políticAética

Notícias da Corrupção, Desvios, Anomalias, Eleições e Meio Ambiente

  • Sobre o blog

    Uma coletânea das notícias da corrupção, desvios, anomalias, eleições e meio ambiente que aparecem na mídia todos os dias a partir de agosto de 2008.
  • Categorias

  • Arquivos

  • Páginas

  • Meta

Denúncia aponta cúpula do PSDB, DEM e PPS no propinoduto tucano

Posted by Pax em 21/11/2013

Reportagem do Estadão traz denúncia de Everton Rheinheimer, ex-diretor da Siemens, onde aponta que o propinoduto dos trens e metrô de SP abastecia os caixa 2 de Covas, Alckmin e Serra.

Ex-diretor da Siemens aponta caixa 2 de PSDB e DEM e cita propina a deputados

Segundo executivo que participou de acordo de leniência com o Cade, lobista de esquema de setor metroferroviário disse a ele que Edson Aparecido, hoje homem forte do governo Alckmin, e Arnaldo Jardim eram beneficiários de comissões; eles negam.

Fernando Gallo, Ricardo Chapola e Fausto Macedo – O Estado de S.Paulo

Em relatório entregue no dia 17 de abril ao Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), o ex-diretor da Siemens Everton Rheinheimer afirma dispor de “documentos que provam a existência de um forte esquema de corrupção no Estado de São Paulo durante os governos (Mário) Covas, (Geraldo) Alckmin e (José) Serra, e que tinha como objetivo principal o abastecimento do caixa 2 do PSDB e do DEM”.

O ex-diretor da empresa alemã diz também que o hoje secretário da Casa Civil do governo Geraldo Alckmin (PSDB), deputado licenciado Edson Aparecido (PSDB), foi apontado pelo lobista Arthur Teixeira como recebedor de propina das multinacionais suspeitas de participar do cartel dos trens em São Paulo entre os anos de 1998 e 2008.

O ex-executivo, que é um dos seis lenientes que assinaram no mês seguinte um acordo com o Cade em que a empresa alemã revela as ações do cartel de trens, também cita o deputado Arnaldo Jardim (PPS-SP), aliado dos tucanos, como outro beneficiário.

Trata-se do primeiro documento oficial que vem a público que faz referência a supostas propinas pagas a políticos ligados a governos tucanos. Até agora, o Ministério Público e a Polícia Federal apontavam suspeitas de corrupção que envolviam apenas ex-diretores de estatais como a Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM).

As acusações do ex-diretor foram enviadas pelo Cade à Polícia Federal e anexadas ao inquérito que investiga o cartel em São Paulo e no Distrito Federal.

No texto, Rheinheimer escreve que o cartel “é um esquema de corrupção de grandes proporções, porque envolve as maiores empresas multinacionais do ramo ferroviário como Alstom, Bombardier, Siemens e Caterpillar e os governos do Estado de São Paulo e do Distrito Federal”.

Proximidade. Outros quatro políticos são citados pelo ex-diretor da Siemens como “envolvidos com a Procint”. A Procint Projetos e Consultoria Internacional, do lobista Arthur Teixeira, segundo o Ministério Público e a Polícia Federal, é suspeita de intermediar propina a agentes públicos.

O documento faz menção ao senador Aloysio Nunes Ferreira (PSDB-SP), e aos secretários estaduais Aloysio Nunes Ferreira (Energia), Jurandir Fernandes (Transportes Metropolitanos) e Rodrigo Garcia (Desenvolvimento Econômico).

Rheinheimer foi diretor da divisão de Transportes da Siemens, onde trabalhou por 22 anos, até março de 2007.

Ele e outro leniente prestaram depoimento à Polícia Federal em regime de colaboração premiada – em troca de eventual redução de pena ou até mesmo perdão judicial, decidiram contar o que sabem do cartel. Esses depoimentos estão sob sigilo.

Menções. Sobre Aparecido e Jardim, Rheinheimer sustenta em seu texto que “seus nomes foram mencionados pelo diretor-presidente da Procint, Arthur Teixeira, como sendo os destinatários de parte da comissão paga pelas empresas de sistemas (Alstom, Bombardier, Siemens, CAF, MGE, T’Trans, Temoinsa e Tejofran) à Procint”.

De Aloysio, Jurandir e Garcia, diz ter tido “a oportunidade de presenciar o estreito relacionamento do diretor-presidente da Procint, Arthur Teixeira, com estes políticos”. Sobre Aníbal, anotou: “Tratava diretamente com seu assessor, vice-prefeito de Mairiporã, Silvio Ranciaro”.

Ele ainda apontou o vice-governador do Distrito Federal, Tadeu Filippelli (PMDB), e o ex-governador do DF José Roberto Arruda como “políticos envolvidos com a MGE Transportes (Caterpillar)”. A MGE é apontada pelo Ministério Público e pela Polícia Federal como a outra rota da propina, via subcontratações – a empresa era fornecedora da Siemens e de outras companhias do cartel. (continua no Estadão…)

Anúncios

250 Respostas to “Denúncia aponta cúpula do PSDB, DEM e PPS no propinoduto tucano”

  1. Jose Mario HRP said

    Quem tinha o dominio do fato?
    Covas?
    Cerra?
    Alckimin?
    Aoysio Nunes?
    Clovis Carvalho?
    FHC?
    Zé Anibal?
    Walter Feldman?(quem diria ehin?)
    Madeira?
    Paulo Alexandre Barbosa?
    Raul Cristiano Sanchez?
    Paulo Renato?
    São tantos gatunos…….

  2. Patriarca da Paciência said

    E o Barbosão, o que faz?

    Se presta a comemorar um golpe militar, apoiado pela elite escravagista, inconformada com a libertação dos escravos!

    Muito sintomático, diria o notável numerólogo e cabalista ministro Marco Aurélio Melo!

  3. Patriarca da Paciência said

    Aliás o Barbosão já fez e faz, ou seja, deixou que prescrevesse várias acusações contra a turma do PSDB!

  4. Jose Mario HRP said

    Há certas coisas que nosa permitimos só com a chegada dos anos.
    Dr. Celso, acho, se permitiu essa(sensacional e muito pertinente):

    http://ultimosegundo.ig.com.br/politica/2013-11-22/joaquim-barbosa-e-um-homem-mau.html

  5. Patriarca da Paciência said

    Gabeira, aquele deslumbrado que disse que os “seus adversários políticos são apenas suburbanos”, saiu com uma nova “manifestação”, “O efeito mais decisivo, porém, ainda levará muito tempo: a passagem definitiva da esquerda, que dirige o País, para a aceitação plena dos caminhos democráticos, incompatíveis com o princípio de que os fins justificam os meios”

    Pois não é, Sr. deslumbrado, a prisão dos “bandidos” Genoíno, Dirceu e Delúbio vai contribuir muito para isso.

    Todos no PT estavam dispostos a pagar o preço, mas não com essa desproporcionalidade, ou seja, à la ditador Franco, ou seja, se aliar a nazistas, destruir uma aldeia de pobres camponeses, apenas para servir de intimidação e “exemplo” para os adversários!

    Agora já é consenso que não há um só partido no Brasil e, talvez no mundo, que escape da corrupção eleitoral!

    E, dentro do Brasil, o PT, proporcionalmente, é o partido que menos tem apresentado políticos corruptos!

    Será que todos os outros partidos vão ser punidos com o “rigor” aplicado ao PT?

    É claro que não. Nem com o “rigor”, nem levemente.

    Então a coisa foi simplesmente uma revanche, um golpe, um vingança, ou algo kafkiano, como já reconheceu o ministro Lewandowski.

    Se a ideia era intimidação, acredito que terá um efeito inverso.

    Se a ideia foi servir de “exemplo” vai entrar para a história como um completo desastre.

  6. Patriarca da Paciência said

    Isto sim, que é análise lúcida:

    “O efeito mais decisivo, porém, ainda levará muito tempo: a passagem definitiva da esquerda, que dirige o País, para a aceitação plena dos caminhos democráticos, incompatíveis com o princípio de que os fins justificam os meios”

    Pouco antes das seis da tarde do sábado passado, um avião da Polícia Federal aterrissou no aeroporto de Brasília, levando os condenados pelo Supremo Tribunal Federal para começar, de imediato, a cumprir as sentenças recebidas. Três horas mais tarde, foram conduzidos à Penitenciária da Papuda. Entre os presos, havia de tudo – da herdeira de um banco privado a um publicitário dado a práticas heterodoxas na hora de levantar fundos para campanhas eleitorais. Práticas essas, aliás, testadas e comprovadas na campanha do tucano Eduardo Azeredo, em Minas Gerais, em 1998.

    Lembro bem, porque trabalhei nessa campanha, sob as ordens do sempre presente e ativo Duda Mendonça. E fui pago.

    Mas a imagem que importava era outra: era a de José Dirceu, talvez o mais consistente quadro ativo da esquerda brasileira, e de José Genoíno, o antigo guerrilheiro que chegou a presidir o PT, sendo presos. Essa a imagem buscada, essa a imagem conseguida.

    Terminou assim a etapa mais estrondosa de um processo que começou, se desenvolveu e permaneceu vivo o tempo todo debaixo de uma pressão mediática praticamente sem antecedentes neste país de memória esquiva e oblíqua.

    Durante meses, com transmissão ao vivo pela televisão, intensificou-se o atropelo de princípios elementares da justiça. E mais: foi aberto espaço para que vários dos magistrados máximos do país pudessem exibir seu protagonismo histriônico e singular, e no final chegou-se a sentenças próprias do que foi esse julgamento: um tribunal de exceção.

    Jamais foram apresentadas provas sólidas, ou mesmo indícios convincentes, da existência do ‘mensalão’, ou seja, da distribuição mensal de dinheiro a parlamentares para que votassem com o governo de Lula.

    O que sim houve, e disso há provas, evidências e indícios de sobra, foi o repasse de recursos para cobrir gastos e dívidas de campanha. Aquilo que no Brasil é chamado de ‘caixa dois’ e que é parte intrínseca de todos – todos – os partidos, sem exceção alguma, em todas – todas – as eleições.

    Claro que é crime. Mas um crime que deveria ser tratado no âmbito do Código Eleitoral, e não do Código Penal.

    Há absurdos fulgurantes nessa história, a começar pelo começo: o denunciante do esquema do tal ‘mensalão’ chama-se Roberto Jefferson, que pode ser mencionado como exemplo perfeito de qualquer coisa, menos de honradez no trato da coisa pública.

    Ávido e famélico por mais e mais prebendas, além das admitidas na já muito flexível prática da política brasileira, foi freado por José Dirceu, na época poderoso ministro da Casa Civil. A vingança veio a galope: Jefferson denunciou a presença do ‘carequinha’ que levava dinheiro a políticos em Brasília.

    Atenção: na época, o próprio Jefferson admitiu que tinha levado a metade, apenas a metade, dos milhões prometidos para cobrir dívidas de campanha eleitoral, repassados pelo tal ‘carequinha’, o publicitário Marcos Valério, que – vale reiterar – tinha testado esse mesmo esquema em Minas, em 1998, na campanha do tucano Eduardo Azeredo.

    E acusou Dirceu, o mesmo que havia bloqueado seu apetite inaudito, de ser o responsável pelo esquema.

    A entrevista de Roberto Jefferson ao jornal ‘Folha de S.Paulo’ foi o combustível perfeito para a manobra espetacular dos grandes conglomerados mediáticos do país, que desataram uma campanha cuja dimensão não teve precedentes. Nem mesmo a campanha sórdida de ‘O Globo’ contra Brizola teve essa dimensão.

    O resultado é conhecido: caíram Dirceu e, por tabela, José Genoino. Duas figuras simbólicas de tudo que o conservadorismo endêmico deste país soube detestar com luxo de detalhes.
    Todo o resto foi e é acessório. Fulminar Dirceu, devastar a base política de Lula, tentar destroças sua popularidade e impedir sua reeleição em 2006 foram, na verdade, o objetivo central.

    Acontece que em 2006 Lula se reelegeu, e em 2010 ajudou a eleger Dilma. E José Dirceu se transformou no alvo preferencial da ira anti-petista em particular e anti-esquerda em geral.

    Ele foi condenado, pelo grande conglomerado dos meios de comunicação, no primeiro minuto do primeiro dia, muito antes do julgamento no STF. A própria denúncia apresentada pelo inepto procurador-geral da República, Antônio Silva e Souza, depois aprofundada pelo rechonchudo Roberto Gurgel, é um compêndio de falhas gritantes.

    Mas, e daí? Transformou-se na receita ideal para o que de mais moralóide e hipócrita existe e persiste na vida política – e, atenção: judiciária – deste pobre país.

    A manipulação feita pelos meios de comunicação, alimentada por uma polpuda e poderosa matilha de cães hidrófobos, fez o resto.

    Entre os acusados existe, é verdade, uma consistente coleção da malandrões e malandrinhos. Mas o objetivo era outro: era Dirceu, era Genoíno. Era Lula, era o PT.
    Foram condenados, entre pecadores e inocentes, por uma corte suprema que abriga alguns dos casos mais gritantes de hipertrofia de egos em estado terminal jamais vistos no país, a começar pelo seu presidente.

    Dirceu e Genoino foram condenados graças a inovações jurídicas, a começar pela mais insólita: em vez de, como rezam os preceitos básicos do Direito, caber aos acusadores apresentar provas, neste caso específico foi posta sobre seus ombros provarem que não tinham culpa de algo que jamais se pôde provar que aconteceu.

    É curioso observar como agora ninguém parece recordar que Roberto Jefferson teve seu mandato cassado por seus pares porque não conseguiu provar que aconteceu o que ele denunciou.

    Anestesiada e conduzida às cegas pelo bombardeio inclemente e sem tréguas dos meios hegemônicos de comunicação, a conservadora e desinformada classe média brasileira aplaudiu e aplaude esse tribunal de exceção. Aplaude as sentenças ditadas ao atropelo do Direito como se isso significasse o fim da corrupção endêmica que atravessa todos – todos, sem exceção – governos ao longo de séculos.

    A ideia era transformar José Dirceu num caso exemplar e exemplarisante da Justiça.
    Chegaram lá: é a vitória da grande hipocrisia que impera no país.

    O Supremo Tribunal Federal não se fez tímido na hora de impor inovações esdrúxulas.

    Afinal, uma única coisa importava e importa: a imagem de José Dirceu e José Genoino sendo presos.

    Para o conservadorismo brasileiro, era e é como uma sobre-dose após tempos de abstinência aguda. Pobre país.

  7. Patriarca da Paciência said

    o texto acima é de Eric Nepomuceno

    http://www.brasil247.com/pt/247/artigos/121459/Anota%C3%A7%C3%B5es-sobre-uma-farsa.htm

  8. Elias said

    Patriarca,
    O texto do Nepomuceno está corretíssimo numa coisa: entre os presos, há quem tenha sido condenado sem provas. Dispondo de todo o apoio da grande mídia, os caras não foram capazes de mostrar, p.ex., uma única prova contra o Dirceu. Aí, velhos e neo direitistas são obrigados a repetir o coro fascistóide, de que o cara é culpado simplesmente porque não pode ser inocente.

    Mas esses caras estão certos, Patriarca… Luta política é isso! O objetivo da luta política é estraçalhar o inimigo, seja de que jeito for.

    Quem está errado é o PT…

    O partido político que, até aqui, conseguiu estabelecer a melhor interlocução com as massas, incrivelmente não sabe como lidar com inimigos.

    Ou melhor, sabe, mas teima em não fazer com os inimigos, aquilo que os inimigos tão bem sabem fazer com ele.

    Vê, agora: quais os grupos políticos que podem derrotar o PT?

    Simples: o PSDB, o PMDB e, distante, mas ainda possível, o PSB de Marina.

    Cada um deles tem verdadeiros hangares de vidro. Se bem trabalhados, os hangares de MG e SP podem rapidamente ser transformado num monte de entulho.

    O Joaquim Barbosa & outros, idem. A Editora Abril, a FSP e o Estadão, têm enormes pés de barro.

    O que o PT precisa fazer, pra manter e ampliar o poder que tem?

    Simples: precisa detonar com os inimigos, dando preferência àqueles que podem derrotá-lo.

    E o PT realmente vai detonar com pelo menos um desses inimigos?

    Duvido!

    Vai tentar negociar, manter a paz, deixando que os inimigos se fortaleçam e, mais adiante, golpeiem com mais força.

    Lá pelo início dos anos 1.500, um florentino — o Nicolau — já ensinava que isso é burrice.

    Certos confrontos são inevitáveis… E, se alguém adia um confronto inevitável, quando pode vencê-lo, o faz apenas em desfavor de si mesmo, e em benefício do inimigo.

    Aí, é como no futebol: quem não faz, leva!

  9. Pax said

    Interessante, caixa 2 agora virou eufemismo do fato.

    E qual é o fato? A resposta é bem simples: roubalheira de dinheiro público pra sustentar campanha eleitoral.

    Este é o crime: roubalheira de dinheiro público. Das mais disfarçadas formas que vocês queiram imaginar.

    E o eufemismo? Caixa 2 para campanha eleitoral.

    O noticiário paulista, assim como noticiário mineiro, assim como todo o noticiário sobre a mesma questão – incluindo o mensalão petista – não é sobre o eufemismo. É sobre o fato.

    E é no fato que o PT não se diferencia em nada de todos.

    No eufemismo? Bem, aí entram as torcidas organizadas, a hidrofobia, o fla x flu.

  10. Otto said

    Ah, Pax, não houve dinheiro público coisa nenhuma! Visanet não é publica e o BB não pôs dinheiro no fundo de propaganda da Visanet.

    Foram culpados (de crime de caixa 2)? Punam-se todos, desde que haja provas. Mas punam-se todos mesmos, a começar pelo PSDB/DEM que inventou o esquema (e no caso usou mesmo dinheiro público das estatais mineiras).

  11. Pax said

    Tem um nome interessante que volta a aparecer quando o tucanato é pego com suas plumas esmerdalhadas… Walfrido dos Mares Guia.

    Só pra gente ter ideia do porque afirmo que todos são da mesma cepa, da mesma laia, do time que exige urgente expansão da Papuda, vamos lá, analisar este, entre tantas outras comprovações, que falamos do mesmo saco onde os gatos estão:

    Walfrido era do PSDB, foi eleito vice-governador de Eduardo Azeredo, que meteu a mão nos cofres públicos para sua campanha em 94 inaugurou o modelito Marcos Valério como operador do esquemão.

    Logo depois bandeou-se para a campanha de Ciro Gomes, foi cuidar dos esquemão deste, na campanha de 2002.

    Como ganhou Lula e minha afirmação se confirma – todos são gatos do mesmo saco – virou ministro deste. Walfrido saiu de uma quadrilha, passou por outra e se instalou na terceira.

    E aí, os gatos da vez caíram por terra, não só porque fizerem mais do mesmo (o tal eufemismo que tenta esconder o fato), como, numa inacreditável incompetência, nem criaram um modelito novo, pegaram a coleção passada e reeditaram os fatos. Com o mesmo estilista do mesmo atelier, o Marcos Valério e sua trupe criadora de dutos.

    Hoje Walfrido está no PSB de Eduardo Campos. Junta todos desta promessa, Walfrido, Fernando Bezzerra (que bezerrava nas tetas num ministério de Dilma até a pouco), Walter Feldman (ex-tucano que se converteu para a igreja da REDE recentemente, mas se amoita na sigla de Campos, o PSB) e aí temos uma mixórdia que – desculpem-me dizer – confirma tudo que digo.

    Que é simples pacas: todos são gatos do mesmo saco.

    E quem paga a conta? Ora, veja lá quanto você paga de imposto, quanto recebe em serviços do governo, e descubra por tua conta.

  12. Pedro said

    Bom, cadeira elétrica não pode, então, meia duzia de políticos tucanos na cadeia já seria uma boa.

  13. Pax said

    A gente poderia propor um novo modelo eleitoral para o Brasil, caso a Justiça funcionasse igual para todos os gatos do mesmo saco:

    Um campeonato de futebol no campo da Papuda. De novo, caso a Justiça funcionasse para todos os gatos do mesmo saco.

    Ficaria super apropriado, torcidas de um lado, torcidas de outro, a bola rolando, quem jogasse um futebol melhor ganhava o governo.

    No fundo, no fundo, é isso que se transformou a política nacional, haja vista tão farto noticiário. Torcidas de um lado e torcidas de outro. E todos com o mesmo bordão: meus ladrões são mais bacanas que os teus.

  14. Patriarca da Paciência said

    Elias,

    eu escrevi que acho que o PT já começou a reagir e coloquei um trecho do discurso do Ricardo Berzoini na tribuna da Câmara. Como o Pax excluíu, vou colocar apenas o link. Acho que foi um discurso forte de um líder representativo do PT:

    http://www.brasil247.com/pt/247/brasil/121460/Berzoini-Barbosa-%C3%A9-nefasto-e-desonesto.htm

  15. Elias said

    Patriarca,
    Isso é o mínimo.

    Veja, p.ex., o que está ocorrendo em São Paulo.

    Se ninguém for detonado nesse lance, é como passar de canoa por dentro de uma piracema e voltar pra casa de samburá vazio…

    O Joaquim Barbosa já deveria estar respondendo PAD, por exercer ilegalmente cargo de direção de empresa no exterior (pior: empresa constituída pra evitar recolhimento de impostos), usar ilegalmente imóvel público como endereço de empresa privada, etc, etc.

    Aí tem o pessoal de MG…

    Depois, tem a hoje turma da Marina…

    Enfim, o milharal tá pronto pra colheitadeira…

    Mas não tenho muitas esperanças de que o PT fará algo pelo menos parecido.

    Mais que provavelmente, vai se limitar a pronunciamentos protocolares, como o do Berzoini. Depois, cada um vai cuidar da própria vida (leia-se: eleição, reeleição…).

    No frigir dos ovos, isso é sintoma da fadiga de material…

    Sabe-se que um partido político está acabando quando ele perde o ânimo de luta.

    Quando a gente perde o tesão pela troca de porrada, é porque tá na hora de vestir o pijama…

  16. Pax said

    Será que o PT perdeu o tesão pela porradaria política ou porque o PT perdeu moral pra falar da corrupção dos outros?

    Confesso que mais me parece a segunda opção.

  17. Otto said

    “Direitos foram violados pelo STF”, diz jurista

    por Luiz Felipe Albuquerque

    Do Brasil de Fato SP

    O julgamento do caso do “Mensalão” foi político e inconstitucional, na avaliação de Celso Antônio Bandeira de Mello, que é reconhecido como um dos mais brilhantes e respeitados juristas brasileiros.

    Professor Emérito da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC- -SP), Bandeira completa 77 anos na próxima semana envergonhado com o papel cumprido pelo Supremo Tribunal Federal (STF) no julgamento.

    “Esse julgamento é viciado do começo ao fim. Agora, os vícios estão se repetindo, o que não é de estranhar. Não vejo nenhuma novidade nas violações de direitos. Confesso que fiquei escandalizado com o julgamento”, diz.

    Nesta semana, 11 condenados do processo foram presos, como o ex-presidente do Partido dos Trabalhadores (PT), José Genoíno, e o ex-ministro da Casa Civil do governo Lula, José Dirceu. Bandeira critica o “açodamento” das prisões e considera “gravíssimo” o tratamento dado a Genoíno, que passou recentemente por uma cirurgia no coração e está doente.

    A prisão dos condenados da ação antes do julgamento dos embargos infringentes cumpriu o rito jurídico?

    Houve um açodamento. Começaram a cumprir em regime fechado mesmo aqueles que deveriam estar em regime semiaberto. A meu ver, todo o julgamento foi ilegal. Diria até inconstitucional. A começar, por suprimir uma instância, quando fizeram todos serem julgados no STF, o que não era o caso. Esse julgamento é viciado do começo ao fim. Agora, os vícios estão se repetindo, o que não é de estranhar. Não vejo nenhuma novidade nas violações de direitos. Confesso que fiquei escandalizado com o julgamento.

    Por que José Dirceu e José Genoíno foram levados para Brasília, se trabalham em São Paulo?

    Foi por exibição do presidente do Supremo [Joaquim Barbosa] , que saiu de foco por uns dias e quis voltar. Mas é uma mera interpretação subjetiva. Só posso dizer que é uma coisa lamentável. Não há nada que justifique. Em princípio, eles deveriam cumprir a pena o mais próximo possível das residências deles. Se eu fosse do PT ou da família pediria que o presidente do Supremo fosse processado. Ele parece mais partidário do que um homem isento.

    Genoíno deveria receber um tratamento diferente pelo fato de estar doente?

    É gravíssimo. Tenho quase 80 anos de idade e nunca na minha vida vi essas coisas se passarem. Nunca. Ele tinha que ter um tratamento em função do estado de saúde dele. É o cúmulo o que está se passando. É vergonhoso.

    Genoíno e Dirceu dizem que são inocentes e que são presos políticos em plena democracia. Como o senhor avalia isso?

    Eles têm razão: foi um julgamento político. Não foi um julgamento com serenidade e isenção como deveria ter sido. Basta ver as penas que eles receberam, piores do que de indivíduos que praticaram crimes com atos de crueldade e maldade.

    José Dirceu foi condenado com base na teoria do domínio do fato. Existem provas concretas que o condenasse?

    Esse é outro absurdo. Não existe nenhuma prova concreta que justifique essa atitude. É simplesmente um absurdo e um retrocesso no Estado de Direito. Primeiro, o próprio elaborador dessa teoria [o jurista alemão Claus Roxin] já afirmou que foi mal aplicada. Segundo, essa teoria é uma bobagem, pois contraria princípios do Estado de Direito. Uma pessoa é inocente até que se prove o contrário. Isso é uma conquista da civilização. Portanto, são necessárias provas de que realmente a pessoa praticou um crime ou indícios fortíssimos. Sem isso, não tem sentido.

    Genoíno foi condenado por ter assinado um cheque de um empréstimo como presidente do PT. Depois, o valor foi pago pelo partido. Esse procedimento justifica a condenação dele?

    Não justifica. As condenações foram políticas. Foram feitas porque a mídia determinou. Na verdade, o Supremo funcionou como a longa manus da mídia. Foi um ponto fora da curva.

    E a atuação do ministro Joaquim Barbosa?

    Certamente, ele foi o protagonista principal, mas não foi o único, porque não podia ter feito tudo sozinho. Quem brilhou nesse episódio foi o ministro Ricardo Lewandowski, que foi execrado pela mídia e pela massa de manobra que essa mesma mídia sempre providencia. Se o Judiciário desse sanções severíssimas à mídia, como multas nos valores de R$ 50 milhões ou 100 milhões, agiriam de outro jeito. Mas com as multinhas que recebem, não se incomodam a mínima.

    Você acredita em uma contra ofensiva em relação ao Poder Judiciário, diante das contradições cada vez mais evidentes nesse episódio?

    Acho muito difícil, porque a mídia faz e desfaz o que ela bem entende. Na verdade, foi ela a responsável por tudo isso. O Supremo não foi mais que as longa manus da mídia.

    http://www.viomundo.com.br/politica/bandeira-de-mello-se-eu-fosse-do-pt-ou-da-familia-pediria-que-o-presidente-do-supremo-fosse-processado.html

  18. Chest said

    Uma pergunta: de acordo com os estatutos do PT ele não tinha que expulsar os mensaleiros presos?

  19. Otto said

    Secretários de Alckim serão afastados?

    Por Altamiro Borges

    As revelações bombásticas do ex-diretor da Siemens, Everton Rheinheimer, de que vários secretários do governador Geraldo Alckmin (PSDB-SP) estiveram metidos no bilionário esquema de propinas da multinacional alemã seriam suficientes para justificar a imediata exoneração dos citados. O executivo deu nome aos bois – ou melhor, aos tucanos: Rodrigo Garcia (Desenvolvimento Econômico), Edson Aparecido (Casa Civil), José Aníbal (Energia) e Jurandir Fernandes (Transportes Metropolitanos). Ele também incluiu na lista da sujeira o senador Aloysio Nunes Ferreira, o deputado estadual Campos Machado (PTB) e o ex-tucano Walter Feldmann, que hoje é aliado fiel da verde Marina Silva.

    Segundo farta documentação apresentada por Everton Rheinheimer, obtida com exclusividade pelo insuspeito Estadão, todos os citados embolsaram grana da empresa alemã, ajudando-a em contratos com o governo paulista, e utilizaram o dinheiro no esquema de caixa-2 do PSDB em várias eleições. O ex-executivo também incluiu na lista do propinoduto nomes do DEM e do PPS – duas legendas que adoram se travestir de paladinas de ética. Diante das novas e graves denúncias, a bancada do PT na Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp) decidiu propor a imediata exoneração dos mencionados.

    O deputado Alencar Santana (PT) já anunciou que solicitará a convocação dos atuais secretários para prestarem esclarecimentos. A tarefa não é fácil, já que os tucanos têm folgada maioria na Alesp e são famosos por sabotar qualquer tentativa de apuração de escândalos de corrupção em São Paulo. Além disso, os chefões do PSDB contam com a generosidade da mídia – por motivos econômicos (fortunas em publicidade) e políticos (o principal partido da direita nativa). As graves denúncias do ex-diretor da Siemens não puderam ser ocultadas. Mesmo assim, o tratamento na cobertura midiática é seletivo.

    Quando ministros do governo Dilma foram vítimas de denúncias vazias, sem provas, a mídia fez um enorme escarcéu exigindo a imediata exoneração. Manchetes diárias, comentários raivosos na tevê e rádio, cerco permanente dos citados e linchamento público. Com os atuais secretários do governador Geraldo Alckmin o tratamento é mais “civilizado”. A mídia amiga relativiza as denúncias e ainda tenta confundir os leitores e telespectadores, apostando no diversionismo. Se não houver pressão das ruas e coragem dos parlamentares, a tendência é que o propinoduto tucano seja logo esquecido!

    http://altamiroborges.blogspot.com.br/2013/11/secretarios-de-alckim-serao-afastados.html#more

  20. Jose Mario HRP said

    Quatro secretários estaduais e um senador da República envolvidos no trensalão paulista!
    PSDB!
    E em paralelo a turma da máfia do ISS da Prefeitura paulistana, complica Cerra, ja complicado no trensalão!
    Somadas as duas roubalheiras são dez vezes maior que o mensalão dito do PT!
    Tucano sempre na frente!
    Aquele mote repetido a exaustão na Globo e Bandeirantes , do maior escandalo da República fica pra trás!
    E a concessão do aeroporto do Galeão?
    17 bilhões de reais!
    Junto com Confins deu 19 bi, mais de tres vezes a venda da Vale!
    FHC, rifou o país a preço de banana, sem volta!
    Parabens eleitor dele!

  21. Patriarca da Paciência said

    Em 1961, a filósofa alemã de origem judaica Hannah Arendt foi a Jerusalém cobrir para a revista New Yorker o julgamento de Adolf Eichmann. Eichmann havia sido capturado em Buenos Aires pelo serviço secreto. Durante o nazismo, fora chefe da Seção de Assuntos Judaicos e responsável pela organização do esquema de deportação para os campos de extermínio.

    A reportagem saiu em duas edições e, posteriormente, virou o livro “Eichmann em Jerusalém: um relato sobre a banalidade do mal”. Essa expressão, que ela consagrou, estava na última linha do último capítulo do livro. Arendt se assombrou com a mediocridade de Eichmann, um burocrata que só se utilizava de clichês para falar, sem traços de anti-semitismo, um funcionário ambicioso sem discernimento moral e dotado de cega obediência aos superiores. Onde estava o monstro?

    Publicado seu relato, ela foi acusada de nazista, perdeu amigos, recebeu ameaças de morte. Tocava no assunto delicado da cooperação de organizações judaicas no transporte para os campos. E criticou duramente o julgamento.

    O que ela conta sobre o sensacionalismo em torno da corte cabe no que se viu aqui, transmitido ao vivo, durante o processo do mensalão.

    Segundo Arendt, o julgamento, que deveria ser grandioso, perdia dimensão com a pequenez do réu e a atitude da promotoria e com o clima de “acerto contas”. Era algo que o estado israelense queria transformar em um espetáculo inesquecível para as próximas gerações. Ela insiste na teatralidade que colocava em xeque a noção de justiça do caso.

    Para Arendt, o julgamento “foi instaurado não para satisfazer as exigências da justiça, mas para aplacar o desejo e talvez o direito de vingança das vítimas”. Enxergava a o seguinte paralelo: “Um julgamento parece uma peça de teatro porque ambos começam e terminam com o autor do ato, não com a vítima”. Eichmann se transformou no símbolo do nazismo e estava pagando por todos os crimes do regime — e também pela perseguição histórica aos judeus. Foi condenado e enforcado (Arendt, diga-se, não o absolve).

    Arendt denunciou a vontade insaciável do promotor Gideon Hausner de aparecer. Estava na imprensa o tempo todo, lançava olhares para a plateia, gostava das câmeras e sabia se utilizar delas (o julgamento foi televisionado; está no YouTube). Hausner ganhou elogios públicos de John Kennedy por sua atuação. Mais tarde, teve ele mesmo uma carreira política.

    “A Justiça não admite coisas desse tipo”, disse ela, referindo-se à vaidade e ao exibicionismo.”Ela exige isolamento, admite mais a tristeza do que a raiva, e pede a mais cautelosa abstinência diante de todos os prazeres de estar sob a luz dos refletores.” Luz sem a qual Joaquim Barbosa, por exemplo, não sobrevive.

    A história da filósofa em Jerusalém, aliás, está no bom filme “Hannah Arendt”, lançado neste ano no Brasil. Existe em DVD.

    http://www.diariodocentrodomundo.com.br/hannah-arendt-e-o-prazer-de-joaquim-barbosa-com-a-luz-dos-refletores/

    Minha opinião é que o PT subestimou e desprezou o “poder” dos proprietários da “grande” imprensa e ela se vingou.

    Até pode ter o seu “direito” de vingança, mas foi sobretudo um enorme erro do PT. Um grande general nunca subestima qualquer inimigo! E vingança não é, nunca foi e nunca será Justiça.

    Há pessoas muito inteligentes na “grande” imprensa e logo elas farejaram a “pavonice” do Barbosão, seu ego enorme, sua megalomania. Também farejaram o arrivismo do Fux e o oportunismo do Ayres Britto etc .etc.etc..

    E o PT continuou subestimando o inimigo.

    Só espero mesmo que o PT tenha aprendido com seus erros.

    Tenho certeza de que o PT sobreviverá e, se tiver a humildade de aprender com esse erro enorme, ficará até mais fortalecido!

  22. Pax said

    Caro Patriarca (e demais),

    Sabe o que me incomoda? Esse coitadismo e vitimismo.

    Até parece que o PT é o partido mais bobinho que já apareceu no Brasil, que nunca soube se defender, que nunca soube bater nos outros quando não era poder etc etc.

    Já lá se vão quase 12 anos de poder. Ou é formado por burros – o que não é – ou esse coitadismo fica patético.

    O PT comeceu seus erros – e acertos – com muita consciência. E suas burrices também, como por exemplo usar os mesmíssimo dutos do tucanato.

    E aí?

    Ora, e aí que está pagando pelos erros, mas também colhendo pelos acertos. Na fotografia eleitoral de agora ganha no primeiro turno ano que vem. E ganha de goleada.

    Por mais que exista uma mídia assim ou assado, por mais que tenha em seus quadros históricos gente que hoje se encontra na Papuda (só sinto pelo Gonoino, por mim que fosse logo aposentado na Câmara e pudesse ter a prisão domiciliar decretada).

    E o STF? Bem, é um outro poder da República, com acertos e erros (muitos), mas não custa lembrar que a maioria dos ministros que hoje está lá foi indicada por Lula e Dilma. É o papo que a oposição diz? É, mas é que, neste ponto, a oposição tem razão.

    Esse coitadismo não resolve nada. Absolutamente nada.

    O que resolve é o PT escutar discursos como o do Valter Pomar (aliás, até no site do Zé Dirceu está publicado) e aprender que as alianças que fez garantiu o poder, sim, mas garantiu, também, que a traição acontecerá cedo ou tarde. Basta o PT perder poder que todos os aliados políticos se movem para onde o poder foi.

    O PT não fez as reformas que poderia fazer, com imensa maioria no Congresso, com a faca e o queijo às mãos. E não fez somente por um motivo, claro como água de nascente: porque gostou de jogar o jogo jogado. Simples pra caramba.

    Que colha os frutos e os tombos dessa decisão.

    Mas, de novo, esse coitadismo chega ao ponto de ser um tanto patético, no meu modo de ver.

    Com as devidas vênias de todos.

  23. Chest said

    notícia da Folha de São Paulo.

    O ex-diretor da Siemens Everton Rheinheimer negou ontem em nota ser o autor das denúncias segundo as quais empresas que fornecem para o Metrô e a CPTM abastecem o caixa dois dos tucanos em São Paulo há mais de 20 anos. “Vejo-me na obrigação de esclarecer que os documentos devassados e as informações publicadas como se fossem de minha autoria foram distorcidos e não condizem com a realidade”, diz.

    Ele diz que não será “suscetível a eventuais pressões ou discussões políticas paralelas à apuração da verdade”. O ex-diretor nega ter pedido ao PT o cargo de diretor da Vale como recompensa às informações que prestara. O documento não é assinado, mas traz uma série de informações que apareciam associadas ao ex-diretor.

    O relato diz que o principal secretário do governador Geraldo Alckmin (PSDB), Edson Aparecido (Casa Civil), recebeu propina do lobista Arthur Teixeira, acusado de intermediar o pagamento de comissões de empresas que atuam no mercado de trens. Também é acusado de receber propina o deputado federal Arnaldo Jardim (PPS-SP). Ambos negam a acusação.

    São citados como próximos do lobista mais três secretários de Alckmin: Jurandir Fernandes (Transportes Metropolitanos), José Aníbal (Energia) e Rodrigo Garcia (Desenvolvimento Econômico). Garcia é do DEM. O senador Aloysio Nunes (PSDB-SP), os deputados Walter Feldman (PSB-SP) e o deputado estadual Campos Machado (PTB) também eram mencionados. Todos refutam a acusação com veemência.

    O Ministério da Justiça apresentou uma nova versão sobre a origem da denúncia: o documento foi entregue ao gabinete do ministro José Eduardo Cardoso por Simão Pedro, deputado licenciado do PT e secretário de Serviços da Prefeitura de São Paulo. Procurado pela Folha, ele não quis se pronunciar.

    A versão visa preservar o Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica), segundo a Folha apurou. O órgão responsável pela defesa da concorrência, que investiga o cartel no mercado de trens denunciado pela Siemens, é acusado por tucanos de agir de acordo com interesses políticos do PT.

    Se o documento com acusações aos tucanos tivesse partido do Cade, as desconfianças só cresceriam. Empresas acusadas de cartel pela Siemens poderiam acusar o órgão de operar para o PT e tentar anular o acordo que a multinacional alemã assinou.

    O presidente do Cade, Vinicius Carvalho, foi chefe de gabinete de Simão Pedro e escondeu essa informação do seu currículo. A versão do ministro contraria memorando assinado pelo delegado da Polícia Federal Braulio Cezar da Silva Golloni, coordenador de Polícia Fazendária em Brasília.

    No dia 11 de junho deste ano, Golloni escreveu o seguinte ao enviar o documento para São Paulo: “Encaminho a vossa senhoria denúncia recebida via Cade nesta coordenação”. O delegado Milton Fornazari Jr., responsável em São Paulo pelo inquérito sobre o cartel, confirma em 27 de junho que recebeu informações remetidas pelo Cade.

  24. Patriarca da Paciência said

    Caro Pax,

    se houver uma coisa que sequer passa pela cabeça de um petista consciente é coitadismo! José Dirceu está se comportando como o verdadeiro líder que é e sairá bem mais fortalecido e engrandecido desse equívoco lamentável.

    E o lema de “NÃO abandonar companheiros sangrando à beira da estrada – isto é coisa dos adversários”, pode até se tornar o bordão da próxima campanha eleitoral.

    Você viu a entrevista do Genoino? Em nenhum momento ele se fez de coitadinho!

    Reconhecer os erros não é coitadismo!

    É preparação para o próximo embate! E agora, conscientes dos erros cometidos!

    Barbosão, Fux e Ayres Britto – nunca mais!

  25. Chest said

    http://otambosi.blogspot.com.br/2013/11/ministro-da-justica-nao-ministro-do-pt.html

  26. Patriarca da Paciência said

    E, para ele, não há mais remédio, uma vez que as condenações e as prisões já são um dado do passado; ex-presidente tem dito abertamente que indicação de Joaquim Barbosa ao Supremo Tribunal Federal foi seu maior equívoco nos oito anos em que foi presidente da República; sugestão foi feita por Frei Betto e chancelada pelo ex-ministro da Justiça, Marcio Thomaz Bastos; intenção de Lula era encontrar um ministro negro para marcar o compromisso do governo com a inclusão social

    http://www.brasil247.com/pt/247/brasilia247/121712/Lula-j%C3%A1-n%C3%A3o-esconde-Barbosa-foi-seu-maior-erro.htm

    Assim como o maior erro de Salvador Allende foi nomear Pinochet!

    Mas como disse São Francisco de Assis, “é errando que se aprende!”

  27. Pax said

    O maior erro de Lula foi Joaquim Barbosa?

    Hum…

    O maior erro de Lula foi se entregar ao “mais do mesmo”. Se estamos falando em erros – e não nos acertos, é isso aí.

    O maior erro de Lula é ético e moral. Escorregou por conta própria nos mesmos esquemões que sempre criticou. Se não fez diretamente, mandou fazer.

  28. Patriarca da Paciência said

    Já o Gilmar Mendes foi o maior acerto do FHC!

  29. Pax said

    Para FHC vale a mesmíssima colocação:

    O maior erro de FHC é ético e moral. Escorregou por conta própria nos mesmos esquemões que sempre criticou. Se não fez diretamente, mandou fazer.

  30. Chest said

    Claro, FHC=Lula…….(ai, ai, ai)

  31. Pax said

    Caro Chesterton, velho, bom e rabugento Chesterton,

    Aponte grandes diferenças éticas e morais entre os dois, se puder.

  32. Chest said

    Só uma, FHC não tentou anular os outros poderes como Lula faz.

  33. Pax said

    E a famosa história da emenda da reeleição? E os acordos com Arruda, ACM, Sarney? Pode ter mudado um tico aqui, outro ali, mas na essência, sei não, me parece muito semelhante.

  34. Chest said

    Então tá, Pax, o PT é só um partido igual aos outros.

  35. Otto said

    FHC foi cooptado pela CIA. Sua missão: quebrar, fatiar e vender o Brasil.

  36. Patriarca da Paciência said

    Vejam só como a antropologia desmente completamente as teorias dos “neocons”. Disse um dos seus representantes mais ilustres, o sádico Friedman (A época de ouro da humanidade foi o século XIX, ou seja, quando homens, mulheres e crianças trabalhavam de 12 a 16 horas por dia sem desfrutar de qualquer direito trabalhista) que o “normal” do ser humano é ser egoísmo e a ganância e a força que move o mundo. Se existem joaquins barbosas pelo mundo, existem também essas crianças africanas:

    Um antropólogo estava estudando os usos e costumes de uma tribo africana e, quando terminou seu trabalho, teve que esperar pelo transporte que o levaria até o aeroporto de volta para casa. Sobrava muito tempo, mas ele não queria catequizar os membros da tribo.

    Então, propôs uma brincadeira para as crianças, que achou ser inofensiva. Comprou uma porção de doces e guloseimas na cidade, colocou tudo num cesto bem bonito com laço de fita e deixou o cesto debaixo de uma árvore. Chamou as crianças e combinou que quando ele dissesse “já”, elas deveriam sair correndo até o cesto, e a que chegasse primeiro ganharia todos os doces que estavam lá dentro.

    As crianças se posicionaram na linha demarcatória que ele desenhou no chão e esperaram pelo sinal combinado. Quando ele disse “já”, instantaneamente todas as crianças se deram as mãos e saíram correndo em direção à arvore com o cesto. Chegando lá, começaram a distribuir os doces entre si e a comerem felizes.

    O antropólogo foi ao encontro delas e perguntou por que elas tinham ido todas juntas se uma só poderia ficar com tudo que havia no cesto e, assim, ganhar muito mais doces.

    Elas simplesmente responderam: “UBUNTU, tio. Como uma de nós poderia ficar feliz se todas as outras estivessem tristes?”.

    Segundo a Wikipedia, Ubuntu “é uma filosofia africana que foca nas alianças e relacionamento das pessoas umas com as outras”, uma tradução possível para a língua portuguesa seria “humanidade para com os outros” ou ainda “sou o que sou pelo que nós somos”.

    Fonte: Livro “Pense Grande” – Alex Bonifácio

    Indico muito este livro, ele apresenta as atitudes e valores de pessoas de alto desempenho, com histórias inspiradoras de Ayrton Senna, Gustavo Borges, Albert Einstein, Amyr Klink, Thomas Edison e outros. Excelente livro. Fica a dica. Boa leitura.

    O livro “Pense Grande” pode ser adquirido em nossa loja virtual por R$ 24,90 através do link:

    http://www.loja.amagiadomundodosnegocios.com.br

  37. Patriarca da Paciência said

    “Franz Fanon já chamava a atenção há mais de meio século para um regime de dominação racial em que a aceitação dos negros é condicionada à sua rendição aos (e reprodução dos) valores brancos. E daí? Podemos argumentar que não cabe aos negros transformar o mundo destruído pelos brancos. De fato, uma das perversas equações do racismo é responsabilizar suas vítimas. O caso de Barbosa é ilustrativo, no entanto, das artimanhas do racismo e dos limites e possibilidades da identidade negra coletiva. A imaginação racista à esquerda diría que Joaquim Barbosa é um negro que se embranqueceu. A imaginação racista `a direita, mais sofisticada, tem produzido a imagem pública de um juíz pós-raça (neutro, justo…enfim, a encarnação da Lei). Joaquim Barbosa seria aceito porque, ao contrário de muitos de nós, ele não é revanchista com a sociedade branca e defende os valores republicanos. Sua escolha estratégica do dia 15 de Novembro para prender os ícones da esquerda brasileira oferece pistas interessantes sobre a dualidade da República (históricamente concebida como projeto plural e ao mesmo tempo um projeto civilizatório anti-negro). Estaria Joaquim Barbosa assumindo o papel de herói negro que refundaria a República?
    ……
    A indicação de Joaquim Barbosa pelo presidente Lula, depois de inúmeras reuniões de bastidores com lideranças negras, foi comemorada como um gesto simbólico de afirmação de uma agenda até então inédita no país: ProUni, cotas raciais, Seppir, Bolsa Familia…..todas resultado da luta histórica dos movimentos negros acomodados `a esquerda do espectro politico. O verdugo do PT é tambem resultado irônico e trágico desta luta. Joaquim Barbosa não é apenas o nosso Clarence Thomas (o ultra-conservador juiz negro estadunidense) revestido com o manto perigoso do Direito. Ele é também a metáfora do nosso impasse político e a projeção sombria do que vem por aí em termos de participação negra em um modelo de sociedade que é a nossa negação e a negação do futuro.

    http://www.brasil247.com/pt/247/artigos/121733/A-Rep%C3%BAblica-dos-brancos-Joaquim-Barbosa-como-a-met%C3%A1fora-da-distopia-negra.htm

  38. Jose Mario HRP said

    O PSDB tenta montar um circo no Congresso exigindo que o Cardozão diga se foi ele o Cade quem remeteu a PF o depoimento do alcagueta da Siemens!
    Como se im´portasse, como se essa farsa tosca encobrisse a roubalheira em a´puraç.ão!
    Um senador (Aloysio Nunes) e quatro secretarios do Alckimin , tres governadores (Alck, Covas Bufão e Cerra ) meninos maus do PSDB!
    KKKKKKK~

  39. Patriarca da Paciência said

    O presidente do Supremo espera o parecer de uma junta médica – a 48ª – para decidir se Genoino cumpre a pena em regime semi-aberto – a que está condenado – ou em regime fechado, em que se encontrava.(PHA)

  40. Patriarca da Paciência said

    Segundo o boletim divulgado pelo Instituto do Coração o deputado José Genoino “apresentou melhora dos níveis de pressão arterial e dos parâmetros de coagulação sanguínea”; ele foi para a casa de uma das filhas, Mariana Genoino, que mora em Brasília, e será ser submetido a uma dieta especial; Joaquim Barbosa cogita mandá-lo de volta para a Papuda
    (blog 247)

  41. Jose Mario HRP said

    E eu cogito mandar Barbosinha para a PQP!
    KKKKK> .~

  42. Chest said

    Alguma vez, Pax, FHC tentou chantagear um ministro do STF como LUla tentou com Gilmar Mendes?

  43. Chest said

    A medicina socializada e as leis econômicas
    por Thomas DiLorenzo,

    Share on favorites
    Share on facebook Share on orkut Share on twitter
    Bookmark and Share

    N. do T.: o debate nos EUA sobre a estatização do sistema de saúde torna-se a cada dia mais agressivo. Diariamente ocorrem protestos contrários a essa proposta, com o governo americano classificando-os como “protestos nazistas”. O artigo a seguir faz uma análise econômica dos problemas da medicina socializada, tomando como exemplo a menina dos olhos do governo Obama: o sistema de saúde canadense. É interessante constatar que os problemas que afligem os canadenses são muito parecidos àqueles que fustigam os usuários do nosso SUS. O que não é nada surpreendente, aliás. Afinal, as leis econômicas são as mesmas, independente da latitude.

    O primeiro passo do governo americano em sua tentativa de criar um monopólio estatal do sistema de saúde foi propor uma lei que iria, ao fim e ao cabo, abolir a indústria privada de seguro de saúde. O plano do governo é criar impostos adicionais e impor custos obrigatórios sobre as empresas de seguro-saúde, ao mesmo tempo em que uma burocracia estatal de seguro-saúde será criada ostensivamente para “concorrer” com as empresas privadas. O resultado final esperado é um enorme monopólio estatal que, assim como todos os monopólios estatais, irá operar com toda a eficiência dos Correios e todo o charme e compaixão da Receita Federal.

    Obviamente, é muito difícil competir com um rival que tem todo o seu capital e custos operacionais pagos pelo contribuinte. Sempre que o governo decide “concorrer” com o setor privado, ele trata de garantir que a competição seja francamente injusta, criando regulamentações e impostos em cascata sobre as empresas privadas, ao mesmo tempo em que se isenta a si próprio de todos esses entreveros. É por isso que as “empresas apadrinhadas pelo governo” Fannie Mae e Freddie Mac foram tão lucrativas durante vários anos. É por isso também que muitas escolas “públicas”, cujos resultados são escabrosos, se mantêm em existência por décadas, não obstante seu fracasso absoluto em educar as crianças.

    O FUTURO DA MEDICINA AMERICANA

    Alguns anos atrás, o economista ganhador do Prêmio Nobel Milton Friedman estudou a história da oferta de serviços de saúde nos EUA. Em um estudo de 1992 publicado pela Hoover Institution, intitulado Input and Output in Health Care (Insumo e Produto no Sistema de Saúde), Friedman observou que, em 1910, 56% de todos os hospitais dos EUA eram de gerência privada e voltados para o lucro. Após 60 anos de subsídios direcionados aos hospitais geridos pelo governo, esse número havia caído para 10%. Demorou décadas, mas no início dos anos 1990 o governo já havia tomado o controle de quase toda a indústria hospitalar.

    Aquela pequena porção da indústria que ainda permanece voltada para o lucro é regulada de modo tão extraordinariamente violento pelos governos federal, estaduais e municipais, que a maioria das decisões tomadas pelos administradores desses hospitais tem mais a ver com o cumprimento das regulamentações do que com a oferta lucrativa de serviços ao pacientes/clientes. E é o lucro, obviamente, o que possibilita que os hospitais do setor privado tenham os meios para ofertar seus serviços de saúde.

    A conclusão primordial de Friedman foi que, como em todos os sistemas burocráticos estatais, o sistema de saúde gerido ou controlado pelo governo criou uma situação em que um aumento dos “insumos” – tais como gastos em equipamentos, infraestrutura e salários dos profissionais médicos – levou na realidade a uma queda nos “produtos” (no caso, em termos de quantidade de serviços médicos ofertados). Por exemplo, ao passo que os gastos médicos estatais subiram 224% no período 1965-1989, o número de leitos hospitalares por 1.000 habitantes caiu 44%, e o número de leitos ocupados declinou 15%. Da mesma forma, durante esse período de quase completo domínio governamental sobre a indústria hospitalar (1944-1989), os custos por paciente-dia subiram quase 24 vezes, ajustados pela inflação.

    Quanto mais o governo gastou dinheiro no sistema de saúde por ele gerido, menos serviços de saúde foram ofertados. Esse tipo de resultado é geralmente válido para todas as burocracias estatais, pois elas não estão submetidas a nenhum mecanismo de mercado; não há o mecanismo de retroinformação via sistema de preços. Como no setor estatal não há lucros em um sentido contábil, não há, por definição, nenhum mecanismo que premie a boa performance e puna a má. Com efeito, em todos os empreendimentos estatais vale o oposto: a má performance (incapacidade de atingir resultados ostensivos, ou de satisfazer os “clientes”) é tipicamente premiada com maiores orçamentos. O fracasso em educar crianças faz com que o governo despeje mais dinheiro nas escolas públicas. O fracasso em reduzir a pobreza leva a maiores orçamentos para as burocracias assistencialistas. Isso certamente acontece também com a medicina socialista.

    Os custos sempre explodem toda vez que o governo se envolve em algo – e os governos sempre mentem sobre isso. Em 1970, por exemplo, o governo americano previu que a parte do Medicare [programa que reembolsa hospitais e médicos por tratamentos fornecidos a indivíduos acima de 65 anos de idade] que cobre os seguros hospitalares seria de “apenas” $2,9 bilhões por ano. Considerando-se que as despesas reais foram de $5,3 bilhões, houve aí uma subestimação de custos de nada menos que 79%. Em 1980, o governo previu que esses gastos seriam de $5,5 bilhões; os gastos reais foram mais de quatro vezes essa quantia – $25,6 bilhões. Essa explosão dos custos burocráticos fez com que o governo tivesse de criar 23 novos impostos nos primeiros 30 anos do Medicare. (Veja Ron Hamoway, “The Genesis and Development of Medicare”, in Roger Feldman, ed., American Health Care, Independent Institute, 2000, pp. 15-86). A administração Obama alega que a transferência do sistema de saúde para o controle estatal irá, de alguma forma, reduzir magicamente os custos. É claro que tal insensatez não deve ser levada a sério. O governo nunca, jamais, em lugar algum, reduziu os custos de se fazer algo.

    Todos os monopólios estatais dos serviços de saúde, sejam eles no Canadá, no Reino Unido ou em Cuba, vivenciaram uma explosão tanto nos custos quanto na demanda – uma vez que os serviços são “gratuitos”. A medicina socializada não é de fato gratuita, é óbvio; os verdadeiros custos estão meramente escondidos, já que são pagos por impostos.

    Sempre que algo tem um preço explicitamente zero associado a ele, a demanda do consumidor irá aumentar substancialmente – e os serviços de saúde não são exceção. Ao mesmo tempo, as malversações burocráticas irão garantir que as ineficiências grotescas piorem a cada ano. À medida que os custos vão ficando fora de controle e começam a constranger os políticos que prometeram aos cidadãos um “almoço grátis” no sistema de saúde, eles recorrem àquilo que todos os governos sabem fazer tão bem: impor controle de preços, provavelmente sob algum eufemismo do tipo “controle global do orçamento”

    Controle de preços – ou as leis que forçam os preços a ficarem abaixo do seu nível de equilíbrio de mercado (onde oferta e demanda se igualam) – artificialmente estimulam a quantidade demandada pelos consumidores ao mesmo tempo em que reduzem a oferta, pois fazem com que não seja lucrativo ofertar a mesma quantidade de antes. O resultado de um aumento na demanda e uma redução na oferta é a escassez. O racionamento de produtos torna-se necessário. Isso significa que são os burocratas do governo – e não os indivíduos e seus médicos – que passam a determinar quem irá e quem não irá receber tratamento médico, que tipo de tecnologia médica estará disponível, quantos médicos haverá, e por aí vai.

    Todos os países que adotaram um sistema de saúde socializado sofrem da doença da escassez induzida pelo controle de preços. Se um canadense, por exemplo, sofrer queimaduras de terceiro grau em um acidente automobilístico e precisar de uma cirurgia plástica reconstrutora, o tempo médio de espera pelo tratamento será de mais de 19 semanas, ou aproximadamente cinco meses. O tempo de espera para uma cirurgia ortopédica no Canadá também é de quase cinco meses; para uma neurocirurgia é necessário esperar três meses completos; e leva-se mais de um mês para uma cirurgia cardiovascular (veja a publicação do think-tank canadense Fraser Institute, Waiting Your Turn: Hospital Waiting Lists in Canada). Pense nisso: se o seu médico descobrir que suas artérias estão entupidas, você terá de esperar na fila por mais de um mês, com a possibilidade iminente de uma morte por ataque cardíaco. É por isso que tantos canadenses vão para os EUA em busca de tratamento médico.

    Todos os grandes jornais americanos (bem como toda a grande mídia mundial) aparentemente se tornaram nada mais do que líderes de torcida do governo Obama, por isso é difícil encontrar alguma informação sobre a falência da medicina estatal canadense. Mas se regredirmos alguns anos, as informações se tornam bem mais abundantes. Um artigo no The New York Times de 16 de janeiro de 2000, intitulado Full Hospitals Make Canadians Wait and Look South [Hospitais Lotados Fazem os Canadenses Esperar e Olhar Para o Sul], escrito por James Brooke, fornece alguns bons exemplos de como o controle de preços no Canadá criou sérios problemas de escassez.

    Uma senhora de 58 anos esperava por uma cirurgia cardiovascular no saguão de um hospital de Montreal junto a outros 66 pacientes. As portas elétricas abriam e fechavam durante toda a noite, permitindo a entrada de correntes de ar com temperaturas em torno de -18°C. Ela estava em uma lista de espera de cinco anos para sua cirurgia.
    Em Toronto, em um único dia, 23 dos 25 hospitais da cidade deixaram suas ambulâncias paradas por causa de uma escassez de médicos.
    Em Vancouver, ambulâncias permaneciam abandonadas por horas enquanto vítimas de ataques cardíacos aguardavam dentro delas, à espera de serem adequadamente atendidas.
    Pelo menos 1.000 médicos canadenses e dezenas de milhares de enfermeiras canadenses migraram para os EUA para evitar o controle de preços sobre seus salários.
    Escreveu o jornalista, “Poucos canadenses recomendariam seu sistema como modelo de exportação”.

    As escassezes induzidas pelo controle de preços no Canadá também se manifestam no escasso acesso à tecnologia médica. Per capita, os EUA têm oito vezes mais máquinas de ressonância magnética, sete vezes mais unidades de radioterapia para tratamentos de câncer, seis vezes mais unidades de litotripsia, e três vezes mais unidades de cirurgia cardiovascular. Existem mais scanners de ressonância magnética no estado de Washington, cuja população é de cinco milhões de pessoas, do que em todo o Canadá, cuja população é de mais de 30 milhões de indivíduos (Veja John Goodman e Gerald Musgrave, Patient Power).

    Da mesma forma, no Reino Unido – graças à nacionalização, ao controle de preços e ao racionamento governamental dos serviços de saúde – milhares de pessoas morrem desnecessariamente a cada ano por causa da escassez de unidades pediátricas de tratamento intensivo, de máquinas de diálise, de marcapassos e até mesmo de máquinas de raios X. Esse será o futuro da América caso a “medicina obâmica” se torne uma realidade.

  44. Chest said

    A grande marcha

    O enorme avanço da globalização e das comunicações oferece bombardeio incessante de informações que precisam ser colocadas em perspectiva para extrair delas o que é relevante. Olhando a economia mundial hoje, existem três eventos determinantes que, percebidos conjuntamente, ganham enorme relevância.

    O primeiro são as abrangentes reformas chinesas recém-anunciadas, que preveem abertura de mercados e retirada gradual do Estado de diversas atividades.

    O segundo é a abertura e a modernização do sistema financeiro indiano efetuadas pelo novo presidente do banco central da Índia, Raghuram Rajan. A expectativa geral é que as reformas sejam a partida para um processo mais abrangente de liberalização da economia indiana, com redução de controles e burocracias que emperram o desenvolvimento, apesar do alto potencial baseado na massa de jovens entrando no mercado de trabalho.

    O terceiro fato crucial é o surpreendente crescimento da economia do Reino Unido. O governo conservador britânico implementou processo de consolidação fiscal, com corte consistente de despesas e diminuição do tamanho do Estado. Mas, ao contrário de Espanha, Grécia, Irlanda e, de certa maneira, Itália, que adotaram maior responsabilidade fiscal de forma hesitante e após grandes dificuldades de financiamento, as medidas britânicas foram decididas de forma espontânea e soberana.

    Londres seguia tendo acesso amplo a crédito, com juros baixos, mas, para horror de muitos, em plena crise, passou a não só liberar ainda mais os mercados como iniciou processo agressivo de redução de despesas, consolidação fiscal e melhora nas condições de financiamento às empresas. Ou seja, o corte de despesas foi logo seguido por reformas produtivas, o que não ocorreu no sul da Europa.

    Muitos esperavam que a austeridade trouxesse severa contração à economia britânica, como nos países em crise, mas ocorreu o contrário. As medidas, a partir de determinado momento, geraram mais confiança de consumidores, empresários e investidores na solidez do país. E, ao reduzirem a necessidade de financiamento do Estado, liberaram recursos ao setor privado, que elevou a produtividade.

    Em resumo, países de estruturas políticas e econômicas tão diversas quanto Reino Unido, China e Índia caminham na mesma direção: redução do papel e do tamanho do Estado, abertura maior ao setor privado, busca de maior eficiência e produtividade e concentração estatal na regulação de determinados mercados e na provisão de serviços essenciais.

    Em meio ao turbilhão diário de notícias, o improvável eixo Pequim-Nova Déli-Londres oferece grande lição de política econômica.

    henrique meirelles
    Henrique Meirelles

  45. Chest said

    O tamanho do problema
    O crescimento do endividamento familiar nos últimos anos trouxe preocupações com essa psicologia do “aqui-agora”
    A crença inabalável em um futuro de opulência, um traço básico de nossa identidade, sempre afastou do brasileiro o medo de se endividar. Diante dos tesouros que existem no subsolo ou no fundo do mar, quem se importa com os termos de troca entre o presente e o futuro, a taxa de juros?
    Nessas condições, é gigantesca a preferência pelo consumo hoje, relativamente ao futuro, por que esperar? O crescimento do endividamento familiar nos últimos anos trouxe preocupações com essa psicologia do “aqui-agora”, que pode ser associada ao consumidor de baixa renda, carente em educação financeira, incentivado a comprar e que facilmente se enreda em endividamento excessivo.
    A má notícia é que nossas autoridades operam exatamente com a mesma lógica: desde que possam parcelar, qualquer dívida é aceitável.
    A teoria econômica ensina que, se as finanças públicas são sustentáveis, a dívida de hoje são os impostos de amanhã e não há como escapar disso, ao menos em um país onde os governos não podem deixar bombas para os seus sucessores.
    Como isso parece um tanto distante de ser o nosso caso, cabe perguntar se os números efetivamente confirmam que o governo não se endividou em excesso. Será que estamos fazendo as contas direito?
    Vamos começar pela parte fácil da resposta: se olharmos a dívida externa — a mais perigosa, pois precisa ser paga numa moeda que não a nossa — as notícias são boas. As três esferas de governo devem US$ 116 bilhões, mas o Banco Central (BC) possui ativos em dólar no valor de US$ 376 bilhões. A posição líquida é credora (US$ 260 bilhões) e maior que a dívida externa do setor privado (US$ 171 bilhões).
    É uma situação inédita para nós e se deve à brutal acumulação de reservas, a qual, todavia, não tem propriamente a ver com superávits comerciais ou à nossa competitividade, mas com entradas de capital relacionadas à política monetária americana. Pouco importa, os efeitos são conhecidos, o BC vende dívida interna para arrumar os recursos para comprar esses dólares excedentes, ou seja, troca dívida externa por interna ao acumular reservas.
    Para muita gente o fato de a dívida externa ter se “domesticado” resolve todos os nossos problemas, o que está muito longe da verdade. Pelo contrário, essa configuração deixa mais clara uma patologia com a qual nos debatemos há anos: uma hiperinflação de desejos que o mundo político se esmera em converter em “obrigações do Estado” em absoluta desproporção com a capacidade da sociedade em pagar essas contas.
    A novidade é que não podemos mais fechar a conta no exterior ou com emissões de papel pintado. Com essa restrição, qualquer nova despesa significa tributar nossos próprios filhos e netos, nos termos de uma debochada maldição enunciada por Herbert Hoover, presidente dos EUA entre 1929 e 1933: “bem-aventurados os jovens, pois eles herdarão a dívida pública”.
    Em razão do descontrole dos últimos dois anos, que o governo tenta encobrir com truques baratos de contabilidade, muitos enxergam um sério e perigoso retrocesso. Será que não estamos vendo o problema da dívida pública no seu exato tamanho?
    Tipicamente, a primeira pergunta de quem olha a dívida interna é o que exatamente entra na conta, sendo esse o caminho mais comum pelo qual a complacência se intromete na métrica e dela se serve para ocultar o tamanho do problema. A resposta certa deveria ser “tudo”, mas a oficial é que devemos olhar a “dívida líquida”, que está em 35% do PIB, um número típico para um país emergente, não fora o fato de um artifício contábil tirar dessa conta as operações do Tesouro com o BNDES, que elevariam esse número para uns quarenta e poucos por cento.
    Outro problema é que o conceito internacionalmente aceito é o de “dívida bruta” que, na metodologia do governo, está em 59% do PIB (incluindo as operetas com o BNDES), um número já não muito consistente com a classificação de risco soberano do país. Os especialistas preferem olhar para a dívida bruta, entre outras razões, porque não há como usar os dólares das reservas para pagar a dívida interna.
    Mais outro problema é que as normas internacionalmente aceitas de contabilidade indicam que a nossa dívida bruta é maior: 68% do PIB. O ministro da Fazenda insiste em discordar do FMI nesse assunto, o que é mais ou menos como uma empresa listada questionar uma diretriz internacional de contabilidade.
    Sessenta e oito por cento do PIB é um número muito elevado para um país emergente, mas seria ótimo se fosse só isso. Existem muitos problemas ainda não contabilizados. Um exemplo: numa empresa mista como a Petrobras, se o acionista controlador pratica populismo tarifário, não deveria indenizar a empresa, como era feito no passado através da chamada “conta petróleo”? A Moody’s reduziu a classificação de risco da Petrobras em razão de seu elevado endividamento, que cresceu US$ 16,6 bilhões apenas no primeiro semestre. Qual seria o saldo da “conta petróleo” hoje, caso ainda existisse?
    Coisa parecida se passa no setor elétrico, onde parte significativa dos custos da “redução na conta de luz” ficou para o Tesouro. E também nos bancos públicos, toda vez que o crédito não é concedido de acordo com as melhores práticas bancárias ou os bancos são instruídos a apoiar “campeões”. Não há dúvida que os custos de muitas políticas públicas, cujo mérito sempre se pode discutir, ainda não foram contabilizados na dívida pública.
    É inafastável a reflexão: são anos para consertar, bastam meses para estragar.
    Mas ainda não acabou: a previdência do servidor, e algumas outras “despesas de caráter continuado”, como as da saúde, são obrigações que não reconhecemos como dívidas, contrariamente ao que fazem muitos países que capitalizam esses gastos e a eles associam reservas e ativos, às vezes dentro de fundos de pensão. Que tamanho teria a dívida pública se essas contas fossem capitalizadas? Há países à beira de um ataque de nervos com os efeitos do envelhecimento sobre os gastos de seguridade social. Não é o nosso caso, pois uma bomba a uma década de distância é como se não existisse.
    A conclusão escapista habitual diante de uma “dívida impagável” é que o problema não é nosso, mas do credor. Porém, nesse caso, o assunto é mais complexo: credor e devedor são a mesma pessoa.

    Leia mais sobre esse assunto em http://oglobo.globo.com/economia/o-tamanho-do-problema-10865400#ixzz2laJL8qP8

  46. Chest said

    CARLOS CHAGAS
    PRIVATIZAÇÃO VAI, PRIVATIZAÇÃO VEM E O PT NÃO REAGE
    Publicado: 23 de novembro de 2013 às 7:51 – Atualizado às 23:53

    O ex-presidente Fernando Henrique tem motivos de sobra para comemorar. Ontem foram mais dois grandes aeroportos, no Rio e Belo Horizonte. Dias atrás, o petróleo do pré-sal. Assim como rodovias e ferrovias, sem esquecer os portos.
    É evidente que mesmo evitando a palavra, o governo Dilma continua privatizando o país. Fica para outro dia verificar se os serviços públicos melhoram ou pioram. Ou mesmo se a soberania nacional vai sendo comida pelas beiradas, feito mingau quente. Melhor dizendo, as colheres já chegaram ao meio do prato. Breve faltará apenas privatizar as forças armadas.
    O singular é que tudo se faz com dinheiro público. O BNDES comparece sempre. As isenções fiscais também.
    Eis um tema que em outros tempos polarizaria a campanha presidencial, mas existirá algum candidato disposto a analisar e contestar essa política? Alguém capaz de denunciar a contradição entre o programa e a ação do governo do PT? Tem gente ganhando dinheiro em cada uma das múltiplas operações privatizantes. Nada a opor, o sistema é capitalista, mas tudo a contestar diante dessa prática de doar patrimônio público. Não haverá um só companheiro disposto a lembrar as atas de fundação do partido e de seus anos vividos na oposição?
    Depois dizem que é má vontade, que a presidente nada mais faz do que seguir a tendência mundial. Pode ser, mas é bom tomar cuidado. Inequívocos sinais de indignação surgem das populações européias, onde as privatizações constituem apenas uma das facetas desse poliedro elitista. Outras existem, como as demissões em massa, a redução de salários, a extinção de investimentos sociais e o fim das pensões e aposentadorias.
    Serão as privatizações uma porta aberta para o ingresso dessas novas medidas de estrangulamento social? Lícita se torna a apreensão quando se vê tão bem recitada a lição. O antídoto do bolsa-família, do “minha casa-minha vida” e outras iniciativas assistencialistas não cobre o risco da ideologia neoliberal que avança sem reação do PT. E sequer de outros penduricalhos, como as centrais sindicais. Parecem todos adormecidos.

    chest- o PT É neoliberal…… :) :) :)

  47. Patriarca da Paciência said

    “Outra reclamação é que o mesmo ministro, Joaquim Barbosa, cuidou de todas as etapas do processo. (Folha)

    Não conheço. De qualquer modo, o que eu tenho defendido sobre a Constituição portuguesa, contra meus colegas criminalistas, é que, num processo justo em direito penal, quem investiga não acusa, quem acusa não julga. São sempre órgãos diferentes. Isso para não transportar as pré-compreensões adquiridas em outros momentos do processo ao momento do julgamento. Então é razoável questionarmos.”

    http://www1.folha.uol.com.br/fsp/poder/140521-os-reus-tem-alguma-razao-ao-pedir-um-outro-julgamento.shtml

    Não sei não, mas tenha a impressão de que esse equivocado “mensalão” acabará sendo anulado!

    O Joaquim Barbosa agiu como promotor do primeiro ao último dia do processo e… ainda continua agindo como tal.

  48. Patriarca da Paciência said

    O raciocínio acima é do constitucionalista português José Joaquim Gomes Canotilho, considerado um dos maiores especialistas da matéria da atualidade.

  49. Patriarca da Paciência said

    http://www.prpa.mpf.mp.br/institucional/prpa/campanhas/politicoscassadosdossie.pdf

    O link acima é “dossiê de políticos cassados” e comprova, OFICIALMENTE, que, proporcionalmente, o PT é o partido menos corrupto do Brasil.

  50. Otto said

    Fico tocado com tanta isenção nesse processo todo:

    “Novo juiz dos réus do mensalão é filho de ex-deputado do PSDB”

    http://revistaforum.com.br/blog/2013/11/novo-juiz-dos-reus-do-mensalao-e-fho-de-ex-deputado-do-psdb/

  51. Patriarca da Paciência said

    O augusto boçal canalha nunes, sempre coloca textos do Carlos Brickman em seu blog. Será que colocou este:

    “Escreve Brickmann: “Uma sociedade que, mesmo tendo razão ao reivindicar a aplicação rígida da lei, tenta extrapolar seus limites para atormentar ainda mais quem já foi punido pela privação da liberdade precisa se reavaliar. Com a prisão, os infratores foram punidos e a vingança da sociedade se realizou. Ir além é retroceder a épocas que já deveriam ter sido superadas”.

    O que boa parte dos jornalistas-pistoleiros acoitados na grande imprensa quer, na verdade, não é Justiça, mas vingança contra um partido político e seus dirigentes _ e José Genoíno, deputado federal e ex-presidente do PT, tornou-se seu principal alvo. “O que a lei prevê é a privação da liberdade, em diversos graus. A lei não prevê maus-tratos, não prevê castigos físicos, não prevê condições inadequadas de prisão”, lembra Brickmann, com toda propriedade.

    Como pode o mesmo Supremo Tribunal Federal que adotou a teoria do “domínio do fato”, para punir mesmo sem provas ou atos de ofício, permitir que um homem gravemente doente do coração, como é do conhecimento geral da Nação, seja jogado num presídio em regime fechado quando foi condenado ao semiaberto?”
    (Revista Forum)

  52. Chest said

    Piadas de salão

    E agora, como ficam Lula e seu partido? O processo do mensalão chegou ao final, com a condenação dos responsáveis pela falcatrua levada a cabo por destacados membros do governo Lula e do PT: José Dirceu, ex-ministro da Casa Civil da Presidência; José Genoino, então presidente do Partido dos Trabalhadores; Delúbio Soares, ex-tesoureiro do partido, e João Paulo Cunha, ex-presidente da Câmara de Deputados.

    Isso sem falar em Marcos Valério, operador do sistema, e um alto funcionário do Banco do Brasil, Henrique Pizzolato, que entregou R$ 73 milhões ao PT para a compra de
    deputados. A pergunta é como ficam Lula, seu partido e o governo petista agora, diante da nação.

    Vou referir-me aqui a determinados fatos, de que o leitor talvez não se lembre, mas o ajudarão a entender como nasceu o mensalão. Os fatos são estes: quando Lula foi eleito presidente da República, José Dirceu disse-lhe que o PMDB estava disposto a apoiar seu governo, mas Lula não quis.

    Sabem por quê? Porque o PMDB, com o peso que tinha no Congresso, iria exigir dele ministérios e a direção de empresas estatais. Preferia aliar-se a partidos pequenos que, em lugar de altos cargos, se contentariam como muito menos. E assim foi: em vez de ministérios ou empresas estatais, deu-lhes dinheiro. Falando claro, comprou-os com dinheiro público.

    Não tenho dúvidas de que Lula não sujou suas mãos nessa tarefa. Encarregou disso, conforme ficou evidente na apuração processual, seu ministro José Dirceu, que, como disse o procurador-geral da República na época, era o chefe da quadrilha. E dela faziam parte, entre outros, além de Marcos Valério e do presidente do PT na época, José Genoino, o diretor da marketing do Banco do Brasil, Henrique Pizzolato, companheiro de partido.

    A compra de deputados veio a público porque o então presidente do PTB, Roberto Jefferson, negou-se a aceitar dinheiro em troca do apoio ao governo: queria a direção de Furnas, mas José Dirceu disse não. Esse conflito entre os dois chegou a tal ponto que ele foi à imprensa e denunciou o que o governo fazia para ter apoio dos partidos de sua base parlamentar: comprava-os. Era o mensalão que vinha à tona.

    Lula, pego de surpresa, declarou: “Fui traído”. Ou seja, admitiu que a denúncia era verdadeira, mas ele ignorava a falcatrua. Isso ele disse naquela hora, para se safar, porque, pouco depois, refeito do susto, passou a afirmar que era tudo mentira, nunca houve mensalão nenhum. Sucede que, durante sete anos, a Justiça, por meio do exame de documentos, interrogatório e testemunhos, apurou o que realmente aconteceu e definiu o papel de cada um nesse grave crime.

    O escândalo, ao eclodir, quase acaba com o PT e o governo Lula. Os membros efetivamente comprometidos com a ética deixaram o partido, e Lula, ao que tudo indica, chamou os executores do mensalão e os fez se deixarem acusar sem contar a verdade. Delúbio assumiu sozinho a culpa por tudo, disse que Lula não sabia de nada. Isso, mesmo estando todos os domingos com ele, na Granja do Torto, fazendo churrasco.

    A verdade é que, embora eles pensassem que tudo ia acabar como piada de salão, não foi isso que aconteceu. Rompendo com a tradição de impunidade, que sempre favoreceu aos poderosos, o Supremo Tribunal Federal, num julgamento que foi realizado à vista da nação inteira, decidiu pela condenação e prisão de todos os que comprovadamente participaram da operação criminosa, cujo objetivo era dar apoio político ao presidente Lula.

    Em consequência dessa decisão, José Dirceu, José Genoino, João Paulo Cunha e Delúbio Soares, entre outros, irão pagar na cadeia pelo crime que cometeram.

    Condenados pela Suprema Corte da Justiça, num julgamento em que todos os ministros manifestaram suas opiniões e votaram conforme sua consciência, não tem cabimento dizer que se trata de um julgamento político. Não obstante, Dirceu e Genoino se fazem de vítima e se dizem “presos políticos”. Para isso, seria preciso que o atual governo fosse uma ditadura e que

    Dilma é que tivesse mandado prendê-los. Isso, sim, é piada de salão. Soube que, ao sair a ordem de prisão, Lula telefonou para Dirceu e Genoino e lhes disse: “Estamos juntos!”. Só que os dois estão em cana e ele, solto. Outra piada.

    ferreira gullar
    Ferreira Gullar

  53. Otto said

    Leiam essa matéria que saiu agora no Estadão, repercutindo entrevista no Fantástico:

    http://www.estadao.com.br/noticias/cidades,fraude-no-iss-auditor-diz-que-gastava-dinheiro-de-corrupcao-em-noitadas,1100233,0.htm

    Com base nessa matéria dá pra dizer de que prefeito Ronilson, o que gastava o dinheiro da propina na zona, era secretário?

    Jornalixo!

  54. Otto said

    Na entrevista do Fantástico é a mesma coisa.

    Não citam o nome do partido nem dos prefeitos em que isso se deu.

  55. Jose Mario HRP said

    Comportamento recorrente deles, quando em sinuca de bico!
    KKKKKKKKKKKKKKKk!!!!

    http://saraiva13.blogspot.com.br/2013/11/midiazona-decide-que-o-responsavel-pela.html

  56. Pax said

    Para mim o mais escandaloso não é o fato da imprensa isso ou aquilo, da corrupção tucana, democrata, petista ou outra, desse ou daquele escândalo. Para mim o mais escandaloso neste momento é o descalabro da Dilma ir ao encontro de Kassab, justo neste momento, para ganhar mais alguns segundos na TV para a campanha e 2014. E não vejo qualquer colega do blog simpático ao governo reclamar um milímetro sequer deste escândalo. Assim como não vejo reclamarem dos assassinatos indígenas, do entreguismo do Brasil aceitar todos os agrotóxicos proibidos e encalhados em seus países de origem, de tantas obras bilionárias enterradas em desvios com empreiteiras, desse atraso inaceitável em nossas telecomunicações, do banditismo explícito dos planos de saúde, da nossa Educação que forma jovens que mal sabem assinar seus nomes, dos nossos parentes mortos pelo crime desenfreado ou em estradas de morte, etc etc etc.

    Dilma foi lá, na toca do Kassab, para aportar promessas de cargos, salários, ministérios, pedaços do Brasil para essa turma, como para várias outras do mesmo naipe, cacife e periculosidade, em troca dos tais segundos onde vincularão filmes maravilhosos de marketeiros caríssimos pagos com dinheiro que todos sabemos de onde vem. Tudo sempre tão igual.

    Isso significa que o PT, o PSDB, o PSD, o PMDB, o PSB, o PR, o PP, o DEM etc etc são, no final das contas, se tirar os noves fora, expurgando todas as paixões, tirando todas as torcidas, caindo na real, enfim, são todos farinha do mesmo saco.

    Esse vale tudo, aceito por todas as torcidas, alimentado por todas as paixões, colocando todos os noves nas contas, é o caminho escolhido pelos brasileiros.

    Ou sou vermelho, ou azul, ou verde, ou amarelo, pouco importa, todos somos mesmo é marrom, cor de merda.

    Reforma política, eleitoral, qualquer reforma que pudesse nos tirar dessa triste cor? Engavetada na covardia de um partido que já se disse diferente. Mesmo tendo o Congresso de joelhos e os cofres 2 repletos, podendo comprar qualquer decisão que quisesse. A questão é que não quer. Sejamos honestos ao menos conosco mesmo. Nem precisa deixar por escrito, nem precisa falar, só é preciso pensar consigo mesmo para não se sentir tão hipócrita. Ao menos confesse para você mesmo, olhando em algum espelho que não seja tão distorcido.

    Alguém ousa dizer onde mora essa tal diferença do partido do poder dos outros?

    A política brasileira é essa mesmo, aceita por todos. Cada um com seus coitadismos, acusações e fantasias, mas todos, sem tirar nem por, metendo as mãos nos cofres públicos e alimentando a perpetuidade desse caminho.

    É o jogo a ser jogado e nada de mudar as regras. Simples assim. Quem quiser reclamar que se contente em não fazer parte de torcida alguma, que se isole num mundo particular.

    Tenhamos todos, enfim, uma boa semana. Agora de manhã amigo foi comprar remédio pra mulher no Butantã, ao chegar em casa e estacionar seu carro um assaltante tentou entrar em sua garagem, ele reagiu, deu ré e o ladrão sentou o dedo. A bala quebrou o vidro traseiro, passou raspando no banco traseiro e ficou alojada na barra que suporta aquele encosto de cabeça. Não fosse esse bendito pedaço de ferro, teria perdido mais um amigo para essa situação que todos nós alimentamos, a falência geral de um país e de uma nação. No fundo é isso que estamos plantando com esse vale tudo.

  57. Jose Mario HRP said

    http://www.diariodocentrodomundo.com.br/os-ternos-da-three-day-suit-de-joaquim-barbosa/

    Ternos em Paris e Los Angeles.

  58. Chest said

    OLha o Pax tentando lavar o PT!

  59. Patriarca da Paciência said

    Digamos que a argumentação do Ferreira Gullar, post 52, apresenta alguma “coesão”, alguma consistência lógica. Mas um julgamento justo, tendo essa linha de raciocínio como fundamento, teria que punir igualmente os corruptos e os corruptores!

    Mas apenas os corruptores foram punidos!

    E como ficam os verdadeiros corruptos, ou seja, os parlamentares comprados?

    Um julgamento que pune apenas a metade dos culpados nunca seria um julgamento justo?

    Sempre disse, no dia em que forem apresentados os nomes completos, endereços, RGs e CPFs de todos os deputados comprados, nesse dia, eu passarei a levar a sério o tal de “mensalão”.

  60. Pax said

    nada mais real que dois iguais se unam

    http://jornalggn.com.br/noticia/pt-e-psdb-negociam-alianca-no-mato-grosso-do-sul-diz-site

    por uma “boa” causa

    http://www.cimi.org.br/site/pt-br/?system=news&conteudo_id=7271&action=read

  61. Jose Mario HRP said

    Um rombo gigantesco nos trens e metro, outro imenso na prefeitura de São Paulo, tudo na conta do PSDB e do PFELE/DEM e a turma preocupada com o PT?

  62. Patriarca da Paciência said

    Tanto se falou em “nivelar por baixo” e vejam só quem está realmente praticando tal coisa:
    O colunista da Folha de S. Paulo Ricardo Melo diz que, por atitudes ilegais, Joaquim Barbosa cresce no cenário político e isso, segundo ele, é só o começo. Leia:(blog 247)

    “Nivelando por baixo

    Notoriedade de Barbosa decorre não de virtudes, mas sim de atitudes atabalhoadas e ilegais

    Pródiga em fornecer matéria-prima para chargistas e colecionadores de frases, a vida política brasileira experimenta um momento inesquecível. Os desdobramentos do julgamento do mensalão não cessam de emprestar combustível a quem presta um pouco de atenção aos jogos do poder.

    O personagem do momento não é nenhum dos condenados; mesmo o motivo da ação foi relegado a plano secundário. Joaquim Barbosa –esse é o cara da vez, como se diz. Infelizmente, sua notoriedade não decorre de virtudes. Deriva de atitudes atabalhoadas e ilegais, segundo juristas de diferentes matizes.

    O showmício das prisões já foi suficientemente dissecado para mostrar as irregularidades do arrastão aéreo da Polícia Federal. Mesmo o ministro Marco Aurélio Mello, que de petista, lulista ou coisa parecida não tem nada, assustou-se com o espalhafato barbosista. Mas a coisa seguiu em frente –e tão espantosos quanto os procedimentos são as observações disseminadas pelos súditos do ilustre “justiceiro”.

    Uma das principais: os mensaleiros devem ser tratados como qualquer prisioneiro, sem direito a regalias. Nada a objetar. Mas vamos por partes, ou por fatias, para ficar na moda. Todos são iguais perante a lei, reza a democracia formal. Mas a lei, a pena, não é igual para todos, simplesmente porque nem todos cometem os mesmos crimes.

    Passa pela cabeça de gente bem-intencionada colocar um mensaleiro no RDD e um Marcola ou Chico Picadinho cumprindo pena alternativa? E, diga-se a verdade, o que chama a atenção não são privilégios dos novos condenados, mas o fato de se negar a eles o que preveem os trâmites de execução penal.

    A sequência é ainda mais falaciosa. Aponta o contraste entre a situação sub-humana em que vive a esmagadora maioria da população carcerária com os supostos benefícios recebidos por hóspedes engravatados. Com estridência variada conforme a mídia de que se servem, comentaristas são enfáticos, categóricos. Propõem nivelar tudo por baixo.

    Os presos ditos comuns se amontoam em celas, engolem o pão que o diabo amassou, tomam banho frio sem sabonete e se revezam na hora de dormir, pois falta espaço nas gaiolas carcerárias. Que assim seja então com todo mundo.

    Nem é preciso ser adepto de algum partido para perceber tamanha regressão civilizatória. Não, não se trata de humanizar as cadeias e dar condições dignas a seus ocupantes, mas sim de animalizar os adversários políticos de ocasião. Ver as coisas de forma justa –por mais nuances que o termo apresente no decorrer dos tempos– e sem o ranço da vingança irracional (ou eleitoral) implica admitir que o responsável pela condição degradante das penitenciárias não é o governo x ou y. E sim um sistema velho de séculos e que ninguém, nem PT, PSDB, PMDB, UDN, PSD ou qualquer outro partido ocupante do poder teve a coragem de afrontar.

    Por trás da “justiça” propagada pelo áulicos do barbosismo, surge o desejo indisfarçável de reviver, com o mensalão, o clima da vassoura, do caçador de marajás, da república do Galeão, da banda de música e dezenas de personagens “incorruptíveis” que não resistiram ao exame da história ou a um grampo telefônico. Tão desalentador quanto o rebaixamento do debate, num país de inúmeras carências como Brasil, é notar que o estandarte do momento ocupa um cargo de importância indiscutível. E a campanha eleitoral mal começou.”

  63. Patriarca da Paciência said

    “Aqui é nóis, mano! Se seu golpe nunca chega ao fim, contrate o Joaquim” ( Charge do Bessinha)

  64. Chest said

    PT vincula sistema eleitoral à corrupção
    Publicidade
    MARIANA HAUBERT
    DE BRASÍLIA

    Após as prisões dos petistas condenados pelo mensalão, o PT tentará agora reforçar a tese de que o partido é vítima do atual sistema político-eleitoral.

    A defesa foi apresentada na primeira versão do texto base do 5º Congresso Nacional do PT, que será aberto em dezembro, em Brasília.

    Juiz de execução penal do mensalão é substituído por Barbosa
    Jefferson diz que venceu câncer, mas saúde ainda inspira cuidados
    Genoino recebe alta médica e deixa hospital em Brasília

    Redigido por Marco Aurélio Garcia, assessor especial da Presidência da República, o documento afirma que o partido é “prisioneiro de um sistema eleitoral que favorece a corrupção”.

    Ele foi mostrado ao Diretório Nacional do partido na última segunda-feira, em reunião realizada em São Paulo. O texto ainda poderá ser modificado por emendas.

    Sem citar o mensalão, o PT levanta a bandeira da ética como forma de fazer um contraponto ao escândalo que atingiu o partido e volta a defender uma ampla reforma política. Após os protestos de junho, Dilma Rousseff sugeriu ao Congresso a realização de um plebiscito sobre o assunto, mas foi derrotada.

    chest- é muita cara de pau

  65. Chest said

    Isso é preconceito, fundamentado, mas ainda assim preconceito. Aliás, em geral os precvonceitos tem algum fundamento no “fundo”…

    Por que desconfio dos campeões da moralidade
    Especula-se que Joaquim Barbosa teria um projeto secreto de se tornar presidente, montado sua imagem positiva de caçador de corruptos –pesquisas eleitorais não desanimam esse sonho.

    Imagina-se que um campeão da moralidade salvaria o Brasil da ladroagem.

    Olhando a história do Brasil, há fartos motivos para eu desconfiar de campeões da moralidade.

    O PT é apenas o caso mais recente e estridente: o partido que se notabilizou pela defesa da ética virou um laboratório de estudos da biodiversidade da corrupção, tantas e tão diferentes são as modalidades de desvio que o partido engendrou.

    O PSDB foi criado, em São Paulo, em oposição aos esquemas corruptos do PMDB -e, agora, está metido numa gigantesca rede de suspeitas devido aos cartéis durante vários governos paulistas. Sem contar que, nas origens do mensalão vamos encontrar, em Minas, o PSDB.

    Fernando Collor se elegeu com a bandeira da batalha contra a corrupção. Sabemos o que ocorreu.

    No mesmo estilo, Jânio Quadros se elegeu com o símbolo na vassoura. Se não me engano, foi o único brasileiro que teve divulgada sua conta na Suíça.

    Todo aquele estardalhaço dos moralistas contra JK, Jango ou Getúlio se prestou para minar governos eleitos democraticamente e colocar no poder uma ditadura que, ao ampliar o poder do Estado, ampliou ainda mais a corrupção. Não que, naqueles governos, não houvesse desvios.

    Evidentemente não sou contra o combate à corrupção. E muito menos ao culto da honestidade.

    O que estou dizendo é que, no Brasil, bandeiras da moralidade viraram empulhação, nutrindo manchetes com paladinos e enganando os cidadãos.

    Honestidade não é qualidade. E nem deveria ser tema de campanha. Deveria ser apenas um pré-requisito elementar.

    Entusiasma muito menos mudar os esquemas que favorecem a corrupção (o que exige complexas reformas) do que punir os corruptos.

    Gilberto Dimenstein

  66. Chest said

    Caracas, Teerã
    SÃO PAULO – Não é trivial governar uma sociedade populosa cuja renda provenha sobretudo da exploração de um só produto. O bem-estar das pessoas condiciona-se a quanto as outras nações pagam pela mercadoria ali abundante. Fica sujeito a variações colossais e repentinas.

    A face política da economia circunscrita a uma atividade costuma ser governo forte e centralizador. De sua atuação depende decisivamente a distribuição da renda, originada de modo concentrado.

    A regra vale menos para países pouco habitados, na comparação com sua riqueza territorial. Mas duplique, leitor, a população do organizado Chile, menor que a da Grande São Paulo, troque o cobre pelo petróleo e terá ideia do problema da Venezuela. Dobre de novo o número de habitantes e chegará perto do desafio do Irã.

    Teerã e Caracas vivem hoje a ressaca deixada pelo fim de uma década de bonança na cotação do petróleo. A renda do petróleo não compra mais a quantidade de bens e serviços suficiente para manter o progresso material da sociedade.

    Os governos fazem o que podem para mitigar o empobrecimento relativo da população, o que parece inevitável. Ampliam gastos e dívida, manipulam a moeda local e saqueiam as receitas das estatais petrolíferas.

    Mas podem pouco. O PIB se desacelera, e os preços ao consumidor arrancam. O custo de vida sobe 40% ao ano. No Irã, o boicote internacional agrava o desabastecimento interno. Na Venezuela, os decretos para baixar preços o vão exacerbar.

    Ao Irã ainda restam a moeda de seu programa nuclear –cuja desaceleração temporária acaba de pactuar com o Ocidente– e o enraizamento do regime islâmico. A Venezuela não tem nada disso.

    O Brasil se prepare para uma crise no vizinho. O socialismo começa com discursos gloriosos e braços erguidos, mas acaba em filas e penúria econômica.

    Vinicius Mota é Secretário de Redação da Folha

  67. Chest said

    Dirceu pressionou Lula a defender petistas presos
    A amigos que o visitaram na cadeia, ex-ministro fez queixas sobre a forma como ex-presidente administrou o escândalo do mensalão
    24 de novembro de 2013 | 19h 26
    Notícia
    A+ A- inShare1Tweet Vera Rosa e Wilson Tosta – O Estado de S. Paulo
    Preso em uma cela de seis metros quadrados, o ex-ministro da Casa Civil José Dirceu criticou Luiz Inácio Lula da Silva pela forma como ele administrou até agora a crise do mensalão. A insatisfação com o ex-presidente foi manifestada por Dirceu a pelo menos três amigos que o visitaram, nos últimos dias, no Complexo Penitenciário da Papuda.

    Veja também:
    Mensalão: após pressão de Barbosa, juiz de execução de penas é trocado
    Genoino recebe alta de hospital no DF
    José Dirceu adapta negócios à realidade da prisão

    Irritado com o silêncio do Planalto, Dirceu perguntou: “E o Lula não vai falar nada?”. Era a senha para a urgência de um pronunciamento, que deveria ser feito o quanto antes, no diagnóstico do ex-ministro, sob pena de grande abalo na imagem do PT, com potencial de interferir na campanha da presidente Dilma Rousseff à reeleição.

    Três dias depois de receber o recado, Lula fez o mais veemente discurso desde que os petistas foram condenados. Sugeriu, na quinta-feira passada, que o rigor da lei só vale para o PT e dirigiu ataques ao presidente do Supremo Tribunal Federal, Joaquim Barbosa.

    Em meio a protestos contra as “arbitrariedades” na execução das sentenças, Lula e dirigentes petistas também decidiram promover um desagravo a Dirceu, ao ex-presidente do PT José Genoino e ao ex-tesoureiro Delúbio Soares na abertura do 5.º Congresso da sigla, de 12 a 14 de dezembro, em Brasília.

    A contrariedade de Dirceu com Lula, porém, não vem de hoje. Interlocutores do ex-ministro contaram ao Estado que ele sempre reprovou a forma “conciliatória” como o então presidente conduziu o caso desde que o escândalo estourou, em junho de 2005.

    Em conversas mantidas no cárcere, Dirceu tem dito que Lula errou ao não fazer o “enfrentamento” necessário para não deixar a denúncia de corrupção virar uma espada permanente sobre o PT e o governo.

    Para Genoino, os réus do PT não têm escapatória, mesmo se conseguirem reduzir suas penas, pois perderam a batalha da comunicação. “Estamos marcados como gado”, resumiu ele a um amigo.

    Na avaliação de Dirceu, Lula deixou a CPI dos Correios prosperar, em 2005, quando ainda teria condições de barrá-la. Por esse raciocínio, ao não politizar a denúncia da compra de votos no Congresso, Lula abriu caminho para a “criminalização” do PT. O partido até hoje insiste que nunca corrompeu deputados em troca de apoio e só admite a prática do caixa dois.

    Nomeação. Arquiteto da campanha que levou o PT ao Palácio do Planalto em 2003, Dirceu revelou que Lula chegou a consultá-lo sobre a nomeação de Luiz Fux para ministro do Supremo.

    “Se você está dizendo que sim, quem sou eu para dizer que não?”, afirmou Dirceu, segundo relato de amigos, antes de ser procurado por Fux, que pediu sua ajuda para conquistar o cargo. Fux acabou nomeado em 2011 por Dilma. Petistas juram que ele prometeu “matar no peito” a acusação, em sinal de que absolveria os réus. Quando saiu o voto pela condenação, o espanto no governo e no PT foi generalizado.

    Num café da manhã com Dirceu, em novembro de 2010, Lula prometeu a ele que, quando estivesse fora do Planalto, desmontaria a “farsa do mensalão”. A promessa não foi cumprida sob a alegação de que era preciso blindar o primeiro ano do governo Dilma. Depois vieram as disputas municipais de 2012 e agora o ano é pré-eleitoral.

    Para o líder da bancada petista no Senado, Wellington Dias (PI), o PT não soube construir uma narrativa para reagir à ofensiva da oposição e da mídia. “Sob intenso cerco político, nós acabamos permitindo que as versões da compra de votos florescessem”, avaliou Dias.

    A estratégia do governo e do PT, agora, é usar o escudo da “legalidade” e o discurso de que há “dois pesos e duas medidas” na Justiça para impedir que o mensalão contamine a campanha de Dilma em 2014.

  68. Chest said

    Tentaram cooptar, aparelhar, o STF, e acabaram no “cárcere”. Depois um foi traído….discurso da legalidade…parece que é só discurso, …quando Dirceu vai abrir a boca? (se é que vai…).

  69. Otto said

    Extra! Extra!

    Íntegra de Inquérito 2245 que cita Globo no Mensalão e foi escondido por Barbosa:

    http://pontoecontraponto.com.br/2013/09/26/integra-do-inquerito-que-cita-globo-no-mensalao-e-foi-escondido-por-barbosa/

  70. Chest said

    Dívida pública atinge maior patamar da história em outubro

    Na VEJA.com:
    A dívida federal, que contabiliza os endividamentos do governo nos mercados interno e externo, avançou 1,69% em outubro ante setembro, para 2,023 trilhões de reais, o maior da série histórica, informou o Tesouro Nacional nesta segunda-feira. A dívida chegou ao patamar de 2 trilhões apenas uma vez, em dezembro de 2012, segundo a série do Tesouro. Mas ainda ficou abaixo dos 2,02 trilhões verificados em outubro. A série mostra ainda que a dívida pública dobrou entre 2004 e 2013.

    chest- pronto, agora vamos ficar ricos emprestando grana ao governo….ai, ai, ai…;

  71. Patriarca da Paciência said

    Da Agência Brasil
    Brasília – A defesa do ex-deputado federal, Pedro Corrêa (PP-PE), condenado a sete anos e dois meses na Ação Penal 470, o processo do mensalão, pediu hoje (25) ao Supremo Tribunal Federal (STF) para começar a cumprir a pena por um dos crimes pelos quais foi condenado.

    Acho que o Pedro Correa tá mesmo é com o maior mede de ser confundido como “amigo do Barbosão” , o maluco!

  72. Patriarca da Paciência said

    Post, 70,

    Aconselho ao Chest a emprestar grana para os Estados Unidos Maravilha. Lá a dívida pública é de 16 trilhões… de dólares.

    Mais de 100% do PIB! Vai ficar muito mais rico!

  73. Patriarca da Paciência said

    “Barbosa suspenderá as eleições e alegará o domínio do voto.”
    — Joa (PHA)

  74. Jose Mario HRP said

    Quando um boçal com JOAQUIM BARBOSA ousa tolher um dos direitos inalienaveis de um juiz como o principio da não remoção pelo simples fato de não gostar de suas decisões então estamos nesse exato momento , fora , extinguindo , o estado de direito e o substituindo pela ditadura do juizo,
    Bom, sempre havera os mornos , como muitos que passam por aqui , que aceitarão a diatribe do carrasco negro, por conveniencia e convicção , embebido tudo isso num molho pre-fascista, pre golpe, e com ´passaporte caudilhesco.
    Damos a oposição, que esta assando e sendo frita a escancara de todos a chance de explodir nosso estado de direito, ´pela simples razão de que “achamos que o `PT teria que ser diferente do que esta” , fosse ou qualquer coisa assim!
    Falta de visão ok, mas compactuar com o fascismo mostra mau caratismo.

  75. Pax said

    Boa essa do Bob

    .https://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=_zsihzxMPsI

  76. Pax said

    Segundo Josias de Souza, com algumas confirmações, dizem que há um rumor crescente que Lula poderia se candidatar em 2014. Acabo de ver no Twitter.

    Será?

  77. Otto said

    Pax, pasma-me você dar crédito a este jornalixo!

  78. Patriarca da Paciência said

  79. Patriarca da Paciência said

    Barbosão me lembra um personagem que o Jô Soares criou para satirizar o Paulo César Caju. Dizia o dito personagem:

    “Eu não sei porque esse pessoal fala mal de mim, eu ando numa mercedes zero!”

  80. Pedro said

    Mercedes não pode.
    E Land Rover pode?

  81. Patriarca da Paciência said

    http://esquerdopata.blogspot.com.br/2013/11/para-gilmar-mendes-espetacularizacao.html

  82. Patriarca da Paciência said

    Pedro,

    tenho a impressão que a piada é pelo Norte e você a entendeu pelo Sul!

  83. Pedro said

    Patriarca, o que eu não entendo é este ataque sistemático ao Barbosão…..citei o Land Rover, apenas porque é um símbolo do que se tornou o PT.

    Segue um texto sobre o assunto, vc conhece o autor.

    Abram as janelas!

    Por Jaison Barreto

    Existem limites para a fidelidade partidária
    Talvez fosse necessário relembrar Maquiavel na sua frase lapidar: “Ao Rei tudo, menos a honra”.
    Estes episódios lamentáveis do Mensalão deveriam ser analisados com cautela pelos militantes e representantes dos “diversos partidos”envolvidos, “em especial os do PT”.
    É preocupante que “homens de bem”, induzidos a erros pela paixão, tentem “defender o indefensável”.
    Depois de 7 anos de discussões e análises, envolvendo advogados, juristas de todas as extirpes, o Ministério Público, “a nação inteira sabe o que ocorreu”.
    Melhor coisa fariam, no meu juízo, seria no máximo manter um “silêncio constrangido”, não esquecendo que as vezes, diante de fatos de tamanha gravidade, “silenciar raia a indignidade”.
    Tarefa mais nobre mesmo correndo risco, é “regenerar os partidos”, procurando entre seus membros “células tronco” capazes de restabelecer os verdadeiros propósitos de sua criação.
    Situação mais grave ainda, diz respeito à “campanha indecente desencadeada contra o Ministro Joaquim Barbosa”.
    É como pardo, cadastrado no último censo do IBGE, que ouso perceber “ranço racista” no que dizem e fazem algumas figuras da política brasileira.
    Explico por que.
    Não vi da parte desses senhores e senhoras, nenhuma ofensa ao “Presidente do Supremo Ayres Britto, ou ao Presidente Victor Peluso”, que não só dirigiram os trabalhos nestes anos, mas deixaram também, votos contundentes condenando os criminosos.
    Nenhuma palavra, referência à postura da Ministra Cármen Lúcia, que de maneira exemplar deixou em voto claro sua condenação ao que ela lembrou que “mesmo que fosse só caixa 2, seria crime”, os atos cometidos pela quadrilha.
    É lícito estranhar o silêncio da maioria parda e afrodescendente deste nosso país, em não sair em defesa do seu filho ilustre que honra a magistratura brasileira.
    Acordem!
    Levantem-se!
    Eu diria que “essa tempestade um dia vai acabar, e quando a chuva passar, quando o tempo se abrir, abramos a janela.”
    “O Brasil será mais limpo, mais decente, mais igual”

  84. Chesterton said

    Patriarca, 72, aqui os juros são mais “saborosos”.

  85. Patriarca da Paciência said

    “Patriarca, o que eu não entendo é este ataque sistemático ao Barbosão”.

    Um cara que tenta convencer seus pares, ministros do STF, aos berros e na base constrangimento, não me parece alguém nem mesmo civilizado.

    Um cara que faz espetacularização em cima de uma pessoa que corre sério risco de vida, não me parece bom caráter.

    Um cara que diz, “está no Jornal Nacional”, referindo-se a algo que considera seja relevante, não me parece bom juiz.

    Em suma, Barbosão foi mesmo um grande erro!

    E o Lula já admitiu!

    E também a grande maioria dos juízes, advogados e até mesmo jornalistas.

    Barbosão conta mesmo atualmente apenas com a fidelidade canina do reinaldo rola-bosta, o que não me parece ser uma boa companhia.

  86. Patriarca da Paciência said

    E as últimas do Barbosão?

    Pressionou para remover um juiz e colocar alguém da “sua confiança” no lugar.

    Conseguiu um bom emprego para o filho na rede Globo.

    Namora com uma advogada que pode ser sua neta!

    Usou o endereço de um apartamento funcional como sede de uma empresa fantasma com a finalidade de sonegar imposto.

    Como disse uma comentarista, “se o Barbosão for o Batman, eu torço pelo Curinga”.

  87. Patriarca da Paciência said

    E mais uma coisinha, Pedro,

    andar numa mercedes zero não dá a ninguém o direito de ser arrogante, pretensioso, prepotente, “dono da verdade” etc.etc .etc.

  88. Otto said

    Para os reaças e coxinhas de plantão:

    Reacionários do Brasil: deixem Dirceu em paz. Pelo menos na cadeia, poupem-no de seu reacionarismo estridente, obtuso e maldoso.

    Qualquer coisa que ele faça vira contra ele.

    A mídia publica, por exemplo, que ele teria pedido apoio a Lula. Uma declaração contra a brutalidade a que está sendo submetido por Joaquim Barbosa.

    Isso vira “pressão”. Isso vira “tentativa de subverter a justiça”.

    Até eu, que estive com Dirceu apenas uma vez, entendo que Lula deveria se manifestar com clareza a favor dele.

    De amigos a gente espera o quê?

    Lembro a mais linda frase sobre a amizade, escrita por Montaigne quando morreu seu amigo La Boétie. “Estava tão acostumado a sentir que éramos um só que agora me sinto meio.”

    O que há de errado em Dirceu querer de Lula apoio numa hora duríssima como a que ele vive? É uma reação absolutamente humana.

    Considere. Não é uma prisão normal. Nos últimos tempos, juristas insuspeitos de simpatia petista manifestaram repulsa ao julgamento do Mensalão.

    Ives Gandra disse que Dirceu foi condenado sem provas, depois de estudar o processo. Bandeira de Mello, depois de acusar JB de ser um homem mau, sugeriu seu impeachment. Um celebrado constitucionalista português, Canotilho, citadíssimo pelos juízes do STF, disse ter visto falhas extraordinárias no julgamento, a começar pelo papel de Joaquim Barbosa.

    Disceu tem 67 anos. Está na última etapa da vida útil. E uma decisão contra a qual se erguem tantas vozes o põe na cadeia.

    Imagine você nessa situação. Não iria reclamar um apoio de Lula, se este fosse seu amigo e conhecesse a história que levou você à cadeia?

    Repito: não é uma cadeia normal.

    Li outro dia que, depois de muitos anos, a justiça do Paraná decretou enfim a culpa de um ruralista que diversas testemunhas viram dar um tiro na nuca de um sem terra que ocupara uma fazenda dele.

    É uma história macabra, ocorrida em 1998.

    Um grupo de pistoleiros mascarados cercou os sem terra. Mandou-os deitar com o rosto no chão. Um deles, com problemas na coluna, não conseguiu.

    Um dos pistoleiros matou-o a sangue frio. Antes de apertar o gatilho, tirou a máscara. E por isso foi reconhecido. Era Marcos Prochet, ex-presidente da UDR no Paraná.

    Prochet foi reconhecido porque tirou a máscara antes de dar um tipo na nuca de um sem terra
    Prochet foi reconhecido porque tirou a máscara antes de dar um tipo na nuca de um sem terra
    Prochet não foi preso, embora o processo seja do milênio passado. Dificilmente será: é um homem rico.

    Mas Dirceu está preso, e não pode sequer invocar o apoio de Lula que é crucificado pelos reacionários. Também não pode cuidar da cela que é acusado, como se viu numa matéria do Estadão, de ter mania de mandar e ser obcecado com limpeza.

    Essa é a mídia brasileira.

    Aquela é a justiça brasileira, na versão 2013 protagonizada por Joaquim Barbosa.

    http://www.diariodocentrodomundo.com.br/reacionarios-do-brasil-deixem-dirceu-em-paz/

  89. Pedro said

    “arrogante, pretensioso, prepotente, “dono da verdade” etc.etc .etc.”

    Fiquei confuso, vc está falando do Zé Desceu? :-)

  90. Otto said

    Pedro: o Zé Dirceu é infinitamente mais cordato que o JB!

  91. Chest said

    Todo malandro é simpático.

  92. Patriarca da Paciência said

    http://tv.estadao.com.br/videos,EM-NOVO-VIDEO-PIZZOLATO-ATACA-SUPREMO-E-DIZ-QUE-PT-NAO-PODE-ASSUMIR-ESSA-CULPA,218858,260,0.htm

  93. Patriarca da Paciência said

    “Se há denúncias, não importa contra quem seja, o ministro tem que ser pedir investigação. Senão é prevaricação”, afirmou Cardozo. A denúncia apresentada pelo ministro da Justiça à PF cita os nomes do senador Aloysio Nunes (PSDB-SP), do secretário de Energia José Aníbal (PSDB-SP), do deputado licenciado e atual chefe da Casa Civil do governo paulista, Edson Aparecido, e do deputado federal Arnaldo Jardim (PPS), ligado a tucanos.”

    Risível! Aécio, presidente do PSDB, figurões etc. vem a público dizer que “não podem ser investigados porque são diferentes”.

    O “mensalão tucano” tem sete anos a mais que o “mensalão” do PT e até hoje não foi julgado!

    O promotor ” De Grandis “guardou” por dois anos e oitos meses um pedido de ajuda nas investigações pela polícia da Suiça.

    Fica cada vez mais clara qual a honestidade que o PSDB defende, ou seja, “a mulher de César não precisa ser honesta, precisa apenas parecer honesta”.

    Os HCs do Daniel Dantas foram todos concedidos fundamentados por simples erros burocráticos, embora todos soubessem que as acusações eram absolutamente verdadeiras.

    Já as acusações contra o José Dirceu e o PT em geral nunca foram provadas, mas foram tomadas como verdadeiras fundamentadas numa teoria.

    Não adianta. Qualquer pessoas que tenha um pouco de bom senso não vai “engolir” esse tipo de coisa.

    Como já disse uma vez, Kafka foi um grande profeta!

  94. Jose Mario HRP said

    Na mídia, a história dos 450 kg de cocaína no helicóptero dos Perrella virou pó
    27/11/2013 | Publicado por Renato Rovai em Mídia

    29
    Ontem os portais destacavam com excessivo cuidado que o helicóptero de um deputado havia sido apreendido com 450 kg de cocaína. Depois informaram que o piloto havia viajado sem autorização dos proprietários. E agora, registram que o piloto nega o fato.

    Deputado e 450 quilos de cocaína. Será esse um fato tão comum que não merece tanto destaque? Principalmente se vier a se levar em consideração que este deputado é filho de um senador aliadíssimo de um candidato a presidente da República?

    Estamos falando dos Perrellas e do presidente do PSDB, Aécio Neves. Aliados políticos históricos.

    Mas vamos lá. Vamos imaginar que um dos filhos de Marta Suplicy fosse deputado. E um helicóptero dele fosse apreendido pela PF com 450 quilos de cocaína. Você acha que este fato teria a mesma cobertura discreta e cuidadosa que o dos Perrellas está tendo? Você acha que o Uol daria apenas registros aqui e ali do caso? Ou acha que a casa da atual ministra teria filas de repórteres tentando pular o muro para falar com ela?

    Talvez o exemplo não seja o melhor. Tentemos, pois, outro exercício hipotético. Imagine que ao invés do helicóptero do filho de Marta Suplicy fosse o de um irmão do senador carioca Lindbergh. O que você acha que aconteceria? Quantos minutos isso renderia no Jornal Nacional? Quantas páginas do jornal O Globo?

    Mas podemos ir ainda mais longe. Imagine que o helicóptero fosse de alguém que tivesse relação com o ex-presidente Lula. Alguém, por exemplo, que tivesse feito churrasco na casa dele uma ou outra vez. O que será que aconteceria com Lula e com o suposto churrasqueiro de Lula?

    Como você acha que seria a cobertura dessa história se o avião fosse do Zeca Dirceu, deputado pelo Paraná e filho de José Dirceu? Ou de um filho do vereador Donato, que ontem voltou à Câmara para enfrentar do legislativo a quadrilha do ISS? Ou se fosse da Miruna, filha de José Genoíno?

    Não se deve responsabilizar os Perrellas, Aécio ou quem quer que seja sem que seja realizada uma investigação cuidadosa. E não é disso que se trata aqui. Há, porém, indícios, que ensejam uma cobertura bem mais atenta do que a que foi feita até agora pelos principais veículos da mídia tradicional. São 450 quilos de cocaína. Não são meia dúzia de sacolinhas. É coisa de uma quadrilha extremamente profissional. E essa imensa quantidade de droga era transportada num helicóptero de uma família tradicional da política mineira.

    A questão é que a cobertura midiática só tem se interessado por aquilo que leve à criminalização do PT. Independente do mérito. O que importa não é mais o crime, mas a legenda do criminoso. E por isso Demóstenes Torres flanava todo pimpão por aí. Fazendo discursos moralistas e ao mesmo tempo armando falcatruas com Cachoeira.

    Aliás, você ouviu falar de Cachoeira e Demóstenes por aí? Você viu a indignação da direção do PSDB com a investigação do escândalo do metrô de SP? Pois é. É disso que se trata. Eles sabem que são midiaticamente impunes.

  95. Patriarca da Paciência said

    “Não gostou do juiz encarregado da tarefa? Troque-o por outro mais de seu agrado. Quer uma data simbólica para determinar a prisão de réus condenados? Escolha o 15 de Novembro, Dia da Proclamação da República, mesmo que a decisão seja tomada açodadamente. Quer uma boa cobertura midiática? Junte todos os presos e os mande num avião para Brasília, sem esquecer de informar o roteiro à imprensa.”

    As últimas decisões polemicas adotadas pelo presidente do Supremo Tribunal Federal, Joaquim Barbosa, que já vem sendo chamado em Brasília de D. Joaquim I, o imperador do STF, provocaram uma reação em cadeia de entidades representativas de magistrados e da Ordem dos Advogados do Brasil, que divulgaram nesta segunda-feira notas com duras críticas à troca do juiz titular da Vara de Execuções Penais do Distrito Federal, Ademar Vasconcelos.

    http://noticias.r7.com/blogs/ricardo-kotscho/2013/11/26/d-joaquim-i-o-imperador-do-stf-e-criticado-por-juizes/

    D. Joaquim I, o imperador do STF!

    Bom, pelo menos o Barbosão deu o golpe no D. Gilmar I, o imperador anterior!

    Ou seja, dos males, não se sabe qual o pior!

  96. Patriarca da Paciência said

    HÉLIO DOYLE
    27 DE NOVEMBRO DE 2013 ÀS 09:16
    Tucanos, como se vê, são perfeitos. E ainda pensam que são bons atores
    O mundo dos tucanos é peculiar:

    1 – Os tucanos jamais cometeram um só ato que caracterize corrupção, só os outros é que fazem isso.

    2 – Toda acusação de corrupção contra um tucano é necessariamente falsa e motivada por questões políticas. Só são reais as acusações contra os outros.

    3 – Um ministro da Justiça que recebe uma denúncia contra tucanos e a encaminha à Polícia Federal está cometendo um crime e deve ser demitido. O certo seria desconhecê-la e assim cometer prevaricação.

    4 – Governos tucanos estão sempre acima de qualquer suspeita. Só os governos dos outros é que roubam, desviam dinheiro público e cometem extorsão.

    Tucanos, como se vê, são perfeitos. E ainda pensam que são bons atores.

  97. Chest said

    O helicóptero da Limeira Agropecuária – empresa do deputado estadual Gustavo Perrella, filho do senador Zezé Perrella (PDT)……

  98. Otto said

    … e amigo do Aécio. Vai ver que a encomenda era pra ele…

  99. Jose Mario HRP said

    Olha que legal:

    http://tudo-em-cima.blogspot.com.br/2013/11/nao-penso-logo-relincho-os-maiores.html

  100. Patriarca da Paciência said

    http://esquerdopata.blogspot.com.br/2013/11/o-pior-cego.html

  101. Otto said

    AÍ Chest, apareça lá:

    Manifestantes mineiros combinam nas redes sociais fazerem o protesto “Farinhaço na Assembléia”, para esclarecer de quem era a meia tonelada de cocaína apreendida no helicóptero do deputado Gustavo Perrella (SDD-MG), filho do senador Zezé Perrella (PDT-MG) e aliado do senador Aécio Neves (PSDB-MG), e contra o silêncio da velha imprensa (o “Jornal Nacional” ocultou a notícia por dois dias).

    A manifestação está marcado para hoje, quinta-feira, dia 28, as 14hs, na Praça da Assembléia, em Belo Horizonte.

  102. Pedro said

    É só perguntar pro Evo.

  103. Pax said

    Como disse amigo meu no Facebook, “existe Teoria do Domínio do Olfato”?

    Seguiria o caminho do pó, sim. Claro que sim.

    Cardozo é fraquinho de doer. Nem os petistas mais empedernidos engolem.

    Se está certo ou está errado, se aloprado ou não aloprado, não interfere na avaliação, é fraquinho mesmo.

    O tucanato tá com a bunda suja, disso não restam muitas dúvidas, é juntar indívios e provas e tocar o barco, exigir que a polícia apure, que o ministério público denuncie, e que a Justiça bata em chico com aquela mesma vara que usam no francisco pego com as calças nas mãos. Agora é correr atrás. Seguindo os caminhos do olfato. Seja de pó ou do dinheiro, qualquer coisa.

    A imprensa mais tradicional tem sido questionada pra caramba. De todos os lados. A imprensa tradicional, a grande mídia, é o que é. Que paguem os impostos como qualquer mortal e que outras sejam criadas para equilibrar o jogo. Pode-se discutir, claro que sim, as regras de concessão. Não as regras do que podem publicar. Seria muito interessante discutir com profundidade outros assuntos, direito de resposta, questões de injúria, calúnia etc.

    O papo da Anatel ter ajudado o dono do hotel do Dirceu precisa ser levantado. Pouco importa se a imprensa isso ou a imprensa aquilo. Tem que ser apurado e pronto. Assim como o helicóptero do pó, o trem, o metrô, enfim, tudo.

    Acabo de voltar, passei 4 dias com um link. Cheguei à realidade que a Anatel me propicia ao acobertar todos os crimes das operadoras, que são enormes, de propaganda enganosa, cobrança indevida, tratamento cruel e por aí afora. Sem que estes crimes escondam os outros que não sabemos, mas que o conjunto de indícios nos leva a quase concluir o óbvio ululante.

    Só o meu protocolo na Anatel já foi fechado 34 vezes pela Vivo. Isso mesmo: 34 vezes! Abro o chamado, a Anatel passa para a Vivo, a Vivo responde para a Anatel, diz uma série de mentiras, que me contactou, que resolveu o problema, que a engenharia fez isso, fez aquilo etc, a Anatel fecha o protocolo e eu o reabro.

    Essa é a Anatel, que, segundo a mídia que eu desconfio, diz que favoreceu o dono do hotel que quer empregar o Dirceu.

    Peço todas as vênias a quem aceita tudo em nome da governabilidade, das eleições, dos empodrecimento geral, mas eu quero mais é que essa denúncia que a mídia fez seja apurada nos últimos detalhes. Nos mínimos.

    Tô pouco me importando se vai pegar o Zé do Pó, o Zé da Papuda, o Zé do Trem, o Zé do Metrô, o Zé do Pedágio, o Zé da casa do caramba.

  104. Pax said

    Falando em ANATEL, acabo de ver no Facebook – sigo o Mídia NINJA…
    ———————–

    NINJA · 227.913 curtiram isso
    há 2 horas ·
    SEM COMPETIÇÃO: Operadoras de celular oferecem serviço sem qualidade

    As operadoras de celular fazem parte de um dos setores da economia que mais crescem no país, mas estão entre os serviços que mais geram reclamações em instituições de defesa do consumidor.

    Dez por cento de todas as reclamações no Procon são para as operadoras de telefone móvel. As principais reclamações estão relacionadas à inoperância do serviço, problemas de oferta e dificuldade de cancelamento de contratos.

    Para a advogada e pesquisadora Veridiana Alimonti, do Instituto Brasileiro de Defesa ao Consumidor (IDEC), a falta de competição entre as empresas é um dos motivos para o baixo nível do serviço oferecido pelas operadoras. “O mercado de telecomunicações é bastante concentrado. São quatro empresas [Vivo, Tim, Claro e Oi] com mais ou menos 20% do mercado cada uma”, analisa.

    Veridiana defende uma atuação mais firme da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), responsável pela regulação do setor desde 1997, quando as telecomunicações passaram por um processo de privatização durante o governo de Fernando Henrique Cardoso. “ A regulação é importante para tornar o mercado mais competitivo”, defende.

    A Anatel tem um sistema de metas para investimentos, cobertura e atendimento às reclamações, que serve de base para a fiscalização e punição das operadoras com multas. “A Oi deve em multas da Anatel não pagas mais do que seu valor de mercado”, destaca a pesquisadora.

    No entanto, as operadoras dão o calote na Anatel e não pagam. “Só 9% das multas dos últimos três anos foram pagas. A maioria está no judiciário”, afirma Veridiana. O Tribunal de Contas da União (TCU) recomendou para a Anatel aplicar métodos mais eficazes que as multas para punir operadoras pelo serviço ruim, como impedir a comercialização de chips.

    OI LIDERA RANKING DE RECLAMAÇÕES EM JUNHO

    Diante do acelerado ritmo de consumo de celulares, tanto as empresas montadoras de aparelhos quanto as operadoras de linhas têm problemas para manter a qualidade.

    A Oi ficou em primeiro lugar em junho em reclamações na central de atendimento da Anatel. A Claro ficou em segundo lugar, seguida pela Tim e pela Vivo.

    Em um ano, a média de reclamações da Tim subiu 96%. A operadora é líder há mais de três anos em vendas de celular (em média, 3,2 milhões de chips por mês). De 2012 até o primeiro trimestre de 2013, a Samsung teve aumento de 69% de reclamações no Procon.

    Em julho do ano passado, a Anatel suspendeu por 11 dias a venda de chips das empresas Claro, Tim e Oi em vários estados, em resposta aos problemas com o serviço, que geram insatisfação nos usuários. Depois dessa medida, a Anatel começou a fazer um acompanhamento trimestral das operadoras.

    Um dos problemas para a atuação da agência é a dependência de informações das empresas para parâmetros de qualidade. “A Anatel recebe informações das próprias operadoras e não tem acesso aos dados brutos”, critica Veridiana Alimonti.

    Texto: Guilherme Almeida
    via Brasil de Fato SP

  105. Otto said

    Alguma coisa não bate: o helicóptero é do Perrella, o piloto é do Perrella, a fazenda-destino é do Perrella, agora se sabe que o combustível também é do Perrella — mas a cocaína não tem dono.

    Enquanto isto a mídia sifilítica se preocupa com o hotel em que José Dirceu vai trabalhar.

    E passa batido pelas empresas de um certo senador candidato a presidente e suas inúmeras internações em hospitais por overdose…

  106. Otto said

    Do Luis Fernando Veríssimo hoje:

    “PESOS E MEDIDAS

    Recorre-se tanto à frase “dois pesos e duas medidas” para reclamar isonomia no julgamento dos casos de corrupção no país que eu proponho o fim da hipocrisia. Oficialize-se, já, dois sistemas de pesos e medidas diferentes no Brasil, um que vale só para o PT (Sistema 1) e outro para os outros, principalmente o PSDB (Sistema 2).”

  107. Pedro said

    A farra é grande:

    “Um dos réus menos conhecidos entre os mensaleiros, Jacinto Lamas se aposentou como analista legislativo da Câmara dos Deputados. Mesmo na Papuda, receberá seus proventos mensais de R$ 24.148,49.”.

  108. Chesterton said

    Teoria do Domínio do Olfato…ótima essa, vou roubar.

  109. Otto said

    Pedro, e a farra não acaba:

    BRASÍLIA – Uma decisão do Superior Tribunal de Justiça (STJ) garantiu a 68 juízes federais o recebimento, de uma só vez, de R$ 1,2 milhão a R$ 2 milhões, cada um.

    É muita lama no nosso judiciário!

    http://www.estadao.com.br/noticias/nacional,decisao-do-stj-garante-pagamentos-milionarios-a-68-juizes-federais-,1101444,0.htm

  110. Chesterton said

    Só o combustivel não é do Parrela, é da AL de MG. Joguem o Parrela na Papuda!

  111. Otto said

    Aí vai ser uma esparrela!

  112. Chest said

    Só tem filho da puta

    http://www.folhapolitica.org/2013/11/reforma-aprovada-no-senado-pode-punir.html

    Para começar, seus filhos da puta, vão todos para a puta que pariu na na zona onde suas mamãezinhas trabalham, cambada de vagabundos, ordinários, canalhas desclassificados. Ladrões, vigaristas, patifes, calhordas, &*&%$%$#@…e etc…

  113. Pedro said

    Só faltava esta, o Parrela ter usado o vale combustível de deputado, pra abastecer o helicóptero cheirador.

    Vamos combinar Googlias, neste caso cadeira elétrica é pouco.

  114. Pedro said

    Otto #109, agora estamos falando a mesma língua, é muita farra.

    E esta, vc concorda que é farra?

    “Nº DE CARGOS: PLANALTO DÁ DE 10×0 NA CASA BRANCA
    O Palácio do Planalto emprega atualmente 4,6 mil funcionários, exatamente dez vezes mais que os 460 servidores da Casa Branca, sede do governo dos Estados Unidos, que administra o maior orçamento do mundo (US$ 11 trilhões). Se contar os funcionários da Vice-Presidência e das secretarias, todos na conta da Presidência da República, o número de servidores do Planalto sobe para 8.861. “

  115. Patriarca da Paciência said

    “Ministro da Justiça pretende acionar criminalmente e por danos morais as pessoas que o ofenderam no caso da investigação do cartel do Metrô paulista; “Todos, sem exceção, os que me chamaram de vigarista, de membro de quadrilha, de sonso, e outras adjetivações ‘tão elegantes’, serão processados criminalmente”, disse José Eduardo Cardozo; há três dias, o secretário José Aníbal foi quem ameaçou processar o petista por, segundo ele, agir politicamente no caso; “Esse ministro é um sonso”, disse; Cardozo afirmou que irá ao Senado e à Camara falar sobre as denúncias envolvendo o PSDB na próxima terça-feira; é guerra! ”
    (blog 247)

    Curioso!

    Justamente aquele que grande parte dos simpatizantes do PT acusava de morno, sem iniciativa etc.etc.etc. está assumindo a iniciativa do contra ataque que muitos reclamavam!

    Como disse o Elias, adiar um confronto inevitável é fortalecer o adversárlo, neste caso, inimigo mesmo, visto que já está mais que provado que a intenção é mesmo destruir o PT.

    Então é isso aí, é guerra mesmo!

    E o Cardozo está na vanguarda!

  116. Jose Mario HRP said

    http://saraiva13.blogspot.com.br/2013/11/homem-bomba-do-psdb-sp-operou-r-28-mi.html

    Olha que roubalheira!
    E KD a Globo e Bandeirantes?

  117. Jose Mario HRP said

    OOOOOOOOOOOOOOrra! Meu!
    Voce tem helicoptero, deputado, mas não tem grana para o cxombustivel?
    Cocaine!

  118. Patriarca da Paciência said

    “Eliana Tranchesi foi presa em 2005 e em 2009. Em 2008, foi a vez de Celso Pitta, surpreendido em casa, de pijama. Daniel Dantas, no mesmo ano, foi exibido de algemas. Nos três casos, e houve uma penca, equipes de TV acompanhavam os agentes federais. A parceria violava direitos dos acusados. Quem se importava? Lula batia no peito: “Nunca antes na história deste país se prendeu tanto”. Era a PF em ritmo de “Os Ricos Também Choram”.

    Ainda que condenados em última instância, e não eram, o espetáculo teria sido ilegal. Ai de quem ousasse apontar, como fez este escriba (os arquivos existem), o circo fascistoide! Tornava-se alvo da fúria dos “espadachins da reputação alheia”, era acusado de defensor de endinheirados. Procurem um só intelectual petista –como se isso existisse…– que tenha escrito uma linha contra os exageros do “Estado repressor”. Ao contrário! Fez-se, por exemplo, um quiproquó dos diabos contra a correta 11ª Súmula Vinculante do STF, que disciplinou o uso de algemas. “A direita quer algemar só os pobres!”, urravam.”

    (Reinaldo rola-bosta, apud blog 247)

    Fica cada vez mais claro que a coisa é vingança mesmo! Agora está escancarado!.

    Mas vamos por partes!

    1º -. Procurem um só intelectual petista –como se isso existisse…-

    A prova de que o Reinaldo rola-bosta é completamente maluco. Que tal Florestan Fernandes, um dos maiores intelectuais do Brasil e um dos fundadores do PT?

    E grande parte dos professores universitários e universitários ?

    Bom, deixa prá lá, não vamos responder a latidos.

    “Ainda que condenados em última instância, e não eram, o espetáculo teria sido ilegal. Ai de quem ousasse apontar, como fez este escriba (os arquivos existem), o circo fascistoide!”

    Dr. rola-bosta, o que se discute até hoje e, ninguém engole mesmo, é o fato de que, por exemplo, as acusações contra Daniel Dantas eram verdadeiras e abandantes e os vários HCs foram concedidos sempre tendo como fundamento “erros burocráticos”, ao passo que as condenações de José Dirceu e José Genoino nuca foram provadas e foram fundamentadas numa teoria.

    Aí é que ninguém engole!

  119. Pax said

    Aposto o pescoço do Chesterton, velho e bom Chesterton, que o ministro não vai abrir nem um processo. Um sequer. Ele é fraquinho…

    http://agenciabrasil.ebc.com.br/noticia/2013-11-28/cardozo-diz-que-processara-pessoas-que-ofenderam-no-caso-do-metro-de-sao-paulo

    É muito criticável que os grandes jornais esqueçam de fazer a pergunta: “Quem é o dono dos tais 450 kg de cocaína pura?”

  120. Patriarca da Paciência said

    E o circo continua o mesmo. O PSDB tenta provar que as acusações de propina no caso do metrô paulista foram feitas por um documento adulterado e com isso “arquivar” o caso no fundo de uma gaveta bem profunda, ( vide De Grandis).

    Pois então! A tática é sempre a mesma, até parece a economia dos neocons (cartar custos e reduzir funcionários). Que interessa saber se as propinas realmente existiram? Ora, isto é irrelevante! O que vale mesmo é seguir a regrinha da cartilha, (vide ministro Gilmar Mendes), mas apenas nos casos em que não envolvem o PT. Para os casos que envolvem o PT vale até fundamentar condenações em teorias.

    Caro Pax,

    se o ministro Cardozo não fizer o que disse vai ficar totalmente desmoralizado!

    Acho que ele não tem como retroceder!

  121. Pax said

    Caro Patriarca,

    Vamos aguardar. O pescoço do Chesterton está em jogo, apostado.

    Infelizmente acho que não vai dar em nada. E ainda há um risco maior, de ficar esculhambado.

    Caso o ministro não tenha o que esconder, se agiu completamente dentro dos conformes (receber denúncia e encaminhar me parece correto, sim), quero ver a capacidade do ministro de reagir, processar. Terá que processar um conjunto bem grande de congressistas e jornalistas.

    É por essas e outras que a velha sabedoria de não trabalhar com ameaças continua firme como rocha. Se quer fazer, faça sem anúncio e pronto. Trabalhar nesta área quase sempre tem resultados ruins. Em outras palavras insisto no meu ponto que o Cardozo é fraco.

    Se quisesse mesmo tirar a limpo tudo que foi caluniado nestes últimos dias, já teria aberto um monte de processos.

  122. Pax said

    advinha quem é o advogado constituído pelo dono do helicóptero do pó?

    sempre o mesmo, é um sucesso geral em BSB, e tem unanimidade, de filisteus, fariseus, gregos, troianos, petistas, tucanos, democratas etc.

    se existe a expressão “advogado chave de cadeia” deveríamos criar outra: “advogado chave de Congresso, assembléias e representantes do povo”.

    a mim mais parece confissão de culpa ter o cidadão como representante legal

    (vi no Tutty – Estadão)

  123. Pax said

    a turma é criativa e o protesto mais que necessário, o assunto anda apagadinho que só no noticiário da grande mídia

    http://www.pragmatismopolitico.com.br/2013/11/manifestantes-realizam-farinhaco-em-protesto-contra-helicoptero-po.html

  124. Patriarca da Paciência said

    “Presidente do STF, Joaquim Barbosa, já busca vaga com a Secretaria de Administração Penitenciária do Estado do Rio para decretar a prisão de delator do esquema do chamado “mensalão” e de outros condenados da AP 470; condenado a sete anos e 14 dias de prisão, o ex-deputado (PTB-RJ) disse estar “cansado” e que pretende se entregar”

    Pelo jeito, nem mesmo o Bob Jeff quer ser apontado como “amigo do Barbosão”.

  125. Otto said

    POLÍCIA FEDERAL, todo cuidado é pouco com a reincidência: “tucano do pó ao pó voltará!”

  126. Patriarca da Paciência said

    450 quilos de cocaína de “qualidade”!

    Segundo dizem, cocaína tem mais valor que ouro, logo, podemos avaliar a carga por volta de 45 milhões de reais.

    Se pertence ao piloto, o cara é um traficante de alta patente!

    Mas como estamos em tempos surrealistas, pode ser que o coitado do piloto acabe mesmo sendo o bode expiatório.

    Tudo é possível nestes tempos surrealistas!

  127. Patriarca da Paciência said

    Fazem a maior papagaiada de que o preço da gasolina brasileira está defasada em relação aos preços internacionais e, ontem, os telejornais finalmente mostraram o tamanho do “rombo”, ou seja, 13 centavos, ou 4%!

    Pois não é? Por mim podem aumentar esses treze centavos aí que não vai alterar nada. Sinceramente, não vou ficar mais pobre por causa disso!

  128. Pax said

    Dei uma olhada agora nas primeiras páginas dos sites de O Globo, Estadão e Folha. Só o Estadão traz uma notícia sobre o helicóptero do pó, falando que verba pública abastecia a aeronave.

    450 kg de cocaína, bem provável que uma das maiores apreensões de 2013

    o helicóptero de um deputado que para na fazenda do pai, um senador da república

    e estes veículos de comunicação não acham que é notícia pra ficar em cima, colocar os melhores jornalistas investigativos, saber detalhe do detalhe do detalhe, mostrar a quantas anda a política nacional

    pois bem, aqui parece que não temos divergência

  129. Pedro said

    Pax, dá um desconto.

    Esta é só pra irritar o Otto, por ele não responder a minha pergunta.

    http://www.laranjasnews.com/politica/jose-dirceu-e-convidado-para-trabalhar-em-redacao-de-jornal-ganhando-r-20-mil :-)

  130. Elias said

    Já que o Patriarca puxou o assunto…

    Taí, do noticiário da ADVFN:

    “Acontece hoje a reunião mais esperada do ano pelos acionistas da PETROBRAS (PETR4). O conselho de administração da companhia se reúne para decidir, entre outros assuntos, uma nova política de reajustes automáticos para combustíveis. O governo e a administração da PETROBRAS batalham em lados opostos: o governo preocupado com o impacto inflacionário da decisão de indexar o reajuste de combustíveis e a PETROBRAS interessada em mais recursos para seu programa de investimentos. Rumores apontam que o governo cederá em um ajuste pontual de 5% para a gasolina e 10% para o diesel, mas não decidirá sobre uma política de reajustes automáticos neste ano. ”

    Essa a questão, Patriarca: se indexar o preço do combustível, em 6 meses, no máximo, a economia estará totalmente indexada.

    Dou de barato que o delta (êpa!) investimento da Petrobras vai acabar no colo do BNDES, cujo ativo já é o triplo do ativo do Banco Mundial.

    Acontece que o ativo do BNDES infla por obra e graça de um duto ligado diretamente ligado ao Tesouro Nacional.

    Então, a coisa vai acabar, de qualquer modo, no bolso daquele índio manso, ao qual se convencionou chamar “cidadão” (impropriamente, já que o supracitado dito cujo está para o exercício da cidadania assim como a cocada baiana está para o tira-gosto de uísque…).

    (Tomara que o NeoP não concorde comigo).

  131. Chest said

    É, fuderam com a Petrobras para controlar a inflação (em vez de diminuir gastos e parar de pedir emprestado).

    Aposto o pescoço do Chesterton,

    chest- socialista é assim, aposta o dinheiro dos outros, faz caridade com o dinheiro dos outros…

  132. Otto said

    Ô Pedro #114

    Não te respondi porque estive viajando e não vi tua pergunta.

    No entanto, os EUA tem proporcionalmente mais funcionários públicos que o Brasil.

    É mole?

  133. Patriarca da Paciência said

    E D. Joaquim I ?

    Fica cada vez mais difícil acreditar na sua sanidade mental.

    No caso do Genoino, máximo da torpeza.

    No caso do Bob Jeff, máximo da correção.

    Ou seja, a intenção dele é, claramente, “mostrar quem manda no pedaço!”

  134. Patriarca da Paciência said

    Elias,

    acredito que a indexação do combustível não passa mesmo, se passar a Dilma veta.

    E se os treze centavos já “alinham o pareço da gasolina com os preços internacionais”, já veio tarde.

    E se o problema todo da Petrobrás era esse, a coisa está bem melhor do que se possa imaginar.

  135. Patriarca da Paciência said

    “A queda do narco-helicóptero em mãos das autoridades policiais, a descoberta de meia tonelada de pó, a estranha situação funcional do piloto da família, a origem nebulosa da imensa fortuna do senador Perella (dirigente mafioso de um time de futebol, o Cruzeiro), o combustível pago com dinheiro público, o silêncio indecente da grande mídia brasileira, tudo isso, tudo, tudo mesmo, é apenas a confirmação de que o caso precisa ser investigado, e bem investigado. Aí, então, os brasileiros vão descobrir que não são diferentes da Colômbia, do Paraguai, da Argentina, do Peru, do Panamá. Quem sabe, o Brasil seja até pior, bem pior, com uma narcocracia reinante na política, na economia, na imprensa. Silenciosamente reinante.”

    (*) Chiqui Avalos é jornalista e escritor paraguaio, correspondente do Brasil247 no Mercosul.

    Caramba! O paraguaio botou pra quebrar!

  136. Pax said

    Bem, ao menos ontem o noticiário estava recheado sobre o noticiário do helicóptero do pó. Tem que ir até o fim, assim como nos casos do metrô e trens de SP (este post).

    Assim como foram no caso do mensalão do PT.

    pau que bate em chico…

  137. Patriarca da Paciência said

    Tomando-se a maneira de agir do Joaquim I, nos casos Genoino e Bob Jeff, fica bem claro uma coisa:

    Ou ele está a fim de provar mesmo que “aqui é nóis, mano”, ou então o então ele é claramente um bipolar.

  138. Chest said

    http://veja.abril.com.br/blog/reinaldo/geral/a-estranha-historia-do-helicoptero-dos-perrella-lotado-de-cocaina-nao-fecha-quer-na-narrativa-quer-na-matematica/

  139. Chest said

    Você não pode fazer frete ou transporte de passageiros com fins lucrativos em aeronave particular, é contra a lei. Esse papo de fazer um fretezinho para arrumar uns trocados está muito mal contada. O deputado técnicamente está fudido.

  140. Otto said

    #136 Pax:

    menos, menos: no JN nenhuma alusão sequer à velha e conhecida amizade dos Parrela com Aécio.

    Nem mostraram a foto do Parrelinha com Aécio e Alckmin.

    Agora, se fosse algum amigo, concunhado, ex-churrasqueiro do Lula ou Zé Dirceu…

  141. Pax said

    Caro Otto,

    Não entendo porque você não reclama da Agência Brasil também. Vá lá e procure sobre o helicóptero do pó. Não há uma notícia sequer.

    Caro Chesterton,

    Eu não sou socialista. Sou social democrata. Há um abismo entre as duas posições. Sou contra o socialismo puro assim como sou contra o liberalismo. E vá estudar para entender as diferenças que não sou candidato a tutor de ninguém. Aliás, teu pescoço vai dançar.

    Até agora o fraquíssimo Cardozo ficou só na ameaça. Esse cara é um zero à esquerda total. Pior que isso…

    Na questão indígena ele chega a ser lastimável

    http://www.socioambiental.org/pt-br/blog/blog-do-ppds/portaria-ministerial-pode-paralisar-definitivamente-a-identificacao-de-terras-indigenas

  142. Otto said

    Tá bom, Pax:

    reclamo da Agência Brasil, lá só sai releases do que dá na grande mídia.

    Os jornalistas de lá têm medo de perder a “empregabilidade”, caso um dia saiam de lá…

  143. Pax said

    Caro Otto,

    Reclamamos da famosa imprensa tradicional. Os tais veículos que pertencem a meia dúzia de famílias, que detém enormes oligopólios com jornais, revistas, rádios, tvs etc. Um poder danado. E aí reclamamos do que sai ou não sai nessa mídia, gostaríamos que tivessem a mesma visão que a nossa sobre determinados assuntos e assim por diante. Pois bem, disso derivam alguns pontos no meu entender:

    1 – não adianta muito reclamar de uma mídia que é assim ou assado. É ler ou não ler. Assistir ou não. Ouvir ou não. Aliás, confesso que o tal histérico da Veja tem habilidade. Poucos fazem como eu, deixam de ler. Não leio histérico de qualquer lado. Não leio PHA por exemplo. Nem de um lado, nem de outro. Tinta paga é o pior que há. Tinha histérica é ruim pacas. Tinta histérica e paga chega a ser venal.

    2 – pior que reclamar ao vento é pensar de forma pouco democrática, de querer controlar conteúdo. Aí deixamos a democracia de lado e partimos de uma vez por todas para algum regime totalitário, seja ele de que ramo for.

    3 – podemos e devemos, no meu entender, discutir o modelo de concessões que temos. Aqui mora um absurdo que o PT não quis mexer. Ao contrário, continua praticando exatamente igual ao que já rolava. (essa história do novo patrão do Zé Dirceu é um bom exemplo, precisa apurar melhor, mas o cheiro é ruim pacas).

    4 – podemos e devemos, no meu entender, fazer uma enorme pressão pra mudar as leis: direito de resposta, injúria, calúnia, difamação etc. (cadê os processos que o Cardozo, fraquinho, disse que ia abrir?)

    5 – podemos e devemos estimular outras mídias e isso, de uma forma ou outra, mais devagar que eu gostaria, está acontecendo, sim.

    6 – podemos e devemos trabalhar para que essas tais famílias donas dos principais veículos de comunicação não tenham privilégios, como o de não pagar impostos e outros absurdos. E aí volto a perguntar: cadê o governo petista agindo em cima disso?

    7 – no meu caso em específico, gosto muito da ideia dos orgãos de comunicação oficiais (agencias Brasil, Senado, Câmara, etc etc). E sonho que o Brasil tenha uma agência com a qualidade da BBC, por exemplo. Que consiga produzir conteúdo não só noticioso, mas de outras naturezas, como sobre a Natureza. Não fazemos mesmo porquê?

    Por fim, não acho, sinceramente, que a mídia esteja numa zona de conforto. Está em questionamento como todos os poderes estão.

    O que tenho visto aqui e em outros lugares (Facebook e Twitter principalmente) é muito chororô. Que, pra mim, entra por um ouvido e sai por outro. Esse chororô danado dos neoPetistas é um saco. Parece que não se lembram que o PT está há quase 12 anos no poder. Poderia ter mudado a cara de tudo. Não fez por um único motivo: porque não quer. Simples pra caramba. Aí se mete com a corrupção, diz que é imperativo para a governabilidade, se aprofunda no assunto, vira profissional do ramo, e reclama que a mídia só dá a corrupção dos companheiros.

    Tem que ter paciência pra aguentar.

    Não mexeu nos poderes da mídia porque não quis. Montou o STF que quis e agora reclama. Não tocou na reforma política. Não tocou na reforma tributária. Um monte de pontos que podemos apontar. E fica nesse mimimi que enche o saco.

  144. Chest said

    Dilma é cúmplice de estupro de menores?

  145. Chest said

    Pax, entenda, a histeria é um transtorno onde o sujeito não percebe a realidade, não mais acredita em seus próprios olhos. Logo, não é de “direita”.

  146. Chest said

    http://laudaamassada.blogspot.com.br/2013/11/o-socialismo-os-histericos-e-os.html

  147. Chest said

    Frei Betto chega a mesma conclusão: O PT é a origem de todo mal

    http://www.implicante.org/artigos/frei-betto-o-pt-trocou-um-projeto-de-brasil-por-um-projeto-de-poder/

  148. Patriarca da Paciência said

    “O PT é a origem de todo mal”

    Estou começando a achar que o Chesterton realmente acredito nisso, o que me parece algo espantoso para um médico.

    Mas pensando bem, uma pessoa que fez elogios ao Olavão Maluco, quando este escreveu que “a verdadeira intenção de Newton, quando descobriu e publicou a Lei da Gravitação Universal, foi destruir o Cristianismo Trinitário, talvez não seja tão espantoso.

    Dizem que as terras mais negociadas no mundo, até hoje, são as encostas do Pão de Açúcar no Rio de Janeiro. Já foram vendidas milhares de vezes, desde o tempo do Império (Não do D. Joaquim I, mas do Pedro I) até hoje, e sempre aparece quem compre! Inclusive este ano, já deve ter sido vendida algumas vezes!

  149. Patriarca da Paciência said

    ” Parece que não se lembram que o PT está há quase 12 anos no poder. Poderia ter mudado a cara de tudo. Não fez por um único motivo: porque não quer.”

    Caro Pax,

    Eu diria que a realidade é muito mais complexa do que sonha a nossa vã filosofia.

    Você acha possível mudar as coisas na base do canetaço?

    Jânio Quadros, Carlos Lacerda, Fernando Collor, etc.etc.etc., já se apresentaram como “salvadores da pátria” e não resolveram nada!

    Agora temos aí o D. Joaquim I. Você acredita que ele vai mudar alguma coisa?

    Você acredita que as milhares de investigações “depositadas” em profundas gavetas, (vide De Grandis), agora sob o comando do D. Joaquim I, vão ter prosseguimento? Alguns acusados do “mensalão do PSDB” já foram absolvidos por prescrição!

    De minha parte, eu não acredito mesmo! Tudo não passa de revanche. Vão saborear a vitória enquanto puderem, mas os ventos tem tudo para mudar.

    A natureza não dá saltos. Hoje o Brasil já evoluiu e muito. Nossa economia e nossa democracia não são perfeitas, mas já são fortes o suficiente para não desabarem com qualquer espirro internacional ou crise nacional

    Hoje já temos um país bem estável, o que é a base de tudo.

    Mais algumas décadas e estaremos em plena civilização.

    Agora, querer resolver as coisas com canetaço ou por obra e graça de salvadores da pátria, é pura perda de tempo!

  150. Chest said

    Para sua melhor compreensão do universo, patriarca:

  151. Patriarca da Paciência said

    Chesterton,

    Dr. Michio Kaku, para “melhor compreensão do universo”!

    Será que o “micho” compreende mesmo o que seja o universo? Seria algo espantoso ! Poderia fazer concorrência com o D. Joaquim I ou com o reinaldo rola-bosta, ambos também supremos sapientes!.

    Eu fico mais com o Samuel Beckett, o qual dominava oito línguas e recusou convites de célebre universidades para atuar como professor, alegando, “como posso ensinar alguém se, até hoje, não aprendi nada”

  152. Jose Mario HRP said

    “O PT é a origem de todo mal”

    Coisa de sermão de pastor evangelico!!!

    E quanto a mudanças;
    Se um bolsa familia incomoda muita gente, imagine um imposto sobre as grandes fortunas!
    Mundo da lua seria pouco!

  153. Jose Mario HRP said

    A Dilma vai colocar um medico cubano para trabalhar ao lado do Chestinho!

  154. Pax said

    Caro Patriarca, em #149

    Não vejo qualquer complexidade em afirmar que o PT, em 12 anos, não fez qualquer mudança no modelo que adotou e condenou sua cúpula. Não tocou um milímetro à frente qualquer reforma que pudesse apontar para alguma alteração, em especial a reforma política.

    Sejamos sinceros, ao menos entre nós, aqui, neste micromundo digital.

    Eu diria que o país está menos desigual, sim. Que é um mérito.

    Mas diria também que o país está mais mal educado, mais perigoso de viver e mais corrupto. Bem mais corrupto. Afinal entrou mais um jogador de peso no jogo, aquele que dizia que jogaria diferente.

    O que mais me entristece é constatar que uma parte dos simpatizantes acaba por aceitar numa boa essa determinação do que vem de cima, as desculpas esfarrapadas que não dá pra ser diferente. Isso significa, pra mim, que corrompemos uma parte da sociedade, aquele que acompanhou, apoiou e votou a subida de um líder sindical ao comando do país. Achávamos que o país melhoraria neste sentido, ético e moral, mas o que constatamos é que os sindicatos perderam sua moral. E, desculpem-me dizer, com o reforço dessa visão tacanha que não se consegue mudar o modelo.

    É muito pro meu estômago esse prato servido.

  155. Otto said

    “Aécio diz que não viu nada que vinculasse Perrella à cocaína apreendida no helicóptero.”

    http://www.diariodocentrodomundo.com.br/essencial/aecio-diz-que-nao-viu-nada-que-vinculasse-perrella-a-cocaina-apreendida-no-helicoptero/

    Pausa pra rir;

    Mais pausa.

    Outra pausa…

    Esse Aécio não fede, mas como cheira…

  156. Otto said

    Pax:

    “Mas diria também que o país está mais mal educado, mais perigoso de viver e mais corrupto. Bem mais corrupto.”

    Ah, faz favor, Pax.

    Agora não tem mais Engavetador Geral e a PF não está manietada.

  157. Chest said

    Muito engraçado ver revolucionários tentando gerir a economia herdada de liberais…

  158. Pax said

    Bem, trabalho para os marketeiros. Dilma subiu nas pesquisas.

    http://www1.folha.uol.com.br/poder/2013/12/1379068-aprovacao-de-dilma-sobe-para-41-mas-66-pedem-mudanca.shtml

    Como vejo a situação? Todos somos livres para interpretar. Então vamos lá:

    1 – o ponto principal é: não há oposição, a que tem é tão fraca que é possível dizer que inexiste

    2 – o governo é podre, já chega a feder de tanto, precisa mudar. Necessário lembrar de Maluf, Collor, Silas Malafaia, Sarney, Renan e todos estes? Acho que não né? Precisa lembrar do Vaccarezza? Lindbergh? Agnelo? Etc?

    3 – a fadiga de material que esse neoPetismo empodrecido causa não vai surtir efeito ano que vem.

    4 – a oposição, sem qualquer proposta, vai ficar com discurso ainda pior que nas eleições de 2010, falando só da corrupção do PT. O ponto máximo será o papo dos novos hóspedes da Papuda.

    5 – o PT vai aproveitar essa onda de escândalos tucanos e vai mostrar que as outras opções são corruptas, sem dizer que ele mesmo adotou os mesmíssimos métodos

    6 – a oposição vai mostrar um monte de coisas inacabadas dos 12 anos do PT

    7 – o PT vai mostrar um monte de coisas inacabadas dizendo que estão prontas, chegarão ao cúmulo de mostrar água rolando na transposição do São Francisco e trem rodando na Ferrovia Norte Sul. De real mesmo vai mostrar ad nauseam o Mais Médicos.

    8 – as eleições de 2014 serão mais do mesmo: “o meu corrupto é melhor que o teu”.

    9 – o povo vai continuar insatisfeito, mas sem esperança de mudança alguma

    10 – essa situação pode gerar alguns movimentos parecidos com Junho deste ano, mas serão imediatamente abafados com o discurso que os movimentos são dirigidos, as forças insatisteitas serão completamente divididas

    11 – uma hora, bem mais à frente, o troço explode mesmo. Pode ser em 2015, 2016 ou, na pior das hipóteses, em 2036.

    12 – pode ser, uma hipótese bem remota, que o PSB do Eduardo Campos e Marina, decida se aliar com o PSDB para promover um segundo turno

    13 – todas as empresas corruptas já separaram uma fortuna de seus caixas 2 (dinheiro que é do povo) para abastecer os caixas 2 dos partidos e todos ficaram com mais rabo preso com o esquemão que nas eleições passadas. Aliás, os caixas 2 dos partidos já estão recheados de dinheiro.

    Pronto, 13 itens, pra satisfazer o 13.

  159. Patriarca da Paciência said

    “Afinal entrou mais um jogador de peso no jogo, aquele que dizia que jogaria diferente.”

    É bem isso aí, caro Pax,

    o PT aceitaria ser condenado por isso e, apenas por isso. Nunca por ter “praticado o maior escândalo de corrupção da História”, Nunca por ter “desviado montanhas de dinheiro público”, visto que, até agora, ao que tudo indica, o dinheiro sequer era público e, apenas na Prefeitura de São Paulo, foi comprovadamente desviado dinheiro realmente público em volume escandalosamente maior.
    E também violentar a Justiça, condenando alguém sem apresentar nenhuma prova concreta, fundamentando condenações em teorias, é um pouco demais.

    Você viu as declarações do FHC hoje? Um verdadeiro santinho do pau oco! A culpa é apenas do Lula e do PT. O PSDB é “diferente”.

    E é por aí mesmo que vai ficar. Já foi sorteado o boi-piranha, agora a boiada passa!

    Quem mandou o PT quebrar o monopólio dos herdeiros das Capitanias Hereditárias?

    É isso que essa gente não suporta – que o PT tenha aprendido a jogar o jogo deles, quebrado o monopólio deles, invadido a praia deles, entrado no club defendido com unhas e dentes!

    E o FHC já está falando inclusive “no perigo dos salvadores da pátria”.

    E ele está com toda a razão, “não só pública como particular”.

    Pública porque “salvadores da pátria”, em qualquer época e em qualquer lugar, sempre foram altamente nocivos.

    Particular porque, no caso de um segundo turno, é muito provável que fique o Barbosão, não o Aécio. E o pessoal do PSDB já viu que o Barbosão nunca aceitará ser vice do Aécio. Imagina se o D. Joaquim I ia aceitar ser vice!

  160. Chest said

    O valor dos valores

    Ouvir o texto
    Aspecto importante da produtividade de um país, que não se mede em infraestrutura, ambiente de negócios, nível técnico dos trabalhadores e empresários ou nível de investimento. Falo da matriz cultural da produção.

    Em visita recente à Alemanha, fiquei mais uma vez impressionado pelo grau de organização, limpeza e qualidade da produção visto desde a feira livre até a empresa de alta tecnologia. O que me chamou mais a atenção foram o entusiasmo e a satisfação de executar um bom trabalho.

    É um círculo virtuoso: na medida em que cada um trata os demais com eficiência e cortesia, também recebe bom tratamento.

    Apesar de ter origem cultural diferente, o Brasil tem feito grandes progressos nessa direção. Tive duas experiências muito gratificantes que mostram isso.

    A primeira foi a construção da operação brasileira de uma multinacional que atingiu os melhores índices de eficiência, qualidade e satisfação do cliente na comparação com o resto do mundo. Depois, no setor público, dirigindo o Banco Central, tive experiência semelhante com equipe de colaboradores engajada e eficiente, que se orgulhava, valorizava muito o trabalho e, por meio dele, a si mesma.

    Embora tenhamos caminhado muito na valorização da qualidade e da produtividade, é preciso um grande avanço para elevar o nível de renda ao padrão dos países
    desenvolvidos.

    Tive primeira visão mais crítica da questão quando li há muitos anos o diário de Charles Darwin sobre sua volta ao mundo nos anos 1830, na qual desenvolveu a teoria da evolução.

    Ao passar pelo Brasil, o que mais chamou sua atenção foi o conceito de que homem de bem era o que se dedicava às coisas nobres, como as artes, e não às coisas “menores”,
    como o trabalho, visto como atividade de escravos ou mal-intencionados. Mal-intencionado era todo aquele que quisesse ganhar dinheiro almejando o lucro, fosse comerciante ou agricultor.

    De lá para cá, o país evoluiu muito com o fim da escravidão, a urbanização, as ondas migratórias, a massificação educacional e a ocupação produtiva do interior. Hoje o Brasil busca produtividade e conta com uma classe de trabalhadores e com empreendedores cientes do valor do trabalho.

    Porém resiste em setores importantes uma visão arcaica contra o lucro e a meritocracia. Ter consciência de que ela é fruto de raízes culturais ultrapassadas contribui para seguir o processo de valorização da cultura do empreendedorismo, da meritocracia, da remuneração segundo a produtividade de cada um.

    Quanto mais esses valores prevalecerem, mais perto estaremos do desenvolvimento que buscamos para todos.

    HENRIQUE MEIRELLE

  161. Chest said

    A crise da Petrobras reaviva uma frase atribuída a Quércia: “Quebro o Banespa, mas elejo o Fleury”.

    EC

  162. Chest said

    Prisão de condenados pelo mensalão é aprovada por 87% dos adeptos do PT

    FERNANDO RODRIGUES
    DE BRASÍLIA

    O presidente do Supremo Tribunal Federal, Joaquim Barbosa, ainda tem uma pontuação modesta quando colocado como candidato ao Palácio do Planalto: só 15%, segundo o Datafolha.

    Mas Barbosa se aproxima de uma quase unanimidade nacional quando toma decisões sobre o caso do mensalão. Para 86% dos brasileiros, o presidente do STF agiu bem ao mandar prender os mensaleiros condenados no feriado de 15 de Novembro, dia da Proclamação da República. O dado é da pesquisa Datafolha realizada nos últimos dias 28 e 29, em todo o país.

    O mais interessante é quando esse dado é estratificado por preferências partidárias. Entre os simpatizantes do PT, 87% dizem que Barbosa agiu bem ao mandar prender os mensaleiros no feriado. Como a margem de erro da pesquisa é de dois pontos percentuais, seria um erro dizer que o apoio às prisões entre petistas (87%) foi maior do que a média entre todos os entrevistados (86%). Há aí uma situação de empate técnico.

    Já entre os adeptos do PSDB, o percentual dos que apoiam a ação de Barbosa é mesmo bem acima da média nacional. Para 99% dos tucanos o presidente do STF agiu corretamente.

    O Datafolha quis saber também se os brasileiros tomaram conhecimento do episódio das prisões dos mensaleiros. A imensa maioria (82%) respondeu positivamente.

    Como houve muita controvérsia a respeito da data das prisões e da forma como foi efetuada a ação, com ampla divulgação pela mídia, o Datafolha elaborou uma terceira questão. Perguntou se Joaquim Barbosa tomou a decisão “para se promover pessoalmente” ou se “agiu de acordo com a Justiça e fez o que deveria ser feito”.

    Para decepção de vários integrantes da cúpula do PT, a resposta da maioria dos entrevistados pelo Datafolha foi a favor de Barbosa. Para 78%, ele “agiu de acordo com a Justiça”. Outros 10% acham que ele desejou se promover. E 12% disseram não saber opinar.

    Entre petistas, vai a 80% a taxa dos que acharam que o presidente do STF “agiu de acordo com a Justiça”. O percentual sobe para 84% entre os que tomaram conhecimento do episódio.

  163. Chest said

    Finalmente fez-se justiça no caso do mensalão. Escrevo sem júbilo: é triste ver na cadeia gente que em outras épocas lutou com desprendimento. Estão presos ao lado de outros que se dedicaram a encher os bolsos ou a pagar suas campanhas à custa do dinheiro público. Mais melancólico ainda é ver pessoas que outrora se jogavam por ideais – mesmo que controversos – erguerem os punhos como se vivessem uma situação revolucionária, no mesmo instante em que juram fidelidade à Constituição.

    Onde está a Revolução? Gesticulam como se fossem Lenines que receberam dinheiro sujo, mas usaram – no para construir a “nova sociedade”. Nada disso: apenas ajudaram a cimentar um bloco de forças que vive da mercantilização da política e do uso do Estado para perpetuar-se no poder. De pouco serve a encenação farsesca, a não ser para confortar quem a faz e enganar a seus seguidores mais crédulos.

    Basta de tanto engodo. A condenação pelos crimes do mensalão se deu em plena vigência do Estado de Direito, em um momento no qual o Executivo é exercido pelo Partido dos Trabalhadores, cujo governo indicou a maioria dos ministros do Supremo. Não houve desrespeito às garantias legais dos réus e ao devido processo legal.

    Então por que a encenação? O significado é claro: eleições à vista. É preciso mentir, autoenganar-se e repetir o mantra. Não por acaso a direção do PT amplifica a encenação e Lula diz que a melhor resposta à condenação dos mensaleiros é reeleger Dilma Rousseff… Tem sido sempre assim, desde a apropriação das políticas de proteção social até a ideia esdrúxula de que a estabilização da economia se deveu ao governo do PT. Esqueceram as palavras iradas que disseram contra o que hoje gabam e as múltiplas ações que moveram no Supremo para derrubar as medidas saneadoras. O que conta é a manutenção do poder.

    Em toada semelhante o mago do ilusionismo fez coro. Aliás, neste caso, quem sabe, um lapso verbal expressou sinceridade: estamos juntos, disse Lula. Assumiu meio de raspão sua fatia de responsabilidade, ao menos em relação a companheiros a quem deve muito. E ao país, o que dizer?

    Reitero, escrevo tudo isso com melancolia, não só porque não me apraz ver gente na cadeia, embora reconheça a legalidade e a necessidade da decisão, mas principalmente porque tanto as ações que levaram a tão infeliz desfecho como a cortina de mentiras que alimenta a aura de heroicidade fazem parte de amplo processo de alienação que envolve a sociedade brasileira.

    São muitos os responsáveis por ela, não só os petistas. Poucos têm tido a compreensão do alcance destruidor dos procedimentos que permitem reproduzir o bloco de poder hegemônico; são menos numerosos ainda os que têm tido a coragem de gritar contra essas práticas.

    É enorme o arco de alianças políticas no Congresso cujos membros se beneficiam por pertencer à “base aliada” de apoio ao governo. Calam-se diante do mensalão e demais transgressões, como se o “hegemonismo petista” que os mantém seja compatível com a democracia.

    Que dizer então da parte da elite empresarial que se serve dos empréstimos públicos e emudece diante dos malfeitos do petismo e de seus acólitos? Ou da outrora combativa liderança sindical, hoje acomodada nas benesses do poder?

    Nada há de novo no que escrevo. Muitos sabem que o rei está nu e poucos bradam. Daí a descrença sobre a elite política reinante na opinião pública mais esclarecida. Quando alguém dá o nome aos bois, como, no caso, o ministro Joaquim Barbosa, que estruturou o processo e desnudou a corrupção, teme-se que ao deixar a presidência do STF a onda moralizante dê marcha a ré. É evidente, pois, a descrença nas instituições. A tal ponto que se crê mais nas pessoas, sem perceber que por esse caminho voltaremos aos salvadores da pátria. São sinais alarmantes.

    Os seguidores do lulopetismo, por serem crédulos, talvez sejam menos responsáveis pela situação a que chegamos do que os cínicos, os medrosos, os oportunistas, as elites interesseiras que fingem não ver o que está à vista de todos. Que dizer então das práticas políticas? Não dá mais! Estamos a ver as manobras preparatórias para mais uma campanha eleitoral sob o signo do embuste.

    A candidata oficial, pela posição que ocupa, tem cada ato multiplicado pelos meios de comunicação. Como o exercício do poder se confundiu, na prática, com a campanha eleitoral, entramos já em período de disputa. Disputa desigual, na qual só um lado fala e as oposições, mesmo que berrem, não encontram eco. E, sejamos francos: estamos berrando pouco.

    É preciso dizer com coragem, simplicidade e de modo direto, como fizeram alguns ministros do Supremo, que a democracia não se compagina com a corrupção nem com as distorções que levam ao favorecimento dos amigos. Não estamos diante de um quadro eleitoral normal. A hegemonia de um partido que não consegue se deslindar de crenças salvacionistas e autoritárias, o acovardamento de outros e a impotência das oposições estão permitindo a montagem de um sistema de poder que, se duradouro, acarretará riscos de regressão irreversível.

    Escudado nos cofres públicos, o governo do PT abusa do crédito fácil que agrada não só os consumidores, mas em volume muito maior, os audaciosos que montam suas estratégias empresariais nas facilidades dadas aos amigos do rei. A infiltração dos órgãos de Estado pela militância ávida e por oportunistas que querem se beneficiar do Estado distorce as práticas republicanas.

    Tudo isso é arqui-sabido. Falta dar um basta aos desmandos, processo que, numa democracia, só tem um caminho: as urnas. É preciso desfazer na consciência popular, com sinceridade e clareza, o manto de ilusões com que o lulo-petismo vendeu seu peixe. Com a palavra as oposições e quem mais tenha consciência dos perigos que corremos.

    Artigo “Sinais preocupantes”, de Fernando Henrique Cardoso

  164. Pax said

    Caro Chesterton, velho e bom Chesterton,

    1 – sobre teu post #162

    Aqui Fernando Rodrigues faz uma meta reportagem. Seu post fala sobre sua análise. Interessante.

    http://fernandorodrigues.blogosfera.uol.com.br/2013/12/01/aprovacao-a-acoes-de-joaquim-indica-cansaco-com-politica-tradicional/

    Bom saber que o neoPetismo não é unânime.

    2 – Sobre teu post #163, o artigo do FHC

    Mais parece chororô de quem vai perder, de novo, as eleições. Mimimi de quem é presidente de honra de um partido que tem pouco contato com a sociedade. Não é que não diga algumas verdades. Até diz. Algumas.

    Mas tem um furo danado no tal resmungo de FHC: esquece de dizer que seu partido é absolutamente igual. Sem tirar nem por. Compra legislativo com dinheiro desviado, faz propaganda enganosa, mete a mão nos cofres públicos com gosto. Idem ibidem, nestes aspectos, do que o ex-presidente acusa os adversários.

    PSDB de hoje, sinceramente, me parece o DEM de amanhã.

  165. Chest said

    Pax, se você é social-democrata, você é FHC, não lulo-petista. Eu sou conservador. FHC começou a ceder as fronteiras do Brasil para indios e escambau.

    Quem sabe agora vai?

    http://veja.abril.com.br/noticia/brasil/mensalao-pf-abre-inquerito-contra-lula

  166. Patriarca da Paciência said

    A reeleição de presidente custou R$ 2.895.444,92 por voto. 1.12.2013 às 17:00
    A Folha publicou em maio de 1997 uma série de matéria sob o título “O Mercado de Voto” que deram prêmio ao jornalista Fernando Rodrigues sobre a Compra de Votos para emenda de reeleição que favoreceria o então presidente FHC.”Mercado de Voto” Autores: Fernando Rodrigues Data: 13 de Maio de 1997 Editoria: Brasil/Folha de S.Paulo A série de reportagens conhecida como ”Mercado do Voto”, de autoria do jornalista Fernando Rodrigues, foi o trabalho vencedor do Grande Prêmio Folha de Jornalismo de 1997. A série revelou gravações em que deputados afirmavam ter recebido dinheiro para votar a favor da emenda que permitiu ao então presidente Fernando Henrique Cardoso tentar a reeleição. http://www1.folha.uol.com.br/especial/2013/premiofolha/1997/grande-premio.shtml Analisando a variação do índice Selic (cálculo composto) para o período de 01/03/1996 a 31/10/2013 é 1.447,2246% . Em 1996, foi feita a compra de deputado por R$ 200 mil para emenda de reeleição de FHC. Este valor atualizado hoje chegaria a R$ 2. 895.444.92. Quantos deputados votaram a favor da emenda constitucional para a reeleição em 1997? Alguém sabe? E no senado quanto custou? Foi feito com dinheiro público e é o maior escândalo do Brasil.
    (blog 247)

    E o santinho do pau oco aí, na maior cara de pau, dizendo que a “prisão dos mensaleiros foi justa”.

    Talvez até fosse, se o pessoal do PSDB tivesse sido preso antes e também o Daniel Dantas. Ali não precisavam apelar para uma teoria a fim de fundamentar condenações. As provas eram concretas e abundantes. No entanto… alguns acusados já até foram absolvidos por prescrição. E o D. Joaquim I aí, dando uma de grande paladino da justiça!

    E alguém pode encontrar alguma resquício de “Justiça” no tratamento totalmente diferenciado entre o Bob Jeff e o Genoino?

  167. Pax said

    Morreu Marcelo Déda, governador do Sergipe, do PT. Não era um assíduo deste blog.

    Estava na política desde garoto.

  168. Pax said

    Pode ser (forte possibilidade) que a roubalheira do ISS não fique só nisso. Caramba. Papo de mais 2 bilhões. Se for verdade o desvio total chega a 2,5 bilhões.

    http://jornalmetro.com.br/nacional/foco/mafia-teria-atuado-em-bancos-e-em-empresas-de-seguranca-42893

    E o prefeito de SP, Fernando Haddad, não está nada bem. Segundo a Folha (que é da oposição, claro), seu índice de aprovação/rejeição se iguala ao do Pitta e do Kassab. É mais ou menos. Os dois (hoje, se Pitta estivesse vivo estaria na base neoPetista, como Kassab está, agarradinho com Dilma que lhe promete amor eterno) com 15 e Haddad com 18 de ótimo/bom.

    http://www1.folha.uol.com.br/poder/2013/12/1379345-reprovacao-a-haddad-e-similar-a-de-pitta-e-kassab.shtml

    Devemos nos lembrar de dois pontos importantes que deixam profundas marcas em Haddad.

    1 – o papo de se abraçar com o Alckmin em Paris, no início das manifestações de junho, e porque não dizer que abraçados e representados por Arnaldo Jabor, dizendo que o povo às ruas não valia 20 centavos e que a polícia tinha que sentar o cacete. Depois quis reverter, mas o caldo já tinha sido derramado.

    2 – o papo do Plano Diretor, começou falando que ouviria a sociedade, fez algumas reuniões com representantes de bairro e, depois, deu o tal golpe de aprovar as mudanças num afobadilho um dia antes da reunião que teria com os representantes.

    Sei não, acho que Haddad terá um voo de galinha. Pode ser que esteja enganado, mas hoje diria isso. Se é uma aposta do Lula… sei não, repito.

  169. Pax said

    Essa é para o Chesterton, e para todos os liberais. Estado Mínimo, ora pois.

    Mas tem que ler sabendo que pode estar entrando numa boa pegadinha.

    http://www1.folha.uol.com.br/fsp/ilustrada/141673-partido-novo-do-estado-minimo.shtml

  170. Patriarca da Paciência said

    “Bom mesmo era entregar o país nas mãos de um puta empresário. Tipo o Eike. Ou o presidente da Gol. Esse daí é um gênio. “Acabou essa festa de todo mundo ganhar barrinha de cereal. Agora você tem que pagar por ela. E caro.” É disso que o Brasil precisa: de um bom CEO, com MBA no exterior, que manje de marketing, “people management” e Excel. Vou ligar para o Eike. Vai que ele topa. Acho que hoje em dia ele topa.”
    (Do link acima)

    Esta merece uma placa de bronze e ser colocada em destaque bem na entrada da sede do PSDB.

    E também no consultório do Chesterton!

  171. Pax said

    Gostei da análise do Kennedy Alencar. Confesso que o ouço um pouco com pé atrás, as acho que acerta em sua interpretação – na minha opinião – sobre o resultado da última pesquisa Ibope.

    Que, em resumo é uma constatação que já temos faz muito tempo: a oposição não tem o que apresentar. Como não tem, o povo vota em quem conhece, mesmo querendo que tudo mude.

    E, no final, faz um elogio ao Marcelo Déda que me parece apropriado. Bom gestor, bom articulador político. Foi cedo. Num mundo de Renan Calheiros, Kátia Abreu, Sarney, Alckmin, Sérgio Cabral e outros políticos desse naipe, sejam legisladores ou executivos, Déda era melhor que a grande maioria. Bem melhor.

    Enfim, ouvi e gostei.

    http://blogdokennedy.com.br/deda-era-um-politico-bem-acima-da-media/

  172. Patriarca da Paciência said

    “Mas o que esperar de um homem (Fernando Henrique Cardoso) que, sob insultos pesados, expulsa a mulher que inseminou ao ser comunicado por ela de que o ato que praticaram gerou um fruto? A falta de caráter desse sujeito não precisava desse artigo deplorável em que, além de “príncipe” da roubalheira de patrimônio público, confirmou ser o imperador do cinismo.”
    (Eduardo Guimarães)

    Depois de D. Joaquim I, imperador do STF, agora temos o D. Fernando I, o imperado do cinismo!

    Será que o Brasil vai suportar tantos imperadores?

    Será que é possível uma convivência pacífica entre imperadores?

  173. Zbigniew said


    (…)
    De forma displicente, a Ministra Rosa Weber disse em seu voto:” Não tenho prova cabal contra Dirceu – mas vou condená-lo porque a literatura jurídica me permite”. Qual literatura jurídica? A dos nazistas ou do notável jurista do nazismo Carl Schmitt? Pode uma juiza do Supremo Tribunal Federal se permitir tal leviandade ético-jurídica?
    (…)”

    Leonardo Boff, no Brasil247 (http://www.brasil247.com/pt/247/brasilia247/122609/Leonardo-Boff-Barbosa-n%C3%A3o-honra-o-STF.htm)

    Será que esse julgamento não foi político?!!!

  174. Zbigniew said

    “(…)
    Outro notável é o jurista Antônio Bandeira de Mello, 77, professor da PUC-SP na mesma FSP do dia 22/11/2013. Assevera:”Esse julgamento foi viciado do começo ao fim. As condenações foram políticas. Foram feitas porque a mídia determinou. Na verdade, o Supremo funcionou como a longa manus da mídia. Foi um ponto fora da curva”.

    Escandalosa e autocrática, sem consultar seus pares, foi a determinação do Ministro Joaquim Barbosa. Em princípio, os condenados deveriam cumprir a pena o mais próximo possível das residências deles. “Se eu fosse do PT” – diz Bandeira de Mello – “ou da família pediria que o presidente do Supremo fosse processado. Ele parece mais partidário do que um homem isento”.

    Escolheu o dia 15 de novembro, feriado nacional, para transportar para Brasília, de forma aparatosa num avião militar, os presos, acorrentados e proibidos de se comunicar. José Genuino, doente e desaconselhado de voar, podia correr risco de vida.

    Colocou a todos em prisão fechada mesmo aqueles que estariam em prisão semi-aberta. Ilegalmente prendeu-os antes de concluir o processo com a análise dos “embargos infringentes”.
    (…)
    ib idem

    Será que esse julgamento não foi político?!!!

  175. Patriarca da Paciência said

    Caro Zbigniew,

    acho que, finalmente, você está enxergando a coisa pelo lado correto.

  176. Patriarca da Paciência said

    E só espero que o PT, seus advogados e seus líderes enxerguem também que a tentativa é de terra arrasada, é de total destruição do PT e partam para tomar a iniciativa de enfrentar a batalha.

    Se o ministro Cardozo não cumprir com a sua palavra de processar o PSDB, para mim, perde totalmente a moral! Aí sim, merece ser demitido!

    O Aritgo do Frei Leonardo Boff é corajoso, forte e verdadeiro!

  177. Zbigniew said

    Da Folha
    O direito de não o ter

    Janio de Freitas

    O STF adiou o julgamento do caso das cadernetas de poupança para 2014. Pressa, só no processo do mensalão

    O maior avanço do Brasil no pós-ditadura é nos direitos humanos. Os neoliberais dirão que é nas privatizações, até porque direitos humanos só lhes ocorrem para falar de China e Cuba. Tão logo terminada a era das transgressões desumanas, os direitos humanos se puseram em marcha ininterrupta, acelerada pela Constituição. Mas tudo o que se caminhou nessa direção é ainda muito, muito pouco.
    (…)”

    Será que, realmente, esse julgamento não foi político??!!

  178. Zbigniew said

    Neste caso, o STF, digamos, terá um cuidado mais que redobrado. Cadê o Barbosão e sua sanha de vingança??!!!

    “(…)
    Entre alguns milhares e vários milhões, porém, não há diferença. As perdas causadas aos detentores de cadernetas de poupança por quatro planos econômicos vêm desde o governo Sarney, e o processo sobre sua devolução se arrasta ao ritmo próprio do que chamamos de nossa Justiça. Coisa de 150 economistas e ex-ministros, diz o noticiário, assinaram um manifesto ao Supremo Tribunal Federal advertindo para os terríveis efeitos que o sistema financeiro, leia-se os bancos, sofreriam com uma sentença favorável à restituição do usurpado aos poupadores –R$ 150 bilhões.

    Se tal é o valor que não deve ser restituído, os próprios defensores do calote reconhecem que foram tomados da chamada poupança popular, as velhas e suadas “economias”, R$ 150 bilhões que ficaram com os bancos.
    (…)”
    Ib idem

  179. Zbigniew said

    “(…)
    Não se trata, porém, de uma questão meramente financeira. É de direitos sociais, de direitos econômicos pelo desrespeito à lei e ao contrato das cadernetas com os depositantes, e, portanto, de direitos humanos pelos males infligidos à vida de milhões de pessoas.

    Na quarta-feira, o Supremo adiou o julgamento para 2014. Com pressa, como não se cansaram de reiterar os ministros Gilmar Mendes e Joaquim Barbosa, devia ser concluído só o processo do mensalão.
    (…)”

    Ib idem

    Será que esse julgamento não foi, realmente, político?!!!!

  180. Zbigniew said

    Tivemos as ilações sobre o emprego do Dirceu e sua relação com o proprietário do hotel.
    Mas… e quanto ao Mauro Ricardo e a máfia do ISS na prefeitura de São Paulo durante as eras Serra/Kassab?! Não estaria nossa tão querida oligarquia midiática com uma inapetência investigativa que não apresenta quando se trata de personagens petistas?

    “(…)
    Alguém com o domínio de suas faculdades mentais imaginaria que o ex-ministro José Dirceu, um talismã eleitoral lixiviado há mais de cinco anos no cinzel conservador, obteria um emprego em qualquer latitude do planeta sem a ajuda de aliados ou amigos?

    O ponto a reter é outro.

    Avulta dessa blitzkrieg uma desconcertante contrapartida de omissão: quando se trata de cercar pratos compostos de personagens e enredos até mais explosivos, extração diversa, impera a inapetência investigativa.

    (…)

    Tido como personalidade arestosa, algo soberba, Mauro Ricardo reúne predicados e rastros que o credenciariam a ser um ‘prato cheio’ do jornalismo investigativo.

    O economista acompanha Serra desde quando o tucano foi ministro do Planejamento (1995/96); seguiu-o na pasta da Saúde (1998/2002), sendo seu homem na Funasa, de cujos funcionários demitidos Serra ganharia então o sonoro apelido de ‘Presidengue’, na desastrosa derrota presidencial de 2002.

    (…)

    Quando o tucano foi derrotado pela 2ª vez nas eleições presidenciais de 2010, Mauro Ricardo voltou ao controle do caixa da prefeitura, sob a gestão Kassab.

    Esse, o trajeto da caneta que mandou arquivar as investigações contra aquilo que se revelaria depois a maior lambança da história da administração pública brasileira: o desvio de R$ 500 milhões do ISS de São Paulo, drenados ao longo do ciclo Serra/Kassab por uma máfia de fiscais sob a jurisdição de Mauro Ricardo.

    O que mais se sabe sobre esse centurião?

    Muito pouco.

    (…)”
    http://www.viomundo.com.br/denuncias/saul-leblon-selecao-de-alvos-expoe-partidarismo-da-midia.html

    E se depender da nossa querida oligarquia midiática, vamos continuar sabendo pouco por muito, muito mais tempo…

  181. Pax said

    Caro Patriarca, em #176

    Cardozo já abriu algum processo? O pescoço do Chesterton está em jogo…

    Cardozo é fraco, muito fraco. Não abrirá processo. O pior pode ser ainda mais que isso.

  182. Pax said

    Bem, senhores, sinto informar-lhes que vocês fazem parte dos tais 13% que desgostam do resultado do mensalão. É isso mesmo. 87% dos eleitores do PT acharam que o resultado do mensalão foi um acerto.

    Quer dizer que é correto ou incorreto? Político ou não? De exceção ou não?

    Não, nada disso, quer dizer só isso, que 87% dos eleitores do PT ficaram satisfeitos com o resultado do julgamento.

    O que nos leva a crer que…

  183. Zbigniew said

    Não sei se este número que você trouxe, Pax, reflete uma verdadeira noção do que ocorreu neste julgamento.

    Muita gente se contenta com as informações superficiais que a oligarquia midiática oferece, além do que todo esse quadro é bastante complexo, de modo que temos grande dificuldade em separar aspectos jurídicos de políticos, bem como da nossa própria torcida, abstraindo aqui os motivos de cada um.

    Embora entenda que todos os procedimentos jurídicos foram respeitados, passo a acreditar na irregularidade jurídica, com base na questão do VISANET, essa sim capaz de mudar todo o entendimento do problema.

    Mas não é preciso utilizar desses argumentos para caracterizar o julgamento de eminentemente político. É só observar a postura do Relator e atual Presidente da Corte, e já basta.

  184. Pax said

    Caro Zbigniew,

    Não gasto tinta com a questão do Pizzolato. Nenhuma tinta. Quem enfia R$ 326 mil reais no bolso, dinheiro vivo, nota sobre nota, ou está tomando para si o que é dos outros, ou está tomando para outros o que é de outros. Este dinheiro saiu da empresa do Marcos Valério e foi entregue ao réu. Ponto.

    Se quiser rediscutir a questão do Domínio do Fato que condenou Dirceu, pode ser, já exploramos ad nauseam isso. Se quiser discutir porque fico muito triste em ver Genoino preso, pode ser também.

    Mas com Pizzolato não gasto uma tinta sequer. Nem mesmo para questionar acerto ou erro do plenário do STF. Mesmo querendo, como amador que sou, discutir questões jurídicas do assunto. Não acho que o réu mereça qualquer aborrecimento meu, ou preocupação sobre a legalidade de sua condenação. E não me convenci que houve irregularidade no julgamento deste réu condenado corrupçào passiva, peculato e formação de quadrilha.

    Como muita gente, acompanhei amiúde o julgamento da AP 470. Como acompanho, antes disso, o apodrecimento do PT e o apedrejamento do Joaquim Barbosa.

    Assim como acompanho, sem sentir nenhum problema maior com isso, as críticas que sofro aqui e alhures por não discordar do julgamento do mensalão, por não concordar em absoluto com o rumo estabelecido pelo PT e outras coisas mais. Acho o neoPetismo uma lástima. Me reservo esse direito.

    O que não quer dizer que vejo qualquer opção, qualquer alternativa que seja melhor. Mas daí a aceitar ou mesmo entrar nesta trincheira de defesa dos réus condenados o abismo é enorme.

    Não fui eu quem mudou. Quem mudou, e para mim para pior, foi o PT. E acho que este caminho de apedrejar o STF – composto quase em sua maioria por indicações do próprio PT – um erro colossal. Bem parecido com tentar acabar com as más notícias matando o carteiro.

  185. Elias said

    “O STF adiou o julgamento do caso das cadernetas de poupança para 2014. Pressa, só no processo do mensalão” (Jânio de Freitas)

    Ihhh… Já sei!

    O Jânio de Freitas faz parte dos 13% que apedrejam o STF, esse bastião da lei, da moralidade e dos bons costumes, principalmente dos costumes aos quais já estamos acostumados…

    O STF é incriticável!

  186. Pax said

    Poxa vida, gostaria de saber quem é o cara que acha o STF – nomeado em sua maioria pelo PT – impedrejável.

    Tem gente, amiga e querida, que adora mudar o cristal com que se mira.

    De uma forma que não consigo concordar, apesar de continuar admirando.

    O papo reto é: o PT mudou, pra pior. É ou não é verdade? Assim, papo reto, sem rodeios ou mudanças de cristais. Mudou ou não mudou? Se mudou, cá entre nós sobre o tema do blog – há tantos outros – foi para melhor ou para pior? E o problema ainda maior? Quer alterar esse rumo ou não. Se quer, onde estão os indícios que podem nos levar ao domínio de tal fato? Basta uma pequena lista para começarmos uma boa discussão. Um, dois itens e pronto, já estamos conversando a mesma língua.

    Só não me venham com os chavões da “diretoria”, que não existe mais engavetador geral. Isso é coisa pros Cardozos, esse meia boca bola fora, a não ser que tenhamos uns 15 processos abertos, no mínimo, haja vista que o valentão falou que iria processar todos que o ofenderam, caluniaram etc.

  187. Otto said

    Pax, cuidado com as peadinhas do DataFalha:

    http://www.blogdacidadania.com.br/2013/12/apoio-de-petistas-a-prisao-de-mensaleiros-e-pegadinha-do-datafolha/

  188. Chest said

    A FSP é uma droga, tem uma colunista-adolescente-balzaquiana que só fala palavrão!

  189. Patriarca da Paciência said

    caro Pax,

    Se o Cardozo não fizer o que disse, para mim, vai ficar totalmente sem moral. Aí merece ser demitido mesmo!

  190. Chest said

    Na Carta Maior desta semana, uma professora de ciências políticas da Universidade Federal de Pelotas, Luciana Ballestrin, adverte que enxergar alguma hegemonia comunista nas instituições superiores de ensino é “paranóia” e insinua que, ao contrário, o verdadeiro perigo que se esboça no horizonte nacional é o do fascismo.

    A prova que ela oferece desse deslumbrante diagnóstico é que três pessoas reclamaram contra o comunismo universitário. Firmemente disposta a dizer qualquer coisa contra essas três minguadas vozes, ela as acusa, ao mesmo tempo, de provir de “um gueto” e de obter “grande repercussão na mídia”.

    É notório que, entre os estudantes universitários brasileiros, quatro em cada dez são analfabetos funcionais. Temo que entre os professores da área de humanas essa proporção seja de nove para dez. A profa. Ballestrin é mais um exemplo para a minha coleção. Ela fracassa tão miseravelmente em compreender o significado das palavras que emprega, que no seu caso o adjetivo “funcional” é quase um eufemismo.

    Desde logo, se os direitistas vivem num “gueto”, quem os colocou lá? Enclausuraram-se por vontade própria ou foram expelidos da mídia, das cátedras e de todos os ambientes de cultura superior pela política avassaladora de “ocupação de espaços” que a esquerda aí pratica desde há mais de meio século? Um gueto, por definição, não é um hotel onde a minoria se hospede voluntariamente para desfrutar os prazeres de uma vida sombria, fechada e opressiva, sem perspectivas de participação na sociedade maior. É uma criação da maioria dominante, um instrumento de exclusão usado para neutralizar ou eliminar as presenças inconvenientes. A maior prova de que o esquerdismo domina o espaço é que a direita vive num gueto. Ao acusá-la precisamente disso, essa porta-voz do esquerdismo oficial só dá testemunho contra si própria.

    autor: ora, quem mais poderia ser?

  191. Patriarca da Paciência said

    Caro Pax,

    eu gostaria que você respondesse se acha que existe alguma justiça no tratamento diferenciado entre o Roberto Jefferson e o José Genoino. Poderiam argumentar, Ah, mas ele tem direito à delação premiada! Até poderia ter, mas ele a recusou. E se por acaso quisessem conceder a ele a tal delação premiada mesmo assim, teriam que ter tratada dentro do processo e fazer parte da sentença. O que se vê é puro arbítrio do Barbosão. Você ainda confia na imparcialidade do Barbosão?

  192. Patriarca da Paciência said

    “autor: ora, quem mais poderia ser?”

    Vou dar um palpite – reinaldo rola-bosta. A crítica me parece tão profunda quanto a ” filosofia” do Olavão Maluco! ” A verdadeira intenção de Issac Newton, ao descobrir e publicar a Lei da Gravitação Universal, foi destruir o Crtistianismo Trinitário. Só os sonsos não percebem”.

  193. Patriarca da Paciência said

    Reinaldo rola-bosta, tempos atrás, publicou também uma grande “descoberta” científica: ” Os seres humanos são compostos de matéria diferente dos outros animais”.

  194. Jose Mario HRP said

    Ação civil do mensalão mineiro está parada há dez anos
    Eduardo Kattah | Agência Estado

    Tags: mensalão mineiro @estadaoconteudo
    Recomendar
    COMENTÁRIOS (24) -AA+
    Roosewelt Pinheiro | ABrEduardo Azeredo (PSDB) era o governador mineiro na época
    A primeira ação judicial que trata dos fatos relacionados ao mensalão mineiro completou neste domingo, 1, dez anos de tramitação no Supremo Tribunal Federal. Distribuída para o então relator, ministro Carlos Ayres Britto, no dia 1º de dezembro de 2003, a ação civil pública por atos de improbidade administrativa está praticamente parada na Corte neste período de uma década.
    Segundo denúncia da Procuradoria-Geral da República, o mensalão mineiro foi um esquema de arrecadação ilegal de recursos para a campanha à reeleição do então governador de Minas, Eduardo Azeredo (PSDB), em 1998. A ação por improbidade foi ajuizada quatro anos antes da denúncia criminal e é o primeiro processo envolvendo a campanha tucana daquele ano.
    A ação pede a indisponibilidade ou bloqueio cautelar de bens até o limite de R$ 12 milhões do ex-governador mineiro e atual deputado e outros dez requeridos – entre eles Marcos Valério Fernandes de Souza, seus sócios na SMPB, já condenado no mensalão federal, e o atual senador Clésio Andrade (PMDB-MG).
    Os procuradores e promotores afirmam na peça conjunta dos Ministérios Públicos Federal e Estadual que o governo de Minas autorizou de forma ilegal o pagamento de R$ 3 milhões das estatais Companhia Mineradora de Minas (Comig, atual Codemig) e Companhia de Saneamento do Estado (Copasa) para a agência SMPB, com o objetivo de patrocinar o evento esportivo Enduro da Independência.
    Trata-se do grosso do desvio apontado em 2007 na denúncia criminal do mensalão mineiro pelo então procurador-geral da República, Antonio Fernando Souza – para quem o “esquema delituoso verificado no ano de 1998 foi a origem e o laboratório dos fatos descritos” na acusação formal do mensalão federal.
    O prosseguimento da ação aguarda o julgamento pelo plenário do Supremo de dois recursos apresentados em 2005 contra a decisão do então relator Ayres Britto, que havia determinado a remessa dos autos à Justiça Estadual de Minas, entendendo que não cabe foro privilegiado para crimes de improbidade administrativa. Ayres Britto completou 70 anos no fim do ano passado e se aposentou compulsoriamente.
    A relatoria do caso foi redistribuída para o ministro Luís Roberto Barroso, que também acumula as relatorias das ações penais do mensalão mineiro.
    Não há data para a análise dos recursos pelo plenário do STF. O gabinete de Barroso informou que o ministro não iria comentar o andamento da ação cível, mas afirmou que ele “está avaliando e dando continuidade” aos casos do mensalão mineiro.
    Na prática, a falta de conclusão da ação civil no Supremo impede desdobramentos do caso. A Promotoria de Defesa do Patrimônio Público prepara uma nova ação contra réus pedindo a devolução de recursos que saíram do antigo Banco do Estado de Minas Gerais (Bemge) e foram parar na campanha à reeleição de Azeredo. Além dos R$ 3 milhões já apontados na ação que corre no STF, R$ 500 mil de empresas do grupo Bemge foram desviados por meio de patrocínio do Iron Biker, outro evento esportivo organizado pela SMPB, segundo laudos do Instituto Nacional de Criminalística da Polícia Federal.
    Pedidos.
    Por solicitação do promotor João de Medeiros, o então procurador-geral Roberto Gurgel encaminhou no fim de 2012 ofício ao STF pedindo que fosse dada preferência ao julgamento dos recursos da Pet 3067 – nome do processo na Corte. Questionada, a assessoria jurídica do atual procurador-geral, Rodrigo Janot, afirmou que o Ministério Público “já fez, tecnicamente, o possível” e a questão agora depende exclusivamente do Judiciário.
    Em junho deste ano, o presidente do STF e do Conselho Nacional de Justiça, Joaquim Barbosa, criticou o desempenho dos tribunais brasileiros no julgamento de processos de improbidade. O tema foi incluído nas metas do Judiciário para 2013, mas apenas 36,55% dos processos protocolados até 2011 haviam sido julgados.
    Condenado pelo mensalão federal a 6 anos e 2 meses de prisão por corrupção e lavagem de dinheiro, Rogério Tolentino figura na ação cível como advogado de Valério, seus sócios e das empresas. “É uma coisa bem antiga, não existia nada de mensalão… Essa coisa ficou parada muito tempo”, diz Tolentino. “Não serei mais esse advogado. Fui e não sou, apesar de constar meu nome.”
    A defesa de Azeredo não foi localizada para comentar o atraso da ação civil. O escritório da advogada que aparece no andamento processual informou que não atende mais o deputado federal na ação. Azeredo, ex-senador e ex-presidente nacional do PSDB, sustenta que não teve responsabilidade em eventuais irregularidades na campanha de 1998. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

  195. Pax said

    A posição do Brasil até me surpreendeu. Achei que estaria bem pior. No fundo sinto que é pior. Basta ver o que temos nos serviços públicos.

    E os primeiros colocados? Os menos corruptos? Finlândia e Suécia. Seguidos por Noruega, Cingapura, Suíça, Holanda, Austrália, Canadá e Luxemburgo. Os Estados Unidos ficaram em 19º lugar. Ou seja, os países sociais democratas onde miro meus desejos para o país, em especial os nórdicos, estào lá, no topo.

    O que indica, na minha opinião, quanto estamos longe deste ideal.

    Infelizmente acho que nestes últimos 12 anos não andamos um milímetro à frente e tenho sérias dúvidas se não demos vários passos para atrás.

    Aqui, no nosso quintal sul americano, Uruguai e Chile são os melhores nesta questão, os menos corruptos. Venezuela e Paraguai os piores.

    E aí uma pergunta que incomoda. Estamos mais no caminho de um Uruguai ou de uma Venezuela, o mais corrupto país da América do Sul?

    http://g1.globo.com/mundo/noticia/2013/12/ranking-de-corrupcao-coloca-brasil-em-72-lugar-entre-177-paises.html

  196. Pax said

    Olhando com mais calma, é fato. O Brasil piorou do ano passado para 2013. Caiu 1 ponto que representou 3 posições – alguém deve ter ganhado pontos e passado o Brasil, ou, em outras palavras, passado a limpo alguns de seus problemas.

    Aqui?

    Bem, o que você acha de um Renan Calheiros presidente do Senado? Um Henrique Eduardo Alves presidente da Câmara? Que falar das Agências Regulatórias? Quer falar sobre Educação, Saúde e Segurança? Qualquer assunto que queiramos levantar, onde mesmo que poderíamos ter melhorado no quesito corrupção? Juro, com tristeza, que não consigo ver algum ponto.

    E o que me incomoda, porque reclamo tanto?

    Ora, caros, os maiores ícones da corrupção na política estão agarrados nas tetas do governo. Até aí a coisa já é triste. Mas é desesperadora quando os simpatizantes do governo param de reclamar disso. É o que chamo de neoPetismo, essa aceitação geral. De um lado vejo um chororô de um leite derramado que não tem mais volta. O leite derramou, sim, está lá em cima da tampa do fogão e não tem mais como recolher, reaproveitar.

    O que poderia acontecer, mas já desisti de torcer por isso, seria o PT expiar um pouco de suas culpas, reconhecer que tomou um rumo errado, reavaliar essa permissividade com os tais aliados e, SIM, com seu próprio time, boa parte dele, e desenhar um futuro melhor sobre o tema.

    Mas não é nada disso que vemos. Cada vez mais é o papo de sempre: estamos fazendo o que todos fazem. Como se isso fosse a coisa mais natural do mundo, mais aceitável.

    Não, não é.

    Agora mesmo tem notícia que Maluf deixa o governo Alckmin para embarcar na campanha de Padilha para o governo de SP em 2014. E é bem provável que o grupo deste neoPetismo passe a declarar que Maluf é um símbolo a ser seguido. É disso que estamos falando. É este avinagramento que chamo de apodrecimento do PT.

    Muito triste isso.

  197. Pax said

    Dois anos depois de Fukoshima, Japão inaugura sua maior usina usando energia Solar.

    Dois ou três anos depois dos desastres na região serrana do Rio de Janeiro, o que temos? Desviaram o dinheiro do socorro, meteram a mão na grana enviada para socorrer aquela gente em desespero total. Agora é aguardar, esperar as novas tragédias porque quase nada foi feito. Não tiraram as pessoas das áreas de risco e não vão tirar para não perder votos. Assim é o modelão Brasil que passou a ser aceito pelo partido que está no poder. Não estou dizendo que foi o PT que desviou o dinheiro da tragédia da região serrana carioca. Estou dizendo que o PT entrou neste jogo. Vamos falar da transposição do São Francisco neste ano em que temos uma das maiores secas da história no NE?

    http://gizmodo.uol.com.br/dois-anos-apos-a-crise-de-energia-nuclear-o-japao-inaugurou-sua-maior-usina-solar/

  198. Pax said

    Caro Patriarca, #191,

    Você quer mesmo discutir esse assunto? Podemos, sim. Claro que sim. Mas não estou ligado. Diga-me os pontos que te levam a acusar este tratamento diferenciado para que possamos discutir com alguma objetividade.

  199. Jose Mario HRP said

    O Janota PGR opinou que Genoino deve ficar se tratando em casa por tres meses!
    Virou inimigo do JB?

  200. Pax said

    Ricardo Kotscho, preciso como uma lança afiada.

    Haddad é um desastre, tiro n’água. Junto com Jilmar Tatto fica ainda pior.

    http://noticias.r7.com/blogs/ricardo-kotscho/2013/12/02/so-haddad-nao-se-recupera-dos-protestos-de-junho/

  201. Pax said

    Vladimir Safatle pode?

    http://www1.folha.uol.com.br/fsp/opiniao/141851-o-mais-caro-do-mundo.shtml

    Conseguimos, ao nos aliarmos ao que tem de pior, um título triste: somos um dos países mais caros do mundo.

    Isso é caminho para uma sociedade mais desigual? Tendo a discordar.

  202. Patriarca da Paciência said

    Caro Pax,

    “Você quer mesmo discutir esse assunto? Podemos, sim. Claro que sim. Mas não estou ligado. Diga-me os pontos que te levam a acusar este tratamento diferenciado para que possamos discutir com alguma objetividade.”

    pontos diferenciados?

    Acho que salto aos olhos!

    Ambos foram condenados no mesmo processo e nos mesmo acórdão, sendo que Jefferson recebeu uma pena maior..

    Jefferson continua solto, Genoino está preso há quinze dias.

    Genoino não teve direito aos mínimos cuidados que se deve ter com uma pessoa que, faz pouco, passou por uma cirurgia do coração.

    Jefferson terá direito a todos os exames e, após, avaliação, se deve ser preso em regime domiciliar ou semiaberto.

    Genoino foi preso inicialmente em regime fechado, apesar de ter sido condenado a regime semiaberto.

    Sinceramente, eu não sei qual é a dúvida de que os dois estão tendo tratamento diferenciado!

  203. Patriarca da Paciência said

    E mais uma coisa, acho que o tratamento que Jefferson está recebendo é o correto. Reclamo que Genoino receba o mesmo tratamento!

  204. Pax said

    Caro Patriarca,

    1 – não sei a lógica que Joaquim Barbosa usou para emitir as ordens de prisão, confesso que me desinformei.

    2 – não passo cheque em branco para Joaquim Barbosa, para o STF, para o Congresso ou para o governo. Qualquer que seja. O preço da minha liberdade é cuidar para, qualquer um, tenha os mesmos direitos e deveres perante as leis. Simples assim. Nem uma vírgula a mais, nem uma menos. E este preço inclui, sim, estar sempre atento para que tenhamos leis que sejam para todos. Infelizmente não gosto muito do que vejo.

    3 – dói em mim ver Genoino preso. Dói um bocado.

    4 – não gostei nem um pouco do processo midiático das prisões no feriado da República. Desnecessário, absolutamente desnecessário.

    5 – acho que a questão da saúde de Genoino deve ser tratada com muito cuidado, é um cidadão, um ser vivo antes de tudo, que já está pagando caro. Mas não acho correto que pague um milímetro a mais do que deve.

    6 – não sei, de novo, porque Roberto Jefferson está solto, quais motivos Joaquim Barbosa tem para que sua prisão seja tratada diferente da prisão de Genoino. E não quero julgar sem saber exatamente as explicações de todos os lados.

    Se você acha que estou do lado da turma que baba por ver Genoino preso, saiba que isso não é verdade.

  205. Patriarca da Paciência said

    Bom Pax, Eva Justin conseguiu diploma de “doutora”, na Universidade de Berlim, utilizando crianças ciganas como cobaias e “provando” que crianças ciganas eram totalmente imunes a “processos civilizatórios”, inclusive as crianças fora todas “descartadas” depois.

    Por que estou dizendo isso?

    É aquela velha história de que, numa guerra, a primeira vítima é sempre a verdade!

    Eu também não tenho a mínima ideia sobre o tipo de “lógica” que embasa as decisões de D. Joaquim I.

    Agora, pelo pouco que seu de Direito, não consigo concordar mesmo com isso mesmo.

  206. Elias said

    “O papo reto é…” (NeoP)

    Papo “reto”, é?

    Que giriazinha mais anal, sö…

  207. Elias said

    “4 – não gostei nem um pouco do processo midiático das prisões no feriado da República. Desnecessário, absolutamente desnecessário.” (NeoP)

    Como se isso não tivesse nada a ver com o resto…

    Ora, neném… Até as matérias primas das Estações de Tratamento de Esgoto deste país sabem identificar o que é dar um tratamento político-partidário a uma notícia.

    O STF está fazendo o que pode pra ajudar na formação do “banco do imagens” da direita, para uso na campanha eleitoral de 2014.

    Sem a carnavalização da mídia, as excelências não poderiam meter a mão na m… e fazer cara de paisagem…

    Como o PT continua se recusando a fazer o que tem que ser feito…

  208. Chesterton said

    A cada tombo da Petrobras eu me lembro de você Elias….

  209. Pax said

    Ora bolas, caro Elias,

    E quais são os impedimentos para o PT se recusar a fazer o que tem que ser feito?

    Seriam, por acaso, razões neoPetistas?

    Mas, claro, Cardozo como um cão feroz, afirmou que vai processar metade da bancada da oposição que o ofendeu à vontade. Ele jurou que sim.

    E é claro que a gente acredita nisso. Temos certeza que o ministro Cardozo é um cara de palavra. Pode demorar um tanto, pode até prescrever… mas a gente acredita, né não?

    Mas, voltando ao ponto, será que o PT não faz o que tem que ser feito porque, sei lá, por via das dúvidas acabou deixando o rabo preso em algum canto por aí?

    Ora, neném, que se mete em merda não dá em outra coisa senão acabar fedendo igual. Tudo em nome da governabilidade, claro.

  210. Pax said

    Aliás, falando em Cardozo, e incluindo a bonitinha Gleisi, bonitinha mas… deixa pra lá, basta ler abaixo.

    E, se alguém tiver coragem suficiente, por favor, rebata com gosto o texto do Daniel Calazans Pierri no site do Conselho Indigenista.

    http://www.trabalhoindigenista.org.br/noticia/queiram-gentilmente-concordar-com-seu-pr%C3%B3prio-exterm%C3%ADnio-diz-mj#.Up3nJd7qY40.facebook

    Acho que nesta questão até o Chesterton anda de mãos dadas com o neoPetismo.

  211. Chesterton said

    Agora me sai daqui um paciente (amigo) que jura que as bombas que explodiram ( e que explodirão em 2014) são culpa da extrema direita com ajuda da CIA.

  212. Chesterton said

    Que que houve com a bugrada, pax?

  213. Pax said

    Se você está se referindo ao problema indígena, caro Chesterton, o papo é longo. Em resumo diria que vivemos um triste momento. O governo federal resolveu, de uma vez por todas, tomar o partido de todas as forças que querem acabar com as reservas. O tal ministro Cardozo e a tal ministra Gleisi mais parecem tratores de esteira agindo neste sentido.

    Sei que você acha que os ruralistas que vendem commodities, assim como as mineradoras, sem qualquer valor agregado, são quem sustenta o Brasil. E até existe alguma razão neste pensar.

    Mas a visão, o rumo traçado, é ruim. Minha opinião é diferente da tua.

    E lá se vão os territórios indígenas. E tem mais, agora mesmo se discute a abertura das tais Unidades de Conservação – que compõem o tal do SNUC – para as mineradoras.

    É tanta notícia ruim que chega a desanimar cuidar desse assunto por aqui. Acompanho, sim, mas não me atrevo a estragar ainda mais meu fígado. Aqui fico só na corrupção das brabas mesmo.

  214. Pedro said

    Pax, vez ou outra, uma boa notícia pra animar. E olha que esta veio da “mídia golpista”:

    “Prêmio Educação

    Numa época que virou moda premiar gol mais bonito, cabelo de jogador de futebol, grupo de pagode, cidades, cerveja, carros e até bumbuns, o que a RBS acaba de fazer no Teatro Pedro Ivo Campos, em Florianópolis, premiando trabalhos relacionados à educação, com quase 3 mil inscrições de Santa Catarina e Rio Grande do Sul, merece os maiores elogios. Teatro lotado, mestres, alunos, autoridades, comunicadores e toda a direção do Grupo RBS, além de incentivadores, barulho, empolgação, emoção, alegria, torcida e reconhecimento. Foi lindo!

    Hoje sim, os verdadeiros destaques para um mundo melhor foram, finalmente lembrados, reconhecidos e valorizados, incentivando essa que é a mais nobre das profissões. O magistério. Gol de placa, RBS.” – Diário Catarinense.

  215. Pax said

    Gostei, caro Pedro ! Obrigado. Realmente preciso de boas notícias. Ando cansado, chato. Lidar com esse tema de corrupção não é nada fácil.

    Briga-se com amigos. Até nisso se chega.

  216. Pax said

    Nada mais acertado que afirmar que a mais nobre das profissões é o magistério. Taí onde mora alguma esperança que ainda me resta.

  217. Pax said

    Genoino, se fosse por mim, te daria a aposentadoria. Por merecimento, por ter realmente trabalhado, sim. Muito. Sinto pelo que te acontece. E admiro teu gesto.

    http://agenciabrasil.ebc.com.br/noticia/2013-12-03/genoino-renuncia-ao-mandato-de-deputado-federal

  218. Chest said

    E até existe alguma razão neste pensar.

    chest- é, a matemática.

    Pax, não existe mais indio puro, ja está tudo misturado. Eu por parte de pai tenho sangue bugre, então poderia muito bem entrar nesta mamata paleolítica. Indio depreda a reserva. Esse é o Goitacá que precisamos

    http://noticias.band.uol.com.br/brasil/noticia/100000648768/eua-concedem-visto-a-estudante-brasileiro-que-venceu-concurso-da-nasa.html

  219. Chest said

    Genuino? ahhh, alguem me dê um dramin!

  220. Pax said

    A tua capacidade de falar besteira sobre um assunto que parece não entender me surpreende, caro Chesterton.

    Mas, vai lá, você me obriga a ler (disfarça e coloca no final do texto o teu jornalista preferido). Então leia aqui. Tereza Cruvinel não é a minha preferida, mas escreveu um texto sobre Marcelo Déda que gostei de ler. Leia, também.

    http://www.dzai.com.br/terezacruvinel/blog/terezacruvinel?tv_pos_id=142477

    Uma pena que os neoPetistas perderam o rumo que parece que o Marcelo Déda não perdeu. Ao menos, para mim, é a impressão que fica.

  221. Chest said

    Marcelo Deda não me interessa. Me conta o que você acha bacana na carreira do Genuinio Larapio.

  222. Chest said

    Pax, esse meu amigo que diz que a CIA jogou bombas e fez terrorismo em 2013, parece você piorado. Tem mais alguem que acha isso por aí nas tuas hostes?

  223. Chest said

  224. Pax said

    Ah, Chesterton, velho, bom, rabugento Chesterton,

    Genoino sempre foi um cara honesto com suas convicções. Um cara de esquerda. Fiel ao seu partido. Um político diferente da grande maioria. Honesto não só com suas convicções como, também, honesto com o dinheiro público em se tratando das questões pessoais. Nunca, segundo consta, embolsou grana pública. Pra ele mesmo, nada. Muito diferente da grande maioria, que enricou com as benesses do poder. Enfim, tem um monte de coisas que me deixam triste em vê-lo preso.

    Mas errou, sim. Entrou no esquema de desvios para o partido, assinou os contratos fraudulentos com o tal Banco Rural, enfim, fez parte do pacotão que se cunhou como mensalão tucano.

    Cá entre nós, dos 513 deputados e 81 senadores, Genoino é melhor que a maioria. Diria até mais, acredito que, se Genoino desse todas as cartas, me parece difícil que o neoPetismo fosse o caminho escolhido.

    Você lembra quando elogiava o Gustavo Fruet quando ele era do PSDB? Pois bem, é outro político que me parece do bem. Tanto que até o PSDB o expulsou, assim como o neoPetismo expulsou muitos que discordaram desse caminho de podridão adotado.

    Você não quer ouvir a história do Marcelo Déda, mas é outro dos poucos, desse universo.

  225. Chest said

    Pax, não lembro de nada, o cara éra bom pq o PSDB o expulsou, o Genuino é bom pq o PT não o expulsou. Pelo que você fala além de ladrão é burro.

  226. Pax said

    Chesterton, em #222,

    A resposta é não. Apesar de alguns chegados em teorias da conspiração, sim.

    Não, o cara não era bom porque foi expulso do PSDB. Você está distorcendo o que quis dizer. O Genoino não foi expulso do PT porque aderiu ao jogo que o PT quis jogar, o jogo jogado. Esse que acabou o levando em cana.

    Fruet foi expulso, ou se viu obrigado a sair, porque seria alternativa ao esquemão do Beto Richa/Álvaro Dias etc no PR, segundo o que sei de orelhada. Acabou no PDT.

  227. Chest said

    Como é que você respeita ainda um PT assim? Como respeita um deputado assim?

  228. Chest said

    Agotara são engenheiros venezuelanos (cubanos?) que vão ocupar as plataformas da Petrobras.

  229. Chest said

    OLha quem é o Genoino

    http://www.jornaldapaulista.com.br/site/page.php?key=4219

  230. Pax said

    E quem disse que eu respeito esse neoPetismo, caro Chesterton? Já o Genoino, respeito sua história, lamento ter se envolvido, sinto pena dele ter que pagar pelo que fez.

    Você, o caro Elias e o caro Otto estão me saindo campeões de distorcer o que digo.

    Mas, vá lá, já são anos de convivência…

    =)

  231. Pax said

    Caro Chesterton, em #229

    Mas como tu gosta de um coronel e uma ditadura, não?

    Impressionante. Nem disfarça.

  232. Chest said

    Esse é meu heroi, meu heroi leva tiro de guerrilheiro, teu herói é o Cazuza…..!!!! Meu heroi é macho, o teu herói?

  233. Chest said

    Neopetismo só existe na tua cabeça, nada mudou desde o tempo que você falava: “meu Lula!”

  234. Pax said

    Com certeza meus heróis, nem sei se tenho isso, não poderiam ser agentes de uma ditadura. Esquece.

    Já você adora esses hipócritas que se dizem porta-vozes do estado democrático de direito enquanto cultuam, mal e porcamente disfarçados, suas verdadeiras paixões.

    Teu titio da Veja é expoente nessa.

    Enviado via iPhone

    >

  235. Patriarca da Paciência said

    http://esquerdopata.blogspot.com.br/2013/12/o-protetor-dos-corruptos-de-grande-porte.html

  236. Chest said

    Pax, entre o Mariguella e os militares? Com qual lado você fica?

  237. Otto said

    # 232 Chest

    “Esse é meu heroi, meu heroi leva tiro de guerrilheiro, teu herói é o Cazuza…..!!!! Meu heroi é macho, o teu herói?”

    Homofobia detectada! Cadê o Ministério Público?

  238. Otto said

    Caro Pax, soube dessa?

    Inacreditável. Enquanto a mídia desumaniza e sataniza Genoíno, que vive na mesma casa humilde há trinta anos, e nunca enriqueceu com a política, o Ministério Público acaba de divulgar que apenas alguns desvios ocorridos no governo José Serra totalizaram quase R$ 1 bilhão.

    Agora sabemos porque a nossa imprensa de oposição fez tanto carnaval com o mensalão, que não passou de um esquema corriqueiro de caixa 2 envolvendo pouco mais de 50 milhões de reais. Era para encobrir os bilhões desviados em governos tucanos de São Paulo, no estado (trens) e na capital (IPTU, habite-se, etc).

    Eu só quero saber o que o Chest vãi alegar dessa vez. Ainda vão insistir que a origem de todos os males é o PT?

    – See more at: http://www.ocafezinho.com/2013/12/04/ministerio-publico-estima-roubo-de-r-1-bilhao-no-governo-serra/#sthash.zHir3eIC.dpuf

  239. Pax said

    Não só soube como, se não me falha a memória, coloquei um link por aqui. Acho que sim, caro Otto.

    ——

    As notícias do dia são:

    – Genoino renunciou. De um lado elogios, de outro exploram que teria fugido do processo de cassação.

    http://agenciabrasil.ebc.com.br/noticia/2013-12-03/genoino-renuncia-ao-mandato-de-deputado-federal

    – a tal avaliação da Educação. Tem gente olhando o copo meio vazio e gente olhando o copo meio cheio. O fato é que nossa Educação ainda está muito aquém de alguma que pode mudar a cara do país.

    http://www.bbc.co.uk/portuguese/noticias/2013/12/131203_ocde_educacao_fl.shtml

    – a economia está em marcha lenta. Não é só aqui no Brasil. Mas é sempre assim. Se está em alta alhures, aqui fica com alta menor. Se está em baixa alhures, aqui fica com crescimento menor.

    http://g1.globo.com/economia/noticia/2013/12/somos-o-pais-que-menos-cresceu-no-trimestre-diz-mantega.html

    – Zé Dirceu arrumou emprego num hotel que tem uma história complicada pra caramba. O Globo, que todos sabemos como é, foi lá e investigou. E apareceu um imbroglio esquisito pacas. Junta com a tal antena que a Anatel – sempre ele – deixou o tal brasileiro dono/acionista do tal hotel etc e pronto, Dirceu está lá no topo da pauta de novo.

    http://www1.folha.uol.com.br/poder/2013/12/1380457-administrador-do-saint-peter-e-auxiliar-de-escritorio-no-panama-diz-jornal-nacional.shtml

    – Ministério Público suspende contrato para reforma de 98 trens. Onde? Em SP, claro. E a notícia fica abafadinha. Contrato e 2,5 bilhões, suspeita de vício fraudulento, bem no meio do tufão abafado dos escândalos dos trens.

    http://agenciabrasil.ebc.com.br/noticia/2013-12-03/mp-pede-suspensao-de-contratos-de-reforma-de-98-trens-do-metro-de-sp

    – Minha opinião: claro que tudo indica que Dirceu arrumou uma boquinha em troca de um favorzinho, a Globo foi lá, colocar um perdigueiro pra cheirar o rastro e pimba. E é claro que nem Globo, nem Folha, nem Estado, nem Veja etc vão se dar ao trabalho de colocar perdigueiros em assuntos paulistanos/tucanos. É a sensação que fica. Mas Dirceu não falha, não é mesmo?

  240. Pax said

    Ah, sim, esqueci,

    Cardozo esteve no Congresso para “se explicar”. (1)

    http://agenciabrasil.ebc.com.br/noticia/2013-12-03/ministro-da-justica-nao-pode-ser-um-engavetador-de-denuncias-diz-cardozo-no-senado

    Não há qualquer notícia de processo aberto por Cardozo contra todos que o acusaram e ofenderam. (2).

  241. Pedro said

    O caso do dono do hotel empregador de Zé Dirceu.

    http://josiasdesouza.blogosfera.uol.com.br/2013/12/04/laranja-do-hotel-que-emprega-dirceu-foi-socio-do-irmao-de-rafael-correa/

    Mais um balaio de siri.
    Puxa um vem outro agarrado.

  242. Pedro said

    E falando em bilhões.

    “Num dia, as ações da Petrobras desvalorizaram R$ 24 bi e isso é mais do que os R$ 15 bi que a União arrecadou com o leilão do campo de petróleo de Libra.”

    Um tanto assustador, isto.

  243. Chesterton said

    Dirceu arruma emprego na maior lavanderia de dinheiro da América. Que barbaridade, o quadrilheiro só se mete em enrrascada. Agora não vai ter autorização mesmo para trabalhar…quer dizer, fingir que trabalha.

  244. Chesterton said

    O PIB caiu com o Mântega para baixo…

  245. Chesterton said

    E agora o dono do Hotel S Peter tem uma rede de TV arranjada pelo PT!!!!!!!!!!

  246. Pax said

    Caro Pedro,

    Balaio de siri é a melhor expressão. Boa mesmo. E não é que o siri Dirceu aparece em todas as fieiras que se puxam. Mas, claro, pura coincidência. Coisa da mídia golpista né? …. Pois, sim.

    Infelizmente não consigo discordar do último comentário do nosso velho e rabugento Chesterton. Mesmo sabendo que seu pescoço está em alto risco por conta do nosso Cardozo, a não ser que haja processos abertos que desconheça.

    Corre, Chesterton, corre! =)

  247. Patriarca da Paciência said

    Eu, sinceramente, estou achando muito estranho que o José Dirceu tenha caído nessa arapuca. Se caiu mesmo, é uma indicação de que ele está mesmo fragilizado.

    Mas estou aguardando que os fatos sejam devidamente apurados.

  248. Pax said

    Caro Patriarca,

    Dirceu “caiu” na arapuca? Vamos supor que estas denúncias tenham algum fundo de verdade. E, pelo jeitão da coisa, têm, sim.

    Dirceu é lá um cara de cair em arapuca? Tenha dó, mas vou discordar de você um bocado.

    Como disse o neoElias, Dirceu é um gênio que em meia hora resolve impasses jurídicos de décadas. O cara é bom. No que faz. Resta saber a que, definitivamente, ele passou a se dedicar.

    Peço vênias pela discordância.

    (ps.: e a nossa ANATEL lá, no meio da confusão… uma anteninha aqui, outra ali)

  249. Patriarca da Paciência said

    É bem isso aí, caro Pax,

    Dirceu é advogado e bom advogado!

    Entrar numa roubada dessas? É quase inacreditável!

  250. Pax said

    Auscultando aqui e ali, vejo um monte de petistas (e neopetistas) reclamando da traição de Henrique Eduardo Alves, presidente da Câmara, que teria articulado a pauta para isso ou aquilo com relação ao processo de cassação de Genoino.

    E aí eu paro para perguntar: mas essa turma não sabia que mexer com cobra venenosa acaba virando “no fim” uma picada? É da natureza da cobra, ou do escorpião, quem tem veneno precisa usar, ora bolas.

    Henrique Eduardo Alves tem uma montanha de noticiário sobre corrupção com seu nome, tem funcionário bode (é, animal mesmo) em empresas laranjais, nem precisa ir muito mais longe para ver o nível do cidadão.

    E o PT amarrou um acordo, sim, para a presidência da Câmara, para que esse corrupto, segundo o tal farto noticiário, assumisse essa presidência.

    Sarney, Temer, Henrique Alves, tem uma lista, grande, enorme, à espreita. A hora que sentirem, como leoas em caça, que o PT está doente ou fraco, partirão para cima para terminar o serviço.

    E o PT adoece ao adotar o tal modelo de governabilidade que precisa se igualar às leoas que vão devorá-lo, sem dó nem piedade. Ao invés de reformar, prefiriu subir na canoa, mesmo sabendo que ela estava furada à proa e à popa.

    Afora as Land Rovers do próprio PT.

    Enfim, é aquela curva do infinito, a tal Lemniscata de Bernuille, a cobra morde o rabo da cobra que morde o rabo da cobra que morde o rabo.

    Mas não se incomodem muito com isso. Neste caminho que está, a galope, o PT é o PMDB de amanhã. E a cobra vai morder o rabo da cobra.

    Só pra incomodar, vamos dos famosos chavões:

    1 – não venham me dizer depois que não avisei

    2 – diz-me com quem andas que…

    Dá pra provocar ad infinitum.

Faça seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: