políticAética

Notícias da Corrupção, Desvios, Anomalias, Eleições e Meio Ambiente

  • Sobre o blog

    Uma coletânea das notícias da corrupção, desvios, anomalias, eleições e meio ambiente que aparecem na mídia todos os dias a partir de agosto de 2008.
  • Categorias

  • Arquivos

  • Páginas

  • Meta

A impunidade do mensalão tucano

Posted by Pax em 22/01/2014

Walfrido dos Mares Guia é desses políticos camaleões. Muda de cor com os ventos. Onde está o poder e o dinheiro, Walfrido está colado.

O mensalão tucano, estranhamente não julgado até hoje, acaba de perder um de seus, segundo o conjunto de informações, maiores “jogadores”, exatamente ele, Walfrido, hoje “amigo de infância” de Lula e ontem, 21 de janeiro de 2014, liberado das acusações de desvios durante a campanha de Eduardo Azeredo (PSDB-MG) em 1998.

Crime do século passado que ficará, pelo andar da carruagem, impune no século XXI.

Em tempo: diz-se por aí que Walfrido trabalhará na campanha de reeleição de Dilma Rousseff. Veja no link do Estadão acima.

Justiça livra Mares Guia de acusações do mensalão mineiro

André Richter – Repórter da Agência Brasil Edição: Beto Coura

Brasília – A Justiça de Minas Gerais decretou extinta a punibilidade de Walfrido dos Mares Guia, acusado de participar de esquema de desvio de dinheiro público em 1998 para a campanha do deputado federal Eduardo Azeredo (PSDB-MG), então candidato à reeleição ao governo de Minas. As denúncias são investigadas no processo que ficou conhecido como mensalão mineiro.

A juíza Neide da Silva Martins, da 9ª Vara Criminal de Belo Horizonte, entendeu que as acusações de peculato e formação de quadrilha prescreveram em 2012, quando Mares Guia completou 70 anos. “Tendo transcorrido prazo superior a oito anos entre os fatos e o recebimento da denúncia, declaro extinta a punibilidade do réu Walfrido Silvino dos Mares Guia Neto, qualificado nos autos, pela ocorrência da prescrição da pretensão punitiva do Estado”, decidiu a juíza.

A denúncia contra Mares Guia, que ocupou cargo de ministro do governo do ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva e foi integrante do governo tucano em 1998, foi recebida pelo Supremo Tribunal Federal (STF) em 2009. No entanto, a Corte decidiu que apenas réus com foro privilegiado responderiam às acusações no STF, e determinou o desmembramento do processo para que 14 envolvidos respondessem às acusações na Justiça de Minas Gerais. Após o desmembramento, somente Eduardo Azeredo e o senador Clésio Andrade (PMDB-MG), então candidato a vice-governador, são processados no STF.

Nas ações penais 536 e 606 são apurados possíveis desvios de dinheiro público durante a campanha de Azeredo. Segundo a Procuradoria Geral da República, o então candidato teria se beneficiado de recursos procedentes de um esquema que envolveu a empresa de publicidade SMP&B, de propriedade do publicitário Marcos Valério, condenado a Ação Penal 470, o processo do mensalão, por fatos semelhantes. De acordo com a procuradoria, R$ 3,5 milhões foram desviados de empresas estatais mineiras para a campanha.

Na época em que a denúncia foi recebida, Azeredo negou as acusações e disse que não há qualquer documento que confirme o uso de recursos de caixa dois na sua campanha à reeleição. O parlamentar também disse que nunca autorizou repasses para dinheiro para as empresas de Marcos Valério.

Anúncios

320 Respostas to “A impunidade do mensalão tucano”

  1. Patriarca da Paciência said

    Essa é demais, caro Pax,

    então o Lula é culpado também pela prescrição do suposto “Mensalão Tucano”?

    O Lula deve ser o próprio “Grande Irmão”, o homem vê tudo, controla tudo, sabe de tudo!

    Então o tal Walfrido “escapou” escapou porque é amigão do Lula?

  2. Otto said

    FRANCÊS CONFIRMA PROPINA DE 15% DA ALSTOM EM SP

    247 – Após a apreensão de um documento que sugere suborno da Alstom à agentes públicos da gestão de Mario Covas (PSDB), em São Paulo, depoimento de diretor francês revela mais detalhes do pagamento de propina.

    Segundo depoimento à Justiça do ex-diretor comercial da multinacional, o engenheiro francês André Botto, a direção da Alstom na França autorizou o pagamento de propina de 15% sobre um contrato de US$ 45,7 milhões (R$ 52 milhões à época) para fechar um negócio com uma estatal paulista em 1998. A informação foi publicada pela Folha de S. Paulo.

    Trata-se da primeira confissão do esquema de suborno por parte de um diretor da multinacional. Até então, a filial brasileira dizia desde 2008 que a empresa nunca pagou propina no país.

    “O negócio era muito importante para a Alstom. Era importante ganhá-lo por meio de acordo e evitar uma licitação. Tivemos de pagar comissões elevadas, da ordem de 15% do contrato”, contou Botto ao juiz Renaud Van Ruymbeke, em 2008. Se os 15% tiverem sido pagos, o suborno alcançou R$ 7,8 milhões.

    O esquema resultou no contrato com a EPTE (Empresa Paulista de Transmissão de Energia) e a Eletropaulo para a venda de equipamentos para três subestações de energia.

    O documento também menciona propina à Secretaria de Energia e às diretorias administrativa, financeira e técnica da EPTE. Na época, a pasta era comandada por Andrea Matarazzo – hoje vereador em São Paulo pelo PSDB.

    http://www.brasil247.com/pt/247/sp247/127736/Franc%C3%AAs-confirma-propina-de-15-da-Alstom-em-SP.htm

  3. Pax said

    Caro Patriarca,

    Acuse-me do que sou, ou do que falo.

    Onde disse que o Lula é culpado pela impunidade de Walfrido?

    Leia de novo, caro Patriarca. Atire-me todas as pedras que quiser, ainda mais por não fazer torcida para este governo que só tem me decepcionado.

    Mas atire-me, por favor, as pedras que mereço.

  4. Pax said

    Agora, caro Patriarca, se você está incomodado com a amizade de Walfrido com o Lula, desculpe-me, mas fale com Lula, ou com Walfrido, mas os dois, segundo noticiário, andam muito juntinhos, sim.

  5. Patriarca da Paciência said

    Caro Pax,

    dias atrás eu fiz um comentário que não acreditava em qualquer punição ao famigerado suposto “mensalão tucano”.

    Venho comentando sempre que o tal suposto mensalão tucano é bem mais antigo que o suposto mensalão do PT e, até hoje, dorme nos escaninhos da Justiça!

    Daniel Dantas, com as provas mais robustas e conclusivas contra si, até hoje, deve está passeando por aí em seu iate com tamanho e potência de navio, livre, leve e solto.

    Os presídios não aceitam o Bob Jeff, em face de que não podem fornecer ao ilustre preso, refeições com salmão defumado!

    Então, não adianta ficar “cavando buraco n’água” , como dizia minha mãe.

    Enquanto isso o poderoso chefão, José Dirceu, está cumprindo pena em regime fechado, mesmo tendo sido condenado a regime semiaberto.

    Então é isso aí, tenho esperança que, um dia, venha a entender essas coisas!

    O grande erro do Lula foi mesmo na nomeação dos ministros do STF. Aceito e concordo que o PT não estava preparado para tal empreitada!

  6. Pax said

    Se os erros de Lula se contivessem em nomeações de ministros do STF, creio que estaríamos num caminho bem melhor, permita-me a opinião, caro Patriarca.

    Lula mexeu um pouco as pedras para os degraus mais baixos.

    E parou por aí.

    Se entregou ao deleite do sucesso e dos prazeres do poder. Jogou-se às cordas. Não fez qualquer reforma estrutural depois de melhorar um pouco a vida dos miseráveis brasileiros.

    No fundo, no fundo, o que tenho visto ultimamente, me causa um enorme incômodo. Questão de rumo. Quando se desvia o rumo, quanto mais se anda, mais se afasta de onde se quer chegar….

    Ah, mas é Dilma. Hum… cada vez mais acho que as críticas de poste, aquelas que reagi, briguei, esperneei, que ela não era…. pois, então, como disse, sou cabeça dura, custo a mudar de opinião. Mas mudo, sim.

  7. Patriarca da Paciência said

    “Presidente do STF roda a baiana em plena Paris; encontrado por jornalistas, nega que tenha abusado de mordomias ao receber R$ 14 mil em 11 diárias de férias pela Europa; para Joaquim Barbosa, País “tem coisas mais importantes a tratar”; “Qualquer servidor que se desloca em serviço recebe diárias”, defendeu-se; “Eu acho isso uma coisa muito pequena. Veja bem, você viaja para representar o seu País, para falar sobre as instituições do País, e vocês estão discutindo diárias!”, acrescentou; ministro participa de uma conferência na sexta-feira, antes de partir para Londres; ele também criticou os colegas Ricardo Lewandowski e Cármen Lúcia por não terem assinado o mandado de prisão do deputado João Paulo Cunha (PT); “A pessoa condenada ganhou quase um mês de liberdade a mais”, atacou; detalhe: o próprio Barbosa expediu o mandado, mas saiu de férias sem assiná-lo.”
    (blog 247)

    Pois não é?

    Já que estamos tratando de mistérios universais, é realmente um profundo mistério em qual tipo de lógica o Barbosão se fundamenta.

    Será que ele pensa mesmo que é um D. Joaquim I e não precisa dar satisfações a ninguém?

    Ou será que ele acha que tem “mais direitos” que os “outros”?

    Eu continuo a pensar como os colonos catarinenses, “acho que o Barbosão não é lá muito certo das ideias”

  8. Chesterton said

    Com o poder de fogo dos petistas, que nomearam o STF inteiro, me surprende que não haja processo contra os tucanos. Alguem me conta porque? Até agora é só disse que disse?

  9. Chesterton said

    Lula, um ex-presidente do PT, está oferecendo a presidência do Senado para o líder do PMDB, Eunício do Oliveira. O senador Eunício garantiria uma posição de destaque nacional e não concorreria ao governo do estado do Ceará, apoiando o candidato dos Gomes. Os Gomes, que chamaram o PMDB de “ajuntamento de assaltantes”, entregaram os segundos do PROS na TV para Dilma, recebendo, em troca, o apoio do PT ao seu candidato a governador e mais um ministério. A barganha descarada de Lula está sendo feita como se não existissem 81 senadores. Uma vergonha até mesmo para esta República Fisiológica do Brasil.

    http://coturnonoturno.blogspot.com.br/2014/01/vejam-que-nivel-chegou-politica.html

  10. Chesterton said

    E agora? Ciclistas estão sendo assaltados na USP. Como vai bater o coração de alguns jornalistas?

    Ai, ai… Começou uma onda de assaltos a ciclistas na USP. Não me digam! Segundo levantamento da Jovem Pan, desde o dia 1º de janeiro, já são 14 ocorrências. Uma das vítimas é o promotor de Justiça Roberto Bodini, que relata a abordagem violenta dos marginais. Dizer o quê? Os ciclistas se transformaram, no Brasil, numa espécie de categoria de pensamento, adotada e adorada pela imprensa. Quem sabe, agora, se faça a coisa certa.

    A USP é uma cidade de porte médio. Circulam por lá mais de 100 mil pessoas. A Polícia Militar tem de se comportar por ali de maneira quase invisível. As lideranças de extrema esquerda que tiranizam a universidade e os traficantes e consumidores de drogas, que são muitos, não querem saber da “repressão” . Sim, é preciso chamar as coisas pelo nome, e eu chamo.

    Os mesmos traficantes, diga-se, tiranizam também a favela São Remo, que fica ao lado, separada da universidade por um muro, que foi vazado, num trabalho conjunto de militantes de extrema esquerda e vendedores de droga. A justificativa politicamente correta é que isso é feito para acabar com o apartheid social, entendem? Já houve um assassinato na USP. Mesmo assim, os “amigos do povo” querem a polícia longe.

    Então ficamos assim: há uma cidade de porte médio, com policiamento precário, onde circula uma boa massa de endinheirados… Em que isso vai dar quando se sabe que o tráfico fez da Cidade Universitária o seu mercado? Atenção! Há bicicletas de endinheirados que podem custar até R$ 30 mil. Os assaltantes pegam a dita-cuja e se mandam pra favela.

    Pior: ficamos sabendo agora que ciclistas contrataram escolta armada… Epa! Aí as coisas começam a ficar ainda mais perigosas. Avaliem o risco! A única saída sensata é parar com essa brincadeira estúpida de que a USP — e as universidades brasileiras — são territórios livres, onde a polícia não entra. A Guarda Universitária não vai poder se comportar como segurança privada de ciclistas, não é? É preciso que se faça lá policiamento ostensivo para reprimir qualquer forma de crime — inclusive, sim, o tráfico e o consumo de drogas.

    Por mais que queriam transformar a USP num bunker, onde a PM não entra, as leis de mercado chegam pelo ar. Atrair bandidos para a universidade — em razão das drogas e da falta de policiamento — imaginando que eles não vão praticar banditismo é coisa de cretinos ou de gente de má-fé.

    Sem a presença ostensiva da polícia, a alternativa para os ciclistas é levar Marilena Chaui como uma espécie de batedora, de ponteiro. Quando o bandido chegar com o tradicional “Perdeu, perdeu, passa a bicicleta para cá”, ela, a mais saliente crítica da presença da PM no campus, pode tentar convencê-lo de que se trata de um ato reacionário, que acabará concorrendo para a “militarização” da universidade, adicionando que ele, ladrão, mesmo sem saber, é, na verdade, um revolucionário em potencial, que está canalizando mal as suas energias redentoras… De resto, os dois “ODEIAM” a classe média…

    Por Reinaldo Azevedo

  11. Pax said

    Caro Chesterton,

    Fazia tempo que não lia um texto do titio.

    Pelo jeito não perdi nada. Obrigado por confirmar.

  12. Chesterton said

    http://veja.abril.com.br/blog/rodrigo-constantino/economia/os-socios-minoritarios-de-luiza-trajano-nao-concordam-com-seu-otimismo/

    chest- tá ficando claro

  13. Pax said

    Mas essa tua turma é mesmo pândega…

    Os caras nem tomam os bons ditos populares como conselhos. Querem ser mais realistas que o rei.

    Esse aí não é aquele que tem que fazer post pra explicar as merdas que fala, caro Chesterton?

    Nem vou perder meu tempo….

    Enviado via iPhone

    >

  14. Patriarca da Paciência said

    “De férias na França, com diárias pagas pela União, o presidente do Supremo Tribunal Federal, Joaquim Barbosa, aproveitou para fazer compras numa galeria de luxo em Paris, onde desfilam grifes como Prada, Fendi e Bottega Veneta; o fato de ser pago pelos contribuintes para desfrutar “la vie en rose” é, segundo Barbosa, uma “tremenda bobagem”; indagado sobre o interesse público das diárias, ele respondeu: “O interesse público é esse que vocês estão vendo, eu sou o presidente de um dos poderes da República”
    (blog 247).
    http://www.brasil247.com/pt/247/brasil/127855/A-imagem-de-Barbosa-em-Paris-o-diabo-veste-Prada.htm

    Acho que agora a personalidade do Barbosão foi retratado e desvendada em todas as suas minúcias, ou seja, em Paris, vestido com ternos caríssimos, realizando uma compra de grande valor numa loja de marcas chiques, que inclusive deixou surpresa a moça do caixa e pagando tudo com ar de superioridade!

    Bom, tudo bem. Se ele tivesse se dedicado a ser empresário, ou jogador de futebol e tivesse sido bem sucedido na carreira, ganhado muito dinheiro, estaria bem adequado. Mas um presidente do STF? E ainda por cima, um pretenso “herói do povo?”

  15. Patriarca da Paciência said

    Post, 09,

    é impressionante como se escreve uma coisa tão simplória! Para esse escrivinhador, o Lula deve ser o filho predileto de Zeus! Quem não obedece Lula, Zeus fulmina com o raio. O homem que pode tudo!

  16. Pax said

    Do Painel – Folha

    Místico O indiano Ravneet Singh, que prestou consultoria para a campanha de José Serra (PSDB) em 2010, foi preso nos EUA. Ele é acusado pelo FBI de facilitar doações ilegais de mais de US$ 500 mil para candidatos na cidade de San Diego.

    A mesma Folha dá na capa que 82% dos paulistanos são contra os rolezinhos.

    Pra quem não cansa de reeleger Maluf não é algo de se estranhar….

  17. Pax said

    O Brasil dos cartéis…

    http://g1.globo.com/economia/negocios/noticia/2014/01/cade-propoe-multa-de-r-31-bilhoes-por-cartel-no-setor-de-cimento.html

    que vergonha.

    Agora imagina as Telecom com um ministro como o Paulo Bernardo que mantém seu amiguinho João Resende à frente da ANATEL?

    E Dilma?

  18. Patriarca da Paciência said

    E o santinho do pau oco volta a atacar:

    “Perguntou-se a FHC se o PSDB não deve explicações ao país sobre o mensalão tucano de Minas e o cartel de trens e metrô de São Paulo. E ele: “No caso de Minas Gerais, na época, eu fui dos poucos que disse que era preciso uma explicação. Agora, vamos qualificar. O que houve em Minas Gerais foi o que o Lula disse que era natural. Foi, eventualmente, desvio de recursos para campanha eleitoral [de Eduardo Azeredo, em 1998]. Não é perdoável, mas é diferente do mensalão. O mensalão foi compra sistemática de apoio para o governo no Congresso.”

    O repórter recordou a FHC: o operador dos dois mensalões é o mesmo: Marcos Valério. O agente financeiro dos empréstimos fictícios também se repete: Banco Rural. E houve desvio de verbas públicas nos dois casos. “Não estou negando isso, nem estou desculpando”, prosseguiu FHC. “Estou dizendo, entretanto, que, se houve, foi para a campanha. Não justifico, mas é diferente.” Provocado, disse esperar que o STF julgue a encrenca tucana com o mesmo rigor que aplicou no julgamento da ação penal do mensalão petista.”

    http://josiasdesouza.blogosfera.uol.com.br/

    Agora me digam, o que pode levar alguém de bom senso a acreditar que o PSDB seja diferente do PT?

    Ah, o PT é diferente porque “comprou” parlamentares!

    E onde é que está a relação com os nomes e endereços completos, CPFs e RGs, quantias recebidas e comprovação das quantias recebidas?

    Onde já se viu um processo criminal onde não são apresentadas as provas do crime?

    E um país pode se contentar com parlamentares inimputáveis que precisam ser tutelados por ministros que nada entendem de política!

    Agora, eu concordo com uma coisa, ou esses parlamentares se manifestam ou grande quantidade de eleitores, de agora em diante, passarão a considerá-los mesmo como coitadinhos inimputáveis!

  19. Patriarca da Paciência said

    “Místico O indiano Ravneet Singh, que prestou consultoria para a campanha de José Serra (PSDB) em 2010, foi preso nos EUA. Ele é acusado pelo FBI de facilitar doações ilegais de mais de US$ 500 mil para candidatos na cidade de San Diego.”

    É caro Pax,

    esse “místico” indiano deve possuir uma grande devoção pela picaretagem!

  20. Patriarca da Paciência said

    Continuando…

    Agora, o homem deve ser mesmo excepcional, visto ter sido contratado para prestar assessoria ao “maior político que o Brasil já teve”!

  21. Pax said

    Essa reportagem do Josias é ótima, caro Patriarca.

    Nem FHC acredita muito no Aécio. Ao menos foi assim que interpretei.

  22. Patriarca da Paciência said

    http://esquerdopata.blogspot.com.br/2014/01/veja-o-rolezinho-de-joaquim-barbosa-em.html

    Rolezinho de D. Joaquim I, em Paris, com dinheiro dos brasileiros!

  23. Elias said

    I – NO CRAVO:

    Do noticiário da ADVFN:

    “Maria das Graças Foster, presidente da PETROBRAS (PETR4), fez promessas importantes no Fórum Econômico Mundial em Davos. Foster afirmou que a PETROBRAS vai aumentar em três vezes a produção de petróleo até o ano de 2035, depois de a produção atual dobrar até 2020. A meta é produzir 6 milhões de barris de petróleo por dia, tornando o Brasil o sexto maior produtor da commodity no mundo, com quase a totalidade dos investimentos concentrados no país.”

    É isso aí!

    Até 2030 o petróleo terá dançado como fonte de energia. Então, tem que dar tudo agora.

    II – NA FERRADURA

    Marcelo Crivella (PRB/RJ), Ana Amélia (PP/RS) e Walter Pinheiro (PT/BA), propuseram o Projeto de Lei 728/2011, cuja votação está sendo apressada no Congresso, e que “define crimes e infrações administrativas com vistas a incrementar a segurança da Copa das Confederações FIFA de 2013 e da Copa do Mundo de Futebol de 2014, além de prever o incidente de celeridade processual e medidas cautelares específicas, bem como disciplinar o direito de greve no período que antecede e durante a realização dos eventos, entre outras providências”.

    Ou seja: essas peças querem suspender a vigência da Constituição durante a copa.

    Bundões!

  24. Pax said

    Petróleo?

    Aproveita enquanto é tempo. O papo vai virar água.

    Quem tiver água, daqui pra frente, vai ter ouro.

    E no Brasil? Bem, aí temos a indústria da seca. Onde até Lula, pasmem, um nordestino que já foi do lado dos trabalhadores, virou empresário da seca. Juro, podem me chamar de neoPax, de direita, do que quiserem, mas o que fazem com os nordestinos é uma sacanagem sem tamanho.

    Quer dizer, tem tamanho sim, tamanho do número de votos que levam, na industria da seca associada com a indústria da falta de escola.

    http://www.opovo.com.br/app/opovo/cotidiano/2014/01/23/noticiasjornalcotidiano,3195296/ate-quando-o-ceara-vai-suportar-medidas-emergenciais.shtml

    E a transposição do São Francisco vai aparecer jorrando água nos filmes caríssimos que Dilma vai colocar no ar em sua propaganda eleitoral… pagos, todos sabemos muito bem, com os caixas 2 que já estão abarrotados.

    Desculpem-me, mas um dia sem reclamar de governos, é um dia perdido.

  25. Chesterton said

    Pax- governos vão e vem, poior é elite (sub) intelectual como bem descreve o Reinaldao…essa não desaparece.

    “Pois é… Nesta quinta, muito esquerdista endinheirado encontrará motivos para se decepcionar com o povo. Eles lá, dedicando-se a um frenético exercício de antropologia criativa para ver nos rolezinhos uma espécie de grito primal dos deserdados do capitalismo, e os pobres cobrando o fim desses eventos para poder frequentar os shoppings em paz.

    Os racialistas também ficarão amuados. Insistem que os negros e pardos são discriminados nesses centros comerciais, e a maioria dos negros e pobres diz que… não! A população de São Paulo — ESPECIALMENTE OS MAIS POBRES — gosta é de ordem e de polícia cumprindo a sua função. Quem gosta de bagunça é subintelectual do miolo mole, militantes de esquerda e, infelizmente, alguns coleguinhas.”

    http://veja.abril.com.br/blog/reinaldo/geral/o-datafolha-e-os-subintelectuais-decepcionados-com-o-povo-82-dos-paulistanos-sao-contra-rolezinhos-e-73-a-favor-da-acao-da-policia-larga-maioria-de-negros-e-pardos-nao-ve-discriminacao/

  26. Chesterton said

    Patriarca, entenda de uma vez, o governo do PT está aí tem mais de 12 anos, o STF foi todo nomeado pelo PT, e só tem petista preso na cadeia, não tem nenhum tucano. Isso não te sugere nada?

  27. Pax said

    Caro Chesterton,

    O titio é mesmo um tapado ideológico. É desmiolado que sabe lidar com o português de forma a fazer seus eufemismos enganarem um bocado de gente.

    Essa afirmação que a população mais pobre gosta disso ou gosta daquilo é coisa que ele não pode falar. É o mesmo que o Arnaldo Jabor disse que as pessoas não valiam 20 centavos quando brigavam por tarifas mais justas, pelo fim do cartel das empresas de ônibus etc. Essas pessoas, via de regra, são formadas pela molecada da esquerda, jovens, universitários etc.

    Neste fim de semana fui tomar uma cerveja aqui no bar da roça. E o papo dos rolezinhos apareceu. Todos, vou repetir, todos achando que os rolezinhos eram ruins, que isso e aquilo, que não era possível aceitar essa baderna, enfim, e uma tv ligada nesses canais de “pega-bobo” com o mesmo discurso.

    Pois bem, devagar fui conversando com a galera, explicando que era um absurdo proibir a turma de se divertir nos shoppings, que esse papo que só pode entrar se estiver vestido assim, ou assado, se comprar isso, ou aquilo, se gostar dessa ou daquela música, enfim…

    Saí do bar e todo o discurso da turma tinha mudado completamente, todos aprovando os rolezinhos, dizendo que shopping era mesmo coisa de quem não tem roça nem parque nem baile pra se divertir, que a molecata tem todo direito de ir lá pegar um ar-condicionado e brincar do jeito que bem lhes der à cabeça, desde que não ultrapassem o limite de quebrar coisas ou roubar, ou assaltar.

    Teu titio, caro Chesterton, é um bobão ideológico. Gosta é que seu público goste de sua bílis apodrecida. Vive disso. Idem ibidem dos bobos ideológicos que só sabem elogiar o governo, que desvirtuam qualquer informação que critique o governo, são a outra face da mesmíssima moeda.

  28. Patriarca da Paciência said

    Eu já entendi sim e faz tempo, Chesterton,

    realmente o PT não estava preparado para escolher ministros do STF. A escolha do Ayres Britto, pelo critério de ser nordestino, foi uma calamidade. A escolha do Joaquim Barbosa, por ser negro, foi um erro enorme, gigantesco! O próprio Lula já reconheceu isso!

    Já o Gilmar Mendes foi o maior acerto do FHC.

  29. Patriarca da Paciência said

    A propósito, Chesterton,

    você concorda com essa história do Joaquim Barbosa ter comprado apartamento em Miami, através de empresa (fajuta) criada especialmente para tal fim, com sede em apartamento funcional, especialmente para driblar o fisco norte-americano?

    E também com o rolezinho do Barbosão por Paris, pago com dinheiro do contribuinte?

    E todo o teatro das prisões no dia 15 de novembro, causando também gastos desnecessários ao contribuinte?

    Quando ele saiu de férias e simplesmente “não teve tempo” de assinar um mandado de prisão?

    E os tratamentos diferenciados entre Roberto Jefferson e Genoino?

    Ou você acha, como o Barbosão, que tudo isto são apenas bobagens?

  30. Patriarca da Paciência said

    Fux e Rosa Weber são a prova cabal de que o PT não estava preparado para escolher ministros do STF.

    Mas acho que agora o PT aprendeu!

  31. Patriarca da Paciência said

    Luis Nassif

    “Entre hoje e amanhã, o presidente interino do STF (Supremo Tribunal Federal) Ricardo Lewandowski tornará publico o Inquérito 2474, o chamado “gavetão”, o mais bem guardado segredo do Ministro Joaquim Barbosa.

    O “gavetão” é a peça originária do Inquérito 2245, que resultou no “mensalão”. Na ocasião, o relator Joaquim Barbosa cindiu o inquérito 2245 e as partes não aproveitadas se transformaram no inquérito 2474, aberto em março de 2007, que ele manteve sob segredo de Justiça.

    Apesar de garantir que não haveria mais “gavetas” no STF, Joaquim Barbosa recusou-se a divulgar o conteúdo do inquérito.

    Em 2011 deferiu pedido formulado pela defesa de Daniel Dantas, abrindo apenas a ele o inquérito (http://tinyurl.com/kgnobew). Mas negou a dois condenados do “mensalão” alegando que não teria nenhuma relação com a AP 470. No entanto, soube-se que laudos da Polícia Federal, que atestariam a participação de Daniel Dantas no financiamento de Marcos Valério, foram encaminhados para o Inquérito 2474, e não para o 2245. Assim como laudos que atestavam a aplicação dos recursos da Visanet em campanhas promocionais.”

    Caso o noticiado se confirme, podemos entender que o ambiente no STF não está muito favorável ao Barbosão.

    Lá de Paris, ganhando diárias mesmo de férias e fazendo compras em lojas de grifes, Barbosão não perdeu o costume e andou insultando alguns colegas. Disse que quem está na presidência interina do STF tem todo o poder para agir etc.etc.etc., praticamente chamando seus colegas de medrosos!

    Pois bem, aí o Lewandowski vai fazer o que já deveria ter sido feito há muito tempo! E que o Barbosão não o fez, não se sabe o porquê!

    Vamos ver como o Barbosão fica nessa!

  32. Chesterton said

    Saí do bar e todo o discurso da turma tinha mudado completamente, todos aprovando os rolezinhos

    chest- você ou é um gênio da propaganda política ou esses “universitários” tem titica de galinha na cabeça. Você virou agente do PT?

  33. Chesterton said

    realmente o PT não estava preparado para escolher ministros do STF.

    chest- mas estava preparado para assaltar o tesuoro nacional, subornar políticos e fazer a maior tomada do estado que ja se viu.

  34. Chesterton said

    H
    23/01/2014 às 16:27 \ Direto ao Ponto
    Há 50 anos, Nelson Rodrigues constatou que os idiotas estavam por toda parte. Maria do Rosário confirma que já são amplamente majoritários no ministério de Dilma

    13072011VC5195

    Em maio de 2013, milhares de fregueses do Bolsa Família congestionaram as agências da Caixa Econômica Federal antes do prazo combinado para a entrega da mesada. Também surpreendida pelas correrias daquele sábado estranho, a ministra dos Direitos Humanos, Maria do Rosário, sacou da bolsa o Twitter e mandou bala nos suspeitos de sempre: “Boatos sobre fim do bolsa família deve (sic) ser da central de notícias da oposição. Revela posição ou desejo de quem nunca valorizou a política”. Logo se descobriu que a confusão fora provocada pelos próprios gerentes do maior programa oficial de compra de votos do mundo.

    Na versão divulgada pelo alto comando da CEF, um diretor afoito ordenara, sem pedir licença aos superiores hierárquicos, que o dinheiro fosse colocado antes da hora à disposição da clientela. Retransmitida em cadeia pelos dependentes da esmola federal, a notícia da antecipação da esmola federal espalhou-se pelo país e conferiu dimensões amazônicas às filas dos beneficiários. As coisas se agravaram quando surgiu a desconfiança de que o presente inesperado era um sinal de que o programa seria encerrado. Simples assim. A oposição não teve nada com isso. Maria do Rosário nem pediu desculpas pela mensagem imbecil. E não demoraria a deixar claro que não tem cura.

    Em outubro de 2013, Joselito Müller, editor de um blog humorístico, informou que a ministra, depois de confrontada com um vídeo em que um assaltante é baleado por um policial, tomara as dores do bandido. Colérica com a brincadeira, Maria do Rosário revidou com uma nota oficial beligerante. Além de encarregar a Polícia Federal da “criteriosa investigação e responsabilização dos autores da notícia mentirosa publicada”, a companheira gaúcha “solicitara à empresa que hospeda o site que retire o conteúdo difamatório do ar”.

    Como a Polícia Federal tem mais o que fazer, e como o controle social da mídia ainda é só um brilho no olhar da seita lulopetista, os pedidos deram em nada. Mas Maria do Rosário não consegue viver longe das primeiras páginas. Reapareceu em novembro no cemitério de São Borja, para exaltar a exumação dos restos mortais de João Goulart: “A investigação é uma missão de Estado, humanitária, cumprida com total isenção”, caprichou a sherloque empenhada em provar que o presidente deposto em 1964 não morreu de enfarte: foi envenenado por sicários de tiranos brasileiros e uruguaios. Uma proeza dessas não tem preço, informou: “Custa menos do que uma ditadura, porque essa custou vidas, exílio, significou a morte. Estamos valorizando a democracia”.

    Jango já foi devolvido à sepultura. Mas é improvável que descanse em paz enquanto a camelô de teorias amalucadas continuar em ação. Neste janeiro, Maria do Rosário confirmou que nada lhe parece tão excitante quanto a aparição de cadáveres que podem ser transformandos em cabos eleitorais. Entusiasmada com a história do jovem gay cujo corpo foi encontrado sob um viaduto no centro de São Paulo, nem esperou que a polícia começasse as investigações para incorporou simultaneamente três personagens: o delegado que identifica culpados em cinco minutos, o promotor que dispensa provas para exigir a punição dos carrascos e o juiz que condena sem sequer folhear os autos.

    Maria do Rosário resolveu tudo com outra nota oficial cuja essência é reproduzida a seguir:

    “A Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República vem a público manifestar solidariedade à família de Kaique Augusto Batista dos Santos, assassinado brutalmente no último sábado (11/01). (…) “As circunstâncias do episódio e as condições do corpo da vítima indicam que se trata de mais um crime de ódio e intolerância motivado por homofobia. (…) Diante desse quadro, reiteramos a necessidade de que o Congresso Nacional aprove legislação que explicitamente puna os crimes de ódio e intolerância motivados por homofobia no Brasil, para um efetivo enfrentamento dessas violações de Direitos Humanos”.

    Nesta terça-feira, a mãe de Kaique admitiu que o filho cometeu suicídio, hipótese robustecida por mensagens escrita por Kaíque, filmes e depoimentos. Os que embarcaram nas fantasias de Maria do Rosário vão caindo fora da nau dos insensatos. Maria do Rosário continua por lá. E continua ministra. É o Brasil.

    Na década de 70, Nelson Rodrigues constatou que os idiotas estavam por toda parte. Mas o grande cronista morreu sem imaginar que, menos de 50 anos depois, os cretinos fundamentais seriam amplamente majoritários no primeiro escalão do governo federal.

    Augusto Nunes

  35. Chesterton said

    Ou você acha, como o Barbosão, que tudo isto são apenas bobagens?

    chest- comparado cok o que o PT fez, é bobagem, pura implicância. Alias, porque os coleguinhas dele não assinaram a prisão de delinquente criminoso? Medinho?

  36. Chesterton said

    THURSDAY, JANUARY 23, 2014

    O Racismo Petista
    O PT paga jornalistas de porta de cadeia, através do dinheiro público do governo federal, para atacar e demonizar aqueles que o partido considera inimigos, entre eles evidentemente se encontra o ministro Joaquim Barbosa. Todo ataque orquestrado pelo PT a Barbosa é asqueroso, nojento, profundamente racista. Como de praxe Maria do Rosário e a outra militante petista infiltrada na secretaria do racialismo ficam caladas assim como as ONGs dos negros aparelhadas pelo PT que só servem ao partido. Negro bom é negro comunista, obediente ao partido e dependente das benesses do governo. Barbosa é odiado porque os racistas do PT não suportam ver um negro bem sucedido que subiu na vida com seu próprio esforço, trabalho, dedicação e inteligência; um negro que não depende de suas políticas racialistas. Querem um exemplo de ataque racista do PT? Vejam esta matéria no site Brasil247: A cena em questão é do presidente do Supremo Tribunal Federal, Joaquim Barbosa, numa galeria de luxo em Paris, onde desfilam grifes como Fendi, Prada e Bottega Veneta. Com seu elegante chapéu e um terno bem cortado, risca de giz, Barbosa passa pelo caixa. A vendedora parece espantada com a compra. E Barbosa a olha com um certo ar de superioridade.
    POSTED BY SELVA BRASILIS

  37. Chesterton said

    grande Joaquim, em foto que o PT não suporta, pois ele não é negro no atacado, é um INDIVIDUO independete imune ao coletivismo petista.

  38. Patriarca da Paciência said

    “Ricardo Lewandowski afirmou que a responsabilidade por mandar prender o ex-deputado João Paulo Cunha é do relator da ação, no caso, Joaquim Barbosa.

    Ele afirmou que este também é o entendimento da ministra Cármen Lúcia, que ficou na presidência do STF nas férias de Barbosa. A declaração de Lewandowski foi dada em resposta a Barbosa, que em Paris desancou os colegas.

    “Acompanho o entendimento da ministra Cármen Lúcia de que a competência (de mandar prender) é do relator, nos termos do artigo 341 do regimento interno do STF”, disse Lewandowski.

    Segundo o artigo, cumprimentos de decisões transitados em julgado são “requisitados diretamente ao ministro que funcionou como relator do processo na fase de conhecimento”.

    Em Paris, Barbosa disse que não teve tempo hábil para assinar o pedido de prisão de João Paulo Cunha porque terminou a decisão pouco antes das 18h e que saiu para viajar de madrugada.

    O advogado Alberto Toron, que defende Cunha, criticou as declarações de Barbosa. Segundo ele, JB, que também é relator do mensalão, deixou de cumprir o dever dele quando determinou a prisão de João Paulo sem enviar o mandado de prisão à Polícia Federal.

    “Eu ouço isso com a maior estranheza. Ele deixou de cumprir o dever dele e agora põe a culpa pela não efetivação da prisão do deputado João Paulo Cunha nos colegas dele. É o fim da picada. Eu acho que não tem que dizer muito mais do que isso. E ele confortavelmente dando seu rolezinho em Paris”.

    http://www.diariodocentrodomundo.com.br/essencial/lewandowski-responde-a-criticas-e-diz-que-cabia-a-barbosa-mandar-prender-joao-paulo-cunha/

  39. Patriarca da Paciência said

    Como sempre, o Barbosão continua dando claras demonstrações de que não é detentor de notável saber jurídico!

  40. Patriarca da Paciência said

    Agora, o Barbosão declarar que não assinou o mandado de prisão, porque senão perderia o voo para Paris, certamente, vai entrar para a História!

  41. Patriarca da Paciência said

    “Site lançado pela família do ex-presidente do PT para pagar multa da condenação na AP 470 arrecadou, em 11 dias, R$ 761.962,60, ou seja, R$ 94.448,68 mais que o necessário; segundo o advogado do petista, Luiz Fernando Pacheco, há duas propostas até agora: doar o dinheiro para a melhoria do Sistema Penitenciário Brasileiro e ajudar no pagamento das multas de colegas do PT também condenados pelo STF”
    (blog 247)

    Como simpatizante do PT, eu sou totalmente a favor que de que seja doado para ajudar no pagamento das multas de colegas do PT também condenados pelo STF.

  42. Otto said

    Chesterton:

    seguindo sua lógica implacável: o mensalão (73 milhões e sem provas claras) é uma irrelevância perto do trensalão: 500 milhões só por baixo!

    O Barbosão pode dar o seu rolê e fazer suas compras onde bem entender, mas não com diárias pagas com o nosso dinheiro.

    O que vale pro Renan vale pro Barbosa.

    Ou não?

  43. Pax said

    Agente do PT?

    Caro, Chesterton, velho e bom Chesterton, de tanto ler teus ídolos idiotizados vc acha que os rolezinhos são coisas do PT. Caramba. Que falta de informação correta. É nisso que dá ler esses lixos.

    O PT está em baixa com essa turma do rolezinho. Com a maioria dessa turma.

    Vá se informar, Chesterton, velho e bom Chesterton, mas com fonte despoluída e desediotizada.

    Enviado via iPhone

    >

  44. Chesterton said

    Otto, processem o Barbosão. E perguntem pro Lulla de onde ele tirou a idéia de nomeá-lo

    D Reinaldão, impecável:

    O que aconteceu nesta quinta-feira no Centro de São Paulo, na Haddadolândia, ex-Cracolândia, é muito grave. E não me refiro, é evidente, à ação do Denarc, que prendeu um traficante. Refiro-me é à rapidez com que os petistas, setores da imprensa, ONGs e a Al Qaeda eletrônica petralha nas redes sociais se uniram para criar uma farsa, para inventar uma história que não existiu, a exemplo do que fizeram há dias com o jovem Kaíque, que, infelizmente, suicidou-se pulando de um viaduto. Tentaram criar uma vítima da homofobia. A ministra Maria do Rosário, com irresponsabilidade peculiar, emitiu uma nota acusando o crime que não aconteceu. E não se desculpou depois.

    No caso da Haddadolândia, como se sabe, os policiais foram atacados por dependentes — três se feriram. Veículos da polícia foram depredados. Foi chamado o reforço — e é o que tem de ser feito —, e houve confronto. Em nenhum momento, Fernando Haddad ou seu secretário de Segurança, um queridinho de setores da imprensa chamado Roberto Porto, lamentaram o ataque aos policiais. Ao contrário: a Polícia Civil foi tratada como uma força invasora; como se tivesse pisado território sagrado; como se tivesse cruzado a linha que separa o resto da cidade de uma zona livre para o consumo e o tráfico de drogas.

    De maneira ridícula, patética, assombrosa, Haddad reclamou que a Prefeitura não fora previamente avisada da operação, reclamação que Roberto Porto repetiu em entrevista ao Jornal da Globo. E por que ele deveria? Que se saiba, a repressão ao tráfico não é tarefa do município. Na prática, a atual gestão faz exatamente o contrário: põe mais dinheiro nas mãos de dependentes. Em vez de a petezada se mobilizar para vir aqui me ofender, deveria tentar provar que falo mentira; deveria tentar demonstrar que distorço os fatos quando digo que Haddad está dando aos consumidores — que são os clientes dos traficantes — mais dinheiro do que tinham antes. O Denarc, já deixei claro, não tem de avisar a Prefeitura de coisa nenhuma. A ex-Cracolândia, atual Haddadolândia, não é um país independente; não é uma região autônoma, embora Haddad queira fazer parecer que sim.

    A versão só prosperou porque, quando o assunto é descriminação das drogas e congêneres — e a Haddadolância é hoje uma cidade em que as drogas foram descriminadas, e os viciados, estatizados — não há objetividade possível em amplos setores da imprensa. Aí vários comandos de redação — incluindo TVs — permitem a mais desabrida militância.

    Já está evidente, leiam os posts abaixo, que o Denarc nada mais fez do que cumprir a sua função. Reportagem da Folha de hoje informa que há a suspeita de que policiais do órgão estariam ligados ao tráfico na região. É? Que a polícia se mobilize para prendê-los. Não há evidência de que a operação desta quinta tenha relação com isso.

  45. Chesterton said

    O pânico voltou a bater às portas do Palácio do Planalto, que dá como inevitáveis novos protestos durante a Copa. O PT já convocou o seu braço junto às massas, uma tal Central de Movimentos Populares (CMP), para monitorar o povaréu.

    Os pelegos do CMP integram a Ancop, ou “Comitês Populares da Copa”. Estão lá para amansar a brasileirada. As designações têm um ranço entre o jacobinismo e o sovietismo: “central”, “comitês”, “coletivos”… O “comissariado” fica na Secretaria-Geral da Presidência, do camarada Gilberto Carvalho. Uma nova onda de protestos poderia pôr em risco a reeleição de Dilma. Uma estrepitosa vaia durante o discurso da presidente na abertura daria o tom do resto do torneio. O Planalto, o que é uma tolice, viu nos “rolezinhos” o sinal de advertência. O PT começa a ser também vítima, não apenas beneficiário, de sua natureza. Explico.

    Um pouco de memória. Em junho, os petistas apostaram que a baderna ficaria restrita a São Paulo. Em meu blog, demonstrei, inclusive com reportagens desta Folha (is.gd/X4xFOl), como operaram os feiticeiros do Planalto –com José Eduardo Cardozo chefiando o caldeirão– para jogar os distúrbios no colo da “polícia de Alckmin”. Duas semanas depois, havia pessoas com tochas na mão sapateando no teto do Congresso, e o Palácio Itamaraty estava em chamas. E Cardozo mudo, perplexo, pálido de espanto.

    Já sabemos o que eram os “rolezinhos” e no que tentam transformá-los as esquerdas, inclusive os petistas. De novo, confessam, a aposta era que se limitassem a São Paulo. Carvalho mandou ver no pensamento tarja-preta: “Da mesma forma que os aeroportos lotados incomodam a classe média. Da mesma forma que, para eles, é estranho certos ambientes serem frequentados agora por essa ‘gentalha’ (…). O que não dá para entender muito é a carga do preconceito que veio forte. (…) As pessoas veem aquele bando de meninos negros e morenos e ficam meio assustadas. É o nosso preconceito”.
    “Nosso preconceito” uma ova! Esse é o preconceito de Carvalho, que chama “negros” e “morenos” de “bando”. Então só a classe média reage à incompetência do governo na gestão aeroportuária? Pobre gosta de humilhação? Nota: a pesquisa Datafolha sobre os “rolezinhos”, especialmente a opinião de “negros e morenos”, desmoraliza Carvalho, seu partido, as esquerdas, a vigarice sociológica, a tolice jornalística e o colunismo fácil.

    O mundo real pôs o PT sob controle, mas não mudou a sua natureza. No campo, na cidade, na universidade ou no shopping, o partido não resiste à tentação de insuflar os “oprimidos”. Os “opressores” identificados pela legenda não são os premiados com Bolsa BNDES ou Bolsa Juros, mas a classe média, que a Marilena Chaui odeia e que Carvalho julga ser racista.

    Enquanto a fala indecorosa do ministro circulava, uma turba fechou algumas ruas na Penha, em São Paulo, para um baile funk. A polícia, chamada pela vizinhança, acabou com a festa. Um grupo de funkeiros decidiu, então, assaltar um posto de gasolina, espancar os funcionários, depredar um hipermercado contíguo e roubar mercadorias. Na saída, um deles derramou combustível no chão e tentou riscar um fósforo. Tivesse conseguido… O “Jornal Nacional” relacionou o episódio à falta de lazer na periferia. Pobre, quando não se diverte, explode posto de gasolina, mas é essencialmente bom; a falta de um clube para o funk é que o torna um facínora. Sei. É a luta entre o Rousseau do Batidão e o Hobbes da Tropa de Choque.

    Os maiores adversários do PT em 2014 não são as oposições, mas a natureza do partido e os valores que tornou influentes com seu marxismo de meia-pataca e seu coitadismo criminoso. A receita pode, sim, desandar.

    twitter.com/reinaldoazevedo fsp

  46. Chesterton said

    Novo ministro da Saúde acusou PSDB de segregar usuários de drogas em SP
    BERNARDO MELLO FRANCO
    EDITOR INTERINO DO “PAINEL”

    24/01/2014 03h30

    Ouvir o texto
    Mais opções
    Drogas no palanque O futuro ministro da Saúde, Arthur Chioro (PT), acusa o governo do PSDB em São Paulo de defender o “projeto da segregação e da indiferença” em relação a usuários de drogas. O tema voltou à arena política ontem, após a ação policial na cracolândia. Em palestra gravada em 2013, Chioro ataca a gestão Geraldo Alckmin e diz que o PT prega “solidariedade e respeito” aos dependentes. “Este é o projeto que mais nos diferencia hoje da prática e do discurso dos governos tucanos.”

    Flashback A cracolândia já foi tema de disputa eleitoral de 2012, quando o prefeito Fernando Haddad (PT) venceu José Serra (PSDB). Ontem o ministro Alexandre Padilha (Saúde), pré-candidato do PT a governador, visitou a área antes da chegada da polícia.

    Não agradou Em privado, aliados de Aécio Neves (PSDB) reclamaram da entrevista de Fernando Henrique Cardoso ao UOL. O ex-presidente disse que a eleição de Eduardo Campos (PSB) também seria boa para o país.

    Deixa falar “Ele está numa fase em que pode falar o que pensa com mais liberdade. Mas não é o pensamento do PSDB”, disse um tucano.

    Nem aí Marina Silva (PSB)
    não quis comentar e deu ordem para não comentarem a declaração de FHC de que seu objetivo é criar o próprio partido, e não eleger Campos.

    Repreensão Aécio se irritou com artigo publicado no site do Instituto Teotônio Vilela, do PSDB. O texto atacava Aloizio Mercadante (PT), recém-alçado à Casa Civil, e sumiu do portal ontem à noite.

    Não pode O artigo lembrava o episódio dos aloprados e comparava Mercadante aos antecessores José Dirceu, preso na Papuda, e Erenice Guerra, derrubada sob suspeita de tráfico de influência.

    Vacilou Antes de chegar à Suiça, Dilma Rousseff recebeu a informação de que o ministeriável Josué Gomes quer ser candidato a senador pelo PMDB mineiro. Mesmo se o governador Antonio Anastasia (PSDB) concorrer.

    Dançou Neste caso, dizem integrantes do governo, a escolha do substituto de Fernando Pimentel (PT) no Ministério do Desenvolvimento voltaria à estaca zero.

    Puritanismo Dirigentes do PSB temem nova dor de cabeça com a Rede: o financiamento de campanhas. Pessebistas receberam sinais de que os marineiros aspiram vetar doações de empresas.

    Cobras e lagartos O governador Sérgio Cabral (PMDB) tem feito ataques “impublicáveis” ao PT, segundo aliados. Ele diz que o partido não moveu uma palha para barrar a candidatura de Lindbergh Farias no Rio.

    Bipolar Depois de anunciar que deixaria o governo em fevereiro, junto com secretários petistas, Cabral agora disse a aliados que só sairá em 3 de abril. Ele afirma que não será pautado pelo PT.

    Fora de casa Fernando Collor (PTB-AL) está desatualizado. Ontem, disse no Twitter que se encontraria com Frank Aguiar, “companheiro de PTB”. Só que Aguiar deixou a sigla e se filiou ao PMDB há quatro meses.

    Visitas à Folha Liliana Ayalde, embaixadora dos Estados Unidos no Brasil, visitou ontem a Folha, onde foi recebida em almoço. Estava com Dennis Hankins, cônsul-geral em São Paulo, Rakesh Surampudi, adido de imprensa, e William Holton, terceiro-secretário.

    Fernando Grella Vieira, secretário de Segurança Pública do Estado de São Paulo, visitou ontem a Folha. Estava acompanhado de Fábio Santos e Lucas Tavares, assessores de imprensa.

    *

    TIROTEIO

    O jogo ainda nem começou e o PSDB já recorreu ao tapetão. Com medo de perder a eleição, tenta desclassificar os adversários.

    DE LUIZ ANTÔNIO FLEURY FILHO (PMDB-SP), ex-governador de São Paulo, sobre a ação do PSDB contra Paulo Skaf (PMDB) por campanha antecipada.

    *

    CONTRAPONTO

    Vou de Taques

    Após a morte do vice-presidente José Alencar, em 2011, os senadores Randolfe Rodrigues (PSOL-AP) e Pedro Taques (PDT-MT) combinaram que iriam juntos ao velório, no Palácio do Planalto. Antes, Randolfe participou de uma reunião de seu partido no Congresso. Na saída, foi abordado por Chico Alencar (PSOL-RJ):

    -Vamos agora para o velório? -perguntou Alencar.

    -Claro. Vamos pegar o Taques e seguimos juntos até o Planalto -respondeu Randolfe.

    Confuso com o sotaque do aliado, Alencar respondeu:

    -Não precisa ir de táxi, não! Vamos a pé!

    Com ANDRÉIA SADI e BRUNO BOGHOSSIAN

    chest- O Bernardo vi nascer.

  47. Patriarca da Paciência said

    A própria “óia” está publicando de de que o “comércio” de Crack talvez seja feito por policiais!

    Ou seja, é a própria “óia” que está desmascarando o “implacável” reinaldo rola-bosta!

    “São Paulo
    Policiais são suspeitos de comandar tráfico na Cracolândia”

  48. Chesterton said

    policiais bandidos são os piores bandidos.

  49. Chesterton said

    Elaine Biasoli: chefe do Denarc não tem medo de cumprir sua função e não tem de se submeter às loucuras de Haddad sobre o crack

  50. Otto said

    Chest:

    “Otto, processem o Barbosão. E perguntem pro Lula de onde ele tirou a idéia de nomeá-lo.”

    Culpa do Frei Betto.

    Melhor agiu o FHC, que nomeou um engavetador pro MPF e o Gilmar Dantas pra lhe dar costas quentes.

  51. Otto said

    Olha, Pax & galera, parte do conteúdo do “gavetão” vem à tona, desconstruindo a fição da AP 470:

    Destrinchando a parte 1 do Inquérito 2474

    Matutando sobre a razão pela qual Joaquim Barbosa manteve o Inquériot 2474 sob segredo de justiça, não o revelando nem a seus pares nem à imprensa, cheguei a algumas suspeitas.

    É preciso entender que se trata de um documento policial, de acusação. Em tese, seria um complemento às investigações que levaram à Ação Penal 470, porque traz informações mais atualizadas.

    O delegado Zampronha se esforça para encontrar indícios e provas que possam confirmar as suspeitas do Ministério Público, da oposição e da imprensa de que houve um escândalo de corrupção.

    No entanto, o relatório foi praticamente descartado por Barbosa, que o ignora solenemente por ocasião do julgamento da Ação Penal 470. Por quê?

    Minha tese inicial é a de que Zampronha deixou vários “furos” que impediriam Barbosa e o procurador-geral de sustentar algumas acusações. Ou seja, “furos” não necessariamente na qualidade da investigação, mas na sua forma, que envereda demais pelo período tucano e pela verdade, em vez de se ater exclusivamente às ficções criadas pela procuradoria, em conluio com Joaquim Barbosa e chanceladas pela imprensa.

    Zampronha até tenta entrar no “clima” da época e bater no PT, mas é sério demais para se ater apenas a isso, e vai mais fundo.

    Em primeiro lugar, o relatório é baseado no famigerado Laudo 2828, também ignorado por Barbosa, que inocentava Gushiken e Pizzolato.

    Apesar do próprio Inquérito 2474 trazer algumas acusações contra a diretoria de marketing, constata-se logo que são acusações forçadas, puramente retóricas, como que enxertadas para satisfazer a sanha da procuradoria de incriminar Pizzolato. De qualquer forma, jamais chegam ao ponto de afirmar que os R$ 74 milhões do Fundo Visanet teriam sido inteiramente desviados.

    Zampronha comete a impudência de lembrar que o Laudo 2828 também investigou as ações do “grupo criminoso” nos anos de 2000 a 2002, o que tiraria o foco do PT.

    Trecho da Parte 1, página 35:

    ScreenHunter_3229 Jan. 24 03.15

    Ainda na página 35, Zampronha faz uma observação, numa nota de rodapé, que, mesmo nitidamente querendo ajudar a acusação a montar a tese do mensalão, acabaria atrapalhando a vida dos procuradores e de Joaquim Barbosa.

    ScreenHunter_3232 Jan. 24 03.27

    Zampronha tentava, talvez ingenuamente, ser verossímil. A DNA não poderia desviar a íntegra dos R$ 74 milhões do Fundo Visanet – Marcos Valério era esperto demais para fazer isso. Se houve desvio dos recursos Visanet a agentes públicos (e Zampronha não consegue provar sequer isso), ele corresponderia a um percentual pequeno do valor total.

    Sendo um expert em mercado financeiro, Valério fazia malabarismos com o dinheiro do Fundo Visanet (segundo Zampronha) para desviar uma parte dele para seus objetivos comerciais e políticos.

    Mas Valério nunca desviaria a totalidade dos recursos de uma campanha publicitária. A DNA era uma agência genuína, que mantinha contratos com o Banco do Brasil desde 1994. Está lá na página 39:

    ScreenHunter_3234 Jan. 24 03.35

    Os adiantamentos em dinheiro feitos pelo Banco do Brasil às agências de publicidade eram uma “regra geral” desde muito antes da gestão Lula, e eram feitos para todas as agências que trabalhavam com o banco, não apenas para a DNA.

    No caso da DNA, o relatório fala em seis grandes adiantamentos feitos pelo BB em benefício desta agência, sob a rubrica do Fundo de Incentivo Visanet. Os dois primeiros aconteceram em 2001 e 2002.

    ScreenHunter_3230 Jan. 24 03.25

    Há um outro ponto do relatório que derruba um dos pilares da acusação: posicionar um petista no centro do núcleo financeiro do esquema.

    Apesar de Zampronha revelar, em alguns trechos do relatório, o desejo de incriminar o diretor de marketing, Pizzolato, o único petista no Banco do Brasil, o documento não traz nenhuma prova contra ele; ao contrário, menciona repetidamente o Laudo 2828, que afirma que outros servidores, e não Pizzolato, eram os responsáveis pelos recursos do Fundo Visanet.

    *

    Da página 42 até a 52, Zampronha aborda supostas mutretas da DNA com os recursos que recebia do Banco do Brasil para realizar campanhas publicitários pagas pelo Fundo Visanet.

    Olhando bem, são mutretas mais ou menos “comuns” no mercado publicitário, que é longe de ser tocado por santos da ética. Elas – as agências – recebem os recursos de seus clientes, e em seguida emitem notas frias ou superfaturadas, para justificar os gastos.

    Entretanto, isso não significa que não executem o serviço, às vezes com extraordinária competência. Se avaliarmos os serviços publicitários prestados pela DNA ao Banco do Brasil, sobretudo os relacionados às campanhas do cartão Visanet, veremos que o BB foi a instituição que mais ganhou market share na área de cartões de débito durante o período mais investigado (2003 a 2004).

    *

    A partir da página 53, Zampronha começa a falar dos anos de 2003 e 2004. Aí, na minha opinião, comete outra grande “impropriedade” para os objetivos da procuradoria e de Joaquim Barbosa. Talvez esta seja a explicação principal para Barbosa ter mantido o documento em segredo.

    A “impropriedade” é informar, com todas as letras, o nome dos servidores que assinam os repasses financeiros para a DNA nos anos de 2003 e 2004. Entre eles, não consta, em nenhum momento, Henrique Pizzolato, o único petista na cúpula do BB.

    O primeiro grande depósito do Fundo Visanet na conta da DNA, no valor de R$ 23,3 milhões, feito em 08 de maio de 2003, traz as assinaturas de Léo Batista dos Santos e Douglas Macedo. Em novembro do mesmo ano, outro grande depósito, desta vez de R$ 6,4 milhões, traz a assinatura de Douglas Macedo. Nada de Pizzolato. É óbvio que esse relatório tinha que ser mantido em segredo: nem Léo nem Douglas são petistas; ambos vinham da gestão anterior e não tinham ligação nenhuma com o então novo governo Lula.

    Página 54:

    ScreenHunter_3236 Jan. 24 03.58

    ScreenHunter_3237 Jan. 24 03.58

    *

    Quando a DNA apresenta a sua planilha, com os fornecedores que receberam os recursos oriundos da Visanet, apenas em 2003, veja quem aparece no topo da lista: TV Globo, que recebeu R$ 3,39 milhões; e Tom Brasil, a empresa para a qual o filho de Joaquim Barbosa prestou serviços em 2010. Hoje o filho de Barbosa é empregado da Globo.

    ScreenHunter_3238 Jan. 24 03.58

    – See more at: http://www.ocafezinho.com/2014/01/24/o-inquerito-2474-derruba-as-teses-do-mensalao/#sthash.RARoXZcj.dpuf

    Confiram os documentos no link.

  52. Otto said

    Mais:

    Pimenta da Veiga recebeu R$ 300 mil de Marcos Valério

    – See more at: http://www.ocafezinho.com/2014/01/24/pimenta-da-veiga-recebeu-r-300-mil-de-marcos-valerio/#sthash.Mpp1tQkq.dpuf

  53. Otto said

    E mais:

    Petrobrás de FHC deu dinheiro a Marcos Valério

    http://www.ocafezinho.com/2014/01/24/petrobras-de-fhc-deu-dinheiro-a-marcos-valerio/

  54. Pedro said

    Estes rolezinhos não são nada, perto do que está acontecendo em Florianópolis.

    http://www.laranjasnews.com/cultura-2/turistas-gauchos-fazem-haolezinho-em-shoppings-de-florianopolis

    :-)

    Sexta a tarde, 42 graus, e sem férias. É rir pra não chorar.

  55. Pax said

    Caro Pedro,

    segundo as fontes do Chesterton, os gremistas e colorados que participam do haolezinho, tostando uma costela no shopping de Floripa, todos são comunistas e as costelas são de crianças mortas pelos comunistas….

    já já o titio da veja vai entrar com texto similar.

    e o pior: o Chesterton vai acreditar.

  56. Pax said

    Mas esse O Cafezinho que o caro Otto traz dia sim e outro também é do mesmo nível das fontes do Chesterton, impressionante.

    Esse blog esquece, coisa pouca, das romarias de buscar dinheiro vivo na boca do caixa do Banco Rural e BMG.

    Para O Cafezinho isso é insignificante.

    E, depois, querem credibilidade.

    Pois é, se tem titio, Mainairdi, Constantino de um lado, do outro tem O Cafezinho, PHA e mais outra galera.

    E são as fontes que a galera usa, cada um a sua, uns olhando a cara furada e outros a coroa desmascarada.

  57. Pax said

    Realmente me impressiona essa turma no novo PT. Os caras são apanhados, réus confessos, buscaram a bufunfa em espécie, nos caixas do bancos cujos presidentes estão na Papuda, gente que o Zé recebeu para definir os agrados, mas…

    como são do PT, então essas provas devem ser esquecidas.

    Cada coisa que vejo…

  58. Pedro said

    Pax, o Chesterton tá sem pescoço? Ou o sinistro da justiça não processou ninguém?

  59. Pedro said

    ops, ministro

  60. Patriarca da Paciência said

    Caro Pax,

    eu gostaria que você respondesse a estas perguntas:

    Você concorda que o suposto mensalão do PSDB é “diferente” do suposto mensalão do PT?

    Você concorda que o suposto mensalão do PSDB é bem mais antigo que o suposto mensalão do PT e, até hoje não foi julgado e, possivelmente, todos os réus serão absolvidos por prescrição?

    Você concorda que essa história do Joaquim Barbosa comprar apartamento em Miami, através de empresa (fajuta) criada especialmente para esse fim, com endereço em apartamento funcional e cujo o único objeto foi a compra do tal apartamento, visando apenas driblar o fisco norte-americano?

    Você acredita que o Joaquim Barbosa não assinou o mandado de prisão do João Paulo Cunha por “falta de tempo”?

    Você concorda com essa história do Joaquim Barbosa considerar sua viagem a Paris bem mais importante que seus deveres de ministro do STF?

    Você concorda que o Joaquim Barbosa receba diárias enquanto goza férias?

    Você concorda com o tratamento diferenciado entre Genoino e Roberto Jefferson?

    Você concorda que o Joaquim Barbosa falou como se desconhecesse o artigo 341 do regimento interno do STF”, quando afirmou que “qualquer um” dos ministros do STF poderia assinar o mandado de prisão do João Paulo Cunha?

    Caro Pax, espero que você apresente sua opinião sobre tais assuntos.

  61. Patriarca da Paciência said

    Pedro,

    você não acha estranho que o PSDB ande querendo processar a Dilma até por mensagens natalinas?

  62. Elias said

    “mas (o PT) estava preparado para assaltar o tesuoro nacional, subornar políticos e fazer a maior tomada do estado que ja se viu.” (Chester)

    Que papo é esse, ó Chester?

    Tu estás a INSINUAIRE que algum político foi subornado pelo PT, com dinheiro de assalto ao Tesouro Nacional?

    Quem são esses políticos? Por que não estão sendo processados?

    Pelo que estás a dizeire, ó puto, debes sabeire de alguma coisa…

    És cúmplice, portanto, já que não denuncias os corruptos, a fim de que esses gajos (putos também, só que num outro sentido da palavra…) recebam a punição que merecem.

    Acho que alguém debe te denunciaire como cúmplice de corrupção e obstrutor da Justiça.

    Pois…!

  63. Otto said

    Ah, Pax, o Miguel nunca negou que tenha havido caixa 2.

    Mas os petistas não foram condenados por caixa dois, você sabe.

    Aliás, estou também esperando suas respostas ao Patriarca #60.

    Ah, e você já olhou o que está no fundo do gavetão?

    Ou você simplesmente não quer ver o que contraia tuas crenças.

  64. Pax said

    Caro Patriarca, em #60

    Vou te responder pergunta por pergunta, com a maior sinceridade que consiga, portando as informações que tenho.

    Você concorda que o suposto mensalão do PSDB é “diferente” do suposto mensalão do PT?

    – No fundo, no fundo, tenho poucas informações sobre o mensalão do PSDB. Acho, pelo que li, que os dutos foram criados lá, agências de publicidade do Marcos Valério e sócios, desvio de uma dinheirama, pagamentos de campanha e sei lá mais o quê. Como não sei exatamente onde o dinheiro foi empregado, não posso afirmar que foi tal e qual o mensalão do PT. Mas, na real, não vejo muita diferença. Talvez o volume de grana desviada tenha sido maior, ou menor, como não sabemos, não conhecemos (ou, pelo menos eu desconheço) o processo, a acusação, não sei dizer.

    A observação importante aqui sempre foi uma que me chamou a atenção desde o início do mensalão do PT: que burrice. Já que iam entrar no chiqueiro, tinham mesmo que usar o mesmo chiqueiro usado pelos adversários? É adentrar demais no pecado da soberba, né não?

    Você concorda que o suposto mensalão do PSDB é bem mais antigo que o suposto mensalão do PT e, até hoje não foi julgado e, possivelmente, todos os réus serão absolvidos por prescrição?

    – Aqui não é uma questão de concordar ou discordar. Um processo é mais antigo que o outro e pronto. Se não vai ser julgado não sei. Sei que está nas mãos, se não me engano, do ministro Roberto Barroso. Não tenho certeza se é com ele. Enfim, e se não for julgado, ou mesmo os porquês que foi desmembrado da forma que foi (que nem sei direito o caminho percorrido), tudo me causa muita desconfiança e desconforto, sim. Agora mesmo tivemos a prescrição dos crimes do Walfrido dos Mares Guia por ter completado 70 anos. Um absurdo. E, como gosto de cutucar, vale lembrar que Walfrido é amigo de jogar bolita com Lula, foi seu ministro etc. E aqui devolvo uma pergunta: isto, esta amizade, não te causa nenhum desconforto?

    Você concorda que essa história do Joaquim Barbosa comprar apartamento em Miami, através de empresa (fajuta) criada especialmente para esse fim, com endereço em apartamento funcional e cujo o único objeto foi a compra do tal apartamento, visando apenas driblar o fisco norte-americano?

    – Não, não concordo, em absoluto. Fico muito incomodado.

    Você acredita que o Joaquim Barbosa não assinou o mandado de prisão do João Paulo Cunha por “falta de tempo”?

    – Não sei porque não assinou. Não sei se saiu às pressas mas essa desculpa não me tranquilizaria. Joaquim Barbosa sabe que sua história, sua biografia, está ligada inexoravelmente ao processo AP 470. E é muito difícil qualquer coisa em torno desse processo não ser objeto de extrema atenção.

    Você concorda com essa história do Joaquim Barbosa considerar sua viagem a Paris bem mais importante que seus deveres de ministro do STF?

    – Primeiro não concordo que uma viagem seja mais importante que presidir um dos poderes nacionais. Segundo não sei dizer se estão ou não em recesso, acho que sim. E aí fica difícil julgar Joaquim Barbosa à além da pouca vergonha que acho essas viagens todas de todos os poderes, regadas a diárias e mais diárias, hotéis de luxo e tudo mais. Joaquim Barbosa não se diferenciou de nenhum destes (quase todos) que se divertem às custas dos cofres públicos.

    Você concorda que o Joaquim Barbosa receba diárias enquanto goza férias?

    – Não acompanhei amiúde, minha internet está um inferno esses dias. Ele não tinha ido proferir palestra ou algo parecido? Mesmo assim não acho que deveria receber diárias. Como Lula se fartou, como Dilma se farta, como todos os ministros e apaniguados se fartam. Todo mundo adora essa farra que chamo, faz tempo, de ParlamenTurismo e poderíamos rebatizar como Teta-Pública Turismo Ilimitado.

    Você concorda com o tratamento diferenciado entre Genoino e Roberto Jefferson?

    – Não, claro que não, todos devem ser iguais perante as leis. De um mendigo a um ministro do STF.

    Você concorda que o Joaquim Barbosa falou como se desconhecesse o artigo 341 do regimento interno do STF”, quando afirmou que “qualquer um” dos ministros do STF poderia assinar o mandado de prisão do João Paulo Cunha?

    – Desculpa, não sei exatamente do que vc está falando, como disse, tá foda acompanhar as coisas por aqui, sem internet, início de ano, contas pra todo lado (até do domínio do blog, mais uma), dinheiro pequeno, enfim… não estou sabendo. Soube que tem um quiprocó de críticas de ministros, algo assim, mas ouvi o galo cantar e nem sei de onde foi.

    Caro Patriarca, respondi com toda a sinceridade que fui capaz. Não assino embaixo governo algum, torci pela Dilma, faz um tempo que Lula me decepciona um bocado, faz um tempo que desisti de gostar da Dilma, acho o PSDB um partido a caminho do fim, acho Aécio complicado demais, playboy demais etc, não vejo com bons olhos a campanha do Eduardo Campos com Marina, estão me parecendo mais do mesmo, apesar de achar que a petezada anda falando um bocado de besteira sobre o assunto (o Kotscho aborda isso muito bem uns 4 a 5 posts atrás), enfim. E, muito menos, acho que Joaquim Barbosa seja solução, panacéia dos males, nada disso.

    Só que acho um absurdo o bumbo que o PT quer tocar, esse de desestabilizar o STF, como se as culpas de seus males, de suas chagas corruptas, seja do STF. Se o STF agiu desequilibradamente com o PT, que o foco seja reclamar deste desequilíbrio. Se Joaquim Barbosa, ou Gilmar Mendes, o Toffoli, ou Barros, ou Weber, ou Carmem Lúcia, ou qualquer ministro, seja do STF, do STE, do CNJ de qualquer órgão da Justiça mijar fora do penico, que sejam atacados, sim, pelos erros que cometem. Não tem que livrar a cara de ninguém.

    Mas também querer que todo mundo ache que os réus do mensalão são santos porque os ministros do STF (nomeados, quase todos, pelo próprio PT) são isso ou são aquilo, me parece um mantra mal enjambrado e um tremendo tiro no pé.

    Se houvesse oposição neste país, supondo isso, e supondo que eu torcesse por essa oposição, mas tenha certeza absoluta que pegaria esses pontos para derrubar essas teses fraquíssimas e mostrar essa bunda de fora do PT, esse, chego ao ponto de achar assim, fascismo ideológico. Coisa mais furada. Até mesmo o PT sabe disso, leia o Kotscho, recentemente, parece que houve um cala-a-boca lá dentro por conta do que andavam colocando no site do partido, uma gentinha de quinta categoria achando que uma pessoa relativamente informada como eu acreditaria nos absurdos que volta e meia o site publica. Enfim, cara, o PT entrou neste caminho de degeneração completa, nesse vale-tudo e agora parece que só este, de novo, “fascismo” ideológico é o caminho que acham interessante.

    Uma pena. Uma pena mesmo, que tenham feito estas escolhas. Sinto muito. Mas, com certeza, apesar de todas as tendências judaico-cristãs, essa culpa não é minha. Não mesmo.

  65. Pax said

    Coisas do Idelber… que gosto

    Idelber Avelar Guarani Kaiowá
    Eu acho que os partidos políticos, e os governos também, deveriam abrir a caixa-preta dos seus blogueiros e tuiteiros pagos na rede. Não há nada de errado em ser pago para tuitar ou blogar. Escrever pode ser um trabalho como qualquer outro e não há problema que ele seja pago. Mas, por exemplo, se ele é pago com dinheiro do fundo partidário (que é público), seria de bom tom que o leitor soubesse.

    É amplamente sabido que partidos e governos mantêm perfis pagos na rede, tuitando e blogando em seus nomes próprios ou em perfis fake (e essa diferença pra mim não importa tanto). Se alguém é pago para defender barbáries como a ação de ontem na Cracolândia, ignorando toda a evidência sobre políticas públicas de drogas, ecocídios como o de Belo Monte, sem saber sequer localizar o Rio Xingu num mapa, ou cenas constrangedoras como o “diálogo” robótico de Dilma ontem com Neymar, Kaká e Ronaldo, e eu sou leitor do perfil, eu gostaria de saber que ele é pago.

    Inclusive para o bem da minha opinião sobre a inteligência da pessoa.

    E tem, sim, de todos os lados. Aqui, coloco o pescoço do Chesterton à disposição, mas não rola.

    Aliás, o Ministro Cardozo não processou ninguém, que eu saiba. Então o pescoço do Chesterton já está apostado. Melhor achar outro pescoço. Vamos lá, pode ser o meu mesmo. Não acho que este blog seja frequentado por “escrevinhadores” pagos para isso. Aqui é muito insignificante e gosto que seja assim. Ao menos dá pra gerenciar já que aqui só gasto meu tempo ganhando com a inteligência de todos e informações que trazem à além de um sentimento de amizade mesmo, que sinto por todos.

  66. Patriarca da Paciência said

    Caro Pax,

    o que eu quero dizer e, muita gente já diz faz muito tempo, é que a coisa é totalmente desproporcional! Joaquim Barbosa fez uma tempestade em copo d’água e, através de sua truculência, apoiado pela “grande” mídia, como disse o Dalmo Dallari, constrangeu os seus pares a apoiar algo que se supunha ser um processo exemplar, educativo.

    Mas em vez de um processo exemplar, educativo, o que vimos?

    Verdadeiras infâmias! Condenar José Genoino como bandido ficará para a História como uma grande infâmia. Bandido porque ele assinou um contrato que, até hoje, não foi provado ser falso?

    Mesmo que o processo fosse falso, a desproporção entre culpa e castigo é descomunal!

    Até hoje nada se provou contra José Dirceu e ele continua preso em regime fechado! Como disse o Dalmo Dallari, “se José Dirceu foi condenado com base numa teoria, ainda por cima aplicada de maneira equivocada, é porque não existem provas”.

    E muitos acusam o José Dirceu de ser “um grande chefão mafioso”

    Ninguém do PT nega que houve Caixa 2 e que isso é errado. O FHC, em entrevista ao Josias, reconheceu que houve Caixa 2 no PSDB.

    Delúbio também reconheceu. desde o início, que houve Caixa 2 no PT. Foi muito mais honesto pois nunca o negou, como o pessoal do PSDB e que apenas o FHC agora o reconhece.

    Será que o FHC, que reconheceu também a culpa, vai ser condenado na mesma proporção que o Delúbio?

    O que se quer é Justiça!

    E essa história de “compra” de parlamentares? Como é que se compra parlamentares e não aparece sequer um parlamentar “comprado”?^

    Num processo criminal sério tem que haver prova do crime! E qual seria a “prova” do crime?

    Nome e endereço completos, RGs e CPFs, quantias recebidas por cada parlamentar “comprado” e prova das “compras”.

    Como disse o Dalmo Dallari, “esse processo não tem nenhum valor jurídico!”

  67. Patriarca da Paciência said

    Correção: Mesmo que o contrato fosse falso, a desproporção entre culpa e castigo é descomunal!

  68. Patriarca da Paciência said

    Caro Pax,

    sobre o artigo 341 do regimento interno do STF, está explicado no post 38,

    é o entendimento de dois ministros do STF:

    “Acompanho o entendimento da ministra Cármen Lúcia de que a competência (de mandar prender) é do relator, nos termos do artigo 341 do regimento interno do STF”, disse Lewandowski.”

  69. Pax said

    Patriarca, Otto, caros,

    As condenações foram por corrupção ativa, peculato, lavagem de dinheiro, formação de quadrilha etc

    Os empréstimos para o PT foram pra lá de fraudulentos, sim.

    Uma pena que Genoino tenha se envolvido? Uns acham que sim, me incluo neste grupo. Mas cometeu crimes? Sim. A resposta é cabal e afirmativa.

    O STF está devendo equilíbrio para que outros crimes similares tenham julgamentos similares? Óbvio que Sim.

    No “noves fora”, tirando as paixões e emoções, acho que é isso.

    O único caso mais discutível que já discutimos até enjoar é o do Dirceu. Mesmo este já estou enjoado de tanto dizer: se estivesse sentado naquele plenário não conseguiria absolver e ficar tranquilo. Não me restou a mínima dúvida.

    Enviado via iPhone

    >

  70. Chesterton said

    Em contraponto a safadeza promovida pelos presidentes da camara e senado federal que usam jatos da FAB para assuntos particulares. O ministro Joaquim Barbosa voa em classe economica da Tam. O fato é tao inusitado que mereceu registro do comandante Alexie. Parabens este é o exemplo que precisa ser valorizado e divulgado nas redes

  71. Patriarca da Paciência said

    Chesterton,

    não acredito que você acreditou!

    Com essa mesma foto já foram colocados Obama e Pelé, todos viajando em classe econômica!

  72. Patriarca da Paciência said

    “A individualidade prevalece sobre o colegiado e nós não sabemos exatamente que fundamentos basearam as decisões”, disse Barbosa, segundo reportagem da Folha de S. Paulo. A conferência proferida por Barbosa foi sobre a influência da publicidade sobre a racionalidade das decisões tomadas pelo STF. Sem citar nomes de colegas, Joaquim Barbosa afirmou que o fenômeno da superexposição “repercute na maneira como certos ministros deliberam e sobre o conteúdo de algumas decisões”.
    (blog 247)

    Viu aí, caro Pax,

    é o próprio Barbosão que está reconhecendo que a mídia influencia as decisões dos ministros!

    É o mesmo que disse o Dallari, só que de maneira mais completa: a truculência do Joaquim Barbosa e a mídia, influenciaram as decisões do STF.

    Será que o Verniz Civilizatório de Paris realmente fez bem ao Joaquim Barbosa?

  73. Chesterton said

    recebi pelo FB e mandei sem checar. vou confirmar.Então ele foi de primeira classe?

  74. Patriarca da Paciência said

    Essa charge do Barbosão já deve ter, pelo menos, três meses! Muito antes do rolezinho a Paris!

  75. Patriarca da Paciência said

    Vê aí, Chesterton, eu mesmo já coloquei essa charge aqui no blog:

    http://esquerdopata.blogspot.com.br/2013/12/o-ministro-joaquim-barbosa-voando-na.html

  76. Chesterton said

    mas ele foi de primeira classe?

  77. Chesterton said

    “Quando acontecem as manifestações de junho, da nossa parte houve um susto. Ficamos perplexos. Quando falo nós, é o governo e também todos os nossos movimentos tradicionais. [Houve] uma certa dor, uma incompreensão, e quase um sentimento de ingratidão. [Foi como] dizer: fizemos tanta por essa gente e agora eles se levantam contra nós.”

    Neste momento, uma pessoa da plateia gritou: “Ah, sai daí”.

    http://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/2014/01/1402311-governo-viu-ingratidao-nas-manifestacoes-de-junho-diz-ministro-de-dilma.shtml

    chest- armaram para o Alkmin e levaram na tarraqueta…agora se faz e sonso.

  78. Otto said

    Pax, você já disse isto milhares de vezes.

    Mas, agora, o que você acha do engavetamento do inquérito 2474?

    Sinceramente, você não acha que tem caroço nesse angu?

  79. Pax said

    Caro Otto,

    Me parece que, de novo, O Cafezinho quer usar de lógica torta e retórica para dizer que “provou” alguma coisa. Estou me baseando no texto que colocaste aí acima, no #51.

    Quando começa com os papos de “minha tese é que…”, “Marcos Valério era esperto demais para…”

    Isso lá é argumento que eu deva dar atenção? Ainda mais, caro Otto, depois de tantas que já vi deste blog. É a tal coisa, quando a credibilidade vai para o saco, é difícil, quase impossível, levantar.

    Eu sinto muito, sei que você gosta do tal blog, não estou dizendo que tudo seja ruim, nem sei. Só sei que não é e nunca será fonte que vou usar.

    É a mesma coisa – do outro lado – do titio da Veja. Um cara que faz umas mentirinhas aqui, outras ali, se diz democrata desde que todos concordem com ele etc. Dá pra usar como fonte? Dá para usar como parâmetro de análise equilibrada?

    Não, não dá.

    Agora tem gente que gosta do titio, tem gente que gosta do Mainardi, tem gente que gosta do Constantino, do Lobão etc. Fazer o quê? Nada, absolutamente nada. O bom da democracia é que há espaços para todos e é assim que deve ser.

    O mesmo que do outro lado, PHA, Cafezinho, tem uma pancada do lado do governo também. Que, segundo meu entendimento e posicionamento desse humildíssimo blog, não dá pra usar.

    Em contraponto, uso um Kotscho sim, vejo os programas do William Waak, sim, só pra dar exemplo de dois que têm lado, um petista e outro absolutamente conservador/liberal/ de direita, mas que não incorrem em erros tão primários que torcidas organizadas são useiras e vezeiras.

  80. Chesterton said

    http://veja.abril.com.br/blog/reinaldo/geral/primeira-grande-conquista-do-bolsa-crack-a-droga-dobrou-de-preco-na-haddodolandia-os-traficantes-estao-em-festa-e-certamente-defenderao-a-reeleicao-do-prefeito-em-2016/

    chest- eu não me canso de rir. Petista acha que com vontade política é possível apagar fogo com querosene.

  81. Pax said

    tentando me adaptar ao novo site da Agência Brasil (a gente critica as mudanças, mas é melhor tentar um tempo antes de criticar apressadamente), vemos a novela da governadora do DEM, Rosalba Ciarlini…

    é impressionante, entra, sai, entra, sai, parece mais aquela atividade que os animais fazem para se reproduzir ou produzir prazer.

    http://agenciabrasil.ebc.com.br/politica/noticia/2014-01/presidente-do-tse-mantem-govenadora-do-rn-no-cargo

    mas é governadora do DEM, antigo PFL, Frente Liberal, a turma que abrigava Kassab, Demóstenes, Kátia Abreu e ainda abriga outros seres desta mesma natureza.

    só que esqueceram o defunto no velório e ainda não o enterraram.

    é que o PSDB de vez em quando vai lá pra ver se há algum milagre de ressucitamento…

  82. Patriarca da Paciência said

    Estão comentando que o Barbosão vai voltar com sotaque e trejeitos parisienses. Aí é que o homem vai ficar mesmo chique nos últimos!

  83. Patriarca da Paciência said

    Acho que todo mundo já sacou que o grande sonho do Barbosão é “ser chique nos últimos”. Sinceramente, eu não tenho nada contra, todo mundo tem todo o direito de perseguir seus sonhos!

    Agora, aí é que foi o grande erro do Lula! Um homem que esse perfil não pode ser ministro do STF!

    Acho que o Barbosão simplesmente escolheu a profissão errada! Com a persistência temeridade dele, o cara venceria tranquilamente sendo empresário ou esportista!

    Agora, ministro do STF! Aí está deslocado mesmo!

  84. Patriarca da Paciência said

    Fora do tema, mas realmente interessante:

    http://www.expressomt.com.br/variedades/mais-de-oito-mil-ja-assinaram-peticao-para-deportar-justin-bieber-dos-eua-91352.html

    Americanos querem deportar o Justin Bieber!

    Se não me engana, os brasileiros é que deram a ideia. Quando ele esteve por aqui, todos ( menos os fãs babacas) disseram, “vá e nunca mais volte por aqui”

  85. Pax said

    Chesterton, velho, bom e enganado Chesterton,

    Nem li o link que você colocou, do titio, em #80. Bastou ler o que estava em azul, “bolsa crack, haddadolandia…”.

    O cara é um desequilibrado mesmo. Adorador de Demóstenes, não dá outra.

    Este projeto do Haddad, claro que estou de olho, desconfiado que não tenha prosseguimento, mas é o melhor que já vi nos últimos tempos. E o teu tio, o mesmo imbecilizado de sempre.

    Nem vou ler a merda que escreveu, não vale a pena.

  86. Otto said

    Mas Pax, tirante idiossincrasias pessoais sobre blogs e fontes, você desviou da pergunta:

    Que acha do engavetamento do inquérito 2474, desmembrado da AP 470 e ocultado do público até agora pouco?

    Aliás, sobre o inquérito 2474 já há várias matérias, inclusive na velha mídia (embora discretamente).

    Pesquisa, analise e me diga. Mas não ignore, se o teu objetivo, que eu tenho certeza que é, é a verdade.

  87. Pax said

    Caro Otto,

    Tá difícil pacas viver com meu #LINK_PADRÃO_DILMA por aqui, quase o tempo todo sem internet, acredite.

    Adoraria pesquisar sobre o tal 2474. Caso queiras, me traga as infos. Uma pesquisa Google aqui tem me custado 3, 5 minutos de espera. Tá foda. (E Dilma reconduz o João Resende, apaniguado do Paulo Bernardo, para mais um mandato à frente da Anatel, pqp!!!, isso um mês atrás!)

    Mas acho, permita-me, que é o mesmo bordão, a mesma tecla, de querer provar que não houve os crimes da AP470. E houve, aos borbotões. Neste mesmo bordão estão é possível, pelo exercício da lógica torta, dizer que não houve crimes no mensalão tucano, que era tudo dinheiro de campanha, caixa 2 etc. Crime em altíssimo grau, só se ficarmos no caixa 2. (partido da premissa que acho que houve, sim, segundo o noticiário, a gênesis dos mensalões, dos desviões, com o esquema tucano em MG, 1998, se não foi antes).

    Pensa comigo, caro Otto, caixa 2 é dinheirama desviada, seja pública ou privada. Caixa 2 para campanhas eleitorais.

    Agora pensa comigo, qual é o pano de fundo disso? Qual o cerne dessa questão?

    Dinheiro comprando voto. Tão simples quanto isso, nada além disso, o velho e conhecido método de todos os coronéis de sempre.

    Caixa 2 de campanha, para mim, usando um termo da moda, é crime hediondo. Dá pra levar esse pensamento ao infinito. Pega as maiores fortunas do mundo e escolhe uma que queira imperar no Brasil como impera um José Sarney, um coronel bandido – segundo o noticiário – qualquer. Basta se empanturrar de dinheiro desviado, inventar um bom bordão e sair vendendo fantasia ou, muito pior que isso, como nos velhos tempos, comprar voto mesmo, na cara dura, em troca de dentadura, boné, churrasco de asa de frango, ou mesmo uma notinha de R$ 50 ou R$ 100.

    E isso é forma de se assumir poder? Isso é algo que possa ser aceito? Claro que não, isso é crime hediondo, como estou tentando mostrar.

    Este bordão que a AP 470 foi um julgamento de exceção é um bordão errado, mesmo que eu fosse petista militante, que precisasse manter o poder pelo poder, não entraria por este viés, supondo que eu quisesse continuar com meus crimes.

    É desse bordão que falo, é desse mantra que falei no post sobre Jim Jones. Para mim uma tremenda barca furada.

    Quem se abaixa, quem fez e faz as alianças que rolam, quem chafurda nos mesmos métodos dos coronéis, das oligarquias, acaba como naquele filme do Woody Allen, o Zelig, num processo de mimetismo. Acaba ficando igual. Tal e qual.

    (ah, pra não perder a viagem, não acho que sejam idiossincrasias, acho que é, na real, uma questão de credibilidade da fonte, que não tem nada com gosto ou torcida)

  88. Chesterton said

    Claro que você não vai ler, daí que eu terei que desenhar para você, Deram bolsa viciado, em espécie, e o que aconteceu…o óbvio. O preço da pedra de crack dobrou pois a lei da oferta e da procura (grana no bolso, mais procura) é irrevogável. A grana do bolsa viciado está no bolso do traficante, o que caracteriza “bolsa traficante”. O PT é invariável.

  89. Chesterton said

    Olho para a foto dos palanques mais prováveis de 2014, comparo-os com o das Diretas-Já, 30 anos atrás, e fico tentado a recordar uma frase irônica que os espanhóis inventaram nos primeiros anos de sua democracia recém-reconquistada, nos anos 70.

    Diziam: “CONTRA a ditadura vivíamos melhor”.

    Decodificando: os grupos que haviam sido contra a ditadura de Francisco Franco não sentiam saudades da ditadura, mesmo ante as inevitáveis dificuldades de viver em democracia, mas lamentavam ter perdido a unidade que haviam exibido durante o longo inverno autoritário.

    Volto aos palanques de agora e de antes. Em 2014, Dilma Rousseff ocupa um palanque, ao passo que seu padrinho Lula compartilhava o palco em 1984 com:

    1 – Tancredo Neves, cujo neto, Aécio, é agora e por enquanto o principal rival de Dilma. Aliás, o partido de Tancredo, o PMDB, rachou-se em muitos pedaços, quando, em 1984, seu líder inconteste chamava-se Ulysses Guimarães, o incansável “Sr. Diretas”.

    2 – Fernando Henrique Cardoso, o único, com Lula, ainda vivo, das grandes figuras daquela época.

    3 – Miguel Arraes, cujo neto, Eduardo Campos, para mim o Dudu de incursões pelo agreste, é agora adversário de Dilma e Lula, mais uma subdivisão do palanque das diretas.

    Sem falar em Leonel Brizola, que não deixou herdeiros para 2014, quando, em 1984, incendiava a praça com gestos largos e seu inconfundível “gauchês”.

    As Diretas-Já não foram um simples movimento de massas, o primeiro de grande porte desde que a memória alcança. Foram um porre cívico, que inundou de alegria praças públicas de todo o país. É paradoxal que, em vez de raiva pelos 21 anos de ditadura, houvesse alegria pela possibilidade de pedir aos gritos o restabelecimento da soberania popular.

    Os partidos de oposição, claro, estavam à frente, mas a festa, na verdade, era da praça, da rua. Difícil dizer se havia mais admiração do público pelos líderes que estavam no palanque ou dos líderes pela quantidade de gente que se reunia –e cantava e gritava e agitava bandeiras.

    Em um país tradicionalmente apático, foi um choque de multidões. Para mim, que vinha de festas ainda mais numerosas na Argentina pela reconquista da democracia, era um deslumbramento. Afinal, era a chance de votar pela primeira vez para presidente, apesar de já ter então 40 anos, 20 de jornalismo. Sentia-me vítima de uma castração cívica.

    Pena que o Congresso deu as costas à rua e não aprovou a emenda. Minha tese, de impossível comprovação, é que o Brasil seria um país melhor se o pleito direto tivesse sido em 1985, em vez de 1989. No mínimo ter-se-ia evitado a cruel ironia de, na primeira votação democrática, o eleito ter sido um “filhote da ditadura”, como Brizola chamava, com razão, Fernando Collor.

    CLÓVIS ROSSI
    COLUNISTA DA FOLHA

  90. Chesterton said

  91. Patriarca da Paciência said

    Caro Pax,

    as crocolândias, todas elas, apareceram e cresceram nos governos do PSDB. E qual a solução que os governos do PSDB, tanto municipal quanto estadual apresentaram? Espancamentos, prisões, perseguições etc.etc.etc. e as cracolândias cada vez crescendo mais.

    Aí o governo municipal do PT tenta uma coisa diferente. E o que faz o governo estadual do PSDB? Sabota o projeto do PT.

    Pois bem, caro Pax, pergunte ao Chesterton qual seria a solução dele. Eu já sei de antemão, “reduzir gastos, reduzir mão de obra, reduzir impostos e reduzir o tamanho do Estado”.

    E como dizia D. João VI, o verdadeiro mentor dessa turma toda, “não faça nada que tudo se fará por si mesmo”.

    Eu também acho que, sem que o drogado adquira um mínimo de auto estima, é totalmente impossível tirá-lo das drogas!

    E como esses babacas da direita querem despertar a auto estima dos drogados?

    Surrando-os, prendendo-os, perseguindo-os!

    Realmente chego a acreditar no que andam dizendo por aí, “por que será que todo cara da direita é burro”?

  92. Chesterton said

    Primeira coisa internar num centro especializado…êpa, o PT acabou com 30% das vagas de internação do SUS e prescreve a psicoterapia em casa (que casa….teriam eles….)

    O PT crê num estado grande e acaba com o estado justamente onde ele é mais necessário…a saúde. Ja sei, manda um cubano tomar conta dos viciados. Lá em Cuba viciado tem um tratamento especial…cana.

  93. Chesterton said

    despertar a auto estima dos drogados?

    chest- deixa de ser igonorante, o problema é bem mais embaixo.

  94. Chesterton said

    De Damasco a Kiev
    25/01/2014 03h40

    A expressão “atores estrangeiros” emergiu dois meses atrás, de porta-vozes do Kremlin e do governo ucraniano. As palavras “extremistas” e “terroristas” começam a ser pronunciadas agora, quando aparecem os primeiros cadáveres em Kiev. Dois manifestantes foram mortos a tiros pela polícia. O corpo de um terceiro ativista, encontrado sem vida numa floresta nos arredores da capital, exibia sinais de tortura. Um estudante de 17 anos sofreu sevícias de policiais, que o espancaram e esfaquearam, obrigando-o a despir-se e cantar o hino nacional sob o frio congelante. “Damasco”: o presidente Viktor Yanukovich e seu patrono, Vladimir Putin, inspiram-se no exemplo da Síria, onde Bashar Assad comprovou que a repressão sangrenta de um levante nacional pode permanecer impune. Contudo, para Washington e Bruxelas, o teste de Kiev vale mais, muito mais, que o de Damasco.

    No ponto de partida da revolta popular síria, Obama e os líderes europeus avisaram que não ficariam inertes diante dos massacres perpetradas pelo regime. Depois, no ano 1 da guerra civil, prometeram apoiar a corrente moderada da oposição. Quando os compromissos solenes já estavam desmoralizados, o presidente americano traçou sua célebre “linha vermelha”, assegurando que reagiria militarmente a um hipotético ataque químico. Assad cruzou, impávido, a última fronteira, demonstrando que o rei estava nu. Ao longo da trajetória, a oposição moderada dissolveu-se na irrelevância, cedendo lugar a organizações fundamentalistas e grupos jihadistas. Putin convenceu-se de que está autorizado a jogar, na Ucrânia, as mesmas cartas utilizadas na Síria. Mas Kiev não é Damasco.

    “Quero viver na Europa”. Os cartazes exibidos nas cidades ucranianas indicam tanto as fontes quanto os rumos da revolução em curso. A Ucrânia pertenceu, durante séculos, ao Império Russo, e viu frustrada sua primeira independência, que coincidiu com a Revolução Russa mas durou efêmeros quatro anos de guerras sucessivas. Uma segunda independência, propiciada pela implosão da URSS, em 1991, jamais se completou. As manifestações multitudinárias deflagradas em novembro, que retomam a frustrada Revolução Laranja, de 2004, evidenciam a natureza anacrônica da sujeição do país à Grande Rússia. Aos olhos da maioria do povo ucraniano, “Europa” ou “União Europeia” são a tradução geopolítica da exigência de soberania nacional. Eis o motivo pelo qual a aposta de Putin representa um desafio histórico para Washington e Bruxelas.

    A legitimidade da União Europeia (UE) não repousa sobre o mercado comum ou, mesmo, a liberdade de circulação dos cidadãos europeus. Desde a Segunda Guerra Mundial, “Europa” é o outro nome das liberdades políticas e da democracia. O projeto europeu surgiu para proteger as liberdades, depois da tempestade do nazismo e diante do espectro triunfante da URSS de Stalin. A UE renovou-se e provou sua vitalidade na década seguinte às revoluções de 1989, pela incorporação dos países do antigo bloco soviético. Kiev não é uma crise qualquer: na Ucrânia, a “Europa” precisa demonstrar que serve a algo maior que os interesses do “mercado”.

    O Kremlin acusou “atores estrangeiros” de “insuflarem” os protestos na Ucrânia. De fato, em dezembro, a representante diplomática da UE, Catherine Ashton, e o ministro do Exterior alemão, Guido Westerwelle, juntaram-se aos manifestantes da Praça da Independência. Eles estavam dizendo que não são “estrangeiros”, que os ucranianos são europeus, que 1989 não terminou e que Kiev não é Damasco. A presença deles equivale a uma nota promissória, que começa a ser cobrada agora. Os EUA e as potências europeias têm os instrumentos para infligir punições diplomáticas e econômicas insuportáveis à Rússia. Se não os utilizarem, permitindo que Kiev se torne Damasco, reduzirão “Europa” a um sinônimo de decadência.

    Demétrio Magnoli,

    chest- não adianta, e Europa acabou em Auschwitz.

  95. Chesterton said

    “Direitos humanos: Tenho uma sugestão ao professor Paulo Sérgio Pinheiro, ao jornalista Janio de Freitas, à ministra Maria do Rosário e a outros tantos admiráveis defensores dos direitos humanos no Brasil. Criemos o programa social “Adote um Preso”. Cada cidadão aderente levaria para casa um preso carente de direitos humanos. Os benfeitores ficariam de bem com suas consciências e ajudariam, filantropicamente, a solucionar o problema carcerário do país. Sem desconto no Imposto de Renda. “ROGÉRIO MEDEIROS GARCIA DE LIMA, desembargador (Belo Horizonte, MG)” – Folha de São Paulo, 10 de janeiro de 2014, Painel do Leitor.

    A Folha de S. Paulo publicou carta minha, onde ironizo os “baluartes” dos direitos humanos. Agora, com o morticínio de presos no Maranhão, jornalistas e intelectuais “engajados” escrevem e opinam copiosamente sobre a questão carcerária e os direitos fundamentais. São como urubus, não podem ver uma carniça.

    Quando eu era juiz da infância e juventude em Montes Claros, norte de Minas Gerais, em 1993, não havia instituição adequada para acolher menores infratores. Havia uma quadrilha de três adolescentes praticando reiterados assaltos. A polícia prendia, eu tinha de soltá-los. Depois da enésima reincidência, valendo-me de um precedente do Superior Tribunal de Justiça, determinei o recolhimento dos “pequenos” assaltantes à cadeia pública, em cela separada dos presos maiores.

    Recebi a visita de uma comitiva de defensores dos direitos humanos (por coincidência, três militantes). Exigiam que eu liberasse os menores. Neguei. Ameaçaram denunciar-me à imprensa nacional, à corregedoria de justiça e até à ONU. Eu retruquei para não irem tão longe, tinha solução. Chamei o escrivão e ordenei a lavratura de três termos de guarda: cada qual levaria um dos menores preso para casa, com toda a responsabilidade delegada pelo juiz.

    Pernas para que te quero! Mal se despediram e saíram correndo do fórum. Não me denunciaram a entidade alguma, não ficaram com os menores, não me “honraram” mais com suas visitas e … os menores ficaram presos.

    É assim que funciona a “esquerda caviar”.

    Rogério Medeiros Garcia de Lima é Desembargador.

  96. Chesterton said

  97. Otto said

    Pax, releia o que eu disse em #51.

    E vamos convir, é no mínimo suspeito o Barbosa ter engavetado este inquérito desmembrado da AP 470.

    Não seria por que ele desmentia a narrativa tão arduamente construída pela mídia/MP/Brabosa?

  98. Chesterton said

    quem sabe vocês se inspiram e largam essa vida de ódio e rancos..

    http://www.furavideos.com/menina-da-uma-moeda-para-musico-de-rua-e-recebe-uma-surpresa-maravilhosa/

  99. Chesterton said

    rancor…

  100. Patriarca da Paciência said

    Continua assistindo, Chesterton,

    Beethoven foi um notório esquerdista, apesar de que os versos são de Schiller, outro notório esquerdista também:

    “Alegria, centelha divina
    Tua magia volta a unir
    O que o rigoroso costume dividiu
    Todos se tornarão irmãos
    Onde se gentil asa se estende”

  101. Patriarca da Paciência said

    Correção:

    “Todos tornar-se-ão irmãos
    Onde sua gentil asa se estende”

    Beethoven não excluía ninguém:

  102. Patriarca da Paciência said

    Beethoven foi um ardente defensor da Revolução Francesa e rasgou a dedicatória da sua famosa sinfonia nº 3, A Heróica, quando soube que Napoleão, a quem a peça era dedicada, traiu seus princípios, tornando-se “apenas mais um imperador”.

  103. Chesterton said

    sim, hoje ele estatria sentado ao lado de Fidel e Lula…tá bom. DEixe de ser primário.
    “A vibração no ar da respiração de Deus fala a alma dos homens. Música é a linguagem de Deus. Nós músicos estamos o mais perto que os homens podem estar de Deus. Nós escutamos a sua voz. Nós lemos os lábios dele. Nós damos a luz aos filhos de Deus. Contamos suas preces. Isso é o que os músicos são.”

    Se Rossini tivesse apanhado mais na infância, ele teria sido um bom compositor
    Ludwig van Beethoven

  104. Patriarca da Paciência said

    Acontece que o Deus de Beethoven não era nenhum velho barbado, autoritário, ciumento e distribuidor de benesses conforme a sua veneta.

    Quando o compositor estava bem próximo à morte, alguém chamou um padre para que ele se confessasse. Beethoven não só não se confessou, como perguntou mal humorado: “quem chamou este idiota aqui?”

  105. Patriarca da Paciência said

    “Uma das grandes decepções de Beethoven foi o fato de Napoleão Bonaparte ter se autocoroado imperador, tomando-a das mãos do Papa Pio VII em Notre Dame. Como era um entusiasta dos ideais da Revolução Francesa, dedicou sua Sinfonia n.º 3 a Napoleão, de quem era grande admirador. Diante deste fato, sentindo-se traído e decepcionado, riscou a dedicatória da partitura. Disse ainda: “Se soubesse tanto de estratégia como de música, causaria sérios dissabores a Napoleão”.

    http://www.infoescola.com/biografias/beethoven/

  106. Patriarca da Paciência said

    “Às vezes me pergunto como Dirceu faz para manter o espírito elevado.

    Não me lembro de alguém que tenha sido tão continuamente perseguido pelos conservadores depois da ditadura.

    Lula, comparativamente, é bem tratado.

    Contei já que, no último almoço de final de ano da Abril com Roberto Civita vivo, um grupo de editores da Veja vibrava, no restaurante, com a perspectiva de prisão de Dirceu.

    Talvez eles empregassem melhor seu tempo vendo como prolongar a vida da revista na era da internet, mas não. O que importava era ver Dirceu na cadeia.

    A mídia não lhe dá trégua. Mais recentemente, na Era JB, a justiça também o caça sem misericórdia.

    Sempre há um motivo, um pretexto. É o chamado vale tudo.

    Agora, é um alegado telefonema proibido entre Dirceu e um secretário do governo da Bahia na Papuda. A Folha denunciou. Dirceu negou. O secretário negou. A direção do presídio investigou a negou.

    Mesmo assim, Dirceu está pagando pela denúncia. A presunção de inocência não existe para ele.

    Foi suspenso seu pedido de trabalho por 30 dias, porque a justiça desconfiou de todas as negativas, incluída aí a da direção da cadeia.

    A quem apelar?

    Joaquim Barbosa colocou na Vara de Execuções Penais de Brasília um juiz que faz o que ele, JB, quer.

    E sabemos todos o que JB quer, além de dar rolezinhos na Europa e comprar Prada com um chapéu de parisiense na cabeça.

    Que justiça é essa?

    Quando JB deixar a presidência do STF, tudo vai mudar, sem que os fatos mudem – o que significa que a justiça no Brasil de hoje é uma questão não de evidências, não de lógica, mas de gosto e capricho pessoais, e de uma subjetividade patética.

    No caso específico de Dirceu, alguma coisa está errada quando até um jurista conservador como Ives Gandra Martins afirma que ele foi condenado sem provas.

    Ainda assim, ele está preso, enquanto seu algoz passeia pela Europa como um Bonaparte tropical, com diárias pagas pelo contribuinte – mesmo estando em férias.

    Já disse e repito: a única coisa boa desse circo que foi o julgamento do Mensalão foi a oportunidade de vermos quanto são ruins e precários o STF e, por extensão, o sistema judiciário brasileiro.

    Era uma ruindade escondida. Agora, ela está exposta. O Supremo é um ajuntamento de juízes toscos, solenes, com dificuldade de se expressar em português decente, deslumbrados com os holofotes – e facilmente manipuláveis pela mídia.

    Sem reformar o STF e a justiça brasileira o avanço social de que o país precisa urgentemente ficará comprometido porque ali está o atraso do atraso.

    Quanto a Dirceu, deveria gritar como Lennon num de seus clássicos da época em que passou a circular com Yoko: “Do jeito que as coisas vão, os caras vão me crucificar.””

    http://www.diariodocentrodomundo.com.br/so-falta-crucificar-dirceu/

    Ainda vão acabar transformando o José Dirceu num mártir.

    Aliás, eu mesmo já estou plenamente convencido de que o José Dirceu é um mártir.

  107. Chesterton said

    Sei, Zé Dirceu é um mártir e Beethoven era marxista….

    http://www.istoe.com.br/capa

  108. Chesterton said

    http://www.istoe.com.br/revista/indice-de-materias/779_A+ANATOMIA+DA+CORRUPCAO

  109. Patriarca da Paciência said

    Ela deu 200 mil pro Lupi, 500 mil pro irmão do Beto Richa e quem sabe o que mais ela andou dando!

    POR R$ 500 MIL, IRMÃO DE RICHA FAVORECE EMPRESA

    http://www.brasil247.com/pt/247/parana247/128154/Por-R$-500-mil-irm%C3%A3o-de-Richa-favorece-empresa.htm

  110. Chesterton said

    tudo ladrão

    http://www.estadao.com.br/noticias/nacional,dilma-passa-fim-de-semana-em-lisboa-em-sigilo,1122846,0.htm

  111. Chesterton said

    Primeiro réu a ser condenado no julgamento do mensalão, o deputado João Paulo Cunha (PT-SP) não esconde o ressentimento com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que nunca se pronunciou publicamente sobre o maior escândalo de corrupção que acometeu o seu governo.

    “Sobre o Lula, você pergunta para ele”, respondeu João Paulo à Folha ao ser questionado sobre sua relação com o ex-presidente. O petista, porém, afirma que sempre contou com o apoio da militância do partido. “Eu me sinto respaldado pelo PT”.

    Aos 55 anos, João Paulo diz que não tem nenhum arrependimento e que falta “civilidade, humanidade e cortesia” ao presidente do Supremo Tribunal Federal, Joaquim Barbosa. O ministro criticou os colegas que não assinaram o mandado de prisão do deputado e deram a ele “mais um mês em liberdade”.

    Em entrevista à Folha, o petista ironizou a imagem do presidente da Corte, fotografado na semana passada em uma das mais nobres galerias de Paris, onde passa férias. “Nos últimos dias, estive na Galeria Pagé, na Rua 25 de Março, para comprar roupas brancas, porque posso precisar delas logo”, disse sorrindo.

    Confira os principais trechos da entrevista. fsp

  112. Pax said

    O mesmo Paulo Nogueira, que na maioria das vezes mais parece um dirigente petista que jornalista, como no post sobre Dirceu, outras vezes se lembra do que é jornalismo e faz boas análises.

    http://www.diariodocentrodomundo.com.br/quem-tem-medo-de-protesto/

    Só acho que erra quando fala dos protestos contra corrupção, neste trecho:

    Há também as que batem no chavão da corrupção. Estas são, em geral, desprezíveis. Não mobilizam ninguém, e os poucos participantes são exemplos clássicos dos analfabetos políticos.

    Porque acho isso (e acho que ele acerta pela metade):

    1 – uma parte da oposição criou movimentos que realmente não pegaram, tipo “CANSEI” e outros similares, se disfarçaram na rede com personagens como “ANONYMOUS” e outros vários, tentaram produzir protestos que não saíram de uma meia dúzia de enganados. Creio que o Paulo Nogueira se referia a essa turma. Se sim, ele acerta errando no texto.

    2 – outra parte dessa verdade é constatar (ao vivo e a cores, in loco, como fiz) que durante os protestos de junho, as maiores reclamações daquele povo que foi às ruas (antes dos movimentos serem adotados – ou a tentativa de – por partidos políticos aproveitando o bonde), foram, sim, contra a corrupção. Em segundo plano ficaram Educação, Saúde e outras reclamações.

    O povo está de saco cheio. O povo cansou de família Sarney (como bem coloca o Paulo Nogueira), cansou de dinheirama desviada na construção de estádios, desvios de obras em estradas etc etc. E este povo sabe, também, que esta chaga nacional é universal, está no governo Federal, nos Estaduais, nos Municipais, está no PT, no PSDB, no DEM, no PMDB, em todos os partidos. Não sobra ninguém.

    O governo federal, para a maioria dos analfabetos políticos, é o governo, mesmo que este cidadão que só tem notícias pelo Jornal Nacional ou pelo Datena, esteja reclamando dos desvios do seu município.

    O PT fica de chororô, tá com medinho das manifestações, acha que é um complô pra derrubar Dilma etc etc. Porcaria nenhuma.

    O complô para derrubar Dilma é criado dentro do próprio PT, esse que adotou a roubalheira como prática política, que protege os Sarneys da vida, que sai da Comissão de Direitos Humanos e Minorias para que os pastores assumam, que adota de paixão a pior ala dos ruralistas depois que estes ficaram descontentes com a aliança de Campos com Marina, enfim, a lista de burradas é enorme.

    E o somatório dessas burradas dá no que dá, uma grande parte de antigos apoiadores e eleitores do PT não aguenta mais ouvir essa ladainha que o PT sofre uma campanha de desmoralização, que os réus do mensalão são mártires, que quem não gosta dos rumos do PT é coxinha etc etc.

    Acontece que o PT, ao adotar os rumos, os ideais de tudo que tinha de podre na velha política, acabou adotando o mesmo modelo de garantir seus votos no analfabetismo político, na turma que não tem condições, infelizmente, de interpretar um parágrafo, quanto mais analisar o que rola na política.

    E esta turma é tão grande que vai reeleger Dilma no primeiro turno de 2014.

    Mesmo com uma convulsão que irá, sim, às ruas, reclamar desta Copa da Roubalheira.

    A não ser, e aí reside um perigo para o que Dilma definou com Joseph Blatter, um dos maiores mafiosos internacionais, junto com seu fraco ministro da Justiça, Cardozo, e o velho ranço dos ministros militares, de sentar o cacete nos protestos que acontecerão contra a Copa.

    Se baterem demais, que é o definido atá agora nos “manuais de conduta militar para a Copa”, pode ser que os ventos mudem, sim. Em junho o povo foi às ruas revoltado com as pancadarias e covardias que fizeram com os jovens do Movimento Passe Livre, a molecada de esquerda das universidades etc. E aí, quando resolveu estar do lado dessa rapaziada, se lembrou da Corrupção, da péssima Educação, da péssima Saúde etc.

  113. Chesterton said

    No concerto das nações
    26/01/2014 03h00

    A economia mundial entra em nova fase, marcada pela gradual recuperação dos países desenvolvidos, liderados pelos Estados Unidos, e a desaceleração dos países emergentes, liderados pela China.

    É uma inversão de ciclo, na medida em que a recuperação logo após a crise foi liderada pela China e demais emergentes. E a ideia de que os emergentes eram a força definitiva conduzindo a economia mundial mostrou-se prematura, embora nada impeça que a China retome maior força no futuro.

    Ao se analisar a dinâmica macroeconômica de cada país, é importante distinguir fatores globais e domésticos, que podem estar em ciclos diferentes ou semelhantes, acentuando ou mitigando a sincronização.

    O Brasil precisa estar atento a esses movimentos. No ciclo de contração europeia, por exemplo, a Alemanha tem um melhor desempenho por já ter feito o dever de casa.

    Antes da eclosão da crise em 2008, os EUA atravessaram período de crescimento elevado e inflação e juros baixos, a chamada “grande moderação”. Ela foi caracterizada por forte estabilidade da economia americana, que gerou expansão acentuada do crédito e do consumo, com aumentos graduais dos deficits fiscal e comercial.

    A maior contrapartida desse processo se deu na economia chinesa, que entrou em trajetória de grande crescimento impulsionado pelas exportações aos EUA, com baixo consumo interno, altas taxas de poupança e investimento, mão de obra abundante e barata. A China assim acumulou enorme poupança, transformada em reservas internacionais que financiaram parte do deficit americano.

    Era um equilíbrio insustentável, rompido quando a expansão do crédito atingiu seus limites nos EUA, com alta inadimplência, crise creditícia e paralisação da economia. Isso levou a um ajuste americano, que reduziu o consumo e o endividamento e aumentou a poupança no país.

    Já a China fez movimento complementar, em reação contracíclica, com expansão do crédito e da infraestrutura, que durou até o esgotamento do processo, ao se atingir os limites da expansão acelerada do crédito no país. Pequim então mudou seu modelo e passou a privilegiar o aumento do consumo interno, com redução da poupança e do investimento. A China agora cresce a taxas menores, em ciclo compatível com a nova realidade, refletida em suas importações.

    O grande ponto positivo é a volta do crescimento dos EUA, do Japão e, mais lentamente, da Europa, o que permite outro processo de ajustes dos mercados emergentes.

    No caso do Brasil, é fundamental que o ajuste se dê em termos de aumento da produtividade e dos investimentos para nos adaptarmos com sucesso ao novo ciclo econômico mundial.

    henrique meirelles
    Henrique Meirelles

  114. Chesterton said

    O diabo é que há gente burra aos montes — e outras tantas de má-fé. RA

    http://veja.abril.com.br/blog/reinaldo/geral/o-pau-volta-a-comer-em-sao-paulo-incentivo-a-baderna-vem-hoje-do-palacio-do-planalto-e-do-pt-e-digo-por-que/

  115. Chesterton said

    O incentivo à desordem no país vem hoje do Palácio do Planalto e do PT — ainda que o problema possa cair no colo do partido e do governo. Ocorre que essa gente, como o escorpião, tem uma natureza.

    Por Reinaldo Azevedo

  116. Chesterton said

    vemos daqui a calda do cometa, que, como os cabelos de uma pessoa, sempre aponta na direção do vento. Neste caso, no da radiação proveniente do Sol.

    chest- agora cometa tem calda…de chocolate?

    http://www1.folha.uol.com.br/colunas/marcelogleiser/2014/01/1402687-quando-a-ciencia-supera-a-ficcao.shtml

  117. Chesterton said

    Fernando Haddad e a “evolução da espécie”

    E o prefeito Fernando Haddad segue firme na sua determinação de transformar a Haddadolândia numa zona livre para o tráfico e o consumo de drogas. Indagado se acredita em alguma nova ação policial na área, afirmou:
    “Eu sempre acredito na evolução da espécie. O ser humano comete erros, mas novos, não os antigos”.

    Está se referindo, claro!, aos policiais. E de uma maneira bem pouco respeitosa, o que também não é novidade. Ele acredita na “evolução da espécie”? Pois é…

    Haddad segue sendo o arrogante e pretensioso de sempre. Esse que aí está é o mesmo que via virtudes no socialismo soviético, que criou os kits gays e que afirmou que Stálin era superior a Hitler porque lia os livros antes de mandar matar os autores.

    Eu não acredito é na evolução de Fernando Haddad.

    Por Reinaldo Azeved

    chest- impagável.

  118. Chesterton said

    http://blogs.estadao.com.br/jamil-chade/2014/01/26/sem-falar-de-protestos-dilma-sai-pela-portas-do-fundo-de-hotel-de-lisboa/

    chest- fugindo da imprensa…..vai bem assim…

  119. Patriarca da Paciência said

    Melô da empresário que anda dando muito:

  120. Chesterton said

    Argentina, de volta para o passado (mais uma política “tudo pelo social” quebrando um país…é sempre uma questão de tempo para um socialista ” f u d e r ” com a economia…)
    26/01/2014 02h00

    Em Buenos Aires, diz-se que o verão de 2014 está com cara de anos 1980, “ochentoso”, com apagões, preços tabelados, saques, inflação. Faltavam apenas uma desvalorização do peso e um tarifaço (alta de preços de serviços públicos).

    A desvalorização não falta mais.

    A inflação argentina foi de 28% no ano passado. Antes da desvalorização deste mês, estimava-se que seria de uns 35% neste 2014.

    Os argentinos, como de costume, querem se livrar de seus pesos, que valem cada vez menos. Para quem tem algum dinheiro, isso significa comprar bens, até carros, e dólares. Não podem aplicar a juros? A inflação é maior que a taxa de juros. Poupar quer dizer perder dinheiro. A taxa real de juros é negativa.

    Desde outubro de 2011, o governo vinha impondo cada vez mais restrições à compra e à saída de dólares. Restrições recentes, como impedir compras pela internet além de um valor ridiculamente baixo, ajudaram a detonar o pânico da semana passada. Apenas ajudaram.

    É evidente a escassez de dólares. As reservas internacionais do país caem rapidamente. Reservas são um estoque de dinheiro em moeda forte (“dólares” e equivalentes financeiros), um colchão de segurança para pagar contas no exterior caso a entrada de dólares seque (ou que as saídas sejam bem maiores do que as entradas), grosso modo.

    Governo e empresas argentinos pagam suas dívidas externas, os argentinos gastam mais em turismo e o comércio exterior rende menos desde a crise de 2008. Crescem menos os preços e as quantidades exportadas pelos argentinos, que importam mais, mas não só devido à crise. Faltam dólares.

    A Argentina não pode “pegar dinheiro lá fora”, financiar suas dívidas no mercado internacional, que não pode frequentar desde o calote da dívida, em 2001-2002.

    O país ficou caro por causa da inflação alta. Parte da produção exportável foi desorganizada por intervenções desastrosas do governo na economia.

    A inflação é alta e crescente em particular porque o governo passou a ter deficit depois de 2008, conta financiada loucamente pelo banco central. De modo simplificado, mas vá lá, para ser breve, o BC deles imprime dinheiro para bancar o governo.

    Entre os motivos da alta do gasto público estão aumentos salariais, despesas sociais e o fato de o governo bancar, subsidiar, parte dos preços de energia e transporte público. Os subsídios passaram de quase zero em 2005 para mais de 4% do PIB em 2013.

    Perda de reservas, procura excessiva de dólares, suscita medos de desvalorização da moeda e desvalorização, o que realimenta a inflação, o que cria expectativa de mais desvalorização. Etc.

    Até 2007, segurar o preço do dólar era um modo de tentar segurar a inflação. Mas isso arrebenta a competitividade argentina (dólar barato, produto argentino caro).

    Com menos dólares, de qualquer modo, a estratégia foi para o brejo. Desvalorizar é um início de mudança, mas, se vier mais inflação, de nada adianta. A Argentina terá de enfrentar alguma recessão (juro mais alto, menos gasto público, contenção de salários, alta de tarifas).

    Mesmo depois do verão quente e “ochentoso”, a coisa vai continuar quente e “ochentosa”.

    vinicius torres freire
    Vinicius Torres Freire

  121. Chesterton said

    http://josiasdesouza.blogosfera.uol.com.br/2014/01/26/apos-suplicar-em-davos-por-investimentos-dilma-posa-de-investidora-em-cuba/?fb_action_types=og.recommends&fb_source=other_multiline

  122. Otto said

    Uma constatação: o pessoal dos rolezinhos são muito mais civilizados do que os do não-vai-ter-copa.

  123. Pax said

    Obrigado pela parte que me toca, caro Otto.

  124. Chesterton said

    Fazendo rolezinho, Pax….que feio.

    E depois ainda falam do Barbosão…

    domingo, janeiro 26, 2014
    DEPOIS DE ROTEIRO GASTRONÔMICO GRÃ-FINO EM LISBOA, DILMA E COMITIVA RUMAM PARA CUBA ONDE INAUGURAM OBRA DA DITADURA CUBANA FINANCIADA COM DINHEIRO DO BNDES

    O jornal português “Expresso,” flagrou Dilma saindo de restaurante chique de Lisboa e embarcando de volta ao hotel grã-fino em que ficou hospedada em Lisboa. Pela tabela a suíte que usou Dilma custa R$ 26 mil a diária.
    Sem comentar os protestos que ocorreram no Brasil no sábado, a presidente Dilma Rousseff deixou pelas portas do fundo o hotel em que se hospedava em Lisboa e embarcou na manhã deste domingo, 26, para Havana, capital cubana. Dilma e sua comitiva passaram o sábado em Portugal, ocupando um total de 45 quartos de dois dos hotéis mais caros de Lisboa, com um custo total de 71.000 reais, segundo informou a agência Estadão Conteúdo. A presidência optou por não usar o palácio do século XVII mantido pelo governo brasileiro e que serve de embaixada em Portugal por indicar que o local não comportaria a delegação.
    No sábado, enquanto os protestos ocorriam em várias cidades, ela jantava em um restaurante com estrela pelo Michelin, a referência da boa gastronomia no mundo. A viagem estava sendo mantida em sigilo e apenas foi explicada depois que reportagem do jornal O Estado de S. Paulo revelou o momento em que Dilma entrou num hotel da capital portuguesa. A suíte em que ficou hospedada a presidente tem diária com preço de tabela equivalente a 26.000 reais.
    No sábado, às 9h35 (horário de Lisboa), o comboio que levaria a presidente do hotel ao aeroporto foi obrigado a entrar em uma garagem pública que dá acesso ao hotel. Enquanto um dos funcionários lavava carros sem saber o que ocorria, os seguranças realizavam a operação para driblar os jornalistas e impedir que a presidente tivesse contato com a imprensa que a aguardava.
    Jantar ao Tejo – Na noite de sábado, diferentemente do que havia informado o Palácio do Planalto,Dilma saiu para jantar no elegante restaurante Eleven, com vista para o rio Tejo. O Planalto havia informado que a presidente estava “dormindo”, enquanto outros assessores indicavam que “desconheciam” qualquer plano de saída da presidente.
    No entanto, uma foto publicada no jornal português ‘Expresso’ de ontem deixou a comitiva sem explicações. Na foto, Dilma está entrando no luxuoso restaurante, acompanhada pelo embaixador do Brasil em Portugal, Mario Vilalva. O ministra Helena Chagas, chefe da Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República, também aparece na foto. Pode-se ver um dos seguranças e o próprio embaixador carregando uma sacola com garrafas de vinho. O restaurante é um dos melhores de Portugal e um dos poucos no país classificado com estrela Michelin.
    Dilma esteve na Suíça desde quinta-feira, 23, e, sexta-feira, 24, foi uma das palestrantes no Fórum Econômico Mundial, em Davos. O próximo compromisso da presidente é a inauguração de um porto financiado pelo Brasil em Cuba, nesta segunda-feira, 27.
    Oficialmente, a explicação para a parada em Portugal é a de que o avião da FAB não teria autonomia para viajar entre Zurique e Havana. Mas o Planalto não explica nem porque a visita foi mantida em sigilo nem porque o abastecimento do jato não poderia ter ocorrido com a comitiva dentro do avião, algo que levaria cerca de uma hora.

    Blog do Aloisio Amorim

  125. Chesterton said

    6 Fatos que seu Professor Esquerdista não te Contou
    1. O comunismo falhou miseravelmente

    Estima-se que os regimes comunistas ao longo do século XX tenham matado pelo menos 100 milhões de pessoas em todo mundo. Alguns podem até contestar esse número, mas precisam admitir que é impossível esconder tantas mortes varrendo tudo pra debaixo do tapete. Crimes de tamanhas proporções deixam rastros visíveis demais para serem ignorados.

    Este número inclui não só as pessoas que foram mortas pela repressão típica destes regimes totalitários mas também em consequência de suas políticas econômicas desastrosas, tais como os confiscos que resultaram na fome russa de 1921 e no Holodomor ou a coletivização forçada do campo, implementada por Mao Tse Tung que resultou na Grande Fome Chinesa e por sua vez matou cerca de 20 milhões de pessoas.

    Alguns regimes foram letais ao extremo. É o caso do Khmer Vermelho no Camboja que conseguiu exterminar nada mais, nada menos que um terço da população do país.

    O pior de tudo é que o comunismo acabou desmoronando em todos estes países e seu modelo teve que ser abandonado. Todas estas pessoas morreram em vão. Em nome de um ideal fracassado. O muro de Berlim caiu. A União Soviética não existe mais e a China mergulha de cabeça no capitalismo.

    Mas não só o velho comunismo falhou. Os novos modelos de socialismo parecem fadados ao mesmo destino. O assim chamado “socialismo do século XXI” praticado na vizinha Venezuela dá claros sinais de que não poderá se sustentar por muito tempo. O país, mesmo tendo uma das maiores reservas de petróleo do mundo é assolado hoje por escassez de todo tipo de bem imaginável, de energia elétrica à papel higiênico, passando por frango, leite e outros produtos essenciais. Tem uma das taxas de inflação mais altas do mundo e uma taxa de homicídios também entre as mais altas do mundo.

    2. A teoria de Marx foi refutada

    Karl Marx construiu toda a sua teoria em cima de uma idéia errada herdada dos economistas clássicos: A teoria do Valor Trabalho. Segundo a teoria do Valor Trabalho, o valor real de uma mercadoria era definido pela quantidade de trabalho investido na sua produção.

    Com base nisso, Marx arroga ter descoberto o conceito da Mais Valia que dizia o seguinte: Se a mercadoria vale a quantidade de trabalho investida na sua produção, para que o patrão, que não trabalha diretamente, tenha lucro, ele precisa pagar aos funcionários, um valor menor do que o trabalho que eles investiram na produção da mercadoria. Dessa forma os patrões exploram o proletariado.

    Porém Marx estava errado em vários pontos, desde o diagnóstico do problema, até a sua solução. A Teoria do Valor Trabalho foi refutada pela teoria da Utilidade Marginal, desenvolvida simultaneamente por três economistas: Stanley Jevons na Inglaterra, Leon Walras na França e Carl Menger na Áustria. Os três, ao mesmo tempo, em países diferentes e praticamente sem entrar em contato um com o outro, perceberam que o que confere valor a uma mercadoria não é o trabalho, mas a sua utilidade.
    Uma mercadoria que exigiu muito trabalho pra ser produzida não terá nenhum valor se não for útil. Portanto, é a utilidade que as pessoas conferem às mercadorias que determina seu valor. Os custos de produção, entre eles o do trabalho, é que precisa se ajustar aos preços de mercado.

    Especula-se que este desmascaramento esteja por trás da atitude de Marx de adiar a publicação dos volumes seguintes da sua obra máxima: O Capital, que só foram publicados após sua morte, por Engels.

    Outros economistas posteriores como Ludwig von Mises e Friedrich A. Hayek dariam mais detalhes sobre a inviabilidade do socialismo, explicando que dessa forma, a única maneira de medir a utilidade de um produto é através do mecanismo de oferta e demanda do livre mercado.
    Se o livre mercado é suprimido, não há o mecanismo de oferta e demanda, se não há livre equilíbrio entre oferta e demanda, a economia se torna um caos. Por isso, abolir o mercado e concentrar as decisões econômicas no estado que tenta calcular o preço das mercadorias com base no trabalho é impossível e tende ao fracasso.

    3. As previsões de Marx não se cumpriram até o presente momento

    Com base na sua ideia de Mais Valia e de exploração do proletariado, Marx previu que a situação dos trabalhadores iria se deteriorar cada vez mais. Como, segundo Marx, para garantir o lucro do patrão, o valor das mercadorias é vendido sempre acima daquilo que os trabalhadores recebem para produzi-las, o custo de vida destes aumentaria cada vez mais.
    Isso iria gerar ciclos econômicos e crises frequentes, com cada nova crise sendo pior que a anterior, até que chegaria o momento em que o capitalismo entraria em total colapso, os trabalhadores se revoltariam, fariam uma revolução e implantariam o socialismo.

    Só que nada disso aconteceu. Na verdade aconteceu o exato inverso.

    O capitalismo é marcado por crises constantes sim, mas ele sai mais forte de cada uma delas.
    A Grande Depressão foi com certeza a maior de todas as crises do capitalismo, mas isso já foi há mais de 80 anos. O capitalismo jamais passou por outra crise semelhante. Desde então é inegável que a qualidade de vida e a economia prosperaram enormemente nos países capitalistas.
    Ao contrário do que Marx previra, a qualidade de vida das classes menos favorecidas aumentou e a pobreza extrema está sendo reduzida gradualmente em todo mundo.

    Para entender a velocidade desse progresso considere as Metas do Milênio apresentadas em 2000 pela ONU. O objetivo era reduzir pela metade o número de pessoas vivendo com 1 dólar por dia até 2015. Essa meta foi atingida cinco anos mais cedo.

    4. A maioria dos países mais pobres do mundo tiveram regimes de inspiração socialista por longos anos

    Você já deve ter ouvido falar que a culpa pela fome e pela miséria no mundo é do capitalismo.
    Mas o que seu professor esquerdista não te contou é que o socialismo já foi e continua sendo, uma força extremamente influente no mundo. As idéias socialistas não vão contra o Status Quo, ela é parte do Status Quo. Ela é a parte ruim dele diga-se de passagem.

    Muitos países que você imagina serem vitimas do capitalismo já tiveram regimes de inspiração socialista. Só no continente africano: Angola, Moçambique, Benin, República do Congo, Etiópia e Somália tiveram suas economias destruídas por regimes comunistas que duraram vários anos e quase todos continuaram tendo economias bastante controladas pelo estado mesmo depois disso.

    Seu professor esquerdista também deve ter falado pouco sobre regimes de inspiração socialista na Líbia e no Iêmen. Sobre o partido Baath no Iraque e na Síria. Que países que fizeram parte da União Soviética e que mantiveram um modelo parecido, mesmo com o fim do comunismo, como é o caso do Uzbequistão, tem a maioria da sua população na miséria.

    Também não deve ter falado nada sobre como políticas socialistas devastaram o Zimbábue. Nem que a Índia, país que concentra a maioria dos miseráveis do mundo, por quase 40 anos teve uma sucessão de governos populistas, paternalistas, intervencionistas e que se inspiravam na economia soviética. Durante todo este período o país esteve completamente estagnado e só começou a crescer nos anos 90, justamente depois que o governo promoveu amplas reformas liberais, que apesar de tímidas, já conseguiram reduzir drasticamente a miséria no pais.

    5. Os países mais liberais estão entre os mais desenvolvidos ou entre os que mais rápido se desenvolvem

    Outra coisa que seu professor esquerdista não deve ter te contado, é que todos os países com IDH considerado “muito alto” são, de uma forma ou de outra, capitalistas. Aposto que você não sabia que a Nova Zelândia estava completamente quebrada nos anos 80, mas que depois de uma reforma liberal radical, conseguiu se reerguer e chegar ao posto de 6º melhor IDH do mundo. Que os Estados Unidos, 3º melhor IDH do mundo, maior economia do mundo e país mais inovador do mundo em número de patentes, tem a liberdade de mercado e a propriedade privada como parte inseparável da sua história, da sua cultura, das suas instituições e da sua própria identidade nacional.

    Não deve saber que a carga tributária da Austrália (2º melhor país pra se viver do mundo) é de apenas 33,2% do PIB, que o Canadá foi considerado o 2º melhor país para se fazer negócios pelo Fórum Econômico Mundial, nem que Hong Kong e Singapura (13º e 18º melhores IDHs respectivamente) eram países miseráveis até bem pouco tempo atrás. Conseguiram chegar ao posto em que estão hoje em menos de 30 anos e são justamente, os dois países mais liberais do mundo.

    Nem todo país liberal é desenvolvido, mas com certeza todos eles estão no caminho. Um exemplo é o Panamá, o país da América Central que teve o 8º maior crescimento do PIB em 2012 e que está entre os que mais reduziram a pobreza nos últimos anos, ou o Peru, que apesar de ainda ser bastante pobre, também vem conseguindo reduzir drasticamente a pobreza e teve o maior crescimento do PIB da América do Sul em 2012.

    6. Distribuição de Renda pode não servir pra nada

    Os socialistas dão a entender, através de seu discurso, que a desigualdade é o grande mal do mundo. Para descreditar as políticas liberais, apontam para um “aumento da desigualdade” como se isso fosse sempre um mal e como se igualdade fosse sempre um bem.

    São incapazes de perceber que desigualdade não significa pobreza e que igualdade não significa riqueza. Um povo pode ter igualdade, mas serem todos iguais na pobreza. Da mesma forma, outro povo pode, apesar da desigualdade, garantir um nível de vida satisfatório para os mais pobres.

    A prova disso é que a desigualdade medida pelo Coeficiente GINI, revela algumas coisas bem interessantes:

    – A Etiópia é um dos países mais igualitários do mundo. É inclusive mais igualitária que a média dos países da União Européia. Outro que também está entre os mais igualitários é o Paquistão.
    Mas onde é que existe mais pobreza? No Paquistão e na Etiópia ou na União Européia?

    – O Timor Leste é mais igualitário que Espanha, Canadá e França

    – O Bangladesh, outro país que concentra massas de miseráveis é mais igualitário que Irlanda e Nova Zelândia.

    – A Índia é mais igualitária que o Japão.

    – O Malawi é mais igualitário que o Reino Unido.

    E a lista segue adiante. Os exemplos são inúmeros mas todos eles levam a uma conclusão inequívoca: Igualdade não serve pra porcaria nenhuma.

    Fontes:

    Ranking de Países por IDH (qualidade de vida)
    http://pt.wikipedia.org/wiki/Anexo:Lista_de_pa%C3%ADses_por_%C3%8Dndice_de_Desenvolvimento_Humano

    Ranking de Países por Distribuição de Renda (Índice GINI)
    https://www.cia.gov/library/publications/the-world-factbook/rankorder/2172rank.html

    Ranking de Países por Índice de Homicídios
    http://pt.wikipedia.org/wiki/Anexo:Lista_de_pa%C3%ADses_por_taxa_de_homic%C3%ADdio_intencional

    Países onde é mais fácil fazer negócios:
    http://economia.terra.com.br/noticias/noticia.aspx?idNoticia=200902031523_RED_77804209

    Ranking de Países por tamanho da Carga Tributária
    https://www.cia.gov/library/publications/the-world-factbook/rankorder/2221rank.html

    Ranking de Países por crescimento do PIB em 2012
    https://www.cia.gov/library/publications/the-world-factbook/rankorder/2003rank.html

    Sobre os governos socialistas na Índia e sua posterior reforma liberal:
    http://pt.wikipedia.org/wiki/Economia_da_%C3%8Dndia

    Sobre as reformas liberais na Nova Zelândia:
    http://www.mises.org.br/Article.aspx?id=692

    Países que já foram socialistas:
    Angola – http://pt.wikipedia.org/wiki/Rep%C3%BAblica_Popular_de_Angola
    Benim – http://pt.wikipedia.org/wiki/Rep%C3%BAblica_Popular_do_Benim
    Congo – http://pt.wikipedia.org/wiki/Rep%C3%BAblica_Popular_do_Congo
    Etiópia – http://pt.wikipedia.org/wiki/Rep%C3%BAblica_Democr%C3%A1tica_Popular_da_Eti%C3%B3pia
    Moçambique – http://pt.wikipedia.org/wiki/Rep%C3%BAblica_Popular_de_Mo%C3%A7ambique
    Somália – http://pt.wikipedia.org/wiki/Rep%C3%BAblica_Democr%C3%A1tica_da_Som%C3%A1lia
    Iêmen – http://pt.wikipedia.org/wiki/I%C3%A9men_do_Sul

    Sobre o partido socialista Baath que governou Iraque e Síria
    http://pt.wikipedia.org/wiki/Partido_Baath

    Sobre os 100 milhões de mortos deixados pelo comunismo
    http://pt.wikipedia.org/wiki/O_Livro_Negro_do_Comunismo

    Sobre o regime socialista que exterminou um terço da população do Camboja
    http://pt.wikipedia.org/wiki/Khmer_vermelho

    Sobre a teoria da Utilidade Marginal que refutou as teorias de Marx
    http://pt.wikipedia.org/wiki/Revolu%C3%A7%C3%A3o_marginalista

    Gráficos mostrando a redução da miséria absoluta em todo o Mundo e quais países foram mais eficientes nisso:
    http://povertydata.worldbank.org/poverty/home

    http://www.porcocapitalista.com.br/2014/01/6-fatos-que-seu-professor-esquerdista.html#more

  126. Pax said

    Chesterton, teimoso Chesterton,

    1 – Este comentário acima, #125, estava bloqueado, mais de 5 links.

    2 – Este texto não é teu, então diga a fonte, ora bolas.

  127. Pax said

    E respondendo ao teu lamúrio, caro Chesterton, em #124, sobre o que falei ao caro Otto,

    1 – vou fazer rolezinho

    2 – vou participar de passeatas não-vai-ter-copa

    Assim que começarem a bater nos garotos, vou, sim.

    Espero fazer boas fotos e divulgar, ad nauseam. Estamos em 2014 e não em 1968!

  128. Pax said

    Saca só…

  129. Pax said

    O cara pega cinquentão na boca do caixa, manda a esposa buscar a bufunfa, e agora quer ficar na pauta.

    Bem, o arbítrio é de cada um….

    http://josiasdesouza.blogosfera.uol.com.br/2014/01/27/parte-do-pt-defende-a-renuncia-de-joao-paulo/

  130. Pax said

    Grande, enorme Idelber Avelar…

    Idelber Avelar Guarani Kaiowá
    há 11 minutos
    Rolou o seguinte diálogo faz uns dias, com um conhecido:

    — “Idelber, não sou a favor de discriminar os gays, mas” [como vocês sabem, quando começa assim, dá merda] “‘matrimônio gay’ é um contrassenso, porque ‘matrimônio’ vem de ‘mater’, que significa ‘mãe’. Dois homens gays não podem contrair um MATRImônio”, pontificou meu interlocutor.

    Minha resposta:

    — OK, tudo bem. Mas, para ser coerente, faça-me o favor de, no próximo dia primeiro, passar pelo banco e receber, não dinheiro, mas SAL, porque é daí que vem a palavra “salário”. Diga a seu irmão que feche a loja no próximo sábado porque “xabbát” significa “dia de repouso”. Como sei que gosta de fazer ginástica, na próxima deixe a roupa em casa, porque “gymnos” significa “pelado”. Enquanto isso, não se esqueça também de escravizar os seus filhos, porque “família” vem “famulus”, ou seja, “servo”.

    Ticontá uma coisa, viu. A homofobia chega ao ponto de os caras quererem transformar a etimologia em ciência legislativo-normativa. Só rindo mesmo..

    O cara não vive de coisas rasteiras… ele é bom, mesmo.

    Tenho o privilégio de conhecê-lo, te já ter tomado um balaio de chopes com ele e, assim que possível, voltarei a tomar outro.

  131. Otto said

    Um blac block quase foi linchado ontem. A população já encheu o saco esse coxinhas teleguiados:

    http://estadao.br.msn.com/video/default2.aspx?videoid=0103aba2-dac7-13f3-2237-a06dc59f081b

  132. Pax said

    Mas esse porta-voz / cão de guarde do Lula é mesmo um … bem, deixa pra lá.

    http://www.estadao.com.br/noticias/nacional,governo-considerou-ingratidao-as-manifestacoes-de-junho-diz-carvalho,1122573,0.htm

    Aqui o trecho onde o cidadão mostra as tripas do pensamento do atual PT.

    “Houve quase que um sentimento de ingratidão, de dizer ‘fizemos tanto por essa gente e agora eles se levantam contra nós'”, recordou. O ministro destacou, no entanto, que o governo fez o esforço de compreender a realidade, de dialogar com a nova cultura que surgia, e respondeu com programas de melhorias da mobilidade urbana.”.

    Quer dizer que, o governo fez um mínimo que devia fazer, reduziu algumas poucas desigualdades (e parou por aí, achou melhor fazer o jogo do coronelato, das oligarquias, chafurdar na lama comum…) e, então, por isso, ninguém mais pode reclamar de nada?

    É muita cara de pau.

    E ele fala pelo chefe, sim.

    É, caro Otto, melhor linchar, melhor prender, melhor censurar, melhor sentar o cacete, melhor se juntar com Alckmin, com Sérgio Cabral, com Roseana Sarney e definir como, quando e onde sentar o cacete no povo que reclama.

    “que porra é essa de povo reclamando às ruas!!!!” é o pensamento dessa turma.

    Canhão sempre foi, afinal, o último argumento de todos os reis, todos canalhas. Mesmo que, para isso, se associem à mídia, ao tal PIG que hora criticam, hora se aliam, para que passem a imagem que todos são vândalos e baderneiros, que queimam famílias em fuscas etc.

    Vou te contar, cada um tem a ignorância e a sabedoria que quer…

  133. Patriarca da Paciência said

    Ricardo Melo

    Meio na surdina, como convém a processos do alto tucanato, a Justiça livrou mais um envolvido no chamado mensalão mineiro. O ex-ministro e ex-vice-governador Walfrido dos Mares Guia safou-se da acusação de peculato e formação de quadrilha, graças ao artifício de prescrição de crimes quando o réu completa 70 anos. Já se dá como praticamente certa a absolvição, em breve, de outro réu no escândalo. Trata-se de Cláudio Mourão, ex-tesoureiro da campanha do PSDB ao governo mineiro em 1998. Ao fazer 70 anos em abril, Mourão terá direito ao mesmo benefício invocado por Mares Guia.

    Vários pesos, várias medidas. Enquanto o chamado mensalão petista foi julgado com celeridade (considerado o padrão nacional) e na mesma, e única, instância suprema, o processo dos tucanos recebe tratamento bastante diferente. Doze anos (isso mesmo, doze!) separam a ocorrência do desvio de dinheiro para o caixa da campanha de Eduardo Azeredo (1998) da aceitação da denúncia (2010). Com o processo desmembrado em várias instâncias, os réus vêm sendo bafejados pelo turbilhão de recursos judiciais.

    Daí para novas prescrições de penas ou protelações intermináveis, é questão de tempo. Isso sem falar de situações curiosas. O publicitário Marcos Valério, considerado o operador da maracutaia em Minas, já foi condenado pelo mensalão petista. Permanece, contudo, apenas como réu no processo de Azeredo, embora os fatos que embasaram as denúncias contra o PSDB mineiro tenham acontecido muito antes.

    Se na Justiça mineira o processo caminha a passo de cágado, no Supremo a situação não é muito animadora. A ação contra Azeredo chegou ao STF em 2003. Está parada até agora. Diz-se que o novo relator, o ministro Barroso, pretende acelerar os trabalhos para que o plenário examine o assunto ainda este ano. Algo a conferir.

    Certo mesmo é o contraste gritante no tratamento destinado a casos similares. Em todos os sentidos. Tome-se o barulho em torno de um suposto telefonema do ex-ministro José Dirceu de dentro da cadeia. Poucos condenam o abuso de manter encarcerado um preso com direito a regime semiaberto. Isso parece não interessar. Importa sim reabrir uma investigação sobre uso de celular, que aliás já havia sido arquivada. Resultado: com a nova decisão, por pelo menos mais um mês Dirceu perde o direito de trabalhar fora da Papuda.

    Por mais que se queira, é muito difícil falar de imparcialidade diante de tais fatos, que não são os únicos. As denúncias relativas à roubalheira envolvendo trens, metrô e correlatos, perpetrada em sucessivos governos do PSDB, continuam a salvo de uma investigação séria. Isso apesar da farta documentação colocada à disposição do público nas últimas semanas. Vê-se apenas o jogo de empurra e muita, muita encenação. Alguém sabe, por exemplo, que fim levou a comissão criada pelo governo de São Paulo para supostamente investigar os crimes? Silêncio ensurdecedor. Mesmo assim, cabe manter alguma esperança na Justiça –desde que seja a da Suíça.

  134. Elias said

    “A economia mundial entra em nova fase, marcada pela gradual recuperação dos países desenvolvidos, liderados pelos Estados Unidos, e a desaceleração dos países emergentes, liderados pela China.” (Henrique Meirelles, citado pelo Chester)

    PUTZ!

    A China — segunda maior economia do planeta — conseguiu emplacar um crescimento de quase 8% do PIB, enquanto que as demais economias (a única maior que ela e todas as demais), não chegaram a 1%.

    E o doidim continua dizendo que a China vai dar pra trás…

    Se a China — que não parou de crescer, mesmo no auge da crise econômica — tá com futuro comprometido, imagine-se o pessoal que quase se esfrangalhou durante a crise.

    E “recuperação dos países desenvolvidos, liderados pelos Estados Unidos”?

    Acumassim, cara-pálida?

    Tutádoidovarridomesmo????

    Os EUA têm a maior, infinitamente maior, dívida pública do planeta e da história da humanidade.

    E a “recuperação econômica” dos EUA está sendo feita à custa de: (a) dinheiro público; (b) despesa pública; (c) despesa pública; (d) mais despesa pública; e (e) outro tantão de despesa pública (o que levou o Partido Republicano a bloquear por completo a votação do orçamento gringolês).

    Mas Meirelles não é do time que diz que mais Estado só piora as coisas?

    Cuméquiéqui ele diz agora que a economia americana vai “liderar” a “recuperação dos países desenvolvidos”, exatamente quando ela, a mais mastodôntica economia do planeta aumenta, a cada dia, a mais mastodôntica despesa pública que o planeta já conheceu?

    Ora, nenéns…

    Ninguém necessita ser PHd em economia pra saber que a economia mundial vai começar a se recuperar agora, em 2014, puxada pelo crescimento dos dois gigantes econômicos: China e EUA, ambos turbinados pela intervenção do Estado no domínio econômico.

    É isso e pronto!

    Quando se trata de economia mundial, tamanho é documento.

    Não tem sentido essa história de “países ricos”. Isso é papo de vigarista pra enganar trouxa…

    Tirando os EUA e o Japão (e um tantinho assim a Alemanha, vá lá…), os “países ricos” são titica na economia planetária.

    A economia sueca pode dobrar de tamanho; a dinamarquesa pode triplicar… Que a economia mundial não sentirá nem coceira…

    Já quando a economia chinesa emplaca mais 4% ou 5% no seu PIB, o planeta balança.

    Porra, Chester!

    Vai procurar textos de gente que pelo menos dê mais trabalho pro meu único e solitário neurônio contestar.

  135. Otto said

    Ô Pax, não põe palavras na minha boca.

    Não defendi linchamento de ninguém.

    Mas qual dos caras de jogar lata de cerveja no público que estava no show?

    Isto é protesto? Ou ressentimento fascista diante da (modesta ainda) ascensão do povo da perifa?

  136. Pax said

    Vamos lá, na minha cruzada #LINK_PADRÃO_DILMA.

    O João Rezende é economista formado em Londrina. Provável que seja paranaense, mesmo estado do Paulo Bernardo. Ocupou a chefia de gabinete do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão. E quem era Ministro do Planejamento? Ora bolas, o Paulo Bernardo.

    Em outras palavras, “formam quadrilha”, tudo indica, faz um bom tempo.

    E aí amigos petistas, simpatizantes, militantes ou não, digam-me: o que justifica Dilma ter reconduzido, agora em dezembro, este incompetente (só isso?) para mais um mandato à frente da #ANATEL?

    Não tem cheiro de falcatrua$?

    Os telefones aqui da minha região estão mudos desde sexta feira. Isso mesmo. Já são 72 horas, todos mudos. Zona rural, umas 2.000 famílias.

    E vocês acham que a ANATEL vai dar alguma multa pra operadora envolvida?

    Ora bola$, aposto que não, sabe como é, um agradinho aqui, um jantarzinho ali, um qualquer para reforçar o caixa da campanha da Gleisi – coisa que não posso afirmar, claro que não. ——–>>>>> Mas tenho todo o direito de desconfiar. Absoluto direito de desconfiar.

    Meu protocolo na ANATEL é de 12 de agosto de 2013. Pois bem, fuça aqui, fuça ali, claro que arrumei um conhecido na empresa operadora da região. E pedi, sim, para levantar que diabos é o que rola.

    Sabe o que descobri? Que um aparelho pifou em 8 de agosto de 2013 e a engenharia cagou e andou para que fosse consertado. Ou alguém disse para a engenharia que: foda-se, essa região não traz muito lucro e temos a ANATEL de joelhos… dá nada não. Deixa queimado mesmo.

    —–

    E quero que se ferrem os que se revoltam com minha revolta.

    Duas mil famílias. Se der um ataque cardíaco, se der um AVC, se entrar ladrão na casa, ora bolas, problema do cliente, não tem a quem recorrer mesmo, que se fodam. Nada de chamar SAMU, nada de 190, deixa quieto que depois a gente pega um trocado com a operadora e alivia a multa.

    João Rezende foi indicado por Lula, reconduzido por Dilma, graças aos esforços do Paulo Bernardo.

    Então tá…

  137. Pax said

    agora meus amigos simpatizantes do PT e os amigos antipatizantes do PT vão torcer o nariz.

    o vídeo é antigo, a entrevista é antiga, o economista, cientista social, incomoda…

    “um país que quer construir estádios, trem bala, e não quer fazer saneamento básico, condena toda uma geração ….” (algo por aí).

    Pois é.

    http://www.socialfly.com.br/videos/11-este-homem-resolve-deixar-a-baboseira-de-lado-e-resume-o-maior-do-problema-do-brasil-em-2-minutos

    os simpatizantes do PT vão dizer que “nunca na história deste país” Lula e Dilma fizeram tanto esgoto (resta saber se não foi aquele para onde vão as verbas públicas).

    os antipatizantes do PT vão dizer que filósofo é Lobão, Olavão, titio, Mainardi, Arnaldo Jabor etc

    enfim… paciência, vou morrer vendo este país “na merda” em todas acepções que a expressão permite.

    (tá viral entre amigos do Facebook)

    E aí a gente pode, pra provocar mesmo, criar uma nova hashtag: #ESGOTO_PADRÃO_DILMA, pra se juntar ao #LINK_PADRÃO_DILMA

    claro que os mais empedernidos da situação vão logo reclamar: mas esgoto é obra do município. Pois, sim. Nem minha bistataravó, aquela safada, cairia nesta esparrela, sabendo das procissões de prefeitos com pires às mãos em direção ao planalto central, sem ver um milímetro de vontade política para fazer qualquer reforma.

    mas, pra quem tem um Paulo Bernardo como ministro das Comunicações, quer esperar o quê mesmo?

    lambam os beiços, dizem eles, como Gilberto Carvalho disse, e parem de reclamar, seus coxinhas!

  138. Pax said

    e pra não mal dizerem por aí, que não falei em “flores”, Geraldo Alckmin nunca me surpreende…

    http://blogs.estadao.com.br/herton-escobar/institutos-de-pesquisa-sp

    detonou os institutos de pesquisas agropecuárias (IAC), Butantã e Instituto Biológico…

    prefere se juntar com os coxinhas e sentar o cacete em qualquer manifestação que aparecer pela frente, com Dilma, claro, agradecidíssima e o Ministro Cardozo apoiando total.

    enfim, vida que segue.

  139. Chesterton said

    Elias, melhor teu único neurônio descansar.
    Viu que os juros podem subir ainda mais? Esse sucesso da Dilma sobe junto, né?

  140. Chesterton said

    O texto é do Blog Porcocapitalista, muito bom.

    ——————————————

    Uma “aliança”, ainda que não combinada, entre índios, trabalhadores sem terra, movimentos de sem-teto e facções no controle de presídios às vésperas da Copa do Mundo tem mantido o governo sob permanente tensão e obrigado ministros a uma intensa troca de informações de bastidores sobre esses “termômetros” sociais. Os rolezinhos em shoppings e a volta do vandalismo “black bloc” nas ruas anteciparam alguns movimentos esperados para abril ou maio, época em que o Brasil estará na vitrine internacional por causa da Copa. A presença de TVs e publicações do mundo todo, avalia-se no governo, deve estimular manifestações dos mais variados matizes.

    Há um gabinete de crise informal e permanente no governo, revelou um ministro ao Estado. “A ordem é não fazer marola. A agenda está carregada e a presidente já determinou cautela”, diz. Mas boa parte dos temas é “contencioso” de muitos anos, cuja resolução não será imediata. Rebeliões em penitenciárias ou ataques coordenados nas ruas teriam efeito “devastador”à imagem do País.

    Os Ministérios da Justiça, da Defesa, do Esporte, a Secretaria-Geral da Presidência, Gabinete de Segurança Institucional e Advocacia-Geral da União (AGU) estão na linha de frente. Diariamente, a presidente Dilma Rousseff aciona auxiliares e recebe informes reservados sobre as movimentações. Em ano eleitoral, está mais aguçado o olhar do Palácio do Planalto para o cenário social. O impacto das manifestações de junho de 2013 marcaram Dilma e estão “muito vivos” no governo, diz o auxiliar.

    O futuro ministro da Casa Civil, Aloizio Mercadante, deve entrar na coordenação de algumas ações. O Estado revelou, na quarta-feira, o temor do PT com uma onda de manifestações em ano eleitoral. Uma delas é distensionar a “questão indígena”. O nó está em uma proposta de portaria do Ministério da Justiça, que torna mais rigoroso e burocrático o processo de demarcação de terras indígenas.

    Em sua agenda básica para 2014, o governo tenta também evitar o desgaste potencial de sua oposição à correção das contas poupança derivada de perdas dos planos econômicos desde a década de 1980. É um tema de forte apelo popular. No Congresso, o governo busca atenuar “mais desgastes do que o necessário”, diz o ministro, com a reforma ministerial, que deve gerar ressentimentos e cobranças. (Estadão)

    esse é do Bolg Coturno Noturno

  141. Otto said

    Pax, responsável pelo saneamento básico são os municípios.

    Desinformação gera ignorância.

  142. Pax said

    Caro Otto,

    Mas você está incomodado mesmo com meus incômodos, não?

    Ou você leu rápido demais e não prestou atenção no que escrevi, ou você quer brigar comigo mesmo. E isso não é ruim, de forma alguma. Adoro boas discussões. Então vamos lá.

    O que escrevi sobre municípios e federação, orçamento, enfim:

    claro que os mais empedernidos da situação vão logo reclamar: mas esgoto é obra do município. Pois, sim. Nem minha bistataravó, aquela safada, cairia nesta esparrela, sabendo das procissões de prefeitos com pires às mãos em direção ao planalto central, sem ver um milímetro de vontade política para fazer qualquer reforma.

    Tanto você quanto eu sabemos que os municípios (ensinamentos do Elias que a gente deve ouvir…, pô, o cara já atuou em prefeituras, merece nosso respeito e tem, sim, de mim tem um montão, a gente briga mas é só disfarce, pra dar calor, de vez em quando, de 6 em 6 meses trocamos uns emails carinhosos, nos prometemos umas cerpinhas qualquer dia etc – aliás, com o rabugento do Chesterton idem, já falamos de tomar umas no Rio e nunca rolou, trocamos emails também de 6 em 6 meses etc) são os responsáveis pela Educação (escolas municipais), Saúde Básica (postos de saúde, hospitais municipais, agentes de saúde etc), Saneamento (esgotos, coleta de lixo etc), Pavimentação etc etc. E é bastante claro que o modelo tributário dá ao município poucos recursos para isso (IPTU, ISS etc – aqui o Elias poderia nos ajudar ainda mais).

    E, então, donde, conclui-se, claro que precisamos de uma reforma tributária, que precisa de uma reforma política. Hoje está tudo – ou quase tudo – centralizado na União, uma parte para os Estados e uma parte ainda menor para os Municípios.

    E quem quer mexer nesse vespeiro? Quem mesmo quer fazer alguma coisa pra mudar os rumos? Quem fez reforma política mesmo tendo 2/3 do Congresso na mão? Depois de 12 anos no poder? Quem? Quem? Quem? Uma dica: nunca antes na história deste país…..

    Agora pegando a esparrela armada…

    Quer dizer, então, que os postos de Saúde são municipais? São, sim.

    E o que é mesmo que o governo está fazendo com o projeto Mais Médicos? (de novo, gosto da ideia, apoio o projeto!!!!)

    Então, caro Otto, ante de atirar as pedras, pense que talvez eu pense um pouco antes de sentar o sarrafo por aqui. Sento porque sinto, sento o sarrado em qualquer governo.

    Aliás, elogiar governos (como esse lance de eu gostar do Mais Médicos, gostar dos Corredores de Ônibus em SP, gostar do projeto do Haddad para os viciados em crack), no meu entender, deve ser uma atividade exercida como tomar álcool, beber cerveja, tomar um uisquinho…. com moderação.

    Caso contrário, me permito, vira coisa de coxinha que chama os outros de coxinha. Sem que, com essa última frase, eu queira ofender. É mais do que vejo em Facebook e outras redes.

  143. Pax said

    off topic, pra deixar o Chesterton nervosinho…

    Mas estes ruralistas são mesmo de uma “inteligência rara”. Contaminaram tanto os rios que agora bebem agrotóxicos em suas mansões!!!!

    http://www.prms.mpf.mp.br/servicos/sala-de-imprensa/noticias/2014/01/mpf-ms-investiga-contaminacao-em-rio-que-abastece-dourados

    São os ruralistas “inteligentes” do Aldo Rebelo que antes eram da UDN e, hoje em dia, amigos de infância de Lula e Dilma.

    Neste ponto eu tiro meu chapéu para Lula e Dilma, conseguiram o consenso nacional: todos vão poluir tudo, em nome da Monsanto, claro.

    Dá-lhe Kátia Abreu, toda pimpona agora no PMDB, disfarçando sua origem ferrenha no DEM, só pra ficar lambendo debaixo das saias de Dilma, que parece adorar o encontro.

    Aliás, não entendo como a ídola do Chesterton já cambou para a “nova direita” brasileira e o Chesterton ainda reclama de Dilma. Confesso não entender.

  144. Patriarca da Paciência said

    “Barbosa diz que condenados devem ficar no ostracismo
    Segundo o presidente do Supremo, ele não tem que responder as acusações feitas pelo deputado João Paulo Cunha. No fim de semana, o parlamentar criticou o ministro do STF por “falta de civilidade”

    http://www.em.com.br/app/noticia/politica/2014/01/27/interna_politica,492177/barbosa-diz-que-condenados-devem-ficar-no-ostracismo.shtml

    Eu continuo achando que o Barbosão não é mesmo certo das idéias!

    Agora ele quer condenar o José Genoino, José Dirceu e João Paulo ao ostracismo?

    Mas o homem é mesmo pra lá de arrogante!

    Quer determinar o que os brasileiros pensem ou deixem de pensar!

    Totalitarismo para o Barbosão é fichinha!

    Mas, sinceramente eu estou perdendo a confiança nos nosso parlamentares!

    Eles nada vão fazer em relação à compra irregular do apartamento? Do recebimento de diárias, mesmo estando de férias? Dos tratamentos claramente diferenciados? Do desconhecimento do regulamento interno do STF? Dos destemperos e falta de civilidade em relação aos colegas, a jornalistas e público em geral ?

    Realmente, para mim, tudo isso é um grande mistério !

  145. Pax said

    Caro Patriarca,

    desculpa insinuar, mas quem tem a maioria no Congresso? qual base?

    e com essa maioria, não dá pra fazer reforma?

    claro que dá.

    e não dá para, caso a maioria queira, inquerir quem quer que seja, até mesmo o presidente do STF?

    pelo que me consta, dá sim, também.

    Então, se isso tudo for mesmo verdade, se essa lógica faz sentido, melhor perguntar ao presidente do PT, ou ao chefe.

    (hoje tô com a macaca… )

  146. Patriarca da Paciência said

    Caro Pax,

    o maior partido ainda continua sendo o PMDB. E esse conto infantil de “compra de parlamentares”, sendo que até hoje não apareceu sequer um parlamentar “comprado”, muito menos a lista completa com nomes, endereços, RGs, CPFs, quantias recebidas e documento da efetivação do pagamento, de todos os parlamentares comprados!

    E, como todos sabem, o PMDB não é fiel a ninguém!

    É muito interessante também o caso do deputado Juruna, um indígena totalmente inexperiente em coisas mundanas, (falecido) que segundo consta, recebeu uma certa quantia para votar de tal modo e , ficou com o dinheiro, votou como bem queria e ainda denunciou o Paulo Maluf.

    E agora também está provado que o Pizolato sequer aparece nos inquéritos policiais, sendo “apenas um dos diretores” e sequer era responsável por pagamentos!

    E também está quase provado que o tal dinheiro (Caixa 2) não era público!

    Bom, acho que muito água ainda vai rolar por baixo dessa ponte!

  147. Otto said

    Pax, confesso, li apressadamente o teu post…. ;-)

    A culpa é mesmo dos municípios, que não apresentam projetos…

    Agora, não meta a Dilma nisso, fando em esgoto padrão Dilma.

    O PT é só uma fração do poder.

  148. Otto said

    Pax, e a justiça padrão Barbosa?

    D’O Cafezinho:

    Eu tenho que registrar isso. Mais um capítulo na incrível sucessão de arbitrariedades do Judiciário, que passa por um lamentável surto conservador e vem tomando decisões tristemente baseadas na grande mídia.

    O curioso é que as arbitrariedades contra os réus do mensalão, em especial aqueles do PT, ultrapassam qualquer medida do bom senso. Não se preocupam sequer em manter um mínimo de coerência lógica.

    Desta vez, um juiz do Distrito Federal quer impedir Dirceu de trabalhar com base numa notícia de jornal que já foi reputada falsa por todas as autoridades que a investigaram. Pior, está embasando a sua decisão num relatório oficial cuja conclusão foi de que a notícia é falsa.

    O mensalão se tornou uma pintura de Hieronymus Bosch.

    – See more at: http://www.ocafezinho.com/2014/01/27/mais-uma-incrivel-arbitrariedade-contra-ze-dirceu/#sthash.NceRZosA.dpuf

  149. Otto said

    Depois tem maluco que quer o Aébrio neves na presidência:

    Do Tijolaço:

    Parece incrível, mas boa parte do debate político do dia de hoje foi sobre a escala do avião presidencial brasileiro em Lisboa, vindo de Zurich, a caminho de Cuba.
    A mídia ficou repercutindo mais uma idiotice do PSDB, que lança um protesto e uma nota oficial até quando Dilma Rousseff espirra, com a Folha dando início a uma história sem pé nem cabeça sobre um suposto “capricho” presidencial de fazer uma escala em Lisboa – de apenas 15 horas, incluída aí a madrugada -para jantar num restaurante.
    Pura idiotice de figuras como Álvaro Dias, o pateta da República.
    É só olhar os manuais técnicos e ver que o avião tem, sim, capacidade para fazer o vôo direto entre Zurich e Havana, mas operando perto do limite (mais de 80%) de seu alcance.
    Isso é o suficiente para alternar aeroporto na região, de acordo com as normas de vôo internacionais, em caso de mau tempo sobre o destino.
    Em condições normais.
    Mas não em condições excepcionais.
    É por isso que nenhum companhia aérea opera vôos transatlânticos como A-319 da Airbus, o aparelho presidencial. Mesmo com a versão CJ, que tem um pouco mais de combustível.
    E o tempo sábado estava como “céu de brigadeiro”?
    Bom os interessados podem repetir, clicando aqui, a busca que fiz sobre o tempo no Atlântico Norte, área que deveria ser cruzada pelo avião presidencial.
    Alíás, fiz a busca usando o título de um artigo que encontrei, que discutia a possibilidade de uma tempestade “histórica” naquele trecho do oceano, na altura das Ilhas Britânicas, pouco acima da rota natural do avião.
    Passamos, então, à abobrinha do jantar presidencial.
    O chanceler Luiz Alberto Figueredo disse que cada um pagou sua despesa e Dilma também.
    E se não tivessem pago, não haveria nada de mais.
    Não passa pela cabeça de ninguém que, se a Presidenta estiver “dura”, ela que peça para fazerem uma “vaquinha” para pagar um Big Mac para acalmar a fome.
    De qualquer forma deve ter custado menos que as passagens que o Senado pagou para o Senador Aécio Neves passar o Carnaval de 2012 no Rio ( vindo 15/02 no Webjet 6795 BSB/SDU e voltando, bem esticado, na terça da semana seguinte aos folguedos, dia 28, no Gol 1582).
    Será que não há um repórter para apurar esses fatos, que estão aí, a uma busca no Google ou jornalismo é só ficar no “ele disse, o outro falou”?

    http://tijolaco.com.br/blog/?p=13121

  150. Chesterton said

    A turba comunista, a escória da sociedade, já começou a revolução. Ainda não estão comendo criancinhas, mas já as estão assando dentro de fuscas….

  151. Chesterton said

    O reacionario povo brasileiro linchando um terrorista comunista em praça pública.

  152. Chesterton said

    Esse governo de merda ainda vai acabar responsavel por uma guerra civil….

  153. Pax said

    Como não meter a Dilma no meio, caro Otto?

    Não foi Dilma quem fez o Mais Médicos? Não poderia fazer o Mais Esgotos?

    Claro que poderia. Bastava desencanar de um monte de obras inacabadas do PAC e fazer algo com começo, meio e fim.

    Chesterton, desvirtuador, Chesterton, cada vez mais rabugento Chesterton,

    Quer dizer que os comunistas foram lá, olharam um carinha de fuca véio, cheio de gente dentro e pensaram assim:

    “Vamos incendiar aqueles burgueses!!!”.

    Mas Chesterton, burguês anda de fuca ou de Ferrari? Tô entendendo mais nada dessa turma que lê titio Rei. A turma tá ficando doida mesmo.

    Ah, pode ser que tenham adotado o Lobão, o músico, como filósofo, depois que descobriram que o Olavão é um fraudão (não é fralda grande, é fraude mesmo…).

    Ou então depois que descobriram que Mainardi não sabe ler tabela nem gráfico e arrota lagosta. Sei…

  154. Pax said

    Oba, guerra civil é Chesterton? Onde, poxa, nem me avisaram…. sacanagem. Vou ali comprar umas latas de sardinha pra modo de não passar fome e umas bolitas pra, depois, escolher uma trincheira. Confesso que hoje em dia tá meio difícil, a turma toda é centro-coronel-direita, acho que vou ficar com a molecada do PSOL ou a do PSTU, a que tiver ganhando a briga entre eles mesmo.

    Olha, consegui ver o link do Estadão acima e identifiquei quase a metade deles. Eram todos do DEM, disfarçados de Petistas. A outra quase metade eu identifiquei também, eram petistas disfarçados de tucanos. E os outros, salvo engano, eram tucanos disfarçados de Democratas. Realmente tá bem claro no vídeo, caro Chesterton. Só não vê com essa clareza toda quem não quer… ora bolas.

    Cada coisa que o Chesterton pensa….

  155. Chesterton said

    vai brincando…a coisa tá séria, não se mete a besta . Burgues anda de Ferrari? Só se for da Burago.

  156. Patriarca da Paciência said

    Quer dizer que os bleques babacas entraram pelo cano?

    Acho que é o que eles estavam procurando faz muito tempo!

  157. Pax said

    a midia faz mesmo a cabeça de vocês…

  158. Pax said

    noticiário do dia (acordei tarde…)

    1 – o lance do Hotel Ritz em Lisboa. (minha opinião, deixaram a bola quicando, não precisava… enfim)

    2 – o tal lance do rapaz baleado – Alckmin e o secretário de segurança, fotos dos objetos da mochila, agressão(?) do rapaz, reação da polícia, tiros contra um estilete, 3 contra 1…

    e a turma adorando que um manifestante tenha sido baleado assim

    (cá entre nós…)

  159. Otto said

    CIA financiou black blocs na Líbia, Síria e agora Ucrânia

    – See more at: http://www.ocafezinho.com/2014/01/28/paranoia-cia-financiou-black-blocs-na-libia-siria-e-agora-ucrania/#sthash.EOsyMt24.dpuf

    Qualquer semelhança…

  160. Patriarca da Paciência said

    Rolezinhos, passeatas com cartazes, protestos pacíficos etc.etc.etc. é uma coisa!

    Uma bando de idiotas quebrando tudo é outra!

    Eles merecem mesmo é uma boa camaçada de pau! Acho que aquele babaca agora vai pensar duas vezes antes de sair quebrando tudo por aí!

  161. Chesterton said

    è Pax, só não vê quem não quer, e o pior cego é o que não quer ver.

  162. Chesterton said

    Ô Patriarca, que reacionário você anda….,.

  163. Chesterton said

    O que Dilma foi fazer em Davos? Todos respondem: buscar investimentos estrangeiros para o Brasil. E o que Dilma foi fazer em Havana? Inaugurar um moderníssimo porto pago com o dinheiro dos brasileiros, em investimento que, só agora se sabe, deverá ultrapassar os R$ 2,4 bilhões. Aí o investidor estrangeiro pergunta: se a Dilma, em vez de aplicar o dinheiro do BNDES nos sucateados portos brasileiros, acha melhor investir em Havana, por que eu deveria investir no Brasil? É a pergunta que não quer calar.

    http://coturnonoturno.blogspot.com.br/2014/01/pergunta-que-nao-quer-calar.html

  164. Elias said

    “2 – o tal lance do rapaz baleado – Alckmin e o secretário de segurança, fotos dos objetos da mochila, agressão(?) do rapaz, reação da polícia, tiros contra um estilete, 3 contra 1…” (Pax)

    Esse texto está incompleto, Pax.

    Tá faltando dizer que a culpa é da Dilma…

    Monomaníaco…

  165. Patriarca da Paciência said

    http://esquerdopata.blogspot.com.br/2014/01/por-que-os-black-blocs-destroem-pontos.html

  166. Patriarca da Paciência said

    “Pivô da crise financeira global de 2008, banco de investimentos dos EUA continua fazendo das suas; agora assimilado pelo Bank of America, Merrill Lych soltou relatório de críticas à Petrobras em outubro do ano passado; “A empresa mais endividada do mundo”, calculou, com ampla repercussão na mídia familiar brasileira; mas agora em janeiro, quando os papéis da estatal brasileira, empurrados para baixo por avaliações como o do próprio Merrill Lych, chegaram a R$ 15, o que fez o banco americano? Comprou, é claro, milhões de ações da própria Petrobras; primeiro ajudou a derrubar o valor da companhia e, quando de fato ele caiu, comprou para saborear os lucros; a Comissão de Valores Mobiliários vai se manifestar sobre a manobra ?”

    (blog 247)

  167. Chesterton said

    A culpa mesmo é do Lulla, a origem de todo mal.

  168. Elias said

    Patriarca,
    O Bank Of America absorveu o Merrill Lynch em 2008, e, mais à frente… Sífu…! Dentre outras razões, exatamente por ter absorvido a Merrill Lynch…

    Aliás, dizem as más línguas — e as boas também… — que Hank Paulson virtualmente obrigou o BOA a engulir o despencante Merril Lynch, sem saber, exatamente, o tamanho do rombo, minimizado por meio de manipulações contábeis e relatórios fajutos.

    Aí, à medida que as coisas iam ficando mais claras (com uma rigorosa auditoria que o BOA realizou nas contas da Merrill Lynch), constatava-se que o buraco era maior e mais fundo, maior, mais fundo… Até que se chegou à conclusão de que o próprio BOA não tinha grana pra tapar o fosso (quanto mais não seja, porque o próprio BOA também tinha seus próprios rombos, né).

    Foi quando os republicanos mandaram às favas sua crença no liberalismo econômico, e injetaram trilhões de dólares de dinheiro público para salvar uns e outros…

    Agora, o lance com a Petrobrás não surpreende. Isso acontece sempre.

    E, pela legislação brasileira, com seu himem complacente, a CVM pouco pode fazer (aliás, tradicionalmente, a CVM pouco ou nada faz, mesmo…).

    Além do mais, o mercado acionário é assim mesmo. Qualquer marola…

    Agora, cá pra nós: de 2007 pra cá, um relatório do Merrill Lynch tem tanta credibilidade quanto o da Booz Allen, aquela empresa de consultoria que, após exaustivos estudos científicos, chegou à conclusão que o Brasil não tinha nenhum futuro na área mínero-metalúrgica.

    Foi inspirado no relatório da Booz Allen que o nosso querido Roberto Campos elaborou seu brilhante plano econômico que projetou a desenvolvimento econômico brasileiro baseado na produção de banana, galinhas e ovos (até o fim da vida, Carlos Lacerda nunca deixou que tirar sarro com Bob Fields por causa desse “Plano Nacional de Desenvolvimento”).

    Ora, a Petrobras está turbinando ao máximo a produção do pré-sal. A cada trimestre, quebra-se um recorde de produção. Aparentemente, a empresa joga com o cenário de superação do petróleo como fonte de energia, nos próximos 20 ou 30 anos.

    Só um doido varrido pode imaginar que, num contexto assim, a empresa tem pela frente, a curto prazo, algum risco de insolvência, ou mesmo de redução de lucro.

    Quem tinha esse problema — e numa escala muitíssimo mas grave! — era a própria Merrill Lynch, que, pra completar, fajutou balanços e relatórios financeiros, enganando até a quem se empenhava em salvá-la…

    É de surpreender — e de preocupar — que uma empresa com o histórico da Merrill Lynch ainda tenha alguma influência na formação de opinião aqui no Brasil, a ponto de manejar a cotação de uma empresa peso-pesado, como o petrossauro.

    De qualquer modo, quem acreditou na Merrill Lynch tem, agora, algun$ milhõe$ de motivo$ pra se arrepender… E debulhar bilhõe$ de lágrima$…

    É a vida. Sem otário, o que seria dos espertos?

    Eu quero mais é que esse pessoal se exploda…! E que a terra lhes pese nos cornos…

  169. Pedro said

    Pax #136, calma, já estamos quase alcançando o Iraque:

    http://www.oficinadanet.com.br/post/12299-brasil-possui-internet-mais-lenta-que-iraque-e-cazaquistao

  170. Pedro said

    Patriarca #61, To por fora desta historia de mensagens natalinas.

    Mas, é estranho vc querer que a oposição não “oposicione”.
    É do jogo, faz parte do show.

    Aliás a política Lulística de trocentos ministérios, distribuídos para os Valdemares e Jefersons da vida, funciona que é uma beleza, neste Brasil de boquinhas e políticos esfomeados. A oposição foi reduzida ao que eu diria, no máximo, uma “oposicinha”.

  171. Pax said

    Caro Pedro,

    Creio que não alcançaremos o Iraque (nem li a matéria, acredito em ti…), considerando que o canalha do Paulo Bernardo, petista, que mantém sob sua saia o João Rezende, Presidente reconduzido por Dilma para mais um mandato pra Anatel, para fazer todas as falcatruas que faz, vai sair deste cargo.

    Acho eu que vai arrumar uma teta mais farta em algum lugar, com menos exposição. É o caminho natural. Apronta tudo, arruma uma teta, e encosta o burro à sombra. NÃo que a próxima teta seja, literalmente, mais farta, que o úbere seja de maior capacidade, mas que, sim, a teta seja mais, digamos, exclusiva, a próxima vaca que o cara vai mamar.

    A não ser que…. acabe na Papuda. Aí o caminho muda, é hora de voltar, convocar a militância, definir uns motes e tocar o bumbo. Vítima política !!! Conhece esse bordão?

    mas acho que Paulo Bernardo vai pela opção 1 – vai arrumar uma teta fértil e fácil e amarrrar o burro na sombra.

    Não existem tantos que acabam pesquisando essa amizade antiga dele com o Paulo, os jantarzinhos íntimos, e por aí afora. Muito menos aquele encontros com o Levi.. enfim, melhor ficar quieto.

  172. Otto said

    “Trincheira da Solidariedade”: Entrevista com um acampado contra o julgamento da AP470, vulgo Mensalão

    Eles já foram ameaçados de morte, sofrem humilhação pública. A direita os acham cúmplices, os ridicularizam, parcela da esquerda ressentida com PT, geralmente ex-petistas, os classificam de diversas formas, uma delas Dir$$elistas. Muito embora ninguém os tenha ouvido, todos têm uma opinião sobre eles.

    Entrevistei por e-mail um dos acampados, o jovem Pedro Paulo, para saber o que move esses militantes petistas a dedicarem seu tempo acampados primeiro em frente ao presídio da Papauda onde se encontram encarcerados desde o dia 15 de novembro políticos petistas condenados na ação AP470, vulgo Mensalão, (políticos não petistas igualmente condenados continuam soltos) depois em frente ao STF onde passaram natal, ano novo e prosseguem mobilizados meses a fio, solidários aos presos políticos, mesmo sob ameaças de despejo do STF.

    Para eles é importante a continuidade da luta para que consigam inserir questionamentos sobre o julgamento da AP470 em diversos espaços, para ampliar o debate e apontar as falhas de todo o julgamento. Leia abaixo a entrevista:

    Blog Maria Frô: Quem teve a ideia do Acampamento?

    Pedro Paulo: No dia da chegada dos companheiros à Brasília (no feriado de 15 de novembro), após aquela performance midiática com jatinhos, esperávamos os companheiros na porta da PF e falamos que deveríamos sair dali e ir para frente da Papuda. Quando voltei para casa, tomei um banho e postei na minha página do Facebook que estava indo e que quem quisesse me acompanhar poderia ir que eu estaria esperando, foi aí que o João Paulo apareceu. Como ele estuda Direito, passamos a noite conversando sobre os erros da AP470. Mas quando iniciamos a vigília lá em frente à Papuda nunca imaginamos que se tornaria um movimento com tamanha adesão. Éramos apenas eu e o João Paulo naquele sábado, tomando um chimarrão. No domingo à tarde já começaram a chegar novos companheiros e aquilo foi se tornando um espaço de solidariedade e apoio, foi de fato se tornando um movimento. Não foi uma ideia premeditada, foi algo que foi acontecendo, as pessoas foram chegando e participando.

    BMF: Quem organiza? Há um comando?

    PP: Hoje mais de 2 meses que estamos acampados e manter um espaço como aquele por tanto tempo requer no mínimo organização. Não há um centro de comando, aonde alguém dá a ordem e os outros cumprem sem questionar. Há um espaço de deliberação coletiva e os que vivem a vida do acampamento opinam sobre seu dia a dia. Mas temos algumas referências, por exemplo, tem uns três que se encarregam de fazer a comunicação sobre o que acontece lá (o que nos ajuda muito quando somos atacados e temos a vida ameaçada), tem duas pessoas responsáveis por receber as doações e fazer as compras, mais duas que ficam responsáveis pela logística interna e em uma reunião que fizemos ontem à noite fiquei responsável por fazer o diálogo para fora do acampamento. Todas as pessoas que vão lá tem direito a dar opinião e sugestão e colocamos em discussão a viabilidade daquela proposta, como o farinhaço na Câmara, o baldaço no STF, uma roda de samba ou uma de formação política.

    BMF: Quando o acampamento começou?

    PP: Como respondi no primeiro item, ele começou sem ser pensado em um acampamento, pelo menos não na proporção que tomou (já tivemos momentos com 30 acampados lá). Penso que ele começou assim que foi decretada a prisão dos companheiros, que eu e todos e todas que aderiram a ideia, fizemos isso para mostrar solidariedade, porque por mais que os caras não nos vejam, não nos conheçam ou saibam quem somos, sabem que tem gente lá fora que abdicou da sua vida para prestar solidariedade diante das arbitrariedades da AP 470, que estamos ali em reconhecimento e gratidão por tudo o que esses caras fizeram pelo país, pela democracia brasileira e pelo Partido.

    BMF: Se é um acampamento de solidariedade aos presos por que mudaram da Papuda para o STF?

    PP: O acampamento tem uma função de existir. Nossa proposta em ficar em frente à Papuda era até que o Genoíno pudesse receber os cuidados médicos. Ali, apesar da hostilidade de alguns funcionários que passavam xingando, tínhamos a visibilidade que a imprensa proporciona e era extremamente mais seguro (aquele jovem de Águas Claras, cidade satélite de alto poder aquisitivo aqui, não teria tido coragem de ir lá com um canivete cortar nossas bandeiras se estivéssemos na Papuda, porque não teria rotas de fuga e a imprensa ficava à espreita na porta da Penitenciária, vigiando quem entrava e saía e incitando os familiares dos presos). É importante ressaltar que nunca recebemos hostilidade dos familiares dos presos, ao contrário, eles iam lá perguntar o que estávamos fazendo e conversavam sobre as condições dos seus familiares. Muitos diziam que talvez agora as pessoas iam olhar para a situação das pessoas dentro das cadeias, que nas condições que viviam era muito difícil se reabilitarem para viver em sociedade. Quando o Genoíno foi internado e logo depois recebeu autorização para ficar em regime domiciliar, sabíamos que era o momento de ir para outro lugar. Fomos para o quintal do STF para que todos e todas que passam pela Esplanada possam saber que tem gente que discorda dessa AP 470 e pede um novo julgamento e para os juízes responsáveis pelo Tribunal também terem ciência que apesar deles não serem escolhidos pelo povo, tem gente de olho no trabalho deles, exercendo o controle social, e estamos lá para apontar todas as falhas no processo.

    BMF: Quantos são? O acampamento aumentou diminuiu?

    PP: Nosso número é relativo, depende muito. Tem fins de semana que vem delegações de outros Estados, então ficamos lotados. Tem muitos que trabalham durante o dia e vão para lá à noite, fazer vigília. Mas nosso contingente sempre aumenta. Por questões de segurança prefiro não quantificar em quanto somos, até porque já recebemos muitos ataques e ameaças às nossas vidas.

    BMF: Quem são vocês? O que mobiliza cada um de vocês a fazer isso?

    PP: Na maior parte somos militantes de esquerda e dos movimentos sociais e o que nos motiva é desmontar essa farsa midiática que o STF criou junto da imprensa. Não posso responder por cada um, mas acredito que de modo geral o que motiva aquelas pessoas a estarem ali é não apenas mostrar solidariedade aos companheiros por tudo o que eles fizeram pelo país e pela nossa democracia, mas apontar também os erros que a nossa mais alta corte comete, inclusive com o criador da teoria do domínio de fato criticando o modo como sua teoria foi usada nesse processo e tantos outros grandes juristas que apontam as inúmeras falhas. Temos o entendimento que queriam condenar o Partido dos Trabalhadores e não podemos aceitar esse golpe.

    BMF: Todos os acampados são de BSB? Vocês trabalham? Como mantêm um acampamento 24 horas por dia?

    PP: Os que cuidam do acampamento são de Brasília, mas recebemos muitos companheiros de fora (como o Beto Mafra, militante petista de Belo Horizonte) o tempo todo. Os que trabalham cumprem sua jornada em seus respectivos empregos e voltam após o expediente. Os que não trabalham se revezam em cuidar do acampamento. Tem gente que vai lá pela manhã, tem gente que vai na hora do almoço e tem gente que só dá uma passada à noite. Mantemos o acampamento pela organização que criamos, aonde as pessoas vão chegando e colaborando sem precisar serem demandadas.

    BMF: Quais são os custos? Há banners, as pessoas precisam de alimentação, precisam sobreviver dentro e fora do acampamento. De onde vem os recursos? De onde vem os recursos para cartazes como estes? Os familiares dos presos contribuem? O PT contribui?

    Foto do cartaz extraído do Facebook

    PP: Como não poderia falar em um movimento de solidariedade, sobrevivemos de solidariedade. Acredito inclusive que é a principal característica da esquerda, a solidariedade. Os custos são principalmente referentes à alimentação de quem está lá e água, os valores são depositados em uma poupança e fazemos um balancete para prestar contas. Recebemos doação do país inteiro, de dinheiro a presunto defumado. E também pedimos para as pessoas que temos relação, como no caso do banner, que foi uma doação. No geral, gerador, ônibus, tenda, barraca, fogão, jaca, panela, tudo doação ou empréstimo. Mas o nosso principal financiador foram as camisas que mandamos rodar e vendemos principalmente no Congresso do PT. Tivemos um custo de R$10 e vendemos por R$20 e tinha gente que pagava R$50, muita gente comprou várias para presentear em seus Estados. E as pessoas compravam porque elas não pagavam necessariamente por uma camisa, quando ela compra a camisa com a imagem dos caras, ela está automaticamente aderindo ao movimento, alimentando a roda, nos ajudando e elas sabem disso. Para não dizer que os familiares dos presos não contribuem, recebemos uma lentilha no ano novo da Miruna. Esse não é o foco do acampamento, ser financiado pelo PT ou pela família dos caras. Foi um movimento voluntário e sobrevive de voluntariado (tempo, dinheiro, braço, abraço), não teria lógica a família dos caras nos financiarem, não existiria razão de ser se fosse assim. O PT não se sente na obrigação de contribuir porque o movimento não é uma deliberação partidária, não foi pensado em nenhuma instância, apenas existe. Acontece independente da vontade do Partido.

    BMF: Quanto tempo pretendem ficar?

    PP: Creio que vamos ficar o tempo que for necessário. Se os caras nos dissessem que o Movimento os prejudica, nós iríamos embora. Mas não é o caso. Solidariedade de gabinete não é solidariedade. Você tem estampar na cara as suas convicções, ter coragem de defender seus pontos de vista e até mesmo de voltar atrás, se for o caso. Os e as parlamentares que os visitaram na cadeia viram as condições em que eles estavam se sensibilizaram, mas tem medo de se pronunciar na maioria dos casos. É medo da mídia distorcer tudo e as pessoas julgarem na rua, julgarem as suas famílias, como acontece com a gente que está no acampamento. As pessoas se sentem no direito de nos ofender e agora ser petista é sinônimo de ser mensaleiro. Antes diziam que a gente comia criancinha, depois que éramos baderneiros e agora somos todos ladrões. Escuto de tudo, mas não me dou ao trabalho de ler o que comentam nas matérias, até porque as pessoas hoje acham que a internet lhes dá direito de vomitarem qualquer coisa a qualquer hora, que isso é democracia. Mas estão errados, eu poderia processar várias, mas não o faço. Só aciono a polícia para as ameaças de morte que venho recebendo desde o jantar da AP 470.

    BMF: O que esperam conseguir com esta ação?

    PP: Penso que a gente espera que os erros que estão sendo apontados sejam analisados. Que os juristas e órgãos que já se pronunciaram sobre os erros e arbitrariedades sejam ouvidos, pelo bem da nossa democracia. É muito leviano uma juíza em seu voto dizer que não tem nenhuma prova, mas que vai condenar a pessoa porque a Lei permite que ela faça isso. O que foi feito com a inversão do ônus da prova abre um precedente perigoso na Justiça brasileira e sinceramente, ser pautado pela mídia não é ser isento para julgar ninguém. Vários direitos foram negados e vários erros cometidos. Há denúncias improcedentes, como o desvio do Visanet que já foi auditado pelo BB e nada foi encontrado. Colocam que foi desviado dinheiro público, mas se o Visanet é público a pergunta que fica é quando abre concurso para seleção de servidor. Várias publicações já estão sendo disponibilizadas para esclarecer as pessoas e tem um site com vários materiais.

    BMF: Essa foi a primeira iniciativa em defesa dos condenados?

    Não! No começo do ano passado organizei um jantar para arrecadar fundos para os hoje condenados na AP 470. Logo depois fui na OEA entregar um pedido de revisão da AP 470 e um representante esteve aqui questionando ao STF o que protocolei lá. Vários atos de esclarecimentos sobre a AP 470 foram realizados no país, principalmente pela juventude e pelos movimentos sociais.

    BMF: Você não tem nenhum receio de estar à frente de um movimento desse?

    PP: Não. Apesar de ser ofendido, creio que as pessoas tem suas opiniões formadas e é um direito delas tê-las, lutamos muito para que hoje elas tivessem esse direito. Eu posso não concordar com o que falam, mas defendo o direito delas de falar, desde que esse direito não ultrapasse os meus, porque elas não têm o direito de me ofender nem atentar contra a minha vida ou da minha família. Nas manifestações em junho eu fui pra rua manifestar também e como as coisas estava muito soltas, acabei ficando à frente de algumas coisas e quase fui linchado quando a imprensa colocou que eu era o cara que tinha feito jantar pra mensaleiro. As pessoas acham que porque faço a defesa dos caras e sou do PT, não tenho direito de protestar contra as coisas que considero que mereçam ser revistas no país, mesmo o meu partido estando à frente do governo. O direito delas é superior ao meu e a sua limitação construída muitas vezes com o que a grande mídia diz faziam elas acreditarem que eu estava à mando de alguém, quando na verdade fui pra rua porque considerei que aquele movimento era legítimo e que eu deveria estar junto porque tenho insatisfação com as reformas estruturantes que deveriam ter sido promovidas e não foram. Fui ameaçado de morte e penso que a única coisa que passa na cabeça de uma pessoa que quer matar ou espancar outra porque ela pertence a um Partido, é o ódio, ódio de classe disfarçado de uma luta “sem partido”.

    http://mariafro.com/2014/01/28/42362/

  173. Otto said

    Deu no Estadão, na coluna de Sônia Racy:

    Programa tucano

    Estão almoçando em São Paulo — no restaurante Ici, em Higienópolis — FHC, Aécio Neves, Sérgio Guerra, Tasso Jereissati, Celso Lafer e Rubens Barbosa. Mais Andrea Matarazzo, que chegou atrasado.

    Na pauta, certamente, o programa de governo do candidato tucano à Presidência da República.

    Dividiam outra mesa o procurador Arnaldo Hossepian, o ex-deputado Arnaldo Madeira, Hubert Alquéres e Marcos Paulino.

    Marcos Paulino, se não for algum homônimo, é o presidente do Datafolha. Mas até aí nenhuma novidade. Todo mundo sabe que o grupo Folha ama os demotucanos.

    Arnaldo Hossepian é Subprocurador-Geral de Justiça do Ministério Público Estadual de São Paulo. Tudo bem que ele ocupa a função de “Relações Externas”, de acordo com o órgão, mas convenhamos que há um TRENSALÃO de motivos para tornar inconveniente a aproximação excessiva com o tucanato paulista neste momento.

    http://osamigosdopresidentelula.blogspot.com.br/2014/01/sub-procurador-e-presidente-do.html

    Comentário meu: e o Andrea Matarazzo, que está envolvido com provas até o pescoço no trensalão?

    Provas, e não indícios. Domínio do fato tem o FHC.

  174. Patriarca da Paciência said

    “A presidente Dilma Rousseff (PT) negou, nesta terça-feira (28), ter pago a conta de um restaurante em Lisboa com recursos públicos; “Eu posso escolher o restaurante que for, desde que eu pague a minha conta. Eu pago a minha conta. É exigência para todos os ministros, e eu só faço exigência que eu também exijo de mim, que quem jantar ou almoçar comigo pague a sua conta”, afirmou; PSDB entrou com representação na Comissão de Ética da Presidência contra Dilma ”
    (blog 247)

    Está vendo aí, Pedro ?

    Agora, além de querer processar a Dilma por mensagem natalina, O PSDB quer processar a presidente por ter almoçado em um restaurante e ter pago a conta com seu próprio dinheiro!

    Mas o Cardozão vai processar os ditos cujos por motivos bem mais concretos!

    Os cara estão doidim, doidim, como diz o Elias!

  175. Patriarca da Paciência said

    correção: Os caras estão doidim, doidim, como diz o Elias!

    Dizem que vão tentar processar a Dilma até por ter espirrado!

  176. Pax said

    Que texto mais preciso. Mas é preciso ler sem pedras às mãos. Este Adriano Pilatti é muito bom.

    Peguei seu texto no seu Facebook. Não o conheço, não somos amigos por lá, só o sigo por uma dica do Idelber.

    Aqui vai:

    “É chocante ver blogueiros e congêneres governistas se fazendo de bobos e insistindo na falsa versão de que black blocs atearam fogo a um fusca com 4 adultos e uma criança dentro, quando até boa parte da impren$a já deixou de lado essa farsa, depois das declarações do próprio motorista e das imagens, que mostram inclusive @s manifestantes tentando socorrer as pessoas.
    É triste ver crescer o discurso de ódio e calúnias contra @s manifestantes e de desqualificação das manifestações, vindo de gente cujos líderes continuam padecendo, no cárcere, os efeitos de outra campanha de ódio e simplificações.
    É deprimente saber que a presidentA convoca o ministro da “defesa” pra discutir os protestos, militarizando de vez a questão, em vez de tratá-los através dos ministérios de articulação política, para abertura do diálogo amplo com os movimentos.
    É revoltante ver gente chamando de “coxinhas” e (ecoando Médici, Fernando Henrique e Collor) acusando de ser “contra o Brasil” quem se opõe à remoção de cerca de 200 mil famílias nas cidades-sede e às benesses concedidas à FIFA e a$$ociados, entre outros “malfeitos”.
    Sim, dou o “desconto” de que o slogan “Não Vai Ter Copa” se preste a equívocos. Não, não esperava de uma suposta “esquerda madura” que se portasse tão insensata e prepotentemente diante das contestações à sua esquerda, recusando-se inclusive a aceitar que existe, sim, algo à sua esquerda.
    Adoraria acreditar que essa intolerância toda fosse só efeito “passageiro” do calor exasperante. Ainda não considero impossível ver os caminhos da serenidade e do equilíbrio se reabrirem para as senhoras e os senhores das armas e seus sequazes.”

  177. Pax said

    Essa aqui é a melhor do dia: jornal alemão agradece as manifestações dos brasileiros contra a FIFA.

    http://esportes.r7.com/futebol/copa-das-confederacoes-2013/obrigado-brasil-diz-jornal-alemao-depois-de-manifestacoes-contra-a-fifa-25062013

  178. Pedro said

    “Está vendo aí, Pedro ?”

    Olha cara, sei lá, se é efeito dos 42 graus, que está fazendo por aqui, ou destas malditas eisenbahns, que a gente bebe pra suportar tamanha tortura. Não to vendo nada. :-)

    Inclusive não vejo a presidenta do governo popular, com sua comitiva, fazer um rolezinho em Lisboa que custa, sei lá, talvez cem rolezinhos , do Barbosão em Paris, tão criticado por vc mesmo.

    Desculpa aí, este calor anormal, deixa a gente meio cego.

  179. Pedro said

    Inclusive esta eisenbahn, me impede de enxergar, que a queda das ações da Petrobras, sejam obra da BOA, que todos sabemos, significa cerveja Antártica, a BOA.
    A eisenbahn, fica me dizendo que a queda das ações da Petrobrás, não é culpa de um banco sem credibilidade internacional, a eisenbahn insiste em me dizer que a queda da ações da Petrobras, é por causa das ações, de quem comanda a própria Petrobras.

    E esta historia de óleo de xisto, é uma mentira deslavada dos yankees, totalmente desmentida pela OPEP, que, como sabemos, não tem interesse nenhum neste calorão de 42 graus.

    http://economia.estadao.com.br/noticias/economia-geral,xisto-reduz-venda-da-petrobras-aos-eua,175035,0.htm

  180. Chesterton said

    Concurso Público para Militantes e Ativistas LGBT
    Parece piada, mas não é, um concurso público que discrimina o público e abre vaga APENAS para militantes e ativistas LGBT. Em qualquer país sério do mundo o concurso seria cancelado e os responsáveis apodreceriam na cadeia. Mas a selva, essa putaria generalizada, vai aplaudir.

    “Os critérios de seleção destinam-se à escolha de candidatos, com vistas ao provimento de vagas no Curso de Formação de Ativistas/Lideranças LGBT para o Controle Social no Sistema Único de Saúde – SUS. A distribuição das vagas terá âmbito nacional e será feita por regiões, na seguinte proporção: 30 (trinta) vagas para candidatos oriundos das Regiões Sul e Sudeste, 40 (quarenta) vagas para candidatos oriundos da Região Nordeste e 30 (trinta) Centro Oeste e Norte, totalizando 100 (cem) vagas. 2 – São requisitos para a seleção: a) Idade mínima de 18 anos; b) Ser ativista/militante de movimentos sociais LGBT”
    POSTED BY SELVA BRASILIS AT 12:00 AM NO COMMENTS: LINKS TO THIS POST

  181. Chesterton said

    É a vida. Sem otário, o que seria dos espertos?

    chest- E o Elias comprou Petrobras a 23 reais…..

  182. Patriarca da Paciência said

    Caros Pax e Pedro,

    Leiam aí:

    “Secretário estadual do PSDB deve responder em até 15 dias acusações feitas pelo ministro José Eduardo Cardozo, por uso de “expressões injuriosas” contra ele no curso das investigações do cartel em São Paulo; Anibal chamou o ministro da Justiça de “vigarista” e o acusou de falsificar documentos”.
    http://www.brasil247.com/pt/247/brasil/128479/Lewandowski-manda-notificar-An%C3%ADbal-por-queixa.htm

  183. Patriarca da Paciência said

    Acho que agora as coisas estão ficando mais claras. O problema todo era a forte “blindagem”. Parece que, finalmente, a blindagem foi rompida!

  184. Elias said

    “É a vida. Sem otário, o que seria dos espertos? E o Elias comprou Petrobras a 23 reais…..” (Chester, achando que encontrou o caminho marítimo para as índias do Xingu)

    Tu é mesmo doidim, doidim…

    Eu venho comprando petrossauro desde os tempos de D. Miguel Charuto.

    De lá pra cá o padrão monetário mudou tantas vezes que nem sei mais dizer por quanto comprei boa parte dos meus coquinhos. Só sei que, meu primeiro lote, comprado juntamente com um pequeno apartamento onde morei por alguns anos, valorizou mais que o ap.

    Mas também comprei alguma coisa por aproximadamente R$ 19, há algum tempo.

    Tô nem aí…

    Um dia — talvez daqui a 40 anos — tu vais sair da adolescência. Vais te tornar um adulto menos bronco — imagino… –, e vais entender, a diferença entre um papel comprado como valor patrimonial e o mesmo papel comprado como mercadoria.

    Quem tem Petrossauro como patrimônio, tá mais preocupado com o que cada ação rende a cada ano, e quanto ela valoriza ao longo de 10 anos ou mais.

    Quem tem o mesmo papel como mercadoria, dependendo da liquidez com que opera, é que se preocupa com as oscilações de curto prazo. É um pessoal que mexe, a cada dia, com um volume de grana que eu nem sonho mexer em toda a minha vida. Vivemos em mundos diferentes.

    Nos últimos 12 meses, as ações da Petrobrás já oscilaram, em termos absolutos, pelo menos uns R$ 6,00 ou R$ 7,00, pra cima e pra baixo.

    Está sendo assim, sempre foi assim e será sempre assim, sempre que houver incertezas quanto ao preço do petróleo e/ou de seus derivados.

    Quem acompanha a coisa minimamente, sabe que é o mesmo que acontece com todas as petroleiras, em todo o mundo…

  185. Patriarca da Paciência said

    Ruy Castro

    “Por fim, se os “black blocs”

    Estou preocupado com os “black blocs”. Eles garantem que “Não vai ter Copa!”, mas temo que o aparato que usam hoje nas manifestações –capacete, viseira, máscara contra gases, jaqueta preta, calças de combate, joelheira, botas, porrete, estilete e estilingue, perfeitos para enfrentar a PM– seja insuficiente para os novos inimigos que eles terão de encarar. E, contra esses inimigos, as lixeiras incendiárias, os postes à guisa de aríetes e a plêiade de advogados a seu favor serão inúteis.

    Os “black blocs” já não contam com as centenas de milhares de pessoas de junho passado, com as quais podiam misturar-se. Aliás, foi por causa deles que elas preferiram ficar em casa. Com isso, os “black blocs” reduziram-se a uns 100 militantes no RJ e em SP e nem isso nas outras cidades. Até o América tem mais torcedores.

    Contra si, eles terão os milhões de interessados em que haja Copa. Entre estes, estão os camelôs, já preparados para vender exclusivos produtos Fifa fabricados na China ou em Nova Iguaçu, e os ambulantes, com seus monumentais estoques de cerveja e de camisas falsificadas do Brasil e das outras seleções.

    Os “black blocs” precisarão também se explicar para a mais terrível das máfias, a das vans, que não gostará de se ver prejudicada pela não vinda ou pela partida às pressas dos, idem, milhões de turistas, de fora ou domésticos, que são esperados nas cidades-sede. Se eu fosse “black bloc”, evitaria desagradar esses profissionais do transporte.

    Por fim, se os “black blocs” conseguirem chegar vivos às imediações dos estádios, arriscam-se a ser exterminados pelas torcidas organizadas, como as do Corinthians, Vasco, Atlético Paranaense, Cruzeiro e outras –que não abrem mão da Copa e dispõem de rojões, soco-inglês e paus com pregos na ponta para mostrar que não se submetem a amadores.”

  186. Elias said

    “É chocante ver blogueiros e congêneres governistas se fazendo de bobos e insistindo na falsa versão de que black blocs atearam fogo a um fusca com 4 adultos e uma criança dentro, quando até boa parte da impren$a já deixou de lado essa farsa, depois das declarações do próprio motorista e das imagens, que mostram inclusive @s manifestantes tentando socorrer as pessoas.” (Texto “preciso” segundo o Pax, que piora a cada dia)

    É mesmo? Quer dizer que os manifestantes apenas socorreram as pessoas?

    Socorreram do quê? Teria sido de incêndios?

    E o quê — ou quem — provocou esses incêndios?

    Ninguém? Foi combustão espontânea? Mesmo?

    Ora, neném… Que tenha havido manifestantes socorrendo as pessoas, não se discute.

    Mas daí a…

    Preciso, Pax?

    Sei… Esse filme é mais velho que posição de fazer cocô…

  187. Chesterton said

    Elias, todo papel mal comprado vira “investimento”. Você caiu na conversa de algum “amigo” (da onça) e achou que 23 era um bom preço. Reconhece e entuba.

  188. Chesterton said

    Bom Elias, numa coisa você tem razão, Pax é muito condescendente com o crime.

  189. Elias said

    “Os “black blocs” já não contam com as centenas de milhares de pessoas de junho passado, com as quais podiam misturar-se. Aliás, foi por causa deles que elas preferiram ficar em casa. Com isso, os “black blocs” reduziram-se a uns 100 militantes no RJ e em SP e nem isso nas outras cidades. Até o América tem mais torcedores.” (Ruy Castro, citado pelo Patriarca)

    Não é por me gambaire, mas… Cantei essa pedra há alguns meses.

    Se bem que, para o Pax, se Adriano Pilatti é “preciso”, então Ruy Castro deve ser “impreciso”.

    A menos que o “preciso” do Pax tenha um outro sentido, relacionado à necessidade.

    É… Se for esse o sentido… Faz sentido…

    Em tempo: cadê as fotos do Pax, participando do badernão “black bloc”, que, como todos sabem, é uma manifestação legítima, que contribui para que o Brasil se torne cada vez mais civilizado e honesto?

  190. Elias said

    “Estão almoçando em São Paulo — no restaurante Ici, em Higienópolis — FHC, Aécio Neves, Sérgio Guerra, Tasso Jereissati, Celso Lafer e Rubens Barbosa. Mais Andrea Matarazzo, que chegou atrasado. Na pauta, certamente, o programa de governo do candidato tucano à Presidência da República.” (Estadão, citado pelo Otto)

    O Estadão está errado, Otto! Totalmente errado!

    Segundo os critérios de justiça do Pax (Ajax), trata-se de uma quadrilha de malfeitores, que se reuniu pra tratar assuntos relacionados à roubalheira do “trensalão”.

    E ninguém pode negar. Não se trata nem mesmo de mero apontamento em agenda. Foi uma reunião pública, testemunhada pelo Estadão, que nem sonha ser esquerdista.

    Logo, de acordo com os critérios de justiça do Pax, FHC, Aécio, Sérgio Guerra, Tasso Jereissati, Lafer e Rubens Barbosa, estão, todos, junto com o Andrea Matarazzo, envolvidos na roubalheira do “trensalão”.

    Né não, Pax?

  191. Patriarca da Paciência said

    Elias, 190

    É bem isso aí. As “provas” apresentadas no famigerado “suposto mensalão” foram todas desse quilate!

    E agora já é público que o Pizolato sequer é mencionado no inquérito policial. O homem era simplesmente um dos diretores, sequer era o mais importante e inclusive não era responsável direto por liberações de pagamentos!

    E sem o Pizolato o castelo de cartas do Barbosão desmorona!

  192. Elias said

    Do Blog do Kennedy:

    “A ex-senadora Marina Silva aceitou ser candidata a vice-presidente da República na chapa que será encabeçada pelo governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB).”
    ………………………………..
    “Ao aceitar ser vice de Campos, Marina disse que ele poderia efetuar até uma troca na chapa ao longo dos próximos meses, caso encontre um nome que possa agregar maior apoio político.”
    =====================

    Marina está me fazendo lembrar um muzak antigo, chamado “O ébrio”, de Vicente Celestino. Ele contava a história de um cantor que chegara “aos píncaros da glória”. Aí foi caindo, caindo… Até ser vaiado num picadeiro de circo.

    Assim está Marina. Se o PSB pressionar pouquinho mais, ela vai acabar aceitando a honrosa função de estafeta da campanha de Eduardo Campos, com vistas — quem sabe? — ao importante cargo DAS de encarregada da manutenção do Palácio do Planalto…

    Se Marina fosse alguém para se levar a sério, estaria mais preocupada em definir seu partido, política e ideologicamente, e, ao mesmo tempo, se esforçar para torná-lo um partido político de verdade (e não o escritório eleitoreiro que é hoje), implantando-o em todo o país, recrutando filiados e — mais importante! — militantes.

    Em vez disso, está traficando politicamente com os 20 milhões de votos que conseguiu nas eleições de 2010 (e que só conseguiu porque se amuletou no que há de mais retrógrado e preconceituoso na sociedade brasileira).

    Ou seja: Marina está fazendo de tudo pra se suicidar politicamente.

    É uma pena…

  193. Elias said

    “Elias, todo papel mal comprado vira “investimento”. Você caiu na conversa de algum “amigo” (da onça) e achou que 23 era um bom preço. Reconhece e entuba.” (Chester)

    Entubou quem pegou corda da Merrill, neném.

  194. Chesterton said

    Então , se você comprou a 23 e a Merril derrubou o preço para comprar a 15 você perdeu 8. Ou vai brigar com a matematica (14,80 agora, que baita investimento). Não é à toa que voc~e é um revoltado.

  195. Chesterton said

    http://br.financas.yahoo.com/q?s=PETR4.SA

  196. Otto said

    Em nome do bom senso e da memória, transcrevo reportagem de doze anos atrás:

    FHC CHEGA A LISBOA SEM COMPROMISSOS OFICIAIS NESTE DOMINGO

    10/11/2002 – 9h04

    Lisboa, 10/11/2002 (Agência Brasil – ABr) – O presidente Fernando Henrique Cardoso, cumpre agenda privada hoje em Portugal. Durante a manhã ele fará um passeio turístico acompanhado de dona Ruth Cardoso, do embaixador do Brasil em Portugal, José Gregorio, governador de São Paulo, Geraldo Alckmin e do senador eleito pelo Ceará, Tassio Geressaiti (PSDB). Não há compromissos oficiais para o período da tarde, às 18h30 (16h30 horário de Brasília) o presidente participa de lançamento de um livro sobre o trabalho da embaixado do Brasil em Portugal na residência oficial do embaixador.

    O presidente Fernando Henrique Cardoso iniciou neste sábado a sua última viagem à Europa, como chefe de Estado. Sua primeira escala está sendo em Lisboa (Portugal), onde permanece até 3a feira (12).

    Nesta segunda-feira (11) , às 10h30 (11), Fernando Henrique participa da VI Cimeira Brasil-Portugal, no centro cultural de Belém. Com objetivo de avaliar as relações bilaterais, os chefes de governo dos dois países encontram-se periodicamente nas cimeiras, quando também são assinados acordos que permitam a convivência harmônica entre seus povos. No mesmo dia FHC se encontra com o presidente português, Jorge Sampaio, que o homenageia com um jantar.

    Na 3a feira (12), Fernando Henrique participa de reunião da Comunidade de Países de Língua Portuguesa, a qual preside desde julho último. Após a reunião, ele será homenageado com o prêmio Personalidades do Ano, na Câmara de Comércio Luso-Brasileira. No mesmo dia, Fernando Henrique deve participar da exposição sobre o presidente Juscelino Kubistcheck no Espaço Cultural do Chiado. Ainda há a possibilidade do presidente discursar no encerramento de um seminário sobre investimentos no Brasil.

    Durante a viagem a Portugal, o presidente volta a se encontrar com José Gregori, que ocupa a embaixada brasileira naquele país desde que deixou o ministério da Justiça, em outubro do ano passado. Acompanham o presidente na escala portuguesa os ministros Celso Lafer (Relações Exteriores), Francisco Weffort (Cultura) e Sérgio Amaral (Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior), além do diretor-geral do departamento da Europa do ministério das Relações Exteriores, Marcelo de Andrade de Moraes Jardim.

    De Lisboa, o presidente segue para o Reino Unido, onde recebe mais uma homenagem, desta vez da tradicional Universidade de Oxford. Sua chegada à cidade britânica está prevista para o final da manhã de 4a feira (13). Neste dia, o presidente faz uma palestra no Saint Anthony’s College e depois participa de jantar com intelectuais britânicos. No dia seguinte, às 14 horas (horário local), recebe o título de Doutor Honoris Causa da Universidade de Oxford, onde também visita o centro de estudos brasileiros do campus.

    Nesta parte da viagem, a única mudança na comitiva presidencial será a presença do embaixador do Brasil no Reino Unido, Celso Luiz Nunes Amorim. O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, e o senador eleito pelo Ceará, Tasso Jereissati, também integram a comitiva.

    A segunda fase da viagem será pela América Central. O presidente participa da sua última Cúpula Ibero- Americana na capital da República Dominicana, Santo Domingo. Realizada pela 12a vez, a cúpula tem como tema central o Desenvolvimento Agropecuário, Meio Ambiente e Turismo Sustentáveis. Fernando Henrique e os demais chefes de Estado integrantes da Cúpula ainda concentrarão as discussões em temas específicos como a governabilidade democrática, a segurança regional e cooperação na luta contra o terrorismo e o narcotráfico.

    Acompanham o presidente, o ministro das Relações Exteriores, Celso Lafer; o embaixador do Brasil na República Dominicana, Fernando Fontoura, e o subsecretário de Assuntos Políticos Multilaterais do ministério das Relações Exteriores, embaixador Luiz Augusto Saint-Brisson de Araújo Castro. O retorno do presidente a Brasília está prevista para 17 de novembro, pela manhã.

    http://www.istoe.com.br/colunas-e-blogs/colunista/48_PAULO+MOREIRA+LEITE

  197. Patriarca da Paciência said

    “SÃO PAULO TEM 31º ÔNIBUS QUEIMADO EM 2014. NORMAL?”
    http://www.brasil247.com/pt/247/sp247/128517/S%C3%A3o-Paulo-tem-31%C2%BA-%C3%B4nibus-queimado-em-2014-Normal.htm

    E aí, será que o pessoal não vai pedir INTERVENÇÃO em São Paulo?

    A média está em mais de um ônibus queimado por dia!

    Chacinas rolam soltas!

    E nada?

    Onde já se viu?

  198. Pax said

    Meus amigos aqui do PolíticAética são ótimos, não me deixam mentir. Vai em #HASHTAGS…. e olha que escrevi isso alhures, ontem:

    #MEDO_PADRÃO_FIFA: se tem uma coisa que os reacionários têm medo, enfiam o rabo entre as pernas e se borram, é do povo às ruas, então, pela lógica, repara quem reclama das manifestações, quem generaliza e coloca pecha de vândalo e baderneiro no povo que reclama e tenha certeza: o cara é um baita reacionário, quer que tudo continue como está…(continua)

    …o que impressiona, é ver a turma do PT se aliar a turma do PSDB e juntos, uníssonos, horrorizados porque o povo quer Educação padrão FIFA, Saúde padrão FIFA, Segurança padrão FIFA (e, para não perder a viagem, consertar esta merda de #LINK_PADRÃO_DILMA)

    repara só, se liga, não faz tua cabeça só pelo que a grande mídia coloca em seus veículos, que pode ser uma #PEGADINHA_PADRÃO_COLLOR

    Obrigado, caro Elias, obrigado, caro Chesterton, obrigado, caro Patriarca, obrigado, caro Otto, por não me deixarem morder a língua.

  199. Chesterton said

    sinceramente? Não entendi.

  200. Otto said

    Pax: povo na rua também pode significar fascismo.

    Não sei como se vai conseguir uma edução padrão Fifa depredando bancas de jornais.

  201. Otto said

    Pax, leia este post (porque ás vezes eu sei que você não lê)

    O embate entre Rússia e Estados Unidos na Ucrânia

    Por Sergio Bertoni, em Blogosfero

    A questão ucraniana é muito mais complicada que uma mera disputa ocidente-oriente, ditadura-democracia, prisão-liberdade e tem origens em tempos remotos.

    Poucos no ocidente sabem ou procuram saber que o primeiro estado russo fundado em 882 tinha como capital Kyiv e se chamava Kyivskaya-Rus (a Rússia de Kyiv). Não era propriamente um estado nacional unificado e centralizado, mas uma federação de condados e principados eslavos sob o domínio da dinastia kyiviliana. Geograficamente falando, a Kyivskaia-Rus tinha aproximadamente 1.330.000 km² e ocupava o território europeu das atuais Russia, Belarus e Ucrânia, onde viviam cerca de 5,4 milhões de pessoas.

    Com o tempo, outros principados russos foram se fortalecendo e esvaziando o poder de Kyiv que mesmo assim continuou sendo considerada a capital até a invasão tartaro-mongol em 1237-1240. Em 1243 o príncipe de Vladimir, Yaroslav Vsievolodovitch, é reconhecido como o mais velho príncipe russo e, naturalmente, Vladimir passa a ser a cidade oficial de residêndia do chefe de estado. Aos poucos o poder vai deixando Kyiv e se transferindo para Vladimir e dali para Moscou. Em 1331 o principado de Vladimir passa a integrar o principado de Moscou, mas só em 1428 acontece a incorporação total de Vladimir à Moscou.

    Obviamente, este processo todo não acontece sem disputas, guerras, traições e negociatas. E são elas que podem conter a origem das atuais disputas e rivalidades entre os khakhols (ucranianos) e os mascalins (moscovitas, russos).

    Apesar disso, os atuais belarrussos, russos e ucranianos, como eslavos que são, lutaram juntos contra a invasão tartaro-mongol e juntos reconstruiram o país que viríamos a conhecer como Império Russo e juntos fizeram a revolução de 1917 que daria origem à URSS – União das Repúblicas Socialistas Soviéticas.

    Assim sendo, a economia, a organização social e política, as tradições culturais de ucranianos, russos e belarrussos estão intrinsica e historicamente ligadas, além de serem complementares.

    Setores inteiros da economia ucraniana dependem de insumos de empresas russas e belarrussas, assim como vários setores economicos russos e belarrussos dependem do fornecimento ucraniano.

    Há uma complementariedade entre a economia ucraniana e russa. Uma tem energia e a outra tem terras agriculturáveis, que juntas fazem a indústria funcionar.

    Mas, só por isso os ucranianos devem ficar junto aos russos aos invés de unir-se à UE?

    A Ucrânia, assim como qualquer outro país, pode e deve ser independente. Mas essa independência não pode significar apenas a troca do amo. “Libertar-se” da Rússia para entregar-se ao domínio europeu ocidental, não seria propriamente uma libertação, como apregoam os eurocentristas e os meios de comunicação comerciais e patronais.

    É preciso entender que a Europa não está preocupada com a Liberdade dos Ucranianos, nem com a falta de democracia no país.

    Os bárbaros europeus estão preocupados apenas com sua própria segurança alimentar e a Ucrânia tem as melhores e mais férteis terras do continente europeu. As terras pretas da Ucrânia são altamente produtivas e suficientes para produzir alimentos baratos para toda a Europa. É nestas terras pretas e na mão-de-obra barata da Ucrânia que o europeus estão de olho.

    Geeopoliticamente falando, europeus e os EUA também gostariam de poder instalar bases militares e uns misseizinhos a menos de 700 km de Moscou. Afinal no século passado a barbárie europeia promoveu 2 grandes guerras e nas duas não conseguiu derrotar os russos e ucranianos, quando estes lutaram juntos.

    As manifestações que há quase 2 meses tomam conta das praças de Kyiv, não são necessariamente um movimento popular e democrático como podemos ver no artigo Anarquista ucraniano alerta sobre a influência fascista na oposição ucraniana. Há muita grana dos neoliberais e nazistas europeus. É um movimento com fortes traços nazistas e eurocentristas que visa tão somente dividir os povos eslavos para torná-lo slaves (escravos).

    Há de se considerar ainda, que a Ucrânia não é um país monolítico. Não existe UMA Ucrânia. Aquele país é dividido em 4 países, no mínimo. Há o leste pró-russo, proletário e industrial. Há o ocidente, pró-europa, ultranacionalista e agrário. Há a região central, com Kyiv a frente tentando se equilibrar entre eles (leste e oeste) e ainda há Odessa, que não é russa, ucraniana ou judia, mas a síntese de toda esta mistura.

    O ocidente ucraniano lutou contra os soviéticos e apoiou a ocupação nazista. No leste e na região central da Ucrânia, também tiveram lugar lutas contra o poder soviético, mas com viés anarquista, de esquerda, demandando o aprofundamento da revolução de 1917.

    Quem já esteve no ocidente ucraniano sabe como é a presunção de superioridade racial dos ucranianos ocidentais e como é ridículo o que eles falam ou como tratam os demais povos.

    E o que isso tem a ver conosco, brasileiros?

    Embora pareça não ter uma ligação direta, o que está acontecendo na Ucrânia atualmente segue o mesmo script adotado em outras rebeliões tidas como populares que tiveram apoio da UE e dos EUA e grande cobertura favorável da mídia comercial e patronal. O mesmo script pode estar sendo aplicado no Brasil neste exato momento.

    Primeiro, noticiário negativista diuturnamente para criar o clima de instabilidade. Segundo, colocam-se facções da sociedade nacional em confronto direto e depois se justifica a intervenção externa.

    Lá na Ucrânia, o objetivo é ferir de morte a Rússia, uma das novas potências mundias, integrante dos Brics. Mas nem Europa nem Estados Unidos tem culhões para fazer uma intervenção direta no reinado de Putin. Usam para isso os laranjas ucranianos para criar a instabilidade, quitar-lhe as terras agriculturáveis e manter a Rússia ameaçada instalando bases militares e misseis em território ucraniano a poucos quilometros de Moscou e São Petersburgo, só para citar as mais famosas e principais cidades russas.

    Aqui no Brasil, a questão é o Pré-Sal. Os laranjas estão a serviço de quem quer o controle total do petróleo Pré-Sal, cujo leilão não agradou aos esquerdistas, mas desagradou muito mais às grandes transnacionais petroleiras e ao maior consumidor mundial do combustível fóssil.

    Embora, entre os manifestantes brasileiros e ucranianos exista gente bem intencionada, por trás de muitos movimentos estão fundações estrangeiras e suas aliadas nacionais com um mesmo modus operandis, com um mesmo patrão.

    No caso Ucraniano há grupos declaramente nazistas, como o Svoboda, abertamente à frente dos protestos de Kyiv. No Brasil, destróem patrimônio público, incendiam ônibus e até fuscas de trabalhadores, repetindo práticas nazistas de amedrontamento da população.

    O importante para essa gente é criar o caos, a instabilidade, a ideia de falta de governo e de poderes estabelecidos, que faz a opinião pública nacional e internacional acreditar na inevitabilidade da intervenção externa, de modo a impor um gerente mais confiável ao sistema capitalista internacional.

    Nem no caso do Brasil, nem da Ucrânia, toda a agitação política dos últimos tempos não se trata apenas de uma mera disputa nacional. Esta última é usada apenas para encobrir a disputa geopolítica internacional, onde o que se busca é acesso fácil e barato a recursos naturais abundantes ao mesmo tempo que se tenta coibir o crescimento de possíveis novas potências políticas, sociais, econômicas, militares mundiais.

    http://www.rodrigovianna.com.br/geral/o-embate-entre-russia-e-estados-unidos-na-ucrania.html

  202. Chesterton said

    Tony Blair regressa ao mundo dos vivos: em artigo para o jornal “The Observer”, o ex-premiê britânico escreve que as lutas do século 21 não serão mais ideológicas, como aconteceu na centúria anterior. Serão culturais, religiosas. Civilizacionais. Ó Deus, onde é que eu já ouvi isso?

    Obviamente, em 1993, quando Samuel Huntington horrorizou as consciências politicamente corretas com “The Clash of Civilizations?”, o artigo publicado na “Foreign Affairs”.

    Reli o texto de Huntington. Com 20 anos de distância, voltei a pasmar com a inteligência (e a presciência) do senhor. Blair e Huntington podem partir do mesmo ponto: há um “choque de civilizações” inegável. Mas chegam a conclusões radicalmente distintas.

    No ensaio, Huntington perguntava onde estariam os conflitos futuros quando todo mundo falava triunfalmente do “fim da história”. E respondia: esqueça as lutas clássicas entre Estados. E esqueça também as lutas no interior do Ocidente, motivadas por disputas econômicas ou políticas, como sucedeu no século 20. Esse tempo acabou: imaginar a França nas trincheiras contra a Alemanha é cenário irrealista.

    Os conflitos acabarão por emergir entre civilizações —ou, melhor dizendo, entre diferentes concepções do mundo que não podem ser resolvidas, ou harmonizadas, por um piquenique multiculturalista ou um seminário acadêmico entre pacifistas “new age”.

    Como escrevia Huntington, a questão futura não passa por saber qual é o lado certo da batalha; a questão primeira será saber quem somos nós. Porque é a identidade cultural, e não os interesses momentâneos do Estado, que irá definir os conflitos futuros. E, quando as coisas são postas nesses termos, não é possível ser meio muçulmano e meio cristão ao mesmo tempo.

    Aliás, as tensões entre o Ocidente e o Islã são analisadas por Huntington sem eufemismos: se Tony Blair, na sua coluna para o “Observer”, usa a palavra “Islã” com medo, Huntington é glacial. O conflito entre o Ocidente e o radicalismo islâmico dura 1.300 anos. Será mais violento nos anos próximos. E, pormenor importantíssimo que Blair (e Bush) esqueceu, não se resolve pela imposição de qualquer modelo democrático, por mais nobre que ele seja em teoria.

    Para certas sociedades, os valores fundamentais da civilização ocidental —”individualismo”, “secularismo”, “constitucionalismo” etc.— soam estranhos e, pior, ameaçadores. Por mais “primaveras árabes” que floresçam (e feneçam) no Oriente Médio.

    Perante este “choque de civilizações”, que fazer?

    Tony Blair, em momento de “mea culpa”, reconhece que o caminho não é militar: a democracia não se impõe à força porque os resultados, no Afeganistão e no Iraque, não foram propriamente brilhantes. Mas depois, com a ignorância que o define, Blair regressa a um mundo imaginário de fadas e duendes: o “choque de civilizações” só será evitado pelo entendimento e pela tolerância entre culturas.

    Como é evidente, Blair está falando para a minoria “ocidentalizada” que ele encontra no lobby dos hotéis de luxo no Cairo ou em Beirute. Ou então prepara o seu discurso de Miss Universo.

    Samuel Huntington, uma vez mais, revela a lucidez e a coragem que Blair não tem: perante o “choque de civilizações”, deve haver maior coesão no interior do próprio Ocidente, entre países que partilham os mesmos valores fundamentais.

    Isso implica um Ocidente que não esteja disposto a desarmar-se perante potenciais inimigos porque a palavra “inimigo” ainda continua fazendo parte da linguagem política contemporânea.

    E, claro, o Ocidente pode sempre apoiar grupos de outras civilizações que se interessam por essas extravagâncias como a “democracia” e os “direitos humanos”, sem ceder à tentação de tentar exportá-los pela força. A evolução para a modernidade é um caminho solitário que só essas civilizações podem (ou não) percorrer.

    Vinte anos depois do ensaio de Huntington e dez anos depois das aventuras no Afeganistão e no Iraque, continuo preferindo o realismo carnívoro do professor de Harvard ao idealismo vegetariano de Tony Blair.

    joão pereira coutinho

  203. Chesterton said

    Os principais lobistas de Brasília comentam de modo escancarado: o Partido dos Trabalhadores já dispõe de US$ 2 bilhões para investir na campanha eleitoral de 2014. A maior parte dos bilhões será empregada na reeleição de Dilma Rousseff. O dinheiro é resultado direto de uma espécie de Mensalão – ou “draw back” (vai e volta). Trata-se de um caixa dois construído de forma sofisticada, com recursos que saem do País e se dispersam, para voltar na forma disfarçada de investimentos em negócios ou em futuras “doações”.

    O mecanismo mensaleiro petralha é sofisticado. Grandes empresas que têm contratos com a administração federal direta ou com as “estatais” fazem subempreitadas de obras e serviços com “laranjas” (pessoas jurídicas de menor porte ou físicas – inclusive parentes de políticos ou “parceiros próximos”, para não dar na pinta). As terceirizações, principalmente nas empresas de economia mista, são as maiores fontes dos mensalões.

    Assim que o dinheiro da corrupção é disperso, ele pode voltar na forma dos tradicionais “mensalões” (contribuições a políticos, por baixo dos panos, geralmente em bens móveis, joias ou imóveis). Outra parte da grana vai se materializar em doações legais para serem esquentadas na campanha (de preferência, tudo contabilizado legalmente, com empresas aliadas, que depois repassam as comissões por serviços, de forma legal ou não, aos esquemas políticos beneficiados). A fiscalização é praticamente impossível.

    As empresas entram no jogo da corrupção, porque acham mais cômodo, ou porque são obrigadas a entrar no jogo, senão quebram, por falta de negócios. Este sistema corrupto – que não é praticado apenas pelo PT – opera em todos os níveis da administração pública. Repete-se na área federal, nos estados, e nos municípios – principalmente em todas as “estatais” destes três níveis de governança do crime organizado. Assim funciona o Capimunismo tupiniquim. A grana estatal (pública) irriga os negócios e parte dos recursos retorna aos esquemas políticos – retroalimentando “negócios”.

    A sofisticação do PT é que o partido investe a maior parte de seus recursos fora do Brasil, de forma “legalizada”, preferencialmente em bancos transnacionais e em grandes fundos de investimentos. É por isso que tanto dinheiro entra e sai do Brasil, sem parar. Tal sistema depende de taxas de juros altos, para remunerar o vai-e-vem da grana da corrupção. Obras e serviços com orçamentos superfaturados geram sobra permanente de dinheiro para alimentar os esquemas mensaleiros – que nunca deixaram de existir, e ainda se sofisticaram – mesmo após a fantástica condenação de uma minoria de políticos na Ação Penal 470, que correu no Supremo Tribunal Federal.

    A imprensa prefere não divulgar e o Ministério Público e a Justiça optam por não investigar a fundo tais mecanismos sujos que fazem a mágica riqueza dos políticos brasileiros. Por tanta impunidade, soa como um deboche o faniquito demagógico de ontem da Dilma Rousseff. A Presidenta ficou nervosa com a repercussão dos vultosos gastos dela na escala, em Portugal, após a ridícula participação no Fórum Econômico Mundial, em Davos.

    Não adianta Dilma jurar que pagou a conta com o dinheiro dela. Como chefe de Estado de um País com inflação e custo de vida se elevando, ela deveria dar o exemplo. Pega mal esbanjar, em saidinhas para jantares caríssimos, em restaurantes de luxo. Probidade também significa economia. Dilma mostra que é um fracasso neste aspecto. A gastança pessoal dela é apenas um triste reflexo do que faz o governo e que beneficia os esquemas políticos de negócios.

    O Brasil não tem jeito. Se a corrupção não for transformada em crime hediondo, com punições exemplares, ágeis, e mecanismos públicos transparentes de controle social dos gastos públicos, jamais seremos um País desenvolvido. Por isso, não adianta perder tempo com a aposta cara e inútil sobre quem vai ocupar o trono absolutista do Palácio do Planalto. Ou mudamos o modelo político, econômico – e por que não dizer, cultural e civilizatório – ou então seremos a eterna nação rica, mantida artificialmente na miséria, como mera colônia de exploração por forças corruptas nacionais e transnacionais associadas.

    © Jorge Serrão. Edição do Blog Alerta Total de 29 de Janeiro de 2014.

  204. Chesterton said

    Violência Generalizada, Caos e o Golpe de Estado que o PT Prepara
    Gilberto de Carvalho, a excrescência lulista infiltrada no governo Dilma, responsável direto pela drenagem do dinheiro do contribuinte para os chamados “movimentos sociais” monopolizados pela canalha petista, disse no final de 2012 que o “Bicho vai pegar”. Pegou. Os militantes petistas que desfilam em seus petites robes noires chamados de Black Blocs estão pegando, pegando em armas para assassinar policiais e soldados, para intimidar o público bovino e estúpido, para incendiar prédios, para destruir a propriedade privada e pública. Seu objetivo é claro, criar uma atmosfera de medo e violência insuportável, que demande a intervenção da força bruta e de um estado de exceção da ordem pública, isto é, um golpe de estado para eternizar os petistas no poder e instaurar de vez uma ditadura comunista no Brasil. Fujam dessa merda aqueles que tem juízo e oportunidade.
    POSTED BY SELVA BRASILIS

  205. Pax said

    Caro Chesterton, vou desenhar pra você:

    1 – em junho do ano passado o establishment conseguiu dividir as forças que tinham se juntado às ruas, era o povo mesmo, começou com a molecada da esquerda e o troço bombou, famílias foram às passeatas, jovens nada politizados, cidadãos completamente “despolitizados”. Reclamavam de uma Educação ruim, aumentou para Saúde ruim, e, quase todos, reclamavam um bocado sobre a corrupção generalizada.

    2 – a turma do PT fez biquinho, falavam de corrupção, estupidamente se colocaram na postura: “Corrupção, então tá xingando minha mãe!”. Foram às ruas peitar a turma do Mov Passe Livre, do PSTU, do PSOL, da molecada esquerdista mesmo.

    3 – uma outra turma, mais babaca ainda, neofascistas mesmo, entrou por outro lado, brigando com os dois.

    4 – uma quarta turma apareceu, essa dos black blocs, tem gente de tudo que é feitio nessa turma.

    Mas nenhuma dessas turmas era a maioria real, o povo às ruas. Queriam, sim, se apropriar do que surgiu naturalmente. O povo, afinal, foi às ruas por inúmeros motivos, mais que concretos. A Educação deixa a desejar, a Saúde deixa a desejar, a Segurança Pública deixa a desejar, envolve municípios, estados, federação, envolve governantes de todos os partidos que hoje tem nestes âmbitos e, claro, todos, sem tirar nem por, roubam até não aguentarem mais. TODOS.

    Quando digo que os reacionários se borram de medo do povo às ruas, estou falando do povo mesmo, da massa que não é representada em sua maioria por estes 4 grupos acima (nesta minha análise corrida).

    E o povo, a massa, tá com pé atrás, sabe que roubaram um caminhão, uma frota, nestas construções de estádios, aeroportos, estradas, enfim. Sabe que corrupção é uma chaga insuportável, paga imposto demais para porcarias de serviços, piores ainda agências que deveriam proteger seus interesses, seja dos planos de saúde, das estradas, dos portos, dos aeroportos e, sem perder a viagem, dos seus celulares, links, tvs a cabo etc.

    O povo tá puto, sim. E com toda razão.

    E a turma reacionária desarticula, cada um puxando a brasa para sua sardinha, Sergio Cabral pra evitar entrar debaixo da guilhotina, Alckmin porque o PSDB morre de medo de perder SP, Dilma e o PT temem que este movimento, se tomar embalo e não for parado, pode ameaçar as eleições, os prefeitos e vereadores porque podem ser descobertos em suas roubalheiras, enfim, todo mundo que não quer mudar o esquemão geral, esse que é “comandado” pelo espírito José Sarney de imperar o Brasil.

    Desenho mesmo eu faço, mas vai demorar, um diagrama de forças, com quadradinhos, setinhas, figurinhas mais bonitinhas, então lamba os beiços e leia quantas vezes for necessário para entender porque afirmo que situação e oposição, em todos os âmbitos, estão se borrando de medo das manifestações.

    E quem me acusa de defender black bloc, ou faltou muito nas aulas de interpretação de texto, ou está de má fé mesmo.

    Caro Otto, em respeito a ti, até li o texto do tal Sergio Bertoni. Caramba, o que o cara toma de café da manhã? Cogu? LSD? Ou fuma tanta marofa que já colou as placas? Viajandão total.

  206. Otto said

    Pax, quem via os dedos da CIA na conspiração que levou ao golpe de 1964 também era tachado de maluco.

    Aliás, o tal do #ChangeBrazil e vídeos em inglês postados na net mostram que as manifestações em junho não foram combustão tão espontânea assim…

    Egito, Síria, Líbia, Ucrânia…. Você quer isto mesmo pro Brasil?

    Quem ganha com o caos? O Psol? O Pstu? Eles logo, depois de servirem de inocentes úteis, serão defenestrados pelos barões da grana preta, de olho no nosso pré-sal e em outras coisitas más.

    Quem ganha é a velha ordem colonial: que pode se servir do Aécio, do Eduardo ou mesmo do Joaquim Barbosa.

    O governo não está perfeito? Claro que não. poderia melhorar? Claro que sim.

    Mas é o melhor que tivemos nos últimos 514 anos.

    Refute-me isto com dados, números, e não nhenhenhém.

  207. Chesterton said

    Bom, Pax, aqui no Rio até eu fui à passeata, só que você esquece que as passeatas iniciaram em São Paulo com o intuito de derrubar Alckmin e acabaram no colo da Dilma quando invadiram Brasilia. Então lembre-se, O PT, atraves de Carvalho esperava usar os grupelhos fascistas em São Paulo. Aí teu desenho fica bonito.

  208. Otto said

    Em dessas categorias você se enquadra, Pax?

    Do blog Jornalismo Wando, no Yahoo!

    #NãoVaiTerCopa #NãoVaiTerFusca #PartiuGuerraCivil

    Por Jornalismo Wando | Jornalismo Wando – ter, 28 de jan de 2014

    A cena acima foi registrada no último sábado em São Paulo, em meio a uma onda de protestos motivados pela campanha #NãoVaiTerCopa

    Um protesto cujas motivações não poderiam ser mais nobres: os excessivos gastos do governo com a Copa. Apesar de tudo estar definido desde 2007, o Brasil que despertou em junho sabe que agora pode mais. Pode tanto que já decidiu pelo povo. E o povo não quer a Copa.

    O mais difícil é identificar os personagens de um movimento tão heterogêneo, em que todos gritam com autoridade: “Não vai ter Copa!”, mas poucos revelam suas verdadeiras intenções.

    Mas quem são esses grupos que estão nas ruas? O que eles querem? Como se vestem? Como se reproduzem? Não, você não vai ver isso no próximo Globo Repórter. Eu mesmo ousarei traçar o perfil dos diversos atores do #NãoVaiTerCopa – uma tarefa nada fácil diante da complexidade desse novo Brasil, o mesmo país que sediou a Treta no Leblon na semana passada.

    Seguem os rótulos:

    Black Blocs = a face mais visível e violenta do movimento. Destruidores de símbolos capitalistas, os jovens anarquistas escolhem a dedo os seus alvos: relógios públicos, pontos de ônibus, orelhões, lojas de departamento e agências bancárias. São contra a Copa, os partidos, a direita, a esquerda, a família, a propriedade privada, o Estado burguês e mais uma lista infinita de itens considerados nocivos ao povo. Um autoritarismo adolescente que sabe muito bem o que o povo quer.

    Militantes PSOL e PSTU = jovens de esquerda. Leram – ou afirmam ter lido – Marx, Gramsci, Lênin. Consideram o futebol o ópio do povo e Dilma uma traidora da esquerda de raiz. Fazem questão de se diferenciar dos arruaceiros black blocs, mas admiram o ímpeto revolucionário do grupo e adoram ver o circo pegar fogo. Não visam a eleição no final do ano, mas apenas o bem estar da população.

    Indignados do Facebook = frequentadores assíduos das caixas de comentários dos grande portais, esses divulgadores do senso comum multinível dizem ser contra todos os políticos e partidos, mas no fundo, bem lá no fundo, são antipetistas fanáticos. Suas principais bandeiras políticas são: contra a corrupção, contra a impunidade, contra o mal, contra a violência urbana, contra a fome na África e contra tudo-o-que-está-aí. Para eles, os black blocs são vandalos infiltrados pelo PT para manchar seu movimento pacífico pela volta dos militares, os únicos realmente capazes de fazer valer a vontade do povo. Maycon Freitas é um dos líderes desse grupo.

    Acadêmicos do Guarani-Kaiowá = intelectuais acadêmicos de esquerda que têm ojeriza à política partidária engravatada e tendem a glamurizar todo e qualquer movimento jovem, sexy e ousado que se insurgir contra o status quo. Os Acadêmicos dão sustância intelectual às ações diretas do movimento e convencem muita gente da importância política do quebra-quebra. Estão sempre dispostos a cumprir o papel de ídolo da garotada.

    Fora do Eixo = máquina de papar edital conectada com todos os grupos acima, o grupo horizontaliza e dissemina a ideia do mundo pós-rancor, onde é possível captar dinheiro dos grandes capitalistas pra lutar contra o capitalismo, ter apoio do governo para lutar contra o governo e, assim, ganhar o lastro político necessário pra manter a máquina em movimento. Tudo ao mesmo tempo, agora e ao vivo pela TV Ninja.

    A união de tanta gente diferente em torno de um mesmo ideal torna a causa ainda mais nobre. Tão nobre que o fusca em chamas do trabalhador tem sido encarado apenas como “efeito colateral” da luta, um ponto fora da curva de uma manifestação essencialmente pacífica.

    Tirando o pessoal do Facebook, que culpa o PT pela violência dos black blocs, todos os outros setores do movimento deram um jeitinho de aliviar o lado da rapaziada incendiária. Um dos argumentos mais repetidos é esse: “não foram os manifestantes que puseram fogo no fusca. Eles apenas botaram fogo no colchão para impedir a passagem dos carros”.

    Os nossos salvadores da pátria vão além e jogam a culpa no Itamar, o pequeno burguês proprietário de um fusca 75 e uma serralheria, que ousou passar por cima do colchão:

    Entenderam? Os manifestantes não podem ser responsabilizados pelo incêndio do carro que o cidadão usava para trabalhar. A barricada estava ali, sem fazer mal a ninguém, e o senhor quis bancar o herói atravessando o fogo. Itamar nega que tenha tentado ultrapassar a barreira em chamas. Entretanto, os manifestantes e seus gurus intelectuais insistem em minimizar o evento e responsabilizar o “amedrontado” Itamar.

    A histeria coletiva seguiu crescente e somou-se à costumeira competência policial, que executou fielmente o que pede grande parte da sociedade paulista ao balear um dos manifestantes. Esse clima de guerra já estava pintado dias antes do protesto e assim permaneceu:

    Quem diria que o Brasil, até outro dia era considerado o país ‘bambambam’ pelas publicações estrangeiras, estaria hoje à beira de uma guerra civil causada pela realização de um evento marcado há 7 anos? Com a intensificação da crise no varejo, o galopante desemprego e a eminência de uma reeleição travestida de golpe comunista, nada mais natural que todos se unam contra os responsáveis pela gastança na Copa.

    Mas, contrariando todas as verdades absolutas do #NãoVaiTerCopa, um estudo da FGV prevê que R$142 BILHÕES serão injetados na economia com a realização da competição, além de mais de 3 milhões de empregos e, consequentemente, um acréscimo de R$63,48 bilhões à renda da população. Essas pesquisas científicas não ajudam em nada o movimento, principalmente num ano de eleição. Qual seria o custo político do sucesso – inclusive financeiro – da organização da Copa? Provavelmente a consolidação da candidatura Dilma na ponta da corrida eleitoral. Uma tragédia a ser evitada pelos opositores, sejam eles de esquerda ou direita.

    É por essas e outras que PSOL, PSTU, tucanos, black blocs, acadêmicos do guarani-kaiowá, entusiastas do golpe militar e Batman do Leblon, já decidiram o que é melhor para o país. Por isso, gritemos todos numa só voz #NãoVaiTerCopa*.

    #AcordaBrazil #PartiuGuerraCivil

    * o movimento #NãoVaiTerCopa é filho do movimento #AcordaBrazil e, caso a Copa se concretize, automaticamente será rebatizado como #NãoVaiTerEleição

    http://jornalggn.com.br/noticia/o-perfil-dos-diversos-atores-do-movimento-naovaitercopa

  209. Pax said

    Como Nassif joga contra sua própria credibilidade não?

    Colocar um texto como esse que trazes, caro Otto. Tal de Jornalismo Wando.

    Agora entendeu porque não leio Nassif?

    Caro Chesterton,

    Não, você está enganado. A turma que iniciou os movimentos em junho do ano passado não queria derrubar Alckmin. Queria, tinha, uma bandeira popular, uma luta de classe, é assim que funciona essa turma.

    E aí, Alckmin, Haddad etc, quem estiver na frente, pouco importa se é azul, vermelho, tucano, petista… todos são seus inimigos.

    Essa turma é assim: acham o PT direita. Mas, verdade, acham o PSDB extrema direita.

  210. Pax said

    Falando em PSDB e PT…

    Manchete da Folha:

    Ministro da Saúde assina convênio de R$ 199 mil com ONG fundada pelo pai
    Acordo é firmado antes de Padilha deixar a pasta para assumir pré-campanha do PT em SP

    http://www1.folha.uol.com.br/poder/2014/01/1404888-padilha-assina-convenio-com-ong-fundada-pelo-pai.shtml

    Manchete do Estadão:

    Ex-diretor da CPTM diz não se lembrar de quem recebeu US$ 550 mil
    http://blogs.estadao.com.br/fausto-macedo/ex-diretor-da-cptm-diz-nao-se-recordar-de-quem-recebeu-us-550-mil/

    Ou seja, rouba-se a rodo, de caminhão, aos borbotões, azuis, vermelhos, gregos, troianos, fariseus, filisteus…

  211. Patriarca da Paciência said

    Mas caro Pax,

    você percebeu que, finalmente, o PT rompeu a incrível blindagem do PSDB, via Lewandowski, e o ministro Cardozo entrou com uma ação acusando o Aníbal de 15 crimes?

    Então o pescoço do Chesterton está mesmo em apuros?

  212. Otto said

    Ô Pax, que dificuldade você tem como humor!

    Através da ironia se dizem as maores verdades, como por exemplo nos mostrou Sócrates.

  213. Otto said

    Por favor, Pax, toma este cafezinho até o final e me explique porque a celeridade de o JB esconder tão prontamente o inquérito 2474.

    Você sinceramente não acha que há caroço nesse angu?

    Bomba! O vídeo que pode derrubar Joaquim Barbosa!
    Enviado por Miguel do Rosário on 30/01/2014 – 6:10 am 11 comentários
    Prestem atenção nesse vídeo. Nele, Joaquim Barbosa fala inúmeras inverdades, além de seus ataques de praxe aos direitos dos réus.

    É uma votação de 12 de maio de 2011. Julga-se exatamente se o STF deve liberar ou não os autos do Inquérito 2474 a alguns réus da Ação Penal 470. Barbosa vinha mantendo o Inquérito 2474 em sigilo desde que o recebeu, em março de 2007. No início de 2011, vazou uma pequena parte à imprensa, e vários réus da Ação Penal 470 solicitam ao STF para terem acesso à íntegra do inquérito, que tem 78 volumes. Barbosa, então relator da Ação Penal 470, recusa, e o caso vai a votação. Ao final, Barbosa vence, com ajuda de Ayres Brito, que desempata a votação.

    Barbosa afirma que inquérito 2474 trata de outros réus e assuntos não relacionados ao mensalão petista.

    Mentira.

    O relatório do Inquérito 2474 trata dos réus que também estão na Ação Penal 470, como Marcos Valério e seus sócios, e Henrique Pizzolato e Gushiken. E traz documentos, logo em suas primeiras páginas, dos pagamentos Banco do Brasil à DNA, referentes às campanhas da Visanet. Ora, o pilar do mensalão foi o suposto desvio de recursos da Visanet, no total de R$ 74 milhões, para a DNA, sem a correspondente prestação de serviços. Como assim o Inquérito 2474 trata de assuntos diferentes?

    Barbosa diz que a Polícia Federal tomou cuidado para “não apurar, no Inquérito 2474, nada que já esteja sendo apurado na Ação Penal 470″.

    Mentira.

    No inquérito 2474, um dos documentos mais analisados é o Laudo 2828, que investiga o uso dos recursos Visanet, que é o tema principal da Ação Penal 470.

    Celso de Mello dá uma belíssima aula sobre a importância, para a defesa, de conhecer todos os autos que possam lhes ajudar. E vota contra o relator, em favor do pedido dos réus.

    Barbosa se posiciona, como sempre, como um acusador impiedoso e irritado, sem interesse nenhum em dar mais espaço à defesa.

    Observe ainda que Celso de Mello dá sutis estocadas irônicas na maneira “célere” com que Barbosa toca esse processo (a Ação Penal 470), “em particular”. Ou seja, Mello praticamente acusa Barbosa de patrocinar um julgamento de exceção.

    Celso de Mello alerta que a manutenção de sigilo para documentos que poderiam ajudar os réus constitui um “cerceamento de defesa”.

    Barbosa agiu, como sempre, como um inquisidor implacável e medieval. Ayres Brito e Luis Fux, para variar, votam alinhados à Barbosa.

    É inacreditável que o Supremo Tribunal Federal (STF), um lugar onde supostamente todas as garantias individuais deveriam ser asseguradas aos cidadãos perseguidos pelo Estado, de repente se transfigurou num tribunal de exceção, de perfil inquisitorial, no qual os direitos da defesa foram tratados, sistematicamente, como meras “chicanas”, “postergações inúteis”.

    Todas as regras foram quebradas, mil exceções foram criadas, para se condenar sumariamente.

    Nesse vídeo, temos a prova de que Barbosa agiu deliberadamente para cercear direitos à defesa. Esso é o pior crime que um juiz da suprema corte pode cometer, e que justifica um pedido de impeachment.

    Entretanto, se pode verificar no vídeo o nervosismo de Barbosa para afastar qualquer possibilidade de trazer as informações do inquérito 2474 para dentro dos debates.

    Celso de Mello lembra, então, que o plenário ainda estava na fase de apurações, e que portanto era o momento adequado para enriquecer o debate com mais informações, ao que Barbosa responde, com sua prepotência de praxe, que a fase de investigação estava “quase no final”. Como quem diz: “não me atrapalhe, quero terminar logo esse circo; vamos condenar logo esses caras os mais rápido possível; temos que dar satisfação à Rede Globo.”

    – See more at: http://www.ocafezinho.com/2014/01/30/bomba-o-video-que-pode-derrubar-joaquim-barbosa/#sthash.UAcxjgfO.dpuf

  214. Otto said

    O vídeo está aqui:

  215. Pax said

    Caro Patriarca,

    O Cardozo finalmente abriu processo? Tens algum link sobre essa notícia?

    Caro Otto,

    A ironia de Sócrates era bem outra.

    Desculpe-me, não vou ler mais esse cafezinho. Já dei inúmeras chances do cara tentar me convencer que merece credibilidade, através de tanto que você coloca aqui. Mas confesso que chega. Sinto muito. Ver o vídeo? Ok, dá uma ligadinha pro suspeito Paulo Bernardo e pede para consertar a merda do #LINK_PADRÃO_DILMA que eu vejo, um dia, talvez.

    Você me pergunta se quero que o Brasil fique igual Egito, Síria, Líbia, Ucrânia? Cara, não tenho foco no Internacional, acompanho, sim, vejo algumas notícias, vejo alguns debates, leio, mas não profundamente. Não poderia entrar numa discussão sobre as questões destes países sem ser um tanto superficial.

    Mas insisto, não tenho o menor medo do povo às ruas. Ao contrário, acho que o povo tem que estar às ruas, tem que reclamar de seus direitos. Tem que exigir Educação, Saúde, Segurança e serviços pelos quais paga uma barbaridade de impostos (não que eu queira outra forma, vcs estão cansados de saber que não sou contra, ao contrário, de um Estado Forte, um estado que cobre o que dá de volta).

    E se este país precisar de uma guerra civil contra a corrupção que desvia toda essa dinheirama, em todos os âmbitos e recantos, do menor município ao maior palácio do planalto central, que assim seja.

    Não se muda um rumo ruim, muito ruim, sem que ovos sejam quebrados.

    Não, black blocs não me representam, esses idiotas da direita, neofascistas, não me representam. Esses idiotas de parte da militância petista, idem ibidem, neofascistas, não me representam.

    Essa garotada da esquerda, apesar de inúmeras diferenças, essencialmente porque não sou socialista, sou social-democrata, mas essa rapaziada tem minha atenção, tem minha proteção. E parte dela é insuportável, também. Mas estão lá, batalhando, já estive nas mesmas trincheiras e acho que fazem muito mais bem que mal, que fazem, às vezes, também.

    Você, a certa altura, me pergunta se houve algum governo melhor nestes 500 e poucos anos de Brasil? Não vou te responder diretamente, vou te responder com outra pergunta, colocando dados, como pediste:

    – Você acha que um governo que tirou da miséria, sei lá, 30, 40 milhões de brasileiros, que colocou boa parte desse contingente no rumo do crédito e do consumo, muitas vezes criticável (comprar o que não precisa pra rodar a economia) etc, tem o direito de se dizer bom, sendo a 6a ou 7a economia e, ao mesmo tempo, sendo o 8o em números de analfabetos, que em 11 anos de governo conseguiu reduzir este índice em apenas 1% (*)?

    Não, não pode, Otto, este governo não me representa. Para deixar o Chesterton bravo, em Cuba, depois que Fidel assumiu, eles acabaram com o analfabetismo em 2 anos, se não me engano, ou 3, no máximo. (fazem a maior cagada do mundo de serem uma ditadura, mas uma ditadura de alfabetizados com saúde garantida, maior taxa de centenários do mundo). ((((não, não quero morar em Cuba!!!!))))

    Este governo, caro Otto, comandado por Lula, que tem no Planalto Gilberto como o pé do comandante em chefe, diz, através deste secretário, que o povo às ruas é uma ingratidão, este mesmo povo que recebeu uma ínfima parcela de seus direitos – sim, por mérito de Lula, parte de FHC – que todos deveriam lamber os beiços porque o politiburo tá lá armando suas falcatruas com suas alianças, doando as sesmarias brasileiras e afundando o futuro do país nesta Educação de quinto mundo. Parte deste politiburo apanhando trocados em boca de caixa de bancos que articulam formas de ganhar dinheiro com o governo, pegando carrinhos, jeepinhos bacanas de agrados etc…

    Amantes comandando agências regulatórias, dezenas de milhares aparelhando o estado, sindicatos desvirtuados, ah, pera lá. Desculpa aí. Não nasci ontem.

    O PT deu o que tinha pra dar. Esgotou-se. Não tem mais a oferecer. Não vai sair disso. Fadigou.

    E quer saber o pior?

    Talvez seja o menos péssimo. Talvez seja a opção vomitável para este ano eleitoral.

    Isso que deixa triste, muito triste.

    (*) a notícia está na Band, no Uol, mas, antes de ficarem nervozinhos, ela é da Agência Brasil:
    http://noticias.band.uol.com.br/mundo/noticia/100000660328/taxa-de-analfabetismo-cai-1-em-11-anos.html

  216. Patriarca da Paciência said

    Caro Pax, na Globo, você acredita?

    “O presidente em exercício do Supremo Tribunal Federal, Ricardo Lewandowski, autorizou a abertura de inquérito para apurar se o deputado federal licenciado e atual secretário de Energia do estado de São Paulo, José Aníbal (PSDB), cometeu o crime de injúria contra o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo. A decisão foi tomada na terça-feira (28).
    Em nota, Aníbal afirmou que já entrou com uma representação contra o ministro por “denunciação caluniosa” e que o ministro “se presta a transgredir como portador de dossiê anônimo e falso para atingir adversários políticos”.
    “Entrei com denunciação caluniosa acerca dos fatos que o sr. José Cardozo se refere nesta representação, que está no Ministério Público, para apurar fabricação de dossiês falsos.
    Ministro da Justiça que se presta a transgredir como portador de dossiê anônimo e falso para atingir adversários políticos merece mais do que eu já disse dele”, afirma a nota.
    Em 17 de dezembro, o ministro protocolou no STF uma queixa-crime contra Aníbal, que foi distribuída para o ministro Luiz Fux ser relator. A decisão de abrir a apuração, porém, foi tomada por Lewandowski em razão do recesso do Judiciário, no qual o presidente em exercício concentra as decisões da Corte.”

    http://m.g1.globo.com/politica/noticia/2014/01/stf-autoriza-apuracao-sobre-se-jose-anibal-cometeu-injuria-contra-cardozo.html

    Veja aí o último parágrafo:

    Em 17 de dezembro, o ministro protocolou no STF uma queixa-crime contra Aníbal, que foi distribuída para o ministro Luiz Fux ser relator. A decisão de abrir a apuração, porém, foi tomada por Lewandowski em razão do recesso do Judiciário, no qual o presidente em exercício concentra as decisões da Corte.”

  217. Pax said

    Caro Patriarca,

    Obrigado pelo link, você sempre muito gentil comigo.

    E, juro, confesso alegria que ganhaste essa “queda de braço” entre você e mim. Apostei o pescoço do Chesterton e perdi. :-)

    Bem feito, para o José Aníbal.

    Aliás, esse trensalão está mais que na hora de ir para onde deve: Justiça, pegar o apanhado de provas, abrir o processo, fazer denúncia e cadeia na turmaiada.

    Cadeia é pra grego e pra troiano e tá faltando tucano.

  218. Otto said

    Pax, te admiro embora tu sejas um tanto teimoso, negando-se a buscar informações que contradizem as convicções que criaste com notícias sobretudo da granade e ínclíta mídia.

    Vamos dar tempo ao tempo e var quem tem razão…

    Ah, Carta Maior você aceita?

  219. Chesterton said

    A turma que iniciou os movimentos em junho do ano passado não queriam derrubar Alckmin. ~

    chest- ha, ha, ha

  220. Otto said

    Do Grande Roberto Locatelli:

    Os black-blocs conseguiram restaurar a ditadura no Egito.
    Num perfil black-bloc do facebook lia-se: “NÃO VAI TER COPA, NEM ELEIÇÃO”. Depois essa frase foi retirada.
    Aqueles que cerrarem fileiras com os mascarados tucanonymous estarão cerrando fileiras com o golpe patrocinado por Tio Sam.

  221. Chesterton said

    Otto, que peça de ficção, tucanonymous , black-blocks tucanos…..

    ————

    A essência do socialismo é a coerção, a coerção institucional oriunda do estado, por meio da qual se pretende que um órgão planejador se encarregue de todas as tarefas supostamente necessárias para se coordenar toda uma sociedade. A responsabilidade é retirada à força dos indivíduos — que são naturalmente os únicos responsáveis por sua função empresarial, e que almejam seus objetivos e querem alcançá-los utilizando os meios mais adequados para tal — e repassada a um órgão planejador que, “lá de cima”, pretende impor por meio da coerção sua visão específica de mundo e seus objetivos particulares. Nesta definição de socialismo, vale enfatizar que é irrelevante se este órgão planejador foi ou não eleito democraticamente. O teorema da impossibilidade do socialismo se mantém intacto, sem nenhuma modificação, independentemente de ser democrática ou não a origem do órgão planejador que quer impor à força a coordenação de toda a sociedade.

    do tambosi

  222. Pax said

    Caro Chesterton, em #219.

    Entendi tua risada e me penitencio pelo assassinato do português. Já corrigi no meu post. Confesso envergonhado que não sabia ser capaz de tanta grosseria com nossa língua.

    Obrigado por isso.

    Então, com o texto em português melhor, volto a afirmar:

    A turma que iniciou os movimentos em junho do ano passado não QUERIA derrubar Alckmin. ~

    1 – essa turma envolve a militância trotskista, caro Chesterton, conheço uma parte dessa molecada hoje abrigada no PSOL, PSTU principalmente. E essa molecada torce o nariz para esse endireitamento de Lula, do PT, essa sarneyzação em que o PT se meteu. Acham Lula um traidor. Já ouvi ofensas ao ex-presidente que vou te contar.

    2 – o aumento não era um aumento estadual, e você sabe bem disso, o confronto, era, com o Haddad.

    Que precisou e se amasiou com o Alckmin, sim, para sentar o cacete na molecada. Ambos de braços dados, tomando champagne em Paris, e mandando sentar o sarrafo.

  223. Elias said

    Chester doidim,

    Eu nunca disse que comprei a R$ 23. Eu sempre disse que comecei a comprar há décadas, e que, de lá pra cá, os papéis valorizaram muito mais que qualquer outra opção de investimento. Alguns “top de linha” de quando comecei a comprar hoje nem existem mais. Faliram. E o Petrossauro continua, firme e forte.

    Tubulou quem pegou corda do Merrill, porque vendeu na baixa. E esse pessoal, vendo a Merrill comprar, sabe que se ferrou.

    Se eu tivesse alguma baba sobrando, sabe o que eu faria, agora? Compraria Petrossauro, cravado! Quem tem e não compra, está sendo otário. É o melhor lance do momento.

    Tanto que o Merrill está comprando adoidado…

    Já sei: Chester, o trader, acha que o Merrill Lynch é uma associação de otários…

    Napoleão de hospício!

  224. Chesterton said

    Para que eles foram ao palacio do Governo então?

    Bem…

    Dilma, a grande derrotada de Davos.

    O Brasil saiu como o perdedor de Davos e o México, como o vencedor . A conclusão é do blog beyondbrics, do “Financial Times”. “Neste ano, os participantes do Fórum Econômico Mundial avaliaram que houve países vencedores e perdedores, especialmente entre os mercados emergentes”, afirma texto publicado na terça-feira.

    “O Brasil foi o país menos mencionado na lista quente de Davos. Com a percepção de falta de investimentos estruturais e o sentimento que muito do crescimento vinha de consumo, não havia muitos comentários positivos sobre o país”, diz o artigo, citando o economista chefe do Itaú, Ilan Goldfajn, que foi diretor de política monetária do Banco Central quando Fernando Henrique ocupava a presidência da República. “Os investidores estão olhando para países com economia sustentável e estável. O Brasil não é um deles.”

    Para o colunista, Peter Vanham, o fato de Dilma Rousseff ter se saído do país às vésperas da abertura da Copa do Mundo para falar em Davos não mudou em nada o humor dos agentes econômicos.

    Por outro lado, “o México foi o emergentes que recebeu mais tapinhas nas costas — e o presidente Enrique Peña Nieto reagiu enchendo o peito”. Os participantes aprovam as reformas que o país tem feito, analisa o mexicano Angel Gurria, secretário geral da OCDE. “No que tange a reformas, um país se sobressai e tem feito uma trabalho excepcional. E digo com orgulho: é o México”, afirmou. (O Globo)

    blog do coturno noturno

  225. Elias said

    Otto,
    Lamento discordar, mas o que aconteceu na Sérvia, e está acontecendo com a Síria, o Egito, a Ucrânia, a Geórgia & quejandos, não tem nada a ver com o Brasil de 1964, e, menos ainda, com o Brasil de 2013.

    E mais: o que aconteceu na Sérvia, e está acontecendo com a Síria, o Egito, a Ucrânia, a Geórgia & quejandos, nada tem a ver com a CIA.

    Tem mais a ver com um velhinho genial — Gene Sharp — e seu livro genialíssimo: “Da ditadura à democracia”.

    Bem que a CIA quis se chegar a ele. Gene Sharp simplesmente refugou. Aliás, ele faz críticas pesadíssimas à CIA e ao governo dos EUA. Não tem nem quer ter nada a ver com aquela nem com este.

    O pequeno grande livro de Gene Sharp simplesmente ensina como detonar com uma ditadura, seja ela de esquerda, de direita ou do que for. E é impressionante como as dicas do velho Sharp funcionam nas mais diferentes latitudes e longitudes, desde que os regimes tenham uma coisa em comum: sejam ditaduras.

    Sharp, sozinho, sem disparar um único tiro, e sem gastar um único centavo (ele é pobre de marré..), fez o que a CIA gastou os tubos pra fazer, e não conseguiu, e, em outros casos, gastou os tubos pra impedir, também não conseguindo.

    Embora matusa, nascido em algum distante ponto do século passado, Gene Sharp é, definitivamente, uma personalidade e um ícone político do Século XXI. E, neste século XXI, vamos ter que mudar vários dos paradigmas que trouxemos do século passado.

    Quem ainda não sabe quem é Gene Sharp, e ainda não tomou consciência de sua importância para os nossos dias, não sabe o que está perdendo…

  226. Elias said

    Pax,
    Esse negócio de querer isso ou aquilo “igual à da FIFA” é um papo tão imbecil que nem merece ser comentado…

    É preciso ser muito idiota pra não perceber a manipulação grosseira e partidária que está embutida nesse discurso pra engabelar otário.

    O que aconteceu no ano passado, foi um movimento estruturado por uma organização política implantada em âmbito nacional, com perfil político-ideológico nitidamente de esquerda, mas que não é ligada organicamente a nenhum dos partidos políticos brasileiros. Essa organização chama-se “Consulta Popular”, e quem não sabe quem é ela, nem percebe sua influência no movimento popular brasileiro, está passando ao largo de qualquer tentativa de entender politicamente o Brasil de hoje.

    Acontece que, em 2013, a “Consulta” deflagrou um processo muito maior e muito acima de sua capacidade de dirigir politicamente. Ela perdeu o controle da situação. e a coisa se tornou um badernão lumpem. Isso conflita com a metodologia e até mesmo com os propósitos estratégicos da organização.

    É preciso ser muito doido, ou estar muito desinformado pra achar que, em 2014, seria possível manipular partidariamente uma estrutura como a “Consulta”, e traficar politicamente a massa de militantes sob a direção desta, para usá-la em favor de objetivos eleitorais.

    Se há uma coisa que o pessoal da “Consulta” sabe fazer bem… É política.

    No ano passado, a turma do badernão se misturou às manifestações da “Consulta”, vendendo gato por lebre.

    Neste ano, sem a “Consulta”, vai ficar só o pessoal do badernão, mesmo. Menor que a torcida do América, como diz o Rui Castro.

    Se esse pessoal insistir, o que vamos ouvir — logo, logo — será a grita generalizada, pedindo pau pra cima do badernão.

    Desde há alguns meses que venho cantando a pedra: a “Consulta” deve ter analisado ou deve estar analisando, com o mais absoluto cuidado, os acontecimentos de 2013. E, certamente, dessa análise resultarão algumas mudanças táticas…

  227. Elias said

    O pessoal que diz que o México tá com tudo, agora, é o mesmo pessoal que dizia que o México estava com tudo, há alguns anos, quando seu presidente dizia que administraria o país como uma empresa…

    E foi o que ele fez. Só que a empresa que ele administrou… Faliu!

    O economista chefe do Itaú está fazendo campanha política… O que ele diz agora, é o mesmo que ele vem dizendo desde 2002. É o discurso monomaníaco do PSDB. É só pesquisar…

    O crescimento recente do Brasil foi baseado em consumo? Antes fosse!

    Até as pedras sabem que o crescimento recente do Brasil foi baseado em exportações. Principalmente para a China e para os EUA. Quando esses dois reduziram suas compras. o Brasil reduziu suas vendas e a quitanda quase teve que fechar…

    “Crescimento sustentável”?

    Essa é uma expressão que, nos dias de hoje, tem a mesma consistência da expressão — “é só a cabecinha, bem…” — que nós, marmanjões de agora, tanto usamos no passado que, pelo menos pra mim, já se faz remoto…

    Tirando a China — que, aliás, reduziu o ritmo do galope pra caramba! — quem “sustentou” crescimento nos últimos 5 anos?

    Conversa pra enganar trouxa…

  228. Otto said

    Elias, Gene Sharp foi importante para as chamadas revoluções coloridas dos anos 90.

    Outras coisas aconteceram de permeio e o quadro ficou muito mais nebuloso.

    Gostaria que tu lesses este artigo, que trata lateralmente do assunto:

    http://www.cartamaior.com.br/?/Coluna/Vai-ter-eleicao-/30119

  229. Pax said

    Caro Elias, #226,

    Acho que vc está colocando fichas demais no Consulta Popular.

    Mas a mesa de pôquer é livre e as análises de cada um também. Não cubro essa tua aposta.

    Melhor que isso, estou procurando a molecada pra me informar melhor, vou falar com dois deles chegados, um do PSTU e outro do PSOL. Assim que souber mais destas fontes prometo trazer para cá para engordar essa discussão com mais elementos.

    Há muitas praças neste jogo e nem todas jogam com as mesmas formações. Um bom exemplo é em Salvador onde o Consulta Popular apoia o governo e PSTU e PSOL não. Esse é um entre muitos.

    Mas ainda vou mais longe, pegando o que aconteceu em junho do ano passado.

    Independente das ruas terem inicialmente sido ocupadas por essa galera, a grande massa que rolou não está ligada com essa turma. A maioria nem mesmo sabe quem são estes movimentos. O povo foi pra rua porque houve um estopim que os fez lembrar que Educação é uma merda, Saúde é outra, Segurança é outra, que a roubalheira é sem fim, que a copa está usando um caminhão de dinheiro e estas outras necessidades não são resolvidas etc etc.

    Essa massa não tem representação, sabe que existe PT, sabe que existe PSDB, DEM, PMDB, mas nem mesmo diferenciam estes partidos.

    A multidão que vimos, 1 milhão no Rio, sei lá quantos mil em São Paulo ( eu vi muito mais que 100 mil como anunciaram, muito mais), só aqui na cidade, pequena, havia milhares de pessoas, encheram 3 avenidas grandes. Essa multidão não está ligada em nenhum destes movimentos. Mas está com toda sua insatisfação represada.

    Combustível, comburente e estopim, lembre-se disse, são os elementos que fazem o fogo.

    Combustível e comburente tem de sobra. Falta estopim.

  230. Chesterton said

    e quando a bolha estourar o risco é grande…..acho que vou estocar água……

  231. Chesterton said

    http://noticias.terra.com.br/brasil/cidades/sp-organizadores-de-rolezinhos-se-filiam-a-uniao-da-juventude-socialista,edef3d14d90e3410VgnVCM20000099cceb0aRCRD.html

  232. Chesterton said

    SP: organizadores de rolezinhos se filiam à União da Juventude Socialista

    Organizadores dos chamados rolezinhos em São Paulo se filiaram na última segunda-feira à União da Juventude Socialista (UJS), entidade ligada ao PCdoB e que comanda a União Nacional dos Estudantes (UNE). De acordo com a UJS, entre os novos membros está Vinicius Andrade, um dos líderes do rolezinho ocorrido no Shopping Itaquera, na zona leste da capital, no último dia 11.

  233. Chesterton said

    QUARTA-FEIRA, 29 DE JANEIRO DE 2014

    Agora ninguém mais nega: A Década de 1970 está de volta!!!
    O tempo realmente é incrível… há 4 anos atrás eu era um alarmista. Há 3 anos atrás eu era irresponsável. Há 2 anos atrás eu era “daqueles que torcem para dar tudo errado”. Ano passado eu era “aquele cara é radical demais”. Pois bem, ano que vem é 2015, o ano do ajuste. Quantas vezes alertei? Quantas vezes disse que estávamos revivendo OS MESMOS ERROS cometidos na década de 1970?

    Que tal me ver alertando sobre o problema em vídeo? Clique aqui!

    Que tal me ver alertando sobre o problema numa vídeo aula? Clique aqui!

    Ou então você pode apenas ler o texto abaixo… onde eu alerto com todas as letras sobre o problema. Você também pode ler o professor Roberto Ellery dando o mesmo alerta. Ou ainda pode ver o mesmo alerta sendo dado pelo pesquisador Mario Jorge Cardoso de Mendonça. Resumindo, falta de aviso não foi. Abaixo transcrevo minha entrevista publicada no dia 31 de julho de 2012.

    Pergunta 1) O Brasil está revivendo o final da década de 1970? Será que em breve estaremos revivendo a década de 1980 (apelidada de década perdida)? Por quê?

    Sachsida) Sim. Temos hoje um governo que tem as mesmas ambições, e que utiliza os mesmos métodos errados, empregados pelos gestores de política econômica do final dos anos 1970. Tal como no final da década de 1970, os gestores da economia brasileira se recusam a realizar os ajustes macroeconômicos necessários. Tal como no final da década de 1970 temos o governo como o grande promotor do crescimento econômico. Seja escolhendo setores, e favorecendo-os com generosos subsídios do BNDES, seja escolhendo indústrias e favorecendo-as com desonerações fiscais, o governo tenta a todo custo dizer para onde deve ir a economia. Essa política de dirigismo estatal não funcionou antes, e irá fracassar novamente agora. É estranho que o Brasil adote hoje políticas que já fracassaram no passado e espere por resultados diferentes.

    É uma ilusão acreditar que o Brasil não necessita de recursos externos. Existe aqui algo diferente da década de 1970. Hoje uma desvalorização cambial, no primeiro momento, favorece as contas públicas brasileiras. Isto ocorre por dois canais: 1) as reservas internacionais que o Brasil mantém diminuiriam a dívida pública em reais; e 2) a inflação resultante ajudaria a equacionar o problema fiscal. Adicionalmente, o setor público não está tão endividado em dólares como ocorria ao final da década de 1970. É com base nisso que alguns analistas argumentam que a dependência externa brasileira não é tão severa. Contudo, se esquecem de que, num segundo momento, as incertezas decorrentes desse ambiente trariam o caos de volta à economia brasileira. Também devemos ressaltar o óbvio: de onde vem a poupança para financiar o investimento brasileiro? Certamente não é do setor público. A poupança interna privada também não é suficiente. Isto é, boa parte do investimento nacional se realiza por meio de poupança externa. Poupança essa que denota a grande dependência que temos dos recursos externos.

    Tal como a década de 1980 foi conhecida como década perdida, temo que as políticas econômicas atuais do governo brasileiro (muito semelhantes às políticas adotadas ao final da década de 1970) nos joguem numa crise de proporções equivalentes no futuro. Existem hoje vários problemas que podem complicar razoavelmente o desempenho de longo prazo do Brasil. Em particular, quero ressaltar a questão demográfica, uma verdadeira bomba relógio que o governo insiste em não desarmar.

    Pergunta 2) Qual o maior risco do cenário externo para a economia brasileira?

    Sachsida) Existem hoje dois grandes riscos para o Brasil: a) uma queda no preço das commodities; e b) um aumento na taxa de juros internacional. Uma queda no preço das commodities afeta negativamente os termos de troca nacionais, em resumo, nos deixa mais pobres. Note que ao longo do tempo é normal a oscilação dos termos de troca. Assim como hoje tal oscilação nos favorece, um dia tal tendência irá se inverter. Nada de errado com isso. Errado é deixarmos em segundo plano o importante papel que as commodities representaram no desenvolvimento econômico brasileiro recente.

    Cedo ou tarde a inflação irá ressurgir nos EUA e na Europa. Quando isso ocorrer tais países irão aumentar a taxa de juros, que hoje se encontra num patamar mínimo histórico. O aumento das taxas de juros internacionais será o começo do suplício da economia brasileira. Devemos aproveitar enquanto a taxa de juros internacional ainda é baixa para realizarmos os necessários ajustes macroeconômicos. Infelizmente, a recusa em fazer isso, aliada ao aumento dos gastos do governo, terá consequências nefastas para nossa economia quando do aumento da taxa de juros internacional.

    Pergunta 3) O governo parece estar usando política tributária para controlar a inflação. Você acredita que isso seja verdade? Se for verdade, concorda com isso? Por quê?

    Sachsida) Sim, o governo vem adotando mecanismos exóticos de combate à inflação. Essa equipe econômica é tão ruim que é bem provável que eles não tenham notado que as desonerações tributárias iriam reduzir a inflação medida pelo IPCA. Contudo, uma vez que o fruto proibido foi provado o governo parece ter gostado da ideia e insiste nela. O exemplo mais gritante foi a questão da CIDE, onde o governo clara e intencionalmente usou política tributária para conter a inflação.

    Usar política tributária para combater inflação é uma ideia medíocre. Apoiar isso requer um alto grau de analfabetismo econômico.
    POSTADO POR ADOLFO SACHSIDA

  234. Otto said

    Estão colhendo assinaturas em uma petição que será enviada ao Senado Federal com um pedido de Impeachment do Presidente do Supremo Tribunal Federal Joaquim Barbosa em razão dos seus constantes ataques a democracia brasileira. Cliquem no link abaixo, assinem e divulguem!

    https://secure.avaaz.org/po/petition/Senado_Federal_Impeachment_de_Joaquim_Barbosa/?copy

  235. Chesterton said

    confessa Otto, você está recebendo uma verba, não está?

  236. Chesterton said

    http://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/2014/01/1405156-video-mostra-que-jovem-correu-atras-de-policial-antes-de-ser-baleado.shtml

  237. Pax said

    Caro Elias,

    Pela conversa que tive com meu sobrinho, que é do PSTU, estudante da USP, acho que você pode estar enganado sobre a força e posicionamento do Consulta Popular. Claro que temos que dar todos os descontos, sabemos como é essa garotada, cada grupo de esquerda acha que o outro é isso e aquilo e que só eles são os verdadeiros representantes de…. bem, creio que você deve ter passado pelas mesmas coisas como eu e todos que se engajaram em movimentos nas universidades…

    Segundo este meu sobrinho (que, na verdade é filho de um irmão de minha mulher), o Consulta Popular não tem essa força que você supõe. Abaixo uma parte do chat que mantive com ele ontem, ao final da noite, quando me respondeu depois de chegar do trabalho (estuda, trabalha, rala pra caramba):

    Conversa vai, conversa vem, reproduzi tem comentário para ele ler e sua resposta foi:

    —————————-
    Sobrinho: “Olha

    Essa leitura é completamente fora da realidade
    A Consulta Popular não levou ninguém pra Rua em Junho com peso
    não participou ativamente da organização de nenhum ato nas maiores cidades do Brasil”

    e não tem essa influência de massas que o cara falou

    aliás, dizer que o movimento foi grande por causa da Consulta é uma piada.

    A Consulta é uma das correntes mais recuadas da esquerda. E a própria ligação orgânica da Consulta com o PT não permitiria que eles se esforçassem para levar gente pra rua contra o Haddad…

    A cobertura da mídia, e de algumas pessoas um pouco desinformadas, fez as pessoas acreditarem que o MPL era um movimento amplo, mas não é
    o MPL é uma organização

    composta por gente que geralmente acredita na discussão da “Tarifa Zero”

    essa discussão é complexa, porque em geral, quando o MPL vai defender a “Tarifa Zero”, eles não defendem a estatização dos transportes… Eles só querem que a tarifa seja gratuita

    Uma parte importante dos integrantes do MPL sempre esteve ligada ao anarquismo. Inclusive, as primeiras reuniões de organização deles eram feitas num espaço anarquista

    mas o MPL se inflou de um monte de jovem pequeno burguês petista das escolas de classe média de São Paulo, como o Equipe, o Santa Cruz, etc
    então eles ficaram essa mistureba: defendiam um programa não muito avançado, mas com complacência com métodos “radicalizados”, independente da pertinência deles”…
    —————————–

    Como disse, tem conversa antes, conversa depois, mas a essência, a parte principal é essa aí.

    Ainda não consegui falar com o outro, filho de um amigo que conheço desde que o moleque escorria meleca pelo nariz e hoje faz Física na USP e é do PSOL.

    De novo, insisto que este é o depoimento de uma das partes, claro que qualquer juízo mais coerente precisaria ouvir todas as partes, coisa que, fosse governo, estaria fazendo.

    Mais informações, prometo trazer. Aliás, foi o compromisso que assumi para não discutir este assunto.

  238. Pax said

    A turma do PT continua solidária.

    http://g1.globo.com/politica/noticia/2014/01/site-do-delubio-arrecada-mais-de-r-1-milhao-para-pagar-multa.html

    Delubio arrecadou mais de 1 milhão em 8 dias.

    Isso é bom, e ruim.

  239. Chesterton said

    meu sobrinho, que é do PSTU, estudante da USP….

    chest- Pô, Pax, você como tio não poderia ter evitado essa tragédia?

  240. Chesterton said

    238, ou é ruim, ou é ruim. A- dinheiro legal B- tem muito idiota por aí.

  241. Pax said

    Caro Chesterton, rabugento Chesterton,

    Em #239 você me pergunta se eu poderia ter evitado a “tragédia” do meu sobrinho ser do PSTU. E aqui vai uma confissão, sim. Tome-a com o devido respeito, por favor.

    Tive inúmeras conversas com ele sobre essa questão. Cheguei a entrar em certas discussões em outros fóruns, me arrependi. Nessa idade as pessoas adotam suas bandeiras, são pouco flexíveis, enfim. Parei de participar das conversas com ele em público, via as redes sociais que usa, principalmente no Facebook.

    Cheguei a brigar mesmo com este sobrinho quando, em alguns momentos de maior calor em discussões, o cara perdeu a cabeça, enfim, briguei com meu sobrinho por conta de divergências de opiniões. E… me arrependi. Mesmo sabendo que tinha sido ele que escorregara em seu “antolhismo” político.

    Lembrei dos tempos que estava na Uerj, que era politizado, lembrei que era até pior, mais intransigente. E, confesso, muito menos profundo do que este sobrinho é, nesta mesma idade eu estava mais preocupado qual entre Libelu ou a Convergência tinha meninas mais bonitas em suas fileiras. Namorei um bocado à época com gente do movimento.

    Meu sobrinho é bem mais profundo que fui.

    Agora mesmo, nesta conversa, uma parte do que não trouxe, marcamos de tomar uma cerveja, quer conversar comigo, saiu de casa (perguntei e respondeu que “de boa”), está precisando ganhar mais dinheiro….

    E foi neste exato momento na minha vida, quando precisei assumir mais responsabilidades financeiras, que minha vida mudou. Mesmo que já trabalhasse antes, para pagar aluguel e comida, afinal tinha saído de casa aos 18 anos e não, não foi “de boa”. Meu pai, militar, e eu, infelizmente nunca nos demos muito bem. (e aqui serei implacável com quem usar esta informação de forma deturpada e desinformada… não há negociação com isso).

    Vou tomar cerveja com meu sobrinho, quero saber o que ele quer da vida, está namorando firme, estuda pra caramba, o moleque é bom, fala um inglês dos bons, escreve bem, e… é um puta músico. Toca vários instrumentos e já tem algumas músicas compostas e até gravadas.

    Quero saber qual caminho quer seguir para sua vida profissional e, se possível, ajudá-lo a descobrir formas de sustento que não lhe doam o corpo e a alma. Ou será no sentido de explorar o curso que faz, ou em música.

    Tomara que não seja em política…

    E digo isso com muita tristeza. Mas acho que, hoje em dia, entrar na política como profissão, o risco de apodrecer é grande. Muito grande.

  242. Zbigniew said

    Não é só de hoje, caro Pax.
    Essa forma de fazer política no país é bem antiga, e traz fortes reflexos daquilo que sempre foi a sua maior característica desde o tempo do império: o patrimonialismo.
    Obviamente que hoje os contornos são um pouco diferente, acrescentando-se a força dos lobbies com poder econômico suficiente para, não digo nem dobrar, mas cooptar as forças políticas.
    Nesse ponto digo que o PT, mal comparando, logicamente, não está conseguindo fazer tão diferente quanto Pedro II, que precisava das oligarquias para se manter no poder.
    Quer exemplo mais significativo do que esse recuo do Padilha na contratação da ONG que teria sido fundada pelo próprio pai?
    Num país que só 103 anos após a proclamação da República veio a ter o movimento confirmado pela população, movimento este implantado através de um golpe (dentre tantos outros que iriam se suceder), dá pra ter uma idéia do porquê de até um partido trabalhista com viés social-democrata ter tanta dificuldade em romper com esse sistema.
    O ferrolho está, realmente, bem fechado.

  243. Pax said

    Caro Zbigniew,

    E quando percebemos o acúmulo destes “pequenos” deslizes, percebemos quão distante estamos, me permito pensar assim, ter essa opinião, de podermos elogiar os governos PT, Lula e Dilma.

    É por este somatório que muitos, onde me incluo, nos sentimos traídos e sem qualquer compromisso. Muito menos esse de defender sem criticar.

    Me parece um erro colossal da militância parar de criticar internamente. Algo como se todos aceitassem o caminho do aniquilamento, da peemedebização do partido, sem qualquer contestação.

  244. Pedro said

    É isso aí. Uma coisa é ser militante, outra coisa é ser militonto.

  245. Zbigniew said

    Pax,
    Podemos criticar o partido e sua militância, mas não podemos deixar de reconhecer que o PT não é um ator isolado neste palco, tampouco os avanços que foram alcançados sob sua égide.
    Sendo assim entendo legítima a defesa intransigente que a militância faz do partido que, pelo menos aqui, não deixa de reconhecer os erros, mas também não pode deixar que se jogue na lata do lixo todas as conquistas que o partido legou ao país.
    No mesmo sentido, para que vc afirme indubitavelmente que não existem críticas internas é necessário que vc viva a agremiação por dentro?
    Pax, vc vive esse processo ou é só impressão sua?
    Temos que ter cuidado com as análises que se perfazem ao sabor de nossos humores. A realidade é um pouco mais complexa e exige a capacidade de não fulanizarmos a discussão.

  246. Chesterton said

    pô! Era só um chiste!

  247. Chesterton said

    http://coturnonoturno.blogspot.com.br/2014/01/confirmando-guerra-na-web-comecou.html

  248. Pax said

    Caro Zbigniew,

    Tenho amigos do PT, o caro Elias é um, por exemplo. Tenho muitos amigos. Conheço, não profundamente, quem disputou (forma de dizer, é sempre um massacre qualquer corrente que não seja a do Lula) a presidência do partido agora em dezembro.

    Não, não falo sem um mínimo de conhecimento.

    Existe crítica, sim, mas tímida, amedrontada, diria, sem querer ofender tanto, apelegada.

    Com certeza vou arrumar uma enorme briga com uma analogia que farei agora, contra esse papo de “todas as conquistas que ….”. Cara, isso, pra mim, é um papo mais furado que rede de peixe grande, malha larga. E foi o mesmo que o Gilberto Carvalho disse, absurdamente, ao considerar que as passeatas de junho foram algo como uma “ingratidão” da população.

    Que tremendo absurdo. É um seguido do outro. Agora Lula diz que, ou deixa a entender, “excesso de liberdade na internet….”. Desculpa, não uso muito palavrão, mas puta que os pariu, caramba, como essas pessoas são capazes de entrar por esse viés?

    Minha analogia é, forçando e provocando, como se um traficante de crack ou heroína reclamasse de uma denúncia da comunidade, logo ele que pagou o remédio da farmácia para meia dúzia de seus protegidos e todos os enterros da comunidade.

    Caramba, onde vamos parar nesse rumo, nessa toada, nesses bordões absurdos?

    Volto a dizer, quem tem medo da sociedade às ruas, já não está mais do lado da sociedade.

    E não venham me dizer que estou estimulando guerra civil, quebra-quebra de black blocs, neofascismo de direita, de esquerda ou qualquer dessas acusações.

    Não, não é nada disso. A sociedade é que vai mudar o país. E ela às ruas, com extremos, com minorias, fazendo cagadas, é que vai mexer nesta equação.

    A massa brasileira não é extremista, é conservadora. Gosta da evolução que houve, mas quer muito mais.

    NÃo só quer como tem todo direito. Direito de patrão. É a sociedade a dona do Brasil, não grupos, partidos ou líderes.

    O Brasil é, sim, dos brasileiros. Caramba, tão difícil olhar assim?

  249. Pedro said

    “Agora Lula diz que, ou deixa a entender, “excesso de liberdade na internet….”

    Por coincidência fui acessar um blog que que sempre vou: sedentario & hiperativo.

    Vejam só, começou a censura na internet:

    https://docs.google.com/document/d/1c9eg11FjR_VPADExUxd7u-f1MhX6LrLVQuM55iwJmQs/preview?sle=true&pli=1

  250. Pedro said

    Pax, os caras pedem pra divulgar em outros blogs, se vc concorda deixa aí, se não, fique a vontade pra retirar.

  251. Patriarca da Paciência said

    Por Fernando Ganem, presidente da Associação dos Magistrados do Paraná, no blog de Frederico Vasconcelos, da Folha

    “A imprensa destacou nesta última semana o fato de o Presidente do Supremo Tribunal Federal ter saído de férias sem ter assinado o mandado de prisão de João Paulo Cunha, condenado do mensalão.

    Não fosse esse fato, ainda ele teria suspendido as férias para viajar a Paris e Londres, aonde proferiria palestras, recebendo diárias de aproximadamente catorze mil reais.

    Evidentemente que isso aborreceu outros ministros da Corte, os quais afirmaram que o seu Presidente também poderia ter interrompido as férias para assinar o mandado que lhe competia.

    O mandado de prisão é uma simples folha de papel, digitada por funcionário do Judiciário, onde o magistrado lança a sua assinatura, determinando seja ele cumprido.

    Não é um instrumento de difícil confecção, nem de complexidade tal a demandar tanto tempo a impedir o gozo das férias de quem assina.

    Juízes de primeiro grau, em sua grande maioria, estão obrigados a cumprir plantão cível e criminal em sua jurisdição, e, em casos de repercussão, estão sempre alertas, saindo efetivamente de férias após vencidas as pendências existentes em sua vara ou juízo.

    O Presidente do Supremo deveria fazer o mesmo: férias somente depois de assinados os mandados de prisão e iniciada a execução do julgado.

    Mas não o fez. Preferiu tirar uns dias de descanso e, depois, viajou ao exterior para proferir palestras, ganhando diárias, sem contar o valor que teria cobrado por cada palestra, como é de praxe acontecer.

    Nada contra a percepção de diárias, nem de cachê em palestras, aliás, entendo seja direito de qualquer pessoa que trabalha.

    Porém, causa estranheza as circunstâncias em que isso ocorre, sendo o protagonista o Presidente do STF e do CNJ, justamente aquele que sob os holofotes defende a ética e a moralidade, formulando nervosos discursos contra benefícios (inclusive alguns que ele próprio recebeu como ex-integrante do Ministério Público) e vantagens específicas de magistrados, como no caso do direito a sessenta dias de férias, da percepção de auxílios alimentação e saúde.

    Se fosse um juiz de primeiro grau que tivesse ido ao exterior proferir palestras mediante paga, e recebendo diárias, esquecendo-se de assinar um mandado de prisão em processo clamoroso sob seu jugo, com certeza o tratamento seria outro, principalmente se isso fosse comunicado ao CNJ, quando então o colega correria o risco de, sob o beneplácito do próprio Presidente do Supremo, ser exposto à mídia, e, com o pescoço à prova, passar toda espécie de dissabores e constrangimentos perante a sua família, seus pares, seus subordinados, e o que é pior, seus jurisdicionados; isso sem contar na desestabilização de sua autoridade e credibilidade, algo que só um tempo muito grande é capaz de apagar.

    Justa é a polêmica gerada sobre o ministro Presidente da Suprema Corte e do Conselho Nacional de Justiça, este último o maior órgão censor da justiça brasileira, guardião da ética, da moralidade e da respeitabilidade do Poder Judiciário.

    Afinal de contas, ninguém está acima da lei, nem de qualquer suspeita, mas é preciso que a pessoa pública, vitrine que é, seja atrás dos holofotes justamente aquilo que prega sob eles.”

  252. Patriarca da Paciência said

    Caro Pax,

    vamos ver o que disse o Lula:

    “Eu sou favorável a responsabilizar as pessoas que usam a Internet porque eu tenho liberdade de pegar uma estrada e fazer uma viagem com minha família, mas se eu for irresponsável, eu posso matar alguém ou posso morrer.”

    “Quanto mais a gente trabalhar no sentido de falar coisas positivas, mesmo quando você critica, criticar com fundamento, e não ficar fazendo o jogo rasteiro da calúnia ou do baixo nível… Quando você calunia, você não politiza, você não ensina, você não produz um fruto.”

    “Eu acho que a internet é uma árvore que pode produzir frutos novos todo santo dia se a gente tiver, ao sentar na frente de um computador, interesse de que alguém aprenda algo mais nesse país ou nesse mundo.”

    “Eu, sempre que puder utilizar a Internet para passar uma mensagem que seja uma coisa positiva, uma coisa verdadeira, eu utilizarei. Jamais usarei a Internet para fazer uma calúnia contra quem quer que seja.”

    Onde o Lula falou sobre “excesso de liberdade na internet”?

    Você é contra responsabilizar alguém que faça calúnia de baixo nível?

    Estamos próximos das eleições e as calúnias de baixo nível vão correr soltas, você é contra responsabilizar as pessoas que fazem tamanha barbaridade?

    Você lembra das “histórias” de que a Dilma era uma criminosa pela polícia internacional e, mesmo eleita presidente do Brasil, caso pisasse em solo norte-americano, seria presa?

    E outras tantas “histórias” nojentas sobre sua sexualidade, caráter, incompetência etc.etc.etc.?

    Eu, com toda a tranquilidade, digo e reafirmo que sou a favor de responsabilizar quem utiliza a internet para espalhar calúnias de baixo nível ou mesma de qualquer nível!

  253. Pax said

    Caro Pedro, #249, #250

    Não só vou deixar como vou reforçar com um post do Idebler, sobre um artigo de Edemilson Paraná, veja só:

    Idelber, em seu facebook

    Alguns números da Copa:

    1. Lucro projetado pela FIFA, entidade “sem fins lucrativos”: US$ 5 bilhões (sim, mais de 10 bilhões de reais), 110% a mais que em 2006 e 36% a mais que em 2010.

    2. Gastos bancados pela iniciativa privada: R$ 5,6 bilhões, ou 20% do total.

    3. Gastos bancados por vocês, através de bancos oficiais, orçamento federal ou orçamentos estaduais: R$ 22,5 bilhões, ou 80% do total (lembram-se do governo dizendo que esta seria a Copa da iniciativa privada? Eu me lembro).

    Do excelente artigo de Edemilson Paraná: “Vai ter copa. Só não pra você”. http://bit.ly/1ft3Wl1

  254. Pax said

    Caro Patriarca,

    Veja você, ouça com teus próprios ouvidos…

    http://www.institutolula.org/lula-fala-sobre-internet-e-redes-sociais/#.UuvSaWRdWFw

  255. Patriarca da Paciência said

    Caro Pax,

    eu continuo com a mesma opinião. Acho que é necessário usar de muito malabarismo para “entender” que o Lula está querendo “censurar” a internet.

    Ele diz claramente que é contra qualquer tipo de censura, apenas acha que os caluniadores devam ser responsabilizados. E também que haja um pouco de equilíbrio nos meios de comunicação e não sejam divulgadas apenas as notícias ruins.

    O Lula continua bem afinado com a democracia. Democracia é isso aí, “liberdade com responsabilidade”.

    Todos tem liberdade expressão, “desde que estejam falando a verdade ou apenas, expressando uma opinião”.

    Divulgar que alguém fez isso ou aquilo outro, que alguém é isso ou aquilo outro, a pessoa tem que ser responsabilizada pelo que diz.

    Concordo totalmente com o Lula.

  256. Pax said

    Caríssimo Patriarca,

    Por essas e outras que gosto da liberdade e do não patrulhamento de opiniões. Você tem a tua, tenho a minha. São diferentes, sim.

    Quis assistir de novo, não consegui, você sabe do meu drama do link. Só consigo às madrugadas ver alguma coisa no Youtube.

    Mas me recordo bem da reclamação de Lula, talvez uma exclamação, logo no início… (como disse, escrevo agora de memória) algo como: “Mas este excesso de liberdade…”. Por favor, me corrija, se você tiver essa paciência e disponibilidade, vendo de novo o vídeo.

    E gosto da divergência de opiniões exatamente porque me possibilita mudar a minha, caso seja convencido do contrário.

    Pode ser que você tenha razão, que Lula exclama a Democracia e as Liberdades? Pode.

    Pode ser que eu tenha razão, que Lula reclama de um “excesso de liberdade”? Pode, também.

    Quando conseguir assistir de novo, dizer o exato momento que me incomodou profundamente, te aviso. OK?

  257. Patriarca da Paciência said

    Caro Pax,

    vou tentar transcrever literalmente:

    “a minha preocupação com a internet é que, quando você tem muita liberdade e você não sabe usar essa liberdade, você está jogando fora um saco de conquistas extraordinário. Eu, por exemplo, sou contrário a qualquer veto a utilização da internet, mas eu sou favorável a responsabilizar as pessoas que usam a internet porque eu tenho liberdade de pegar uma estrada e fazer uma viagem com minha família, mas se eu for irresponsável, eu posso matar alguém ou posso morrer. Então o que que eu acho? Eu acho que a internet é uma arma poderosíssima e, quanto mais responsável nós formos, melhor. Quanto mais a gente se esforçar por falar coisas positivas, mesmo quando você critica, criticar com fundamento e não ficar no jogo rasteiro da calúnia do baixo nível, você não politiza, você não ensina, você não produz frutos…

    É isso aí, caro Pax,

    pergunte ao Pedro a transcrição não está literal.

    Só mesmo com muito malabarismo e, até má fé, ver tentativa de censurar a internet.

  258. Pax said

    Caro Patriarca, mais uma vez obrigado pela gentileza….

    A parte que me incomoda é essa:

    “a minha preocupação com a internet é que, quando você tem muita liberdade e você não sabe usar essa liberdade, você está jogando fora um saco de conquistas extraordinário.”

    O que é isso?

    Quem, neste reino do deus da internet, pode definir o que é “saber usar essa liberdade”?

    Mas, enfim, prometo rever o vídeo tentando olhar pelo teu prisma. Assim que der. Só que, provavelmente amanhã de madrugada.

    Ok?

    Mais uma vez, obrigado.

  259. Otto said

    Pax,
    que eu saiba você não se mostrou indignado quando a turma do Aécio (ministério público e polícia comandadas por gente sua) prendeu o jornalista do Novojornal, o único que em Minas critica o governo.

    Vocês procuram pelo em ovo e engolem um porco-espinho inteiro!

  260. Patriarca da Paciência said

    Acho que o próprio Lula explica muito bem:

    . Eu, por exemplo, SOU CONTRÁRIO A QUALQUER VETO A UTILIZAÇÃO DA INTERNET, MAS SOU FAVORÁVEL A RESPONSABILIZAR AS PESSOA QUE USAM A INTERNET porque eu tenho liberdade de pegar uma estrada e fazer uma viagem com minha família, mas se eu for irresponsável, eu posso matar alguém ou posso morrer. Então o que que eu acho? Eu acho que a internet é uma arma poderosíssima e, quanto mais responsável nós formos, melhor. Quanto mais a gente se esforçar por falar coisas positivas, mesmo quando você critica, criticar com fundamento e não ficar no jogo rasteiro da calúnia do baixo nível, você não politiza, você não ensina, você não produz fruto.

    Ou seja, Caro Pax, o que o Lula falou é a própria essência da democracia, ou seja, LIBERDADE COM RESPONSABILIDADE.

    Agora, acreditar em liberdade total, sem nenhum freio e sem nenhuma punição, aí já é demais. É a própria lei das selvas!

    E não existe um só país que não tenha constituição e leis. E o que são leis senão regras para o uso da liberdade?

  261. Chesterton said

  262. Chesterton said

    quando você tem muita liberdade e você não sabe usar essa liberdade

    chest- é o que Pelé senmpre dizia, brasileiro não sabe votar., vai saber usar a internet?

  263. Patriarca da Paciência said

  264. Pax said

    Caro Patriarca, desculpa, ouvi de novo (às manhãs o link funciona melhor…)

    Continuo com a opinião que não gostei.

    Quando diz que “quando você tem muita liberdade e vc não sabe usar essa liberdade” é um tirambaço. Insisto neste ponto, Internet é a liberdade dos nossos tempos, “muita liberdade” soa, sim, como uma reclamação de excesso deste bem valioso.

    E aí vem a patada final, quando diz que as pessoas têm que ser responsabilizadas, soa como uma ameaça, tipo “prendo e arrebento se falarem mal de mim, do meu partido ou se apontarem as corrupções do meu governo” etc etc.

    Independe da “liberdade da internet” nossas responsabilidades para os crimes de injúria, calúnia e difamação, crimes previstos em nosso código penal. São os chamados “crimes contra a honra”. Artigos 138, 139 e 140 do CP.

    Pelo próprio fato de eu ter usado a palavra “patada” será que serei processado?

    Lula mostra, nesta forma de olhar o vídeo gravado, um certo medo, preocupação, sei lá o quê, de se disseminar, por exemplo, protestos que podem eclodir no país.

    Protestos contra a roubalheira da copa, contra a roubalheira geral, contra as péssimas condições da Educação Pública, da Saúde Pública etc etc. O povo brasileiro está repleto de motivos para protestar. Repleto, lotado.

    E aí? Agora, supondo que eu queira iniciar uma série de protestos, mesmo que desorganizadamente, somente numa campanha do tipo #LINK_PADRÃO_DILMA, estou sob ameaça porque não tenho uma organização sindical constituída, ou qualquer outra carência?

    Tenho conversado muito sobre política com meus amigos. Todos sabem que a maioria deles é de eleitores de Lula e Dilma. Neste meu universo de amizades, praticamente todos estão muito incomodados. Uma galera já apeou deste apoio.

    Reclamam das alianças, da falta de reformas, da corrupção e…. agora mesmo entro no processo, deste rumo bem chato que parece fascista de que ninguém pode falar nada contra o governo. São os coxinhas…

    Pois bem, continuo com minha opinião, caro Patriarca. Creio que Lula está falando para um público que não sou eu.

    Este teclado vai continuar firme nas críticas, com um excesso de liberdade conquistada.

  265. Patriarca da Paciência said

    Lembram do comentário que eu fiz de que “a cada ação, corresponde uma reação, em sentido inverso e com a mesma intensidade”?

    Pois é, acho que já começou!

    PETIÇÃO COLETA ASSINATURAS PELO IMPEACHMENT DE JB

    “Já foi lançado um manifesto de repúdio ao que chamam de prisões ilegais de parte dos condenados na Ação Penal 470, o processo do mensalão, assinado por juristas, intelectuais da sociedade civil’, diz o texto da petição colocada no site Avaaz; “Joaquim Barbosa mentiu ao defender o sigilo do Inquérito 2474 pois está atuando claramente a favor dos interesses dos magnatas da mídia brasileira, onde inclusive seu filho trabalha”

    http://www.brasil247.com/pt/247/brasil/128833/Peti%C3%A7%C3%A3o-coleta-assinaturas-pelo-impeachment-de-JB.htm

  266. Patriarca da Paciência said

    Comentário do blog 247:

    Henrique 1.02.2014 às 10:44
    Antes de se tornar juiz, o atual presidente do stfZINHO, o joaquim, tentou a carreira diplomática, mas foi reprovado no exame psicológico que o definiu como “uma personalidade insegura, agressiva, com profundas marcas de ressentimento”. – – Acertaram em cheio!

  267. Pax said

    Meu caro Patriarca,

    Supondo que este comentário que trazes, em #266, seja verdadeiro, que havia um exame psicológico com esse diagnóstico, diria que seria motivo mais que suficiente para mostrar a quem o nomeou ministro do STF que sua vocação para o serviço público é de quinta categoria.

    Mas sabemos quem nomeou…

    E sabemos que quem nomeou traiu todos os compromissos com moral e ética.

    Nisso que dá.

    Quem cria demônios que os embale.

  268. Patriarca da Paciência said

    Bom, caro Pax,

    eu não tenho qualquer informação segura sobre o assunto! Também não tenho qualquer informação se o Lula dispunha de tal informação ao fazer a indicação (o presidente apenas indica).

    Mas ninguém tem obrigação de permanecer no erro, depois de ter a absoluta certeza de que realmente cometeu um grande erro!

    Aliás, reconhecer o erro sempre foi considerado uma ótima demonstração de bom caráter, em todos os lugares, desde o tempo dos grandes filósofos gregos!

  269. Pax said

    Mas reconheceram o erro ao abandonar as bandeiras da moral e da ética? Não vi isso claramente colocado. Nem, muito menos, ações neste sentido.

    Sinto.

  270. Patriarca da Paciência said

    Caro Pax,

    o PT sempre reconheceu que cometeu um grande erro ao aderir ao tal de Caixa 2. Acontece que o PIG e a oposição se valeram desse erro para querer transformar o PT num grande vilão que ele não é.

    O PT estava disposto a pagar o preço justo, mas daí a ser transformado em bode expiatório há uma grande distância!

    Vamos colocar as coisas nos seus devidos lugares. Querer transformar o José Genoino em “bandido” é uma verdadeira infâmia! Condenar o José Dirceu, sem nenhuma prova concreta, é uma verdadeiro ataque terrorista aos verdadeiros princípios básicos do Direito!

    Joaquim Barbosa nunca será um herói. Ele não tem as mínimas qualidades para isso!

    Como sempre pressenti, “ainda há muito água a rolar por baixo dessa ponte”.

  271. Chesterton said

    De acordo com a lei o preço justo seria a pura e simples extinção do PT.

  272. Chesterton said

    Só matando o baixinho..

    O Graal de Tarso Genro
    01/02/2014 03h40

    Ouvir o texto
    Mais opções
    O Santo Graal dos comunistas foi a URSS e seu sistema de “repúblicas populares”. As insurreições na Hungria (1956), na Tchecoslováquia (1968) e na Polônia (1980) secaram o poço do encantamento. A queda do Muro de Berlim e a implosão da URSS quebraram o cálice sagrado. No último quarto de século, desorientados, os filhos do “socialismo real” empreendem a busca por um novo Graal. Como tantos outros, Tarso Genro encontrou-o na China (em “Uma perspectiva de esquerda para o Quinto Lugar”, artigo escrito numa língua estranha, longinquamente aparentada com o português). As suas elucubrações teóricas não têm interesse intelectual, mas merecem um exame político.

    O governador do Rio Grande do Sul enxerga na experiência recente da China uma inspiração para a marcha do Brasil rumo ao estatuto de potência mundial. O que a China tem de especial? Um “sujeito político (Partido-Estado)” que “cria o mercado e suas relações”, num processo em que “estas relações novas recriam o sujeito (Partido-Estado), que será permanentemente outro”. É isso, explica-nos, que falta ao Brasil: um ente de poder capaz de reinventar a sociedade e guiar o povo até o futuro.

    Décadas atrás, um tanto tristonhos, incontáveis socialistas deploravam o poder totalitário do Partido Comunista da URSS, mas o justificavam como um mal necessário pois, no fim das contas, aquele era o motor político da economia socialista. Genro, pelo contrário, não apela ao socialismo (uma “fantasia histórica”) para justificar o poder absoluto do Partido-Estado: basta-lhe um horizonte “chinês” de crescimento econômico e progresso social. E a democracia? A China triunfa graças a um “regime político não democrático para os nossos olhos”, ensina o líder petista, reproduzindo os argumentos oficiais do Partido Comunista Chinês, que justifica a tirania pela invocação ritual da cultura e da tradição.

    A democracia é o regime no qual os governantes não podem tudo –e aí está o problema do Brasil, na opinião de Genro. Na sua descrição, o “mercado” malvado sabota a redução dos juros, a abominável “grande imprensa” bloqueia o aumento do IPTU e os demoníacos “cronistas no neoliberalismo abrigados na grande mídia” manipulam a opinião pública. A expressão política de opiniões conflitantes e interesses divergentes que nos acostumamos a chamar de democracia representa, aos olhos de Genro, uma intolerável balbúrdia. É preciso, para libertar a “utopia concreta presa com âncoras pesadas no fundo real da sociedade capitalista”, instaurar uma ordem nova na qual o sujeito da História (o “Partido-Estado”) possa conduzir a nação até o futuro redentor.

    O “levantar âncoras”, propõe Genro, encontra-se na convocação de “uma nova Assembleia Nacional Constituinte no bojo de um amplo movimento político inspirado pelas jornadas de junho”, mas “com partidos à frente”. Esqueça, por um momento, que as “jornadas de junho” não seriam as “jornadas de junho” se tivessem “partidos à frente”. Nosso pequeno, mas esperançoso, pretendente a Duce sonha com uma “marcha sobre Brasília” liderada pelo partido que exerce o poder.

    “Penso que as esquerdas no país devem abordar programaticamente estas novas exigências para o futuro, já neste processo eleitoral”. Genro sabe perfeitamente que sua “utopia concreta” terá impacto nulo sobre a campanha de Dilma, que continuará focada em firmar alianças com o PMDB, o PP e o PSD, renovar os compromissos com as altas finanças e reforçar a parceria com os “movimentos sociais” estatizados. O vinho de seu cálice sagrado destina-se, exclusivamente, ao consumo interno do PT e de sua área de influência militante: é um antídoto ideológico contra as imprecações lançadas por correntes esquerdistas inquietas com o “giro à direita” do lulismo. Mas serve, ainda, para iluminar o lado escuro da alma do partido que nos governa.

    demétrio magnoli
    Demétrio Magnoli, doutor em geografia humana, é especialista em política internacional. Escreveu, entre outros livros, ‘Gota de Sangue – História do Pensamento Racial’ (ed. Contexto) e ‘O Leviatã Desafiado’ (ed. Record). Escreve aos sábados

  273. Otto said

    Carta aberta ao ministro Joaquim Barbosa

    Por João Paulo Cunha

    Caro ministro Joaquim Barbosa, há poucos dias, em entrevista, o senhor ficou irritado porque a imprensa publicou a minha opinião sobre o julgamento da ação penal 470 e afirmou que não conversa com réu, porque a este só caberia o ostracismo.

    Gostaria de iniciar este diálogo lembrando-lhe da recente afirmação do ex-ministro Eros Grau, do Supremo Tribunal Federal: “O Judiciário tende a converter-se em um produtor de insegurança” e que “o que hoje se passa nos tribunais superiores é de arrepiar”. Ele tem razão. E o julgamento da ação penal 470, da qual V.Exa. é relator, evidencia as limitações da Justiça brasileira.

    Nos minutos finais do expediente do último dia 6 de janeiro, o senhor decretou a minha prisão e o cumprimento parcial da sentença, fatiando o transitado e julgado do meu caso. Imediatamente convocou a imprensa e anunciou o feito. Desconsiderando normas processuais, não oficializou a Câmara dos Deputados, não providenciou a carta de sentença para a Vara de Execuções Penais, não assinou o mandato de prisão e saiu de férias. Naquele dia e nos subsequentes, a imprensa repercutiu o caso, expondo-me à execração.

    Como formalmente vivemos em um estado democrático de direito, que garante o diálogo entre o juiz e o réu, posso questionar-lhe. O caso era urgente? Por que então não providenciou os trâmites jurídicos exigidos e não assinou o mandato de prisão? Não era urgente? Por que então decretou a prisão de afogadilho e anunciou para a imprensa?

    Caro ministro, o senhor pode muito, mas não pode tudo. Pode cometer a injustiça de me condenar, mas não pode me amordaçar, pois nem a ditadura militar me calou. O senhor me condenou sem me dirigir uma pergunta. Desconsiderou meu passado honrado, sem nenhum processo em mais de 30 anos como parlamentar.

    Moro na periferia de Osasco há 50 anos. Trabalho desde a infância e tenho minhas mãos limpas. Assumi meu compromisso com os pobres a partir da dura realidade da vida. Não fiz da fortuna minha razão de existir, e as humilhações não me abatem, pois tatuei na alma o lema de dom Pedro Casaldáliga: “Minhas causas valem mais do que minha vida”.

    O senhor me condenou por peculato e não definiu onde, como e quanto desviei. Anexei ao processo a execução total do contrato de publicidade da Câmara, provando a lisura dos gastos. O senhor deve essa explicação e não conseguirá provar nada, porque jamais pratiquei desvio de recursos públicos. Condenou-me por lavagem de dinheiro sem fundamentação fática e jurídica. Condenou-me por corrupção passiva com base em ato administrativo que assinei (como meu antecessor) por dever de ofício.

    Por que me condenou contra as provas documentais e testemunhais que atestam minha inocência? Esclareça por que não aceitou os relatórios oficiais do Tribunal de Contas da União, da auditoria interna da Câmara dos Deputados e da perícia da Polícia Federal. Todos confirmaram que a licitação e a execução do contrato ocorreram em consonância com a legislação.

    Desafio-lhe a provar que alguma votação tenha ocorrido na base da compra de votos. As reformas tributária e previdenciária foram aprovadas após amplo debate e acordo, envolvendo a oposição, que por isso em boa parte votou a favor.

    Um Judiciário autoritário e prepotente afronta o regime democrático. Um ministro do STF deve guardar recato, não disputar a opinião pública e fazer política. Deve ter postura isenta.

    Despeço-me, senhor ministro, deixando um abraço de paz, pois não nutro rancor, apesar de estar convicto – e a história haverá de provar – que o julgamento da ação penal 470 desprezou leis, fatos e provas. Como sou inocente, dormirei em paz, nem que seja injustamente preso.

    http://www.brasil247.com/pt/247/brasil/128888/A-carta-aberta-de-Jo%C3%A3o-Paulo-a-Joaquim-Barbosa.htm

  274. Pax said

    Caro Otto,

    Emocionante a carta do João Paulo Cunho. Pena que ele esquece “um pouco” das provas que existem contra ele. Provas inequívocas. Não só de contratos com as agências do Marcos Valérios, contratos pra lá de comprometedores, como, por um descuido, da grana apanhada na boca do caixa pela esposa.

    Cada coisa que vejo.

  275. Chesterton said

    Patético.

  276. Otto said

    Provas inequívocas, Pax?

    Se fossem, por que o ínclito ministro Joaquim Barbosa meteu no fundo da gaveta o Inquérito 2474, que poderia comprometer a narrativa da acusação?

    Essa resposta você ainda não me deu.

  277. Patriarca da Paciência said

    E cada vez mais o tal suposto mensalão se torna um processo “muito além do surrealismo”:
    Valério tem dívida com a União de R$ 293 milhões
    Pessoalmente, com ex-sócios também condenados e com sua ex-mulher, operador tem 35 inscrições de débitos a serem pagos na Fazenda Nacional
    02 de fevereiro de 2014 | 2h 09

    http://www.estadao.com.br/noticias/impresso,valerio-tem-divida-com-a-uniao-de-r-293-milhoes,1125820,0.htm

  278. Patriarca da Paciência said

    http://www.avaaz.org/po/petition/Senado_Federal_Impeachment_de_Joaquim_Barbosa/?cyowTab

  279. Pax said

    Caro Otto,

    Sei lá desse tal processo 2474. Que me lembre a primeira vez que vi algo sobre isso foi você trazendo daquele blog do cafezinho, algo assim. E aí fica como as coisas do titio da Veja, nem vou atrás.

    Cada um de nós tem o livre arbítrio de escolher suas fontes. Cá confesso uma chatice sem fim, quando uma fonte perde minha credibilidade simplesmente paro de ler.

    Da mesma forma que não idolatro Joaquim Barbosa, me recuso a entrar neste bordão definido pelo PT que quer que todos seus réus condenados sejam absolvidos pela sociedade.

    Caramba. Não são. Meteram a mão no dinheiro público, assinaram contratos fraudulentos, cometeram peculato, corrupção ativa, corrupção passiva, lavagem de dinheiro, são crimes a dar com pau.

    Quem deve estar adorando essa campanha são os marketeiros das campanhas de Aécio e Campos. É tiro no pé. Tirambaço.

    Quer cobrar o STF dos engavetamentos, dos atrasos nos processos dos outros corruptos dos outros partidos? Ok, taí uma excelente causa. Quer cobrar o STF e o CNJ da corrupção do Judiciário em vários rincões? Outra ótima campanha.

    Mas querer absolver os condenados no grito? Ah, me incluam fora dessa, por favor.

    Carinha vai apanhar dinheiro na boca do caixa, faz contrato pra lá de fraudulento, despacha dinheiro a dar com pau pra apaniguados políticos, pratica o crime de Caixa 2, pra mim um dos crimes mais terríveis contra a Democracia e quer que o povo ache que são todos inocentes, coitados, perseguidos etc.

    Pra cima de mim, sinto muito, não cola.

    Não, não vou assinar petição alguma para impeachment de Joaquim Barbosa. Poderia assinar para investigar porque outros mensalões estão parados, isso sim.

    Antes disso assinaria petições que fariam muito melhor à sociedade brasileira, para uma profunda investigação em todas as Agências Regulatórias, a começar pela ANS dos planos de saúde, da ANTT dos transportes, da ANAC dos aeroportos, da ANTAQ dos portos, da ANEEL de energia etc. E, claro, da ANATEL onde operam os maiores conglomerados econômicos do país com esse serviço que me permito chamar de criminoso.

    (agora mesmo a moça que trabalha aqui está revoltada, chegou uma conta da operadora para ela de um crédito que não fez em seu celular, é revoltante, afora toda uma história que tenho documentada por conta de uma campanha que faço, quixotesca, contra o Ministério das Comunicações e a ANATEL – e não é que está chegando lá em cima?)

  280. Patriarca da Paciência said

    “Quer cobrar o STF dos engavetamentos, dos atrasos nos processos dos outros corruptos dos outros partidos? Ok, taí uma excelente causa. Quer cobrar o STF e o CNJ da corrupção do Judiciário em vários rincões? Outra ótima campanha.”

    Ora, caro Pax, do “suposto mensalão tucano”, quem ainda não foi absolvido por prescrição, o será dentro em breve!

    Como já dizia minha mãe, “não adianta cavar buraco na água”.

    E o ministro Barbosão aí, voltando com chapeuzinho parisiense e com sotaques, ora de parisiense, ora de lorde inglês!

    E também posando para fotos com bandidos que respondem a 221 processos!

    Como levar a sério isso tudo?

  281. Zbigniew said

    Realmente é difícil levar a sério.
    Não se poderia, de forma alguma, desprezar o INQ 2474 e o porquê dele não ter sido levado em conta. O próprio ministro Marco Aurélio chamou a atenção do Joaquim Barbosa sobre o tal processo, tendo sido de imediato e de forma truculenta, rechaçado.

    Dois pontos gravíssimos nesta pendenga toda: as prescrições e fatiamentos na AP tucana e a questão do Visanet (repito que, juridicamente, a relevância de se o dinheiro foi público ou não deveria ser revisada para título de qualificação dos delitos). Se o INQ citado poderia jogar luzes sobre a questão, era importante ser observado, e, sim, se fosse o caso, apreciado por conexão com a AP 470. O que o Barbosa tanto temia?

    O problema é que o julgamento tem contornos políticos explícitos, a começar pelo tratamento diferenciados dado à AP tucana e a própria postura do Relator, o que retirou a discussão da seara eminentemente técnica. E o Joaquim Barbosa foi o principal responsável por esse fato.

    A militância tem sim todo o direito de transigir sobre o resultado do julgamento. Tem todo o direito de abordar os furos que, neste ponto, o Relator poderia se esmerar em esclarecer, ainda que decisão judicial trânsita em julgado não deva ser discutida (pelo menos nos autos do processo transitado, afora alguma teratologia ou ilegalidade, através de ação recisória).

    Entretanto, embora a militância possa e deva reclamar, em relação ao julgamento não pode fazer nada, a não ser que o próprio STF, sentindo-se pressionado, banque abrir o INQ citado, por intermédio dos próprios Ministros desgostosos com a atitude do Joaquim Barbosa. Mas, devemos reconhecer que a hipótese é bem remota, pela pressão contrária que parte poderosa da imprensa faz e pelo corporativismo que procurará preservar a decisão do Pleno, bem como a instituição STF. E o PT… bem… o PT não tem essa moral toda lá naquele tribunal. Isto é fato.

  282. Patriarca da Paciência said

    “Neste fim de semana, uma nova polêmica estampou imagens de Barbosa na imprensa. Como um juiz popstar, o ministro tirou foto em Miami com o empresário Antonio Mahfuz, réu em 221 processos e foragido do País. Segundo sua assessoria de imprensa, a fotografia é verdadeira. Motivo para a pose: Joaquim Barbosa não pede o RG de seus fãs (leia mais aqui)”
    (blog 247).

    Esse Mahfuz é o típico “empresário” trambiqueiro, assassino/sugador de empresas, transferindo o patrimônio empresarial para o pessoal, sonegador de impostos, falsificador de documentos, assumindo dívidas enormes com a firme intenção de nunca pagar, está em litígio com as irmãs devido a uma procuração que peritos já comprovaram ser falsa etc.etc.etc.

    E o homem é um fã ardoroso de Joaquim Barbosa, a quem chama de “vingador” e exibiu, com orgulho, no seu facebook, uma foto tirada juntos !

    Não é muito estranho?

  283. Pax said

    Caros Zbigniew e Patriarca #281 e #282

    1 – Zbigniew disse: …”E o PT… bem… o PT não tem essa moral toda lá naquele tribunal. Isto é fato.
    “. Bem, caros, O PT não tem mais essa moral em lugar algum, por opção própria. Sinto informar-lhes desta realidade.

    2 – sobre a tal foto hoje ouvia o Boechat de manhã. É possível que o tal pilantra, segundo o noticiário, tenha se aproveitado daquelas situações: “posso tirar uma foto com o Sr?”. É uma possibilidade. Como vocês estão esperneando pelo direito dos condenados apelarem de suas condenações – e não acho isso ruim, de forma alguma – há que se ter um certo equilíbrio para que Justiça seja igual para todos. Não? Não me incomodo que JB seja inquerido sobre a foto. Mas…

  284. Patriarca da Paciência said

    Caro Pax,

    e sobre o fato do tal trambiqueiro ser um fã ardoroso do Joaquim Barbosa, a quem chama de “vingador”, o que você acha?

  285. Zbigniew said

    O PT tem um serviço prestado ao país.

    Se por um lado manteve a política considerada atrasada de fazer alianças (o que nenhum outro partido mudou e nem mudará num futuro próximo), por outro colocou o Brasil num novo patamar no que se refere à questão do emprego e do consumo, começando um processo de inclusão que deveria ter sido iniciado lá atrás, desde que nossas elites resolveram erigir o país à categoria de República (mas não tão democrática como eram os EUA desde os idos de 1776). E lá se vão 115 anos da nossa tão sonhada cidadania republicana!

    Sim, o PT fez a carta aos brasileiros, que na realidade dirigia-se ao mercado financeiro; trouxe a Kátia Abreu pra junto do seu projeto de poder e encastelou os Sarneys e Calheiros da vida no parlamento para garantir a governabilidade e o tempo de TV para as eleições. Mas quem não faria isso? Dudu, por exemplo, tá com os Bornhausen em SC, os Maias lá do RN, os Fortes do PI, o Freire do PPS, e quem mais queira vir pro seu lado, ainda que a Marina não tenha nada a ver com tais lideranças e seja a maior fiadora da sua candidatura. E digo mais: coloque o Randolfe lá e o PSOL deixa de ser o PSOL, pelo menos o imaculado que os mais crédulos acham que existe.

    Mas também legou ao país um dos programas de redução de pobreza e miséria mais vitoriosos da história do planeta, reconhecido pelos diversos prêmios recebidos pelo mundo a fora, incluindo a própria ONU. E isso não é, de forma alguma, pouca coisa. Talvez para quem sempre teve o que comer, sim…

    Não, não é o céu petista. Tem erros, muitos e graves. Mas, lamento, caro Pax, a realidade tem outras nuances que não podem ser ignoradas, por uma questão de justiça e honestidade.

  286. Pax said

    Caro Patriarca,

    E eu lá vou me preocupar com o quê o trambiqueiro – segundo o farto noticiário – pensa e diz? Ou mesmo de quem ele é fã? O que isso realmente importa?

    O que me preocupa é uma legião sair falando, insinuando, acusando e, ao mesmo tempo, exigindo justiça para condenados de crimes que me parecem de suma importância para a democracia, como caixa 2, compra de apoios etc. Desviar o foco do problema é mais fácil que parar para expiar culpas, é o que me parece.

    Caro Zbigniew,

    Com todo respeito que te devoto, alguns itens do teu texto me parecem bem questionáveis. Vamos lá:

    1 – nenhum partido mudou nem mudará esse política de alianças baseadas em toma lá, dá cá. Mas, ora bolas, não era o PT que dizia que mudaria o rumo da ética na política?

    2 – colocou o Brasil num outro patamar de emprego e consumo – concordo, mas discordo ao afirmar que “iniciou”. Aqui existe uma questão de apropriação que me parece importante. Nem acho o maior dos crimes, dizer que o Brasil melhor se dá por conta dos governos do PT, se estivesse nos sapatos do partido. Mas se formos muito honestos, que não se pode dizer do PT, haveria de se dar créditos reais a outros importantes passos dados anteriormente.

    3 – trazer Kátia Abreu, encastelar Sarneys e Calheiros, disfarçadamente (às vezes nem tanto) encastelar a turma religiosa etc, aí é onde mora minha enorme discordância, que se associa ao item 1 acima. É, sim, uma traição com todos os compromissos. É se dizer incompetente em reformar o que precisa ser reformado, é, pior que isso, adotar o que há de pior, transfigurar-se. E ainda pior que o pior é estabelecer um mantra e exigir que seja repetido monocórdicamente por toda militância que passa a estranhos comportamentos de rotular de traidores, direitistas etc quem quer que não aceite dançar essa música ou questione qualquer incompetência ou corrupção do próprio partido e de seus integrantes. Pera lá, alto lá, não é assim que conquistarão meu respeito. Muito ao contrário.

    Pegando tua provocação, por uma questão de justiça e honestidade, o PT deveria olhar para dentro, para suas decisões, e pensar se é este mesmo o rumo que quer. Confesso que não é minha opção me associar com a direita, com a defesa de poderosos, de corruptos, de gente que, por qualquer motivo, não atua para o povo brasileiro.

    Quem tanto se abaixa para esse tipo de aliança acaba – como está me parecendo – igual.

  287. Patriarca da Paciência said

    Zbigniew,

    O mais estranho de tudo isso é que, em qualquer época, em qualquer lugar, seja aqui, ou seja acolá, nunca houve “políticos imaculados”.

    Como já disseram vários historiadores honestos, “a história sempre foi e sempre será uma tragédia”.

    Faz pouco mais de meio século que a Europa viveu um dos períodos mais horrendos de toda a história humana!

    Eva Justin recebeu o seu diploma de “doutora” , pela Universidade de Berlin, realizando pesquisas com crianças ciganas e judias, tendo concluído que estas são totalmente incapazes de atingir o grau de ser humano civilizado e, ao fim das “experiências” , as crianças foram todas “descartadas”.

    Meio século atrás, o Brasil vivia em completo atraso!

    Aí vem o PT e, “pela primeira vez na história deste país” , consegue implantar com êxito uma política de justiça social!

    E em nome de uma suposta “imacularidade” , que nunca existiu, certas pessoas “bem intencionadas” tentam destruir a obra do PT.

    Mas tudo isso não passa mesmo da reação dos reacionários!

    O que eles não suportam mesmo é o fato de terem perdido o monopólio da política!

    Vamos melhorar, vamos nos tornar cada vez mais honestos, mas não às custas de destruir tudo que já conquistamos com tanto esforço!

    São os solavancos da história! A cada ação corresponde uma reação etc. Mas creio que o PT sairá dessa ainda mais unido e mais forte!

  288. Pax said

    Caro Patriarca,

    Mostre-me qualquer notícia, uma única que seja, que confirme essa tua boa torcida:

    Vamos melhorar, vamos nos tornar cada vez mais honestos, mas não às custas de destruir tudo que já conquistamos com tanto esforço!.

    Quando você trouxer alguma, mostrando que o PT resolveu melhorar neste sentido da discussão, prometo que reconhecerei.

  289. Zbigniew said

    Caro Pax.

    O Brasil se vê como num folhetim televisivo, onde o preto é preto e o branco é branco e no final tudo dá certo e o ruim é sempre castigado. Acho que tem muito a ver com a capacidade que as oligarquias midiáticas têm em (I)mobilizar toda uma nação em frente a um aparelho de televisão para acompanhar um mundo ideal. Esse mundo simplesmente não existe!

    O PT sempre apontou para a corrupção nos governos anteriores, em especial o dos tucanos, que sempre foram blindados pela mídia amiga (é só ver o caso ALSTOM, por atual). O PSDB, hoje, faz isto, só que com o apoio, engajamento e protagonismo da mídia amiga, bem como de instituições da República, como o STF, na figura do Gilmar Mendes e a Procuradoria da República, na figura do Gurgel. A posição política define o discurso de acesso ao poder, e isto é óbvio. Se ele se manterá, se guardará coerência, não vai depender apenas do partido que elege o Presidente. O exercício do poder é pautado por um jogo de interesses em que, no caso brasileiro, ou se rompe definitivamente através de uma crise institucional ou se buscam reformas que implantem gradativamente mecanismos de controle que diminuam as distorções e a corrupção. E nem vou discutir se isto se trata ou não de um dilema, porque, hoje, a primeira opção simplesmente não existe.

    E aí segue a seguinte questão: temos partidos políticos suficientemente ideologizados com força bastante para implementar um rompimento com a ordem vigente? E aqui não falo apenas do parlamento. Falo principalmente dos atores econômicos e políticos que forma os diversos lobbies e que são os que verdadeiramente mandam no país. E, só respondendo: NÃO! Sendo assim, por hora, o esforço gradativo e tenaz de apontar os erros, a educação para a cidadania e a melhoria da instrução e informação da população podem ajudar nesta mudança.

    Só uma ressalva: movimentos políticos de rua como os de junho do ano passado têm um apelo enorme e, se fosse suficientemente organizados e independentes, cujo único interesse fosse realmente combater tais distorções, os resultados, talvez, fossem mais rápidos. Mas nem nesses movimentos encontraremos tamanha organização e convergência.

    É, Pax. Definitivamente a vida real não é uma telenovela.

  290. Pax said

    Caro Zbigniew,

    Tínhamos um partido ideologizado, que se afundou em corrupção. E se afunda cada vez mais.

    Perdemos uma oportunidade.

    Desculpe-me, mas papo de achar que vivo em uma telenovela, em algum sonho irreal, não me parece argumento que chegue a convencimento.

    Começou com o papo de “governabilidade”. Alguns deram algum refresco, aceitaram que as coisas não poderiam ser mudadas do dia para a noite. Problema que de “governabilidade” a coisa se expandiu, se alterou para “o jogo é esse mesmo, entremos nele”.

    A questão que se coloca agora, e que me parece real, é: ok, entraram de cabeça, corpo e alma. Pioraram ou não a situação que estava? (tenho em vista o tema do blog).

    Há controvérsias. Já disse aqui que não consigo dizer se partido A é mais ou menos corrupto que partido B ou, ainda pior, que o C que todos acham mais complicados que o B.

  291. Zbigniew said

    Pax,
    há um equívoco nesta discussão.

    Todo partido tem ideologia. O problema é saber se esta é capaz de elaborar um projeto de nação e de poder, e não apenas este último.

    E olhe que o PT sempre se apresentou como o mais ideologizado dentre os maiores partidos. A questão, ao meu ver, é que o partido não consegue romper com a lógica perversa do sistema político brasileiro. E não é por imbecilidades como “o partido é a origem de todo o mal” ou outras estultícies de mentes infantis. Não há espaço para simplismos como o de que o partido tornou-se irremediavelmente mal. Que todos dentro dele são a favor do pragmatismo de alianças, que não há críticas nem vontade de mudanças. Neste ponto o raciocínio assemelha-se ao enredo de um folhetim televisivo.

    O que acontece é que o PT acomodou-se ao poder, no sentido político. E, com a imobilidade, a tendência é manter o hábito pela institucionalização. Aqui deveriam entrar os estadistas que são capazes de entender o momento certo para aposta em mudanças. Mas estadista são coisas raras. O problema é que na falta de uma sociedade mais consciente e madura politicamente sempre tentamos apelar para uma figura única, um salvador da pátria. Este é um grande perigo.

    Ao que parece, para o PT bastam as mudanças já implementadas e – aqui a ideologia se impõe – aquelas que, de alguma forma, mexem com o status quo, como o mais médicos, a diminuição das taxas de juros dentre outros. Entretanto tais mudanças também têm que se colocar no momento certo para que não se dê margem a manobras que prejudiquem a sua implementação. Ou se acerta de vez ou se perde para a desmoralização. Não é tão simples assim.

    Por essa complexidade que é a estrutura de poder no país, digo que é quase impossível dizer se um partido é mais ou menos corrupto. Qual o critério? Se for pelo número de parlamentares do Congresso cassados ou com processos nas costas, o PT tá bem na fita. Mas existem outros parlamentos no país, entre Estados e municípios.

    Mais uma coisa, Pax. Devemos apontar todas as mazelas que a corrupção, de que partido for, provoca na sociedade. Sem sombra de dúvida. E devemos cobrar de nossos representantes nas diversas casas legislativas e no próprio governo Executivo. Só não podemos decretar a responsabilidade absoluta em relação a uma única agremiação, como se ela fosse, realmente, a única responsável pelos problemas de toda uma nação.

  292. Pax said

    Vamos lá, caro Zbigniew, de trás pra diante, neste teu último comentário,

    1 – Responsabilidade absoluta de um só partido: não acho que cabe a mim, ao blog, este questionamento. A proposta do blog é trazer notícia de todos os lados. Neste post, por exemplo…

    2 – Qual partido é mais corrupto que o outro? Não sei dizer. Sei que todos são. Todos significativos tem noticiário suficiente para essa afirmação.

    3 – Ou se acerta de vez ou se perde para e desmoralização. Me parece que foi o caminho escolhido pelo PT. É, ou quase, igual a um PMDB, já não representa muito mas tem poder, tem penetração, cresceu e vai continuar crescendo. Até quando não sei. O que diferencia – um pouco – do PMDB é que tem uma militância mais ativa. O triste é ver em que estado está essa militância, sua grande maioria, que se tornou acrítica. Aceita tudo, aplaude e reverbera bordões.

    4 – Acomodou-se ao poder. Um pouco mais que isso, adotou as mesmíssimas práticas que tanto criticava. Se tornou mais um.

    5 – Por fim, maids ideologizado? Foi, não é mais. Qual ideologia? Dos ruralistas? Dos oligopólios? De esquerda? Socialista? Social democrata? Virou uma bagunça que ninguém mais sabe o que significa. Só sabe o que implica, que é o mesmo que todos, corrupto que retroalimenta o esquemão geral, se perpetua etc etc.

    Sinto, mas é como sinto.

  293. Pax said

    Parece que não sou só eu que penso o que penso…

    Braço erguido prova que PT não aprendeu nada

    Josias de Souza 04/02/2014 05:32

    http://josiasdesouza.blogosfera.uol.com.br/2014/02/04/braco-erguido-mostra-que-o-pt-nao-toma-jeito/

  294. Pax said

    Ufa, foi só um braço quebrado. Andava preocupado. Jornalistas como esse fazem uma falta danada.

    http://noticias.r7.com/blogs/ricardo-kotscho/2014/02/03/aos-leitores-e-amigos-do-balaio/

  295. Chesterton said

    PT é o dr Strangelove.

  296. Chesterton said

    http://1001movienights.files.wordpress.com/2013/05/drstrangelove02.jpg?w=300&h=214

  297. Chesterton said

    ja coloquei isto aqui?

    O Santo Graal dos comunistas foi a URSS e seu sistema de “repúblicas populares”. As insurreições na Hungria (1956), na Tchecoslováquia (1968) e na Polônia (1980) secaram o poço do encantamento. A queda do Muro de Berlim e a implosão da URSS quebraram o cálice sagrado. No último quarto de século, desorientados, os filhos do “socialismo real” empreendem a busca por um novo Graal. Como tantos outros, Tarso Genro encontrou-o na China (em “Uma perspectiva de esquerda para o Quinto Lugar”, artigo escrito numa língua estranha, longinquamente aparentada com o português). As suas elucubrações teóricas não têm interesse intelectual, mas merecem um exame político.

    O governador do Rio Grande do Sul enxerga na experiência recente da China uma inspiração para a marcha do Brasil rumo ao estatuto de potência mundial. O que a China tem de especial? Um “sujeito político (Partido-Estado)” que “cria o mercado e suas relações”, num processo em que “estas relações novas recriam o sujeito (Partido-Estado), que será permanentemente outro”. É isso, explica-nos, que falta ao Brasil: um ente de poder capaz de reinventar a sociedade e guiar o povo até o futuro.

    Décadas atrás, um tanto tristonhos, incontáveis socialistas deploravam o poder totalitário do Partido Comunista da URSS, mas o justificavam como um mal necessário pois, no fim das contas, aquele era o motor político da economia socialista. Genro, pelo contrário, não apela ao socialismo (uma “fantasia histórica”) para justificar o poder absoluto do Partido-Estado: basta-lhe um horizonte “chinês” de crescimento econômico e progresso social. E a democracia? A China triunfa graças a um “regime político não democrático para os nossos olhos”, ensina o líder petista, reproduzindo os argumentos oficiais do Partido Comunista Chinês, que justifica a tirania pela invocação ritual da cultura e da tradição.

    A democracia é o regime no qual os governantes não podem tudo –e aí está o problema do Brasil, na opinião de Genro. Na sua descrição, o “mercado” malvado sabota a redução dos juros, a abominável “grande imprensa” bloqueia o aumento do IPTU e os demoníacos “cronistas no neoliberalismo abrigados na grande mídia” manipulam a opinião pública. A expressão política de opiniões conflitantes e interesses divergentes que nos acostumamos a chamar de democracia representa, aos olhos de Genro, uma intolerável balbúrdia. É preciso, para libertar a “utopia concreta presa com âncoras pesadas no fundo real da sociedade capitalista”, instaurar uma ordem nova na qual o sujeito da História (o “Partido-Estado”) possa conduzir a nação até o futuro redentor.

    O “levantar âncoras”, propõe Genro, encontra-se na convocação de “uma nova Assembleia Nacional Constituinte no bojo de um amplo movimento político inspirado pelas jornadas de junho”, mas “com partidos à frente”. Esqueça, por um momento, que as “jornadas de junho” não seriam as “jornadas de junho” se tivessem “partidos à frente”. Nosso pequeno, mas esperançoso, pretendente a Duce sonha com uma “marcha sobre Brasília” liderada pelo partido que exerce o poder.

    “Penso que as esquerdas no país devem abordar programaticamente estas novas exigências para o futuro, já neste processo eleitoral”. Genro sabe perfeitamente que sua “utopia concreta” terá impacto nulo sobre a campanha de Dilma, que continuará focada em firmar alianças com o PMDB, o PP e o PSD, renovar os compromissos com as altas finanças e reforçar a parceria com os “movimentos sociais” estatizados. O vinho de seu cálice sagrado destina-se, exclusivamente, ao consumo interno do PT e de sua área de influência militante: é um antídoto ideológico contra as imprecações lançadas por correntes esquerdistas inquietas com o “giro à direita” do lulismo. Mas serve, ainda, para iluminar o lado escuro da alma do partido que nos governa.

    Demétrio Magnoli, doutor em geografia humana, é especialista em política internacional. Escreveu, entre outros livros, ‘Gota de Sangue – História do Pensamento Racial’ (Contexto).

  298. Otto said

    Ninguém na academia leva a sério esse Debignoli.

    Só os olavetes.

  299. Otto said

    Se alguém quer ter uma ideia do que seria o país sob Aécio, deem uma olhada:

    http://www.minassemcensura.com.br/conteudo.php?MENU=&LISTA=detalhe&ID=1256

  300. Elias said

    Pax, # 237.

    Então ficamos assim: a Consulta Popular não teve influência nenhuma na movimentação popular do ano passado. Palavra dos teus sobrinhos do PSTU e do PSOL, que, como todos sabem, primam pelo acerto das análises políticas (tanto que são o sucesso que são, em termos de apoio popular…).

    Mas ficamos assim: a Consulta Popular não teve influência nenhuma…

    Então, a movimentação em 2014 — sem a Consulta Popular, né? que ela tá fora… — será um baita sucesso! Milhões de pessoas nas ruas, durante a copa! Coisa de botar as “Diretas” no chinelo, certo?

    Aliás, Pax, quando chegar a hora, posta umas fotos tuas, participando do badernão lumpem, junto com a torcida do América…

    Vai ser um registro e tanto…

  301. Chesterton said

    http://br.financas.yahoo.com/q?s=PETR4.SA

    Tadinho do Elias.

  302. Elias said

    “Caro Otto, Sei lá desse tal processo 2474. Que me lembre a primeira vez que vi algo sobre isso foi você trazendo daquele blog do cafezinho, algo assim. E aí fica como as coisas do titio da Veja, nem vou atrás. Cada um de nós tem o livre arbítrio de escolher suas fontes. Cá confesso uma chatice sem fim, quando uma fonte perde minha credibilidade simplesmente paro de ler.” (Pax)

    Não adianta, Otto…

    O Pax tá descendo a ladeira… E vai continuar ladeira abaixo.

    Quando tiveres um tempo, diz pro Pax que, se ele quiser se informar a respeito do INQ STF 2474, ele não necessita buscar no blog do cafezinho, nem do leitinho, nem do chocolatinho. Basta ele digitar o argumento em qualquer site de busca e… Ele sabe… Ele sabe… Recomenda, mais, que ele entre no próprio site do STF…

    Se ele não quiser — e ele, notoriamente, não quer — fica por isso mesmo. Mas não dá é pra ficar dizendo que não sabe nem quer saber do INQ 2474 por causa do Blog do Cafezinho…

    Manter um blog chamado “PolíticAética”, e ficar fazendo cara de paisagem pra uma cocozada desse porte é… Digamos… Excessivo!

    Sabe aquela imagem dos três macaquinhos? Não falo, não ouço, não vejo…?

    Pois é… Né?

    Agora, se for contra o PT, o Pax rapidinho “vê” provas, mesmo que não saiba nem dizer que provas são essas que ele “vê”…

    Ê gado bom…!

    Em tempo:
    Tirado do site do próprio STF (e não do blog do cafezinho, chocolatinho, chazinho ou leitinho):
    “(Referente à Petição Avulsa 19.812/2011): Junte-se, oportunamente.Trata-se de pedido de vista do Apenso XI dos autos deste inquérito, formulado pelo Deputado Federal José Mentor.Os volumes principais estão sob análise da Procuradoria-Geral da República, para manifestação sobre as últimas diligências realizadas e o relatório apresentado pela Polícia Federal.Contudo, por se encontrarem na Secretaria do Tribunal os apensos do presente inquérito, e por haver menção ao peticionário (Apensos 83, 84), defiro o pedido de vista, estendendo-o também aos demais apensos localizados neste Supremo Tribunal Federal.Publique-se, para fins de intimação.Brasília, 12 de abril de 2011.Ministro JOAQUIM BARBOSA, Relator. Documento assinado digitalmente.”

  303. Elias said

    Chester,

    Baixei agora.

    PETROBRAS -PN (PETR4.SA) – Sao Paolo

    13,97 Up 0,12(0.87%) 11:55AM BRST

    Tadinho de quem vendeu pra Merrill Lynch a 13,88 (o Chester, como experiente e inteligente “trader”, deve ter recomendado à Merrill Lynch que não comprasse PETR4. Como a Merrill Lynch é burra, comprou aos US$ milhões. Tadinha dela, né Chester?).

  304. Elias said

    Chester,

    Aí, acima, foi às 11h55m.

    Vê logo depois, às 12h00m.

    PETROBRAS -PN (PETR4.SA)-Sao Paolo

    14,00 Up 0,15(1.08%) 12:00PM BRST

    Assim não dá, Chester.

    Eu vou chorar!

  305. Elias said

    Otto,

    Pro Pax não continuar a dizer que o INQ 2474 é uma invenção do Blog do Cafezinho:

    Processo: Inq 2474 MG
    Relator(a): Min. JOAQUIM BARBOSA
    Julgamento: 12/04/2011
    Publicação: DJe-072 DIVULG 14/04/2011 PUBLIC 15/04/2011
    Parte(s): MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL

  306. Elias said

    Chester,

    Às 12h12m:

    PETROBRAS -PN (PETR4.SA)-Sao Paolo

    13,98 Para cima 0,13(0,94%) 12:12

    Tá devagar…

  307. Pax said

    Prezados, temos todos o mesmo direito de divergir e não acho isso ruim. Muitos de vocês acham que eu quero do fim do PT. Não é verdade. Sonho que o PT saia do rumo que entrou.

    Não gosto muito do Kennedy Alencar, atualmente acho que tem errado mais que acertado, mas hoje ele me pareceu consistente.

    Ouçam a primeira parte, sobre política e justiça. Nem prestei muito a atenção na parte de economia, a segunda parte de seu comentário na CBN. Eu ouço, às vezes, pelo link.

    http://blogdokennedy.com.br/pt-erra-ao-peitar-barbosa-economia-preocupa-dilma/

    Resumo da ópera, não estou sozinho quando penso que esta briga com Joaquim Barbosa é um tirambaço nos próprios pés do PT. Quem deve estar adorando isso são os marketeiros da oposição, mesmo porque não tem muito mais com o que trabalhar.

    Ouçam, por favor.

  308. Zbigniew said

    A se ver, caro Pax.

    Mas o PT não pode deixar escapar o confronto político com o JB, principalmente levando-se em conta o temperamento do “Lente”.

    Aliás, em determinados momentos o tal confronto é inevitável. Hoje, o PT precisa marcar posição. Para julgamento político, postura política. Eu até estranho esse posicionamento, já que o PT se caracteriza muito mais pelo não-confronto. O medo reverencial que dispensa às Organizações Globo é estarrecedor e um exemplo desta postura.

    Mas o contraponto está posto. A pecha de julgamento político deve ser colocada e, se novos elementos forem revelados – como no caso do Inquérito que foi escondido pelo Relator – e corroborarem a tese, muitos que hoje atiram pedra no PT, passarão a, se não apoiarem o partido (na argumentação da perseguição política), não apoiar o JB. E aí o julgamento estaria definitivamente desmoralizado.

    Sabe, Pax. Dá um desânimo danado esse jogo ter sido colocado na arena da mídia, da política partidária, e no âmbito do ego de um Ministro, muito mais do que na seara jurídica. Fica aquela impressão que um conhecido meu utilizou como argumento comparativo de que, um dia, talvez um dia, o Brasil venha a ser como uma Espanha nos seus melhores momentos, mas nunca um Japão ou uma Alemanha. O nosso “ethos” está, em relação ao sentimento de um todo, de uma coletividade, e da coisa pública, pelo menos para esta e próxima geração (ou gerações), definitivamente prejudicado.

  309. Pax said

    Caro Zbigniew,

    De novo, temos opiniões absolutamente distintas. Acho ótimo. Mesmo. Espero que um dia um dos dois consiga demover o outro do que pensamos sobre o assunto.

    Mas concordo com o Kennedy Alencar. Nesta disputa entre o PT e Joaquim Barbosa, quem ganha é o segundo.

    E, o que mais me incomoda, quem perde, e muito, é o PT.

    De tanto baterem nesta tecla, o que vejo ocorrer é que sua militância acredita piamente que foi um julgamento político, que os condenados são inocentes, que deve-sa confrontar e afrontar Joaquim Barbosa, como fizeram ontem no Congresso.

    Esquecem, nesta trilha assumida, que 87% dos eleitores do PT aprovam o julgamento.

    E o que acontece nesta sequência? Coisas pra lá de chatas e até perigosas.

    1 – quem não entra neste rumo é agredido, seja chamando de coxinha, de direitista, de tudo que vemos por aí, ou sejam, passam a agredir quem tenha opinião diferente. E isso a gente conhece, a História não nos cansa de mostrar. Isso tem tons muito pouco democráticos. Chegando, alguns, a posturas até fascistas. Perigosíssimo, diria.

    2 – o PT, e essa militância menos crítica, acha que está completo de razão, que faz o jogo que faz mas que esse é o jogo a ser feito porque “nunca antes na História deste país….”. Caramba. O quê é isso? Há tanto a ser feito. Não andamos nem um décimo do caminho. Por mais que o PT tenha apresentado alguns resultados, se juntar tudo, o conjunto da obra é muito questionável, sim.

    3 – se eu estivesse nos sapatos dos marketeiros dos candidatos da oposição, faria uma série de montagens com promessas feitas e desvios constatados, afrontas às instituições etc etc. Só o exemplo da transposição do São Francisco, da grana já gasta e do vergonhoso resultado de nenhuma água ser levada aos nordestinos, só aí eu faria metade dos filmes. Imagine agora com os dados de Educação, apenas 1% de redução de todo analfabetismo? E as alianças, Dilma e Lula com Collor, Maluf, Sarney, Renan, enfim, montaria um caminhão de imagens mostrando para onde foi a “esquerda petista”. E os índios? E a reforma agrária? Caramba, como disse, pra quem não tem um bom projeto, pra quem não tem link com a sociedade, melhor é atirar todas as pedras que o PT merece receber, sim.

  310. Pax said

    Caro Elias, #302,

    Só hoje consegui conversar com o outro moleque que havia prometido. Ele não é filiado, mas votará, sim, no PSOL.

    Mas, caro Elias, já que estás tão agressivo, não vejo necessidade de trazer seu depoimento para cá.

    Uma pena. Gosto de conversar com um pouco menos de pedras às mãos.

    Abracem e afundem com quem quiserem.

  311. Zbigniew said

    Pax,
    e se eu fosse o PT mostraria que nem transposição, nem desconcentração de renda, tampouco melhoria da educação e redução de analfabetismo ou índices de corrupção foram feitos ou alcançados pelos governos dos partidos que hoje apontam o dedo para o nariz dos trabalhistas e buscam, a todo o custo, criminalizá-los.

    Se o PT pode mostrar os avanços, muitos de grande monta, alguns ainda que modestos, o mesmo não se pode dizer dos outros. O PSDB estabilizou a moeda e controlou a inflação. Ótimo! Mas quanto de nossa população usufruiu efetivamente destas medidas? Ou será que o Por isso o PT virou, como diz com propriedade o Elias, uma máquina de angariar votos. Porque a população sentiu as mudanças e, mais do que isto, “PELA PRIMEIRA VEZ NA HISTÓRIA DESTE PAÍS”, experimentou a mobilidade social.

    Agora, sobre a reforma agrária isso nos remete a uma cultura oligárquica e concentradora que desnuda, aqui, a inapetência do PT para o confronto. Enquanto os EUA tiveram o “homstead act” há séculos atrás, nós ainda patinamos numa herança (esta sim maldita) que nos faz prisioneiros de uma sina para o subdesenvolvimento. Neste caso o PT, infelizmente, é também tributário de um sistema perverso que se perpetua no país.

  312. Zbigniew said

    Só completando a parte que ficou truncada, … ou será que o que realmente impulsionou as mudanças implantadas naquele momento não tinha nada a ver com as pressões do sistema financeiro internacional, assim como a Inglaterra o fez contra o tráfico negreiro no séc. XVII?

  313. Otto said

    Elias #302,

    Li esta frase agora há pouco e não sei porque me lembrei do Pax:

    “O intelecto humano, quando assente em uma convicção (ou por já bem aceita e acreditada ou porque o agrada), tudo arrasta para seu apoio e acordo. E ainda que em maior número, não observa a força das instâncias contrárias, despreza-as, ou, recorrendo a distinções, põe-nas de parte e rejeita, não sem grande e pernicioso prejuízo.” (Francis Bacon, Aforismo XLVI do “Novum Organum”)

  314. Otto said

    Sobre Tuma Jr. no Roda VIva:

    Romeu Tuma Jr, como era previsível, foi ao Roda Viva, hoje o programa mais reacionário da televisão brasileira.

    Se você quer aparecer no Roda Viva fale mal do PT. Suas chances imediatamente aparecerão.

    Tuma Jr estava claramente desconfortável. Arfava, suava, vagava, se perdia em frases longas frequentemente sem nexo.

    O peso excessivo do entrevistado e o calor deste verão contribuíram para dar um ar opressivo à entrevista.

    Tuma Jr carrega um peso morto, seu “livro bomba”, aspas. Como era esperado por todo mundo, excetuada a direita mais petrificada, o livro não deu em nada.

    Ontem, o que se viu foi o triunfo da esperança: a tentativa de salvar a obra de seu destino inevitável, o lixo.

    O coveiro do livro foi, curiosamente, FHC. Coube a ele liquidar a maior “denúncia” de Tuma Jr: a de que Lula foi “informante” da polícia na ditadura.

    Num programa de tevê, FHC descartou essa acusação enfaticamente – e com um certo desprezo pela natureza dela e de seu formulador.

    É uma acusação, de fato, desprezível. Tuma Jr invoca seu pai morto para dizer que Lula era informante. Repito: a testemunha de Tuma Jr é um cadáver.

    O livro só não foi inteiramente ignorado por causa do brutal esforço da Veja, a olavete da mídia brasileira, em fazer dele uma coisa séria.

    Mas a Veja, se pôde muito na era Collor, hoje pode pouco, muito pouco. Mesmo dando um espaço descomunal para Tuma Jr, nada aconteceu.

    A bomba não explodiu.

    Explodiria, sim, no colo do autor, se a justiça brasileira funcionasse. Mas não funciona. Você processa alguém por calúnia e a ação vai terminar em mãos amigas.

    O próprio Nunes, processado por Collor há algum tempo, foi inocentado depois de chamá-lo de “chefe de bando”.

    Collor ponderou que o STF o tinha absolvido de todas acusações, razão pela qual ele está em liberdade e retomou sua carreira política. Mas a juíza que avaliou o caso achou que “chefe de bando” não era ofensa. Assim funciona a justiça brasileira.

    Falei algumas vezes que a sorte de diretores da Petrobras caluniados por Paulo Francis foi poder processá-lo na justiça americana, uma vez que as acusações tinham sido feitas em Nova York, no programa Manhattan Connection.

    FHC, então presidente, tentou convencer os executivas a desistir da ação, mas sem sucesso. Serra, ministro, também interveio, mas como FHC fracassou.

    Como a justiça americana é diferente da brasileira, Paulo Francis se viu na iminência de pagar uma indenização brutal. Atormentado, morreu do coração.

    Tuma Jr, no programa, se gabou de que ninguém citado em seu livro o processou. Claro. Estamos no Brasil. Você processa, se desgasta, é acusado de censor e, como no caso Collor X Nunes, não acontece nada.

    Você ainda é perseguido, depois. Francis teria com certeza aumentado o volume de suas infâmias se o processo fosse no Brasil, absolutamente confiante na impunidade.

    Tuma Jr, como Francis, não tem provas. Isso lhe foi cobrado ontem por alguns entrevistadores. Ele, pitorescamente, disse que tinha escrito um livro, e não montado um inquérito, o que o deixaria sem a obrigação de provar acusações.

    Imagino-o dando esta explicação num tribunal americano, e faço uma pausa para rir.

    Foi igualmente pitoresca a observação de Augusto Nunes a respeito das provas. Ele disse ter visto, e as definiu como “muito contundentes”.

    Bem, quem acredita em Nunes acredita em tudo.

    A coisa mais próxima de evidência dada por Tuma Jr foi uma foto na qual Lula, preso, aparece fumando num carro da polícia, há coisa de 30 anos.

    A foto, de extraordinária banalidade, seria a prova de “privilégios” dados a Lula em troca de informações.

    Tuma Jr fala no livro em “assassinato de reputações”. Mas o que ele fez foi exatamente uma tentativa de assassinar reputação. Só não foi bem sucedido porque, fora não ter credibilidade em dose mínima, cadáveres não são muito aceitos como testemunhas, principalmente quando invocados para apoiar uma acusação que, vivos, jamais fizeram.

    Ainda no campo da comédia, foi engraçado ver a expectativa – simplesmente lunática – de irmãos de causa de Tuma Jr e Augusto Nunes.

    No Twitter, Lobão e Claudio Tognolli (que escreveu o livro de Tuma Jr) publicaram vaticínios apocalípticos.

    O Brasil jamais seria o mesmo depois do programa, segundo eles.

    Eles estavam apostando na idiotice da sociedade. Mas já faz tempo que a pessoa que faz este tipo de aposta acaba perdendo – e fica, ela sim, no papel de idiota.

    http://www.diariodocentrodomundo.com.br/tuma-jr-so-nao-assassina-reputacao-porque-nao-tem-credibilidade/

  315. Pax said

    Como as pessoas – e as criaturas – são interessantes. Se dizem democratas, mas patrulham quem não repete bordões de seus líderes.

    Caramba, vocês estão conseguindo aumentar meu desconforto.

    E minha percepção que talvez seja mesmo hora de trocar de ladrão.

  316. Otto said

    Seja mais claro, Pax.

    Eu não tenho líder. Meu líder é a verdade e a justiça.

    Um dia que aparecer uma agremiação política mai à esquerda do PT, coerente e de base, com chances reais de governar, não terei nehum problema em apoiá-la.

  317. Chesterton said

    Meu líder é a verdade e a justiça.

    chest- rebatizaram a Dilma e o Lulla?

  318. Chesterton said

    TERÇA-FEIRA, 4 DE FEVEREIRO DE 2014

    Romeu Tuma Jr. e o MASSACRE DA SERRA ELÉTRICA; ou Se você não ouviu nada demais é porque além de cego você ficou surdo!!!

    Romeu Tuma Jr. devastou ontem as fileiras petistas. Os entrevistadores colocados lá para acusá-lo passaram vexame. Tuma Jr. foi consistente, calmo, e preciso. Mas, sabem o que mais me chocou? Foi a quantidade de comentários nas redes sociais que seguiam padrão idêntico!!! Algo do tipo “eu não sou petista, mas ele não disse nada demais”; ou ainda “não sou a favor do PT mas ele não provou nada”. Típico chororo petista querendo diminuir o peso do depoimento do ex-secretário nacional de justiça do governo Lula.

    Vamos aos fatos, Tuma Jr. disse com todas as letras que:

    1) O STF foi grampeado (escutas ilegais);
    2) O Ministro Gilberto Carvalho levava pessoalmente o dinheiro arrecadado de maneira ILEGAL em São Bernardo do Campo para Brasília. Tal dinheiro seria usado no mensalão;
    3) Dossiês eram feitos na polícia federal para incriminar adversário políticos;
    4) A polícia federal estava sendo “aparelhada” por petistas, gerando um verdadeiro estado policial de exceção (para perseguir inimigos políticos).

    Bom, caso você seja um dos cegos ou surdos que acham que isso “não é nada demais”, preste atenção: o item 1 é uma interferência direta do executivo no judiciário; o item 2 é uma interferência direta do executivo no poder legislativo; os itens 3 e 4 são indicativos do enfraquecimento institucional brasileiro, onde as instituições passam a servir quem está no poder, e não a sociedade brasileira.

    Mas, vamos adiante, Tuma Jr. disse que denunciou esses esquemas antes. Cita sua declaração na Comissão de Ética, o que é uma prova escrita e válida de suas denúncias. Tuma Jr. ocupou por três anos o cargo de Secretário Nacional de Justiça, entre suas atribuições estavam por exemplo: coordenar as ações de combate a lavagem de dinheiro, e coordenar a política de justiça. Esse homem ocupou um dos cargos mais estratégicos do governo Lula, e fez denúncias sérias. Por que o silêncio dos acusados? Onde está o sempre falante Ministro Gilberto Carvalho? Por curiosidade, o Ministério Público vai ficar calado? Se Tuma Jr. mentiu então tem que ser judicialmente responsabilizado por esse fato. Mas tudo leva a crer que o ex-secretário nacional de justiça tem “bala na agulha”.

    Dizer que a entrevista de Tuma Jr. “não tem nada demais” é um absurdo, e mostra bem o grau de alienação de alguns. Se Tuma Jr. mentiu deve ser responsabilizado, se ele não mentiu então estamos no maior caso de corrupção da história brasileira. Um caso onde membros de um partido tentam aparelhar e controlar importantes instuições de nosso país. Esse é um ataque direto ao Estado de Direito e a liberdade individual. Essa denúncia tem que ser apurada.
    POSTADO POR ADOLFO SACHSIDA

  319. Chesterton said

    http://oglobo.globo.com/pais/deputado-denuncia-que-cubana-abandonou-mais-medicos-11504766

  320. Otto said

    Pax, PML você aceita como fonte?

    ERRO HISTÓRICO NA AP 470
    Debate sobre inquérito secreto mostra esforço para negar direitos aos réus

    Em 2011, o STF debateu fez um debate importante sobre inquérito secreto, o 2474, que tinha testemunhos, provas e documentos de várias investigações paralelas a Ação Penal 470.

    Três anos depois, quando Ricardo Lewandovski decidiu levantar o sigilo sobre o inquérito 2474, o debate é particularmente revelador.

    Mostra que a postura de Joaquim Barbosa para manter este inquérito sob sigilo, durante tantos anos, implicou na negação de princípios elementares do direito e das garantias individuais. Sabe aquela denúncia de juristas como Yves Gandra, de que não se respeitou o princípio de que todos são inocentes até que se prove o contrário?

    O vídeo mostra isso.

    São quinze minutos didáticos e inesquecíveis.

    De um lado, o ministro Celso de Mello, insuspeito de qualquer simpatia pelos acusados, quer entender por que o relator Joaquim Barbosa se recusa a liberar o inquérito para que os advogado de oito réus possam tomar conhecimentos de provas que podem ser úteis à sua defesa.
    Celso de Mello assume uma postura límpida, coerente, apoiada em noções elementares do Direito e da Constituição, que o ministro, decano da corte, menciona várias vezes.

    De outro, Joaquim Barbosa tenta justificar a razão de fazer segredo. Logo se vê que não há um motivo real, um argumento jurídico. Não há um conflito de doutrina, nem de concepção de direito.

    A explicação é que a AP 470 está na fase final e não seria conveniente atrasar mais.

    O argumento está errado. O inquérito é formado por 78 volumes, que contém novidades, outros ângulos e depoimentos.
    É claro que todos deveriam ter o direito de conhecer fatos e testemunhas que poderiam esclarecer a história e até ajudar a demonstrar sua inocência. Preste atenção. Estamos falando de provas colhidas de modo oficial, dentro das regras legais.

    Celso de Mello coloca questões claras e simples Fala do amplo direito de defesa, lembra que a justiça se baseia no princípio da publicidade e que o sigilo, quando aceito, é sempre uma exceção. Em determinado momento, ele faz uma pergunta que Joaquim Barbosa não saberá responder de forma satisfatória: pergunta por que, afinal, fazer tanta questão do segredo?
    São perguntas que levam a pensar em outras: que mal isso pode causar? A quem?

    Num debate que envolve questões de envergadura, o vídeo mostra muitos ministros em silêncio.

    Marco Aurélio de Mello se alinha com Celso de Mello. Coloca para Joaquim questões pé no chão.

    Em tom de quem até dá uma chance para o relator achar um argumento aceitável, Marco Aurélio pergunta se há problemas de privacidade que poderiam recomendar que o inquérito permaneça sob sigilo.
    Claro que não é este o problema, o que só aumentará a perplexidade de Marco Aurélio ao longo do debate.

    As imagens e o som do vídeo mostram Joaquim sem respostas a altura. O único argumento é o tempo.

    Só faltam algumas diligências, duas e mais um pouquinho. É como se os 78 volumes não tivessem nada…É como se réus que poderiam ser condenados a quinze, vinte e até 40 anos, não tivessem direito a ver todas cartas na mesa, como disse Celso de Mello, a certa altura. Os direitos deles — nem Joaquim questiona que eles existam — não podem ser suprimidos por causa do relógio.

    Nem este argumento é bom, contudo. Se o caso está no fim, alega Celso de Mello, é mais um motivo para se abrir o inquérito para os interessados.
    O decano lembra que a justiça tem como objetivo a apuração da verdade real. Repete um ponto básico, que toca na essência do problema do julgamento.
    Fala que é preciso “ garantir a paridade de armas entre o Ministério Público e os que sofrem a ação integral do Estado.” Fica claro que não há dois pontos de vista defensáveis. Apenas um. É aquele que pede “paridade de armas”. m
    Mas não. Não é ele que vai prevalecer. O inquérito 2474 era e permaneceria secreto. Atravessou a denúncia, o debate sobre o desmembramento, o julgamento em si, os embargos.
    Esta é a grande questão, que Celso de Mello intuía ali. Não havia igualdade entre a acusação e a defesa, entre o ministério público e os advogados. O que se impediu, ali, foi o direito a ampla defesa – e é isso que o vídeo demonstra.

    http://www.istoe.com.br/colunas-e-blogs/colunista/48_PAULO+MOREIRA+LEITE

Faça seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: