políticAética

Notícias da Corrupção, Desvios, Anomalias, Eleições e Meio Ambiente

  • Sobre o blog

    Uma coletânea das notícias da corrupção, desvios, anomalias, eleições e meio ambiente que aparecem na mídia todos os dias a partir de agosto de 2008.
  • Categorias

  • Arquivos

  • Páginas

  • Meta

Baixo clero solto. Dura Lex?

Posted by Pax em 27/11/2012

A Operação Porto Seguro abafou o noticiário da dosimetria das penas dos membros dos “partidos de aluguel” na Ação Penal 470, vulgo Mensalão Petista. O novo escândalo tomou a pauta da imprensa que deixou em branco uma questão que mereceria maior destaque: o baixo clero do nosso Congresso sai pela porta da frente neste julgamento.

Valdemar da Costa Neto passará o carnaval no semiaberto. Já deve ter planos para o foguetório. Idem para Pedro Henry, Romeu Queiroz, Bispo Rodrigues e José Borba. Somente o ex-deputado Pedro Corrêa foi contemplado com regime fechado.

O baixo clero que, segundo todo o processo, vota a favor de quem pagar melhor, terá um fim de ano festivo.

Data maxima venia.

Valdemar Costa Neto é condenado a sete anos e dez meses de prisão

Débora Zampier – Repórter da Agência Brasil

Brasília – O deputado federal Valdemar Costa Neto (PR-SP) foi condenado hoje (26) pelo Supremo Tribunal Federal (STF) a sete anos e dez meses de prisão e multa que passa de R$ 1 milhão em valores não atualizados na Ação Penal 470, o processo do mensalão. Como a pena está entre quatro e oito anos, deve ser cumprida inicialmente em regime semiaberto.

A condenação para corrupção passiva foi fixada por placar apertado de 5 votos a 4. A maioria seguiu a pena proposta por Ricardo Lewandowski – de dois anos e seis meses de prisão -, mas vários ministros protestaram alegando que o papel de Costa Neto no esquema era de liderança e merecia pena maior, como a proposta pelo relator Joaquim Barbosa, de quatro anos e um mês de prisão. Apenas a pena pecuniária de Barbosa prevaleceu: 190 dias-multa de dez salários mínimos cada.

A pena de corrupção de Costa Neto acabou ficando menor em comparação à do então deputado federal Bispo Rodrigues (PL-RJ), que tinha participação considerada menor e recebeu três anos. Isso ocorreu porque na primeira vez que Costa Neto aceitou receber vantagem indevida a lei em vigor era mais branda, com faixa de punição entre um e oito anos. Quando Rodrigues aceitou propina, a faixa de punição já era entre dois e 12 anos de prisão..

A defesa de Costa Neto assumiu a tribuna para pedir a redução da pena alegando que o parlamentar confessou ter recebido os repasses, inclusive revelando valores que não foram apurados pelo Ministério Público.

A maioria dos ministros rejeitou a tese, alegando que Costa Neto não confessou o crime, mas disse que recebeu dinheiro como acordo entre os partidos. O único a aderir à tese da defesa foi Marco Aurélio Mello, para quem basta admitir o fato que deu origem ao crime para a redução da pena ser aplicada, uma vez que fica mais fácil apurar o que ocorreu. “Para que se tenha essa elucidação [dos fatos], basta que se veicule dados sobre a prática”, argumentou.

Em relação ao crime de lavagem de dinheiro, também prevaleceu a pena proposta por Lewandowski, de cinco anos e quatro meses de prisão, além da pena pecuniária de Barbosa, de 260 dias-multa. A pena de Costa Neto foi agravada em relação ao mínimo legal (de três anos) porque ele fez várias operações e desenvolveu um sistema especial de recebimento por meio da empresa Guaranhuns.

Costa Neto também foi denunciado por formação de quadrilha devido à atuação em conjunto com representantes da empresa Guaranhuns, mas a pena foi excluída porque houve empate no plenário sobre a responsabilização do réu.

Os ministros ainda não decidiram como irão se posicionar sobre o pedido de perda de mandato parlamentar. A questão está provocando polêmica entre os dois Poderes (Judiciário e Legislativo), pois há dúvidas se a determinação deve ser do STF ou se cabe apenas à Câmara dos Deputados. O intervalo de 30 minutos foi convocado em seguida, e há chance de que a dosimetria termine ainda hoje, pois restam apenas cinco réus para terem a pena fixada.

Confira as penas fixadas para o réu Valdemar Costa Neto (deputado federal):

1) Corrupção passiva: dois anos e seis meses de prisão + 190 dias-multa de dez salários mínimos cada
2) Lavagem de dinheiro: cinco anos e quatro meses de prisão + 260 dias-multa de dez salários mínimos cada

Leia também:

Ex-deputado Pedro Corrêa é condenado a regime fechado

Pedro Henry é condenado a sete anos e dois meses de prisão

Mensalão: ex-deputado Romeu Queiroz deve cumprir regime semiaberto

Ex-deputado Bispo Rodrigues é condenado a mais de seis anos de prisão

Mensalão: ex-deputado federal José Borba não ficará preso

Anúncios

41 Respostas to “Baixo clero solto. Dura Lex?”

  1. Jose Mario HRP said

    Será que teremos a CPMI da Operação Porto Seguro?

    Aqui um recuerdo da ultima edição do Nominimo!

    .http://www.youtube.com/watch?feature=player_detailpage&v=GkWcf-eYgkg

  2. Edu said

    Pax,

    Não estamos misturando as coisas não?

    Uma coisa é o crime que estes indivíduos cometeram: eles foram julgados e estão sendo penalizados de acordo.

    Outra coisa é o escopo de atuação política dos mesmos: todos sabemos que são oportunistas miseráveis, etc, etc (e que o PT, dentro do seu pragmatismo, resolveu arcar com os riscos de se aliar a eles).

    Vc acha que eles deveriam receber penas maiores sobre os crimes por conta da atuação política?

  3. Chesterton said

    O Painel da Folha informa que “Dilma Rousseff recebeu no início da tarde de ontem informação do ministro José Eduardo Cardozo (Justiça) de que a ex-chefe de gabinete da Presidência em São Paulo, Rosemary Noronha, não teve o sigilo telefônico quebrado. O potencial explosivo estaria nos e-mails e documentos apreendidos com ela. Autoridades que acompanham o caso estranharam o fato de a PF não ter pedido a interceptação dos telefonemas de Rose, nomeada para o cargo pelo ex-presidente Lula.”

    É a Operação Abafa para proteger o Chefe. É óbvio que as gravações existem e que foi a partir delas que a chefe de gabinete passou a ser investigada. Segundo fontes da PF, existem 122 gravações de candentes diálogos entre a Rose e o Tio.
    POSTADO POR coronel

  4. nilcemar said

    Embora esteja acompanhando todas sessões destes autos, ainda não entendi sob qual fundamento o PL poderia ser acusado de venda de votos, se o próprio vice-presidente José Alencar era desse partido ?

  5. Jose Mario HRP said

    A Rose vai falar, o Valério vai falar, o Cachoeira vai falar!
    Quem mais?
    E porque o alcagueta e arrependido denunciante não foi indiciado?
    Recebeu o lidimo mancebo a grana em dois pacotes ou não?
    Devolver o dinheiro a PF o exime do crime?
    Alguém quer falar?

  6. Patriarca da Paciência said

    “Em tempo: Não sou da direita e nem odeio lula.
    Apenas penso. Acho que sou inteligente e não gosto de ser enganada.Todo o tempo.
    E desejo sinceramente, para o amadurecimento da Sociedade Brasileira, que lula -o embusteiro, seja desmascarado. Basta.O tempo de lula passou.
    O câncer tem que ser combatido. Extirpado.
    Na raiz.
    O paciente Brasil não vai morrer.
    Já perdemos tempo demais.
    É pedir muito?”

    Então todos aqueles xingamento, palavrões, impropérios, berros, soltar espuma pela boca, convulsões e etc.etc.etc. era amor não correspondido mesmo?

    É o mesmo caso do amor doentio do Jefferson com o Dirceu?

    A sabedoria popular sempre alertou, ” a coisa mais perigosa que existe é amor não correspondido”.

  7. Pax said

    Se não há nada a temer, tese admissível, que permitam todos irem ao Congresso para esclarecimentos públicos.

    É bem simples.

    Gaspari, por exemplo, aponta mudanças de versões que já apareceram. Reparem nos tais R$ 650.000 supostamente recebidos por Rosemary e na operação plástica que virou operação de ouvido.

    http://www1.folha.uol.com.br/colunas/eliogaspari/1192283-as-agencias-ofuscam-o-mensalao.shtml

    Porque trago para cá? É que por acaso surge, novamente, o nome do Valdemar.

  8. Pax said

    Até Kotscho acha o lógico: hora de abrir as caixas pretas.

    http://noticias.r7.com/blogs/ricardo-kotscho/2012/11/27/e-hora-de-abrir-a-caixa-preta-das-agencias-reguladoras/

  9. Pax said

    E José Weber? Não merece convocação?

    http://clippingmp.planejamento.gov.br/cadastros/noticias/2012/11/28/cerco-a-corrupcao-numero-2-da-agu-era-investigado-ha-dez-anos

    http://www1.folha.uol.com.br/poder/1192309-grupo-ajudou-ex-senador-a-liberar-projeto-de-r-2-bilhoes.shtml

  10. Jose Mario HRP said

    Luiz Ignácio Adams, que não é do PT, entraria como chefe da quadrilha na AGU, já que pelo domínio do fato seu segundo, na surdina, negociava a liberação(sem permissão ambiental) de área do porto de Santos para super terminal, na “famosa Ilha Barnabé”, terminal este onde seriam investidos 02 bilhões de reais, pertencente o terminal a senador do PMDB?
    José Weber, também um não petista, poderia explicar se Adams sabia?
    Ou bastam os indícios?
    Será que Adams, responsavel com Gleisy Hoffman pela nova legislação dos portos, pretendente maior e queridinho da Dilma ao cargo de ministro do STF, estaria em maus lençois?

  11. Patriarca da Paciência said

    “Os vazamentos comprometem o processo judicial. Ora satanizam, ora aliviam o demonizado depois que se verificam os exageros. Na sexta-feira, a companheira Rose era acusada de ter recebido R$ 650 mil. Nos dias seguintes esse detalhe sumiu. Na sexta, ela teria recebido ajuda para uma cirurgia plástica. Na segunda, teria sido uma propina para operar o ouvido. A existência de 1.169 telefonemas do restaurante de Paulo Vieira para um número do Partido da República, vazados no sábado, insinuam muito, mas podem não provar nada. ”

    Para mim está tudo certo. Vamos deixar a Policia Federal trabalhar e o Carlinhos Cachoeira, em estreita colaboração com a “óia”, de bicos calados.

    A “óia” ficou alardeando, em inúmeras reportagens, que um tremendo picareta seria um “empresário” que havia se recusado a pagar propinas.

    Se a Rosemary com bebê, magoada do jeito que está, vai lá no Congresso e fala os maiores absurdos contra a Dilma e o Lula, é claro que o reinaldinho cabeção, augusto boçal e mevais, etc.etc.etc. vão ficar alardeando que tudo é “a mais pura verdade”.

    Poucas cosas são tão perigosas quanto uma mulher magoada!

    Então o negócio mesmo é deixar a Polícia Federal trabalhar.

    “Tudo está dentro dos conformes”, desde que não se deixe entrar o dedo do Carlinhos Cachoeira em estreira colaboração com a “óia”.

  12. Patriarca da Paciência said

    Acho que todos ainda se lembram daquele tremendo picareta, receptador de cargas roubadas, o qual apresentou um projeto de 9 bilhões de reais, para aprovação de financiamentos, o projeto foi recusado, o picareta saiu a alardear que seu “projeto” fora barrado por não ter concordado em pagar propinas e a tal “grande” imprensa fez inúmeros reportagens sobre o “empresário” que se recusou a pagar propinas.

  13. Jose Mario HRP said

    Mesmo entre marido e mulher há coisas que não se compartilha.
    Quando essa turma fala das ligações do Lula para o gabinete(devem ser essas também que estão num tal relatório da PF?) lá vem a ilação sobre Lula dever algo ou estar no esquema, mas esse dominio do fato passa pelo fato dele ser um ex, ser conselheiro da Dilma e ser permanentemente escoltado por segurança sob responsabilidade do tal “gabinete”.
    Mas porque não envenenar a coisa?
    Quer dizer que sumiram com os 650 mil?
    Daqui a pouco o navio do cruzeiro vira miragem!
    Leio o reinaldo , como ouvia o Mainardi , para dar BOAS RISADAS COM A BAIXEZA HUMANA!
    kkk!

  14. Jose Mario HRP said

    Estragaram a festa do Alvaro!
    Do Conversa Afiada!
    “Ao Globo, o superintendente da PF em São Paulo, Roberto Troncon Filho, diz que o ex-presidente Lula não foi flagrado durante a “Operação Porto Seguro” em nenhuma conversa comprometedora com sua ex-secretária Rosemary de Noronha.

    O ex-presidente não tem foro privilegiado. Se ele tivesse sido pego em algum crime, certamente estaria sendo investigado ou já indiciado. Não existe essa história de que foram interceptadas 122 ligações entre ele e a Rosemary. Agora, como ex-presidente , ele ligou algumas vezes para o escritório da Presidência em São Paulo, o que é normal.”

  15. Patriarca da Paciência said

    “CPI do Cachoeira representou uma oportunidade de ouro para discutir como se fabricam escândalos no País, a partir da análise sobre as relações entre o bicheiro Carlinhos Cachoeira e a revista Veja, e logo no momento em que a Inglaterra inquiria o magnata da mídia Rupert Murdoch, por causa dos grampos de seu News of the World. Os recuos do PT, abrindo mão de convocar Policarpo Júnior e Roberto Civita, contudo, jogaram a oportunidade fora”.

    http://www.brasil247.com/pt/247/midiatech/86406/Como-Veja-venceu-um-PT-amedrontado-Como-Veja-venceu-PT-amedrontado.htm

    Para mim é uma decepção, ou uma constatação, de que realmente os herdeiros das capitanias hereditárias estão ainda muito fortes e ocupando cargos chaves e de comando nesse nosso grande Brasil.

    Mas vamos lá, a luta continua.

    Alguma coisa ainda resta!

  16. Pax said

    O jovem Odair, caro Patriarca, foi-se. O próprio PT o fez de boi de piranha. E Vaccarezza foi sua pá de cal.

    http://clippingmp.planejamento.gov.br/cadastros/noticias/2012/11/28/para-a-plateia-petista

    Para a plateia petista
    Panorama Político
    O Globo – 28/11/2012

    Reunido com os deputados da base aliada, o relator da CPI do Cachoeira, deputado Odair Cunha (PT-MG), desistiu ontem de indiciar o jornalista Policarpo Junior, de “Veja”, e confirmou o recuo no pedido de investigação sobre o procurador Roberto Gurgel. Os aliados do PT saíram do encontro com a nítida impressão que Cunha radicalizou apenas para atender ao seu público interno.

  17. Edu said

    Patriarca,

    Lendo a matéria que vc postou, em #15: qual é o medo dos petistas? Por que se fala em medo?

  18. Patriarca da Paciência said

    “Lendo a matéria que vc postou, em #15: qual é o medo dos petistas? Por que se fala em medo?”

    Eu também gostaria de saber, caro Edu.

    Talvez a gente saiba de alguma coisa no futuro!

  19. Patriarca da Paciência said

    Sinceramente, não tenho idéia formada sobre o assunto, caro Pax.

    Mas uma coisa ficou provada nisso tudo.

    O Collor, realmente, provou que é um dos poucos políticos que tem saco roxo!

  20. Chesterton said

    Medo que se descubra o elenco de falcatruas perpetradas.

  21. Pax said

    Caro Patriarca,

    Uma pergunta singela:

    O Senador Collor, ex-presidente Collor, ajuda ou atrapalha numa hora dessas?

    Esse papo que tem coisa roxa não me comove em nada. Já vi gente afetada por elementos da tabela periódica que se tornavam roxos de valentia. Depois do efeito neutralizado vi estes valentes chorarem por mãe.

    Já vi gente afetada por elementos da tabela periódica levantarem os punhos babando que caçaria gente chamada de títulos indianos. Gente correndo em motos, voando em jatos, babando de coragem. Depois… ardência em anatomias impublicáveis.

    Porque cargas d’água, agora, Odair tira os itens 5 e 6 de seu relatório? Não há maioria na CPMI? Falta elemento químico ou elementos probatórios?

    E um alerta: haverá uma tsunami na próxima eleição à presidência do Senado. Tem gente que vai se lembrar de outras barangas que boqueteavam aqui e ali pagas com nosso rico dinheirinho. Há uma fartura de elementos sobre a questão.

    Fosse da assessoria de Dilma sugeriria afastar dessa questão como diabo de cruz.

  22. Patriarca da Paciência said

    http://www.conversaafiada.com.br/tv-afiada/2012/11/28/pml-trata-do-stf-e-do-mensalao-o-do-pt/

  23. Edu said

    Pax,

    Só pra entender: o que vc quer dizer com o tsunami para a eleição à presidência do Senado?

    Sendo bem claro: ignoro o assunto, gostaria de saber o que pensa sobre.

  24. Michelle 2 said

    + SARAPATEL DE CORUJA

    1.Enviado por Ricardo Noblat –
    28.11.2012 12h39m
    Comentário
    Pensando em voz alta – Sobre o poder de Dilma

    Que autonomia tem uma presidente da República que só pode demitir uma secretária por que ela acabou se envolvendo em um escândalo?

    2.Enviado por Claudio Humberto
    28/11/2012 | 00:00
    Pergunta na esquina

    Além de mandar fechar, Dilma também mandou tirar o sofá da sala do escritório da Presidência da República em São Paulo?
    _________________________
    Com lula o “bebum da Rosemary” chegamos ao Planeta dos Macacos

  25. Pax said

    Caro Edu,

    Há fortes rumores que a base aliada vai colocar o Senador Renan Calheiros como candidato – e provável – novo presidente do Senado.

    Só que este senador tem uma infindável coleção no noticiário que pouco abrilhantam a biografia de quem vier a promover sua volta à presidência desta Casa de horrores que se tornou o Senado nacional.

    A história de sua relação com a tal jornalista é somente uma “cereja” de um bolo grande. Gigante.

    Quer um único exemplo indigesto? Vamos lá.

    Pega o papo de regulamentar a mídia, que as concessões são dominadas por interesses tais e quais, enfim, uma choradeira danada. Dizem que poucas famílias controlam a mídia, tem jornais, tvs, rádios e um poder acima do normal. Certo? E é de se questionar mesmo. Como são feitas tais concessões? Não é 9 dentro de 10 assuntos que a militância e o próprio PT colocam como prioridade? É, sim.

    Bem, aí você se depara com coisas dessa natureza:

    http://www1.folha.uol.com.br/folha/brasil/ult96u608458.shtml

    Ou seja, Lula foi lá e agraciou o filho do Renan com uma rádio FM.

    O mesmo Lula que ficou mal na foto, na mesma época – em que Sarney tinha tantas irregularidades no Senado que pediram seu afastamento (vide caso de seu afilhado Agaciel Maia) – afirmou que Sarney não poderia ser julgado como uma pessoa qualquer. Esse deslize ficou com o ex-presidente. É uma das marcas registradas de seus grandes erros. Renan era da tropa de choque, líder do governo no Senado.

    Onde quero chegar? Que o mais longe possível que Dilma fique dessa eleição à presidência do Senado e deste senador que usa o nosso dinheiro para pagar contas de suas relações extra-conjugais, melhor.

  26. Edu said

    Pax,

    Obrigado pelo esclarecimento. De acordo.

    Mas se for assim, tudo vai depender de quanto risco a Dilma quer correr: quando o assunto é desagradável, se afastar pode ser uma estratégia para não se queimar; e deixar a coisa caminhar sem se posicionar ou sem exercer influência nenhuma, de certo modo, também é jogar contra si mesma.

  27. Pax said

    Depende, caro Edu.

    Dilma responde pelo Executivo. Lembre-se disso.

  28. Edu said

    Posso estar enganado Pax, e até concordo que o ideal seria deixar o legislativo se gerenciar, pelo benefício da independência entre os poderes; mas a política permite que estes vasos comunicantes se comuniquem, né? Daí, convoco o pensamento do Zbig: isso cria vácuo de poder, nesse sentido, joga contra si mesma.

  29. Pax said

    Caro Edu,

    É claro que o Executivo mantém estreita relação com o Legislativo. Para isso tem seus articuladores, seus líderes e seus ministros.

    A questão é que tem gente que só de passar por perto já é um desabono. Olhar é um perigo, apertar a mão é fatal, dá infecção. Beijar já é suicídio bacteriológico.

    Apoio explícito, então….

    Deixa a turma que já está torrada `a frente. Política é política. É jogo de poder. Melhor Dilma, neste momento, mover peões. E não rainha, rei, bispos ou cavalos. Nem torres ainda com possibilidade de salvação.

    Coloque, por exemplo, cavalos que já estão em situação de sacrifício, descartáveis. Nem vou sugerir o Vaccarezza porque além de deputado, e não senador, vão achar que estou perseguindo o vacilão.

    Se é que me faço entender com o jogo que tanto gosto, das peças em preto e branco.

  30. Pax said

    Não consigo discordar do ministro Joaquim Barbosa.

    É realmente um absurdo dos absurdos o Valdemar sair dessa para a festança do escárnio generalizado.

    http://www.estadao.com.br/noticias/nacional,barbosa-diz-que-pena-dada-a-valdemar-e-absurdo-dos-absurdos,966445,0.htm

    Tomara que revejam esta pena e a elevem o máximo que conseguirem.

  31. Elias said

    Pax,

    Em meus comentários sobre o STF, afirmei e reafirmei:

    1 – Que o posicionamento do STF era insustentável. Que ele não seria aplicado — ou seja, sustentado — nos sentenciamentos seguintes.

    2 – Que o ministro Joaquim Barbosa muito cedo se queimaria junto à mídia. Que esta passaria a atacá-lo. Usei, para isto, uma parafrase de um versículo bíblico: “Maior fora o ódio com que o odiara, do que o amor com que o amara.”

    Nada não, mas…

    Junte as pontas.

    Vários dos pronunciados têm ligações íntimas com a mídia. São donos de estações de TV, de rádio AM/FM, e o raio que os parta. Todos eles mantêm algum tipo de relacionamento econômico com a chamada grande mídia. Que tem carradas de razões pra não querer que esse pessoal seja sentenciado a penas muito severas.

    Agora vamos encarar a coisa mais ou menos tecnicamente:

    Supunhetamos que derrepentelho um assassino serial cometa 12 homicídios ao longo de 3 anos.

    Quando ele já havia cometido 9 homicídios, a lei foi alterada. Antes, a pena máxima para homicídio serial era prisão perpétua. Agora, passou a ser a morte por injeção letal.

    Aí prenderam o cara. Ele foi a julgamento e as provas eram esmagadoras. Ele mesmo, de posse de suas faculdades mentais, confessou os assassinatos, fornecendo detalhes de procedimento que não haviam sido divulgados pela investigação, e que, por isso, só poderiam ser do conhecimento de quem cometeu os crimes ou participou diretamente da investigação.

    Ou seja, não há dúvida razoável de que o cara — réu confesso — é o autor dos 12 assassinatos, sendo 9 antes e 2 depois da vigência da lei atual.

    Pergunto: o cara deve ser condenado à prisão perpétua ou à morte?

  32. Pax said

    Quantos homicídios configurariam, nesta tua suposição, um homicida serial?

    Aliás, tua conta não fecha muito bem, 12, sendo 9 antes e 2 depois? Vou considerar 3 depois, para me confortar matematicamente.

    Se 3 homicídios bastam para configurar um homicida serial, seria a pena mais dura. Caso contrário, a pena mais branda.

    Acho que é lógico.

    O que não quer dizer que fico confortável de ver um Valdemar, useiro e vezeiro em cometer delitos diversos, sair deste julgamento para uma churrascada com foguetório, rindo da cara de todos nós.

    Uma coisa é uma coisa, outra é outra.

  33. Otto said

    Colunista da Época critica “PIG” e julgamento do mensalão em evento do PT
    Redação Comunique-se
    O jornalista Paulo Moreira Leite, das versões online e impressa da revista Época, participou no último sábado, 24, de evento promovido pelo diretório zonal do PT paulistano na Vila Mariana. O tema do encontro, que teve vídeo divulgado na noite dessa terça-feira, 27, foi “Mensalão e criminalização da política”. O colunista criticou a postura da imprensa em relação à cobertura da ação penal que condenou o ex-ministro José Dirceu e outros petistas.

    De acordo com o vídeo gravado pelo PT de São Paulo, setores da grande mídia formam o “Partido da Imprensa Golpista”, também chamado pela sigla “PIG”, e atuaram de forma parcial ao noticiar o julgamento da ação do mensalão. Para a legenda, que definiu o processo como “preocupante”, veículos influenciaram a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) em condenar políticos. O jornalista da coluna ‘Vamos Combinar’, da Época, demonstrou concordar com a opinião do partido e declarou que “eles estão querendo pegar o Lula”.

    Moreira Leite afirmou que, ao exercer a função de jornalista, pesquisou os autos do processo do mensalão e que, em sua opinião, não havia sequer indícios do envolvimento de Dirceu com atos criminosos. “Tive uma grande decepção e um grande susto com esse julgamento”, criticou. “Nem mesmo o Roberto Jefferson [ex-deputado federal e delator do mensalão], aquela testemunha endeusada, sustentou aquilo [acusação contra Dirceu] por muito tempo. Ele chegou a dizer que o mensalão foi uma criação mental”, argumentou o jornalista.

    http://portal.comunique-se.com.br/index.php/editorias/3-imprensa-a-comunicacao-/70275-colunista-da-epoca-critica-pig-e-julgamento-do-mensalao-em-evento-do-pt.html

  34. Elias said

    Caramba, Pax!

    Tás mais mal-humorado que eu…!

    Mais de um assassinato, dependendo das circunstâncias, já configura assassinato em série.

    Mas é isso mesmo: 9 + 3 …

    Eu tinha colocado 10 + 2. Só que mudei os números quando o texto já estava escrito e, na pressa (estou numa roda de fogo…), esqueci de substituir o 2 pelo 3.

    Suponha que o juiz sentenciasse o serial separadamente: à prisão perpétua pelos 9 primeiros assassinatos e à morte pelos e restantes. O que prevaleceria?

    Na prática, vale a lei vigente à época do julgamento. Ela, como norma posterior, revogou a anterior naquilo que lhe é contrária.

    Não tem sentido aplicar uma lei que não está mais em vigor.

    Se levarmos essa prática às últimas consequências (e, quando se trata da aplicação de leis, temos que considerar factíveis as “últimas consequências), poderíamos condenar criminosos à morte (tal como estatuído por leis que não estão mais em vigor no país). Poderíamos, também, restabelecer a propriedade sobre seres humanos, legitimando a escravidão, etc.

    Ora, se a lei foi revogada, ela não pode mais ser aplicada!

    É isso o que o ministro Joaquim Barbosa está dizendo.

    Existe um princípio segundo o qual, na hipótese de duas ou mais regras legais vigentes sobre o mesmo assunto, o cidadão pode, querendo, optar pela que lhe for mais favorável.

    Mas, para que isso ocorra, é necessário que as duas ou mais normas legais estejam em vigor. É o caso, p.ex., das normas de Direito Administrativo, estabelecendo prazos para publicações de contratos. Com frequência, existem prazos diferentes, em diferentes legislações. Aí a gente escolhe a regra que mais nos convém, em cada caso.

    Não é, evidentemente, o caso hipotético do assassino serial, nem dos pronunciados pelo STF. Em ambos os casos, a lei anterior, ou seja, a outra norma, a norma conflitante, foi revogada. Caducou. Não pode ser aplicada.

    Também no caso, não cabe arguir o princípio da retroação que beneficia o réu. Se fosse para retroagir, quem retroagiria seria a lei atual. E, se isso acontecesse, em nada beneficiaria o réu.

    Não se trata, portanto, de uma retroação, e sim de um estranho “ressuscitamento” de lei já revogada e caduca, para beneficiar o réu.

    Algo absolutamente estranho no Direito brasileiro…

    Tal como a condenação sem provas, o uso do indício como se fosse prova, a inversão do ônus da prova, etc…

    É o STF brasileiro, fazendo história, do pior modo possível, de novo, outra vez, novamente…

    E o Joaquim Barbosa, dando mais um passo em direção ao plano inclinado, onde ele acabará deslizando, sabe-se lá pra onde…

    Tal como a filha de Davi, ele periga despertar mais abuso do que amor, em seus quase futuros ex-admiradores…

  35. Elias said

    “Uma coisa é uma coisa, outra é outra.” (Pax)

    Não é. Presta bem atenção, e verás que, no caso, uma coisa é a mesma coisa que a outra…

  36. Pax said

    Mau humor, Elias? Vamos lá:

    1 – no campo pessoal acho que não, acabo de receber ótima notícia.

    2 – no campo majoritário, quer dizer, no assunto do blog, pode ser, sim, senão vejamos:

    2.1 – Estou faz um tempo tentanto responder ao nosso velho e infalível Chesterton no outro post e não consigo. É dar e o link cai. Impossível não me lembrar da ANATEL. E aí a gente se lembra das agências regulatórias, lembra da Rosemary, dos seus bebês e… dá mau humor, sim. Dá para entender porque a ANATEL não funciona, caro Elias?

    2.2 – A gente fica de meu humor quando vê coisas que desagradam. Um bom exemplo é essa história de dizerem que a prioridade do partido é o assunto de Regulamentação da Mídia. Assunto que acho um disparate. A mídia tem que ser livre, desregulada, mas.. responsável. E aí? Aí, ora bolas, a gente vê o resultado da CPMI e o Odair, jogado como boi de piranha, sangrando a olhos vistos, ter que retirar o assunto de investigar determinados jornalistas.

    Chega e se depara com uma notícia da lista de 11 jornalistas que a CMPI indicaria para investigação. Vi no Bom Dia Brasil e soube que eram 11 jornalistas. Fui pesquisar no Google e achei isso aqui:

    http://correiodobrasil.com.br/conheca-os-jornalistas-citados-no-relatorio-da-cpmi-do-cachoeira/549680/#.ULDa8eTBG8A“%20target=_blank

    Pois bem, o que aconteceu? Odair, sob pressão e debaixo de tanta trapalhada (Não é, Vaccarezza?) retira esse item do relatório.

    E eu, você e a sociedade vamos ficar sem respostas que queremos, já faz um bom tempo. Leia a notícia do link. Não conheço esta publicação e não vou fazer post para obedecer a regra do blog, mas no comentário posso, sim.

    Não era para investigar? Tem dinheiro da Delta, ligação com Perillo, com Cachoeira, gente recebendo sei lá como e porque e nós, caro Elias, ficaremos sem saber.

    E o campo majoritário acha que devemos colocar a regulamentação da mídia como prioridade do partido.

    Vou te contar, caro Elias, esse teu partido já foi melhor.

  37. Zbigniew said

    “Vou te contar, caro Elias, esse teu partido já foi melhor.”

    Tem toda a razão, caro Pax.

    O PT (mais uma vez) se acovardou perante a pressão de elementos da chamada “base aliada” e do medo quase reverencial que tem da grande mídia.

    Está indo a passos largos ao cadafalso. Basta um pequeno desastre na economia que a base de sustentação do poder (e única) dada pelo povo vai se dissolver como uma nuvem em cima do deserto.

    Além de estranho o comportamento é desidioso com aqueles que querem sim a apuração do envolvimento de jornalistas no caso, e que, tenho certeza, é a maioria da população.

    O PT não sabe nem ser, nem exercer o poder a ele atribuído pela maioria dos brasileiros em três eleições consecutivas. Vai ser engolido e, o pior de tudo, consumido pelo que há de pior na política brasileira.

    Já está mais do que na hora de dar um chute nessas ditas “alianças espúrias”, mandar os sarneys, calheiros, carvalhos e o raio que os parta para casa, porque neste passo, com eles ou sem eles vão ser apeados do poder.

    Por enquanto a dita renovação mantém-se atrelada à velha visão da política brasileira que já não justifica sua manutenção face os escândalos que se sucedem e são explorados à exaustão pela mídia partidarizada.

    Querem continuar dançando conforme a música? Então estão se apequenando, se acomodando na vala comum dos que insitem nestas políticas miúdas, mas que provocam enorme prejuízos à nação.

    O PT podia pelo menos começar a mudar isto, ainda que o preço político fosse alto, mas na situação em que se encontra isto já não mais importa. Falta-lhe colhões…

  38. Pax said

    Infelizmente, caro Zbigniew, é isso.

    Escreveste muito bem o que sinto.

  39. Pax said

    Agora piorou ainda mais… negritos e asteriscos meus.

    Dr Rosinha abre parte do relatório que foi retirada pelo Odair:

    Policarpo não fez “mau jornalismo”; cometeu um crime

    por Dr. Rosinha*

    “Este é o retrato sem retoques de como se faz um jornalismo sem ética, um jornalismo que, para destruir determinado alvo ou determinado projeto político, não hesita em violar as leis, a Constituição e a própria dignidade dos cidadãos.”

    É dessa forma que o incisivo texto do relatório final da CPI do Cachoeira define a relação de Policarpo Jr., diretor da sucursal de Brasília da revista Veja, com o contraventor Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira, acusado de chefiar uma quadrilha com tentáculos no poder público e na mídia.

    O jornalista da CBN, Kennedy Alencar, em comentário sobre a CPI, disse que o relatório final não apresenta provas contra Policarpo. Para Alencar, Policarpo não cometeu nada além de “mau jornalismo”. “E mau jornalismo não é crime”, afirma.

    De fato, não é, embora isso também seja bastante questionável. Mas o que emerge do relatório final é muito mais do que “mau jornalismo”. Só um corporativismo ancestral pode explicar a declaração de Kennedy Alencar. No relatório, Policarpo Jr. aparece encomendando grampos clandestinos e pedindo ajuda para devassar, sem autorização legal, a intimidade de um cidadão brasileiro (no caso, Zé Dirceu, quando hospedado em um hotel de Brasília).*1 Em troca desses “pequenos favores”, Policarpo fazia o papel de assessor de imprensa da organização chefiada por Cachoeira: publicava o que lhes era conveniente e omitia o resto. Assassinava reputações e promovia jagunços de colarinho branco, como o ex-senador Demóstenes Torres, também integrante da organização, a exemplos éticos a serem seguidos pelas próximas gerações.

    Quando a Delta não foi beneficiada por uma licitação para a pavimentação de uma rodovia federal, Cachoeira acionou Policarpo para, através de uma reportagem da Veja, “melar” a licitação*2. Posteriormente, como os interesses da Delta continuaram a ser negligenciados, Cachoeira e Policarpo montaram uma ofensiva para derrubar o ministro dos Transportes – o que acabaram por conseguir.

    Em troca, quando lhe interessava, Policarpo solicitava à organização criminosa que, por exemplo, “levantasse” as ligações de um deputado. Tudo isso está no relatório final, provado através das ligações interceptadas pela PF com autorização judicial. Não é “mau jornalismo” apenas. É crime.

    “Não se pode confundir a exigência do exercício da responsabilidade ética com cerceamento à liberdade de informar. Os diálogos revelam uma profícua, antiga e bem azeitada parceria entre Carlos Cachoeira e Policarpo Júnior”*3, diz o relatório.

    Policarpo não é o único jornalista envolvido com a organização de Cachoeira, mas é sem dúvida o que mais fundo foi neste lodaçal. Durante a CPI, não foi possível convocá-lo para depor, porque não havia condições políticas para tanto. Agora, porém, as provas falavam alto.

    Porém as questões políticas (necessidade de aprovar o relatório) mais uma vez se interpuseram. Assim como feito em relação ao procurador-geral da República, Roberto Gurgel, foi necessário retirar as menções a Policarpo do documento. O relator entendeu, e eu o compreendo e defendo, que Policarpo, perto do governador Marconi Perillo, do PSDB de Goiás, é secundário. Mas, ser secundário não afasta a necessidade de a Polícia Federal continuar a investigá-lo, e espero que o faça, mesmo com seu nome não constando no relatório. Afinal, todo suspeito deve ser investigado.

    *Deputado federal do PT-PR

    *1 – independente se é Dirceu ou um servidor de pedreiro de uma obra qualquer, se for fato é crime brabo.

    *2 – crime

    *3 – e ainda impedem de aprofundarem as investigações?

  40. Pax said

    Que barbaridade esse Ka$$ab.

    E ainda vai compor o governo. Caramba, que vontade de chegar ao mais fundo do fundo do poço.

    http://noticias.r7.com/blogs/ricardo-kotscho/2012/11/29/kassab-vende-rua-e-remove-favelas/

  41. Pax said

    Para ficar no registro… coleção do blog

    http://clippingmp.planejamento.gov.br/cadastros/noticias/2012/11/30/a-ajuda-dos-vieira-a-valdemar

Faça seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: