políticAética

Notícias da Corrupção, Desvios, Anomalias, Eleições e Meio Ambiente

  • Sobre o blog

    Uma coletânea das notícias da corrupção, desvios, anomalias, eleições e meio ambiente que aparecem na mídia todos os dias a partir de agosto de 2008.
  • Categorias

  • Arquivos

  • Páginas

  • Meta

Dirceu e Delúbio devem cumprir prisão. Genoino na semiaberta.

Posted by Pax em 12/11/2012

Numa sessão onde as surpresas predominaram, Dirceu e Delúbio são condenados a penas que a princípio os levam ao regime fechado. Genoino deve iniciar no semiaberto.

Dirceu é condenado a mais de dez anos de prisão por formação de quadrilha e corrupção ativa

Débora Zampier – Repórter da Agência Brasil

Brasília – O ex-ministro da Casa Civil José Dirceu foi condenado a dez anos e dez meses de prisão como resultado do julgamento da Ação Penal 470, o processo do mensalão. A pena pode ser alterada até o final do julgamento, conforme alertaram alguns ministros do Supremo Tribunal Federal (STF), mas inicialmente deve ser cumprida em regime fechado por ter superado os oito anos.

A fixação das penas de Dirceu não provocou debates mais acalorados porque o ministro-revisor Ricardo Lewandowski, responsável por votos de contraponto com punições mais amenas, não participou desta etapa. Ele não poderia participar porque absolveu Dirceu de todos os crimes da ação penal. Também não participou da votação o ministro Antonio Dias Toffoli, pelo mesmo motivo.

Em relação ao crime de formação de quadrilha, a votação foi unânime para condenar Dirceu a dois anos e 11 meses de prisão, conforme voto apresentado pelo relator Joaquim Barbosa. Já quanto ao crime de corrupção ativa de parlamentares da base aliada, a condenação foi fixada em sete anos e 11 meses de prisão mais 260 dias-multa de dez salários mínimos cada, que somam cerca de R$ 676 mil em valores não atualizados, proposta também pelo relator. Apresentaram pena menor os ministros Marco Aurélio Mello e Cármen Lúcia, que acabaram vencidos.

As penas de Dirceu foram bastante majoradas porque os ministros consideraram que ele teve papel preponderante no esquema, como autor intelectual. A faixa de punição para formação de quadrilha é um a três anos de prisão e a de corrupção ativa é dois a doze anos de prisão. Em relação à corrupção ativa, a pena ainda foi agravada porque o STF entendeu que houve corrupção de nove parlamentares.
Confira as penas fixadas para José Dirceu (ex-ministro da Casa Civil):
Capítulo 2 – Formação de quadrilha
a) formação de quadrilha: dois anos e 11 meses de prisão

Capítulo 6 – Corrupção de parlamentares
a) corrupção ativa: sete anos e 11 meses de prisão + 260 dias-multa de dez salários mínimos cada (R$ 676 mil)

Anúncios

131 Respostas to “Dirceu e Delúbio devem cumprir prisão. Genoino na semiaberta.”

  1. Otto said

    Colando aqui comentário que fiz no post anterior:

    Caro Edu 169#

    de toda forma, o PT administra o país mil vezes melhor que o PSDB.

    O PSDB vendeu a rodo patrimônio público e entregou o país quebrado, de quatro pro FMI e Banco Mundial. Hoje o Brasil é credor do primeiro. E “apenas” 30 milhões de brasileiros deixaram a pobreza, enquanto com FHC esta só aumentou.

    Outro exemplo do choque de gestão tucano: depois de 20 anos de administração tucana, vide o a guerra civil em São Paulo.
    Aliás, hoje estive em Sampa, e tive o (des)prazer de testemunhar um dos maiores engarrafamentos da história!

    Além disso, fui fazer minha inscrição para um concurso numas desas universidades que vocês dizem que não existem, a Unifesp.
    Só na minha área, — Letras –, 21 vagas! Imagina se existisse!

  2. Otto said

    O que acha disso, Pax?
    Se for verdade, é este o maior escândalo da República.
    Seria bom investigar, mas, se depender de nossa imprensa, que investigou “tanto” a Privataria Tucana, vamos seguir a ver navios…

    “Marcos Valério, em gravação de 2011, fez acusação gravíssima sobre quatro ministros do STF

    Em gravação feita na residência de Marcos Valério, pelo Advogado Joaquim Engler Filho, em 19 de outubro de 2011 – ele não sabia estar sendo gravado – Valério afirmou que:

    – O FHC, Tasso Jereissati, Eduardo Azeredo, Arthur Virgílio e Álvaro Dias fecharam um acordo com os Ministros Gilmar Mendes, Marco Aurélio de Mello, César Peluso e o Aires Brito para julgar o Mensalão do PT no ano que vem [2012], bem próximo a eleição para Prefeito e vereadores.

    Em outra gravação, da mesma procedência, Claudio Roberto Mourão da Silveira, ex-secretário de Eduardo Azeredo, ambos do PSDB, confirmou a mesma história. São afirmações comprometedoras, quanto a isenção de julgamento do mais graduado Tribunal do país.

    Daí se explicaria:

    1 – A exigência de pressa do presidente do STF, César Peluso, para que o relator Joaquim Barbosa e o revisor Ricardo Lewandowski, apresentassem seus respectivos relatórios, exigência feita inclusive pela imprensa.

    2 – Também ficaria esclarecida a imutável sintonia dos votos destes quatro ministros e o absoluto empenho para que Peluso votasse no processo.

    Segue …

    Em outro trecho, Marcos Valério explica o comportamento de José Dirceu.

    – O José Dirceu não fez nada de errado, ele não recebeu um puto sequer, não foi corrupto, não traiu em momento algum o Presidente Lula e não participou de nenhuma coisa errada.

    Claudio Roberto Mourão da Silveira segue perguntando:

    – E verdade Valério que você gravou várias fitas, falando tudo o que sabe?

    Marcos Valério responde:

    – Até o presente momento não gravei nada. É pura mentira destes jornalistas desqualificados das revistas VEJA, ISTOE, EPOCA, querem vender, usam de mentiras e factóides.”

    http://br.groups.yahoo.com/group/politica-br/message/119930

  3. jhone said

    ainda não consegui achar nesse post nada relacionada a disputa externa política entre PT X PSDB, é triste saber que a maioria no Brasil, trata assuntos complexos com fanatismo político. esta quase estampado na cara do Dirceu que ele é culpado e deve pagar pelo seu$ crime$ político$, nada, mas justo que isso. simplesmente justiça.

  4. Otto said

    Pois é, Pax, dá a mão à palmatória e reconheça que dois pesos e duas medidas continuam valendo:

    por Rodrigo Vianna

    De que forma se estruturou a narrativa do STF, no estranhíssima (!) julgamento do “mensalão”? Os alicerces do processo estão no uso de dinheiro público, vindo do fundo Visanet, para corromper deputados da chamada “base aliada”. Quem comandaria o envio do dinheiro, que irrigou os cofres de Valerio e depois seguiu para a “base aliada”? Henrique Pizzolato, diretor do Banco do Brasil e – claro – um antigo militante petista.

    Pois bem, o site Carta Maior acaba de trazer à tona dois dados fundamentais:

    – o dinheiro do Visanet não é público;

    – Pizzolato não assinou sozinho a liberação dos recursos.

    Esse segundo ponto é o mais escandaloso, segundo CartaMaior. Ao lado do nome de Pizzolato nos documentos de liberação dos recursos, haveria assinaturas de outros dois diretores do BB. Nomeados por quem? Por FHC. Foram incluídos no julgamento? Claro que não.

    “O que distingue Pizzolato dos demais? Ele é petista”, conclui CartaMaior.

    Não se trata de opinião. Há fatos. Os dois diretores do BB estariam sendo julgados numa ação separada. Não foram incluídos no “mensalão”. A tal ação correria em segredo de Justiça, e foi escondida dos outros ministros do STF.

    Trata-se de um escândalo, mais um nessa ação judicial que parece (?) ter sido concebida não por juízes, mas por roteiristas/jornalistas de certo canal de Televisão.

    A novela foi escrita, mas há um erro no roteiro. Confira aqui:

    http://cartamaior.com.br/templates/postMostrar.cfm?blog_id=6&post_id=1135.

  5. Otto said

    Perdoe-me a insistência, Pax, mas acho que sua casmurrice te impede de ver que este julgamento foi uma farsa.
    Aí vai outro texto do PML.

    Eu sei que tem gente que se queixa dessas “colagens”, mas eu posto inteiro porque os links nem sempre abrem.
    Ah, e se o Chesterton pode postar textos enormes e em línguas variadas, eu também posso.

    “O futuro dirá o que aconteceu hoje, no Supremo Tribunal Federal.

    O primeiro cidadão brasileiro condenado por corrupção ativa num processo de repercussão nacional se chama José Dirceu de Oliveira.

    Foi líder estudantil em 1968, combateu a ditadura militar, teve um papel importante na organização da campanha pelas diretas-já e foi um dos construtores do PT, partido que em 2010 conseguiu um terceiro mandato consecutivo para governar o país.

    Pela decisão, irá cumprir um sexto da pena em regime fechado, em cela de presos comuns.

    O sigilo fiscal e bancário de Dirceu foi quebrado várias vezes. Nada se encontrou de irregular, nem de suspeito.

    Ficará numa cela em companhia de assaltantes, ladrões, traficantes de drogas.

    Vamos raciocinar como cidadãos. Ninguém pode fazer o que quer só porque tem uma boa biografia.

    Para entender o que aconteceu, vamos ouvir o que diz Claus Roxin, um dos criadores da teoria do domínio do fato – aquela que foi empregada pelo STF para condenar Dirceu. A Folha publicou, ontem, uma entrevista de Roxin.

    Os trechos mais importantes você pode ler aqui:

    É possível usar a teoria para fundamentar a condenação de um acusado supondo sua participação apenas pelo fato de sua posição hierárquica?

    Não, em absoluto. A pessoa que ocupa a posição no topo de uma organização tem também que ter comandado esse fato, emitido uma ordem. Isso seria um mau uso.

    O dever de conhecer os atos de um subordinado não implica em co-responsabilidade?

    A posição hierárquica não fundamenta, sob nenhuma circunstância, o domínio do fato. O mero ter que saber não basta. Essa construção [“dever de saber”] é do direito anglo-saxão e não a considero correta. No caso do Fujimori (Alberto Fujimori, presidente do Peru, condenado por tortura e execução de presos políticos ) por exemplo, foi importante ter provas de que ele controlou os sequestros e homicídios realizados.

    A opinião pública pede punições severas no mensalão. A pressão da opinião pública pode influenciar o juiz?

    Na Alemanha temos o mesmo problema. É interessante saber que aqui também há o clamor por condenações severas, mesmo sem provas suficientes. O problema é que isso não corresponde ao direito. O juiz não tem que ficar ao lado da opinião pública.

    Acho que não é preciso dizer muito mais, concorda?

    Não há, no inquérito da Polícia Federal, nenhuma prova contra Dirceu. Roberto Jefferson acusou Dirceu na CPI, na entrevista para a Folha, na Comissão de Ética. Mas além de dizer que era o chefe, que comandava tudo, o que mais ele contou? Nenhum fato. Chato né?

    Como disse Roxin, não basta. A “pessoa que ocupa a posição no topo de uma organização tem também que ter comandado esse fato, emitido uma ordem.”

    Chegaram a dizer – na base da conversa, do diz-que-diz — que Marcos Valério teria ajuda dele para levantar a intervenção num banco e assim ganhar milhões de reais. Seria a ordem? Falso. Valério foi 17 vezes ao Banco Central para tentar fazer o negócio e voltou de mãos vazias. Era assim “controle” de que fala Claus Roxin?

    Também disseram que Dirceu mandou Valério para Portugal para negociar a venda da Telemig com a Portugal Telecom. Seria a “prova?”

    O múltiplo Valério estava a serviço de Daniel Dantas, que sequer tornou-se réu no inquérito 470.

    Repito: o passado não deve livrar a cara de ninguém. Todos tem deveres e obrigações com a lei, que deve ser igual para todos.

    Acho que o procurador Roberto Gurgel tinha a obrigação de procurar provas e indícios contra cada um dos réus e assim apresentar sua denúncia. É este o seu dever. Acusar – as vezes exageradamente – para não descartar nenhuma possibilidade de crime e de erro.

    Mas o que se vê, agora, é outra coisa.

    A teoria do domínio do fato foi invocada quando se viu que não era possível encontrar provas contra determinados réus. Sem ela, o pessoal iria fazer a defesa na tribuna do Supremo e correr para o abraço.

    Com a noção de domínio do fato, a situação se modificou. Abriu-se uma chance para a acusação provar seu ponto.

    O problema: cadê a ordem de Dirceu? Quando ele a deu? Para quem?

    Temos, uma denúncia sem nome, sem horário, sem data. Pode?

    Provou-se o que se queria provar, desde o início. A tese de que os deputados foram comprados, subornados, alugados, para dar maioria ao governo no Congresso.

    É como se, em Brasília, não houvesse acordo político, nem aliança – que sempre envolve partidos diferentes e até opostos.

    Nessa visão, procura-se criminalizar a política, apresenta-la como atividade de quadrilhas e de bandidos.

    É inacreditável.

    Temos os governos mais populares da história e nossos ministros querem nos convencer de que tudo não passou de um caso de corrupção.

    Chegam a sugerir que a suposta compra de votos representa um desvio na vontade do eleitor.

    Precisam combinar com os russos – isto é, os eleitores, que não param de dizer que aprovam o governo.

    Ninguém precisa se fazer de bobo, aqui. Dirceu era o alvo político.

    O resultado do julgamento seria um com sua condenação. Seria outro, com sua absolvição.

    Só não vale, no futuro, dizer que essa decisão se baseou no clamor público. Este argumento é ruim, lembra o mestre alemão, mas não se aplica no caso.

    Tivemos um clamor publicado, em editoriais e artigos de boa parte da imprensa. Mas o público ignorou o espetáculo, solenemente.

    Não tivemos nem passeatinha na Praça dos 3 Poderes – e olhe que não faltaram ensaios e sugestões, no início do julgamento…

    Mesmo o esforço para combinar as primeiras condenações com as eleições não trouxe maiores efeitos.

    Em sua infinita e muitas vezes incompreendida sabedoria, o eleitor aprendeu a separar uma coisa da outra.”

    http://colunas.revistaepoca.globo.com/paulomoreiraleite/2012/11/12/condenado-sem-dominio-nem-fato/#comments

  6. Patriarca da Paciência said

    É isso aí, meu caro Otto,

    com essa do Barbosão hoje, ficou escancarado o casuísmo.

    Se alguém ainda tinha dúvidas quanto à estranha coincidência entre o calendário do julgamento e as eleições, a jornalista que escreveu que o Barbosão “prestou uma bela homenagem ao Ayres Brito” e “jogou bem” , (post da Michelle) acabou com todas as dúvidas.

    A teoria do “domínio do fato”, como suporte do julgamento, está totalmente liquidada, depois que o próprio criador da tal doutrina, acusou o STF de mal uso.

    Não sei aonde isso vai parar, mas acho que não acaba aqui!

  7. Patriarca da Paciência said

    “Nessa visão, procura-se criminalizar a política, apresenta-la como atividade de quadrilhas e de bandidos.

    É inacreditável.”

    Meu caro Otto,

    se os parlamentares não reagirem ficarão todos desmoralizados diante da opinião pública.

    Eu também acho inacreditável uma coisa dessa!

  8. Michelle 2 said

    Senhores

    “A teoria do “domínio do fato”, como suporte do julgamento, está totalmente liquidada, depois que o próprio criador da tal doutrina, acusou o STF de mal uso”.

    1. “Mal uso” ou “mau uso”? O comentarista não sabe a diferença. Dedica-se a “liquidar”a teoria.

    2.As asneiras continuam. Claus Roxin não acusou nada. Ele não conhece o julgamento e seria falta de respeito dar opinião sobre um caso em andamento. Respondeu genericamente a perguntas do jornalista.

    3.A comparação não cabe, pois Dirceu não era superior hierárquico do Genoíno. E Genoíno deixou ato de ofício ao assinar junto com Valério o empréstimo fraudulento do PT no Banco Rural.Os 2 foram condenados por corrupção ativa pela maioria absoluta, 9 a 1 e 8 a 2, respectivamente.

    4. Quem faz mau uso da língua portuguesa faria um bem aos circunstantes se parasse de repetir feito papagaio bobagens copiadas de outros sites, sem pensar. Pensar não fede.

  9. Jose Mario HRP said

    Pronto!
    Roberto Requião apresenta emenda a Constituição estabelecendo mandato, com prazo de validade, para o exercicio do cargo de ministro do STF!
    É só um começo, do que será a reação aos desequilibrios de poder e a interferencia espúria do STF!

  10. Jose Mario HRP said

    Otto disse

    12/11/2012 às 22:57

    Boa sorte Otto, quem sabe voce acabe dando aulas para o meu filho!

  11. Jose Mario HRP said

    Aqui começa a ruina de mais um “probo” ator da ação 470:

  12. Jose Mario HRP said

    Até quando esse Gurgel vai poder fazer o que bem entender ?

    http://www.viomundo.com.br/denuncias/mauricio-dias-roberto-gurgel-volta-a-atacar.html

  13. Pedro said

    Pois é, parece que o inocente Zé Dirceu, dispõe de vários advogados de defesa informais.

    Otto, se vc quer marcar alguns pontos com o Zé Dirceu, começe a campanha:
    Vamos pagar a multa do Dirceu.

    Parece que a profissão de consultor internacional, para grandes empresas que querem “negócios” com o governo brasileiro, não dá tanto dinheiro assim.
    São negócios pequenos na casa de bilhões, e as comissões são irrisórias.

    Coitado do Zé, tão inocente e tão descapitalizado.

    Sabe como é, socialista odeia o capital.

  14. Jose Mario HRP said

    A questão das multas é bem elástica.
    O não pagamento implicaria em ter o nome inserido na dívida ativa da união, ou talvez na penhora de algum bem.
    Não mata ninguém.
    Cumprir um ano e 09 meses de cadeia em Tremembé não mata também.
    E nem derruba presidente eleito.
    Se é que me entendem aqueles que viram seu candidato derrotado nas tres últimas eleições presidenciais.

  15. Pax said

    Caro Otto,

    Confesso que não entendo esta sua cobrança para que eu tenha a mesma opinião que a tua. Não tenho. E acredito ter este direito.

    Fiz duas perguntas no post passado (ou retrasado?) que me parecem bem claras:

    1 – Dirceu e Genoino sabiam, agiram, mas não há provas concretas de suas participações?

    ou

    2 – Delúbio é o único e exclusivo responsável?

    ou … ainda dando uma terceira chance

    3 – Tudo é uma farsa, não houve corrupção alguma?

    As sentenças das condenações me parecem o caminho natural no final do processo. Se quiser analisar de cabeça mais fria, seria importante apontar onde houve um desvio constitucional ou legal do julgamento.

    Agora pegue, por exemplo, esta tal entrevista que o PML traz. De novo, vou na tangente porque não sou da área. Mas vamos nos ater somente na primeira pergunta:

    É possível usar a teoria para fundamentar a condenação de um acusado supondo sua participação apenas pelo fato de sua posição hierárquica?

    Não, em absoluto. A pessoa que ocupa a posição no topo de uma organização tem também que ter comandado esse fato, emitido uma ordem. Isso seria um mau uso.

    E agora pegue as provas concretas que apareceram no julgamento, saques, desvios, contratos fictícios assinados, reuniões, viagens internacionais (sim, tem passagem aérea, tem agenda anotada, tem depoimento).

    E vamos voltar a questão em si, somente a questão em si: Dirceu e Genoino não sabiam de nada e Delúbio fez tudo sozinho?

    Se sim, parece-me mais salutar cobrar de Delúbio que assuma isto perante a Justiça. Não acha?

    De novo, até o momento ninguém conseguiu lograr me convencer que há uma conspiração em andamento, que os ministros do STF se reuniram com a oposição e a mídia e todos definiram um plano de ações para isto ou aquilo.

    Vamos nos lembrar, também, que nem Dilma, nem Lula nem o PT se pronunciaram oficialmente sobre estas sentenças, nem mesmo sobre o julgamento, nem mesmo levantaram suspeitas. Ao menos que eu saiba, oficialmente não há nada que eu tenha visto.

    O PT se reunirá em Brasília agora, no início de dezembro. Provável que se pronuncie.

    Não é melhor aguardar a posição oficial, nota emitida, para, depois, tentar entender a posição do partido?

    Agora vamos lá:

    Quer me chamar para reclamar que o mensalão tucano e outros casos de corrupção estão pendentes e que todos devem ser julgados com o mesmo tacape? Ok, estou dentro.

    Quer me chamar para elogiar a atuação do ministro Lewandowski que exigiu que seus pares olhassem para uma outra versão possível de entendimento dos autos? Ok, estou dentro.

    Quer me chamar para ir às ruas contra o STF e a favor dos réus condenados? Não, não estou convencido deva fazer isto.

    Quer me chamar para irmos ao Congresso pedir mudanças sobre os assuntos desta pauta? Ok, vou sim, exigindo que as leis sejam ainda mais rigorosas contra a corrupção. Incluindo aqui todos os casos do próprio Judiciário, porque não?

    Uma coisa é o cidadão comum, não político e não agente público, ter uma série de direitos. Outra é o político e servidor público se valer desses mesmos direitos para cometer crimes de toda espécie na administração pública.

    Acaba por vermos o que acontece com a política e os governos do nosso país.

  16. Pax said

    Concordo, sim:

    Chico Alencar ‏@depChicoAlencar
    Faltam réus no STF: ‘mensalão tucano’ (“origem do atual”,segundo Joaquim Barbosa), DEM/DF(no STJ), Cachoeira/Delta -p/ ficar nos + recentes.

  17. Jose Mario HRP said

    Sensacional como o nosso anjo vingador afro descendente fica autoritário por muito pouco:
    http://tvuol.uol.com.br/assistir.htm?&tagIds=546155&time=all&orderBy=mais-recentes&edFilter=editorial&video=calculo-de-pena-para-dirceu-no-mensalao-tem-bateboca-no-stf-04020C183760DCA13326

  18. Olá!

    Hehehehehehehehe. . .

    E aí, viuvada mensaleira?! É melhor irem ao supermercado para comprar uma estoque de lenços de papel, pois as lágrimas irão rolar torrencialmente depois da condenação do marido de vocês. Já começaram a agir como viúvas inconformadas, como aquelas esposas dos bandidos que ficam histéricas e completamente fora de controle quando sabem que o marido delas será enjaulado! Podem chorar à vontade, viuvada! O chororô é livre.

    Mas, meninas, não se preocupem! O marido de vocês não morreu, ele será apenas encarcerado. Portanto, aproveitem que vocês irão ao supermercado e comprem todo o material para preparar um Kit-Presidiário para dar ao marido de vocês. Lembrem-se: Pão com mortadela é o staple food do presidiário e não pode faltar no Kit.

    Eita que vai ter viúva que não vai dormir essa noite! Vai ter chororô até o Sol raiar!

    Até!

    Marcelo

  19. Olá!

    Poxa, legal! Já tem viúva mensaleira dando os primeiros sinais de superação da “perda” do marido. Algumas viúvas já querem fazer universidade e levar adiante a vida.

    É assim que tem que ser! A vida segue, viuvada!

    Até!

    Marcelo

  20. Patriarca da Paciência said

    Para os “entendidos” da língua portuguesa:

    Segundo o dicionário do MEC, Mal: aquilo que prejudica ou fere, modo irregular ou diferente do que deveria ser. Ou seja, mal não é simplesmente o contrário de bem, muito pelo contrário, é principlamente, sinônimo de enfermidade. E é bem isso que considero que está acontecendo. O nosso STF está enfermo e precisa de um bom tratamento. Enfermo de vaidade, de pomposidade, de má digestão de teorias, de virtudes à la Savonarola ou Torquemada etc.etc.etc.

    O PT nunca abandonou nem abandonará companheiros sangrando à beira da estrada – Isto é coisa do PSDB.

    José Dirceu e José Genoino permanecerão como grandes ícones da resistência do povo brasileiro.

  21. Patriarca da Paciência said

    Gostaria de continuar a discussão sobre os países escandinavos, por isso vou transpor para cá os comentários que fiz no post anterior:

    Sobre essa discussão sobre países escandinavos, nunca é demais relembrar o quadro que nos deixou o grande escritor, Henrik Pontoppidan, ganhador do Pêmio Nobel de literatura, da Dinamarca já quase entrando no século XX.
    “Que triste espetáculo, em numerosos lugares, ver como viviam esses trabalhadores. Em geral suas culturas reduziam-se a capoeiras, alguns cereais de longas hastes e campos de capim na maior parte das vezes miseráveis. As criações não podiam ser de outro modo: uma vaca, duas no máximo, quase sempre magérrimas, um porco, raramente dois e algumas galinhas. A alimentação dos animais era de má qualidade, razão por que não se desenvolviam nunca. Provavelmente, com o passar do tempo, semelhante sistema conduziria à ruína do solo. Acrescente-se que a pouca manteiga e os poucos ovos que a mulher do colono punha de lado para levar ao mercado, eram em geral pessimamente remunerados.”
    Eis aí a Dinamarca já quase entrando no século XX. Alguma diferença do Brasil rural de pouco tempo atrás, pois, diga-se, esta realidade já tem mudado e bastante
    Ao contrário do que imagina o Marcelo, eis como A. Joliviet, professor honorário de línguas e literatura escandinava na Sorbone, descreve as mudanças que provocaram o progresso da Dinamarca.

    E o que houve realmente nos países escandinavos?

    “Em 1872 houve na Câmara Baixa uma maioria de esquerda e exigência que a maioria dos ministros fosse escolhidos pela Câmara Baixa. O governo reagiu com truculência e os parlamentares mantiveram-se firmes. Só em 1901 o governo concordou em escolher os ministros entre a maoria de esquerda. Foram criadas boas escolas primárias dirigidas por mestres competentes, cuja qualidade sempre melhorava. E foram criadas também escolas superiores.
    Grundtvig concebeu um tipo de instrução feita para o povo, de caráter histórico nacional, banhado de espírito cristão, não aquele cristianismo de dogmas e hierarquias rígidas, mas da palavra viva, que fala ao coração e que comove. Fundaram-se numerosas escolas segundos o espírito indicado por Grundtvig e o sucesso que alcançaram continua um século depois.
    Os camponeses adquiriram espírito político, com jornais próprios e praticando reuniões onde discutiam seus interesses ou estabeleciam diretrizes. Todo vilarejo tinha sua casa de reunião e, nas grandes ocasiões, organizavam-se assembléias.”

    Tentei resumir ao máximo para não ficar cansativo.

    Mas pode-se ter uma boa idéia do que realmente modificou a Dinamarca.

    Certamente não foram tabelas de números ou gráficos mirabolantes.

    .

  22. Jose Mario HRP said

    É natural certo tipo de gente se alegrar com posturas ditatoriais de qualquer tipo de autoridade em qualquer tempo, mas temeroso vai ficando o destempero, a arrogancia e a mentalidade absolutista de Joaquim Barbosa.
    O país terá problemas ano que vem que fatalmente baterão a porta do STF, coisa dos royalties do petróleo, o codigo florestal, e alguns outros temas bem controversos.
    E o nosso tribunal maior estará repleto de juizes menores, alguns com grandes problemas nas sabatinas do Senado, outros com visíveis problemas pessoais a interferir no seu comportamento e mais ainda , rixas entre os próprios ministros, sem contar o olhar politico nas analises de alguns!
    Estou muito preocupado…..
    Alguém mais?

  23. Edu said

    Otto e Patriarca,

    Fiquem à vontade para dizer que a Dinamarca ou qualquer outro país escandinavo é o ideal social-democrata como quiserem.

    Felizmente, como o Marcelo Augusto nos mostrou, são países capitalistas, e em um nível de liberalismo bastante elevado!

    Há sim um controle estatal, que, segundo a Michelle, e concordo com ela, exerce bastante controle sobre as liberdades individuais (o que é um saco).

    Acho que os escandinavos enganaram a esquerda direitinho: deram uma roupagem social-democrata para o governo, mas no fundo continuam os velhos vikings de sempre. A única diferença é que como não podem saquear outros países, investem e auferem lucros!

    —X—

    Otto,

    Vc acha mesmo que eu acredito que o PSDB tenha feito um governo tão melhor que o do PT? Eu já falei aqui sobre as detestáveis concessões rodoviárias feitas pelo PSDB no estado de São Paulo; já falei sobre a pasmaceira PSDBista; já falei sobre a ausência de efetividade das agências reguladoras. O dia que o PSDB voltar ao poder e fizer as besteiras novamente, vamos nos encarregar delas devidamente, pode ficar tranquilo.

    Quanto à administração tucana no estado de SP, tudo que eu sei é que o PSDB mais uma vez está errando ao negar a existência de um levante do PCC contra a polícia. Com a criação da agência de inteligência em parceria com o governo federal o cerco contra o PCC vai fechar. Mas ainda assim tenho uma pergunta: será que o PCC estaria tão furioso se a polícia de SP estivesse dando trégua a eles?

    Mas a bola da vez é o PT. E o PT tem um modus operandi com o qual eu não concordo: os fins justificam os meios. Apenas para ilustrar, o Elias mesmo diz que o PT insiste em dar apoio aos corruptos, aos criminosos. Tem mais n exemplos, e infelizmente, muito mais exemplos que o PSDB.

    E sobre as universidades de papel: sugiro que vc continue subindo, explore as áreas de MG, BA, PE, RN…

  24. Pax said

    Caro Patriarca,

    Uma questão interessante que você coloca em #21 é sobre a escolha de ministros mais à esquerda, nos escandinavos. Bem interessante.

    O que temos visto no Brasil, por conta do nosso imbroglio político, é que o governo tem se afastado um bocado das esquerdas na formação do governo/ministério. Cede aqui, cede acolá, e aparta as esquerdas. Chego a ver gente da esquerda comemorando o resultado do atual julgamento. Comemorando em público.

    Se você parar para auscultar (ouvir com aqueles aparelhos de médicos – para provocar o nosso velho e infalível Chesterton) as esquerdas, há um enorme descontentamento e afastamento do governo atual – e do passado. Não estou fazendo juízo de valor, estou constatando.

    Aqui é assim, ou se cede à direita, ou não se governa. E, ao se ceder à direita, deu, por exemplo, nisto que estamos vendo. Gente como Valdemar da Costa Neto tem um “custo” altíssimo.

    Na minha humilde opinião é hora, sim, de parar para pensar onde queremos chegar.

    Caro HRP,

    Me preocupa um pouco, sim. Aqui tem um artigo sobre esta questão, sem muita emoção, mas que parece bom:

    http://www1.folha.uol.com.br/colunas/valdocruz/1184612-stf-tempo-quente-pela-frente.shtml

  25. Patriarca da Paciência said

    Caro Pax,

    “Aqui é assim, ou se cede à direita, ou não se governa. E, ao se ceder à direita, deu, por exemplo, nisto que estamos vendo. Gente como Valdemar da Costa Neto tem um “custo” altíssimo.”

    Concordo que o custo é altíssimo, mas é um custo, não um crime.

    O que o STF está tentando fazer é criminalizar o custo.

    Veja-se que a Dinamarca levou de 1872 a 1901 para conseguir criar uma política mais decente.

    Foram trinta anos. Nossa jovem democracia está apenas com 25 e já apresenta grande avanços. Creio que aos trinta anos chegaremos lá.

  26. Edu said

    Pax,

    Discordo: a maioria do congresso não é de esquerda?

  27. Edu said

    Patriarca,

    É um custo que é pago muitas vezes com dinheiro de mensalões.

  28. Elias said

    1 – Não fico nem um pouco triste em ver uns & outros puxando cana, em regime fechado ou não. Com eles em cana, vai ficar mais fácil cobrar cana pra outros, também…

    2 – Mas, insisto: condenar sem provas no processo apenas faz com que o Brasil se aferre ainda mais em sua condição de “banana republic” escrota e desmoralizada. Uma espécie de Haiti com um mais dinheiro no bolso…

    3 – O Joaquim Barbosa merece a fama que tem atualmente. Pouca gente representa o Brasil e os brasileiros tão bem quanto ele: obcecado pelos holofotes da mídia e disposto a tudo — inclusive descendo ao deboche — pra se manter sob o foco.

    O cara parece não perceber o quanto ele rebaixa a Corte a que pertence.

    O STF pode muito bem condenar esse pessoal todo, dispensando-se — e a nós, também — desses espetáculos deprimentes que têm sido protagonizados pelo ministro Joaquim Barbosa.

    Esse negócio dele ficar rindo — só pra atrair a atenção das câmeras — enquanto outro ministro expõe uma questão técnica, é simplesmente repugnante…

    É uma conduta debochada, indigna, a meu ver, de um membro de Tribunal Superior. O cara não tem um mínimo de simancol… Um milímetro de compostura… Parece pinto na m…

    Mas, como se trata de uma “banana republic”…

  29. Pax said

    Caro Edu,

    De esquerda? Desculpe-me, só se a carteira de dinheiro for colocada no bolso esquerdo.

  30. Edu said

    Elias,

    Achei q vc tivesse mais preocupado em discutir a legalidade do processo do que o JB…

  31. Jose Mario HRP said

    Meu problema quanto ao STF é o futuro, pois o passado não tem volta, assim coloco aqui algo que escrevi no Azenha:
    Diante de mais essa estupidez de Joaquim Barbosa, ou o Congresso inicia um processo de investigação da condição mental/psicológica dele ou teremos um tempo muito difícil pela frente com esse monarca absolutista no comando do STF!
    Está ficando inaceitável/insuportável seu comportamento ridículo!

  32. Edu said

    Pax,

    Mas não entendo: o Elias vive falando que a esquerda está dando um baile na direita, que a esquerda isso, que a esquerda aquilo, que os direitobas estão desesperados, etc, etc, etc…

  33. Patriarca da Paciência said

    Acho que o Joaquim Barbosa não seguiu aquele conselho inglês, ou seja, “é melhor você ficar calado e todo mundo pensar que você é bobo, do que você começar a falar e todo mundo ter certeza de que você é realmente bobo”.

    O Barbosão é um poço de arrogância e despreparo!

    Uma das coisas mais surrealistas que vejo ultimamente é um certo movimento para lançar o Barbosão como candidato a Presidente da República.

    Imagine-se só o espetáculo do Barbosão no meio de uma coletiva com os mais variados e provocativos repórteres!

  34. Michelle 2 said

    “O PT nunca abandonou nem abandonará companheiros sangrando à beira da estrada – Isto é coisa do PSDB”.

    Vamos aos fatos:

    Quando o Escândalo do Mensalão foi denunciado lula, dizendo-se traído por companheiros demitiu ZD e a Câmara dos Deputados cassou seu mandato.
    O PT em 2005 exigiu e ZG renunciou à presidência do partido.
    Genro assumiu a presidência nacional do PT. Passou a defender, então, a refundação do partido. Na presidência interina do PT, Genro se lançou candidato para as eleições internas marcadas para o final de 2005, mas exigiu que sua chapa, formada pelo Campo Majoritário, tendência que domina o partido, excluísse José Dirceu, que havia sido cassado pela Câmara dos Deputados por seu envolvimento no Mensalão.
    O “nosso” Delubio foi expulso do partido.

    Ou seja ainda em 2005/06 o PT “julgou” e “condenou” os 3 personagens.
    Ultimamente, ZG não foi reeleito Dep. Federal.
    Estes são os fatos.

    E o PSDB não tem nada com isso.
    Pelo contrário mostrou-se uma oposição conivente com a corrupção sistêmica no governo federal.

    Quando a realidade contraria os petistas eles mudam a realidade.

    PS. “Mal uso” ou “mau uso”? O comentarista não sabe a diferença. Dedica-se a “liquidar” língua portuguesa.

    Quem faz mau uso da língua portuguesa faria um bem aos circunstantes se parasse de repetir feito papagaio bobagens copiadas de outros sites, sem pensar. Pensar não fede.

  35. Patriarca da Paciência said

    Edu,

    até agora, a única coisa provada contra o José Dirceu é que ele pertencia ao alto escalão do governo Lula.

    Por pertencer ao alto escalão do governo Lula é que foi condenado!

    Não há uma única prova de qualquer “mensalão” ou dinheiro distribuído pelo José Dirceu ou pelo José Genoino.

  36. Otto said

    Ô Pax, já te respondi a estas perguntas no post anterior, mas parece que você não leu…

  37. Pax said

    Desculpe-me Otto, não vi. Pode repetir aqui?

    Michelle

    Você passou do sistema aberto – pós moderada – para o sistema semiaberto – pré-moderada. Cansou aqui.

    Agora volta ao aberto. Se tiver que voltar ao semiaberto de novo, vai para o limbo de vez. Não tenho tempo de ficar moderando comentário.

    Quer participar? Ótimo. Quer debater? Ótimo. Mas saiba se comportar. Aqui é minha casa. Não coloque os pés em cima da mesa de centro que eu não permito.

  38. Otto said

    Vou catar lá.

  39. Edu said

    Patriarca,

    Vc não tem que tentar convencer a mim sobre isso. Tente convencer ao STF. Eu e sempre aceitei todas as decisões do STF, mesmo as que foram diretamente contra mim.

  40. Edu said

    Patriarca,

    Aliás, gostaria de retomar o seu comentário #25.

    “Nossa jovem democracia está apenas com 25 e já apresenta grande avanços.”

    Defina “avanço”.

  41. Pedro said

    Pax, abrir a geladeira e pegar uma cerva, pode? :-)

    ………………………..

    Concordo com o Elias:

    “1 – Não fico nem um pouco triste em ver uns & outros puxando cana, em regime fechado ou não. Com eles em cana, vai ficar mais fácil cobrar cana pra outros, também… ”

    Achei que iriam usar a CPMI do cachoeira pra pegar mais uns tubarões safados da oposição, mas parece que vai ficar só no Demóstenes.

    Penso que veio ordem de cima pra acabar com a CPI, estavam chegando perto demais da DELTA.
    Esqueceram até de tentar enquadrar o editor da veja.

    …………………………..

    Falar em esquecimento, é bom lembrar que o estouro do mensalão começou com o cachoeira entregando uma peteca de dinheiro, para um apadrinhado do Bob Jeff.

    No meu entender, uma manobra do Zé Dirceu, pra acalmar a volupia por mais grana do Jefferson. Que por sua vez não quis cair sozinho e botou a boca no trombone.
    O resto da historia a gente conhece.
    Zé Dirceu está pagando caro por sua arrogância.

  42. Michelle 2 said

    E vem mais por aí…

    Blog do Mino

    Mensalão do PT: A testemunha que falta
    12/11/2012
    09:56

    O Procurador-Geral da República, Roberto Gurgel, recebeu na quinta-feira passada uma notícia confidencial. O advogado que esteve lhe visitando na procuradoria no fim da tarde, deixou uma bomba nas mãos da justiça. Marcos Valério oferece para o PT um banquete indigesto, são as contas do esquema no exterior.

    Gurgel deve chamar Aroldo Pororoca e seus filhos Murilo e Christian Almeida Rego, todos operadores do mercado finaceiro e gestores de recursos da operadora Arbor.
    O núcleo petista está tremendo nas bases, José Dirceu e Marcelo Sereno conhece profundamente a família Almeida Rego e sabem que a casa está caindo.

    Comento:
    Se isto for confirmado, o Partido dos Trabalhadores poderá ter o seu registro cassado. É o que prevê a legislação eleitoral. É a denúncia que estaria sendo preparada pelo Procurador Geral da República, Roberto Gurgel.

    É por isso que lula e o PT andam quietos…vem mais por aí!

  43. Edu said

    Legal o PSDB com “bico” do Kassab por estar apoiando a Dilma.

  44. Pax said

    Caro Edu,

    Pode sim, mas da próxima vê se traz uma caixa pra ajudar nas despesas. =)

    (aqui é trazer notícia com link, ou opinião formulada, de preferência sem agredir os convidados)

  45. Elias said

    Patriarca,

    Se tu és quem imagino que sejas, acho que estás a par do que foi o posicionamento do Dirceu, desde 2002.

    O Roberto Jefferson detesta o Dirceu, porque sabe que este o despreza.

    Na verdade, Dirceu era totalmente contrário a que o PT fizesse acordos eleitorais com a murraça dos partidinhos de rodapé conservadores.

    No quesito “partidos pequenos”, ele defendia acordos eleitorais somente com os de esquerda.

    Dirceu acreditava — e eu concordo plenamente com ele — que daria pra vencer a eleição de 2002 sem o apoio dos pertidecos conservadores. Uma vez no governo, aí sim, se faria acordo com a turma do rodapé, dependendo da densidade político-eleitoral (ou seja, do número de deputados e senadores) que cada um conseguisse alcançar (No Brasil, os políticos conservadores sempre acabam se chegando pra quem estiver no poder. Só depois de escorraçados ou ignorados é que eles se tornam oposição.).

    Prevaleceu um entendimento diferente: o de que, fazendo aliança já na eleição, o PT poderia ajudar esses partidecos a obter maior densidade político-eleitoral e, assim, facilitar o trabalho de conseguir uma boa base de sustentação parlamentar.

    Voto vencido, Dirceu acabou se tornando o gerente da proposta vencedora.

    Por ironia, ele acabou tendo detonada uma carreira política em ascensão — e no momento em que o PT se tornou uma das maiores forças políticas do país! — por circunstâncias que se estabeleceram exatamente a partir da estratégia política que ele, pessoalmente, nunca deixou de reprovar, mas cuja execução aceitou coordenar.

  46. Pax said

    Opa, coloquei Edu mas quem pediu a cerva foi o Pedro. Desculpa aí…

  47. Elias said

    “Mas não entendo: o Elias vive falando que a esquerda está dando um baile na direita, que a esquerda isso, que a esquerda aquilo, que os direitobas estão desesperados, etc, etc, etc…” (Edu)

    Sei que não entendes, Edu… E eu pouco posso fazer quanto a isso.

    Mas a coisa é simples: a esquerda vai mal pra caramba, mas a direita vai ainda pior.

    Se a direita fosse pouquinha coisa mais competente, ela aproveitaria o momento pra surrar eleitoralmente a esquerda.

    E o que a direita faz? Continua tomando porrada eleitoral. Neste momento, p.ex., a direita, ou os “conservadores”, ou como quer que se queira chamar, já deveria ter pelo menos um projeto de candidato pra 2014, certo?

    Tem? Não!

    Vão acabar tendo que decidir entre Serra e Aécio… E, conforme a escolha, um dos dois vai fazer corpo mole, facilitando a derrota, certo?

    Em resumo: a esquerda vai mal, e a direita vai ainda pior…

    Entendeu, agora?

  48. Elias said

    Pax,

    Estou sendo moderado?

  49. Pax said

    Não, caro Elias, eu que me enrolei por aqui e agora meu link está me impedindo de acertar.

    Um minuto, por favor.

  50. Pax said

    Pronto, acho que acertei. Assim espero.

  51. Otto said

    Pax, aí vai o que eu escrevi:

    Caro Pax:

    “Ok, Dirceu e Genoino participaram de tudo, mas não deixaram rastros, então não podem ser condenados”?

    Ninguém pode ser condenado com base em indícios, suposições. Esta é a base do direito ocidental, conquistada com tanta dificuldade.

    “Não, Delúbio fez tudo absolutamente sozinho e Dirceu e Genoino são perseguidos políticos”?

    Tudo o quê?

    Mesadas para políticos não foram provadas — tanto que este assunto saiu da mídia.

    Não foi provado o uso de dinheiro público. Não vem que não tem. O dinheiro foi da Visanet.

    O que se sabe foi o uso de empréstimos — que foram saldados — para despesas de campanha.

    Ora, o Delúbio pode muito bem ter feito isto sozinho, ainda mais que já havia um operador que desenvolvera esta técnica com os tucanos.

    Sim, Dirceu e Genoino são perseguidos políticos.

    Como aconteceu às pencas no macartismo sob a democracia americana.”

  52. Otto said

    Edu,

    eu já estive na BA, na Unilab, e já te falei disso.

    Agora, dizer que há mais exemplos de corrupção no PT do que no PSDB você tem que provar isto.

    Em número geral de políticos cassados, o PSDB vence o PT, E muito.

    Em número de candidatos fichas suja nas eleições deste ano também.

  53. Chesterton said

    Pax, comentário 2, tu estás querendo levar um processo na cabeça?

  54. Edu said

    A direita Elias, não pode nem dizer que existe aqui no Brasil.

    Aqui no Brasil, se vc disser que é de direita em qualquer rede social, vc corre o risco de ter seu braço direito amputado.

  55. Chesterton said

    “O PT nunca abandonou nem abandonará companheiros sangrando à beira da estrada – Isto é coisa do PSDB”.

    chest- O PT não é partido, é máfia.

  56. Chesterton said

    Aos colegas comentaristas não petistas , uma lembrança. A esquerda, como parasita chupa-sangue, como distributivista daquilo que é dos outros, como trepadeira com o pau dos outros, não pode viver sem a “direita”. Para existir esquerda, alguem TEM QUE SER de direita. Se assim não for, a esquerda vai tributar o quê? Que empresa será extorquida? Como acredito que doravante a violência no combate será restrita ao teclado da internet, e a esquerda não pode mais matar que não concorda com ela como fez no século 20, tentará sua chantagem até o fim, até estourar a bolha.

  57. Olá!

    Só uma coisa: Quem seria essa direita que vocês da ala esquerdo-petista estão falando?

    Se for o PSDB, caramba, não dá! Não é de direita, não é conservador. É um partido de esquerda que segue os ideais da social democracia européia. Inclusive, se o PSDB fosse para a Escandinávia disputar uma eleição presidencial contra os social-democratas de lá, o partido estaria à esquerda dos escandinavos em diversos tópicos, como economia.

    A única coisa que o PSDB tem de parecido com a direita é um pouco da mentalidade econômica, pois o resto é bem parecido com o que os “progressistas” defendem. Aliás, o próprio FHC já deixou isso claro em um recente artigo. Mas, de resto, não há nada de conservador no PSDB.

    O DEM, ainda vá lá, pois tem alguma coisa de direita.

    No Brasil, aquilo que chamam de “direita conservadora” esteve no Governo Lula e está no Governo Dilma. A saber: PP, PR, PTC, PSC e demais. Isto é, toda a direita, exceto o DEM.

    Até!

    Marcelo

  58. Edu said

    Otto,

    Vc tem razão cara.

    De qualquer modo, não gosto de nenhum deles, do PT um pouco menos, principalmente pelo modus operandi.

    Sobre as universidades: visitarei a Unilab em breve, espero ter a felicidade de ver o mesmo que vc viu.

  59. Chesterton said

    Monumental artigo sobre as universidades brasileiras:

    http://cristaldo.blogspot.com.br/2012/11/senador-protege-guilda-me-perguntei.html

  60. Otto said

    Oi, Edu, o que você vai fazer naquele fim de mundo?

    Apesar de ser perto de Fortaleza, é num sertão brabo.

    Pra quem é do Sul — e aqui eu confesso minhas raízes elitistas — a pobreza de certas partes do Brasil chega a ser agressiva.

    Ontem eu estive em Guarulhos, como disse, e não sei se foi o trajeto do ônibus, mas a paisagem de barracos e casebres inumeráveis me deprimiu.

    Aqui em Curitiba também têm favelas — e muito. Mas são mais “camufladas”. Isto é, ficam escondidas, longe das vistas dos turistas.

    Gostaria que daqui a uns 20 anos toda esta paisagem estivesse mudada!

    É um sonho isto?

    Ora, em 1930 Berlim estava cheia de favelas.

    No final do XIX os hoje tão aclamados países escandinavos eram praticamente miseráveis.

    “You may say
    I’m a dreamer
    But I’m not the only one
    I hope some day
    You’ll join us
    And the world will be as one”

  61. Otto said

    Mais um texto irretocável do Paulo Nogueira. E que, de quebra, traz novamente à baila a Escandinávia.

    SOBRE A TEORIA DO DOMÍNIO DO FATO

    E então falemos sobre a chamada teoria do domínio do fato, tão citada pelos integrantes do STF no julgamento do mensalão – e tão desrespeitada.

    Vamos, primeiro, a um exemplo prático da aplicação da TDF. O ex-presidente peruano Alberto Fujimori está na cadeia por causa dela. Em julho de 1992, nove estudantes e um professor da Universidad Cantuta foram executados por militares.

    Eles eram suspeitos de terrorismo. Descobriu-se, num julgamento iniciado 11 anos depois, em 2003, que o então chefe do Serviço Nacional de Informações, general Julio Salazar Monroe, estava por trás dos assassinatos em Cantuta.

    Foi provado também que o general agia sob ordens diretas do presidente Fujimori. Salazar informava-o sobre todas as atividades de extermínio de pessoas suspeitas de serem inimigas do regime.

    Nem Salazar e nem Fujimori apertaram o gatilho em Cantuta. Mas o general dera a ordem para a matança, e o presidente a aprovara. Foi invocada a teoria do domínio dos fatos, a TDF, e ambos foram processados e condenados a longas penas.

    TDF é uma inovação do jurista alemão Claus Roxin, 81 anos. O objetivo de Roxin era castigar chefes nazistas que, mesmo sem ter matado diretamente, estiveram por trás de chacinas.

    O STF usou o conceito de Roxin para punir José Dirceu e José Genoíno. Eles, pela posição que ocupavam no PT, deveriam saber de tudo.

    Mas existe uma diferença fundamental entre o Caso Fujimori e o Caso Dirceu e Genoíno. Havia provas de que Fujimori sabia das execuções comandadas pelo chefe do SNI. E não há provas de que Dirceu e Genoíno soubessem do alegado pagamento a parlamentares. O que há são suposições.

    Essa diferença é grande como uma pirâmide. E passará para a história como uma nódoa para o STF, com a conspícua exceção de Lewandowski.

    Curiosamente, quem alertou para a diferença foi o próprio Caxin, numa rápida entrevista que ele concedeu à Folha de S. Paulo. Apenas na internet a fala de Caxin repercutiu, o que mostra a forma enviesada como desde o início o julgamento vem sendo coberto pela grande mídia. Nem a própria Folha aprofundou o assunto.

    Não vou dizer que fiquei perplexo, porque perplexidade é coisa de tolos, mas fique registrada aqui minha surpresa.

    Primeiro: como os integrantes do STF utilizaram de forma tão indevida a TDF? Depois: como a defesa dos réus foi tão inepta para não ver isso e denunciar a gambiarra jurídica feita para dar sustentação, aspas, às condenações?

    Em sua ingenuidade germânica, Roxin disse que a justiça não deveria se curvar à “opinião pública” quando não existem provas por trás da TDF, mas sim respeitar o “direito”.

    Ele provavelmente imaginava que a opinião pública brasileira clamava pelo castigo aos réus do mensalão. As recentes eleições, que simplesmente coincidiram com o julgamento, mostram a real opinião pública. O clamor estava e está não nas ruas, mas nas salas monumentais dos donos das grandes empresas de mídia – que têm agido, e não é de hoje, não como barões mas como coronéis.

    Eles retardam o combate ao maior mal do Brasil – a desigualdade social. O Brasil tem que caminhar na direção do capitalismo escandinavo, que produz as pessoas mais felizes do mundo. Mas as corporações jornalísticas fazem o possível para evitar isso, não no interesse público – mas na defesa encarnecida e amoral dos próprios privilégios.

    Defendo vigorosamente o capitalismo — mas não como este que está aí no Brasil. Invoco Adam Smith, o pai do capitalismo: “O impulso em admirar, e quase venerar, os ricos e os poderosos, e desprezar ou, ao menos, negligenciar pessoas pobres é a maior e mais universal causa da corrupção dos nossos sentimentos morais”.

    O capitalismo brasileiro tem que ser defendido de capitalistas como os donos da mídia.

    http://www.diariodocentrodomundo.com.br/?p=15961

  62. Elias said

    Edu,

    Acho que, entre os principais problemas da direita brasileira é a covardia moral.

    As pessoas não têm coragem moral de se dizer de direita, embora fiquem publicamente defendendo poicionamento tipicamente direitistas.

    Aí fica aquele negócio de rabo escondido com o gato de fora… Ninguém respeita gente assim… Na verdade, as pessoas com um mínimo de caráter desprezam gente assim.

    Todo mundo prefere lidar com gente que não tem vergonha de si mesma, né?

    Outra coisa nojenta, é a direita brasileira tentar se passar por “liberal”. Ora, nada mais longe do liberalismo que a ideologia de direita, né?

    Acontece que os liberais brasileiros parece que gostam de se deixar sodomizar pela direita… Não sei por quê… Não entendo por que os liberais — ou o que resta deles — não consegue demarcar claramente com a direita.

    Enfim… Fica aquela suruba que ninguém respeita, e na qual ninguém acredita.

    Dia desses, aquela mulher da UDR divulgou um manifesto político, informando a saída dela do PFL.

    Aí veio com aquela arenga de que, no meio acadêmico brasileiro, ela não tinha espaço pra defender o liberalismo, etc e tal.

    E o que ela faz? Informa que vai ajudar a refundar — ou a afundar — o Partido Social Democrata.

    Mas a louca não é liberal? Ela não quer um espaço pra defender o liberalismo? Como alguém pode contribuir para o fortalecimento político do liberalismo se dizendo social democrata?

    Ou dela é doida, ou não sabe o que é liberalismo e social democracia… Ou é desonesta, simplesmente.

  63. Chesterton said

    O Brasil tem que caminhar na direção do capitalismo escandinavo, que produz as pessoas mais felizes do mundo.

    chest- mas cadê o petróleo que faz a felicidade de noruegueses e de jóqueis de camelo?

  64. Chesterton said

    As pessoas não têm coragem moral de se dizer de direita, embora fiquem publicamente defendendo poicionamento tipicamente direitistas.

    chest- mais ou menos equivale a dizer que as pessoas que defendem atitudes conservadoras (99% da população não quer coletivismo) se passam por esquerdistas…
    Eu não colocaria a questão em termos morais, mas sim no desconhecimento, na ignorância na história. O brasileiro é muito ignorante, de E atá A.

  65. Chesterton said

    Outra coisa nojenta, é a direita brasileira tentar se passar por “liberal”. Ora, nada mais longe do liberalismo que a ideologia de direita, né?

    chest- defina “direita”.

  66. Edu said

    Otto,

    Gosto de passear, gosto de “sair da rota”, embora nem de longe seja um apaixonado por offroad.

    Mas nessas já visitei algum interior do Brasil, e não acho chocante, é diferente. São outras prioridades, outra mentalidade, outra vida, afinal, muitos “pobres”, com o pouco que têm, que vivem muito melhor que muito rico de capital.

    O que entristece é esse povo servir de massa de manobra, isso pega.

  67. Chesterton said

    Elias, a pergunta é séria, o que diferencia direita de conservador e de liberal. ora, uma pessoa pode ser conservadora em termos sociais, sexuais, religiosos e ser liberal em termos econômicos, ou o oposto , ser conservadora em termos econômicos (querer segurança, um emprego, aposentadoria) e leiberal emt ermos sexuais – um funcionário público tarado, por exemplo. Defina melhor seus termos.

  68. Michelle 2 said

    Blog do Josias 1

    O STF não fez bem ao PT.
    Os réus do partido procuravam não parecer o que são.
    Afinal, os ministros do Supremo podiam não ser o que parecem. Frustrados os estratagemas, o petismo recorre aos subterfúgios.

    Rui Falcão, o presidente do PT, levou à web novo vídeo.
    Na peça, lamenta as penas impostas aos companheiros: dez anos e dez meses para José Dirceu, oito anos e 11 meses para Delúbio Soares e seis anos e 11 meses para José Genoino.

    Falcão reitera: “não houve compra de votos”, não foi usado dinheiro público e nenhum dos companheiros “enriqueceu.” O dirigente do PT diz ter recebido “com muita tristeza, mas também com extrema indignação a decisão injusta” do STF.

    Acha que as penas foram “elevadíssimas, fora do parâmetro”. E acusa o STF de julgar com “viés político”, submetido à pressão dos “grandes meios de comunicação”. Talvez devesse procurar tratamento especializado.

    Com óculos novos, quem sabe Falcão enxergue que as penas foram até pequenas se confrontadas com o escândalo, esse sim elevadíssimo, fora de qualquer parâmetro.
    Se a troca de lentes não resolver, só restará a psicanálise.

    Eu já venho recomendando tratamento médico há tempos aqui neste espaço…

    Blog do Josias 2

    “Se fosse para eu cumprir uma longa pena em um presídio brasileiro, preferia morrer.”

    A manifestação de Cardozo esbarrou com o óbvio no instante em que o orador disse que os presídios brasileiros, longe de ressocializar os detentos, contribui para o aumento da criminalidade. Nas cadeias do país, disse o ministro, um infrator mequetrefe vira bandido de alta periculosidade.

    “O sistema prisional é dotado de artifícios que o transformam em uma verdadeira escola do crime”, disse. Nos lábios de um oposicionista, as palavras talvez fizessem nexo. Na boca de um ministro filiado ao partido que exerce o poder federal há dez anos, as críticas a fala soa paradoxal.

    Por sorte, a autocrítica não particpou do evento. Se lá estivesse, ela sorriria ao ouvir Cardozo dizer a seguinte frase: “Temos que parar com o jogo do empurra. Governo estadual e federal tem responsabilidade, sim”. Aos risos, a autocrítica cumprimentaria o crítico: “Bom dia, senhor ministro. Vim apresentar o senhor ao senhor mesmo.”

    Essa doença é conhecida como esquizofrenia…

  69. Edu said

    Elias,

    Uma coisa é verdade: a imagem da direita aqui no Brasil é bastante distorcida.

    A versão mais aceita é que a direita é elite, e é inimiga do povo.

    Na verdade é bem o contrário disso, né.

    O resto é história.

  70. Michelle 2 said

    O vídeo abaixo, produzido por Duda Mendonça para a campanha do PT em 2002, visto hoje, parece profético…

    vale a pena ver de novo!

    -http://www.youtube.com/watch?v=0T7fA20S9ss

  71. Michelle 2 said

    Edu

    TENTE NÃO RIR…eu não consegui, hehehe
    (Pra animar um pouco os petistas de luto no pedaço).

    Piada ótima recebida por email agora há pouco.

    >> Imagine a cena…
    >>
    >>
    >> O pirralho estava brincando pelo apartamento com um destes balõezinhos de festa de aniversário. Chutava prá cá, chutava prá lá, até que o balão acabou entrando no banheiro e foi cair justamente dentro da privada.

    >>
    >> Ele chegou, espiou a bola molhada, ficou com nojo e deixou a danada ali mesmo. Pouco tempo depois seu pai entrou para se ‘desocupar’ e nem notou a bola. Ficou ali, lendo, enquanto fazia o serviço. >>
    >> Ao terminar, olhou horrorizado para o vaso sanitário. Suas fezes haviam coberto o balão e a impressão que se tinha era de um imenso, um absurdo, um gigantesco bolo fecal! Sem acreditar naquilo, ligou dali mesmo, pelo celular, para o seu amigo que era médico:- Geraldo, eu enchi a privada de bosta.. Nunca vi tanta merda assim na minha vida! Tá quase passando do limite do vaso! Acho que eu devo estar com um algum problema sério!
    >>
    >> – Que isso, Anselmo, você está exagerando!
    >>
    >> – Que exagerando, o quê, meu!!! Eu tô olhando pra esse ‘merdel’ todo agora! É um absurdo! Eu devo estar doente!!!
    >>
    >> – Bom, eu já tava indo pra casa e aproveito passo aí que é caminho! O médico chega e vai direto ao encontro do amigo, que estava na porta do banheiro esperando.
    >>
    >> – Olá, Anselmo, cadê o negócio que vo…………. NOSSA MÃE DO CÉU!!! O QUE É ISSO???? O QUE FOI QUE VOCÊ COMEU, CRIATURA???
    >>
    >> – Não falei?! Agora tá acreditando, né?!
    >>
    >> – Nossa! Isso é inacreditável!
    >>
    >> – E então, será que eu tenho algum problema sério?!
    >>
    >> – Olha, o melhor é eu pegar uma amostra desse cocozão e mandar para análise!
    >>
    >> O médico saca uma pequena espátula e um frasco esterilizado de sua maleta e quando espeta o ‘bolo’ para coletar uma amostra do material, ………..

    >>
    >> BUMMM!!!!!!!!!!! A bexiga estoura e voa merda pra tudo que é lado!
    >>
    >> Seguem-se instantes de absoluto silêncio.
    >>
    >> Os dois, embosteados, se olham e, estupefato, o médico berra:
    >>
    >>
    >> – Puta que o pariu!!!! Eu achava que já tinha visto de tudo nesta vida, mas peido com casca, nunca!!!!

  72. Chesterton said

    Fontes fidedignas informam que Marcos Valério entregou provas contundentes de uso de dinheiro externo para montar o caixa dois do PT. Se isto for confirmado, o Partido dos Trabalhadores terá o seu registro cassado. É o que prevê a legislação eleitoral. É a denúncia que estaria sendo preparada pelo Procurador Geral da República, Roberto Gurgel.

    blog do coronel

  73. Michelle 2 said

    Espero não ser censurada pela piada acima.
    É piada para adultos. Rir é o melhor remédio.

    Entendo que a piada não tem nada a ver com certos comentários de petistas locais inconformados com o STF.

    Por mera coincidência, apenas, os argumentos costumeiros, como balõezinhos de gás, acabam explodindo e espalhando fezes pelo ar…peidos com casca.

    Mas, não por coincidência, a matéria fecal original, exposta no julgamento do Mensalão é mesmo imensa.

    É concreta. Não é um balãozinho de aniversário.
    E agora explodiu.

    Essa é minha opinião.

    PS. Ah Pax na minha casa vc pode por o pé na mesa de centro e, sem pedir licença, pegar uma birra na geladeira.Só tem Heineken …aviso.
    Só não pode ir ao banheiro defecar e esquecer de dar a descarga. Aí eu fico puta da vida!

  74. Michelle 2 said

    O STF ESCAPOU DE SUA INÉRCIA. A DEMOCRACIA COMEÇOU A SE DEFENDER

    O que sobrou desta inédita, e ao vivo, batalha ética, jurídica e política? De pressões e contrapressões no Supremo? De teses jurídicas que se anulavam? De ministros que discutiam, debatiam-se e concordavam? Que falavam para a opinião pública e pretendiam não ouvi-la? De um processo penal de caminhos certos e alguns incertos?

    O que sobrou de um PT reclamante e reclamado? De um PSDB ausente e com medo? De um ex-presidente Lula falando nas sombras e de uma presidente Dilma assistindo de longe? De leitores, internautas, telespectadores jamais tão mobilizados?

    Envoltos na pergunta sideral: condenar ou absolver? Quem? Quando? A quantos anos? Afinal, o que sobrou?

    Quando a Folha identificou conflitos na base aliada, e Roberto Jefferson correu seu risco maior e tudo denunciou, praticou-se a liberdade de expressão e de imprensa.

    Quando o Congresso instalou CPIs do Bingo e dos Correios, testemunhas falaram e parlamentares exerceram a independência do Congresso.

    Quando no Ministério da Justiça sob Márcio Thomaz Bastos a Polícia Federal livremente investigou e o Ministério Público Federal sob Antônio Fernando e Gurgel agiu, praticou-se a autonomia das instituições encarregadas de vigiar e punir.

    Quando o processo foi distribuído por sorteio ao ministro Joaquim Barbosa, o STF reafirmou o princípio do juiz natural e assegurou a neutralidade do julgar, indispensável ao estado democrático de direito.

    Quando Barbosa propôs a abertura do processo penal, buscou a coragem da verdade. Na decisiva sessão, a imprensa flagrou o infeliz diálogo de laptops entre ministros e impediu que as investigações fossem arquivadas. E que a impunidade prevalecesse.

    Quando afinal o ministro Ayres Britto decidiu decidir, e colocou em pauta o julgamento, o Supremo escapou de sua tradicional inércia diante da improbidade administrativa e da corrupção. Assumiu seu poder de decidir por último.

    Quando os advogados tudo fizeram para proteger seus clientes, exerceu-se o direito de defesa e dignificou-se a advocacia. Quando o ministro Lewandowski optou por acatar argumentos da defesa e se posicionar contra o relator, exerceu seu direito de livre convencimento, sem o que julgamento imparcial não há.

    Quando me perguntaram, não mais sobre absolvidos ou condenados, dosimetrias ou empates, mas se nossas instituições do estado de direito democrático estavam estáveis e funcionando, respondi que sim. Foi o que sobrou.

    Mas será que o que sobrou é bastante? Não sabemos. Este julgamento foi sobre pessoas que agiram individualmente e foram julgadas individualmente. Mas estavam juntos a serviço de algo maior: de uma política de governo que usa agentes políticos, banqueiros, empresários, publicitários.

    De uma política de governo que usa o público e o privado, a lei, o contrato e os partidos políticos para ameaçar a democracia. A democracia começou a se defender. Será o bastante ?

    Joaquim Falcão na folha

  75. Chesterton said

    Horrivel essa piada, além de velha (rs)

  76. Otto said

    Edu #65:

    “O que entristece é esse povo servir de massa de manobra, isso pega.”

    Já foi pior. O povo está acordando.

  77. Jose Mario HRP said

    Rapaz!
    O Chest achou um antro chamado “Coronel Leaks”!
    Tá fedendo a farda suja!
    Clubinho do bolinha verde oliva!
    KKK.
    Fala sério Chest!

  78. Chesterton said

    Há muito tempo…..e tem Luluzinha tambem.

    ——————————-

    Aí petezada, já estão colaborando para pagar as multas de Dirceu e Genoíno?

  79. Jose Mario HRP said

    Dum texto de Marcos cOIMBRA DA cARTA cAPITAL, LÉ NO BLOG DO mIRO:
    “JB, como ele é conhecido em Brasília, era, presumivelmente, louvado pela Veja. Mas não por coisas que considero, pessoalmente, edificantes. O autor do texto, André Petry, destacou coisas como os ternos comprados por JB. Ele não os comprava, segundo a reportagem, no Brasil – mas em Los Angeles e em Paris. A loja de Los Angeles ele declina, Three Day Suit, mas a de Paris, caprichosamente, não.”

    POR ESSE TRECHO JÁ SE PODE CONCLUIR ALGO SOBRE O NOBRE MINISTRO…….

  80. Pax said

    Capitão cueca?

    Precisa ser apurado.

    http://clippingmp.planejamento.gov.br/cadastros/noticias/2012/11/14/irmao-de-genoino-e-citado-em-fraude

    – cá para nós, sempre achei um erro essa de criarem santos neste mundão apodrecido da política nacional. Vamos lá. Tem?

    Aqui o papo é nos contratos de água e esgoto. Mas tem pra todo lado, verba para escolas, para merenda, para hospitais, para remédios, e, a cereja do bolo, as grande obras públicas.

    Sem esquecer dos contratos de coleta de lixo, das concessões de transporte público, contratos com prestadoras de serviço.

    Municípios, Estados, Federação estão, no Brasil, aparelhados para sangrar os cofres públicos. E criam regras e mais regras, legislações, normas, uma miríade de procedimentos que meia dúzia de corruptos dominam perfeitamente e entram no esquema, como sempre.

    E aí monta cartel, paga aqui, dá um cala boca acolá, ajeita mais adiante, emprega o parente, desvia e envia, sobrefatura, cria obra fantasma, faz o que for necessário para extrair do infeliz pagante de impostos o que ele precisa receber de retorno de uma carga tributária elevadíssima.

    Os da direita liberal, pura, querem menos governo. Acham que o conserto é tirar a fonte farta. Acreditam que o empresário será capaz de ter tanta riqueza que naturalmente os trabalhadores se beneficiarão. Alguém acredita nesta balela?

    Os da esquerda tradicional, pura, querem somente consertar a buraqueira por onde escoe o dinheiro público e – com sua vocação mais igualitária – dirigir o retorno dos impostos de forma eficiente, promovendo a redução das desigualdades.

    E aí fica a pergunta nacional: esta “esquerda” que aí está consegue moral suficiente para que tenhamos alguma esperança nessa tal vocação?

    Tem dias que dá desânimo.

    Parece que ninguém está pensando futuro, dinheiro para Educação (ah, nosso Congresso, nossa Câmara presidida pelo zero à esquerda, vetou os royalties para Educação…), dinheiro para hospitais e segurança. E a infra brasileira que vai de mal ao caos.

    Fica um tal de remenda aqui, remenda acolá, não faz reforma nem aqui, nem lá nem nunca mais, e toda a militância, de um lado ou de outro, quer saber se fulano, beltrano ou cicrano vai para a cadeia comum ou especial, se vai ser televisionado, se vão levar marmelada ou montar caixinha para pagar as multas.

    É, de novo, tem horas que dá um desânimo danado.

    Ayres Brito vai pro pijama. Poderia sair com louvor se nos indicasse quando o mensalão tucano vai entrar no mesmo tacape deste mensalão petista. E quando vão definir de vez o tamanho da cadeia do mensalão do DEM, daqueles que oram pelas propinas recebidas em nome de deuses endiabrados pela verba pública.

    Joaquim Barbosa fez, por escrito, um julgamento técnico que pode ser questionado. Sob holofotes perde o controle, posa de herói, agradece a torcida.

    E já há torcida para convocar o Congresso para questionar o Judiciário. Mas não imaginem que seja para endurecer as regras contra a corrupção. Não, não é nada disso. É que quando pegam integrantes do time da gente, melhor corrigir esta “falha”.

    Os nossos desviam melhor que os outros e não se fala mais disso. Pimenta boa é só para olhos dos alheios.

  81. Patriarca da Paciência said

    Elias, 45,

    o que eu entendo mesmo é que havia um preço a pagar e a turma partiu para o “é agora ou nunca”.

    Mas tanto o José Dirceu, quanto o José Genuino continuam pessoas dignas e honradas. Nunca tiveram a hipocrisia de querer passar por imaculados, mas tão somente por pessoas esclarecidas e solidárias. Nunca cometeram “crimes” ou foram “chefes de quadrilha”, isto é uma infâmia inominável! Já a turma do PIG, exemplos, Reinaldinho Cabeção e do Augusto Boçal Canalha Nunes, vivem de tramar falsidades e tentam se passar por “puros e imaculados”. Há algo mais surrealista do que imaginar que o Reinaldinho Cabeção e o Augusto Boçal sejam “puros e imaculados”? São simplesmente seguidores do Carlos Lacerda, o velho corvo carniceiro, que ao mesmo tempo em que praticava as maiores infâmias ficava a grasnar, “mar lama! mar de lama!”. Talvez se referisse à própria mente, como aliás são as mentes dos “líderes” do PIG e suas claques.

    É uma inversão de valores estapafúrdia colocar o José Dirceu e o José Genoino como criminosos!

    O Catolicismo levou quinhentos anos para reconhecer o grave erro que foi cometido contra Galileu. Espero que o nosso STF não leve tantos anos para reconhecer o grave erro que está cometendo contra pessoas dignas e honradas!

  82. Patriarca da Paciência said

    “Ayres Brito vai pro pijama. Poderia sair com louvor se nos indicasse quando o mensalão tucano vai entrar no mesmo tacape deste mensalão petista. E quando vão definir de vez o tamanho da cadeia do mensalão do DEM, daqueles que oram pelas propinas recebidas em nome de deuses endiabrados pela verba pública.

    Joaquim Barbosa fez, por escrito, um julgamento técnico que pode ser questionado. Sob holofotes perde o controle, posa de herói, agradece a torcida.”

    Concordo totalmente, caro Pax,

    é exatamente o que penso também.

    essa história do do Barbosão “prestar uma bela e justa homenagem ao Ayres Bryto, permitindo que ele participasse da “dosimetragem” do “mensalão”, arrebentou a boco do balão!

  83. Chesterton said

    carlos lacerda, tesoureiro do partido Comunista, raspou o cofre e foi embora.

  84. Patriarca da Paciência said

    Qual foi o “crime” do José Dirceu?

    Aceitar alianças com velhas raposas felpudas.

    Aí vem o Barbosão e diz que “corromper velhas raposas felpudas” é um crime grave e merece punição exemplar.

    Qual o raciocínio?

    Velhas raposas felpudas não fazem nada de graça e certamente algum dinheiro rolou.

    Então, que tudo fosse investigado e que cabalmente fosse comprovado como rolou e quanto foi.

    Agora, em processo criminal, dizer que “não poderia ter sido de outro jeito” é algo para criar um embrulho jurídico monumental!

  85. Jose Mario HRP said

    Diante de toda essa firmeza e mão pesada do STF na 470 me lembro um velho ditado que serve para a maior parte dos envolvidos na ação, tanto julgados como julgadores:
    “Aqui se faz, aqui se paga”!
    A conferir.

  86. Jose Mario HRP said

    OFF TOPIC:
    O que está em andamento por toda a Santa Catarina?

  87. Elias said

    Chester,

    I
    Pra mim, os liberais têm como centro ideológico a ferrenha defesa das liberdades individuais, e isso se aplica a todas as áreas do comportamento humano. Eles defendem o máximo de liberdade econômica (e, reciprocamente, o mínimo de intervenção estatal), respeitam as opções sexuais dos indivíduos, e por aí afora.

    Para os liberais, desde que tu não prejudiques o teu semelhante, o que tu fazes com a tua vida é problema teu.

    Um legítimo liberal não concorda com a proibição do partido comunista, p.ex., porque, pra ele, isso viola a liberdade de pensamento, de organização, de expressão, etc.

    Um exemplo típico do legítimo liberal, pra mim, foi o grande mestre Sobral Pinto (citei logo um gigante, pra me dispensar de relatos biográficos).

    II
    Diferentemente dos liberais, os direitobas — especialmente no estágio patológico, direitopata — vivem tentando impor suas opiniões doentias aos seus semelhantes. Eles não se limitam a discordar de outras opiniões e concepções; eles vivem permanentemente empenhados em destruir quem pensa diferente deles.

    Por isso, no frigir dos ovos (e o diabo é que os direitopatas sempre acabam frigindo os ovos alheios…), os direitopatas acabam engendrando Estados fortes, para que possam exercitar sua tirania sobre os contrários.

    Um liberal respeita o resultado de uma eleição na qual foi derrotado. Ele simplesmente fica na condição de oposição, e pronto. Já o direitopata, não… Este vai tentar derrubar o governo. Vai ficar imaginando meios e modos de dar um Golpe de Estado ou qualquer outra forma espúria de conquista do poder.

    III
    No Brasil de hoje em dia, o típico direitopata é um idiota político.

    Como os direitopatas chegaram a essa condição? Realmente não sei. Acho que eles não se atualizaram, foram ficando cada vez anacrônicos e, talvez por isso, só têm conseguido atrair para o campo deles exatamente aquela parcela mais cretina, pernóstica e repugnante da população. (Isso é o que eu imagino, né? Pra mim, os direitopatas que se danem! Tô nem aí…).

    Sendo o idiota político que é, o direitopata não tem imaginação. Não consegue ter idéias criativas pra se encaixar no momento em que vive.

    Como não tem idéias criativas, o que o direitopata faz? Fica repetindo velhos discursos e velhas jogadas de 55 ou 60 anos atrás…

    No final dos anos 1950, os direitopatas repetiam a cantilena do Carlos Rima Rica: “Juscelino não deve ser candidato. Se candidato, não deve ser eleito! Se eleito, não deve tomar posse! Se tomar posse, deve ser derrubado!”

    Obviamente que esse discurso era apresentado como uma “defesa da democracia”. Era o tempo da “Carta Brandi”. Tempo da divulgação da notícia fraudulenta de que João Goulart, vice de Juscelino, estaria contrabandeando dinheiro e armas da Argentina para o Brasil. Quem divulgava essa afirmação fraudulenta?

    A “grande” imprensa brasileira, naturalmente (e mais virulentamente, a “Tribuna da Imprensa”, de propriedade do Corvo Rima Rica).

    Como depois ficou exaustivamente demonstrado, não havia um mínimo de verdade nessa história toda. Mas ela deu causa a uma tentativa de golpe, que só não foi em frente porque os golpistas foram peitados pelo general Teixeira Lott.

    Lacerda et caterva se meteram dentro de um navio, na Baía de Guanabara. Mas Lott nem pestanejou: mandou bombardear o navio.

    Aí Lacerda meteu o rabo entre as perninhas, e foi tirar férias em Cuba, sob as asas de Fulgêncio Batista, um emérito democrata que logo seria deposto por Fidel Castro (outro!!!!).

    IV
    Entendeu agora onde os direitopatas foram buscar inspiração pra essa história de que o PT é ou foi financiado com “dinheiro externo”?

    É filme velho, Chester! Quem tem 2 neurônios e meio já viu essa m…

    Naquela época, havia a Guerra Fria. “Dinheiro externo” significava “ouro de Moscou”, com toda a carga terrorista que isso tinha. Hoje, significaria o quê? Hugo Chavez? Ele detesta o PT, Chester. Dá uma olhadinha no xadrez externo, que tá na cara…

    Essa m… não engana mais ninguém, Chester (se bem que, com o STF transformado num depósito de material fecal a céu aberto, até que faz sentido essa tentativa imbecil dos idiotas políticos da nossa contemporaneidade moderna do Brasil atual de hoje em dia…).

  88. Olá!

    Pax,

    “Os da direita liberal, pura, querem menos governo. Acham que o conserto é tirar a fonte farta. Acreditam que o empresário será capaz de ter tanta riqueza que naturalmente os trabalhadores se beneficiarão. Alguém acredita nesta balela?

    Mais tarde eu comento esse excerto acima. Só acho que você foi injusto e tosco ao comentar sobre o que os liberais querem.

    “Os da esquerda tradicional, pura, querem somente consertar a buraqueira por onde escoe o dinheiro público e – com sua vocação mais igualitária – dirigir o retorno dos impostos de forma eficiente, promovendo a redução das desigualdades.”

    Alguém acredita nessa balela?

    Até!

    Marcelo

  89. Elias said

    Chester,

    Esse negócio de dizer que o cara é “liberal” aqui, mas não ali, já é conversa de direitoba…

    O conceito de “liberal” não se refere apenas àquilo que o sujeito tenha como SUA escolha individual. O conceito de “liberal” vai muito além disso. Ele se estende, e muito especialmente, à conduta de cada um em relação às escolhas alheias.

    O liberal não se opõe, p.ex., à formalização da união conjugal entre pessoas do mesmo sexo. Ele sabe que isso está circunscrito à liberdade individual.

    Isso não significa, evidentemente, que o liberal seja homossexual. Significa, apenas, que ele reconhece o direito do indivíduo de ser homossexual, e de viver nos termos dessa condição.

    O liberal entende que a sociedade não tem o direito de impor ao cidadão uma determinada opção sexual. O liberal entende que a sociedade tem o dever de reconhecer, formalmente, o direito que o cidadão tem de optar por tal ou qual opção sexual, sem que, por isto, seja penalizado do ponto de vista penal, civil ou político.

    Ao mesmo tempo em que defende a liberdade de orientação sexual, o liberal pode ser — e, não raro, é — um heterossexual convicto. Espada, entendeu, Chester? Fui claro? Se tu queres, mesmo, um dia ser um autêntico liberal, quero que tu saibas que terás que ter coragem moral de defender a legalização da união conjugal entre pessoas do mesmo sexo, sem que, para isso, tenhas que jogar no pisão… (Bem verdade que, se quiseres jogar, porra… Joga! Mas isso será problema teu. Todo teu…! Que fique bem claro entre nós: liberar a franga não tem nada a ver com liberalismo, viu Chesterton?

    No Brasil, os direitopatas aproveitam a oposição que o liberalismo faz ao marxismo, pra mesclar campos ideológicos. Fora do poder os direitopatas incorporam ao seu discurso a concepção econômica liberal e, assim, se passam por liberais. A própria esquerda contribui para isso, porque passa a colocar um sinal de igualdade entre liberalismo e direita (no poder, o papo direitopata é outro, né?).

    No Brasil é fácil fazer essa mescla, porque aqui praticamente não existem liberais. Os grandes liberais brasileiros — de que é exemplo, volto a dizer, o grande mestre Sobral Pinto — em momentos cruciais da história atuaram politicamente alinhados com a esquerda, como na luta pela redemocratização do país, no final dos anos 1970 e primeira metade dos 1980. Mas esses grandes liberais são e sempre foram poucos. Além do mais, nunca se organizaram partidariamente.

    Infelizmente os liberais brasileiros praticamente não têm expressão político-eleitoral. E, no futuro próximo, provavelmente terão menos ainda. Os tempos andam bicudos pra defesa de alguns postulados do liberalismo econômico, num momento em que, nas Américas, Europa e Ásia, a economia precisa de cada vez mais dinheiro estatal, pra tirar o pé de cima do poleiro de pato…

    Vamos ter que conviver, portanto, com essa morrinha nojenta e falsa de direitopata infecto-contagioso vestido com os trapos de uma velha e anacrônica fantasia liberal…

    Já que é assim… Pau pra cima deles!

  90. Edu said

    Elias,

    O problema é o seguinte: é fácil ser de esquerda, muito fácil.

    Pra ser de direita vc tem que tomar cuidado: vc tem que ser de direita do jeito que a esquerda quer que a direita seja, não é verdade? Se não for assim, é um direitoba.

    Só tenho uma pergunta: quem é o idiota esquerdista? Vc conhece algum?

  91. Edu said

    Elias,

    Não se esqueça ao exercer um liberdade individual está automaticamente implícita a individualização do risco assumido.

  92. Zbigniew said

    Elias,

    Os direitopatas brasileiros têm um quê dos “wasp” (brancos, ânglo-saxônicos e protestantes) que votaram no Romney. Com suas idéias não conseguem retornar ao século XXI.

  93. Zbigniew said

    Enquanto isso, sob os auspícios da pasmaceira do governo e seus aliados, o vácuo vai sendo preenchido.

    “(…)
    Fernando Rodrigues

    Fórum Nacional do Poder Judiciário e Liberdade de Imprensa vai agregar dados sobre todos os processos

    Ideia é melhorar o padrão de decisões do Judiciário em casos que a liberdade de expressão esteja em jogo

    O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Ayres Britto conseguiu aprovar hoje (13.nov.2012), seu último dia útil como integrante da Corte, uma proposta para que o Conselho Nacional de Justiça (CNJ) monitore ações judiciais que envolvem a imprensa.

    Britto é presidente do STF e do CNJ. Completará 70 anos no domingo (18.nov.2012) e terá que se aposentar compulsoriamente.
    (…)”

    http://fernandorodrigues.blogosfera.uol.com.br/2012/11/13/cnj-vai-monitorar-acoes-contra-imprensa/

  94. Elias said

    Zbigniew,

    É isso aí… Ao fundo, o desejo secreto — e, quase sempre, irrealizável — de poder usar a porta social, quando for aos EUA (o Paulo Francis, coitado, morreu sem conseguir realizar o sonho de ter seus artigos — waaaallll… — publicados na grande imprensa americana, a quem ele admirava às raias da bajulação pura e simples…).

    Edu,

    Todo direitista é um direitoba. Direitoba é um modo carinhoso da gente se referir ao péssimo.

    Agora, quando o cara começa a babar e espumar pela boca, querendo morder todo mundo, ele já não é apenas um direitoba: é um direitopata (uma espécie de portador de TPA político-ideológico).

    Igualzinho ao seu irmão siamês da esquerda, o esquerdopata, vociferante, babante, espumante, mordente e socialmente prejudicante tanto quanto…

    Na verdade, a distância entre um direitopata e um esquerdopata é mínima. Volta e meia um deles atravessa a rua e passa a fazer parte do outro time.

    O Lacerda foi um bom exemplo disso. Sem nem a raspa do talento de Lacerda, temos, hoje, o Reinaldo Azevedo (aliás, o que houve com ele? Ainda vive? Por que seus admiradores nunca mais linkaram ou transcreveram seus escritos aqui?).

    O próprio RA revelou que já fez parte da Convergência Socialista. Parece até que ele quase participou da fundação do PT.

    Eu imagino… Na fundação do PT, a Convergência Socialista compareceu com todos os seus militantes dentro de uma Kombi. Entre eles, o Reinaldo Azevedo, que não pôde participar da solenidade porque tinha surtado do “mal de convergência”.

    Enquanto rolava a cerimônia de fundação do partido, o Reinaldinho permaneceu dentro da Kombi, babando, espumando pela boca e grunhindo palavras de ordem ininteligíveis, porém facilmente identificáveis como esquerdopáticas…

    Numa noite de chuva, Reinaldinho atravessou a rua, repudiou seus antigos companheiros de doença e contraiu uma direitopatia feroz, estágio 3,9 (numa escala de 0 a 5).

    Agora ele baba, espuma pela boca e rosna coisas direitopáticas…

    O que fez o Reinaldinho virar a mão? Sei lá! Vai ver, o pai dele ficou de saco cheio e cortou a mesada do sacana! Aí ele saiu por aí, procurando quem precisasse de um doido…

    Acabou dando certo, né? Enquanto as pessoas não se cansarem da doidice dele, ele tem um meio de vida…

    Ele tá certo! E é socialmente útil. É sempre bom saber o que os doidos e os idiotas políticos pensam que estão pensando…

  95. Chesterton said

    Elias, você é liberal?

  96. Edu said

    Otto,

    Não sei se está acordando ou se está achando que está acordando, e a segunda opção é até mais perigosa.

    —X—

    Michelle,

    kkkkk

    É velha mesmo, mas é sempre bom lembrar. Piada vale a pena ver denovo, todo mundo gosta disso no Brasil!

    —X—

    Elias,

    A situação das empresas de energia (elétricas e Petrobras) hoje foi gerada pelo liberalismo?

  97. Michelle 2 said

    A alma do PT

    SÃO PAULO – Com o julgamento do mensalão quase encerrado, como fica o PT? Minha pergunta tem menos a ver com política –esfera em que a agremiação vai bem, a julgar pelos resultados no pleito de outubro– e mais com a alma do partido.

    Nos primórdios, o PT se apresentava como arauto de uma nova forma de fazer política, que não abria mão de princípios nem da moralidade pública. Durante alguns anos o discurso era verossímil, já que membros do partido eram a notável ausência nos muitos escândalos de corrupção que pipocavam pelo Brasil. Eu mesmo, jovem ingênuo que era, cheguei a acreditar que o partido era diferente.

    Aí veio o mensalão. O lado bom é que ele nos tornou mais realistas. É verdade que indivíduos variam em seu compromisso com a virtude, mas, quando passamos aos grandes números, isto é, quando saltamos do político singular para o partido, as diferenças se anulam e o que sobra é a média da natureza humana.

    O PT até poderia ter atuado cirurgicamente, promovendo um rompimento rápido e radical com os envolvidos no escândalo. Por uma série de razões, porém, não o fez. Embora a tergiversação não pareça ter afetado seu sucesso eleitoral, ela deixou a legenda sem um discurso coerente.

    Hoje, o PT se divide entre afirmar que não fez nada que outros partidos também não façam e denunciar um suposto complô da direita para condenar seus membros.
    É risível, já que o mensalão foi apurado e julgado por instituições sob comando direto do PT, como a PF, ou chefiada e composta majoritariamente por gente indicada pelo partido, caso do Ministério Público e do STF. De resto, a agremiação já se aliou à fina flor da direita brasileira, representada por nomes como Maluf, Sarney, Kassab.

    Para recuperar o nexo discursivo, o PT precisaria trocar a lealdade pelo pragmatismo e esquecer os mensaleiros.
    Algumas lideranças até arriscaram passos nesse caminho, mas deve ser difícil contrapor-se a Lula.

    Hélio Schwartsman na folha

    Comento:
    O covardão está se borrando de medo.
    Usa ZD e ZG como bois de piranha e os militontos como bucha de canhão.
    E com paralizando a renovação do pt.

  98. Elias said

    Chester,

    Sou social-democrata.

    Michelle,

    A Petrobrás, pelo que sei, está no azul! Dando lucro! Aliás, em junho já estava pagando antecipação do lucro líquido de 2012 (e a gente sabe muito bem por quê pagou, né? Mas o fato é que pagou, eu recebi e gostei, claro…).

    As elétricas, pelo que li há umas duas semanas, despencaram em NY. Essa notícia até me deixou surpreso.

    Das elétricas, sabia que a situação da Rede não estava nada boa, porque ela era a controladora da Celpa, que estava (está, aliás) na m…

    Mas o caso da Rede é conhecido. Ela se meteu na construção de uma hidrelétrica que, por uma série de razões, empacou.

    Só que ela havia posto em prática a “teoria dos vasos comunicantes”. Tinha tirado dinheiro da Celpa, p.ex., que era lucrativa, pra enterrar na tal hidrelétrica, que comeu muita grana e, até agora, deu em nada. Resultado: nem hidrelétrica, nem Celpa nem nada! A Celpa acumulou um passivo paquidérmico para o porte da empresa. Simplesmente impossível de ser pago, a menos que a Rede devolvesse o que sangrou. Só que a Rede não tinha como devolver.

    Aí a Celpa quebrou. Acabou sendo vendida por R$ 1,00, para um grupo árabe.

    Não me ligo muito nos movimentos de curto prazo das bolsas, porque: (a) não tenho um centavo nas bolsas (tenho algumas ações de empresas como BB, Petrossauro, etc., mas nada tem a ver com bolsa; (b) as oscilações de curto prazo das bolsas raramente dizem coisas aproveitáveis (com frequência, são resultado puro e simples de especulações ou do nervosismo inerente ao mercado de capitais).

    Por exemplo: nos últimos dias, as ações das empresas do Eike Baptista despencaram. Eike amargou um prejuizão de algumas centenas de milhões de reais em 2012. E aí? As “X” são inviáveis? São um mau negócio? A meu pensar, não. Se não se está pensando em retorno já em 2012, se o horizonte de quem aplica tá mais longe, as “X” são uma excelente opção.

    É a mesma coisa que penso das elétricas. Não tem como um negócio desses dar errado, a menos que seja muito, mas muito, mesmo, mal administrado (em que pese a interferência governamental na fixação das tarifas). O mercado é cativo e em permanente expansão. Você não tem que sair correndo atrás do cliente, como eu faço todos os dias. O cliente nunca pede desconto, nem parcelamento… É coisa de “mamãe, quero mais!”.

    “Liberalismo”? Isso não se aplica às elétricas. Elas são monopolistas, lembras? Onde tu moras, podes escolher quem te fornece energia elétrica?

  99. Chesterton said

    Elias disse: ” Eles ….. respeitam as opções sexuais dos indivíduos, e por aí afora.”

    chest- Elias você defende , ou melhor, respeita as liberdades sexuais dos individuo?

  100. Michelle 2 said

    Elias seu comentário é dirigido ao Edu, não a mim.
    De todo modo agradeço a citação.
    Meu assunto é outro.

    política | 09:00
    Acerto de contas

    Contemporâneo de José Dirceu na esquerda armada, o economista Paulo de Tarso Venceslau rompeu com o ex-ministro ao encabeçar, em 1997, a primeira denúncia de desvios no comando do PT.

    Venceslau diz que não é de chutar “cachorro morto”, mas não conteve o humor ao ser perguntado sobre a condenação e a inevitável prisão do ex-companheiro.

    “Vou levar ao Zé Dirceu uma caixa de charutos, mas será do brasileirinho. Os charutos cubanos são muito caros e ele vai receber do G-2”. G-2 é o serviço secreto cubano, onde Dirceu foi doutrinado durante o curso de guerrilha em Cuba.

    Ao voltar ao Brasil com o rosto modificado por uma operação plástica o ex-ministro, segundo Venceslau, era tratado pela ALN (organização pela qual o economista participou do sequestro do embaixador americano Charles Elbrick) como agente do G-2. Maldade à parte, o economista diz que os desvios no PT foram ruins para a esquerda.

    “É triste ver um cara da minha geração envolvido num negócio desses. O Zé Dirceu está pagando o preço da fidelidade. Espero que rompa o silêncio. Seria bom para o Brasil”, afirma.
    Venceslau diz nunca ter tido dúvidas de que o ex-presidente Lula é o maior responsável pelo mensalão.

    http://colunistas.ig.com.br/poderonline/2012/11/14/acerto-de-contas/

    Comento:

    Como já disse antes: primeiro foi um jornalista, depois a ex-mulher e agora um outro amigo dizendo que o mensaleiro está pagando por “um outro”.
    Porque este outro se esconde covardemente?
    Que tipo de amigo é esse que joga os outros para a prisão?

  101. Elias said

    Ainda sobre as elétricas.

    Parece que a queda das ações em NY tem a ver com o retormo dos contratos de fornecimento a grandes clientes.

    Mas isso tá longe de dizer que as elétricas vão dar prejuízo em 2012. Não sei, exatamente, qual é a situação delas, mas duvido que elas estejam no vermelho…

    A oscilação das cotações em NY podem ter outra causa. Isso pode ter ocorrido em sequência a uma elevação anterior, turbinada pela expectativa exageradamente otimista em relação ao retorno dos contratos com grandes clientes. Aí, ao se constatar que a expectativa era exagerada…

    Na minha modesta, qualquer jogada que tenha por base um crescimento muito intenso da atividade industrial brasileira, é uma jogada de risco.

    O mundo inteiro está em recessão, caramba! Os principais clientes do Brasil estão devagar, quase parando… Não estão comprando e, quem ainda está comprando, está encontrando dificuldades em pagar… Num contexto assim, não se pode esperar muito do setor indústria.

    Ou seja, o consumo de energia elétrica vai continuar crescendo, mas não com a mesma intensidade de há alguns anos…

    Por isso, Belo Monte vai devagar… Alpa vai devagar… CAP vai devagar…

  102. Elias said

    Chester,

    Acho que a orientação sexual de cada indivíduo é problema exclusivamente dele. Não me meto (epa!!!”) nisso, e acho que o Estado tem que ficar fora disso.

    A ação do Estado deve se limitar às circunstâncias perniciosas da conduta sexual, tipo estupros, corrupção de menores, etc. Mas o problema, aí, não está na orientação sexual do indivíduo, e sim no caráter pernicioso e anti-social de sua conduta.

    Tu és médico. Eu não. Mas, por azares da vida, já tive que lidar com marginais. E sei que um portador de TPA que estupra uma criança, p.ex., não busca o prazer sexual. Busca o prazer de impor sofrimento a alguém. Daí que, se a gente castrar esse animal, e soltá-lo na rua, ele vai continuar tentando causar sofrimento a outras pessoas. Em vez de usar o pênis, ele vai usar um pedaço de pau, ou de ferro, ou um gargalo de garrafa, ou do que for. Porque o negócio dele não é sexo. É sofrimento alheio, certo?

    A questão é que tem muito pilantra, aí, se aproveitando da ignorância alheia e misturando coisas, pra fazer prevalecer certas concepções que, no fim, são apenas preconceituosas.

    Certo?

  103. Chesterton said

    Elias, não estou falando disso e você sabe. Pelo que disse você é liberar em relação a conduta sexual das pessoas. Isso é para você ver que as pessoas não se encaixam nesse esquema rígido que você colocou aí em cima, a começar por você mesmo.

  104. Michelle 2 said

    1. Capitão Cueca é do grande c@#%^#

    2.José Roberto Cardoso (um porquinho da Dilma) falou bobagem e foi ridicularizado.

    “Se fosse para eu cumprir uma longa pena em um presídio brasileiro, preferia morrer.”( ontem)

    O Ministro da Justiça JR Cardoso acaba de tomar um esporro de pelo menos 2 Ministros do STF,
    pois a responsabilidade é dele.
    O PT está no poder há 10 anos e pouco ou nada fez.(hoje)

    Temos também que considerar a hipótese improvável que nesta frase estaria embutida uma ameaça ao Marcos Valério.

    Eu pessoalmente duvido disso, mas fica o registro.
    Prefiro constatar que é a “continuidade delitiva” da incompetência e má fé do atual des-governo.
    E o povo que se f@#%^.

  105. Chesterton said

    liberar =liberal….

  106. Chesterton said

    An elderly man goes into a brothel and tells the madam he would like a young girl for the night. Surprised, she looks at the ancient man and asks how old he is.

    ‘I’m 90 years old,’ he says.

    ’90!’ replies the woman. ‘Don’t you realize you’ve had it?’

    ‘Oh, sorry,’ says the old man. ‘How much do I owe you?’

  107. Michelle 2 said

    Gilmar Mendes e Celso de Mello lembram quais são as responsabilidades de José Eduardo Cardozo

    Os ministros Gilmar Mendes e Celso de Mello também se referiram à fala de José Eduardo Cardozo, ministro da Justiça, segundo quem os presídios são tão inadequados que, se ele fosse condenado a uma pena longa, preferiria se matar. Já escrevi alguns posts a respeito de sua fala absurda.

    Dias Toffoli, claro!, não perdeu a chance de pegar carona na estupidez de Cardozo para fazer um repto contra as penas privativas de liberdade. Para ele, cadeia só para crimes de sangue — o que é um absurdo.

    Mendes disse ser bem-vinda a constatação de Cardozo, mas lembrou que o governo federal tem responsabilidades objetivas nessa questão. E apontou o contingenciamento de verbas que impede a construção de novos presídios.

    Celso de Mello lembrou, com todas as letras, que o Depen — Departamento Penitenciário Nacional — é um órgão do Ministério da Justiça. Ao Depen cabe acompanhar as execuções penais no Brasil inteiro. Mais: uma de suas atribuições é justamente fiscalizar as instalações prisionais.

    Mendes e Mello disseram, em suma, que a José Eduardo Cardozo cabe tomar providências, e não ficar reclamando pelos cantos e transferindo responsabilidades.
    Reinaldo Azevedo.

  108. Michelle 2 said

    Ricardo Noblat constata a incompetência do governo lula/dilma

    O que aproxima o atual ministro da Justiça do último ditador de 64

    Foi preciso que o Supremo Tribunal Federal condenasse três ilustres nomes do PT, réus do caso do mensalão (Dirceu, Genoino e Delúbio) para que o ministro da Justiça José Eduardo Cardoso descobrisse finalmente o estado deplorável das penitenciárias do país. Deplorável ou animal ao pé da letra.

    Tudo muda entre nós para que no essencial pouco mude.

    Um dia depois de Dirceu e Delúbio terem sido condenados à cadeia, proclamou o ministro da Justiça:

    – Se fosse para passar muitos anos na prisão, em alguns dos nossos presídios, eu preferiria morrer.

    Nos anos 80 do século passado, ao lhe perguntarem o que achava do valor do salário mínimo, o último general-presidente da ditatura militar de 64, João Batista de Oliveira Figueiredo, respondeu de bate-pronto:

    – Se eu ganhasse salário mínimo daria um tiro no coco.

    Outra frase inesquecível marcou o governo Figueiredo:

    – Prefiro cheiro de cavalo a cheiro de povo.

    Figueiredo e José Eduardo Cardoso viram na morte a saída mais rápida e e talvez indolor para fugir de problemas que caberiam a eles ajudar a resolver.

    Que falta de imaginação! E de coragem!

  109. Elias said

    “chest- Elias você defende , ou melhor, respeita as liberdades sexuais dos individuo?”

    “Elias: Acho que a orientação sexual de cada indivíduo é problema exclusivamente dele. Não me meto (epa!!!) nisso, e acho que o Estado tem que ficar fora disso.”

    “Chest: Elias, não estou falando disso e você sabe. Pelo que disse você é liberar em relação a conduta sexual das pessoas. Isso é para você ver que as pessoas não se encaixam nesse esquema rígido que você colocou aí em cima, a começar por você mesmo.”

    Elias: Acuma? Onde e por que é que não me encaixo? Que esquema rígido?

    Chester, uma coisa é a orientação sexual de uma pessoa. Outra coisa, completamente diferente, é a conduta dessa pessoa em relação aos seus circunstantes.

    Tanto o homo quanto o hetero, homem ou mulher, pode ou não exercer sua sexualidade de maneira anti-social.

    A orientação sexual do indivíduo não determina, a priori, o caráter anti-social de sua conduta; a maneira como ele ou ela se porta em relação aos seus semelhantes.

    A conduta anti-social não é monopólio, nem mesmo característica marcante, de tal ou qual orientação sexual.

    É, exatamente, no território da conduta em relação aos circunstantes, que se situa o campo da atuação obrigatória do Estado. Este tem que prevenir, dissuadir e, quando necessário, reprimir, a conduta anti-social, independentemente da orientação sexual de quem quer que seja.

    Ou seja: minha defesa da ação estatal nesse campo não tem a ver com a orientação sexual do indivíduo, e sim com a maneira anti-social — por outras palavras, criminosa — pela qual essa orientação eventualmente é exercida.

    A propósito: as tuas perguntas têm alguma coisa a ver com críticas que me foram feitas por uns & outros, por causa de um rigor supostamente excessivo com que agi, em certas e determinadas circunstâncias?

  110. Chesterton said

    Chester, uma coisa é a orientação sexual de uma pessoa. Outra coisa, completamente diferente, é a conduta dessa pessoa em relação aos seus circunstantes.

    chest- acaciana resposta. Não estamos falando de criminosos. Você é liberal no sentido que não está interessado em proibir atos sexuais entre 2 pessoas adultas entre 4 paredes. Só isso. Você é, tambem , liberal nesse sentido.

  111. Chesterton said

    A alma do PT

    SÃO PAULO – Com o julgamento do mensalão quase encerrado, como fica o PT? Minha pergunta tem menos a ver com política –esfera em que a agremiação vai bem, a julgar pelos resultados no pleito de outubro– e mais com a alma do partido.

    Nos primórdios, o PT se apresentava como arauto de uma nova forma de fazer política, que não abria mão de princípios nem da moralidade pública. Durante alguns anos o discurso era verossímil, já que membros do partido eram a notável ausência nos muitos escândalos de corrupção que pipocavam pelo Brasil. Eu mesmo, jovem ingênuo que era, cheguei a acreditar que o partido era diferente.

    Aí veio o mensalão. O lado bom é que ele nos tornou mais realistas. É verdade que indivíduos variam em seu compromisso com a virtude, mas, quando passamos aos grandes números, isto é, quando saltamos do político singular para o partido, as diferenças se anulam e o que sobra é a média da natureza humana.

    O PT até poderia ter atuado cirurgicamente, promovendo um rompimento rápido e radical com os envolvidos no escândalo. Por uma série de razões, porém, não o fez. Embora a tergiversação não pareça ter afetado seu sucesso eleitoral, ela deixou a legenda sem um discurso coerente.

    Hoje, o PT se divide entre afirmar que não fez nada que outros partidos também não façam e denunciar um suposto complô da direita para condenar seus membros. É risível, já que o mensalão foi apurado e julgado por instituições sob comando direto do PT, como a PF, ou chefiada e composta majoritariamente por gente indicada pelo partido, caso do Ministério Público e do STF. De resto, a agremiação já se aliou à fina flor da direita brasileira, representada por nomes como Maluf, Sarney, Kassab.

    Para recuperar o nexo discursivo, o PT precisaria trocar a lealdade pelo pragmatismo e esquecer os mensaleiros. Algumas lideranças até arriscaram passos nesse caminho, mas deve ser difícil contrapor-se a Lula.

    Hélio Schwartsman

  112. Chesterton said

    Elias disse “sou social-democrata!

    chest- da vertente norueguesa ou da vertente grega?

  113. Michelle 2 said

    Chesterton

    Preste atenção …. este texto já foi publicado no # 97 14/11/2012 às 14:48
    Até parece que não sei, meu…rs rsrs

  114. Chesterton said

    não vi

  115. Pax said

    O PT soltou uma nota. Alguém pode trazer para cá, por favor.

  116. Pax said

    Perigo!

    josias de souza ‏@blogdojosias
    Procuradoria recorre contra sentença que livrou gestores do Banco Rural no mensalão do PSDB http://bit.ly/U0jDWm

  117. Otto said

    Pax, a nota vai reproduzida no seguinte blog:

    http://esquerdopata.blogspot.com.br/

  118. Michelle 2 said

    Soltou?
    Ainda não senti o cheiro.

    Tofolli, ao contrário, fez sentir o mau cheiro sobre tudo o que pensa e foi ridicularizado por Fux.
    “Cabe ao STF seguir a Lei e não alterá-las por causa das condições das prisões brasileiras”.

    Cala a boca, moleque…com classe!
    O PT está há 10 anos no poder nada fez pra melhorar as tais inumanas condições dos presídios.

  119. Chesterton said

    O PT envidará todos os esforços para que a partidarização do Judiciário, evidente no julgamento da Ação Penal 470, seja contida.

    Leia mais em: O Esquerdopata

    chest- partidarização? mas foi o Lula-Dilma, os chefes mafiosos que os nomearam!

  120. Pax said

    Não estou conseguindo abrir sites… por isso pedi. Este blog está “aliviado” para a rede. Nem fotos, nem vídeos, bem leve mesmo. O resto, bem, Marcos Valério negociou mal meu link e sofro um bocado. Ainda mais quando chega a noite e todo mundo vai para a internet.

    Alguém, pedindo com mais clareza, pode fazer um “copy and paste”. Se é nota, é pública. Obrigado.

  121. Patriarca da Paciência said

    “247 – Joaquim Barbosa pode ser um personagem popular, apontado como potencial presidenciável em 2014, mas ainda precisa aprender que o Supremo Tribunal Federal não está acima da Constituição Brasileira.

    Nesta quarta-feira, a uma semana de tomar posse na presidência do STF e de comandar o Poder Judiciário no Brasil, Barbosa tentou mais uma vez inverter a ordem da sessão – como fizera na segunda-feira – para usurpar os poderes do Congresso Nacional. E isso apenas um dia depois de visitar os presidentes da Câmara dos Deputados, Marco Maia, e do Senado Federal, José Sarney, para entregar a ambos, com uma satisfação que transbordava das imagens, o convite para sua posse no próximo dia 22.

    O embate se deu quando Barbosa quis colocar em votação a perda do mandato de João Paulo Cunha, ex-presidente da Câmara, e de José Genoino, que tomará posse como deputado, na vaga aberta pela saída de Carlinhos Almeida, eleito prefeito de São José dos Campos.

    A Constituição Brasileira, neste caso, é claríssima. Perde o mandato o parlamentar condenado em sentença transitada em julgado. E a Ação Penal 470 não terá transitado em julgado enquanto não tiverem sido apresentados todos os embargos e seu acórdão não tiver sido publicado. Ao tentar colocar o carro na frente dos bois, e inverter a ordem da sessão, Joaquim Barbosa foi barrado pelo revisor Ricardo Lewandowski. “Quem faz a ordem é o relator”, bradou o ministro. “Sua ordem é a desordem”, respondeu o revisor.

    Esta, o todo-poderoso Barbosa perdeu. Até porque a decisão não compete ao Poder Judiciário, mas ao Congresso Nacional, em voto secreto.”

    Acho uma temeridade colocar o Barbosão na presidência do STF.

    Acho que a maioria das pessoas também acham!

  122. Patriarca da Paciência said

    Aí vai uma cópia, caro Pax:

    O PT, amparado no princípio da liberdade de expressão, critica e torna pública sua discordância da decisão do Supremo Tribunal Federal que, no julgamento da Ação Penal 470, condenou e imputou penas desproporcionais a alguns de seus filiados.

    1. O STF não garantiu o amplo direito de defesa

    O STF negou aos réus que não tinham direito ao foro especial a possibilidade de recorrer a instâncias inferiores da Justiça. Suprimiu-lhes, portanto, a plenitude do direito de defesa, que é um direito fundamental da cidadania internacionalmente consagrado.

    A Constituição estabelece, no artigo 102, que apenas o presidente, o vice-presidente da República, os membros do Congresso Nacional, os próprios ministros do STF e o Procurador Geral da República podem ser processados e julgados exclusivamente pela Suprema Corte. E, também, nas infrações penais comuns e nos crimes de responsabilidade, os ministros de Estado, os comandantes das três Armas, os membros dos Tribunais superiores, do Tribunal de Contas da União e os chefes de missão diplomática em caráter permanente.

    Foi por esta razão que o ex-ministro Marcio Thomaz Bastos, logo no início do julgamento, pediu o desmembramento do processo. O que foi negado pelo STF, muito embora tenha decidido em sentido contrário no caso do “mensalão do PSDB” de Minas Gerais.

    Ou seja: dois pesos, duas medidas; situações idênticas tratadas desigualmente.

    Vale lembrar, finalmente, que em quatro ocasiões recentes, o STF votou pelo desmembramento de processos, para que pessoas sem foro privilegiado fossem julgadas pela primeira instância – todas elas posteriores à decisão de julgar a Ação Penal 470 de uma só vez.

    Por isso mesmo, o PT considera legítimo e coerente, do ponto de vista legal, que os réus agora condenados pelo STF recorram a todos os meios jurídicos para se defenderem.

    2. O STF deu valor de prova a indícios

    Parte do STF decidiu pelas condenações, mesmo não havendo provas no processo. O julgamento não foi isento, de acordo com os autos e à luz das provas. Ao contrário, foi influenciado por um discurso paralelo e desenvolveu-se de forma “pouco ortodoxa” (segundo as palavras de um ministro do STF). Houve flexibilização do uso de provas, transferência do ônus da prova aos réus, presunções, ilações, deduções, inferências e a transformação de indícios em provas.

    À falta de elementos objetivos na denúncia, deducões, ilações e conjecturas preencheram as lacunas probatórias – fato grave sobretudo quando se trata de ação penal, que pode condenar pessoas à privação de liberdade. Como se sabe, indícios apontam simplesmente possibilidades, nunca certezas capazes de fundamentar o livre convencimento motivado do julgador. Indícios nada mais são que sugestões, nunca evidências ou provas cabais.

    Cabe à acusação apresentar, para se desincumbir de seu ônus processual, provas do que alega e, assim, obter a condenação de quem quer que seja. No caso em questão, imputou-se aos réus a obrigação de provar sua inocência ou comprovar álibis em sua defesa—papel que competiria ao acusador. A Suprema Corte inverteu, portanto, o ônus da prova.

    3. O domínio funcional do fato não dispensa provas

    O STF deu estatuto legal a uma teoria nascida na Alemanha nazista, em 1939, atualizada em 1963 em plena Guerra Fria e considerada superada por diversos juristas. Segundo esta doutrina, considera-se autor não apenas quem executa um crime, mas quem tem ou poderia ter, devido a sua função, capacidade de decisão sobre sua realização. Isto é, a improbabilidade de desconhecimento do crime seria suficiente para a condenação.

    Ao lançarem mão da teoria do domínio funcional do fato, os ministros inferiram que o ex-ministro José Dirceu, pela posição de influência que ocupava, poderia ser condenado, mesmo sem provarem que participou diretamente dos fatos apontados como crimes. Ou que, tendo conhecimento deles, não agiu (ou omitiu-se) para evitar que se consumassem. Expressão-síntese da doutrina foi verbalizada pelo presidente do STF, quando indagou não se o réu tinha conhecimento dos fatos, mas se o réu “tinha como não saber”…

    Ao admitir o ato de ofício presumido e adotar a teoria do direito do fato como responsabilidade objetiva, o STF cria um precedente perigoso: o de alguém ser condenado pelo que é, e não pelo que teria feito.

    Trata-se de uma interpretação da lei moldada unicamente para atender a conveniência de condenar pessoas específicas e, indiretamente, atingir o partido a que estão vinculadas.

    4. O risco da insegurança jurídica

    As decisões do STF, em muitos pontos, prenunciam o fim do garantismo, o rebaixamento do direito de defesa, do avanço da noção de presunção de culpa em vez de inocência. E, ao inovar que a lavagem de dinheiro independe de crime antecedente, bem como ao concluir que houve compra de votos de parlamentares, o STF instaurou um clima de insegurança jurídica no País.

    Pairam dúvidas se o novo paradigma se repetirá em outros julgamentos, ou, ainda, se os juízes de primeira instância e os tribunais seguirão a mesma trilha da Suprema Corte.

    Doravante, juízes inescrupulosos, ou vinculados a interesses de qualquer espécie nas comarcas em que atuam poderão valer-se de provas indiciárias ou da teoria do domínio do fato para condenar desafetos ou inimigos políticos de caciques partidários locais.

    Quanto à suposta compra de votos, cuja mácula comprometeria até mesmo emendas constitucionais, como as das reformas tributária e previdenciária, já estão em andamento ações diretas de inconstitucionalidade, movidas por sindicatos e pessoas físicas, com o intuito de fulminar as ditas mudanças na Carta Magna.

    Ao instaurar-se a insegurança jurídica, não perdem apenas os que foram injustiçados no curso da Ação Penal 470. Perde a sociedade, que fica exposta a casuísmos e decisões de ocasião. Perde, enfim, o próprio Estado Democrático de Direito.

    5. O STF fez um julgamento político

    Sob intensa pressão da mídia conservadora—cujos veículos cumprem um papel de oposição ao governo e propagam a repulsa de uma certa elite ao PT – ministros do STF confirmaram condenações anunciadas, anteciparam votos à imprensa, pronunciaram-se fora dos autos e, por fim, imiscuiram-se em áreas reservadas ao Legislativo e ao Executivo, ferindo assim a independência entre os poderes.

    Único dos poderes da República cujos integrantes independem do voto popular e detêm mandato vitalício até completarem 70 anos, o Supremo Tribunal Federal – assim como os demais poderes e todos os tribunais daqui e do exterior – faz política. E o fez, claramente, ao julgar a Ação Penal 470.

    Fez política ao definir o calendário convenientemente coincidente com as eleições. Fez política ao recusar o desmembramento da ação e ao escolher a teoria do domínio do fato para compensar a escassez de provas.

    Contrariamente a sua natureza, de corte constitucional contra-majoritária, o STF, ao deixar-se contaminar pela pressão de certos meios de comunicação e sem distanciar-se do processo político eleitoral, não assegurou-se a necessária isenção que deveria pautar seus julgamentos.

    No STF, venceram as posições políticas ideológicas, muito bem representadas pela mídia conservadora neste episódio: a maioria dos ministros transformou delitos eleitorais em delitos de Estado (desvio de dinheiro público e compra de votos).

    Embora realizado nos marcos do Estado Democrático de Direito sob o qual vivemos, o julgamento, nitidamente político, desrespeitou garantias constitucionais para retratar processos de corrupção à revelia de provas, condenar os réus e tentar criminalizar o PT. Assim orientado, o julgamento convergiu para produzir dois resultados: condenar os réus, em vários casos sem que houvesse provas nos autos, mas, principalmente, condenar alguns pela “compra de votos” para, desta forma, tentar criminalizar o PT.

    Dezenas de testemunhas juramentadas acabaram simplesmente desprezadas. Inúmeras contraprovas não foram sequer objeto de análise. E inúmeras jurisprudências terminaram alteradas para servir aos objetivos da condenação.

    Alguns ministros procuraram adequar a realidade à denúncia do Procurador Geral, supostamente por ouvir o chamado clamor da opinião pública, muito embora ele só se fizesse presente na mídia de direita, menos preocupada com a moralidade pública do que em tentar manchar a imagem histórica do governo Lula, como se quisesse matá-lo politicamente. O procurador não escondeu seu viés de parcialidade ao afirmar que seria positivo se o julgamento interferisse no resultado das eleições.

    A luta pela Justiça continua

    O PT envidará todos os esforços para que a partidarização do Judiciário, evidente no julgamento da Ação Penal 470, seja contida. Erros e ilegalidades que tenham sido cometidos por filiados do partido no âmbito de um sistema eleitoral inconsistente – que o PT luta para transformar através do projeto de reforma política em tramitação no Congresso Nacional – não justificam que o poder político da toga suplante a força da lei e dos poderes que emanam do povo.

    Na trajetória do PT, que nasceu lutando pela democracia no Brasil, muitos foram os obstáculos que tivemos de transpor até nos convertermos no partido de maior preferência dos brasileiros. No partido que elegeu um operário duas vezes presidente da República e a primeira mulher como suprema mandatária. Ambos, Lula e Dilma, gozam de ampla aprovação em todos os setores da sociedade, pelas profundas transformações que têm promovido, principalmente nas condições de vida dos mais pobres.

    A despeito das campanhas de ódio e preconceito, Lula e Dilma elevaram o Brasil a um novo estágio: 28 milhões de pessoas deixaram a miséria extrema e 40 milhões ascenderam socialmente.

    Abriram-se novas oportunidades para todos, o Brasil tornou-se a 6ª economia do mundo e é respeitado internacionalmente, nada mais devendo a ninguém.

    Tanto quanto fizemos antes do início do julgamento, o PT reafirma sua convicção de que não houve compra de votos no Congresso Nacional, nem tampouco o pagamento de mesada a parlamentares. Reafirmamos, também, que não houve, da parte de petistas denunciados, utilização de recursos públicos, nem apropriação privada e pessoal.

    Ao mesmo tempo, reiteramos as resoluções de nosso Congresso Nacional, acerca de erros políticos cometidos coletiva ou individualmente.

    É com esta postura equilibrada e serena que o PT não se deixa intimidar pelos que clamam pelo linchamento moral de companheiros injustamente condenados. Nosso partido terá forças para vencer mais este desafio. Continuaremos a lutar por uma profunda reforma do sistema político – o que inclui o financiamento público das campanhas eleitorais – e pela maior democratização do Estado, o que envolve constante disputa popular contra arbitrariedades como as perpetradas no julgamento da Ação Penal 470, em relação às quais não pouparemos esforços para que sejam revistas e corrigidas.

    Conclamamos nossa militância a mobilizar-se em defesa do PT e de nossas bandeiras; a tornar o partido cada vez mais democrático e vinculado às lutas sociais. Um partido cada vez mais comprometido com as transformações em favor da igualdade e da liberdade.

    São Paulo, 14 de novembro de 2012.

    Comissão Executiva Nacional do PT.

    Leia mais em: O Esquerdopata
    Under Creative Commons License: Attribution

  123. Patriarca da Paciência said

    Ministro Fux diz que o Judiciário simplesmente cumpre a lei!

    Hilário! Eu também pensava assim, principalmente eu pensava que um ministro do STF, que aportou por lá com toda a fama de “técnico” não fosse se valer de inovações, doutrinas e teses para justificar seu voto.

  124. Patriarca da Paciência said

    “Conforme já noticiado aqui, o mensalão do PSDB foi urdido com os mesmos métodos e pelo mesmo operador do caixa clandestino do PT: Marcos Valério. Os dois escândalos foram esquadrinhados pela Polícia Federal na mesma investigação. Ambos foram denunciados ao STF pela Procuradoria-Geral da República. Porém…

    Diferentemente do que foi decidido em relação ao caso do PT, o Supremo optou por desmembrar o processo do PSDB. Permaneceu em Brasília apenas o pedaço da denúncia que se refere aos dois réus que dispõem da prerrogativa de foro: o deputado tucano Eduardo Azeredo e o senador Clésio Andrade (PMDB-MG). Estima-se que serão julgados no primeiro semestre de 2013. Com os mesmos rigores impostos aos encrencados no escândalo do PT.”

    http://josiasdesouza.blogosfera.uol.com.br/2012/11/14/procuradoria-recorre-contra-sentenca-que-livrou-gestores-do-banco-rural-no-mensalao-do-psdb/

    Quem está dizendo isto é o Josias de Souza.

    Quem seria o chefe da quadrilha do PSDB?

    O Aécio Neves? O José Serra? Ou o próprio Fernando Henrique?

    Afinal, como diz o Josias, ” o mensalão do PSDB foi urdido com os mesmos métodos e pelo mesmo operador do caixa clandestino do PT: Marcos Valério”

  125. Michelle 2 said

    Da nota mal cheirosa do PT: (ou perfumada como gostariam os petralhas do pedaço)

    “O STF deu estatuto legal a uma teoria nascida na Alemanha nazista, em 1939, atualizada em 1963 em plena Guerra Fria e considerada superada por diversos juristas”

    Leia mais em: O Esquerdopata
    Under Creative Commons License: Attribution

    O PT como sempre subverte a história, a teoria não nasceu na Alemanha nazista (Hitler não precisava de teorias para prender ou assassinar seus inimigos).
    Uma bobagem que foge à lógica.
    Aí, segundo a nota, a teoria foi reformada em 1963…durante a Guerra Fria…para que? pra julgar espiões comunistas?
    A nota não explica…Não interessa, seu bobo. Cale-se e proteste militonto!
    A nota é para manipular babacas militontos.

    Explico:
    Toda esta chiadeira é pra tirar o rabo do lula do MAIOR ESCANDALO DA REPÚBLICA.

    Afinal petralhada, o fato está consumado:
    José Dirceu, José Genoino (irmão do Capitão Cueca)
    e o nosso Delúbio vão dormir uns tempos “cortando uma cana”( não em Cuba) mas nas medievais
    prisões brasileiras, junto com a “bailarina” Katia Rabelo.

    E lula permanece na moita…até daqui a pouco.
    Condenado já foi…em Minas.
    Por enquanto…

    Eles acham que para defender os 3 corruptos quadrilheiros e mais o ex-presidente embusteiro e covarde
    é necessário calar o STF…hehehe.
    Sonhos da Primavera do Mensalão.
    Daqui a pouco vão prometer colocar os “tanques” (movimentos sociais) na rua (greves gerais) e
    ao final “enforcar” o JB e demais ministros do STF…em nome da República Petista.
    Prometem se necessário “conturbar o ambiente político” da Governanta no ano que antecede a COPA.
    E o povo, o bravo povo brasileiro que se foda.O mais importante é tentar salvar a cara de corruptos
    condenados pelo STF.

    Podem chiar à vontade, mas…
    Vão é pra cadeia.
    E o mais importante…a biografia de lula já foi pro espaço.
    Condenado já foi…em Minas.
    Por enquanto…
    Mais um “caudilho sul-americano”, como já dizem os jornais internacionais.

    O SONHO ACABOU! VIROU PESADELO!

    Meu sonho continua: é ver lula desmascarado!

  126. Michelle 2 said

    #121

    A notícia veiculada pelo 247 carece de veracidade.
    Hoje tive a pachorra de assistir integralmente a sessão do STF e afirmo:

    Em nenhum momento JB propôs semelhante asneira. O papel dele nem é esse, nesse momento.
    Você assistiu? Afirmo que não.
    Procure daqui por diante utilizar fontes críveis.
    Pensar não fede.
    Até meus gatos pensam antes de agir.
    Ainda existe uma esperança…quebre o paradigma do papagaio que repete bobagens a toda hora se dono assim desejar.
    E ao sair do banheiro sempre dê a descarga.
    hehehe

  127. Pax said

    Obrigado, caro Patriarca.

    Agora vou me ater em outro Brasil. O do Mano.

    Sobre a nota, bem, essas coisas é melhor ver com calma, emitir opinião depois de ler pela segunda, terceira vez. E nada como uma noite no meio.

  128. Patriarca da Paciência said

    Por nada, Caro Pax, é uma satisfação.

    De minha parte gostei muito da nota. Diz tudo que eu gostaria de dizer.

    Se me permite, vou propor uma enquete aqui no blog. Quem seria o chefe da quadrilha do mensalão do PSDB?

    Tanto o Clovis de Barros Carvalho, quanto o Pedro Parente, ministros da Casa Civil do FHC, são discretíssimo, portanto, altamente suspeitos.

    Mas a cara de sonso do Serra também é muito suspeita.

    Ou seria o próprio FHC?

    Qual o mais forte candidato para um papel tão importante?

    Ah! E de agora em diante vou me referir aos ministros do FHC sempre como mensaleiros ou quadrilheiros.

  129. Patriarca da Paciência said

    “É possível a adoção da teoria dos aparelhos organizados de poder para fundamentar a condenação por crimes supostamente praticados por dirigentes governamentais em uma democracia?

    Em princípio, não. A não ser que se trate de uma democracia de fachada, onde é possível imaginar alguém que domine os fatos específicos praticados dentro deste aparato de poder. Numa democracia real, a teoria não é aplicável à criminalidade de agentes do Estado. O critério com que trabalho é a dissociação do Direito (Rechtsgelöstheit). A característica de todos os aparatos organizados de poder é que estejam fora da ordem jurídica.

    Em uma democracia, quando é dado o comando de que se pratique algo ilícito, as pessoas têm o conhecimento de que poderão responder por isso. Somente em um regime autoritário pode-se atuar com a certeza de que nada vai acontecer, com a garantia da ditadura.”

    Leia mais em: O Esquerdopata

    Suas excelências Ayres Brito e Fux, minhas duas maiores decepções no STF, justamente porque eu considerava o Brito um homem de bom senso e o Fux como um bom técnico, como vocês deixaram de entender algo tão básico:”Em uma democracia, quando é dado o comando de que se pratique algo ilícito, as pessoas têm o conhecimento de que poderão responder por isso. Somente em um regime autoritário pode-se atuar com a certeza de que nada vai acontecer, com a garantia da ditadura.”

  130. Patriarca da Paciência said

    Muito boa essa:

    http://esquerdopata.blogspot.com.br/2012/11/dupla-tukanica.html

  131. Elias said

    “chest- acaciana resposta. Não estamos falando de criminosos. Você é liberal no sentido que não está interessado em proibir atos sexuais entre 2 pessoas adultas entre 4 paredes. Só isso. Você é, tambem , liberal nesse sentido.”

    Elias: Mas que grande bobagem, Chester! O respeito pela opinião alheia, e pelas opções individuais de vida é muito mais antigo que o liberalismo, rapaz… Muito mais antigo, mesmo.

    Não é preciso ser “liberal” pra se portar assim. Os próprios não inventaram isso, guri. Os liberais ADOTARAM essa norma de conduta.

    Calhaus, Chester!!!

Faça seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: