políticAética

Notícias da Corrupção, Desvios, Anomalias, Eleições e Meio Ambiente

  • Sobre o blog

    Uma coletânea das notícias da corrupção, desvios, anomalias, eleições e meio ambiente que aparecem na mídia todos os dias a partir de agosto de 2008.
  • Categorias

  • Arquivos

  • Páginas

  • Meta

Ministério Público vai investigar Lula

Posted by Pax em 09/01/2013

Com base nas acusações que o esquema do mensalão pagou despesas pessoais do ex-presidente Lula, o procurador-geral da República, Roberto Gurgel, decidiu remeter o caso à primeira instância para investigação.

As acusações foram feitas por Marcos Valério, o grande operador do esquema de desvios iniciado pelos tucanos e adotado pelos petistas.

PROCURADOR DECIDE PEDIR INVESTIGAÇÃO DE ACUSAÇÕES DE VALÉRIO CONTRA LULA
O Estado de S. Paulo – 09/01/2013 (via site do Ministério do Planejamento)

O Ministério Público Federal (MPF) vai investigar o ex-presidente Lula com base nas novas acusações de Marcos Valério, reveladas pelo Estado em dezembro, que envolvem o petista no esquema do mensalão. O procurador-geral da República, Roberto Gurgel, decidiu remeter o caso à primeira instância, uma vez que Lula não tem mais foro privilegiado, informam Felipe Recondo e Alana Rizzo. A decisão foi tomada no fim de dezembro, após o encerramento do julgamento do mensalão no STF. O ex-presidente pode ser chamado para prestar depoimento. Marcos Valério também poderá ser convocado para dar mais detalhes da acusação feita em depoimento ao MP, em setembro do ano passado. No documento, de 13 páginas, Valério afirmou ter passado dinheiro para Lula arcar com “gastos pessoais” em 2003. 0 empresário disse que os recursos foram depositados na conta da empresa Caso, do ex-assessor Freud Godoy, espécie de “faz-tudo” de Lula

O Ministério Público Federal vai investigar o ex-presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva com base na acusação feita pelo operador do mensalão, Marcos Valério, de que o esquema também pagou despesas pessoais do petista, O procurador-geral da República, Roberto Gurgel, decidiu remeter o caso à primeira instância, já que o ex-presidente não tem mais foro privilegiado. Isso significa que a denúncia pode ser apurada pelo Ministério Público Federal em São Paulo, em Brasília ou em Minas Gerais.

A integrantes do MPF Gurgel tem repetido que as afirmações de Valério precisam ser aprofundadas. A decisão de encaminhar a denúncia foi tomada no fim de dezembro, após o encerramento do julgamento do mensalão no Supremo Tribunal Federal (STF), Condenado a mais de 40 anos de prisão, Valério, que até então poupava Lula, mudou a versão após o julgamento.

Ainda sob análise do procurador-geral da República, o depoimento de Valério em setembro do ano passado, revelado pelo Estadô, e os documentos apresentados por ele serão o ponto chave da futura investigação que, neste caso, ficaria circunscrita ao ex-presidente.

O procurador da República que ficar responsável pelo caso poderá chamar o ex-presidente Lula para prestar depoimento. Marcos Valério também poderá ser chamado para dar mais detalhes da acusação feita ao Ministério Publico em 24 de setembro, em meio ao julgamento do mensalão. Petistas envolvidos no esquema sempre preservaram o nome de Lula desde que o escândalo do mensalão foi descoberto, em 2005.

Mentiroso. Ao tomar conhecimento das acusações feitas por Valério, Lula o chamou de mentiroso. “Eu não posso acreditar em mentira, eu não posso responder mentira”, reagiu o ex-presidente, em dezembro do ano passado.

No depoimento de 13 páginas, Valério disse ter passado dinheiro para Lula arcar com “gastos pessoais” no início de 2003, quando o petista já havia assumido a Presidência. O empresário relatou que os recursos foram depositados na conta da empresa ;de segurança Caso, de propriedade do ex-assessor da Presidência Freud Godoy. Nas palavras de Valério, Godoy era uma espécie de “faz-tudo” de Lula.

Ao investigar o mensalão, a CPI dos Correios detectou, em 2005, um pagamento feito pela SMPB, agência de publicidade de Valério, à empresa de Freud. O depósito foi feito, segundo dados do sigilo quebrado pela comissão, em 21 e janeiro de 2003, no valor de R$ 98,5 mil.

Oficialmente, Freud Godoy afirmou que o dinheiro serviu para o pagamento de serviços prestados durante a campanha eleitoral de 2002. Esses serviços, admitiu Freud Godoy à época da CPI, não foram formalizados em contrato e não houve contabilização formal das despesas.

No depoimento, Valério disse que esse dinheiro tinha como destinatário o ex-presidente Lula. Ele, no entanto, não soube detalhar quais as despesas do ex-presidente foram pagas com esse dinheiro. Conforme pessoas próximas, Valério afirmou que esse pagamento ocorreu porque o governo ainda não havia descoberto a possibilidade de gastos com cartões corporativos.

Gurgel volta de férias na próxima semana e vai se debruçar sobre o assunto. A auxiliares, o procurador já havia indicado que seria praticamente impossível arquivar o caso sem qualquer apuração prévia. No fim do ano, a subprocuradora Cláudia Sampaio e a procuradora Raquel Branquinho, que colheram o depoimento de Valério, foram orientadas por Gurgel a fazer um pente fino nas denúncias. „

A intenção era identificar possíveis inconsistências no depoimento e armadilhas jurídicas. Gurgel, por mais de uma vez, manteve reservas sobre a acusação feita por Valério. E publicamente afirmou que o empresário é um jogador. Mas não desqualificou de pronto as afirmações do operador do esquema. (continua no site do Ministério do Planejamento…)

Anúncios

435 Respostas to “Ministério Público vai investigar Lula”

  1. Patriarca da Paciência said

    Caro Pax,

    de minha parte, como cidadão brasileiro, não acredito que exista uma única pessoa acima de qualquer suspeita. Se há dúvidas, que investiguem mesmo, mas com seriedade e com base em fatos, não em teorias ou inovações.

    Só que o enredo montado fica cada vez mais confuso. Se o Lula era o verdadeiro chefe e o Dirceu foi condenado como “chefe”, como é que fica a coisa?

    Grandes emoções!

    Para quem venceu a fome, a pobreza, uma viagem de pau-de-arara de Pernambuco a São Paulo, enfrentou a ditadura militar, o preconceito etc.etc.etc., essa investigaçãozinha é apenas mais uma batalhazinha trivial.

    Só que não vão poder mais condenar o José Dirceu como “chefão”.

    Caramba!

    Que enredo complicado!

  2. Otto said

    Maior barriga do Estadão:

    247 – No jargão do jornalismo, furo é a notícia importante dada com exclusividade. Barriga é o inverso: um erro de grandes proporções. Foi o que o jornal O Estado de S. Paulo cometeu em sua edição desta quarta-feira 9, ao noticiar com estardalhaço que o procurador-geral da República, Roberto Gurgel, teria decidido pedir uma investigação ao Ministério Público Federal contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. A base seria um depoimento do empresário Marcos Valério à Procuradoria Geral da República, publicado antes pelo mesmo jornal.

    Ao contrário do que disse a reportagem, Gurgel informou em nota nesta manhã que, ao contrário de ter concluído, sequer iniciou a investigação sobre as declarações de Valério. “A Secretaria de Comunicação do Ministério Público Federal informa que o procurador-geral da República, Roberto Gurgel, ainda não iniciou a análise do depoimento de Marcos Valério, pois aguardava o término do julgamento da AP 470 (mensalão). Esclarece ainda que somente após a análise poderá informar o que será feito com o material. Portanto, não há qualquer decisão em relação a uma possível investigação do caso”, informa o órgão.

    O procurador havia dito nesta terça-feira que provavelmente enviaria o caso à primeira instância, já que Lula não tem mais direito a foro privilegiado, de acordo com reportagem da Folha de S.Paulo. Mas o Estadão confirmou a decisão de Gurgel. Também nesta manhã, a colunista do jornal O Globo Miriam Leitão havia negado a informação do jornal, dizendo que encontrou por acaso o procurado em Brasília e que ele a havia informado que não tinha tomado decisão sobre o caso ainda. De acordo com Marcos Valério, Lula teria tido despesas pagas com dinheiro do chamado ‘mensalão’.

    http://www.brasil247.com/pt/247/midiatech/90067/Gurgel-nega-investiga%C3%A7%C3%A3o-Furo-%C3%A9-barriga-do-Estad%C3%A3o.htm

  3. Patriarca da Paciência said

    É meu caro Otto,

    a coisa anda feia para o lado do PIG.

    Apagão, Crise, Investigação do Lula, parece que nada mais cola!

    O que será que eles vão inventar na próxima?

    O mais incrível é que os jornais noticiam que vai haver racionamento por causa da seca e no seguimento noticiam que houve chuvas torrenciais nas cabeceiras do principais rios!

    Noticiam crise e em seguida pleno emprego!

    Aonde isso vai parar?

  4. Otto said

    Patriarca: é desespero misturado com torcida que faz o PIG perder a noção!

    Eles sabem que 2014 está perdido pra eles.

  5. Patriarca da Paciência said

    É bem isso, caro Otto.

    E o racha do PSDB? Aí parece que a coisa não é só boato, é racha mesmo!

    Serra confirmou tudo que falavam sobre ele. O cara é mesmo desagregador, megalomaníaco, prepotente e extremamente vaidoso!

    E também o caso confirmou que o Lula nunca “empurrou goela abaixo” nenhum poste ao PT.

    O que o Lula fez e faz é ser extremamente político. Conversa com todo mundo, convence com seus argumentos e quando vê que tudo está acordado anuncia sua decisão.

    Parece que aconteceu exatamente ao contrário com o FHC. Quis empurrar o Aécio de goela abaixo no PSDB, ouvindo apenas os cardeais e a coisa deu no que deu.

    Confirma também que o Lula é bem superior em conhecimentos e talento político ao FHC.

    E por falar em nota do Ministério Público, é a segunda vez que este órgão presta esclarecimentos.

    Com a Carta Capital foi a mesma coisa. Fizeram o maior escarcéu que o MP estava processando a revista por ter forjado documentos falsos e foi tudo desmentido.

    A claque do rola-bosta 100% idiota deu o maior vexame por aqui!

  6. Edu said

    Eu acho uma perda de tempo investigarem Lula.

    Pra quê? Acho mto mais importante encerrarem o processo do mensalão e colocarem os criminosos atrás das grades e/ou cumprindo suas devidas penas.

    Além disso, depois de 8 anos de governo, a única culpa que o Lula tem é não saber de nada. Como assim culpar alguém por não saber de nada? Em se tratando de política e politicagem no Brasil, alguém, além do Elias, sabe de alguma coisa?

    No mais, o Lula é igual aqueles garotos que eram escolhidos por último na seleção de pelada das aulas de educação física: deixa que a natureza marca!

    —X—

    Eu acho que deviam investigar direito o lance do Lulinha e da Oi, isso sim!

  7. Pax said

    Se é – e ao que tudo indica é, sim – uma barrigada do Estadão, deveriam reconhecer o erro na mesma página, no mesmo tamanho e pedir desculpas.

    É que neste país a mídia não responde a ninguém e aí fica tudo por isso mesmo.

  8. Zbigniew said

    E os caras são tão canalhas que mantiveram a chamada no edição eletrônica, com um link desmentindo a headline. Depois não entendem porque só são notados por 4% da população.

    http://www.estadao.com.br/

  9. Zbigniew said

    Isto até às 14h28.

  10. Zbigniew said

    Hahahahaha!
    E sabem quem é o autor do artigo? Sebastião Ventura Pereira da Paixão Jr., advogado especializado em Direito do Estado e Direito Previdenciário, especialista do Instituto Millenium.

    Essa do Estadão vai ficar para a história.

  11. Patriarca da Paciência said

    “A presidente do TSJ, Luisa Estella Morales, anunciou que a Sala Constitucional da corte não considera imprescindível a cerimônia de posse e a juramentação do presidente Hugo Chávez em 10 de janeiro para a renovação de seu mandato. “Apesar de no dia 10 se iniciar um novo período, não é necessária uma nova tomada de posse do presidente Hugo Chávez.”

    A magistrada esclareceu que, diante da análise detalhada do Artigo 231 da Constituição do país, a Sala entende que Chávez poderá prestar juramento quando puder fazê-lo ante o próprio TSJ. “O juramento do presidente reeleito pode ser feito em uma oportunidade após o dia 10 de janeiro, como previsto no artigo 231 da Constituição.”

    Segundo a sentença, o novo mandato de Chávez, começa amanhã e termina em 10 de janeiro de 2020. O TSJ também argumentou que, na transição entre o mandato que se encerra do dia 10 e o que se inicia em seguida não houve interrupção das atividades administrativas e de governo. ”

    http://www.estadao.com.br/noticias/internacional,justica-da-venezuela-considera-legal-adiamento-de-posse-de-chavez,982297,0.htm

    Espero que não seja mais uma barrigada do Estadão.

    E agora, como fica o PIG?

    Tanto que eles noticiaram que o “ditador Chavez” deveria simplesmente ser deposto e marcado novas eleições.

    O rola-bosta 100% idiota vai “obrar”. no mínimo, 100 textos de 10 páginas explicando porque o Supremo da Venuzuela não entende nada de Leis!

    E o PIG já contando com um novo golpe paraguaio!

    O PIG não está mesmo com sorte!

  12. Patriarca da Paciência said

    O Boris, aquele fascista que disse que os garis “não tinham o direito de desejar feliz natal e feliz ano” , porque seus instrumentos de trabalho eram vassouras, (que m. do alto de suas vassouras!) disse que o Supremo da Venezuela é pau mandado.

    E aí, seu Boris fascista, você acha que alguém acredita que você não seja pau mandado dos donos do grupo Bandeirantes?

    Você quer enganar quem, seu pau mandado fascista?

    Quanto a supremos, acho que tanto cá como lá e em qualquer parte do mundo, são tribunais políticos.

    Essa é a grande falha do Lula e que o PT tem que expiar – permitir que, no Brasil, o supremo seja de oposição. Coisa que não acontece em nenhum outro lugar e que nunca tinha acontecido no Brasil.

  13. Edu said

    Acho que o Patriarca anda meio sem paciência…

  14. Chesterton said

    Além de ler o Tio Rei de cabo a rabo, patriarca virou chavista…..

  15. Patriarca da Paciência said

    “A porta-voz do Departamento de Estado americano, Victoria Nuland, indicou nesta quarta-feira que os Estados Unidos respeitam a decisão da Suprema Corte da Venezuela de sancionar a postergação indefinida da posse do presidente venezuelano, Hugo Chávez, marcada para a quinta-feira.”

    http://www.bbc.co.uk/portuguese/noticias/2013/01/130109_reacao_venezuela_pu_jp.shtml

    Acho que o PIG, com essa, ficou sem pai nem mãe. Então o grande senhor, amo indiscutível, acha que a posse do Chavez é problema dos venezuelanos?

    Mas como? O grande amo perdeu o interesse em exportar democracia para a Venezuela?

    Não Chesterton, eu não leio o rola-bosta 100% idiota de cabo a rabo, mas dou uma leve olhado nos títulos dos textos dele, o que é sufuciente para saber o que está escrito em toda a lenga-lenga que vem a seguir. Eu gosto de saber o que os adversários estão pensando! Com o rola-bosta 100% idiota basta ler os títulos.

    E, Edu, caso você não saiba, eu sempre fui um grande leitor. Já li de tudo, principalmente filosofia. Desde Platão e Aristóteles, Voltaire, Spinoza e Kant, Marx, Freud, até Heidegger (o mais difícil de todos), assim como literatura, Machado de Assis, Jorge Amado, Dostoievski, livros de economia, contabilidade etc.etc.etc.

    Aconselho você a ler também, só não perca muito tempo lendo o rola-bosta 100% idiota. Basta uma lida rápida nos títulos e já sabemos tudo que o “profundo pensador” está obrando.

  16. Chesterton said

    E ainda por cima “americanu”….

  17. Edu said

    Parabéns Patriarca!

    Vc fez a lição de casa direitinho… mas e aí? Aprendeu alguma coisa?

  18. Chesterton said

    |Patriarca o filosofo…hahahahahahahahaha

  19. Pax said

    História mal contada e mal reparada.

    http://clippingmp.planejamento.gov.br/cadastros/noticias/2013/1/10/pt-diz-que-investigar-lula-por-mensalao-e-absurdo

    Algumas considerações:

    1 – porque é absurdo investigar Lula caso haja indícios suficientes para isso? Todos são – ou deveriam ser – iguais perante a Justiça.

    2 – porque o Estadão deu a nota do Gurgel somente no meio de uma notícia? Não seria mais decente colocar uma manchete com o mesmo tamanho da notícia de ontem?

    3 – 2014 está no ar, sem dúvida. Dilma conta com apoio popular e um tremendo desafio pela frente: fazer a economia andar e não permitir que alguma crise a pegue pelo pé (como, por exemplo, uma eventual crise energética). E a oposição continua sem rumo. Os tucanos brigam entre si – previsível – e têm aliança com partidos que definham, o DEM e o PPS.

    4 – Parte da imprensa, Globo, Estadão, Folha e Veja principalmente, entraram na campanha de 2014 sem saber quem estão apoiando, nem mesmo o quê estão apoiando. Somente entram na campanha para derrubar o status quo. Direito deles. Entendo que melhor seria, já que estão – segundo parece – politizando suas linhas editoriais, tentar ajudar a oposição levantando algumas bandeiras, tais como segurança pública, reforma tributária, sistema de saúde, maiores e melhores investimentos em educação, infraestrutura para o país no século XXI, sei lá, alguma coisa que aproximasse o discurso da vontade da sociedade. A realidade é que estão afastados da sociedade como bem analisou FHC e não sabem o que fazer com isso.

  20. Zbigniew said

    Aí sim seria um serviço público relevante.

    Tantos furos e problemas pelo país a fora. Vejam a questão da transposição do São Francisco. Uma vergonha!
    O caso das BRs e suas duplicações. O superfaturamento das obras, a utilização de material de má qualidade.
    A questão da defesa. O problema do FX2 que vem se arrastando a décadas. Se tivéssemos uma guerra, hoje, com o Chile ou a Venezuela, nossos F5 nem sairiam do chão, e os que saíssem não seriam páreo para o F16 chilenos ou Sukhoi venezuelanos. Os tucanos (os aviões, também), coitados!

    As agências reguladoras seriam um calo a ser defenestrado. O sistema de fiscalização é uma piada. E a INFRAERO? O DNIT? Antros de corrupção.
    No que avançamos em relação ao sistema carcerário? E as reformas política e tributária. A eleitoral?

    O problema é que a oposição não tem moral para cobrar essas coisas. E tenho pra mim que nem querem. Afinal o PT fez questão de herdar os esquemas montados pelo moralistas. A imprensa partidária, de tanto omitir, maquiar e ser desonesta nas suas abordagens, perdeu a credibilidade (exceto para meia dúzia de gatos pingados que se vangloriam de assistir, ler e aceitar – porque muito assistem e lêem mais para se divertir – o que dizem os rola-bostas da direita estúpida. Uns sem-noção!). São tão estúpidos que não enxergam que a fixação no Lula só vai fazer aumentar a sua exposição e a impressão de que está sendo perseguido. Isso vai colar facinho.

    Concordo com o Pax. As oposições (midiática e fajuta) estão perdidinhas…

  21. Jose Mario HRP said

    Gurgel só vai mandar a procuradoria de São paulo analisar o depoimento de Valério por dever de ofício.
    Ficando para a prerrogativa do procurador de primeira instância analisar, e depois investigar sobre as declarações de Valério.
    Na verdade um depoimento dado depois de Valério estar condenado, e que segundo o próprio Gurgel tinha só a intenção de melar a ação penal 470.
    Não há nada contra LULA, a não ser a alcaguetagem covarde e mentirosa de Valério!
    Serão poucos minutos de regozijo da galera fora do poder há 11 anos!
    Oposição sem propostas e sem novas idéias, longe do povo, a quem só resta o golpe.
    Hilário!

  22. Otto said

    Saiu na Folha (*) reveladora entrevista do brindeiro Gurgel, a quem o Senador Fernando Collor acusa de prevaricador (leia em tempo):

    Ele (Gurgel) diz haver “uma série de de elementos de prova” que apontam para a participação efetiva de Dirceu. “Não é prova direta. Em nenhum momento nós apresentamos ele passando recibo sobre uma determinada quantia ou uma ordem escrita dele para que tal pagamento fosse feito ao partido ‘X’ com a finalidade de angariar apoio do governo. Nós apresentamos uma prova que evidenciava que ele estava, sim, no topo dessa organização criminosa”, diz o procurador.

    “A teoria do domínio do fato vem para dizer que essas provas (sic) indicam que ele se encontrava numa posição de liderança nesse sistema criminoso. Então, é possível, sim, responsabilizá-lo a despeito da inexistência da prova direta. Prova havia bastante (sic) do envolvimento dele.”

    Viva o Brasil !

    Em tempo: ao longo de duas páginas de entrevista, jamais a Folha (*) pergunta ao brindeiro Gurgel sobre as acusações de Fernando Collor.

    Viva o Brasil !

    http://www.conversaafiada.com.br/brasil/2013/01/10/gurgel-confessa-nao-ter-provas-contra-dirceu/?utm_source=feedburner&utm_medium=feed&utm_campaign=Feed%3A+pha+%28Conversa+Afiada%29

  23. Patriarca da Paciência said

    Serra continua vivo e se mexendo!

    http://esquerdopata.blogspot.com.br/2013/01/serra-continua-ativo.html

  24. Otto said

    A TV Globo criticou o STF da Venezuela declarar legal Hugo Chavez se manter presidente no novo mandato, mesmo estando em recuperação de uma cirurgia.

    A emissora deu a notícia com viés da oposição venezuelana como se fosse “golpismo”, como se o STF de lá não fosse legítimo por que a maioria dos ministros foram nomeados durante o governo de Chavez.

    O problema é que a Globo não tem moral nenhuma para esse tipo de questionamento.

    Em 1985, quando Tancredo Neves, eleito pelo voto indireto do Colégio Eleitoral, sofreu uma cirurgia de emergência na véspera da posse, também não pode assumir, em um caso muito mais polêmico do que o de Chavez, pois Tancredo não foi eleito pelo voto direto popular, nem era caso de reeleição como é na Venezuela, onde o povo votou pela continuidade administrativa.

    A Globo noticiou a posse do então vice José Sarney, assumindo como presidente interino, também por tempo indeterminado, sem nenhum questionamento.

    Detalhe: ACM (o avô), amigão do dono da Globo, já estava escolhido como Ministro das Comunicações por Tancredo, e foi mantido por Sarney.

    http://osamigosdopresidentelula.blogspot.com.br/

  25. Edu said

    Patriarca,

    -http://economia.uol.com.br/ultimas-noticias/redacao/2013/01/10/rendimento-da-poupanca-em-2012-e-o-menor-em-46-anos-diz-consultoria.jhtm

    Realmente, eu estava errado: a poupança rendeu menos que minhas contas!

  26. Patriarca da Paciência said

    Edu,

    realmente, você parece adolescente!

    Eu nunca discuti se o rendimento foi alto ou baixo.

    O problema é que você falou que o rendimento da poupança em 2012 tinha sido de 4%.

    Se você considerou o rendimento real, acima da inflação, é demais.

    Se você considerou o rendimento total, com inflação embutida, é de menos!

    Você errou mesmo, cara, reconhe e pronto!

    E, como falei antes, poupança é uma simples reserva para emergências.

    Em qualquer lugar do mundo, as pessoas fazem poupança pensando em doença, escola para os filhos, um dinheirinho para a velhice etc.etc.etc.

    Sempre que a gente assiste aqueles filmizinhos sobre famílias norte-americanas, o bom pai norte-americano está sempre fazendo uma poupança para a universidade dos filhos.

    Então é isso aí, caro Edu,

    poupança sempre apresentou, em todas as épocas e em todos os lugares, inclusive no Brasil, apenas uma preservação do valor de compra do dinheiro e um pequeno atrativo em juros.

    Volto a dizer, para ficar rico, melhor aplicar na bolsa, ser filha de desembargador e não casar no civil, ou ser empresário.

    Poupador ficar rico não existe. A pessoa pode até ganhar muito dinheiro em outra atividade e aplicar na poupança. Mas ganhar muito dinheiro com poupança não existe mesmo, caro Edu. Não adiante insistir!

  27. Edu said

    Patriarca,

    Fazia tempo q o rendimento nao tinha sido tao baixo. Eh esse o ponto: o poupador sua pra juntar o dinheiro além da qtde de imposto q paga e quase eh engolido pela inflação.

    Eu acho um desrespeito com o trabalhador. Se pra vc tudo bem, pode continuar votando na Dilma-mão-pesada-neoliberal-ornitorrinca. Eu não quero te chatear ou mudar sua opinião. Minha preocupação não eh vc, mas o Brasil e o povo brasileiro. Esse eh um dos motivos pelos quais, em minha opinião esta senhora está muito aquém do esperado.

  28. Otto said

    Edu, me diga um país onde a poupança — ou aplicações similares — estejam rendendo mais do que o Brasil.

    A poupança é uma aplicação conservadora, com liquidez imediata, tem que render pouco mesmo. Quer ganhar mais? Aplica nos títulos do tesouro, renda variável etc. Aí há menos liquidez e muitas vezes mais risco.

  29. Michelle 2 said

    Dilma-mão-pesada-neoliberal-ornitorrinca

    O mau desempenho do governo Dilma, por Carlos Alberto Sardenberg

    Carlos Alberto Sardenberg, O Globo

    Começa com expectativa parecida com a de janeiro de 2012. Pelo consenso fora do governo, o Brasil crescerá um pouco mais, com pouco menos inflação do que no ano passado.

    No quesito crescimento, espera-se até um bom salto. Mas ilusório. O salto só será largo, se ocorrer de fato, porque se parte de um resultado muito ruim, a expansão em torno de 1% do PIB de 2012.

    Comparados com isso, tornam-se bastante positivos os 3,3% esperados para 2013, conforme consta do último Relatório de Mercado, resumo dos cenários do setor privado (bancos, consultorias e faculdades), publicado toda segunda-feira pelo Banco Central.

    Em janeiro de 2012, também se esperava uma expansão dos mesmos 3,3%, mas nesse caso vindo dos 2,7% de 2011. Contava-se, pois, com modesta aceleração.

    Já para a inflação, esperava-se uma queda mais acentuada, de 6,5% (o resultado final de 2011, no teto da margem de tolerância) para 5,3%, número então considerado mais comportado.

    Tudo somado e subtraído, no ano passado o pessoal estava mais otimista com a inflação; neste ano, com a volta do crescimento. E todos, governistas e não governistas, já dão de barato que inflação de 4,5%, a antiga meta, ficou para nunca mais. Quer dizer, nunca mais no período Dilma.

    Mas há uma diferença notável nos dias de hoje em relação ao começo do ano passado: o pessimismo está disseminado. Percebe-se um sentimento entre a descrença e o ceticismo em relação às metas e planos do governo. A presidente perdeu o benefício do início do mandato.

    Um ano atrás, a maioria culpava o mundo tanto pelo baixo crescimento quanto pela inflação mais elevada. A maioria ainda depositava confiança nas promessas oficiais.

    Hoje, tirante os militantes, essa confiança se foi. Mesmo os analistas ainda alinhados com o governo ou aqueles que, por razões diversas, têm medo do governo — um grupo expressivo — recheiam de ressalvas seus cenários mais positivos.

    Se o governo controlar seus gastos sem truques…. se avançar nas privatizações de infraestrutura…. se intervier menos no setor privado…. se cuidar da inflação… se mudar o modelo de consumo para investimento… então o Brasil cresce 3%, com sorte uns 3,5%.

    É muito “se” e pouca fé.

    Faz sentido. Olhem o retrospecto. O governo roubou descaradamente nas contas públicas para fechar o superávit primário. A dívida líquida é função desse superávit, de modo que, se este é roubado, aquela também está falsificada. Ela subiu, não caiu. Os investimentos caíram, as privatizações continuam atrasadas. O protecionismo argentino derruba as exportações industriais brasileiras e a presidente, a nossa, não dá um pio. Ninguém acredita quando o BC diz que busca a meta de 4,5% de inflação.

    Por que 2013 seria diferente de 2012?

    Acrescentem aqui as preocupações recentes com energia. Sem entrar no problema, notem o ambiente: o governo jura que não faltará energia, que o preço da tarifa cairá pelo menos 16% e que não há qualquer emergência.

    Mesmo assim, relatórios internos de empresas registram a preocupação com o fornecimento. E, de novo, mesmo os analistas que descartam qualquer risco de racionamento notam que a tarifa não poderá cair o tanto anunciado pelo governo.

    Logo, a inflação será maior que a prevista. E acrescentam que, se o país crescer os 4% e tanto desejados pelo governo, aumenta o risco de faltar e/ou encarecer a energia.

    A presidente queixa-se do pessimismo e até identifica grupos que considera responsáveis por esse ambiente. Tem sido injusta.

    Não há ninguém boicotando seu governo, nem a oposição. Aliás, qual? Há analistas e críticos mais severos, mas a maioria se divide em quatro categorias: os que, legitimamente, torcem para o governo; os respeitosos, que sempre encadeiam elogios antes de fazer uma crítica; os puxa-sacos que têm algum benefício a defender; e os que têm medo de serem atingidos por algum raio governamental.

    Obviamente, nenhum é responsável pelo mau desempenho do governo. A presidente deveria buscar culpados ao seu lado.

  30. Chesterton said

    21, Jose maria, alcaguete fala a verdade.

  31. Michelle 2 said

    Chest, Edu, Marcelo Augusto

    Recomendo a leitura do texto do Reinaldo:

    Lá vem José Dirceu, o condenado pitoresco

    http://veja.abril.com.br/blog/reinaldo/geral/la-vem-jose-dirceu-o-condenado-pitoresco/

    Matou a pau!

  32. Olá!

    Faltou acrescentar uma coisa ao novo codinome da presidente Dilma: Dilma-Mão-Pesada-Neoliberal-Ornitorrinca-Guarani-Kaiowá.

    Até!

    Marcelo

  33. Patriarca da Paciência said

    Que vexame!

    A claque do rola-bosta 100% idiota fez o maior escarcéu com as “denúncias” contra o Lula e agora, vejam o que diz o próprio Gugel:

    “O PGR lembra ainda que Valério pediu sigilo, alegando que não teria mais de 24h de vida caso o depoimento se tornasse público. De acordo com Gurgel, em depoimento de duas horas, o publicitário trouxe elementos novos, “mas nada de bombástico”, sublinhou. “Foi um depoimento que robustece algumas teses do Ministério Público em relação a todo o esquema criminoso e da participação do núcleo político”, acrescenta. Gurgel destacou, porém, que o mensalão permitiu que fosse responsabilizado todo um grupo que dominava o partido

    O procurador recorda de outra história de Valério, que corrobora a habilidade do publicitário: “Quando Antonio Fernando era o procurador, se propôs a prestar um depoimento que derrubaria a República. Não havia absolutamente nada”.

    http://www.jb.com.br/pais/noticias/2013/01/10/pgr-nao-ve-como-provar-envolvimento-de-lula-no-mensalao/

    Repetindo as palavras do próprio Gurgel:

    “O procurador recorda de outra história de Valério, que corrobora a habilidade do publicitário: “Quando Antonio Fernando era o procurador, se propôs a prestar um depoimento que derrubaria a República. Não havia absolutamente nada”.

    Acho que agora o rola-bosta 100% idiota irá “obrar”, como de costume, centenas de textos longos e chatérrimos para explicar que o Gurgel não entende nada de leis também.

  34. Michelle 2 said

    #33 isto é “Rovilson, o homem que se entrega!”

    boa piada Edu!

  35. Patriarca da Paciência said

    Mais um vexame do PIG!

    Qual será o próximo?

    São Pedro é petralha?

    “247 – Neste ano, não haverá apagão. E quem reconhece é o jornal O Globo, que, até ontem, vinha sendo o mais catastrofista em relação a um possível colapso do setor elétrico. Nas últimas edições, tanto o jornal como seus principais colunistas, Merval Pereira e Miriam Leitão, vinham colocando o governo Dilma num corredor polonês em razão da iminente escuridão. Segundo Merval, nada se fez no setor elétrico nos últimos dez anos. De acordo com Miriam, era hora de reconhecer a lambança.”

    http://www.brasil247.com/pt/247/economia/90252/São-Pedro-é-petralha.htm

  36. Pax said

    Notícia de agora no Estadão, via Twitter… abrangência do esquema dos bebês de Rosemary chega em tucano paulista

    http://www.estadao.com.br/noticias/impresso,tucano-ajudou-acusado-da-operacao-porto-seguro,982981,0.htm

  37. Patriarca da Paciência said

    Parece que estão começando a pegar o fio da meada, meu caro Pax,

    Por falar em Rosemary, segundo noticiado, foi descoberto que a dita cuja foi indicada pelo senador Mário Couto, senador pelo PSDB do Pará, através de requerimento assinado.

    O senador Mário Couto é o popular Coutão, conforme o Elias, é contraventor do ramo jogo do bicho (ou “empresário do ramo de diversões”, conforme o PIG), igual a seu colega, Carlinhos Cachoeira.

    Sempre assisto a TV Senado. Quando o Coutão discursa, é profundamento hilário. O cara tem todos os trejeitos, entonação de voz e aparência do popular político de boteco. E fala exatamente como o popular político de boteco, depois de inúmeras talagadas.

  38. Pax said

    Questão do Serra e o PSDB, comentário do Kennedy Alencar na CBN

    [audio src="http://download.sgr.globo.com/sgr-mp3/cbn/2013/colunas/kennedy_130111.mp3" /]

  39. Patriarca da Paciência said

    “OEA “apoia totalmente” decisão sobre posse de Chávez”

    “Em resposta ao apelo da oposição, que foi contra o adiamento da cerimônia de posse de Hugo Chávez, Organização dos Estados Americanos declara que todas as instâncias internas foram esgotadas e que assunto está “resolvido”; povo saiu às ruas de Caracas nesta quinta, em apoio ao presidente reeleito”

    http://www.brasil247.com/pt/247/mundo/90270/OEA-“apoia-totalmente”-decisão-sobre-posse-de-Chávez.htm

    Agora danou-se. Resta ao PIG apenas as instâncias rola-bosta 100% idiota e augusto boçal!

    Qual será o próximo vexame!

  40. Otto said

    A OEA é bolivariana, Patriarca. ;-)

  41. Patriarca da Paciência said

    Pois, é caro Otto,

    quem diria,

    a OEA bolivariou!

  42. Pax said

    Não entendo essa posição da imprensa detonando a questão da falta justificada do Chávez em sua posse. Incluindo aqui alguns conhecidos nossos, como o querido PD – acho que O Globo tá fazendo mal à cabeça dele.

    Parece que esquecemos que aqui ficamos 53 dias com o Tancredo Neves à beira da morte, com uma falta de boletins médicos corretos e tudo mais. Não aconteceu nada demais. Absolutamente normal. Tancredo morreu e o vice assumiu.

    Sabemos quem foi o vice, mas faz parte do jogo, afinal.

    E olha que nem gosto do Chávez, confesso que não. Acho que, por mais que tenha governado para as classes menos favorecidas, tem umas posturas questionáveis com relação à imprensa e na política internacional.

    Mesmo nem gostando tanto, Chávez é bem melhor que o que tinha antes, um apanhado de “donos” do país, coronéis da mídia e dos negócios, velhos patrimonialistas com sua ladainha de sempre.

    O problema é sempre o mesmo, o cara governa para o povo e acaba se achando dono, com tendência a adotar o mesmo patromonialismo anterior que derrotou. Dá a tal fadiga de material que tanto falamos. E aí chega na hora do: “melhor trocar de ladrão”.

    Alguma semelhança com a situação tupiniquim?

  43. Chesterton said

    Mesmo nem gostando tanto, Chávez é bem melhor que o que tinha antes, um apanhado de “donos” do país, coronéis da mídia e dos negócios, velhos patrimonialistas com sua ladainha de sempre.

    chest- Pax, as moscas mudam, mas a merda continua igual. O que mudou, além da tua preferencia por autoritários?

  44. Chesterton said

    Pax andou lendo Janio de Freitas.

  45. Chesterton said

    Mais um detalhe é que pelo menos antes a economia era diversificada, não havia a exclusividade em extrativismo mineral.

  46. Pax said

    Não tinha lido o Janio de Freitas. Não acompanho este cara. Mas fui procurar, achei e gostei.

    http://www1.folha.uol.com.br/colunas/janiodefreitas/1212607-a-brasileira.shtml

    Na verdade fiquei incomodado com um twitter do Pedro Doria reclamando, como a grande maioria azeda da imprensa abestalhada, da situação da posse do Chávez e reclamando, em cima, da falta de boletins médicos. Isso foi ontem e fiquei matutando por aqui. Até que me lembrei, claro, do nosso caso do Tancredo que todos conhecemos.

    No fundo, no fundo, fiquei chateado com o velho e bom Pedro Doria. Será que trabalhar no O Globo faz as pessoas mudarem tanto assim?

  47. Chesterton said

    Acho que as pessoas amadurecem (quer dizer, a maioria). PD sempre foi transparente, e apesar de alguns esquerdismos infantis sempre pensou grande.
    Chaves é um ditador, arruinou o país, não quer morrer e emperra as mudanças que devem ser feitas. Tem vasta corte de beneficiários diretos de suas políticas que acabando o chavismo vão perder a mamata.

  48. Elias said

    “Será que trabalhar no O Globo faz as pessoas mudarem tanto assim?” (Pax)

    Nem queira saber, Pax…

    Lembra do Paulo Francis?

  49. Chesterton said

    grande maioria azeda da imprensa abestalhada

    chest- sei, quem não aplaude o petismo é abestalhado…ora, Pax, cresça.

  50. Chesterton said

    Elias voltou!!!! É a Globo que muda as pessoas ou são as pessoas que mudam a Globo?

  51. Elias said

    E o Marcos Valério?

    Ele não teria só 24 horas de vida, se as denúncias dele fossem divulgadas?

    Para um sujeito que já morreu, ele continua falando pra caramba!

    Tá ficando parecido com o irmão do Celso Daniel… Aquele aparece e reaparece em cada ano eleitoral, vendendo a mesma gororoba requentada de sempre, e sempre alegando que a vida dele corre em perigo…

    …Aí acaba a eleição e ele volta pra França…

    Aliás, na França, esse cara vive do quê?

    Mas não é só o Estadão que deu barriga, neste início de 2013.

    Uns dias atrás, momentos antes de fechar o movimento do dia, o mercado financeiro foi sacudido com a notícia divulgada no portal da Veja, segundo a qual o Bradesco havia comprado o Santander.

    No dia seguinte, a Veja pediu desculpas, dizendo que a barrigada acontecera por uma “falha de procedimento interno” (foi a expressão que ela empregou).

    Teve carinhas ganhando — e outros perdendo, né? — uma grana braba, em poucas horas.

    E foi assim que a Veja iniciou 2013, pregando, ela mesma, um pregão 3 x 9 a mais no caixão de sua já desminlinguida credibilidade…

  52. Elias said

    ” É a Globo que muda as pessoas ou são as pessoas que mudam a Globo?” (Chesterton)

    Chester: conheces a “Parábola do frango de Jacareí”, contada pelo Boni?

  53. Edu said

    Otto,

    Vc leu o que eu escrevi no 27? Não, né? Recomendo a mesma coisa que eu recomendei ao Patriarca: leia Otto, leia muuito! Permita-me adicionar apenas mais uma coisa: certifique-se de que aprendeu com o que leu.

    Vou repetir: o poupador sua pra juntar o dinheiro além da qtde de imposto q paga e quase eh engolido pela inflação.

    Significa: é ÓBVIO que há outros países em que o rendimento REAL básico é MAIOR que o brasileiro, assim como há outros países em que o rendimento REAL básico é MENOR que o brasileiro.

    Aliás, vc tanto não leu, que deveria prestar mais atenção ao que a Michelle escreve aqui. Ela deu o exemplo da conta “savings” que funciona nos EUA. Eu não sabia da existência dessa conta, agradeço a ela por me ajudar a provar o ponto, no entanto, a intenção dessa colocação NUNCA foi relativizar isso, foi simplesmente constatar: está baixo. Está mais baixo do que nos últimos 46 anos. Só. Nem mais, nem menos.

    Mas eu até entendo sua dificuldade: é q vc tem mania de generalizar as coisas, assim como fez com a taxa de desocupação oficial baseada na sua própria experiência daí de Curitiba, ignorando a do restante do Brasil… e essa mania te leva a acreditar que se eu estou criticando a rentabilidade do que existe no Brasil a minha obrigação é encontrar algum lugar do mundo que vc acredite que sirva de comparação para o Brasil somente para provar o meu ponto.

    Otto, pare de generalizar as coisas desse jeito, é feio, dá um ar sem-graça de preguiça de raciocinar. E, como a Michelle diz – edu.br – eu tenho fé que possamos conduzir um debate minimamente honesto: repare que vc mesmo concordou comigo quando disse: “o rendimento é baixo mesmo”. Sim! Concordo plenamente, para mim chegou num nível tão baixo que beira a enganação do povo.

    Vc acha isso normal, ou bom? Faça igual o Patriarca, contador que conta com os dedos do Lula: continue votando na Dilma-mão-pesada-neoliberal-ornitorrinca-guarani-kaiowa. Não quero mudar sua opinião, apenas quero expressar a minha. Eu não acho isso justo com o brasileiro médio, inclusive pq o brasileiro médio, otimista que é, nunca presta atenção no que a inflação lhe toma. Ele acredita que a poupança rendeu mais de 6% no ano, e os 1.000 reais que ele depositou no início lhe renderam 60 reais, e não 8 reais, que é APROXIMADAMENTE o rendimento REAL descontada a inflação quase fora da meta que o Guido Mantega, outro economista que aprendeu a contar usando os dedos do Lula, alcançou.

  54. Edu said

    Elias,

    O pior para mim nem é o Marcos Valério falando morto, é o Serra falando morto – se bem que a política brasileira, considerando outros imortais mais parece a série Walking Dead, né?

    —X—

    Elias, vc que é conhecedor que é de todas as personalidades políticas e adjacências: quem trabalha, quem não trabalha, quem é vagabundo, quem não é vagabundo, quem é honesto e quem é desonesto, poderia nos dar uma luz sobre um caso mal resolvido entre o Lulinha e a Oi ou Telemar (não sei direito).

    Elias, o Lulinha é mesmo o ás dos negócios como disse seu pai? Ou é aquele amor paterno que elogia e rende presentes… milhonários às vezes?

  55. Edu said

    Michelle,

    Comportamento padrão. Não deveria nem ser necessário comentar… mas é que é tão esdrúxulo. É tão ridículo, que dá IBOPE, é igual o BBB, todo mundo sabe o que vai acontecer, mas insiste em assistir….

    —X—

    Marcelo Augusto,

    Não seja por isso, chamaremos nossa ídala de Dilma-mão-pesada-neoliberal-ornitorrinca-guarani-kaiowá.

  56. Pax said

    Chesterton, infalível Chesterton, em #49

    Não inverta a questão meu caro. Pra você quem não pensa igual ao titio ou ao pseudo-filósofo-fraude-mental é stalinista.

    Desde quando eu só aplaudo o PT? Não sou da imprensa, mas não necessariamente aceito o que uma meia dúzia de histéricos cabos-eleitorais-não-assumidos dizem.

    Quero ver agora se o Serra sair do PSDB. Vai ser um barata-voa na cabeça desses carinhas que valem menos que opinião de tia debaixo do secador de cabelo do salão da esquina.

  57. Chesterton said

    elias voltou com as baterias petistas carregadas,…até sobre celso Daniel comenta…como diz o Pax…putz!

  58. Chesterton said

    Pra você quem não pensa igual ao titio ou ao pseudo-filósofo-fraude-mental é stalinista.

    chest- negativo, não imagino que você seja burro a ponto de acreditar nisto. Quem não é democrata é facista.

    Desde quando eu só aplaudo o PT? Não sou da imprensa, mas não necessariamente aceito o que uma meia dúzia de histéricos cabos-eleitorais-não-assumidos dizem.

    chest- é verdade, você aplaude qualquer besteira.

    Quero ver agora se o Serra sair do PSDB. Vai ser um barata-voa na cabeça desses carinhas que valem menos que opinião de tia debaixo do secador de cabelo do salão da esquina.

    chest- cadê meu partido conservador, minha nossa senhora? :(

  59. Chesterton said

    não tem emoticon aqui?

  60. Edu said

    Nossa, passo a manhã em reunião e quando volto para dar uma zapeada nas notícias descubro que a Dilma-mão-pesada-neoliberal-ornitorrinca-guarani-kaiowá pelo jeito quer mostrar ao mundo que ela sabe valorizar o Brasil:

    Depois de ter destruído o valor da Petrobras, agora são as elétricas, se isso for verdade: “Os R$ 37,2 bi representam 18,03% do valor de mercado dessas empresas” – fonte UOL Economia

    A Dilma-mão-pesada-neoliberal-ornitorrinca-guarani-kaiowá realmente está operando com a mão pesada: para evitar que chegue no Brasil capital especulativo ela está jogando o valor das empresas brasileiras de energia no lixo! Bela jogada contra o capital especulativo. Suponho que ela queira Kirchnerizar um pouco mais a política comprando novamente as estatais elétricas pertencentes a grupos-porcos-capitalistas estrangeiros…. vai saber o que se passa naquela cabecinha, né?

    Mas o Brasil não tem dívida, a inflação está supercontrolada, e cresce de vento em popa! Aí vai ser mole ela jogar um monte de dinheiro no mercado com todos os investimentos previstos e liberar o reajuste da Petrobras para crescer, controlar a inflação e aumentar um pouquinho só as dívidas. E, já que ela é tão pró-ativa, já se antecipou a tudo! O caminho até a vitória das eleições em 2014 está traçado.

    Brincadeiras à parte, agora vamos ver se nossa queridíssima Dilma-mão-pesada-neoliberal-ornitorrinca-guarani-kaiowá tem mesmo as qualidades de gestão. Se mandar bem, terá meu voto de confiança em 2014.

  61. Chesterton said

    esse é o nível do eleitorado brasileiro que recebe o bolsa familia

    http://selvabrasilis.blogspot.com.br/2013/01/jeba-abencoada.html

  62. Edu said

    Patriarca e Otto,

    Putz, pra piorar a situação, olhem isso aqui:

    -http://economia.uol.com.br/ultimas-noticias/redacao/2013/01/11/familias-de-baixa-renda-tiveram-inflacao-de-69-em-2012.jhtm

    Tomara que os poupadores brasileiros que tenham engordado os índices de poupança no Brasil sejam de alta renda, pq se forem de baixa renda perderão dinheiro.

    Eu avisei: falei que o rendimento da poupança estava perigosamente baixo. Segundo a notícia, “O Índice de Preços ao Consumidor – Classe 1 (IPC-C1), que mede a inflação para famílias com renda até 2,5 salários mínimos, fechou 2012 em 6,9%”.

    Vamos lá:

    Inflação – 6,9%
    Rendimento da poupança – 6,5% (Patriarca, corrija-me se eu estiver errado)

    Rendimento da poupança – inflação = rendimento real da poupança

    6,5 – 6,9 = -0,4

    Ou seja, o poupador que depositou 1000 reais na poupança perdeu 4 reais em 2012.

    É assim que a Dilma-mão-pesada-neoliberal-ornitorrinca-guarani-kaiowá gerencia o Brasil para os pobres.

  63. Pax said

    O infalível Chesterton diz:

    chest- cadê meu partido conservador, minha nossa senhora? :(

    Eu respondo: Foi-se embora junto com o Demóstenes Torres, ex-ídolo destes jornalistas que não valem o que recebem.

  64. Chesterton said

    todo mundo é de esquerda, acho que o paraiso está próximo.

  65. Edu said

    Pax,

    Gostei do Kotscho hoje.

    Ele apontou várias questões que, em minha modesta opinião, eram mais do que óbvias:

    Por que não uma reforma para valer no ministério?

    – “O prolema é que ninguém mais dá confiança ao que Lobão fala”. Exato, e o Mantega tbm, só que o Mantega é amigo dele… e ele não vai falar mal, né? Sacomequié nego do PT… aliás, é até engraçado como ele coloca o caso Mantega: “Alguns ministros, como o da Fazenda, Guido Mantega,…já estão no governo federal há mais de 10 anos. Por mais brilhantes que sejam, chega uma hora em que cansa enfrentar sempre os mesmos problemas…” – Em outras palavras, também não está inspirando confiança nenhuma a ninguém.

    – “Em diferentes áreas do governo, as coisas não andam, ou vão muito devagar, decisões importantes estão sendo adiadas” – pois é… onde estão os investimentos prometidos, e as reformas?!

    – “Os bons índices de renda e emprego continuam preservados, mas a inflação em 2012 chegou a 5,84%” – Inflação denovo… sem contar a poupança…

    – “Que o Ministério Dilma, em boa parte herdado do governo Lula, não é nenhuma Brastemp, ela e todos nós sabemos desde o começo…” – JURA?! E por que ela não usou a mão pesada dela pra fazer direito?!

    – “É verdade que o país vive uma crise de lideranças e competências, e não é de hoje” – Se ela é uma gerente, por que não foi atrás de competências, já que apoio ela tinha?!

    – “Ainda que não seja para já, pois as emergências se avolumam no dia a dia do governo, a presidente Dilma poderia pensar num estoque de talentos para trocar algumas peças capazes de dar mais agilidade ao governo” – Agora?! No começo do segundo tempo?! Eu acho que ela deveria ter sido menos reativa, concorda?!

    E termina dizendo que fez a mesma pergunta ao FHC à sua época, cuja resposta foi: “Por que não? Porque eles me derrubam no dia seguinte…” – O FHC é um tremendo de um bunda-mole, e contava com uma base aliada muito menor que a Dilma-mão-pesada-neoliberal-ornitorrinca-guarani-kaiowá.

    A pergunta que eu fiz, desde o primeiro dia de governo dela: será que ela tem mesmo essa mão pesada? Com uma base aliada enooorme, e com uma oposição ridícula, a mão-pesada dela anda com medo de quê?!

  66. Michelle 2 said

    Comparar o caso “Chavez Venezuela” com “Tancredo Neves – Brasil” é muita falta de seriedade. Ou canalhice como prefere o Pax.

    A posse do vice presidente Sarney ocorreu em 15 de Março dada a impossibilidade do presidente eleito assumir (seguindo a Constituição vigente 1967- artigo 76 ). Sarney assumiu interinamente e foi oficialmente empossado pelo Congresso após a morte do Tancredo.

    No caso do Chavez, a Constituição Venezuelana foi “reinterpretada” para manter o cargo de presidente vago até a melhora (?) do estado de saúde do “coma andante” que continua internado em Cuba.

    Perceberam a canalhice do jornalista?

  67. Michelle 2 said

    Política
    Consuma-se a farsa chavista (Editorial)

    O Globo

    O chavismo confirmou o que se temia: um golpe de Estado para manter Hugo Chávez no poder, com ele em situação incerta, provavelmente gravíssima, num hospital em Cuba.

    O Tribunal Supremo de Justiça (TSJ) venezuelano, aparelhado pelo caudilho, decidiu que a posse para um novo mandato, que deveria ter acontecido ontem, é mesmo “mero formalismo”, e poderá ser feita no futuro.

    Embora se saiba que só um milagre permitirá a Chávez voltar a Caracas para a “formalidade”.

    Criou-se uma situação esdrúxula. Chávez não governa por estar incapacitado. Nicolás Maduro, vice-presidente e indicado pelo caudilho como seu substituto, hoje não tem mandato: o vice na Venezuela é nomeado pelo presidente, como um ministro; Maduro não foi eleito nem reconduzido ao cargo.

    A Constituição determina que, na ausência do presidente eleito, assuma o presidente da Assembleia Nacional (congresso), Diosdado Cabello. Mas isto não acontecerá.

    A farsa chavista é prorrogar o mandato de Chávez — embutida nele a continuação de Maduro na vice-presidência —, fazendo letra morta da Constituição. Regimes autoritários que tentam manter uma aparência democrática, como o da Venezuela, mostram nessas horas sua verdadeira face.

    A ditadura militar brasileira, que mantinha certos ritos “democráticos”, como o rodízio de generais no poder, também teve vários momentos reveladores, como quando Costa e Silva caiu doente; seu substituto constitucional era o vice-presidente, o civil Pedro Aleixo.

    Mas, como ele não era “confiável”, tinha, inclusive, sido contrário à edição ao AI-5, que dava poderes extraordinários ao presidente da República e suspendia várias garantias constitucionais, os militares não permitiram sua posse e criaram uma junta para governar o país. O regime militar mostrava sua face.

    É o que fizeram os dirigentes chavistas: um “politburo” composto por Maduro, o presidente do congresso, Diosdado Cabello, próceres do PSUV (o partido chavista) e comandantes militares fiéis ao movimento bolivariano. São eles que vão “governar” no mandato estendido de Chávez, em afronta aberta à lei maior do país.

    Não é só o chavismo que mostra sua essência. Ao expressar confiança no desenvolvimento da democracia venezuelana, no dizer de Maduro, e ao felicitar-lhe pela decisão favorável da Justiça desse país, a presidente Dilma Rousseff deixa claro que o Brasil usa dois pesos e duas medidas: o impeachment do presidente Fernando Lugo, do Paraguai, foi considerado um golpe pelo Brasil — e por Mercosul e Unasul — e resultou na suspensão do Paraguai dos dois organismos, por conta da cláusula democrática que consta de seus estatutos.

    Já o escancarado golpe em Caracas recebe apoio. O Brasil acaba de se nivelar por baixo no continente. Outra vez.
    _________

    Pax seu amigo PD tem razão!

  68. Otto said

    Ô, Edu:

    “Ou seja, o poupador que depositou 1000 reais na poupança perdeu 4 reais em 2012.”

    Não dá nem uma cerveja!

    Ô meu Deus! Assim não dá, assim não pode!

  69. Otto said

    “Em verdade, na América, na Europa e no Japão a taxa de juros é negativa há já algum tempo. Quer dizer, taxas inferiores às respectivas taxas de inflação.”

    Será que é a Dilma ou o PT que está no governo desses países?

    Ô meu Deus! Assim não dá, assim não pode!

  70. Edu said

    Otto,

    Lembra quando na época do FHC, quando os petistas de maneira geral estrebuchavam que os reajustes de salário mínimo eram ridículos, que os reajustes reais eram pífios, que isso era um roubo, etc, etc, etc?!

    Pois é, àquela época eu já dizia que o FHC era um bunda-mole, porque eu achava que os reajustes deveriam ser maiores.

    Estou dizendo a mesma coisa em relação à Dilma-mão-pesada-neoliberal-ornitorrinca-guarani-kaiowá, com a diferença que os mais pobres no caso do FHC ainda ganhavam alguma coisa, e a nossa queridíssima gerenta leva as pessoas a perderem dinheiro.

    Mas, reitero o que eu disse: continue votando nela e acreditando que ela realmente governa para o povo. Não estou pedindo que vc seja um cidadão consciente, estou dizendo justamente pra vc não ter crise nenhuma de consciência: vote mesmo.

  71. Edu said

    Otto,

    Quer, por favor, me mostrar as fontes que provam que as taxas de juros dos EUA, Europa e Japão são negativas?

    Até onde eu sei as taxas básicas de juros são positivas, somente no Japão, em que ocorre um caso específico chamado deflação.

  72. Pax said

    Bom o artigo do Kotscho mesmo, caro Edu.

    http://noticias.r7.com/blogs/ricardo-kotscho/2013/01/11/por-que-nao-uma-reforma-para-valer-no-ministerio/

    Fosse a Dilma chutava o Lobão pra porca que partiu. E ainda mandava o Lula segurar a raivinha do Sarney.

  73. Edu said

    Pax,

    Exatamente.

    Eu não sou petista e não votei na Dilma, mas uma vez que ela foi eleita, eu torço para que ela faça uma ótima gestão, daquelas de deixar o queixo caído mesmo, afinal, é do meu país, de mim e da minha família que ela está cuidando… a minha bronca é que desde o início – e parece continuar da mesma maneira – é que ela parece não usar de nada das competências tão aclamadas pelo seu antecessor, nem parece usar a situação política tão favorável a ela…

  74. Otto said

    Oi, Edu, estas informações saíram ano passado muitas vezes na imprensa!

    Veja a inflação dos EUA:

    http://pt.global-rates.com/estatisticas-economicas/inflacao/indice-de-precos-ao-consumidor/ipc/estados-unidos.aspx

    Agora veja os juros:

    https://conteudoclippingmp.planejamento.gov.br/cadastros/noticias/2012/12/13/eua-terao-juro-zero-ao-menos-ate-2015

    Se a inflação está 2,5% e os juros 0,25%, veja quanto o cara perde!

    Pode fazer a pesquisa em outros países.

    O negócio tá feio lá em cima.

    Vai ver é por isso eles gostam de aplicar aqui.

  75. Patriarca da Paciência said

    “Inflação – 6,9%
    Rendimento da poupança – 6,5% (Patriarca, corrija-me se eu estiver errado)

    Rendimento da poupança – inflação = rendimento real da poupança

    6,5 – 6,9 = -0,4

    Ou seja, o poupador que depositou 1000 reais na poupança perdeu 4 reais em 2012.

    É assim que a Dilma-mão-pesada-neoliberal-ornitorrinca-guarani-kaiowá gerencia o Brasil para os pobres.”

    Edu,

    é por essas e outras que existe o bolsa família. Em qualquer lugar do mundo, os pobres são os primeiros a sofrer com a inflação.

    O bolsa família serve justamente para corrigir tais distorções.

    Acho que você está começando a entender alguma coisa!

  76. Otto said

    Continuando o que diz o Patriarca:

    é por isso que o salário mínimo aumenta sempre mais do que a inflação — há 10 anos.

    Aliás, o rendimento médio do trabalhador há tempos vem aumentando acima da inflação.

  77. Pax said

    Edu,

    Essa situação política favorável pode não ser o que parece.

    Neste modelo canalha que vivemos, tanto FHC quanto Lula e Dilma precisa(ram) fazer as composições que acabam por ter que dividir áreas estratégicas do país com essa turma do vai-com-quem-me-der-mais.

    O PMDB é o maior exemplo. O poder de um Sarney é muito maior que imaginamos. Diferente de um Valdemar da Costa Neto que tem um poder limitado (atua na tal região dos portos, por exemplo, fazendo de tudo que sabemos e que não sabemos).

    E aí? Aí o governo tem que dar fatias estratégicas que movimentam centenas de bilhões. O ministério das Minas e Energia é o exemplo “bola-da-vez”. Como disse o Kotscho, colocam na mão do Sarney que coloca seu afilhado político Lobão que – tudo indica – não tem competência alguma e muito menos compromisso com nada (a não ser os impublicáveis).

    Você reclama um bocado da Economia. Eu fico só olhando, não me meto na conversa. Mas é bem diferente. Mantega está no governo por conta do governo mesmo. E Dilma tem que responder por isso, sim.

    (veja, não comungo da tua análise sobre a situação economica, só respeito o que reclamas, mesmo achando que, às vezes, você cai em comentários que poderiam ser um pouco menos infantis).

    Bem, vamos voltar ao assunto. FHC teve que entregar fatias enormes para ACM (e Sarney também) e acabou pagando por isso. Lula idem e Dilma, se não se mexer, vai pelo mesmo caminho.

    Mas o alerta de FHC é importante, o que o Kotscho fala no final, quando o ex-tucano disse que se mexesse na estrutura seria derrubado no dia seguinte. Aí entram as conjunções políticas que a gente imagina, mas não conhece a fundo.

  78. Patriarca da Paciência said

    Caro Pax,

    o governo é obrigado a fazer alianças para governar… mas na tal “iniciativa privada” a coisa é muito pior.

    A prova concreta disso é o Pedro Doria. Será que ele mudou de opinião tão radicalmente?

    Sinceramente, não acredito. O que acontece é que jornalista empregados da “grande” mídia defendem as opiniões do patrão, não as suas próprias.

    Para defender suas próprias opiniões, só fazendo como aquele jornalista paraense, amigo do Elias, ou seja, escrever sozinho o próprio jornal.

    E ainda dizem que há liberdade de imprensa no Brasil!

    É claro que há, para meia dúzia de famílias!

    Já os milhares de jornalistas, são obrigados a dizer o que a meia dúzia de famílias quer!

  79. Chesterton said

    Patriarca, não há nada que impeça os milhares de jornalistas escrever o que quiserem em jornais que ele podem fundar. O que você quer é que eles recebam salário para escrever o que quiserem…aí, nem no governo né?

  80. Patriarca da Paciência said

    Bem lembrado, caro Otto,

    Os aumentos acima da inflação do salário mínimo e o bolsa família, amenizam bastante as carências das famílias pobres.

    Sábio Lula e competente “Gerentona”.

  81. Patriarca da Paciência said

    Chesterton, a KGB andou aplicando soro da verdade em você também?

    Então você reconhece que os jornalistas empregados da “grande” mídia escrevem apenas o que os patrões querem?

    É isso aí mesmo.

    Finalmente concordo totalmente com você.

  82. Pax said

    Vejam, caros Patriarca, Elias, Otto, Edu e Chesterton,

    Não estou afirmando que o Pedro Doria mudou ou não. Somente comentei um twitter dele que me desagradou.

    Vcs podem também acompanhar o monte de twitter(s) que ele escreveu sobre o assunto. Está aqui:

    https://twitter.com/pedrodoria

    Pois bem, como posso dizer que conheci o cara (será que o conheço agora?) e poderia afirmar que sempre o achei honesto. Sobre Internacional ele sabe, sempre foi uma pauta que acompanhou. E é opinião dele que o chavismo estaria dando um golpe antidemocrático.

    Pois bem. Direito dele de achar o que quiser. Claro que sim. A minha questão é quanto ele poderia ou não falar o contrário que a linha editorial de O Globo define. Em outras palavras, qual o grau de liberdade que ele tem, ou qual o grau de liberdade que ele, eventualmente, deixou de ter.

    Enfim, prefiro acreditar que PD continua o mesmo e que essa opinião é a dele mesmo. Que não bate exatamente com a minha. Nem por isso deixo de respeitá-lo.

    Diferente dos histéricos e mentirosos. Esse eu não respeito mesmo.

  83. Patriarca da Paciência said

    Pax,

    andei vendo o Twitter do Pedro Doria. Não há a mínima diferença entre as opiniões dele e os editoriais de O Globo.Ou ele mudou radicalmente mesmo ou então está cegamente obedecendo as ordens do patrão. É claro que isto é apenas a minha opinião. Não tenho a mínima pretensão de ser o dono da verdade.

  84. Pax said

    Caro Patriarca,

    Não necessariamente. PD nunca gostou do Chávez.

  85. Olá!

    A galera gosta de chutar o PMDB e tal, mas seria salutar pensar sobre um fato recente que aconteceu envolvendo a atitude dos partidos políticos brasileiros perante as liberdades democráticas existentes por aqui, sobretudo as liberdades de expressão e de imprensa.

    Não quero aqui fazer defesa de partido político, mas apenas chamar a atenção para uma situação interessante (uma situação bem didática até): Há alguns dias atrás, correu na imprensa a notícia de que o PT quer, para este ano corrente, colocar em ação uma lei que faça o tal do “controle social da mídia” (isto é, controle e censura estatal da imprensa livre), já que a viuvada petista está indignada por causa da condenação dos mensaleiros. Eis no original:

    Todos contra

    A presidente Dilma avisou ao PT que não apoiará em hipótese alguma o projeto que regula os meios de comunicação e que não aceita propostas que restrinjam a liberdade de imprensa. O PMDB está em campanha contra o texto, com o aval do vice Michel Temer. O PT, que culpa a mídia pelas condenações dos mensaleiros, quer tratar do tema com prioridade este ano.

    Eu entendo plenamente que o PMDB não é flor que se cheire e que por lá há pessoas que representam o pior da política brasileira. No entanto, o PMDB não tem essa sanha autoritária dos brucutus petistas, não há nesse partido essa coisa de censurar a imprensa sempre que algum bandido pmdebista é pego com a mão no dinheiro público. O único partido que age assim é o PT.

    Quando sai alguma notícia sobre o tal do “controle social da mídia”, o PT sempre se coloca a favor dessa iniciativa. Nunca li uma notícia dizendo que o PT é contra esse tipo de coisa. O PT, os petistas no parlamento, as atas desses congressos toscos que o PT organiza, os sindicatos petistas, os movimentos sociais petistas, os militoscos e etc., sempre que têm a oportunidade de se posicionar a respeito do tal “controle social da mídia”, sempre é se colocando a favor do dito “controle”.

    Quando, alguns anos atrás, o Renan Calheiros foi obrigado a cair fora da presidência do Senado por causa das revelações pela imprensa do seu envolvimento em escândalos de corrupção, o PMDB não veio com esse negócio de “controle social da mídia”, “Ley de Medios“, PIG e coisas tais.

    Em termos de corrupção e quadros partidários, o PT está entre os piores. E é muito simples de perceber isso.

    Em termos de quadros partidários, o PT é muito, mas muito pior mesmo do que o PMDB. Uma simples amostra que comprova isso: Quantos pmdbistas do alto escalão foram/estão condenados à prisão? Mas petistas de alta octanagem condenados ao limbo carcerário têm aos montes.

    No quesito corrupção, ainda vai demorar certo tempo até que algum partido venha a desbancar as tramóias e maracutaias petistas. O Mensalão é um esquema de corrupção com objetivos tão democraticamente deletérios e consequências tão graves que não há nada semelhante a isso ao longo dos últimos 100 anos de história do Brasil. Nenhum outro partido tentou fazer um troço desses. Isso é exclusividade petista.

    O Mensalão foi um projeto cujo principal objetivo era concentrar poderes no Executivo, mandando pelos ares um dos princípios que fundamentam qualquer país sério: A separação entre os poderes.

    Peguem os últimos 100 anos de história do Brasil e mostrem qual outro partido fez coisas semelhantes a tudo isso.

    Até!

    Marcelo

  86. Pax said

    Parece piada, mas não é:

    Anatel Informa ‏@Anatel_Informa
    Portal da Anatel na internet estará indisponível neste fim de semana por motivo de manutenção: http://migre.me/cLuWi

  87. Patriarca da Paciência said

    Caro Pax,

    não gostar do Chavez é uma coisa. Ficar martelando que está acontecendo um golpe na Venezuela é outra totalmente diferente.

    Qual é o golpe se democracia é governo da maioria e a maioria quer a permanência do Chavez. E essa história de dizer que o Supremo de lá também é golpista?

    Será que ele a acha que a OEA também é golpista?

    Mais estranho ainda dizer que o golpe do Paraguai foi legítimo!

    Olha, de minha parte, acho totalmente estranho esses posicionamentos do PD.

  88. Edu said

    Otto, e Patriarca,

    Estou lendo sobre os EUA, depois vou ler sobre a EU e depois sobre o Japão.

    Não sou economista, entendo um pouco, e gosto desse tipo de conversa justamente pq me estimula a (tentar) aprender mais.

    Feita essa ressalva (que serve tbm para o Pax), vou tentar explicar o porquê, do meu modesto ponto de vista, não dá pra tentar comparar a poupança brasileira com os tipos de investimentos livres de risco nos EUA. Será ótimo se vcs tiverem contrapontos coerentes.

    Do pouco que li e pelo que eu estou entendendo, o nível de poupança nos EUA sempre foi baixo, por conta da economia estável e crescente e da inflação controlada, com juros baixos, incentivando uma cultura de investimento. Uma série de fatores como tamanho da economia, bom nível de concorrência, boa infraestrutura, e dados estatísticos aos montes permite que a população se fie nas agências de rating e nos gerentes dos bancos para realizar investimentos. Quando uma agência de rating diz que o título é A++, A+ ou B ou D, há credibilidade, as pessoas acreditam e poupam diversificando seus investimentos entre esses títulos! Tanto que quando houve a crise de 2008 a população se indignou com a falta de cuidado do governo ao fiscalizar os títulos emitidos pelos bancos envolvidos na crise. Justamente porque os ratings estavam errados, a credibilidade do sistema inteiro foi por água abaixo e senhorinhas e famílias simples que haviam investido perderam quase tudo.

    No Brasil, ao contrário dos EUA, por muito tempo não havia estabilidade econômica, havia inflação, que obrigava os brasileiros a serem mais conservadores em relação ao consumo, investimentos e negócios; além do sistema bancário em um nível de concorrência muito menor que nos EUA. Eu não sei qual é a origem real da poupança, mas no Brasil era necessário que houvesse uma poupança. Afinal, era o mínimo que o governo poderia fazer pra preservar o dinheiro do povo. Hoje vivemos um período de relativa estabilidade econômica, o que facilita as coisas para os brasileiros investirem, só que ainda não substituem a poupança, afinal, nunca se sabe quando uma presidenta-mão-pesada-neoliberal-ornitorrinca-guarani-kaiowá irá usar essa mão para interferir na economia, ou quando um ministro que não sabe contar vai empurrar um problema com a barriga, provocando uma queda na bolsa de valores no curto prazo ou uma bomba-relógio econômica no longo-prazo respectivamente, minimizando a eficácia de analistas e tirando completamente a confiança de pequenos (e grandes) investidores.

    Ou seja, enquanto nos EUA, os investimentos livres de risco são menores mesmo porque o objetivo era diferente: o investimento, e não a preservação do valor poupado. Aqui no Brasil, além do mercado de ações estar sujeito à interferência intempestiva-mão-pesada-neoliberal-ornitorrinca-guarani-kaiowá a qualquer momento, a poupança começa a virar uma enganação ao povo.

    Se eu não falei besteira demais, fica claro porque não dá pra comparar o Brasil com os EUA, e nem com Europa e nem com Japão.

  89. Chesterton said

    Então você reconhece que os jornalistas empregados da “grande” mídia escrevem apenas o que os patrões querem?

    chest- não, meu caro (que dureza), os patrões tem a prerrogativa de contratar profissionais que seguem a linha de pensamento do jornal. Ou você acha que o Jornal do Sindicato dos Bancarios iria me pagar salário para escrever textos pró-mercado?

  90. Patriarca da Paciência said

    “O Mensalão foi um projeto cujo principal objetivo era concentrar poderes no Executivo, mandando pelos ares um dos princípios que fundamentam qualquer país sério: A separação entre os poderes.”

    Agora me digam, se o governo não consegue controlar 11 ministros, os quais, por força da profissão, são alheios às negociações políticas, como o governo conseguiria controlar totalmente 600 velhas raposas felpudas, de longas convivências em negociações mundanas?

    O pensamento de que o STF estaria “salvando” o Legislativo é um pensamento bem ingênuo, uma típica herança do positivismo brasileiro, o qual prega que o povo não sabe o que é bom para si.

    Se sua exelência, ministro Barbosão, se submetesse a uma eleição, seria pulverizado em pouco tempo.

    “Salvar” velhas raposas felpudas!

    É risível!

  91. Michelle 2 said

    Edu.br

    Já que vc adora se informar… aproveito para indicar uma boa leitura sobre os fundos 401(k) nos US que serviram de modelo e que “equivalem” ao FGTS brasileiro.
    http://money.howstuffworks.com/personal-finance/retirement-planning/401k.htm

    E perceba as diferenças de cultura de planejamento de poupança e aposentadoria, que o povo americano desfruta.

    Rovilsons e Pedros-Bó nunca entenderiam…nasceram analfabetos como todos nós, mas…com lula começaram a ADORAR não se informar.
    Até o Pax virou “bolivariano”, “patrulhando” a opinião de seu idolo-amigo hehehe!

    Rovilson vibrou e se entregou…

  92. Patriarca da Paciência said

    “Do pouco que li e pelo que eu estou entendendo, o nível de poupança nos EUA sempre foi baixo, por conta da economia estável e crescente e da inflação controlada, com juros baixos, incentivando uma cultura de investimento”

    Edu, esse livro que você está lendo não conta toda a história. A economia dos Estados Unidos sempre foi estável?

    Você já ouviu falar na terrível recessão que o país passou, devido à especulação desenfrada na bolsa, a qual acabou por quebrar e que durou toda uma década?

    Faz pouco tempo que os Estados Unidos passaram por outra terrível recessão, devido à especulação financeira desenfrada, da qual estão fazendo um enorme esforço para sair.

    E a dívida pública norte-americana, você já ouviu falar? Mais de 15 trilhões de dólares! Superior ao próprio PIB!

    E os balanços maqueados, os quais foram o maior escândo não faz 10 anos, você já ouviu falar?

    Olha, sem dúvida nenhuma os norte-americanos são um grande povo, mas perfeitos, estão longe de ser.

  93. Chesterton said

    E a dívida pública norte-americana, você já ouviu falar? Mais de 15 trilhões de dólares! Superior ao próprio PIB!

    chest- graças ao O´Brahma…..a queda vai ser linda.

  94. Chesterton said

    Pô, o PD é coerente com o que propalava no blog:

    https://twitter.com/pedrodoria

  95. Michelle 2 said

    Críticas fazem Lula ir a Dilma, a mão-pesada-neoliberal-ornitorrinca-guarani-kaiowá, discutir gestão do governo

    http://www1.folha.uol.com.br/poder/1213844-criticas-fazem-lula-ir-a-dilma-discutir-gestao-do-governo.shtml

    Agora vai…hehehe

  96. Otto said

    Edu, concordo que comparações entre países devem ser feitas sob ressalvas.

    Mas você há de concordar que juros altos são o maior empecilho para o investimento e o desenvolvimento.

    Durante os anos FHC, houve um tempo em que uma aplicação dobrava de valor em, creio, cinco anos. Ou seja: você aplicava um milhão e em pouco tempo tinha dois milhões. Que empresário numa conjuntura dessas vai querer investir numa nova fábrica, numa nova máquina ou abrir uma nova filial, se tudo isto envolve risco e o dinheiro aplicado rende sem esforço algum?

    É por isso que nos EUA, Europa e Japão os juros estão negativos. Para obrigar os empresários a investir — ainda que isto prejudique os simples poupadores locais.

    Num contexto global desses não tem sentido o governo manter os juros no patamar em que estavam, atraindo sobretudo capitais especulativos, que ainda ajudavam a valorizar nosso real e prejudicar nossa concorrência num mundo em que as potências — China, EUA — desvalorizam na marra suas moedas para tentar ganhar vantagens nessa guerra cambial.

    E é uma forma de obrigar nossos empresários — acostumados a ganhar dinheiro fácil desde os tempos da inflação no overnight — a investir em produção.

    E a fórmula antiga da poupança — que obrigava a um rendimento de pelo menos 0,5% ao mês — impedia uma maior queda dos juros.

    E hoje em dia o Brasil é uma país muito mais estável e seguro que os Estados Unidos.

    Os Estados Unidos são um paquiderme à beira do precipício.

    Imagina se fosse o Mântega que estivesse pensando em cunhar uma moeda de um trilhão de dólares para cobrir mundo e fundos abissais…

    As Mirians e Sadenbergs estariam ainda mais histéricos!

    Ou seja, os EUA podem se servir de políticas nada ortodoxas…

    Ó tempos!…

  97. Otto said

    Olha, Edu,como as coisas aqui embaixo estão melhores do que lá em cima:

    “Brasileiros iniciam 2013 menos endividados, aponta pesquisa da Fecomércio”

    http://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/economia/2013/01/11/internas_economia,343666/brasileiros-iniciam-2013-menos-endividados-aponta-pesquisa-da-fecomercio.shtml

  98. Patriarca da Paciência said

    “O NIESR disse que a Grã-Bretanha deve registrar crescimento negativo em 2012, em comparação com os 0,9% de 2011. O governo projeta uma contração de 0,1% para 2012.

    Se confirmado pelo Escritório Nacional de Estatísticas britânico, a queda do PIB no quarto trimestre de 2012 aumenta a possibilidade de que o país possa entrar em uma recessão de mergulho triplo. Uma recessão é comumente definida como dois trimestres consecutivos de queda da produção.

    A Grã-Bretanha entrou na primeira fase de uma recessão de duplo mergulho em 2008, como resultado de uma devastadora crise financeira global que causou uma série de resgates a bancos.

    A economia se recuperou no final de 2009, mas não conseguiu atingir uma recuperação convincente e sofreu uma segunda desaceleração no fim de 2011, que durou três trimestres, com o aprofundamento da crise da zona do euro.

    http://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/economia/2013/01/11/internas_economia,343642/economia-britanica-se-contrai-novamente-no-ultimo-semestre-de-2012.shtml

    Veja só, caro Otto,

    e são os economistas ingleses que vivem a fazer críticas ao Brasil!

  99. Chesterton said

    Segundo a FGV, governo do PT “roubou” R$ 145 bilhões do superavit primário com truques contábeis.
    A criatividade do Tesouro Nacional para fechar suas contas, com o uso de sucessivas manobras contábeis e brechas legais, criou no Brasil uma contabilidade paralela à oficial que coloca em risco a credibilidade fiscal da gestão Dilma Rousseff. Bancos e consultorias passaram a expurgar receitas e depurar gastos para calcular um superavit “puro” e poder estimar o impacto na economia e fazer suas projeções.

    Nesses cálculos, a economia do setor público para pagar juros da dívida foi no mínimo 35% menor que a oficial em 2012 (veja quadro). O descrédito em relação aos números do Tesouro já assusta integrantes da equipe do ministro Guido Mantega (Fazenda). A crise teve seu auge nas últimas semanas, quando se tornou pública a triangulação com bancos públicos e o Fundo Soberano para fechar os números de 2012.

    O dado do ano, que só será divulgado no fim deste mês, foi apelidado de “superavit elfo”, numa referência ao conto de Natal publicado em um dos blogs do jornal britânico “Financial Times”. No texto, a presidente Dilma é uma das renas do trenó do Papai Noel e perde o posto para o presidente do México. O ministro Guido é um elfo que defende Dilma e cujas previsões são consideradas muito otimistas.
    Dentro do governo, receia-se que surjam comparações com a Argentina, onde as estatísticas oficiais perderam a credibilidade. A Folha ouviu cinco instituições financeiras, entre bancos, corretoras e consultorias, que fazem o expurgo. Para alguns, a prática era limitada a 2010 em razão de uma manobra feita com a Petrobras. Agora, foi ampliada.

    Gabriel de Barros, economista da FGV (Fundação Getulio Vargas), desconta as receitas extraordinárias e contábeis há dois anos e diz que, desde 2008, o resultado primário está superestimado em cerca de R$ 145,6 bilhões. “O superavit era uma boa medida do impacto da política fiscal na demanda. Isso deixou de ser verdade, quando o governo passou a usar a contabilidade criativa.”

    O Itaú divulgou nesta semana relatório retirando dos resultados oficiais receitas extraordinárias e operações contábeis. No caso dos dividendos, o banco estima um repasse atípico de R$ 47,3 bilhões desde 2009. “A ideia [de fazer o ajuste] é tentar capturar o esforço fiscal propriamente dito para extrair seu impacto na demanda”, observa o economista do banco Marcelo Oreng.

    A consultoria LCA faz um ajuste mais simples, abatendo as receitas com capitalização da Petrobras em 2010 e o dinheiro do Fundo Soberano. O objetivo dos cálculos próprios “é deixar a medida de superavit primário mais ‘pura'” para avaliar o impacto na inflação, diz o economista-chefe Bráulio Borges. A Quest Investimentos está concluindo os cálculos da sua estimativa “pura”. A corretora Convenção Tullett Prebon divulgou ontem relatório com o resultado ajustado de 2012, sem o impacto das operações feitas no final do ano.(Folha de São Paulo)

  100. Patriarca da Paciência said

    “Nesses cálculos, a economia do setor público para pagar juros da dívida foi no mínimo 35% menor que a oficial em 2012 (veja quadro). O descrédito em relação aos números do Tesouro já assusta integrantes da equipe do ministro Guido Mantega (Fazenda). A crise teve seu auge nas últimas semanas, quando se tornou pública a triangulação com bancos públicos e o Fundo Soberano para fechar os números de 2012.”

    O juros da dívida pública não caíram 35%, cairam mais de 100%. Será que o autor da tal matéria não sabe disso?

    Com 5,84% de inflação e Selic a 7,25% os juros reais estão a 1,41%.

    Considerando-se que a dívida pública é de 35%, o Brasil precisa provisionar, para pagamentos de juros da dívida pública, apenas 0,47% do PIB. Absurdo seria continuar provisionando 4% do PIB.

    Realmente há muita má fé nestes cálculos que alguns economistas da oposição estão apresentando!

  101. Otto said

    Patriarca,
    nós vivemos em tempos de mudança — aliás, quais não o são? — em que a hegemonia do mundo migra do Norte para o Sul e do Oeste para o Leste,

    Por isso, aqueles entre nós — e há vários aqui no blog, com uma linguagem cada vez mais agressiva — que sempre louvaram os exemplos do Norte estão hoje sem norte, como baratas tontas ou, pior, rola-bostas.

  102. Chesterton said

    Do norte para o sul? O que está acontencendo na Australia que eu não sei?

  103. Chesterton said

    Assim começo a acreditar…

  104. Chesterton said

    Na VEJA.com:
    A crise no setor elétrico chegou aos investidores. O valor de mercado de 34 empresas brasileiras do setor de energia elétrica listadas na bolsa de valores caiu 37,23 bilhões de reais em pouco mais de quatro meses. Desde o dia 6 de setembro, quando o governo anunciou a redução na conta de luz dos consumidores, o valor de mercado das companhias caiu 18% até o fechamento dos negócios da quinta-feira, 10 de janeiro, de acordo com levantamento feito pela Economática, consultoria especializada em informações financeiras.

    No dia 6 de setembro, as empresas valiam, ao todo, 206,4 bilhões de reais em bolsa, montante que caiu para 171,6 bilhões de reais no fim de 2012 (queda de 16,86% ou 34,8 bilhões de reais). Do início de 2013 até o dia 10 de janeiro, a perda continuou e a soma das ações dessas empresas valia 169,17 bilhões de reais.

    A Eletrobras registou a maior queda porcentual no período. Controlada pelo governo federal, a empresa perdeu praticamente metade de seu valor de mercado, que caiu 48,46% – de 19,22 bilhões de reais para 9,9 bilhões de reais, em 10 de janeiro. A empresa com a maior queda absoluta no mesmo período foi a Cemig, que perdeu 9,85 bilhões de reais. A companhia que pertence ao governo de Minas Gerais vale hoje 18,56 bilhões de reais, segundo a Economatica.

    Das 34 empresas analisadas, dez tem valor de mercado inferior ao seu patrimônio liquido – medida contábil que subtrai os ativos dos passivos e indica o valor real de uma companhia. Como o valor de mercado mostra o prêmio que os investidores pagariam por uma empresa, a relação mínima esperada é de igualdade entre os valores. Mas, quando há desconfiança com o futuro ou desinteresse com os negócios, o valor de mercado não chega ao valor do patrimônio líquido. É o que acontece, por exemplo, com a Eletrobras. Apesar de ter um patrimônio líquido de 79,58 bilhões de reais, a empresa vale 9,9 bilhões de reais, ou seja, o mercado pagaria apenas 12,45% do que a empresa vale efetivamente.

    chest- ou seja, estão canibalizando as empresas…

  105. Otto said

    A TEORIA DO DOMÍNIO DO FATO VOLTA AO DEBATE

    Paulo Nogueira

    E então o procurador-geral Roberto Gurgel voltou a falar na chamada teoria do domínio do fato, tão citada pelos integrantes do STF no julgamento do mensalão – e tão desrespeitada.

    Vamos, primeiro, a um exemplo prático da aplicação da TDF. O ex-presidente peruano Alberto Fujimori está na cadeia por causa dela. Em julho de 1992, nove estudantes e um professor da Universidad Cantuta foram executados por militares.

    Eles eram suspeitos de terrorismo. Descobriu-se, num julgamento iniciado 11 anos depois, em 2003, que o então chefe do Serviço Nacional de Informações, general Julio Salazar Monroe, estava por trás dos assassinatos em Cantuta.

    Foi provado também que o general agia sob ordens diretas do presidente Fujimori. Salazar informava-o sobre todas as atividades de extermínio de pessoas suspeitas de serem inimigas do regime.

    Nem Salazar e nem Fujimori apertaram o gatilho em Cantuta. Mas o general dera a ordem para a matança, e o presidente a aprovara. Foi invocada a teoria do domínio dos fatos, a TDF, e ambos foram processados e condenados a longas penas.

    TDF é uma inovação do jurista alemão Claus Roxin, 81 anos. O objetivo de Roxin era castigar chefes nazistas que, mesmo sem ter matado diretamente, estiveram por trás de chacinas.

    O STF usou o conceito de Roxin para punir José Dirceu, como Gurgel acaba de lembrar numa entrevista à Folha.

    Mas existe uma diferença fundamental entre o Caso Fujimori e o Caso Dirceu. Havia provas de que Fujimori sabia das execuções comandadas pelo chefe do SNI. E, admitiu Gurgel, não há provas físicas contra Dirceu. O que há são suposições.

    Por mais que você possa odiar Dirceu, não vai conseguir transformar suposições em provas.

    Essa diferença é grande como uma pirâmide. Mas o STF não viu, e nem Gurgel.

    Curiosamente, quem alertou para a diferença foi o próprio Roxin, numa rápida entrevista que ele concedeu à Folha de S. Paulo. Apenas na internet a fala de Roxin repercutiu, o que mostra a forma enviesada como desde o início o julgamento foi coberto pela grande mídia. Nem a própria Folha aprofundou o assunto.

    Não vou dizer que fiquei perplexo, porque perplexidade é coisa de tolos, mas fique registrada aqui minha surpresa.

    Primeiro: como os integrantes do STF utilizaram de forma tão peculiar a TDF? Depois: como a defesa dos réus foi tão inepta para não trombetear a gambiarra jurídica feita para dar sustentação, aspas, às condenações? Por que ninguém da defesa se aprofundou na TDF para estabelecer com clareza a diferença com que ela fora aplicada na Alemanha, no Peru e no Brasil?

    Em sua ingenuidade germânica, Roxin disse que a justiça não deveria se curvar à “opinião pública” quando não existem provas concretas por trás da TDF, mas sim respeitar o “direito”.

    Ele provavelmente imaginava que a voz rouca das ruas — ou o Zé do Povo, como dizia Irineu Marinho, fundador do grupo Globo — clamava pelo castigo aos réus do mensalão. As recentes eleições, que simplesmente coincidiram com o julgamento, mostram a real opinião pública. O clamor estava e está não nas ruas, mas nas salas monumentais dos donos das grandes empresas de mídia – que têm agido, e não é de hoje, não como barões mas como coronéis.

    Eles retardam o combate ao maior mal do Brasil – a desigualdade social. O Brasil tem que caminhar na direção do capitalismo escandinavo, que produz as pessoas mais felizes do mundo. Mas as corporações jornalísticas fazem o possível para evitar isso, não no interesse público – mas na defesa encarnecida e amoral dos próprios privilégios.

    O Diário defende vigorosamente o capitalismo — mas não como este que está aí no Brasil. Invoco Adam Smith, o pai do capitalismo: “O impulso em admirar, e quase venerar, os ricos e os poderosos, e desprezar ou, ao menos, negligenciar pessoas pobres é a maior e mais universal causa da corrupção dos nossos sentimentos morais”.

    O capitalismo brasileiro tem que ser defendido de capitalistas como os donos da mídia. E de juristas que usam a seu próprio modo inovações legais como a TDF.

    http://www.diariodocentrodomundo.com.br/sobre-a-teoria-do-dominio-do-fato/

  106. Michelle 2 said

    “TDF é uma inovação do jurista alemão Claus Roxin, 81 anos. O objetivo de Roxin era castigar chefes nazistas que, mesmo sem ter matado diretamente, estiveram por trás de chacinas”

    Agora falta o jornalista canalha explicar como “Täterschaft und Tatherrschaft”de 1963 foi usada para castigar chefes nazistas julgados em 1945/46 quando Roxin tinha apenas 14 anos.

    Pedro Bó adorou ser desinformado…

  107. Pax said

    Sem querer o vice do PSDB acaba dizendo uma verdade, que a direção do partido é fraca, lerda, incapaz e sem reconhecimento público.

    Pois é.

    Agora mais 20 anos de indecisão e acabarão como sempre, em cima do muro.

    http://www.psdb.org.br/do-que-o-psdb-tem-pressa-analise-de-alberto-goldman/

  108. Michelle 2 said

    Deu no Diário do Comércio:

    CHÁVEZ PRESIDENTE (mas seu corpo fica em Cuba)

  109. Patriarca da Paciência said

    “Meus amigos no Brasil são privados do direito à informação e continuarão a ser porque nem o governo federal nem o Congresso Nacional estão dispostos a pagar o preço por uma reforma em área tão estratégica e tão fundamental para o exercício da cidadania. Com 70% de aprovação popular, e com os movimentos sociais nas ruas, Lula da Silva não teve coragem de enfrentar o monstro e agora paga caro por sua covardia.Terá a Dilma coragem com aprovação semelhante, ou nossa meia dúzia de Murdochs seguirão intocáveis sob o manto da liberdade de e(i)mprensa?”

    http://www.brasil247.com/pt/247/midiatech/90149/Nunca-houve-tanto-ódio-na-mídia-conservadora-do-Brasil.htm

    ou nossa meia dúzia de Murdochs seguirão intocáveis sob o manto da liberdade de e(i)mprensa?”

  110. Patriarca da Paciência said

    Nota da Embaixada da Venezuela:

    “Além de desrespeitar os venezuelanos, povo irmão do Brasil, e de proferir acusações sem base nos fatos reais, o comentário de Arnaldo Jabor nesta quinta-feira, 10 de janeiro, no Jornal da Globo, demonstra total desconhecimento sobre a realidade de nosso país.

    Existe hoje na Venezuela, graças à decisão de um povo que escolheu ser soberano, um sistema político democrático participativo com amplo respaldo popular, comprovado pela alta participação da população toda vez que é convocada a votar em candidatos a governantes ou a decidir sobre temas importantes para o país. Desde que Hugo Chávez chegou ao poder, o governo já se submeteu a 16 processos democráticos de consulta popular – entre referendos, eleições ou plebiscitos.

    Não nos parece ignorante ou despolitizado um povo que opta por dar continuidade a um projeto político que diminuiu a pobreza extrema pela metade, erradicou o analfabetismo, democratizou o acesso aos meios de comunicação e que combina crescimento econômico com distribuição de renda. Esse povo consciente de seus direitos não se deixa manipular pelas mentiras veiculadas por um setor da mídia corporativa – essa que circula livremente também na Venezuela.

    Considerando o alto grau de organização e conscientização da população venezuelana, não são nada menos do que absurdas as acusações feitas por Jabor da existência de um aparato repressor contra o livre pensamento. Na Venezuela, civis e militares caminham juntos no objetivo de garantir a defesa, a segurança e o desenvolvimento da nação. É importante lembrar que se trata do mesmo comentarista que em 11 de abril de 2002, quando a Venezuela sofreu um golpe de Estado que sequestrou seu presidente durante 48 horas, saudou e comemorou este ato antidemocrático, durante comentário feito na mesma emissora, a Rede Globo.”

  111. Patriarca da Paciência said

    “A teoria do domínio do fato (português brasileiro) ou teoria do domínio do facto (português europeu) é uma teoria criada por Hans Welzel em 1939 para julgar os crimes ocorridos na Alemanha pelo Partido Nazista em que consiste na aplicação da pena ao mandante de um crime, mas como autor e não como partícipe do crime. Na época do julgamento dos crimes do Partido Nazista, devido à jurisprudência alemã, a teoria não foi aceita.[1]

    A teoria ganhou projeção internacional quando Claus Roxin publicou a obra Täterschaft und Tatherrschaft em 1963, onde a teoria foi desenvolvida, fazendo com que ganhasse a projeção na Europa e na América Latina. Para que seja aplicada a teoria, é necessário que a pessoa que ocupa o topo de uma organização emitir a ordem do crime e comandar o fato.[1][2]

    Na Argentina, a teoria foi utilizada para julgar a Junta Militar da Argentina, considerando que os comandantes poderiam ser considerados culpados pelos desaparecimentos de várias pessoas durante o regime militar argentino. Também foi utilizada pela Suprema Corte do Peru ao culpar Alberto Fujimori pelos crimes ocorridos durante seu governo, alegando que ele controlou sequestros e homicídios. Foi também utilizada em um tribunal equivalente ao Superior Tribunal de Justiça na Alemanha, para julgar crimes na Alemanha Oriental. É muito utilizada no Tribunal Penal Internacional.[1]

    No Brasil, a teoria é utilizada em dois casos: Na Lei do Crime Organizado e na Lei do Meio Ambiente, onde há menção ao mandante do crime. Foi utilizada no julgamento do Escândalo do Mensalão contra José Dirceu, ao condená-lo, sem provas suficientes, alegando que ele deveria ter conhecimento do fato devido ao alto cargo que ele tinha no momento do escândalo. A aplicação gerou críticas de Ricardo Lewandowski, Dias Toffoli e outras pessoas, alegando que, para aplicar a teoria, é necessário haver provas contra o réu da participação no crime.[3]”

    http://pt.wikipedia.org/wiki/Teoria_do_dom%C3%ADnio_do_fato

    “A teoria ganhou projeção internacional quando Claus Roxin publicou a obra Täterschaft und Tatherrschaft em 1963, onde a teoria foi desenvolvida, fazendo com que ganhasse a projeção na Europa e na América Latina. Para que seja aplicada a teoria, é necessário que a pessoa que ocupa o topo de uma organização emitir a ordem do crime e comandar o fato.[1][2]”

    É isso que sempre tem sido noticiado, Claus Roxin publicou a obra Täterschaft und Tatherrschaft em 1963, onde a teoria foi desenvolvida, fazendo com que ganhasse a projeção na Europa e na América Latina.

    Niguém disse que Claus Roxin foi o “inventor” de tal teoria. Aliás, como ensina a própria gramática, “todo texto é um intertexto”, ou seja, para escrever um texto o autor sempre toma como base vários textos escritos anteriormente.

    Mas a claque do rola-bosta 100% idiota adora falar bobagens.

  112. Patriarca da Paciência said

    “Para que seja aplicada a teoria, é necessário que a pessoa que ocupa o topo de uma organização emitir a ordem do crime e comandar o fato.”

    Eis um fato importantíssimo e que não foi observado pelo STF.

  113. Pax said

    E quem comandou e deu as ordens para Delúbio, caro Patriarca?

  114. Michelle 2 said

    Quem falou bobagem foi o articulista Paulo Nogueira, aqui transcrito literalmente:

    “TDF é uma inovação do jurista alemão Claus Roxin, 81 anos. O objetivo de Roxin era castigar chefes nazistas que, mesmo sem ter matado diretamente, estiveram por trás de chacinas”

    Agora falta o jornalista canalha explicar como “Täterschaft und Tatherrschaft”de 1963 foi usada para castigar chefes nazistas julgados em 1945/46 quando Roxin tinha apenas 14 anos.

    Rovilson, o homem que se entrega, adorou: “todo texto é um intertexto” para socorrer o canalha e explicar o inexplicável.

    O se-enrola-na-bosta, sem claque, não perde oportunidade de se enrolar na própria…
    (e sempre de boca cheia).

  115. Otto said

    Patriarca:

    interessante como a direita gosta de expressões como “canalha”. Será que Freud explica?

    A direita já foi mais elegante. Agora ela só xinga, arrota e expele perdigotos.

    A Michelle, por exemplo, em vez de ficar esmiuçando questínculas sobre a origem do TDF, poderia rebater a análise que o Paulo Nogueira fez sobre a entrevista do Gurgel na Folha, onde ele reconhece mais uma vez não haver provas contra José Dirceu. Em vez disso ela (ou ele) prefere mostrar sua falta de edução.

    Bom, agora eu quero lançar uma pergunta aos que defendem a correção da escolha e do uso da TDF no julgamento da AP 470 (Chesterton, Michelle, Pax): vocês acham que no presente caso ela foi usada corretamente?

  116. Patriarca da Paciência said

    “Na época do julgamento dos crimes do Partido Nazista, devido à jurisprudência alemã, a teoria não foi aceita.[1]”

    Acho que ficou bem claro. No julgamento ocorrido em 1945/1946 a teoria não foi aceita, divido à jurisprudência alemã.

    A idéia de Claus Roxin era dar suporte jurídico para julgamentos de nazistas que viessem ocorrer após 1963.

    Bom, acho que fico por aqui. Não retornarei mais ao assunto. Mesmo porque, não sou nenhum profundo entendedor da matéria.

  117. Patriarca da Paciência said

    Só mais uma pequena observação, Hans Welzel também não foi “inventor” da teoria, visto que todo texto é um intertexto, como ensina a gramática. É claro que o Hans Welzel se utilizou de vários destes anteriores para escrever o seu texto.

    Como já diz o Livro Eclesiastes, do Velho Testamento da Bíblia – “não há nada de novo debaixo do sol.”

  118. Patriarca da Paciência said

    Meu caro Pax, 113,

    em primeiro lugar, acho que o Delúbio deve ter o tal “livre arbítrio”.

    Em segundo lugar, o que acontece é que, em sete anos, não foi apresentada sequer uma única prova cabal da participação direta do Dirceu.

    Meu caro Pax,

    no Brasil estão acontecendo vários casos de filhos que matam os pais e toda a família. Agora mesmo os jornais estão noticiando um caso monstruoso de um sujeito que matou o pai e mais quatros familiares, no Paraná.

    Você acha que esses pais vítimas tem o “domínio do fato” sobre os atos dos filhos?

    E a mãe daquela adolescente de 14 anos que assassinou um empresário, você acha que a mãe dela é responsável pelos atos dela?

    É por isso que a teoria do domínio do fato, a verdadeira, explica: ” é necessário que a pessoa que ocupa o topo de uma organização emitir a ordem do crime e comandar o fato.”

    Não há uma única prova cabal de emissão de ordem por parte do José Dirceu e também não há uma única prova cabal de comando de fato.

    O próprio Gurgel reconheceu isto.

  119. Michelle 2 said

    Quem aqui primeiro utilizou pela primeira vez a expressão canalha foi o Pax para definir jornalistas dos quais ele não gosta.
    Logo, na lógica Pedro Bó, o Pax é da direita.

    Alias a pergunta foi muito bem colocada:

    “E quem comandou e deu as ordens para Delúbio, caro Patriarca?”
    (Pax)

    Como sempre sem resposta…deve ser o tal do “intertexto”…

    “Dirceu e seus sequazes, no entanto, sustentam que inexistem provas e que ele está sendo condenado com base numa interpretação falaciosa da chamada “Teoria do Domínio do Fato”, que busca responsabilizar criminalmente o mandante, aquele que, embora no domínio do fato criminoso, não deixa rastro. É evidente que não pode ser aplicada sem provas. E não foi. Há não uma, mas muitas delas contra Dirceu. Parlamentares disseram em juízo que os acordos com Delúbio Soares tinham de ser referendados pelo então ministro; ficaram evidentes suas relações com os bancos BMG e Rural, como atestam depoimentos da banqueira Kátia Rabello; foi ele um dos articuladores da reunião, em Lisboa, entre Marcos Valério, um representante do PTB e dirigentes da Portugal Telecom etc. O Artigo 239 do Código de Processo Penal trata das provas indiciárias: “Considera-se indício a circunstância conhecida e provada que, tendo relação com o fato, autorize, por indução, concluir-se a existência de outra ou outras circunstâncias”.

    Não é uma inovação para perseguir Dirceu. A lei é de 1941. Em uma de suas intervenções, o então ministro Ayres Britto esclareceu:

    “(…) os fatos referidos pelo Procurador-Geral da República (…) se encontram provados em suas linhas gerais. Eles aconteceram por modo entrelaçado com a maior parte dos réus, conforme atestam depoimentos, inquirições, cheques, laudos, vistorias, inspeções, e-mails, mandados de busca e apreensão, entre outros meios de prova. Prova direta, válida e robustamente produzida em Juízo, sob as garantias do contraditório e da ampla defesa. Prova indireta ou indiciária ou circunstancial, colhida em inquéritos policiais e processos administrativos, porém conectadas com as primeiras em sua materialidade e lógica elementar(…)”.

    PS.Pedro Bó …sou do mesmo sexo que a Senhora sua mãe, pela qual tenho imenso respeito.

  120. Chesterton said

    TEXTO ANTERIOR
    FOCO

    ‘No futuro, todos seremos bissexuais’, diz José de Abreu
    DE SÃO PAULO
    Um dos atores mais ativos no Twitter, em que tem mais de 72 mil seguidores, José de Abreu, 66, afirma ter se surpreendido com a repercussão da declaração de que é bissexual, dada na última quarta.

    “Levei um grande susto. Sou artista, não falei nada demais. Bissexualidade é normal. Acredito que, no futuro, todos seremos bissexuais”, disse ele à Folha.

    A declaração foi dada depois de ele ser acusado de homofobia por seguidores. “Não saí do armário. Nunca estive. Trabalho na Globo. De camareiro a diretor, não tem nem como fazer a porcentagem de gays. Não é tabu nenhum. Mas é triste saber que minha bissexualidade desperta mais a atenção do público do que assuntos políticos”, afirmou. (ALBERTO PEREIRA JR.)

    chest- já tive altas discussões com essa mala petista, que é amigo de amiga minha, nunca tinha suspeitado que o machão barbudo gostava de queimar a rosquinha.

  121. Patriarca da Paciência said

    “foi ele (José Dirceu) um dos articuladores da reunião, em Lisboa, entre Marcos Valério, um representante do PTB e dirigentes da Portugal Telecom etc. ”

    Eis aí a tremenda prova em que se baseia o ato condenatório de José Dirceu.

    Articular uma reunião entre Marcos Valério , um representante do PTB e Telecom.

    Mas onde estão as provas que o José Dirceu “articulou” tal reunião?

    Onde estão as provas do assunto que foi tratado em tal reunião?

    Isto não chega seque a ser “uma prova tênue”, visto que nada foi provado.

    E se acharam que havia algum indício, que fosse investigado até que houvesse alguma prova cabal.

    É meu caro Otto,

    a direitona, principalmente a claque do rola-bosta 100% idiota, está mesmo sem norte, depois que os países do Norte perderam a majestade.

  122. Chesterton said

    SATURDAY, JANUARY 12, 2013

    Raposas Petistas no Galinheiro do Funcionalismo Público
    Funcionário público brasileiro demanda 3 coisas: 1) não trabalhar; 2) ter o direito de não ser demitido e 3) ganhar uma aposentadoria polpuda geralmente aos 50 anos de idade. Evidentemente é impossível prover tais benesses sem que existam otários sendo explorados pelo estado, chamados de contribuintes, para pagar essa conta. Uma das ironias desse sistema é a crença de que no futuro as aposentadorias serão polpudas ou mesmo pagas. Só mesmo um imbecil recatado acredita que os fundos de pensão no Brasil pagarão aposentadorias. Eles são gerenciados por bandidos da melhor procedência e qualidade, quadros petistas de longa ficha criminal [que é um pleonasmo], habituados a roubalheira diária e normal em seus sindicatos e corporações originais. Os fundos de pensão servem diversos objetivos, o primeiro é desviar dinheiro para o PT, o segundo é desviar dinheiro para as lideranças petistas e o terceiro para enriquecer seus diretores. Vejam aí mais um caso de ridícula leniência dos fundos de pensão com vagabundos petistas especializados em roubalheira.
    POSTED BY SELVA BRASILIS

    http://revistaepoca.globo.com/Brasil/noticia/2013/01/um-pires-de-r-46-milhoes.html

  123. Chesterton said

    É Patriarca, as esquerdas tem norte e Zé Dirceu sabe seu rumo: a porta da cadeia.

  124. Chesterton said

    Patriarca colocou ar condicionado no carro…

  125. Otto said

    Afinal de contas, Chesterton, Michelle, Pax: vocês acham que a TDF foi utilizada corretamente pelo STF?

  126. Chesterton said

    Exclusivo – Luiz Inácio Lula da Silva é vítima de uma milionária chantagem cibernética. Um hacker está cobrando a bagatela de US$ 25 milhões, em troca da não divulgação pública de informações financeiras supostamente comprometedoras do ex-Presidente da República Sindicalista do Brazil. O escândalo está providencialmente abafado por aqui – como de costume. Mas pode vazar na imprensa internacional.

    A ordem do chantagista é que os milhões de dólares para o “silêncio” fossem depositados em uma conta bancária na Chechênia – de onde opera uma das mais famosas máfias da Federação Russa. O bandido do mundo virtual fez sua ameaça em uma carta (com dados criptografados). Não se sabe por qual motivo específico, o material com a ameaça endereçada a Lula foi entregue no consulado do Brasil, no Chile.

    O criminoso invasor de computadores garante ter em seu poder os códigos de segurança de duas caixas de segurança que Lula teria em dois bancos na França. O hacker também assegura ter outras informações pessoais e sigilosas sobre Lula, seus familiares, além de políticos e empresários parceiros em negócios. O certo é que a temporada de dossiês contra o governo e políticos está mais que escancarada no Brasil.

    O pirata chantagista seria o mesmo que divulgou criminosamente, no Twitter, o número do CPF, telefone, empresas e propriedades supostamente em nome de Lula e de outros condenados no processo do Mensalão. Até a chantagem ainda não tornada pública, o hacker alegara que divulgava os dados como um protesto contra a Justiça brasileira, apostando que toda a onda de corrupção denunciada no governo Lula “acabaria em nada”.

    Em férias em Angra dos Reis, curtindo as mordomias na mansão do bilionário José Seripieri Júnior (controlador da Qualicorp, a maior gestora de planos de saúde do Brasil), Lula permanece providencialmente calado sobre todos os escândalos que afetam seu nome e reputação. Lula já sabe que é o alvo de um grande esquema ilegal de espionagem para acabar com sua carreira política. Só não consegue identificar, com precisão, quem é o mandante principal dos ataques que vem sofrendo desde que estourou a Operação Porto Seguro, da Polícia Federal.

    Lula já não sabe como lidar com o desgaste de ser convocado, a qualquer momento, pelo Procurador-Geral da República, Roberto Gurgel, para “prestar esclarecimentos” sobre a atuação de sua apadrinhada Rosemary Nóvoa Noronha em grandes esquemas de corrupção e tráfico de influência. Gurgel já tem em seu poder documentos que comprometem Rose e confirmam sua relação de muita intimidade e ligações permanentes com Lula. São vídeos, fotografias e notas fiscais de gastos acima do padrão salarial de uma mera servidora pública que ocupava o cargo de confiança de Secretária da Presidência da República em São Paulo.

    O começo de ano com final 13 (o número do PT) parece azarento para Lula – que não conta mais com foro privilegiado ou qualquer tipo de imunidade para se blindar em investigações ou processos de investigação abertos a pedido do Ministério Público Federal.

    Serrão

    -Afinal de contas, Chesterton, Michelle, Pax: vocês acham que a TDF foi utilizada corretamente pelo STF?

    chest- acho que Lula deveria responder pessoalmente pelo mensalão.

  127. Otto said

    Ich!! Chesterton/Serrão, já vazou na imprensa internacional, no Financial Times:

    Com efeito, um blog do Financial Times publicou um artigo interessante sobre os dados de Lula vazados pelo hacker @nbdu1nder.

    A conclusão do artigo: para quem esperava palacetes ou imóveis em condomínios de elite quebrou a cara. O que se revelou sobre o patrimônio de Lula mostra que o ex-presidente não é rico. Pelo contrário! Para o FT, os imóveis de Lula são classificados como “mal pintados” e “localizados em subúrbios perigosos”. O FT conclui que o hacker, a despeito de incriminar o ex-presidente — considerado “ladrão” pela direita brasileira —, acabou por revelar que ele não tem nada de mais para quem tem mais de 30 anos de vida pública.

    Interessante que ninguém se preocupou com os imóveis subvalorizados do senador Aécio Neves (PSDB). Mesmo com um apartamento no Leblon e outro em Ipanema (entre outros imóveis em BH e Nova Lima, além da Rádio Arco-Íris), Aécio tem um patrimônio de pouco mais de 600 mil reais declarados em sua última prestação de contas eleitoral. Isso é que é ser bom comprador!

  128. Pax said

    Acho que se o STF não julgou corretamente, os réus têm direito de se defenderem da melhor maneira possível, com todos os recursos possíveis dentro dos nossos códigos. Caso aleguem que não têm dinheiro podem requerer uma vaquinha e pensarei em doar alguma grana para isso, pelo bem do estado democrático de direito.

    Mas, muito cá entre nós, achar que Delúbio agiu sozinho é conto da carochinha e até uma covardia com o cara.

  129. Chesterton said

    otto, esse mês promete…

  130. Otto said

    Chesterton, e o Aécio?

  131. Pax said

    Olha só o PSB do Eduardo Campos…

    http://www.istoe.com.br/reportagens/267037_A+PRIMEIRA+DAMA+E+O+MARIDAO+?pathImagens=&path=&actualArea=internalPage

    A tal primeira dama até que poderia entrar naquele meu outro blog. Será que topa? Já que a moça gosta de badalação, vais saber…

  132. Pax said

    O que sei é que tem um monte de mineiros conhecidos que acham Aécio um pavor. Dizem que é ainda pior que o Serra na questão de controlar a imprensa.

    Afora a questão que o Rio e suas festas parecem abrilhantar a vida do cidadão.

  133. Pax said

    Procurem no Youtube: KLE621

    Tiozão de 51 anos que dispara com suas motos pelas ruas de Sampa. Tem uma loja de escapamentos de moto e faz vídeos de suas andanças pelas ruas da cidade com uma CB 1000 e uma Hornet 600.

    Um transgressor que vira mito. O cara é maluco, mas pilota muito. Perigoso pra caramba.

    Vale uma conferida. O cidadão é engraçado pacas. Seu canal no Youtube está quase completando 10.000.000 de acessos.

  134. Otto said

    “Dizem que [Aécio] é ainda pior que o Serra na questão de controlar a imprensa.”

    Lá isso é verdade, Pax.

  135. Chesterton said

    130, quem cuida dele é a irmã.

  136. Otto said

    135, ah, o Chesterton tá sabendo das coisas.

  137. Otto said

    Sobre o modesto e espartano patrimônio do cambaleante Aécio, solicito que deem uma olhada:

    http://www.novojornal.com/politica/noticia/ocultacao-de-patrimonio-laranja-complica-aecio-e-andrea-neves-02-01-2013.html

  138. Patriarca da Paciência said

    Do link acima:

    “Fundamentam suas afirmações no que vinha sendo guardado a sete chaves, o “Relatório da Polícia Federal” sobre as investigações realizadas na época sobre o “Mensalão Tucano”. Procedimento “desarquivado” em novembro de 2012, devido a denúncia apresentada pelo ministro do STF Gilmar Mendes contra a revista Carta Capital por ter divulgado uma lista dos que teriam sido beneficiados pelo esquema criminoso, contendo seu nome.

    A fundamentação da denúncia de Gilmar Mendes era de que a lista noticiada seria falsa, obrigando a Polícia Federal abrir procedimento investigatório para ouvir os apontados por Gilmar Mendes como envolvidos no caso. Segundo as mesmas fontes, o relatório encontrava-se “guardado”, porque no mesmo está provado documental e testemunhalmente como funcionou todo o esquema criminoso em relação ao PSDB, ao contrário do ocorrido em relação ao mensalão do PT.

    O relatório comprova que a lista, publicada por Carta Capital, além de não ser falsa, era de conhecimento da Polícia Federal, da Procuradoria Geral da República e do STF a origem da lista e informada na pagina 11 em seqüência a;”

    Muito grave esta denúncia.

    Será que vai continuar sem investigação?

  139. Pax said

    Esta análise do Merval está boa, pelo que me parece.

    A vantagem do PT: sede de poder, por Merval Pereira
    Merval Pereira, O Globo

    http://oglobo.globo.com/pais/noblat/post.asp?cod_post=482136&ch=n

  140. Patriarca da Paciência said

    Caro Pax,

    a análise boa do Merval se resume àquilo que o Lula já vem dizendo faz muito tempo, ou seja, “o problema dos tucanos é que eles tem um bico muito grande e vivem se bicando”.

    A análise péssima do Merval, como sempre, decorre do seu preconceito primário de não reconhecer as qualidades do PT, ou seja, “para o Merval, a única qualidade do PT é a sede de poder”.

  141. Jose Mario HRP said

    Se não bastasse o mico do Estadão sobre investigações do Gurgel quanto a Lula, vem a Eliane Catanhede na maior barriga em décadas da Folha SP.
    Ficou muito mal para ela , tão dada ao jornalismo “sophisticated lady”!

  142. Patriarca da Paciência said

    Uma coisa que me passou pela cabeça. Na luta entre o gigante Golias (Estados Unidos) e o pequeno David (Cuba), mais uma vez o David vai vencer.

    E Por quê?

    Simplesmente porque o modelo norte-americano é inviável!

    Se todas as pessoas do mundo se comportassem como os norte-americanos, consumindo desenfreadamente, seriam necessários 10 (dez) planetas Terras para suprir todas as necessidades dos habitantes.

    Já se todas as pessoas do mundo se comportarem como no modelo cubano, consumindo modestamente, a Terra comportaria 10 (dez) vezes mais habitantes.

    E Cuba tem um ótimo IDH, o qual pode ainda ser bem melhorado!

  143. Pax said

    Caro Patriarca,

    Só tem aquela “pequena” questão das liberdades.

    Sem elas, meu caro, Cuba fica fora de qualquer aspiração que possa considerar.

  144. Jose Mario HRP said

    Poucos países podem falar dos outros quando a conversa é direitos humanos e o respeito a eles.
    Todo mundo tem pecados nesse item.
    Guantánamo é grande prova disso.
    A politica de matanças de pms encapuzados é outro exemplo tetrico.
    A Suécia sendo marionetes dos EUA no caso Assange é outro claro exemplo.
    Estamos longe de países como a Islandia, onde preso assiste até canal pago na tv!

  145. Patriarca da Paciência said

    “A cada artigo, salvo raras exceções, ele se posiciona contra qualquer discussão sobre eventual regulação dos meios de comunicação. Neste domingo, em Época, ele defende a tese de que em que os veículos de imprensa cumprem apenas com sua função social, sem abraçar correntes políticas. Ele denuncia também um “furibundo fanatismo anti-imprensa”, movido por mentes “autoritárias, intolerantes e mal-intencionadas”.
    Assim falou o Bucci!

    http://www.brasil247.com/pt/247/midiatech/90431/Bucci-garante-imprensa-não-faz-política-Então-tá.htm

    É como diz o Chesterton, e neste ponto eu concordo totalmente com ele, seria um absurdo que um patrão pagasse alguém para falar mal dele.

    Caro Pax,

    Como eu falei, com alguns ajustes, principalmente nos itens liberdade de imprensa e econômica, o modelo cubano é bem superior ao modelo norte-americano.

  146. Pax said

    Falo mais das liberdades individuais e direitos humanos.

    Aqui temos milhões de problemas, claro que sim. Rico não vai pra cadeia. Pobre não só apanha como é morto pela polícia sem qualquer investigação maior. É fato, é corriqueiro. Presídios, então, nem se fala. São piores que chiqueiros de porco de criador mais porco que o porco que cria.

    Mas…

    Eu posso escrever o que quiser – desde que não cometa crime de injúria, calúnia ou difamação – posso gostar ou não de partido (a) ou (b) ou (c), posso, mesmo gostando, criticar à vontade, posso pegar meu passaporte e viajar para onde bem entender etc etc.

  147. Pax said

    Mas, caro Patriarca, sob certos aspectos, concordo com você. O modelo consumista americano não é possível. Só funciona para eles, que são império.

  148. Chesterton said

    Como eu falei, com alguns ajustes, principalmente nos itens liberdade de imprensa e econômica, o modelo cubano é bem superior ao modelo norte-americano.

    chest- com essa você se superou.

  149. Chesterton said

    146, estamos tentando colocar um bem rico na cadeia, o JD.

  150. Chesterton said

    Um novo projeto de lei, que deve ser votado pelo Congresso em fevereiro, trouxe de novo à discussão o problema das drogas: reprimir ou descriminalizar?
    Esse projeto pretende tornar mais severa a repressão ao tráfico e ao uso de drogas, alegando ser esse o desejo da sociedade. Quem a ele se opõe argumenta com o fato de que a repressão, tanto ao tráfico quanto ao uso de drogas, não impediu que ambos aumentassem.
    Quem se opõe à repressão considera, com razão, não ter cabimento meter na prisão pessoas que, na verdade, são doentes, dependentes, consumidores patológicos. Devem ser tratados, e não encarcerados. No entanto, quem defende o tratamento em vez da prisão se opõe à internação compulsória do usuário porque, a seu ver, isso atenta contra a liberdade do indivíduo.
    Esse é um debate que não chega a nada nem pode chegar. Se você for esperar que uma pessoa surtada aceite ser internada para tratamento, perderá seu tempo.
    Pergunto: um pai, que interna compulsoriamente um filho em estado delirante, atenta contra sua liberdade individual? Deve, então, deixar que se jogue pela janela ou agrida alguém? Está evidente que, ao interná-lo, faz aquilo que ele, surtado, não tem capacidade de fazer.
    Mas a discussão não acaba aí. Todas as pessoas que consomem bebidas alcoólicas são alcoólatras? Claro que não. A vasta maioria, que consome os milhões de litros dessas bebidas, bebe socialmente. Pois bem, com as drogas é a mesma coisa: a maioria que as consome não é doente, consome-as socialmente, e muitos desses consumidores são gente fina, executivos de empresas, universitários etc..
    Só que a polícia quase nunca chega a eles, pois estes não vão às bocas de fumo comprar drogas. Sem correrem quaisquer riscos, as recebem e as usam. Ninguém vai me convencer de que os milhões de reais que circulam no comércio das drogas são apenas dinheiro de pé-rapado que a polícia prende nas favelas ou debaixo dos viadutos.
    Outro argumento falacioso dos que defendem a descriminalização das drogas é o de que a repressão ao tráfico e ao consumo não deu qualquer resultado positivo. Pelo contrário -argumentam eles-, o tráfico e o consumo só aumentaram.
    É verdade, mas, se por isso devemos acabar com o combate ao comércio de drogas, deve-se também parar de combater o crime em geral, já que, embora o sistema judicial e o prisional existam há séculos, a criminalidade só tem aumentado em todo o planeta. Seria, evidentemente, um disparate. Não obstante, esse é o argumento utilizado para justificar a descriminalização das drogas.
    A maneira certa de encarar tal questão é compreender que nem todos os problemas têm solução definitiva e, por isso mesmo, exigem combate permanente e incessante.
    A verdade é que, no caso do tráfico, como no da criminalidade em geral, se é certo que a repressão não os extingue, limita-lhes a expansão. Pior seria se agissem à solta.
    Quantas toneladas de cocaína, crack e maconha são apreendidas mensalmente só no Brasil? Apesar disso, a verdade é que cresce o número de usuários de drogas e, consequentemente, a produção delas. Os traficantes têm plena consciência disso, tanto que, para garantir a manutenção e o crescimento de seu mercado, implantam gente sua nas escolas a fim de aliciar meninos de oito, dez anos de idade.
    Por tudo isso, deve-se reconhecer que o combate ao tráfico é particularmente difícil, já que, nesse caso, a vítima -isto é, o consumidor- alia-se ao criminoso contra a polícia. Ou seja, ela inventa meios e modos para conseguir que a droga chegue às suas mãos, anulando, assim, a ação policial.
    O certo é que este bate-boca não leva a nada. O fato mesmo é o seguinte: não há produção e venda de mercadoria alguma se não houver consumidor.
    Só se fabricam automóvel e geladeira porque há quem os compre. O mesmo ocorre com as drogas: só há produção e tráfico de drogas porque há quem as consuma. Logo, a maneira eficaz de combater o tráfico de drogas é reduzindo-lhe o consumo.
    E a maneira de conseguir isso é por meio de uma campanha de âmbito nacional e internacional, maciça, mostrando às novas gerações -principalmente aos adolescentes- que a droga destrói sua vida.
    (Ferreiraq Gullar)

  151. Otto said

    Pax, creio que a Yoani Sanchez tem mais liberdade de expressão em Cuba do que o Assange teria nos EUA.

  152. Chesterton said

    SÁBADO, 12 DE JANEIRO DE 2013

    Resposta ao Leitor
    Caros Amigos, esse blog não costuma responder aos leitores. Não por desinteresse, mas por escassez de tempo. Contudo, uma exceção deve ser aberta. Recebi a mensagem abaixo referente a meu post “Existe Violência Sistemática contra Homossexuais no Brasil?”. Logo em seguida comento.

    Sr Adolfo,

    Seu argumento está equivocado. O assissinato de homossexuais a que o GGB se refere são crimes cometidos exclusivamente em função da orientação sexual da vítima, ou seja, ela foi assassinada por ser LGBT. Os homossexuais também sofrem crimes comuns (assaltos, roubos a mão armada, atropelamentos, etc) e fazem parte também das estatisticas dos 50mil. Nao se pode simplesmente afirmar que 0,7% dos homicidios tiveram homossexuais como vitimas, mas sim que esses 336 foram crimes motivados por ódio.

    É isso que eu quero dizer:
    http://www.brasil247.com/pt/247/brasil/90310/A-palavra-dos-mortos.htm

    Caro Leitor,

    Li o texto do Deputado Jean Wyllys (link que você mencionou: http://www.brasil247.com/pt/247/brasil/90310/A-palavra-dos-mortos.htm). Confesso que me surpreendeu o tom agressivo do mesmo. Para o nobre deputado quem não concorda com ele é limitado ou tem má. Segue um trecho do texto:

    “Não repetirei aqui todos “argumentos” dessa gente – até porque seu preconceito ou má fé não precisa de mais espaço do que já tem! – mas vou destacar um que é recorrente: a estatística de 336 homicídios em 2012 motivados por homofobia (numa proporção de um homossexual morto a cada 26 horas) seria irrelevante já que, no mesmo período, a taxa de homicídios em geral é de mais 50 mil. Ora, os porta-vozes desse “argumento” se não agem de má fé são limitados mesmo. As estatísticas não dizem apenas que 336 homossexuais morreram ano passado. As estatísticas dizem que 336 homicídios motivados por homofobia foram perpetrados em 2012 (o que representa um aumento de 26% em relação a 2011). Ou seja, 336 seres humanos foram assassinados em decorrência de sua orientação sexual ou identidade de gênero; foram mortos apenas porque eram gays, lésbicas, travestis e transexuais ou em circunstâncias em que sua orientação sexual e/ou identidade de gênero contribuiu/contribuíram decisivamente para o homicídio. Esses crimes não podem, portanto, ser dissolvidos nas taxas de homicídios em geral cujas motivações não são a orientação sexual nem a identidade de gênero”.

    Bom, tive a curiosidade de pesquisar a metodologia da pesquisa realizada pelo Grupo Gay da Bahia. Infelizmente encontrei apenas os dados referentes ao ano de 2004 (e fiz uma copia do arquivo word em meu computador). E acontece que não existem indícios de que as vítimas tenham sido mortas por causa de sua orientação sexual.

    Nas estatísticas entram vítimas que eram homossexuais assumidos, mas isso não quer dizer que o homicídio se deu por causa de sua orientação sexual. Um exemplo ilustra bem meu argumento. Na pesquisa do GGB o dado abaixo é classificado como vítima morta por ser homossexual:

    (GO) – ?/?/2004 – DESCONHECIDA, 26, negra, foi morta por degolamento e esfaqueada, o corpo foi encontrado dentro da caçamba de lixo nua, enterrada como indigente, assassino desconhecido. (Fonte: AGLT/Go, ?-?-2004)

    Não se sabe a data correta do homicídio. Não se sabe o nome da vítima. Não é possível saber a data correta da fonte. Não é possível saber sequer se a vítima era homossexual. Mas mesmo assim tal vítima é contabilizada como vítima de perseguição sexual.

    Como disse antes, repito: TALVEZ esteja ocorrendo violência sistemática contra homossexuais. CONTUDO, com os dados disponíveis, não é possível fazer tal afirmação.
    POSTADO POR BLOG DO ADOLFO

  153. Chesterton said

    Pax, creio que a Yoani Sanchez tem mais liberdade de expressão em Cuba do que o Assange teria nos EUA.

    chest- pronto, as viuvas do muro de Berlin retornam com toda carga. Otto, então os EUA tem menos liberdade que Cuba?

  154. Otto said

    Pax, veja que belo exemplo de liberdade nos EUA:

    http://actualidad.rt.com/actualidad/view/82753-poderes-corporativos-eeuu-buscan-revancha-ocupa-wall-street

  155. Pax said

    Caro Otto,

    Acho que estaríamos comparando laranja com diferencial de trator, mais ou menos, nesta tua proposta lógica.

  156. Chesterton said

    a versão sobre a chantagem promovida por um hacker (a serviço de sabe-se lá qual inimigo de Lula) é um indicador de que deve se intensificar o nível dos ataques ao mítico ex-presidente. O vazamento de informações sigilosas sobre o Rosegate (que Lula não tem a coragem e decência de vir a público rebater de maneira consistente e convinvente) é outro forte sinal de que o mar de lama não está para Lula. Quem teve interesses econômicos contrariados por Lula agora quer a cabeça dele, custe o que custar.

    Como Lula sabe que é a bola furada da vez, joga na defensiva e na dissimulação. Nestas táticas ele é um craque reconhecido transnacionalmente. Por isso, apesar da força e poder de fogo dos inimigos (ocultos para nosostros), Lula ainda tem chance de salvação. A decomposição do mito Lula já começou, mas o processo pode ser tão lento que nem acabe percebido pela maioria que o idolatra e lhe empresta votos a cada dois anos no cassino eleitoral tupiniquim.

    Lula deve milhões de explicações. Mas não há nada que outros milhões de dólares acumulados ao longo da vida pública deixem de financiar para assegurar uma impunidade ampla, geral e irrestrita. Ou será que há?

    007 já nos ensinou que nem os diamantes são eternos… Quem lida com diamantes sabe muito bem disto. Será que Lula sabe? Ou acabará vítima da espionagem de algum James Bond contratado para detoná-lo?

    Serrão

  157. Chesterton said

    Boa a ilação de pax. Mas uma coisa é certa, Cuba tende a melhorar, de tão ruim que está. Uma ilha de 7 m de habitantes mo caribe tem tudo para se tornar um paraiso na terra, desde que os Castro morram de uma vez.

  158. Chesterton said

    QUANDO VIAJAR É PERIGOSO

    Em uma discussão no Facebook, ouvi de uma conterrânea uma frase curiosa: viajar é perigoso. Dado o contexto – discutíamos questões de Dom Pedrito -, a moça não falava dos riscos usuais de uma viagem, tipo queda de avião, doença no estrangeiro, roubo, perda de bagagens. Nada disso. A moça se referia ao risco de o viajante adquirir senso crítico. Ora, esta é a mais nobre motivação de uma viagem.

    A frase que vou citar é de Chesterton e nada tem de novo para quem me acompanha: não se conhece uma catedral permanecendo dentro dela. Você não conhece seu país se dele não sair. Muito menos sua cidade. Para mim, sair do Brasil foi fundamental para conhecer o Brasil. O homem não conhece exatamente valorando. O homem só conhece comparando.

    Viajar ilustra, costuma dizer-se. É verdade, embora haja pessoas que podem dar voltas ao mundo e não vão aprender nada. Mas o mais inculto dos viajantes – mesmo aquele que só viaja em excursões – tem olhos, e olhos servem para ver. Digamos que alguém vá a Paris, Londres ou Estocolmo. Ao pegar um ônibus urbano, pode ocorrer que pegue um daqueles que inclinam um lado para o passageiro subir. Por mais curto que este alguém seja, vai perceber que há países onde o ônibus se inclina para facilitar seu embarque. Então surge a pergunta: por que em meu país os ônibus não se inclinam para que eu suba?

    Quando voltei da Suécia, em 72, fui convidado para uma entrevista na televisão pelo jornalista Ernani Bês. Fui à emissora, fiquei esperando em uma sala, o programa entrou no ar e nada de ser chamado. Perguntei o que estava ocorrendo.

    – É a policial federal. Há dois agentes aqui que não querem tua entrevista.

    Fui falar com os policiais. Qual é a restrição? Não sou comunista, não vou falar de socialismo nem países socialistas, a entrevista é sobre a Suécia.

    – Você não pode comparar.

    Estavam ali para proibir qualquer comparação entre Suécia e Brasil. Que não se preocupassem. Eu pretendia falar apenas da Suécia. A entrevista finalmente saiu e as comparações – inevitáveis – ficaram com o telespectador. Se eu dizia que todo cidadão sueco pagava até quinze coroas em medicamentos – o que fosse além das quinze era subsidiado pelo Estado – é claro que lá do outro lado da tela o brasileiro se perguntava: e por que eu tenho de pagar tudo?

    Comparar também é perigoso.

    Nos anos 70, o que mais atraía turistas à Suécia era a propalada liberdade sexual, divulgada até mesmo por instituições oficiais para atrair mão-de-obra imigrante ao país. A Suécia foi o primeiro país europeu a liberar a pornografia e era procurada pelos liveshows, espetáculos em que atores faziam sexo em um teatro e os assistentes eram muitas vezes convidados a participar da festa. (Aqui no Brasil, livrinho sueco dava cadeia, como se constituísse uma ameaça às instituições do país). Além da pornografia, o bem-estar da social-democracia nórdica era sua segunda marca registrada. Mas não foi a pornografia nem o bem-estar social o que mais me marcou na Suécia. E sim um pequeno incidente do cotidiano.

    Fui postar uma carta. Na fenda de uma caixa automática, pus uma moeda de duas coroas. Em vez de uma cartela com selos, recebi de volta um impresso com um pedido de desculpas. Não havia mais selos na caixa. Para recuperar minhas coroas – ou os selos – teria de telefonar para um número X.

    Decidi pagar para ver. Estava na Suécia há menos de um mês e falava o sueco precariamente. Os problemas começaram com meu nome, que na língua lá deles se pronuncia Ianér. Do outro lado da linha, uma voz me pediu para soletrá-lo. E como é que diz jota em sueco? Pacientemente, a moça aventou outras palavras. Confirmei a letra que, descobri então, pronunciava-se “ií”. Mas o pior estava por vir. Eu morava na Öregrundsgatan, informação que tampouco foi fácil de passar. Muito bem – disse a moça – amanhã, às 11hs, o senhor receberá o equivalente, em selos, a duas coroas. O senhor prefere a série do rei ou a série da ponte?

    Recém-chegado naquelas bandas, apenas balbuciando o idioma local, eu preferia mesmo era piedade. Qualquer uma, respondi. Dia seguinte, mal passavam dois ou três minutos das onze, o carteiro enfia um envelope em minha porta. Nele vinham os selos, série do rei, com um compungido pedido de desculpas dos Correios.

    Estou na Europa! – pensei, incrédulo. Este terá sido o episódio mais marcante de meus dias de Suécia. Lá, o Estado respeitava os direitos mínimos do cidadão. Um ano depois, encerradas minhas deambulações por aqueles nortes, voltei ao Brasil. Em Porto Alegre, fui telefonar de um orelhão e a máquina engoliu a ficha. Chamei a CRT, expliquei o caso, perguntei como devia fazer para telefonar. Ora, ponha outra ficha – me respondeu a moça.

    Subi em meus tamancos. Eu quero a minha ficha de volta. A moça disse nada poder fazer. Pedi para falar com seu superior. Ela me passou alguém que também me sugeriu pôr outra ficha. Respondi que não pretendia pôr ficha nenhuma, queria a minha de volta, etc., pedi falar para com seu superior, falei com outro superior, repetiu-se toda a lenga-lenga e esta terceira e última instância me bateu o telefone na cara. Indignado, fui à televisão reivindicar meus direitos. O próprio jornalista que comentou o fato deveria estar pensando que eu havia voltado pirado da Escandinávia, contaminado talvez por alguma escandinavite aguda.

    Nada disso. Eu havia vivido em um país onde o cidadão era respeitado. Para um brasileiro, isto era mais marcante que qualquer liveshow. Não por acaso, os países socialistas proibiam seus cidadãos de viajar à Europa ocidental. O viajante voltaria comparando.

    Por que um operário, alemão como eu e meu vizinho – perguntava-se o alemão oriental – pode comprar na hora um Mercedes e eu tenho de esperar cinco anos para comprar um Trabant? Por que os dentistas usam anestesia em outros países, enquanto eu tenho de extrair dentes sem anestesia? Por que as universidades européias têm máquinas de xerox à disposição dos alunos e eu tenho de registrar na polícia até mesmo uma máquina datilográfica? Estas notícias não chegavam apenas a partir das viagens de ocidentais a seus parentes do outro lado, mas também através da televisão e do rádio que conseguiam burlar fronteiras. Os soviéticos consideravam um perigo viajar. E por isso proibiam as viagens.

    Mais tarde ocorreu o inverso. O PC português, por exemplo, proibia seus militantes de ir a Moscou. Ao voltar, eles nada queriam saber com o comunismo.

    De fato, viajar é perigoso. Viajar leva a comparar. E comparar leva a pensar. Melhor ficar em Dom Pedrito.

    – Enviado por Janer

  159. Otto said

    Chesterton, compare os indicadores sociais de Cuba com qualquer outro país caribenho.

    Que tal começar com o Haiti, país que tem sofrido várias intervenções “humanitárias” das potências do Ocidente.

    Vamos, traga aqui índice Gini, mortalidade infantil, analfabetismo, número de habitantes com ensino superior etc…

  160. Otto said

    Pax, tu sofismas.

    Assange, nos EUA, estaria morto. Yoni está vivinha da silva, cheia de grana e o apoio da CIA.

  161. Chesterton said

    Otto, você acredita em estatisticas provenientes de países comunistas? Chaves acreditou que a medicina de Cuba era de ponta, esta aí, sofrendo, num momento que poderia estar curado aqui no INCA do Rio de janeiro.

  162. Chesterton said

    Assange nos EUA estaria preso, como todo criminoso deve estar, Yaoni está presa, por não pactuar com bandidos. Tu sofismas.

  163. Otto said

    Chesterton, você sempre sai pela tangente.

    Por que Assange é criminoso? E os jornalistas aliados do Cachoeira não?

    Yoani está soltinha, blogando: http://www.desdecuba.com/generaciony/

    Vá se informar.

  164. Elias said

    A oposição brasileira parece estar convencida de que Lula disputará a Presidência da República em 2014.

    Poucas vezes vi tanta e tamanha disposição em olhar pro lado errado do túnel… Com o trem prestes a passar por cima.

    Que bom…

  165. Otto said

    Chesterton, quais sãos os países que, segundo a Unesco, erradicaram o analfabetismo na América Latina?

    Vamos lá, não fuja da raia.

  166. Jose Mario HRP said

    Yoani é uma boa menina, que tem filho em boa escola, computador, internet, blog e jamais foi para a cadeia.
    Uma típica classe média paulistana .
    Mas em Cuba a polícia não sai nas madrugadas , como em sampa, encapuzada, com armas ilegais, matando todo e qualquer sujeito que tenha ficha criminal, para se opor ao PCC Nem Kátia Abreu(senadora) peitando fiscais do ministério do trabalho que combatem fazendeiros que se utilizam de mão de obra semi escrava.
    Aliás, aqui podemos escrever o que quiser, mas se realmente esses “escritos” incomodarem poderosos , nos arriscamos a sumir!
    Ou não?

  167. Patriarca da Paciência said

    Quando eu digo que Cuba precisa apenas de alguns ajustes nas áreas econômicas e de liberdade de imprensa, estou querendo dizer isso mesmo, ou seja, ajustar Cuba aos modelos escandinavos.

    Liberdade econômica com total responsabilidade social, de maneira que a arrecadação permita manter todos os benefícios sociais já existentes.

    Liberdade de imprensa com total responsabilidade criminal, de modo que as pessoas que fazem a acusações e nada provem seja enquadradas na forma da lei e não apenas peçam desculpas e fique tudo por isso mesmo, como acontece no Brasil.

    No Brasil a “grande” imprensa é, simplesmente, inimputável, ou seja, grita INCÊNDIO, em meio a uma multidão, em ambiente fechado, e fica tudo por isso mesmo, como aconteceu recentemente com o PIG, no caso da energia elétrica.

    Volto a repetir, com pequenos ajustes, o modelo cubano será o modelo do futuro!

  168. Otto said

    Assistam aos EUA espalhando a democracia no Iraque:

  169. Otto said

    Jose Mario HRP, é isso aí.

  170. Pax said

    Pois é, caro Elias,

    A sorte do PT é que a oposição principal é o PSDB, que é o que é.

    Mas sugiro dar uma lida no Merval de hoje, coloquei acima. Não, não gosto do Merval, mas hoje ele fez uma análise mais competente da situação e panorama para 2014.

  171. Chesterton said

    Assange é criminoso porque colocou a segurança de agentes americanos em perigo. Yoani não pode sair de Cuba.

  172. Chesterton said

    Otto, vai para Cuba que viverás feliz.

  173. Pax said

    Caro Otto,

    Você saiu da discussão sobre liberdades em Cuba (que o caro Patriarca colocou em uma opinião bastante razoável que o mode de vida cubano é mais sustentável que o americano) e partiu para comparações que parecem ir ao encontro da proposta de Schopenhauer em sua “Política da Arte e da Controvérsia”.

    A proposta número 13 diz:

    Nº 13. A fim de fazer com que o seu oponente aceite a sua proposição, apresente também uma contra-proposição oposta. Se o contraste for acentuado, seu oponente acabará aceitando a sua proposição para evitar parecer controverso.

    A josta é que a gente fica velho, gosta de discutir, aprende coisas e não cai mais nessas.

    O que tem o orifício anal das cobras (liberdade em Cuba) com as pantalonas (EUA no Iraque)?

  174. Otto said

    “Assange é criminoso porque colocou a segurança de agentes americanos em perigo”. Ah, meu Deus do Céu!!!

    Coitados desses pobres inocentes torturadores e assassinos!

    Acho que o Chesterton é funcionário do Departamento de Estado e sua função aqui é papagaiar a versão oficial ianque.

  175. Chesterton said

    Quando eu digo que Cuba precisa apenas de alguns ajustes nas áreas econômicas e de liberdade de imprensa, estou querendo dizer isso mesmo, ou seja, ajustar Cuba aos modelos escandinavos.

    chest – assim eu choro…(hahahahahaha). Vai ter que pintar de louro o cabelos cubanos?

  176. Chesterton said

    Otto, não precisa gostar da realidade dos fatos.

  177. Otto said

    Pax, eu só quis dizer que a liberdade de expressão americana é relativa, vai até o ponto em que você mexe com interesses poderosos.

    Não estou dizendo que haja liberdade de imprensa em Cuba. Apenas apontei um exemplo pra mostrar o quanto as coisas não são como parecem.

    Assange corre muito mais risco de vida que a blogueira da CIA. Ponto.

    Aqui no Brasil você viu como a polícia paulista trata um cara que filmou e denunciou um assassinato perpetrado por ela.

    Se isto tivesse acontecido em Cuba ou na Venezuela seria escândalo nacional. Mas como aconteceu em Sampa não comove em nada o coração cristão do bom e velho Chesterton.

  178. Chesterton said

    173, falacia do espantalho. Deixe ele comigo, pax. Eu compro a falacia.

  179. Otto said

    Chesterton, realidade dos fatos é o direito do mais forte?

  180. Chesterton said

    Acho que o Chesterton é funcionário do Departamento de Estado e sua função aqui é papagaiar a versão oficial ianque.

    chest- Acho que o Ott oé funcionário do Estado Cubano e sua função aqui é papagaiar a versão oficial castrense-bolivariana.

  181. Elias said

    Edu,

    Considera:

    1 – As regras da “nova poupança”, na prática, só foram aplicadas aos depósitos feitos a partir de julho/2012. É que, no ano passado, só a partir de julho a taxa Selic mensalizada ficou abaixo de 8,5% (quando ela iguala ou supera esse percentual, o rendimento da poupança volta a ser calculado pelo processo antigo: 0,5% a/m + TR.

    2 – A poupança dificilmente produz rendimento BRUTO muito acima da inflação. Ela é uma aplicação conservadora, cuja maior vantagem é a segurança e a liquidez. É uma aplicação de baixo risco e, exatamente por isso, rende menos — muito menos, aliás — que suas concorrentes de maior risco.

    3 – Considerando o que ocorreu com a TR durante 2012, o rendimento da poupança daquele ano seria mais ou menos o mesmo. Tanto faz dar na cabeça como na cabeça dar…

    4 – Pra quem tem pelo menos parte de suas merrecas aplicadas em poupança — meu caso — o que importa não é o rendimento BRUTO, e sim o rendimento LÍQUIDO, ou seja, aquilo que realmente vem pro bolso da gente. O rendimento líquido é que é o rendimento REAL.

    5 – Em termos REAIS, a poupança ainda se manteve como uma boa opção de aplicação conservadora em 2012, porque seus rendimentos são isentos do imposto de renda. Agumas opções mais audaciosas proporcionaram rendimentos BRUTOS mais elevados, porém, descontados os impostos…

    6 – Evidentemente que os rendimentos da poupança não se comparam, p.ex., com a fábula ganha por quem vendeu ações do Santander embalado pela barrigada da Veja, ou por quem torrou ações da OGX numa das quicadas que ela deu nas últimas semanas. Mas, quem comprou Santander pelo preção da barrigada agora está chorando (não é verdade que os Civita esvaziaram sua carteira daquela ações, durante o “boom” que eles mesmos provocaram, com a barrigada…). Aliás, no ano passado, as “Xx” tiveram despencadas de até 11% num único dia, certo? Mas não dá pra comparar poupança com isso, né?

  182. Otto said

    Chesterton: quais sãos os países que erradicaram o analfabetismo na América Latina?

    Vamos lá, amigo, não fuja da raia!

  183. Chesterton said

    Otto, Cuba, de novo? Não, não estou com saco para falar sobre isso, amanhã, talvez.

  184. Chesterton said

    Se isto tivesse acontecido em Cuba ou na Venezuela seria escândalo nacional. Mas como aconteceu em Sampa não comove em nada o coração cristão do bom e velho Chesterton.

    chest- estou dando um voto de confiança ao prefeito haddad….

  185. Chesterton said

    Aí, Elias, Lula em 2014 se elegerá Senador da República pelo estado de São Paulo.

  186. Chesterton said

    Dinesh D´Souza (o capítulo 2 de sua obra A verdade sobre o cristianismo):

    Por que a religião está vencendo?

    O constante crescimento da religião por todo o mundo não passou despercebido pelos principais ateístas. Alguns desses não-cristãos, darwinistas em sua maioria, expressam uma perplexidade espontânea diante da persistente vitalidade da religião. Esses darwinistas estão convencidos de que deve haver alguma explicação biológica para o fato de que, em toda cultura desde o início da história, o homem ter encontrado e ainda encontrar consolo na religião. O biólogo Richard Dawkins confessa que a religião propõe um “grande quebra-cabeças para qualquer pessoa que pense de modo darwiniano”.

    Pela perspectiva evolucionista, este é o ponto. Estudiosos como o antropólogo Scott Atran entendenm que as crenças religiosas nada mais são do que ilusões. Atran afirma que a crença religiosa exige considerar “o que é materialmente falso como verdadeiro” e “o que é materialmente verdadeiro como falso”. Atran e outros acreditam que a religião exige um comportamento com “mundos efetivamente impossíveis”. A pergunta, então, é: por que os humanos evoluiriam de tal maneira que viessem a acreditar no que não existe?

    O filósofo Daniel Dennett discorre com clareza sobre o problema: “A medida definitiva do valor evolutivo é a adaptação – a capacidade de reproduzir-se de forma mais bem-sucedida do que os competidores”. Contudo, diante disso, a religião parece inútil do ponto de vista evolutivo. Além de custar tempo e dinheiro, induz seus membros a minar seu bem-estar por meio de sacrifícios pelo bem dos outros, às vezes estranhos completos.

    Religiosos constroem catedrais e pirâmides que têm muito pouca utilidade, exceto como lugares para adorações e funerais. Os antigos hebreus sacrificavam seus bezerros mais gordos a Deus, e até hoje pessoas sacrificam bodes e galinhas sobre altares. Religiosos às vezes se abstém de determinadas comidas – a vaca é sagrada para os hindus e o porco é profano para os muçulmanos. Os cristãos dão dízimos e ofertas financeiras na igreja. Os judeus guardam o sábado como um dia sagrado, enquanto os cristãos guardam o domingo para a igreja. Religiosos recitam preces e fazem peregrinações. Alguns se tornam missionários ou dedicam a vida a servir aos outros. Outros até se dispõem a morrer por suas crenças religiosas.

    O biólogo evolucionista está perplexo: por que criaturas evoluídas como os seres humanos, empenhados na sobrevivência e reprodução, fariam coisas que parecem incompatíveis com esses objetivos e até prejudiciais a eles? Esta é uma questão importante, não só porque a religião propõe um dilema intelectual para os darwinistas, mas também porque os darwinistas esperam, ao explicar a existência da religião, conseguir expor suas raízes naturais e sabotar sua autoridade sobrenatural. O biólogo E. O. Wilson escreve que “chegamos ao estágio crucial na história da biologia em que a própria religião está sujeita às explicações das ciências naturais”. Wilson expressa a esperança de que, em um futuro próximo, “a vantagem decisiva desfrutada pelo naturalismo científico venha de sua capacidade de explicar a religião tradicional, sua principal concorrente, como um fenômeno totalmente físico”.

    Assim, até onde essas teorias evolucionistas avançaram no sentido de explicar o sucesso da religião? “A causa imediata da religião talvez seja a hiperatividade em uma conexão no cérebro”, escreve Dawkins. Ele também especula que “a idéia de imortalidade sobrevive e contagia porque faz eco ao pensamento positivo”. Mas, na cosmovisão evolucionista, não faz sentido que a mente desenvolva crenças reconfortantes que evidentemente são falsas. O psicólogo cognitivo Steven Pinker explica: “Quem morre de frio não encontra conforto em acreditar que está aquecido. Quem se encontra frente a frente com um leão não relaxa por causa da convicção de que ele é um coelho”. O pensamento positivo desta natureza rapidamente teria desaparecido uma vez que seus praticantes congelassem ou fossem devorados.

    Contudo, a própria solução de Pinker para o problema não é melhor que a de Dawkins. Ele sugere que talvez haja um “módulo Deus” no cérebro que predisponha as pessoas a acreditarem no Todo-poderoso. Tal módulo, escreve Pinker, talvez não sirva para fins de sobrevivência, mas poderia ter evoluído como um subproduto de outros módulos com valor evolutivo. Esta é outra maneira de dizer que não há explicação darwiniana. Afinal, se um “módulo Deus” produz crença em Deus, que tal um “módulo Darwin” que produz crença na evolução?

    Não obstante, a questão levantada pelos darwinistas não é insensata. Biólogos como Dawkins e Wilson apenas insistem na existência de alguma explicação natural e evolutiva para a universalidade e a persistência da crença religiosa, e eles estão certos. Existe tal explicação, e fico feliz em apresentar uma neste capítulo. O reverendo Randy Alcorn, fundador do Eternal Perspective Ministries, em Oregon, às vezes apresenta às suas platéias duas versões da criação e pergunta-lhes se interessa saber qual delas é verdadeira. Na história secular, “você descende de uma célula minúscula do protoplasma original levado pelas ondas a uma praia deserta há três bilhões e meio de anos. Você é o produto cego e arbitrário do tempo, do acaso e das forças naturais. Você é um mero amontoado de partículas atômicas, um conglomerado de material genético. Você existe em um planeta minúsculo em um sistema solar minúsculo, em um canto escuro de um Universo sem significado. Você é uma entidade puramente biológica, diferente apenas em nivel, mas não em espécie, de um micróbio, vírus ou ameba. Você não tem essência além de seu corpo e, na morte, você deixará de existir por completo. Em sua, você veio do nada e não vai para lugar algum”.

    Na visão cristã, em contrapartida, “você é uma criação especial de um Deus bom e todo-poderoso. Você foi criado à imagem dele, e com uma capacidade de pensar, sentir e adorar que o coloca acima de todas as outras formas de vida. Você difere dos animais não somente em nível, mas em espécie. Sua espécie não só é única, mas você é único dentre os de sua espécie. Seu Criador ama tanto você e deseja sua companhia e afeição de forma tão intensa que tem um plano perfeito para sua vida. Além disso, Deus deu a vida de seu único Filho para que você pudesse passar a eternidade com ele. Se você estiver disposto a aceitar o dom da salvação, poderá se tornar um filho de Deus”.

    Agora imagine dois grupos de pessoas – vamos chamá-los de tribo secular e tribo religiosa – que apóiam essas duas visões de mundo. Qual das duas tribos tem mais chance de sobreviver, prosperar e se multiplicar? A tribo religiosa é formada por pessoas que têm um senso animador de propósito. A tribo secular é formada por pessoas que nem sabem ao certo por que existem. A tribo religiosa é composta de indivíduos que consideram importante cada um de seus pensamentos e ações. A tribo secular é formada por uma matéria que não pode sequer explicar por que é capaz de pensar.

    Evolucionistas como Dennett, Dawkins, Pinker e Wilson deveriam ficar surpresos, então, por testemunhar o crescimento das tribos religiosas? Em todo o mundo, os grupos religiosos atraem um número impressionante de seguidores, e os religiosos demonstram confiança em seu estilo de vida e no futuro ao terem mais filhos. Em contrapartida, as convenções ateístas arrastam apenas um punhado de pessoas amarguradas. Uma das maiores organizações ateístas, Ateístas Americanos, tem cerca de 2.500 membros. Jogue uma pedra no estacionamento de uma universidade de elite norte-americana ou européia e você terá uma boa chance de acertar um ateísta. Mas jogue uma pedra em qualquer outro lugar e você, na verdade, terá de fazer pontaria.

    O ponto essencial não é só que os ateístas são incapazes de competir com a religião em se tratando de atrair seguidores, mas também que o estilo de vida do ateísmo prático parece produzir tribos apáticas que não podem sequer se reproduzir. Os sociólogos Pippa Norris e Ron Inglehart observam que muitos países mais ricos e mais seculares estão “gerando cerca de metade do número de crianças necessário para repor a população adulta”, enquanto muitos países mais pobres e mais religiosos estão “gerando duas ou três vezes mais o número de crianças necessário para repor a população adulta”. A consequência, tão previsível que poderíamos quase chamá-la de lei, é que “a população religiosa está crescendo rapidamente, enquanto o número secular está diminuindo”.

    A Rússia é um dos países mais ateístas do mundo, e os abortos nesse país excedem o número de nascimentos vivos em uma razão de dois para um. (…) O Japão, talvez o país mais secular da Ásia, também está em uma espécie de dieta populacional: espera-se que seus 130 milhões de habitantes caiam para algo em torno de cem milhões nas próximas décadas. Canadá, Austrália e Nova Zelândia encontram-se em uma crise similar.

    E então temos a Europa. O continente mais secular do mundo é decadente no sentido muito literal de que a população está diminuindo rapidamente. As taxas de natalidade estão extremamente baixas em países como França, Itália, Espanha, República Tcheca e Suécia. Os países da Europa Ocidental, hoje, mostram algumas das taxas de natalidade mais baixas já registradas, e as taxas de natalidade na Europa Oriental são comparativamente baixas. Historiadores têm observado que a Europa está sofrendo a redução mais comprovada em sua população desde a Peste Negra no século 14, quando um em cada três europeus sucumbiu à doença. Sem a forte identidade religiosa que antes caracterizava a cristandade, a Europa ateísta parece ser uma civilização que está de partida. Nietzsche predisse que a decadência européia produziria um miserável “último homem” destituído de qualquer propósito além de tornar sua vida confortável e estabelecer critérios para a fornicação regular. Bem, o “último homem” de Nietzsche finalmente está aqui, e seu nome é Sven [nome nórdico que significa “jovem”].

    Eric Kaufmann observou que, nos Estados Unidos, onde os altos níveis de imigração ajudaram a compensar as taxas de natalidade decrescentes dos norte-americanos, as taxas de natalidade entre pessoas religiosas são quase duas vezes maiores do que aqueles entre pessoas seculares. Essa tendência também foi observada na Europa. O que isso significa é que, por uma espécie de seleção natural, é provável que o Ocidente siga em uma direção mais religiosa. Essa tendência provavelmente acelerará se as sociedades ocidentais continuarem a importar imigrantes de sociedades mais religiosas, sejam eles cristãos ou muçulmanos. Portanto, podemos esperar que até as regiões mais seculares do mundo, pela lógica pura da demografia, tornem-se menos seculares ao longo do tempo.

    Nas décadas anteriores, os estudiosos tentaram elaborar uma explicação puramente econômica para as tendências demográficas. A idéia geral ea de que a população era uma função de afluência. Os sociólogos observaram que, à medida que enriqueciam, as famílias optavam por menos crianças, fenômeno observável também no nível global. Presumivelmente, as sociedades primitivas precisavam de crianças para ajudar nos campos, e as sociedades mais prósperas não mais. Acreditava-se também que famílias pobres tivessem mais filhos porque o sexo oferecia um de seus únicos meios de recreação. Além disso, muitas vezes desconhecem métodos de contracepção ou não têm acesso a eles. Por essa perspectiva, explicam-se as famílias grandes como um fenômeno de pobreza e ignorância.

    Essa explicação econômica é, em parte, verdadeira, mas falha em não apresentar o quadro todo. Muitas famílias pobres optam conscientemente por mais filhos, mesmo quando têm acesso a métodos contraceptivos e ingresso para cinema. Sem dúvida, são mais economicamente dependentes de seus filhos, mas, por outro lado, pessoas ricas podem sustentar mais filhos. As pessoas abastadas nos Estados Unidos, hoje, têm um filho ou não têm filhos, mas as famílias abastadas do passado costumavam ter três ou mais filhos. A verdadeira diferença não está simplesmente na renda – mas sim que, no passado, os filhos eram valorizados como dádivas de Deus, e as culturas tradicionais ainda os vêem assim.

    Os países muçulmanos, com seus rendimentos provenientes do petróleo, não são, de modo algum, os mais pobres do mundo e, não obstante, estão entre os que têm as mais altas taxas de natalidade. Católicos praticantes, judeus ortodoxos, mórmons e protestantes evangélicos não são, de modo algum, os grupos mais pobres dos Estados Unidos e, não obstante, têm famílias grandes. Fatores claramente religiosos estão atuando aqui. As taxas decrescentes de natalidade no Ocidente como um todo, em boa parte, devem-se à secularização. (…)

    Os profetas econômicos do desaparecimento da religião provaram ser falsos. Não só a religião está prosperando, mas está prosperando porque ajuda das pessoas a se adaptarem ao mundo e a sobreviverem nele. Em seu livro Darwin´s Cathedral [A Catedral de Darwin], o biólogo evolucionista David Sloan Wilson argumenta que a religião oferece algo que a sociedade secular não oferece: uma visão transcendente de propósito. Consequentemente, os religiosos desenvolvem um apreço pela vida que é, de certo modo, contrário à natureza, demonstrando uma esperança incomum em relação ao futuro. Além disso, forjam princípios de moralidade e de caridade que simplesmente as tornam mais coesas, adaptáveis e bem-sucedidas do que grupos cujos membros deixam de lado essa permanente e encorajadora força.

    Minha conclusão é que não é a religião, mas o ateísmo que requer uma explicação darwiniana. O ateísmo é um pouco semelhante à homossexualidade: não se sabe ao certo onde encaixá-lo em uma doutrina de seleção natural. Por que a natureza escolheria pessoas que acasalam com outras do mesmo sexo, um processo sem nenhuma vantagem reprodutiva? Parece igualmente intrigante por que a natureza iria produzir um grupo de pessoas que não vêem um propósito maior para a vida ou para o Universo. É aqui que o conhecimento biológico de Dawkins, Pinker e Wilson poderia provar-se iluminador. Talvez eles possam voltar suas lentes darwinianas para si mesmos e ajudar-nos a entender de que forma o ateísmo, assim como o cóccix humano e o polegar do panda, de algum modo sobreviveu como uma sobra evolucionária de nosso passado evolutivo.

  187. Patriarca da Paciência said

    “chest – assim eu choro…(hahahahahaha). Vai ter que pintar de louro o cabelos cubanos?”

    Ou seja, Chesterton, para você tudo é apenas uma questão de genética, como já diziam os velhos positivistas brasileiros – o mal do Brasil é que os portugueses venceram a guerra e não os holandeses.

    Depois ficas reclamando quando te chamam de nazista!

  188. Pax said

    Ou governador? Sei não…

  189. Pax said

    A religião é aquilo que impede os pobres de matarem os ricos.

    Quem disse isso?

  190. Elias said

    Pax,

    A meu pensar, um dos melhores momentos do texto do Merval é este: “O possível novo partido de Marina pode ter para o PSDB um efeito semelhante ao que o PSD teve para o DEM: desidratá-lo mais, a não ser que demonstre ter expectativa de poder real.”

    Ou seja, é quando ele reduz Marina àquilo em que ela realmente tem sido: uma linha auxiliar do PSDB, conforme eu venho dizendo desde os primeiros movimentos dela, em 2010. E, se a linha principal já não vale o que o gato enterra, imagina a auxiliar…

    Além disso, Marina tem um concorrente à altura, pro mesmo posto, chamado Fernando Gabeira. Como dois corpos não podem ocupar o mesmo lugar no espaço…

    Se a Marina fosse menos hipócrita, ela teria logo se filiado ao PSDB. Perderia um montão de votos à esquerda (votos que ela acabou perdendo, de um jeito ou de outro…), mas teria a chance de se reconstruir a partir de uma proposta política e ideológica estruturada, com a qual, aliás, ela sempre teve grande afinidade.

    Optando por andar pelos becos, como ela tem feito, Marina vai acabar na posta restante dos aventureiros políticos típicos da América Latina, que posam de salvadores da pátria à margem dos partidos políticos (quando são apenas marginais).

    Pelas mesmas razões, o Merval diz besteira quando tenta fazer crer que os 20 milhões de votos obtidos no 1º turno de 2010 pertencem à Marina, e que ela os “liberou” no segundo turno.

    Ora, neném… Se esses votos “pertencessem” à Marina, eles estariam com ela desde o início da campanha. Esses eleitores só descarregaram na acreana, exatamente quando ela se alinhou às posições mais politicamente mais retrógadas do Brasil. Quando Marina se juntou à rabeira do atraso… Homofobia & adjacências.

    Naquele momento ela ganhou os 20 milhões de votos (e os 15 minutos regulamentares). Mas aqueles 20 milhões não eram nem são de Marina. Eles vão pra qualquer rato de esgoto que se disponha a chafurdar na lama daquelas propostas, e se rebaixe como ser humano a ponto de fazer do preconceito bandeira política.

    A bem da verdade, a canalha jamais confiará em Marina, porque ela é mulher, porque ela é preta, porque ela é pobre e porque ela era empregada doméstica.

    Marina cometeu uma enorme bobagem em achar que seria aceita pela canalha. Bobagem ainda maior, é alguém com a origem e a trajetória dela, desejar fazer parte desse rebotalho…

    Se eu fosse amigo ou correligionário de Marina, eu a aconselharia a preencher uma ficha de filiação ao PSDB.

    Tenho certeza de que FHC abonaria essa ficha. E isso só faria bem a Marina, ao PSDB e ao Brasil.

  191. Elias said

    Aí acima, eu disse:

    a) que a linha política principal do PSDB “…já não vale o que o gato enterra…”

    b) que o PSDB é “…uma proposta política e ideológica estruturada…”

    Antes que alguém pense em ver alguma contradição nessas duas afirmações, lembro que uma coisa é se dispor de uma proposta política e ideológica estruturada, com princípio, meio e fim. Outra, é ter capacidade de transformar essa proposta política e ideológica estruturada, em ações concretas, de conquista do poder e, atingido esse objetivo, de exercício, manutenção e ampliação do poder conquistado.

  192. Chesterton said

    chest- Patriarca me atacando.

  193. Elias said

    “Aí, Elias, Lula em 2014 se elegerá Senador da República pelo estado de São Paulo.” (Chesterton)

    Não Chester. Lula vai pra uma multilateral. Tô casando minhas fichas na presidência do Banco Mundial.

    Só pra continuar matando vocês de raiva… Aos pouquinhos…

  194. Pax said

    Sei não, caro Elias,

    Acho que tua análise está um tanto rábica demais.

    Marina ficou no meio do caminho. Perdeu um monte de votos e simpatizantes do PT e perdeu um monte de votos e simpatizantes do PSDB também. Basta ver aquele idiota que escreve sobre política na Veja e verás. E tem uma turma que vota no PSDB que segue o Jim Jones jornalístico brasileiro. Tem, sim.

    O que temos hoje, na real? No meu entender:

    – Um PT absolutamente desgastado por conta de suas decisões de jogar o jogo jogado, ou seja, chafurdou legal. Ainda tem um discurso, mas o desgaste está se tornando maior que o discurso.

    – Um PSDB, junto com DEM e PPS que minguam a cada dia e continuam sem saber se o jogo é de futebol ou porrinha.

    – Uma Dilma bem na foto que hoje carrega o peso do PT nas costas.

    Muita gente gosta de Dilma. Muita gente mesmo. Mas não suporta mais o PT. Isso é fato. Não suporta mais o chororô do Zé Dirceu, do Genoíno e muita gente que começa a perceber que o lulismo acabou virando sinônimo do modelito Rose de governar. Até a D Marisa deve andar colocando o ex-líder supra pra dormir na casa do cachorro. E quando o líder desanda…. (outra frase, do mesmo cara das três que coloquei acima: Um líder é um vendedor de esperança.)

    Claro, com a super ajuda da grande mídia que vai pra onde lhe interessa os cobres.

    Daí que a colocação do Merval que me parece mais importante é que com esse desgaste pra cá, esse desgaste pra lá, surge o tal vácuo onde aparece espaço para Marina Silva, Eduardo Campos etc.

  195. Chesterton said

    193, assim ele fica sem forum privilegiado. Agora, para alguem como eu que gosta de ver circo pegando fogo, Lula no BM seria uma excelente oportunidade.

  196. Chesterton said

    Elias, vou te contar um negócio que talvez (apenas talvez) você não saiba (pode estar sabendo e não quer que outros saibam que você sabe, ok?)
    O problema de Lula é o tamanho do Brasil. O Brasil não uma Cuba, uma Venezuela, o Brasil é o Brasil. Lula faz jogo duplo com os poderosos do mundo, uma no cravo, outra na ferradura. Parece que bateu com força demais na ferradura, isto é, passou a perna em seus fiadores internacionais, a turma da Nova Era, do “Imagene theres no heaven”, que se sentem traídos. E a trolha vem se aproximando.

  197. Chesterton said

    ta dificil esse blog hoje….toda hora a pagina cai

  198. Pax said

    Aqui tá normal, Chesterton.

    Mesmo com meu link jerda.

  199. Elias said

    Pax,

    Rábica? Acho que não… Apenas sem retoques.

    “A Dilma carrega do PT nas costas”. Certo. Há algum tempo se dizia: “O Lula carrega do PT nas costas”.

    Isso é frase de efeito, Pax. Em política, tem o mesmo valor que uma cédula de R$ 1,50…

    A verdade, Pax, é que há uma máquina política. Uma máquina de fazer política. De disputar o poder. Nisso Merval também está certo.

    Ingenuidade achar que uma pessoa só, seja ela quem for e o que fizer, dá conta disso tudo, num país como o Brasil (que, na verdade, são vários países — cada qual com sua lógica e sua sintaxe… — dentro de um saco só).

    Quando há desgaste generalizado das propostas políticas estruturadas (hoje, o Brasil só tem duas: o PT e o PSDB), é sempre um prato cheio para aventureiros. Pode ser a Marina, pode ser qualquer outro, como já foi o Janio, o Collor…

    Isso é comum e recorrente nas sociedades politicamente imaturas.

    O aventureiro sempre se diz imune aos vícios e distorções dos partidos políticos. Não, raro, é um político que diz que não é político, fala mal dos políticos, etc, etc.

    Quem nunca viu esse filme? Quem não sabe como ele termina?

    Falei disso de passagem, no comentário acima.

    Com relação à Marina, Pax, a questão não é essa.

    A questão é saber se Marina vai continuar se rebaixando, a ponto de se tornar uma aventureira, ou se vai se portar com seriedade e responsabilidade, em vez de vampirizar o cadáver da democracia brasileira.

  200. Olá!

    Aos cubanófilos de plantão, apenas um singelo exemplo de como Cuba trata as pessoas que discordam/discordaram das idéias dos bandidos castristas.

    Apenas os ottários acreditam que Cuba é um país onde existam liberdades.

    Até!

    Marcelo

  201. Patriarca da Paciência said

    “A religião é aquilo que impede os pobres de matarem os ricos.”

    Pax, essa frase aí tido como de autoria de Napoleão, mas muito antes deste, Voltaire já dizia, “o rico pode até não ter religião, mas é muito aconselhável que o seu servo tenha”.

    O que prova que todo texto é, no fundo, um intertexto e também que que Voltaire escrevia de maneira muito mais elegante e espirituosa que Napoleão.

  202. Olá!

    Caso o tosco e corrupto Lula retorne ao poder em 2014, isso será um desastre para as já frágeis instituições democráticas do Brasil. Os seus prováveis alvos preferenciais serão a imprensa livre e o STF, que será aparelhado por ministros companheiros (se é que já não está em andamento tal processo, basta ver o caso de algumas slimeballs que só estão lá no STF por terem prometido absolver mensaleiros).

    Se se tornar realidade a hipótese de que o Lula poderá vir a ser presidente do Banco Mundial, seria interessante se fizessem um breve sumário das biografias dos presidentes anteriores de tal instituição. Afinal de contas, seria interessante saber se os presidentes anteriores têm entre os seus feitos coisas como atentados contra os cofres públicos e as instituições democráticas dos seus respectivos países. Quantos desses fizeram coisas tipo: Mensalão; Dossiês de Aloprados; conseguiram a façanha de, da noite para o dia, transformar seus filhos de meros zeladores de zoológicos em empresários mega-milionários; deram cargos públicos para suas amantes e sustentaram-nas via dinheiro público; e etc.

    Aliás, se o Lula vier mesmo a se tornar presidente do Banco Mundial, bem que ele poderia fraudar alguns dos dados brasileiros de competitividade, pois, assim, o Brasil poderia subir algumas posições no ranking do Ease of Doing Business Index (publicado pelo Banco Mundial), já que, atualmente, o país se encontra na 130a posição. Eita que o país só faz cair nesse índice.

    Até!

    Marcelo

  203. Olá!

    Ah, sim! Caso o Lula não consiga se tornar presidente do Banco Mundial, isso será culpa dos estados e municípios.

    Até!

    Marcelo

  204. Chesterton said

    Segundo o Gaspari ma diplomacia americana nunca vai se meter em discussões com Hugo Chávez, s.
    Doutrina Pocilga, enunciada da seguinte maneira : “Se você entra num chiqueiro e se mete numa briga com os bichos que estão lá, é certo que vai perdê-la.”
    Em contrapartida à Doutrina Bonaparte:
    “Se um sujeito entra num coquetel dizendo que é Napoleão, chame-o de imperador. Se disser que ele não é, começará uma discussão inútil.”

  205. Chesterton said

    Emir Sader
    “A imprensa brasileira está sob risco de desaparição e, de imediato, da sua redução à intranscendência, como caminho para sua desaparição.”
    Gaspari interpreta atraves da M Natasha
    “A imprensa brasileira vai acabar.”

  206. Otto said

    Caro Chesterton, você fugiu da raia.

  207. Otto said

    “Desde 2005 não existem analfabetos na Venezuela, segundo dados da Unesco. De acordo com a mesma instituição, o país tem o quinto maior índice de matrículas universitárias do mundo – superado apenas por Cuba, Coreia, Finlândia e Grécia (antes da crise. Os dados são de 2010).”

    http://ujs.org.br/portal/?p=9660

  208. Otto said

    Cuba, Venezuela, Bolívia, Equador — eis os países que erradicaram o analfabetismo na Amárica Latina. Cuba em 1962.

  209. Chesterton said

    essa do Lula ser Pres do Banco Mundial é a piada do ano.

  210. Chesterton said

    Otto, Cuba não, hoje é domingo.

  211. Patriarca da Paciência said

    “Goiás247_ O contraventor Carlinhos Cachoeira disse com exclusividade ao Goiás247 que o suplente de senador Ataides Oliveira (PSDB-TO) é um “delinquente moral” e um “homem bosta”. Os ataques de Cachoeira são uma resposta às declarações de Ataides ao Brasil247 de que não gosta de bandido. O suplente negou ter emprestado seu jatinho para levar Cachoeira e sua mulher, Andressa Mendonça, para a lua de mel em um resort de luxo em Taipús de Fora, na praia da Península de Maraú, na Bahia.”

    http://www.brasil247.com/pt/247/goias247/90440/Exclusivo-Cachoeira-fala-ao-247-e-detona-tucano.htm

    Ué, esse não é o cara que ia “detonar” o Lula?

    Igual ao Marcos Valério, em vez de detonar o Lula, o cara está detonando é o PSDB!

    Fala, Carlinhos Cachoeira, fala!

    Fala, Marcos Valério, fala!

  212. Chesterton said

    200, bom o link

    mais esse

    http://www.midiasemmascara.org/mediawatch/outros/13751-absurdo-jornal-ingles-the-guardian-defende-a-legalizacao-da-pedofilia.html

  213. Michelle 2 said

    A compungida
    Diplomatas baseados em Havana ficaram surpresos com o estilo de Cristina Kirchner, que, sexta, foi visitar parentes de Hugo Chávez.
    A argentina chegou ao hospital de… vestido preto-luto, óculos escuros e com uma Bíblia nas mãos.

    Confira na foto:

    ————-

    Madame K não é padre pra administrar a extrema-unção, mas parece saber do real estado de Chavez…
    O povo venezuelano não sabe.

    Por que?

    Cuba não vive sem um “mecenas porralouca” e ninguém mais está muito interessado em bancar a ditadura cubana.
    Com a morte de Chavez, Cuba pra sobreviver terá que fazer inumeras e amargas reformas e … se não fizer…
    talvez o povo cubano se una pra acabar com a palhaçada castro/bolivariana.

    E breve nos melhores jornais mundiais!

  214. Patriarca da Paciência said

    Pois é,

    PGR processa Lula, iminência de apagão, Carta Capital está sendo processada por MP e, agora, Cristina vai visitar Chavez vestida de luto e com Bíblia na mão.

    Bom, só se a Cristina fosse muito ingênua!

    Qual será a próxima da Central de Boatos?

  215. Elias said

    Chesterton,

    O Banco Mundial é uma das hipóteses pro Lula. Tem mais umas duas, em termos de multilaterais.

    Não vai ser mole, o que vai ter de direitopata rangendo os dentes e espumando pelo focinho… Serão anos divertidíssimos lendo as coisas que o RA vai escrever, inundando o teclado dele com baba rábica, como diz o Pax…

    Otto,
    A Bolívia erradicou o analfabetismo? Desde quando?

    O que eu sei que tem lá é um processo de alfabetização dos índios no próprio idioma deles. É um troço que já vem de décadas…

    Quando há manifestações políticas na Bolívia, é muito comum que os cartazes e faixas sejam bilíngues.

    Numa reunião da Flacma a que estive presente, em Sta. Cruz de la Sierra, assisti, no evento da OEA, a uma apresentação da comunidade Aimará (que vive na tríplice fronteira Bolívia/Chile/Peru), escrita e apresentada no idioma indígena. Havia tradução simultânea para o espanhol, inglês, português, etc.

    Mas, segundo me falou o prefeito de uma cidade boliviana — por sinal um aimará — o índice de analfabetismo ainda era alto no país.

    Isso foi em 2004, quando o presidente ainda era o Carlos Mesa, cai-não-cai… De lá pra cá os bolivianos erradicaram o analfabetismo?

    Não creio… Analfabetismo de adulto é inextinguível. A taxa de retorno ao analfabetismo, entre os adultos, é de mais de 80%, segundo a ONU. Em termos estatísticos, alfabetizar adultos é quase que fazer furo dentro d´água. É algo que sempre deve ser tentado, porém sabendo-se que os resultados concretos serão, sempre, muito modestos.

    O analfabetismo só é extinto se e quando o país consegue alfabetizar a totalidade de suas crianças, impedindo que elas se tornem adultos analfabetos. Se o país consegue fazer isso, o analfabetismo vai sendo gradualmente extinto com o envelhecimento e morte dos adultos analfabetos. Em geral, isso leva algumas décadas.

    Daí porque também é altamente questionável a afirmação de que Cuba extinguiu o analfabetismo em 1962. Hoje, pelo que se sabe, a taxa de analfabetismo em Cuba é praticamente nula, mas, daí a acreditar que o analfabetismo tenha sido erradicado em 1962 é, digamos, excessivo…

  216. Chesterton said

    Elias, Lulla no Banco Mundial eu não acredito, seria a bolivarianização o mundo . Não é possível um analfabeto safado ocupar cargo tão prestigioso.
    Se isso acontecer, não será caso de a direita chorar, mas a simples desmoralização das instituições internacionais. Em poucos meses o BM fecharia.

  217. Pax said

    Caro Elias, em #199

    Quando digo que Dilma hoje carrega o PT nas costas, falo da questão de aprovação popular.

    Nesta questão, meu caro, acho que tenho razão, sim.

  218. Chesterton said

    Agora, talvez arrumem um Premio Nobel para Lulla, Nobel do que? Sei lá, tão desmoralizado está o Nobel que talvez combine com o Lulla, mas mesmo assim vai ser dificil. Nobel da pilantragem? Vâo ter que se esforçar para passar a opinião pública mundial para trás.

  219. Michelle 2 said

    Comentário 2

    http://www.granma.cu/espanol/cuba/12ene-Reciben%20Fidel.html
    Eis a foto original…
    Madame K não estava de luto.

    Segundo convicções dos petralhas do pedaço, eis a verdade:
    – Era um pretinho básico que sempre usamos pra confortar a família quando vamos à UTI do Hospital…
    A família adora o luto antecipado…olhos vermelhos e excesso de maquiagem…pras câmeras de TV.

    Cristina é muito pior que Dilma.

    Dilma é bobona. Tudo aqulilo do Edu e do MA: caiowa-guarani e bobona.

    O marido de Crisitina morreu, mas o caso de Dilma é diferente.
    lula comia a Rose na cara da dilma e ela não percebeu.
    Nunca soube.
    E teve que pagar o mico.

    E carregar o barco do PT nas costas…hehehe

  220. Chesterton said

    Lula como presidente do Banco Mundial?
    17 de fevereiro de 2012 | 15h44
    Fernando Dantas

    Em artigo no site do Financial Times, Gregory Chin, professor de Ciência Política da York University, no Canadá, propõe o nome de Lula para presidente do Banco Mundial, em substituição a Robert Zoellick, que está saindo (ironicamente, Lula certa vez chamou Zoellick, então representante comercial dos Estados Unidos, principal negociador de comércio exterior, de “sub do sub do sub”).

    Chin, em seu artigo, mencionou o fato de que o ministro da Fazenda, Guido Mantega, defendeu que o novo presidente do Banco Mundial não seja necessariamente de nenhuma nacionalidade específica, mas sim alguém competente e capaz.

    Para o articulista, Lula é o candidato ideal pela sua gestão competente da economia brasileira, pelo seu carisma, pelos laços que criou entre os países emergentes e pelo seu prestígio junto aos países ricos. Caso Lula não queira aceitar, por razões de saúde, Chin acha que deveria ser buscado alguém de perfil semelhante.

  221. Elias said

    Pax,
    A aprovação popular do governo da Dilma é uma das tarefas políticas mais elementares que ela tem que cumprir. Como chefe de governo, compete a ela cuidar da aprovação popular desse governo. Foi o que o Lula fez (e o que FHC não conseguiu fazer, no 2º mandato).

    Agora, dizer que Dilma “carrega o PT nas costas, em termos de aprovação popular” é algo indemonstrável, pra dizer o mínimo. É só checar o “gap” entre a aprovação popular da Dilma e o desempenho eleitoral do PT nas municipais de 2012.

    A esta altura do campeonato o PT deve estar fazendo, em todo o país, os ajustes pra definir sua estratégia em 2014. Diferentemente do Lula, a Dilma não tem (pelo menos, ainda não tem) carisma pra transferir voto. Isso demanda, pra 2014, uma estratégia diferente da adotada em 2010. Do contrário, Dilma poderá acabar reeleita, mas com uma bancada petista significativamente menor que a atual.

    Chesterton,
    “Bolivarianismo” é um termo que só tem sentido se aplicado à Venezuela, Colômbia, Equador, Peru e Bolívia, ou seja, aos países que compunham os antigos vice-reinos espanhóis de Nova Granada e de Lima (daí o futebolzinho do Chavez com o Evo Morales).

    Tem a ver com a chamada “doutrina do equilíbrio continental”.

    Fora desse contexto, é humor involuntário. Coisa de quem não sabe o que está falando…

    Por falar em coisa, pouca coisa incomoda mais um autêntico bolivariano, do que o prestígio internacional do Lula.

    Nesse quesito, os bolivarianos estão associadíssimos à direita brasileira (política é um treco complicado pra caramba…).

  222. Elias said

    Chesterton,

    O Obama já declarou publicamente que apoia a indicação de Lula para presidente do Banco Mundial.

  223. Patriarca da Paciência said

    “lula comia a Rose na cara da dilma e ela não percebeu.
    Nunca soube.”

    E sob os aplausos do Coutão… que ficou na mão. O senador de boteco, eleito pelo PSDB do Pará, preparou o prato e foi o Lula que comeu?

    Esse Lula é mesmo muito esperto!

  224. Chesterton said

    Pois é exatamente isso, Obama recebeu o Nobel antes de tomar posse. Nova era é assim. Só que humores do Financial Times parece que mudou e estão malhando a Dilma e o Mantega diariamente. O que aconteceu, ó Elias? Explique a nós, simples mortais.

  225. Chesterton said

    O Itamaraty bolivariano

    :: Troca-se a cautela da diplomacia pelo ativismo ideológico. Por Sandro Vaia
    O movimento bolivariano, seja lá o que isso signifique, teve neste dia 10 de janeiro o seu ápice de surrealismo, com a oficialização do mandato de um presidente que já governa há 14 anos e tomou – mas não tomou – posse, de corpo ausente, de um cargo conquistado em eleições recentes.

    Como se sabe, a Constituição venezuelana, que se presta a assumir as mais diversas formas, como uma bala puxa-puxa com que as crianças gostam de brincar, institucionalizou a reeleição perene, fazendo da alternância de poder um intrincado quebra-cabeças difícil de montar ou uma montanha difícil de escalar.

    Formalmente, a Venezuela não é uma ditadura, mas também seria um exagero chamá-la de democracia. Um lugar onde o presidente ocupa a rede nacional de televisão para falar de 3 a 4 horas por dia durante cerca de 260 dias por ano não chega a ser um exemplo de oportunidades iguais para todos.

    Reza a Constituição chavista do país, elaborada pelo partido de Hugo Chávez e interpretada por uma Suprema Corte expurgada de juízes independentes, que o presidente da República deve tomar posse no dia 10 de janeiro diante da Assembléia Nacional, ou se isso não for possível, diante do Tribunal Supremo de Justiça.

    Como Hugo Chávez está em Havana convalescendo ( seria essa a palavra certa?) de sua quarta operação contra um misterioso câncer na região pélvica, deu-se um daqueles fenômenos que uma escola de escritores latino-americanos chama de “realismo fantástico”: o mandato do presidente começou sem a presença do presidente.

    Com a transparência que caracteriza os regimes autoritários e populistas não só da América Latina mas de qualquer parte do mundo, o governo venezuelano não informa com a devida clareza qual é o verdadeiro estado de saúde do presidente operado e quais são as verdadeiras chances de que venha a tomar posse dentro do tempo hábil previsto pela própria Constituição, antes que se comece a contar o tempo previsto para a marcação de novas eleições.

    Uma confusão e tanto. Maduro, o vice não eleito e nomeado pelo próprio Chávez como seu sucessor, governará por tempo indeterminado até que se saiba se o próprio chefe terá condições de assumir e quando.

    Como aconteceu antes em Honduras e no Paraguai, a diplomacia brasileira não hesitou em tomar a posição mais duvidosa possível, desde que o rigor técnico histórico do Itamaraty foi substituído pelo ativismo partidário do governo petista.

    Em vez da cautela da diplomacia, o Itamaraty optou mais uma vez por aplicar o ativismo da ideologia com todos os riscos que isso traz para a reputação do País.

    Este artigo foi originalmente publicado no Blog do Noblat, em 11/1/2013.

  226. Chesterton said

    Dilma e a burguesia

    Celso Ming – O Estado de S.Paulo
    A presidente Dilma Rousseff parece convencida de que tem de mudar sua maneira de tratar os empresários e o mundo dos negócios.

    Nos dois últimos dias chamou para uma conversa alguns dos empresários mais ativos para deles saber o que falta para que voltem a investir.

    Essa iniciativa vem num momento em que se espraia pelo mundo (e não só pelo Brasil) a percepção de que o governo Dilma não disfarça atitudes “antibusiness”. As críticas manifestadas pelo mais importante semanário de Economia e Política, a revista inglesa The Economist, são desdobramentos dessa imagem ou, se não isso, das contradições com que vem tratando o mundo dos negócios.

    O governo Lula chegara à conclusão de que não poderia só cultivar relações com sindicatos, trabalhadores e povão – afinal, suas raízes. Talvez inspirado no modelo corporativista do presidente Getúlio Vargas, formado por sindicatos dos trabalhadores de um lado e por sindicatos patronais de outro (cujas versões políticas foram o PTB e o antigo PSD), Lula entendeu que tinha, também, de dar acolhimento especial para a chamada burguesia empresarial. Para vice-presidente, escolheu um empresário de sucesso, o Zé Alencar. Para passar a impressão de que o homem de negócios participaria do governo, criou um superteatro, o Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social, o Conselhão.

    Embora tenha herdado muita coisa da administração Lula, a presidente Dilma parece ter concepção própria do mundo dos negócios. Parece entender que tanto as empresas públicas como as do setor privado têm de fazer o jogo do governo, fortemente intervencionista.

    É simplista e equivocado dizer que o governo Dilma seja ou estatizante ou antiprivatizante. Ela tanto reforçou como prejudicou o setor estatal, como também reforçou e prejudicou grandes segmentos do setor privado.

    Reforçou o setor estatal na medida em que injetou recursos do Tesouro, aumentou ou manteve alguns dos seus privilégios. E tudo fez para preservar elefantes oficiais – como a Infraero e bancos públicos. Mas também sangrou e vem sangrando empresas estatais – Petrobrás, Eletrobrás e os próprios bancos oficiais -, por deliberadamente sacrificar seu caixa e seu Ebitda, com o intuito de garantir determinadas prioridades de sua política.

    Dualidade equivalente vem sendo reservada ao setor privado. De um lado, favoreceu-o com a derrubada dos juros, com a desvalorização do real, com providências destinadas a reduzir as tarifas de energia elétrica, com a redução (ou isenção) do IPI sobre bens de consumo durável, com a desoneração dos encargos trabalhistas e com a criação de reservas de mercado para os fornecedores da Petrobrás e para a indústria de veículos.

    De outro, também prejudicou o setor privado, como o do etanol, as empreiteiras, as concessionárias de energia elétrica, as empresas de comunicação e os bancos. O governo Dilma mudou, sem consulta ou negociação prévia, importantes regras do jogo.

    Agora, por exemplo, encoraja a Receita Federal a despachar multas multimilionárias a grandes empresas, escorada em legislação tributária intencionalmente confusa e ambígua.

    O resultado líquido desses procedimentos é certa erosão de confiança. Mesmo quando não atingido por esses repentes de vontade política, o empresário sente que há uma espada de Dâmocles oscilando ameaçadoramente sobre a sua cabeça. Sempre teme que a política que atropela regras de jogo e que corrói o caixa das estatais acabe derrubando seus negócios. Por isso, prefere manter o breque de mão puxado, não se empenha em modernizar sua empresa e até ri desenxabido quando a presidente Dilma faz apelos insistentes para que, afinal, libere seu espírito animal.

    O gigante pela própria natureza está precisando de um choque de capitalismo e de uma mudança radical na maneira como o governo está encarando o mundo dos negócios – tanto os do setor público como os do privado. Embora a presidente Dilma já tenha ultrapassado a metade do seu atual mandato, não é tarde demais para isso.

  227. Otto said

    Elias #115

    “Depois de Cuba e Venezuela, a Bolívia tornou-se, dia 20 de dezembro, área livre de analfabetismo. Mais de 819 mil pessoas foram alfabetizadas em um universo de 824.101 analfabetos detectados. Mobilização envolveu trabalho de 130 assessores cubanos e 47 venezuelanos que capacitaram técnicos bolivianos na aplicação do método audiovisual cubano “Yo sí puedo”.

    http://www.galizacig.com/avantar/opinion/22-12-2008/bolivia-o-3deg-pais-da-america-latina-livre-de-analfabetismo

    Pois é, Elias, em menos de 4 anos, o presidente “cocaleiro” fez o que nenhum presidente doutor tinha feito.

  228. Chesterton said

    A neo-escravidão e seus senhores de engenho
    POR PEDRO ALBUQUERQUE ·

    Em maio de 2012 Eduardo Saverin, nascido no Brasil, diplomado magna cum laude em Harvard e co-fundador da rede Facebook anuncia renunciar à cidadania americana. Em dezembro de 2012 Gérard Depardieu, nascido na França, celebre e premiado ator, interprete de Jean de Florette na inesquecível adaptação cinematográfica da obra de Marcel Pagnol, anuncia a devolução do seu passaporte francês e a busca de outras nacionalidades. Dois casos que conheceram enorme repercussão na imprensa mundial, representativos de um fenômeno de importância crescente: a resistência do indivíduo contra os novos escravagistas, os administradores do poder de polícia do estado-nação ungidos, em alguns casos, pelo mecanismo frequentemente autoritário do voto majoritário.

    Conheço o dilema vivido por Saverin e Depardieu. A despeito de ter um filho americano e de ter adquirido o direito, escolhi não adotar a nacionalidade do país de Thomas Jefferson e Benjamin Franklin – e digo isso com tristeza – por causa de abjeta lei americana conhecida como a “Heroes Earnings Assistance and Relief Tax Act” de 2008 (HEART Act) – que traduzirei aqui como “Lei da Assistência Tributária aos Heróis”. Tal abominação, aprovada sem maiores dificuldades tanto por democratas quanto republicanos, impõe impostos confiscatórios a expatriados para supostamente oferecer benefícios aos veteranos de guerra. Ou seja, premiam os detentores dos instrumentos de guerra à custa dos promotores da verdadeira pax mundi: os tomadores de iniciativa, os criadores, os inventores e os promotores internacionais do comércio, da cultura, da ciência e das finanças. Ou seja, um ato que carrega no peito um coração nacional-socialista por excelência.

    Por causa do HEART Act eu escolhi não obter a cidadania americana. Ironicamente, graças à minha decisão, eu recebo melhor tratamento nos EUA como investidor estrangeiro que receberia como cidadão americano expatriado – exemplo da esquizofrenia política e econômica pela qual se pautam os estados-nações contemporâneos.

    Motivações similares estão por trás das decisões economicamente sábias e moralmente corretas de Saverin e Depardieu. Um dos poucos instrumentos de defesa que ainda restam aos cidadãos do planeta Terra na sua luta contra a opressão estatal é o voto com o pé, ou seja, fazer as malas e dirigir-se ao aeroporto mais próximo. Tal poder individual contra a desumanidade coletivista e violência estatal deve ser utilizado com firmeza pelos seus detentores, e em especial por aqueles que rejeitam o nacional-socialismo e podem fazê-lo.

    Evidentemente, os ataques dos verdadeiros heróis individualistas à supremacia e arrogância do estado-nação não passam despercebidos aos olhos dos detentores do poder político e de seus porta-vozes instalados numa imprensa habituada a viver descaradamente das migalhas oferecidas pelos “representantes do povo”. É assim que vemos senadores dos Estados Unidos, como Chuck Schumer e Bob Casey, usarem a máquina do estado para promover o linchamento global de Eduardo Savarin, com a conivência da imprensa mundial, o mesmo podendo ser dito do primeiro ministro francês Jean-Marc Ayrault durante a fritura estatal de Gérard Depardieu.

    Bertrand Lemmencier do Insituto Turgot listou três argumentos comumente utilizados pelos novos senhores de engenho para justificar a neo-escravidão: (a) expatriados são desertores, (b) expatriados são ingratos, e (c) expatriados criam externalidades negativas. Dizem os novos senhores de engenho que esses escravos rebeldes, propriedades do estado, devem ser severamente punidos. Se tomarmos a economia como um sistema global, tais argumentos são de um cretinismo admirável. São aceitos, porém, com facilidade tanto pelos demagogos de esquerda quanto de direita porque se enquadram no grande ideal nacional-socialista: o de que o indivíduo é propriedade da coletividade. Este é um ideal que quase todos os detentores de poder defendem, às vezes abertamente, mas tipicamente de maneira insidiosa.

    Que seja claramente afirmado: cidadãos de um verdadeiro estado de direito não permitem aos “representantes do povo” o uso do poder adquirido pela via imperfeita do voto (e isso na melhor das hipóteses) para a reprovação e a denúncia de comportamentos legais e morais de cidadãos ou, ainda pior, o apelo ao linchamento público, seja moral ou econômico – uma marca fundamental do fascismo e do totalitarismo. Não serve como defesa daquela instituição odiosa, mas cabe notar que, no quesito linchamento público, a Ku Klux Klan pelo menos não usava abertamente dinheiro do contribuinte ao manifestar seu apego doentio pelo poder.

  229. Olá!

    Sobre o Lula na presidência do Banco Mundial, é melhor esperar para ver. Seria melhor para a instituição que buscassem uma liderança mais decente e que não tivesse o hábito de deixar um longo rastro de bandidos, corrupção e avacalhação institucional por onde quer que tenha passado.

    Vale lembrar uma coisa: A militância petista tem o hábito de poluir a noosfera com os piores gases mentais.

    Um exemplo disso aconteceu há um tempo atrás quando essa mesma militância comemorava a CPI do Cachoeira e dava loas de felicidades por isso. Alguns militantes tiveram até mesmo a boçalidade de apontar quais seriam os próximos alvos a serem atingidos por tal CPI (“O próximo é o Aécio! O próximo é o Serra! O próximo são os Civita!” e etc.). Bom, a CPI foi encerrada e tudo acabou em pizza quando os petistas se deram conta de que o que poderiam desenterrar dali teria um considerável potencial de ser algo bem pior do que o Mensalão.

    Legal mesmo foi ver esses militantes dizendo como, após a CPI do Cachoeira, o futuro espólio dos Civita seria disputado entre as outras empresas de comunicação e, também, querendo dar lições de moral nos leitores da Revista Veja. Hehehehe. . . Não deixa de ser irônico que a mesma galera que vive querendo dar lição de moral nos outros seja a mesmíssima galera que é filiada a um dos partidos mais corruptos da história do Brasil, tendo casos escabrosos para carregar por toda a existência do partido.

    Militância do baixo meretrício é o que essa gente faz.

    Até!

    Marcelo

  230. Otto said

    Pô, Chesterton, vocês não conseguem reunir mais gente não?

    “Protesto contra Lula e PT reúne 20 pessoas na avenida Paulista”

    http://www1.folha.uol.com.br/poder/1214302-protesto-contra-lula-e-pt-reune-20-pessoas-na-avenida-paulista.shtml

  231. Patriarca da Paciência said

    Fantástico, caro Otto (227),

    E o fato é de 22/12/2008 e, até hoje, não li no PIG, nem ouvi nos telejornais, uma só linha sobre o assunto!

    Como diz o Bucci, “a imprensa brasileira é refém da verdade e não se envolve em partidarismo político”.

    Grande presidente cocaleiro!

  232. Patriarca da Paciência said

    “As vendas do comércio varejista devem crescer em torno de 7,5% neste ano, menos do que os 9,1% estimados para o ano passado pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC).

    A Divisão Econômica da CNC calcula que, apesar de menores em relação a 2012, as vendas terão “ritmo razoavelmente positivo” em 2013; principalmente por causa da esperada evolução favorável do mercado de trabalho e pela provável queda nos níveis de inadimplência dos consumidores, que contribuirá para a melhoria das condições de crédito.”

    http://www.jb.com.br/economia/noticias/2013/01/13/cnc-estima-em-75-incremento-das-vendas-do-comercio-em-2013/

    Espera aí, então o comércio cresceu 9,1% o ano de 2012?

    E o “pibinho”, como é que fica?

    Tanto que o PIG torceu para ficar abaixo de 1%!

  233. Patriarca da Paciência said

    “Tal abominação, aprovada sem maiores dificuldades tanto por democratas quanto republicanos, impõe impostos confiscatórios a expatriados para supostamente oferecer benefícios aos veteranos de guerra.”

    Vejam só quais são os “heróis” do Chesterton, ou seja, os adoradores do deus dinheiro!

    Extrema ganância, extrema insensibilidade social, extremo individualismo, os caros não aprendem mesmo.

    Então o sujeito acha que é uma “abominação” oferecer assistência a alguém que vai lutar numa guerra e volta de lá doente, não só física como mentalmente?

    Pouquíssimas pessoas terão saúde mental após participar de uma guerra.

    Muitos voltarão totalmente inutilizados fisicamente.

    E o dito cujo acha que essas pessoas devem simplesmente serem abandonados à própria sorte!

    Felizmente esse tipo de gente, os adoradores do “deus dinheiro”, sempre foram e sempre serão minoria.

    É claro que o dinheiro é importante, mas para tornar a vida das pessoas dignas e confortáveis.

    A partir do momento em que passar a ser objeto de adoração, aí a coisa muda de figura!

  234. Patriarca da Paciência said

    “Não serve como defesa daquela instituição odiosa, mas cabe notar que, no quesito linchamento público, a Ku Klux Klan pelo menos não usava abertamente dinheiro do contribuinte ao manifestar seu apego doentio pelo poder.”

    O fundamentalista adorador do “deus dinheiro” (228) , além do mais é mal informado.

    Ao que consta, muitos membros da Ku Klux Klan eram altos funcionários, ou seja, recebiam salários para serem assassinos.

  235. Patriarca da Paciência said

    Ridículo mesmo é alguém achar que teria alguma liberdade sem a presença do Estado.

    Estado é como democracia – cheio de defeitos mas nunca foi inventado coisa melhor.

    Sem o Estado as pessoas simplesmente retornariam à lei da selva.

  236. Pax said

    Caros,

    Depois desta entrevista do Tarso Genro, aposto que a militância vai cair de pau em cima dele.

    Só que, no meu entendimento, é ele quem está certo.

    http://oglobo.globo.com/pais/noblat/posts/2013/01/14/tarso-genro-usamos-os-metodos-de-partidos-que-criticavamos-482198.asp

    Como disse tempos atrás, não há – e isso não é estranho nem ruim – uma unidade de opiniões dentro do PT. Essa galera que defende ZD e ZG incondicionalmente, e que é maioria dentro do partido, vai acabar acabando com o mesmo.

    Se ZD e ZG são tão devotos assim, deveriam fazer uma profunda reflexão sobre o que causarão para o futuro.

    Desculpem-me, mas é o que penso.

    Pra dar uma na ferradura, é o mesmo da galera pró-Serra dentro do PSDB. Estão acabando com o partido.

    Soma (a) com (b) e volto a insistir no ponto que achei bom do artigo do Merval. Abre-se um espaço para outras lideranças. Como diz Napoleão, “lider é vendedor de esperança”.

    Sinceramente não vejo esperança num partido comandado pelo ZD. ZG ainda menos, por mais voto de pobreza que tenha como religião. E, idem ibidem , não vejo esperança num partido onde o Serra seja líder. Nem mesmo com Alckmin e completo confessando que acho Aécio fraco, mas é o que o tucanato tem de opção.

    São lideranças que perderam seus capitais políticos. Não conseguem mais vender esperança alguma.

    Dentro deste quadro, fosse eu, apostaria todas as fichas em Dilma, solicitaria ao ZD e ZG que, para ajudarem, ficassem o mais longe possível, e reconstruiria o discurso. Em cima do que Tarso Genro diz.

  237. Otto said

    É um disparate a mídia no papel da oposição

    Paulo Nogueira

    Uma das teses mais esquisitas que surgiram no Brasil moderno sugere que a imprensa livre, aspas, deve fazer o papel da oposição na política, dada a suposta fraqueza desta.

    A ideia foi claramente formulada pela primeira vez, ao que parece, por uma executiva da Folha, Judith Brito, que ocupou a presidência da Associação Nacional de Jornais. Disse ela: “Os meios de comunicação estão fazendo de fato a posição oposicionista deste país, já que a oposição está profundamente fragilizada.”

    Não é preciso mais que uma palavra para avaliar a tese: disparate.

    Maiúsculas.

    Exclamação.

    Primeiro, e acima de tudo, as companhias jornalísticas não foram eleitas. Fazer política, numa democracia, é para quem conquistou votos. Fora disso, é uma usurpação, é uma mostra torrencial de presunção, é uma ameaça à democracia.

    Na Inglaterra nos anos 1930, aconteceu uma situação semelhante. Mas o premiê Stanley Baldwin reagiu num discurso épico, atribuído por alguns a seu primo, o Nobel de Literatura Rudyard Kipling.

    “Alguns jornais não são jornais no sentido estrito da palavra, mas motores de divulgação de mutantes idéias, caprichos, gostos, simpatias e antipatias de seus proprietários”, disse Baldwin. “O que esses donos estão buscando é o poder sem responsabilidade, algo que ao longo da história foi prerrogativa das prostitutas.”

    Baldwin, se se calasse, provavelmente seria esmagado, como um professor que se recolhe enquanto os alunos vão mais e mais berrando. Mas falou, e com sabedoria enérgica e enfática. E a ordem foi restabelecida, e foi feita história em seu pronunciamento, citado como um dos mais memoráveis da vida política britânica.

    Não é só isso.

    Para quem fala tanto em mercado, é um contra-senso brutal. A falta de opositores relevantes gera, para quem acredita no poder do mercado, uma oportunidade para que apareçam políticos que ocupem um espaço não preenchido.

    Mas mais uma vez: estamos falando de poder com responsabilidade, legitimado pelo voto.

    Sêneca dizia que, ao se lembrar de certas coisas que dissera, sentia inveja dos mudos.

    É uma frase na qual Judith Brito poderia pensar.

    http://www.diariodocentrodomundo.com.br/sobre-a-midia-no-papel-da-oposicao/

  238. Patriarca da Paciência said

    Caro Pax,

    O “núcleo político” do PT não é imaculado, muito menos santo. Perfeitos imaculados são o rola-bosta 100% idiota e o augusto boçal.

    Agora, perigoso bandido? Onde? Como? Quando?

    E o que o Tarso Genro diz é perfeitamente razoável. Ninguém está negando que o PT cometeu erros.

    Mas que o PGR e o STF, pelo menos provem nos autos, os crimes que o “núcleo político” é acusado.

    O que não dar para engolir mesmo é usar como prova “não poderia ser diferente”.

    Lei criminal não funciona assim, nem mesmo a teoria do “domínio do fato”.

  239. Elias said

    “Itamarati bolivariano”

    Quanta besteira…

    Não admira que esses caras não consigam respeito nem mesmo junto às “zelites”, cujo saco eles tanto se esforçam em puxar…

    As exportações brasileiras para a Venezuela mais do que quintuplicaram, desde que Chavez assumiu o poder.

    Só mesmo um imbecil completo, com cocô de camarão no lugar do cérebro, “pensaria” em tumultuar as relações comerciais do Brasil com a Venezuela, só porque um Itamarati “ideológico” — conduzido, talvez, por um idiota, cuja única responsabilidade atual na vida é publicar algumas laudas de besteirol por dia num jornal feito sob medida pra descerebrados –, achou de meter o bedelho nos negócios internos do excelente parceiro comercial.

    Os exportadores brasileiros iriam adorar ver o Brasil colocar em risco milhões de dólares anuais de exportações, só pra satisfazer a necessidade fisiológica de excretar a verborréia pseudo-ideológica que tanto excita o orifício anal de antropóides empregados na subimprensa brasileira.

    “Itamarati bolivariano”…

    Putz!

    Otto,
    O que tu disseste confirma minhas piores suspeitas.

    Não embarca nessa história de que a Bolívia erradicou o analfabetismo. Mais que provavelmente, não erradicou.

    O que a Bolívia fez, possivelmente, foi executar um mega-projeto de alfabetização funcional de adultos, tipo PAF (Programa de Alfabetização Funcional) executado pelo Mobral, no tempo da ditadura.

    Há um fenômeno chamado “analfabetismo de retorno” ou “regressão ao analfabetismo”, exaustivamente estudado pela ONU, em um porradal de países da Ásia, da África e da América Latina.

    Os estudos da ONU dão conta de que mais de 80% dos adultos alfabetizados em programas de alfabetização funcional retornam à condição de analfabetos, num prazo que varia de dois a cinco anos após serem declarados alfabetizados.

    Feita numa época em que alguns trabalhos do Poder Legislativo brasileiro tinham alto nível técnico, a “CPI do Mobral” chegou exatamente às mesmas conclusões da ONU. Mais ou menos 80% dos adultos alfabetizados pelo Mobral regrediram à condição de analfabetos.

    Uma parcela insignificante desses “alfabetizados” (não lembro a taxa, agora), passou à etapa seguinte do processo, o “Programa de Educação Integrada – PEI”. Esse programa, em tese, seria o desaguadouro natural dos alunos do “Programa de Alfabetização Funcional – PAF” (na época, a gente dizia que os milicos queriam acabar com o analfabetismo na porrada e à bala: PAF/PEI).

    Na realidade, a maior parte das pessoas que cursou o PEI com aproveitamento, vinha do chamado “ensino regular” (ou seja, não vinha de programas de ensino supletivo), onde havia sido alfabetizada. Eram pessoas que tinham interrompido os estudos no “ensino regular”, lá pela altura da 3ª ou 4ª série. Aí ingressavam no PEI. Aproximadamente 60% desse pessoal conseguia concluir o Fundamental (que, na época, se chamava “Primeiro Grau Maior”). Um percentual bem mais reduzido conseguia concluir o Ensino Médio (então chamado “Segundo Grau”), e pouco mais de 1% chegava ao curso superior. Neste último grupo, quase a totalidade fazia o 1º Grau em “supletivo”, mas cursava o “regular” de 2º Grau (vale dizer: raros alunos do supletivo de 2º grau chegavam à universidade).

    Esses foram os resultados da “CPI do Mobral” (estou citando as taxas de memória, mas o resultado foi mais ou menos esses que está aí acima).

    Não por acaso, metodologias educacionais modernas, posteriormente desenvolvidas, e de bom desempenho, como é o caso do “Telecurso” (notadamente quando combinam tele-educação com educação presencial), exigem que aluno tenha, pelo menos, o 3º ano do Fundamental. Ou seja: essas metodologias não operam com alfabetização funcional de adultos. Só trabalham com adultos alfabetizados.

    Pra se avaliar os resultados efetivos de um programa de alfabetização funcional na Bolívia, será necessário esperar mais tempo. A simples execução do programa, pelo que eu sei, não garante nada. A menos que os venezuelanos e cubanos tenham desenvolvido alguma metodologia miraculosa…

    Eu duvido!

    A única forma segura, comprovada, de se erradicar o analfabetismo, é evitar que as crianças do presente se tornem os adultos analfabetos do futuro.

    Onde isso realmente aconteceu, levou várias décadas (quanto mais não seja, deve-se esperar o tempo necessário para que os adultos analfabetos que já existem sejam convocados à 3ª instância…).

  240. Chesterton said

    ONGs internacionais freiam Brasil,
    diz antropólogo
    Após trabalhar na demarcação de oito terras indígenas na Amazônia, o antropólogo Edward Luz denuncia que as ONGs internacionais, que se dizem defensoras de questões indígenas e ambientais, freiam por mais de três décadas crescimento do Brasil. Em entrevista à revista Infovias, Luz alerta que esses grupos manipulam as minorias para impedir o desenvolvimento do país, visto como “ameaça às superpotências”.

    14/01/2013 | 00:00
    Quem está por trás
    Segundo Edward Luz, esse batalhão de ONGs é orquestrado por países como EUA, Inglaterra, Dinamarca, Canadá, Noruega, Alemanha.

    14/01/2013 | 00:00
    Eco-picaretas
    Mestre e doutorando pela UnB, Luz explica que hoje a maioria dos grupos indígenas e ambientalistas são financiados por ONGs picaretas.

    14/01/2013 | 00:00
    Falsos índios
    O pesquisador denuncia ainda a existência de falsos índios. Em 2008, havia 250 demandas de delimitação de terra. Hoje, já ultrapassam 500.

    CH

  241. Pax said

    Caro Chesterton,

    Suas informações são baseadas em CH, titio etc.

    Depois você reclama …

    CH, Chesterton? Não tem lugar melhor para se informar?

  242. Chesterton said

    Tem, o serrão

    Essa é para o panaca do patriarca que adora um estado gigante, provedor (de larápios e patifes em geral)

    ———-

    SEGUNDA-FEIRA, 14 DE JANEIRO DE 2013

    Cúpula de lobistas, juízes e políticos têm dossiês sobre patrimônio de R$ 700 milhões da família Lula
    Edição do Alerta Total –
    Leia também o site Fique Alerta –
    Por Jorge Serrão –

    A família de Lula da Silva teria um patrimônio de mais de R$ 700 milhões em imóveis, participações acionárias em empresas, além de investimentos em títulos públicos brasileiros e papéis do tesouro de países europeus, principalmente da França, em cujos bancos os Silva teriam três caixas de segurança para depósitos.

    Tais informações sobre a polpuda fortuna de Lula e seus familiares circulam, abertamente, entre conversas dos principais lobistas do eixo Brasília-RJ-SP. A cúpula do Judiciário, as principais figuras do Ministério Público Federal e muitos senadores e deputados já teriam os famosos dossiês contendo esses mesmos dados.

    Por isso, transforma-se em ação de alto risco político qualquer tentativa de investigação rigorosa sobre escândalos envolvendo pessoas próximas a Lula – como foi o caso do Mensalão e agora é o caso da Operação Porto Seguro. Na avaliação de lobistas, políticos e da elite do Judiciário todos os caminhos investigados levam a Lula. E o tamanho do patrimônio de sua família não tem mais como ficar escondido – se for alvo de uma ação pente fino, absolutamente dentro da lei.

    No País da impunidade, no qual a corrupção opera com ares de normalidade nas relações público-privadas, a sorte de Lula é que ele não está sozinho na impossível ocultação de uma riqueza ostentada. Pelo menos 40 senadores têm patrimônio acima de R$ 1 bilhão – a maioria totalmente incompatível com o salário e a atividade pública e privada do dia-a-dia. A situação é idêntica no chamado “alto clero” da Câmara.

    Qualquer apuração oficial que tente relacionar patrimônio com corrupção recebe, nos bastidores, uma mafiosa pressão oculta e contrária de senadores, deputados e empresários (com quem fazem negócios). A impunidade acaba premiada e generalizada por causa da Justiça lenta e da falta de condições políticas e técnicas para uma livre atuação de órgãos públicos (como a Polícia Federal, Receita Federal, COAF e Banco Central).

    Assim, o Ministério Público dificilmente tem provas objetivas na hora de oferecer as denúncias. Condenações só acontecem quando o Judiciário aplica o chamado “rigor seletivo”, apelando para teorias como a do “domínio do fato”, que ficou famosa depois de empregada no julgamento dos réus do Mensalão. E as punições só se tornam viáveis quando existe uma grande pressão das conhecidas “forças ocultas” transnacionais – geralmente contrariada ou muito prejudicada em negócios pelos esquemas de corrupção política.

    A maior preocupação de Lula é que ele se transformou em alvo de poderosos inimigos externos. Ele hoje sofre duros ataques, chantagens e espionagens ilegais financiadas pelos mesmos sujeitos que o colocaram no poder e, por extensão, ajudaram a construir o belo patrimônio de sua família. A Oligarquia Transnacional que controla de fato o Brasil já descarta o PT e seus líderes.

    Por isso, a previsão é de troca de marionetes para a eleição presidencial de 2014. Tudo tende a ficar do jeito parecido – com os esquemas de corrupção funcionando para impedir que o Brasil cresça e se desenvolva -, porém com personagens “renovados” na cúpula do poder. Lula e seus aliados se transformaram em objetos descartáveis. O negócio é esperar para ver como acontecerá o descarte…

  243. Chesterton said

    Depois você reclama …

    chest- você parece não querer reclamar de nada disso.

  244. Chesterton said

    silêêêêênciooooooo…..

    Edição do Alerta Total – http://www.alertatotal.net

  245. Chesterton said

    As boas notícias vêm do campo, apesar da FUNAI, do INCRA, do MST, do CIMI e das ONGs internacionais. Apesar da Marina Silva e seus ecoterroristas.
    O setor mais dinâmico da economia brasileira será de novo, em 2013, a agricultura, se estiverem certas as projeções da safra de grãos e oleaginosas divulgadas quarta-feira pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) e pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A Conab calcula uma safra de 180,4 milhões de toneladas, 8,6% maior que a anterior. Segundo o IBGE, a produção aumentará 9,9% e chegará a 178 milhões de toneladas. Qualquer dos dois números representará mais um recorde. A colheita de 2011-2012 também foi sem precedente – 166,2 milhões, de acordo com uma das estimativas, 162,1 milhões, segundo a outra.

    http://coturnonoturno.blogspot.com.br/

  246. Elias said

    “…a sorte de Lula é que ele não está sozinho na impossível ocultação de uma riqueza ostentada….”

    Acuma? Ocultação de uma riqueza ostentada?

    Sei…

    Deve ser difícil, mesmo, manter oculta uma riqueza ostentada. Tanto quanto é complicado ostentar uma riqueza ocultada.

    É quase um problema existencial: como ostentar o que oculto, se oculto o que ostento? Ou será: como ocultar o que ostento, se ostento o que oculto?

    O Serrão, p.ex., não consegue ocultar sua ostensiva incapacidade em produzir uma matéria denuncista que ostente um mínimo de consistência.

    Vai daí que a credibilidade dele acaba sendo ocultada pela ostensiva consistência da inconsistência do que ele escreve..

    E o cara ganha a vida escrevendo!

    Mas… É lá como se diz: em casa de ferreiro, tanto bate até que fura…

  247. Patriarca da Paciência said

    Interessantíssimo!

    Esta é especialmente para aqueles que vivem dizendo ” nos Estados Unidos não tem disso não”

    “Lincoln, o filme produzido e dirigido por Steven Spielberg, terá um sabor especial para os brasileiros. As salas de cinemas do Brasil serão tomadas por uma impressão de déjà vu: a principal trama da história é um esquema de “compra” de votos de parlamentares para aprovar a 13ª Emenda da Constituição dos Estados Unidos, a da abolição da escravatura. O filme, para os críticos de cinema americanos e ingleses, descreve as habilidades políticas de um grande presidente americano. Para uma audiência brasileira, será impossível deixar de sentir um cheiro de “mensalão”.

    O filme se baseou, em parte, na biografia de Lincoln, escrita por Doris Kearns, Time de Rivais: o Gênio Político de Abraham Lincoln (The Political Genius of Abraham Lincoln). Toda a trama se desenrola nos meses finais do primeiro mandato do 16º presidente dos EUA, Abraham Lincoln, então já reeleito para um segundo mandato. A Guerra Civil americana, que se iniciou com o primeiro mandato de Lincoln, se aproxima do fim, com uma evidente vitória da União, abolicionista, sobre os 11 estados antiabolicionistas e, consequentemente, separatistas. A União já sabe que os confederados, praticamente derrotados, estão prontos para se render e assinar o tratado de paz. Essa visão é comemorada pelos políticos da União, que querem o fim imediato da guerra sangrenta e partir para o segundo projeto do governo, o de reintegrar o país.

    Porém, a visão de Lincoln é mais ampla do que a de seus aliados. Ele percebe que o fim da guerra também significa o fim de seu projeto político principal, o de abolir a escravatura no país. Ele entende que sua Proclamação da Emancipação dos escravos, assinada em 1863, só é respeitada pelos estados confederados por força da guerra — ou do poder que lhe confere a guerra. Assinado o tratado de paz, os estados contrários ao abolicionismo podem voltar a explorar a escravatura, porque ele não dispõe de nenhum mecanismo jurídico (nem belicoso) para obrigá-los a aceitar a emancipação dos escravos. O único recurso é aprovar a emenda constitucional, antes da declaração do fim da Guerra Civil.

    Mas as dificuldades para conseguir a aprovação da emenda são enormes — impossíveis de serem vencidas na opinião de assessores e políticos mais próximos de Lincoln.

    São necessários os votos de dois terços dos parlamentares para aprovar o projeto. E, apesar do Partido Republicano de Lincoln, maioria no Congresso, estar praticamente fechado com ele, faltam 20 votos. Enfim, para aprovar a emenda até o final de janeiro de 1865, antes do final da legislatura, é necessário conseguir esses votos dentro da oposição, o Partido Democrata, que é contrário ao abolicionismo.

    Para assegurar todos os votos republicanos e conseguir negociar com democratas, Lincoln conta com um poderoso aliado, o fundador do Partido Republicano, Francis Preston Blair. Porém Blair, só tem uma vontade na vida: iniciar negociações de paz com os confederados e por fim à guerra civil. Em troca do indispensável suporte declarado de Blair à emenda da abolição da escravatura, Lincoln o autoriza a iniciar as negociações de paz.

    Mas isso traz duas complicações para o projeto de Lincoln: o tempo passa a urgir; e para os republicanos radicais é um contrassenso terminar a guerra sem abolir a escravatura, porque, afinal, um dos principais motivos da guerra foi a abolição da escravatura. Um anúncio do fim da guerra irá anular os esforços para aprovar a emenda.

    A saída é aprovar a emenda, de qualquer maneira, antes que uma eminente assinatura de tratado de paz se torne pública. E isso terá de ser feito com a ajuda de democratas que concordem em votar contra a orientação de seu partido. E um plano é arquitetado: negociar a adesão dos lame ducks, parlamentares (no caso, democratas) que estavam em fim de mandato, porque não foram reeleitos. Afinal, eles não precisam se explicar com seus eleitores, porque, de qualquer forma, já foram excluídos da carreira política, por falta de votos nas eleições parlamentares do ano anterior.

    Ainda há resistência de políticos mais próximos a Lincoln, que preferiam voltar a submeter a emenda à próxima Legislatura, mas o presidente dá um murro na mesa e anuncia que a emenda vai à votação. Agora é correr contra o relógio.

    O secretário de Estado William Seward, o homem que mais compartilha o dia a dia com o presidente, assume o comando da operação. Lincoln e Seward consideram inapropriado oferecer dinheiro, em moeda corrente, aos parlamentares. Decidem oferecer cargos no governo que vai se instalar com a posse de Lincoln para o segundo mandato (o que significaria renda mensal). O secretário contrata três agentes experimentados em lidar com parlamentares, que passam a fazer todos os tipos de manobras para contatar e negociar favores com os parlamentares, em troca de seus votos. Lincoln também contata parlamentares, mas com estratégias racionais, como a de explicar a importância do abolicionismo para os EUA, e emocionais.

    O trabalho dos agentes, sob a supervisão do secretário de estado, é uma das partes mais interessantes — e divertidas — do filme, pela criatividade deles e pelas formas que observam e abordam cada parlamentar na mira do suborno. Eles acompanham os debates no Congresso de olho na reação dos parlamentares-alvo, a cada discurso, a cada aplauso ou protesto. Aos poucos, Lincoln, seu secretário de Estado e os agentes vão fazendo a contagem regressiva. “Só faltam 13 votos”…

    Finalmente chega o dia da votação, os votos estão razoavelmente contados, mas ninguém sabe exatamente o que esperar de uns poucos indecisos. Não dá para afirmar se a emenda vai passar ou não.

    A minutos do início da votação, outro problema. Chega a notícia de que representantes dos confederados estão em Washington para assinar o tratado de paz. Há um rebuliço no Congresso e a maioria decide suspender a votação. Três colaboradores correm até a Casa Branca levando um bilhete com a notícia a Lincoln. O presidente escreve rapidamente uma carta ao Congresso, dizendo: “Eu não sei da presença de confederados em Washington”. Isso é verdade. Ele sabia que os Confederados estavam chegando para o tratado de paz, mas lhes enviou uma ordem, por teletipo, para que ficassem fora da cidade, até que a emenda fosse votada.

    Há gritaria, protestos. Mas a votação se inicia, finalmente, com grande ansiedade dentro do Congresso, no gabinete de Lincoln, nos quarteis militares, que acompanham a votação, e nas ruas. Com todo o suspense que Spielberg tem direito, apesar de a história ser conhecida, Lincoln ganha a votação com dois votos a mais do que o necessário — um dos quais de um deputado que declarou pessoalmente a Lincoln que jamais votaria a favor do abolicionismo.

    O filme termina com o discurso de posse de Lincoln para o seu segundo mandato.
    João Ozorio de Melo é correspondente da revista Consultor Jurídico nos Estados Unidos.

    Revista Consultor Jurídico, 13 de janeiro de 2013

    http://www.conjur.com.br/2013-jan-13/compra-votos-retratada-filme-lincoln-traz-lembrancas-mensalao

  248. Chesterton said

    hahahahahaha, o “meu”(de vocês) Lulla não aparece.

  249. Pax said

    Essa da “ocultação de uma riqueza ostentada” da fonte do Chesterton é dose de leão.

    De outro lado, porque mesmo este cara não é processado?

  250. Patriarca da Paciência said

    Do comentário 237 do Otto, apud Paulo Nogueira:

    “Na Inglaterra nos anos 1930, aconteceu uma situação semelhante. Mas o premiê Stanley Baldwin reagiu num discurso épico, atribuído por alguns a seu primo, o Nobel de Literatura Rudyard Kipling.

    “Alguns jornais não são jornais no sentido estrito da palavra, mas motores de divulgação de mutantes idéias, caprichos, gostos, simpatias e antipatias de seus proprietários”, disse Baldwin. “O que esses donos estão buscando é o poder sem responsabilidade, algo que ao longo da história foi prerrogativa das prostitutas.”

    Se eu já tinha a maior admiração pelo Rudyard Kipling, com esta, passei a admirá-lo mais ainda.

    O cara, além de grande escritor, também era profeta, descreveu com perfeição e precisão o que acontece no Brasil atualmente.

  251. Pax said

    O que tem o mensalão dos americanos com os nossos?

    Estão querendo justificar os desvios tupiniquins com os desvios que fizeram no século XIX nos EUA?

    Era só o que faltava.

  252. Patriarca da Paciência said

    Caro Pax,

    a fonte é uma revista jurídica e o autor do texto é um consultor jurídico residente nos Estados Unidos.

  253. Chesterton said

    porque não calam o Serrão mesmo?

  254. Patriarca da Paciência said

    Tenho um palpite,

    O rola-bosta 100% idiota e o augusto boçal escrevem boçalidades sobre o Lula faz décadas e a popularidade do Lula só aumentou neste período todo.

    Como o ônus da prova cabe ao acusador, não é o Lula quem tem que provar que nada deve!

    E os cães ladram e a caravana passa!

  255. Chesterton said

    Se não prendem o Maluf, né Patriarca?

  256. Chesterton said

    janeiro 14, 2013

    A QUINTA INTERNACIONAL AVANÇA

    Comentei há dois dias uma entrevista do secretário municipal da Promoção da Igualdade Racial de São Paulo, Netinho de Paula (PCdoB), na qual saiu-se com esta pérola:

    – A gente precisa convencer a sociedade paulistana de que ela é racista, ela precisa entender que ela é racista. A partir do momento que ela se assumir como racista, ela pode trabalhar isso, porque a gente perde economicamente, a gente exclui uma sociedade que pode ajudar muito o país.

    Ou seja, se paulistano não é racista e elege um prefeito negro, é preciso convencê-lo de que é racista apesar de ter eleito um prefeito negro.

    Raciocínio idêntico empunhou o ator Miguel Falabella ao explicar ao UOL por que, apesar de haver um casal de mulheres entre os protagonistas, na série de humor que a Globo exibe a partir do próximo dia 24, o público não corre risco algum de ver um beijo entre elas.

    – Não vai ter beijo, a relação delas é muito light. A gente ainda está com uma pena na cabeça e um tacape na mão. É um milagre que a gente tenha computador neste país. Aeroporto nós não temos, o Galeão é uma favela, uma vergonha. Então você acha que vai ter beijo em um país onde as pessoas não sabem ler? Ninguém lê nada, ninguém sabe de nada – disse ao repórter Renato Damião, do UOL.

    Ou seja, se não tem beijo homossexual na TV a culpa é do público. Deste público inculto nada se pode esperar. Temos de educar a população, alfabetizar os analfabetos, introduzi-los no bom hábito da leitura – Dostoievski e Shakespeare, quem sabe? – para que todos peçam um beijo homossexual na telinha. Se não há público para beijos homossexuais, urge educar o respeitável público para o homossexualismo, para que exijam da televisão beijos homossexuais.

    Não dou fé a teorias conspiratórias. Mas hoje vejo com mais atenção o alerta de um velho amigo uruguaio, o Anibal Abadie Aicardi, ex-professor de história na Universidade Federal de Santa Catarina, quando falava de uma Quinta Internacional, la Internacional del Culo. Há, pelo jeito, uma intenção declarada de certos setores da burritsia nacional de homossexualizar o país.

    Nada tenho contra homossexualismo. Sempre defendi a idéia de que, em matéria de sexo, só não vale dedo no olho. Só lamento que não se façam mais homossexuais como antigamente. Tanto que viraram gays, homoafetivos, tudo menos homossexuais. Convivi com eles desde o ginásio à universidade e mais tarde na vida profissional. Ostentavam uma certa aura, não digo de heróis, mas de rebeldes avessos à sociedade bem comportada, à ética vigente, ao casamento e à religião.

    Entre os homossexuais com os quais convivi – e alguns eram companheiros de bar – nunca vi casais nem pessoas com pendores religiosos. Todos tinham consciência de que as religiões vigentes condenavam seus comportamentos, e das igrejas só queriam distância. Eram geralmente pessoas cultas e sensíveis. Quando penso nos homossexuais de minha juventude, sempre me vem à mente o “non serviam” de Lucifer, a primeira afirmação de liberdade ante a arrogância do Altíssimo.

    Eram também avessos ao convívio familiar e trocavam de parceiros como quem troca de roupa. Não havia namorinhos na época, nem mãozinhas dadas. Mas uma sexualidade intensa e diversificada. Dispensavam aquelas longas conversas que tínhamos de suportar, na época, para levar uma menina à cama. Bastava um olhar trocado na rua. O tempo entre o olhar e os fatos era igual ao necessário para encontrar o quarto mais próximo. Não enganavam parceiro algum com promessas de amor duradouro, muito menos de casamento, aliás nem se cogitava disto na época.

    Tampouco pretendiam casar na Igreja. O cristianismo, pelo menos enquanto não jogar no lixo o Velho Testamento – que considera o homossexualismo abominação e o condena com a morte – não pode aceitar homossexuais. Por uma questão de coerência, tem de condenar a prática. Pelo menos entre homens, já que no Livro nada obsta que mulher deite com mulher. Há homossexuais hoje que querem casar de véu e grinalda, com a benção de um sacerdote. Por que querem estes senhores participar de cerimônias religiosas de uma religião que os condena como abominação?

    Tampouco eram proselitistas. Um homossexual podia muito bem sentir-se atraído por um hetero, poderia até assediá-lo, mas jamais pretenderia que aderisse ao clube. Hoje, ser homossexual está tomando ares de religião, em que apóstolos querem converter os gentios.

    Se a sociedade paulistana não é racista, ela precisa tornar-se racista. Se o público televisivo não é homossexual, ele precisa tornar-se homossexual, para que a televisão produza filmes homossexuais. Se o mercado não existe, a gente cria. Nem o PT almejou tanto.

    Os franceses estão agindo com mais bom senso. Em resposta à vontade governamental de impor uma lei regulamentando o casamento homossexual, 340 mil (segundo a polícia ) a 800 mil manifestantes se reuniram ontem para dizer não ao projeto. Balões rosas, brancos e azuis estavam acompanhados de numerosos slogans como “Un père, une mère, c’est élémentaire”, “Les papas, les mamans, dans la rue on descend, le mariage on défend”, “tous nés d’un homme et d’une femme” ou ainda “On veut du sexe, pas du genre”.

    “Este Parlamento decidiu mudar o sentido do casamento. É uma grande violência para o povo mudar o sentido de uma palavra”, disse Monsenhor Phillipe Barbarin, arcebispo de Lyon. Aqui no Brasil, ao arrepio da vontade popular, o STF mudou o sentido da palavra casamento e rasgou a Constituição ao institucionalizar o casamento entre pessoas do mesmo sexo. Se a Suprema Corte do país autoriza as uniões homossexuais, por que beijos homos ou lésbicos seriam proibidos na televisão?

    A Primeira, a Segunda, a Terceira e a Quarta Internacional morreram no século passado. A Quinta avança célere.

    – Enviado por Janer

  257. Elias said

    “porque não calam o Serrão mesmo?” (Chesterton)

    Pra quê? Pra fazer dele uma celebridade?

    Melhor que essa égua continue batendo os cascos no teclado e ganhando a vidinha… A cada semana, não resta nada do que ele escreveu na anterior.

    É só texto descartável. Como o autor…

  258. Michelle 2 said

    Dilma,a incompetenta – mão pesada – ornitorrinca -guarani- kaiowa:

    Caiu a ficha…os ratos começam a abandonar o navio!

    Crítica a Dilma já parte dos próprios aliados(247)

    Apanhar de nomes como Merval Pereira, Miriam Leitão, Augusto Nunes, Alexandre Schwartsman e Marco Antônio Villa já era esperado. A novidade é que o governo Dilma começa a ser criticado por antigos aliados, como os economistas Delfim Netto e Carlos Lessa, assim como pelos jornalistas Luís Nassif e Paulo Henrique Amorim; disparou o sinal amarelo?

    Caiu a ficha…os ratos já começaram a abandonar o navio!

  259. Patriarca da Paciência said

    “Nelito Fernandes e Leonardo Lanna, via O Sensacionalista

    São Pedro pode não ser tão santo assim. A oposição quer abrir uma CPI para investigar se o homem que controla os céus entrou no mensalão do PT para fazer chover e evitar o risco de desabastecimento. O senador Armando Robalo (PFF) disse que estranha o fato de começar a chover de repente. “Isso é inacreditável. Havia um risco de desabastecimento e começou a chover. Alguém mandou uma pro santo. Molharam a mão dele para ele molhar tudo por aí”, disse o senador.

    Para piorar a situação do Santo, a chuva caiu no fim de semana. Um levantamento feito pelo instituto Nupal mostrou que a fé em São Pedro cai drasticamente quando chove perto do fim de semana.”

    ess.com/2013/01/14/cpi-investigara-se-sao-pedro-ganhou-mensalao-do-pt-para-fazer-chover/print-176/

  260. Michelle 2 said

    Ótima charge!

    Representa o desgoverno do PT!

  261. Chesterton said

  262. Otto said

    Alguém poderia averiguar a veracidade dessas informações que vi agora no Yahoo?

    “Um mistério ronda o destino dos homens envolvidos na caçada ao terrorista mais procurado pelos EUA. Mais de 20 soldados dos SEAL (unidade de operações especiais da Marinha dos EUA) que participaram da missão se suicidaram ou morreram em combate em outras missões no Afeganistão.
    As mortes cobrem mais da metade da equipe que encontrou e matou o terrorista saudita em Abbottabad, no Paquistão, em 2 de maio de 2011. Entre os mortos está Job Price (foto), de 42 anos, comandante da missão. Ele teria cometido suicídio em 22 de dezembro de 2012.
    Antes disso, em 6 de agosto de 2011, um acidente de helicóptero matou 20 dos soldados participantes da missão. O portal MSNBC trocou o texto da notícia sobre o acidente, negando que os soldados tenham participado da captura e morte de Bin Laden.
    O jornal britânico Guardian e alguns blogs americanos noticiaram as mortes e notaram que elas aconteceram justamente com os soldados da unidade 6 dos SEAL. As Forças Armadas americanas abriram uma investigação para apurar a circunstância das mortes. Será apenas acidente ou queima de arquivo?”

  263. Chesterton said

    Tarso genro declara: No meu…? Não! No teu desgraçado!

    ————————
    Serrão

    Do governador petista Tarso Genro, em entrevista ao jornal O Globo, tirando o dele da reta diante do tsunami de denúncias que tende a arrasar a cúpula do PT:

    “Integro uma corrente de opinião no PT que é minoritária, tem em torno de 40% dos delegados, a Mensagem ao Partido. Ela entende que o partido precisa passar por uma profunda renovação, e essa renovação passa pelos métodos da direção; pelas relações do partido com os governos; por novos métodos de participação da base, por meio de métodos tecnológicos; e por uma avaliação muito mais profunda do que foi feito até agora sobre o que ocorreu nesta Ação Penal 470. Uma coisa é você avaliar, como eu avaliei, que teve de se inventar uma tese de domínio funcional dos fatos para condenar lideranças do partido. Outra coisa é você compreender que, tendo ocorrido ilícitos penais ou não, os métodos de composição de maiorias e de formação de alianças que nós utilizamos foram os mesmos métodos tradicionais que os partidos que nós criticávamos adotavam. É uma total necessidade você aprender a superar esses métodos. Esta é a grande questão que temos que trabalhar: qual é o sistema de alianças que nos dá uma capacidade de governar dentro da ordem democrática sem utilizar esses métodos tradicionais que herdamos da República Velha”.

    Tarso defende que o o PT tem de instituir regras muito rígidas em relação aos seus dirigentes, seus quadros e seus vínculos com as empresas privadas.

  264. Chesterton said

    Olha aqui, pax, outra menção ao período de 70 anos.

    http://townhall.com/columnists/michaelbarone/2013/01/14/history-suggests-that-entitlement-era-is-winding-down-n1487597

  265. Chesterton said

    Ninguem mais aguente a Guerra Cultural: cultura gay x resto do mundo!

    ——

    4/01/2013 – 03h00
    Jogos Olímpicos Gay?

    Acontece com arrepiante regularidade: entro numa livraria da Europa, vou farejando os livros disponíveis e encontro uma estante com “Literatura Gay”. Mas o que será “Literatura Gay”?

    Os livros respondem: é Oscar Wilde, Virginia Woolf, Truman Capote e dezenas, ou centenas, de outros autores cujos hábitos privados eu desconhecia. Mas que, pelos vistos, definem a identidade de uma obra.

    A situação mais absurda aconteceu há uns anos, em Paris, quando perguntei pelos diários de André Gide publicados pela ‘Pléiade’. Na minha ingenuidade, eu tinha procurado Gide entre os autores franceses.

    A moça da livraria riu da minha inocência e, com olhar de desdém, informou-me que Gide estava na secção da “Literatura Gay”. Logo a seguir a “Genet, Jean” e antes de “Proust, Marcel”.

    Existem duas formas de lidar com o problema. A primeira, mais imediata, é dinamitar uma livraria que comete aberrações destas.

    A segunda, mais ponderada, é esclarecer com infinita paciência que a literatura não tem orientação sexual. Nem raça, nem credo, nem sequer “ideologia”.

    Oscar Wilde não é um escritor gay. É um escritor. James Baldwin não é um escritor negro (e gay). É um escritor. Evelyn Waugh não é um escritor católico. É um escritor. Céline não é um escritor fascista. É um escritor.

    Claro que, na obra de cada um deles, as crenças pessoais e as práticas privadas podem encontrar tratamento literário superior. Mas é como literatura que cada um deles deve ser julgado – e classificado.

    É tão absurdo encerrar um escritor nas estantes da “Literatura Gay” como, sei lá, definir Toulouse-Lautrec como um dos principais artistas na História da Arte Anã. Ou Antônio Francisco Lisboa, o Aleijadinho de Minas, como um importante escultor na História da Arte Deficiente.

    Valorizar uma obra, qualquer que ela seja, com a causa politicamente correta do momento, não é apenas um sintoma de analfabetismo. É um ato de vandalismo cultural.

    E se assim é com a literatura, assim será com o desporto. Leio no “The Sunday Times” que Amsterdã, Londres e o Rio de Janeiro disputam uma vaga para organizarem os Jogos Olímpicos Gay em 2018.

    Londres leva claríssima vantagem porque o “mayor” Boris Johnson, que eu tinha em boa conta, promete ceder o estádio Olímpico da cidade e outros equipamentos desportivos para que os atletas gays possam disputar as suas medalhas gay nas modalidades gay que fazem parte dos jogos gay.

    Com a provável exceção da marcha atlética, eu não conheço nenhuma modalidade visivelmente gay. Não sei o que é o futebol gay, o boxe gay, a natação gay, o xadrez gay ou, minha nossa, o rodeio gay (palavra de honra).

    Aliás, por falar em rodeio gay: será que o touro e o “cowboy” devem partilhar ambos a mesma orientação sexual para estarem em sintonia com o espírito da competição? Mistério.

    Mistério e, já agora, um delírio que seria intolerável se alguém propusesse Jogos Olímpicos Heterossexuais. Ou Jogos Olímpicos Brancos. Ou Jogos Olímpicos Católicos, ou Judeus, ou Muçulmanos.

    O que não deixa de ser irônico: em nome da igualdade, as patrulhas do “Orgulho Gay” defendem uma clamorosa forma de desigualdade. Em teoria, cultivam uma retórica de integração – e até aceitam a participação de qualquer sujeito nos jogos, independentemente da sua orientação sexual. Na prática, promovem na titulatura um tratamento distintivo muito próximo da segregação.

    Combater o “preconceito” não passa por erguer novas bandeiras de singularidade. Pelo contrário: passa por derrubar as que existem, eliminando o adjetivo que acompanha o substantivo (obrigado, Gore Vidal).

    Não há escritores gay. Há escritores. Não há atletas gay. Há atletas. Se o sujeito não apresenta nenhuma deficiência física ou mental, só deveriam existir uns Jogos Olímpicos para ele.

    Quais? Os Jogos Olímpicos de toda a gente.

    João Pereira Coutinho,

  266. Michelle 2 said

    Quando a memória coletiva falha, as nulidades triunfam

    Elton Simões

    Manter a sanidade às vezes é difícil. A gente gosta de acreditar que sucesso e mérito são diretamente relacionados. Que a informação leva a correções de rumo. Que saber das coisas é necessariamente o primeiro passo de mudanças positivas. Que o futuro é necessariamente melhor. Enfim, acreditar nas coisas necessárias à manutenção da sanidade.

    A realidade, entretanto, frequentemente parece desafiar não somente essas crenças, mas também o bom senso.

    Todos os dias, as notícias bombardeiam os valores com a trajetória triunfante de nulidades. Com a ressurreição de coisas, pessoas e assuntos que o bom senso indicaria já estarem há muito superados.

    Com uma frequência maior que o desejado, o sucesso das nulidades parece ser permanente e inevitável. A informação não parece se acumular na forma de memória ou história.

    Na falta de memória, as nulidades chegam a altos lugares que não merecem. O fato é que a ausência crônica de memória coletiva é combustível importante para o sucesso das nulidades.

    Frequentemente, parece que as informações e notícias que povoam os jornais todos os dias são tantas, tão graves e tão desagradáveis que acabam não tendo o efeito da indignação. Talvez o volume de más notícias seja tão grande que o seu efeito não mais seja a correção de rumos ou a melhoria da consciência.

    Neste conflito entre realidade e valores, tantos fatos, tão numerosos, podem levar à aceitação das coisas como elas são. À percepção de que nada muda ou mudará.

    Que tudo é a mesma coisa. Que o melhor remédio é substituir a indignação pela acomodação. Talvez a sensação de impotência esteja institucionalizada. Espero que não.

    O fim da indignação leva somente à construção de um mundo mais medíocre, mais injusto, e menos nobre. É aceitar a morte dos valores o que acaba por dar sentido e sanidade à existência do vazio. É aceitar que o bovino adentre de maneira lenta, mas inevitável, o lamaçal.
    ________________

    Entendeu Pax?

  267. Chesterton said

    Pablo Medina, deputado trabalhista de oposição na Venezuela, garante que o presidente Hugo Chávez morreu há quinze dias e que os presidentes “amigos” foram a Cuba organizar o “espetacular” velório.

  268. Pedro said

    Chegando de mansinho e metendo o dedo na conversa dos outros

    Ri bastante com a frase:

    “ocultação de uma riqueza ostentada”

    Aí fui ver o artigo, e entendi que o autor quis dizer justamente o contrario, quando escreveu “na impossível ocultação de uma riqueza ostentada”, ou seja, é impossível ocultar aquilo que se ostenta.

    Sei lá, não tenho a sagacidade do Chesterton e muito menos a escrita criativa do Elias, mas, foi isto que entendi.

    Pax, são falcatruas pra todos os lados, cantos e gostos:

    http://wp.clicrbs.com.br/cacaumenezes/2013/01/14/o-escandalo-do-ano/?topo=67,2,18,,38,67

    http://noticias.uol.com.br/politica/ultimas-noticias/2013/01/14/itamaraty-concede-passaporte-diplomatico-a-dois-lideres-da-igreja-mundial-do-poder-de-deus.htm#comentarios

    Salve-se quem puder.

  269. Patriarca da Paciência said

    Sobre o tal Elton Simões, 266.

    As pessoas que vivem se julgando “pérolas em meio a porcos”, ou “grandes talentos em meio à mediocridade” são justamente pessoas de talento medíocre que se julgam merecedoras de grandes homenagens ou então, pessoas, como se diz na gíria, enrustidas, ou seja, aqueles ou aquelas que não tem a coragem de assumir sua verdadeira sexualidade.

    Qualquer psicólogo sabe disso!

  270. Otto said

    Chesterton, você que é assim com os States: o que que você sabe que do que eu escrevi no #262?

  271. Edu said

    Galera, estou de férias – fiquei com inveja do (In)Genoíno – Vou tentar responder a todos os fãs:

    # 92 – Patriarca, inicialmente Rovilson, e doravante, Totó (devido à necessidade de educação comportamental)
    “Você já ouviu falar na terrível recessão que o país passou, devido à especulação desenfrada na bolsa, a qual acabou por quebrar e que durou toda uma década?” – Faça a relação disso com o tema. Vc gosta de tirar zero em redação, não é mesmo Patriarca?!

    “E os balanços maqueados, os quais foram o maior escândo não faz 10 anos, você já ouviu falar?” – Idem acima. Ah, esqueci q vc não lê, quer dizer vc lê, Nietszche pra dar uma de bom e dizer que leu. Peraí q vou repetir, totó da paciência: Faça a relação disso com o tema.

    “Olha, sem dúvida nenhuma os norte-americanos são um grande povo, mas perfeitos, estão longe de ser.” – E daí Totó?! Qual a relação disso com inflação?! Eu passo 4 dias sem acessar e quando volto tenho q lembrar das besteiras q vc disse no primeiro dia! Vc não ajuda nada a discussão! Faz seguinte, conversa comigo mais não cara, eu to de férias!

    #96 – Otto,
    “E hoje em dia o Brasil é uma país muito mais estável e seguro que os Estados Unidos.” – Cara… não. Definitivamente não. Mesmo com o Obama fazendo besteira nas bandas de lá, não. Aliás, de onde vc tirou essa informação mesmo? Qual a fonte? Cite a fonte, caro Otto!

    #97

    Novamente, Otto, é disso que eu estou reclamando? Não! Então isso não tem nada a ver com o tema? Não! Então vc tá comentando a título de quê mesmo? Ah! Sim! Casa de ferreiro tanto bate até que fura! – Como gosta de dizer o Elias… Pois é…

    #142 – Totó, novamente
    “Uma coisa que me passou pela cabeça. Na luta entre o gigante Golias (Estados Unidos) e o pequeno David (Cuba), mais uma vez o David vai vencer.” – Não era ele que dizia que o modelo almejado pela esquerda dele era o de países nórdicos?! Achei que ele não fosse marxista… Fala Totó! Despeje toda sua sabedoria de Khant, Marx, Freud e Shakespeare em nós, meros mortais para justificar sua posição!

    #181 – Elias,

    Novamente, e como eu disse ao Totó e ao Otto: se vc acha que os rendimentos reais (dependendo do referencial) estão ok; se vc acha que isso é bom para o pobre poupador; se vc não acha que isso de alguma forma engana a população que nunca vai saber distinguir os rendimentos (dependendo do referencial), fique à vontade para votar na Dilma-mão-pesada-neoliberal-ornitorrinca-guarani-kaiowá.

    Eu, pessoalmente, acho isso sacanagem com o povo, principalmente o mais pobre, que teve o rendimento real (real mesmo, não o real dependendo do referencial) negativo; inclusive, acho que isso vai contra a proposta de governo do PT. Mas isso é um detalhe que eu tomei de exemplo para mostrar a falta de direção (que eu vejo) no governo, o ponto mesmo é que a Dilma-mão-pesada-neoliberal-ornitorrinca-guarani-kaiowá não parece dar sinais de preocupação, nem com o micro, nem com o macro; nem com essa questão da poupança, que é um detalhe, nem com a conjuntura econômica. Culpa dos ministérios? Talvez, ela tem apoio, muito apoio, muito mais que o FHC na época dele. Será mesmo que se ela não distribuir algumas cotoveladas em alguns rins ela não consegue se sair bem ainda, como disse o Kotscho? Afinal, que espécie de mão pesada é essa? Desse jeito ela não vai conseguir se mexer, e sabemos que esses 2 próximos anos ela vai ter que se mexer e remexer muito! Sugiro que ela assista Madagascar.

    Elias, e o Lulinha? Vc sabe tudo dessas celebridades políticas e adjacências. Fale-nos mais sobre este Ronaldinho dos empreendimentos. É a cara da esquerda marxista (to falando de vc não), to falando daquela esquerda que idolatra Cuba, mas adora se meter num negocinho bem capitalista para faturar umas verdinhas norte-americanas.

    Sobre o Lula, eu torço para que ele seja logo presidente do Banco Mundial! Quem sabe ele leva o ZD, o (in)Genoíno, o Delúbio etc pra lá e para de roubar os brasileiros… ah, inclusive, é bem capaz de o Lulinha se tornar empresário de uma multinacional… ou pior (para a esquerda que idolatra Cuba): um Baaaaancooooo (ohhhhh que horror! Sinal-da-cruz-atéia).

  272. Patriarca da Paciência said

    Edu,

    realmente, você parece adolescente ginasiano!

    Nesse nível aí eu não tenho nada a dizer!

  273. Chesterton said

    Artigo no Alerta Total – http://www.alertatotal.net
    Por Geraldo Almendra

    Com a transformação do poder público em um covil de bandidos inaugurou-se no Brasil uma nova era de escravidão em que todos são “obrigados” a trabalhar sem contestação para sustentar vagabundos, corruptos, corruptores e subornadores.

    O desgoverno do PT perdeu todo e qualquer respeito pelos princípios legais, morais e éticos e para quem quer que seja, tendo como cúmplices os poderes Legislativo e Judiciário que já são lacaios declarados do poder Executivo com a independência entre os poderes jogadas no lixo.

    Quando uma sociedade é submetida a um regime político-social-econômico que coloca a moralidade, a ética, a dignidade, a honra, a honestidade e o patriotismo como valores insignificantes, e em seu lugar passam a predominar forças políticas fundamentadas na corrupção, no suborno, no peculato, na formação de quadrilha, na degeneração de valores familiares e religiosos, e muitas outras ilicitudes, e que têm sua matriz de influência maior dentro do poder público, ficam algumas perguntas a serem respondidas:

    – Como isso pode acontecer?

    – Como uma sociedade pode aceitar, de forma sistemática, redundante e escancarada, que quem, regiamente sustentados pelos contribuintes, deveriam dar os bons exemplos de posturas legais, políticas e sociais fundamentadas em princípios morais e éticos, sejam justamente aqueles que dão os piores exemplos, servindo de um espelho multifacetado para a degeneração coletiva que são refletidas diariamente nas relações público-privadas?

    Quando uma sociedade é subjugada pela força das armas e do derramamento de sangue, o lado derrotado sempre terá o orgulho, a dignidade, e a honra de ter lutado para defender seus ideais e princípios, mesmo que sofra uma derrota temporária, sabendo-se que muitos outros continuarão sua luta.

    No entanto, quando uma sociedade é subjugada sem luta ou contestação relevante, aceitando que princípios contrários à honestidade, à moralidade e a ética, estabeleçam um sórdido referencial de posturas em que prevaleça a ilicitude como fundamento, demonstra não mais ter o direito de exigir qualquer coisa diante dos opressores que sempre poderão dar migalhas da preservação de uma vida medíocre para os derrotados, os seus escravos.

    A Fraude da Abertura Democrática impôs à sociedade, sem qualquer resistência, a convivência escrava aos mais sórdidos princípios de dominação de um povo: genocídio disfarçado, falência da educação e da cultura, corrupção, suborno, e formação de quadrilha, entre muitos outros instrumentos de controle de revoltas contra aqueles que subjugam o país.

    A triste biografia do nosso país já registra que desde a entrega do poder aos civis o povo tem sido vítima de sistemáticos estelionatos eleitorais sem nunca ter reagido ao caminho da destruição futuro de seus filhos e de suas famílias, tudo em nome do poder das oligarquias e burguesias que desfrutam de uma escravidão cada vez maior de quem trabalha mais de cinco meses por ano para sobreviver, e não para viver com conforto e dignidade, o que seria seu direito.

    O Brasil está sofrendo a pior das derrotas e das vergonhas perante o mundo, com uma absurda cumplicidade das casernas, deixando-se dominar sem luta e entregue à covardia, à omissão e à cumplicidade compulsória, com seus algozes do Planalto Central, defensores de princípios leninistas e fascistas para manter a dominação da sociedade, desviando bilhões de reais para o enriquecimento ilícito das elites dos corruptos, corruptores e subornados.

    Geraldo Almendra

  274. Chesterton said

    Luiz Inácio Lula da Silva e seus familiares correm o risco de sofrer uma investigação de autoridades tributárias da União Europeia, para apurar a veracidade de versões contidas em dossiês que lhes atribuem milhões de reais, dólares e euros em patrimônio – parte do qual estaria guardado em caixas de segurança de bancos ou protegido em títulos do tesouro de países europeus. Os documentos já teriam sido enviados a quem tem o direito e dever de apurar.

    Já houve um precedente para este tipo de investigação – que independe de qualquer pedido brasileiro. Em 2002, autoridades suíças investigaram e desvendaram o chamado escândalo do Propinoduto. Uma grande transnacional de alimentos daquele país foi alvo de chantagens e acharques promovidos por fiscais da Secretaria de Fazenda do Estado do Rio de Janeiro. O presidente da empresa enviou provas à Justiça suíça e o caso foi rigorosamente investigado por lá.

    A apuração europeia evoluiu para a abertura de um processo no Brasil, que acabou com a condenação de 22 envolvidos. O Propinoduto foi um marco na condenação de crimes de colarinho branco, com a prisão de fiscais, doleiros e até banqueiros. Todos acabaram punidos por lavagem de dinheiro, sonegação fiscal e evasão de divisas. A repercussão serviu para chamar a atenção para os crimes financeiros e tributários associados à corrupção que recebem rigorosa punição na Europa.

    A quadrilha chegou a enviar US$ 34 milhões para a Suíça. Foram condenados os cabeças do esquema. Rodrigo Silveirinha Corrêa, ex-subsecretário de Administração Tributária do Estado do Rio na gestão de Antony Garotinho,, que enviou US$ 9,6 milhões para conta na Suíça. Também foi punido o chefe da inspetoria de Grande Porte, Carlos Eduardo Pereira Ramos, que mandou para a bancos suíços US$ 19,4 milhões. O então governador Antony Garotinho não teve seu nome envolvido no caso.

    Mesmo milagre pode não acontecer agora com Lula, caso as autoridades europeias dedicam mesmo apurar que volume ele e seus familiares teriam de investimentos na Zona do Euro. Os informes sobre a polpuda fortuna de da família Lula circulam, abertamente, entre conversas dos principais lobistas do eixo Brasília-RJ-SP. A cúpula do Judiciário, as principais figuras do Ministério Público Federal e muitos senadores e deputados já teriam os famosos dossiês contendo esses mesmos dados que apontam uma fortuna do grupo Lula em torno de R$ 700 milhões.

    As mesmas fontes do submundo financeiro revelaram que Lula foi vítima de chantagistas cibernéticos que exigem US$ 25 milhões para não revelar informações financeiras supostamente comprometedoras do ex-Presidente da República Sindicalista. Lula é alvo de ataques, chantagens e espionagens ilegais financiadas pelos mesmos sujeitos que o colocaram no poder e, por extensão, ajudaram a construir o belo patrimônio de sua família. Lobistas confidenciam que os dossiês contra Lula – que circulam reservadamente na cúpula dos três poderes republicanos – são produzidos por encomenda de grandes investidores europeus que foram prejudicados ou contrariados por Lula ou por outros membros da cúpula petista.

    O estouro da Operação Porto Seguro foi o primeiro grande sinal de ataque contra Lula. Muitas das informações contidas ou não no inquérito da Polícia Federal foram obtidas com o conteúdo dos famosos dossiês. Por isso, parte do conteúdo apurado nem pode ser usado como prova concreta pelo Ministério Público Federal na ação judicial. Mas os dados mais comprometedores, mesmo que não revelados, servirão de base para decisões judiciais com base na “teoria do domínio do fato” consagrada pelo Supremo Tribunal Federal, no julgamento do Mensalão.

    No Rosegate, ficará muito difícil alegar que as ações de Rosemary Nóvoa Noronha não tinham o conhecimento ou até aprovação de seu melhor amigo e superior imediato Luiz Inácio Lula da Silva. Tudo vai depender se o Procurador-Geral da República, Roberto Gurgel, vai mesmo cumprir a obrigação de convocar Lula a prestar esclarecimentos sobre o escândalo. Afinal, Rose tinha ligação direta com Lula e promovia os contatos com empresários suspeitos de participação no sistema de corrupção, usando o cargo e até o nome do (ex) Presidente da República.
    Serrão

  275. Chesterton said

    Mais apavorado que Lula só existe um sujeito: Fernando Cavendish.

    Entre os malvados lobistas de Brasília e adjacências, comenta-se que o ex-timoneiro da empreiteira Delta seja o nome que mais pode gerar problemas para Luiz Inácio Lula da Silva e, por extensão, Sérgio Cabral e, finalmente, Dilma Rousseff, a mãe do PAC…

    E o grande temor é que o contador de Carlinhos Cachoeira, Giovani Pereira da Silva, resolva falar bastante coisa que sabe, em troca de uma tardia delação premiada que alivie os 13 anos de prisão a que foi condenado…

    idem

  276. Chesterton said

    Edu, Elias comprou Petr4 na faixa de 22,50, mas como iria gastar mesmo a grana em balas e chocolate, ainda crê que fez um bom negócio e está no lucro. Assim que ele avisar que está se desfazendo das referidas ações ele deveria nos deveria avisar, pois certamente é sinal de entrada.

  277. Patriarca da Paciência said

    Pelo jeito a Central de Boatos está a pleno vapor!

    Parece até a época da Eleição da Dilma!

    Será que contrataram aquel “famoso guru” norte-americano novamente?

    Quantos boatos infames espalharam sobre a Dilma!

    Agora o alvo é o Lula.

    O que a direitona está com medo mesmo é que o Lula se candidate novamente à presidência!

    Mas esses boatos todos não conseguem, em nada, diminuir o prestígio do Lula.

  278. Otto said

    Edu, pensei que você depois de todo este tempo fosse trazer dados específicos de juros e aplicações em diversos países, mas você vem com este bestialógico.

    “E hoje em dia o Brasil é uma país muito mais estável e seguro que os Estados Unidos. (…) Qual a fonte? Cite a fonte, caro Otto!”

    Pô, cara, estas fontes estão todos os dias no noticiário econômico! Qual é o país que está à beira de de um abismo fiscal e qual é o que reduziu a dívida pública a 35%?

    E quem é que cogitou cunhar uma moeda de um trilhão de dólares pra afastar alguns milímetros este abismo?

    Abra qualquer jornal — estrangeiro, não os nossos pasquins! — hoje e veja o que se fala dos EUA e Europa.

    Se você discorda desses fatos, traga-me você os dados opostos, com fontes, e não ilações.

    Cara, mudando de saco pra mala, a cada 80 minutos um militar se suicida nos EUA. Isto não tem nada a ver com estabilidade, segurança etc.

    Mas isto é só mais um sintoma de que a Grande Babilônia, que embriagou o mundo com seu absinto, caiu, jaz em ruínas.

  279. Otto said

    Tá bom, Edu, uma fonte, e de um jornalão local (nem eles conseguem disfarçar).

    “[…] podem esgotar capacidade de se financiar já em fevereiro.”

    Preencha o nome do país…

    http://economia.estadao.com.br/noticias/economia%20geral,eua-podem-esgotar-capacidade-de-se-financiar-ja-em-fevereiro,140625,0.htm

  280. Otto said

    Ó Pax, mais um exemplo de quanto a liberdade de expressão nos EUA é limitada quando ela afeta poderosos interesses:

    http://www.advivo.com.br/blog/luisnassif/o-suicidio-do-genio-da-computacao

  281. Edu said

    Otto,

    Já não falei que não dá pra comparar? Vc quer taxas de juros de outros países por quê, meu filho?!

    Veja com seus próprios olhos:

    O Brasil no máximo Baa2, com uma perspectiva positiva (o que é bom, é verdade).

    Ainda assim, os EUA possuem no mínimo um Aaa, porém com perspectiva negativa (o que é ruim, é verdade).

    Um investidor racional, Otto, continua acreditando que os EUA é um país mais seguro para investimentos, mesmo com uma perspectiva negativa. O Brasil é uma opção de investimento aos que aceitam mais risco, daí os índices entre BBB e Baa2.

  282. Edu said

    Ops, esqueci de enviar o site:

    -http://www.guardian.co.uk/news/datablog/2010/apr/30/credit-ratings-country-fitch-moodys-standard

    Segue A FONTE, caro Otto.

  283. Pax said

    Caro Otto,

    E o que é que o suicídio do cara tem a ver com as pantalonas? Juro que não entendi.

  284. Pax said

    Na boa, poderia continuar no estado que estava. Faria um bem danado ao partido que pertence.

    Cândido Vaccarezza ‏@vaccarezza
    Oi pessoal Passei uns tempos sumido, estou de volta. Abraços a todos que merecem e também aos que não merecem. A estes porque precisam.

  285. Chesterton said

    Otto continua desnorteado procurando o Sargento Tainha.

  286. Edu said

    Pessoal,

    Saindo um pouco de economia e falando mais de política, segue minha singela análise:

    Primeiro os fatos: a Dilma-mão-pesada-neoliberal-ornitorrinca-guarani-kaiowá não conseguiu se movimentar direito nos 2 primeiros anos de governo. Ela teve o trabalho de limpar algumas heranças malditas do Lula, acomodar algumas alianças espúrias do Lula, e acabou de se deparar com o problema da semente energética que ela mesmo plantou.

    O desafio: A Dilma-mão-pesada-neoliberal-ornitorrinca-guarani-kaiowá terá que fazer o país sair do Pibinho, ao mesmo tempo que segura a inflação, e evita o tão odioso capital especulativo, além de receber os visitantes na Copa sem dessarumar a cozinha, se é que vcs me entendem.

    A tarefa não é fácil, já que se os investimentos em infraestrutura passaram os primeiros 2 anos de governo meio vagarosos. Sem infraestrutura que permita que os produtos cheguem aos diversos cantos do Brasil a custos adequados, os empresários ficam mais receosos de investir em capacidade produtiva. Sem produção, a oferta permanece constante, enquanto os incentivos ao consumo provocam o crescimento da demanda, aumentando o risco inflacionário. Outro problema com relação à infraestrutura são os aliados: como segurá-los? Sabemos que no Brasil licitações ou são lentas, ou favorecem alguns grupos de empresários, especialmente aqueles que patrocinam partidos de prateleira aliados, outro risco de movimentos ousados. Além disso, há pressão para liberação dos preços da gasolina e outros produtos relacionados ao petróleo e a demanda por energia elétrica, que passa hoje por uma linha tênue.

    As hipóteses sobre o que fazer:

    – Segundo alguns, basta arrumar a casa economicamente. Como a posição de endividamento brasileira está RELATIVAMENTE favorável, a Dilma-mão-pesada-neoliberal-ornitorrinca-guarani-kaiowá pode fazer manobras ousadas para botar a economia para ferver e alcançar um desenvolvimento condizente com as perspectivas econômicas mundiais. Eu modestamente discordo que isso seja tão simples assim.

    – Segundo outros a coisa está difícil, porém o problema não está na Dilma-mão-pesada-neoliberal-ornitorrinca-guarani-kaiowá, está nos ministérios, que ela não pode mudar muito em função da toda poderosa governabilidade, o que me deixa um tanto intrigado, afinal, como é que uma mão-pesada, com uma aliança política ampla afina para o próprio ministério?!

    – Segundo outros ainda, a coisa está tranquila porque mesmo que tudo dê errado, não existe oposição, então a Dilma se garante para 2014, independentemente do que ela fizer. Essa saída eu acho a mais plausível, visto que realmente, a oposição é mais incompetente que a incompetenta. Se houvesse oposição, aí sim testaríamos a mão-pesada da neoliberal. Quando o bicho pega, aí vemos a constituição do caboclo, se a presidenta tem culhões mesmo para fazer o que deve ser feito. Perdão por todos os trocadalhos, é irresistível!.. mas… com uma oposicinha dessas, basta que a Dilma-mão-pesada-neoliberal-ornitorrinca-guarani-kaiowá adote a postura paz e amor-mão-leve-sorridente-incompetente do seu antecessor, que os mares políticos ainda lhe serão favoráveis. No entanto um alerta é necessário: o pimpolho PSD está de olho, e, como diria a música, cuidado que o pimpolho está de olho! Aliás, aí a porca vai torcer o rabo mesmo! Pq eu gostaria muito de ver se o PT venderia a alma para permanecer no poder (como já vendeu parcialmente), pq seria uma disputa de alianças. Quem consegue fazer mais alianças? O PT ou o PSD? E se o PSD conseguir? Será que o PT vai se sujeitar a ficar com uma vice-presidência, ou com alguns ministérios e estados, a exemplo do PSD? Outra pergunta: o PT sabe ser aliado? Ou o PT sabe apenas cagar regras e ser oposição?

    – Ainda há uma última hipótese. E essa hipótese eu acho que evidencia o tanto que a própria militância não confia no taco (desculpem, sério), da Dilma-mão-pesada-neoliberal-ornitorrinca-guarani-kaiowá. Essa é a hipótese das pessoas que sabem que o mar não tá pra peixe, mas disfarçam. Só que elas, como o Rovilson, se entregam no momento em que dizem que o Lula pode vir a ser candidato em 2014. Poxa, como?! Se a Dilma-mão-pesada-neoliberal-ornitorrinca-guarani-kaiowá está mandando tão bem! Está matando a pau (desculpem)! Está impulsionando o país com toda sua competência de gestão! Por que o Lula precisa voltar ao cargo de presidente? Foi alguma coisa que a Dilma-mão-pesada-neoliberal-ornitorrinca-guarani-kaiowá disse? Acho que não… ela mal fala, quando fala, se enrola toda. Quem fala mesmo é o Lula! E como! Ou será que foi alguma coisa que a Dilma-mão-pesada-neoliberal-ornitorrinca-guarani-kaiowá fez? Eu tbm acho que não! Ela não fez nada!!! Bom, dizem que medo é um sentimento primal, que pode surgir das fontes mais estranhas… vai saber do que essa militância tem medo, né?

  287. Edu said

    Michelle,

    Obrigado pelo Link!

    Chest,

    Conhece aquela charada de raciocínio dedutivo? Era uma vez um sujeito que ficou milionário vendendo coco na praia, só que os cocos lhe custavam $0,60 e ele cobravam $0,40. O que aconteceu?

    Pois é.

  288. Otto said

    Edu, estas empresas de ratting deram com os burros nágua em 2008, incentivando investimento em bancos que quebraram.

    Pax, acho que você não leu o texto inteiro: ameaça de prisão de 35 anos, além de uma série de perseguições pessoais, não são uma fora de fazer calar os recalcitrantes?

  289. Edu said

    Otto,

    Sim, concordo contigo, todas elas tomaram um chacoalhão, todo mundo achou ruim e ficou com a cara feia, mas elas ainda são a melhor forma de avaliar a segurança de um investimento, ou vc tem outra? Se vc tiver, apresente, fique à vontade! Só não me traga notícias de jornalões, né? Se vc mesmo diz que eles só falam bobagem, por que os apresenta como fonte? Vá procurar num texto do Nassif! Nem wikipédia, que o Totó tanto gosta…

    Agora vc prefere acreditar num jornalão a acreditar em uma empresa de rating? Já sei! Vc prefere acreditar naquilo que comprova suas convicções, é isso?

    A discussão se encerra aqui, caro Otto, a menos que vc apresente uma fonte mais confiável que essa.

  290. Edu said

    Agora eu descobri pq o Lula quer ser o presidente do Banco Mundial!

    Talvez lá no BM ele consiga melhorar a taxa de crescimento do Brasil enquanto a Dilma-mão-pesada-neoliberal-ornitorrinca-guarani-kaiowá for a gerenta do pedaço.

    -http://economia.uol.com.br/ultimas-noticias/redacao/2013/01/15/banco-mundial-diz-que-pib-do-brasil-deve-crescer-09-em-2012.jhtm

  291. Otto said

    Edu: a fonte daquela matéria foi o Departamento do Tesouro dos EUA. Tá bom?

    E os resultados daquela sua pesquisa sobre juros comparativos, quando serão publicados?

  292. Pax said

    De novo, caro Otto,

    Este é um problema americano. Não é nosso. Eles têm mania, neurose aguda, sobre segurança nacional. São império, fazem das suas pra todo lado do planeta e se sentem ameaçados por todos os lados. Qualquer império é assim, paga pelos seus excessos. É óbvio que tem um monte de gente com raiva do império e se este raivoso for maluco pode até jogar um avião num prédio se matando e levando junto 3 mil pessoas.

    Ao mesmo tempo têm essa questão se segredos de estado. Todos os países têm. Afora isso também a questão dos direitos autorais. E por aí afora.

    Mas acabaram por incentivar um de seus brilhantes garotos da internet a se suicidar por conta de suas leis.

    Até aí todos estamos de acordo, cientes etc.

    E, de novo, o que tem esse assunto com nossas pantalonas? Ou mesmo com as pantalonas cubanas?

  293. Edu said

    Otto,

    Ué, mas o Estadão não é PIG? O PIG não é viagarista? Vc quer que eu faça o que agora: acredite ou não no PIG?

    Vamos lá:

    – A minha fonte resume o mais importante e básico: a capacidade de pagamento de um título de dívida, ou risco de default. O primeiro indicador que qualquer analista avalia ao investir em algum lugar é esse.

    – A sua fonte diz que os EUA vão chegar a um teto de endividamento? E…? Explique-me Otto, o cara endividado não pode pagar suas dívidas (já que vc gosta de generalizar comparações)? Onde que a capacidade de se endividar reduz o critério de investimento de um país, Otto? Ligue o ponto A com o ponto B! Melhor: procure uma fonte que o faça… pq claramente vc não está conseguindo.

    Sobre a pesquisa de juros, novamente:

    Primeiro, eu já disse que não é relevante para a discussão. Se vc acha que é relevante, pesquise vc e traga os dados. Inclusive, vc poderia demonstrar o porquê vc acha esse dado tão importante para discussão! Mais uma informação pra justificar o seu ponto de vista? Vou adiantar uma coisa: a informação continuará irrelevante, será um esforço inútil.

    Segundo, eu estou de férias, pesquiso e posto o que eu quiser à hora que eu quiser. Não sou seu empregado, e nem seu subordinado, mas acho que vc, companheiro, nem gostaria que eu fosse…

  294. Edu said

    Pax,

    Vc consegue notar um padrão?

  295. Chesterton said

    Mas acabaram por incentivar um de seus brilhantes garotos da internet a se suicidar por conta de suas leis.

    chest- nunca vi lei suicidar ninguem….

  296. Edu said

    Otto,

    Teve um estudante que foi morto a tiros no pátio de um colégio em Curitiba.

    Isso significa que o Brasil inteiro está presenciando um crescimento nos homicídios ocorridos em colégios?

    -http://noticias.uol.com.br/album/album-do-dia/2013/01/15/imagens-do-dia—15-de-janeiro-de-2013.htm?abrefoto=20

    A FONTE OTTO!!! A FONTE!!!!

  297. Pax said

    Caro Chesterton, velho, infalível, leitor de lixo e rabugento Chesterton,

    Não força a santa paciência.

    =)

  298. Chesterton said

    você quer dizer bobagem a sair impune? :)

  299. Chesterton said

  300. Michelle 2 said

    “Mas acabaram por incentivar um de seus brilhantes garotos da internet a se suicidar por conta de suas leis”.

    Para ajudar o Pax na sua “tese” suicida:

    um comparativo entre vários países Japão, Holanda, Nova Zelandia, Noruega, Suécia, Suiça e Estados Unidos (fonte:OECD)


    ________________

    pelo jeito as leis andam suicidando muita gente no mundo.

  301. Pax said

    O cara é condenado em 30 anos de cadeia e comete suicídio.

    E vocês acham que uma coisa não tem nada com a outra.

    Sei.

    É o que dá ficar lendo lixo pra todo lado.

  302. Otto said

    Edu, eu só te cobrei porque você mesmo disse que ia pesquisar e apresentar os dados, aí você sumiu por cinco dias e eu pensei que você ia voltar cheio de planilhas…

    Qualquer coisa que eu achar sobre o assunto eu trago aqui. Mas eu também não sou seu empregado :-)

  303. Otto said

    Pax, o que aquilo tem a ver com a pantalonas?

    Com as nossas nada, ou quase nada. Mas com a cubanas sim. Todo mundo diz que em Cuba não tem liberdade de expressão e eu mostrei uma blogueira que diz o que quiser lá — e inclusive viaja para o exterior para receber prêmios (e ninguém conseguiu me contestar isto).

    E mostrei um exemplo americano de como eles tratam pessoas cujo ativismo não os agrada… Já tinha dado o exemplo do Assange, que nem cidadão americano é…

    É lindo esse admirável mundo novo!

  304. Otto said

    Só pra vocês se lembraram como FHC se portava quando não era blindado pelo PIG:

  305. Patriarca da Paciência said

    299,

    Qual é a mágica Chesterton?

    A gente acessa o vídeo e aparece uma mensagem, “este vídeo não existe”.

    Muito interessante!

    Como é que você conseguiu postar um vídeo que não existe?

  306. Patriarca da Paciência said

    Pensando melhor, pode ser que isso se enquadre na “teoria juridiquês quântica” do ex-ministro Ayres Britto, promissor filósofo estudioso da matéria.

    “O princípio da incerteza de Heisenberg consiste num enunciado da mecânica quântica, formulado inicialmente em 1927 por Werner Heisenberg, impondo restrições à precisão com que se podem efetuar medidas simultâneas de uma classe de pares de observáveis.

    Pode-se exprimir o princípio da incerteza nos seguintes termos:

    O produto da incerteza associada ao valor de uma coordenada xi e a incerteza associada ao seu correspondente momento linear pi não pode ser inferior, em grandeza, à constante de Planck normalizada.[1]

    Em termos matemáticos, exprime-se assim:

    onde é a Constante de Planck (h) dividida por 2π.

    A explicação disso é fácil de se entender, e fala mesmo em favor da intuição, embora o raciocínio clássico e os aspectos formais da análise matemática tenham levado os cientistas a pensarem diferentemente por muito tempo

    Quando se quer encontrar a posição de um elétron, por exemplo, é necessário fazê-lo interagir com algum instrumento de medida, direta ou indiretamente. Por exemplo, faz-se incidir sobre ele algum tipo de radiação. Tanto faz aqui que se considere a radiação do modo clássico – constituída por ondas eletromagnéticas – ou do modo quântico – constituída por fótons. Se se quer determinar a posição do elétron, é necessário que a radiação tenha comprimento de onda da ordem da incerteza com que se quer determinar a posição.

    Neste caso, quanto menor for o comprimento de onda (maior freqüência) maior é a precisão. Contudo, maior será a energia cedida pela radiação (onda ou fóton) em virtude da relação de Planck entre energia e freqüência da radiação

    e o elétron sofrerá um recuo tanto maior quanto maior for essa energia, em virtude do efeito Compton. Como conseqüência, a velocidade sofrerá uma alteração não de todo previsível, ao contrário do que afirmaria a mecânica clássica.

    Argumentos análogos poderiam ser usados para se demonstrar que ao se medir a velocidade com precisão, alterar-se-ia a posição de modo não totalmente previsível.

    Resumidamente, pode-se dizer que tudo se passa de forma que quanto mais precisamente se medir uma grandeza, forçosamente mais será imprecisa a medida da grandeza correspondente, chamada de canonicamente conjugada

    Algumas pessoas consideram mais fácil o entendimento através da analogia. Para se descobrir a posição de uma bola de plástico dentro de um quarto escuro, podemos emitir algum tipo de radiação e deduzir a posição da bola através das ondas que “batem” na bola e voltam. Se quisermos calcular a velocidade de um automóvel, podemos fazer com que ele atravesse dois feixes de luz, e calcular o tempo que ele levou entre um feixe e outro. Nem radiação nem a luz conseguem interferir de modo significativo na posição da bola, nem alterar a velocidade do automóvel. Mas podem interferir muito tanto na posição quanto na velocidade de um elétron, pois aí a diferença de tamanho entre o fóton de luz e o elétron é pequena. Seria, mais ou menos, como fazer o automóvel ter de atravessar dois troncos de árvores (o que certamente alteraria sua velocidade), ou jogar água dentro do quarto escuro, para deduzir a localização da bola através das pequenas ondas que baterão no objeto e voltarão; mas a água pode empurrar a bola mais para a frente, alterando sua posição. Desta forma torna-se impossivel determinar a localização real desta bola pois a própria determinação mudará a sua posição. Apesar disto, a sua nova posição pode ser ainda deduzida, calculando o quanto a bola seria empurrada sabendo a força das ondas obtendo-se uma posição provável da bola e sendo provável que a bola esteja localizada dentro daquela área.”

    http://pt.wikipedia.org/wiki/Princ%C3%ADpio_da_incerteza_de_Heisenberg

  307. Patriarca da Paciência said

    Há também outras analogias famosas de Heisenberg, como o famoso “gato de Heisenberg, ou seja, um felino que poderia estar, ao mesmo tempo, dentro e fora de uma caixa.

    Acho que o ex-ministro e promissor filósofo, Ayres Britto, vai levar algum tempo para explicar direitinho como funciona o princípio da incerteza, o gato de Heisenberg e a teoria juridiquês quântica.

    Vamos aguardar.

    Grandes emoções!

  308. Patriarca da Paciência said

    “O produto da incerteza associada ao valor de uma coordenada xi e a incerteza associada ao seu correspondente momento linear pi não pode ser inferior, em grandeza, à constante de Planck normalizada.”

    Bem que o ex-ministro e promissor filósofo juridiquês quântico, Ayres Britto, poderia explicar direitinho para a gente como é que é mesmo este negócio!

  309. Michelle 2 said

    Pax …o cara estava sendo processado.
    Não tinha sido condenado.
    E pelas leis americanas e pelo rito processual típico…uma eventual condenação ainda levaria muitos anos.
    Como existem forças equivalentes em cada lado do assunto e com o apoio da imprensa liberal, e o apoio financeiro costumeiro (americanos adoram se passar por bonzinhos e doam pra valer, descontando no IRS), tudo poderia acontecer.
    Até ser absolvido.

    O cara estava deprimido? Se sentiu culpado?
    Sim. Provavelmente.
    Do que? Por que? Ninguém sabe.
    ____

    João Paulo Cunha disse na TV Kennedy que pensou em se suicidar (Mensalão), mas desistiu. Ao passo que o (In)Genoino não falou nada a este respeito. Apenas ficou deprimido e passou a chamar jornalistas de “torturadores da era moderna”.

    Por que? Ninguém sabe.
    ______________
    Mas Pax…pula fora!
    essa tua tese do rigor das leis americanas como indutoras de suicídio é uma das maiores asneiras que por aqui já vi escritas.
    Ganhou o premio “Totó da Paciência”, como diria Edu.gov, o educador em férias.

    hehehe

  310. Chesterton said

    O cara é condenado em 30 anos de cadeia e comete suicídio.

    chest- você pensa torto, Pax, e já tá veio para consertar. A lógica é essa: “já que fui condenado a prisão vou radicalizar e me condenar a morte”…Não passa no psicotécnico. A cadeia é transitória, tem recursos mil, a morte é definitiva. Mas se você não intui isso, não sou eu a explicar..

  311. Patriarca da Paciência said

    Claque do rola-bosta 100% idiota não precisa estudar, já nasce sábia, como o seu grande e iluminado mentor.

    Dizem até que a verdade sobre o famoso oráculo é a seguinte. Ao ser consultado sobre quem seria o homem mais sábio do mundo, a sacerdotiza teria dito – É verdade que Sócrates é muito sábio, mas no século XX, num país que ainda será descoberto e que se chamará Brasil, nascerá um ser iluminado, o qual superará a todos em conhecimentos e sabedoria, apesar de ter recebido a alcunha de rola-bosta 100% idiota.

    Portanto, só o fato de ser claque do rola-bosta 100% idiota já é um grande privilégio, visto a simples presença do rola-bosta 100% idiota irradia sabedoria, a qual se agrega a sua claque.

  312. Edu said

    Alguém sabe me informar sobre o que o Totó ta falando?

  313. Chesterton said

    311- não entendi.
    299- aqui funciona, é um duo de violão alemão tocando Nazareth.

  314. Michelle 2 said

    “Alguém sabe me informar sobre o que o Totó ta falando?”(Edu)

    Poderia ter sido um ensaio sobre a Inveja…mas não creio que as 2 sinapses por minuto deram conta do recado. Fundiu.
    Colapsou!
    Vai ter que reiniciar…

  315. Patriarca da Paciência said

    Já este é um oráculo endereçado especialmente para a claque do rola-bosta 100% idiota:

    “Com o tempo, uma imprensa cínica, mercenária, demagógica e corrupta formará um público tão vil como ela mesma”
    – Joseph Pulitzer

  316. Patriarca da Paciência said

    Explicação do comentário 311:

    “A ironia é um instrumento de literatura ou de retórica que consiste em dizer o contrário daquilo que se pensa, deixando entender uma distância intencional entre aquilo que dizemos e aquilo que realmente pensamos. Na Literatura, a ironia é a arte de zombar de alguém ou de alguma coisa, com vista a obter uma reacção do leitor, ouvinte ou interlocutor.”

    http://pt.wikipedia.org/wiki/Ironia

  317. Pax said

    O Congresso… bem, nosso Congresso. Se achamos que está ruim, não se preocupem, vai piorar.

    Renan vai assumir a presidência do Senado. Vamos pagar boquetes palacianos de novo.

    E Henrique Alves (PMDB – RN) vai assumir a presidência da Câmara.

    E os cofres, os nossos cofres, vão para o matadouro, como de costume. Talvez com mais apetite, ao que tudo indica.

    http://www1.folha.uol.com.br/poder/1215483-vigiada-por-bode-casa-sem-identificacao-abriga-empreiteira-de-ex-assessor.shtml

  318. Pax said

    Chega a dar ânsia de vômito…

    http://clippingmp.planejamento.gov.br/cadastros/noticias/2013/1/16/as-radios-suspeitas-de-renan

    http://clippingmp.planejamento.gov.br/cadastros/noticias/2013/1/16/assessor-do-gabinete-conseguiu-quatro-concessoes-em-alagoas

    http://clippingmp.planejamento.gov.br/cadastros/noticias/2013/1/16/renan-simboliza-volta-dos-coroneis-dizem-rivais

    http://clippingmp.planejamento.gov.br/cadastros/noticias/2013/1/16/alves-abastece-com-verba-posto-que-doou-para-sua-campanha

    http://clippingmp.planejamento.gov.br/cadastros/noticias/2013/1/16/filho-de-ministro-e-exonerado-da-antt

  319. Pax said

    Enquanto isso, Elio Gaspari faz um artigo interessante:

    O Brasil vai bem, obrigado, por Elio Gaspari

    http://oglobo.globo.com/pais/noblat/post.asp?cod_post=482526&ch=n

  320. Otto said

    Sobre aquela assunto de ontem, o suicídio de Aaron Swartz, aqui mais alguns subsídios:

    Quem matou o ativista da internet Aaron Swartz?

    Aaron Swartz, o programador de computadores e ativista pela liberdade na Internet, cometeu suicídio na sexta-feira, em Nova York, com a idade de 26 anos. Como atestam as lembranças comoventes de seus amigos, como Cory Doctorow e Larry Lessig, ele foi, sem dúvida, brilhante, mas também – como a maioria de nós – um ser humano complexo, atormentado por demônios e falhas. Por muitas razões, eu não acredito em limpar a vida de uma pessoa ou beatificá-la quando morre. Mas, para mim, muito da vida tragicamente curta de Swartz encheu-se de atos que são genuinamente heroicos. Eu acho que isso é o que realmente vale a pena pensar a respeito.

    Aos 14, Swartz desempenhou um papel fundamental no desenvolvimento do software RSS, que ainda é amplamente usado para habilitar as pessoas a gerir o que lêem na net. Quando adolescente, ele também desempenhou um papel vital na criação do Reddit, o popular site de notícias e rede social. Quando a editora Condé Nast comprou o Reddit, Swartz recebeu uma soma substancial de dinheiro muito jovem. Ele se tornou uma espécie de lenda no mundo da Internet antes de completar 18 anos. Seu caminho para o status de magnata era claro, fácil e praticamente garantido: um caminho que tantos outros jovens empresários da internet têm trilhado irresistivelmente, dedicando-se de forma maníaca a ganhar muito mais dinheiro do que terão tempo para gastar.

    Mas sim, obviamente, Swartz tinha pouco interesse em dedicar sua vida ao próprio enriquecimento material, apesar do quão fácil isso teria sido para ele. Como Lessig escreveu: “Aaron não tinha feito nada em sua vida para ganhar dinheiro para ele mesmo; …Aaron sempre trabalhou para (pelo menos na sua concepção) o bem público.”

    Especificamente, ele se comprometeu com as causas em que acreditava apaixonadamente: a liberdade na Internet e as liberdades civis, tornando a informação e o conhecimento disponíveis. Lá estava ele discursando em maio de 2012 na conferência para discutir o papel da SOPA, a legislação da indústria de cinema que teria investido o governo com poderes de censura perigosos na internet. (Veja sua explicação de como derrotou a Sopa no vídeo abaixo)

    Ele repetidamente sacrificou seus próprios interesses, mesmo sua liberdade, a fim de defender esses valores e desafiar e subverter as facções mais poderosas dos seus inimigos. Isso é o que faz com que ele, na minha opinião, seja um herói.

    Em 2008, Swartz adotou como alvo o Pacer, o serviço online que fornece acesso a documentos jurídicos cobrando uma taxa por página. O que irritou Swartz e outros foi que as pessoas eram obrigadas a pagar para ter acesso a documentos judiciais criados com dinheiro público. Junto com um amigo, ele criou um programa para fazer o download de milhões desses documentos e, em seguida, como Doctorow escreveu, “gastou uma pequena fortuna para colocar em domínio público uma quantidade titânica de dados.” Por esse ato de desobediência civil, foi investigado e perseguido pelo FBI, mas nunca indiciado.

    Mas, em julho de 2011, Swartz foi preso por supostamente atacar a JSTOR, a editora online que digitaliza e distribui artigos acadêmicos e depois vende-os, muitas vezes a um preço elevado, para assinantes. Como Maria Bustillos contou, o dinheiro não vai para os escritores (geralmente professores) – eles geralmente não são pagos para escrever -, mas para as editoras.

    Este sistema irritou Swartz (e muitos outros ativistas) por duas razões: cobrava altas taxas de acesso a estes artigos, mas não reembolsava autores, e, pior, impedia que um grande número de pessoas tivesse acesso à produção de faculdades e universidades americanas. A acusação apresentada contra Swartz alegou que ele usou o seu acesso como ex-aluno de Harvard para entrar no sistema da JSTOR e baixar milhões de artigos com a intenção de distribuí-los online gratuitamente. Quando ele foi detectado e seu acesso foi cortado, a acusação alega que ele então usou uma conexão de um computador do MIT para baixar os dados diretamente em seu laptop.

    Swartz nunca distribuiu qualquer um destes artigos baixados. Ele nunca teve a intenção de lucrar um único centavo de qualquer coisa que fez. Ele tinha todo o direito de baixar os artigos como um usuário autorizado da JSTOR. Uma vez preso, devolveu as cópias de tudo o que baixou e prometeu não usá-las. A JSTOR disse aos promotores federais que não tinha qualquer intenção processá-lo, embora o MIT permanecesse ambíguo sobre suas intenções.

    Mas os promotores federais ignoraram os desejos das supostas “vítimas”. Liderado por um procurador de Boston, notório por seus processos com excesso de zelo, o Departamento de Justiça o indiciou por crimes diversos, com pena total de várias décadas de prisão e 1 milhão de dólares em multas.

    O julgamento destas acusações criminais estava previsto para começar em dois meses. Ele se recusou terminantemente a se declarar culpado de um crime porque não queria passar o resto de sua vida como um criminoso condenado, com todo o estigma que isso implica.

    Dizer que o tratamento que Swartz teve foi excessivo e vingativo é um eufemismo extremo. Timothy Lee escreveu o artigo definitivo em 2011 explicando por que, mesmo que todas as alegações fossem verdadeiras, o único crime verdadeiro cometido por Swartz daria, no máximo, 30 dias de prisão e 100 dólares de multa. “Isso parece correto: se ele deveria cumprir pena de prisão, ela deveria ser medida em dias, em vez de anos”.

    Discursando contra as leis de regulação da internet

    Ninguém sabe ao certo por que os promotores federais decidiram perseguir Swartz de maneira tão vingativa, como se ele tivesse cometido algum tipo de crime grave que merecia muitos anos na prisão e a ruína financeira. Alguns teorizam que o Departamento de Justiça odiava seu ativismo e sua desobediência civil. Eu acredito que tem mais a ver com o que eu disse a Noam Cohen, do New York Times, num artigo sobre o caso Swartz. O ativismo dele, argumentei, foi empreendido como parte de uma das batalhas mais vigorosamente contestadas – ou seja, a guerra sobre como a Internet é utilizada e quem controla a informação que circula. Seu verdadeiro crime, aos olhos do governo, era desafiar as autoridades e as facções corporativas que mantêm domínio sobre a informação.

    Isso é uma parte importante de por que eu o considero heróico. Ele não queria apenas se sacrificar por uma causa. Era uma causa de suprema importância para as pessoas de todo o mundo – a liberdade na internet – e ele o fez conscientemente para confrontar o Estado mais poderoso e as facções corporativas, porque concluiu que era a única maneira de alcançar esses fins.

    O suicídio é um fenômeno incrivelmente complicado. Eu não conhecia Swartz o suficiente para formar uma opinião sobre o que o levou a fazer isso. Eu tinha um punhado de trocas de emails em que nós dissemos coisas agradáveis ​​sobre o trabalho um do outro e eu realmente o admirava. Tenho certeza de que até mesmo seus amigos mais íntimos e familiares estão lutando para entender exatamente o que o levou a tirar a própria vida.

    Mas, apesar de seus escritos públicos e muito tristes sobre sua luta contra a depressão, é provável que um julgamento criminal que podia mandá-lo para a prisão por décadas desempenhou algum papel nisso. Essa perseguição do Departamento de Justiça é uma afronta e uma ofensa a todas as coisas decentes. Swartz foi destruído por uma “justiça” que protege totalmente os criminosos mais notórios, desde que sejam úteis para os mais poderosos do país, mas pune com inclemência incomparável aqueles que não têm poder e, acima de tudo, aqueles que desafiam o poder.

    Swartz sabia de tudo isso. Mas ele seguiu em frente de qualquer maneira. Ele poderia facilmente ter optado por uma vida de grande riqueza pessoal, status, prestígio e conforto. Ele escolheu lutar – desinteressadamente, com convicção e propósito, e com grande risco para si próprio – por causas nobres pelas quais foi apaixonadamente dedicado. Isso, para mim, não é um exemplo de heroísmo, é sua mais pura expressão. É o atributo de que nosso país mais sente falta.

    Eu sempre achei realmente inspirador Swartz exalar essa coragem e compromisso tão jovem. Mas sua morte também vai reforçar os efeitos inspiradores de refletir e compreender os atos extraordinários que ele promoveu em sua curta vida.

    http://www.diariodocentrodomundo.com.br/quem-matou-o-ativista-da-internet-aaron-swartz/

  321. Chesterton said

    Pax, chega de relativismo moral, o cara se matou, não queria nada para si, só para o bem da humanidade…enfim, um doente. Não caia nessa onda. Desta vez a culpa não é do governo Obama.

  322. Otto said

    “Chega de relativismo moral, o cara se matou, não queria nada para si, só para o bem da humanidade…enfim, um doente!”

    Quantos nazistas não teriam dito algo parecido quando souberam do suicídio de Walter Benjamin…

  323. Elias said

    ” Não sei o que é o futebol gay…” (Chesterton, citando João Coutinho — quem!? — e dando a impressão de que tem vivido num armário)

    Chest, imagino que, no futebol gay, quem entra na meta é o atacante… As bolas ficam de fora.

  324. Elias said

    Chester e Edu,

    Vender ações do Petrossauro? Eu?

    Vocês tão doidos!

    Já disse a vocês. Meus primeiros papéis do Petrossauro Rex foram comprados há décadas, quase que ao mesmo tempo que meu primeiro ap, comprado na planta, numa área que, hoje, é uma das mais valorizadas do pedaço.

    Pois mesmo com a lavagem imobiliária que se espalha pelo país, os papéis petro se valorizaram muito mais.

    Não preciso vender nada, mas, se fosse o caso, venderia o ap, com certeza.

  325. Elias said

    Pax,

    I
    Realmente interessante o artigo do Gaspari. De 2005 a 2012, 42,5 milhões de novos clientes no sistema financeiro brasileiro.

    Dá a medida do completo fracasso das gestões Lula e Dilma…

    E também dá uma idéia de como a oposição brasileira prapara seu próprio caixão, teimando em fazer política chutando a bola pro lado errado. A tática de apostar no quanto pior, melhor sempre foi burra. Nas atuais circunstâncias, é quase um suicídio.

    É como se ela acreditasse que suas chances políticas só aumentassem se a economia brasileira levasse farelo.

    Aí ficam tipo urubu velho e cansado, rogando praga em cavalo saudável e bem alimentado.

    Imagino o que deve sentir um desses “novos clientes” do sistema financeiro, quando tomam conhecimento de uma dessas Cassandras oposicionistas, falando como se torcessem pelo fracasso da política econômica do Lula ou da Dilma.

    Realmente, parece que os caras esqueceram por completo o bê-a-bá de como conseguir voto…

    II
    Interessante, também, o Gaspari ter comparado o Amadeo Giannini com o Carlo Ponzi (este último, criador do famoso “esquema Ponzi” ou “pirâmide financeira”, que, volta e meia, é ressuscitada no mercado financeiro com os mesmos resultados iniciais e finais).

    O BOA, criado pelo Giannini, se manteve longe de um dos mais recentes episódios de “esquema Ponzi” de grandes proporções, operado pelo Madoff. Mas entrou de cabeça no “esquema anel” do crédito imobiliário, e…

    …Dançou baianamente! Funerou!

    Talvez o Elio Gaspari deva procurar outro retrato, pra servir de contra-exemplo ao Ponzi.

    Botar retrato de alguém do BOA, num prédio de banco brasileiro, dá pava…

    É, mais ou menos, como decorar quarto de recém-nascido com fotos de funerária…

  326. Elias said

    Caraca!

    É assim:

    “E também dá uma idéia de como a oposição brasileira prepara seu próprio caixão, teimando em fazer política chutando a bola pro lado errado. A tática de apostar no ´quanto pior, melhor´, sempre foi burra. Nas atuais circunstâncias, é quase um suicídio.”

    Putz!

  327. Otto said

    Justiça do Rio: a TV Globo joga em casa; mas Kamel está derrotado pela história

    Na praça Clóvis/Minha carteira foi batida/Tinha vinte e cinco cruzeiros/E o teu retrato…
    Vinte e cinco/Eu, francamente, achei barato/Pra me livrarem/Do meu atraso de vida
    (Paulo Vanzolini, “Praça Clóvis”)

    por Rodrigo Vianna

    Um advogado amigo costuma dizer: “no Rio, a Globo joga em casa”.

    Hoje, tivemos mais uma prova. Ano passado, fui condenado em primeira instância, num processo movido pelo diretor de Jornalismo da Globo, Ali Kamel. Importante dizer: a juíza na primeira instância não me permitiu apresentar testemunhas, laudos, coisa nenhuma. Acolheu na íntegra a argumentação do diretor da Globo – sem que eu tivesse sequer a chance de estar à frente da meritíssima para esclarecer minhas posições.

    Recorremos ao Tribunal de Justiça, também no Rio. Antes de discutir o mérito da ação, pedimos que o TJ analisasse um “agravo retido” (espécie de recurso prévio) que obrigasse a primeira instância a ouvir as testemunhas de defesa e os especialistas de duas universidades que gostaríamos de ver consultados na ação.

    O Tribunal, em decisão proferida nessa terça-feira (15/01), ignorou quase integralmente nossa argumentação. Negou o agravo e, no mérito, deu provimento apenas parcial à nossa apelação – reduzindo o valor da indenização que a meritíssima de primeira instância fixara em absurdos 50 mil reais. Ato contínuo, certos blogs da direita midiática começaram a dar repercussão à decisão. Claro! São todos fidelíssimos aos patrões e ao diretor da Globo, na luta que estes travam contra outros jornalistas.

    Sobre esse processo, gostaria de esclarecer alguns pontos. Primeiro, cabe recurso e vamos recorrer!

    Segundo, está claro que Ali Kamel usa a Justiça para se vingar de todos aqueles que criticam o papel por ele exercido à frente da maior emissora de TV do país. Kamel foi derrotado duas vezes nas urnas: perdeu em 2006 (quando a Globo alinhou-se ao delegado Bruno na véspera do primeiro turno, num episódio muito bem narrado pela CartaCapital, naquela época) e perdeu em 2010 (quando o episódio da “bolinha de papel” foi desmascarado pelos blogs e redes sociais). Contra as quotas, contra o Bolsa-Família, contra os avanços dos anos Lula: Kamel é um dos ideólogos da direita derrotada. Por isso mesmo, era chamado na Globo de “Ratzinger”.

    Em 2010, Ali Kamel virou alvo de críticas fortes (mas nem por isso injustas) na internet. Deveria estar preparado pra isso. Dirige o jornalismo de uma emissora acostumada a usar seu poder para influir em eleições. Passadas as eleições de 2010, Kamel muniu-se de uma espécie de “furor processório”. Iniciou ações judiciais contra esse escrevinhador, e também contra Azenha (VioMundo), Marco Aurélio (Doladodelá), CloacaNews, Nassif, PH Amorim… Todas praticamente simultâneas. Estava claro que Kamel pretendia mandar um recado: “utilizarei minhas armas para o contra-ataque; não farei o debate público, de conteúdo, partirei para a revanche judicial”.

    Advogados costumam dizer que em casos assim “o processo já é a pena”. Ou seja: o processante tem apoio da maior emissora do país, conta com advogados bem pagos e uma estrutura gigantesca. O processado (ou os processados) são jornalistas e blogueiros “sujos”, sem eira nem beira. O objetivo é sufocar-nos (financeiramente) com os processos.

    Está enganado o senhor Ali Kamel. Aqui desse lado há gente que não se intimida tão facilmente.

    Não tenho contra Kamel nada pessoal. Conversei com ele sempre de forma civilizada quando trabalhei na Globo. Troquei com ele alguns emails cordiais – como costumo fazer com todos colegas ou chefes. Kamel utilizou um desses e-mails pessoais na ação judicial, como se quisesse afirmar: “ele gostava de mim quando estava na Globo, deixou de gostar quando saiu da Globo.”

    Ora, a questão não é pessoal. Tinha por Kamel respeito, até que comprovei de perto algumas atitudes estranhas (vetos a matérias), culminando com a atuação dele na cobertura do caso dos “aloprados” na eleição de 2006. Na época, eu trabalhava na Globo. Saí da emissora por causa disso. E passei a não mais respeitar Ali Kamel profissionalmente. O discurso que ele fazia na Redação antes de 2006 (“todos podem ser ouvidos, há espaço para crítica”) era falso. Quem criticou ou dissentiu foi colocado na “geladeira” e “expurgado”. Isso está claro. Azenha, Marco Aurelio Mello, Carlos Dornelles e Franklin Martins estão aí para mostrar…

    De resto, a utilização de e-mails (estritamente pessoais) numa ação não é ilegal. Mas mostra o grau apurado de ética de quem os utiliza como ferramenta da luta política e judicial.

    No meu caso, a acusação é de ter “espalhado” pela internet que ele seria um “ator pornográfico”. Quem lê os textos que escrevi neste blog sobre a infeliz homonímia (um ator pornô nos anos 80, aparentemente, usava o mesmo nome que ele – Ali Kamel) logo percebe: em nenhum momento disse que Ali Kamel (o jornalista) seria o Ali Kamel (ator pornográfico). Não afirmei que eram a mesma pessoa nem neguei que o fossem. Não sabia, e isso pouco importava. Apenas usei a coincidência como mote para a crítica, em textos claramente opinativos: pornográfico, sim, é o jornalismo que Ali Kamel pratica tantas vezes à frente da Globo. Foi essa a afirmação que fiz em seguidos textos. Muitas vezes, de forma bem-humorada.

    Na apelação ao Tribunal, mostramos como seria importante a juíza de primeira instância ter consultado especialistas em Comunicação (indicamos ao menos dois) para entender a diferença entre opinião e informação. E para entender a centralidade do uso do humor na crítica política.

    Mostramos em nossa defesa, ainda, como o impoluto comentarista (e ex-cineasta) Arnaldo Jabor utilizou-se de mote parecido no título de um livro que fez publicar: “Pornopolítica”. Se há uma “pornopolítica”, por que não posso falar em “jornalismo pornográfico”?

    Só a Globo e seus comentaristas podem recorrer a metáforas? Parece que sim. Especialmente no Rio de Janeiro. No Rio, a Globo joga em casa.

    Vamos recorrer aos tribunais de Brasília. Não que eu tenha grandes esperanças de ver magistrados na capital federal a enfrentar o diretor de Jornalismo da Globo. Mas vou utilizar as armas que tenho.

    Mais que isso: se Kamel pensava em calar ou intimidar seus críticos, vai se dar mal. Esse processo vai ajudar a mobilizar aqueles que lutam contra os monopólios de mídia no Brasil. Vai ajudar a escancarar a hipocrisia daqueles que na ANJ e na SIP pedem “ampla liberdade de crítica”, daqueles que usam Institutos Milleniuns para exigir “que não se criem travas ao humor como ferramenta de crítica”, mas que fazem tudo ao contrario quando são eles os objetos da crítica e do humor.

    Kamel pode até ganhar no Rio. Pode ganhar no STJ, STF, CNJ, SIP, ANJ, sei lá onde mais. Mas perderá na história. Aliás, já perdeu. Na testa dele está o carimbo (justo ou injusto? o público pode julgar…) de “manipulador de eleições”. Manipulador frustrado, diga-se. Porque segue a perder. No Brasil, na Venezuela, na Argentina…

    A Justiça quer que eu pague 20 mil, 30 mil ou 50 mil pro Ali Kamel? Acho absurda a condenação. Mas se for obrigado, eu pago até com certo gosto. Levo lá no Jardim Botânico o cheque pra ele. Ou entrego no apartamento onde ele vive, de frente pro mar na zona sul – palco, vez ou outra, de brigas com os vizinhos que também acabam na Justiça.

    Essa condenação, que ainda lutarei para reverter, lembra-me a belíssima letra de Paulo Vanzolini – com a qual abri esse texto…

    Tudo bem, Kamel, se você e a Justiça fizerem questão, eu pago! Só que seguirei a fazer – aqui – o contraponto ao jornalismo que você dirige.

    Tudo bem, Kamel, se você e a Justiça fizerem questão, esgotados todos os recursos, eu pago!

    Eu pago. Vê-lo derrotado frente à história: não tem preço.

    http://www.rodrigovianna.com.br/palavra-minha/justica-do-rio-a-tv-globo-joga-em-casa-mas-kamel-esta-derrotado-pela-historia.html#more-17233

  328. Chesterton said

    322 argumentum ad Hitlerum,

  329. Chesterton said

    Chest, imagino que, no futebol gay, quem entra na meta é o atacante… As bolas ficam de fora.

    chest- acho que ele entra, e sai…entra e sai… (rs)

  330. Chesterton said

    Segundo, está claro que Ali Kamel usa a Justiça para se vingar de todos aqueles que criticam o papel por ele exercido à frente da maior emissora de TV do país.

    chest- mas afinal, o que tem a ver tudo isto com afirmar que Kamel fez porno-filmes? É muita burrice.

  331. Elias said

    Aqui em Belém, o jornalista Lúcio Flávio Pinto vive o mesmo drama das vítimas de Ali Kamel.

    Ele responde a mais de 30 processos judiciais, em sua maior parte movidos pela repetidora da Globo no Pará.

    Dia desses, um diretor desse grupo de comunicação agrediu LFP num restaurante.

    O Lúcio Flávio colocou a notícia em seu jornaleco, o “Jornal Pessoal” (inspirado no jornal de I. F. Stone). Na matéria, ele disse que foi “espancado” pelo cara (que tinha, como guarda-costas — e co-agressores! –, oficiais subalternos da Polícia Militar).

    Não deu outra. Lúcio foi processado… E condenado! O termo “espancado”, que ele usou na matéria, só poderia ser usado se, da agressão, resultassem lesões corporais graves. Como isso não aconteceu, LFP deveria ter usado a expressão “agredido”.

    Lúcio Flávio foi, assim, condenado, pra aprender a apanhar na forma da lei…

    Mais recentemente, ele recebeu outra condenação, por ter perdido um prazo de processo. Ele resolveu pagar. Como isso lhe traria graves complicações financeiras, seus leitores se mobilizaram, fizeram uma vaquinha e levantaram a grana.

    Agora, Lúcio Flávio vai convidar a todos os que contribuíram na vaquinha pra estarem presentes ao ato público que ele fará, no momento em que realizar o pagamento, no prédio do Tribunal (por mim, ele recolheria o pagamento todo em moedas de dez centavos, e, no ato público, detalharia, tim-tim por tim-tim, o significado desse gesto…).

    Casos assim se multiplicam em todo o país. É um absurdo, mas a legislação brasileira admite que um juiz setencie sem ouvir as testemunhas de defesa.

    Qual a diferença? Para os fins da sentença, na instância em que isso ocorre, nenhuma. O juiz poderia ouvir as testemunhas e, mesmo assim, sentenciar contra o réu, confirme ele já decidira antes mesmo de ouvir a defesa.

    A diferença é que, ouvida a defesa, as alegações desta passariam a integrar o processo, desnunando ainda mais a inconsistência da decisão judicante. É exatamente isso que o juiz faccioso quer evitar, quando se recusa a garantir ao réu, o direito de ampla defesa.

    O que acontece com o juiz que procede dessa forma? Nada! No máximo, a decisão dele é reformada ou anulada em outra instância. Mas, com ele, não acontece nada.

    Aliás, mesmo quando um juiz é apanhado com a boca na botija, não acontece nada com ele. A regra é aposentá-lo. Muitas vezes, a aposentadoria é precedida de uma promoção ao desembargo, ou algo assim. Ou seja, o “castigo” tem tudo de prêmio…

    O Judiciário brasileiro necessita ser totalmente redesenhado. Ou vai acabar gerando uma enorme caca no país.

  332. Chesterton said

    Ok, mas Ali Kammel ator-pornô? Qual o sentido disso?

  333. Pax said

    Desmoralização do Itamaraty.

    Por nada. Por nada o governo se desmoraliza. Uma pena.

    Exatamente num momento absolutamente delicado.

    http://ultimosegundo.ig.com.br/brasil/2013-01-16/itamaraty-concede-novos-passaportes-diplomaticos-a-lideres-evangelicos.html?utm_source=twitter&utm_medium=posts&utm_campaign=social

  334. Pax said

    Essa história do Lúcio Flávio, de aceitar a multa de R$ 22 mil, numa entrevista ao Alberto Dines, acho que coloquei aqui.

    Tenho na memória que sim.

  335. Pax said

    Na reportagem do Alberto Dines o Lúcio Flávio Pinto falou que fará um cheque em cartolina, bem grande, pra fazer o tal protesto.

    É bem mais cabeluda que o Elias conta. Deixa eu procurar…

    .
    .
    .

    Ops, não coloquei aqui, mas sim no meu Facebook. Trato as coisas com distinção.

    Aqui está, vale cada segundo.

    http://www.observatoriodaimprensa.com.br/videos/view/contra_a_covardia_profissional_1/1

  336. Olá!

    Hehehehehe. . . A galera partidária do direito achado na rua reclamando do atual sistema judiciário brasileiro.

    Tosco isso. . .

    Até!

    Marcelo

  337. Elias said

    Pax,

    Não vi a reportagem feita pelo Dines, mas, que eu lembre, as principais pendengas do Lúcio Flávio com o Judiciário têm a ver com:

    a – a grilagem do C. R. Almeida (que, com a cobnertura de algumas decisões judiciais fajutas, quase garfou alguns milhões de hectares na Amazônia; uma área maior que alguns países europeus, juntos);

    b – a briga do LFP com a família Maiorana.

    Além disso, houve mais algumas, relacionadas a uma juíza que sacou uma dinheirama dos depósitos judiciais. Ela foi promovida ao desembargo e, depois, aposentada. Em seguida, passou a alegar “insanidade”, à época em que sacou o dinheiro. O Judiciário não pode aceitar essa tese, porque isso implicará o cancelamento de todas as sentenças que a juíza proferiu, à mesma época (já que ela estava “mentalmente insana”). Por outro lado, não querem condená-la. Aí o processo vaga como um fantasma no Judiciário. Cada vez que um juiz é sorteado pra presidir o feito, ele alega impedimento por motivo de “foro íntimo”. Aí o processo volta pra novo sorteio, após o quê o novo sorteado alega impedimento por motivo de “foro íntimo”… E assim por diante. Enquanto isso, o tempo passa e a barba cresce…

    Tem também o caso da juíza que libertou o traficante, e da outra que determinou o bloqueio de mais de R$ 1 bilhão, no Banco do Brasil, em favor de uma quadrilha de vigaristas que opera a partir de SP.

    Mas, por incrível que pareça, essas são brigas “menores”.

    As maiores, e a maior parte dos processos contra o LFP estão, mesmo, vinculados às questões com a família Maiorana e com o CR Almeida (agora com os herdeiros do dito cujo, que já bateu pino há muito tempo…).

    Um sumário dos processos contra o Lúcio Flávio formam uma encinclopédia das mazelas do Judiciário brasileiro.

    Acho que a reforma do Judiciário terá que modificar os métodos de escolha dos juízes, a permanência deles nos cargos, as regras de condução ao desembargo e os mecanismos de apelação e de correição.

    As regras atuais não servem mais. O próprio fato do CNJ ter sido obrigado a exorbitar de suas atribuições, pra reverter algumas escabrosidades judiciárias, é um indicador que, por si só, denuncia com eloquência a caducidade da estrutura atual.

  338. Otto said

    Fernando Henrique Cardoso tem que tomar cuidado para não repetir a trajetória de Carlos Lacerda

    Fernando Henrique Cardoso está diminuindo com o correr dos anos. Não na mesma velocidade de José Serra, é certo, mas com constância.

    Dona Rute faz falta? É possível. Talvez ela mitigasse a dificuldade com que a vaidade de FHC enfrenta a vantagem que Lula vai levando no combate pelo tamanho na história do Brasil diante da posteridade.

    A despeito da mídia em seu ultraconservadorismo, forma-se um consenso segundo o qual entre FHC e Lula foi este último quem realmente inovou no combate ao que é claramente o maior mal do Brasil: a miséria, decorrente da abjeta distribuição de renda.

    FHC acabou com a inflação, e isso é uma conquista gigantesca. Mas em políticas sociais suas realizações foram pequenas, até porque ele estava cercado de economistas que as desprezavam.

    Eram economistas profundamente influenciados pela Universidade de Chicago, dominada pelas ideias do Nobel Milton Friedman, um economista de grande influência mundial nos anos entre os anos 1970 e 2000.

    Friedman demonizava as políticas sociais como esmolas, e defendia um Estado mínimo e desregulamentado. Reagan, nos Estados Unidos, e Thatcher, na Inglaterra, foram os maiores propagandistas do ideário de Friedman.

    Vista na época de FHC como uma receita infalível para fortalecer economias, a doutrina friedmaniana se revelaria, com os anos, um fracasso colossal. Ela está na origem da crise econômica mundial que castiga a humanidade desde 2007.

    Um pequeno grupo se beneficiou do friedmanismo, o chamado 1% para usar a memorável expressão do Ocupe Wall St. E os 99% restantes, como dizia meu Tio Lau, se estreparam.

    FHC é filho de seu tempo. Ele estava engaiolado, como era tão comum nos dias em que foi presidente, dentro da crença de que o friedmanismo era infalível. Nem os trabalhistas britânicos sob Tony Blair ousaram contestá-lo, e consequentemente se movimentaram para a direita.

    Lula chegou em outro momento. No início da década de 2 000 o modelo de Friedman começava já a estertorar. A iniquidade social se revelou insustentável. A maioria pilhada começou a protestar de forma cada vez mais intensa.

    FHC não pecou lá para trás, porque o cenário era muito diferente.

    Mas peca agora, ao não entender – ou ao fingir não entender – o mundo que está aí. E então ele parece querer ser maior que Lula no grito. Alinha-se ao conservadorismo nacional para tentar recriar o cínico “Mar de Lama” que tanto contribuiu para o suicídio de Getúlio Vargas, em 1954.

    FHC fala agora em “crise moral”, como se não tivesse feito coisas como se outorgar por meios obscuros um segundo mandato não previsto na Constituição.

    A direita gosta, naturalmente. Mas isso não impede que FHC vá se aproximando de Carlos Lacerda, o mentor celerado do “Mar de Lama”, e mais tarde um personagem central no golpe militar de 1964.

    Lacerda foi para a lata de lixo da história, merecidamente. Faça uma estátua para ele e ela será prontamente esculachada.

    FHC ainda tem chance de não repetir a trajetória de Lacerda. Mas tem que se mexer.

    http://www.diariodocentrodomundo.com.br/fhc-x-fhc/

  339. Olá!

    Uma atitude muito comum entre a militância petista é pegar um singelo aspecto relativamente positivo de uma gestão do PT e generalizá-lo para afirmar que tal gestão é um estrondoso sucesso.

    Seria legal se essa militância também lembrasse dos outros aspectos que mostram a incompetência das gestões petistas. Exemplo é o que não falta:

    01. Níveis alarmantes de corrupção.

    02. Taxas altíssimas de analfabetos funcionais/totais.

    03. Anualmente, 50 mil brasileiros são assassinados.

    04. Desinsdustrialização, hoje o Brasil exporta menos produtos industrializados do que em 2002.

    05. Ensino sucateado.

    06. A saúde continua precária, não houve salto de qualidade.

    07. O Brasil só faz perder posições nos rankings que medem a competitividade dos países (no Ease of Doing Business Index, em 2012, o país estava na 126a, em 2013, o Brasil caiu 4 posições e está na 130a posição).

    08. O PAC, principal bandeira dos governos Lula e Dilma, é um mar de lama, atrasos, incompetência e corrupção. Deveriam mudar o nome dessa estrovenga para Programa de Aceleração da Corrupção.

    09. As desigualdades sociais continuam profundas. Não houve mudanças significativas nesse caso.

    10. Total ausência de reformas estruturais. Em 10 anos de gestão petista, o governo não moveu uma palha que fosse para fazer pelo menos uma reforma dessas. E o Brasil continua com um dos piores regimes tributários do mundo, um dos piores sistemas educacionais do mundo (fábrica de analfabetos), um dos piores ambientes para empreender e etc.

    Mas tem gente que comemora apesar disso tudo. Aliás, o que um cargo comissionado não faz, não é mesmo?

    Até!

    Marcelo

  340. Olá!

    Caramba, Otto! Esse negócio de liberalismo, economia de mercado, liberdade econômica e etc. deve ser coisa muito ruim mesmo!! Pelo menos segundo o texto que você postou. . .

    Otto, explica uma coisa para nós: Por quais razões os países mais economicamente livres também são aqueles com índices muito baixos de corrupção? Não acredita? Então, não seja ottário e dá uma olhada nesse mapa comparativo.

    Otto, já que na sua concepção o liberalismo parece ser uma coisa muito malévola, explica aí para a galera por quais motivos os países mais economicamente livres também são os países com os melhores IDHs (índice de desenvolvimento humano)? Não acredita, Otto? Então, para não te fazer de ottário, eis aqui dados reais mostrando a realidade concreta dos fatos.

    Outras duas questões, Otto, para você responder:

    01. Por quais razões os países menos economicamente livres também são os países mais corruptos do mundo?

    02.Por quais motivos os países menos economicamente livres também são os países com os piores IDHs de todo o planeta?

    Até!

    Marcelo

  341. Michelle 2 said

    PT arrecada recursos para pagar multas de condenados pelo STF

    http://www1.folha.uol.com.br/poder/1215789-pt-arrecada-recursos-para-pagar-multas-de-condenados-pelo-stf.shtml

    Os Manés vão contribuir com quanto ???

  342. Patriarca da Paciência said

    Comparativos do governo Lula x FHC

    1) Juros Nominais (Taxa Selic):
    FHC (2002): 25% ao ano;
    Lula (2008): 8,75% ao ano;
    2) Inflação (IPCA):
    FHC – 12,5% (2002);
    Lula – 4,3% (2009);
    3) Transações Correntes:
    FHC – Déficit de US$ 186,5 Bilhões (1995-2002);
    Lula – Superávit de US$ 44 Bilhões (2003-2007);
    4) Exportações:
    FHC – US$ 60 Bilhões (2002; crescimento de 39% em 8 anos);
    Lula – US$ 153 Bilhões (2009; crescimento de 155% em 7 anos));
    5) Crescimento Econômico:
    FHC – 2,3% ao ano (1995-2002);
    Lula – 5,3% ao ano (2004-2008);
    6) Empregos Formais:
    FHC – 1.700.000 (1995-2002);
    Lula – 9.700.000 (2003-2009);
    7) Balança Comercial:
    FHC – Déficit de US$ 8,7 Bilhões (1995-2002);
    Lula – Superávit de US$ 237 Bilhões (2003-2009);
    8 Taxa de Desemprego:
    FHC – 10,5% (Dezembro de 2002);
    Lula – 6,8% (Dezembro de 2009);
    9) Risco-País:
    FHC – 1550 pontos (Dezembro de 2002);
    Lula – 220 pontos (Janeiro de 2010);
    10) Reservas Internacionais Líquidas:
    FHC – US$ 16 Bilhões (Dezembro de 2002):
    Lula – US$ 241 Bilhões (Janeiro de 2010);
    11) Relação Dívida/PIB:
    FHC – 51,3% do PIB (Dezembro de 2002);
    Lula – 43% do PIB (Novembro de 2009);
    12) Déficit Público Nominal (inclui despesas com juros):
    FHC – 4% do PIB (2002):
    Lula – 2% do PIB (2008);
    13) Dívida Externa:
    FHC – US$ 210 Bilhões (Dezembro de 2002) – 45% do PIB:
    Lula – US$ 205 Bilhões (Janeiro de 2008) – Negativa em US$ 36 Bilhões;
    14) Salário Mínimo em US$:
    FHC – US$ 56 (Dezembro de 2002);
    Lula – US$ 275 (Janeiro de 2010).
    15) Inflação Acumulada (IPCA):
    FHC – 100,6% (1995-2002);
    Lula – 45% (2003-2009);
    16) Pronaf:
    FHC – R$ 2,5 Bilhões (2002);
    Lula – R$ 15 Bilhões (2010);
    17) ProUni:
    FHC – Não existia;
    Lula – 470 mil estudantes beneficiados;
    18) PIB (em US$):
    FHC – US$ 459 Bilhões (2002):
    Lula – US$ 1,8 Trilhão (2009):
    19) Produção de automóveis:
    FHC – 1.791.000 (2002);
    Lula – 3.130.000 (2009; crescimento de 74,8%);
    20) Produção de máquinas agrícolas:
    FHC – 52000 (2002):
    Lula – 65000 (2007; crescimento de 25%);
    21) Vendas de automóveis zero KM:
    FHC – 1.465.000 (2002);
    Lula – 3.140.000 (2009; crescimento de 114%);
    22) Pagamento de juros da Dívida Externa em % das Exportações anuais:
    FHC – 20,3% (2002);
    Lula – 10,1% (2009);
    23) Renda Per Capita:
    FHC – US$ 2859 (2002);
    Lula – US$ 9.300 (2009).
    24) Coeficiente de Gini (Indica a Distribuição da Renda do Trabalho; quando mais próximo de 0 menor é a concentração da renda):
    FHC – redução de 0,602 (1993) para 0,593 (2002);
    Lula – redução de 0,593 (2002) para 0,544 (2008).
    25) Indice de Pobreza:
    FHC – 38,6% (1995); 38,2% (2002) – queda de 0,6 p.p.;
    Lula – 38,2% (2002); 25,3 (2008) – queda de 12,9 p.p..
    26) Gastos Sociais Públicos (% do PIB):
    FHC – 19,2% (1995);
    Lula – 21,9 (2005).
    27) Pobreza Extrema (fonte: IPEA)
    FHC – De 17,3% (1995) caiu para 16,5% (2002) (queda de 0,8 p.p.);
    Lula – De 16,5% em 2002 caiu para 8,8% (2008) (queda de 7,7 p.p.).
    28) Renda per capita mensal dos 10% mais pobres:
    2001 – R$ 34
    2008 – R$ 58 (crescimento de 70,6%);
    29) Renda per capita mensal dos 10% mais ricos:
    2001 – R$ 2316
    2008 – R$ 2566 (crescimento 10,8%).
    Obs: Assim, entre 2001 e 2008, a renda dos mais pobres cresceu 6,5 vezes mais do que a renda dos mais ricos.
    Fontes: Banco Central, IBGE, IPEA.

  343. Michelle 2 said

    342 Totó cadê o link? Quem fez o comparativo?

  344. Otto said

    Marcelo Augusto:

    seja bem-vindo caso queira terçar armas no campo das ideias. Mas sempre com elegância e educação. Se vier com trocadilhos ofensivos, meu caro, você terá apenas o meu mais profundo desprezo e silêncio. Não é porque seja um direitista, que será um calhorda. Combinados?

    Bom, não sei qual instituição fez aquelas pesquisas que relaciona países economicamente livres e corrupção. Não sei qual é a metodologia, nem se há por acaso, como sói acontecer, interesses escusos por trás. Não, meu amigo, não estou questionando o resultado. Não tenho instrumental suficiente para isso.

    Mas eu só queria apor aluns senões.

    Entre os países mais desenvolvidos, econômica e socialmente, estão os países escandinavos. No entanto, a presença do Estado é massiva nesses países, chegando a 30% o número de funcionários públicos na população economicamente ativa. Além disso a carga tributária é em torno de 50%, No entanto, segundo pesquisas, seus habitantes estão entre os mais felizes do mundo, com a Dinamarca em primeiro lugar:

    http://www.diariodocentrodomundo.com.br/o-pais-mais-feliz-do-mundo/

    Ademais, conforme o mapa, o continente africano está altamente envolvido em corrupção.
    Mas de onde vem essa corrupção? Quem suborna governos e entidades para explorar as suas riquezas naturais, tomar-lhe seu petróleo e seus diamantes? Quem que faz sua população de cobaia para testes de novas drogas? Aliás, você já viu o filme O Jardineiro fiel? Não? Pois eu lho aconselho.

    E quando começou esta triste história africana? Desde quando este continente tem sido espoliado e retaliado pelas potências ocidentais?

    E quem, quem lhe vende armas com as quais milhões de vidas são ceifadas? Quais empresas? De que países?

    E quem que sustentou e apoiou direta ou sub-repticiamente o apartheid na África do Sul?

    Você poderia me responder? Mas por favor, com educação, como um gentleman.
    :

  345. Chesterton said

    E quem que sustentou e apoiou direta ou sub-repticiamente o apartheid na África do Sul?

    chest- onde? em mali?

  346. Chesterton said

    Está feia a coisa na Geap, plano de saúde de servidores federais, onde já se fala em intervenção, apesar de a Anasps (associação dos servidores da previdência) acusar a agência reguladora ANS de fazer vistas grossas. Último diretor-executivo da Geap, Paulo Eduardo Gomes da Silva, indicado pelo PMDB-PB, foi nomeado em julho e demitido quatro meses depois. Ganhava R$ 45 mil por mês.

    Falhanço
    Gomes da Silva substituiu um bancário formado em educação física, Carlos Célio, para gerir rombo de R$ 300 milhões nas contas da Geap.

    ‘Sócios’ de olho
    O problema é o patrimônio do pecúlio da Geap, avaliado em R$ 2 bilhões, que atraem os dois “sócios” do plano de saúde: PMDB e PT.

    CH

  347. Edu said

    Acho que o Totó anda meio neurótico: ele posta links do wikipédia até para referenciar que tentou fazer uma ironia!

    Otto,

    Esqueci de dizer: eu também não gostaria q vc fosse subordinado ou empregado meu! Faça o que tu queres! – mas se for argumentar, traga as fontes, e fontes que tenham alta correlação com o tema discutido… senão fica aquela coisa que o Elias gosta de citar: “agua mole em pedra dura, tanto bate até que cedo madruga”, né?

    E sobre o Rodrigo Vianna, eu concordo que ele tenha o direito à ampla defesa, espero que a justiça lhe dê os meios para se defender, o mesmo que eu desejaria a qualquer outra pessoa, mas convenhamos: além de escrever mal pra caramba, em termos de honestidade intelectual, ele consegue passar mais longe que o Luis Nassif, que o Rovai e mesmo que o PHA, vai…

  348. Otto said

    Edu, sempre que eu posso eu trago fontes. Só que nem sempre tenho tempo de pesquisar. Ao contrário de outros, eu não estou com a vida ganha! :-)

    Quanto a questão de estilo, acho que Rodrigo Vianna, Nassif e Rovai escrevem com mais elegância, expelindo menos perdigotos que os rola-bostas do outro lado. O que é o Jabor, meu Deus do céu? É o Bobo dos Marinhos!!!

  349. Michelle 2 said

    Edu

    O mais engraçado é que Toto e Otto são anagramas.
    E viva o Planeta dos Macacos.
    Digo, viva o Planeta dos Manés!

    Se tiver oportunidade leia sobre o Projeto NIM – em 1975/76 um professor cientista americano da Columbia University, realizou um estudo muito esquisito, mas tristemente interessante.(procure no Google)
    No estudo foi estudado um chimpanzé, desde recém nascido para, adotando os mesmos critérios de educação de bebes humanos, descobrir se um chimpanzé poderia se comunicar através da linguagem de símbolos. Construir frases simbólicas concatenadas etc. Tipo inteligência humana.

    Resultado da pesquisa:

    NIM o brilhante e sensacional chimpanzé, apesar de todos os resultados positivos, mas ineficientes cientificamente, foi remetido de volta ao zoo do Laboratório de Pesquisas, onde morreu 24 anos depois.
    Era um macaco adorável!
    _________
    incrível né?

  350. Michelle 2 said

    Nim Chimpsky
    (homenageando Noam Chomsky)
    Eis o trailer do documentário:

    Adorável macaco!

  351. Edu said

    Otto,

    Vida ganha ou não, se vc se compromete a discutir algo, esteja preparado. Eu acho um pouco de falta de respeito alguém responder com fontes genéricas a um interlocutor que está interessado em argumentar honestamente, e que dispende tempo na busca de fontes adequadas. Da minha parte independe, gasto o tempo atrás das fontes por prazer de aprender algo eventualmente útil. O ponto negativo é que o diálogo que deveria estar circunscrito a um tema se desvia e aí vira uma argumentação completamente sem sentido: um expondo os pontos e outro falando qualquer besteira. Daí pra frente, cada um faz o que a consciência manda. A minha é tranquila, mesmo porque, estou de férias! hehe

    Tens um exemplo na sua própria resposta:

    Eu avalio 2 pontos dos jornalistas:

    1 – o fato de o escrever mal
    2 – a honestidade intelectual

    Vc me responde falando apenas sobre o estilo dos mesmos. Eu poderia discutir se estilo de escrita está circunscrito no tema “má escrita” proposta. Mas eu passo: é uma discussão que não leva a nada. Vc gosta do estilo destes em detrimento aos rola-bostas? Perfeito! Eu não me oponho! Trazendo este ponto para o contexto do Politicaetica: que diferença isso faz? O estilo de um jornalista define seu voto? O meu não… Então esse ponto, cada um na sua, blz?

    Mas e a honestidade intelectual? Essa sim pode nos ajudar a definir votos, pode nos ajudar a dar mais credibilidade a este ou àquele político. Lembro-me bem de um texto que o Rodrigo Vianna produziu em plena campanha para a Dilma.

  352. Edu said

    Otto,

    Infelizmente o wordpress não aceita meu link para o blog do Rodrigo Vianna. Segue a íntegra do que ele escreveu:

    “Acabo de voltar da Universidade de São Paulo, onde acompanhei o ato pró-Dilma no prédio da História. O enorme saguão estava lotado. Emocionante. O professor Antônio Cândido mandou mensagem pela filha Laura de Melo e Souza. Alfredo Bosi leu um discurso preciso, elegante; mas ao mesmo tempo firme em defesa da candidata petista. A última fala foi de Marilena Chauí, aplaudida de pé. A professora de filosofia trouxe – ao público de estudantes e funcionários da universidade – uma preocupação: a possibilidade de atos violentos nos últimos dias de campanha. Fez referência a boatos que já circulam na internet.

    Hoje, recebi de Fernando Macedo o seguinte relato.

    “Sou morador de São Paulo do bairro Santa Cecília, que fica próximo a avenida São João, e ontém ouvi duas pessoas em um bar que fui nesta avenida, falando baixinho ( até certo ponto ), sobre a armação que tá sendo criada para o dia 29 de outubro.

    Segundo estas pessoas um número x de camisas foi mandada ser feita com a insignia do PT, a estrelinha, e muitas pessoas vão estar na passeata que FHC promove neste dia, o 29 de outubro, criando um badernaço sem igual e que terá grande mídia cobrindo, com estas camisas sempre aparecendo.

    Falavam as duas pessoas que toda a grande mídia já sabe deste fato, e que isso quer fazer as pessoas pelo JN dar cobertura, e outras mídias também, de isso fazer o voto mudar, por sentimentalismo das imagens demonstradas, como eles falavvam, de total vandalismo no centro de São Paulo, por parte de petistas.Serão apresentadas muitas pessoas ensanguentadas.

    Escrevi para o Blog do Altamiro Borges, e estou escrevendo para quem pode fazer alguma coisa, no sentido de nos reunirmos e fazermos uma vigilia pública em local também público de São Paulo, por que o PSDB vai querer colocar fogo nas eleições, desacreditando a Dilma. Desacreditando no PT.

    E preciso que alguém me ajude nisso.

    Temos que colocar um local no centro de São Paulo, permanentemente visivel para todos, para que possamos fazer o que precisa ser feito, nesta reta final de eleições. escrevi para o Altamiro Borges no sentido do mesmo fazer um novo encontro pela liberdade de expressão, e em local público para que isso possa ser contido.

    Não podemos dar bobeira alguma.

    Eu ouvi estas pessoas conversando no bar e fiquei bastante preocupado, por causa de como elas tratavam disso, e pareciam saber demais para não ser verdade o que falavam.

    Meu cel é: (11) 8606 XXXX

    Me chamo Fernando e estou a disposição.

    ===

    Teoria conspiratória? Pode até ser…

    Liguei para o Fernando agora há pouco. Ele existe, disse que é comerciante na região central de São Paulo. Explicou que os dois homens no bar tinham entre 35 e 40 anos – mais altos do que a média dos brasileiros. Um deles usava blazer e o outro usava jeans e camiseta.

    É uma história que merece ser checada: um leitor escreve – dá detalhes, número do telefone. Uma professora da USP fala do mesmo assunto num ato com quase 2 mil pessoas.

    Não estou dizendo que isso possa ou não acontecer. Mas diante do clima esquisito (pra dizer o mínimo) nessa reta final, acho que não podemos descartar nada.”

    —X—

    Vc não acha muita desonestidade intelectual, um jornalista que se diz de alto calibre se fiar na informação de uma pessoa que diz que viu outras duas pessoas conversando sobre terceiros?! Ou vc acha que só por dizer que poderia ter sido uma teoria da conspiração tá tudo bem? Que ele tá perdoado, etc, etc…

    Sabe o que é o mais interessante desse texto: A Marilena Chauí fazendo referência a atos violentos que circulavam na internet! Vê se pode! Eu fui procurar e não achei nada sobre atos violentos… que atos violentos? O ato mais violento que aconteceu na política nos últimos 10 anos acho que foi a tal da bolinha de papel atirada no vampiro brasileiro! Além disso, normalmente, quem produz atentados, de bolinha de papel ou não, é o pessoal de esquerda… a direita, como se sabe, e se supõe que apoiava o Serra, mal é organizada demais pra isso.

    Segundo o honestíssimo Rodrigo Vianna, a fonte era quentíssima! Mas, se nada ocorresse era pq se tratava de uma simples teoria da conspiração mesmo… sacou?

    O resultado é que não houve problema nenhum em reunião nenhuma. Era, de fato, uma teoria da conspiração. Só que a teoria virou prática, porque nesse dia todos os blogs da esquerda militante publicaram esse mesmo texto, inclusive o LN do alto de sua isenção.

  353. Patriarca da Paciência said

    Descobri quem é a Michellie 23 e 1/2:

  354. Chesterton said

    WEDNESDAY, JANUARY 16, 2013

    O FT Perdeu o Respeito Que Tinha Pelo PT
    O SB tem ajudado o governo Dilma desde o começo. Apontamos o sumiço da verba para pagar a propaganda do governo brasileiro no Financial Times. No tempo de Lula o governo pagava muito bem ao FT, tanto é que esse pasquim foi um dos primeiros a alardear o mito da genialidade do sapo barbudo. O governo Dilma ignorou o SB, e continuou sem pagar o jabá do FT, daí o Financial Times ao invés de fazer propaganda do governo brasileiro começou inicialmente a criticá-lo. As críticas foram se tornando mais sérias com o tempo até que hoje passou das estribeiras, o FT perdeu o respeito pelo governo brasileiro e diz que Tombini e Mantega fazem políticas monetária e fiscal na base do jeitinho, que eles chamam pitorescamente de “little way”.
    POSTED BY SELVA BRASILIS

    http://blogs.ft.com/beyond-brics/2013/01/15/brazils-monetary-jeitinho/#axzz2I9hBfw6x

  355. Michelle 2 said

    353 Totó Parabens!
    Você é muito esperto!
    hehehe!

    Li hoje que ela voltou a morar em Paciência!
    http://veja.abril.com.br/noticia/celebridades/bbb-13-estressada-aline-volta-a-morar-em-paciencia
    _________________

    342 Totó usa comparações mentirosas . Inventou ou leu nos “amigosdopresidentilula” ?

    hehehe
    __________________________
    Rovilson, o homem que se entrega! pra presidenti dos manés dos pedaço.
    ELE NÃO ROLA BOSTA NENHUMA E É 0% IDIOTA.

    Fontes: Banco Central, IBGE, IPEA.

  356. Otto said

    Edu, sinceramente, eu não acho isso desonestidade intelectual.

    O próprio ato (a dita confusão) pode ter sido desarmada pela divulgação que teve a partir do post do Rodrigo.
    O clima estava mesmo pesado. Você parece ter esquecido que aqui no Brasil a direita foi infinitamente mais violenta que a esquerda. Nos últimos 50 anos quem fez golpe, estuprou, torturou, explodiu bombas (Rio Centro, bancas de jornais que vendiam o Pasquim), quem matou Chico Mendes, aquela irmã do Pará, quem está ameaçando agora o bispo Dom Pedro Casaldáliga, só pra citar os nomes mais conhecidos?

    Eu sei que há atos violentos da parte da esquerda também. Mas quem mata mais: o MST ou a polícia do Alckmin (falo de execuções)?
    Lembra das eleições de 89, quando sequestram o Abílio Diniz? Quando estouraram o cativeiro, a polícia obrigou os sequestradores a vestirem camisas do PT e no dia seguinte um jornal inclusive estampou PT SEQUESTROU ABÍLIO DINIZ.Quem faz isso pode perfeitamente transformar bolinha de papel num morteiro terrorista (e esta era a intenção do Serra e da Globo).

    Pra mim desonestidade intelectual é a folha estampar uma Ficha policial falsa na primeira página, as matérias da Veja em conluio com o Cachoeira, os impropérios que o Jabor regurgita todo dia no JN…

    Desonestidade intelectual é abrir a boca pra falar em liberdade de expressão e tentar calar judicialmente quem fala o contrário.

  357. Otto said

    Mais:desonestidade intelectual é o grampo sem áudio, invasão de quarto de hotel, dólares de Cuba, envelope forrado de dinheiro (Caraca!! lembra?), tudo nunca provado até hoje.

  358. Otto said

    O Miguel do Rosário disse muito que eu queria dizer sobre o Ali Kamel e suas tentativas de calar a dissidência:

    Lembro-me como se fosse ontem quando o Cloaca fez uma descoberta incrível. Havia um Ali Kamel na década de 80 que protagonizara filmes pornográficos, entre eles o clássico, O Solar das Taras Proibidas. Além de ser homônimo do todo-poderoso diretor de jornalismo das Organizações Globo, ele era absolutamente igual! Mesmo rosto, mesmo tom de pele, mesmo formato de cabeça. E a juventude do ator batia com a idade atual do jornalista.

    O Cloaca publicou o post com o vídeo, sem mais comentários, sem sequer mencionar o Ali Kamel da Globo. Era uma piada pronta. Uma piada inocente, mas poderosa e engraçadíssima, por razões que me recuso a dar, porque são óbvias, numerosas, e fazê-lo equivaleria a escrever uma tese sobre as piadas de português. Posso ser um blogueiro meio prolixo. Não quero também ser um chato de galochas!

    Algo tão engraçado naturalmente logo se espalhou pela internet. Virou uma espécie de meme da blogosfera. E agora eu fico sabendo que, anos depois, o nosso querido blogueiro Rodrigo Vianna, responsável pelo blog O Escrevinhador, é condenado pela justiça a pagar uma indenização a Ali Kamel por danos morais! Razão: Vianna teria difamado Ali Kamel ao publicar em seu blog que este trabalhara em filmes “adultos” na juventude.

    Ali Kamel pode acusar quem quiser, mas a Justiça aceitar tal disparate, e condenar Vianna por causa de um chiste de humor totalmente inocente como este, me parece uma perseguição política (não muito) velada. Mais que isso, parece um ataque hediondo ao humor político e à liberdade de expressão.

    Mais uma vez, vemos a Justiça desempenhando o triste papel de empregadinha dos poderosos. Ali Kamel mostrou-se indigno de ser comparado a um profissional da indústria pornográfica. O Ali Kamel do filme “adulto” é que deveria nos processar por compará-lo a um sacripanta.

    É inacreditável que o diretor de jornalismo da empresa que comete todo o tipo de abuso contra a democracia, contra a dignididade humana, a empresa que se empenha dia e noite para denegrir a imagem do Brasil, aqui e no exterior, cujos métodos de jornalismo fazem os crimes de Ruport Murdoch parecerem estrepolias de uma criança mimada, pretenda processar um blogueiro por causa de um chiste!

    Entendo que todos nós blogueiros devemos ser extremamente prudentes quando acusamos uma pessoa. Se Rodrigo tivesse acusado Kamel – sem provas – de surrupiar ipads do escritório da Globo, eu acharia justo que fosse condenado por danos morais. Não é o caso. A condenação não é apenas injusta, é insensata, arbitrária e antidemocrática. Espero, pelo bem da fé que tenho na justiça, que seja revertida. Vianna já avisou que irá recorrer, o que faz muito bem.

    O problema é que tudo isso implica em altas despesas advocatícias, as quais constituem uma espécie de penalidade.

    http://www.ocafezinho.com/2013/01/16/as-taras-de-ali-kamel/

  359. Elias said

    Otto,

    Se me permites:

    I
    A quantas anda a honestidade intelectual do Estadão, dando a notícia que deu causa ao post acima?

    II
    Um exemplo de honestidade intelectual da direita tá aí, no comentário # 354, do Chester. Esse que diz que o Financial Times era subornado pelo Lula. Isso é tão verdadeiro quanto uma cédula de R$ 35,00, ou a “Carta Brandi”, publicada pelo Carlos Lacerda com grande estardalhaço, pra dar suporte à pregação golpista dele, tentando impedir a posse de JK. Outro exemplo da honestidade intelectual da direita é o “Plano Cohen”, elaborado pelo general Olímpio Mourão Filho (e falsamente atribuído aos comunistas). Sempre que um militante de direita fala em honestidade intelectual, tenho vontade de sacar minha velha pistola, do tempo do ronca… A honestidade intelectual da direita brasileira é tão verdadeira quanto a virgindade da Bruna Surfistinha…

    III
    Noutro assunto: há um bom exemplo de país que coloca o ideário econômico do liberalismo na prática, mas na prática mesmo (sem essa de falar uma coisa e fazer outra, feito um Gerd Paulson qualquer…): é o HAITI.

    No Haiti praticamente não há impostos. Pela mesma razão, a presença do Estado é quase nula na maioria das esferas da existência social: educação, saúde, saneamento, segurança pública, transporte, habitação, energia, etc, etc, etc.

    Liberdade econômica? Total! Lá tu podes fabricar o que quiseres. Inclusive drogas…

    Deve ser por isso que o Haiti é o que é…

  360. Michelle 2 said

    Haiti é aqui! CV
    No meu caso é aí!
    Atualmente moro no Caribe!

  361. Michelle 2 said

    E pra não restar dúvidas…hehehe

    O Haiti é aqui

    http://www.cartacapital.com.br/sociedade/o-haiti-e-aqui/

  362. Otto said

    Falou e disse, Elias:

    Um modelo de socialismo: Cuba

    Um modelo de liberalismo: Haiti

    Engraçado que todo mundo aponta o dedo para Cuba como exemplo de fracasso do socialismo, um país com o maior índice mundial de pessoas com ensino superior, e esquece do Haiti, ali ao lado, exemplo rotundo do “sucesso” do Estado mínimo…

  363. Michelle 2 said

    Comentário copiado do link em 361 acima:

    Elda disse:
    2012-01-30 11:41:25
    Gostaria de uma Haitiana que falasse alguma coisa em portugues para trabalhar na casa de minha mãe, teria casa, comida, salário etc. Aqui está muito dificial de arrumar, qualquer coisa entre em contato, obrigado.

    Haiti é aí!

  364. Elias said

    De mais a mais, parece que o mulherio é unânime em dizer que, na hora do vamos ver, o Ali Kamel do pornô põe o Ali Kamel globilauzinho no chinelo.

    Daí a raivinha dele. Ele não aguenta a comparação…

    E, pra isso, parece não haver remédio…

    Se servir pra consolo (consolo!!!???), o pessoal mais preocupado com a situação dele sempre pode dizer ao péssimo que não importa o tamanho do jornalismo dele, e sim o prazer que ele pode proporcionar…

    O problema é que é exatamente aí que está o problema do Ali Kamel globinhozinhozinho: o prazer que ele não proporciona…

    Alguém deu uma idéia: uns quinze ou vinte diretores de filmes pornô assinariam um manifesto, declarando publicamente a quem interessar possa, que nunca, de jeito nenhum, nem nos mais loucos sonhos deles, eles sequer cogitaram em usar o Ali Kamel globete como pornstar, até mesmo por falta de… Digamos… Talento específico do supracitado.

    Os diretores até que toparam, porque esse manifesto seria a expressão do pensamento deles…

    Acontece que o Ali Kamel globista, quando leu o texto do manifesto, ficou p… dentro das calças,chiou, bateu os pés e ameaçou processar quem quer que assinasse esse manifesto.

    Então a coisa ficou assim, num impasse, que se agravou quando a mulher do Ali Kamel globroxa viu o Ali Kamel comilão em ação, num DVD pirata, exibido em sessão secretíssima por um grupo de amigas.

    Aí surgiu uma solução conciliatória: o Ali Kamel globeirinha continuaria marido da mulher dele de dia, nos compromissos sociais, etc. À noite, em casa, funcionaria o Ali Kamel papão pé-de-mesa.

    A mulher do Ali Kamel globundão não se pronunciou publicamente sobre essa proposta (mas alguns amigos sugerem que ela aprova entusiasticamente). Só que o Ali Kamel globiruzinhozinho, quando soube da coisa, quebrou o DVD em pedacinhos e ameaçou processar a mulher dele e até mesmo o Ali Kamel tacão tascão.

    Sinceramente, eu não sei o que propor, pra solucionar esse grave problema, que ameaça ferrar de vez com a desminlinguida institucionalidade brasileira.

    Só acho que esse Ali Kamel globaixastral tem complexo de corno. Alguém precisa dizer a ele que chifre não existe…

    Chifre é só uma coisa doida que puseram na cabeça dele…

  365. Chesterton said

    Eu fico impressionado é com o conhecimento que o Elias tem do bilau dos outros. E ainda vai incluir o Pax no processo.

  366. Michelle 2 said

    365 E você acha que ele “conhece” a zabura do Kamel mesmo, é?

    Eu não acredito. Deve ter afirmado isso no calor da paixão.
    Num momento de fraqueza.
    É compreensível.
    Fantasias eróticas? Sei lá.
    Cada um na sua.
    Nada contra.

  367. Pax said

    Enquanto isso…

    Zé Dirceu apareceu no noticiário, como sempre. Critica as propostas das candidaturas Randolfe Rodrigues e Cristovam Buarque à presidência do Senado. Apoia incondicionalmente que o cargo seja para o PDDB.

    Pois bem, até em seu blog a militância critica, quase nenhum acata o apoio a Renan Calheiros. Fui dar uma conferida nos comentários, só pra medir a temperatura.

    Pois é. Neste caminho ZD perderá o pouco capital político que lhe sobrou. Vai continuar com outros poderes, aqueles que nunca sabemos exatamente como são estabelecidos e mantidos.

    Tem horas que entram moscas em bocas muito abertas.

  368. Patriarca da Paciência said

    Meu caros Otto e Elias,

    além do Haiti, há outros casos de liberalismo nas Américas, como é o caso do “liberalismo furioso” do Paraguai.

    Lembro-me que uma vez fui no Paraguai e sequer havia semáforos, é claro que para não tolher a liberdade dos motoristas.

    As pessoas podem comprar e vender o que quiserem no meio da rua e ninguém tem nada a ver com isso.

    É o próprio paraíso imaginado pelo Friedman!

    Sem contar que lá todos os poderes estão diretamente vinculados à velha oligarquia.

    E o Paraguai, é um modelo de desenvolvimento?

  369. Pax said

    Ontem o noticiário foi farto com relação às principais insatisfações dos brasileiros em seu papel de consumidores.

    Os grandes campeões foram as telefônicas. Pois bem.

    E a ANATEL com isso?

    Nada, claro, melhor se fazer de avestruz e garantir seu papel de cabide de emprego pra rapaziada.

  370. Zbigniew said

    Simplesmente completo, o artigo do Tarso Genro.

    “(…)

    O que o PT e a esquerda precisam constituir, agora, é uma clara agenda da esquerda, para ser implementada dentro da ordem constitucional, que integre dois movimentos distintos (em esferas de participação política diferentes) e configure um novo modo de fazer política: uma agenda de reformas institucionais de democratização do Estado, de eficientização das políticas públicas e de reforma política, combinada com uma agenda de promoção de participação cidadã, nas grandes decisões sobre as políticas sociais, trazendo os movimentos sociais para uma “co-gestão” das políticas sociais do Governo.

    Quebrar as barreiras burocráticas que separam o cidadão comum das fontes de decisão estatal é uma forma de combinar a representação, derivada das eleições, com a democracia direta de participação voluntária.

    Há um segundo bloco de políticas estratégicas de direita, em curso no país: a fraude informativa de que a “higienização” da política é de competência do Poder Judiciário. A desmoralização dos políticos em geral e especialmente dos espaços parlamentares de atuação política, é uma estratégia que tem o apoio ostensivo da chamada extrema-esquerda. Esta, não tendo um projeto viável para o país, dentro do Estado Democrático de Direito, faz a aposta suicida na desmoralização das instituições “burguesas” da democracia, como se tivéssemos alguma coisa nova para colocar no lugar delas, de forma imediata.

    Estas construções políticas de hoje que visam aniquilar o espaço da política, sim, podem ser chamadas de “ruínas” no sentido literal. É o que a direita conservadora quer legar para o futuro para montar sua volta ao poder em 2018: desmoralizar a política e as instituições democráticas; desmontar as frestas que as revoluções do século passado legaram para democratizar a vida política; acabar com as políticas de combate à pobreza e reinaugurar a desesperança. Ceticismo e desesperança fazem a estrada que leva ao fascismo e ao autoritarismo. Esta é a “solução final” que hoje a direita brasileira cultiva.”

    http://www.cartamaior.com.br/templates/materiaMostrar.cfm?materia_id=21508

  371. Elias said

    FALA CARLÃO!!!

    Vamos debater?

  372. Patriarca da Paciência said

    “Estas construções políticas de hoje que visam aniquilar o espaço da política, sim, podem ser chamadas de “ruínas” no sentido literal. É o que a direita conservadora quer legar para o futuro para montar sua volta ao poder em 2018: desmoralizar a política e as instituições democráticas; desmontar as frestas que as revoluções do século passado legaram para democratizar a vida política; acabar com as políticas de combate à pobreza e reinaugurar a desesperança. Ceticismo e desesperança fazem a estrada que leva ao fascismo e ao autoritarismo. Esta é a “solução final” que hoje a direita brasileira cultiva.”

    Acho que com esta, o pessoal que já estava comemorando a adesão do Tarso Genro às teses da direitona, quebrou a cara

  373. Elias said

    Chester,

    Estou notando que ficaste ligeiramente incomodado com os comentários da muierada, que reproduzi aqui, com relação ao Ali Kamel globilauzinho…

    Aliás, comentaste várias vezes em defesa do Ali Kamel globiroxa.

    Será que tens alguma afinidade com ele?

    Vocês são irmãos de leite? Mamaram no mesmo pai?

  374. Elias said

    Patriarca,

    Mas eu citei o Haiti de propósito… Uma garota que trabalha comigo, estava me vendo redigir o comentário e falou: “Ih! Lá vêm um bando de chato sem imaginação fazer blague com o verso do Caetano”.

    Eu disse a ela que estava fazendo isso de propósito, e revelei o que diria quando alguém dissesse isso.

    Aí nós fizemos um bolãozinho pra apostar que otários citariam os versos de “Haiti”.

    Ela ganhou.

    Mas não vou aproveitar a deixa pra sacanear com as citações, porque, se a coisa for com o CARLÃO, prefiro levar pra outro nível.

    Vais encarar, CARLÃO?

  375. Patriarca da Paciência said

    Ok caro Elias,

    vamos ver se o(a) Carlão se manifesta!

  376. Pax said

    Caro Zbigniew,

    Fico feliz que tratemos algo dessa importância sem a infantilidade que parece tomar conta deste pedaço. Desculpem-me todos os comentaristas, mas tenho sentido grande decepção com os rumos do blog – que vai continuar martelando em ferro frio – no aspecto do debate saudável.

    Paciência, não é de hoje que blogamos e sabemos que volta e meia surgem momentos de lucidez nos debates.

    Pois bem, vamos ao artigo do Tarso Genro:

    O que gostei:

    Sua análise sobre a situação atual onde a oposição quer estabelecer um posicionamento de centro-direita com tinturas de centro-esquerda alijando o PT de qualquer participação. Me parece um fraseado preciso. É isso mesmo. E, cá pra nós, se estivéssemos nos sapatos da oposição, qual outro posicionamento possível? Não me parece existir. Fingir-se de esquerda seria tirar o apoio de seus principais aliados, os antigos donos do país. Fingir-se de direita seria tirar o apoio da grande massa. Então o posicionamento deveria ser este mesmo. Só resta descobrir um projeto com discurso que convença a sociedade.

    As demandas sociais, depois que mais de 40 milhões de brasileiros adentraram ao mercado financeiro (abriram contas em bancos) e consumo, tendem a ser outras daqui uns tempos. No início é a satisfação de uma série de desejos mais que legítimos, de ter seus eletro-eletrônicos, seus carros, sua casa própria, depois de conquistarem o direito de não passar fome nem andarem rotos. Acreidito, sim, que as demandas tendem a evoluir e uma das maiores que veremos, se o deus do meu ateísmo não falhar, será a da educação. Hoje mesmo já vemos uma massa social que quer seus filhos indo mais à além nos estudos, sonhando que as crias se formem e tenham futuro melhor que tiveram. Tomara que insistam neste querer. É nele que, para mim, reside a esperança.

    Quando fala de uma vertente fascista que circula por aí, em especial nas redes. Sabemos que existe sim. Só alerto que este “fascismo” (entre aspas mesmo, para reflexão) tem dois lados, esta moeda não tem somente uma cara. Iria até um pouco mais fundo na questão. A mim parece uma relação simbiótica, mutuamente vantajosa. Um precisa do outro. O que seria dos radicais de direita se não houvesse os radicais de esquerda? Idem ibidem, o que seria dos radicais de esquerda se não houvesse os radicais de direita. E ambos movimentos só servem a si próprios, na minha opinião.

    Quando diz que dois movimentos deveriam nortear o PT e as esquerdas: a participação política e a agenda de reformas. Só alerto, também, que esta pode ser, da mesma forma, uma agenda possível para a direita que terá todo direito de adotá-la, vis-a-vis a situação atual onde a descrença se generaliza.

    O que não gostei

    Quando acha que higienização política colocada pela mídia é responsabilidade do Judiciário. Tarso faz esta colocação – que é acertada por conta dessa mídia que coloca Joaquim Barbosa como candidato presidencial, “talqualmente” colocaram Collor como caçador de marajás, mas esquece que temos a necessidade de um poder Judiciário confiável e atuante. Parece esquecer que a atávica impunidade brasileira é uma das causas-mor do estado lastimável de putrefação política nacional.

    Quando fala que as forças centristas devem ser chamadas a estar junto com a agenda da esquerda. Não que discorde de forma geral, acho que devem compor os governos, sim, sejam eles mais à esquerda ou mais à direita quando pensamos em alternância do poder. A questão que me parece esquecida é sob quais condições! As atuais, cá pra nós, causam ojeriza. É só vermos Sarney, Renan et caterva como principais aliados “que não podem ser julgados como cidadãos comuns” que você poderá entender minha crítica.

    Quando não fala abertamente do problema petista da corrupção, do tal pragmatismo desenfreado que levou a atual direção do partido a situação atual de descrédito de uma parcela considerável da sociedade. Ao não espiar as culpas do próprio partido, esquece de dizer que o mesmo precisa expiar as mesmas.

    … mas… enfim…

    É um dos melhores artigos que li sobre estratégia política nestes últimos dias.

    Obrigado, caro Zbiginiew, por trazer uma discussão adulta ao pedaço. De forma educada.

  377. Pax said

    Ah, esqueci de comentar acima:

    Tem uma questão petista delicada com relação a Tarso Genro: ele é oposição à atual direção. É de uma corrente contrária à corrente do Dirceu. E atualmente quem manda é a corrente deste segundo, não a de Tarso.

    Não será surpresa se o artigo do Tarso for malhado por alguns petistas.

  378. Zbigniew said

    Caro Pax,
    Tenho tido pouco tempo para comentar por aqui. Mas sempre que posso dou uma lidinha nos comentários.
    Acredito que a corrente “pragmática” do PT permanecerá por muito tempo na direção do partido e como pensamento hegemônico na legenda. Isto só poderia mudar se e quando o PT porventura vier a ser oposição, ou até mesmo “base aliada” sem ocupar a Presidência. Ou por uma demanda da sociedade, lógico, sem a tutela da mídia partidarizada.
    De fato sem uma pressão efetiva da sociedade civil organizada vai ser difícil mudanças sérias na cultura política brasileira. Mas para isso precisamos de uma sociedade politizada. O problema é que o brasileiro está longe disso. Ele é bastante ativo nas redes sociais (na frente de um computador), vertente virtual daquilo que lhe é típico: ser um reclamão nato (principalmente em repetição ao que dizia a revista semanal de maior circulação ou o telejornal de maior audiência, embora isto esteja mudando rapidamente). Más chama ele pra ir pras ruas! É mais fácil ele gastar horas numa fila pra pagar por um visto pra gastar (eu disse GASTAR) num país estrangeiro (sim, estou falando das férias da classe média brasileira nos EUA) do que reclamar por qualquer coisa nas ruas. Nem a direita secundada pelo consórcio midiático consegue uma boa mobilização. É só ver os vinte “gatos pingados” que foram protestar contra o Lula por ele ser ladrão (?) na frente do Masp, ou mesmo o movimento dos CANSEI.
    Em países como a Venezuela, a Argentina, o Chile, não é incomum, tanto a direita quanto a esquerda colocarem milhares de pessoas nas ruas. Até nos EUA com o movimento Occupy foram colocadas milhares de pessoas nas ruas. Pra mim aqui vai demorar bastante.
    Quanto ao Judiciário temo que suas expectativas sejam frustradas. Se você soubesse o que ocorre nos bastidores desse Poder, principalmente nos Tribunais, verias o quanto estamos longe de uma verdadeira democracia. E pior, sem a legitimação do voto popular.
    Pax, nossas esperanças devem se fixar na educação do nosso povo e de sua inserção no processo de cidadania. Como disse o Tarso, o processo já foi iniciado, mas precisa ser continuado e aperfeiçoado. A única certeza é que será lento. Mas ocorrerá, mais cedo ou mais tarde.

  379. Pax said

    Caro Zbigniew,

    Os podres do nosso Judiciário devem ser trazidos à luz assim como são os podres do Executivo e do Legislativo.

    Não tenho qualquer ilusão que este poder seja mais limpo que os outros.

    Mas, ao que interessa: concordamos que na Educação vemos futuro melhor. E olha que nem sempre isso quer dizer redução de corrupção. Basta ver os governos israelenses e mesmo os americanos para assegurarmos essa afirmação.

    Quanto ao entrevero da corrente do Tarso versus a corrente do Dirceu, bem, no meu entendimento o PT perde quando a corrente do Tarso perde. Mas a opção é do partido. Se quer esse caminho, que o trilhe.

    Do meu ponto de vista afirmo que é uma tremenda decepção, independente dos resultados que eventualmente tenha auferido.

  380. Zbigniew said

    Pax,

    Outro dia discutia com uma colega sobre essa idéia do “Lula ladrão” que está sendo levantada nas redes sociais. No final ela concordou que o único roubo provado (na opinião dela) foi o da esperança de um “modus operandi” mais correto, ético, na política brasileira. Acho uma questão muito complexa, que envolve valores pessoais e não julgo quem pensa dessa maneira. Respeito.
    Mas como disse é uma questão muito complexa. Talvez um outro partido ou em outra situação possa começar um processo de mudança mais profunda. Penso apenas que pela complexidade do processo, na minha opinião, colocar a responsabilidade nas mãos de um partido, ou mesmo na figura de um político é por demais simplificar o problema. O que, logicamente, não isenta o partido ou o político de suas responsabilidades em face do papel que cada um desempenha no cenário político brasileiro. A pergunta que deve ser feita, no meu sentir, é: o que o PT, o Lula, a Dilma, o Tarso, etc, poderiam fazer (ou terem feito) para melhorar a forma de fazer política no país? Ou: será que poderiam?

  381. Elias said

    I
    “Há um segundo bloco de políticas estratégicas de direita, em curso no país: a fraude informativa de que a “higienização” da política é de competência do Poder Judiciário.” (Tarso Genro)

    Modestamente, e com outras palavras, venho dizendo isso há um tempão…

    Quem saneia a política é a sociedade… É o cidadão. Não tal ou qual instituição.

    Menos, ainda, uma instituição como o Judiciário brasileiro, que se caracteriza por vícios e mazelas outras com séculos de existência, e que, por isso mesmo, necessita, ele próprio, ser saneada de alto a baixo (tão ou mais que o Executivo e o Legislativo).

    Só lamento é que o Tarso Genro, que agora vê isso com tanta clareza, não tenha, quando no governo federal, tomado a iniciativa de pelo menos deflagrar um debate sobre a agenda política brasileira (onde não falta assunto…).

    A estratégia de se amuletar em “salvadores da Pátria”, é típica da direita brasileira, dada a incapacidade desta de formular e colocar em prática um projeto político ideologicamente consistente e eleitoralmente competente.

    Ela agora tenta se pendurar no Joaquim Barbosa, como antes se pendurou no Jânio, no Collor…

    É o cachorro velho, que não consegue renovar seu estoque de truques…

    Acontece que os “salvadores da Pátria” são criaturas abjetas, que só sobrevivem e se desenvolvem em ambientes insalubres. Só prosperam em meio à podridão.

    Para um “salvador da Pátria” ganhar vida e força, é necessário que se estabeleça um contexto de descrédito das instituições: Poderes da República, partidos políticos, etc e tal.

    Esse sim, é o verdadeiro centro de gravidade da estratégia política da direita brasileira. Sempre foi. Desmoralizar ao máximo as instituições.

    É a partir daí que ela aumenta a aposta e passa a agitar a bandeira da ruptura do processo democrático, com o alegado propósito de “sanear”, de “moralizar” o país para assim “consolidar a democracia”.

    No fim, como se sabe, tudo o que ela quer, mesmo, é tomar de assalto os cargos governamentais, a que ela não consegue chegar pelo mecanismo democrático das eleições.

    II
    A capacidade de rir — das circunstâncias, de si mesmo e dos seus circunstantes — é indicador de sanidade, entre os humanos. Pessoalmente, não confio nem um pouco em quem se toma totalmente a sério…

    Concordas, CARLÃO?

  382. Elias said

    “Acredito que a corrente “pragmática” do PT permanecerá por muito tempo na direção do partido e como pensamento hegemônico na legenda. Isto só poderia mudar se e quando o PT porventura vier a ser oposição…” (Zbigniew)

    Sabe por que as correntes como “Articulação” e “PT pra Valer” dirigem o PT?

    É porque esse pessoal é que sai pelo Brasil afora, fazendo proselitismo político, recrutando militantes, formando lideranças, criando núcleos e diretórios, atuando nos movimentos sociais, disputando eleições, etc, etc, etc.

    Enfim, é o pessoal que, de fato, constroi o partido. Para o bem ou para o mal, é esse pessoal que carrega piano.

    Na hora dos vamos ver, nas disputas internas, nada mais natural que os resultados espelhem essa circunstância.

    Era assim na época do “PT oposição” e continua sendo assim com o “PT governo”.

    Pra mudar isso, seria necessário que as demais correntes — a do Tarso Genro inclusa –, metessem a mão na massa, e começassem a fazer o trabalho duro do qual elas sempre fugiram.

    Como isso dificilmente acontecerá, o mais lógico é se aguardar pelo colapso de material do PT.

    A bem da verdade, isso só não aconteceu por falta de alternativa. Os demais partidos políticos brasileiros conseguem a proeza de ser piores do que o PT.

    Aí, resta a alternativa de escolher o menos ruim. E, até aqui, o PT tem sido e continua sendo o menos ruim…

  383. Zbigniew said

    Isso é verdade, Elias.

    A necessidade de “salvadores da pátria”, a inoculação de valores no imaginário da sociedade como o do “pai” que o Presidente da República representaria, importado do modelo estadunidense. Em contrapartida a idéia de uma quase inaptidão do brasileiro de construir uma sociedade de sucesso, o complexo de vira-latas e a aversão ao desenvolvimentismo. Com esses valores a direita ficou estéril de idéias no que se refere a um projeto de nação. O máximo que eles conseguem é debater sobre reformas estruturais. Mas fica por aí. Principalmente quando se associaram ao rentismo. O rentismo é o crack da direita brasileira.

  384. Zbigniew said

    Então se é assim (Elias #382), está parecendo que na teoria a prática é outra.

  385. Pax said

    Caro Elias, em #382,

    Ou, então, que estas correntes que atualmente comandam o PT percebam que precisam de mudanças.

    Enquanto teimarem que tudo é uma tremenda conspiração contra, não farão isso. Mais fácil expurgar as culpas que admiti-las.

  386. Pax said

    Off topic:

    Excelente tapa de luva de pelica no Itamaraty.

    http://oglobo.globo.com/pais/associacao-gay-envia-ao-itamaraty-pedidos-de-passaporte-diplomatico-7323396

  387. Chesterton said

    …no executivo….

  388. Elias said

    Por que tapa com luva de pelica?

    Será que o pedido dos gays e lésbicas não é sério? Ou será que o pedido desmoraliza o objeto, por ter sido feito por gays e lésbicas?

    Que papo é esse?

    A meu ver, quem deu o tapa com luva de pelica foi o Itamarati. Em cima da bucha…

    E se ele, recebendo formalmente o pedido, e o analisando, conceder o passaporte diplomático aos solicitantes?

    Isso depreciará o passaporte? Ou os solicitantes?

    O Itamarati é quase que 99,9% formado por quadros profissionalizados, muitíssimo bem preparados. Talvez seja um dos poucos órgãos públicos brasileiros que disputa, pau a pau, com qualquer congênere do 1º mundo, em termos de eficiência, mesmo sem ter uma retaguarda, na área de estratégia, do tipo CIA ou Serviço Secreto Americano (onde não existe lugar pra amadorismo…).

    No Itamarati só tem cobra criada!

  389. Pax said

    Ora bolas, caro Elias,

    Os evangélicos pedem e recebem passaportes diplomátivos. Qual o sentido nisto? Bem, para alguns evangélicos talvez faça sentido, para não serem barrados levano dólares em bíblias, como já sabemos.

    E os gays, que são super bem articulados, aliás um dos melhores deputados de hoje em dia é o Jean Willis, no meu entendimento, vão lá e de sacanagem pedem, também, passaporte diplomático.

    Algo como se nós montássemos uma associação dos participantes do blog politicAética e pedíssimos passaportes diplomáticos. Qual o sentido disso?

    Já respondo: nenhum.

  390. Elias said

    Zbigniew,

    I
    A direita brasileira se mostra incapaz de formular no plano econômico, institucional, etc, etc. O que resta a ela? O discurso pseudo-moralista, que condena a roubalheira feita pelos adversários, enquanto silencia e faz cara de paisagem para a roubalheira de seus iguais, direitopatas.

    A lesma lerda que, no longínquo passado, sustentou politicamente a UDN, numa época em que a grande imprensa tinha um imenso poder na formação da opinião pública.

    A direita de hoje tenta repetir o mesmo estelionato. Só que os tais formadores de opinião estão desgastados, desmoralizados, em franco processo de decadência, porque não têm como hegeminizar nas novas mídias.

    Nesse novo contexto, a cantilena pseudo-moralista da direita se torna uma sucessão de furos dentro d´água…

    II
    Às vezes, alguns companheiros de esquerda agem igualzinho aos nossos companheiros de direita. Não admira que, por vezes, a direita pense que o caras estão querendo transpor a linha.

    É só perderem uma disputa política, ou avaliarem que vão perder uma disputa política no futuro próximo, esses companheiros começam a ver com clareza as falhas dos grupos adversários, e a denunciá-las.

    Pena que, concomitantemente, esses queridos companheiros não consigam ver a IMENSA contribuição que eles mesmos deram, POR AÇÃO OU OMISSÃO, para o cometimento dessas falhas.

    Ora, caceta… Quem cometeu as falhas foram o Fulano, o Sicrano, o Beltrano, etc. Disso todos sabemos.

    Mas, se queremos mesmo corrigir, expiar e purgar, começamos mal se iniciarmos a apontar o dedo em qualquer direção na qual nós mesmos não estejamos…

    Sem essa de bancar a virgem no puteiro… Isso é papo pra enganar trouxa!

  391. Elias said

    Pax,

    Talvez seja necessário que leias com mais atenção sobre as vantagens do passaporte diplomático.

    Ele apenas agiliza o visto. Algo que acontece fora dos aeroportos, dos portos, das estações rodoviárias, ferroviárias, etc.

    Não tem nada a ver com procedimento alfandegário. Esse é o mesmo pra todos. Principalmente nos demais países.

    A apresentação de tal ou qual tipo de passaporte brasileiro não tem influência nenhuma nos procedimentos da Alfândega brasileira.

    E, se nela não tem nenhuma influência, menos que nenhuma terá na alfândega americana, francesa, inglesa…

    A tua preocupação com a entrada ou a saída de dólares, a partir do passaporte diplomático, é totalmente ociosa.

    E nada obsta quanto a associação nacional dos blogueiros ou a fraternidade universal das putas arrependidas. Qualquer organização da sociedade civil articulada internacionalmente, cujos dirigentes necessitem viajar com frequência para o exterior, têm, sim, o direito de pleitear passaporte diplomático. É o caso, apenas, de demonstrar ao Itamarati a pertinência da solicitação e sua adequação à regulamentação em vigor.

    Ora…

  392. Pax said

    Caro Elias,

    1 – até onde eu sabia, bagagem diplomática não pode ser aberta.

    2 – continuo com minha opinião: dar passaporte diplomático pra qualquer um só desmoraliza nosso Itamaraty. Sim, é com Ypisilone.

    Ministério das Relações Exteriores
    http://www.itamaraty.gov.br/

  393. Pax said

    Caramba, acabo de assistir o “Entre Aspas” na Globonews.

    Dois entrevistados, o presidente da Anatel e o diretor geral do sindicato das operadoras.

    Um se chamar de fraquinho é elogio. O outro mente sem piscar um olho.

    Afirmaram que esse papo de campeões de reclamações não é bem assim, que a coisa está boa, só precisam de “pequenos ajustes” ou algo que o valha.

    Estamos fritos e mal pagos.

  394. Olá!

    Otto,

    “Bom, não sei qual instituição fez aquelas pesquisas que relaciona países economicamente livres e corrupção. Não sei qual é a metodologia, nem se há por acaso, como sói acontecer, interesses escusos por trás. Não, meu amigo, não estou questionando o resultado. Não tenho instrumental suficiente para isso.”

    Otto, os dados foram reunidos, compilados (usando ferramentas como awk, grep, sed, sort, etc.) e plotados por mim mesmo. Esses dados estão disponíveis nos sites da ONU, do Fraser Institute e no da Transparency International. Diferentemente dos esquerdistas, como Karl Marx, não faço maracutaias com os dados que reúno.

    “Mas eu só queria apor aluns senões.

    Entre os países mais desenvolvidos, econômica e socialmente, estão os países escandinavos. No entanto, a presença do Estado é massiva nesses países, chegando a 30% o número de funcionários públicos na população economicamente ativa. [. . .]”

    Você está parcialmente correto. Na esquerda brasileira, existe uma concepção equivocada sobre os países escandinavos: Os esquerdistas locais acham que a Escandinávia só é desenvolvida pelo fato de ter um Welfare State muito abrangente e uma elevada carga tributária.

    Há um erro muito básico nisso, pois a esquerda brasileira não considera que nos países escandinavos existe um nível de liberdade econômica muito grande, sem contar que tais países estão, geralmente, entre os melhores do mundo em termos de receptividade ao empreendedor.

    Isto é, na Escandinávia não é o Estado que gera as riquezas que permitem a esses países terem um Welfare State cheio de privilégios/vantagens, mas as fortes instituições de livre mercado que tais países construíram ao longo do tempo, permitindo que um forte e diverso setor privado se desenvolvesse e, consequentemente, gerasse os recursos que bancam o Welfare State de lá, cabendo ao Estado apenas o papel de administrar uma parte desses recursos recolhida via impostos e investi-la em serviços públicos de qualidade.

    Apenas para embasar isso com dados, eis aqui alguns números sobre os países escandinavos em termos de liberdade econômica, corrupção, empreendedorismo e etc. Os valores são as médias para o período de 2004 até 2011:

    Legenda:

    Coluna 01: Média
    Coluna 02: Índice de Liberdade Econômica (Heritage Foundation)
    Coluna 03: Índice de Percepção da Corrupção (Tranparency International)
    Coluna 04: Qtd. de Procedimentos Para Abrir Um Negócio (Banco Mundial)
    Coluna 05: Qtd. de Dias Para Se Abrir Um Negócio (Banco Mundial)
    Coluna 06: % da Renda Per Capita Para Abrir um Negócio (Banco Mundial)

    Dinamarca:

    Média: . . . 76.9 . . . 9.44 . . . 4.2 . . . 6.2 . . . 0.0

    Finlândia:

    Média: . . . 73.5 . . . 9.45 . . . 3.0 . . . 16.1 . . . 1.1

    Islândia:

    Média: . . . 74.3 . . . 9.32 . . . 4.4 . . . 4.4 . . . 2.4

    Noruega:

    Média: . . . 68.1 . . . 8.64 . . . 4.9 . . . 9.9 . . . 2.5

    Suécia:

    Média: . . . 70.7 . . . 9.25 . . . 3.0 . . . 15.0 . . . 0.6

    Média dos Países Escandinavos:

    Média: . . . 72.7 . . . 9.22 . . . 3.9 . . . 10.3 . . . 1.3

    Os dados são cristalinos, Otto. Nos países escandinavos existe um nível bastante elevado de liberdade econômica acoplado a um ambiente extremamente receptivo aos empreendedores, sem contar as consequências positivas que uma realidade institucional assim traz, como baixos índices de corrupção. Os dados são muito explícitos nesse sentido.

    Veja que as três últimas colunas mostram que tais países são muito desburocratizados na hora de abrir um negócio, pois, na média, um empreendedor na Escandinávia precisa de apenas 4 procedimentos que levam um pouco mais de 10 dias para serem completados e consomem apenas 1.3% da renda per capita de um cidadão escandinavo. É só ver os dados.

    Compare esses dados acima à tosquice brutal que é o Brasil:

    Média: . . . 58.2 . . . 36.9 . . . 16.9 . . . 144.0 . . . 9.7

    No Brasil, um empreendedor precisa passar por um calvário de quase 17 procedimentos para abrir o seu negócio, o que leva 144 dias para serem completados e consomem 9.7% da renda per capita de um brasileiro.

    “[. . .] Além disso a carga tributária é em torno de 50%, No entanto, segundo pesquisas, seus habitantes estão entre os mais felizes do mundo, com a Dinamarca em primeiro lugar [. . .].”

    Sobre os impostos elevados dos países escandinavos, seria interessante fazer uma consideração sobre uma consequência muito negativa que isso traz: Um “relativo” baixo crescimento econômico.

    Observe no gráfico que, no geral, esses países cresceram pouco nos últimos 10 anos, ficando ali na casa dos 0% a 4% ao ano. Isso não é tão ruim caso o país em questão já seja desenvolvido (como é o caso dos escandinavos), mas é terrível para países que ainda precisam crescer bastante para aumentar a renda do cidadão comum (como é o caso do Brasil).

    Carga tributária elevada não gera desenvolvimento. Além do mais, colocar quantidades grandes de recursos sob a tutela de uma classe politica corrupta como são os políticos brasileiros é dar murro em ponta da faca, pois uma parcela considerável do dinheiro público vai virar corrupção.

    “Ademais, conforme o mapa, o continente africano está altamente envolvido em corrupção.
    Mas de onde vem essa corrupção? Quem suborna governos e entidades para explorar as suas riquezas naturais, tomar-lhe seu petróleo e seus diamantes?”

    Ninguém obriga os governantes, burocratas e demais autoridades africanas a receber esses subornos. Otto. Por quê em vez de receber o suborno para si, essas autoridades africanas não acionam as instituições de justiça dos seus respectivos países para punir os corruptores e corruptos?

    “E quando começou esta triste história africana? Desde quando este continente tem sido espoliado e retaliado pelas potências ocidentais?”

    Considerando que você deve estar se referindo à África Sub-Saariana, vale ressaltar um dado interessante: Nos últimos 2000 anos de história dessa parte do mundo, a presença ocidental começou, de fato, no século XV. Muito antes da chegada do europeu à essa região, os africanos já se digladiavam, se brutalizavam e se escravizavam. A escravidão como uma instituição não era novidade entre as tribos de lá, pois já era prática muito antiga entre elas.

    Não há dúvida de que a presença ocidental trouxe aspectos ruins para a África. Não há dúvidas quanto a isso. Mas, veja, as potências ocidentais deram o fora da África há décadas e nada impediu que alguns países construíssem democracias e estabelecessem liberdades democráticas por lá. Pegue o caso do Zimbábue, que pôs para fora os ocidentais e, hoje, não melhorou tanto assim, sobretudo em termos econômicos.

    A interpretação que eu tiro daquele mapa é bem diferente da sua: A África é um continente pobre e corrupto porque os governos de lá tornam difícil a vida de quem quer empreender. Nesse caso em particular, quem construiu esse tipo de realidade foram os próprios africanos.

    “E quem, quem lhe vende armas com as quais milhões de vidas são ceifadas? Quais empresas? De que países?”

    Novamente, Otto, ninguém obriga tais países a comprarem armamentos. É uma decisão dos governos geralmente autoritários de lá e que são dominados por uma pequena elite que decide tudo.

    “E quem que sustentou e apoiou direta ou sub-repticiamente o apartheid na África do Sul?”

    Até onde eu sei, havia empresas que boicotavam a África do Sul por causa do Apartheid. Alguns eventos esportivos sequer eram realizados por lá por causa disso.

    O asqueroso regime do Apartheid só foi possível pelo fato de que o governo estabeleceu leis segregando as pessoas em termos de cor da pele. Tivessem as autoridades sul-africanas sido leais ao princípio liberal de isonomia/tratamento igual perante as instituições, o Apartheid não teria existido.

    Regimes como o Apartheid são resultado da mente doentia de pessoas que idolatram o Estado. Esse é um traço típico da mentalidade esquerdista desde os idos do século XVIII.

    Uma última dica, Otto: Dá uma olhada de novo no mapa e observa que, no mapa de baixo, tem um país na África que está verde (é o país mais economicamente livre desse continente). Agora, olha no mapa de cima esse mesmo país, você vai ver que, de toda a África, ele é o pais menos corrupto. Interessante, não é?

    Até!

    Marcelo

  395. Chesterton said

    Jean BBB Willys é um equivocado. O Itamaraty foi profissional, hoje é peto-dilmo-bolivariano.

  396. Chesterton said

    QUINTA-FEIRA, 17 DE JANEIRO DE 2013

    Finalmente entenderam que o BACEN abandonou o regime de metas de inflação

    Demorou… mas finalmente caiu a ficha: a imprensa finalmente notou que o Banco Central abandonou mesmo o regime de metas de inflação.

    Claro que para quem acompanha esse blog isso não é novidade nenhuma. Notem que esse blog foi o primeiro a afirmar isso. Já no dia 16 março de 2011 tinha alertado para isso no post abaixo:

    Mudança no Sistema de Metas de Inflação

    “(…) O BC não tem legitimidade para sozinho alterar o horizonte do sistema de metas. Se o BC quer falar sobre convergência da inflação, para o centro da meta, em horizontes superiores a 1 ano, ele deve informar claramente à sociedade que está alterando o horizonte de tempo do regime de metas. (…)”.

    Mas não foi só isso. No dia 07 de março de 2012 escrevi:

    BACEN reduz SELIC para 9,75%

    “(…) O Banco Central reduziu a taxa SELIC para 9,75%. Como esse blog já alertou desde o começo do ano passado, fica evidente que o BACEN desistiu do regime de metas de inflação. (…) Novamente esse blog pergunta: quem autorizou o BACEN a abandonar o regime de metas de inflação?”

    Num artigo que foi publicado pela Folha de São Paulo, em 22 de setembro de 2012, deixo claro que:

    O Banco Central deve explicações

    “(…) Durante todo o ano de 2011, além de não tentar reduzir a inflação para a meta, o Bacen ainda emitiu diversos sinais de que a preocupação era com a convergência da inflação para a meta apenas no ano seguinte. Basta ler o decreto 3.088, de 1999, para ficar evidente que o Bacen não tem permissão para isso. Eis o texto do primeiro artigo, primeiro parágrafo: “As metas são representadas por variações anuais de índice de preços de ampla divulgação”. Ou seja, o Bacen deve perseguir a meta de inflação durante o ano corrente, e não para o ano seguinte. (…)”.

    Estes foram apenas alguns dos inúmeros posts onde critiquei a atuação do Banco Central do Brasil. O BACEN é diretamente responsável pelos maus resultados no combate a inflação que tem caracterizado o Brasil nos últimos 3 anos. Não só isso, toda a credibilidade do BACEN está sendo jogada fora. Pergunto uma vez mais: quem deu autorização para o BACEN abandonar o regime de metas de inflação?

    POSTADO POR BLOG DO ADOLFO

  397. Patriarca da Paciência said

    Faturamento da indústria cresceu 2,5% em novembro, diz CNI

    “A Pesquisa Indicadores Industriais, divulgada nesta quinta-feira pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), mostra que, depois de dois meses consecutivos de queda, o faturamento da indústria brasileira cresceu 2,5% em novembro de 2012 na comparação com outubro, na série livre de influências sazonais. ”

    http://www.jb.com.br/economia/noticias/2013/01/17/faturamento-da-industria-cresceu-25-em-novembro-diz-cni/

    Estou seriamente desconfiado que os torcedores do crescimento do PIB abaixo de 1% vão mais uma vez quebrar a cara, como no caso dos famigerados apagões.

    O comércio cresceu 9,1% em 2012

    A indústria cresceu 2,5% em 2012.

    Será que a agro-indústria diminuiu tanto assim?

    Parece que além de São Pedro ser petralha, há vários santos ajudanto o Brasil!

  398. Zbigniew said

    Caro Elias # 390,

    Encontrei esta carta (não sei se alguém já postou-a aqui), endereçada ao FHC (acho que foi da época das últimas eleições) e que desmistifica um bocado de coisas atribuídas ao governo do PSDB. Meu Deus! Como esses caras não têm vergonha na cara!
    Peço desculpas ao Pax por postar um texto tão longo na íntegra, mas vale a pena refletir sobre o mesmo.

    “Carta Aberta a Fernado Henrique Cardoso

    Theotonio dos Santos

    Meu caro Fernando,

    Vejo-me na obrigação de responder a carta aberta que você dirigiu ao Lula, em nome de uma velha polêmica que você e o José Serra iniciaram em 1978 contra o Rui Mauro Marini, eu, André Gunder Frank e Vânia Bambirra, rompendo com um esforço teórico comum que iniciamos no Chile na segunda metade dos nos 1960. A discussão agora não é entre os cientistas sociais e sim a partir de uma experiência política que reflete comtudo este debate teórico. Esta carta assinada por você como ex-presidente é uma defesa muito frágil teórica e politicamente de sua gestão. Quem a lê não pode compreender porque você saiu do governo com 23% de aprovação enquanto Lula deixa o seu governo com 96% de aprovação. Já discutimos em várias oportunidades os mitos que se criaram em torno dos chamados êxitos do seu governo. Já no seu governo vários estudiosos discutimos, já no começo do seu governo, o inevitável caminho de seu fracasso junto à maioria da população. Pois as premissas teóricas em que baseava sua ação política eram profundamente equivocadas e contraditórias com os interesses da maioria da população. (Se os leitores têm interesse de conhecer o debate sobre estas bases teóricas lhe recomendo meu livro já esgotado: Teoria da Dependencia: Balanço e Perspectivas, Editora Civilização Brasileira, Rio, 2000).

    o nesta oportunidade me cabe concentrar-me nos mitos criados em torno do seu governo, os quais você repete exaustivamente nesta carta aberta.

    O primeiro mito é de que seu governo foi um êxito econômico a partir do fortalecimento do real e que o governo Lula estaria apoiado neste êxito alcançando assim resultados positivos que não quer compartilhar com você… Em primeiro lugar vamos desmitificar a afirmação de que foi o plano real que acabou com a inflação. Os dados mostram que até 1993 a economia mundial vivia uma hiperinflação na qual todas as economias apresentavam inflações superiores a 10%. A partir de 1994, TODAS AS ECONOMIAS DO MUNDO APRESENTARAM UMA QUEDA DA INFLAÇÃO PARA MENOS DE 10%. Claro que em cada pais apareceram os “gênios” locais que se apresentaram como os autores desta queda. Mas isto é falso: tratava-se de um movimento planetário.

    No caso brasileiro, a nossa inflação girou, durante todo seu governo, próxima dos 10% mais altos. TIVEMOS NO SEU GOVERNO UMA DAS MAIS ALTAS INFLAÇÕES DO MUNDO. E aqui chegamos no outro mito incrível. Segundo você e seus seguidores (e até setores de oposição ao seu governo que acreditam neste mito) sua política econômica assegurou a transformação do real numa moeda forte. Ora Fernando, sejamos cordatos: chamar uma moeda que começou em 1994 valendo 0,85 centavos por dólar e mantendo um valor falso até 1998, quando o próprio FMI exigia uma desvalorização de pelo menos uns 40% e o seu ministro da economia recusou-se a realizá-la “pelo menos até as eleições”, indicando assim a época em que esta desvalorização viria e quando os capitais estrangeiros deveriam sair do país antes de sua desvalorização, O fato é que quando você flexibilizou o cambio o real se desvalorizou chegando até a 4,00 reais por dólar. E não venha por a culpa da “ameaça petista” pois esta desvalorização ocorreu muito antes da “ameaça Lula”. ORA, UMA MOEDA QUE SE DESVALORIZA 4 VEZES EM 8 ANOS PODE SER CONSIDERADA UMA MOEDA FORTE? Em que manual de economia? Que economista respeitável sustenta esta tese?

    Conclusões: O plano Real não derrubou a inflação e sim uma deflação mundial que fez cair as inflações no mundo inteiro. A inflação brasileira continuou sendo uma das maiores do mundo durante o seu governo. O real foi uma moeda drasticamente debilitada. Isto é evidente: quando nossa inflação esteve acima da inflação mundial por vários anos, nossa moeda tinha que ser altamente desvalorizada. De maneira suicida ela foi mantida artificialmente com um alto valor que levou à crise brutal de 1999.

    Segundo mito; Segundo você, o seu governo foi um exemplo de rigor fiscal. Meu Deus: um governo que elevou a dívida pública do Brasil de uns 60 bilhões de reais em 1994 para mais de 850 bilhões de dólares quando entregou o governo ao Lula, oito anos depois, é um exemplo de rigor fiscal? Gostaria de saber que economista poderia sustentar esta tese. Isto é um dos casos mais sérios de irresponsabilidade fiscal em toda a história da humanidade.

    E não adianta atribuir este endividamento colossal aos chamados “esqueletos” das dívidas dos estados, como o fez seu ministro de economia burlando a boa fé daqueles que preferiam não enfrentar a triste realidade de seu governo. Um governo que chegou a pagar 50% ao ano de juros por seus títulos para, em seguida, depositar os investimentos vindos do exterior em moeda forte a juros nominais de 3 a 4%, não pode fugir do fato de que criou uma dívida colossal só para atrair capitais do exterior para cobrir os déficits comerciais colossais gerados por uma moeda sobrevalorizada que impedia a exportação, agravada ainda mais pelos juros absurdos que pagava para cobrir o déficit que gerava.

    Este nível de irresponsabilidade cambial se transforma em irresponsabilidade fiscal que o povo brasileiro pagou sob a forma de uma queda da renda de cada brasileiro pobre. Nem falar da brutal concentração de renda que esta política agravou dráticamente neste pais da maior concentração de renda no mundo. Vergonha, Fernando. Muita vergonha. Baixa a cabeça e entenda porque nem seus companheiros de partido querem se identificar com o seu governo…te obrigando a sair sozinho nesta tarefa insana.

    Terceiro mito – Segundo você, o Brasil tinha dificuldade de pagar sua dívida externa por causa da ameaça de um caos econômico que se esperava do governo Lula. Fernando, não brinca com a compreensão das pessoas. Em 1999 o Brasil tinha chegado à drástica situação de ter perdido TODAS AS SUAS DIVISAS. Você teve que pedir ajuda ao seu amigo Clinton que colocou à sua disposição ns 20 bilhões de dólares do tesouro dos Estados Unidos e mais uns 25 BILHÕES DE DÓLARES DO FMI, Banco Mundial e BID. Tudo isto sem nenhuma garantia.

    Esperava-se aumentar as exportações do pais para gerar divisas para pagar esta dívida. O fracasso do setor exportador brasileiro mesmo com a espetacular desvalorização do real não permitiu juntar nenhum recurso em dólar para pagar a dívida. Não tem nada a ver com a ameaça de Lula. A ameaça de Lula existiu exatamente em conseqüência deste fracasso colossal de sua política macro-econômica. Sua política externa submissa aos interesses norte-americanos, apesar de algumas declarações críticas, ligava nossas exportações a uma economia decadente e um mercado já copado. A recusa dos seus neoliberais de promover uma política industrial na qual o Estado apoiava e orientava nossas exportações. A loucura do endividamento interno colossal. A impossibilidade de realizar inversões públicas apesar dos enormes recursos obtidos com a venda de uns 100 bilhões de dólares de empresas brasileiras. Os juros mais altos do mundo que inviabilizava e ainda inviabiliza a competitividade de qualquer empresa.

    Enfim, UM FRACASSO ECONOMICO ROTUNDO que se traduzia nos mais altos índices de risco do mundo, mesmo tratando-se de avaliadoras amigas. Uma dívida sem dinheiro para pagar… Fernando, o Lula não era ameaça de caos. Você era o caos. E o povo brasileiro correu tranquilamente o risco de eleger um torneiro mecânico e um partido de agitadores, segundo a avaliação de vocês, do que continuar a aventura econômica que você e seu partido criou para este país.

    Gostaria de destacar a qualidade do seu governo em algum campo mas não posso fazê-lo nem no campo cultural para o qual foi chamado o nosso querido Francisco Weffort (neste então secretário geral do PT) e não criou um só museu, uma só campanha significativa. Que vergonha foi a comemoração dos 500 anos da “descoberta do Brasil”. E no plano educacional onde você não criou uma só universidade e entou em choque com a maioria dos professores universitários sucateados em seus salários e em seu prestígio profissional. Não Fernando, não posso reconhecer nada que não pudesse ser feito por um medíocre presidente.

    Lamento muito o destino do Serra. Se ele não ganhar esta eleição vai ficar sem mandato, mas esta é a política. Vocês vão ter que revisar profundamente esta tentativa de encerrar a Era Vargas com a qual se identifica tão fortemente nosso povo. E terão que pensar que o capitalismo dependente que São Paulo construiu não é o que o povo brasileiro quer. E por mais que vocês tenham alcançado o domínio da imprensa brasileira, devido suas alianças internacionais e nacionais, está claro que isto não poderia assegurar ao PSDB um governo querido pelo nosso povo. Vocês vão ficar na nossa história com um episódio de reação contra o vedadeiro progresso que Dilma nos promete aprofundar. Ela nos disse que a luta contra a desigualdade é o verdadeiro fundamento de uma política progressista. E dessa política vocês estão fora.

    Apesar de tudo isto, me dá pena colocar em choque tão radical uma velha amizade. Apesar deste caminho tão equivocado, eu ainda gosto de vocês ( e tenho a melhor recordação de Ruth) mas quero vocês longe do poder no Brasil. Como a grande maioria do povo brasileiro. Poderemos bater um papo inocente em algum congresso internacional se é que vocês algum dia voltarão a freqüentar este mundo dos intelectuais afastados das lides do poder.

    Com a melhor disposição possível mas com amor à verdade, me despeço

    thdossantos@terra.com.br
    http://theotoniodossantos.blogspot.com/

    (*) Theotonio Dos Santos é Professor Emérito da Universidade Federal Fluminense, Presidente da Cátedra da UNESCO e da Universidade das Nações Unidas sobre economia global e desenvolvimentos sustentável. Professor visitante nacional sênior da Universidade Federal do Rio de Janeiro.”

  399. Patriarca da Paciência said

    “Via Portal R7 e lido no Advivo

    Se você acha que os aeroportos brasileiros não têm infraestrutura adequada, saiba que nenhum deles está entre os dez piores do mundo. No ranking divulgado pelo site de turismo Frommer’s, quatro ficam nos Estados Unidos, sendo que três deles são porta de entrada para muitos turistas que visitam Nova Iorque. JKF (John F. Kennedy) e La Guardia ficam na cidade e Newark, na vizinha Nova Jersey.

    A lista, que também tem dois aeroportos franceses, um no Quênia e outro nas Filipinas, foi feita baseada na experiência própria do jornalista do portal. Ele também diz que consultou os amigos, pesquisas sobre o assunto e analisou praças de alimentação e acesso ao local. Confira o resultado e observe se ele não está precisando viajar um pouco mais.

    ● Midway (Chicago, EUA)

    ● Beauvais (Paris, França)

    ● Newark (Nova Jersey, EUA)

    ● La Guardia (Nova Iorque, EUA)

    ● Queen Alia (Amã, Jordânia)

    ● Charles de Gaulle (França)

    ● Jomo Kenyatta (Nairobi, Quênia)

    ● Sheremtyevo (Moscou, Rússia)

    ● Manila (Filipinas)

    ● JFK (Nova Iorque, EUA)

    Leia também:

    Resposta do presidente da Infraero ao jornalista Artur Xexéo, de O Globo”

    http://novobloglimpinhoecheiroso.wordpress.com/

  400. Pax said

    Caro Patriarca,

    Vou aproveitar o gancho do teu comentário para anunciar o novo post acima, sobre a ANATEL.

    E me permito discordar em absoluto desta opinião que trazes. Os aeroportos nacionais estão uma lástima, sim.

    No meu entendimento temos dois motivos, um bom e outro péssimo.

    O bom: o consumo aumentou. Muitas pessoas passaram a consumir este produto que antes era de luxo. A última vez que fui no aeroporto Viracopos, aqui perto, em Campinas, vi uma família trazendo e descarregando do seu carro um lanche, garrafas de dois litros de refrigerantes e recipientes de plástico tipo Tupper Ware com seu farnel. Algumas pessoas olhavam com soberba, achando um absurdo. Eu olhava com enorme simpatia, via uma classe trabalhadora que nunca tinha tido este privilégio agora usando os mesmos serviços que os cheirosos que os olhavam torto.

    O ruim: A ANAC, meu caro, é um dos exemplos que falo no post acima, de uma entidade que representa “O Brasil que não funciona.

    Infelizmente me faz lembrar, também, da famosa Rosemary Nóvoa Noronha, que, segundo o noticiário, tem bebês na ANAC, sim. Será que também tem na ANATEL?

  401. Elias said

    “1 – até onde eu sabia, bagagem diplomática não pode ser aberta.” (Pax)

    Até onde eu sei (e a menos que as coisas tenham mudado), o que não se abre é a MALA DIPLOMÁTICA. Malotes e outros volumes expedidos pelos ministérios das relações exteriores, embaixadas, etc.

    Mas… Bagagem do diplomata? Essa é aberta, sim, seu Pax!

    O diplomata entra na fila do sorteio, como qualquer outra pessoa. O noticiário dos jornais está cheio de episódios de diplomatas que foram pegos com coca, maconha, etc. (teve um inglês aí que, a julgar pela quantidade que ele transportava pra “consumo próprio”, deve ter algum parentesco com aspirador de pó…).

    Insisto: as normas brasileiras para emissão de passaporte diplomático não têm P.N. a ver com procedimento alfandegário. Uma coisa é uma coisa… Muito menos têm a ver com procedimento alfandegário de outros países.

    Se não te incomoda demais, prefiro continuar grafando Itamarati.

    Chester,
    Não seja mais ignorante que o necessário…!

    A diplomacia brasileira é 99,9% profissionalizada. Os caras estão lá porque foram aprovados em concurso público e receberam formação específica, rigorosíssima, de nível superior. Aqui e ali, os governos nomeiam um medalhão ou acólito para um cargo de embaixador. Foram os casos de Assis Chateaubriand, Bob Fields, Itamar Franco & outros.

    O Bob Fields, aliás, era funcionário subalterno do Itamarati. Depois ele andou dizendo que havia entrado por concurso e dando a entender que havia sido admitido pra carreira diplomática. Mentira! O Itamarati só começou a fazer concurso anos depois do Bob Fields ser admitido e ele foi admitido pra função administrativa subalterna.

    Sei do que tô falando (mas não direi por quê…).

    Na esmagadora maioria dos casos a diplomacia brasileira é profissionalizadíssima. As designações que mijam fora do penico têm caráter excepcionalíssimo, geralmente com o propósito de obter alguma acomodação política. Foi assim mesmo durante a ditadura (quando Lacerda partiu pra cima do Bob Fields, mirando na sua candidatura a presidência, Castelo Branco, que achava que Presidência da República era assunto “estritamente militar”, chegou a oferecer ao Corvo o cargo de embaixador junto à ONU. Como o rima rica não aceitou, Castelo melteu-lhe uma cassação nos cornos e um mordação na bocarra, imobilizando a enorme língua pro resto da vida…).

    Acontece que, com raríssimas exceções, os diplomatas brasileiros se identificam mais com seus pares suecos, alemães, dinamarqueses, suíços… Não têm nada a ver com os brucutus tapuias que, em pleno século XXI, continuam procurando comunistas debaixo da cama (e daí pra pior…).

    Menos, ainda, com gente que fica falando em “bolivarianismo” sem nem saber direito o que essa m… significa.

    Dificilmente tu encontrarás um diplomata brasileiro que reze pela tua cartilha. Mesmos os mais “direitistas” são muitíssimo menos retrógrados do que tu.

    Daí que, se passares uns três ou quatro dias zanzando pelo Itamarati, vais pensar que ele está infestado de comunistas.

    Mas não fica triste, não, Chester. Tu farias o maior sucesso na diplomacia de Uganda…

  402. Pax said

    Pode ser, caro Elias.

    Malas diplomáticas que confundi com bagagem diplomática.

    E continuo achando um absurdo dar passaportes diplmotáticos para mercadores de almas.

  403. Chesterton said

    Elias, tenho conhecimento do que se passa no Itamaraty por razões familiares (e mais não digo).

  404. Pax said

    Desculpa aí, caro Chesterton, velho, bom, rabugento, e infalível Chesterton,

    Mas esta você deixou quicando na frente da área:

    Tó, procê:

    =)

  405. Elias said

    Chester.

    Eu também.

    Não poRRAzões.

    Mas por motivos familiares.

    E sei que falar em aparelhamento do Itamarati por parte do PT é desonestidade. Duvido que tu, ou quem quer que seja consiga demonstrar isso, citando fatos.

    Pax,
    Eu também não simpatizo nem um pouco com os mercadores de almas.

    Mas acho que podem, sim, requerer passaporte diplomático, quaisquer organizações LÍCITAS, articuladas internacinalmente, que tenham alguns de seus membros obrigados a viajar frequentemente ao exterior, por força da função de representação que exerçam nessas instituições, independentemente de credos, convicções político-ideológicas, orientações sexuais, etc.

    Como consta de um porrilhão de decretos, portarias, resoluções e regulamentos, o passaporte diplomático, documento emitido pelo Ministério das Relações Exteriores, não tem eficácia sobre os procedimentos anfandegários, de responsabilidade da Polícia Federal, órgão do Ministério da Justiça. Muito menos produz eficácia sobre procedimentos algfandegários de outros países.

    A principal diferença desse passaporte em relação aos demais tem a ver com a maior agilidade na obtenção de vistos.

    O governo federal tem um porradal de falhas. Pra criticá-lo, não precisa somar laranja-lima com aeroplano.

    E não dá pra negar direitos a uma organização só porque ela é evangélica, e eu sou ateu. Ou judeu. Ou católico. Ou ubandista. Ou sei lá o quê…

    Não é assim que se constrói e aperfeiçoa uma democracia, né?

  406. Pax said

    Caro Elias,

    Não é porque são evangélicos, ou gays, ou jogadores de futebol, ou liga de traficantes internacionais. Todos precisam viajar constantemente. Houve época em que viajei um bocado pra fora por conta de empresas que trabalhei.

    Não acho que nenhuma categoria dessas deva ter passaporte diplomático.

    Simples assim.

    Me permito a opinião. Passaporte diplomático é para diplomatas e servidores, para presidentes e ministros enquanto durarem seus cargos e olhe lá. Ok, um ou outro cargo público de representação a mais que isso.

    Não estou negando direitos de qualquer organização. Estou questionando esses direitos.

  407. Olá!

    Interessante esse artigo do Teothonio dos Santos Júnior. Interessante conjunto de idiotices ideológicas.

    “Em primeiro lugar vamos desmitificar a afirmação de que foi o plano real que acabou com a inflação. Os dados mostram que até 1993 a economia mundial vivia uma hiperinflação na qual todas as economias apresentavam inflações superiores a 10%. [. . .]

    Então quer dizer que até 1993 a economia mundial vivia uma hiperinflação na qual todas as economias apresentavam inflações superiores a 10%? Vejamos o que os dados reais sobre inflação mostram a respeito disso.

    Em primeiro lugar: Qual foi a média inflacionária mundial para o ano de 1993? Ei-la: 114.39%.

    Os países que mais contribuíam para que a média inflacionária estivesse nesse nível alarmante eram os seguintes:

    Legenda:

    Coluna 01: Anos
    Coluna 02: Inflação (%)
    Coluna 03: Países

    1993 . . . 4734.91% . . . Ukraine
    1993 . . . 1927.98% . . . Brazil
    1993 . . . 1500.00% . . . Croatia
    1993 . . . 1379.41% . . . Angola
    1993 . . . 1190.23% . . . Belarus
    1993 . . . 1128.00% . . . Azerbaijan
    1993 . . . . 874.62% . . . Russian_Federation
    1993 . . . . 410.24% . . . Lithuania
    1993 . . . . 268.15% . . . Mongolia
    1993 . . . . 255.17% . . . Romania
    1993 . . . . 207.69% . . . Iraq
    1993 . . . . 183.31% . . . Zambia
    1993 . . . . 143.51% . . . Suriname

    Média: . . . . 1092.56%

    Todos esses 13 países são países hiperinflacionários, considerando que hiperinflação são taxas inflacionárias anuais superiores a 50%. É Interessante observar uma coisa na lista acima: A maioria desses países passaram por experiências socialistas que destruíram o sistema monetário dessas nações, como é o caso da Rússia, Bielorússia, Angola, Ucrânia, Romênia, Lithuania e etc., isto é, países onde a esquerda deitou e rolou, sem ser incomodada por instituições de livre mercado e coisas tais

    Agora, vejamos qual foi a média inflacionária para os países que tinham suas inflações abaixo da média mundial em 1993, isto é, abaixo de 114.39%? Eis o valor: 13.46%.

    Vamos, agora, nos concentrar nos países com média inflacionária anual de 13.46% e dividi-los em dois grupos:

    Grupo 01: Países com inflação maior que 13.46% e menor que 114.39%.

    Há 30 países nesse grupo cuja média inflacionária anual em 1993 era de 42.15%. Se juntássemos esses 30 países aos outros 13 da lista acima, teríamos 43 países hiperinflacionários ou com inflação consideravelmente elevada.

    Grupo 02: Países com inflação menor que 13.46%.

    Há 96 países nesse grupo cuja média inflacionária anual em 1993 era de singelos 4.50%! Isto é, a esmagadora maioria dos países tinha níveis inflacionários muito longe de uma hiperinflação.

    A bobajada ideológica de que em 1993 “todas as economias apresentavam inflações superiores a 10%” é outra mentira descarada, pois, em 1993, 57 países tinham inflação acima dos 10% anuais, enquanto que 82 países tinham níveis inflacionários abaixo dos 10% ao ano. É isso o que dá trocar dados reais por ideologia.

    “[. . .] A partir de 1994, TODAS AS ECONOMIAS DO MUNDO APRESENTARAM UMA QUEDA DA INFLAÇÃO PARA MENOS DE 10%. Claro que em cada pais apareceram os ‘gênios’ locais que se apresentaram como os autores desta queda. Mas isto é falso: tratava-se de um movimento planetário.”

    Que coisa, não? Em 1993, eram 57 os países com inflação acima dos 10% anuais. Em 1994, essa quantidade de países aumentou e chegou a 71 países com inflação anual acima dos 10%. Em 1995, eram 66. Em 1996, eram 54!

    Em 1994, o que não faltou foram países com níveis inflacionários maiores do que no ano anterior.

    O momento apoteótico do artigo desse cidadão vem agora:

    “Conclusões: O plano Real não derrubou a inflação e sim uma deflação mundial que fez cair as inflações no mundo inteiro. A inflação brasileira continuou sendo uma das maiores do mundo durante o seu governo. [. . .].”

    Ele confunde deflação (inflação negativa) com desinflação (redução nos níveis de inflação).

    Mentira descarada dizer que a inflação durante o Governo FHC ficou entre as maiores do mundo. No Governo FHC, a inflação média anual foi de 14.89%. Enquanto que a média inflacionária anual foi de 19.61% no período de 1995-2002.

    São “professores” que nem esse tal de Teothonio dos Santos Júnior que vêm treinando gerações e gerações de economistas que são completos idiotas, que aprenderam a idolatrar o Estado e a odiar o sistema de livre iniciativa (ainda mais quando há cargos comissionados na jogada!).

    Até!

    Marcelo

  408. Olá!

    Faltou colocar as fontes dos dados sobre inflação: Banco Mundial.

    Até!

    Marcelo

  409. Elias said

    Bem, Pax.

    É a tua opinião.

    Mas saiba que quase nenhum país do mundo concorda com ela (que eu lembre, nenhum).

    Isso não faz de nenhum deles, menos nem mais honestos que nenhum outro.

    E, para o que estamos debatendo aqui, é despropositada a inclusão das viagens de um dirigente de empresa privada, no mesmo conceito em que se acha enquadrada uma instituição da sociedade civil, como uma associação que defende os direitos civis dos homossexuais, a associação das putas regeneradas ou os dirigentes de uma denominação religiosa.

    É o mesmo que somar cupuaçu com jangada de tronco de buriti.

  410. Olá!

    Houve um pequeno deslize no penúltimo parágrafo. Onde há:

    Mentira descarada dizer que a inflação durante o Governo FHC ficou entre as maiores do mundo. No Governo FHC, a inflação média anual foi de 14.89%. Enquanto que a média inflacionária anual foi de 19.61% no período de 1995-2002.

    Leia-se:

    Mentira descarada dizer que a inflação durante o Governo FHC ficou entre as maiores do mundo. No Governo FHC, a inflação média anual no Brasil foi de 14.89%. Enquanto que a média inflacionária anual do Mundo foi de 19.61% no período de 1995-2002.

    Sorry!

    Até!

    Marcelo

  411. Zbigniew said

    Marcelo,
    ainda assim a inflação foi alta. Ou não foi?

  412. Elias said

    I
    “A maioria desses países passaram por experiências socialistas que destruíram o sistema monetário dessas nações, como é o caso da Rússia…” .

    Papo furado!

    Nos anos que antecederam a revolução bolchevique, a economia russa estava em situação caótica. Com seu ingresso na I GM a coisa simplesmente foi pro beleléu.

    Os comunistas arrumaram a casa, industrializaram o país , e, mesmo tendo suportado praticamente sós, durante algum tempo e a duras penas, o confronto com o poderio nazista, emergiram da II GM como uma super-potência. Tinha deixado de ser um país agrícola, semifeudal, que arava a terra com arado de madeira puxado por junta de boi, e se tornara uma potência industrial-militar das mais poderosas do planeta.

    Isso, evidentemente, à custa de crimes tão ou mais monstruosos que os crimes nazistas. E a tal “super-potência”, no fim, demonstrou ter pés de barro, etc, etc.

    Mas, a verdade é que, antes da revolução bolchevique, a Rússia era uma m… ainda maior do que a que restou, depois que o comunismo foi pro diabo que o carregue (e já foi tarde…).

    II
    Negar os méritos do Plano Real é, apenas, um exercício de burrice aplicada.

    Agora, só um idiota completo ainda consegue acreditar nas cassandrices imbecis de gente como esse tal de Adolfo (quem?), que, volta e meia o Chesterton (claro…!) transcreve aqui.

    Há anos que esse maluquete “profetiza” que os governos petistas estão detonando com o Plano Real. E usa como argumento, exatamente aquele que não lhe serve: a taxa de inflação.

    Ora, a taxa média anual do “período Lula”, e do governo Dilma, de aproximadamente 6,5%, com crise econômica mundial e tudo, é menos da metade da taxa média anual do governo FHC, que, tirando 1998, teve que dar nó em trilho pra manter a coisa sob controle (mas, manteve, embora com taxas anuais quase sempre superiores às do seu sucessor).

    Irrita aturar as Cassandras, do alto de sua imbecilidade arrogante (ou arrogância imbecil), dizendo que, a inflação média de 6,5% ao ano está “fora de controle”, depois de ter aturado os mesmos debilóides dizerem que a inflação de mais de 10% ao ano, e até de mais de 20% ao ano, estava sob controle e que a vitória eleitoral do PT era uma ameaça a esse sucesso…

    Esses idiotas deveriam pelo menos ler o que eles mesmos escreveram no passado, pra dar uma guaribada no que estão dizendo agora, e, assim, não dizer tanta m…

  413. Chesterton said

    Elias anda nervoso demais….pegamos algum nervo dele.

    ————————————–

    Por Jorge Serrão –

    Exclusivo – Desdobramentos das investigações da Operação Porto Seguro investigam detalhes de uma milionária aplicação feita por Rosemary Nóvoa Noronha em três aplicações, focadas na área de pesca, feitas em carteiras do mega-fundo de investimento da Noruega. O risco de um “Bacalhaugate” fisgando a amiga Rose e outros peixes grandes brasileiros é a mais recente preocupação de Luiz Inácio Lula da Silva. Além Noruega, a Polícia Federal também mapeia investimentos feitos por Rose em Portugal e na França.

    A principal ação é mapear a origem do dinheiro aplicado por Rose, em montante ainda não revelado, para saber se tem origem legal. A probabilidade é que resulte de recursos de empresas européias que obtiveram vantagens em negócios no Brasil. A alta propina paga em tais negociatas é conhecida pela gíria por “petit fois” (uma vez que os depósitos à margem da lei aconteceriam na França). Tais informações ainda não foram parar no inquérito que tenta apurar como funcionava a quadrilha que usava o acesso e prestígio do poder para fazer grandes negociatas.

    O investimento norueguês de Rosemary pode ser fatal para ele e seus parceiros. A Noruega tem um fundo que financia um projeto do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), em parceria com o próprio Brasil, para combater a lavagem de dinheiro, evasão fiscal, exploração ilegal de recursos naturais, e o fortalecimento da auditoria e controle na América Latina e no Caribe. Desde 2007, Noruegueses já aplicaram NOK 30 milhões (aproximadamente R$ 11 milhões), e prometem mais NOK 14 milhões (aproximadamente R$ 5 milhões) na ação anti-corrupção.

    O negócio norueguês de Rose é tão promissor que os herdeiros da família de um grande banco brasileiro também têm presença em investimento idêntico. A diferença é que os “banqueiros” têm dinheiro legal suficiente para encarar e faturar com as aplicações de retorno garantido. Este pode não ser o caso da amiga do ex-Presidente Lula da Silva, que tinha plenos poderes no escritório montado na Presidência da República em São Paulo e que acabou indiciada por formação de quadrilha, falsidade ideológica, tráfico de influência e corrupção ativa.

    A vantagem de aplicar dinheiro na Noruega é enorme. Até porque o negócio (legalmente falando) tem repercussão positiva e visível na economia brasileira. Entre os maiores do mundo, o Fundo de Pensão Global do Governo da Noruega, ou o fundo norueguês de petróleo, participa de mega-negócios no Brasil. Só em 2011, aplicou US$ 5,5 bilhões no País, em participações acionárias em empresas, renda fixa e bens imóveis. O famoso fundo norueguês é uma ferramenta de política fiscal de apoio à gestão de longo prazo para as receitas do petróleo da Noruega. O capital é investido no exterior, para evitar o superaquecimento da economia norueguesa, protegendo-a dos efeitos decorrentes da flutuação do preço do petróleo.

    Os noruegueses costumam ser rigorosos na fiscalização das aplicações do Norwegian Government Pension Fund Global, que é monitorado por seu Banco Central e gerido pela Administração de Investimentos do Banco da Noruega – o Norges Bank Investment Management (NBIM), presidido por Yngve Slyngstad. Não por coincidência, os noruegueses foram um dos mais intensos participantes da Conferência Internacional Anticorrupção, realizada em Brasilia, no início de novembro. Durante o evento, o vice-ministro Arvinn Gadgil assinou o novo acordo com o BID no Brasil para colaborar no combate à corrupção.

  414. Chesterton said

    Nem li ainda, é só para deixar o Elias mais xiliquento ainda:
    ====================================================

    SEXTA-FEIRA, 18 DE JANEIRO DE 2013

    A Favor das Cotas para Negros, Mulheres, Indígenas e Homoafetivos nos Conselhos das Empresas de Sociedade Anônima

    No momento temos visto o enorme esforço do governo, e de grupos esclarecidos da sociedade, em promover corretamente políticas de ação afirmativa inclusivas. A verdade histórica é autoevidente. Somente retrógrados e conservadores precisam de mais provas das inúmeras formas de discriminação sofridas pelos negros, pelas mulheres, pelos indígenas e pelos homoafetivos.

    Infelizmente, séculos de injustiças históricas não desaparecem facilmente. Logo, seria ingenuidade esperar por resultados palpáveis em menos de 40 ou 50 anos. Tempo este inaceitável para quem já sofreu por séculos. Sendo assim, urge que incrementemos ainda mais as políticas de ação afirmativa. Evidente que o governo vai na direção correta quando, além das universidades, inclui cotas também para a entrada no serviço público. Mas isso por si só não basta.

    Duas outras medidas de ação afirmativa inclusivas devem ser implementadas. A primeira refere-se a um problema que os economistas chamam de “glass ceiling” (teto de vidro). Isto é, as cotas para minorias permitiriam o acesso dessas ao serviço público, mas não garantiria seu acesso a posições de chefia. O que é fundamental para garantir a verdadeira inclusão. Não adianta o negro (ou a mulher, ou o indígena, ou o homoafetivo) entrarem no serviço público para perpetuarem o estereótipo do homem branco manda e a minoria obedece. Para combater esse problema precisamos de cotas para posições de chefia e funções gratificadas no serviço público. Sendo assim, minha proposta é que 75% dos cargos de chefia, e funções gratificadas, no setor público sejam preenchidas obrigatoriamente por negros, mulheres, indígenas e homoafetivos (seguindo suas respectivas proporções na população, mas assegurando que tal participação não seja inferior a 10% por grupo). Lembro também que o setor público inclui não somente os governos federal, estadual e municipal, mas também as estatais e as empresas em que o Estado é o principal acionista. Fica evidente que esta proposta é modesta, pois ainda permite que 25% dos cargos de chefia sejam alocados a homens brancos heterossexuais (valor acima de sua participação relativa na população).

    A segunda medida que proponho tenta sanar um problema que permanece intocado. Até o momento estamos propondo cotas que afetam fundamentalmente o valor trabalho. Está no momento de atacarmos o capital. Isto é, precisamos de grupos de minorias no comando do capital. Nesse sentido, proponho uma cota de 75% de vagas para negros, mulheres, indígenas e homoafetivos nos conselhos superiores das empresas de Sociedade Anônima (SA). Quantos indígenas estão no conselho fiscal da Vale do Rio Doce? Qual a participação dos homoafetivos no conselho da Petrobras? São sinais claros de uma terrível forma de discriminação. Excluir sistematicamente as minorias das decisões de alocação de capital das grandes empresas de Sociedade Anônima é uma forma cruel de exclusão social. Precisamos urgentemente de cotas para os conselhos superiores das empresas de Sociedade Anônima. Ir contra essa proposta, é o mesmo que condenar milhões de seres humanos à marginalidade econômica e social.
    POSTADO POR BLOG DO ADOLFO

  415. Chesterton said

    Argentinos estão tirando onda com a denúncia do deputado Federal e ativista homossexual brasileiro Jean Wyllys de que 60% dos nossos congressistas contratam serviços de prostituição.

    Os hermanos do canal C5N até aproveitaram para perguntar ontem, ao vivo, se a modalidade contratada era a feminina, masculina, bissexual ou transsexual…

    Já famoso por sua participação no BBB da Rede Globo, o atual deputado pelo PSOL do Rio de Janeiro agora também ganha fama em toda a América espanhola…

    Ameaça covarde

    Tem deputado – PT da vida com a revelação de Jean – jurando vingança.

    Inimigos dele ameaçam divulgar vídeos privados para tentar enquadrá-lo em possível crime de quebra de decoro parlamentar.

    Um material anti-Jean já teria sido distribuído pelos deputados “contratadores de primas” para a turma do Anonimous…
    chest- mais Serrão.

  416. Olá!

    Zbigniew, vamos avaliar da seguinte maneira: Vamos avaliar os índices inflacionários dos 8 anos anteriores ao Governo FHC e compará-los às taxas inflacionárias que o FHC entregou ao Lula em 2003.

    Índices de Inflação no Período 1987-1994:

    1987 . . . . . . . 228.34% . . . Brazil
    1988 . . . . . . . 629.11% . . . Brazil
    1989 . . . . . . 1430.72% . . . Brazil
    1990 . . . . . . 2947.73% . . . Brazil
    1991 . . . . . . . 432.78% . . . Brazil
    1992 . . . . . . . 951.65% . . . Brazil
    1993 . . . . . . 1927.98% . . . Brazil
    1994 . . . . . . 2075.89% . . . Brazil

    Média: . . . . . . 1328.02%

    Vejamos, agora, qual foi a média inflacionária que o FHC entregou ao Lula em 2003:

    Índices de Inflação no Período 1995-2002:

    1995 . . . . . . . . 66.01% . . . Brazil
    1996 . . . . . . . . 15.76% . . . Brazil
    1997 . . . . . . . . . 6.93% . . . Brazil
    1998 . . . . . . . . . 3.20% . . . Brazil
    1999 . . . . . . . . . 4.86% . . . Brazil
    2000 . . . . . . . . . 7.04% . . . Brazil
    2001 . . . . . . . . . 6.84% . . . Brazil
    2002 . . . . . . . . . 8.45% . . . Brazil

    Média: . . . . . . . . 14.89%

    Dentro desses parâmetros é que dá para ter uma noção melhor do que foi feito pelo Plano Real e qual foi a contribuição do Governo FHC para que a inflação entrasse em níveis civilizados.

    Um detalhe interessante é que a inflação média do Governo FHC só chegou na marca dos 14.89% ao ano pelo fato de a estabilização inflacionária ter começado alguns meses antes de o FHC iniciar o seu mandato presidencial. Foi em Julho de 1994 que a inflação brasileira, depois de um longo calvário de planos fracassados, começou a entrar em patamares de país monetariamente sério.

    Houve erros no Plano Real? Sem dúvidas! Houve! No entanto, na época, nenhum outro partido político tinha proposta melhor para debelar a inflação e trazer seriedade para o sistema monetário nacional. Vejam aqui as doidices e o puro besteirol que o Lula falou sobre o que o governo dele faria para acabar com a hiperinflação caso ele fosse eleito em 1989. Qualquer país que adotasse apenas algumas daquelas estrovengas (calote na dívida externa e eliminação da especulação financeira) entraria no seleto clube econômico dos países da África Sub-Saariana.

    Quando o Plano Real foi implementado, o PT e sua boçalidade típica vieram com aquele papo de que tal plano era um estelionato eleitoral (o tosco Brizola também embarcou nessa).

    A bem da verdade é que os outros partidos não tinham a menor idéia de como reduzir a hiperinflação. Os decanos dos economistas idiotas da esquerda brasileira, Maria da Conceição Tavares e Bresser Pereira, viram seus planos irem por água abaixo! Foi um fracasso total, sobretudo o Plano Cruzado, que contribuiu decisivamente para que o Brasil declarasse moratória da dívida externa em 1987 e, aí, sim, para que o país fosse jogado no buraco.

    O Governo FHC não foi nada mal em debelar a hiperinflação, pois tal governo pegou um país que teve, nos 8 anos anteriores, uma inflação média anual de 1328.02% e, após o término do mandato do FHC, entregou um país com uma inflação de 8.45%, mantendo ao longo desse período a inflação do Brasil abaixo da média inflacionária mundial.

    Até!

    Marcelo

  417. Chesterton said

    Está decidido: o ministro da Fazenda, Guido Mantega, fica no governo. A presidente Dilma Rousseff não pretende ceder às pressões do mercado e da mídia nem às críticas de amigos, como é o caso do ex-ministro Delfim Netto, para que proceda a uma troca no comando da economia. A política econômica é dela. Mantega é o seu executor. O ministro volta das férias segunda feira.

    A reportagem é de Claudia Safatle e publicada pelo jornal Valor, 18-01-2013.

    A posição de Mantega ficou mais vulnerável após o anúncio, no último trimestre de 2012, de que a economia não estava se recuperando, apesar da bateria de estímulos acionada pela área econômica e das promessas públicas do ministro da Fazenda. E piorou nas duas últimas semanas em decorrência da desastrosa manobra fiscal do fim do ano para fechar a meta de superávit primário. As críticas atravessaram as fronteiras nacionais, tomando as páginas da “The Economist” e do “Financial Times”. Internamente, elas vieram do aliado de primeira hora: o ex-ministro Delfim Netto.

    chest- hein? Delfim Neto abandona Dilma? Caraca, esses petistas (?!- Dilma e Delfim??) não se entendem…

  418. Chesterton said

    Lula, por inveja de não ter tido papel algum no Plano Real resolveu atacar FHC além de roubar o programa econômico do PSDB. lembram de meirelles, o verdadeiro presidente do Brasil na era Lula? Como ficou mal até para a cachorrada do PT, agora põe o sinistro partido para mudar a história e acabar com o plano real nos livros de economia…melhor seria apagar as fotos como fez Staline.
    Alguem lembra do programa do PT no ano anterior da eleição do Mulla? Alguem lembra do cisma do PT com 40%(30%) do partido debandando para outros lados?
    tsc, tsc, tsc…

  419. Olá!

    “Papo furado!

    Nos anos que antecederam a revolução bolchevique, a economia russa estava em situação caótica. Com seu ingresso na I GM a coisa simplesmente foi pro beleléu.”

    Bom, acho que você não entendeu o meu ponto. Veja, os dados que eu reuni naquela tabela acima são para o ano de 1993, 76 anos após a Revolução de 1917.

    Até!

    Marcelo

  420. Olá!

    Zbigniew, após eu ter demonstrado para você que aquele artigo do Teothonio dos Santos Júnior não passa de uma fraude intelectual e estatística, você ainda acredita nas informações que estão contidas em tal artigo?

    Publicaram essa estrovenga no panfleto petista <a href="http://www.cartacapital.com.br/economia/carta-aberta-a-fernando-henrique-cardoso/"Carta Capital.

    Ah! Nada como um dia após o outro! Essa galera da Carta Capital tanto choraminga que a imprensa livre é de baixa qualidade, vendida, partidária e etc., mas essa mesma galera permite que seja publicado na sua revista um artigo fundamentado em mentiras intelectuais e fraudes estatísticas.

    Até!

    Marcelo

  421. Olá!

    Zbigniew, após eu ter demonstrado para você que aquele artigo do Teothonio dos Santos Júnior não passa de uma fraude intelectual e estatística, você ainda acredita nas informações que estão contidas em tal artigo?

    Publicaram essa estrovenga no panfleto petista Carta Capital.

    Ah! Nada como um dia após o outro! Essa galera da Carta Capital tanto choraminga que a imprensa livre é de baixa qualidade, vendida, partidária e etc., mas essa mesma galera permite que seja publicado na sua revista um artigo fundamentado em mentiras intelectuais e fraudes estatísticas.

    Até!

    Marcelo

  422. Chesterton said

    RIO DE JANEIRO – A revista “Human Reproduction”, da Universidade de Oxford, na Inglaterra, acaba de publicar uma pesquisa reveladora. Cientistas estudaram 26 mil homens pelos últimos 17 anos e concluíram que o sêmen desses senhores piorou em quantidade e qualidade. A taxa de espermatozoides por mililitro caiu em 32,2% no período (significando bilhões de espermatozoides demissionários). Já a de espermatozoides morfologicamente “anormais” –ou seja, sem cabeça, sem cauda ou que não sabiam nadar– cresceu.

    Como se não bastasse essa quebra (provocada, segundo eles, por poluição, drogas, junk food, obesidade, estresse e outras pragas modernas), há também os contraceptivos, que podem tornar frustrante a vida de um espermatozoide. Como se sabe, dos milhões de espermatozoides que saem nadando feito loucos numa ejaculação, só um vencerá a prova –apenas para, ao bater a mão no ladrilho, descobrir que foi em vão, porque, se a mulher usar pílula, por exemplo, não haverá um único óvulo na piscina para fecundar.

    Ou quando os espermatozoides, depois de quebrar todos os recordes no nado de peito, dão de cara com uma parede de látex –a camisinha. Ou ainda, se for um “ato solitário”, os infelizes simplesmente cairão no abismo, quase sempre no vaso sanitário, e irão embora com a descarga.

    Os peritos em fertilidade se preocupam. De minha parte, não vejo nada de muito grave. O mundo já tem gente de sobra, e um pouco de infertilidade garantirá cidades mais confortáveis, filas menores nos restaurantes e menos fãs do padre Marcelo.

    O inexplicável é que, apesar de tudo isso –espermatozoides meia-bomba, pílula, camisinha–, a população não para de crescer. E, com toda a poluição, drogas, junk food, obesidade e estresse de seus pais, as crianças estão cada vez mais altas, saudáveis e bonitas.

    Ruy Castro, o Globo

    chest- mais um que acredita que crianças são o problema da humanidade. É tão despachado que ainda por cima coloca na frase final a prova de que o estudo é furado.

  423. Chesterton said

    404, hilário, Pax, mas não é por “pavonice” mesmo porque o salario não é grandes coisas.

  424. Elias said

    O meu comentário foi pra seguinte afirmação: “A maioria desses países passaram por experiências socialistas que destruíram o sistema monetário dessas nações, como é o caso da Rússia…” .

    O que que está dito, aí, é que a “experiência socialista” destruiu o “sistema monetário” de algumas nações, dentre as quais a Rússia.

    E eu disse que isso é papo furado. Nos anos que antecederam a revolução russa, a economia daquele país estava em frangalhos, além de ser arcaica, semifeudal.

    Os comunistas não destruíram o “sistema monetário” russo, coisa nenhuma. Ao contrário, organizaram, e modernizaram economia, transformando o antigo, obsoleto e falido império russo na poderosíssima e moderna ditadura Soviética, a um custo humano absurdamente alto. Um massacre humano de proporções gigantescas.

    A URSS não foi páreo para os EUA. No Século XX, ninguém foi páreo para os EUA.

    Mas isso é outra história.

    É babaquice e lixarada sub-ideológica achar que a derrota da URSS frente aos EUA implica, necessariamente, a inviabilidade econômica de uma ditadura como a soviética.

    Desgraçadamente não implica. Tem gente séria estudando o assunto, e abrindo o leque da percepção desse confronto.

    E não é gente “de esquerda”, não.

    Esses estudos demonstram que, num processo que teve início na NEP (ou seja, na primeira infância do regime comunista russo), a ditadura bolchevista foi, progressivamente, se afastando dos pressupostos marxistas, como estratégia para potencializar resultados econômicos, que se tornaram ainda mais urgentes e necessários com as demandas impostas pela II GM (de quebra, esses estudos também implicam o descrédito dos tais “pressupostos marxistas”: se estes fossem válidos, não necessitariam ser abandonados).

  425. Chesterton said

    a ditadura bolchevista foi, progressivamente, se afastando dos pressupostos marxistas,…

    chest- ah, não. Tudo de novo, não!

  426. Olá!

    Elias, amanhã eu volto para comentar as suas considerações.

    ” [. . .] [A] ditadura bolchevista foi, progressivamente, se afastando dos pressupostos marxistas [. . .].

    É dose isso.

    Até!

    Marcelo

  427. Chesterton said

    Ei, A Dilma está desonerando a folha de pagamanto….mas que noe-liberal!!!! Bem, está no caminho certo, mas pressinto que a trolha da previdencia vai “penetrar” em alguem….

  428. Chesterton said

    O Brasil nunca pertenceu aos índios

    Por Sandra Cavalcanti

    Quem quiser se escandalizar, que se escandalize. Quero proclamar, do fundo da alma, que sinto muito orgulho de ser brasileira. Não posso aceitar a tese de que nada tenho a comemorar nestes quinhentos anos. Não agüento mais a impostura dessas suspeitíssimas ONGs estrangeiras, dessa ala atrasada da CNBB e dessas derrotadas lideranças nacional-socialistas que estão fazendo surgir no Brasil um inédito sentimento de preconceito racial.

    Para começo de conversa, o mundo, naquela manhã de 22 de abril de 1500, era completamente outro. Quando a poderosa esquadra do almirante português ancorou naquele imenso território, encontrou silvícolas em plena idade da pedra lascada. Nenhum deles tinha noção de nação ou país. Não existia o Brasil.

    Os atuais compêndios de história do Brasil informam, sem muita base, que a população indígena andava por volta de cinco milhões. No correr dos anos seguintes, segundo os documentos que foram conservados, foram identificadas mais de duzentos e cinqüenta tribos diferentes. Falando mais de 190 línguas diferentes. Não eram dialetos de uma mesma língua. Eram idiomas próprios, que impediam as tribos de se entenderem entre si. Portanto, Cabral não conquistou um país. Cabral não invadiu uma nação. Cabral apenas descobriu um pedaço novo do planeta Terra e, em nome do rei, dele tomou posse.

    O vocabulário dos atuais compêndios não usa a palavra tribo. Eles adotam a denominação implantada por dezenas de ONGs que se espalham pela Amazônia, sustentadas misteriosamente por países europeus. Só se fala em nações indígenas.

    Existe uma intenção solerte e venenosa por trás disso. Segundo alguns integrantes dessas ONGs, ligados à ONU, essas nações deveriam ter assento nas assembléias mundiais, de forma independente. Dá para entender, não? É o olho na nossa Amazônia. Se o Brasil aceitar a idéia de que, dentro dele, existem outras nações, lá se foi a nossa unidade.

    Nos debates da Constituinte de 88, eles bem que tentaram, de forma ardilosa, fazer a troca das palavras. Mas ninguém estava dormindo de touca e a Carta Magna ficou com a palavra tribo. Nação, só a brasileira.

    De repente, os festejos dos 500 anos do Descobrimento viraram um pedido de desculpas aos índios. Viraram um ato de guerra. Viraram a invasão de um país. Viraram a conquista de uma nação. Viraram a perda de uma grande civilização.

    De repente, somos todos levados a ficar constrangidos. Coitadinhos dos índios! Que maldade! Que absurdo, esse negócio de sair pelos mares, descobrindo novas terras e novas gentes. Pela visão da CNBB, da CUT, do MST, dos nacional-socialistas e das ONGs européias, naquela tarde radiosa de abril teve início uma verdadeira catástrofe.

    Um grupo de brancos teve a audácia de atravessar os mares e se instalar por aqui. Teve e audácia de acreditar que irradiava a fé cristã. Teve a audácia de querer ensinar a plantar e a colher. Teve a audácia de ensinar que não se deve fazer churrasco dos seus semelhantes. Teve a audácia de garantir a vida de aleijados e idosos.

    Teve a audácia de ensinar a cantar e a escrever.

    Teve a audácia de pregar a paz e a bondade. Teve a audácia de evangelizar.

    Mais tarde, vieram os negros. Depois, levas e levas de europeus e orientais. Graças a eles somos hoje uma nação grande, livre, alegre, aberta para o mundo, paraíso da mestiçagem. Ninguém, em nosso país pode sofrer discriminação por motivo de raça ou credo.

    Portanto, vamos parar com essa paranóia de discriminar em favor dos índios. Para o Brasil, o índio é tão brasileiro quanto o negro, o mulato, o branco e o amarelo. Nas nossas veias correm todos esses sangues. Não somos uma nação indígena. Somos a nação brasileira.

    Não sinto qualquer obrigação de pedir desculpas aos índios, nas festas do Descobrimento. Muitos índios hoje andam de avião, usam óculos, são donos de sesmarias, possuem estações de rádio e TV e até COBRAM pedágio para estradas que passam em suas magníficas reservas. De bigode e celular na mão, eles negociam madeira no exterior. Esses índios são cidadãos brasileiros, nem melhores nem piores. Uns são pobres. Outros são ricos. Todos têm, como nós, os mesmos direitos e deveres. Se começarem a querer ter mais direitos do que deveres, isso tem que acabar.

    O Brasil é nosso. Não é dos índios. Nunca foi.

    Sandra Cavalcanti é Professora Aposentada.

  429. Elias said

    “Teve a audácia de pregar a paz e a bondade. Teve a audácia de evangelizar.” (Sandra Cavalcante, citada por Chesterton)

    Pregar a paz e a BONDADE?

    HUÁ! HUÁ! HUÁ! HUA!

    Sei…

    Eles eram TÃO bonzinhos…

    Como eles trouxeram os negros pra cá, por exemplo? Simples. Os negros pediam carona nos navios dos portugueses bonzinhos.

    Aí os portugueses bonzinhos diziam: “Mas, meus negros, o navio está lotado, pois…”. Mas os pretos insistiam: “Não importa. Queremos ir pro Brasil, ser escravos e trabalhar na lavoura, debaixo do chicote, até morrer. Mais tarde, fundaremos as escolas de samba e, no carnaval, desfilaremos vestidos de conde, com perucas loiras, até que a gente se manque e deixe de pagar esse mico…”

    Diante de tamanha insistência, os plortugueses bonzinhos entulhavam os navios negreiros de negros insistentes, e os traziam para o Brasil, feito animais. Mas eles só faziam isso porque eram portugueses bonzinhos, e os negros… Bem, os negros eram muito insistentes, sabe?

    Aí uma boa parte morria na viagem. Os que conseguiam chegar vivos no Brasil tinham, mais ou menos, um ano de vida pela proa. Mas isso não era problema, porque sempre tinha um imenso estoque de outros negros, na África, doidos pra vir pro Brasil, ser escravo, morar na senzala e trabalhar debaixo do chicote, até morrer…

    Que belo texto, o da Sandra…

    Mostra a imensa consideração que ela tem pela inteligência de pessoas como o Chester… (HUÁ! HUÁ! HUÁ! HUA!)

    Folgo em sabê-la viva. É das últimas representantes do pensamento do Corvo neste vale de lágrimas…

    Mas gostei muito dela no BNH.

    E apreciei a lealdade dela, quando o Corvão caiu em desgraça, depois de trombar com Bob Fields e Castelo.

  430. Elias said

    “Elias, tenho conhecimento do que se passa no Itamaraty por razões familiares (e mais não digo).” (Chesterton)

    PAPO FURADO!

    Se o fato de parente teu (mulher, irmã, filha, prima ou o que for) trabalhar o Itamarati, não te impede de dizer que o órgão está “bolivarianizado”, nada te impede de dizer porque tu achas isso.

    As decisões sobre política externa são públicas, e qualquer cidadão pode interpretá-las, segundo lhe parecer.

    O fato é que estás repetindo frases feitas e rótulos vazios.

    Não sabes nem justificar o pensamento que expressas porque, na verdade, o pensamento não é teu. Pegaste no ar e repetiste aqui.

    Conta outra, Chester.

  431. Elias said

    “O Brasil nunca pertenceu aos índios” (Sandra Cavancanti, citada pelo… CHESTER, claro!)

    Verdade. O Brasil nunca pertenceu aos índios (aliás, que papo é esse de “índios”? Eles eram habitantes da Índia?).

    Todos sabem que, por determinação expressa de Deus Todo-Poderoso, formalizada pela mão de seu bastante procurador, o Papa, as terras a oeste do Oceano Atlântico foram, de papel passado, divididas entre os reis da Espanha e de Portugal.

    E as 190 línguas?

    Bem, eu é que não me meto a discutir língua com dona Sandra Cavalcanti, mas é de manso saber que quem fala 190 línguas não tem direito a nada não é mesmo?

    É bem verdade que o tal povo estava ocupando um tal território há séculos… Mas, se esse pessoal fala 190 línguas, o que é que ele quer?

    Afinal, em quantas línguas teremos que dizer “NÃO!” pra esses tapuias?

    Essa Sandra…

    Mas é isso mesmo: quem sai aos seus não degenera…

    Chester: Não! Niet! No! Nein!

    Caceta!

  432. Chesterton said

    Pegaste no ar e repetiste aqui.

    chest- foi via aérea, pelo som, foi meu primo que disse. O filho dele está entrando agora no serviço. realmente não é minha opinião, é opinião dele. Agora, depois de vários fiscos diplomáticos (Honduras, lembra) acho que ele tem razão. O caso Zelaia, lembra?

  433. Chesterton said

    Este texto da Sandra cavalcanti postei em homenagem aos estatistas de plantão, que tanta importancia dão ao estado brasileiro. Achei especialmente que Patriarca iria gostar.

  434. Elias said

    Ah, bom…!

    Tudo a ver!

    “Quem nunca comeu melado… um bom desamafagaficador será!”

  435. Pax said

    http://www.estadao.com.br/noticias/nacional,mpf-recorre-da-decisao-que-livrou-lula-de-improbidade,1007857,0.htm

Faça seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: