políticAética

Notícias da Corrupção, Desvios, Anomalias, Eleições e Meio Ambiente

  • Sobre o blog

    Uma coletânea das notícias da corrupção, desvios, anomalias, eleições e meio ambiente que aparecem na mídia todos os dias a partir de agosto de 2008.
  • Categorias

  • Arquivos

  • Páginas

  • Meta

Ivo Cassol condenado. E os outros?

Posted by Pax em 09/08/2013

Senador Ivo Cassol (PP-RO) foi condenado pelo STF a quatro anos e oito meses de prisão. Será domiciliar. É o décimo primeiro parlamentar condenado desde a Constituição de 1988.

E os outros processos que repousam solenemente nas gavetas da Suprema Corte? Seria conveniente que soubéssemos, ao menos, a lista dos processos com seus réus e acusações. E, por óbvio, o cronograma dos julgamentos mais que vergonhosamente atrasados.

Em tempo: o blog já tinha algumas notícias sobre o senador Ivo Cassol. Clique aqui para ver.

Ivo Cassol é o primeiro senador condenado pelo STF

Débora Zampier – Repórter da Agência Brasil

Brasília – Ivo Cassol (PP-RO) é o primeiro senador e o 11ª parlamentar condenado pelo Supremo Tribunal Federal (STF) desde a vigência da Constituição de 1988. Todas as condenações ocorreram a partir de 2010 e a demora no julgamento levou vários casos à prescrição. Se Cassol recebesse a pena mínima para o crime de fraude em licitação, de dois anos, sua pena iria prescrever no dia 17 de agosto. Ele foi condenado a quatro anos e oito meses, pena que poderá ser cumprida em regime semiaberto, e recebeu multa de R$ 201,8 mil em valores ainda não atualizados.

A primeira condenação da história recente do STF foi a do então deputado federal José Gerardo (PMDB-CE), em maio de 2010. Ele foi acusado de crime de responsabilidade da época em que era prefeito de Caucaia (CE). A pena foi convertida em prestação de serviços comunitários e pagamento de multa.

O deputado federal Cássio Taniguchi (DEM-PR) foi condenado no mesmo mês por cometer crime de responsabilidade quando ocupava a prefeitura de Curitiba (PR), mas a pena prescreveu. O deputado federal José Tatico (PTB-GO) foi condenado em setembro de 2010 por crimes previdenciários, mas a prescrição também foi decretada porque ele completou 70 anos de idade e os prazos caíram pela metade.

Em outubro de 2010, o STF condenou o deputado federal Natan Donadon (PMDB-RO) a 13 anos e quatro meses de prisão por desvio de dinheiro público. Ele é o único político que acabou preso, o que ocorreu em junho de 2013, quase três anos depois do julgamento.

Em setembro de 2011, o deputado federal Asdrúbal Bentes (PMDB-PA) foi condenado a mais de três anos de prisão por fornecer laqueaduras gratuitas a eleitoras, mas ele recorreu e o processo ainda não foi encerrado. Em março de 2012, o STF condenou o deputado federal José Abelardo Camarinha (PSB-SP) a quatro anos de prisão por crime de responsabilidade, mas a pena acabou prescrita.

No final do ano passado, quatro deputados federais foram condenados na Ação Penal 470, o processo do mensalão. Pedro Henry (PP-MT) recebeu sete anos e dois meses de prisão, Valdemar Costa Neto (PR-SP) ficou com sete anos e dez meses, João Paulo Cunha (PT-SP) recebeu nove anos e quatro meses e José Genoino (PT-SP) foi condenado a seis anos e 11 meses. Todos apresentaram recursos, que serão julgados na próxima semana pelo STF.

Anúncios

168 Respostas to “Ivo Cassol condenado. E os outros?”

  1. Jose Mario HRP said

    Bem, agora , como não há pt no meio, fica para o Senado, tirar ou não do Cassol seu mandato!
    Aqui o trem da alegria:

  2. Patriarca da Paciência said

    Minha opinião é que esse julgamento apontou para uma nova postura do STF. Chega de arrogância e prepotência! A era Gilmar Mendes/Joaquim Barbosa vai chegando ao fim, “para o bem de todos e felicidade geral da nação”, graças a Deus, amém, assim seja !. E viva o papa Francisco!

  3. Elias said

    E, de qualquer maneira, até que enfim alguém de RO foi condenado a alguma coisa…!

    Há alguns anos, estavam, praticamente toda a Assembleia Legislativa daquele Estado, mais juízes, secretários de Estado e o escambal a quatro de RO, envolvidos num megaesquema de corrupção.

    Agora, lá estão juízes, deputados, secretários de Estado e o escambal a quatro de RO, envolvidos num megaesquema de narcotráfico e sei lá mais o quê.

    Do jeito que a coisa vai, daqui a pouco será melhor cassar o alvará de licença pra funcionamento de RO. O Estado entrará na clandestinidade e passará a atender no Favelão da Bicheira Fedida, Beco do Buraco Sujo, s/n, fundos (recados com Noca ou Mãe Joana…).

  4. Jose Mario HRP said

    E falando em Cassol e STF, prevejo que , diante da contratação pelo Gov. Federal de médicos estrangeiros, o STF vai abrir guerra contra a Dilma, no já comum expediente de desgastar o governo politicamente!
    Provavelmente o STF irá declarar inconstitucional o programa e mais e mais da mesma lenga lenga moralista do JB!
    Depois do episódio TSE e Serasa Experian tudo é possivel!”
    KKKKKKKK…..

  5. Patriarca da Paciência said

    Meu caro HRP,

    já li e ouvi várias notícias de que o STF considerou o programa Mais Médicos constitucional.

  6. Pax said

    Difícil discordar do Elio Gaspari quando ele afirma que PSDB e PT minam a democracia.

    Duro ter que admitir que acho isso mesmo. O Império da Corrupção não permite uma democracia plena. Corrupção sempre houve, há e haverá. Neste nível que vivemos no Brasil a coisa já deixa de ser bem uma democracia e passa-se ao tal império….

    http://www1.folha.uol.com.br/colunas/eliogaspari/2013/08/1324788-o-psdb-e-o-pt-minam-a-democracia.shtml

  7. Jose Mario HRP said

    Patriarca, que bom!
    Pois os nossos médicos mostraram o quanto meninos mimados o são.

  8. Jose Mario HRP said

    Farra dos senadores com dinheiro gasto em gasolina de aviões, hotéis e aluguel de carros e aviões é gigantesco!
    Pior só a sacanagem do TSE com a Serasa Experian, em que a ministra Carmem precisa dar muitas explicações!!!!!

  9. Elias said

    Episódios de corrupção, a bem da verdade, dificilmente “minam” ou “corroem” a democracia.

    O que “mina” e “corrói” a democracia é a existência de grupos antidemocráticos, incapazes de chegar ao poder pelo voto. Aí partem pra ignorância… E esses grupos só têm êxito onde a ignorância política impera.

    Eventualmente, esses grupos podem usar o combate à corrupção como desculpa pra enganar trouxa. No Brasil, a UDN fez isso, (ao mesmo tempo em que fingia não ver a corrupção que grassava dentro dela mesma…). Se bem que, pra ser justo, é preciso dizer que a UDN também tentou acabar com a democracia alegando que o governo (no caso, o governo JK) é que pretendia acabar com a democracia (V. episódio conhecido como “Carta Brandi”…).

    Ou seja: na hora de justificar um Golpe de Estado, qualquer coisa serve.

    Itália e Israel, p.ex., aperfeiçoaram as respectivas democracias, ao longo de décadas, enquanto administravam (e continuam administrando) segjuidos e portentosos escândalos de corrupção, cada qual mais cabeludo que o outro.

    A Itália, aliás, ainda tinha (a bem da verdade… tem, né?), a infiltração da Máfia na política, no Executivo, no Judiciário, no Legislativo, no meio empresarial (aí incluído o sistema financeiro), e um amplo etc (nem a sacrossanta Igreja Católica Apostólica Romana escapou… Não custa lembrar o quê, realmente, deu causa à renúncia do Papa imediatamente anterior ao atual…).

    Em Israel, a corrupção endêmica acabou causando o brutal enfraquecimento — quase o esfacelamento — do Partido Trabalhista, de fato o fundador e estruturador do país, que ele dirigiu durante as primeiras décadas de existência, com absoluto êxito militar, político e econômico, e herdeiro das organizações do trabalhismo sionista de esquerda (Paolei Zion, Hovevei Zion, Hashomer Hatzair,etc), de cuja fusão resultou o partido e cujo patrimônio político e ideológico remonta ao Século 19. O Partido Trabalhista israelense deixou isso tudo escoar pelo ralo…

    Nem por isso a democracia italiana ou israelense foi “minada” ou “corroída”.

    A regra é que, no poder, os grupos antidemocráticos que prometem “combater a corrupção”, revelam-se corruptos tanto quanto ou mais que os corruptos que eles derrubaram.

    Só que, numa ditadura, quem denunciar o corrupto no poder… Dança, né?

    O certo é o inverso: só nas democracias é que ocorrem a denúncia e, a partir dela, o combate eficaz da corrupção.

    Além do mais, beira o estelionato político fazer malabarismos verbais para deixar sugerida a falsa noção de que a corrupção noPSDB começou agora…

  10. Patriarca da Paciência said

    Elias, 09

    Muito bom!

    Acho que é bem por aí mesmo. O que eu fico pasmo é de que certas pessoas estudem a História Universal e ainda tenham esperança de encontrar políticos imaculados.

    Minha opinião é que a própria ciência política é o inverso da imacularidade. Político imaculado seria algo “excêntrico”. Não combina mesmo! Política é a arte de administrar conflitos e interesses antagônicos. Imagine-se um São Francisco de Assis governando algum país!

    Mas os santos são tão necessários quanto os políticos.

    O que não pode mesmo é a corrupção ser regra. Aí não funciona mesmo!

    A única arma contra a corrupção é a fiscalização permanentes do povo.

    Acreditar em “salvadores da pátria”, hoje só ingênuos!

  11. Pax said

    O problema, caros Patriarca e Elias, é essa frase do Patriarca acima: “o que não pode mesmo é a corrupção ser regra”.

    Acontece que era, é e continuará sendo.

    Se vocês acham que está bem assim, que não mina a democracia, que Israel e Itália nos dão bons exemplos disso etc e tal, eu me reservo ao direito de discordar em absoluto.

    No caminho que estamos, quem vai mandar no país – aliás já manda em bons nacos – são os grandes conglomerados, como Telefônica, Monsanto, etc.

    Se vocês gostam, ok. Me permito, repetindo o que disse, a total discordância.

    Não quero votar no presidente da Coca-Cola ou do McDonald’s para presidente do Brasil.

  12. Pax said

    Sem esquecer de um outro bom naco, outro almabusiness… os evangélicos que já tem 20 ou mais % do Congresso…

  13. Elias said

    Os parlamentares representam o modo de pensar das pessoas que os elegeram.

    Eles estão lá porque foram eleitos, por pessoas que se sentem bem representadas por eles.

    As poucas exceções ficam por conta dos “senadores” que chegam a essa condição porque eram “suplentes” dos caras que realmente foram eleitos, e que renunciaram ao mandato pra assumir outro cargo eletivo, como governador ou prefeito…

    Se, para a democracia brasileira, “senador” já é uma aberração, imagina o que se deve dizer de “suplente de senador”…

    Aberrante, tanto quanto, aliás, é a lei permitir que um sujeito, em pleno exercício de um mandato eletivo, se candidate a outro cargo eletivo. Isso, sim, favorece a criação de castas. Deveria ser proibido, mesmo que o mandato que o espertalhão estivesse cumprindo fosse numa instituição de inutilidade e imoralidade pública, como o Senado brasileiro.

    No dia em que a sociedade brasileira realmente achar que já chega de viralata e batedor de carteira no topo da pirâmide política, ela vai começar a ser mais seletiva, na hora de votar. Vai começar a escolher os melhores…

    Aí a coisa muda.

  14. Pax said

    Ainda neste tópico, e muito cá entre nós, alguém acredita em boa coisa deixando uma licitação de Trem Bala entre Campinas-São Paulo-Rio de Janeiro de R$ 35 bilhões, nas mãos do César Borges e do PR?

    Caramba. No que dá entregar nacos do país para essa turma…

  15. Pax said

    Ainda neste tópico, no Facebook do Bob Fernandes… veja o grifado no final.

    “Bob Fernandes
    Publicados em páginas diferentes e com manchetes distintas, certos fatos aparentam não ter muito em comum. Mas têm tudo a ver. A gangorra nas pesquisas eleitorais tem, óbvio, a ver com as ruas de junho e julho. E as ruas têm relação com má gestão. E com noticiário sobre corrupção.

    A internet tem 94 milhões de usuários no Brasil; 52 milhões são usuários ativos. E foi assim que se rompeu a blindagem. Não dá mais para se escalar qual é a instituição ou o partido malvadinho da ocasião.

    Não dá mais para fazer de conta que um partido é sujinho e outro é limpinho. Os fatos estão aí. Sempre estiveram. Não viu, ou não noticiou, quem não quis.

    O PT, que até chegar ao poder era juiz dos crimes alheios, cometeu crimes. Alega que os crimes foram outros, e não os que levaram à condenação de vários dos seus, mas fato é que cometeu.

    Assim como PMDB, DEM, PTB, PV, PL, PDT, PP… e o grande acusador dos últimos anos, o PSDB, cometeram seus crimes.

    O que se tenta agora é embaralhar trilhos no rastro do escândalo do Trenzão; ação em que governos do PSDB paulista são acusados de produzir um superfaturamento de R$ 425 milhões. Com direito a propinas milionárias.

    Há novidade nisso? Em parte há. Em troca de um acordo que deixa empresa e dirigentes limpos, a multinacional Siemens está entregando. Entrega ao Conselho Administrativo de Defesa Economica, CADE, a história do cartel de 20 anos na área de metrôs e trens, em especial em São Paulo e Brasília.

    A história nasce de uma megainvestigação no exterior. Lá a Siemens e a francesa Alstom já têm demitidos e presos. Aqui os tucanos dizem não ter acesso às informações levantadas no processo do CADE. Isso é conversa mole.

    Desde 1995 o ministério público de São Paulo arquivou 15 inquéritos sobre o tema. Com documentos, a revista ISTO É desta semana prova: em 2008, 2009 e 2010 o ministério público e o Tribunal de Contas do Estado alertaram para vícios e irregularidades nos contratos.

    E em agosto de 2009 a juíza Gabriella Pavlópoulos ordenou o sequestro de bens de Robson Marinho, conselheiro do Tribunal de Contas. Marinho, tucano de primeira hora, acusado de receber propina da Alstom.

    Como se surpreender se, apesar da blindagem, Robson Marinho e Alstom já eram notícia há 4 anos? Agora se fala em propinas de US$ 20 milhões para partidos e em contas na Suíça. Como simular que o assunto é novidadeiro?

    Quem se espantará se isso tiver a ver com o pagamento de campanhas eleitorais? E não apenas. E como dizer que a trilha dos paraísos fiscais é desconhecida?

    Recordemos estudo feito por James Henry, ex-economista-chefe da consultoria McKinsey. Estudo esse encomendado pela Tax Justice Network e publicado há um ano.

    Henry mostra que, só até 2010, os super-ricos brasileiros tinham cerca de US$ 520 bilhões em paraísos fiscais. Isso é mais de R$ 1 trilhão. Mais de um terço do PIB do Brasil.

    Achamos normal ter mais de 1/3 do PIB brasileiro em paraísos fiscais?

    Dá, mais ou menos, uns 45 Bolsa Família, só pra mal compararmos.

  16. Jose Mario HRP said

    http://economia.uol.com.br/noticias/redacao/2013/08/13/lucro-do-banco-do-brasil.htm

    UAU!
    Isso é sinal de país em crise?

  17. Elias said

    “Os fatos estão aí. Sempre estiveram. Não viu, ou não noticiou, quem não quis. O PT, que até chegar ao poder era juiz dos crimes alheios, cometeu crimes. Alega que os crimes foram outros, e não os que levaram à condenação de vários dos seus, mas fato é que cometeu.” (Bob Fernandes)

    É isso aí (de vez em quando, o Pax também acerta…).

    Agora, tem o seguinte: se um terço do PIB está em paraísos fiscais, isso se deve, em grande medida, não apenas à corrupção, mas, também, a uma legislação frouxa.

    Em vários países europeus — Suécia, Noruega, Holanda, Dinamarca, p.ex. — se o indivíduo remete ilegalmente dinheiro para o esterior, ou mantém ilegalmente dinheiro no exterior, os bens dele no país são confiscados, até o limite dos impostos burlados, acrescidos de multa pesadísima e de um período de cana dura. Se o dinheiro houver sido ganho ilegalmente, o limite do confisco é o valor total.

    Lembro do caso envolvendo o cineasta Ingmar Bergman. Ele ficou indignado e saiu da Suécia. Só voltou quando conseguiu provar sua inocência. Naquela época, meu professor de Direito Tributário fez uma comparação detalhada da legislação sueca, e de outros países europeus, com a legislação brasileira.

    No Brasil, nem pensar em algo parecido com o que acontece naqueles países! Na melhor das hipóteses, o Brasil fica pedindo o repatriamento do dinheiro, sabendo que isso jamais acontecerá. Até porque, se o “paraíso fiscal” repatriar, deixará de ser paraíso, e se transformará num inferno. A corruptalha imediatamente sacará sua grana e migrará pra outro lugar. O ex-paraíso que fez o repatriamento estará falido. Daí porque as respectivas legislações tornam virtualmente impossível repatriar. Na maior parte dos casos, a resposta diplomática aos pedidos de repatriamento é: “Cuidem do brioco de vocês. Nós cuidamos do nosso. Se vocês acham que tá saindo coisa demais pela porta de vocês, é porque essa porta tem algum defeito. Não temos nada com isso. É problema de vocês… Resolvam!”.

    Só que a legislação brasileira parece ter sido feita sob medida pra viabilizar certas maracutaias.

    Tem muita gente — na imprensa inclusive — que brada contra a corrupção, as empresas de alto mar, os cofre fortes dos paraísos fiscais, etc… Mas não diz nada sobre o sisteminha local que torna isso tão facilmente possível…

    E, se alguém quiser mexer nessas leis, imediatamente os mesmos carinhas sofrem mil faniquitos, achando que isso prejudica a “liberdade de empreender”.

    É como querer trepar sempre sem camisinha, com quem aparecer pela frente (e por trás, né?), e, ao mesmo tempo, achar que isso nunca vai resultar em gravidez ou DST…

    Vá entender esses porraloucas…

  18. Elias said

    cofres fortes

  19. Elias said

    Ófitópique:

    Banco do Brasil tem lucro recorde no primeiro semestre de 2013: mais de R$ 10 bi.

    Petrobrás, que só neste ano bateu 3 vezes o próprio recorde de produção, encerrou o primeiro semestre de 2013 com um aumento de lucro de mais de 77% em relação a 2012. Emplacou mais de R$ 13 bi.

    Tadinho do Chester, que, aconselhado por seus gurus neolibs megatraders, torrou as ações que ele tinha, do petrossauro.

    Eu? Não… Como não sou “trader” nem “player”, continuo comprando, devagar e sempre… E forrando minha modestíssima, minimilimicro carteirazinhazinha de papéis, com papéis do petrossauro e do BB.

    Não me queixo…

  20. Zbigniew said

    O interessante, Elias, é que essas empresas são utilizadas pelo governo como instrumento de controle de inflação ou de melhora na oferta do crédito (acusadas pela oposição de serem instrumentalizadas para a manutenção de iniciativas populistas).

    Foi o caso da redução de juros pela Caixa e pelo Banco do Brasil e da “segurada” nos preços da gasolina e do gás de cozinha pela Petrobrás.

    As oscilações nos lucros e dividendos são prontamente apontadas como efeitos deletérios de uma política que levará tais empresas à falência.

    Aí me vem o Delfim dizer que o pessimismo dos empresários se dá porque o controle de preços de combustíveis:

    “(…)
    1) produz uma alocação defeituosa dos fatores de produção, que reduz a produtividade de todo o sistema econômico; 2) destrói o setor de etanol que atendendo a um forte apelo e estímulo do governo, investiu na sua produção; 3) aumenta o congestionamento urbano e a poluição; 4) prejudica a própria Petrobras (e seus acionistas) que tem usos alternativos mais eficientes para seus recursos; e, por último, e mais importante 5) destrói a crença do setor privado na coerência e na seriedade do governo. Não há nada mais destruidor da confiança do setor privado nas autoridades do que promessas de longo prazo quebradas por ações oportunísticas no curto prazo.
    (…)”
    http://www.advivo.com.br/blog/luisnassif/delfim-netto-o-governo-se-moveu

    Reconheço que para os acionistas tais políticas representam uma diminuição na expectativa de ganhos e que pela lógica de mercado, a lógica social não se aplica ao segmento. Será que é por isso que enviamos 1/3 do PIB para os paraísos fiscais? Que espécie de cultura é essa de nossas elites econômicas que não se coaduna com as necessárias políticas sociais?

  21. Elias said

    Zbigniew,

    Imagina! O Delfin, dizendo isso…

    Logo ele, o gordo, que, quando Ministro da Fazenda, em 1973, não só segurou o preço dos combustíveis, como ainda cobriu o buraco na Petrobrás, usando recursos do Tesouro, e obrigou a FGV a adulterar o cálculo da inflação anual, “mantendo-a” artificialmente em torno de 16%!

    O gordão fez isso quando Geisel já havia sido escolhido pra substituir Médici, faltando apenas a sagração formal, no Congresso.

    O Élio Gaspari reconstituiu toda a história, da boca do próprio Delfin e da boca do Shigeaki Ueki, então diretor da Petrobrás e já escolhido por Geisel (que, a essa altura, ainda era presidente do petrossauro), pra ser o futuro Ministro das Minas e Energia.

    Shigeaki Ueki disse que saiu da reunião Delfin, tranquilizado como diretor da Petrobrás e arrasado como cidadão brasileiro.

    Delfim cortou a grama bem mais rente ao solo. Primeiro ele comparou as taxas de inflação: com o repasse aos preços dos combustíveis, ela iria a mais de 20%; sem o repasse, ela ficaria em menos de 16%: “Mandei-os tomar no rabo!”, disse o gordo ao Élio Gaspari, que transcreveu textualmente essas palavras em um dos livros de seu ensaio famoso.

    Já a FGV, tempos depois, já nos anos 1980, por pressão do FMI e do Banco Mundial, acabou tendo que refazer os cálculos da inflação de 1973 (e saiu do episódio com sua credibilidade técnica mais baixa e suja do que poleiro de pato…).

    No mais, a política do governo:

    a – não destruiu o setor alcooleiro, que vai bem, obrigado — aliás, o certo seria dizer: “vai bem, subsidiado” (ora, passa mais tarde, Delfin!);

    b – não prejudicou a Petrobrás nem aos seus acionistas, porque, logo em seguida, como agora se viu, o petrossauro recuperou os níveis de rentabilidade do capital próprio, pelo aumento da produção e pelo realinhamento dos preços (o qual foi apenas retardado, ao contrário do que fez o gordo), superando, inclusive, o principal fator negativo pra empresa, que foi a desvalorização do real, e suas repercussões sobre o custo do endividamento em moeda estrangeira (aliás, é bom dizer que, mesmo os efeitos negativos para os acionistas, em 2012, foram parcialmente anulados pela antecipação da distribuição dos lucros do exercício, que começou a ser feita em abril daquele ano; assim, quem tinha “outras alternativas” de aplicação, utilizou-as — notadamente alternativas de curto prazo — trocando 6 por meia dúzia…);

    c – “crença do setor privado nas políticas de longo prazo do governo”? Adonquejá? O gordo tá doido? Eram os ministros gordinhos austronautas? São os deputados ex-ministros balofos extraterrestres?

    d – “aumenta o congestionamento urbano e a poluição”. Aaahhh, booooommm…! Agora ficou tudo claro! O gordo virou militante ambientalista! Quer dizer, então, que, se o governo brasileiro aumentar o preço dos combustíveis, as pessoas vão parar de andar de carro e o planeta vai ficar menos poluído? Verdade? Mas isso não prejudicaria a ” Petrobras (e seus acionistas) que tem usos alternativos mais eficientes para seus recursos” ? Afinal, gordo, vais ou não te decidir: cospes ou engoles?

    Pensando bem, taí um bom raciocínio do Delfin. Podemos aprofundá-lo. O Poder Legislativo poderia botar os deputados e senadores pra morar em Taguatinga ou Ceilândia, e obrigá-los a ir a pé pro trabalho (“trabalho?” Vá lá…).

    A economia de combustível seria mínima, e a poluição do planeta nem iria tomar conhecimento, mas — quem sabe? — alguns deputados ex-ministros balofos poderiam, com esse exercício, perder algumas toneladas de adiposidades adicionais e, assim, ficar pouquinha coisa mais magros…

  22. Elias said

    Justiça seja feita: dos críticos da política econômica do governo, Delfin é o menos pior.

    Pelo menos ele reconhece que, ao “passivo” na área tributária, corresponde um “ativo” na área social. Uma pirâmide menos bicuda.

    O problema é que o gordo tem sua carreira política financiada por setores & interesses que o país conhece tão desgraçadamente bem.

    Então, ele dá uma no cravo e dez na ferradura…

    Quem sai aos seus, não degenera…

  23. Pax said

    A questão é que o caro Elias sempre consegue dar um outro prisma ao que digo, com maestria, verdade seja dita.

    O que sempre reclamei foi – está nos autos deste mísero e ínfimo blog – que o PT sempre teve a faca, o queijo, o bolo macio, o mamão maduro, o xuxu passado etc às mãos. E nunca quis mudar o jogo jogado depois de entrar em campo como protagonista.

    Corruptos todos são, de filisteus, fariseus, gregos e troianos, comunistas, liberais, sociais democratas, maoistas, stalinistas, castristas, bushistas, e por aí afora, mas gostar muito do jogo é algo um tantículo diferente, digamos assim. É algo que se pode afirmar – sem muita chance de erro – de uma desconfiguração.

    E gostou-se, sim, do jogo jogado. Gostou-se e muito. A turma do PT do B, da boquinha, gostou até demais da conta. Chafurdou geral. E foi aceita, acolhida, mimada, paparicada, protegida ad extremum (existe isso?). Dizem até que é ela quem manda e é ela que vai se reeleger, com total apoio do dono.

    Não são os descaminhos dos opositores que justificam o caminho assumido. É a rejeição à possibilidade de empreender um caminho um cadinho melhor, mesmo que mínimo, mesmo que somente em áreas tão essenciais como transportes, energia, telecom e, ainda pior, mas mais essênciais, educação, saúde e segurança.

    É que lá é onde estão os potes mais gordos, claro. Pra quem não quer mudar.

    O disfarce do bem-estar social é hiper, mega, super, bem pensado, consistente. Neste rumo teremos mais umas décadas do mesmo. Professores com salários de fome – e todas as desculpas e justificativas, estradas no estado criminoso que estão – e todas as justificativas associadas, telecom neste atraso inacreditável, e todas as proteções envolvidas, saúde onde mulheres parem nas escadarias, velhos passam madrugadas em filas, emergências padecem sem ambulâncias e equipamentos de hospitais das verbas super desviadas, e todas as desculpas conseguíveis, além das reformas políticas, eleitorais, tributárias, judiciárias, civis, criminais e todas que quisermos elencar, engavetadas em nome de uma tal governabilidade que implica em aceitar o todo, para que nada seja alterado de forma concreta efetiva.

    É claro que se dá um passo à frente, aqui, acolá, um povo mais satisfeito, melhor remunerado, menos fome e tudo mais que quisermos elencar.

    No longo prazo todo otimismo é possível. A análise de uma década perdida nos garente milhões de desculpas que ascenderam socialmente etc e tal. A História está aí para nos mostrar que evoluímos, independente de quem está no poder, sejam udenistas ou trabalhistas, anda-se, sim, à frente. Nem escravidão quase temos mais.

    No curto prazo é que é duro aceitar o todo. E, ainda pior, saber que não tem opção melhor. Não há opção de alternância que não seja para pior, ou liberal irresponsável, ou religiosa que invadirá nossas decisões sobre nossos próprios corpos e prazeres.

    Aperta-se o , a maquinhinha faz plin, piriri, pororó, e seguimos em passos de tartaruga vendendo nossa natureza sem qualquer valor agregado – pior, envenenando nossas terras e águas – uma exceção (Embraer) aqui e outra acolá, e o povo, o verdadeiro capital, deixado a escanteio, como nos velhos tempos dos tradicionais coronéis, bajulados por quem prometeu mudar.

    O poder é podre, sim. Gostar do podre é que se torna um enorme problema.

  24. Elias said

    “…e o povo, o verdadeiro capital, deixado a escanteio, como nos velhos tempos dos tradicionais coronéis, bajulados por quem prometeu mudar.” (Pax)

    I
    Ora, se alguns milhões de pessoas ascenderam socialmente, então o povo não ficou, assim, tão a escanteio…

    E, se isso é uma realização inédita — como a Onu, o FMI, o Banco Mundial, etc., reconhecem –, então não é, “como nos velhos tempos dos tradicionais coroneis…”.

    III
    Tem a corrupção, que desnaturou o PT, sim. Mas ela não é maior nem pior que a do PSDB, nem a do PMDB, nem a do DEM/PFL/PDS/ARENA…

    O pobre diabo que se deixou filmar recebendo propina de R$ 3,0 mil (e que nem petista era, certo?); o cretino que se deixou vender por uma Land Rover usada; o bunda mole que foi pego com dólares na cueca; poderiam exercitar essa marginalidade pé-de-chinelo por toda a vida, que nem chegariam perto de uma única garfada tributária da Rede Globo… O mensalão, multiplicado por três, é fichinha perto do que aconteceu na privataria ou nas obras do governo paulista. E assim por diante…

    Se estamos falando de roubo, de desfalque, tamanho é documento, sim. Quanto maior o roubo, maior o ladrão.

    IV
    É hipocrisia ficar remelando as sacanagens petelhas, como se elas fossem as únicas ou as principais, quando é do conhecimento de todos que, o que há de diferente na corrupção petista, é que ela foi exposta à execração pública, não raramente até por petistas. E que os corruptos petistas foram condenados em juízo (ainda que um mau juízo), enquanto os nababos de outras denominações partidárias…

    V
    O PT teve a faca e o queijo? Não é verdade! No Brasil, desde que a democracia foi restabelecida, nenhum partido jamais teve “a faca e o queijo”. Todos os que estiveram no poder tiveram que se juntar a outras forças políticas, com as quais a afinidade política era mínima…

    VI
    Mas o que é fundamental notar é que a atual oposição, assim como aqueles que papagaiam o discurso dela, nada têm a oferecer ao país.

    Cadê as propostas? Cadê o programa de governo que retiraria o país das garras da mediocridade petista e conduziria o povo ao paraíso?

    Se a oposição, assim como aqueles que papagaiam o discurso dela, têm algo pelo menos parecido, escondem isso muito bem.

    Tanto que só fazem repetir essa lenga-lenga pseudo-moralista e remelenta, que beira o estelionato político. Porque, para que ela tenha algum valor, é preciso ignorar a corrupção não petista ou antipetista, muito maior e, por isso mesmo, no frigir dos ovos, muito mais danosa ao país…

    E se concentram nisso exatamente porque, sem isso, não teriam nada pra falar. Não têm propostas… Não têm programa de governo… Em suma, não têm nada a dizer ao país.

    Se o critério para escolha for a corrupção, o mais honesto é reconhecer que, em termos de siglas partidárias, o Brasil não tem alternativas. Tanto faz dar na cabeça, como na cabeça dar.

    Não perceber isso é má fé ou porralouquice.

    Né?

  25. Jose Mario HRP said

    Alckimin vai processar a Siemens, mas…….nenhum contrato vai ser rompido ou anulado????????????!!!!!!!

    Que maracutaia!!!!!!!!
    Pra ingles ver!!

  26. Jose Mario HRP said

    Olha só em quem a veja bota fé!

    “HOMEM-BOMBA” DE VEJA FEZ CHANTAGEM NO TSE

    Pivô de uma denúncia em Veja que visa desacreditar o ministro Ricardo Lewandowski, o auditor Rodrigo Aranha Lacombe tentou pressionar, em outubro do ano passado, a presidente do Tribunal Superior Eleitoral, Carmen Lúcia, a efetivá-lo em Brasília; do contrário, ele denunciaria supostas ilegalidades no TSE a veículos de imprensa; Lacombe dizia ter sido procurado por jornalistas da Folha, da GloboNews e da revista Época, mas, aparentemente, ninguém o levou a sério; só agora, às vésperas da análise dos embargos da Ação Penal 470, Veja comprou sua história, mas omitiu seu passado de ameaças e chantagens, que ficaram documentadas; confira

    12 DE AGOSTO DE 2013

    247 – No dia 31 de agosto de 2012, um servidor sobe até a presidência do Tribunal Superior Eleitoral para dar declarações sobre supostas irregularidades em processo de prestação de contas do Partido dos Trabalhadores (2003) relatado pela presidente do TSE, ministra Cármen Lúcia.

    O servidor chama-se Rodrigo Aranha Lacombe, auditor da secretaria da fazenda de Tocantins que, desde outubro de 2003, foi requisitado para trabalhar no TSE, por razões irregulares até então desconhecidas. Quando chegou à presidência, Aranha Lacombe estava muito tenso porque dentro de alguns dias teria que depor à Comissão de Sindicância interna instalada pela presidente do TSE, exatamente para apurar denúncia de ilegalidades no exame das contas partidárias do Partido Progressista (PP) e do Partido Renovados Trabalhista Brasileiro (PRTB).

    Começava, assim, um pesadíssimo jogo de pressão e chantagem que, felizmente, pela esperteza de dois juízes, tudo ficou gravado e documentado na cúpula da Justiça Eleitoral. Vazamentos seletivos e omissões intencionais na matéria de VEJA desta semana suprimiram parte das declarações de Aranha.

    E o que foi suprimido é fundamental para compreensão desse vergonhoso episódio montado por alguém desesperado e com medo de ser devolvido para Tocantins, lugar de onde se diz que fugiu ameaçado de morte. Tudo esta aqui, entre aspas e comprovado em documento oficial integralmente exposto no final dessa reportagem.

    A fuga do Rei

    Rodrigo Aranha Lacombe inicia a sua história – na presidência do TSE – revelando seu passado nebuloso e intimidador ao contar que “no curso de suas atividades funcionais em Tocantins, teve oportunidade de denunciar as irregularidades da SUDAM, irregularidades essas relativas ao desvio de verba que propiciaram a prisão de Jader Barbalho; que também identificou, em seu trabalho, desvios de recursos públicos na secretaria da fazenda de Tocantins, o que acarretou processos contra o secretário; que a sua situação ficou bastante complicada em Tocantins; que recebeu diversas ameaças; que o pai do declarante, Cláudio Lacombe, amigo do Ministro Pertence, deu noticia a este sobre a situação do filho; que o Ministro Pertence resolveu requisitar o declarante para o Tribunal Superior Eleitoral; que isso se deu em outubro de 2003; que o declarante foi vítima de represálias diversas em Tocantins”, local onde ficou conhecido como o “Rei das Denúncias”.

    Ministra Presidente do TSE sob ameaça

    Em seguida, Aranha Lacombe declara que, desde então, está lotado na Coordenaria de Exame de Contas Partidárias e Eleitorais (COEPA) e começa a sua tentativa de pressionar a presidente do TSE. Diz o “pressionador” que “em 2010, ocorreu um problema com as contas prestadas pelo Partido dos Trabalhadores, contas essas relativas ao exercício de 2003; que a Ministra Cármen Lúcia era relatora; que a Ministra Cármen Lúcia aprovou as contas, monocraticamente, com ressalvas; que a assessora da Ministra Cármen Lúcia, cujo nome não se recorda, foi negligente, porque eram graves e de fácil comprovação as irregularidades; que existia uma certidão da secretaria judiciária dando conta da suspensão da imunidade tributária do Partido dos Trabalhadores e uma denúncia do Ministério Público Federal, em razão do mensalão (…); que o declarante examinou o processo identificando várias irregularidades; que formalizou um parecer, que isso ocorreu no final de 2010”.

    Eis o lamentável episódio, em que Lacombe chantageia inutilmente a ministra Cármen Lúcia, porque segundo ele, a ministra aprovou sozinha, ou, “monocraticamente”, as contas irregulares do PT de 2003, época do mensalão.

    55 milhões de votos na lata do lixo…

    Na sequência de seu depoimento, Aranha Lacombe faz nova “pressão”. Diz que durante a prestação de contas de campanha de Dilma Rousseff e Michel Temer ele teria encontrado uma falha na documentação da candidata eleita. Para Lacombe, faturas de pagamento e bilhetes aéreos não eram suficientes para comprovar o gasto, mas, somente uma nota fiscal.

    Lacombe fez carga para que Dilma e Temer não fossem diplomados presidente e vice-presidente da República. A tese de Lacombe não convenceu os seus colegas, uma vez que não é usual emitir notas fiscais para quem compra passagens aéreas.

    Nesses casos, o comum é juntar as faturas de compra e os bilhetes emitidos. Servidores do setor argumentaram que o artigo 30 da Lei 12.304/2009 permite que o partido tenha prazo para juntar novos documentos e obtenha aprovação com ressalvas. Inconformado por não ter convencido seus colegas, Lacombe se recusou a assinar o parecer conjunto.

    Ficou isolado. Claro. A equipe técnica estava unida contra a pretensão de Rodrigo Aranha Lacombe conforme o próprio confessou, com as seguintes palavras: “que o declarante não admitiu a emissão de novo parecer nem tampouco com a retirada daquela parte; que o parecer foi alterado; que pediram as declarante que o assinasse; que o declarante discordou; que outros servidores pediram ao declarante para assiná-lo”.

    Com efeito, o parecer saiu com assinatura de toda equipe, menos, obviamente, com a de Lacombe, o homem que queria impedir a diplomação de Dilma Rousseff, já eleita com 55 milhões de votos, por uma quizila formal.

    Pego na mentira pela Folha de S. Paulo!

    Em seguida, diz ele que “tempos depois, mais precisamente neste ano, Mary Helen contou ao declarante que isso ocorreu a pedido do Ministro Ricardo Lewandowski”. Entretanto, conforme revelou o jornal Folha de São Paulo, de 10/8/2013, na coluna painel, da jornalista Vera Magalhães: “Eu não… ouvida por uma comissão de sindicância interna, em novembro de 2012, a ex-secretária do TSE [Mary Ellen Gomide] negou ter pedido que Rodrigo Lacombe fizesse qualquer alteração no relatório. Também negou que Lewandowski tenha pedido mudanças”.

    O jornal trouxe ainda uma importante mensagem do ministro Ricardo Lewandowski, em e-mail enviado do exterior, para a sua ex-diretora que “se as contas apresentarem problemas sérios, como doações de fontes ilegais ou de lavagem de dinheiro, devemos agir com o máximo rigor possível” (painel, A4).

    Tiros a esmo

    Nas suas declarações, cuja íntegra seguirá abaixo, o “Rei das Denúncias” dispara tiros a esmo contra inúmeros servidores do TSE, ex-diretores que, segundo ele, sabiam de tudo e tinham estranhos interesses em um contrato milionário com a UNISYS porque o “dinheiro estava disponível”. Lacombe também resolve disparar contra seus colegas da COEPA que manteriam relações promíscuas com advogados do PRTB.

    Com isso, Lacombe já antecipava, na presidência do TSE, o depoimento que teria que dar, dias depois, na sindicância interna para instaura para apurar denúncia de irregularidades nas contas do PRTB e do PP.

    Real motivo das denúncias

    Ao final da sessão de chantagem, Rodrigo Aranha Lacombe revela o real motivo de ter disparado a sua velha e conhecida metralhadora giratória: “que tem interesse em permanecer em Brasília; que espera que a sua cessão seja prorrogada; que não tem tempo para aposentar; (…) que essas coisas só param na mão do declarante”; E para intimidar, usa a imprensa como trunfo final: “que foi procurado por três órgãos de imprensa, mais precisamente, jornalistas da Revista Época, da Folha de São Paulo e da Globo News”.

    Desfecho

    A “pressão” não funcionou porque a ministra Cármen Lúcia agiu dentro da legalidade no caso do PT (2003) e no mais ele foi desmentido. A presidente do TSE não renovou o pedido de requisição pela 10a vez porque seria absurdamente ilegal. É que Rodrigo Aranha Lacombe não veio para Brasília por interesse público como manda a lei de regência, mas sim, por interesse privado, por uma troca de favor entre o ministro Sepúlveda Pertence e um velho amigo preocupado com o filho, que passou a vida metido em confusões e fabricando escândalos. Lacombe nunca prestou concurso para a Justiça Eleitoral, mas conseguiu ter a sua requisição renovada de 2003 até 2012, 9 vezes, por nove longos anos, sem nenhum interesse público em questão e, portanto, de forma irregular.

    Lacombe executou o seu plano de chantagem ao vazar parecer apócrifo (sem protocolo, sem assinatura e sem data) para o jornal Folha de São Paulo, contrariando decisão da ministra Cármen Lúcia na prestação de contas do PT, no 2003.

    Depois, em outro tema, vazou para a revista Veja, que soube de uma servidora que o ministro Ricardo Lewandowski teria dado ordem para aprovar contas de campanha de Dilma. Um disse-me-disse que foi desmentido pelo até pelo painel da da Folha de São Paulo, para desespero do semanário.

    O homem-bomba já seguiu para Tocantins, onde deve encontrar velhos amigos. Inacreditável? O fac-símile do documento – TSELeaks – produzido na cúpula da Justiça Eleitoral comprova cada linha desse triste episódio.

    A reputação de Cármen Lúcia e Lewandowski segue incólume nesta semana que inicia o julgamento dos embargos do incerto “mensalão” (o do PT).

  27. Zbigniew said

    HRP,

    a estratégia do Alckmin é a mesma aplicada pelos panfletos proselitistas da envergadura de uma Veja. Fazer-se de indignado e tentar envolver, a todo custo, o governo federal (leia-se o PT) para a questão da corrupção promovida pela Siemens e Alston.

    Não é à-toa que, às vésperas da manifestação programada para hoje à tarde contra o governador paulista, todo o pool comunicacional de São Paulo: Folha, Estadão, Abril e congêneres, e a Globo, logicamente, estão a bradar que o governo federal também tem contratos com tais empresas (escutei isto na CBN, que está aproveitando para intensificar a abordagem sobre o trem-bala e o gasto implicado no processo de implantação de tal obra). E dão voz ao enrolado Alckmin que brada que não existe só superfaturamento em sampa, mas em outros estados também, como se isso diminuísse a culpa do PSDB por vinte anos de desmandos no metrô da cidade (o menor, comparativamente, de todas as metrópoles de tamanho semelhante pelo mundo afora. Ah! Mas foi porque os tucanos preferiram construir estações assemelhadas a shoppings para impressionar os incautos, tratando-os sempre como idiotas – típico dos emplumados).

    O que me deixa pasmo, e aqui me faço repetir, não é tanto a roubalheira do PSDB (essa sempre foi sabida e consabida. Interessante como colegas que aqui comentavam – ou comentam – consideram o mensalão petista o maior escândalo da face da terra de todos os tempos desde tempos imemoriais. Hoje estão caladinhos, tímidos e encolhidos), mas, e principalmente, concluir que, se não fosse a iniciativa da própria empresa envolvida na maracutaia, não saberíamos de tais problemas, não da forma como estão sendo colocados, pela indigência com que o MP paulista trata as denúncias ligadas ao governo daquele estado (é como se o MPE tivesse se tornado meio que como a TV Cultura), e como a imprensa sócia blinda o partido. Vinte anos! Não foi ontem! Já houve menções a tais irregularidades pela mídia local quando alguma movimentação política era iniciada, com pedidos de CPI pela oposição na respectiva Assembléia Legislativa, tendo em vista pareceres dos órgãos de fiscalização. Mas sempre se aplica a estratégia de publicar com destaque e depois arrefecer, escondendo nas páginas internas dos jornalões, diminuindo os destaques, até desaparecer por completo. Olha, se cavar, se for a fundo com o zelo que dispensam às denúncias contra o PT ou qualquer partido que não seja o PSDB (precisam só de suspeitas. Se a Siemens tivesse delatado o PT, já teriam julgado e condenado) vai sair podridão por todos os poros deste governo. Aí eu quero ver!

  28. Zbigniew said

    “O pobre diabo que se deixou filmar recebendo propina de R$ 3,0 mil (e que nem petista era, certo?); o cretino que se deixou vender por uma Land Rover usada; o bunda mole que foi pego com dólares na cueca; poderiam exercitar essa marginalidade pé-de-chinelo por toda a vida, que nem chegariam perto de uma única garfada tributária da Rede Globo… O mensalão, multiplicado por três, é fichinha perto do que aconteceu na privataria ou nas obras do governo paulista. E assim por diante…

    Se estamos falando de roubo, de desfalque, tamanho é documento, sim. Quanto maior o roubo, maior o ladrão. ”

    Concordo, Elias.

    Entretanto sou partidário do dito popular que diz que: “quem com porcos anda, farelo come”. Mancha a credibilidade de um partido alianças com corruptos e corruptores, porque o faz com suas práticas também. Pode não ser responsabilizado (o partido) judicial ou administrativamente, por não participar dos erros, pode até não concordar com os malfeitos, mas não pode ser considerado isento enquanto governo, já que apoiado por tais arranjos políticos.

    Dilma não rouba, mas se o PR, lá na ponta, desvia dinheiro da manutenção das estradas pelo país afora (o que provoca mortes e prejuízos de toda a sorte), isto atinge o seu governo, sem sombra de dúvida. E se o partido ao qual é filiada, ao qual deve fidelidade e obediência aos ditames estatutários, orienta a Presidente para a manutenção de tais alianças, ainda que sabidos os desvios e as dificuldades (neste caso específico eu diria a quase impossibilidade) de se afastar a desídia e a improbidade com o dinheiro público, todos deveriam responder politicamente, porque, em última análise, os ministros respondem exclusivamente à Presidente. E a Presidente ao partido (politicamente, eu disse).

  29. Elias said

    José Mário HRP & Zbigniew

    Mas uma coisa precisa ser dita: o TSE tem um histórico de fazer o STF corar de vergonha.

    Pra mim, dois casos, ambos relativos às eleições de 2002, bem demonstram a matéria de que é feito o TSE.

    CASO 1. Capiberibe, PSB, eleito senador pelo Amapá. Capiba foi acusado de abuso de poder econômico. Prova: a declaração de um eleitor, que disse ter recebido R$ 50,00 para votar no candidato pessebista.

    Desfecho: como todos os mortais, Capiberibe teve 24 horas para apresentar defesa no TSE. Apresentou defesa, que foi conhecida e, no mérito, julgada inconsistente. Capiba foi cassado.

    CASO 2. Simão Jatene, PSDB, eleito governador do Pará. Jatene foi acusado de abuso de poder econômico e uso ilegal de recursos do Estado, em benefício de sua campanha. Prova: documentos, fotos e filmes reunidos pela Polícia Federal, que inclusive filmou o jatinho do Gabinete do Governador (então Almir Gabriel, correligionário de Jatene), sendo carregado com material de campanha do candidato tucano, além de um monte de coisas mais, todas fartamente comprovadas pela PF.

    Desfecho: em primeiro lugar, o TSE considerou que Jatene necessitava e merecia, para elaborar sua defesa, de um prazo trinta vezes maior que o prazo dos mortais comuns, mesmo que esse prazo maior não esteja previsto em nenhuma lei e em nenhuma hipótese. Depois, o julgamento foi sendo adiado sob os mais diferentes pretextos, inclusive um surpreendente erro de tramitação, que fez com que o processo retornasse ao protocolo da portaria doTSE, pra começar seu tra…je…to lon…go, mui…to lon…go, ex…tre…ma…men…te lon…go, e len…to, mui…to len…to, ex…tre…ma…men…te len…to, até que, novamente, outra vez, de novo, foram localizadas outras falhas de tramitação, obrigando o processo a refazer seus passos… E o tempo foi passando, passando, passando… Até que… Passou! O mandato de Jatene acabou, e o processo foi encerrado por esgotamento do objeto, sem que o sortudo tucano tenha sido nem julgado, quanto mais condenado…

    Sortudo esse tucano, né mesmo?

    Disse um colunista papachibé algo mais ou menos assim: ou os advogados tucanos do Pará são muuuito competentes, ou os juízes e técnicos do TSE são muuuuito incompetentes, ou, então, é outra coisa…

  30. Elias said

    Zbigniew,

    Certo! É isso mesmo: que se junta aos porcos, farelo come.

    Só que, pra mim, “juntar-se aos porcos” não é fazer aliança com tal ou qual partido.

    Pra mim, “juntar-se aos porcos” é adotar as práticas mais deploráveis dos partidos políticos brasileiros.

    Fazer aliança política não conduz, necessariamente, à corrupção.

    Na Prefeitura de Belém (por 8 anos, de 1997 a 2004), o PT fez acordo político com o PP, o PL, o PMDB, etc. E, nem por isso, a gestão Edmilson Rodrigues mergulhou na corrupção. Tanto que, à época ou depois, não houve acusações nesse sentido.

    No governo do Pará (por 4 anos, de 2007 a 2010), em aliança com o PMDB, deu-se o mesmo. Sei de peemedebistas cujo comportamento no primeiro escalão do governo paraense foi absolutamente irrepreensível. Tanto que não foram exonerados quando Jader e o PMDB romperam como PT, pra apoiar o candidato tucano. A exoneração só ocorreria algum tempo depois, por solicitação deles mesmos, que assim procederam alegando razões de ética partidária (diferentemente do que ocorreu agora, em 2013: logo em seguida ao rompimento com Jader — mais um rompimento da criatura com o criador… –, Simão Jatene exonerou todos os peemedebistas de sua equipe, num único dia, de uma cacetada só).

    O problema do PT, no âmbito federal, é que alguns setores do partido acabaram adotando as mesmas práticas reprováveis que tradicionalmente caracterizam os partidos políticos brasileiros.

    Ao contemporizar com essa conduta, o PT entrou em conflito com alguns de seus mais importantes princípios fundantes.

    Ou seja: se desnaturou.

    Eis porque, no julgamento do ponto de vista ético e moral, o PT não leva vantagem sobre os demais partidos.

    O PT leva vantagem em relação aos demais partidos, porque é mais competente e mais consistente na formulação e execução da política economica, e, principalmente, na execução de uma política social mais eficaz. Tem avançado no combate às desigualdades sociais e interregionais, aumentou consideravelmente os recursos para educação (em especial a educação básica, com o FUNDEB, o que está produzindo, inclusive a gradual melhoria da remuneração docente que o Pax mencionou mais acima, além de ter aumentado substancialmente a oferta de ensino superior na rede federal), e um vasto etc.

    Por isso tem voto e, até aqui, tem vencido seus adversários.

    E, se considerarmos que, quanto maior o roubo, maior o ladrão, podemos dizer que também aí o PT leva vantagem: roubou menos que seus concorrentes.

    Além disso, a sacanagem petista era imperava num setor localizado do partido e, ainda que de forma oblíqua (pra mim, insatisfatória), ela foi estancada.

    Tanto que, para manter sua crítica à sacanagem dos petelhos, a oposição é obrigada a ficar requentando comida velha… Até hoje, seu cavalo de batalha é o mensalão.

    Pelo menos 30% do eleitorado de 2014 era criança — ou quase criança — quando o mensalão aconteceu. Vai acabar se tornando história que os vovôs contam pra dar sono nos netinhos… Mais ou menos como foi o Plano Real nas eleições de 2006 e 2010…

  31. Olá!

    Uma coisa interessante aconteceu no tópico sobre o esquema de falcatruas do PSDB no metrô de São Paulo: Não apareceu ninguém para defender os tucanos e/ou amenizar a corrupção por eles cometida. Bem diferente de quando algum veículo de comunicação traz uma notícia que tenha a ver com a corrupção do PT. Aí, as viúvas mensaleiras e a militância tosca do PT entra em um histérico parafuso de descontrole, buscando justificativas e racionalizações das mais loucas e destrambelhadas para minimizar as pilantragens dos petistas.

    Que, assim como aconteceu com o Mensalão, tudo seja feito dentro dos conformes da lei e que os culpados sejam punidos com o máximo rigor existente na lei. Aliás, queria ver os petistas/esquerdistas dizendo o mesmo em relação aos mensaleiros.

    No mais, não devo nada a partido político nenhum. Nunca tive cargo em governos ou seja lá o que fosse, nem jogaria na lata de lixo o meu auto-respeito para militar em prol de mensaleiros ou bandidos desse gênero.

    Até!

    Marcelo

  32. Pax said

    mais fácil fazer um tucano aceitar que é neoliberal que o caro Elias aceitar que a aliança com o PP do Maluf, o PR do Valdemar da Costa Neto, o PSD do Kassab etc etc etc ferram com o PT.

    mas bom sujeito é, sim

    todos, afinal, temos nossas neurastenias

  33. Zbigniew said

    Um ófitópique, mas que tem a ver com governo e “esquemas”.

    O caso da dívida pública brasileira? Alguém sabe por que até hoje se evita uma auditoria sobre a mesma? Os contribuintes agradeceriam se o governo tomasse a iniciativa.

    Sabemos que o Equador conseguiu uma redução significativa de sua dívida pela constatação de ilegalidades, ou seja, não havia provas dos empréstimos pelos quais estava pagando. Resultado? Foi reconhecida apenas 30% da dívida. E os bancos (95% deles) aceitaram fazer acordo.

    Hoje começamos a entender como o esquema que se armou em torno da tal dívida pública funciona. Ao que parece o ator principal responde pela alcunha de “dealer”, ou seja, banqueiros. Mais da metade da dívida brasileira está nas suas mãos. Seria mais ou menos assim, no escol de Maria Lucia Fatorelli, ex-auditora da Receita Federal (http://www.viomundo.com.br/denuncias/maria-lucia-fatorelli.html):

    “O Tesouro, quando emite os títulos, somente um grupo privilegiado de doze instituições financeiras pode comprar esses títulos. Se eu, você, qualquer brasileiro quiser nós vamos ter de comprar através de uma corretora, de um intermediário”, conta Maria Lucia.

    São os chamados “dealers”.

    “Olha como o jogo funciona. O Tesouro emite. Se os juros não estão no patamar que eles querem, eles não compram. Por isso é que são os ‘dealers’, eles é que mandam. Antes, eles já se reúnem e já repartem, de tal forma que apenas um, no máximo dois vão participar de cada leilão, para não ter concorrência! Tudo muito bem repartido. É um esquema que a gente, quando descobre essas coisas… não é possível que a finança do País tá desse jeito!”

    Diz ela ainda que os banqueiros participam da emissão da dívida, influem nas taxas de juros e recebem a taxa de juros sobre a qual influem!!!

    Interessante que esta ex-auditora resolveu colocar a boca no trombone e descascar toda essa estrutura que compõe tal esquema. No link acima você terão uma idéia melhor do tamanho do problema.

  34. Olá!

    Para os estatistas/estatólatras de plantão, eis alguns recentes acontecimentos que vêm gradativamente destruindo a Petrobras:

    01. O caso da refinaria da Pasadena, no Texas

    Tal refinaria foi adquirida por uma empresa belga, a Astra Oil, por módicos U$ 42.5 milhões e, logo em seguida, a Petrobras foi lá e adquiriu dos belgas metade da empresa por nada menos do que U$ 360 milhões, isto é, pagou pela metade da empresa quase 8.5 vezes o valor original dela.

    Não satisfeita em apenas adquirir metade da refinaria, a Petrobras estabeleceu com ela um contrato para que o petróleo extraído pela Petrossauro fosse refinado pela empresa texana. O lance é que esta não tinha infra-estrutura para fazer refino desse petróleo, daí que a Petrobras se dispôs a investir, juntamente com os belgas, U$ 1.5 bilhões, metade desse valor para cada uma das partes.

    O lance é que em determinado momento, brasileiros e belgas começaram a se “desentender” e os belgas decidiram executar uma cláusula no contrato que obrigava a Petrobras a adquirir a metade deles na refinaria e, caso a Petrossauro se negasse a tanto, eles ainda receberiam um adicional de multa.

    O resumo da história é que a Petrobras ficou devendo aos belgas mais de U$ 1 bilhão! O grosso do dinheiro para pagar esse rombo virá do governo brasileiro, ou seja, do contribuinte.

    02. A Notável Destruição do Valor da Petrobras

    Apenas vejam o gráfico.

    De janeiro de 2010 até julho de 2013, a Petrobras perdeu 80% do seu valor em relação às principais empresas de energia dos EUA.

    É um feito notável!

    03. A Notável Relação Valor de Mercado/Dívida Líquida da Petrobras

    Novamente, vejam o gráfico.

    Em 2010, o valor de mercado da Petrobras era quase 8 vezes maior do que a sua dívida líquida. Em 2013, a dívida líquida já está quase no mesmo patamar do valor de mercado!

    Tudo isso em pouco mais de 3 anos!

    04. Novas Maracutaias Políticas Dentro da Petrobras

    Apenas leiam a reportagem e fiquem pasmos com o nível de degradação a que chegou a Petrobras.

    Apenas um dos envolvidos, peixe não tão graúdo assim, pegou a mísera soma de U$ 8 milhões. E isso é apenas o que se sabe até o momento, imaginem o que não deve correr por debaixo dos panos.

    *-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*

    Por muito tempo, os liberais foram acusados de querer entregar a Petrobras para o capital estrangeiro, para as multinacionais, para a exploração mais ferozmente capitalista e coisas do tipo. Em mais de uma ocasião, esses liberais foram acusados de estarem a serviço dos interesses yankees, dispostos a vender o país e as riquezas da nação. Eram os entreguistas, afinal de contas. . .

    Nada como um dia após o outro!

    Quem diria que os esquerdistas que no passado tanto vociferaram contra os liberais e o liberalismo, acusando-os de intenções anti-patrióticas com a Petrobras, seriam exatamente as pessoas que, no presente, são as principais responsáveis pela destruição da empresa.

    Tudo isso era mais do que esperado que acontecesse, pois quando uma empresa decide que são as afinidades político-ideológicas que devem determinar como os cargos importantes são alocados, o resultado inevitável disso será corrupção, roubalheira, pilantragens, falcatruas e esquemas toscos dos mais variados. E o que o povo sabe é apenas a ponta do iceberg. Deve haver muito mais coisas escondidas nisso aí.

    Tudo isso serve de alerta para aqueles trouxas que acham que o pré-sal vai tirar o Brasil do atraso e que tal recurso será revertido em benefícios para a população, basicamente educação e saúde. Se na camada pré-sal houver, realmente, todos esses hidrocarbonetos que o governo tanto fala, coitado do dinheiro daí proveniente. Os esquemas acima listados são apenas um prelúdio da corrupção que virá.

    Até!

    Marcelo

  35. Olá!

    Uma dica para o pessoal: Vale a pena acompanhar os últimos tweets do jornalista Diego Escosteguy, responsável pelas principais reportagens sobre as falcatruas na Petrobras. Leiam os tweets a partir do dia 9 deste mês, quando ele dá um #FF no @PMDB_Nacional:

    #FF para o @pmdbminasgerais.— Diego Escosteguy (@diegoescosteguy) August 10, 2013

    Houve até um petista membro do PT Nacional que disse isto daqui sobre o jornalista por causa da reportagem sobre a Petrobras:

    Fala sério @diegoescosteguy, o denunciante nega o que diz. Quem está mentindo vc ou ele? A serviço de quem vc está ?— Francisco Campos (@CamposPT) August 11, 2013

    O jornalista também forneceu um link para quem quiser dar uma olhada nos áudios das conversas entre ele e um lobista:

    Os dez áudios, acompanhados do devido contexto, estão no mesmo link da íntegra da matéria: http://t.co/UiOLyTeLcw— Diego Escosteguy (@diegoescosteguy) August 11, 2013

    Para finalizar:

    Dez: Operação Odebrecht: a propina para a campanha de Dilma Rousseff: "Mandei dar uma grana para o PT" http://t.co/pChIX7v0Jo— Diego Escosteguy (@diegoescosteguy) August 11, 2013

    O cafezinho nas sedes do PT Brasil afora foi pago, ainda que em parte, com dinheiro de corrupção.

    Até!

    Marcelo

  36. Olá!

    Uma dica para o pessoal: Vale a pena acompanhar os últimostweets do jornalista Diego Escosteguy, responsável pelas principais reportagens sobre as falcatruas na Petrobras. Leiam os tweets a partir do dia 9 deste mês, quando ele dá um #FF no @PMDB_Nacional:

    #FF para o @pmdbminasgerais.— Diego Escosteguy (@diegoescosteguy) August 10, 2013

    Houve até um petista membro do PT Nacional que disse isto daqui sobre o jornalista por causa da reportagem sobre a Petrobras:

    Fala sério @diegoescosteguy, o denunciante nega o que diz. Quem está mentindo vc ou ele? A serviço de quem vc está ?— Francisco Campos (@CamposPT) August 11, 2013

    O jornalista também forneceu um link para quem quiser dar uma olhada nos áudios das conversas entre ele e um lobista:

    Os dez áudios, acompanhados do devido contexto, estão no mesmo link da íntegra da matéria: http://t.co/UiOLyTeLcw— Diego Escosteguy (@diegoescosteguy) August 11, 2013

    Para finalizar:

    Dez: Operação Odebrecht: a propina para a campanha de Dilma Rousseff: "Mandei dar uma grana para o PT" http://t.co/pChIX7v0Jo— Diego Escosteguy (@diegoescosteguy) August 11, 2013

    O cafezinho nas sedes do PT Brasil afora foi pago, ainda que em parte, com dinheiro de corrupção.

    Até!

    Marcelo

  37. Olá!

    As mais recentes falcatruas na Petrobras também saíram na imprensa argentina aqui e aqui.

    Os jornalistas argentinos tomaram como base a reportagem feita pelos jornalistas brasileiros. Vai ver isso se deve à tal Ley de Medios que existe na Argentina e que dificulta o trabalho da imprensa. Aliás, essa é a mesma lei que os petistas/esquerdistas querem implantar no Brasil através do tosco “controle social da mídia” (isto é, controle e censura estatal da imprensa).

    Pergunta: Se houvesse por cá uma lei ao estilo dessa estrovenga da Ley de Medios, os brasileiros teriam tomado conhecimento das mais recentes falcatruas na Petrobras?

    Deem uma olhada no que a imprensa argentina precisou fazer para implementar sua própria investigação sobre um mesmo esquema de corrupção e vocês terão a resposta.

    Até!

    Marcelo

  38. Elias said

    Zbigniew,

    A Maria Lúcia Fatorelli botou o dedo na ferida.

    Um monte de gente chama a atenção pra isso há uma pá de tempo: o valor dos juros pagos está bem abaixo do que seria, caso a taxa média fosse aplicada sobre o saldo da dívida.

    Isso só é possível se houver mudança de “perfil”, ou seja, se a dívida for “alongada”, via refinanciamento.

    Acontece que a dívida externa líquida brasileira praticamente não existe. Não sei exatamente a quantas ela anda, no momento, mas, até há uns dois ou três anos atrás, o saldo líquido da dívida externa brasileira era positivo, i.é., o Brasil era credor e não devedor internacional (o que o país tinha a receber de devedores externos era MAIOR do que o que ele tinha a pagar, a credores externos).

    O que sobra, então? A dívida interna. A maior parte da dívida pública federal brasileira é formada pela dívida INTERNA, representada pelos títulos que a União emite, e que são comprados pelos bancos (e, depois de esquartejados, são revendidos pelos bancos ao investidor privado).

    E qual a maneira mais simples e rápida de se “alongar o perfil” de uma dívida interna? Pagando parte dos juros com novos títulos, claro.

    É mais simples e rápido fazer isso, claro. Só que é ilegal, como bem lembra a Maria Lúcia Fatorelli.

    Só há um modo do governo desfazer essa suspeita: desdobrando a informação referente a “Amortização/Refinanciamento da Dívida Pública”.

    Esse título teria que ser desdobrado em “Amortização” e “Refinanciamento”, desdobrando cada um deles em “Dívida Pública Interna” e “Dívida Pública Externa”.

    Se o valor correspondente ao “Refinanciamento” for significativo, e, neste, o volume referente à “Dívida Pública Interna” também for substancial, então nem haverá espaço pra dúvida: uma auditoria, provavelmente, vai apenas confirmar e quantificar as piores suspeitas que a Maria Lúcia Fatorelli levanta.

    Com a nova lei sancionada há poucos dias por Dona Dilma, que, finalmente, coloca na cena do crime não apenas o servidor público corrupto, mas também o empresário que se beneficia da corrupção, a coisa ficaria animada…

  39. Elias said

    Tem gente que ainda não viu as defesas que têm sido feitas da turma do metrô tucano… Vai ver, é gente que estava catando coquinho e plantando abobrinha em Marte, Vênus… Por aí…

    A defesa mais comovente, acho, é aquela que coloca o pessoal do governo tucano como “vítimas” dos oligopólios….

    Fiquei emocionado. Quase cheguei às lágrimas…

    Eles não são cúmplices, nem parceiros no crime… São vítimas!

    E o pagamento das propinas milionárias?

    Ah, por favor, não usem os termos “propinas”, “subornos” ou equivalentes… Trata-se de uma modesta e justa indenização voluntária, pelo trauma moral que os oligopólios provocaram nos corrup… — desculpem — nas vítimas tucanas… Tadinhos…

    Entenderam, meninos?

    Putz!

  40. Zbigniew said

    Esse negócio da Petrobrás revela o quanto são sócios o PSDB e velha mídia encastelada em São Paulo.

    Digo isto argumentando sob a lógica de que, se apresentam uma denúncia contra os emplumados de um lado, como este do trensalão, do outro a mídia associada e amiga vai buscar qualquer coisa para apresentar como escândalo. Ainda que com a assinatura de um escoteguy da vida, com um histórico, digamos, não muito confiável de apurações. Verdade que existem irregularidades na Petrobrás, como os sobrepreços lá na Abreu e Lima, a compra da refinaria de Pasadena, e a redução de lucros da empresa. Mas daí a tentar levar a situação para a campanha da Dilma, incluindo, logicamente, o PMDB na jogada, aí é forçar a barra (olha aí o negócio dos porcos, Elias!). Mas tudo bem, já se está acostumando com o “modus operandi” da velha mídia. Tá ficando previsível demais.

    E assim caminhamos sob o reinado da hipocrisia e do cinismo, que se apresentam bem explicitamente na forma como o governador do Estado trata o escândalo:

    – ao dizer que não estava informado sobre o esquema de cartel. Nem que fosse licitação para merenda escolar! No mínimo tinha que saber. Quanto mais obras desse vulto, importância e exposição!!

    – ao dizer que o Estado é vítima do esquema. Ou seja, que ele foi vítima. Como diria o Macaco Simão, tucanaram o “eu não sabia”, tão aplicado ao Lula na época do estouro do mensalão.

    – ao afirmar que isso não ocorre apenas em São Paulo, como se o erro em outros Estados (ele não nomina quais) diminuísse a sua responsabilidade. Interessante que é o mesmíssimo argumento utilizado quando se quer caracterizar a prática do caixa 2 no caso do mensalão petista, o que foi rejeitado pelo STF.

    – e por fim ao debitar na conta do governo uma perseguição política através de um órgão federal de fiscalização, o CADE, sob o argumento de que ele estava… fiscalizando! Ou seja, fazendo o seu dever de ofício! Ainda que iniciado sob o manto de uma acordo de leniência com uma empresa corruptora!!!

    Eu diria: é muito cara-de-pau pra pouco óleo de peroba.

  41. Elias said

    Zbigniew,

    Pessoalmente, tô me lixando se levam tal ou qual escândalo pra campanha eleitora.

    Vai ser um festival de roupa suja de bom tamanho. Vamos ver se, assim, o eleitor se manca e escolhe com mais cuidado.

    Quando ao mais, não vejo a menor utilidade nesse raciocínio absurdo do Pax: será que ele acha, mesmo, que, até aqui, algum partido venceria as eleições sozinho? Se o Pax acha isso, ele fica nos devendo dizer que partido foi esse, que só ele sabe que existe.

    Se, caindo na real, ele finalmente descobre o óbvio, ou seja, que os partidos brasileiros só conseguem chegar ao poder se for em aliança com outros, então ele está qualificado a passar para o nível seguinte do bê-a-bá…

    …Que é: no caso do PT, qual o partido ou os partidos a quem o PT deveria se aliar, para vencer o PSDB numa disputa eleitoral? Seria o PSOL, que não tem votos pra eleger um único deputado federal, e que só teve um senador porque este foi “eleito” como SUPLENTE de uma candidata petista, e porque, na época, o suplente também era petista (em 2010, esse “senador” do PSOL não conseguiu se eleger nem deputado estadual…). Seria o PSTU?

    Resta quem?

    Aí ficamos assim: tem que fazer aliança, claro, desde que não seja com o PMDB, com o PL, com o PP…

    Dá pra levar a sério esse papo?

    Há um tempo atrás, o Pax chegou a falar numa aliança do PT com o PSDB, tendo emvista a afinidade político-ideológica entre ambos.

    Ora, o PSDB é o ADVERSÁRIO PREFERENCIAL do PT, e vice-versa. Se PT e PSDB se aliarem, imediatamente a oposição se deslocará pra extrema direita. E, no Brasil, extrema direita significa instabilidade institucional e golpismo.

    Essa aliança seria uma besteira tão grande que eu duvido que seja cometida pelas cobras criadas tucanas ou petelhas.

    Se existe algo que esse pessoal aprendeu a fazer na vida, com certeza esse algo se chama “política”.

    No nível de balbúrdia estrutural em que o Brasil se encontra, o fato da situação e da oposição serem hegemonizadas por correntes moderadas, não-extremistas, constitui o principal fator de estabilidade institucional, ou seja, de permanência do processo democrático (com uma outra estrutura institucional, a história seria outra, daí a importância de uma reforma política, do Judiciário, etc).

    As evidências são tantas, e tamanhas, que surpreende não sejam notadas por quem se dedica a observar e analisar o processo político.

    Caraca!

  42. Zbigniew said

    Elias,
    as pessoas estão cansadas dessa forma de fazer política. Só isso. Obviamente que a lógica das alianças se impõe, até porque o nosso sistema se apoia nelas. Mas cansa. Tudo isso cansa.

    Tudo é esquema. Em tudo alguém tem que sair ganhando e outro perdendo. De ordinário a sociedade como um todo, e principalmente os cidadãos que só esperam do Estado um serviço digno e proporcional ao que deles é exigido na forma de impostos.

    Tudo bem. Temos maus exemplos da própria população que degenera costumes, vota em quem não devia e etc., mas muito dessa degenerescência também se dá pela ausência do Estado ou sua ineficiência.

    A par dos esforços para melhorar a educação do povo, precisamos de um modelo diferente, de uma mudança no sistema político, que altere essa lógica de alianças que leva ao loteamento do poder.

    Muito apropriado o que disse o Ministro do STF, o Sr. Luiz Roberto Barroso, em algumas considerações sobre o julgamento da AP 470:

    “A sociedade brasileira está exausta da prática política no país. A catarse representada pelo julgamento da AP 470 é um dos muitos sinais visíveis desta fadiga institucional. Significou a condenação de um modelo politico, aqui incluído o sistema eleitoral e o sistema partidário. A inquietação social p qual tem passado o Brasil nos últimos meses se deve em parte relevante à incapacidade da politica institucional de vocalizar os anseios da sociedade.

    As principais características negativas do modelo político brasileiro são: ¹O papel central do dinheiro, como consequência do custo astronômico das campanhas; ²A irrelevância programática dos partidos, que funcionam como rótulos para candidaturas, bem como para obtenção de recursos do fundo partidário e o uso do tempo de televisão; e ³Um sistema eleitoral e partidário que dificulta a formação de maiorias políticas estáveis, impondo negociações caso a caso a cada votação importante no congresso nacional.

    Nada do que eu estou dizendo é novidade ou desconhecido. Por ocasião da minha Na sabatina tive oportunidade de conversar com as principais lideranças do congresso nacional quando pude constatar que esta percepção é geral, transpartidária. Tome se um exemplo emblemático: uma campanha para deputado federal, em alguns estados, custa, em avaliação modesta, 4 milhões de reais. O limite máximo de remuneração no serviço público é um pouco inferior a 20 mil líquidos, de modo que em 4 anos de mandado, em 48 meses o máximo que um deputado pode ganhar é inferior a um milhão de reais. Basta fazer a conta para descobrir a onde está o problema. Com esses números não há como a politica viver estritamente sob o signo do interesse publico. Ela se transforma em um negócio. Uma busca voraz por recursos públicos e privados.
    (…)”

    http://www.advivo.com.br/blog/luisnassif/barroso-e-os-problemas-do-modelo-politico-brasileiro

  43. Elias said

    Zbigniew,

    Lamento, mas não consigo ver sinais inequívocos de que “a sociedade está exausta” com o modo brasileiro de fazer política.

    Se é assim, então por que essa mesma sociedade prefere votar maciçamente, exatamente nas figuras mais representativas desse modo de fazer política? Por que são exatamente esses os políticos mais votados?

    Só pode ser porque esse “cansaço” não está, assim, tão generalizado, certo?

    Ele é mais típico de uma elite cultural. E, mesmo nessa elite, o tal cansaço existe mais da boca pra fora… Só no discurso. Na hora do vamos ver, ou seja, na hora de mexer nas estruturas, vê-se que boa parte dessa elite mal sabe o que não quer e não tem a menor idéia do que quer.

    Faça uma enquete sobre reforma política. A maior parte das pessoas que se diz “exausta” com o modo brasileiro de fazer política, não consegue falar 5 minutos sobre as propostas de reforma política.

    Lembra de algumas frases feitas no passado recente, tipo “esse governo que aí está”? Era uma maneira simples e fácil de fingir que estava dizendo tudo, sem, na verdade, dizer nada.

    É o mesmo que acontece com “a sociedade brasileira está exausta”…

    É o mesmo que dizer que as coligações são necessárias, indispensáveis, mas não se pode coligar com o PMDB, com o PP, com o PL, com o…

    Então tá!

    Eu ia propor coligação com o PCPCP (Partido Comunista Pra Caralho de Portugal). Infelizmente, todos os dirigentes e militantes desse partido morreram num acidente de trânsito, quando a Kombi que transportava todo o ativo do PCPCP para uma reunião clandestina, se chocou com a traseira de uma carreta, em alta velocidade. É que o motorista da Kombi, seguindo estritamente as normas de segurança, dirigia de olhos vendados…

  44. Jose Mario HRP said

    Trensalão!
    A Rou ba lheira de Bilhão!
    UAU!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

  45. Jose Mario HRP said

    O FUXXXXXXX, recebendooooooooooooooooo sem trabalhar!!!!!!!!!!!!!!!!!

    http://saraiva13.blogspot.com.br/2013/08/luiz-fux-mata-dinheiro-publico-no-peito.html

  46. Zbigniew said

    Êita, Barbosão véi de guerra. Um cidadão desses a presidir a mais alta corte do país. Estamos fritos e mal pagos.

  47. Pax said

    Associado, caro Zbigniew, com essa análise aqui:

    http://josiasdesouza.blogosfera.uol.com.br/2013/08/16/nao-e-pelo-bispo-rodrigues-que-lewandowski-diverge-de-barbosa-mas-por-dirceu-e-delubio/

    e se realmente houve o erro de datas, se o tribunal se equivocou, digamos assim, qual o problema de corrigir?

    Confesso que fiquei incomodado. Mas…

    À época a mídia tinha JB como um novo Collor, um salvador. Hoje em dia não me parece que temos uma mídia unânime neste sentido.

    Aguardemos o andar do coche onde vão 4 cavalos à frente … acompanhemos.

  48. Zbigniew said

    Pois é, caro Pax. Mas o Josias inverteu as coisas. Para ele o Lewandowski aderiu para aliviar pro Dirceu. Mesmo que o Ministro tenha razão. Ou seja, o ambiente está envenenado pelas razões jurídicas corretas. É a velha mídia transformando o STF num mero chancelador de seus desejos, e ái de quem agir de outra forma. O Lewandowski está só nessa empreitada. Vamos ver como se portam o Barroso e o Zavaski porque os demais já enfiaram o rabinho entre as pernas há muito tempo.

  49. Jose Mario HRP said

    Um Idi Amin Dadá presidindo o STF, e por trás Carmem TSE Serasa Experien e Gilmar Dantas!
    Ópera bufa é pouco!
    Simulacro de processo e tribunal!

  50. Jose Mario HRP said

    Muito ruim mesmo:
    por Fernando Brito, no Tijolaço

    Quem conhece um pouco sobre as vaidades humanas e o que ocorre com os relacionamentos profissionais ou pessoais depois que eles chegam ao ponto de ruptura vai entender o que digo.

    Não vai acabar bem o Ministro Joaquim Barbosa na condução dos trabalhos do Supremo Tribunal Federal.

    Por um nada, já havia engrossado ontem com o Ministro José Tófoli.

    Hoje, engrossou com o decano da Corte, Celso de Mello e insultou o Ministro Ricardo Levandowski.

    Celso de Mello – Os argumentos são ponderáveis. Talvez pudéssemos encerrar essa sessão e retomar na quarta-feira. Poderíamos retomar a partir deste ponto específico para que o tribunal possa dar uma resposta que seja compatível com o entendimento de todos. A mim me parece que isso não retardaria o julgamento, ao contrário, permitiria um momento de reflexão por parte de todos nós. Essa é uma questão delicada.

    Barbosa – Eu não acho nada ponderável. Acho que ministro Lewandowski está rediscutindo totalmente o ponto. Esta ponderação…

    Lewandowski – É irrazoável? Eu não estou entendendo…

    Barbosa – Vossa Excelência está querendo simplesmente reabrir uma discussão…

    Lewandowski – Não, estou querendo fazer justiça!

    Barbosa – Vossa Excelência compôs um voto e agora mudou de ideia.

    Lewandowski – Para que servem os embargos?

    Barbosa – Não servem para isso, ministro. Para arrependimento. Não servem!

    Lewandowski – Então, é melhor não julgarmos mais nada. Se não podemos rever eventuais equívocos praticados, eu sinceramente…

    Barbosa – Peça vista em mesa!

    Celso de Mello – Eu ponderaria ao eminente presidente talvez conviesse encerrar trabalhos e vamos retomá-los na quarta-feira começando especificamente por esse ponto. Isso não vai retardar…

    Barbosa – Já retardou. Poderíamos ter terminado esse tópico às 15 para cinco horas…

    Lewandowski – Mas, presidente, estamos com pressa do quê? Nós queremos fazer Justiça.

    Barbosa – Pra fazer nosso trabalho! E não chicana, ministro!

    Lewandowski – Vossa Excelência está dizendo que eu estou fazendo chicana? Eu peço que Vossa Excelência se retrate imediatamente.

    Barbosa – Eu não vou me retratar, ministro. Ora!

    Lewandowski – Vossa Excelência tem obrigação! Como presidente da Casa, está acusando um ministro, que é um par de Vossa Excelência, de fazer chicana. Eu não admito isso!

    Barbosa – Vossa Excelência votou num sentido, numa votação unânime…

    Lewandowski – Eu estou trazendo um argumento apoiado em fatos, em doutrina. Eu não estou brincando. Vossa Excelência está dizendo que eu estou brincando? Eu não admito isso!

    Barbosa – Faça a leitura que Vossa Excelência quiser.

    Lewandowski – Vossa Excelência preside uma Casa de tradição multicentenária…

    Barbosa – Que Vossa Excelência não respeita!

    Lewandowski – Eu?

    Barbosa – Quem não respeita é Vossa Excelência.

    Lewandowski – Eu estou trazendo votos fundamentados…

    Barbosa – Está encerrada a sessão!

    O jornal O Globo narra que se ouviu, na antessala a discussão seguir, com os termos “palhaçada” (certamente dito Barbosa) e “respeito” (pedido por Levandowski).

    No site Consultor Jurídico, diz-se que lá, quase chegou-se às vias de fato.

    Notem que isso aconteceu na primeira possível – possível! – divergência de interpretação nos embargos de declaração. A coisa ainda está longe de chegar aos pontos mais polêmico: os embargos infringentes que, se aceitos – o que JB tentará impedir – implicam numa reavaliação do julgado, o que não ocorre agora, quando se examina apenas uma questão de interpretação adequada da aplicação da lei.

    Joaquim Barbosa parece explosivo, voltando a apresentar as contorsões posturais de antes, o que todos achavam, depois dos momentos de lazer que ele, com todo o direito, gozou .

    Se o seu comportamento pessoal, depois das revelações sobre empresa offshore montada para driblar impostos na compra de um apartamento em Miami, já não demonstrava equilíbrio, repeti-lo na condução da mais alta corte do país é catastrófico.

    Os ministros, a esta altura, devem estar ser perguntando como poderão conviver com um presidente da corte que não os respeita em suas ponderações e votos, não se sabe se por um desequilíbrio verdadeiro ou se pela ânsia de aparecer como uma espécie de Charles Bronson jurídico, à procura de uma imagem pública de justiceiro.

  51. Pax said

    Veja, caro Zbigniew,

    Nesta questão não estou emitindo opinião. Pelo noticiário, que abafou de certa forma o noticiário do propinoduto tucano, o que se passa à opinião pública é que Lewandowski estaria plantando aqui para colher acolá.

    Só que já faz tempo, bastante, que não aceito a opinião da mídia, mesmo que esta opinião seja de forma velada, olhando as notícias pelo prisma que ela bem quer.

    O que entendo ser importante é que haja lei e que esta lei seja cumprida. E quem tem a atribuição final de dizer se algo é legal ou não é a suprema corte. O nosso STF.

    Pouco me importa se Lewandowski ou Barbosa tenham mau hálito, fratulência, bom ou mau humor etc. O que me importa é que cumpram o papel que a sociedade paga para que eles exerçam, a tal história de ser a última corte, a mais alta, do Brasil.

    Se há questionamento, que ele seja debatido, se há confusão de datas e vigência de alguma lei, que seja debatido, que o plenário chegue numa conclusão etc etc. É o óbvio do óbvio.

    E, claro, agora sim uma opinião, esses chiliques não fazem bem algum à instituição. Qualquer que seja. Muito ao contrário. Fica exposto que nossa suprema corte, nas questões pessoais, coloca à frente questões que são diferentes das que estão sob sua responsabilidade, questões pessoais, egos, alteregos, superergos e hipermegaegos.

    Que é um saco e gera insegurança institucional ao país.

    Data venia, os senhores ministros bem que poderiam ajoelhar no milho pra aprender como se comportar à mesa, digo, ao plenário televisionado da nossa suprema corte que mais parece, em certos momentos, rinha de galo ou tatame de judô, ou mesmo um combate de UFC.

    Coisa mais inapropriada…

  52. Jose Mario HRP said

    Uma dica do que pode estar por vir no STF:

    http://www.estadao.com.br/noticias/impresso,senado-ja-teve-ate-assassinato-em-plenario,50899,0.htm

  53. Jose Mario HRP said

    Mais que a palhaçada do moralista JB, no STF, o que causa espécie e vergonha nos nossos apregoadores da moral e dos bons costumes, é a falta de ação destes mesmos, quando se clama por investigação e punição contra essa coisa de off shore, sonegação de impostos, salários pagos a juizes/ministros que não trabalham em universidades públicas!
    Nada é apurado, nada se diz, num silencio corrupto e omisso!
    Nos EUA, Joaquim Barbosa já estaria ou preso ou defenestrado!
    Mas aqui, os amigos, os da cor e os demagogos o toleram, ou o usam, ou o que?

  54. Zbigniew said

    Você acha que a lei foi cumprida, Pax? Você acha que o STF é infalível? E aqui nem entro no mérito de se ocorreu ou não o chamado mensalão. Estou entrando no mérito das questões jurídicas, dos subjetivismos que influenciaram na convicção da corte, mas muito pela pressão da velha mídia. Acredite, o Poder Judiciário é o mais propenso ao conflito de egos, principalmente por ser um Poder ritualístico, extremamente formal e hermético justamente por esta natureza complexa governada por normas codificadas em regras que muitas vezes os próprios iniciados e operadores não entendem (ou preferem não entender). Muitas vezes falta-lhe sobriedade e transparência. É o que estamos testemunhando, agora.

    Os holofotes, nesta cortes, são mais do que bem vindos, são desejados, o que deveria ser exatamente o contrário. De outro lado, os demais Ministros e Ministras se encolhem, se acovardaram, agindo como se não fosse com eles. Mas é. Um colegiado é um todo, com suas divergências e alinhamentos. Quanto mais um colegiado como o STF? Última instância das causas do país (e não só as de caráter constitucional).

    Esse julgamento virou uma questão pessoal para o Barbosa, e um ponto sem volta para a imprensa e oposição. Ele colocou o ego (e isso veio bem a calhar para certos interesses) acima do direito. E elegeu principalmente o Lewandowski (esse por ser o revisor da Ação Penal) como o empecilho a ser extirpado do julgamento. Para isso conta com o “entusiasmo e zelo” da velha mídia. Não vai sossegar enquanto não colocar atrás das grades o José Dirceu, custe o que custar. Esse é o ponto. E você pensa que os demais têm como principal preocupação a correta aplicação do direito? Pra quem entendeu que a lei penal deve retroagir para prejudicar e não admite discussão, e os demais calados, ouvindo o Presidente da mais alta Corte do país achincalhar um seu par porque discorda de seu voto? Para quem aceitou passivamente a aplicação da Teoria do Domínio do Fato, originária de um tribunal de exceção aplicado a réus nazistas, jurisprudência essa que foi criada para ser assacada a qualquer momento, dependendo exclusivamente de questões de ordem política? Acredite, estão longe disso.

  55. Pax said

    Caro Zbigniew,

    Minhas opiniões sobre o julgamento da 470 já foram, à época. Estou discutindo a questão colocada, a tal da data, a alteração que majora a pena de tal crime, quando o crime foi cometido etc.

    Nesta questão que espero que o plenário do STF se atenha e tome uma decisão equilibrada.

    É a questão que você mesmo trouxe no comentário #46 acima.

  56. Zbigniew said

    Pois é. Difícil acreditar numa decisão equilibrada de uma Corte cujo Presidente cassa o voto de um par, e da forma como cassou, num embargo de declaração que tem como objetivo aclarar e, se necessário, modificar o entendimento do Colegiado.

    Aliás, o novelo é um pouco mais intrincado. Seria de se perguntar ao Barbosão sobre o Inquério 2474 que, entre outras coisas pode guardar no seu bojo segredos como:

    * documentos que mostrariam que a DNA propaganda, de Marcos Valério, teria pago à empresa Tom Brasil, com recursos da Visanet, R$ 2,5 milhões. Em 2010, a Tom Brasil contratou Felipe Barbosa, filho de Joaquim Barbosa, para assessor de imprensa da casa de shows Vivo, no Rio de Janeiro, revelaram a Rede Brasil Atual e O Cafezinho, de Miguel do Rosário. Mais recentemente Felipe foi contratado para trabalhar no programa de Luciano Huck, na Globo.

    * Lá também estaria o documento que demonstraria que o Banco Rural, cujos ex-diretores foram condenados por fazer empréstimos ao Partido dos Trabalhadores (PT), teria feito empréstimo semelhante à Globo.

    * Abrigaria o laudo 2828/2006 da Polícia Federal que contradiz a denúncia apresentada ao STF pelo então procurador-geral da República, Antônio Fernando de Souza, e aceita por Barbosa, contra alguns dos 40 denunciados no mensalão.

    * Novas provas produzidas pela PF e anexadas ao inquérito 2474 refutariam a denúncia contra os “40 mensaleiros” sobre fatos que constariam da AP 470.

    * O banqueiro Daniel Dantas, do Oportunity, seria um dos investigados no inquérito 2474

    (dados retirados do sítio http://www.viomundo.com.br/denuncias/joaquim-barbosa-e-antonio-fernando-de-souza-faltaram-com-a-verdade.html).

    Talvez por isso o nervosismo do Barbosão, louco pra terminar logo o julgamento do mensalão. Bem, pro momento são só suposições, mas podem vir a se tornar certezas.

  57. Olá!

    O José Mario HRP escreveu:

    Um Idi Amin Dadá presidindo o STF, e por trás Carmem TSE Serasa Experien e Gilmar Dantas!
    Ópera bufa é pouco!
    Simulacro de processo e tribunal!”

    Comparar um cidadão negro, que nunca causou malefício algum a quem quer que fosse, a um dos mais sangrentos, genocidas e brutais ditadores da África é permitido, produção?

    Por muito, mas muito menos mesmo, a Michelle foi posta de “molho” pelo Pax:

    “O Carlão/Michelle/ etc está de molho. Resolveu adotar outras personalidades para suas barbaridades e decidi que passa a ser moderada. Só vou liberar se tiver alguma coisa a dizer adotando uma única personalidade. No meu julgamento, neste blog, passa a ser tratado como troll. Se quiser reclamar que reclame no blog do titio, o democrata.”

    Essa é uma das melhores maneiras para se conhecer as verdadeiras cores de uma pessoa: Confrontá-la com os parâmetros e valores que embasam as escolhas que ela própria faz.

    Essa comparação do ministro Joaquim Barbosa com o genocida racista Idi Amin Dada não é nova, pois petistas/esquerdistas/governistas vêm fazendo isso desde o ano passado, quando iniciou-se o julgamento do Mensalão no STF. Algumas amostras disso podem ser vistas aqui e aqui.

    Pelos parâmetros e valores do Pax, fazer comentários ignóbeis como os da Michelle não pode, mas comparar um negro inocente a um dos tiranos mais brutais e genocidas deste mundo não tem problema.

    Até!

    Marcelo

  58. Olá!

    Pessoal, assim como ele fez na semana passada, o jornalista Diego Escosteguy, na sua conta no Twitter, deu um #FF nas seguintes entidades:

    Mendes Júnior
    UTC Engenharia
    Andrade Gutierrez
    Odebrecht
    PT Brasil
    Blog do Zé “Mensaleiro” Dirceu
    PMDB do Rio de Janeiro
    Caixa Econômica Federal
    Petrobras
    PMDB Nacional

    Na semana passada ele fez o mesmo e, logo em seguida, saiu aquela matéria-bomba na Época mostrando as falcatruas e roubalheiras na Petrobras. É esperar, pois deve haver mais coisa nisso aí.

    Até!

    Marcelo

  59. Jose Mario HRP said

    Problemas na fábrica, e lá vai o “stand by”!
    Marcelo, ditadores não tem cores, arrogantes idem e fascistas e direitistas mais idem ainda!
    Seu lobby tem adeptos…….persevere , um dia serás vitorioso, quem sabe naquele mundo maravilhoso, tão bem descrito por Dante Alighiere!

  60. Jose Mario HRP said

    Em tempo:
    Como não comparar coisas muito parecidas?
    Berllusconi e Mussolini?
    Zé Dirceu , Gabeira e Heloisa Helena!
    Marcelo, Michele e Edu!
    O Pax é o dono, ele é quem decide…….

  61. Jose Mario HRP said

    Querido Marcelo, aqui as atividades paralelas do bom JB e de Fux…..por muito menos eu estaria preso!

    http://saraiva13.blogspot.com.br/2013/08/maracutaia-luiz-fux-recebe-da-uerj-sem.html

  62. Pax said

    Caro Marcelo Augusto,

    O Carlão/Michelle/etc está não está impedido(a) de postar. Está moderado. Isso quer dizer que seus comentários – que deixaram de existir – são lidos e aprovados por mim antecipadamente. Um tipo de censura, sim. Chato, pra caramba. Tem 5 comentários parados e não liberados. Todos do Carlão/Michelle/etc.

    Três deles fazendo referência à minha família, que não tem nada com nada com este blog. Minha mãe, uma das citadas nestes comentário bloqueados, nem mesmo sabe que este espaço existe.

    Os outros dois bloqueados são de personalidades ainda diferentes de Carlão/Michelle, mas que são do mesmíssimo endereço, tentando se passar por outrém.

    E entendo que é um direito meu, sim, bloquear. Primeiro porque minha família, como disse, não tem que ser ofendida, não há nenhuma necessidade de fazê-lo, não há qualquer valor agregado neste forum de discussão e isso me parece bastante lógico. Segundo porque cada um assume a personalidade que quiser por aqui, fala o que quiser, mas entendo, direito meu, que tentar múltiplas personalidades confundem a discussão.

    Você mesmo, caro Marcelo, em rompantes mais juvenis, é useiro e vezeiro em me ofender. Não lembro de ter bloqueado teus comentários, nem mesmo estes mais agressivos.

    Você mesmo, caro Marcelo, se julga no direito de dizer que este ou aquele caso de corrupção brasileira é o “maior atentado…”, “maior escândalo…” etc etc. Julga diuturnamente, ao menos expõe estes julgamentos e réguas que são tuas, direito totalmente teu de tê-los.

    E fala o que bem lhe dá à cabeça. De novo: não lembro de ter algum comentário teu bloqueado, e o software também não indica. Alguns ficam bloqueados por excesso de links que, assim que vejo, libero.

    Não precisava mesmo te responder, mas respondo por uma questão de criação, por entender que quem me ofende algum problema tem. Não é um problema meu, mas acredito, por uma questão de valores, que todos merecem resposta e atenção, quando a carência aparece. A mim não custa ser educado. Nunca custou.

  63. Jose Mario HRP said

    Finalmente:

    http://www.aereo.jor.br/2013/08/15/r-11-bi-para-o-espaco/

  64. Elias said

    Por falar em Petrobrás, deu no noticiário de hoje da ADVFN:

    “A Petrobras (PETR4) apresenta duas boas notícias aos investidores neste início de semana. A primeira é o anúncio da venda de ativos no valor total de US$ 2,1 bilhões. A companhia vendeu a Petroquímica Innova por R$ 870 milhões, 35% de participação no bloco conhecido como Parque das Conchas, na Bacia de Campos, ao Grupo Sinochem, pelo valor de US$ 1,54 bilhões, anunciou o farm-out no valor de US$ 185 milhões, referentes à totalidade da participação da Petrobras em blocos localizados no Golfo do México, EUA, e vendeu 20% do capital votante da Companhia Energética Potiguar pelo valor total de R$ 38 milhões. A segunda boa notícia vem na confirmação da descoberta de óleo leve e gás na área de Muriú na Bacia de Sergipe.”

    Antes disso, no 1º semestre de 2013, o petrossauro bateu por 3 vezes o próprio recorde de produção e encerrou o semestre com uma elevação do lucro líquido de mais de 77% em relação a 2012.

    Conclusão: é preciso desencavar tudo o que se puder, sobre episódios de corrupção — verídicos ou fictícios — pra contrabalançar essas notícias. O pressuposto, evidentemente, é de que os investidores são todos uns bobinhos — coitadinhos… — e vão se deixar enrolar por isso.

  65. Elias said

    Zbigniew,

    Assim que puderes, dá uma olhada nesse link que o HRP postou no # 63.

    Sobretudo, lê com atenção os comentários do Edgar, sobre encriptação.

    Ele confirma o que eu ouvi dizer centenas de vezes, em um porradal de cursos, nos meus tempos de fardado: para o Brasil, tanto faz que o foguete seja lançado de Alcântara, do Alasca ou do Alabama. O satélite artificial é só uma espécie de “espelho”, que rebate as informações que a gente bombardeia nele.

    O nó da questão não está lá em cima, e sim cá embaixo… O quê, com quê e como se manda lá pro alto…

    Mesmo do ponto de vista militar, a tecnologia AES, que não é nova, segura a barra com tranquilidade (é usada até hoje pelos EUA). Simples e segura. Os computadores da NASA, da CIA, da ABIN e do escambal a quatro, trabalhando todos juntos, colaborativamente, levariam centenas de anos — há quem diga milhares de anos… — pra decifrar uma única mensagem encriptada com o uso da AES.

    Vai daí que, do ponto de vista do domínio das informações, é irrelevante que o satélite pertença a tal ou qual país.

    Menos relevante, ainda, a localização da base de lançamento…

    Agora, se o país não tem o domínio da tecnologia de encriptação — como parece ser o caso do Brasil — aí, sim, há problemas… E de bom tamanho!

    Mas isso não se resolve com bases de lançamento, em Alcântara ou seja lá onde for.

    Isso se resolve com coisas do tipo: boas universidades; bons cursos de pós graduação na área tecnológica; bons centros tecnológicos… Por aí…

  66. Elias said

    Parece que a frota de helicópteros de SP já é maior que a de Nova York e Tóquio.

    Alguns jornais dizem que a frota de helicópteros de NY é “quatro vezes menor” que a de SP. (“Quatro vezes menor”? Não dá! “Quatro vezes maior”, sem problema, mas, “quatro vezes menor”, não dá nem tufando a veia jugular (João Goulart). “Uma vez menor”, já é zero. Se a frota de SP tem 411 helicópteros, então “duas vezes menor” daria -822 helicópteros. “Quatro mezes menor”: -1.644 helicópteros. Algo materialmente impossível no mundo das coisas reais, mas super frequente nos textos da imprensa brasileira. Talvez fosse bom que os jornalistas fizessem um cursinho básico de aritmética, números relativos, etc. Aí — quem sabe? — em vez de dizer “quatro vezes menor”, eles passariam a dizer “a quarta parte”, ou “a frota de NY corresponde a 25% da frota de SP”, ou “a frota de SP é quatro vezes MAIOR que a de NY”. A informação estaria mais correta).

    Tem gente achando que isso (a quantidade de helicópteros, não a construção frasal amalucada) se deve à pujança econômica de SP.

    Sei não… Acho que isso tem mais a ver com a bagunça do trânsito em SP…

  67. Elias said

    “Quatro mezes menor”, NÃO. “Quatro VEZES menor”:

    Putz!

  68. Zbigniew said

    Elias,
    gosto do sítio indicado pelo HRP.
    Ele faz parte de uma boa trilogia que se completa com Poder Naval e Defesanet. As matérias são muito interessantes e os comentários (técnicos) muito bons também.
    A par dos conhecimentos técnicos dos comentaristas, em sua são maioria ideológicos semelhantes àqueles parecem leitores exclusivos da Veja. No estilo mais pueril. No mais, muito bom, vale a pena ler.

    Bem, programas especiais requerem organização e disciplina com a coisa pública o que remete a boas parecerias com a iniciativa privada e universidades. Sem seriedade não se faz nada. Programa espacial é tecnologia de ponta. Se não temos suficiente para a construção de satélites ou de vetores transportadores, temos que desenvolvê-las.

    Sou partidário que um grande país começa com grandes projetos e pessoas que estejam dispostas a bancá-las. Essa do programa espacial é um deles. Não só no que se refere a satélites, mas toda uma cadeia de produtos de altíssima tecnologia que ajudariam a colocar o país num outro patamar. Temos uma vantagem comparativa (logicamente se soubéssemos pelo menos enviar satélites ao espaço. Nem tanto fabricá-los, mas por que não?!) que se reflete na questão da economia de combustível, em virtude da proximidade com a linha do equador.

    Infelizmente com a desconstrução e criminalização da política no país adotamos uma postura de que não podemos e não devemos nos intrometer em determinados nichos de tecnologia (uma das diversas manifestações do nosso conhecido “complexo de vira-latas”), ora porque somos ineptos, ora porque somos corruptos, o que vem bem a calhar com outros interesses contrários ao país se desenvolver nesta seara. Parece que esse comportamento não é novo. É só lembrarmos do surgimento da Petrobrás e de toda a campanha que foi desenvolvida para que não entrássemos nesta indústria. Getúlio bancou a criação da estatal com a campanha “O Petróleo é Nosso”, a contragosto das sete irmãs. Taí a Petrobrás, o pré-sal, a indústria naval e tudo o mais.

    Elias, só um adendo pitoresco. Parece que o Brasil é vocacionado para as coisas do espaço. Lembro-me de um fato interessantíssimo que ocorreu aí pelas bandas do Pará. Deu até globo repórter. O caso da Operação Prato organizada em 1977 na cidade de Colares. Há citação dele nos documentos recentemente liberados pela FAB sobre o assunto, conhecidos como Arquivos X. Muito interessante. Parece que até os ETs nos prestigiam.

  69. Patriarca da Paciência said

    Caros colegas, houve uma queda de energia com meu pc ligado e tive que manda-lo para manutencao. Nao me adapto ao notebook, mas espero voltar a fazer parte da confraria logo. Meu pc chega hoje. Grande abraco a todos.

  70. Elias said

    Zbigniew,

    I
    Quanto a mim, até mesmo por uma questão de formação, nem tenho dúvida: entre ficar disparando foguetinhos vagabundos de Alcântara e investir pesado em tecnologia da informação, prefiro, mil vezes a segunda hipótese. Já que não dá pra fazer tudo ao mesmo tempo, prefiro a alternativa com maior potencial de retorno.

    Temos que ter prioridades, e, como se sabe, prioridade é escolha e renúncia. Onde tudo é prioridade, nada é prioritário.

    II
    Fui muitas vezes a Colares. É uma ilha que fica a pouco mais de 100 metros do litoral. A gente mete o carro na balsa, ela desatraca, gira 180 graus e… Já está atracando pro desembarque…

    Não sei que diabos os diabos dos ETs dos anos 1970 poderiam estar procurando em Colares…

    Acho que o comandante da nave espacial, sacando tudo, disse à sua tripulação: “Cês tão vendo essa praia linda e esses riachos de águas límpidas correndo por cima dessa areia branca? Pois é… Daqui a 30 anos esse povinho bunda vai fu… com tudo! Vai estar tudo ferrado, poluído, merdado e fedorento… Querem apostar?”

    O subcomandante ET encarou a aposta, casando contra o povinho bunda: “30 anos? Com esse povinho bunda, bronco e jeca, essa bosta vai ser transformada em pura bosta em menos de 20 anos…”, disse o subcomandante com cara de verme, careca e desdentado, para o comandante desdentado, careca e com cara de verme.

    Aí os dois apostaram. Desceram, capturaram alguns espécimes coletaram sangue e implantaram alguns chips indetectáveis pela tecnologia dessa espécie bunda, bronca e jeca, pra monitorar tudo lá da casa do cacete, de onde eles vieram e pra onde voltaram.

    E quanto à aposta, o subcomandante ganhou fácil… E olha que a murraça ainda nem começou a ocupar a ilha conforme os costumes! Primeiro, as hordas desse povinho bunda, bronco e jeca estão acabando de ferrar com Mosqueiro, Salinópolis e Marudá.

    Ou seja: a situação de Colares ainda vai piorar…

  71. Zbigniew said

    Que é isso, caro Elias!
    Não desvalorize os paraenses. Povo bom, estado cheio de riquezas. Tem lá seus problemas, mas quem não os têm? Veja sampa! Outrora imaculada e cheia de virtudes às voltas com notícias de mesadas pagas há tanto tempo. Uma tristeza.

    Sinceramente, sou partidário da idéia de que os ETs enxergaram grandes potencialidades na área, e não estou falando apenas das células extraídas das mamas das paraenses.

    Quanto ao programa espacial brasileiro, tenho só a lamentar o seu não desenvolvimento. Centros tecnológicos são importantes, mas seriam parte da cadeia dessa indústria com as universidades e a iniciativa privada, assim como o são em relação a outras. Neste aspecto a presença do Estado é necessária, como ocorre, mal comparando, com a indústria petrolífera. Torço para que o país volte a investir nesta área.

  72. Pax said

    o mesmo que acontece em Mosqueiros (um lugar antes lindo, conheci faz uns 30 anos), Salinópolis e Marudá é exatamente o que acontece do Oiapoque ao Chuí

    não existe plano diretor, não existe educação, o lixo toma conta, a politicagem rouba tudo, não tem escola, hospital e esgoto que funcione bem, a bandidagem assume, o povo fica calado, o lugar vira um lixo

    dá até para morar ou visitar, ou ter casa de praia, se você construir uma prisão, e entrar dentro dela, correndo o risco de ser assaltado quando for comprar pão na esquina

    este é o Brasil que estamos construindo

    enquanto Renan Calheiros gasta R$ 78 mil para comprar um freezer e R$ 420 reais para guardanapos de pano para a casa dele, o Senado, que não é mais do povo faz um bom tempo, aliás, nunca foi e nunca será, essa inutilidade pública

  73. Elias said

    Zbigniew,

    Quando me referi ao “povinho bunda, bronco e jeca”, não estava me referindo exclusivamente aos paraenses (embora TAMBÉM, né?).

    Até porque “paraense” é minoria, mesmo no Pará. Isto aqui é terra de fronteira, cheia de gente de outros lugares, para o bem ou para o mal (infelizmente mais para o mal…).

    Casa de praia/prisão, Pax? Sei como é que é… Tenho uma.

    Aliás, o pessoal agora não arromba mais portas e janelas, todas gradeadas. Os ladrões agora arrombam paredes. Na casa de um amigo meu eles simplesmente botaram abaixo uma parte da parede… Aí fizeram a mudança. A minha é num condomínio, com, vigilância 24 horas. Mas isso não impediu que eu, minha mulher, meus filhos menores, um cunhado meu e a mulher dele fôssemos assaltados em Salinópolis. Mais ou menos às 12h30m, com as pessoas passando de carro a menos de 100 metros.

    De qualquer modo, tendo sido assaltado, agora posso me considerar paraense pleno. Estava me sentindo um marciano, com décadas de vida, sem jamais ter sido assaltado. Já começava a me sentir inferiorizado diante das pessoas que eu conheço, todas com extensos históricos de assaltos. Agora não! Posso me declarar paranese. Aliás, no assalto, fui até ferido com uma carinhosa facada (foi só um furinho de nada, mas sangrou um pouco e, depois, ficou a cicatriz, que, agora, sempre mostro quando conto a MINHA história de assalto). Já mandei até uma carta de agradecimento ao governador Jatene, que, aliás, é meu vizinho em Belém. Afinal, graças à inoperância dele & equipe é que se tornam possíveis acontecimentos como o que me vitimou e à minha família.

    Mas minha carta ao governador também tem algumas críticas. Tão logo acabou o assalto, nós, os assaltados, no dirigimos ao posto de “segurança” da praia do Atalaia. Lá encontramos uma equipe de 3 PMs, que dispunham de uma moto. Um dos policiais ficou no posto de “segurança” porque, segundo ele disse, se o posto for deixado sem ninguém, ele certamente que será arrombado e roubado. Acreditei (como duvidar de tão singelo depoimento?). Os outros dois nos acompanharam ao local de assalto. Um deles pilotando a moto; o outro na garupa. Tão logo chegamos ao local, o PM que estava na garupa pulou no chão e se meteu, agachado, no matagal à margem da estrada. Dali a pouco ele voltou, todo sujo de terra. Perguntei? “O que foi isso?” Seu companheiro me explicou que ele estava “farejando rastros” dos assaltantes.

    Daí minha crítica ao governador. Esse episódio configura DESVIO DE FUNÇÃO! Aquele PM está desempenhando as funções que, de fato, devem ser desempenhadas pelos cachorros da instituição. Ora, se o soldado da PM agora tem que “farejar rastros”, então ele deve ser adestrado para esse fim. Deve receber o EPI adequado — como guia e coleira tipo enforcador — e ser acompanhado de seu instrutor, com uma sacola de biscoitinhos pra dar a ele, sempre que encontrar algum rastro, seguindo-se a expressão: “Bom menino!”

    No mais, nosso querido governador e vizinho está de parabéns: mais uma vez ele conseguiu provar que, no Brasil em geral, e no Pará em particular, nada é tão ruim que não possa ser piorado…

  74. Pax said

    faz pouco tempo esse teu “dissabor” caro Elias?

  75. Elias said

    Foi no ano passado, lá por setembro. Salinópolis (“al mare”, como ainda se diz por aqui).

  76. Patriarca da Paciência said

    Hoje recomeça o “julgamento do maior escândalo de corrupção da história”, segundo os reinaldos rola-bostas, os augustos boçais e os capitães mervais”. A verdade mesmo é que o dinheiro de caixa dois do PT equivale apenas a 10% de um único escândalo do PSDB, o caso do metrô. Se compararmos com as “privatizações” do governo FHC… a coisa vira simplesmente uma merreca.

    Mas o Barbosão, “o herói imaculado”, criador de empresas fantasmas para “levar vantagem” em compras de apartamento nos “Steites”, o cara que acha muito “natural” os jeitinhos para beneficiar o filho, etc.etc.etc. vai reaparecer com toda a sua canastrice.

    Sinceramente, eu ficarei muito decepcionado se o ministro Lewandowski “deixar por isso mesmo” e não levar o caso até as últimas consequências.

    A maioria das pessoas já está de saco mais que cheio com o Barbosão, principalmente os juízes.

    Hoje parece realmente um dia decisivo!

  77. Zbigniew said

    Em tempos de Copa do Mundo, estádios subsidiados, dinheiro público, nada como confrontarmos com exemplos de outros países, como, nos casos, com exemplos nos EUA. Não que se possa vangloriar de tais situações, mas é bom para nos situarmos e entendermos que, mesmo com porralouquismos barbosianos a comprovar que temos uma civilização extremamente problemática, de uma certa forma não estamos sós nesta empreitada.

    Tratam-se de casos referentes a construções de estádio em cidades estadunindenses, e das relações do poder público com a iniciativa privada. Vejam que interessante.

    “Mais uma vez começarei com o New York Yankees. O novo Yankee Stadium, inaugurado em 2009, foi o estádio mais caro do mundo na época, custando US$ 1,5 bilhão. Hoje ele é o segundo mais caro, já que em 2010 o Metlife Stadium custou US$ 1,6 bilhão. Porém o Metlife teve algo único: a divisão de custos pelos 2 times que o usam: o Giants e Jets, ambos da NFL.

    Houve um escândalo na época porque, por mais que o Yankees orgulhosamente anunciasse que ele estava construindo um estádio próprio com dinheiro próprio, todo o financiamento das obras no entorno do estádio foi financiado pela prefeitura de New York. Entre garagens, novas estações de trem e metro, o investimento foi superior a US$ 300 milhões.

    Só que as pessoas mais atentas perceberam que, especialmente no caso das garagens, a prefeitura iria financiar em incentivos fiscais um negócio privado que daria lucros apenas para o operador das garagens, que por sua vez deveria pagar uma taxa ao Yankees.”

    http://www.pedromigao.com.br/ourodetolo/2013/08/made-in-usa-estadios-com-dinheiro-publico-nos-eua-alguns-casos/

    e

    “Começaremos esta com uma história que está bastante ligada ao escândalo do Yankee Stadium: a do Citi Field, novo estádio do outro time de baseball de New York, o Mets. O que eu não havia contado é que em dezembro de 2001, quando o antigo prefeito de New York, Rudy Guiliani, estava de saída do cargo, ele havia capitulado a um antigo pedido de George Steinbrenner (dono do NY Yankees) e havia feito um acordo para construir dois novos estádios de baseball: um para o Yankees e outro para o Mets.

    Para quem não está ligando os marcos temporais, lembro que o atentado contra o World Trade Center ocorrera apenas dois meses antes e tais estádios fariam parte do plano de reposicionamento da imagem da cidade e da auto-estima de seus habitantes.

    Só que em 2002, quando o então novo prefeito Michael Bloomberg assumiu o posto (apoiado por Guiliani), o mesmo atacou publicamente o contrato, clamando que eram “subsídios desnecessários para times bem sucedidos em detrimento de programas sociais voltados aos pobres”.”

    http://www.pedromigao.com.br/ourodetolo/2013/08/made-in-usa-estadios-com-dinheiro-publico-nos-eua-alguns-casos-parte-ii/

    As matérias completas estão nos links. É só pra lembra que, lá como cá, existem sabujices.

  78. Elias said

    Patriarca,

    Há uma pá de tempo — desde a época do Weblog — venho dizendo que a Veja tem pava.

    É só a Veja elogiar alguém, que o(a) infeliz se ferra…

    Cada vez que a Veja publicou uma matéria especialmente elogiosa ao bicho Serra ou ao Alckmin, os dois despencaram nas pesquisas eleitorais.

    Em 2010, ela apelou pra ignorância (no caso, a ignorância dos leitores dela), e contratou aquele astrólogo amalucado, que predisse (e a Veja publicou), que, a partir de agosto daquele ano, as intenções de voto no Serra iriam subir rapidamente. Só que, ao contrário do que profetizou o pirado, Saturno estabeleceu conjunção carnal com a Lua, que engravidou e, julgando que o filho fosse do Serra — ou, pior: do Alckmin! — resolveu abortar. Ao se saber corno em sua relação extramarital, o candidato tucano ficou p… da vida, e acabou levando o imbroglio pra campanha, sob a forma de violentos pronunciamentos contra a interrupção voluntária da gravidez… Não deu outra: como “O Ébrio”, do velho musak de Vicente Celestino, Serra começou a campanha lá no alto… Aí foi caindo, caindo… Se a campanha fosse mais longa, ele acabaria vaiado no picadeiro de um circo…

    Continuando sua série de insucessos, a Veja arranjou um novo herói: o Demóstenes (é esse mesmo o nome do péssimo?), atendendo recomendação do patrão dele, o zooempresário e pauteiro da revista, Carlinhos Cachoeira, com o apoio dos diretores da Editora Abril, jornalistas Cara de Cavalo, Praga de Mãe e Coisa Ruim.

    Rápido como quem rouba, o Demóstenes rolou pelo duto do cagadouro…

    Como desgraça pouca é bobagem, a Veja cravou mais uma infelicidade na vida alheia: sua nova vítima é o Barbosão, que a urucubaca Civitta tentou vender ao país como novo exemplo de moralidade verde e amarela.

    Azar dele! Recapitulando o que já rolou sobre o azarado:

    1º: porrada na ex-mulher (que Barbosão conseguiu transformar em “agressão mutua”, provavelmente dizendo aos coleguinhas juízes que, embora batendo na ex-mulher — como “ex-mulher”? Ela virou homem? — da direita pra esquerda, ele também bateu da esquerda pra direita, com igual número de porradas e em igual intensidade, pra desempenar. Logo, uma série de porradas compensou a outra… Diante de tão judiciosa, serena e justa defesa, ele só poderia ser brasileiramente inocentado…).

    2º: abertura de empresa no exterior, pra driblar legislação tributária (imagina essa peça julgando um processo de sonegação…).

    3º: exercício do cargo de direção de empresa, atividade legalmente vedada a servidor público (punível com demissão, mas…).

    4º: uso ilegal do endereço do STF, como sede pra sua empresa tribugangsta (também punível com demissão, porém…).

    5º: adulteração de processo, com a retirada ilegal (via transferência para outro processo), de peças do mesmo, no caso, peças que vinculam o filho do Barbosão a indivíduos implicados no mensalão (mais um lance punível com demissão, todavia…).

    6º: acumulação ilícita de cargo público (ihhhh…. Vão parar com esse papo de demissão, aí?).

    Há anos que venho dizendo: a Veja tem pava!

  79. Patriarca da Paciência said

    É bem isso aí, Elias,

    é ótimo quando a Veja começa a elogiar um adversário!

    Acho mesmo que seria uma ótima idéia o Barbosão jogar a capa sobre a mesa do STF, proferir alguns afrontas, renunciar ao cargo e se candidatar a presidente da república, como andam profetizando vários jornalistas.

    Só que a disputa eleitoral ficaria meio sem grança, ou seja, ficaria fácil demais.

  80. Elias said

    Patriarca,
    O Barbosão só sai debaixo do guarda-chuva do STF se endoidar de vez ou se for demitido (o que fatalmente ocorreria se a casa, finalmente, começasse a cumprir as leis em vigor no país).

    Com o hangar de vidro que ele tem, basta que Barbosão ponha metade de um pé fora do STF, pra virar pó… Pra ser transformado no protozoário que infesta o intestino da mosca que sobrevoa o cocô do cavalo do cadáver do bandido…

    Pelo pouco que conheço dele, Zé Dirceu deve sonhar todos os dias com a candidatura de Barbosão a qualquer coisa: presidente, governador, senador ou o que diabos for… Seria um massacre…

    Por saber disso, Barbosa jamais vai correr o risco… Ele deixa que especulem com a candidatura dele porque isso o mantém sob os holofotes… E ele é fanático pelas luzes da boca de cena…

    Pode ser que, daqui a mais um tempo, apareça quem desafie o Barbosão a se candidatar. Se fizerem isso, ele vai ficar numa sinuca de bico: de um lado, ele não suportaria transmitir a imagem de quem se acovarda; de outro, ele sabe que a toga lhe cai como um indispensável manto protetor. Ele vai ficar desesperado.

    Resultado, vai minar processo do Barbosão em cima de um monte de gente…

  81. Jose Mario HRP said

    Brigam o polaco e o crioulo…………………..
    Mas, sabemos que o crioulo é a claque da direita, o outro, desembargador do TJ Paulista, para ser desembargador na Paulicéia, há que ter competencia!
    W a Semi direita ainda afaga o negro ” inteligente e capaz” e eficiente!
    Aos cuidados da Elite !!!!!!!!!!!!!!!!!!!

  82. Jose Mario HRP said

    Massacre com armas químicas na síria?
    Não!, segundo os militares sirios as crianças e velhos+ mulheres indefesas foram mortos a bala, portanto um massacre legítimo!
    KKKKKKKKKKKKKKKK……….
    É esse o mundo em que vivemos…………….

  83. Patriarca da Paciência said

    É Elias,

    era só torcida e eu sabia que era torcida. Realmente o Barbosão não é de todo maluco para abandonar o guarda-chuva do STF. Conheci um médico que dizia sempre, quando alguém lhe informava que alguém era doido: “o cara rasga dinheiro e come bosta? Se não faz isso, então não é de todo maluco!”.
    Confesso que fiquei um pouco decepcionado com o Lewandowski, mas tenho a impressão que todos os ministros andaram dando uma prensa no Barbosão e, de agora para a frente, ele vai apresentar um pouco mais de compostura.

  84. Patriarca da Paciência said

    “Colunista da Veja reforça discurso do ex-governador tucano, que pediu “igualdade de condições” para disputar prévias do PSDB para a Presidência de 2014. Para Reinaldo, já não houve igualdade por exemplo, no horário político do partido, monopolizado pelo mineiro, que é também presidente da legenda. Ele diz ainda que resultados do Datafolha não foram mais favoráveis ao ex-governador porque os cenários em que aparece compara ‘laranja com banana’, em referência ao presidente do STF, Joaquim Barbosa; alguma surpresa com o alistamento?”

    http://www.brasil247.com/pt/247/midiatech/112474/Reinaldo-o-primeiro-a-se-alistar-na-tropa-serrista.htm

    Viu aí, caro Elias, como a oposição anda mesmo a fim de facilitar o trabalho do PT?

    Pelo jeito o Serra vai acabar sendo candidato e arrebanhar a mesma tropa de sempre, ou seja, Malafaia, bispo de Guarulhos etc.etc.

    Ao que tudo indica, não vamos ter muitas emoções nas próximas eleições!

  85. Elias said

    Patriarca,
    Acho que, pra entender a conduta do Levandowski, é necessário lembrar um pouco do PSD mineiro de outrora, e do PT velho de guerra de há uns 20 anos.

    Tendo sido formado nas manhas das negociações sindicais, que, por seu turno, repetiam à exaustão as manobras e trejeitos das velhas raposas mineiras, de rabo felpudo, o PT acabou se especializando em reproduzir as espertezas do PSD das Alterosas.

    Numa disputa de cargos partidários, se alguém da corrente “A” queria rejeitar alguém da corrente “B”, começava o discurso fazendo elogios rasgados à vítima. Depois de encher o balaio do candidato com louvações à qualidades — existentes ou não — do dito cujo vinha o golpe fatal: PORÉM…. Depois do “porém”, o sacana apresentava duas ou três sucintas razões — não raro, irrelevantes — pelas quais a corrente “A” não apoiaria o candidato da corrente “B”.

    Se, pelo oposto, a corrente “A” se visse na contingência de apoiar o candidato da corrente “B”, o discurso começava com uma enxurrada de críticas, que contemplavam as duas mais recentes décadas de vida do desinfeliz… Aí vinha o “porém” redentor…

    Por isso mesmo, no PT, elogios de correntes adversárias eram sempre recebidos com muitas reservas, quando não com a mais profunda e, geralmente, fundada desconfiança…

    Pelo balé do Levandowski, acho que ele está aprontando alguma coisa…

    Ele não pode mais recuar do que já disse sobre o Barbosão, até porque palavras ditas e pancadas dadas nem Deus tira, né?

    Então, se ele ficar falando mal do Barbosão, publicamente, qualquer medida administrativa que ele tome contra o atual ídolo da urucubaca Civitta será denunciado como “prevenção pessoal”, “desforra” ou sei lá o quê.

    Se, ao contrário, ele fizer as pazes em público com o Barbosão, ficará com as mãos (e os pés) livres pra fazer o que ele notoriamente quer fazer.

    Vaidoso como ele é, Barbosão vai se deixar enlevar com esse confete.

    Sei não… Se eu fosse o Barbosão — e que Deus, Tupã, Javé, Alah, Osiris, Júpiter, Zeus e todos os demais me livrem disso — eu colocaria as barbas de molho…

    Antigamente, dos juízes de Corte Suprema costumava-se dizer que, depois que eles puxavam da espada, ela só voltava à bainha se estivesse melada de sangue…

    Será que até esses brios os atuais componentes do STF perderam?

  86. Elias said

    Patriarca,
    Ainda não li nenhuma pesquisa para as presidenciais do ano que vem.

    No Brasil, esse negócio é uma droga…

    Como a imprensa é totalmente partidarizada, não se tem uma análise que preste. A própria exposição dos dados brutos é tendenciosa… O jeito é a gente ficar dependendo de alguém “de dentro”, que nos arranje uma cópia de pelo menos parte dos relatórios dos institutos.

    Em geral, uma boa análise com um ano de antecedência cruza as quantitativas com as qualitativas. Estas últimas é que dão a noção de trajetória.

    No achismo, creio que, em 2014, Aécio, Serra e Marina, juntos, podem fazer uma ferida, sim. Até porque Dilma não tem o mesmo carisma do Lula e o contexto lhe é adverso.

    Hoje, as intenções de voto na Marina estão mais cristalizadas, ao contrário do que ocorreu em 2010. É um voto predominantemente À DIREITA do PT. Se ela não passar para o 2º turno, seus votos migrarão em massa para o adversário do PT.

    A questão é: os votos em Aécio e em Serra, migrariam para Marina?

    Em 2010, não migrariam. E em 2014? Realmente, não sei.

    Para o PT, evidentemente, melhor será disputar o segundo turno com o(a) candidato(a) menos capaz de atrair os votos do pessoal defenestrado no primeiro turno, certo?

  87. Jose Mario HRP said

    Carta revela envolvimento de tucanos em esquema pesado de corrupção
    23/8/2013 10:50
    Por Redação – de São Paulo

    estudantes da usp
    Alckmin enfrenta uma investigação sobre a corrupção no governo tucano paulista
    O escândalo que envolve a alta cúpula do governo tucano no Estado de São Paulo ganhou, nesta sexta-feira, mais um ingrediente explosivo. Uma carta, datada de 2008, encaminhada por um funcionário da Siemens à matriz, na Alemanha, revela que a formação de cartel e um pesado esquema de corrupção, com o pagamento de propinas a funcionários públicos da confiança de governadores como José Serra e Geraldo Alckmin, não eram exclusivos da área de transportes. Ocorrem nas demais instâncias da administração. O documento originou apuração sobre ilegalidades nas empresas públicas ligadas ao sistema de trens e metrô paulistas e do Distrito Federal.
    Em matéria divulgada na última edição do diário conservador paulistano O Estado de S. Paulo, os jornalistas Fernando Gallo e Fausto Macedo acrescentam que “a carta que levou a investigações, no Brasil e na Alemanha, sobre irregularidades cometidas pela Siemens em licitações e formação de cartel no sistema metroferroviário cita ‘práticas ilícitas’ não só nos transportes, mas também nos setores de energia e de equipamentos médicos da empresa. Para os investigadores, a rotina denunciada no documento, enviado em junho de 2008 à matriz da multinacional, engloba fraudes em concorrências públicas e pagamento de propinas a agentes públicos brasileiros”.
    “A carta com as acusações, que hoje os investigadores sabem ser de um ex-executivo da multinacional, foi enviada ao ombudsman da Siemens na Alemanha e a autoridades brasileiras em junho de 2008. Embora fosse anônima, a riqueza de detalhes que continha em suas cinco páginas, 77 tópicos e seis anexos levou os investigadores a deflagrar uma apuração sem precedentes. Na Siemens, resultou na demissão da cúpula em diversos países – inclusive no Brasil. Em muitos países, resultou também na instauração de procedimentos investigatórios pelos órgãos competentes”, acrescenta.
    Segundo a reportagem, o autor da denúncia que colocou a Siemens no centro do grande escândalo mundial não fornece detalhes sobre malfeitos nessas áreas específicas nem cita nomes ou esferas de governo. “No Brasil, a multinacional alemã tem contratos milionários com empresas de diversos governos. No federal, controladas da Eletrobrás como Furnas, Chesf e Eletronorte tem contratos com a empresa. No governo paulista, a Cesp contratou a Siemens em diversas ocasiões. Os investigadores veem o relato do denunciante como verossímil porque outras informações transmitidas na carta agora são confirmadas pelos seis executivos que trabalharam na Siemens e firmaram, em 22 de maio de 2013, acordo de leniência com o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade). São subscritores do pacto o Ministério Público Federal e o Estadual”.
    Quatro executivos brasileiros e dois alemães da Siemens, que ocupavam cargos do alto escalão da companhia, revelaram a formação de um cartel no sistema metroferroviário de São Paulo, situação já apontada pelo autor da carta.
    “É impressionante observar que, apesar de todos os escândalos e consequências para toda a companhia, a Siemens Brasil continua pagando propinas no Brasil para conseguir contratos lucrativos”, acentuou o denunciante. “Espero que as informações mencionadas possam ajudá-lo em sua difícil função como ombudsman em uma companhia que não aprendeu com as lições do passado.”
    Trechos da carta:
    “Eu gostaria de trazer para o seu conhecimento alguns fatos e documentos que demonstram práticas ilícitas adotadas pela Siemens no Brasil, nos dias de hoje e no passado, particularmente nos seguintes projetos: CPTM Linha G (Linha 5 do Metrô de São Paulo), CPTM Série 3000 e contrato de manutenção do Metrô-DF.”
    “Esse tipo de prática não é privilégio da divisão de transportes. Elas também são comuns nas áreas de transmissão e distribuição de energia, geração de energia e na divisão de sistema de saúde, que trabalham com empresas públicas.”
    “Essa carta e os documentos anexados a ela serão distribuídos às autoridades brasileiras que estão investigando o caso de pagamento de propina pela Alstom em diversos projetos do Brasil, dentre os quais a da linha G da CPTM.”
    “É surpreendente observar que, apesar dos escândalos e das consequências para toda a companhia, a Siemens Brazil continua a pagar propina no País para ganhar contratos rentáveis.”

  88. Elias said

    Uma coisa é certa: em 2014, o PSDB & seus batepaus vão ter dificuldade em usar o discurso pseudomoralista que usaram em 2004 e 2010.

    Com seus esquemões-marginália equivalentes a 10 mensalões e milhões de dólares na cueca, tucano falar em moralidade vai ser falar de corda em casa de enforcado…

    Como os tucanos ainda não se deram ao trabalho de elaborar um programa de governo, fico curioso de saber qual será o eixo de campanha deles.

    Já o Reinaldão parece ter sido escalado pela urucubaca Civitta pra fazer o trabalho sujo e, eventualmente, ser atirado ao lixo.

    Reinaldão assumindo a campanha do Serra, contra o Aécio, é o protótipo do jabuti na forquilha…

    O problema é que Reinaldão é igual àqueles cachorros meio idiotas, porém ferozes, que algumas empresas de vigilância costumam usar. Ele só sabe atacar. Só sabe debater apelando pra grosseria, chutando no saco… É o que ele vai acabar fazendo com o Aécio e seus apoiadores. Ou seja: vai brigar com quem não deveria…

    Se o Aécio ganhar a disputa a Veja embarca com tudo na campanha dele, deixando o Reinaldão com boca de abiu. E, se o Aécio & seus apoiadores mandarem, ela joga o Reinaldão no vaso sanitário mais próximo e puxa a descarga…

    Descartável. Impressionante como ele não se toca…

  89. Pax said

    3 dias sem internet, reclamações na Vivo, na ANATEL e para aquela senhora mãe deles todos que faz programas múltiplos

    essa é a inclusão digital, fruto da velha safada da privatização que gerou outra filha pior ainda que ela, a tal da ANATEL que ninguém consegue mexer no esquemão mafioso que só

    E este ministro, o tal Paulo Bernardo, nomeado por Dilma, é mais ou menos filho dessa casta toda.

  90. Jose Mario HRP said

    Longe do tema….que nuvem!

  91. Olá!

    Pax,

    “O Carlão/Michelle/etc está não está impedido(a) de postar. Está moderado. Isso quer dizer que seus comentários – que deixaram de existir – são lidos e aprovados por mim antecipadamente. Um tipo de censura, sim. Chato, pra caramba. Tem 5 comentários parados e não liberados. Todos do Carlão/Michelle/etc.

    Três deles fazendo referência à minha família, que não tem nada com nada com este blog. Minha mãe, uma das citadas nestes comentário bloqueados, nem mesmo sabe que este espaço existe.

    Engraçado você reclamar disso, pois, em um outro post, você fez algo parecido a isso em relação à minha família, fazendo referências jocosas a pessoas de minha família. Excerto:

    “Desculpe-me a sinceridade. Mas ou você foi criado por vó ou você pirou de vez. Talvez porque seja muito novo, nem sei, talvez porque tua experiência de vida não passe do playground. Também não sei. [. . .]”

    Em vez de você rebater os pontos que coloquei no meu comentário sobre aquele seu amigo que, quando jovem, pertenceu a um grupo terrorista, você preferiu zombar de familiares meus.

    Aliás, mesmo após essa sua demonstração de ignorância, não tiro nenhum dos pontos que expus no meu comentário e continuo considerando moralmente asqueroso alguém se gabar de tomar uma cervejinha com uma pessoa que fez parte de um grupo terrorista que eliminou brutalmente a vida de inocentes. Para mim, isso equivaleria a alguém se gabar de tomar uma cervejinha com o Coronel Ustra ou o delegado do DOPS, Sérgio Fleury.

    “Você mesmo, caro Marcelo, se julga no direito de dizer que este ou aquele caso de corrupção brasileira é o “maior atentado…”, “maior escândalo…” etc etc. Julga diuturnamente, ao menos expõe estes julgamentos e réguas que são tuas, direito totalmente teu de tê-los.”

    Eu afirmo isso sobre o Mensalão. Mostre-me um outro escândalo de corrupção que tenha magnitude maior do que esquema que os mensaleiros tentaram fazer e, aí, direi, sim, que esse outro escândalo é o maior.

    Você não dirá por uma razão bem simples: Tal escândalo não existe.

    Em termos de corrupção, não há nada que se compare ao Mensalão, pois tal esquema era um plano de destruição das instituições democráticas do nosso país, a começar pela separação entre os poderes, princípio fundamental em qualquer nação que queira ser civilizada.

    O Mensalão não foi uma obra super-faturada, uma ponte que não foi entregue, uma estrada que nunca foi construída, desvio de verbas para bancar excessos sexuais com prostitutas de luxo e/ou coisas desse tipo. E, também, o Mensalão não é uma questão meramente de dinheiro ou de quantias envolvidas, já que isso é apenas uma parte da gravidade que existe na corrupção mensaleira (os recentes casos de corrupção na Petrobras deixam o Mensalão no chinelo em termos de verbas envolvidas). O Mensalão é muito mais do que isso pelo simples e óbvio fato de que a sua finalidade era destruir as instituições democráticas do Brasil. Essa é a maior gravidade de tal esquema.

    Nos últimos 100 anos de história do nosso país, não há nenhum outro caso de corrupção como o Mensalão. Existem apenas duas outras situações das quais o Mensalão se aproxima: Os golpes de Estado de 1930 e de 1964, pois ambos, guardadas as devidas proporções, foram ataques à ordem democrática. A diferença é que os dois golpes foram bem-sucedidos em materializar seus objetivos.

    Até!

    Marcelo

  92. Olá!

    Para os estatistas e estatólatras de plantão, parece que os EUA estão prestes a entrar em uma revolução no setor de energia com o gás de xisto. Se vier mesmo a se concretizar, será uma reviravolta no setor.

    Eis um mapa que mostra como as reservas de xisto estão espalhadas pelo território americano. A maior parte dos estados de lá possui uma reserva dessas. Isso significa que haverá uma boa quantidade de empresas explorando esse recurso e, provavelmente, não haverá espaço para politicagem tosca ao estilo do que houve no Brasil sobre a divisão dos royalties do petróleo.

    Diferentemente do brasileiro, o cidadão americano irá se beneficiar bastante dos recursos provenientes do gás de xisto, que irão construir escolas, hospitais e bancar a inovação em vários outros setores da economia. E o melhor de tudo: Sem corrupção governamental, afinal de contas, por lá não existem estrovengas como a Petrobras, não há uma PetroUSA para dar rombos nos cofres públicos.

    Lá pelo ano 2112, quando os americanos já tiverem exaurido todas as suas reservas de xisto e se beneficiado grandemente dos recursos delas provenientes, ainda poderão contar com algum otário das redondezas para comprar a peso de ouro as já ultrapassadas e jurássicas refinarias. E ainda aparecerá algum desses aspones de cargo comissionado para se gabar do negócio feito.

    Até!

    Marcelo

  93. Pax said

    Pelo noticiário, o propinoduto tucano é bem maior que o vergonhoso mensalão petista, basta usarmos a régua do volume desviado. Mas você, caro Marcelo Augusto, olha com um prisma. Tem todo direito de ter esse olhar.

    Já prefiro tentar mais de um, talvez para equilibrar um pouco. Para não ficar distorcido.

  94. Patriarca da Paciência said

    “E o melhor de tudo: Sem corrupção governamental, afinal de contas, por lá não existem estrovengas como a Petrobras, não há uma PetroUSA para dar rombos nos cofres públicos.”

    Marcelo,

    Você deu uma grande prova de que realmente foi criada por vó!

    Acreditar que nos Estados Unidos não existe corrupção governamental… chega a ser de uma ingenuidade monumental!

    Os Estados Unidos não só são recheados de corrupção governamental, como espalham a corrupção a nível mundial.

    Ou será que financiar golpes de estado pelo mundo inteiro, como hoje já está mais que provado, não é corrupção?

    Como você acha que as multinacionais norte-americanos ganham as concorrências?

    Rapaz, não só acredito que você foi criado por avó, como por avó e avô e, depois, recebeu toda a educação formal em colégio religioso.

  95. Elias said

    Putz!

  96. Elias said

    Patriarca,

    Lembra do Gerd Paulson, gente do peito do Baby Bush e conceituadíssimo guru neo-lib (com vários livros publicados e híper-prestigiado nas mais importantes universidades do planeta)?

    Pois é… Ele encerrou sua participação no governo americano — gestão Baby Bush — injetando carradas de trilhões de dólares de dinheiro público no sistema financeiro americano.

    Só que ele é intelectualmente honesto. Ao anunciar publicamente as medidas que ele adotou, Paulson nem de longe blasonou um “esqueçam o que eu escrevi”. Pelo contrário, ele se disse na obrigação moral de, atendendo o imperativo das circunstâncias, e na condição de uma das mais altas autoridades da maior economia do planeta, adotar medidas que se chocavam frontalmente com tudo o que ele sempre defendera, etc, etc.

    Um senhor caráter, o cara… Honesto e corajoso.

    Corrupção na estrutura governamental dos EUA?

    Claro que não existe! Como todos sabem, a corrupção foi inventada no Brasil… E pelo PT!

    Putz!

    Lembram no Maddoff e seu esquema Ponzi?

    Pois é… Nem houve vista grossa da CVM americana…

    Né?

    No fim, só quem pegou cana dura foi o escroque Maddoff (que foi condenado a 150 anos de prisão e — milhões de vezes pior! — ainda perdeu um filho, que se suicidou, envergonhado com que o pai fizera…).

    E o pessoal que fez cara de paisagem (a troco de nada, né mesmo?), não obstante a pirâmide do Maddoff ter sido denunciada ao longo de mais de 5 anos, por um dos maiores operadores do mercado de capitais dos EUA, com base num extenso e detalhadíssimo trabalho executado por um dos melhores analistas gráficos do país (e que, atualmente, é referência pra quem quer que deseje aprender pelo menos o bê-a-bá do ramo)?

    Ah, com esse pessoal não aconteceu nada… Tanto que, na crise imobiliária, continuavam todos lá… Fazendo cara de paisagem…

    O Delfin Netto tem uma análise interessante a respeito…

    Putz!

  97. Patriarca da Paciência said

    É incrível, Elias,

    Como até hoje ainda tem gente que acredita nos Estados Unidos idealizados pelos filmes de Hollywood, com seus heroizões imaculados e imbatíveis!

    Incrível também é como nunca se deram ao trabalho de ler um pouco de Faulkner, o Jorge Amado de lá e que ganhou o prêmio nobel, diferentemente do grande e merecedor escritor baiano.

    Mas esse pessoal é mesmo tipo aquela história do cachorrinho que aprendeu alguns truques quando jovem e não consegue aprender mais nada de novo.

    Eu até hoje gosto muito dos filmes de John Ford, mas tenho o discernimento de separar a idealização da realidade.

  98. Pax said

    Nossa Easy Rider… um off topic pra nos lembrar que motociclistas também são gente…

    http://www1.folha.uol.com.br/poder/2013/08/1331392-dilma-passeou-na-garupa-de-moto-de-ex-ministro.shtml

    =)

  99. Pax said

    Halliburton e Dick Cheney não lembram nada aos neolib…

    São anjos…

    Matar uns 100.000 iraquianos pra instalar uns negocinhos não é nada, afinal.

    Mas é que a The Guardian é uma empresa de comunicação comunista, provável que sim, na cabeça dos neolib. Só pode ser…

    http://www.theguardian.com/commentisfree/cifamerica/2011/jun/08/dick-cheney-halliburton-supreme-court

  100. Otto said

    1 – O PSDB acabou. Todos os tucanos sabiam e usufruiam do tremsalão.

    2 – O jornalismo brasileiro, salvo raríssimas excessões, está morto e sepultado.

    3 – O Ministério Público do Estado de São Paulo está totalmente dominado pelo ainda morimbundo PSDB e prevaricou por anos a fio.

    http://www.advivo.com.br/blog/luisnassif/o-americano-que-descobriu-o-delator-do-cartel

  101. Otto said

    Para o piá de prédio aí de cima:

    Os EUA apoiarem golpes de estado e derrubadas sangrentas de governo para benefício de suas empresas não é corrupção!

  102. Zbigniew said

    Essa questão dos médicos cubanos, da forma como foi abordada pelo PML, diz muito da natureza daqueles ditos como “criados por vó”. Os nossos “criados por vó” são exatamente assim: reverberadores de um discurso semelhante ao pré-64, só que agora o inimigo é o PT e, em especial, o “molusco de nove dedos”, adotando-se aqui uma das nomenclaturas da caricatura hariovaldiana.
    Pois bem. Voltando ao PML, não podia ter sido mais feliz a ilação:

    “(…)
    O Ministério da Saúde conseguiu atrair médicos de Portugal, Espanha, Argentina, Uruguai. Mas continua pouco. Então, o governo resolveu fazer o que já havia anunciado: trazer médicos de Cuba. Como era de prever, a reação já começou. E como eu sempre disse neste espaço, o conservadorismo brasileiro não consegue esconder sua submissão aos compromissos nostálgicos da Guerra Fria, base de um anticomunismo primitivo no plano ideológico e selvagem no plano dos métodos. É uma turma que se formou nesta escola, transmitiu a herança de pai para filho e para netos. Formou jovens despreparados para a realidade do país, embora tenham grande intimidade com Londres e Nova York. Hoje, eles repetem o passado como se estivessem falando de algo que tem futuro. Foi em nome desse anticomunismo que o país enfrentou 21 anos de treva da ditadura. E é em nome dele, mais uma vez, que se procura boicotar a chegada dos médicos cubanos com o argumento de que o Brasil estará ajudando a sobrevivência do regime de Fidel Castro.
    (…)”

    Pois é. Não forcemos muito pra cima dos “criados por vó”. Eles não têm culpa. Cresceram assim. Insistem em acreditar numa realidade congelada no século passado, incapazes de erigir qualquer idéia nova como alternativa a esta que aí está já há quase doze anos. Só restou a neurose da destruição do inimigo a qualquer custo. Por isso se apegam a fatos político travestidos de jurídicos para justificar as suas crenças. Oremos pelo “criados por vó”.

  103. Elias said

    São notórias as relações do The Guardian com o Foro São Paulo…

    Tão notórias que nem vale a pena lembrar as ligações do indigitado Guardian com as camarilhas fidelista, chavista e evococaleiras.

    Ditas camarilhas, como todos sabem, e com o apoio do The Guardian, estão prestes a desmantelar o sacrossanto sistema capitalista, que Deus criou com o evidente propósito de levar a felicidade e a prosperidade ao mundo todo, com exceção do México, do Haiti, de Honduras, da Colômbia, da Venezuela, do Equador, do Peru, da Índia, do Brasil, da Argentina, do Camboja, do Paquistão, de Bangladesh, da Nigéria, do…

    Como todos sabem.

  104. Olá!

    Pax,

    “Pelo noticiário, o propinoduto tucano é bem maior que o vergonhoso mensalão petista, basta usarmos a régua do volume desviado. Mas você, caro Marcelo Augusto, olha com um prisma. Tem todo direito de ter esse olhar.”

    Eu não nego que há corrupção no caso do metrô de São Paulo. Aliás, expressei o que penso sobre tal esquema neste comentário.

    Admito desconfiar da revista IstoÉ pelo fato dela já ter servido de veículo para denúncias que, depois, se mostraram falsas.

    Mas uma coisa é certa: Eu é que não irei defender bandido de partido político. Se cometeu crime, que apodreça na prisão (que nem os mensaleiros).

    “Já prefiro tentar mais de um, talvez para equilibrar um pouco. Para não ficar distorcido.”

    Hehehehehehe. . . Sei. . . equilibrado. Só se for para o lado do PT.

    Até!

    Marcelo

  105. Olá!

    Patriarca da Paciência,

    “Acreditar que nos Estados Unidos não existe corrupção governamental… chega a ser de uma ingenuidade monumental!”

    Não afirmei que nos EUA não haja corrupção. Aprenda a ler.

    Afirmei que, no caso da exploração do gás de xisto, não haverá estrovengas de corrupção ao estilo do que aconteceu no recente caso envolvendo os petistas otários da Petrobras, a empresa belga Astra Oil e aquela refinaria jurássica na Pasadena que a petezada comprou a peso de ouro e saiu com mais de U$ 1.2 bilhões de prejuízo.

    Diferentemente do bandido Madoff, que foi encarcerado, nenhum dos envolvidos nesse esquema da Petrobras irá para a prisão. Isso apenas mostra o gigantesco abismo institucional que existe entre EUA e o Brasil.

    “Os Estados Unidos não só são recheados de corrupção governamental, como espalham a corrupção a nível mundial.”

    Engraçada essa sua afirmação, pois, de acordo com o Índice de Percepção da Corrupção de 2012, os EUA estão na 19a posição nesse ranking, enquanto que o Brasil está 50 posições atrás, em 69o.

    “Ou será que financiar golpes de estado pelo mundo inteiro, como hoje já está mais que provado, não é corrupção?”

    Isso aconteceu na época da Guerra Fria e era feito por agências governamentais que não tinham quase que obrigação nenhuma de prestar contas dos seus feitos aos cidadãos. Esses golpes, no geral, eram implementados como uma reação à radicalização de esquerdistas patrocinados pela URSS para implantar o comunismo em um dado país.

    Foi errado? Sim, foi! Mas a alternativa comunista era muito pior. Basta ver as hecatombes soviéticas/chinesas e o gigantesco favelão caribenho que se tornou Cuba.

    “Como você acha que as multinacionais norte-americanos ganham as concorrências?”

    Isso geralmente acontece onde a corrupção já está implantada e/ou quase institucionalizada, como é o caso do Brasil. Isso é comum em países institucionalmente atrasados.

    Até!

    Marcelo

  106. Olá!

    Pax,

    “Matar uns 100.000 iraquianos pra instalar uns negocinhos não é nada, afinal.”

    Você pode ver dessa maneira a guerra do Iraque. Eu prefiro vê-la como a derrubada de um tirano sanguinário que brutalizava os iraquianos, sobretudo as minorias como os curdos, que, por mais de uma vez, sofreram ataques com armas químicas.

    “Mas é que a The Guardian é uma empresa de comunicação comunista, provável que sim, na cabeça dos neolib. Só pode ser…

    http://www.theguardian.com/commentisfree/cifamerica/2011/jun/08/dick-cheney-halliburton-supreme-court

    Pax, traga um caso de corrupção nos EUA que envolva figurões de algum partido político de lá, uma estatal de magnitude dinossáurica e cujos prejuízos somam montanhas de dinheiro na casa dos bilhões de dólares, sendo que tal prejuízo terá de ser pago pelo contribuinte americano.

    Ah, sim. Antes que você fique tentado a usar os casos da Fannie Mae e Freddie Mac, vale lembrar que essa crise foi criada pelo próprio governo, que impôs uma regulação tosca aos bancos de lá, obrigando-os a fazer negócios com pessoas que não tinham como pagar e tais negócios só foram feitos porque os bancos sabiam que seriam “salvos” pelo governo.

    Isso é muito diferente do que aconteceu na Petrobras e aquela refinaria, pois no caso da crise imobiliária americana, o que há são consequências desastrosas provenientes de uma legislação ruim, enquanto que, no caso do Petrobras, é a clássica situação de países atrasados nos quais uma elite partidária se apropria de um bem público e o utiliza como se privado fosse, socializando os prejuízos.

    Até!

    Marcelo

  107. Olá!

    Otto

    “Os EUA apoiarem golpes de estado e derrubadas sangrentas de governo para benefício de suas empresas não é corrupção!”

    Tudo bem, Otto. Se você acha que não é corrupção, o direito é todo seu. Apenas fico surpreso em lhe ver fazer uma defesa tão feroz dos americanos.

    Até!

    Marcelo

  108. Patriarca da Paciência said

    “Isso aconteceu na época da Guerra Fria e era feito por agências governamentais que não tinham quase que obrigação nenhuma de prestar contas dos seus feitos aos cidadãos. Esses golpes, no geral, eram implementados como uma reação à radicalização de esquerdistas patrocinados pela URSS para implantar o comunismo em um dado país.”

    Guerra Fria, Marcelo ?

    A Líbia já foi no governo Obama e o Iraque no governo Bush, muitos anos após a queda do muro de Berlim.

    E a Síria que se prepare, já estão espalhando a mesma desculpa que deram para a invasão do Iraque.

    Será que gente tão poderosa e avançada, até hoje, não descobriu outro meio de resolver as divergências senão os antigos métodos romanos? Ou seja, a famosa “paz romana”, qual seja, “eu mando, você obedece e caso se meta a besta, será transformado em escravo ou morto.”

    Essa é a democracia que os Estados Unidos pretendem espalhar pelo mundo?

  109. Jose Mario HRP said

    Momento Guerra Fria?
    Manos, na Siria, milhares, milhão de pessoas na mira do Hesbholla, do Assad., dos insurgentes, dos matadores vindos d irã, Xiitas versus quem?
    Guerra suja, monstros matando crianças, mulheres, seres humanos, velhos indefesos.
    Uma grande sacanagem onde gente inocente morre por religião canalha, por oportunismo torpe e por absoluta falta de fé em DEUS e Jesus!

  110. Otto said

    Marcelo Augusto: esqueci do ponto de interrogação:

    “Os EUA apoiarem golpes de estado e derrubadas sangrentas de governo para benefício de suas empresas não é corrupção?”

    Cuba, um favelão? Com taxa de mortalidade infantil menor que os EUA?

  111. Patriarca da Paciência said

    “É por isso que jamais poderemos transigir em
    torno de valores inderrogáveis como a respeitabilidade
    institucional, a dignidade funcional e a integridade
    desta Corte Suprema. ”

    http://www.stf.jus.br/arquivo/cms/noticiaNoticiaStf/anexo/Pronunciamento_Min__CELSO_DE_MELLO__Plenario_21082013.pdf

    É muito estranho como a “grande imprensa” se calou totalmente sobre o assunto e, apenas, diz que o Celso de Mello “botou panos quentes”.

    Muito pelo contrário. Acho que o ministro fui duro e direto com o Barbosão. O recado foi mais ou menos este, “ou você toma jeito e vai arcar com as consequências”

  112. Jose Mario HRP said

    Morreu Gilmar dos Santos neves.
    Maior goleiro de nosso futebol.

  113. Patriarca da Paciência said

    “O contraste é espantoso.
    De um lado, um grupo sorridente, carregando, com orgulho, a bandeira de seu país natal e a da nação em que vem trabalhar, dando declarações ressaltando a fraternidade entre os povos, realçando a necessidade de ajudar os mais pobres, numa clara mensagem de que é neste mundo ainda há lugar para a esperança.
    No outro, um grupo raivoso, exalando ódio, preconceito e xenofobia, expondo, despudoradamente, o que de pior existe no ser humano, revelando uma lógica que se sustenta apenas no discurso mercantilista, no qual a existência é tão somente um pretexto para acumular capital, poder e ostentação.

    Dizem os mais sábios que não se pode reduzir a vida numa dicotomia entre o branco e o preto, o bom e o mau, o céu e o inferno, pobres e ricos.
    Para eles, há entre os extremos nuances que devem ser igualmente valorizadas.
    Duvido, porém, que tais máximas valham para o Brasil de hoje.
    O país está cada vez mais próximo de romper com um passado ignominioso – e isso é intolerável para certas pessoas.
    Parece que elas sentem que o ponto de ruptura é iminente e, em desespero, começam a soltar todos os demônios que uma fina pele civilizatória cobria.
    Perdem a vergonha, perdem a consciência moral, perdem os freios que seguravam seus impulsos mais primitivos.
    A luta de classes, tantas vezes dada como extinta, está aí, escancarada.
    Aquele prussiano barbudo, queiram ou não, estava certo.
    Escolham o seu lado, senhores.”

    http://cronicasdomotta.blogspot.com.br/2013/08/e-velha-luta-de-classes-esta-ai.html#more

  114. Patriarca da Paciência said

    Gilmar foi um homem digno e correto.

    Talvez tenha sido o goleiro que teve mais admiradores, até hoje, no Brasil.

    Que descanse em paz, grande guerreiro!

  115. Patriarca da Paciência said

    “Em 17 de março de 2013, Milton Neves publicou em sua página dominical no jornal “Agora São Paulo e também no Portal Terceiro Tempo, um texto homenageando Gylmar, intitulado “O sogro, o amor e o maior gol de Gylmar, o goleiro maior”. Segue abaixo, na íntegra:

    Nagib Izar, sogro “na marra” de Gylmar dos Santos Neves, jamais aceitou o namoro, noivado e muito menos o casamento de sua única filha, Rachel, com o então goleiro-galã do Corinthians.

    Mas o amor falou mais alto, casaram-se, nasceram três filhos e por 17 anos (!!!) o radical “Seo” Nagib nunca mais falou com a filha a partir de 1954, com o genro (seria a primeira vez) e nem conheceu os três netos.

    Ignorou até o casamento na igreja e a festa de comemoração em 1960.

    Mas, dia 25 de outubro de 1971, de repente, Nagib ligou para sua filha Rachel para que todos passassem o dia com ele e com sua esposa Najla, no bairro do Paraíso, em São Paulo.

    Foram, almoçaram, brincaram, se abraçaram como se nada tivesse acontecido naqueles 17 anos e foram embora no final de tarde.

    Lá pelas 11 da noite Rachel recebe telefonema da mãe Najla. “Seo” Nagib Izar tinha acabado de morrer de infarto! Foi premonição, remorso ou coincidência?

    Enterro realizado, no Araçá, em 26 de outubro de 1971, família consternada, dona Najla Curi Izar desesperada, com o saudoso cunhado de Gylmar, Ricardo Izar, ex-deputado federal, e o irmão Roberto, impressionados com a premonição do pai.

    A família então passou a cuidar do inventário do que deixou o empresário Nagib Izar, dono de fábrica de cartonagem (papel, papelão e embalagens), no bairro do Tatuapé.

    Marcou-se uma reunião de todos na sede da empresa com a presença de advogados, contadores e de um tabelião. Mas a reunião emperrou porque um enorme cofre, da época da Segunda Guerra Mundial, ninguém conseguia abrir.

    E lá dentro estava toda a vida econômico-financeira do patriarca. Chamaram os mais competentes e famosos “cofreiros” de São Paulo e… nada! Três deles fracassaram depois de horas e deixaram a sala.

    O que fazer?

    Enquanto todos discutiam até mesmo a possibilidade de uma pequena explosão do cofre, Gylmar, mais afastado do grupo por ser discreto e “apenas” cunhado, ficou de costas para o cofre e aleatoriamente girava o seu relógio de controle.

    Girou umas sete ou oito vezes, sempre depois apertando a maçaneta e de repente… o cofre se abriu!!!!

    Sem querer, lotericamente e de costas, Gylmar acertou a combinação. Foi algo sobrenatural.

    Espanto e emoção na sala de reunião, procedeu-se então a verificação do conteúdo guardado como documentos, inventário, escrituras e investimentos de “Seo” Nagib Izar.

    Ao que a fiel secretária do então turrão sogro de Gylmar se antecipou e apanhou as muitas pastas que ocupavam quase a metade do cofre. Estendeu-as na enorme mesa de reunião e ninguém conseguiu conter as lágrimas.

    Pois ali estavam catalogadas e colecionadas todas as fotos do namoro (a partir de 1954), noivado (em 1958) e casamento (em 1960) de sua filha Rachel com o famoso Gylmar, bem como as capas de revistas e fotos dos três netos.

    E dona Baije, a secretária, contou que por 17 anos (!!!) “Seo” Nagib Izar, ao chegar logo cedinho para o trabalho, TODO DIA, ficava por uma hora folheando suas pastas, vendo página por página e foto por foto da família da filha.

    As páginas estavam todas puídas na parte de baixo que Nagib diariamente manuseava e manuseou por anos e anos a fio.

    Ou seja, o radical, turrão e “imperturbável” Nagib Izar resistiu o quanto pôde para mostrar que era contra o casamento de sua única filha com um “simples jogador de futebol” porque “esse pessoal nunca dá boa coisa”.

    E como deu, hein?

    Gylmar grande atleta e grande caráter, era cobiçado nos anos 50 por 10 de cada 10 mulheres do Brasil, mas apaixonou-se em poucos olhares por Rachel em piscina de um hotel de Águas de Lindóia onde o Corinthians estava concentrado e paulistanos ricos passavam férias.

    Vendo que a filha estava muito “acesa” e ligada no goleiro famoso, fechou a conta e abreviou sua estada de férias e levou toda a família de volta para São Paulo.

    E o amor continua vencendo.

    Gylmar, aos 82 anos, vitima de um AVC há 10 anos, está em cadeira de rodas, não fala, mas ouve, vê e entende tudo.

    E está feliz da vida porque Rachel, a filha de “Seo” Izar, está sempre ao seu lado não largando dele nunca da mesma forma que Gylmar nunca largava a bola na meta do Corinthians, Santos e Seleção Brasileira.”

    http://terceirotempo.bol.uol.com.br/quefimlevou_interna.php?id=1529&sessao=f

  116. Pax said

    Este caso merece uma análise SEM emoção…

    http://www.estadao.com.br/noticias/internacional,fuga-de-opositor-de-evo-com-ajuda-brasileira-irrita-itamaraty-e-bolivia,1067792,0.htm

    Não tenho muitas dúvidas que governos e tráfico de drogas que envolvem bilhões, têm muitas chances de ocorrerem, sim. De outro lado, não tenho dúvidas que senadores podem parecer o que não são, basta olhar os casos brasileiros. Nem precisamos citar Arruda, Demóstenes, ACM, Renan, Sarney etc, né?

  117. Patriarca da Paciência said

    Pax,

    Assisti em no telejornal de uma TV educativa, entrevista com o diplomata, sob o qual estava a “guarda” do tal senador. Fiquei convencido que foi uma questão de absoluto cansaço. Ficar 450 dias com um cara a seu lado, praticamente enjaulado, é uma coisa altamente estressante! Como falou o próprio diplomata, “eu estava me sentindo como se trabalhasse ao lado do DOI-CODI, nos tempos da ditadura militar brasileira.” Inclusive o diplomata já tinha feito vários pedidos para que a situação fosse resolvida.

  118. Jose Mario HRP said

    O Brasil tem a boa tradição de dar asilo.
    Um nobre hábito.
    Vi também as declarações do jovem e corajoso diplomata brasileiro.
    São pessoas assim que me dão orgulho de ser brasileiro.

  119. Jose Mario HRP said

    Momento de humor:
    A Marinha Brasileira vai certamente dar uma condecoração aos dois fuzileiros navais que tiraram o senador boliviano de sua prisão/asilo na Bolivia.
    KKKKK…

  120. Jose Mario HRP said

    Marcha golpista contra Dilma em sete de setembro

    Setores da direita brasileira tentam organizar marchas contra o governo federal e o PT no próximo dia sete de setembro. É o que revela a reportagem de André Barrocal na edição n° 762 de CartaCapital. Segundo ele, boa parte da mobilização para a marcha conservadora vem de uma ONG (?) chamada Brazil No Corrupt – Mãos Limpas (assim mesmo com Z) e ela tem ligações com a família Bolsonaro, Eduardo Cunha, líder do PMDB na Câmara dos Deputados e com o PSDB do Paraná.

    Para quem não se lembra, Bolsonaro é aquele deputado federal do Partido Progressista (PP) que não gosta de negros, índios, nordestinos e gays, acha que as mulheres devem ficar nos tanques de lavar roupa, diz que o período mais democrático do país foi entre 1964 e 1985 e é fiel defensor das besteiras de Marcos Feliciano (PSC) na Comissão de Direitos Humanos da Câmara dos Deputados.

    A ONG Brazil No Corrupt – Mãos Limpas é dirigida por dois bacharéis em Direito, Ricardo e Fábio Pinto da Fonseca. Ambos fazem campanha nas redes sociais com o slogan “Operação Sete de Setembro”. O principal replicador da campanha é Flávio Bolsonaro, filho do Jair, deputado federal, cujas características foram citadas no parágrafo acima.

    O elo com o PSDB do Paraná não é de baixa plumagem. Ari Cristiano Nogueira é ligado ao presidente da Assembleia Legislativa daquele estado, deputado Valdir Rossoni. Foi ele quem espalhou o boato de que uma beneficiária do programa Bolsa Família teria doado 510 reais para a campanha de Dilma em 2010. Ari foi alvo de investigação do Ministério Público paranaense sobre funcionários fantasmas. A lista passava dos mil nomes e o dele estava entre eles.

    Já Rossoni é acusado de receber “benefícios” das empresas que venceram as licitações das estradas privatizadas do Paraná. Uma CPI já foi instalada no parlamento local.

    Não é raro vermos esses tipos de campanha, como também não vermos gente replicando isso sem ter a menor noção da origem da mensagem. Informações são jogadas no Facebook e no Twitter sem que as pessoas se deem ao trabalho mínimo de checá-las, nem mesmo no Google.

    O fato de se estar sob a proteção de uma tela faz com que muita gente solte o verbo e tire sua máscara de “moderno” ou tolerante. Expõem todo o seu conservadorismo e falam coisas que jamais falariam pessoalmente. Se tem uma coisa boa na polarização política que vive o país é que elas, as máscaras, estão caindo. A direita, após o golpe de 1964, sempre teve vergonha de se afirmar como tal no Brasil. Isso parece estar mudando e requer um debate mais ideologizado, sem pseudo neutralidades, tão típicas de nossa mídia.

    Sempre nos feriados de sete de setembro acontecem marchar dos movimentos sociais. O Grito dos Excluídos, como é chamado, reúne os setores organizados do campo e da cidade cobrando que de fato nosso povo seja independente. Geralmente, o Grito sai às ruas logo em seguida aos desfiles oficiais. Mas em nada ele tem de conservador, ao contrário vem reclamar ao Estado brasileiro políticas que melhorem a vida do povo e garantam mais igualdade entre os brasileiros.

    Quem realmente se importa com a coletividade e com o nosso povo como um todo participa desse ato e não da coisa organizada pela direita esquizofrênica e golpista que tenta transformar o sete de setembro em fora Dilma.
    Postado por Cadu Amaral às 10:05

    Blog do Cadu.

  121. Elias said

    HRP # 118,

    Positivo!

    Espero que o diplomata brasileiro responda a Processo Administrativo Disciplinar, e que, ao conduzir o PAD, a comissão processante conclua pela inexistência de ato ilegal ou inoportuno, recomende um elogio formal ao Saboya, com registro em seus assentamentos funcionais, e uma promoção.

    Além disso, que a comissão processante também recomende que essas decisões sobre o “caso Saboya” se convertam em jurisprudência administrativa para a diplomacia brasileira.

    Ou seja: sempre que o governo brasileiro der asilo, em qualquer de suas representações diplomáticas, a cidadão estrangeiro vítima de perseguição política em seu próprio país, estarão os servidores públicos brasileiros lotados na representação diplomática de asilo, automaticamente autorizados a tomar providências com o propósito de transportar o refugiado e/ou sua família ao Brasil, em segurança.

    O Brasil deve romper definitivamente com seu passado ditatorial, e uma das formas de fazer isso é deixar bem claro a todos os países com quem mantemos relações diplomáticas, que nosso país não apoia perseguições políticas, seja qual for a ideologia de quem persegue ou de quem é perseguido.

  122. Elias said

    A direita brasileira sempre vai ser a lesma lerda: pernóstica e, por isso, impopular… Impopular e, por isso, golpista.

    A questão é se saber se ela vai continuar sendo conduzida pelo PSDB, com guia, coleira-enforcador e, volta e meia, mordaça, ou se vai arrastar a tucanada ladeira abaixo…

    Quando se fala no esfrangalhamento do PSDB, uma parte da esquerda bate palmas…

    Eu, cá com meus botões, considero isso péssimo. As viúvas e os órfãos dessa alternativa centro-esquerda/meia-direita, conservadora, porém democrática, sentindo-se desamparados, costumam rabear para a extrema direita.

    E, com a extrema direita brasileira não há meio termo possível: ou se enche a dita bruta de porrada, ou se acaba sendo enchido de porrada por ela.

    E, como disse seu Nicolau, lá pelo início do Século XVI: se o confronto é inevitável, melhor precipitá-lo quando se pode vencer. Quem adia o confronto inevitável, quando pode vencê-lo, o faz apenas em benefício do inimigo… E em desfavor de si mesmo…

  123. Pax said

    vi no uol, uma empresa ligada à Folha, provável que uma imprensa stalinista

    http://congressoemfoco.uol.com.br/noticias/video-o-misterioso-adiamento-do-mensalao-mineiro/

  124. Elias said

    Pax,

    Essa pedra já foi cantada: a FSP está atacando o mensalão mineiro pela mesma razão que a Veja escalou o Reinaldo A. pra atacar o Aécio…

    A mesma razão que faz a FSP atacar o mensalão mineiro, a faz discretíssima no trato do tremsalão paulista.

    A mídia paulista está com Serra, né?

    Prestem atenção, meninos…

    São os bois voando e fazendo piruetas mil, no céu da Pátria que me pariu…

  125. Elias said

    Governo boliviano falando demais — e indevidamente — em reciprocidade.

    O governo brasileiro concedeu asilo político ao senador boliviano em junho do ano passado. Concedido o asilo, num prazo razoável — dois ou três meses — a Bolívia deveria ter expedido o salvo conduto pro cara vir para o Brasil, até porque,de fato e de direito, ele já estava em território brasileiro…

    Nada disso! Molecamente, o governo boliviano embromou, tentando matar o cara no cansaço… E falta de respeito para com o Brasil, de cujo apoio — político e econômico — a Bolívia tanto depende.

    O diplomata brasileiro agiu corretamente, com honradez e coragem.

    Espero que o Brasil, por seus poderes, tenha a decência de se manter de cabeça erguida, e não se rebaixe cedendo à chantagem de 3ª classe que está sendo ensaiada pelo nosso nanico, mal educado e problemático vizinho.

  126. Pax said

    Pois bem, se liguem em mais esta:

    http://www.estadao.com.br/noticias/vidae,ambientalistas-veem-aparelhamento-politico-em-ucs-de-sao-paulo,1067490,0.htm

  127. Zbigniew said

    É assim que uma Corte Constitucional se porta como uma corte política, mas não no que lhe seria natural quanto às políticas inerentes aos ditames de ordem constitucional. Aqui foi política na ordem da prevaricação. Por que o Relator não quis julgar a ação que envolvia o mensalão tucano? Faltou tempo a S. Exa.? Ou vontade, mesmo? Quando uma Corte assim age é porque deixou de ser segura para atuar como um tribunal de exceção.

  128. Jose Mario HRP said

    http://fernandorodrigues.blogosfera.uol.com.br/

  129. Pax said

    Vi de um amigo no Facebook… notícia um pouco antiga, mas assustadora. Faz tempo que parei de ouvir a CBN, desde que o Heródoto Barbeiro saiu de lá.

    http://www.estadao.com.br/noticias/nacional,jornalistas-da-cbn-curitiba-paralisam-por-denuncia-de-assedio,1060904,0.htm

  130. Pax said

    Tá muito esquisita essa história do senador boliviano…

  131. Jose Mario HRP said

    Hipocrisia da Dilma.
    O senador boliviano tinha ganho asilo dela e agora essa indignaç~ça?
    Tira o atriota, afasta o diplomata envolvido, e nem fala da revista do avião da FAB em solo boliviano?
    A Bolivia vinha fazendo toda sorte de insultos ao Brasil e pelo simples fato do Evo ser ”’esquerdista” a Dilma vinha enrolando em exigir o salvo conduto ao senador.

  132. Jose Mario HRP said

    Sorry, Patriota e indignação.

  133. Jose Mario HRP said

    Só recordadando!
    A boçalidade em estado de arte:

  134. Zbigniew said

    O Brasil parece seguir à risca o princípio do não conflito, em especial o governo petista. Passa a idéia de que não se deve “gastar vela com defunto ruim”. A Bolívia seria algo menor para se preocupar, ainda que o país vizinho seja useiro e vezeiro em colocar a diplomacia brasileira em maus lençóis, como no caso das refinarias, da revista ao avião da FAB e agora, dessa fuga envolvendo um diplomata e um senador asilado.

    Embora possa-se criticar a postura da Bolívia neste caso, em não conceder o salvo-conduto ao senador (conduta muito comum a diversos países em relação àqueles que se refugiam em embaixadas no seu território – vejam o caso do Assange), não se pode deixar de reconhecer uma quebra de hierarquia em relação ao antigo chanceler. Parece que o Patriota não deu conta do recado, desprestigiou-se e perdeu o posto (embora tenha ido para a ONU).

  135. Elias said

    HRP,

    Quando um país concede asilo político a alguém que se acha refugiado em sua embaixada, o procedimento DECENTE é o país onde a embaixada está estabelecida fornecer salvo conduto.

    O país que concedeu asilo pede o salvo conduto e o país onde está estabelecida a embaixada concede.

    É que as embaixadas são como “enclaves” dentro de um outro país. Dentro da embaixada brasileira em La Paz, o cara “está em território brasileiro”. Pra vir de lá pra cá, ele tem que “sair do Brasil”, “entrar na Bolívia”, “transitar na Bolívia”, “sair da Bolívia” e “entrar no Brasil” (parece um algorítmo… E é,né?).

    Só que isso deve ser feito o mais rapidamente possível. Até o Chile do Pinochet deu salvo condutos pra refugiados em embaixadas naquele país. Na hora do pega pra capar, o Gabeira, o Boal e um porrilhão de outras pessoas estavam na embaixada da Argentina no Chile.

    O pessoal do Pinochet sacaneou o que pôde. Um dos comportamentos mais facinorosos foi assassinar pessoas e jogar os cadáveres pra dentro do jardim da embaixada argentina… Quando alguém ia remover os corpos, pra evitar que apodrecessem insepultos, alguns soldados chilenos miravam com os fuzis por entre as barras dos gradis do jardim, ameaçando atirar.

    Depois de algumas negociações os salvo condutos acabaram sendo concedidos, e o pessoal saiu em massa pra Argentina. Pouco tempo depois haveria um golpe militar na Argentina e a parcela daquelas pessoas que conseguiu escapar com vida se mandou pra Europa. Quase duas décadas mais tarde, Augusto Boal escreveria a bela e comovente peça “Murro em ponta de faca”, sobre esses episódios… (vi no RJ, com um elenco de primeiríssima linha: Othon e Martha Bastos, um ator cujo nome não me ocorre agora, e que em seguida faria muito sucesso na Globo, e uma excelente atriz cujo nome, pra variar, também esqueci. Lembro que o programa da peça era um primor de arte gráfica, em formato revista, com a apresentação dos atores reproduzindo folhas de passaportes…).

    É pura molecagem e falta de respeito negar salvo conduto para quem já recebeu asilo político, e está abrigado numa embaixada há mais de um ano.

    Um governo que se pretende democrático e se dá ao respeito não faz uma coisa dessas. Ditaduras fazem isso; democracias, não!

    Considero inaceitável que o governo brasileiro se submeta a pressão de quem procede dessa forma.

    Se o cara é um criminoso, por que o Brasil lhe concedeu asilo político? Se o Brasil lhe concedeu asilo político, por que permite agora que o tratem como um criminoso?

    E o Gabeira, já se manifestou sobre o caso?

  136. Pax said

    Paulo Nogueira faz uma outra leitura da situação:

    http://www.diariodocentrodomundo.com.br/uma-bofetada-na-bolivia/

    Tô lendo lá e cá, ainda achando tudo muito esquisito.

  137. Elias said

    Zbigniew,

    Lamento, mas o fato é que o Brasil não pode ser dar a esse luxo.

    Todos sabem que para o lado que o Brasil se inclinar, ele arrasta o restante da América Latina (a América do Sul, então, nem se fala…). Não tem jeito. É assim, e… papos encerrados.

    O Brasil simplesmente NÃO PODE aceitar pacificamente o comportamento do governo boliviano. Se a coisa se dá no plano econômico, tudo bem que as sanções sejam aplicadas discretamente (como aconteceu durante o governo Lula).

    No caso desse senador, não dá… É abrir a porteira pra coisas piores…

    A Bolívia negar salvo conduto a alguém que recebeu asilo político do Brasil, é um ato hostil a este último, porque desconsidera decisão soberana tomada nos termos da lei. O Brasil já deveria ter EXIGIDO o salvo conduto.

    Se a Bolívia ignora a soberania brasileira, é mal menor que, para resguardar os direitos humanos de cidadão a quem foi concedido asilo político, o Brasil também ignore a soberania boliviana.

    Em vez de arriar as calças e ficar de quatro, o que o governo brasileiro deveria dizer a Bolívia seria algo assim : “O que passou, passou… E o que não tem remédio, remediado está. Vocês não falam mais nisso, nós não falamos mais nisso e… Bola pra frente! Vamos evitar que casos como esse ocorram no futuro.”

  138. Elias said

    Lamento não concordar com o Paulo Nogueira.

    Não tenho a menor simpatia pela posição política e ideológica do senador boliviano, mas… Ele já foi julgado? Foi condenado em processo judicial onde lhe tenha sido garantido o direito de ampla defesa? Não? Então não posso dizer que o cara É um criminoso, mesmo que, pessoalmente, esteja convencido que o seja.

    O que vale para o Barbosão, vale pro Evo Morales.

    A Dilma ficou surpresa? Pois está ela se surpreendendo com coisa pouca…

    Se o governo brasileiro estava convencido de que o senador boliviano é um criminoso, por que diabos lhe concedeu asilo POLÍTICO?

    Ou não foi “asilo político”, e sim “asilo narcotrafical”? Ou “asilo assassinatorial”?

    Depois de ter concedido asilo político e abrigado o cara na embaixada, o Brasil se torna responsável pela integridade física do indivíduo. Se o cara cair em depressão e se enforcar dentro do quarto, a responsabilidade disso será do Brasil. Se o cara escorregar, cair no chão e fraturar a clavícula da bunda, quem responderá por isso é o Brasil.

    Será que a Dilma ainda não sabe disso? Nenhum assessor dela teve a coragem de dizer isso a ela?

    Nas circunstâncias, o que menos conta é a convicção político-ideológica de quem está no governo.

    A Bolívia deveria ter expedido o salvo conduto e realizado o julgamento do cara “in absentia” (sempre garantindo o direito de ampla defesa). Se ele fosse condenado — aí, sim! — ela pediria a extradição ao Brasil.

    Um tio meu, que durante décadas mandou (e, não raro, desmandou) na política do município onde viveu, costumava dizer que “às vezes, o poder pode mais do que aquele que o exerce”.

  139. Patriarca da Paciência said

    Elias, como na maioria das vezes, concordamos.

    Minha opinião é que o diplomata brasileiro foi corretíssimo.

    O Getúlio Vargas poderia discordar do Guimarães Rosa, dando cobertura para os judeus na época do nazismo. Hoje sabemos que o grande escritor e diplomata não só estava corretíssimo, como realizou um gesto humanitário histórico.

    Mas considero que essa história de trocar o Patriota pelo outro embaixador, é só para acalmar os histéricos da “grande mídia”. Caso contrário, o foguetório poderia se tornar insuportável, tal como a “guarda” do senador boliviano.

    Eu também não sei nada do dito cujo, mas não tenho a menor dúvida da correção do diplomata brasileiro.

  140. Pax said

    Off…

    Tem horas que dá vergonha de ser brasileiro. Essa é uma.

  141. Patriarca da Paciência said

    É , caro Pax,

    mais que vergonhoso mesmo!

    Felizmente, isso é uma minoria, até entre os médicos!

    Eles estão apenas defendendo, ferozmente, como é o costume do capitalismo selvagem, e, principalmente, do capitalismo coronelista brasileiro, uma “reservazinha de mercado”, não importa o custo social que isso tenha para os brasileiros!

    Hoje levei minha esposa ao médico. O mesmo médico que atendia apenas o basiquinho do basiquinho, agora, pelo simples fato de que “os médicos estrangeiros vem aí”, o atendimento foi simplesmente ótimo! E olha que tenho um bom plano de saúde! Imagina o atendimento oferecido em rede pública!

    Não adianta essa turma de arrivistas chorar ou berrar.

    O programa Mais Médicos cada vez ganha mais adeptos e é irreversível!

  142. Zbigniew said

    Elias,
    acho que é por isso mesmo que o Brasil, sob o governo do PT, buscou o firmar sua doutrina externa baseada no “soft power”. Dessa forma, assim se inclinando, mantém a AL como uma região não conflagrada, qualificando-se para intermediar possíveis conflitos, mantendo o ambiente propício para negócios. A Bolívia pode até rosnar, mas, com todo respeito ao seu povo, não tem qualquer ascendência ou pode vir a configurar ameaça ao Brasil.
    O problema está na inação do governo brasileiro, principalmente na figura do seu chanceler, neste caso. E outra: por que o asilo? Há notícias de que o cara é um crápula e procurado pela justiça local. Será que só porque trata-se de um senador estaria configurada a perseguição política? São pontos ainda obscuros e que precisam ser esclarecidos.

  143. Elias said

    Zbigniew,

    O problema desse tipo de análise que fizeste — assim como a do Paulo Nogueira –, é que essas análises abstraem o IMPORTANTÍSSIMO “detalhe” de que, desde JUNHO/2012, ou seja, há mais de um ano, o governo brasileiro concedera asilo POLÍTICO ao cara.

    Ninguém disse nada disso à Dilma? Então o cara tá lá, confinado há mais de um ano na embaixada brasileira, e ninguém, diz nada à Presidente da República? No porrilhão de vezes em que o Ministro das Relações Exteriores se avistou com a Presidente da República, nos últimos 12 meses, ele não a colocou a par desse acontecimento? Não mandou um ofício à Presidente da República? Não transmitiu um fax? Um e-mail? Nada? E por que não? É um acontecimento tão rotineiro, tão corriqueiro, que nem é necessário incomodar a Presidente da República?

    Então a Dilma não sabia de nada? Tu acreditas mesmo nisso?

    Ora… Venhamos e convenhamos: se foi assim, se ninguém disse nada à Presidente da República, então esse ministro deve ser sumariamente exonerado. E, se ele é servidor público efetivo, além de exonerado do cargo de ministro, deve-se meter um PAD nos cornos dele, para justificar sua demissão por desídia, a bem do Serviço Público.

    Se avisou, por que o governo brasileiro não se mexeu?

    E se aparecesse um câncer no pulmão do cara? Iam deixar ele apodrecer em vida, dentro da embaixada? E se ele se matasse? Iam enterrá-lo no fundo do quintal da embaixada, e fingir que não havia acontecido nada?

    Não dá, Zbigniew…

    Quando o país concede asilo político, ele automaticamente assume responsabilidades.

    Por outro lado, o país que não concede salvo conduto a quem já recebeu asilo político, está, na verdade, assumindo uma conduta de desafio ao país que concedeu o asilo.

    Se o desafio da Bolívia fica sem uma resposta firme, daqui a pouco o Peru vai achar que pode fazer o mesmo. O Equador também. Honduras. Colômbia. Haiti. E daí pra pior…

    É a vida… As coisas são assim, e não dá pra fingir que não se sabe disso.

    Quanto à remoção dos diplomatas, ela é inevitável. Até porque não há mais clima pra eles na Bolívia, enquanto o presidente daquele país for o Evo Morales. Tanto o embaixador quanto o Saboya têm que sair de lá.

    Mas seria um absurdo puni-los, por causa de um acontecimento que, de fato, foi motivado pela inércia do governo.

    A solução, para os diplomatas, é fazê-los “cair pra cima”. A remoção tem que ter o sabor de promoção.

    Com a Bolívia, no máximo, deve-se formar uma “comissão bilateral” pra estudar o assunto (nas relações entre países, sempre que se quer abafar um caso, forma-se uma “comissão de alto nível” pra avaliar a situação e fazer recomendações. Aí entra em vigor o diplomatiquês, que…

    A opinião final acabará sendo igual à inicial: o que não tem solução, solucionado está.

  144. Elias said

    Patriarca,

    Uma correção: quem realmente ajudou os judeus durante o nazismo não foi o grande João Guimarães Rosa. Foi a grande tanto quanto Aracy, que, mais tarde se casaria com Guimarães Rosa e passaria a se chamar Aracy Moebius de Guimarães Rosa. Uma mulher lindíssima, por dentro e por fora, que hoje é nome de rua em Israel, e tem seu nome inscrito no “Livro da Vida” que aquele país mantém.

    Aracy renunciou à carreira diplomática pra se casar com Guimarães Rosa. Naquela época, a regulamentação em vigor no Brasil não permitia que marido e mulher permanecessem na carreira. Um dos dois tinha que abrir…

    Pra fazer com que judeus saíssem da Alemanha e viessem para o Brasil, Aracy descumpriu abertamente o que determinava a vergonhosa “Circular Secreta nº 1.127”, de Getúlio Vargas, que virtualmente impedia o ingresso de judeus no Brasil. Como era ela quem despachava os vistos como Cônsul Geral, Aracy fazia isso simplesmente deixando de colocar nos vistos a letra “J”, que, na prática, era a senha pra indeferir…

    Por essa época, Guimarães Rosa era vice cônsul. Não foi dele a ideia de fazer o que Aracy fez. Mas ele fez vista grossa, embora temendo pelo que poderia acontecer a ela.

    E Aracy são só facilitava os vistos, como acompanhava os judeus até o embarque nos navios que os trariam para o Brasil. Ela só sossegava quando os sabia em segurança.

    Bem ao estilo dela, Aracy jamais fez propaganda de seus atos heroicos. Muito tempo depois da II GM, é que vários daqueles judeus cuja vida ela salvara, manifestaram seu estranhamento com o fato do governo israelense ainda não ter prestado as devidas homenagens a Aracy.

    Só então a bela história dessa bela mulher se tornou conhecida.

    A última notícia que tive de Aracy foi há alguns anos. Ela vivia, provavelmente, seus últimos dias de vida, vitimada por uma doença degenerativa…

    A esta altura, deve ter partido… Mas, se existe realmente um paraíso, creio que poucas pessoas o merecem mais que Aracy Guimarães Rosa…

  145. Zbigniew said

    Elias,

    eu concordo com você neste aspecto da inércia do governo brasileiro. Talvez a Dilma até soubesse e tenha determinado ao chanceler as providência cabíveis para a solução do entrevero. Talvez não. Por isso que precisamos de dados concretos para sairmos do campo das ilações.

    Diplomacia é um negócio bastante complexo. Vejam o caso da Síria. Quem em sã consciência acredita que aquele evento do gás venenoso foi obra do governo Sírio? Acreditam que eles seriam estúpidos o bastante para cometer um crime contra a humanidade e dar motivos mais do que suficientes para que os EUA e seus aliados, com a chancela da ONU, invadissem o país? Anulando a contraposição russa e chinesa? Aliás, isso é um padrão que se repete desde o Iraque até à Líbia. É um jogo sujo onde as vidas humanas não têm nenhum valor. Mas quem vai jogar contra, quando sabemos quem são os vencedores e os perdedores? A questão é ganhar a opinião pública interna e internacional. O que demonstra o quanto somos capazes de praticar barbáries para justificar a luta pelo poder e a defesa dos interesses econômicos.

    No caso da Bolívia ao que tudo indica houve a ausência de comando, que se configurou quando um diplomata por conta própria e razões humanitárias(?) (mas em nome de uma pessoa jurídica de direito internacional) resolveu retirar o asilado daquele país. Ora, quebrou-se uma cadeia necessária de eventos devido a complexidade das relações. E não precisam ser apenas de natureza formal. Podem ser também de natureza política. Certas ou erradas elas existem. E o embaixador DEVE obediência ao governo que o indicou. Nesse caso ele simplesmente DESOBEDECEU aos ditames do país. Isto é muito grave. Já imaginou se todos os diplomatas resolverem atuar por contra própria para romper a inércia de um país. Revelaria uma fraqueza espelhada pela falta de comando, organização e disciplina, o que definitivamente não combina com a tradição do Itamaraty.

    Foi necessário o afastamento do Patriota. Assim como deve ser o do diplomata no centro da crise. Mas aí há um preço político que por enquanto é muito alto. Baixando a poeira é provável que ele seja afastado também. E tem que ser. Infelizmente o governo Dilma, neste aspecto, demonstra fragilidade o que tem que ser corrigido de imediato. A receita está em saber combinar a inteligência com a firmeza nas relações internacionais, sem abdicar dos princípios que protegem os direitos humanos e a dignidade da pessoa humana. Mas existe um tempo para tudo isso e esse caso demonstrou que o governo não soube jogar com o mesmo.

  146. Pax said

    a desculpa que Dilma está falando é que o senador boliviano foi “transferido” sem proteção e que todo asilado tem direito à proteção do país que lhe concede… enfim… só repetindo o que a presidente falou

  147. Pax said

    E o Ministério da Defesa soltou esta nota que não bate muito bem com a fala de Dilma

    http://www.defesa.gov.br/index.php/ultimas-noticias/8785-27-08-2013-defesa-nota-a-imprensa-atuacao-de-fuzileiros-navais-na-embaixada-brasileira-na-boliviaA

  148. Jose Mario HRP said

    Sabóia se coloca no rol dos grandes heróis diplomatas que tem isso na alma:
    Respeito oa ser humano acima da politica e acima de trat hierarquico.
    Na Folha SP:

    “Rubens Ricupero, que foi embaixador em Washington, considera que Saboia agiu “até de uma maneira nobre” e que há “valores que se sobrepõem à hierarquia funcional”.

    “É raro no Itamaraty funcionários que agem pela consciência”, afirma Ricupero”

  149. Patriarca da Paciência said

    Elias, 144,

    Você tem razão, o mérito maior foi de Aracy Moebius de Guimarães Rosa. Grande mulher! Fantástica a história dela, mas o João Guimarães Rosa foi também muito corajoso e correto. Foi um casal digno e honrado, para orgulho do nosso Brasil.

  150. Pax said

    assustador…

    http://www.estadao.com.br/noticias/vidae,ambientalistas-veem-aparelhamento-politico-em-ucs-de-sao-paulo,1067490,0.htm

  151. Pax said

    parece que a “coisa” não está muito tranquila neste caso da Bolívia…

    http://agenciabrasil.ebc.com.br/noticia/2013-08-28/embaixadores-se-declaram-impedidos-e-deixam-comissao

  152. Elias said

    É isso aí, Patriarca: Aracy e João Guimarães Rosa. Uma dupla soberba, que enche de orgulho qualquer país!

    Zbigniew,

    Se o negócio for quebra de hierarquia, Aracy de Guimarães Rosa também quebrou a hierarquia. E repetidamente!

    Ela estava errada?

    Gostei da nota do Ministério da Defesa. Isso mantém a coisa totalmente dentro do Itamarati, que é como deve ser.

    Gostei, também, da conduta dos que se declararam impedidos de compor a comissão processante da sindicância. Tem que ser uma comissão totalmente livre de qualquer envolvimento — pessoal ou funcional — com o episódio.

    Aliás, por que “sindicância”? Ainda há dúvida sobre se o tal senador foi conduzido ao Brasil sem salvo conduto?

    Se, no governo brasileiro, ainda há autoridade achando que o que aconteceu pode não ter acontecido, tudo bem.

    Se não há, poderíamos pular por cima dessa frescura e passar direto ao PAD. Até porque Saboya não negou o que fez. Disse clara e publicamente o que fez, quando fez, como fez, com que fez e por que fez. Não ficou encostando o fiofó na parede, como certo tipo de gente costuma fazer…

    Cabe, agora, ao governo brasileiro, na última fase do Processo Administrativo Disciplinar — ou seja, na fase de julgamento — dizer com todas as letras se aprova ou não o procedimento do Saboya.

    Não tem como fugir disso. A menos que se acovarde também no plano interno, e fique enrolando com sindicâncias que nem conseguem começar, quanto mais terminar… Até que a coisa caia no esquecimento.

    Putz! Quanto rabo frouxo…!

  153. Jose Mario HRP said

    Diplomacia e ideologia , as vezes essa formula dá em patuscada!
    Voce dá o asilo , mas segundo agora sabenmos, ele só valia para a em baixada!
    Ou a Dilma é uma calça frouxa ou incompetente!
    Aliás seu viés stalinista aflorou!
    Suspeitando que o antigo embaixador na Bolivia , recem nomeado para a Suecia, sabia da futura operação de retirada do senador boliviano, Dilma Roussef puniu o dito embaixador com a suspensão de sua nomeação para a Suécia!
    Agora só falta manda-lo para o Gulag mais próximo ou jogá-lo pela janela como nas antigas defenestrações!
    KKKKKKK…..
    Meu apoio integral ao Sabóia.
    Porque consciência limpa e leve são o que há!

  154. Pax said

    essas “punições” (mandar o Patriota para uma temporada em NY, por exemplo) e “atos” (sindicância que não vai dar em nada) podem, também, ser um belo jogo de cena… vale nos lembrarmos que nestes jogos, mais vale o que parece do que o quê é efetivamente…

  155. Elias said

    Então o Saboya teria errado não porque retirou o cara da Bolívia, mas porque o retirou “sem proteção”?

    E como seria retirá-lo “com proteção”, sem salvo conduto?

    O Brasil invadiria militarmente a Bolívia, com tropas para dar cobertura ao deslocamento do asilado em solo boliviano?

    Como seria isso? Seriam algumas divisões blindadas com cobertura aérea, ou seria uma operação de “comando”, com equipes de paraquedistas ou fuzileiros navais tomando de assalto a embaixada brasileira, pra tirar o cara de lá? A Globo seria convidada, pra filmar essa “Operação Babaca”?

    É isso? O Brasil invadiria a Bolívia sem declarar guerra? Ou, antes, se declararia em estado de guerra coma Bolívia, por causa do senador asilado?

    Putz! Estou me transformando no governista mais oposicionista da paróquia…

    Falar nisso, interessante a presença de fuzileiros navais brasileiros na Bolívia. Nada mais certo e adequado…

    Me faz lembrar aquela historinha do Banzer com o Geisel… O ditador boliviano apresentava ao brasileiro o ministério miguelito. A certa altura disse Banzer: “E este aqui é o almirante de esquadra Gonzalez, nosso Ministro da Marinha”. Geisel sorriu e apertou a mão do milico miguelito, que, mantendo a tradição cucaracha, exibia pelo menos uns dez quilos de medalhas espetadas no peito. Depois que o cara se afastou, Geisel cutucou Banzer: “Que história é essa, de Ministro da Marinha? Vocês nem tem mar…”. Ao que o Banzer retrucou: “E daí? Vocês, no Brasil, não têm Ministro da Justiça?”

  156. Otto said

    Bom, se o Zé Dirceu se asilar numa embaixada ele pode fugir então com o apoio do embaixador… Estão de acordo?
    Isso pra não falar do Assange.

  157. Elias said

    Parece que um auditor de contas da CGU vai presidir a comissão de sindicância do Itamarati…

    Espera-se que ele não conclua que Saboya errou, não por ter transferido o direitopata boliviano pro Brasil, mas por não ter promovido uma licitação, na modalidade Tomada de Preços, pra fretar um avião no qual transportaria direitopata boliviano pro Brasil (em segurança, porque apoiado por uma força-tarefa da Marinha do Brasil, estacionada no Oceano Índico…).

    Mas a escolha é lógica: se há um problema diplomático, claro que que se deve designar um auditor de contas pra apurar responsabilidades… Assim como quem está com dor de cabeça, procura um podólogo… Ou quem tem problemas cardiovasculares se consulta com um dermatologista…

    Agora, com licença: estou com um problema elétrico em casa… Vou chamar um veterinário, pra ver se ele resolve isso rapidamente.

  158. Jose Mario HRP said

    O Embaixador Souza Dantas, nosso mais digno herói da segunda grande guerra, foi perseguido e atormentado por Getulio Vargas e seu subalterno Aranha, mas coube a Israel homenageá-lo colocando-o no Hall dos Grandes Amigos de Israel!
    O que importa é estar de bem com o espirito, com a alma, de bem com sua consciência.
    Parabens para o Sabóia, porque independente de quem, de que cor, de que ideologia, todos somos seres humanos….e um dia, como dizem nas colônia, seremos todos luz!

  159. Elias said

    A besteirada do governo já começou a render…

    Fazendo pouco caso da inteligência dos destinatários — e da inteligência deles mesmos — os direitopatas brasileiros estão entupindo as caixas de mensagens com a lixarada de sempre: comunistas, Foro SP e… Lá vai m…!

    Recebi montes de mensagens contando uma história pra lá de remelenta e xexelenta… Saboya, os fuzileiros brasileiros e o asilado teriam viajado 22 horas, sem parar, desde La Paz até a fronteira Brasil/Bolívia.

    E como os carros conseguiram essa proeza? A gasolina não acabou? Não…! O senador boliviano é, também, pastor batista. Já Saboya é católico devoto. Os dois se uniram em orações e, então… Aconteceu o “milagre da multiplicação do combustível”!

    Saboya teria chorado, emocionado, ao narrar esse momentoso e milagroso acontecimento…

    Em nenhum momento eles pararam, nem mesmo num posto de gasolina a milhares de quilômetros da capital boliviana, para evitar o risco de prisão do senador.

    Quer dizer: mesmo doente (e vomitando, segundo os relatos), o senador boliviano não saiu do carro nem pra mijar e fazer cocô, porque o carro simplesmente não parou… 22 horas rodando sem parar!

    Mais vigarice, impossível…

    A essa altura do campeonato, até os cisnes daquele lago artificial já sabem como a coisa rolou…

    Né?

  160. Pax said

    bem, este caso recente dos médicos de Cuba – e a agressão corporativista aos profissionais de lá – faz bem, sim, acaba-se bloqueando e/ou desconsiderando quem consegue nos atingir com suas opiniões.. o filtro vai melhorando, como sempre.

    um bom exemplo que nem tudo que se publica deve ser considerado acaba de aparecer, mesmo que ainda confuso (ou seria “cafuso”?)

    http://www.estadao.com.br/noticias/impresso,advogado-revela-acerto-com-cubanos,34329,0.htm

  161. Jose Mario HRP said

    Começou a desconstrução do diplomata Saboia nos blogs de esquerda!
    Gozado, mas não consigo me enquandrar nessa claque de esquerdistas tipo boizinhos de presépio.
    Ter principios quando não agrada a esquerda é ser sabujo de um presidente (da Bolivia) que teima em querer constranger nosso país , mesmo sendo os governos do Lula e da Dilma claramente a seu favor.
    A inadmissivel e ultrajante revista ao avião diplomatico brasileiro em La Paz foi o ápice das estultices desse presidente de republica das bananas!
    Não é porque é de esquerda que por causa disso não possa ser medíocre na condução do país!
    O que ele faz lá no seu país é da conta de seu povo, mas já sobre o tradicional hábito da diplomacia brasileira de sempre dar abrigo aqueles que se desconfia estarem sendo perseguidos em seus país não é da sua conta mesmo!
    Mas eis que Dilma, estalinisticamente, vem protelando a exigencia do salvo conduto,sim, porque se concedeu asilo ao senador boliviano , o concedeu baseada em fatos, provas e argumentos que ensejaram ser verdadeiro o fato de que o mesmo era um perseguido politico!
    Paulo Moreira Leite como porta voz da esquerda(logo ele sempre sereno e tranquilo) desanca o Sr. Saboia, diminuindo a sua figura ao tamanho de um anão intelectualmente e pondo em dúvida sua honra e sua honestidade!
    Não me alinho ideologicamente só por ser eu de esquerda e este governo se dizer também de, mas me alinho com o bom direito, com o bom senso e com o humanitarismo.
    Para mim Dilma, anda muito autoritária, preza ao seu passado doído e que ela vive a bradar e mostrar numa vitimização a beira do ridiculo, querendo impor suas idéias e conceitos e esperando sempre o amém coletivo e o alinhamento automatico daqueles que sustentam seu governo as nem sempre brilhantes ações de seu governo.
    Basta de ser autoritária madame!
    O senador é bandido?
    Porque então lhe deram asilo?
    E porque essa estória , agora, de asilo só na embaixada?
    Ridiculo , inadmissivel e que é figura inexistente no direito e na diplomacia internacionais!

    Capachos como o atual chanceler e o anterior engolem em seco aos gritos da madame.
    Eu não, e não aceito que a pessoa em quem votei se mostre uma quase traidora da classe trabalhadora e das nobres tradições da Casa do Barão do Rio Branco.

  162. Elias said

    Boa, HRP!

    O Patriota jogou a toalha, porque se sabia rifado.

    O Saboya está respondendo a sindicância. Esta, pra ter algum valor, tem que lhe garantir o direito de ampla defesa, que é exercido nas oitivas, durante a “instrução” (em geral, verbalmente), e, por fim, na fase de “defesa”, propriamente dita, que antecede a fase de “relatório” e tem que ser apresentada por escrito (a sindicância, tal como o PAD, é executada em 5 fases: instauração, instrução, defesa, relatório e julgamento).

    E Saboya simplesmente não tem como se defender, sem colocar o Ministro das Relações Exteriores na cena do crime. Foi graças à inércia do ministro que a coisa chegou ao ponto em que chegou.

    Acontece que o ministro é quem deveria julgar a sindicância, em instância mais alta. E como ele poderia julgar um processo administrativo no qual ele figura como acusado?

    Daí porque só restava ao Patriota o desembarque. Ele estava rifado.

    A coisa pode se complicar se Patriota realmente levou a questão à Dilma, e esta fez ouvidos de mercador. Se foi isso, essa coisa ainda vai dar o que falar.

    Sei não… Pra mim, o governo brasileiro deveria passar a conta à Bolívia, que, de fato, é a primeira e principal culpada de tudo. Daria um elogio ao Saboya e diria, em linguagem diplomática, que o procedimento irregular do governo boliviano acabou deixando a embaixada brasileira na Bolívia sem outra alternativa, que não a de recorrer a um procedimento também irregular, tendo, porém, como atenuante, seus propósitos humanitários.

    Mais adiante, Brasil e Bolívia se desculpariam mutuamente. O governo boliviano informaria que julgará o senador “in absentia”, e pediria ao Brasil que, enquanto isso, o mantivesse sob vigilância. O Brasil concordaria. Aí a Bolívia realizaria o julgamento, para o qual pediria o acompanhamento de observadores internacionais. Se o cara fosse condenado, ela pediria sua extradição ao Brasil. Se fosse absolvido, no mínimo o governo boliviano se livraria do bode na sala…

    No fim, entre mortos e feridos, todos se salvariam.

    Esse endurecimento em relação ao Saboya, a meu pensar, é apostar num jogo que o governo brasileiro não tem a menor chance de ganhar.

    Se ganhar do Saboya, o governo brasileiro perde; se perder, perde muito mais…

  163. Elias said

    Alguém poderá perguntar: essa tua proposta já foi aprovada pelos russos?

    O que menos poderia interessar à Bolívia, neste momento, seria uma briga com o Brasil.

    Seria uma briga onde ela tem uma montanha de coisas a perder e absolutamente nada a ganhar…

  164. Pax said

    O editorial da Rede Bandeirantes disse que passamos de ter um Itamaraty orgulhoso para um vergonhoso. Chegamos a tanto? Confesso que não sei. A mim parece um exagero. Neste caso, pegando o gancho da discussão, com certeza não melhoramos a imagem do nosso ministério.

    Agora tem posto novo, do Congresso, em específico da Câmara, que, esse sim, é uma vergonha. Absolveram da cassação o Natan Donadon. Afinal ele roubou (só neste processo julgado e transitado) R$ 8 milhões não corrigidos.

    Pra eles, deputados, corja de pares, é coisa pouca, não merece cassação.

  165. Pedro said

    Toffoli é cliente VIP de banco que ele julga no STF. Ele tem juros subsidiados, o banco tem decisões favoráveis.

    http://www.estadao.com.br/noticias/impresso,ministro-do-stf-relata-acoes-de-banco-no-qual-obteve-emprestimo-milionario-,1069017,0.htm

    Se ao invés do Toffoli fosse o Barbosão…..imagina a gritaria.

  166. Elias said

    Realmente, dizer que o Itamarati agora é um órgão “vergonhoso” é um exagero.

    Aliás, classificá-lo como “orgulhoso” também é outro chute de bico oco…

    “Cauteloso” seria, talvez, o adjetivo mais adequado. Para alguns, em alguns casos, “excessivamente cauteloso”.

    Que seja. Tudo tem seu custo…

    Por ser cautelosa, a diplomacia brasileira acumula poucos erros grandes, em sua história. Pela mesma razão, em alguns casos, perdeu o bonde… (Em outros casos, o bonde foi perdido porque o país não tinha um projeto: fim da Guerra do Paraguai e fim da II GM,p.ex.).

  167. Pax said

    Esse Toffoli…. esse Toffoli…

  168. Elias said

    E o Barbosão que mais um aumento de salário pros ministros do STF. Ele quer salário de R$ 30 mil.

    Tá certo… Eles ganham tão pouquinho… Só R$ 28 mil… Evidentemente que ninguém fala nas consectárias, que cascateiam a remuneração desses nossos queridos magistrados pra muito mais que o salário base, né?

    Falar nas consectárias? Pra quê, meu Deus do céu!? 99% da população brasileira nem sabe o que é isso…! Pra quê complicar?

    É preciso pensar nas necessidades básicas desse pessoal. Com salário base de R$ 28 mil, como será possível manter apartamento nos EUA?

    E como pagar prestação de empréstimo bancário maneiro — digo, mineiro… — com esse salário de fome?

    Barbosão poderia tornar seu projeto de lei mais completo, elevando as férias dos nossos amados magistrados para 4 meses por ano.

    Só 2 meses de férias por ano é pouco… Não dá nem pra curtir o apartamento nos EUA… E se o excelso membro do egrégio STF resolver, além disso, comprar uma casa nos Alpes suíços? Ou uma modesta mansão à margem do lago Como? Hein? Ninguém pensou nisso? Por acaso, isso não tem importância?

    Só com dois meses de férias não vai dar pra relaxar, e as Excelências vão acabar se estressando, por excesso de trabalho…

    Assim também não dá…! É preciso pensar nas necessidades elementares dos membros do STF! É preciso dotar os membros dessa excelsa Corte das condições mínimas para uma existência digna!

Faça seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: