Zbig conhece uma (uma única! haha) e acredita estar tudo bem (poxa, quem será que tem a visão distorcida aqui, né?)
    – O aumento exorbitante do custo do trem-bala fartamente apresentado
    – etc…
    – etc…

    Tudo isso não fui eu que estou escrevendo, nem a grande imprensa. Isso é o TCU, isso é o ministério da educação, isso é a própria Petrobras. Vcs chamam essas fontes de fontes parciais?! Arrumem fontes melhores…

    Por que eu iria querer comparar com a gestão do PSDB? Eu também acho que o PSDB gerencia mal algumas coisas. Por acaso estou defendendo o PSDB? Quem já passou pelas rodovias e paga pedágio pras rodovias do PSDB sabe que o PSDB também faz pouco e cobra caro.

    Eu canso de dizer: minha oposição é outra. Não tem nada a ver com os tucanos. Eu quero saber de coisas bem feitas, seja qual for o lado, e seja qual for a ideologia, como bem disse a Michelle acima.

    —X—

    Patriarca,

    Vc sabe quantas vezes o Guido Mantega revisou a meta inflacionária esse ano?
    Vc sabe quantas vezes o Guido Mantega revisou a projeção do PIB para esse ano?

    Nós não temos dívida externa mas temos muita dívida interna! Tanto que a promessa de não implementar novamente a CPMF quase foi por água abaixo…

    Nossa balança comercial, antes positiva já está quase equilibrada.

    Felizmente os juros estão baixando (viram só como eu sou imparcial? hehe), o fato de os juros baixarem também baixa a dívida do governo! Lembram dessa discussão que eu tive com o Elias? O Elias estava engraçadinho, parecia o Zé Serra em final de eleição… não sabia pra onde correr…

    Com esse cenário acima, Patriarca, no longo prazo. Vc reparou no que eu escrevi… LONGO PRAZO…?! Pois é. Isso não vai acontecer agora não, meu caro. Isso vai acontecer em 10 ou 20 anos… como aconteceu com a Espanha! Olha só os Espanhóis! Como aconteceu com a Grécia! Olha só os gregos…

    Eu cansei de falar isso aqui: assistencialismo sem planejamento dá problema no longo prazo. E o Brasil não é um super-país. O Brasil não possui a economia invulnerável. Se isso acontecer aqui, nossos filhos vão chorar, assim como os espanhóis e gregos estão chorando.

  241. Michelle said

    Edu
    Pérolas para porcos (ou seria feijoada…?)
    O dolicocéfalo jura que sabe a diferença.
    Os ministros do STF não. hehehe

    Basta acusar o Serra – e tudo estaria resolvido…
    Sou torcedora de Serra ..mas se Haddad ganhar,
    daqui a 4 anos será defenestrado do poder.
    Se o cara não sabe administrar um ENEM qual é a chance de administrar Sampa. Lula todo dia na mídia ??? elogiando a incompetência?

    mas a culpa será da elite que não apoiou o
    “novo”… culpa da zelite.
    Leiam a seguir “A zelite” do João Ubaldo Ribeiro

  242. Michelle said

    A ZELITE

    JOÃO UBALDO RIBEIRO

    No setor das grandes questões nacionais, o julgamento do mensalão se aproxima do fim, grande parte do suspense inicial já se foi e agora o que se espera é, no interessante dizer do comentarista que escutei no rádio de um táxi, a customização das penas, ou seja, a definição das punições que receberá cada um dos réus condenados, por sinistro desígnio da zelite. Acho difícil haver um problema que não tenha sido causado pela ação da zelite, é um grande achado. E talvez nele esteja, afinal, uma novidade. Não muito importante, quiçá, mas, na falta de outra, quebra o galho. Creio que já podemos cogitar da inclusão de “zelite” nos dicionários como mais um coletivo da lavra popular, com a observação de que por enquanto leva o predicado ao plural, mas no futuro talvez perca essa peculiaridade. Acredito que logo estaremos dizendo coisas como “a zelite não vai aceitar” ou “ele pertence à zelite paulista”. Não deixa de ser uma contribuição ao vocabulário da perseguida língua portuguesa.

    Resta, porém, definir direito o que é zelite. Não é muito fácil, pelo menos para quem acompanha o noticiário brasileiro. Por enquanto, lembra um pouco o que sucede com a palavra “democracia” e cognatas. Qualquer regime – e tem sido assim em toda a História contemporânea – pode apregoar ser uma democracia. A Alemanha Oriental era a República Democrática Alemã e a Coreia do Norte é oficialmente a República Democrática Popular da Coreia. Fenômeno semelhante acontece com a zelite, na direção oposta. É desejável ser democrático e é odioso ser da zelite; elogia-se com o primeiro e xinga-se com a segunda.

    Além disso, a zelite vem desempenhando um papel comparável ao dos comunistas de antigamente. No Brasil, com a notável exceção de Oscar Niemeyer e Zecamunista, sofremos de uma lastimável escassez de comunistas sobre os quais fazer recair a culpa de tudo o que diabo apronta. Os comunistas, como testemunharão os mais velhos, tinham muita serventia e até moças de conduta avançadex, como se dizia, eram fruto da doutrinação dos comunistas. A zelite e seu braço direito, a imprensa venal, corrupta e a serviço de interesses tenebrosos, vêm preenchendo essa lacuna, tão aflitiva para quem não tem nada de substancial a dizer em sua defesa, a não ser, talvez, o inconfessável.

    Mas que diabo é a zelite? Sabemos que a palavra vem de “elite”. No caso, elite política e econômica. Imagina-se que a elite política seja composta por quem está no poder. Presidente da República é zelite política, assim como os que exercem alguma fatia do poder. Que outro critério haveria? Ou a elite política está diretamente no governo ou o exerce mediante fantoches e paus-mandados, caso em que, ao denunciar a zelite, estaria denunciando a si mesma. Qual a zelite que se opõe aos que estão no poder? A zelite financeira está com eles, os bancos prosperando e ganhando dinheiro como nunca, como já comentou o próprio ex-presidente Lula. A zelite empresarial também não parece descontente, a não ser quanto a um ponto ocasional ou outro. A zelite das empreiteiras, então, nem se fala. A zelite artístico-intelectual, além de não ter poder concreto para nada, não costuma pensar uniformemente. Não me ocorre nenhuma outra zelite à qual se possa atribuir a culpa dos infortúnios enfrentados pelos réus do mensalão. Quem aprontou a trapalhada foram eles, mas a culpa não é do despreparo e dos erros deles, é da zelite.

    A palavra já cria raízes em nossa terminologia política e, ao que tudo indica, terá vida longa, porque serve para fingir que se está explicando alguma coisa. Foi pegado com a boca na botija ou mentindo deslavadamente, os planos deram errado? Distribua uma nota ou faça um discurso, mostrando como a responsável é a zelite. O pessoal ganha, chega ao poder já pela terceira vez, está no topo da zelite governante e, no entanto, a zelite, até mesmo através do voto, fica atrapalhando. É por essas e outras que dá vontade de arrolhar a zelite e sua imprensa e estabelecer aqui uma verdadeira democracia, igual à da Coreia do Norte.

  243. Patriarca da Paciência said

    Ou seja, meu caro Edu,

    “Isso vai acontecer em 10 ou 20 anos… como aconteceu com a Espanha! Olha só os Espanhóis! Como aconteceu com a Grécia! Olha só os gregos…”

    Ou seja, meu caro Edu,

    é a aplicação da tese do “domínio dos fatos” em economia.

    Porque aconteceu com os espanhóis irá acontecer com os brasileiros.

    Acho que você está esquecendo que a Espanha mal saiu de um regime ditatorial de ultra-direita que durou quase quarenta anos!

    E depois da redemocratização, são alternados os governos de direita e esquerda.

    A Espanha tem histórico de país colonialista e capitalista ao extremo!

    O que a Espanha ou Grécia tem a ver com o Brasil a não ser a teoria do “domínio dos fatos”?

    Ou talvez profecias.

    Porque os grandes economistas, entre eles o nosso Delfim Neto, sempre dizem que economia não é uma ciência exata!

    O que os governos fazem é ir trabalhando com os fatos e ajustando as coisas conforme os acontecimentos.

    Acho o ministro Mantega competentíssimo!

    Os empresários viviam reclamando que o dólar deveria ter paridade de R$ 2,00. Faz quase um ano que o ministro consegue segurar o dólar nesse patamar e, sem usar de nenhum truque heterodoxo.

    O problema das exportações agora é com os empresários.

    O mundo inteiro reconhece que o Brasil é um dos países com as melhores contas hoje em dia.

  244. Patriarca da Paciência said

    “Nós não temos dívida externa mas temos muita dívida interna! Tanto que a promessa de não implementar novamente a CPMF quase foi por água abaixo… ”

    Sim, meu caro Edu, nós temos dívida interna, 37%!

    Você sabia que a dívida dos Estados Unidos se aproxima dos 110%?

    Que a dívida da Alemanha passa dos 80%?

    Que a dívida do Japão ultrapassa doidamente os 100%?

    Que a dívida da França se aproxima dos 100%?

    Que a dívida da Irlanda é de 300%?

    Que a dívida da Itália é de 120%?

    Poderia me explicar qual é o problema da dívida brasileira?

    Será que é porque é pequena demais?

  245. Edu said

    Patriarca,

    Já fizemos a comparação dos governos de direita e de esquerda na Espanha.

    Apresentei o link para o site do governo espanhol que apresentava o endividamento do país ao longo dos anos.

    O endividamento do país aumentou significativamente durante o governo de esquerda, agora o governo de direita está arrumando a casa.

    Sobre o “domínio dos fatos”, vc viu a charge que o Chesterton postou? Vc deveria dar uma olhadinha, cara!

    Afinal, economia pode não ser ciência exata, mas contabilidade, embora possa ser maquiada, no fim do período as contas têm que bater… e as contas não estão batendo…

    Eu diria que na verdade o Guido Mantega tenta ser competente, mas acho que o estilo de governo não o ajuda. Na verdade ele é o economista que mais erra, quando na verdade ele é o que mais deveria acertar.

    Mas tudo bem, pra que se preocupar com o futuro, não é mesmo? O negócio é fazer igual os economistas: pra que planejar se tudo muda toda hora?

    Aliás, ontem eu ganhei na mega-sena, acho melhor gastar tudo, afinal, a economia não é uma ciência exata e o jeito é ir vendo os fatos e torrando o dinheiro…

    Além disso: o mundo inteiro quem Patriarca? Vc tem alguma estatística ou fonte?

    —X—

    Lembra da minha religião: o pastafarianismo?

    Sabe por que eu acredito na religião? Porque é de uma simplicidade tão grande que deixa claro o sentido da vida! Veja só: o monstro-de-espaguete, que é o Deus dessa religião, criou tudo, há 5.000 anos atrás. Havia o éden, que era um lugar onde havia muitas mulheres e vulcões de cerveja.

    Não faz sentido? Por que o éden deveria ser diferente? Por que o mundo deveria ter mais de 5.000 anos? O importante é o presente e o que fazemos com ele, não é mesmo?

  246. Edu said

    Patriarca,

    Fontes. Fontes. Fontes.

    Não estou falando daquelas que os passarinhos nadam ou bebericam água.

    Estou falando daquelas que apresentam o nome dos institutos econômicos que levantaram as informações que vc está apresentando.

    Como é que vc quer que eu concorde com alguma coisa que vc diz se vc não apresenta uma fonte?

  247. Edu said

    Patriarca,

    Vou te contar por que eu não acredito em vc: porque eu só acredito no monstro-de-espaguete.

    Para todo o resto, eu preciso de fontes.

  248. Edu said

    Além disso,

    Sabe por que os países como EUA, Alemanha, e principalmente França, Irlanda e Itália apresentam índices de endividamento assim?

    Porque eles vivem em um welfare state.

    Faça o cruzamento: compare o histórico do endividamento com os partidos de esquerda que assumiram o poder e veja os resultados.

  249. Patriarca da Paciência said

    Meu caro Edu,

    desconfio que seja só você que desconhece os dados que apresentei no comentário nº 244.

    Se você não acredita é um direito seu!

    Tudo bem. Fique com suas estatísticas e seus institutos.

    Quanto ao domínio dos fatos, prefiro mais aquela outra piada que está correndo solta por aí.

    “Se você está diante de uma coisa que tem orelha de porco, costela de porco, rabo de porco, toucinho de porco etc.etc. etc. você está diante de um porco?

    Não!

    Você está diante de uma feijoada!”

  250. Edu said

    Poxa vida Patriarca,

    Toda vez que entro em alguma discussão eu não poupo esforços para buscar as fontes para vocês… vc poderia ser um pouco mais diligente com o que diz.

    Sobre o domínio dos fatos: eu prefiro errar e estar diante de uma feijoada a ter que aceitar o meu vizinho no armário…

    Ah, esqueci, é pq vcs da esquerda são coletivistas, né? A piada do armário é inválida pq a mulher não seria sua, seria “dos companheiros trabalhadores”? É por isso?

  251. Patriarca da Paciência said

    Meu caro Edu,

    Há inúmeros casos de inocentes condenados injustamente, seja nos Estados Unidos, França, Inglaterra ou qualquer outro lugar. Condenar alguém deve ser embasado em provas mais que concretas. Domínio dos fatos é uma inovação e não serve de regra.

    Desde obras famosas, como o Otelo de Sakespeare, ou àquela musiquinha capira nossa, em que o marido mata a mulher por causa de uma carta onde, justamente, ela provava a sua fidelidade, a sabedoria popular sempre condenou julgamentos precipitados ou por dedução.

    Eu acho que o STF tem que ser respeitado e suas decisões acatadas, mas nunca concordarei com decisões em base de deduções e acho que as pessoas condenadas em tal base devem lutar com todos os meios para reverter tais decisões.

  252. Patriarca da Paciência said

    Correção:

    Otelo de Shakespeare

  253. Pax said

    Bem, teremos uma semana intensa com o fim provável do julgamento. Não sei como será a tal dosimetria, nem se votos serão mudados ou não.

    O que importa é saber o futuro.

    Tanto o PT quanto o PSDB precisam se repensar. Alckmin deu sinais que quer disputar 2014. Vai rachar o PSDB de novo? Se ele entrar fica ainda mais fácil para Dilma, acho eu.

    Serra, ao que tudo indica, vai para o ostracismo. Acho difícil que mude o quadro daqui pra frente. Ainda mais com a ajuda enorme que o Malafaia e o titio estão aportando para Dilma.

    Já tem torcida organizada pedindo para esses dois falarem mais e mais de kit gay e outros besteiróis.

    Mas insisto no argumento do post. Pau que bate em Chico…

  254. Patriarca da Paciência said

    É, meu caro Pax,

    quando o Serra se aliou ao Malafaia e ao titio, até os conservadores o abandonaram, ou seja, são conservadores mas não são loucos!

  255. Otto said

    Edu, desculpa, se eu aumentei o tom.
    Vamos manter a conversa no mesmo nível de sempre.
    Quanto a o artigo que citei, eu o reli e o vejo sim como uma análise consistente, embora breve, do momento político.
    Em que ele estaria equivocado? Aponte-me um ou dois pontos e discutiremos.

    Aliás, o link está aqui e já há mais de 100 comentários, alguns muito bons:

    http://www.advivo.com.br/blog/luisnassif/a-nova-oposicao

    (Ah, vou viajar nos próximos dias e não disporei tão fácil de internet.)

  256. Otto said

    Edu, vamos às fontes:

    “ONU diz que Bolsa Família é referência mundial no combate à fome.”

    http://www2.planalto.gov.br/imprensa/noticias-de-governo/onu-diz-que-bolsa-familia-e-referencia-mundial-no-combate-a-fome

    Neste artigo há um link para um trabalho da FAO.

    Vale a pena lê-lo.

    (Bom, eu sei que para a Michelle a ONU é um antro e comunistas…)

  257. Otto said

    Edu, aqui vai um artigo do insuspeito O Globo sobre os elogios da ONU ao Bolsa Família:

    http://oglobo.globo.com/politica/onu-cita-bolsa-familia-entre-acoes-que-contribuem-para-metas-do-milenio-2991282

  258. Otto said

    Mais uma Edu:

    “A estratégia brasileira para reduzir a pobreza despertou o interesse de outros países que querem saber qual a receita usada no País. Em entrevista exclusiva à Agência Brasil, o diretor do Grupo de Redução da Pobreza do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud), Selim Jahan, citou algumas nações, como Índia, Turquia e Botsuana, que estão atentas às ações brasileiras, entre elas, o Bolsa Família”

    http://noticias.terra.com.br/brasil/noticias/0,,OI5371450-EI306,00-Bolsa+familia+e+exemplo+para+Africa+diz+representante+da+ONU.html

  259. Otto said

    E mais uma, esta da própria ONU:

    http://www.onu.org.br/pesquisa-apoiada-pelo-pnud-avalia-positivos-os-impactos-do-programa-bolsa-familia/

  260. Otto said

    No tempo do FHC o Brasil só levava esporro e sabão:

    “Em 1999, o então presidente do Brasil Fernando Henrique Cardoso foi à Florença (Itália) em encontro de governantes dos países ricos da chamada terceira via.
    O Brasil estava quebrado, pendurado no FMI.
    FHC fez o discurso da choradeira dos quebrados, pedindo aos líderes dos EUA e Europa, que criassem uma espécie de CPMF mundial para salvar o Brasil da fuga de capitais especulativos.
    Bill Clinton e Tony Blair, e Schroeder receberam mal a proposta.
    Clinton passou um verdadeiro sermão em FHC, sugerindo que faltava CONFIANÇA, HONESTIDADE, eficiência e boa governança sob FHC.
    Enquanto que outros países resolveram estes problemas, citando Chile e Uganda, como exemplos para FHC seguir.
    Clinton e os demais líderes agiram na defesa dos interesses de seus países, que eram os vencedores naquela ordem mundial.
    FHC agiu mal, com incompetência política, ao não articular previamente ao encontro, para não passar esse vexame.
    E agiu pior, de forma humilhante e envergonhando o Brasil, ao não defender o país diante do sermão de Clinton (se é que tinha jeito, naquele governo submisso e dependente, sob intervenção do FMI).”

    Vejam com seus próprios olhos o papelão do príncipe dos sociólogos:

    Constrangedor!!!

  261. Edu said

    Otto,

    A questão não é apresentar uma ou duas inconsistências. O sujeito propõe um tema: falar sobre o futuro da oposição, e foge ao tema. O que vc quer que eu diga?

    Vamos imaginar: eu sou um chef de cozinha e fui contratado para dar uma palestra sobre sobremesas que tenham ovos. Na minha palestra eu falo tudo sobre os benefícios de fazer as sobremesas com frutas, e a única coisa que eu falo sobre ovos é: os ovos são simpáticos. Como vc avalia a minha palestra?

    Uma criança que escrevesse um texto desses para um vestibular tiraria zero por fuga ao tema… concorda?

    Mas vamos dizer que vc se esqueceu que eu tinha fugido ao tema.

    O que agrega à palestra saber que os ovos são simpáticos? Poxa, tem tanta coisa para se dizer sobre ovos, em uma frase tem muito o que ser dito sobre ovos: que eles vão bem com leite, que vc pode usar a clara para fazer um monte de coisas… mas simpáticos?!

    Da mesma maneira, dizer que o FHC e o Serra estão com “rancor” de maneira nenhuma pode ser consistente quando se está buscando falar sobre o futuro da oposição.

    No máximo pode tentar representar o presente, o estado atual. E ainda assim, como eu disse e reitero: o estado atual “rancor” acho que é um péssimo adjetivo a ser usado.

    Eu descreveria como: perdida, desesperada, etc. Mas… rancor? Que espécie de adjetivo para classificar o estado da oposição é esse?

    —X—

    Sobre o Bolsa Família.

    Eu nunca disse que era um programa ruim. Para mim, como sempre: faltou planejamento. Um salário pago para uma família miserável visando dar oportunidade a ela de se reerguer em algum momento tem que acabar, certo?

    Bom, esse acabar não existe, ou seja, se uma família tiver 10 filhos, e viver na miséria, e esses 10 filhos tiverem 10 filhos continuarem na miséria teremos uma progressão geométrica de pessoas vivendo na miséria sustentados pelo Bolsa Família.

    Além disso: são milhões investidos. Qual é a conta que vai sustentar esse programa no longo prazo? Vão criar um imposto novo? De onde virá a arrecadação extra que financiará esse programa no longo prazo? O crescimento do país ajuda, mas não necessariamente resolve… e aí? Novamente: onde está o planejamento?

    Felizmente, o Bolsa Família realmente tem tirado famílias inteiras da miséria, e os repasses de dinheiro, até onde eu li, estão acontecendo sem corrupção.

    Mas o Bolsa Família é 1 programa do governo. E o resto?

    Vamos lá, mandei a lista:

    – Pré-sal
    – Universidades Federais
    – Ferrovias federais
    – Trem bala
    – Obras da Copa
    – Sistema de cotas
    – Aquele esquema de repasse do SUS que foi noticiado no Fantástico

    Se estamos fazendo uma análise, não podemos pegar a parte pelo todo, concorda? Vamos definir um critério? Que tal quantidade de $$$ investido?

    Será que o Bolsa Família, único programa que vc trouxe links, representa a maior parte do dinheiro investido? O trem bala por exemplo está avaliado em quanto mesmo? R$ 30 bilhões? Ou já aumentou?… Já começou? Ou está parado? O que é o Bolsa Família perto do trem bala?

    Pense nisso Otto… para dar um troco para reduzir a miséria do país, não precisa ter curso superior (e foi justamente o que aconteceu). Difícil é fazer o país andar de verdade: pra isso precisa de muita coisa.

  262. Edu said

    Otto,

    Como é que vc me escreve um texto desses? Há menos de 1 ano o Elias veio aqui se gabar pela Dilma que foi lá na Europa dar sermãozinho anti-fuga-de-capitais em um dos eventos de maior vergonha-alheia da presidente esse ano…

    E vc me diz que o FHC foi fazer exatamente a mesma coisa?! hahahahaha

    Por isso que eu gosto de vcs da esquerda: vcs continuam extremamente previsíveis!

    Aliás, essa semelhança é mais um motivo pelo qual eu não gosto de nenhum dos partidos: farinha do mesmo saco.

  263. Otto said

    Edu: hoje o país é respeitado no mundo inteiro, antes era um pária.
    Não dá pra comparar uma coisa com outra. Hoje o Brasil tem coisas a ensinar.

    Outro programa? Serve o Luz para todos? O Prouni, que tem mais alunos em São Paulo que a USP?

    Quantas às novas universidades eu já te falei que conheci algumas delas e estavam a pleno vapor.

    Claro, é muito mais fácil não fazer nada, PAC, Copa, Universidades, como FHC, e vender a preço de banana patrimônio construído em décadas…

    Sobre o Bolsa Família, cinco milhões de beneficiados já saíram do programa, porque progrediram!

    “Bom, esse acabar não existe, ou seja, se uma família tiver 10 filhos, e viver na miséria, e esses 10 filhos tiverem 10 filhos continuarem na miséria teremos uma progressão geométrica de pessoas vivendo na miséria sustentados pelo Bolsa Família.”

    Edu, me desculpe, mas isto é puro preconceito. Repetição de lugares-comuns sem comprovação. Aí você não quer dizer que tem visão distorcida… O Bolsa família sai por menos de 1% do PIB. Quanto deste mesmo PIB o Brasil gasta pra rolar a dívida pública (que aliás já foi bem maior)? A Bolsa banqueiro sai muito mais cara que a bolsa família. Você está bem por fora de informações elementares.

    Veja só um exemplo de superação da pobreza com a ajuda da Bolsa Família:

    http://www.cartacapital.com.br/sociedade/da-pobreza-para-a-universidade/

    Sobre o artigo anterior:

    “Agora, há duas lideranças despontando, Aécio Neves e Eduardo Campos, governador de Pernambuco. Aécio não disse a que veio, sequer demonstra vontade política de abdicar dos prazeres da vida. Campos tem se mostrado o melhor governador da atual safra. Em caso de desgaste na agenda petista, seria uma alternativa presidencial (provavelmente em 2020), mas preservando os princípios originais do lulismo.”

    Está errado? Acho que é isto. Serra é carta fora do baralho, Alckmin não tem gás. Sobra o menino do rio e neto do Arraes, este mais conectado com o lulismo.

  264. Otto said

    Ah, uma coisa é a Dilma dando sermão, outra bem diferente é FHC levando sabão. Na época dele o Brasil não tinha moral nenhuma.

  265. Otto said

    Corrigindo: Sobra o Menino do Rio e o neto do Arraes, este mais conectado com o lulismo.

  266. Michelle said

    Otto, o dolicocéfalo e suas imprecisões contumazes…

    1.FHC levando sabão este ano:
    O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso recebeu o prêmio John W. Kluge, concedido pelo Congresso americano.US$ 1 milhão
    2.A mulher tomate … continuará dando sermão

    3.Otto eu não acho a ONU um bando de comunistas eu acho um bando de incompetentes, vide Oriente Médio.

  267. Michelle said

    Isto é lula, o sem caráter
    Entre um palanque e outro, Lula perde o nexo
    http://josiasdesouza.blogosfera.uol.com.br/2012/10/22/entre-um-palanque-e-outro-lula-perde-o-nexo/

  268. Otto said

    Ora, o FHC recebeu o prêmio pelo entreguismo dele.

  269. Michelle said

    Otto, o dolicocéfalo acredita que FHC recebeu o premio por “entreguismo”.

    A verdade:

    O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso recebeu, na noite desta terça-feira (10/07/12), o prêmio John W. Kluge, concedido pelo Congresso dos Estados Unidos. É um reconhecimento a personalidades que se destacaram nas ciências humanas.

    O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso é o primeiro brasileiro homenageado com o prêmio John W. Kluge. Ele recebeu do diretor da biblioteca do Congresso americano, James Billington, um cheque de US$ 1 milhão como reconhecimento pelas dezenas de livros e artigos científicos que escreveu, e também pela atuação política no Brasil.
    Os organizadores do prêmio lembraram que, há 50 anos, Fernando Henrique já dizia que países em desenvolvimento deveriam se abrir ao capital externo e se integrar ao modelo econômico mundial. A teoria nem tinha nome na época. Hoje, é conhecida como globalização.

    Esse prêmio reconhece um trabalho notável em uma área que não recebe a atenção do prêmio Nobel: a área das ciências humanas.

    Fernando Henrique é a oitava pessoa homenageada com o prêmio John W. Kluge. Diante de uma plateia formada por acadêmicos, políticos e diplomatas, o ex-presidente agradeceu em inglês. Disse que se sentia muito emocionado e afirmou que o Brasil, com sua criatividade e imaginação, pode ajudar a criar um modelo em que os países aumentem não só o seu Produto Interno Bruto, mas também seu índice de felicidade.

    Perceberam a diferença?

  270. Michelle said

    lula começou a beber de novo?

    “Em 1989 se estabeleceu neste país a idéia de que havia um candidato novo. E o povo votou no tal do novo para dirigir o país.
    O novo era o (Fernando) Collor e vocês sabem o que aconteceu”.

    Lula, em comício em Diadema (SP) defendendo a reeleição de Mario Reali (PT).
    No dia anterior defendeu o novo, Fernando Haddad , em São Paulo.

    hehehe

  271. Jose Mario HRP said

    Aproveitando a dica do Michele:
    João Ubaldo odeia o Lula porque ?
    Vai saber por que, mas que é hilário o tempo que o João perde tentando denegrir a imagem do Lula é!
    E como vemos já arranjou um seguidor(a) de tempo integral idem!
    KKK.

  272. Jose Mario HRP said

    Edu, meu filho estuda numa daquelas universidades de papel que voce fala sempre.
    UNIFESP Santos , psicologia, que tem alguns dos melhores mestres na area.
    O prédio de tres largos andares , subsolo, é novinho, teve lá seus problemas de inicio e abriga um milhar de alunos, tendo mais dois outros núcleos na mesma cidade de Santos.
    Tudo novo e , agora, no pós greve andando a mil.

    A única universidade ainda (federais) sem prédio próprio e em tese em crise é o campus Guarulos.
    Aliás os laboratórios estão equipados e as reclamações são as de sempre entre estudantes na faixa dos 20 anos.
    Pré sal?
    Ninguém imagina o que é esse desafio!
    Por isso os EUA teimam em não usar o seu.
    As dificuldades são imensas, a inversão de capital sem tamanho.
    Mas se chega lá.
    E o Brasil não é Nigéria, México(abraçado com o ueso do norte) nem Angola.
    Muito menos Arabia ou Iraque.
    Saberemos usar esse petróleo.

  273. Otto said

    Aliás, abriu um concurso com dezenas de vagas para docentes na Unifesp.
    Se fosse fantasma, não teria concurso.
    Não conheço ainda o campus. Mas de repente vou encarar esta.

  274. Patriarca da Paciência said

    Edu,

    por acaso saiu na coluna da Mirian Leitão alguns dados sobre dívida pública. Acho que você acredita na Mirian Leitão, não é?

    Eu me enganei só em relação à Irlanda.

    Apesar de ter déficit alto, a dívida pública da Espanha em relação ao PIB é de 69,3%, menor do que a da União Europeia (82,5%), a da zona do euro (87,3%) e a de países como Alemanha (80,5%) e França (86%).

    Ainda segundo o jornal espanhol, no ano passado, os países com maior nível de dívida pública foram Grécia (170,6% do PIB), Itália (120,7%), Portugal (108,1%), Irlanda (106,4%) e Bélgica (97,8%).

    Já Estônia (6,1%), Bulgária (16,3%), Luxemburgo (18,3%), Romênia (33,4%), Suécia (38,4%) e Lituânia (38,5%) têm as mais taxas mais baixas.

    http://oglobo.globo.com/economia/miriam/

    Você acredita no Banco Central?

    Segundo Banco Central, dívida líquida somou 36,5% do PIB no fim de 2011.
    No fechamento de 2010, estava em 39,1% do PIB, segundo dados do BC.

    Veja que a dívida pública brasileira é menor até que a dívida pública da Suécia!

  275. Patriarca da Paciência said

    Na verdade, o país cuja dívida pública está se aproximando dos 300% é o Japão.

    E, tudo indica, os Estados Unidos logo alcançarão 110% de dívida pública, pois já ultrapassaram os 100% e não há indicações de melhoras nesse item.

  276. Patriarca da Paciência said

    “Com a alta do dólar, a dívida líquida do setor público deve cair em novembro. A estimativa do Banco Central (BC) é que a relação entre a dívida e tudo o que o País produz – Produto Interno Bruto (PIB) – caia dos 38,2%, registrados em outubro, para 36,8%, em novembro. Se a previsão do BC para este mês se confirmar, será o menor patamar da dívida em relação ao PIB da série histórica, iniciada em 2001.”

    http://www.brasil.gov.br/noticias/arquivos/2011/11/25/divida-publica-deve-atingir-menor-patamar-em-novembro-segundo-banco-central

  277. Chesterton said

    JORNALISTA ANALISA CONTRADIÇÕES DE LULA E REVELA QUEM É O CHEFE GERAL DO MENSALÃO
    Em texto enxuto e impecável como sempre o jornalista Augusto Nunes foi ao ponto ao flagrar que Lula deu um tiro no pé em sua última viagem à Argentina. A coluna dos Augusto Nunes é sempre leitura obrigatória. Leiam:

    A Argentina é logo ali, mas a entrevista concedida por Lula ao jornal El Clarin nesta quarta-feira sugere que o ex-presidente não reagiu bem à viagem sem mudança de fuso horário. Convidado a comentar o julgamento do mensalão, o palanque ambulante desta vez não se refugiou em golpes imaginários, nem enxergou “um problema de caixa dois” na imensa roubalheira descoberta em meados de 2005. Preferiu inventar outra história para safar-se do escândalo. E a discurseira resultou em outro perfeito tiro no pé.

    “Para um presidente que teve oito anos de mandato, o fato de terminar com 87% de aprovação popular é um enorme julgamento”, viajou o entrevistado. Ao confundir o Ibope, o Sensus e o Vox Populi com o Supremo Tribunal Federal, o ex-presidente não só admitiu que o mensalão existiu como se instalou voluntariamente no banco dos réus. Como registra o comentário de 1 minuto para o site de VEJA, o desastre se consumou quando o declarante confundiu eleição com tribunal e eleitor com jurado.

    “Já fui julgado pelas urnas”, decidiu. “A vitória de Dilma Rousseff foi um julgamento extraordinário”. Faz de conta que sim. Nesse caso, Lula foi absolvido por 55 milhões de eleitores que votaram em Dilma. Em contrapartida, foi condenado por 43 milhões que rejeitaram a sucessora que escolheu. Não é pouca coisa. Para essa imensidão de brasileiros ─ quem está dizendo é o próprio Lula ─, o país foi governado durante oito anos pelo chefe supremo de uma organização criminosa. Da coluna de Augusto Nunes – Clique AQUI para ler muito mais

  278. Chesterton said

    Lula diz que o eleitor pode ser bandido como a Carminha, só não deve trocar o Tufão pelo Max. Não é a cara do Lula?
    “Nós vimos o que aconteceu com a Carminha. Ela trocou o certo pelo duvidoso, e vocês viram o que deu nela.”

    Lula carrega o mal dentro de si. Para ele, o fato da Carminha ter roubado o marido e jogado a Nina no lixão não foi crime. Crime foi ela ter trocado o Tufão pelo Max. A criminosa deveria ter ficado bem quietinha, como ele sugeriu hoje à tarde aos eleitores de Diadema. Esse foi o exemplo que Lula deu para sugerir a reeleição do atual prefeito do PT. Lula é sempre um mau exemplo. É o lixão da política brasileira. Via de regra mostra a sua má índole, o seu caráter distorcido e marginal. Hoje se superou.
    POSTADO POR O EDITOR CORONEL

  279. Michelle said

    Ao condenar a cúpula do PT ( 1o. governo lula) por crime de formação de quadrilha, Marco Aurélio Mello disse : 13 é um número sintomático, enumerando os acusados e posteriormente condenados.

    E en passant deu um puxão nas zoreia de lula.
    hehehe

    PT é quadrilheiro!

  280. Edu said

    Olha só!

    O blog equivalente ao Blog dos Amigos do Presidente Lula! hahahahah

    http://comparando.org/

    O PSDB está aprendendo rápido com o PT.

  281. Edu said

    Pessoal,

    Me dêem algum tempo, tenho trabalhado das 8 às 3… da manhã. Não dá pra rebater cada um dos pontos agora de maneira completa, como cosutmo fazer. Mas fiquem tranquilo. Jajá eu vou atrás das informações e mostro algumas verdades.

    Otto,

    Eu já disse, pegue os projetos do governo em ordem decrescente de investimento. Vc sabe quais são eles? Veja os projetos! E veja o status de cada um dos projetos… vamos ver se o governo está gastando o dinheiro dele onde realmente interessa.

    HRP,

    Vc e o Otto conhecem 2 universidades federais. Que bom que estas que vcs conhecem estejam localizadas em SP e no sul do país.

    Vcs já visitaram uma dessas universidades no nordeste? Conhecem a realidade por lá? Eu conheço.

    Por favor, não peguem a parte pelo todo… generalização sempre esteve a um passo do preconceito.

    Patriarca,

    Erro 1 da sua análise:
    Estou falando de longo prazo: o que não significa vc olhar 2 anos. Sabe o que é longo prazo para uma economia Patriarca? Pelo menos 10 anos. Levante o histórico de endividamento dos últimos 10 anos desses países, depois volte para a discussão.

    Erro 2 da sua análise:
    A dívida pública em relação ao PIB é uma medida relativa. O país não paga as contas com PIB, ele paga contas com arrecadação. Se há déficit na arrecadação, em algum momento a dívida aumentará. Peço que busque fontes que tenham a evolução da dívida ou do déficit/superávit em relação ao PIB dos governos. Aí teremos uma avaliação melhor

    Lembre-se: estou falando de longo prazo.

    Além disso, aproveitando o próprio texto da Miriam Leitão que vc enviou. Vc leu o texto? Leu mesmo? Tem certeza?

    Então veja:

    “O dado que mais assustou foi que Espanha e Grécia têm o mesmo nível de déficit, 9,4% do PIB.” – Ela se refere ao erro número 1 da sua análise. Por que? Porque pode estar tudo bem com a Espanha, mas esse 9,4% do PIB significa que a LONGO PRAZO, se nada mudar, a coisa vai ficar feia.

    Ela deixa isso bem claro aqui:

    “A Espanha não está tão ruim quanto a Grécia, mas também não vai bem. O país está no meio de um processo que vai levar a mais dívida. O déficit de hoje é a dívida de amanhã. Por isso, certamente a dívida da Espanha vai crescer.”

    E volto ao meu ponto inicial sobre assistencialismo: olha o resultado de muitos anos de assistencialismo feito pelo governo grego.

    “O caso da Grécia é o mais extremo, ninguém sabe muito bem como será resolvido.”

  282. Chesterton said

    6 x 4: STF condena direção do PT por formação de quadrilha no Mensalão.
    Acaba de fechar a votação do STF, considerando que José Dirceu, José Genoino e Delúbio Soares são culpados por formar a quadrilha do Mensalão do PT. Por maioria, estão condenados por mais este crime. Justiça foi feita.

    chest- agora é oficial, quem vota no PT é quadrilheiro.

  283. Michelle said

    Lula acaba de passar para a História do Brasil por ser um presidente omisso e mole por admitir uma QUADRILHA, no Palácio do Governo, sob sua supervisão e que ameaçou seriamente a paz pública. Marco Aurélio Mello mandou recado a lula para não ir à sua posse em 2006 (STE) e Celso de Melo disse que urna não absolve ninguém.

    HRP é mole e nem sobe. Sissy que frequenta cordeiramente o blog do RA, dando palpites neutros…para se esconder. É claro que pode ler…e concordar ou discordar, mas escrever e dar palpites neutros para não ser censurado é o cúmulo da moleza de caráter
    (para dizer o menos antes que Pax resolva me censurar: guilty by proxy)

    Hei hei hei O Pax é meu tio rei!
    Se não me comportar…ele censura.
    Guilty by proxy

    Beijinhos Pax

    PS. Pax: Os ex-dirigentes do PT foram condenados por formação de quadrilha e corrupção ativa e não por burrice e soberba.
    É fato. Leia os jornais de amanhã.

  284. Michelle said

    22/10/2012 21h33 – Atualizado em 22/10/2012 21h56
    ‘Nunca chefiei quadrilha’, diz Dirceu após nova condenação no STF

    O Marco Aurélio Melo tem razão.
    O chefe despachava no andar de baixo.
    Dirceu vai abrir a boca?

    Cristiano Paz já começou a abrir a boca…Correio Brasiliense.

  285. Awesome website you have here but I was curious if you knew of any community forums that cover the same topics talked about in this article? I’d really love to be a part of community where I can get responses from other experienced individuals that share the same interest. If you have any suggestions, please let me know. Appreciate it!|

Faça seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: