políticAética

Notícias da Corrupção, Desvios, Anomalias, Eleições e Meio Ambiente

  • Sobre o blog

    Uma coletânea das notícias da corrupção, desvios, anomalias, eleições e meio ambiente que aparecem na mídia todos os dias a partir de agosto de 2008.
  • Categorias

  • Arquivos

  • Páginas

  • Meta

Cadáveres indigestos em 2014: Waldomiro Diniz e Rogério Buratti

Posted by Pax em 18/03/2013

Antecipadas as eleições 2014 há desenterros em andamento que incomodam o PT. Waldomiro Diniz e Rogério Buratti são exumações que perturbam e exalam odores mal quistos.

Ao mesmo tempo a Justiça nos faz o desfavor de se negar a colocar o mensalão tucano na roda, evidenciando toda sua parcialidade. E aí temos um quadro pré-eleitoral formado da pior forma possível. Senão vejamos:

1 – Aécio é uma piada brilhantemente pronta que ainda conta com a oposição ferrenha de Serra e Alckmin.

2 – Eduardo Campos mais parece uma bola de bilhar querendo aproximações eleitorais e só cultivando choques.

3 – Marina Silva não entusiasmou nem o eleitorado de 2010. Walter Feldman pode ser uma explicação à descrença de sua candidatura.

4 – Dilma consegue enojar seu próprio eleitorado ao criar 40 ministérios para abrigar todos os bezerros mamões da base aliada, ou da fantasia Ali Babá.

Triste fotografia em que Dilma, se não sair deste chiqueiro, tende a ganhar em primeiro turno.

Condenados no caso Gtech resistem a pagar à União – Eduardo Militão e Lúcio Lambranho* – Congresso em Foco

Justiça bloqueia bens de Waldomiro Diniz e Rogério Buratti no valor de R$ 368 mil em ação que os condenou por terem feito lobby em contrato da Gtech que gerou prejuízo de R$ 433 milhões à Caixa Econômica Federal. Dupla recorre ao STJ

Eduardo Militão e Lúcio Lambranho*

O ex-subchefe da Casa Civil Waldomiro Diniz e o advogado Rogério Buratti voltam a causar dor de cabeça ao governo quase dez anos após envolverem em crise os dois mais poderosos ministros do primeiro governo Lula – José Dirceu e Antonio Palocci. Desta vez, não por desestabilizarem politicamente o Planalto, mas por se recusarem a pagar multa imposta pela Justiça em favor da União. A Advocacia-Geral da União (AGU) tenta receber deles R$ 368 mil, referente a uma condenação por participação indevida na renovação de um contrato de serviço de loterias da empresa de tecnologia Gtech com a Caixa Econômica Federal. Os dois foram condenados por improbidade administrativa, acusados de fazer lobby em favor de um negócio que gerou prejuízo de R$ 433 milhões à Caixa, segundo o Tribunal de Contas da União (TCU).

A pedido da AGU, a Justiça determinou o bloqueio das contas correntes, imóveis e veículos de Waldomiro e Buratti, mas até agora não teve sucesso na busca. A dupla recorre no Superior Tribunal de Justiça (STJ) da condenação. Além das multas e custas judiciais, os dois foram proibidos de assinar contratos com o poder público, obter incentivos fiscais e ocupar cargos públicos, a chamada “suspensão dos direitos políticos”, por cinco anos. Subchefe da Casa Civil na gestão de Dirceu, Waldomiro é cobrado em R$ 273 mil. Ex-secretário de Palocci na prefeitura de Ribeirão Preto (SP) e seu atual desafeto, Buratti foi multado em R$ 94 mil. (continua no Congresso em Foco…)

Anúncios

154 Respostas to “Cadáveres indigestos em 2014: Waldomiro Diniz e Rogério Buratti”

  1. Patriarca da Paciência said

    “Segundo a colona (*) “Painel” da Folha (**) deste domingo, a ponte entre Eduardo Campos e os empresários – clique aqui para ler “Eduardo se lança candidato para empresários de São Paulo” – é o notável líder socialista e nacionalista de Santa Catarina, Jorge Bornhausen.”

    Acho que o Eduardo Campos “não tem mais salvação!”

    Se aliar a Jorge Bornhausen?

    Se houver alguém da direitona que nunca escondeu sua posição foi o Jorge Bornhausen.

    Qual é o saco de gatos que o Eduardo Campos pretende montar?

    É aquela velha história de sempre, “é mais fácil alcançar o sucesso do que se “estabelecer” no sucesso”.

    É uma pena! Um político que despertou tantas esperanças!

  2. Patriarca da Paciência said

    A nota acima, primeiro parágrafo, é do blog do PHA.

  3. Edu said

    Totó e suas fontes…

    Jajá ele vai escrever qualquer coisa e dizer: Fonte: Arial 12.

  4. Patriarca da Paciência said

    Claque de rola-bosta 100% idiota tem fontes muito mais confiáveis, ou seja, o próprio rola-bosta 100% idiota!

    Se a claque do rola-bosta 100% idiota não sabe ler, e precisa que seja desenhado, o PHA apenas reproduz o painel da Folha deste Domingo.

    “Pré-candidato do seu partido à presidência da República em 2014, como “candidato da ética”, o senador Randolfe Rodrigues (PSOL-AP) é denunciado por ter recebido mesada de R$ 20 mil durante seis meses como deputado estadual do Amapá justamente pelo parlamentar que presidia a Assembleia, e que também recebeu os recursos no governo do hoje senador João Capiberibe (PSB-AP); Randolfe deixou até recibos assinados da complementação ilegal de salário; ao noticiar o escândalo, Folha decide proteger Randolfe e acusa o senador Renan Calheiros (PMDB-AL), que apenas encaminhou o caso à procuradoria-geral da República, comandada por Roberto Gurgel, de perseguir desafetos.”

    http://www.brasil247.com/pt/247/poder/96487/O-mensal%C3%A3o-com-recibo-do-senador-Randolfe-no-Amap%C3%A1.htm

    Pois é, parece que o heroizão imaculado do PSOL não é mais tão imaculado.

    O campeão da ética, que iria resolver tudo com a bomba atômica da verdade nua e crua, agora vai ter que se explicar.

    Alguém lembra do Randolph Scott, aquele artista norte-americano de filmes C, nos quais tudo era resolvido à bala?

  5. Zbigniew said

    O Eduardo está se aliando com o que há de mais reacionário na política brasileira. Talvez ele pense assim: se o PT se aliou ao Maluf em SP e conseguiu eleger um candidato, por que não eu?

    Quem tinha esperança de que a forma de fazer política mudaria, taí o resultado: pragmatismo e desfiguramento. Antes mesmo de chegar ao poder. Em verdade esses socialistas estão mais para liberais (senão neoliberais) do que qualquer outra coisa que esteja no espectro à esquerda (que o diga a experiência do PPS com o Freire a frente ou do Jarbas no PMDB).

    Outrossim a velha mídia está indo com tudo para tentar alijar o PT do poder, e estou desconfiado que se tiver que ir de Eduardo, ela vai, desde que atendidas algumas condições que passam pelos interesses do mercado financeiro. E o homem já está falando em reforma tributária. Interessante que ele não fala do regime do ICMS no seu próprio Estado.

  6. Pax said

    Eduardo Campos está mais parecido com Kassab que qualquer outra coisa.

    Em outras palavras, que não precisam ser de fontes pouco confiáveis, um vai da valsa desavergonhado.

    Que vai dar em lugar nenhum. Nem mesmo pós 2014, pelo andar da carruagem.

  7. Edu said

    E a Dilma indo visitar o Papa?

    Não foi o PT que tirou todos os crucifixos de todos os lugares “públicos”?

    O que ela quer indo visitar o Papa? hahahaha

    Deve estar rezando pra expectativa de inflação baixar…. ou para o PIB subir…

  8. Pax said

    Tadinho….

    http://terramagazine.terra.com.br/bobfernandes/blog/2013/03/18/lutarei-ate-meu-ultimo-dia-para-provar-minha-inocencia-diz-dirceu-em-seu-aniversario/

    … do PT.

  9. Pedro said

    40 ministérios……. número bem significativo.

    Imagina uma reunião ministerial com cada ministro tendo a palavra por 30 minutos.

    Mas, a piada pronta é o Maneca Dias de Ministro do Trabalho……a única coisa que ele não fez na vida foi trabalhar.

    Este acertão pra abrigar aliados já passou do limite.

  10. Pax said

    Aqui colocaram o Zé Dirceu à frente desta pauta, regulamentação da mídia. Deu no que deu.

    Lá, alhures, deu nisso:

    http://www.cartacapital.com.br/internacional/reino-unido-chega-a-acordo-sobre-regulacao-da-imprensa/

  11. Michelle 2 said

    Ora Pax … comparar laranjas com bananas nunca deu certo.

    P.S. Não acho que ZD, o canalha pretensioso, seja culpado TAMBÉM disto.

    Acho que nem o Totó, o fofo, concorda com sua análise.

  12. Michelle 2 said

    O BRASIL DA CHIBATA

    Poderia a presidente Dilma Rousseff ter a bondade de explicar, com um mínimo de clareza, o que é “fazer o diabo”? Dilma disse há pouco que nas campanhas eleitorais é permitido fazer exatamente isso, “o diabo”, mas não deu nenhuma informação sobre os atos concretos que os candidatos, a começar por ela própria, estão autorizados a cometer. O que vale? O que não vale? Coisa do bem não deve ser. Nunca se ouviu dizer, por exemplo, que Madre Teresa de Calcutá fizesse “o diabo” em favor de suas obras de caridade. Pelo entendimento comum, fazer o diabo significa estar disposto a qualquer coisa, por pior que seja, para conseguir algo. É isso?

    O presidente do Supremo Tribunal Federal, ministro Joaquim Barbosa, acha que tem, sim ou não, o direito de chamar um cidadão de “palhaço” e mandá-lo “chafurdar na lama”? Coragem, ministro: sim ou não? Dizer essas coisas, em público, não é crime de injúria? Ou presidentes do STF estão desobrigados de obedecer ao artigo 140 do Código Penal Brasileiro?

    Colocar um fotógrafo do Instituto Lula, entidade privada, a bordo do avião presidencial que levou Dilma Rousseff (e o próprio Lula) aos funerais do coronel Hugo Chávez na Venezuela, e apresentar o rapaz como “intérprete” da comitiva, não é um delito de falsificação? Intérprete ele não é; como acaba de informar em VEJA o redator-chefe Lauro Jardim, sua ocupação é tirar fotos para a coleção pessoal do ex-presidente. Há outras dúvidas. Será que Dilma não entende nada de espanhol? Não há nenhum intérprete de verdade entre mais de 1 milhão de funcionários do governo federal? Privatizar assentos a bordo do Aerodilma, para o Instituto Lula economizar um dinheirinho, já é um ato permitido pela doutrina de “fazer o diabo”?

    O que o dr. Gilberto Carvalho, que tem no seu cartão de visita o título de “ministro-chefe da Secretaria-Geral da Presidência da República”, quer dizer quando afirma, como fez há pouco, que “o bicho vai pegar”? Que bicho é esse? Pertence ao Patrimônio da União? Ele vai pegar quem? Já foi solto, por exemplo, contra a blogueira cubana Yoani Sánchez, que bandos de delinquentes a serviço do governo atacaram em sua recente passagem pelo Brasil? Tem cabimento o ministro-chefe (a propósito: haveria algum ministro que não é chefe?) usar em público linguagem de bandido? Por que será que tanta história esquisita (a de Yoani é apenas a última de uma longa série) começa, passa ou termina na sala do dr. Gilberto?

    Quais os nomes da “meia dúzia de famílias poderosas” que, segundo o presidente do PT, deputado Rui Falcão, decidem “o que o nosso povo pode ler, ouvir e assistir”? Daria para o deputado, por cortesia, informar de onde ele tirou este número, “meia dúzia”, num país que tem no momento quase 10 000 estações de rádio, mais de 500 emissoras de televisão, cerca de 5 500 revistas e 2 700 jornais? Estaria ele reprovando o fato de que há veículos com audiência e circulação muito maiores que os demais, porque o público, por sua livre e espontânea vontade, prefere ver, ouvir e ler mais uns do que outros? Que culpa têm os veículos que fazem mais sucesso, ou que ilegalidade cometem por serem os preferidos ela maioria do público?

    Por que o governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, não guardou um tostão dos bilhões de reais que seu estado recebeu em royalties de petróleo nos últimos anos? Desde 2007, quando assumiu o governo, até 2012, mais de 130 bilhões de reais foram arrecadados das empresas exploradoras de petróleo, e a parte do leão dessa montanha de dinheiro ficou com o Rio e seus municípios. Agora, com as perdas trazidas pela mudança na lei dos royalties, o governador se vinga atirando nos cidadãos do seu próprio estado: suspendeu pagamentos a fornecedores, ameaça criar mais impostos, fala em corte de serviços. Se não guardou nada do que recebeu, o que fez de útil com o dinheiro gasto?

    O que há de comum entre essa gente toda é a convicção de que mandam — e quem manda não precisa explicar nada a quem está embaixo. Falam em banda larga e pré-sal, mas continuam agindo como se vivessem no Brasil dos engenhos, dos capitães do mato e da chibata. São os senhores do “Brasil para todos”.
    JRG
    ____________
    Perfeito. Mas não custa acrescentar a pergunta de que Lula foge há quase quatro meses: quando é que o ex-presidente vai tentar explicar-se sobre o escândalo em que se meteu ao lado da gatuna Rosemary Noronha?
    AN

  13. Pax said

    O PT está em festa.

    José Serra voltou do ostracismo. Publica artigos em jornais e está twittando de novo.

    Tadinho do Aécio.

    Enviado via iPhone

  14. Pax said

    No Império da Corrupção o dinheiro das tragédias, das escolas, dos hospitais, das obras públicas etc vão para onde?

    Um doce pra quem adivinhar.

    Enviado via iPhone

  15. Michelle 2 said

    Edu

    Sei lá…mas parece que hoje, nos comentários, o Pax anda/andou meio “descaralhado”.
    Chutando o pau da barraca…hehehe
    Deve ser crise da meia idade.
    Ou dormiu descalço e “acordou pra realidade”: deixou de ser sonhático.

    Está até preocupado com o PSDB – a oposicinha.
    Chutou até cachorro morto. O Serra.

    Foi além: ZD, Eduardo Campos, Aécio e pasmem senhores até Marina, a deusa da floresta… tomaram porrada.

    Faltaram a Dilma e o lula, por enquanto.
    Talvez amanhã. Vamos aguardar.

    Totó, o fofo deve estar estranhando.

  16. Patriarca da Paciência said

    Do link postado pelo Pax no comentário 10:

    “O órgão terá poder de aplicar multas elevadas (inclusive acima de 1,5 milhão de dólares), obrigar jornais a publicar correções e desculpas a vítimas, além de adotar medidas para garantir a privacidade.

    Muitos detalhes ainda não foram acertados ou divulgados, mas o órgão deve ser autorregulatório, com encontros independentes, financiamento próprio e um sistema de reclamações rápidas.”

    Pois é, meu caro Pax,

    Será que o Reino Unido virou Chavista?

    Ou será que se cansaram da inimputabilidade da tal “grande” mídia?

    O rola-bosta 100% idiota e o augusto boçal devem estar “se pisando nos cascos”.

    Como sempre, a velha Inglaterra, mesmo com todos os seus defeitos, sempre deu bons exemplos.

    Inclusive, se não estou enganado, foi o primeiro país a adotar uma constituição democrática, limitadora dos poderes dos reis e dos parlamentares.

  17. Jose Mario HRP said

    Interessante como as coisas aparecem:

    http://esquerdopata.blogspot.com.br/2013/03/o-mensalao-com-recibo-do-senador.html

  18. Patriarca da Paciência said

    Acho que a besta desvairada não anda lendo o rola bosta 100% idiota… pois não sabe no que está pensando!

  19. Patriarca da Paciência said

    Besta desvairada, continue lendo o rola bosta 100% idiota. É a tua natureza!

  20. Patriarca da Paciência said

    Olavão endoida de vez.

    Cadê o Chesterton?

    “Eu já disse que a elite mundial não é capitalista, é comunista”

    http://esquerdopata.blogspot.com.br/2013/03/frutos-da-obra-de-olavo-de-carvalho.html

    Por pouco o napoleão de hospício não disse que a elite mundial é chavista.

    Mas depois de dizer que a verdadeira intenção de Isaac Newton, ao publicar as suas descobertas sobre a gravitação universal, seria “destruir o cristianismo trinitário” (no que foi muito aplaudido pelo chesterton), o que se poderia esperar desse fugitivo de hospício?

  21. Patriarca da Paciência said

    No comentário acima, onde se lê, “Olavão endoida de vez”, complete-se a frase, ” e também os seus discípulos.”

    A afirmação é de uma tal de Maria de Fátima Santos.

    .

  22. Pax said

    O 171.filósofo.171 é mentor de toda essa galera saudosa do prendo e arrebento.

  23. Pax said

    Tucanato em estado de guerra… interna, como sempre.

    http://clippingmp.planejamento.gov.br/cadastros/noticias/2013/3/19/grupo-de-aecio-rejeita-ceder-espaco-a-serra

  24. Pax said

    O cara desafia nossa Justiça faz anos. Além de ser um babaca de marca:

    http://clippingmp.planejamento.gov.br/cadastros/noticias/2013/3/19/maluf-se-recusou-a-passar-por-revista

    Agora vai, mais uma vez, desmoralizar o STF

    http://clippingmp.planejamento.gov.br/cadastros/noticias/2013/3/19/maluf-sera-investigado-por-caixa-2-no-supremo

    Depois a gente reclama e faz cara de choro.

  25. Pax said

    Ontem assisti um pouco do CQC. Chatinho, devo confessar.

    Mas ao mostrarem as diferenças entre o que o Japão fez depois da Tsunami e o que o Brasil fez depois da tragédia que matou mais de 1.000 pessoas na região serrana do Rio confesso que fiquei muito incomodado.

    Muito.

    É o que dá viver no país onde o império da corrupção determina.

    E o que fazemos de bom?

    Criamos mais ministérios, mais empresas estatais, mais cargos de confiança pra abrigar a base aliada.

  26. Patriarca da Paciência said

    Quando eu era criança, ouvi muito meu irmão mais velho “declamar” esta prosopopéia. Agora a encontro num comentário do blog 247. Muito interessante. É a respeito de sua excelência, ministro Fux, ter mandado apagar suas notas durante o processo do “mensalão”, inclusive uma onde ele diz que “cabe ao réu provar sua inocência”.

    Acho que esse 19.03.2013 às 10:23
    Ministro é a reencarnação do Boccagge: “”” Afinal… levo ou deixo os patos? Conta-se que Bocage, ao chegar a casa um certo dia, ouviu um barulho estranho vindo do quintal. Chegando lá, constatou que um ladrão tentava levar os seus patos de criação. Aproximou-se vagarosamente do indivíduo e, surpreendendo-o ao tentar pular o muro com os seus amados patos, disse-lhe: – Oh, bucéfalo anácrono! Não te interpelo pelo valor intrínseco dos bípedes palmípedes, mas sim pelo acto vil e sorrateiro de profanares o recôndito da minha habitação, levando meus ovíparos à sorrelfa e à socapa. Se fazes isso por necessidade, transijo… mas se é para zombares da minha elevada prosopopeia de cidadão digno e honrado, dar-te-ei com a minha bengala fosfórica bem no alto da tua sinagoga, e o farei com tal ímpeto que te reduzirei à quinquagésima potência que o vulgo denomina, nada. E o ladrão, confuso, diz: – Doutor, afinal levo ou deixo os patos? “””” A DOUTRINA COMO UM TODO CHEGOU A CONCLUSÃO QUE A VERDADE EM UM PROCESSO É UMA QUIMERA ” e ai? Eu levo ou deixo os patos.

  27. Pax said

    Paulo Teixeira disputará com Rui Falcão a presidência do PT.

    Rui Falcão é da chapa do Zé Dirceu.

    Quem vence? O PT quer mudar? Acho que não. Duvido um bocado.

    http://oglobo.globo.com/pais/candidatura-de-paulo-teixeira-presidencia-do-pt-prega-renovacao-mas-sem-falar-de-mensalao-7876701

  28. Pax said

    Mais um candidato: Chico Alencar disputa com Luciana Genro a vaga de candidato à presidência pelo PSOL.

  29. Pax said

    Aprovação de Dilma bate novo recorde.

    http://g1.globo.com/politica/noticia/2013/03/aprovacao-do-governo-dilma-atinge-recorde-de-63-diz-ibope.html

  30. Otto said

    Enquanto isto, nas hostes da oposição:

    “O tucanato está em chamas, com Serra e Aécio rachados.

    Todos sabem que o que traz apoios de políticos e partidos pragmáticos, de barões da mídia e de financiadores de campanha a uma candidatura de oposição é a expectativa de poder.

    A maioria dos governadores e parlamentares tucanos do Brasil não engolem Serra-2014. Consideram certeza de derrota, arrastando a eleição de muitos governadores e bancadas para o buraco. Não tem expectativa nenhuma de poder com Serra.

    E Serra não engole Aécio. Resolveu bater de frente. Não tem cacife para se impor dentro do PSDB, mas é o suficiente para desconstruir a imagem de Aécio naquilo que seria sua maior habilidade política, de suposto aglutinador, para carimbá-lo como desagregador. Com isso afasta a expectativa de poder do PSDB com uma candidatura de Aécio.

    FHC sabe disso e, para reduzir danos, já defende a expulsão de Serra do PSDB.

    O cálculo de FHC é que seria melhor José Serra sair candidato a presidente pelo PPS do que continuar detonando Aécio dentro do PSDB. Seria mais um candidato para tentar levar a eleição ao segundo turno e, em tese, tiraria da candidatura de Aécio a imagem de ser a oposição mais reacionária, pois Serra preencheria este espaço na ponta do espectro da extrema direita neoliberal.

    O problema é que a saída de Serra produz baixas justamente no coração do tucanato, o estado de São Paulo. A saída de Serra, arrastando alguns correligionários, enfraquece a expectativa de poder na reeleição do próprio governador Alckmin.

    Os tucanos de hoje lembram muito os dias finais da ditadura, quando o partido oficial, PDS (nome mudado da ARENA) estava rachado entre as candidaturas de Mário Andreazza e Paulo Maluf (sem voto direto, na época). Maluf venceu a batalha dentro do partido, mas não levou, pois os perdedores saíram para fundar o PFL. Motivo: falta de expectativa de poder com Maluf e expectativa de poder com Tancredo.

    Por ironia do destino, hoje, Aécio está na posição mais parecida com aquela em que estava Maluf em 1984, do que na que estava o avô Tancredo.

    A saída de Serra não vai arrastar apenas tucanos serristas para fora do PSDB. A falta de expectativa de poder irá provocar uma debandada para outras candidaturas, não só de tucanos, mas de quadros dos outros partidos da oposição e de barões da mídia. Parte vão “namorar” Eduardo Campos, para ver se ele decola como expectativa de poder, para casar em 2014. Parte vão aproveitar a confusão para debandarem rumo aos partidos da base aliada de Dilma em 2014.”

    http://osamigosdopresidentelula.blogspot.com.br/2013/03/psdb-implode-sem-expectativa-de-poder.html

  31. Michelle 2 said

    Edu
    Ah agora entendi… O Totó foi “abusado” pelo irmão mais velho quando criança. Imagine ter que ouvir muito essa “declamação” sobre Bocage.
    Deve ser por isso que até hojenão sabe o que quer dizer “prosopopeia”.
    Até as teclas do meu pc sorriem ao escrever sobre o fofo. Tadinho.

  32. Edu said

    Michelle,

    Para de mexer com a religião alheia.

    Nego fica nervoso e acaba explodindo por aí.

    —X—

    O Bocage me lembra bastante o Elias.

    E tenha certeza que o Totó sabe o que quer dizer prosopopeia: dentre as leituras filosóficas mais complexas de cabeceira dele, provavelmente está o dicionário.

    —X—-

    Pax,

    A diferença é que no Japão a galera se ajuda porque a galera precisa, e no Brasil a galera ajuda porque quer postar no facebook que ajudou.

    Agora imagina se alguém dá a mínima se a Dilma tem 40 ministérios, se o ZD ou o Paulo Maulf serão presos, se a inflação tá maior do que a poupança, se o PIB tá crescendo pouco…

    Dinheiro no bolso, copa de 2014 e o curintia ganhando. Não tem oposição que resolva, caro Pax.

  33. Pax said

    Que oposição, caro Edu?

    A do Serra ao Aécio ou a do Alckmin ao Serra?

  34. Edu said

    “O novo sistema adotado pela Inglaterra prevê a instalação de um orgão (SIC) regulador independente, código de normas bastante rígido, serviço de arbitragem livre, direito de resposta e pedido de desculpas.”

    Fonte: O Genial, Isentíssimo, Sapientíssimo, Experientíssimo, Maiúsculo, Inigualável, ricardo kotscho…

    —X—

    O Totó, letrado como é, poderia nos explicar como é que no Brasil funcionaria um órgão:

    1 – Independente! AHAHAHAHAHHAHHHAAHHA – Essa é a melhor piada do mundo. Dá até pra escolher! Aqui no Brasil tem 3 tipos de independência, a independência da ANATEL (que o Pax adora), onde há um órgão recheado de políticos que não fazem nada, mas sustentam uma base importantíssima para a governabilidade; a independência do BC, onde é necessário que seja independente pra inglês ver; e a independência da Petrobras, que é a mesma coisa que um dono de padaria confundindo o caixa da padaria com o bolso da calça (em sua vasta experiência como contador, o Totó deve estar bastante afeito a esse tipo – e ele defende!).

    2 – Código de normas bastante rígido! – Eu fico imaginando onde foi parar o código de ética do PT, as normas da ANEEL, ANATEL, qualquer coisa que o valha. É claro que um órgão regulador de imprensa com normas bastante rígidas resolveria qualquer problema de excesso de poder, separação da esfera política, etc. Temos o exemplo do código de campanhas eleitorais amplamente respeitados por todos os partidos brasileiros…. é um exemplo a ser seguido!

    3 – Serviço de arbitragem livre. É mesmo?! Quem vai ser o árbitro? Suponho que uma CPMI da situação… muito melhor do que os juizes que costumam prender os amigos do caixa dois.

    4 – Direito de resposta. Poxa vida, isso é uma inovação. Aqui no Brasil não há direito de resposta mesmo…

    5 – Pedido de desculpas

    Desculpaí Totó, foi mal porque eu acho que vc não consegue desenvolver meio centímetro de texto sem citar uma referência de fonte Arial 12. Foi mal mesmo. Vou até ali confessar o crime pra minha mãe, já que vc pensa que eu sou um adolescente. Depois eu te falo o castigo que ela me deu pra vc ficar feliz. Blz?

  35. Edu said

    Pax,

    Nesse ponto vc tá certo, a oposição tá tão desorientada que em 2014 acho que iremos ver/ouvir poucos “Não gosto dele, mas ele é o menos pior”… todo mundo vai ter que votar no pior de verdade ou anular.

  36. Michelle 2 said

    Edu

    Do jeito que vai, alguém em sã consciência acha que o poste não vai se reeleger? Só não se reelegerá por dois motivos: uma crise econômica grave ou uma proposta inovadora para o país.
    Vou torcer pela segunda, é claro

  37. Pax said

    A única proposta realmente inovadora hoje em dia é trocar 6 pela metade de uma dúzia.

  38. Otto said

    E se o filho de Lula fosse sócio do homem mais rico do Brasil?

    http://www.viomundo.com.br/politica/e-se-o-filho-de-lula-fosse-socio-do-homem-mais-rico-do-brasil.html

  39. Patriarca da Paciência said

    Meu caro Otto,

    A “grande” imprensa brasileira é refém da verdade!

    É claro que essa notícia vai sair nas primeiras páginas de todos os jornalões por, pelo meno, um mes!

  40. Patriarca da Paciência said

    “Presidente da Associação dos Juízes Federais do Brasil, Nino Oliveira Toldo disse que o presidente do STF exagerou e deu um exemplo de que, segundo ele, mostra a generalização da crítica de “conluio” entre juízes e advogados: “A imprensa divulgou que o ministro tem uma namorada advogada. Como é que fica isso?”; Durante sessão do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), Barbosa argumentou que a relação entre juiz e advogado gerava “mal estar” pela falta de transparência e disse que era difícil separar “joio do trigo”

    20 DE MARÇO DE 2013 ÀS 05:17

    247 – Depois de denunciar o que chama de um “conluio” entre juízes e advogados, o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Joaquim Barbosa, foi criticado pela Associação dos Juízes Federais do Brasil (Ajufe). Durante sessão do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), Barbosa argumentou que a relação entre juiz e advogado gerava “mal estar” pela falta de transparência e disse que era difícil separar “joio do trigo”.

    Para o presidente da Ajufe, Nino Oliveira Toldo, Joaquim exagerou na afirmação e deu um exemplo de que, segundo ele, mostra a generalização da crítica de “conluio” entre juízes e advogados: “A imprensa divulgou que o ministro tem uma namorada advogada. Como é que fica isso?” questiona Nino ao Globo.

    “Eu sou casado com uma advogada. Agora eu tenho de me separar da minha mulher?”, disse. Para Nino, juiz federal em São Paulo, a generalização é um “equívoco” e uma “injustiça”.

    O presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Marcus Vinicius Furtado, disse que até “amantes” precisam ser punidas em casos de “relações promíscuas” entre juízes e advogados.

    « A ouvidoria da OAB está à disposição do ministro Joaquim Barbosa e de quem quer que seja para denunciar casos de lobby envolvendo advogados. A Ordem é contra qualquer tipo de relações promíscuas e tem seu Código Ético Disciplinar para ser aplicado nesses caso, não importa quem seja: advogados, filhos de advogados, parentes e até amantes » afirma o presidente da OAB, numa resposta encaminhada por sua assessoria de imprensa.”

    http://www.brasil247.com/pt/247/brasil/96678/Ajufe-cita-namorada-de-Barbosa-em-cr%C3%ADtica.htm

  41. Patriarca da Paciência said

    “247 – Presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Joaquim Barbosa criticou nesta terça-feira 19 o que chamou de “conluio” entre juízes e advogados. Foi durante sessão do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), também presidido por ele, em que era analisado um processo para aposentar compulsoriamente um juiz do Piauí acusado de beneficiar advogados.

    E quem tomou as dores do juiz do Piauí foi o desembargador do Tribunal Regional Federal da 1ª Região Tourinho Neto, que ficou famoso por expedir decisões que beneficiaram o bicheiro Carlinhos Cachoeira, inclusive o habeas corpus que solrou o contraventor. “Tem juiz que viaja para o exterior para festa de casamento de advogado e não acontece nada”, argumentou Tourinho Neto.

    Barbosa retrucou apontando o que classificou de “conluio”. “Há muitos [juízes] para colocar para fora. Esse conluio entre juízes e advogados é o que há de mais pernicioso. Nós sabemos que há decisões graciosas, condescendentes, absolutamente fora das regras”, disse o presidente do STF.

    O desembargador rebateu: “se for para colocar juiz analfabeto para fora, tem que botar muita gente, inclusive juiz de tribunais superiores”. Apesar da defesa de Tourinho (único a votar em contrário), os conselheiros do CNJ acabaram decidindo por aposentar compulsoriamente o juiz João Borges de Souza Filho, de Picos (PI).”

    http://www.brasil247.com/pt/247/brasil/96671/Barbosa-aponta-'conluio'-entre-ju%C3%ADzes-e-advogados-Barbosa-aponta-conluio-entre-ju%C3%ADzes-advogados.htm

    Quem será o “juiz que viaja para o exterior para festa de casamento de advogado e não acontece nada” ?

    E o “juiz analfabeto de tribunais superiores”, quem será” ?

    Gente! A coisa está ficando interessante!

  42. Jose Mario HRP said

    http://www.conversaafiada.com.br/brasil/2013/03/19/conselho-suspende-compra-dos-tablets-do-gurgel/
    Chegou a vez DELE!
    Gurgel na mira!

  43. Pax said

    Parece que a polvorosa tucana é ainda pior que imaginava.

    http://josiasdesouza.blogosfera.uol.com.br/2013/03/20/ate-fhc-refuga-serra-na-presidencia-do-psdb-ao-paulo/

  44. Pax said

    Aqui tem mais. O cara brigou com todo mundo…

    http://www1.folha.uol.com.br/poder/1249185-aecio-diz-que-apoio-de-serra-chegara-em-momento-oportuno.shtml

  45. Pax said

    Nestes dias temos um excelente termômetro de como anda nossa política. E pode-se observar o atual estado de putrefação na discussão dos royalties do petróleo.

    Uma choradeira, uma brigaiada, todos querendo um pedaço maior do bolo.

    Para….

    Enfiarem a mão mesmo.

    Ninguém que eu tenha visto levantou a questão da destinação destas verbas para Educação, ou Saúde, ou qualquer outro interesse público.

    Querem …

    É enfiar a mão mesmo.

    Triste.

    Todos, sem qualquer exceção.

  46. Otto said

    Chester, Michelle ou Edu, alguém de vocês, cidadãos educados, cultos e finos, poderia me explicar isto?

    “Tomando como exemplo a compra da gigante americana Heinz, pelo fundo 3G, de Jorge Paulo Lemann, há pouco mais de um mês, o negócio foi fechado por duas vezes o faturamento e 19 vezes o lucro da companhia. No caso da minúscula sorveteria Diletto, adquirida por Verônica Serra, filha de José Serra, e o bilionário Lemann, os parâmetros foram totalmente distintos, numa aquisição precificada em 17 vezes o faturamento de uma sorveteria que talvez ainda nem tenha começado a lucrar. Ou há muita confiança ou algo ainda permanece misterioso na transação.”

    http://www.brasil247.com/pt/247/economia/96697/Por-que-Lemann-e-Ver%C3%B4nica-pagaram-tanto-pelo-picol%C3%A9.htm

  47. Otto said

    22 veteranos das guerras do Iraque e Afeganistão SE SUICIDAM POR DIA.

    http://www.advivo.com.br/blog/luisnassif/os-traumas-dos-veteranos-da-guerra-do-iraque

    Belo país, os EUA, né, Chester.

  48. Patriarca da Paciência said

    “Nino Toldo, presidente da Associação dos Juízes Federais do Brasil, disse que “os códigos de ética da magistratura não proíbem a amizade com advogados. O juiz não faz voto de isolamento social. É um exagero superdimensionar as situações pontuais”.

    Para o presidente da Associação Nacional dos Magistrados da Justiça do Trabalho, Renato Sant’Anna, “esse tipo de acusação genérica não é compatível com um membro do Judiciário. Se existe irregularidade, é preciso apontar quem, onde e quando”.

    Henrique Calandra, presidente da Associação dos Magistrados do Brasil, disse que “o comportamento dos juízes é reto, e os casos que chegam ao CNJ são exceções”.

    O presidente da Ordem dos Advogados do Brasil, Marcus Vinícius Furtado, disse que a OAB “está à disposição do ministro Joaquim Barbosa caso queira denunciar algum caso de lobby”.
    http://www1.folha.uol.com.br/poder/1249181-associacoes-de-juizes-contestam-declaracoes-do-presidente-do-stf.shtml

    Tudo indica que sua excelência, ministro Joaquim Barbosa, consolida cada vez mais sua reputação de unanimidade nacional.

  49. Zbigniew said

    O Barbosão é realmente um destemperado.
    Parodiando o Mino, até o mundo mineral sabe que as relações magistrados-escritórios de advocacia são… digamos… no mínimo suspeitas. Mas, ele sozinho jogando essas palavras ao vento não vai dar em nada. Melhor seria que, no comando do CNJ começasse uma veradeira investigação nos Tribunais neste sentido. Se falta-lhe coragem, age como um destemperado, um desequilibrado, e só.

  50. Otto said

    Puxa, Chesterzinho, a crise tá braba:

    Dieese: 94,6% dos reajustes salariais em 2012 ficam acima da inflação

    http://economia.estadao.com.br/noticias/economia-geral,dieese-946-dos-reajustes-salariais-em-2012-ficam-acima-da-inflacao,147813,0.htm

  51. Pax said

    Concordo, caro Zbigniew, com a necessidade do CNJ investigar os Tribunais.

    Mas… de um lado Joaquim Barbosa perdeu o apoio da mídia que o alçou a herói nacional. O mais breve herói da mídia que já vi. De outro temos o corporativismo das associações dos magistrados.

    Então teremos o que temos…

  52. Michelle 2 said

    Enquanto isso, rsrsrs o MEC continua “pegando us peixe”

    http://charges.uol.com.br/2013/03/20/cotidiano-receita-do-enem/

  53. Jose Mario HRP said

    Nosso congresso populista!
    Novos direitos trabalhistas para empregados domésticos são uma boa ou o caminho para o desemprego?
    E outra noticia bem triste.
    Foi embora Emílio Santiago.
    Nós aqui embaixo estamos ficando cada vez mais mal acompanhados!

  54. Homem de bem said

    Realmente, é um absurdo este congresso populista! Eles deviam reinstituir a escravidão!!!
    Pelourinho nas empregadas domésticas que querem direitos!!!
    Onde é que o mundo vai acabar assim?
    Classe média sem empregada é chique só na Europa!
    Aqui não, violão!!!

  55. Otto said

    Nitroglicerina pura:

    http://maureliomello.blogspot.com.br/2013/03/se-cuida-fhc.html#.UUnnyxzvvzw

  56. Edu said

    Otto,

    A sua pergunta é super pertinente: por que raios a venda de uma sorveteria pode ser tão diferente da venda de uma fábrica de ketchup?

    Porém sua pergunta, além de perniciosa é mal feita, na medida em que insta que eu explique especificamente em relação ao Serra. Posto que eu não sou advogado do Serra, parente, amigo, militante e nem sequer eleitor desse walking dead da política brasileira (como eu gosto de chamá-lo) eu me abstenho de explicar especificamente o caso dele.

    Aliás, este caso lembra o investimento da Oi na empresa do filho do Lula. E veja só que curiosidade: eu já perguntei ao Elias sobre este caso algumas vezes. E ele teria condições de dizer alguma coisa, afinal, ele é ex-militante, pessoa próxima, entende tudo dos bastidores políticos e até mesmo da personalidade de cada um dos companheiros, incluindo os mensaleiros. Ainda assim, ele ignorou completamente a pergunta.

    Então veja, se o Elias, que é amigo, ex-militante, e portanto pessoa próxima, se absteve de comentar o caso do Lulinha, por que eu deveria sequer tentar comentar o que vc pergunta?

    Então tome mais cuidado ao provocar alguém, meu caro poeta.

    —X—

    Mas, como eu sou legal, posso tentar de dar uma explicação bastante superficial do que pode acontecer para que a avaliação (valuation como os empresários gostam de chamar o processo de precificar a empresa antes de uma venda ou oferta de ações) pode ser tão diferente entre dois negócios.

    Antes de tentar apresentar as diferenças, vamos falar do que é geralmente considerado ao avaliar uma empresa:

    Normalmente o valor de uma empresa é definido a partir do fluxo de caixa futuro que uma empresa pode gerar para o acionista. Muitas vezes esse valor é ajustado pelo valor de ativos estratégicos (por exemplo: marcas, rede de distribuição, lista de clientes, etc) que não constam no balanço da empresa, mas que agregam muito valor ao negócio.

    Por que o fluxo de caixa? Por que o caixa é basicamente a coisa mais próxima que se tem de “dinheiro no bolso” para o acionista. Ou seja, não adianta nada a empresa ser um monstro e dar pouco dinheiro. Também pode se depreender daqui que é inútil botar dinheiro em uma empresa com rentabilidade baixa, ou com o grau de endividamento muito alto (pagar dívidas com bancos, fornecedores, etc tira dinheiro do caixa da empresa e, portanto, diminui o valor da mesma).

    Por que futuro? Porque presume-se que a empresa terá uma duração longa, e por isso ela trará dinheiro por bastante tempo ao acionista (longo prazo econômico e não o longo prazo contábil que o Totó gosta de se limitar). Então quem está avaliando a empresa faz uma projeção de quanto de fluxo de caixa a empresa vai gerar nos anos seguintes, soma esse valor e traz ao presente usando uma taxa de desconto arbitrada pelo interessado na compra (essa taxa pode ser o que o acionista quiser: inflação, poupança, CDI, retorno médio da bolsa de valores em 12 meses + inflação, e assim por diante. É óbvio que o acionista acaba escolhendo uma taxa maior que a poupança. Porque se for para investir na empresa esperando o retorno de uma poupança, o acionista simplesmente pega o dinheiro dele e investe na dita cuja, sacou?)

    Por que a marca e outros ativos estratégicos? O caso mais clássico é a Coca-Cola. Se vc estivesse comprando uma fábrica de refrigerante de cola qualquer cuja operação toda fosse idêntica à da Coca-Cola, vc ainda pagaria mais pela operação da Coca-Cola. Por que? Porque o simples fato de uma garrafa pet ter o logo da Coca-Cola nele, aumenta em x% as chances dessa garrafa pet ser vendida.

    Muito bem, então deixa eu tentar arranhar a superfície do porque a avaliação de um negócio pode ser tão diferente de outro:

    1 – Se o fluxo de caixa é diferente, as precificações das empresas saem diferentes. É só imaginar que uma sorveteria produz menos dinheiro no final de um ano que uma fábrica de ketchup. E nesse ponto, a sua intuição é correta.

    2 – Se a rentabilidade é diferente, as precificações saem diferentes. Aí a coisa começa a mudar: imagine que uma fábrica de ketchup tenha uma margem líquida de 5% e que a sorveteria tenha uma margem líquida de 15%. Concorda que, quando comparado ao próprio faturamento, a sorveteria produz mais dinheiro que a fábrica de ketchup? Talvez isso seja uma das explicações que vc queira saber.

    3 – Se a expectativa de crescimento é diferente, as precificações saem diferentes. Imagine que a sorveteria te dá 10.000 por ano, porém crescerá para 100.000 nos próximos 5 anos; e que a fábrica de ketchup dá 100.000 e crescerá para 110.000 nos próximos 5 anos. Concorda que o crescimento da sorveteria é maior que o crescimento da fábrica de ketchup? E concorda que por isso, quando você soma todos os fluxos de caixa futuros esperados esse valor líquido da sorveteria é muito maior, quando comparado ao faturamento atual (da sorveteri) do que o mesmo valor líquido da fábrica, quando comparado ao faturamento atual (da fábrica)? Talvez isso seja outro aspecto da explicação que vc quer.

    4 – Se os ativos estratégicos são diferentes, as precificações saem diferentes. Imagine que a Heinz tem uma marca muito mais importante no mercado que a marca da sorveteria, então talvez o preço da fábrica de ketchup aumente em relação ao seu faturamento, e talvez o inverso aconteça com a sorveteria. Novamente, sua intuição pode estar correta nesse ponto.

    Enfim, existe outro monte de considerações que são feitas ao se precificar uma empresa, todas elas aumentando ou diminuindo o valor da mesma. É praticamente impossível dizer olhando de fora se o valor pago por uma empresa foi ou não justo no momento da compra/venda. Conforme a empresa opera, aí sim é possível juntar algumas informações para ter uma visão melhor.

    —X—

    Tentando fazer uma ligação com sua pergunta capciosa, eu diria que a compra da sorveteria do Serra foi recente, é difícil dizer se o Lemman fez um bom negócio ou não; mas eu tenho certeza absoluta que o investimento da Oi no Lulinha foi um ótimo negócio (para os acionistas): é notável a quantidade de dinheiro que o BNDES (do alto de sua independência, como o Totó gosta de acreditar) investiu na Oi nos últimos anos. Se vc procurar, não vai achar um relatório sequer da administração da Oi falando sobre o retorno da empresa do Lulinha. Infelizmente, esse investimento não mudou nada para os cidadãos.

  57. Otto said

    Bom, Edu, a pergunta é mesmo porque a mídia é tão seletiva em suas investigações….

    Não é o Lulinha ou a Serrinha (que também podem ser problemas).

    Aliás, o Paulo Nogueira, sobe expressar muito bem esta indagação:

    “E se o filho de Lula fosse sócio do homem mais rico do Brasil?

    Antes do mais: certas perguntas têm mais força que mil repostas, e este é um caso.

    Bem, o título se refere a Verônica Serra, filha de Serra. Ela foi notícia discreta nas seções de negócios ontem quando foi publicado que uma empresa de investimentos da qual ela é sócia comprou por 100 milhões reais 20% de uma sorveteria chamada Diletto.

    Os sócios de Verônica são Jorge Paulo Lehman e Marcel Telles. Lehman é o homem mais rico do Brasil. Daí a pergunta do Viomundo, e Marcel é um velho amigo e parceiro dele.

    Lehman e Marcel, essencialmente, fizeram fortuna com cerveja. Compraram a envelhecida Brahma, no começo da década de 1980, e depois não pararam mais de adquirir cervejarias no Brasil e no mundo.

    Se um dia o consumo de cerveja for cerceado como o de cigarro, Lehman e Marcel não terão muitas razões para erguer brindes.

    Verônica se colocou no caminho de Lehman quando conseguiu dele uma bolsa de estudos para Harvard.

    Eu a conheci mais ou menos naquela época. Eu era redator chefe da Exame, e Verônica durante algum tempo trabalhou na revista numa posição secundária.

    Não tenho elementos para julgar se ela tinha talento para fazer uma carreira tão milionária.

    Ela não me chamou a atenção em nenhum momento, e portanto jamais conversei mais detidamente com ela.

    Mas ali, na Exame, ela já era um pequeno exemplo das relações perigosas entre políticos e empresários de mídia. Foi a amizade de Serra com a Abril que a colocou na Exame.

    Depois, Verônica ganhou de Lehman uma bolsa para Harvard. Lehman, lembro bem de conversas com ele, escolhia em geral gente humilde e brilhante para, como um mecenas, patrocinar mestrados em negócios na Harvard, onde estudara.

    Não sei se Verônica se encaixava na categoria dos humildes ou dos brilhantes, ou de nenhuma das duas, ou em ambas. Conhecendo o mundo como ele é, suponho que ela tenha entrado na cota de exceções por Serra ser quem é, ou melhor, era.

    Serra pareceu, no passado, ter grandes possibilidades de se tornar presidente. Numa coluna antológica na Veja, Diogo Mainardi começou um texto em janeiro de 2001 mais ou menos assim: “Exatamente daqui a um ano Serra estará subindo a rampa do Planalto”. (Os jornalistas circularam durante muito tempo esta coluna, como fonte de piada e escárnio.)

    Cotas para excluídos são contestadas pela mídia, mas cotas para amigos são consideradas absolutamente normais, e portanto não são notícia.

    Todos os filhos de políticos são iguais para a mídia , mas alguns são mais iguais que outros
    Bem, Verônica agradou Lehman, a ponto de se tornar, depois de Harvard, sócia dele.

    O nome dela apareceu em denúncias – cabalmente rechaçadas por ela – ligadas às privatizações da era tucana.

    Tenho para mim que ela não precisaria fazer nada errado, uma vez que já caíra nas graças de Lehman, mas ainda assim, a vontade da mídia de investigar as denúncias, como tantas vezes se fez com o filho de Lula, foi nenhuma.

    Verônica é da turma. Essa a explicação. Serra é amigo dos empresários de mídia. E mesmo Lehman, evidentemente, não ficaria muito feliz em ver a sócia exposta em denúncias.

    Lehman é discreto, exemplarmente ausente dos holofotes. Mas sabe se movimentar quando interessa.

    Uma vez, pedi aos editores da Época Negócios um perfil dele depois da compra de uma grande cervejaria estrangeira. Recomendei que os repórteres falassem com amigos, uma vez que ele não dá entrevistas.

    Rapidamente recebi um telefonema de João Roberto Marinho, o Marinho que cuida de assuntos editoriais. João queria saber o que estávamos fazendo.

    Lehman ligara a ele desgostoso. Também telefonara a seus amigos mais próximos recomendando que não falassem com os repórteres da revista. Ninguém falou, até mais tarde Lehman autorizá-los depois de ver os bons propósitos da reportagem.

    A influência de Lehman sobre João Roberto se deve, é verdade, à admiração que Lehman e seu lendário Grupo Garantia despertavam na família Marinho.

    Mas é óbvio que a verba publicitária das cervejarias de Lehman falam alto também. Um amigo me conta que em Avenida Brasil os personagens tomavam cerveja sob qualquer pretexto.

    Isto porque as cervejarias de Lehman pagaram um dinheiro especial pelo chamado ‘product placement’, ou mercham, na linguagem mais vulgar.

    O consumidor é submetido a uma propaganda sem saber, abertamente, que é propaganda. Era como se realmente os personagens tivessem sempre motivos para tomar uma gelada.

    Verônica Serra, por tudo isso, esteve sempre sob uma proteção, na grande mídia, que é para poucos. É para aqueles que ligam e são atendidos pelos donos das empresas jornalísticas.

    O filho de Lula não.

    Daí a diferença de tratamento. E daí também a força incômoda, por mostrar quanto somos uma terra de privilégios, da pergunta do site Viomundo.

    http://diariodocentrodomundo.com.br/e-se-veronica-serra-fosse-filha-de-lula/

  58. Edu said

    Otto,

    Meu caro poeta.

    Não se ressinta com os jornalões! Eu tenho certeza que vc, como portador de opinião própria e raciocínio claro, consegue separar os dois casos.

    Vamos só imaginar, poeta:

    O Serra foi ministro, prefeito, governador, e o que mais mesmo? E isso lá pelos idos de quando, mesmo? Vc consegue imaginar os benefícios incomensuráveis que os donos da Ambev poderiam auferir com o “patrocínio” à filha do Serra quando o Serra era alguma coisa, e a compra agora, que ele não é ninguém.

    Já o Lula foi presidente entre 2002 e 2008, e o negócio da Oi com o Lulinha foi em 2005. Com toda a certeza e clareza mais límpida do mundo os benefícios que a Oi auferiram pagando alguns milhões (1 milhão declarado) ao Lulinha são infinitamente menores oque o da filha do Serra.

    Segundo o artigo do isento Paulo Nogueira, o máximo que a Verônica Serra conseguiu na vida (que ele tem conhecimento) foi uma “posição secundária” numa revista de circulação nacional, e, segundo ele mesmo, o isento Paulo Nogueira, ela conseguiu isso por causa da influência do Serra. Mas ele mesmo retira tudo o que diz: “Não sei se Verônica se encaixava na categoria dos humildes ou dos brilhantes, ou de nenhuma das duas, ou em ambas.” É a isenção, né messsss?

    Já segundo o Lula, esse sim, com conhecimento de causa, afinal o Lulinha é o próprio filho! De funcionário de um zoológico passou a milionário investidor em Telecom, afinal, pelas palavras do próprio Lula: “é um Ronaldinho dos negócios”. E aí, poeta? Temos que levar em consideração ou desconsiderar o que o Lula diz sobre o próprio filho? Como é que fica a isenção dele?

    Minha modesta opinião é a seguinte: se existisse santo aqui, estaria voando. Vc vê alguém voar?

    E acho mesmo que é uma peninha mesmo que a imprensa maléfica e tendenciosa tenha focado tanto o Lulinha e não tenha focado nada a Serrinha.

    Fora isso, dá pra ver que o Lulinha pode até ser um ás nos negócios, mas o Lula não é… e digo mais: é muito pior que o Serra. Afinal, o Serra como candidato consegue fazer a filha usar dinheiro alheio para comprar uma empresa de 200 milhões e o Lula não consegue auferir nada além de 1 milhãozinho pro seu rebento.

  59. Michelle 2 said

    Edu

    E por falar em “bons negócios petistas” que tal o escabroso “causo” da Petrobras/Astra :

    1: Em janeiro de 2005, a empresa belga Astra Oil comprou uma refinaria americana chamada Pasadena Refining System Inc. por irrisórios US$ 42,5 milhões. Por que tão barata? Porque era considerada ultrapassada e pequena para os padrões americanos.

    2: ATENÇÃO PARA A MÁGICA – No ano seguinte, com aquele mico na mão, os belgas encontraram pela frente a generosidade brasileira e venderam 50% das ações para a Petrobras. Sabem por quanto? Por US$ 360 milhões! Vocês entenderam direitinho: aquilo que os belgas haviam comprado por US$ 22,5 milhões (a metade da refinaria velha) foi repassado aos “brasileiros bonzinhos” por US$ 360 milhões. 1500% de valorização em um aninho. A Astra sabia que não é todo dia que se encontram brasileiros tão generosos pela frente e comemorou: “Foi um triunfo financeiro acima de qualquer expectativa razoável”.

    3: Um dado importante: o homem dos belgas que negociou com a Petrobras é Alberto Feilhaber, um brasileiro. Que bom! Mais do que isso: ele havia sido funcionário da Petrobras por 20 anos e se transferiu para o escritório da Astra nos EUA. Quem preparou o papelório para o negócio foi Nestor Cerveró, à frente da área internacional da Petrobras. Veja viu a documentação. Fica evidente o objetivo de privilegiar os belgas em detrimento dos interesses brasileiros. Cerveró é agora diretor financeiro da BR Distribuidora.

    4: A Pasadena Refining System Inc., cuja metade a Petrobras comprou dos belgas a preço de ouro, vejam vocês!, não tinha capacidade para refinar o petróleo brasileiro, considerado pesado. Para tanto, seria preciso um investimento de mais US$ 1,5 bilhão! Belgas e brasileiros dividiriam a conta, a menos que…

    5: a menos que se desentendessem! Nesse caso, a Petrobras se comprometia a comprar a metade dos belgas — aos quais havia prometido uma remuneração de 6,9% ao ano, mesmo em um cenário de prejuízo!!!

    6: E não é que o desentendimento aconteceu??? Sem acordo, os belgas decidiram executar o contrato e pediram pela sua parte, prestem atenção, outros US$ 700 milhões. Ulalá! Isso foi em 2008. Lembrem-se que a estrovenga inteira lhes havia custado apenas US$ 45 milhões! Já haviam passado metade do mico adiante por US$ 360 milhões e pediam mais US$ 700 milhões pela outra. Não é todo dia que aparecem ou otários ou malandros, certo?

    7: É aí que entra a então ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, então presidente do Conselho de Administração da Petrobras. Ela acusou o absurdo da operação e deu uma esculhambada em Gabrielli numa reunião. DEPOIS NUNCA MAIS TOCOU NO ASSUNTO.

    8: A Petrobras se negou a pagar, e os belgas foram à Justiça americana, que leva a sério a máxima do “pacta sunt servanda”. Execute-se o contrato. A Petrobras teve de pagar, sim, em junho deste ano, não mais US$ 700 milhões, mas US$ 839 milhões!!!

    9: Depois de tomar na cabeça, a Petrobras decidiu se livrar de uma refinaria velha, que, ademais, não serve para processar o petróleo brasileiro. Foi ao mercado. Recebeu uma única proposta, da multinacional americana Valero. O grupo topa pagar pela sucata toda US$ 180 milhões.

    10: Isto mesmo: a Petrobras comprou metade da Pasadena em 2006 por US$ 365 milhões; foi obrigada pela Justiça a ficar com a outra metade por US$ 839 milhões e, agora, se quiser se livrar do prejuízo operacional continuado, terá de se contentar com US$ 180 milhões. Trata-se de um dos milagres da gestão Gabrielli: como transformar US$ 1,204bilhão em US$ 180 milhões; como reduzir um investimento à sua (quase) sétima parte.

    11:Graça Foster, a atual presidente, não sabe o que fazer. Se realizar o negócio, e só tem uma proposta, terá de incorporar um espeto de mais de US$ 1 bilhão.

    12: Diz o procurador do TCU Marinus Marsico: “Tudo indica que a Petrobras fez concessões atípicas à Astra. Isso aconteceu em pleno ano eleitoral”.

    13:Dilma, reitero, botou Gabrielli pra correr. Mas nunca mais tocou no assunto.
    _______________________

    Pega leve com o Ototó…se não qualquer dia ele sai “declamando” prosopopeias bocagianas , feito o irmão mais velho do Totó.E em galego moderno (fonte Times New Roman 12).
    Ai até as pedras da Catedral de Santiago de Compostela chorariam de vergonha.

  60. Michelle 2 said

    Ototó

    Pra aliviar a vergonha …um pouco de humor negro:

    Dilma deslocou para Roma a Corte de Dario; se Borat estivesse por lá, teria conseguido audiência

    Se Borat estivesse em Roma, teria conseguido uma audiência com a Corte Persa de Brasília…

    Democracia custa caro — ditaduras ainda mais… É claro que o deslocamento da presidente a Roma e alguns dias de estadia consomem uma boa grana dos cofres públicos. É do jogo. A questão é saber se estão gastando o razoável (ou “rasoavel”, segundo a nova ortografia da Escolinha do Professor Mercadante).

    A embaixada do Brasil em Roma está num período de troca de titular: o embaixador antigo saiu, e o novo ainda não chegou. Assim, informa Fabiano Maisonnave, na Folha, Dilma e parte de sua comitiva se hospedaram no luxuoso hotel Westin Excelsior, na Via Veneto. Só ali ocuparam 30 quartos. Outros 22 foram alugados em hotel próximo — 52 ao todo. A diária da suíte presidencial é de R$ 7.700; o quarto mais barato sai por R$ 910. Informa ainda a reportagem: “Já a frota alugada inclui sete veículos sedã com motorista, um carro blindado de luxo, quatro vans executivas com capacidade para 15 pessoas cada, um micro-ônibus e um veículo destinado aos seguranças.”

    Caramba! E isso tudo porque Dilma, de fato, não tinha agenda nenhuma na capital italiana que não assistir à missa de entronização do papa Francisco no Vaticano. A comitiva fez um esforço para arrumar ocupação para a presidente: ela visitou uma exposição de Ticiano, encontrou-se com José Graziano, o pai do natimorto Fome Zero e hoje diretor-geral da FAO, esteve com Giorgio Napolitano, presidente da Itália, que está deixando o cargo. Tudo cortesia. Nesta terça, houve ainda um papo-relâmpago com Cristina Kirchner, que chegou sem avisar. E houve alguns minutinhos com o papa neste quarta.

    Reitero: Dilma não tinha agenda de trabalho nenhuma em Roma, zero! Mesmo assim, leva tal comitiva junto que se faz necessário alugar 52 quartos e 14 veículos (segundo o Estadão, 17), o que inclui micro-ônibus, vans etc. Talvez só a Corte de Dario, no Império Persa, fosse menos modesta do que a Corte de Brasília.

    Parafraseando Drummond, escrevo: “Pra que tanta gente?, pergunta o meu coração?” É bem verdade, e quase me escapa, que Dilma se reuniu também com Borut Pahor, presidente da Eslovênia, país de 2 milhões de habitantes. Só a Zona Leste da cidade de São Paulo abriga 3,6 milhões…

    Os petistas classificam esse tipo de abordagem de “moralismo udenista”… Claro, claro! No dia em que Dilma se deslocar para assinar um tratado comercial verdadeiramente importante, quantos quartos serão necessários? Se, para não trazer um tostão ao país, 52 foram alugados, um acordo que nos rendesse R$ 1 já elevaria a necessidade de quartos ao infinito. Trata-se de um raciocínio puramente matemático, um saber que vai se tornando um exotismo reacionário no Brasil.

    É…

    A gente sabe como se dá o fenômeno da multiplicação de assessores. Vejam o caso: o ministro Antonio Patriota (Relações Exteriores) acompanhou a presidente. Faz sentido. Também estava lá Helena Chagas (Comunicação Social). Vá lá. Sempre há notícia… Mas o que fazia junto Gilberto Carvalho (secretário-geral da Presidência)? “Ah, é que é ele o católico da turma; consta que o ex-seminarista ficava explicando a Dilma os passos da missa papal”. Tá. E Aloizio Mercadante? Foi renovar os seus votos de notório militante católico? Sabem como é… Cada um desses grandes tem seus respectivos assessores, estafetas e coisa e tal. E assim vai se formando a Corte de Dario e seu séquito de eunucos…

    O PPS anunciou que quer saber quanto se gastou nessa viagem. Deve solicitar informações, na verdade, sobre o custo dos deslocamentos de Dilma ao exterior. Uma das pechas que o PT colou em FHC é que ele passava tempo demais fora do Brasil…

    Numa de suas primeiras manifestações públicas, o papa Francisco instou seus conterrâneos argentinos a não gastar dinheiro se deslocando para Roma. Pediu que doassem o valor correspondente aos pobres. Dilma deslocou a Corte de Dario até Roma e lá reiterou seu compromisso com os despossuídos.

    Dilma esteve com o tal Borut, presidente da Eslovênia. Se o que quase xará, Borat, estivesse em Roma, teria conseguido uma audiência com a presidente. Afinal, era preciso preencher o tempo…

    Por Reinaldo Azevedo

  61. Pax said

    http://blogdojuca.uol.com.br/2013/03/mais-um-audio-explosivo-de-marin/

    José Maria Marin… pois, então.

    Império da Corrupção. Epidemia generalizada.

  62. Pax said

    Epidemia, pandemia, império mesmo… em todas as áreas.

    Aqui, nas artes: ECAD condenada por formação de cartel.

    http://exame.abril.com.br/economia/noticias/cade-condena-ecad-por-cartel-no-mercado-musical

  63. Michelle 2 said

    Pax

    Como discordar?

  64. Patriarca da Paciência said

    Muito bem, besta desvairada!

    Essa é a tua turma, a tua verdadeira natureza!

    Continue aí com seus rola-bostas 100% idiotas, suas “bonecas infláveis e botoxizadas” etc.etc.etc.

    Ouvi dizer que o rola-bosta 100% idiota falou mal da presidenta Dilma por ter preferido a ditadura da Venezuela à democracia paraguaia!

    Realmente espantoso l

    Então o rola-bosta 100% idiota considera o Paraguai uma democracia modelo?

    A claque do rola-bosta 100% deve aplaudir de pé!

  65. Edu said

    Vcs viram que o Papa já operou um milagre?!

    Ele conseguiu fazer com que alguém gostasse de um argentino…

  66. Edu said

    Totó,

    Falando em Venezuela, veja um exemplo da maravilha que foi o governo Chavez.

    Fonte: http://economia.uol.com.br/noticias/afp/2013/03/20/ambev-abandona-venezuela-diante-de-situacao-inviavel.htm

    Alguns excertos:

    “A Ambev encerrará suas operações na Venezuela depois de sete anos de prejuízos, que deixaram a empresa diante de uma situação “inviável” para manter suas atividades no país, iniciadas em 1994,…”

    “os prejuízos da empresa “se somaram ao persistente crescimento dos custos operacionais e a um ambiente para a indústria cervejeira muito complexo””

    Comento: que os custos operacionais devem ter crescido, é óbvio, agora eu fico imaginando o que seria “um ambiente muito complexo”. Não deve ter absolutamente nada relacionado à política chavista mesmo…

    “A companhia destacou que “cumprirá com todas as exigências das leis venezuelanas” para garantir os direitos de seus 364 trabalhadores,”

    Comento: quero saber se o presidente interino está maduro o suficiente para saber o que fazer com os 364 trabalhadores que irão para o olho da rua. Provavelmente deve ser culpa do Paulo Lehman, que resolveu gastar o dinheiro dele com a Serrinha, em vez dos pobres venezuelanos, né messsss?

    “Segundo o economista Jesús Casique, as empresas estrangeiras na Venezuela têm sido afetadas pela desvalorização de quase 32% no bolívar adotada em fevereiro passado, e pelo severo controle cambial vigente no país desde 2003, “o que dificulta a obtenção de divisas para importar matéria-prima”.

    A estas dificuldades se somam o controle dos preços por parte do governo, principalmente sobre os produtos básicos, impedindo “que as empresas reajustem seus preços”, apesar da desvalorização da moeda.”

    Comento: Achei que o Chavez tinha feito milagres com a economia da Venezuela… ahhh… agora tá explicado o crescimento dos custos operacionais. Dá pra entender, Totó, contador? Ou vc quer que eu cite Shakespeare? Quem sabe daí o nosso poeta também entenda…

    —X—

    Na verdade, o Maduro tá errado: quem matou o Chavez foi a Ambev, tudo porque o Paulo Lehman resolveu comprar uma sorveteria da Serrinha. É uma pena mesmo… fosse o Chavez mais capitalista, talvez o Paulo Lehman tivesse pago um tratamento melhor do que o que ele recebeu em Cuba. Se bem que sabemos que o que cura câncer não necessariamente cura loucura, né?

  67. Edu said

    Totó,

    Mais uma pra vc, contador de curto-prazo:

    Fonte: http://economia.uol.com.br/financas-pessoais/noticias/redacao/2013/03/21/o-rendimento-da-poupanca-ainda-vale-a-pena.htm

    Destaco um parágrafo específico: “Conforme a taxa básica atual, o rendimento calculado para a poupança ainda desfavorece o investidor: apenas 5,08% neste ano, abaixo, portanto, da inflação projetada para 2013.”

    Como queríamos demonstrar.

  68. Patriarca da Paciência said

    Claque do rola-bosta 100% idiota, você descobriu a pólvora!

    Você merece uma estátua de ouro puro por tamanha descoberta!

  69. Zbigniew said

    Edu,
    usar a Inbev como índice de saúde da economia venezuelana… cê tá de sacanagem!
    Dá uma olhadinha na tabela abaixo:

  70. Jose Mario HRP said

    Resposta a
    Homem De Bem disse

    20/03/2013 às 13:40

    Sabe duma coisa?
    Vamos esperar as consequencias dessas novos direitos para domésticos , pois certamente até mesmo os defensores desses direitos andam dando entrevistas reconhecendo que haverá desemprego, pois os custos se elevarão, e esses mesmos defensores(associações e ONGs) já pressionam o governo a assumir parte desse ônus para evitar desemprego e informalidade.
    Eu não vivo numa realidade paralela, e na minha realidade o lado mais fraco acaba pagando pela pressa dos fora da realidade.
    KKKK….

  71. Pax said

    20 mortos, ainda há desaparecidos… e chega a notícia que em Friburgo somente 1,2% das obras de contenção foram realizadas, isso depois da tragédia que matou mais de 1.000 em 2011.

    Sinceramente está chato viver neste país onde impera a corrupção.

    Friburgo foi onde pegaram prefeito e mais alguns metendo a mão no dinheiro destinado para as vítimas de 2011.

    Petrópolis, Teresópolis, Friburgo, Angra, Cubatão, toda encosta da Serra do Mar tem problemas de instabilidades de solo acentuados com ocupação irregular que ninguém faz nada porque tira votos. E vidas.

  72. Pax said

    A grande mídia agora está preocupada com a Justiça? Agora?

    OGloboPolitica ‏@OGloboPolitica 7m
    E-mail vazado por engano levanta desconfiança sobre decisão no CNJ, diz jornal. http://ow.ly/jhPVH
    Expand

    Folha Poder ‏@folha_poder 7m
    Desembargador nega que tenha participado de conluio no CNJ. http://folha.com.br/no1249998
    Expand

  73. Michelle 2 said

    Este video é sobre o tema preferido do Totó:

    Marcus Byrne: A dança do besouro rola-bosta

  74. Michelle 2 said

    segue o link:

    http://www.ted.com/talks/lang/pt-br /marcus_byrne_the_dance_of_the_dung_beetle.html

  75. Michelle 2 said

  76. Edu said

    Zbig,

    Responda:

    Analisando o quadro, então, a diretoria executiva da Ambev, a maior empresa da América Latina, está tomando uma decisão errada de sair da Venezuela então?

    A maior cervejaria do mundo está saindo da Venezuela porque é incompetente para gerir a sua operação?

  77. Edu said

    Totó,

    Ué… então vc concorda que a poupança hoje é um mau investimento?

    Achei que vc, do alto de sua sabedoria contábil de curto-prazo, achasse que a poupança fosse um excelente investimento…

    Mais uma vez, desculpe te incomodar.

    Ah, em tempo:

    Vc esqueceu de explicar pra gente como é que vai funcionar essa agência reguladora da mídia aqui no Brasil.

  78. Pax said

    Esse Paulo Bernardo…

    http://www1.folha.uol.com.br/poder/1250001-petistas-criticam-ministro-das-comunicacoes-por-concessoes-a-teles.shtml

  79. Edu said

    Otto,

    Veja isso: http://economia.uol.com.br/noticias/redacao/2013/03/21/agencia-de-risco-rebaixa-caixa-e-bndes-apos-medidas-do-governo.htm

    Especialmente essas partes:

    “… a Moody’s afirma que a decisão de rebaixar as notas se deve à deterioração na qualidade de crédito intrínseca dos bancos e, particularmente, o enfraquecimento das suas posições de capital de nível 1″”

    “A agência comenta que as instituições têm sido usadas como instrumentos de política anticíclica do governo e que isso tem provocado forte aumento dos ativos, tendo como contrapartida uma redução dos indicadores de capital.”

    O que vc acha?

    O governo está ou não adotando medidas anticíclicas?

    Se não está, então por que o governo está enfraquecendo as posições de capital dessas empresas?

    Se está, por que simplesmente não admitimos que há medo por parte do governo de crise econômica?

  80. Michelle 2 said

    Edu

    Quando puder assista ao video acima #75.

    Eu tenho orgulho de pertencer à claque do “rola bosta”

    Eita bichinho inteligente! No Brasil somos uma das melhores armas contra as “mosca-dos-chifres” (os petistas).

    Depois assista ao video abaixo:

    hehehe

  81. Edu said

    Esqueci de dizer:

    Zbig,

    O Otto pensa que eu sou advogado do Serra, ou da Abril, e que, por ser advogado de algum deles, eu consiga explicar a ele por que o Paulo Lehman contribuiu para a bolsa de Harvard da Serrinha ou porque ele ajudou a Serrinha a comprar a Deletto.

    Pois bem, vamos juntar o seu comentário com a pergunta do Otto:

    Ao responder o #76, tente argumentar da melhor forma possível, da maneira mais completa possível, expondo todos os pontos, fontes, etc (por favor, nada de hinos de clubes de futebol que quem vai corrigir não é contratado pelo Mercadante).

    Eu vou encaminhar a sua “tese de investimento” para os meus contatos, quem sabe essa tese chegue às mãos dos donos da Ambev, quem sabe, com um quadrinho da economia da Venezuela, você consiga convencê-los de que a Venezuela é, na realidade, um excelente país para se ter uma operação de cervejaria.

    Quem sabe, com os indicadores do governo chavista você consiga convencer os sócios da Ambev a Venezuela é um país cuja economia é tão sólida e crescente, que é possível montar uma operação de qualquer negócio lá que seria muito lucrativo!

    Se vc tiver dificuldade com as fontes ou com as análises econômicas, pode pedir ajuda ao Totó. Ele entende tudo de economia, principalmente de longo-prazo! Aliás, como ele é muito culto e multidisciplinar, eu tenho certeza que ele tem a clareza necessária para colocar todas as ideias em ordem adequada e com argumentos poderosos.

    Se vc for bem sucedido, vc sera o homem que venderá a Venezuela à Ambev! O que vc acha?

    Ah… é verdade… vc, como todo bom esquerdista, é contra o capitalismo, contra os lucros, contra as empresas, o imperialismo, blablabla…

    Bom, mesmo assim, faça uma força.

    Quem sabe vc convença os sócios da Ambev patrocinar a continuidade do governo chavista para levar o bolivarianismo para o resto do mundo… talvez a utopia sobreviva algumas décadas além das reservas de petróleo do país.

  82. Michelle 2 said

    O Império da Corrupção, da Incompetência e do Abuso se confirma:

    Para Presidência, 51 quartos por R$ 324 mil para abrigar comitiva de Dilma é padrão

    DE BRASÍLIA

    A Presidência da República confirmou na noite desta quinta-feira (21) que a viagem de Dilma Rousseff à Itália envolveu o aluguel de 51 quartos de hotel. Apenas com hospedagem, o governo federal gastou 125,99 mil euros, ou o equivalente à R$ 324 mil.

    Dilma, quatro ministros, assessores mais próximos e seguranças se hospedaram no hotel Westin Excelsior, na Via Veneto, um dos endereços mais sofisticados de Roma, num total previsto de 29 quartos. Outros 22 quatros foram alugados no hotel Parco dei Principi para o restante da equipe de apoio.

    A Presidência não informou, contudo, o valor gasto com transporte tampouco o número de carros alugados. Também não esclareceu os custos com diárias nem o número total de integrantes da equipe que viajou com Dilma para a missa inaugural do papa Francisco.

    Para a Presidência nem os gastos nem a estrutura mobilizada fogem da rotina de viagens internacionais de Dilma. “As questões logísticas da visita presidencial a Roma realizada entre 16 e 20 de março corrente não representam qualquer inovação em relação às visitas internacionais anteriores dos presidentes da República Federativa do Brasil”, informou a Secretaria de Imprensa da Presidência dizendo que, “como de praxe”, os fastos foram bancados pelo Ministério das Relações Exteriores conforme prevê a legislação.

    Apesar de não ter informado o número exato da comitiva, a Presidência esclareceu que a composição foi “padrão”, com profissionais de segurança, comunicação, cerimonial, apoio à imprensa, saúde, interpretação e tripulação.

    Ainda segundo a Presidência, o Gabinete de Segurança Institucional lista o nome de todos os funcionários e convidados e encaminha a relação, junto com uma exposição de motivos, ao MRE. A lista completa da comitiva, contudo, não é tornada pública, ficando “aos cuidados do GSI, à disposição dos órgãos de controle”.

    As diárias pagas a cada servidor são, de acordo com a Presidência, publicadas no Portal da Transparência de forma individualizada. No entanto, sem alista de quem viajou com Dilma Rousseff, é praticamente impossível identificar o valor exato pago aos funcionários.

    Além de hotel pago pelo Itamaraty e assento no avião da Força Aérea, ministros convidados pela Presidência têm direito a receber 70% da diária internacional que varia de acordo com o país. No caso de viagens à Itália, o valor da diária para autoridades é de US$ 460.

    Nesta quinta-feira, o ministro Gilberto Carvalho (Relações Institucionais) afirmou que tratar dos custos da viagem é “falta de assunto” e que o mais importante é concentrar nos resultados do encontro de Dilma com Francisco. “A exploração desse assunto só pode ser atribuída à falta de percepção para assuntos mais importantes. Uma informação relevante, por exemplo, é que a presidenta foi a primeira Chefe de Estado a ser recebida pelo Papa após a sua posse”, disse Carvalho, de acordo com a assessoria da Secretaria-Geral da Presidência.
    ____________

    “falta de percepção para assuntos mais importantes”

    É muita sem-vergonhice!

  83. Michelle 2 said

    O Império da Corrupção, da Incompetência e do Abuso se confirma:

    Total de mortes por causa de deslizamentos vai a 31 em Petrópolis.(Estadão)

    As vítimas são culpadas! afirmou a presidAnta, conforme acima

  84. Pax said

    E agora, josé?

    http://www1.folha.uol.com.br/poder/1250460-empreiteiras-pagaram-mais-da-metade-das-viagens-de-lula-ao-exterior.shtml

    É ilegal? É amoral?

  85. Patriarca da Paciência said

    A besta desvairada desvairou de vez.

    A presidenta Dilma foi correta e digna. Em nenhum momento falou que “vítimas são culpadas”, muito pelo contrário, falou sim, que o governo não deve permitir que pessoas morem em área de risco, o que é mais que correto. E que o governo tem a obrigação de dar apoio e ampara para todas essas pessoas.

  86. Patriarca da Paciência said

    Outra tempestade em copo d’água é transformar uma simples rotina padrão de viagens internacionais do governo brasileiro em algo escandaloso.

    Só mesmo na cabeça de rola-bostas 100% idiotas e suas respectivas claques.

  87. Patriarca da Paciência said

    Caro Pax,

    Lula não detém mais nenhum cargo público. Qual é o problema de promover negócios internacionais?

    Promover negócios que são do interesse do governo brasileiro, totalmente financiados por empresas privadas, sem gastar um só tostão de dinheiro público, é algo errado?

    Ou seria uma tentativa de “alavancar” empresas nacionais?

  88. Pax said

    A questão, caro Patriarca, é dizer claramente ou mentir descaradamente.

    Veja aqui, segundo a reportagem (que devemos desconfiar… mas cobrar a tal da verdade)

    “Segundo nota divulgada pelo Instituto Lula na ocasião, o objetivo era a “cooperação em políticas públicas e ampliação das relações internacionais”

    Quer viajar a serviço das empreiteiras? Ok, segundo o dito, não há lei que impeça. Até aí tudo normal. Mas que tal dizer o real motivo?

    De novo, vamos devagar nas pedras, é claro que é a imprensa fazendo seu papel que nem sempre concordamos, mas a notícia está aí e ou ela é desmentida ou Lula precisa fazer as pazes com a verdade.

  89. Pax said

    Carambas….

    1 – só agora vi este vídeo que o Marcos Feliciano divulgou…

    http://oglobo.globo.com/pais/video-pro-marco-feliciano-ataca-opositores-de-deputado-7876394

    Tem mais é que sair mesmo.

    2 – Henrique Eduardo Alves – carinha de anjo… práticas de canalha mesmo

    http://g1.globo.com/politica/noticia/2013/03/camara-reajusta-cota-parlamentar-em-12-e-auxilio-moradia-em-23.html

  90. Pax said

    “Candidato a estorvo” – Josias pegando pesado com Serra, tadinho…

    http://josiasdesouza.blogosfera.uol.com.br/2013/03/22/candidatura-de-eduardo-e-boa-diz-jose-serra/

  91. Patriarca da Paciência said

    Caro Pax,

    é urgente reconhecer que esse pessoal defensor da obscuridade existe mesmo, não é pouco, e precisa ser levado a sério.

    Entre eles há muitas pessoas de boa fé que apenas acham que “estão lutando do lado certo”, “fazendo a vontade de Deus” etc.

    Precisam urgentemente serem esclarecidas.

    É uma luta difícil.

    É uma verdadeira guerra a ser travada.

    Se eles lerem esse meu despretensioso comentário, vão sair por aí dizendo que eu estou aconselhando a “pegar em armas”.

  92. Otto said

    Oi, Edu, trago aqui um comentário de quem conhece muito a Serrinha.

    Eu sei que você não é advogado dela ou do pai dela, o verdadeiro cadáver insepulto e indigesto do Brasil, mas apenas para mostrar a indignação seletiva da mídia:

    “É mais uma operação suspeita, que acontece após o pleito eleitoral . Como dinheiro não nasce em árvore (tem de ter origem justificada), eu, que investiguei os negócios da filha de Serra por mais de 10 anos, me fiz imediatamente um amontoado de perguntas após a nova sociedade de Verônica ser revelada:

    Onde ela arrumou toda essa dinheirama para entrar no negócio?

    De onde veio toda grana desses fundos?

    Foram internadas por offshores de paraísos fiscais?

    São questões a serem investigadas.”

    Amaury Ribeiro Jr.

  93. Pax said

    Também gostaria de saber de onde a filha do Serra arrumou tanta grana.

    Só de curiosidade. Lulinha e Moniquinha fazem uma bela dupla de gênios do empreendedorismo, segundo o noticiário.

    E vamos nos lembrar do protegido do Vaccarezza?

    Não custa mantermos a memória viva, já que Odair Cunha, o jovem Odair, foi pro ostracismo.

    Cachoeira deveria devolver 100 milhões… e não vai. Aposto o pescoço do Chesterton, velho e bom Chesterton, que deve estar com o Elias, velho e bom Elias, em algum esconderijo da blogosfera em atos secretos de amor e libidinagem…

    http://g1.globo.com/goias/noticia/2013/03/grupo-de-cachoeira-e-condenado-perder-r-100-milhoes-em-bens.html

  94. Edu said

    Sobre a Serrinha e cia.

    Otto e Pax,

    Pois que investiguem todos! Só que eu acho que é perda de tempo, afinal, esse tipo de coisa acontece todos os dias no mundo empresarial.

    Pensem bem: onde o Eike Batista arrumou tanta grana?

    Minha modesta opinião: há ideias de negócio boas e há bons vendedores de ideias de negócios. Juntar uma coisa com a outra necessariamente movimenta alguns milhões.

    Já vi isso ao vivo mais de uma vez: planos de negócio de ideias mirabolantes com apresentações maravilhosas, cujas contas de chegada respondiam a quaisquer dúvidas de investidores, mesmo os investidores mais questionadores e experientes.

    Estes em específico só acompanhei nos noticiários, mas também podem ser enquadradas nesse rol: Brenco, todo o modelo de ecodiesel brasileiro (até hoje, sem ajuda do governo não existe uma empresa que lucrou um real sequer), a fusão da Oi com a Telemar; e temos casos internacionais aos montes também: a tentativa de transformar a Xerox na “the document company”, a crença de que o Napster levaria a uma revolução musical na internet; a união da Sony-Ericsson para a produção de celulares e por aí vai.

    No mundo das ideias, esses negócios são lindos, lucrativos, atendem todos os requisitos de responsabilidade ambiental e social, verdadeiras maravilhas do mundo dos negócios.

    Na realidade são ideias que fazem sentido, vendidas por pessoas comercialmente extremamente hábeis e muitas vezes previamente patrocinadas por um fundo de private equity interessado somente na venda da ideia, e não na perenidade do negócio.

    —X—

    Sobre as viagens do Lula.

    Pax,

    Mas é claro que qualquer empreiteira pagaria uma viagem ao Lula até a lua se fosse necessário. Como já dito antes, o PAC está para as empreiteiras assim como o plano real estava para os banqueiros.

    Do ponto de vista legal eu sinceramente não vejo problema nenhum.

    Qualquer empreiteira pode pagar viagem pro Lula. Nesse ponto eu concordo com o Totó: ele é um civil, pode fazer o que quiser, desde que não interfira no governo. Se ele está articulando outras questões políticas pessoais, não há problema, porém, se essas viagens estiverem ligadas ao governo federal de alguma maneira, aí é o caso de investigar.

    Do ponto de vista ético, é óbvio que isso é mais uma daquelas questões limítrofes, né?

    —X—

    Aí vem minha pergunta para o Totó:

    Se o governo montar uma entidade para regular a mídia, devemos esperar o que dessa entidade? Será que códigos de ética estipulados serão seguidos?

    O Totó, o leitor mais ávido do universo, finge que não lê. E se lê, é claro que não tem argumentos para responder. Aliás, será mesmo que tem argumentos?

    O melhor argumento que ele apresentou até agora foi: “A Inglaterra fez!” – isso porque ele é o único por aqui que tem pensamento próprio hein? Imagina se ele repetisse as ideias dos outros!

    —X—

    Sobre a Venezuela: estou aguardando a resposta do Zbig, do Totó, e de quem mais quiser “vender” a Venezuela a investidores estrangeiros.

    —X—

    Sobre a viagem da Dilma

    Michelle,

    O Brasil é um país rico agora. É praticamente o umbigo do universo nesse exato momento: a economia vai bem, regime de pleno emprego, a renda subindo, zero de dívida externa. Como tudo isso só foi conquistado graças ao PT, nada mais justo que “premiar” essa bela execução política ao sucesso do mais incrível país do mundo com uma viagenzinha de visita ao Papa, mesmo depois que essa mesma turma obrigou a todas as instituições públicas retirarem quaisquer alusões religiosas de instituições públicas.

  95. Patriarca da Paciência said

    “Mas já se enxerga pus no fim do túnel.” (do link postado pelo Pax no
    comentário 90)

    É um achado e tanto do Josias. Realmente, onde o Serra aparece, parece que logo surge algo de podre.

    Imagina só o Eduardo Campos, Ciro Gomes, Roberto Freire e Serra no mesmo palanque! O tucano socialista, o político “do caralho”, o político “descaralhado” e o político do obscurantismo, formarão um trio e tanto. Vai ser uma verdadeira tragicomédia, ou uma comédia de horrores.

    Torço também para que sua excelência, ministro Joaquim Barbosa, também entre no páreo. Aí a festa fica completa!

    Informo que de hoje em diante não responderei mais a nenhum comentário da claque do rola-bosta 100% idiota.

    Que fiquem lá martelando em seus “longos prazos”, seus “investimentos em poupança para obterem ganhos astronômicos”, suas repetições enfadonhas dos longos e enfadonhos textos do rola-bosta 100% idiota (é a única maneira de saberem no que estão pensando) e tudo mais.

    Realmente tais assuntos não me interessam muito!

  96. Edu said

    hahahahahaha

    #95 “mimimimimimimi” – Totó

    Não aguenta o tranco, Totó?!

    É uma pena, eu tenho certeza que vc contribui muito para o conhecimento econômico de todos aqui no blog.

    —X—

    Estava lendo com mais cuidado o lance das viagens do Lula.

    O Lula já ganhou milhões de reais das empreiteiras para financiamento das campanhas do PT.

    O Elias, que estava metido em todas até o ano passado, poderia explicar melhor como foi isso – coisa que ele não faz, nunca fez, e nunca fará, obviamente.

    Agora o Lula está ganhando milhões de reais para si mesmo, pessoa física, o que é muito justo, afinal, Lula foi o maior marketeiro institucional das empreiteiras brasileiras aqui no Brasil e lá na África durante todo o seu mandato.

    O pessoal do PSDB tá estrilando pq? Tá com medo do Lula pegar essa grana toda para concorrer a alguma outra eleição? Doar essa grana para o PT?

    Se eu fosse o Lula enfiaria toda essa grana debaixo de um colchão bem grande. Sumiria com esse dinheiro. Investiria. É uma pena que as empresas aliadas do Lula: Petrobras, Telemar e construtoras de maneira geral estão tomando pau na bolsa. Será que o Lula vai ter que apelar para empresas inimigas, os bancos malígnos?! huá huá huá

    Se eu fosse do PSDB eu ficaria sossegado. Só se o Lula fosse completamente maluco, ele colocaria dinheiro pessoal numa campanha do PT.

    Se eu fosse do PT, torceria muito, mas muito mesmo para que o marketing institucional do Lula rendesse muitos milhões para essas empreiteiras, assim quem sabe elas financiariam as próximas campanhas do PT com mais dinheiro ainda.

  97. Edu said

    O Otto tem reclamado da Mídia, que não cobre o caso da Serrinha…

    Fico pensando se é verdade ou não o que a Globo e o Rola-bosta estão publicando sobre as construções ridículas do programa Minha Casa Minha Vida.

    Fonte: http://veja.abril.com.br/blog/reinaldo/geral/em-duque-de-caxias-moradias-do-minha-casa-minha-vida-inundaram-foram-construidas-em-area-de-mangue-ainda-que-deus-fosse-brasileiro-como-quer-dilma-teria-de-lutar-com-as-leis/

    Excerto:

    “São 389 casas do programa Minha Casa, Minha Vida, do governo federal, destinadas a famílias que viviam em áreas de risco ou violentas. O projeto saiu por R$ 17,5 milhões, segundo a Caixa Econômica Federal. Os moradores pagam prestações que variam de R$ 25 a R$ 120.

    Além de algumas casas encherem durante as chuvas, algumas apresentam problemas estruturais. Em uma delas, há rachaduras por todo o quarto. É um problema muito antigo, segundo o próprio morador da casa, que teve que sair.”

    E aí Pax? E aí Otto? E aí Totó?

    A imprensa malígna tem que fazer o que? Continuar quietinha a respeito disso? Ou alguém tem que ir lá investigar?

    Na verdade, não vi o Kotscho, o PML, o LN, o Rovai, o PHA, o Rodrigo Vianna, ninguém da imprensa “isenta” dizer nada a respeito…. infelizmente.

  98. Otto said

    Edu, a mídia tem que repercutir isso aí, claro, mas não só isso, que tal investigar os múltiplas e misteriosos incêndios nas favelas paulistas durante a gestão Kassab/Serra? Que isso? Solução final à paulista?

    Ah, e sobre uma celebridade blogueira que esteve recentemente por estas plagas:

    A visita da dissidente cubana Yoani Sánchez ao Brasil, no mês passado, teve como justificativa o lançamento do filme “Conexão Cuba-Honduras”, do cineasta Dado Galvão, ativo colaborador do Instituto Millenium. Ela virou estrela da mídia colonizada, foi ciceroneada pelo senador Eduardo Suplicy (PT-SP), teve como guarda-costas o fascistóide Jair Bolsonaro (PP-RJ), recebeu beijos dos demotucanos, paralisou uma sessão ordinária da Câmara Federal e até pediu “ajuda” ao mineiro Aécio Neves, o cambaleante presidenciável do PSDB.

    Agora, porém, surgem novos detalhes sobre a turnê mundial da bajulada “blogueira” cubana. Poderosas empresas, como a Telefônica da Espanha, ligada à seita Opus Dei, aparecem como financiadoras da sua viagem. ONGs manietadas pelo governo dos EUA também ajudam a pagar sua conta. Grupos vinculados à máfia cubana de Miami recebem a dissidente em vários países. O mais curioso, porém, foi a recepção a Yoani Sánchez nos EUA nesta semana. Uma notória apoiadora do golpe em Honduras esteve sempre ao seu lado.

    O atento blogueiro cubano Iroel Sánchez registrou o fato inusitado no seu blog “La Pupila Insomne”. Irônico, ele mandou um recado ao cineasta brasileiro Dado Galvão. Reproduzo abaixo seu texto e fico no aguardo da resposta do colaborador do Instituto Millenium, o antro que reúne os barões da mídia nativa.

    *****

    Enviar, por favor, a @DadoGalvao

    O cineasta brasileiro Dado Galvão fez um documentário intitulado Conexão Cuba Honduras.

    A obra de Galvão faz uma polêmica entre a liberdade de expressão em Cuba – centralizada na blogueira Yoani Sánchez – e a situação vivida pelos jornalistas em Honduras após o golpe de estado protagonizado por Roberto Micheletti.

    Como é conhecido, uma das figuras que mais apoiou Micheletti e as suas atrocidades foi a congressista cubano-americana Ileana Ros-Lehtienen, do partido Republicano. Na ocasião, ela era a presidenta do Comitê de Relações Exteriores da Câmara de Representantes dos Estados Unidos.

    Gostaria de saber o que pensa agora o senhor Galvão, quando vê a sua protagonista junto à mesma pessoa que viajou explicitamente a Honduras para apoiar o golpe de Micheletti, enquanto os jornalistas hondurenhos eram reprimidos e assassinados.

    http://altamiroborges.blogspot.com.br/2013/03/yoani-desmoraliza-cineasta-brasileiro.html#more

  99. Zbigniew said

    389 casas, Edu?!!! Mell Dellls!!! Esse programa Minha Casa Minha Vida é uma pilhéria! Como se vê, para criticar a “onintorrinca” vale qualquer coisa. Mas não vai pegar, viu?!!
    Erros existem, mas não invalidam o programa, caro Edu. Se pensares diferente estarás fazendo proselitismo político, na linha da oposição a la PSDB. Essa que costumou-se chamar de fajuta e que, há pouco mais de um ano das eleições, já está se esfacelando.

    Quanto à Venezuela, a questão econômica não é boa, os fundamentos são fraquíssimos e o Chavez escolheu a estatização sem um programa de estímulo à iniciativa privada. Por aí a crítica é válida e é um dos pontos fracos do governo, inclusive por mim apontado em um outro comentário sobre a Venezuela.

    Mas, mesmo assim, vocês de direita não conseguem convencer o povão a votar nos seus programas. Por que será, caro Edu? Será que é porque pela primeira vez na história de países – como a Venezuela do Chavez – o povão está participando da cidadania? Será que é porque, apesar de todos os problemas, o povão está tendo acesso a casa própria, geladeira própria, e, principalmente, a um emprego (coisa rara na época – na verdade em todas as épocas) que vocês governaram? Responda, caro Edu, mas sem tergiversar.

  100. Zbigniew said

    E aqui o último texto de Fernando Lyra sobre a “ornintorrinca”. Muito bom, principalmente quanto a abordagem relativa aos royalties e subsídio à educação.

    “Da Carta Capital

    No gosto do povo

    Técnica competente e política habilidosa, Dilma Rousseff está em situação confortável para a disputa eleitoral de 2014.

    Quando o presidente Lula anunciou Dilma Rousseff como sua candidata à Presidência, a reação foi de completa perplexidade. Executiva decidida e conhecida por suas opiniões fortes, Dilma nunca havia concorrido a uma eleição. Tinha uma história de vida complexa, uma reconhecida competência técnica e uma experiência de sucesso substituindo o até então insubstituível ministro José Dirceu na Casa Civil do governo. Mesmo assim, essas credenciais pareciam insuficientes, até porque ela não era uma petista histórica, suas raízes partidárias estavam no PDT de Brizola, onde exerceu diversas funções na cidade de Porto Alegre e no governo do Rio Grande do Sul, adquirindo experiência administrativa.

    Primeiro veio a campanha, e ela mostrou-se uma candidata competitiva. A pupila foi boa aluna, aprendeu lições valiosas com um professor generoso. Foi bem nos debates e sua personalidade forte começou a aparecer para quem prestava atenção. Ganhou a eleição com méritos.

    Elegemos então a primeira mulher presidente do Brasil. Enchemos o peito de orgulho e Dilma foi empossada sob os aplausos do mundo, ratificando o compromisso brasileiro com a modernidade e a igualdade entre o homem e a mulher.

    Iniciou seu governo sob a sombra poderosa do mais popular presidente da nossa história. Poderia, sem conflito com o antecessor e padrinho, impor sua própria marca? Aos poucos essa questão foi sendo respondida. Positivamente. Dilma surpreendeu nos primeiros cem dias, na primeira crise, nas primeiras insatisfações. Os ataques éticos a membros do seu governo deram o mote para a imagem de faxineira. As tentativas de insubordinação trouxeram à tona seu estilo durão. As inquietações na ampla base foram encaradas com firmeza.

    Pouco a pouco se viu que não era apenas a primeira mulher que ocupava a Presidência. Era uma ex-guerrilheira heroica e determinada. Uma estudante torturada com o espírito da anistia e da conciliação. Mas sem fugir do encontro com a história. Está aí a Comissão da Verdade, avançando, sem revanchismo e com firmeza.

    Leia mais:
    Governo Dilma é aprovado por 62% dos brasileiros
    Dilma diz que combate à corrupção no Brasil é prática de Estado
    Os desafios econômicos para 2013

    Era também uma técnica competente, uma política habilidosa, capaz de administrar sem fraturas a mais extensa base aliada que já se viu neste país. Participou de pouquíssimas campanhas e exclusivamente quando sua presença provou-se imprescindível. No ciclone das recentes eleições municipais, que em muitos lugares conflitaram aliados federais em lutas sem quartel, conseguiu escapar sem uma defecção sequer. Não é pouco, é muito.

    Existem questionamentos naturais quanto ao desempenho administrativo, mas vejamos… A prioridade do social continua sendo religiosamente cumprida. Algumas outras áreas ficam carentes. É a sina administrativa dos países em desenvolvimento: é simplesmente impossível para qualquer governo atender a todas as expectativas, mas educação, saúde e segurança não podem deixar de ser prioridade em nenhuma circunstância. Estamos com problemas graves a serem resolvidos. Também na infraestrutura, onde Dilma quer deixar sua marca, está sendo atrasada pela burocracia e pelo gigantismo de uma máquina antiga, concentrada no poder central. As agências reguladoras não funcionam. O serviço de telefonia, por exemplo, transformou-se em um dos piores do mundo. A burocracia continua emperrando a máquina pública.

    Os recursos são mal distribuídos, mas esses males independem do presidente da vez. Só serão efetivamente combatidos, como já é lugar-comum mencionar, com uma reforma ampla e profunda do Estado.

    A presidenta caiu no gosto do povo. Deu ao cargo uma dignidade diferente, com um comportamento mais parecido com os dos governantes do Primeiro Mundo. Sua popularidade, com dois anos decorridos de governo, supera em muito a votação que recebeu. Sabemos que política é mutável como as nuvens, mas, consultando os astros, sua situação para a eleição de 2014 é muito confortável.

    No entanto, no meu entender, o mais importante ato do governo Dilma, até agora, foi a sua decisão de reservar os rendimentos dos royalties do petróleo para utilização exclusiva na educação. Uma tese antiga, defendida, entre outros, pelo meu amigo o senador Cristovam Buarque. Essa decisão, sim, é capaz de garantir de uma vez por todas o encontro do Brasil com seu futuro. Hoje, esse encontro parece distante. Os índices educacionais brasileiros podem até ser maquiados para aparentar melhorias, mas temos de reconhecer, mais uma vez, nossa incompetência. Pouco melhorou.

    No começo de dezembro, um Cristovam Buarque indignado discursou na tribuna do Senado sobre recente pesquisa na área de educação que coloca o -Brasil em um vergonhoso 39º lugar entre 40 países. Um Cristovam indignado surpreendeu-se com a falta de repercussão de tanta vergonha. Um Cristovam indignado perguntou “se não temos vergonha na cara de sermos a sexta economia do mundo e apresentarmos índices tão baixos de educação”. Um Cristovam indignado disse “eu faço esse discurso e, amanhã, nada acontece”. E continua… “A impressão que me está passando é de que está faltando vergonha na cara da gente, mas, além de faltar vergonha, sobra burrice.”

    Quero me associar a Cristovam na indignação e na vergonha. Isso tem de mudar. Tem de haver uma reforma estrutural, a federalização das escolas públicas de ensino fundamental e médio. Educação tem de ser prioridade absoluta. E não é e nunca foi. Desde os tempos do império. Mas poderá ser. A presidenta Dilma pode deixar sua marca na maior revolução da história deste país. Pode, por meio das melhorias na educação, ensinar uma nação a pensar, se reinventar e, assim, trabalhar para fazer do Brasil finalmente o país do futuro que tanto já foi cantado mundo afora.

    Sonho também com uma profunda reforma política. Pareço disco arranhado, eu sei. Assim como Cristovam e a educação, há anos luto por mudanças na estrutura política do nosso país.

    A reforma tributária, a reforma política, a reforma no Judiciário. Tudo isso é base, é fundação para o crescimento deste nosso Brasil. Mas nada, nada disso terá consequências se a educação não for prioridade antes.

    Como é tímido o nosso crescimento na educação, quando o comparamos com o de outros países emergentes que fizeram e fazem da educação a plataforma para o seu desenvolvimento.

    Caso o Congresso reconheça a importância da iniciativa e referende a reserva dos rendimentos dos royalties do petróleo para utilização exclusiva na -educação, e caso a sociedade se mobilize para cobrar e fiscalizar a sua aplicação, podemos passar da esperança à realidade e confiar que, finalmente, estamos lançando as bases de uma grande nação. Com educação de qualidade e sem máscaras.”

    http://www.advivo.com.br/blog/luisnassif/o-ultimo-artigo-de-fernando-lyra

  101. Pax said

    Bem, o Sérgio Cabral mandou sentar o pau nos índios do Maracanã.

    Será que foi o Cavendish quem aconselhou o governador a agir assim? Sabe como é, são amigos íntimos de usar guardanapos na cabeça, jantares suntuosos em Paris, helicópteros à vontade (mesmo que caiam de vez em quando no Sul da Bahia) e alguma$ coi$inha$ a mais que a gente mal $abe.

    E que o Vaccarezza fez o favor de proteger o amigão na trapalhada sem fim do jovem Odair.

  102. Otto said

    Leia com calma, Edu, refletindo, sopesando, comparando:

    A Folha de São Paulo publicou com grande destaque em sua primeira página, na edição desta sexta-feira, 22 de março de 2013, manchete que parece anunciar um grande escândalo. Diz o jornal, em tom grandiloquente, que “Empreiteiras patrocinam 13 viagens de Lula ao exterior”.

    Na linha fina que segue a espalhafatosa manchete, outra “acusação”: “Ex-presidente foi a países onde empresas têm interesses; todos negam lobby”.

    No primeiro caderno, o de política, três grandes matérias sobre a manchete escandalizadora:

    – Quase metade das viagens de Lula é paga por empreiteiras

    – No exterior, petista promete repassar pedidos para Dilma

    – Outro lado: Instituto Lula diz que objetivo é o interesse da nação

    Devido ao tom da manchete em letras garrafais, colocada em destaque principal na primeira página, bem como devido à redação confusa das matérias vinculadas, têm-se a impressão de que o ex-presidente Lula foi pago com dinheiro público brasileiro para vender facilidades para empreiteiras brasileiras junto ao governo brasileiro.

    Apesar do amplo destaque dado à “denúncia”, porém, a certa altura da matéria principal, em vez de ela explicar direito que Lula foi pago por construtoras brasileiras para dar palestras em países da América Latina e da África de forma a promover essas empresas junto a governos dos países daquelas regiões – o que, por óbvio, é positivo porque alavanca negócios para o país – e que não existe qualquer ilegalidade nisso, o jornal preferiu dar uma informação que, em vez de esclarecer, permite alguma dúvida sobre a legalidade da atividade do ex-presidente:

    “Dois procuradores da República, um delegado federal, um juiz e dois advogados disseram à Folha que não há, a princípio, irregularidades nas viagens por não haver lei sobre a atuação de ex-presidentes”.

    A cautelosa expressão “a princípio” supostamente usada pelos “dois procuradores”, pelo “delegado federal” e pelos “dois advogados” que a Folha diz ter consultado, tal expressão não passa de excesso de cautela, possivelmente para agradar a um dos veículos que chantageiam autoridades para que digam ou façam o que querem contra seus inimigos políticos. Afinal, não existe irregularidade alguma na atividade PRIVADA de Lula.

    Todavia, tentando estabelecer um vínculo entre relações de Lula com empresas privadas brasileiras e governos estrangeiros e o governo do Brasil, o jornal põe uma segunda matéria que pretende apontar o que procuradores, delegado e advogados que diz que consultou, não viram.

    A segunda matéria do caderno Poder da Folha de 22 de março diz que “Lula promete repassar pedidos a Dilma”. Essa matéria, se tivesse algum conteúdo, possibilitaria insinuar que estaria havendo algum tipo de influência de Lula junto à Presidência da República para que esta ajudasse as empresas que o pagam.

    A matéria não aponta nada disso. Leia, abaixo. Em seguida continuo.

    —–

    FOLHA DE SÃO PAULO

    22 DE março de 2013

    No exterior, petista promete repassar pedidos para Dilma

    No exterior, o ex-presidente Lula participou de encontros privados entre políticos locais e empresários brasileiros, além de prometer levar pedidos a Dilma Rousseff, segundo telegramas do Itamaraty.

    Em maio de 2011, Lula foi ao Panamá a convite da Odebrecht. Na agenda, visitas a obras da empresa com ministros, o presidente Ricardo Martinelli e a primeira-dama.

    O diretor da Odebrecht no país ofereceu jantar em sua casa para Lula, Martinelli e os ministros da Economia, Obras Públicas e Assuntos do Canal.

    Ao final do jantar, o ex-presidente prometeu levar três pedidos a Dilma, em encontro na mesma semana: maior presença da Petrobras no Panamá, um encontro entre os ministros dos dois países e a criação de um centro de manutenção da Embraer.

    A Odebrecht obteve no Panamá contratos de US$ 3 bilhões. Cinco meses depois do jantar, engenheiros da construtora foram fotografados com um estudo de impacto ambiental sobre uma obra que só seria anexado à licitação três meses mais tarde.

    A brasileira conquistou a obra de US$ 776 milhões e foi acusada de já saber do resultado previamente pela ONG Orgulho Panamá. “Há um sentimento geral de que a obra é motivada simplesmente por interesses especiais. O maior interesse comercial é da Odebrecht e políticos”, diz, em nota, a organização.

    Em julho de 2011, Lula esteve em Angola para um evento patrocinado pela Odebrecht -empresa que tem 20 mil funcionários no país.

    “Quando era presidente, Lula não gostava do presidente de Angola, mas ganhou um bom dinheiro para dizer que está tudo bem no país, o que é importante para a elite corrupta”, disse à Folha Rafael Marques, da ONG Maka Angola.

    Em junho de 2011, Lula viajou em jato da Odebrecht para Caracas, na Venezuela. Lá, encontrou-se com “grupo restrito de autoridades e representantes do setor privado”.

    A conversa com o então presidente Hugo Chávez, morto este mês, ocorreu no momento em que o governo local devia cerca de US$ 1 bilhão à empreiteira por obras como a do metrô de Caracas.

    Três dias após a visita, Chávez anunciou que as dívidas com a Odebrecht estavam “quase” resolvidas.

    —–

    Como se vê, no segundo dos três textos sobre a “denúncia” que o jornal fez com enorme destaque em sua primeira página, constrói-se a teoria de que “o ex-presidente prometeu levar três pedidos a Dilma” para favorecer empreiteiras brasileiras.

    O ex-presidente teria prometido ao presidente do Panamá que pediria a Dilma “Maior presença da Petrobrás no Panamá, um encontro entre os ministros dos dois países [Brasil e Panamá] e a criação de um centro de manutenção da Embraer”.

    Ou seja: haveria um legítimo – e antiético – lobby de Lula junto a uma presidente sobre a qual ele exerce conhecida e ampla influência.

    Que fique registrado, portanto, que uma empresa pública ou estatal brasileira – no caso, a Petrobrás – realizar operações no país vizinho é considerado pela Folha de São Paulo um grande escândalo que merece destaque escandaloso em sua primeira página.

    Não esqueça, leitor, porque precisará dessa informação logo adiante.

    Ocorre que, como a matéria mostra (ao bom entendedor), o jornal não descobriu absolutamente nada que relacione as atividades da Petrobrás no Panamá à suposta “promessa” de Lula de pedir a Dilma que a empresa aumentasse suas atividades naquele país.

    De forma confusa, a matéria, em seguida, pula para uma acusação que se confunde com aquela sobre a Petrobrás, mas que nada tem a ver. Diz que “A Odebrecht obteve no Panamá contratos de US$ 3 bilhões. Cinco meses depois do jantar, engenheiros da construtora foram fotografados com um estudo de impacto ambiental sobre uma obra que só seria anexado à licitação três meses mais tarde”.

    O que tem a ver com a Petrobrás a obra que a Odebrecht conseguiu junto ao governo do Panamá? Nada. O governo do Panamá pode fazer quantas obras quiser com a Odebrecht mesmo se for a pedido de Lula que, no Brasil, não se pode reclamar de nada.

    O máximo que poderia haver de ilegal nesse caso seria relativo ao Panamá. A matéria, então, já esquecida da Petrobrás, diz que uma ONG panamenha questiona o governo panamenho por suas relações com a empreiteira brasileira.

    Todavia, não diz qual é a acusação. Faz apenas uma ilação sobre parecer que há alguma coisa estranha.

    Não há nada, absolutamente nada na “denúncia” contra Lula que sequer insinue que o governo brasileiro mexeu uma palha pelas empreiteiras brasileiras a pedido de Lula.

    O que espanta na iniciativa da Folha de São Paulo, então, é que aquilo de que acusa Lula – e que sua matéria não conseguiu provar – o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso fez comprovadamente em 2007 através do Instituto Fernando Henrique Cardoso.

    Em 17 de janeiro de 2007, foi o portal Terra quem fez a denúncia de que uma grande empresa estatal, a Sabesp (empresa de saneamento básico de São Paulo, Estado governado pelo PSDB, partido de FHC), doou QUINHENTOS MIL REAIS (!) ao Instituto Fernando Henrique Cardoso (IFHC).

    Leia, abaixo, a matéria do Terra. Em seguida continuo.

    —–

    TERRA MAGAZINE

    17 de janeiro de 2007

    Estatal doou R$ 500 mil a instituto de FHC

    Daniel Bramatti

    O Instituto Fernando Henrique Cardoso, ONG criada pelo ex-presidente tucano com a ajuda de grandes empresários, foi contemplado no ano passado com uma doação de R$ 500 mil de uma empresa estatal do governo paulista, que no período 2003-2006 foi comandado por Geraldo Alckmin (PSDB) e Cláudio Lembo (PFL).

    O dinheiro saiu da Sabesp – então presidida por outro tucano, Dalmo Nogueira Filho – e foi direcionado para um projeto de conservação e digitalização do acervo do instituto, conhecido pela sigla iFHC.

    A Sabesp (Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo) é uma das sete empresas que, até o final do ano passado, haviam doado R$ 2.095.000,00 para o projeto de preservação e digitalização do acervo do iFHC, com incentivos fiscais da chamada Lei Rouanet – as contribuições podem ser descontadas do Imposto de Renda.

    O acervo é formado por livros, fotos e obras de arte de FHC e também de sua mulher, Ruth Cardoso. Reúne não apenas itens coletados durante a passagem do tucano pela Presidência, mas também da época em que era professor e um dos líderes da oposição ao regime militar. Entre os objetos em processo de catalogação estão os presentes que FHC recebeu durante seu governo – vasos, quadros, tapetes e até capacetes de pilotos de Fórmula 1.

    O projeto de preservação e digitalização do acervo está orçado em mais de R$ 8 milhões – valor que equivale a cinco vezes o orçamento anual da Biblioteca Mário de Andrade, a maior de São Paulo, com mais de 3,2 milhões de itens.

    O site do iFHC afirma que a digitalização dos documentos será feita com softwares e equipamentos cedidos pela IBM e pela Sun Microsystems do Brasil, mas não faz referência à Sabesp e aos outros patrocinadores, nem detalha como serão aplicados os R$ 2 milhões já recebidos. Ontem à noite, a entidade divulgou uma nota sobre o assunto (leia aqui).

    O Instituto Fernando Henrique Cardoso é uma espécie de “organização ex-governamental” – reúne em seu conselho deliberativo diversas estrelas dos dois mandatos presidenciais tucanos, entre eles ex-ministros como Pedro Malan (Fazenda), Luiz Carlos Bresser-Pereira (Administração) e Celso Lafer (Relações Exteriores e Desenvolvimento).

    A entidade tem como fonte de inspiração as fundações mantidas por ex-presidentes norte-americanos. Mas as semelhanças são limitadas. A ONG do ex-presidente Bill Clinton, por exemplo, atua na prática: apóia e implementa programas de combate à aids, de redução do custo de medicamentos e de controle do aquecimento global, entre outros. Também administra uma biblioteca pública no Estado de Arkansas que recebe cerca de 300 mil visitantes por ano.

    Já o iFHC afirma ter dois objetivos básicos: o primeiro é a preservação do próprio acervo do ex-presidente e de sua mulher; o segundo é a promoção de debates e seminários – que são restritos a convidados. O site do instituto na internet destaca que “o iFHC, entidade privada, não está aberto à visitação pública”.

    O site também anuncia que parte do acervo será aberto ao público quando for concluído seu processo de catalogação e digitalização. Não há informações sobre a possibilidade de pesquisar os itens mais interessantes, do ponto de vista histórico e jornalístico: as gravações e anotações que o ex-presidente fez, durante seus oito anos de governo, sobre temas polêmicos como privatizações e reeleição.

    O auxílio estatal ao instituto, via Sabesp, foge à regra: o iFHC nasceu e é mantido graças a contribuições privadas. Quando inaugurado, em 2004, tinha R$ 10 milhões em caixa. O tucano começou a pedir doações a empresários quando ainda era presidente.

    Em um jantar no Palácio da Alvorada, em 2002, FHC expôs os planos de sua futura ONG a convidados como Emílio Odebrecht (grupo Odebrecht), Lázaro Brandão (Bradesco), Olavo Setubal (Itaú), Benjamin Steinbruch (CSN), Pedro Piva (Klabin) e David Feffer (Suzano). Na época, o colunista Elio Gaspari criticou o fato de a coleta de fundos ser feita entre representantes de empresas financiadas pelo BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) ou contempladas no processo de privatização.

    Já as relações da Sabesp com políticos do PSDB não constituem propriamente uma novidade. No ano passado, reportagens da Folha de S.Paulo revelaram que a estatal patrocinou uma edição da revista Ch’an Tao, do acupunturista do então candidato à Presidência Geraldo Alckmin – o tucano foi assunto de capa e apareceu em 9 das 48 páginas da publicação.

    A estatal também destinou R$ 1 milhão de sua verba publicitária para uma editora e um programa de TV do deputado estadual Wagner Salustiano (PSDB). O Ministério Público abriu uma investigação sobre o eventual uso de empresas do Estado para beneficiar aliados de Alckmin na Assembléia Legislativa.

    Terra Magazine procurou ontem a Sabesp e FHC, em busca de esclarecimentos sobre a doação de R$ 500 mil. Não houve resposta da estatal. A assessoria do iFHC informou apenas que o ex-presidente não se encontrava no local.

    Além da Sabesp, da Sun e da IBM, os outros patrocinadores do projeto de digitalização do iFHC são as empresas Philco Participações (R$ 600 mil), Arosuco Aromas e Sucos (do grupo Ambev, R$ 600 mil), Mineração Serra Grande (do grupo Anglo-American, R$ 200 mil), Norsa Refrigerantes (representante da Coca-Cola no Nordeste, R$ 140 mil), Rio Bravo Investimentos (R$ 30 mil) e BES Investimentos do Brasil (R$ 25 mil).

    A Rio Bravo Investimentos foi fundada e é dirigida por Gustavo Franco, que presidiu o Banco Central nos anos FHC. A Norsa Refrigerantes têm entre seus proprietários outro tucano famoso, o senador Tasso Jereissati (CE). O BES Investimentos faz parte do grupo português Espírito Santo, cujo representante no Brasil, Ricardo Espírito Santo, teve seu nome associado ao escândalo do mensalão por supostas relações com o publicitário Marcos Valério. Em 2005, o banqueiro foi acompanhado por Valério a uma reunião com o então ministro da Casa Civil, José Dirceu. Em 2002, Ricardo Espírito Santo também estava no jantar do Palácio da Alvorada em que FHC pediu contribuições para a criação de sua ONG.

    —–

    Como se vê, outro ex-presidente recebe benefícios imensos de empresas públicas e privadas brasileiras de todo tipo, mas isso não vira escândalo.

    O jornal que acusa Lula com tanto destaque por seus negócios privados, que não têm relação alguma com empresas estatais ou públicas, em 2007 repercutiu a matéria do Terra no dia seguinte à sua publicação, no dia 18 de janeiro.

    Porém, o que escandaliza é que a Folha, à diferença do que faz com Lula em um caso sem gravidade, não repercutiu o caso de FHC, que é grave, com mínimo destaque. E, claro, sem chamada alguma na primeira página.

    Leia, abaixo, a notinha que a Folha publicou escondida em suas páginas internas em 2007 relatando a denúncia do Terra sobre a qual a mesma Folha – ou qualquer outro grande veículo – nunca mais disse nada – o que, por certo, não acontecerá na acusação vazia contra Lula.

    —–

    FOLHA DE SÃO PAULO

    17 de janeiro de 2007

    Sabesp deu R$ 500 mil para projeto de instituto de FHC

    DA REPORTAGEM LOCAL

    O Instituto Fernando Henrique Cardoso, entidade não-governamental criada pelo ex-presidente da República, recebeu no ano passado doação de R$ 500 mil da Sabesp (Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo), administrada por indicados pelo PSDB.

    A ONG do ex-presidente captou por meio da Lei Rouanet, de incentivo a cultura, cerca de R$ 2 milhões de doadores diversos, entre os quais a Sabesp, para um projeto de preservação do acervo de FHC -documentos, fotografias e objetos. Em nota, o instituto negou haver irregularidades na doação.

    A Sabesp é uma empresa de economia mista cujo principal acionista é o governo do Estado de São Paulo. A doação feita pela empresa foi revelada por reportagem publicada ontem no site “Terra Magazine”. De acordo com o texto, os recursos serão abatidos do Imposto de Renda por meio da Lei Rouanet.

    A nota divulgada ontem pelo instituto FHC explica que as doações, fruto de um projeto aprovado pelo Ministério da Cultura, se destinam à digitalização do arquivo do instituto, que poderá ser acessado pela internet.

    “Além das atividades acima referidas [digitalização], ele [o projeto] prevê a realização de exposições, seminários e palestras dirigidos a um amplo público de estudantes e professores.”

    A nota prossegue ressaltando a legalidade da doação da Sabesp. “O iFHC manteve-se no estrito cumprimento das determinações legais, seja em relação à Lei Rouanet, que permite a doação de empresas públicas, seja da Lei 4.344, que faculta a qualquer entidade ou pessoa física mantenedora de acervos documentais privados de presidentes da República “buscar apoio financeiro e técnico do poder público para projetos de fins educativos, científicos e culturais”.”

    A Folha não conseguiu falar ontem com a Sabesp.

    —–

    A notinha diz que “A Folha não conseguiu falar com a Sabesp”. E, como mostram os arquivos do jornal, nunca mais tentou. Ficou por isso mesmo. Até porque, o jornal nunca tivera ímpeto de investigar. Apenas repercutira matéria do Terra.

    Assim, vale repetir: no caso de FHC, não se trataram de negócios privados dele, mas de ter recebido DOAÇÃO de dinheiro público feita pelo governo de São Paulo, que à época – como continua sendo até hoje – era do seu partido.

    Imagine, leitor, se a Folha ou algum outro veículo da mídia atucanada, parcial, golpista, mentirosa e chantagista tivesse descoberto que a Petrobrás – que, como a Sabesp, é uma empresa pública dirigida por grupos políticos – doou dinheiro público a Lula.

    http://www.blogdacidadania.com.br/2013/03/lula-e-as-empreiteiras-fhc-e-a-sabesp/

  103. Otto said

    Diga, Edu, não há dois pesos e duas medidas?

  104. Edu said

    Zbig,

    Tentando responder #99.

    É uma ótima pergunta por que a direita não consegue convencer o povo.

    Eu não sei! Se eu soubesse, talvez não trabalhasse com o que eu trabalho, trabalharia com política.

    A minha resposta mais rápida e direta é: a direita não é popular.

    Isso é minha resposta mais objetiva.

    Agora, se vc quiser entender melhor meu raciocínio, pode continuar lendo. Senão pare por aqui mesmo.

    A direita não é popular, mas e daí? Não pense que eu fico bravo porque a esquerda está no poder, que a direita que me representa não está no poder. Eu preciso pouco do Estado.

    Desde que nasci, o Estado participou muito pouco da minha vida, ou seja, o Estado sempre levou mais de mim do que eu levei dele. Ou seja, tudo o que eu arrecadei de impostos durante a minha vida toda, restam uns poucos aspectos que o Estado realmente devolveu o investimento:

    Educação pública, até o ensino médio. (numa época que não existia Haddad, nem ENEM, nem Mercadante, nem hinos de futebol dando 50% da prova, nem cotas raciais, nem facilidades para quem estudasse em escola pública entrar em universidades. Mesmo universidade, fiz particular sim, ralei e paguei)

    Saúde pública, só vacinação quando bebê.

    Justiça. Na verdade a justiça funcionou mais contra mim com multas de trânsito do que a meu favor contra roubos, por exemplo.

    Felizmente fui esforçado o suficiente para ter sucesso no que eu me propus a fazer sem contribuição nenhuma do Estado. Espero que, quando tiver filhos, consiga educá-los para que meus filhos também consigam ser bem sucedidos apesar do Estado.

    Porque o Estado, em minha opinião, não incetiva a população a se esforçar para melhorar.

    Hoje o Estado entrega bolsa-família em troca de filho matriculado em rede pública. E na sequência, apresenta uma estatística de altíssimo índice de alfabetização quando vc nota que a qualidade de qualquer universitário piorou, há analfabetos funcionais aos montes, e o ENEM – a maior revolução educacional do governo – apresentando falhas paulatinamente.

    Hoje, com as leis de cotas, o Estado permite que estes alunos que não sabem ler ENEM escrever direito entrem em faculdades públicas, ocupem espaço de quem sabe e, como já dito aqui, onerando e atrasando todo o sistema educacional do Brasil, impactando a formação técnica e superior e mantendo a desqualificação da mão-de-obra.

    Hoje o Estado diz que é essencial que todos tenham casas. Entrega casas a todos (eu nem sei qual é a contrapartida). Entrega casas, como vimos, em lugares mal adequados, de construções com baixa qualidade. O Estado permite que apesar da justiça proibir, pessoas sem casa e sem terra invadam propriedades privadas e saiam sem punição nenhuma.

    Hoje o Estado diz que se importa com as comunidades, e que por não ter competência para alcançar as mesmas, entrega parte do seu orçamento a ONGs, que não prestam contas e nem são reguladas pelo governo.

    Hoje o Estado diz que se importa com a saúde, e na pressa de fazer as coisas acontecerem, permite máfias em que hospitais públicos, não controla os estoques nem a distribuição de medicamentos.

    Hoje o Estado diz que o importante é que o salário mínimo aumente, e, mesmo com um PIB crescendo a 0,9% ao ano, eleva os salários de todos, acreditando que isso na verdade, não impacta a inflação.

    Zbig,

    Se eu fosse povo, eu estaria muito feliz mesmo, eu com certeza faria parte daquela porcentagem que aprova e acha o governo da Dilma excelente.

    Uso esse espaço para discutir ideias. Porém, apesar de ter o mínimo possível de relação com o Estado, eu continuarei pagando meus impostos. As minhas críticas aqui acontecem porque eu gostaria, para as gerações futuras do POVO, que esses impostos fossem usados de maneira mais inteligente. Hoje, como dito acima, me parece que esses impostos são usados com o único objetivo: o de permanência no poder.

    Como para permanecer no poder é NECESSÁRIO que um governo seja popular. Eu tenho certeza de que a esquerda sempre se sobressairá sobre a direita. A menos que o POVO se torne mais educado e comece a pensar mais no longo prazo (e por esse motivo mesmo dá pra saber porque o Totó não acha importante o longo-prazo).

    Para tentar ilustrar o que eu sinto: eu gosto de jazz, e eu sei que é errado proibir o povo de ouvir funk. Da mesma maneira, achar que funk é mais complexo e trabalhado musicalmente que jazz e que, portanto, é culturalmente superior ao jazz, é um erro. Eu não abro mão do meu jazz político Zbig, seja ou não popular, justamente porque não é por ser popular que é melhor.

    Finalizando, eu realmente acho uma pena que não exista nada de direita aqui no Brasil que me represente. Acho uma pena quando eu vejo a Dilma e o Mantega fazendo trapalhadas econômicas, que eu sei que no longo prazo.

    A questão é: daremos oportunidade para que o povo conheça a beleza do jazz? Ou trataremos o povo na base do funk pra sempre….?

    O pouco do que eu faço, é tentar permitir que o povo conheça um pouco de jazz.

  105. Edu said

    Otto,

    Assim que puder lerei e responderei.

  106. Zbigniew said

    Edu, meu caro, tu tergiversas. Com todo o respeito, tu tergiversas.
    É o caso das tuas impressões ou das tuas convicções, carregadas – com todo o respeito – de um elitismo que de maneira alguma se mistura com gosto ou opção. Trata-se de um elitismo que não deixa enxergar que há vida fora dos conceitos fechados do liberalismo (desculpe, fechados por vocês), do darwinismo econômico, da idéia do “hommo aeconomicus”, do “self made man”, ou mesmo fora do Jazz (que também aprecio, e eu não gosto de Funk). Para vocês não há espaço para a solidariedade.

    Não falo da solidariedade derivada do altruísmo e que leva à filantropia, seja de que forma for. Falo da solidariedade inter e intrageracional, daquela que nos enxerga como um conjunto, como uma comunidade, como um todo, no tempo e no espaço, e não apenas como indivíduos, isolados pelo próprios esforços, interesses e ambições, mas que nem por isso nega que temos interesses e ambições, até porque somos sim, indivíduos.

    Para o indivíduo autocentrado amalgamado pelos conceitos fechados do liberalismo extremado, não há espaço para que o EU que teve, no seu esforço e nas suas oportunidades, o sucesso na vida, a possibilidade de “subsidiar” o OUTRO, porque neste enxerga (presume mais do que enxerga), vícios que o tornam menos habilitado e merecedor do sucesso. Para isso mede o OUTRO com a própria régua com que se mede. Como se todos tivessem tido a mesma oportunidade na vida. Como se a vida fosse um padrão linearizado em que os inivíduos tivessem a mesma estatura intelectual, moral, espiritual, em qualquer das esferas de sua existência. Interessante que aqui se nega o indivíduo para se firmar um OUTRO, visto como o ideal de existência.

    Essa postura leva ao entendimento enviesado de que políticas afirmativas ou de integração social nada mais são do que populismo barato, cujo único objetivo é criar uma legião de vagabundos para alimentar um partido ou conjunto de partidos, eternizando-os no poder. Não estou aqui a descartar tal hipótese, mesmo porque há pessoas de todas as índoles num Governo. Mas não podemos descartar que há boas políticas e boas pessoas a empregá-las com o intuito de melhorar a vida de outras pessoas. E o Brasil tem melhorado desde então.

    Sei que é difícil fazer esse raciocínio quando vimos os escândalos de corrupção se sucederem sem que os culpados sejam apenados. Mas eu te confesso, caro Edu, que quando vejo uma pessoa melhorar de vida em face dessas políticas torço para que elas se estendam por mais tempo para que uma geração tenha sua vida melhorada. E a partir daí que surja uma nova sociedade, mais igual e menos dependente do Estado (e dos nossos impostos). Eu vi pessoas comerem das caçambas de lixo no meu bairro. Hoje não vejo mais. Isso se chama dignidade. Quem sempre teve, caro Edu, quem sempre teve o que comer, pagar um bom colégio, vestir-se e morar com conforto e dignidade, Graças a Deus!, nunca teve que passar necessidade. Os que passaram necessidade e se superaram, que bom! Mas observe que, de regra, esses costumam voltar para ajudar os mais necessitados, usando a intuição e o entendimento de que somos diferentes, nem sempre fortes, mas, de regra, fracos perante as vicissitudes da vida.

    Concordo contigo quanto à crítica que fazes a essa direita que aí está. Mas te advirto que não podes exigir algo de quem não o tem. Em sua grande maioria não enxergam outra coisa a não ser o poder pelo poder. Porque pensam exatamente como aquele indivíduo autocentrado, com o agravante de nutrirem um ódio pelo que é popular, pela idéia de dividir o poder com o “andar de baixo”. Mas não se envergonham de servir os de cima, ainda que desvirtuem ou descaracterizem a idéia de nação. Para esses o todo é um estorvo que não merece qualquer iniciativa de solidariedade. Por isso, se se mostrarem como verdadeiramente são, JAMAIS voltarão ao poder. Pelo menos pelas vias democráticas.

  107. Edu said

    Otto,

    Eu sempre achei que esse negócio de imprensa pesando para um lado ou para outro é coisa de gente que não tem o que fazer.

    Meu amigo, se vc está interessado na verdade, vc nunca pode confiar num veículo só.

    Se vc tem medo de que a imprensa seja tendenciosa em relação ao partido que defende, e acha que por esse motivo a imprensa deva sofrer qualquer tipo de regulação, é porque vc parte da premissa de que o povo é burro e que, além de ler material de apenas uma fonte, também acredita em qualquer coisa que lê.

    Vc acredita que o povo é burro Otto?

    Eu não acho que o povo seja burro, muito pelo contrário, o povo é muito esperto, isso sim, e justamente por isso, o povo compra qualquer coisa que lhe favorece.

    Então, se a notícia é que o governo vai entregar 500.000 casas populares no mês que vem, a popularidade do governo aumenta.

    Se a notícia é que o governo vai proibir a cerveja na copa, a popularidade do governo diminui.

    E assim por diante.

    Agora pense: a notícia é que o Lula foi lá misturar Odebrecht com Governo Federal, vc acha que o povo vai achar ruim disso? Vc acha, sinceramente, que o povo vai acreditar que o Lula está fazendo isso para o mal do Brasil?

    Então por que a preocupação, caro poeta? Pra que bater nessa tecla, se ela sempre continuará sendo assim?

    Ou vc tbm tem uma agenda oculta… daquela que caminha no sentido de regular a imprensa para tornar as coisas mais “equivalentes”?

    Não vá por esse caminho, Otto. Sabemos onde isso vai parar…. vc, como professor de literatura deveria ser o primeiro a defender a liberdade de imprensa, e antes disso, a educação do povo para poder ler, interpretar e questionar! E ainda assim, Otto, interpretar e questionar é problema de cada um, coisa que vc NUNCA vai conseguir regular, a menos que vc queira ir pra 1984 do George Orwell….

    Veja o caso do Totó por exemplo. É o exemplo mais típico de brasileiro médio que nós temos por aqui, e ele age exatamente como o figurino manda: a melhor fonte é aquela que satisfaz os desejos dele.

    Qual é o desejo dele? O de calar a imprensa acerca daquilo que não lhe convém, especialmente o Rola-Bosta, que ele parte do princípio que sempre está errado. Essa é a premissa dele. Por que o argumento do Rola-Bosta é falho? Não! Porque o Rola-Bosta é de direita, e o Totó é de esquerda, e só coisas iguais ao pensamento de esquerda são as certas (como pode ser observado no comentário #91, quando ele fala de lutar do lado certo, fazer a vontade de Deus). Ainda que esse pensamento seja diretamente contra a liberdade de imprensa que a própria esquerda lutou durante tanto tempo no período militar aqui no Brasil.

    Assim, qualquer coisa é válida para atacar o Rola-Bosta, até a liberdade de imprensa! E dentro desse assunto, até a capitalista, maléfica, imperialista, Inglaterra, que teve a ideia esdrúxula de regular a imprensa! No fim, a falta de argumentos melhores, ou outras fontes que não sejam a notícia da Inglaterra, faz com que ele se cale, é claro!

    Otto, meu caro poeta, pare com essas teorias da conspiração! Que, além de não colar, não levam a lugar nenhum.

    —X—

    Agora, vc quer minha opinião sobre quem tá certo e quem tá errado no caso Lula X FHC?

    Em ambos os casos, na minha visão a ética de ambas andam no fio da navalha (como já dito anteriormente), porém era possível.

    Particularmente em relação ao caso FHC, eu sempre fui contra a lei Rouanett, justamente por antever que tais coisas pudessem acontecer.

    Agora, tanto o Lula receber dinheiro de qualquer empresa privada para falar com o presidente de qualquer país me parece perfeitamente normal.

    A mesma coisa entre a Sabesp e o tal iFHC.

  108. Pax said

    Datafolha confirmou Ibope. Não tem pra ninguém.

    Só dá Dilma.

    http://www1.folha.uol.com.br/poder/1250925-dilma-tem-58-marina-16-e-aecio-10-diz-datafolha.shtml

  109. Edu said

    Zbig,

    Como eu disse, vc pode me julgar à vontade. Se eu tergiverso, tenha o significado que tiver, isso pra vc.

    Eu acho que vc acerta num ponto básico e crucial:

    Sim sou individualista.

    E vc erra em outro também básico e crucial:

    “Para isso mede o OUTRO com a própria régua com que se mede.”

    Não Zbig, dentro do meu conceito próprio de individualismo eu acho que cada um é cada um, e tem gente que sim, depende do Estado, e que o Estado está lá para ajudar essas pessoas que dependam mais do Estado. Por isso eu não me nego a pagar impostos, muito pelo contrário, faço com orgulho de cidadão e brasileiro e justamente por esses motivos, eu não acho ninguém que dependa do Estado inferior a mim, mas também não preciso sentir inveja.

    E dentro do desvio que vc faz ao julgar, vc erra na conclusão:

    “Essa postura leva ao entendimento enviesado de que políticas afirmativas ou de integração social nada mais são do que populismo barato”

    Na verdade, eu disse políticas afirmativas ou de integração social deixa as pessoas muito felizes, de fato, já que algum tipo de resultado aparece, no entanto, é um jeito ineficiente de gastar os impostos recolhidos. Nem mais, nem menos.

    E seguindo na sua toada sobre ajudar ao próximo, podemos continuar a conversa sem problemas:

    “Mas eu te confesso, caro Edu, que quando vejo uma pessoa melhorar de vida em face dessas políticas torço para que elas se estendam por mais tempo para que uma geração tenha sua vida melhorada.”

    Zbig,

    Eu também. Só que como diria Jesus (essa o Totó vai gostar): “não dê os peixes, ensine-os a pescar”. A linha é tênue, e vc pode me julgar como quiser novamente, inclusive sádico se quiser. Mas Zbig, historicamente, para evoluir, a humanidade sofreu muito, mesmo na letrada Grécia havia escravos; mesmo no iluminismo, o machismo existia; mesmo na URSS, houve assassinatos em massa; ainda na África tribos se assassinam mutuamente por conta de poucas vacas e isso é eticamente aceito dentro do país onde essas tribos existem, e assim por diante.

    Isso significa que eu quero por uma venda nos olhos diante da dura realidade de uns em detrimento à realidade de outros? NÃO (grande e sonoro). Isso significa que assim como eu tenho que aceitar iniciativas políticas afirmativas, de integração, que são necessariamente de curto-prazo, como única chance de alguém ter o que comer, vocês também têm que aceitar que não é do dia pra noite, por decreto, por conta de um partido político que usa justamente de ações afirmativas etc etc, que a realidade de miséria, corrupção e educação serão resolvidos.

    Dito isso, a população vai sofrer Zbig, infelizmente, (e essa o Totó não vai gostar) vai sofrer porque podemos ter mil ações políticas da maneira que quisermos, mas no fim, dependemos da economia, que é cíclica e cujas decisões de curto-prazo mudam os rumos do logo-prazo. E por mais que o Guido Mantega se esforce em tomar medidas anti-cíclicas, como tem tomado, as decisões governamentais durante a era Lula, baseada nessas ações afirmativas, sociais, ambientais, etc, já estão produzindo efeitos. Tem saída? Sempre tem! Só que não é dando tapinhas nas costas de uma presidente que isso vai mudar. É criticando mesmo. Por isso sou muito crítico com aquilo que eu enxergo que tá estranho baseado no meu pouco conhecimento. Aí eu pergunto Zbig, onde está a crítica? Eu vi críticas sinceras do Pax e do Elias… e o resto?

    E finalmente sobre seu último parágrafo:

    Tomara que vc esteja certo. Ninguém precisa de uma direita, nas suas palavras, “que aí está”, que “não enxergam outra coisa a não ser o poder pelo poder”.

    Mas sinceramente, Zbig, nem de uma esquerda assim.

  110. Michelle 2 said

    Ei Edu e Zib
    …afinal o governo petista é de esquerda ou de direita?
    A pergunta parece ingenua…mas não é.

    “Pão & Circo” foram inventados na Roma antiga…muito antes de Cristo.
    Hoje: Bolsa Família & Copa do Mundo.
    Qual a diferença?

    Essa é pergunta que tem que ser analisada e respondida.
    ____

    Pelo menos os imperadores romanos cumpriam o que prometiam. Eram competentes.
    A “ornitorrinca” é ruim de accomplishment

    Como discordar?

  111. Patriarca da Paciência said

    Caro Pax, comentário 108,

    Dilma cresce, Marina cai, Aécio cai e Campos cresce um pouco, mas só não perde para os brancos e nulos, mas os bancos e os nulos estão todos a favor do Campos.

    Ou seja, tudo indica que Dilma está no caminho certo e, inclusive, aprendeu a “fazer política”.

    Os ventos sopram a todo vapor a favor de Dilma.

    Não vejo o mínimo motivo para preocupação. Os avanços sociais, implantados pelos governos petistas e reconhecidos no mundo inteiro, menos pela direitona retrógrada brasileira, estão assegurados.

    Os cães ladram, a caravana passa e o progresso do Brasil caminha a passos largos em benefício de todos, mesmo daqueles que lutam desesperadamente contra.

  112. Pax said

    Caro Patriarca,

    Politicamente não discordo de você, não existe oposição e Lula com Dilma são imbatíveis. Segundo consta – ouvi do Boechat no rádio, ontem – Lula que antecipou a campanha pra mudar a pauta. E ao que tudo indica fez gol mais uma vez.

    Pois bem, até aí estamos de acordo, como disse.

    Agora afirmar que o Brasil está “a passos largos” eu discutiria um século.

    O rumo, no meu entender, está errado em alguns graus. Quando se navega com rumo errado por muito tempo, lá na frente se chega em qualquer lugar, menos no destino.

    Enquanto não priorizarmos Educação e não reformarmos nossa máquina do Estado (política, fiscal etc) teremos muitos graus de desvio.

  113. Patriarca da Paciência said

    Esperar que uma pessoa analfabeta, faminta e doente, se erga por seu próprio esforço, realmente, é coisa para pessoas muito “inteligentes e superiores”.

    É claro que, a cada milênio, sempre surgem alguns que são capazes de superarem a própria natureza, mas são pessoas tão raras e especiais que se tornam motivo de poemas, tratados, romances, peças teatrais, legiões de admiradores e até são cultuados como santos ou gênios.

    Em pessoas comuns, geralmente, extremas necessidades apenas despertam os instintos animalescos.

    Caro Pax,

    Eu também continuo com o mesmo ponto de vista, ou seja, não existe, nunca existiu e nem existirá políticos imaculados na Terra e, duvido até, que exista em todo o universo.

    Como dizia Trancredo Neves, “política é a arte do acordo”.

    O PMDB representa ainda grande parte do povo brasileiro e, democracia é isso, governo da maioria.

    O importante é apontarmos os erros de maneira específica, nunca generalizar e procurar sempre corrigir os erros, não eliminar os adversários.

    O Bisol falou muito isso, ” o mal dos políticos brasileiros é que não procuram vencer os adversários e sim eliminá-los.

    Vamos aprender a concorrer e, depois da luta, cumprimentar os adversários. É uma atitude bem civilizada. É uma qualidade que eu admiro nos norte-americanos.

  114. Patriarca da Paciência said

    Certas pessoas obtusas acham que baixar juros seja medida de curo prazo.

    Para mim, baixar os juros é uma das atitudes mais acertadas e corajosas e de efeito para longuíssimos prazos.

    Com os juros baixos, os recursos que eram usados para encargos financeiros poderão ser utilizados para desonerar folha de pagamento, reduzir impostos, incrementar o mercado consumidor etc.etc.etc. e tantos outros benefícios que os obtusos não conseguem enxergar.

    É isso que eu chama de passos largos.

    Só um esclarecimento, Caro Pax, os obtusos a que me refiro são os míopes que compõem a direitona brasileira.

  115. Pax said

    Mas, caro Patriarca,

    1 – Generalizar? Este blog discute notícias específicas, não generalizações. E em cima de um tema específico, não genérico.

    2 – O que reclamo é que não há justificativa para um governo tão pesado e de tão baixa eficácia. O modelo está errado, centralizado, pesado, corrupto. A gente anda em marcha lenta, quando não em marcha à ré e o governo tem enorme parcela de culpa nisso. A máquina funciona mal. Algo como gastássemos 10 litros de combustível por km rodado enquanto deveríamos gastar 1 litro para 10 km rodados.

    3 – Basta olharmos nossa infraestrutura. Comece pela educacional, uma porcaria, um lixo, passe pale saúde, outro problema, passe para infraestrutura do país e veja o que estamos gastando e entregando.

    Só pra ficar em alguns exemplos básicos: Ferrovia Norte Sul, do bigodão. Você já viu alguma composição levar algo do norte para o Sul? Agora pega a transposição do São Francisco e me diga quanta água cai nas cisternas dos nordestinos que enfrentam a maior seca dos últimos 60 anos. Refinaria Abreu e Lima? Portos e aeroportos? Telecomunicações? Energia? Estradas?

    Os municípios todos endividados, os estados idem e a ilha da fantasia em BSB criando mais ministérios, empresas governamentais, cargos de confiança (deles, não de interesse público) etc etc.

    Nossa Justiça?

    Onde estão os passos largos? Neste rumo não vejo nada de progresso.

    Reduzimos a miséria e isto é louvável. Aplaudo e constato que a nação toda aplaude. Basta olhar as pesquisas.

    Só que os velhos e novos coronéis continuam mandando e desmandando, a máquina da corrupção cada vez mais azeitada e o próprio PT adotou o modelo com afinco, especializou-se.

    Aí, meu caro, não vejo progresso algum.

  116. Pax said

    Uma vontade boa numa ideia ruim…

    http://www1.folha.uol.com.br/mercado/1251201-haddad-quer-aumentar-a-gasolina-para-reduzir-tarifa-de-onibus-em-sp.shtml

    Ou seja, o Haddad, que acho melhor que o Serra onde está, quer reduzir as tarifas de ônibus. ÓTIMO.

    Só que quer fazer isto subsidiando com criação (ou retorno) de imposto: PÉSSIMO.

    Que tal fazer um acordo com o governo federal e REDUZIR imposto nas metrópolis e abaixar as tarifas de ônibus?

    Basta acabar com umas 10 estatais que não funcionam, acabar com metade dos ministérios que abrigam uma legião de corruptos e vai sobrar dinheiro para abaixar ainda mais tarifa de ônibus, de luz, do que quiserem.

  117. Pax said

    Essa é a visão estragada da coisa. Temos uma carga tributária de países nórdicos e serviços de países de terceiro mundo. No meio do caminho a roubalheira e ineficiência do Estado.

  118. Otto said

    Edu, não me ponha palavras na boca: não falei em regulação da mídia, falei em parcialidade dela –e isto nem você pode negar.

    Agora, acho que você também não está sendo imparcial. Uma coisa é o Lula receber dinheiro de empreiteiras. Outra coisa bem diferente é FHC receber de uma ESTATAL paulista. O que você acharia se fosse a Petrobas que estivesse financiando as viagens do Lula?

  119. Jose Mario HRP said

    Pois é, as chuvas de março estão detonando a campanha de Veja para por a culpa no PT e Dilma pela estiagem.
    As estimativas dão como certo que as represas estão há mais de 58%.
    Veja, politicamente zero, e em matéria de ética, no fundo do poço.

  120. Otto said

    DILMA ESTÁ COM A CORRIDA GANHA ANTES DA LARGADA

    Só uma surpresa extraordinária tira a segunda temporada da presidenta no Planalto.

    Nem começou a campanha eleitoral e ela parece já estar acabada.

    A não ser que haja uma surpresa extraordinária, Dilma já ganhou, e no primeiro turno, conforme mostra a última pesquisa do Datafolha.

    Duas coisas se juntam.

    Primeiro, Dilma se afirmou perante a voz rouca das ruas como uma mãe austera, dedicada, honesta e competente.

    Segundo, aos rivais parece faltar agudamente oxigênio mesmo antes que a corrida comece. Nada autoriza prever que algum deles adquira suplemento de ar nos próximos meses.

    Dilma, na última eleição, saiu de trás, quase do zero, mas ela tinha um presidente extraordinariamente popular empurrando-a. Nem Marina, nem Campos e nem Aécio têm isso.

    Dilma pegou, ponto.

    Ela desperta menos rejeição, sobretudo no extrato mais conservador da classe média, do que Lula. Não pesam contra ela preconceitos como a falta de diploma ou a origem nordestina. E nem ela foi tão intensamente perseguida pela mídia.

    A economia poderia mudar alguma coisa? Só se houver um colapso, e disso não há sinal nenhum.

    Delfim Netto, na ditadura militar, consagrou a infame tese de que o bolo tinha que crescer para ser distribuído. A pobreza se alastrou intensamente pelo país, e um punhado de amigos do poder – as famílias que controlam a mídia, por exemplo — acumulou fortunas.

    Agora é diferente.

    A prioridade é dividir menos abjetamente o bolo, de tal forma que o Brasil se desfavelize.

    Isto – reduzir a desigualdade, dividindo o bolo do tamanho que for – está no controle de Dilma, e é por isso que ela praticamente já garantiu uma segunda temporada no Planalto.

    PAULO NOGUEIRA

    http://diariodocentrodomundo.com.br/dilma-esta-virtualmente-reeleita/

  121. Pax said

    Que barbaridez…

    http://noticias.gospelprime.com.br/pt-pobres-dizimo-marcelo-crivella-iur/

    Mais da metade da base aliada vale menos que nada. Mas… como dizíamos, é assim que o Brasil funciona e não há menor intenção de mudar.

  122. Michelle 2 said

    Tudo errado

    Não é que esteja chovendo demais, como dá a entender parte do noticiário:

    Tá chovendo errado, aprende-se nas reportagens sobre o nível preocupante das águas nos reservatórios quase secos das usinas hidrelétricas do País.

    No Brasil até a chuva só cai onde não deve!

    TV
    _______________

    Comentário:
    Reclamações com a Dilma. Afinal, quem é a manda-chuva no Brasil?

  123. Patriarca da Paciência said

    Uma coisa que me ocorreu, a paranóia de querer condenar o José Dirceu a qualquer custo, talvez venha do fato do Dirceu ser um cara branco, de boa aparência, de alto nível cultural e ter sempre considerado o Lula como seu líder.

    É uma atitude intragável para os representantes dos herdeiros das capitanias hereditárias, uma verdadeira traição.

    Meu caro Pax,

    é claro que não estamos “no melhor dos mundos possíveis”. O Brasil ainda pode melhorar muito e os governos petista tem trabalhado duro para isso. Mas como diz aquele velho ditado, “Roma não foi feita num só dia”.

    Quanto aos impostos brasileiros, há um sério equívoco de sua parte. Na Escandinávia os impostos são de 50% e todos pagam. Quem não paga é durissimamente punido. No Brasil os impostos são de 37%, sendo que, no mínimo, 15% são sonegados, ou seja, os impostos reais ficam aí entre 22% e 25%. O governo está trabalhando para baixar as alíquotas e melhorar a fiscalização, de modo a que todos paguem, diminuindo a carga de quem paga honestamente. Mas é um trabalho de longo prazo.

    Quanto à infraestrutura, quem se lembra do Brasil de 30 anos atrás e compara com o Brasil de hoje, percebe que houve um progresso fantástico. Só vê quem não quer.

    O mesmo se pode dizer da nossa Justiça. Quem conheceu a Justiça de 20 anos atrás e compara com a Justiça de hoje, percebe que saímos da Idade da Pedra e estamos no limiar da Idade Contemporânea, em termos de Justiça de Primeiro Grau.

  124. Otto said

    Edu, dois milhões pra escanear livros?

    Você não acha muito?

    Então dê uma olhada:

    http://terramagazine.terra.com.br/interna/0,,OI1352138-EI6578,00.html

    Cadê a imprensa investigativa (com exceção aqui da Terra Magazine)?

    Como os fariseus, criticados por Jesus, eles filtram um mosquito e engolem um camelo.

  125. Michelle 2 said

    Medeus !

    “Uma coisa que me ocorreu, a paranoia de querer condenar o José Dirceu a qualquer custo, talvez venha do fato do Dirceu ser um cara branco, de boa aparência, de alto nível cultural e ter sempre considerado o Lula como seu líder”.
    ____________________

    Totó pirou de vez!
    Misturar etnia com sem-vergonhice pra justificar a “sacanagem” é de morrer de rir (ou de chorar de compaixão).
    Totó deve ter sido contaminado pela tal “arma secreta americana” que provoca câncer.Um sniper da CIA, sem dúvida. Ou a vacina venceu.
    Chamem o veterinário, urgente.
    Ele já começou a babar, culpando a “direitona” por Dirceu ter “traído” lula (em 2005), segundo o próprio.
    Tadinho!
    Tão fofinho.

  126. Michelle 2 said

    Ototó

    Publique também a continuação da notícia de 2007:

    Quinta, 18 de janeiro de 2007, 08h18
    ONG de FHC divulga nota sobre doação de estatal
    http://terramagazine.terra.com.br/interna/0,,OI1354810-EI6578,00.html
    ______________

    O Caminho de Santiago no seu caso…foi inútil!

  127. Otto said

    Michelão, não consegui abrir o link. Manda outra vez.

    Então você acha legítimo receber dinheiro de estatal (R$ 2.000.000,00 de um total orçado de 8.000.000.00!!!) pra escanear livros e fotos?

    É mole, hein!

  128. Michelle 2 said

    Ottotó

    ONG de FHC divulga nota sobre doação de estatal

    Daniel Bramati

    Terra Magazine publicou ontem reportagem sobre doação de R$ 500 mil, feita por uma empresa estatal presidida por um integrante do PSDB, ao Instituto Fernando Henrique Cardoso, criado pelo ex-presidente tucano (leia aqui).

    A estatal é a Sabesp (Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo). O dinheiro foi direcionado para um projeto de preservação e digitalização do acervo de documentos do ex-presidente.

    Na terça-feira, em e-mail enviado à assessoria de imprensa do iFHC, Terra Magazine pediu esclarecimentos sobre o fato de o site do instituto citar a IBM e a Sun Microsystems como patrocinadoras do projeto de digitalizalização do acervo e omitir as doações de outras empresas, como a Sabesp.

    Terra Magazine também perguntou ao instituto como serão gastos os R$ 2 milhões já captados para o projeto, com incentivos fiscais previstos na Lei Rouanet, já que o próprio site do iFHC afirma que “a Sun Microsystems fornecerá, gratuitamente, equipamentos e serviços profissionais, incluindo sistemas de armazenamento (em rede com alta disponibilidade), de backup e de restauração, além fazer a conversão de toda a documentação para o formato digital, e a IBM, por sua vez, doará os softwares necessários para a indexação e a organização do conteúdo digitalizado”.

    Às 21h30 de ontem (17/01/2006), a assessoria do iFHC divulgou nota em que afirma ser legal a doação da Sabesp. “A guarda e gestão do arquivo de documentos do iFHC, intitulado Arquivo Presidente Fernando Henrique Cardoso, obedecem ao estabelecido pela Lei Federal nº 8.394, de 30 de dezembro de 1991, que dispõe sobre acervos documentais dos presidentes da República, e pelo Decreto 4.344/2002, que regulamenta dispositivos daquela lei”, diz o texto.

    O decreto ampliou o conceito de “acervo presidencial”, assegurando que fossem abrangidos mesmo os documentos, livros e obras de arte acumulados antes do exercício do cargo.

    “O acervo documental privado do cidadão eleito presidente da República é considerado presidencial a partir de sua diplomação, independentemente de o documento ter sido produzido ou acumulado antes, durante ou depois do mandato presidencial”, diz o decreto.

    Leia a seguir a íntegra da nota divulgada pelo iFHC:

    “Sobre a matéria publicada no dia de hoje, 17/01/2007, no Terra Magazine, a respeito de doações de empresas ao Instituto Fernando Henrique Cardoso, temos a esclarecer o seguinte:

    1 – O iFHC é uma instituição sem fins lucrativos, apartidária, criada em 2003, com dois objetivos: de uma parte, guardar, organizar e dar acesso público a documentos relativos à vida política e intelectual de seu fundador, o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso; de outra, promover estudos e debates sobre temas relacionados ao desenvolvimento e à democratização do Brasil e da América Latina.

    2 – Desses debates, já tomaram parte intelectuais, jornalistas e políticos, do Brasil e do exterior, das mais variadas tendências e opções partidárias, como pode ser visto no site do instituto (www.ifhc.org.br).

    3 – A guarda e gestão do arquivo de documentos do iFHC, intitulado Arquivo Presidente Fernando Henrique Cardoso, obedecem ao estabelecido pela Lei Federal nº 8.394, de 30 de dezembro de 1991, que dispõe sobre acervos documentais dos presidentes da República, e pelo Decreto 4.344/2002, que regulamenta dispositivos daquela lei.

    4 – Entre outros dispositivos, os referidos diplomas legais declaram os acervos documentais privados dos presidentes da República “parte integrante do patrimônio cultural brasileiro” e o reconhecem como de “interesse público”, prevendo sua entrega ao titular dos arquivos ao final do seu mandato à frente da presidência da República e fixando, como sua obrigação, “preservá-los, conservá-los e autorizar o acesso a eles, observadas as restrições previstas em lei”.

    5 – Em obediência à letra e ao espírito dessas determinações legais, o iFHC apresentou projeto ao Ministério da Cultura com vistas a captar recursos com base na Lei Rouanet para a organização, catalogação e digitalização do Arquivo Presidente Fernando Henrique Cardoso. A digitalização permitirá o acesso via Internet a documentos do arquivo.

    6 – Tal projeto foi originalmente aprovado em dezembro de 2004, no curso do primeiro mandato do atual presidente. Além das atividades acima referidas, ele prevê a realização de exposições, seminários e palestras dirigidos a um amplo público de estudantes e professores. Também se beneficiarão dele pesquisadores acadêmicos, que poderão ter acesso a novas fontes de investigação histórica.

    7 – Trata-se de um trabalho de grandes proporções, que requer competência e recursos para a sua realização. Basta dizer que o arquivo abriga mais de 150 mil itens, entre textos, fotos, fitas e videocassetes. Para a realização desse trabalho, o iFHC cercou-se de uma equipe de profissionais de alta qualificação, coordenados pela curadora Danielle Ardaillon, que dirigiu o Departamento de Documentação Histórica da Presidência da República, entre 1999 e 2002.

    8 – Em dezembro de 2006, as captações realizadas ao amparo da Lei Rouanet atingiram o percentual mínimo legalmente requerido para dar início às despesas do referido projeto, aproximadamente R$ 1,6 milhão. Até então, o iFHC contara apenas com a doação de equipamentos e softwares indispensáveis ao processo de digitalização e posterior armazenamento dos documentos digitalizados. Indispensáveis, porém, insuficientes para dar início ao processamento efetivo da documentação. Essa doação não foi feita com base na Lei Roaunet, que só admite doações de recursos financeiros.

    9 – Os recursos financeiros, por sua vez, foram captados junto a empresas, entre elas, a Sabesp. Ao fazê-lo, o iFHC manteve-se no estrito cumprimento das determinações legais, seja em relação à Lei Rouanet, que permite a doação de empresas públicas, seja da Lei 4.344, que faculta a qualquer entidade ou pessoa física mantenedora de acervos documentais privados de presidentes da República “buscar apoio financeiro e técnico do poder público para projetos de fins educativos, científicos e culturais”.

    Terra Magazine
    __________________________
    Ottotó

    Qual é a relação que vc construiu para declarar que 8 milhões é caro ou barato no tal caso? Se você não sabe …rsrsreu não vou exolicar.Deixo esta tarefa pro Edu.
    1. Pela notícia foram 500 mil e não 2 milhões de doação da Sabesp.

    2. Pelo jeito vc continua não sabendo documentar suas afirmações.

    3. Paulo Coelho não ensina nada.
    Paulo Coelho não é mestre. Ele vende livros.
    Ele é bom. Mas,….meu caro, rsrsrs
    – O aluno não estava pronto e o mestre não apareceu….

    lamento por seu tempo perdido no “el camino gallego”.

    Você deturpa até a parábola do “buraco da agulha”.
    Consulte de novo seu pastor e se ele souber vai indicar uma novo caminho.
    Do banheiro.

  129. Otto said

    Michelão:

    1- Vou te recordar o que eu postei lá em cima pro Edu e pelo jeito você não leu:

    “O projeto de preservação e digitalização do acervo está orçado em mais de R$ 8 milhões – valor que equivale a cinco vezes o orçamento anual da Biblioteca Mário de Andrade, a maior de São Paulo, com mais de 3,2 milhões de itens.”

    Vamos repetir pra você decodificar?

    “(…) valor que equivale a cinco vezes o orçamento anual da Biblioteca Mário de Andrade, a maior de São Paulo, com mais de 3,2 milhões de itens.”

    Aliás, a nota do iFHC não explica nada, só tergiversa.

    2- Você deturpa até a parábola do “buraco da agulha”.

    Não, aquela citação não tem nada a ver com a parábola do buraco da agulha, que aliás não é parábola, o que demonstra mais uma vez a sua ignorância (se não conhece um assunto, não se meta a besta de falar).

    Eis a citação:

    “Guias cegos! Vocês coam um mosquito e engolem um camelo.” (Mateus 23,24)

    Vou desenhar agora:

    Vocês coam um mosquito (censuram Lula por receber doações de empresas privadas para levar a imagem do Brasil pelo mundo afora) e engolem um camelo (fazem vista grossa para um tucano receber dinheiro de uma estatal paulista presidida por outro tucano… pra escanear documentos!).

    Não são dois pesos e duas medidas?

    Vamos, admita.

  130. Jose Mario HRP said

    Desde 2011 está previsto verba de 2,5 bilhões para tentar-se sanar o terrivel problema da região serrana do Rio de Janeiro.
    KD o Cabral e a Dilma?
    Agora em Angra os deslizamentos e soterramentos acontecem de novo, e nossas autoridades curtindo os privilégios do fim de semana.
    Gente morando em estabulos entre outras coisas inconcebíveis a que se sujeitam os atingidos pelas chuvas e enchentes.
    Como com a terrível seca do centro do nordeste nos dois casos governadores e gov. federal incompetentemente dão mostras de gigantesca insensibilidade.
    Seca, enchentes ,fome, educação ruim:
    coisas que tem soluções óbvias mas que ninguém quer resolver.

  131. Patriarca da Paciência said

    “EDUARDO CAMPOS VIROU À DIREITA?

    Será que o novo “galeguinho dos zóio azul” do Nordeste teria “endireitado”?
    Encontrou-se na calada da noite com Serra, firmou estranha “parceria” com Jarbas Vasconcelos e teria feito articulações com Jorge Bornhausen e ACM Neto”

    http://www.brasil247.com/pt/247/poder/97008/Eduardo-Campos-virou-%C3%A0-direita-Eduardo-Campos-virou-direita.htm

  132. Jose Mario HRP said

    E lá alguém pode confiar em PSB?
    Lembrem-se que esses partidos menores sempre estarão a procura de “oportunidades”, e longe vai que o PSB era um puro sangue da esquerda!
    Mas se eu fosse ele, EC, baixaria a bola e esperaria 2017.

  133. Zbigniew said

    Em breve teremos condições suficientes para enquadrar os desmandos dessa turma.

    “A decisão do parlamento inglês, país com tradição libertária muito maior do que o Brasil, de criar um órgão externo para fiscalizar as atividades dos meios de comunicação assusta a Editora Abril; segundo Veja, será usada pelos “liberticidas” para constranger a imprensa livre; na Inglaterra, Rebekah Brooks, ex-diretora do News of the World, de Rupert Murdoch, será investigada pelo esquema de grampos ilegais liderado pelo extinto jornal; no Brasil, Carlos Cachoeira realizava os grampos ilegais e, com seu braço na mídia, liderado por Policarpo Júnior, de Veja, pressionava políticos e governos.”

    http://www.brasil247.com/pt/247/midiatech/97020/Precedente-inglês-já-coloca-Veja-em-pânico.htm

  134. Zbigniew said

    Uma vez discutimos eu e o Chesterton sobre a necessidade da educação para tirarmos o Brasil da mediocridade. E disse o Chesterton acertadamente que não bastava geladeira e televisão, tinha que ter educação. O Veronese que o diga.

    http://m.youtube.com/watch?v=lzefF9i_Ucw

  135. Patriarca da Paciência said

    “Mas Veja, no entanto, parece ter informações que a amedrontam. Na edição desta semana, a revista aborda o caso do News of the World e diz que ele será empregado no Brasil com fins torpes. “A medida interrompe 300 anos de liberdade de imprensa e vai ser aproveitada pelos liberticidas no Brasil”, diz o texto, numa reportagem interna.

    Mais do que isso, com tremenda desfaçatez, o diretor de redação, Eurípedes Alcântara, também aborda o caso no editorial “Crime e Castigo”, com imagem do News of the World, como se Veja não tivesse nada a ver com a discussão. Diz Eurípedes que a regulação prejudica a liberdade e que a função da imprensa séria é “de ser os olhos e ouvidos da nação na busca da verdade e na vigilância constante sobre os poderosos”.

    O fato incontestável, no entanto, é que, em vários momentos, Veja foi olhos e ouvidos de Cachoeira em defesa dos interesses privados do próprio bicheiro, na sua relação de extorsão sobre os poderosos.”

    Meu caro Zbigniew,

    tenho a impressão que o cerco está se fechando. O “capo”, que dava total imunidade ao Policarpo, agoniza numa UTI.

    Países liberais, como a velha Inglaterra, se dizem “cheios” da irresponsabilidade e inimputabilidade da “grande” imprensa.

    Augustos boçais e rola-bostas 100% idiotas, tremem nas bases.

    Chega o dia do Juízo. A hora se aproxima!

  136. Otto said

    Esta é pra vocês, Edu e Michelão:

    “Um ex-presidente brasileiro está rodando o mundo, em viagens patrocinadas por empresas e corporações que cresceram e ganharam muito dinheiro em seu período de governo. Nestas viagens, a presença do ex-presidente ajuda as empresas patrocinadoras a captar investimentos e ganhar mercados.

    As empresas amigas também patrocinam palestras deste líder político no Brasil e contribuem com fundos milionários para o Instituto que leva seu nome e destina-se a preservar sua memória.

    Se este ex-presidente se chamasse Luiz Inácio, suas atividades no exterior seriam manchete da Folha de S. Paulo, colocando-o sob suspeita de atuar como lobista de empresas sujas.

    Mas estamos falando de Fernando Henrique Cardoso, que também viaja fazendo palestras, a convite de empresas, ONGs e instituições diversas. A diferença mais notável entre eles (há muitas outras) é que FHC vai lá fora para falar mal do Brasil.

    Nas asas do Itaú, seu patrocinador master, Fernando Henrique esteve no Paraguai em 2010 , no dia em que o banco inaugurou a operação para tomar o mercado no país vizinho.

    O Itaú também o levou a Doha e aos Emirados Árabes ano passado, como informou a imprensa financeira, com a intenção de morder parte dos 100 milhões de dólares que o Barwa Bank tem para investir no mercado imobiliário brasileiro.

    A Folha estava lá (mas não diz quem pagou a viagem da colunista Maria Cristina Frias) “FHC vai ao Oriente Médio com Itaú para atrair investimento”, ela escreveu. Zero de suspeição ou malícia. O jornal não se preocupou em saber se a embaixada brasileira alugou impressoras para apoiar o ex-presidente em sua missão, mas registrou direitinho o que ele disse lá sobre o governo brasileiro atual: Corrupção cresceu em relação a meu governo, diz FHC. Com esse papo, o ex deve ter atraído investimentos para o Chile.

    FHC também falou mal do Brasil quando foi à China, em maio passado, de novo pelas asas do Itaú (nem parece que é um banco, deve ser uma agência de viagens). Reclamou do ajuste do câmbio, da falta de planejamento, e fez o comercial do patrocinador: “Baixar a taxa de juros (no Brasil) é importante, mas tem que olhar as consequências”, ele disse aos chineses. O Estadão resumiu no título a visão de Brasil que FH passou em Pequim: “Não se pode crescer a qualquer a custo, diz FHC”.

    Em novembro do ano passado, a casa americana JP Morgan pagou FHC para falar do Brasil sem sair de casa: “O Brasil está pagando o preço por não ter dado continuidade aos avanços implementados”, ele disse, numa palestra para investidores estrangeiros em São Paulo.

    Na edição deste sábado, a Folha sugere ao Ministério Público que promova uma ação para alguém devolver “gastos indevidos” com horas extras de motoristas e deslocamento de funcionários, nas embaixadas por onde Lula passou. Mas não se comove com o fato de a estatal paulista Sabesp ter pingado R$ 500 mil na caixinha do Instituto FHC (ah se fosse o Visanet…).

    Fernando Henrique ainda era presidente da República, em 2002, quando chamou ao Palácio da Alvorada os donos de meia dúzia empresas para alavancar o instituto que ainda ia criar: Odebrecht, Camargo Corrêa, Bradesco, Itaú, CSN, Klabin e Suzano. A elas se juntaria a Ambev. Juntas, pingaram 7 milhões no chapéu de FH. Mas foi o Tesouro que pagou o jantar, descrito em detalhes nesta reportagem da revista Época.

    Todos à mesa eram gratos à FHC pelo Plano Real e não se duvide de que alguns tenham coçado o bolso por idealismo. Mas se a Folha utilizasse o mesmo relho com que trata Lula, teria registrado que os Itaú e Bradesco eram gratos pela maior taxa de juros do mundo; a Ambev deve seu monopólio ao CADE dos tucanos; a CSN é a primogênita da privataria e quase todos ali deviam algum ao BNDES.

    FHC e seu instituto prosperaram. No primeiro ano como ex-presidente ele faturou R$ 3 milhões em palestras (“o critério é cobrar metade do que cobra o Bill Clinton”, explicou, modestamente, um assessor de FHC). A primeira palestra, de US$ 150 mil de cachê, que serviu de parâmetro para as demais, foi bancada pela Ambev. O IFHC já tinha R$ 15 milhões em caixa e planejava gastar o dobro disso nas instalações.

    O IFHC abriga o projeto Memória das Telecomunicações (esqueçam o que ele escreveu, mas não o que ele privatizou), patrocinado naturalmente pela Telefónica de Espanha.

    Todas as empresas citadas neste relato são anunciantes da Folha de S. Paulo e estão acima de qualquer suspeita enquanto anunciantes. Apodrecem, aos olhos do jornal, quando se aproximam de Lula.

    Eis aí o segundo recado da série de manchetes: afastem-se dele os homens de bem. O primeiro recado, está claro, é: mãos ao alto, Lula!

    A Folha também se considera acima de qualquer suspeita. Só não consegue mais disfarçar o ódio pessoal que move sua campanha contra o ex-presidente Lula.

    http://www.advivo.com.br/blog/luisnassif/as-viagens-de-fhc-e-lula-e-a-escandalizacao-seletiva

  137. Pax said

    Aécio brilhando no noticiário…

    http://www.em.com.br/app/noticia/politica/2013/03/24/interna_politica,362083/aecio-usa-mais-verba-para-ir-ao-rio-que-a-belo-horizonte.shtml

  138. Zbigniew said

    Patriarca,

    acho necessário algum tipo de regulação aqui no Brasil. Nosso modelo é extremamente anacrônico e concentrado, beneficiando poucas famílias que conseguiram fortuna e poder em conluio com o sistema político e seus vícios.

    Verdade que as novas mídias e os acertos nas políticas econômica e social por parte do governo têm diminuído bastante o poder da velha imprensa, o que podemos constatar na queda de audiência da tv aberta, e de circulação dos jornais impressos. Talvez por isso a Dilma não se anime tanto em regular tal mercado (ainda mais com os índices de aprovação que ela goza atualmente). Entretanto o sistema não é democrático e não podemos aceitar a desculpa de que só o mercado deve regulá-lo, até porque esse mantra, principalmente depois do “crash” de 2008, mostrou-se uma falácia.

  139. Patriarca da Paciência said

    e também caro Zbigniew,

    porque apesar de tudo, a velha “grande” mídia conserva intacta seu poder sobre alguns setores, como a classe média A e os tribunais superiores.

  140. Pax said

    Aos amigos que acham que está tudo dentro dos conformes, do possível, da realpolitik nacional… sugiro ouvirem o Boechat de agora de manhã.

    Não sei se há como recuperar pela web.

    Mas disse bonito sobre o que acontece. Falou, entre outras coisas, das declarações de Garotinho pós conversa com Dilma. Estraga qualquer manhã de qualquer brasileiro.

    O resumo da síntese é:

    O governo PT virou um lixo se entregando ao banditismo nacional. E o que é pior é que não há nada melhor como opção.

    Me perdoe, caro Patriarca, mas discordo de você em absoluto quando diz (em #123)

    O Brasil ainda pode melhorar muito e os governos petista tem trabalhado duro para isso. Mas como diz aquele velho ditado, “Roma não foi feita num só dia”.

    O PT adotou o banditismo. É simples assim. É como adotar o vício ao crack. Não se sai mais. Adota-se, vicia-se e logo passa-se ao tráfico de drogas, ao crime para sustentar o vício, posição que o PT já está praticando faz um tempo.

    Solução? Não vejo nenhuma quando percebo que a militância aplaude o que rola.

  141. Patriarca da Paciência said

    Cara Pax,

    dizer que o PT adotou o banditismo é totalmente genérico.

    Sou totalmente a favor de apontar claramente quem e como alguém do PT adotou o banditismo.

    E que a pessoa do PT, que adotou o banditismo, seja punido com os rigores da lei.

    Agora, simplesmente dizer que o PT “adotou o banditismo” é algo vago e superficial.

  142. Patriarca da Paciência said

    Acho que já foi apontado e provado alguém da “grande” imprensa que adotou o banditismo, ou seja, o Policarpo.

    O Policarpo se aliou ao Carlinhos Cachoeira e usava a imprensa para pressionar e até chantagear os adversários.

  143. Pax said

    Caro Patriarca,

    Quer começar pelos condenados na AP 470? Quer ir um pouco atrás, investigar os desvios de Celso Daniel que acabaram mal para ele? Ou procurar a questão do Toninho em Campinas?

    Quer ganhar uma Land Rover de empreiteira? Ou prefere uma graninha “comprando serviços das empresas de Marcos Valério” na presidência da Câmara?

    Podemos passar, na medida que já temos vários elementos acima para levantar sérias suspeitas, para as alianças. Se preferir podemos dar um pulo nas Agências Regulatórias procurar bebês de Rosemary e quetais, a primeira dama, quer dizer, bem, deixa pra lá… e achamos que só a primeira dama, quer dizer… que colocou apaniguados nas agências? Tá, você quer mesmo que eu acredite nisso?

    Então vamos para as alianças. Agora Garotinho diz pra Dilma que se ela quer o PR, então que lhe devolva algum ministério sem mistério, só com orçamento grande, com empreiteira grande e tal.

    Quer passar para as Telecomunicações? Melhor passar batido, pode ser que cheguemos em algum sítio em Vinhedo.

    Quer passar para a Saúde, FUNASA? Melhor passar batido, pode ser que a gente chegue em algum laranjal de algum senador conhecido e queridíssimo.

    Quer passar para Energia? Melhor pular essa que vamos acabar no bigodão e aí a coisa fica um pouco feia.

    Quer passar para Petróleo? Ah…breu que deu em Lima?

    Caro Patriarca, quando a gente quer tapar o Sol com peneira a coisa fica difícil pacas.

    Melhor assumir. Foi como disse acima: “o pior é que não há opção melhor”.

    É isso. O PT adotou o banditismo e não há opção. A não ser que achemos que o brilhante Aécio vai ser melhor que Dilma. E não vai, como sabemos.

  144. Pax said

    No Twitter do Protógenes:

    Protógenes Queiroz ‏@ProtogenesQ 17m
    Há exatos 10 anos foi assassinado o juiz Alexandre Martins. De lá pra cá mudou o que na justiça brasileira? A corrupção só aumenta !!!

    Bem, ele tem razão

    Acontece que Protógenes faz campanha contra Alckmin, é da base aliada do PT. E estes 10 anos não foram governados pelo PSDB…

    Ou seja, mais parece um twitter ao estilo de tiro no pé.

  145. Patriarca da Paciência said

    Caro Pax,

    essa história do Celso Daniel rola faz quantos anos e, até hoje, qual a prova concreta do envolvimento do PT, tipo o envolvimento do Policarpo com o Carlinhos Cachoeira?

    Qual a “prova” concreta que apareceu contra o José Dirceu e José Genoíno, na AP 470, além das declarações do Bob Jeff, que aliás foram todas desditas por ele próprio, e a tal “teoria do domínio do fato”?

    O tal do Land Rover foi realmente provado e a pessoa que recebeu o tal Land Rover assumiu totalmente a sua responsabilidade e consequências.

    Uma tentativa do Garotinho de tentar chantagear a presidenta Dilma, já é um fato concreto?

    A tal da Rosemary entrou no serviço público por causa de um requerimento assinado pelo senador Coutão, do PSDB do Pará, mas a “grande imprensa” faz vista grossa para o fato concreto.

    As telecomunicações estão mãos da iniciativa privada desde o governo do FHC.

    Energia elétrica? Tirando o terrorismo da “grande” imprensa, não percebo nenhum problema sério no setor. Indústria, comércio, serviços e residências são servidas de modo satisfatório.

    Petróleo? Até agora não houve o mínimo racionamento de petróleo no Brasil, nos últimos anos.

    Ou seja, problemas há e sempre haverão.

    Políticos imaculados não existem nem aqui nem na China.

    O Brasil não é melhor nem pior que qualquer país do mundo.

    O que há mesmo é uma campanha política em curso, com os adversários jogando todas as suas fichas, inclusive algumas não muito limpas.

    É bem nisso aí que acredito!

  146. Zbigniew said

    Pegando um gancho no que disse o Patriarca, parece que a oposição conseguiu encontrar uma linha bem estruturada de estratégia para 2014:

    “Depois de um longo período sem conseguir desencadear ações orquestradas, a oposição ao governo da presidente Dilma Rousseff, parece, agora, ter encontrado o tom para questionar a administração federal. Nas últimas semanas, pelo menos seis interpelações ou pedidos de informações foram feitos ao governo ou aos órgãos de fiscalização. Mais do que exercer o papel de criticar o governo, a oposição tem aproveitado os fatos controversos da gestão Dilma para acumular uma “gordura política” para as eleições de 2014. O objetivo é garantir munição para o ataque ao petismo.
    (…)

    Para o sociólogo e cientista político Rudá Ricci, não há dúvidas de que a coordenação da oposição nos ataques ao governo da presidente Dilma Rousseff está ligada intimamente a 2014. “Em dez anos, é a primeira movimentação inteligente que vejo, quando o assunto é a oposição”, afirma.
    (…)”
    http://www.advivo.com.br/blog/luisnassif/a-serie-de-ataques-orquestrados-da-oposicao

    A questão é saber se terá o efeito esperado ou se sensibilizará a população, principalmente se a economia estiver bem. Entendo que não temos, ainda, uma sociedade que coloque o combate à corrupção como elemento principal de uma eleição. Principalmente porque para ela todos os políticos estão envolvidos em algum tipo de falcatrua. É esse o pensamento geral e o senso comum. Nasse ponto, embora seja uma jogada inteligente da oposição, terá que trazer propostas para suprir o que está errado. Difícil será fazer a população acreditar.

  147. Pax said

    Caro Patriarca,

    Esse é o maior problema: passa-se a defender as desculpas mais esfarrapadas para as maiores atrocidades com a realidade.

    Mas é claro que você pode acreditar no q quiser. Assim como me reservo o direito de achar q estás num mundo de ilusões.

    Enquanto compactuarmos com estes desmandos continuaremos neste mesmo rumo.

    Do império da corrupção.

    Enviado via iPhone

  148. Patriarca da Paciência said

    Veja aí o “mundo de ilusões” caro Pax,

    acordos não acontecem só na política.

    “El Bigodon” Saney também patrocina FHC em sua entrada para a imortalidade.

    É isso aí, como disse alguém, somente loucos tem pensamento fixo.

    “A disputa pela vaga na Academia Brasileira de Letras aberta com a morte de João de Scantimburgo teve suas articulações iniciais num almoço no paulistano La Casserole, na sexta-feira. À mesa,Nélida Piñon, FHC, José Sarney e mais quatro pessoas.

    No meio do almoço, Nélida foi avisada, por celular, que Scantimburgo morrera. Ato contínuo, avisou Sarney, que puxou FHC e ela num canto. Sarney convidou, ali mesmo, FHC a candidatar-se.

    Nélida pediu um “de acordo” de FHC para que ela e Sarney pudessem levar o assunto aos outros acadêmicos. A dupla recebeu o o.k.

    Nos dois dias em que se seguiram ao almoço em São Paulo, a movimentação foi intensa. FHC já conta com votos de grandes eleitores da ABL. Eduardo Portella, por exemplo, que estava com outro possível pretendente – Carlos Guilherme Motta – converteu-se ao ex-presidente.

    FHC teria, já garantidos, os votos de Celso Lafer, Paulo Coelho, Merval Pereira, Geraldo Hollanda Cavalcanti, Antônio Carlos Secchin, Sergio Paulo Rouanet, Alberto da Costa e Silva, Sábato Magaldi, Hélio Jaguaribe, Marcos Villaça e José Murillo de Carvalho.

    FHC quer ser candidato – ou melhor, quer ser imortal. Mas só entrará na briga com a certeza da vitória. Não quer, a essa altura da vida, entrar numa disputa como essa para perder. Não quer repetir JK. Até quinta-feira, avaliará esses apoios.

    Salvo alguma surpresa de última hora, a cadeira será oficialmente declarada vaga na quinta-feira e, em seguida, chega à ABL uma carta de FHC assumindo a candidatura.

    Em resumo, o pai da candidatura de FHC acabou sendo Sarney com quem esteve praticamente rompido a partir do final do seu governo. O motivo foi a ação da PF que resultou na implosão da candidatura de Roseana Sarney à presidência.

    Por Lauro Jardim”

  149. Patriarca da Paciência said

    Só para relembrar e lembrar, o homem agora quer ser vice?

    Tão magnânimo, majestoso e imponente brasileiro!

    Vice?

    Não dar para acreditar!

    “Quem é José Serra?
    Deixe aqui sua contribuição para a lista de títulos que José Serra merece.

    Ele não é apenas O MAIS PREPARADO PARA GOVERNAR O BRASIL. Ele também é:

    O Maior de Todos os Brasileiros
    O Mais Preparado dos Brasileiros
    O Presidente de Nascença
    A Glória dos Paulistas
    O Orgulho da Nação
    O Economista e Engenheiro Mais Sábio de Todos
    O Maior Presidente Que a UNE Já Teve
    O Orgulho da Móoca
    O Sábio dos Sábios
    O Maior de Todos os Filhos da Pátria
    O Melhor Brasileiro de Todos os Tempos
    O Presidente que Todos os Países Queriam Ter
    O Luminar dos Luminares
    O Gênio Mais Brilhante de Todos
    O Mais Sábio dos Brasileiros
    A Fina Flor de São Paulo
    O Mais Inteligente dos Homens
    O Mais Honesto dos Seres
    O Esplendor da Raça Humana
    O Homem Que Já Nasceu Presidente
    O Príncipe dos Economistas
    O Maior dos Filhos do Tietê
    O Presidente de Todos os Paulistas
    O Maior Sábio Que Já Existiu
    O Mais Brilhante dos Economistas
    O Incomparável Gestor Público
    O Mais Preparado Dentre os Mais Preparados
    O Orgulho da Nação Brasileira
    Aquele Que é Somente Virtudes
    O Clímax da Inteligência Humana
    O Mais Preparado de Todos os Homens Que Já Exisitiram
    A Solução Para o Brasil
    O Novo FHC
    O Maior dos Prefeitos Que São Paulo Já Teve
    O Maior dos Governandores Que São Paulo Já Teve
    O Melhor Ministro Que o Brasil Já Teve
    O Melhor dos Secretários Estaduais Que São Paulo Já Teve
    O Maior dos Senadores Que o Brasil Já Teve
    O Maior dos Deputados Federais Que o Brasil Já Teve
    O Homem Que Faz a Lapa Tremer
    O Mais Preparado dos Homens Públicos
    O Novo Lincoln, O Novo Bismarck, O Novo Churchill, O Novo De Gaulle
    O Orgulho dos Economistas
    Aquele Que Sabe Tudo o Que é Preciso Saber
    O Mais Brilhante Aluno que Já Passou pela Escola Politécnica
    O Economista Mais Brilhante de Todos
    O Político Mais Bem Preparado da História da Humanida
    O Homem Que Sabe Tudo
    O Mais Perfeito e Impoluto dos Seres
    O Farol da Nação Brasileira
    O Grande Homem Que O Brasil Tem para se Redimir
    O Maior dos Políticos
    O Mais Preparado Dentre os Gênios
    O Mais Cristão dos Políticos Brasileiros
    O Lider Impoluto
    O Pai de Toda a Ética”
    (blog Tia Carmela e o Zezinho)

  150. Pax said

    Caro Patriarca,

    Telecomunicações: e daí que é o modelo de FHC ou de qualquer outro? A questão é que o PT governa faz 10 anos e está uma droga. Não melhorou em nada. Piorou. Não venha me dizer o contrário que sou testemunha viva (e Vivo, Embratel, Claro, Tim) da porcaria que é.

    Energia: Desde o ano passado aqui está um caos. E não só aqui. Apagões direto e reto. Que duram de 3 a 12 horas. Perdi uma bomba de R$ 10 mil, reclamei não fui ressarcido, reclamei na ANEEL e? Claro que não fui atendido. Assim como a ANATEL a ANEEL é capacha dos fornecedores. E o que aconteceu com a infra? Está desatualizada por completo, as geradoras, transmissoras e distribuidoras acobertadas pela ANEEL só tiram o lucro máximo ferrando os consumidores que estão completamente desprotegidos. Os equipamentos estão obsoletos. Só à guisa de exemplo: Esta noite tive mais uma queda de energia. Às 19h de ontem. Mais uma. Desde agosto do ano passado não há semana que não caia uma vez. O mais normal é duas ou três vezes por semana. Até eu já descobri o que é, um maldito transformador que não aguenta a carga e desarma. Pois bem, hoje às 04h35 ligaram em casa. Não entendi nada, afinal quem estaria ligando às 4 da matina? Era o cara da distribuidora querendo saber onde era mesmo que eu morava que ele não sabia onde era. Agora, caro Patriarca, por favor não desconfie do que estou afirmando que sou capaz de mandar a lista de protocolos que tenho registrados para provar.

    Petróleo: Caríssimo Patriarca, quer dar uma olhadinha só neste blog sobre os escândalos envolvendo Petrobras, Refinaria Abreu e Lima e mais uma penca?

    É a tal questão. Não é porque o PT faz governo melhor que tucano que podemos dizer que é bom. Não é. Adotou o banditismo como forma de atuação e pronto.

    O país, caro Patriarca, anda a passos de tartaruga. A máquina cada vez mais inchada (agora 39 ministérios, pqp!!!), as agências totalmente dominadas pelos fornecedores e carregando um bando de criminosos apaniguados, tudo para criar e manter a tal base aliada que dá a tal sustentabilidade e governabilidade.

    Quem paga o preço somos nós.

  151. Pax said

    http://josiasdesouza.blogosfera.uol.com.br/2013/03/25/video-sergio-cabral-pediu-votos-para-feliciano/

    Dá-lhe Sérgião. Garoto bão. Cavendish deve estar com ciúmes… Carlinhos Cachoeira então..

  152. Pax said

    A crônica é antiga, do dia 18, mas merece cada segundo de leitura.

    http://revistaepoca.globo.com/Sociedade/eliane-brum/noticia/2013/03/dom-ciccillo-e-o-fim-do-mundo.html

    Eliane Brum deveria dar aula de jornalismo para a atual mídia que temos. Mesmo que fosse para desperdiçar com quem não tem mais volta.

  153. Pax said

    Lalau voltou pro xilindró.

    Não vai ficar uma semana por lá. Aposto o pescoço do Chesterton.

  154. Pax said

    Serra agradou um bocado… as empreiteiras.

    http://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/1251557-nova-marginal-tiete-ja-nao-alivia-o-transito-paulistano.shtml

    Agora está tudo travado de novo. Avisaram o cara, que riu dos especialistas.

Faça seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: