políticAética

Notícias da Corrupção, Desvios, Anomalias, Eleições e Meio Ambiente

  • Sobre o blog

    Uma coletânea das notícias da corrupção, desvios, anomalias, eleições e meio ambiente que aparecem na mídia todos os dias a partir de agosto de 2008.
  • Categorias

  • Arquivos

  • Páginas

  • Meta

Status quo: porrada nos jovens brasileiros que reclamam

Posted by Pax em 12/06/2013

Triste um país que surra seus jovens por protestarem contra péssimos e caríssimos serviços públicos.

O status quo é violento. Sempre foi. Prefere manter o povo em sua vida de gado. Pagando caro para sustentar um modelo político corrupto.

Após protesto contra aumento da tarifa em SP, 11 pessoas continuam presas

Fernanda Cruz – Repórter da Agência Brasil

São Paulo – Das 17 pessoas detidas na noite de ontem (11) durante confronto entre manifestantes e policiais militares, 11 continuam presas, segundo balanço da Secretaria de Segurança Pública. Em menos de uma semana, foram três dias de protestos contra o aumento no valor das tarifas do ônibus e metrô, que passou de R$ 3 para R$ 3,20. De acordo com a PM, aproximadamente 5 mil pessoas participaram das manifestações, na região central.

Os 11 manifestantes permanecem no 78º Distrito Policial, no bairro Jardins. Deles, dez cometeram crime inafiançável e, além de dano ao patrimônio, vão responder por formação de quadrilha. A outra pessoa que continua presa terá que pagar fiança de R$ 20 mil para ser liberta. De acordo com a secretaria, o valor foi estipulado em função dos danos ao patrimônio cometidos por ele.

As pessoas que já foram liberadas cometeram crimes como desacato, danos, pichação e um foi detido por atrapalhar o transporte público. Durante o protesto avenidas foram bloqueadas, vidraças de agências bancárias, quebradas, um ônibus elétrico, queimado e o diretório do PT, apedrejado. Os policiais revidaram com balas de borracha e gás lacrimogênio.

O Movimento Passe Livre, que organiza os protestos, programou duas manifestações na semana passada, nas quais também ocorreram confrontos com a polícia. Um novo ato está marcado para amanhã (13).

Hoje (12), às 14h, o Ministério Público de São Paulo vai fazer uma audiência pública com organizações civis contrárias ao aumento da tarifa de transporte coletivo no município. Participam do encontro, representantes das secretarias Estadual e Municipal de Transportes.

Anúncios

416 Respostas to “Status quo: porrada nos jovens brasileiros que reclamam”

  1. Pax said

    Os vândalos

  2. Edu said

    Pax,

    Como é q vc cai numa história dessas… justo vc, que tem tanto apego às boas fontes…

    Que feio.

  3. Edu said

    Da próxima vez que eu estiver na padaria vou tirar foto dos manifestantes pro Pax dar uma olhada no contraste desses que se manifestam com flores e do restante, que se manifesta com máscara de camiseta, como se fosse assaltante de banco.

  4. Pax said

    Arrâm, Edu…

    http://selvasp.com/?p=653

    Pode ir de titio, Alckmin, Haddad, Folha, Globo e Estadão.

    Vou de dados, fatos, fotos, relatos. Na verdade, na quinta, vou de moto e câmera, mesmo de pé quebrado.

  5. Edu said

    Melhor assim Pax, muito melhor.

    Agora as fotos expressam mais realidade: jovens encapuzados.

    É assim que vc acha que uma manifestação deve tomar forma? Pichando, queimando, vandalizando, com capuz?

    Bastante contraste com aquela foto anterior que vc malandramente escolheu, para dar uma cara de “bondade” aos manifestantes.

    Melhor assim.

  6. Edu said

    Isso é o Brasil:

    http://www1.folha.uol.com.br/poder/2013/06/1293827-indios-que-invadiram-a-funai-dizem-que-orgao-nao-fornece-alimentacao-adequada.shtml

    Esse protesto pelo menos é pacífico.

    E esse governo federal, bandido, que não dá comida aos manifestantes…?

  7. Edu said

    Quem conseguiu se expressar melhor em relação às manifestações, tanto dos índios quanto do Movimento Passe Livre foi o Taz:

    http://blogdotas.terra.com.br/2013/06/12/vamos-ouvir-com-atencao-o-chamado-a-emocao-e-os-sonhos-dos-jovens/

    Ainda assim há trechos que particularmente concordo, como esses:

    “O que vejo em São Paulo, assim como em Istambul e na manifestação dos indígenas Munduruku na Praça dos Três Poderes em Brasília, é a ocupação do espaço urbano como forma de expressar um recado claro: o poder público não nos ouve, não nos representa e estamos cheio disso.”

    “Como cidadão não me sinto representado na atual cena política brasileira. Em nível algum: municipal, estadual ou federal. Aí sim, nesta luta, estamos juntos!”

    E trechos que particularmente discordo, como esse:

    ” Tenho certeza que, mesmo que eles não saibam, a intenção deles não é “vencer a luta das tarifas” como dizem lá no site, mas de exigir dignidade e mudança de consciência.”

    Sobre este último, não sei não… para mim, se tem uma coisa que definitivamente não está clara mais é o objetivo das manifestações. Se houvesse um objetivo claro, haveria uma liderança, e essa liderança não teria medo de se expressar.

  8. Otto said

    Edu, sobre economia, que você comentou no post anterior, veja a mesma coisa por outro ângulo:

    http://agenciabrasil.ebc.com.br/noticia/2013-06-11/atividade-industrial-registra-maior-crescimento-em-tres-anos-revela-cni

    O copo está meio cheio, meio vazio? Depende do viés do olhar.

  9. Pax said

    Aqui tem um relato muito mais real dos fatos de ontem.

    http://www.tsavkko.com.br/2013/06/o-protesto-contra-as-tarifas-de-11-de.html

    E fotos.

    http://www.flickr.com/photos/48788736@N03/

  10. Otto said

    O negócio é o seguinte:

    querem assustar a classe média — e conseguiram (veja o Edu, rsrs).

    Assustada, a classe média vai pedir pros milicos ou pro Barbosão pra por ordem na casa.

    Nesse caso, a extrema-esquerda, ainda que “bem intencionada”, é bucha de canhão da direita.

    Vide 64.

  11. Pax said

    Aqui um relato de quem se ferra todo dia e precisa pagar ainda mais pelos péssimos serviços de transporte público em SP (e, quem sabe, o noticiário nos estimula a questionar, um caixa2 de campanha).

    http://br.noticias.yahoo.com/blogs/3-por-4/entre-veias-entupidas-da-cidade-112627128.html

  12. Pax said

    Otto, meu caro,

    A real é que neste caso Haddad está abraçadíssimo com Alckmin.

    (em Paris, é claro)

  13. Edu said

    Otto,

    Como eu já expliquei antes ao HRP, se vc quiser acreditar na parte cheia do copo, pode acreditar.

    E como eu já expliquei antes ao Totó, se vc quiser acreditar no curto-prazo, pode acreditar.

    A liberdade de expressão e de pensamento é direito de todos, só não diga que eu não avisei.

  14. Edu said

    Pax,

    Vai apelar pra jornalistas série B?

    Já fez uso do Sakamoto, agora o Tsavkko, o que vai ser na próxima, Rodrigo Vianna?

    hahahaha

  15. Edu said

    Otto,

    É de assustar mesmo. Afinal, se fosse um ato de protesto normal, não veria problema nenhum em caminhar com as pessoas ali.

    O fato é que não era seguro nem para os “manifestantes bem intencionados”.

    Quando pessoas protestando encapuzadas, pichando e quebrando ônibus, ateando fogo, etc, tomam a frente do protesto, é sinal de que a razão se perdeu e, com ele, o objetivo.

    Responda-me: como é que se consegue apoio da sociedade mais ampla agindo dessa forma?

    Como eu disse, os próprios funcionários da padaria onde eu estava se apresentaram com medo e aborrecidos com o acontecimento. Segundo me consta essas pessoas representam justamente a parcela da população que os manifestantes buscam ajudar. E aí?

  16. Otto said

    Concordo contigo, Edu.

    Alguma coisa está por trás disso aí.

    Pax: o fato de Haddad e Alckmin estarem abraçados em Paris (embora este se sirva de palavras mais duras pra se referir aos manifestantes do que aquele) não desmente minha tese.

  17. You can't fix stupidity! said

    Para o professor de literatura aprender e parar de falar bobagem:

    Atenção! É reduzidíssima a parcela de pessoas que pagam a tarifa cheia de transporte — deve ser uma minoria extrema. Por que digo isso? Vamos ver.

    Os estudantes, como todos sabem, têm direito à meia passagem, em qualquer fase da vida escolar, incluindo a universidade. É uma das barbaridades vigentes no Brasil. Assim, tenham ou não os indivíduos recursos para arcar com a essa despesa, a categoria “estudantes” goza do benefício. Uma privilégio econômico, pecuniário, que atende tanto a pobres como ricos é socialmente injusto por definição. Mas os radicaloides, claro!, não vão se incomodar com isso. Não sei o número, mas deve chegar perto de milhão os usuários que já pagam meia só em São Paulo.

    Penso agora em outra categoria: as empregadas domésticas. Qualquer empregador sabe que elas cobram, vamos dizer assim, “por fora” o valor da condução. No passado, buscaram se proteger das elevações de tarifa e transformaram a prática num “direito”. Se o transporte passasse a ser gratuito, seus patrões é que se beneficiariam, não elas próprias. Porteiros e faxineiros também costumam combinar com os respectivos condomínios o pagamento integral do transporte.

    Para os demais trabalhadores com carteira assinada, existe o vale-transporte. O beneficiário arcará com, no máximo, 6% de seu salário-base com essa despesa; o que exceder esse valor será responsabilidade do empregador. Alguém que ganhe R$ 1.200 por mês, por exemplo, gastará com deslocamento, no máximo, R$ 72. É o patrão que paga a o excedente.

    Assim, o que parece ser uma reivindicação realmente radical, coisa que vai beneficiar o povo pobre, é, na prática, uma falácia. Se o transporte for gratuito, os maiores beneficiados serão os mais endinheirados. E a conta, claro!, cairá nos ombros do próprio povo. Ou alguém me diga de onde o Estado tira os recursos para arcar com esse custo. Estado gere, mas não gera dinheiro.

  18. Edu said

    Otto,

    Para mim a causa é muito simples:

    Do lado da galera: o movimento perdeu o objetivo, não tem liderança e não tem controle.

    Do lado do governo: o governo não tem mais dinheiro para subsidiar o transporte. A prefeitura de SP está terrivelmente endividada, desde a época da Marta Suplicy. Os níveis de endividamento da prefeitura atingiram o pico com o Kassab. Nesse ponto o Haddad é o cara certo para a posição: ele é especialista em jogar a culpa nos outros e falar das “ideias em andamento” que ele tem. Então fala em pedir ajuda à Dilma, bate na tecla do bilhete único mensal, que não resulta em nada, e tergiversa sobre o resto. Como vc pode ver aqui:

    http://www.estadao.com.br/noticias/geral,haddad-vai-pedir-ajuda-de-dilma-para-baixar-passagem,1040239,0.htm

    Paralelo a isso:

    – vemos as creches sendo abandonadas pelo Haddad, como já postei
    – vemos o Haddad cancelando os subsídios para as famílias que tiveram suas casas incendiadas nas favelas, como já postei também
    – acrescento agora, por experiência própria, que as ruas, semáforos e obras de trânsito de São Paulo estão totalmente paradas

    O que é complicado é o desdobramento disso:

    O Haddad vai ser ótimo para o saneamento das contas de SP. Nesse aspecto ele está sendo muito mais esperto que a Dilma. Ele está longe da reeleição, pode bater no povo à vontade, em nome do dinheiro que tem que juntar para poder gastar nos dois últimos anos de governo e impulsionar sua próxima campanha.

    Mas é óbvio que o ideal seria que o Haddad botasse a máquina estatal para trabalhar, buscasse maior eficiência, e buscasse maior controle de gastos públicos. Só que aqui no Brasil NUNCA se governa diminuindo os gastos dos aliados políticos, na verdade, ocorre justamente o contrário. Equacionar essas contas fica difícil.

    Aí vem a aposta, partindo das seguintes premissas:

    Para que o Haddad consiga se reeleger, ele vai ter que agradar a população. Sem dinheiro isso fica difícil.
    Para que o Haddad consiga se reeleger, ele vai ter que agradar os aliados políticos. Sem ceder recursos para os aliados, isso fica difícil.

    O que o Haddad vai fazer?

    Sanear as contas reduzindo serviços públicos: batendo na população até o segundo ano de mandato, para sanear parcialmente as contas e poder gastar depois?

    Sanear as contas reduzindo o governo, ao custo das alianças políticas? O PT não conseguiria sobreviver sem isso?

    Conseguir o acordo com a Dilma? – eu particularmente acho isso difícil, já que o próprio governo federal tem suas próprias metas de superávit (foi o Malabarista que disse)

    O que vc acha?

  19. You can't fix stupidity! said

    Por falar em creches:

  20. Pax said

    Bob Fernandes mandou bem.

  21. Pax said

    Não sei se é pra chorar, ou pra chorar.

    A tribo PT virou um caldeirão.

    Nem sempre bem cheiroso.

    http://josiasdesouza.blogosfera.uol.com.br/2013/06/12/requiao-a-katia-abreu-como-voce-e-bobinha/

  22. Pax said

    Amanhã promete. Além de uma nova manifestação contra os péssimos serviços e aumento de tarifas, SP vai conviver com uma greve dos trabalhadores dos trens urbanos.

    http://agenciabrasil.ebc.com.br/noticia/2013-06-12/trabalhadores-de-trens-metropolitanos-de-sao-paulo-decidem-entrar-em-greve

  23. "You can’t fix stupidity" said

    Dilma “gerindo” a economia e garantindo que a inflação e o controle de gastos governamentais estão em suas mãos:

    Imperdível!

    Acho que alguém “deveria” dar umas porradas no C. Brown que jogou a presidente na maior furada dos últimos tempos.

    Isso a situação não vê, ô raça! hehehe

  24. You can't fix stupidity! said

    Ingenuidade culpar apenas os vândalos ( G. Dimenstein)

    Entre os vários fatores por trás do vandalismo que estamos vendo na cidade São Paulo, provocado pelo aumento das passagens de transporte público, um deles quase não é citado: os políticos.

    Eles involuntariamente ajudaram os selvagens que transformam uma manifestação em selvageria.

    Basta ver que o último aumento da passagem de ônibus ocorreu em 2011, na gestão Kassab. Mais precisamente em janeiro de 2011. Afinal, 2012 era ano eleitoral.

    Logo, o aumento em 2013 deveria compensar a inflação, pesando com mais força no bolso cidadão. Se houvesse um reajuste em 2012 certamente o aumento teria sido menos salgados e gerado menor reação.

    O Movimento Passe Livre, agora contra o PT, tinha apoio (e muito) do partido, de olho, claro, em desgastar politicamente seus adversários no poder. Aliás, de gente que hoje está no alto escalão da prefeitura.

    Para completar, sabemos que parte da inflação que aí está é provocada porque, para ganhar as eleições, o PT gastou mais do que deveria e cortou gastos menos do que poderia.

    Daí, caro leitor, que apoio a punição aos vândalos.
    Mas seria ingenuidade achar que eles estão sozinhos.

  25. Otto said

    Este movimento atual nada mais é, do que o antigo “CANSEI” que apelou para a violência, travestido der movimento popular e ajudado “pela a esquerda que a direita adora” (PSTU+PSOL).

  26. Jose Mario HRP said

    Senhores indignados:
    A Policia Militar é bandida, violenta , trabalha para um partido desprovido de limites quando o negocio é lidar com os direitos inalienáveis do cidadão, desrespeitando a tofdos os direitos sem qualquer medo, mas o vandalismo só minora o apoio popular a causa da baixa ou redução das tarifas do transporte coletivo.
    Haddad?
    Pisou ao ter discurso semelhante ou mesmo omisso as babaquices do fascista Geraldo.
    Como já escrevi, Geraldo , se adulto a época do golpe de 64, estaria no Doicod, torturando presos, com Paranhos Fleury!
    Meu estado está uma ME**A!
    CHEGA de pSDB!

  27. Jose Mario HRP said

    Vergonha das vergonhas!
    O Pax vai achar o mesmo:

    http://educacao.uol.com.br/noticias/2013/06/12/foi-revolta-diz-professora-que-virou-icone-da-reducao-de-salario-no-ce.htm

  28. Jose Mario HRP said

    GREVE! dos trens em Sampa! Enquanto isso Haddad e Geraldo na Europa??!!

  29. Pax said

  30. You can't fix stupidity! said

    Voltando à realidade…

  31. You can't fix stupidity! said

    Voltando à realidade 2…

  32. Jose Mario HRP said

    O pulha( o sósia do JÔ) logo será passado, mas Joaquimzim , que foi procurador no passado assombra nosso futuro com seus atos ilegais e truculencia tediosa!
    Duda Mendonça, absolvido há 06 meses da ação penal 470, está pleiteando há 05 meses o desbloqueio de seus bens, mas não consegue isso por conta da falta de vontade de Joaquim em analisar a situação.
    Depois que o fato foi a mídia o “nobre” tribuno enviou a procuradoria o pedido de Duda!
    Para que?
    Se o sujeito está absolvido com acordão publicado porque esse maniaco depressivo e perigosamente presidindo o STF não desbloqueia logo os bens?
    Estamos com alguém emocionalmente altamenbte instável e desequilibrado e quem sabe afetadamente narcisista!
    Fora logo com esse cara dum Supremo que vive talvez a sua fase mais mediocre!
    E a culpa é de Lula e Dilma…..só colocaram lá idiotas afetados!

  33. Jose Mario HRP said

    Bem, sempre que desqualifico a Meganha paulista sei que incomodo muita gente, mas por sorte agora não sou eu que preciso falar, mas isso aqui prova:

    http://blogdosakamoto.blogosfera.uol.com.br/2013/06/12/jornalistas-sao-detidos-em-protesto-em-sao-paulo-a-pm-tem-saudades-da-ditadura/

  34. Patriarca da Paciência said

    “Procurador-geral da República precisa reler o artigo 127, parágrafo 1º, da Constituição Federal; texto garante “independência funcional” para membros do Ministério Público; em todo e qualquer ambiente; em gesto autoritário, Gurgel exonerou vice-procuradora Deborah Duprat por ter honestamente demonstrado divergência frente a ele em posicionamento sobre liminar concedida por ministro Gilmar Mendes sobre projeto de lei que regula criação de novos partidos; caso chocou meios jurídicos.”

    http://www.brasil247.com/pt/247/poder/105213/Revanche-de-Gurgel-sobre-Duprat-%C3%A9-inconstitucional.htm

    Continuo achando que com essa o Gurgel se deu muito mal.

    Continuo acreditando que a coisa vai ficar preta para o lado dele!

  35. Pax said

    Muito além de R$ 0,20…

    http://blogdoorlando.blogosfera.uol.com.br/2013/06/12/manifestacoes-protestos-vao-muito-alem-de-r020/

  36. Edu said

    Pax,

    Agora vc está finalmente notando a divergência entre o discurso e a prática petista.

    Parabéns. Acho bom que pessoas razoáveis entendam que votaram errado, e que mudarão o voto. Diferente dos que permanecem fiéis a um partido por convicções emocionais, esses não evoluem.

  37. Pax said

    Cada coisa que tenho visto por aí… essa aqui no Facebook.

    Andre Borges Lopes
    há 3 horas ·
    AOS COMPANHEIROS QUE SE ESQUECERAM DE LEME

    Meus amigos postam seus comentários sobre a manifestação da última terça-feira e sobre as cenas de violência que se espalham na imprensa. Em comum, uma condenação às depredações gratuitas e à ação de grupos de vândalos que – mais do que se contrapor à habitual truculência da PM – mostraram que estavam lá muito mais para arrumar confusão do que pelos motivos do protesto.

    Me parece óbvio que no meio de milhares de pessoas que se manifestam podem estar aqueles velhos conhecidos dos paulistanos, que se disfarçam de torcedores para arrumar briga em estádios de futebol. Podem estar provocadores infiltrados por grupos que (por vários motivos) têm interesse em desmoralizar o movimento ou forçar um confronto descontrolado com direito a mortos e feridos. Por certo estão lá alguns jovens incendiários, radicais de ultra-alguma-coisa, sempre os primeiros a sugerir a alguém que jogue um paralelepípedo no parabrisas do camburão da Rota. Desses últimos, convém anotar e guardar o nome com carinho. Há grandes chances de que daqui a duas ou três décadas vocês os encontrem no rol de palestrantes e articulistas do Instituto Millenium, oferecendo comoventes testemunhos de fé e conversão.

    Causou indignação e suspeita a destruição da fachada da Sede Nacional do PT. Indignação porque a prefeitura – mais que o governo do estado – alega ter trabalhado para reduzir o índice do reajuste, e deu sinais de alguma abertura para negociar. Suspeita porque a fúria das manifestações parece se dirigir muito mais contra novo prefeito Haddad do que contra o veterano tri-governador Alkimin. Os dois foram cúmplices no aumento dos transportes, mas até o momento nem uma casca de banana foi atirada nos jardins do palácio do Morumbi. O que é um excelente caldo de cultura para especulações e teses conspiratórias, que ligam o protesto a interesses partidários e a uma tentativa de desestabilizar a recente gestão petista. Explicar essa relação irada dos pequenos partidos de esquerda – como PSOL e PSTU – em relação ao PT é um assunto que está mais para Freud que para Marx e, por ora, eu não vou me alongar nesse ponto.

    A questão é que os últimos dias me trouxeram de volta uma lembrança incômoda e eu fui buscar o fio da meada lá no século passado.

    O ano era 1986 e a ditadura moribunda dava seus últimos suspiros já na “Nova República” sob a presidência de um ex-aliado dos militares: Zé Sarney, elevado ao cargo pelo desatino dos astros. Foi esse o ano do Plano Cruzado, o primeiro de muitas tentativas mal sucedidas de acabar com a inflação que ferrava o País. Era ano de eleição e os aliados do governo surfavam na euforia do povo com a farra dos preços congelados. Mas aqui em São Paulo a eleição para governador estava bem enrolada.

    Um ano antes, o ex-presidente Jânio Quadros havia ganho a prefeitura de São Paulo com apoio da direita malufista, e a divisão de votos entre Fernando Henrique e Eduardo Suplicy foi apontada como a causa da derrota de FHC, azedando de vez as relações entre PMDB e PT. Orestes Quercia era o candidato à sucessão do governador Franco Montoro pelo PMDB, mas não ia bem nas pesquisas, e disputava o cargo com Paulo Maluf, Eduardo Suplicy e o megaempresário Antônio Ermírio de Moraes – uma eleição que se anunciava duríssima.

    No início de julho, começou uma greve importante de trabalhadores rurais no noroeste paulista: cortadores de cana e catadores de laranja – os tais boias-frias, imortalizados na música de João Bosco e na voz da Elis. Na periferia da cidade de Leme, longe das câmeras de TV e da imprensa, uma manifestação dos grevistas foi reprimida pela PM com uma brutalidade tão estúpida que perto dela os protestos dos últimos dias em São Paulo ficam com cara de jogo de paintball. Policiais arrombaram e invadiram casas para espancar os moradores com cassetetes de madeira, houve dezenas de feridos com traumatismo craniano, braços quebrados, muitos tiros de revolver 38 e – ao final – dois trabalhadores mortos a bala: Orlando Correia e Sibely Aparecida Manoel.

    No meio da manifestação havia um grupo de dirigentes sindicais e deputados das pequenas bancadas que o PT, a duras penas, conseguira eleger em 1982. Entre eles os deputados federais José Genoino e Djalma Bom – que tentaram, sem sucesso, evitar o confronto entre os manifestantes e a tropa. Consumada a tragédia, a PM divulgou uma versão fantasiosa, segundo a qual os tiros fatais teriam partido de um dos carros Opala, onde estava Genoino. Era um carro oficial da Assembléia Legislativa de São Paulo que havia levado os parlamentares até a cidade. A insinuação era de que os petistas teriam provocado o confronto e em seguida matado os trabalhadores para jogar a culpa na PM, desestabilizar o governo Montoro num momento de fragilidade e enfraquecer o candidato do PMDB (que, como todos sabem, acabou ganhando).

    Anos depois ficou comprovado na Justiça que os tiros que assassinaram os bóias-frias haviam saído das armas da polícia. Mas na época o governador Montoro preferiu não bater de frente com versão da PM e ficou em cima do muro. Ao mesmo tempo em que ordenou uma investigação razoavelmente isenta, seu então Secretário de Justiça Eduardo Muylaert e o Ministro da Justica Paulo Brossard (ambos do PMDB) afirmavam taxativos que a culpa da tragédia havia sido dos deputados: “– Se os petistas não estivessem em Leme, ninguém teria morrido.” As televisões e a maior parte da grande imprensa compraram essa versão policial, no que talvez tenha sido a primeira grande tentativa midiática de criminalizar a ação política do Partido dos Trabalhadores.

    Por mais que a farsa fosse evidente e não resistisse nem mesmo a uma investigação amadora, não havia nada parecido com a internet ou das redes sociais para contestar o que a grande mídia vendia ao público. O hoje jornalista Breno Altman – então meu colega de faculdade – reuniu um grupo de militantes, tivemos o apoio do nosso valente camarada David Capistrano Filho (que anos depois se elegeu prefeito de Santos) e conseguimos editar, produzir e distribuir para a militância do PT dezenas de milhares de exemplares de um jornal tablóide com o título “A Verdade sobre Leme”, onde desmontávamos uma a uma todas as mentiras da armação policial. Mas isso é apenas um parêntesis.

    O importante é que essa conversa de que “os deputados do PT não deveriam estar lá” ganhou força mesmo entre correntes de esquerda que tinham lutado juntas contra a ditadura. Como os partidos comunistas ainda estavam na ilegalidade, PCB e PC do B elegiam seus deputados dentro do PMDB e eram aliados do governo Montoro. Eu já militava no PT mas ainda tinha muitos amigos no Partidão e acabei entrando de gaiato de uma conversa informal de um grupo deles onde esse assunto veio a tona. Ali eu aprendi uma lição que nunca mais esqueci na vida. Um velho comunista, veterano de jornadas de luta e temporadas na cadeia, virou para os jovens PCBistas e disse: “– Voces deveriam de se envergonhar de estar questionando se os deputados do PT tinham ou não que estar em Leme; a pergunta que a gente deveria estar fazendo é ONDE ESTAVAM OS NOSSOS DEPUTADOS, que não estavam lá em Leme naquele momento em que os trabalhadores mais precisavam deles.”

    Pois essa frase do velho camarada me volta à mente cada vez que eu vejo essa multidão de estudantes levantando seus cartazes na rua e enfrentando as bombas da PM e – ao contrário do que era comum nas décadas passadas – no meio deles não se vê uma única bandeira do PT. Haddad está na prefeitura há apenas cinco meses, mas Movimento do Passe Livre já existe há alguns anos e já tomou bastante borrachada da PM paulista nos últimos tempos. E a gente agora descobre atônito que o PT, no momento em que mais precisa, não tem nenhum canal de interlocução com eles. O movimento estudantil nunca deixou de existir em São Paulo, mas hoje quando os estudantes saem para as ruas o PT já não está na passeata. Um partido de esquerda que passa a ter medo de trabalhadores em greve ou de jovens que protestam nas ruas está colocando o primeiro prego na tampa do seu caixão.

    Em 1986 o Partidão não deu muita bola para as recomendações daquele velho camarada: poucos meses depois abandonou a candidatura do PMDB e deu seu apoio ao “bom-burguês” Antônio Ermírio. Não me surpreende que alguns dos seus remanescentes sejam hoje linha auxiliar da Opus Dei do Morumbi. O PT seguiu seu caminho, chegou à presidência com Lula há dez anos e tem motivos de sobra para o justificado orgulho pelas mudanças que promoveu no País. Mas, no ano passado, elegemos um prefeito que tem 50 anos de idade e saudamos sua eleição (e com razão, o que é mais grave) como uma “renovação” no partido. E eu me pergunto há quantos anos o PT já não faz aqueles enormes comícios na Praça da Sé, com a molecada tomando as ruas alegremente ao final, até chegarmos em festa na Paulista? O que nos impede é só o reumatismo ou temos medo de atrapalhar o trânsito?

    É fácil para quem ganha bem e anda de carro dizer que um aumento de 20 centavos (ou 10 centavos para os estudantes) não justifica tamanha revolta e baderna. Mas isso nos deveria levar a pensar que essa “revolta” e essa “baderna” podem ter na realidade motivações muito mais graves e profundas. Acho prudente que a gente se apresse em tentar compreendê-las, antes que elas atropelem a nossa confortável sensatez. Houvesse um movimento forte e expressivo de jovens petistas nas universidades e nas periferias de São Paulo – e é de lá que vieram os votos que elegeram Haddad – teríamos escutado antes da explosão o barulho da pólvora fervilhando. Mas parece que já não pertencemos a esse mundo. Tarde demais, somos acordados por ruas que nos pedem o impossível num momento em que o PT está ocupado em administrar a política do possível nos gabinetes de Brasília e em Paris.

    Os jovens pedem o passe livre nos transportes – uma ideia que tem um milhão de inconvenientes numa metrópole do tamanho de São Paulo e traz enormes dificuldades políticas. Mas convenhamos: algo muito semelhante já foi defendido por muita gente boa do PT na gestão Erundina – e não dá para dizer que é “impossível”. É sim uma “idéia fora da caixa”, como há alguns anos era a Internet, como são hoje os novos Apps que chamam os taxis dispensando telefonista e cooperativa. Mas não é isso que o mundo pede aos jovens de hoje? Que abram novas possibilidades e pensem fora da caixa?

    Eu acredito que a esmagadora maioria dessa meninada que toma as ruas não merece gás de pimenta e cacetadas, venham eles da USP, da Uninove, de Guaianazes ou do Grajaú. Merecem o nosso apoio e a nossa solidariedade contra a truculência brutal da polícia e também contra a violência sem sentido dos provocadores inconsequentes. É preciso compreender que eles não querem pequenas concessões, querem gente disposta a diálogar com espírito desarmado e sem as amarras de pré-conceitos. Eles não precisam de toneladas de regras e conselhos sensatos, precisam de uns poucos gramas de bons exemplos. Exemplos que lhes mostrem na prática que – ao contrário do que a grande mídia martela em seus ouvidos desde o dia em que eles nasceram – as organizações político-partidárias não são apenas quadrilhas de pilantras procurando enriquecer e enganar o povo. Que a militância e a disputa política cotidiana não são algo apodrecido e nojento, e que podem sim ser experiências solidárias, divertidas e motivo de orgulho – como foram e ainda são para muitos de nós.

    Com sorte, talvez eles compreendam que essa democracia burguesa cheia de limites e esse capitalismo mal remendado onde nós vivemos são mesmo uma merda, mas que essa foi a melhor merda que nós – a duras penas e graças a muita luta – conseguimos construir até agora. E que fique claro que nós temos uma enorme esperança de que eles – livres e pensando fora da caixa – consigam inventar e construir algo novo e melhor. Algo que seja capaz de arrancar a humanidade desse atoleiro esquisito onde nós nos metemos.

  38. You can't fix stupidity! said

    Edu
    Eu desde sempre fui contra o “status quo” – a era do petismo.
    A era da mediocridade!
    Imagine na Copa! Calça de veludo bunda de fora!

    Desejo que o protesto da turba multa evolua até um SONORO :
    Fora Presidenta Incompetenta! diretamente nas urnas.

    PS – Sinto me envergonhada por ser mulher e ver esta mulher presidenta atrasar a emergência do Brasil. Vergonha alheia!

  39. Jose Mario HRP said

    A canalha fascista da meganha paulista foi derrotada pelos jovens.
    Sem violencia, sem fascismo e sem os nossos fascisdtas de plantão!
    Povo ridiculo paulista!

  40. Jose Mario HRP said

    Vergonha sem fim:
    Anistia Internacional condenou a postura do PSDB e do meu PT!
    O que fazer?
    Fascismo puro!

  41. Edu said

    Hrp,

    Esse eh o risco q se corre de se apaixonar. Por partidos então…

    A desilusão deve doer…

  42. Jose Mario HRP said

    Fascismo puro!
    Geraldo Alckimin perdeu os freios e limites e passou por cima do prefeito do pT de Sampa!
    Omisso Haddad encolheu ao tamanho de um centimetro, cag**o de medo e politicamente MORTO!
    A violencia estúpida e sem proposito de vossa Meganha envergonha mundo a fora o País e o estado!
    Essa gente mediocre que aspoia o Geraldo Opus Dei um dia verá que a violencia descontrolada vai chegar nela ,é só esperar pra ver.
    A condenação por parte da Anistia nos remete ao lugar de sempre, o de país mediocre, com uma raça de fascistas no controle e povinho manso e acomodado se omitindo!
    PARABENS matutos e caboclinhos !
    Enquanto isso o Cardozão Barriga de Boi de Brejo num ato de ópera bufa oferece ao Geraldo a força de segurança nacional!
    São todos ridiculos de dar gargalhadas.
    E a gorda matrona que nos preside?
    Muda, e patética como sempre!

  43. Jose Mario HRP said

    Dezenas de jornalistas presos?
    Vá a São Paulo!
    Aqui não há liberdade de expressão!
    Não precisa ir a Africa para ver jornalistas espancados ou presos , vá a São Paulo!
    Quer ver jornalista com bala de borracha no olho e quase cego?
    Vá a São Paulo!
    Quer ver a meganha bater sem limites , espancando jovens, chutando estomagos e cabeças e explodindo bombas dentro de onibus com populares alheios ao protesto, sem controle e freio?
    Vá a Sampa!
    Envergonhadamente Jose Mario , um brasileiro que jamais pensou que nosso paiseco caisse tanto!
    Vergonha pelo mundo afora!

  44. Jose Mario HRP said

    Preparado e atuante, ele agride o fotografo que trabalhava!

  45. Jose Mario HRP said

    Esse é o nosso país, país que atira em jornalistas e mulheres.
    detalhe:
    Essa jornalista por pouco não ficou cega!

  46. You can't fix stupidity! said

    Edu rsrsrs

    tá doendo mesmo!

    (…) Omisso Haddad encolheu ao tamanho de um centimetro, cag**o de medo e politicamente MORTO!

    (…) Enquanto isso o Cardozão Barriga de Boi de Brejo num ato de ópera bufa oferece ao Geraldo a força de segurança nacional!

    (…) E a gorda matrona que nos preside?
    Muda, e patética como sempre!

    Ele, o santarrão hipomarxista só percebeu agora!

  47. Jose Mario HRP said

    Não quero discutir com limitrofes Pax, por isso só digo isso:
    Eu tenho autocritica, o que me coloca confortável para criticar quem eu bem entender, mas não me rebaixo a quem tem tendencias fascistas, aqui ou em qualquer lugar.

  48. Jose Mario HRP said

    Ele , jornalista, poderá ficar cego por conta da loucura da meganha!

  49. Jose Mario HRP said

    ¿Qué le pasa a Brasil?
    Las manifestaciones callejeras atraen el debate sobre las debilidades del modelo económico brasileño
    JUAN ARIAS 13 JUN 2013 – 19:43 CET111
    Archivado en: Dilma Rousseff Crisis económica Opinión Brasil Recesión económica Coyuntura económica Sudamérica Latinoamérica América Economía
    Recomendar en Facebook1.137
    Twittear152
    Enviar a LinkedIn1

    Enviar a TuentiEnviar a MenéameEnviar a Eskup
    Enviar
    Imprimir
    Guardar
    ¿Qué le está pasando a Brasil? La nación en pujanza, esperanza de los países emergentes, la sexta potencia económica del mundo y fulcro del continente aparece de repente con los pies de barro, con un modelo que tuvo éxito pero que según algunos expertos ya está agotado y con todos los índices rebajados.

    A esto se añade que, por primera vez en años, se han producido manifestaciones callejeras con actos vandálicos de autoría desconocida. Los participantes en las protestas se dicen sin partido, pero varios de ellos pertenecen a grupos de izquierda radical. Las autoridades critican, con razón, que en Brasil existe total libertad de expresión, pero no de destruir el patrimonio público. Los manifestantes, convocados a través de redes sociales, acusan por su parte a la policía de actuar con excesiva dureza.

    Existe la preocupación por conocer la paternidad de la iniciativa que está llevando a la gente a la calle en protesta contra los servicios públicos y, sobre todo, por conocer si detrás de ellas se esconde alguna mano política en vísperas de las elecciones presidenciales del año próximo.

    Una cosa es cierta: Brasil quizás no sea ni la maravilla forjada en los últimos años por la opinión pública mundial, ni tampoco un país que ha caído de repente en crisis, que revelaría mayores fragilidades de las que hasta hoy reconocía.

    El país cuenta con una gran pujanza, pese a que atraviesa un momento de bajo crecimiento —sobre todo en la industria—, del aumento de la inflación que, sobre todo, irrita a los más pobres, de un dólar a un alto coste que quita fuerza al real y de un gasto público que sigue creciendo.

    Brasil, se podría decir, tiene sus cuentas en regla. Goza de unas reservas envidiables que lo protegen contra posibles nuevas crisis internacionales. Es un país casi un bajo índice de desempleo (un 6,2% en 2012), con prestigio y solvencia internacional, llamado a tener gran protagonismo geopolítico, y con grandes proyectos de obras para mejorar sus infraestructuras.

    La propia oposición ha forjado el eslogan de “Brasil está bien, pero puede estar mejor”, lo que indica la voluntad de contribuir a mejorar lo ya conquistado y no de echar fuego sobre “cuanto peor, mejor”.

    En ese sentido, la presidenta Dilma Rousseff —que corre el peligro de convertirse, injustamente, en el chivo expiatorio de los problemas actuales— no está quizás acertada cuando critica a los que quieren que Brasil “no acierte”, si es que se refiere a la oposición política, que, más bien, durante los últimos años 10 ha estado aletargada y muda, quizás desarmada ante el crecimiento económico del país y de las conquistas sociales de los gobiernos de Lula y Rousseff.

    Quizás, más que a la oposición, la mandataria se haya querido referir a los que podrían estar influyendo en la opinión pública para salir a protestar en un país donde también la calle ha estado en silencio, y que solo se había manifestado multitudinariamente en marchas promovidas por evangélicos; homosexuales y defensores de la legalización de las drogas.

    Ni siquiera contra la grave corrupción política o contra la impunidad que condena a los pobres dejando siempre absueltos a los poderosos, Brasil se ha echado últimamente a la calle. Aquí, al revés de otros lugares del planeta, no han existido los “indignados”.

    Condenadas sin ambages las acciones violentas de los nuevos manifestantes para protestar contra lo que consideran servicios públicos deficientes y caros, hay sociólogos que prefieren ver en estas nuevas e inéditas manifestaciones una señal de madurez ciudadana, de toma de conciencia de la gente que desea ser también protagonista y partícipes del crecimiento de Brasil y forjadores de un futuro menos injusto y más democráticamente participativo.

    Ojalá sea eso.

  50. You can't fix stupidity! said

    E o cara ainda diz que anda com Jesus no coração.

    http://i.huffpost.com/gen/1189905/thumbs/r-DOG-BUTT-JESUS-large570.jpg?6

  51. Jose Mario HRP said

    Essa meganha é ridicula mesmo!

  52. Edu said

    hahahahahaha

    HRP,

    Como é que é?

    A Dilma virou gorda matrona?

    O Haddad é politicamente morto?

    Novamente, HRP, parabenizo a vc, assim como parabenizei o Pax: é importante que paixões individuais não se sobreponham à racionalidade quando analisamos a política, principalmente quando a verdade nos é apresentada de maneira tão crua.

    Hora de mudar o voto, não?

    —X—

    O Lula, O cara, aquele que nunca erra, botou dois postes:

    A presidenta
    O Haddad

    O Lula fez sua parte, parece q ele era o único que tinha um plano na cabeça, o resto do PT queria mesmo era o status quo (leia-se PODER). E, como estamos vendo, não está poupando expedientes duvidosos para alcançar esse objetivo.

    Como queríamos demonstrar.

  53. Jose Mario HRP said

    Para de tripudiar, porque a briga é familiar!
    KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK…….
    E voces ainda estão na fila….Próximo!

  54. Edu said

    Michelle,

    Eu fico pensando no seguinte:

    O pessoal está fazendo essa manifestação em nome dos trabalhadores, principalmente aqueles que moram distantes do centro da cidade.

    Mesmo sabendo que provavelmente boa parte dessa galera ou paga meia, ou recebe vale transporte, eu até concordo com a manifestação, afinal, transporte público no bottom line é imposto arrecadado e desaparecido.

    Além de ser contra vandalismo, parece que o pessoal desvirtuou a essência da coisa: de fazer com que os políticos sentassem à mesa, ou para conversar, ou para propor alguma solução. A coisa se transformou em baderna pela baderna, só para desqualificar a polícia ou quem está no comando da mesma.

    Sobre isso em particular eu fico pensando nas reclamações do Pax sobre violência. Ele andava tão irritado com a violência, quase chegou a esbravejar para dizer que quem sofre é a população mais pobre, aqueles que estão fora dos centros, e que não são noticiados pela grande mídia… mimimi.. mimimi…

    Pois bem, a pergunta é: enquanto a polícia está cuidando para que esses baderneiros não causem mais prejuízo ao patrimônio público (que é deles mesmos), como é que fica a polícia na periferia? Não dá pra entender! O Pax acha ruim que a polícia não está na periferia, e ao mesmo tempo apóia um movimento que faz com que a polícia SAIA da periferia para o centro! Que espécie de raciocínio é esse? Tanto do Pax quanto dessa galera do movimento?

    É muita incoerência em pouco espaço.

    —X—

    Mas concordo com vc: a população já está começando a se irritar com o modus operandi do PT. Jajá vamos nos livrar dessa palhaçada.

  55. Edu said

    HRP,

    Não seja mulher de bandido cara… que fila? Eu não tenho expectativa nenhuma e nem a menor ilusão de que haverá um governo para mim, se isso é uma fila, eu estou no fim dela. Nunca houve governo pra classe média nesse país, nem vai haver. Nós continuaremos pagando 40% da nossa renda em impostos e continuaremos, além disso, tendo que pagar saúde, segurança, transporte, educação e previdência; quanto a isso eu não tenho a menor dúvida.

    Mas o seu comentário foi estranho, alás, mais do que um comentário estranho, um ato falho da sua parte: ficou claro que a vez do povo na fila, só no período Lula e olha lá! Ao custo do mensalão por exemplo…

    Então é a vez de quem na fila? É a vez dos esquerdistas mais mal intencionados: aqueles que queriam o poder para deitar em berço esplêndido… e é o que está acontecendo com o PT.

    Daí que:

    1 – Ou vc é desses petistas que queriam mesmo um lugarzinho na sombra para amarrar o burrico
    2 – Ou vc tá querendo ser mulher de bandido!

  56. Jose Mario HRP said

    Voce pensa muito e faz muitas ilações, quase um maníaco nos devaneios e elucubrações.
    Um pouco hilário nessas considerações.
    Mas o que vale mesmo é estar disposto a reconhecer o porque dos fatos, o que os precipitam e mais, reconhecer que pode errrar, reconhecer o erro e agir de modo a não errar mais.
    A politica é um dia dia sem fim, e por causa disso o meu foco é o povo, .
    A direita é medonha como patrona, a esquerda no ponto certo alia sentimentos e convicções para o servir ao povo.
    E, se não me engano Haddad assinou sua sentença de morte senão voltar atrás nesse lidar com a população paulistana.
    Não tenho altares para politicos, quem estiver lá com meu voto tem que fazer o que me disse que faria.
    Para mim é fácil repudiar, mas para outros a racionalidade nem sempre consegue vencer o altar.

  57. Jose Mario HRP said

    “Ou vc é desses petistas que queriam mesmo um lugarzinho na sombra para amarrar o burrico”
    Aos 56 anos, trabalhando 30 e tantos na industria jamais me passou pela cabeça degustar mamatas na politica.
    Eu não ganharia o que ganho hoje sendo funcionário em cargo de comissãso nem teria 1/3 do que tenho.Mas filho der pobre que esquece suas origens não pode ser gente decente,minhas raizes estão bem vivas.

  58. Jose Mario HRP said

    PM depredando a própria viatura?

  59. Edu said

    HRP,

    Mas é pra ser hilário, não estou agredindo, to tirando onda.

    Pq eu acho divertido vc dizer assim: “Anistia Internacional condenou a postura do PSDB e do meu PT!”

    Parece até que escorre uma lágrima quando vc diz isso.

    E isso em contraste com isso: “Mas o que vale mesmo é estar disposto a reconhecer o porque dos fatos, o que os precipitam e mais, reconhecer que pode errrar, reconhecer o erro e agir de modo a não errar mais.”

    Eu sinceramente espero que vc esteja reconhecendo o erro de voto na Dilma e o erro de apoio ao Haddad, ambos fizeram justamente o que vc diz aqui:

    “Não tenho altares para politicos, quem estiver lá com meu voto tem que fazer o que me disse que faria.”

    Espero mesmo que vc não tenha altares, por isso estou por um lado parabenizando sua colocação e por outro lado ironizando o que parece ter sido uma epifania pra vc, quando sempre foi, para mim, o padrão, o que eu chamo de modus operandi de um partido que a palavra da boca pra fora é o povo, e da boca pra dentro é o poder.

    Um detalhe, para refletir: não é pq é direita que é patrona, não é pq é esquerda que é do povo.

  60. Pax said

    Caro HRP,

    Parebéns pela tua postura diante dos fatos. Vou te contar, quando começam a me encher o saco, pastoreando minhas opiniões, tento achar calma no poema do Quintana.

    Poeminho do Contra

    Todos esses que aí estão
    Atravancando meu caminho,
    Eles passarão…
    Eu passarinho!
    (Prosa e Verso, 1978)

    Ackmin, Haddad e mesmo Dilma estão arruinando seus futuros políticos.

    Decisão deles. Libre arbítrio deles, mas a pele, o sangue e todo o resto são do maior patrimônio público nacional: O POVO.

  61. Pax said

    Ah, sim, vale reforçar:

    Dá para entender a personalidade das pessoas que pastoreiam opiniões pelo simples fato do que fazem.

    E se dizem democratas, claro.

  62. You can't fix stupidity! said

    Edu

    Como tenho dito aqui faz tempo…
    Você pode levar um equino até a beira do rio. Beber é com ele.rsrsrs

    Esta aqui eu adaptei do inglês pra gente se divertir um pouco:

    Se uma pessoa, antes dos 30 anos, não simpatiza com o socialismo – ela não coração.
    Se uma pessoa, após os 30 anos, continua socialista – ela não tem cérebro.

    hehehe

  63. Edu said

    Pax,

    Não deixe seu fígado comer seu raciocínio. Ultimamente vc me parece mais tenso que o normal.

    Vc concorda que o Haddad está fazendo uma lambança desgraçada gerenciando tanto o aumento das tarifas de transporte público da cidade, tanto quanto as manifestações?

    Vc, o Otto e o HRP reconheceram isso, Pax.

    Estou parabenizando esse reconhecimento.

    Qual é o problema disso? Vc chama isso de pastorear opiniões?

    Vc se sente inferiorizado tendo que admitir que demorou pra reconhecer que um político do seu gosto era ruim?
    Vc se sente inferiorizado tendo que admitir que está pensando igual a uma pessoa de direita?

    Para ficar com esse beicinho, apelando para o povo, apelando pra Quintana, apelando pro Sakamoto(!), vc deve realmente estar com o fígado doendo, meu caro…

    Relaxe, vc terá uma ótima oportunidade de escolher um novo representante na esfera federal em 2014.

    Lembre-se do partido que vc apoiou em 2010 e 2012. Lembre-se com muita atenção.

  64. Edu said

    Pax,

    Quem gosta de democracia são democratas.

    Quem gosta de argumentar é debatedor.

    Quem gosta de desqualificar é ridículo.

    Quem gosta da esquerda é esquerdista.

    Quem gosta da direita é direitista.

    Onde é que está escrito que quem é de direita não é democrata?

    Onde está escrito que quem gosta da esquerda não é segregador?

    Não misture conceitos, Pax, é feio pra gente da sua idade, além de fazer mal para o fígado.

  65. Edu said

    Michelle,

    Todos temos paixões e todos gostaríamos de ter causas para lutar.

    Não tenho absolutamente nada contra quem é de esquerda. Não vejo nada de errado alguém dizer que gostaria de ver a renda mais distribuída.

    Só que ao ver situações como essa que o Haddad se enfiou, eu tenho no mínimo o direito e no máximo a obrigação de encher a paciência de quem construiu um altar para esse cara. Porque falou uma coisa e fez outra.

    Vamos ver se a liberdade de expressão realmente funciona.

    —X—

    Como vc pode observar, eu não apelo, não uso palavras de baixo calão, que é notoriamente diferente de ironia.

    Quando eu faço um comentário mais pesado é diretamente para alguém que me provocou antes.

    Mas agora o barquinho da esquerda tá fazendo água.

    O Elias, que era o mestre dos magos, sumiu.

    A galera aqui não dura 1 minuto sem ele, e com ele, só durava porque era divertido vê-lo tentar desqualificar argumentos com ofensas pessoais e alimentar a ira do “defensor-do-povo-que-acredita-em-luta-social-mas-acha-que-é-social-democrata”.

    E o Pax, pobre Pax, tá puto comigo, com a polícia e com o Alkmin pelo que o Haddad tá fazendo com o que ele chama de povo.

    FAÇO QUESTÃO DE REITERAR:

    Todos nós temos paixões, todos nós gostamos de dizer que temos uma causa para lutar.

    Eu sou, antes de mais nada, um individualista: a minha maior causa sou eu.

    Nunca precisei fazer discurso de coletivista pra ninguém, e mesmo assim meus amigos e camaradinhas me respeitam, pois é.

    E justamente por conta disso eu sei que existem pessoas diferentes de mim e não faço a menor questão que as pessoas pensem como eu, muito pelo contrário.

    Inclusive, venho aqui para ideias, pra saber se tem alguém que valha a pena gastar meu voto nas próximas eleições.

    Fora isso, é debate, é argumentação, são fatos.

    Tem gente que lida bem com os fatos, tem gente que, por conta de paixões, entram em loopings psicológicos, como fuga (que já vimos aqui), como projeções (que também vimos aqui).

    E isso é muito divertido! hehe

  66. Pax said

    Em nome do senhor, amém.

  67. Edu said

    Hihihihihi

    Apela Pax! Apela pra gente ver!

    Mostra sua cara!

  68. Edu said

    Observe, Pax, que isso não é troll, isso é uma resposta à sua reação.

    Antes de vc reagir desse jeito, esse tipo de resposta nunca iria aparecer.

    A culpa, Pax, é sua, por não conseguir argumentar.

    Por não aceitar.

    Por apelar.

  69. Edu said

    Pax,

    Ontem chegava em casa, à pé, num AP próximo à Paulista.

    Havia pelas ruas de umas barricadas de lixo pegando fogo. Lixos públicos destruídos.

    Alcancei meu prédio umas 21:20 mais ou menos. Ao chegar o porteiro e o zelador me chamam:

    Zelador: _ Vc viu alguma coisa?
    Eu: _ Vi, uma confusão danada… passou aqui em frente?
    Zelador: _ Passou sim, eles fizeram essa sujeira aí na frente. Vc acha que tinha trabalhador protestando?
    Eu: _ Não sei, eu vi um monte de jovens nas ruas. Um tentou me chamar para o protesto.
    Zelador: _ Jovens não são trabalhadores. Vc acha que trabalhador que acorda às 5 da manhã pra ir pro trabalho tem tempo e disposição de ficar lá brigando pra no fim apanhar de policial? Isso aí é um bando de vagabundo.
    Eu: _ Mas eles têm razão no protesto.
    Porteiro: _ Isso aí é político que organiza. Político que quer ver o circo pegar fogo.
    Eu: _ Mas se o Haddad baixar a tarifa denovo vai ser bom pra todo mundo.
    Porteiro: _ Não vai acontecer nada, isso não tem nada a ver com o povo.

    Aí eu conversei outras coisas com eles e subi para fazer a janta.

    Sinto muito, Pax, esse negócio de manifestação e de povo não tá colando mais. Não pra essas manifestações.

  70. You can't fix stupidity! said

    Edu

    Leio agora no site do estado que ano passado 2012, os paulistanos gastaram R$ 4,510 bilhões com transporte coletivo, como resultado de 2,916 bilhões de passageiros.

    http://www.estadao.com.br/noticias/cidades,paulistanos-gastam-r-45-bilhoes-com-passagem-de-onibus,1042446,0.htm
    Fazendo conta de contador deduz-se que EM MÉDIA …cada passageiro gastou R$ 1.54 por viagem. Em 2011 foram apenas R$ 1,53 pagos por 2,940 bilhões de passageiros.Em 2012 o numero total de passageiros diminuiu.
    Por que?
    Como acontece isso se a passagem custava R$ 3,00 desde 2011? Como explicar a diferença entre op preço cheio e a media por unidade/viagens.

    Por favor explique com seu jeitinho o porquê da diferença de R$ 1.94?

    Respostas possíveis

    a) as contas estão erradas (Michelle)
    b) as fontes não são fidedignas ( Estadão,Haddad e SPTrans)
    c) as passagens são subsidiadas pelos governos ( bilhetes integração, vale transporte, isenção de aposentados, etc). Isto ainda embute, uma indeterminada proporção de empregados domésticos ou de serviços que recebem um “auxilio transporte” em dinheiro vivo, como parte do acordo de trabalho.
    d) Não importa.Eu não sei e nem quero saber.Chamem os universitários.
    e) O aumento das passagens é apenas um pretexto para manifestar descontentamento com o “status quo”.O sonho acabou O PT prometeu e não entregou, após 10 anos mandando no Brasil. Além do Bolsa Familia e do Bolsa Empresário ( BNDS), nada melhorou.As coisas estagnaram ou regrediram
    f) Haddad ao dizer que o transporte coletivo grátis significaria um gasto de ~R$ 6 bilhões faltou com a verdade.Explique por que? Observo que o o número de passageiros diminuiu de 2012 para 2011.
    e) nenhuma das alternativas acima.

    Depois poderemos em conjunto emitir nossas opiniões e “passarindo” (apenas um pouquinho) pra não provocar a PM fascista do blog ( desfalcada pela ausência do velho e bom Elias) hehehe

  71. You can't fix stupidity! said

    hehehehe

    o supercoxinha:

    Haddad é capaz de re-eleger Alckimin no primeiro turno e complicar a reeleição de dilma, a (…) gorda matrona que nos preside?
    Muda, e patética como sempre! (…)

  72. You can't fix stupidity! said

    E agora introduzindo um pouco de humor no pedaço…

    Está tudo ótimo
    14 de junho de 2013 | 2h 02
    DORA KRAMER – O Estado de S.Paulo
    O texto abaixo é o resumo de uma crônica da americana Dorothy Parker publicada em coletânea organizada e traduzida por Ruy Castro no livro Big loira e outras histórias de Nova York, de 1987. Chama-se Você estava ótimo.

    O rapaz de tez pálida acomodou-se lenta e cuidadosamente no sofá e reclinou a cabeça em direção a uma almofada fresca que lhe confortasse a face e a têmpora.

    – Aiii – gemeu. – Ai, ai, ai. Aiii.

    A jovem de olhos claros, sentada firme e ereta na poltrona, lançou-lhe um sorriso malicioso.

    – Não está se sentindo bem hoje?

    – Oh, estou ótimo, borbulhante, eu diria. Sabe a que horas eu me levantei? Às quatro da tarde, em ponto. Tentei me levantar antes, mas toda vez que punha a cabeça para fora do travesseiro ela rolava para debaixo da cama.

    – Quer um drinque para se sentir melhor?

    – Para afogar a ressaca em mais bebida? Não, obrigado, parei de beber, de vez, nem mais uma gota. Diga uma coisa: eu me comportei mal ontem à noite?

    – Ontem? Ora, que nada. Todo mundo estava meio alto. Você estava ótimo.

    – Alguém reclamou de mim?

    – Deus do céu, claro que não. Todo mundo achou você terrivelmente engraçado. Claro, Jim Pierson ficou um pouco brabo com você durante o jantar. Mas conseguiram segurá-lo na cadeira e ele se acalmou.

    – Jim queria me bater? O que foi que eu fiz?

    – Ora, você não fez nada. Você estava ótimo. Mas sabe como Jim fica quando pensa que alguém está dando em cima de Elinor.

    – Eu estava cantando Elinor? – disse ele.

    – Claro que não – ela disse – Você estava só brincando. Ela o achou tremendamente divertido. Só parou de rir um pouco quando você despejou as lulas “en su tinta” pelo decote dela.

    – E agora, o que vou fazer?

    – Ora, ela vai ficar boa. Mande-lhe flores no hospital. Não se preocupe, não foi nada.

    – Cometi mais alguma façanha fascinante no jantar?

    – Você estava ótimo. Não seja tolo. Todo mundo estava louco por você. O maître ficou um pouco aborrecido porque você não conseguia parar de cantar, mas, no fundo, não se importou. Só disse que a polícia talvez fechasse de novo o restaurante por causa do barulho.

    – Quer dizer que eu cantei. Deve ter sido formidável.

    – Não se lembra? Uma música atrás da outra. Todo mundo ficou ouvindo. E adorou. Foi só quando você insistiu em cantar qualquer coisa sobre fuzileiros, que as pessoas começaram a fazer psiu, psiu e você insistia em cantá-la de novo. Foi uma maravilha. Tentamos fazer com que parasse e comesse um pouco, mas você nem queria saber.

    – Por quê? Eu não estava comendo?

    – Toda vez que o garçom vinha servi-lo você lhe devolvia o prato dizendo que ele era seu irmão postiço, trocado no berço da maternidade por uma quadrilha de ciganos e tudo o que você tinha pertencia a ele. O garçom ficou uma onça com você.

    – Bem, o que aconteceu depois desse estrondoso sucesso com o garçom?

    – Ah, pouca coisa. Você aparentemente discordou do estampado da gravata de um senhor de cabelos brancos, sentado do outro lado da sala, e foi lá lhe pedir satisfações. Mas conseguimos sair com você do restaurante antes que ele ficasse furioso.

    – Ah, fomos embora, saí andando?

    – Andando! Claro que sim! Você estava perfeitamente bem. Tanto que, quando você tropeçou no meio-fio e caiu sentado, ninguém se importou. Poderia ter acontecido com qualquer um.

    A graça da crônica de Parker é a discrepância entre a versão e os fatos. Lembra a narrativa da presidente Dilma Rousseff sobre a situação da economia, que de resto não tem a menor graça.

    Escola. Muito melhor a referência de Dilma aos Lusíadas que as metáforas futebolísticas de Lula. Ao menos se aprende algo.

  73. Jose Mario HRP said

    Do Observatório de Imprensa:
    Uma virada na cobertura
    Por Luciano Martins Costa em 14/06/2013 na edição 750

    Comentário para o programa radiofônico do Observatório, 14/6/2013

    De repente, não mais que de repente, o noticiário sobre as manifestações que paralisam grandes cidades brasileiras há uma semana sofre uma reviravolta: agora os jornais começam a enxergar os excessos da polícia e mostrar que no meio da tropa há agentes provocadores e grupos predispostos à violência.

    Um dos relatos mais esclarecedores sobre o momento em que a passeata realizada na capital paulista na quinta-feira (13/06) deixou de ser pacífica é feito pelo colunista Elio Gaspari, na Folha de S.Paulo e no Globo (ver “A PM começou a batalha na Maria Antônia”). Ele descreve como uma equipe da tropa de choque se posicionou e agiu deliberadamente para provocar o tumulto.

    Há também, na rede social digital, um vídeo mostrando um PM, aparentemente por orientação de um oficial, quebrando o vidro da viatura. A imagem, cuja autenticidade só pode ser confirmada pela própria Polícia Militar, está disponível no Youtube.

    No Facebook, registro para a legenda colocada sob cenas dos conflitos, no noticiário da GloboNews durante a noite: “Polícia fecha a Avenida Paulista para evitar que manifestantes fechem a Avenida Paulista”. Nessa linha de raciocínio, pode-se imaginar também a seguinte manchete: “Polícia usa violência para evitar violência de manifestantes”.

    Truculência e irresponsabilidade

    Foi preciso mais do que evidências para a imprensa cair na real: os repórteres testemunharam dezenas de ações abusivas de policiais, como a retirada e o espancamento de um casal que tomava cerveja num bar, alheio à passeata, ou o lançamento de granadas de gás em meio aos carros travados nos congestionamentos.

    Claramente, não se trata de bolsões descontrolados, mas de uma ação organizada dentro da corporação policial, o que mostra o esgarçamento da disciplina e do controle na Polícia Militar. A única possibilidade de desmentir tal observação é a ação imediata do comando, identificando e afastando das ruas os oficiais responsáveis por esses grupos.

    A violência gratuita e excessiva ficou registrada nas páginas dos jornais, entre outras razões, porque desta vez houve mais jornalistas entre as vítimas de agressões. Sete deles são repórteres da Folha de S. Paulo. Isso talvez explique a mudança de tom nas reportagens, mas o relato da violência não esgota o assunto, apenas instala algum equilíbrio na visão dos fatos por parte da imprensa.

    Para ampliar sua compreensão do que realmente se passa nas ruas da cidade por estes dias, o leitor tem que se valer de outras fontes além dos jornais e do noticiário da TV. Por exemplo, o vereador Ricardo Young, que acompanhou o indiciamento de alguns manifestantes detidos, registrou no Facebook um fato preocupante: policiais fizeram a revista de mochilas e bolsas longe de testemunhas, trocando conteúdos e inserindo em algumas delas materiais estranhos, como pedras e pacotes com maconha. Assessores do vereador denunciam que houve tentativa de “plantar” provas contra alguns dos manifestantes detidos.

    É notória a má vontade da polícia, como instituição, contra jovens em geral, talvez ainda um resquício da ideologia de segurança pública que se consolidou durante a ditadura militar e que ainda orienta a formação nas academias. Os indicadores de agressões cometidas por agentes públicos contra homens jovens são um dos aspectos mais evidentes nos estudos sobre a violência nas grandes cidades brasileiras. O encontro dessa mentalidade com a irresponsabilidade de grupos de manifestantes que se julgam autores de uma revolução política pode resultar em tragédia.

    Ações ilegais

    Se algum fato mais grave vier a ocorrer em futuras manifestações, pode-se contar como grande a probabilidade de haver alguns desses policiais envolvidos. Portanto, a responsabilidade pelo que virá a partir de segunda-feira (17/6), quando nova manifestação está marcada para o Largo da Batata, na zona oeste de São Paulo, tem um peso maior na Secretaria de Segurança Pública.

    Isso não quer dizer que a prefeitura e os líderes do Movimento Passe Livre, bem como os dirigentes dos partidos cujas bandeiras são agitadas por alguns ativistas, estejam isentos de arcar com sua parte na tarefa de prevenir o desastre.

    A imprensa, que finalmente despertou para o fato de que há vândalos em ambos os lados do conflito, pode ajudar a identificar os comandantes dessas ações ilegais, assim como tem sabido apontar os autores de depredações durante os protestos.

    Foi preciso que alguns jornalistas sofressem a violência no próprio corpo para que os jornais se dessem conta de que nem tudo é o que parece.

  74. Jose Mario HRP said

    Não deve restar dúvidas:
    Foi Geraldo Alckimin que ordenou direta e abertamente aos cappos da PM paulista que batessem a vontade na população.
    A prova cabal de que não havia descontrole ou indisciplina é que os oficiais diante das cameras tinham nas palavras o reconhecimento de que se não se fizesse o que eles queriam haveria repressão violenta , mesmo contra jornalistas e transeuntes sem nada com a passeata.
    Geraldo Alckimin orquestrou a a ação que só não chegou aos limites de mortes por muito pouco, pois os dois jornalista atingidos com balas no rosto poderiam ter seus cérebros perfurados resultando em morte!
    Os policiais que atiraram nos jornalistas assumiram o risco de matá-los!
    HOUVE TENTATIVA DE MATAR.
    Portanto o que se exige é levar a OEA tanto o governador como também todos os fotografados agredindo os jornalistas e eventualmente os que disparam nos olhos dos atingidos.
    É certo que aqui com uma justiça tipo Joaquim barbosa, de holofotes , hipocrisias e chiliques, nada podemos esperar, então só nas cortes internacionais haverá esperança de punir Geraldo, e por omissão Haddad, Cardozo e Dilma!
    Uma semana de infâmia e nojo, asco para as pessoas de bem, para os cidadãos e democratas.

  75. Jose Mario HRP said

    Nem na Africa a policia é tão boçal.

  76. Otto said

    Diferença entre Haddad e Alckmin|:

    HADDAD DIFERE DE ALCKMIN E CHAMA MPL AO DIÁLOGO

  77. Patriarca da Paciência said

    Meu caro Pax e HRP, 66,

    faz um bom tempo que temos “contato” através dos blogs, desde o “Nomínimo”, depois e Pedro Doria e agora no PoliticaÉtica.

    Sempre nos tratamos com respeito e gentileza.

    Acho que é uma “amizade” que já dura muitos anos e espero que continue ainda por muito tempo!

    O Edu e a Micheli são apenas pedras no meio do caminho.

    Arrogantes, preconceituosos e limitados!

    Que Deus os ilumine e permite que vejam alguma luz!

    Amém!

  78. Otto said

    O link do 76:

    http://www.brasil247.com/pt/247/sp247/105394/Haddad-difere-de-Alckmin-e-chama-MPL-ao-di%C3%A1logo.htm

  79. Jose Mario HRP said

    Colegas, eu entendo que a pessoa possa vacilar nessa coisa de ordem, mas depois de certo momento só resta aderir a um lado dos confrontantes.
    Haddad finalmente por bem ou por mal entendeu o que deveria ter feito.
    Dar uma de bom moço sempre, é coisa de em cima do muro.

    Uma parte da sociedade, que quer ver as coisas resolvidas na marra , adere logo a violencia, a outra que democraticamente aceita falar e ouvir tem que se postar ao lado desses jovens, ouvi-los e procurar por um trato.
    Geral Alckimin é a direita, velha, grosseira no trato com o povo, e agora sem mascaras, e seu povo os apoiará mesmo que hajam mortes e feridos graves. Cabe aos homens equilibrados se juntar ao vento fresco da molecada.
    A molecada do XI de agosto lá do largo do São Francisco já declararam apio ao movimento e farão plantão nos DPs para apoio juridico.
    É tempo de mudanças?
    Que bom que seja.

  80. Pax said

    Caros,

    1 – sobre a pluralidade e diversidade – sim, este blog permanece, como sempre, aberto. Todas as vozes têm liberdade aqui. Todo conceito de troll (definido na Wikipedia) não. E, é claro, o blog tem que se proteger para não ser processado. Mas qualquer um pode achar o que quiser e falar o que quiser. Caso contrário não poderia olhar no espelho e dizer que estou perto de aceitar e estimular a democracia.

    2 – sim, várias relações da web se tornam relações fortes, parece que nos conhecemos. Nem fico imaginando como são, se gordos, magros, altos, baixos, carecas, tatuados, enfim. Fico imaginando o que pensam, como pensam, o que defendem e o que rejeitam. Mais interessante é que alguns que pensam e defendem coisas completamente diferente que minhas opiniões, também incluo nestas fortes relações. O velho, bom e conservador (direitista mesmo) Chesterton é um desses casos. Mantenho até relação diferente com ele, trocamos emails etc. Faz tempo que anda sumido, mas é fato. Elias é outro.

    3 – com relação aos protestos, o pouco que escrevi acima, na cabeça do post, da notícia colecionada, me parece apropriado.

    Triste um país que surra seus jovens por protestarem contra péssimos e caríssimos serviços públicos.

    O status quo é violento. Sempre foi. Prefere manter o povo em sua vida de gado. Pagando caro para sustentar um modelo político corrupto.

    E aí eu incluo neste descaminho Alckmin, Haddad, Cabral e vários outros prefeitos e governadores e não excluo culpas também do governo federal.

    A mídia, bem, de uns dias para cá tem mudado suas linhas editoriais. Parece começar a entender que esta questão paulista (e de vários outros estados e cidades) é muito maior que os tais 0,20 a mais pelos péssimos serviços públicos oferecidos.

    E aí entraríamos em motivações absolutamente diversas. A minha? Corrupção. A do fulano da esquina? Sei lá. Só sei que há insatisfações enormes e espalhadas, diversas, plurais.

    O que mais me agrada neste momento é ver que o povo brasileiro é o bravo povo brasileiro. Está às ruas protestanto. Não poderia estar mais contente com isso. Estou muito contente.

    Simples assim.

    (ah, Haddad? Bem, se foi uma aposta política do PT, acho bom procurarem outro).

  81. You can't fix stupidity! said

    No meio do caminho

    No meio do caminho tinha uma pedra
    tinha uma pedra no meio do caminho
    tinha uma pedra
    no meio do caminho tinha uma pedra.

    Nunca me esquecerei desse acontecimento
    na vida de minhas retinas tão fatigadas.
    Nunca me esquecerei que no meio do caminho
    tinha uma pedra
    tinha uma pedra no meio do caminho
    no meio do caminho tinha uma pedra

    Carlos Drummond de Andrade

    _____________________

    1. Edu: Agora o Totó esta feliz!
    Depois de muito pensar….putz! chegou à conclusão merediano-contábil que no meio do caminho tinha 2 pedras! rsrsrs

    2. frase do dia ( até agora)

    (…) ” A molecada do XI de agosto lá do largo do(sic) São Francisco já declararam (sic) apio (sic) ao movimento e farão (sic) plantão nos(sic) DPs para apoio juridico.”(…)

    Até parece a dilma falando de improviso…hehehe

  82. You can't fix stupidity! said

    Até pode ser… mas os serviços publicos não ficaram piores depois que os preços cheios da passagem de transporte coletivo aumentaram.

    Após 10 anos o governo do PT conrtinua sem saber o que fazer.E agora os resultados começaram a vir à tona.Isto é a verdadeira herança maldita do molusco corruptor e corrupto.

    O que está acontecendo é que a inflação está aí e ninguem pode discordar …
    As passagens de ônibus, metro e trens não aumentaram por que o prefeito e o governador resolveram ferrar o povo.

    É a inflação estúpido!

  83. You can't fix stupidity! said

    A gota que faltava

    Para entender melhor o que está acontecendo na rua, imagine que você é o presidente de um um país fictício. Aí você acorda um dia e resolve construir um estádio. Uma “arena”.
    O dinheiro que o seu país fictício tem na mão não dá conta da obra. Mas tudo bem. Você é o rei aqui. É só mandar imprimir uns 600 milhões de dinheiros que a arena sai.
    Esses dinheiros vão para bancar os blocos de concreto e o salário dos pedreiros. Eles recebem o dinheiro novo e começam a construção. Mas também começam a gastar a grana que estão recebendo. E isso é bom: se os caras vão comprar vinho, a demanda pela bebida aumenta e os vinicultores do seu país ganham uma motivação para produzir mais bebida. Com eles plantando mais e fazendo mais vinho o PIB da sua nação fictícia cresce. Imprimir dinheiro para construir estádio às vezes pode ser uma boa mesmo.
    Mas e se houver mais dinheiro no mercado do que a capacidade de os vinicultores produzirem mais vinho? Eles vão leiloar as garrafas. Não num leilão propriamente dito, mas aumentando o preço. O valor de uma garrafa de vinho não é o que ela custou para ser produzida, mas o máximo que as pessoas estão dispostas a pagar por ela. E se muita gente estiver com muito dinheiro na mão, essa disposição para gastar mais vai existir.
    Agora que o preço do vinho aumentou e os vinicultores estão ganhando o dobro, o que acontece? Vamos dizer que um desses vinicultores resolve aproveitar o momento bom nos negócios e vai construir uma casa nova, lindona. E sai para comprar o material de construção.
    Só tem uma coisa. Não foi só o vinicultor que ganhou mais dinheiro no seu país fictício. Foi todo mundo envolvido na construção do estádio e todo mundo que vendeu coisas para eles. Tem bastante gente na jogada com os bolsos mais cheios. E algumas dessas pessoas podem ter a idéia de ampliar as casas delas também. Natural.
    Então as empresas de material de construção vão receber mais pedidos do que podem dar conta. Com vários clientes novos e sem ter como aumentar a produção do dia para a noite, o cara do material de construção vai fazer o que? Vai botar o preço lá em cima, porque não é besta.
    Mas espera um pouco. Você não tinha mandado imprimir 600 milhões de dinheiros para fazer um estádio? Mas e agora, que ainda não fizeram nem metade das arquibancadas e o material de construção já ficou mais caro? Lembre-se que o concreto subiu justamente por causa do dinheiro novo que você mandou fazer.
    Mas, caramba, você tem que terminar a arena. A Copa das Confederações Fictícias está logo ali… Então você dá a ordem: “Manda imprimir mais 1 bilhão e termina logo essa joça”. Nisso, os fabricantes de material e os funcionários deles saem para comprar vinho… E a remarcação de preços começa de novo. Para quem vende o material de construção, tudo continua basicamente na mesma. O vinho ficou mais caro, mas eles estão recebendo mais dinheiro direto da sua mão.
    Mas para outros habitantes do seu país fictício a situação complicou. É o caso dos operários que estão levantado o estádio. O salário deles continua na mesma, mas agora eles têm de trabalhar mais horas para comprar a mesma quantidade de vinho.
    O que você fez, na prática, foi roubar os peões. Ao imprimir mais moeda, você diminuiu o poder de compra dos caras. Inflação é um jeito de o governo bater as carteiras dos governados.
    Foi mais ou menos o que aconteceu no mundo real. Primeiro, deixaram as impressoras de dinheiro ligadas no máximo. Só para dar uma ideia: em junho de 2010, havia R$ 124 bilhões em cédulas girando no país. Agora, são R$ 171 bilhões. Quase 40% a mais. Essa torrente de dinheiro teve vários destinatários. Um deles foram os deputados, que aumentaram o próprio salário de R$ 16.500 para de R$ 26.700 em 2010, criando um efeito cascata que estufou os contracheques de TODOS os políticos do país, já que o salário dos deputados federais baliza os dos estaduais e dos vereadores. Parece banal. E até é. Menos irrelevante, porém, foi outro recebedor dos reais novos que não paravam de sair das impressoras: o BNDES, que irrigou nossa economia com R$ 600 bilhões nos últimos 4 anos. Parte desse dinheiro se transformou em bônus de executivo. Os executivos saíram para comprar vinho… Inflação. Em palavras mais precisas, o poder de compra da maioria começou a diminuir. Foi como se algumas notas tivessem se desmaterializado das carteiras deles.
    Algumas dessas carteiras, na verdade, sempre acabam mais ou menos protegidas. Quem pode mais tem mais acesso a aplicações que seguram melhor a bronca da inflação (fundos com taxas de administração baixas, CDBs que dão 100% do CDI…, depois falamos mais sobre isso). O ponto é que o pessoal dos andares de baixo é quem perde mais.
    Isso deixa claro qual é o grande mal da inflação: ela aumenta a desigualdade. Não tem jeito. E esse tipo de cenário sempre foi o mais propício para revoltas. Revoltas que começam com aquela gota a mais que faz o barril transbordar. Os centavos a mais no ônibus foram essa gota.

    Alexandre Versignassi 12 de junho de 2013

  84. You can't fix stupidity! said

    Mas tem mais…
    (…)
    Mas seria só a inflação? Creio que não. Ela é o estopim, a tal “gota d’água”. Há muito mais aí. São anos e anos de corrupção, de condenações que não resultam em nada, de dinheiro do povo indo pro bolso de ladrões enquanto os serviços públicos são uma porcaria.

    E no país inteiro. Sim, os protestos, como já dito, tem amplitude nacional. E é exatamente por isso que a galera governista fica entre o repúdio-com-alguma-análise e a adesão-sem-dar-nome-aos-bois. Jovens de Fortaleza não vão às ruas porque São Paulo está ruim; jovens de Curitiba não o fazem por divergir de como está Brasília; jovens do Rio não estão inconformados com Salvador. E todos os vice-versa possíveis aí.

    Aceitem os fatos, portanto: a revolta é nacional.

    Criou-se a ideia de que o povo “aceita” os desmandos do governo, a corrupção impune, os mais variados escândalos, sempre em nome da popularidade dos mandatários. Governistas, não raro, respondiam às crises mais graves com pesquisas ou vitórias eleitorais.

    Foi assim que cresceu essa geração que agora está nas ruas. Eles tinham de seis a doze anos quando o PT assumiu o governo e, agora, com capacidade e organização para ir às ruas, e sem aquele ranço idiota de quem estava na faculdade quando o governo era “neoliberal”, sabem MUITO bem o que está havendo e NÃO pretendem aliviar porque “há um projeto maior em curso” (a velha lorota dos que passaram esses dez anos encobrindo os desmandos do partido do coração ).

    O desespero também aparece no fato de que, pela primeira vez em muitos e muitos anos, o grande partido central não tem o menor controle sobre os manifestantes. Não são sindicatos ou entidade estudantil que recebem fábulas do governo, mas sim jovens que, no país inteiro, rebelam-se contra esse mesmo governo.

    Assim, não se trata de vinte centavos em uma passagem. São dez anos de corrupção sem os responsáveis punidos, são os mais variados escândalos, são os gastos absurdos da Copa, são os preços que aumentam enquanto as pessoas perdem o poder aquisitivo…

    A inflação é a gota d’água num balde de indignação e inconformismo NACIONAL que transbordou depois dessa década de abuso.
    A conta chegou agora e não adianta fingir desconhecer quem deve pagá-la. Aceitem a responsabilidade por tudo isso, pois parece estar acabando a “década do migué”.

    Enfim, temos uma juventude corajosa e sem rabo preso com o partido do governo (até mesmo por memória afetiva de tempos colegiais).
    Os jovens-velhos que passaram esses anos todos encobrindo as mutretas não sabem o que fazer. E isso é ótimo. O Brasil de fato precisava.
    __________________

    Por outro lado…

    O Brasil não é um exemplo de estado de bem-estar social.
    Mas cresce a percepção — até mais do que a sua efetiva realização — de que o estado deve ser o grande provedor da felicidade geral.
    E que se deve conquistar o que se quer na porrada.
    Aliás, esses extremistas de classe média que estão botando fogo no circo são os mais beneficiados, é bom deixar claro — bem mais do que os pobres que dizem defender.

  85. You can't fix stupidity! said

    E mais ainda…

    (…)A facilidade com que os grupos que organizam os protestos conseguem mobilizar descontentes de todos os tipos pelas redes sociais dá o que pensar. O mesmo se pode dizer de depoimentos de alguns manifestantes. A exemplo de um estudante de psicologia da Unesp, ouvido pelo jornal O Globo, outros participantes dos protestos já estão levantando, ao lado do aumento das tarifas de transporte coletivo, problemas nas áreas de saúde e educação. Sem falar no descontentamento com as despesas bilionárias da Copa. Some-se a isso tudo o fato de normalmente os protestos contra tarifas serem menos violentos e muito mais breves.

    Parece haver aí algo que ultrapassa as fronteiras partidárias e ainda não foi bem compreendido. E isso é fundamental para que as autoridades possam saber em que terreno estão pisando. Mas, independentemente desse entendimento, é fundamental que todos os que têm uma parcela de responsabilidade na questão, especialmente os que cuidam da segurança pública, mantenham o sangue-frio. A polícia precisa agir com muito rigor, porque, sobretudo, as grandes cidades como São Paulo e Rio não podem ser entregues ao descontrole da violência. Tudo deve ser feito, porém, para evitar excessos, até mesmo para não dar aos radicais o pretexto que querem para novos atos de vandalismo.

    Nesse contexto, é de lamentar as atitudes nem sempre claras do prefeito Fernando Haddad, que ora se diz aberto ao diálogo com quem quer tarifa zero, ora diz que não recua do aumento, ora condena o vandalismo dos manifestantes, ora alega que tem havido excesso da PM. Quem está no poder tem de pagar o preço de atitudes nítidas, em especial em momentos de crise.

  86. Jose Mario HRP said

    Muitos comentários daqui sinalizam o medo que a direita tem desses movimentos.
    Dá vontade de rir dos caras!

  87. You can't fix stupidity! said

    De onde nada se espera é daí que não sai nada mesmo. hehehe

  88. Edu said

    Quem tem medo do lobo mau, lobo mau, lobo mau?

    Uma coisa eh verdade e concordo com o Pax: as manifestações vão acelerar a discussão política. Quem sabe até mudem a percepção das pessoas sobre política.

    PT ou PSDB vão ter que encarar sua nêmesis: a população politizada.

  89. You can't fix stupidity! said

    Aumenta a insatisfação do povo…

    http://g1.globo.com/distrito-federal/noticia/2013/06/grupo-faz-protesto-em-brasilia-contra-copa-das-confederacoes.html

  90. Edu said

    Há pouco me ocorreu uma frase fora de contexto.

    Gostaia de compartilhar com vcs.

    “É nas minorias de esquerda que se escondem os maiores preconceitos”

  91. Patriarca da Paciência said

    por Marcos Coimbra
    “Quais são as ideias típicas dos conservadores brasileiros na atualidade? Algumas são permanentes, outras conjunturais. Amanhã serão substituídas por novas idiotices. O estoque é imenso. Vamos às dez mais comuns:

    O Brasil está à beira do abismo

    Ainda que os cidadãos normais tenham dificuldade de entender quem diz isso, os genuínos idiotas da direita estão convencidos: vivemos o caos e estamos a caminho do buraco. Há exemplo mais patético que a “inflação do tomate”?

    O Bolsa Família é esmola usada para manipular os pobres

    Marca distintiva desses idiotas, a ideia mistura velharias, como a noção de que os pobres são constitutivamente preguiçosos, com a pura inveja de ter sido Lula o criador do programa. No fundo, o conservador despreza os mais humildes.

    O Brasil tem um governo inchado

    Mundo afora, depois de a crise internacional sepultar a tese de que Estado bom é Estado mínimo, ninguém mais tem coragem de revivê-la. A não ser no Brasil. Fernando Henrique Cardoso deixou 34 ministérios quando saiu do governo. Esse seria o tamanho ótimo? Cinco a mais se constitui uma catástrofe?

    O Brasil tem municípios demais

    Exemplo de idiotice conjuntural, é prima da anterior. Que sentido haveria em considerar imutável a organização administrativa de um país em que a população se movimenta pelo território, fixando-se em novas regiões?

    O Judiciário é nosso deus e Joaquim Barbosa, nosso pastor

    Como seus parentes no resto do mundo, os conservadores brasileiros desconfiam da política e têm ojeriza a políticos. Quem mais senão o presidente do Supremo Tribunal Federal encarnaria os “anseios da sociedade contra os políticos corruptos”? Transformado em ferrabrás dos petistas, Barbosa virou herói da direita.

    O “mensalão” foi o maior escândalo de nossa história

    Conversa para boi dormir entre os conhecedores da política brasileira, o “mensalão” não passa de um exemplo do modo como as campanhas eleitorais são financiadas. Só os desinformados acreditam ser ele um caso excepcional.

    A liberdade de imprensa está ameaçada

    Na vida real, ninguém leva isso a sério. Volta e meia, a ideia é, no entanto, usada pela imprensa conservadora para defender os interesses de um pequeno grupo de corporações de mídia. De carona, alguns políticos da oposição a endossam para preservar as relações privilegiadas que mantêm com os proprietários dos meios de comunicação.

    Dilma antecipou a eleição

    Desde ao menos o início do ano, a oposição de direita repete, em tom queixoso, o mantra. O que imaginava? Que uma presidenta tão bem avaliada não fosse candidata? Que fingisse não sê-lo? Qualquer idiota sabe que os governantes pensam na reeleição. Assim que tomam posse, entram no páreo.

    O Brasil virou as costas para seus parceiros internacionais e se aliou aos radicais

    A fantasia desconhece a realidade da política externa e o modo como funciona a diplomacia brasileira. É montada em duas etapas: primeiro, desconstrói-se a imagem de um país ou liderança. Depois, afirma-se que o governo a apoia. De qual país o Brasil se afastou, de fato, nos últimos anos?

    O Brasil moderno está na oposição, o arcaico é governo

    Trata-se de um erro factual, somado a muita pretensão. Ao contrário, como mostram as pesquisas, o governo é mais bem avaliado (e Dilma tem mais votos) entre, por exemplo, jovens e aqueles conectados à internet que na média da população. A oposição possui, é claro, sua base na sociedade. Em nada, no entanto, esta é “melhor” que aquela apoiadora do governo.”

  92. Patriarca da Paciência said

  93. Pax said

  94. Pax said

    Dilma tomou vaia na abertura da Copa das Confederações. E deixou o Blatter dar bronca em quem vaiava.

    Tem muita coisa errada nesta história. Sinceramente.

    E Agnelo Queiroz disputa com Alckmin pra ver quem massacra mais brasileiros… Cabralzinho Cavendish correndo por fora.

  95. Pax said

    Vândalos e baderneiros depredam o maior patromônio do Brasil, seu povo.

    http://copadomundo.uol.com.br/noticias/redacao/2013/06/15/policia-dispersa-manifestantes-com-bombas-e-torcedores-sofrem-com-gas.htm

  96. You can't fix stupidity! said

    Edu…hehehe

    Putz! o Pax e suas companheiras ( a moto e aperna quebrada) realmente andam superstressados.!!!
    Amanhã vai ser no RJ e segunda em Sampa de novo.Haja saco!
    Dilma com “cara de abóbora” diante das cameras é imperdível.
    Acabou a arrogância “malufiana” ….
    a coisa vai piorar daqui pra frente.!

  97. You can't fix stupidity! said

  98. You can't fix stupidity! said

    Pau que dá em Chico dá em francisco!

    A palavra da direita:

  99. Jose Mario HRP said

    A boçalidade da policia militar paulista existe também na de Istambul!
    Boçais os há em todos os lugares, Lá Erdogan, aqui Geraldo Alckimin, um boçal completo

  100. Jose Mario HRP said

    You Can’t Fix Stupidity! disse

    15/06/2013 às 18:59

    Humor, sempre com humor e inteligencia, só me resta rir.
    Mas nunca levar a sério, certo?

  101. Jose Mario HRP said

    http://click.uol.com.br/?rf=home2011-topo-A4&u=http://copadomundo.uol.com.br/noticias/redacao/2013/06/16/balas-de-borracha-da-pm-do-df-atingem-cabeca-de-manifestantes-que-filmavam-acao-policial.htm
    Mais boçalidade.
    Agora no planalto central!

  102. Jose Mario HRP said

    Movimento #vemprajanela no Facebook.

  103. Jose Mario HRP said

  104. Pax said

    humor de domingão… as redes estão fervilhando…

    Ah, sim, todos os citados no vídeo têm lá suas culpas.. farinha do mesmo saco.

  105. Pax said

    Achado na web….

    “Pergunta de efeito moral: e se a PM de SP, a Guarda Municipal da prefeitura, a Força Nacional de Segurança do ministério da Justiça e a Polícia Federal de Dilma simplesmente não comparecessem à manifestação? Ou fossem desarmadas, somente para desviar e organizar o trânsito? Respondam aí, Alckmin, Haddad, Cardozo e Dilma. Não seria um ato de coragem de vocês? Preferem a covardia? Se sim, vocês vão pagar por isso, de uma forma ou de outra, numa eleição ou em outra. As fotos, vídeos e depoimentos ficaram grudadas em suas biografias. Tenham certeza disso.”

  106. Pax said

  107. Jose Mario HRP said

    O saber do decano :

    Um estado policial
    Estamos assistindo a uma perigosíssima associação entre as forças policiais e a extrema direita de caráter fascista no mundo inteiro – o que merece uma análise mais ampla. Mas, no caso brasileiro, parece haver interesse calculado em criar um ambiente de pânico na população, que sempre favorece os golpistas.
    Mauro Santayana
    Enviar ! Imprimir !
    A violência da polícia, na repressão aos protestos contra o aumento das tarifas de ônibus, em São Paulo, no Rio e em Niterói, deve ser vista além dos episódios em si mesmos. Estamos nos tornando um estado policial, sem que haja uma reação coordenada de defesa da cidadania. É provável que os governadores de São Paulo e do Rio de Janeiro estejam perdendo o controle de seu sistema de segurança, o que é grave; mas também é possível que eles tenham estimulado a caça indiscriminada aos manifestantes – e isso é alarmante.

    Argumenta-se que o aumento anunciado – de apenas vinte centavos – é irrisório e não justificaria a reação popular. Os mais vividos se recordam que quebra-quebras promovidos pelos estudantes – aos quais se somavam os transeuntes disponíveis – sempre houve no passado. Não só se protestava contra o aumento dos transportes coletivos, como, também, contra o aumento dos ingressos cinematográficos. Isso sem esquecer as costumeiras passeatas contra o alto custo de vida, que se faziam sob a percussão de garfos e facas contra panelas vazias.

    Um dos símbolos da imprensa alternativa, o Binômio, de Belo Horizonte, que seria depredado por militares na antevéspera do golpe de 1964, nasceu como protesto contra a violência da polícia de Minas – e em pleno governo democrático de Juscelino, em 1953. Os estudantes de Belo Horizonte se amotinaram contra o aumento dos cinemas, quase todos pertencentes a um só homem, e foram golpeados pelos longos porretes dos soldados da cavalaria. Diante da reação policial – e de nenhum protesto dos jornais – os jornalistas José Maria Rabelo e Euro Luis Arantes decidiram editar o jornal em que se reunia o humor crítico aos textos pesados e mais pensados.

    Mas a violência, no passado, tinha os limites dos cassetetes e das chamadas bombas de efeito moral. Mais ainda: a polícia evitava golpear quem não estivesse praticando atos de vandalismo – e os jornalistas eram sempre respeitados. Nos incidentes dos últimos dias, os jornalistas foram os alvos preferenciais da repressão, e há uma razão: eles são testemunhas públicas da violência. Vários companheiros nossos foram vítimas de empurrões, pescoções, jatos de pimenta
    nos olhos, bombas de gás lacrimogêneo endereçadas, porretadas e balas de borracha no rosto. Um deles, fotógrafo, atingido em um dos olhos, provavelmente terá sua visão reduzida à metade.

    Estamos assistindo a uma perigosíssima associação entre as forças policiais e a extrema direita de caráter fascista no mundo inteiro – o que merece uma análise mais ampla. Mas, no caso brasileiro, parece haver interesse calculado em criar um ambiente de pânico na população, que sempre favorece os golpistas. Todos os testemunhos são os de que as pessoas se manifestavam pacificamente, quando a polícia tomou a iniciativa do ataque.

    O governo federal considerou exagerada a repressão nos dois estados. Isso explica por que não houve excesso na contenção, ontem, dos manifestantes contra os gastos da Copa do Mundo, na abertura dos jogos da Copa das Confederações, no estádio Mané Garrincha. A polícia do Distrito Federal é paga com recursos da União.

    Há políticos em governos que esperam dividendos eleitorais por sua tolerância com a brutalidade de seus subordinados policiais. No entanto, eles correm o risco de serem vítimas eventuais da mesma estupidez. Os governadores Geraldo Alckmin e Sérgio Cabral devem retomar as rédeas de suas corporações militares, antes que elas recusem qualquer freio.

    Mauro Santayana é colunista político do Jornal do Brasil, diário de que foi correspondente na Europa (1968 a 1973). Foi redator-secretário da Ultima Hora (1959), e trabalhou nos principais jornais brasileiros, entre eles, a Folha de S. Paulo (1976-82), de que foi colunista político e correspondente na Península Ibérica e na África do Norte.

  108. You can't fix stupidity! said

    Segundo Santayanna,o sábio decano:

    (…)
    O governo federal considerou exagerada a repressão nos dois estados. Isso explica por que não houve excesso na contenção, ontem, dos manifestantes contra os gastos da Copa do Mundo, na abertura dos jogos da Copa das Confederações, no estádio Mané Garrincha.
    A polícia do Distrito Federal é paga com recursos da União (…).

    ________________________________
    Explicação:

    1.A meganha de Brasilia não é boçal como a de Sampa porque o governador é do PT!
    ( assim como o Ministro da Justiça que paga as contas).

    2.As bombas de gás lacrimogeneo da PM de Brasilia exalam perfume leve de lavanda e pessego, o gas de pimenta era de pimentão vermelho (meio doce) e as balas de borracha eram de balas de goma, macias como um chiclete de bola com sabor tutty-fruty.

    3.KKKKKKKKKK!
    Putz! esse povo petralha adora uma mentira…

  109. You can't fix stupidity! said

    DOMINGO, 16 DE JUNHO DE 2013

    Dilma termina vaiada a semana em que distribuiu pontapés na oposição e tentou fazer gol de mão contra a inteligência dos brasileiros.

    Dilma encarou a verdade ao final da semana em que mais mentiu aos brasileiros. Mentiu que quem critica o governo é pessimista.
    Tentou grudar esta pecha na oposição, que esgrimiu números e mostrou dados concretos.
    Atacou a imprensa, como se esta não tivesse a obrigação de informar o passo acelerado do Brasil rumo à crise econômica.
    Isso depois de tentar o marketing, lançando um programa subsidiado de compras de eletrodomésticos para gente simples que está financiando casas de péssima qualidade em áreas sem transporte, sem segurança e sem saneamento básico. TV de plasma e fossa. Geladeira duplex e paredes rachadas.Os últimos dados das pesquisas de opinião, que indicam forte queda na sua popularidade, são absolutamente verdadeiros.
    Os protestos que começam a espoucar nas ruas não podem mais ser atribuídos a partidos, como é a praxe do PT, cuja PM, ontem, fez igual ou pior do que a de São Paulo. Se ainda consegue enganar o povo, Dilma já não mais enrola a classe média presente no Mané Garrincha.

    Ali recebeu a maior vaia da sua vida.hehehe
    Um resultado muito justo para uma semana em que tentou enganar
    o povo brasileiro com falsas declarações, falsas promessas e um falso governo

    . #chupadilma

  110. You can't fix stupidity! said

    GERAL
    O outono da ignorância
    Ruth de Aquino, ÉPOCA

    Até demorou. Não se dizia que os brasileiros eram passivos demais, sem consciência política? Um povo inebriado por futebol, Carnaval e cerveja, que só se aglomerava em show, bloco e passeata gay ou evangélica? Agora, uma fagulha, o aumento das tarifas de ônibus, incendiou multidões. São especialmente jovens. Como em qualquer lugar do mundo.

    Entre os que protestam pacificamente com flores na mão, há os vândalos que, rindo e xingando, depredam o patrimônio, quebram lojas, incendeiam ônibus. Alguma novidade? Sempre foi exatamente assim, em Paris, Londres, Buenos Aires ou Istambul.

    Os excessos devem ser repudiados, os vândalos detidos. Mas a reação truculenta das tropas de choque e as declarações de prefeitos e governadores de todos os partidos mostram algo preocupante: o poder – no Brasil, como na Turquia – não faz a menor ideia de como coibir com eficácia protestos que resvalem para a violência.

    Policiais e políticos igualam-se aos arruaceiros na ignorância, tornam-se delinquentes por trás de armaduras e gravatas, tacham de ilegítimas todas as manifestações, não param para escutar, entender ou negociar.

    O resultado é este: cidadãos encurralados na volta do trabalho, crianças atemorizadas. Os jornalistas são feridos pela polícia com balas de borracha, bombas de gás e spray de pimenta nos olhos. São coagidos e xingados por jovens mascarados e desinformados.

    Os preços sobem, a inflação está em alta, os impostos absurdos não revertem em saúde, moradia, transporte e educação para a população, os empregos para a juventude começam a minguar, as empresas demitem em massa sem repor vagas.

    A presidente Dilma diz que a economia está sob controle. A farra nos Três Poderes continua. Ninguém aperta o cinto de couro em Brasília. O noticiário continua coalhado de mordomias no Legislativo, Judiciário e Executivo.
    _____________________________________________

    O feitiço contra o feiticeiro….rsrsrs

  111. You can't fix stupidity! said

    DOMINGO, 16 DE JUNHO DE 2013

    COISAS DO DEMONIO por Mary Zaidan

    Em qualquer atividade e para qualquer um, perder uma oportunidade é deixar passar uma chance que poderia ser única.

    Na política isso pode ser fatal. Situação, oposição e até os que não têm cheiro tentam se aproveitar ao máximo quando elas surgem. Absolutamente legítimo.

    Mas, não raro, oportunidades acabam por irrigar canteiros de oportunistas – gente que rouba, que vende voto, que leiloa o mandato. E de oportunistas ideológicos – aqueles que em público xingam o demônio e que entre quatro paredes com ele se confraternizam.

    O discurso do presidente do PT deputado Rui Falcão, na quinta-feira, em Curitiba, em mais uma comemoração pelos 10 anos de invenção do Brasil, é um exemplo acabado disso. “São quatro grandes monopólios ou oligopólios que urge desmontar: o monopólio do dinheiro, controlado pelo capital financeiro; o monopólio da terra, em mãos dos latifundiários que se opõem à reforma agrária; o monopólio do voto, garantido pelo financiamento privado e o poder econômico; e o monopólio da opinião e da informação, dominado pelos barões da mídia”, disparou Falcão.

    Uma fala inflamada para alegrar a militância e fazer bonito frente ao ex-presidente Lula e à presidente Dilma Rousseff, estrelas maiores do encontro.

    Nela, ele xinga os demônios, cospe no prato em que come e esconde os conchavos que há anos sustentam o PT.

    !.Que monopólio do dinheiro? O que está concentrado nas mãos de empreiteiros – os mesmos para os quais Lula tem sido garoto propaganda? Dos banqueiros aliados que lucram ano a ano e ainda fazem transações espúrias com o partido, como o BMG do mensalão?

    2.O monopólio da terra abriga o agronegócio, setor que cresceu 9,7%, evitando o completo desastre do já tão magro PIB de 0,6% do primeiro trimestre. É com esse oligopólio do capeta, e com a representante dele – senadora Kátia Abreu (PSD-TO) –, que Dilma conta.

    3.O monopólio do voto? O maldito dinheiro privado que abarrota o caixa oficial e o caixa 2 confesso das campanhas do PT, as mais caras desde 2004, ano da primeira eleição depois que Lula chegou ao poder?

    4.Por fim, os barões da mídia. Como se o incômodo fosse com os donos da mídia, com quem governos sempre se compõem. A pedra no sapato é o jornalismo – classificado por Dilma como “terrorismo informativo” – e os jornalistas, “vendedores” ou “profetas do caos”. Gente que ousa relatar que a inflação bateu no teto da meta, que mostra erros de gestão, gastos a rodo, obras de infraestrutura caras e em passo de tartaruga; desacertos e improvisações na política econômica e fiscal.

    O problema são esses diabos que não batem ponto e não estão à venda.
    _____________________________

    PUTZ ! PARECE QUE “ERA DOS MIGUÉ” no poder está começando a terminar!

    Antes tarde que mais tarde ainda!

  112. You can't fix stupidity! said

    BRASIL AGACHADO!

    “Durante a vaia, o presidente da Fifa, Joseph Blatter, deu uma bronca na torcida, pedindo que o público respeitasse a presidente e que adotasse uma posição de “fair-play”. O cartola foi ignorado.”

    O presidente da fifa resolveu patrulhar o povo brasileiro e dilma – a matrona incompetenta- resolveu mostrar o bico com cara de abóbora.

    Isto é o Brasil do PT!
    O Brasil não é vira lata.A melhor raça de cachorros.
    É um “poodle mini” que acha que é “pitbull!”
    E toma esporro desse insignificante J. Blatter, Um bosta interesseiro.
    Um gordo capitalista selvagem. que se ofereceu, como cavalheiro, para amenizar as vaias.

  113. Otto said

    Senador Alvaro Dias gastou R$ 1.463 para vaiar Dilma. Foi o povo que vaiou?

    http://blogdotarso.com/2013/06/15/senador-alvaro-dias-gastou-r-1-463-para-vaiar-dilma-foi-o-povo-que-vaiou/

  114. Pedro said

    Eu nem sabia que o Alvaro Botox em Dia tinha 60.000 bocas….. :-)

    Otto tem que arrumar mais peneiras pra tapar este sol.

  115. Otto said

    Os outros foram pagos pelo Roriz, especialista nesses métodos…

  116. Pedro said

    Sobre os protestos em São Paulo sei que o assunto é serio, mas é domingo a noite, dá um desconto Pax.

    Laranja News é um blog de humor de Floripa:

    http://www.laranjasnews.com/politica/sao-paulo-agora-e-um-pais-e-sera-provisoriamente-governado-por-junta-militar

  117. Patriarca da Paciência said

    Não, meu caro Pedro, o Álvaro Botox não tem 60.000 bocas, tampouco 60.000 pessoas vaiaram a presidenta Dilma:

    “Na abertura da Copa das Confederações, hoje em Brasília, a presidenta Dilma Rousseff (PT) foi vaiada por uma elite.

    Não. Não por uma elite cultural. Foi vaiada por pessoas endinheiradas que ao invés de conhecer o mundo gostam mesmo de ir uma vez por ano à Disney. Não conhecem os belos museus brasileiros mas fazem questão de visitar o Metropolitan em Nova York. Gostam mesmo é de um bom sertanejo universitário.

    Não. Não por uma elite intelectual. Foi vaiada por quem gosta mesmo é de ver TV, de preferência a Globo, e se faz alguma leitura é da Veja ou de algum livro de auto-ajuda.

    A elite que vaiou Dilma é a elite econômica. Uma elite que não aceita a redução das desigualdades econômicas e sociais ocorridas nos últimos 10 anos. Não aceita a possibilidade do filho do pobre estudar na mesma escola ou universidade de seu filho. Sonega impostos mas reclama das altos valores dos tributos. Reclama da corrupção mas corrompe policiais. Reclama do “custo Brasil” mas não paga os direitos trabalhistas de seus trabalhadores ou não respeita as leis ambientais. Adora falar mal do Brasil. Uma elite que não aceita um Partidos dos Trabalhadores no poder há mais de 10 anos no Brasil.

    Foi a mesma elite que vaiou o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva nos Jogos Pan-Americanos do Rio em 2007.

    O governo Dilma tem falhas sim. Está realizando algumas privatizações, não pressionou pela criação da Lei dos Meios de Comunicações, é tímido na reforma agrária, não abre diálogo com os movimentos sociais, aplica o gerencialismo-neoliberal em algumas áreas da Administração Pública, faz acordo e escolhe ministro de partidos como o PSD, um câncer na política.

    O pior é escutar de um jornalista da CBN (rádio da Globo) que a verdadeira pesquisa é a escutada no Estádio Maná Garrincha, e não das pesquisas que dão mais de 60% de aprovação à presidenta. O povo não estava no estádio, mas sim uma elite que pagou caro nos ingressos ou ganhou o ingresso das mãos de grandes empresas patrocinadoras. Mas é bom ver todo o veneno destilado nas redes sociais de pessoas que são da mesma elite econômica citada.

    Ainda bem que estamos em uma Democracia, e quem decide o futuro da nação é o povo, e não essa elite mesquinha e conservadora.

    Ah, já ia esquecendo: na vitória do Brasil sobre o Japão por 3 a 0 o nome do jogo foi o corinthiano Paulinho, com gol ainda do Jô, que aprendeu a jogar futebol no Corinthians.”
    http://blogdotarso.com/2013/06/15/elite-vaiou-dilma/

  118. Patriarca da Paciência said

    Luana Lourenço
    Repórter da Agência Brasil

    Brasília – A Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) premiou hoje (16) 38 países, entre eles o Brasil, por terem reduzido a fome pela metade bem antes do prazo de 2015, estabelecido pela ONU nos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio.

    A meta número 1 dos Objetivos do Milênio estabelece a redução, pela metade, da proporção de pessoas com fome até 2015. O cumprimento da meta pelos países premiados considerou a diferença do número de famintos entre 1990 e 1992 e entre 2010 e 2012.

    Além do Brasil, já cumpriram a meta, segundo a FAO: Armênia, Azerbaijão, Cuba, Djibuti, Geórgia, Gana, Guiana, Kuwait, Quirguistão, Nicarágua, Peru, São Vicente e Granadinas, Samoa, São Tomé e Príncipe, Tailândia, Turcomenistão, Venezuela, Vietnã, Argélia, Angola, Bangladesh, Benin, Camboja, Camarões, Chile, República Dominicana, Fiji, Honduras, Indonésia, Jordânia, Malawi, Maldivas, Níger, Nigéria, Panamá, Togo e Uruguai.

    O diretor-geral da FAO, o brasileiro José Graziano, elogiou as nações que já atingiram a meta de reduzir a fome pela metade e destacou as iniciativas regionais para garantir o acesso à alimentação.

    “Para todos e a cada um de vocês, eu quero dizer que vocês são a prova viva de que quando as sociedades decidem pôr fim à fome, e quando há o compromisso político dos governos, podemos transformar essa vontade em ações concretas e resultados”, disse, segundo comunicado oficial da entidade.

    Segundo Graziano, os países que já chegaram à meta, devem manter os esforços para alcançar objetivos mais ambiciosos de combate à fome, até a completa eliminação do problema. “Somos a primeira geração que pode acabar com a fome, que tem atormentado a humanidade desde o nascimento da civilização. Vamos aproveitar esta oportunidade”, acrescentou.

    A premiação foi entregue em cerimônia na sede da FAO, em Roma, e teve a participação de vários chefes de Estado, entre eles os presidentes da Venezuela, Nicolás Maduro, de Honduras, Porfirio Lobo, e do Panamá, Ricardo Martinelli.

  119. Jose Mario HRP said

    Patriarca, falar de Alvaro Dias é falar de traidor da pátria, ele era um daqueles que foram ao Paraguay constrangendo o Brasil, como senador,apoiando o golpe paraguaio!
    Antes, o mesmo já apoiou o falecido tratado entre brasil e EUA, que cedia a base de Alcantara para oa americanos, com N restrições ao uso pelo Brasil da mesma e melhor base de lançamento de foguetes espaciais, retirando nossa autoridade de nosso próprio território.
    Quanto a vaias, bem, Lula na abertura do PAN ele foi vaiado e depois foi reeleito com folga.
    A classe média , em peso no Mané, é assim, tem horror de pobre e dos que os representam……..já os filhos, estão nas ruas ao lado dos pobres na Paulista apanhando da Meganha!
    “Voce não gosta de mim, mas a tua filha gosta”!
    KKKKKKKKKKKKK

    #vemprajanela , no face book.

  120. Jose Mario HRP said

    A Turquia está prestes a ver uma guerra civil.
    Fora o tripudiar de Erdogan vem aí greves gerais e mais luta nas ruas.

  121. Jose Mario HRP said

    Assista aos tres blocoas:

    http://www1.folha.uol.com.br/multimidia/videocasts/2013/06/1296136-tv-folha-traz-relato-de-jornalista-atingida-durante-protestos-em-sp-assista.shtml

  122. Patriarca da Paciência said

    “A classe média , em peso no Mané, é assim, tem horror de pobre e dos que os representam……..já os filhos, estão nas ruas ao lado dos pobres na Paulista apanhando da Meganha!
    “Voce não gosta de mim, mas a tua filha gosta”!

    Eu diria, meu caro HRP, que mesmo boa parte da classe média não vaiou a Dilma!

    Pela lógica, talvez 30% tenham vaiado!

    O que é bem normal. O PSDB tem 30% do eleitorado e é muito justo que eles se manifestem!

  123. Patriarca da Paciência said

    Agora, essa do velho Chico, meu caro HRP, “você não gosta de mim mas sua filha gosta” é ótima e atualíssima!

    Que bom que os jovens sempre conservam seus ideais e suas esperanças !

    Como disse Chaplin, “o ideal que sempre nos acalentou renascerá em outros corações”.

  124. Jose Mario HRP said

    Essa aqui , em especial, é para o Pax:
    http://www.naval.com.br/blog/2013/06/16/sem-tiro/#axzz2WTj2Gxfj

  125. Jose Mario HRP said

    Papelão igual ao do “geraldo” foi o da meganha do Agnelo Queiroz!
    Até atropelar pessoas os pms atropelaram!

  126. Edu said

    Eu acho que a esquerda está dando um tiro no pé.

    Essa semana o foco foi desviado: dos 3,20, passamos por diversos objetivos distintos nas manifestações:

    1 – Mostrar que a polícia era repressora.
    2 – Mostrar que os 20 centavos eram só um detalhe, mas que todos estavam fartos de outras coisas, que ninguém especificou direito o que era.
    3 – Começaram a especificar o que eram essas coisas além dos 20 centavos: corrupção, falta de educação, estádios construídos e escolas caindo aos pedaços.

    O povo, está começando a entender que o Estado está grande demais, consumindo muito, e fazendo pouco.

    Eu to começando a gostar das manifestações, parece que finalmente elas estão indo no rumo certo.

  127. Otto said

    Eu também estou começando a gostar das manifestações: entre outras bandeiras, a da democratização da mídia estará em pauta na Paulista!

  128. Otto said

    Edu, você que divide a liberdade econômica, o Estado mínimo (e máximo para os ricos, mediante salvamento de bancos), e de que os EUA são um exemplo de democracia e justiça, leia esta antes de sair mais tarde me protesto:

    Uma breve história da luta da grande mídia contra os interesses nacionais
    Em 1957, uma CPI da Câmara dos Deputados, comprovou que “O Estado de São Paulo”, “O Globo” e “Correio da Manhã” foram remunerados pela publicidade estrangeira para moverem campanhas contra a nacionalização do petróleo. Em momentos cruciais para o país se inclinaram para o golpismo e a traição aos interesses nacionais: contra Getúlio, a Petrobrás, JK, contra Jango, apoiando a ditadura, Collor, FHC e suas privatizações, atacando Lula. Por Leandro Severo.
    Leandro Severo (*)
    Enviar ! Imprimir !
    Em 1941, enquanto milhões de homens e mulheres derramavam seu sangue pela liberdade nos campos da Europa e da União Soviética, a elite dos círculos financeiros dos Estados Unidos já traçava seus planos para o pós-guerra. Como afirmou Nelson Rockefeller, filho do magnata do petróleo John D. Rockefeller, em memorando que apresentava sua visão ao presidente Roosevelt: “Independente do resultado da guerra, com uma vitória alemã ou aliada, os Estados Unidos devem proteger sua posição internacional através do uso de meios econômicos que sejam competitivamente eficazes…” (COLBY, p.127, 1998). Seu objetivo: o domínio do comércio mundial, através da ocupação dos mercados e da posse das principais fontes de matéria-prima. Anos mais tarde o ex-secretário de imprensa do Congresso americano, Gerald Colby, sentenciava sobre Rockefeller: “no esforço para extrair os recursos mais estratégicos da América Latina com menores custos, ele não poupava meios” (COLBY, p.181, 1998).

    Neste mesmo ano, Henry Luce, editor e proprietário de um complexo de comunicações que tinha entre seus títulos as revistas Time, Life e Fortune, convocou os norte-americanos a “aceitar de todo o coração nosso dever e oportunidade, como a nação mais poderosa do mundo, o pleno impacto de nossa influência para objetivos que consideremos convenientes e por meios que julguemos apropriados” (SCHILLER, p.11, 1976). Ele percebeu, com clareza, que a união do poder econômico com o controle da informação seria a questão central para a formação da opinião pública, a nova essência do poder nacional e internacional.

    Evidentemente para que os planos de ocupação econômica pelas corporações americanas fossem alcançados havia uma batalha a ser vencida: Como usurpar a independência de nações que lutaram por seus direitos? Como justificar uma postura imperialista do país que realizou a primeira insurreição anticolonial?

    A resposta a esta pergunta foi dada com rigor pelo historiador Herbert Schiller: “Existe um poderoso sistema de comunicações para assegurar nas áreas penetradas, não uma submissão rancorosa, mas sim uma lealdade de braços abertos, identificando a presença americana com a liberdade – liberdade de comércio, liberdade de palavra e liberdade de empresa. Em suma, a florescente cadeia dominante da economia e das finanças americanas utiliza os meios de comunicação para sua defesa e entrincheiramento onde quer que já esteja instalada e para sua expansão até lugares onde espera tornar-se ativa” (SCHILLER, p.13, 1976).

    Foi exatamente ao que seu setor de comunicações se dedicou. Estava com as costas quentes, já que as agências de publicidade americanas cuidavam das marcas destinadas a substituir as concorrentes europeias arrasadas pela guerra. O setor industrial dos EUA havia alcançado um vertiginoso aumento de 450% em seu lucro líquido no período 1940-1945, turbinado pelos contratos de guerra e subsídios governamentais. Com esta plataforma invadiram a América Latina e o mundo.

    Com o suporte do coordenador de Assuntos Interamericanos (CIIA), Nelson Rockefeller, mais de mil e duzentos donos de jornais latinos recebiam, de forma subsidiada, toneladas de papel de imprensa, transportada por navios americanos. Além disso, milhões de dólares em anúncios publicitários das maiores corporações eram seletivamente distribuídos. É claro que o papel e a publicidade não vinham sozinhos, estavam acompanhados de uma verdadeira enxurrada de matérias, reportagens, entrevistas e releases preparadas pela divisão de imprensa do Departamento de Estado dos EUA.

    A vontade de conquistar as novas “colônias” e ocupar novos territórios como haviam feito no século anterior, no velho oeste, não tinha limites. No Brasil, circulava desde 1942, a revista Seleções (do Reader’s Digest), trazida por Robert Lund, de Nova York. A revista, bem como outras publicações estrangeiras, pagavam os devidos direitos aduaneiros por se tratarem de produtos importados, mas solicitou, e foi atendida pelo procurador da República, Temístocles Cavalcânti, o direito de ser editada e distribuída no Brasil, com o argumento de ser uma revista sem implicações políticas e limitada a publicar conteúdos culturais e científicos. Assim começou a tragédia.

    Logo chegou o grupo Vision Inc., também de Nova York, com as revistas Dirigente Industrial, Dirigente Rural, Dirigente Construtor e muitos outros títulos que vinham repletos de anúncios das corporações industriais. Um fato bastante ilustrativo foi o da revista brasileira Cruzeiro Internacional, concorrente da Life International, que apesar de possuir grande circulação, nunca foi brindada com anúncios, enquanto a concorrente americana anunciava produtos que, muitas vezes, nem sequer estavam à venda no Brasil.

    Ficava claro que os critérios até então estabelecidos para o mercado publicitário, como tempo de circulação efetiva, eficiência de mensagem e comprovação de tiragem, de nada adiantavam. O que estava em jogo era muito maior.

    Um papel importantíssimo na ocupação dos novos mercados foi desempenhado pelas agências de publicidade americanas. McCann-Erickson e J. Warter Thompson eram as principais e tinham seu trabalho coordenado diretamente pelo Departamento de Estado. Para se ter uma ideia a McCann-Erickson , nos anos 60, possuía 70 escritórios e empregava 4619 pessoas, em 37 países, já a J. Warter Thompson tinha 1110 funcionários, somente na sede de Londres. Os Estados Unidos tinham 46 agências atuando no exterior, com 382 filiais. Destas 21 agências em sociedade com britânicos, 20 com alemães ocidentais e 12 com franceses. No Brasil atuavam 15 agências, todas elas com instruções absolutamente claras de quem patrocinar.

    No início dos anos 50, Henry Luce, do grupo Time-Life, já estava luxuosamente instalado em sua nova sede de 70 andares na área mais nobre de Manhattan, negócio imobiliário que fechou com Nelson Rockefeller e seu amigo Adolf Berle, embaixador americano no Brasil na época do primeiro golpe contra o presidente Getúlio Vargas. Luce mantinha fortes relações com os irmãos Cesar e Victor Civita, ítalo-americanos nascidos em Nova Iorque. Cesar foi para a Argentina em 1941 onde montou a Editorial Abril, como representante da companhia Walt Disney, já Victor, em 1950, chega ao Brasil e organiza a Editora Abril. Neste mesmo período seu filho, Roberto Civita, faz um estágio de um ano e meio na revista Time, sob a tutela de Luce e logo retorna para ajudar o pai.

    Poucos anos depois, o mercado editorial brasileiro está plenamente ocupado por centenas de publicações que cantavam em prosa e verso o american way of life. Somente a Abril, financiada amplamente pelas grandes empresas americanas, edita diversas revistas: Claudia, Quatro Rodas, Capricho, Intervalo, Manequim, Transporte Moderno, Máquinas e Metais, Química e Derivados, Contigo, Noiva, Mickey, Pato Donald, Zé Carioca, Almanaque Tio Patinhas, a Bíblia Mais Bela do Mundo, além de diversos livros escolares.

    Em 1957, uma Comissão Parlamentar de Inquérito da Câmara dos Deputados, comprova que “O Estado de São Paulo”, “O Globo” e “Correio da Manhã” foram remunerados pela publicidade estrangeira para moverem campanhas contra a nacionalização do petróleo.

    Em 1962, o grupo Time-Life encontra seu parceiro ideal para entrar de vez no principal ramo das comunicações, a Televisão. A recém-fundada TV Globo, de Roberto Marinho. Era uma estranha sociedade. O capital da Rede Globo era de 600 milhões de cruzeiros, pouco mais de 200 mil dólares, ao câmbio da época. O aporte dado “por empréstimo” pela Time-Life era de seis milhões de dólares e a empresa tinha um capital dez mil vezes maior.

    Como denunciou o deputado João Calmon, presidente da Abert (Associação Brasileira de Empresas de Rádio e Televisão): “Trata-se de uma competição irresistível, porque além de receber oito bilhões de cruzeiros em doze meses, uma média de 700 milhões por mês, a TV Globo recebe do Grupo Time-Life três filmes de longa metragem por dia – por dia, repito… Só um ‘package’, um pacote de três filmes diários durante o ano todo, custa na melhor das hipóteses, dois milhões de dólares” (HERZ, p.220, 2009).

    O Brasil e o mundo estão em efervescência. A tensão é crescente com revoluções vitoriosas na China e em Cuba. A luta pela independência e soberania das nações cresce em todos continentes e os EUA colocam em marcha golpes militares por todo o planeta. A Guerra Fria está em um ponto agudo.

    É nesse quadro que a Comissão de Assuntos Estrangeiros do Congresso dos EUA, em abril de 1964, no relatório “Winning the Cold War. The O.S. Ideological Offensive” define:

    “Por muitos anos os poderes militar e econômico, utilizados separadamente ou em conjunto, serviram de pilares da diplomacia. Atualmente ainda desempenham esta função, mas o recente aumento da influência das massas populares sobre os governos, associado a uma maior consciência por parte dos líderes no que se refere às aspirações do povo, devido às revoluções concomitantes do século XX, criou uma nova dimensão para as operações de política externa. Certos objetivos dessa política podem ser colimados tratando-se diretamente com o povo dos países estrangeiros, em vez de tratar com seus governos. Através do uso de modernos instrumentos e técnicas de comunicação, pode-se hoje em dia atingir grupos numerosos ou influentes nas populações nacionais – para informá-los, influenciar-lhes as atitudes e, às vezes, talvez, até mesmo motivá-los para uma determinada linha de ação. Esses grupos, por sua vez, são capazes de exercer pressões notáveis e até mesmo decisivas sobre seus governos” (SCHILLER, p.23, 1976).

    A ordem estava dada: “informar”, influenciar e motivar. A rede está montada, o financiamento definido.

    O jornalista e grande nacionalista, Genival Rabelo, exatamente nesta hora, denuncia no jornal Tribuna da Imprensa do Rio de Janeiro: “Há, por trás do grupo (Abril), recursos econômicos de que não dispõem as editoras nacionais, porém muito mais importante do que isso está o apoio maciço que a indústria e as agências de publicidade americanas darão ao próximo lançamento do Sr. Victor Civita, a exemplo do que já fizeram com as suas 18 publicações em circulação, bem como as revistas do grupo norte-americano Vision Inc.” (RABELO, p.38, 1966)

    Mas é necessário mais. É preciso enfraquecer, calar e quebrar tudo que seja contrário aos interesses dos monopólios, tudo que possa prejudicar os interesses das corporações. A General Eletric, General Motors, Ford, Standard Oil, DuPont, IBM, Dow Chemical, Monsanto, Motorola, Xerox, Jonhson & Jonhson e seus bancos J. P. Morgan, Citibank, Chase Manhattan precisam estar seguros para praticar sua concorrência desleal, para remeter lucros sem controle, para desnacionalizar as riquezas do país se apossando das reservas minerais.

    Várias são as declarações, nesta época, que deixam claro qual o caminho traçado pelos EUA. Nas palavras de Robert Sarnoff, presidente da RCA – Radio Corporation of America – “a informação se tornará um artigo de primeira necessidade equivalente a energia no mundo econômico e haverá de funcionar como uma forma de moeda no comércio mundial, convertível em bens e serviços em toda parte” (SCHILLER, p.18, 1976). Já a Comissão Federal de Comunicações (FCC), em informe conjunto dos Ministérios do Exterior, Justiça e Defesa, afirmava: “as telecomunicações evoluíram de suporte essencial de nossas atividades internacionais para ser também um instrumento de política externa” (SCHILLER, p.24, 1976).

    É esclarecedor o pensamento do delegado dos Estados Unidos nas Nações Unidas, vice-ministro das Relações Exteriores, George W. Ball, em pronunciamento na Associação Comercial de Nova Iorque:

    “Somente nos últimos vinte anos é que a empresa multinacional conseguiu plenamente seus direitos. Atualmente, os limites entre comércio e indústria nacionais e estrangeiros já não são muito claros em muitas empresas. Poucas coisas de maior esperança para o futuro do que a crescente determinação do empresariado americano de não mais considerar fronteiras nacionais como demarcação do horizonte de sua atividade empresarial” (SCHILLER, p.27, 1976).

    A ação desencadeada pelos interesses externos já havia produzido a falência de muitos órgãos de imprensa nacionais e, por outro lado, despertado a consciência de muitos brasileiros de como os monopólios utilizam seu poder de pressão e de chantagem. Em 1963, o publicitário e jornalista Marcus Pereira afirmava em debate na TV Tupi, em São Paulo: “Em última análise, a questão envolve a velha e romântica tese da liberdade de imprensa, tão velha como a própria imprensa. Acontece que a imprensa precisa sobreviver, e, para isso, depende do anunciante. Quando esse anunciante é anônimo, pequeno e disperso não pode exercer pressão, por razões óbvias. É o caso das seções de ‘classificados’ dos jornais. Mas poucos jornais têm ‘classificados’ em quantidade expressiva. A maioria dos jornais e a totalidade das revistas vivem da publicidade comercial e industrial, dos chamados grandes anunciantes. Acho que posso parar por aqui, porque até para os menos afoitos já adivinharam a conclusão” (RABELO, p.56, 1966).

    Não é difícil perceber o quanto a submissão aos interesses econômicos estrangeiros levou a dita “grande mídia” brasileira a se afastar da nação. A se tornar, ao longo dos anos, em uma peça chave da política do Imperialismo. Em praticamente todos os principais momentos da vida nacional se inclinaram para o golpismo e a traição. Já no primeiro golpe contra Getúlio, depois, contra sua eleição, contra sua posse, contra a criação da Petrobrás, contra a eleição de Juscelino, contra João Goulart, contra as reformas de base, apoiando a Ditadura, apoiando a política econômica de Collor, apoiando Fernando Henrique e suas privatizações, atacando Lula.

    Hoje, ela novamente tem lado: o das concessões de estradas, portos e aeroportos, o dos leilões de privatização do petróleo e da necessidade da elevação das taxas de juros, do controle do déficit público com evidentes restrições aos investimentos governamentais, ou seja, da aceitação de um neoliberalismo tardio.

    Porque atuam desta forma? Genival Rabelo deu a resposta: “Um industrial inteligente desta cidade de São Sebastião do Rio de Janeiro me fez outro dia, esta observação, em forma de desafio: ‘Dou-lhe um doce, se nos últimos cinco anos você pegar uma edição de O Globo que não estampe na primeira página uma notícia qualquer da vida americana, dos feitos americanos, da indústria americana, do desenvolvimento científico americano, das vitórias e bombardeios americanos. A coisa é tão ostensiva que, muita vez, sem ter o que publicar sobre os Estados Unidos na primeira página, estando o espaço reservado para esse fim, o secretário do jornal abre manchete para a volta às aulas na cidade de Tampa, Miami, Los Angeles, Chicago ou Nova Iorque. Você não encontra a volta às aulas em Paris, Nice, Marselha, ou outra cidade qualquer da França, na primeira pagina de O Globo, porque, de fato, isso não interessa a ninguém. Logo, não pode deixar de haver dólar por trás de tudo isso…’ Outro amigo presente, no momento, e sendo homem de publicidade concluiu, deslumbrado com seu próprio achado: ‘É por isso que O Globo não aceita anúncio para a primeira página. Ela já está vendida. É isso. É isso!’. ‘E muito bem vendida, meu caro – arrematou o industrial – A peso de ouro’ ” (RABELO, p.258, 1966).

    (*) Delegado à Conferência Nacional de Comunicação, Secretário Municipal de Comunicação em São Carlos entre 2007 e 2012 e membro do Partido Pátria Livre.

    Referências:

    COLBY, G; DENNETT, C. Seja feita a vossa vontade: a conquista da Amazônia, Nelson Rockefeller e o evangelismo na idade do Petróleo. Tradução: Jamari França. Rio de Janeiro: Record, 1998.

    HERZ, D. A história secreta da Rede Globo. Porto Alegre: Dom Quixote, 2009. Coleção Poder, Mídia e Direitos Humanos.

    RABELO, G. O Capital Estrangeiro na Imprensa Brasileira. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1966.

    SCHILLER, H. I. O Império norte-americano das comunicações. Tradução: Tereza Lúcia Halliday Petrópolis: Vozes, 1976.

    http://www.cartamaior.com.br/templates/materiaMostrar.cfm?materia_id=22201

  129. Otto said

    Ops, onde se lê “divide” leia-se “defende” acima.

  130. Otto said

    DILMA É VAIADA PELOS MIAMIPLAYBOYS DE BRASÍLIA

    DAVIS SENA FILHO
    17 DE JUNHO DE 2013 ÀS 06:46

    Os barões da imprensa de mercado sabem e os jornalistas que formulam as suas manchetes e opinam em seus espaços compreendem muito bem, apesar da proposital manipulação e dissimulação, o que aconteceu, de fato, no belíssimo e magnífico Estádio Nacional de Brasília, quando o presidente da Fifa, Joseph Blatter, foi anunciado pelos alto-falantes para dar início à cerimônia de abertura dos jogos da Copa das Confederações e foi vaiado, por um público em festa, e, portanto, irreverente e açodadamente mal-educado.

    Enquanto vaiado, Blatter reclamou e pediu “fair play” à torcida, que, evidentemente, não o atendeu, bem como não representa a maioria do povo brasileiro, até porque as quase 70 mil pessoas presentes ao estádio pagaram pelos ingressos, em média, R$ 280,00, sendo que os assentos mais caros foram vendidos por R$ 800,00. Preços, como se percebe, altamente “salgados”.

    Além do mais, cerca de dez mil torcedores foram agraciados com entradas gratuitas concedidas pelos patrocinadores do evento esportivo, que adquiriram os ingressos junto à Fifa, o que significa que a maioria do público do jogo Brasil e Japão era composta por pessoas da classe média tradicional e da classe média alta, sendo que muitos deles convidados VIP e acostumados a viver nas altas rodas sociais.

    O que se esperar de uma torcida com esse perfil, que admira o Brasil em jogos de futebol, veste a camisa amarela, canta o hino com a mão no peito, pinta o rosto com as cores amarela e verde ao tempo em que, no seu dia a dia, ou seja, na sua rotina detesta o Brasil, despreza o povo pobre, trata mal seus empregados e os cidadãos mais humildes, pois considerados por essa gente sub-raças, mestiços e que insistem em não ficar “no seu lugar”.

    Quero dizer com isso, obviamente, que a torcida que esteve presente no espetacular Estádio Nacional de Brasília não reflete o povo brasileiro, que aprova o Governo Dilma Rousseff e que não participou do rega-bofe destinado, naquele momento, a uma torcida conservadora, reacionária, branca, e que, seguramente, foi contrária à Copa do Mundo no Brasil e à construção dos estádios.

    A presidenta trabalhista Dilma Rousseff ou o ministro dos Esportes, Aldo Rebelo, deveriam ter combinado com o governador petista Agnelo Queiroz e seus secretários, com a participação dos promotores do evento de futebol, a viabilização de conceder ingressos ou vendê-los a preços populares à população mais pobre, porque o que percebi é que o público que se divertiu no Estádio Nacional de Brasília era majoritariamente branco, bem nutrido e disposto a vaiar os responsáveis por trazer eventos grandiosos, lucrativos, midiáticos e que, sem sombra de dúvida, colocam o Brasil em um patamar igual aos dos países considerados desenvolvidos.

    Não se pode esperar nada de uma classe média branca, titular de bons empregos e salários e que tem em sua memória genética a escravidão e tudo o que é desumano que deriva dela. Esperar uma atitude assertiva e de compreensão das mudanças que estão a acontecer no Brasil nos últimos 11 anos, por parte de tal classe, é como acreditar que algum dia a imprensa corporativa e seus áulicos vão deixar o País crescer em paz. Um país que busca conquistar sua total independência, por intermédio de projetos e ações de um governo trabalhista que tirou o País da estagnação econômica, do desemprego e livrou o povo brasileiro de seu incômodo complexo de vira-lata. Uma verdadeira revolução silenciosa, a respeitar o estado democrático de direito.

    Temos uma classe média que em pleno século XXI, diferentemente dos povos dos países considerados desenvolvidos, que ainda tem em suas casas empregadas domésticas tratadas como “animais” de estimação, como observei no Norte, no Nordeste e no Centro-Oeste, sendo que no Sul e no Sudeste o maltratar é disfarçado, porque a fiscalização do estado é presente, bem como os empregados têm mais consciência de seus direitos trabalhistas, talvez por morarem em regiões mais desenvolvidas.

    A vaia foi dada por uma classe média reacionária, que habita os melhores lugares de Brasília, a exemplo do Plano Piloto. Lagos Sul e Norte, Águas Claras, Taguatinga e condomínios privados, que existem às centenas ou, quiçá, aos milhares. A classe média de Brasília, para quem não sabe, é uma das mais privilegiadas do Brasil, ocupa cargos bem remunerados na iniciativa privada e no setor público, por intermédio de concurso, além de ser titular de cargos de relevância, com salários altos, bem como tem o poder de deliberar, conforme o cargo que ocupa.

    Eis que esta classe, consumidora de revistas como a Veja e a Época, de jornais como o Estadão, a Folha e O Globo e telespectadora de jornais televisivos, como os da Globo News, além de evidentemente do Jornal Nacional, resolve vaiar a mandatária que trabalhou pela realização da Copa e que, juntamente com o ex-presidente Lula, é responsável pelo Brasil ser respeitado no mundo como nunca foi, além de o País experimentar um ciclo econômico virtuoso, que está classe média despolitizada, rancorosa e preconceituosa nunca vivenciou em toda a sua existência.

    Por seu turno, tal classe recalcitrante no que tange a ser negativa, sempre foi beneficiada pelos governos trabalhistas, no que concerne à sua vida melhorar, pois teve facilitado o seu acesso ao consumo, aos empréstimos bancários, à compra de carros, de casas e apartamentos, bem como passou a viajar mais e a comprar como nunca comprou produtos de informática, eletroeletrônicos, da linha branca, além de ter o acesso facilitado para comprar automóveis e viajar de avião e navio, a trabalho ou simplesmente a fazer turismo.

    E sabe por que a classe média, inquestionavelmente, melhorou de vida? Porque o Brasil vive uma época de pleno emprego e as classes média tradicional e alta estão também empregadas, como nunca estiveram, porque no tempo do ex-presidente que vendeu o Brasil, Fernando Henrique Cardoso, o Neoliberal I, essa classe reacionária e que acha que o mundo se resume a Miami e Orlando, ficava à mercê da boa vontade do governo tucano, que no máximo lhe doava migalhas, no que diz respeito ao seu desenvolvimento social, à sua autoestima e até mesmo ao seu direito de estudar. Era uma dura lida, só para dar um único exemplo, conseguir uma bolsa para estudar no exterior.

    No decorrer do Governo Lula e agora com o intermédio do Governo Dilma, a classe média e média alta passaram também a ter facilitado o acesso para entrar na faculdade, fazer cursos técnicos, cursos complementares e estudar no exterior, aos milhares de indivíduos. Se alguém duvidar, que tenha o trabalho de pesquisar nos portais do Ministério da Educação e das universidades públicas federais, e, consequentemente, levar um choque de realidade e de verdade sistematicamente sonegadas pela imprensa corporativa e alienígena, para talvez assim passar a questionar o que ouve, vê e lê, além de parar de acreditar piamente em tudo o que diz a imprensa colonizada e de negócios privados, inimiga do Brasil e golpista por tradição histórica.

    A verdade é que vaia de playboy não vale. Conheço muito bem os miamiplayboys de Brasília, que nunca passaram trabalho na vida, bem como conheço os do Rio de Janeiro e de muitas outras capitais e estados brasileiros. Chega a ser ridículo ver aquelas pessoas brancas, bem alimentadas, donas de bons empregos, carros e moradias, com dinheiro no bolso a vaiar a presidenta trabalhista, porque tais “patricinhas” e “mauricinhos” têm em seus DNA o germe da escravidão, mesmo sem saber ou ter noção do que é o passado real deste País.

    Por instinto e, evidentemente, por serem politicamente conservadores, vaiam tudo aquilo e todos aqueles que representem mudanças, mesmo se os novos tempos não os prejudiquem. A verdade é que existe uma grande parte da classe média que odeia ver e perceber a ascensão da classe pobre, no que tange a ter acesso ao consumo e às coisas boas da vida, como, por exemplo, ocupar as cadeiras dos restaurantes, os bancos das universidades públicas ou os saguões dos aeroportos à espera de viajar de avião.

    Aliás, o fato de o pobre viajar de avião me leva a relembrar uma das socialites deste País — a senhora Danuza Leão. A “dama” e colunista demitida recentemente da Folha de S. Paulo retratou, indelevelmente e fidedignamente, o preconceito que viceja nas almas de alguns seres presunçosos e por isto ignorantes. Danuza disse certa vez que ir a Paris e a Nova Iorque não tinha mais graça, porque ela poderia encontrar o porteiro do seu prédio nas ruas das duas cidades. Não há nada mais brega e babaca do que as palavras de uma das representantes da nossa colonizada, subserviente e moralmente decadente “elite”. Ponto.

    A verdade é que a vaia a Dilma não traduz, de forma alguma, uma possível insatisfação do povo com a mandatária, uma das responsáveis, volto a afirmar, pelo visível e concreto desenvolvimento do Brasil nos últimos 11 anos, queiram ou não queiram os pessimistas, os intolerantes, os fracassomaníacos e os mentirosos. O Brasil vai seguir o seu destino, que é tão grande quanto o seu tamanho geográfico, pois País influente no mundo, de economia e moeda fortes e que tem um povo trabalhador, que é a melhor coisa do Brasil, porque é um luxo, enquanto a “elite” é retrógada, reacionária, subserviente aos desmandos do establishment, além de traidora, entreguista, colonizada, e, por fim, gigolô do povo brasileiro.

    Os estádios espetaculares brasileiros, para o desgosto dos que detestam o Brasil, têm de ter ingressos populares, com preços baixos. O futebol sempre foi popular e os estádios sempre foram ocupados pelo povo. Nessas rodadas já iniciadas, ver cidadãos negros nos estádios é como procurar agulha no palheiro. Os governos e as prefeituras têm a obrigação de observar com responsabilidade essa importante questão social. Já assisti a três jogos pela televisão e verifiquei, quando as câmeras mostram as arquibancadas, que a presença de negros é um número irrelevante.

    Além disso, muitos podem pensar: “Nem todos da classe média vão a Miami ou são colonizados ou detestam o Brasil”. Contradigo: É verdade. Porém, grande parte das diferentes classes médias pensa e age de forma arrogante, mesmo a parte que não tem tanto dinheiro, mas que é igualmente portadora dos princípios e dos valores dos ricos que detestam o Brasil. Ser e proceder dessa maneira é também uma questão ideológica, porque as ideologias ainda existem, e, por conseguinte, diferentemente do que apregoam os direitistas e os fundamentalistas do mercado, a fim de se darem bem, não acabaram. O Brasil se tornou, definitivamente, um dos países protagonistas de grandes eventos mundiais.

    Alô! Alô!, lorpas e pascácios: vaias de miamiplayboys não vale! Torcer pela Seleção agora e a vida inteira contra o desenvolvimento do País e a emancipação do povo brasileiro também não vale. Nacionalismo mequetrefe e alienado não dá para aturar. E viva o Brasil! É isso aí.

    http://www.brasil247.com/pt/247/poder/105538/Dilma-%C3%A9-vaiada-pelos-miamiplayboys-de-Bras%C3%ADlia.htm

  131. Edu said

    Otto,

    Eu defendo a liberdade econômica, defendo o Estado adequado (bastante diferente do Estado mínimo), e nunca defendi os EUA. Defendi a Inglaterra por reconhecer que o Estado não pode ser grande demais, e defendo a Alemanha por manter as contas públicas ajustadas. Os EUA, como qualquer outro país, tem suas vantagens e suas desvantagens, temos que olhar para o que funciona e podemos tentar imitar, bem como temos que olhar para o que não funciona e podemos tentar evitar.

    Assim que tiver um tempo lerei o texto.

    Esses dias peguei um muito interessante de economia no Valor, que defendia o endividamento estatal e o monetarismo. Achei bastante interessante, não significa que eu concorde.

    Para mim política, economia e gestão empresarial tem problemas estruturais de expectativas entre os seus diversos stakeholders. Algo que sempre defendi aqui foi a transparência: quanto mais efetivos forem os mecanismos de prestação de contas e transparência dos responsáveis, mais os stakeholders estarão contemplados nos planos de cada uma dessas esferas, e mais os mesmos se sentirão beneficiados. Isso sem revolução, sem retrocesso, apenas com ajustes.

    Sonho por sonho, eu sonho com isso. Infelizmente o mundo ando muito longe dessa visão. Hoje o máximo que vemos são empresas cada vez mais transparentes, justamente com o objetivo de manter os stakeholders fiéias a elas. Quem sabe a moda pega, né?

  132. Pedro said

    Patriarca #117, seja lá quem for este Tarso, ele escreveu um monte de babaquices.

    As pessoas vaiaram a Dilma por “n” motivos:
    – Eu vaiaria pelo enrolação na duplicação do BR 101. Prometeram terminar em 2008, depois 2010 e agora a previsão é 2017. Liberaram pedágio sem que a concessionaria terminasse a obra ou sequer tenha começado o contorno que está estipulado no contrato do proprio pedágio. Pra encurtar a historia ficamos por aqui.
    – Outros vaiariam por estarem cheios deste tipo de coisa:

    http://cangarubim.blogspot.com.br/2013/06/funcionario-desvia-r-116-milhoes-do.html

    E mais uma centena de motivos deste gênero que o Pax vem elencando neste blog.
    – Outros vaiariam pela politica econômica.
    – Outros vaiariam pelos 39 ministérios e seus desempenhos medíocres.
    – Outros vaiariam pela obras de infraestrutura que são uma lástima.
    – Outros vaiariam só de molecagem comum em estádios de futebol.
    – Etc, etc, etc.

    Oras bolas, é tão difícil aceitar que nem todos estão contentes e não aceitam ser povo gado.
    ……….

    Outra babaquice é esta generalização da classe média. Como se fossem um bando de imbecis que adoram sertanejo universitário, que tem este padrão de vida, porque herdaram do papai e não gostam de pobre. Repito, é uma generalização calhorda.

    Pobre vcs não são, são milionários?
    Vcs não são classe média?

  133. Edu said

    Otto,

    Quanto preconceito em um só texto, cara…

    A galera da classe média está se juntando à revolução é é assim que vcs agradecem?

    hahahaha

  134. Edu said

    Inclusive,

    Se eu fosse da esquerda, prestaria muita atenção ao que o PHA está falando!

    http://www.conversaafiada.com.br/brasil/2013/06/17/insatisfacao-a-dilma-nao-pode-se-trancar/

    Vejam só:

    “O Governo tem estar disposto a dialogar sobre hoje e o futuro.

    A questão urbana deve estar no centro dessa agenda.

    A questão da Violência, pelo amor de Deus !

    Isso é central !

    E o Ministro da Justiça do Governo do PT não combate.

    Os programas que ele lançou são enfeite, de “griffe”.

    A questão da insegurança não é só do Alckmin.

    Se a Dilma não fizer nada, com esse ministro invisível, a Insegurança desaba no colo dela, ano que vem.

    O PAC basta para combater a violência.”

    Pois é… o PAC, onde está o PAC?

    Como eu dizia: era o único objetivo do governo Dilma. Implementar o PAC.

    Será que a mãe do PAC está sofrendo um aborto?

  135. Edu said

    Lembram-se do que eu dizia sobre a economia?

    Segundo o governo, tudo está sob controle. Mas o próprio texto deixa bastante claro as dificuldades que a Dilma e o Malabarista terão pela frente.

    Bom, esse texto é um resumo bastante interessante:

    http://www.valor.com.br/financas/3163300/brasil-vive-forte-crise-de-confianca-acredita-governo

    Dá pra olhar, basta cadastrar-se no Valor. Não precisa ser assinante.

    Alguns trechos:

    O IOF como estratégia de rebalancear o balanço de pagamentos:

    “O governo reconhece que o Brasil é vítima, neste momento, de uma forte crise de confiança…
    … A mudança do IOF não mudou a tendência de desvalorização do real frente ao dólar. Na quarta-feira passada, o governo retirou também o IOF sobre operações de derivativo cambial.A alteração trouxe alívio momentâneo na quinta-feira, mas no dia seguinte o real voltou a desvalorizar-se.”

    A desconfiança gerada pela falta de cumprimento de palavra do Malabarista:

    “Mantega e Augustin se desgastaram depois da chamada “contabilidade criativa”, uma série de artimanhas contábeis usadas no apagar das luzes de 2012 para cumprir a meta de superávit primário.”

    A flexibilização do superávit primário:

    “Em seus documentos, a instituição informa sempre que conta com o cumprimento da meta cheia de superávit – o equivalente a 3,1% do PIB. Há, contudo, um atenuante: como a legislação permite desconto de investimentos, desde que a meta não caia abaixo de 1,8% do PIB, é com esse número que a autoridade monetária trabalha em seus modelos….

    … Desde então, é difícil encontrar alguém que acredite nos números fiscais.”

    E a última fonte de preocupação: os EUA. O Ben Bernanke já disse que está enxergando um fim para o estímulo da economia, e isso causa uma elevação das taxas de juros de longo prazo no mercado, favorecendo a saída dos investimentos do Brasil para outros países.

    Hoje, by the way, vemos o fechamento em forte alta das bolsas européias.

    “O governo diz que, apesar das sinalizações recentes, ainda há três perguntas sem resposta: se o Fed vai mesmo reduzir a compra mensal de ativos; quando vai fazer isso; e em que intensidade (quanto).”

    A verdade é que enquanto o governo espera, o mercado atua…. e essas atuações não têm sido favoráveis ao Brasil.

  136. Edu said

    E para completar, segue um texto interessante do Luciano Coutinho, presidente do BNDES.

    http://www.valor.com.br/brasil/3163824/conjuntura-global-pressiona-cambio-e-inflacao-na-al-diz-coutinho

    “O cenário prospectivo da América Latina não é tão fácil como foi nos últimos dez anos, período em que houve uma situação de comércio favorável, com preços de commodities em alta e com expansão das exportações, o que criou uma situação confortável do ponto de vista do balanço de pagamentos, com acumulação de reservas fortes na maior parte das economias. Há pressão sobre câmbio, taxa de inflação e finanças públicas de nossas economias.”

    Entendam: esses 10 anos de alta de commodities foi o que garantiu o desenvolvimento do Brasil na era Lula. E é isso que a Dilma não tem hoje. Portanto, ao tentar repetir o que o Lula fez, a Dilma está jogando o país em uma situação econômica delicada.

    E ele segue falando o que eu já dizia, no início do governo Dilma: INFRAESTRUTURA. A única coisa que a Dilma deveria ter feito era ter cuidado da INFRAESTRUTURA.

    “De acordo com Coutinho, essas pressões vão requerer nova estratégia de desenvolvimento para a América Latina, com necessidade de mais investimentos, especialmente em infraestrutura, ciência, tecnologia e inovação.”

    Segundo o próprio, a inovação é ponto central do desenvolvimento da economia.

    Eu ainda não vi resultado dessa política. Alguém aí viu?

  137. Otto said

    Edu, uma coisa é a classe média que está nas ruas — outra muito diferente é a classe mérdia que foi ao Mané Garrincha. Quem quer portestar contra a copa não vai ao estádio. Aquilo tem cara de claque, como no Maracanã em 2007, no Pã. Depois se soube que foi o Maia que organizou…

  138. You can't fix stupidity! said

    Vamos esperar que não haja violência para não estragar a manifestação (em todo o Brasil) contra o status quo – governo do PT.

    A “Era dos Migué” tem que chegar ao fim.

  139. Edu said

    Otto,

    Eu acho que diferencio classe social de uma maneira distinta da sua.

    Classe social, para mim significa meramente uma situação financeira e transitória, e por isso, todas as pessoas podem ter os mesmos anseios e frustrações, independentemente da classe social.

    Em outras palavras, para tentar evitar interpretações erradas: preocupação com a educação não é exclusiva da classe social mais baixa, assim como preocupação com a viagem das férias não é exclusiva da classe social mais alta.

    A insatisfação com o governo não deriva de uma classe social, mas de uma situação política, daí que qualquer um, de qualquer classe social, na minha modesta percepção, pode estar insatisfeito com o governo. Inclusive pelos mesmos motivos.

  140. Jose Mario HRP said

    A molecada ameaçando o palacio do fascista!
    Se houver mortes não estranhe!

  141. Jose Mario HRP said

    Tropa de choque em ação, pois o povo chega próximo ao palácio do canalha xuxu!
    Lulalá!
    Destronar o canalha xuxu!

  142. You can't fix stupidity! said

    Alegria de palahaço é ver o circo pegar fogo

    e eu como palhaça, desde criancinha, estou adorando ver o circo pegar fogo.
    Parece que o Brasil ainda tem jeito.

    Só os petralhas não querem ver rsrsrs
    mas o que está se discutindo nas ruas através das gigantescas passeatas, nas maiores cidades brasileiras ( inclusive algumas governadas pelo PT) , é a má qualidade de vida proprcionado por 10 anos do PT no poder..

    Só falta gritar bFORA DILMA! . OUROBORUS !

  143. You can't fix stupidity! said

    Petralha é foda!

    O palácio que está cercado é em Brasilia. Xuxu não mora lá!

    quem mora lá é a Dilma, os 40 ministérios, o Renan e o Henrique Eduardo Alves.

    hehehe eles tem um cristal diferente pra enxergar….KKKKKK

  144. Jose Mario HRP said

    O palacio do xuxu é uma fortaleza, o planalt,o do povo, e os fascistas comemoram!
    E o Pax sabe quem é esse povo fascista!

  145. You can't fix stupidity! said

    ôô Pax o hrpman precisa de sua ajuda! KKKKKKK

    Tá desesperado….

  146. You can't fix stupidity! said

    Pax

    hehehe! até onde vai a burrice.
    parece que o hrpman imagina que vc tem um database com dados completos sobre os “fascistasa”no Brasil.

    data base é coisa de fascista..né não?

    KKKKKK!

  147. Jose Mario HRP said

    No Rio a meganha começou a bater, e aí, o cara goza…………………….
    Hipo/ pótamo!

  148. You can't fix stupidity! said

    Gozou???

    Então vá lavar as maõs e não enxugue o pintinho na cortina. hein!

    KKKKKK!

  149. You can't fix stupidity! said

    E aí a gorda Dilma, a maria antonieta do PT, assessorada por Lula XIV e João Santana:

    -Não tem pão (= saude, educação, descontrole da inflação, infraestrutura apoderecida) no Brasil, mas vamos providenciar o brioche (= a copa e seus estádios de 4,6 bilhões)… com a população vaiando a incompetenta maria antonieta.Contra aumento de preços

    Deu errado! hrpman e totó andam estressados.Inventam mentiras ufanistas e agressões veladas…A culpa é de são Paulo – cidadela inconquistavel tucana.
    Paulistanos não são burros.Haddad é omisso. Está claro!
    velhinhas do Restelo/PT? ou de Taubaté ????
    rsrsrs

    KKKKKKKK!

  150. Otto said

    Edu, sobre os protestos em Brasília (sábado):

    http://g1.globo.com/distrito-federal/noticia/2013/06/policia-investiga-financiamento-de-r-30-mil-para-manifestacao-no-df.html

  151. Otto said

    Michele #143

    Grupo derruba portão e tenta invadir a sede do governo de SP

    http://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/2013/06/1296831-grupo-derruba-portao-e-tenta-invadir-a-sede-do-governo-de-sp.shtml

    Vamos ter refogado de xuxu amanhã…

  152. Otto said

    A direita (leia-se Michelle et caterva) quer instrumentalizar o movimento.

    Mas não vai dar certo.

    A moçada é esperta.

    O Brasil real não passa na tela da Globo.

    O QUE QUEREMOS?

    Por Paulo Motoryn, colaborador da Revista Vaidapé, estudante de Jornalismo pela Pontifícia Universidade Católica (PUC-SP) e Ciências Sociais pela Universidade de São Paulo (USP).

    Desde o ato da última quinta-feira contra o aumento da passagem do transporte público em São Paulo, em que a violência e a repressão policial viraram notícia em todo o planeta, mais uma ameaça ronda o sucesso das manifestações organizadas pelo Movimento Passe Livre: a instrumentalização do povo.

    A evidente mudança de postura da imprensa em relação aos protestos deve ser motivo de desconfiança, não de festa. Isso porque nos últimos dias, imperou o comentário: “Agora até a grande mídia defende as manifestações”. Como se isso fosse algo positivo.

    Por um lado, a máxima “não é só pelos 20 centavos” conseguiu convencer diversos setores da população a ir às ruas, por outro, abriu uma questão polêmica: se o aumento da passagem foi só o estopim, o que mais nos incomoda? Quais são os reais motivos do fim da letargia política em São Paulo?

    É fato, o reajuste do preço transporte só provocou a revolta necessária para que o paulistano percebesse o óbvio: política se faz nas ruas. No entanto, a recusa ao modelo de sociedade atual tem de ser deixada clara. Isso porque os perigos da apropriação do movimento são reais.

    Na sua última edição, Veja contrariou sua linha editorial e se posicionou a favor das manifestações. Quando um veículo que representa o que há de mais reacionário na sociedade apoia movimentos sociais, há no mínimo um ponto de extrema relevância para refletir.

    Mas as páginas de Veja só revelam a nova postura dos veículos da imprensa dominante: já que não podem mais controlar ou evitar a multidão, manipulam seus objetivos. De acordo com a revista, o descontentamento dos manifestantes se deve também à corrupção, à criminalidade… Falácia.

    É evidente que essas questões também são importantes, mas os jovens que estão nas ruas estão preocupados com questões muito mais profundas. A juventude está mostrando que não quer compartilhar dos valores individualistas, consumistas e utilitaristas da geração de seus pais.

    O grito dos jovens está longe de bradar contra os “mensaleiros”, contra a inflação, contra as políticas sociais de transferência de renda. O movimento é progressista por natureza e agora tem de saber lidar com uma ameaça feroz: a direitizacão.

    O aparelho midiático que serve a esses interesses já foi acionado. A grande imprensa já está mobilizada para maquiar o movimento de acordo com um ideário conservador, por isso o povo precisa fazer seu recado ser entendido. Sob hipótese nenhuma podemos nos alinhar aos Datenas, Jabores e Pondés.

    O que queremos é derrubar as barreiras entre ricos e pobres, quebrar os muros entre centro e periferia, consolidar o povo como um ator político de importância ímpar e lutar por um Brasil com justiça social, sem desigualdade e com oportunidades iguais para todos e todas. Nada mais. E nada menos.

    Vamos à luta!

    http://revistavaidape.wordpress.com/2013/06/17/o-que-queremos/

  153. Edu said

    Hahahahaha

    Otto,

    Quem tem medo do lobo mau?

    Agora eu acho que esse povo (no sentido amplo da palavra) está se manifestando “direitinho”!

  154. Jose Mario HRP said

    http://pmdb.org.br/

    Dominado pelo ANONYMOUS!
    Bagunçaram com bagaça!

  155. Jose Mario HRP said

    Nem a policia civil ,( quando fez greve!,) conseguiu tamanho feito como o dessa molecada paulista que detonaram um portão do palácio dos Bandeirantes!
    Parabens a eles por mostrarem ao picolé de chuchu que ele não está seguro para implementar suas politicas totalitárias e fascistas!
    A Globo repete mil vezes “65 mil manifestantes” mas aquela multidão como polvo multiforme não tinha menos do que 500 ou 600 mil pessoas por toda a cidade!

  156. Zbigniew said

    Os reacionários estão de cabelo em pé. É assim mesmo.
    O governo perdeu a batalha pela comunicação. Definitivamente não é a praia da Dilma.
    O Brasil estava precisando de movimentos como esses. Já não dava mais pra ficar na inércia e no imobilismo.
    Os excessos devem ser combatidos. Agora mesmo o Bom(?) Dia Brasil está explorando o que os radicais fizeram na Alerj (se bem que muitos representantes daquela casa merecem o desprezo e o ódio da população).
    Enfim Dilma e o PT se acovardaram, se apequenaram, e estão aí, sempre na defensiva, a reboque da ´pauta da velha mídia. Que o diga o Azenha.

    “(…)
    A presidente Dilma aparentemente não gosta de usar o púlpito para fazer política, ou seja, para contestar as versões sobre os fatos apresentadas como verdades absolutas pela mídia (como o apagão elétrico que, afinal, nunca aconteceu), para defender suas próprias ideias e influir na pauta de debates.

    Com isso, perante a opinião pública, está sempre na defensiva. Ainda que o apagão tenha, afinal, se mostrado uma ficção midiática, a nova dinâmica das redes sociais disseminou fortemente a impressão de um governo acuado, sem respostas, vacilante — com implicações para a imagem de Dilma que podem ter tido algum impacto inclusive nas pesquisas de opinião.

    Ossificado, o PT parece não ter entendido até agora a importância da batalha da comunicação. Em desvantagem nos espaços da grande mídia, o partido já deveria ter desenvolvido uma estrutura para produzir e disseminar conteúdos nas redes sociais.

    Falo de discursos, notas oficiais e posicionamentos individuais dos parlamentares do PT, partido que dispõe ainda de um amplo corpo de técnicos e intelectuais que poderiam influir nos debates nacionais e se contrapor à pauta proposta pelas grandes redações.
    (…)”

    http://www.viomundo.com.br/opiniao-do-blog/governo-dilma-nao-e-apenas-um-problema-de-comunicacao.html

  157. Pedro said

    Eu gostei do texto do Josias:

    “É linda a revolta que nasceu de um reajuste de R$ 0,20 nas passagens de ônibus e resultou em 250 mil brasileiros fazendo barulho nas ruas. A beleza está na ausência do grande líder por trás do movimento. Atônitos, os políticos vivem a psicose do que ainda está por vir. Descobriram um inédito sentimento de vulnerabilidade. Sem exceção, viraram todos alvos do imponderável.

    Políticos vivem atrás de uma teoria unificadora. Nas últimas horas, todos tentaram de tudo para chegar à explicação absoluta. Mas tudo não quis nada com os teóricos. Em 1992, Fernando Collor estava por trás da ira coletiva. Agora, nenhum político sente-se à vontade para atirar pedras em outro. Se o asfalto informa alguma coisa é que, para a turba, todos têm telhado, porta, janela, paletó e gravata de vidro.”

    O aviso foi dado. É bom a politicanalhada começar a rever as roubalheiras.
    É bom que entendam, grande parte da população está descontente com a situação em geral.

  158. Zbigniew said

    Os textos brotam aos borbotões.
    Esse aqui é muito bom também.

    “Por que tantos jovens aderiram à campanha contra o aumento de tarifas de ônibus e não às manifestações convocadas, com o apoio maciço da mídia, contra a corrupção e os réus do mensalão? A resposta é simples: porque esse é um protesto de esquerda, com reivindicações caras à esquerda. A direita não está nem aí para o aumento das tarifas do transporte público, até porque ela anda de SUV. “São só 20 centavos”, foi a reação mais comum que vi deles nas redes sociais. Condenaram o movimento desde a primeira hora, e vão condenar ainda mais daqui para a frente, porque, em minha opinião, o aumento da tarifa em São Paulo foi apenas o detonador de uma insatisfação crescente nos últimos anos e que agora parece prestes a explodir. E que diz respeito não à direita, mas ao PT.
    É uma indignação já antiga, que começou a brotar quando o PT chegou ao poder, em 2002, e passou a substituir o verbo “lutar” de suas origens por “acochambrar” –em nome da tal governabilidade, uma palavra cada vez mais suja. Em 2010, a esquerda brasileira se uniu em torno de Dilma Rousseff porque não queria que chegasse ao poder a corja de fundamentalistas que apoiava o outro candidato. Mas, para nosso espanto e asco, eles estão hoje do lado do PT, influindo nos destinos da Nação. Pior ainda, junto com os ruralistas que sempre abominamos. Imaginem, quando poderíamos pensar que a direita ficaria feliz com o PT no poder, e a esquerda, contrariada? Parece um pesadelo.
    No poder, o PT abandonou praticamente todas suas bandeiras históricas –a única que se mantém verdadeiramente de pé é a diminuição da pobreza, da desigualdade social e étnica. Todos aplaudimos as conquistas inegáveis neste setor. Mas a gente não quer só comida, lembram? Queremos todas as outras bandeiras de volta, também. Abandoná-las tem um custo eleitoral e, se o partido não resolver fazer algo a respeito, a fatura será cobrada em 2014.
    As bandeiras que o PT abandonou:
    – A moralidade. Não importa que seja caixa 2 ou outra coisa, o mensalão representou uma mancha num partido que se construiu em cima de um discurso ético e não para fazer “o que os outros também fazem”. Não houve mea culpa por parte do PT até hoje, e nem sequer uma reflexão conjunta sobre o ocorrido, apenas críticas à mídia e ao Supremo.
    – Os direitos humanos. Este ano, o PT, ao optar pela presidência de outras comissões “mais importantes”, deixou de estar à frente de uma comissão que tradicionalmente sempre prezou, a Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara. Isso deu espaço para que se instalasse na presidência da Comissão, para horror da sociedade civilizada, um pastor fundamentalista com histórico de homofobia e racismo, Marco Feliciano. Esta semana, diante da selvageria da PM nas manifestações de quarta-feira em São Paulo, o governo federal, em vez de denunciar a violência policial, fazendo jus à história do PT, ofereceu “ajuda” a Geraldo Alckmin, do PSDB, contra um protesto de jovens. O prefeito petista da capital, Fernando Haddad, em lugar de se portar ao lado dos manifestantes como seria digno de um membro do partido que tem greves no DNA, se colocou ao lado do governador tucano e da truculenta polícia.
    – A reforma agrária. Dilma Rousseff conseguiu ser pior que o governo neoliberal de Fernando Henrique Cardoso em famílias assentadas: apenas 21,9 mil, o menor número desde 1995. São dados do MST (Movimento dos Sem-Terra), velho parceiro de lutas do PT, não do “PIG”. É o MST quem diz que o governo de Dilma é um dos piores nos últimos 20 anos em desapropriação de terras para assentamentos. Não é à toa que a líder ruralista e senadora Kátia Abreu chegou a declarar que se sente próxima à presidenta “pela concordância de ideias” e por sua “compreensão da agropecuária brasileira”. Por favor, respondam: quem, na esquerda, votou no PT esperando ver uma ruralista contente?
    – Os direitos LGBTs. A bandeira da diversidade, tão cara ao PT desde os seus princípios, inexiste hoje em dia no partido, que cedeu inteiramente à pressão dos pastores evangélicos. Os petistas se encontram tão reféns do fundamentalismo em nome da “realpolitik” –surrealpolitik, melhor dizendo–, que o ministro da Saúde telefonou ao pastor-deputado Marco Feliciano antes de decidir suspender uma campanha pelo uso de camisinhas entre prostitutas. E quem vai esquecer que o governo Dilma voltou atrás em lançar uma campanha anti-homofobia nas escolas só para atender ao obscurantismo dos políticos evangélicos? O apego ao poder deixou o valente PT medroso.
    – Os índios. Dilma Rousseff, ao contrário de seus antecessores, nunca recebeu no Palácio do Planalto as lideranças indígenas. Só recentemente, após um índio ser morto pela Polícia Federal no Mato Grosso do Sul é que o secretário-geral da presidência, Gilberto Carvalho, recebeu lideranças (em um anexo do Palácio) e admitiu erros na condução da política indígena e na discussão em torno da usina de Belo Monte. A presidente Dilma é, até agora, a governante que menos concedeu terras a índios desde o governo FHC. Enquanto isso, no Mato Grosso do Sul, prosseguem os conflitos: na segunda-feira 12 outro índio foi morto em uma emboscada. É ou não é para um cidadão de esquerda ficar indignado?
    – Transporte público barato e de qualidade. Sim, o PT já acreditou nisso. Quando Luiza Erundina se tornou a primeira mulher prefeita de São Paulo, em 1988, o partido defendia a mesma tarifa zero que os meninos do MPL (Movimento Passe Livre) que estão nas ruas protestando, defendem (leia mais aqui). Por aí fica claro quem foi que mudou.”

    http://socialistamorena.cartacapital.com.br/os-20-centavos-e-a-indignacao-da-esquerda-com-o-abandono-de-bandeiras/

  159. Pedro said

    Protestos nas ruas e na rede:

    ” CH….22:21 Atualizado às 23:28 – A organização de hackers Anonymous invadiu agora há pouco a página da presidenta Dilma Rousseff na rede social de fotos Instagram. Para caracterizar que a página foi “hackeada”, o grupo Anonymous deixou uma foto da máscara celebrizada pelo filme “V de Vingança” com a bandeira do Brasil e a mensagem: “Senhora presidenta da República, ou a senhora faz alguma coisa ou o Brasil vai parar. Nós não vamos tolerar mais. O gigante acordou”. A conta da presidenta Dilma no Instagram foi cancelada do ar às 22h30, exatamente nove mintos depois que este site revelou a invasão.”

  160. Jose Mario HRP said

    Eles bagunçaram o site do PMDB da mesma forma.
    Bem feito para os hackeados!

  161. Pedro said

    É por aí…. eles merecem.

  162. Jose Mario HRP said

    Aqui o video do anonymous brasil enxertado no site do PMDB.

  163. Edu said

    Tudo mto bom, tudo muito bem.

    A galera saiu na rua e todos os políticos se esconderam debaixo de suas camas.

    O Alkmin permitiu que a galera depredasse o palácio do governo, mesmo sendo que a culpa pela tarifa de ônibus tenha sido do Haddad.

    O Haddad sumiu.

    A Dilma sumiu.

    O Lula, que adora comentar tudo e aparecer na mídia, sumiu.

    Nunca na história deste país, um governo que se diz popular teve tanto medo de enfrentar o povo.

    Porém, como sabemos, nada será feito.

    Minha aposta é que alguns líderes do PSTU receberão cargos da prefeitura e tudo será resolvido. A população ficará de mãos abanando novamente.

    —X—

    Fora isso, vamos ao que interessa.

    Enquanto todos estão prestando atenção nesse levante chapa branca, sem objetivo claro, a Dilma está trabalhando.

    Óbvio que continua trabalhando errado: as relações internacionais com a Argentina!

    Eu já falei que a Argentina, assim como a Venezuela, é um caso perdido.

    Eu já havia comentado que o Brasil da Dilma e do PT permite que a Argentina faça o que quer.

    Segue um exemplo:

    http://www1.folha.uol.com.br/mercado/2013/06/1296825-reuniao-busca-melhorar-relacoes-bilaterais-com-argentina.shtml

    “O encontro foi uma tentativa de normalizar as relações bilaterais, que ficaram estremecidas após a expropriação da concessão ferroviária da ALL pelo governo argentino.”

    Expropriação da concessão ferroviária da ALL pelo governo argentino?!

    E o PT querendo destruir o Paraguai!

    É isso aí, PT, é com esses parceiros que o Brasil vai virar um país relevante no cenário econômico mundial.

  164. Otto said

    EI, REAÇA, VAZA DESSA PRAÇA!!

    Não, reaça, eu não estou do seu lado. Não vem transformar esse protesto legítimo em uma ação despolitizante contra a corrupção. Não vem usar nariz de palhaço, não tem palhaço nenhum aqui. Agora que a mídia comprou a manifestação tu vem dizer que acordou?
    O povo já está na rua há muito tempo, movimentos sociais estão mobilizados apanhando da polícia faz muito tempo. São eles os baderneiros, os vândalos, os que atrapalham o trânsito. Movimento pelo transporte, Movimento Feminista, Movimento Gay, Movimento pela Terra, Movimento Estudantil… Ninguém tava dormindo! Essa violência que espanta todo mundo não é novidade, não é coisa de agora. Acontece TODOS os dias nas periferias brasileiras, onde não tem câmera pra registrar ou repórter para se machucar e modificar o discurso da mídia.
    Não podemos admitir que nossa luta seja convertida pela direita numa passeata contra a corrupção. Não é uma causa de neoliberais. Não é uma causa pelos valores e pela família. Não estamos pedindo o fim do Estado – pelo contrário! – Esse “Acorda, Brasil” não tem absolutamente NADA a ver com a mobilização das últimas semanas.
    Então se tu realmente acredita que a mídia tá do nosso lado, abre os olhos! São muitas as maneiras de se acabar com um levante: força policial, mídia oportunista, adoção e desconstrução do discurso…
    Começou a disputa pelos sentidos da efervescência:
    “Não é nem um pouco fácil entender a proporção que as coisas estão tomando no Brasil. Os protestos estão cada vez mais heterogêneos, e amanhã (hoje) vai ser um dia gigante e imprevisível. Protestos são convocados por desde movimentos libertários e autogestionados (que se encontram na gênese das manifestações) até pelas páginas ufanistas/moralistas/udenistas como a antipetista Acorda Brasil, que dissemina desinformação e preconceito de classe. Se esse choque de alteridades pode ser potente, também pode gerar desmobilização numa questão de semanas. Começou a disputa pelos sentidos da efervescência. Reacionários estão determinados a também sair do facebook e transformar a insatisfação coletiva numa versão inchada do elitista Movimento Cansei, com sua pauta moralista e antipetista. Por outro lado, governistas estão mais preocupados em deslegitimar as manifestações e em blindar os governos petistas, que não se pronunciam sobre o que acontece por não conseguirem compreender o novo, e quando se pronunciam, não conseguem romper com o emcimadomurismo. A multiplicidade de pautas que desaguam nessa insatisfação generalizada torna impossível vislumbrar os rumos que as coisas irão tomar. Será árdua a tarefa de disputá-los.”

    http://cafecomnata.wordpress.com/2013/06/17/ei-reaca-vaza-dessa-marcha/

  165. Otto said

    Edu: “É isso aí, PT, é com esses parceiros que o Brasil vai virar um país relevante no cenário econômico mundial.”

    Que relevância o país tinha até 2003?

    Era uma titica desprezada e olhada no máximo com condescendência pelos grandões como Bill Clinton, que deu um sabão público no FHC quando este pediu arrego.

    O que o Brasil ganhou com as “relações carnais” (frase do Menen, hoje preso, como seu outro colega neoliberal, Fujimori) com os EUA? Uma bela ditadura militar com concentração de renda, favelização e aumento do narcotráfico. O que era o Brasil em 64 em termos de segurança? O que se tornou em 85?

  166. Jose Mario HRP said

    Otto, muitos dos que foram ontem a manifestação eram pessoas anti PT.
    Mas a turma original era muito mais pela renovação politica e por melhorias em transporte, saude e educação.
    Havia vários núcleos, mas o que é bom chama-se confirmação de que as pessoas exigem que o direito de protestar e de reunião são do povo brasileiro.
    O portão quebrado do Geraldo foi um marco!
    Jamais se tocou antes num daqueles portões, nem antes , nem depois da ditadura, nem a policia civil em greve chegou a tanto!
    Assim espero que o PT abra o olho, e do PSDB e da direita eu não espero nada, são o que sempre foram, anti povo.

  167. Edu said

    Otto,

    Vamos resgatar algumas coisas:

    Suas palavras em #10:

    “O negócio é o seguinte:

    querem assustar a classe média — e conseguiram (veja o Edu, rsrs).

    Assustada, a classe média vai pedir pros milicos ou pro Barbosão pra por ordem na casa.”

    Suas palavras em #137:

    “Edu, uma coisa é a classe média que está nas ruas — outra muito diferente é a classe mérdia que foi ao Mané Garrincha.”

    Suas palavras em #164:

    “Não podemos admitir que nossa luta seja convertida pela direita numa passeata contra a corrupção.”

    Pergunto, caro Otto, quem é que está aflito e rangendo os dentes?

    Suas palavras em #8:

    “O copo está meio cheio, meio vazio? Depende do viés do olhar.”

    Suas palavras em #165:

    “Que relevância o país tinha até 2003?”

    A resposta a essas perguntas, caro Otto, está aqui. Espero que tenha lido, em #135:

    “O cenário prospectivo da América Latina não é tão fácil como foi nos últimos dez anos, período em que houve uma situação de comércio favorável, com preços de commodities em alta e com expansão das exportações, o que criou uma situação confortável do ponto de vista do balanço de pagamentos, com acumulação de reservas fortes na maior parte das economias. Há pressão sobre câmbio, taxa de inflação e finanças públicas de nossas economias.”

    É coincidência, Otto, o Lula coincidiu com a alta das commodities, o sucesso econômico do Lula está intimamente ligado às commodities, e não tem absolutamente nada, nada, nem de longe a ver com a Argentina ou com a Venezuela.

    Quer mudar de opinião? Ainda há espaço.

  168. Pedro said

    O Otto está confuso:

    “Otto disse

    13/06/2013 às 5:52
    Este movimento atual nada mais é, do que o antigo “CANSEI” que apelou para a violência, travestido der movimento popular e ajudado “pela a esquerda que a direita adora” (PSTU+PSOL).”

    Só falta agora ele lançar o movimento:

    ERREI, MAS NÃO FUI EU….. :-)

  169. Edu said

    Alguém aí tem algum comentário a fazer sobre os “manifestantes” do Rio de Janeiro?

    É uma minoria, né?

    —X—

    Outra pergunta, essa especial para o Pax e o HRP:

    O que os “manifestantes” queriam no Palácio dos Bandeirantes ontem?

  170. Edu said

    Pedro,

    Verdade, esqueci de incluir essa fala do Otto nos meus comentários!

    hahahahaha!!!

    —X—

    Otto,

    Abra os olhos, rapaz! A luta de classes não existe, isso é coisa que a Marilena Chaui e os marxistas enfiaram na sua cabeça!

    Ainda há tempo de mudar de opinião.

  171. Jose Mario HRP said

    Globo/PSDB, a classe média adulta, os radicais a esquerda e a direita toda queriam infiltrar ideias na cabeça da moçada com temas anti PT.
    Não conseguiram porque o movimento optou por ser não politico, mas exigindo qualidade na saude, educação, transporte e segurança.
    O portão do Geraldo ficou torto, como nunca dantes , nem na ditadura e nem depois!
    UM MARCO, e no caso da Assembléia carioca, que os politicos fiquem de barbas no molho!
    Queriam algo contra o governo federal , mas a turma estava esperta, o negocio é mais embaixo!

  172. Edu said

    Gostei particularmente do comentário do Clóvis Rossi:

    http://www1.folha.uol.com.br/colunas/clovisrossi/2013/06/1296793-a-vaia-saiu-as-ruas.shtml

    “Há uma aparente contradição, de todo modo, entre a aprovação popular dos governos Dilma e Alckmin, aferida em pesquisas recentes, e o volume e a permanência dos protestos. Haveria uma maioria silenciosa? Talvez, mas o fato de que 55% dos consultados pelo Datafolha digam que aprovam os protestos é um forte chamado de atenção.”

    Eu acho que a ausência de um objetivo claro e a ausência de líderes levam a 2 riscos ao futuro das manifestações:

    1 – O rápido esquecimento das mesmas pelos próprios manifestantes
    2 – Não ter um interlocutor para promover soluções, e nem para cobrá-las

    Isso fica bastante claro na fala do Gilberto Carvalho:

    “Não conseguimos entender o que está ocorrendo ainda. São novas formas de organização de mobilização que ainda não compreendemos”

    Para o bem e para o mal.

    Afinal, seria ótimo que houvesse um líder com quem o governo pudesse conversar e “entender melhor”. Ao mesmo tempo, seria péssimo para os manifestantes verem um líder cedendo ao “poder de convencimento” do governo atual.

    Aí volto com meu discurso, já meio maltrapilho, de tão velho:

    Transparência.

    A única coisa que o governo pode fazer para que essa massa difusa passe a dar credibilidade ao governo e, mesmo sem liderança, seja atendida, é que o governo se comprometa com a transparência, apresentando que cada real investido em transporte foi realmente usado para melhorar o transporte; que cada real investido em educação tenha sido realmente usado para melhorar a educação.

  173. Otto said

    Vocês precisam aprender a ler, Edu e Pedro:

    muitas das frases que eu “disse” são textos de outrem que trouxe para ajudar na reflexão, não são necessariamente minhas ideias. Eu sempre trago as fontes, com o s lnks, ao contrário de outros aqui.

    O que eu acho é que este é um movimento difuso, com joio e trigo no meio.

    Agora, Edu, no começo você chamava essas manifestantes de vândalos (não sei se vc. usou esta expressão, mas naquele post seu lá da padaria, você não era nem um pouco favorável a eles). Vc. mudou? Se mudou assuma, como o Jabor e o Seti, por exemplo.

    Eu não tenho uma opinião formada, estou observando (ontem acompanhei parte da multidão aqui em Curitiba).

    O que eu vi, repito, é algo difuso, confuso, com gente do Psol, do Pstu, apolíticos, gente só pela festa, alguns punks enchendo a cara, alguns com a cara do Cansei etc.

    “O que os “manifestantes” queriam no Palácio dos Bandeirantes ontem?”

    Acho que eles queriam rezar com o numerário do OPUS DEI, hehe.

    Eles sabem que parte do problema é o governador fascista, que mandou disparar bala no rosto da população, como aliás fez em Pinheirinho.

    No mais, Edu, a alta dos commodities foi apenas um dos fatores, não o único exclusivo, mesmo porque as exportações representam menos de 10% do PIB. Outros fatores foi o aumento da renda da população, diminuição do desemprego, distribuição de renda etc.

  174. Edu said

    Otto,

    Se vc traz um texto para “ajudar a reflexão” e não analisa o texto que trouxe, só há uma interpretação possível: vc concorda com tudo o que o texto diz.

    Para evitar discussão descnecessária,dirija-se ao comentário #7. Onde eu deixo claro com o que eu concordo e com o que eu discordo.

    Eu sou contra violência, sou contra ilegalidades. Então, eu sempre enxergarei movimentos que incluem vândalos com bastante ceticismo. Ontem os vândalos continuavam, em SP e no RJ.

    Foi possível vê-los no durante as manifestações, e os próprios manifestantes se voltando contra eles.

    No entanto, tanto em SP, quanto no RJ houve atos de vandalismo realizados por um pequeno grupo de pessoas. A maneira como vc e o HRP se referem a esse grupo claramente demonstra que vcs apoiam esses vândalos. É aí que divergimos: vcs só entendem a linguagem da destruição, da força, da luta de classes, do partidarismo barato.

    E nós, como bem disse o Tas, apenas queremos dizer que nenhum desses caras nos representa.

    —X—

    A alta das commodities foi a locomotiva para todo esse desenvolvimento por trás. É por isso que há o chamado efeito multiplicador. Funciona mais ou menos assim:

    – Com mais dinheiro das exportações
    – Os empresários contratam mais
    – O desemprego cai
    – Os salários sobem
    – As pessoas querem gastar mais
    – Para gastar mais, há duas opções: ou vc compra fora, ou vc compra dentro
    – Comprando fora: Não é à toa que ficou famosa a classe média emergente que foi às compras em Miami.
    – Comprando dentro: para comprar, as empresas precisam produzir. Aí as empresas realizam investimentos. Esses investimentos vc pode ver nas contas do PIB brasileiro do BC.

    O Lula participou da distribuição de renda com os programas de Bolsa Família, Bosa Escola, Minha Casa Minha Vida? Sim, participou.

    Só que o governo não teria dinheiro público para financiar esses programas se não fosse o aumento de arrecadação durante o período.

    E qual é a origem da arrecadação?

    Os lucros auferidos pelas empresas, que foram derivados pela alta das commodities.

    Veja, Otto, que ainda que haja políticas de intervenção social, elas dependem fundamentalmente do mercado e do capitalismo. É como se o capitalismo permitisse que o Lula fizesse o que fez.

    E da mesma forma, hoje o capitalismo não permite que a Dilma reproduza o que o Lula fez. Por isso ela não consegue agir. Ela teria que fazer diferente, e não consegue.

    Acreditar que o Estado pode salvar a todos é uma ilusão. Sinto muito Otto. A vida não é esse leite com “o cafezinho” socialista que vc toma todos os dias.

    Ainda há tempo de mudar de opinião. Isso pode fazer bem aos seus filhos no longo prazo.

  175. You can't fix stupidity! said

    Edu

    O z, otto, o,hrpman e o totó estão procurando desculpas pra não enxergar a realidade:
    A Era dos Migué tá chegando ao fim.

    Aviso ao leitor: esta é apenas uma primeira aproximação ao que está acontecendo no Brasil. Sou obrigada a concordar com Ângela Randolpho Paiva, do Departamento de Ciências Sociais da PUC-Rio, que admitiu honestamente à GloboNews: “Estamos atordoados”.

    Com razão. O Brasil não é um país de sair à rua, salvo em Mundiais. Que saia agora, em massa, ainda por cima para protestar também contra as obras da Copa, é de atordoar qualquer um.

    Mas jornal circula todos os dias, e não consigo silenciar à espera de recolher os elementos indispensáveis a uma análise mais aprofundada. É preciso pincelar algumas ideias, apesar de os protestos do dia estarem apenas começando, por imposição dos horários de fechamento.

    O que já está evidente é que a vaia ouvida no sábado no estádio Mané Garrincha saiu às ruas. Não adianta o petismo e a mídia chapa-branca tentarem dizer que a vaia partiu da elite, única em condições de pagar o preço abusivo dos ingressos.

    Nas ruas do Rio ontem, havia uma vaia clara, na forma de uma faixa: “Fora Dilma/Fora Cabral”.

    Tanto o Rio quanto Brasília, é sempre bom lembrar, são praças fortes do lulismo. Que apareça um cartaz como esse, ainda que isolado, é eloquente do estado de insatisfação de uma parcela importante do público.
    Mas é fundamental ter em conta duas coisas:

    1 – Dilma não é o alvo isolado dos protestos. Nem sei se é o alvo principal. Mas é alvo.

    Alvos também são os políticos em geral, de que dá prova a concentração em Brasília diante do Congresso Nacional. O volume de público no Rio, governado pelo PMDB, e em São Paulo, governado pelo PSDB, demonstra que a classe política brasileira está fracassando na sua missão de representar o público, pelo menos o público mobilizado.

    A massa no Rio era, aliás, impressionante; desde as Diretas Já, não se via algo parecido.

    2 – Há uma aparente contradição, de todo modo, entre a aprovação popular dos governos Dilma e Alckmin, aferida em pesquisas recentes, e o volume e a permanência dos protestos. Haveria uma maioria silenciosa? Talvez, mas o fato de que 55% dos consultados pelo Datafolha digam que aprovam os protestos é um forte chamado de atenção.

    Por fim, sobre o que querem os manifestantes, já muito além do passe livre, quem parece ter razão é Juan Arias, o excelente correspondente de “El País”: “Querem, por exemplo, serviços públicos de primeiro mundo; querem uma escola que, além de acolhê-los, lhes ensine com qualidade, o que não existe; querem uma universidade que não seja politizada, ideologizada ou burocrática. Querem que ela seja moderna, viva, que os prepare para o trabalho futuro”.

    Mais: “Querem hospitais com dignidade, sem meses de espera, onde sejam tratados como seres humanos, e querem, sobretudo, o que ainda lhes falta politicamente: uma democracia mais madura, em que a polícia não atue como na ditadura”.

    “Querem um Brasil melhor. Nada mais.”

    Como dizia a faixa que abria a passeata no Rio: “Não é por centavos; é por direitos”.

  176. Pax said

    Prezados,

    Não consegui acompanhar a discussão aí acima. Estava na rua, com a manifestação que houve em Sampa, ontem. Uma das coisas mais bonitas que vi e um dos dias mais felizes da minha vida de grisalho.

    O status quo foi questionado. Não havia bandeiras de partidos, quase nenhuma. E quando apareciam havia coro de “sem bandeira!”.

    O povo reclamou do aumento, principalmente, da corrupção, da violência da polícia etc. E reclamou indistintamente. Jabor foi uma unanimidade.

    Não havia polícia às ruas, quase não se via. Aqui e ali, um ou outro. E nada de vandalismo.

    Hoje liguei o rádio bem cedo, dormi muito pouco. Boechat da Band falou bem, os assessores também. Fiquei no Facebook e twitter que está muito mais real que a mídia. Aí resolvi ligar no Bom Dia Brasill pra ver. Impressionante a distorção do que rola. Só mostravam depredação. Por mais que já tenham mudado um pouco o discurso, não acredito que tenham reportado a realidade. Sinto muito, mas posso afirmar de cadeira.

    A realidade em Sampa foi de uma beleza sem tamanho. E isso não apareceu no telejornal matinal. Tanto que desliguei, simples assim.

    O que vai rolar? Não sei. Só sei que tem petista e tucano tirando da reta, querendo que o cipó do povo não bata em suas costas. Pois bem, a opção de se aliarem com o que tem de pior na politica nacional não foi do povo, foi destes partidos que se perderam no caminho.

    Ou retomam seus rumos, ou dançam. Eu acho que sim. O movimento às ruas é forte pacas. E não poupa ninguém.

  177. You can't fix stupidity! said

    Dilma encontrará com Lula em SP para discutir protestos pelo país

    http://www1.folha.uol.com.br/poder/2013/06/1296984-dilma-encontrara-com-lula-em-sp-para-discutir-protestos-pelo-pais.shtml

    Agora vai! …. lula vai ensinar a ela como responsabilizar a elite, os barões da midia, a crise mundial pelos protestos e por a culpa na oposição KKKKK

  178. You can't fix stupidity! said

    O que Dilma veio fazer em São Paulo? ( alem de lamber o saco de lula)

    Governo está perdido e ainda tenta entender as manifestações
    ter, 18/06/13
    por Gerson Camarotti |categoria Governo Dilma, Política

    Mais do que surpreso, o núcleo do governo está perdido e agora tenta entender a onda de protestos que tomou conta do Brasil.
    O Palácio do Planalto tenta encontrar um discurso para presidente Dilma Rousseff.
    A tentativa inicial foi de mostrar as realizações dos dez anos de administração Lula-Dilma, para fazer uma espécie de balanço de governo e com isso blindar a popularidade de Dilma.

    Mas nas palavras de um interlocutor político da presidente, mostrar apenas as realizações não resolve esse clima generalizado de insatisfação que tomou conta do país, e que ainda pode crescer.
    “É preciso encontrar um discurso para o futuro”, advertiu esse interlocutor, que não esconde sua preocupação com as sequelas políticas dessas manifestações para popularidade do governo.

  179. You can't fix stupidity! said

    No pé de quem?
    18 de junho de 2013 | 2h 12
    DORA KRAMER – O Estado de S.Paulo
    O ministro Gilberto Carvalho parece que estava adivinhando. Em meados de dezembro, há exatos seis meses, o secretário-geral da Presidência da República gravou em vídeo uma saudação de fim de ano ao PT convocando a militância a ir às ruas “assim que passarem as festas”.

    Aconselhava os companheiros a “descansarem bem agora” porque “em 2013 o bicho vai pegar”. Demorou um pouquinho, mas não deu outra: o bicho pegou.

    Em configuração diferente daquela pretendida pelo ministro na convocatória de dezembro. Lá a ideia era “a gente ir para as ruas” em defesa do governo federal, contra os “ataques sem limites ao nosso querido presidente Lula”.

    Na concepção do ministro, em protesto a “eles”. Quem? “Os mafiosos midiáticos da oposição ao Brasil”, cujo objetivo único na versão natalina de Carvalho seria a destruição “do nosso projeto, do nosso governo, do nosso PT”.

    Note-se a expressão “da oposição ao Brasil”. Refere-se a qualquer grupo, cidadão ou instituição que critique ou discorde do governo tornando-se, por isso, automaticamente inimigo do País.

    O ministro atirou na imagem construída por devaneios persecutórios costumeiramente usados como armas de ataque disfarçadas em instrumentos de defesa, mas acertou em sentimentos distantes do alcance da vista.

    Há exaustão, há revolta, há contrariedade. Mas não há por parte dos exaustos, dos revoltados, dos contrariados adesão a partido algum. Não que os manifestantes ou parte deles não tenham suas preferências, mas elas não se expressam na explosão da chama acesa pelo aumento das passagens de ônibus.

    À exceção de grupos alojados em pequenas legendas cuja expressão é nenhuma, não há até agora a digital de partidos por trás dos protestos que pegaram o Brasil de surpresa.

    De um modo geral os políticos têm evitado falar. Estão tentando entender o que se passa, antes de se pronunciar. Os poucos que o fizeram ou falaram bobagem ao repetir os velhos bordões sobre “orquestração” de adversários ou passaram ao largo da questão central: a discrepância entre a agenda do mundo política e as demandas de uma sociedade maltratada pelo Estado.

    Seja ele representado por governantes do PT, PSDB, PMDB ou qualquer partido. Estão evidentemente à margem dessa mobilização popular. Além de não terem o menor interesse em transferir o jogo da política de espaços conhecidos (gabinetes, Congresso e tribunais) para o terreno desconhecido das ruas, são todos eles alvos da insatisfação.

    Nessa altura quem aparecer para tentar capitalizar eleitoralmente a comoção provavelmente será repudiado. O levante também é motivado pelo descrédito na política. A desqualificação do Congresso, a preocupação exclusiva dos partidos com a disputa de votos, a discussão concentrada em eleição distante enquanto as condições objetivas da vida vão piorando dia a dia, não faz dos políticos aliados confiáveis.

    Os “mafiosos midiáticos da oposição ao Brasil”, referidos pelo ministro Gilberto Carvalho para (des) qualificar os críticos, como se vê não são mafiosos, não são midiáticos, não são inimigos do País. Ao contrário, estão chamando atenção para a indiferença do poder público, independentemente do matiz partidário.

    O bicho realmente está pegando. Resta saber, porém, no pé de quem exatamente. Em outras palavras: é de se conferir para onde caminhará essa insatisfação quando chegar a hora de a manifestação se expressar nas urnas.

    No momento a única certeza é a de que não se direciona em favor de força político-partidária alguma. De um lado é bom porque não permite que nossos representantes enfrentem a questão debitando o custo na conta do vizinho.
    De outro há o risco de se deixar prosperar a semente para a pregação do voto nulo, ferindo gravemente a representação.

  180. Pedro said

    Otto, no seu comentário, que eu colei, não tem nenhum link. Agora você vem dizer justamente o que eu falei antes. Errei mas não fui eu, só copiei, ponto.

    Mas, não se aborreça, muitos erraram na avaliação deste movimento todo. Principalmente os torcedores fanáticos partidários, aqueles que tentaram jogar a culpa, única e exclusivamente no seu adversário político, ponto.

    …………………..

    Como o Pax escreveu, a coisa é bem melhor e maior do que os atos isolados de vandalismo, que as televisões gostam tanto de mostrar.

    Aliás não foi só nas capitais, inúmeras cidades tiveram ou terão protestos. E, não vi em lugar nenhum, uma estatística aproximada, destes números. Alguém viu? Se viu, poderia mostrar pra nós, pra termos uma noção mais exata do tamanho do episódio historico.

  181. Pax said

    estranho… bem estranho… não conheço a fonte, peguei no Facebook

  182. Edu said

    É óbvio que os governantes não fazem a menor ideia do que se passa.

    Boa parte da imprensa também não entende a essência da coisa.

    Eu também demorei pra perceber onde que estava o ponto de convergência de tudo isso.

    Como disse ao Otto, ao ver alguns manifestantes vandalizando, do lado da minha casa, a primeira reação que eu tive foi de ceticismo.

    Depois de ouvir muita gente, depois de sair lá fora e sentir o que estava rolando eu percebi. E parece bem mais simples do que eu imaginava.

    O objetivo não está claro, porque fala-se da mesma coisa, porém em linguagens diferentes, com cartazes diferentes:

    Vimos:

    – Cartazes sobre as tarifas de ônibus
    – Cartazes sobre a educação
    – Cartazes sobre a corrupção
    – Cartazes sobre a saúde e suas filas intermináveis
    – E muitos outros

    O sentimento subliminar a tudo isso é: como os governantes estão usando o nosso dinheiro?

    É apartidário porque não interessa quem está no governo, a sensação que há é que TODOS os governos estão usando os recursos públicos de maneira errada.

    É sem ideologia porque ideologia existe para definir a maneira como se aplica recursos, e ninguém está discutindo essa maneira, o povo está questionando por que parece que está sempre tão mal aplicado.

    A mídia não consegue “traduzir” esse movimento porque a mídia sobrevive desse confronto eterno de povo versus governo. É a fonte de matérias mais barata para eles. E os comentários que li só me confirmam o tanto que eles estão atrasados em relação ao povo.

    Os políticos também não conseguem entender. Porque eles sempre entenderam o confronto de lideranças, eles acham que o objetivo tem que estar definido e claro, porque eles são maniqueístas. É o bem contra o mal, o jeito deles versus o jeito dos outros. É esquerda ou direita, é povo ou elite. É uma visão dicotômica, retrógrada, fraca, tacanha, da sociedade.

    Se fosse isso, facilitaria muito a vida deles. Bastaria chamar as lideranças para “conversar” que resolveria o problema. Bastaria distribuir uns cargos, bastaria fazer umas promessas.

    Mas não é isso. É responsabilidade e transparência.

    Não é promessas que o povo quer. Não são cargos. Não são novos líderes. Mesmo porque a ideia não é derrubar um governo e colocar outro no lugar para fazer exatamente a mesma coisa.

    A ideia é mudar a forma de fazer as coisas.

    É fazer as coisas com objetivos claros. Com uma comunicação clara para o povo. Sem maquiagens, sem malabarismos econômicos. É mostrar que promessas de campanha devem ser cumpridas, e de maneira responsável.

  183. Pax said

    Enquanto isso Feliciano vai transformar o Congresso na praça Taksim. Acaba de aprovar a “cura gay”. fdp.

  184. Pax said

    ontem… são paulo

  185. Pax said

    http://o2filmes.com.br/1833/O2_NA_CAMPANHA_CONTRA_A_PEC_37

  186. You can't fix stupidity! said

    Agora FORA DILMA! na passeata de hoje

    A ERA DOS MIGUÉ está dando sinais que o petralhismo já era!

    vai ter petralha cortando os pulsos aqui no blog!

  187. You can't fix stupidity! said

    Incrível deu na Folha “Haddad vai discutir tarifa com Lula e Dilma em Congonhas, em SP”

    http://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/2013/06/1297260-haddad-vai-discutir-tarifa-com-lula-e-dilma-em-congonhas-em-sp.shtml

    Haddad correu para o colo do lula e da dilma…NO AEROPORTO!

    kkkkk!

    OUROBORUS!

  188. You can't fix stupidity! said

    1. Sabem por que a Dilma não acalma a população num pronunciamento em rede nacional. Hoje?

    Porque ela não sabe o que falar!

    FORA DILMA, FORA HADDAD E FORA lula!

    2. Pax: Quando vai cair a ficha de que esta manifestação “precisa” da PM pra prevenir, evitar e coibir “porraloucas inconsequentes” ?

    Never?
    Antes tarde do que mais tarde ainda!

  189. You can't fix stupidity! said

    MINISTÉRIO DA PROPAGANDA!
    (o de no. 40 – os quarenta ladrõesda fábula de Ali Babá)

    Alguém pode imaginar uma cena mais fascista do que a presidenta incompetenta se reuinir com lula, com o prefeito cagão haddad, o irrevogável Mercadante e o MINISTRO DA PROPAGANDA– – o João Santana, em São Paulo.
    o MINISTRO DA jUSTIÇA nem sabe do que se trata – o Cardozão como quer o hrp.

    Nunca nates neste país!

  190. You can't fix stupidity! said

    Mais demonstrações de extrema passividade dos jovens brasileiros que reclamam na porrada

  191. Jose Mario HRP said

    Fora direita, fora o fascismo, e losers, por favor menos no desespero!

  192. Pax said

    A juventude tucana assinou manifesto contra as manifestações. Que (in)pertinência deste partido.
    A juventude petista corre esse mesmo risco?

    o povo acordou

    e fora Feliciano, antes que me esqueça. que absurdo.

  193. You can't fix stupidity! said

    1.Pax anda muito preocupado com a cura gay…e a juventude tucana,
    Além é claro de suas companheiras ( a moto e a perna quebrada)..rsrsrs
    Nem assistindo video de violência acima #190 ele abre mão de suas convicções, como direi, hehehe, grisalhas, ” tipo “paz e amor” há quase 50 anos atrás rsrsrs

    2. hrp entrou em surto – seu (dele) mundo caiu!
    A ERA dos MIGUÉ está começando a terminar!

    3. A petralhada assiste muda a TV e fica imaginando um jeito de atacar quem discorda de sua ( deles) visão de mundo…

    Imperdível
    O Brasil mudou ou acabou?

  194. Otto said

    Pedro, você tem razão, aquelas palavras são minhas:

    acho ainda mesmo que tem muito “cansado” no pedaço.
    Mas agora o movimento tomou tais proporções que tem para todos os gostos, desde dos neocansados ronaldetes (ção me calo! não me calo!) até a ultraesquerda sem voto do PSTU/PSOL. No meio tem vários degradês entre arruaceiros e galera realmente politizada — ou politizando-se.

    Edu, sinto muito, mas eu não estou com tempo de ficar escrevendo teses aqui e pinçando citações. Trago os textos que julgo interessantes e ponho na roda.

    Mudando de assunto: o Elias está sumido, como já foi apontado acima. Mas e o Chesterton? Tá na passeata pedindo um novo golpe?

  195. Otto said

    Amanhã é a periferia que vai parar:

    http://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/2013/06/1297154-protestos-devem-parar-ruas-da-periferia-da-grande-sao-paulo-amanha.shtml

    Saem os mauricinhos, entram os manos.

    Não sei onde isto vai parar, só sei que o bicho vai pegar.

    Daqui a pouco os Arautos do Evangelho, a TFP e a Canção Nova vão marchar com Deus e a família pedindo a intervenção dos militares.

    Cheiro de 64…

    Só que acho que os milicosdesta vez não estão a fim de sair da caserna: vai que daqui a 40 anos eles sejam julgados e presos, como na Argentina, ao contrário do que sucedeu no Brasil com a última ditadura.

  196. You can't fix stupidity! said

    1. Como governar mais barato (R. Noblat)

    Quanto custam as frequentes viagens de Dilma a São Paulo atrás de orientação de Lula?

    Sairia mais barato convocar Lula a Brasília. Ou então devolver logo o poder a ele.

    2. Otto sentindo falta do elias e patrulhando o Chest ….é duca!
    O cara nem vegonha tem!

  197. You can't fix stupidity! said

    Haddad encurralado em casa (ou em local não sabido)

    Cerca de cem pessoas fizeram um protesto por cerca de uma hora, na noite desta terça-feira, na frente da casa do prefeito Fernando Haddad (PT), na região do Paraíso, na zona sul de São Paulo.

    As pessoas fizeram gritos de ordem como “se a passagem não baixar, São Paulo vai parar”, mas não houve qualquer registro de violência ou vandalismo no local. A rua foi fechada pela Polícia Militar, que faz o policiamento do local.

    Manifestantes tentaram invadir a Prefeitura de SP durante protesto.Resloveram apedrejar e destruir as portas de entrada
    ‘Estão entrando, estão entrando’, diz assessor na prefeitura
    Protesto reúne 50 mil pessoas em passeata no centro de SP.
    Predio da Prefeitura atacado por manifestantes enfurecidos

    Os manifestantes colaram cartazes e colocaram uma bandeira do Brasil nas grades do prédio do prefeito.

  198. You can't fix stupidity! said

    Homenagem ao Pax ( e a moto e a perna quebrada):

    otto …menas …menas…tenha senso de ridiculo. kkkk
    64?????

    Em 64 vc nem era ainda um “brilho no olho” de sua mãe.
    Aquela santa.
    Não a desonre. Ela não merece.

  199. You can't fix stupidity! said

    A petralhada anda preocupada pois dilma anda vulnerável.
    Eis o que desejo pra esta mulher que desonra nosso sexo:

    Quem mandou ser arrogante e incompetente.

  200. Patriarca da Paciência said

    MANIFESTANTE: “CALA A BOCA, REINALDO”. E ELE: NÃO CALO

    http://www.brasil247.com/pt/247/midiatech/105782/Manifestante-cala-a-boca-Reinaldo-E-ele-n%C3%A3o-calo.htm

  201. Jose Mario HRP said

    Agora além da molecada paulista e seus protestos sem uso de violencia notamos a adesão meia sem jeito do povão periférico e de outros grupos sociais ao movimento .
    E com eles alguns infiltrados como o “insano” de mascara que liderou o ataque a prefeitura paulistana.
    Em breve ele deve ser capturado e se saberá a mando de quem está.
    A velha classe media infiltrou-se também, na tentativa de por conta de suposto protesto contra corrupção, jogar o bode no colo do PT.
    Antes com a violencia policial, a coisas voltou contra o fascismo do Geraldo e a Omissão do Haddad, agora todos estão de pulga atrás da orelha, pois os protestos atingem também as médias cidades e não só as capitais, exemplos de São bernardo, Santos e Cubatão aqui em Sampa.
    Coloquem a barba de molho senhores governantes porque podemos com omissão colocar a democracia e nossas instituições em cheque.
    Decifra-me ou………

  202. Patriarca da Paciência said

    Caro Pax, 183,

    o “projeto” do Feliciano não é mais que isso, um “projeto”. Não vejo as mínimas chances de passagem por todas as etapas, inclusive pelo veto da presidente.

    É aquela história, tentar ele pode, discutir ele pode, insistir, ele pode, mas aprovar sem o apoio da maioria, ele não pode.

    Não vejo o mínimo motivo para preocupações.

  203. Pax said

    Caro HRP, em #201… discordo – bem pouco – do teu texto. Sou classe média. E não acho que tenha me inflitrado na manifestação. E jogo a culpa na corrupção (do PT, PSDB, PMDB – esse, então -, DEM, PR, PP, PV etc etc etc).

    Caro Patriarca, em #202,

    Discordo frontalmente. Quando um cidadão destes assume a presidência da Comissão de Direitos Humanos e Minorias, propõe e aprova “cura gay”, o motivo é para altíssimas preocupações. E vou um pouco mais longe, precisamos nos lembrar como ele chegou ao cargo, por ação e/ou omissão do governo que prefere manter um rebanho ao seu lado, a qualquer custo.

    E desta política, entre várias outras questões, que o povo lindamente reclama às ruas, sim.

  204. Jose Mario HRP said

    Pax, não me referia a voce.
    Certamente voce fala com convicção, mas não é de voce que eu escrevi, aliás vi muitos caras falando que a passeata era por todos os problemas porque passa o país, eu me referia a um grupo politico de oposição ao governo federal, nada afeito a com bater corrupção e sim politizar e ideologizar o movimento.

  205. Jose Mario HRP said

    Tentativa de invasão a sub prefeitura de Emiboimirin.
    Choque na rua.
    Estão perdendo o controle das coisas.

  206. Patriarca da Paciência said

    Caro Pax,

    eu concordo que há alguma preocupação política, mas que uma lei dessas venha a ser aprovada, duvido muito.

    Mesmo porque, depois de todos os trâmites, ainda há o veto presidencial.

  207. Edu said

    Senhores,

    A Dilma

    O Haddad

    O Alkmin

    Todos estão apoiando as manifestações.

    Em alguns dias teremos a participação dos mesmos nas manifestações, cada um com seu cartaz, protestando contra si mesmos.

    Parece piada do Monty Pyton.

  208. Edu said

    E o Sakamoto?

    Esse cara é o retrato da esquerda diante das manifestações!

    Ele está perdido, como a esquerda toda, que quer tentar politizar e/ou “ideologizar” o movimento de qualquer jeito. Ele fica bravo quando a galera crita: “Sem partido!”. Ele fica bravo quando alguém mostra um cartaz de “Dilma Vaca”, mas ele defende a liberdade de expressão, entenderam?

    Ele quer que a manifestação seja do jeito que ele sonha que ela seja, no mundo de ilusão que ele criou!

    E se enrola pra tentar fazer um relato… mas se enrola muito!

    É ridículo e ao mesmo tempo muito divertido.

    Leiam e divirtam-se.

    —X—

    http://blogdosakamoto.blogosfera.uol.com.br/2013/06/19/em-breve-o-preco-da-passagem-sera-o-menor-dos-problemas-do-poder-publico/

    “Há uma pauta principal, objetiva e clara, sem margem para grandes viagens filosóficas: a revogação do aumento da tarifa.”

    Como vimos, os 20 centavos de aumento da tarifa foi só o estopim. Todos disseram isso. Só o jornalista que não entendeu!

    “Há, é claro, manifestantes que descarregam sua frustração e indignação na forma de ataques a equipamentos públicos e patrimônio privado. Muita gente vinda da periferia que foi sistematicamente excluída da categoria de cidadã irrompe em fúria, bastando apenas uma faísca.”

    Sério mesmo Saka? Que preconceito… pelo que eu vi na folha, o cara que iniciou o ataque à prefeitura parecia bastante com uma pessoa de classe média.

    “Mais uma vez, não estou defendendo esses métodos, apenas explicando que entendo o que se passa na cabeça de alguém que não sente a cidade como sua, e a protege, porque a cidade nunca o tratou como um dos seus.”

    Em contraste com:

    “Mas nesta noite fui surpreendido algumas vezes por um pessoal que – não duvido – grita “Anauê!” enquanto toma banho. São diferentes do pessoal extremamente politizado e consciente que vê a depredação de patrimônio como ação política, mas que não usam de violência contra pessoas (só para deixar claro que não concordo com esses métodos, antes que alguém me xingue).”

    Ele não faz a menor ideia do que ele mesmo defende…

    “Na manifestação desta terça, abordei educadamente um rapaz, próximo ao Parque Dom Pedro, que carregava um cartaz chamando Dilma de “vaca”. Pedi desculpas pela intromissão, mas expliquei que o protesto dele seria muito mais legítimo se ele usasse um termo para criticá-la que não fosse tão machista.”

    Em contraste com:

    “Vi muitas cenas de jovens com caras-pintadas exigindo que bandeiras de partidos fossem abaixadas, o que é uma besteira sem tamanho. Há espaço para todas as denominações partidárias, religiosas, futebolísticas, desde que elas saibam que a manifestação não pertence a elas e não tente cooptá-la.”

  209. Jose Mario HRP said

    Sakamoto esquerda?
    Hummmm, sei não!
    Quanto a estar perdido, quem não está?
    Aliás, esse me parece um movimento tipo Lampada de Aladim, não se sabe o que sairá dela depois de esfregá-la!

  210. Jose Mario HRP said

    Se voce sabe aonde esse sujeito está denuncie:

  211. Edu said

    Pô HRP,

    Se ele não é de esquerda ele é o que então?! hahahaha

    Acho que precisamos de uma nova régua para avaliar as pessoas dentro do espectro político…

  212. You can't fix stupidity! said

    Tá todo mundo sendo lembrado nestas manifestações…

    Dirceu…pode esperar

    a cadeia é o seu lugar. hehehehe

  213. Edu said

    Tas de novo,

    Nunca curti muito esse cara, mas ele tá traduzindo bem minha sensação.

    http://blogdotas.terra.com.br/2013/06/19/sem-violencia-o-protesto-muda-o-brasil/

    “Na Folha de hoje, o meu querido Antônio Prata diz que “ninguém está entendendo nada”. Eu inverto a pergunta: o erro não é pensar que um dia teríamos entendido alguma coisa do Brasil?”

    Pois é Tas, pois é.

  214. Otto said

    Tou falando: cheiro de 64…

    A diferença: acabou a Guerra Fria, os militares estão escaldados e não está programado nenhum comício na Central.

  215. Otto said

    Olha o que eu tou dizendo:

    Os perigos da “pátria amada”

    Estamos preocupados com o rumo que esse levante popular pode tomar e com a associação dele a um discurso midiático vazio

    18/06/2013

    Camila Petroni e Débora Lessa,

    O intuito da pequena reflexão que segue não é desmoralizar os atos ocorridos em diversas cidades brasileiras, que começaram contra o aumento das tarifas de transportes públicos, no início de junho, e, hoje, apresentam “pautas” variadas. É justamente a pulverização dessas motivações que nos preocupam. Quais são os motivos da luta mesmo?

    Na página virtual (Facebook) do Quinto Ato, marcado para o dia 17 de Junho e com mais de 240 mil pessoas com presença confirmada (já esperando os ataques bárbaros da Polícia), as enquetes conseguem fazer qualquer queixo que se preze cair. Em uma delas, que perguntava qual bandeira deve-se levantar após a baixa dos preços das passagens (se houver), algumas das propostas colocadas como motivo de mobilização (mesmo que não muito votadas) são: cancelamento da Copa do Mundo 2014 (um tiro no pé, com todo o investimento já feito), Reforma Política (que reforma?), Segurança (mais PM nas ruas?), Diminuição da maioridade penal (sem comentários), Fim do Funk (projeto higienista manda um “Oi!”), a favor do Estatuto do Nascituro (sem comentários, de novo), CCC – Campanha Corruptos na Cadeia (não tinha um nome melhor? Quase um CCC – Comando de Caça aos Comunistas – de 1964), dentre outras propostas que preferimos não imaginar o que aconteceria caso ganhassem força.

    Se por um lado, a heterogeneidade de propostas e a falta de uma liderança nos movimentos representa a possibilidade de uma relação horizontal entre os sujeitos; por outro, a falta de direcionamentos aponta para o risco de causas conservadoras se tornarem as principais do movimento agora sem nome. Não consideramos o quadro atual da manifestação como anárquico, classificação feita em algumas análises, mas como preocupante, nesse sentido.

    Outro ponto bastante incômodo em relação às pessoas se organizando para o ato (e a fim de formar um movimento – longe de estar unificado), é o (perigoso) nacionalismo proposto por boa parte dos manifestantes, e presente principalmente na ideia de entoarem o Hino Nacional em coro. Em uma enquete, feita também na página de organização do ato da segunda-feira (17), a maioria esmagadora era a favor de que cantassem o Hino em massa. A verdade é que sentimentos ufanistas assustam, sobretudo por sabermos, historicamente, que nunca geraram bons frutos. Estudos apontam que o ideário nacionalista brasileiro, em sua trajetória, poucas vezes chegou às classes populares (por que será?), pertencendo aos militares. Um comentário bastante sensato feito na mesma enquete, colocou que o “hino é um instrumento que forja uma falsa unidade nacional”. Se a mundialização do capital está posta, a necessidade da mundialização da luta é latente. Para isso, nada de bandeiras do Brasil em volta de nossos corpos, nada de “pátria amada, idolatrada”.

    É batido, mas Marx já justificara por A + B que “os operários não têm pátria” e, por mais que devamos lutar pelas condições horrendas as quais nos coloca o capitalismo, isso não tem a ver com o “orgulho de ser brasileiro”, mas com o orgulho de sermos humanos.

    E aqui nasce uma nova preocupação: até ontem pairava no ar um espectro do oportunismo da “grande” mídia, que, aparentemente, pareceu ter sido desmistificado com as recentes publicações da Globo e seus atores com olhos pintados fazendo uma alusão à jornalista acertada covardemente com uma bala de borracha no olho, depois nos deparamos com um link a ser compartilhado nas redes sociais que trazia dicas de “Moda para protesto, roupa de guerra” – a estilista pop global, Gloria Kalil, já havia soltado no site dela opções de roupas (sic!) para ir ao ato. Agora, qualquer dúvida que ainda tínhamos sobre um possível oportunismo ficou clara ao nos depararmos com – o sempre tão incisivo – Arnaldo Jabor voltando atrás em relação a quando deslegitimizou as primeiras manifestações comparando-as com ações do PCC, vitimizando os policiais e ressaltando a ignorância política dos manifestantes. Ele se redime e depois compara o movimento ascendente com o, exaltado pela própria Globo, Caras Pintadas (o movimento pode ter se originado de uma indignação, mas logo foi absorvido pela maior rede de TV do Brasil… Ah! A mesma emissora que ajudou na eleição do Collor). Daqui a pouco, veremos propagandas de refrigerantes convocando o Brasil pras ruas, presenciado o maior “jogo” já visto… A arte de mercantilizar a revolução.

    Pra não dizer que não falamos dos espinhos, ter os povos nas ruas, em massa, não é sempre sinal de mudança popular. Em 1964, os setores conservadores da sociedade tremeram com a “ameaça comunista” (ainda com Jango no poder), que representava, na verdade, uma “ameaça” à propriedade privada e foram às ruas, em meio milhão de pessoas, com a Marcha da Família com Deus pela Liberdade. Dias depois, instaurada a Ditadura Militar, um milhão de pessoas marcaram presença na Marcha da Vitória, comemorando o início de duas das piores décadas que já vivemos. Estamos preocupados com o rumo que esse levante popular pode tomar e com a associação dele a um discurso midiático vazio.

    Não queremos ver uma marcha à la TFP, com pessoas vestidas de branco, cantando o hino e levantando bandeiras com os dizeres “Cansei”. Precisamos de sujeitos engajados em uma luta comprometida com os movimentos sociais e populares, aliados aos anseios dos trabalhadores!

    Reiteramos, mais uma vez, nosso ânimo e contentamento em viver tudo isso, mas mantenhamos os pés no chão para não defendermos um discurso uníssono no qual o senso comum pode se misturar com o que deveria ser um discurso crítico e de esquerda.

    Camila Petroni é historiadora pela PUC-SP, Assistente Editorial e mestranda em História Social pela PUC-SP. Lattes: http://lattes.cnpq.br/371694913814605

    Débora Lessa é socióloga pela PUC-SP, Professora de Sociologia e mestranda em Ciência Política pela PUC-SP. Lattes: http://lattes.cnpq.br/2369964242733352

    http://www.brasildefato.com.br/node/13269#.UcElluO94KY.facebook

  216. Pedro said

    Será que nossa imprensa tão moderna, não consegue apresentar um balanço dos protestos em todo o país?
    Só aqui em SC, já são 8 cidades.

    Alguém sabe dos números no país?

  217. Otto said

    Deem uma lida.

    http://www.brasilcultura.com.br/sociologia/relato-de-como-descobri-os-infiltrados-nos-movimentos-do-mpl-pelas-ruas-do-brasil-artigo/

  218. Otto said

    “Dentro em breve veremos reabilitarem o discurso da ditadura cívico-militar com os setores mais conservadores da Igreja Católica, como TFP e Opus Dei somando-se aos pentecostais, que são centros de pregação do ódio e de disseminação da infâmia. Assim como forças antidemocráticas estavam à espera do AI-5 para agir no tempo da ditadura, alguns filhotes do derrotado
    regime voltam à carga hoje e podem muito bem se apropriarem de movimentos como
    esses e lançarem à linha dura às viúvas do velho processo repressivo e dar
    oportunidade de exercer, na prática, a sua fé fascista e antidemocrática.”

    http://www.brasilcultura.com.br/sociologia/desafios-do-nosso-tempo-artigo/

  219. Pax said

    Ah, Otto, cheiro de 64 só pra quem está com rabo preso ou ficha corrida.

    Sinto muito discordar. Não vai pegar. Chega a ficar um tanto patético isso vir de qualquer torcida organizada. E tenho visto dos dois lados.

    Não vejo a mínima chance de qualquer golpe neste sentido. O que pode e espero que aconteça é um duro golpe, sim, para quem adotou os modelos de corrupção.

    E a lista é bem grande, assim como as mudanças necessárias.

  220. You can't fix stupidity! said

    1.Pedro

    mapa das manifestações no Brasil:

    http://g1.globo.com/brasil/protestos-2013/infografico/platb/

  221. You can't fix stupidity! said

    Edu

    O Alkimim levantou o cartaz dele:

    Alckmin aponta para governo federal ao sublinhar questão inflacionária
    Um dos principais alvos dos tucanos nas críticas ao governo federal, a inflação foi destacada pelo governador Geraldo Alckmin (PSDB) como o motivo para o reajuste das tarifas de ônibus, trem e metrô, que deflagrou as manifestações dos últimos dias por todo o País. Ao sublimar a questão inflacionária no momento em que os protestos ganham uma dimensão nacional, Alckmin coloca o governo de Dilma Rousseff (PT) no centro da polêmica – por enquanto, governo do Estado e Prefeitura dividem o maior ônus do aumento das tarifas.
    “Sobre o mérito, só uma palavra. O reajuste, no caso da Prefeitura, dos ônibus, e no caso do Estado, do metrô e trem, seria em janeiro. E tem inflação. Por que tem reajuste? Porque tem inflação. Se não tivesse inflação, não teria reajuste. Infelizmente, tem. Nós já seguramos seis meses. Depois, o reajuste que foi dado foi menor que a inflação”, declarou o governador hoje, em Barueri, durante divulgação de investimentos para tratamento de esgoto na região.
    __________________________________
    Na pesquisa divulgada pela CNI/Ibope hoje, além da queda de popularidade da incompetenta, um dado é importante:

    57% da população desaprova o combate à inflação do governo do PT e da Dilma.
    C.Q.D.

    Será que já temos 57% de elite golpista no Brasil?
    Otto vai ficar mais pessimista ainda. Desse jeito vai ter que voltar para Galiza.
    hehehe

  222. Otto said

    Pax, se a Globo e a Michele apoiam (veja post #220) é por que tem cara de 64.

    Leia o link que postei no #217.

    É um remix da Marcha da Família com Deus pela Liberdade.

    Isto não tem nada com o MPL, que foi o inocente útil.

    Espero estar errado.

  223. You can't fix stupidity! said

    Ei, Otto pode me emprestar seu Senso de Ridículo?
    Não? Por que?
    Ah, você perdeu? Faz tempo? Nem lembra quando tinha?
    Tá bom, deixa para lá.
    Fica pra próxima.
    ______________________________

    Nesse meio tempo dou uma dica de site sobre Galiza:
    http://www.galizanova.org/gl/novas

    depois passo mais dicas

  224. Otto said

    Tou falando: tem cara de 64 e a Michele tá tendo orgasmos. Mas não passarão.

  225. Pax said

    Caro Otto,

    Desculpe-me, novamente. Não consigo concordar. Só vejo petistas reclamando disso, dessa suposta ameaça. Bom sinal, com certeza, não é.

  226. Pedro said

    MIchele #220, valeu.

    Assim temos uma ideia melhor da dimensão dos protestos.

    …………

    No que isso vai dar? Não sei.
    Mas tenho certeza que em golpe militar não é.
    Deixa de paranoia Otto.

  227. You can't fix stupidity! said

    As manifestações vão continuar….a petralhada está apavorada.rsrsrs

    Veja a “elite” que saiu do Brasil no dia em que lula foi eleito.
    Eu saí no final de 2003 ao perceber que a corrupção ( problema antigo) só tinha piorado com a eleição daquele que veio pra mudar tudo isso que está aí.
    10 anos depois percebo que eu tinha razão: tudo mudou pra pior.

    A Carla me representa ..veja porque:

    os ottos da vida estão com medo de pereder a “boquinha”.
    Voltarão a ser os “loosers” arrogantes de sempre.
    Comendo mortadela e arrotando perú, sobre este governo de merda.

  228. Edu said

    hahahaha!!!

    Agora sim o protesto está chegando nas pessoas certas.

    Malabarista malabarizando:

    http://noticias.uol.com.br/cotidiano/ultimas-noticias/2013/06/19/governo-nao-tem-mais-espaco-para-desoneracoes-diz-mantega-sobre-tarifas.htm

    “Após reunião com parlamentares nesta quarta-feira (19), o ministro da Fazenda, Guido Mantega, afirmou que o governo não tem mais espaço para cortar mais impostos referentes às tarifas de transporte público no país.”

    É óbvio que não tem de onde tirar!

    O Lula e a Dilma transformaram a máquina pública num Gigantossauro Branco.

    Economicamente o Brasil sofre uma onda de desconfiança do mercado. E o mercado é a única coisa que pode salvar as contas públicas mal geridas para não afetar o superávit primário (que já está flexibilizado, como demonstrei anteriormente).

    Se o governo não mostrar que anda em dia, o mercado pode ficar mais emburrado com o Brasil. Aí a coisa vai ficar feia.

    E aí Dilma? E aí Malabarista?

    Aliás, a Dilma tinha prometido um pacote de medidas fiscais… alguém sabe? Alguém viu?

  229. Pax said

    Caro Otto,

    Trago para cá o texto de um desconhecido, que diz muito do que penso. Vi no Facebook do Idelber Avelar.

    por Moysés Pinto Neto

    “Petistas choramingando sobre os protestos significa que realmente o impulso emancipatório que o partido carregava foi totalmente para o brejo, superado pelo fanatismo, burocracia e acomodação. Se ainda tivesse algum, estaria ao lado dos manifestantes, dividindo as ruas, aproveitando a energia para transformar as instituições e desfazer parcerias asquerosas que foi construindo nos últimos 10 anos – partindo para o ofensiva ao invés de fazer alianças com Blairo Maggi, Feliciano, Kátia Abreu, José Sarney e Renan Calheiros, para citar apenas alguns óbvios.

    A tese conspiratória do golpe da direita é a velha retórica do velhíssimo marxismo/esquerdismo que suspeitou da Hungria, da Tchecoslováquia e depois de todos os movimentos de 1968. Aliás, não é por acaso que o Governo brasileiro segue a mesma linha tecnocrática e medíocre. A mesma posição conformada que, se negando a enxergar sua própria deterioração, rejeita toda alternativa usando a retórica do medo que qualquer esquerda deveria se empenhar em desconstruir.”

  230. You can't fix stupidity! said

    É isso aí Pax…vamos lutar pela volta do velho e bom socialismo.
    Aquele antes do PT no poder. Sem medo de ser feliz, Mas sem atrapalhar o Brasil.
    Os progressista de sempre hoje se transformaram em reacionários…têm medo de mudanças.Vivem de imagens de propaganda do governo federal.
    Vivem de bolsas-cala-a-boca.

    Tô cansada de retornar ao Brasil, pra visitar meus amigos e parentes, e ficar apavorada com os preços (5 x maiores) com a violência generalizada e falta de infra-estrutura pra atender as necessidades do povo trabalhador, de verdade…e ao mesmo tempo gastar ~30 bilhões pra promover a Copa.

    Quando alguma coisa dá errado culpam a oposicinha ou inventam uma teoria da conspiração – vide caso Caixa e tumultos de saque de algumas semanas atrás. O Cardozão emudeceu.Otto nem entendeu o que está acontecendo, como a maioria de todos nós e já está “diagnosticando” a situação.
    tsk,tsk,tsk! 3 muxoxos
    Otto não é maxixe, é muxoxo, rsrsrs

  231. You can't fix stupidity! said

    Por que das manifestações ? Ou o porquê das manifestações

    aqui vai uma dica: Elas acontecem porque:

    Precisa dizer mais ou terei que desenhar!
    __________________________
    (Pax entendeu agora os vários usos das palavras “por” e “que”. em suas várias circunstâncias?)…

  232. You can't fix stupidity! said

    No país em que elegi pra viver….se houvesse uma manifestação nacional, igual ao que estamos assistindo nestes dias, o presidente já teria pedido demissão.
    Por isso os ottos da vida começam a boatar sobre golpes – teoriconspirando sobre a realidade.

    Pergunto: O que dilma, a incompetente impotente pode fazer pra corrigir esta situação?

    NADA! O governo morreu e esqueceu de deitar… e a oposição morta e deitada pode ressuscitar.Simples assim.

  233. Otto said

    Pax:

    “A tese conspiratória do golpe da direita é a velha retórica do velhíssimo marxismo.”

    Não sei a sua idade, mas antes de abril de 64 diziam a mesma coisa.

    Quanto ao Idelber, ele virou um psolista ressentido.

  234. Otto said

    Onde você mora mesmo, Michele?

  235. You can't fix stupidity! said

    O governo lulista acabou em apenas uma semna e meia e otto fica discutindo a posição ideológica do Idelber…hehehe
    __________

    A decisão de redução do reajuste das tarifas de ônibus, metrô e trens significou uma solução de curto prazo. Afinal, pode reduzir o ímpeto dos manifestantes, mas traz uma armadilha: dificuldades a médio e longo prazos.

    Isso porque, a partir de agora, está sacramentada a ideia de que a mobilização popular paralisando a cidade é capaz de acuar as autoridades, que vão ficar cada vez mais temerosas, principalmente em períodos eleitorais, de mexer nas tarifas. Tanto o governo municipal quanto estadual têm a tarefa de apontar de onde vai sair o dinheiro, já que os subsídios ao transporte vão aumentar consideravelmente. Além disso, serão criadas novas áreas de conflito, já que cortes orçamentários e eventuais aumentos de impostos tendem a criar novas áreas de tensão. Não há dúvida de que tanto o governador Alckmin quanto o prefeito Haddad souberam reagir rapidamente ao clamor das ruas, e evitaram um potencial explosivo das manifestações que poderia sair de controle, levando, inclusive, a consequências de nível federal.

    Nesse momento, eles podem até comemorar ter acalmado os manifestantes, mas deram mais poder a esses grupos, que se viram fortalecidos para novos protestos e reivindicações, levando em conta uma série de pautas latentes da sociedade.

    O que estava em jogo nas manifestações não era apenas a tarifa dos transportes –estava em jogo toda uma demanda por melhor qualidade dos serviços públicos, das mais variadas áreas da educação à saúde. A tarifa de ônibus era apenas um elemento aglutinador de todas essas insatisfações. (…) GD
    ____________________________

    O monstro saiu da toca! até lula está com medo.

  236. You can't fix stupidity! said

    Corrijo-me

    O monstro saiu da toca!
    até lula está com medo de macular sua biografia ( e diminuir o cache por palestras)

  237. Otto said

    “Tô cansada de retornar ao Brasil, pra visitar meus amigos e parentes, e ficar apavorada com os preços (5 x maiores) com a violência generalizada e falta de infra-estrutura pra atender as necessidades do povo trabalhador, de verdade…e ao mesmo tempo gastar ~30 bilhões pra promover a Copa.”

    Ô meu Deus!

    Quanto foi a inflação dos 8 anos de FHC?
    E o desemprego?
    E os juros?
    Quanto era o salário mínimo?
    De quanto eram as reservas do Brasil?
    Ah, e a infraestrutura era ótima…

    Te desafio a trazer aqui esses números, Michele, e vamos discutir em torno de dados e não de achismos e desejos.

  238. Otto said

    “Tô cansada….”

    Olha o Cansei aí minha gente!

    kkkkkk

  239. Otto said

    “O que estava em jogo nas manifestações não era apenas a tarifa dos transportes –estava em jogo toda uma demanda por melhor qualidade dos serviços públicos, das mais variadas áreas da educação à saúde.”

    Concordo com isso, mas o PSDB é o pior partido pra fazer isto, já que a única coisa que eles sabem fazer é privataria com o patrimônio público. DEM, PPS et caterva também.

  240. Otto said

  241. Ches said

    http://coturnonoturno.blogspot.com.br/2013/06/desce-aiseu-ladrao-gritam-os-jovens.html

    EU AVISEI!!

  242. Otto said

    Não falei? As vivandeiras de quartel já andam alvoroçadas! Vide acima; #241

    É o velho CCC.

  243. Pax said

    Caro Otto,

    Leia aqui. Diz muito do que penso.

    http://www.brasil247.com/pt/247/poder/105752/

  244. Pax said

    Mais um, Otto, acalme-se, não leia as mensagens cifradas do Dirceu que você, minha opinião, se perde…

    http://www.diariodocentrodomundo.com.br/o-que-o-mpl-esta-dizendo-ao-pt/

  245. Otto said

    Li, Pax, e concordo. O PT, em termos de politização, se acomodou.

    Quem sabe ele agora acorda, porque os fascistas — embora minoritários — estão acordados.

  246. Jose Mario HRP said

    A coisa mais patética nessa tentativa da globo em manietar os protestos são as declarações colhidas a esmo pela tv, mostrando jovens tranquilos transmitindo menssagens pacificas de bons moços.
    O pico disso tudo engendrado pela tv foi o “solidário” e sublime depoimento de Alexandre Garcia, o chamado voz da ditadura, que privava da intimidade dos tres ultimos generais ditadores do Brasil Garrastazu/Geisel/Figueiredo!
    Elogiando os protestos, dizendo que jamais havia visto protestos e passeatas de tal intensidade e legitimidade!
    Que bonzinho!
    E olha que ele assistia todas as “passeatas” de 07 de setembro, no palanque na companhia dos “homis”!
    Alexandre Garcia, libertário!
    KKKKKKKKKKKKKKKKKKKK…………
    Semverga!

  247. Jose Mario HRP said

    A maior palhaçada que rola na net é o tal abaixo assinado dos “jovens”(provavelmente os mesmos que vem perdendo tres eleições a fio)
    , que já teriam conseguido quase 300 mil assinaturas , pedindo impeachment da Dilma!
    Eu sabia que a direita iria colocar o bode na sala da Dilma.
    Perdem sempre e agora já não escondem o golpismo barato.

  248. Pax said

    Esse Rui Falcão só faz cagada mesmo…

    http://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/2013/06/1298137-pt-participara-de-protesto-na-av-paulista-hoje-diz-rui-falcao.shtml

  249. Edu said

    HRP,

    A Dilma que escreveu o seu nome numa lápide quando resolveu achar que o Brasil tinha como sustentar 2% de juros reais.

    Sinto muito cara.

    Como eu disse: uma vez que ela foi eleita, eu esperava que ela fizesse um ótimo governo, mesmo tendo diferenças ideológicas. Assim como o Lula fez (um governo bastante razoável). Ela sofre 2 problemas:

    1 – Ela tinha que ter efetivamente implementado o PAC… e não fez.
    2 – Ela tinha que ter feito a lição de casa econômica… e não fez.

    Agora ela vai ter que remar muito, mas muito mesmo se ela quiser dar continuidade à sua gestão, ou mesmo à gestão do PT.

    O que a direita fez, HRP? Nada! Absolutamente nada! Nem o PSDB, que é outra esquerda sem vergonha, conseguiu fazer alguma coisa… continua lá, perdido, sem voz e sem vez.

    A Dilma se enterrou sozinha, sem ajuda de ninguém, centralizadora como ela gosta de ser.

    —X—

    Otto,

    Tá com medo? Eu achei q vc tinha dito que era a classe média que tava com medo…

    —X—

    Michelle,

    Vamos aguardar… tem mto chão ainda pela frente.

  250. Pax said

    O “bofe” está exaltado, convocando toda a bancada…

    O que fará, então, o PT. Vai rezar nesta cartilha pra manter a governabilidade?

    http://www1.folha.uol.com.br/poder/2013/06/1297589-feliciano-nega-provocacao-as-manifestacoes-e-recomenda-juizo-a-maria-do-rosario.shtml

  251. Jose Mario HRP said

    Que desgraça:
    Dilma com 55% de aprovação!
    KKKKKKKKKKKKK……
    Bom depois disso tudo já era de se esperar!:

    o Golpe Cansei
    o Golpe dos Aloprados
    o Golpe da Bolinha de papel
    o Golpe da pedra preciosa o Tomate
    o Golpe da Inflação na Mesa.
    Essa nossa oposição golpista “LOSER” não cansa de passar ridiculo!
    Agora a tal colheita via net de assinaturas num abaixo assinado pedindo o impeachment da Dilma???
    E o picolé de chuchu?
    Proponho não só o impeachment desse fascista, mas sua execração em praça pública!

  252. Edu said

    Otto,

    Deixa eu entender, parece que não ficou claro:

    É a reaça do PT que está tentando se apropriar do movimento?

    O que é que o PT vai fazer lá na rua hoje?

    O PT é reaça? Ou o PT é um partido dos trabalhadores?

    Se é o Partido dos Trabalhadores, porque ficou caladinho quando o Haddad aumentou pra 3,20 a tarifa? Não era os trabalhadores que o PT sempre defendeu?

    Por que o povo teve que sair às ruas para defender os trabalhadores do Partido dos Trabalhadores?

    Quantas incoerência!

    Quantas perguntas que os PTs não conseguem responder!

    Quanta graça e diversão!

    hahahahaha

  253. Jose Mario HRP said

    É, o pastorzinho racista, preconceituoso/ radical, tem seu lado talentoso:
    Inventou a viagem temporal.
    Conseguiu que voltássemos a idade média!

  254. Zbigniew said

    Quem escreveu o nome num lápide foi o Alckmin. Sem ele, talvez, esses movimentos não tivessem adquirido tal dimensão. Obrigado Alckmin. Obrigado reaças!

    “Do Escrevinhador

    Para onde vai a onda das manifestações?

    por Pablo Villaça, no Diário de Bordo

    Hoje participei da manifestação que ocorreu em Belo Horizonte e sinto-me à vontade para dizer algo: Geraldo Alckmin conseguiu o que queria e entrou para a História do Brasil. Não como sonhava entrar, mas seu nome já está garantido ao menos como nota de rodapé nos livros didáticos.

    Explico: até a noite de quinta-feira, 13 de junho, o movimento que ocorria pontualmente ao redor do Brasil em protesto ao aumento das passagens de ônibus era algo relativamente difuso, sem muito potencial para crescimento. Havia duas opções de desfecho: as passagens seriam reduzidas (como ocorreu em Porto Alegre) e tudo voltaria ao normal ou eventualmente a negativa das empresas e do governo deixaria claro que nada poderia ser feito quanto à questão. No entanto, a partir do instante em que Alckmin agiu como Alckmin (e Serra) e ordenou que a PM reprimisse a manifestação popular com força desproporcional, catalisou um processo que talvez levasse um tempo infinitamente maior para se cristalizar. Ninguém gosta de um bully – e o governo tucano, como já havia se mostrado em tantas outras ocasiões (com professores da rede pública, estudantes da USP, habitantes do Pinheirinhos e até mesmo com a Polícia Civil), não hesita em se entregar ao bullying sempre que questionado.”

    http://www.rodrigovianna.com.br/outras-palavras/para-onde-vai-a-onda-das-manifestacoes.html#more-19862

  255. Pax said

    Sugestão de “leitura”…

    [audio src="http://download.sgr.globo.com/sgr-mp3/cbn/2013/colunas/kennedy_130620.mp3" /]

  256. Pedro said

    Ontem teve passeata aqui na frente de casa.
    Infelizmente cheguei no final, fiquei preso nesta poha de BR 101, (um acidente num trecho não duplicado).
    O que consegui observar:
    Tudo na paz.
    Policia? orientando o transito e só.
    Tinha publico de todos os tipos e gostos, mas a maioria era de estudantes.

    …….

    Pensaram que comprando a UNE os estudantes estariam domesticados.
    Ledo engano, parece que a grande maioria dos estudantes não dá a mínima pra UNE.
    Acho que se acionarem o Procon, a UNE vai ter que devolver a grana. :-)
    .

  257. Pedro said

    Edu # 252, tá engraçado mesmo.

    Se correr o bicho pega, se ficar o bicho come.

  258. Jose Mario HRP said

    Brazil, ou o país onde 55% de aprovação é ruim!
    KKKKKKK.
    Momento humor.
    Comparam a coisa daqui com a Turquia.
    Dois governos legítimos.
    A diferença:
    Aqui a oposição recebe atenção, pois a governante não governa para partidários e sim para o povo.
    Lá, Erdogan eleito pela atual maioria islamica, começa a perder legitimidade ao governar para só um lado, com viés autoritário e mais que populista, caudilhescamente.
    Bem ao estilo PSDB/PEFELE(DEM é muito feio!).

  259. You can't fix stupidity! said

    PATA MANCA E GULOSA

    1. Além do Kennedy …eta presidenta incompetenta o fracasso é apontado tambem pela Vera Magalhães no Painel da FSP

    (…)Além disso, há entre os ministros uma crescente insatisfação –batizada ironicamente entre eles de “Cansei”– com o estilo da presidente, criticada por não ouvir auxiliares e tomar decisões isoladas. Aliados reclamam ainda da falta de diálogo com movimentos sociais, base do petismo.

    Para relaxar Antes de voltar a Brasília após conversar com Lula, na terça, Dilma encomendou três porções de polpettone e três de espaguete ao alho e óleo do Jardim de Napoli, tradicional cantina paulistana. A refeição foi entregue no avião presidencial e consumida ainda a bordo.

    2. Se ela trocar o Mantega pelo Mercadante, o incompetente conselheiro da incompetenta,, acabará sendo “escorraçada”do Planalto antes do final do mandato. Se mantega é uma bosta, Mercadante é “hara-bi-chueba” ( um merda de bigode em árabe.

    3. Pax “saindo do armário” tá deixando hrp e otto com a pulga atrás “dazoreia”

    4.Dependendo do resultado da melancólica passeata da vitória de hoje, a petralhada do pedaço vai cortar os pulsos.

    5.Nada mudou e vai piorar ainda mais.Os protestos a favor da Educação, Saude e Segurança – areas onde o PT é muitíssimo fragil – vão ser o tom daqui por diante.

    Seria cômico se não fosse trágico.

  260. Otto said

    Michele, você não me respondeu ainda.

    Edu, não é você se homiziou numa padaria com medo dos baderneiros?

  261. Otto said

    Não dá pra não ver:

  262. Otto said

    Globo é humilhada ao vivo:

    Quá-quá-quá!

  263. Edu said

    Otto,

    Não cara… Eu falei pra vc q vc taá confuso, entendendo tudo errado?

    Vc eh professor e literatura msm?

    Eu estava jantando na padoca, e a galera passou. Os funcionários ficaram assustados.

    Esses dias eu fui e voltei ao trabalho à pé, de casa. Passei no meio da galera, de boa. Eu me misturo bem com o povo, Otto. Nem preciso levantar bandeira de partido pra isso…

  264. You can't fix stupidity! said

    Edu

    Conforme antecipei ha 1 ou 2 dias….em 2 videos

    o que catzo o Pt queria faturar nessa manifestação ?

    Acabou sendo mandado tomar naquele lugar tão confortável KKKK

    A petralhada não aprende.No fundo, inconscientemente, acho que eles querem mesmo o que a multidão grita!

  265. You can't fix stupidity! said

    Mais..quer mais?

    17h55 – SÃO PAULO – Seguem as hostilidades entre militantes do PT e o restante dos manifestante na Avenida Paulista. Já houve ao menos dois princípios de tumulto e agressões: os que não querem a presença de partidos na marcha, jogam garrafas d´água e puxam bandeiras de um grupo de cerca de 200 pessoas do PT. Acuados, eles seguiram no sentido Paraíso da Paulista, mas foram seguidos por um bloco ainda maior, sob gritos como “mensaleiros” e “sem partido”.
    Militantes do PT tiveram que formar uma corrente humana ao redor das bandeiras do partido por causa das provocações vindas dos manifestantes contrários à presença da sigla na manifestação, na Avenida Paulista, nas proximidades da Rua Pamplona. Uma série de pequenos tumultos se formam ao redor do grupo petista, com troca de empurrões e muitos gritos e, eventualmente, socos entre militantes e pessoas contrárias ao PT. As agressões no entanto tem sido controladas até o momento em poucos segundos.

    Mas o clima segue tenso na Avenida Paulista.
    ___________________
    E dilma segue em reunião com Mercadante enquanto a multidão protesta contra o governo no gramado defronte ao Congresso e o Palácio do Planalto.
    Isto é só o começo. A noite vai ser longa!

  266. Jose Mario HRP said

    55% de aprovação!
    E continua a cantilena………………

  267. Jose Mario HRP said

    o PTdespertou?
    SIM!
    Agora precisa de remédio ou papo furado da direita1!

  268. Jose Mario HRP said

    O Rio está em transe, relação as passeatas.
    o rebenque da meganha carioca risca o corpo dos revoltosos do Rio! Cabralzinho em ação11111111111111111111111111111111

  269. Otto said

    Edu, eu escrevi no “modo irônico”.

    ;-)

  270. You can't fix stupidity! said

    Convocação feita pelo presidente do PT, Rui Falcão, para que militantes do partido fossem às ruas pode terminar mal; no Rio, militantes da CUT foram cercados e agredidos e tiveram suas bandeiras rasgadas; em São Paulo, pode haver confronto entre manifestantes ligados ao PT e a outras forças sociais; a líder do Movimento Passe Livre, Mayara Vivian disse hoje que concentração em separado de militantes do PT “é um equívoco”, mas que “todos são bem-vindos”; sublinhou, porém, que vitória não teve nada a ver com ação do partido; “Vitória é do povo”, diz nota oficial do MPL; íntegra

    _______________________________

    O PT despertou????

    b>Sim. foi até o banheiro, obrou e voltou pra cama… esperando o furacão passar.

    Por enquanto é apenas um furacào de nivel 1….rezo pra que não chegue ao máximo 5 …com ventos de + 100 milhas por hora. Vide New Orleans.Nivel 3

    Se continuar assim até a Copa no ano que vem ficará ameaçada.
    Infelizmente.

  271. You can't fix stupidity! said

    reti-ratificando:

    O PT despertou????

    Sim. foi até o banheiro, obrou e voltou pra cama… sem lavar a bunda ..
    esperando o furacão passar.

    será que dilma irá se candidatar à reeleição ou alegará “motivos de saude”????
    ______________________________________________
    Observo:

    Gostar de “polpettone paulista”, ela gosta.
    Também gosta de “spaghetti al aglio e olio”.
    Mas com força e areia…nem fino nem grosso KKKKK!
    Mercadante, o irrevogável que o diga!

    Tirando o contratempo e o extremo abuso de liberdade para parar cidades inteiras…
    (uma violência contra todos os cidadãos indefesos), ainda rezo para que esta MAL venha para o BEM!
    Sou muito emotiva e estou muito triste com tudo isso.
    É melancólico! O Brasil do PT é violento e melancólico!

  272. Otto said

    E aí, Pax, sua opinião?

    “Assim como manifestantes da CUT em São Paulo, representantes de partidos de esquerda foram igualmente hostilizados, com violência, na Avenida Paulista.

    Membros do PT, do PC do B, do MST, do movimento pela moradia foram empurrados, levaram garrafa na cabeça e foram xingados.

    Manifestantes rasgaram faixas e bandeiras do partidos de esquerda.

    Atrás do grupo dos partidos de esquerda e dos representantes da CUT vinham pessoas mascaradas aos gritos de “ditadura já !”.

    Paulo Henrique Amorim

  273. You can't fix stupidity! said

    Tinha decidido parar de escrever e ver TV ( satélite) e mudei de idéia agora.

    Cadê a PRESIDENTA?
    ______________

    Como euzinha já tinha aqui escrito…a Maria Antonieta continuou comendo polpetonnes…e spaghettis. Pata manca e gorda.

    Parece que não estou sozinha ao identificar a personagem:

    20/06/2013 às 21:24
    Acorda, Maria Antonieta, nem que seja para comer brioches. Fala, Dilma!!!

    Já que os petistas parecem não saber o que dizer à presidente, então que ela ouça alguém, como eu, que torce para que ela perca a eleição de 2014 — a menos que tenha como adversário (a) no segundo turno alguém ainda pior.

    E o meu conselho é este: “Acorda, Maria Antonieta! Nem que seja para comer brioches!”. Aí, dê uma olhadinha ao que se passa lá fora e faça um pronunciamento à nação.

    Se aceitar o meu conselho, presidente, cuidado com o que falar! Vossa Excelência já puxou o saco de manifestantes. Seus ministros, inclusive este inacreditável José Eduardo Cardoso, o “desministro” da Justiça, já demonizou a Polícia de São Paulo. Agora é hora de pedir ordem, excelência! Agora é hora de pedir ordem democrática!

    Eu sei que estou sendo injusto com a Maria Antonieta, que não era aquela sonsa que passou para a história, coitada!

    Só um pronunciamento, agora, governanta, é decente e legítimo! Assegurar que a ordem será mantida e que aqueles que desrespeitarem as leis irão para a cadeia.

    Todo o bem que a senhora fez à humanidade, nós já conhecemos. Como se nota, ele não está sendo suficiente para levar a paz às ruas.

    Por Reinaldo Azevedo
    _________________

    NA MINHA OPINIÃO

    Otto, acorda! o Pax já falou o que achava às 9:25 aí em cima( e eu concordei) ….
    confira lá e pare de repetir asneiras paulohenriqueamorinianas

    Disfarça e saia de fininho.Sua ausência virá preeencher uma lacuna.

    .

  274. You can't fix stupidity! said

    QUINTA-FEIRA, 20 DE JUNHO DE 2013
    Após ver a militância mensaleira apanhar nas ruas, presidente do PT deleta Onda Vermelha.
    O presidente do PT, Rui Falcão, retirou nesta quinta-feira (20) do Twitter a mensagem com a hashtag “#OndaVermelha”, em que chamava seus leitores para se juntar aos protestos pelo país. Seu site, porém, à noite ainda mostrava mensagens com referência à hashtag. No ato na avenida Paulista, em São Paulo, houve confusão entre membros de partidos e militantes que se autodenominavam “nacionalistas”. Depois da briga, os petistas presentes acabaram se retirando da manifestação.

    Em entrevista à Folha publicada hoje, ele já havia conclamado a militância do partido a participar do protesto na avenida Paulista liderado pelo Movimento Passe Livre. O presidente do PT também divulgou uma nota defendendo que a militância fosse às manifestações. “O PT vai pra rua! A luta por transporte público é uma bandeira histórica do PT!”, afirmou. Procurado, Falcão não foi localizado para comentar por que apagou a mensagem.(Folha Poder)
    _____________________________

    MINHA OPINIÃO
    Este cara Joaquim ( ou Manoel) é um canalha irresponsável que se pretende ininputável ( como lula).
    Trairão como diriam os petralhas.

    Covardão digo eu:
    atira a pedra e esconde a mão.

  275. Otto said

    Michelle cansada, você ainda não me respondeu as perguntas de #234 e 237.

  276. You can't fix stupidity! said

    Mais

    20/06/2013 – 21h30
    Jacques Wagner critica adesão do PT a manifestações pelo país
    CATIA SEABRA
    DE BRASÍLIA

    O governador da Bahia, Jacques Wagner, criticou nesta quinta-feira (20) a adesão do PT ao protesto sem a definição de uma pauta específica de reivindicação. Afirmando que “o PT tem responsabilidade com a nação”, Wagner disse temer a idolatria ao movimento.

    “É correto o PT não hostilizar nem criminalizar o movimento. Agora, precisa saber como entra. Não pode engrossar uma coisa difusa. Tenho medo dessa glamourização”.

    – Manifestantes entram em confronto na av. Paulista; homem fica ferido
    Manifestantes entoam palavras de ordem contra partidos em ato em SP

    Wagner evitou comentar o teor das entrevistas do presidente nacional do PT, Rui Falcão, que conclamou a militância do PT a engrossar as manifestações. Insistiu, porém, que o papel do partido é identificar as demandas e seus interlocutores dentro do movimento. Não “fazer massa”. Se não, “vira woodstock”.

    “Tem que organizar a demanda.
    Está protestando por quê?
    Como viabilizar? Se não, vira woodstock”, afirmou o governador.

    E acrescentou: “Com que objetivo o PT pede para a militância entrar no movimento, é para fazer massa? Estou fora. A gente é presidente, governador, deputado…Quem está na rua não está identificando nos partidos políticos veículo de transformação. E o PT faz parte da política. O PT vai para rua fazer o quê? Só dizer que não está contra?”

    Enfrentando protestos no Estado, o governador do Rio Grande do Sul, Tarso Genro, informou, por intermédio de sua assessoria, que não comentaria as declarações de Falcão nesta quinta-feira porque precisava se dedicar à segurança durante as manifestações.

    O governador do Distrito Federal, Agnelo Queiroz, foi aconselhado a não polemizar com o presidente do PT.

    A Folha apurou que a iniciativa de Falcão contraria aliados do prefeito de São Paulo, Fernando Haddad.
    No Palácio dos Bandeirantes a preocupação foi com a garantia da integridade física de petistas durante protestos.
    A avaliação é de que a participação de políticos nas ruas gera mais tensão.
    _____________________
    Edu… a situação evolui rapidamente para o fim do governo da pata manca e gulosa, sem que a oposição esteja preparada pra tentar assumir o poder….A baderna nas ruas está instaurada e prometendo crescer mais ainda.
    Há um vácuo de poder e como nós sabemos a Natureza não suporta vácuos.
    Prefiro michel temer…(o mordomo da familia adams – lula e dilma).
    É menos incompetente e o ano que vem haverá eleiçoes.
    Mas…acima de tudo:
    _- Que aconteça o melhor pro Brasil!

  277. You can't fix stupidity! said

    Otto
    agora respondo:

    ” ÏT’S NOT YOUR FUCKING BUSINESS! “

    Saiba apenas que, no país onde moro, se eu for parada (sem motivo) por um policial nas ruas e ele perguntar alguma coisa impertinente ..eu tenho o direito de responder:

    ” ÏT’S NOT YOUR FUCKING BUSINESS! “

    Entendeu a semelhança/diferença ???

    Mas para aguçar sua inteligencia cito frase de Marley:

    My home is in my head.

  278. Edu said

    Hahahahaha

    #sempartido

  279. Jose Mario HRP said

    Morreram os primeiros dois.
    Parabens a violencia.
    Por enquanto a globo está conseguindo conduzir a massa ao caos.
    Esperemos para ver , quanto de mais desgraças irão acontecer!
    Em São Vicente vários supermercados saqueados, mortes em Ribeirão Preto, Foruns estaduais fechados as 16:30 ontem, sem plantão judiciário.E o estado de direito ruindo?
    Encapuzados na Paulista pedindo a ditadura e fim dos partidos………

  280. Jose Mario HRP said

    Aos poucos a globo vai direcionando os protestos contra o governo federal, apesar de que são as prefeituras que são os alvos principais dos fascistas.
    Ontem vandalizaram a de Campinas e deixaram vário guardas feridos.
    O caso do Itamaraty é especialmente triste, pois o prédio é um dos mais artisticos e bonitos da capital, longe está a massa do significado na arquitetura dessa obra prima de Niemeyer.

  281. Jose Mario HRP said

    Reparem na foto, pois alí entre aqueles que “protestam , está encoberto pelo “Pescocinho” e os outros meninos o Alexandre Garcia tipo papagaio de pirata!
    KKKKKKKKKKKKKK

  282. Otto said

    Michele, vc. não me respondeu tudo.

    E os dados? A inflação, desemprego, infraestrutura de FHC?

    Você é especialista em sair de fininho.

    Ah, você mora nos EUA, o país da megaespionagem mundial e dos assassinatos por drones sem mandato judicial?

    E o Occupy, foi desocupado com flores e gentileza policial?

  283. Jose Mario HRP said

    Pax, Zbig,Otto, Patriarca, o Sakamoto resumiu bem o que há nesse bolo das passeatas:

    http://blogdosakamoto.blogosfera.uol.com.br/2013/06/21/e-em-sao-paulo-o-facebook-e-o-twitter-foram-as-ruas-literalmente/

  284. Jose Mario HRP said

    http://noticias.uol.com.br/cotidiano/ultimas-noticias/2013/06/21/apos-hostilidade-a-partidos-e-pauta-conservadora-mpl-nao-convocara-mais-atos.htm

    Eles não vão, então quem irá?
    Com a palavra direita, e seus manos!

  285. Edu said

    HRP,

    Nisso vc tá certo. Essa massa disforme foi útil para derrubar a pasagem de ônibus.

    Nesse ponto, a parcela da população que buscava algo mais amplo, como a corrupção por exemplo, está sendo calada.

    Eh bom pro povo perceber o que dá tentar fazer parte da esquerda. Eles só tem uma causa: a deles.

  286. Jose Mario HRP said

    09 anos da morte de Leonel de Moura Brizola!
    Um grande brasileiro.

  287. Jose Mario HRP said

    E agora João?

  288. You can't fix stupidity! said

    # 287 O video fica mais interessante no final.kkkkk

    Por outro lado, a Globo não é a responsável pelo atraso do país.
    Os responsáveis estão em Brasília – no Congresso Nacional

    Quem discorda?

  289. Otto said

    Michele, me responda, sua fujona.

    Edu: quem estragou a manifestação foi a direita.

    Ah, me lembro de um cara que também não gostava de partidos… acho que seu nome era Hitler.

    #sempartido = fascismo

  290. Otto said

    Petição contra o golpe:

    https://secure.avaaz.org/po/petition/EU_APOIO_A_PRESIDENTE_DILMA_CONTRA_A_TENTATIVA_DE_GOLPE_DE_SETORES_DA_ELITE_BURGUESA_DO_BRASIL/?aNunsbb#signup

  291. Edu said

    Otto,

    Pelo seu raciocínio, quem estragou o capitalismo foi a esquerda… até aí…

    Como é que vc sabe, Otto? Vc tava lá? Ou vc acredita na mídia, qualquer que ela seja?

    Vc deveria seguir os próprios conselhos e ir lá na praça ver como é que é.

    Todos estavam juntos, como acertadamente falou o Sakamoto, todas as maiorias e todas as minorias. O que fez o movimento pegar fogo foi justamente a ausência de ideologia ou partidarismo. É uma sensação bruta (no sentido de não lapiadada) de inconformismo.

    Por isso faz todo sentido que as pessoas unidas por uma causa que antecede qualquer ideologia seja contra partidos. Porque partidos necessariamente estão lá para “vender” suas ideologias, e o que se pede, é simplesmente responsabilidade dos governantes para com o povo. Nem mais, nem menos.

    E essa sensação é válida pra todos.

    Todos menos o pessoal do PT e a sua mídia particular, que passou os últimos 10 anos achando que o Lula, a Dilma, o Haddad, o Mercadante e todos os seus aliados estão ótimos na foto.

    E que o Brasil é o melhor país do mundo. Que quem faz corrupção não é o PT e seus aliados, mas o PSDB e o DEM.

    Então o PT se juntou à manifestação por que? Vc consegue explicar, Otto? Se eles estão se manifestando é pq estão achando ruim de alguma coisa. Vc consegue explicar o que eles estão achando ruim?

    —X—

    É óbvio que movimento chapa branca não dura nada. Uma hora a coisa ia decantar.

    A minha esperança é que decante, mas que decante em prol do Brasil e do debate político, e não em prol de paixão ideológica ou partidária.

    —X—

    O Sakamoto é um fofo mesmo!

    Depois, lendo com mais atenção o que ele escreve: “Lembrando que aumentar a democracia participativa não é governar por plebiscito – num país como o nosso, isso significaria que os direitos das minorias seriam esmagados feito biscoito.”

    Mesmo assim, o Chavez e o Morales são os reis dos referendos populares e plebiscitos.

    A esquerda é assim: ela é contra o que não é bom pra ela naquele momento.

    Assim como o MPL, agora a manifestação não é boa mais para ele…

  292. Edu said

    Senhores,

    Como eu dizia: a inflação não esta nada controlada.

    http://economia.uol.com.br/noticias/redacao/2013/06/21/inflacao-desacelera-em-junho-impulsionada-por-remedios-e-alimentos.htm

    E agora Dilma? Qual será a próxima desoneração? Eu particularmente ainda aposto na “flexibilização” da meta inflacionária.

    A folha deu outra opção: demitir o malabarista.

    Muito interessante! Eu não havia pensado nessa possibilidade. Seria uma saída política bastante interessante: a de ruptura com o Malabarista.

    Seria muito divertido vê-lo saindo, depois de 10 anos de trabalho pro governo sendo demitido por não conseguir fazer a economia andar.

    http://www1.folha.uol.com.br/mercado/2013/06/1298776-palacio-do-planalto-nega-mudanca-na-equipe-economica.shtml

    E do câmbio? Lembram que eu falei que essa história toda iria desaguar no câmbio?

    Câmbio a 2,27! Puxa vida… se vcs tivessem seguido o meu conselho teriam ganho um pouco de dinheiro! hehehehe

  293. Edu said

    Ah, vejam só…

    Um novo dado:

    http://www.valor.com.br/brasil/3170506/criacao-de-empregos-cai-484-em-maio-segundo-caged

    Lembram que eu falei do emprego?

    Pois é… os sinais começaram a aparecer…

    Quem tem medo do lobo mau?

  294. Edu said

    Vixe…

    A culpa provavelmente é da mídia…

    O Valor não tá perdoando hoje…

    http://www.valor.com.br/financas/3170168/bc-projeta-deficit-em-conta-corrente-maior-em-2013

    Lembram que eu falei da degradação da conta corrente?

    Que iria fazer o câmbio dar problema?

    Que iria fazer a inflação dar problema?

    Que iria ser acompanhado por desemprego?

    Pois .é…

  295. Edu said

    E a Petrobras do Elias?

    hahahaha

    Dá até dó!

    O Brasil é o único país do mundo que tem empresas de petróleo que dá prejuízo! A do Eike e a Petrobras!

    http://www.valor.com.br/empresas/3170176/petrobras-quase-atingiu-meta-de-corte-de-custos-do-ano-afirma-graca

    Quase! Quaseeee!!!!

    Uma dica: o câmbio piora toda a situação da Petrobras.

    Por que?

    Porque a Petrobras não consegue refinar o petróleo que é extraído aqui no Brasil.

    As refinarias foram contruídas principalmente para refinar óleo leve, e o óleo extraído aqui é pesado.

    A Petrobras tem que importar óleo leve, e exportar o óleo pesado.

    Agora me contem: como é que a conta fecha, com um câmbio desvalorizado assim?

    E a Dilma não deixa a Petrobras aumentar o combustível… porque aí é que a inflação vai pegar de verdade…

  296. Otto said

    Edu, eu estive lá. Eu vi.
    Engraçado, você que era tão contra os baderneiros:

    #3

    “Da próxima vez que eu estiver na padaria vou tirar foto dos manifestantes pro Pax dar uma olhada no contraste desses que se manifestam com flores e do restante, que se manifesta com máscara de camiseta, como se fosse assaltante de banco.”

    Já que a Michelle foge das minhas perguntas como o diabo da cruz, me responda você:

    Quanto foi a inflação dos 8 anos do governo FHC?
    E do Lula?
    E o desemprego? E o valor do salário mínimo? E os juros? E as reservas? Etc.

    Me responda com números, não com tergiversações como a Michelle.

  297. You can't fix stupidity! said

    Edu

    Lúmpem petralhariat é assim mesmo.

    Não desiste de falar asneira. Papagaiando informações distorcidas e cagando nos pratos de frango e iugurte que passaram a comer depois do Plano Real (que Mercadante, o todo poderoso irrevogável, enganou lula dizendo que seria um fracasso).

    Insiste sempre em discutir o passado entrando no clima de nós x eles.
    A realidade bate no fucinho e eles começam a por a culpa nos “eles”.
    Como acreditar que eles tiraram 40 milhões de pessoas da pobreza.
    Com essa inflação sem controleesses 40 milhões vão voltar de novo à pobreza já!
    Por que? Por que é um bando de incompetentes! Simples assim.

    Após 10 anos de governo petista nada foi feito de duradouro – uma obra marcante, que entre pra história.Até hoje as falhas dos governos anteriores, e muitas falhas havia, sem dúvida, permanecem não sanadas.
    Imagine que esse povo ainda quer construir um trem-bala de muitos bilhões de reais e insistem na TV que tudo está bem.
    E se revoltam e criam teorias da conspiração pra deturpar as maiores manifestações contra governos da história do país.

    Amiga minha de Sampa me contou que ontem na Paulista…. vários manifestantes cantavam além do Fora PT e leva a Dilma com você, as seguintes frases:
    PT na passeata, pode crer que tem mamata! ou
    “PT nas ruas é arrastão. É arrastão, meu irmão”

    O Otto confunde “indio sem casinha” com “idiossincrasia” e vem aqui exigir respostas dos outros. Em buon calabrese eu insisto:

    Give me a fucking break!

  298. You can't fix stupidity! said

    Golpe? Golpe militar? Golpe midiático?

    Os petralhas que xingam qualquer um que diz que o PT é autoritário (criaram até um evento no facebook chamado “golpe comunista 2014″),
    agora está num uníssono de “vai ter golpe”.

    Eis alguns questionamentos sobre “características ditatoriais”
    e um partido brasileiro:

    – Qual partido tem em seu controle a maioria na câmara e no senado?

    – Qual partido está no poder sem ter uma oposição decente?

    – Qual partido sempre tenta acabar com a liberdade de imprensa, o tal controle SOCIAL da mídia?

    – Qual partido tem criminosos condenados pelo STF e faz de tudo para que isso se reverta?

    – Qual partido quer limitar e controlar o Judiciário?

    – Qual partido teve membros agredindo covardemente uma jornalista da Folha (PIG)quando da visita da blogueira cubana ?

    – Qual partido se envolveu no maior escândalo da política nacional, comprando apoio de congressistas, com dinheiro desviado do Banco do Brasil/Visa?

    – Qual partido propõe reforma partidária com ideias de listas fechadas e quer dificultar surgimentos de novos partidos?

    – Qual partido que tem líderes que “falam pelo povo”, “são o povo” e são a síntese do populismo da pior qualidade?

    – qual partido possui uma ampla estrutura de dominação nas escolas e universidade brasileiras onde se reproduz regularmente a ideologia que defende e condena e silencia quem se opõe a ela?

    – Qual partido toma pra si toda a carga moral política e se esconde atrás disso para cometer absurdos?

    – Qual partido utilizou o BNDES para criar um grupo seleto de empresários-campeões, megaempresas vencedoras e muitas parcerias público-privadas, sem sucesso?

    – Qual partido aumentou exponencialmente o gasto com propaganda estatal, dando dinheiro público para blogueiros progressistas selecionados, movimentos sociais parceiros e ONGs amigas?

    – Qual partido possui ligações com grupos narco-guerrilheiros sul-americanos?

    – Qual partido tem parceria e ótimas relações com ditadores africanos assassinos?

    – Qual partido tem relações ideológicas com outras lideranças socialistas da América latina e Caribe?

    – Qual partido defende e já implementou projetos desarmamentistas?

    – Qual partido propõe o PNDH-3, um projeto absurdamente contra os Direitos Humanos?
    ________________________________________________

    Ainda bem que esse partido é de “confiança”.hehehe

    Não acredito que ele teriam competência de se aproveitar do caos que o país se encontra para tomar alguma atitude totalitária.

  299. You can't fix stupidity! said

    SEXTA-FEIRA, 21 DE JUNHO DE 2013 6:42 PM

    1. Pax vai ficar feliz…hehehe! Agora vai!

    Dilma vai falar e dizer que vai acabar com a inflação, a corrupção, o mensalão…

    A presidente Dilma Rousseff decidiu fazer nesta sexta-feira (21) um pronunciamento ao país sobre as manifestações que tomaram conta das cidades brasileiras nas últimas semanas. A decisão foi tomada durante reunião pela manhã com seus ministros, convocada ontem para avaliar o efeito dos protestos sobre a imagem do país e decidir o que fazer em termos de segurança.
    Agora à tarde, a presidente fez ajustes no texto do discurso com sua assessoria. Segundo assessores, a fala da presidente pode conter medidas e propostas mais concretas na busca de convencer os militantes a encerrar as manifestações no país.

    Um auxiliar presidencial informou à Folha que o tom do discurso seria na linha “a presidente ouviu a demanda dos manifestantes e vai agir para atendê-la”.
    Dilma deve ainda agendar reunião com governadores e também prefeitos para debater a pauta de reivindicações dos manifestantes e discutir formas de adotá-la. O pronunciamento deve ser no formato de cadeia nacional de rádio e TV.
    Dilma fez mais de uma reunião pela manhã com ministros para discutir o risco de as manifestações seguirem sem controle no país, o que pode colocar em risco os jogos da Copa das Confederações, além de prejudicar a imagem do país perante investidores estrangeiros. (Folha Poder)
    _____________________________

    Agora vai! pro saco.

    2. Nunca antes neste país um governo fraco e incompetente conseguiu transformar problemas de segurança e qualidade de vida urbana em um problema de Segurança Nacional.
    Isto é PT!

  300. You can't fix stupidity! said

    Como antecipei…Agora vai! pro saco

    o discurso bonito esteticamente…em meio-tons na imagem…até na roupa da pata manca acabou fino e curto, Sem firmeza! Discurso forçado…ela não queria.Sua popularidade vai baixar…

    As manifestações vão continuar…infelizmente.

  301. Otto said

    Realmente, a Michelle não tem respostas, só mantras.

    Sempre sai pela tangente.

    Esse negócio de não discutir o passado é conversa porque vocês não tem o que mostrar.

    Tá bom, vamos discutir o presente: como vai o governo do picolé de chuchu, do Perillo Cachoeira, do Piá de prédio do Paraná?

  302. Otto said

    Eis aí uma bandeira palpável, Edu:

    Todos às ruas pelos 100% dos royalties do pré-sal para a Educação!

    A Dilma, na prática, pediu apoio ao seu projeto, que já foi rejeitado pelo Congresso antes.
    Estas verbas não serão uma solução para todos os nossos problemas (alguém acredita em mágica?)
    Mas serão de grande ajuda.

    – As ruas estão pedindo melhoria na educação. Agora PODEM fazer algo por isso !!!!!
    Será que vão arrumar um motivo para não ajudar ?

    Todos às ruas: Eu quero 100% do Pre-Sal para a Educação!

  303. Otto said

    Aos incautos manifestantes que pedem nas ruas serviços público melhores, apenas um exemplo, para saber de qual governante cobrar:
    Quando passamos em frente a uma escola estadual, isso quer dizer que o GESTOR daquela escola é o governador do estado, no caso de São Paulo, o Pinóquio Alckmin.
    A Dilma NÃO tem nada haver com aquele serviço de péssima qualidade oferecido a população paulista, embora o dinheiro federal venha através das verbas constitucionais e do FUNDEB, para o FDE (Fundo de Desenvolvimento da Educação do Estado de São Paulo), administrado pelo Barão de Taubaté, condenado por improbidade administrativa e nomeado pelo Alckmin, o fundo têm AUTONOMIA administrativa, orçamentária e financeira para seguir seu plano de ação, sem ingerência federal, de acordo com a orientação e política do estado de São Paulo, afinal, os poderes são INDEPENDENTES e harmônicos entre si.
    Na escola municipal, cobrem do prefeito.
    De novo a Dilma não tem nada haver com isto..
    E assim segue as verbas para o atendimento dos hospitais, creches, estes, se o governador ou prefeito desejarem que sejam construídos nos padrões federal, tem a assinar o convênio, que os demotucanos rejeitam devido a coloração partidária e para depois espalharem que as verbas federais vão todas para o Nordeste a nada vêm para São Paulo.
    Esses quase vinte anos de progressão continuada tucana nas escolas dá nisso, uma ignorância, um obscurantismo e um bando de alienados ignorantes metidos a entender de tudo, sem ter lido ou estudado nada, pegando tudo mastigadinho pelo PIG que vomita em seus jornais diários e nos semanários .
    Agora vamos ao mote do momento, do manual manifestante idiota no facebook:
    – Votem melhor nas próximas eleições PAULISTAS.

  304. Otto said

    O discurso foi bom. Mesmo assim, o PIG vai mexer e remexer para tentar encorpar seus malabarismos linguísticos. Logo em seguida, virá FHC no Canal Livre da Bandeirantes, e um sem-número de “especialistas” (cartomantes, quiromantes, cineastas frustrados, banqueiros, ladrões, fanfarrões, “cientistas” políticos sem diploma, rábulas, marqueteiros e outros quejandos) dar seus pitacos nos jornais do PIG. O mais engraçado será a cara de conteúdo dos jornali$$$tas ao ouvir as teorias esdrúxulas dessa turma (a turma do amendoim)…

  305. Otto said

    Os golpistas estão absolutamente vergados: “os cacos” da destruição devem ser recolhidos ao alforje surrado e decrépito desses que – mais uma vez – conspiraram contra as flores!

  306. Otto said

    Quem vê pela TV a forma de protestar da classe média brasileira nunca mais vai poder dizer que pobre é que é maloqueiro! KKK

  307. Otto said

    E aí, Pax, você ainda acha que não houve uma mão golpista?

    Entre democracia e fascismo

    Paulo Moreira Leite
    O movimento de caráter semi-insurrecional que vemos no país de hoje exige uma reflexão cuidadosa.

    Começou como uma luta justíssima pela redução de tarifas de ônibus.

    Auxiliada pela postura irredutível das autoridades e pela brutalidade policial, esta mobilização transformou-se numa luta nacional pela democracia.

    Se a redução da tarifa foi vitoriosa, a defesa dos direitos democráticos também deu resultado na medida em que o Estado deixou de empregar a violência como método preferencial para impor suas políticas.

    Mas hoje a mobilização assumiu outra fisionomia.

    Seu traços anti-democráticos acentuados. Até o MPL, entidade que havia organizado o movimento em sua primeira fase, decidiu retirar-se das mobilizações.

    Os manifestantes combatem os partidos políticos, que são a forma mais democrática de participação no Estado.

    Seu argumento é típico do fascismo: “povo unido não precisa de partido.”

    Claro que precisa. Não há saída na sociedade moderna. Às vezes, uma pessoa escolhe entrar num partido. Outras vezes, é massa de manobra e nem sabe.

    A criação de partidos políticos é a forma democrática de uma sociedade debater e negociar interesses diferentes, que não nascem na política, como se tenta acreditar, mas da própria vida social, das classes sociais.

    Em São Paulo, em Brasília, os protestos exibiram faixa com caráter golpista.

    “Chega de políticos incompetentes!!! Intervenção Militar Já!!!”

    No mesmo movimento, militantes de esquerda, com bandeiras de esquerda, foram forçados a deixar uma passeata na porrada. Uma bandeira do movimento negro foi rasgada.

    A baderna cumpre um papel essencial na conjuntura atual. Reforça a sensação de desordem, cria o ambiente favorável a medidas de força – tão convenientes para quem tem precisa desgastar de qualquer maneira um bloco político que ocupa o Planalto após três eleições consecutivas.

    A baderna é uma provocação que procura emparedar o governo Dilma criando uma situação sem saída.

    Se reprime, é autoritária. Se cruza os braços, é omissa.

    Outro efeito é embaralhar a situação política do país, confundir quem fala pela maioria e quem apenas pretende representá-la.

    É bom recordar que a maioria escolhe seu governo pelo voto, o critério mais democrático que existe.

    Nenhum brasileiro chegou perto do paraíso e todos nós temos reivindicações legítimas que precisam de uma resposta.

    Também sabemos das mazelas de um sistema político criado para defender a ordem vigente – e que, com muita dificuldade, através de brechas sempre estreitas, criou benefícios para a maioria.

    Olhando para a maioria dos brasileiros, aqueles que foram excluídos da história ao longo de séculos, cabe perguntar, porém: os políticos atuais são incompetentes para quem, mascarados?

    Para a empregada doméstica, que emancipou-se das últimas heranças da escravidão?

    Para 40 milhões que recebem o bolsa-família?

    Para os milhões de jovens pobres que nunca puderam entrar numa faculdade? Para os negros? Quem vive do mínimo?

    Ou para quem vai ao mercado de trabalho e encontra um índice de desemprego invejado no resto do mundo?

    Mascarados que arrebentam vidraças, incendeiam ônibus e invadem edifícios trabalham contra a ordem democrática, onde os partidos são legítimos, as pessoas têm direitos iguais – e o poder, que emana do povo, não se resolve na arruaça, pelo sangue, mas pelo voto.

    É óbvio que a baderna, em sua fase atual, não quer objetivos claros nem reivindicações específicas. Não quer negociações, não quer o funcionamento da democracia. Quer travá-la.

    Enquanto não avançar pela violência direta, fará o possível para criar pedidos difusos, que não sejam possíveis de avaliar nem responder.

    O objetivo é manter a raiva, a febre, a multidão eletrizada.

    É delírio enxergar o que está acontecendo no país como um conflito entre direita e esquerda. É uma luta muito maior, como aprenderam todas as pessoas que vivenciaram e estudaram as trevas de uma ditadura.

    A questão colocada é a defesa da democracia, este regime insubstituível para a criação do bem-estar social e do progresso econômico.

    O conflito é este: democracia ou fascismo. Não há alternativa no horizonte.

    Quem não perceber isso está condenado a travar a luta errada, com métodos errados e chegar a um desfecho errado.

    http://www.istoe.com.br/colunas-e-blogs/coluna/309062_ENTRE+DEMOCRACIA+E+FASCISMO

  308. Otto said

    Texto ótimo do Fernando Brito:

    Meus caros amigos e amigas que se dão ao trabalho de ler o que diz um maluco que diz o que pensa, do jeito que sempre fez em 40 anos de luta política.
    Quero dizer algo, temerário como sempre sou: acabou.
    Claro que pode haver um ou outro espasmo, aqui e ali.
    Mas o movimento massivo acabou como começou: com a ação do poder público e da mídia.
    A pancadaria e a onda de simpatia que ela despertou encheram a rua.
    Mas foi a cobertura da mídia, cúmplice, que transformou manifestações em multidões.
    Multidões, mas não maiorias.
    A direita contava com a imobilidade do Governo, que demorou a agir com inteligência.
    A rigor, só hoje a Presidenta Dilma Rousseff disse o que precisava ser dito, num pronunciamento irreparável em rede de rádio e televisão. (assista na seção vídeos)
    A Globo virou o fio.
    O Movimento Passe Livre anunciou que não chamará novas manifestação.
    Acabou.
    Mas não acabou, não.
    Agora temos de avançar.
    Não querem mais educação? Saúde padrão Fifa?
    Nós também.
    Vamos lá, apertar os governadores: 100% dos royalties do petróleo para a educação, como o Governo Federal já propôs em relação à sua parte!
    Médicos cubanos, portugueses, espanhóis para atender à população, sim! Não importamos uísque, carros, Rolex, bugigangas? Não defendem o livre trânsito de mercadorias? Porque não o mesmo com médicos que o país precisa?
    Leis mais duras não contra os trombadinhas, contra usuários de crack, não contra doentes, mas contra os espertos e os golpistas.
    E, sobretudo, ações contra a especulação e ao terrorismo inflacionário da mídia.
    Porque eles estão desesperados e abriram o jogo: seu negócio é “Fora, Dilma”, o resto é máscara.
    E nós, que estamos juntos ao governo eleito pelo povo, temos é de partir pra cima.
    Lógico que não fisicamente, que ação de baderna é coisa de direitista provocador.
    Mas na política, na polêmica, na discussão sobre quem tem muito e quem tem quase nada neste país.

    http://www.tijolaco.com.br/index.php/acabou-e-nao-acabou-na

  309. Jose Mario HRP said

    A criação de empregos significa o que ?
    Criar não é suprimir , certo?

    AQUI:
    http://correiodobrasil.com.br/economia-4/investimentos-de-estrangeiros-chegam-a-quase-us-5-bilhoes-em-junho/621185/

    Tem isso também.
    O fim do mundo não vai mais a festa!

  310. Otto said

    O movimento não foi tão espontâneo assim.

    Pax, Patrarca, Zig, HRP, Edu e outros, leiam com atenção, confiram os vídeos nos links e reflitam:

    Tem boi na linha. #changebrazil? Qual seus interesses?

    “Quanto mais pessoas colocarem pressão sobre o Brasil, mais rápido o Brasil terá que se dobrar” Diz porta-voz anônimo do movimento ChangeBrazil
    Nem tudo que está acontecendo parece ser espontâneo. Qualquer pessoa que já tenha trabalhado com planejamento de campanha publicitária, especialmente online, sabe que algo assim é possível. Não é tão diferente de planejar o lançamento de um filme ou turnê para o público jovem.
    Há um movimento na internet, que surgiu no dia 14 de junho, voltado principalmente para jovens, chamado #changebrazil (surgiu assim mesmo, em inglês). Em português o nome do movimento é Muda Brasil. Esse movimento postou vídeos, aparentemente espontâneos, que foram vistos por mais de 1 milhão de pessoas, a maioria deles jovens (muitos secundaristas) que estão indo para as manifestações em clima de festa e máscara V de Vingança.
    Na quinta-feira, dia 13 de junho a polícia de Geraldo Alckmin (PSDB) reprimiu de forma violenta manifestantes do Movimento Passe Livre, cidadãos e jornalistas. Logo no dia seguinte a grande imprensa passou a defender o movimento e surgiu um vídeo, em inglês, com legendas em inglês, que se intitulava “Please Help us” (Por favor, nos ajude). O vídeo, com um narrador com visual rebelde (alguém sabe quem ele é?) que já foi visto por mais de 1 milhão e 300 mil pessoas, passa rapidamente sobre tarifa de ônibus, critica a mídia e estimula aos jovens o ódio contras os políticos, enaltece o STF e estimula quem ver o vídeo a espalhá-lo e debater o assunto na internet. Sugiro que quem não entende o clima da juventude no protesto ou que tem ilusões de que eles são de esquerda, o assista. http://youtu.be/AIBYEXLGdSg
    O vídeo parece simples, mas a iluminação e fundo é profissional, foi feito em estúdio, e se prestar atenção, verá que o manifestantes (alguém o conhece?) de inglês perfeito, está lendo um teleprompter. O vídeo é feito em inglês, mas a maioria dos comentários é de brasileiros. Não há acessos a estatísticas. O vídeo foi feito e visto provavelmente por brasileiros, jovens, de classe média e alta que falam inglês. Fala da Copa do Mundo (preste atenção: todos falarão). E termina dizendo que “o povo é mais forte que aqueles eleitos para governá-los”.
    Que movimento pelo Passe Livre faria um vídeo em inglês ? Que é esse sujeito? Quem pagou essa produção, feita em estúdio com teleprompter? http://youtu.be/AIBYEXLGdSg
    As dicas sobre quem ele é o que as pessoas que estão por trás disso querem estão no segundo vídeo, postado durante as manifestações de segunda-feira. Este fala em português. Carregado de sotaque, celebra a tomada do Congresso Nacional por “protestantes” (sic). Esse vídeo foi menos visto, mas não pouco visto, são 66 mil pessoas. http://youtu.be/z-naoGBSX9Y Ele dá parabéns pela manifestação, pelas pessoas mostrarem que “amam” seu país. E segue para dar instruções. Cita as hashtags #changebrazil e o #brazilacordou. Diz que o público não pode se desconcentrar nisso pelo gol do Neymar, ou pelo BBB. Diz que não devem falar de outros assuntos. Mas ao mesmo tempo a mensagem é vazia além de “Muda Brasil”. Ele se refere sempre sobre o que acontece como isso. E no minuto 2:06 ele diz para as pessoas fazerem o material para o exterior porque “quanto mais pessoas colocarem pressão sobre o Brasil, mais rápido o Brasil terá que se dobrar”.
    Que movimento é esse que quer mudar o Brasil fazendo ele se dobrar?
    Ele mistura nas pautas do seu “movimento coisas que todos defendem, como contra a corrupção, e mais verbas para saúde e educação. Talvez por “coincidência” as mesmas pautas centrais, com a mesma linha de discurso foi postada em um vídeo suspostamente feito pelo grupo Anonymous justamente quando as tarifas iam baixar para propor novas causas. Ele já foi visto por 1 milhão e 400 mil pessoas http://youtu.be/v5iSn76I2xs Importante lembrar que como os vídeos do Anonymous usam imagem padrão e voz falada por digitada pelo Google, e são postadas em contas do Youtube aleatórias qualquer um pode fazer um vídeo se dizendo Anonymous.
    O nosso amigo de sotaque não é o único vídeo que veio de fora. Já ficou famoso o vídeo de uma menina bonitinha, Carla Dauden, uma brasileira que mora em Los Angeles, falando contra a Copa do Mundo. Na descrição do vídeo ela diz que tinha feito o vídeo antes dos protestos (talvez para justificar a produção apurada), mas postou no dia 17 de junho . Carla diz Mais de 2 milhões de pessoas o viram. De novo, em inglês com legendas. Pretensamente para o exterior, mas de novo a maioria dos comentários é brasileiro. Ou seja, são para jovens que falam inglês. Diz mentiras como que os custos do evento teriam sido 30 bilhões de dólares, o que parece que os estádios custaram isso. Quando na verdade os custos reais são 28 bilhões de dólares, a maior parte em obras de mobilidade urbana, não estádios – veja o vídeo aqui http://youtu.be/ZApBgNQgKPU Mas quem está checando acusações?
    Prestem atenção. A soma de apenas esses 3 vídeos somente deu 5 milhões de visualizações no Youtube.
    Dê uma busca por changebrazil ou Muda Brasil, o nome dos vídeos em português do “movimento” que quer dobrar o Brasil no Youtube, e descubra você mesmo. Será que está acontecendo um 1964 2.0?
    “Quanto mais pessoas colocarem pressão sobre o Brasil, mais rápido o Brasil terá que se dobrar” Diz porta-voz anônimo do movimento ChangeBrazil
    Nem tudo que está acontecendo parece ser espontâneo. Qualquer pessoa que já tenha trabalhado com planejamento de campanha publicitária, especialmente online, sabe que algo assim é possível. Não é tão diferente de planejar o lançamento de um filme ou turnê para o público jovem.
    Há um movimento na internet, que surgiu no dia 14 de junho, voltado principalmente para jovens, chamado #changebrazil (surgiu assim mesmo, em inglês). Em português o nome do movimento é Muda Brasil. Esse movimento postou vídeos, aparentemente espontâneos, que foram vistos por mais de 1 milhão de pessoas, a maioria deles jovens (muitos secundaristas) que estão indo para as manifestações em clima de festa e máscara V de Vingança.
    Na quinta-feira, dia 13 de junho a polícia de Geraldo Alckmin (PSDB) reprimiu de forma violenta manifestantes do Movimento Passe Livre, cidadãos e jornalistas. Logo no dia seguinte a grande imprensa passou a defender o movimento e surgiu um vídeo, em inglês, com legendas em inglês, que se intitulava “Please Help us” (Por favor, nos ajude). O vídeo, com um narrador com visual rebelde (alguém sabe quem ele é?) que já foi visto por mais de 1 milhão e 300 mil pessoas, passa rapidamente sobre tarifa de ônibus, critica a mídia e estimula aos jovens o ódio contras os políticos, enaltece o STF e estimula quem ver o vídeo a espalhá-lo e debater o assunto na internet. Sugiro que quem não entende o clima da juventude no protesto ou que tem ilusões de que eles são de esquerda, o assista. http://youtu.be/AIBYEXLGdSg
    O vídeo parece simples, mas a iluminação e fundo é profissional, foi feito em estúdio, e se prestar atenção, verá que o manifestantes (alguém o conhece?) de inglês perfeito, está lendo um teleprompter. O vídeo é feito em inglês, mas a maioria dos comentários é de brasileiros. Não há acessos a estatísticas. O vídeo foi feito e visto provavelmente por brasileiros, jovens, de classe média e alta que falam inglês. Fala da Copa do Mundo (preste atenção: todos falarão). E termina dizendo que “o povo é mais forte que aqueles eleitos para governá-los”.
    Que movimento pelo Passe Livre faria um vídeo em inglês ? Que é esse sujeito? Quem pagou essa produção, feita em estúdio com teleprompter? http://youtu.be/AIBYEXLGdSg
    As dicas sobre quem ele é o que as pessoas que estão por trás disso querem estão no segundo vídeo, postado durante as manifestações de segunda-feira. Este fala em português. Carregado de sotaque, celebra a tomada do Congresso Nacional por “protestantes” (sic). Esse vídeo foi menos visto, mas não pouco visto, são 66 mil pessoas. http://youtu.be/z-naoGBSX9Y Ele dá parabéns pela manifestação, pelas pessoas mostrarem que “amam” seu país. E segue para dar instruções. Cita as hashtags #changebrazil e o #brazilacordou. Diz que o público não pode se desconcentrar nisso pelo gol do Neymar, ou pelo BBB. Diz que não devem falar de outros assuntos. Mas ao mesmo tempo a mensagem é vazia além de “Muda Brasil”. Ele se refere sempre sobre o que acontece como isso. E no minuto 2:06 ele diz para as pessoas fazerem o material para o exterior porque “quanto mais pessoas colocarem pressão sobre o Brasil, mais rápido o Brasil terá que se dobrar”.
    Que movimento é esse que quer mudar o Brasil fazendo ele se dobrar?
    Ele mistura nas pautas do seu “movimento coisas que todos defendem, como contra a corrupção, e mais verbas para saúde e educação. Talvez por “coincidência” as mesmas pautas centrais, com a mesma linha de discurso foi postada em um vídeo suspostamente feito pelo grupo Anonymous justamente quando as tarifas iam baixar para propor novas causas. Ele já foi visto por 1 milhão e 400 mil pessoas http://youtu.be/v5iSn76I2xs Importante lembrar que como os vídeos do Anonymous usam imagem padrão e voz falada por digitada pelo Google, e são postadas em contas do Youtube aleatórias qualquer um pode fazer um vídeo se dizendo Anonymous.
    O nosso amigo de sotaque não é o único vídeo que veio de fora. Já ficou famoso o vídeo de uma menina bonitinha, Carla Dauden, uma brasileira que mora em Los Angeles, falando contra a Copa do Mundo. Na descrição do vídeo ela diz que tinha feito o vídeo antes dos protestos (talvez para justificar a produção apurada), mas postou no dia 17 de junho . Carla diz Mais de 2 milhões de pessoas o viram. De novo, em inglês com legendas. Pretensamente para o exterior, mas de novo a maioria dos comentários é brasileiro. Ou seja, são para jovens que falam inglês. Diz mentiras como que os custos do evento teriam sido 30 bilhões de dólares, o que parece que os estádios custaram isso. Quando na verdade os custos reais são 28 bilhões de dólares, a maior parte em obras de mobilidade urbana, não estádios – veja o vídeo aqui http://youtu.be/ZApBgNQgKPU Mas quem está checando acusações?
    Prestem atenção. A soma de apenas esses 3 vídeos somente deu 5 milhões de visualizações no Youtube.
    Dê uma busca por changebrazil ou Muda Brasil, o nome dos vídeos em português do “movimento” que quer dobrar o Brasil no Youtube, e descubra você mesmo. Será que está acontecendo um 1964 2.0?

    Por: Fernando Brito

    http://www.tijolaco.com.br/index.php/what-is-this-companheiro/

  311. Otto said

    por Gilberto Nascimento, no Facebook

    Há cerca de uma hora, na esquina de casa, vi uma mulher abordando outra para perguntar o que achava das manifestações e quebra-quebra no País e se era a favor do que vinha acontecendo.

    Como o assunto me interessou, parei e fiquei um pouco próximo para ouvir do que se tratava. A mulher que perguntava tinha um crachá branco e azul, com o nome do Datafolha.

    Minha surpresa foi quando a pesquisadora indagou em quem a mulher votava e se ela gostava da Dilma e do Lula. A entrevistada respondeu que votava e continuaria votando no PT.

    Aí, a tal pesquisadora respondeu: “Fala baixo, você pode apanhar”. Cheguei perto e questionei: “como pesquisadora, a senhora não pode interferir nas respostas”. A suposta representante do Datafolha disse que só estava avisando “porque gente do PT estava apanhando ontem na Paulista”.

    Respondi novamente: “a senhora quer amedrontar a entrevistada? Quer que ela mude de opinião?”. Peguei o nome da entrevistadora no crachá e disse que iria informar o instituto.

    Pelo visto, é assim que se colhe a opinião do povo nas ruas. E preparem-se: nas próximas horas pode sair uma nova pesquisa dizendo que o povo não quer mais a Dilma e o PT no poder.

  312. Otto said

    por Luanda Calado, enviado por e-mail por um amigo do Viomundo

    # Eu fui e me arrependi.

    Nunca pensei que fosse me deixar levar pela massa e foi o que realmente aconteceu.
    Eu estava lá para deixar explícita a minha indignação da péssima qualidade do transporte público pernambucano.

    O ser humano é um animal racional que se adapta às intempéries da vida, nos acostumamos facilmente ao que é ruim, como de hábito, simplesmente para conseguir viver.

    Eu estava ali na praça do Derby supostamente protestando por um transporte público melhor e estava feliz da vida por ver tanta gente, já que no ano passado não tinha 10% dessas pessoas na rua protestando por um preço menor da passagem de ônibus.

    Mas não havia liberdade ali. Eu não pude ir com minha camisa que mandei fazer na época das eleições de Dilma, porque deixaram claro que não queriam “pessoas de partido” — eu não sou nem pretendo filiar-me a um partido.

    Fui xingada por levar um cartaz que minha mãe guardou do antigo ex-governador Arraes — avô? do atual governador de Pernambuco, Eduardo Campos.

    A minha vontade era de ter escrito “SAUDADES, ARRAES”, mas o cartaz que eu levava comigo tem exatamente a minha idade, 25 anos.

    Eu não estava ali por solidariedade aos paulistas. Estava por mim e pelo povo pernambucano. Mas ao chegar em casa, dei por mim que fiz besteira, pois essa passeata faz parte de um todo maior.

    Alguém aqui já viu a rede Globo cedendo o espaço de suas intocáveis novelas para transmitir “protesto”? Alguém acredita mesmo nas falsas desculpas de Jabor?

    Eles querem é instigar essa tal “revolução” porque o governo é de esquerda e nunca o Brasil esteve melhor.

    Hoje foi um dia triste para mim.

    PS do Viomundo: Luanda Calado é uma jovem estudante de Letras do Recife.

  313. Jose Mario HRP said

    Otto, em algum dia desta semana a Globo papagueava que “um milhão de pesoas” fizeram passeatas no Brasil no dia passado……
    Teria sido o maior protesto em todos os tempos no brasil!
    (????) (sic)
    Deve sim ter sido o maior que ela globo acompanhou, pois o maior e até agora mais justo foi o movimento diretas já, que nas grandes capitais fez comicios onde se reuniram mais de um milhão de pessoas num local só, no Rio e em Sampa!
    Mas a globo se recusou a divulgar!
    A dita tv cedeu espaços impensáveis a esse movimento porque antevia a possibilidade de golpear o gov. federal e tirar Dilma de Brasilia.
    Mas a coisa virou bagunça, violencia e miou….MIOU!

  314. Pax said

    Caro Otto,

    Teu comentário #310 estava bloqueado pelo blog (pela ferramenta – WordPress) por conta de excesso de links. Já está liberado.

    (e, pra não perder a viagem, esse papo de 1964 versão 2.0 é tudo que o status quo pode dar em resposta, de Alckmin Bala de Borracha Neles, Cabralzinho genro de empresário de ônibus, Haddad “Lula o que eu faço?” e Dilma Renan Kaiowá)

    Viva, ganhamos a revolução. Conseguimos manter o rei José Sarney.

    Ufa, essa foi por pouco.

  315. Jose Mario HRP said

    Pax, não é desse jeito que se tira um governante legitimamente eleito do poder, esperem a eleição de 2014.
    Quem sabe a Marina com o Gabeira consigam derrubar o PT?
    Mas lembrando que lá na frente terão que fazer alianças no Congresso!(cargos, emendas, orçamento participativo e ministérios a serem divididos)
    Quem tem solução para esse probleminha que se apresente.

  316. Patriarca da Paciência said

    Caro Pax,

    acho que realmente ganhamos a revolução!

    Não vejo os manifestantes com o menor ânimo de eleger o ministro Joaquim Barbosa como o novo caçador de marajás!

    Os líderes deram ótimas declarações!

    http://www.brasil247.com/pt/247/midiatech/106149/PC-Siqueira–ironiza-manipula%C3%A7%C3%A3o-da-Globo.htm

  317. Pax said

    José Miguel Wisnik
    José Miguel Wisnik escreve aos sábados
    Virulência
    Na Europa, marcos históricos são as guerras, no Brasil, as Copas do Mundo
    Vou falar de um aspecto, entre os muitos, dos movimentos de rua que estão dando um baile nas instituições políticas e nos esquemas disponíveis para explicá-los. Diz o escritor inglês Alex Bellos que, se para os europeus os marcos da memória histórica do século XX são dados pelas Guerras, no Brasil são dados pelas Copas do Mundo. A afirmação sinaliza de maneira ambivalente o quanto a paixão do futebol deu forma à identidade e à memória coletiva brasileira, ao mesmo tempo em que sugere o quanto ela é pautada tradicionalmente pelo jogo, pelo lúdico, e não pelo enfrentamento das realidades. A comparação ganha uma outra atualidade agora, quando o ensaio da Copa do Mundo através da Copa das Confederações vem acompanhado de uma guerra, real e simbólica, onde está em jogo o custo social da tarifa de ônibus, o custo social da Copa do Mundo, o custo social e político do Brasil. Uma inesperada junção à maneira brasileira de guerra com Copa, por isso mesmo muito nova.
    O movimento, ao mesmo tempo pacífico e virulento, e de uma irradiação inimaginável, vem cobrar o preço de velhas e novas inconsequências políticas. Não creio que a sua relação com a Copa seja ocasional, muito menos oportunista. Mais profundamente, faz sentido que o impulso na direção de um algum acerto brasileiro acabasse passando pela prova e pela contraprova do futebol.
    Ninguém certamente imaginou isso quando trouxe a Copa do Mundo para o Brasil: que os componentes da droga brasileira, o remédio lúdico e o veneno das desigualdades, das impunidades e dos privilégios, das conciliações pelo alto e do imobilismo político, entrariam em reação alquímica nas ruas. Pois, se não fosse o cenário da Copa, as manifestações não ganhariam a extensão e a dimensão simbólica que vêm ganhando. Esses temas estão postos faz muito tempo, mas é sabido que eles tradicionalmente não mobilizam.
    De repente, o movimento pela redução ou suspensão das tarifas de transporte coletivo funcionou como a senha involuntária — literalmente o passe livre — para abrir a catraca em cascata das outras questões. O passe livre era o disparador ao mesmo tempo concreto e genérico, particular o bastante por envolver o orçamento apertado da maior parte da população que o utiliza diariamente, mesmo que não de muitos dos manifestantes, e geral de sobra por envolver a ineficiência do transporte coletivo e dos serviços públicos, bem como a crise urbana e a aposta sem saída na cultura do automóvel. A percepção do aumento da tarifa de ônibus como sintoma inflacionário a ser suportado por quem já se desacostumou do custo da inflação, que incide sobre os mais pobres, certamente teve influência. Francisco Bosco disse aqui, citando Luiz Eduardo Soares, que assistimos possivelmente ao salto participativo de uma camada social que já tem o que perder. E que já seria, portanto, a resultante de FHC e do lulo-petismo, cobrando dos governos e da cena política nauseantemente pautada pelos arranjos acomodatícios as consequências mais modernas de seu status de consumidor de bens e serviços, incluindo a pulsão juvenil por uma participação na primavera internética dos povos.
    E é no cenário dos estádios superfaturados (o de Brasília custou mais de um bilhão e apresenta um gramado de segunda categoria), dos candidatos a elefantes brancos, da incongruência entre os padrões impostos pela Fifa e os padrões da educação e da saúde públicas, tudo recoberto por um discurso triunfalista cada vez mais indigesto, e contracenando com a onipresença sedutora do futebol, que as manifestações encontram uma espécie de correspondência alegórica com a política nacional como um todo.
    Quem me conhece sabe o quanto eu amo o futebol (assim como Nuno Ramos na mesa redonda do IMS, eu também tenho uma resistência infantil a torcer contra). Mas estava profundamente desanimado com o fato sintomático de que estivéssemos condenados a ver todas essas aberrações passar incólumes e sem susto, agora, na Copa e nas Olimpíadas. Sei que o clamor urgente, heterogêneo, sem plano claro, fortemente apartidário, canalizando insatisfações de todo tipo, inclusive as conflitantes entre si, não garante nada, pode consumir-se nas suas contradições, no fogo de palha de um consumismo de protesto, no voluntarismo sem mediações, no tudismo já, na fantasia de onipotência e num estado pré-político que acaba vencido pelas eternas raposas (Haddad não é uma). As manifestações, aliás, já são elogiadas por Alckmin, Dilma, Galvão Bueno, e em uma semana são unanimidade: ninguém é contra.
    Sei disso, mas não é isso que eu sinto. O que sinto é o alento de um acontecimento capaz não só de dar um susto, mas de mexer no quadro político brasileiro. O que leva a isso não é a violência pontual que ele desencadeia, mas a sua luminosa virulência.

    Leia mais sobre esse assunto em http://oglobo.globo.com/cultura/virulencia-8774570#ixzz2WxJVlSIw
    © 1996 – 2013. Todos direitos reservados a Infoglobo Comunicação e Participações S.A. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

  318. Pax said

    Engraçado, caro HRP, mas não lembro onde disse que querida dar um golpe e derrubar Dilma. Você pode me apontar onde fiz isso?

    Onde, em qualquer post ou comentário, disse que aderia ao impeachment? Onde disse isso?

    Não lembro. E sei bem que não, por um único motivo. Porque em nenhum momento disse, ou mesmo quis.

  319. Jose Mario HRP said

    Pax, não voce, mas muitos pela rua falam disso.
    Aliás eu usei a terceira pessoa do plural.
    E se não h´ golpista por aqui, los hay por aí.

  320. Otto said

    Pax, você não é golpista mas se postou ao lado deles.

    Nem todos que marcharam com a Família com Deus pela Liberdade em 64 eram golpistas. Talvez nem mesmo a maioria queria golpe. Mas foram massa de manobra.

    Sinto muito, Pax, mas você se colocou ingenuamente dentro dessa massa.
    Mas ainda dá tempo de abrir os olhos. Se liga.

  321. Pax said

    Caro Otto,

    Postei ao lado deles, é?

    Ao menos me diga onde para que possamos debater com um mínimo de direitos iguais.

    Segundo a Declaração Universal dos Direitos do Homem ninguém é culpado até prova em contrário. Me diga onde eu postei ao lado de golpistas, caro Otto, ou, peço encarecidamente, que não me acuse.

    Aponte-me qualque escrito meu onde afirmo que quero o impeachment, o fim de algum partido ou qualquer coisa do gênero.

    Sugiro a todos que tenhamos um pouco de calma antes de acusarmos os outros de forma pouco responsável.

  322. Otto said

    Você não escreveu nada pelo golpe ou pelo impeachment, eu sei.

    Mas ao defender esses protestos (do leito que estão agora, não como começaram, entenda bem) você está ao lado deles.

    Inocentemente, mas está.

  323. Otto said

    FHC DECLAROU SER CONTRA 100% DOS ROYALTIES PARA A EDUCAÇÃO

    Em pronunciamento na noite dessa sexta feira (21), a presidente Dilma falou sobre a importância da destinação de 100% dos recursos do petróleo para a educação “Confio que o Congresso Nacional aprovará o projeto que apresentei para que todos os royalties do petróleo sejam gastos exclusivamente com a Educação”

    Mas, será que os deputados do PSDB votarão a favor do Brasil?. Se depender de uma orientação do ex presidente Fernando Henrique Cardoso, não. No ano passado FHC declarou ser contra 100% dos royalties para a educação

    “Acho que educação não se resolve só com dinheiro, mas dinheiro é necessário. Não diria para dar tudo para a educação, mas uma parte importante”, disse ele em 2012

    Também em 2012, O Governo Federal foi derrotado pelo placar de 286 contra 124 votos, na votação do projeto de lei do Senado que definia uma nova fórmula na partilha dos royaties do petróleo. Pela proposta, toda arrecadação seria destinada a investimentos em educação. A derrota do governo contou com a ajuda desses deputados que você pode ver a lista completa aqui

    De autoria do Executivo, a proposta tramita em regime de urgência constitucional e está trancando a pauta de votações ordinárias da Câmara. Pelo texto, todos os recursos dos royalties e da participação especial referentes aos contratos firmados a partir de 3 de dezembro do ano passado, sob os regimes de concessão e de partilha de produção de petróleo, destinam-se exclusivamente à educação.

    Com os recursos extras, seria possível aumentar os investimentos públicos em educação. Atualmente, o Brasil investe 5,3% do PIB na área, considerando os recursos investidos nas redes e instituições públicas – o chamado investimento público direto. O projeto de lei que cria o novo Plano Nacional de Educação (PNE),também em tramitação no Congresso Nacional, inclui uma meta para ampliar esse percentual de investimento em educação para 10% do PIB no prazo de dez anos. A meta foi aprovada pela Câmara e agora tramita no Senado.

    http://osamigosdopresidentelula.blogspot.com.br/2013/06/fhc-declarou-ser-contra-100-dos.html

  324. Pax said

    Me coloquei ingenuamente dentro da massa, é?

    Não, caro Otto, eu fui junto com a massa. Fui junto com o povo. Registrei um bocado em fotos e gritei feliz da vida junto com milhões brasileiros às ruas que não queriam ver Alckmin, Haddad, Cabralzinho, Dudu paes, qualquer um destes, atirando bala de borracha e sentando o sarrafo em jovens brasileiros que só queriam protestar, seja lá pelo que for. Esta foi a causa, mola mestra, que abriu as comportas de um monte de angústias e incômodos represados em gente que não participa politicamente de forma ativa. Na verdade nem acompanha mais a pauta política por ter desistido de tanta canalhice em tantos anos, décadas, séculos mesmo. E este jogo não é um jogo de amadores.

    Vale ressaltar que o movimento nasceu com a garotada do Movimento Passe Livre, que teve participação do PSTU, PSOL, PCB e diversas entidades. É a garotada idealista universitária que, no meu tempo, ou ia para a LIBELU ou Convergência. Não, o PCO não faz parte deste jogom, se exclue. Isso, no fundo, quase ninguém sabe. A formação deste movimento.

    Só que o santo Alckmin (com, inicialmente ajuda do Haddad) fez o milagre da reprodução acontecer. Ficou firme e forte sentando o sarrafo e se pronunciando que deveria ir com mais e mais força neste sentido. Jabá-or foi ao orgasmo, disse que as pessoas não valiam 20 ventavos. A Globo faturou um bocado de audiência colocando só cenas de depredação manipuladas. Até o dia 13 (se não me engano, aquela quinta feira) quando o tiro sai pela culatra, jornalistas são atingidos e as orelhas do poder, do status quo, se levantam quando a população se revolta com tamanha covardia. Lembra?

    Daí foi um passo, a tal represa desmoronou e o povo foi às ruas em massa. Em instantes a Globo (et caterva) começou a mudar o tom editorial e as manipulações de imagens e reportagens. Foi ou não foi?

    A partir daí os vandalos e baderneiros começaram a ser vistos com bons olhos e as manipulações do poder se iniciaram. De todos os lados. Mas o povo, esse que todos chamam de idiotas, somente tinha (e tem) coisas para falar, para reclamar. E aí as manipulações foram se aperfeiçoando, se aprofundando, se apropriando do movimento da rapaziada, aquela que tomou muita porrada lá do início destes acontecimentos. Na verdade que já vem tomando porrada faz alguns anos. Desde que o movimento Passe Livre tomou forma e ganhou algum volume.

    Pra não me alongar tanto de tudo que todos sabemos, aí entraram os de sempre, os do Impeachment, os do “Quem reclama do PT é golpista de direita” etc. De um lado e de outro, como disse. Gente muito (?) esperta produzindo material canalha, textos canalhas, links falsos, vídeos suspeitos etc etc….

    Chega, vou mudar o pano desta peça de teatro…

    Quando tinha meus 15 – e daí pra frente – também fui às ruas protestar que queria ser livre para opinar e me expressar.

    E protesto faz tempo contra a corrupção, o butim geral. Este blog não seria uma prova concreta disso? Este blog não é democrata? Tem cara de fascista? Manipulado talvez?

    Se você acha que sou ingênuo você tem todo direito. E tem, também, o direito de expressar esta opinião aqui, afinal. Não me lembro de ter bloqueado qualquer comentário teu, caro Otto. Aliás, só tem 3 que continuam bloqueados porque minha família não merece ser ofendida por quem não tem vontade de discutir de forma educada.

    Só não aceito ser acusado do que não sou. Dizer que me coloquei ingenuamente dentro da massa que se assemelha a massa golpista de 64 é uma acusação séria pacas que não posso deixar passar em branco, caro Otto.

    Você pode continuar achando que sou ingênuo.

    E eu posso opinar sobre o tal movimento muito bem orquestrado para que não se reclame de qualquer corrupção deste governo existe e é repetido, reproduzido ad nauseam, pela militância e simpatizantes ingênuos. E também do outro lado, produzindo vídeos e sites falsos e reproduzidos por um outro monte de patos políticos. Tem pra todo lado.

    Agora mesmo estão linkando pra caramba um tal de PMB, partido militar brasileiro. Alguém se deu ao trabalho de saber se existe, realmente?

    Procure aqui e veja se está registrado no TSE: http://www.tse.jus.br/partidos/partidos-politicos

    Pois é, não existe. E agora? Caiu a ficha?

    Ingenuidade é, sim, manipulável, caro Otto.

  325. Otto said

    Pax, desculpa se fui muito assertivo. Eu te admiro, o que não significa concordar sempre contigo.

    Agora, me diga uma coisa: você não vê nenhuma semelhança entre essas massa desgovernada e as massas que foram pedir a cabeça de Jango?

    O mesmo furor, a mesma ira, o mesmo apoio da grande mídia.

    Em 73, o caos que precedeu a derrubada de Allende no Chile também começou com grupos de ultra-esquerda.

  326. Otto said

    O QUE FEZ A GLOBO TREMER?

    Ontem, ouvindo os apresentadores do Jornal Nacional, eu escrevi aqui Atenção: a Globo virou o fio!
    Algo fez o Império recuar na verdadeira campanha de propaganda pró-manifestaçôes que vinha fazendo.
    Fosse ou não essa a intenção dos manifestantes, a Globo farejou logo que ali estava uma arma contra o Governo Dilma-Lula.
    Era um “mensalão” com povo.
    E bomba, e fogo, e caos. Uma insurreição popular, vestida candidamente de “menos corrupção, mais educação e saúde”.
    Por que a Globo abandonou, então, seus inocentes úteis e diz, hoje,num editorial bulldog – Ultrapassou os Limites – que terminou a promoção grátis do Big Brother de rua?
    Diz, sem meias palavras: Uma etapa que se esgota, como a atual se esgotou.
    Ou seja, acabou. Saem da tela as meninas jovens e bonitas, ficam só os mascarados ameaçadores.
    Por que?
    Não é apenas porque a Globo viu, no movimento das ruas “a existência de uma agenda ultrarradical para além do passe livre, como a proposta de uma “reforma urbana”, fachada de um programa lunático de desapropriação de propriedades privadas nas cidades”.
    Nem é pelo delírio golpista que recorda as acusações que se fazia a João Goulart de querer “implantar uma república sindicalista”, agora repaginada como “chavismo”:
    “Algo que se aproxima da perniciosa “democracia direta” chavista, em que as instituições republicanas são subordinadas a um Executivo cesarista, senhor de todas as decisões, manipulador-mor das massas, mantidas coesas por programas populistas assistenciais economicamente insustentáveis”.
    O que assustou a Globo são as pesquisas reservadas que possui, diariamente, e que lhe mostraram que a maioria da população chamava o seu Governo a agir e enfrentar a crise política que ela tinha ajudado a gerar e da qual não se diferenciava aos olhos do povão.
    Enfrentar a crise não com bordoada e tiros, mas com firmeza de ação e ousadia de proposição.
    Que o desejo das ruas que ela manipulava virasse, como vai virar, alavanca de transformação, dando à mudança forças que, talvez, não possa a mídia conter.
    A turma de parvenus da Barra, que vaiou a fala de Dilma, ontem, não vai cancelar a assinatura de O Globo nem deixar de lado o julgamento William Simpson Bonner que lhe é diariamente servido.
    A velha golpista de 64 apenas disse: meninos, vamos parar, isso não está dando certo.
    Agora, em nome da ordem, vão é tratar de construir um moralista para encarnar a “salvação” e esperar a próxima chance de desestabilização.
    A nós, resta um caminho, avançar. Porque ficar parado, achando que a direita morreu ou que é diferente da dos velhos tempos – não importa se de piercing – é escapar do fogo para cair na frigideira.

    Por: Fernando Brito

    http://www.tijolaco.com.br/index.php/o-que-fez-a-globo-tremer/

  327. Otto said

    PRONUNCIAMENTO DA PRESIDENTA DILMA REGISTRA 44 PONTOS DE AUDIÊNCIA. GLOBO PERDE AUDIÊNCIA MOSTRANDO MANIFESTAÇÕES

    Uma notinha divulgado hoje na coluna Ilustrada da Folha, informa que; O pronunciamento da presidente Dilma Rousseff na noite de sexta-feira (21), sobre a onda de manifestações pelo país, registrou audiência prévia de 44 pontos no horário. Cada ponto equivale a 62 mil domicílios na Grande São Paulo.

    O share (número de televisores ligados) foi de 61%. Os 44 pontos correspondem a uma média calculada a partir da audiência de todas as emissoras abertas, na Grande São Paulo. Essa faixa costuma registrar de 40 a 42 pontos.

    O número de domicílios com TVs ligadas no pronunciamento da presidente na Grande São Paulo, mais de 2,7 milhões, chegou perto do número registrado durante jogos do Brasil na última Copa do Mundo, em 2010: 48 pontos.

    A final da Copa Libertadores de 2012, entre Corinthians e Boca Juniors (Argentina), também registrou 48 pontos na região.

    Globo perde audiência mostrando protestos

    A Rede Globo derrubou sua grade de programação, rigorosamente comprometida com seus anunciantes, para mostrar tumultos e desgastar a presidente Dilma.

    Pelo menos até agora, os planos da Globo não deu certo.A cobertura garantiu só os minguados 20 pontos de média de audiência para a emissora. Cada ponto equivale a 62 mil domicílios na Grande São Paulo.

    A coluna Ilustada tambem mostra que, a transmissão que foi ao ar mostrando manifestações, das 17h49m às 21h23m, incluindo o “Jornal Nacional”, e teve ainda 35% de participação.

    Segundo a coluna Oops, nas últimas quinta-feiras, “Flor do Caribe” vinha marcando cerca de 20 pontos e “Sangue Bom”, 25.

    Já o “Jornal Nacional”, que tampouco teve edição normal ontem, chega a marcar 30 pontos em dias de grandes acontecimentos.

    http://osamigosdopresidentelula.blogspot.com.br/2013/06/pronunciamento-da-presidente-dilma.html

  328. Otto said

    “Uma multidão sem representantes, cuja direção (rumo) parece ter sido sequestrada por grupos de extrema-direita e passa a atacar instituições públicas, partidos políticos e manifestantes de esquerda, não só não me representa como passa a ser algo a ser combatido politicamente.”

    http://www.viomundo.com.br/politica/weissheimer-nao-ha-um-movimento-em-disputa-mas-uma-multidao-sequestrada-por-fascistas.html

  329. Pax said

    Caro Otto,

    Não é necessário me pedir desculpas. Fiz meu ponto e acho que você entendeu.

    Também te admiro. Admiro qualquer pessoa que goste de discutir com educação, qualquer que seja, o assunto que for. Só reclamei porque bateu num ponto que realmente não podia concordar.

    Claro que estou atento. Claro que vejo um vai da valsa geral, da mídia inclusive. E claro que me preocupo com movimentos radicais. Agora, se vejo semelhança com o movimento que pediu a cabeça de Jango eu não concordo.

    Vi muita gente inteligente às ruas. Petistas, tucanos, trótskistas e conservadores. Não há um movimento dirigido para derrubar Dilma, organizado com adesão massiva. Não vi isso em lugar algum. Vi gente reclamando muito de corrupção, que se vê em todo noticiário. Antes de ontem, quinta, saí aqui na minha cidade, resolvi ver in loco como estava o movimento no interior. Desta vez não fui como participante da passeata. Fui de moto, vi três passeatas, divididas e enormes. Fotografava, pegava a moto e ia para a frente da outra turma, conversei com policiais que patrulhavam, peguei o depoimento de um que me disse: “ainda bem que tá tudo calmo, eu não quero bater nesse povo, eu sou povo também, tenho filhos que estão aí junto”.

    E fiz uma coisa que queria fazer, para medir a temperatura da coisa. Fotografei os cartazes. As pessoas adoravam. Eu pedia: Posso fotografar teu cartaz? E as pessoas paravam, abriam um um sorriso e mostravam orgulhosas o que estavam protestanto. Depois fiz um apanhado para ver o que tinham escrito, nada diferente do que você está vendo no seu facebook ou no noticiário, corrupção, cura gay, mais saúde (muito aqui, diferente de SP), melhor Educação etc.

    Tanto na passeata enorme de segunda feira em Sampa quanto aqui na minha cidade, não havia qualquer movimento fascista que eu pudesse identificar. Nenhum.

    Mas na quinta passada os neonazi e outros imbecis bateram na rapazeada com bandeiras em Sampa. Sinal de alerta, sim. E o Facebook inundou de propagandas fakes de todos os lados. Reforça o alerta, também.

    Mas, volto a insistir, a maioria das pessoas está, sim, reclamando que o status quo (seja petista, tucano, democrata, pcdob, pr, psb, psd etc etc etc). É o modelo todo que está ruim e precisa mudar.

    Isto pode ser capitaneado, apropriado por algum grupo? Pode. Acho provável? Não, não acho.

    Dilma está sendo criticada? Muito. Até mesmo pelos petistas. Duramente criticada pelos próprios petistas. Isso quer dizer que vai haver um movimento de impeachment de Dilma? Alguns até querem levar para esse rumo, mas não vejo tomarem qualquer força, o movimento que tenho visto, de opiniões, é que todos recuaram, todos estão assustados agora.

    E, o que isso resulta? Que o Status Quo venceu. Todos voltarão daqui a pouco para suas vidinhas que não inclui discussão política profunda. E a reforma política jamais sairá do discurso mantendo o meio de cultura de toda essa cultura de corrupção e impunidade.

    Posso estar errado aqui, talvez a política tenha sido despertada em uma parte da sociedade. Mas não levo lá muita fé. O status quo é forte pacas. (alguns acham que quando falo de Status Quo falo contra o PT que está no poder, e não é nada disso, Status Quo é exatamente Status Quo)

    E aqui vale a lição de Nicolau…

    “Nada mais difícil de manejar, mais perigoso de conduzir, ou de mais incerto sucesso, do que liderar a introdução de uma nova ordem de coisas. Pois o inovador tem contra si todos os que se beneficiavam das antigas condições e apoio apenas tíbio dos que se beneficiarão com a nova ordem.”

    (Nicolau Maquiavel)

  330. Pax said

    Idelber, no Facebook, compartilhou um texto interessante…

    “Idelber Avelar Guarani Kaiowá
    Aulinha básica para quem anda abusando da palavra “fascismo”.

    Francisco Aragão Azeredo
    Vamos falar de fascismo? Tem muita gente falando a respeito das atitudes fascistas adotadas pelos anti-partidos nas manifestações, mas o fascismo é muito mais que isso. É todo um conjunto de posturas e idéias que se juntam dentro de uma visão de mundo. E nada impede que grupos ou pessoas que não se identifiquem e não sejam de fato fascistas terminem por se apropriar de uma ou outra dessas características, mesmo sem perceber.

    Tem um discurso famoso do Mussolini em que ele pergunta pra uma multidão frenética o que eles queriam, se manteiga ou canhões, e o coro responde aos gritos: CANHÕES, CANHÕES! Por que eles fizeram isso?

    Um dos apelos maiores do fascismo é a subordinação do individual ao coletivo, mas não qualquer coletivo. Não se trata do coletivo das pessoas em busca de bem-estar social, não. Tem que ser em nome de algo maior, como a Raça (como no caso do nazismo alemão) ou a Grandeza Nacional, que no caso da Itália de Mussolini se concretizaria numa “ressurreição” do antigo Império Romano, através de conquistas militares.

    Então qual era a questão que Mussolini colocou às pessoas naquele momento? Era o que elas queriam, manteiga, ou seja, aquilo que poderíamos chamar de bem-estar social obtido por investimentos sociais, ou canhões, ou seja, os armamentos que permitiriam à Itália alcançar a “Grandeza Nacional” pelos meios valorizados naquele momento histórico, ou seja, a Guerra.

    Hoje em dia, o discurso da “Grandeza” continua presente, mas não passa mais necessariamente pelo apelo a uma guerra contra oponentes externos. Não. A “Grandeza” pode se concretizar através de façanhas econômicas, como alcançar o posto de Quinto Maior PIB do Mundo ou pela realização de Megaeventos, que deixarão um legado para a posteridade e darão mais “moral” ou “reputação” ao país perante o concerto das nações.

    E a grande questão implícita neste momento pelo qual estamos passando é essa: o que nós queremos? A manteiga, ou seja, os investimentos sociais de que o Brasil tanto precisa em Saúde, Educação e Infra-Estrutura (Transportes e Saneamento Básico entre outras demandas) e o Estado de Bem-Estar Social que contemple a todos, inclusive as minorias discriminadas e/ou em situação precária ou os canhões, ou seja, a Copa e as Olimpíadas com suas mega-obras de utilidade questionável, a correria econômica pelo Quinto Maior PIB sem levar em consideração os direitos humanos de todos os grupos que vivem no país e nem as questões ambientais, a Grandeza que Dilma fez tanta questão de frisar em seu último discurso.

    Não que Dilma tenha ignorado a manteiga. Não. No seu pronunciamento cuidadosamente retocado por marqueteiros (que apesar de serem profissionais ou mesmo por causa disso são péssimos oradores) ela tratou de, cuidadosamente, passar a manteiga em cima do canhão que hoje sabemos que será defendido inclusive com a ajuda dos canhões literais do Exército, se preciso for.

    Eu não sei se o povo brasileiro vai comprar o canhão besuntado de manteiga de Dilma. O que eu sei é que um canhão não deixa de ser um canhão por estar recoberto de manteiga. Aprendi isso na pele na última quinta-feira.”

  331. Otto said

    Pax,

    e a oportunidade de votar agora os 100% de royalties do pré-sal pra educação? (Já que na última votação esta proposta não passou justamente pela oposição dos tucanos.) E trazer mais médicos pras comunidades carentes? Já não seriam duas vitórias? Com tanta crítica à educação e saúde, agora os deputados (e a população) não pode ser contra…

    Fora de pauta: no mais, você escreve bem (e isto aqui não vai no modo irônico).

    No mais, acho que o instante mais propício para um golpe já passou… Vamos acompanhar os resultados de todas as manifestações.

    Como disse o Maquiavel citado por você, toda mudança é lenta.

    Abraços!

  332. Otto said

    Pax, leia esta análise, inteligente e ponderada, do Azenha:

    http://www.viomundo.com.br/opiniao-do-blog/levante-nas-ruas-taxar-fortuna-dos-marinho-para-financiar-o-transporte-publico.html

  333. Otto said

    Ué, por que será que a Michelle e o Edu estão calados agora?

    Será que estão esperando ordens do como se posicionar agora? Vão mudar de lado outra vez, agora que a Globo está pulando o alambrado de novo?

    Do Globo hoje:

    “O conflito entre apartidário e antipartidário terminou desvendando uma faceta de toda esta mobilização: a existência de uma agenda ultrarradical para além do passe livre, como a proposta de uma “reforma urbana”, fachada de um programa lunático de desapropriação de propriedades privadas nas cidades.

    Parece que o pronunciamento da Dilma surtiu algum efeito. A Globo desistiu de chamar os manifestantes pras ruas?

    Ih, o Edu vai se refugiar na padaria outra vez!

  334. Otto said

    Do mesmo editorial do Globo:

    “Começou como ação de um pequeno grupo de jovens reunidos em torno da crucial questão da precariedade do transporte urbano de massa, cresceu com a ampliação da pauta de críticas e reivindicações, e chegou à noite de anteontem com manifestações sem controle, utilizadas por vândalos movidos a ideologias políticas ou não. Limites legais e políticos foram ultrapassados. Chegou a hora de parar e refletir.”

    Vixe, Edu, o chefe mandou parar agora. Pega o brinquedo e volta pra casa, guri!

  335. Pax said

    Creio, caro Otto, que já tinha me manifestado sobre os 100% dos royalties para Educação. Claro que sou favorável, a priori.

    Mas não sem antes discutir certas condições. Não me aprofundei no assunto, mas diria algumas que me vem à cabeça agora:

    1 – que este orçamento, ao menos este, seja totalmente participativo e com uma fiscalização rigorosa. Se for para entregar para algum – para exemplificar – destes ministros mamões, eu ficaria muito incomodado com mais uma fonte de desvios.

    2 – que as regras de distribuição para estados e municípios fossem bastante discutidas e bem resolvidas. Se concentrar tudo na União que obrigará Estados e Municípios a mendigar suas participações tende a virar joguete político canalha e não me agrada nem um pouco.

    etc.. tenho que pensar melhor, ouvir mais que falar.

    Mas tem meu apoio, sim.

  336. Otto said

    E eis aqui outra bandeira interessante pela qual lutar:

    http://www.estadao.com.br/noticias/nacional,autores-do-ficha-limpa-lancam-o-reforma-politica-ja,1045713,0.htm

    Claro que os detalhes tem que ser discutidos. Mas sou a favor.

  337. Patriarca da Paciência said

    Hilário mesmo! O sujo falando mal do mal lavado!

  338. Jose Mario HRP said

    A Marina tentando explicar que a Rede não será um partido, embora seja, abrirá a porta para aqueles que querem a democracia sem partidos , no Congresso!
    è…..está difícil encontrar coerencia nessa coisa. Depois, aqueles que tem idéias ,dentro da rede, discordantes , terão criado facções, que serão especie de partidos?(SIC) ???????
    A Marina ainda dá razão aos que hostilizaram os partidos , queimando bandeiras, no movimento em Sampa!
    Porque , segundo ela, a turma dela já estava nessa , há muito tempo…..
    Nessa o que?
    Protesto por um mundo sem partidos, ou um mundo melhor, ou um mundo imaginário que ainda não existe, e pelo qual ainda se criará teorias, depois postas em pratica , que darão certo ou não??????????
    Tá complicado!
    Stanislau Ponte Preta diria sem dúvida!
    Um novo Samba do Crioulo Doido….

  339. Pax said

    Gostei da ideia, numa primeira passada d’olhos. Ao menos é uma proposta concreta.

    Reforma Política – Proposta do MCCE explicada… bem, pelo Estadao, mas não está ruim.

    O que acham vcs?

    http://www.estadao.com.br/noticias/nacional,autores-do-ficha-limpa-lancam-o-reforma-politica-ja,1045713,0.htm

  340. Otto said

    Pax #339:

    é o mesmo texto que postei no #332.

  341. Otto said

    E

    Entre as milhares de bandeiras e cartazes dos jovens que saíram às ruas, não havia uma única frase dedicada à redução da desigualdade.

    Isso mostra que os nossos protestos são diametralmente opostos aos do Occupy Wall Street, que exigiam, vejam só, a redução do abismo entre os 99% e o 1%.

    E quando a gente olha para o Governo Dilma, qual é o principal objetivo? Redução da pobreza e a construção de um país mais igualitário.

    É uma pena ver que a nossa classe média não se importa com esse problema.

    Imagina quando chegarem ao poder…

  342. Otto said

    Giovano Iannotti: Querem pôr um cadáver no colo da presidenta

    Neste sábado (22), minha mulher e eu fomos à manifestação ocorrida em Belo Horizonte na qualidade de médicos. Somos professores e vários de nossos alunos estavam presentes. Como já havíamos testemunhado a violência no ato da segunda-feira anterior, fomos preparados para atender possíveis vítimas, levando na mochila alguns elementos muito básicos para pequenos ferimentos e limpeza dos olhos irritados por gás.

    Por Giovano Iannotti*, especial para o Vermelho

    A manifestação foi tranquila durante todo o trajeto. Até mesmo a intolerância com militantes de partidos de esquerda foi pouco vista. Uma grande bandeira vermelha era orgulhosamente carregada e, salvo um ou outro, respeitada. Contudo, o clima começou a piorar quando a manifestação encontrou o cordão policial. Como tem ocorrido, a maioria aceitou o limite imposto, mas os provocadores instavam os moderados a enfrentarem a polícia. Parecem colocados estrategicamente entre o povo, porque se repartem em certo padrão e gritam as mesmas frases.

    Como é sabido, eventualmente o conflito aconteceu. Retiramo-nos para a pequenina área verde que sobra naquele encontro entre as avenidas Abraão Caran e Antônio Carlos. E ali ficamos tratando sobretudo intoxicações leves e ferimentos superficiais causados por estilhaços e balas de borracha. Em um momento, fui chamado para atender um senhor ferido na cabeça. Fui correndo, mas ele já passara o cordão de isolamento da polícia. Identifiquei-me como médico aos policiais do governo de Minas Gerais e disse que poderia atender o senhor ferido. A resposta foi uma arma apontada contra meu peito. Pedi para falar com algum oficial, mas a PM recomeçou a atirar. Voltei para nosso pronto-socorro improvisado. De dentro do campus da UFMG começaram a atirar bombas de gás sobre nós que atendíamos os feridos e recuamos ainda mais, para o meio da Antônio Carlos.

    Minutos depois, chamaram-nos com urgência informando que alguém caíra do viaduto José de Alencar. Quando chegamos, um jovem com o rosto sangrando estava sofrendo uma pequena convulsão. Fizemos a avaliação primária e, na medida em que surgiam problemas, tratávamos da melhor forma possível. Aquele paciente precisava de atendimento avançado urgentemente, em um centro de trauma, mas a polícia não arrefecia. Aproximou-se de mim um sujeito com o rosto tampado por uma camiseta. Ele descobriu parcialmente a face e me disse no ouvido que era policial e que pediria que não atirassem para que pudéssemos evacuar a vítima (penso ter visto esse autodeclarado policial perto de mim, quando eu tentava falar com um oficial, e depois correndo ao meu lado. Se for a mesma pessoa, ele era um dos exaltados que instavam à violência). Chegaram algumas pessoas com camiseta vermelha, na qual se lia “bombeiro civil”. Eles nos ajudaram a improvisar uma maca com um cavalete da empresa de transportes e faixas de manifestantes. Algum tempo depois, por coincidência ou não, os tiros pararam e fomos, com dificuldade, levando a vítima em direção do cordão policial. Minha mulher ficou na barreira.

    Quando passamos a barreira, vi uma ambulância parada a uns 20 metros. Gritei para os que ajudavam para que fôssemos para ela. Todavia, para meu horror, a polícia não permitiu. Disse que aquela viatura era somente para policiais feridos. Tentei discutir, mas vi que seria improdutivo. Disse a um oficial, então, que conseguisse outra. Não tínhamos muito tempo. Colocamos a vítima no chão, imobilizando sua coluna cervical e iniciei a avaliação secundária. Na medida do possível, limpamos o rosto ensanguentado do jovem e realinhamos os membros fraturados. Pedi aos policiais que, pelo menos, trouxessem equipamentos da ambulância “deles” para imobilização e infusão. Recusaram-se.

    Esperamos um bom tempo até que uma ambulância do resgate do Corpo de Bombeiros de Minas Gerais chegasse. O veículo praticamente não tinha nenhum equipamento. Somente a prancha, talas, colar cervical e oxigênio para ser usado com máscara. “Soro” não havia. Transferimos e imobilizamos o paciente. Nesse tempo, tentávamos descobrir para onde levar a vítima. Respostas demoravam a chegar. Pensamos no Mineirão, bem próximo de nós, mas primeiro disseram que era para torcedores e depois que não dispunha de centro de trauma. Fomos para o Pronto Socorro de Venda Nova, Risoleta Neves. Lá uma colega assumiu o tratamento do ferido.

    Entrei em contato com minha mulher e ela me disse havia se juntado a meu irmão, que dois outros haviam caído do viaduto e que havia vários feridos, mas que eles não estavam conseguindo mais atender.

    Mais tarde, quando os reencontrei no metrô de Santa Efigênia eles me contaram uma história de terror. Depois de me deixar com a primeira vítima, minha mulher se identificou aos policiais e disse que queria passar também para me ajudar. A polícia não deixou e ameaçou atirar nela. Como as agressões reiniciaram logo depois, ela ficou presa entre bombas e pedras, até que conseguiu fugir e retomar a antiga posição para socorro, no meio da Antônio Carlos. Foi quando encontrou meu irmão. Logo depois, receberam um chamado, avisando que outro rapaz havia caído. A situação clínica desse paciente era muito pior do que a do anterior. Não interessa escandalizar ou ofender com detalhes médico-cirúrgicos. Relato somente que o quadro que os dois descrevem é gravíssimo. A vítima não reagia, estava em coma, mas respirava e o coração batia. Meu irmão, sabendo da primeira experiência, correu para os policiais, desta vez um outro cordão formado na Antônio Carlos, levantando as mãos, agitando uma camisa branca e gritando que havia um ferido morrendo. Os policiais, vários, apontaram-lhe armas e gritaram para que ele fosse embora. Quando ele tentou avançar um pouco mais, os tiros começaram e ele correu em direção de minha mulher para ajudá-la.

    Ali, ao lado da vítima, perceberam que a polícia atirava neles. Relatam que já não havia ninguém próximo. Somente a vítima, ele e minha mulher de jaleco branco. Os tiros e as bombas de efeito moral e de gás vinham com um único endereço. O deles. Ficaram o quanto aguentaram; mais não puderam fazer. Desesperados, tiveram que abandonar o rapaz que morria e buscar refúgio.

    Depois, tiveram a notícia de que um terceiro homem caíra do mesmo viaduto. A cavalaria já estava em ação e não havia como atravessar a avenida para socorrer essa terceira vítima. Quando cheguei em casa, alguns alunos relataram que socorreram um homem que caíra do viaduto (perece que foram quatro, no total). Quando a polícia passou, eles conseguiram chegar à vítima e ficar com ela até que o SAMU chegasse.

    Algumas ideias ficam em minha cabeça. Quem já conviveu com militares sabe na maioria das vezes reconhecer um por sua forma de agir, andar, cortar o cabelo e de falar. Sem leviandade, acredito que vários dos provocadores eram militares infiltrados. Vi o homem de rosto coberto dizer ser policial e que pediria para que os policiais alinhados dessem uma trégua e nos deixassem passar. Isso aconteceu. Outra imagem simbólica foi ver a tropa de choque da Polícia Militar de Minas Gerais dentro de uma universidade federal (deveria ser um território livre e sagrado da paz, da inteligência e da cultura) fechada para os estudantes. Da universidade vinham bombas que machucavam a juventude. Já ampliando o horizonte, o Itamaraty em chamas, a bandeira de São Paulo queimando, o Congresso quebrado, um governador sitiado em sua casa. Há que se ler nos símbolos e nos fatos. Amplie-se mais esse horizonte. Não se vê que os métodos são os mesmos usados nas “primaveras” árabes, em Honduras, no Paraguai, no Equador, na Venezuela e que começa também a ser usado na Argentina?

    Nada há de espontâneo no que está ocorrendo e não é à toa que os meios de comunicação têm promovido e estimulado a agressividade e a multiplicidade de slogans e bandeiras. Não é verdade que não haja líderes nessas manifestações. Os líderes estão nas sombras, colhendo os frutos das últimas tecnologias. São discretos. Quem sabe o que são o Instituto Millenium, o instituto Fernando Henrique Cardoso, o Council on Foreign Relations, a Trilateral Commission, o Carnegie Council? Preparam o Brasil para a guerra global idealizada pelos think tanks? É essa a forma de chegar aos recursos naturais do imenso território brasileiro sem a mínima resistência de governos mais progressistas? Incomoda o acordo com a Rússia para a compra e desenvolvimento de armas?

    Uma certeza: querem atacar a democracia. Em vez de atacar partido, tome partido. Você está sendo manipulado. Pelo que vi e vivi é certo que querem jogar um cadáver no colo da presidenta Dilma.

    *Professor de Medicina

    http://www.vermelho.org.br/noticia.php?id_noticia=216830&id_secao=9

  343. Pax said

    Opa, essa é fogo.

    http://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/2013/06/1299869-promotoria-investiga-fraudes-em-empresas-de-onibus-de-sp.shtml

    E aqui uma senhora análise

    http://diegoviana.opsblog.org/pauta-difusa-e-derrota-mais-uma-vez/#ixzz2X3WMF9wN

  344. Pax said

    Caro Otto, não estou conseguindo abrir todos os links. Além da profusão de coisas acontecendo, meu link anda de mal a pior.

    Desculpa se foi repetitivo em cima do teu #332.

  345. You can't fix stupidity! said

    Edu
    acho que devemos ficar felizes….

    Pax em #329 abriu o jogo e nos ensinou o significado da expressão “Staus Quo”.
    A expresssão não quer dizer “estado atual” e menos ainda “aqui-agora”.
    Nada a ver.
    Tolice nossa ao imaginar que ele estava criticando o estado atual/o aqui agora. Até Otto ficou meio ressabiado.
    Ledo engano.

    Afinal tudo no Brasil dos lumpem petralhiariat vai bem, né?
    ——–
    Dúvidas:
    Saúde: vamos importar médicos e hospitais também?
    Educação: vamos importar professores e prédios escolares?
    Violência: vamos importar agentes de polícia treinados para não bater em jovens inocentes que insistem em paralisar e vandalizar as grandes cidades e o Distrito Federal?
    Saneamento Básico: ?
    Infraestrutura de mobilidade intra modal? Urbana, regional, nacional e internacional ( portos e aeroportos)?
    ———–
    Reproduzo o inestimável ensinamento: (sugiro imprimir)

    Posso estar errado aqui, talvez a política tenha sido despertada em uma parte da sociedade. Mas não levo lá muita fé. O status quo é forte pacas. (alguns acham que quando falo de Status Quo falo contra o PT que está no poder, e não é nada disso, Status Quo é exatamente Status Quo)

    Ave Pax! hehehe

  346. Edu said

    Boa noite,

    Foi daqui que pediram uma pizza?

    Otto,

    Ledo engano… A Dilma não conseguiu dizer nada além de obviedades sobre o que ela deveria estar fazendo e sendo reconhecida. Ela perdeu bastante tempo “vendendo o peixe” do governo dela. Pq? Se ela está tão segura assim em relação ao que está fazendo, pq gastar tanto tempo em um discurso tentando vender o que teoricamente todos deveriam estar cientes?

    E a minha pergunta, Otto?

    Responda: o q o PT foi fazer na manifestação? Justo no último dia?

    —x—

    Michelle,

    Quando nós falamos em mudança, estamos tentando… Como eh q o Pax se referiu msm?…. “Pastorear as opiniões dele”. Kkkkk

    Vai entender… Só pq em dado momento ele se alinha com o que pensa ser a direita, ele se arrepia e corre pro “otto” lado. Kkkkk

    Na discordância com o Otto, que o acusa, ele pede desculpas por discordar! Kkkk

    A verdade eh que essa esquerda pseudo-social-democrata encontra seu fim no seu próprio começo: o mercado.

    Não eh o momento de lutar contra ele…. E eles ainda não entenderam. O chato eh que enquanto aguardamos, teremos que aguentar Haddads, Alkmins, Dilmas, etc…. Destruindo metade do Brasil em troca de um sonho.

  347. Patriarca da Paciência said

    “PT

    Houve um descolamento nesse momento. A lógica de estar nos governos acaba distanciando de uma pauta mais real da vida das pessoas. Essa classe média que conquistou muita coisa agora quer melhorar a saúde, quer melhorar a sua vida.

    O que houve de conquistas nos dez anos de governo Lula e Dilma não basta mais. Estamos encerrando a miséria absoluta no país. Muito bem. 40 milhões entraram na classe média. Muito bem. Qual é a pauta que estão impondo para a gente do PT também? É uma pauta da vida nos grandes centros urbanos, a luta contra a desigualdade, a luta para melhorar a saúde.”

    http://www.brasil247.com/pt/247/rio247/106313/Lindbergh-PT-se-afastou-da-sociedade-e-da-juventude.htm

    Caro Pax,

    Acho que que já estão surgindo algumas idéias e luzes no fim do túnel!

    Uma causa que você já defende há muito tempo, agora tem tudo para ganhar foças, ou seja, o PT se “separar” do PMDB!

    A força do PMDB vem do seu eleitorado – é o maior partido, aquele que tem mais votos e mais parlamentares!

    Dificilmente manterá tal posição na próximas eleições!

    Então o PT agora tem o bom motivo para provocar a “dissolução” consensual!

    Espero que todos matenham muita calma e bom senso nesse importante momento histórico.

  348. Patriarca da Paciência said

    Espero que todos mantenham muita calma e bom senso neste importante momento histórico.

  349. Jose Mario HRP said

    E nosso paladino mal educado no STF?
    Onde anda e por que não falas?
    AH!
    Tá na Costa Rica num encontro de juizes!
    Que vida boa essa de ministro do STF!
    Será que a teoria conspiratória com ele renunciando ao STF vai acontecer?
    Bom , se acontecer e ele chegar a presidencia, vamos ter que ressuscitar o Charles Chaplin para que ele faça uma nova comédia, “O grande ditador II”!

  350. Jose Mario HRP said

    A “Revolução” dos carecas!
    Depois não diga que não avisamos!

  351. Otto said

    Edu:

    “Se ela está tão segura assim em relação ao que está fazendo, pq gastar tanto tempo em um discurso tentando vender o que teoricamente todos deveriam estar cientes?”

    Simplesmente porque a mídia omite e distorce. Elementar, meu caro Watson.

    Mas já conseguiu pelo menos duas vitórias:

    Falar dos 100% do royalties do petróleo para a educação — proposta que não passou em novembro JUSTAMENTE POR CAUSA DA OPOSIÇÃO DO PSDB E DEM.

    Quem agora ousará ser contra?

    E a vinda de médicos estrangeiros pra atender comunidades carentes — já que os médicos mauricinhos preferem encher as buchas em consultórios particulares.

    Bom, do limão já temos pelo menos duas limonadas.

  352. Otto said

    Pax, por que não uma Constituinte exclusiva para a reforma política?

  353. Jose Mario HRP said

    A coisa está feia, ” TÁ” fácil a solução!
    KKKKKKKKKk…….

  354. Patriarca da Paciência said

    Meu caro HRP,

    esse boçal aí não representa mais que zero, vírgula, zero, zero, alguma coisa dos brasileiros!

    Não acredito que ele seja algo mais que um boçal!

    Por que deveríamos ter medo de um boçal?

  355. You can't fix stupidity! said

    Edu

    Concordo.
    Mas o que me preocupa, como brasileira, é que Dilma no pronunciamento “avalizou” demonstrações “pacificas” o que na prática dá o direito de movimentos sociais com todo o tipo de causas ( justas ou estapafúrdias tipo essa do “passe livre”) interfiram pesadamente no direito de ir e vir da maioria dos cidadãos das cidades, paralizando o tráfego das principais vias de mobilidade.
    O que é um absurdo.

    É claro que concordo que nossos serviços públicos são péssimos diante do volume de impostos arrecadados pelo cidadão/contribuinte.
    Algo tem que ser feito. Mas não é dando total poder aos manifestantes nas ruas que vamos aperfeiçoar a democracia que queremos ver preservada.

    Quem mora ou trabalha na região da Av. Paulista, por exemplo, tem que consultar os jornais ou facebook pra planejar seu dia e não se envolver em confusão ou até sofrer danos materiais ou físicos se a ala violenta decidir enfrentar a polícia que acaba ficando impotente diante da multidão para não desagradar aos jornalistas/miltantes atuando na midia (inclusive a Globo).

    Por outro lado leio pelo Josias:

    http://josiasdesouza.blogosfera.uol.com.br/2013/06/24/medicos-vao-as-ruas-contra-dilma-nesta-quarta/

    Em resumo:

    Em reação ao pronunciamento feito por Dilma em rede nacional de rádio e tevê, as entidades divulgaram uma “carta aberta aos médicos e à população brasileira”. No texto, anotam que o projeto do governo “é de alto risco” e “simboliza uma vergonha nacional.” Subscrevem o documento quatro entidades.

    Que problemas? Falta de leitos e de medicamentos, ambulâncias paradas por falta de combustível, infiltrações nas paredes e goteiras nos hospitais, infraestrutura precária e baixa valorização dos médicos. Provocativo, o texto recorda o câncer que levou Dilma a tratar-se no Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo.

    “Há alguns anos, a presidente Dilma Rousseff foi vítima de grave problema de saúde”, anota a carta. “O tratamento aconteceu em centros de excelência do país e sob a supervisão de homens e mulheres capacitados em escolas médicas brasileiras. O povo quer acesso ao mesmo, e não quer ser tratado como cidadão de segunda categoria, tratado por médicos com formação duvidosa e em instalações precárias.”

    As entidades informam que tomarão “todas as medidas possíveis, inclusive as jurídicas” para tentar barrar o projeto do governo. Além do protesto prevista para esta quarta-feira, as entidades organizam para o dia 3 de julho uma “paralisação nacional” dos médicos.
    _________________________

    A nossa incompetenta presidenta além de tudo ainda arranja mais problemas…vamos de mal a pior!
    A situação é realmente muito delicada como atesta o bom e velho Totó acima.

  356. You can't fix stupidity! said

    Eis um exemplo do que falei acima sobre nossos pacíficos manifestantes:

    Palavras de ordem:

    “Bandeira da nação, homenagem à escravidão.”
    “Essa bandeira mata índio.”
    “Chega de alegria, a PM mata pobre todo dia.”
    “Que coincidência, na classe média não tem violência.”
    “Ei, reaça, sai da nossa marcha.”


    —————-
    Feio não é bonito.

  357. Otto said

    “Mas não é dando total poder aos manifestantes nas ruas…”

    Eis porque a Michele já mudou de posição, seguindo os ditames do PIG, que no fundo morre de meso das ruas!!

    Michele, por que não retomar aí nos States o Occupy Wall Street, já que aí não existe saúde pública, gratuita e universal?

    Ah, esqueço que quando vc. não tem resposta, tergiversa….

    E você, Edu, já mudou novamente de lado e voltou pra padaria?

  358. Otto said

    Por que os médicos cubanos assustam a Michelle e o Edu:

    http://www.cebes.org.br/verBlog.asp?idConteudo=4398&idSubCategoria=30

  359. You can't fix stupidity! said

    Sindicato dos Médicos convoca paralisação geral na terça-feira.

    http://www.diariodepernambuco.com.br/app/noticia/politica/2013/06/22/interna_politica,446468/sindicato-dos-medicos-convoca-paralisacao-geral-na-terca-feira.shtml

  360. Otto said

    Eles — os médicos — estão com o cu na mão.

    Engraçado, os livres-mercadistas não querem concorrência…

    Pensei que os liberais eram contra o corporativismo!

    Ah, esqueci que a Michele é fascista.

  361. Edu said

    Otto,

    Hoje a Dilma anuncia pacotes anti-corrupção. Eu acho ótimo saber que antes disso não existia nada.

    Como eu disse anteriormente: a Dilma não governa se planejando, ela é totalmente reativa. Precisou essa pseudo-revolução nas ruas para que ela se pronunciasse sobre alguma coisa. E falou um monte de obviedades, a população que foi pras ruas já sabia de tudo isso que ela disse, não sei se ela conseguiu alguma limonada.

    Aliás, grande limonada essa que ela conseguiu fazendo o Brasil ter taxas reais de juros de 2%. Estamos vendo o dólar batendo o teto, a inflação em 12 meses já acima da meta, juros subindo (já não são 2% ao ano), e o desemprego ameaçando começar a subir. Além é claro dos gastos do governo sem controle. Se vc chama o PIB brasileiro de limão, realmente ela o espremeu e está conseguindo uma grande limonada!

    Eu não sou contra trazer médicos de fora para o Brasil. Eu sou contra trazer médicos cubanos para o Brasil! Se o PT é tão social-democrata assim, porque não traz médicos da Escandinávia para o Brasil? Como eu disse: é o abraço dos afogados. Estrelando: Venezuela, Argentina e Cuba. Os grandes “parceiros” brasileiros.

    A Venezuela não tem nem papel higiênico.
    A Argentina confiscou as linhas férreas da ALL, e proíbe a importação da linha branca de eletrodomésticos fabricados no Brasil.
    Cuba… bom Cuba é aquela ilhota, sonho de todos os brasileiros de esquerda. Só que eu nunca vi ninguém se mudar pra lá. O que eu vejo é um monte de gente de lá querendo se mudar pra cá! hahahaha

    Responda-me Otto: o que o PT estava fazendo nas manifestações? Ele estava insatisfeito com o que?

  362. Otto said

    Edu:

    a pergunta não é por que o PT foi à rua. Que eu saiba a rua é livre e pode se manifestar nela quem quiser, dentro é claro da civilidade.

    Ou você gostaria de decretar quem pode ou não marchar na rua?

    Converse com as almas (no inferno) de finados marechais e eles quem sabe podem te passar os textos do AI-1 e AI-8.

    A pergunta é por que os militantes do PT foram agredidos — junto inclusive com os do Psol, Pstu, Pco, UNE, MST etc.

    Você é a favor de agressão? Você é integralista? Neonazista? Moralista? Anarco-punk? Almofadinha?

    Ou apenas um rapaz marombado que quer testar na rua as horas de academia pagas por papai?

    Você, aliás, não me parece uma rapaz muito familiarizado com história… É uma pena esta lacuna na sua formação…

    Sabe me dizer qual foi a vez que, após o incêndio do parlamento, a turba se pôs a queimar bandeiras vermelhas em praça pública?

    Faça um esforço de pequisa, vai, meu anjo.

  363. Edu said

    Otto,

    Aqui está o retrato da lápide de Dilma:

    http://economia.uol.com.br/noticias/redacao/2013/06/24/mercado-reduz-estimativa-de-crescimento-da-economia-pela-6-vez-seguida.htm

    http://economia.uol.com.br/cotacoes/noticias/redacao/2013/06/24/bovespa-opera-em-queda-e-dolar-sobe-nesta-segunda-acompanhe.htm

    O mercado vai matar a presidenta:

    – Redução da estimativa de crescimento da economia
    – Aumento da estimativa de inflação
    – Bovespa caindo pra 45.000 pontos

    Mercado, Otto.

  364. Otto said

    Edu, vai ver que os médicos da Escandinávia não querem vir para cá….

    A não ser que se queira pagar 20 mil euros mensais por cabeça…

    Agora, cubanos, portugueses e espanhóis topariam.

    Sobre a inflação, que você torce tanto pra subir, quanto ela foi mesmo nos 8 anos de FHC?

    A sua amiga expatriada se recusa a me responder algo não fácil de achar…

    Quanto à subida do dólar, isto se dá em todos os países… Ou vc. não sabia disso?

  365. Otto said

    Ah, e qual é a previsão de crescimento do PIB na UE?

  366. Patriarca da Paciência said

    “Eles — os médicos — estão com o cu na mão.

    Engraçado, os livres-mercadistas não querem concorrência…

    Pensei que os liberais eram contra o corporativismo!”

    É bem isso aí, meu caro Otto!

    Médico é um típico capitalista brasileiro, ou seja, não quer concorrência!

    Além do mais, trazer médicos da Escandinávia! É claro que vem alguns, ou seja, missionários abnegados!

    Mas oito mil médicos!

    Isso nem mais é delírio! É pura alienação!

  367. Edu said

    Otto,

    Vc vê, né Otto, caiu do cavalo denovo: vc acha que eu sou contra importarmos médicos. Na verdade eu sou totalmente a favor. Por mim importaríamos toda a mão-de-obra que fosse necessário.

    Que tal fazermos uma “lista de compras”?

    – Engenheiros alemães, que o Brasil não tem
    – Técnicos alemães, que o Brasil não tem
    – Cientistas americanos, que o Brasil não tem
    – Trabalhadores chineses, que o Brasil não tem

    —X—

    Sobre o PT nas ruas. Deixa eu esclarecer dois pontos… e vc vai cair do cavalo denovo:

    1 – O PT pode ir pra rua quando ele quiser! A minha pergunta não intencionada a proibir o PT de ir pra rua. Novamente, Otto, vc está com problemas de interpretação! Leia novamente: eu só quero saber o motivo! Quem sabe, se o motivo for legítimo mesmo, eu até apoie, ou eu estou proibido de apoiar porque aí eu estaria, como diz o Pax “pastoreando” a esquerda?!

    2 – Segundo as leis brasileiras, qualquer grupo tem o direito de se manifestar e de se encontrar publicamente, desde que esse encontro não frustre outro encontro previamente planejado. Que eu saiba, o PT não avisou que ia. Que eu saiba, a agenda do PT nunca foi divulgada. Todos estavam ali por vários motivos, mas por um motivo principal, que era a redução dos 0,20 centavos. E o PT?

    Então, Otto, vamos recomeçar:

    Eu só quero saber o que ele foi fazer lá! São perguntas simples!

    O PT foi protestar? Contra quem? Contra o PT? hahahaha

    —X—

    A pergunta sobre por que o PT apanhou, eu sei a resposta. Sei pq eu estava lá. Vc conhece alguém que estava pra te contar a verdade?

    Estava subindo a consolação, tirando fotos dos cartazes e conversando com as pessoas.

    Quando estávamos quase na Paulista, o pessoal que estava na frente voltou correndo dizendo: esperem!!! Esperem!!! O PT está lá na frente com suas bandeiras!!!

    Aí o pessoal começou: ué… mas o que o PT está fazendo aqui?!

    Aí vc ouvia alguns: FDP! Fora PT!!! Fora PT!!!

    E ouvia outros: Gente!! O PT pode fazer o que quiser… isso é um movimento apartidário e não anti-partidário!!!

    E ainda outros: Deixaaa!! Deixaa!!! Vamos continuar!!! Quanto mais melhor!!

    Como vc pode ver, Otto, tinha de tudo.

    A única diferença é que lá em cima, pelo que eu entendi, um grupo de skinheads apareceu. Apareceu e desceu o cacete no pessoal do PT.

    Se eu sou a favor? NÃO!!

    Desde o início, Otto, se vc revisar todos os meus posts, eu venho dizendo que sou TOTALMENTE contra violência e vandalismo.

    No início das manifestações o volume de gente era bem menor, fazendo com que a proporção de vândalos fosse muito maior. Vc consegue perceber isso, Otto? No início, tratava-se de um protesto cujos integrantes violentos eram quase a metade dos manifestantes. E esse tipo de manifestação eu não apóio mesmo! Está escrito aí.

    O Pax e vc, Otto, em contra partida, acharam aquele vandalismo lindo. (Na justificativa de vcs, aquilo era minoria. A única diferença é que vcs não estavam lá)

    Conforme os protestos foram crescendo, a parcela pacífica dos manifestantes cresceu. E aqueles 0,20 centavos passaram a ser muito mais. Como se tornou uma manifestação pacífica, apontada para a corrupção, é claro que pode contar com meu apoio.

    Aí vc, Otto, começou a ficar ressabiado…. começou a se posicionar contra.

    Os vandalismos continuavam: contra o palácio dos bandeirantes (que o HRP achou lindo), e contra a prefeitura de SP (que eu não me lembro de ninguém ter se manifestado, coincidência?). Ocorre que estes vândalos eram efetivamente uma minoria. Tanto que aquele vândalo de camiseta branca foi praticamente único, e foi identificado pela Polícia. Espero, sinceramente, que ele esteja preso ou que ele tenha que fazer trabalho voluntário por uns 20 anos.

    Na quinta-feira TODOS estavam na rua. TODOS. De Skinheads (como eu vi), até anarquistas e Punks de extrema esquerda (como eu tbm vi). Houve vandalismos em diversos lugares, e houve violência para grupos específicos. O PT sofreu uma dos skinheads. Eu disse algo a respeito? Eu não! Eu sou contra o PT estar lá? Eu não! Para falar a verdade, eu queria que todos fizessem uma roda em volta do pessoal do PT e alguém perguntasse: “e aí galera? Qual é o grito de vcs? Qual é a faixa que vcs trazem?” Só isso.

    Como eu disse, Otto, eu NUNCA fui a favor da violência. Eu só queria saber o que o PT estava fazendo lá.

    E mais:eu comemorei os gritos do pessoal: Sem partido! Sem partido!!

    Havia crianças e velhinhos; mulheres, gays, mendigos, almofadinhas e madames. Em uma das faixas mais legais que eu vi, estavam 2 senhores de quase 80 anos levando uma escrita: Os jovens de 68 apóiam os jovens de 2013. Poxa vida cara. Foi legal pra caramba! Antes de qualquer coisa, de qualquer partido, de qualquer ideologia, era uma manifestação pela conscientização política, Otto. Vc consegue entender isso?

    Se houvesse uma liderança gritando “sem partido” eu tbm acharia estranho. Estranhamente nazista. Mas a coisa toda passou longe, bem longe disso.

    Novamente, Otto, cuidado. Ultimamente vc anda caindo muito do cavalo…

  368. Edu said

    Otto,

    Por que vc me faz repetir tanto, cara? Eu já te expliquei umas 10 vezes!!! Não se faça de bobo!

    Não é pq vc é formado em literatura que vc não precisa entender de matemática!

    Novamente:

    Quando a base é pequena, a variação percentual é grande.

    Por exemplo: se um país de um PIB de 1 real, e no ano seguinte o mesmo país alcança um PIB de 2 reais, ele vai ter 100% de variação, concorda?

    Imagina! Um crescimento do PIB de 100%!

    Agora pensa no esforço pra isso acontecer: é fácil, certo? Basta alguém produzir 1 real a mais na economia que o PIB aumenta 100%!

    Quando a base é grande, a variação percentual é pequena!

    Por exemplo: se um país tem um PIB de 100 reais, e no ano seguinte o mesmo país alcança um PIB de 101 reais, ele vai ter 1% de variação, concorda?

    Poxa vida… que tristeza… um crescimento só de 1%.

    Agora pensa no esforço que seria para fazer esse país, cujo PIB é de 100 reais produzir mais 100 reais para que a economia no final aumentasse 100%! Produzir 1 real é fácil, produzir 100 reais é 100 vezes mais difícil, Otto!

    Matemática elementar, meu caro Ottson!

    Agora vamos trazer o problema para o Brasil X UE.

    O Brasil é um país em desenvolvimento. O Brasil pode produzir muuuuuuito mais. Pode exportar muuuuuito mais. Com a mão-de-obra que tem, o Brasil poderia ter muuuuuitas empresas muuuuito grandes. Mas não tem. Tem algumas, estas, protegidas pelo Estado, Otto.

    O Estado, suas taxas, suas políticas burocráticas de registro de novos empreendimentos, seus impostos, suas leis trabalhistas pesadíssimas. Tudo isso, Otto, faz com que o empreendedor pense duas vezes antes de investir. Pra que investir em uma nova empresa, se vc nunca sabe o que o governo vai fazer com a economia nos próximos 5 anos? Culpa de quem? Do Estado! Da Dilma, que insistiu em uma taxa de juros real de 2% ao ano, e que agora está deixando todos os empreendedores com a pulga atrás da orelha. E eu já disse quais as consequências disso: PIB menor por conta de baixos investimentos e maior desemprego. Estamos caminhando para isso.

    E a UE?

    A UE é um conjunto de países desenvolvidos, com algumas exceções. Eles podem produzir muuuuuito mais? Não! Então, Otto, é natural para eles que as suas economias cresçam menos. Por isso é que eles deveriam investir no Brasil, ué!

    E por que não investem, especulam? Pelo mesmo motivo dos empresários! O Estado não conquista a confiança do investidor! Veja o contraste da atuação do Ben Bernanke nos EUA e do Malabarista no Brasil! Assim que o Ben Bernanke anunciou uma melhora da perspectiva americana, e que a compra de títulos pelo governo iria diminuir, a taxa de juros de longo prazo americana subiu. O que acontece com os investidores que estavam com seu dinheiro no Brasil? Correm pros EUA? Mas por que, se lá os juros são tão baixos? Porque aquilo lá é um país sério, onde o cara do BC assume responsabilidades monetárias firmes… e aqui? Aqui, Otto, o Tombini é um coitado que eu acho que não consegue nem mandar na casa dele. Ele vive de defender a economia, a Dilma e o Mantega.

    E isso, meu caro Ottson, é mercado. Mercado.

    Se eu estou torcendo para que dê errado? Coisa nenhuma! Eu, como qualquer trabalhador, dependo de uma economia pujante para aumentar o meu salário.

    —X—

    Aí vc pergunta, e o FHC? Otto, novamente, não me faça repetir!

    Estou discutindo o FHC? Estou dizendo que o FHC foi melhor que alguém? Assim como tenho duras críticas à Dilma, ao Lula e ao Malabarista, eu tbm tenho duras críticas ao FHC.

    Aliás, eu já disse que economicamente o Lula foi um governo OK. Pode voltar lá e olhar.

    Mas foi um governo OK por que? Por conta da alta das commodities! É simples, basta fazer uma correlação do preço das commodities com o crescimento do PIB brasileiro. Não tem como contra-argumentar, Otto.

    Mas e daí? E daí nada! E daí ótimo que o governo Lula foi OK economicamente! Todos nós ficamos mais ricos! Simples. O Lula até conseguiu eleger a Dilma por conta disso!

    A pergunta que eu te faço, Otto, é outra: e agora?

    E agora que a Dilma estragou tudo?

    E agora que a equipe econômica brasileira é um desastre?

    E agora que a Dilma não conseguiu resolver nem sequer o problema de infraestrutura desse país?

    E agora que as contas do governo estão cheias de buracos e com perspectivas de piora?

    Vc confia que um governo de esquerda, que, em essência é estatizante, vai resolver o problema?

    Como? Quem é o líder de esquerda que aponta alguma solução nesse sentido, Otto?

    Sabe pq eu pergunto isso? Pq quanto a isso sim, eu estou com medo. Porque o Brasil é um país que não tem direita. Porque não tem ninguém com culhões e nem com força política suficiente para ir lá e dizer assim:

    Senhores, foi tudo muito bom, foi tudo muito legal, mas agora precisamos amarrar as calças, apertar os cintos e dar uma segurada na grana. Senão nós vamos matar tudo o que conquistamos, inclusive os mais pobres.

    E aí, Otto?

  369. Otto said

    “E agora que a Dilma não conseguiu resolver nem sequer o problema de infraestrutura desse país?”

    Me prove isto. Com dados.

  370. Otto said

    Pra te ajudar Edu:

    Vão aqui alguns dados comparativos entre os governos Lula-Dilma e de FHC.

    Entre parêntesis as fontes de onde as informações foram retiradas, ok?

    Divirta-se:

    1) Taxa de inflação (IPCA):

    FHC (1995-2002) – 100,6%;
    Lula (2003-2010) – 50,3%;

    2) Taxa de Desemprego (IBGE):

    FHC (Dezembro de 2002) – 10,5%;
    Dilma (Dezembro de 2012) – 4,6%;

    3) Taxa Selic (Banco Central):

    FHC (Dezembro de 2002) – 25% a.a.;
    Dilma (Maio de 2013) – 7,5% a.a.;

    4) Salário Mínimo (IBGE):

    FHC (Dezembro de 2002) – R$ 200 (US$ 56);
    Dilma (Março de 2013) – R$ 678 (US$ 339);

    5) Investimentos Públicos (Banco Central):

    FHC (2002) – 1,5% do PIB;
    Lula (2010) – 2,9% do PIB;

    6) Dívida Pública Líquida (Banco Central):

    FHC (Dezembro de 2002) – 51,5% do PIB;
    Dilma (Fevereiro de 2013) – 35,2% do PIB.

    7) Reservas Internacionais Líquidas (Banco Central):

    FHC (Dezembro de 2002) – US$ 16 bilhões;
    Dilma (Maio de 2013) – US$ 378 bilhões;

    8) PIB (Banco Central):

    FHC (2002) – US$ 459 bilhões (2o. da América Latina e 15o. do Mundo);
    Dilma (2012) – US$ 2,4 Trilhões (1o. da América Latina, 2o. das Américas e 6o. do Mundo);

    9) Exportações (Banco Central):

    FHC (2002) – US$ 60 bilhões;
    Dilma (2012) – US$ 256 bilhões;

    10) Empregos Formais (Caged-Ministério do Trabalho):

    FHC (1995-2002) – 5 milhões;
    Lula-Dilma (2003-2013) – 19 milhões;

    11) Escolas Técnicas Federais (MEC):

    FHC – 11;
    Lula – 224;

    12) Universidades Federais (MEC):

    FHC – 1;
    Lula – 14;

    13) ProUni (MEC):

    FHC – Não existia;
    Lula-Dilma – 1,2 milhão de estudantes beneficiados;

    14) Crescimento Econômico:

    FHC (1995-2002) – 2,3% a.a.;
    Lula (2003-2010) – 4,6% a.a..

    15) Balança Comercial (Banco Central):

    FHC (1995-2002) – Déficit de US$ 8,7 bilhões;
    Lula-Dilma (2003-2011) – Superávit de US$ 290 bilhões.

    Precisa dizer mais alguma coisa?

    Agora pra sua amiga quinta-coluna: Chupa, Michele!

  371. Pax said

    Prezados,

    Vamos devagar nas pedras. Vou responder ao caro Patriarca, em #347. Tem muita coisa, não consigo acompanhar tudo, desculpem-me os que me devotam algum respeito. (os outros, bem, rugas de preocupação … mas, por favor, sintam-se à vontade, democracia pressupõe isso mesmo, pra quem gosta do barato, que é caro).

    Sim, concordo plenamente. O PT precisa de uma agenda. Como todos prevíamos uma hora chega a fadiga de material político. Abraçar Kátia Abreu tem custo. Fazer acordo com empresas de transporte coletivo também. Enfim, há erros pra todo lado. Quer salvar a pele? Começa fazendo o dever de casa. Ouça, analise, age.

    Um dos temas que a sociedade mais fala é corrupção (conheço a origem, é honesto, acreditem se acreditam em mim, gente que só quer olhar a internet, monitorar)

    http://www.causabrasil.com.br/

    Desliguem botões, liguem de novo, andem no tempo, percam um tempo analisando, vejam cada item, aprofundem o que foi dito na internet esses dias. Essa ferramenta não é comprometida políticamente, é comprometida com a metodologia descrita no próprio site e com uma ferramenta técnica, de internet.

    E a internet foi que movimentou o que hoje se movimenta. O Brasil que está às ruas. Quantos brasileiros usam? Mais da metade. Já é um bom espaço amostral. E dá pra acreditar, achar representativo? Acho que sim. Até agora as classe D e E ainda estão incipientes no movimento geral. Mas quem está as ruas fala. E quem está na internet não está tão desvinculado com quem está às ruas.

    Uma das principais reclamações é corrupção. Ufa, chegamos no tema do blog.

    Pois bem, o que o PT fez? Colocou a carapuça na cabeça. E age muito mal. Todos meus amigos petistas compartilhando links e mais links, opiniões e mais opiniões que quem fala mal da corrupção é “massa de manobra fascista”. Um clima de medo inacreditável. Um erro colossal.

    E quase todo já devem ter visto o ranking de partidos com mais gente cassada por irregularidades. Se não viram, são: DEM, PMDB e PSDB. E o PT burramente não explora esse assunto. O PT é o nono colocado neste ranking.

    Mas não, a direção “opera” com o medo, acha que todos que falam de corrupção devem ser calados, taxados de fascistas etc etc.

    Enquando a direita, estatísticamente mais corrupta e patrimonialista (se é que há diferença) fica quietinha e se diverte com a situação.

    Agora, abraçar Katia Abreu, cá entre nós, leva, sim, o PT a um centro direita, posição que o PSDB já foi fundo. Este é um entre inúmeros exemplos.

    Sugiro que leiam o Comunicado do MPL-SP (Movimento Passe Livre São Paulo), onde encontrarem. Mas leiam antes da reunião que eles terão com a Dilma hoje à tarde, que também vai se reunir com governadores e prefeitos das capitais.

    Concordemos ou não, esse moleques (que inclui, sim, PSTU, PSOL e PCB – PCO não estava, nem sei se entrou agora), são a verdadeira esquerda, a extrema esquerda brasileira, socialistas, trotskistas etc.

    O PT é, ainda, de esquerda?

    Juro que não sei.

    Eu voto na direita?

    Todos sabem que não.

  372. Pax said

    Terei que abrir um novo post. Aqui, na roça, a coisa tá feia no blog. Muitos links com vídeos já não me deixam frequentar o blog. Nada contra postarem vídeos, continuem aí. O problema é meu aqui, que melhorou e continua ainda na zona de “muito ruim, péssimo, lento pra canário”.

    E sugiro um dos melhores que vi estes dias todos, muito bom. Acredito que vai bombar. E acredito que deveria ser visto, ad nauseam, pelos petistas, tucanos, peemedebistas, marinistas quem quer que queira ter um partido pra chamar de seu.

  373. Otto said

    Agora, sobre o crescimento do PIB.

    Num mundo em crise, com recessão em tudo quanto é parte, é natural que o crescimento do Brasil seja menor.

    Mas 2,5% ainda está de bom tamanho. Ainda mais que o crescimento de nossa população é bem menor hoje do que há 3 décadas atrás.

    Se eu gostaria de um crescimento maior?

    Claro que eu gostaria.

    Mas não acredito que o Aébrio Neves, a Blablarina ou o espancador de mulheres possam fazer uma coisa melhor.

    Por enquanto vou de Dilma.

    Ou de Lula.

    Se aparecer mais tarde um outro candidato, que tenha um grande partido por trás, com tradição em lutas populares, eu posso pensar…

  374. Otto said

    Pax, já falamos antes, concordo em quase tudo contigo, ainda que às vezes no calor dos acontecimentos eu possa ter subido o tom um pouco.

    Agora, não tenho nada a obstar ao teu post #371.

    Não considero o PT um partido de centro. Mas não é mais de esquerda. Migrou pro centro, deslocando o PSDB pra direita.

    PSTU, PSOL, PCB, PCO são de esquerda, alguns ultraesquerda (tenho minhas duvidas quanto ao PSOL, aquele Randolfe é uma Álvaro Dias de amarelo) mas eles precisam comer muita farinha ainda, governar municípios, depois estados, pra gente ver se tem aí alguma consistência.

    No momento eles só são fortes nos diretórios acadêmicos e em alguns sindicatos.

    Juntando toda essa galera, não dá 1% dos eleitores.

    Olhando à direita, não vejo nada. Nada que preste.

  375. Otto said

    Edu, quanto à presença do PT na avenida pergunta pra ele. Não moro em São Paulo, não sou porta-voz do partido nem mesmo afiliado.

    Agora, eles não podiam estar na rua pra protestar contra a truculência da direita, que já tinha dado às caras antes?

    Quanto aquele boyzinho, ele está soltinho da silva. Aliás, ele é filho de um empresário de empresa de transporte.

    Contra o que ele estava protestando?

    Uma coisa que me encuca: em 91, no Fora Collor, e em 82, nas Diretas Já, houve massas semelhantes nas ruas, mas em nenhum caso houve depredações.

    Por que agora?

    Será que alguém quer incendiar o país pra depois chamar um salvador da pátria?

    Já vimos este filme antes.

    Mas você, pelo jeito, não conhece história.

  376. Pax said

    Quem tem medo de investigaçÃo, tem medo, sim.

    http://www1.folha.uol.com.br/mercado/2013/06/1300319-governo-de-sp-suspende-reajuste-de-precos-de-pedagios-de-rodovias-estaduais.shtml

    Será que em algum momento deste blog esta bola foi cantada. À exaustão?

    Pois é.

    Caro Otto,

    Relaxa véi, sei o quanto vc me respeita. O calor da batalha? Já fui chamado de extrema esquerda por jornalista da Veja recentemente, de massa de manobra fascista por sobrinho esquerdista etc.

    Quem tem rumo precisa ter medo?

    Não, você não me desrespeita. O que rolou acima foi somente um alerta que me pareceu necessário. Continuarei com a pauta de corrupção, seja o que houver. E se você está aqui, com calor do tiroteio ou sem, é que esta pauta também te interessa. Não é?

    Fica de boa. Estou.

  377. Edu said

    Otto,

    Vc está corretíssimo no seu post #370.

    Só que a fonte na realidade foi: dinheiro ganho com a alta das commodities entre 2002 e 2008.

    É isso cara.

    Um dia que vc tiver bastante tempo, dê uma olhada no modelo macroeconômico do Banco Central. Vc vai ver que o porquê de vc estar feliz tem um nome, e o nome não é Lula, o nome é Mercado.

    Sinto muito, Otto, o Mercado ainda manda.

    —X—

    Sobre a Dilma não ter melhorado a infraestrutura.

    Vc está me fazendo repetir denovo, Otto….

    Venha até São Paulo, e dê uma olhada na fila de caminhões até o porto de Santos.

    Compare o preço de transporte de carga de uma tonelada de soja viajando do MT até o porto de Santos, com a mesma distância percorrida nos EUA até um porto.

    Eu já disse isso, informação de um amigo que trabalha com exportação de commodities: o valor no Brasil é quase 2 vezes mais caro.

    Se vc não quiser acreditar, Otto, fique à vontade.

    —X—

    A Dilma claramente governa sem plano, ela não age, ela reage.

    Ela passou o último ano brigando com a inflação… faz mal inflação alta? Não necessariamente, desde que o PIB cresça mais que a inflação, o salário de todos na economia aumenta. Se a inflação for maior que o PIB, aí só tem uma saída: desemprego.

    Quando a Dilma entrou, ela teve que aceitar as alianças espúrias, depois de muita pressão e muitas besteiras, ela teve que trocar metade dos ministros. Na época eu perguntei: o que ela tá fazendo? Se ela sabia, pq não tinha trocado antes?

    Ela montou o plano de energia, que o Pax já me passou o link 2 vezes. No plano está tudo muito bonito. Eu não sei se ela está cumprindo efetivamente esse plano. Eu deixei passar isso, mas semana passada saiu uma notícia de que nunca o Brasil havia usado tanta energia térmica como está usando agora… Isso é gestão energética ou reação sobre adversidades na gestão energética?

    A única ação efetiva que a Dilma tomou foi o raio dos juros reais de 2%. Agora nem o Malabarista, nem o Tombini estão conseguindo resolver…

    E o resto?

    E a reforma tributária, que estava nas metas de governo dela? Redução de IPI não foi reforma, foi uma parte da briga dela com a inflação.

    E a reforma política, que ela poderia ter pelo menos dado o pontapé inicial? Nada.

    E ações contra a corrupção? Agora temos a PEC 37 que tira poder do MP e entrega à polícia. A mesma polícia que é reconhecidamente corrupta e cujo PT odeia. Por que o PT quer dar tanto poder à polícia assim?

    Tá difícil, Otto…

    Eu sinceramente, pelo bem de todos os Brasileiros, que ela venha com uma resposta muito boa. Até o momento, o mercado parece não estar muito satisfeito.

    Mercado, Otto.

    —X—

    Quem será o próximo?

    Não sei.

    Gostaria mesmo de ouvir alguém falando da parte econômica, especificamente da parte fiscal. Nenhum fala. Nem Aécio, nem Marina, nem Eduardo Campos. A Dilma só fala porque também, se não fizer, aí sim o Mercado vai matá-la.

    Eu nem ligo mais se alguém falar que vai continuar com o bolsa família, com o minha casa minha vida, com farmácia popular e o raio que os parta. Eu acho que recolhemos em impostos dinheiro mais que suficiente para suprir todos esses programas sociais.

    O problema é o modelo de gastar isso aí. Temos que reconhecer, Otto: o Estado está inchado, está corrupto em todas as esferas, e a ineficiência do Estado que suportamos desde o descobrimento do Brasil não tem mudado, na verdade, está piorando.

    Vc acha que a Dilma tem capacidade para resolver? Eu duvido. Ela fala grosso, mas ela abre as pernas para as alianças dela…

    Quem é que vai resolver? O Chapolim? Não.

    Cara, precisamos de políticos que no mínimo mostrem consciência do que está acontecendo no Brasil… pra piorar, durante as manifestações, todos os governantes ficaram desgovernados. Isso passa qual impressão pra vc, Otto?

    Para mim, a impressão que dá é que os políticos não fazem a menor ideia do que está rolando. Eles não tem noção de prioridades, e acham que discursar para fazer propaganda de mais programas resolve. Não é isso… infelizmente, a impressão que dá, é que seja quem for que votemos, eles estão totalmente descolados da realidade e das prioridades que interessa ao povo.

  378. Pax said

    Uma lidinha não cai mal. Faria um texto com inúmeros outros exemplos, pra dizer a mesma coisa.

    http://terramagazine.terra.com.br/bobfernandes/blog/2013/06/24/corrupcao-e-gastos-brasil-e-hora-de-olhar-para-o-espelho/

  379. Edu said

    Aliás, uma coisa interessante:

    O Ricardo Kotscho, o blog mais isento do Brasil (patrocinado pela Odebrecht, é claro), fala bem:

    http://noticias.r7.com/blogs/ricardo-kotscho/2013/06/24/governo-chega-tarde-protestos-ganham-vida-propria/

    A esquerda devia prestar muita atenção no que ele fala.

    Destaco alguns trechos:

    Esse:

    “A impressão que se tem é que as autoridades de todos os níveis começaram a discutir medidas de prevenção de incêndio numa casa que está pegando fogo há mais de duas semanas. Ficaram tanto tempo ilhadas em seus gabinetes, afastadas da interlocução com o movimento social e o empresariado, que agora não sabem nem por onde começar a conversa e que medidas tomar primeiro.”

    CQD

    Esse:

    “Na verdade, tanto a União, como os Estados e Municípios, todos sofrem os efeitos da crise econômica, que se agravou este ano com o aumento da inflação e o baixo crescimento da economia, ou seja, falta dinheiro para atender a todas as demandas feitas nas manifestações, a que a presidente Dilma prometeu atender em seu pronunciamento de sexta-feira. Mas de onde virão os recursos? Quem tem a saída mágica?”

    CQD

    E esse:

    “De alto a baixo, o fato é que todos os governos demoraram demais para perceber a mudança dos ventos e do humor das populações urbanas, sufocadas pela deterioração dos serviços públicos, que transformaram a vida nas cidades numa permanente gincana pela sobrevivência.”

  380. Pedro said

    É por aí.
    A máquina publica está pesada demais.
    Em todos os níveis.

    Dilma deveria ter a grandeza de fazer um mea culpa.
    Enxugar estes 39 ministérios, etc.
    Convocar o congresso a fazer o mesmo, assim como governadores, assembleias, prefeitos e câmaras de vereadores.

    A revolta é porque a classe política passou dos limites. Vão aprovando leis em proveito próprio, inventando taxas disto, daquilo e daquele outro.
    Aspones pra tudo quanto é canto, ONGs fajutas, estatais inoperantes, subsidios de fachada, e por aí vai.

    O descontentamento é geral, inclusive com o governo federal.

    Não é contra os programas sociais, muito pelo contrario.
    Estes programas estão sendo usados cinicamente como instrumento político, só não vê quem não quer.
    Mas são essenciais e devem até ser ampliados.

    O que revolta são coisas como, o bolsa bilionários como as do BNDES para o muso do pré sal, Eike Baptista. Parece que os bilhões do BNDES estão virando pó. É só um exemplo.
    …………
    A correria tá grande, espero poder alongar este desabafo logo mais.

  381. Otto said

    Aí está o problema de vocês, Edu, vocês não tem candidatos… Ou quando tem — digamos, o Serra — não ousam dizer o que pensam.

    O candidato que sair por aí pregando o estado mínimo e um natimorto.

    Quanto ao desenrolar da economia, vamos fazer o seguinte? Vamos esperar um ano e ver no que vai dar. Nossos prognósticos hoje não passam de torcida. Em julho de 1014 a gente se cobra. Se a economia degringolar, eu dou o braço a torcer. E o principal indício é o aumento do desemprego (um aumento considerável) e a perda do poder aquisitivo do salário.

    Combinado?

  382. Otto said

    Edu,

    deixa agora eu eu te fazer um elogio: às vezes você sobe ou erra o tom, mas com você dá pra conversar, ao contrário da Michelle, que só repete mantras.

  383. Pedro said

    Outro exemplo, do Diario Catarinense.
    É este tipo de falcatrua que revolta:

    Essa é dá série coisas que não dá para entender

    Imagine a situação, uma pessoa compra um espaço para vender cachorro quente por R$42,00, 1 ano depois, ela vende METADE do espaço por R$360,00 (Grande vendedor). Aí sem produzir nada,(ou seja sem lucro apenas despesas) porque ficam disputando as regras de produção e investimentos e porque o negócio é obsoleto os dois pensam em entrar na justiça. E o cara que pagou os R$360,00 oferece um acordo e compra por R$839,00 os 50% que ainda eram do outro.
    Resultado o primeiro cara, comprou por R$42,00 e vendeu por R$1.199,00.(Grande Vendedor)
    Já o segundo cara, quando percebe que tem um bucha nas mãos resolve vender, mas o único interessado oferece apenas R$180,00
    Aí você vai me perguntar que merda é essa e o que eu tenho haver com isso?

    Primeiro não era uma espaço para cachorro quente, e sim uma Refinaria de Petróleo,mais precisamente a Refinaria de Pasadena no EUA, os valores não são em Reais e sim em Milhões de Dólares.
    E Segundo lugar, e a pior das noticias, Eu e VOCÊ somos o segundo cara,representados pela Petrobrás, que jogamos US$ 1.199.000.000,00 no bueiro, é isso mesmo, Um Bilhão Cento e Noventa e Nove Milhões de Dólares jogados fora.

    Mas calma você foi bem representado nas negociações !
    A compra começou em 2005 em pleno governo lula e tendo a Dilma como Presidente do Conselho Administrativo da Petrobras.

    O ministério Publico Federal iniciou as Investigações, será por essas razões que tem politico que não quer o MP fazendo investigações ?????

  384. Otto said

    Taí, eu cantei esta bola ontem:

    ASSEMBLEIA CONSTITUINTE EXCLUSIVA PRA REFORMA POLÍTICA

    Querem apostar quanto que a mídia vai cair de pau?

    No fundo ela morre de medo da soberania popular.

    Já temos três limonadas:

    — médicos cubanos;

    — 100% do royalties para educação;

    — constituinte exclusiva pra reforma política.

    Em breve, as ronaldetes estarão furiosas, chamando a Dilma de chavista!!!

  385. Otto said

    Quem já sofreu na mão de médico, seja particular, de plano de saúde ou do SUS, sabe que não existe classe mais corporativista e amiga do dinheiro:

    Vejam esta estatística, citada por Dilma hoje:

    Apenas 1,79% dos médicos que trabalham no País são formados no exterior, em comparação com outros países como a Inglaterra (onde os estrangeiros são 37% do total) e Estados Unidos (25%).

  386. Edu said

    Otto,

    Não ter candidato é problema “nosso”?

    Bom, podemos escolher a Sabrina Sato para ser candidata! Pelo menos, ao subir lá para dizer obviedades, chamaria muito mais atenção… já que a mensagem não muda nada mesmo…

    Isso resolveria o problema, Otto?

    E se puséssemos o Zé da Esquina? Que disse que iria melhorar as condições para um milhão de famílias carentes?

    Resolveria, Otto?

    O esforço que eu estou tentando fazer aqui é mostrar pra vc que o problema não é quem está lá falando, Otto! O problema é se quem está lá tem um plano. Uma proposta. Uma objetivo para traçar a história do Brasil pros próximos 4 anos.

    Sem objetivo, qual é a história?
    Sem essa história, qual é o plano?
    Sem plano vc faz aliança pra que?
    Sem proposta vc discute o que?

    Sem isso, qualquer um que chegar lá por qualquer discurso, de esquerda, de direita, de centro, de ponta cabeça, vai ser um barco perdido no meio do oceano pacífico em dia de tempestade.

    E estará sujeito às vontades mais absurdas dos aliados, à especulação do Mercado (esse que vai matar a Dilma se ela continuar assim), ao ataque constante da mídia (esse sempre vai ter, mas concorda que sem coerência tudo é agravado?) e, finalmente, à rebeldia do povo.

    Eu te devolvo a pergunta, Otto, vc tem candidato?

    —X—

    Mas vc tem razão aqui: o candidato que sair pregando o estado mínimo é um natimorto.

    Quero ver o cara que tem coragem de dizer o seguinte: “pessoal, faz 10 anos que batemos recordes de captação em impostos. Proponho a manutenção dos serviços públicos, com o mesmo orçamento, porém com melhorias contínuas de qualidade e eficiência.”

    É isso.

    É estado mínimo? Não, né?

    —X—

    Sobre economia, eu vou continuar com minhas postagens aqui.

    Tudo o que eu posto aqui, à exceção de respostas a provocações, é meramente meu humilde ponto de vista embasado pelo que eu aprendi estudando.

    Se não quiser ler, não leia, Otto.

    Simples.

  387. Otto said

    URGENTE!!!

    Pax, pelamordedeus, leia essa (digo assim, pois às vezes você passa poe cima de alguns posts):

    Márcio Hiroshi, ex-membro do Movimento Integralista, denunciou no Facebook (postagem removida e o perfil dele está indisponível agora) ação deste grupo nos movimentos sociais que estão nas ruas:

    “ESTOU DENUNCIANDO!
    URGENTE – LEIAM TODOS – O BRASIL CORRE RISCO!
    Meu nome é Márcio Hiroshi. Sou membro do Movimento Integralista há 5 anos.
    Sempre acreditei no… Integralismo como forma de mudar o país. Mas o que venho narrar aqui me fez refletir e romper com o Movimento.
    Desde que as manifestações começaram temos nos reunido todos os domingos para traçar rumos de ação de nosso movimento. A ação é pautada em TUMULTUAR, EXPULSAR OS PARTIDOS DE ESQUERDA E ACABAR COM AS PASSEATAS PROMOVENDO A DESORDEM. Por que isso? Para acabar com as mobilizações dirigidas pela esquerda.
    Neste último domingo, as posições definidas pelo grupo me fizeram sair e denunciar o que está havendo. Como prova da veracidade dos fatos estou divulgando fotos e nomes de meus comandantes
    1 – Os integralistas estão desde os primeiros dias nas passeatas.
    2 – A linha de atuação do grupo é TUDO PELO BRASIL, retirar as bandeiras dos partidos de esquerda e prevalecer a do Brasil.
    3 – Nas manifestações gritar SEM PARTIDO e expulsar os partidos de esquerda.
    4 – Há um núcleo político e um núcleo de ação.
    5 – O núcleo político inicia a agitação e o núcleo de ação intervêm batendo nos militantes.
    6 – Há o movimento fortemente organizado em São Paulo, Rio de Janeiro, Porto Alegre, BH e outras cidades.
    7 – O objetivo é acabar com as passeatas, sempre tumultuando.
    8 – Nas reuniões somos ajudados por pessoas do serviço reservado da PM e por dirigentes do PSDB, DEM e outros deputados e vereadores (depois direi nomes e fotos). Estes partidos nos financiam.
    9 – Em São Paulo os carecas de SP e Carecas do ABC são pagos para nos ajudar a bater e a gerar grande desordem. Eles são do núcleo de ação.
    De início eu participei ativamente do núcleo de agitação. Estava em São Paulo (onde moro) e todos íamos sempre para outras cidades, pois as datas não eram conflitantes.
    O que me fez sair do grupo? As ações previstas agora estavam sendo muito violentas, onde teve gente que que quebraram o braço, machucaram bastante.
    Meu chefe de agitação é Marcelo Coradassi Eiras (https://www.facebook.com/marcelo.eiras.180). Ele aparece nas fotos à direita, onde estamos em Anauê. Em breve irei revelar mais nomes e endereços de todos.
    Estou publicando as fotos de nossa reunião ocorrida sábado e domingo em SP e Rio. No domingo, na parte da manhã fomos bater fotos no Viaduto do Chá. Nas fotos estão apenas o núcleo de agitação. O núcleo de ação está atrás de quem tira a foto, pois não queríamos que os carecas aparecessem.
    Nas passeatas o núcleo de ação está sempre com a máscara do mascarado do filme V, o anonymous. Nosso grupo tem influência em diversas páginas do Facebook, incluindo esse, onde revelarei todas em breve.
    Também falarei de nosso financiamento e de quem recebe dinheiro, pessoas, páginas do Facebook, etc.
    Em breve mais informações, pois quero que todos divulguem ao máximo o que está ocorrendo. Neste momento sou jurado de morte e não sei o que fazer para me proteger. Tenho 43 anos e fiz a minha parte do que considerei errado.
    Tudo pelo Brasil!”

    http://twitlonger.com/show/n_1rl0hh4

  388. Otto said

    Claro que vou continuar lendo, Edu. Mas em julho, vamos ver quem vence a aposta.

    Meu candidato é Dilma.

    Simples.

  389. Edu said

    Otto,

    Vc não fez esse comentário: #385…

    Isso aí é sacanagem, cara!

    Explica 2 coisas pra mim:

    1 – Qual é a relação entre a % de médicos formados num país e a qualidade do serviço médico?

    Isso é uma das afirmações mais estapafúrdias que eu já vi alguém que gerencia alguma coisa dizer.

    Imagina o seguinte: um Diretor Industrial de uma fábrica de pneus tem que aumentar a produtividade em 10%.

    Aí ele chega pro Presidente da empresa com um orçamento.

    O Presidente pergunta: O que é isso?
    Diretor: É um orçamento para a contratação de mão de obra
    Presidente: Pra que?
    Diretor: Para aumentar a produtividade da empresa, oras!
    Presidente: E vamos fazer contratando mais gente?
    Diretor: Não só mais gente, como estrangeiros!
    Presidente: Vc olhou os equipamentos, se dá pra fazer algum investimento em equipamentos mais modernos?
    Diretor: Não…
    Presidente: Ok… e esses estrageiros, eles têm as mesmas qualificações necessárias? Comprovadas?
    Diretor: Sim, claro! Eles tem diploma!
    Presidente: E o diploma no país deles é o mesmo diploma que aqui?
    Diretor: Não sei…
    Presidente: Hum… E esses funcionários novos, eles falam a nossa língua? E eles vão se comunicar como?
    Diretor: Não sei…
    Presidente (já sem paciência): Pô! E qual é então o principal argumento pra contratá-los?
    Diretor: A fábrica de colchões aqui do lado tem 25% dos funcionários estrangeiros; e a fábrica de macarrão do outro lado da rua tem 35% dos funcionários estrangeiros! Logo, o segredo da produtividade deles é a porcentagem de funcionários estrangeiros!!

    Pensa bem, Otto… faz algum sentido uma estatística dessas?

    2 – Vamos lá… ainda que fizesse sentido essa estatística estapafúrdia. O que significa ser formado no exterior, Otto? Não significa pessoas do mesmo país: ingleses e americanos, que vão pra outros países estudar e depois voltam para exercer a profissão em seus próprios países? Isso aparece em algum lugar das estatísticas da Dilma?

    Nossa… essa doeu…

    —X—

    Então a Dilma vai fazer plebiscito!

    O Sakamoto (texto linkado acima) tinha falado que não era pra governar por plebiscito.

    O Chavez fez amplo uso do plebiscito, para “democratizar” a política. Nós vemos o resultado: está faltando papel higiênico naquele país.

    Mas eu não sou contra não, só que eu quero ver a proposta antes.

    E aí?

    Essa sempre foi a pergunta: a Dilma tem proposta?

    Truco!

  390. You can't fix stupidity! said

    Caro Otto

    Não me leve a mal, mas na minha opinião responder às suas colocações é pura perda de tempo.
    Fico chocada com o vácuo que existe entre suas orelhas…e não pretendo preenchê-lo.
    Sinto muito. Deixe pra sua próxima vida.
    ____________
    Edu e Pedro

    se puderem vejam a entrevista que FHC concedeu na ultima sexta-feira, antes do pronunciamento da Dilma no site da Veja:

    http://veja.abril.com.br/multimidia/video/entrevista-com-fhc-tarifa-do-transporte-foi-apenas-o-curto-circuito

    Se quiserem assistam com calma, pois são 3 partes.
    Imperdível na minha opinião.

  391. You can't fix stupidity! said

    Atraída pela chamado do artigo do Bob Fernandes, recomendado pelo Pax, Acabei de ler e me senti enganada. Propaganda enganosa.
    Começa espelhando numeros de corrrupção impressionantes e da fraqueza do Estado em combatê-la ou puní-la…uma confissão de incompetência total do Estado como agente de proteção do Povo ( nós) contra esse cancer da Sociedade.

    mas de repente … Bob sai do espelho pessoal e remete para o espelhoo retrovisor, como forma de justificar o famoso Status Quo, cuja definição é exatamente Status Quo, ora diria Pax.

    Bob esqueceu de mencionar dados da primeira metade do seculo passado e de séculos anteriores.

    Isto é o PT.A culpa é dos outros que já morreram ou não estão mais nos governando.

    Lanterna na pôpa.
    Iluminando o passado pra evitar iluminar o presente (e…qual futuro ?).

  392. Pax said

    Caro Otto,

    Jura que acredita no papo do integralista arrependido?

    Ah, caro Otto, peneire o que lê.

  393. Otto said

    Pax, aqueles fascistas todos saíram da onde? Onde eles estavam no Fora Collor?

    Tem caroço nesse angu.

    Edu, simplesmente no país falta médico, e pra formar um médico leva algo como dez anos (expansão das vagas, equipamentos, o curso, a residência). E se tem um monte de médico disposto a trabalhar aqui, por que não contratá-los?

    Se tiver um sueco, que queira atender na Rocinha, um missionário, como falou o Patriarca, beleza.

    Não importa a cor de gato, desde que ele cace o rato.

    Michele: vai ver se eu estou na esquina, sua velha reaça.

  394. Otto said

    Sobre a PEC 37, leiam:

    http://novobloglimpinhoecheiroso.wordpress.com/

  395. You can't fix stupidity! said

    Dilma pirou…???

    “O povo está agora nas ruas dizendo que as mudanças continuem. Que elas se ampliem, que elas ocorram ainda mais rápido. Ele está nos dizendo que quer mais cidadania. Quer uma cidadania plena. As ruas estão nos dizendo que o país quer serviços públicos de qualidade, quer mecanismos mais eficientes de combate à corrupção que assegurem o bom uso do dinheiro público. Querem uma representação política permeável.”

    “O país deixou de ser governado apenas para 1/3 da população. Passou a ser governado para todos os brasileiros.”
    ————————
    Entendemos todos o seguinte:

    Até hoje o Brasil era governado apenas para 1/3 da população ( Governo Lula e Dilma)
    A partir de hoje será governado para todos os brasileiros ( Governo Dilma) Lula saiu do governo?

    Esquizóide ???
    ————–
    E o problema só vai piorar…infelizmemente.
    os lumpem petralhariatdo pedaço que já andam malucos e agressivos irão se imolar em praça pública gritando as palavras de ordem de Marilena Chauí nas passeatas: Eu odeio a classe média!

  396. You can't fix stupidity! said

    Vale a pena ver de novo:
    Impressões futuristicas sobre Dilma logo após assumir o governo.

    Nada como um video pra lembrar como estvam as coisas lá então e “aqui-agora”…

  397. Otto said

    Já começaram as reações hostis à decisão da Presidenta Dilma Rousseff de colocar o povo no centro das decisões sobre as mudanças no país.
    O ex-presidente do Supremo, Carlos Velloso, chamou de disparate a ideia de uma constituinte exclusiva, cuja convocação seria decidida por plebiscito.
    Curioso é que ele nunca hesitou em legislar no STF, sem voto nenhum.
    Há previsão constitucional do plebiscito, mas é fora de dúvida que a questão vai acabar sendo decidida no Supremo. E ficará a ele a decisão de permitir ou não que o povo exerça sua soberania.
    O homem do chapeuzinho, Reinaldo Azevedo, já disse que a “ torção à esquerda do processo político”.
    Taí… Vamos lá na rua, meter fogo em tocha e sapatear sobre o Congresso. É um convite e tanto para um “by pass” no Parlamento , sob aplauso de muita gente que deveria estar pedindo para aquela gente descer de lá.
    E tome pau no financiamento público de campanhas e na possibilidade – fantasmagórica – que que o controle da mídia esteja embutido na reforma política.
    A mídia também vai ficar numa sinuca de bico.
    Se a “classe política” é imprestável, se o Congresso perdeu legitimidade, se o povo tem razão em dizer que “eles não nos representam”, como ficar contra o direito do povo de escolher representantes para mudar as leis de organização política que nos levaram a este quadro de esvaziamento das instituições?
    É curioso: todos são contra os privilégios. Os dos outros, claro, não os seus próprios privilégios.
    Quer dizer que o povo pode pedir mudança nas ruas, mas não pode pedir nas urnas?

    Por: Fernando Brito

    http://www.tijolaco.com.br/index.php/direita-reage-ao-plebiscito-vem-batalha-ai/

  398. You can't fix stupidity! said

    Dilma pirou ???
    Sem comentários…

    aguardem mais bobagens…

  399. Edu said

    Otto,

    Se ela quiser esperar as eleições de 2014, tudo bem!

    Mas pelo jeito, há uma oportunidade de continuidade antes da continuidade, sacou?

    Isso aí é sacanagem!

  400. You can't fix stupidity! said

    Enquanto o Pax não abre um novo post..sobre o Status quo, que nada mais é do que o Status quo.

    Vai aqui o video do novo ministro do STF dizendo que uma Constituinte exclusiva é inconstitucional.
    O que dilma pretende? Convocar o povo às ruas pra aprovar sua proposta?

    O desespero e a falta de preparo já ficaram mais que evidentes

  401. You can't fix stupidity! said

    Constituinte golpista, segundo o STF.
    Em conversas com interlocutores, pelo menos quatro ministros do STF fizeram duras críticas à possibilidade de se convocar uma Constituinte exclusiva para a reforma política. Taxado como um movimento inconstitucional, a posição corrente era de que há outras formas de se promover a reforma e que as mudanças na Constituição devem ser feitas, somente, através de emendas.

    Um dos ministros chegou a dizer que Dilma Rousseff a propor a Constituinte estaria “usando um palito de fósforo acesso para ver se há gasolina dentro do tanque de combustível”.

    A propósito, Marco Aurélio Mello também acredita que as mudanças devam ser feitas através das emendas constitucionais. Porém, fez elogios à Dilma. Diz Mello: – Não precisamos de Constituinte, as mudanças devem vir através de PECs. Temos uma série de instrumentos muito mais ao alcance para chegarmos a dias melhores. Mas, aplaudo a presidente. Ela está escancarando o problema, mostrando a seriedade da quadra que estamos vivenciando e dizendo que o Congresso precisa tomar providência. (Radar Online)
    ——————
    vamos aguardar a próxima asneira…o Movimento do passe livre saiu do palácio dizendo que Dilma é despreparada para lidar com as tarifas de transporte.
    Eis o link:
    http://www1.folha.uol.com.br/poder/2013/06/1300493-presidencia-e-despreparada-no-tema-transporte-diz-passe-livre.shtml

  402. You can't fix stupidity! said

    O + divertido é presenciar Pax pagar a lingua ….

    Líder do governo Haddad é contra CPI dos Transportes
    COM CAIO DO VALLE

    Líder do governo Fernando Haddad (PT) na Câmara Municipal de São Paulo e irmão de Jilmar Tatto, secretário de Transportes, o vereador Arselino Tatto (PT) afirmou que vai defender na base governista voto contrário à instalação da CPI dos Transportes. Os governistas somam hoje 42 dos 55 vereadores paulistanos.
    Amanhã (25) os parlamentares vão decidir se abrem uma comissão para investigar os gastos da Prefeitura com as empresas e cooperativas de ônibus da capital paulista. “Não é necessária a CPI. É possível pedir as planilhas nas comissões dos Legislativos, como na Comissão de Transportes. Não temos nenhum fato novo para motivar a abertura dessa comissão”, argumentou Tatto ao blog Política Paulistana.
    A abertura da CPI é defendida pelo Movimento Passe Livre e pelo Diretório XI de Agosto, da Faculdade de Direito da USP, como forma de abrir a “caixa-preta” dos custos do governo com as empresas concessionárias do transporte público. Neste ano, por exemplo, R$ 1,425 bilhão deve ser gasto com dinheiro público para bancar o serviço de ônibus na cidade.
    Segundo Tatto, com a redução da tarifa de R$ 3,20 para R$ 3,00 a CPI se tornou desnecessária. “É natural que a oposição queira surfar nisso. Mas nós vamos defender na base que o voto seja contrário. Temos de valorizar as comissões já instaladas”, disse.
    O projeto foi protocolado pelo vereador Ricardo Young (PPS) com apoio de 22 outros parlamentares. Para ser aprovada, a CPI precisa de 28 votos favoráveis em plenário. O governo, entretanto, quer evitar a abertura da comissão, que se transformaria em palco para ataques contra o governo petista.
    _____________

    A culpa é do Alkimim rsrsrsr
    este staus quo, que significa staus quo,
    está muito divertido.

    Mas, ao mesmo tempo, é profundamente TRISTE.

  403. Otto said

    Ué, o povo pode se manifestar nas ruas mas não pode se manifestar nas urnas?

    Todo poder emana do povo!

  404. Patriarca da Paciência said

    Eu concordo totalmente com o ministro Barroso, Constituinte não pode ser limitada, terá que ser abrangente e com plenos poderes!

    O que fica demonstrado de tudo isso mesmo é o grande problema que é uma reforma política no Brasil!

    Os simplistas continuarão achando que a Dilma pode dar uma canetada e resolver tudo!

    Tem gente que anda postando no facebook que a solução para a crise é a Dilma mandar prender os mensaleiros e processar o Lula!

    Vejam só o nível de raciocínio de alguns! Coisa de criança mesmo!

    Acho que a intenção da Dilma foi essa mesma, ou seja, mostrar o tanto que é complicado uma reforma política no Brasil.

    Agora, mudando de assunto, a tentativa de ressuscitar o Serra, dando a ele um programa inteiro do Roda Vida, parece que foi um tiro n’água. Percorri os principais jornais na internet e não vi uma notinha sequer sobre o assunto!

    Mesmo porque, vi alguns minutos, o o dito cujo não apresentou nada de novo e sim os mesmo chavões de sempre.

    Sobre a solução da crise, a idéia dele é que as passagens deveriam ter sido reajustadas em janeiro de 2013.

    Veste um pijama, Serra, teu sonho de ser presidente é apenas um delírio!

  405. Otto said

    E O AÉBRIO, HEIN?

    Vejam esta:

    “Após a presidenta Dilma lançar a proposta de consulta popular e Constituinte exclusiva para reforma política, o presidente do PSDB, Aécio Neves, reuniu-se com o presidente do DEM, Agripino Maia, e o presidente do PPS, Roberto Freire, os partidos de oposição, para dar uma entrevista conjunta para a imprensa.

    Gravou para diversos canais de TV, com o microfone da Globo à frente.

    De noite, no “Jornal Nacional” teve uma matéria contendo declarações da oposição. Apareceu José Agripino e Roberto Freire falando contra a participação popular e a constituinte proposta por Dilma. Os dois oposicionistas não querem mexer em seus privilégios e poderes.

    E cadê o Aécio? Sumiu! O presidente do maior dos partidos de oposição foi cortado e não foi ao ar!

    Conclusão: só pode ter sido cortado a pedido do tucano. O marqueteiro dele deve ter avisado que iria desgastar sua imagem batendo de frente com a proposta de Dilma que ia de encontro aos anseios populares. Deixou o desgaste para Agripino e Freire.

    Em tempo: no Jornal da Record, Aécio sentiu a pancada. Apareceu nervoso, gaguejando, fazendo críticas sem pé nem cabeça.

    Ah… reparem na cara de “alegria” de Agripino e Freire.”

    http://osamigosdopresidentelula.blogspot.com.br/2013/06/apavorado-aecio-manda-jn-tirar-do-ar.html

  406. Edu said

    Otto,

    O que vc acha de fazermos um plebiscito sobre a cura gay?

    E um plebiscito sobre as cotas raciais?

    Cara… como é que a esquerda, justo a esquerda (!), se vale de um mecanismo em que justamente as minorias são atropeladas?

  407. Otto said

    A Constituinte deixou a direita tonta
    25 de Jun de 2013

    A direita está batendo cabeça com a proposta da convocação de uma Constituinte para fazer a reforma política.
    Já começam as alegações de que isso é impossível e inconstitucional.
    Há, porém, dificuldades em barrar a mudança pela via do plebiscito invocando uma suposta vedação constitucional.
    A primeira e maior delas, é evidente, a dificuldade de “vender a ideia” de que a soberania popular “não é tão soberana assim” que ele possa fazer valer o seu voto para modificar o que, repetidamente, as instituições parlamentares não mudam de jeito nenhum: elas mesmas.
    Ora, se os direitos fundamentais do ser humano, a Federação, a separação de poderes e a democracia representativa são cláusulas pétreas, certamente o número e a forma com que serão eleitos os representantes não são.
    As decisões judiciais no STF sobre cláusula de barreira, criação de partidos e fidelidade partidária mostram que Congresso e Justiça cansam de modificar ou tentar modificar isso.
    Porque não poderia fazê-lo o povo, por uma mandato conferido nas urnas a constituintes eleitos para este fim?
    Até juristas conservadores, como Ives Gandra Martins
    , o reconhecem:
    “Os povos evoluem, e cada geração, em regime democrático, tem o direito de decidir seu próprio destino. A sociedade tem o direito de alterar, por uma das formas de exercício direto de soberania popular, as disposições relativas a regimes jurídicos ou políticos instituídos por constituintes pretéritos. As alterações só não podem alcançar os direitos fundamentais do ser humano, porquanto tais direitos são inerentes ao indivíduo e não cabe ao Estado instituir normas a esse respeito, mas apenas reconhecê-los. A Constituinte exclusiva poderá formatar a atuação dos políticos no interesse da nação, e não os políticos formatando a Constituição segundo seu próprio interesse.”

    Como ficará, por exemplo, o “moralizador” Joaquim Barbosa diante de uma proposta para moralizar a organização política do país. Será que vai dizer que isso é direito exclusivo dos parlamentares dos “partidos de mentirinha” no Congresso?
    E a mídia conservadora, que já até defendeu a ideia, como fez a Veja?
    Fernando Henrique, que dispensou plebiscito para romper o monopólio do petróleo e instituir a reeleição, saiu-se com esta:
    “As declarações da presidente são inespecíficas e arriscadas, pois, para alterar a Constituição, ela própria prevê como. Mudá-la por plebiscito é mais próprio de regimes autoritários”
    Logo ele, que dissera, horas antes, que Brasília deixara de ser a “caixa de ressonância” do Brasil. Urna não seria a mais eficaz das caixas de ressonância?
    A verdade é que o aprofundamento da manifestação democrática representado pela convocação de um plebiscito e a discussão, via Constituinte, do saneamento das estruturas políticas e parlamentares é o inverso do autoritarismo.
    E, se quiserem chamar de chavismo a isso, certamente não devem estar pensando no falecido Hugo Chaves, mas no personagem do humorístico mexicano homônimo:
    – Não contavam com a minha astúcia.

    http://www.tijolaco.com.br/index.php/a-constituinte-deixou-a-direita-tonta/

  408. Otto said

    Edu, já fizeram referendo sobre desarmamento, por que não fazer sobre homofobia e políticas afirmativas?

    Talvez você não saiba mas a maioria do povo brasileiro é a favor de cotas, conforme pesquisas de opinião já atestaram.

    Agora, este referendo é apenas pra saber se o povo quer uma constituinte pra reforma política ou não,

    Caso a resposta seja afirmativa, elege-se os representantes dessa assembleia — que não poderão ser candidatos depois.

    Ou você acha que este congresso vai mexer com seus privilégios?

    Por que esse medo do povo, Edu?

    Dilma se conectou com a voz das ruas.

    Viva o povo brasileiro!

  409. Edu said

    Otto,

    Que privilégios?

    Eu não tenho bolsa família
    Eu não tenho bolsa escola
    Eu não tenho minha casa minha vida
    Eu não uso educação gratuita
    Eu não uso saúde gratuita
    A segurança gratuita mal me atende

    O único privilégio que eu tenho é pagar imposto, Otto!

    O único privilégio que eu almejo é que esses impostos que eu pago tenham algum resultado sobre a economia.
    Hoje a coisa tá difícil…

    Sinceramente eu não sou totalmente contra plebiscitos. Só acho que uma forma de pseudo-democracia. Se a relação da Dilma estava capengando com o congresso, com a oposição e com o STF, com essa ideia a coisa só piora.

    É isso que se espera de uma das partes dos 3 poderes? Passar por cima das outras usando um plebiscito, jogando a articulação política no lixo?

    Acho que não.

    Só me resta interpretar que isso é puro desespero, Otto.

    Ainda não está claro pra mim se a Dilma está fazendo isso:

    1 – Pra ganhar tempo (que eu acho o mais provável, já que a economia anda mal das pernas e levantando essa bola desvia totalmente a pauta da imprensa pra isso, esquecendo da economia, proposta concreta de alguma coisa ela não tem mesmo)
    2 – Pra realmente fazer uma reforma política (mas aí eu tenho duas perguntas: 1 – por que ela não se mexeu antes, pelos menos democráticos? 2 – onde está a proposta?)
    3 – Pra dar um golpe (que eu sinceramente acho a menos provável)

  410. Jose Mario HRP said

    Obama mostrou sua cara verdadeira a força.
    Edward Snowden está aonde?
    Poucos abem, mas ele ao mostrar ao mundo o quanto é perverso o mundo da espionagem americana se condenou a ser um morto vivo.
    Sempre atento aos assassinos da CIA, ou a caguetagem de algum caça recompensas.
    Obama ao que parece foi um grande golpe de marketagem, mas nas profundas da governança norte americana as coisas continuam as mesmas.
    Eles são capazes de tudo para se manter no lugar de mandatários supremos do globo.
    Sem ética e sem politica!

  411. Jose Mario HRP said

    A Dilma chamou o STF para uma conversa!
    Precisa avisar para o Joaquim que lá ele não poderá mandar ninguém calar a boca!
    AH! e que lá no palácio da Presidencia quem manda é a Dilma!
    KKKKKKKKK……
    Como esse STF, nem o Monty Python faria igual.

  412. Zbigniew said

    O Kennedy Alencar falou bem na CBN (olhem aí, direitobas, foi na CBN, viu?!). Sobre essa questão do plebiscito (que os direitobas morrem de medo porque propicia ao povo um incremento na participação nos “negócios de Estado”). Deu exemplo dos EUA que utiliza de plebiscitos para diversas questões políticas sem que se atribua a tal movimento qualquer tentativa de subverter a ordem democrática. O lance da Dilma foi, politicamente, de uma importância cuja dimensão se encontra na capacidade de determinar a agenda política, antecipando-se aos direitobas (que estão feito baratas tontas) e ao partido da velha mídia. Foi um xeque. Vamos ver até onde ela vai conseguir bancar esse jogo.

  413. Zbigniew said

    Sério que esses caras já foram a favor dessa idéia?!! São uns bipolares, mesmo.

    “Links postados no Blog “Tijolaço” que mostram defesa de uma Constituinte exclusiva por articulista da Veja e por artigo de Ives Gandra na Folha. Evidentemente, que há anos atrás. E agora, não pode?

    http://veja.abril.com.br/090806/p_054.html

    http://www1.folha.uol.com.br/fsp/opiniao/fz0808200609.htm

  414. Patriarca da Paciência said

    Como acontece nos Estados Unidos, ou seja, uma emenda constitucional, aprovada em plebiscito, acho que pegaria bem.

    Agora, uma Constituinte para regulamentar apenas reforma política, creio que não faz sentido!

  415. Otto said

    Ô, Edu, você não anda me entendendo ou lendo apressado!!!

    Eu disse:

    “Ou você acha que este congresso vai mexer com seus privilégios?”

    Os privilégios DO congresso, não os TEUS.

    Você acha que estes deputados e senadores que estão aí vão fazer alguma coisa pra diminuir suas regalias?

    Você acha que a Dilma (e o Lula) antes dela já não tentaram passar essa medida no congresso! A medida está lá, parada há anos.

    Então vamos escolher representantes que vão só pensar nisso — e depois de encerrada a assembleia, eles retornam pra casa, sem pretensões eleitorais.

    Não é brilhante

  416. Pax said

    ufa… novo post.. esse aqui não consigo arbir mais em menos de 1 min, para comentar

Faça seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: