políticAética

Notícias da Corrupção, Desvios, Anomalias, Eleições e Meio Ambiente

  • Sobre o blog

    Uma coletânea das notícias da corrupção, desvios, anomalias, eleições e meio ambiente que aparecem na mídia todos os dias a partir de agosto de 2008.
  • Categorias

  • Arquivos

  • Páginas

  • Meta

Senado suicida

Posted by Pax em 01/02/2013

Renan Calheiros será eleito hoje o novo presidente do Senado.

A sociedade brasileira suportará mais este escárnio sem deixar de confirmar seu absoluto desprezo por esta casa de tolerância que se tornou o Congresso Nacional.

Este cidadão expõe o paradoxo da nossa Justiça. O noticiário é farto e o somatório de indícios permite questionar os porquês de, ao invés de engrossar a lista de condenados cumprindo pena em alguma penitenciária caindo aos pedaços e em condições desumanas, engrossará as fileiras de banquetes palacianos onde se decidem mais e mais desvios dos cofres públicos.

Ainda não digerimos – e nem devemos digerir – a tragédia de Santa Maria onde as investigações demonstram que a estrutura do Estado deixou funcionar uma armadilha mortal que ceifou mais de 230 vidas de jovens brasileiros vitimados pela corrupção generalizada de autoridades e empresários irresponsáveis.

O Senado, em resposta à comoção nacional, nos traz mais este desdém ao eleger um conhecido, segundo o noticiário, transgressor que pagava pensão alimentícia para um filho extraconjugal com dinheiro de um lobista da empreiteira Mendes Júnior que o tinha como jagunço para defender seus interesses. Pego no crime renunciou à presidência do prostíbulo em 2007 para não ser cassado. Foi protegido pelos pares e agora estes mesmos canalhas o levarão de volta ao cargo.

Não há mais o menor sentido na preservação do nosso modelo bicameral. O Senado não serve para mais nada a não ser cuspir no rosto do povo brasileiro. Inexiste outra interpretação possível desta atitude suicida que os senadores tomarão hoje.

PMDB confirma indicação de Renan Calheiros para disputar presidência do Senado

Iolando Lourenço* – Repórter da Agência Brasil

Brasília – Depois de muita especulação, a bancada do PMDB confirmou hoje (31) o nome do senador Renan Calheiros (AL) para a disputa da presidência do Senado que ocorre amanhã (1º) a partir das 10h. Segundo o presidente nacional do partido, Valdir Raupp, todos os 17 senadores presentes à reunião da bancada votaram pela indicação de Renan.

Quase seis anos depois de renunciar à presidência do Senado para não correr o risco de ter o mandato cassado, Renan Calheiros poderá voltar amanhã a presidir a Casa e também o Congresso Nacional. Como presidente do Senado, Renan também passa a ser o terceiro nome na linha sucessória do país.

Os peemedebistas também aprovaram hoje o nome do senador Romero Jucá (RR) para disputar a segunda vice-presidência da Casa, já que a primeira vice ficará com o PT, que indicou o senador Jorge Viana (AC).

Segundo o novo líder do PMDB, senador Eunício Oliveira (PMDB-CE), internamente, Renan Calheiros apresentou aos colegas as razões pelas quais pretende disputar a presidência do Senado. Apresentou sua plataforma de gestão, com cerca de dez propostas, que incluem, segundo Eunício, a modernização e desburacratização do Senado, redução de custos, aprovação do Fundo de Participação dos Estados (FPE) e a aprovação de medidas para fortalecer o pacto federativo.

Mesmo após a oficialização de sua candidatura, Renan Calheiros não se manifestou publicamente. De acordo com Eunício, Renan vai se pronunciar amanhã no plenário da Casa. No início do mês, o procurador-geral da República, Roberto Gurgel, pediu ao Supremo Tribunal Federal (STF) abertura de inquérito para investigar a conduta de Renan. O senador alagoano nega as acusações e afirma que foi ele quem pediu a investigação.

Um dos pontos da denúncia do Ministério Público Federal, que está sob segredo de Justiça, diz respeito às suspeitas de que Renan teria usado notas frias para comprovar o pagamento mensal de R$12 mil de pensão alimentícia. O pagamento era feito por um lobista da empreiteira Mendes Júnior, à jornalista Mônica Veloso, com quem o senador tem uma filha.

Para o líder peemedebista, as denúncias contra Renan Calheiros não devem prejudicar a eleição do alagoano. “São denúncias antigas, são fatos conhecidos da opinião pública e amplamente divulgados pela imprensa, mas são os senadores que decidirão”, frisou Eunício.

*Colaborou Ivan Richard

Sugestões de leituras: Josias de Souza: Kit básico das consequências da volta de Renan e Ricardo Kotscho: Só traição evita vitória anunciada de Renan. Também vale destacar a insistência com que José Dirceu, condenado na Ação Penal 470 por conduta irregular no trato com a prostituição política, afirma em seu blog “Campanha de falso moralismo não deve impedir eleição de Renan“. Insiste na decisão de abraçar o partido em seu afogamento. E nos remete a outros mimos, como a concessão de uma rádio FM que Lula deu para o filho de Renan.

Mas o Congresso não vai parar por aí. Na segunda elegerá Henrique Alves para presidência da Câmara dos Deputados, confirmando a tolerância generalizada e o desprezo para com a sociedade brasileira.

Anúncios

836 Respostas to “Senado suicida”

  1. Jose Mario HRP said

    Nesse momento acontece a votação no senado.
    Mas do jeito que a oposição vem se comportando tudo restará tranquilo.
    Aqui uma saborosa faceta do desespero da oposição:
    http://amoralnato.blogspot.com.br/2013/01/reclamacoes-do-sem-pau.html

  2. Patriarca da Paciência said

    Muito boa essa do Amoral Nato, caro HTP, afinal o Roberto Freire é mesmo “um sem pau e um sem mandato, um verdadeiro descaralhado”.

    Quando vi o Roberto Freire, já faz alguns anos, vociferando em horário político, que “dinheiro bom é dinheiro no nosso bolso” e, ainda fez a mímica de quem estava colocando dinheiro no bolso, eu pensei cá comigo, que triste fim para um político que um dia teve alguma importância!

  3. Patriarca da Paciência said

    Correção, caro HRP,

  4. Pax said

    Prezados, nesta manhã me dedico ao Twitter. Paciência. Não consigo ficar calado.

    https://twitter.com/politicAetica

  5. Pax said

    Paradoxo: Pedro Simon é o único com coragem de apontar as denúncias contra Renan no STF na tribuna do Senado.

    É do PMDB.

    Algum petista teve coragem de falar alguma coisa contra essa eleição indigesta? Claro que não.

    Esta aliança vai terminar de enterrar a imagem do partido. Com ajuda, claro, de Zé Dirceu.

    Infelizmente a realpolitik nacional passou dos limites.

  6. Elias said

    Muitos amigos meus que hoje lamentam e choram a existência do Senado, há alguns anos bateram palmas pro “Congresso Constituinte”.

    Acontece que foi lá que muita coisa começou, nenéns…

    Alguém acha que um Congresso Constituinte iria mover uma palha pra tornar nossos sistema político menos corrupto e mais operativo do que é e sempre foi? Quem parte e reparte, fica com a melhor parte. Foi o que fizeram nossos congressistas de 1988, travestidos de barco e barqueiro; arco, flexa e arqueiro…

    Foi-lhes dado o poder quase absoluto de legislar em causa própria. Taí no que deu…

    Nos EUA um Senado faz todo sentido. Lá, as relações do cidadão com a sociedade e o aparato estatal é regulada no plano Estadual. É por isso que lá é possível ter pena de morte num Estado e no outro não, etc, etc. O Senado é o organismo que pactua o relacionamento desses Estados entre si. Nada mais natural, num país que se originou da união voluntária de 13 colônias que, antes da independência, se relacionavam isoladamente, cada uma de sua parte, com a metrópole inglesa.

    No Brasil o processo histórico foi completamente diferente. O país unitário surgiu muito antes do país independente…

    O Senado republicano brasileiro existe como uma manifestação de americanófilos como Ruy Barbosa, que, dentre outras besteiras, impuseram ao nosso país a caricata designação de “República dos ESTADOS UNIDOS do Brasil”, só bem recentemente atiradas ao seu devido lugar: o lixo.

    Infelizmente, essa foi uma mudança cosmética. Ficou muito lixo exposto. O Senado Federal é um deles (acertadamente, os Senados Estaduais foram descartados).

    Provavelmente, a única chance que o Brasil tem, de se livrar dessa instituição de inutilidade pública é convocando uma Comissão de Revisão Constitucional Exclusiva.

    Uma comissão cujos membros não fossem ocupantes de cargos eletivos, e que ficassem sujeitos à quarentena. Os membros da comissão ficariam impedidos de exercer qualquer cargo público, salvo se em decorrência de concurso, por um prazo equivalente a dois mandatos, contados a partir da data de vigência da Constituição revista (ou seja, a quarentena seria de 8 anos, se permanecesse a duração atual de 4 anos; 10 anos se o mandato fosse aumentado para 5, e assim por diante).

    Aí, sim, seria possível um debate sério sobre a existência do Senado Federal, sobre a reeleição (que tal um mandato de 5 anos, sem reeleição?), sobre a redução da Câmara Federal, das Assembléias Legislativas e das Câmaras Municipais, sobre a limitação da reeleição para o mandato parlamentar, sobre a estrutura do Judiciário, sobre a criação de Cortes de Apelações, sobre o papel do Ministério Público, sobre o voto distrital, sobre as listas partidárias, etc, etc.

    Resolvidos esses trecos, certamente que aí sairia a reforma tributária, a reforma trabalhista…

    Ou não?

  7. Pax said

    Talvez.

    Não tenho certeza se as reformas necessárias, eleitoral, tributária, trabalhista etc dependem unicamente da reforma constitucional.

    Conceitualmente parece que sim.

    Factualmente não vejo este caminho possível, ou plausível. Talvez seja melhor na força bruta, um manifesto da sociedade, uma exigência, como foi o Ficha Limpa. Algo que faça a sociedade se envolver diretamente, de fácil compreensão.

    Fim do Senado: simples, 3 palavras. Mais assimilável que Comissão de Revisão Constitucional Exclusiva.

    Ou não?

  8. Chesterton said

    acaba o congresso tambem? Afinal tem tanto ou mais defeitos que o Senado….

  9. Pax said

    É óbvio que não.

    Resgate-se o Congresso.

    Isso, sim.

    É lá onde devemos ter nossa vontade defendida.

  10. Pax said

    http://www1.folha.uol.com.br/poder/1224014-analise-pmdb-e-tarefeiro-no-congresso-e-virou-item-de-serie-de-qualquer-governo.shtml

  11. Elias said

    Nem sempre o mais simples é o melhor.

    1 – Dificilmente os senadores brasileiros votarão pelo fim do Senado.

    2 – Dificilmente os deputados e vereadores brasileiros votarão pela redução do número de deputados e vereadores.

    3 – Dificilmente senadores, deputados e vereadores votarão pela limitação de legislaturas.

    4 – Etc.

    De mais a mais, a existência ou não do Senado é um tema importante, no Brasil de hoje, mas não o mais importante.

    Não está nem mesmo entre os mais importantes.

    No campo da reforma política, tem muito mais coisas mais importantes e urgentes que o fim do Senado.

    De qualquer modo, num plebiscito eu cravaria seco na extinção dessa inutilidade cara e corrompida.

  12. Elias said

    Já passei da idade de embarcar nessa de criticar o PMDB por causa de sua “opção congressual”.

    Ora, os únicos partidos em condições de disputar a Presidência da República são o PT e o PSDB. Há mais de 10 anos que é assim e, pelo andar da carroça, vai continuar assim por mais algum tempo. Quanto, não sei. Mas acho que, no mínimo mais uns 6 ou 8 anos.

    O que resta aos demais partidos? A atuação “congressual”, lógico!

    Não é uma “opção”. É um imperativo das circunstâncias. As alternativas são: ou faz isso ou faz isso.

    Por que isso acontece? Certamente que não é por causa de um duende malvado, que fica na floresta, coçando o saco e partejando deputados e senadores corruptos, de dentro de uma quenga de castanha podre…

    Esses caras são eleitos. O que nos leva a pensar em coisas, como:

    1 – Há um sistema eleitoral estruturado à imagem e semelhança deles (até porque foram eles que estruturaram). Sistema que eles sabem muito bem como usar (e abusar).

    2 – O eleitor brasileiro não é muito propenso a passar cheque em branco. O eleitor brasileiro pode até vacilar aqui ou ali, mas cheque em branco ele não passa, de jeito nenhum. Mesmo quando ele elegeu e reelegeu FHC no 1º turno, p.ex., não passou cheque em branco. FHC governou com uma senhora bancada oposicionista…

    3 – Quando o eleitor não passa cheque em branco, a negociação entre partidos é inevitável. Num espectro político amplo, como o brasileiro, isso implica a existência de um monte de partidos de atuação marcadamente “congressual”, já que são mínimas as suas chances de chegar à Presidência da República.

    4 – Pior, muito pior, seria o ambiente político, se um partido nanico conseguisse cravar um(a) candidato(a) à Presidência da República. Onde e quando isso acontece, em qualquer época ou lugar, esse candidato é, inevitavelmente, um pretenso “salvador da Pátria”. E eleição de “salvador da Pátria” é indício de deterioração institucional.

    Em vez de ficar criticando o que foi gerado no útero da eleição, talvez seja melhor checar com o que ela está sendo inseminada.

    Não dá pra cruzar a cadela com vira lata, e querer que ela desove pastor alemão capa preta…

  13. Elias said

    Ah, sim.

    Lamento que o senador Pedro Simon, nunca tenha se empenhado seriamente em expurgar o PMDB de seus elementos mais reprováveis.

    Infelizmente, o velho senador gaúcho tem se contentado em ser uma espécie “Eduardo Suplicy do PMDB”: fala, fala e fala, representa muito bem o papel de bom moço, sem nada fazer — ou tentar fazer — de concreto, pra acabar com a situação que ele diz deplorar…

    Não agrega quadros em torno de uma idéia renovadora, moralizadora e motivadora; não disputa posição em nome dessa idéia… Só fala, fala, fala… E só nos momentos em que há uma camera de tevê ligada na sua direção…

    Passou aquele momento, tudo volta à quietude de sempre….

    Assim é fácil…!

  14. Pax said

    A consequência da eleição de Renan?

    No Facebook cresce a discussão pelo fim do Senado.

  15. Pax said

    Caro Elias,

    Não seria a mesma coisa que cobrar do senador Paulo Paim que ele tentasse limpar o PT?

    Me parece que sim.

    Paulo Paim, que infelizmente votou em Renan e perdeu parte de sua credibilidade, sempre apostou em suas bandeiras próprias. E o PT defeca e anda na cabeça dele, solenemente.

  16. Elias said

    Pax,

    Sim. É mais ou menos a mesma coisa. Eu comparei com o Suplicy. Mas é, mais ou menos, a mesma coisa que o Pain. Aliás, mais ou menos a mesma coisa que o Tarso Genro também.

    E pode ser, mais ou menos, a mesma coisa que um porrilhão de outros mais.

    Pra mim, tanto faz dar na cabeça como na cabeça dar…

    Eu me referi ao Simon porque era dele que se estava falando.

    Na idade a que cheguei — que não é menor que a tua, de jeito nenhum! — simplesmente não tenho saco pra velho que tenta bancar a virgem no puteiro…

  17. Chesterton said

    SEXTA-FEIRA, 1 DE FEVEREIRO DE 2013

    A Equipe Econômica dos Sonhos, artigo escrito por Valdomiro Pinto
    Caros leitores, o Professor Valdomiro Pinto que normalmente contribui com o blog Selva Brasilis, gentilmente mandou a contribuição abaixo.

    A equipe econômica atual tem recebido, injustamente, muitas críticas. Poucas vezes se viu equipe tão bem preparada, e que se atenta sempre ao lado social. Mantega, Belchior, Tombini e Augustin são os 4 Fantásticos. Devemos a eles a atual situação confortável da economia brasileira.

    Tombini é o mago que a frente do Banco Central vem garantido excelentes resultados no combate à inflação. Belchior é o cérebro que comanda o Ministério do Planejamento, sendo diretamente responsável pelo brilhante planejamento de longo prazo da economia brasileira. Augustin é o homem que reinventou as finaças públicas. E o que dizer de Mantega? Esse verdadeiro touro indomável na busca por um novo amanhã. Certamente o melhor Ministro da Fazenda de todos os tempos.

    Infelizmente, uma oposição sem propostas aliada a uma mídia golpista desgastaram os 4 Fantásticos. Sendo assim, acredito que para preservar a maravilhosa bibliografia desses gurus da economia seja o momento de mudanças. Nesse momento difícil, com toda minha experiência, sugiro a Presidenta montar a equipe econômica dos sonhos.

    Ministro da Fazenda: Luciano Coutinho (o homem que revolucionou o BNDES)
    Ministro do Planejamento: Belluzzo (sua experiência no Palmeiras fala por si mesma)
    Presidente do Banco Central: Delfim Netto (quem entende mais de inflação do que ele?)
    Secretário do Tesouro: Mister M (o único capaz de nos contar os segredos do que anda ocorrendo no Tesouro Nacional).

    Eu chamaria esse time dos sonhos de Quadrado Mágico!!! Se você não concorda seja propositivo e elabore sua equipe econômica dos sonhos.

    Valdomiro Pinto é PhD* em Finanças.

    Blog Adolfo

  18. Elias said

    Brilhante a análise do Waldomiro Pinto!

    Só alguém como ele, com um PhD em Finanças, conseguiria mostrar assim, com tanta propriedade, o que está acontecendo com a economia brasileira.

    Isso é que é uma apreciação técnica, digna de um PhD…!

    A equipe do Banco Central, totalmente formada por idiotas, chefiados por um imbecil, precisa de alguém com a inteligência e a capacidade do PhD Pinto, pra formular e executar uma política anti-inflacionária consistente.

    Como se sabe, o Brasil se vê às voltas com uma inflação galopante, e precisa como nunca de um Napoleão de Hospic…, digo, de um PhD como o Pinto, pra tirar o pé do charco…

    Afinal de contas, o Pinto é aquele PhD que escreveu a… que fez o… que fez a… Bem, a verdade é que o Pinto ainda não fez m… nenhuma, a não ser fingir que entende de economia… Mas, quando ele fizer m…, vocês vão ver só a m… que vai ser…!

    Falar nisso, será que esse Pinto é parente do José Mário H. Romeu Pinto?

    Diga lá, HRP… É um ramo desvirtuado da família?

    E onde foi, mesmo, que ele comprou esse PhD? Pagou a prestação? Foi no cartão?

    Putz!

  19. Pax said

    O velho Chesterton, infalível Chesterton, é campeão. Nem venham com contestadores desta posição.

    Nunca vi tamanha capacidade de encontrar, ler e valorizar lixo da internet.

    Dá-lhe, Chesterton.

  20. Olá!

    Caramba! Só tem fera naquela equipe econômica no comentário do Chesterton!

    Eis aqui a minha sugestão de equipe econômica para a esquerda brasileira. Só tem feras! Ei-la:

    Ministério da Fazenda: Theotonio dos Santos Júnior.

    Justificativa: Depois que foi destroçado pelos fatos o seu tosco artigo sobre inflação no Governo FHC, o único lugar do universo para abrigar um idiota desse naipe só pode ser mesmo o Ministério da Fazenda. Lá, é o único lugar da existência onde mentir e omitir são princípios básicos para o sucesso. Além do que, um economista que não sabe a diferença entre deflação (índices negativos de inflação) e desinflação (redução da inflação) só pode mesmo trabalhar para algum governo petista. É o tipo de idiota que os petistas adoram.

    Ministério do Planejamento: Qualquer ex-mulher do mais recente cadáver petista.

    Justificativa: Parece ser tradição da pasta.

    Presidente do Banco Central: Maria da Conceição Tavares.

    Justificativa: Com seu formidável registro histórico hiperinflacionário, Ceiça está mais do que qualificada para assumir a presidência da principal instituição monetária do Brasil. Trazendo na sua bagagem planos econômicos fracassados (Plano Cruzado), previsões econômicas que nunca se concretizaram, análises fracassadas (“O Plano Real não vai dar certo!!!!!”), por ter ajudado, através do seu fabuloso Plano Cruzado, a colocar o Brasil no buraco em 1987, após a declaração da moratória da dívida externa, e por ter trazido, graças a esse mesmo Plano, o Brasil a índices hiperinflacionários de 3000% ao ano, Maria da Conceição Tavares tem todos os requisitos para ser presidente do Banco Central petista.

    Aliás, eis a mais recente previsão feita pela Maria da Conceição Tavares. Excerto:

    Maria da Conceição Tavares: Brasil cresce 3% em 2012

    RIO – A economista Maria da Conceição Tavares disse na sexta-feira que a economia brasileira deve encerrar 2012 com crescimento de 3%. Uma expansão, segundo ela, bastante associada à dinâmica do mercado de trabalho do país – que, com aumento dos empregos com carteira assinada e crescimento da renda, vem sustentando a demanda interna. A professora da UFRJ, de 82 anos, proferiu palestra de encerramento do primeiro Congresso de Desenvolvimento do Centro Celso Furtado, no BNDES.

    É provável, com esse segundo semestre melhor, que tenhamos um crescimento em torno de 3%. Mais do que isso eu duvido. Se fosse seguir a tendência do primeiro semestre não chegaríamos a lugar algum, Mas 3% não são um crescimento ruim. É metade do que deve ser visto na China (6%) nesse ano.

    Hehehehehehehe. . . Todo mundo, agora, sabe que o Brasil cresceu 1% em 2012.

    A única previsão que a Maria da Conceição Tavares acertou foi quando ela chorou em rede nacional de televisão por causa do plano dela, o Plano Cruzado. Afinal de contas, muitas pessoas viriam a fazer o mesmo por causa de tal plano.

    Caramba! Parece que Portugal continua sua tradição secular de mandar seus piores cidadãos para o Brasil.

    Secretário do Tesouro: Bresser Pereira.

    Justificativa: Juntamente com a Maria da Conceição Tavares, Bresser Pereira é o outro decano dos economistas idiotas do Brasil. Onde um está, o outro, obrigatoriamente, também deve estar. No mais, ele não ajudaria em porra nenhuma e sua única função seria a de se manter em uma sinecura para elogiar o governo quando necessário.

    Essa é a equipe econômica que todo governo gostaria de ter.

    Até!

    Marcelo

  21. Patriarca da Paciência said

    De minha parte continuo com a plena convicção de que a economia não é uma ciência exata e, qualquer previsão sobre o assunto, não passa mesmo de um jogo de propabilidades!

    Diziam que a Inglaterra ia “passar do Brasil” em PIB este ano e, o que aconteceu? A Inglaterra teve crescimento negativo em 2012 e, ainda assim, fica “dando lições de moral” no Brasil.

    Diziam que a Alemanha estava a pleno vapor e, o que aconteceu? Nos últimos meses a economia alemã andou simplesmente estagnada!

    Também que os Estados Unidos estavam a pleno vapor e, como a Alemanha, também estagnou.

    O Brasil, pelo menos, apresentou alguma reação nos últimos meses e vai entrar em 2013 com boa perspectiva.

    Quanto à eleição do Renan também continuo com a mesmo opinião. É totalmente ingênuo achar que onze ministros, totalmente alheios às negociações políticas, seriam capazes de tutelar 600 velhas raposas felpudas.

    A eleição do Renan foi apenas o começo.

    Como já avisou o Renan, o Congresso é altivo, independente e não se subordina a ninguém.

    A essas horas o Gurgel não sabe onde enfiar a cara!

    Ele agora tem dois adversários de peso no Senado, aquele poder que pode destituir procuradores e ministros do STF. Renan e seu amigo Collor vão dar muito o que falar!

  22. Patriarca da Paciência said

    No Brasil acontece um fenômeno curioso, ou seja, os empresários estão entusiasmados com as medidas do governo e os economistas ortodoxos se tornaram verdadeiros profetas do apocalipse.

    As principais reclamações do empresários foram atendidas, ou seja, dólar compatível, juros baixo, formação de mão de obra especializada, com o envio de milhares de universitários para se capacitarem no exterior e investimentos em logística. Agora é só manter o curso e esperar pelos resultados.

    No mais, acho que mais uma vez o Lula está certo – “os caras reclamam justamente é dos nossos acertos”.

  23. Jose Mario HRP said

    Collor de Mello espancando o gordinho ardiloso!

    http://www.viomundo.com.br/denuncias/no-senado-collor-acusa-gurgel-de-ser-chantagista.html

  24. Jose Mario HRP said

    Com mais realidade!

  25. Pax said

    Desculpe-me, caro HRP,

    Mas quando vejo parte do PT aplaudir Collor, Sarney, Renan et caterva me questiono se não é hora do partido rever meticulosamente seus conceitos.

    Não é sair do jogo, nada disso. É mudar o jogo.

    Parece que não querem, estão felizes da vida em entrar no chafurdamento geral.

  26. Pax said

    Também, convenhamos, com esta oposição, pra quê mudar?

    Excelente o Fernando Rodrigues de hoje.

    http://www1.folha.uol.com.br/colunas/fernandorodrigues/1224665-indignacao-postica.shtml

  27. Jose Mario HRP said

    Na verdade é hilário ver os discursos do Collor!
    é muito engraçado ver o roto batendo no esfarrapado..
    E na verdade Collor fala daquela forma e o outro lado não esboça qualquer reação, fato que me leva a crer que o que o senador fala é pura verdade, ou não?
    Em maio muda o PGR e aí veremos…..

  28. Jose Mario HRP said

    Longe de defender Renan Calheiros mas de olho no permissivo Gurgel me deparo com isso:

    http://saraiva13.blogspot.com.br/2013/02/empossado-renan-pode-dar-o-troco-em.html

  29. Elias said

    Patriarca,

    É possível, sim, que a Inglaterra volte para o 6º lugar e o Brasil para a 7ª colocação, logo acima da Itália, da Rússia e do Canadá, nesta ordem.

    Trata-se de um ajuste contábil.

    Em termos reais, o Brasil teve um pequeno crescimento positivo e a Inglaterra teve um crescimento negativo (vai ver que é porque a economia inglesa está sendo administrada pelo PT, num é, macacada?).

    Acontece que o Brasil desvalorizou sua moeda em 10% em relação ao dólar. Por isto, os valores medidos em REAL, parecem MENORES quando expressos em dólares. Em 2012 isso não aconteceu com a Inglaterra, cuja moeda permaneceu estável.

    Em 2012, o PIB brasileiro, expresso em dólares, provavelmente ficará em torno de US$ 2,26 trilhões, enquanto que o inglês deverá ser de US$ 2,46 trilhões, mais ou menos.

    Esse ranking é construído pela comparação direta dos PIBs, expressos em dólares. Há quem questione isso, porque o valor final acaba sendo influenciado pela política cambial de cada país, a inflação interna, etc.

    No caso Brasil X Inglaterra, p.ex., em termos REAIS, não houve mudança comparativa entre os PIBs dos dois países, em relação a 2011.

    Alguém pode estranhar:

    O PIB do Brasil era MAIOR que o da Inglaterra em 2011. Em 2012 a Inglaterra teve evolução NEGATIVO (ou seja, seu PIB ficou MENOR), enquanto que o Brasil teve evolução POSITIVA (ou seja, seu PIB ficou MAIOR), embora a uma taxa medíocre. Se menor encolheu e o maior cresceu, como é possível que o menor agora seja maior e vice versa?

    A resposta está na política cambial, citada mais acima.

    O National Institute of Economic Research, instituição inglesa, defende uma outra metodologia pra comparar os PIBs de diferentes países.

    A metodologia do NIESR é a chamada PPP (Paridade de Poder de Compra), cujo cálculo elimina os efeitos da flutuação do câmbio e faz um ajuste de equivalência com base nas respectivas taxas de inflação.

    Por essa metodologia, o Brasil estaria na sétima posição, tanto em 2011 quanto em 2012. Porém o sexto colocado não seria a Inglaterra e sim a Rússia. Os bebedores de chá (“sim, um tanto…”) estariam em oitavo lugar, sempre depois do Brasil.

    Mas é muito bom que a galera do “quanto pior, melhor” festeje. Quanto mais errados eles estiverem, mais fácil será derrotá-los em 2014.

    Vamulá, macacada! Todo mundo soltando foguete, porque o Brasil tá quebrandooo…!

    Em 2012, na América do Sul, o Brasil ficou na vice-lanterna. Acima apenas do Paraguai.

    Isso não é ótimo, macacada? Vamufestejar, macacada!

  30. Chesterton said

    E ainda reclamam do senado…

  31. Pax said

    Não acho o problema econômico justificativa para tanta crítica. Claro que gostaria de um crescimento maior, mesmo assim com algum questionamento.

    Desde FHC e Lula que mantemos um ajuste social que é bem melhor que os cenários anteriores de carestias e miséria.

    Em outras palavras, melhor crescer menos, distribuir mais.

    Porém…

    A mim parece que a questão é outra, o buraco é mais embaixo.

    O que faliu é nosso modelo político. Essa é, para mim, a grande questão.

    O Estado forte sempre me pareceu mais razoável que um liberalismo desenfreado. Só que este Estado deveria expurgar seus males, suas mazelas, sua corrupção determinante e sua ineficiência custosa.

    E este mesmo Estado forte deveria proteger liberdades econômicas. Deveria facilitar a vida de quem quer empreender, empregar, gerar renda. Não é isso que vemos. No Brasil é um inferno empreender. Tudo é feito de forma a complicar. Nem entro na questão de carga tributária pesada, que merece discussão. Mas é pior que isso. É a dificuldade que o Estado gera na economia.

    Claro que estamos melhor que antes, claro que temos uma taxa de empregos que podemos chamar de pleno emprego. É, queiram ou não, vivemos uma situação extraordinária neste sentido. E ainda com ganho real de renda. Alguém questiona essa realidade?

    Não eu.

    O que questiono é a ineficiência do Estado. No nosso modelo político precisa alimentar uma corja de ladrões e incompetentes que fazem sua razão de ser a infernização de quem empreende. E não só de quem empreende. Até empregados públicos e privados vivem um inferno burocrático e tributário absolutamente desnecessário.

    Isso tudo depende de reformas que jamais serão realizadas enquanto a sociedade não tomar essa decisão, de mudar este status quo.

    Discordo do Elias quando diz que a culpa é da sociedade. Peço vênia mas discordo totalmente.

    Sabemos como são eleitos nossos deputados e senadores, uma grana preta por baixo dos panos, caixas 2 a rodo em todas as campanhas (quase a totalidade delas), interesses de empreiteiras e quetais que acabam colocando Sarneys, Collors, Renans et cétera em seus postos e depois se tornam independentes financeiros, arrombam os cofres à sua disposição para perpetuação do modelo.

    PSDB fez assim, PT fez assim e nada mudará enquanto a sociedade não partir para o vale tudo mesmo. Uma hora haverá um ponto de mutação, um ponto onde este partidarismo de quinta categoria será vencido por uma vontade maior, do povo.

    Infelizmente nossa Educação é precária, por mais que tenha melhorado milímetros, mas é precária. Isso significa que esta mudança, como exemplos históricos comprovam, deverá, sim, sair da classe média. Sempre expremida e com um pouco mais de consciência política.

    Esta classe média acaba gerado movimentos que se expandem, que tomam vulto e acabam por mostrar ao todo a necessidade de mudanças.

    Foi assim que o PT assumiu o poder, por mais que tenha saído de bases sindicais, lutou por mais de 20 anos sem êxito até que convenceu a classe média que poderia ser melhor. Idem para o PSDB antes dele. E assim será no novo ponto de mutação que nao sei quando acontecerá.

    Vai resolver tudo? Claro que não, mas será um passo a mais em direção de algo melhor que o que temos hoje.

    E neste movimento parece que nem PT nem PSDB estão engajados em entrar. Um porque não quer largar o osso e outro porque perdeu o bonde faz um bom tempo e nem sabe mais onde está o trilho.

  32. Pax said

    Passaste para fotos montagens agora, caro Chesterton?

    É com essa “oposição” que vamos mudar alguma coisa?

  33. O Brasil, o Senado e o Renan passarão – se as denuncias evoluírem – por uma situação inédita e humilhante: será a primeira vez (possivelmente em todo o mundo) que um presidente de uma casa legislativa terá renunciado duas vezes ao cargo.

    E dará ensejo a uma pergunta: se é tão sujo, porque teimam em elegê-lo? Como é possível para qualquer um de nós explicar isso para um cidadão estrangeiro (do primeiro mundo) sem passar atestado de incompetente, omisso, burro ou igualmente corrupto?

  34. Elias said

    “Discordo do Elias quando diz que a culpa é da sociedade. Peço vênia mas discordo totalmente.” (Pax)

    Assim não vale, Pax!

    Eu nunca disse isso!

    O que eu venho dizendo, é que A SOCIEDADE é que organiza o Estado, não o inverso.

    É A SOCIEDADE que organiza as instituições, não o inverso.

    Até porque, historicamente, a sociedade precede o Estado, não o inverso.

    Foi a sociedade que criou o Estado, não o inverso.

    Consequentemente, a sociedade é que aperfeiçoa o Estado, não o inverso.

    Nunca, em momento algum, eu discuti esse assunto em termos de “culpa daqui” ou “culpa dali”. Menos, ainda, em termos de fulanização.

    Quem fulaniza é a direita (e as caixas de comentários do PolíticAética não deixam espaço pra duvidar, né?).

    Se quiseres que eu diga a quem eu acho que cabe a “culpa”, eu te direi que a “culpa” é de um processo histórico. De uma singularidade histórico-cultural.

    Há um ou dois dias, o Zibigniev e eu debatemos um pouco sobre a intervenção dos militares na política brasileira. Ele havia transcrito uns textos de ótimo nível, mas que tratavam a intervenção dos militares na política brasileira como algo recente, relacionado à Guerra Fria.

    Lembrei ao Zibigniev que essa intervenção é muito anterior à Guerra Fria e à própria existência da União Soviética. A Proclamação da República, p.ex, foi feita por um golpe militar, quando a proposta republicana estava em baixa, politicamente.

    A origem do bundalelê político em que vivemos é mais antiga, mais profunda e mais complexa. Não cabe em simplicações tipo “culpa deste” ou “culpa daquele”.

    Ingenuidade pensar que esse problema poderá ser resolvido a toque de caixa, só porque uns e outros apressadinhos sonham em ver isso antes de passar à 3ª Instância, pra prestação de contas final…

    ***

    Por outro lado, existem algumas coisas acontecendo, que muita gente que focada num determinado aspecto da vida nacional, prefere não perceber, ou simplesmente não consegue.

    No Brasil de hoje, cerca de 6% das pessoas maiores de 15 anos são analfabetas. Do jeito que as coisas estão evoluindo, até 2020 ou 2025, a taxa de analfabetismo no Brasil será praticamente nula, e a maior parte das pessoas terá o ensino fundamental completo.

    Se o processo de educação formal passar a adotar o enfoque de “educação para a cidadania”, como fez a maior parte dos países europeus, em 10 ou 20 anos o Brasil terá um eleitor com perfil substancialmente diferente do atual. Hoje, o perfil do eleitor brasileiro já é substancialmente diferente do que era em 1994 (razão pela qual o discurso político que funcionava em 1994 não funciona hoje… Já notou isso?).

    Se o processo educativo brasileiro enfatizar a educação para a cidadania, em 10 anos a sociedade brasileira será substancialmente diferente do que é hoje, e o Estado, assim como as instituições em geral — partidos políticos inclusos — terão que acompanhar essa mudança…

    Como sempre, para os partidos políticos, assim como para as demais instituições (privadas, incljusive), prevalecerá a Lei de Darwin: sobreviverão não os maiores, nem os mais fortes, nem os mais bonitos; sobreviverão o que souberem se adaptar.

    Dá uma olhada crítica em torno, e verás que isso está acontecendo. Neste momento… Acontece o tempo todo, desde a era caralhauzozóica…

  35. Chesterton said

    É com essa “oposição” que vamos mudar alguma coisa?

    chest- não custa lembrar quem mais defecou sobre as instituições. Renan Calheiros é herança maldita do peto-lulismo.

  36. Chesterton said

    Discordo do Elias quando diz que a culpa é da sociedade. Peço vênia mas discordo totalmente.

    chest- hein?

  37. Pax said

    Caro Fernando Cesar Monteiro,

    Seja bem-vindo ao blog.

    Torço para que as denúncias obriguem Renan à nova renúncia. Não temo a opinião de estrangeiros, provavelmente passam por situações complicadas em seus territórios. Ou será tão diferente nos EUA? Em Israel? Não são. Talvez em alguns países da Europa. A diferença é que aqui a impunidade reina, a corrupção é o fator político determinante. Uma hora vamos mudar este quadro.

    Caro Elias,

    Se interpretei mal o que disseste, peço desculpas. Mas, salvo engano, acho que não. Perdoe-me.

    Caro Chesterton,

    E Renan não passou pelos governos tucanos? Ora, caro Chesterton, de tanto ler lixo você acaba vomitando as mesmas besteiras que essa turma diz.

    Vou repetir o que me disseste vários anos atrás, desde quando comecei a blogar: vá estudar, Chesterton! =)

  38. Pax said

    O senador Álvaro Dias não gostou do que escrevi no Twitter e me respondeu. Falei que ele, Aloysio Nunes, novo lider do PSDB no Senado e Aécio Neves, o presidenciável de parte do tucanato, tinham se omitido na tribuna ontem, no processo de eleição do Renan.

    Na boa? Teve hombridade de discutir, deu a cara a tapa e me mostrou que tinha falado, sim.

    Pedi desculpas. E continuei afirmando que não vejo menor sentido na existência do Senado. Mas achei sua postura decente.

    Diferente do Paulo Paim que está cheio de mensagens em seu Twitter, inclusive minhas, e oculta o rabo entre as pernas até o momento.

    Gostava do Paim…

    O Aloysio Nunes também se manifestou, sem responder diretamente. Mesmo assim o questionei. Reclamo que dos 20 oradores que falaram na tribuna só Alvaro Dias se pronunciou.

    Sem oposição, não dá.

    É torcida? Claro que é. Mas não partidária. Neste momento só torço para que tenhamos uma política melhor. Esta que está aí, na boa, não me serve.

  39. Chesterton said

    Renan renunciado e readmitido é obra de governos petistas. Não se confunda, pax.

  40. Pax said

    Agora sai no Twitter que Romero Jucá diz que as denúncias contra Renan serão arquivadas.

    Mas.. quem é Romero Jucá?

    Aqui tem-se uma noção: https://politicaetica.com/category/romero-juca/

    Este camarada, segundo fartas denúncias, tem um laranjal à disposição para esconcer a propriedade de concessões recebidas para que exerça seu papel no Senado.

    De novo, não preciso disso. Este Senado é caro, lotado de vagabundo e não presta pra nada.

  41. Chesterton said

    Se Lula comprou o congresso, porque não? Onde estão as instiutições democráticas com moral para reprimir isto?
    O PT quebrou.

    e não é que ela tem razão?

    http://veja.abril.com.br/blog/reinaldo/geral/giovinezza-do-pt-afirma-quem-se-opoe-a-roubalheira-e-de-direita-e-quem-a-defende-e-de-esquerda-querem-saber-eu-concordo/

    Sofre Pax!

  42. Elias said

    “Se interpretei mal o que disseste, peço desculpas. Mas, salvo engano, acho que não. Perdoe-me” (Pax)

    Eu que te peço perdão, Pax, mas…

    …Não há nada a interpretar, no que eu disse.

    Eu já disse, porrilhões de vezes, e com todas as letras, que NÃO CONSIDERO a sociedade “culpada” do que quer que seja.

    Dito isso, a única interpretação possível é a de que eu NÃO CONSIDERO a sociedade “culpada” do que quer que seja.

    O que eu digo, e repito, é que a sociedade é quem organiza o Estado, e não o inverso. E etc, idem, idem, como no meu comentário # 34.

    Meu raciocínio passa longe desse negócio de procurar culpado aqui ou ali. E passa longe de fulanizações.

    No que se relaciona ao Senado, p.ex., não sou contra a existência dele por causa de Renans, Jaderes, Pains, Demóstenes, Tostines, Donuts ou o que diabo for…

    Com eles ou sem eles, eu seria — como de fato sou — contra a existência do Senado.

    Sou contra a existência do Senado, porque o considero uma instituição supérflua na estrutura política brasileira.

    O fato do Senado ter se tornado uma casa de tolerância, cara e corrupta, é só um agravante. Torna a sua extinção mais urgente, além de necessária, porque ele passa a ser um obstáculo para a moralização das instituições

    Mas a extinção do Senado seria desejável e necessária, mesmo que ele não fosse corrupto.

    A meu pensar, a extinção do Senado é necessária porque o Senado é desnecessário.

    E, Pax, vou repetir:

    1 – NÃO CONSIDERO a sociedade “culpada” do que quer que seja. Meu raciocínio político não trabalha com busca de culpados, nem com cruzamento de cabra com periscópio pra tirar bode expiatório… Nada assim!

    2 – Mas ENTENDO que a sociedade é que organiza o Estado. E só a sociedade tem meios pra moralizar o Estado e as instituições.

    3 – ENTENDO que nenhuma instituição — partidos políticos inclusos — tem condições de moralizar o Estado e as demais instituições.

    4 – Ao contrário, no processo moralizador, as instituições não são o SUJEITO e sim o OBJETO. Não são o AGENTE e sim o INSTRUMENTO.

  43. Chesterton said

    Até o Sakamoto joga lenha na fogueira…

    http://blogdosakamoto.blogosfera.uol.com.br/2013/02/02/petrobras-esta-exportando-empregos-reclamam-engenheiros/

  44. Elias said

    “Discordo do Elias quando diz que a culpa é da sociedade. Peço vênia mas discordo totalmente.” (Pax, mirando no que não vê)

    “chest- hein?” (Chester, não vendo no que mirar)

    Ora, pois, puto…

  45. Chesterton said

    Fala Elias, que conversinha de surdo, hein?
    Pax- que horas são?
    Elias- hoje é sexta-feira
    Pax- ah bom, então é aqui que eu desço….. (tóin)

  46. Elias said

    Para, Chesterton!

    Para, rapaz!

    Tu estás sendo muito original! Original demais!

    É muita originalidade, pro nosso gosto.

    Ninguém sabe o que fazer com tanta originalidade…

    É demais pra nossa cabeça. Excede em toneladas, a nossa capacidade de raciocínio.

    Para, Chester!

    Vamos continuar aqui, na planície do senso comum. Não nos submete à ttortura de tentar nos elevar aos píncaros vertiginosos da tua originalidade!

    Por favor, para Chester!

    Doidim…

  47. Chesterton said

    É provavelmente uma questão cultural, norte x sudeste. Aqui temos dificuldade em compreender o pessoal do norte.
    Comem bife escarrado (e riem) , compram ações da Petrobrás (e riem) e ainda se preocupam com o bilau do Ali Kamel…..

  48. Chesterton said

    O Holocausto de Santa Maria

    Por Paulo Chagas

    “… o Brasil também passou por períodos difíceis na sua história. Nós não podemos, por exemplo, esquecer os 300 anos de escravidão da população negra ou os anos de ditadura que nós tivemos de enfrentar. O holocausto sempre será para o Brasil uma questão que, de maneira alguma, não se pode negar”.

    São palavras da presidente Dilma Rousseff.

    Por que será que ela não se lembrou de citar as vítimas, em muito maior número, do regime criminoso pelo qual ela pegou em armas e aterrorizou a nação nos anos dourados, quando o lugar dos bandidos de qualquer matiz, raça, opção ou natureza era a cadeia, o cemitério ou o exílio?

    É revoltante, para qualquer cidadão minimamente esclarecido, testemunhar as lágrimas da presidente ao “consolar”, em Santa Maria, as vítimas da CORRUPÇÃO e da IMPUNIDADE tornadas endêmicas pelo partido que, aparelhando todos os níveis e nichos do poder, a institucionalizou ao ponto de querer convencer-nos de que é “impossível governar sem roubar”!

    É inútil procurar os culpados pelo genocídio na Boate Kiss porque eles se chamam CORRUPÇÃO e IMPUNIDADE, as filhas prediletas do sistema de auto proteção que enche os bolsos da canalha petista e dos oportunistas que parasitam nas rebarbas e nos meandros do assalto aos cofres públicos, das facilitações remuneradas e das criminosas vendas de alvarás, sentenças, autorizações, licenças, anistias e outras tantas lucrativas irregularidades que as alimentam.

    De uma só tacada, em uma única noite, em poucos minutos, a CORRUPÇÃO e a IMPUNIDADE ceifaram mais da metade das vidas que se perderam na luta contra o terrorismo nos 21 anos de governos militares!

    Santa hipocrisia, homiziada e camuflada sob o codinome de “FATALIDADE” e pela qual uns foram pagos para permitir que ocorresse, enquanto outros pagaram caro por ter ocorrido!

    Os canalhas ganharam…

    Os hipócritas choraram…

    Os inocentes sofreram…

    Os idiotas continuarão a acreditar, a sofrer e a pagar!

    Até quando?!

    Paulo Chagas é General na Reserva do EB.

  49. Pax said

    O Chesterton procurando seus generais. Estás com saudades deles?

    Pois quando “governaram” a base de pau-de-arara, censura e assassinatos, a corrupção fez as maiores fortunas deste país.

    Boa, Chesterton. Foi bom ter nos lembrado de quanto foi ruim aquele tempo.

  50. Pax said

    Naqueles tempos, se um general falasse umas merdas dessas, era preso. A gente apanhou para que um lunático desses hoje possa falar à vontade essas imbecilidades.

  51. Chesterton said

    Nem de longe dá para comparar a corrupção dos tempos dos militares com a do tempo Lula-PT….

  52. Chesterton said

  53. Michelle 2 said

    Homenagem do Renan ao Pax:

    “A ética não é um objetivo em si mesma. O objetivo em si mesmo é o interesse nacional. A ética é meio, não é fim.”

    (Renan Calheiros, novo presidente do Senado, que em 2007 renunciou à presidência do Senado para escapar de ser cassado por ter ferido a ética.)

    A maioria do Senado aprovou esta nojeira. Inclusive membros da oposicinha.

    Pergunto: o Brasil tem salvação?
    ——————

    Até agora o PT fez parte do problema.

    Em nome do “interesse nacional”, (que catzo é isto?), o Senado elegeu um corrupto. Com apoio do PT (e do ZD, o inocente).

    Pra pensar…Renan dispõe de informações sigilosas muito poderosas sobre meio mundo ??? É um deslavado chantagista?

    Algum palpite?

  54. Pax said

    Se um jornalista ousasse falar de corrupção do governo militar o que aconteceria com ele, caro Chesterton?

    Cada coisa que vc pensa.

    Ressaca de Renan, ressaca de Sta Maria e ressaca adiantada de Alves.

    Caramba, que país vamos deixar para as gerações futuras?

    Melhor socialmente, mas destroçado moralmente.

  55. Pax said

    http://www.istoe.com.br/reportagens/272784_O+TUCANO+INDESEJADO?pathImagens=&path=&actualArea=internalPage

    Tá chegando a hora de Azeredo. Virou um problemão para o PSDB.

    Dependendo da hora em que este julgamento for iniciado, será uma bomba na campanha de Aécio.

    E as eleições de 2014 serão, tudo indica, pontuadas por:

    Meu mensalão é melhor que o teu!

    Vai ser um show de horrores em que os projetos para o país ficarão, mais uma vez, em segundo plano.

  56. Patriarca da Paciência said

    http://novobloglimpinhoecheiroso.wordpress.com/2013/02/02/juiz-russo-renuncia-apos-ser-flagrado-dormindo-durante-audiencia/

  57. Patriarca da Paciência said

    “Colunista do Globo ficou desapontado com o comportamento dos senadores tucanos que não cumpriram o acordo com os meios de comunicação e votaram em peso em Renan Calheiros (PMDB-AL) na disputa pelo Senado; seu modelo de correção, agora, é o do Psol”
    http://www.brasil247.com/pt/247/midiatech/92519/Traído-pelo-PSDB-Merval-agora-exalta-o-Psol.htm

    Merval socialista furioso, dar para acreditar ?

    Parece que o Reinaldo Rola Bosta também expressou “sentimentos” semelhantes.

    Esses tais “imaculados” são mesmo uma caixinha de surpresas!

  58. Chesterton said

    Se um jornalista ousasse falar de corrupção do governo militar o que aconteceria com ele, caro Chesterton?

    chest- o problema daquela época não era contra jornalistas que combatiam a corrupção, mas com comunistas e guerrilheiros me jornalistas que os apoiavam. A esquerda sempre esteve a fim do poder POR CAUSA da possibilidade de aproveitar a corrupção, como o governo do PT provou de modo farto.

  59. Patriarca da Paciência said

    “Grandes empresas de mídia, no Brasil e fora, foram encontrando jeitos discutíveis de recolher menos. Na Inglaterra, soube-se que a BBC registrou alguns de seus jornalistas mais caros, como Jeremy Paxton, como o equivalente ao que no Brasil se chama de “PJ”. No Brasil, muitos jornalistas que escrevem catilinárias incessantes contra a corrupção são “PJs” e, aparentemente, não veem nenhum problema moral nisso. Não espere encontrar nenhuma reportagem sobre os “PJs”.

    Os brados contra a sonegação deixaram de ser feitos pela mídia brasileira quando as empresas aperfeiçoaram o “planejamento fiscal” — uma espécie de sonegação legalizada, mas moralmente imoral.”

    http://novobloglimpinhoecheiroso.wordpress.com/2013/02/02/paulo-nogueira-a-melhor-filantropia-e-pagar-o-imposto-devido/

  60. Patriarca da Paciência said

    ” A esquerda sempre esteve a fim do poder POR CAUSA da possibilidade de aproveitar a corrupção, como o governo do PT provou de modo farto.”

    Logo, a grande revolta e mágoa da DIREITONA é ter perdido o monopólio da corrupção.

  61. Chesterton said

    Oi Totó, pensávamos que finalmente o PT iria erradicar a corrupção, não aprimorá-la do jeito que está. O PT enterrou qualquer perspectiva de um dia o Brasil ser um país sério.

  62. Patriarca da Paciência said

    Fala aí, ô claque do rola-bosta 100% idiota,

    como dizia Confúcio, “se queres mudar o mundo, começa por modificar a ti mesmo”.

  63. Chesterton said

    O que vocês chamam de “direita” somos apenas trabalhadores que necessitam de um estado enxuto, Não-corrupto, que funcione com baixo custo. Precisamos construir, e não destruir, como a esquerda. Por isso sempre temos alguma fé na situação, seja ela quem for, e torcemos pelo sucesso do programa econômico da Dilma, apesar da equipe de idiotas que ela formou no comando das finanças da nação.
    PRECISO:
    1. inflação baixa
    2. existência de agentes do estado honestos ( enão achacadores)
    3. manutenção do valor da moeda.

    Se Dilma conseguir, terá nosso aplauso
    Não, não temos nenhuma expectativa irrealista, agora que a última vestal, o PT , se mostrou uma puta de quinta categoria.

  64. Otto said

    Chesterton: Sarney e Maluf e outros assemelhados cevaram-se em que regime?

  65. Otto said

    “As histórias que rondam Renan merecem uma explicação que ele não ofereceu. Concordo.

    Mas ninguém se preocupava com dramas semelhantes quando ele era ministro da Justiça de Fernando Henrique Cardoso. Isso aí. Ministro da Justiça. Tinha a Polícia Federal na mão.

    Ou, mais atrás, quando Fernando Collor era o queridinho da turma da saudade, feliz porque conseguira emplacar o candidato conservador na primeira eleição direta depois da ditadura. Renan estava ali, no jantar de Pequim onde aquela aventura começou.

    É quando se torna aliado de Lula e Dilma que Renan se torna inaceitável. Leva nossos observadores a sentir saudade.

    Deve ser pura coincidência, vamos combinar.”

    http://istoe.com.br/colunas-e-blogs/colunista/48_PAULO+MOREIRA+LEITE

  66. Pax said

    sinto muito, mas nunca deu pra aceitar Renan

    nem agora nem nunca no passado

  67. Otto said

    Pax, mas aqueles que o aceitavam — me refiro a mídia, não a você — hoje o deploram, mas não por interesses legítimos.

    Mudou o Renan ou mudou a mídia?

    Mudou a mídia.

    Você diria que mudou o PT. Sim, mudou o PT, amadureceu, pois enquanto ele não tiver 300 deputados e 50 senadores ele não poderá governar sozinho.

  68. Pax said

    Caro Otto,

    O que vc chama de amadurecimento eu chamo de degeneração, os valores foram alterados, o vale tudo virou rumo, o norte, a direção. Ao invés de mudar adotou o existente, gostou e se acomodou. Perdeu identidade.

    Uma pena.

    Podia ser diferente?

    Acho que sim. Sei que é mais fácil falar que fazer, mas o que foi feito, na política, não me agrada nem um pouco.

    E há quem diga que ainda piorou o que existia. Pode ser que tenham razão.

    Hoje eu torço que apareça alguma oposição que faça sentido. Quem sabe não ajudaria o PT a se reencontrar? Só essa opinião, que é minha, absolutamente particular e intransferível, já me deixa triste. Significa que não gosto e não acredito em nada que está aí, que nenhum modelo existente serve para o que precisamos, para fazer realmente o futuro melhor com mais rapidez. Segundo minha opinião, neste andar da carruagem levaremos mais décadas, meio século talvez, para adotarmos um modelo que privilegie o bem estar de todos baseado na eficiência do Estado como agente distribuidor de oportunidades.

    Basta ver Renan no topo da cadeia alimentar. Lobão como ministro de Minas e Energia a mando do velho coronel, Kassab e Katia Abreu subindo a bordo, etc etc. E hoje ainda teremos Henrique Alves também alcançando este pódio vergonhoso.

    Basta, também, ver tantas áreas que o Estado é corrupto, ineficiente e agente que mais atrapalha que ajuda, que mais cria dificuldades que estimula as liberdades de empreender. E por aí afora.

    Verdade que gosto de Dilma, mas fico incomodado com sua pouca capacidade de mudar esse status quo tão degenerado. Dilma deve e precisa do PT e este se perdeu, está se desfigurando, a caminho de sei lá o no que vai dar.

    E, não, não pauto minha opinião pela mídia, mas sim pelo que vivo, pelo que olho e sinto, pelas dificuldades que encontro, por este humilde fórum de discussão. Sempre olhei a mídia com desconfiança. Hoje ainda mais. Sou do tempo que esta mesma mídia apoiou a ditadura. Nada mais é preciso para saber como ela é. Sempre foi. Você diz que ela mudou. Sinceramente acho que não. Aqui e alhures a mídia surfa para onde os ventos lhe tragam vantagens. São raros, raríssimos, os poucos profissionais desta atividade que podemos ler sem desconfiança.

    O que quero, o que espero, não vai sair do que está aí. Da política que temos. Vai sair da sociedade que um dia perceberá quão ruim é essa situação do poder que vivemos. É por isso que, às vezes, desanimo. Quando vejo quem dá as cartas reforço minha certeza que o PT perdeu uma enorme oportunidade de fazer realmente a diferença no modelo político brasileiro.

  69. Pax said

    A política atual, como ela é… alguns artigos que li após escrever o comentário acima:

    http://josiasdesouza.blogosfera.uol.com.br/2013/02/04/renan-agora-quer-expandir-poderio-na-camara/

    http://www.brasil247.com/pt/247/poder/92559/Poder-total-do-PMDB-gera-ci%C3%BAmes-e-tens%C3%A3o.htm

    http://diariodocentrodomundo.com.br/a-sensacional-trolagem-em-cima-de-fhc/

    http://www.maurosantayana.com/2013/02/nao-ha-democracia-sem-parlamento.html

  70. Otto said

    Pax, ao dizer que o PT amadureceu eu não quis dizer que ele não errou ou não erre. Nem eu apoio esses erros.

    Mas pelo menos nós temos hoje uma mídia não aparelhada (como era antes, que a mídia não fazia oposição ao governo do PSDB). Da mesma forma a Polícia Federal é muito mais republicana. Há mais transparência no governo federal. E o Brasil mudou completamente de cenário no conjunto das nações. Não é mais um verme, um réprobo, É uma nação que conquista o seu respeito.

  71. Jose Mario HRP said

    Nosso Harry Potter tupiniquim tremendamente mal acompanhado:
    Essa é a oposição?

  72. Jose Mario HRP said

    Chesterton disse

    02/02/2013 às 16:26

    Só falta o Chest culpar o Lula e a Dilma!

  73. Otto said

    Pax, o seguinte artigo contempla mais ou menos minas opiniões e dúvidas. Vale a pena dar uma olhada:

    http://www.rodrigovianna.com.br/outras-palavras/a-eleicao-de-renan-alem-do-udenismo.html

  74. Pax said

    Então, caro Otto,

    O Rodrigo Vianna fala o que todos os petistas de hoje falam. A tal governabilidade.

    A mesma que vai colocar em cana a cúpula deste mesmo PT.

    É isso que querem? Ótimo. Me permito querer diferente.

    Aliás, a última frase do Rodrigo é fatal:

    “O problema do Brasil não é a corrupção, é a desigualdade”.

    Ou seja, em nome dela toda corrupção é aceita? Dado o que ele escreve até chegar a esta conclusão, parece que sim. E aí eu discordo frontalmente. É o mesmo discurso de sempre. Marina é força auxiliar do PSDB, PSOL é força auxiliar do PSDB, todos que não apoiam o PT são forças auxiliares do PSDB. Papo pra boi dormir.

  75. Zbigniew said

    O PSOL se alinha à direita, à oposição e apoia um candidato que posa de arauto da ética, quando na realidade é tão sujo quanto o Renan. A diferença é que todos já julgamos o Renan e o conhecemos, e o Renan é realmente muito sujo.
    Ora, mas o PT se alinha à direita, ou o PMDB é de esquerda? Ou não foi o PMDB que ajudou a barrar a redução da jornada de trabalho e a taxação das grandes fortunas? Ou a impedir a convocação do “caneta” e do “Jô Gurgel” na CPI do Cachoeira que acabou em… em nada? Ou a aprovar um Código Florestal nos termos que agradaram os latifundiários? Ou a contemporizar com os estados produtores de petróleo em relação aos royalties do pré-sal e sua distribuição para a educação do país? E assim teríamos mais tantos “ous” que reforçariam o questionamento que sempre fazemos: que sistema é este que não permite que se governe sem o PMDB a morder o calcanhar e puxar o tapete a toda hora? Que bazófia é o nosso sistema político que não admite vida fora dos sistemas de alianças espúrias, com aventureiros e desonestos de tamanha estirpe? E aí uma triste constatação: o PT (ou qualquer outro partido que estivesse no poder) não vai mudar este estado de coisas enquanto estiver surfando na popularidade de um seu no mais alto cargo do Executivo, a manter o projeto de poder aceso, baseado na combinação distribuição de renda e políticas sociais aos mais pobres, e de dividendos e lucros aos mais abastados. Todos saem ganhando, inclusive (e principalmente) os corruptos de sempre, pelo preço da governabilidade. Criticar é fácil, mas, qual a saída para tal situação? Alguém se habilita? Só não vale ir na onda da mídia pela luta da ética na política e pregar a ruptura geral e irrestrita, porque aí é muito fácil: simplesmente abre-se mão de governar. Sabem qual a primeira coisa que a oposição (principalmente essa que aí está) faria ao chegar ao poder? Era se alinhar, sabe a quem? Hein? ao P… M… D… o resto vocês completam.

  76. Pax said

    Quem sabe ensaiar uma reforma política, caro Zbigniew?

    No meu entender, não encararam (Lula e Dilma) por que não quiseram. Com o Congresso aos pés poderiam ter feito alguma coisa.

    Agora arrumam mil desculpas, que ninguém quis, que não é hora, que o pato não quer transar com a galinha etc etc.

  77. Elias said

    “Paulo Chagas é General na Reserva do EB.” (Chester, claro… Mas, por que General da Reserva, com “G” e “R” em maiúsculas? General é só um profissão, Chester, como engenheiro, médico, eletricista… Nome comum, entende? Com maiúscula, só no início das frases. A menos que estejas querendo abanar o rabo pra milico… Se for assim, vou começar a exigir que te dirijas a mim citando o posto… E COM MAIÚSCULA, CACETA! E EM POSIÇÃO DE SENTIDO, PAISANO!).

    É… Paulo Chagas é general da reserva…

    É um tremendo chefe militar.

    Venceu muitas batalhas, no War…

    Parece que chegou a ser ferido em combate, no Nintendo. Mas se revelou um grande estrategista no Play Station.

    Mesmo sendo verde-oliva, venceu várias batalhas navais, no tempo em que elas vinham na primeira página dos cadernos dos filhos dele…

    Enfim, é um herói…

    É cada um que esse Chester arranja…

    “Por que será que ela (a Dilma) não se lembrou de citar as vítimas, em muito maior número, do regime criminoso pelo qual ela pegou em armas e aterrorizou a nação nos anos dourados, quando o lugar dos bandidos de qualquer matiz, raça, opção ou natureza era a cadeia, o cemitério ou o exílio?”

    “Se” lembrar?

    Não dá, general… Ninguém “se” lembra de nada. “Se” lembrar é lembrar de si mesmo. É coisa pra doido…

    As pessoas normais lembram, ou não lembram. Sem o “se”…

    O general, p.ex., não lembra (e não “se” lembra…) que o regime militar brasileiro não ficou a dever a nenhuma outra ditadura, de nanhum outro lugar ou época. Prendeu sem culpa formada, prendeu por motivos políticos e ideológicos, não garantiu a integridade física de pessoas custodiadas, torturou e matou, como qualquer outra ditadura.

    Ditadura é ditadura, porra! Tanto faz que seja “de esquerda” ou “de direita”.

    Mas continue, general, a vender insanidades pro Chester. Se puder, venda muito mais pra outros, iguais a ele.

    Assim vai ficar mais fácil encher esse pessoal de porrada nas urnas, no ano que vem…

  78. Zbigniew said

    Pois é, caro Pax.
    Já que a Dilma e o Lula conseguem mudanças “comendo pelas beiradas”, como no caso dos juros e da redução das tarifas de energia elétrica, bem que poderiam utilizar o mesmo método para a reforma política.
    Acredito que o PT tenha, nos seus quadros, pessoas inteligentes o suficiente para estudar um novo modelo, que diminua o poder do PMDB, sei lá. Claro que o PMDB só está aí porque tem voto. E nem todos são “de cabresto”. Isso temos que respeitar.
    Entretanto, não é possível que o PT não tivesse apoio da sociedade. Para os juros e a energia elétrica deixou a oposição e o PIG chupando o dedo.
    Sei que deve ser difícil pacas, mas tem-se que começar. Tenho para mim que, tanto a Dilma quanto o Lula entendem que isto só poderá ser feito pela própria sociedade, através de seu amadurecimento e de sua educação. Acreditam que a parte deles está em dar condições para que a sociedade chegue a este ponto. Bem conveniente com o projeto de poder.

  79. Elias said

    Zbigniew # 78,

    I
    Mandou bem!

    Claro que a resposta está com a sociedade…

    Não há como descartar o PMDB do jogo político, porque o PMDB tem PODER político.

    E tem poder político porque tem voto.

    Mágica não existe.

    A oposição que hoje faz crítica remelenta ao PT, por sua associação com o PMDB, é a mesmíssima remelentíssima que, quando estava no poder, se associou ao mesmíssimo PMDB, comprou voto no Congresso pra aprovar a reeleição, etc, etc.

    Difícil levar a sério a rejeição aos acordos políticos que garantam a “governabilidade”, porque sem “governabilidade” ninguém governa…

    Claro que, pra fazer isso, o PT teve que mudar. E, não raramente, mudou pra pior. O PT de 25 anos atrás dificilmente faria os acordos políticos que faz hoje.

    Mas, também, o PT de 25 anos atrás dificilmente venceria uma eleição pra Presidente da República…

    Tanto que não venceu, embora chegando perto…

    II
    Bobagem pensar que a sociedade não tem sua agenda política. Claro que tem!

    E, num país com imensas desigualdades sociais, como o Brasil, as agendas de diferentes segumentos sociais enquadram os mesmos eventos em momentos diferentes, com pesos diferentes. Com diferentes noções de urgência.

    Questão de “timing” (como diz o pessoal que usa palavras estrangeiras pensando que assim confere mais credibilidade ao que diz…).

    As pessoas que têm como resolvidos, ou mais ou menos resolvidos, seus problemas básicos de subsistência, como educação, proteção à saúde, alimentação, moradia, etc., naturalmente elevam suas preocupações políticas a um outro patamar: preocupam-se com questões éticas, morais, etc.

    Já quem está vários degraus abaixo, matando um leão por dia pra sufocar o dia-a-dia, tem outras prioridades. Suas preocupações estão mais ligadas às oportunidades de trabalho, à habitação, à alimentação, escola para os filhos, e assim por diante.

    Corrupção? Claro que esse pessoal está atento a isso… Mas também está suficientemente escolado, a ponto de não acreditar nem um pouco na sinceridade da maioria dos políticos de oposição que vocifera contra a corrupção.

    Sabe que, no poder, essa canalhada faria igual ou pior. Aliás, sabe que, no poder, essa canalhada fez igual ou pior.

    A maior parte dos políticos oposicionistas só ajuda a confirmar isso.

    Lembra que, há alguns meses, o Demóstenes era um campeão da moralidade? E o Gabeira? Quando os outros fazem, é corrupção… Quando é ele que faz, é “ilusão patrimonialista” (Entendeu? Ele roubou aos cofres públicos não porque é safado, mas porque estava “iludido”, coitadinho…). E assim por diante…

    É por isso que o discurso “anti-corrupção” não cola. Não produz efeito eleitoral.

    Os políticos que, nas respectivas áreas geográficas de atuação, conseguem interpretar corretamente a agenda política do eleitorado, se dão bem. Se fazem jus a essa agenda, contribuem para sua realização, são reeleitos.

    Quem não consegue fazer essa interpretação, dança eleitoralmente… Quem não consegue contribuir para a concretização da agenda, é descartado.

    O PMDB sabe e faz isso muito bem.

    III
    Quem critica a atuação “congressual” do PMDB, com seu raciocínio político não indo além disso, esquece o fato de que o PMDB tem um porrilhão de prefeitos Brasil adentro.

    E que, em sua maior parte, esses prefeitos são pessoas decentes, que trabalham pra caramba (isso não dá manchete em jornais, nem rende matérias na tevê, né?).

    Na verdade, o trabalho desses prefeitos responde, em grande medida, pelo desempenho eleitoral do PMDB.

    E o desempenho desses prefeitos, por outro lado, é enormemente auxiliado pelo pessoal da ação “congressual”, que, entre uma e outra sacanagem (pra não degenerar, né?), consegue aprovar emendas parlamentares direcionando recursos para os municípios governados por peemedebistas, consegue direcionar projetos do governo federal para esses municípios, etc, etc.

    Os votos que o PMDB tem, são, assim, facilmente explicáveis, pra quem quiser ampliar seu campo de visão e análise.

    Não são um fenômeno sobrenatural, até porque isso não existe, né?

  80. Luiz said

    Pax e demais,

    Uma reforma política minimamente digna do nome só virá (se vier…) através de uma Constituinte Exclusiva e Restrita (sem mexer nos demais temas constitucionais).

    Este Congresso (e qualquer outro eleito no mesmo formato) jamais cortará na própria carne. Sem chances.

    A questão é: essa Assembléia vira por consenso político (preferível) ou será empurrada pelas “ruas” goela abaixo da classe política? Nesse último caso o perigo é aparecer um novo “Messias”, muito populista e pouco democrata. Já viu no que pode dar…

    Por mim, o Senado acaba, ou então é muito reduzido em tamanho e importância.

    Mas esse é só um detalhe dentro de uma Reforma bem mais ampla…

  81. Pax said

    Caro Elias,

    I

    admiro sua capacidade de transcrever o lixo político nacional

    II

    questiono onde essa visão nos levará

    III

    acho, sim, que abrir tanto as pernas para esse fisiologismo geral, desenfreado, desavergonhado, canalha, safado, criminoso mesmo, não só colocou a cúpula do PT condenada e às vesperas de encarar uma jaula, como apressará a tal fadiga de material que o partido definiu desde o primeiro dia no poder.

    iV

    sinto muito, continuo discordado geral

    V

    por mim, que se exploda.

    VI

    procuro qualquer outro projeto que me engane melhor que este.

    VII

    com certeza não será a opção de hoje, esta oposição que mais posiciona o traseiro para o engate que pratica a essência de sua “posição”.

    VIII

    nem essas que aparecem fáceis, dogmáticas, chatas, esverdeadas como musgo em água parada

    iX

    ainda há de surgir algo que valha

    X

    como foi um passado abandonado

    amém.

  82. Pax said

    Caríssimo Luiz (faz falta no dia-a-dia),

    Só na porrada a coisa vai acontecer, no meu achismo. O risco de aparecer outro “caçador de marajás” é enorme, principalmente tendo em vista essa mídia que também não mudou, piorou tal e qual o resto da política. Ainda mais grave, assumiu o papel de oposição, de tão fraca que essa é. E assumiu com histerias e mentiras, pra variar.

    Mas já disse acima, essa mudança vai acontecer. Na porrada. Claro que não será num passe de mágica. Será aos poucos, aos pedaços.

    De tanto cagarem na cabeça de todos, como agora Dilma anuncia que o Congresso é o “poder mais vilipendiado” (que chance de ficar calada, não?), uma hora a galera vai encher o saco. http://ultimosegundo.ig.com.br/politica/2013-02-04/em-mensagem-ao-congresso-dilma-diz-que-classe-politica-e-vilipendiada.html

    Aconteceu em 2002. Enchemos o saco e mudamos o rumo.

    Só que, quem assumiu, resolveu nos trair e adotar o mesmo rumo passado. E aí chegamos onde chegamos.

    O país melhorou, claro que sim. Desde que acabaram com os generais do Chesterton, melhoramos. Aos poucos. Mas melhoramos, sim.

    Só que ainda não chegamos no ponto G. E este ponto será a hora que decidirmos de uma vez por todas, que este rumo da canalhice geral, da coronelice geral, não nos serve mais. Quando este ponto, G, chegar, ainda teremos mais uns 20 a 30 anos de mudanças graduais a serem conquistadas.

    Por enquanto o que vemos é um PT se peemedebezizando sem o menor escrúpulo.

  83. Zbigniew said

    Não existe, caro Elias.

    Mas temos que pensar o seguinte: o Brasil é a sua sociedade. Complexa e tremendamente desigual, apesar dos avanços no campo social.
    Você se expressa muito corretamente quando fala das prioridades dos diversos estratos sociais. A imprensa tenta colar a questão da corrupção no PT (desde que o Lula começou a dar uma surra nos barões pelas urnas – isto eles não podem acusar: o Lula de ser anti-democrático, ou ladrão). Mas não pega, a não ser naqueles segmentos cujos valores estão obnubilados pelo preconceito de classe e não conseguem enxergar avanços nas políticas sociais, ou simplesmente não simpatizam com o partido, o que é um direito deles. Nos demais, em maior ou menor grau, as políticas do PT são muito bem avaliadas e aprovadas.

    Há pouco o Pax encetou uma afirmação de que tais políticas poderiam se esgotar no que se refere ao apelo pelo voto; mas acredito que isto só ocorrerá quando, de fato, o Brasil for um país livre da miséria, e as novas classes estiverem estabilizadas num patamar de consumo e educação que permita a luta por novos valores. Claro que isto não é assim tão exato. Há pessoas que mesmo em situação de pobreza, cujas primeiras necessidades ainda não estão satisfeitas ou parcialmente satisfeitas, exigem um comportamento ético das autoridades; assim como há abastados que nem ligam para isso. Mas isto não é a regra. Fora disso só se a economia for pro buraco, por razões óbvias.

    De modo que, numa sociedade mais igual, de forma natural, e no momento histórico que nós ainda não podemos vislumbrar, um partido como o PMDB não seria tolerado pelo país. Aliás, qualquer partido que se portasse de forma irregular e contrária aos interesses da população. Assim, deputados e senadores do partido associados a maracutaias, safadezas, irregularidades ou qualquer outro tipo de comportamento que frustre a sociedade de forma geral, no que concerne aos valores elevados que devem ser cultuados e vividos, e ainda, exigidos, principalmente da classe política (é assim que deveria ser), seriam estirpados da vida política pelos eleitores, como já acontece hoje, ainda que de forma incipiente. Entretanto já é possível vislumbrar políticos com dificuldades de se eleger pelo péssimo desempenho administrativo, demonstrando que a população sabe avaliar uma administração. Acredito que isto é um início para forçar um comportamento mais adequado no trato da “res publica”.

    Porém, caro Elias, não acredito que o PT não pudesse iniciar ou tutelar um movimento de moralização. Afinal, assim como os eleitores, a sociedade em geral, os partidos políticos, e os políticos (por que não?), também são atores neste cenário, e atores importantes, que podem encontrar meios e formas de, pelo menos começar a mudar esse estado de coisas. Até porque minar esse protagonismo que o PMDB tem e seus efeitos deletérios sobre o país só traria vantagens para uma aliança que busque o mínio de equilíbrio entre os partidos que a compõem. Como fazer? Sinceramente não sei. Se se busca uma reforma política, ela é barrada pelos interesses das bancadas; o que é do jogo, dos representantes da sociedade, que os colocou lá. Tudo bem. Mas isto não impediria lances ousados de quem consegue enxergar valores maiores para nortear o país.

    Há inúmeros exemplos de personalidades à frente do seu tempo, qua souberam liderar e guiar uma nação por caminhos, muitas vezes dolorosos, mas que levaram a avanços e conquistas para as gerações futuras que hoje agradecem penhoradamente. Não se busca aqui um salvador da pátria, ou uma visão romântica de que um só elemento ou uma só ação poderia, da noite pro dia, mudar uma situação de decádas (ou séculos). Mesmo porque essas personalidades souberam fazer uma leitura mais exata das oportunidades de mudança que, normalmente, é apresentada pela sociedade. E é por aí que eu questiono: Não teríamos uma sociedade suficientemente madura para começar essas mudanças. Neste ponto, acredito que sim. O que falta é coragem para mudar e sair da “zona de conforto” para onde o projeto de poder arremessou o PT e suas principais lideranças.

  84. Elias said

    Pax # 81,

    I
    Ficou parecido com os 10 mandamentos, escritos por um cara prestes a ser metido numa camisa de força…

    Mas é compreensível…

    Vê só: primeiro tu discordaste de mim, porque achavas que eu dizia que a “culpada” de tudo era a sociedade (coisa que, a propósito, eu nunca disse…).

    Curiosamente, na “ribalta” da mesma caixa de comentários em que disseste isso, fizeste um discurso assumindo a “culpa” pela morte de frequentadores daquela casa noturna gaúcha.

    Evidentemente que não estavas falando só de ti, nera não?

    Contraditório, certo?

    II
    Minha crítica a ti e a outras pessoas que pensam igual a ti, é que vocês analisam as coisas de maneira estanque.

    Vocês analisam o PMDB no Congresso, como se essa fosse a única “realidade” do partido. Desprezam outros contextos que, na verdade, são a razão mesma do PMDB ter a força política que tem.

    O PMDB tem poder político, porque tem voto. E tem voto porque sabe sensibilizar o eleitor, ajustando-se à agenda deste último. O cara vota continuamente no PMDB, porque não se sente desapontado com esse partido.

    Nem tudo o que o PMDB faz é errado, é corrupto ou é criminoso. Claro que eu torço pra que esse partido perca votos e encolha, em benefício de uma posição política mais avançada, mais moderna e menos fisiológica.

    Mas seria injusto, do ponto de vista ético, e imbecil, do ponto de vista político, que eu me recusasse a admitir que políticos desse partido, no âmbito dos respectivos municípios, dão ume enorme contribuição para a construção de uma sociedade melhor e mais justa em nosso país.

    Essa seria, a meu pensar, uma atitude política adolescente.

    Claro que isso complica as coisas. Torna as coisas mais difíceis de entender, mas… Paciência! As coisas são como são, não como a gente gostaria que fossem.

    E, sem entender a realidade em que vivemos, até mesmo porque desprezando parcelas inteiras e significativas dessa dita realidade, jamais consiguiremos mudar alguma coisa significativamente.

    III
    São coisas assim que o “engajado” classe média se recusa admitir.

    O típico intelectual, o típico agit-prop, o típico militante político, o engajado típico, etc, de classe média acha sempre que tem o monopólio das boas intenções (aliás, o típico agit-prop, o típico militante político, o engajado típico, etc, de classe média quase sempre rejeita ser enquadrado em qualquer dessas categorias, sem se mancar pra contradição…). Ele confunde as suas aspirações com as aspirações de toda a sociedade. Costuma falar em nome próprio como se estivesse falando em nome de toda a sociedade.

    Consequentemente, ele elabora sua própria agenda agenda política e, por acreditar nela, acha que todo mundo também tem que acreditar. Acaba se irritando com quem discorda. Se é prioridade pra ele, tem que ser prioridade pra todo mundo.

    Quem ainda não viu esse filme?

  85. Elias said

    conseguiremos

  86. Elias said

    Zbigniew,

    As propostas políticas estão permanentemente se esgotando. A realidade é dialética. “Todo processo traz em si os fatores de seu próprio esgotamento”, lembra?

    A questão não é essa…

    A questão é saber interpretar as mudanças na realidade, e saber formular politicamente pra cada realidade que se vive.

    Lembra de Darwin? Sobrevive quem consegue se adaptar às mudanças, né mesmo?

    Lembra de qual era o discurso político de maior aceitação em 1992?

    E agora? Tu achas que alguém conseguiria mobilizar politicamente usando aquele discurso?

    Lembra do PSDB? Lembra das porradas que ele tomou em 2006 e 2010, exatamente por não saber construir um discurso adequado ao seu tempo?

    É Darwin, Zbigniew… É Darwin…

    Isso existe em todas as esferas da existência, desde a era caralhozozóica… É anterior à própria existência humana.

    Acontece que algumas pessoas constroem análises de realidade que não têm nada a ver com a realidade e, depois, ficam p… da vida com a realidade, porque ela não corresponde às suas análises…

    Aí é soda, como diria Fócrates…!

  87. Zbigniew said

    Correto, Elias.
    Mas, às vezes um búfalo ataca um leão e… a lógica se inverte. Será que o PT não está deixando passar a oportunidade de dar o “start” necessário para fomentar as mudanças que tanto desejamos? Tudo bem, a história nos ensina que não devemos alargar em demasia o front de batalha, e que a política é a arte do possível, e que é mais certo permanecer no poder sem mexer no vespeiro e por aí vai. Mas, como vc mesmo reconhece, temos que ir além dos simplíssimos. Reduzir juros, baixar conta de energia, ascender pessoas socialmente, tudo isso perturba “status quo” poderosos, e não é nada simples. Mas, e por que não aproveitar o embalo e fazer feito o búfalo: ir contra a lógica atual. Será que vai dar tão errado assim?

  88. Pax said

    Como assim, caro Elias,

    Agora sou um agitator, propagandista, classe média, mediano, adolescente mental e, ainda pior…

    culpado pela degeneração moral geralizada em que o partido do poder se meteu?

    Só me faltava essa no curriculum.

    Ah, caro Elias, me inclua fora dessa, por favor.

    Só sou um classe média que por acaso acompanho a política de forma amadora, mas cotidiana, e vejo com clareza onde o bagulho foi parar.

  89. Pax said

    Aqui, ó, o negão. Tomamos algumas juntos. Faz uma falta danada esse cara.

    E, Elias, não, ele jamais foi “comprável”. Preferiu morrer a se dobrar.

    http://daqueleinstanteemdiante.blogspot.com.br/2013/01/blog-post.html

  90. Elias said

    “…culpado pela degeneração moral geralizada em que o partido do poder se meteu?” (Pax)

    Pax, essa tua fixação em “culpas” vai acabar te matando… E de raiva!

    Eu não disse que tu és culpado de coisíssima alguma. TU é que postaste um texto, te dizendo “culpado” disso e daquilo.

    Ninguém é “socialmente” culpado por um ato criminoso ou um procedimento corrupto.

    Quem é culpado do procedimento corrupto é o corrupto que o pratica. A sociedade é VÍTIMA desse f.d.p., Pax! E é, também, quem tem que decidir o quê fazer com esse f.d.p., Pax!

    É isso, Pax.

    Quem tem que te excluir és tu, que, de livre e espontânea vontade — e indevidamente, aliás –, te incluíste…

    Não me mete nisso!

    Zbigniew,

    É isso aí… Reduzir juros, reduzir a tarifa de energia elétrica, distribuir gratuitamente medicamentos para diabéticos e hipertensos, instituir programas de renda mínima e de microcréditos, instituir um fundo para fortalecimento da educação básica, etc, etc.

    Isso e muito mais um partido político pode fazer.

    Agora, moralizar as instituições? Não! De jeito nenhum!

    Até porque, como instituição que é, o partido político tem é que ser moralizado.

    Bobagem pensar que, antes de chegar ao poder, o PT era um partido onde tudo acontecia bonitinho, sem sujeiras…

    Um cacete! O PT nunca foi nada disso e a mídia sempre noticiou fartamente as peripécias petistas (que não foram poucas).

    O PT era, apenas, muito melhor que os demais partidos. Hoje em dia ele deixou de ser muito melhor, e é só um pouco melhor que os demais (apesar de tudo, ainda consegue ser melhor, porque os outros só conseguem ser umas pústulas…).

    Mas isso não muda nada.

    O que interessa é que só quem pode moralizar as instituições é a SOCIEDADE! O Pax pode espernear o quanto quiser, mas ele não mudará isso.

    Esperar que um partido faça isso, é sintoma de imaturidade política (agora é que o Pax vai ficar pau da vida, mesmo….).

    É acreditar no “messias político”, no “salvador da Pátria”, tipo Jânio, Collor, Hitler, Perón, Mussolini, aquele juiz do STF e o escambal a quatro.

    No caso, o sujeito está, apenas, substituindo o “messias pessoa” pelo “messias partido”.

    É uma variação do “cesarismo” que impregnou e bichou o pensamento militar brasileiro, há algumas décadas (nas Forças Armadas brasileiras, o “cesarismo” também não contemplava uma pessoa em particular, e sim uma elite das próprias Forças Armadas…).

    No essencial, é tudo a lesma lerda… Tanto faz dar na cabeça como na cabeça dar.

    No fundo, no fundo, esse “messianismo” ou “cesarismo” é uma concepção que nada tem de democrática… (agora o Pax vai me encher de porrada… Huá! Huá! Huá! Huá! Huá!) .

  91. Elias said

    Pax # 89

    Grande!

    Faz falta pra caramba!

  92. Pax said

    Agora estamos completos, Henrique Alves na Câmara, Renan Calheiros no Senado e o PT de quatro. (só pra provocar o Elias que nem me deixa em paz com minhas culpas judaico-cristãs).

    Aliás, cá entre nós, e que o Elias não nos ouça para não dar quiprocó, mas este Marco Maia só não é pândego porque é tragicômico de tão sem sal, sem tempero e sem nada mesmo. Acho que se apertar forte sai um sopro de nada e nada mais.

    Merece um enorme prêmio pelos serviços prestados.

    O prêmio Prometeu Acorrentado, aquele colocado em ostracismo no Cáucaso para que os abutres comessem seu fígado na maior tranquilidade.

    No final Zeus lhe concedeu a mortalidade para perecer serenamente. E é bem esse o melhor que pode acontecer para Marco Maia. Ir sair, saindo, de fiininho, pra ninguém se lembrar que ele não fez nada memorável mesmo.

  93. Chesterton said

    http://zerohora.clicrbs.com.br/rs/geral/noticia/2013/02/vou-continuar-comercializando-o-isolante-afirma-vendedor-da-espuma-da-boate-kiss-4034173.html

    chest- a culpa foi encontrada, é do vendedor de espuma!!!

  94. Chesterton said

    E no oitavo dia, Deus olhou para seu paraíso e disse: “Preciso de alguém que cuide desse lugar.

    Então Deus fez o agricultor.

    Deus disse, “Preciso de alguém disposto a levantar antes do amanhecer, tirar leite, trabalhar o dia inteiro, tirar leite novamente, jantar e ir até à cidade e ficar até depois da meia noite numa reunião de conselho escolar.”

    Então deus fez o Agricultor.

    Deus disse, “Preciso de alguém disposto a passar a noite acordado cuidando de um potro recém nascido, vê-lo morrer e enxugar os olhos e dizer, “talvez ano que vem”.

    Preciso de alguém que possa transformar um tronco de árvore em um cabo de machado, ferre um cavalo com um pedaço de pneu usado, que possa fazer um arreio com pedaços de arame, sacos de ração e sapatos velhos.

    Alguém que, durante a época de plantio e de colheita encerre suas 40 horas de trabalho semanais na terça-feira ao meio dia e passe mais 72 horas penando em cima do trator.

    Então, Deus fez um agricultor.

    Deus disse, “Preciso de alguém forte o suficiente para derrubar árvores e empilhar fardos, mas ainda gentil o suficiente para aparar cordeiros recém nascidos, desmamar porcos e cuidar de galinhas, que seja capaz de parar seu trabalho por uma hora para cuidar da perna quebrada de passarinho.”

    Deve ser alguém capaz de arar fundo, reto e sem cantos.

    Alguém que semeie, capine, alimente, crie, e dome, e are, e plante, e transforme lã em linha e coe leite.

    Alguém que mantenha uma família unida com a partilha de laços fortes.

    Alguém que sorria, e depois olhe e agradeça com um sorriso nos olhos quando seu filho diga que quer passar o resto da vida fazendo o que seu pai faz.

    Então Deus fez um agricultor.

    “Ao agricultor em cada um de nós”

    Ex blog florestal

  95. Michelle 2 said

    huevos rancheros

    A presidente Dilma Rousseff enviou uma mensagem ao Congresso. Cantou as glórias da política econômica, bem-sucedida, segundo ela, embora o país tenha crescido menos do que esperava.
    E o governo tenha demonstrado continuada falta de competência em áreas chave: Educação, Saúde/Saneamento e Infraestrutura.

    “Nesse momento em que a atividade política é tão vilipendiada, faço questão de registrar nesta mensagem o meu sincero reconhecimento ao imprescindível papel do Congresso Nacional na construção de um Brasil mais democrático, justo e soberano”.

    __________________________

    Comento: Eu prefiro “huevos rancheros”…quem não?

  96. Michelle 2 said

    Huevos Rancheros x Lagosta Termidor (Dilma)

    __________________________

    Comento: Eu prefiro “huevos rancheros”…quem não?

  97. Chesterton said

    http://www.implicante.org/noticias/lula-nos-eua-o-politico-honesto-nao-esta-em-mim/

  98. Pax said

    Então, falando em Educação, então…

    http://diariodocentrodomundo.com.br/por-que-a-finlandia-esta-fascinando-o-mundo-com-seu-sistema-de-educacao/

    O Brasil? Ficou na lanterna, na zona de rebaixamento.

  99. Pax said

    Bolha imobiliária que afundou a economia em 2008. Dica do twitter do Fernando Rodrigues.

    Standard & Poors’s acusada na Justiça de inflar as taxas para empréstimos hipotecários.

    http://dealbook.nytimes.com/2013/02/04/u-s-and-states-prepare-to-sue-s-p-over-mortgage-ratings/?smid=tw-share

  100. Patriarca da Paciência said

    Pois é, aquilo que todo mundo já sabia foi, finalmente, reconhecido pelo governo norte-americano, ou seja, a tal de Standard & Poors’s é mesmo só mais uma manipuladora de dados e defensora dos interesses dos grandes especuladores!

    E agora há também o grande escândalo das manipulações de resultados no futebol europeu!

    É, os países desenvolvidos tem mesmo muitas “lições de moral” para oferecer!

  101. Chesterton said

    E o mais importante Pax esqueceu. Cristina congela os preços por 2 meses…. (ai, ai, ai)

  102. Pax said

    Estou pouco me importando com as decisões que a mademe Cristina anda tomando por lá. Ano passado, na viagem para Ushuaia, vivi de perto o desconforto dos argentinos com uma série de medidas intervencionistas que me pareceram pouco eficientes.

    Não havia nada a ser comprado, alguns exemplos que me afetaram diretamente foram pneus de moto e, em especial, galões de combustível que tem que se comprar a partir da Península Valdez (de lá pra baixo há falta constante de combustível nas bombas além de desabastecimento). Queria ter comprado um galão de 10 litros, canadense, e tive que comprar 2 de 5 litros porque ninguém podia importar mais nada. Os de 10 litros tinham acabado e o importador impedido de fazer mais pedidos para o fornecedor. Pneu comprei usado em uma borracharia (gomeria) na cidade onde tem o monte Fitz Roy (esqueci o nome, já já me lembro).

    Mas, voltando, não acompanho o problema da Argentina de perto, nem é minha pauta. Tem gente mais capaz de escrever sobre o que rola por lá. A minha opinião, rasteira e furtiva, baseada em coisas vividas, é que intervenção demais não ajuda muito. Ao contrário, atrapalha um bocado.

    O que estou aqui, esquentando minhas caspas é:

    – Pra que temos senado (em minúscula mesmo)?

    – Porque não podemos ter uma educação modelo Finlândia? O que nos impede?

    Lá, segundo o artigo acima, todos, do filho do varredor de rua até o filho do primeiro ministro, têm a mesmíssima educação, bancada pelo Estado.

    Vou repetir o texto do Paulo Nogueira:

    Algumas coisas básicas no sistema finlandês:

    1)Todas as crianças têm direito ao mesmo ensino. Não importa se é o filho do premiê ou do porteiro.

    2)Todas as escolas são públicas, e oferecem, além do ensino, serviços médicos e dentários, e também comida.

    3) Os professores são extraídos dos 10% mais bem colocados entre os graduados.

    4) As crianças têm um professor particular disponível para casos em que necessitem de reforço.

    5) Nos primeiros anos de aprendizado, as crianças não são submetidas a nenhum teste.

    6) Os alunos são instados a falar mais que os professores nas salas de aula. (Nos Estados Unidos, uma pesquisa mostrou que 85% do tempo numa sala é o professor que fala.)

    Ok, Chesterton, sei que você jamais vai concordar em pagar 50% de impostos como lá. Já eu fico muito pau da vida de pagar 35% para sustentar essa corja que hoje monta – e desmonta – os governos fisiologistas.

  103. Pax said

    http://www.elchalten.com/

    Onde fica o Fitz Roy.

  104. Chesterton said

    A Finlandia é a aposta de Pax, agora que a Noruega caiu emn desgraça (ficou rica com petroleo). E realmente com essa populaçã:

    População
    – Estimativa de 2009 5 348 357[1] hab. (111.º)
    – Censo 2000 5 181 115 hab.
    – Densidade 15 hab./km² (190.º)

    …é muito parecida com o Brasil, que dizer, com o estado do Rio de Janeiro….quer dizer, com a cidade do Rio de janeiro…..sei lá Pax, acho que não vai dar certo.

  105. Zbigniew said

    Elias,
    você é um pragmático!
    Precisamos de sonhadores. De pessoas que vejam além da lógica de poder. Desse poder que aí está.

    Talvez você já tenha dado tudo no que se refere a sonhos nesta seara (não estou lhe chamando de velho, nem lhe desqualificando como sonhador. A questão é apenas das circunstâncias).

    Por isso precisamos oxigenar a política.
    Esse é outro aspecto interessante do nosso sistema. Há quanto tempo as mesmas figuras se revezam na liderança dos partidos e das casas legislativas?

    Certamente que o processo de mundanças vem da sociedade, é lá que ele é gestado. Penso que é um movimento de tentativas. Surge uma liderança aqui, outra ali, num primeiro momento não acontece a “química”. Daqui a pouco a sociedade começa a demandar e aí a “química” ou o “amálgama” toma corpo para as mudanças. Bem, isso leva tempo, principalmente numa sociedade como a brasileira que padece do mal da inércia. Entretanto, o que impede que o movimento surja de cima para baixo? Observe que a iniciativa de baixar juros ou de reduzir a tarifa de energia elétrica, embora implícita, não era uma demanda da sociedade, embora ela desejasse tais providências. Demanda no sentido de ter sido a sociedade o ator principal da mudança. O que fez a Dilma? Ousou. Houve desgaste? Sim! E aqui entra o pragmatismo: calculou a relação custo-benefício. E se deu bem!

    A reforma política é bem mais complexa porque é um assunto delicado e denso, mas caberia ao governo traduzir para a sociedade os seus benefícios. Qual a relação custo-benefício de tal providência? É certo que, num primeiro momento traria desvantagens ao governo. Mas, e as vantagens para a sociedade?

    A verdade é que, sim, o PT ainda é o melhor que temos em matéria de partido político. Mas também é verdade que a cada dia no poder, acatando os ditames pragmáticos de sua corrente prevalente (e aqui não entro no mérito do porquê dela ser prevalente), ele se distancia mais e mais desta possibilidade de mudança política. Simplesmente desistir porque os aliados não querem é obedecer a lógica de poder, é observar a relação custo-benefício e aplicá-la para que se mantenha o maior tempo possível no comando do país. Mas então, é o que o partido quer: fazer as mudanças sociais sem mexer na política. Deixar que a própria sociedade se encarregue da providência. Até lá vai continuar sujando as mãos porque não teve a capacidade de sonhar e de ousar, apostando em reformas que exigem a visão e o esforço de um estadista. Está errado? Pela lógica apontada, não, de jeito nenhum! Mas se apequenou frente ao desafio. Neste ponto o PT é mais do mesmo.

  106. Elias said

    Zbigniew,

    O PT, hoje, é um pouco melhor que os demais partidos e só um pouquinho pior do que ele sempre foi.

    Eu não faço parte do chamado “campo majoritário” do PT, cujo maior líder é o próprio Lula. Mas seria desonesto, de minha parte, não reconhecer os méritos políticos desse pessoal. O PT se transformou na máquina política que é hoje, em grande medida graças ao trabalho desse pessoal. Essa gente fez o que, até então, nunca ninguém havia nem tentado fazer: organizar um partido político de grande porte e expressão nacional, a partir da base. Tanto ninguém fez isso, que, até hoje, não existe no Brasil nenhum outro partido político organizado dessa forma. Fernando Gabeira, Marina, etc, nem ensaiaram fazer algo parecido pelo PV, certo? (é só um exemplo, dentre centenas de outros).

    Meu pai dizia que, o sonho era o começo de tudo. Para alguém fazer algo que valha a pena, tem que sonhar, e de olho aberto. E tem que satisfazer pelo menos dois requisitos: (1) se qualificar pra realizar o sonho; e (2) estar apto e disposto a pagar o preço do sonho, porque nenhum sonho se materializa de graça.

    No caso do PT, o sonho de montar uma máquina política teve como preço o desnaturamento ideológico do partido. Para o bem ou para mal, o preço está pago, e não há nada que possa mudar isso.

    O país ganhou com isso? Acho que sim.

    Não sou idiota a ponto de assumir a remelência do discurso pseudo-moralista da direita. Minha imbecilidade é mais modesta e não chega a tão altas cavalarias. Deixo isso pros outros quadrúpedes… Pra mim, os ladrões da direita e do centro são tão ou mais ladrões que os ladrões da esquerda.

    A partir do momento em que o PT se desnaturou ideologicamente, ele abriu a porteira para que um monte de petistas metesse a mão na m… e começasse a praticar a mesma bandalheira que a direita e o centro sempre praticaram (e sempre se acusando mutuamente…). Com o PT, a esquerda passou a fazer parte desse clube (a bem da verdade, a esquerda sempre fez parte desse clube; é que, agora, ela tem infinitamente mais visibilidade…).

    O Brasil tem, hoje, a roubalheira de sempre. Nem maior nem menor do que sempre foi.

    A diferença é que, hoje, o Brasil é um país muito mais rico e pouquinha coisa menos injusto (a oposição acha melhor não reconhecer isso, nem consegue formular para o contexto que isso implica; por causa, apanha feito boi ladrão…).

    O PT poderia não ter se desnaturado e também nunca chegado ao poder. Mas, já paraste pra pensar qual seria o preço disso, para o país?

    De qualquer modo, pensar nisso seria mero exercício mental. O que aconteceu, aconteceu. O fato é que o partido chegou ao poder e deu seu recado. Fez algumas coisas boas e outras péssimas.

    Agora, é hora de se pensar à frente. Dois, três, dez, cem passos à frente. É hora de se formular para o futuro.

    E, pra fazer isso, é necessário ajustar a ação político-partidária à agenda política da população. Bobagem alguém pretender impor uma agenda política ao país. Numa ditadura isso é possível. Numa democracia, nem pensar…

    A agenda política da sociedade deve ser o ponto de partida para qualquer ação político-partidária. Se tu, como candidato ao que quer que seja, verbalizares um discurso que ignore essa agenda, simplesmente não terás voto. Não serás eleito. E, se és político profissional e não consegues ser eleito aos cargos para os quais te candidatas, tua utilidade no processo político praticamente nenhuma.

    A agenda política da sociedade é a expressão do nível de consciência política da população. Reconhecer e respeitar esse nível de consciência não significa, necessariamente, se submeter a ele. Agora, ignorá-lo, é pavimentar o caminho para aquele lugar quente, que, segundo dizem, está cheio de boas intenções…

    Isso é ser “pragmático”, e não “sonhador”? Sei lá! Pra mim, pouco importa. Não me ligo nesse tipo de rótulo, tanto quanto não me ligo em os “culpados” da situação do Brasil ser assim e assim, e não assim e assado… (Quem gosta de fazer isso é o Pax).

    No plano retórico, se quiser, posso até dizer que estou tentando sonhar de olho aberto, como sempre aconselhou meu pai.

    E daí?

  107. Elias said

    Zbigniew,

    Eu também desejei que Dilma desse start pra reforma política.

    Mas isso, a meu pensar, seria uma estratégia pra depurar o PT, rachar o PSDB e tornar mais fácil a reeleição em 2014.

    Não seria uma reforma política pra valer…

    Sabes por que?

    Porque reforma política não é assunto para um único partido. Se um partido dominar o processo, ele fará a reforma pra servir aos seus interesses.

    Reforma política é assunto para a sociedade. Sem privilegiar tal ou qual posição política. Até porque o objetivo da reforma política deve ser, exatamente, proporcionar um ambiente saudável para as disputas entre as diferentes posições, sem privilégios a nenhuma delas.

  108. Edu said

    Fala pessoal,

    Feliz em dizer que doravante estarei permanentemente na cidade de São Paulo. Retorno das férias feliz, com um baita desafio profissional e pessoal pela frente, numa cidade que é maluca, cara e ao mesmo tempo deliciosa para quem é capitalista, como eu! =D

    Continuo acompanhando, mas diminuirei meus comentários aqui, infelizmente não disporei de tanto tempo para pesquisar, estudar, debater como gostava de fazer antes.

    —X—

    Isso posto, acho que esse anos estamos diante de mudanças interessantes:

    Dilma-mão-pesada-neoliberal-ornitorrinco-guarani-kaiowá está trabalhando!

    Esse início de ano eu estou satisfeito com a atuação dela. Finalmente parece que ela está coordenando seus ministérios e está pondo eles para trabalharem.

    Existem, claro, ajustes a serem realizados:

    1 – A inflação pode ser um problema, mesmo com a baixa na energia elétrica compensando a alta do combustível, como disse a Dilma hoje. O PT mexeu na renda, se a renda aumentou, o consumo vai crescer, isso já pressiona preços.

    2 – O ministério dos transportes está andando a passos de tartaruga. Particularmente acho que o Brasil deixa muito a desejar em integração nacional por quaisquer meios de transporte, isso prejudica o desenvolvimento de centros urbanos, prejudica o fluxo de mercadorias, onera mais o empresariado etc, etc.

    3 – Divida pública batendo récordes… bom, vamos ver como a Dilma vai equilibrar as contas públicas.

    Mas de resto acho que a coisa vai bem:

    1 – Desoneração da cesta básica? Acho bastante interessante, dá uma pauladinha na inflação (que eu acho que vai ser inferior ao desejado), e contribui com o poder de compra do povo.

    2 – Energia elétrica mais barata é bom, só quero saber como vai ficar o plano de investimentos pro futuro.

    3 – O anúncio do Mercadante sobre o estudo do governo onde serão autorizadas novas faculdades de medicina mostra que o ministério da educação resolveu planejar o futuro da educação do país em função da demanda. Poxa vida, é pouco ainda, versus o atraso que o Brasil está em relação à Finlândia, mas já é alguma coisa, gostaria que essa iniciativa desse certo mesmo.

    Esse ano estou mais otimista. Espero que se planeje, e que se cumpra o planejado. Faria este cidadão bastante feliz.

    —X—

    A conversa do Elias com o Zbig e com o Pax tá interessante.

    A dúvida é: então temos que esperar a cultura brasileira evoluir para que mudanças significativas aconteçam em relação à ética política? Eu concordo em partes, mas para mim o problema não está na cultura, está na falta de vergonha na cara: enquanto houver gente defendendo Genoíno e ZD, a política vai ser assim. Por outro lado, os partidos tem sim como fomentar pequenas evoluções: mais transparência em seus atos (que resultam até em uma defesa contra eventual coação de um figurão político, etc).

    Abs

  109. Chesterton said

    Edu, o voto é soberano.
    O brasileiro vende o voto em troca de uns míseros reais, uma bolsa isso, uma bolsa aquilo.
    O brasileiro é um povo bunda.

  110. Pax said

    Caro Elias,

    Quando você afirma que:

    O PT, hoje, é um pouco melhor que os demais partidos e só um pouquinho pior do que ele sempre foi.

    Eu tenho que discordar.

    O PT de hoje está bastante pior do que foi quando batalhava para chegar ao poder. No meu entendimento de leigo nunca filiado, mas que acompanho mais que a grande maioria a política e as mazelas da corrupção, o partido está bastante pior do que foi quando batalhava para chegar ao poder.

    Àqueles tempos a bandeira de um país governado com mais moralidade era das mais importantes partes de seu discurso, somado à determinação de pautar seu projeto na redução das desigualdades.

    Hoje?

    Hoje o discurso e prática vão ao encontro de uma tal governabilidade que chama a si o que há de pior na política brasileira, de Kátia Abreu e Kassab a Renan e Henrique Alves, sem falar na idolatria ao Sarney, o deus de todas as maldades, a quem entregam fatia considerável do país. Fatias estratégicas. Independente de discutirmos que outros caminhos seriam viáveis para governar. Independente da discussão sobre os porquês deixaram de lado qualquer tentativa de mudança do status quo.

    Na ponta, na sociedade beneficiada por uma significativa melhora de suas condições sociais, esta mudança do PT ainda não refletiu. Nem sei se – e quando – refletirá.

    Mas na classe média, onde o PT arrumou guarida à além da base sindical, a coisa realmente está diferente. Falo do meu mundinho, das relações que tenho. Não acho que esteja redondamente enganado, não. Sei, acompanho, tenho cá minha vida social real e cibernética e constato que este meu mundo do dia-a-dia não mais suporta o método adotado. As pessoas hoje odeiam o que se tornou o tal PT que você acha que está “um pouquinho pior”.

    Gostam de Dilma, sim. Exceto meia dúzia por cento que também tem esse direito. A massa gosta de Dilma e tenta apartá-la de quem a sustenta, o PT e seus atuais aliados que causam ojeriza geral.

    Onde isso tudo vai dar? Não tenho menor ideia. Só sei que uma hora a coisa muda. Assim como a sociedade esqueceu da inflação, um dia esquecerá da fome que passou. Tende a querer mais. Vai demorar 10, 20, 30, 50 anos. Mas vai esquecer, sim.

    E aí?

    Quais serão as promessas, os projetos e as bandeiras que conquistarão mais votos?

    Sei lá, torço para que sejam os projetos que idealizem uma sociedade mais educada, mais igual nas oportunidades, onde – segundo o exemplo finlandês, filhos de auxiliares de produção e filhos de empresários sentem nas mesmas cadeiras escolares e que esta visão consumista reflita sobre o que realmente vale a pena e o que realmente é uma sociedade bovinamente influenciada por necessidades impostas e não reais.

    Este mundo mais educado, onde o consumo não decreta um planeta pior de se viver, é o futuro.

    Quando isto se tornará uma bandeira política vencedora não sabemos. Mas os nórdicos nos mostram que água mole em pedra dura, tanto bate até que ganha eleição.

    O próprio PT camelou, pastou, demorou quase 30 anos e acabou chegando lá. E, na minha humilde opinião, chegou e se perdeu.

    Pode se resgatar? Torço que sim. Atualmente, porém, não vejo qualquer movimento neste sentido. Muito ao contrário.

  111. Elias said

    Pax,
    Nem vem pra cá com esse enredo piegas e melodramático de telenovela mexicana…

    Corta esse papo, amigo!

    Há algum tempo, o PT era um partido de oposição, que falava como oposição sem chance de se tornar situação. Agitava propostas políticas que só eram agitadas porque o partido não tinha chance de chegar ao poder e, por isso, sabia que não seria obrigado a mostrar que as propostas eram pra valer.

    E tome de “não pagamento da dívida externa”, “reforma agrária nas grandes propriedades, produtivas ou não”, e por aí afora.

    É como o PSDB, agora, falando em moralidade, combate à corrupção, etc.

    Dá pra acreditar que é pra valer? Não, né?

    É a célebre “lambança” da qual o Lula falou um porradal de vezes.

    Isso nem é honesto, do ponto de vista político, Pax.

    Quando o PT começou a se tornar, de fato, uma alternativa de poder, teve que dar um choque de realidade em suas propostas políticas. Teve que ajustar essas propostas à agenda política da sociedade.

    É essa a razão pela qual eu nunca respeitei muito as correntes radicalóides do partido. Elas queriam continuar aferradas às propostas políticas dos anos 1960, fingindo não perceber que essas propostas eram (aliás, são) inexequíveis, sem nenhuma afinidade com o Brasil dos primeiros anos deste século (nos anos 1960 elas já eram porralouquice…).

    Em pleno século XXI, os carinhas ainda teimavam em apresentar o Brasil a si mesmo, como uma “vítima a espoliação do imperialismo”, o que é uma maneira cretina de fingir que não vê que, como Lula resumiu, os “espoliadores” do lado de lá só levaram vantagem, porque contaram com a inestimável colaboração dos entreguistas do lado de cá…

    Então, Pax, grande parte desse antigo discurso do PT era pura hipocrisia. Não sei como alguém que se percebe politizado ainda pode ter saudade disso…

    A proliferação de corruptos no PT, em seguida à conquista do poder, foi algo tão inevitável quanto as 4 estações do ano. Aconteceu no PT, como aconteceu, antes, no PSDB (que surgiu de um racha “ético” no PMDB, lembra?), e assim por diante. Aconteceria e acontecerá com qualquer outro partido, pelo menos por algum tempo mais.

    Por que?

    Porque o combate à corrupção ainda não é prioridade na agenda política do brasileiro. O brasileiro acha que se deve, sim, combater a corrupção. Mas ele também acha que, hoje, existem coisas mais urgentes.

    Sabe aquele papo de dizer que “priorizar é fazer escolhas e renúncias”? Pois é, Pax. Isso não é só frase feita, não. É pra valer.

    Onde tudo é prioridade, nada é prioritário.

    Quando alguém prioriza uma coisa, o faz em detrimento de outras. É assim no mundo desde o tempo de Dom Miguel Charuto…

    Goste-se ou não disso, a verdade é que, infelizmente, o brasileiro ainda vê a corrupção com uma certa condescendência. Tu cassas um político ladrão hoje, e, nas eeleições seguintes, serão eleitos mais 5, pra cada um cassado.

    Não é porque o eleitor brasileiro seja um bundão. Bundão é quem não consegue perceber as razões disso.

    É que o brasileiro tem, hoje, outras prioridades. Só isso.

    Mas não tem nada de bundão. É muito vivo, isso sim! Tanto que ele não acredita nem um pouco na sinceridade de 99,99999% das pessoas que hoje vociferam contra a corrupção.

    Ele sabe que esses 99,99999% de pessoas, se tiverem um chance roubarão também. Alias, sabem que boa parte desses 99,99999%, mesmo sem exercer o poder político, já roubam a sociedade…

    …Sonegando impostos, por exemplo…

  112. Pax said

    Caro Elias, meu bom entreverista,

    Pode chamar de piegas, de noveleiro mexicano, do que você quiser.

    Que eu continuarei dizendo que o mundo ao meu redor está reclamando um bocado da política que aí está. E não é que eu esteja “achando” isso.

    Estou afirmando, haja vista o que rola, que eu tenho visto. Só isso, meu caro Elias.

    Não se engane, Elias.

  113. Chesterton said

    Ainda levará algum tempo para que Petrobras metabolize herança maldita da dupla Gabrielli-Lula
    Pelo visto, vai demorar um pouco até que a Petrobras consiga metabolizar a herança maldita deixada pela dupla José Sérgio Gabrielli-Luiz Inácio Apedeuta da Silva. Leiam o que informa Ramona Ordoñez, no Globo::
    A presidente da Petrobras, Maria das Graças Foster, reconheceu que a Petrobras vai ter um 2013 difícil. Segundo ela, além dos reajustes dos preços de combustíveis ainda não terem sido suficientes para recuperar as perdas com a defasagem internacional, a produção de petróleo terá queda neste ano. A estatal também não incluiu projetos novos entre os investimentos previstos. No mercado acionário, as ações despencavam. “Será um ano mais difícil que 2012, que já foi extremamente difícil. É um desafio muito grande. Não vamos abrir mão das necessárias manutenções das plataformas”, disse.

    chest – Tio Rei

  114. Chesterton said

    Há quase seis anos, modelo de privatização de estradas de Dilma dá com os burros no buraco… Os desastres do governo petista nessa área são um sucesso!
    O governo (ver post abaixo) anunciou nesta terça novas condições para a privatização de rodovias federais. Está nesse buraco — literalmente — há quase seis anos. E não consegue sair. O capital privado não comparece. Vamos lá, recuperando um pouco da história e chegando às medidas anunciadas hoje por Guido Mantega

    Os leitores mais antigos do blog certamente se lembram do que eu chamaria “O Choque das Previsões”. Corria o ano da graça de 2007, mas precisamente outubro, e a então superministra, supermulher, supercompetente, supersuper (sabem como são aqueles setores da imprensa criadores de mitos…) anunciou um sistema de privatização de estradas que foi considerado, antes mesmo de sair do papel, uma revolução. Os petistas são assim: a coisa nem aconteceu, mas já é um sucesso de crítica. O de público vem depois, na esteira do marketing.

    chest- mais Tio Rei

  115. Pax said

    Larga as drogas, caro Chesterton. Já está na idade.

  116. Michelle 2 said

    O PT muito além da cueca…

    https://mail-attachment.googleusercontent.com/attachment/?ui=2&ik=7f2f48f31c&view=att&th=13ca0ef6199617e0&attid=0.1&disp=inline&realattid=f_hcqdjt9a0&safe=1&zw&saduie=AG9B_P_6agy-fd1hur-_eDwlfyo2&sadet=1360105688707&sads=8hfmf3ec-Cw-lw3VbWnTeDDCUNo&sadssc=1

  117. Michelle 2 said

    Síndrome de abstinência, Pax?

  118. Chesterton said

    Pax, ad hominen , você odeia o cara mas não consegue contradizer uma vírgula do que ele escreve. É vergonhoso.

    (dã, ele não é democrático, não deixa eu escrever no blog dele, dãããããããã)
    ___________________

    http://tvuol.uol.com.br/assistir.htm?video=mp-denuncia-72-alunos-da-usp-por-formacao-de-quadrilha-04020D9B3670DC914326&tagIds=1793&orderBy=mais-recentes&edFilter=editorial&time=all&

    Os invasores da reitoria da USP foram denunciados….formação de quadrilha….acho que sifulderian.

  119. Pax said

    Toma PT, chupa essa.

    A base aliada comandada pelos seus agraciados Renan e Henrique Alves, no primeiro dia em atuação…

    traíram o governo.

    Toma na cara, PT, quem manda seguir morcego. Acaba morrendo queimado.

    Chesterton, não é questão de ad hominen, quero mais é que o cidadão continue a falar. É tal como o Malafaia, outro falstrão. Fazem um bem danado pra enterrar de vez essa oposição. Outra vai surgir no vácuo. Tomara que muito melhor que esta de Serra, Alckmin e Aécio.

  120. Elias said

    ” No mercado acionário, as ações (da Petrobras) despencavam.” (RA, segundo Chester)

    Adondeque?

  121. Pax said

    Metá Metá na Cultura e Luiz Tatit na Globonews.

    Hoje tá difícil de acompanhar tanta coisa boa na Tv.

  122. Pax said

    Abraço de afogado. Não consigo ver diferente disso.

    http://noticias.terra.com.br/brasil/politica/julgamento-do-mensalao/dirceu-apoio-do-pt-a-condenados-deve-ser-o-mesmo-dado-a-dilma,e95fb18593fac310VgnVCM4000009bcceb0aRCRD.html

  123. Edu said

    Pax,

    Um parênteses para falar de telefonia: vc viu a saída do presidente da TIM?

    A desculpa usada foi que ele realizou uma transição tranquila.

    A TIM apresentou crescimento em receita e lucro no último ano.

    Então por que esse cara renunciou se tudo vai tão bem?

    Minha modesta opinião é de que eles aumentaram a base de clientes e não investiram em infraestrutura. Daqui pra frente o desafio já não vai ser aumentar a base, mas sim fornecer os serviços de maneira adequada. Há uma possibilidade de que o lucro também seja artificial (já que o presidente recém renunciado é ex-diretor financeiro).
    Resultado: O presidente da TIM, que é muito vivo, saiu antes do barco romper o casco, né?

    -http://www.meioemensagem.com.br/home/marketing/noticias/2013/02/06/Outro-presidente-da-TIM-renuncia.html#.URJdsR3AeSo

  124. Zbigniew said

    E essa da Petrobrás de cortar dividendos para garantir o caixa de investimentos? Em detrimento dos acionistas?!!! Eu ia viver para testemunhar um momento como esse!(Olha aí, caro Elias!).
    Não é à toa que o PIG está a estrebuchar contra a Foster e sua administração frente à Petrobrás.
    Cada vez mais o Prevaricador terá um papel importante para os anseios da velha guarda. Crise institucional já! E a Mírian fumegando pelas orelhas no Bom(?) Dia Brasil.

  125. Pax said

    Pois é, caro Edu. Durou 6 meses. Agora novo é um tal de Franco Barnabè que já foi da Cisco.

    Em 2007 essa empresa, Cisco, teve dua diretoria inteira presa.

    http://www.netstern.com.br/portal.asp?Id=37&Idioma…S=4..&NuNot=152

    Será que o Barnabè era da turma?

    Hoje é uma das piores entre todas que são muito ruins. Nesta questão estamos vivendo ainda no século passado. Por mais que tenha melhorado um cadinho de nada.

  126. Zbigniew said

    Parece que a chiadeira tem a ver com isto (ou não?):

    “(…)
    Então, amigo navegante, a Dilma pisou no calo de quem, para gerar tanta gritaria ?

    Pisou no calo dos espertinhos que, em 1999, compraram ações ON da Petrobras a preço de banana, na Bolsa de Nova York.

    No Governo de quem ?

    Do Farol de Alexandria.
    (…)

    Em 1999, o Farol de Alexandria nomeou presidente da Petrobras Philip Reichstuhl, administrador profissional, que se tornou inesquecível por sua passagem no comando das Organizações Globo.

    Reichstuhl criou a marca “Petrobrax” e vendeu ações ordinárias da Petrobrás em Nova York.

    Foi o maior negocio da China em Wall Street.

    Por irrisórios US$ 5 bilhões, o Farol de Alexandria vendeu 20% e depois 16% das ON da empresa.

    Essa é a rapaziada que, hoje, chia através de seus instrumentos no PiG (*).

    São os portadores e ONs, que, ao fim do dia, no happy-hour em Wall Street, tomam um dry Martini em homenagem ao Fernando Henrique Cardoso.

    E caem na gargalhada !
    (…)”
    http://www.conversaafiada.com.br/pig/2013/02/06/lula-e-dilma-vao-perder-o-pig-vai-fazer-a-cabeca/

  127. Pax said

    Sei não, não acompanho de perto essa da Petrobras.

    Mas se tivesse ações da mesma acho que estaria pau da vida, sim.

    Caiu de R$46 pra R$16 a ação.

    Quem aplicou 100 hoje tem 33.

  128. Zbigniew said

    Sem dúvida, caro Pax. Sem dúvida.
    Mas, e a população brasileira? Com a crise continuando a explodir lá fora (essa criada pelos mercados desregulados), melhor seria um aumento sucessivo da gasolina acompanhando o preço do petróleo, ou a redução de dividendos para garantir investimentos, como refinarias e exploração de novos poços, pré-sal, na busca pela auto-suficiência? Eu ficaria com a última opção.
    Mas se fosse acionista, não estaria nada satisfeito.

  129. Zbigniew said

    E aqui o ovo da serpente querendo eclodir. Esqueço o douto quem é o chefe das FAs, no caso, a Chefe. Ou ele acha que as FAs vão atuar de ofício (ele não só acha, como deseja):

    “Ives Gandra Martins: se Câmara não cumprir ordem do STF, Forças Armadas podem intervir

    A nova cúpula da Câmara defende que o Legislativo descumpra as decisões do Supremo Tribunal Federal sobre a cassação do mandato de quatro parlamentares condenados no julgamento do Mensalão.

    O novo presidente da Casa, Henrique Alves, reafirmou que a palavra final sobre o assunto é da Câmara. O jurista e integrante do Linha de Frente da Jovem Pan, Ives Gandra Martins, conversou com o repórter Patrick Santos sobre a declaração.

    Para ele, o ministro Joaquim Barbosa tem razão quando diz que a última palavra é do Supremo, com base na Constituição. “Se o conflito se colocar, a palavra final é do Supremo. E, na eventualidade da Câmara não cumprir, o Poder Judiciário pode pedir a intervenção das Forças Armadas”, explicou.

    http://jovempan.uol.com.br/noticias/2013/02/ives-gandra-martins-se-camara-nao-cumprir-ordem-do-stf-forcas-armadas-pode-intervir.html

  130. Chesterton said

    E essa da Petrobrás de cortar dividendos para garantir o caixa de investimentos? Em detrimento dos acionistas?!!! Eu ia viver para testemunhar um momento como esse!(Olha aí, caro Elias!).

    chest- olha aí, Elias, tuas ações são mico (ainda)

  131. Elias said

    Zbigniew,

    A Petrobrás reduziu a distribuição de lucros do ano de 2012, porque lucrou menos. A Vale fez o mesmo. Em ambas, a queda ficou em torno de 33%, em relação a 2011.

    Isso repercutiu na bolsa. Os preços das ações da Vale e da Petrobrásão caíram.

    Quer dizer, então, que todos os acionistas da Petrobras perderam dinheiro?

    De jeito nenhum!

    Todos receberão as respectivas participações nos lucros. Será uma distribuição menor que a de 2011, mas, ainda, BEM ACIMA da média da maioria dos demais negócios no Brasil.

    Sabe aquela história de que os 3 melhores negócios do mundo são: 1) uma petroleira bem administrada; 2) uma petroleira medianamente administrada; 3) uma petroleira pessimamente administrada…

    Ou seja: com uma petroleira tu ganhas muito, tu ganhas medianamente ou tu ganhas pouco. Mas sempre ganhas…

    No caso da Petrossauro, ela começou a distribuir os lucros de 2012 antecipadamente, desde o primeiro semestre do ano passado. Falei disso aqui no PolíticAética.

    Quem soube ler corretamente as notícias, pegou esse dinheiro e aplicacou no mercado financeiro (daí o meu medo-pânico quando a Dilma baixou a taxa de juros e mexeu com a poupança, lembra? Falei disso aqui). Se o sacripanta fez isso, e fez direito, então ele deve ter tido uma redução de 10% a 15% nos rendimentos finais (eu, como sou pobre de marré, tô na faixa superior da redução; mas sei de gente que trocou 6 por meia dúzia).

    Ou seja: o Petrossauro trocou dinheiro por tempo… Acontece que tempo é dinheiro, certo?

    Agora, o que ocorre na bolsa de valores, é algo à parte. O mês de FEVEREIRO, p.ex., é um dos meses em que o micro e pequeno investidor deve se manter longe da bolsa (os outros meses são março, abril, maio, junho, julho…). A bolsa existe pra quem tem lastro. Não é o meu caso, evidentemente.

    Se tu pegares os noticiários da ADVFN que eu reproduzi aqui, verás, p.ex., o que aconteceu com as ações das “Xx” (as empresas do Eike Baptista). Sai a notícia de que uma X vai começar a extrair óleo: aí os preços das ações disparam. Na semana seguinte, a nlotícia de que aquela X precisou adiar por uma semana o início das operações: aí as ações caem mais de 10 pontos.

    Bolsa é, sempre, especulação. Os preços das ações flutuam não com base no desempenho real das empresas, e sim com base em expectativas em relação a esse desempenho. Nenhuma empresa varia seu lucro anual em 20% ou 30% em apenas um mês, salvo algum acontecimento excepcional. O que varia 20% ou 30% em um mês, para cima ou para baixo, é a EXPECTATIVA das pessoas em relação a esse lucro.

    Se, por exemplo, durante o segundo semestre de um ano, as expectativas foram excessivamente otimistas, no momento em que a empresa divulga o lucro, ou seja, no início do ano seguinte, se descobre que as expectativas sonhavam alto demais. Aí há o ajuste imediato.

    Não é que a empresa tenha se desvalorizado, ou reduzido seu potencial de proporcionar lucro. A queda se dá na expectativa (ou na especulação, pra se usar o termo exato) que se tinha em relação a essa empresa.

    Esse negócio que o Pax escreveu — “…Caiu de R$46 pra R$16 a ação. Quem aplicou 100 hoje tem 33.” — vale pro cara que especulou errado. Aconteceu o mesmo com a Vale (que, inclusive, perdeu uma posição no ranking mundial: caiu da 2ª para a 3ª colocação), com as Xx (todas, aliás, com queda de mais ou menos 33% em relação a 2011)

    Isso significa que o Petrossauro, a Vale ou as Xx são más opções de investimento?

    Nem um pouco! Só um doido pensaria assim…

    Quem tem grana disponível — E TEMPO! — deve estar comprando adoidado, agora, com as ações em baixa. Se eu tivesse algum, é o que eu faria.

    De qualquer forma, as variações na bolsa, atingem quem movimenta recursos na bolsa.

    Não é o meu caso, evidentemente (e INFELIZMENTE, né? Eu bem que gostaria de poder viver fazendo isso…).

    Venho comprando ações da Petrobrás desde os anos 1960, quando entrei no meu primeiro emprego. No período, essas ações se valorizaram mais do que qualquer outro ativo (casas, terrenos, cotas de capital de empresas, etc).

    Eu analiso isso fazendo calculos comparativos entre as alternativas ao meu alcance. Algo assim: qual o rendimento por R$ 1,00 proporcionado: (a) pelas ações da Cia A; (b) pelas ações da Cia B; (c) pelas ações da Cia C; (d) pela caderneta de poupança; (e) pelas aplicações a prazo fixo assim e assim; (f) pelas aplicações a prazo fixo assim e assado; etc.

    Por essa ótica, o Petrossauro e a Vale estão bem nas fotos, apesar dos percalços.

    Se eu fosse especulador na bolsa, provavelmente estaria dizendo outra coisa.

    Mas… Que fazer? Uma coisa é uma coisa, outra coisa sou eu e as minhas circunstâncias…

    De qualquer forma, é divertido ver gente que não é especulador na bolsa, repetindo frases feitas de especulador da bolsa…

  132. Elias said

    “chest- olha aí, Elias, tuas ações são mico (ainda)”

    Uma coisa é certa: esse um aí num tem neca de pitibiriba em ações…

    Tá se masturbando com o pingolim alheio…

  133. Zbigniew said

    Além do que mercado de ações é mercado de risco.
    O que os “liberais” reclamam por intermédio da mídia (aqui não mais partidarizada, mas assalariada – tudo bem, direito dela), é a intervenção do governo. Oras! Mas não é o governo acionista majoritário desta empreitada, ou seja, a sua população? E sabendo disto, porque investem nesta empresa? Se estão achando ruim, deveriam saltar fora, não?

  134. Chesterton said

    Arrota grosso, mas caga fininho..

    http://oglobo.globo.com/pais/henrique-alves-recua-garante-que-camara-cumprira-decisao-do-stf-7507590

  135. Chesterton said

    Tá se masturbando com o pingolim alheio…

    chest- não, Elias, estou achando graça do reto arrombado alheio, o teu. Comprou a uns 22, anunciou aos 4 cantos e vai levando na tarraqueta.

  136. Chesterton said

    Se estão achando ruim, deveriam saltar fora, não?

    chest- ja saltamos, a questão é que quem se ferra com a quebração de empresas estatais somos os contribuintes. Quem vai fazer investimento a longo prazo com essa incapacidade gerencial que estraga uma empresa como a Petrobras?
    Só o Elias que tem dinheiro sobrando e está disposto a doar um pouco aos companheiros na bolsa.

  137. Elias said

    Zbigniew,

    Essas as questões: (1) Mercado de ações é mercado de alto risco. (2) O comportamento desse mercado, em um dado momento, nem sempre reflete o que realmente está acontecendo na empresa. Ele reflete, muito mais, a EXPECTATIVA (ou o ajuste da expectativa) do próprio mercado, em relação à empresa.

    O caso do Petrossauro é típico. O Pré-sal turbinou o preço das ações da Petrobras na bolsa, para um nível muito além da rrentabilidade real da empresa. É quase como se fosse uma “bolha”. Agora chegou o momento do ajuste.

    Qual o nível em que o preço se estabilizará? Não faço a menor ideia. Provavelmente será menor do que antes, porém maior que agora.

    Os lucros de 2012 ficaram abaixo da expectativa de muita gente. Isso porque o governo retardou ao máximo o reajuste do preço dos derivados de petróleo (gasolina principalmente, mas não exclusivamente), pra segurar a barra da inflação. Isso reduziu o lucro da Patrobrás. Vai ver que o governo achou que é melhor conter a inflação do que turbinar ao máximo o lucro do Petrossauro. Há quem pense diferente, mas… O que se há de fazer?

    O preço da gasolina já foi reajustado há alguns dias. Mas acho que outros insumos permanecerão com o preço amarrado. Principalmente aqueles que afetam diretamente o setor primário (fertilizantes, p.ex.).

    Claro que o pessoal que não diz coisa com coisa vai continuar chiando. Se o governo soltasse as amarras dos preços dos fertilizantes, esse diria que os petelhos não apoiam o agronegócio…

    A essa altura, a Dilma já deve saber que governar é como carregar nas costas um saco cheio de cascavéis, sem poder matar nenhuma…

    Problema dela…

    FALAR NA VALE, olhaí outra do noticiário da ADVFN de hoje:

    “A Vale (VALE5) anunciou ontem à noite, após o fechamento dos mercados, que venderá parte do Ouro produzido como subproduto em algumas de suas minas de cobre e níquel. A mineradora assinou acordo com a Silver Wheaton Corporation (TSX:SLW) recebendo um pagamento inicial em dinheiro no valor de US$ 1,9 bilhão, mais 10 milhões de Warrants (similar à opções de compra) da SLW com preço de exercício de US$ 65 e prazo de 10 anos, cujo valor é estimado em US$ 100 milhões. A Vale afirma que a a transação libera considerável valor em seus ativos de metais básicos. Paralelamente aos esforços para liberar valor das operações e o potencial desinvestimento de ativos não-estratégicos da companhia, a Vale está buscando a redução da estrutura de custos e elevação de produtividade através da simplificação dos fluxos do processo produtivo e a paralisação de operações não rentáveis.”

    Com isso, a Vale vai buscar quase metade dos R$ 4,2 bilhões que ela perdeu com as macaquices do Agnelli (Onça Puma, Hydro, Docenave e mega navios).

    Está indo buscar em dinheiro vivo, que restabelece a capacidade de novos investimentos.

    Mas também está desinvestindo, ao descartar um ativo valiosíssimo, como é o caso do ouro de altíssima pureza, que ela obtém como subproduto da mineração do cobre e do níquel.

    A venda da opção de compra com prazo de exercício em 10 anos tem outros propósitos, evidentemente. Dá ao comprador a chance de repor 10% de sua saída de caixa, etc e tal.

    Em 10 anos o mundo acaba.

    Ou não…

  138. Chesterton said

    137, isso não é capitalismo, é o capimunismo estato-bolivariano.

  139. Elias said

    “Só o Elias que tem dinheiro sobrando e está disposto a doar um pouco aos companheiros na bolsa.” (Chester)

    Mas como és burrinho, ó puto…

    E estás à dizeire que tinhas ações da Petrobrás e as vendeste?

    E quando as vendeste, ó puto?

    Se as vendeste antes de 2012, fizeste besteira, porque perdeste excelentes distribuições de lucros, animal.

    Se vendeste agora, escolheste o pior momento, pois que em baixa.

    Sendo assim — ó puto! — creio que, quando falas de “reto arrombado” estás a falaire de ti mesmo.

    Mas acho mesmo é que estás a mentire, puto…

    Nunca tiveste ações, nem de Petrobrás nem de coisa nenhuma…

    Tua ignorância sobre o assunto é mais que reveladora.

  140. Chesterton said

    As vendi a 42, ó Elias, lá pelos idos de 2010.
    Tive ações da Petrobras desde os 6 anos de idade, quando meu querido avô me as deu de presente de aniversario, em bem modesta quantidade, para criar gosto.

  141. Chesterton said

    No momento estou especulando a entrada em uma ação que está a 0,56, já tinha saído a 0,72 e antes entrado a 0,48. Entra e sai, entra e sai, fuck, fuck…dim-dim no bolso.

  142. Chesterton said

    PETROBRAS -PN (PETR4.SA) -Sao Paolo
    17.59 0.49(2.71%) 1:49PM EST

    +

    => A empresa pagará dividendo de R$ 0,47 para as ações ON e R$ 0,96 para as PN.

    = rendimento equivalente a 5,33%

    Elias, pelo menos esse cara aqui se diverte

    http://bolsafeliz.blogspot.com.br/

  143. Zbigniew said

    Elias,
    aí eu lembro da chamada que o Barba deu no Agnelli porque não queria encomendar os navios aqui no Brasil. Tudo bem, eram mais caros, mas o Barba queria uma parcela da responsabilidade social que uma empresa destas deveria observar. É óbvio que os acionistas não apoiariam… como não apóiam a forma como a Petrobrás está agindo. O certo era que o Agnelli não combinava com a tal responsabilidade social, tampouco com uma visão que ultrapassasse o mais puro sabujismo que surfava nas ondas das commodities valorizadas pelo fator China. Lembro das loas cantadas e decantadas ao gênio Agnelli. Este que sabe escavar (mas com uma mineradora deste porte, não poderia ser diferente), mas não teve coragem de manufaturar o minério, preferindo acondicioná-los em navios gigantes fabricados na Ásia pra serem barrados nos portos do seu maior cliente, a China. O momento pavão do gerente não admitia que os lucros e dividendos tivessem diminuição.

  144. Pax said

    Eu coloquei uns parquíssimos caraminguás num fundo do meu banco cuja administração é caríssima, 4%.

    Mas ano passado, com toda essa crise, rendeu 23%.

    Vou ficando por lá.

    O que diversifiquei em outras coisas, mifu. Renderam menos da metade.

    Mas, sei não, essas ações da Petrobras a R$ 16 estão tentadoras.

  145. Chesterton said

    Inspirado no Elias fui dar uma olhada na VAGR3 que comprei a 0,37 e? Vendi tudo a 0,46.
    Valeu Elias, muito obrigado pela lembrança, o chopp é por minha conta.

  146. Chesterton said

    Pax, com esse resultado, 4 % ficou baratinho.

  147. Chesterton said

    Exclusivo – O Ministério Público Federal abrirá uma investigação contra José Sérgio Gabrielli por indícios concretos de superfaturamentos na maioria dos contratos firmados durante a presidência dele na Petrobrás. Os inchaços contratuais seriam as verdadeiras causas do aumento de prejuízos, perda de eficiência produtiva e consequente queda nos lucros da estatal de economia mista – que perde cada vez mais valor de mercado.

    Os maiores alvos de superfaturamento que o MPF vai investigar são os contratos para refinaria Abreu e Lima (Rnest/PE), para o Comperj de Itaboraí, e para os questionáveis projetos de refinarias premium no Ceará e Maranhão. Também entram na investigação a lesiva compra de uma refinaria tecnologicamente ultrapassada em Pasadena (Texas, EUA) e o escândalo Gemini – uma sociedade por meio da qual o governo brasileiro entregou o cartório de produção e comercialização de gás natural liquefeito (GNL) a uma transnacional dos EUA). Estima-se que os rombos na Petrobrás cheguem a R$ 10 bilhões.

    Já é certo que Gabrielli terá de responder judicialmente junto com aquele que é considerado o homem mais poderoso da Petrobrás: o diretor financeiro da empresa, Almir Guilherme Barbassa, que também acumula a função de presidente do braço internacional da companhia, a PFICo (Petrobras International Finance Co). Esta empresa é uma das grandes caixas-pretas no sistema Petrobrás.

    Barbassa é o negociador, com grandes bancos internacionais, de “empréstimos” diários para salvar o caixa da empresa de uma quebra. Por isso, além de gerenciar os grandes contratos da empresa e definir a política de pagamentos (que anda em estágio de atrasos), ele tem tanto poder. Além de Gabrielli e Barbassa, também pode sobrar para o ministro da Fazenda, Guido Mantega, que é presidente do Conselho de Administração da Petrobrás.

    A incomPTência (ou gestão temerária) de Gabrielli, herança maldita para a atual presidente Maria das Graças Foster, se agravou com os problemas conjunturais e políticos: alta do dólar, aumento das importações de combustíveis com a cotação internacional do petróleo altíssima e a longa defasagem nos preços da gasolina e do diesel – forçada pelo governo, acionista majoritário – para conter a inflação.

    Luiz Inácio Lula da Silva terá de fazer muito malabarismo para escapar de um problemão tão ou mais grave que o Mensalão II e o Rosegate: a incompetência de Gabrielli de um de seus homens de confiança na gestão da estatal de economia mista. Lula agora tem tudo para também ser responsabilizado por mal uso político da Petrobrás, principalmente com a marketagem em torno do pré-sal (cuja exploração efetiva ainda vai demorar décadas para se mostrar economicamente viável).

    Lula é o grande culpado pelo caos na Petrobrás. Engraçado que os petistas sempre lembram o fato verdadeiro de que Fernando Henrique Cardoso desejava privatizar a empresa, mudando até seu nome para Petrobrax (sendo que o xis ainda nada tinha a ver com Eike Batista). Agora, os mesmos petistas deveriam ter a coragem e honestidade de assumir que promoveram, nos oito anos de Lula, uma privataria na empresa, com contratos superfaturados – geralmente o meio para se distribuir dividendos em mensalões muito maiores que aquele julgado pelo Supremo Tribunal Federal.

    chest- essa é a turma do Elias….que deu a “dica” para ele comprar as ações por uns 22-23 reais….

  148. Chesterton said

    antes que o Pax infarte, é do Serrão o texto acima.

  149. Chesterton said

    Como o Alerta Total antecipou em 17 de dezembro do ano passado, Investidores estrangeiros e brasileiros da Petrobrás vão interpelar judicialmente, nos Estados Unidos, a Presidenta Dilma Rousseff, o Ministro da Fazenda, Guido Mantega, a atual e o ex-presidentes da Petrobrás, Maria das Graças Foster e José Sérgio Gabrielli, além do diretor financeiro da empresa, Almir Guilherme Barbassa, e Nestor Cerveró, diretor financeiro da BR Distribuidora.

    Todos terão de explicar o que está por trás da lesiva compra de uma refinaria tecnologicamente ultrapassada, em Pasadena (Texas, EUA), um exemplo hediondo de “privataria petralha” que deve gerar um prejuízo de até US$ 1 bilhão à estatal de economia mista e seus acionistas.

    O escândalo gerencial, que é alvo de uma auditoria no Tribunal de Contas da União, vai se transformar em um procedimento investigatório pelo Ministério Público Federal.

    Bronca da Dilma

    A negociata foi fechada em 2006 na gestão de Gabrielli, quando a então chefe da Casa Civil de Lula da Silva, Dilma Rousseff, presidia o Conselho de Administração da Petrobrás.

    Na época, Dilma teria sido contra a operação feita por Gabrielli, mas a reclamação dela de nada adiantou, já que o presidente da empresa era (e continua sendo) homem de super-confiança do chefão Lula.

    O caso Pasadena foi um dos motivos que fez Dilma, quando assumiu o Planalto, substituir Gabrielli por Graça Foster – que agora tem bilhões de pepinos para resolver.

    Serrão

  150. Pax said

    Acredito tanto nesse tal Serrão, mas tanto… e o Chesterton não larga das drogas.

    Virou junk.

  151. Michelle 2 said

    Afinal..que carajo fazia o Embaixador da Venezuela numa cerimônia de apoio a Dirceu?

  152. Chesterton said

    Wait and see.

    ———————

    Mais tio Rei

    Que tal tratar de um tema delicado?

    Regina dos Santos Pinho, agricultora do assentamento Zumbi dos Palmares, em Campos, no Rio, foi assassinada. É lá que morava também Cícero Guedes dos Santos, liderança do MST, morto a tiros no dia 26. O movimento se pronunciou nesse caso afirmando que o assassinato era “resultado da violência do latifúndio, da impunidade das mortes dos sem-terra e da lentidão do Incra para assentar as famílias e fazer a reforma agrária”.

    Muito bem!

    A polícia já prendeu o mandante do assassinato de Cícero. Latifundiário? Não! José Renato Gomes de Abreu, 45 anos, é funcionário público do município de São João da Barra, mas, ATENÇÃO!, morava num acampamento do MST na Usina Cambaíba, em Campos. Vocês entenderam direito: o funcionário público em um município era invasor de terra em outro. E o MST, é claro!, sabia. Cícero foi morto justamente quando voltava de uma reunião em Cambaíba. E por que José Renato mandou matá-lo? Segundo a polícia, ele é aliado de traficantes da “comunidade” Tira Gosto, em Campos, e queria assumir a liderança na invasão.

  153. Patriarca da Paciência said

  154. Michelle 2 said

    Curti muito Kansas …

    Vou mudar pra Barcelona:

    http://www.youtube.com/watch_popup?v=GBaHPND2QJg&feature=youtu.be

  155. Patriarca da Paciência said

    “Uma pesquisa de intenção de voto do Ciees (Centro de Pesquisas e Estudo Especializados), divulgada nesta quarta-feira (06/02) no Equador, projeta a vitória no primeiro turno do presidente Rafael Correa, que tenta a reeleição em 17 de fevereiro.

    De acordo com a sondagem, o candidato da Aliança País conta com 54% das intenções de voto. Atrás vem o banqueiro Guillermo Lasso con 20,6% e o ex-presidente Lucio Gutierrez, derrotado em 2005, com 5,8%. A lista continua com Alberto Costa, ex-ministro da Energia de Correa (5,2%) e o milionário Álvaro Noboa (4,3%).

    Cerca de 11,6 milhões de equatorianos podem votar para escolher presidente, vice-presidente, 137 membros da Assembleia Nacional e os cinco representantes do país no Parlamento Andino.

    Da AVN (Agência Venezuelana de Notícias)”

    http://www.brasil247.com/pt/247/mundo/92907/Correa-lidera-intenções-de-voto-no-Equador-com-54-Correa-lidera-intenções-voto-Equador-54.htm

  156. Chesterton said

    editorial da Folha, intitulado “Estragos na Petrobras”:

    O mau resultado no balanço da Petrobras estava previsto, mas nem por isso causa menos apreensão.

    O lucro líquido caiu para R$ 21,2 bilhões, valor 36% menor que o de 2011. A produção de petróleo e derivados decepcionou, com média de 1,974 milhão de barris por dia em 2012 -uma queda de 2,35% em relação ao ano anterior.

    A despeito do lucro contabilizado, o fluxo de caixa -uma vez deduzidos os investimentos- tem sido negativo. Apenas no último trimestre de 2012 o movimento da empresa consumiu R$ 11,7 bilhões.

    A sequência negativa de resultados vem de longe. Decorre, em boa medida, da gestão anterior da empresa, politizada e refratária a critérios de eficiência.

    A troca de comando no governo da presidente Dilma Rousseff, com a saída de José Sergio Gabrielli e a ascensão de Maria das Graças Foster, foi bem recebida por investidores, que veem disposição na nova presidente para consertar estragos.

    A tarefa será árdua. Estão programadas várias paralisações de plataforma para manutenção no primeiro semestre, por exemplo, o que reduzirá produção e receitas.

    A causa principal da lucratividade menor foi, paradoxalmente, o aumento da demanda por combustíveis. Vendas internas de gasolina e diesel cresceram 17% e 6%, respectivamente, no ano. Como a produção caiu, a Petrobras foi obrigada a importar ambos a preços maiores que os praticados no país.

    O governo não autoriza reajuste completo dos preços, como forma de contrabalançar outras pressões inflacionárias. Com isso, dificulta à Petrobras cumprir seu ambicioso programa de investimentos -só neste ano estavam planejados desembolsos de R$ 97,7 bilhões.

    Para manter o programa, a empresa se endivida. A deterioração de suas finanças é evidente. A dívida líquida (já excluídos os valores em caixa) chegou ao fim de 2012 em R$ 147,8 bilhões, perante R$ 103 bilhões no ano anterior.

    A fim de conter a sangria de recursos, a Petrobras decidiu cortar pela metade os dividendos distribuídos aos detentores de ações ordinárias. Elas caíram mais de 8%, ontem, no pregão da Bolsa.

    A despeito das expectativas quanto à capacidade da direção de arrumar a casa, o fato é que a situação da companhia não parece estar sob controle. Longe disso.

    O governo errou ao definir um modelo de exploração do pré-sal que sobrecarrega a petroleira, por obrigá-la a participar de todos os campos. Continua em erro ao represar preços de combustíveis.

    A decantada afinidade entre a presidente da República e a presidente da Petrobras, como já se apontou aqui, pode fazer mais mal à empresa do que beneficiar o país.

  157. Jose Mario HRP said

    Uma grave denúncia:
    http://saraiva13.blogspot.com.br/2013/02/voce-sabia-que-paga-r-1341543-por-mes.html

  158. Pax said

    http://noticias.r7.com/blogs/ricardo-kotscho/2013/02/06/estao-rindo-de-que-congresso-vira-galhofa/

  159. Pax said

    Longa, chata de ler, mas vale para entender um pouco Eduardo Campos, o mistério para 2014.

    http://revistaepoca.globo.com/Brasil/noticia/2013/02/quem-tem-medo-de-eduardo-campos.html

  160. Patriarca da Paciência said

    Cloquei novamente este vídeo porque percebi, vendo as declarações do Dr. Carlos Cavalcante, que a maior “subtração” contra a economia popular já praticada neste país, ou seja, a cobrança de 20% a 30% a mais, indevidamente, na conta de energia elétrica por mais de 20 anos.

    Esta conta chega a vários bilhões!

    Merece investigação!

  161. Patriarca da Paciência said

    Uma empresa que apresentou 21 bilhões de lucro, falam como se estivesse em situação pré-falimentar!

    Ah se todas as empresas do Brasil tivessem apresentado tal lucro!

  162. Pax said

    Complementando a notícia do #159, 2014 está na pauta

    http://oglobo.globo.com/pais/psb-desautoriza-lula-envolver-partido-na-sucessao-de-2014-7511952

  163. Patriarca da Paciência said

    Ridículo mesmo, profundamente ridículo, é a “grande” imprensa brasileira se arrogar o direito de determinar como o embaixador da Venezuela deve se comportar!

  164. Pax said

    Bem, vocês sabem, suspeito que sim, que tenho muitas contrariedades com o Noblat. E tenho mesmo. Em certos momentos acho que chega a disputar com o titio do Chesterton pelo troféu histeria.

    Mas este vídeo aqui que acabo de ver, não consigo discordar.

    http://oglobo.globo.com/pais/noblat/posts/2013/02/07/ja-deu-bode-485449.asp

  165. Pax said

    Acho que nem mesmo o Kotscho, esse sim, todos sabem que gosto um bocado, deve discordar. Seu último post:

    http://noticias.r7.com/blogs/ricardo-kotscho/2013/02/06/estao-rindo-de-que-congresso-vira-galhofa/

  166. Zbigniew said

    Quer dizer que, pro Noblat, o Congresso chegou ao fundo do poço… agora?!
    Há quanto tempo Renan e o Alves (esse com 11 mandatos nas costas), estão por ali?
    Outrossim, que tal o Noblat falar um pouquinho dos indicados ou apoiados pela oposição, como o Pedro Taques, acusado de envolvimento com a máfia dos combustíveis, lá pelas bandas do Mato Grosso, enquanto Procurador. Aliás, bem que merecia uma reportagem investigativa, com o selo do Caco Barcelos (esse sim, um jornalista sério).
    Com todo respeito, caro Pax. Pro Noblat pau que bate em chico não bate em Francisco. Se é pra bater vamo pra cima de todos, senão o opinativo é muxoxo pelo PMDB ter dado uma banana pro PIG.

  167. Patriarca da Paciência said

    Sem contar, caro Zbigniew,

    que o Noblat já anda elogiando o Henrique Alves, como aliás toda a “grande imprensa”.

  168. Otto said

    Alguma semelhança? Ou é mera coincidência?

    Por Emiliano José

    “Presidente, ao contrário do que ocorre em países como os EUA, no Brasil a imprensa tem um fortíssimo poder de manipulação sobre a opinião pública. Não é fácil enfrentá-la.” O alerta foi feito pelo jornalista Samuel Wainer a Getúlio Vargas. Na série de artigos que iniciamos nesta edição, Emiliano José retrata alguns exemplos que explicitam a relação da mídia (muitas vezes golpista) com o poder. De Vargas a Goulart, da ditadura a Collor, de FHC a Lula e Dilma, todos esses personagens serão analisados à luz da intervenção da mídia, que o autor qualifica como um partido político, à Gramsci

    …)Los acontecimientos sociales no son objetos
    que se encuentran ya hechos en alguna parte
    en la realidad y cuyas propiedades e avatares nos son dados a conocer de inmediato por los medios con mayor o menor fidelidad. Sólo existen en la medida en que esos medios los elaboran.(…) Los medios informativos son el lugar en donde las sociedades industriales producen nuestra realidad.
    (Verón, Eliseo. Construir el Acontecimiento – Los medios de Comunicación Masiva y el Accidente en la Central Nuclear de Three Mile Island. Barcelona, Editorial Gedisa S.A., 1995, p. II)

    Faltavam poucos minutos para as 9 horas, 24 de agosto de 1954. O jornalista Pompeo de Souza barbeava-se pacientemente, os olhos fixos no espelho, em seu apartamento no Rio de Janeiro, o rádio ligado, quando ouve uma notícia:

    “O presidente Getúlio Vargas está morto. Suicidou-se com um tiro no coração às 8:25 desta manhã”.

    – Fiquei paralisado e me senti um assassino. E chorei muito, convulsivamente. Nunca mais pude sentir raiva do Getúlio.

    Pompeo de Souza tinha razões para chorar, fosse ele, como era, um homem honesto.

    O choro era do jornalista que havia sido convictamente o cérebro e mentor principal do que ficou conhecido como República do Galeão, que conduzira até ali as investigações em torno do atentado do dia 4 de agosto do mesmo ano contra Carlos Lacerda, que levara à morte o major Rubens Florentino Vaz, segurança do político e jornalista e, presumivelmente, ferira os pés de Lacerda. Essa república era, em si, o prenúncio do golpe contra Vargas.

    E Pompeo fora o condutor da imprensa golpista, que construíra de alguma forma aquele momento.

    A Aeronáutica, à revelia do presidente da República, instalou um IPM e passou a conduzir tudo, arbitrariamente, constituindo-se numa espécie de república paralela, que não dava satisfações a ninguém, não obedecia a lei alguma e era guiada exclusivamente pelo antigetulismo raivoso. Não se envergonhou, sequer, de ter chamado o mais notório torturador da polícia carioca, Cecil Borer, para ser o principal interrogador, com a prática constante da tortura. À Aeronáutica juntou-se parte da Marinha e do Exército na conspiração golpista, sediada na Base Aérea do Galeão.

    Não se imagine, como não se pode imaginar hoje quando forças golpistas se movimentam contra Lula, um ex-presidente, que falar em antigetulismo raivoso e golpista seja apenas uma tentação panfletária. A movimentação contra Getúlio Vargas era intensa, com nítidas inspirações golpistas, e Lacerda era o principal líder, e tudo isso ecoava por toda a grande imprensa, cuja vocação contra governos reformistas é antiga, como pode se ver, à exceção apenas do jornal Última Hora. A Aeronáutica ocupou o Rio de Janeiro, quase literalmente e ostensivamente, a demonstrar ao presidente da República que a lei e a hierarquia não eram mais parâmetros pelos quais se guiava.

    Lacerda tinha força na Aeronáutica, embora também na Marinha e no Exército. O Estado é complexo, ontem e hoje. Enganam-se os que acreditam seja ele um ente uno, a obedecer linearmente às ordens de cima. Às vezes, do interior do Estado, de órgãos hierarquicamente subordinados, vêm as ações golpistas, que não nos enganemos, como naquele momento.

    Os lacerdistas da Aeronáutica, e não eram poucos, esperavam uma oportunidade como aquela, desejavam um atentado como aquele, que fora providencial, como confessou alguns anos mais tarde o coronel Adhemar Scaffa Falcão, subcomandante da Base Aérea do Galeão, uma espécie de faz-tudo da insólita república.

    O objetivo era político, revelou ele, como se precisasse fazê-lo. Foi claro, em entrevista ao historiador Hélio Silva:

    – O objetivo não era bem apurar a morte do major Vaz, e sim transformar o atentado em motivo para uma modificação política, e assim foi feito.

    Mais claro, impossível. O golpe estava em marcha acelerada.

    Carlos Frederico Werneck de Lacerda tinha uma reiterada vocação golpista, e tinha talento, determinação. Do comunista que fora na juventude, não restara nada. Tornou-se um iracundo porta-voz do antigetulismo, sempre em nome da moralidade pública. Não tinha escrúpulos, não cultivava a exatidão ou respeito aos fatos como jornalista. Pensava e agia com a meta de destruir o adversário, não importando os métodos. E induzia seus seguidores a agir da mesma maneira. Ao olhar a mídia nos dias de hoje, podemos notar vários profissionais com a mesma índole, os mesmos métodos.

    Voltemos ao espelho, às lágrimas de Pompeo de Souza. Jornalista respeitado, correto e moderado, conforme a avaliação de Flávio Tavares, católico e filiado ao Partido Socialista, credenciais que poderiam colocá-lo à esquerda do espectro político. Era amigo íntimo de Lacerda, no entanto.

    Chefe de redação do Diário Carioca, era amigo também de Café Filho que naquele momento, e depois, se incluía entre os golpistas. Foram o talento e a habilidade de Pompeo de Souza que deram forma política e penetração e prestígio popular àquela república truculenta.

    Passava boa parte do dia na Base Aérea do Galeão, preparando o esqueleto dos futuros interrogatórios e organizando a divulgação na imprensa e no rádio de tudo que ocorrera nas horas anteriores. Toda a relação com a imprensa, todas as revelações para os jornalistas e para a Câmara dos Deputados partiam dele, tudo passava pelo seu crivo.

    O clima do golpe era montado por ele, em articulação com o restante da imprensa, à qual passava as informações. Além de, na noite, manchetear, titular, rever os textos que seu jornal publicaria no dia seguinte, sempre com o agressivo tom antigetulista.

    A imprensa brasileira, também naquele episódio, participou ativamente do golpe, e como dirigente. Será que dá para imaginar o que fazem os editores ferrenhamente antilulistas a cada número de jornal televisivo, a cada edição de revista, de jornal? Dá, não dá?
    Pompeo de Souza, quando ouviu dos militares a ideia de convocar o presidente Getúlio Vargas para depor na República do Galeão, retrucou:

    – Não se deve, não se pode e não se fará.

    Acrescentou, no entanto:

    – Mas, exatamente por isso, vamos soltar o boato de que vai ser feito! Por isso, porque Getúlio jamais poderá ser convocado, vamos espalhar o rumor e a ideia de que vai ser convocado a depor!

    Aquela notícia, e vejam o quanto uma mentira repetida muitas vezes pode se transformar em verdade, começou a se espalhar rapidamente: o presidente seria chamado a depor na República do Galeão.

    Pompeo via sua estratégia de comunicação ganhar consistência, ter consequência política. Não é preciso dizer que os demais órgãos da imprensa brasileira seguiam a mesma direção, faziam tudo o que oDiário Carioca e a Tribuna da Imprensa, cujo dono era o próprio Lacerda, prescreviam. E afinal, como vimos, o pauteiro exclusivo de toda a mídia era Pompeo de Souza, porta-voz íntimo e autorizado da República do Galeão. O golpe caminhava aceleradamente.

    A imprensa toda falava em crise militar, verdadeira, e estimulada, açulada por ela. Getúlio Vargas resolve dar um recado à Nação e aos golpistas, divulgado pelo jornal Última Hora, dirigido por Samuel Wainer:

    – Só morto sairei do Catete.

    Reúne o ministério na noite de 23 de agosto, que vara a madrugada e termina às 4 da manhã. Dá o recado: a investigação sobre o atentado se desenvolvia livremente, o governo não tinha oposto nenhuma restrição, prosseguia normalmente.

    – Nada, porém, pode sobrepor-se à Constituição e às leis, nem essa investigação nem qualquer outro ato. Não sairei da Constituição um milímetro sequer!

    Os ministros militares se esquivavam durante a reunião, e o presidente percebia tudo, que experiência não lhe faltava. O inimigo dava voltas em torno dele, ali no Catete. Ali pelas 4 da manhã, disse:

    – Já que os senhores ministros nada decidem, eu decidirei. Como se trata de uma crise nas Forças Armadas, determino aos ministros militares que mantenham a ordem e o respeito à Constituição. Respeitada a ordem, solicitarei uma licença até que sejam apuradas todas as responsabilidades. Não quero lutas nem derramamento de sangue, mas não sou um covarde: se os insubordinados optarem por impor a violência e tentarem chegar até o Catete, levarão apenas o meu cadáver.

    Ali já tinha plena consciência de que os golpistas lhe haviam bloqueado o caminho. Nem os generais de dentro do governo o apoiavam mais, nem o seu ministro da Guerra. Estava isolado, e à beira da desmoralização depois de uma vida intensa de dedicação à pátria, dedicação que ele sabia juntara erros e acertos.
    Deposto, como parece que seria, passaria por covarde, que nunca fora. Esse gosto, o de ser desmoralizado, o de passar por covarde, o de ser apeado do poder, ele não daria a seus adversários. Ninguém percebeu sua intenção na noite decisiva.

    Nem o ministro da Justiça, Tancredo Neves, que recebeu de presente dele a caneta de ouro com que assinava decretos e leis, ao final da última reunião ministerial: “Guarde-a como lembrança destes dias difíceis”. Nem João Goulart, a quem ele entrega, na mesma madrugada, o original da carta-testamento, em envelope fechado, com a recomendação expressa de abrir “somente se me acontecer alguma cousa”. Nem a filha Alzira, que sempre imaginou saber tudo sobre ele, e que o beijou com um “até logo” na longa madrugada de 24 de agosto.

    Certamente, antes de se matar, passou em revista toda a sua vida. Especialmente quando tivera a intenção de ampliar a liberdade de expressão e de imprensa ao propiciar a criação do jornal Última Hora. Foi atacado por toda a imprensa, um escândalo foi montado, uma CPI instalada, sob o argumento de que Samuel Wainer, jornalista e proprietário e amigo de Getúlio, recebera empréstimo, legal, do Banco do Brasil, como se todo o resto dos meios de comunicação não se valessem também dos empréstimos do Banco do Brasil e da Caixa Econômica.

    A imprensa adversária de Getúlio não pretendia dividir o poder da palavra, não queria a intromissão na construção da opinião pública, queria manter o monopólio do discurso nas mãos de algumas poucas famílias, e queria ser uma espécie de partido único do pensamento, como quer até hoje.

    O fato é que todos, como dizia antes, foram ludibriados pela frieza de Getúlio Vargas, que, com um sentido trágico da existência, resolvera sair da vida para entrar na história, como dirá em sua carta-testamento. Que seguramente pensou em frustrar os golpistas, e o conseguiu com o tiro no próprio coração. Antes de se matar, determinara a si próprio dormir um pouco que fosse, entre 4 da manhã e pouco depois das 8, como o fez.

    O restante, depois da morte, é sabido: a reação do povo foi instantânea. Tomou as ruas de todo o país, indignado, a chorar por seu líder, e a desanimar a ação imediata dos golpistas. Mais tarde, depois da eleição de Juscelino Kubitschek, ainda houve, em 1955, uma outra tentativa de golpe, sufocada pela pronta ação de Lott, determinado a dar posse a quem havia sido eleito.

    Compreende-se a perplexidade de Pompeo de Souza à frente do espelho. Era um homem de princípios, mesmo que àquele momento, por razões não tão claras, estivesse tão firmemente ao lado dos golpistas. Mais tarde, em 1986, será eleito senador pelo PMDB, talvez, quem sabe, como purgação daquele então já distante 24 de janeiro de 1954.

    Carregou para o túmulo muita coisa que guardava dentro de si com relação àquela conjuntura, particularmente sobre o que ocorrera na República do Galeão. Recusou-se a escrever sobre ela, apesar da insistência de amigos, como Flávio Tavares. Dele, se fica a lembrança trágica da República do Galeão, permanece, também, a recordação de um homem de sentimentos profundos, capaz de refazer-se ao longo da vida, inclusive colocando-se contra a ditadura que se antecipara, sem vitória, naqueles fatídicos dias de agosto de 1954.

    Tancredo Neves, em 1961, levou-o para Brasília, onde foi chefe do Serviço de Imprensa do Conselho de Ministros, o mesmo Tancredo que se coloca inteiramente ao lado de Getúlio nos episódios de 1954. O jornalista foi um dos fundadores da Universidade de Brasília. Morreu em junho de 1991, aos 77 anos.

    A lembrança do papel de Pompeo de Souza na tentativa de golpe, sufocada tragicamente com o suicídio de Getúlio, não pode obscurecer a participação orquestrada de toda a mídia (salvo, como já dito, Última Hora), sempre atuando como partido político, com posições claras contra o Getúlio que surgira das urnas de 1950, mais nacionalista, mais decidido a promover reformas, pronto a assegurar alguns direitos dos trabalhadores, a seguir construindo um Estado que desse condições ao Brasil de se desenvolver. A imprensa brasileira não compartilhava desse programa político, como não compartilha do que se iniciou em 2003, quando Lula assumiu a Presidência da República.

    Aqui, no entanto, com Lula, não houve suicídio nem renúncia. Lula se reelegeu em 2006 e depois, em 2010, o povo brasileiro garantiu a continuidade desse projeto, com a eleição de Dilma Rousseff, a primeira mulher a chegar à Presidência da República.

    Apesar do combate incessante da mídia, que não se conforma em ver derrotadas suas ideias neoliberais e conservadoras para o Brasil. Apesar do neolacerdismo permanente, apesar do descompromisso diário da mídia com os fatos, com a verdade, o Brasil está se transformando, a vida do povo tem melhorado, a crise está sendo enfrentada de modo diverso daquele praticado pelos países europeus, e por isso mesmo a população brasileira manifesta sua admiração e preferência tanto pela presidenta Dilma como, também, por Lula. Apesar de você…

    Nota: este texto está baseado quase inteiramente no capítulo Getúlio, Mar e Lama, do livro O Dia em Que Getúlio Matou Allende e Outras Novelas do Poder, de Flávio Tavares (Editora Record, 2004), que naturalmente não tem nenhuma responsabilidade com os erros que porventura tenham sido cometidos nem com as análises políticas que o autor desenvolveu. Mantive a grafia Pompeo, que é a utilizada o tempo todo por Tavares, ao invés de Pompeu, mais corriqueira. Como Tavares o conheceu de perto, penso que utilizou a grafia verdadeira. Vali-me também do verbete de nomes de Cães de Guarda – Jornalistas e Censores, do AI-5 à Constituição de 1988, de Beatriz Kushnir (Boitempo Editorial, 2004).

    Emiliano José é professor-doutor (aposentado) em Comunicação e Cultura Contemporâneas pela Universidade Federal da Bahia. Jornalista e escritor, integra o Conselho de Redação de Teoria e Debate

    http://www.advivo.com.br/blog/luisnassif/getulio-e-a-relacao-da-midia-com-o-poder

  169. Otto said

    do PML:

    Mesmo quem considera que Renan é culpado de tudo o que se diz a seu respeito, deveria recordar que seu comportamento não impediu que fosse ministro da Justiça de Fernando Henrique Cardoso.

    De duas uma: ou Renan era virgem até se tornar um aliado do governo Lula, ou estão ele só incomoda porque aliou-se a Lula.

  170. Edu said

    O Elias está certo: a Petrobras continua uma empresa sólida.

    Quem garante a solidez da empresa é o governo, e pela própria influência pública na empresa, ele tem o dever de fazê-lo. Aliás, se o governo levar uma petroleira à falência será o maior atestado de incompetência do universo. Acho que nem o Hugo Chavez conseguiu quebrar a petroleira da Venezuela. Só a Madame Kirchner que está conseguindo essa proeza.

    Eu estou comprador de Petrobras.

    E quem parece que está fazendo a festa mesmo com essa história toda é o Ometto: o lucro da Cosan cresce fantasticamente.

    —X—

    Inflação desse mês já está mandando novo recado pra Dilma.

    —X—

    Houve uma alta no número de falências em 2013 resultado da economia fraca de 2012. Assim o governo não conseguirá manter o baixo nível de desemprego…

    —X—

    A Dilma não sabe o que fazer com o Chalita?!

    —X—

    E o orçamento hein? O que era devagar continuará no mesmo ritmo?… Depois tem gente que acredita que o custo-Brasil é ilusão…

    —X—

    Abraz

  171. Zbigniew said

    Exato, caro Patriarca.
    O jogo ali é o seguinte: ou fica no pianinho ou é cacete no lombo!
    Não sei se o tal do Alves vai abrir as pernas pro Supremo. Mas, por hora, só pra depois do carnaval.
    O Noblat tá na dele, fazendo o que o patrão quer. Acho impressionante essa ascendência desta mídia porca pra cima do legislativo. Eles se merecem!

  172. Zbigniew said

    Aliás, quando o assunto é liberdade de expressão o negócio é: façam o que eu digo, mas não façam o que eu faço. O PIG gosta de debochar com tudo e com todos, a título de liberdade de expressão, caricatura ou paródia (o Pânico, o CQC, o Zorra Total, todos eles carregam nas tintas, praticando com frequência críticas ácidas que beiram e muitas vezes caem no mal gosto). Mas quando o deles está na reta, a chiadeira é geral. Pense numa raça hipócrita:

    ” Falha de S.Paulo x Folha de S.Paulo: A liberdade de expressão está em jogo
    06/02/2013 | Publicado por Renato Rovai em Geral

    No próximo dia 20 será julgado, em segunda instância, o caso Falha de S.Paulo x Folha de S.Paulo. Trata-se de um julgamento de fundamental importância para a defesa da liberdade de expressão.

    O site Falha de S.Paulo, criado pelos irmãos Mário e Lino Bocchini, era uma divertida paródia do jornal Folha de S.Paulo e brincava com os recorrentes erros da publicação da família Frias. Porém, Lino e Mário mexeram em um verdadeiro vespeiro. Uma vez parodiada, a Folha convocou ao ataque seus advogados

    Com apenas um mês do site no ar, a Folha de S.Paulo entrou na Justiça e conseguiu censurá-lo. O juiz, em julgamento de primeira instância, determinou o congelamento da página por “concorrência desleal” e por provocar suposta “confusão” no leitor.

    Pois bem, não vejo como o Falha de S.Paulo pode ser acusado de concorrência desleal contra o gigante Folha de S.Paulo. O Falha não tinha qualquer remuneração: assinantes, venda ou qualquer outra forma de obtenção de lucro. E muito menos pretendia concorrer com os Frias, uma vez que seus públicos são completamente distintos.
    (…)’
    http://revistaforum.com.br/blogdorovai/2013/02/06/nao-publicar-falha-de-s-paulo-x-folha-de-s-paulo-a-liberdade-de-expressao-esta-em-jogo/

  173. Elias said

    “=> A empresa pagará dividendo de R$ 0,47 para as ações ON e R$ 0,96 para as PN. = rendimento equivalente a 5,33% =Elias, pelo menos esse cara aqui se diverte.”

    Ó, puto!

    Estás a mentire. Ou então, não sabes fezeire contas (teus ancentrais alfacinhas não tas ensinaram?).

    Vou te daire algumas dicas, puto.

    A rentabilidade de um investimento, puto, deve ser analisada comparando-a com: (a) a depreciação monetária ocorrida no período de medição; (b) os rendimentos proporcionados por outras opções de investimento.

    Ao analisares os rendimentos de uma ação, cometerás grave erro cotejares o rendimento anual da dita ação em relação a um preço pelo qual ela foi negociada no mercado de capitais em setembro ou outubro do ano anterior.

    Se assim fizeres, puto, estarás a fazeire de conta que o dinheiro foi aplicado há 12 meses, quando, de fato, ele só o foi a 2 ou 3 meses.

    Entendeste, ó puto? Não?

    Então, põe-te e leire, de novo, e novamente. Aconselho-te a soletrares…

    Se não, faz o seguinte, caro puto:

    1 – Pega as 10 maiores empresas de capital aberto do país (a Petrobras e a Vale estão entre elas, necessariamente).

    2 – Compara o lucro delas para cada R$ 1,00 de capital próprio. Ou melhor, ainda: o lucro DISTRIBUÍDO para cada R$ 1,00 de capital próprio (não pode ser “lucro por ação”, porque os preços unitários das ações são diferentes entre si, entendes, puto?).

    3 – Volta cá e diz-me o que achaste

    Mas não faz contas erradas, ó puto, porque hei de checá-las.

    Ora, pois…!

  174. Chesterton said

    Elias, queres comprar mais umas ações da Petrobras por 22 reais? Eu arrumo para você.

  175. Chesterton said

    Antigamente Pax gostava do Noblat…..

  176. Elias said

    Zbigniew,

    Com a patuscada dos navios, Agnelli bateu os últimos pregos no próprio caixão.

    O país fazendo das tripas caldeirão pra evitar as consequências da crise econômica mundial, e o pavão, arrogantemente, foi na casa de cacete, comprar navios que não navegam.

    Mas ele fez pior: vendeu a Albras e a Alunorte, empresas superlucrativas, recebendo como pagamento ações da compradora, a Hydro, uma empresa norueguesa. Só que, da data de compra até aqui, a Hydro encolheu e está se ferrando. Até o momento, o lote de ações da Hydro que estão nas mãos da Vale, se desvalorizaram cerca de US$ 1,3 bilhão. Pra piorar, ele comprou o Onça Puma, projeto de ferro e níquel que vinha dando enormes prejuízos aos seus proprietário canadenses. Até agora o Onça Puma não conseguiu rodar com as 4, e nem parece que vai rodar tão cedo: parece que a Vale terá que descartar pelo menos um alto forno, cujo projeto, canadense, era uma josta e, ainda por cima, foi mal executado (pelos canadenses). A Vale terá que por abaixo e construir do zero.

    No fim, o exibicionismo agneliano custou a bagatela de US$ 4,2 bilhões.

    Ainda assim, a Vale é uma das empresas mais lucrativas do Brasil.

    Como a Petrobrás, né?

  177. Pax said

    Estou ficando maluco ou a turma está gostando do Renan e do Alves nos cargos que assumiram?

    Que barbaridade. Até onde vai isso?

  178. Zbigniew said

    Elias, achei isto aqui do Lúcio Flávio Pinto (de junho de 2010). Cadê os indignados da mídia contra situações como essas?

    “(…)
    É a consolidação definitiva da regressão à condição de colônia mineral e de semi-elaborados. O Brasil poderia ter quebrado o cartel das “seis irmãs” quando o primeiro choque do petróleo inviabilizou para o Japão a produção própria de alumínio, o mais eletrointensivo dos produtos industriais. Os japoneses não hesitaram em se dirigir para o Pará, que oferecia condições ideais para abrigar uma grande fábrica do metal. Mas os brasileiros também podiam aproveitar essa oportunidade para não ficar dependentes das maiores multinacionais, que impunham o preço no mercado. Numa situação mais equilibrada, a parceria nipo-brasileira podia ser a grande oportunidade para verticalizar por completo o setor e quebrar a espinha dorsal do cartel.

    Enquanto a Companhia Vale do Rio Doce foi estatal, havia essa perspectiva. A privatização desviou a empresa desse rumo. Sobretudo quando Agnelli chegou, egresso do Bradesco (que, violando a vedação normativa, modelou a venda da estatal), a prioridade passou a ser engordar os números, maximizando os rendimentos. Marcando passo na escala de produção, a Albrás foi perdendo relevância para a Vale, empenhada em resultados mais imediatos e indisposta a empreitadas mais espinhosas, como a de abrir uma nova frente de geração de energia em grande volume. A Alunorte, sem grande necessidade de energia e aproveitando o melhor preço da alumina, se tornou bem maior do que sua irmã vizinha, apesar de seu produto valer pelo menos quatro vezes menos. Para a Vale, transferir Albrás e Alunorte para a Norsk Hydro foi um bom negócio. Mas não para o Brasil e o Pará. Muitíssimo pelo contrário.
    (…)”

    http://www.acessa.com/gramsci/?page=visualizar&id=1250

  179. Pax said

    Desculpem-me, mas parece os simpatizantes de Dirceu et caterva querendo manobrar a realidade. Juro, é a única forma de não ficar de mau humor completo.

  180. Elias said

    Zbigniew,

    Pois é…

    E a venda da Albrás e da Alunorte acabou não sendo um bom negócio para a própria Vale, né?

    A meu pensar, o negócio foi o seguinte.

    1 – Os militares vinham tocando o projeto de país que qualquer um que tenha passado em frente de alguma academia militar ou de um núcleo ou centro de preparação de oficiais da reserva, conhece, “de cor e salteado”.

    2 – No início dos anos 1970, a crise do petróleo virou esse mundo de cabeça pra baixo.

    De cara, não deu mais pra manter a carroça na direção em que ela vinha sendo tocada.

    Naquele momento, creio, o governo brasileiro deu uma guinada estratégica. Sacou que a crise energética viera pra ficar e que era melhor se posicionar no mercado como vendedor do que como comprador de energia.

    Como é que se vende energia? Basicamente de duas formas: (a) vendendo a supracitada propriamente dita; (b) vendendo eletrointensivos.

    Claro que a primeira forma só pode ser praticada entre vizinhos. O país exporta energia elétrica pro outro lado do mundo exportando eletrointensivos.

    Daí porque o Brasil começou a se preparar pra se tornar um grande exportador de eletrointensivos, como o alumínio. Até então, o Brasil IMPORTAVA alumínio. Do Canadá, principalmente (leia-se Alcoa).

    A questão é: naquela época, dava pro Brasil falar grosso, e impor as regras do jogo?

    O Lúcio Flávio Pinto parece achar que sim. Eu acho que não. E até estranho que ele ache que sim, porque pouca gente acompanhou o processo por tanto tempo e tão de perto como ele…

    Sabe como o Brasil fez, pra se tornar exportador desses minerais que, hoje, garantem o superávit comercial do país, incluindo alumina e aluminio?

    Ele teve que construir um porradal de cidades inteiras (Porto Trombetas, Tucuruí, Barcarena, Parauapebas e mais uma no cocoruto da Serra dos Carajás (no Platô 4), etc. Teve que construir 3 mega portos (em Porto Trombetas, em Vila do Conde e em Itaqui). Teve que construir uma mega-hidrelétrica (Tucuruí, que só perde pra Itaipu). Teve que instalar um ferrovia de mais de 800 Km. Teve que montar uma operadora ferroviária que movimenta o maior trem de carga do mundo (a composição tem mais de 4 Km de extensão), fazendo a média de 9 viagens redondas (ida e volta) por dia.

    E um monte de “etc.”

    Agora, imagina começar a fazer isso exatamente no momento em que: (a) o “milagre econômico” tinha virado pó; (b) a inflação iniciava a escalada que só seria travada décadas depois, pelo Plano Real; (c) o país estava de calça curta pros novos preços do petróleo e caminhava pro racionamento (a gente só podia abastecer o carro até às 18 horas de sexta, lembra?); (d) o crédito externo era praticamente zero pro Brasil (auditores do FMI viviam permanentemente xeretando as contas nacionais, só pra autorizar a “rolagem” da dívida, ou seja, sem nada de dinheiro novo). Enfim, a situação estava simplesmente caótica a tendência era só piorar.

    Ninguém acreditava que o Brasil desse conta do recado, tocando o Programa Grande Carajás, o famigerado PGC. Tanto que os canadenses pularam fora. Os americanos fizeram cara de paisagem. Os alemães conversaram, conversaram, mas não descolaram o rabo da parede… Os japoneses vieram e se mandaram. Depois voltaram, mas com a condição de que a sócia fosse a União. Depois, novamente pularam fora. A gente dizia que a Vale era uma garota dadeira, que dormia com Fulano e acordava com Sicrano… E nenhum queria compromisso mais sério com ela…

    Nessas circunstâncias, não dava pra falar grosso com ninguém. Se hoje ainda é difícil, imagina naquela época…

    Acho que Geisel tomou as decisões certas nesse campo. Não dava pra bancar aquele sujeito baixinho e magrinho, que chega pro grandalhão que está desafiando todo mundo no bar, olha bem na cara dele e diz: “Gosto muito de comer a senhora sua mãe, viu? Ela dá o rabo que é uma maravilha…”. Vai ser moído de porrada, né?

    Geisel negociou com Deus e todo mundo, e acabou conseguindo avançar pra caramba em quase todos os grandes projetos do PGC (Lula concluiu as eclusas do Tocantins, o único que faltava). Foi ele quem formulou o direcionamento que vem sendo seguido até hoje, com poucas adaptações.

    Quanto ao “falar grosso” do Lúcio Flávio Pinto, acho que ainda não é pra já… Principalmente com a queda de demanda que grassa pelo mundo. E, pro Brasil, infelizmente, o “mundo” é formado por menos de 10 países…

    Mas bem que dava pra gente começar a se livrar de imoralidades como a “Lei Kandir”…

  181. Elias said

    “Até então, o Brasil IMPORTAVA alumínio. Do Canadá, principalmente (leia-se Alcoa).”

    Alcoa não… Era ALCAN!

    Apesar de mãe e filha, as duas viviam se mordendo por causa do circuito alumínico brasileiro, com a Alcan fechando a porteira pra outra. Tudo acabou resolvido com a providencial intervenção do governo FHC, que deu Juruti (e alguns bilhões de dólares) de presentinho pra Alcoa.

    Mas não é verdade que alguém do governo FHC tenha levado algum nessa… De jeito nenhum! Magina…

    Tudo foi feito por questões humanitárias, e até cristãs…

    O governo FHC fez o que fez pra não ver mãe e filha se agredindo por causa de dinheiro. Papai do Céu não gosta disso, e castiga. As duas poderiam até ir pro inferno, se continuassem a brigar daquele jeito…

    Aliás, FHC nem viu direito o que aconteceu… Ele estava recebendo aulas de canto e piano, e tentava interpretar aquela peça musical do Século XIX que diz: “Juruti-ti-ti…”.

  182. Elias said

    E isso aí é aquele dia depois do outro.

    Nos anos 1970, tava todo mundo esperando o Brasil jogar a toalha, pra entrar de dois pés.

    Nos 1990, Alcan e Alcoa já brigavam por causa do lance.

    Ainda bem que FHC é, sobretudo, um diplomata. Não deixou aquela briga degenerar…

    Além de diplomata, um patriota, o moço.

    E como cantava bem…

    Ainda bem que a mídia entendeu tudo direitinho, e não fez nenhuma crítica ao FHC por causa de Juruti. Afinal, o que são alguns bilhões de dólares para este nosso imenso país?

    Que bom que temos, também, uma imprensa patriótica…

  183. Michelle 2 said

    Elias #182 e anteriores

    o mais estranho em tudo isso é que o PT nunca deu um pio sobre essa vergonhosa patranha do FHC. Pergunto por que?

    Aquele carinha o procurador Luiz Francisco encheu/enchia o saco do Eduardo Jorge o tempo todo e também ficou quieto.

    Supostamente FHC poderia ser culpado mas e daí? O PT não sabia ou se calou? . O PT nunca foi oposicinha como agora a oposição é! (entrou em greve por tempo indeterminado).

    Esclareça-me por favor.Estou curiosa.

  184. Michelle 2 said

    Tente calcular, por Carlos Alberto Sardenberg

    Carlos Alberto Sardenberg, O Globo

    A tarifa de luz caiu 18,5%, para todos os consumidores residenciais no Brasil, desde 24 de janeiro, conforme anunciado pela presidente Dilma. Assim, na conta a pagar em fevereiro, já aparece o desconto referente aos últimos sete dias de janeiro. Em março, a redução plena.

    Para comércio e indústria, a redução também está em vigor, e o percentual é maior, podendo chegar a até 30%.

    Portanto, consumidores e investidores podem programar seus gastos e negócios incorporando nos cenários esta importante redução de custo de um item econômico crucial.

    Certo?

    Certo, porém: consumidores pelo país afora receberam contas de luz de janeiro com aumentos autorizados em meses anteriores pela Agência Nacional de Energia Elétrica, nos processos regulares de revisão de tarifas. Foi assim, por exemplo, no Rio, em Campinas (SP) e na Paraíba — neste último caso por causa do aumento do ICMS, imposto estadual.

    Outro porém: por causa da falta de chuvas e, pois, do nível baixo dos reservatórios das hidrelétricas, boa parte da energia brasileira vem neste momento das termoelétricas, movidas a gás, diesel ou carvão. Esta energia é mais cara, as distribuidoras já estão pagando mais, mas só poderão cobrar dos consumidores em revisões tarifárias futuras. Estas revisões dependem, é claro, do tempo de utilização das termoelétricas, o que, de sua vez, depende das chuvas. Ou seja, neste item, a conta de luz vai subir, mas não se sabe quanto nem quando.

    Terceiro porém: a partir do segundo semestre deste ano, algumas geradoras e distribuidoras passarão por um processo regular de revisão da produtividade, que pode levar a uma redução da conta ao consumidor. Quanto? Não se sabe.

    Como, pois, calcular nos cenários do ano o preço que se vai pagar por esse importante insumo?

    Gasolina e diesel

    Apesar do último aumento, a Petrobras continua perdendo dinheiro no setor de distribuição. A estatal vende aqui gasolina e diesel por preço inferior ao que paga lá fora. A importação é cada vez maior, pois o consumo só sobe no Brasil, entre outros motivos pela venda de automóveis, oficialmente estimulada pelo governo. E a Petrobras não tem condições de aumentar a produção interna.

    A estatal, pela sua presidente, Graça Foster, deixa claro que precisa cobrar mais caro aqui dentro porque precisa de dinheiro para aplicar em refinarias e na produção de petróleo, em queda neste momento.

    O governo, pelo ministro Guido Mantega, deixa claro que não quer saber de novos aumentos.

    E a presidente Dilma diz que o aumento recente da gasolina é muito pequeno, pouco afeta o bolso do consumidor, revelando por aí que não tem intenção de topar nova alta.

    Porém, todo mundo, dentro e fora do governo, sabe que será preciso elevar de novo o preço da gasolina e do diesel, porque todo mundo sabe que a Petrobras precisa de mais dinheiro para o programa de investimento determinado pelo próprio governo.

    Por causa dessa dificuldade de caixa, aliás, a Petrobras cortou dividendos que deveria pagar ao governo federal, seu acionista controlador. Faz sentido, mas o governo estava cobrando mais dividendos de suas estatais para fechar suas próprias contas.

    Como, pois, calcular, no cenário do ano, o custo com esses combustíveis?

    Inflação

    A redução recente da conta de luz derruba a inflação. O aumento de gasolina e diesel vai na direção contrária. Diz a presidente Dilma que a queda na luz é muito maior do que a alta da gasolina, que pesa diretamente no bolso do consumidor e, pois, no índice de inflação.

    Certo?

    Depende: se você usa muito o seu carro, sua conta será maior. Além disso, o diesel provoca aumento no custo do frete rodoviário, que tem impacto em praticamente tudo que se produz e consome no Brasil.

    Se não chover e, por isso, houver aumentos significativos nas contas de luz ao longo do ano, isso dá mais inflação. Com ganhos de produtividade, dá menos.

    O adiamento dos reajustes de tarifas de transportes coletivos no Rio e em São Paulo, a pedido do governo federal, alivia a inflação de janeiro e fevereiro. Mas esse aumento terá que sair em algum momento a partir de meados do ano. Mais inflação.

    A volta progressiva do IPI dos carros, desde janeiro, aumenta preços e, pois, causa inflação.

    Mas a eliminação do PIS-Cofins e IPI da cesta básica, anunciada pela presidente, vai derrubar a inflação mais à frente.

    Há, porém, uma bronca de deputados federais. Eles aprovaram o fim dos impostos sobre a cesta básica no ano passado e a presidente Dilma vetou. E agora? Deputados aliados dizem que não se pode cortar o IPI porque isso reduz o repasse de impostos federais aos municípios.

    Tudo considerado, qual inflação colocar no cenário? E quanto aos municípios, por exemplo: quanto colocam de repasse federal em suas previsões?

    Política econômica não é ciência exata, claro. Muitos dizem que não é sequer ciência. Mas também não precisa ser assim tão improvisada.

    Carlos Alberto Sardenberg é jornalista

  185. Elias said

    “Elias #182 e anteriores: o mais estranho em tudo isso é que o PT nunca deu um pio sobre essa vergonhosa patranha do FHC. Pergunto por que?” (Michelle)

    Mas deu, sim, Michelle. E mais de um pio.

    Deu e foi noticiada por algumas revistas, como a Carta Capital. O Lúcio Flávio Pinto fez mais de uma matéria no Jornal Pessoal (acho que, se procurares na versão eletrônica do JP, vais encontrar).

    Em resumo, o papo foi o seguinte:

    A Alcoa foi uma das empresas que, inicialmente, não se interessou pelos projetos MNR/Albras/Alunorte. Quando ela viu a coisa deslanchar, tentou entrar, mas a Alcan vetou. A Alcoa acabou ficando só com a Alumar (no Maranhão), que pega o circuito só a partir da alumina (e com um programa de produção nanico, se comparado com a escala do negócio…).

    A jazida de Porto Trombetas estava dimensionada pra durar mais ou menos 50 anos. Com a demanda chinesa, ela se exauriu em menos de 30. A exploração da jazida seguinte — Juruti — foi antecipada.

    A empresa que havia ganho a concessão da jazida de Juruti não fez os investimentos de infraestrutura necessários (trata-se de MINERAÇÃO, e não de garimpo; infraestrutura de mineração come grana pra caramba!).

    Faltando um mês da terminar o prazo pra início da lavra, o governo FHC autorizou a venda dos direitos à Alcoa, a leite de pato, e concedeu novo prazo. Se o governo esperasse mais 30 dias, o direito de lavra teria que ser LICITADO internacionalmente, e custaria ao seu feliz detentor alguns milhares de vezes mais que o preço simbólico pago pela Alcoa.

    O antigo proprietário vendeu por micharia, porque, pra ele, aquele era um empreendimento ferrado. Em um mês ele não teria como importar caçambas pra 250 e 500 toneladas, nem aquelas escavadeiras mastodônticas, nem construir um mega-porto, nem construir uma cidade, com casas, ruas, sistemas de abastecimento de água, coleta e tratamento de esgoto, aeroporto, supermercados, escolas, etc. Ele ficou fora do jogo, porque não havia batido um prego no projeto, ao longo dos anos em que deteve o direito de lavra (por que ele não fez isso, se seria mega-lucro na certa? Aí já é outra história, da qual só conheço fragmentos…).

    Com os direitos de lavra de Juruti, a Alcoa meteu o pé na porta do circuito alumínico. Agora ela está na extração da bauxita e na produção do alumínio. Pra se instalar no processo todo, só falta entrar na redução bauxita/alumina… E também no transporte: há momentos em que o preço do frete por tonelada é mais alto que o preço da tonelada do produto (daí porque foi um péssimo negócio o Agnelli ter detonado com a Docenave — quando ele tentou consertar foi com a compra dos mega-navios…).

    O PT tentou anular a transferência da concessão de Juruti. Perdeu. O TCU aprovou.

  186. Jose Mario HRP said

    Mesmo com pleno emprego, com eleições tranquilas, economia em ordem, a PIG encontrou algo no que se agarrar:
    os baixos lucros da Petrobras, em virtude das inversões de capital objetivando a exploração do pré sal.
    Quando Helmut Kholl resolveu emcampar de uma só vez a Alemanha Oriental, previu que dua décadas passariam até que a Alemanha unificada desse frutos e lucros ao povo, da mesma forma a Petrobrás ao abraçar esse mundo de petróleo do pré sal sofrerá por um bom tempo de falta de capital e outros investimentos.
    Que se dane a PIG, depois volta a ser tudo azul!
    Aqui algo interessante:

    http://www.cartamaior.com.br/templates/materiaMostrar.cfm?materia_id=21563

  187. Jose Mario HRP said

    Paulo moreira Leite e sua lucidez espantosa!
    Poucos escrevem com tanta perfeição no mundo jornalistico.
    http://www.istoe.com.br/colunas-e-blogs/colunista/48_PAULO+MOREIRA+LEITE

  188. Chesterton said

    Petrobrás ao abraçar esse mundo de petróleo do pré sal sofrerá por um bom tempo de falta de capital e outros investimentos.

    chest- em vez de arrumar sócios privados e dividir o lucro vai se endividar até o pescoço….será uma boa estratégia?

  189. Chesterton said

    Compra-se ações com o objetivo de vendê-las mais caro, quem vai querer ações da Petrobras com essa perspectiva de curto-medio prazo ruim para os lucros? Melhor é comprar outras ações com perspectivas melhores e assim que a petrobras começar a reagir entrar de sola. Ah, o Elias acha que é muito bom comprar a 22 e ver caírem até 18.

  190. Jose Mario HRP said

    “Sócios do exterior”?
    Mais vale um pássaro na mão do que tres voando!
    Duas novas refinarias no Rio e Pernambuco são parte da explicação para os poucos lucros.Chama-se isso preparar o país para o futuro “independente”!
    Mas há os que preferem o passado “PetrobraX”!

  191. Chesterton said

    Sócios privados.
    O Chaves andou fazendo umas sociedades com a Petrobras…talvez seja a questão de escolher bons sócios.

    “Mais vale um pássaro na mão do que tres voando!”

    chest- pois é, mais vale 1 litro na bomba que 10 litros lá no pré-sal.

  192. Patriarca da Paciência said

    “Quem gosta de berrar todo mundo é ladrão deveria saber que, naquela época, teve professor de colégio que se atreveu a dar sermão de cidadania para filhos de Gushiken em plena sala de aula – e não apareceu para se desculpar depois que tudo foi esclarecido.

    O mesmo ocorreu com parlamentares como Paulo Rocha, o professor Luizinho…

    Mesmo quem considera que Renan é culpado de tudo o que se diz a seu respeito, deveria recordar que seu comportamento não impediu que fosse ministro da Justiça de Fernando Henrique Cardoso.

    De duas uma: ou Renan era virgem até se tornar um aliado do governo Lula, ou estão ele só incomoda porque aliou-se a Lula.

    O mesmo, vamos combinar, vale para Henrique Alves. É estatisticamente impossível que só depois de 40 anos de Congresso ele começasse a cometer atos considerados condenáveis…

    O debate que não quer terminar diz respeito a uma questão – o voto popular.

    E isso é muito velho.

    Procura-se sugerir que Renan e Henrique Alves foram eleitos porque têm esquemas, distribuem benefícios e favores escusos.

    Ignora-se que eles praticam a regra do jogo que está aí. É o jogo do dinheiro, do aluguel de mandatos, da liberdade oferecida ao poder econômico para colonizar o Estado brasileiro.

    Eu acho que isso sim ameaça a democracia. ”

    Do link postado pelo HRP no comentário 187.

    Eu já venho “cantando essa pedra” (como diz o Elias) faz um bom tempo.

    Essa história de ficar dizendo que todo político é ladrão e corrupto ainda vai acabar mal.

  193. Chesterton said

    Não custa lembrar que nem Renan Calheiros nem Henrique Alves foram condenados em último recurso pela Justiça. Numa democracia, todos são inocentes até que se prove o contrário, correto?

    chest- PML, então tá….

  194. Pax said

    Mas, ué, não estou entendendo o que vocês falam. O próprio Paulo Moreira Leite deixa bem claro em sua conclusão:

    Ignora-se que eles praticam a regra do jogo que está aí. É o jogo do dinheiro, do aluguel de mandatos, da liberdade oferecida ao poder econômico para colonizar o Estado brasileiro.

    Eu acho que isso sim ameaça a democracia. ”

    Ou ele quis a ambiguidade de dizer que reclamar é que ameaça a democracia ou ele quis dizer que o jogo de aluguel de mandatos e a liberdade do poder econômico colonizar o Estado?

    Para mim a grande ameaça à Democracia é aceitarmos que o Legislativo é só uma casa de putas caras que quem pagar mais leva.

    E é, sim, o que está acontecendo.

  195. Chesterton said

    A contabilidade criativa de Mantega – Tesouro contou com R$ 7,2 bilhões que deveria ter repassado ao fundo de garantia para fechar suas contas no ano passado
    Por Sheila D’Amorim, na Folha:
    Além da reserva extra que estava no Fundo Soberano e de dividendos dos bancos públicos, o Tesouro também contou com R$ 7,2 bilhões do FGTS -fundo que pertence aos trabalhadores- para fechar as suas contas em 2012. O montante foi obtido de duas formas diferentes. Primeiro, o Tesouro não quitou uma dívida que tem com o fundo relativa à parcela dos subsídios concedidos no programa habitacional Minha Casa, Minha Vida (MCMV), de responsabilidade da União. Além disso, reteve a arrecadação proveniente de contribuição adicional de 10% que as empresas são obrigadas a fazer para o FGTS quando demitem sem justa causa. A dívida com o fundo vem se acumulando como uma espécie de esqueleto que terá que ser quitado um dia.

    chest- do site do Tio Rei.

  196. Chesterton said

    Os politicos governistas sofrem na carne o que o PT fez com os politicos governistas da era FHC, da era Itamar e desde sempre. Quem, mais que o PT, é mestre em arruinar reputações?

    Paulo Moleira Leite dá uma no cravo e outra na ferradura, pzara poder desdizer amanhã.

  197. Pax said

    E o PSDB, tadinho, não pode posar de vestal de forma alguma.

    Alguns de seus senadores votaram em Renan numa negociata danada. É o que o noticiário dá conta.

    E outros, quase unanimidade dos senadores desta legenda que se enterra com seus pândegos e escrotos parceiros na oposição, se calaram. Ficaram de bico fechadinho.

    A verdade está estampada.

    O Congresso de hoje, da forma que está, não parece ter o papel que a República define para si. Não é livre, não é soberano, não é honesto. E, pior que tudo, está cada vez mais apartado da sociedade.

    Reclamam com certa razão que foi a sociedade quem votou nestes canalhas. Sim, foi mesmo, com a dinheirama dos caixas 2, das empreiteiras, das negociatas etc.

    Isso é normal? Temos que aceitar calados? Temos que aceitar esta histeria dominante que:

    – de um lado quer posar de vestal mas fez tudo igual
    – de outro critica quem critica a situação dizendo que faz parte de um golpe sendo tramado.

    Ah, me perdoem, estou fora desta e continuarei achando que vivemos num Império da Corrupção.

  198. Chesterton said

    DOMINGO, 3 DE FEVEREIRO DE 2013

    O PT apoiou Renan Calheiros para Presidente do Senado!!!
    Espalham-se pelo facebook e pela interenet manifestações contra Renan Calheiros. Interessante notar que muitos que espalham tais mensagens são petistas declarados. Então vamos deixar claro: Renan Calheiros não é o super homem!!! Se ele se tornou presidente do Senado é porque recebeu apoios!!! E o Partido dos Trabalhadores apoiou com todas as suas forças a candidatura de Renan.

    Está assinando uma petição contra Renan Calheiros? Então assine também uma petição CONTRA os partidos que o apoiaram!!! Assine uma petição contra o Partido dos Trabalhadores que apoiou Renan Calheiros.

    Eu tenho vergonha dos partidos que apoiaram Renan Calheiros para Presindência do Senado. Eu tenho vergonha do PT (pois aparentemente os petistas são incapazes disso). Você é petista? Então está na hora de tomar vergonha na cara!!! Seu partido apoiou Renan Calheiros para Presidência do Senado!!!

    POSTADO POR BLOG DO ADOLFO

  199. Pax said

    Chesterton e suas drogas. Junk Chesterton.

    Tem coisa melhor pra ler não, meu caro?

    Um idiota pra escrever uma asneira destas, acima, só pode ser isso mesmo, um completo idiota.

  200. Pax said

    Tô pensando em fazer uma marchinha de carnaval. Já arrumei o refrão:

    Nem vem babão
    Nem vem babão
    Falar mal do meu mensalão
    Nem vem ó meu
    Nem vem ó meu
    Meu corrupto é melhor que o teu

    Agora vou trabalhar em cima, fazer o resto da letra, colocar música.

  201. Edu said

    Pax,

    Parece que o presidente interino da TIM leu o que escrevemos aqui: onde estão os investimentos?

    http://economia.uol.com.br/noticias/valor-online/2013/02/08/tim-aumenta-investimento-trienal-em-19.htm

    Faz a previsão de investir R$10,7 bi entre 2013 e 2015, valor 19% superior ao triênio 2012-2014.

    Um pouco de planejamento e transparência não faz mal pra ninguém. Nós, consumidores atentos, agradecemos a notícia, bem como investidores também, que enxergarão nesses investimentos, a preparação para um novo crescimento no número de clientes.

    No mundo dos negócios existe uma expressão chamada “walk the talk”; resta saber se a TIM fará, efetivamente, o “walk the talk”.

    Por que o governo, que deveria ser muito mais transparente que as empresas, sonega tantas informações? O novelo econômico para a Dilma e para o Mantega está cada vez mais enrolado e não dá pra saber se há um plano ou se há uma série de ajustes. Parece que foi perguntado ao Mantega qual a estimativa de crescimento para o Brasil, e ele desconversou… como assim desconversou? O Ministro da Fazenda sem escondendo o jogo, ou despreparado? Se fosse uma empresa o mercado não reagiria nada bem. Além disso, o Tombini já apresenta uma preocupação diferente da do Mantega em relação à inflação, será que haverá uma queda de braço: governo x BC?

  202. Patriarca da Paciência said

    Caro Pax,

    o Paulo Moreira Leite aponta o caminho que ele acha correto, no mesmo artigo:

    “O país não precisa da indignação seletiva. Nem dos moralistas de marketing.

    O necessário é respeitar a democracia e modificá-la por dentro, conforme suas regras e seu compasso. “

  203. Pax said

    Caro Patriarca,

    Uma das formas, das regras democráticas é o povo mostrar sua indignação contra as canalhices e seus praticantes.

    Collor foi expelido desta forma.

    Agora é ídolo dos petistas. Pra vermos em que estado estamos.

  204. Elias said

    “Compra-se ações com o objetivo de vendê-las mais caro…” (Chester, falando besteira como sempre)

    Bobagem…

    Quem faz isso é uma escassa minoria, que tem grana pra caramba e vive especulando na bolsa…

    A maior parte das pessoas que compra ações de grandes companhias, o faz como forma de constituir patrimônio e usufruir os rendimentos que esssas ações proporcionam. Nos EUA, é comum o sujeito comprar ações quando o filho nasce, pra bancar a universidade do dito cujo, 17/18 anos depois.

    No caso da Petrobrás, agora, quem não vive de especular na bolsa (até porque não tem grana pra isso), não se sente afetado pelas oscilações de curto prazo. Pra essas pessoas, o que interessa é o lucro que a companhia distribui.

    Assim como elas não ganharam dinheiro com a alta das ações da Petrobras na bolsa (por conta do pré-sal e do escambáu a quatro), porque não venderam suas ações nessa época, também não estão perdendo dinheiro agora, pela mesma razão (e porque não compraram na alta).

    Mais claramente: a renda dessas pessoas não provém das variações de curto prazo do preço das ações, e sim do LUCRO que a companhia distribui, anualmente.

    Há um abismo entre a pessoa que compra ações de companhia sólidas pra compor patrimônio e a que vive de comprar e vender ações no mercado de capital.

    De um lado desse abismo, estão as pessoas para quem as ações são BENS PATRIMONIAIS. Do outro lado, estão as pessoas para quem as ações são MERCADORIAS.

    São dois mundos completamente diferentes. Duas lógicas absolutamente distintas.

    Pra se saber exatamente como se sente a pessoa para quem as ações da Petrobras são bens patriminiais e não mercadorias, é só pegar, como já disse, o lucro produzido em 2012 pelas 10 ou 20 maiores companhias brasileiras de capital aberto, e verificar qual a proporção desse lucro, em relação a cada R$ 1,00 de capital próprio.

    Das contas que fiz até agora, a Petrobrás está entre a 5 melhores. Desempenho lá em cima.

    Agora, quem trabalha com as ações da companhia como se fossem mercadoria, quem vive de comprar e vender essa mercadoria, opera com um horizonte de 6 meses, em média, e, acima de tudo, comprou grandes quantidades dessa mercadoria quando ela estava em alta especulativa… Quem está nessa situação, sim, tem motivos pra reclamar.

    Qual o problema, babões?

    Se o cara tá nessa situação é porque ele, como empresário, fez um mal negócio. Estava dentro de uma mini-bolha, no momento em que ela explodiu.

    Azar dele!

    Onde já se viu, capitalismo sem risco?

    Tudo vai depender, agora, de como esse cara tratou o próprio rabo. Se ele dispuser de uma boa retaguarda, vai esperar o preço das ações subir. Caso o governo realinhe o preço dos combustíveis, com mais um reajuste, o preço das ações da Petro vai começar a se recuperar ainda no 1º semestre de 2013. Aí, voltando ao cara que hoje está em maus lençóis, dependendo de quando e por quanto ele empanturrou a carteira dele, pode ser até que saia do vermelho ainda em 2013.

    Agora, se ele não tem retaguarda, e deixou o fiofó ao relento, vai vender as ações ou parte delas, agora, na baixa, pra poder fazer caixa. Aí vai perder dinheiro, até porque quem tá comprando, não tem razão nenhuma pra abreviar o tempo que as ações permanecerão em baixa. Pelo contrário, vão espichar ao máximo esse tempo, pra usufruir ao máximo, ter o máximo de tempo pra captar o máximo de recursos e comprar o máximo possível de ações a baixo preço.

    Ora…

  205. Chesterton said

    “Compra-se ações com o objetivo de vendê-las mais caro…” (Chester, falando besteira como sempre)

    Bobagem…

    Quem faz isso é uma escassa minoria, que tem grana pra caramba e vive especulando na bolsa…

    chest- sei, pessoas que tem dinheiro para caramba e especulam na bolsa fazem bobagem….e dizem besteira….Ó Elias! E quem é duro e compra ações caras e ri quando elas caem é esperto? Tenha a santa paciência

    Aviso: assim você quebra meu amigo, depois fica revoltado e comunista.

  206. Chesterton said

    199- elabore mais seu racio-símio.

    200- agora sim.

    Os juros já vão subir. Acabou o sonho.

  207. Pax said

    109: elaborar mais? precisa?

    Basta ver de quem trazes “teus” racio-símios (dessa expressão, gostei)

    Juros vão subir? Provável que sim, parada de arrumação. O que vai acontecer com o pibão é que não sei.

    Mas prefiro um pibe mais normalzão que uma bela inflação.

  208. Chesterton said

    preferencia é uma coisa, a realidade é outra.
    Elabora então.

  209. Chesterton said

    Olha o Adolfo

    http://www1.folha.uol.com.br/fsp/opiniao/67627-o-banco-central-deve-explicacoes.shtml

  210. Chesterton said

    http://www.infomoney.com.br/minhas-financas/imoveis/noticia/2575776/estamos-beira-uma-catastrofe-imobiliaria-diz-economista

  211. Pax said

    O idiota pede que se faça um abaixo assinado contra o PT porque este partido apoiou Renan para a presidência. Esquece, de propósito, que Renan fez parte dos governos passados.

    Esquece, também – e principalmente – que vários senadores do PSDB também votaram no Renan. Segundo o noticiário – geral – em troca de uma cadeira na mesa diretora.

    E você, caro Chesterton, junk Chesterton, lê um imbecil destes e traz para cá como um pensamento que gostou de ter lido.

    Ora, caro Chesterton, diga-me o que mais queres que seja elaborado?

    Pare de usar drogas. Não há qualquer outra conclusão possível, junk Chesterton.

  212. Chesterton said

    Pax, tudo bem. Arrumo umas ações da Petrobras para vender a 24 reais. Quer comprar?

  213. Chesterton said

    A questão renan é simples. Petistas protestam contra Renan como se o PT não tivesse apoiado o gajo.

  214. Pax said

    Se esse fosse o problema, seria mais simples.

    O problema é que petistas reclamam que a sociedade reclama de Renan, como se devêssemos aceitar calados.

    Aí é que é soda.

    Dirceu, por exemplo, diz que tudo é criação da mídia golpista. Como se eu não tivesse o absoluto direito de reclamar da eleição do Renan.

    Ora, que Dirceu afunde. E se os petistas quiserem morrer afogados com ele, que vão em paz.

    Mas não me peçam para abraçar este afogado.

  215. Elias said

    Chest,

    Eu não disse que as pessoas que especulam na bolsa fazem e dizem besteiras.

    Eu disse que TU falas besteiras.

    Não entendes porróidas de ações. Apenas repetes o que dizem outros, que também não entendem porróidas, porque, no caso deles, entender é o que menos importa: eles só estão atacando o governo porque são pagos pra isso.

    E tu és só o inocente útil — porque gratuito — deles.

    As pessoas que atuam no mercado de capital porque têm grana pra isso — e nem tu nem eu fazemos parte dessa elite — ganham e perdem dinheiro fazendo isso.

    Quando ganham, fazem a festa. Quando perdem, põem a culpa no governo (principalmente se a empresa for estatal…).

    Quando perdem, não é porque sejam burras. Apenas fizeram apostas que não deram certo.

    Quem manja minimamente do riscado, sabe que as ações da Petrobrás se valorizaram excessivamente em cima de uma expectativa POSITIVA, suscitada pelo Pré-Sal.

    Agora, estão se desvalorizando por causa de uma expectativa NEGATIVA suscitada pelo mesmo Pré-Sal.

    Foi uma mini-bolha, como aconteceu com a Vale, com as Xx…

    Se a atual expectativa NEGATIVA for realista, o futebol será um. Se for exagerada, quem comprou agora vai bamburrar (e quem vendeu agora vai chorar…).

    Quem tem que vender agora (porque precisa fazer caixa), tem que chiar. Tem que pressionar o governo, pra ele aumentar o preço dos combustíveis, porque, se isso acontecer, os preços da ação vão subir um pouco e, isso vai diminuir a perda (se o cara comprou na alta especulativa).

    Quem comprou no mercado de opções, e agora vê se aproximar a data do exercício, age do mesmo modo. Tem que chiar. Esse cara adquiriu a opção de compra das ações pelo preço “X”, há alguns meses, quando o preço estava lá em cima. Pagou um sinal. Agora, chegou o momento do exercício. Ele vai recebeu as ações, mas terá que pagar por elas o restante do preço originalmente ajustado. Só que o preço de mercado, hoje, é “X-n”.

    Ou seja: ele já entra ferrado. Se fugir da raia, vai perder o sinal que já pagou. Se ficar na raia, não vai poder vender logo as ações, salvo se com um prejuízo imenso.

    O que um cara nessa situação tem que fazer, agora? Chiar, né?

    Por outro lado, quem vendeu opções de ações da Petrobrás, tá rindo pras paredes. Principalmente se não tinha em carteira. Esse aí vendeu pelo preço da alta especulativa e, agora, aproximando-se a data do exercício da opção, está compondo a carteira com as ações em baixa. Bamburrou!

    Isso é o mercado de capitais. Nem tudo azul, nem tudo preto, nem tudo vermelho… E tudo isso ao mesmo tempo…

    Agora, Chester, pensa em como tu, que não especulas na bolsa e não fazes parte desse jogo, estás encaixado nessa história… (porque estás encaixado, queiras ou não)…

    Ainda não percebeste qual a hipótese pela qual deverias torcer?

    Não mesmo?

    Caramba, puto!

    Ora pois…!

  216. Chesterton said

    Para Elias, você comprou na hora errada e ficou se vangloriando. Agora aguenta.

    Vai cair uns “pilas” na minha conta porque você entrou no assunto e resolvi dar uma olhada em VAGR11, que andava meio esquecida, e bummm , ganhei 9 centavos por ação. sabe o que são 9 centavos por ação? Uma fortuna!!
    Você é um sujeitinho muito arrogante, por isso não vou e dar o mapa da mina.
    Só para deixar você “nervosa” saiba que 2 anos atrás tirei um tomógrafo da bolsa.

    Mas, como eu sou um cara legal, vou dar uma pista. Inspiro-me num advogado que é meu cliente e que é especialista em comprar casas e imoveis de espólios enrrolados.

  217. Chesterton said

    Ainda não percebeste qual a hipótese pela qual deverias torcer?

    chest- pessoa física ou pessoa jurídica?

  218. Chesterton said

    Bem, Elias é um infeliz, esquerdista cheio de rancores. mas há mais pessoas aqui que talvez estejam interessadas em aprender (sou eterno estudante) sobre mercado de ações, por isso vou dar uma dica inicial para todo mundo.
    A primeira coisa que se deve ter é isso (yahoo usa, pois o brasuca é capado)

    Link

    É só trocar vale na caixinha e teremos TODAS as ações e seus preços históricos com algumas ferramentas de indicação associadas.

    De nada, é para todos terem um bom carnaval.

  219. Pax said

    Lúcio Flávio Pinto certeiro:

    Os bilionários do PT

    http://br.noticias.yahoo.com/blogs/cartas-amazonia/os-bilion%C3%A1rios-pt-154846989.html

  220. Elias said

    “chest- pessoa física ou pessoa jurídica?” (Chester)

    Pergunta errada, até pra quem quer ser engraçado, alfacinha.

    Sabes como é que os acionistas do Petrossauro querem que o governo reverta a expectativa, ó puto?

    Aumentando o preço dos combustíveis, ó alface dormida…

    O governo já disse que vai fazeire isso, ouviste, puto?

    Só que, ao fazeire isso, o governo vai aliviaire pro lado dos que têm ações da Petrobras, entendeste ó puto? E tu não tens nada, alfacinha, porque as vendeste em 2010, conforme disseste aí acima.

    Então, alfacinha, vais pagaire gasolina mais cara, com CNPJ ou CPF, só pra livraire a cara dos que compraram na alta e, agora, não querem estar a perdeire dinheiro na baixa. Principalmente o pessoal que está “comprado” na opção.

    Entendeste, ó puto?

    Por isso é que, lá mais ao alto eu falei que estavas a punhetaire com o pingolim alheio… E parece que não conseguiste entendeire…

    Agora — ó alfacinha! — além de punhetaire, parece que vais sentaire em cima.

    Relaxa e…

    Ora, pois, pois…

  221. Elias said

    “Bem, Elias é um infeliz, esquerdista cheio de rancores.” (Chester)

    Infeliz é a vossa espécie, alfacinha.

    Tás é magro, ó puto…

    Eu sou felicíssimo!

    Pax,

    Tu e o Lúcio Flávio que me desculpem, mas…

    O LFP não apresentou, em seu artigo, p.. nenhuma que estabeleça um vínculo espúrio entre a fortuna do Eike Baptista o PT.

    Pelo, contrário, até as pedras (ou o “mundo mineral”, como o Mino Carta gosta de dizer), sabem que quem armou o jogo pro Eike foi o pai dele, Eliezer. E que Eliezer Baptista fez fortuna na Vale, ainda no regime militar.

    Quando Eike completou 21 risonhas primaveras, já estava turbinadíssimo.

    Esse é o ponto um.

    O ponto dois é que o Lúcio Flávio, que é um jornalista formado em sociologia, nem sempre vai muito bem quando começa a analisar desempenho de empresas. Pior, ainda, empresas de capital aberto…

    As empresas de Eike não perderam dinheiro erm suas operações. Perderam VALOR DE MERCADO na bolsa. E perderam valor de mercado na bolsa porque, antes, haviam ganho valor de mercado em excesso.

    Eike fez projeções excessivamente otimistas, e o mercado engoliu. Apostou. Ao longo do ano, à medida que os balancetes trimestrais vão sendo fechados, a hora da verdade vai chegando e, aí… Barata voa, né?

    São coisas que acontecem no mundo na “realidade paralela” que é a bolsa. Entre ela e o mundo real, Pax, às vezes há um abismo.

    Sei que parece fácil bancar a Cassandra… É uma tentação, né? Quase ninguém resiste.

    Acontece, cara, que, no Brasil, os catastrofistas de plantão quase sempre são Cassandras na função inversa.

    A verdadeira (na “verdade” mitológica, né?) Cassandra acertava todas, só que ninguém acreditava nela. Nossos catastrofistas são Cassandras depravadas: eles convencem um porrilhão de gente, só que não acertam uma…

    E aí foi o ponto dois. Agora, o três.

    Qual é o problema do Brasil agora ter 30 bilionários?

    Já esqueceste o que aconteceu com a economia brasileira nos últimos anos? Lembra que, durante anos, ela ficou entre as 15 maiores? E que, agora, ela está entre as 6 ou 7 maiores?

    O que vocês queriam que acontecesse? Que a economia crescesse e o número de bilionários se reduzisse?

    Carajo!

    Só se houvesse confisco de bens para distribuição aos pobres (aí o Chester teria ficado louco… Bem, louco é já é… Ficaria pior… Aí eu sumiria do PolíticAética pra nunca mais…).

    E, por fim, o ponto quatro.

    O artigo do LFP não tem nada de certeiro… Não entrega o que promete…

    Sei onde ele quer chegar. Quer resgatar, como assunto jornalístico, a roubalheira que houve em Tucuruí… Aliás, denunciada à exaustão pelo Eliézer Baptista, mas que, até agora, não interessou nenhum “jornalista investigativo” com cojones pra se enfiar (epa!) no caso. Também, pudera: tem até um bolão, pra advinhar quantos meses de vida terá o cara que se meter nessa…

    Lúcio Flávio tá doido pra jogar lenha nessa fogueira, porém mirando na porca pra acertar no leitão…

    Seu alvo, mesmo, é Belo Monte…

    Essa, sim, eu quero assistir de camarote…

  222. Elias said

    Chester # 218

    E daí?

  223. Pax said

    Caro Elias,

    Procure Operação Castelo de Areia. Aqui mesmo no blog tem muita coisa armazenada.

    Siga o dinheiro, caro Elias. Não esse que você ganhou trabalhando. Esses “outros”. Da turma.

  224. Chesterton said

    Sabes como é que os acionistas do Petrossauro querem que o governo reverta a expectativa, ó puto?

    Aumentando o preço dos combustíveis, ó alface dormida…

    chest- não, nemal, é parando de usar uma empresa que tem ações em bolsa para fazer política econômica. Que esses b. tratem de baixar os impostos. Claro, terão menos grana para comprar votos e consciências alheias, mas a alternativa é um desastre.

  225. Chesterton said

    222, daí que vais ter que estudar.

  226. Chesterton said

  227. Chesterton said

    Então, alfacinha, vais pagaire gasolina mais cara, com CNPJ ou CPF, só pra livraire a cara dos que compraram na alta e, agora, não querem estar a perdeire dinheiro na baixa. Principalmente o pessoal que está “comprado” na opção.

    chest- my god, que primarismo. Eu até prefiro que a gasolina dobre de preço, assim as ruas ficam vazias e desgasta menos meu carro no engarrafamento.
    Agora, o problema de aumentar o preço da gasolina (sem baixar os impostos incidentes- sim, porque o governo federal e estadual é carnívoro, quer percentagem, não o valor de antes do aumento que arrecadava) se chama inflação. E se a empresa for mal das pernas, o contribuinte ainda tem que botar dinheiro lá.
    Quer dizer, não se pode usar o caixa de uma empresa que tem ações em bolsa para arrumar as contas do Margarinda.

  228. Chesterton said

    só pra livraire a cara dos que compraram na alta

    chest- e quem comprou a 22-23 foi você.

  229. Chesterton said

    Censura a Imprensa e a Lógica Petista
    Até mesmo um especialista em música popular massacra os argumentos asininos dos petistas para censurar a imprensa, com a palavra Nelson Motta: Um dos relinchos mais estridentes nos blogs políticos é exigir que Dilma corte toda a publicidade estatal da TV Globo, por criticar o governo. Devem achar que a Caixa, o Banco do Brasil e a Petrobras anunciam na Globo, que tem mais audiência do que todas as outras juntas, não por necessidade de competir no mercado, mas para comprar apoio. Para eles tudo na vida é mensalão.
    POSTED BY SELVA BRASILIS

  230. Chesterton said

    A proximidade com Lula não garantiu à notória Rosemary Noronha apenas favores, passeios em navios e indicações para cobiçados cargos no serviço público.

    Entrar para a lista dos afilhados de Rose valia um passaporte para a vida mansa, que o diga o seu ex-marido: José Cláudio Noronha.

    Nos três anos e meio em que integrou conselhos administrativos da Brasilprev e da antiga Aliança do Brasil, Noronha recebeu 132 000 reais sem precisar sair de casa.

    Como era suplente nos dois colegiados e o titular nunca faltou, Noronha jamais participou de uma reunião sequer, mas a remuneração era depositada em sua conta-corrente todos os meses, religiosamente Receber esse dinheiro, ressalte-se, não é ilegal; é apenas imoral, dada a forma como conseguiu ser nomeado.

    A renda complementar só foi cortada quando as tramóias de sua madrinha foram descobertas pela PF. Os números que engordaram o caixa do marajá José Noronha foram enviados pelo próprio Banco do Brasil ao gabinete do deputado Rubens Bueno.

    Por Lauro Jardim

  231. Patriarca da Paciência said

    http://esquerdopata.blogspot.com.br/2013/02/liberdade-de-imprensa.html

  232. Pax said

    Que maravilha, nosso Império da Corrupção. Militares também na festa:

    Isso aqui abaixo nunca foi novidade, continua igual a sempre:

    Exército apura denúncia de corrupção envolvendo oficiais

    A debaixo é ainda mais tradicional, digamos assim:

    Oficiais da PM do Rio e a boquinha do Carnaval

    Bem, se a gente pode comprar vereador, deputado, senador, ministro, porque mesmo não poderíamos comprar os milicos?

  233. Pax said

    Gostei das ideias desse novo jornalismo proposto

    http://www.observatoriodaimprensa.com.br/news/view/_ed732_sociologo_defende_jornalismo_em_prol_da_democracia

  234. Chesterton said

    Já derreteu a relação entre o ministro da Fazenda Guido Mantega (protegido de Lula) e Maria das Graças Foster (afilhada da Dilma).

    O Estadão revela que a presidente da Petrobrás apresentou nesta semana a Mantega, que preside o conselho de administração da companhia, um cenário alarmante para o endividamento da empresa neste ano, com risco de perda da recomendação de “grau de investimento”.

    Graça cobra novos reajustes da gasolina e do diesel, e Mantega não topa porque isto seria combustível inflacionário.

    Assim, o governo Dilma fica no dilema do cachorro que corre atrás do próprio rabo: segurar a inflação ou quebrar a maior empresa capimunista do País.

    do site doSerrão

  235. Chesterton said

    O Itamaraty ainda existe?
    Artigo no Alerta Total
    Por Humberto de Luna Freire Filho

    Passadas 72 horas que o embaixador da Venezela fez pouco caso da Suprema Corte brasileira, nenhum pronunciamento oficial foi publicado por esse governo corrupto, covarde submisso e subserviente.

    O Itamaraty ainda existe como instituição ou transformou-se em bordeu a exemplo do Palácio do Planalto? Será que não chegam os recados de Joseph Blatter, dando ordens a dona Dilma? Nós somos um país soberano ou o quintal da Venezuela?

    Certa vez, há não muito tempo, o Exu de Garanhuns ficou de quatro para o índio cocaleiro da Bolívia, o que no final das contas nos custou uma refinaria, tomada da Petrobras – resultado da covardia somada ao mau caratismo desse metalúrgico incompetente, posto na presidência do país pelo pobre substrato cultural que compõe o eleitorado brasileiro.

    Bolivarianos das cinco republiquetas, saibam que 23% de cidadãos brasileiros perderam o respeito por esse cidadão, enviado de Hugo Chávez, e cobram do Itamaraty a sua imediata expulsão do país. Espero que ele não queira conhecer a coragem e determinação de um verdadeiro cidadão brasileiro e aceite um conselho, não saia às ruas, embarque o mais cedo possível para Caracas, volte para o seu chiqueiro.

  236. Pax said

    O partido com a cara do Chesterton (é, sim, nem venha negar, adorava quando a Kátia dos Trambiques era de lá) cada vez mais governo.

    Quem diria… o PT abraçando cada “causa”.

    Nem tão DEM assim, por Ilimar Franco
    Ilimar Franco, O Globo

    Nas últimas reuniões da Executiva Nacional do DEM e da bancada na Câmara, o presidente do partido, senador Agripino Maia (RN), passou a defender “oposição branda” ao Planalto. A ideia só não abriu crise interna porque transita por uma minoria de um partido já pequeno e fragilizado pelas deserções que ocorreram com a criação do PSD. Mas serviu para reacender as conversas sobre uma fusão do DEM com o PMDB. As duas propostas são rejeitadas pela ala independente, que não aceita negociar, e sugere que os descontentes se desfiliem, em vez de querer sepultar o partido.

    Peraí um minuto que vou vomitar um pouco ali.

    Volto depois de escovar os dentes.

  237. Chesterton said

    233. prefiro a defesa da liberdade.

  238. Chesterton said

    Eu nem ia comentar sobre o caso Renan Calheiros porque é algo já tão batido, mas talvez ele seja instrutivo sobre uma certa mentalidade muito comum no Brasil.

    Calheiros é corrupto e ladrão, e merecia ser espancado e jogado numa cela escura, mas também ladrões são os 55 que o votaram como presidente do Senado, e também é corrupto o povo que os elegeu. A corrupção vai muito além do roubo, é um modo de pensar. Por que tal ou tal deputado é o mais votado? Por que o eleitor pensa naquilo que vai ser bom apenas pra ele: se é pobre, que vai ganhar um saco de arroz ou um bolsa-família, se é rico, benefícios ou conchavos.

    Como diz Thomas Sowell, “Se você votou por um candidato que lhe prometeu benefícios tirados de outro alguém, então não reclame quando esse mesmo político tomar o dinheiro e der para terceiros, ou usar em benefício próprio.”

    Claro que a política é apenas uma pequena parte de tudo isso. Lendo sobre a tragédia que ocorreu em Santa Maria, por exemplo, descobrimos tristemente que a nata da juventude local foi incendiada por motivos absolutamente fúteis, resultado da soma de pequenas corrupções, de uma mentalidade pequena e estreita, mas grande na sua expansão.

    O membro da banda que iniciou os fogos impróprios para local fechado podia ter comprado um fogo de artifício específico para interiores, mas achou que era “muito caro” (custava 50 reais…) e preferiu economizar, mesmo colocando em risco a sua vida e a de seu público.
    Mr X (continua)

  239. Chesterton said

    Gosto do que a katia escreve, não sei dos trambiques e não tenho a menor ideia de que partido ela era e para qual ela foi.

  240. Elias said

    “chest- e quem comprou a 22-23 foi você.chest- e quem comprou a 22-23 foi você.” (Chester)

    Não, alfacinha.

    Eu comecei a compraire papéis do Petrossauro em 1969. E jamais as comprei em bolsa, até porque não tenho grana pra operaire lá.

    Enflizmente, ações pra mim não são mercadorias. São bens patrimoniais. E são poucas; pelo menos, são bem menos do que gostaria que fossem (e seriam, se eu pudesse, se meu dinheiro desse…).. As oscilações de curto prazo que ocorrem na bolsa às vezes preocupam, mas não a ponto de tiraire meu sono.

    Por exemplo: agora, nem preocupam. A distribuição de lucros, embora menor que a de 2012 (ano-base 2011), foi maior que a da maioria das empresas privadas. Além disso, começou a ser antecipada no primeiro semestre de 2012 (gerando um adicional de receita financeira e, por isto, reduzindo o “gap” em relação a 2012/2011). Então, tá na marca.

    Quem está chiando é o pessoal que opera na bolsa. E tu não és um deles, porque não tens grana pra isso (como eu também não tenho). Se estivesses lá, mesmo que não tivesses posição em carteira, mas em fundo, estarias a choraire, porque as ações do Petrossauro estão em todas — absolutamente todas! — as cestas.

    Chester, teus conhecimentos sobre o assunto não sustentam 5 minutos de conversa… Procura outro…

    Tomara que, como médico, sejas um pouco melhoire…

    Para o bem dos teus clientes, é bom que sejas…

    Falar nisso, diz-me cá, ó puto: onde foi mesmo que te formaste? “Medicina Legal” não fazia parte da grade currícular? E “Introdução à Ciência do Direito” não era pré-requisito?

    Pronto: estou a te daire uma saída, pra que eu não fique a tiraire sarro com tua mania de punhetaire o pingolim alheio…

  241. Elias said

    “chest- my god, que primarismo. Eu até prefiro que a gasolina dobre de preço, assim as ruas ficam vazias e desgasta menos meu carro no engarrafamento. Agora, o problema de aumentar o preço da gasolina (sem baixar os impostos incidentes- sim, porque o governo federal e estadual é carnívoro, quer percentagem, não o valor de antes do aumento que arrecadava) se chama inflação. E se a empresa for mal das pernas, o contribuinte ainda tem que botar dinheiro lá.” (Chester)

    Mas que bicho burro!

    E ainda fala em “primarismo”…

    Então estás a quereire que a gasolina dobre de preço, mas que os impostos permaneçam os mesmos, em termos absolutos?

    Procura um especialista, alfacinha… Tás com lombriga no cérebro…

    Terás que te submeteire a uma cirurgia com o separador de orelhas aberto (e que a cirurgia seja feita próximo a um vaso sanitário…).

    Na tua cabecinha de dono de quitanda, estás a pensaire que o problema é só com o teu carro, não é mesmo, alfacinha?

    Nem passa pela tua cabecinha de dono de quitanda de subúrbio que os preços dos combustíveis são repassados aos preços de um monte de outros produtos, não é, ó puto? Produtos que dependem dos derivados do petróleo seja para a produção, seja para a circulação?

    Tua cabecinha de dono de quitanda não alcança isso, alfacinha?

    Ora, caro puto.

    Nem vale mais a pena a gente discutire esse assunto. Enflizmernte o governo já está a autorizaire novo aumento no preço dos combustíveis.

    E fala-se que no segundo semestre haverá pelo menos mais um aumento de preço dos combustíveis.

    Vais pagaire mais caro por eles (com CPF ou CNPJ) e vais pagaire mais impostos (com CPF ou CNPJ). E o que é pior: mais impostos indiretos…

    “Primarismo”, é?

    Como não tens tarraqueta, terás que tomaire onde deire…

  242. Chesterton said

    PT censura música no carnaval de Recife!!!!
    | author: Gusta
    Ouça a letra AQUI e acompanhe a letra:

    Chega de trabalho, basta de tanto “lero-lero”, não vou mais encher minhas mãos de calo.
    Vou viver da bolsa do “Fome Zero”. Minha mulher está muito feliz, já pediu dispensa do trabalho. Não quer mais ser uma faxineira, Pra Viver dessa bolsa brasileira.

    Por isso, eu canto “Obrigado Presidente!” Por o senhor ter estendido a mão. Distribuindo esmola via cartão. Retribuindo com a sua reeleição. Este é o país que vai prá frente, com essa massa ociosa e contente. Vivendo na ociosidade, diz ainda que isso é brasilidade.

    Por isso, eu canto “Obrigado Presidente!” Por o senhor ter estendido a mão. Distribuindo esmola via cartão, contrariando o nosso “Rei do Baião”. Chega de trabalho, basta de tanto “lero-lero”. Não vou mais encher minhas mãos de calo. Vou viver da bolsa do “Fome Zero”. Minha mulher está muito feliz, já pediu dispensa do trabalho. Não quer mais ser uma faxineira. Prá Viver dessa bolsa brasileira.

    Por isso, eu canto “Obrigado Presidente!” Por o senhor ter estendido a mão, Distribuindo esmola via cartão. Retribuindo com a sua reeleição. Este é o país que vai prá frente com essa massa ociosa e contente, Vivendo na ociosidade, diz ainda que isso é brasilidade. Por isso eu canto “Obrigado Presidente!” Por o senhor ter estendido a mão, Distribuindo esmola via cartão, contrariando o nosso “Rei do Baião” Por isso, eu digo “Obrigado Presidente!” Por o senhor ter estendido a mão, Distribuindo esmola via cartão. Retribuindo com a sua reeleição. Por isso, eu digo “Obrigado Presidente!” Por o senhor ter estendido a mão. Distribuindo esmola via cartão, contrariando o nosso “Rei do Baião”. Por isso, eu digo “Obrigado Presidente!” Por o senhor ter estendido a mão, Distribuindo esmola via cartão, Retribuindo com a sua reeleição. Por isso eu digo “Obrigado Presidente!” Por o senhor ter estendido a mão. Distribuindo esmola via cartão, contrariando o nosso “Rei do Baião”.

    http://alertabrasil.blogspot.com.br/2013/02/pt-censura-musica-no-carnaval-de-recife.html?utm_source=feedburner&utm_medium=feed&utm_campaign=Feed:+alertabrasil+(AlertaBrasil)

  243. Chesterton said

    Nem vale mais a pena a gente discutire esse assunto. Enflizmernte o governo já está a autorizaire novo aumento no preço dos combustíveis.

    chest ai, ai, ai…..que desgraça Elias, você não consegue seguir o raciocínio mais tenro. Se a percentagem é a mesma do ICMS (por exemplo) quando é que o estado mais arrecada, com o preço baixo ou o preço alto?

  244. Chesterton said

    até porque não tenho grana pra operaire lá.

    chest- Elias, tua ignorância só rivaliza com tua burrice, não é à toa que você não tem dinheiro. Se fosse minimamente informado saberia que em qualquer Home Broker se pode comprar 1 (uma) ação de qualquer empresa a hora que quiser, não precisa ser rico.
    Mas tudo bem, a burrice pobre e arrogante não conhece nem os limites da ignorância.

  245. Pax said

    quero ser o padrinho de tão tórrido relacionamento
    só não me chamem na cena do padre dizendo que pode beijar a noiva

  246. Elias said

    Chester,

    Já a tua imbecilidade é tão grande quanto a tua ignorância, que, por sinal, iguala com a tua burrice, todas perdendo pra tua arrogância.

    Compraire de corretoras (“Homer Broker”, é my donkey?), é o mesmo que compraire na bolsa.

    Sua anta!

    Pax,

    O alfacinha gosta de verdura…

  247. Chesterton said

    Ai, ai, ai,

    Enxame de abelhas

    “Vou me pintar de afrodescendente”, gritou irritado um amigo meu carcamano, um apelido carinhoso que espero nunca ser considerado assédio cultural.

    Às vezes, à noite, sou atormentado pelo que dizia Paulo Francis: os “frouxos venceram”, não vamos poder pensar, dizer, criar, intuir mais nada que não esteja na cartilha dos autoritários. Sob o signo dos ofendidos, cala-se a alma, o humor e a inteligência. Antes era em nome do racismo nazista, do novo homem comunista, das heresias, agora é em nome dos “ofendidos”.

    Este meu amigo, normalmente, é uma pessoa doce, mas às vezes perde as estribeiras. Outro dia, acabou indo com a esposa e as duas filhas, num domingão quente pra burro, ver a Bienal no Ibirapuera.

    Parou o carro longe (claro, trânsito infernal, sem lugar para parar o carro, e chamam isso de lazer…) e teve que fazer as três meninas andarem até o pavilhão sob o Sol, obviamente o culpando por tudo.

    A mulher sempre culpa o marido por tudo de forma tranquila e sem pudores. Estas queixas vêm seguidas de beijos, sorrisos e sexo, quando passa a irritação, que numa mulher passa na mesma velocidade da luz em que ela cai no tédio.

    Aprendeu uma dura lição: Ibirapuera domingo é para iniciantes (a menos que chova, aí é legal…), pior quando tem Bienal porque aí se junta o povo que quer ter saúde com o povo que quer fingir que gosta de arte. O mundo está dividido em dois grupos: os que gostam de arte e os que gostariam de gostar de arte.

    O mesmo vale para jazz, blues e música erudita.

    Outro dia ele foi fazer aquele negócio chamado “controlar”, mais uma taxa para pagarmos. Esta é “verde”. O burocrata técnico recusou seu carro por um detalhe qualquer. Daí, ele teve que começar tudo de novo. A vida, passo a passo, se torna uma teia infernal de controles.

    O melhor é não ter carro, não dar emprego a ninguém, não casar, não ter filhos, enfim, negar investimento a um mundo controlado pelos “babacas do bem”.

    Mas não é disso que quero falar, mas sim da irritação do meu amigo carcamano com o novo edital racista do Ministério da Cultura. Todo mundo ouviu falar do edital para afrodescendentes (não ouso usar qualquer outra expressão por medo de ter minha vida destruída pelos “amantes da liberdade”).

    Enquanto esses tecnocratas ideológicos não conseguirem criar de fato racismo à la Ku Klux Klan no Brasil, não sossegarão.

    A indústria do assédio jurídico cresce e os amantes da liberdade que tanto criticam a maldita ditadura e pedem uma Comissão da Verdade só para um dos lados, gozam com as novas formas de autoritarismo que empesteiam nossas vidas.

    O apartheid do bem é a nova invenção do governo. Tanta gente morreu na Segunda Guerra Mundial, tanta gente morreu na mãos dos comunistas, e o fascismo venceu assim como um enxame de abelhas vence: começa devagar, você achando que está lutando apenas contra uma, mas, zumbindo, elas invadem sua casa e sua vida.

    No mesmo processo, querem proibir Monteiro Lobato. Adianto que não gosto da obra de Monteiro Lobato, nem ela me marcou na infância. Preferia as aventuras de Abraão, Moisés e Deus. Mas meu gosto pouco importa.

    Por que não fazem esses fascistas assistirem à famosa cena em que nazistas queimavam livros na Alemanha de Hitler? O que esses tarados não entendem é que os nazistas também achavam que tinham um bom motivo e que aqueles livros degeneravam as novas gerações. Alguma semelhança?

    E ainda, para piorar, quem paga essa farra fascista somos nós. O governo e sua máquina imoral de arrecadação de impostos, este sócio parasita de cada pessoa que trabalha no país, alimenta tecnocratas aos montes deixando que inventem medidas discriminatórias dizendo que são do bem.

    O argumento de que somos todos culpados pela escravidão é falso. Não conheço, no meu círculo de pessoas, ninguém que tenha tido escravos ou ganhado dinheiro com a escravidão ou coisa parecida.

    Melhor seria este governo fascista criar uma educação decente de uma vez por todas para acabar com a pobreza cultural do país em vez de ressuscitar medidas racistas.

    Luiz Felipe Pondé

  248. Chesterton said

    http://www1.folha.uol.com.br/colunas/luizfelipeponde/

  249. Elias said

    E, donkey, my puto,

    Compraire ações em uma corretora, embora o seja pelo preços lá da bolsa, não significa, necessariamente, estaire operando na bolsa.

    Operaire na bolsa é outra coisa, puto…

    Significa, em síntese, trabalhaire as ações como MERCADORIAS, comprando-as e vendendo-as, independentemente do encerramento do exercício financeiro.

    As pessoas que fazem isso, trabalham (e ganham or perdem), mais com expectativas do que com resultado concreto (até porque as operações acontecem antes que os resultados concretos sejam apurados). O exercício das operações de opções, p.ex., fecham a cada seis meses, e nem uma vez por ano com o encerramento do exercício financeiro.

    Mas esse não é o meu caso, ó donkey, my puto. I não have money pra tão altas cavalarias. Quem me dera…

    My caso is outro. Eu considero as ações — e as tenho poucas — como BENS PATRIMONIAIS e não como mercadorias.

    Eu não vivo de comprar and vender ações.

    Ainda não estás a entendeire, my donkey, ó puto?

  250. Chesterton said

    Elias, você vai morrer pobre. É o único destino para quem compra caro e ri.

    —————————————————

    LUIZ FELIPE PONDÉ

    A traição da psicologia social

    Antes, eram as esferas celestes, agora, são as esferas sociais as culpadas por roubarmos os outros

    Olha que pérola para começar sua semana: “Esta é a grande tolice do mundo, a de que quando vai mal nossa fortuna -muitas vezes como resultado de nosso próprio comportamento-, culpamos pelos nossos desastres o Sol, a Luz e as estrelas, como se fôssemos vilões por fatalidade, tolos por compulsão celeste, safados, ladrões e traidores por predominância das esferas, bêbados, mentirosos e adúlteros por obediência forçada a influências planetárias”. William Shakespeare, “Rei Lear”, ato 1, cena 2 (tradução de Barbara Heliodora).

    Os psicólogos sociais deveriam ler mais Shakespeare e menos estas cartilhas fanáticas que dizem que o “ser humano é uma construção social”, e não um ser livre responsável por suas escolhas, já que seriam vítimas sociais. Os fanáticos culpam a sociedade, assim como na época de Shakespeare os mentirosos culpavam o Sol e a Lua.

    Não quero dizer que não sejamos influenciados pela sociedade, assim como somos pelo peso de nossos corpos, mas a liberdade nunca se deu no vácuo de limites sociais, biológicos e psíquicos. Só os mentirosos, do passado e do presente, negam que sejamos responsáveis por nossas escolhas.

    Mas antes, um pouco de contexto para você entender o que eu quero dizer.

    Outro dia, dois sujeitos tentaram assaltar a padaria da esquina da minha casa. Um dos donos pegou um dos bandidos. Dei parabéns para ele. Mas há quem discorde. Muita gente acha que ladrão que rouba mulheres e homens indo para o trabalho rouba porque é vítima social. Tadinho dele…

    Isso é papo-furado, mas alguns acham que esse papo-furado é ciência, mais exatamente, psicologia social. Nada tenho contra a psicologia, ao contrário, ela é um dos meus amores -ao lado da filosofia, da literatura e do cinema. Mas a psicologia social, contra quem nada tenho a priori, às vezes exagera na dose.

    O primeiro exagero é o modo como a psicologia social tenta ser a única a dizer a verdade sobre o ser humano, contaminando os alunos. Afora os órgãos de classe. Claro, a psicologia social feita desta forma é pura patrulha ideológica do tipo: “Você acredita no Foucault? Não?! Fogueira para você!”.

    Mas até aí, este pecado de fazer bullying com quem discorda de você é uma prática comum na universidade (principalmente por parte daqueles que se julgam do lado do “bem”), não é um pecado único do clero fanático desta forma de psicologia social. Digo “desta forma” porque existem outras formas mais interessantes e pretendo fazer indicação de uma delas abaixo.

    Sumariamente, a forma de psicologia social da qual discordo é a seguinte: o sujeito é “construído” socialmente, logo, quem faz besteira ou erra na vida (comete crimes ou é infeliz e incapaz) o faz porque é vítima social. Se prestar atenção na citação acima, verá que esta “construção social do sujeito” está exatamente no lugar do que Shakespeare diz quando se refere às “esferas celestes” como responsáveis por nossos atos.

    Antes, eram as esferas celestes, agora, são as esferas sociais as culpadas por roubarmos os outros, ou não trabalharmos ou sermos infelizes. Se eu roubo você, você é que é culpado, e não eu, coitado de mim, sua real vítima. Teorias como estas deveriam ser jogadas na lata de lixo, se não pela falsidade delas, pelo menos pelo seu ridículo.

    Todos (principalmente os profissionais da área) deveriam ler Theodore Dalrymple e seu magnífico “Life at The Bottom, The Worldview that Makes the Underclass”, editora Ivan R. Dee, Chicago (a vida de baixo, a visão de mundo da classe baixa), em vez do blá-blá-blá de sempre de que somos construídos socialmente e, portanto, não responsáveis por nossos atos.

    Dalrymple, psiquiatra inglês que atuou por décadas em hospitais dos bairros miseráveis de Londres e na África, descreve como a teoria da construção do sujeito como vítimas sociais faz das pessoas preguiçosas, perversas e mentirosas sobre a motivação de seus atos. Lendo-o, vemos que existe vida inteligente entre aqueles que atuam em psicologia social, para além da vitimização social que faz de nós todos uns retardados morais

  251. Chesterton said

    Olha o Adolfo

    http://www.bloomberg.com/news/2013-02-08/brazil-ignores-world-cup-costs-to-lift-housing-mortgages.html

  252. Patriarca da Paciência said

    “Melhor seria este governo fascista criar uma educação decente de uma vez por todas para acabar com a pobreza cultural do país em vez de ressuscitar medidas racistas.

    Luiz Felipe Pondé”

    E o que essa figura já fez com o intuito de criar uma educação decente?

    Será que foi incentivando as pessoas a não pagarem impostos?

    Pagar impostos é injusto!

    As boas escolas serão criadas por desígnio das esferas!

  253. Jose Mario HRP said

    Pondé é o sujeito que junto com o Shwartzman fazem o trabalho provocativo na Folha, levantando temas polêmicos, dando opiniões quase sempre ridículas ou absurdas, temperando aborto, pena de morte, atéismo, rascismo e outras bobeiras num samba do crioulo doido!
    Ganha para escrever besteiras como o abjeto Mainardi!
    Fazer o que?

  254. Chesterton said

    Pagar impostos é injusto!

    chest- imposto é como cota de condominio, você paga e vê o resultado (se o síndico for honesto). Se ultrapassar isto, é injusto e ineficaz. Principalmente se tiver uma conotação “social”.

    Não custa lembrar aos 2 peto-lulistas aí de cima que quem paga mais imposto é o pobre, e sempre vai ser assim, porque se o rico tiver que pagar o mesmo imposto que o pobre, fica pobre, e aí a regra se confirma.

  255. Patriarca da Paciência said

    Conforme está 100% comprovado, ou paga-se impostos ao Estado ou paga-se tributos a bandidos, visto que não há vácuo de poder.

    Mas ainda tem muita gente que prefere pagar tributos a bandidos!

  256. Chesterton said

    100% comprovado que bandidos roubam para si em nome do “povo”.

  257. Otto said

    “Cerca de 700 mil residências e comércios estão sem energia no Nordeste dos EUA. Mais de 160 mil pessoas ficaram sem luz em Massachusetts, quase 200 mil em Rhode Island e 34 mil em Connecticut. Se fosse no Brasil, a imprensa brasileira chamaria de apagão. Mas lá na terra de Tio Sam apagão é panes de energia.”

    http://www.advivo.com.br/blog/luisnassif/a-cobertura-do-apagao-nos-eua-pela-midia-brasileira

  258. Patriarca da Paciência said

    Cientistas identificam origem de mamíferos placentários

    http://www.bbc.co.uk/portuguese/noticias/2013/02/130208_mamiferos_placentarios_pesquisa_jp.shtml

    O bichinho é bem parecido com um rato.

    Eu sempre desconfiei que o ser humano tem alguma coisa de rato!

  259. Otto said

    Release do novo best-seller político:Uma verdade incômoda

    Por Willian Novaes, da Geração Editorial

    Neste livro corajoso, A Outra História do Mensalão – As contradições de um julgamento político (R$ 34,90, pag. 352), independente e honesto, o jornalista Paulo Moreira Leite, que foi diretor de Época e redator-chefe de Veja, entre outras publicações, ousa afirmar que o julgamento do chamado mensalão foi contraditório, político e injusto, por ter feito condenações sem provas consistentes e sem obedecer a regra elementar do Direito segundo a qual todos são inocentes até que se prove o contrário.

    Os acusados estavam condenados – por aquilo que Moreira Leite chama de opinião publicada, que expressa a visão de quem tem acesso aos meios de comunicação, para distinguir de opinião pública, que pertence a todos — antes do julgamento começar.

    Naquele que foi o mais midiático julgamento da história brasileira e, possivelmente, do mundo, os juízes foram vigiados pelo acompanhamento diário, online, de todos os seus atos no tribunal. Na sociedade do espetáculo, os juízes eles se digladiaram, se agrediram, se irritaram e até cochilaram aos olhos da multidão, como num reality show.

    Este livro contém os 37 capítulos publicados pelo autor em blog que mantinha em site da revista Época, durante os quatro meses e 53 sessões no STF. A estes artigos Moreira Leite acrescentou uma apresentação e um epílogo, procurando dar uma visão de conjunto dos debates do passado e traçar alguma perspectiva para o futuro.

    O prefácio é do reconhecido e premiado jornalista Janio de Freitas, atualmente colunista da Folha de S. Paulo. Esse é o 7° titulo da coleção Historia Agora, lançada pela Geração Editorial, entre os livros desta coleção está o best seller, A Privataria Tucana.

    Ler esses textos agora, terminado o julgamento, nos causa uma pavorosa sensação. O Supremo Tribunal Federal Justiça, guardião das leis e da Constituição, cometeu injustiças e este é sem dúvida um fato, mais do que incômodo, aterrador.

    Como no inquietante Processo, romance de Franz Kafka, no limite podemos acreditar na possibilidade de sermos acusados e condenados por algo que não fizemos, ou pelo menos não fizemos na forma pela qual somos acusados.

    Num gesto impensável num país que em 1988 aprovou uma Constituição chamada cidadã, o STF chegou a ignorar definições explícitas da Lei Maior, como o artigo que assegura ao Congresso a prerrogativa de definir o mandato de parlamentares eleitos.

    As acusações, sustenta o autor, foram mais numerosas e mais audaciosas que as provas, que muitas vezes se limitaram a suspeitas e indícios sem apoio em fatos.

    A denúncia do “maior escândalo de corrupção da história” relatou desvios de dinheiro público mas não conseguiu encontrar dados oficiais para demonstrar a origem dos recursos. Transformou em crime eleitoral empréstimos bancários que o PT ao fim e ao cabo pagou.

    Culpou um acusado porque ele teria obrigação de saber o que seus ex-comandados faziam (fosse o que fosse) e embora tipificasse tais atos como de “corrupção”, ignorou os possíveis corruptores, empresários que, afinal, sempre financiaram campanhas eleitorais de todos, acusados e acusadores.

    Afinal, de que os condenados haviam sido acusados? De comprar votos no Congresso com dinheiro público, pagando quantias mensais aos que deveriam votar, políticos do próprio PT – o partido do governo! – e de outros partidos.

    Em 1997 um deputado confessou em gravação publicada pelo jornal Folha de S. Paulo que recebera R$ 200 mil para votar em emenda constitucional que daria a possibilidade de o presidente FHC ser reeleito. Mas – ao contrário do que aconteceu agora – o fato foi considerado pouco relevante e não mereceu nenhuma investigação oficial.

    Dois pesos, duas medidas. Independentemente do que possamos aceitar, nos limites da lei e de nossa moral, o fato é que, se crimes foram cometidos, os criminosos deveriam ter sido, sim, investigados, identificados, julgados e, se culpados, condenados na forma da lei. Que se repita: na forma da lei.

    É ler, refletir e julgar. Há dúvidas – infelizmente muitas – sobre se foi isso o que de fato aconteceu.

  260. Michelle 2 said

    INFLAÇÃO?

  261. Chesterton said

    Mensagem a Garcia
    Dilma não visitou Marco Aurélio Garcia no Incor-DF, só telefonou. Ela nunca esqueceu o mico diplomático que amargou, quando Top-Top não a posicionou claramente do que havia acontecido no Paraguai, com o inexistente “golpe” contra o ex-bispo tarado Fernando Lugo.

    chest- a diplomacia brasileira nunca viu poço tão fundo.

  262. Chesterton said

    257- acho que é desastre natural, um furacão.

  263. Chesterton said

    Quando o hígido Michel Temer vira poeta e Renan Calheiros – acusado pela Procuradoria Geral da República de peculato, falsidade ideológica e uso de documento falso – é apossado (com voto secreto – o voto da covardia) na Presidência do Senado Federal no posto número 3 da sucessão republicana e entra no papel dando uma aula de ética e com apoio do PSDB, um lado meu pergunta ao outro se não estaria na hora de sumir do Brasil.

    Se não seria o momento de pegar o meu chapéu e deixar de escrever, abandonar o ensino das antropologias, desistir do trabalho honesto, beber fel, tornar-me um descrente, aloprar-me, abandonar a academia (de ginástica, é claro), deixar-me tomar pela depressão, desistir de sonhar, aniquilar-me, andar de joelhos, dar um tiro no pé, filiar-me a uma seita de suicidas, mijar sentado, avagabundar-me, virar puxa-saco, fazer da mentira a minha voz; e – eis o sentimento mais triste – deixar de amar, de imaginar, de ambicionar e de acreditar. Abandonar-me a esse apavorante cinismo profissional que toma conta do País – esse inimigo da inocência -, porque minha cota de ingenuidade tem sido destroçada por esses eventos. Eu não posso aceitar viver num país que legaliza a ilegalidade, tornando-a um valor. Eu não posso aceitar um conluio de engravatados que vivem como barões à custa do meu árduo trabalho.

    “A ética não é um objetivo em si mesmo. O objetivo em si mesmo é o Brasil, é o interesse nacional. A ética é obrigação de todos nós e é dever deste Senado”, professa Renan Calheiros, na sua preleção de po(s)se.

    Para ele, a ética, o Brasil, o dever, o interesse e as obrigações são coisas externas. Algo como a gravata italiana que chega de fora para dentro e pode ou não ser usada. Façamos uma lei que torne todo mundo ético e, pronto!, resolvemos o problema da cena política brasileira – esse teatro de calhordices.

    A ética não é a lei. A lei está escrita no bronze ou no papel, mas a ética está inscrita na consciência ou no coração – quando há coração… Por isso, ela não precisa de denúncias de jornais, nem de sermões, nem de demagogia, nem da polícia! A lei precisa da polícia, o moralismo religioso carece dos santarrões e as normas, de fiscais. A ética, porém, requer o senso de limites que obriga à mais dura das coragens: a de dizer não a si mesmo e, no caso deste Brasil impaludado de lulopetisto, a de negar o favor absurdo ou criminoso à namorada, ao compadre, ao companheiro, ao irmão, ao amigo.

    “O Zé é meu amigo, mexeu com ele, mexeu comigo!”, eis a cínica palavra de ordem de um sistema totalmente aparelhado e dominado pelo poder feito para enriquecer a quem o usa, sem compostura, o toma lá dá cá com tonalidades pseudoideológicas, emporcalhando a ideologia.

    Quem é que pode acreditar na possibilidade de construir um mundo mais justo e igualitário no qual a esfera pública, tocada com honestidade, é um ideal, com tais atores? Justiça social, honestidade, retidão de propósito são valores que formam parte da minha ideologia; são desígnios que acredito e quero para o Brasil. Ver essa agenda ser destruída em nome dos que tentaram comprar apoio político e hoje se dizem vítimas de um complô fascista, embrulha o meu estômago. Isso reduz a pó qualquer agenda democrática para o Brasil.

    O cínico – responde meu outro lado – precisa (e muito) de polícia; o ético tem dentro de si o sentido da suficiência moral. Ela ou ele sabem que em certas situações somente o sujeito pode dizer sim (ou não!) a si mesmo. Isso eu não faço, isso eu não aceito, nisso eu não entro. É simples assim. A camaradagem fica fora da ética, cujo centro é o povo como figura central da democracia.

    O que vemos está longe disso. Um eleito condenado pelo STF é empossado deputado, Maluf – de volta ao proscênio – sorri altaneiro para os fotógrafos, um outro companheiro com um passado desabonado por acusações vai ser eleito presidente da Câmara; a presidente age como a rainha Vitória. E o Direito: o correto e o honesto viram “direita”. Entrementes, a “esquerda” tenta desmoralizar a Justiça porque não aceita limites nem admite abdicar de sua onipotência. Articula-se objetivamente, com uma desfaçatez alarmante, uma crise entre poderes exatamente pela mais absoluta falta de ética, esse espírito de limite ausente dos donos do poder neste Brasil de conchavos vergonhosos e inaceitáveis. Você, leitor pode aceitar e até considerar normal. Eu não aceito!

    Roberto da Matta é Antropólogo.

  264. Patriarca da Paciência said

    Interessantíssimo como o tal “da moita” nada diz sobre o Henrique Alves.

    A resposta é claríssima! É que o Henrique Alves está acenando que está acenando que pode passar para o lado deles, os imaculados!

    Tá na cara que esse cara acredita, com toda a sinceridade, naquilo que diz, ou seja, “Justiça social, honestidade, retidão de propósito são valores que formam parte da minha ideologia; são desígnios que acredito e quero para o Brasil.”

    O cara é mesmo um IMACULADO!

  265. Pax said

    Sinceramente não me importo tanto se sai ou não a notícia no New York Times

    Brazil, Where a Judge Made $361,500 in a Month, Fumes Over Pay

    O que interessa mesmo é a putaria generalizada que se tornou o Congresso, a notícia original de onde o NY Times tirou suas informações

    Exclusivo: um quarto do Congresso tem supersalário

    E o Judiciário

    Ex-presidente do Tribunal de Justiça de SP recebeu R$ 723 mil em um único mês

    E somos nós que pagamos esses canalhas. É o que dá aceitar aqui e acolá esse Império da Corrupção.

  266. Patriarca da Paciência said

    “Por João Lucas Gontijo Fraga

    Re: O gibi “O País dos Metralhas”

    Sou tradutor e fui o primeiro a me enfurecer quando a Abril traduziu “nasty” (termo pejorativo geral) por “petralha” (termo pejorativo específico). O que a Abril fez na ocasião foi prostituir a minha profissão. Não aceito isso e levo essa questão MUITO a sério.

    Então tenho autoridade para dizer que:

    1- Não era uma tradução, pelo visto, e sim uma escolha. Uma escolha com agenda política, óbvio, mas, pelo menos dessa vez, a Editora Abril não prostituiu minha profissão.

    2- Em termos de efeito, mudar a cor da camisa dos Irmãos Metralha e fazer auto-referência a um livro de RA tem mais ou menos a mesma eficiência de cuspir em um míssil que vem na sua direção na esperança de mudar sua trajetória.

    3- O PSDB foi quem ficou enchendo a paciência quando Dilma vestiu vermelho. Se queremos ser diferenciados deles, convém não mordermos a isca.

    4- Eles dizem mentiras bem piores, de formas bem mais grotescas, o tempo todo. Foco nas coisas sérias, não nas trivialidades.

    No Brasil de hoje, a pergunta é: quem são, realmente, os metralhas?

    PS: Embora os negócios com revistas enfrentem dificuldades, a Abril se torna, aos poucos, um dos grandes grupos educacionais do País. Já comprou o Anglo e as escolas de inglês Wise Up e Red Balloon.”

    http://www.brasil247.com/pt/247/midiatech/93279/Metralha-frauda-tradução-e-publica-gibi-contra-o-PT.htm

  267. Patriarca da Paciência said

    “Não é verdade que J Barbosa esteja cogitado para o Vaticano.Já Eduardo Campos só analisará a hipótese depois do dia 28 de fevereiro.”
    — Roberto Requião

    (Blog PHA)

  268. Jose Mario HRP said

    Off topici:
    Foi – se mais um papa.
    Que venha alguém que leve a palavra de Deus e Jesus com decência e verdade, na opção pelos pobres e perseguidos..
    Especulam que um dos favoritos seria o cardeal primaz de Gana.
    Poderemos ter o primeiro papa negro. Nem Nostradamus previu.
    Fica a memória do maior papa do século vinte, quiça de todos, o bom , amado e corajoso Cardeal Roncalli, João XXVII.
    Fundação Raoul Wallenberg logo lhe fará uma homenagem post mortem.

  269. Michelle 2 said

    Deu no que deu – EDITORIAL O GLOBO
    O GLOBO – 11/02

    Longe de ser uma criação maquiavélica de “neoliberais” preocupados em “explorar o povo”, agência reguladora é um instrumento moderno de administração pública existente nas grandes economias do mundo, para mediar o difícil e crucial relacionamento entre o poder concedente da exploração de serviços públicos (o Estado), os concessionários e usuários destes serviços. Há, ainda, no mundo, agências que regulam outros tipos de atividades, mas sempre com a característica de serem entidades independentes do poder público, e em que os cargos de direção têm mandatos fixos.

    No Brasil, elas foram instituídas no governo de Fernando Henrique Cardoso para atuar em atividades estatais recém-privatizadas ou recém-abertas à participação de capitais privados. Anatel (telecomunicações), ANP (petróleo) e Aneel (energia elétrica) são casos típicos. A Anac (aviação civil) substituiu o DAC (Departamento de Aeronáutica Civil), um departamento esclerosado do Ministério da Aeronáutica, sem condições de trabalhar na regulação de um setor difícil e necessitado de mudanças radicais, para haver efetiva competição, em benefício dos usuários, mas dentro das necessariamente rígidas normas de segurança.

    Ao assumir, em 2003, porém, o presidente Lula logo criticou o modelo das agências: considerou-as um instrumento de “terceirização” do poder do governo. Não entendeu — ou não quis entender — como o sistema funciona. Os governos podem e devem planejar, investir, definir as regras do jogo. Aplicá-las, fiscalizar o cumprimento dos contratos, defender o interesse do usuário, mas sem que o negócio seja oneroso para o concessionário privado, nem o Estado, isso cabe à agência.

    Mas o objetivo do lulopetismo era outro. Dentro de uma clássica visão política de centralização, era inconcebível a relativa autonomia das agências. Aos poucos, o governo as sufocou, via cortes orçamentários, e terminou vencendo: as agências acabaram, na prática, convertidas em antigas autarquias ministeriais.

    Retrocedeu-se na administração pública. E o governo pôde, então, colocar as agências na ciranda do aparelhamento da máquina pública, com nomeações feitas a partir de critérios ideológicos e afinidades pessoais (sem qualquer atenção com a qualificação profissional e ética do nomeado).

    O despreparo técnico da Anac, já aparelhada, na crise do “apagão aéreo”, iniciada em fins de 2006, ficou evidente. Foi patético, e arriscado. No aspecto ético, há pelo menos um exemplo, o da desenvoltura demonstrada pela chefe de gabinete da presidência em São Paulo, Rosemary Noronha, nomeada por Lula, no tráfico de influência junto a agências. Tendo indicado os irmãos Paulo e Rubens Vieira para as agências de água (ANA) e Anac, Rose pôde praticar lucrativa advocacia administrativa.

    Foi nisto que resultou a subjugação das agências a interesses privados, de partidos e de grupos, que transitam em Brasília.

  270. Chesterton said

    É impressionante a mudança de discurso do PT
    1. eu sou puro
    2. eu sou sujo como todo mundo.

  271. Pax said

    Paulo Moreira Leite está surtando?

    http://www.istoe.com.br/colunas-e-blogs/coluna/274980_O+OVO+DA+SERPENTE

    Quer dizer que se eu acho que o Senado não serve pra porra nenhuma eu estou dando um golpe?

    Ah, Paulo, esse caminho é ruim meu caro. Você que está pirando, não se pode reclamar de mais nada? Vá se catar.

  272. Pax said

    Raras vezes concordo com o Chesterton, mas em #270 ele deu uma bola dentro.

  273. Chesterton said

    Mas tem um “sequel”…

    3. na verdade sempre fui como todo mundo
    4. só queria participar do butim.

  274. Chesterton said

    Aécio garante: depois do carnaval vai fazer oposição!!!!
    Impressionante amigos!!!! Parece que depois de 2 anos o senador Aécio Neves, virtual candidato do PSDB à presidência, finalmente decidiu fazer oposição ao governo!!!!

    Em 2011 a inflação bateu 6,5% e o PIB cresceu menos de 3%. Em 2012 a inflação, mesmo com todas as desonerações tributárias, ficou em 5,7% e o PIB cresceu 1%. As contas públicas estão em frangalhos, o sistema de metas de inflação foi abandonado, a credibilidade do governo está indo por água abaixo. Mas nada disso foi capaz de animar o destemido senador mineiro a fazer oposição.

    Mas agora ele garante: depois do carnaval fará oposição. Então pergunto eu: por quê? Por que senador? Por que só agora? E mais importante do que tudo: por que depois do carnaval? Acaso o senhor vai tirar férias?

    Tenho várias restrições a Aécio Neves, a mais óbvia é que eu o considero um dos responsáveis pelos atuais governos petistas. Não é segredo para ninguém que Aécio ajudou muito pouco nas últimas 3 eleições presidenciais. Mas tenho outra restrição ao Senador: Aécio pensa que é John Kennedy!!! Acha que beber e sair para a vida noturna é compatível com o caminho para ser presidente. Acha que ficar viajando para o Rio de Janeiro em vez de trabalhar em Brasília é compatível com suas ambições presidenciais.

    Aécio Neves não tem cacife para vencer Dilma. Se o PT não tiver dossies contra ele o PSDB paulista certamente os têm. Tão logo Aécio anuncie sua candidatura à presidência decretará também seu fim político. Verdade seja dita, ele provavelmente sabe disso. A rigor vejo três caminhos para o senador mineiro, e nenhum deles leva à presidência: a) continuar no senado e esperar 2018; b) tentar o governo de Minas em 2014 ou 2018; e c) ser vice na chapa de Eduardo Campos para presidente em 2014.
    POSTADO POR BLOG DO ADOLFO À

  275. Chesterton said

    SEGUNDA-FEIRA, 11 DE FEVEREIRO DE 2013
    Dona de fortuna de R$ 5 bilhões é a patrocinadora do novo partido da Marina Silva.

    Café da manhã na casa de Neca Setúbal (sentada à esquerda) em homenagem à Marina Silva. Um patrocínio que vale R$ 5 bilhões.

    A Comissão de Mobilização de Recursos do novo partido político de Marina Silva está encarregada de “captar e mobilizar recursos para a realização do encontro nacional de 16/02 e para a coleta de assinaturas.” É comandada por Maria Alice (Neca) Setúbal, que possui 3,5% das ações da holding que comanda o Banco Itaú, uma fortuna estimada em R$ 5 bilhões.

    A nova aventura sonhática de Marina Silva, antes patrocinada por Gilberto Leal, dono da Natura e seu candidato à vice-presidência, ganha, assim, um reforço considerável de caixa para a dura tarefa de obter 500 mil assinaturas em papel, não pela internet. Veja aqui a programação do encontro que será realizado em Brasília, no próximo dia 16, para fundação do novo partido.

    O espaço escolhido é o Unique Palace, o mais luxuoso centro de convenções na capital federal. Faça aqui um tour fotográfico pelo local. Dinheiro não vai faltar para a #rede da Marina.
    POSTADO POR O EDITOR O Coronel

  276. Chesterton said

    PT contra PT.
    Surpresos com a revelação, em artigo ontem na Folha, de que Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN) declarará vagos mandatos de condenados no mensalão, petistas acusam o novo presidente da Câmara de descumprir promessa de campanha e mudar seu discurso em retaliação às traições atribuídas ao PT na eleição da Mesa. Deputados lembram ainda que Valdemar Costa Neto (PR-SP) agiu para retirar Inocêncio Oliveira (PR-PE) do páreo, evitando indigesto segundo turno.

    Tá quente “Ele [Alves] não tem sustentação política para tomar decisão de ofício”, diz um parlamentar petista que defende rito prolongado para dar sobrevida a José Genoino (PT-SP), João Paulo Cunha (PT-SP), Pedro Henry (PP-MT) e Costa Neto.

    Tá frio A conduta do peemedebista, contudo, encontra respaldo em setores do PT que tentam “virar a página do mensalão” e diminuir a tensão institucional. “A Câmara não pode mais ficar sob fogo cruzado”, contemporiza um petista da ala moderada.

    (Do Painel da Folha)

  277. Patriarca da Paciência said

    “É impressionante a mudança de discurso do PT
    1. eu sou puro
    2. eu sou sujo como todo mundo.”

    Se houver uma coisa que o PT nunca defendeu foi ser imaculado. Já faz décadas que o Lula defende que “em política não há irmãs de caridade!”, nem aqui, nem na China, nem nos Estados Unidos Maravilha (vide o filme Lincoln)

    Achar que socialista é sinônimo de santo sempre foi coisa da direitona.

    O que socialista acredita é que ganância não é a melhor política. Que mais vale dividir e viver em paz do que querer tudo para si e viver apavorado. Que ninguém é bobo. Que a humanidade caminha inexoravelmete para ser cada vez mais igualitária, basta ver como as pessoas viviam no tempo de Roma, na Idade Média, na Revolução Industrial e atualmente.

    Faz pouco tempo mulheres e pobres sequer votavam.

    Faz pouco tempo a escravidão era legalizada.

    Bobagem mesmo é ficar agarrado a certo privilégios que, inexoravelmente, serão aniquilados.

  278. Michelle 2 said

    As musas e “musos” do PT atual

    http://www.implicante.org/wp-content/themes/volt/scripts/timthumb.php?src=http://www.implicante.org/wp-content/uploads/2013/02/Gra%C3%A7a-Foster.jpg&w=460&h=200&zc=1&q=100

    http://www.implicante.org/wp-content/themes/volt/scripts/timthumb.php?src=http://www.implicante.org/wp-content/uploads/2013/02/ROSEMARY-DE-NORONHA-20090603-06-size-598.jpg&w=460&h=200&zc=1&q=100

    http://www.implicante.org/wp-content/themes/volt/scripts/timthumb.php?src=http://www.implicante.org/wp-content/uploads/2013/02/tn_620_600_renan_e_sarney_reuters1.jpg&w=460&h=200&zc=1&q=100

    http://www.implicante.org/wp-content/themes/volt/scripts/timthumb.php?src=http://www.implicante.org/wp-content/uploads/2013/02/brinde-mensaleiros.jpg&w=460&h=200&zc=1&q=100

  279. Chesterton said

    Bobagem mesmo é ficar agarrado a certo privilégios que, inexoravelmente, serão aniquilados.

    chest- como por exemplo?

  280. Patriarca da Paciência said

    Exemplos:

    Um diplomado, fosse bacharel ou “doutor”, há alguns anos atrás, era uma verdadeira celebridade – hoje não passa de uma pessoa comum.

    Qualquer pessoa que ganhasse uma remuneração classe média, poderia ter duas empregadas domésticas – hoje está difícil manter uma só e daqui a alguns anos, empregados domésticos serão coisas do passado.

    Os patrões eram adulados e obedecidos cegamente, inclusive na hora de votar – hoje se o patrão não agrada o empregado parte para arrumar outro emprego.

    Como diz a Danusa Leão, “não tem nem mais graça fazer turismo em Nova York, pois é capaz da gente encontrar o porteiro do prédio por lá”.

    Como diz o Jabor, “hoje em dia os aeroportos estão cheios e a gente tem de dividir o assento do avião com um pobre, ou seja, porbre hoje anda de avião!”

    Como disse o Prates, “articulista” de Santa Catarina, “esse governo irresponsável permitiu que qualquer pobre hoje comprasse um carro. É por isso que o trânsito está congestionado”.

    Os exemplos são fartos e inúmeros e… são também irrerversíveis!

    Dondocos e dondocas que tratem de se acostumar com a nova realidade.

  281. Patriarca da Paciência said

    Para quem ainda não viu:

  282. Michelle 2 said

    #278 Fui censurada. Por que? Não xinguei a mãe de ninguém ! Até agora…hehehe

  283. Chesterton said

    Patriarca, esses na verdade são problemas de infra-estrutura de um país mal administrado. Faltam estradas, ruas, aerioportos, não serve como desculpa dizer que é porque o pobre quer viajar, foi o pobre que ficou rico ( e cheio de “privilégios” que v. diz que irão acabar).
    Ter 2 ou mais empregadas não é um privilégio, é legal desde que pague o salário (irrisório ainda). O que mais tem é gente querendo trabalhar em casa de familia por aqui.
    Diplomado celebridade…(rsrsrsr), não peguei essa fase (se é que existiu).
    Pobre anda de avião…de novo, é mais gente com privilégios que eram de poucos.
    Os patrões eram adulados e obedecidos cegamente,… tambem nunca vi, vai ver greves são invenção do século 21.

    Se você compreendesse inglês eu sugeriria esse video, que mostra como o capitalismo tem melhorado a vida de todos nesses últimos 200 anos

  284. Chesterton said

    ou esse

  285. Chesterton said

    Marco Antonio Villa: Vou-me embora pra Bruzundanga

    O Brasil é um país fantástico. Nulidades são transformadas em gênios da noite para o dia. Uma eficaz máquina de propaganda faz milagres. Temos ao longo da nossa História diversos exemplos. O mais recente é Dilma Rousseff.

    Surgiu no mundo político brasileiro há uma década. Durante o regime militar militou em grupos de luta armada, mas não se destacou entre as lideranças. Fez política no Rio Grande do Sul exercendo funções pouco expressivas. Tentou fazer pós-graduação em Economia na Unicamp, mas acabou fracassando, não conseguiu sequer fazer um simples exame de qualificação de mestrado. Mesmo assim, durante anos foi apresentada como “doutora” em Economia. Quis-se aventurar no mundo de negócios, mas também malogrou. Abriu em Porto Alegre uma lojinha de mercadorias populares, conhecidas como “de 1,99″. Não deu certo. Teve logo de fechar as portas.

    Caminharia para a obscuridade se vivesse num país politicamente sério. Porém, para sorte dela, nasceu no Brasil. E depois de tantos fracassos acabou premiada: virou ministra de Minas e Energia. Lula disse que ficou impressionado porque numa reunião ela compareceu munida de um laptop. Ainda mais: apresentou um enorme volume de dados que, apesar de incompreensíveis, impressionaram favoravelmente o presidente eleito.

    Foi nesse cenário, digno de O Homem que Sabia Javanês, que Dilma passou pouco mais de dois anos no Ministério de Minas e Energia. Deixou como marca um absoluto vazio. Nada fez digno de registro. Mas novamente foi promovida. Chegou à chefia da Casa Civil após a queda de José Dirceu, abatido pelo escândalo do mensalão. Cabe novamente a pergunta: por quê? Para o projeto continuísta do PT a figura anódina de Dilma Rousseff caiu como uma luva. Mesmo não deixando em um quinquênio uma marca administrativa ─ um projeto, uma ideia ─, foi alçada a sucessora de Lula.

    Nesse momento, quando foi definida como a futura ocupante da cadeira presidencial, é que foi desenhado o figurino de gestora eficiente, de profunda conhecedora de economia e do Brasil, de uma técnica exemplar, durona, implacável e desinteressada de política. Como deveria ser uma presidente ─ a primeira ─ no imaginário popular.

    Deve ser reconhecido que os petistas são eficientes. A tarefa foi dura, muito dura. Dilma passou por uma cirurgia plástica, considerada essencial para, como disseram à época, dar um ar mais sereno e simpático à então candidata. Foi transformada em “mãe do PAC”. Acompanhou Lula por todo o País. Para ela ─ e só para ela ─ a campanha eleitoral começou em 2008. Cada ato do governo foi motivo para um evento público, sempre transformado em comício e com ampla cobertura da imprensa. Seu criador foi apresentando homeopaticamente as qualidades da criatura ao eleitorado. Mas a enorme dificuldade de comunicação de Dilma acabou obrigando o criador a ser o seu tradutor, falando em nome dela ─ e violando abertamente a legislação eleitoral.

    Com base numa ampla aliança eleitoral e no uso descarado da máquina governamental, venceu a eleição. Foi recebida com enorme boa vontade pela imprensa. A fábula da gestora eficiente, da administradora cuidadosa e da chefe implacável durante meses foi sendo repetida. Seu figurino recebeu o reforço, mais que necessário, de combatente da corrupção. Também, pudera: não há na História republicana nenhum caso de um presidente que em dois anos de mandato tenha sido obrigado a demitir tantos ministros acusados de atos lesivos ao interesse público.

    Com o esgotamento do modelo de desenvolvimento criado no final do século 20 e um quadro econômico internacional extremamente complexo, a presidente teve de começar a viver no mundo real. E aí a figuração começou a mostrar suas fraquezas. O crescimento do produto interno bruto (PIB) de 7,5% de 2010, que foi um componente importante para a vitória eleitoral, logo não passou de uma recordação. Independentemente da ilusão do índice (em 2009 o crescimento foi negativo: -0,7%), apesar de todos os artifícios utilizados, em 2011 o crescimento foi de apenas 2,7%. Mas para piorar, tudo indica que em 2012 não tenha passado de 1%. Foi o pior biênio dos tempos contemporâneos, só ficando à frente, na América do Sul, do Paraguai. A desindustrialização aprofundou-se de tal forma que em 2012 o setor cresceu negativamente: -2,1%. O saldo da balança comercial caiu 35% em relação à 2011, o pior desempenho dos últimos dez anos, e em janeiro deste ano teve o maior saldo negativo em 24 anos. A inflação dá claros sinais de que está fugindo do controle. E a dívida pública federal disparou: chegou a R$ 2 trilhões.

    As promessas eleitorais de 2010 nunca se materializaram. Os milhares de creches desmancharam-se no ar. O programa habitacional ficou notabilizado por acusações de corrupção. As obras de infraestrutura estão atrasadas e superfaturadas. Os bancos e empresas estatais transformaram-se em meros instrumentos políticos ─ a Petrobrás é a mais afetada pelo desvario dilmista.

    Não há contabilidade criativa suficiente para esconder o óbvio: o governo Dilma Rousseff é um fracasso. E pusilânime: abre o baú e recoloca velhas propostas como novos instrumentos de política econômica. É uma confissão de que não consegue pensar com originalidade. Nesse ritmo, logo veremos o ministro Guido Mantega anunciar uma grande novidade para combater o aumento dos preços dos alimentos: a criação da Sunab.

    Ah, o Brasil ainda vai cumprir seu ideal: ser uma grande Bruzundanga. Lá, na cruel ironia de Lima Barreto, a Constituição estabelecia que o presidente “devia unicamente saber ler e escrever; que nunca tivesse mostrado ou procurado mostrar que tinha alguma inteligência; que não tivesse vontade própria; que fosse, enfim, de uma mediocridade total”.

  286. Otto said

    A triunfal ascensão à base de asneiras de Marco Antônio Villa

    PAULO NOGUEIRA 7 DE FEVEREIRO DE 2013

    Como o reacionarismo ululante de Villa deu a ele os holofotes da mídia.

    Não tenho grandes expectativas em relação à academia brasileira, mas mesmo assim me surpreendi ao ler um artigo sem nexo na Folha, nas eleições de 2010, e ver que o autor era professor da Universidade Federal de São Carlos.

    Pobres alunos, na hora pensei.

    Não conhecia o professor Marco Antonio Villa, historiador não sei de que obras. No artigo, depois de ter entrado na mente de Lula, ele contava aos brasileiros que a escolha de Dilma se dera apenas para que em 2014 Lula voltasse ao poder, nos braços da “oligarquia financeira”. Villa, com as asas de suas teorias conspiratórias, voara até 2014 para prestar um serviço à Folha e seus leitores.

    Não sei se Villa conhece a história inglesa, mas deveria ler uma frase de Wellington, o general de Waterloo: “Quem acredita nisso, acredita em tudo”.

    Minha surpresa não pararia ali. Saberia depois que, graças a seu direitismo estridente e embalado numa prosa com as vírgulas no lugar, Villa virou presença frequente em programas de televisão cujo objetivo era ajudar Serra, notadamente na Globonews sob William Waack.

    Mais recentemente, ele tem participado de animadas mesas redondas no site da Veja sobre o Mensalão. Vá ao YouTube e veja quantas pessoas vêem as espetaculares discussões de que Villa participa ao lado de Augusto Nunes e Reinaldo Azevedo. O recorde de Psy pode ser batido antes do que imaginamos.

    Soube também que ele lançou um livro sobre o Mensalão. Abominei sem ler. Zero estrela de um a cinco.

    Minha única surpresa em relação a Villa derivou de uma chancela importante de Elio Gaspari, um dos melhores jornalistas que vi em ação como diretor adjunto da Veja nos anos 1980. Ele fez parte da equipe de Elio na elaboração de seu livro “A Ditadura Derrotada”.

    Villa, conta Elio, “conferiu cada citação de livro ou documento. Foi um leitor atento e pesquisador obsessivo. Villa tem uma prodigiosa capacidade de lembrar de um fato e de saber onde está o documento que comprova sua afirmação. Ajuda como a dele é motivo de tranqüilidade para quem tem o prazer de recebê-la. Além disso, dá a impressão de saber de memória todos os resultados de jogos de futebol”. Foi o que escreveu Elio.

    Uau.

    Villa trabalhou com Elio, portanto. Não aprendeu nada?

    Não parece. Elio tem uma independência intelectual perante os partidos e os políticos que passa completamente ao largo de Villa e congêneres. Isso lhe dá autoridade para criticar e elogiar situação e oposição, e credibilidade para ser levado a sério.

    Villa, em compensação, é fruto de uma circunstância em que se procura desesperadamente dar legitimidade acadêmica a um direitismo malufista. Em outros tempos, Villa – caso acredite mesmo nas coisas que escreve e fala — seria um extravagante, um bizarro, imerso num mundo que é só só seu. Você poderia imaginá-lo jogando dardos num pôster de Lula.

    Nestes dias de confronto, é um símbolo de como alguém pode chegar aos holofotes e virar “referência” falando apenas o que interesses poderosos querem ouvir.

    http://diariodocentrodomundo.com.br/o-professor-aloprado-parte-3/

  287. Chesterton said

    Agora, se Totó realmente quer acabar privilégios, deveria ler isto.

    ————————

    O New York Times publicou nesta segunda-feira (11) a matéria “Brasil, onde um juiz ganhou R$ 720 mil em um mês, discute salários”. Segundo o jornal, os salários exuberantes de muitos funcionários públicos demonstram a disparidade de renda e também mostra que, ao contrário dos Estados Unidos e de países da Europa, o bom negócio no Brasil é virar um servidor público. “Há várias formas de ficar rico no Brasil, mas há uma surpreendente estratégia para o clima econômico atual: garantir um emprego público”, propõe a matéria. Além do caso do ex-presidente do Tribunal de Justiça de São Paulo Roberto Antonio Vallim Bellocchi, que chegou a receber R$ 723 mil em um só mês, o NYT menciona o caso do motorista da Câmara Municipal de São Paulo que recebe mais que o prefeito da capital paulista e também do funcionário de um tribunal de Brasília que levava R$ 37,5 mil por mês, bem acima do teto constitucional de pouco mais de R$ 28 mil. Em comparação, o maior salário de um juiz estadual de Nova York é de cerca de R$ 33 mil por mês. A publicação americana também afirma que em 2012, 1,5 mil funcionários da Câmara dos Deputados e do Senado ganhavam mais que o permitido pelo teto, que é equivalente ao salário dos ministros do Supremo Tribunal Federal. “Poderosos sindicatos para algumas classes de trabalhadores públicos, forte proteção legal para esses servidores, um inchaço do setor público que criou muitos cargos bem remunerados e benefícios que podem ser explorados por insiders, têm feito do setor público do Brasil um desejado bastião do privilégio”, analisa o NYT.

    CH

  288. Chesterton said

    Otto, alguem dá importancia para o paulo Moleira hoje em dia?

  289. Patriarca da Paciência said

    O Paulo Moreira Leite é hoje um jornalista que é plenamente respeitado e aprovado por um partido que é governo e que tem a aprovação de 80% do povo brasileiro.

    Já o Villa é somente mais um rola-bosta que não tem o mínimo respeito do povo e conta com a aprovação de 4% das pessoas que compõem a claque dos rola-bostas.

    Um jornal e jornalistas norte-americanos, que nada entendem como funciona a política brasileira, vem falar de salários de funcionários públicos.

    É simplesmente ridículo e grotesco!

    Mais de vinte anos atrás, um governador de Santa Catarina ficou muito contrariado porque uma pensionista, filha de um desembargador falecido, recebia como pensão duas ou três vezes a remuneração do governador.

    Declarou que não iria pagar tal absurdo e tentou assim fazer. Foi pedido intervenção no Estado e o governador teve que continuar pagando a tal pensão.

    Tais privilegiados são minorias. Mais de 90% por cento dos funcionários públicos recebem baixíssimos salários, principalmente do executivo. Nas pequenas cidades quase todos os funcionários municipais recebem salário mnínimo!

    Um idiota que fica dizendo que funcionário público é “um privilegiado” um “marajá” não passa mesmo de um Idiota.

    Além do mais, mais de 80% dos funcionários públicos são da educação, segurança ou saúde.

    Mas o que fazer com esse bando de retardados que nada entendem da realidade e ficam vociferando bobagens!

  290. Michelle 2 said

    O Totó parece que tomou todas…

  291. Patriarca da Paciência said

    “ESCÂNDALO DE CORRUPÇÃO ENVOLVE JOBIM NA ITÁLIA

    Ex-ministro da Defesa no governo Lula, além de ex da Justiça na era FHC e ex-presidente do Supremo Tribunal Federal, Nelson Jobim é citado em acerto para a compra de 11 fragatas italianas; segundo a promotoria de Nápoles, comissão seria de 11%, num negócio de 5 bilhões de euros, intermediado pelo político italiano Claudio Scajola, mas que não saiu porque as relações entre Brasil e Itália esfriaram com o caso Cesare Battisti. Total da propina prometida: R$ 1,4 bilhão”

    http://www.brasil247.com/pt/247/economia/93319/Propina-de-R$-12-bilhão-assombra-Nelson-Jobim.htm

    Caramba!

    Isso é que é propina!

  292. Pax said

    #282 – Muito link num comentário – regra no WordPress.

    Paulo Moreira Leite é respeitado, sim. Neste caso de achar conspiração no desejo de alguns de questionar o Senado ele pirou na batatinha.

    O NY Times apontar algumas distorções que vivemos não tem nada demais. Essas histórias de alguns marajás proporcionados por juízes e desembargadores canalhas não só são notícias como deveriam acabar. Que carnaval é esse que só alguns participam nas costas dos outros?

    Idem, ibidem, para os marajás do Congresso. Idem, ibidem, para esses 22.000 cargos de confiança, onde entram Rosemarys e bebês da ditadura da corrupção.

    Tem mais é que apontar, reclamar. Esse carnaval todo ainda tem a fantasia de democracia.

    Enquanto a gente vai “aceitando” em nome de fazer um tal política, seja ela (a) ou (b), os professores ganham uma miséria, o ensino público é um lixo e o futuro do país fica comprometido.

    Isso, sim, é que é um atraso geral, uma visão tacanha, canalha. Quem quis entrar neste jogo que pague o preço de cair a máscara, de se igualar a tudo de ruim que todos chafurdam. Todos têm o direito de escolher seus caminhos. Quer ser corrupto? Ok, mas saiba que uma hora a casa cai.

  293. Pax said

    Inacreditável. Mesmo sem ter acabado o luto de Santa Maria as cagadas continuam.

    Agora em Santos. Carro alegórico alto, fios de alta tensão e alguns mortos, torrados.

    A estupidez humana é, realmente, ilimitada.

  294. Chesterton said

    parece de propósito…

  295. Chesterton said

    um jornalista que é plenamente respeitado e aprovado por um partido que é governo…

    chest- jornalista do governo não é jornalista, é publicitário. (cada uma do totó)

  296. Chesterton said

    Tais privilegiados são minorias. Mais de 90% por cento dos funcionários públicos recebem baixíssimos salários,

    chest-
    melhor assim:

    -Tais privilegiados são minorias.

    logo,

    -Mais de 90% por cento dos funcionários públicos recebem baixíssimos salários,

  297. Patriarca da Paciência said

    Como se pode observar, Deus sempre escreve certo por linhas tortas!

    O Cesare Battisti, de forma involuntária, impediu uma grande corrupção que iria acontecer!

  298. Michelle 2 said

    Ótima piada:

  299. Chesterton said

    O papa renunciou..
    Marta Suplicio diz que Lula é Deus (há controversias)
    Lula vai se candidatar ao papado

    Luiz Ignoratius LI (51)

  300. Patriarca da Paciência said

    FHC tomando todas. Afinal, intelecutual também gosta de entornar:

    http://novobloglimpinhoecheiroso.wordpress.com/2013/02/11/ja-pensou-se-fosse-o-lula-fhc-embriagado-na-marques-de-sapucai/

  301. Chesterton said

    Enrolação e maquiagem’, editorial do Estadão

    PUBLICADO NO ESTADÃO DESTA SEGUNDA-FEIRA

    O governo federal prepara mais um truque para maquiar suas contas e encenar, como no ano passado, o cumprimento da meta fiscal. A gastança continuará e a gestão orçamentária será pelo menos tão ruim quanto antes, mas a desculpa do Executivo terá sido preparada com muitos meses de antecedência. A ideia, desta vez, é abrir espaço para mais R$ 20 bilhões de incentivos tributários sem ter de cortar gastos ou arranjar recursos para compensar a renúncia. No ano passado, o truque envolveu, além do desconto de valores contabilizados como investimento, operações entre o Fundo Soberano e bancos federais e também a incorporação de dividendos antecipados. Nenhuma pessoa informada poderia levar a sério as explicações oficiais, embora ninguém tenha contestado a legalidade do arranjo. Igualmente legais têm sido a política de preços e outras aberrações ─ pelo menos algumas ─ impostas à Petrobrás desde o governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. As consequências desastrosas dessas medidas são hoje conhecidas em todo o mundo.

    Os abusos cometidos contra a Petrobrás e a má administração das finanças públicas são componentes da mesma história. O governo gasta muito mais tempo criando remendos, inventando maquiagens e contornando problemas do que buscando respostas efetivas para os grandes desafios nacionais. A ação escolhida é sempre a mais confortável e mais populista ─ e geralmente a menos eficaz como política econômica. O caso dos incentivos fiscais é mais um exemplo. O governo continua tratando as dificuldades da indústria como questões conjunturais. Mas os grandes problemas, hoje, são muito diferentes daqueles enfrentados entre o fim de 2008 e o primeiro semestre de 2009.

    O fracasso de 2011 e 2012 confirma o erro de diagnóstico, mas a equipe econômica se mostra disposta a insistir em estímulos temporários e localizados. Reduzir a carga tributária seria muito bom, mas para isso seria preciso mexer mais amplamente em todo o sistema de receitas e despesas. Isso o governo rejeita, porque seriam indispensáveis medidas politicamente custosas – a começar pela racionalização dos gastos públicos. Se estivessem dispostos a seguir esse caminho, a presidente Dilma Rousseff e seu ministro da Fazenda, Guido Mantega, poderiam dispensar os truques de maquiagem fiscal.

    Com esses truques, o governo planeja abater até 41,8% dos R$ 155,9 bilhões previstos como superávit primário sem violar formalmente o compromisso. Podem contornar a restrição legal e até convencer algumas pessoas de muito boa vontade, mas nenhum artifício como esse mudará os fatos e impedirá a deterioração da política fiscal e dos padrões da gestão pública.

    Há no governo federal quem considere superado o critério do superávit primário, resquício de programas combinados com o Fundo Monetário Internacional (FMI). Em muitos outros países, de fato, esse critério é ignorado. Mas esse argumento é incompleto e pode ser tão enganador quanto aqueles truques.

    De fato, em outros países se leva em conta o resultado nominal, isto é, o saldo final das contas públicas, incluído o pagamento do serviço da dívida. Se esse padrão fosse adotado, a missão do governo seria muito mais complicada. O desajuste fiscal brasileiro é menor que o dos países em crise, mas essa comparação também é uma forma de contornar os problemas. Pior que isso: acaba sendo usada para desviar a atenção da inegável deterioração da política fiscal.

    Se o governo tivesse a firmeza necessária para cuidar dos grandes problemas, combateria diretamente a inflação, em vez de aceitar qualquer alta de preços até o limite de tolerância, de 6,5%. Mas é mais fácil conter os preços da gasolina e do diesel e baratear este ou aquele item da cesta de bens e serviços, sem levar em conta, por exemplo, as consequências para empresas como a Eletrobrás e a Petrobrás. Cuidar dos problemas seriamente envolveria também maior cuidado com os investimentos em infraestrutura, gastos federais, qualidade dos tributos e prioridades dos bancos públicos. Fora disso, resta a política da enrolação – como a insistência na maquiagem das contas públicas e dos índices de preços.

  302. Pax said

    FHC podia ter passado sem essa:

    Foi logo no camarote do Grupo Libra, aquele que acolhe (acolhia?) Valdemar da Costa Neto, Rosemary Noronha e seus bebês etc. Se a PF quisesse mesmo tinha que colocar uma procissão de camburão pra levar todo mundo…

    Pois é.

    http://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/1229281-fhc-diz-que-esta-a-vontade-no-sambodromo-do-rio.shtml

  303. Pax said

    No discurso anual do Obama falou de economia, armas e meio ambiente.

    Sinal dos tempos.

  304. Pax said

    Acho muito bem colocado pelo Kenney Alencar.

    [audio src="http://download.sgr.globo.com/sgr-mp3/cbn/2013/colunas/kennedy_130211.mp3" /]

    Só faltou dizer: “Mas é o Zé Dirceu quem manda e desmanda no PT, então o partido não vai sair dessa posição de abraçar os afogados”.

  305. Elias said

    Ressaca…

    “Aécio Neves não tem cacife para vencer Dilma. ” (Adolfo, citado pelo Chester)

    Sabem aquela história do relógio parado?

    Pois é… O Adolf acertou a primeira. Agora, é só esperar mais 12 horas, no tempo político…

    Ele vai acabar descobrindo que o Eduardo Campos… Idem, idem, como acima…

    Tanto faz dar na cabeça, como na cabeça dar…

    Heil, Adi…!

  306. Chesterton said

    Os Anos Simonsen Estão de Volta
    Mario Henrique Simonsen comandou a economia brasileira no governo Geisel, mandava e desmandava como planejador central; em nenhuma economia da esfera soviética houve um economista com tanto poder e tão discricionário. Seus cronies, beneficiados por suas políticas, o idolatram até hoje e o consideram um gênio merecedor de um prêmio Nobel. Seus detratores, geralmente economistas do eixo Unicamp-UFRJ o detestam porque ele roubou suas idéias, as implementou e como deu tudo errado, chamam-no de “monetarista”. Um dos episódios marcantes do reinado de Simonsen foi a escassez do feijão preto. O governo dizia que o feijão era o vilão da inflação, então em trajetória explosiva. O governo Dilma, que sonha em ser intervencionista a la Simonsen, repete os mesmos erros e vai acabar apontando o coitado do feijão como culpado por todas as mazelas econômicas por ele criadas: “Dados do IBGE mostram que, no acumulado de 2003 a 2012, os reajustes do preço do feijão chegaram a quase 200%, ante uma inflação de 76,62% no período. O arroz, embora tenha permanecido com preço estável nos primeiros nove anos do governo petista, ficou 36,67% mais caro somente em 2012. Na década, subiu 38,55%. No ano passado, os valores da dupla arroz e feijão subiram mais de 30%, enquanto o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) ficou em 5,84%.”
    POSTED BY SELVA BRASILIS

  307. Michelle 2 said

    Dilma sofre “fissura no dedão do pé direito”

    Estava tentando subir na lancha da Marinha e ao mesmo tempo mascando chiclete. Deu no que deu.

    Eu bem que tenho avisado.hehehe

  308. Chesterton said

    A Multabrás e o oportunismo fiscal do governo – RICARDO GALUPPO

    BRASIL ECONÔMICO
    Multa, como se sabe, é uma punição pecuniária que o Estado, por meio de seus agentes, tem a prerrogativa de aplicar para coibir desvios de conduta que vão dos mais simples (como estacionar o carro em local proibido) aos mais graves (como a sonegação de impostos).

    E gera, por assim dizer, um recurso extraordinário, que entra nos cofres públicos sem estar previsto no orçamento. Pelo menos não deveria. Afinal, nem o mais onipresente dos governos é capaz de saber quantas pessoas andam fora da linha para estimar o quanto arrecadará por essa via.

    Além do mais, o cidadão ou a empresa multada tem o direito de recorrer contra o ato e lutar para não pagar o valor que o agente público afirma ser devido. Até aí tudo bem.

    O problema é que, no Brasil, o governo (incluindo-se aí os estados e os municípios) e as agências reguladoras resolveram fazer da multa uma fonte firme de receita e o valor acumulado já teria alcançado, de acordo com um cálculo superficial do economista Júlio Sérgio Gomes de Almeida, ex-secretário de Política Econômica do Ministério da Fazenda, a cifra de R$ 250 bilhões. É muito dinheiro – e boa parte dele está sendo contestada pelos atingidos. Convertido pelo dólar médio de 2012, se aproxima dos US$ 130 bilhões.

    Um cálculo mais preciso com toda certeza mostraria que o valor é equivalente aos US$ 150 bilhões que a Petrobras, maior empresa do país, faturou no ano passado. Ou seja, essa formidável usina de multas, a Multabrás, é um negócio muito mais lucrativo para os cofres públicos do que a Petrobras.

    Um valor como esse, com toda certeza, é um atentado ao bom senso. E só pode significar uma entre as seguintes hipóteses: ou a norma legal é tão confusa que as empresas, façam o que fizerem, não conseguem segui-la ao pé da letra ou o país tem muito mais gente desonesta do que sempre se imaginou. Afinal, é muita sonegação.

    Esses R$ 250 bilhões representam quase 6% do PIB brasileiro. Uma terceira hipótese seria resultado de um traço cultural que tomou conta dos fiscais brasileiros, que parecem pôr a faca na boca quando partem para fiscalizar uma empresa.

    Saem dispostos a multar e multam mesmo. E as empresas, muitas vezes, pagam apenas para não ver o caso se arrastar durante anos e anos e consumir um valor que pode ser equivalente ao da multa numa aventura judicial de resultado incerto. As vítimas desse tipo de atitude dão a ela o nome de “oportunismo fiscal”.

    Ninguém em sã consciência pode ser contra o princípio filosófico da multa. Quando bem aplicada, ela é um recurso eficiente e que pode, perfeitamente, pôr eventuais transgressores nos trilhos.

    O problema é que o recurso, quando aplicado de forma indiscriminada, acaba tirando a razão do Estado e transformando a multa em algo que, além de não ter qualquer efeito pedagógico, acaba se tornando mais um fardo fiscal e tirando ainda mais a competitividade da economia brasileira.

  309. Pax said

    2014 – http://noticias.r7.com/blogs/ricardo-kotscho/2013/02/13/royalties-para-a-educacao-e-prioridade-de-dilma/

  310. Pax said

    2014 – PDT – Brizola, não o neto, o avô, deve estar se revirando na cova. Esse presidente do PDT é um verdadeiro tiro no pé, aquele peixe de água doce com dentes afiados, traíra. http://josiasdesouza.blogosfera.uol.com.br/2013/02/14/pdt-ja-balanca-entre-dilma-e-eduardo-campos/

    2014 – Marina – novo partido que quer nascer faz reunião em BSB neste sábado. Gente de grana junto (Itaú, Natura) e a possibilidade do Cristovam Buarque (do, acima, PDT). http://noticias.r7.com/blogs/christina-lemos/2013/02/11/contra-estagnacao-politica-marina-lanca-partido-rede-no-sabado/

    2014 – PT – E o PT? Lula já disse que era para “virar a página do mensalão”, seria algo como “desabraçar os afogados”? Minha opinião é que tanto Lula quanto Tarso Genro (que diz a mesma coisa de “esquecer o mensalão”) deveriam convencer a militância. Caso contrário o estrago pode (opinião minha) ser grande. http://josiasdesouza.blogosfera.uol.com.br/2013/02/10/para-lula-pt-tem-de-virar-pagina-do-mensalao/ e http://noticias.terra.com.br/brasil/politica/julgamento-do-mensalao/tarso-genro-diz-que-pt-deve-esquecer-mensalao-e-se-atualizar,6f3cb941130eb310VgnVCM5000009ccceb0aRCRD.html

  311. Jose Mario HRP said

    Pudins de pinga também os há nas hostes da social democracia!

  312. Pax said

    2014 – Reforma ministerial de agora visa as eleições do ano que vem: Kennedy Alencar http://download.sgr.globo.com/sgr-mp3/cbn/2013/colunas/kennedy_130214.mp3

  313. Pax said

    Justiça brasileira: o jornalista chama o Ricardo Teixeira de corrupto e é condenado a pagar R$ 10.000,00.

    http://www.cartacapital.com.br/internacional/jornalista-que-investigou-ricardo-teixeira-e-condenado-sem-conhecer-acusacao/

    Canário.

  314. Jose Mario HRP said

    É estranho, muito estranho mesmo que um governo dito popular esteja tramando junto com o tal Gerdau jogar mais de 50 mil trabalhadores avulsos, que integram os OGMOS (órgão gestor da mão de obra avulsa) nos principais portos do país, conforme estipulou a Lei de modernização dos portos de 93.
    Vem aí muitas greves.
    Recentemente a Kátia Abreu(de extenso curriculum anti trabalhadores)escreveu um artigo na folha chamando os trabalhadores portuários avulsos de “custo Brasil”, sem no entanto admitir que nos últimos 20 anos esses trabalhadores com salários pela metade do que recebiam 20 anos antes batem ano após ano recordes de produção nos nossos portos semi sucateados(inclusos os particulares e ou concedidos)!
    Mais uma vez Dilma trai os trabalhadores.

  315. Pax said

    Vale recordar de Paulo Vieira, bebê de Rosemary Nóvoa Noronha, amiga apadrinhada de Lula, fazia relatórios para o Porto de Santos sob encomendas. Gilberto Miranda, ex-senador, era um “cliente”. Vale recordar, também, do condenado Valdemar da Costa Neto, que comanda, segundo fartíssimo noticiário, a máfia deste porto.

    Vale lembrar que Dilma agora, tudo diz que sim, dará dois ministérios para o PSD, do Kassab e Kátia Abreu (ídola do Chesterton).

    Bem, vale lembrar que faz um tempo que reclamamos das tais alianças que jogam tudo pro alto, incluindo, como dito, trair a classe trabalhadora.

    Tudo em nome do poder. Que apodreceu, tudo indica que sim, o partido.

    Virou mais um PMDB da vida. Um nome aqui, outro acolá, e uma massa mamando e tramando.

    Uma pena.

  316. Elias said

    I
    Chegou a hora da Marina e seu “partido rede” (ou, “o que cair na rede é peixe…”)

    Mais uma vez Marina decepciona.

    Em 2010, o melhor desempenho eleitoral dela só veio quando ela se juntou a algumas das parcelas mais retrógradas da população: o$ lídere$ evangélico$, os homofóbicos & adjacências…

    Ela poderia ter se mancado, e partido pra construção de uma via partidária baseada em convicções ideológicas, princípios éticos, propostas políticas, etc.

    Poderia…

    Nada disso! Maria ficou à sombra, inerte, enquanto o partido que ela prometera “resgatar” continuou alegremente a jogar a tarraqueta no pisão…

    Agora, vendo novamente se aproximar a hora de uma eleição presidencial, lá vem Marina com um “partido rede”. E a rede já vem com um “tubarão” financeiro junto, além da recorrente Natura (outra vez de novo?!?!?!), empresa daquele rapaz direito que vive em Londres, enquanto fatura os tubos no Brasil, usando uma monumental “rede” de vendedores sem vínculo empregatício, mão-de-obra barata que não recebe salários, não tem direito a previdência social, nem vale-transporte, nem vale-alimentação, nem seguro de acidente do trabalho, embora esses vendedores se enquadrem entre os profissionais brasileiros mais vulneráveis a acidentes do trabalho (no caso, acidentes de percurso, ou trânsito, se preferirem)… Enfim, um autêntico retorno aos tempos progressistas do imediato pós-Lei Áurea, circa final do Século XIX… (Aêê, Pax…! Aliás, onde e como é que a Natura recolhe ICMS? Compro Natura há séculos, e nunca recebi uma nota fiscal).

    Que beleza…! E é esse pessoal que pretende dar lição de moral no PT, ano que vem…

    Putz! Que merdolência…!

    Se a repetição é farsa, o que se dirá da repetição, da repetição, da repetição…?

    Agora, Marina deve estar acreditando que a grana do Itaú vai compensar o vazio de propostas e a ausência de carisma…

    É de se ver…

    Nem é preciso ter bola de cristal: (a) se Marina conseguir arrebanhar otários em volume suficiente pra levar essa farsa adiante, isso vai dar em nada; (b) no máximo, ela vai dividir e confundir ainda mais a oposição; (c) Marina nem poderá ser usada como linha auxiliar do PSDB, porque, pra ser assim, os tucanos teriam que estar unidos e com uma proposta política diferenciada; (d) no frigir dos ovos, Marina continuará a ser o que é: uma liderança paroquial, que, como os argentinos, só pode ser um bom negócio se comprada pelo que vale e vendida pelo que pensa que vale (comprar Marina pelo que ela vale é fácil… vendê-la pelo que ela pensa que vale é que são elas… o eleitor não compra…)

    Em resumo: mais uma vez, Marina confunde o salto dos seus (dela) tamancos com os altos da Torre de Babel…

    II
    Do noticiário da ADVFN, de hoje:

    “Depois de disparar 50% apenas no pregão de ontem, a Agrenco (AGEN11), divulgou no final do dia, após o fechamento do mercado, que assinou um contrato entre sua divisão de bioenergia e a Delta Serviços e Investimentos em Energia Elétrica, para gerenciar e assessorar a companhia na contratação e comercialização de energia elétrica no mercado livre. A unidade fabril de Alto Araguaia já possui mais de 70% de todas as adequações exigidas para a geração e comercialização de energia elétrica e as adequações que faltam são poucas e de fácil solução segundo a Agrenco. A companhia pretende iniciar a produção de energia elétrica em breve, o que deve trazer um novo fluxo de receita à empresa e contribuir com a saída da Agrenco de seu processo de recuperação judicial. Apesar da boa notícia, os analistas pedem para os investidores ficarem atentos à alta volatilidade dos papéis, contando com possíveis correções, visto a valorização de 200% desde o começo deste ano.”

    Chester, my puto:

    Os “analistas” da direita não diziam que as elétricas iam levar ferro em 2013? E tudo por causa da Dilma?

  317. Zbigniew said

    Elias,
    e eu que pensei que a Marina traria a ética, a moral e os bons costumes para a nossa política. Que os poderes iriam ser independentes e harmônicos entre si e que pessoas como o Sarney e o Renan seriam estirpados definitivamente da vida política brasileira!!! Que todos os ministérios seriam ocupados por competentes técnicos, ficando para os políticos a função precípua de produzir leis e procurar o melhor para a sociedade. Que o Judiciário seria mais célere e que todos os vereadores abririam mão de seus salários nas Câmaras. Que o Senado seria extinto e por aí vai. Que decepção!

    E aqui um ófitópique bem polêmico sobre a renúncia do papa, que tem produziro muitas teorias, algumas bem estrambóticas, mas outras nem tanto. Sobrou pra Dilma:

    “Integrantes da CNBB lamentam silêncio de Dilma sobre Papa

    ter, 12/02/13
    por Gerson Camarotti |
    categoria Governo Dilma, Renúncia do Papa

    O silêncio da presidente Dilma Rousseff sobre a renúncia do Papa Bento XVI chamou a atenção de integrantes da cúpula da CNBB. Nas palavras de um influente bispo ouvido pelo Blog, “faltou sensibilidade à presidente Dilma”.

    Outro bispo reforçou o sentimento da Igreja no Brasil. “A notícia repercutiu em todo o mundo. É uma pena o silêncio de Dilma”, estranhou esse prelado.

    O consenso na CNBB é de que Dilma guardou mágoas da campanha de 2010, quando Bento XVI enviou mensagem com uma posição da Igreja contra o aborto aos bispos do Maranhão, que o visitaram na ocasião.

    Os bispos ressaltam que até Obama mandou uma mensagem. A avaliação interna é de que a presidente do maior país católico do mundo deveria ter se pronunciado.”

    http://g1.globo.com/platb/blog-do-camarotti/2013/02/12/integrantes-da-cnbb-lamentam-silencio-de-dilma-sobre-papa/

  318. Elias said

    Zbigniew,

    I
    A Marina periga se transformar numa espécie de Greta Garbo (não a atriz sueca… Aquela uma, que acabou no Irajá…) da política brasileira.

    Num país que precisa ter partidos políticos de verdade, ela bosqueja um discurso falsamente moralista enquanto tenta fazer dos partidos meros escritórios eleitorais, descartáveis, passando de um para outro, a cada eleição.

    Acaba se tornando ótima companhia pro Gabeira, quer faz o mesmo (mas com muito mais competência)…

    Hoje, aliás, o que separa Marina de Gabeira não são as diferenças… São as semelhanças.

    Uma das poucas diferenças que ainda existem entre Gabeira e Marina, é que o ex-guerrilheiro do MR-8 usa os partidos políticos em benefício de suas ambições.

    Já a Marina tenta usar… E acaba sendo usada…

    Putz! Que decadência…

    II
    Não acho que os ministérios devam ser ocupados por técnicos.

    Ministro de Estado é um cargo POLÍTICO, e quem deve exercer cargo político é político. Nada obsta que o cara seja TAMBÉM técnico, mas é preciso que ele seja, antes de tudo, um político. Alguém com sensibilidade política. Alguém com capacidade para segurar politicamente a barra de situações ou decisões difíceis.

    Um técnico no Ministério do Trabalho não teria condições de determinar um reajuste salarial como fez João Goulart, travando 4 anos de espoliação (o governo Dutra torrou as divisas deixadas por Vargas, passando a conta para os salários dos trabalhadores…). Jango garantiu politicamente a decisão, mesmo indo pro sacrifício. Ele pensou politicamente, com os olhos postos num horizonte mais amplo…

    O Plano Real só saiu do papel, porque, no Ministério da Fazenda, estava FHC, um político hábil, que segurou todas as pontas, nos momentos mais difíceis, superando, inclusive, a obtusidade do PT, e fazendo com que este acabasse pagando um preço político altíssimo, pela burrice…

    Isso foi pura política, Zbigniew. E política em alto nível…

    No Poder Público, o técnico deve, sempre, se subordinar ao político. As decisões devem ser, sempre, tomadas na esfera POLÍTICA. A esfera técnica apenas assessora e executa.

    É bobagem colocar um técnico numa função que é intrinsicamente política. Como Ministro de Estado, o tal técnico vai ter que tomar decisões políticas diariamente, e várias vezes por dia. Ele vai ter que atuar como político, sem ser político.

    Resultado: amadorismo! É como colocar um excelente mecânico de carro pra trabalhar como cirurgião vascular…

    Não vai sair coisa que preste…

    Além do mais, é total ingenuidade acreditar que os técnicos brasileiros são mais honestos que os políticos brasileiros.

    Se isso for verdade, a história mente…

    E os políticos brasileiros são desonestos, de modo geral, porque o sistema todo está estruturado pra isso.

    Mas isso não é inevitável. Pode ser mudado…

    Ou não?

  319. Chesterton said

    Brasil se uniu a Cuba, Bolivia e Venezuela no desaforo ao Papa……turminha besta, sô…

  320. Zbigniew said

    Certamente, caro Elias.
    É que sempre tem alguém falando de ministérios técnicos. Não era incomum, quando só existia a grande mídia, quando esta estava insatisfeita com algum político ocupante de um ministério, virem a público defender um ministério técnico. Hoje, com as redes sociais, esse discurso já não cola mais. Tampouco esse outro da pureza poliana da Marina Silva. Até acredito no seu caráter, no seu senso de justeza e de uma política melhor. Mas não acredito que ela vá fazer as mudanças que os “decepcionados” e puristas tanto queriam do PT.
    Resguardo-me, no entanto, criticar, hoje, a postura do PT em não empreender politicamente uma reforma, principalmente no furdunço que é o financiamento de campanhas. Sim, porque nesta seara há projetos dentro do próprio PT. O que falta então? Até quando ficaremos reféns do critério da governabilidade? Pra mim isto está virando uma grande e esfarrapada desculpa.

  321. Zbigniew said

    Não há desaforo ao papa, caro Chesterton.
    Não há nem obrigatoriedade – talvez possamos considerar um erro de ordem protocolar e diplomática, de Estado para Estado (porque o Vaticano é um Estado e o Papa o seu chefe) – da Dilma pontuar qualquer coisa em relação ao fato.
    Logicamente a CNBB, hoje de viés bastante conservador como a própria linha que elegeu Bento XVI e hoje o está alijando (que coisa, não?), levantou a lebre e colocou a Dilma sob foco, com ajuda, logicamente, da mídia CONSERVADORA. Isto vem rendendo desde as eleições de 2010 quando este Papa interviu num assunto levantado na campanha política de um país amigo, especificamente em relação ao aborto, que depois revelou-se de uma hipocrisia sem precedentes, quando uma ex-aluna da mulher de um candidato (o que levantou o assunto) acusou a dita cuja de ter confessado a prática de um… ABORTO.

  322. Pax said

    Caro Elias,

    Esse PT do Dirceu VAI tomar lição de moral até do Maluf (aliás, já tomou). Não adianta esbravejar. Seus líderes estão condenados na Justiça e provavelmente estarão em cana durante as eleições de 2014. Um definiu o modelo, enricou de se lambuzar, outro fez que não viu e reclama que é pobre, o outro desviava dinheiro na cara dura do Congresso. É o que é. A realidade é dura mas é esta. Talvez, tomara que sim, alguns do PSDB também estejam por lá fazendo companhia nas mesmas eleições.

    Achar que essa verborréia da militância vai apagar esses fatos é fantasia. Uma enorme massa da sociedade já encheu o saco disso tudo, inclusive dessa militância que é chata pacas.

    O partido adotou suas opções políticas (agora reforçando com Kassab e Kátia Abreu) com muita convicção. Querer que toda a sociedade entre na mesma conversa é tarefa pra marketeiro político e pra boi dormir.

  323. Elias said

    Pax,

    I
    Claro que qualquer um — até o Maluf — pode dar lição de moral no PT.

    E daí? Pra isso é que serve a liberdade de expressão.

    O que eu estou questionando é o VALOR MORAL da lição de moral.

    Ou, como diria Noel: com que moral?

    Um sujeito desonesto não se torna menos desonesto, só porque denunciou a desonestidade de outro. E este não se torna mais desonesto só porque foi denunciado por outro desonesto, igual a ele.

    É o sujo falando mal do mal lavado.

    O roto falando mal do esfarrapado.

    O cagado, falando mal do sujo de merda…

    E não estou esbravejando, Pax… Pra falar a verdade, tô me lixando…

    Do ponto de vista da torcida, arquibancada — onde me encontro, e de onde não pretendo sair — sei que esse time aí vai apenas cumprir tabela. Não ameaça…

    Isso se Marina conseguir arrebanhar otários em quantidade suficiente pra arrastá-los nessa aventura (o que ela quer, mesmo, é se cacifar pra mais à frente, e só pensa em usar os seguidores como rebanho, pra esse fim… Vou me divertir vendo isso).

    II
    E nem vem com esse papo de Dirceu pra cima de mim, que não cola.

    Já disse aqui, e várias vezes, que considero Dirceu, Genoíno, e o escambau, absolutamente culpados pelos crimes dos quais foram acusados.

    No caso do Dirceu, apenas ressalvei que, por DESINTERESSE, INCOMPETÊNCIA ou DESÍDIA — sei lá! — da Procuradoria Geral da República, não restou provada a culpa no processo.

    Li o voto do Joaquim Barbosa, do início ao fim. Fichei o texto inteiro. Em nenhum momento ele menciona prova acostada em processo.

    Participei de 3 debates sobre o assunto. Nos três, pedi aos debatedores que me indicassem em que local dos votos de qualquer dos ministros do STF (só li o voto do Joaquim Barbosa), estão descritas, ou, pelo menos, mencionadas, as provas que sustentam a condenação.

    Ninguém soube me responder.

    Daí que, enquanto as coisas permanecerem assim, eu direi que esse julgamento foi fraudulento.

    Assim como foi fraudulento o julgamento que vitimou o Lúcio Flávio Pinto.

    Sem provas, não é possível condenar ninguém.

    Repito. Não gosto do Dirceu, nem daquilo em que Genoíno se transformou. Não gosto do que eles representam.

    E não acredito nem um pouco na inocência de qualquer um deles.

    Acontece que sou um homem civilizado. E costumo me guiar pelas minhas próprias convicções.

    Não faço parte de manadas.

    Não me contradigo nos próprios termos em que me posiciono politicamente.

    E não compactuo com ilegalidades, quer elas atinjam um amigo pessoal, como o Lúcio Flávio Pinto, quer elas prejudiquem alguém a quem eu queira politicamente ver pelas costas, como o José Dirceu.

    Pra mim, ilegalidade é ilegalidade.

    Não vivo dando uma porrada no cravo e outra na ferradura.

    III
    Voltando à Marina: ela é uma fraude! (Estou vendo que mudaste rapidamente — e radicalmente! — de opinião em relação a ela).

    Imagina só: ela já tem o partido, já tem o dinheiro pra segurar a barra do partido, mas… Que partido é esse? É liberal, social-democrata, socialista, democrata-cristão, ou o quê?

    Ninguém sabe. Talvez nem ela…

    Mas isso pouco importa. É só um escritório político, mesmo… Só uma arapuca, pra arrebanhar incauto com consciência de manada…

    Se o povo estivesse cansado dessas merdolências, mesmo, a Marina nem tentaria…

    Ela tenta porque acha que o povo ainda não está cansado. O himen complacente aguenta facilmente mais e mais penetrações…

    Na verdade, ela só não emplaca porque não tem carisma. Não está à altura…

    Por isso ela vai fracassar…

    Mesmo com os milhões do banqueiro numa ponta (vamos ver por quanto tempo eles serão mantidos), e o exército de subempregados da Natura na outra…

  324. Pax said

    Onde foi que emiti a tal opinião que reclamas, caro Elias?

  325. Elias said

    Deduzi pela virulência com que replicaste, quando critiquei Marina, seus milhõe$ e seu exército de subempregados da Natura.

    Quanto ao Dirceu, ele é o que é.

    A direita acabou fazendo um desfavor a si mesma, quando induziu um STF ética e doutrinariamente frágil, e politicamente vulnerável a pressões políticas externas, a condenar Dirceu sem provas.

    Em vez de motivar a população contra a corrupção, acabou colocando mais um porrilhão de pregos no caixão da credibilidade do Judiciário. Acabou contribuindo pra consolidar a noção de que o Judiciário já se acha tão ou mais degradado que o Executivo e o Legislativo.

    Até as pedras já perceberam que, pouco a pouco, o Diirceu vai acabar se fazendo passar por vítima… Que o julgamento dele foi uma fraude.

    E a recusa do Judiciário em aplicar aos delinquentes tucanos e da direita em geral, o mesmo tratamento aplicado aos delinquentes petistas, só vai facilitar o processo de vitimização.

    Na verdade, o Judiciário acabou se colocando num córner. Ele não pode condenar os delinquentes tucanos e da direita em geral, porque, se fizer isso, se ferra: a grande mídia vai cair de pau em cima dele!. Acontece que, se ele não fizer isso, também vai acabar se ferrando… Eo que é pior (pra eles): ajudando a ferrar com todos eles…

    Quanto mais a direita achar que ganhou, mais vai perder.

    Melhor teria sido se portar como gente civilizada.

    Melhor teria sido mandar a PGR fazer direito o trabalho dela. Reunir elementos consistentes que permitissem condenar Dirceu com base em provas, e não na simples denúncia de uma mídia tão delinquente quanto os delinquentes que ela denuncia.

    Preferiram se portar como juristas de aldeia latino-americana. Juízes de turba. Viram que tinham o controle do processo e partiram pro linchamento.

    Agora, vão pagar o preço político…

    A Marina é só um detalhe nessa trama doida. Mesmo com os milhões do banqueiro e com o exército de subempregados da natura, a Marina é só um detalhe…

    É um detalhe triste, porque ela poderia ter escolhido um papel melhor pra ela.

    Não é todo mundo que pode escolher nesse nível. Marina pôde. E escolheu errado…

    Azar dela!

    E, Pax,

    Não sou mais militante. Pendurei a bandeira (vermelha, claro…), logo depois das eleições paulistas de 2012.

    Agora, tô na arquibancada do Coliseu, vendo a turma se estraçalhar na arena e a turba se esgoelar na geral…

    Pra falar a verdade, tô nas numeradas…

  326. Olá!

    Hehehehehehehehe. . . As viúvas mensaleiras já começaram de novo com o chororô?????

    Essas meninas não tomam jeito mesmo. . . Portanto: Chorem, viúvas mensaleiras! Chorem, viúvas do José Dirceu!

    Não fiquem assim, meninas. Muito em breve, vocês poderão visitar os mensaleiros na cadeia e levar alguns mimos para eles. Algumas viúvas mensaleiras já estão até mesmo aposentadas, o que mostra que não faltará tempo para uma visitinha aos futuros mensaleiros presidiários e, talvez, até uma visitinha íntima!

    A viuvada mensaleira poderia organizar algum evento para ajudar os futuros mensaleiros detentos, mas nada de fazer estrovengas tipo o Galeto Mensaleiro, que galeto é coisa de pobre e petista da gema só quer três coisas dos pobres: Distância, obediência e votos.

    Para dar ares mais aristocráticos à nova nobreza petista, o negócio seria fazer algo mais elegante, tipo a Noite do Presidiário. Só viriam maus elementos: Traficantes, gigolôs, cafetões, assassinos, malandros, ladrões, chefes do crime organizado e, logicamente, mensaleiros.

    Fica a dica para a viuvada mensaleira.

    Até!

    Marcelo

  327. Chesterton said

    Pax Patax? Põ, e nem chama a gente?

  328. Chesterton said

    Como é? Entendi direito? Elias largou a militância? que houve?
    1. acordou?
    2. cansou de mentir para si mesmo?
    3. acabou a mesadinha que ganhava para escrever merda o dia inteiro na internet?

  329. Pax said

    Caro Elias,

    É típico comportamento político de desmerecer quem sai. Basta ver, como um dos vários exemplos, o que os serristas falam do Kassab hoje em dia. Outro exemplo é o que os petistas falam do Gabeira. É, segundo minha opinião, movimento de manada, bovino, rábico, bobo mesmo. Mas é real e previsível. Na política as pessoas apodrecem e embobecem. Isto posto, vamos em frente.

    Há duas novidades que podem acontecer em 2014, que é o que estou tentando entender. Uma é Eduardo Campos e seu PSB. Outra é, talvez, Marina e esse tal novo partido-que-não-é-partido.

    O outros são os tradicionais, PT, PSDB, PSOL e sei lá mais quem vai lançar candidato. Na verdade nem sabemos se Eduardo Campos vai lançar candidatura ou não, talvez espere 2018. Não sabemos.

    Por detrás de qualquer destas possibilidades temos o PMDB de sempre, do Sarney, Temer, Renan, Jucá, essa turma de bons constumes já tradicionais da nossa política cansada, desgastada. O PMDB estará sempre na espreita, esperando para dar o bote, medindo o tamanho de suas enormes forças para entender o tamanho que sua gula pode chegar. E vai abocanhar, como sempre, áreas estratégicas, Energia, Saúde (Funasa), Agricultura, Integração (pode nem ser o ministério, mas ficam com o Dnocs de tantos rombos) e por aí afora.

    O primeiro ponto que me parece importante nesta análise é o desgaste da política tradicional. Quanto a sociedade realmente encheu o saco disso tudo. Em 2010 este número foi definido, mesmo misturando assuntos. Foram os tais 20% que Marina teve no primeiro turno. Claro que juntou a galera cansada e várias outras tendências, incluindo verdes, evangélicos e um saco de gatos complicado de entender. Mas foi isso que se deu. E foi, sim, um marco. Inegavelmente foi uma surpresa para todos.

    Este desgaste que não me parece ter mitigado, ao contrário, aumentou com Renan. As pessoas pouco diferenciam Executivo do Legislativo, com certa propriedade na medida que nosso Legislativo virou a farsa de canalhas vendidos que vemos hoje em dia. Pior ainda, essa classe média que fica repetindo asneiras e aderindo campanhas no Facebook nem sabe quem é Henrique Alves. Mas é assim. E essa é a realidade da nossa sociedade. Que já inclui muitos filhos da nova classe C, sim senhor.

    Dentro deste quadro temos o desgaste do PT e o desgaste do PSDB. Eles e suas alianças. Estes desgastes definirão o tamanho da rejeição que suas candidaturas terão.

    As prováveis (quase 99,99%) candidaturas serão Dilma (bem na foto) e Aécio (tucano de todo, em cima do muro, mas menos desgastado que Serra e Alckmin). Esses são os grandes jogadores, players, de 2014. Que será, na minha opinião, mais parecido com desfile de escola de samba, ganhará quem errar menos.

    É muito provável que o mensalão tucano entre em julgamento em 2014. E aí teremos este desgaste ainda mais reforçado, com o bombardeio de notícias da prisão de Dirceu, Genoíno, João Paulo Cunha, Delúbio, e outros somados às notícias dos desvios de Eduardo Azeredo e mais uma cambada tucana que provavelmente está envolvida neste esquemão iniciado lá e adotado pelos soberbos do PT.

    Isto quer dizer que estas candidaturas “extraordinárias” (Eduardo Campos, Marina ou um futuro Collor) terão espaço para trabalhar.

    Se me pedissem uma análise – de um declarado amador – iniciaria por este quadro acima.

    Com o poder na mão e a capilaridade estabelecida, acho difícil pacas que Dilma perca as eleições do ano que vem.

    Independente do atual estado de putrefação do PT, mantenho alguma esperança que estas forças que chamei de extraordinárias tirem um pouco do poder do PMDB. Ladrão por ladrão, acho que os roubos do PT ainda são um pouco mais ideológicos.

    Mas não mantenho nenhuma esperança de futuro mais longínquo para o PT. O processo de desgaste já se acentuou de tal forma que não vejo mais condições de resgate. Será uma força política enorme que se parecerá cada vez mais com o PMDB de hoje. Tomara que esteja enganado, mas acho que não estou.

    Basta ver a torcida de Dirceu que agora já aceitou sua prisão, mas torce para que ele se torne um mártir.

  330. Pax said

    Caro Chesterton, em #327. Tivesse eu o privilégio tentaria usar outra baqueta naqueles fabulosos tambores.

  331. Jose Mario HRP said

    Dona Catanhede errando de novo, e e tecendo loas ao Chile(esqueceu que existem duas crises constantes naquele país, com 70% dos estudantes endividados, e a maioria dos planos de previdencia em desgoverno).
    Do blog do Miro :

    Em sua coluna de terça-feira, dia 12, a jornalista Eliane Cantanhêde, da Folha, apontou um suposto paradoxo da América Latina: enquanto o mau aluno, Brasil, tende a reeleger sua presidente Dilma Rousseff; o bom aluno, Chile, deve rejeitar a reeleição de Sebastian Piñera. Ocorre que, no Chile, Piñera não poderá ser reeleito por uma razão muito simples: a Constituição do país não permite dois mandatos consecutivos e o atual presidente só cogita voltar em 2018. Na disputa deste ano, a favorita é a ex-presidente Michelle Bachelet.

    Via Brasil 247

    Eleições presidenciais estão marcadas no Chile para o dia 17 de novembro de 2013. A menos que ocorra uma hecatombe, a ex-presidente Michelle Bachelet, que representa forças de esquerda, será eleita para mais um mandato de quatro anos. A realidade política chilena levou a jornalista Eliane Cantanhêde, da Folha, a apontar um suposto paradoxo na América Latina. Segundo ela, enquanto o mau aluno, Brasil, tende a reeleger sua presidente Dilma Rousseff; o mesmo não ocorre com o Chile, melhor aluno da classe. “No simpático e aplicado país sul-americano, a economia vai bem, mas a reeleição do presidente Sebastián Piñera vai mal. No melhor país do mundo, que é o nosso, a economia não está lá essas coisas, mas a reeleição de Dilma Rousseff em 2014 vai de vento em popa”, diz ela (leia mais aqui).

    Talvez os eleitores chilenos e brasileiros não sejam capazes de discernir o que é melhor, como sugere Eliane, mas a análise tem um erro básico. A Constituição chilena não permite a reeleição e, portanto, Piñera não poderá se candidatar – o que se discute, hoje, é sua eventual volta em 2018.

    No início do ano, Cantanhêde já havia cometido um erro, ao afirmar que uma reunião rotineira, no Ministério de Minas e Energia, havia sido convocada emergencialmente para enfrentar um apagão iminente. Como se sabe, os apagões viraram apaguinhos e depois foram tratados, pela Folha, como uma ameaça para 2014, ano de Copa do Mundo.

    O que fica claro, mais uma vez, é que a oposição cega tem levado o jornal a cometer erros primários.

  332. Zbigniew said

    Pegando um gancho nos problemas do Pax com a banda larga, parece que algo está se movendo em prol dos consumidores, e lá pelas bandas da reguladora. Será? Se comprovado o dolo e a má-fé deviam empurrar um processo nas costas da empresa e seus diretores.

    “Por Frederico69
    tentando limpar a caca!

    convergencia digital plantou noticia tentando inverter as conclusões do relatorio de fiscalização sobre quedas de chamada da tim.

    http://convergenciadigital.uol.com.br/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=33015&sid=8

    depois de ler a nota técnica apresentada pelo convergencia digital, percebe-se que a fiscalização mantém as principais conclusões apontadas no relatório original, rebatendo os fracos argumentos da defesa da operadora, que até reconhece que realmente desligava chamadas, por meio do sistema antifraude. cheios de churumelas os advogados não conseguem explicar porque o grupo de chamadas tarifadas por tempo tem a metade do indice de quedas do grupo de tarifada por chamada. e que inclusive no mesmo relatório foi apontado que a prestadora além de excluir indevidamente dados do indicador, dividia o valor calculado por dois(ou seja o indicador apresentado é ficticio, produto da imaginação da tim).

    agora para disfarçar a caca já produzida, lançaram a segunda reporcagem, tentando fazer parecer com que a anatel esteja tramitando o processo de forma diversa do previsto no regulamento da agencia. ficou pior, pois mostraram que não conhecem a anatel. a superintendencia de serviços públicos SPV é a áera técnica encarregada da análise do pado, uma vez emitido dentro da SRF pelos fiscais, o PADO é encaminhado para a superintendencia responsável pelo serviço e depois em caso de recurso é encaminhado ao conselho, para decisão final.

    Do Convergência Digital

    TIM x Anatel: portal Convergência Digital esclarece

    A propósito de matéria feita pelo noticiário Teletime, no dia 08/02, e que buscou minimizar o conteúdo da reportagem exclusiva do portal Convergência Digital: Anatel não comprova má-fé da TIM na queda das ligações no plano Infinity – esclarecemos o leitor sobre o seguinte:

    1 – A reportagem do Convergência Digital se baseou numa “nota técnica” e não num “relatório”, conforme informa o noticiário Teletime. Sustentamos a informação de que a referida “nota técnica” contradiz o relatório 407/2010 da fiscalização, onde ficou atestado que a TIM estaria “desconectando usuários Infinity de forma proposital”, para que estes fossem obrigados a realizar nova chamada dentro de um prazo de dois minutos e, só assim, completar a conversa.

    2 – Essa “nota técnica” foi solicitada pela Superintendência de Serviços Privados, sob a responsabilidade do superintendente Bruno Ramos.

    3 – É errado afirmar, conforme fez o noticiário Teletime, que “dependerá da palavra final do superintendente Bruno Ramos (…) “julgar se há um problema ou não e punir a operadora”. O problema já existe desde 2010 na forma de um PADO – Procedimento Apuração por Descumprimento de Obrigação – e a competência de “julgar e punir” a TIM será do Conselho Diretor da Anatel. Lugar, aliás, onde todos os processos desse gênero, além dos pedidos de reconsideração das empresas são analisados.

    4 – O portal Convergência Digital entende que, em tese, não caberia sequer ao supertintendente Bruno Ramos, a competência de instruir o processo.

    5 – A presença do SPV, Bruno Ramos, nesse PADO contra a TIM é questionável. O processo não está sob a esfera de seu controle. A atribuição regimental na Anatel para mandar fiscalizar e depois remetê-lo ao Conselho Diretor seria da Superintendência de Radiofrequência e Fiscalização, setor comandado pelo superintendente Marcos Vinícius Paolucci.

    6 – A participação de Paolucci neste episódio até agora é um mistério. Ninguém conhece seu pensamento sobre o caso TIM. Coube a área de fiscalização fazer todo o trabalho de investigação no Plano Infinity, emitiu pareceres e, inclusive, deduziu em 2010, que a operadora estaria supostamente fraudando os usuários. Em nenhum momento, o superintendente Paolucci defendeu o trabalho dos fiscais ou esclareceu a crise com a TIM, de forma transparente e pública.

    7 – A tarefa – desde a punição da empresa, em julho do ano passado, ficou à cargo do superintendente de Serviços Privados, Bruno Ramos.

    8 – O noticiário Teletime vê com certa naturalidade o fato de a Anatel acusar a TIM de roubar os seus clientes e, depois, numa nota técnica vir a se esquivar da responsabilidade pela acusação. Ao minimizar o fato, prefere manter como ponto central da acusação, a questão das ligações no Plano Infinity (ilimitado) caírem mais do que no plano que tem tarifação por minuto.

    9 – O portal Convergência Digital entende que não importa se as ligações caíram duas ou quatro vezes além do permitido pela agência. O volume é irrelevante na discussão. A TIM merece ser multada por descumprir norma da Anatel. Mas insiste que a agência reguladora ficou numa encruzilhada política ao acusar a empresa de agir de má-fé e depois recuar. Agiu de forma precipitada, uma vez que, desde agosto passado, seus próprios indicadores não corroboram a tese defendida pelo superintendente Bruno Ramos de que a TIM era a pior operadora a prestar serviços de voz no SMP.

    10 – E mesmo no caso da análise do volume das ligações prejudicadas, as discrepâncias entre os números apresentados pela Anatel e a TIM merecem maiores explicações da parte da agência reguladora. Afinal de contas, qual a metodologia correta para averiguação do comportamento das empresas no mercado?

    O portal Convergência Digital ratifica o seu compromisso de fazer um jornalismo desconectado dos interesses de empresas e governos.”

    E aqui o contraponto ao CD, por um dos comentaristas:

    Aparentemente o Convergência Digital (CD) comprou a briga da Tim e está correndo atrás de cabelo em ovo para sustentar seus argumentos.

    Primeiro aspecto importante refere-se a participação do SPV na questão. O CD alega que “A presença do SPV, Bruno Ramos, nesse PADO contra a TIM é questionável. O processo não está sob a esfera de seu controle. A atribuição regimental na Anatel para mandar fiscalizar e depois remetê-lo ao Conselho Diretor seria da Superintendência de Radiofrequência e Fiscalização, setor comandado pelo superintendente Marcos Vinícius Paolucci.”

    O regimento interno da Agência diz exatamente o contrário, no seu artigo 194, que trata da Superintendência de Serviços Privados (SPV) e suas competências, elencando como sua responsabilidade, com destaque para os seguintes incisos:

    XI – aplicar sanções no âmbito de sua competência;

    XIV – conduzir os procedimentos administrativos de resolução de conflitos de interesses entre prestadoras de serviços e entre estes e os usuários;

    XXVI – submeter à aprovação procedimentos de controle, prevenção e repressão das infrações da ordem econômica, ressalvados os pertencentes ao Conselho Administrativo de Defesa Econômica – CADE;

    XVII – submeter à aprovação instauração de processo de apuração e repressão de infração à ordem econômica;

    XXVIII – solicitar informações e determinar diligências que se fizerem necessárias ao exercício de suas funções;

    XXIX – instaurar, mediante ciência do Superintendente Executivo ou de ofício, averiguações preliminares sobre infrações à ordem econômica;

    XXX – determinar, bem como designar servidor para a realização de diligências ou produção de provas na apuração de infrações à ordem econômica;

    XXXI – submeter à aprovação medida preventiva e compromisso de cessação de prática, nos termos da regulamentação;

    XXXII – instaurar PADO, procedimento de apuração e repressão às infrações aos direitos do usuário e processo para controle de atos de concentração econômica;

    O CD parece desconhecer a erstrutura da agência. As unidades descentralizadas (Escritórios Regionais e Unidades Operacionais) estão todas subordinadas à SRF (Superintendência de Fiscalização) e assim são responsáveis pela FISCALIZAÇÃO tanto no setor público (concessões), como privado (autorizações) das telecomunicações. A SRF, por meio de sua unidade descentralizada, faz a fiscalização, instrui o processo (PADO) e remete à área responsável. No caso a SPV – que faz a análise técnica da questão, emitindo parecer (normalmente por meio de Nota Técnica) e depois remete ao Conselho.

    O SRF cumpriu sua função que era a fiscalização. A SPV realizou a análise técnica. Agora, o conselho vai decidir.

    Com relação a alegação de que a análise técnica se transformou em peça de acusação. Não foi a Anatel quem fez isso. A fiscalização apurou os fatos que apontavam para determinada situação. Os documentos foram remetidos ao Ministério Público a pedido do próprio órgão que transformou os dados em acusação (função do MP para instaurar o processo).

    Aparentemente o que acontece é que a TIM – que reconheceu que as chamadas dos planos Infinity tem um número de quedas extremamente superior ao de outros planos – está em uma sinuca de bico e o CD está entrando no mesmo barco.

    Em suma, constatou-se que há tratamento desigual entre os clientes Infinity e não Infinity – nas duas Notas Técnicas. A divergência é que quem elaborou uma Nota Técnica afirmou que era proposital e em outra apenas afirmou a existência do erro. A filigrana é se a Tim agiu como dolo intencional ou dolo evenetual. Mas o fato é que há o erro, a Tim o pratica e não se defende e nem corrige o problema.

    http://www.advivo.com.br/blog/luisnassif/sobre-a-fiscalizacao-das-quedas-de-chamadas-da-tim

  333. Edu said

    Espero que todos tenham tido um ótimo ziriguidum de carnaval, tão bom quanto o meu!

    Para nossa querida Dilma-mão-pesada-neoliberal-ornitorrinca-guarani-kaiowá, segue meu modesto ponto de vista:

    – Inflação em alta (como já esperávamos todos) – Negativo

    Como a Dilma está atacando o problema (já reiterado pelo BC que é algo preocupante):
    – Diminuição da conta de luz – Positivo
    – Desoneração da cesta básica – Positivo
    – Aumento da gasolina – Negativo

    O Guido Mantega já se adiantou hoje: “”(O câmbio) não é instrumento para controlar a inflação. O instrumento é o juro”

    “Para Mantega, o Banco Central precisa estar vigilante e tomar “as devidas providências” se a inflação não desacelerar espontaneamente, conforme reportagem no portal do jornal “O Estado de S. Paulo”.”

    Então, enquanto a Dilma-mão-pesada-neoliberal-ornitorrinca-guarani-kaiowá baixava os juros era para dar uma lição de moral na UE, e a baixa nos juros era por conta da mão pesada da presidenta. Agora, que é possível uma elevação nos juros, a responsabilidade é da independência do BC?! Muito interessante!

    O BC só toma decisões independentes para o mal, não é mesmo? Entendido!

    Mas para o Guido Mantega está tudo normal:

    “A inflação acima do centro da meta acende o sinal de alerta”, disse. “Felizmente, nos últimos anos, não tem fugido de controle”, acrescentou. – FSP

    Não, as ações da Petrobras quase não fugiram do controle.

    Depois o PT reclama quando a Economist tira onda com o malabarismo do governo…

  334. Elias said

    I
    “Na verdade nem sabemos se Eduardo Campos vai lançar candidatura ou não, talvez espere 2018. Não sabemos.” (Pax)

    Claro que não sabemos, Pax.

    Nem os tucanos sabem. Ainda não percebeste que está havendo uma disputa entre Eduardo e Aécio? E que foi a isso que o Adolfo (citado pelo Chesterton) se referiu, e eu comentei?

    II
    “Outro exemplo é o que os petistas falam do Gabeira. É, segundo minha opinião, movimento de manada, bovino, rábico, bobo mesmo.” (Pax)

    Ah é?

    Pois olha, eu pensei que fossem siceras as críticas à “ilusão patrimonialista” (se fosse feita pelos outros, seria roubo de dinheiro público, corrupção; como foi feita pelo Gabeira foi, apenas uma “ilusão patrimonialista”). Também pensei que fossem sinceras às críticas ao torniquete que Gabeira aplicou à Marina, fechando as portas à pretendida moralização do PV.

    Pensei até ter lido um elogio ao Sirkis, que também baixou o cacete no Gabeira…

    Não era pra valer, não? Crítica ao Gabeira agora é “movimento de manada, bovino, rábico, bobo mesmo…”? (muito adjetivo, pouco substantivo…).

    Stalin fez escola…

    III
    “Ladrão por ladrão, acho que os roubos do PT ainda são um pouco mais ideológicos.” (Pax)

    Já eu penso diferente. Acho que ladrão por ladrão, é tudo a mesma merda…

    Roubou? É ladrão! É isso e pronto!

    Não vejo diferença entre o delinquente que invade um imóvel residencial ou um estabelecimento comercial e faz um roubo; um empresário que sonega impostos; um servidor público, ocupante de cargo eletivo ou concursado, que recebe suborno pra favorecer a tal ou qual pessoa, física ou jurídica; um político que usa seu poder para desviar recursos públicos em seu benefício ou de terceiros.

    Pra mim, é tudo a mesma mesma matéria putrefeita.

    Em qualquer desses casos, a “ideologia” é só um dos refúgios do canalha.

    O canalha de esquerda diz que rouba pra financiar sua atuação política, cujos propósitos finais são socialmente defensáveis. O canalha de direita diz que sonega porque a carga tributária é excessivamente alta, tentando fazer com que o ato de sonegar pareça um ato político, de resistência à exorbitância do Estado. Se o ladrão que invade residências ou estabelecimentos comerciais tivesse acesso a mídia, rapidinho ele construiria uma justificativa “política” para o seu ato (bastaria misturar conceitos como “injustiça social”, “desequilíbrio de oportunidades”, etc).

    No frigir dos ovos, o delinquente de esquerda quer, mesmo, é poder e dinheiro. E o de direita quer dinheiro e poder. A mesmíssima coisa que quer o vagabundo pé de chinelo que roubou tua casa.

    Ideologia é o cacete, Pax! Roubo é roubo! E ladrão é ladrão.

    O que não dá a ninguém o direito de sair por aí, condenando ladrões sem provas.

    Tem que provar. E, provando, tem que condenar, seja o ladrão de direita, de esquerda ou do que for…

  335. Edu said

    Elias,

    Podemos aplicar o seu número III a sem-terra, sem-teto, drogados que cometem delitos para sustentar seu vício?

  336. Elias said

    “Então, enquanto a Dilma-mão-pesada-neoliberal-ornitorrinca-guarani-kaiowá baixava os juros era para dar uma lição de moral na UE, e a baixa nos juros era por conta da mão pesada da presidenta. ” (Edu)

    Não, Edu. Estás enganado.

    Ninguém disse essa idiotice.

    Ela baixou os juros quando o Banco Central Europeu inundou o mercado com uma torrente de Euros a custo zero.

    Aí Dilma TEVE que baixar os juros no Brasil, pra evitar a sangria daqui pra lá.

    É só fazer um cálculo aritmético simples: tomar dinheiro emprestado onde o juro é zero, e aplicá-lo onde o juro é alto…

    A expressão “mão pesada” foi usada em outro contexto.

    P.ex., ela vai usar a mão pesada no rabo da direita em 2014.

    Tal como fez em 2010…

    Entende?

  337. Elias said

    Tá vendo só, Pax?

    Quando tem tanta gente tendo que distorcer o que eu digo, pra tentar argumentar, é porque faturei fácil…

    É assim que eu gosto: debater com três ou quatro ao mesmo tempo…

    Vamulá, pessoal! Eu sei que vocês podem fazer melhor!

    (O Marcelo Augusto não vale, porque ele não sabe argumentar. Ele fica se repetindo, repetindo, repetindo, repetindo… Aí ele fala no “índice de liberdade econômica”, que explica de terremoto no Japão a surto de catapora na nação Kaiapó. Aí ele repete, repete, repete… Debater com esse doido é o mesmo que debater com um disco escangalhado…).

    HUÁ! HUÁ! HUÁ!

  338. Elias said

    Edu,

    Claro que vocês estão com a razão.

    O Brasil mergulhou, definitivamente, numa híper-inflação de 6% ao ano.

    Tá tudo fora do controle.

    Controlada a inflação estava ao fim de 2002, quando Lula recebeu o governo: apenas 12%, com tudo dominado…

    As administrações petistas — exemplos acabados de gestão fracassada — conseguiram a façanha de elevar a inflação de singelos e suportáveis 12%, para estratosféricos 6% ao ano.

    (Depois esse pessoal diz que não entende porque tanto toma na tarraqueta… Não é ó puto?).

  339. Pax said

    Caro Elias,

    Sei lá que marimbondo de fogo te mordeu. Mas vamos lá.

    1 – acho, sim, diferente um roubo ideológico de um roubo patológico.

    Acho diferente um Genoíno participar de desvios para encher os cofres do partido para continuar no poder que um João Paulo Cunha morder uma grana em servicinhos não prestados do modelito adotado das empresas do titio Valério. Ou mesmo das graninhas extras que o Dirceu ganhou de empresas com suas consultorias que considero, direito meu, de uma ética abaixo de ânus de cobra.

    E acho diferente as granas colhidas de empreiteiras para alterar planos diretores de cidades como São Paulo para formar partido de gente que trocadas por estrume saem caro.

    Então, meu caro, discordamos.

    2 – Corrupção do Gabeira. Qual vc se refere? Que eu me lembro tem a passagem do ParlamenTurismo que deu pra filhota surfar não sei onde. Conte-me mais das que sabe.

    Gostei do Gabeira, não simpatizo mais como já simpatizei antes. Mas só vou acusar do que sei, não do que não sei. Aqui no blog deve ter uma coleção pequena dele, nem fui procurar.

    Torniquete em Marina? Desconheço. Conte-nos o que sabe.

    3 – Eduardo Campos

    Vamos ver no que vai dar. Como disse não sei o que ele quer. Sei que conversa com PT, conversa com PSDB e, assim como Marina, os dois partidos estão de orelha em pé para ver no que vai dar. No que fazem muito bem, acompanhar o que rola.

    4 – Marina

    Tava vendo nos Trending Topics as reações. Tem blog de petistas que dá vontade de chorar de tão burros que são, gente dizendo que é quinta coluna, gente acusando que Marina aceita tudo em seu partido. Será que esse povo esqueceu do Maluf, do Valdemar, do Sarney, do Renan, do Kassab, da Katia Abreu? Caramba. Mas, vai lá, é essa tal boiada que me refiro. A militância petista ficou chata demais da conta.

    Saiu um artigo do Dirceu sobre Marina. A militância está tão emburrecida que nem leu o que o cara escreveu. Este, seja o que for, mais inteligente que a militância é claro que é. Não é à toa que manda.

    Problema da Dilma vai ser, sim, segurar a inflação, fazer a economia andar com um pouco mais de energia e segurar a corja que a rodeia.

  340. Pax said

    Esqueci de dizer… caso o PSOL atualize seu programa, deixe de ser só socialista e passe a ser social democrata, vai, também, abocanhar alguma fatia em 2014 ou carrear votos se resolver apoiar algum partido.

    E, confesso, com minha simpatia.

    Se atualizar seu programa. Tem gente que gosto por lá. Chico Alencar é um deles.

    Aliás não podemos esquecer do PDT. Quem arrematar o PDT do Gustavo Fruet e Cristovam Buarque, não o do Carlos Lupi e Paulinho da Força, terá uma bela fatia de votos.

    Gustavo Fruet e Cristovam Buarque merecem atenção. Gosto deles.

  341. Pax said

    Quem quiser um termômetro sobre este tal novo partido da Marina basta acompanhar os Trending Topics do Twitter

    https://twitter.com/search?q=%22Marina+Silva%22&src=tren

  342. Edu said

    Elias,

    To fazendo comparação não! Deixe o que foi de FHC para FHC. Isso acabou há 10 anos atrás. A menos que isso faça vc se sentir menos pior. Pq convenhamos: fazer ajustes contábeis e malabarismos para atingir metas pode ser legítimo, mas demonstra no mínimo uma falta de controle.

    Eu to até gostando da Dilma-mão-pesada-ornitorrinca-neoliberal-guarani-kaiowá: ela baixa minha conta de luz, facilita especulação com ações da Petrobras, faz alguns investimentos meus renderem mais, principalmente em infra, bota ordem no INSS para parar com aquela palhaçada de nego ficando “incapaz” o tempo todo, baixa o IPI bem na hora de eu trocar meu carro…

    Agradeço, inclusive, ao Totó da Paciência, o contador que acha que longo prazo econômico é igual longo prazo contábil: já que o futuro a Deus pertence, vamos aproveitar o presente! E viva os ajustes contábeis, já que a mira tá ruim, vamos mudar o alvo de lugar! E vamo que vamo!

    Só estou em dúvida quanto à independência do BC. Sim, vc havia dito que a independência é relativa, e concordo contigo. Só acho gozado que para o “bem” é o governo que toma decisões, e quando é para o “mal” é o BC e sua pseudo-independência.

    Além disso, Elias, que direita mesmo? Vc tá falando do DEM – vixe… aí nós estamos enrolados… – ou vc tá falando daquela direita do Paulo Malufe, que, segundo consta, anda dando liçãozinha de moral no PT? De um jeito ou de outro, vc pode chamar essas coisas aí do que vc quiser. Aliás, se a Dilma estiver passando a mão no rabo deles, ótimo, vou sentar ao seu lado pra rir junto.

    Mas me diga aí: esse negócio de ladrão, de bandido, etc. Isso vale pra MST? Isso vale pra sem teto? Isso vale pra deliquente da USP? Isso vale pra drogadinho do centro de SP? Essa pergunta vc não respondeu…

  343. Pax said

    Hum… caro Edu… “delinquente da USP” é papo de titio histérico, né não?

  344. Edu said

    Offtopic:

    Meu amigo descobriu pq o Oscar Pistorius matou a namorada: ela o chamou de “Pistorinhus”.

  345. Edu said

    Pax,

    O que é o estado de direito, se as vias legais para inibir/corrigir ilegalidades são ignoradas?

    Eu tenho falado isso desde que comecei a debater aqui: um erro NUNCA justifica outro.

    O reitor da USP pode ter feito o que ele quis. Ele pode ter errado, pode ter acabado com o patrimônio financeiro da USP.

    De maneira nenhuma isso libera os alunos para depredar os prédios da USP, e nem libera alunos alunos para impedir (à força) que outros alunos tenham aula, e também não libera alunos para fumar maconha na USP achando que “não vai dar nada”.

    Devolvo a pergunta, Pax, vivemos ou não num estado de direito?

  346. Pax said

    Caro Edu,

    Desde que os homens mijam pra frente e as mulheres agachadas que estudantes fazem seus protestos da forma que fazem. Fumar maconha é esse tal crime que você acha? Então, meu amigo, metade ou mais das pessoas que você conhece devem ou deveriam ser presas quando estudaram.

    Essa história de Sampa é sintomática, sempre colocando polícia em cima de estudante, em cima de favelado, em cima de tudo. Sintomático de governos que querem agradar os riquinhos do Jardim Europa, da Daslu e quetais.

    Essa turma do PSDB de Sampa afundou o PSDB. Com atitudes e discursos como esses.

    Cá tô acompanhando a reação da turma dos militantes do PT contra o tal novo partido da Marina. Estão repetindo sem parar um post de um tal de Cadu, esse aqui: http://caduamaral.blogspot.com.br/2013/02/eduardo-campos-marina-silva-midia-e-2014.html

    Que fala uma coisa dessas no meio do caminho:

    Diante da falta de agenda, nome e discurso moralista, a mídia tenta requentar Marina Silva e seu novo-velho partido e o líder do PSB, Eduardo Campos.

    Marina está sempre com o discurso do capitalismo verde. Também não tem agenda, mas deve tentar o neo moralismo lacerdista. Verde, neo moralismo lacerdista verde.

    E esponjoso também. Teremos mais um partido “esponja” por aqui. Aceita de tudo, como o PSD do Kassab.

    Já Eduardo Campos, governador de Pernambuco, tem outras características. Algumas, inclusive, parecidas com o primeiro “salvador” da mídia, Aécio Neves. Ambos são neto de personalidade políticas. O mineiro é neto de Tancredo Neves e o pernambucano de Miguel Arraes.

    Nenhum deles ainda chegou perto de ter o respaldo político que seus avôs tiveram. Mas Campos em Pernambuco tem mais prestígio que Aécio em Minas, pelo menos parece ter.

    A mídia agora infla o ego do socialista. Sempre é bom lembrar que o ego é o pecado predileto do diabo.

    Mas será que Eduardo Campos tem capilaridade nacional para disputar – com força – a eleição de 2014? Aparentemente, não. Mas também não se pode subestimar a capacidade da mídia em agigantar o que lhe convém.

    Até o momento o que e viu foram pessoas ligadas a Campos afirmando que ele será candidato e que não será. Mas nada de sua própria boca. A não ser recados de que ele tem legitimidade para ser candidato.

    O PSB, mesmo quando lançou candidatos a presidente, nunca deixou de ser um aliado importante do PT. Mas o PSB tem clara sua tática: se relacionar politicamente com todos os espectros políticos do país. Por isso as diversas alianças à direita em vários estados.

    … continua…

    E este post já foi indicado pelo Zé Eduardo Dutra, Ricardo Berzoini e outros cardeais do PT.

    Vejam só como, infelizmente, se tornaram, quanta incoerência, cito duas pra não me alongar:

    1 – fala que o novo partido de Marina é tão esponjoso que aceita até PSD do Kassab. Caramba, será que a galera militante não sabe que Dilma dará dois ministérios pro Kassab agora, neste exato momento? DOIS, neste EXATO momento. E Berzoini e Dutra ainda indicam o post pra todos os militantes lerem!

    2 – Fala que o Eduardo Campos, o PSB, é aliado importante do PT. Sem antes sentar o pau no partido e no cara.

    Essa turma anda fumando cocaína ou cheirando maconha demais da conta. Burrice tudo bem, estupidez e tiro no pé tem limite. Achei que só o Serra era capaz de tanta malafaiadice.

  347. Elias said

    Edu,

    I
    Se vale pro MST? Claro que vale! Ora porra, será que é preciso listar um por um, caceta?

    Eu disse qualquer um. E qualquer um é qualquer um.

    Vale pra qualquer um que roube. Roubou, é ladrão, e como tal deve ser tratado.

    Ideologia não é desculpa pra delinquência.

    Agora, tem que provar, viu?

    Tem que proceder como gente civilizada. Não pode sair por aí linchando ladrão quando é desafeto político, ao mesmo tempo em que protege ladrão amigo…

    Quem faz isso é manada. É turba. É mentencapto com consciência de rebanho, servindo de massa de manobra pra um delinquente qualquer…

    II
    Esquecer FHC? Negativo, garoto! Isso é o que vocês gostariam quer se fizesse…

    E, exatamente por isso, FHC é inesquecível.

    Até porque foi o último da atual oposição que ocupou o poder. Vocês vão ter que carregar o defunto insepulto, enquanto isso nos for politicamente conveniente.

    Sempre que a língua de vocês ficar grande demais, a gente enrola a bruta e enfia de volta na boca de vocês, usando o FHC.

    Se inflação de 6% ao ano é esse desastre todo, o que dizer do dobro disso?

    Aliás, com FHC, a inflação chegou a esbarrar em 20% ao ano, já esqueceu?

    Aí os governos petistas aumentaram brutalmente a inflação, elevando-a de 12% em 2002 para os atuais híper-inflacionários 6%.

    Inflação: taí um excelente tema pra campanha eleitoral de 2014.

    Manda essa idéia pro Diretório Nacional do PSDB…

    III
    Neste momento de crise, procura um só BC independente, no mundo que conta.

    Vai ver se o BC americano não está se ajustando à política econômica do governo; ou se o BC europeu não está se ajustando à política econômica da UE (aliás, bem feitas as contas, é o governo alemão quem dá as cartas no BC europeu).

    Banco Central só é “independente” em discurso de espertalhão e nas cabeças ôcas dos muito idiotas…

  348. Elias said

    “O PSB, mesmo quando lançou candidatos a presidente, nunca deixou de ser um aliado importante do PT.”

    Outro papo furado, de quem quer enrolar. Como se o futuro fosse uma repetição do passado…

    De todos os partidos, só o PT tem uma posição quase que automática pra 2014: Dilma é candidata à reeleição.

    Nos demais, o tricô mal começou a ser tecido.

    O Eduardo Campos ainda nem se posicionou por inteiro. Nem o PSDB.

    Se, como querem muitas cabeças tucanas, o PSDB se tocar que não têm músico pra segurar a barra na ribalta, e topar a vice de Eduardo Campos, este não terá motivos pra não aceitar.

    E, aceitando, estará no páreo (o que empurrará a Marina pra debaixo do poleiro de pato…).

    Nesse caso, a aliança com o PT viraria pó…

    Mesmo assim, vai penar mais que charuto em boca de bêbado, porque seu cacife é mínimo.

    Além do mais, se o PSB se aliar ao PSDB, terá que pular fora do governo. E, ao fazer isso, vai encolher, encolher… Reduzindo ainda mais o cacife do Eduardo Campos… (Por outro lado, sem o apoio parlamentar do PSB, o PT ficará ainda mais dependente do PMDB…).

    Daí porque convém a Eduardo Campos adiar ao máximo a tomada de decisão. E, mesmo depois de tomada a decisão, adiar ao máximo o momento de torná-la pública.

    O xadrez tá ficando cada vez mais interessante, porque abre um amplo leque de especulações.

    Quem pede definições agora é otário ou torcida. Não está no jogo. Nem sabe o jogo que está sendo jogado, até porque a cacicada vai esconder o jogo enquanto puder.

    Pra embolar tudo, só falta alguém plantar o boato de que Dilma está em dúvida sobre se deve ou não se candidatar à reeleição, e um outro alguém começar a chamar o Lula pra dentro do ringue…

    Claro que isso não acontecerá, mas, se acontecesse, a direita iria pirar…

  349. Edu said

    Pax,

    Todos nós temos o direito de protestar. Isso faz parte do estado de direito.

    Então me responda a uma pergunta muito simples:

    Desde quando protesto precisa ser ilegal?

    Qualquer pessoa, deve seguir a lei, só que principalmente alunos da USP, que tem um nível de estudo, assume-se, maior que a média, sabem: se fizerem um protesto ilegal, deveriam estar cientes de que o Estado poderia, a qualquer momento, usar do poder de polícia. Ponto. Nem mais, nem menos que isso. Onde está a histeria nisso?

    Sabe qual é o contrário do que vc apelida de histeria? Talvez seja generalização: acreditar que o que o governo do estado tomou qualquer atitude sobre pobres e USPianos para “agradar” suposta elite, seja dos jardins, seja dos frequentadores da Daslu (que, diga-se de passagem, na muitas e muitas vezes são mulheres de políticos advindas de outros estados).

    Sabe qual é a diferença entre essas duas? A ilegalidade da primeira é patente e reconhecida inclusive entre os que fizeram o protesto ilegal. Já a segunda é uma generalização tacanha e tão rasa que nunca poderá ser provada.

    Posso fazer uma proposta? Quer tentar enxergar a coisa por outro ângulo? Eu não vejo problema nenhum:

    Basta adortarmos a seguinte premissa: pensando na proporção de outras ilegalidades que ocorrem no Brasil afora, a USP é coisa de moleque mesmo.

    Exagerar na atenção ao que ocorre na USP, sob essa premissa, aí sim, pode ser sintoma de histeria mesmo.

    Para mim, e para o caso de bandidos, como o Elias diz, é só mais um exemplo, é um exemplo de bandidinhos, mas até aí o código penal prevê punições em proporção diferente para bandidos diferentes, não?

    Continuamos no estado de direito, certo? Então novamente: onde está a histeria?

    —X—

    Sobre o PT, o PT finalmente mostrou ao Brasil para que veio.

    Tá bonito de ver mesmo quem antes defendia o PT com unhas e dentes agora com aquele olhar de desprezo, de decepção, como se tivesse sido traído.

    O que tá triste ver, e aí concordo contigo é a militância achando tudo lindo maravilhoso e querendo mais. A isso sim, caro Pax, eu chamaria de histeria: gente que vê limpeza em chiqueiro; gente que vai na onda porque a verdade sempre se dobra a quem está no poder; gente que acha bonito só porque o partido A ou B está “tomando uma surra”.

    Mais que falta de inteligência ou histeria, Pax, é recalque, dos bravos.

  350. Pax said

    Caro Edu,

    Se todos os protestos fossem legais o mundo não mudaria de lugar nunca. Simples assim. O que precisa é saber se o protesto tem ou não fundamento, tem ou não apoio etc etc. A partir daí as leis que se ajustam aos protestantes. Aliás, pegando a expressão, Henrique VIII acabou montanto uma empresa, ops, igreja, pra comer quem bem lhe viesse à cabeça.

    Caro Elias,

    Ufa, começamos a falar a mesma língua.

    Caso… o Eduardo Campos decida alguma coisa, tanto PT quanto PSDB vão se ajustar nessa decisão.

    Caso… o novo partido de Marina dê em alguma coisa, PT, PSDB e PSB vão se ajustar nesta possibilidade.

    Tem muita água pra rolar debaixo da ponte.

    Mas o que mais impressiona do tal artigo do tal blog do Cadu (quem é esse que todos repetem e replicam ad nauseam?) é a imbecilidade dele atacar a possibilidade do PSD entrarem na nova legenda, juntamente quando é o PT que chama pra dentro do seu jogo a turma do Kassab e Kátia Abreu.

    Pior de tudo são os cardeais do PT pedindo para todos lerem tamanho absurdo.

  351. Edu said

    Elias,

    I

    Obrigado pela honestidade.

    II

    “Isso é o que vocês gostariam quer se fizesse…”

    Nós quem cara-pálida?! Ficou doido?! Eu nunca gostei do PSDB nem achei que ele seria uma boa alternativa.

    Aliás, se eu fosse do Diretório do PSDB, eu botaria meu rabinho no meio das pernas e iria buscar abrigo no próprio PT. É possível isso? Eu acho que sim: se são social-democratas, são miscíveis. No fundo: é tudo farinha do mesmo saco mesmo.

    O PSDB perdeu não só a voz, como o direito de falar como oposição há muito tempo. Tenho dó dos ditos cujos.

    Para mim, levantar o insepulto FHC de exemplo não muda absolutamente nada: pode até ter sido pior que a Dilma-mão-pesada-ornitorrinca-neoliberal-guarani-kaiowá. E daí?! Para mim, caro Elias, sobrevivi lá, vou sobreviver aqui.

    Mas chamo a atenção ao fato de que isso não melhora nada a falta de controle da Dilma, ou o malabarismo do Mantega. Por enquanto a duplinha está sobrevivendo, sinceramente, faço votos que sobrevivam, para o meu próprio bem!

    Aliás, se continuarem sobrevivendo, ainda que desse jeito, e a Dilma vencer as eleições de 2014 e manter a mesma linha que está mantendo, não vou me opor não. Meu voto, difícil… não gosto muito do ministério dela e ela é do PT, né? Não pq eu seja contra o PT como sou contra o time de futebol da cidade vizinha à minha, mas é que o PT, como diz o Pax, não se livra dos ruins, e pior: anda se misturando com gentalha por pouca coisa.

    Isso pesa na hora de votar.

    III

    Será que vamos ver a Dilma amolecer a mão para os juros esse ano?

  352. Pax said

    O Renan em ação.

    http://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/politica/2013/02/15/interna_politica,349690/estagiarias-sao-demitidas-apos-publicarem-foto-de-rato-na-grafica-do-senado.shtml#.UR5pnEFogig.twitter

    Claro, teria mesmo que demitir as estagiárias. Que isso de afrontar o rei?

    (democracia nada, o que existe no Senado é pra baixo do feudalismo)

  353. Edu said

    Pax,

    “O que precisa é saber se o protesto tem ou não fundamento, tem ou não apoio etc etc. A partir daí as leis que se ajustam aos protestantes.”

    Vamos assumir que pode ser assim: quem vai julgar isso?

  354. Pax said

    Caro Edu,

    Não é julgar, é se subjugar.

    Tínhamos uma ditadura. O povo foi às ruas, juízes, políticos, militares e quetais se subjugaram ao novo modelo.

    Simple pacas.

  355. Edu said

    Pax,

    Mas nesse caso, uma grande massa, ou uma grande quantidade de gente e todos sabiam que a maioria apoiava.

    Tanto apoiava que chamou a atenção, e chamou a atenção de uma maneira que o próprio governo do período se preparou para a mudança de modelo exigida.

    E, aproveitando o exemplo, eu não acho que tenham sido os atentados que levaram a isso, acho que a própria opinião pública foi mudando.

    E esses outros casos? Há maioria? Há veiculação maciça disso? Há algo tão presente na cabeça de todos que todos podem tomar como certo o apoio da população nesses casos?

    Duvido.

  356. Pax said

    Xi, marquinho, a coisa é mais feia ainda, a estagiária demitida com a outra é sobrinha do Joaquim Barbosa.

    Sugere nepotismo de um lado e feudalismo de outro.

    Estamos ferrados e mal parados.

  357. Chesterton said

    Se todos os protestos fossem legais o mundo não mudaria de lugar nunca. Simples assim.

    chest- há leis e leis , e há limites. Em uma sociedade liberal, onde reina o estado de direito, não há motivos para protestos ilegais. Há sempre uma forma legal de protestar.

    O que precisa é saber se o protesto tem ou não fundamento, tem ou não apoio etc etc.

    chest- apoio é dispensável, mas sim tem que saber se o protesto tem fundamento…fundamento na lei.

    A partir daí as leis que se ajustam aos protestantes.

    chest- ou não, como é o caso dos países islâmicos, onde leis injustas não se ajustam nunca.

    Aliás, pegando a expressão, Henrique VIII acabou montanto uma empresa, ops, igreja, pra comer quem bem lhe viesse à cabeça.

    chest- ele sempre comeu quem quis, o que ele realmente precisava era casar. Casamento, legitimação.

  358. Michelle 2 said

    Política
    Dez anos de presidência petista, por Rogério Furquim Werneck

    Rogério Furquim Werneck, O Globo

    Na próxima semana, o PT deve comemorar em grande estilo dez anos de conquista da Presidência. Não é pouco. A festa é mais do que justa. Foi um decênio marcado por alto grau de continuidade. A junção do governo de Dilma ao de Lula foi sem costura.

    Em contraste com o slogan “continuidade sem continuísmo”, com que José Serra pretendia disfarçar seu discurso de oposição a FHC, na eleição de 2002, Dilma Rousseff deixou claríssimo, na campanha de 2010, que seu governo teria a marca da continuidade com continuísmo. Para grande orgulho do PT.

    Não poderia ter sido diferente. Desde de 2005, quando foi alçada à Casa Civil, em meio ao descabeçamento do partido que se seguiu ao mensalão, Dilma Rousseff atrelou seu destino ao presidente Lula.

    Assumiu a administração do Planalto, transformou-se na figura forte do governo e, sem experiência eleitoral prévia, foi ungida candidata do PT. E, para assombro dos que duvidavam dos superpoderes de Lula, acabou eleita presidente da República.

    Um alto grau de continuidade entre dois governos tem muitas vantagens. Mas, aos poucos, o Planalto vem se dando conta de que também tem suas desvantagens. Quando as coisas dão errado, o governo se vê sem espaço para atribuir parte dos erros à administração anterior. Não faltam bons exemplos. Alguns óbvios. Outros, nem tanto.

    A presidente Dilma Rousseff tem plena consciência de que um quadro sério de falta de energia elétrica lhe seria fatal, tendo em vista o papel central que vem desempenhando, há exatos dez anos, nas intervenções do governo no setor. Não teria com quem partilhar os custos de uma falha grave nessa área.

    A interminável sequência de más notícias sobre a Petrobras também merece atenção. Em face do enorme desgaste político, o governo tem tentado conter os danos, dando discreto alento à narrativa favorável que se vê em parte da mídia.

    Os problemas da empresa vinham do governo anterior. E, só no ano passado, puderam ser detectados e enfrentados pelo atual governo, com a nomeação da nova presidente da Petrobras.

    É até uma boa história. Mas incompleta. O que ainda falta explicar é que, durante sete dos oito anos do governo Lula, a presidente Dilma Rousseff ocupou nada menos que a presidência do Conselho de Administração da Petrobras. E não se pode dizer que era função puramente figurativa. Afinal, se tratava da maior sociedade anônima do País.

    É mais do que sabido que a presidente se dedicou à função com seu empenho habitual. E, tendo chegado à presidência do Conselho como ministra de Minas e Energia, fez questão de manter a posição quando passou a responder pela Casa Civil.

    É preciso também ter em mente que boa parte das dificuldades que vêm sendo enfrentadas pela Petrobras decorre da sobrecarga que foi imposta à empresa pelas impensadas regras de exploração do pré-sal. Todas elas concebidas no governo passado, sob a estrita tutela de Dilma Rousseff.

    Outra narrativa conveniente, e também incompleta, é a que vem pautando a racionalização do emperramento do investimento público. A alegação é que, surpreendida com as irregularidades detectadas nos programas de investimento de certas áreas, como o Ministério dos Transportes, a presidente se viu obrigada a fazer uma “faxina”.

    E levou muito tempo para conseguir remontar toda a estrutura burocrática requerida para fazer o investimento acontecer. O que falta explicar é como irregularidades desse vulto escaparam por tantos anos, no governo Lula, à eficiência com que Dilma Rousseff teria gerido os programas de investimento público que compunham o PAC.

    Na condução da política econômica, o continuísmo assumiu um contorno especialmente problemático. Havia até boas coisas a preservar. Mas o que o atual governo decidiu manter, ao conservar intacta a equipe do eixo Fazenda-BNDES, foi o vale-tudo da última fase do período Lula, que contava com o apoio entusiástico da candidata Dilma Rousseff.

    A presidente está colhendo o que plantou. Não pode se queixar da perda de credibilidade da política econômica que hoje se vê.

    Rogério Furquim Werneck é economista e professor da PUC-Rio

  359. Jose Mario HRP said

    Pax, passo aqui a voces texto do “Conversa Afiada” sobre o FUX.
    Me parece ainda mais vergonhoso que o caso da sobrinha do JB!
    “Tamos fundidos e mal parados”!

    JUDICIÁRIO SEM FREIO – ALÉM DO EMBATE COM A CÂMARA, MINISTROS DO STF LUTAM, E PRESSIONAM PELA INCLUSÃO DOS FILHOS NA LISTA DE CANDIDATOS A DESEMBARGADORES
    O esforço do Supremo Tribunal Federal para impor à Câmara dos Deputados a decisão final sobre a cassação dos parlamentares condenados na Ação 470, o chamado “mensalão petista”, é a causa mais aguda e temerária, daquilo que os acadêmicos costumam chamar de “judicialização da política”.

    Se essa questão gerou uma crise institucional entre o Judiciário e o Legislativo, contida e ainda não resolvida, ela promove também um avanço da intromissão pessoal dos magistrados em causas menores em outras instituições, em iniciativas controvertidas, para dizer o mínimo, como a que é patrocinada agora por Luis Fux.

    O peso da toga de ministro do STF causou grande constrangimento na Ordem dos Advogados do Brasil, seccional do Rio de Janeiro, para onde ele telefonou e falou com os atuais e com os ex-dirigentes da entidade. Pediu a inclusão do nome da filha dele, Marianna, uma jovem advogada de 31 anos, na lista a ser feita pela OAB para preencher vaga de desembargador, no Tribunal de Justiça do estado, pelo Quinto Constitucional da advocacia.

    A vaga será aberta em julho. O ministro, no entanto, trabalha desde já. Parece repetir, em nome da filha, o padrão usado em benefício próprio quando buscou a vaga no STF: a conquista a qualquer preço.

    (…)

    Iniciativas em causa própria, como faz Fux, causa espanto e mancha a toga. E, mais grave, denunciam uma prática utilizada nos tribunais corriqueiramente.

  360. Pax said

    Tem que procurar quem foi que colocou o cara lá e cobrar dele o motivo de indicar um nome assim.

    É o que dá tomar decisões na região entre o joelho e a virilha, assim está o caminho das instituições. Basta ver agora Renan aplaudido e alçado a presidente do Senado.

    Este caminho tem um fim que não parece muito bom.

    Acabam colocando gente como Rosemary Nóvoa Noronha em condições de indicar diretorias “colhetoras” nas Agências Regulatórias e coisas do gênero.

    Quando a gente se depara com problemões como esses, me parece interessante procurar as causas.

  361. Chesterton said

    Que história…

    Quem foi o primeiro escravo legal nos EUA? John Casor.

    Quem era seu proprietário? Anthony Johnson.

    Mas quem era Anthony Johnson? Era um angolano, negro, proprietário de escravos.

    http://en.wikipedia.org/wiki/John_Casor

  362. Chesterton said

    ESCÂNDALO, BAIXARIA, ILEGALIDADE – Embaixador cubano no Brasil promove conspirata com petistas para difamar dissidente e confessa que agentes do regime atuam ilegalmente por aqui; assessor de Gilberto Carvalho vai a reunião e depois viaja a Cuba para seminário sobre “ciberguerra”. Eis a casa da mãe Dilmona

    Vejam este rapaz com arzinho nerd e aparência meio suarenta?

    Ele se diz “cientista político” e técnico em telecomunicações. Segundo afirma a respeito de si mesmo, tem 35 anos e gosta de “problematizar as transformações sociais no contexto das novas tecnologias”. Huuummm… Em português, isso quer dizer que ele curte mexer com a Internet. E como! É assessor do ministro-chefe da Casa Civil, Gilberto Carvalho. E se meteu numa nojeira, que faz sentido. Já chego lá.

    Escrevi ontem um post sobre a viagem que a presidente Dilma Rousseff vai fazer à Guiné Equatorial e a fala estúpida de certa senhora do Itamaraty, uma tal Edileuza, que desqualificou qualquer questionamento que se possa fazer sobre a permanente agressão aos direitos humanos praticada naquele país. Tratei, então, da intimidade dos petistas com ditaduras, citando especificamente o caso de Cuba. Pois é… Reportagem publicada na VEJA desta semana traz informações espantosas. Deveria render, nesta ordem, a) a demissão do ministro Gilberto Carvalho (não vai acontecer); b) a demissão de um assessor de Carvalho (não vai acontecer); c) a convocação, por Dilma, do embaixador cubano no Brasil para prestar esclarecimentos (não vai acontecer); d) a reunião imediata da Comissão de Relações Exteriores do Senado para exigir providências do Itamaraty e para ouvir a Polícia Federal e a Abin sobre a atuação ilegal de espiões cubanos no Brasil (não vai acontecer também). Transcrevo, em azul, o primeiro parágrafo da reportagem de VEJA. Volto em seguida:

    A blogueira Yoani Sánchez desembarca no Brasil nesta semana para divulgar o livro De Cuba, com Carinho, uma coletânea de seus textos sobre o triste cotidiano do povo cubano sob a ditadura dos irmãos Fidel e Raúl Castro. O trabalho rendeu à dissidente uma perseguição implacável. Ela foi sequestrada, torturada e, durante anos, impedida de deixar o país. É rotulada de mercenária pelos comunistas da ilha e acusada de trair os princípios revolucionários. O que Yoani não sabe é que, apesar da distância que separa o Brasil de Cuba — 5 000 quilômetros —, ela não estará livre dos olhos e muito menos dos tentáculos do regime autoritário. Para os sete dias em que permanecerá no Brasil, o governo cubano escalou um grupo de agentes para vigiá-la e recrutou outro com a missão de desqualificá-la a partir de um patético dossiê. Uma conspirata oficial em território estrangeiro contra quem quer que seja é uma monumental afronta à soberania de qualquer nação. Esse caso, porém, envolve uma inquietante parceria. O plano para espionar e constranger Yoani Sánchez foi elaborado pelo governo cubano, mas será executado com o conhecimento e o apoio do PT, de militantes do partido e de pelo menos um funcionário da Presidência da República.

    Voltei
    No dia 6 de fevereiro, o embaixador de Cuba no Brasil, Carlos Zamora Rodríguez, reuniu um grupo de militantes do PT e do PC do B na embaixada do seu país, em Brasília, para passar um dossiê — e como os petistas gostam disso, não é? — desqualificando Yoani Sánches, acusada de ser “uma mercenária, financiada pelo governo dos Estados Unidos para trabalhar contra a Revolução Cubana, contra o povo, contra os trabalhadores”. Cada um dos convidados recebeu um disquete contendo o material e uma recomendação: o dossiê tinha de circular na Internet, mas sem divulgar a origem das informações. Um deles, dessas almas caridosas, até sugeriu que os “movimentos sociais” fizessem um abaixo-assinado contra a presença da dissidente cubana no Brasil. O embaixador achou que isso levaria muito tempo. Alguns dos presentes consideraram que era sujeira além do aceitável mesmo para os elásticos padrões morais das esquerdas e caíram fora.

    No encontro, Rodríguez passou outra informação estupefaciente: segundo ele, agentes cubanos acompanharão cada passo de Yoani no Brasil, vinte e quatro horas por dia. Atenção! Tudo isso constitui uma afronta à soberania brasileira. Representantes diplomáticos não participam de conspiratas políticas em solo estrangeiro, digam elas respeito ou não a seu país de origem. E o que dizer, então, sobre a ação dos espiões?
    NOTA – Essa reunião aconteceu no dia 6. Um dia antes, o embaixador da Venezuela no Brasil, Maxililien Sánchez, havia participado de um ato promovido por José Dirceu contra o Poder Judiciário brasileiro e as oposições. O Brasil virou a casa da mãe Dilmona!

    Agora o meio suarento
    O escândalo poderia parar por aqui. Mas a coisa é muito mais grave. E voltamos lá ao suarento que gosta “de problematizar transformações”. Trata-se de Ricardo Augusto Poppi Martins, militante do PT e assessor direto de Gilberto Carvalho, secretário-geral da Presidência. É o coordenador-geral de “Novas Mídias e Outras Linguagens de Participação”. A função de Carvalho no governo é “dialogar com os movimentos sociais”, razão por que a página da pasta na Internet lembra uma federação de ONGs. Os nomes, telefones e e-mails de todos os seus coordenadores estão disponíveis. Se você quiser falar com o Ricardo, o telefone é (61) 3411 5897, e seu e-mail, ricardo.martins@presidencia.gov.br. Talvez ele forneça mais detalhes do encontro. Ouviu os planos de conspiração do embaixador, a confissão da ação ilegal de agentes cubanos no Brasil e saiu de lá levando um CD. E tudo durante o expediente.

    Mas não adianta tentar falar com o “problematizador” antes de segunda. Sabem onde ele está? Em Cuba! Viajou no dia 7 para participar de um encontro na ilha sobre “ciberguerra” e “novas formas de comunicação de rede e batalhas políticas”. Informa a VEJA que, na semana passada, o manifesto produzido pelo tal encontro já estava na rede. Reproduzo mais um trecho da reportagem (em azul):
    Entre as resoluções finais aprovadas, constam “o apoio às reivindicações de Cuba contra as restrições para acessar serviços de computador e internet, junto a autoridades e empresas nos Estados Unidos”, e “a solidariedade de todos com a Revolução Bolivariana e o presidente Hugo Chávez, diante dcampanhas de mídia e da ação desestabilizadora dos inimigos do processo revolucionário na Venezuela”. Poppi, portanto, foi a Cuba em missão oficial, com as despesas pagas pelo contribuinte, para, segundo a pauta disponibilizada pelos próprios organizadores do evento, apoiar ditaduras e aprender a usar a internet para destruir reputações de quem não pensa como ele, exatamente como planejam fazer com a blogueira Yoani Sánchez.

    Yoani toma cerveja e come bananas!
    O dossiê contra Yoani traz algumas fotos para provar que ela vive uma vida nababesca e evidenciar seus hábitos burgueses, certamente financiados pelos “inimigos da revolução”. Numa delas, ela aparece com amigos tomando cerveja. Em outra, comprando um artigo de luxo chamado “banana”. É isto: no regime liderado pelos assassinos Fidel e Raúl Castro, tomar cerveja e comer banana podem ser privilégios inaceitáveis.

    Leiam a íntegra da reportagem. Não é a primeira vez que os petistas aparecem enrolados com o regime cubano. Já houve o caso dos dólares para a campanha de Lula em 2002, que teriam chegado em caixas de rum. Em 2007, o então ministro da Justiça, Tarso Genro — aquele que manobrou para que o terrorista Cesare Battisti ficasse no Brasil — devolveu a Fidel Castro os boxeadores Guillermo Rigondeaux e Erislandy Lara, que haviam fugido do regime, desertando durante os Jogos Pan-Americanos.

    Carlos Zamora Rodríguez, embaixador de Cuba: ele confessou que agentes cubanos atuam ilegalmente no Brasil. E a capa de VEJA sobre os dólares cubanos para Lula
    Vemos que eles não têm limites e podem ir sempre mais longe. A campanha que o embaixador cubano arquitetou contra Yoani segue o padrão, não custa lembrar, empregado por aqui pela rede de blogs sujos financiada por estatais. Estamos falando com especialistas em destruir a reputação alheia. Ou alguém vai a um seminário, promovido por uma ditadura, sobre “ciberguerra” e “novas formas de comunicação de rede e batalhas políticas” com bons propósitos?

    Com a palavra, a presidente da República.
    Com a palavra, o Ministério da Justiça.
    Com a palavra, o Senado Federal.
    Com a palavra, a Polícia Federal.
    Com a palavra, a Abin.
    Com a palavra, o Ministério Público Federal.
    Com a palavra, os líderes das oposições.

    Por Reinaldo Azevedo

  363. Chesterton said

    A Polícia Federal acaba de prender sete cubanos, vindos da Venezuela, no Aeroporto Internacional de Guarulhos, em São Paulo. A PF acredita que eles sejam do serviço de inteligência dos irmãos Castro. Os detidos fariam escala para Recife. Acredita-se que iriam bisbilhotar a chegada da blogueira Yoane Sánches, autora do blog Generation Y, que faz críticas ao regime de Fidel e Raul, que visitará o Brasil.

    O Itamaraty já foi acionado pela Embaixada de Cuba – que pede a liberação imediata de seus “compatriotas” que traziam equipamentos de comunicação e espionagem na bagagem. A Polícia Federal não deseja liberá-los antes de ter certeza sobre o que realmente eles vieram fazer no Brasil. De antemão, os sete espiões comunistas vindos de Caracas já estão reprovados no teste para “James Bond”.

    A arte da mentira não é privilégio dos comunistas, mas eles fazem grande uso dela. Especialistas em edição fotográfica advertem, nas redes sociais, que tem todo indício de ser falsa a foto divulgada ontem pelo governo Venezuelano, na qual o moribundo Hugo Chávez, sorrindo, aparece ao lado das filhas Maria Gabriela e Rosa Virgínia, segurando o jornal cubano Gramma de 14 de fevereiro (quinta-feira).

    Os manipuladores de imagens ainda tiveram um dia para fabricar sua montagem fotográfica. O assunto virou gozação na internet – principalmente no Twitter e Facebook. Foi a primeira vez que se mostrou alguma imagem de Chávez, em 68 dias de interminável tratamento contra um violento câncer, em Havana.

    A imagem é uma grosseira contradição com tudo que o próprio governo da Venezuela vem “informando” nos últimos dias. Na versão oficial, Chávez estaria com dificuldades para falar por causa de um tubo na traquéia. Curiosamente, tal cânula não aparece na foto. Será que o Doutor Photoshop a retirou, providencialmente, na edição-montagem, para a foto ficar mais bonitinha?

    Mesmo sem supostamente falar, segundo dirigentes bolivarianos, Chávez continua no comando do governo e se comunicando com sua equipe. Ainda de acordo com a versão dos chavistas, o líder venezuelano está mais vivo que nunca, agora lutando contra uma infecção respiratória. Para reforçar o suposto triunfo do mítico personagem contra a doença, um ministro dele assegura que Chávez está “consciente e em completa integridade de suas funções intelectuais”.

    Conclusão: a mentira oficial é tão ou mais grave quanto um tumor maligno. Como bem escreve meu amigo Arlindo Montenegro, no artigo abaixo, “somente a verdade, semeada incansavelmente, poderá romper as cadeias que escravizam a humanidade”. Talvez, algum dia, os comunistas e afins aprendam que não é mentindo que se faz política de verdade.

    serrão

  364. Chesterton said

    Cristina Kirchner governa de acordo com suas necessidades mais imediatas e adota medidas “da mão para a boca”, com desprezo para as graves consequências para o povo argentino e a credibilidade do país. O piloto, nesses voos rasantes e temerários, é o secretário de Comércio Interior, Guillermo Moreno.
    Não é de hoje que a inflação tornou-se um problema para a Casa Rosada. Moreno, então, interveio no Indec (responsável pelos índices), que passou a produzir taxas fajutos de 10% ao ano. A inflação real, hoje de 25% e em alta, continuou sendo calculada por consultorias privadas, até que elas foram ameaçadas de processo penal pelo governo. Com isto, passaram ao Congresso a tarefa de divulgar os números. O país passou a ter dois índices — o oficial, que ninguém leva a sério, e o do Congresso. Como resultado, a Argentina já foi formalmente advertida pelo FMI e corre o risco até de ser afastada do Fundo.
    Quando a manipulação dos índices se tornou insuficiente, o governo recorreu a Moreno para congelar os preços, a princípio até 1º de abril. As consequências não tardaram: começaram a faltar produtos nas prateleiras da Grande Buenos Aires. O desabastecimento é um subproduto inevitável do congelamento. Outro é o surgimento do “mercado negro”, no qual as mercadorias reaparecem, mas com preço mais alto. Ao governo K o que interessa é poder trombetear uma queda da inflação, mesmo que o anúncio careça de credibilidade. E também, com isso, conter as demandas por aumento salarial. Os sindicatos querem reajustes na faixa dos 30%, mas a Casa Rosada não quer ir além dos 20%.
    A farsa do congelamento ensejou um novo capítulo da guerra dos governos K contra a imprensa independente, nomeadamente os grupos Clarín e La Nación. Moreno proibiu supermercados e cadeias de varejo de publicar suplementos com ofertas de produtos nas edições dominicais dos jornais, acabando com uma de suas principais fontes de receita.
    A Argentina segue na rota do isolamento. Uma das maneiras é afrontar os EUA, à maneira chavista. Assim, a Casa Rosada produziu um acordo com o Irã para, supostamente, relançar as investigações sobre o atentado contra a associação judaica Amia, realizado em 1994, em Buenos Aires, com 85 mortos e 300 feridos. A Justiça argentina pede a extradição de oito iranianos envolvidos na ação, entre eles altos funcionários do atual governo de Teerã. Com o inédito acordo, a ser ainda votado pelo Congresso, Buenos Aires solicita a cooperação do criminoso, o Irã, para deslindar o que já sabe. A Casa Rosada é acusada de se render ao Irã ,e a comunidade judaica está possessa. Com razão, tudo indica.
    Mas Cristina não quer ficar para trás em relação à Venezuela e, em menor grau, ao Brasil, na parceria com os aiatolás da bomba nuclear. Doa a quem doer. No caso, dói nos próprios argentinos.

    blog do Tambosi

  365. Chesterton said

    BRASÍLIA – O novo partido político a ser lançado hoje pela ex-senadora Marina Silva não deseja receber doações eleitorais de empresas “sujas”. Estão excluídos fabricantes de bebidas alcoólicas, cigarros, armas e agrotóxicos.

    A ideia é oferecer aos eleitores uma opção mais pura na corrida presidencial de 2014. Além de representar “um novo mundo possível”, Marina também rejeitará um certo tipo de dinheiro.

    O marketing é bom, mas a pureza oferecida está pela metade.

    Empreiteiras, por exemplo, ficaram fora do “índex marinista”. Em 2010, a Andrade Gutierrez doou R$ 1,1 milhão para a campanha presidencial de Marina. A Camargo Corrêa entrou com mais R$ 1 milhão.

    A Andrade Gutierrez é responsável pela construção da usina nuclear Angra 3. Conclui-se, portanto, que a nova legenda aceita de bom grado dinheiro relacionado à energia nuclear –para não citar outras encrencas relacionadas a empreiteiras.

    Outro exemplo é a Suzano Papel e Celulose. A empresa é muito criticada por alguns ambientalistas que a acusam de ser uma poluidora de rios. Em 2010, deu R$ 532 mil para Marina. Poderá repetir a dose em 2014.

    Há mais casos. Não caberiam todos aqui. A rigor, o dinheiro de todas as grandes empresas do país será sempre incompatível com o purismo pretendido por Marina e sua nova legenda.

    Essa inconsistência na fórmula de recebimento de doações não significa risco certo de fracasso para o projeto de eleger Marina presidente no ano que vem. Apenas expõe uma entre muitas fragilidades na ainda incipiente candidatura.

    Para ter sucesso em 2014, Marina precisa acumular forças e vitaminar seu projeto político. Não é obrigada a ganhar o Planalto. Basta receber mais votos do que em 2010. O problema é que, quando se olha o cenário atual, essa parece ser uma missão difícil para a ex-senadora.

    Fernando Rodrigues, FSP.

  366. Michelle 2 said

    NÃO EM MEU NOME, por Fernando Gabeira

    Mais de 1 milhão de pessoas assinaram um manifesto contra Renan Calheiros na presidência do Congresso Nacional. Movimentos como esse têm grande valor simbólico. Equivalem às manifestações modernas em que se protesta contra algo vergonhoso ou sanguinário com cartazes que dizem: “Não em meu nome”.

    São bons para mostrar que o País não é homogêneo e que alguns governantes tomam atitudes francamente rejeitadas por milhares de seus conterrâneos.

    Em termos internacionais, isso é a notícia. Calheiros passaria em branco se fosse apenas Calheiros com seu rebanho, notas frias, bela amante e um lobista de empreiteira para pagar suas contas. Mas é um presidente do Congresso rejeitado por milhões.

    Uso o plural porque o manifesto tem pouco mais de uma semana de vida e muitos que rejeitam a presença dele ainda desconhecem sua existência ou ainda hesitam em manifestar sua rejeição.

    O manifesto vai encontrar um poderoso muro de cinismo, com materiais impenetráveis, entre eles a crença da esquerda de que os meios justificam os fins. Essa camada é difícil de atravessar porque se mescla com uma vitimização geral.

    Na Venezuela, Hugo Chávez tenta convencer as pessoas de que o capitalismo e o imperialismo são uma boa razão histórica para que um ato nobre não coincida com sua legalidade.

    continue a ler
    http://www.estadao.com.br/noticias/impresso,nao-em-meu-nome,997222,0.htm

  367. Otto said

    Triste o destino histórico do Gabeira:

    de guerrilheiro a maconheiro, de maconheiro a muso da Michelle…

  368. Pax said

    Reforma política na porrada? Será que funciona.

    http://colunaesplanada.blogosfera.uol.com.br/2013/02/16/idealizadores-da-ficha-limpa-esbocam-projeto-de-reforma-politica/

    Não custa tentar. Esperar desses governos e desse congresso aí é que não sai nada.

  369. Michelle 2 said

    Ei, Otto pode me emprestar seu Senso do Ridículo?
    Não? Por que?
    Ah, você perdeu? Faz tempo? Nem lembra quando tinha?
    Tá bom, deixa para lá.
    Fica pra próxima.

  370. Michelle 2 said

    ‘O fim da miséria?’, por J. R. Guzzo

    J. R. Guzzo, Revista Exame

    O governo divulgou no início de fevereiro vitórias importantes contra a miséria e prometeu que a partir do mês que vem não existirá mais pobreza extrema no Brasil. Isso quer dizer que não haverá ninguém, já agora em março, com renda inferior a 70 reais por mês em todo o território nacional.

    Segundo os critérios oficiais em vigor, geralmente avalizados por organismos internacionais, essa quantia é a marca que define quem é quem na escala social brasileira. O cidadão que tem uma renda mensal de 70 reais, ou menos, é um miserável oficial; quem consegue passar esse limite já não é mais.

    “Tiramos, entre 2011 e 2012, mais de 19,5 milhões de pessoas da pobreza extrema”, afirmou a presidente Dilma Rousseff. “Até o mês de março vamos zerar o cadastro”.

    Segundo o governo, há no momento 600.000 famílias nesse registro; não haverá mais ninguém dentro de um mês, salvo um número incerto de cidadãos que estão na miséria, mas não no cadastro.

    Esses ainda terão de ser encontrados para receber do Tesouro Nacional, a cada mês, os reais que vão salvá-los.

    Pode haver erros nessas contas, é claro, mas não se trata de números argentinos: basicamente, retratam a realidade aproximada da fossa social brasileira.

    A dimensão numérica, portanto, está certa. O problema é que ela também está errada ─ pois leva o governo a concluir que a miséria está acabando no Brasil, quando é mais do que óbvio que ela continua existindo, e existindo à toda.

    A primeira dificuldade com a postura oficial está na pessoa verbal utilizada pela presidente. “Tiramos” da miséria, disse ela ─ uma apropriação indébita da realidade, pois quem tirou aqueles milhões de brasileiros da linha inferior aos 70 reais não foi ela nem seu governo, e sim o contribuinte brasileiro.

    Foi ele, e só ele, quem sacou o dinheiro de seu bolso, através dos impostos que paga até para comprar um palito de fósforo, e o entregou às coletorias fiscais; se não fosse assim, não haveria um único tostão a distribuir para pobre nenhum.

    Trata-se de um vício incurável nos circuitos neurológicos dos governantes brasileiros. Acreditam na existência de uma coisa que não existe: “dinheiro do governo”. É como acreditar em disco voador. A diferença é que tiram proveito de sua crença; é o que lhes permite dizer “eu fiz” tantas escolas, tantos quilômetros de estrada e por aí afora, como se o dinheiro gasto em tudo isso tivesse saído de sua própria conta no banco.

    O problema essencial, porém, está na lógica. Como nos ensina Mark Twain, que elevou o bom senso à categoria de arte em quase tudo o que escreveu, existem três tipos de mentira: a mentira, a desgraçada da mentira e as estatísticas. Esse anúncio do fim da pobreza extrema é um clássico do gênero.

    A estatística precisa, obrigatoriamente, de um número fixo para definir qualquer coisa que pretende medir, assim como um metro precisa ter 100 centímetros. No caso, o número escolhido, e aceito por organizações imparciais mundo afora, foi 70 reais ─ mas não faz absolutamente nenhum nexo afirmar que uma pessoa que ganhe 71 reais por mês, ou 100, ou 150, tenha saído da miséria.

    O resumo dessa ópera é claro. Daqui a alguns dias, não haverá mais miseráveis nas estatísticas do Brasil; só haverá miseráveis na vida real.

    Além disso, seremos provavelmente o único país do mundo em que a miséria teve uma data certa para desaparecer. O governo poderá dizer: “O Brasil acabou com a miséria no dia 15 de março de 2013, às 18 horas, ao fim do expediente na administração federal”.

    Praticamente nenhum cidadão brasileiro, ao sair todo dia de casa, leva mais do que 15 minutos para dar de cara com alguma prova física de miséria. Mas, do mês de março em diante, terá de achar que não viu nada. Se procurar alguma autoridade para relatar o fato, ouvirá o seguinte: “O senhor deve estar enganado. Não há mais nenhum miserável no Brasil”.

    É assim, no fim das contas, que funciona o sistema cerebral do governo. A realidade não é o que se vê. É o que está no cadastro.

  371. Michelle 2 said

    O “partido da Marina” a ser fundado vai se chamar REDE.
    Como não é nem de oposição e nem de situação,
    mas de posição, como foi dito.
    Eu sugiro um lema publicitário para o REDE para arregimentar doadores ecologicamente adequados:

    “nóis pega o peixe e ocêis pagam o pato”
    hehehe!

  372. Chesterton said

    Magister dixit…..

    Causa mortis
    ESCRITO POR OLAVO DE CARVALHO | 16 FEVEREIRO 2013
    ARTIGOS – CULTURA

    A tal ponto chegou a padronização esquerdista da mídia, da qual falava o meu artigo anterior, que em 2001 O Globo, segundo confessou seu chefe de redação, Luís Garcia, teve de contratar pelo menos um colunista tido como “de direita”, para não dar muito na vista. Esse colunista era eu, mas, assim que se tornou patente a minha insistência em denunciar as atividades do Foro de São Paulo – cuja simples existência o establishment iluminado negava –, fui expelido não somente daquele jornal, mas da Zero Hora, do Jornal da Tarde e da revista Época.
    Fui substituído por uma geração de direitistas soft, que se limitam a defender genericamente a economia de mercado e as liberdades democráticas, sem deixar de fazer toda sorte de concessões ao programa sociocultural da esquerda. E tanto se reduziu nesse ínterim a quota de “direitismo” admissível, que mesmo esses, hoje em dia, são rotulados de radicais, extremistas e golpistas, inclusive pela revista do sr. Carta.
    A História já comprovou mil vezes que o rebaixamento da cultura a instrumento de um esquema de poder, acompanhado da supressão das vozes discordantes, é o caminho mais curto para a imbecilização geral.
    É claro que a mídia, por si, não pode secar a criatividade das melhores inteligências. O que ela pode fazer, e fez, foi baixar o nível do debate geral para ajustá-lo a uma política que festejava o analfabetismo do sr. Lula como prova de suas “raízes populares” (uma ofensa brutal aos pobres estudiosos) e, coerentemente com o mais rasteiro populismo intelectual, entregava o Ministério da Cultura a homens incapazes de escrever três palavras sem errar duas e meia.
    Isso começou com o dogma progressista-populista (já comentado no próprio Imbecil Coletivo), de que todo es igual, nada es mejor, de que toda distinção entre o mais alto e o mais baixo é um elitismo fascista, devendo portanto ser extinta a noção mesma de cultura superior e instaurado o cambalache universal que hoje arranca lágrimas de crocodilo do sr. Mino Carta.
    Significativamente, o sr. Carta não diz uma palavra sobre a essencial causa mortis da cultura brasileira, a instrumentalização das universidades como centros de formação da militância comunista. Num ambiente de compressiva uniformização doutrinal, intoxicados de slogans, chavões e cacoetes mentais obrigatórios, protegidos de todo desafio intelectual e cientes de que o menor desvio da ortodoxia dominante pode destruir suas carreiras, milhões de jovens entendem hoje a formação universitária como subserviência canina aos mandamentos de seus orientadores, incluindo, entre as demonstrações rituais de fidelidade, as expressões histéricas de ódio às bêtes noires da mitologia professoral — eu, é claro, em primeiríssimo lugar. Que alta cultura pode sobreviver nessa atmosfera? Não foi decerto coincidência que alunos da maior universidade brasileira, tendo descido da condição de estudiosos acadêmicos para a de ativistas e militantes, tenham caído daí para a de drogados e praticantes do sex lib e em seguida para a de bandidos comuns. Qual será a próxima etapa?
    Já que o sr. Carta deplora as diferenças entre a cultura brasileira dos anos 40 ou 50 e a de hoje, por que não diz que, dessas diferenças, a maior foi a passagem de um saudável pluralismo ideológico a uma atmosfera de monopolismo partidário, rancor insano e repressão do pensamento divergente? Será possível imaginar, naquela época remota, um intelectual de boa reputação bloqueando o acesso dos seus adversários à mídia, ou baixando sobre eles uma cortina de silêncio em público ao mesmo tempo que, pelas costas, instigasse contra eles o ódio da juventude universitária? Naquele tempo, o editor José Olympio costumava reunir no fundo da sua livraria os escritores das mais variadas tendências ideológicas, para conversações que hoje seriam impossíveis. Naquele tempo, foram sobretudo os críticos de esquerda que fizeram a fama de Gilberto Freyre, o inverso de um esquerdista. Naquele tempo, o socialista Álvaro Lins abria as portas do jornalismo a Otto Maria Carpeaux, que chegava da Áustria com a fama de doutrinário-mor do regime católico-autoritário do chanceler Dolfuss. Não que inexistissem antagonismos. Existiam e eram feios. Mas ninguém fugia de lidar com eles no campo da palavra, ninguém seguia o preceito leninista de tentar destruir socialmente o adversário em vez de discutir com ele.
    Diferença por diferença, pergunto se naqueles tempos áureos algum colunista de mídia seria capaz de falar de um problema já abundantemente denunciado e analisado por outro colunista, e fazê-lo com ares de pioneirismo absoluto, sem dar o menor sinal de ter ouvido falar do antecessor. Se o sr. Carta diverge de mim, que seja homem e fale o português claro. Que pare de camuflar sua covardia por trás de uma afetação de superioridade olímpica.
    Os exemplos poderiam multiplicar-se ad infinitum. Não foi só a produção de boas obras que diminuiu. Foi muito mais a estatura moral da classe opinante, hoje mais empenhada em consolidar o poder do PT e beneficiar-se financeiramente dele do que em preservar aquele mínimo de integridade e honradez sem o qual não existe vida intelectual nenhuma.
    O sr. Carta imita enfim o mafioso que mandou matar o adversário e depois ainda foi ao enterro perguntar à viúva: “De quê morreu o seu marido, minha senhora?” A dona, não podendo dar nome aos bois, saiu-se com este maravilhoso eufemismo: “Foi de encontro a um projétil que vinha em sentido contrário.” Pois bem, sr. Carta, foi disso que morreu a cultura brasileira: foi de encontro a um bloco de imbecis presunçosos que vinham em sentido contrário.

  373. Jose Mario HRP said

    É……..mais um puro sangue!
    Quando começa assim sempre vem muito papo furado!

    http://ultimosegundo.ig.com.br/politica/2013-02-16/partido-de-marina-silva-promete-ser-uma-legenda-pura.html

  374. Pax said

    Agora o Chesterton, o infalível, resolveu ir ao líder.

    Que não podia ser mais idiotizado.

    Quer dizer que a causa mortis da cultura – se é que isso seja verdade, e não é – são os comunistas nas universidades.

    Cada coisa que lidera a cabeça do nosso infalível Chesterton.

  375. Pax said

    Kennedy Alencar ‏@KennedyAlencar
    Comentário de ontem no @jornaldacbn sobre novo partido de Marina ter potencial p assustar Dilma, Aécio e Campos.

    http://migre.me/dfWI4

  376. Pax said

    Caro HRP,

    Só agora vi essa notícia sobre o imbroglio dos portos.

    http://g1.globo.com/platb/blog-do-camarotti/2013/02/15/gleisi-diz-que-mp-dos-portos-nao-afetara-direito-dos-trabalhadores/

    Quem fala a verdade neste assunto? O que sei, por alto, é que os portos brasileiros são caros, travados e tomados por verdadeiras máfias.

    Mas acho que vc sabe mais que eu. Adoraria ouvir.

  377. Jose Mario HRP said

    Consulte a Lei dos portos, sancionada em 93 pelo Itamar Franco.
    Lá voce saberá o que são OGMOS e como estão divididas as categorias de trabalhadores ” avulsos ” portuários.
    O que a medida provisória quer é que a contratação de trabalhadores em terminais particulares(não concedidos) em terrenos particulares sejam feita fora da mão de obra dos OGMOS, que é cria de Jose Carlos Aleluia, capanga de ACM e de Gerdau.
    De 93 para cá a perda salarial desses trabalhadores foi imensa, mas garantiu-se que os trabalhadores dos terminais dentro e fora do porto organizado fossem só contratados ou usados, através dos ogmos, com salarios mais ou menos justos, a expectativa é a do aviltamento dos salarios entre outros prejuísos a esses homens que tem já uma certa idade e certamente terão que se adaptar a dificuldades economicas.
    Quanto a máfias isso é o que havia antes da lei dos portos, pois hoje os trabalhadores são obrigados a esperar pelo menos 11 horas entre uma jornada e outra de trabalho, e a escalação dos que são avulsos e não vinculados aos terminais é feita por agentes do OGMO, uma entidade sem fins lucrativos mantida pelos patrões.
    Não posso estar totalmente correto, mas é mais espoliação que vem por aí!

  378. Pax said

    As máfias que me refiro são, em especial, desses políticos envolvidos. Gilberto Miranda (ilha dos porcos), Valdemar da Costa Neto, João Carlos Aleluia (esse nem sabia) etc.

    Ouvi também de uma tal máfia dos pilotos, manobristas de navios, que parece que ganham mais de R$ 150 mil/mês. Coisa assim.

  379. Jose Mario HRP said

    Bom dessas outras máfias eu não posso falar, escrever, já os trabalhadores são a parte mais fraca e e sem mobilização serão novamente arrochados.
    Bom domingo que me vou ao almoço da mama!

  380. Chesterton said

    Quer dizer que a causa mortis da cultura – se é que isso seja verdade, e não é – são os comunistas nas universidades.

    chest- desde sempre.

  381. Chesterton said

    http://www.estadao.com.br/noticias/vidae,62-apoiam-cotas-para-alunos-negros-pobres-e-da-escola-publica-diz-ibope,997758,0.htm

  382. Elias said

    “Mais de 1 milhão de pessoas assinaram um manifesto contra Renan Calheiros na presidência do Congresso Nacional.” (Gabeira — aquele rapaz para quem o roubo feito pelos outros é roubo… Já se for feito por ele é “ilusão patrimonialista” — citado pela Michelle)

    Viu, Pax?

    É disso que eu falo: a sociedade se mobilizando pra botar ordem na Casa-da-Mãe-Joana!

    Se, a cada bandalheira assim ou assada, a sociedade se movimentar e, sobretudo, se, na hora de votar, a sociedade começar a apresentar o cartão vermelho pra gentalha, o país vai começar a se moralizar.

    Não por causa de tal ou qual partido, ou de tal ou qual poder, mas por causa e obra e graça da sociedade.

    Honestidade não é monopólio de nenhuma posição política. Em todo o mundo, o que não falta é gente honesta de direita, de esquerda, de centro…

    A meu pensar, a corrupção, infelizmente, ainda não está na agenda do cidadão (este parece achar que tem coisa mais urgente).

    De qualquer modo,começam a pintar alguns sinais animadores: ficha limpa, manifestos como esse anti-Renan, etc.

    Falar no Renan, interessante a trajetória dele: começou como um baluarte contra a corrupção…

    Olha só no que esse cara se transformou…

    Deprimente…

    Se eu tivesse alguma influência no manifesto anti-Renan, eu recomendaria ao pessoal não perder tempo com o varejo, e partir pro atacado…

    Não há pior desperdício de esforço, que aquele desperdiçado tentando consertar o que não tem conserto…

    O negócio é partir prum manifesto exigindo a extinção do Senado… Que, além de não ter conserto, ainda é desnecessário.

  383. Elias said

    “Ouvi também de uma tal máfia dos pilotos, manobristas de navios, que parece que ganham mais de R$ 150 mil/mês.” (Pax)

    Não serão os “práticos”, Pax?

  384. Pax said

    Aqueles que sobem a bordo pra colocar o navio no porto. Acho que é prático, piloto, sei lá.

  385. Pax said

    Caro Elias,

    Você diz que a corrupção não está na agenda do cidadão.

    Sei não, acho que já não é bem assim. Como você mesmo disse, há sinais, Ficha Limpa, manifesto anti-Renan. Só que há mais que isso. Há, também, sem fazer juízo de valor (se bem ou mal julgado, se com provas ou sem provas, se isso ou aquilo), esse ojeriza que começa a acontecer contra o PT que virou o partido da corrupção da vez.

    Se somar o julgamento do mensalão com essa história da Rosemary colocando seus bebês protegida por sua relação com Lula, as pataquadas do Vaccarezza protegendo o Cabral no enterro político do Odair Cunha, aliança com Maluf em São Paulo etc etc… vai somando tudo, deu no que deu, o PT, para boa parte da sociedade, chafurdou. É uma pena, mas foi opção do partido.

    Zé Dirceu, infelizmente, à frente de tudo, falando pelas tripas, chamando a sociedade para ficar do lado dos mensaleiros, as bolas foras do Rui Falcão e por aí afora.

    Como disse, uma pena. Principalmente para Dilma e sua campanha de 2014 onde teremos a velha e boa campanha do “meu mensalão é mais honesto que o teu, meu corrupto é melhor que o teu” etc.

    Daí que abrem-se as portas para Eduardo Campos, Marina Silva e, quem sabe, algum outro candidato que a mídia queira escolher.

  386. Chesterton said

    Nota da coluna de Ilimar Franco no Globo de hoje:

    O ex-presidente Lula está preocupado com os efeitos da economia no governo Dilma. Lula tem dito a amigos, nas viagens que tem feito pelo Brasil e exterior, que a combinação de notícias negativas pode afetar a popularidade de Dilma e comprometer o projeto político do PT. Nos últimos dias, citou o repique da inflação, os problemas no setor elétrico e as dificuldades da Petrobras.

    * * *

    Curioso é Lula achar que não tem nada a ver com esses problemas. É um cara-de-pau mesmo.

    Detonado por Felipe Flexa

  387. Jose Mario HRP said

    Sobre a praticagem , por ser de santos e ter parentes práticos , no passado, vou coletar o máximo de informação sobre a categoria e depois trazer ao blog.
    Mas creiam, as lendas sobre riqueza e festins de opulencia, são lendas mesmo.
    E Máfias não tem a Marinha na sua defesa.

  388. Jose Mario HRP said

    Alvaro Dias Bom Cabelo continua sua tarefa de mentir, inventar e denegrir os outros sem provas, usando de sua blindagem de senador.
    Alardeia o lidimo senador, que não declarou uma grande fortuna a Receita Federal, que membros da nossa diplomacia e até funcionários próximos a Dilma , teriam participado de reunião na embaixada de Cuba, com propósito de criar dossies, que enlameariam a dignidade da “famosa” dissidente cubana em visita ao Brasil.
    Provas?
    Nenhuma, só boatos vindos de terceiros!
    Mas a mídia publica e republica!
    E o senador sonegador continua sua árdua tarefa.

  389. Elias said

    Pax,

    Sejamos sensatos:

    1 – A “ojeriza que começa a acontecer contra o PT” é mais um desejo da direita que uma constatação. As pessoas com um mínimo de bom senso, sabem que os críticos da delinquência petista são tão ou mais delinquentes que os delinquentes que eles criticam. E quem não tem bom senso, não está nem aí pra isso…

    2 – Eleger Marina ou Eduardo Campos não seria avanço político. Seria retrocesso. Se Marina fosse eleita, o seria em cima de que proposta? De proposta nenhuma, Pax. Tu, que gostas dela e a admiras, não conseguirias falar, por cinco minutos, sobre as propostas de Marina. Pra me rebater agora, terás que fazer pesquisas na Internet, porque mal sabes quem é Marina, o que ela pensa e o que ela propõe, concretamente.

    Se Marina fosse eleita, o seria em cima de coisas genéricas, tais como o combate à corrupção e a um engajamento ambiental que ninguém sabe no que consiste (a atuação dela no Ministério do Meio Ambiente foi menos que apagada…). Seriam coisas difusas, assim como o Jânio Quadros em sua vassoura e Collor, o caçador de marajás.

    Mesmo o tal combate à corrupção, seria proposto por ela como o produto de um voluntarismo. Dificilmente ela abordaria as causas estruturais da corrupção, porque isto implicaria uma discussão sobre a estrutura do Estado, a participação do Estado no domínio econômico, etc. E Marina jamais debateu isso com o eleitor brasileiro, ninguém sabe o que ela pensa a esse respeito e, muito menos, se ela tem alguma proposta pra isso.

    Ela vai ficar na superfície, abordando demagogicamente o problema, como se ele pudesse ser enfrentado pelo voluntarismo de um super-poderoso qualquer…

    Em resumo: seria uma proposta aventureira, agitada por um “partido político” de ocasião, formado exclusivamente pra dar aparência de legalidade a essa proposta aventureira. Exatamente como fizeram o Jânio, o Collor…

    Eleger aventureiros, Pax, nunca foi indício de maturidade política.

    Esse tipo de espertalhão (no qual, infelizmente, Marina se transformou), sempre aparece nas sociedades politicamente imaturas, especulando com a insatisfação e a impaciência dos ingênuos.

    Sempre que eu falo isso, algumas pessoas logo me vêm com aquela frase feita, de que “a história só se repete como farsa…”.

    E daí? Estou dizendo que se repete. E se repetir como farsa é só um agravante… Luís Bonaparte não teve o seu “18 de brumário”? Não foi uma repetição? Foi uma farsa, certo, mas isso não quer dizer que a história não se repita…

    Collor repetiu Jânio, e se elegeu. Foi uma farsa, mas se elegeu.

    Marina pode repetir Jânio e Collor, e se eleger. Duvido que isso ocorra, mas… É possível.

    Se isso acontecer, não será porque o eleitor brasileiro ficou mais maduro. Será o inverso.

    Acontece que todos os indícios apontam para um eleitor mais maduro e cauteloso. E isso conflita frontalmente com as pretensões de Marina, cujo sucesso depende da existência majoritária de um eleitor ingênuo e facilmente manipulável.

    CONCLUSÃO: a meu pensar, Marina está fazendo uma leitura equivocada das estrelas…

  390. Jose Mario said

    Pois é pois é!
    Vejam só a frase de nosso colega!

    ” Eleger Marina ou Eduardo Campos não seria avanço político. Seria retrocesso. Se Marina fosse eleita, o seria em cima de que proposta? De proposta nenhuma, Pax.”

    É isso aí, não há propostas, nem promessas, nem objetivos!
    Moralidade constrói um país!
    Então ponham os centros espíritas para comandar o país ou as freiras!

  391. Pax said

    Caro Elias,

    Vou te responder nos dois itens.

    Você diz:

    1 – A “ojeriza que começa a acontecer contra o PT” é mais um desejo da direita que uma constatação. As pessoas com um mínimo de bom senso, sabem que os críticos da delinquência petista são tão ou mais delinquentes que os delinquentes que eles criticam. E quem não tem bom senso, não está nem aí pra isso…

    Discordo frontalmente. Desejo da direita? Eu nunca fui de direita, nunca serei. E tenho confessado minha ojeriza. Caramba. Que pensamento mais limitado caro Elias.

    Eu não gosto do que o PT se transformou. Gostava, votei, torci – e ainda torço – e me permito reclamar frontalmente. Podemos começar pelas adoções dos mesmíssimos modelos dos seus anteriores, nenhum esforço de mudança na forma de atuação, é uma enorme balela dizer que o PT apresentou propostas de reformas políticas e eleitorais e sabemos disso, não fez esforço algum para levar qualquer proposta adiante. Fez alguma coisa pra inglês ver e a dar voz para a militância repetir que fez, mas na verdade fez porcaria nenhuma. Já lá se vão 10 anos e nada.

    Logo adiante passo pelo comportamento dos próprios petistas, da cúpula, que já faz um tempo só dá bola fora no meu entender. É Zé Dirceu, como disse acima, querendo convocar a sociedade para defesa dos mensaleiros, uma enxurrada de nomeações a partir do partido que só fizeram envergonhar o projeto e tudo mais. É muito além de reclamar das alianças e das entregas de fatias e mais fatias do governo – volta à não mudança do modelo, é no próprio partido, o comportamento da cumpanheirada. Na verdade tudo começou quando Lula arrumou aquela boquinha pro filhote, uma vergonha danada. A partir daí o tom do jogo foi dado pra galera e a enorme parcela que não tem qualquer moral assumiu que o governo era lugar de se locupletar. Foi uma tristeza.

    Apresentaram resultados? Sim, claro que apresentaram. Nunca neguei que o foco no social deu resultado. Sempre elogiei o que tem que ser elogiado. E não posso criticar o que tem que ser criticado? O quê é isso?

    No fundo no fundo quem sempre teve razão foi o Carlito Maia que dizia e cumpriu: sou petista até o PT se tornar poder, daí eu pulo fora porque vai apodrecer (algo assim).

    Não venha com essa de que quem hoje reclama do PT é de direita. Não é. E não venha com essa que é gente influenciada pela mídia. Não é. Das minhas relações que vão de peões, funcionários públicos, executivos, artistas, empresários etc, tem uma galera bastante inteligente, privilégio meu, que está na mesmíssima situação que eu.

    Que situação é essa?

    A gente não aceita a direita, nega qualquer apoio o Serra, o Alckmin, o DEM, o PPS, desconfia profundamente do Aécio, acha esses ainda piores, mas não aceita mais o rumo do PT. Estamos sem partido que nos represente. A verdade é essa. E estamos com enorme vontade de mudar o status quo. Desde tirar o Renan do Senado, acabar com o Senado, aplaudir a prisão dos mensaleiros, exigir o julgamento e prisão dos mensaleiros tucanos, defender o meio ambiente, os povos indígenas, torcer para que o governo se modernize em sua visão para a matriz energética futura etc etc etc e acima de tudo, colocar todas as fichas em Educação.

    O PT não nos representa mais nesses desejos. Claro que entendemos que o partido tem direito de lutar pelo poder. Todos os partidos têm essa função, é a lógica de suas existências. Mas não a qualquer preço.

    O pior de tudo é que tanto esse grupo – que não sou portavoz mas me permito dizer que os conheço bem – gosta de Dilma, gosta bastante de Dilma, não entra nessa infantilidade de criticar que ela é uma péssima gestora, nada disso. O pior que o pior disso é que até boa parte da própria oposição, sim, eleitores tucanos, também gostam de Dilma.

    Só que por trás de Dilma vem o PT e aí a coisa emperra.

    2 – A questão do novo partido de Marina.

    Já disse em outros fóruns que apoio o novo partido da Marina. Já disse em público que não me filiarei mas apoio. Já disse que apoio até o momento que ela escorregar e misturar religião com política e já disse, também, que apoiaria ainda mais se esse tal projeto apostasse todas as fichas em Educação. E não foi o que vi neste fim de semana. Acompanhei amiúde o lançamento do partido e não gostei do que vi.

    Mas gostei de uma coisa, sim. Quando vi que os mais babacas da política nacional sentaram o pau, demonstraram claramente que estão assustados com o que pode vir a se tornar este projeto.

    De titio histérico a petistas como Vaccarezza, opostos que se igualam, todos fazendo as mesmas críticas, demonstrando os mesmos medos e fazendo os mesmos ataques completamente idiotizados.

    Eu não sei qual é a proposta da Marina sobre corrupção do Estado. Não conheço o projeto, só sei que me parece não querer o status quo. Só isso já é bom.

    Não sei se vou votar em Marina. Não mesmo. Pode ser que sim, mas antes preciso ver o que eles definirão como programa de governo.

    3 – Agora a parte final, a minha conclusão.

    O que no fundo eu torço é por uma enorme utopia que os petistas mais babacas já destroem logo de saída. O que eu torço que é que tenhamos um governo com tendencias socialistas, que seja absolutamente democrata, que invista tudo em educação e que preste enorme atenção às questões ambientais, com projeto de desenvolvimento diferente do que hoje pensamos (e aqui tenho um grande ponto de questionamento ao pensamento de Dilma – aliás, eu e muitos outros).

    O que gostaria – e não vai acontecer – é que o PT se repensasse, mudasse seu rumo, resgatasse um mínimo de sua dignidade e que se aliasse com esse novo partido, quem sabe também chamando pra dentro o PSB e não o PSD. Desta forma enfraquecendo cada vez mais o poder do PMDB que, hoje, dá cartas demais neste baralho nojento que está sendo jogado.

    Só pra não deixar barato, torço, também, que Eduardo Campos crie mais e mais força. Com o mesmo sentido acima, para tirar cada vez mais a força desse coronelato do poder brasileiro. Que não vive só no PMDB, mas é onde tem sua maior guarida atual.

    Então, caro Elias, não me venha com papo furado que quem apoia qualquer coisa contra o que o PT se tornou é um direitista. Aqui você errou um bocado na tua avaliação.

  392. Elias said

    Pax,

    I
    “Não venha com essa de que quem hoje reclama do PT é de direita.”

    Eu disse isso, Pax? NÃO DISSE! Estás distorcendo…

    Eu disse o que tu transcreveste mais acima: “A ´ojeriza que começa a acontecer contra o PT´ é mais um desejo da direita que uma constatação”.

    Qual a minha base pra dizer isso? Uma delas é o resultado das eleições, Pax. O PT tem perdido pouquíssimo espaço e votos. E, onde perdeu, não foi por causa dessa tal “ojeriza”.

    Aqui no Pará, p.ex., o PT foi derrotado em 2010, para o governo do Estado. Mas perdeu porque a administração petista foi reprovada pela maior parte da população. A maior parte da população avaliou que o PT fez um mau governo. Isso foi detalhadamente pesquisado, e com antecedência (na ocasião, se preferiu — a meu ver, equivocadamente — manter fidelidade ao programa e o direcionamento original do governo, mesmo que isso implicasse um nível mais baixo de aprovação). Não teve nada a ver com atos corruptos praticados no governo federal, nem com acusações de corrupção no governo estadual, até porque, estas últimas foram poucas e os implicados foram imediatamente demitidos (aliás, que eu lembre, nenhum deles era petista).

    Outra base para o que digo, são as várias pesquisas que li sobre esse assunto, feitas em várias partes do Brasil. Nenhuma dessas pesquisas respalda o que tu dizes, sobre essa tal de “ojeriza”.

    A “ojeriza” existe como um desejo da direita.

    Por que a direita deseja que essa tal “ojeriza” cresça e apareça? Porque ela TEM que querer isso. A direita TEM que querer um PT mais fraco e uma esquerda desmoralizada. E vice-versa. A esquerda deseja, ardentemente, p.ex., que a circulação de Veja caia pra menos de um terço do que é hoje, e que o coeficiente de leitura da revista caia de 8 pra 1,13.

    Só que entre o querer e o acontecer há um “mas” atravessado… De um lado, o PT não está perdendo tantos votos quanto a direita gostaria que perdesse; de outro, a Veja continua com sua monumental circulação (mesmo com o encarceramento do seu melhor pauteiro, o Cachoeira), e seu coeficiente de releitura não só não está caindo, como parece até que está aumentando…

    Praga de urubu não mata cavalo, né?

    Acontece que numa eleição em dois turnos, a tendência é polarizar. E, quando se polariza, não existe o indivíduo neutral. O que quer que ele faça — a até se nada fizer! — será em proveito de um dos dois polos.

    Ninguém pode mudar isso, Pax.

    II
    “Eu não sei qual é a proposta da Marina sobre corrupção do Estado.”

    Honestamente, Pax: tu não sabes qual a proposta de Marina pra coisa nenhuma…!

    Nem tu nem ninguém… Até porque ela não disse nada.

    Tu não tens a menor idéia de como enquadrar ideologicamente esse partido dela, até porque ela vai fazer o diabo pra que não façam esse enquadramento. E, se ela for posta contra a parede, vai dizer: “Ah, é um partido ´de centro´, sabe? Estamos à esquerda de quem está à nossa direita e à direita de quem estivar à nossa esquerda, sabe cumé?”

    Pura flatulência de camelô, vendendo produto falsificado!

    Ela quer pegar os votos do conservadorismo evangélico, com seu balaio empanturrado de proconceitos hidrofóbicos e rosnantes. Ao mesmo tempo, ela não quer perder os votos do eleitorado mais à esquerda, que, na prática, deu projeção nacional à Marina. São poucas pessoas, mas, no Acre, não é necessário muito voto pra se eleger uma senadora.

    Só que numa eleição presidencial, o requerimento é outro. A quantidade de pessoas com o perfil do tradicional eleitor de Marina não garante futebol pros primeiros quinze minutos. Então ela tem que pescar em outras águas.

    E as águas em que ela escolheu pescar, são as águas do conservadorismo mais retrógrado.

    Por isso, Marina não quer saber de definições. Ela vai enrolar o quanto puder, porque tem que enrolar. Ela jamais poderá permitir que a mão esquerda dela saiba o que a mão direita está fazendo. E vice-versa.

    Pax, o fato é que a Marina se transformou numa fraude! Ela é um Jânio com clitóris…

    III
    “Então, caro Elias, não me venha com papo furado que quem apoia qualquer coisa contra o que o PT se tornou é um direitista.”

    Papo furado é dizer que eu disse isso. Ou algo assim…

    Eu jamais disse isso. Desafio a que digas em que comentário meu está escrito algo pelo menos parecido com isso. Até porque acho isso uma imbecilidade, que atrai mais antipatia do que apoio.

    E eu não tenho a menor consideração com quem é corrupto, seja petista ou não.

    Tu é que vieste pra cá com esse papo de que a roubalheira do PT era “mais ideológica”, e sei lá mas o quê…

    Eu rebati isso, e disse que roubalheira é apenas roubalheira. Quem rouba é ladrão. E ladrão é ladrão, e pronto!

    Comigo é na lei do cão! Errou, tem que levar porrada! Tem que ser punido! Tô nem aí se o péssimo é de esquerda, direita, chuta com as duas ou não deixa que as bolas entrem… Problema dele!

    Todavia, como sou um cara civilizado, e não abro mão dessa condição, eu me recuso a participar de linchamento.

    Linchamento é coisa pra turba. Gente com consciência de manada…

    O cara é ladrão? Certo. Abra-se um processo contra o pilantra. Prove-se, na forma da lei, que o sujeito é ladrão. Está provado, na forma da lei? Então, seja o réu punido, também na forma da lei.

    Essa é a diferença entre os seres civilizados e componente da turba.

    Na verdade, o indivíduo com consciência de rebanho quer mesmo é uma ditadura… Isso já foi estudado e dissecado tantas vezes, que dá até preguiça de repetir…

    Ele quer mesmo é um salvador da Pátria.

    Assim como, em diferentes épocas, lugares e contextos, já houve quem quisesse Jânio, Collor, Hitler, Perón, Stalin…

  393. Pax said

    Já eu estou na casa de um petista em Sampa (o mundo caindo por aqui) e este meu amigo, irmão de um assassinado pela ditadura, que diz exatamente o contrário, que os roubos do PT são ideológicos, foram para o partido etc.

    Depois teclo mais sobre essa discussão. Agora estou em outra atividade.

    Enviado via iPhone

  394. Chesterton said

  395. Michelle 2 said

    Peço o apoio de todos os leitores deste blog e dos seguidores no twitter para a campanha acima, iniciada pelo vereador tucano e paulistano Andrea Matarazzo.
    Ele propõe que Lula devolva o terreno de 4.000 metros quadrados, no centro da cidade, doado por Kassab ao final do seu mandato, para que no local sejam construídas creches para crianças carentes. Assine a petição no Avaaz, CLICANDO ABAIXO

    http://www.avaaz.org/po/petition/Devolvam_o_terreno_do_cidadao_paulistano_doado_gratuitamente_ao_Instituto_Lula_DEVOLVAM/?cJyNeeb

  396. Pax said

    Ora, caro Elias,

    Olha teu comentário acima, o #389. Vou repetir pra não haver dúvida:

    1 – A “ojeriza que começa a acontecer contra o PT” é mais um desejo da direita que uma constatação. As pessoas com um mínimo de bom senso, sabem que os críticos da delinquência petista são tão ou mais delinquentes que os delinquentes que eles criticam. E quem não tem bom senso, não está nem aí pra isso…

    E olha o que eu disse:

    Discordo frontalmente. Desejo da direita? Eu nunca fui de direita, nunca serei. E tenho confessado minha ojeriza. Caramba. Que pensamento mais limitado caro Elias.

    e

    Então, caro Elias, não me venha com papo furado que quem apoia qualquer coisa contra o que o PT se tornou é um direitista. Aqui você errou um bocado na tua avaliação.

    Então não sei o porque do teu esperneio. Que papo é esse que a ojeriza é mais um desejo da direita que uma constatação? Eu não sou direita e afirmo que é constatável o mau rumo que o partido tomou.

    E aí? Não posso ter essa opinião? Sou de direita porque tenho essa opinião?

    É óbvio que não. Posso ter minhas críticas e não por isso me tornei um cara de direita nem muito menos sou influenciável pela mídia que hoje faz a verdadeira oposição. Vocês sabem o que eu leio, trago pra cá os links de onde retiro notícias e também dos analistas políticos que leio.

  397. Otto said

    Do Miguel do Rosário:

    Sobre a blogueira Yoani Sanchez, o simples fato dela existir e escrever livremente, falando cobras e lagartos de Cuba, tuitando de hora em hora, em casa, na rua e no aeroporto, e ter finalmente a liberdade de sair de seu país e visitar o Brasil, onde se dedicará à sua profissão, que é falar mal de Cuba, para mim é o melhor elogio que se pode fazer à pátria de Fidel. Cuba tem mil problemas, mas o Brasil também tem, os EUA idem. Então cada um se preocupe com seu jardim e deixe o outro em paz.

  398. Chesterton said

    Pax sofrendo patrulha ideológica por parte do Elias é hilário!!

    Aí, Otto, porque não a deixaram sair mais vezes e muito antes então?

  399. Michelle 2 said

    Ei, Ototó pode me emprestar seu Senso de Ridículo?
    Não? Por que?
    Ah, você perdeu? Faz tempo? Nem lembra quando tinha?
    Tá bom, deixa para lá.
    Fica pra próxima.

  400. Otto said

    A Yoani Sanchez pode sair à vontade por aí e fazer seu showzinho que leva o Michellão escaravelho a orgasmos múltiplos.

    Agora o Assange… que nem cidadão americano ou britânico é…

  401. Michelle 2 said

    Calma Ototó

    enquanto isso fique bem informado:

    18/02/2013
    às 21:13
    O homem de Carvalho na tramoia cubana contra Yoani – Nota da Secretaria-geral, cotejada com a lógica, é uma mentira escandalosa

    O secretário-geral da Presidência da República, Gilberto Carvalho, decidiu agora escarnecer dos fatos. Conforme revelou a revista VEJA nesta semana, a embaixada de Cuba em Brasília reuniu militantes de esquerda — do PT, da CUT e do PCdoB — para lhes fornecer um dossiê com acusações estúpidas contra a blogueira cubana Yoani Sánchez. Na ocasião, o embaixador de Cuba revelou que os passos de Yoani seriam vigiados por agentes cubanos. As duas ações — a reunião e a espionagem — são ilegais. As coisas poderiam ter parado por aí, mas tiveram gravidade muito maior.

    Ricardo Augusto Poppi Martins, auxiliar de Carvalho, participou de todo o encontro, ficou até o fim e levou uma cópia do dossiê. Em seguida, viajou para Cuba para participar de um seminário que trata justamente de… guerra na Internet. Na pasta comandada pelo ministro, ele é o responsável por essa área. A secretaria-geral havia divulgado uma primeira nota afirmando que apuraria o caso. Nesta segunda, divulgou outra. Leiam. Volto em seguida.

    A Secretaria-Geral da Presidência da República, tendo ouvido o servidor Ricardo Augusto Poppi Martins, esclarece:

    O servidor esteve na embaixada de Cuba, em dia e horário definidos por aquele órgão, para obter seu visto de entrada no país, visando participar, em Havana, de um seminário sobre redes sociais.

    Após a concessão do visto, o servidor foi convidado por um funcionário da embaixada a participar de reunião na qual foi abordada a política migratória de Cuba e a vinda da blogueira Yoani Sánches ao Brasil.

    Na reunião, em que não permaneceu até o final, o servidor recebeu um CD com informações sobre Yoani Sánches, do qual não fez qualquer uso.

    O seminário em Havana não teve relação com os temas tratados na reunião.

    Assessoria de Comunicação
    Secretaria-Geral da Presidência da República

    Voltei
    É um acinte! Com que então o tal rapaz vai à embaixada cubana para obter um visto, e eis que chega um funcionário e convida: “Estamos fazendo aqui uma reunião sobre a política migratória e de cuba e a vinda da Yoani, você não quer participar?” Como Poppi estava mesmo desocupado — embora estivesse em horário de expediente —, aceitou o convite. Fica parecendo, leitor, que, fosse você a estar lá, seria alvo de abordagem idêntica.

    É evidente que estamos diante de uma desculpa ridícula, esfarrapada. Com que então um dos coordenadores da secretaria-geral da Presidência acha normal que se faça um “seminário”, com esquerdistas brasileiros, sobre a vinda de uma cubana ao Brasil? Carvalho escarnece dos fatos, da verdade, da lógica.

    Mas digamos que fosse verdade. A primeira reação do ministro foi a de quem não sabia de nada. Sei… Então o tal Poppi vai a um encontro como aquele, assiste à combinação de uma tramoia, ouve a informação de que agentes cubanos atuam livre e ilegalmente no Brasil e não passa a informação a seu chefe???

    Carvalho acha que somos todos idiotas? Acha!

    O ministro certamente não é um mentiroso. Mas a versão divulgava pela secretaria-geral da Presidência, quando cotejada com a lógica dos fatos, é uma mentira escandalosa.As oposições que não corram o risco de deixar barato esse troço. Por que um governo que condescende com a espionagem ilegal promovida por um “país amigo” não pode, ele mesmo, espionar? Aliás, tenho umas perguntinhas a fazer a algumas entidades da sociedade civil. No próximo post.
    Por Reinaldo Azevedo

  402. Chesterton said

    Assangeé procurado pela Interpol, Yoani não é procurada pela Interpol..

  403. Otto said

    Texto do rola-bostas mor?

    Esse cara precisa de tratamento, sair do armário, dar uma fumada, relaxar…

  404. Chesterton said

    Grupos de manifestantes ligados a movimentos estudantis e sociais, ao PC do B e ao PT impediram nesta segunda-feira (18) a exibição de um filme em Feira de Santana, na Bahia, com a presença a blogueira cubana Yoani Sánchez.
    Aos gritos de “traidora”, “Cuba sim, ianques não”, os militantes tomaram o salão da Casa do Saber, um planetário cedido pela prefeitura para a exibição de “Conexão Cuba Honduras”, do cineasta baiano Dado Galvão, que tem como uma das protagonistas a ativista cubana, que chegou ontem ao Brasil.
    Quando Sánchez chegou ao local, os ânimos se exaltaram e a blogueira chegou a ser recolhida na sala de diretoria, enquanto o senador Eduardo Suplicy (PT) tentava uma negociação com os manifestantes.
    Com chapéu com estrela do Che Guevara, o ex-vereador do PT Angel Almeida negociou a mudança do evento: de exibição de documentário a debate, com participação dos militantes.
    Quase uma hora depois, a blogueira que pode sair de Cuba após 20 tentativas frustradas, finalmente começou a falar, de pé, por 15 minutos: “Vivo numa sociedade onde opinião é traição”, começou.
    As vaias tomaram mais uma vez o ambiente –o vereador paramentado de Che mais uma vez conteve os ânimos. E foi assim em vários momentos.
    A exibição frustrada foi o auge de uma jornada já tumultuada por protestos, que começaram na primeira escala de Sánchez, em Recife –ela teve até o cabelo puxado– , e seguiram em seu desembarque em Salvador.
    “Protesto faz parte da democracia, agressividade não”, disse Dado Galvão. “É uma cidade pacata”, queixou-se. “É o que a ‘Veja’ disse que ia acontecer”,
    CITAR VEJA
    “Acabou tensionando tudo”, admite Jader Dourado, do movimento de bairros de Feira de Santana e que foi candidato a vereador pelo PT na cidade.
    Ele negou qualquer orientação nacional para a mobilização. “Soubemos da visita e fizemos uma reunião com as organizações na sexta-feira. Era um convite aberto e irrestrito.”
    Na platéia, líderes do protesto no aeroporto de Salvador ajudavam a mobilização local. Entre eles, Caio Botelho, da UJS (União da Juventude Socialista), ligada ao PC do B. Panfletos contra a blogueira
    Ambos prometem repetir os protestos na agenda de hoje de Sánchez, que inclui um debate em uma universidade de Feira de Santana. Em São Paulo, para onde Sánchez segue amanhã, os protestos também devem ser organizados, informamram os militantes.
    “Todo mundo está se organizando em todo o território”, diz Dourado. Do site da Folha de S. Paulo
    E

  405. Chesterton said

    De Sandro Vaia, no Twitter…

    “O Haddad precisando de gente pra limpar bueiro e aquele monte de vagabundo no aeroporto atrás da Yoani…”

  406. Chesterton said

    The Economist chama políticos brasileiros de “zumbis”

    No Estadão:
    A revista britânica The Economist classificou os políticos brasileiros, citando como exemplo o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB), de “zumbis”. O artigo publicado no último sábado, 16, analisou a manutenção do poder político de figuras públicas envolvidas em casos de corrupção, em alguns casos já até condenadas. ”Apesar de sérias alegações de corrupção, a velha guarda continua voltando”, escreveu o semanário no subtítulo do artigo.

    A análise relembra a última eleição de Renan à presidência do Senado em 2007, quando foi obrigado a renunciar por ter sido acusado de ter despesas pessoais pagas por um lobista de construtora. O texto enfatiza também o fato de a presidente Dilma Rousseff ter aceitado a candidatura de Renan depois de ter sido rígida na punição de ministros enredados em episódios de corrupção.

    No artigo, Renan é também tido como um “novo exemplo bem estabelecido de fenômeno brasileiro”: do político que não é atingido por denúncias. “O Senhor Calheiros é o mais novo exemplo de um bem estabelecido fenômeno brasileiro: o político que consegue sobreviver a qualquer número de pancadas aparentemente fatais”, resume o semanário.

    Outros casos são relembrados pela The Economist. Cita o julgamento do mensalão e também outros políticos condenados por corrupção como os deputado Paulo Maluf (PP) e José Genoino (PT), com críticas de que eles ainda assim continuam exercendo seus mandatos no Congresso.”Um terço dos legisladores do Brasil ou foram condenados ou estão sendo investigados por crimes que vão de compra de votos a roubo e exploração da escravidão”, diz o texto.

    Por Reinaldo Azevedo

  407. Elias said

    “…e este meu amigo, irmão de um assassinado pela ditadura, que diz exatamente o contrário, que os roubos do PT são ideológicos, foram para o partido etc.” (Pax)

    Cada um é livre pra ter as ilusões que quiser.

    “Foram para o partido” é? Assim como a Land do “Silvinho Land”, né?

    Interessante o aposto: “irmão de um assassinado pela ditadura”… Como se isso acrescentasse um valor extra ao que o cara diz.

    Ter parente assassinado pela ditadura não acrescenta lhufas à capacidade de avaliação política de ninguém.

    Aliás, tenho um primo que cria cavalos manga-larga marchador (e marajoara também). A irmã dele tem uma loja que vende equipamentos e artigos de informática em geral. Já eu não entendo lhufas de cavalos nem da porra de um software que transforma arquivos do Word e PDF em e-books (daqueles que a gente “vira as páginas”). Só não apanhei mais do péssimo porque minha prima veio aqui, me ajudar nessa M…!!!

    Essa história de “foi pro partido” merece tanto crédito quanto a gente, quando dizia: “É só a cabecinha, bem…”.

    Ou será que a palavra “partido” está sendo usada com outro significado?

    Se for por aí, tudo bem, eu acredito…

    Afinal, como não teve chance de aprender aquele lagartixo que morreu atropelado, com a cabeça esmagada por uma bicicleta, quando tentava salvar a linda cauda de sua namorada lagartixa: “Por causa de um belo rabo, muitas vezes se perde a cabeça…”.

  408. Pax said

    Caro Elias,

    É exatamente o que você diz acima, não tem predicado extra algum.

    O cara é petista, pronto. Se é coxo, cego de um olho, gordo, magro, gay ou bi, usa camisa amarela ou teve irmão morto pela ditadura, não importa. O fato é que ele acha que enricamentos de alguns petistas coisa normal, que são expoentes e merecem.

    O que te incomoda tanto?

    Aliás, falando em mensaleiro, tem uns que falam demais mesmo:

    Eduardo Azeredo ‏@deputadoazeredo
    Aleluia! Depois de 10 anos de indecisão Governo Dilma/PT decide privatizar portos.Que seja um processo rápido!

  409. Pax said

    Neste imbroglio dos portos provavelmente os trabalhadores vão dançar. Infelizmente.

    http://clippingmp.planejamento.gov.br/cadastros/noticias/2013/2/19/privatizacao-com-data-marcada-governo-desafia-sindicatos-e-avanca-na-reforma-de-portos

  410. Chesterton said

    Infelizmente a Dilma vai tomar uma medida antifascista? Ué, Pax, e essa agora?

  411. Michelle 2 said

    Yoani revela: A esquerda brasileira não morreu

    Ela entrou em parafuso na época em que FHC a trocou pelo PFL. Perdeu o rumo quando Lula se negou a levá-la para Brasília. Sumiu do mapa depois que o ex-operário começou a desfilar pelos salões da capital de braços dados com Jeffersons, Valdemares e outros azares. O país se perguntava há anos: onde está a esquerda brasileira? O que faz que não reage?

    O longo sumiço levou muita gente a imaginar que ela tivesse morrido. Porém, após angustiante espera, ela reapareceu. Descobriu-se que, desiludida, ela largara tudo, trancara-se em seus rancores e passara a buscar em segredo uma causa que a motivasse. De vez em quando, apalpava-se na altura da cintura e alarmava-se com os focos de prosperidade que se avolumavam ali. No entanto…

    Antes que decidisse entre converter-se à direita ou aderir a uma dieta, a esquerda brasileira encontrou na visita da blogueira cubana Yoani Sánches o biotônico existencial que lhe faltava. Em menos de 24 horas, a ex-sumida protestou contra a inimiga da ditadura dos irmãos Castro em dois aeropostos –Recife e Salvador— e numa sala de projeções na cidade baiana de Feira de Santana.

    Aparelhada pela embaixada de Cuba em Brasília, a esquerda brasileira mostrou que ainda está em forma. Não deu colher de chá nem a Eduardo Suplicy. Sapecou no senador, que acompanhava Yoanis no interior da Bahia, o epíteto de “traidor”. A bloqueira encantou-se com o vigor de seus antagonistas. Disse sonhar com o dia em que protestos do gênero ocorrerão em Cuba sem que ninguém vá em cana.

    Para azar da esquerda brasileira, a visita de Yoani ao país vai durar apenas sete dias. A boa notícia é que a esquerda nacional já não precisa resignar-se, autoflagelar-se ou entregar-se às novelas e ao BBB. Pode mudar-se para Cuba e realizar o sonho de Yoanis, perseguindo-a dia e noite pelas ruas de Havana.

    Josias de Souza

  412. Chesterton said

    hilário!

  413. Jose Mario said

    Yoani livre!
    E Cuba livre dela!
    Vaia con Dios!(sic)

    Mudando de assunto:
    Haddad com prazo de vencimento curtíssimo!
    A Pig(radio, jornais e TV) já declararam as condenações ao novo prefeito por não “acabar de vez” com as enchentes!
    Só no Tiete os psebento já gastaram alguns bilhões nessa enganação de aprofundamento da calha do rio e “NECAS”!
    Mas se para criticar um pouquinho o Kassab a PIG demorou quase um mandato, com Haddad foram só dois meses!

    terceiro tempo:

    ” Michellão escaravelho a orgasmos múltiplos.”

    Sensacional!
    Só precisa saber que pito essa entidade assexuada toca!?

  414. Chesterton said

    Haddad muda de idéia. Na campanha queria acabar com a fiscalização anual de veículo9s, agora quer a grana da tal fiscalização.

  415. Elias said

    “O fato é que ele acha que enricamentos de alguns petistas coisa normal, que são expoentes e merecem.” (Pax)

    Eu também não tenho nada contra o enriquecimento de quem quer que seja. E, se o cara merece… Bens a Deus!

    Agora, quando o cara ficou rico rapidamente, exatamente depois que passou a ocupar cargo de direção no Poder Público, e, coincidentemente, é acusado de prática desonesta; é acusado de corrupção… Eu ponho uma pata atrás…

    Não é que eu saia por aí, linchando as pessoas. Sou contra linchamentos, ao contrário de alguns “democratas” que andam por aí (e por aqui…).

    Se alguém, seja quem for, apresenta sinais exteriores de riqueza, sem que haja evidências ostensivas de como essa riqueza foi gerada, é DEVER DO ESTADO verificar se a tal riqueza tem origem lícita.

    Sendo constatado algum indício de que o feliz novo rico é dado à condutas corruptas, deve esse indício ser apurado, isto significando que não se deve condenar ninguém dispondo apenas de indícios. A existência do indício, formalizada por um procedimento chamado INDICIAMENTO, é o ponto de partida para um conjunto de outros procedimentos, que são realizados com o objetivo de recolher as PROVAS do ato desonesto que deu causa ao tal indiciamento. O ato de indiciar o indivíduo, tem por objetivo alertá-lo sobre as acusações que, oportunamente, lhe serão feitas, dando-lhe, assim, a oportunidade de se preparar adequadamente para se defender dessas acusações.

    Reunidas as provas — aí, sim! — pode o indiciado ser levado a julgamento, durante o qual lhe será garantida a omportunidade de desqualificar as provas que lhes forem apresentadas, nisto consistindo o chamado “amplo direito de defesa”.

    Se o processo não contém prova, o indiciado fica, na prática, impossibilitado de se defender. Ele não pode desqualificar as provas, porque, sendo elas inexistentes, não lhe são apresentadas. Resta-lhe, apenas, desqualificar o próprio processo e as pessoas de seus acusadores.

    Em processos assim, mais cedo ou mais tarde os condenados acabam sendo considerados vítimas… O que não significa, em absoluto, considerá-los inocentes.

    Mesmo sem ser inocentes, terão sido vítimas da incompetência, da desídia e da fragilidade moral e técnica dos servidores públicos a quem incumbe administrar a Justiça. Servidores públicos que, no caso do Brasil, são muito mais bem remunerados que seu congêneres americanos, ingleses e suecos, p.ex., e que, por isso mesmo, deveriam se sentir no dever moral de apresentar um desempenho técnico-profissional pelo menos parecido… Não tão medíocre.

    Mas, o centro do nosso debate era mesmo a Marina.

    Repito: não sabes qual o perfil ideológico do escritório eleit…, digo, do partido político que ela criou; não tens a menor noção das propostas da Marina para enfrentar o que ela avalia ser os maiores e mais urgentes problemas brasileiros; não sabes nem mesmo quais são esses problemas, no entender dela; não sabes o que ela entende por “prioridade nacional”…

    Nem tu sabes, Pax, nem ninguém sabe…

    Hoje, o apoio a Marina tem a mesma consistência e o mesmo fundamento do apoio a Jânio ou a Collor.

    Apoio baseado no simples enunciado do problema (abaixo a corrupção!, p.ex.), mas não na formulação de soluções.

    Marina é só um Jânio com clitóris…

    E, se o Jânio foi a tragédia…

  416. Elias said

    É verdade, Michelle.

    Afinal, com um mês e meio de mandato, Haddad já deveria ter acabado com as enchentes em São Paulo.

    Todos sabem que os antecessores dele acabaram com as enchentes em menos de um semana…

  417. Chesterton said

    Haddad com cara de cera ante as enchentes não tem preço.

  418. Jose Mario said

    Num país sério o Congresso teria todo o respeito das outras instituições governamentais, de todos os outros poderes, quando assunto de interesse nacional estivesse passando por votação no Congresso.
    Mas…..aqui não!
    Seja lá porque motivo fosse, jamais se admitiria que 11 togados , por birra ou por outros interesses, que posso avaliar como muito suspeitos, jamais, fariam o que esses “sumidades” do direito vem fazendo contra o Congresso, fazendo que o país entre em quase desgoverno, e sem orçamento ou norte no Congresso, para futuras votações, seja por causa de vetos seja por qualquer outra coisa, jamais a governabilidade poderia estar em jogo, e nas mãos de um desequilibrado e gazeteiro de Ipanema, que gosta de usar perucas loiras e tocar guitarra em festinhas acrobáticas!
    Parabens togados de plantão e….também , parabens a seus admiradores!

  419. Chesterton said

    E se no lugar dos togados fosse um coronel ou um comandante, você aceitaria?

  420. Michelle 2 said

    #416

    Eu não falei nada sobre Haddad por enquanto.
    Só acho que Sampa não merece o “Supercoxinha”.
    Mas como paulistana espero estar errada.

  421. Pax said

    Eu juro que não entendo mais o que esse pessoal petista quer, caro Elias.

    Marcelo Crivella, que deu$ o tenha, é ministro. Ka$$ab e sua turma ganharão dois ministérios, uma tendência que não parece nada com o que chamávamos de esquerda.

    E agora se revoltam com a vinda da tal blogueira cubana que nunca me convenceu de nada, mas como se defendessem, como disse o Josias, o socialismo cubano.

    Juro que ando confuso.

    Mas essa esquerda tem se igualado à direita nas revoltas e impropérios contra o novo partido de Marina. Você chega a chamá-la de Jânio de Clitóris.

    Caramba. Que confusão que esse poder criou na cabeça das pessoas.

  422. Michelle 2 said

    Ilimar Franco, O Globo

    O PT não consegue virar a página do mensalão. Líderes petistas avaliam que José Dirceu devia poupar o partido e deixar de participar da vida partidária. Mas, ao contrário disso, na quarta-feira, no Anhembi, na festa dos dez anos do PT no poder, o Super-Zé vai tentar dividir o palco com o ex-presidente Lula e a presidente Dilma.

    SE NÃO CHOVER!

  423. Pax said

    Caramba. Dei uma passada em alguns sites que falam da visita dessa blogueira cubana.

    Estou pasmo com o que se tornou parte da esquerda brasileira.

  424. Pax said

    Ainda bem que há outra esquerda.

    Vinicius Duarte ‏@viniciusduarte
    Se vc se diz petista e aplaude o PHA (ex-Juventude LACERDISTA) avacalhando o Suplicy, vc tá fazendo tudo errado.

    23 mins Vinicius Duarte ‏@viniciusduarte
    Imagina como se sente um cara com a trajetória política do Suplicy sendo avacalhado por um saco de bosta feito o PHA.

    25 mins Vinicius Duarte ‏@viniciusduarte
    E PHA chamou Eduardo Suplicy de “tucano filiado ao PT”.

    Pois é, PHA tem se superado.

  425. Otto said

    Yoani reloaded
    Por Leandro Fortes, na CartaCapital

    Primeiro de tudo: foi um erro dos manifestantes baianos impedir a exibição do documentário, ou seja lá o que for aquilo, do tal cineasta de Jequié, Dado Galvão, em Feira de Santana. Não que eu ache que dessa película poderia vir alguma coisa que preste, mas porque praticar sua arte – seja genial, banal ou medíocre – é um direito inalienável de qualquer cidadão brasileiro.

    Ao impedir o documentário, os manifestantes estão ajudando a consolidar a tese adotada pela mídia de que os que são contra a blogueira Yoani Sánchez são, apenas, a favor da ditadura cubana. Fortalece, pois, esse reducionismo barato ao qual a direita latinoamericana sempre lança mão para discutir as circunstâncias de Cuba.

    Minha crítica aos manifestantes, contudo, se encerra por aqui.

    De minha parte, acho ótimo que tenha gente disposta a se manifestar contra Yoani Sánchez, uma oportunista que transformou dissidência em marketing pessoal. Não vi ainda nenhuma matéria que informe ao distinto público quem está pagando a turnê de Yoani por 12 (!) países – passagens aéreas, hospedagens, traslados, alimentação, lazer, banda larga e direito a dois acompanhantes, o marido e o filho.

    Nem a Folha de S.Paulo, que até em batizado de boneca do PT pergunta quem pagou o vestido da Barbie, parece interessada nesse assunto. E eu desconfio por quê.

    Yoani Sánchez é a mais nova porta-bandeira da liberdade de expressão em nome das grandes corporações de mídia e do capital rentista internacional. É a direita com cara de santa, candidata a mártir da intolerância dos defensores da cruel ditadura cubana, a pobre coitada que tentou, vejam vocês, 20 vezes sair de Cuba para ganhar o mundo, mas só agora, que a lei de migração foi reformada na ilha, pode viver esse sonho dourado. Mas continuo intrigado. Quem está pagando?

    A mídia brasileira, horrorizada com as manifestações antidemocráticas em Pernambuco e na Bahia, não gosta de lembrar que a atormentada blogueira morou na Suíça, apesar de ter tentado sair de Cuba vinte vezes, nos últimos cinco anos. Vinte vezes!

    Façamos as contas: Yoani pediu para sair de Cuba, portanto, quatro vezes por ano, de 2006 para cá. Uma vez a cada três meses. Mas, antes, conseguiu ir MORAR na Suíça. Essa ditadura cubana é muito louca mesmo.

    Mas, por que então a blogueira dissidente e perseguida abandonou a civilizada terra dos chocolates finos e paisagens lúdicas de vaquinhas malhadas pastando em colinas verdejantes? Fácil: nos Alpes suíços, Yoani Sánchez poderia blogar a vontade, denunciar a polícia secreta dos Castros e contar ao mundo como é difícil comprar papel higiênico de qualidade em Havana – mas de nada serviria a seus financiadores na mídia, seja a Sociedade Interamericana de Imprensa (SIP), que lhe paga uma mesada, ou o Instituto Millenium, no Brasil, que a tem como “especialista”.

    Então, é preciso fazer Yoani Sánchez andar pelo mundo. Fazê-la a frágil peregrina da liberdade de expressão, curiosamente, financiada pelos oligopólios de mídia que representam, sobretudo na América Latina, a interdição das opiniões, quando não a manipulação grosseira, antidemocrática e criminosa da atividade jornalística, em todos os aspectos.

    É preciso vendê-la como produto “pró-Cuba”, nem de direita, nem de esquerda – aliás, velha lenga-lenga mais que manjada de direitistas envergonhados. Pena Yoani ter se atrasado nessa missa: Gilberto Kassab, com o PSD, e Marina Silva, com a Rede (Globo?), já se apropriaram, por aqui, dessa fantasia não-tem-direita-nem-esquerda-depois-da-queda-do-muro-de-Berlim.

    No mais, se a antenada blogueira cubana tivesse ao menos feito um Google antes de embarcar para o Brasil, iria descobrir:

    1) Dado Galvão, apesar de “colunista convidado” do Instituto Millenium, não é ninguém. Ela deveria ter colado em Arnaldo Jabor;

    2) Eduardo Suplicy é a Yoani do PT;

    3) Em Pernambuco não tem só frevo;

    4) E na Bahia não tem só axé.

    http://www.rodrigovianna.com.br/outras-palavras/yoani-quem-paga-a-viagem.html

  426. Chesterton said

    Yoani para presidente de Cuba!

  427. Chesterton said

    Extra-extra, Yoani é agente dupla…aliás, tripla….ou melhor, quádrupla…..sei lá, não entendo mais nada. (rs)

    http://www.midiasemmascara.org/artigos/desinformacao/13867-yoani-sanchez-a-desinformatzia-cubano-brasileira-e-a-midia-idiota-nacional.html

  428. Pax said

    É por essas e outras que não gosto de escrever quando não acho que devo. Rodrigo Vianna perdeu uma enorme oportunidade de não perder mais ainda sua credibilidade.

  429. Elias said

    Eduardo Suplicy é o Eduardo Suplicy do PT.

    Vai ser chato assim na baixa da égua…!

    O regime cubano é uma josta! Sei de uma mulher cubana que fez um belíssimo trabalho na área de planejamento urbano, restauração de centro histórico, etc.

    Aí foi se negociou com os superiores dela, para que viesse a Belém, ministrar um curso e fazer umas palestras pro pessoal do “Monumenta” (programa criado pelo governo FHC para auxiliar municípios interessados em restaurar, revitalizar, etc, seus centros históricos).

    Tudo certo, tudo certinho, comprou-se passagem (na época, pelo menos, pra uma pessoa vir de Cuba pra Belém, tinha primeiro que ir lá pra caixa prego, na Argentina ou no Uruguai, pra lá de bem distante, e, depois, vir subindo, subindo… O custo da passagem ia pro diabo que o carregue).

    Ela chegaria num domingo. Fez-se a reserva no hotel… E eu ainda mandei colocar, no apartamento, flores e bombons de frutas paraenses (“balas”, como vocês chamam… Bala é o cacete, porra! Bala se usa em arma…!), cartões de boas vindas, guia da cidade, e o escambal da Bahia…

    Aí… Ela não veio. O governo não autorizou que ela saísse do país (seria por apenas 20 dias…).

    Na segunda-feira, falei com ela por telefone. Ela estava p… da vida!

    Como a ligação poderia estar sob escuta, ela me fez um sinal que combinamos, e nos comunicamos pelo e-mail de uma outra pessoa, que não tinha nada a ver com o trabalho dela (e que eu conheci num evento em ou outro país).

    Aí ela desabafou…

    Caceta! Aquilo é um país ou um presídio?

  430. Elias said

    Onde está:
    (e que eu conheci num evento em ou outro país).

    Leia-se:
    (e que eu conheci num evento em outro país).

  431. Otto said

    Pax, não seja ingênuo: quem está pagando essa conta?

  432. Michelle 2 said

    431
    Caceta! Aquilo é um país ou um presídio? ( Elias)
    …quem está pagando essa conta? (Ototó)

    A Embaixada de Cuba em Brasilia, meu caro Ototó…
    O último que sair apague a luz!
    hehehe

  433. Zbigniew said

    O Locateli, lá no Nassif, levantou uma questão interessante que devíamos refletir, enquanto sorvemos essa idiotice que se transformou a vinda dessa blogueira ao país:

    “A realidade é a seguinte:

    1) O jornalista Julian Assange denunciou o governo dos EUA e está cercado pela polícia na embaixada do Equador em Londres;

    2) Bradley Manning denunciou o governo dos EUA – inclusive assassinatos – e está preso, podendo ser condenado à morte;

    3) Yoani denuncia o governo de Cuba e continua livre, leve e solta, com seu notebook debaixo do braço, saindo de Cuba para morar na Suiça, depois voltando (devido a dificuldades financeiras), agora saindo de novo, sem restrições.

    Essa é a realidade. O resto, como diria Nelson Rodrigues, é o luar de Paquetá.”

  434. Chesterton said

    Zbgwknl%$#@, a diferença é a interpol. Yoani não é procurada pela Interpol.

  435. Michelle 2 said

    Parece que os idiotas do pedaço não perceberam ainda que Yoany é agente do governo cubano. Ela come bananas e vai à praia. Carajo!
    A oposição de Cuba não pode comer bananas ou ir à praia.
    Essa é a realidade.

    “O resto, como diria Nelson Rodrigues, é o luar de Paquetá”.
    hehehe

  436. Pax said

    Caro Otto,

    É púbica a informação. Veio patrocinada por meios da imprensa e entidades de direitos humanos. Mesmo que fosse pela revista Veja, ou pelo partido DEM dos velhos coronéis, ou pelo PT dos novos coronéis, qual é mesmo o problema?

    Cuba é boa, sim, em Educação, em Saúde. Mas é uma ditadura onde não há liberdade de opinião e expressão e os direitos humanos são, digamos, questionáveis. Ou seja, é boa e é ruim. Só pelo fato de não ser uma democracia já merece enormes questionamentos.

    Agora essa turma ababacada quer impedir a moça de vir aqui, de servir ou não a quem interessar, sejam eles idiotas ou patetas, sejam eles o que forem, isso é coisa que se faça?

    É por essas e outras que tem um monte de babacas se queimando um bocado neste episódio da vinda da blogueira. Gente que não quer respeito e faz força neste sentido.

    Vale lembrar, também, que o boicote americano é outra tremenda pataquaada aplaudida por outros babaquaras.

  437. Zbigniew said

    Ah, tá, a Interpol. Está completamente explicado, caro Chest… A Interpol…
    Agora foi que me apercebi que o Assange e o Bradley são fascínoras perigosos procurados pela…. Interpol…

  438. Michelle 2 said

    Pax

    Tá na hora de se informar.
    Que mané boicote é esse que todo mundo fura…(inclusive empresas americanas) fazendo operações triangulares…
    Charutos cubanos são vendidos em qualquer esquina de NY ou Miami com rótulos da República Dominicana.
    Sim os americanos são cínicos…mas e daí?
    Desce do muro.
    Carajo!. (em espanhol o sentido é outro)

  439. Michelle 2 said

    AVISO AOS NAVEGANTES:

    Para não se converter em mais um dentre os variados personagens humanos que simulam conhecimento, cultive o hábito de se informar devidamente a respeito dos assuntos que comentar. Informar-se bem dá trabalho, mas compensa.

  440. Michelle 2 said

    JEITINHO ARGENTINO
    http://www1.folha.uol.com.br/colunas/elianecantanhede/1232741-jeitinho-argentino.shtml

    BRASÍLIA – Previsibilidade e confiabilidade, o que inclui respeito a contratos e dados oficiais seguros, inquestionáveis. É isso que a comunidade internacional procura, os investidores internos esperam e, enfim, é o mínimo que a sociedade brasileira exige. Mas há coisas estranhas acontecendo.

    Primeiro, foi o uso do Fundo Soberano para maquiar os números e simular um superavit primário em 2012 mais digerível pelo mercado. Aliás, inflaram os dados, mas não o suficientemente.

    Depois, a descoberta de que o gato comeu e o Tesouro engoliu recursos depositados pelas empresas no FGTS –que pertence aos trabalhadores– para fechar suas contas.

    Enfim, sabe-se da imensa criatividade do governo ao lidar com os números da inclusão social e ao prometer erradicar a miséria.

    Com R$ 2 (dois reais!) a mais e um estalar de dedos, milhares de pessoas foram dormir miseráveis, com renda de R$ 69, e acordaram ex-miseráveis, com R$ 71. Isso, nas estatísticas e bumbos oficiais.

    O teto de R$ 70, aliás, está careca de tão velho. E mais: cerca de 2,5 milhões de pessoas que vivem abaixo da linha da miséria no país estão fora do Cadastro Único, segundo estimativa do Ministério do Desenvolvimento Social.

    A Argentina e sua presidente acabam de passar por dois vexames internacionais: uma censura do FMI e a ironia da revista “The Economist”, justamente pela falsificação de dados, especialmente os do PIB e da inflação. Ninguém confia nos índices do governo, e o governo veta os índices de agências, empresas ou bancos independentes.

    Na “The Economist”, a famosa “Don’t cry for me, Argentina” é ironizada como “Don’t lie to me, Argentina” ou, apropriadamente, “Não minta para mim, Argentina”.

    O Brasil é bem mais avançado do que a Argentina e Dilma tem mais credibilidade que Cristina Kirchner. Tomara que continue assim.
    ——————–
    O governo do PT é uma farsa contínua!Dilma é incompetenta!

  441. Michelle 2 said

    Cuba é boa, sim, em Educação, em Saúde.

    Pax …indique sua fonte. Regras do blog?

  442. Michelle 2 said

    Este comentário do Reinaldo Azevedo não é recomendável para petistas de estomago fraco (herbívoros).

    http://veja.abril.com.br/blog/reinaldo/geral/a-iconografia-maoista-e-cafona-do-petismo-nos-seus-10-anos-de-mistificacao/

    Recomendo ao Pax que não leia…LOL

  443. Jose Mario said

    Chegando do plantão de emergencia e……”Yoani não é procurada pela interpol.”
    AH, como alguém que é instrumento de trabalho do capitalismo, dos EUA e da midia conservadora internacional poderia ser procurada pela interpol?????
    Chest, nota 0 nessa!
    Aliás, enquanto houver gente encarcerada em Guantanamo, sem qualquer acusação ou direito a defesa, qualquer conversa fiada da direita é lixo!
    Mesmo a da assexuada MIchelle!

  444. Jose Mario said

    Só a covardia pode explicar porque ainda não foi instaurado procedimento investigatório contra esse debochado.
    Pelo silencio que os discursos de Collor dispertam sópodemos entender algo:
    Os falso moralistas que vibraram com as condenações do 470 estão com medo e outros estão com medo idem mas por seus maus feitos!
    COVARDIA de gente que agora fossem petistas envolvidos estariam vociferando por “Justiça”!
    Gurgel vai embora em junho, mas o próximo poderá diante da inação do Senado, agir com mais mau caratismo e agenda politica do que o próprio Gurgel!
    Cortem agora a cabeça da cobra, antes que ela semeie seus ovos venenosos!

  445. Pax said

    Como diriam meus conterrâneos.. bá

    http://josiasdesouza.blogosfera.uol.com.br/2013/02/20/em-crise-pmdb-deve-chegar-a-2014-rachado/

    O PMDB quer ainda mais. E agora José, digo, Dilma?

    Só que, no fundo, pode ser bom. Vejamos mais à frente. Pensemos…

  446. Chesterton said

    Envolvimento direto no dossiê cubano contra Yoani Sánchez pode custar a cabeça de Gilberto Carvalho

    Por Jorge Serrão –

    Uma das figuras mais poderosas do governo Lula-Dilma, o ministro Gilberto Carvalho, cometeu uma das maiores burradas dos últimos tempos e está com a cabeça a prêmio para ser detonado da Secretária-geral da Presidência da República. Documentos internos demonstram que Carvalho foi o operador do jogo-imundo para tentar desmoralizar a blogueira cubana Yoani Sánchez em sua viagem ao Brasil. O chanceler Antônio Patriota também acabou envolvido na trama. Claro, quem está por trás de Carvalho é o chefão Luiz Inácio Lula da Silva – que agiu a pedido dos irmãos Fidel e Raul Castro – seus amigos e parceiros.

    O que seria um simples e covarde ato radicalóide de jovens petralhas contra a jovem dissidente cubana agora se transforma em um incidente diplomático e tem tudo para evoluir para uma crise política interna. No Senado, já circulavam ontem documentos comprovando que o ato contra Yoani foi organizado por um assessor de confiança de Carvalho: Ricardo Poppi Martins, coordenador de novas mídias da Secretaria-Geral da Presidência. Entre senadores de oposição, comentava-se ontem de um telefonema (ilegalmente captado pela arapongagem de Brasília) entre Poppi e Carvalho acertando detalhes da operação anti-Yoani.

    O caso foi destaque da revista Veja de fim de semana, na reportagem “O dossiê da Vergonha”. Nela foi revelado que Poppi participou, no dia 6 de fevereiro, de uma reunião na Embaixada de Cuba em Brasília, na qual o embaixador Carlos Zamora Rodriguez mobilizou jovens militantes do PT, PC do B e da CUT para a missão de “contrainformação” destinada a “desmascarar a mercenária financiada pelo governo dos Estados Unidos para trabalhar contra a revolução cubana, contra o povo e contra os trabalhadores”.

    Poppi não apenas ganhou um CD do embaixador cubano com o dossiê de 235 páginas, com fotos supostamente comprometedoras de Yoani, tudo produzido pelo famigerado G2 (o serviço secreto cubano). O assessor de Gilberto Carvalho conseguiu até um favor especial do chanceler Antonio Patriota, para a obtenção, em tempo recorde, de um visto de viagem para Cuba – tudo financiável pelo providencial cartão de crédito da Presidência. Poppi viajou para aprender em Cuba técnicas de “ciberguerra” e “novas formas de comunicação de rede e batalhas políticas”. O que já tinha sido divulgado pela Veja ficou ainda mais grave pelo comprovado uso da máquina pública brasileira para uma artimanha da ditadura cubana.

    O escândalo do dossiê teve um outro capítulo providencialmente censurado pelo governo brasileiro. No sábado, vazou a informação de que a Polícia Federal deteve para averiguação, no Aeroporto Internacional de Guarulhos, em São Paulo, sete cubanos vindos da Venezuela, com destino a Recife, por onde Yoani chegaria ao Brasil. Carregando equipamentos de comunicação na bagagem, eles foram identificados como agentes do G2 cubano. Estavam escalados para monitorar a viagem da blogueira. O incidente foi oficialmente abafado na PF e na Agência Brasileira de Inteligência – como se nem tivesse ocorrido, bem aos moldes das ditaduras de décima terceira categoria.

    O senador Alvaro Dias (PSDB-PR) tem tudo para pedir a convocação de Carvalho e de Patriota para deporem na Comissão de Relações Exteriores do Congresso. Mesmo que a base amestrada consiga barrar a convocação deles, o estrago contra Carvalho já está feito. Como um assessor direto dele aparece como um dos operadores do jogo imundo contra Yoani, o “cardeal de Lula” (assim chamado por ser católico fervoroso) não tem mais condições éticas e morais de ser o super assessor e eminência parda da Presidenta Dilma-Lula Rousseff.

    Mais uma vez, fica evidente o dedinho de Lula no vergonhoso esquema contra Yoani. Até porque, semana retrasada, o ex-Presidente brasileiro esteve em Cuba para conversinhas com seus amigos do Foro de São Paulo, Fidel e Raul Castro. Lula viajou a Cuba no jatinho da Odebrecht – certamente uma gentileza de Marcelo Odebrecht – cuja empreiteira tem grandes obras na ilha que é o paraíso das ilusões perdidas do comunismo.

    Como Gilberto Carvalho sempre fez tudo que Lula lhe pediu, a ação contra Yoani foi apenas mais uma ação que lhe deu prazer de servir ao eterno e amado chefão. A diferença é que o favor de agora pode forçar a Presidenta Dilma a demiti-lo, mesmo contra a própria vontade…

  447. Jose Mario said

    Agora é a Yoani que vai ser arma contra o Lula?
    Essa moça é tudo menos santa!
    Mais um big fake tipo Marina , Heloisa Helena e outros tantos!
    E esse imbróglio alientado aqui pelo Chest e no Congresso por Bom Cabelo Alvaro Dias é mais uma estrada de devaneios oposicionistas rastaquera!
    São tantos segredos e conspirações obscuras que “tá” mais para arquivo X!
    Parece que ao ler o texto do Chest ouço a música tema da saudosa série de FC.

  448. Patriarca da Paciência said

    “BC: PRÉVIA DO PIB INDICA ALTA DE 1,64% EM 2012”
    http://www.brasil247.com/pt/247/economia/94078/BC-Pr%C3%A9via-do-PIB-indica-alta-de-164-em-2012.htm

    Olá gente, passei uns dias sem computador por conta de um cerrado ataque de vírus. Recebia de 2 a 4 “cavalos de tróia” por dia. Tive que mandar fazer uma nova formatação e uma varredura geral no PC. Uma negócio de louco!

    Mas como eu já “tinha cantada essa pedra”, o crescimento do PIB vai ser pequeno mas não tão pequeno assim.

    E a tendência é que 2013 seja bem melhor.

    Os profetas do apocalipse vai cortar os pulsos!

  449. Patriarca da Paciência said

    Hilário mesmo é essa “estória” de dossiê contra a Yoani Sánchez !

    Caramba!

    Ela está se candidatando a que cargo, para ser “digna” de um dossiê?

    Será que é para presidente de Cuba?

    E os brasileiros, votam para presidente de Cuba?

    Só mesmo o rola-bosta 100% idiota para alardear tal papagaiada!

  450. Pax said

    Muito bom o comentário do Kennedy Alencar sobre a blogueira cubana.

    [audio src="http://download.sgr.globo.com/sgr-mp3/cbn/2013/colunas/kennedy_130220.mp3" /]

    Infelizmente acho que a turma mais exaltada do PT e PCdoB cometeu uma enorme barbaridade. Bola fora total. Uma pena.

    Esse radicalismo brasileiro, à direita e à esquerda, é uma bosta mesmo.

  451. Michelle 2 said

    O comissariado não toma jeito, por Elio Gaspari

    Elio Gaspari, O Globo

    O PT tem dois ex-presidentes e um ex-tesoureiro condenados a penas em regime fechado e quer mudar o sistema eleitoral brasileiro para pior. A saber: José Dirceu deve dez anos e dez meses, José Genoino, seis anos e onze meses, e Delúbio Soares, oito anos e onze meses. Todos condenados por corrupção pelo Supremo Tribunal Federal. Todos continuam no partido e Genoino, protegido pelo manto das prerrogativas do Legislativo, ocupa uma cadeira de deputado federal.

    Quando o ex-governador Olivio Dutra teve a coragem de dizer que Genoino deveria renunciar, o deputado André Vargas (PT-PR) lembrou que quando ele “passou pelos problemas da CPI do Jogo do Bicho, teve a compreensão de todo mundo”. Pela vontade de seu partido e a compreensão de seus pares, Vargas é o primeiro vice-presidente da Câmara.

    Os comissários blindaram-se na defesa de seus companheiros, todos condenados por práticas confessas. É direito deles. Quem esperava um sopro de interesse pela moralidade, perdeu seu tempo. Deu-se o contrário. Na melhor prática petista, decidiram “partir para cima”. Em vez de discutir a conduta de seus dirigentes, querem mudar de assunto.

    A proposta vem do governador do Rio Grande do Sul, Tarso Genro. Ele sugere um “revide”. Levanta de novo a bandeira de uma reforma política que crie o financiamento público para as campanhas eleitorais e estabeleça o voto de lista para a escolha dos deputados e vereadores.

    Pelo voto de lista os eleitores perdem o direito de escolher o candidato em quem votam. Pelo sistema atual, um cidadão de São Paulo votou em Delfim Netto e elegeu Michel Temer. É um sistema meio girafa, mas o eleitor sempre poderá lembrar que votou em Delfim.

    Pelo voto de lista, os partidos organizam as listas, o cidadão vota na sigla e serão eleitos os primeiros nomes da preferência das caciquias. Se os companheiros do PMDB colocarem Temer em primeiro lugar e Delfim em 20º, não haverá força humana capaz de levá-lo à Câmara. A escolha deixa de ser do eleitor, que a vê transferida para partidos, por cujas direções passaram Genoino, Dirceu, Delúbio. Ou ainda Valdemar Costa Neto, presidente do PL, condenado a sete anos e dez meses de prisão, e Roberto Jefferson, do PTB, com sete anos e catorze dias.

    O segundo pilar do “revide” é o financiamento público de campanha. Acaba-se com um sistema no qual os diretores de empresas usam dinheiro dos acionistas para investir em políticos e transfere-se a conta para a patuleia. Nesse sistema, por baixo, a Viúva gastaria R$ 1 bilhão para financiar candidatos.

    Todas as maracutaias interpartidárias do mensalão deram-se ludibriando-se leis vigentes. Ganha uma passagem de ida a Cuba quem acredita que esse tipo de financiamento acabará com o caixa dois. Se o PT quer falar sério, pode defender uma drástica limitação das doações de pessoas jurídicas, deixando a Viúva em paz.

    A proposta do “revide” é a síntese ideológica e fisiológica da mensalagem. Você paga e eles decidem quem irá para a Câmara. Eles, quem? José Dirceu, José Genoino, Delúbio Soares, Valdemar Costa Neto e Roberto Jefferson, com um patrimônio de 41 anos e seis meses de cadeia, ou seus dignos sucessores.

    Elio Gaspari é jornalista

  452. Edu said

    Vixe… Totó….

    Vai errar denovo, hein?

  453. Michelle 2 said

    1. http://f.i.uol.com.br/folha/poder/images/13050761.gif

    2. Ei, Totó pode me emprestar o seu Senso de Ridículo?
    Não? Por que?
    Ah, você perdeu? Faz tempo? Nem lembra quando tinha?
    Tá bom, deixa para lá.
    Fica pra próxima.

  454. Patriarca da Paciência said

    E besta desvairada, claque de rola- bosta 100% idiota, sabe lá o que é senso de ridículo?

    Besta desvairada, claque de rola-bosta 100% idiota, só sabe o que está pensando, depois que lê o rola-bosta 100% idiota!

  455. Otto said

    Paz & outros: já viram esta entrevista com a celebridade blogueira?

    http://www.viomundo.com.br/entrevistas/salim-lamrani-um-bate-papo-com-yoani-sanchez.html

  456. Otto said

    Pax: os Estados Unidos também não permitiriam um blogueiro americano que recebesse de fora — digamos, da China, de Cuba ou do Irã — para fazer propaganda negativa contra seu país. Por muito menos, muitos manifestantes do Occupy Wall Street foram presos e fichados.

  457. Pax said

    Caro Otto,

    Pataquada geral.

    Mesma coisa se eu disser: “Porra, no acho legal comer merda” e ter como resposta “Mas, veja, Pax, meu vizinho come merda”. E da?

    O que conseguiram com essas reaes infantilizadas e imbecilizadas? S promoveram mais e mais a blogueira e fizeram suas reputaes (de quem quer que tenha feito e/ou aplaudido essas idiotices) carem por gua abaixo.

  458. Jose Mario said

    Yoani?
    O soldado americano preso por ajudar Assange, preso, pois e ainda sem qualquer acusação sensata, pois a legislação americana não tipifica crimes que possam enquadrar sua ajuda, é muito mais herói e decente que essa jovem midiática!
    E quanto a interpol….só o Chest para comparar as situações!
    Cuidado com a linguagem colegas!
    Temperatura aumentando!

  459. Otto said

    Tudo bem, Pax, houve despropósito em alguns manifestantes. Mas isto pode ser até bom para revelar a farsa que é esta falsa vítima.. .

    No mais leia a entrevista que linkei acima. Vale a apena.

  460. Pax said

    Eu li, caro Otto. Veja se escrevi alguma linha aplaudindo a blogueira, admirando seu trabalho. Não vais encontrar.

    Mas tenho que, repito, TENHO QUE, garantir que ele pense e diga o que bem entender.

    A gente tomou muita pancada (obedecendo o HRP acima, cuidando da linguagem – ele tem razão) pra que isso fosse livre aqui na nossa terra. E agora vamos retroceder? Quê isso?

  461. Zbigniew said

    Mas qual retrocesso?!
    O Lula chegou a ser vaiado no PAN num movimento político orquestrado e não se falou em retrocesso.
    A moça vem ao Brasil, é apupada democraticamente por um bando de abestalhados, não houve qualquer ameaça física, e se fala em ovo de serpente, ditadura stalinista, etc.
    Não consta que ela está impedida de se manifestar. Daí os manifestantes são chamados de vagabundos pelo Estadão, e isto é liberdade de expressão, aceito passivamente, sem qualquer problema!
    Uma blogueira que tem um site traduzido para 18 idiomas, que recebeu em 7 meses mais prêmios do que o Thomas Edson durante toda a vida e que conseguiu uma exclusiva com o Obama?! Coitadinha!

  462. Edu said

    Vai Dilma-mão-pesada, trabalha duro que eu quero ver!

    http://www1.folha.uol.com.br/mercado/1233764-teles-vao-antecipar-r-18-bi-em-investimentos-com-desoneracao-diz-ministro.shtml

    Bate com uma mão, distribui multinhas pela Anatel, só pra dizer (to fazendo o meu trabalho), e passando a outra mão na cabeça, com 6 bilhões em renúncia fiscal, para facilitar investimento.

    As pobres nunca estiveram nada capitalizadas, precisam de uma renúncia fiscal de 6 bi para apresentarem níveis de serviço satisfatórios mesmo…

  463. Pax said

    Caro Zbigniew,

    Desculpe-me, não concordo. Nem conseguiram passar o tal filme lá na Bahia, tiveram que chamar escolta e o diabo.

    A troco de nada, era só deixar a mulher falar para o Chesterton e seus amigos, deixar ela ir embora e pronto. Que nada, fizeram foi uma propaganda danada. Vá ouvir o que o Kennedy falou em #450. É muito parecido com o que penso. Nem mesmo petistas históricos que acompanho no Twitter aceitaram as barbaridades (tipo Idelber).

    Enfim, discordamos. Nada demais nisso. Mas, mais uma vez, acho que tem uma turma dando tiros e mais tiros nos próprios pés. Disse isso:

    1- na tal famigerada CPMI do Cachoeira, afirmei que o tal jovem Odair enterraria sua carreira ali, com a fabulosa ajuda do Vaccarezza

    2 – disse a mesma coisa sobre o Zé Dirceu não fechar a matraca e querer abraçar o partido em seu afogamento (idem para o João Paulo Cunha),

    3 – idem para o apoio incondicional a Renan e Henrique Alves (aliás, viu a notícia acima #445?),

    4 – disse a mesma coisa nas críticas ao novo partido da Marina (as pessoas dizendo que ela é igual ao PSD que, pasmem, é do governo agora),

    5 – e estou dizendo, mais uma vez, que o comportamente de muita gente do PT, incluindo caciques, neste episódio da blogueira é um tirambaço no pé. Absolutamente desnecessário e contraproducente.

    É muita trapalhada, no meu entender, uma atrás da outra.

    Paciência, tenho que respeitar o livre arbítrio do partido. Mas não preciso concordar com essas coisas que não concordo mesmo.

  464. Zbigniew said

    Certamente, caro Pax.
    Foi munição para a hipocrisia de uma parte da direita começar a generalizar pra cima da esquerda, rotulando-a de stalinista, defensora de regimes totalitários, etc. Mesmo sabendo que muitos expoentes dessa mesma esquerda foram contra a manifestação.
    Discordo de que foi anti-democrático. Pode ter sido indelicado e até mesmo virulento, mas daí a apontar como um ovo de serpente como alguns meios de comunicação fizeram (os de sempre) é forçar demais a barra. Não vislumbro nem de longe algo deste tipo. No máximo um bando de abestalhados que nem sabem direito o que estavam protestando.

  465. Edu said

    A esquerda militante, está dando um show de liberdade de expressão!

    Assim como a igreja evangélica, que pegou a Paula Fernandes pra Cristo!

    Ops…

    Heresias!

  466. Chesterton said

    QUARTA-FEIRA, 20 DE FEVEREIRO DE 2013

    Aiii que vergonha do cumpadre!!!
    Uma velha piada conta que quando o marido saia de casa o cumpadre entrava, pela porta dos fundos, para paquerar sua esposa. Certo dia o marido volta mais cedo para casa e se depara com sua mulher nua na frente do cumpadre. O marido olha para sua esposa e nota que seus seios caidos quase tocam o chão… então ele exclama: “Aiii que vergonha do cumpadre!!!!”.

    Vendo um grupo de estudantes brasileiros, artistas brasileiros, e políticos brasileiros ameaçando uma mulher sozinha e desarmada (Yoani Sanchez) tive vontade de exclamar: “Aiii que vergonha do cumpadre!!!”.

    O que essa mulher fez de tão grave? Qual ameaça ela representa para grupos de vândalos a ameaçarem?

    Aiii que vergonha do cumpadre!!!! Onde está a Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República? Uma mulher foi agredida e ameaçada, onde estão os defensores da Lei Maria da Penha? Onde estão as feministas? Onde está o Ministério Público? Onde esta a polícia que permite isso?

    Aiii que vergonha do cumpadre!!! Onde está a repercussão na imprensa? Uma mulher estrangeira, vivendo sob uma ditadura, e que defende a liberdade de expressão, vem visitar nosso país e é agredida e ameaçada por brasileiros. Será que isso não é manchete? Será que nossa imprensa perdeu a capacidade de se indignar frente à covardia? Estamos falando de grupos de mais de 20 pessoas ameaçando uma mulher sozinha e desarmada, será que isso é normal?

    Aiii que vergonha do cumpadre!!! O maior líder da oposição, Senador Aecio Neves, sequer se pronunciou sobre o assunto. O governo da presidentA Dilma, que faz questão de ser chamada de presidentA, não se chocou com isso. Sequer se pronunciou sobre esse verdadeiro atentado à liberdade de expressão ocorrido em nosso país.

    A liberdade de expressão foi cerceada no Brasil, e foi cerceada por brasileiros. A imprensa se calou, o governo se calou, a oposição se calou, a sociedade civil se calou. Aiii que vergonha do cumpadre!!!

    Parabéns ao deputado Otávio Leite (PSDB-RJ) que convidou Yoani Sanchez para participar de um evento nesta quarta-feira no Congresso, onde será exibido o filme “Conexão Cuba Honduras”, do cineasta Dado Galvão. Após a exibição, ela irá falar e responder a perguntas, em uma palestra aberta ao público.
    POSTADO POR BLOG DO ADOLFO

  467. Chesterton said

    Foi munição para a hipocrisia de uma parte da direita começar a generalizar pra cima da esquerda, rotulando-a de stalinista, defensora de regimes totalitários, etc.

    chest- ué, e não são?

  468. Chesterton said

    A troco de nada, era só deixar a mulher falar para o Chesterton e seus amigos, deixar ela ir embora e pronto.

    chest- é, só nós nos preocupamos com os cubanos…que vergonha, pax.

  469. Chesterton said

    Mentiras sobre a Bolsa Família

    Ao anunciar a ampliação da Bolsa Família para erradicar a pobreza extrema, Dilma Rousseff faz, de fato, um gesto que merece aplausos. Com todos os seus problemas – a porta de saída, por exemplo – esse programa é um jeito barato e eficaz de reduzir a pobreza. Difícil, porém, não ficar incomodado com a empulhação marqueteira já com ares eleitorais.

    Dilma afirma que, com sua ofensiva, está desafiando os “conservadores”. Mentira.

    Todos devem reconhecer que, no poder, o PT ampliou – e muito – o alcance do Bolsa Família. Dilma foi além é trouxe para a rede de proteção mais crianças de zero a três anos no programa Brasil Carinhoso.

    A empulhação está no seguinte: o Bolsa Família é a grande obra social coletiva brasileira. E não tem dono. Envolveu, em diferentes, momentos, todos os partidos.

    Suas bases já estavam montadas e fortes na gestão Fernando Henrique Cardoso. Tornou-se um programa universal porque “conservadores” do então PFL, hoje DEM, criaram um fundo contra a pobreza.

    Lembre-se que, nessa época, o PT chamava a bolsa-escola, a origem do Bolsa Família, de bolsa-esmola. E atacavam a medida sem parar.

    A base da bolsa-escola estava em Campinas, cuja prefeitura era comanda pelo PSDB, e, em Brasília, onde o então governador Cristovam Buarque desenvolveu experiências reconhecidas pela Unesco e Unicef.

    Essa é daquelas conquistas acima de todos os partidos e ideologias, exportada para várias partes do mundo.

    Gilberto Dimenstein

  470. Zbigniew said

    Não entendo o que o Dimenstein considera como bases fortes do governo FHC, no que se refere ao bolsa família. Será que ele se refere ao banco de dados? E outra: de onde ele tirou que a ampliação do “bolsa” pelo governo Dilma como um elemento de desafio aos conservadores revela uma mentira de parte da própria Presidente? Sim, porque os conservadores têm chiado horrores com providências do tipo redução do valor da conta de energia elétrica ou dos juros bancários, muito mais por causa de interesses econômicos contrariados que representam do que mesmo por preocupação com o bem-estar da população (bem longe disso). Nada a ver com “apropriação indébita” da paternidade de tal programa. Acho que o Dimenstein tá sofrendo de complexo de direita ou então está é fazendo média com os conservadores, aproveitando o efeito manada Yoani Sanchez, pra dar uma alfinetada na Dilma.

  471. Otto said

    Engraçado que vaiar lula no Pan (ainda que tenha sido orquestrado, como lembrou o Zbigniew) é manifestação democrática.

    Vaiar a mercenária é autoritarismo? Cadê o direito a vaia?

    Poder vaiar é liberdade de expressão.

    Buuuuu!!!…

  472. Chesterton said

    Otto é o último comunista…..

  473. Michelle 2 said

    aka as “Zecamunista”…lol

  474. Olá!

    Este trecho do comentário do Otto é um resumo muito bom da total falta de norte moral e intelectual da esquerda brasileira:

    “Engraçado que vaiar lula no Pan (ainda que tenha sido orquestrado, como lembrou o Zbigniew) é manifestação democrática.

    Vaiar a mercenária é autoritarismo? Cadê o direito a vaia?

    [. . .]

    Esse é um dos problemas da esquerda brasileira: Coloca um sinal de igual em situações que são completamente diferentes.

    Em 2007, o Lula foi vaiado por uma série de bons motivos: Mensalão; populismo do mais fajuto; declarações diárias que mostravam a sua essência autoritária; suas alianças com os setores mais atrasados e toscos da política nacional; escândalos atrás de escândalos de corrupção, que, alíás, até hoje continuam a se revelar, vide o caso da Rosemary e seus filhotes corruptos; e o principal dos motivos: Em uma democracia, é natural que as lideranças sejam vaiadas, criticadas e etc.

    Por exemplo: Quando foi a última vez que o facínora e sicário Fidel Castro, juntamente com aquele outro vagabundo comunista, Raúl Castro, foram vaiados pelo povo cubano em um evento público? Responda essa, Otto.

    A Yoani Sanchéz é uma dissidente da sanguinária ditadura comunista de Cuba. Ela discorda de tudo aquilo que, hoje, faz de Cuba a única ditadura em todoo continente americano. De norte a sul das Américas, apenas a ilha caribenha é listada entre as ditaduras.

    A Yoani quer que, em seu país, as pessoas tenham direito às liberdades democráticas de todo e qualquer país minimamente civilizado: Liberdade de expressão; liberdade de imprensa; direito a habeas corpus; eleições periódicas, abertas, transparentes e justas; separação entre os poderes (coisa que a viuvada mensaleira e as viúvas do José Dirceu odeiam); liberdade para estabelecer partidos; uma constituição elaborada por forças democráticas, não aquela estrovenga comunista que meia dúzia de bandidos esquerdistas impuseram às pessoas; direito de abrir um negócio e viver do fruto do seu trabalho; salários mais dignos para a população e não aquele troço de médico ganhar U$ 25,00 por mês e moças com doutorado virarem prostitutas por total falta de horizontes; maiores oportunidades para as pessoas da ilha; e etc., etc., e etc. Em suma: Democracia.

    Entendeu a diferença entre a Yoani e o Lula, Otto? O Lula chefiou um governo extremamente corrupto e aplicou um golpe, o Mensalão, contra a ordem democrática do Brasil. A Yoani é uma cidadã cubana que luta por democracia no seu país.

    É triste que a esquerda brasileira tenha recebido a Yoani Sanchéz na base da truculência e das agressões. Recebê-la civilizadamente é dever de todo e qualquer cidadão que tenha espírito democrático.

    Quando a moça chegou a Recife, alguns vagabundos esquerdistas bateram na moça, ela teve o cabelo puxado, e tentaram esfregar notas de dólares no rosto dela.

    Essas duas atitudes possuem uma profunda simbologia misógina:

    01. O puxão de cabelo é uma das agressões mais comuns que as mulheres sofrem e é algo que atinge uma das expressões mais nítidas da feminilidade e sensualidade da mulher. Muitas mulheres que denunciam seus companheiros/agressores nas delegacias, geralmente, dizem que a agressão começou com um puxão de cabelo e descambou para agressões mais sérias. Esse tipo de coisa é a porta de entrada para o espancamento propriamente dito.

    02. A tentativa de esfregar notas de dinheiro no rosto da moça é, talvez, o ne plus ultra da misoginia, pois, quem faz isso, quer, na realidade, dizer o seguinte: Quer dizer que a moça não passa de uma prostituta, uma puta, uma vendida, uma mercenária, uma piranha, uma meretriz de quinta categoria e coisas tais. Quando garotas de programa são assassinadas por algum motivo, é comum encontrar o corpo morto dela contendo notas de dinheiro sobre o cadáver, dentro da boca, dentro do genital e etc.

    Misoginia na sua total expressão.

    Ao visitar o Congresso, apenas um parlamentar petista, o Eduardo Suplicy, foi falar e cumprimentar a moça. Todos os demais congressistas do PT escolheram ignorá-la para agradar o energúmeno ditador cubano, Fidel Castro.

    E outra, para finalizar. Vejam que curioso: A embaixada de Cuba no Brasil participou ativamente para que se realizasse a atual campanha de difamação e agressões que a Yoani está sofrendo, chegando ao ponto de convidar para executar tal campanha funcionários do governo federal, da CUT, do PT, do PC do B, e demais entidades esquerdistas. Há até mesmo informações de que agentes da polícia política cubana estão no Brasil ajudando a orquestrar essa baderna. Em qualquer outro país mais sério e civilizado, isso seria considerado uma grave interferência na soberania nacional, um atentado contra a ordem soberana. Quem participa desse tipo de coisa é um entreguista da soberania do próprio país, pois subordina a democracia brasileira aos caprichos facinorosos e autoritários de uma ditadura comunista.

    Agora, contrastem isso à típica atitude da esquerda brasileira de acusar os outros de serem entreguistas, vendidos aos imperialistas do norte e coisas afins para ver quem, de fato, é o entreguista.

    Isso que a Yoani Sanchéz está passando não é algo novo na esquerda ocidental, pois, na época da Guerra Fria, dissidentes das ditaduras comunistas eram tratados da mesmíssima maneira pelos esquerdistas ocidentais. Estes diziam que tais dissidências não passavam de mercenários, vendidos e coisas tais.

    Até!

    Marcelo

  475. Chesterton said

    “É inadiável o alargamento da liberdade de expressão no país. O alargamento da democracia nos meios de comunicação tal como está previsto nos artigos da Constituição e que esperam há anos por uma regulamentação”, afirmou Falcão, seguido de aplausos.

  476. Michelle 2 said

    Pelo visto os petralhas hidrófobos adoram xingar e agredir mulheres:

    Em evento do PT, militantes xingam e agridem a jornalista Daniela Lima:

    http://www1.folha.uol.com.br/poder/1234221-em-evento-do-pt-militantes-agridem-e-xingam-jornalista.shtml

    Who let the dogs out?

  477. Jose Mario said

    Vaias incomodam?
    Ao Lula não incomodaram não!
    Reeleito, fez a sucessora, elegeu o prefeito de São Paulo, passou por um cancer e lançou agora Dilma a reeleição……
    Enquanto isso Aécio vociferava, no senado, sobre um país e governo que não existem , a não ser em sua realidade neo liberal tucana!
    Que vaiem sim a Yoani, que explica muito mal seus privilégios, como “verdadeira combatente ” em Cuba!(sic, sic)

    Portanto em país livre se vaia e vai para casa de carro, onibus, metro, bicicleta ou a pé, e não no camburão!
    Mas aqui e por aí vaiar é reprimir! (hummmmmmmmmm)
    KKKKKKK…..10 anos de governo popular turvam a visão de certos setores da “oposição”.
    E quer saber, passo a fazer coro pela “lei dos médios” no Brasil!

  478. Chesterton said

    os petistas definitvamente não sabem o que é vergonha na cara…

  479. Chesterton said

    ARTIGO: Revolucionários de araque atacam ativista cubana
    Por Nilson Borges Filho
    A esquerda brasileira não pode ser confundida com um bando de baderneiros que se utilizaram dos meios mais primitivos para atacar a blogueira cubana Yoani Sánchez, que se encontra em visita ao Brasil. A opção ideológica – como outras opções de caráter pessoal – é parte inalienável do sistema democrático. O Brasil oferece na sua Carta garantias constitucionais para que cada cidadão professe, com plena liberdade, suas posições político-ideológicas. Essas garantias são uma tradição nos países que se definem verdadeiramente democráticos.

    Comunistas de araque, sócio-patas travestidos de revolucionários, estudantes que não estudam, ongueiros que vivem às custas do dinheiro público, desocupados do bolsa-família, todos esses tipinhos estavam de plantão nos aeroportos de Recife e Salvador para atingir, com palavras do mais baixo calão, uma jovem que é penalizada pelo governo do seu país porque defende a liberdade de expressão para todos os cubanos.
    Houve, num determinado momento, até agressão física por parte de um patrulheiro covarde, chegando a arrancar alguns fios de cabelo de Yoani.
    Lamentável que esses valentões não se manifestem contra aqueles mensaleiros que assaltaram os cofres públicos e foram condenados à cadeia, em regime fechado, pelo Supremo Tribunal Federal. Se não bastasse isso, um funcionário da Câmara dos Deputados, lotado no gabinete de uma petista, pago com o dinheiro do contribuinte, em pleno horário de expediente, aos berros convocava ativistas para constranger a blogueira Yoani Sánchez que iria, mais adiante, discursar para congressistas brasileiros.
    Outros funcionários de partidos que apoiam o governo petista, cuja sinecura deve-se ao apadrinhamento político, mesmo porque lhes falta qualificação intelectual para vencer um concurso público, saíram pelos os corredores do Congresso para vaiar Yoani. A iniciativa dessas manifestações partiu do embaixador de Cuba no Brasil, senhor Carlos Zamora, a serviço dos irmãos Castro.
    O interlocutor brasileiro do diplomata Zamora foi um obscuro e medíocre assessor do ministro Gilberto Carvalho. Ricardo Augusto Poppi Martins é o nome do menino de recados petista, que esteve em Cuba para ser informado de como seriam realizados os protestos contra a blogueira.
    O moço ainda recebeu diárias polpudas do erário brasileiro para participar do evento em terras cubanas. O que mais chamou a atenção dos que acompanham Yoani Sánchez pelo território brasileiro foi a sua dignidade e a forma serena e educada com que recebeu as ofensas da malta ignara.
    (*) Nilson Borges Filho