políticAética

Notícias da Corrupção, Desvios, Anomalias, Eleições e Meio Ambiente

  • Sobre o blog

    Uma coletânea das notícias da corrupção, desvios, anomalias, eleições e meio ambiente que aparecem na mídia todos os dias a partir de agosto de 2008.
  • Categorias

  • Arquivos

  • Páginas

  • Meta

Método Serra para gastar R$ 2 bilhões: sem licitação.

Posted by Pax em 17/02/2014

Segundo reportagem da Folha de São Paulo de hoje, a estatal paulista CPTM gastou R$ 2 bilhões entre 2008 e 2009 (José Serra era o governador) sem fazer licitação.

Foram comprados 48 trens dessa forma, no mínimo, suspeita.

R$ 2 bilhões sem licitação !

Osvaldo Spuri era o presidente da comissão de licitações à época.

Onde ele está agora, por escolha pessoal de Fernando Haddad? Secretário de Infraestrutura Urbana da prefeitura de São Paulo.

Não acredita? Veja você mesmo na reportagem da Folha no link abaixo

CPTM comprou R$ 2 bi em trens sem pesquisar preço

Reportagem de Mário Cesar Carvalho e Flávio Ferreira – Folha de São Paulo

Permite lançar uma enorme suspeita sobre eventual “comissão”

Anúncios

106 Respostas to “Método Serra para gastar R$ 2 bilhões: sem licitação.”

  1. Otto said

    Sobre a Venezuela, Pax, aqui, creio, um pouco de informação sobre a desinformação do Chesterton:

    Link

    (*** Nota minha: caro Otto, editei o link que destabulou o blog, me permita essa interferência e me desculpe a priori)

  2. Patriarca da Paciência said

    E tudo isso aconteceu antes, bem antes do tal suposto “mensalão”. E apenas agora, quando o Mário Covas já faleceu, falta um pouco mais de um ano para o Serra completar 70 anos e muitos outros já completaram, as coisas “começam a aparecer”

    Mas pelo que se viu do arquivamento feito pelo ministro Fux e outros, a coisa está bem explicada!

  3. Otto said

    Que nada, Pax: a casa é sua! :D

  4. Pedro said

    Pelo que entendi, não é sem licitação e sem apresentar referencia de preços, ou seja, uma baita picaretagem.
    Joga o preço lá em cima e depois diz que ganhou um superdescontão.

    Papuda neles….

  5. Pedro said

    Tem uma atenuante, o Banco Mundial e o BID, aprovaram o negócio.

  6. Elias said

    Fora do tópico.

    Do noticiário da ADVFN de sexta passada:

    “O BANCO DO BRASIL (BBAS3) apresentou agora pela manhã o resultado de suas operações no ano de 2013 fazendo história: o banco registrou lucro líquido R$ 15,76 bilhões no ano, desbancando o ITAÚ UNIBANCO (ITUB4) com o maior resultado da história dos bancos brasileiros. Segundo o BB, seus lucros foram impulsionados principalmente pela expansão dos negócios, contenção das despesas, e pela oferta pública inicial da BB SEGURIDADE (BBSE3) no segundo trimestre do ano passado. Os ativos totais do banco superaram R$ 1,3 trilhão no final de 2013, com expansão de 13,5% em doze meses. As principais linhas do ativo são operações de crédito e leasing, títulos e valores mobiliários e aplicações interfinanceiras de liquidez, que responderam por 76,3% do total.”

    Entendeste, Chester?

    Pra quem tem ações como bem patrimonial, e não como mercadoria, o que interessa é isso: o lucro que se apura a cada ano, independentemente das oscilações no mercado de capitais ao longo do ano.

    O israelense Daniel Kahneman ganhou o Nobel de economia de 2002. Ele não é economista. É psicólogo. Kahneman criou o conceito de “Economia Comportamental”, explicando como as emoções distorcem cálculos e percepções, na gestão de risco e nas decisões econômicas.

    Tu, que és médico, mas também tens interesse em assuntos econômicos, deverias ler o trabalho de Kahneman.

    Haverá momentos em que te sentirás insultado, mas, no fim, a leitura te fará bem…

  7. Pax said

    Caro Otto,

    A casa é nossa, tenha certeza. E não mudo vírgula do comentário de terceiros sem avisar. Obrigado pela compreensão.

    Caro Pedro,

    Papuda neles, desde que a Justiça seja igual para todos. E há um longo caminho que parece necessário ser trilhado. Provas, denúncia, processo, julgamento e condenação. Mas o cheiro é…

    Caro casal Chesterton e Elias,

    Vocês são useiros e vezeiros em esquecer de uma palavrinha mágica: perpetuidade de um negócio.

    Sem querer me meter em briga de casal, mas apostar em ações de longo prazo – sem que seja a jogatina desenfreada do curto prazo, que é coisa pra quem tem informação privilegiada, pra tubarão do mercado – me parece bem prudente olhar sempre para essa palavrinha mágica. (over and out, não me meto mais nessa conversa de vocês porque em briga de marido e mulher não se mete a colher)

    =)

  8. Pedro said

    Googlias, também não quero me meter nesta briga, mas te faço uma pergunta.
    Nestes balanços bancários, não existe uma grande distorção, que são os créditos podres.
    Por exemplo, em 1996 o Banco emprestou 50 mil pro Zé das Farinhas, mas por n motivos o Zé não pagou e nem negou.
    Os juros vão correndo e quase 20 anos depois o Zé deve “teoricamente” 120 milhões pro Banco. Consta lá no balanço do Banco este crédito? Sabemos que ele nunca será cobrado.
    Tem fiscalização séria neste negócio.

    Aconteceu com o Banco Votorantim, algo parecido com os financiamentos de veículos.

  9. Pax said

    Off topic: uma outra análise para os Black Blocs (dica do Idelber)

    http://www.estadao.com.br/noticias/suplementos,o-bloco-dos-desobedientes,1130747,0.htm

    Me parece muito oportunista a forma como estão usando a trágica morte do Santiago, cinegrafista da Band.

    Por não querer tomar partido sem antes ler de tudo que é lado, leio bastante o que aparece por aí. Os dois acusados pela morte – que respondam, sim, pelo que fizeram – não me pareciam caracterizados como black bloc. E essa história toda anda muito esquisita.

    Se gosto da violência às ruas? Respondo de novo (e peço que não distorçam o que falo): NÃO. Acho que milhões às ruas, com causas reais, mesmo que nem sempre tão bem lideradas ou definidas, mexem com governos, com nosso podre legislativo etc.

    Se gosto, a priori, dos black blocs? NÃO.

    Se quero uma guerra civil? NÃO.

    Se acho, se entendo, que o povo deve ir às ruas reclamar ad nauseam de tudo que rola, desde o absurdo a que é submetido (eu sou povo!), tal como Supervia no Rio, metrôs RJ e SP, CPTM, afora todo o resto, agências regulatórias (meu quixotismo preferido) etc: SIM, SIM, SIM.

    Se acho essas propostas de lei antiterrorismo absurdas? SIM. Desde o título que receberam. Terrorismo, meus amigos, é plantar bomba em evento, como foi no Rio Centro durante a ditadura, é explodir ônibus na Inglaterra, trem na Espanha, assim por diante.

    Não acho que os black blocs sejam terroristas. Não me parecem ser. Adotaram modelos que não me parecem eficientes e não os apoio. Que respondam pelos seus atos, quando houver atos, flagrantes não fajutos etc.

    Dar tiro em olho de jornalista, sentar o cacete em quem se manifesta, me parece, sim, terrorismo de estado. Que é o outro lado da moeda.

    Reclamar da Copa do Mundo é terrorismo? NÃO, é direito de qualquer cidadão.

    Reclamar de corrupção geral (seja de quem for) é terrorismo? NÃO, acho que é até um dever de todos nós. Seja esta corrupção de quem for, de novo.

  10. Pax said

    Caramba….

    http://agenciabrasil.ebc.com.br/geral/noticia/2014-02/jornalista-e-morto-tiros-no-centro-sul-fluminense

    jornalista falou, morreu, apontou corrupção, morreu executado com 3 tiros, segundo a … Agência Brasil.

    nem vou falar de uma cidade do interior paulista onde uma tal construtora fez uma tal nova rodoviária, o governo era tucano, o orçamento estourou, foram mais alguns milhões, enfim

    por uma enorme coincidência a construtora comprou umas terras na zona rural, bem nessa época

    e as obras nessa propriedade rural dispararam, máquinas, cimento, tijolo, areia, pedra, enfim, uma fartura de tudo

    o governo mudou, de tucano para pcdob, e a coisa continuou

    para a reforma de uma certa avenida na cidade, a prefeitura comprou muitas palmeiras

    e inventaram que palmeiras não seriam boas para a tal avenida, por conta disso ou de sei lá o quê

    e as palmeiras apareceram na propriedade da construtora, por um passe de mágica

    e… para completar o quadro

    esses dias vários funcionários da prefeitura, com uniforme da prefeitura, foram vistos trabalhando…. dentro da obra.

    da prefeitura? não, ora bolas, dentro da propriedade rural da construtora, que hoje mais parece com aquele palácio daquele político mineiro

    enfim…

    melhor ficar quieto, sabe como é zona rural.

  11. Chesterton said

    Pra quem tem ações como bem patrimonial, e não como mercadoria, o que interessa é isso: o lucro que se apura a cada ano, independentemente das oscilações no mercado de capitais ao longo do ano.

    chest- não é à toa quer você compra Petrobras a 23 reais , depois a 19 reais e comemora quandro ela chega a 14 reais. Tem 2 motivos para comprar ações, dividendos ou expectativa de valorização. O resto é coisa de diletante.

  12. Chesterton said

    Papuda em todo mundo!!!!

  13. Pax said

    o tiro parece que vai sair pela culatra…

    http://www1.folha.uol.com.br/fsp/ilustrada/152555-acabou-a-baderna.shtml

    Alberto Dines no Observatório da Imprensa: Liberdade de expressão corre riscos quando não se sabe o que fazer com ela.

  14. Chesterton said

    Neo-AI5. Quem diria, a assaltante de banco provocou outro AI5, hahahahaha

  15. Elias said

    “Tem uma atenuante, o Banco Mundial e o BID, aprovaram o negócio.” (Pedro)

    Errado, Pedro!

    Nem o BID nem o Banco Mundial “aprovam” processos de licitação, ou de dispensa de licitação, ou de inexigibilidade de licitação conduzidos pelos seus tomadores de empréstimos.

    O BID e o Banco Mundial são organizações multilaterais. As licitações, ou os processos de dispensa ou inexigibilidade, são regulados pelas leis de cada país-sede dos entes tomadores de empréstimo.

    Essas leis variam, de país para país. Se o BID ou o Banco Mundial se intrometerem na aprovação de tal ou qual processo, eles estarão violando a soberania do país do tomador.

    Daí porque eles não metem o bedelho nisso.

    O tomador apenas declara que seus processos de licitação — ou de dispensa, ou de inexigibilidade — foram conduzidos em obediência à legislação em vigor. Se isso não for verdade, o declarante responde criminalmente pela mentira.

    E, se o assunto é lei, fica sabendo que, segundo a legislação brasileira:

    1 – Dispensar de licitação, ou declarar inexigibilidade de licitação, em desacordo com a lei, deve ser punido, cumulativamente, com indenização do prejuízo ao erário, multa e prisão.

    2 – O ente público nunca pode ser processado e, consequentemente, não pode ser condenado, por esse tipo de irregularidade, nem por declarações falsas. Quem tem que ser processado e condenado é o GESTOR do ente público. Nesses casos, o ente público é considerado VÍTIMA.

    No Brasil, lei tem de sobra… O que falta é cumprir a lei!

  16. Elias said

    “Vocês são useiros e vezeiros em esquecer de uma palavrinha mágica: perpetuidade de um negócio. Sem querer me meter em briga de casal, mas apostar em ações de longo prazo – sem que seja a jogatina desenfreada do curto prazo, que é coisa pra quem tem informação privilegiada, pra tubarão do mercado – me parece bem prudente olhar sempre para essa palavrinha mágica. (over and out, não me meto mais nessa conversa de vocês porque em briga de marido e mulher não se mete a colher).” (Pax)

    Que babaquice, Pax,,,

    “Perpetuidade de um negócio”?

    Isso é conversa de bêbado, rapaz!

    Evidentemente que o Chester não mexe com ações. Não compra nem vende.

    Quem se preocupa feito doido com oscilações do preço de ações ao longo do ano é o pessoal que vive da compra e venda de ações.

    Quem comprou ações a R$ 23 e vendeu a R$ 16 ou R$ 19, evidentemente que perdeu. Quem comprou quando esse pessoal vendeu (e dá uma olhada em quem comprou…)., evidentemente que espera ganhar com isso, né? Do contrário, por que a Merrill Lynch comprou tanto? Será que ela é uma associação de otários, que nada sabem sobre “jogatina desenfreada”, “informação privilegiada” e “tubarão do mercado”?

    De qualquer modo, isso é gente que tem muita grana pra entrar nesse tipo de jogo. Obviamente que não é meu caso. O Chester é que, há uns meses, apareceu se dizendo um “trader”, um “player”, e não sei mais o quê (se ele fosse alguma coisa parecida com isso, não teria tempo de postar esse monte de comentário que ele despeja, diariamente, no teu blog).

    Tuas afirmações sobre “jogatina desenfreada”, “informação privilegiada” e “tubarão do mercado” são ociosas, portanto.

    Aliás, esse negócio de dizer que só quem tem “informação privilegiada” é quem ganha na bolsa é papo de quem não sabe do que fala.

    É o mesmo que acreditar na influência do Candomblé no futebol. Se tivesse algum fundamento, campeonato na Bahia só terminava empatado…

    Na bolsa, tem tubarão pra todos os lados… Se há quem ganhe e há quem perca, é porque também há um monte de outras coisas, além de “informação privilegiada”, influindo no jogo. Não é que a “informação privilegiada” não exista, mas…

    Agora, “jogatina”, Pax, até onde eu consigo ver (e aprender, por força da minha formação profissional), é típico de qualquer bolsa. É um jogo, mesmo, envolvendo um enorme volume de conhecimento técnico, uma grande capacidade de estruturar inferências e uma boa dose de sorte…

    O cara que vendeu PETR4 a R$ 15 pode ter perdido dinheiro (vai depender de quando comprou e por quanto…).

    Por que ele vendeu por esse preço? Sei lá…! No mínimo, estava precisando de dinheiro ou então acha que, ao final de 2014, o Petrossauro vai remunerar tão pouco que não compensa ficar com esse mico na mão.

    Agora, supõe que esse cara tenha comprado a R$ 23, como besteira o Chester (que “pensa” que, por ter esse papel atingido a cotação de R$ 23 há algum tempo, todo mundo que tem o tal papel comprou a R$ 23 — eu sei, seu sei que isso é burrice, mas, o que se há de fazer? Chester é Chester, né? Como dizia o Rui Guerra: ninguém é português impunemente…).

    Se o cara comprou a R$ 23 e vendeu por R$ 15, perdeu R$ 8 por unidade. Ou seja: 34,8% em relação ao preço de compra.

    Se o Chester ou tu, ou ambos, pensam mesmo que, em 2014, a Petrobrás vai cair 34,8% em lucratividade, e ficar nisso, então nem adianta discutir o que quer que seja com vocês: vocês estão doidos varridos! A necessidade de ser oposição a qualquer preço transformou o cérebro de vocês em espuma de poliéster…

    De qualquer forma, Pax, pra teu governo, meu caso é outro: eu apenas venho aplicando, desde há uns trinta e tantos anos, uma parte das merrequinhas que consigo economizar, em ações do Petrossauro, do BB (mais recentemente recebi outra merrequinha em ações da Vale, como pagamento de uma dívida…).

  17. Chesterton said

    Isso, Papuda.

  18. Chesterton said

    Eu não penso que você comprou a 23 reais, você disse isto. E depois disse que comprou a 19 reais.

  19. Chesterton said

    https://yrj8usi8t5zbg6zcefy4.r.worldssl.net/el-ejercito-de-ocupacion-cubano-ya-se-encuentra-en-venezuela-60-mil-soldados/

  20. Elias said

    Luiz Flávio Gomes, no JusBrasil, dando de pau na maioria dos analistas políticos do país:

    =================================
    “Manifestante é manifestante, bandido é bandido e terrorista é terrorista. O legislador e a polícia estão confusos (por ignorância ou por má-fé) e não estão sabendo distinguir o joio do trigo. Manifestante legítimo, que está descontente com sua situação salarial ou com a brutal desigualdade aqui implantada ou com sua crise de governabilidade do país, que não lhe oferece serviço público de qualidade (educação, saúde, transportes etc.), não é bandido, porque ele não faz uso da violência, não sai por aí quebrando bens públicos ou privados, não usa máscara e não recebe nenhum dinheiro para jogar no time do “quanto pior melhor”. O manifestante tem direito e liberdade de criticar, de se reunir, de protestar, ainda que isso cause certa “desordem pública” (no trânsito, nas vias públicas). O projeto que criminaliza genericamente a desordem pública é mais reacionário que a legislação da ditadura militar e aniquila todas as liberdades duramente conquistadas pelo povo.

    Bandido é outra categoria, é o que sai mascarado quebrando tudo que vê pela frente, é o que não respeita nem coisas nem pessoas, é o que ganha para promover a quebradeira geral, é o que criminosamente dispara rojões para matar pessoas. Os bandidos são contra a democracia, não querem dialogar e usam a violência como meio de protesto. Devem ser reprimidos, não há dúvida, mas para isso não necessitamos de novas leis penais, o que sempre dá ensejo ao charlatanismo dos legisladores oportunistas, que vivem em busca de gente tola que acreditem neles nesse terreno do “combate” (falacioso) à criminalidade e à violência.

    Bandidos comuns, como os que mataram o jornalista Santiago, não têm nada a ver com o terrorismo, que exige não só uma estrutura organizacional sofisticada como uma motivação ou finalidade especial (política, separatista, racista, religiosa, filosófica etc.). Todo terrorista é um homem/mulher-bomba (real ou potencial), mas nem todo homem/mulher-bomba ou que solta bomba é um terrorista. O legislador brasileiro, que já enganou todo mundo várias vezes com suas leis penais vigaristas, que nunca diminuíram a criminalidade, se esquece que “pode-se enganar a todos por algum tempo; pode-se enganar alguns por todo o tempo; mas não se pode enganar a todos o tempo todo” (Abraham Lincoln).

    De 1940 a 2013 o legislador aprovou 150 novas leis penais, sendo 72% mais severas. Essa política pública está errada, porque não reduz o crime. Todo mundo viu e filmou o rojão que matou Santiago, menos a polícia, que não tem treino para agir preventivamente. Espera-se a morte chegar para depois reagir.

    O grande erro é não termos políticas públicas de prevenção do delito, tal como fazem os países de capitalismo evoluído e distributivo (Dinamarca, Canadá, Japão, Coreia do Sul etc.), fundado na educação de qualidade para todos, na ética e no conhecimento científico.”
    =====================================

    Atenção para a expressão “capitalismo evoluído e distributivo (Dinamarca, Canadá, Japão, Coreia do Sul etc.)”.

    A direita brasileira rosna como se nesses países vigorasse o vale-tudo pseudoliberal (segundo a qual a “liberdade de empreender” incluía a liberdade de escravizar), que resultou na abdicação de D. Pedro I.

    Irônico é que, hoje, volta e meia, pinta um negro que se deu bem defendendo essa merda…

    O que é a natureza…

  21. Elias said

    “Eu não penso que você comprou a 23 reais, você disse isto. E depois disse que comprou a 19 reais.” (Chester)

    Mentira tua, ó puto!

    O que eu disse — e repito — é que eu venho fazendo isso há tanto tempo, e tantos foram os padrões monetários adotados pelo país ao longo desse tempo, que não dá pra eu dizer quanto desembolsei, em média, por unidade.

    Meu primeiro mini-lote (todos são mini), ó puto, eu comprei ao final do primeiro ano de meu primeiro emprego, na era antigozóica, subperíodo matusalêmico…

    Mas agora, que besteiraste isso, vou ver se descolo um tempo pra ver quanto foi que gastei.

    Há algum tempo, ganhei um sistema que dolariza ou transforma em R$ de 2010 qualquer importância que tenha sido paga em qualquer tempo, e qualquer que tenha sido o padrão monetário, de 1900 pra cá. Deve estar na empresa. Vou tentar localizar e, quando puder, vou apurar esse troço…

  22. Chesterton said

    A direita brasileira rosna como se nesses países vigorasse o vale-tudo pseudoliberal (segundo a qual a “liberdade de empreender” incluía a liberdade de escravizar), que resultou na abdicação de D. Pedro I.

    chest- quem quer se dar bem com escravos é Dilma, com pseudo-médicos cubanos que fogem na primeira chance.

  23. Chesterton said

    Mentira tua, ó puto!

    chest- não só não é mentira, como falou que a hora era aquela, que a empresa isto e aquilo, como se tivesse informações de “insider”. |Ainda se gabou de ter comprado a 23 reais. Depois confessou que comprou a 19. Não tem jeito Elias, você é a única pessoa que conheço que comemora quando perde dinheiro com ações.

  24. Chesterton said

    http://selvabrasilis.blogspot.com.br/2014/02/o-socialismo-do-seculo-xxi-e-o-mesmo-do.html

  25. Chesterton said

    A oposição Venezuelana pretende cobrar de organismos brasileiros de defesa dos direitos humanos uma postura claramente crítica contra o governo Maduro. A reclamação geral é que poucas entidades brasileiras têm prestado solidariedade contra a censura à imprensa e cobrando providências contra graves violações contra civis na Venezuela. Até agora, o Itamaraty mantém um comprometedor silêncio sobre tudo de errado que acontece por lá, onde a convulsão social é real e objetiva, com violenta repressão do governo e de sua máquina ideológica revolucionária.

    Venezuelanos denunciam que a força de repressora de Maduro conta com a colaboração de cubanos especializados em guerrilha e terrorismo urbano. Ontem, o advogado Luis Armando Betancourt, representante do Foro Penal Venezuelano no estado Carabobo, denunciou que vários estudantes detidos em Valencia, durante os protestos, foram vítimas de brutais torturas. Um deles teria sido vítima de sevícias com um cabo de fuzil automático.

    A petralhada nada fala contra os abusos na Venezuela porque sonha em praticar o mesmo no Brasil, assim que houver condições revolucionárias…

    Alerta Total

  26. Pedro said

    Ok Googlias, sem atenuantes.

    Papuda, sem celular e sem o climatizador.

  27. Patriarca da Paciência said

    “247 – Com a intenção de pregar um discurso diferente dos petistas, o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso declarou nesta segunda-feira 17 acreditar na “isenção do STF” no ‘mensalão’ tucano, que será julgado esse ano. FHC disse ainda que, “se o STF acha que tem culpa, tem culpa”. As declarações foram dadas após palestra proferida pelo tucano a empresários em Santo André, na região do ABC Paulista.”

    Coitado do Azeredo, realmente ele é um azarado! Nitidamente o PSDB escolheu o coitado para boi-piranha! Ou bode expiatório!

    Jogam todos os pecados em cima do coitado e os santinhos do pau oco ficam às gargalhadas!

    Será que o “Azarado” vai se conformar com tal destino?

    Mário Covas já faleceu. Serra logo completa 70 anos. FHC já completou 80! Nenhum dos “assinadores de cheques” do “mensalão”, todos do PSDB, foi sequer investigado!

    É isso ai! Aos poucos as coisas vão ficando claras!

  28. Patriarca da Paciência said

    Jogam todos os pecados, ou as piranhas, em cima do “azarado”, enquanto isso a boiada inteira passa!

  29. Pax said

    Perpetuidade é babaquice, caro Elias… hum, talvez você saiba mais que meus professores da FGV.

    Pode ser, sim.

    Mas me permito ficar no zero a zero, metade da razão para os professores da FGV e metade para o caro Elias.

    Voltando ao post: 2 bilhões de compras sem licitação. Pois bem, em outro post, notícia, sei lá, só me lembro de números, sei que o caso Alston, Siemens etc parece que tinha um percentual definido, que eram 9%. Acho baixo, mas vamos ficar por aqui, no que está no noticiário.

    De R$ 2 bilhões, seguindo o padrão da outra notícia, a “taxa de sucesso” de 9% daria R$ 180 milhões, se minha matemática tem perpetuidade.

    Segundo outra notícia, da carta resposta do min Gilmar Mendes ao Suplicy, o ministro do STF, que deve ter informações precisas, disse que as tais vaquinhas deveriam juntar, então R$ 100 milhões para ressarcir os cofres públicos sobre os desvios julgados no mensalão do PT.

    Pois bem, agora junta o bolo todo. Só nas compritas do Serra, segundo e juntando duas notícias, dos trens da tal Ferrocarrliles da Espanha, temos R$ 180 milhões. Nem entramos nas compras da Siemens, Alston etc etc. Nem mesmo entramos nas questões do mensalão tucano do Azeredo.

    Sei não…

    Vou parar de fazer conta.

    Perpetuamente.

    =)

    Ou, então, vou começar a comprar ações de presídios particulares, desses modelo dos ianques, se é que um dia o Brasil resolva colocar essa turma toda de mensaleiros gerais em cana braba, com celulares, climatizadores, tv a cabo, #link_padrão_Fifa e meninas de entretenimento, para encaçapar a galera toda. Imagina a clientela, só de PT, PSDB, DEM, PMDB, PR, PP, PSD, PSB, PV, PCdoB, PTB, PDTetc, putz, vai ter cliente chique a dar com pau.

    Sei não, será que é melhor comprar nominal o ao portador?

  30. Patriarca da Paciência said

    http://esquerdopata.blogspot.com.br/2014/02/cresce-violencia-na-venezuela-cidadao.html

  31. Pax said

    Linha 10, Turquesa, da CPTM, com problemas. Todos os dias é a mesmíssima coisa. Agora na BandNewsFM

    Alguém sabe os porquês?

  32. Pax said

    como assim? livraram os políticos? não há prova alguma que os envolva? hum…

    http://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/2014/02/1413755-politicos-ficarao-de-fora-da-1-denuncia-contra-mafia-do-iss.shtml

  33. Patriarca da Paciência said

    Ação 470 foi um julgamento politizado e cheio de pressões, o próprio Gilmar Mendes já reconhece:

    “Julgamento atípico

    Apesar de dizer que conseguir chegar até o final do julgamento foi bom para as instituições brasileiras, o ministro reconheceu o peso que o julgamento teve sobre a Corte. “Este julgamento do Mensalão, foi um julgamento atípico. Com muitas sessões. Longo e complexo. Politizado. Muitas pressões”, afirmou.”

    http://blogs.ne10.uol.com.br/jamildo/2014/02/17/alguns-partidos-imaginam-que-tem-o-dom-da-verdade-afirma-gilmar-mendes/

  34. Zbigniew said

    Mas não se engane, Patriarca.
    As pressões que o Gilmar deve estar se referindo devem ser outras.
    Podemos afirmar sem qualquer sombra de dúvidas que onde o Lula errou o FHC foi extremamente competente. O Gilmar foi o seu grande trunfo no Judiciário. E o PT fez o favor de arrumar um parceiro a altura, tão ou mais virulento: o batman.
    Não se nomeiam ministros dessa forma!

  35. Chesterton said

    TERÇA-FEIRA, 18 DE FEVEREIRO DE 2014

    A Vexatória Carta Branca dada pelo Governo Brasileiro ao Ditador Venezuelano
    Chega um momento que uma pessoa de bem perde a fala. Ela não é mais capaz de expressar em palavras o ódio, a vergonha, a indignação. Foi o que aconteceu comigo hoje. Foi o que aconteceu comigo ao ler a vexatória carta, assinada pelos representantes do Mercosul, em favor do ditador venezuelano. Lá pode-se ler:

    “(…) Os estados-membros instam às partes a continuar aprofundando o diálogo sobre as questões nacionais no marco da institucionalidade democrática e no estado de direito, tal e como foi promovido pelo presidente Nicolás Maduro Moros nas últimas semanas”.

    O que dizer de uma nota tão covarde? O que dizer de tamanho desprezo pela democracia? O que dizer de um país militarmente e economicamente muito mais forte que a Venezuela, como é o caso do Brasil, que assine tal carta? Veja, ninguém ameaçou o Brasil, ninguém nos ameaçou. Em troca de que o governo brasileiro assina uma nota humilhante desse tipo? Simplesmente, essa carta tem um único objetivo: mostrar que o PT tudo pode. Mostrar que a opinião do brasileiro honesto e trabalhador não tem a menor importância para esse governo.

    Gostaria de xingar, de ameaçar, de mandar alguém para aquele lugar. Não é de meu feitio xingar, mas deixo aqui uma promessa: todo aquele que não condenar essa carta covarde não será meu amigo, nem meu conhecido. Nem bom dia darei para essa pessoa. Pois aceito a discordância, mas não tolero covardes.

    Chega um momento em que um Homem precisa tomar uma decisão. Precisa decidir se vai se calar, se vai se omitir, ou se irá combater os inimigos da sociedade aberta. Eu já fiz minha escolha a muito tempo, e faço aqui um alerta: se omitir não vai salvar a pele de ninguém. Chega de PT!!! Chega de ditadores!!! Viva a liberdade!

    Finalizo esse post prestando minhas mais sinceras desculpas ao povo venezuelano, minhas sinceras desculpas pelo comportamento canalha e covarde do governo brasileiro. Venezuelanos, saibam que os brasileiros de bem estão com vocês. Vocês estão em nossas preces, tem o nosso apoio, tem o nosso respeito e admiração.
    POSTADO POR ADOLFO SACHSIDA

  36. Zbigniew said

    Não por acaso os nossos liberais sempre foram contra o movimento abolicionista. Monarquistas de ocasião. Ainda hoje a palavra libertação, para esses, tem uma conotação de rompimento, muito mais do que de um projeto de nação, e de preferência, com o povo mantido (como sempre) à margem dos processos decisórios. Deixe-se isto para os lobbies, afinal de contas o povo vota, e isso é mais do que suficiente, ora bolas!

  37. Olá!

    Pax,

    “Me parece muito oportunista a forma como estão usando a trágica morte do Santiago, cinegrafista da Band.

    Por não querer tomar partido sem antes ler de tudo que é lado, leio bastante o que aparece por aí. Os dois acusados pela morte – que respondam, sim, pelo que fizeram – não me pareciam caracterizados como black bloc. E essa história toda anda muito esquisita.”

    Eita!

    Se assim for, Pax, então o pessoal da Ku Klux Klan poderia utilizar o mesmíssimo argumento, já que, geralmente, quando seus membros (os Klansmen) brutalizavam e assassinavam os negros dos EUA, eles também não estavam caracterizados com aquela típica roupa/fantasia que é tão peculiar a tal grupo tosco.

    A maioria dos crimes da Ku Klux Klan eram cometidos quando seus membros estavam usando roupas “civis” e não aquele chapéu de burro de corpo inteiro. E, nem por isso, dá para livrar a barra do pessoal da Klan.

    Até!

    Marcelo

  38. Elias said

    “Perpetuidade é babaquice, caro Elias… hum, talvez você saiba mais que meus professores da FGV.” (Pax)

    Lá vem o Pax, usando o velho truque de tentar jugar a discussão no lado escuro da lua.

    Então não és tu que falas em “perpetuidade”… São os teus professores da FGV…

    E, como são professores da FGV, tudo o que eles dizem vale mais do que o que acha um mortal comum…

    …Mesmo que eles não tenham dito o que dizes que eles dizem…

    Sei…

    Patético!

    Vamos fazer o seguinte: vamos pegar um “Quem é quem” da Exame ou da falecida Visão, de 30 anos atrás.

    Aí a gente pega as 50 melhores de cada ramo de atividade.

    Depois, vamos ver quantas ainda existem, hoje…

    Em seguida, a gente conversa sobre: (a) perpetuidade das empresas; (b) imortalidade da alma; (c) influência dos ventos alísios na menstruação da borboleta azul; (d) comportamento pré-nupcial da porca e suas repercussões sobre a psicologia dos porquinhos; (e) relacionamento sexual do Saci Pererê com a Matinta Perêra, & coisas afins.

    Enquanto isso, ilumina, por poucamente que seja, minha enorme ignorância: quais os teus professores que escreveram algo relevante sobre a perpetuidade das empresas? Onde isso está publicado? Tem alguma coisa pelo menos na internet?

    De mais a mais, lembra — distraída criatura — que eu apliquei minhas minguadas economias exatamente em duas das mais longevas (mas não perpétuas) e sólidas empresas do país: Petrossauro e BB.

    No mínimo, estás atirando na direção errada…

    Né?

  39. Chesterton said

    Hilário, Marcelo Augusto, Pax e suas falácias.

    ————————

    Não é somente as redes sociais que estão cheias de frases de apoio de deputados petistas às crescentes violações dos direitos humanos e da democracia na Venezuela. O governo brasileiro está dando apoio oficial à repressão violenta comandada por Nicolas Maduro contra os estudantes nas ruas, com dezenas de mortes causadas pelo Exército, policia, milícias partidárias e agentes cubanos infiltrados nas manifestações.

    É fato notório que o governo venezuelano viola cláusulas democráticas fundamentais do Mercosul e, longe de condenar esta atitude, seus sócios regionais reforçaram a denúncia do Palácio Miraflores sobre uma suposta tentativa opositora de “desestabilizar a ordem democrática” no país. Entre eles, o seu principal membro: o Brasil. Da mesma forma, a Unasul deu apoio institucional a estas violações.

    Na opinião do economista uruguaio José Manuel Quijano, que foi diretor da Secretaria do Mercosul nos anos de 2009 e 2010, compartilhada por analistas venezuelanos como Elsa Cardozo, professora da Universidade Central da Venezuela (UCV), que considera “irresponsável” o silêncio do bloco diante das violações dos direitos humanos que estão sendo cometidas com estudantes e opositores”.

    A postura dos parceiros de Maduro na região, que em nota oficial respaldaram o presidente bolivariano, contrasta com a de organismos como as Nações Unidas e a Organização de Estados Americanos (OEA), que manifestaram sua preocupação pela violência na Venezuela e os abusos cometidos pelo governo e forças policiais locais, confirmados por informações e imagens divulgadas nos últimos dias por ONGs locais.

    Hoje haverá uma grande manifestação nas ruas da Venezuela e a ditadura chavista promete repressão como nunca antes vista. Dilma e seu governo continuam calados diante de um massacre anunciado. As mortes de hoje devem ser debitadas na conta do governo brasileiro que, como membro mais importante do Mercosul, tem a obrigação de exercer mediação e até mesmo pressão. O sangue venezuelano mancha as mãos do petismo, aliado do chavismo.
    POSTADO POR O EDITOR

    Coturno

  40. Chesterton said

    Muito mais do que uma gafe.

    Ontem, no Palácio Jaburu, Dilma Rousseff foi tentar apaziguar os ânimos do PMDB. O partido quer mais um ministério importante, com muito dinheiro em caixa, para pagar as campanhas dos seus deputados, senadores e governadores. Dilma resiste, pois quer dar este ministério para o PROS, dos Gomes do Ceará, pagarem as campanhas dos seus deputados, senadores e governadores. O ministério é o da Integração Nacional, responsável, por exemplo, pelo superfaturamento da inconclusa Transposição do Rio São Francisco, que vai matar mais algumas centenas de nordestinos de sede e fome, neste terceiro ano seguido de seca.

    Em determinado momento, segundo o Estadão, a petista cometeu uma gafe ao trocar o nome do presidente estadual do PMDB de São Paulo. “Queria também saudar a cada um dos prefeitos e prefeitas aqui presente cumprimentando o presidente do PMDB, o Edinho [Araújo]. Ah, é o Baleia [Rossi], não é o Edinho? Olha só, Baleia, eu te demiti. (risos)”.O fato dá bem o contexto da reunião. O filho de um ministro demitido por corrupção recebe sorrisinhos e piadinhas da presidente da República. E de toda uma plateia ali interessada apenas e tão somente em levar vantagem e avançar sobre os cofres públicos.

    A vida do pai de Baleia Rossi, Wagner Rossi, é um poço de irregularidades. Quando presidiu a Conab, desviou 100 toneladas de feijão destinado aos pobres para um prefeito amigo. Mesmo assim, chegou ao Ministério da Agricultura, indicado por Dilma. Um lobista amigo de Rossi tinha sala dentro do órgão e comandava licitações de R$ 1,5 bilhão. Finalmente, foi demitido pela Imprensa, que descobriu que ele havia pego carona no jatinho do dono de uma empresa que vendia milhões em vacinas contra a febre aftosa para o ministério e que tinha um dos sócios como assessor do ministro.

    Ontem, ao fazer piadinha com o filho de um ministro demitido por corrupção, Dilma mostrou o quão podre é este governo petista. Não é para rir. É para chorar.
    POSTADO POR O Coturno

  41. Elias said

    Zbigniew,
    Os “liberais” brasileiros ficaram putos da vida com a família imperial, por causa da extinção da escravidão, e, aí….

    …Aí se tornaram republicanos…

    Acontece que os republicanos estavam tomando porrada atrás de porrada nas urnas (mesmo com todas as restrições que havia, sobre o direito de votar).

    De 4 parlamentares que tinham, passaram pra 2… Pior do que isso, só a falecida UDN, tempos depois…

    O que eles fizeram? Se penduraram nos sacos dos militares, apelando para o golpe de Estado, em 15-11-1989… Igualzinho ao que, tempos depois, faria a falecida UDN…

    O velho alemão barbudo disse que a história só se repete como farsa…

    E daí? Como farsa, ópera bufa ou o que for, o prejuízo é o mesmo. Talvez pior, como no caso brasileiro…

    É bom, mesmo, ficar de olho nessa murraça que, a cada eleição, fica eleitoralmente pior. O discurso da canalha tá cada vez mais desesperado…

    Aí é quando entra aquela regra que o velho Nicolau formulou, lá pelo início do Século XVI: quem adia um confronto inevitável, quando pode vencer, o faz em desfavor de si mesmo…

    E não é que é?

  42. Pax said

    Caro Marcelo Augusto,

    não sabia que você é investigador de polícia, promotor, juri popular e juiz, tudo, por incrível que pareça, todos os papéis, ao mesmo tempo..

    ainda bem que não me pegaram em algum crime, não gostaria de te ter em todos esses papéis caso estivesse no banco dos réus.

    cada escorregada que chega a impressionar.

    mas, enfim, os liberais estão sempre acima de tudo, sei.

    ===

    Caro Elias,

    Vou te responder com uma frase, a primeira, uns 10 anos atrás, acho eu, que o velho e rabugento Chesterton dirigiu a mim, no blog do Pedro Doria:

    vá estudar!

    =)

    como sou de tendência sadomasoquista, virei amigo do rabugento.

  43. Elias said

    Pax,
    Vou acrescentar na tua lista de “hóspedes” dos presídios particulares, esse pessoal que explora o trabalho alheio sem pagar salário nem encargo social.

    Como um pessoal que enriqueceu vendendo perfume…

    Falar nisso, onde e como é recolhido o ICMS da Natura? Aliás, ela recolhe? Há anos que eu compro esse treco, e nunca recebi uma nota fiscal…

  44. Chesterton said

    Ser de esquerda, no Brasil, significa ter um salvo-conduto para defender todo tipo de atrocidade e cair nas maiores contradições. É o monopólio das virtudes após décadas de lavagem cerebral demonizando a direita liberal ou conservadora.
    Um esquerdista pode, por exemplo, mostrar-se revoltado com o regime militar, tentar reescrever a história como se os comunistas da década de 1960 lutassem por democracia e liberdade, tentar mudar o nome até de ponte, e logo depois partir para um abraço carinhoso no mais velho e cruel ditador do continente, Fidel Castro.
    Um esquerdista pode, também, repudiar o “trabalho escravo” em certas fazendas brasileiras, o que significa não atender às mais de 200 exigências legais (incluindo espessura de colchão), e logo depois aplaudir o programa Mais Médicos do governo Dilma, que trata cubanos como simples mercadoria.
    Um esquerdista pode tentar desqualificar uma médica cubana que pede asilo político, alegando que tinha problemas com bebida e recebia amantes em seu quarto (é proibido isso agora?), para logo depois chamar de preconceito de elite qualquer crítica ao ex-presidente chegado a uma cachaça e a “amizades íntimas”.
    Um esquerdista pode culpar o embargo americano pela miséria da ilha-presídio caribenha, ignorando que toda experiência socialista acabou em total miséria, e logo depois condenar a globalização e chamar o comércio com ianques de “exploração” (decidam logo se ser “explorado” pelo capitalismo é bom ou ruim).
    Um esquerdista pode execrar uma jornalista que diz compreender a revolta que leva ao ato de se fazer justiça com as próprias mãos, e logo depois aplaudir invasores de terras e outros “movimentos sociais”, que se julgam acima das leis em nome de suas “nobres” causas. Pode até receber os criminosos no Palácio do Planalto!
    Um esquerdista pode aliviar a barra do criminoso, tratar o marginal como “vítima da sociedade”, e logo depois posar como defensor dos pobres honestos, ignorando que a afirmação anterior representa uma grave ofensa a todos aqueles que, apesar da origem humilde, mostram-se pessoas decentes por escolha própria.
    Um esquerdista pode repudiar a ganância dos capitalistas, condenar o lucro, e logo depois aplaudir socialistas milionários, ou “homens do povo” que vivem como nababos, que cobram fortunas para fazer palestras, ou artistas que negociam enormes cachês com multinacionais para seus filmes ou comerciais.
    Um esquerdista pode ser um músico famoso ou um comediante popular, e basta a fama por tais características para fazê-lo acreditar que é um grande pensador político, um intelectual de peso, alguém preparado para opinar com embasamento sobre os mais diversos assuntos sem constrangimento.
    Um esquerdista pode insistir de forma patológica na cor do meliante preso ao poste, um rapaz negro, e logo depois ignorar outro bandido amarrado a um poste, pois este tinha a cor “errada”: era branco. Pode, ainda, acusar todos que condenam as cotas raciais de “racistas”, e logo depois descascar Joaquim Barbosa, inclusive por causa de sua cor.
    Um esquerdista pode alegar ser a pessoa mais tolerante do mundo, isenta de qualquer preconceito e apaixonada pela diversidade, para logo depois ridicularizar crentes evangélicos, conservadores católicos ou liberais céticos.
    Um esquerdista pode surtar com o uso de balas de borracha pela polícia contra “ativistas” mascarados que quebram tudo em volta, para logo depois cair em um ensurdecedor silêncio quando o governo socialista venezuelano manda tanques para as ruas para atirar a esmo em estudantes durante protestos legítimos contra um simulacro de democracia.
    Um esquerdista, por fim, pode pintar as cores mais românticas e revolucionárias sobre as máscaras de vândalos e arruaceiros que atacam policiais, para logo depois chamar de “fascista” a direita liberal, ignorando que o fascismo de Mussolini tinha os camisas-negras que agiam de forma bastante similar aos black blocs.
    Assim caminha a insanidade na Terra do Nunca, com “sininhos” aprontando por aí enquanto os artistas e “intelectuais” endossam a agressão contra o “sistema”. No fundo, defendem a barbárie contra a civilização. Abusam da dialética marxista, do duplo padrão moral de julgamento, da revolta seletiva, do cinismo, do monopólio da virtude.
    Um esquerdista jamais precisa se importar com a coerência, com o resultado concreto de suas ideias, com pobres de carne e osso. Ele goza de um álibi prévio contra qualquer acusação. Afinal, é de esquerda, ou seja, possui as mais lindas intenções. É o suficiente. Um esquerdista pode tudo!
    Constantino

    Leia mais sobre esse assunto em http://oglobo.globo.com/opiniao/um-esquerdista-pode-tudo-11632287#ixzz2tgKEa6FS
    © 1996 – 2014. Todos direitos reservados a Infoglobo Comunicação e Participações S.A.

  45. Elias said

    “Caro Elias. Vou te responder com uma frase, a primeira, uns 10 anos atrás, acho eu, que o velho e rabugento Chesterton dirigiu a mim, no blog do Pedro Doria: Vá estudar!” (Pax)

    Deverias ter seguido o conselho do Chest, pois…

    E não fica nervosinho, não, rapaz!

    O que eu quero é exatamente isso, Pax: ESTUDAR!

    Mais precisamente, quero estudar no mesmo livro onde aprendeste sobre a perpetuidade das empresas.

    Qual é o livro que trata disso, Pax? Quem o escreveu? Foram teus professores da FGV? Quais?

    Estás sendo egoísta, rapaz! Estás querendo monopolizar, perpetuamente, o conhecimento sobre a perpetuidade das empresas.

    Paxtético…!

  46. Olá!

    Hehehehehehehehe. . .

    Quando vejo nossa esquerda jurássica e nossos esquerdistas igualmente jurássicos usando os países escandinavos como modelo de sociedade a ser seguido, é para gargalhar.

    O problema é que os nossos esquerdistas dinossáuricos olham apenas para os efeitos do modelo social escandinavo, esquecendo-se das suas causas.

    Uma vez mostrei para um desses esquerdistas quais são e como são as instituições econômicas que geram os recursos que bancam o Welfare State da Escandinávia. O coitado saiu gritando “Neoliberalismo!!! Neoliberalismo!!!“.

    Se a nossa esquerda fóssil-vivo de fato quer aproximar o Brasil da ordem social escandinava, que tal se começassem abolindo coisas como a fascista CLT e o salário mínimo determinado pelo governo?

    Na Escandinávia não tem CLT e os salários, no geral, são negociados entre trabalhadores/sindicatos e patrões. Será que os nossos esquerdistas apoiariam implantar algo parecido por aqui? E os nossos magistrados, colocariam obstáculos judiciais para trazer ao Brasil medidas desse tipo?

    Há um certo tempo, saiu no jornal Valor Econômico uma reportagem sobre como é o trabalho na Dinamarca. Leiam toda a reportagem. É muito esclarecedora para mostrar como existe um abismo entre as mentalidades da esquerda tosca tupiniquim e a esquerda civilizada do mundo desenvolvido. Excertos:

    O trabalho deve ser feito onde pode ser realizado de modo mais barato, respeitando-se as condições sociais.Não, a frase não é de nenhum economista neoliberal, mas do presidente da LO, a central sindical da Dinamarca, Hans Jensen [. . .].

    Peguem aquilo que os sindicalistas brasileiros falam — a exemplo de Lula, Paulinho da Força, Vicentinho e afins — e comparem ao que esse sindicalista dinamarquês declarou. Há um abismo de civilização entre as mentalidades.

    Tem mais:

    Na Dinamarca, demitir é fácil e barato“, afirmou Hans Peter Slente, diretor de mercados da Dansk Industri (DI), a confederação das indústrias dinamarquesa. O país não tem leis que regulam a jornada de trabalho, os salários nem as demissões. Tudo é definido na negociação coletiva.

    O sindicato apoiou ainda outras medidas de flexibilização, como uma carga horária flexível, que pode ser aumentada em momentos de pico de produção, sem necessidade de pagamento de horas-extras. Esse trabalho a mais é descontado da jornada em momentos de produção menor. E mais decisões sobre relação trabalhista passaram ao nível de empresa.

    Mas o clima geral da relação sindicato-empresas é muito bom, segundo relataram ao Valor ambas as partes. “Concordamos com a LO em 90% dos assuntos. Nos outros 10%, em geral nas negociações salariais, brigamos”, disse Slente, da federação das empresas. A última greve geral ocorreu em 1998. “É um sindicalismo muito responsável“, segundo o representante das indústrias.

    Comparem apenas esses três excertos àquilo que a nossa esquerda tosca e jurássica defende como pontos ideológicos nobres.

    O último excerto é muito interessante quando o representante das indústrias afirma que o sindicalismo dinamarquês é muito responsável nos seus atos. Comparem isso ao sindicalismo da CUT que, em plena implantação do Plano Real, fez de tudo para sabotá-lo. Ninguém menos do que o Vicentinho lançou a campanhaParece Pesadelo Mas É Real“, que estimou greves das mais variadas categorias quando o país se esforçava para atingir a sua estabilidade monetária.

    Aliás, será que os sindicatos e sindicalistas dinamarqueses agiriam como seus pares brasileiros caso o seu país estivesse tentando se estabilizar monetariamente?

    A priori, não teria problema nenhum de viver em uma ordem social como essa da Dinamarca, pois tal país possui várias coisas que admiro, sobretudo as suas instituições econômicas e loiras maravilhosas.

    Agora, os nossos esquerdistas jurássicos iriam, de bate-pronto, rotular de neoliberalismo quase todas as medidas que tornam possível um país como a Dinamarca e os seus outros colegas escandinavos.

    A única ressalva que faço é para a alta carga tributária dinamarquesa, mas não me importaria de pagar se recebesse serviços de qualidade em troca. Pelo menos isso seria muito melhor do que viver no Brasil, onde os impostos são confiscatórios e o cidadão recebe em troca um Estado Mínimo em educação, um Estado Mínimo em saúde e um Estado Mínimo em segurança pública.

    O Brasil é o Estado Mínimo mais caro do mundo.

    Até!

    Marcelo

  47. Olá!

    Hehehehehehehehe. . .

    Quando vejo nossa esquerda jurássica e nossos esquerdistas igualmente jurássicos usando os países escandinavos como modelo de sociedade a ser seguido, é para gargalhar.

    O problema é que os nossos esquerdistas dinossáuricos olham apenas para os efeitos do modelo social escandinavo, esquecendo-se das suas causas.

    Uma vez mostrei para um desses esquerdistas quais são e como são as instituições econômicas que geram os recursos que bancam o Welfare State da Escandinávia. O coitado saiu gritando “Neoliberalismo!!! Neoliberalismo!!!“.

    Se a nossa esquerda fóssil-vivo de fato quer aproximar o Brasil da ordem social escandinava, que tal se começassem abolindo coisas como a fascista CLT e o salário mínimo determinado pelo governo?

    Na Escandinávia não tem CLT e os salários, no geral, são negociados entre trabalhadores/sindicatos e patrões. Será que os nossos esquerdistas apoiariam implantar algo parecido por aqui? E os nossos magistrados, colocariam obstáculos judiciais para trazer ao Brasil medidas desse tipo?

    Há um certo tempo, saiu no jornal Valor Econômico uma reportagem sobre como é o trabalho na Dinamarca. Leiam toda a reportagem. É muito esclarecedora para mostrar como existe um abismo entre as mentalidades da esquerda tosca tupiniquim e a esquerda civilizada do mundo desenvolvido. Excertos:

    O trabalho deve ser feito onde pode ser realizado de modo mais barato, respeitando-se as condições sociais.Não, a frase não é de nenhum economista neoliberal, mas do presidente da LO, a central sindical da Dinamarca, Hans Jensen [. . .].

    Peguem aquilo que os sindicalistas brasileiros falam — a exemplo de Lula, Paulinho da Força, Vicentinho e afins — e comparem ao que esse sindicalista dinamarquês declarou. Há um abismo de civilização entre as mentalidades.

    Tem mais:

    Na Dinamarca, demitir é fácil e barato“, afirmou Hans Peter Slente, diretor de mercados da Dansk Industri (DI), a confederação das indústrias dinamarquesa. O país não tem leis que regulam a jornada de trabalho, os salários nem as demissões. Tudo é definido na negociação coletiva.

    O sindicato apoiou ainda outras medidas de flexibilização, como uma carga horária flexível, que pode ser aumentada em momentos de pico de produção, sem necessidade de pagamento de horas-extras. Esse trabalho a mais é descontado da jornada em momentos de produção menor. E mais decisões sobre relação trabalhista passaram ao nível de empresa.

    Mas o clima geral da relação sindicato-empresas é muito bom, segundo relataram ao Valor ambas as partes. “Concordamos com a LO em 90% dos assuntos. Nos outros 10%, em geral nas negociações salariais, brigamos”, disse Slente, da federação das empresas. A última greve geral ocorreu em 1998. “É um sindicalismo muito responsável“, segundo o representante das indústrias.

    Comparem apenas esses três excertos àquilo que a nossa esquerda tosca e jurássica defende como pontos ideológicos nobres.

    O último excerto é muito interessante quando o representante das indústrias afirma que o sindicalismo dinamarquês é muito responsável nos seus atos. Comparem isso ao sindicalismo da CUT que, em plena implantação do Plano Real, fez de tudo para sabotá-lo. Ninguém menos do que o Vicentinho lançou a campanhaParece Pesadelo Mas É Real“, que estimou greves das mais variadas categorias quando o país se esforçava para atingir a sua estabilidade monetária.

    Aliás, será que os sindicatos e sindicalistas dinamarqueses agiriam como seus pares brasileiros caso o seu país estivesse tentando se estabilizar monetariamente?

    A priori, não teria problema nenhum de viver em uma ordem social como essa da Dinamarca, pois tal país possui várias coisas que admiro, sobretudo as suas instituições econômicas e loiras maravilhosas.

    Agora, os nossos esquerdistas jurássicos iriam, de bate-pronto, rotular de neoliberalismo quase todas as medidas que tornam possível um país como a Dinamarca e os seus outros colegas escandinavos.

    A única ressalva que faço é para a alta carga tributária dinamarquesa, mas não me importaria de pagar se recebesse serviços de qualidade em troca. Pelo menos isso seria muito melhor do que viver no Brasil, onde os impostos são confiscatórios e o cidadão recebe em troca um Estado Mínimo em educação, saúde e segurança pública.

    O Brasil é o Estado Mínimo mais caro do mundo.

    Até!

    Marcelo

  48. Elias said

    “Um esquerdista pode, também, repudiar o “trabalho escravo” em certas fazendas brasileiras, o que significa não atender às mais de 200 exigências legais (incluindo espessura de colchão), e logo depois aplaudir o programa Mais Médicos do governo Dilma, que trata cubanos como simples mercadoria.” (Adolfo, citado pelo Chester)

    Não disse?

    A esquerda fica metendo o pau (epa!) no trabalho gerado em “certas fazendas brasileiras”, só porque esse trabalho é trabalho escravo…

    Chester, tu tá querendo ser o Goebels desse Adolf?

  49. Olá!

    Pax, por gentileza, se possível, apague o meu comentário#46, pois esqueci de fechar uma tag HTML de itálico e ficou aquele troço o texto.

    Sorry!

    Até!

    Marcelo

  50. Patriarca da Paciência said

    “Mas não se engane, Patriarca.
    As pressões que o Gilmar deve estar se referindo devem ser outras.
    Podemos afirmar sem qualquer sombra de dúvidas que onde o Lula errou o FHC foi extremamente competente. O Gilmar foi o seu grande trunfo no Judiciário. E o PT fez o favor de arrumar um parceiro a altura, tão ou mais virulento: o batman.
    Não se nomeiam ministros dessa forma!”

    Caro Zbigniew,

    Eu mesmo já expressei várias vezes essa opinião aqui – impossível ser mais fiel ao FHC que o Gilmar Mendes. E já reconheci também que o PT não estava preparado para escolher ministros do STF. As indicações de Barbosa e Ayres Britto, pelo Lula, foi simplesmente desastrosa. A escolha do Fux, pela Dilma, foi outro desastre. Mas acho que, a partir daí, tanto a Dilma quanto o PT ganharam experiência.

    Minha impressão é que o Gilmar Mendes cometeu um ato falho. Inconscientemente, ele terminou revelando sua opinião honesta! Ou então preparando o terreno para reconhecer, em face da opinião dos outros ministros, que a famigerada ação 470, realmente, não tem valor jurídico, como já afirmaram vários grandes juristas! Só se justifica como ação política, jamais técnica. Aliás o Joaquim Barbosa já deu várias demonstrações de que não tem notável saber jurídico!

  51. Elias said

    “O generoso seguro-desemprego, pago por um fundo administrado pelo sindicato, foi mantido. O trabalhador que contribuiu por ao menos um ano, se for demitido, pode continuar recebendo até 90% do salário (há um teto) por até quatro anos.” (Trecho do artigo publicado no Valor Econômico, sobre a Dinamarca)

    Em Israel também é barato demitir. Pelas mesmas razões.

    Agora, tentem advinhar de onde sai o dinheiro que paga o seguro-desemprego de até 90% da última remuneração (há uma proporcionalidade, em função do tempo em que o cara passou empregado e contribuindo), e por até 4 anos, na Dinamarca e em Israel (e também na Suécia e na Noruega, salvo engano)?

    Acertou quem pensou: “Da taxa de encargos sociais”. E como se forma o fundo, em regime compartilhado (contribuições do empregado e do empregador).

    Uma comparação: SAT no Brasil: 1% para risco mínimo; 2% para médio e 3% para alto. Na Europa? Até 16% sobre a folha (recolhidos para as Mútuas de Acidente do Trabalho).

    Mágica é como almoço grátis: não existe!

    O Estado, qualquer que seja, não tem um único centavo pra dar a alguém, que não tenha sido tirado de outrem…

  52. Chesterton said

    48, Elias, se o colchão do ₢ara é de 5 cm e não de 7 cm, não é trabalho escravo.

  53. Chesterton said

    Algumas “teses” passam por verdades. Como não estou de acordo com algumas delas, permito-me fazer correções a essas “verdades inquestionáveis”.

    1) Este é o pior Congresso de todos tempos. Não, não é: este é apenas um Congresso “normal”, que reflete as realidades políticas brasileiras, e os “tempos” ainda não acabaram. Teremos Congressos ainda piores do que este, pela simples razão de que o Brasil se encontra em plena construção de sua “democracia de massas”. Inevitável, assim, que as antigas representações elitistas sejam podadas em favor de novos representantes das classes populares e de setores organizados: sindicatos, igrejas, movimentos sociais, grupos de interesse setorial, etc. O sistema político é uma importante modalidade de ascensão social, atraindo arrivistas e oportunistas que têm no Congresso um excelente vetor de “negócios” de todo gênero.

    2) A carga tributária brasileira já bateu no teto, impossível subir mais. Outro ledo engano. Não há limite teórico para a carga tributária, embora possa haver limites práticos, dada a conhecida relação entre taxação e receitas. Quem disse que a carga tributária não pode aumentar mais não conhece a sanha arrecadatória da nossa máquina fiscal, uma das mais eficientes do mundo. As despesas contratadas pelo Estado têm de ser financiadas de alguma forma e o governo vem criando novas fontes de gastos por meio dos programas sociais. Ou seja, continuaremos pagando cada vez mais para o Estado cobrir essas “obrigações”, que, diga-se de passagem, são demandadas pela própria sociedade. O povo brasileiro adora o Estado, implora que o Estado venha em seu socorro com programinhas sociais ou com alguma nova prestação especial.

    3) A corrupção atingiu limites nunca vistos, não é mais possível continuar assim. Difícil saber, pois não dispomos de um “corruptômetro” para medir avanços e recuos da corrupção. Quantos “por cento” do produto interno bruto (PIB) são intermediados de maneira heterodoxa? Difícil saber, não é mesmo? Não temos base de comparação, histórica ou atual. O certo é que a corrupção tende a aumentar quando fluxos de receitas e de pagamentos transitam pelos canais oficiais, uma vez que transações puramente privadas são vigiadas pelas partes, cada uma cuidando do seu rico dinheirinho. O dinheiro da “viúva” é um pouco de todo mundo: existem milhares de programas “essenciais” para o bem-estar público, objeto de planejamento, discussão congressual, alocação, empenho, licitação, leilão, concorrência, doação, etc. É evidente que num sistema assim alguns dos muitos intermediadores encontrarão alguma maneira de desviar o dinheiro “público” para seu próprio usufruto. Quanto maior proporção do PIB brasileiro passar pelos canais públicos, maiores serão as oportunidades de corrupção. A corrupção só diminuirá quando menores volumes de recursos passarem pelos canais oficiais. Elementar, não é mesmo?

    4) A qualidade da educação já atingiu patamares mínimos, tem de melhorar. Os otimistas incuráveis acham que a escola pública já piorou o que tinha de piorar e que daqui para a frente o movimento será no sentido de sua melhoria. Eu acho que ainda não atingimos o fundo do poço, independentemente do volume de recursos que se jogue no sistema atual. Existe uma incultura generalizada na sociedade, detectável nos canais públicos de televisão e nas universidades de modo geral, sem mencionar as “saúvas freireanas” do Ministério da Educação (MEC). Resultado paralelo de nossa “democracia de massas” e de um descaso generalizado com a escola pública, mais e mais pessoas ignorantes ascendem a posições de mando, com o que continuam contribuindo para a deterioração ainda maior do ensino, público ou privado. Uma ignorância enciclopédica atinge os mais variados campos do saber humano; como não existe muita autocrítica, ela continua impunemente produzindo efeitos deletérios sobre o nosso sistema de ensino. Acreditem, não há nenhum risco de melhoria da educação brasileira no futuro previsível.

    5) O Brasil está condenado a ser grande e importante, é o país do futuro. Essas tiradas patrioteiras nunca me comoveram, pela simples razão de que tamanho não é documento. A China sempre foi enorme, gigantesca, e decaiu continuamente durante três ou mais séculos, antes de começar a reerguer-se, penosamente, nas duas últimas décadas do século 20. Ela está longe, ainda, de ser um exemplo de prosperidade para o seu povo, mesmo que possa já ser uma potência militar e venha a ser, brevemente, uma potência tecnológica, também. A Rússia sempre foi um gigante de pés de barro, seja no antigo regime czarista, seja durante os anos de socialismo senil, até se esboroar na decadência política e no capitalismo mafioso, do qual o país ainda não se recuperou.

    O Brasil sempre foi grande, e pobre, não absolutamente, mas educacionalmente paupérrimo, miserabilíssimo no plano cultural. Somos hoje um país totalmente industrializado – repito, totalmente – e uma potência no agronegócio, mas não deixamos de ser pobres, educacionalmente falando. Ainda estamos no século 18 em matéria de ensino, quando não de cultura. Bem sei que dispomos, atualmente, de um sistema de produção científica que se situa entre os 20 melhores do mundo, mas isso “atinge”, se tanto, uma mínima parcela da população, uma superestrutura extremamente fina em termos sociais. O que vale, em última instância, não é poder econômico absoluto, mas o poder relativo e, sobretudo, bem-estar e prosperidade para a população, qualidade de vida, e nisso estamos muito aquém do desejável. O Brasil continuará sendo um gigante de pés de barro enquanto não resolver problemas básicos no interior de suas fronteiras. Para mim, ele continua pequeno…

    *Paulo Roberto de Almeida é diplomata e professor universitário (http://diplomatizzando.blogspot.com.br/).

  54. Elias said

    ” E já reconheci também que o PT não estava preparado para escolher ministros do STF. As indicações de Barbosa e Ayres Britto, pelo Lula, foi simplesmente desastrosa. A escolha do Fux, pela Dilma, foi outro desastre. Mas acho que, a partir daí, tanto a Dilma quanto o PT ganharam experiência.” (Patriarca)

    Sei não, Patriarca…

    Acho que não foi por aí…

    Em primeiro lugar, é óbvio que essas indicações não foram escolhas solitárias, do Lula e da Dilma. Sabemos que isso não existe… Houve discussões, envolvendo um certo número de pessoas, e, dessas discussões, saiu isso…

    Não é que não houvesse outras alternativas. O Brasil tem vários juristas que jamais foram ligados a tal ou qual corrente político-partidária, produzindo excelente material doutrinário nas mais variadas ramificações da ciência do Direito. Esses juristas são conhecidíssimos, porque são constantemente citados, em trabalhos acadêmicos e em lides nos tribunais. Seus trabalhos estão nas livrarias; alguns são êxitos editoriais, etc, etc.

    Por que essas pessoas têm sido sistematicamente ignoradas nas indicações para os Tribunais Superiores?

    Por que a regra tem sido indicar para esses postos, profissionais obscuros, sem nenhuma contribuição relevante para a ciência do Direito, alguns dos quais parecem não conhecer nem mesmo as regras mínimas que norteiam o comportamento público de um magistrado?

    Houve, claramente, um propósito político nas indicações de Lula e Dilma. Houve a materialização de uma tendência, em uma determinada direção… Que acabou não dando certo. Foi quase que uma sucessão de cuspidas para o alto…

    Além disso, há aquela velha história da diferença entre o que o cara jura que vai fazer, enquanto está batalhando pela indicação, e aquilo que ele realmente faz, depois que ganha a indicação e a nomeação.

    Pessoalmente, já vi boi voar, na conduta de alguns indicados para TJEs e TREs… Não tenho motivos pra crer que tem sido diferente com os TSs.

    Ninguém fala nada a esse respeito, até porque ninguém quer tirar carteirinha de otário, mas… Que los hay, los hay…

  55. Patriarca da Paciência said

    É isso aí, Caro Elias, post 51.

    Se os países escandinavos e Israel forem “puros capitalistas”, que o Brasil seja um capitalista de puro sangue à moda dos países escandinavos e Israel !

  56. Patriarca da Paciência said

    Caro Elias,

    minha opinião é a mesma que você expressou no post 54. Talvez eu não tenha me explicado bem, mas é isso mesmo que penso!
    O PT não estava preparada para fazer indicações para o STF, tanto que fez indicações políticas e desastrosas!

  57. Chesterton said

    O PT tentou comprar juízes e se fudeu.

  58. Zbigniew said

    O Elias tem suas razões mas,

    nenhum governador, bem articulado politicamente, indica cobra pra morder calcanhar em Tribunal de Justiça. E, mesmo aqueles que não são alinhados, podem ser enquadrados, desde que se pague o preço certo (e aqui se trata do naco de poder almejado).

    O erro do Lula foi acreditar piamente no Thomaz Bastos. Foi também querer um negro a qualquer custo. Mas tem mais. Os Judiciários são como a Igreja Católica, sempre estiveram ali, perto do poder. Onde tinha o Palácio, tinha a igreja (e o juiz). Desde tempos imemoriais.

    E quem sempre mandou no Brasil?

    Oras, muito mais cuidadoso tem que ser um governo de esquerda quando da indicação para um Corte Suprema, que é o supremo exemplo do conservadorismo, ainda mais num sistema de poder como o nosso.

    Se o Lula pôde indicar tantos ministros para o STF, JAMAIS(!!!) poderia ter existido um julgamento nos moldes da AP 470.

    No mínimo uns dois ou três no estilo Gilmar Mendes para conduzir os vacilantes.

  59. Zbigniew said

    Exatamente isto, Elias:

    “Quem adia um confronto inevitável…”

    Mas quem tem colhões para o embate? Ou vamos cair na velha esparrela turbinada pelo intervencionismo branco a la Venezuela?

    E agora? Com a Dilma mantendo os percentuais de aprovação?

    Tá difícil…

    Digo só uma coisa. O governo deveria sim investir pesadamente nas FFAA.

    Em 1889 o golpe não teria acontecido se o Marechal não tivesse sido tão desprezado…

  60. Pedro said

    Pois é, o Toffoli não é cordeirinho do PT?
    O Lewandowhisky não é cordeirinho do Lula?

    Este Patriarca cada vez mais hilário.

  61. Chesterton said

    http://joselitomuller.wordpress.com/2014/02/17/para-evitar-novas-fugas-medicos-cubanos-terao-que-usar-tornozeleiras-de-monitoramento/

  62. Chesterton said

    http://joselitomuller.wordpress.com/2014/02/14/para-evitar-ataques-enquetes-da-carta-capital-so-terao-respostas-progressistas-e-ja-virao-com-resultado-pre-definido/

  63. Chesterton said

    Pobre Venezuela! Terá de piorar muito antes de melhorar!

    Pobre Venezuela! Terá de piorar muito antes que melhore! Sofrerão mais, como sempre, os pobres e os vulneráveis. O leitor fique atento: tudo aquilo que as esquerdas reivindicam por aqui — inclusive as esquerdas do PT — foi rigorosamente cumprido na Venezuela: a radiodifusão foi estatizada; o estado decide plenamente os rumos da economia e determina o preço até do papel higiênico; os produtores rurais foram considerados sabotadores do socialismo, e o país praticamente parou de produzir alimentos; a esmagadora maioria dos pobres vive da caridade oficial disfarçada de programas de redistribuição de renda; o Poder Judiciário obedece às determinações do bando chavista, reunido num partido; leis eleitorais restritivas impedem que a oposição dispute a eleição em igualdade de condições com as forças do governo, e os pleitos nada mais são do que simulacros de eleições livres; há milícias ditas “populares” armadas, que mataram pelo menos três pessoas em manifestações recentes; mesmo o jornalismo impresso vive sob o chicote do governo, que controla o papel.

    Observem como não há forças de esquerda no Brasil — pouco importa a sua coloração — que critiquem o modelo venezuelano. Se, por aqui, PSOL e PT vivem às turras para disputar fatias da opinião de esquerda, no que concerne à Venezuela, estão todos juntos. Tanto uns como outros sabem que o que se tenta construir por lá é “socialismo pela via eleitoral”, como se isso fosse possível. Como não é, o resultado é o que vemos.

    A Venezuela quebrou, foi para o vinagre. A economia do país está destroçada. Os canais políticos de representação desapareceram. O esforço sistemático do chavismo para eliminar seus adversários acabou dando resultado: uma parte enorme da população se tornou estrangeira no seu próprio país. O poder se sustenta ainda na caridade oficial e se ancora em milícias armadas e nos setores mais corruptos das Forças Armadas, comprovadamente ligados ao tráfico internacional de drogas.

    O país não está muito pior do que na reta final de Chávez. Mas agora não há nem mesmo a força encantatória (para quem se encantava, claro!) do “líder”. Nicolás Maduro é só um bronco, que tem o carisma de um joelho de porco. E exibe traços evidentes de psicopatia. Antevi certa feita que Chávez ainda terminaria amarrado em praça pública, pelos pés, como um Mussolini latino-americano. O destino se encarregou dele primeiro. Se Maduro continuar nessa toada, é o que acontecerá com ele — embora rescenda a certa covardia; talvez fuja primeiro.

    Não custa lembrar: não fossem a fraude e a impossibilidade das oposições de ter acesso aos meios de comunicação, Maduro teria perdido a eleição.

    A prisão do líder oposicionista Leopoldo López indica que as chances de haver uma saída política estão se estreitando. Reitero que qualquer tentativa de estabelecer conexões entre o que se passa na Venezuela e o que se dá no Brasil é uma tolice. Se a relação existe, é de contraste: os que hoje vão às ruas naquele país lutam justamente contra forças similares que tentam promover por aqui a baderna porque querem que os esquerdistas que estão no poder sejam ainda mais radicais.

    Os estudantes venezuelanos, ao contrário, estão pedindo democracia, economia de mercado, instituições republicanas, respeito aos direitos individuais, pluralidade política e civilidade — tudo aquilo que a esquerda é incapaz de garantir porque não reconhece tais valores.

    Por Reinaldo Azevedo

  64. Chesterton said

    E o Elias comemora quando o preço da ação baixa….

    Link

  65. Chesterton said

    Durou pouco a mentira contada ano passado pelo governo Dilma Rousseff de “baixar as tarifas de energia”. Novamente, será o otário do consumidor quem vai pagar pela incompPTência e corruPTção no setor elétrico. As contas de luz vão absorver parte dos custos pelo burro uso de termoelétricas – para evitar cortes de energia em pleno ano reeleitoral e de copa da FIFA. Também haverá uma “socialização” do prejuízo bilionário da Eletrobras – mal gerida pela demoníaca aliança PT-PMDB.

    A Presidenta Dilma mereceria um apagão de votos por tanta burrada. Mas antes da vingança do eleitorado virá uma reação judicial de investidores do setor elétrico. Eles já preparam ações contra o governo e a Eletrobras, em Nova York. Aqui no Brasil, sabem que nada dá em coisa alguma, com impunidade pré-programada. A principal suspeita é que os previsíveis gastos elevados com as térmicas escondam despesas superfaturadas. A grana paga a mais nos draconianos contratos – e que será em parte bancada por quem paga conta de luz – voltaria aos esquemas políticos no formato de “mensalões”. As “despesas extras” com as térmicas podem chegar a R$ 18 bilhões.

    Investidores avaliam que o caso Eletrobras é de polícia. A empresa deve registrar um mega prejuízo, no balanço anual a ser divulgado em março. Ontem se falava em um rombo superior a R$ 8,7 bilhões. A briga interna entre os grupos de José Sarney (incluindo o ministro das Minas e Energia, Edson Lobão), do deputado federal Eduardo Cunha (PMDB) e os petistas apadrinhados de Dilma detona a empresa, cujas ações perdem cada vez mais valor de mercado, enquanto a energia fica mais cara ainda no Brasil.

    Investidores revelam que a Eletrobras não tem dinheiro em caixa para bancar as despesas de pessoal, material e serviços. A empresa foi vítima da demagogia do governo Dilma, forçando uma redução de 20% nas contas de luz, na hora da renovação onerosa das concessões de distribuição de energia. Segundo investidores, a situação é de bancarrota, já que a Eletrobras não tem como recorrer ao crédito bancário para sanar os problemas de curto prazo. E, por politicagem, o ministro da Fazenda, Guido Mantega, não senta com ninguém para resolver os problemas da estatal de economia mista.

    As despesas provavelmente mensaleiras com as termoelétricas, para evitar o risco de apagão em ano de eleição, ameaçam sair do controle. O governo já sabe que a maioria das distribuidoras de energia não tem condições de caixa para pagar, ainda esta semana, quase R$ 1,8 bilhão da despesa extra gerada pelo uso das térmicas em janeiro. O problema só não vai ficar mais grave nos próximos meses porque o otário do consumidor vai ajudar a bancar a conta da burrice e roubalheira.

    No mercado, todos agora lembram da promessa do ex-Presidente Lula da Silva de “transformar a Eletrobras em uma Petrobras”. Pelos problemas da petroleira, tudo indica que Lula conseguiu seu intento, às avessas.
    Alerta Total

  66. Chesterton said

    http://aluizioamorim.blogspot.com.br/2014/02/ditadura-comunista-da-venezuela-prende.html?utm_source=feedburner&utm_medium=feed&utm_campaign=Feed:+BlogDoAluizioAmorim+(BLOG+DO+ALUIZIO+AMORIM)

  67. c3c2 said

    Vai ter Copa sem duvida, mas…

  68. Chesterton said

    Um amigo me mandou a reação de certa Maria Cecilia Costa Junqueira ao meu artigo de hoje no GLOBO. É vice-presidente do Pen Clube do Brasil e foi jornalista no JB e Gazeta Mercantil. Dúvida: ignorar, como ela merece, ou processá-la por calúnia e difamação, o que daria certo regozijo, confesso, por levar a esta gente um pouco de seu próprio veneno? Optei por não fazer nem uma coisa, nem outra, e sim expor, aqui, para efeito pedagógico, como a esquerda realmente é e age na prática.

    Vejam a mensagem que a moça publicou:

    Enfim, vou indo, vou indo, de página em página, folheando rápido, quando dou de cara com Rodrigo Constantino. Entre meu amigo José Casado e Marcelo Freixo. Gostaria que ele fosse esmagado, aliás, por essas boas almas, mas boas almas não esmagam ninguém. Quando é que O Globo vai tirar este pústula de suas páginas editoriais? Ele é o que mesmo? Presidente do Instituto LIBERAL? Liberal é a vovozinha. O cara é nazista de carteirinha. Queimou o Reichstag em 33. Livros na noite de 10 de maio. O último presidente do Instituto Liberal, que conheci bem, o Donald Stewart Jr (1931-1999), dono da Ecisa, era um outro nazistão. Dava medo só de olhar. Não sou contra que as pessoas professem o seu liberalismo, defendam a liberdade de entupir nossos ouvidos e mentes com suas atrocidades a la Goebbels. Não podemos proibir ninguém nem mesmo de falar besteira, se achando um gênio da lâmpada cega. O livro de cabeceira desta gente deve ser Mein Kampf. Não me venham falar em livre arbítrio. Liberdade de escolha. Apego aos ideais democráticos. Ou tábua de mandamentos dos imigrantes do Mayflower, os fundadores dos EUA. O cara está paradão mesmo é lá no alto da Berchtesgaden, com a soberba de quem se acha uma esperta águia aconchegada em seu ninho oracular, no meio da gélida neve alpina.

    O ídolo do Constantino e seus amigos queimadores de livros…e de pessoas de esquerda. Ou ciganos, homossexuais, pensadores críticos, pintores, escultores, poetas, escritores, feministas e , por que não? alguns verdadeiros liberais. Como todos sabemos, onde se queimam livros e tentam torrar nossas ideias – e a paciência, a paciência – com suas chamas mefistofélicas, acabam por queimar homens.

    É um espanto! A doce mulher quer me esmagar! E faz pressão para o GLOBO me tirar de lá, pois sabem como é, ela adora a pluralidade, a liberdade de expressão, a diversidade. Convive muito bem com o contraditório, como podem ver.

    Em seguida, afirma que sou nazista (talvez eu repense aquela coisa de processo). Que meu livro de cabeceira é “Mein Kampf”. Que Donald Stewart Jr. também era um “nazistão”. Só posso concluir uma coisa: esta senhora jamais leu uma única página de um livro meu, do Donald ou do próprio Hitler. Se leu, temos um caso de analfabetismo funcional ou profunda falta de caráter. Não há outra alternativa.

    O nacional-socialismo era totalmente antiliberal, detestava os liberais com mais força do que os comunistas, que na verdade eram concorrentes diretos pelo mesmo tipo de alma obtusa. Basta conhecer o plano de governo do Partido dos Trabalhadores Nacional-Socialista, que levou Hitler ao poder, para ver as semelhanças ao socialismo. Era coletivista ao extremo, anti-capitalista.

    Já expliquei isso tudo em outra ocasião, em 2006. Mas ainda tem gente que apela para a própria ignorância ou má-fé para chamar de nazistas os liberais que sempre cuspiram no nazismo. Vejam, por exemplo, o que o próprio Hitler falou:

    Que significa ainda a propriedade e que significam as rendas? Para que precisamos nós socializar os bancos e as fábricas? Nós socializamos os homens.” (Adolf Hitler, citado por Hermann Rauschning, Hitler m´a dit, Coopération, Paris 1939, pg 218-219)

    Mas a tal de Maria Cecilia não quer saber dos fatos. Reage feito um cão de Pavlov, babando de raiva, de forma instintiva, sem um pingo de conhecimento ou reflexão. Notem a incapacidade de argumentação da moça. É constrangedor. Meu artigo a tirou do sério, e sem condições de rebater meus argumentos, partiu para as ofensas pessoais, para o ad hominem, de quem sabe, no fundo, não ter razão.

    Ainda me acusa de queimar livros! Não, Maria, liberais não queimam livros. Eu até tenho livros de Marx, de Foucault, de Derrida, de Marcuse, e até do Hitler, o outro socialista da lista. É preciso conhecer os inimigos, certo? Quem fez fogueira de livros foi Heidegger, a primeira dentro de uma Universidade alemã, Freiburg. Heidegger, não custa lembrar, é o xodó das esquerdas.

    Aqui no Brasil quem costuma queimar livros são sindicatos de professores, todos… de esquerda! E claro, quem queimava ou fuzilava liberais eram comunistas. Portanto, sua infindável ignorância é chocante. Não espero, com estas provas de sua falta de conhecimento, fazê-la refletir, pois já ficou clara sua incapacidade para tanto.

    Apenas uso você como exemplo de nossa miséria intelectual à esquerda, repleta de autômatos que aprenderam a reagir com agressão e violência a qualquer divergência ou contradição exposta, fruto de dissonância cognitiva e muita lavagem cerebral, quando não ausência de caráter. Acusar-me de nazista não vai apagar a hipocrisia da esquerda que eu dissequei no texto. Vai apenas prová-la.

    Rodrigo Constantino

    chest- tal qual o Elias, a esquerda adora a falacia “ad hitlerum” quando se vê pega em contradição. Mas Elias é de esquerda?

  69. Pedro said

    Este tipo de noticia dá um desanimo. É o país andando em círculo. Anda, anda, anda e volta pro mesmo lugar.

    http://g1.globo.com/politica/noticia/2014/02/ministro-do-stf-libera-supersalarios-para-servidores-do-congresso.html

  70. Pax said

    Interessante:

    http://blogs.estadao.com.br/gustavo-chacra/se-voce-e-liberal-no-brasil-voce-seria-liberal-nos-eua-nao-voce-seria-conservador/

  71. Zbigniew said

    Assistam,
    e vejam o que é o Mendes em toda essa estrutura.

    A Satiagraha revelaria muito dos bastidores podres da República. Revelaria… se não tivéssemos certos ministros nos lugares “certos”.
    Excelente a entrevista do Rubens Valente, por mais que o Augusto Nunes tentasse incluir o Lula no imbróglio.

  72. Zbigniew said

    Desculpe, Pax. O link anterior veio errado.

  73. Pax said

    Caro Elias,

    você anda nervoso? algum problema pessoal? profissional? partidário?

    Faz o seguinte, ó caro Elias, coloca o Google no teu computador e faz uma pesquisa com o seguinte argumento: “Fluxo de caixa descontato”. Se não aparecer a palavrinha “Perpetuidade” desconfie que a NSA deva estar te perseguindo e manipulando os resultados que o Google te apresenta.

    Se isso acontecer, corre, puxa o cabo elétrico, desliga a bagaça toda e não esquece de dar uma marretada no modem/roteador. E diz pro pessoal de casa apagar todas as luzes de casa e do trabalho porque já tem estudo pra transportar bit pela rede elétrica. Cuidado, caro Elias, muito cuidado nessa hora.

    =)

    Sobre recolhimento de ICMS nas empresas de venda direta, sugiro procurares a ABEVD e faça todas as perguntas que quiseres.

    Qualquer coisa ou interesse, inventa logo uma notícia que não pagam, que utilizam trabalho escravo, publica e vê o que dá. Pode ser até que uma galera acredite. Quem sabe. Tenta.

    Só toma cuidado, porque se a invenção se mostrar verdadeira ou se “tornar” verdadeira, você pode ser arrolado como réu, por receptação.

    —-

    Não só não sou professor de economia como não respondo nem tenho ligação com venda direta.

    =)

    Só agora que vi teu destempero. Desculpe-me pelo atraso na resposta. É que vivo num mundo com #LINK_PADRÃO_DILMA.

    E, juro, adoraria saber qual é o arranjo contábil de eventuais doações das teles para campanhas eleitorais. Supondo que existam, é por dentro ou por fora?

    Outra pergunta que não consigo segurar: quem reclama de governos, sejam eles quais forem, pode cair na lei antiterrorismo que o Congresso (cabe procurar quem são os estrupícios que defendem essa lei da mordaça) quer aprovar para que Joseph Blatter não possa ser vaiado na Copa?

    Será que pego 30 anos de cadeia? Posso ser processado por não aplaudir roubalheira geral? Será que o Serra pode me processar porque apontei a notícia que ele gastou R$ 2 bilhões sem licitação?

    Sei não, acho que vou abrir outro blog, só pra falar bem de governos, de obras acabadas, de aprovações em tribunais de conta etc.

    Quem sabe um compense o outro. Vai saber.

  74. Pax said

    Caro Zbigniew, #72

    1 hora e 20 min de vídeo? aqui?

    como é impossível e gosto de saber o que vc está falando, daria pra fazer um resumo?

  75. Pax said

    Para o Elias não ficar nervoso…

    http://fernandorodrigues.blogosfera.uol.com.br/2014/02/18/dilma-e-favorita-mas-cenario-segue-aberto/

    relaxa, caro Elias…. calma, moço, não se preocupe. Já disse inúmeras vezes que Dilma leva no primeiro turno.

    não precisa perder estribo nem têmpera

    tá na mão já.

  76. Chesterton said

    70- liberal nos EUA = esquerdista.

  77. Chesterton said

    http://aluizioamorim.blogspot.com.br/2014/02/a-barriga-ideologica-da-folha-de-s-paulo.html?utm_source=feedburner&utm_medium=feed&utm_campaign=Feed:+BlogDoAluizioAmorim+(BLOG+DO+ALUIZIO+AMORIM)

  78. Chesterton said

    continuaria ilegal

    Brasil reconhece condições de trabalho análogas à escravidão e pede para Cuba aumentar salários do Mais Médicos.

    Aumento deve ser pago dentro do Brasil, de outra forma a ditadura de Cuba dará com uma mão e tirará com a outra.

    O governo quer convencer Cuba a ampliar de US$ 400 para US$ 1 mil o repasse pago a profissionais do Mais Médicos no Brasil. A medida é considerada pelo Planalto como essencial para tentar reverter críticas que o programa, vitrine de campanha de reeleição da presidente Dilma Rousseff, passou a receber nas últimas duas semanas.

    Os ataques ressurgiram depois de a cubana Ramona Rodríguez sair do programa, dizendo-se enganada pelo governo Raúl Castro por receber US$ 400 (cerca de R$ 960). Já médicos brasileiros recebem R$ 10 mil, mesmo valor repassado pelo governo Dilma ao convênio firmado com a Organização Pan-Americana de Saúde (Opas).

    O aumento do repasse para US$ 1 mil (R$ 2.400) também seria útil para tentar refrear deserções. Na semana passada, houve quatro casos de médicos que “fugiram” do programa.

    “Qualquer trabalhador que tenha um aumento no salário fica feliz. Não seria diferente com a gente”, diz um médico cubano que atua em um posto de saúde da zona norte de São Paulo sobre o novo valor.

    Ele afirma que com o aumento será possível economizar algum dinheiro para quando voltar a Cuba, ao contrário do que acontece atualmente. “Como estamos há apenas três meses aqui, ainda não deu para guardar muita coisa. Não dá para economizar tanto porque temos despesas pessoais, como internet e telefone”, diz.

    Na avaliação do Planalto, um salário maior para os profissionais poderia ajudar, ainda, a amenizar o descontentamento do Ministério Público do Trabalho. Uma investigação sobre as condições dos médicos recrutados em Cuba está em curso.

    O procurador Sebastião Caixeta já avisou que deverá apresentar ao Ministério da Saúde, em breve, recomendações sobre a necessidade de se alterar a relação trabalhista.

    Dos 9 mil médicos que atuam no programa, 7.500 são cubanos. O aumento do salário desses profissionais importados de Havana começou a ser discutido na Casa Civil, há duas semanas, em reunião com a presença dos ministros da Justiça, José Eduardo Cardozo, e da Saúde, Arthur Chioro. Questionado sobre o assunto, Chioro afirmou estar “sensível” ao problema.

    Trunfo político. Idealizado pela equipe do Ministério da Saúde, o Mais Médicos também terá destaque na campanha do ex-ministro Alexandre Padilha (PT) ao governo de São Paulo. Pesquisas em poder do Planalto indicam que a maioria da população aprova o programa, um trunfo que o governo quer preservar até outubro.

    Desde que a Ramona abandonou o programa, a oposição acusa o PT de se aproveitar do trabalho escravo. Nos bastidores, DEM e PSDB dizem que o acordo é uma troca, uma forma de amortizar o dinheiro brasileiro emprestado para a construção do Porto de Mariel, em Cuba. (Estadão)

  79. Zbigniew said

    Pax,
    é o Roda Viva sobre o livro do Valente e que traz informações importantes sobre a Satiagraha, Daniel Dantas, Opportunity, Polícia Federal, Gilmar Mendes, CPI dos grampos, lulinha, imprensa, todas as relações de poder dos porões da República e corrupção.
    Mensalão é fichinha.

  80. Pax said

    Obrigado, caro Zbigniew,

    pena que perdi… e não consigo ver no #Link_Padrão_Dilma, esse crime contra a sociedade que fazem…

    agora, porque cargas d’água Satiagraha parou, afora os erros de procedimentos que parecem ter sido cometidos?

    quem, afinal, molhava a mão de quem?

    pra variar, tem #Link_Padrão_Dilma envolvido… só de orelhada já sei que tem.

  81. Elias said

    “48, Elias, se o colchão do ₢ara é de 5 cm e não de 7 cm, não é trabalho escravo.” (Chester)

    O que estás querendo mostrar? O tamanho da tua ignorância ou o tamanho da tua desonestidade intelectual?

    A caracterização do trabalho escravo “em certas fazendas” (como diz o Adolf, Heil!) vem sendo feita há varios anos — e bem antes do PT assumir o governo — por técnicos do Ministério do Trabalho.

    As constatações desses técnicos foram confirmadas por comissões de deputados, senadores, etc., de vários partidos (inclusive dos partidos ditos “conservadores”), e também por jornalistas de todo o país.

    Só quem contesta isso são uns poucos desclassificados, que se movem por estupidez ideológica ou, pura e simplesmente, por desonestidade.

    Aí pinta um marginal como o Adolf (Heil!), falando em espessura de colchão, como se isso fosse o centro da questão. (E tu te babas pra ele, né alfacinha sacana?).

    Claro que não é só isso que estás a bostejaire, quitandeiro… É certo que teus ídolos, marginais, donos de “certas fazendas”, não obedecem as NBRs, referentes à espessura dos colchões — um médico, como tu, deve saber que isso também tem a ver com saúde, né? (a menos que tenhas faltado às aulas, assim como não compareceste às aulas de Iniciação à Ciência do Direito, pré-requisito pra Medicina Legal…).

    Acontece, meu caro verdureiro (gostas de verdura?), que, além disso, teus amiguinhos, marginais de direita que escravizam seres humanos em sua fazenda, também não assinam CTPS, não recolhem previdência social nem FGTS, não cumprem as normas de saúde ocupacional, relacionadas ao PCMSO, ao PPRA, ao uso de EPIs, ao trabalho da mulher, ao trabalho do menor, etc., etc. (Esta porra deste país é tão degradadado que se vê um médico, como tu, defender publicamente quem procede desse jeito. Depois, ainda reclamam quando se importa médico de Cuba… Melhor seria não só IMPORTAR médicos, mas também DEPORTAR alguns daqui). Além do mais, teus coleguinhas criminosos costumam manter os trabalhadores em cárcere privado, impedindo-os de sair das “certas fazendas”.

    Isso não pode mais, entendeu Chester? Sei o quanto é difícil pra vocês, direitopatas empedernidos, admitir que a escravidão foi abolida neste país — ainda que tardiamente — no final do Século XIX.

    Agora não pode mais, caro quitandeiro… Sei que pessoas como tu não costumam assinar a CTPS de seus empregados domésticos, e nem me surpreenderia se estivesses sonegando direitos trabalhistas e previdenciários da atendente do teu consultório.

    Tudo mal! Provavelmente tu fazes isto. E, assim como outros, iguais a ti, vives vociferando contra o “custo Brasil”, como se isso fosse uma preocupação cidadã, quando nada mais é que a desculpa esfarapada do patrão desonesto e sonegador.

    O Ibrahim Sued fazia a mesma coisa, Vivia reclamando da legislação trabalhista e previdenciária. Hoje, todos os jornalistas (alguns bastante famosos), que trabalharam com o turco, são unânimes em dizer que ele jamais assinou CTPS. Quem trabalhava com ele não tinha direito nenhum.

    Isso não é honesto, quitandeiro. O cidadão honesto não descumpre a lei, mesmo que não concorde com ela. O cidadão honesto luta pra modificar as leis com as quais não concorde, mas respeita e cumpre as leis em vigor, mesmo que não concorde com elas.

    Sei que é difícil para um cara como tu concordar com isso, Chester, mas é assim que devem proceder as pessoas civilizadas.

  82. Zbigniew said

    Segundo o Valente, no livro (eu não li) procurou narrar os fatos sem emitir juízo de valor.
    Mas na entrevista revelou que os advogados do Opportunity são extremamente hábeis em potencializar erros de procedimentos, em especial os praticados pelo delegado Protógenes.

    Entretanto declarou que o delegado, hoje Deputado Federal, mais acertou do que errou e que, sim, teria agido com extrema responsabilidade e dedicação.

    Narrou também as relações do Gilmar Mendes com advogados desse grupo, com o editor do Consultor Jurídico (que desceu o sarrafo no livro do Valente), bem como destacou que parte da imprensa bateu com gosto no delegado (isso me fez lembrar das relações do Grupo Abril e profissionais da Veja com o Carlinhos Cachoeira).

    Um fato importante são os emails trocados com o Roberto Amaral e que pediam (não sei se advogado do grupo Opportunity ou o próprio Daniel Dantas) que o governo FHC pegasse leve nas apurações porque corria-se o risco de se jogar “merda no ventilador”. Ou seja: ameaça. O que se viu depois foi o esfriamento das investigações em Caymann, a concessão de dois habeas corpus consecutivos ao Daniel Dantas por parte do Ministro Gilmar Mendes, e, aqui já no governo Lula, o “desaparecimento” do processo, com o afastamento do Lacerda e o Protógenes rifado.

    De pitoresco (por que não dizer óbvio) o esforço do Augusto Nunes em envolver o Lula e o Lulinha no centro da discussão.

    Esse caso levado adiante e colocado quem deveria na cadeia daria ao PT a possibilidade do rompimento definitivo com o “acordo tácito” pela governabilidade. Infelizmente não foi levado adiante e quem acabou na cadeia foram próceres do PT. Êitcha mundo véi de guerra!

  83. Pax said

    Sinto informar, mas a presidente Dilma é, sim, muito mal assessorada. Caramba.

    http://noticias.terra.com.br/brasil/politica/dilma-pessoas-que-escondem-o-rosto-para-se-manifestar-nao-sao-democratas

    Não, presidente Dilma, às vezes somente estão se protegendo de gás lacrimogênio lançado.

    Nem em países onde há legislação mais forte para regular passeata, manifestação, com hora marcada etc, há proibição do uso de máscara, presidente Dilma.

    E no carnaval, presidente Dilma, vais proibir usar máscara?

    Caramba.

    Mas, sim, presidente Dilma, haverá uma enorme onda de protestos durante a Copa, presidente Dilma.

    Mesmo que alguns queiram dizer que o povo não pode protestar, se manifestar.

    Mesmo que vários achem que qualquer reclamação é uma enorma “ingratidão”.

    Desculpa aí, mas se demitirem esses “aspones” – assessores de porra nenhuma, que falta fariam?

  84. Elias said

    “relaxa, caro Elias…. ” (Pax)

    Tu tá ficando doidim que nem o Chester, Pax?

    Dá uma olhadinha nos escritos, e vê que tá nervosinho, grafando imperativos em negrito, etc e tal…

    Não sou eu, certo Pax?

    Eu só pedi que me digas em qual livro aprendeste sobre a “perpetuidade das empresas”, e, agora, acrescento: agradeceria se me dissesses como é que conceitos tipo “perpetuidade das empresas” influem nas decisões sobre compra de ações.

    O que é uma “empresa perpétua”? Quando uma empresa pode ser considerada “perpétua”? Quando ela completa 100 anos? Duzentos? As ações das “empresas perpétuas” vendem mais ou vendem menos?

    É sério, Pax. Não sei nada sobre isso. Quero estudar e aprender.

  85. Pax said

    fez o google que te indiquei, caro Elias?

    caiu na NSA ou deu algum resultado?

    Vai, caro Elias, não é nada difícil.

    =)

    relaxa, caro Elias, vai dar Dilma no primeiro turno.

    e eu pego 30 anos em cana, mas continuo achando que lei de mordaça não resolve nada.

  86. Elias said

    “Acusar-me de nazista não vai apagar a hipocrisia da esquerda que eu dissequei no texto. Vai apenas prová-la.” (Rodrigo Constantino).
    “chest- tal qual o Elias, a esquerda adora a falacia “ad hitlerum” quando se vê pega em contradição. Mas Elias é de esquerda?”

    Ó puto! Estás a confundire o salto dos teus tamancos com os altos da torre de Babel…

    É uma porra o idioma português não ter “sinal de ironia”…

    Sem esse sinal, como vamos nos fazeire entendeire por nossos interlocutores lusos?

    Eu jamais colocaria um sinal de igualdade entre Chester e Goebells. Eu só tirei um sarro com a coincidência do nome, Adolf (Heil!), do fato do cara ser um direitopata e do teu esforço em divulgar as sandices que ele escreve.

    Mas é só um sarro, ó puto!

    O mago das comunicações de Hitler era inteligentíssimo! Um gênio, ainda que gênio do mal… Várias de suas regras são, até hoje, praticadas por tudo que é marqueteiro político, de todo o mundo… Mesmo tu, ó puto, volta e meia, tentas fazer isso (aquele negócio de uma mentira repetida mil vezes… É só ler as caixas de comentário deste blog), embora sem o talento de Goebells.

    Além do mais quem ler o diário do péssimo, verá que ele acertou na mosca na maioria de seus prognósticos políticos, para o pós-guerra. Goebels tinha um sensibilidade e um faro finíssimo para inferência política. Ja tu — ó puto! — não consegues acertar uma… Lembras do teu prognóstico de que, em seis meses de mandato, Dilma estaria rompida com Lula?

    Por fim, Goebells foi coerente. Do pessoal mais próximo a Hitler, foi o único que não tentou negociar o próprio rabo com os vencedores. Simplesmente se matou (Himler e Goering, p.ex., primeiro abanaram o rabo; só depois de recusados é que embarcaram pro inferno… Outros, continuaram abanando o rabo até serem levados pra ponta da corda… E assim por diante).

    Eu jamais te compararia a Goebells, mesmo porque, até aqui, nada fizeste ou disseste que me pareça digno de tal elogio.

    Entendeste agora?

  87. Pax said

    que tristeza ler uma notícia dessa, de novo

    http://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/2014/02/1414430-dilma-diz-que-exercito-pode-agir-contra-manifestacoes-anti-copa.shtml

  88. Chesterton said

    Elias, você comete a falacia da generalização, mas é de esperar pois és intelectualmente desonesto. É escravo? Cana. Mas você sabe bem como são estas fiscalizações mais interessadas em propina (ou no Pará os fiscais são todos santos?)
    Repudio tua credibilidade no assunto.

  89. Chesterton said

    Só você para encontrar qualidades em Goebbels , o que mostra bem sua personalidade.

  90. Chesterton said

    Dilma não rompeu com Lula…quebrou a Eletrobras e a Petrobras. Fui otimista. mas vão todos para o saco.

  91. Elias said

    Pax, meu garoto,

    Em primeiro lugar, não é “Fluxo de caixa descontato”.

    É “Fluxo de caixa DESCONTADO”.

    Aí tu leste — RAPIDAMENTE, presumo… — “valor estimado da perpetuidade da geração de caixa” e achaste que isso tinha alguma coisa a ver com “perpetuidade das empresas”.

    Pois achaste errado, Pax (o que equivale dizer que não achaste nada).

    Um dos componentes do “Fluxo de caixa DESCONTADO” é, exatamente, uma estimativa de tempo em que “é possível fazer previsões CONFIÁVEIS acerca do comportamento” da empresa.

    Isso é, exatamente, a ANTIPERPETUIDADE, Pax.

    No “Fluxo de Caixa DESCONTADO”, o “longo prazo” é o período máximo em que é possível projetar a geração de riqueza por uma “célula social”.

    Se a “célula social” fosse perpétua, essa estimativa de tempo não seria necessária, entendeu, Pax?

    O fato do “longo prazo” ser objeto de estimativa, no “Fluxo de Caixa DESCONTADO”, tem a ver com a FINITUDE e não com a PERPETUIDADE, entendeu, Pax?

    A “perpetuidade da geração de caixa” tem a ver com o período máximo, ou seja, o mais longo prazo possível, em que a projeção pode ser considerada confiável. O que exceder a esse prazo não será confiável, portanto.

    Nada disso autoriza a supor que a empresa seja “perpétua”. É exatamente o contrário, Pax!

    Por exemplo: há alguns meses, a Vale colocou à venda debêntures não conversíveis em ações. São títulos que rendem mais do que qualquer aplicação no sistema bancário, tipo poupança, prazo fixo, etc. O fato dos debêntures serem do tipo NÃO conversível em ação, significa dizer que a Vale vai resgatar o título e o rendimento em dinheiro vivo. Ou seja, não haverá aquele papo de, na hora do resgate, a Vale querer te pagar com ações da companhia (as quais terias que vender no mercado, pra reaver teu dinheiro).

    Nessas circunstâncias, os bam-bam-bans do ramo fazem demonstrações do “fluxo de caixa descontado”. No caso, o tal “longo prazo” tem que ser MAIOR que o prazo de realização do debênture, etc, etc, etc.

    Se tu quiseres, posso me aprofundar. Mas quero debater contra argumentos. Tu mandas os teus, eu mando os meus.

    Mas, será que é mesmo necessário debater pra se chegar à conclusão de que “perpetuidade da empresa” é uma babaquice?

  92. Elias said

    “Só você para encontrar qualidades em Goebbels , o que mostra bem sua personalidade.” (Chester)

    Ó puto… Ainda não estamos nos entendendo…

    Eu só vi qualidades no Goebels… Em relação a ti!

    Entendeste, agora?

  93. Pax said

    Caro Elias,

    Você acha que quero discutir isso? Tens certeza? Erraste.

    Meu papo, aqui, é falar de corrupção.

  94. Pedro said

    Sem querer meter, mas já metendo:

    Pax, O Elias não consulta o google, é o google que consulta o Elias.

    :-)

  95. Pax said

    Tem horas que acho que sim, caro Pedro. Até que me lembro dos que sempre sabem mais que todos.

    =)

    Enviado via iPhone

    >

  96. Elias said

    Pax # 93 & 95

    Duas bundices…

    Estás ficando senil?

    1 – Foste tu quem puxaste o papo de “perpetuidade das empresas” ironizando em cima de uma discussão minha com o Chester.

    2 – Depois, foste tu que me mandaste estudar “Fluxo de caixa descontato”.

    Disseste até pra eu consultar o Google, lembras? Não? É grave, a crise…

    Se não queres explicar o fundamento técnico da “perpetuidade das empresas”, tudo bem… Paro por aqui.

    Mas confesso que estou decepcionado…

    Já estava todo animado, contando encontrar um ancestral meu, iniciando a carreira profissional como auxiliar de controle de estoque na cadeia de lojas de departamentos do patriarca Abrahão (“Bazar Canaan”)…

    Ou terá sido ajudante de carpinteiro naval no estaleiro de Noé?

  97. Elias said

    “Elias, você comete a falacia da generalização, mas é de esperar pois és intelectualmente desonesto. É escravo? Cana.” (Chester)

    Chester, eu falei primeiro em desonestidade intelectual. TU és intelectualmente desonesto.

    Quem foi punido por causa de espessura de colchão, Chester?

    Os caras foram punidos por delitos gravíssimos, que incluem privação de liberdade, desrespeito à legislação trabalhista e previdenciária, além do descumprimento de TODAS as NRs sobre Saúde Ocupacional (o que torna, no mínimo, imoral, que um médico diga uma só palavra pra defender esses marginais).

    Falacioso é quem reproduz aquela josta escrita pelo Adolf (Heil!), segundo a qual os caras foram punidos por causa de espessura de colchão. Pior, ainda, se quem faz isso é médico…

    E que história é essa de “…É escravo? Cana.”?

    Quem tem que ir em cana é quem escraviza, Chester.

    Tu tá doido mesmo , ó doido?

  98. Chesterton said

    Não se faça de burro. Ou não precisa, porque é burro mesmo? Não entende o sentido de uma questão simples? Sim, é escravo(o trabalho) Cana ( o escravagista). Como O sinitro da saude, o piadilha, deveria estar preso.

    Partido Nacional Socialista dos Trabalhadores Alemães. O partido do bigode era o PT da Alemanha da época.
    P………………………………………..T………………………………….

    “We are socialists, we are enemies of today’s capitalistic economic system for the exploitation of the economically weak, with its unfair salaries, with its unseemly evaluation of a human being according to wealth and property instead of responsibility and performance, and we are all determined to destroy this system under all conditions.” –Adolf Hitler, Quoted in John Toland, “Adolf Hitler”, p224.

  99. Chesterton said

    E mais, Elisa. É você que é partidario do PT, que apoia a chacina de civis que Maduro pratica contra os veneszuelanos, é cúmplice por não criticar o roubo de dinheiro publico via BNDES que Dilma manda para Cuba para eles, a elite de seu partido, serem sócios daquela merda de país autoritário, é você o cúmplice dos narcoguerrilheiros que através de agentes oficiais dos corruptos governos venezuelano e cubano, mandam cocaina para Europa e EUA.

  100. c3c2 said

    Li em algum lugar que Dilma vai proibir, no Carnaval, pessoas de
    usarem máscaras.
    Bobagem.
    Nenhum mascarado carnavalesco atacou a policia e/ou quebrou agencias bancárias e “outros símbolos capitalistas” …
    Nenhum carnavalesco atirou uma poderosa bomba junina a esmo no Rio para protestar contra o governo.
    Nem em 68 e nem agora.

    Acho que Dilma teme fracassar,..continua incompetente e insegura quanto ao futuro do seu governo:
    Uma incompetente cercada de incompetentes.
    e notem..só incompetentes chefes escolhem incompetentes subordinados.
    Vide seus ministros.Vide suas escolhas
    Vide as agencias reguladoras corrompidas politicamente.
    Vide o fracasso no planejamento da Copa – definida em 2007 e a atual ameaça de racionamento de energia ( da qual foi ministra da área, incompetência na Educação e na Saúde.
    ………………………………………
    Se Dilma conseguir perder a reeleição, acho que o PT vai comer seu (dela) figado cru. E colocar a culpa no J. Barbosa e no julgamento do Mensalão.
    Bobagem.
    Dilma a presidente… definitivamente um poste (posta?) sem luz.
    Como sera julgada pela Historia do Brasil.

  101. Chesterton said

    19/02/2014 às 18:15
    Governo Dilma é cúmplice de uma ditadura assassina

    O governo petista escreve mais uma página indigna da história da política externa do país nos últimos 11 anos. Milícias chavistas estão caçando a bala manifestantes que vão às ruas, de forma pacífica — não há black blocs por lá —, cobrar democracia, liberdade e segurança. Governado por Nicolás Maduro, um sujeito demencial, o país vai mergulhando no caos. Nesta quarta-feira, mais uma estudante foi morta, desta feita com tiro na cabeça. Trata-se de Génesis Carmona, que tinha 22 anos e era aluna de marketing da Universidade Tecnológica do Centro, no Estado de Carabobo.

    O governo Dilma está em silêncio. Diz que a sua posição é aquela expressa numa nota oficial do Mercosul, um texto que é acintoso, chegando a ser debochado. Atenção: a Venezuela ocupa a presidência rotativa do bloco econômico, e o comunicado que veio a público parece ser um despacho do governo Maduro. É vergonhoso! O texto diz repudiar a violência, mas acusa “as ações criminosas de grupos violentos que querem espalhar a intolerância e o ódio na República Bolivariana da Venezuela como uma ferramenta política”. É uma vigarice! Os únicos manifestantes violentos do país hoje são as milícias chavistas, que atuam em defesa do governo Maduro. A violência é promovida, financiada e incentivada pelo governo.

    O PT destruiu a tradição de independência de nossa política externa, que não se deixou pautar pela ideologia antes da chegada do partido ao poder. O Brasil conseguia manter um bom equilíbrio entre o pragmatismo e princípios que são a base da civilização. Lembro que, em plena ditadura militar, o país esteve entre os primeiros que reconheceram a independência de Angola e Moçambique, por exemplo, que fizeram revoluções socialistas, cuja ideologia era avessa ao regime aqui vigente.

    A independência acabou. Não há ditadura escancarada ou mascarada — Cuba ou Irã, para citar um caso de cada — que não mereça o endosso e o apoio do governo petista. A entrada da Venezuela no Mercosul, leitores, patrocinada por Dilma e Cristina Kirchner, a doida que governa a Argentina, já foi um acinte e descumpriu o protocolo do Mercosul.

    Provo o que digo. Não se trata de mera opinião. Existe uma coisa chamada Protocolo de Ushuaia. Estabelece as condições para que um país possa ou não ser aceito no Mercosul. Leiam estes artigos:

    ARTIGO 1
    A plena vigência das instituições democráticas é condição essencial para o desenvolvimento dos processos de integração entre os Estados Partes do presente Protocolo.
    FATO: A Venezuela é uma ditadura, em que não existe liberdade de imprensa e liberdade de manifestação.

    No caso de haver ruptura da ordem democrática, o Artigo 5 estabelece o seguinte:
    ARTIGO 5
    “(…) desde a suspensão do direito de participar nos diferentes órgãos dos respectivos processos de integração até a suspensão dos direitos e obrigações resultantes destes processos.”

    Quando Dilma e Cristina aceitavam a Venezuela, já desrespeitaram o Artigo 4 do acordo. Agora, quando o governo Maduro, por meio de suas milícias, sai matando manifestantes, o que se está desrespeitando é o Artigo 5.

    Não custa lembrar que Dilma patrocinou a suspensão do Paraguai do Mercosul porque o Congresso desse país depôs, segundo as regras legais e constitucionais, o então presidente Fernando Lugo — aquele padreco que fez uma penca de filhos quando ainda usava batina… Afinal, Lugo era um amiguinho do PT, e o governo brasileiro considerou que a sua deposição, mesmo sendo legal, era inaceitável. Com a Venezuela, dá-se o contrário: mesmo o país ignorando os princípios do Mercosul, foi aceito no grupo e, no momento, é quem o preside. Mais: a violência conta com o apoio do governo brasileiro.

    O Planalto é hoje cúmplice de uma ditadura assassina.

    *
    Segue a nota asquerosa do Mercosul

    Os Estados membros do Mercosul, diante dos recentes atos violentos na irmã República Bolivariana da Venezuela e as tentativas de desestabilizar a ordem democrática, repudiam todo o tipo de violência e intolerância que busquem atentar contra a democracia e suas instituições, qualquer que seja sua origem.

    Reiteram seu compromisso com a plena vigência das instituições democráticas e, neste contexto, rejeitam as ações criminosas de grupos violentos que querem espalhar a intolerância e o ódio na República Bolivariana da Venezuela como uma ferramenta política.

    Expressam seu mais forte rechaço às ameaças de ruptura da ordem democrática legitimamente constituída pelo voto popular e reiteram a sua posição firme na defesa e preservação das instituições democráticas, de acordo com o Protocolo de Ushuaia sobre compromisso democrático no Mercosul (1998).

    Sugerem que as partes a continuem a aprofundar o diálogo sobre as questões nacionais, dentro do quadro das instituições democráticas e do Estado de direito, como tem sido promovido pelo presidente Nicolás Maduro nas últimas semanas, com todos os setores da sociedade, incluindo parlamentares, prefeitos e governadores de todos os partidos políticos representados.

    Finalmente, expressam suas sinceras condolências às famílias das vítimas fatais, resultado dos graves distúrbios causados, e confiam totalmente que o governo venezuelano não descansará no esforço para manter a paz e plenas garantias para todos os cidadãos.

    Por Reinaldo Azevedo

  102. Chesterton said

    chest- assassinada pro agentes chavistas

  103. Chesterton said

    Elisa era pra ser Elias, foi engano de digitação.

  104. c3c2 said

    Enquanto isso na Venezuela…

  105. Chesterton said

    que interessante o que achei..

  106. Elias said

    Chester,
    Eu apoiando o Maduro?

    Tu tás é doido, mesmo!

    Por mim, Maduro — ainda mais com esse nome… — já deveria ter caído há muito tempo. Aliás, por mim, ele nem deveria ter subido…

    Agora, de uns tempos prá cá, em tenho feito, sim, declarações favoráveis ao presídio da família Castro, vulgarmente conhecida como Cuba.

    O Brasil deveria firmar um convênio com a família de Fidel, e passar a usar o presídio dos Castro pra ressocializar direitopatas como tu…

Faça seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: