políticAética

Notícias da Corrupção, Desvios, Anomalias, Eleições e Meio Ambiente

  • Sobre o blog

    Uma coletânea das notícias da corrupção, desvios, anomalias, eleições e meio ambiente que aparecem na mídia todos os dias a partir de agosto de 2008.
  • Categorias

  • Arquivos

  • Páginas

  • Meta

E o mensalão tucano?

Posted by Pax em 04/01/2013

Início de ano, pauta política pobre afinal as excelências precisam descansar de tantos escândalos cometidos e a maioria dos veículos e jornalistas políticos de plantão procurando manter o mensalão petista nas manchetes de uma mídia reconhecidamente tendenciosa. A posse de Genoino ajuda um bocado essa imprensa questionável.

Nada de errado, os analistas políticos são pagos para isso. Obrigados? Aí a discussão é grande. Vendidos? Nem todos. Mas que há uma turma suspeita, há.

A imprensa é e deve ser livre. Mas não pode ser canalha.

O mensalão tucano corre o risco de prescrever e quase nenhum profissional da grande mídia se dedica ao assunto. E aí teremos o pior dos mundos pois a afirmação que nossa Justiça não é igual para todos ganha força.

O STF foi elevado ao panteão da instituição mais confiável do país. O bombardeio de notícias que chegou em todos os lares pelas tvs, rádios e jornais fez o seu trabalho. Alguns chegam ao cúmulo de colocar o ministro Joaquim Barbosa como futuro candidato à presidência da República.

Mas a Justiça boa é, segundo consta, a Justiça que é igual para todos. Em outras palavras, populares, “o mesmo pau que bate em Chico deve bater em Francisco” como diz um leitor do blog.

Segundo a Procuradoria Geral o ex-presidente do PSDB, ex-senador mineiro e queridinho do alto tucanato, Eduardo Azeredo, inventou o modelo de desvios de dinheiro através das empresas de Marcos Valério et caterva, posteriormente adotado pelos petistas que se perderam em um chamado – por eles – pragmatismo, que nada mais é que corrupção da pior espécie.

O PT paga o preço pelos seus erros e nesta questão vimos a Justiça acontecer.

Mas a pergunta que não quer calar, ao menos para quem não tem rabo preso com suas redações tendenciosas, é: e o mensalão tucano? A Justiça deixará prescrever?

Seria, então, o pior dos mundos. Como poderemos ter tranquilidade se percebermos que o STF age desequilibradamente?

Que democracia é essa? Se estamos entusiasmados que uma nova era onde a impunidade será reduzida neste país, que nossa Justiça faça seu trabalho com isonomia.

A grande imprensa já mostrou que é parcial. Até aí temos um problema resolvível, basta que desprezemos quem não sabe o significado de isonomia, de equilíbrio. Mas o problema se torna insolúvel se a Justiça tomar o mesmo caminho.

Mensalão mineiro, 5 anos mais antigo, não será julgado em 2013 – Folha de São Paulo

O caso do chamado mensalão mineiro, que envolve políticos do PSDB, não deverá ser julgado pelo STF (Supremo Tribunal Federal) em 2013. A acusação aponta desvio de recursos públicos e financiamento ilegal na fracassada campanha pela reeleição do então governador de Minas Gerais, Eduardo Azeredo (PSDB), em 1998.

As operações contaram com a participação das empresas de Marcos Valério Fernandes de Souza, apontado como o operador do mensalão petista, que ocorreu entre 2003 e 2004, segundo o Ministério Público Federal.

A denúncia do caso mineiro foi apresentada ao STF pela Procuradoria-Geral da República em 2007. O tribunal abriu ação penal em 2009.

A causa não está pronta para ir a julgamento porque ainda há etapas processuais a serem concluídas. Atualmente o caso está na fase de depoimento de testemunhas. (continua na Folha…)

Anúncios

211 Respostas to “E o mensalão tucano?”

  1. Michelle 2 said

    O ano novo dentro de você – FERNANDO GABEIRA

    O Estado de S.Paulo – 04/01

    “É dentro de você que o Ano Novo cochila e espera desde sempre”, diz a propaganda da TV, usando o verso do poeta Carlos Drummond de Andrade, que faria 100 anos em 2012. O anúncio usa o último verso do poema de Receita de Ano Novo.

    Aceito a orientação do poeta e concordo com ele quando diz que não precisa fazer listas de boas intenções nem acreditar, parvamente, que por decreto de esperança, a partir de janeiro, as coisas mudem e seja tudo claridade. Há algo novo de Drummond para cá. Ele escreveu: “Ao telefone, perdeste muito, muitíssimo tempo de semear”.

    Hoje o telefone é um instrumento de trabalho. Mas nos aeroportos, ruas e estradas perdemos muito tempo de semear. Nos aeroportos há espera no saguão, nos ônibus que nos conduzem a bordo e nas poltronas, antes de o avião decolar. Nas ruas de quase toda grande cidade brasileira o trânsito é infernal. Não vejo esperança no horizonte. O governo continua isentando a indústria de carros e estimulando a venda em 70 prestações.

    No meu tipo de trabalho, o melhor guia não é um poeta, mas um treinador de futebol. Gentil Cardoso dizia: “Quem não se desloca não recebe”. É sempre possível atenuar usando bike ou motoneta no lazer e nas tarefas domésticas. Mas com equipamento pesado nas costas, sem carro ou avião, não posso deslocar-me e receber a bola. Quase nunca é possível usar o saguão de um aeroporto para trabalhar. Os portões de embarque mudam constantemente. É preciso interromper e sair rápido para não perder o voo.

    São lamentos de um trabalhador. Quem sabe o PT não os leva em conta, apesar de estar me deslocando sempre a serviço da mídia golpista, da elite reacionária, enfim de todos esses vilões que reaparecem toda vez que os companheiros são colhidos em mais um escândalo.

    A favor do governo, no tema mobilidade, lembro que Dilma decidiu privatizar dois aeroportos e prometeu construir 18 regionais. Se tudo der certo, ainda não será neste ano que poderemos colher os frutos. Foram tão lentas as decisões, faz tanto tempo que a demanda crescente expõe a vulnerabilidade dos aeroportos.

    No caso dos automóveis, a sensação que tenho é de que Dilma alimenta a utopia de um carro para cada pessoa. No futuro próximo muito mais gente vai compreender como é insustentável essa política. As ruas ensinam. Dilma não as tem frequentado nestes dois anos.

    Os companheiros caminham para o modelo econômico com ênfase no papel do Estado, na criação de empresas oficiais e formação de um setor fortemente apoiado pelo BNDES. A discussão econômica é central no momento. O PT venceu as eleições, o governo tem apoio da maioria, é legítimo que tente o seu caminho. O fato é que a economia não cresceu no último ano. O caminho está errado? É uma leitura equivocada da crise econômica de 2008? Esse é o debate mais frequente. Mas existe outro, também essencial: que empresas o BNDES está financiando e em que condições?

    Baseado no fato de que o dinheiro é público, o Ministério Público já fez essa pergunta e o BNDES afirmou que tais dados são sigilosos. E a lei de acesso aos dados do governo? Não pegou? Como ter uma visão desse complexo econômico construído com financiamento público sem saber para onde e em que quantidade vão os recursos?

    Dilma sempre associou sua imagem ao interesse pela energia. Mas como na campanha foi chamada de mãe do PAC, talvez tenha atravessado os papéis e se sinta mãe onde era técnica. A energia no Brasil é cara. O forte calor aumentou em 8% o consumo no Sudeste. Uma redução no preço será um alívio para todos. Do ponto de vista eleitoral, baixar o preço da energia é ótimo para o governo. Mas não precisa ser um desastre para quem critica sua tática. Basta defender uma redução cuidadosa, sobretudo nesta conjuntura.

    Preocupados em resistir ao julgamento do mensalão, os companheiros não se deram conta de que a luz andou apagando aqui e ali, que os reservatórios estão baixos e a chuva real será menor que a esperada. Uma queda de braço no momento pode ser ruim para todos. A popularidade a autoriza. Mas popularidade, com tudo o que implica, é como um vinho que deve ser consumido com moderação.

    Na esfera política, os amplos setores do PT que resistem ao julgamento do mensalão estão se queimando. Parecem um pouco aqueles dirigentes de escola de samba que não se conformam com o resultado do júri e batem boca, com o palco já desmontado. O conforto eleitoral estimula avaliações amadorísticas do quadro político pós-mensalão. José Dirceu aparece de punho erguido em foto de jornal. Ele vê o mensalão como um elo na história das lutas da esquerda. O punho erguido foi a saudação dos comunistas. Um atleta negro americano o ergueu ao vencer a Olimpíada. O gesto era usado contra Franco na Guerra Civil Espanhola. O mensalão não pertence à história de lutas da esquerda, mas ao seu extenso rosário de erros. Independente do juízo sobre o comunismo, todos sabem a diferença entre La Passionária e o Delúbio Soares.

    Genoino vai para o Congresso, onde nada poderá fazer nos meses em que espera os recursos no STF. Não há condições políticas, nem mesmo psicológicas. Porém ele aceita um cargo público que consome R$ 136 mil/mês. É como se alguns peixes do oceano político não respeitassem mais o momento de submergir.

    Drummond tem razão: despertar o ano novo que cochila em você, mesmo porque nas altas esferas o sono ainda é profundo.

    O ano terminou com o presidente da Câmara, Marco encarnando o fim do mundo Maia, enfrentando o Supremo. Ele é um produto dos intrincados mecanismos de disciplina e lealdade do PT. Sonha ser dirigente de um clube de futebol. Para não dizer que sou negativo diante do companheiros, esse sonho pelo menos eu apoio, dependendo, é claro do clube escolhido.

    Os chineses falam de tempos interessantes como aqueles em que há convulsões sociais, tormentas, revoluções. Espero tempos engraçados, tomando-se o humor em todas as suas dimensões, inclusive as dolorosas.

  2. Otto said

    Sinceramente, o Gabeira virou um velho udenista. Preferia ele nos tempos da sunga.

  3. Otto said

    Ou melhor: nos tempos da tanga de crochê lilás.

  4. Michelle 2 said

    Das diferenças – MIRIAM LEITÃO
    O GLOBO – 04/01

    Não existe torturador moderno. A expressão é uma contradição em termos. Todo torturador é medieval, porque só pessoas pertencentes a um tempo de trevas podem acreditar que alguma ordem será defendida com a dor dos outros. Existe jornalista enfático, agressivo, insistente, irritante, bom ou incompetente, mas é só um jornalista. Ele pode ser respondido ou ignorado.

    José Genoino chegou com sua filha Mariana ao Congresso na quarta-feira. (Que moça bonita e que fortes as demonstrações que ela já deu de amor ao pai). Claro que seria cercado pelos jornalistas, que fariam perguntas. Se eles não as fizessem seriam estranhos, mais ou menos como padeiros que não fazem pães. Isso não significa que todos fizeram as perguntas cabíveis.

    Pelo relato do Globo, o repórter, ao qual Genoino respondeu, perguntou como é que ele se sentia por não poder deixar o país, enquanto ele, o repórter, podia. Colocação inadequada. A leitura da transcrição do diálogo mostra que o jornalista não tentava se informar, tirar uma boa resposta, usar as declarações para esclarecer algum eventual leitor. Ele repetia “eu não fui condenado a nada, o senhor foi” ou “eu posso deixar o país, o senhor não’! Com 40 anos de jornalismo, considero que isso não é uma entrevista. É mau jornalismo.

    O problema é que, em outros momentos, e com menos motivos para se irritar, Genoino usou a mesma expressão, dando a entender que considera a imprensa — toda ela — um grupo de “torturadores” A palavra é forte e o deputado conhece a perversidade embutida em seu significado. Nenhum problema com as críticas aos jornalistas, mas o que preocupa é o fato de que esse tipo de reação firma a convicção de que bom mesmo é um país sem imprensa, ou com uma imprensa controlada.

    Genoíno, por temperamento, acha que tem que lutar sempre, mesmo quando está em clara desvantagem, como agora.

    Mas desta vez ele já foi julgado pelo STF, que decidiu que os condenados nessa ação que tiverem mandatos vão perdê-los.

    Formalmente, Genoino pode assumir o mandato, mas ele sabe que sua decisão tem o custo de provocar polêmica. Até aí, tudo bem. O que ele não deveria é seguir a estratégia de confrontação com o Supremo que foi insinuada pelo seu colega de partido, deputado Marco Maia.

    Não deveria também acreditar que essa prisão — se ele for preso ao fim do processo — será igual à que sofreu durante a ditadura militar. Agora, o país vive o estado de direito, ele teve amplo direito de defesa, o Supremo Tribunal Federal julgou de forma transparente e com base nos autos. Felizmente, ontem, ele disse que acatará a sentença, mesmo discordando.

    Ele pode e deve esgotar todos os recursos de defesa, mas seria bom se não confundisse os dois processos a que respondeu. Se o fizer, estará informando à geração mais jovem, que não viu a ditadura, que não existe diferença entre o regime baseado no arbítrio, e aquele que se sustenta no império da Lei. Estará dilapidando um patrimônio importante do país, construído com o sacrifício de tantos, inclusive dele mesmo.

    Esse é o ponto mais relevante de toda essa reação dos condenados da Ação Penal 470 e seus apoiado-res. Quando o ex-ministro José Dirceu convoca a resistência contra a decisão, quando líderes petistas criticam o Supremo e o chamam de “tribunal de exceção” quando Marco Maia avisa que dará “asilo” aos deputados condenados, o resultado é o de enfraquecer as instituições, e confundir as mentes dos mais jovens sobre a diferença entre estado de direito e o governo ditatorial.

    Muito mais gente do que Genoino supõe lamenta que ele esteja nessa situação. Só que ele não é um perseguido político;ele responde pelos fatos revelados na Ação Penal 470.

    Um dos deputados suplentes a assumir o mandato, o ex-líder sindical Paulo Fernando dos Santos, do PT-AL, chegou à sandice de comparar Genoino a Jesus Cristo e a Mandela. “Jesus foi condenado à morte e é referência até hoje. Mandela ficou preso por mais de 30 anos, e virou o líder que virou” É apenas uma declaração sem qualquer sentido, mas revela o quanto o PT se afastou do que deveria ter feito desde o início: entender onde foi que errou, para corrigir. O importante, portanto, não é uma briga com um eventual repórter, é que o comportamento dos pe-tistas está enfraquecendo a democracia brasileira.

  5. Michelle 2 said

    Porta dos fundos – MERVAL PEREIRA
    O GLOBO – 04/01

    Já é um absurdo que deputados condenados pelo Supremo continuem exercendo seus mandatos como se nada tivesse acontecido. Há casos desses na Câmara. Absurdo maior, porém, é dar posse a suplente condenado pela última instância do Judiciário por corrupção ativa e formação de quadrilha. A posse do ex-presidente do PT José Genoino é absolutamente legal, pois o processo ainda não transitou em julgado, mas é totalmente aética e revela, ao mesmo tempo, a falta de compromisso do PT e da própria Câmara com o exercício da política no sentido mais alto, definido como a busca do bem comum, priorizando interesses particulares e corporativos.

    No julgamento do mensalão, o ministro Celso de Mello deu o tom histórico ao definir a dimensão da decisão, que sacramentou com seu voto, pela cassação dos mandatos dos parlamentares condenados no processo como consequência da perda de direitos políticos. Essa perda dos mandatos está diretamente ligada à gravidade dos crimes cometidos contra o Estado, e mais uma vez ficou ressaltado o sentido de todo o julgamento: a defesa das instituições democráticas. Celso de Mello chamou a atenção para o fato de que as decisões do colegiado são sempre do Supremo, não havendo vencidos nem vencedores. A votação de 5 a 4 pela interpretação da cassação automática passa a ser a da Corte, que tem a última palavra em termos constitucionais e, como lembrou Rui Barbosa, pode até mesmo “errar por último”!

    Por isso mesmo, alertou em seu voto, seria “inadmissível o comportamento de quem, demonstrando não possuir necessário senso de institucionalidade, proclama que não cumprirá uma decisão transitada em julgado emanada do órgão judiciário que, incumbido pela Assembleia Constituinte de atuar como guardião da ordem constitucional, tem o monopólio da última palavra em matéria de interpretação da Constituição’!

    O ministro tocou no ponto certo quando advertiu que “reações corporativas ou suscetibilidades partidárias associadas a um equivocado espírito de solidariedade não podem justificar afirmação politicamente irresponsável e juridicamente inaceitável” Diante da condenação de seus principais representantes no julgamento do mensalão, o PT decidiu politizar a última decisão, em torno dos mandatos legislativos dos condenados, para retaliar o STF, criando uma crise entre os poderes onde não existia disputa política, mas de interpretação do texto constitucional.

    A posição do presidente da Câmara, deputado petista Marco Maia, de considerar que cabe ao Legislativo a última palavra em caso de cassação de mandatos tem respaldo em interpretações jurídicas, tanto que, mesmo que os nove ministros tenham votado pela perda dos direitos políticos dos condenados, quatro deles consideraram que caberia à Câmara a decisão final quanto à perda de mandato.

    Mas, diante da decisão da maioria da Corte, não há, numa democracia, justificativa para anunciar que ela não será acatada. A posse de Genoino é mais um lance dessa disputa de alas petistas contra a dura realidade que enfrentam, e só cria novo embaraço à já constrangedora situação da Câmara. As ameaças de Maia são apenas retóricas, pois não caberá a ele a decisão sobre o assunto. Henrique Alves, do PMDB, deve ser eleito para presidir a Câmara e é ele que terá a tarefa de convencer seus pares de que a última palavra neste caso é do STF. A posse do réu condenado por corrupção ativa e formação de quadrilha é tola tentativa de retomar a história do ex-guerrilheiro José Genoino, que, como já defini aqui, se transformou em um perverso formula-dor da História ao se dizer vítima de novos tortura-dores da imprensa, que, em vez de pau de arara, usariam a caneta para lhe infligir sofrimentos.

    Transformar a liberdade de expressão e de informação em instrumentos de tortura mostra bem a alma tortuosa desse político equivocado, metido em bandidagens para impor projeto político “popular” ao país. Assim como entrou pela porta dos fundos da Câmara para tomar posse de um mandato que moralmente já perdeu, Genoino sairá pela porta dos fundos da História direto para a cadeia.

  6. Edu said

    Dilma-mão-pesada-incompetenta-ornitorrinca ataca novamente!

    E agora?! A presidenta resolveu usar o fundo soberano (que deveria ser usado em tempos de crise) para fechar as contas… xiiiiiiiiiiiii

    O que eu e o Chest dizíamos?! O PT vai acabar com as contas públicas… repetimos e repetimos… e nada!

    O Brasil está em crise?! Então porque essa mulher está usando de “manobras contábeis” para fechar as contas?!

    O Brasil é a Enron dos países em desenvolvimento!

    Mais um belo trabalho da Dilma-mão-pesada-incompetenta-ornitorrinca.

  7. Edu said

    E a nossa educação?!

    Vejam só o legado de Haddad: a maneira petista de conduzir a educação brasileira – tendência positiva é sinônimo de boa nota agora.

    -http://www1.folha.uol.com.br/educacao/1209850-regra-do-mec-pode-liberar-vestibular-de-curso-barrado.shtml

  8. Zbigniew said

    Quem será o Relator desta ação? Deverá haver uma redistribuição, já que o Barbosão foi para a Presidência. E aí? Daqui que o novo Relator tome pé do processo, dará tempo para o julgamento, de modo a evitar uma possível prescrição?
    Como o Governo não apita nada no jogo do poder, é rezar para cair nas mãos de um legalista. Poderia até ser o Lewandovsky.

  9. Patriarca da Paciência said

    “Preocupado com a opinião pública, o ministro Joaquim Barbosa censurou seu colega: “Como é que você solta um cidadão que apareceu no Jornal Nacional oferecendo suborno?”, perguntou Joaquim. Eros respondeu que não havia julgado a ação penal, mas se havia fundamento para manter prisão preventiva. Joaquim retrucou dizendo que “a decisão foi contra o povo brasileiro”.

    ( comentário 205 do post anterior, apud Limpinho e Cheiroso)

    Pelo jeito, opinião pública, para sua excelência, ministro Barbosão, é a opinião publicada, principalmente pelo Telejornal Jornal Nacional da TV Globo.

    Então há um jeito do tal suposto “mensalão mineiro” entrar na pauta do STF, qual seja, O PT patrocinar o telejornal da Globo e exigir, por contrato, que o tal telejornal “informe”, pelo menos, 15 (quinze) minutos diariamente, sobre as falcatruas dos políticos do PSDB.

    Quanto ao Gabeira eu acho, sinceramente, que ele não se tornou um velho político udenista, ele sempre foi um velho político udenista, apenas teve um leve surto de esquerda na juventude.

  10. Patriarca da Paciência said

    Quanto à posse de Genoino, alguém ouviu falar de alguma campanha dos noblats, mervais, rola-bostas 100% idiota, augustos boçais, etc. etc.etc. para que o senador Álvaro Dias renuncie ao seu mandato até que o caso da sua fortuna oculta seja esclarecido?

    Minha opinião sobre o Genoino é que ele é um homem digno e honrado, total merecedor de ser um deputado.

    Chamar o Genoino de corrupto chega a ser uma verdadeira infâmia.

  11. Edu said

    O Genoino não é corrupto, ele é um ingênuo, coitadinho: não consegue ler um documento antes de assinar.

    Isso é infame: um político ingênuo.

    O nosso querido InGenoino.

  12. Michelle 2 said

    Mais uma da série: Dilma-mão-pesada-incompetenta-ornitorrinca

    Petrobras é a empresa que mais perdeu valor de mercado no Brasil em 2012

    A estatal perdeu R$ 36,7 bilhões de valor de mercado em apenas um ano, passando de R$ 291,5 bilhões para R$ 254,8 bilhões. A segunda maior queda foi a da OGX. A petrolífera do grupo EBX, do empresário Eike Batista, viu seu valor de mercado despencar R$ 29,8 bilhões, de R$ 44 bilhões para R$ 14,2 bilhões.

    Na lista das dez empresas brasileiras de capital aberto que mais perderam valor de mercado, cinco foram do setor de energia elétrica –Eletrobras (R$ 16,9 bilhões), CPFL (R$ 4,4 bilhões), Cesp (R$ 4,2 bilhões), Eletropaulo (R$ 3,8 bilhões) e Ampla Energia (R$ 2,9 bilhões).

    O segmento foi bastante afetado pela proposta do governo federal de renovar os contratos de concessão que venciam entre 2015 e 2017 por mais 30 anos em troca da redução no preço da conta de luz.

    Completam o ranking a CSN (Companhia Siderúrgica Nacional), que perdeu R$ 4,5 bilhões, o banco Santander (R$ 4 bilhões) e a Telefônica (R$ 3,1 bilhões).

    Entre as brasileiras que mais cresceram, o destaque é a Ambev, que passou da terceira posição em 2011 para a liderança em 2012. Ela cresceu R$ 76,6 bilhões –passando de R$ 187,6 bilhões para R$ 264,2 bilhões– e ultrapassou as gigantes Petrobras e Vale.

    Com a alta, a Ambev se tornou também a empresa de maior valor de mercado de América Latina (veja ao lado).

    http://www1.folha.uol.com.br/mercado/1209499-petrobras-e-a-empresa-que-mais-perdeu-valor-de-mercado-no-brasil-em-2012.shtml

    Veja o gráfico http://f.i.uol.com.br/folha/mercado/images/13003780.png

  13. Michelle 2 said

    Coices e relinchos – NELSON MOTTA
    O GLOBO – 04/01

    Coitados, esses pobres diabos vão morrer sem ter lido um só verso de Gullar, sem saber o que perderam

    A maneira mais estúpida, autoritária e desonesta de responder a alguma crítica é tentar desqualificar quem critica, porque revela a incapacidade de rebatê-la com argumentos e fatos, ideias e inteligência. A prática dos coices e relinchos verbais serve para esconder sentimentos de inferioridade e mascarar erros e intenções, mas é uma das mais populares e nefastas na atual discussão politica no Brasil.

    A outra é responder acusando o adversário de já ter feito o mesmo, ou pior, e ter ficado impune. São formas primitivas e grosseiras de expressão na luta pelo poder, nivelando pela baixaria, e vai perder tempo quem tentar impor alguma racionalidade e educação ao debate digital.

    Nem nos mais passionais bate-bocas sobre futebol alguém apela para a desqualificação pessoal, por inutilidade. Ser conservador ou liberal, gay ou hetero, honesto ou ladrão, preto ou branco, petista ou tucano, não vai fazer o gol não ser em impedimento, ser ou não ser pênalti. Numa metáfora de sabor lulístico, a politica é que está virando um Fla x Flu movido pelos instintos mais primitivos.

    Na semana passada, Ferreira Gullar, considerado quase unanimemente o maior poeta vivo do Brasil, publicou na “Folha de S.Paulo” uma crônica criticando o mito Lula com dureza e argumentos, mas sem ofensas nem mentiras. Reproduzida em um “site progressista”, com o habitual patrocínio estatal, a crônica foi escoiceada pela militância digital.

    Ler os cento e poucos comentários, a maioria das mesmas pessoas, escondidas sob nomes diferentes, exigiria uma máscara contra gases e adicional de insalubridade, mas uma pequena parte basta para revelar o todo. Acusavam Gullar, ex-comunista, de ter se vendido, porque alguém só pode mudar de ideia se levar dinheiro, relinchavam sobre a sua idade, sua saúde, sua virilidade, sua aparência, sua inteligencia, e até a sua poesia. E ninguém respondia a um só de seus argumentos.

    Mas quem os lê? Só eles mesmos e seus companheiros de seita. E eu, em missão de pesquisa antropológica. Coitados, esses pobres diabos vão morrer sem ter lido um só verso de Gullar, sem saber o que perderam.

  14. Edu said

    MIchelle,

    A Dilma-mão-pesada-incompetenta-ornitorrinca está dando cada vez mais sinais de debilidade.

    Nós infelizmente assistiremos 4 anos passarem sem podermos dizer: já sabíamos.

    O Josias no final do ano andou de bom humor, e eu gostei, vc viu?

  15. Edu said

    Dê uma olhada lá, não consigo postar os links:

    Se ele tivesse feito alguma coisa do Lula, eu chamaria de “a trilogia dos 3 patetas”.

    “Mantega já é visto como personagem de piada”

    e

    “Seja Dilma por 5 minutos preenchendo lacunas”

  16. Patriarca da Paciência said

    “A produção de petróleo e gás natural na região do pré-sal aumentou 25,6% de outubro para novembro, atingindo média de 227,6 mil barris diários de petróleo e 7,1 milhões de metros cúbicos de gás natural, um total de 272,1 milhões de barris de óleo equivalente.

    O aumento se deveu à entrada em operação de mais dois poços, 7JUB34HESS (Jubarte) e 3BRSA1017DRJS (Marlim Leste), informou a ANP (Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis).

    Para o início do ano está previsto o início de operação do piloto de Sapinhoá, outro grande campo do pré-sal, cujo comissionamento da plataforma foi aprovada no final de 2012 pela ANP.

    Sapinhoá (ex-Guará) tem estimativa de reservas de 2,1 bilhões de barris recuperáveis e óleo de 30 graus API, considerado de qualidade média pela indústria.

    Por uma convenção internacional, quanto mais próximo de 50 melhor a qualidade do petróleo. No Brasil, a qualidade média da produção era de 24,1 graus API em novembro.

    Este será o primeiro campo de pré-sal a operar em frente ao Estado de São Paulo, informou a diretora-geral da ANP, Magda Chambriard, em recente entrevista à Folha.

    Atualmente, a região do pré-sal tem 15 poços em operação nas bacias de Campos, Santos e Espírito Santo. Há um ano, 9 poços estava operando na região do pré-sal. (DENISE LUNA)”

    http://www1.folha.uol.com.br/mercado/1209990-producao-de-petroleo-e-gas-no-pre-sal-sobe-26-em-novembro.shtml

    E aí? Será que a direitona se convenceu que o pré-sal existe?

    Li muitos comentários da direitona dizendo que o pré-sal era apenas um delírio do Lula.

    Se crescer nesse rítmo, o Brasil dobra a produção de petróleo em poucos anos e passa para a condição de grande exportador de petréleo.

    E aí? O Brasil não tem futuro?

    A tal torcida pela derrocada do Brasil fica cada vez mais desesperada! O sonho deles de nos tornarmos um xerox de má qualidade dos Estados Unidos está cada vez mais distante.

  17. Pax said

    O texto do Nelson Motta só esquece de dizer que tem jornalista tão vagabundo que ganha a vida mentindo e ofendendo quem não simpatiza com quem lhe paga para fazer matérias.

    Pois é. Realmente tem cavalos e coices. De todos os lados.

    Quais serão mais canalhas?

    Realmente tenho cá minhas dúvidas.

  18. Edu said

    Sabem qual é o melhor negócio do mundo?

    Uma petrolífera bem administrada.

    Sabem qual o segundo melhor negócio do mundo?

    Uma petrolífera mal administrada.

    O Brasil conseguiu transformar o seu melhor negócio em um negócio pior do que o setor de bebidas, onde há impostos demais e margens de menos…

    Ainda bem que não existe nenhuma YPF aqui, senão estatizariam.

    Se continuar assim jajá o Eike Batista compra a Petrobras! Quá quá quá!

  19. Edu said

    Pax,

    Quer dar nome aos bois?

  20. Pax said

    Jornalista que nem sabe bem o português:

    Blog do Noblat ‏@BlogdoNoblat
    Eu trabalho. Eles, meus netos, abrem buracos na areia de Porto de Galinha. Cada um com seu óculos escuro. Folgados! pic.twitter.com/2MmVFwUG

    Português correto: Cada um com SEUS ÓCULOS escuros.

    Eita Noblat, não basta ser jornalista tendencioso? Ainda precisa ser ruim na profissão?

  21. Michelle 2 said

    Controle Social da Imprensa, versão venezuelana

    Comissão Nacional de Telecomunicações (Conatel) da Venezuela abriu um procedimento administrativo contra três emissoras de Caracas que não transmitiram pronunciamento do ministro de Comunicação e Informação da Venezuela, Ernesto Villegas, em cadeia nacional de rádio e televisão, sobre a saúde do presidente Hugo Chávez

    Agencia Brasil

    1 comentário em “Emissoras são notificadas por não exibir discurso sobre Chávez”
    Silvio Jardim 4.01.2013 às 18:27
    Pronunciamento: “Chavez continua morto, qualquer novidade faremos outro pronunciamento”
    ___________________
    hehehe

  22. Michelle 2 said

    Controle Social da Imprensa, versão venezuelana

    Se ele morrer ( se já não morreu) … a culpa será dos outros:

    La prensa transnacional y las fuerzas conservadoras

  23. Patriarca da Paciência said

    Meu caro Pax,

    e o Nelson Motta arvorando-se de intelectual?

    Onde? Como? Quando?

    Um simples letrista de canções sofríveis!

    Duvido muito que ele entenda os poemas do Gullar.

    Sobre o Gullar, tenho a dizer, não é mau poeta, mas como comentarista político, como diz o Romário, se ficasse calado, seria também um poeta!

    Já bem dizia o velho e bom Platão – poetas devem ser proibidos de se envolver em política!

  24. Michelle 2 said

    Edu

    MIchelle,

    A Dilma-mão-pesada-incompetenta-ornitorrinca está dando cada vez mais sinais de debilidade.

    Nós infelizmente assistiremos 4 anos passarem sem podermos dizer: já sabíamos.

    O Josias no final do ano andou de bom humor, e eu gostei, vc viu?

    Vi e gostei mas estava de ferias em Cuba e não tinha conexão estável …tipo a do Pax….rsrsrs. Nem dando gorgeta, meio pelo qual

    Quanto à dona ornitorrinca, mão pesada e incompetenta, (“a rena do nariz vermelho dilma… e seu amantegado elfo mentiroso”… hehehe)
    penso que daqui a pouco…,entre outras asneiras populistas, fará outro pacote de incentivo à “automobilística população brasileira” com o objetivo de “coagular” de uma vez por todas, o sistema viário urbano.Sem falar no aumento exponencial da poluição atmosférica e custos adicionais de frete urbano e é claro despesas médicas dos envenenados pelo monóxido de carbono.

    A ex-sexologa ministra Marta Suplicy diria… “Relaxem e gozem!
    Vendeu sua candidatura como prefeito de Sampa por um ministério complicado. O da Cultura Petista. E parece nem ter relaxado nem gozado.
    Aquilo ali é uma “sopa de bruxa”…rabo de cascavel, perna de morcego,…etc
    ___________________________
    Ei Pax…isso afeta o “seu” meio ambiente ou não?

    Vc não está preocupado com a situação econômica ?
    Por que vc não dá a sua opinião?
    Ainda confia na dilma?
    Timidez? Medo de patrulha? Fogo amigo?
    Sai dessa….
    os “bichos papões” da imprensa podem quase nada.
    Quem pode são os cidadãos conscientes.

  25. Michelle 2 said

    Completando falha no comentário anterior:

    Vi e gostei mas estava de ferias em Cuba e não tinha conexão estável …tipo a do Pax….rsrsrs.

    Nem dando gorgeta, o mercado negro… meio pelo qual……tudo se compra…”por un precio, por supuesto, señora”. Don Perignon e Caviar Beluga do Mar Cáspio, por exemplo.
    Como era a noite do 31…paguei com prazer.
    Ficou mais barato que se comprasse no Brasil, em dólares. Pode?
    ___________

    Comento:

    El pueblo, el guapo pueblo cubano y brasileño …que si fuedam!

    Viva Fidel! Viva la revolución! Viva Lula! Viva la corrupción!

  26. Michelle 2 said

    Da série Coices e Relinchos

    Interessante comentário de petralha lá no glob do Atuch(247) sobre a opinião do Nelson Motta, sobre coices e relinchos.

    Self Control 4.01.2013 às 20:45

    O tal Nelsinho é mais passé que máquina de escrever!!! Alias, faz parte de uma classe, um grupo, uma sub-espécie, uma fauna que fazia firula durante a ditadura , mas que , no fundo, eram todos coniventes com ela e que agora demonstram o quão reacionários e anti-democratas sempre foram. Diz ele que o poeta é um ex-comunista. Que coisa mais esdruxula essa de ser ex-comunista. É sinal que, na pratica, politicamente nunca foi nada, a não ser um oportunista. Se é bom ou mal poeta é outra coisa. Há na história uma quantidade de escritores e intelectuais conceituados que como cidadãos eram racistas e fascistas, e portanto execráveis. Não se discute a obra, se discute o autor. Os versos de amor talvez até agradem a muitos, eu mesmo gosto de alguns poemas dele. Porém, a atitude do cidadão é que é a questão. O poeta é uma pessoa amarga, reacionária e fascistóide , porque não aceita que outros gostem de algo ou alguém que ele não gosta e se pretende superior só porque escreve versos. O mesmo se passa com o tal Nelsinho, que demonstra um preconceito carioca arcaico de um tempo em que pertencer a uma elitizinha, era sinônimo de superioridade. Achavam que o saber, a verdade, o bom-gosto, o certo, o “intelectual” era propriedade exclusiva deles. Que pobreza!!! Alias, esse é o grande problema de todos eles, os citados acima e outros, os rola-bosta, fantasticamente definidos por um intelectual brilhante, que é um ser humano e cidadão dos melhores e mais respeitados neste país. Como bem diz o dito: não basta você ser legal comigo, se você menospreza e maltrata o garçon ou lixeiro; para mim você não é uma pessoa legal. É isso que eu penso deles, e toda vez que disserem o que me desagrada, o que eu discordo ou que ofenderem minhas convicções, afiliações e preferências, me sinto plenamente no direito de ir contra, relinchar e dar coices, na mesma intensidade ao relincho e coice deles. Se eles se comportam como equinos, sei emular perfeitamente tal postura. Nelsinho porém já é pangaré fora do páreo. Os tempos mudaram, hoje quem manda é o povo da internet e a mídia tradicional murdochiana brasileira está capengando porque não consegue acompanhar a evolução da sociedade, ainda está atrelada a um tempo que se foi e que não voltará, nem com todo o esforço deles. Bem lembrada a atitude de Chico Buarque, este sim, para mim, o maior poeta vivo brasileiro, porque seus versos e canções encantam e são cantados por brasileiros (e estrangeiros) de todas as classes e gerações.
    ———————–

    Os tempos mudaram, hoje quem manda é o povo da internet e a mídia tradicional murdochiana brasileira está capengando porque não consegue acompanhar a evolução da sociedade, ainda está atrelada a um tempo que se foi e que não voltará, nem com todo o esforço deles.

    Patriarca da Paciência 101..né não?

  27. Pax said

    O preço que Lula paga por seus atos e Rosemarys

    Lula lidera votação na web de político mais corrupto de 2012Site Terra

  28. Otto said

    Pax: esta enquete é feita pelo Movimento 31 de Julho, um agrupamento tipicamente neoudenusta.

  29. Chesterton said

    Eita Noblat, não basta ser jornalista tendencioso? Ainda precisa ser ruim na profissão?

    chest- qual tendencia? ele não era amiguinho do pt até há pouco?

  30. Chesterton said

    13, impecável!

  31. Chesterton said

    Sinceramente, o Gabeira virou um velho udenista. Preferia ele nos tempos da sunga.

    chest- só porque não está disposto a defender ladrão?

  32. Chesterton said

    O tal Nelsinho é mais passé que máquina de escrever!!! Alias, faz parte de uma classe, um grupo, uma sub-espécie, uma fauna que fazia firula durante a ditadura , mas que , no fundo, eram todos coniventes com ela e que agora demonstram o quão reacionários e anti-democratas sempre foram. Diz ele que o poeta é um ex-comunista. Que coisa mais esdruxula essa de ser ex-comunista. É sinal que, na pratica, politicamente nunca foi nada, a não ser um oportunista. (Atuch, visto aí em cima)

    chest- perfeito exemplo de ataque ad hominem, de gente que não tem como argumentar.

  33. Chesterton said

    Chamar o Genoino de corrupto chega a ser uma verdadeira infâmia.

    xhest- além de corrupto é burro, se fosse honrado teria dado um tiro na cabeça.

  34. Chesterton said

    SEXTA-FEIRA, 4 DE JANEIRO DE 2013

    Superavit Primário vira obra de ficção científica
    Leiam a matéria de ontem no Estadão: Governo faz manobra para levantar R$ 16 bi e cumprir meta fiscal de 2012.

    Para quem é leitor desse blog, isso não é nenhuma novidade. Afinal, em 5 de maio de 2010 escrevi o artigo abaixo. Mais um ponto para o blog.

    Considerações Sobre o Superávit Primário

    Políticos, acadêmicos, policy-makers e jornalistas estão sempre falando sobre a importância do governo gerar superávits primários. Os experts são rápidos em responder que superávit primário é o montante que o governo arrecada menos o que ele gasta, sem considerar a conta de juros. Contudo, essa definição esconde uma série de truques.

    Primeiro, e mais importante, devemos lembrar o objetivo básico do superávit primário: poupar receitas para abater a dívida pública. Contudo, aproximadamente metade do superávit primário é obtida por meio de receitas vinculadas. O que isso quer dizer? Receitas vinculadas são receitas com destinação específica, isto é, o governo é proibido por lei de gastar esses recursos para abater a dívida pública. Ou seja, um montante expressivo do superávit primário só serve para fazer volume, uma vez que não pode ser usado para abatimento da dívida pública.

    Segundo, nem todos os gastos públicos são computados na hora de se contabilizar o superávit. Quem define quais gastos entrarão na conta do superávit é a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO). Por exemplo, no ano que vem teremos um superávit que NÃO LEVA em consideração os gastos com infra-estrutura ou os gastos do PAC considerados prioritários. Quais gastos públicos entram, ou não, na contabilidade do superávit pode mudar de ano para ano. Assim, é importante que os economistas acadêmicos prestem muita atenção nesses truques contábeis.

    Infelizmente a academia brasileira não presta muita atenção na maneira como os dados de finanças públicas são produzidos no Brasil. Estudos de macroeconomia são recorrentemente viesados pelos erros, mudanças de definições, mudanças de regras, e omissões presentes nos dados do governo brasileiro. O superávit primário é um caso de livro texto sobre como o governo pode manipular DENTRO da LEI uma informação tão importante para a sociedade. Hoje o superávit brasileiro é uma peça de ficção científica, ele simplesmente não serve para verificarmos a responsabilidade fiscal de um governo. E também não serve para abatermos a dívida pública no montante que a sociedade acredita que estaria ocorrendo.
    POSTADO POR BLOG DO ADOLFO

  35. Chesterton said

    Chaves arruina o país e tentam colocar a culpa no Bush.. (ai, ai, ai)

    http://pjmedia.com/richardfernandez/2013/01/04/he-just-take-the-money-and-run-venezuela/

  36. Patriarca da Paciência said

    A “grande” mídia não faz a menor referência ao fato de que que o Brasil chegou a pagar bem mais de 10% de juros, ao ano, pela dívida pública, o que, realmente, chegava a representar 3% do PIB.

    Este ano vai pagar menos de 2% de juros sobre a dívida pública. Uma redução imensa! Faz sentido ficar provisionando os mesmos 3% do PIB?

    É muita má fé, ou não sabem fazer contas mesmo!

  37. Patriarca da Paciência said

    No comentário acima eu me referi a juros reais, não a taxas inflacionadas.

  38. Patriarca da Paciência said

    “Veio, porém, de Armínio Fraga, também ex-presidente do Banco Central na era FHC, a sugestão mais inusitada. “Toda mãe terá direito a votar em cada eleição tantas vezes quantos forem seus filhos menores de 16 anos”, afirma. Ou seja: uma mãe com 10 filhos menores teria 10 votos. Segundo ele, as mães pensam mais no futuro e nas próximas gerações do que os outros indivíduos. Mas será que isso vale para mães sem planejamento familiar?”

    http://www.brasil247.com/pt/247/economia/89680/O-método-Veja-para-fazer-do-Brasil-um-guepardo.htm

    Caramba!

    Entre inúmeros propostas, tipicamente neoliberais, tipo,

    “Edmar Bacha, por exemplo, propõe a redução do gasto público. Segundo ele, o Brasil gasta 20% do PIB com despesas classificadas como sociais, mas os 11% da previdência seriam suficientes. “Toda atividade governamental terá de provar ter o custo menor que o benefício social proporcionado”, diz ele. Bacha sugere ainda que, na saúde, luxo e tratamentos complexos sejam obtidos por meio de seguradoras privadas – detalhe: o Ministério da Saúde acaba de ampliar a lista de procedimentos oncológicos pagos pelo SUS.

    Bacha sugere ainda uma abertura radical da economia. Na sua visão, a tarifa máxima de importação seria de 10% e deve ser também suspensa a exigência de conteúdo nacional nos financiamentos do BNDES e nas compras da governamentais, como da Petrobras.”

    Gustavo Franco, que foi presidente do Banco Central no governo FHC e responsável por uma política cambial no mínimo polêmica, sugere a flexibilização dos direitos trabalhistas. A primeira ideia é a eliminação do FGTS. Em vez da aplicação compulsória desses recursos no FGTS, que rende apenas 3% ao ano, o trabalhador poderia aplicar diretamente em fundos DI. Assim, segundo Franco, a poupança dos trabalhadores deixaria de abastecer o BNDES, que, segundo ele, financia setores com baixíssima contribuição para o crescimento da economia.”

    A proposta do Armínio Fraga se destaca.

    Sem dúvida nenhuma é uma teoria inédita! Certamente fará furor nos meios econômicos! Terá tanto destaque quanto a inovação jurídica do “domínio do fato” nos meios jurídicos.

    A direita brasileira está cada vez mais revolucionária!

  39. Patriarca da Paciência said

    Hoje eu liguei a TV na TV Senado e estava passando uma palestra do filósofo/psicanalista Auterives Maciel Junior. Falou longamente sobre Spinoza, sempre acentuando que o mal estar das pessoas decorre principalmente do exacerbamento da individualidade, consequência das políticas neoliberais. Quanto mais a pessoa se centra na individualidade egoista, mais provoca constrangimento aos outros e a si mesmo, aumentando o mal estar geral. Aponta a solidariedade coletiva como solução.

    A palestra era no Senado.

    Referiu-se também ao fato de que a “moralidade”, aos modos udenistas, está totalmente em descrédito.

    Jornalistas que ficam por aí falando que “os outros” são ladrões e corruptos não tem a menor credibilidade. O que o povo pensa consigo mesmo é sempre “ora, você lá faria muito pior”.

    Concordo totalmente!

    Alguém acredita que o rola-bosta 100% idiota seja imaculado?

    Alguém acredita que o augusto boçal seja imaculado?

    E sua excelência, ministro Barbosão, alguém acredita que ele seja imaculado?

    Se as pessoas não fazem coisas erradas é porque sabem das consequências, não porque sejam imaculados aos moldes udenistas.

    A única maneira de prevenir corrupção é a fiscalização e todos lutarem pelo bem de todos. Moral udenista está totalmente em descrédito.

  40. Chesterton said

    Essa proprosta coletivista do Arminio Fraga eu não conhecia, onde está o link?

    patriarca, você é 100% imaculado?

  41. Patriarca da Paciência said

    Chesterton,

    o link está logo abaixo da transcrição da informação (comentário 38).

    Se houver uma coisa que nunca tive foi a pretensão foi de ser minimamente imaculado, quanto mais 100% imaculado!

    Deixo isso para sua excelência, ministro Barbosão!

  42. Chesterton said

    Alguem precisa ser imaculado como Nossa Senhora para impor a lei dos homens?

  43. Chesterton said

    O governo Dilma Rousseff coloca sob risco um patrimônio da política econômica brasileira conquistado a duras penas ao longo de quase duas décadas. Trata-se da confiança dos agentes privados nas ações e nos compromissos assumidos pelas autoridades. A manobra contábil, nos últimos dias de 2012, para maquiar o fiasco na meta de poupança pública -o chamado superavit primário- é decerto o golpe mais ostensivo na credibilidade do governo. Coroa uma série de atitudes voluntariosas que puseram em segundo plano a perseguição de objetivos centrais da política econômica.

    O superavit primário deveria ser algo simples de entender e atingir. O setor público compromete-se a gastar uma quantia a menos do que arrecada de impostos. Contabilizam-se os desembolsos em ações típicas do Estado -pagar a servidores, fornecedores, aposentados, beneficiários de programas sociais etc. Ficam de fora, numa conta à parte, as despesas com juros. Com isso, garante-se que o endividamento público fique sob controle.

    Em 2012 os governos federal, estaduais e municipais obrigaram-se a economizar juntos o equivalente a 3,1% do PIB, quase R$ 140 bilhões. Em anos ruins, a administração federal pode acionar o recurso, previsto na regra geral, de subtrair dessa conta desembolsos com o Programa de Aceleração do Crescimento. Abatidos esses gastos, a meta cairia para 2,3% do PIB.

    Mesmo assim, fechada a conta de novembro, a poupança ao longo do ano, de 1,9% do PIB, não cumpria o objetivo. Então o governo federal deslanchou em dezembro uma operação meramente contábil para alcançar os R$ 19 bilhões restantes e dissimular o fracasso.

    Forçou Caixa Econômica Federal e BNDES a pagarem R$ 7 bilhões em dividendos ao Tesouro. Num só mês, esses dois bancos estatais enviaram à Fazenda o equivalente a 35% de todos os dividendos transferidos nos outros 11 meses. Além disso, transferiram-se para o Tesouro R$ 12,4 bilhões do Fundo Fiscal de Investimento e Estabilização -instrumento criado em 2008 que serviu, na prática, para financiar a Petrobras com dinheiro do contribuinte.

    Tanta criatividade contábil, embutida numa teia de decretos feitos para não criar alarde, foi inútil para o objetivo original do superavit primário -economizar despesa do governo. O setor público não poupou um tostão com isso. A incapacidade de controlar os gastos de acordo com o pactuado na lei orçamentária já seria um fator de desgaste para a confiança no governo. Mas a tentativa de enganar o público com toscos malabarismos fiscais vai cobrar um preço ainda mais elevado.

    (Editorial da Folha de São Paulo, deste sábado)
    POSTADO POR O EDITOR Coronel

  44. Chesterton said

    Esse link não é o original, Patriarca.

  45. Chesterton said

    Custou, mas enterraram o Plano Real

    Eduardo Graeff, 04/01/13
    Receio que a questão já não seja se Dilma Rousseff consegue corrigir o rumo, mas quanto custará arrumar a casa no próximo governo – na hipótese otimista que o próximo governo queira e possa arrumar a casa.

    O Estadão de hoje está de arrepiar:

    Governo faz manobra para levantar R$ 16 bi e cumprir meta fiscal

    Operações contábeis com recursos do Fundo Soberano, BNDES e Caixa Econômica Federal garantem superávit primário, mas afetam credibilidade da política fiscal

    Ameaça à responsabilidade fiscal

    Ao incluí-la no projeto de lei complementar que altera o indexador da dívida dos Estados e dos municípios com a União, o governo do PT tentou encobrir a proposta de uma modificação na Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF)

    A mudança incluída de contrabando no projeto é o afrouxamento das regras para a concessão ou ampliação de benefícios ou isenções tributárias, subtraindo-as do controle do Congresso e permitindo ao governo justifica-las por meras estimativas de excesso de arrecadação.

    Silvio Campos Neto dá o resumo da ópera:

    …o período de austeridade e transparência das contas públicas chegou ao seu final.

    O governo fala de “nova matriz macroeconômica”. Mas pode chamar de gambiarras.

  46. Chesterton said

  47. Otto said

    Chesterton:

    “Sinceramente, o Gabeira virou um velho udenista. Preferia ele nos tempos da sunga.

    chest- só porque não está disposto a defender ladrão?”

    O José Privataria Tucana Serra, que recebeu apoio do Gabeira, é o quê?

  48. Otto said

    Olhem que horror o Chávez fez com a Venezuela!

    “Me interesso muito pelas listas de felicidade nos países mundo afora. Em geral, elas combinam dados sociais e entrevistas nas quais um grupo representativo de pessoas diz qual é seu grau de felicidade numa escala de 1 a 10.

    Foi ao ver uma delas, em que a Dinamarca estava na ponta e seus vizinhos nas primeiras colocações, que acabei conhecendo pessoalmente a Escandinávia. Era 2009, e fui para Copenhague para entender o que estava por trás da satisfação dos dinamarqueses. Fiz uma reportagem para a Época, da qual era então correspondente.

    Bem, de lá para cá, sempre que posso vou à Escandinávia. Agora mesmo, poucos dias atrás, estive na Noruega e na Dinamarca em missões jornalísticas.

    O modelo escandinavo é a coisa mais fascinante que encontrei na Europa. Combina as virtudes do capitalismo com as do socialismo de uma maneira extremamente bem sucedida.

    Repare. Em todas as listas relativos a avanço social, a Escandinávia domina.

    Bem, fiz este intróito porque outro dia vi uma lista da Gallup que colocava os venezuelanos como o quinto povo mais entusiasmado do mundo com os rumos do país.

    Um levantamento da universidade americana de Columbia e chancelado pela ONU trouxe também os venezuelanos numa situação invejável: o povo mais feliz da América do Sul.

    Como? Mas não é um inferno a Venezuela? Chávez não é o Satã?

    Como curioso que sou, fui pesquisar para tentar entender.

    Fui dar num estudo feito por um instituto americano chamado CEPR, baseado em Washington: “A Economia Venezuelana nos anos de Chávez”. O CEPR jamais poderia ser desqualificado como “chavista”.

    E então fico sabendo coisas como essas:

    1) Em 1998, quando Chávez assumiu o poder, havia 1628 médicos para uma população de 23,4 milhões. Dez anos mais tarde, eram quase 20 000 médicos para uma população de 27 milhões.

    2) Os gastos sociais subiram de 8,2% do PIB, em 1998, para quase 14%. “Se comparamos a taxa de pobreza pré-Chávez (43,9%) com a registrada dez anos depois (27,5%), chegamos a uma queda de 37% no número de venezuelanos pobres”, afirma o estudo.

    3) O índice de desemprego, que era de 19% em 1998, caiu pela metade.

    No trabalho, os autores notam que a percepção entre os americanos sobre a Venezuela de Chávez é ruim. Motivo: a cobertura enviesada da mídia. E, com números, desmontam o mito de que o segredo do avanço da Venezuela está no petróleo e apenas nele.

    Mas eu queria saber mais.

    Dei no site do Jazeera, uma emissora árabe bancada pelo Catar que faz jornalismo de primeira qualidade. O Jazeera traz vozes que você não costuma encontrar na imprensa brasileira, e isso ajuda você a entender melhor o mundo.

    Vi um programa jornalístico cujo título era: “Os venezuelanos estão melhor sob Chávez?” Como sempre, o Jazeera colocou especialistas com visão diferente. Um comentarista americano criticou o “espírito de mártir” de Chávez.

    Mas os dados objetivos ninguém contestou. A mortalidade infantil diminuiu, a expectativa de vida aumentou, o número de universitários cresceu e as crianças venezuelanas testão indo à escola numa quantidade sem paralelo na história do país.

    Um consultor americano de empresas interessadas em investir no exterior disse: “Quem quer que queira se eleger na Venezuela vai ter que dar prosseguimento aos programas sociais”. (O vídeo está no pé deste texto.)

    Problemas? Muitos. Criminalidade alta, pobreza e desigualdade ainda elevadas. Mas atenção: os problemas antes eram muito maiores. (Vale a pena ver o premiado documentário do jornalista australiano John Pilger, radicado na Inglaterra, sobre o papel dos Estados Unidos na América do Sul. O nome é Guerra contra a Democracia. Ele está disponível, em fatias, no YouTube, com legendas em português. Pilger visitou a Venezuela e entrevistou Chávez.)

    Da imersão em Venezuela, compreendi por que Chávez é tão popular – e por que seu maior adversário acabou por ser, na verdade, o câncer”

    http://www.diariodocentrodomundo.com.br/?p=7680

  49. Patriarca da Paciência said

    “Alguem precisa ser imaculado como Nossa Senhora para impor a lei dos homens?”

    Acontece que o ministro, sua excelência Barbosão, não se limita a aplicar a lei dos homens. Ele se arvora portador de uma ética “superior” , não prevista em lei. O que a maioria espera é exatamente isso – que seja aplicado apenas aquilo que está previsto em lei e do modo como está previsto em lei.

  50. Otto said

    Para rir um pouco:

    O texto abaixo é uma versão revisada, atualizada e abrasileirada do Manual do Perfeito Idiota Latino-americano, dos anos 1990.

    PIB. Chamemos de PIB. O Perfeito Idiota Brasileiro.

    Vamos descrever o dia do PIB. Vinte e quatro horas na vida de um PIB para que os pósteros, a posteridade, tenham uma idéia do Brasil de 2012.

    Ele acorda às sete horas da manhã. Tem que preparar o próprio café da manhã. Já faz alguns anos que sua mulher parou de fazer isso para ele, e ficou caro demais para ele pagar uma empregada doméstica.

    Ele lamenta isso. Era bom quando havia uma multidão de nordestinas sem instrução nenhuma que saíam de suas cidades por falta de perspectiva e iam dar no Sul, onde acabavam virando domésticas.

    PIB dá um suspiro de saudade. Chegou a ter uma faxineira e uma cozinheira nos velhos e bons tempos. Num certo momento, PIB percebeu que as coisas começaram a ficar mais difíceis. Havia menos mulheres dispostas a trabalhar como domésticas, e os salários foram ficando absurdos.

    Para piorar ainda mais as coisas, ao contrário do que sempre acontecera, a última empregada de PIB recusou votar no candidato que ele indicou.

    Mulherzinha metida.

    Foi por coisas assim que PIB aderiu ao movimento Cansei, ao lado de ativistas notáveis como Boris Casoy, Hebe Camargo, Agnaldo Rayol e João Dória Júnior. Empolgante o Cansei. PIB quase fora a uma manifestação. Só desistiu porque era sábado e sábado a feijoada era sagrada. O protesto com certeza fora um sucesso.

    O povo unido jamais será vencido.

    PIB tomou o café na cozinha, com o Globo nas mãos. Assinava o jornal fazia muitos anos. Se todos os brasileiros fossem como o Doutor Roberto Marinho, PIB pensou, hoje seríamos os Estados Unidos. Bonito o choro do Bonner ao anunciar no Jornal Nacional a morte de Roberto Marinho.

    Por que ainda não ergueram estátuas para ele?

    Com o Globo, PIB iniciou sua sessão de leituras matinais. Mais ou menos quarenta minutos, antes de ir para o escritório.

    Leu Merval. Quer dizer, leu o primeiro parágrafo e mais o título porque naquele dia o texto, embora magnífico, estava longo demais. Havia um artigo de Ali Kamel. “Um cabeça”, pensou PIB. “Deve ter o QI do Einstein.” Mas também aquele artigo –embora brilhante, um tratado perfeito sobre o assistencialismo ou talvez sobre o absurdo das cotas, PIB já não sabia precisar — parecia um pouco mais comprido do que o habitual. Deixou para terminar a leitura à noite.

    PIB vibrou porque, se não bastassem Merval e Kamel, havia ainda Jabor.

    Um gênio. Largou o cinema para iluminar o Brasil com sua prosa espetacular. Um verdadeiro santo. Podia estar com a sala da casa cheia de Oscar.

    Começou a ler Jabor e refletiu. “Impressão minha ou hoje aumentaram o tamanho do Jabor?” PIB sacudiu a cabeça, na solidão da cozinha, num gesto de reverência extrema por Jabor, mas também achou melhor deixar para ler mais tarde. Era seu dia de sorte. Também o historiador Marco Antônio Villa estava no Globo. “Os primeiros 18 meses do governo Dilma foram fracassos sobre fracassos” era a primeira linha. Bastava. Villa sempre surpreendia com pensamentos que fugiam do lugar comum.

    Como uma terrorista chegou ao poder? Bem, tenho que comprar algum livro de história do Villa. Ele com certeza escreveu vários.

    Completou a sessão de leituras da manhã na internet. Leu Reinaldo Azevedo. Quer dizer, naquela manhã, leu um parágrafo. Na verdade, metade. Menos. O título. Não importava. Azevedo era capaz de mesmerizar toda uma nação com a luz cintilante de meia dúzia entre milhares de linhas que produzia incessantemente. PIB deixava escapar um sorriso de admiração a cada vez que li a palavra “petralha” em Azevedo.

    Rei é rei. Um cabeça pensante. Por que será que não ocorreu a nenhum presidente da República contratar esse homem como assessor especial? Se o Brasil bobear, a Casa Branca vem e contrata.

    Debate é assim.Medalhinha. Chamar um tal de Nassif de Nassífilis. PIB julgava FHC um banana. Não sabia debater. Bananão. Como FHC podia dizer coisas assim? “Eu não estou aqui para ver o PT se arrebentar. O Brasil precisa de partidos que tenham uma certa história, e o PT tem.” Isso em 2005, quando era o momento de derrubar o lulopetismo. E essa outra? “Por que o mensalão se tornou conhecido? Porque o Roberto Jefferson teatralizou o mensalão.” E essa então? “O Lula, ao invés de renunciar e desistir, disse: eu vou brigar. O Lula foi decisivo naquele momento, em dissipar o mensalão.”

    Ba-na-não! Graças a Deus já passou dos 80 e não pode mais atrapalhar o Brasil. O campo ficou livre para o Serra e o Aécio!

    Ainda na internet, uma passagem pelo Blog do Noblat. Naquele dia, no blog havia uma coluna assinada por Demóstenes. PIB deu parabéns mentais a Noblat por abrir espaço a Demóstenes, nosso campeão mundial da moralidade, nosso Catão. PIB guardara um texto de Demetrio Magnolli, outro cérebro avançado, em que este prestava um justo tributo à nossa reserva moral no senado. Saíra na edição das 100 pessoas mais influentes da revista Época. Anotou um trecho: “Não é preciso concordar com tudo que ele fala ou faz para homenageá-lo. Demósteneses não é mais um comerciante num mercado em que se trafica influência em troca de cargos ou privilégios. Ele tem princípios e convicções.”

    Por que falam tanto do tal do Assange e do Wikileaks quando temos tantos caras muito melhores?

    A caminho do trabalho, PIB ligou na CBN. Ouviu uma entrevista com o filósofo Luiz Felipe Pondé. “Meu pequeno carro não contribui para o aquecimento do planeta”, disse Pondé, o nosso Sócrates, o Aristóteles verde-amarelo. Pondé ganhara imediatamente a admiração de PIB quando reclamara dos pobres que estavam congestionando os aeroportos. A última vez que viajara para Miami ficara revoltado com as pessoas inferiores que iam voar.

    Bem, preciso anotar aquela. Meu pequeno carro não contribui para o aquecimento global.

    Isso o levou a reparar nos ciclistas nas ruas de São Paulo. Cada dia parecia haver mais. Mau sinal. Havia muitas bicicletas no trajeto. PIB sentiu vontade de atropelá-las em grupo e fazer um strike. Odiava ciclistas. Atrapalhavam os motoristas. Tivera vontade de vomitar quando vira a foto de um ciclista inglês de bunda de fora — branca e mole como um pudim — numa marcha nudista por mais espaço e segurança em Londres para as bicicletas.

    Abria uma única exceção: Soninha. Desde que ela continuasse a posar pelada em nome das bicicletas.

    Hahaha. Hohoho.

    Na CBN ouviu também informações e comentários sobre o mundo. “Prestígio em Paris dá vantagem a Sarkozy nas eleições presidenciais”, a CBN avisou. PIB admirava Sarkozy. Proibir a burca foi um gesto histórico. As muçulmanas deveriam ser gratas a Sarkozy. Elas haveriam de votar maciçamente nele para dar a ele o segundo mandato para o qual a CBN dizia que ele era o favorito.

    Os maridos obrigam as coitadas a usar burca.

    O tema do islamismo estava ainda em sua mente quando se instalou em seu cubículo de gerente na empresa. PIB refletiu sobre o mundo. Tinha lido em algum lugar que no Afeganistão as pessoas queriam que os soldados americanos fossem embora. Os afegãos estavam queimando bandeiras dos Estados Unidos. A mesma coisa estava ocorrendo no Iraque. E no Iêmen. Em todo o Oriente Médio, fora Israel.

    Ingratos. Como eles não percebem que os Estados Unidos estão lá para promover a democracia e levar a civilização? Os americanos estão acima de interesses mesquinhos por coisas como o petróleo.

    Era um perigo o avanço muçulmano. Não que apoiasse, mas PIB entendia o norueguês que matara 77 pessoas por considerar que o governo de seu país era leniente demais com os muçulmanos.

    A raça branca está em perigo.

    Entretido em salvar a raça branca, PIB não percebeu o tempo passar. Só notou pela fome que já era hora de comer. A opção, mais uma vez, foi pelo Big Mac do shopping, e mais a Coca dupla. Detestava os ativistas dos direitos dos animais porque combatiam os Big Macs. PIB estava tecnicamente obeso, mas na semana que vem iniciaria uma dieta e começaria também a se exercitar.

    Fim do expediente. A estagiária estava com um decote particularmente ousado. Talvez estivesse sem sutiã. PIB a chamou algumas vezes para discutir assuntos que na verdade não tinham por que ser discutidos. A questão era olhá-la. Valeu o dia, refletiu. Home office é uma bobagem porque não permite esse tipo de coisa: olhar para meninas gostosas no escritório.

    Na volta, mais uma vez foi tomado pela tentação de atropelar os ciclistas. “Quando você deseja muito uma coisa, todo o universo conspira a seu favor”. PIB se lembrou da frase de seu escritor favorito, Paulo Coelho. Então ele desejou muito que as bicicletas sumissem.

    Xiitas.

    Algum colunista escrevera isso sobre os ciclistas. PIB não lembrava quem era, mas concordava inteiramente. Os ciclistas são gente esquisita que deve fazer ioga e praticar meditação, suspeitava PIB.

    Tudo gay!

    Já incorporara para si mesmo a frase genial de Pondé.

    Meu carro pequeno não contribui para o aquecimento global.

    No churrasco de domingo, ia soltar essa. Teve um breve lapso de inquietação quando se deu conta de que os brasileiros que tanto contribuíam para a elevação do pensamento nacional já não eram tão novos assim, O próprio Merval era imortal apenas pela sua contribuição às letras, reconhecida pela Academia. Então lhe veio à cabeça a juventude sábia e influente de Luciano Huck, e ficou mais sossegado.

    A mulher não percebeu quando ele chegou. Não era culpa dela. A televisão estava ligada com som alto na novela da Globo. PIB lera várias vezes que as novelas tinham uma “missão civilizadora” no Brasil. Mais uma dívida dos brasileiros perante Roberto Marinho: a perpetuação das novelas cvilizadoras. A mídia impressa brasileira reconhecia a missão civilizadora na forma de uma cobertura maravilhosa das novelas. Uma vez um leitor da Folha reclamou por encontrar na Ilustrada seis artigos sobre novelas.

    O brasileiro só sabe reclamar. E reivindicar. Uma besta!

    PIB deu um alô que não foi ouvido. Ou pensou ter dado. Sentou ao lado da mulher, e o silêncio confirmou para ele sua tese: depois de muitos anos de casamento as pessoas se entendem tão bem que não precisam trocar uma só palavra. Nem se tocar. É quando o casamento chega ao estágio da perfeição: ninguém tem que fazer nada. É o estágio superior em que o matrimônio se santifica pela ausência do sexo. A cada quinze dias, PIB tomava Viagra e descarregava as tensões sexuais com uma escorte que cobrava 400 reais.

    Tá barato. Um dia ela topa beijar!

    Não ligava muito para as novelas civiizadoras. Mas soubera no escritório que Juliana Paes aparecia de vez em quando pelada. Passou por sua cabeça um pensamento rápido.

    Talvez eu devesse pedir para a patroa me avisar quando a Juliana Paes ficar sem roupa.

    Terminada a novela, era a sua vez na televisão. Futebol. Bacana o futebol passar bem tarde, depois da novela. Provavelmente a Globo pensara nisso para ajudar os pobres que moravam longe e demoravam horas para chegar em casa depois do trabalho.

    “Boa noite, amigos da Globo!”

    A voz do Brasil se apresentou. “The voice”, pensou PIB em inglês.

    Um carisma total o Galvão. Subaproveitado. Devia estar no Ministério da Economia, e não narrando escanteios e tiros de meta.

    PIB lera que Galvão estava morando em Mônaco. Sabichão. Ficava muito mais fácil, assim, cobrir a Fórmula 1. Nunca alguém da estatura moral de Galvão optaria por Mônaco para não pagar imposto. Galvão certamente faria bonito na Dança dos Famosos de seu amigo Fausto Silva, o Faustão, outro civilizador, especulou PIB em sua mente criativa.

    PIB não torcia a rigor para time nenhum. Era, essencialmente, anticorintiano. Com seu segundo saco saco de pipocas na mão, viu, contrariado, o Corinthians vencer.

    Amanhã os boys vão estar insuportáveis.

    PIB queria muito ver o Jô.

    Era um final de dia perfeito, ainda mais porque antes havia o aperitivo representado por William Waack. PIB achava um privilegio poder ver Waack não apenas na Globo como na Globonews. Os Marinhos podiam cobrar pela Globonews, mas não faziam isso para proporcionar cultura de graça aos brasileiros. PIB zapeava quando Waack dava suas lições na televisão, em busca quem sabe de uma mulher pelada no horário tardio, mas os fragmentos que pescava eram suficientes.

    Jô. Não posso perder Jô. Uma enciclopédia. Podia ser editorislista do Estadão. Hoje ele vai entrevistar o Mainardi!

    Manhattan Connection era simplesmente obrigatório, embora PIB o dividisse com vários outros enquanto manejava o controle remoto. Outro dia PIB vira um cara que merecia atenção: Marcelo Madureira. Com sua memória fotográfica, PIB instantaneamente o reconheceu: trabalhara como humorista na Praça da Alegria. Ou na Zorra Total?

    PIB bem que queria ver Jô. Ou pelo menos incluí-lo no zapeamento. Duas palavras de Jô valiam por mil das pessoas normais. Faziam você pensar e, além do mais, rir porque o cara tinha um estoque ilimitado de piadas.

    Não vejo graça nenhuma no Woody Allen. Mas em compensação o Jô!

    Mas não foi possível ver o gordo que ensina e alegra milhões de brasileiros.

    PIB acabou dormindo no sofá, do qual sua mulher achou preferível não o tirar, e onde ele roncou tão alto quanto o som da tevê — e teve, como sempre, o sono límpido, impoluto, irreprochável dos perfeitos idiotas.

    http://www.diariodocentrodomundo.com.br/?p=15521

  51. Chesterton said

    Chesterton:

    “Sinceramente, o Gabeira virou um velho udenista. Preferia ele nos tempos da sunga.

    chest- só porque não está disposto a defender ladrão?”

    O José Privataria Tucana Serra, que recebeu apoio do Gabeira, é o quê?
    _______________________________________

    Otto, você realmente tem problemas neuronais. Nunca disse que gabeira não defendeu ladrões, afinal, como stalinista, era só o que fazia. Você reclama do gabeira porque ele não quer defender o seu ladrão, Lulla. Entenda, 2 erros não fazem um acerto. (que dificuldade my god)

  52. Chesterton said

    Ele se arvora portador de uma ética “superior” , não prevista em lei.

    chest- peraí, o mensalão não existiu? É isso que estás tentando dizer? Ou ainda, Genoino é inocente?

  53. Otto said

    Alguém poderia me dizer por que esta notícia não saiu nos jornalões?

    http://www.brasil247.com/pt/247/brasil/89703/Pol%C3%ADcia-confirma-preso-em-Punta-%C3%A9-filho-de-Alckmin.htm

  54. Otto said

    Afinal, Chesterton, Serra é ou não é ladrão?

    Aliás, você leu Privataria?

  55. Otto said

    Aqui a notícia original:

    Hijo de gobernador de San Pablo detenido en Punta del Este por riña en un boliche

  56. Chesterton said

    Afinal, Chesterton, Serra é ou não é ladrão?

    chest- o que isto tem a ver com gabeira? Porque você se esquiva atrás da suposta desonestidade do serra para evitar falar do assunto. Não lute contra o tema.

  57. Otto said

    Chesterton, estou no mesmo tema: Gabeira.

    Não foi você que disse: “só porque [Gabeira] não está disposto a defender ladrão?”

    Ou Serra não é ladrão, ou Gabeira não apoiou Serra.

    Como Serra é ladrão e Gabeira o apoiou, isto mostra que ele se converteu num tartufo e esta sua pergunta retórica está equivocada.

    Agora, chamar todo esquerdista de stalinista equivale a chamar todo direitista de nazista. Isto é o tipo de argumentação dos rola-bostas.

    Quem leu o Gabeira antigo, sabe que mesmo na época ele estava longe do stalinismo.

    E hoje aderiu ao udenismo, contra o qual lutou na juventude.

  58. Otto said

    Aliás, “suposta desonestidade do serra” é de lascar.

  59. Otto said

    Me retrato:

    http://www.brasil247.com/pt/247/brasil/89703/Itamaraty-emite-nota-com-desmentido-sobre-suposta-pris%C3%A3o-de-filho-de-Alckmin.htm

    Mas que tá estranho tá.

  60. Chesterton said

    Gabeira era stalinista, militava no MR8. Você implicou com ele só porque ele cansou de defender ladrão, Lulla. Como o Zig, o Elias, e outros daqui.

  61. Chesterton said

  62. Chesterton said

    Olha quem tá aqui nos links…

  63. Pax said

    O link do Gabeira até vi. E é bom mesmo.

    O link do outro, peço perdão, mas me reservo a nem abrir. Não gosto de lixo verborráico.

  64. Chesterton said

    hahahahahahaha, a verdade por vezes dói.

  65. Pax said

    Que verdade?

    «En este mundo traidor / nada es verdad ni mentira / todo es según el color / del cristal con que se mira»

    http://es.wikipedia.org/wiki/Ley_Campoamor

  66. Otto said

    Chesterton: você está querendo pontificar numa área em que não entende bulhafas. O MR-8 era trotskista. Chamar um trotskista de stalinista equivale a chamar Von Mises de keynesiano.

  67. Chesterton said

    MR-8 activists undoubtely consider themselves as fervent Stalinists, and identify Stalinism with “Marxism-Leninism” – a term coined, by the way, by Stalin himself, when he described Leninism as “Marxism for the imperialist epoch”; Trotskists, instead, prefer to describe themselves as “Bolshevik-Leninists”.Cerme (talk) 13:56, 30 October 2008 (UTC)

    http://en.wikipedia.org/wiki/Talk%3ARevolutionary_Movement_8th_October

  68. Chesterton said

    In an epilogue, Applebaum argues that the history of Eastern Europe illustrates an unpleasant truth about human nature: When enough people with adequate resources and sufficient power are determined to destroy old and seemingly stable legal, political, educational, and religious institutions, they are able do so with astounding speed and thoroughness. Civilization, in other words, is fragile.

    chest- nessa hora em que Chavez está vegetando, literalmente em coma induzido para suportar os vários tubos enfiados por todos orificios possíveis, com chances nulas de cura, apenas paliação, algumas pessoas crêm que sua morte trará democracia e liberdade para Venezuela e Cuba por consequência, eu me reservo ao pessimismo. A idiotia humana, principalmente em mandas é infinita. O risco de tudo piorar e descambar para o pior dos mundos, i.e, a ditadura do proletariado (quen nem “proletereia” mais), é muito grande. Tudo pode acontecer, nessas horas a história joga roleta (russa?) e o destino é incerto. Cumpre torcer, rezar, clamar por um pouco de juizo civilizatório dos eleitores da venezuela que devem acordar desse pesadelo que destruiu com a economia do membro da OPEP da América do Sul.
    Não se enganem, o posso pode sempre ser mais fundo.

  69. Chesterton said

    http://www.adhominem.com.br/

    chest- para quando Pax crescer….

  70. Patriarca da Paciência said

    “Genoíno sofreu um julgamento político. Foi condenado sem provas, por dedução, por ser petista e por pressão da velha imprensa. Nenhum centavo ilícito foi encontrado em suas contas, mesmo tendo sua vida completamente devassada. Seu patrimônio e padrão de vida particular são extremamente modestos para quem foi deputado desde 1982 e ocupou importantes posições na vida nacional. É, sem sombra de dúvida, um dos parlamentares mais honestos que já passou pelo Congresso Nacional. O Globo sabe disso. Noblat sabe disso. Os demotucanos sabem disso. Mas fingem ignorar por puro oportunismo sem-vergonha, para fazer campanha eleitoral para seus colegas demotucanos.”

    http://novobloglimpinhoecheiroso.wordpress.com/

  71. Pax said

    Este cidadão vai terminar de enterrar de vez a imagem do Senado.

    http://www1.folha.uol.com.br/poder/1210627-pragmatico-renan-prepara-a-volta-5-anos-apos-renuncia.shtml

  72. Pax said

    Merece ser lido.

    Dos 6 governadores protegidos pelas Assembléias contra processos, 5 são tucanos e 1 do PMDB. Segundo Paulo Moreira Leite.

    http://colunas.revistaepoca.globo.com/paulomoreiraleite/2013/01/06/moralismo-ajuda-a-esconder-a-lei/

    Neste mundo traidor, nada é verdade ou mentira. Tudo é segundo a cor do cristal com que se mira. (Campoamor)

  73. Otto said

    Pax #72: significativa esta estatística.

  74. Patriarca da Paciência said

    “A grande acusação é que ele assinou “empréstimos fraudulentos” que alimentaram o esquema, certo? Podemos ouvir isso todo dia, nos comentários de sabichões que frequentam o rádio e a TV.

    Mas: veja só. A própria Polícia Federal, que investigou o caso e as contas do mensalão, concluiu que os empréstimos não eram uma fraude. Em seu relatório, a PF diz que os empréstimos foram verdadeiros, implicaram na remessa de dinheiro do Banco Real para o PT. A Justiça, mais tarde, supervisionou um acordo para o pagamento do empréstimo. Era ilegal? Era imoral? Ou o que?

    Em todo caso, se era ilegal, pergunta-se: o que aconteceu com a turma do Banco Central que deveria fiscalizar essas coisas?

    O que houve com quem referendou o acordo? Alguém foi punido por ser ilegal? Ou não se julgou moralmente conveniente?

    Muitos ministros condenaram Genoíno porque “não era plausível” que ele “não soubesse” do que eles dizem sobre o que seria o “maior escândalo da história.” Uniram o papel político óbvio de Genoíno no governo Lula com um esquema financeiro, sem conseguir provar seu envolvimento direto na “compra de votos” no Congresso. Não conseguiram apontar, sequer, qual projeto foi aprovado em troca de dinheiro.”

    Do link postado pelo Pax,

    Concordo totalmente com o PML.

    A condenação do Genoino é simplesmente grotesca!

    É uma total inversão de valores.

  75. Otto said

    Pax, já se convenceu que foi um julgamento de excessão?

  76. Pax said

    Não, caro Otto. Uma coisa é uma coisa, outra coisa é outra coisa.

    O PT errou e deve pagar pelos seus erros, sim. Mas os outros devem apanhar com a mesma vara.

  77. Patriarca da Paciência said

    “O PT errou e deve pagar pelos seus erros, sim. Mas os outros devem apanhar com a mesma vara.”

    É isso aí, meu caro Pax,

    agora, considerar que Genoino, José Dirceu e outros, sejam considerados “monstruosos criminosos” vai uma distância enorme!

    Pagar pelos erros é uma coisa, ser condenado por erros que não cometeu é outra bem diferente!

  78. Pax said

    Os crimes cometidos foram gravíssimos, caro Patriarca.

  79. Pax said

    O crime compensa no Brasil? Que vergonha.

    http://fotografia.folha.uol.com.br/galerias/12637-cachoeira-em-lua-de-mel#foto-226634

    E a moça pode ser bonitinha de cara, mas precisa de uma academia urgente. Senão o cara troca rapidinho. Já deve ter trocado de Senador e não sabemos.

  80. Chesterton said

    H.J.Daros:6 janeiro, 2013 as 11:14
    Para evitar o “Golpe de Estado em preparação”, sujiro a PRISÃO IMEDIATA de todos os MINISTROS do SUPREMO, e a PROIBIÇÃO, com PENA DE PRISÃO PERPÉTUA, para quem pronunciar a palavra MENSALÃO. Que se retire todas as GRÁVISSIMAS E INJUSTIFICADAS AÇÕES DE QUALQUER NATUREZA CONTRA O PT(BERÇO DA MORALIDADE NESTEPAIZ). Que se DEVOLVA URGENTIMENTE AO PAÍS, o ESCRITÓRIO DA PRESIDENCIA em SP, que tanto serviço tem prestado à REGIÃO SUDESTE, com a DEVOLUÇAO DO CARGO DE REPRESENTANTE DAQUELA INSTITUIÇÃO à COMPANHEIRA ROSE,acompanhado de um GRANDE ATO DE DESAGRAVO À pobre MOÇA, com um consequente AUMENTO DE SALÁRIO, para compensar a EXECRAÇÃO PÚBLICA a que ela foi exposta.

    chest- esse blo do Paulo Moleira Mole é um circo….

  81. Chesterton said

    Pax, claro que o crime compensa e o criminoso vai para os jornais, TV, se elege deputado, senador e até presidente da república. Esse é o braziu, iu iu…….

  82. Chesterton said

    O ano de 2012 se encerrou de forma absolutamente normal no Congresso Nacional. Em sua última sessão, o Senado aprovou um trem da alegria para os três poderes, com a criação de milhares de cargos numa só canetada. É normal porque a caneta era de José Sarney, companheiro de Dilma Rousseff, uma aliança que, todos sabem, serve ao Brasil de todos – todos os que fizeram as amizades certas. Se você está de fora dessa, terá que cumprir em 2013 o destino trágico dos reles mortais, esses infelizes que não têm uma Rosemary para chamar de sua – e que ainda fazem uma coisa primária que os companheiros revolucionários não precisam mais fazer: trabalhar.

    http://colunas.revistaepoca.globo.com/guilhermefiuza/2013/01/04/2013-o-ano-que-ja-terminou/

  83. Patriarca da Paciência said

    “Os crimes cometidos foram gravíssimos, caro Patriarca.”

    Meu caro Pax, vamos repetir,

    “Muitos ministros condenaram Genoíno porque “não era plausível” que ele “não soubesse” do que eles dizem sobre o que seria o “maior escândalo da história.” Uniram o papel político óbvio de Genoíno no governo Lula com um esquema financeiro, sem conseguir provar seu envolvimento direto na “compra de votos” no Congresso. Não conseguiram apontar, sequer, qual projeto foi aprovado em troca de dinheiro.”

    e ainda, do mesmo PML,

    “A própria Polícia Federal, que investigou o caso e as contas do mensalão, concluiu que os empréstimos não eram uma fraude. Em seu relatório, a PF diz que os empréstimos foram verdadeiros, implicaram na remessa de dinheiro do Banco Real para o PT. A Justiça, mais tarde, supervisionou um acordo para o pagamento do empréstimo. Era ilegal? Era imoral? Ou o que? ”

    Para o Dirceu os argumentos foram os mesmos.

    Em sete anos não conseguiram apresentar uma única prova cabal !

    Enquanto não me apresentarem uma prova concreta e irrefutável, não me convenço mesmo e, parece que não convencem também a milhões de pessoas, entre eles, juristas dos mais respeitáveis.

  84. Pax said

    Caro Patriarca,

    Querer tapar o Sol com peneira só piora o caso. Se Dirceu e Genoino precisam de melhores advogados e não têm dinheiro para isso, vamos discutir.

    Caso contrário, eles que se defendam nos embargos.

    Já discutimos isso ad nauseam.

    Outra questão é a do post: e o mensalão tucano?

  85. Otto said

    O José Genoino mora num sobrado modesto comprado pelo extinto BNH e está sendo perseguido desde sempre e o homem de confiança do Serra, Sr. Aref, com mais de 100 imóveis de luxo, adquiridos com dinheiro de propina, não teve nenhuma manchete em capa de revista e nem de jornal. Os tucanos são inimputáveis.

  86. Otto said

    Pax: a questão não é advogados melhores (aliás, cada advogado só teve duas horas para defesa — e ainda por cima o Barbosão foi flagrado dormindo). A questão é que o STF, manietado pela mídia, porta voz da Casa grande, já havia decidido condenar o PT.

    Ou você é daqueles que acham que também faltaram advogados melhores a Tiradentes?

  87. Pax said

    Caro Otto,

    Realmente você adotou um discurso, desculpe-me afirmar, do qual só entendo que afasta qualquer possibilidade de discussão e, muito menos, de entendimento e defesa da situação.

    É o que os xiitas da esquerda petista estão usando.

    Que é o mesmo discurso, inverso, dos xiitas da direita.

    Neste Fla x Flu não há serenidade nem muito menos conclusão. Só piora as coisas, pelo que entendo.

    Os caras erraram, Otto, erraram e erraram feio. Adoraram as mesmas práticas existentes, cometeram os mesmos erros e ainda fizeram muito mal feito.

    Quiçá chegaram a piorar a coisa.

    (O discurso de pobreza do Genoino não acaba com os crimes cometidos. Se é assim, então Genoino é inocente e Dirceu culpado? Tenhamos a santa paciência.)

  88. Chesterton said

    Na concepção de Estado laico de Barcinski (que não é só dele, e por isso escrevo este texto), liberdade religiosa não é cada um poder seguir e manifestar qualquer religião. Liberdade religiosa, em sua visão, é cada um manter sua religião escondida para evitar ofender algum agnóstico hipersensível hipotético. Há pessoas, e o próprio Barcinski parece ser uma delas, que se ofendem profundamente quando são lembradas da existência de crenças diferentes da sua.

  89. Otto said

    Pax, sinto muito mas estou muito longe deste discurso xiita (aliás, esta expressão é desonesta com os xiitas, que em geral são menos radicais que os sunitas).

    Não foi provado o mensalão (pagamento de mesadas a parlamentares para votar com o governo).

    Não foi provado o uso de dinheiro público (ao contrário do mensalão mineiro, que teve até assassinato, aposto que você não sabia).

    O que houve então?

    Caixa 2, doações não contabilizadas pra campanha, emprétimos pra cobrir furos de campanha (eque foram pagos depois), o que o PT nunca negou.

    Agora, se vai punir com cadeia isto, prenda-se todo o congresso e o senado, a começar pelo Álvaro Dias.

  90. Otto said

    Para enriquecer a discussão:

    http://www.blogdacidadania.com.br/2013/01/a-ousadia-de-jose-genoino/

  91. Patriarca da Paciência said

    “Os caras erraram, Otto, erraram e erraram feio. Adoraram as mesmas práticas existentes, cometeram os mesmos erros e ainda fizeram muito mal feito.

    Quiçá chegaram a piorar a coisa.

    (O discurso de pobreza do Genoino não acaba com os crimes cometidos. Se é assim, então Genoino é inocente e Dirceu culpado? Tenhamos a santa paciência.)”

    Meu caro Pax,

    Se a coisa foi tão escancarada assim, por que não aparecem as provas cabais?

    As únicas provas apresentadas, em sete anos de processo, foram as palavras do Bob Jeff, o qual apresentou inúmeras versões, inclusive negando tudo e, a “teoria juridiquês quântica”, a qual ensina, “não poderia ser diferente”, não é plausível” etc.etc.

    Sete anos e nenhuma prova cabal?

    Não conseguiram apresentar nenhum deputado que tenha sido “comprado” ?

    Definitivamente, não é assim que a “justiça dos homens” funciona!

    Agora, Santa Inquisição é outra coisa!

  92. Chesterton said

    Afinal, Otto, o MR 8 é stalinista ou não?

  93. Otto said

    Do Jânio de Freitas, na Folha hoje:

    Sentir a dignidade ultrajada por uma injustiça poderia justificar a decisão de Genoino de defendê-la com um ato político

    Seja qual for a verdade a que José Genoino se refere, como razão da sua “consciência serena e tranquila” e a surgir “mais cedo ou mais tarde”, sua decisão entre aceitar ou recusar a volta à Câmara é, a meu ver, de apreciação muito menos simples do que pareceu à maioria das opiniões divulgadas.

    Pensei cá comigo, como faço nas dúvidas frequentes, em como agiria sob situação semelhante. Não achei resposta segura.

    O motivo maior do impasse, entre vários, partiu da firmeza com que Genoino se afirma inocente, desde o início do escândalo. E cada vez com maior emoção.

    Calma aí, não são todos os acusados que se dizem inocentes, não. Nem mesmo no caso desse denominado mensalão.

    Marcos Valério e Delúbio Soares não o fizeram. Procuraram minimizar parte dos seus atos, justificar outros e negaram alguns, isso sim.

    Silvio Pereira cedo preferiu a permuta de confissão por pena branda, a chamada delação premiada: um modo de negar a inocência.

    “Legal, mas imoral!”, disseram muitos sobre a decisão de Genoino por se empossar. Imoral, moral?

    Pois me dei conta de que seria exatamente como defesa de minha moral, se a sentisse injustiçada, que a posse me atrairia.

    Uma afirmação altiva do direito da inocência aos direitos a ela inerentes.

    Também pensei em sentido oposto. Injustiças indignam e enjoam. Mandar tudo às favas, de um modo à altura da injustiça, também me pareceria possível.

    Enfim, sentir a dignidade ultrajada por uma injustiça poderia justificar a decisão de José Genoino de defendê-la, com um ato político e institucional, e à sua convicção de inocência.

    Não tenho como saber o que o moveu nem estou questionando a veracidade da inocência ou a culpa imputada. O assunto é outro.

    E é o mesmo. A dimensão e o transcurso conturbado do julgamento no Supremo deixaram um ambiente tão excitado e desmedido que mesmo os não facciosos se confundem e incorrem em imprecisões injustas.

    A respeito da posse, ouvi por exemplo pela CBN, na quinta-feira, respeitado professor de filosofia dizer que “ficou provado” que José Genoino “assinou um empréstimo com o propósito de lesar o erário público”.

    Tal propósito, fosse atribuído a Genoino ou ao empréstimo, não foi provado nem esteve sequer próximo disso. No valor de R$ 3 milhões, foi quitado pelo PT em parcelas depois do escândalo.

    Genoino está condenado a 6 anos e 11 meses por corrupção passiva e por quadrilha, como presidente do partido em cujo interesse foram feitas as transações montadas por Marcos Valério, o PT e o Banco Rural.

    Em alguma parte ou no todo dessa acusação supõe-se que esteja, com a consequente injustiça, a burla da verdade a surgir “mais cedo ou mais tarde”.

    Se e quando surja, estará dizendo se a posse de José Genoino foi “legal, mas imoral!” ou legal e moral.

  94. Otto said

    Qual MR-8?

    Quando do sequestro do embaixador americano, o MR-8 já tinha sido desmantelado. A ação foi realizada pela ALN. Assinaram MR-8 para zoar com os milicos. Depois, outra organização com este nome foi criada.

    Se era stalinista ou não, eu sei, acho difícil. Todos estes organismos romperam com o PCB, que poderia ser chamado stalinista (embora o Gullar, que era do partidão, negue isto). Portanto, boa parte destes pequenos agrupamento orbitavam em torno ou próximo do trotskismo e/ou do castrismo. .

    Bom, você poderia (re)ler O que é isso companheiro?

    Eu li faz uma cara — e na época o Gabeira não me pareceu um guerrilheiro muito ortodoxo. Logo depois ela estava fumando haxixe e tomando ácido em Estocolmo, com um breve espaço de tempo. O fato de se em algum m omento ele se ligou ao MR-8 — e admitamos, para modo de análise, que o MR-8 era stalinista — não o faz automaticamente um stalinista, assim como o ACM não era um liberal porque fez parte dum partido chamado Frente Liberal.

    Trocando de saco pra mala, vc. concorda com o Barcinski?

  95. Otto said

    Corrigindo: Se era stalinista ou não, eu NÃO sei, acho difícil.

  96. Chesterton said

    Obvio que não concordo com o barcinsky. Liberdade de religião não é liberdade de praticar religião num quartinho escuro, é liberdade de viver de acordo com sua religião. O estado é laico, mas não é ateu.

    “ofender algum agnóstico hipersensível hipotético” – esses podem bem ir a profissional do sexo que os gerou.

  97. Otto said

    E o fato de haver símbolos religiosos em lugares públicos?

  98. Chesterton said

    O ano começa com enchentes e apagões. Li, não sei onde, que os temporais que caem sobre nós, fluminenses e cariocas, são produzidos no oceano Pacífico, cujas águas muito quentes formam as nuvens que desabam em Friburgo, Teresópolis e região serrana em geral. Logo, a culpa não é nossa, pertencemos ao tal país abençoado por Deus e boni-
    to por natureza.

    Por falar em Deus, quando criou o mundo, Ele chamou os anjos para mostrar sua obra. Houve protestos: a corte celestial estranhou a preferência divina pelo Brasil, verdes matas, cascatas mil, praias paradisíacas, chão atapetado de ouro e diamantes. O Senhor se desculpou: “Esperem, esperem, vocês vão ver os homens que vou botar aqui!”.

    Há também, no mesmo sentido, a história daquele tenor que foi cantar uma ópera no Municipal. Apesar de famoso, consagrado no Scala, de Milão, no Metropolitan, de Nova York, no Covent Garden, de Londres, quando abriu as goelas e enfrentou o “Nessun Dorma”, do “Turandot”, obra-prima de Puccini que levanta plateias em todo o mundo, recebeu uma vaia que mereceu dos críticos o adjetivo “estrepitosa”.

    Apesar da vaia estrepitosa e de algumas dúzias de ovos e tomates que recebeu do público (que estava mal informado), o tenor aproveitou uma pausa na melodia, justo quando ia proclamar três vezes que venceria o desafio da princesa. Parou de repente, encarou a plateia e avisou: “Esperem! Esperem! Vocês ainda não viram nada. Esperem pelo barítono!”.

    É por aí mesmo. Estamos no início do início do ano, ainda não vimos nada. Não nos precipitemos. Deus cumpriu a promessa que fez aos anjos e aqui botou os homens que conhecemos. Quanto ao barítono que vai suceder ao tenor, ficou fanho, ainda está no camarim fazendo gargarejos com sal e água morna. CHCony

  99. Chesterton said

    E o fato de haver símbolos religiosos em lugares públicos?

    chest- e o fato de haver menção a Deus na primeira parte da Constituição Brasileira? Que Deus se refere a CB ? Alá? Zeus? Thor? Netuno? Ainda bem que não somos um estado ATEU. Não é bando de intelectuais petistas pè-de-chinelo que vai mudar o passado.

    “Nós, representantes do povo brasileiro, reunidos em Assembléia Nacional Constituinte para instituir um Estado Democrático, destinado a assegurar o exercício dos direitos sociais e individuais, a liberdade, a segurança, o bem-estar, o desenvolvimento, a igualdade e a justiça como valores supremos de uma sociedade fraterna, pluralista e sem preconceitos, fundada na harmonia social e comprometida, na ordem interna e internacional, com a solução pacífica das controvérsias, promulgamos, sob a proteção de Deus, a seguinte CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL.”

    —sob a proteção de Deus!

  100. Otto said

    Estado laico, pra mim, não deve fazer menção a Deus. Afinal, a que Deus se refere?
    Isto não significa ser ateu, apenas que a questão religiosa não deve interferir no Estado. cada um é livre pra crer ou descrer do que bem entender.

    “Não é bando de intelectuais petistas pè-de-chinelo que vai mudar o passado.”

    Agora não sei porque você mete petista em tudo: há um bando de intelectuais liberais ateus, a até ateístas militantes.
    Assim como há esquerdistas crentes.

  101. Otto said

    Já que o assunto é religião e hoje é dia de Reis, aí vai um belíssimo poema de um monge marxista:

    “Ao perder você, eu e você perdemos.
    Eu perdi, porque tu eras a que eu mais amava e você, porque eu era o que te amava mais.
    Contudo, de nós dois, você perdeu mais do que eu.
    Eu poderei amar outras como amei você.
    Mas você, ninguém vai te amar como eu te amei.”

    Alguém sabe qual é o nome da figura?

  102. Pax said

    Deus + Constituição não é só cretinice, é covardia.

    Quem quiser crer, que o faça, que seja livre para isso. E deve ser absolutamente respeitado.

    Mas não coloque política no meio.

  103. Chesterton said

    Otto, isso é de suma importância, um dos motivos da resistência ao comunismo no século 20.
    O estado é laico, de inspiração cristã, e o pais é cristão.

  104. Chesterton said

    Deus + Constituição não é só cretinice, é covardia.

    chest- sorry, está lá, e não fui eu quem escreveu.

  105. Otto said

    Isto de perseguições os cristãos foram imbatíveis há não muito tempo.
    A Revolução Francesa também “perseguiu” a Igreja.
    E o Marques de Pombal expulsou os jesuítas do reino.
    Pra não falar de Hitler etc.

  106. Chesterton said

    Ainda hoje cristãos são perseguidos e mortos pelo mundo afora.

    http://www.christiannewstoday.com/Christian_News_Report_7030.html

  107. Otto said

    Carta aberta aos indignados com a posse de Genoíno

    Senhoras e senhores: antes de tudo, excluo os falsamente indignados, aqueles que usam o episódio com finalidades meramente políticas.

    Dirijo-me apenas aos sinceramente indignados.

    Isto posto, queria dizer o seguinte. Indignação é um bem que devemos usar com cálculo e reflexão demorada, para que não o gastemos erradamente. Se desperdiçamos indignação nas causas ruins, ela nos faltará nas boas.

    Genoíno, em quem aliás jamais votei, tomou posse amparado na Constituição. Segundo ela, cabe ao Congresso, e apenas a ele, cassar mandatos. Não é atributo do STF, embora os integrantes deste tenham se concedido esse poder.

    Genoíno – cujo patrimônio se resume a uma casa no Butantã, em São Paulo – tinha todas as razões para tomar posse, e nenhuma para não tomar.

    Sabemos todos as circunstâncias em que ele foi condenado. No calor dos acontecimentos nos foi dada a oportunidade de conhecer o caráter dos juízes que o condenaram.

    Luís Fux, por exemplo, foi buscar o apoio de Zé Dirceu para ser nomeado para o STF mesmo sabendo que teria que julgá-lo, num conflito de interesses que passará para a história como um dos piores momentos da justiça nacional.

    Senhoras e senhores: caso vocês tenham lido uma só recriminação à conduta de Fux nos editoriais dos grandes jornais brasileiros, me avisem, por favor.

    Joaquim Barbosa comandou as condenações, e também sobre ele soubemos o caminho que percorreu até o Supremo. Impôs sua presença a Frei Betto, então influente no governo, porque sabia que Lula procurava um ministro negro – ou por demagogia ou pela causa anti-racismo, não importa.

    E depois JB também rastejou atrás de apoio de poderosos que poderiam ajudá-lo a realizar suas ambições na carreira.

    Senhoras e senhores: passo por cima da controvertida Teoria do Domínio dos Fatos, uma gambiarra jurídica que, se bem usada, permite condenações sem provas convencionais. Se mal usada, facilita aberrações.

    Também aí, a questão está em aberto. Cada qual que tire suas conclusões, democraticamente. Lembremos apenas que uma mentira repetida mil vezes continua a ser isso, uma mentira.

    O que é indiscutível é que foi um julgamento muito mais político do que técnico. Também parece haver consenso em que os holofotes pesaram sobre os juízes, que evidentemente sabiam que só seriam festejados pela mídia se condenassem.

    Também está fora de discussão a bravata do juiz Celso Mello ao dar seu voto decisivo contra os réus. Sem nenhuma necessidade, ele afrontou o Congresso.

    Senhoras e senhores: quem foi eleito pelo povo foram os parlamentares, e não os juízes do STF.

    Diante de tudo isso, restaria a Genoíno outro caminho se não tomar posse?

    Se muitos brasileiros questionam o desempenho do Supremo, que dirá ele? Tomar posse – dentro da Constituição – é uma forma de ele manifestar seu inconformismo com o STF.

    É um gesto tão aceitável e tão natural como foi o olhar matador que Dilma dirigiu a um Barbosa estranha e unilateralmente sorridente no enterro de Niemeyer.

    Senhoras e senhores: volto ao princípio. Indignação é um sentimento que, como tudo, tem limites.

    Indignação, para ficarmos num caso recente, cai muito melhor nas circunstâncias em que se deu a morte do rapper DJ Lah.

    Sinceramente.

    Paulo Nogueira

    http://www.diariodocentrodomundo.com.br/?p=20926

  108. Michelle 2 said

    FATO: InGenoino foi condenado pelo STF por corrupção ativa por 9×1.

    Que tal perguntar ao Dias Tofolli por que condenou o Ingenoino?
    ….
    hehehe …o Pax vai continuar com o título do post enfiado no rabo…rsrsr
    Nem petralhas se interessaram… pode?

  109. Pax said

    Segundo notícia de hoje o tucanato está incomodado… vejamos o andar desta carroça.

    http://oglobo.globo.com/pais/noblat/posts/2013/01/07/protagonista-do-mensalao-mineiro-constrange-psdb-481266.asp

    Será que o queridinho vai virar peso morto?

  110. Patriarca da Paciência said

    Ora vejam só, a estratégia do PSDB, em parceria com a “grande” mídia, de desgastar o PT, parece que está funcionando ao contrário. Os críticos mais ferrenhos é que estão se aproximando. ACM já se aproxima claramente e Aethur Virgilio já deu indicações.

    “247 – Com a vitória de ACM Neto na Prefeitura de Salvador, líderes do DEM estudam novos planos para o partido. Para o novo prefeito, restrição da aliança com os tucanos fez a sigla perder espaço ao longo do tempo.

    Numa reunião realizada no último sábado no apartamento do deputado e agora secretário de Transporte de Salvador, José Carlos Aleluia, o partido descartou qualquer fusão e agora privilegia a independência.

    A intenção é se desgarrar do PSDB e ampliar o leque de alianças para sobreviver. Os partidos sondados são o PMDB, PDT e PSB, que são aliados do Planalto e podem ajudar na participação no Congresso em 2014.

    Nos últimos dois anos o DEM perdeu José Roberto Arruda, que caiu do governo do Distrito Federal acusado de corrupção, e o então prefeito de SP Gilberto Kassab, que abandonou a sigla para criar o próprio partido.

    Em 2014, o partido pretende relançar líderes históricos para a Câmara e assim puxar mais deputados e ampliar a bancada. O ex-vice-presidente Marco Maciel (PE) e o ex-senador Heráclito Fortes (PI), por exemplo, concorreriam a deputado federal.”

    Caro Pax,

    sinceramente não levo muita fé nessa história de “julgamentos” de outros supostos mensalões e, principalmente, na aplicação da famosa “teoria juridiquês quântica” em outros julgamentos.

    Trata-se mesmo de uma disputa acirrada pelo poder e terá, simplesmente, que haver um vencedor.

    O PT tem mais é que encarar a briga e lutar com força e coragem, é claro que dentro da legalidade e com o mais elevado espírito democrático.

  111. Patriarca da Paciência said

    O link do artigo acima:

    http://www.brasil247.com/pt/247/bahia247/89794/Liderado-por-ACM-DEM-se-desgarra-do-PSDB.htm

  112. Jose Mario HRP said

    Não que eu seja contra a liberdade de expressão mas postar texto do Merval é dose!
    O mensalão mineiro será julgado pelo sistema “domínio do fato”!?
    Fortes emoções se avizinham.
    Mas há sempre o Gilmar Mendes para colocar agua nessa fervura.

  113. Patriarca da Paciência said

    De minha parte, sobre essa história de “mensalão”, concordo totalmente com o Marcos Coimbras:

    “A maioria dos ministros do Supremo Tribunal Federal, a Procuradoria-Geral da República (PGR) e os comentaristas da “grande imprensa” estão tão satisfeitos uns com os outros e tão felizes com a história que montaram sobre o “mensalão” que nem sequer se preocupam com seus furos e inconsistências.

    Para os cidadãos comuns, é daquelas que só fazem sentido quando não se tem muito interesse e basta o que os americanos chamam de big picture. Quando, por preguiça ou preconceito, ficam satisfeitos com o que acham que sabem, mesmo que seja apenas uma “impressão geral”.

    A história faz água por todos os lados.

    Se fosse preciso apresentá-la de forma simplificada (e dispensando as adjetivações raivosas típicas dos comentaristas de direita), ela conta que José Dirceu e José Genoino criaram um “esquema” entre 2004 e 2005 para desviar recursos públicos, comprar votos no Congresso e assim “perpetuar o PT no poder”. Para secundá-los, teriam montado uma “quadrilha”.

    Mas, e se alguém quisesse entendê-la melhor? Se perguntasse, por exemplo, em que sentido a noção de recursos públicos é usada? Se fosse além, tentando perceber o que os responsáveis pelo plano fariam com os votos que pagassem? Se solicitasse uma explicação a respeito de nosso sistema político, para compreender a que esse apoio serviria?

    Em qualquer lugar do mundo, a ideia de “desvio” implica a caracterização inequívoca da origem pública e da destinação privada do dinheiro. Alguém, indivíduo ou grupo, precisa ganhar – ou querer ganhar – valores surrupiados do Tesouro. S­enão, o caso muda de tipificação e passa a ser de incompetência.

    A história do “mensalão” não faz sentido desde o primeiro postulado. Só com imensa forçação de barra se podem considerar públicos os recursos originados da conta de propaganda do Visanet, como demonstra qualquer auditoria minimamente correta.

    A tese da compra de apoio parlamentar é tão frágil quanto a anterior. O que anos de investigações revelaram foi que a quase totalidade dos recursos movimentados no “mensalão” se destinou a ressarcir despesas partidárias, eleitorais ou administrativas, do PT.

    Todos sabemos – pois os réus o admitiram desde o início – que a arrecadação foi irregular e não contabilizada. Que houve ilegalidade no modo como os recursos foram distribuídos. Só quem vive no mundo da lua ou finge que lá habita imagina, no entanto, que práticas como essas são raras em nosso sistema político. O que não é desculpa, mas as contextualiza no mundo real, que existia antes, existiu durante e continua a existir depois que o “mensalão” veio à tona.

    A parte menos importante desses recursos, aquela que políticos de outros partidos teriam recebido “vendendo apoio”, é a peça-chave de toda a história que estamos ouvindo. É a única razão para condenações a penas absurdamente longas.

    Não há demonstração no processo de que Dirceu e Genoino tivessem comprado votos no interesse do governo. Simplesmente não é assim que as coisas funcionam no padrão brasileiro de relacionamento entre o Executivo e o Congresso. Que o digam todos os presidentes desde a redemocratização.

    Os dois líderes petistas queriam votos para aprovar a reforma da Previdência Social? A reforma tributária? É possível, mas nada comprova que pagassem parlamentares para que o Brasil se modernizasse e melhorasse.

    A elucubração mais absurda é de que tudo tinha o objetivo escuso de “assegurar a permanência do PT no poder” (como se esse não fosse um objetivo perfeitamente legítimo dos partidos políticos!).

    Os deputados da oposição que ficaram do lado do governo nessas votações são uma resposta à fantasia. Votaram de acordo com suas convicções, sem dar a mínima importância a lendas sobre “planos petistas maquiavélicos”.

    E o bom senso leva a outra pergunta. Alguém, em sã consciência, acha que o resultado da eleição presidencial de 2006 estava sendo ali jogado? Que a meia dúzia de votos sendo hipoteticamente “comprados” conduziria à reeleição?

    O que garante a continuidade de um governo é o voto popular, que pouco tem a ver com maiorias congressuais. E a vitória de Lula mostra quão irrelevante era o tal “esquema do mensalão”, pois veio depois do episódio e apesar do escândalo no seu entorno.

    Os ministros da Suprema Corte, a PGR e seus amigos se confundiram. A vez de comprar votos na Câmara para permanecer no poder tinha sido outra. Mais exatamente acontecera em 1997, quando, sob sua benevolente complacência, a emenda da reeleição foi aprovada.”

    http://www.cartacapital.com.br/politica/historia-mal-contada/?autor=39

  114. Chesterton said

    ehehe …o Pax vai continuar com o título do post enfiado no rabo…rsrsr
    Nem petralhas se interessaram… pode?

    chest- a explicação da falta de interesse dos petistas é simples, sde atacarem o PSDB, que teve provavelmente um micro-mensalinho não mais poderão dizer que não houve o peto-mensalão. Se bem que cobrar coerência de petista é pescar no Saara…..

  115. Edu said

    O mensalão tucano tem que ser investigado, e a coisa tem que andar tbm.

    Quem sabe assim o PSDB toma uns petelecos tbm. Partidinho de tanga-frouxa.

    —X—

    Mas vamos lá! O assunto, na verdade, é a nossa queridíssima Dilma-mão-pesada-neoliberal-ornitorrinca.

    A previsão de inflação já começa alta para esse ano….

    … e a previsão de PIB já começa baixa!

    Ao final do ano todos comemorarão o atingimento das metas: as metas mais medíocres possíveis.

    Agora a Dilma-mão-pesada-neoliberal-ornitorrinca, ex-responsável pela energia do Brasil no governo Lula está diante de seu filho com o chinelo na mão. Convocou o setor todo para dar sermãozinho, porque progressista que é, não pode bater no próprio filho.

    A Dilma-mão-pesada-neoliberal-ornitorrinca é mesmo a gerentona! Segundo o Lula ela faz chover! Espero que faça… será a única maneira de encher os reservatórios secos resultados de sua administração.

  116. Edu said

    Pax,

    Boa ideia sobre o Noblat.

    Gostaria que vc emitisse a sua opinião sobre o Luis Nassif, em contrapartida. Este sim, muito isento, correto e totalmente alfabetizado. Talvez vc deva pedir ao Patriarca uma ajudinha com os elogios, ou o Zbig, eles A-DO-RAM a isenção dele.

  117. Pax said

    Noblat e Nassif se assemelham. Cada um de um lado.

    Assim como…

    PHA e titio se assemelham. Cada um de um lado. Um com preguiça de escrever (ou nem sabe mesmo) e o outro com verborragia histérica e vontade de ser astro de meia dúzia de seguidores de sua “seita”.

    Acompanho mais o Noblat porque tem uma equipe por detrás, tem mais notícia. Sempre tendenciosa, mas tem mais.

    Todos acima são completamente dispensáveis.

  118. Pax said

    Agora tua vez, caro Edu,

    Emita tua opinião sobre os mesmos acima.

  119. Zbigniew said

    Edu,
    o Nassif, em conjunto com outros bons blogs progressitas, é um necessário contraponto aos Mervais, Noblats, Jabores e quetais da nossa queridinha oposição midiática.
    Além do que traz bons textos e argumentos que bem esclarecem questões de ordem econômica e política.
    Não se pode acusá-lo de histérico, tampouco desonesto nas suas intervenções.
    Desafio você ou o Pax a indicar um post escrito por ele (o Nassif) que chegue perto da bílis expelida pelo esgoto do rola-bosta mor e seus congêneres. Duvido!
    Dizer que o cara se locupletou com empréstimo não sei aonde, que recebeu dinheiro do BNDES e não devolveu, que é ladrão, cara de rato, etc., são acusações e adjetivos utilizados para exclusivamente desqualificá-lo ao invés de discutir suas idéias. Mas isto não é de se admirar no deserto de idéias que se tornou as oposições, sejam elas fajutas ou midiáticas, no nosso Brasil varonil!

  120. Patriarca da Paciência said

    Nessa história de “pega ladrão” (se gritar pega ladão, não fica um, meu irmão”, já dizia o velho sambista), pois bem, nessa história de “pega ladrão”, está correndo por aí que a mulher do Noblat anda sendo investigada pelo desvio de 30 milhões.

  121. Chesterton said

    De novo “ad hominem”, atacando a pessoa em vez de contra argumentar o que ela escreve. Que pueril..

  122. Patriarca da Paciência said

    “A Dilma-mão-pesada-neoliberal-ornitorrinca é mesmo a gerentona! Segundo o Lula ela faz chover! Espero que faça… será a única maneira de encher os reservatórios secos resultados de sua administração.”

    Edu, não sei se foi a Dilma que fez chover. Acredito mais que foi São Pedro mesmo. O certo é que com toda essa chuva que está caindo, logo os reservatórios estarão transbordando!

    E pleno emprego com crise? É mesmo algo muito estranho. No futuro os doutorandos defenderão centenas de teses sobre o assunto!

    E o comércio rindo à toa na mais “profunda crise”? É algo realmente espetacular.

    E os turistas brasileiros se esbaldando em New York, gastando aos baldes, quando no Brasil se arrasta na mais profunda crise!

    E os juros? São os menores da História Brasileira. Só não investe quem não quer.

    Definitivamente, essa conta não fecha.

    Por mais que a “grande” mídia queira vender a crise brasileira, os brasileiros nunca estiveram tão bem. A realidade é que a Dilma nunca foi tão bem avaliada!
    O resto é crise midiática.

  123. Zbigniew said

    No Brasil existe a realidade dos fatos, e a da mídia. A mídia se fechou em torno de suas verdades como se ainda fosse capaz de andar de braços com o poder e derrubar ministros ou presidentes. Não mais, por si só.
    Aí o cara fica dando credibilidade total ao que diz a Miriam Leitão, o Merval Pereira, a Lúcia Hipolito et caterva, quando menos espera está naquele universo paralelo dos 4, 5%. Num descolamento só.
    Óbvio que a Dilma teve problemas na área econômica e política, mas insistir no lado negativo é fazer uma leitura imprecisa, viciada pelo preconceito político. É só observar que a grande maioria da população pensa bem diferente.
    Daí porque os 4, 5% inflam o ego e já não admitem que o PT seja capaz de, hoje, se constituir na via eleita para continuar governando o país. Por isso o “golpismo” soa como a única chance desses débeis. Só que isso já não cola mais tão facilmente.

  124. Chesterton said

    Zbgn. existe a realidade dos fatos e o governo que tenta escondê-la. Acontece nos melhores países, olha a Argentina, seja a ser engraçado.
    Essa porra de dar crédito para todo mundo VDM!

  125. Edu said

    Pax,

    Eu não posto nada aqui sobre nenhum deles, nunca me fiei na opinião dos mesmos para emitir as minhas próprias.

    Mas são todos muito divertidos. Mais divertido é ver o stress gerado pelo RA ou pelo PHA, e esse amor gerado pelo Luis Nassif unicamente a título de ser contraponto ao Noblat ou ao Merval! – Ele é imprestável, mas, como é um contraponto, vamos repassar todos os textos deles, ainda que sejam péssimos.

    É esse o tipo de raciocínio raso que leva alguns a crerem que ladrões e criminosos em geral devem ser tolerados justamente porque há patrões e ricos. Causa e consequência elevadas à (im)potência mental brasileira mais canhota.

  126. Edu said

    Patriarca,

    Quantas vezes eu preciso dizer: longo prazo.

    Vou dar um exemplo: hoje saiu a notícia de que o setor de construção civil teve alta de 8% de inflação, puxada pela alta de mão-de-obra. É claro que o setor é dos que mais emprega, e é claro que a Dilma-mão-pesada-neoliberal-ornitorrinca dá atenção especial à sua fonte de votos, ops, de dinheiro para as campanhas do PT, ops, de empregos. Só tem um problema: o preço dos imóveis está subindo… e subindo… e subindo. O governo paga cada vez mais caro pelo programa minha casa minha vida, mas mesmo assim, algumas construtoras já estão abrindo o bico. Será que não é uma bolha? E se a bolha estourar? O pessoal vai ser mandado embora… vai haver choradeira, vai haver greve, vai haver mais dinheiro do governo sendo usado para resgatar o povo de um problema anunciado. E o que o governo está fazendo para cuidar do longo prazo? Eu não vejo nada: nenhuma notícia, nenhum anúncio, nenhuma mudança. A nossa querida gerentona não enxerga um palmo diante do nariz, tanto que desde o governo Lula cuidou da energia no Brasil e agora estamos vendo a capacidade de planejamento dela: para a energia, o longo prazo chegou. Agora ela está lá: com a chinela na mão ameaçando todo mundo, cobrando respostas, cobrando investimentos, cobrando todo o trabalho que ela não fez. Para a construção será a mesma coisa.

    Entendeu? Não, né?

    Já q vc não tem entendido, vou apelar para um expediente mais psicológico… comportamental.

    Talvez pela repetição eu consiga ensinar a vc que em economia, as más notícias sempre chegam no prazo dos outros…

    Faz o seguinte: quando vc for falar comigo denovo, enfie no meio do seu texto a palavra longo prazo – mas aprecie com moderação. No mais, seja criativo, pode fazer bem!

  127. Otto said

    Pois é, Patriarca: se o que estamos passando é crise, eu quero que ela nunca acabe.

    Aqui em Curitiba os supermercados têm que “importar” funcionários de cidades há 100 km de distância!

    Meu Deus, que horror, aonde vamos parar!

  128. Chesterton said

    Otto, isso é bolha. (tomara que não)

  129. Edu said

    Senhoras e senhores,

    Mais um episódio de “A parte pelo todo” por Otto! – Como todo bom curitibano, o que existe em Curitiba obviamente se aplica a todo o país!

    É o primeiro país em desenvolvimento do mundo que em regime de pleno emprego o PIB cresce 1% no ano… e com o PIB crescendo a 1% e inflação a 6%.

  130. Pax said

    Caro Zbigniew,

    Agora que vi seu comentário #119.

    Com certeza respeito o direito do caro Edu falar o que bem entende. Mas em quase nenhum momento concordo com suas colocações. Aliás, é exatamente disto que gosto, de gente que tenha um mínimo de respeito – ao menos aqui, entre os pares – e inteligência e faça suas colocações, sejam elas quais forem. Por mais que sejam diametralmente opostas às minhas. Aí que respeito e tento responder ainda mais.

    Sinceramente não entendi quando você parece me colocar na mesma fileira de pensamento que o Edu quando pede:

    Desafio você ou o Pax a indicar um post escrito por ele (o Nassif) que chegue perto da bílis expelida pelo esgoto do rola-bosta mor e seus congêneres. Duvido!

    Desculpe-me, meu caro Zbigniew, mas o que minha opinião tem relação com a opinião do Edu?

    Para mim Nassif, Noblat e outros resolveram adotar algum lado, abandonaram as críticas aos lados que defendem. Às vezes tentam uma disfarçada aqui e outra acolá. Mas não parciais. E isto, na minha opinião, parece sempre um mau jornalismo.

    Independente da opinião do Edu, seja ela qual for – e que vou respeitar.

  131. Edu said

    Democracia Chinesa:

    -http://noticias.uol.com.br/ultimas-noticias/reuters/2013/01/07/chineses-fazem-raro-protesto-contra-censura-a-jornal.htm

  132. Edu said

    Pax,

    Como assim vc não concorda com minhas colocações?!

    Vc tem que concordar com tudo o que eu escrevo!

  133. Otto said

    Edu 129#

    me diga uma região do país em que a situação esteja profundamente diferente em termos de emprego.
    Quanto ao crescimento do PIB, apenas umas das variáveis pra se medir o desempenho da economia, tem que se olhar num espectro mais amplo: cinco, dez anos.

    Dê uma olhada (se funcionar o link):

    Quanto a inflação, ainda é menor que a média de FHC, que no final de seu mandato a deixou em dois dígitos, está lembrado?

  134. Otto said

    Olha, Edu, mais um sintoma da crise:

    “Poupança tem captação líquida de R$ 9,20 bi em dezembro”

    http://br.financas.yahoo.com/noticias/poupan%C3%A7a-tem-capta%C3%A7%C3%A3o-l%C3%ADquida-r-174800590.html

  135. Patriarca da Paciência said

    Edu, “a longo prazo, todos estaremos mortos”.

    Não sei de quem é a frase, mas é muito boa!

    Caso você não saiba, eu sou contador e sei muito bem o que seja longo prazo.

    Baixar os juros é justamente uma medida de longo prazo. Ao contrário do que você imagina, ao longo dos anos, a medida da “gerentona” foi a medida mais corajosa, ousada e efetiva para a contenção de gastos já realizada no Brasil.

    Só em juros da dívida pública o Brasil gastava bem mais que em muitos ministérios.

    É por isso que o Brasil não precisa mais provisionar 3% do PIB.

    A grande reação da “grande” mídia contra a Dilma decorre justamente do fato do Brasil “ter deixado de ser o pernil com farofa e ameixas para os especuladores nacionais e internacionais”, como disse o Delfim Netto em recente artigo.

    O Delfim fala também que muitos “empresários” brasileiros são na verdade, “especuladores financeiros” não verdadeiros empresários.

    Você faz profecias, quando pretende fazer previsões econômicas.

    Como sempre diz também o Delfim Netto, “economia não é uma ciência exata e, o que os governos fazem é ir ajustando os atos aos fatos”.

  136. Edu said

    Otto,

    Infelizmente a pesquisa mensal de emprego do IBGE abrange somente algumas capitais do S, SE e NE. Então não temos a informação que queremos, não é mesmo? Nem para afirmar o que vc afirmou, nem o contrário.

    Já no IPEADATA, temos as informações por estado, o problema é que as estatísticas estão desatualizadas: a mais recente é de 2009.

    Ainda assim encontramos em 2009:

    ESTADO Taxa de desemprego:
    AC 7,6%
    AL 12,1%
    AM 12,4%
    AP 13,8%
    BA 10,7%
    … …
    PR 6,2%
    SC 5,6%
    RS 6,7%

    Se vc observar bem, verá que a taxa de desemprego de alguns estados em 2009 é o dobro da taxa dos estados do sul do país, assim como eu alertei.

    Dá muito trabalho colocar todos os anos aqui, não estou com tempo, mas é possível ver que em alguns estados, notadamente os mais pobres, a taxa de desemprego sobe, inclusive. Daí eu pergunto: a política do PT era acabar com a miséria mesmo? Parece não ser o caso… Outra pergunta: a política de desenvolvimento do PT era levar desenvolvimento para áreas menos desenvolvidas? Se o PT está fazendo isso, pq o desemprego nessas áreas aumenta?

    Além disso, Otto, vc tem que tomar cuidado com os números ao fazer comparações. A taxa de desemprego mostra a % da população desocupada vs a população ativa total. Se nada acontece com o desemprego, mas a população ativa varia, é possível, sem medida econômica nenhuma variar a taxa de desemprego.

    Em números absolutos podemos ver que a tendência do número absoluto de desempregados cresce:

    Fonte: IPEADATA:
    2005 2006 2007 2008 2009
    BR Brasil 29.482.422 29.816.427 30.441.468 31.040.214 31.566.436

    Outra pergunta Otto, é assim que o PT reduz o desemprego? Com números crescentes?

    Esse gráfico que vc coloca é em PIB corrente, ou seja, não foi deflacionado. Se vc deflacionar o PIB verá que o Brasil cresce menos, aliás, se vc deflacionar o PIB, verá que o Brasil decresce! Eu não vou colocar o link aqui pq toda vez que eu coloco o link o blog não publica, mas tente, nesse mesmo link q vc passou, o indicador RNB (em US$ constantes no ano 2000), e compare não com a França, Espanha, ou Europa, que estão ferrados por conta das medidas assistencialistas daquele continente. Compare com os BRICs, vc verá que o Brasil supera apenas a Rússia… OK, ficar em terceiro lugar em crescimento não é nada mal….

    Mais uma pergunta Otto, vc acha que o Brasil, cantado pelos progressistas, de mil recursos naturais, o país do futuro, o país do PT, está bem classificado ao crescer menos do que os outros países de porte parecido?

    E por fim Otto, não estou preocupado com o que foi no período FHC mais. Já passou a comparação do Lula X o FHC. Eu já disse que ambos tiveram alguns pontos positivos em suas respectivas gestões. O que eu estou questionando é a Dilma-mão-pesada-neoliberal-ornitorrinca. O que a nossa queridíssima gerentona está fazendo? Será que ela sabe o que está fazendo?

    Vc vai defender a Dilma, quando é evidente o resultado pífio da sua gestão econômica? Vc vai fazer como a média da população e tentar sustentar essa defesa com base em aprovação popular? Como vc mesmo disse Otto, aprovação popular não leva o longo prazo em consideração… deixe que o Patriarca cuide de fazer as análises mais populares… E vc, caro Otto? Vai aceitar a mediocridade vinda do partido que tanto ama? Vai defender essa mediocridade?

  137. Edu said

    Otto,

    Correção: “Como vc mesmo disse Otto, aprovação popular não leva o longo prazo em consideração…”

    Leia: “Aproveitando o que vc disse sobre levar em consideração o longo prazo, aprovação popular não leva o longo prazo em consideração.”

  138. Edu said

    Patriarca,

    Eu não estou fazendo previsão nenhuma, não sou economista. Só que eu costumo olhar as coisas no longo prazo, olhar tendências, e eu me preocupo com o país no longo prazo.

    No curto prazo o máximo que eu posso fazer é me juntar a esses felizardos poupadores que o Otto mostrou para proteger minha família no futuro.

    Além disso: baixar os juros eu acho que é uma decisão louvável. Pena que essa não é uma decisão que compete à gerentona. Ela atua pode pedir com carinho, mas mão-pesada, nunca. Pena que o resultado de crescimento esperado com o corte na taxa de juros tenha sido tão ridículo, e que, ao contrário do que se previa: a inflação superou todas as expectativas…

    Pobres poupadores: a poupança rendeu 4% no ano, e a inflação lhes tomou 6% no ano.

    Como bom contador Patriarca, vc fez as contas pensando nos pobres brasileiros poupadores? Vc fez as contas do que os poupadores perderam de dinheiro justamente pela medida supostamente corajosa de diminuição da taxa de juros no curto prazo, que vc tanto gosta?

  139. Patriarca da Paciência said

    Vejamos o que o Brasil apresenta:

    Dívida pública brasileira 35%

    Dívida pública norte-americana 100%

    Dívida pública italiana 120%

    Dívida pública francesa e alemã – 80%

    Mas o Edu é “fino analista” !

    Com o que o Brasil pode contar:

    commodities em alta no mundo todo. Até o telejornal da Globo sempre fala que, muito em breve, o Brasil será o celeiro do mundo.

    O pré-sal que já está produzindo e, a médio prazo, transformará o Brasil em grande exportador de petróleo.

    Produção de energia limpa e em abundância como em nenhum outro país.

    Juros baixos.

    Já faz bons anos que 97% das crianças brasileiras estão escolarizadas. Logo o Brasil se transormará num país sem analfabetos e com abundância de universidades e escolas técnicas.

    etc.etc.etc.

    Por mais que as aves agourentas tentem, poucos países apresentam um futuro tão promissor quanto o Brasil.

    O mundo inteiro reconhece isso. Mas a direitona brasileira, para a qual o máximo que o Brasil deve almejar é ser um xerox de má qualidade dos Estados Unidos, não se conforma.

  140. Otto said

    Um governo que tirou 40 milhões de pessoas da pobreza.

    Que diminuiu o desempego pra 4,9%:

    http://noticias.terra.com.br/brasil/desemprego-no-brasil-em-novembro-marca-seu-menor-nivel-em-2012,61696d44edcbb310VgnCLD2000000dc6eb0aRCRD.html

    Que diminuiu a desigualdade de renda entre pessoas e entre regiões (há várias matérias sobre isto, não vou me dar ao trabalho de procurar).

    Que reconstruiu a imagem do Brasil no exterior e a autoestima do brasileiro.

    E, sobretudo, que contra os urubus da mídia, baixou os juros pra margens inéditas desde o Segundo Reinado, é tudo menos medíocre.

  141. Otto said

    Obrigado, Patriarca, pelos dados.

    O Edu é daqueles brasileiros que torcem contra o Brasil.

  142. Patriarca da Paciência said

    Edu,

    os efeitos da medida de baixar os juros ocorrerão a longo prazo. Não é uma medida de efeitos imediatos. Ao deixar de gastar dinheiro com pagamento de juros, o país poderá investir mais e, até, reduzir impostos, como a “gerentona” já está fazendo.

    É uma medida importantíssima para o país, justamente, a longo prazo.

    Quanto ao crescimento econômico pífio, parece que este é um fenômenos mundial.

    Deixando fora alguns países africanos, que ainda crescem a taxas acima de 10%, até a China, ano a ano, reduz a taxa de crescimento.

    É um fenômeno mundial que tende a se cristalizar. Os países mais atrasados crescem a taxas altas e os países que atingem em certo nível tendem a ficar estáveis.

    Estão tecendo mil louvores ao México porque, depois de longos anos de recessão, o país cresceu a 3,5%. Imagina que estão dizendo até que o México vai “passar” o Brasil. Imagina, o PIB do méxico é metade do PIB brasileiro.

    Desconfio que essa sua conta da poupança não seja muito exata. Mas o pequeno desequilíbrio que aconteceu em 2012 deverá ser corrigido em 2013. Mesmo porque, poderá ser até reclamado na justiça, como tem ocorrido e sempre os poupadores são ressarcidos.

  143. Edu said

    Patriarca,

    A dívida pública é uma questão importante. Faço votos que a Dilma e o Mantega estejam de olho nesse indicador. Vamos aguardar, temos mais 2 anos de Dilma-mão-pesada-neoliberal-ornitorrinca pela frente. E ela vai torrar dinheiro! Ela precisa botar fazer a Copa! E se, infelizmente, eu não estiver errado, ela fará a Copa sem arrumar a cozinha, sacou?

    Commodities estarem em alta é realmente mto positivo para o Brasil também. Vc vê eu reclamando disso? Não, né? Não estou preocupado com o que o Brasil faz com essas commodities hoje, gostaria de saber o que a Dilma-mão-pesada-neoliberal-ornitorrinca está planejando fazer com o futuro da indústria brasileira de bens de capital, de tecnologia…

    O pré-sal também é uma ótima notícia. Pena que a Dilma-mão-pesada-neoliberal-ornitorrinca conseguiu fazer com que a Petrobras, monopolista, sentada em cima dessa montanha de dinheiro perder valor. Fico feliz com seu exemplo. Vc dá um exemplo preciso da incompetência e irresponsabilidade desta senhora com os recursos naturais brasileiros.

    Juros baixos: Vc quer que eu repita Patriarca? Vc andou fazendo curso de contabilidade com o Mantega? Vc sabe quando resulta a soma de +4% poupados com uma inflação de 6% ao ano?

    Tá na hora do Pax fazer um outro post pra mudarmos de assunto para evitarmos constrangimentos de ordem matemática, né Patriarca?

  144. Otto said

    Imaginou se o Brasil ainda estivesse nas mãos dos tucanos?

    Vejam São Paulo, a polícia chacinando testemunhas e o governador fazendo cara de paisagem.

  145. Edu said

    Otto,

    Os dados do IPEA estão errados?

  146. Chesterton said

    estou sendo censurado.

  147. Chesterton said

    Diante dos recentes apagões ocorridos no sistema elétrico, a presidenta Dilma foi categórica ao tentar livrar seu governo das responsabilidades. Recomendou que não joguem a culpa nos raios, pois o que houve foi “falha humana”. Já em relação à calamitosa situação em que se encontra a Petrobras, salva por operações diárias em bancos internacionais, Dilma não se manifestou. Porém, todos sabem que a responsável pelo caótico estado da petroleira também é a “falha humana” na má gestão. Pior: é a “falha humana” proposital, praticada, criminosamente, em beneficio de terceiros.

    Acontece que, no caso da Petrobras, Dilma – presidenta do Conselho de Administração da empresa nos oito anos de governo Lula – está entre as principais personagens humanas que, por ação errada ou omissão, falharam. E é exatamente por causa de tal “falha humana” que acionistas minoritários da Petrobras, do Brasil e do exterior, resolveram processar a empresa na Justiça do Brasil e dos Estados Unidos. Investidores querem se ressarcir dos danos provocados pelos inúmeros atos lesivos à petroleira. Dilma sofrerá o desgaste de ter seu nome entre os causadores de prejuízos.

    Nada mais justo e perfeito para fixar responsabilidades diante de tais atos lesivos que a comparação entre o que consta no Estatuto Social da Petrobras relativamente a seu Conselho de Administração e os dois casos abaixo relatados: o caso Gemini e o caso Pasadena. Os dois casos são objetos de estudos dos investidores para processos contra a estatal de economia mista -em cuja gestão corporativa o governo pensa que pode fazer o que bem entende (o que contraria as boas práticas de governança).

    Estatuto Social

    Conforme o Art. 23 do Estatuto Social da Petrobras, os membros do Conselho de Administração e da Diretoria Executiva responderão, nos termos do art. 158, da Lei nº 6.404, de 1976, individual e solidariamente, pelos atos que praticarem e pelos prejuízos que deles decorram para a Companhia,

    Em seu Art. 28, o Estatuto estipula que ao Conselho de Administração compete: fiscalizar a gestão dos Diretores; avaliar resultados de desempenho; aprovar a transferência da titularidade de ativos da Companhia, inclusive contratos de concessão e autorizações para refino de petróleo, processamento de gás natural, transporte, importação e exportação de petróleo, seus derivados e gás natural.

    E, em seu Art. 29, o Estatuto determina: compete “privativamente” ao Conselho de Administração deliberar sobre as participações em sociedades controladas ou coligadas.

  148. Pax said

    Por quem, caro Chesterton, velho e infalível Chesterton?

    Aqui não. Não há qq comentário barrado na lista. Nem mesmo esses, digamos, de fonte ruim, que costumas trazer.

    O que tenho reparado é que quando coloco alguns links o comentário não aparece. Sei lá a causa. Não é comigo e o WordPress nem avisa que há algum em moderação. Um exemplo: links do Terra não tem entrado aqui. Vai saber porque.

    Mas fica tranquilo, pode postar as baboseiras do teu tio.

  149. Edu said

    Otto e Patriarca,

    Eu não torço contra o Brasil, na verdade, eu torço por ele.

    Por isso que eu gostaria muito de ver a Dilma-mão-pesada-neoliberal-ornitorrinca mais atenta. Eu não quero que ela seja demitida, não quero que ela seja impichada. Eu gostaria que ela prestasse mais atenção no que faz, deixasse de ser reativa aos problema e fosse mais pró-ativa. Ela também é minha presidenta (sinal da cruz). Por isso tenho que engolir tudo o que ela fizer, para o bem ou para o mal.

    No entanto isso, de maneira nenhuma significa que eu tenha que aceitar de mão beijada. Para mim algumas decisões dela demonstram claramente falta de preparo, falta de competência, falta de conhecimento e pra piorar, falta de traquejo político. Principalmente com a maioria do congresso nas mãos. Ela é uma presidente que patina.

    Eu sinceramente, espero que a Copa e os 2 últimos anos de governo a Dilma se dê bem. Ela dê a volta por cima e finalmente gerencie o desenvolvimento que o Brasil merece. Se ela fizer isso vou reconhecer, assim como já reconheci boas atitudes que ela tomou.

    Só que se não der certo, eu quero que esta senhora sirva de lição aos brasileiros que acreditaram que uma pessoa incompetente poderia fazer bem ao país. Quero que as pessoas enxerguem no futuro presidente do país algo além da indicação de uma pessoa carismática, algo além de um partido, mas uma pessoa efetivamente preparada e competente.

  150. Chesterton said

    A empresa Gemini – sociedade da Petrobras com um grupo norte-americano para produzir e comercializar Gás Natural Liquefeito (GNL) – teve seu Contrato Social firmado em 29 de janeiro de 2004. Nessa mesma data, foi assinado um Acordo de Quotistas impregnado de tanta má-fé que, se o País fosse um pouco mais sério, poderia levar seus responsáveis a responderem pelo crime de gestão fraudulenta.

    Logo em seguida, em 11 de fevereiro de 2004, o Gerente Executivo do Jurídico da Petrobras, Nilton Antônio de Almeida Maia, substabeleceu a diversos advogados do escritório Levy & Salomão Advogados os poderes a ele outorgados pela Petrobras para representar a empresa em assuntos relativos à Gemini.

    Utilizando-se do Contrato Social datado de 29 de janeiro de 2004, a Gemini teve seu ato de constituição registrado na Junta Comercial do Estado do Rio de Janeiro em 12 de julho de 2004.

    Acontece que, somente em 21 de outubro de 2004, a Diretoria Executiva da Petrobras (e não seu Conselho de Administração) aprovou a participação da empresa na sociedade.

    Na realidade, não dá para precisar até onde vai a responsabilidade do Conselho de Administração nos atos acima relatados. Porém, a omissão diante do fraudulento Acordo de Quotistas (que deixou brechas para incalculáveis superfaturamentos e tornou a Petrobras refém da sócia majoritária da Gemini) é incontestavelmente condenável.

    Por outro lado, depois de publicar inúmeras denúncias envolvendo a Gemini, em 27 de fevereiro de 2010, o Alerta Total publicou o artigo “Petrobras: Conselho de Administração sob suspeita”, relativo à omissão da alta administração da petroleira diante das acusações envolvendo citada sociedade..

    Conforme o artigo, o mais impressionante foi o sintomático silêncio da Petrobras diante das explícitas acusações de corrupção feitas pelo próprio sindicato dos trabalhadores do setor. Denúncia de mala de dinheiro, destacando o nome do corruptor, não mereceu a devida atenção do Conselho de Administração presidido por Dilma Rousseff, a transparente.

    O artigo também reproduz a íntegra da carta encaminhada em 26 de fevereiro de 2010 a diversos conselheiros. Nessa carta, foram anexados o “Dossiê Gemini: Maio de 2009” e o artigo “Dilma, ó Dilma, onde estás que não respondes?”.

    A única manifestação diante da carta acima citada foi feita por Maria das Graças Foster, então diretora de Gás e Energia da Petrobras. Distanciando-se muito da verdade, a agora presidenta da Petrobras declarou que os fatos não eram novos, e todos os esclarecimentos sobre o assunto já haviam sido prestados, não restando mais nada a ser acrescentado. Ao afirmar que as denúncias relativas à Gemini já eram de conhecimento da alta administração da Petrobras, Graça atestou o óbvio: Dilma detinha o domínio do fato.

    Mas a coisa não acaba aí.

    Em 19 de dezembro de 2011, outra grave carta dirigida individualmente aos diversos conselheiros foi protocolada no próprio Conselho de Administração da Petrobras. Nenhum dos conselheiros se dignou a responder tal carta. Em suma: conselheiros que ocupam o ambicionado cargo estão se submetendo a um vergonhoso silêncio, e negligenciando o seu mais elementar dever: coibir atos lesivos ao interesse da empresa.

    O caso Pasadena

    Diferentemente do caso Gemini, no qual é praticamente impossível quantificar o valor do prejuízo (entregou-se o cartório da produção e comercialização do Gás Natural Liquefeito a um grupo privado, e comprometeu-se a pagar a esse grupo, eternamente, por todos os serviços necessários a liquefazer, armazenar e transportar o produto até as instalações dos clientes, espalhados num raio de 1000 km da usina de liquefação do Gás Natural), no caso da compra da refinaria de Pasadena, no Texas, o prejuízo é facilmente calculável.

    Diferentemente do caso Gemini, o caso Pasadena já foi objeto de matérias na grande mídia, como na revista VEJA de 19 de dezembro de 2012 com o título de “1bilhão pelo ralo”. Em tal matéria, a jornalista Malu Gaspar apresentou detalhes estarrecedores da operação que acarretou o gigantesco prejuízo aos cofres da Petrobras. Sobre o procedimento da então presidenta do Conselho de Administração da empresa, a matéria informou: Dilma criticou duramente Sérgio Gabrielli (que presidia a estatal à época da monumental negociata), porém, decorridos anos, nunca mais tocou no assunto.

    Sobre o mesmo assunto, o Alerta Total de 17 de dezembro de 2012 explorou minuciosamente outro aspecto da questão no artigo cujo título é esclarecedor: “Investidores da Petrobrás processam Dilma e Gabrielli por prejuízo de US$ 1bilhão com refinaria nos EUA”.

    É de se destacar, também, que, atendendo a requerimento apresentado pelo deputado federal Maurício Quintella (PR-AL), o presidente da Petrobrás América Inc., José Orlando Melo, deverá comparecer à Comissão de Minas e Energia da Câmara dos Deputados para esclarecer detalhes sobre a aquisição da refinaria de Pasadena. Contudo, devido a problemas de agenda, é certo que tal comparecimento não ocorrerá antes de abril de 2013.

  151. Chesterton said

    Há muito, o Alerta Total vem denunciando as falcatruas promovidas pela Petrobras e a omissão do seu Conselho de Administração.

    Nestas alturas, cumpre destacar que uma luz surgiu no final do túnel.

    No ano de 2012, foi criada uma vaga para o representante dos empregados no Conselho de Administração da Petrobrás. E o primeiro representante dos empregados no Conselho, engenheiro Silvio Sinedino, tem agido com total desassombro. Inclusive, foi Sinedino quem levantou o caso da absurda compra da refinaria de Pasadena e outras gravíssimas coisas mais, como pode ser visto na matéria “Representante dos trabalhadores na Petrobrás denuncia ingerência política” da jornalista Sabrina Valle (O Estado de S. Paulo – 14/12/2012).

    Espera-se que Sinedino fale também sobre a Gemini – que, provavelmente, está dando um grande prejuízo diário à Petrobras, por conta da prestação de serviços amparada pelo fraudulento Acordo de Quotistas acima citado.

    Jorge Serrão é Jornalista e João Vinhosa é Engenheiro.

  152. Chesterton said

    dividi e “entrou tudinho”.

  153. Otto said

    Edu, eu acredito nos dados do IPEA.

    Mas lembra que 2009 foi o ano da crise?

    De lá pra cá o desemprego caiu mais ainda.

    Mas nós temos que ver o filme, não o fotograma.

    Quanto estava o desemprego, por exemplo, no Sergipe, em 2002. E em 2007. E hoje. Tá subindo? Tá caindo?

    Ver a tendência, o horizonte, o “longo prazo” do Patriarca.

    Se o PIB tiver um crescimento pífio nos dois próximos anos aí eu concordo com você.

  154. Edu said

    Otto,

    O longo prazo do Patriarca é longo prazo de contador acima de 2 anos já tá valendo! hehehe

    O que eu quis dizer é que não há dados suficientes para concluir isso. Os dados do IBGE são dados oficiais, porém se limitam a áreas metropolitanas e para algumas cidades.

    Eu até acredito que o desemprego possa ter caído. Só que eu discordo de vc em relação à sua simplificação: curitiba não reflete a realidade do Brasil. Aliás, vc como bom petista, devia ser o primeiro a dizer isso, não eu.

  155. Michelle 2 said

    Edu

    é mais fácil explicar, aos petralhas, o “curto prazo” e “longo prazo” com esta piada, que é pura ironia .rsrsrs

    O cara acidentalmente cai do 16o andar e ao passar pelo 14o andar pensa consigo mesmo: ATÉ AQUI TUDO BEM! isto é o CURTO PRAZO.

    No LONGO PRAZO…,do 14o ao chão, ele mudou de ideia.

    Perceberam a diferença?

  156. Patriarca da Paciência said

    Os telejornais de hoje anunciaram que a captação da poupança bateu todos os recordes em 2012.

    É isso aí, Edu, a grande maioria dos poupadores não pensa como você.

    Você, pelo jeito, faz parte dos privilegiados e intelentíssimos 4% leitores da Veja, principalmente do rola-bosta 100% idiota.

  157. Michelle 2 said

    Edu

    sobre seu comentário #149;
    É claro que todos nós aqui queremos o bem do Brasil, mas lembre-se que
    “DE ONDE MENOS SE ESPERA…É DAÍ QUE NÃO SAI NADA MESMO!”

    PS Tremo só de pensar no trem-bala que voltou a ser discutido.Pelo jeito até o final do governo dilma, o trem bala será estendido até Belém do Pará…sem levar carga, só passageiros e sem sair do papel, mas com altíssimas despesas de marketing, planejamento e logística.

    Rezo para que sua presidencial incompetência não destrambelhe de novo a economia brasileira com descontrole total da inflação, pois Dilma-mão-pesada-neoliberal-ornitorrinca até agora só fez lançar programas populistas, pela TV, de resultados incertos e duvidosos, mas certamente custeados pelo povo, o bravo povo brasileiro.

    (Hímen complacente? rsrsrs)

  158. Patriarca da Paciência said

    “Para depósitos antigos (feitos até dia 3 de maio) nada muda, ou seja, o rendimento continua sendo de 0,5% ao mês (6,17% ao ano) mais a TR. O mesmo ocorre para novos depósitos quando a Selic for superior a 8,5%.

    O Banco Central reduziu a Selic de 9% para 8,5% em maio. Nesta quarta-feira (11), reduziu novamente, desta vez para 8%.

    De acordo com os cálculos da Fazenda, com Selic a 8,5% a poupança terá rendimento de 5,95% ao ano mais a TR, totalizando 6,17%. Ou seja, uma poupança de R$ 10 mil renderia, nesse caso, R$ 617 após doze meses.

    A TR não fica negativa. Entretanto, ela zera em taxas Selic em torno de 8,2% ao ano. Dessa forma, se a Selic cair para 8% ou menos, o rendimento da poupança não irá incorporar a taxa referencial.

    VEJA COMO FICARIA O RENDIMENTO DA POUPANÇA COM A QUEDA DA SELIC

    Taxa Selic Rendimento mensal da poupança, sem TR Rendimento anual da poupança, sem TR Rendimento anual estimado da poupança, com TR
    8,50% 0,48% 5,95% 6,17%
    8,00% 0,46% 5,60% 5,60%
    7,50% 0,43% 5,25% 5,25%
    7,00% 0,40% 4,90% 4,90%
    6,50% 0,37% 4,55% 4,55%
    6,00% 0,34% 4,20% 4,20%
    5,50% 0,32% 3,85% 3,85%
    5,00% 0,29% 3,50% 3,50%
    4,50% 0,26% 3,15% 3,15%
    4,00% 0,23% 2,80% 2,80%
    3,50% 0,20% 2,45% 2,45%
    3,00% 0,17% 2,10% 2,10%
    2,50% 0,14% 1,75% 1,75%
    2,00% 0,12% 1,40% 1,40%

    Fonte: Ministério da Fazenda”

    http://www1.folha.uol.com.br/mercado/1087687-tire-suas-duvidas-e-veja-como-fica-o-rendimento-da-poupanca.shtml

    Eis aí, Edu, a verdade sobre a poupança. De onde você tirou essa história de 4%. Será se foi pela aplicação da teoria do domínio do fato?

    Como a Selic ficou em 7,5%, o rendimento será de 5,25% para os depósios posteriores a 3 de maio. Para os depóstios anteriores a esta data, nada muda.

  159. Chesterton said

    http://www.implicante.org/blog/petrobras-foi-a-empresa-brasileira-que-mais-perdeu-valor-em-2012/

  160. Patriarca da Paciência said

    “Com o Paraguai (uma democracia) suspenso, as presidentes do Brasil e da Argentina, ao arrepio do Tratado do Mercosul, admitiram o ingresso da Venezuela, que é uma ditadura. Esse é, certamente, o mais escandaloso vexame da política externa de Dilma.” (Reinaldo Azevedo).

    Vejam só o quanto a “grande” imprensa brasileira é refém da verdade!

    Paraguai uma democracia?

    Acho que nem paraguaio acredita!

  161. Chesterton said

    PPS pede quebra de sigilo de Rose

    DEPUTADO RUBENS BUENO
    O PPS vai solicitar nesta quarta-feira (9) a quebra dos sigilos bancário, fiscal e telefônico de Rosemary Noronha ao Ministério Público Federal de São Paulo, segundo informações da assessoria de imprensa do partido. A sigla protocolou nesta segunda-feira (7) um requerimento que pede que a Comissão Representativa do Congresso Nacional cobre informações do Ministério da Fazenda sobre o relacionamento de Rosemary nas negociações que definiram o comando do Banco do Brasil e do fundo de pensão de seus funcionários, a Previ, e a compra do banco Nossa Caixa pela instituição. Para o líder da legenda na Câmara, deputado Rubens Bueno (PR), as informações serão úteis para esclarecer o esquema montado em São Paulo. Com informações da Folha de SP.

  162. Chesterton said

    “O partido não é o Dirceu, nem o Lula”, afirma Olívio Dutra, criticando compra de votos e formação de quadrilha do PT.
    Do site da Rádio Guaíba, de Porto Alegre, onde você ouvir a entrevista:

    Militante histórico do Partido dos Trabalhadores (PT) e garantindo ter “vida modesta”, mesmo com aposentadoria de governador, Olívio Dutra falou, hoje, sobre as articulações políticas firmadas durante a primeira gestão do presidente Lula que culminaram em escândalos como o Mensalão e a Operação Porto Seguro, que envolve a ex-assessora especial do gabinete presidencial em São Paulo, Rosemary Noronha. Sem cargo político na sigla, ele participou do programa Esfera Pública, na Rádio Guaíba, nesta segunda-feira.

    Olívio reiterou confiança na credibilidade do ex-presidente Lula e lembrou ter sido o primeiro ministro indicado para a Pasta das Cidades, criada durante o primeiro mandato. Olívio disse, porém, que o Ministério foi usado como instrumento de troca entre os partidos da base aliada. O ex-governador foi demitido do cargo em julho de 2005, o que permitiu ao governo Lula abarcar o Partido Progressista na base de sustentação.

    O ex-ministro disse ainda que o ex-presidente sofria todo tipo de pressão para ter governabilidade e chegou a alertar que os aliados podiam denegrir a história do PT e do ex-presidente. “Eu avisei em uma ocasião que íamos sofrer com as más companhias. Más companhias que não são somente aquelas de fora para dentro, mas também de dentro do partido a medida que vão chegando pessoas. Na medida que tu tens cargos para oferecer, há pessoas no partido que não conhecem nada da história nem da razão de ser. O PT falha nisso e deixa de ser uma escola política e passa a agregar pessoas por conta dos cargos”, ressaltou.

    As declarações foram feitas no mesmo programa do qual o petista José Genoíno também participou. Na semana passada, o deputado federal foi empossado na Câmara dos Deputados. O condenado no processo do Mensalão mencionou o artigo 5º da Constituição que prega que o indivíduo somente pode ser culpado depois de sentença penal transitada em julgado e se disse apto para permanecer no cargo legislativo. “Fui condenado à noite e no dia seguinte eu saí do governo porque era um cargo comissionado. É diferente de uma eleição onde os eleitores me delegaram como suplente. Esses eleitores não têm tido nenhuma restrição, por isso, estou assumindo tranquilamente, de maneira muito serena”, alegou. Genoíno foi condenado a seis anos e 11 meses de prisão e multa por corrupção ativa e formação de quadrilha no julgamento do Mensalão. Se cumprir a pena, deve ser em regime semiaberto.

    Para Olívio, Genoíno errou em ter assumido. “É uma opinião pessoal, mas tenho convicções de que assumindo nessas condições não foi a melhor escolha para a tua própria trajetória e para o sentimento partidário”, ressaltou.

    Olívio Dutra ainda disse que não está decepcionado com o partido. A sigla, na visão do político, é muito maior que o esquema de compra de votos e formação de quadrilha. “O partido não é o Dirceu, nem o Lula, nem a Dilma, nem o Tarso, nem o Olívio. O partido é uma construção coletiva da democracia brasileira”, disse. Ele complementou, porém, dizendo que o Mensalão foi um conjunto de erros entre o partido e os políticos que se beneficiaram com os delitos. “As instâncias partidárias não estavam suficientemente azeitadas e foram atropeladas por estas ilustres pessoas do partido”. (blog do coronel)

  163. Chesterton said

    /
    Bombacha justa – Ao vivo, Olívio Dutra, um dos fundadores do PT, cobra a renúncia de Genoino e diz que o agora deputado e José Dirceu permitiram que “dinheiro público fosse usado para negociatas”
    Pois é…

    Olívio Dutra, ex-governador do Rio Grande do Sul (PT), parece andar com saudade do tempo em que os petistas podiam falar em nome da ética na política. Ainda que não houvesse verdade naquilo — não é mesmo, Caso Lubeca (pesquisem a respeito!)? —, tratava-se de um discurso ao menos verossímil. Hoje em dia, quando alguém do partido se sai com essa, todos caem na gargalhada. Adiante. Numa entrevista à Rádio Guaíba, Dutra cobrou a renúncia do agora deputado José Genoino (SP). Acusou ainda o ex-presidente do PT e José Dirceu de terem permitido negociatas com dinheiro público.

    Tivesse a fala saído da boca de algum oposicionista, Rui Falcão, Dirceu e a rede suja na Internet, financiada por estatais, se encarregariam de satanizar o vivente, como se diz lá nos pagos do Sul. Vamos ver como reagirão a Olívio Dutra. Leiam o que informa O Globo. Volto em seguida. (tio Rei)

  164. Chesterton said

    A imprensa é e deve ser livre. Mas não pode ser canalha.

    chest- pax, você prefere imprensa livre e canalha, ou não-livre e bem comportadinha (nota: você está na oposição)

    obs: jornalismo é oposição, o resto é publicidade – Millor fernandes.

  165. Patriarca da Paciência said

    “Queixando-se de isolamento dentro do PSDB, o ex-governador José Serra avalia com apoiadores sair da sigla para viabilizar sua candidatura à Presidência da República em 2014.

    Segundo aliados, ele ainda não desistiu do sonho de chegar ao Palácio do Planalto, nem que para isso tenha de se filiar a outro partido.

    Apesar das dificuldades operacionais, não foi descartada a fundação de uma nova sigla, a exemplo do PSD do ex-prefeito Gilberto Kassab.

    A hipótese de mudança foi objeto de discussão nos últimos dois meses, após derrota de Serra na disputa pela Prefeitura de São Paulo.

    Dentro do PSDB, o nome mais forte hoje para disputar a Presidência é o do senador Aécio Neves (MG), que é rival de Serra internamente.

    Alguns serristas, porém, aconselham o tucano a permanecer na sigla e disputar a indicação com Aécio.”

    http://www1.folha.uol.com.br/poder/1211458-serra-avalia-deixar-o-psdb-para-disputar-a-presidencia.shtml

    Acho que o Serra pirou de vez!

    Só ele acredita que poderá ganhar, sem o PSDB, a eleição para Presidente da República. Aliás ele não tem a mínima chance nem mesmo com PSDB e PPS. Mas o cara se acha mesmo!

    Acho que nem paulista, do bairro Higienópolis, acredita!

  166. Pax said

    Não faz muito tempo que discutimos aqui sobre as possibilidades para 2014.

    Lembro que alertei que o PSDB poderia rachar internamente, por conta das disputas de egos entre Aécio, Serra e Alckmin.

    Pois bem, segundo notícia da Folha, não demorou muito. Serra avalia se deixa o partido.

    http://www1.folha.uol.com.br/poder/1211458-serra-avalia-deixar-o-psdb-para-disputar-a-presidencia.shtml

    Quero ver esses jornalistas cabos-eleitorais-disfarçados do Serra. O que vão fazer com a “perda” de suas boquinhas? Minha forte suspeita é que num átimo decidem, por quem lhes garantir o melhor $u$tento.

  167. Pax said

    Caro Patriarca,

    Escrevi meu comentário sem ter lido o teu imediatamente acima. Pois bem, pelo jeito:

    1 – acordamos cedo
    2 – acompanhamos coisas parecidas
    3 – pensamos a mesma coisa sobre a pretensão do Serra à presidência

    E, enfim:

    Os tucanos que se entendam. Faz parte.

  168. Pax said

    Enquanto isso… a nossa Justiça também tem seus desvios.

    O advogado da mulher diz que ela é: “uma pessoa boníssima e generosa”.

    Com dinheiro público e farto é bem fácil ter tanta generosidade.

    http://ultimosegundo.ig.com.br/brasil/rj/2013-01-08/desembargador-devolve-pensoes-de-r-43-mil-a-filha-solteira-de-magistrado.html?utm_campaign=social&utm_source=twitter&utm_medium=posts

  169. Patriarca da Paciência said

    Acho que você tem razão, caro Pax,

    afinal, temos uma longa convivência de internet, desde os tempos de no mínimo.

    Pena que vários companheiros daquela época não aparecem mais.

    Se você insistir no blog, acredito que aos poucos aparecerão mais alguns.

  170. Patriarca da Paciência said

    Hoje os jornais noticiam, além do recorde de depósitos em poupança durante o ano de 2012, quase 50 bilhões de reais em saldo positivo, que rendimento para quem deixou o dinheiro aplicado em poupança por todo o ano de 2012 foi de 6,6%, ou seja, aproximadamente 1% acima da inflação.

    Estou curioso, caro Edu, de onde você tirou a informação de que a poupança rendeu 4% durante o ano de 2012?

  171. Pax said

    Não, caro Chesterton, não veja. Você não vai acreditar mesmo.

    http://www.observatoriodaimprensa.com.br/videos/view/contra_a_covardia_profissional_1

  172. Edu said

    Patriarca,

    A ideia era ilustrar o tanto que o rendimento da poupança é pífio, quando não é negativo por conta da falta de controle da inflação.

    Já que vc não consegue pensar assim, vamos dar os dados reais:

    Rendimento real da poupança foi de 6,6%
    A inflação IPCA ficou em 5,7%

    Em um ano, o coitado do poupador, enganado pela Dilma-mão-pesada-neoliberal-ornitorrinca e pelo Guido-não-sei-fazer-contas-Mantega, foi de 6,6 – 5,7 = 0,9% em um ano!

    É disso que eu estou falando: um rendimento real ridículo.

    Ou seja, seguindo seu próprio exemplo: um cara que manteve 10.000 na poupança durante 1 ano terá um rendimento real de 90 reais, e não de 617 reais como vc disse.

    Se vc acha que isso está bom para o brasileiro, ok, sem problema nenhum! Depois não venha dizer que a direita é que não defende o trabalhador…

  173. Patriarca da Paciência said

    “Embora trabalhe como dentista, a filha do desembargador José Erasmo Brandão Couto recebe duas pensões por conta da morte do pai, em 1982: uma de R$ 24 mil do Tribunal de Justiça e outra de R$ 19,2 mil do RioPrevidência (12 vezes o valor médio pago pela autarquia), somando R$ 43,2 mil mensais. O expediente é visto como uma “fraude à lei” pela Procuradoria do Estado.”

    Do link do comentário 168 do Pax.

    Pois é, meu caro Pax,

    Para um pai se exonerar de pensão alimentícia, basta que comprove que o filho tenha completado 18 anos, esteja trabalhando e não curse universidade.

    No caso do filho está cursando universidade, basta que espere até os 24 anos.

    Já o desembargador acha muito justo que uma dentista, um dos profissionais mais bem remunerados do Brasil, a qual foi casada por longos anos, teve dois filhos para comprovar etc.etc.etc. Pois bem, o Sr. Dr. Desembargador acha muito justo que a dentista receba a pensãozinha alimentícia de 43 mil reais.

    E a teoria do “domínio do fato”, não vale para estes casos?

    Edu,

    caso você não saiba, a idéia de poupança não é para o poupador ficar rico. É simplesmente para a pessoa tenha uma reserva para emergências. E o fundamento é, simplesmente, que o poupador tenha o valor do seu dinheiro preservado e o pequeno rendimento serve apenas como atrativo.

    Quem quer ficar rico deve partir para ser empresário, aplicar na bolsa, algumas carreiras como no exemplo citado acima, ser filha de desembargador e não casar, etc. Como poupador, em lugar nenhum do mundo, alguém ficará rico.

    Nos Estados Unidos e Japão, inclusive, parece que, além dos poupadores não ganharem nada, ainda perdem um pouco!

  174. Elias said

    De volta à casa, ao batente e às caixas de comentários do PolíticAética.

    Patriarca,

    Em 2013, a Dilma deverá iniciar o tricô pra disputa de 2014.

    Claro que bons resultados na economia ajudariam pra caramba (o que não está fácil, na atual conjuntura…).

    E dispor de um caixa farto, capaz de bancar um monte de investimentos, mais ainda.

    Daí que eu me vi matutando: o nível de endividamento externo do Brasil é baixo, se comparado com outras economias do mesmo porte, e até maiores (e menores, se quiserem… Tem gente que gosta de comparar o Brasil com o Chile…).

    Por outro lado, o dinheiro lá fora até que não está caro…

    E se a Dilma resolver usar o limão pra fazer uma limonada? E se ela resolver aumentar o nível de endividamento, pra bancar alguns investimentos?

    Afinal: (a) ela ficou longe das trapalhadas do pessoal que acabou ferrado pelo STF; (b) os níveis de popularidade e aprovação dela vão bem, obrigado; (c) a oposição está mais embananada do que nas eleições anteriores e teima em olhar pro lado errado… Etc.

    Com tanto vento soprando a favor e um caixa bem suprido, ficará um pouco difícil perder, né?

    Não sei se ela cogita fazer isso, mas… Se fizer, não deverá causar espanto, certo?

    Pena que ela não tenha tido seios pra encarar as reformas…

    E agora não dá mais. No terceiro ano do mandato, a (re)eleição passa a ser oração principal absoluta. De olho na própria biografia, Dilma não vai querer perder pra essa oposição fuleira (daqui a alguns anos, poucos lembrarão que, em 2014, a oposição era fuleira).

    Sendo assim, reformas, agora… Só em 2015 (se é que elas um dia acontecerão…).

    E olha que, por motivos políticos, a reforma do Judiciário passou a ter caráter de urgência… Mesmo algumas boas cabeças que, de olho em seus próprios interesses políticos, aprovaram publicamente as últimas decisões do STF, estão espantadas em ver a facilidade com que um Tribunal Superior do Brasil pode violar a Constituição do país. Essas boas cabeças não querem nem vão assumir o ônus de dar o pontapé inicial, mas estão loucas pra que se dê uma arrumada básica nesa casa-de-mãe-joana em que se transformou o Judiciário brasileiro.

    Acontece que, pelos mesmos motivos que fazem com que essas boas cabeças se omitam, Dilma provavelmente não vai nem considerar a hipótese… Deve considerar que o PT já deu o que tinha de dar, em termos de sangue (e, conforme eu disse aqui há alguns meses, as decisões do STF podem acabar ajudando a fazer alguns ajustes internos no PT…).

    De qualquer modo, agora é a vez do PSDB colar o rabo colado na parede, dar nó em trilho e esconder as pontas, pra evitar o julgamento do mensalão tucano, em 2013 e 2014.

    Em termos políticos — e, principalmente, eleitorais –, pro PT, é indiferente que o mensalão tucano seja julgado em 2013 ou não. Basta que ele exista! Se não for julgado, talvez seja até mais fácil trabalhar eleitoralmente com o facciosismo do STF (e, ao mesmo tempo, aproveitar o facciosismo do STF pra retirar alguns bodes da própria sala, né?)…

    A coisa promete…

  175. Zbigniew said

    Caro Pax #130.
    Desculpe a ausência, mas é que estive “desplugado” nessas últimas horas.

    Sei que vc não pensa igual ao Edu, mas nesse caso do Nassif aparentas ter a mesma base de raciocínio. Aliás, permita-me acrescer uma impressão minha que parece-me bastante estranha. Tenho pra mim que vc precisa afirmar que no país para cada jornalista histérico ou anti-governista necessariamente tem que existir um congênere pró-governo. E aí vc parece confirmar a máxima de que “jornalismo tem que ser oposição, o resto é publicidade”, conforme entendimento do saudoso Millor.

    Por isso que desafiei vc e o Edu a apresentarem um único post do Nassif que fosse falso ou tendencioso. Ou que tivesse no seu teor a bílis que é exalada pelo esgoto do rola-bostas e seus congêneres. Onde que o Nassif se assemelha ao Noblat? Em que sentido? Só pelo fato de um ser pró e o outro ser anti-governo? Ou será que é porque o Nassif desmonta toda teoria ou opinião anti-governo como essa última da Catanhêde (a miss febre amarela), sobre a reunião referente à questão do parque energético brasileiro que a missivista, desonestamente, atribui como sendo de emergência em face de um possível apagão nos moldes daquele que aconteceu na “belle èpoque” éfeagáciana (aliás, pode ter certeza que eles estão torcendo por um).

    Outro caso é o de uma possível maquiagem contábil que a oposição tem denunciado (em torno de R$ 200 bilhões) e que, por isso, quer convocar o Mantega para dar explicações. Não vejo nenhum alinhamento automático. Apenas o Nassif coloca as palavras do MF. Procura dar voz ao outro lado e a partir daí tirar suas conclusões. Neste ponto está anos-luz a frente do Noblat ou qualquer outro.

    Agora se atua antipatia se baseia em alguma informação restrita aos maios jornalísticos sobre a honestidade do dito jornalista, aí já é outra história…

  176. Edu said

    Patriarca,

    Poupança é pra preservação do dinheiro e emergência então? Ah, então está resolvido o problema de dinheiro do brasileiro! A Dilma-mão-pesada-neoliberal-ornitorrinca é uma gênia!

    Vamos aguardar, como diz o Elias, o desenrolar do tricô pra 2014… seria muito feio se ela perdesse para uma oposição dessas…

  177. Patriarca da Paciência said

    Seja bem vindo em seu retorno, caro Elias.

    Todos aqui sentiram a sua falta.

    Acho que você tem razão. O Brasil está, como nós contadores costumamos chamar, com uma enorme capacidade de endividamento.

    É uma trunfo e tanto.

    Melhor ainda, o Brasil está com uma enorme reserva de aproximadamente 400 bilhões de dólares.

    Como se sabe, os banco gostam de emprestar dinheiro justamente para quem está em ótima situação financeira, o que é o caso do Brasil.

    Aí teríamos um novo período de crescimento acima de 10%, com a construção de ferrovias, hidrovias, portos, rodovias, aeropostos, hidrelétricas, muitas escolas, muitas universidades etc.

    A oposição simplesmente vai ficar igual a cachorro caído de mudança.

  178. Pax said

    Bem-vindo de volta, caro Elias.

    Caro Zbigniew,

    Mas onde eu disse que o Nassif é um histérico inversamente proporcional ao titio? Não lembro disso.

    Acho o Nassif como o Noblat. Cada um escolheu um lado, como disse. Não vejo porque jornalistas não podem escolher um lado, vide o Kotscho por exemplo. Mas declare e seja honesto com sua decisão e para com seus leitores.

  179. Zbigniew said

    Não disse que você disse isto, Pax.

    É óbvio que o Nassif não é o espelho do rola bosta.

    Digo que, do que você disse, mais importante do que dizer que é contra ou a favor do governo é ser honesto com o que se publica e não tratar os seus leitores como bestas quadradas (embora muitos gostem de ser assim tratados).

    Continuo te desafiando a apontar um só post do Nassif que torça os fatos a favor do governo. Senão o que você tem é apenas prevenção contra o indigitado, o que me parece é forçar a entrada do jornalista na conta do time pró-governo para fazer o contrapeso aos aderentes da oposição fajuta. Tudo bem, direito teu. Mas não entro nesta de contrapesos.

  180. Pax said

    Caro Zbigniew,

    Desculpe-me, mas parece conversa de loucos. Não estou entendendo sua “reclamação”.

    O que foi que disse do Nassif que te ofendeu?

    (e, veja, em momento algum me sinto incomodado com qualquer questionamento, acredite)

  181. Zbigniew said

    Não estou ofendido, caro Pax. Longe disto.

    Estou tentando discutir contigo o porquê de tu colocares o Nassif na esfera dos partidários do governo com a mesma qualidade dos blogs oposicionistas tipo Noblat, etc. Iguais só que com sinais contrários.

    Capisce?

  182. Zbigniew said

    Por exemplo, de onde achas que é este trecho? Do Nassif ou do Noblat?

    “(…)
    Acrescenta-se a isso o fato de os salários brasileiros continuarem baixos e sem previsão de grandes modificações. A maioria absoluta dos novos empregos criados nos últimos dez anos tem salários de até um e meio salário mínimo. Uma opção para a melhoria dos salários seria a diminuição dos itens que devem ser pagos pelas famílias. Uma família da nova classe média brasileira deve gastar, porém, quase metade de seus rendimentos com educação e saúde privada. Se o governo tivesse um programa para a universalização da educação e saúde pública de qualidade, poderia contribuir, por meio do fortalecimento do serviço público, para a minimização dos efeitos perversos da desigualdade. Mas o governo Dilma será lembrado, em 2012, pela sua desconsideração soberana com os professores em greve por melhores condições de trabalho e infraestrutura. Diga-se de passagem, é notória a relação problemática do governo com os sindicatos.
    (…)”

  183. Zbigniew said

    E esse aqui? Do Nassif ou do Noblat?

    “(…)
    Como se não bastasse, a política lulista de financiamento estatal do capitalismo nacional levou ao extremo as tendências monopolistas da economia brasileira. O capitalismo brasileiro é hoje um capitalismo monopolista de Estado, onde o Estado é o financiador dos processos de oligopolização e cartelização da economia. Exemplo pedagógico nesse sentido foi a incrível história da transformação do setor de frigoríficos em um monopólio no qual uma empresa comprou todas as demais se utilizando de dinheiro do BNDES. Em vez de impedir o processo de concentração, o Estado o estimulou. Como resultado, atualmente não há setor da economia (telefonia, aviação, produção de etanol etc.) que não seja controlado por cartéis, com seus serviços de péssima qualidade e seus preços extorsivos.
    (…)”

  184. Otto said

    Oi, Edu, que tal então a poupança nos Estados Unidos, no Japão ou na Europa, onde os juros reais atualmente são negativos?

    Ou seja, você põe o dinheiro no banco e sempre perde.

    Parece que estamos longe disso.

  185. Michelle 2 said

    A ignorância sempre paga um preço. O ridículo
    Não existe nada semelhante à poupança brasileira nos US.
    Todo banco oferece uma conta de livre movimento chamada de “savings account” e que paga 7,5% de juros fixos ao ano, calculados sobre o menor saldo médio mensalmente.
    O americano médio usa este tipo de conta para fazer uma provisão para despesas mensais: aluguel, luz, água e pagar despesas com cartões de crédito, liquidando o total das faturas, mensalmente.
    Comparar este tipo de conta com a poupança brasileira é coisa de petralha burro e mal informado.

  186. Patriarca da Paciência said

    Claque de rola-bosta 100% idiota tem a coragem de dizer que em todo os Estados Unidos da América do Norte, um país com 50 estados, que possuem leis autônomas, com 300 milhões de habitantes e que abriga as mais variadas tendências possíveis e imagináveis, há apenas uma opção para poupador físico!

    Ridículo! Profundamente ridículo!

    Para quem faz poupança comprando títulos do tesouro norte-americano os juros são negativos.

    Só a claque do rola-bosta 100% idiota não sabe disso.

    Ninguém é obrigado a fazer poupança aplicando em cadernetas aos moldes brasileiros. É muita burrice imaginar uma coisa dessa!

    Só a claque do rola-bosta 100% idiota não sabe disso!

  187. Olá!

    Como diria o poeta: Jornalismo é oposição. O resto é armazém de secos e molhados.

    Uma pergunta para a ala esquerdo-petista daqui do site: Se fossem depender dos jornalistas e demais veículos de imprensa abertamente governistas, será que escândalos como o Mensalão, os Aloprados e etc. teriam vindo à tona por obra dessa gente?

    Dica: Alguns desses jornalistas e jornais/revistas governistas chegam ao absurdo de utilizar evidências falsas para atacar os inimigos do governo e safar a reputação daqueles que pagam seus salários, imaginem então se iriam de fato correr atrás de pistas que fossem desaguar em algum grande escândalo de corrupção implementado pelo governo.

    Existem jornalistas que eu deixei de ler depois de algumas demonstrações abertamente a favor do governo, algumas beirando a canalhice intelectual. O caso que considero o exemplo ne plus ultra disso é uma coluna do Gilberto Dimenstein a respeito da condenação do corrupto José Dirceu (colega de partido de algumas pessoas daqui do site). Excerto:

    Lugar de Dirceu é na cadeia?

    [. . .]

    O leitor vai dizer que estou defendendo a impunidade. Errado. Primeiro, defendo, por princípio, que apenas os criminosos violentos ou aqueles que possam fugir do país sejam encarcerados.

    Existe também uma questão pragmática. Os presídios já estão superlotados, gerando a cada dia mais degradação. Isso, em si, já é um crime praticado pelo aparelho estatal.

    Estou feliz em ver tanta gente influente punida. Mas não entro nessa onda que vê a prisão como vingança. Por isso, o lugar de Dirceu é nada de cadeia.

    O Dimenstein usou uma malandragem retórica nesse texto dele para chegar à conclusão de que o lugar do Dirceu não é a prisão, pois a condenação do Dirceu nada tem a ver com vinganças ou coisas do tipo, mas, pura e simplesmente, o que recomendam as leis democraticamente estabelecidas.

    Fosse um não-petista o condenado, Dimenstein não daria a mínima.

    Existem outros jornalistas que também não leio, como Kennedy Alencar, Fernando Rodrigues, Ricardo Kotscho, Mônica Bergamo e afins.

    A blogosfera progressista, o rejeito fecal da imprensa séria e independente, nem vale a pena passar perto.

    Mas, apesar disso tudo, não defendo “controle social da mídia” (leia-se: controle e censura estatal do conteúdo publicado pela imprensa livre). Aliás, os esquerdistas brincam com fogo ao propôr o tal do “controle social da mídia”, pois, mais cedo ou mais tarde, a dita direita brasileira (sic) assume o poder e pode dar uma adaptada nesse tal “controle”.

    Enfim, existe muita diversidade na imprensa atual. Cabe ao leitor escolher onde quer passar uma tarde, se lendo jornais de verdade ou bebendo um refresco de frutas em algum desses armazéns de secos e molhados patrocinados pelo governo.

    Até!

    Marcelo

  188. Otto said

    Ó Edu, um um texto sob medida pra você, sobre aquilo que vínhamos conversando ontem. E não é de nenhum blogueiro sujo não. Saiu no Estadão:

    O PIB É IMPORTANTE MAS NÃO É TUDO

    O que mede o sucesso econômico de um país? Certamente, o crescimento do valor agregado gerado (o Produto Interno Bruto – PIB) é um dos indicadores importantes, por medir o valor absoluto de tudo o que foi produzido, assim como por permitir compará-lo com períodos anteriores e com o de outros países. É um termômetro significativo, mas não o único. Outros indicadores de desempenho também são relevantes, como o nível do emprego, dos salários reais, da distribuição de renda, além de outros dados macroeconômicos, como endividamento e déficit público relativamente ao produto gerado, etc.

    Vale, neste ponto, registrar alguns aspectos da economia brasileira. O primeiro é que, embora o crescimento doméstico seja baixo, em torno de 1%, previsto para o acumulado de 2012, o desempenho corrente, ou seja, o ritmo de desempenho atual da economia, é bem melhor. O crescimento do 3.º trimestre, por exemplo, de 0,6%, já representa um ritmo anualizado de 2,4% ao ano; e o do 4.º trimestre, que só conheceremos mais à frente, muito provavelmente será ainda mais expressivo. Se for de 0,8%, por hipótese bastante plausível, considerando os indicadores antecedentes, representará um crescimento anualizado de 3,2%, três vezes superior ao acumulado de 2012. O importante é que esse nível de atividade deverá se consolidar em 2013, traduzindo-se num crescimento da ordem de 3,5% médio para o ano, podendo evidentemente ser maior, se as circunstâncias, não só internas, mas externas, assim permitirem.

    O segundo aspecto a ser observado é que recorrentes comparações com o desempenho de outros países sul-americanos podem, à primeira vista, saltar aos olhos, mas uma análise mais detalhada as desmistifica. Chile e Peru, por exemplo, têm estimativas de crescimento para 2012, respectivamente, de 5% e 6%, segundo prognósticos da Cepal. Ocorre que o crescimento gerado pelos dois países, embora porcentualmente bem maior que o do Brasil, será menor em valores absolutos. O PIB do Chile equivale a US$ 248 bilhões e o do Peru, a US$ 177 bilhões. Aplicando as taxas previstas de crescimento para ambos, teríamos um acréscimo de US$ 12 bilhões, no primeiro caso, e de US$ 11 bilhões, no segundo. Como o PIB brasileiro representa US$ 2,5 trilhões, mesmo o crescimento de apenas 1% em 2012 gerará um acréscimo de US$ 25 bilhões, superior, portanto, à soma dos dois países.

    É por esta e por outras razões que o ingresso de Investimento Estrangeiro Direto (IED) anual do País supera US$ 60 bilhões, mesmo em tempos de crise, como em 2011 e 2012, segundo dados do Banco Central. O investidor produtivo não está preocupado com o baixo crescimento momentâneo, mas, sim, com o volume do mercado doméstico brasileiro e o seu potencial de crescimento futuro.

    O terceiro aspecto importante é que o Brasil vem obtendo progressos notáveis no seu desempenho qualitativo. O desemprego, que se tornou um drama para a imensa maioria dos países do G-20, nos últimos anos pós-crise, reduziu-se a 4,9% da População Econômica Ativa brasileira, conforme divulgou o IBGE. Nos 12 meses acumulados até novembro, o saldo líquido de empregos formais gerados atingiu 1.043.000 postos de trabalho, considerando os dados do Caged. A massa salarial real deve crescer pelo nono ano consecutivo a uma média anual superior a 4%. No último decênio, cerca de 40 milhões de pessoas ascenderam à classe C, a população de classe média brasileira, que já representa mais da metade do total, segundo estudos divulgados pelo Ipea.

    É claro que, para consolidar e ampliar o movimento em curso, o crescimento econômico é condição necessária, embora não suficiente. É, pois, muito importante restabelecer as condições para um crescimento mais robusto e sustentado da economia, assim como é imprescindível aprimorar as políticas sociais para universalizar os progressos em curso. O principal é que, levando-se em conta o quadro apresentado, o baixo crescimento do PIB em 2012 está longe de poder ser considerado uma derrota.

    Antonio Corrêa de Lacerda é Professor Doutor do Programa de Estudos Pós-graduados em Economia Política da PUC-SP, doutor pelo IE/Unicamp.

  189. Chesterton said

    Bom notar que o patriarca anda lendo o reinaldão mais que qualquer um por aqui….

  190. Michelle 2 said

    # 186
    Eu até pensei em responder ao que vc postou. Mas resolvi
    mantê-lo na ignorância.
    É mais higiênico.
    Um petralha na ignorância é muito mais divertido.Embora redundante.

    A propósito: Você ensaia as bobagens que fala ou é espontâneo?
    Por exemplo de onde vc tirou esta asneira que as aplicações financeiras
    nos US são definidas por leis estaduais???
    Poupador americano comprando Letras do Tesouro Americano???
    De onde vc tirou esta asneira que as contas savings são as únicas disponíveis
    para o poupador americano??? Eu nunca afirmei isto.

    Pelo jeito…nem bosta vc consegue rolar.
    Parece que você inventa e se enrola na própria bosta.
    Sem claque.

  191. Chesterton said

    A decadência da França

    Gérard Depardieu já é cidadão russo. Foi recebido pelo próprio Vladimir Putin, depois de polêmica feia com o governo de François Hollande.

    Eis a questão: Depardieu está cansado de pagar impostos. Durante a sua longa carreira, já pagou mais de € 145 milhões (cerca de R$ 384 milhões). Chega. Sobretudo quando o governo de Hollande promete taxar com redobrada dureza os mais ricos do país.

    Comento essa história com alguns amigos progressistas que não se conformam: se o Estado francês deseja aumentar para 75% o Imposto de Renda de quem ganha mais de € 1 milhão (R$ 2,6 milhões), como é possível que Depardieu se recuse a contribuir?

    Claro que o verbo, na minha opinião, não é “contribuir”. É “permitir”. No caso, “permitir” ser roubado pelo Estado. Mas o problema, no fundo, é outro: quando Depardieu diz adeus à França e aceita um passaporte de Putin, talvez seja a França, e não Depardieu, que esteja com problemas sérios.

    Aliás, bastaria perguntar aos meus amigos progressistas quando estiveram eles em Paris pela última vez. O silêncio seria geral. Paris é uma cidade que já não existe no radar deles.

    Sem falar do óbvio: qual foi o último romancista francês que eles leram em 2012? Qual foi o filme a que assistiram? Que exposição os motivou ou encantou?

    E, filosoficamente falando, quem é o grande pensador francês da atualidade? Melhor ainda: seriam eles capazes de ler esse pensador na língua original?

    “É a economia, estúpido!”, dizia um conhecido marqueteiro americano nas eleições presidenciais de 1992 entre Clinton e Bush (pai). No caso da França, a economia é apenas o começo do problema.

    E esse começo é o mesmo dos países do sul da Europa: o euro, uma quase imposição gaulesa para que a União Europeia engolisse a temível reunificação da Alemanha, permitiu à França uma década de endividamento e gastos públicos como se não existisse amanhã.

    Os resultados, que a revista “The Economist” resumiu recentemente, arrepiam qualquer cristão: o Estado consome 57% do PIB (a maior fatia de toda a zona do euro). A dívida pública saltou dos 22% do PIB (em 1981) para os 90% (em 2012). O desemprego atinge 25% da população jovem.

    Perante tudo isso, a solução de François Hollande é taxar tudo que se mexe: trabalho, capitais, patrimônio. E depois? Quando não existir mais nada nem ninguém para “contribuir”?

    Depois, a França chegará a duas conclusões dolorosas.

    A primeira é que, ao adiar as reformas necessárias para que a sua economia seja minimamente competitiva, Paris capitulou perante a Alemanha: Angela Merkel é hoje a líder informal da Europa, não François Hollande.

    E, segunda, que há um cheiro de declínio no território preferencial dos franceses: o da cultura.

    Anos atrás, a revista “Time” provocou polêmica ao cartografar esse declínio com números. Na França, publica-se muito -mas os livros não sobrevivem fora das fronteiras francesas. Na França, filma-se muito -mas os filmes também não sobrevivem fora do país.

    O mais celebrado artista plástico francês -Robert Combas- é personagem secundário nos circuitos artísticos internacionais (que estão em Londres, Nova York e até Berlim). A cultura pop francesa é uma piada (ou, no limite, uma imitação grotesca dos rappers americanos).

    Se não fossem moda e gastronomia, que só com muita benevolência podem ser consideradas “alta cultura”, o que seria da França, hoje?

    Formulo essa questão e o leitor, conhecendo a minha costela anglófila, imagina um riso perverso.

    Imagina mal. Em 2012, o melhor livro que li foi francês (“O Mapa e o Território”, de Michel Houellebecq). Em 2012, o melhor filme a que assisti foi uma produção parcialmente francesa (“Amour”, de Michael Haneke). E, para ficar na filosofia, o melhor tratado de política que li no ano findo também foi francês (uma história do liberalismo de Pierre Manent).

    Só que tudo isso são exceções que só confirmam o meu desgosto: eu gostaria de ter mais França, e não menos, nas estantes de minha casa. Isso só não é possível porque o declínio é real.

    Sem enfrentar esse declínio, os meus amigos progressistas podem encontrar em Gérard Depardieu o bode expiatório. Infelizmente, não será o bode a ressuscitar o rebanho.

    João Pereira Coutinho,

  192. Chesterton said

    Quem diria, para saber sobre as peripécias das elites socialistas europeias deve-se ler o Pravda!!1

    http://english.pravda.ru/opinion/columnists/04-01-2013/123380-global_warming-0/

  193. Pax said

    Parece que o caldo está engrossando, já anunciam um racha ainda maior de serristas tucanos contra a candidatura de Aécio em 2014.

    Isto é como o título de Gabriel Garcia Márquez: “Crônica de uma morte anunciada” (aliás, excelente livro, um dos melhores dele).

    http://ultimosegundo.ig.com.br/politica/2013-01-09/ala-serrista-do-psdb-ameaca-revoada-em-resposta-a-candidatura-de-aecio.html?utm_campaign=social&utm_source=twitter&utm_medium=posts

  194. Zbigniew said

    Essa oposição fajuta não se emenda. Êita pessoalzinho ruim de serviço. Depois não entendem porque levam uma pisa atrás da outra no voto. Não tem mídia amiga ou Judiciário que dê jeito. Assim fica fácil pro PT. Só que o problema é de ideologia, e quando isso acontece a mudança é quase impossível.


    (…)

    Compare-se, por exemplo, o espaço destinado à grita gerada pelo ajuste contábil nas contas fiscais de 2012, com o tratamento respeitoso dispensado a outro arranjo ,mutatis mutandis, este sim temerário e escandaloso.

    O prazo para o sistema bancário mundial lastrear empréstimos em ativos de qualidade superior à montanha tóxica esfarelada com a ordem neoliberal, foi protelado por mais quatro anos.

    Só deve vigorar plenamente em 2019. Ou seja, 11 anos depois de iniciada a crise decorrente justamente dessa falta de cobertura.

    Originalmente, a banca deveria ingressar em 2015 já municiada de “ativos líquidos de alta qualidade” para enfrentar 30 dias de crise.

    Isto é, para não exigir que os cofres estatais e os fundos públicos tenham que ser drenados outra vez na salvação de banqueiros irresponsáveis e rentistas gulosos.

    A torre de vigia do orçamento fiscal brasileiro, formada como se sabe por argutos jornalistas do ramo, não expressou sua indignação diante da manobra contábil, que mantém o sistema financeiro global vulnerável por mais sete longos anos.

    Não se diga que o legado da desordem financeira justifique o comedimento.

    A taxa de desemprego nos 17 países da zona do euro atingiu um novo recorde: foi a quase 12% no final de 2012.

    Ao todo, 26 milhões de pessoas estão sem trabalho na União Europeia. A taxa vai a 24,4% entre os jovens.

    Na Espanha direitista e zelosa da ortodoxia que gerou a crise, o desastre atinge seu cume: 26,6% dos espanhóis vivem à deriva sem trabalho.

    Tudo em nome da austeridade fiscal, cujo padrão os sabichões tucanos reclamam de volta para o Brasil. (Leia a análise de Paul Krugman sobre o tema fiscal nesta pág.)

    Afrontá-los não implica, naturalmente, aderir a uma leitura rasteira do keynesianismo, nivelando-o a um vale tudo fiscal.
    (…)”

    Por Saul Leblon na Carta Maior.

  195. Edu said

    Como eu disse: tava mais que na hora do Pax fazer outro post… senão o vexame de alguns do site ficaria insustentável.

  196. Edu said

    Otto,

    Mas vc não precisava ter publicado esse texto do Estadão, eu sei disso! Por isso mesmo que eu não estou falando dos outros indicadores! Estou falando do PIB, só isso. O PIB do Brasil está pífio!

    Pergunta: para um país reduzir desigualdade é necessário reduzir a evolução do PIB?
    Pergunta: para um país aumentar os salários reais é necessário reduzir a evolução do PIB?
    Pergunta: um país cujo endividamento está, como vcs mesmos dizem, privilegiado, deveria segurar tanto os investimentos como a Dilma anda fazendo?
    Pergunta: um país que com redução de impostos, como vcs dizem, está arrecadando mais, não deveria financiar melhor a educação? E ter se preparado com muito mais antecedência sobre a questão da energia elétrica, em vez de usar como desculpa a ociosidade das termelétricas? Ou mesmo, ter ajustado suas contas com a arrecadação extra?
    Aliás, essa é outra pergunta: se o país está arrecadando mais, e investindo menos, por que teve que usar de uma manobra contábil para fechar as contas?

    Otto, os salários já vinham sendo reajustados antes, desde o Lula. Por isso eu disse: o problema não é o Lula, ou o FHC, mas a Dilma-mão-pesada-neoliberal-ornitorrinca. Ela consegue mascar chiclete e subir escada ao mesmo tempo? Por que tamanha dificuldade, se o Lula já tinha deixado tudo prontinho, preparado, pavimentado…? Era só ela gerenciar! E é esse o problema! Onde está a gestão da Dilma?

  197. Patriarca da Paciência said

    Edu,

    já que você falou em vexame, eu ia deixar para lá, mas vamos lá.

    Se você se referia que 4% seria o rendimento real da poupança, é demais.

    Se você se referia que 4% seria o rendimento total da poupança é de menos.

    Então foi um simples vexame mesmo!

  198. Edu said

    Patriarca,

    Se serviu a carapuça foi mal aí! Bwahahahahaa

    Vexame é a Dilma-mão-pesada-ornitorrinca e o Guido-viaja-na-Mantega, que aprendeu a fazer contas com algum contador mal-preparado que não sabe distinguir longo prazo econômico de longo prazo contábil.

    São eles, que diante de uma situação tão maravilhosa, tão boa, tão supimpa, tão excelente, conseguiram dar ao Brasil um PIBinho e um rendimento real para a poupança do trabalhador de menos de 0,9% ao ano.

    O vexame por enquanto é esse. Deixemos o vexame de ter votado neles para os próximos 2 anos, até pq a alternativa não sei se seria tão boa assim…

    … mas, caro Patriarca, se a carapuça do vexame lhe serviu, sinto muito.

  199. Patriarca da Paciência said

    Essa foi muito fraquinha, Edu,

    seja menos infantil e reconheça seu vexame!

    É muito mais honesto!

  200. Edu said

    Patriarca,

    Repita comigo: longo prazo…. longo prazo… longo prazo… PIBinho… PIBinho… PIBinho…

  201. Patriarca da Paciência said

    Edu,

    escreva mil vezes no seu caderno:

    eu não vou mais ler as boçalidades do rola-bosta 100% idiota.

  202. Michelle 2 said

    A era do deboche
    09 de janeiro de 2013 | 2h 06
    Rolf Kuntz – O Estado de S.Paulo
    Mais uma vez as chuvas do verão destroem, desalojam e matam, de modo tão previsível quanto as bandalheiras orçamentárias, mas o governo federal só gastou no ano passado cerca de um terço – 32,2% – das verbas previstas para prevenção, enfrentamento de desastres e reconstrução. O Tesouro pagou R$ 1,85 bilhão dos R$ 5,75 bilhões autorizados, segundo números oficiais tabulados pela respeitada organização Contas Abertas. Nada espantoso, nada anormal. A normalidade inclui, segundo altos funcionários da Fazenda, malabarismos contábeis para a encenação do cumprimento da meta fiscal. Foi tudo legal, tudo certinho, segundo o secretário do Tesouro, Arno Augustin. Não seria mais fácil, mais claro e mais decente reconhecer o mau resultado e tentar, se fosse o caso, justificá-lo? Em outros tempos, com certeza. Na era do deboche, é igualmente normal deixar a aprovação do Orçamento para depois, porque o Executivo dará um jeito de garantir as despesas, dentro ou fora dos padrões constitucionais.

    Neste tempo bandalho, o poder público tem prioridades muito mais interessantes que administrar a vida coletiva e servir aos interesses da sociedade. É preciso aproveitar o tempo e o dinheiro dos contribuintes para financiar empresas selecionadas, proteger setores amigos, oferecer contratos a grupos felizardos e pôr as estatais a serviço de projetos políticos pessoais e partidários. Também natural – como consequência – foi a deterioração da Petrobrás, depois de anos de submissão a decisões centralizadas no Palácio do Planalto. Com persistência, a nova presidente, Graça Foster, talvez consiga arrumar a empresa, se ficar no posto por tempo suficiente. Tem mostrado disposição para o trabalho sério, mas sua figura contrasta, perigosamente, com a maior parte do cenário.

    Na era do deboche, os padrões políticos e gerenciais se degradam em quase todos os cantos e todos os níveis do sistema de poder. Um bonde sai dos trilhos, por falta de manutenção, e passageiros morrem. A primeira reação das autoridades é lançar suspeitas sobre o motorneiro, também morto no acidente. Uma criança baleada fica oito horas sem atendimento, embora levada a um hospital. Resposta oficial: o médico faltou. Faltou, sim, mas essa é a resposta errada. Pode ter sido irresponsável, mas também poderia ter sido atropelado ou atingido por um raio. Em qualquer cidade gerida com um mínimo de competência e seriedade, os serviços públicos essenciais funcionam como um sistema. Não havia outros médicos disponíveis? Não se podia mobilizar uma ambulância para levar a vítima a um lugar onde recebesse assistência? Na segunda maior cidade de uma das dez maiores economias do mundo, a falta de um único funcionário pode comprometer o socorro de emergência a uma pessoa ferida ou doente.

    Mas o padrão se repete. Na capital federal, crianças ficaram sem atendimento porque plantonistas faltaram para prestar exames de residentes. Nenhum administrador sabia? Afinal, quem aplicou o exame? Novamente: que porcaria de sistema administrativo deixa a segurança dos pacientes na dependência de jovens profissionais? Sistemas organizados para funcionar de verdade têm mecanismos de segurança. São impessoais. Nenhum dirigente de nível superior tem o direito de renegar a própria responsabilidade para transferi-la aos subordinados na ponta da linha.

    Na era bandalha, quem se importa com a escala das responsabilidades e com a qualidade gerencial do setor público? O governo brasileiro comprometeu-se em 2007 a hospedar a Copa do Mundo de 2014. Em 2011, quando o novo governo se instalou, nada, ou quase nada, havia sido feito para preparar o País. Havia atraso nas obras de aeroportos, estádios, estradas e sistemas urbanos de transporte. Os atrasos continuam, mas os custos subiram, muito dinheiro foi desperdiçado e mais ainda será perdido.

    Nesta fase debochada, os apagões se multiplicam e chegam a atingir vários Estados, às vezes por várias horas. Os altos funcionários do sistema falam em raios, depois em falhas humanas. A chefe de todos recomenda aos jornalistas uma gargalhada, se alguém mencionar novamente a queda de um raio. Mas quem tem autoridade para pôr ordem na casa e cobrar seriedade na gestão do sistema?

    Em tempos bandalhos, o presidente da Câmara dos Deputados promete asilo a condenados num processo penal – criminosos, portanto -, se a Justiça ordenar sua prisão. Qual o próximo passo: votar a revogação das penas? Combinaria bem com os padrões atuais de normalidade. Quando o Congresso adia a votação do Orçamento, crianças ficam sem assistência médica porque o serviço hospitalar é um desastre, a economia emperra porque a infraestrutura se esboroa e a diplomacia, outrora competente e respeitada, se torna subserviente à senhora Cristina Kirchner, a piada final é atribuir os males do País ao câmbio valorizado e aos juros. Abaixo o real, e tudo será resolvido.

  203. Michelle 2 said

    Edu

    repita comigo: Vexame é a Dilma-mão-pesada-ornitorrinca !
    Apenas 1 vez.

  204. Olá!

    Repitam comigo: É tudo culpa dos estados e municípios!

    Até!

    Marcelo

  205. Chesterton said

    A Era da Putaria Generalizada
    Até mesmo Rolf Kuntz se cansa das asnices e canalhices petistas: Nesta fase debochada, os apagões se multiplicam e chegam a atingir vários Estados, às vezes por várias horas. Os altos funcionários do sistema falam em raios, depois em falhas humanas. A chefe de todos recomenda aos jornalistas uma gargalhada, se alguém mencionar novamente a queda de um raio. Mas quem tem autoridade para pôr ordem na casa e cobrar seriedade na gestão do sistema? Em tempos bandalhos, o presidente da Câmara dos Deputados promete asilo a condenados num processo penal – criminosos, portanto -, se a Justiça ordenar sua prisão. Qual o próximo passo: votar a revogação das penas? Combinaria bem com os padrões atuais de normalidade. Quando o Congresso adia a votação do Orçamento, crianças ficam sem assistência médica porque o serviço hospitalar é um desastre, a economia emperra porque a infraestrutura se esboroa e a diplomacia, outrora competente e respeitada, se torna subserviente à senhora Cristina Kirchner, a piada final é atribuir os males do País ao câmbio valorizado e aos juros. Abaixo o real, e tudo será resolvido.
    POSTED BY SELVA BRAS

  206. Edu said

    O Patriarca quer tolher uma liberdade minha! hahahahaha

    Ele quer me proibir de ler.

    Patriarca, como eu não sou egoísta, nem gosto de censurar ninguém, desejo q vc faça o contrário: leia!

    Leia muito!

    Leia sobre a esquerda, que tanto gosta, leia sobre a direita, que tanto odeia, leia romances, leia crônicas, leia auto-ajuda (bastante recomendável), leia sobre biologia, contabilidade e economia (bastante recomendável tbm)!

  207. Michelle 2 said

    Edu: esse é o tal do “controle social da mídia”?
    Imagine um petralha como um xerife dessa estrovenga.

    O único caso de auto-censura assumido aqui é o Pax.
    Ele A-DO-RA não ler nada que contrarie suas convicções!

  208. Edu said

    Michelle,

    Não! Isso é a democracia a lá PT: se não podemos censurar a mídia, vamos proibir os olhos das pessoas de lerem, claro! Na constituição não tem nada escrito isso mesmo…

    Se vc tiver como ver aí de Londres, dá uma olhada na tirinha do Alan Sieber, da FSP. Ultimamente ele tem apresentado uma que chama: Rovilson, o homem que se entrega! Achei muito divertido!

  209. Chesterton said

    207, :)

  210. Chesterton said

  211. Chesterton said

    Portugal trocou
    o populismo pela vida como ela é
    Desde que entrou para a União Europeia, Portugal acreditou que tinha virado país desenvolvido. Seus governos socialistas criaram benefícios populistas de todo tipo, mas pouco se preocuparam com a conta, a diversificação e o aumento da competitividade. O resultado está aí: para sobreviver, o Estado português vende tudo o que ainda tem, como a elétrica EDP para chineses e a aérea TAP para quem der mais.
    ch

Faça seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: