políticAética

Notícias da Corrupção, Desvios, Anomalias, Eleições e Meio Ambiente

  • Sobre o blog

    Uma coletânea das notícias da corrupção, desvios, anomalias, eleições e meio ambiente que aparecem na mídia todos os dias a partir de agosto de 2008.
  • Categorias

  • Arquivos

  • Páginas

  • Meta

A mais completa desmoralização da Justiça: Maluf

Posted by Pax em 25/02/2014

Segundo a notícia da Agência Brasil, “O Ministério Público, a Polícia Federal e a prefeitura constataram que, na gestão de Maluf (1993-1996), houve desvios de cerca de US$ 340 milhões das obras da Avenida Água Espraiada (atual Avenida Roberto Marinho) e do Túnel Ayrton Senna. Segundo o Ministério Público, dos US$ 200 milhões remetidos para a Ilha de Jersey, cerca de US$ 93 milhões foram investidos entre 1997 e 1998 na Eucatex, empresa controlada pela família Maluf.”

E o acusado trafega livre, leve e solto. Pior, pelos palácios do poder.

Banco alemão usado por Maluf indenizará prefeitura paulistana em US$ 20 milhões

Bruno Bocchini – Repórter da Agência Brasil Edição: Nádia Franco

O Ministério Público de São Paulo, a prefeitura da capital paulista e o Deutsche Bank firmaram hoje (24) acordo em que a instituição alemã se compromete a pagar aos cofres públicos US$ 20 milhões (cerca de R$ 47 milhões) para evitar qualquer discussão jurídica sobre irregularidades na movimentação de cerca de US$ 200 milhões em contas no exterior por parentes do ex-prefeito e atual deputado Paulo Maluf (PP-SP). A movimentação foi feita por empresas de fachada (offshore) na Ilha de Jersey, de 1996 a 2000.

De acordo com o Ministério Público, durante toda a investigação, o Deutsche Bank colaborou, mas, no acordo, não há qualquer admissão de culpa pelo banco. “Trata-se de mais um passo no combate à corrupção, além de ser uma forma efetiva e de reparação dos danos produzidos por esses atos. É a concretização de uma atuação que se reverte em favor da sociedade,” disse o procurador-geral de Justiça, Márcio Elias Rosa.

O escritório de Paulo Maluf informou que não iria se manifestar porque o ex-prefeito não foi citado no acordo e ressaltou que o deputado não tem e nunca teve conta no exterior.

Em nota, o banco alemão manifestou satisfeitação com o acordo. “O Deutsche Bank está satisfeito em resolver essa questão, após ter cooperado totalmente com as autoridades ao longo da investigação”, diz o texto.

Pelo acordo, o valor destinado à prefeitura de São Paulo será usado na aquisição de equipamentos sociais (creches, hospitais, escolas) ou parques municipais. Entretanto, a destinação depende ainda da homologação do Conselho Superior do Ministério Público e da 4ª Vara da Fazenda Pública da Capital, onde tramitam as ações civis relacionadas aos desvios do ex prefeito.

Serão destinados US$ 18 milhões à prefeitura; US$ 1,5 milhão aos cofres do estado; US$ 300 mil ao Fundo Estadual de Interesses Difusos e US$ 200 mil a dois processos que tratam de desvios do ex-prefeito, para perícias e inspeções judiciais.

O Ministério Público, a Polícia Federal e a prefeitura constataram que, na gestão de Maluf (1993-1996), houve desvios de cerca de US$ 340 milhões das obras da Avenida Água Espraiada (atual Avenida Roberto Marinho) e do Túnel Ayrton Senna. Segundo o Ministério Público, dos US$ 200 milhões remetidos para a Ilha de Jersey, cerca de US$ 93 milhões foram investidos entre 1997 e 1998 na Eucatex, empresa controlada pela família Maluf.

Em nota à imprensa, a prefeitura informou que o município usará o dinheiro na aquisição ou desapropriação de áreas para construção de parques municipais ou para instalação de equipamentos sociais na cidade. A prefeitura ressalta que, caso o estado de São Paulo abra mão de sua parte na indenização, por não ser vítima, nem ter sido prejudicado no desvio de dinheiro das obras, o valor também será revertido à municipalidade.

Segundo a nota, o acordo assinado hoje não encerra as ações ajuizadas no Brasil e no exterior contra os demais réus, nem atinge o total do prejuízo sofrido pela prefeitura no caso. “A administração municipal continuará no esforço de recuperação e repatriação das verbas desviadas”, acrescenta o texto, que destaca ainda o fato de a Procuradoria-Geral do Município ter dado parecer favorável ao acordo, por entender que o valor é razoável e que a administração municipal ficará resguardada dos custos e riscos dos processos judiciais.

O Ministério Público informou que sendo negociados acordos com mais três bancos que movimentaram dinheiro do ex-prefeito: os suíços UBS de Zurique e Citybank Genebra e o Safra de Nova York. Caso sejam firmados os acordos, a expectativa é que os três desembolsem até US$ 60 milhões.

Anúncios

98 Respostas to “A mais completa desmoralização da Justiça: Maluf”

  1. Pax said

    Parodiando Alice Ruiz, uma das maiores poetas brasileiras:

    era uma vez um povo
    que via um futuro grandioso
    em cada corrupto que votava

    um dia
    ele se tocou

    o original

    era uma vez uma mulher
    que via um futuro grandioso
    em cada homem que a tocava

    um dia
    ela se tocou

  2. Zbigniew said

    O Maluf é realmente um caso “sui generis”. Se o Judiciário dedicasse uma ínfima parcela do zelo e protagonismo q dedicou ao mensalão do PT, esse cara já estaria atrás das grades há um bom tempo. É um escárnio ao povo brasileiro.

  3. Patriarca da Paciência said

    Pois é…. agora que o Maluf já está nos 80 anos, as coisas começam a aparecer!

  4. Elias said

    Uma encinclopédia do cinismo.

    O Deutsche paga US$ 20 milhões. O UBS, o City e o Safra também pagam US$ 20 milhões, cada um. US$ 80 milhões no total, pra ninguém questionar a legitimidade jurídica da movimentação bancária do Maluf no exterior.

    Já o Maluf diz que nunca movimentou dinheiro no exterior.

    Então, por que gastar tanto dinheiro blindando a legitimidade jurídica de algo que jamais aconteceu?

    Já sei! Embora o Maluf nunca tenha movimentado dinheiro no exterior, assim mesmo o Deutsche, o UBS, o City e o Safra resolveram casar US$ 80 milhões nos cofres públicos paulistanos, pelas seguintes razões: (a) um irrefreável impulso em fazer caridade a los macaquitos brasileños; (b) prevenir eventuais mal entendidos sobre alguma operação bancária que Maluf, distraidamente, tenha realizado no exterior, para comprar lubrificantes íntimos, higienizadores bucais ou coisa parecida…

    Se fosse um filme de gangsters, o enredo poderia ser mais ou menos assim:

    1 – Alguém — um personagem fictício, chefe de quadrilha, a quem chamarei Ali Habbib — garfou US$ 200 milhões dos US$ 340 milhões roubados de uma prefeitura.

    2 – Desses R$ 200 milhões, metade foi usada pra socorrer uma empresa da família de Ali Habbib.

    3 – Tendo usado familiares seus como testas, pra movimentar a grana no exterior, e pressionado pela justiça, Ali Habbib resolve entregar os anéis pra salvar os dedos de seus parentes.

    4 – Ali Habbib entrega a outra metade dos US$ 200 milhões — ou seja, US$ 100 milhões — para seus cúmplices financeiros no exterior, com o objetivo de lavar a sujeira que ele deixou exposta. Os cúmplices financeiros casam US$ 80 milhões pra comprar o silêncio e a conivência de um aparelho judiciário doente e destituído da mais leve sombra de moralidade. Os restantes US$ 20 milhões são usados para “pequenas despesas” de tramitação e… Cala-te, boca!

    5 – Com o arranjo, não só a legitimidade jurídica da movimentação financeira da família de Ali Habbib não será questionada, como também não haverá “qualquer admissão de culpa” por parte dos bancos. Ou seja: eles não são cúmplices nem nada da roubalheira de Ali Habbib… Eles foram, são e continuarão sendo instituições honestíssimas e respeitáveis, certo?

    6 – Tanto é assim, que um alto funcionário da Justiça, declara, com todas as letras, que esse arranjo é “…mais um passo no combate à corrupção, além de ser uma forma efetiva e de reparação dos danos produzidos por esses atos. É a concretização de uma atuação que se reverte em favor da sociedade.”. Quase todo mundo acredita e concorda com isso.

    7 – Nada mais se fala de quaisquer outras operações de Ali Habbib com essas & outras instituições financeiras no exterior.

    8 – E todos foram felizes para sempre.

    Mas isso é só ficção. Anotações para o pano de fundo de um roteiro de filme “noir” vagabundo…

    Qualquer semelhança com pessoas vivas, mortas ou que já deveriam ter morrido, é mera coincidência proposital…

  5. Elias said

    Fora do tópico.

    A revista France Football acumula várias façanhas: criou o prêmio “Ballon d’Or” (a FIFA teve que pagar para obter o direito de promover o “Bola de Ouro”); com denúncias de corrupção, derrubou um campeonato de futebol italiano de 2005/2005 e provocou a queda de João Havelange da FIFA, e por aí afora. É uma das mais respeitadas e influentes revistas esportivas, em todo o planeta.

    Pois a France Football publicou uma extensa matéria de capa sobre o Brasil e a Copa de 2014. Para a revista, essa será a “Copa do Medo”, título da reportagem.

    Ela baixa o cacete no Brasil. Para a France Football, no Brasil todos são corruptos, do povo ao governo. E desfia uma longa lista de péssimos juízos de valor sobre o Brasil, capitulando-os em quesitos como “Política”, “Segurança”, etc.

    No quesito “Saúde”, ela diz, entre outros mimos:

    1 – Reze para não ter problemas de saúde enquanto estiver ali (no Brasil).
    2 – Vacina contra febre amarela é recomendada.
    3 – Use repelentes, no Brasil ainda há pessoas morrendo com dengue, malária ou doença de chagas, erradicadas na França desde o Século XVIII.
    4 – Faça um seguro de saúde privado antes de ir ao Brasil.
    5 – Médicos privados cobram mais de 100 Euros por consultas de 20minutos…

    E por aí afora…

  6. Pax said

    isto posto, desagradado por ter que concordar de novo com o gajo paraense, acho que acertei no título do post !

    caramba.

    é muita desmoralização.

    (sem querer muita briga, mas o cara é um malabarista: acho que todos os presidentes pós ditadura acabaram lambendo seu saco, quase certeza que todos…)

  7. Chesterton said

    Merreca perto do que o mensalão tem escondido lá fora.

    —-

    Mas hoje nos jornais li o Jenio de Freitas sobre o assassinato de um torcedor do Santos onde ele me sai com essa: os dois lados, agressores e vítima eram “portadores da desigualdade”…

    Vem cá, já é uma igualdade não parece?

  8. Pedro said

    E pra completar a epopéia, o dinheiro volta pra Prefeitura.
    Quem vai gastar a grana?
    O prefeito que o Habbib ajudou a eleger.

    …………

    Neste momento o Habbib, está falando para o povo paulistano:

    “Sabe o Haddad, foi o Habbib que fez”.
    (ler com sotaque do próprio)

  9. Chesterton said

    Quero trabalhar neste país onde pacientes pagam 100 euros por consultas de 20 minutos…onde fica isso?

  10. Pax said

    boa, caro Pedro…

    agora, para o Chesterton, o rabugento, ter um ataque de nervos, espia só:

    http://zerohora.clicrbs.com.br/rs/geral/noticia/2014/02/revolucao-cubana-nos-postos-de-saude-4427771.html

    calma, Chesterton, easy boy, easy….

    =)

  11. Chesterton said

  12. Chesterton said

    Eu li a reportagem…só quero ver se ela consegue convencer médicos brasileiros a trabalharem por mil pratas por mês….menos que tua empregada recebe para faxinar a cozinha.

  13. Chesterton said

    Alias, o governo Dilma fez tão bem ao arrumar uns médicos baratinhos para o povão que estou pensando em imitá-la, vou contratar uns haitianos que apareceram por aqui para construir um canal na propriedade de um amigo meu que quer terceirizar a obra e vou pagar uns 300 reais por mês para cada um…será que vai dar certo?

  14. Pax said

    “…Com a política voando no piloto automático, sem sair do lugar e sem nos dar esperanças de mudanças, deveríamos nos preocupar mais com estas pequenas grandes tragédias do cotidiano em que vidas estão em jogo.

    Duro ouvir isso de um cara muito mais informado que eu. Muito mais.

    http://noticias.r7.com/blogs/ricardo-kotscho/2014/02/25/quando-o-futebol-se-torna-um-risco-de-vida/

    Ou seja, como já disse aqui ou alhures, nem lembro mais, patinaremos mais 4 anos à frente.

    Saco.

  15. c3c2 said

    http://g1.globo.com/economia/negocios/noticia/2014/02/petrobras-abre-auditoria-para-apurar-suposto-suborno-funcionarios.html

  16. c3c2 said

    Da mesma bem informadad fonte acima…
    ….
    “O ex-presidente tem pelo menos três bons motivos para matar no nascedouro esta história de “volta Lula”, que vira e mexe ressurge no noticiário:

    * Seria reconhecer o fracasso do governo da presidente Dilma e, por tabela, dele mesmo e do PT, já que foi Lula quem a lançou e bancou em 2010. Além disso, não há no momento nenhum motivo para se jogar nesta aventura. O balaio de novas pesquisas divulgadas neste final de semana mostram, em resumo, que Dilma seria reeleita no primeiro turno, apesar de todas as dificuldades que o governo enfrenta e da intensa campanha de mídia para impedir a sua reeleição.

    * Caso seja candidato, e caso seja eleito, o que ninguém pode lhe assegurar, mesmo sendo ainda o político mais popular do país, quem garante que teria as mesmas condições internas e externas para, ao final de um hipotético terceiro mandato, deixar o Palácio do Planalto com a consagradora aprovação de mais de 80% dos brasileiros? Para que arriscar seu lugar já garantido na História?

    * Por fim, mas não menos importante, há a questão da sua lealdade com Dilma _ e vice-versa _ que nenhuma intriga foi capaz de abalar até agora. E, além de tudo, pegaria muito mal Lula desmentir agora o que vem repetindo nos últimos três anos: que a presidente é a sua candidata em 2014″.
    *******************

    Como o PT não tem quadros competentes para governar o país chego à mesma conclusão do comentário anterior #14

    “Ou seja, como já disse aqui ou alhures, nem lembro mais, patinaremos mais 4 anos à frente.

    Saco”.
    ********************

    Eu acho que a ficha já caiu faz tempo. Desonesto é quem insiste em se manter em cima do muro e culpar a oposição após mais de uma década de tentativa e erro no governo central. O Brasil- nós- estamos perdendo tempo.
    Chega de bundamolice ideológica.

    Putz…até o kostcho reconhece que este foi e é um governo de merda e que nem o lula conseguiria ser bem sucedido, caso se candidatasse e fosse eleito:

    “Caso seja candidato, e caso seja eleito, o que ninguém pode lhe assegurar, mesmo sendo ainda o político mais popular do país, quem garante que teria as mesmas condições internas e externas para, ao final de um hipotético terceiro mandato, deixar o Palácio do Planalto com a consagradora aprovação de mais de 80% dos brasileiros? Para que arriscar seu lugar já garantido na História?”

    Até o kostcho reconhece as limitações de lula e do pt.

  17. Pax said

    Poxa, que pena… morreu o Paco de Lucia

    Tico Tico

  18. Patriarca da Paciência said

    “Até o kostcho reconhece as limitações de lula e do pt”

    Então Lula e o PT tem limitações? Fantástico!!!!!!.

    Já o reinaldo rola-bosta, augusto boçal canalha nunes, merdal pereira, jabosta, (o veinho assustadinho do Brasil), Ah é sim, FHC, Serra, Campos (eu sou o Serra amanhã), Marina (a mulher mais poderosa do Universo) etc.etc.etc., todos estes, não tem nenhuma limitação! Eles são os oniscientes detentores da suprema sapiência ! Conhecem todas as respostas, todas as soluções, nunca erram, nem mesmo falham! São simplesmente perfeitos!

  19. Patriarca da Paciência said

    “Governador tucano anunciou pagamento de bolsa mensal de R$ 395 a 40 dependentes químicos, em contrapartida de uma jornada de trabalho de 24 horas semanais e participação em curso de capacitação profissional; prefeito petistas de SP lançou a iniciativa no início do ano .”
    (blog 247)

    E agora, onde o reinaldo rola-bosta vai meter a cara?

    Alckmin “aderiu” ao “coxinha” Haddad?

    Ou será que, finalmente, o governador de São Paulo começou a enxergar alguma luz?

  20. c3c2 said

    Editorial do Estadão:

    ELA FALA PELO BRASIL

    Até mesmo o lusófono presidente da Comissão Europeia, José Manuel Durão Barroso, deve ter tido sérias dificuldades para entender os dois discursos da presidente Dilma Rousseff proferidos em Bruxelas a propósito da cúpula União Europeia (UE)-Brasil. Não porque contivessem algum pensamento profundo ou recorressem a termos técnicos, mas, sim, porque estavam repletos de frases inacabadas, períodos incompreensíveis e ideias sem sentido.

    Ao falar de improviso para plateias qualificadas, compostas por dirigentes e empresários europeus e brasileiros, Dilma mostrou mais uma vez todo o seu despreparo. Fosse ela uma funcionária de escalão inferior, teria levado um pito de sua chefia por expor o País ao ridículo, mas o estrago seria pequeno; como ela é a presidente, no entanto, o constrangimento é institucional, pois Dilma é a representante de todos os brasileiros – e não apenas daqueles que a bajulam e temem adverti-la sobre sua limitadíssima oratória.

    Logo na abertura do discurso na sede do Conselho da União Europeia, Dilma disse que o Brasil tem interesse na pronta recuperação da economia europeia, “haja vista a diversidade e a densidade dos laços comerciais e de investimentos que existem entre os dois países” – reduzindo a UE à categoria de “país”.

    Em seguida, para defender a Zona Franca de Manaus, contestada pela UE, Dilma caprichou: “A Zona Franca de Manaus, ela está numa região, ela é o centro dela (da Floresta Amazônica) porque é a capital da Amazônia (…). Portanto, ela tem um objetivo, ela evita o desmatamento, que é altamente lucrativo – derrubar árvores plantadas pela natureza é altamente lucrativo (…)”. Assim, graças a Dilma, os europeus ficaram sabendo que Manaus é a capital da Amazônia, que a Zona Franca está lá para impedir o desmatamento e que as árvores são “plantadas pela natureza”.

    Dilma continuou a falar da Amazônia e a cometer desatinos gramaticais e atentados à lógica. “Eu quero destacar que, além de ser a maior floresta tropical do mundo, a Floresta Amazônica, mas, além disso, ali tem o maior volume de água doce do planeta, e também é uma região extremamente atrativa do ponto de vista mineral. Por isso, preservá-la implica, necessariamente, isso que o governo brasileiro gasta ali. O governo brasileiro gasta um recurso bastante significativo ali, seja porque olhamos a importância do que tiramos na Rio+20 de que era possível crescer, incluir, conservar e proteger.” É possível imaginar, diante de tal amontoado de palavras desconexas, a aflição dos profissionais responsáveis pela tradução simultânea.

    Ao falar da importância da relação do Brasil com a UE, Dilma disse que “nós vemos como estratégica essa relação, até por isso fizemos a parceria estratégica”. Em entrevista coletiva no mesmo evento, a presidente declarou que queria abordar os impasses para um acordo do Mercosul com a UE “de uma forma mais filosófica” – e, numa frase que faria Kant chorar, disse: “Eu tenho certeza que nós começamos desde 2000 a buscar essa possibilidade de apresentarmos as propostas e fazermos um acordo comercial”.

    Depois, em discurso a empresários, Dilma divagou, como se grande pensadora fosse, misturando Monet e Montesquieu – isto é, alhos e bugalhos. “Os homens não são virtuosos, ou seja, nós não podemos exigir da humanidade a virtude, porque ela não é virtuosa, mas alguns homens e algumas mulheres são, e por isso que as instituições têm que ser virtuosas. Se os homens e as mulheres são falhos, as instituições, nós temos que construí-las da melhor maneira possível, transformando… aliás isso é de um outro europeu, Montesquieu. É de um outro europeu muito importante, junto com Monet.”

    Há muito mais – tanto, que este espaço não comporta. Movida pela arrogância dos que acreditam ter mais a ensinar do que a aprender, Dilma foi a Bruxelas disposta a dar as lições de moral típicas de seu padrinho, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Acreditando ser uma estadista congênita, a presidente julgou desnecessário preparar-se melhor para representar de fato os interesses do Brasil e falou como se estivesse diante de estudantes primários – um vexame para o País.

  21. Chesterton said

    http://br.esporteinterativo.yahoo.com/noticias/inter-tenta-liberar-anel-inferior-do-beira-rio-para-jogo-contra-o-brasil-pel-184411738.html

    chest- como?

  22. Chesterton said

    http://veja.abril.com.br/blog/rodrigo-constantino/economia/petrobras-caso-tipico-daquilo-que-nao-se-ve/

  23. Pax said

    Agência Brasil fora do ar desde às 05h50 quando acordei.

    Depois querem “controle social da mídia”.

    Ârrâm…

    Prefiro democratização da mídia. Por exemplo: quero saber centavo por centavo da contabilidade da EBC, participar da escolha de sua diretoria, exigir padrão BBC etc etc.

    Isso sim. Insisto em olhar a EBC todo santo dia. Podem não acreditar, mas abro a EBC em primeiro lugar.

    E vejo o site da Agência Brasil fora do ar por 2 horas… sem qualquer aviso, nada.

    Chato isso.

    Vai lá… até agora dá isso:

    “Ops!
    Alguma coisa saiu errada. Lamentamos por isso.
    Tente novamente daqui alguns minutos.”

  24. Pax said

    http://agenciabrasil.ebc.com.br/

  25. Otto said

    E a “falida” Petrobras lucrou 11% a mais em 2013?

  26. Elias said

    Bobagem pensar que o PT pelo menos cogitaria em lançar outra candidatura, que não a da Dilma, em 2014.

    A única coisa que poderia tirar a condidatura de Dilma seria uma desistência dela, por um motivo absolutamente alheio à própria vontade, como uma doença ou algo parecido.

    Se o PT lançasse outra candidatura, seria o mesmo que reconhecer que o próprio partido estaria aprovando o governo que elegeu.

    Uma baita burrice, que o PT cometeu no RS, em 2002. Em vez de apoiar a reeleição de Olívio Dutra — que estava muito bem nas pesquisas e na aprovação pular — o PT preferiu se envolver numa luta interna babaca e suicida, “vencida” pelo Tarso Genro.

    Se ferrou!

    Agora, com a oposição mais perdida que filho de puta em festa do Dia dos Pais, o pior que o PT poderia fazer seria repetir esse erro bocó…

    Errar é humano / repetir o erro é tucano.

    Falar nisso, já estamos chegando em março e o(a) candidato(a) da oposição… Nada!

    Até parece que a oposição estava mesmo contando com o Barbosão, que, por seu turno, prevendo as tempestades que vão desabar sobre seu terreiro a partir de 2015 — quando ele perderá o guarda-chuva do STF — já está com tudo pronto pra morar nos EUA…

    Pelo sim, pelo não / vou morar na casa do patrão…

  27. Pax said

    E se…

    Fico imaginando se o povo fosse às ruas, pacificamente, com um único cartaz:

    Só queremos saber de um projeto de Educação Pública Gratuita, tempo integral

    E a disputa em 2014 ficasse monotemática. Os compromissos que cada candidato terão com esse item em seu governo.

    Peraí que vou ali acordar. Não tenho mais idade para tanta infantilidade.

    Serão centenas de milhões da grana desviada, caixa 2 de campanha, nada aprendido nos mensalões que iniciaram lá atrás, em 1998… tudo de novo.

    Mostrando filmes caríssimos, obras inacabadas, e uma baixaria sem fim de uns acusando os outros do que eles próprios são, corruptos incompetentes.

    Enfim, como disse, vou ali acordar, volto logo.

  28. Pax said

    O que tenho visto por aí…

    Teremos 4 candidaturas com algum significado: Dilma, Aécio, Campos e Randolfe.

    Dilma leva no primeiro turno.
    Aécio e Campos serão aliados que vão apontar o dedo nas reclamações. Tentarão, desesperadamente, que essa união leve a um segundo turno.
    Randolfe vai angariar uma parte dos petistas desiludidos com o modo Sarney do novo PT. Ao mesmo tempo que vai estimular o de sempre, o racha das esquerdas, em especial do PSTU.

    Neste exato momento, os três últimos não tem muito o que apresentar. Nesta toada, como as próprias pesquisas indicam, dá um turno só.

    Tomara, ao menos, que sobre alguma merrequinha para Educação nesses compromissos. Que não serão cumpridos, claro.

    Como disse, será mais do mesmo. Infelizmente. E Educação não será prioridade para nada à além das mentiras de sempre.

  29. Elias said

    Do noticiário de hoje, da ADVFN:

    “A PETROBRAS (PETR4) registrou lucro líquido de R$ 23,57 bilhões em 2013, alta 11,3% em comparação ao resultado do ano anterior. No quarto trimestre de 2013, a companhia lucrou R$ 6,28 bilhões, queda de 18,9% na comparação anual. A produção de óleo e gás natural trouxe uma média de 2,539 milhões de barris por dia em 2013, queda de 2% no ano. Para Maria das Graças Foster, o melhor desempenho em 2013 é resultado de maiores preços de venda de combustíveis, aumento da produção de derivados, redução de custos e aumento de produtividade, bem como ganhos com as operações de venda de ativos. A produção de petróleo do pré-sal atingiu o recorde de 407 mil barris por dia no final de fevereiro. A PETROBRAS vai reduzir os investimentos previstos em seu plano de investimentos até 2018 para US$ 220,6 bilhões, no entanto, a companhia ainda espera ser uma das cinco maiores empresas integradas de energia do mundo. No plano, a companhia elevou o volume de recursos desti nados à divisão de produção de petróleo, reduzindo os valores previstos para a área de abastecimento. A PETROBRAS fará uma teleconferência com analistas e investidores hoje pela manhã, a partir das 10h00. ”

    Pra quem tem ações como bem patrimonial — e não como mercadoria — é isso que interessa: lucro!

    Quem não vive de comprar e vender ações no mercado de capitais, não se sente afetado pelas variações que ocorrem ao longo do ano, no preço das ações.

    Quem tem ações como bem patrimonial, vive ligado no lucro que elas proporcionam.

    Sob essa ótica, no caso do Petrossauro, o ano ruim foi 2012, e não 2013. Em 2012 a coisa só não foi pior porque a empresa antecipou a distribuição do lucro desde abril. Aí o rendimento financeiro da antecipação cobriu a perda de lucro do ano…

    Já em 2013, com o reajuste do preço dos combustíveis, o bom resultado anunciado ontem não foi novidade.

    No mais… É o de menos. Mesmo quando ela vai mal — como em 2012, e como em 2014, provavelmente — ainda vai melhor que a maioria das empresas do país… Tirando os bancos, né?

    Falar nisso, o BB desbancou o Itaú, em termos de resultado de 2013…

  30. Elias said

    O Pax tá concordando comigo, de novo?

    Ou ele tá ficando ainda mais doido, ou eu tô perdendo o traquejo…

    Pára, Pax!

    Vai procurar tua tribo (que é filial da tribo do Chester…)!

  31. Elias said

    No comentário # 26, onde eu disse: “Se o PT lançasse outra candidatura, seria o mesmo que reconhecer que o próprio partido estaria aprovando o governo que elegeu. ”

    Eu quis dizer: “Se o PT lançasse outra candidatura, seria o mesmo que reconhecer que o próprio partido NÃO estaria aprovando o governo que elegeu.”

    Agora descobri porque o Pax anda concordando comigo.

    É que eu tenho ecrivinhado tudo às pressas, não reviso nada, e, às vezes, por falta de uma palavrinha, acabo dizendo o oposto do que quis dizer…

    Retiro o que eu disse. O Pax não tá mais doido, não! Continua com a velha loucura de sempre…

  32. Pax said

    Vou discordar, caro Elias!!!

    Pára não tem mais acento!

  33. Elias said

    Uma oposição que tem 3 candidatos, não tem nenhum…

  34. Elias said

    É isso aí, Pax.

    Agora é “para”, e não “pára”.

    Mas… Por que três acentos de exclamação?

    Tu tá muito exclamativo, rapaz!

    Para com isso, Pax! É falta de educação…

    Quando fores na esquina, acordar, aproveita e procura uma lata de lixo. Joga lá o excesso de acentos de exclamação…

    Aí volta, pra gente continuar a conversa.

  35. Elias said

    Ihhh!

    Não é “acento”. É “ponto”!

    Huá! Huá! Huá! Huá!

    Em também fiquei doidim…

    Quem o Pax… E o Chester!

  36. Zbigniew said

    Essa oposição é hilária, realmente.

    Propaga a falência da Petrobrás e… a Petrobrás dá lucro.

    Na real – como dizem por aí – o PT não vai precisar fazer muito esforço, não.

  37. Zbigniew said

    Essa história de que o PT lançaria outra candidatura (leia-se: Lula) se a Dilma não estivesse bem nas pesquisas só poderia ser verificada se a Dilma… não estivesse bem nas pesquisas.

    Mas ela está. Aí a oposição, mais perdida do que fdp em festa do dias dos pais (parafraseando o Elias, aí em cima), aposta na confusão propagando o velho bordão de que Lula vai rachar com Dilma. Sério?! Que espécie de estrategista está por trás desse povo, pelamordedeus?!

    Esses caras tratam os brasileiros como verdadeiros idiotas. Depois que perdem chamam os eleitores de burros e vão chorar as pitangas nos tribunais e na barra de algum oligarca da mídia.

  38. Chesterton said

    e a dívida da Petrobrás?

  39. Chesterton said

    http://br.financas.yahoo.com/q?s=PETR4.SA

    Notícias em otros sites
    Petrobras também ajudou a bancar evento do MST, com R$ 650.000@ Veja Online(qua 08:52)

    Petrobrás contribuiu para evento do MST em Brasília@ Diário do Grande ABC(qua 08:50)

    Congressistas do PT se encontram em jantar para criticar o governo@ Folha Online(qua 03:45)

    Aumento de imposto?@ Folha Online(qua 03:16)

    Lucro da Petrobras recua a R$6,3 bi no 4º tri, mas vem acima da expectativa@ Reuters via Yahoo! Brasil Notícias(ter 25 de fev)

    Petrobras reduz investimentos a US$220,6 bi para 2014 a 2018@ Reuters via Yahoo! Brasil Notícias(ter 25 de fev)

    Petrobras reduz em 6,8% plano de investimento até 2018@ Globo Online

  40. Chesterton said

    A Petrobrás captou ontem R$ 12 bilhões em títulos de dívida (bônus) no exterior, mas chamou atenção para o endividamento recorde da companhia, agravado mês a mês com a defasagem nos preços de combustíveis. Foram 3,05 bilhões e 600 milhões de libras esterlinas, operação que a companhia não realizava desde 2012. Apesar do sucesso da captação, com demanda três vezes maior, as ações caíram 3% ontem.

    A operação, segundo analistas, visou aproveitar melhores condições de prazo e juros oferecidas pelos mercado. Em comunicado encaminhado à Comissão de Valores Mobiliários (CVM), a Petrobrás informou que os recursos serão utilizados para a execução do Plano de Negócios 2013-2017, que prevê a captação de US$ 61 bilhões no período. O valor arrecadado na operação de ontem equivale a 42% do total previsto para as captações a cada ano, cerca de US$ 12 bilhões.

    Para o mercado, porém, a emissão amplia a gravidade da situação de endividamento da empresa. Entre os analistas, a percepção é de que a maior parte do montante será destinado à rolagem de dívidas. O valor arrecadado com a operação de ontem equivale a 66% de sua dívida de curto prazo, segundo o balanço do terceiro trimestre.

    Entre 2011 e 2013, a relação entre o endividamento e o patrimônio da empresa mais que dobrou, saltando de 17% para 36%. O montante somava, no terceiro trimestre do último ano, R$ 250,8 bilhões. A situação levou a agência de risco Moody’s a rebaixar o rating da empresa, saindo de “A3” para “Baa1”, ainda dentro da escala considerada como “grau de investimento”.

    Ontem, a captação não foi suficiente para conter a queda dos papéis na bolsa, afetados também pelo anúncio de que a agência Standard & Poor’s (S&P) pode rebaixar o rating do País. Mesmo com o sucesso da captação, as ações preferenciais (PN, sem direito a voto) caíram 2,77% e as ordinárias (ON, com voto) recuaram 3,12%.

    “O investidor estrangeiro, mesmo ciente do conflito de interesses com o governo, atribui à Petrobrás o risco de não pagamento que é concedido ao risco Brasil”, compara o analista-chefe da Ativa Corretora, Marcelo Torto. Segundo ele, o impacto da emissão externa no endividamento da companhia será pequeno. O volume representa menos de 5% da dívida total.

    Operação. A última vez que a companhia fez uma captação em euros foi em 2012, quando arrecadou 2 bilhões. No ano passado, a empresa vendeu US$ 11 bilhões em bônus. Pouco depois, a estatal também captou mais US$ 3,4 bilhões junto a bancos comerciais. Ao todo, entre janeiro e setembro, a estatal levantou R$ 42 bilhões no exterior e R$ 17,7 bilhões no Brasil.

    Na operação de ontem, de acordo com a Petrobrás, os 3,05 bilhões captados terão pagamento dividido em quatro etapas, com prazos que variam entre dois, sete e 11 anos. Em libras esterlinas, a captação somou 600 milhões, com prazo máximo de 20 anos para o pagamento. A taxa de retorno oferecida pela empresa aos investidores ficou entre 2,829% e 6,732%.

    A escolha por emitir em euro e libra esterlina é justificada, de acordo com fontes de mercado, pelo prazo oferecido nesses mercados e também o custo da operação. “A Petrobrás captou a custos muito interessantes, mais baratos às vezes do que até o mercado em dólar”, avaliou uma fonte do setor financeiro.

    A demanda pelos bônus chegou a 11 bilhões – quase três vezes mais o valor captado. A grande procura sinaliza que a estatal pode voltar à captação externa ainda neste semestre, para compensar o resultado operacional negativo. A estimativa é que o fluxo de caixa livre feche 2014 com um resultado negativo de mais de R$ 50 bilhões, volume levemente inferior ao resultado esperado para 2013.

  41. Elias said

    Do Roberto Altenhofen (Empiricus), na virada de anteontem pra ontem:

    =====================================================
    00:56 – O duelo das blue chips
    A Petro divulga os seus resultados hoje à noite. Todo mundo espera um resultado operacional ruim, e por isso as apostas (ainda que no escuro) de que algo possa surpreender. Não nos resultados, obviamente, mas quem sabe um reajuste no preço dos combustíveis, ou um enxugamento no plano de investimentos?

    01:18 – Too big will fail
    Voltando ao “duelo” das blue chips, ele chama atenção para outras questões, como o “too big will fail”, ou “os grandes demais irão falhar”.

    Não falo do “too big to fail” que ficou famoso com o resgate dos grandes bancos na crise do subprime.

    Corporações grandes demais têm, em geral, decisões centralizadas, para vários núcleos descentralizados. Riscos escondidos muito grandes. E ai mora o perigo: muita complexidade operacional e um monte de poeira embaixo do tapete.

    02:07 – Podemos dizer o mesmo da Petro?
    Sempre defendi que a forma mais sensata da estatal dirimir preocupações do mercado seria via redução do seu programa de investimentos gigante. Ora, Petrobras tem a maior dívida do mundo, o maior plano de investimentos do mundo, e enfrenta temores de perda de rating e eventual necessidade de ter de pedir dinheiro para o mercado via emissão de novas ações…


    Portanto, uma redução em seu Plano de Negócios seria boa notícia para as ações, mas sem esquecer do histórico descasamento entre metas (plano) e números aferidos pela estatal.
    ========================================================

    A expectativa de um resultado ruim do Petrossauro foi a bola fora do Altenhofen. Um monte de gente se ferrou, apostando nisso.

    A notinha das 2 da madrugada foi a bola dentro (antecedida pela enxuta e certeira colocação de 01h18m): o Petrossauro anunciou uma redução em seu plano de investimentos até 2018. Vai continuar entre as 5 maiores do mundo, mas não vai botar um pé no freio do crescimento por alavancagem (ou seja, por endividamento) que vinha praticando nos últimos anos.

    Mais consistência que isso, impossível, né?

  42. Chesterton said

    vai continuar se individando….

  43. Elias said

    Ainda não recebi o balanço e as demonstrações de resultado, mas…

    Se o lucro do Petrossauro subiu 11% e o Ebtida cresceu 30% em relação ao ano anterior, então não há espaço pra dúvida: a Petrobrás caminha rapidamente para a falência.

    Vai se arrebentar!

    Isso é tão certo e garantido quanto a previsão do astrólogo da Veja/FSP, segundo a qual o Serra venceria fácil as presidenciais de 2010…

  44. Chesterton said

    Arrebentar o bolso do contribuinte…

    ———————————

    http://www.valor.com.br/empresas/3443974/divida-liquida-da-petrobras-salta-r-73-bi-em-12-meses-para-r-221-bi

  45. Patriarca da Paciência said

    Ministro Celso de Mello negou seguimento ao pedido de explicações do então líder do PSDB na Câmara, Carlos Sampaio, sobre fala da presidente Dilma Rousseff que configuraria, segundo ele, crime contra a honra; questionada sobre gastos em viagem que fez a Lisboa, em janeiro, Dilma disse que pagou conta em restaurante do bolso dela; “Tinha gente que estava acostumada que o pagamento seria do governo”, afirmou; parlamentar se sentiu ofendido com a declaração, que daria a entender, conforme alegou, que ele estaria entre essas pessoas; decano do STF justificou que pedido só seria válido se houvesse equívoco, ambiguidade ou dubiedade no conteúdo da frase da presidente
    (blog 247)

    Esse maluco já tentou processar a Dilma por mensagem natalina.

    Dessa vez imaginou que Dilma estaria insinuando que ele não paga as contas dos restaurantes!

    Mas já há um forte motivo para processá-lo, ou seja, uso abusivo do direito de processar. Ele deveria ter seu direito de processar cassado , pelo menos, por uns dez anos.

  46. Chesterton said

    http://www.valor.com.br/brasil/3440700/perdas-da-petrobras-se-espalham-pela-economia

  47. Zbigniew said

    Ah, agora é a dívida… é a Petrobrás rumo à falência.
    Esse pessoal não desiste do sonho da Petrobrax.

  48. Chesterton said

    compara a divida com o lucro. Você vai ter que botar um reforço do seu bolso ali, quer ver?

  49. Elias said

    Chester,
    Esquece um pouco o raciocínio (?) de quitandeiro do Meier dos anos 1950, e lê com atenção o que vou escrebeire a seguir:

    O passivo de uma empresa é formado por dois grandes blocos: o CAPITAL ALHEIO (dívidas de curto e longo prazo), e o CAPITAL PRÓPRIO (também chamado de “Patrimônio Líquido”, e que é formado pelo capital da empresa, propriamente dito, mais as reservas, o prejuízo acumulado e o lucro não distribuído).

    Agora — ó puto! — imagina duas empresas, ambas com patrimônio total de 200, que tenham produzido um lucro também igual de 100.

    Só que:

    I – Uma das empresas (A), tem CAPITAL ALHEIO (ou seja, dívidas), de 150, e CAPITAL PRÓPRIO (ou seja, Patrimônio Líquido) de 50.

    II – Já a outra empresa (B), tem CAPITAL ALHEIO (ou seja, dívidas), de 50, e CAPITAL PRÓPRIO (ou seja, Patrimônio Líquido) de 150.

    Posto isto (disse a galinha olhando o ovo), bamos a beire qual a RENTABILIDADE de cada uma (“rentabilidade” — ó puto — é o lucro proporcionado ao capital próprio investido; não confundire com “lucratividade”, que é outra coisa).

    I – EMPRESA A: Lucro 100 / Capital Próprio 50 = Rentabilidade 2 (ou seja, R$ 2,00 de lucro para cada R$ 1,00 de capital próprio. investido).

    II – EMPRESA B: Lucro 100 / Capital Próprio 150 = Rentabilidade 0,67 (ou seja, R$ 0,67 de lucro para cada R$ 1,00 de capital próprio).

    Estás a notaire?

    A empresa com MENOR ENDIVIDAMENTO apresentou MENOR RENTABILIDADE. Inversamente, a empresa com MAIOR ENDIVIDAMENTO, apresentou MAIOR RENTABILIDADE.

    O que fez a empresa “A”? Ela se valeu de sua CAPACIDADE EMPRESARIAL. Na prática, ela trabalhou com o dinheiro dos outros. Fez com que o dinheiro alheio gerasse lucro pra ela.

    Entendeste, ó puto? Endividamento, em si, não é um mal. Depende de um porrilhão de outras coisas…

    Por exemplo: se tivéssemos o balanço completo das duas empresas fictícias a que me referi, agora, provavelmente saberíamos que a empresa “A” (a de maior rentabilidade), tem MENOR LIQUIDEZ. Já a empresa “B” (de menor rentabilidade), teria liquidez muito maior.

    LIQUIDEZ e RENTABILIDADE, são conceitos em permanente conflito. Combinar uma liquidez ótima, com uma rentabilidade igualmente ótima é o dilena de todo administrador de empresa (o que quer que signifique “ótima” em um dado momento, num dado mercado, para empresas de um dado porte, etc, etc, etc.).

    Não é fácil fazer isso… Se fosse fácil, qualquer babaca seria um sucesso empresarial.

  50. Elias said

    Complementando:

    Alguns tipos de empresa operam basicamente com CAPITAL ALHEIO. Os bancos, por exemplo.

    Se fores leire um balanço de banco, qualquer banco, verás que o patrimônio dele é formado, basicamente, por dívidas. O capital próprio dos bancos é medíocre, em relação ao patrimônio. É por isso que uma “corrida” ferra com qualquer banco, em poucos dias (“corrida” é quando a maioria dos principais depositantes resolve tirar todo o seu dinheiro de um banco, em geral por acreditar que esse banco está prestes a falir).

    Vai daí que os bancos não estão nem aí pra liquidez… Já os supermercados, no outro extremo, costumam operar com altíssima liquidez. Em consequência, os bancos tendem a apresentar rentabilidade bem maior que a dos supermercados.

    Se um banco tentar operar com a liquidez de um supermercado, ele se ferra em menos de um ano. Reciprocamente, se um supermercado tentar operar com a liquidez de um banco, ele também se ferra em menos de um ano.

    Entre um e outro extremo é onde fica a maioria de todas as demais empresas. E, aí, as coisas se complicam ainda mais…

    Estás a entendeire até aqui, ó puto?

    Isso é só a letra “a”. Depois, terás que aprendeire o restante do alfabeto. Em seguida, deberás aprendeire a soletraire… Aí poderás começar a leire textos simples… Então…

  51. Chesterton said

    O mundo está preocupado, Elias está tranquilo. Compra ações a 23 reais, depois a 19 reais. Está muito contente. Hoje anda pela cassa dos 14, ele continua confiante no seu discurso. Ja imaginaram se Elias tivesse colocado o dinheiro na poupança e comprado agora a 14 a diferença queseria:

    10 x 23= 230
    10x 19= 190 , soma 420

    divide por 14 = 30.

    Logo, em vez de 20 ações teria 30 ações. Mas está tudo bem, a companhia vai continuar pegando grana la fora para rolar divida e espera que a produção triplique da noite para o dia.

  52. Pax said

    O caro Elias, não tendo com o quê reclamar deste pobre blogueiro neste dia ensolarado, parte para a agressão ortográfica e apela para a ética internauta.

    !!!!

    Relaxa, caro Elias, vai tomar uma cerpinha por aí. Depois veste uma fantasia de colombina que estamos no carnaval.

  53. Elias said

    “ética internauta” ?

    Corre com teu fornecedor, Pax…

    Tu estás queimando ou cheirando coisa estragada.

    E joga esse excesso de exclamações no lixo, rapaz. Eles não capazes de transformar uma besteira em algo inteligente.

  54. Pax said

    Isto posto, amém.

    =)

  55. Chesterton said

    http://selvabrasilis.blogspot.com.br/2014/02/a-inescapavel-mediocridade-de-dilma.html

  56. Pax said

    Essa aqui é dura de aguentar… ainda mais pra vocês que têm alguns caraminguás investidos por lá.

    Roubalheira de funcionários da Petrobras, US$ 139 milhões.

    http://agenciabrasil.ebc.com.br/geral/noticia/2014-02/cgu-acompanha-investigacao-sobre-propinas-funcionarios-da-petrobras

  57. Elias said

    Chester, nosso luso de estimação.

    O que garante o endividamento de uma empresa, é o ATIVO da dita cuja. Daí os coeficientes de “solvência” e de “liquidez”.

    Aliás, é bom lembraire que “solvência” e “liquidez” também são coisas muito diferentes. A dependeire de como está a composição do ativo e das exigibilidades, uma empresa pode estar insolvente e, mesmo assim, ter altos coeficientes de liquidez.

    No caso do Petrossauro, perdeu quem vendeu na baixa… Só perdeu quem vendeu na baixa…

    E quem comprou na alta? Aí vai dependeire de quanto esse papel está a rendeire, entendeste? Não?

    Vou te daire mais uma dica: se a empresa está com um grau de endividamento elevado, porém está gerando lucro alto, isso significa que ela opera com alto grau de rentabilidade do capital próprio.

    Quem comprou na alta, faz uma análise de equivalência financeira: compara o rendimento que o papel proporciona, com o rendimento que ele obteria se aplicasse o mesmo dinheiro em outra coisa. Se o resultado for positivo… Chapéu!

    Qual o risco, nesse caso? O risco é que a empresa não tenha geração de caixa suficiente pra pagar suas dívidas, no vencimento. Isso pode aumentar o custo financeiro, o que poderá roer a rentabilidade do capital próprio.

    Como tu avalias esse risco, rapidinho? Pela evolução do Ebtida. E, se o Ebtida da Petrobras cresce 30% em um ano…

    Estás a entendeire, rapaz da quitanda?

    Pra quem tem ações dentro do cofre, seria ótimo se a Petrobras continuasse com o endividamento lá em cima, desde que os lucros também continuassem elevados.

    Só que isso não é possível, por motivos óbvios. E, se a empresa vai reduzir o grau de endividamento, isso significa que vai aumentar a participação relativa do capital próprio na formação do patrimônio.

    Consequentemente, a rentabilidade vai diminuir, a menos que o lucro cresça mais proporcionalmente.

    Daí porque eu disse que 2013 foi bom, e 2014 será ruim, como foi 2012…

    E por que 2014 será ruim? Por causa da política.

    Os preços dos combustíveis no Brasil estão defasados, em comparação com o mercado internacional. Mas claro que o governo não vai autorizar aumento em 2014. Por isso, a Petrobras vai lucrar menos. Vai continuar a ser uma das empresas mais rentáveis do mundo, mas renderá menos do que renderia, caso o governo autorizasse um aumento nos preços dos combustíveis.

    Estás a entendeire? A necessidade de ser oposição está fazendo com que vejas tudo de cabeça pra baixo. Estás a criticaire o resultado da Petrobras em 2013, e isso é burrice, porque, nesse ano, os resultados foram muito bons.

    Os preços das ações da Petrobras não estão a caire por causa dos resultados de 2013 (se bem que um monte de doido achava que o desempenho em 2013 seria ruim…). Eles estão a caire por causa da expectativa em relação a 2014…

    So que…

    …A brecagem do crescimento por alavancagem reduzirá o endividamento. E se isso capar o custo financeiro, e por causa, a rentabilidade se mantiver, ou até crescer?

    Pra quem olha de fora, sem poder influir em nada do que acontece, é um puta jogo…

    Nem assim deu pra entendeire, por fim, meu caro Joaquim?

  58. Chesterton said

    se, se, se…SE é o rei dos loucos. Sua aposta é arriscada. Prefiro comprar na baixa e vender na alta.

  59. Zbigniew said

    Elias,
    o aumento na produção em virtude do início da exploração do pré-sal não poderia ser um fator garantidor do processo de alavancagem da empresa?

  60. Chesterton said

    melhor seria arrumar sócios para dividir o risco. Mas não, o governo quer ter a empresa “na mão”, pelo poder. Poder pelo poder custa caro, vide o petroleo venezuelano administrado por bolivarianos.

  61. Chesterton said

    A lógica do governo ao deter o poder de empresas

    http://coturnonoturno.blogspot.com.br/2014/02/petrobras-tambem-financiou-terroristas.html

  62. Elias said

    Zbigniew,

    Por definição, “alavancagem” é endividamento. “Crescer por alavancagem”, significa “crescer tomando dinheiro emprestado pra bancar o plano de investimento”.

    Uma boa parte do “crescimento por alavancagem” da Petrobras se deu, exatamente, tomando dinheiro emprestado pra investir no pré-sal (e também em projetos no exterior).

    É um negócio complicado, que não dá pra analisar pelo viés de quitandeiro do Chester & seus gurus.

    Vê, p.ex., o que aconteceu na Europa, nos últimos anos. A Alemanha inundou o mercado com Euros a juros zero ou quase isso. Quem tinha como tocar projetos de grande porte na Europa aproveitou a deixa.

    Tu serias contra isso? Quem seria?

    Só o Chester… O Adolf,,, O RA… Enfim, a elite intelectual do Haiti…

    Pax,
    Então queres que me fantasie de Colombina, pra brincar o carnaval contigo?

    Eu topo, desde que tu te fantasies de Chiquita Bacana, com a mão na minha banana…

  63. Elias said

    “Prefiro comprar na baixa e vender na alta.” (Chester)

    Ora, Joaquim…

    Se estás a compraire na baixa, com intenção de vendeire na ialta, é porque estás a pensaire que a situação de “baixa” é temporária, e que a ação que estás a compraire na baixa certamente que vai subire, para que, lá na frente, possas vendeire na alta.

    Pois…?

    E SE não subire, ó puto?

    Ou estás a falaire da Petrobras, e sendo assim, tens certeza que a ação vai subire?

    Ou é isso, ou não estás a dizeire coisa com coisa, ó puto…

    Ora pois, Joaquim…!

  64. Chesterton said

    Não, Elias, vou imitar você e comprar na alta, esperar baixar e fica em gabando que sou dono da empresa
    . Ora, vou comprar quando achar (e posso errar) que chegou no fim do poço. Alias, um pouco depois, quando achar que vai subir. Enquanto isto rende a merreca do banco.

  65. Guatambu said

    Chesterton,

    A Petrobras pode se endividar à vontade, ela tem nada menos que o aval do governo para fazê-lo!

    Além disso, é uma empresa distribuidora de dividendos (é isso que garante parte do dinheiro que vai pro governo federal). E nesse aspecto, o Elias está bem longe de estar errado, afinal, ele fez o óbvio: se a Petrobras pertence ao Brasil, de alguma maneira já somos donos, mas donos só no ônus (e no ânus) se vc não tiver ações da empresa.

    Qual o risco disso?

    As auditorias são pagas para dizer que está tudo bem – igual fizeram na crise de 2008.

    Petrobras deve estar entre os melhores ratings para investimento.

    O problema é que por ser majoritário, se algo acontecer nos bastidores e causa problemas demais, o governo terá que pagar a conta.

    Aí é que mora o problema.

    Tal qual um dono de padaria que confunde o seu próprio bolso com o caixa da padaria, o governo do PT parece fazer o mesmo tipo de confusão, só que em uma escala um pouco maior.

    Digamos que o PT tem mais margem de manobra para “flexibilizar” sua contabilidade e sua operação; o máximo que o mercado faz (como vem fazendo) é criticar a política econômica. Já a Petrobras tem ações negociadas em bolsa, ela tem, necessariamente, que prestar contas ao mercado sobre o que faz, isso limita (felizmente) o ‘uso’ da empresa para quaisquer fins que não sejam o seu objeto social.

    Se, em uma hipótese praticamente absurda, o PT exagerar e o mercado começar a cobrar pesado a Petrobras sobre improdutividade, desvios do seu objeto de negócio, baixa rentabilidade etc, sabe o que o governo vai fazer? Vender! E o PT vai fazer a maior propaganda disso como se fosse a privatização mais bem sucedida da história. E aí a conta zera.

    O máximo que vai acontecer, pensando em algo mais real, seria o governo ter que explicar as contas pro mercado. Aí o mercado vai decidir se engole a explicação ou não.

    Em outras palavras, a Dilma foi falar com investidores para prometer que ia cumprir superávit primário e conter gastos do governo. O mercado por enquanto está engolindo.

    O Elias vai perder com isso? Duvido.

    Na verdade, e aí vc tem razão, quem sofre com essa história toda é o especulador. Porque:

    1- O mercado brasileiro é pequeno, e com a movimentação de alguns bilhões é possível causar alta ou baixa em uma ação
    2- O mercado brasileiro sofre um ruído político em seus fundamentos: a Petrobras, maior empresa do Brasil, sofre influência política diretamente.

    Com base nisso, quem especula na bolsa brasileira:

    1- Tem informação privilegiada
    2- É louco

    Por isso que, apesar do esforço, e da crescente educação do brasileiro médio em relação a dinheiro, há poucas pessoas físicas participando da bolsa.

    O que o Elias omite é a importância do papel do especulador nos mercados de capitais… mas também, qual seria o interesse de um governo de esquerda em aprimorar o mercado de capitais no Brasil?

  66. Chesterton said

    A Petrobras pode se endividar à vontade, ela tem nada menos que o aval do governo para fazê-lo!

    chest- claro, com o dinheiro do contribuinte, como a Argentina e a Venezuela fazem. Vê se a Noruega (aí Pax) faz isto?

  67. Chesterton said

    O máximo que vai acontecer, pensando em algo mais real, seria o governo ter que explicar as contas pro mercado. Aí o mercado vai decidir se engole a explicação ou não.

    chest- o mercado vendeu e a cotação despencou.

  68. Elias said

    “O que o Elias omite é a importância do papel do especulador nos mercados de capitais…” (Guatambu)

    Nem tanto, compadre…

    Quem argumenta pela ótica do mercado de capitais é o Chester, que já deu uma de “trader”, e “player”, e sei lá o que mais.

    O que eu disse aqui — e já repeti um porrilhão de vezes — é que eu, desde que comecei a trabalhar (ou seja, na era antigozóica, subperíodo matusalêmico), comecei a aplicar algumas merrequinhas que consegui poupar, em ações da Patrobrás e do Banco do Brasil. E que nunca me arrependi disso. Esses papéis acabaram valorizando e rendendo mais que meu primeiro imóvel, um apartamento, que comprei na mesma época (boa parte do rendimento de aluguel que esse apartamento proporciona até hoje, é garfada pelo imposto de renda, pelo IPTU e pelas reformas que tenho que fazer, sempre que o inquilino desocupa).

    O papo sobre a Petrobras voltou à caixa de comentários, exatamente porque o Patriarca da Paciência se referiu a um ataque especulativo da Merril & Lyinch em cima da Petrobras.

    No mais:

    1 – Quando começou o “governo de esquerda”?

    2 – Desde quando existe o mercado de capitais no Brasil?

    3 – Por que, ao longo de todo esse tempo, o mercado de capitais brasileiro não foi “aprimorado”?

    4 – O mercado de capitais americano é “aprimorado”? E como se explica o “esquema Ponzi” que fez sumir pelo ralo alguns bilhões de dólares, recentemente?

  69. c3c2 said

    O editorial do Estadão : ELA FALA POR NÓS
    não existiu!
    KKKKK

    A mãe do PAC continua inatingível mesmo falando bobagens!
    Falta de vergonha na cara…
    KKKK

  70. Chesterton said

    Elias, você está precisando de umas acções da Petrobras? Eu vendo por 23 reais. Assim você fica contente.
    Olha, faço parte de um grupo de pessoas que se especializa em descobrir ações com potencial de ganho a medio prazo (enquanto eu trabalho, outras pessoas pesquisam). Não, nunca fiz “trade” com petr4. Quando trade dá errado, lamentamos e dizemos: “é, virou investimento”, ou seja, deu errado. Esse é o mote.

  71. Chesterton said

    enquanto isto, Elias comemora…

    http://economia.uol.com.br/cotacoes/noticias/redacao/2014/02/26/petrobras-cai-ao-menor-preco-em-mais-de-oito-anos-e-derruba-bovespa.htm

  72. Chesterton said

    6/02/2014 às 11:30 \ Economia, Investimentos, Política, Privatização
    Petrobras: sempre muitas promessas, mas o passado a condena

    A maior empresa brasileira, a Petrobras, divulgou seu resultado para o ano de 2013, ligeiramente acima das expectativas do mercado (em parte graças à venda de ativos). A Veja já fez um bom resumo dos cinco itens mais relevantes do balanço. Aqui, pretendo me afastar do curto prazo e tentar analisar sua trajetória nos últimos anos. O objetivo é apreender o “big picture” daquilo que parece uma saga de destruição da estatal.

    Em primeiro lugar, devemos ter em mente que a Petrobras é uma empresa de capital misto, sob controle estatal. A União detém mais de 50% do capital votante, mas menos de 30% do capital total. Ou seja, na prática é um acionista minoritário (interesse econômico) com o controle da gestão.

    Fonte: Petrobras
    Fonte: Petrobras
    Surge um primeiro conflito de interesses. Do ponto de vista econômico, o sócio controlador tem menos a perder com a destruição de valor da empresa do que os demais acionistas. Para piorar, o estado lida com o dinheiro da “viúva”, ou seja, todos nós, pagadores de impostos. A tentação de usar a empresa para fins políticos e partidários, em vez de focar na maximização de valor para seus proprietários, fica evidente.

    E, de fato, é o que tem ocorrido, principalmente na gestão do PT. As decisões, especialmente no que tange o gigantesco plano de investimentos, não parecem ter caráter eminentemente econômico, e sim político. A Petrobras planeja investir, até 2017, quase US$ 240 bilhões (ou quase US$ 50 bilhões por ano). Seu valor de mercado atual está em US$ 75 bilhões.

    Ou seja, a empresa pretende investir mais de 3 vezes o seu tamanho em apenas 5 anos! Trata-se de uma meta extremamente agressiva. Sua geração bruta de caixa está na casa dos US$ 25 bilhões, i.e., muito aquém da necessidade para tais investimentos. Isso quer dizer que o endividamento, já excessivo, continuará subindo.

    Fonte: Petrobras
    Fonte: Petrobras
    Se, no passado recente, a empresa tivesse demonstrado boa capacidade de criar valor com tanto investimento financiado por terceiros, os investidores poderiam até aplaudir metas tão grandes. Mas como a realidade é bem diferente, nada mais natural do que demonstrar extrema desconfiança com esse programa. A saúde financeira da empresa está em xeque.

    Basta ver o que tem acontecido até aqui. Em termos de produção, por exemplo. O programa agressivo de investimentos nos últimos anos não se reverteu em aumento algum da produção. Pelo contrário: esta se encontra em queda!

    Fonte: Petrobras
    Fonte: Petrobras
    Em seus planos estratégicos, a estatal assume metas otimistas de produção, e espera chegar a 4 milhões de barris por dia em pouco tempo, ou seja, dobrar sua capacidade atual. Mas como crer nessas promessas quando olhamos o histórico? A empresa falava em crescer até 5% a produção em 2013, e o resultado concreto foi uma redução de 2,5%!

    Se a produção não cresce, ao contrário do endividamento líquido, que sobe sem parar, o gasto com pessoal é outro item que tem pesado cada vez mais em seus custos. Já são quase 90 mil funcionários, e a folha de pagamentos não para de subir:

    Fonte: Petrobras
    Fonte: Petrobras
    São R$ 27 bilhões de gasto anual apenas com seus empregados, um aumento de quase 80% em relação a 2009! Isso dá mais de 15% ao ano de expansão no gasto com pessoal, bem acima da inflação. Mais dívida, mais custo com empregados, e menos produção: essa tem sido, até aqui, a história da Petrobras nos últimos anos.

    Como efeito disso tudo, incluindo um enorme aumento de capital, o lucro líquido por ação tem desabado. Cada acionista, em outras palavras, ganha cada vez menos por investir seus recursos na empresa e apostar em sua gestão.

    Fonte: Petrobras
    Fonte: Petrobras
    O investidor lucra hoje 50% a menos do que lucrava em 2010! O resultado de tanta coisa negativa é melhor ilustrado na perda de valor das ações. Ou seja, o valor de mercado da Petrobras, o melhor termômetro para avaliar seu verdadeiro valor, pois já incorpora as expectativas de geração de caixa à frente, cai em queda livre.

    PETR3. Fonte: Bloomberg
    PETR3. Fonte: Bloomberg
    Os investidores do Brasil e do mundo todo simplesmente não acreditam mais nas promessas da diretoria da estatal. Hoje mesmo, após a divulgação do “bom” resultado e do novo plano de metas, as ações da estatal estão em queda de quase 1% (no momento em que escrevo).

    O que estamos acompanhando é uma triste história de destruição da maior empresa nacional, por responsabilidade de um governo disposto a sacrificá-la em prol de objetivos obscuros ligados à política. São sempre muitas promessas, mas seu passado lhe condena. Quem vai acreditar que o amanhã será diferente?

    Rodrigo Constantino

    http://veja.abril.com.br/blog/rodrigo-constantino/economia/petrobras-sempre-muitas-promessas-mas-o-passado-a-condena/

  73. Zbigniew said

    Parece que a associação Gilmar-Barbosão-Fux-GAFE vai perder na questão das penas por formação de quadrilha. O Barroso peitou o batman, de forma equilibrada, enquanto o cavaleiro das trevas escumava do alto de sua tirania e de seu julgamento eivado do vício da pessoalidade. Alguém tem alguma dúvida?

    “(…)
    O presidente do STF, Joaquim Barbosa, interrompeu duas vezes o voto de Barroso. “É fácil fazer discurso político”, disse Barbosa sem, no entanto, alterar a calma do juiz que tivera a palavra barrada. “A injustiça é flagrante”, reiteirou Barroso, pugnando pela desproporção na aplicação das penas de formação de quadrilha. “O discurso jurídico não se confunde com o discurso político. O STF é o espaço das razões públicas e não das paixões inflamadas”, prosseguiu, olhando para Barbosa. “O marco constitucional da AP 470 servirá melhor ao país se não se apegar a exacerbações punitivas”.
    (…)”

    http://www.brasil247.com/pt/247/brasil/131542/Barbosa-baixa-o-n%C3%ADvel-mas-ministros-votam-4-a-1.htm#comments

  74. Chesterton said

    O Estado de S.Paulo
    Até mesmo o lusófono presidente da Comissão Europeia, José Manuel Durão Barroso, deve ter tido sérias dificuldades para entender os dois discursos da presidente Dilma Rousseff proferidos em Bruxelas a propósito da cúpula União Europeia (UE)-Brasil. Não porque contivessem algum pensamento profundo ou recorressem a termos técnicos, mas, sim, porque estavam repletos de frases inacabadas, períodos incompreensíveis e ideias sem sentido.

    Ao falar de improviso para plateias qualificadas, compostas por dirigentes e empresários europeus e brasileiros, Dilma mostrou mais uma vez todo o seu despreparo. Fosse ela uma funcionária de escalão inferior, teria levado um pito de sua chefia por expor o País ao ridículo, mas o estrago seria pequeno; como ela é a presidente, no entanto, o constrangimento é institucional, pois Dilma é a representante de todos os brasileiros – e não apenas daqueles que a bajulam e temem adverti-la sobre sua limitadíssima oratória.

    Logo na abertura do discurso na sede do Conselho da União Europeia, Dilma disse que o Brasil tem interesse na pronta recuperação da economia europeia, “haja vista a diversidade e a densidade dos laços comerciais e de investimentos que existem entre os dois países” – reduzindo a UE à categoria de “país”.

    Em seguida, para defender a Zona Franca de Manaus, contestada pela UE, Dilma caprichou: “A Zona Franca de Manaus, ela está numa região, ela é o centro dela (da Floresta Amazônica) porque é a capital da Amazônia (…). Portanto, ela tem um objetivo, ela evita o desmatamento, que é altamente lucrativo – derrubar árvores plantadas pela natureza é altamente lucrativo (…)”. Assim, graças a Dilma, os europeus ficaram sabendo que Manaus é a capital da Amazônia, que a Zona Franca está lá para impedir o desmatamento e que as árvores são “plantadas pela natureza”.

    Dilma continuou a falar da Amazônia e a cometer desatinos gramaticais e atentados à lógica. “Eu quero destacar que, além de ser a maior floresta tropical do mundo, a Floresta Amazônica, mas, além disso, ali tem o maior volume de água doce do planeta, e também é uma região extremamente atrativa do ponto de vista mineral. Por isso, preservá-la implica, necessariamente, isso que o governo brasileiro gasta ali. O governo brasileiro gasta um recurso bastante significativo ali, seja porque olhamos a importância do que tiramos na Rio+20 de que era possível crescer, incluir, conservar e proteger.” É possível imaginar, diante de tal amontoado de palavras desconexas, a aflição dos profissionais responsáveis pela tradução simultânea.

    Ao falar da importância da relação do Brasil com a UE, Dilma disse que “nós vemos como estratégica essa relação, até por isso fizemos a parceria estratégica”. Em entrevista coletiva no mesmo evento, a presidente declarou que queria abordar os impasses para um acordo do Mercosul com a UE “de uma forma mais filosófica” – e, numa frase que faria Kant chorar, disse: “Eu tenho certeza que nós começamos desde 2000 a buscar essa possibilidade de apresentarmos as propostas e fazermos um acordo comercial”.

    Depois, em discurso a empresários, Dilma divagou, como se grande pensadora fosse, misturando Monet e Montesquieu – isto é, alhos e bugalhos. “Os homens não são virtuosos, ou seja, nós não podemos exigir da humanidade a virtude, porque ela não é virtuosa, mas alguns homens e algumas mulheres são, e por isso que as instituições têm que ser virtuosas. Se os homens e as mulheres são falhos, as instituições, nós temos que construí-las da melhor maneira possível, transformando… aliás isso é de um outro europeu, Montesquieu. É de um outro europeu muito importante, junto com Monet.”

    Há muito mais – tanto, que este espaço não comporta. Movida pela arrogância dos que acreditam ter mais a ensinar do que a aprender, Dilma foi a Bruxelas disposta a dar as lições de moral típicas de seu padrinho, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Acreditando ser uma estadista congênita, a presidente julgou desnecessário preparar-se melhor para representar de fato os interesses do Brasil e falou como se estivesse diante de estudantes primários – um vexame para o País.

  75. Chesterton said

    Patriarca deve estar chorando de emoção….

  76. Chesterton said

    Leitura instrutiva para todos que se acham sociais isto, sociais aquilo….

    ======================

    Não se pode acusar o NASDAP de minimizer a letra S (socialism). Em 16 de junho de 1941, enquanto Hitler preparava suas forção para a Operação Barbarossa, Goebbels antecipava a nova ordem a ser imposta pelos nazistas na Russia ocupada. Não haverá retrocesso, ele escreveu, para capitalistas, padres ou czares.
    Ao contrario, no lugar do socialismo bolchevique-judeu, a Wehrmacht imporá “der echte Sozialismus”: o socialismo real.
    Goebbels nunca duvidou que era socialista. Ele compreendia o nazismo como uma forma melhor e mais plausível de socialismo que o leninismo. Em vez de espalhar-se por diversas nações, operaria dentro da unidade do “volk”.
    Tão grande é a vitória cultural da esquerda moderna que a simples menção deste fato é chocante. Mas na época, ninguem duvidaria. Como George Watson diz em “The Lost Literature of Socialism”: “ Agora está claro além de qualquer sombra de dúvida que Hitler e seus associados acreditavam ser socialistas, e os outros, incluindo os sociais-democratas, pensavam o mesmo”.
    A pista está no nome. Gerações seguintes de esquerdistas tentaram explicar a nomenclatura como uma coincidência embaraçosa ou propaganda. Na verdade o nome, Socialista na sigla, significava exatamente o que dizia.

    Hitler disse a Hermann Rauschning, um prussiano que trabalhou brevemente para os nazistas antes de fugir do país que admirava muito os revolucionários que conheceu quando jovem, mas achava que eram faladores, não executantes. “ Eu coloquei em prática o que esses hesitantes e empurradores de caneta timidamente começaram”, bradou somando que “o Nacional Socialismo inteiro foi baseado em marx”.
    O erro de marx, Hitler acreditava, foi estimular guerras de classe em vez de unidade nacional-levar os trabalhadores contra os industriais em vez de enlaçar ambos grupos em uma ordem corporativa Seu objetivo, disse a seu conselheiro econômico, era “converter o povo alemão ao socialismo sem simplesmente matar os velhos individualistas” – o que para ele eram os banqueiros donos de fábricas que poderiam servir ao socialismo gerando caixa para o estado. “Onde que marxismo, leninismo e stalinismo falharam , n´so estaremos em posição de conseguir”.
    Leitores de esquerda devem estar agora rangendo os dentes. Sempre que toco no assunto crio uma reação feroz nas pessoas que gostam de pensar que são “progressistas” e que crêm que o anti-fascismo é parte de sua ideologia. Bem, meus caros, agora sabem como nos sentimos quando alguém associa nazismo aos conservadores, a direita.
    (tradução minha nas coxas)

    http://blogs.telegraph.co.uk/news/danielhannan/100260720/whenever-you-mention-fascisms-socialist-roots-left-wingers-become-incandescent-why/

  77. Pax said

    Vou deixar a notícia para depois da decisão, mas tudo indica que formação de quadrilha vai sair das condenações dos réus do mensalão petista.

    Teremos, com certeza, sem qualquer sombra de dúvida:

    1 – petistas dizendo que tudo foi julgamento de exceção, que ninguém tem culpa de nada, nem mesmo de ter apanhado uns trocados esquisitos na boca do caixa, nota sobre nota.

    2 – oposicionistas dizendo que Barroso e os ministros que não acatarem a tese de quadrilha estão manipulados pelo PT

    Não tenham a menor dúvida!

    http://agenciabrasil.ebc.com.br/politica/noticia/2014-02/barbosa-critica-voto-e-diz-que-barroso-fez-discurso-politico

  78. Pax said

    E o plenário virou ringue…

    http://noticias.uol.com.br/politica/ultimas-noticias/2014/02/26/barbosa-acusa-barroso-de-fazer-discurso-politico-e-contribuir-para-corrupcao.htm

  79. Chesterton said

    http://www1.folha.uol.com.br/colunas/viniciustorres/2014/02/1418498-entregaram-a-petrobras.shtml

    A Petrobras foi transformada numa seção estatal de controle de preços.

    O subsidio da gasolina prejudicou as contas externas.

    Agora tem que resolver as bobagens que fez.

  80. Otto said

    Será que os juízes se cansaram do jogo sujo imposto por Barbosa e Globo? Ou será que é mais jogo sujo?

    A declaração dos representantes da OAB, de que os presos petistas na Papuda, não tem nenhum privilégio, é um desmentido que deveria envergonhar a mídia, os leitores que acreditam nela e, sobretudo, os procuradores do MP que deram declarações baseados unicamente em informações do Globo.

    Hoje o Globo volta a falar em “regalias”.

    Qualquer servidor do sistema carcerário do Distrito Federal que for demitido ou punido será culpa de Dirceu.

    Daqui a pouco, aliás, começarão a aparecer servidores contando mentiras à Globo apenas para poderem se livrar de alguma acusação de improbidade, incompetência ou corrupção.

    Denúncia contra o arbítrio de manter Dirceu em regime fechado, quando sua sentença determina que fique em semi-aberto, não há nada.

    – See more at: http://www.ocafezinho.com/2014/02/27/juizes-se-cansam-de-jogo-sujo-de-barbosa-oab-desmente-mentiras-da-globo/#sthash.QoB42dBZ.dpuf

  81. Otto said

    Ao contestar tão ofensivamente o teor do voto de Barroso, ao acusá-lo, de maneira tão vil, Barbosa disparou um tiro no próprio pé. Ganhará, ainda, um bocado de palmas dos saguões aeroportuários, mas haverá mais gente erguendo a sombrancelha, desconfiada de tanta fanfarronice e falta de modos.

    Barroso deixou que Barbosa morresse como um peixe, pela boca.

    Foi a vitória da serenidade sobre o destempero, da delicadeza sobre chauvinismo, do respeito à divergência sobre a intolerância.

    – See more at: http://www.ocafezinho.com/2014/02/27/barbosa-a-marionete-do-golpe-morreu-pela-boca/#sthash.FOe1X7b9.dpuf

  82. Zbigniew said

    E o pior foi ouvir da boca do próprio batman que a exasperação das penas pelo tipo “formação de quadrilha” se deu para evitar a prescrição (!!!). A confissão ficou entremeada pela conduta ofensiva do Presidente e a sua refutação ao elogio feito pelo Barroso ao seu trabalho à frente como Relator da AP. Acredito que o batman enxergou ali uma certa ironia já que não conseguiu tirar o Barroso do sério.

    A figura de um Presidente de Corte é a de condução dos trabalhos (obediência à pauta do dia, ordem de preferência, pedidos de preferência, tempo de sustentação oral, etc.) e de orientação aos pares, principalmente em casos que se apliquem as normas de um Tribunal (o seu Regimento Interno) e questões administrativas. Não é incomum a intervenção em votos, com a serenidade que é devida em casos como tais. Mas o batman extrapola ao insinuar que o Relator dos embargos age politicamente.

    Ocorre que todos ali, sem exceção, agem politicamente. A ação do Barros é sim técnica, mas torna-se política porque vai de encontro ao anseio do status quo que julgou anteriormente para aplicação do regime fechado aos mensaleiros. Trata-se de uma correção por uma correlação de forças que agora está mais favorável ao PT. O Mendes, batman e Fux agem abertamente pelo “justicialismo”. O Levandowski, Toffoli, Barros e Zavaski, pela aplicação escorreita da pena. As duas ministras vão se prender ao tecnicismo, de modo que não poderão acusá-las de não terem sido “rigorosas” com os mensaleiros, tampouco “injustas” por prestígio ao viés político.

    Observe-se o que ocorre quando uma Corte se dobra a uma alopoiese forçada por questões políticas e partidárias. Parece que o PT está aprendendo a equilibrar esse jogo.

  83. Zbigniew said

    O batman não entende isto, afinal de contas ele é, antes de tudo, um justiceiro:

    “O discurso jurídico não se confunde com o discurso político. O STF é um espaço da razão pública e não das razões inflamadas. Antes de ser exemplar e simbólica, a Justiça precisa ser justa.”

    Luís Roberto Barroso, Ministro do STF

  84. Elias said

    Da Newsletter da ADVFN de hoje:

    ===============================================
    “A VALE (VALE5) apresentou ontem à noite, após o fechamento do mercado, um prejuízo de R$ 14,86 bilhões no quarto trimestre de 2013. No ano de 2013, a companhia conseguiu acumular lucro líquido de apenas 115 milhões, queda de 98,8% na comparação anual. A companhia fez questão de destacar o lucro básico no último trimestre, que foi de R$ 7,4 bilhões, após excluir efeitos não recorrentes, principalmente relacionados ao REFIS e redução de valor de alguns ativos. O impacto do reconhecimento do REFIS no lucro líquido de 2013 foi de R$ 14,81 bilhões, R$ 6,03 bilhões de despesas financeiras e R$ 8,77 bilhões de impostos. O impacto financeiro referente à adesão da companhia ao refinanciamento de dívidas de impostos com o governo já era esperado pela maioria dos analistas. ”
    ===============================================

    Há alguns dias, um relatório da Empiricus (coisa séria, feita por gente que sabe o que faz), comparando Petrobras com Vale, deu vitória à Vale, por várias cabeças.

    Aí, no fechamento das contas, que é o que realmente conta, deu no que deu…

    Guatambu,
    Mais uma aí pra ti.

    A especulação pode influir poderosamente na oscilação do valor da ação no mercado de capitais. Mas não influi no resultado REAL da empresa. Este, evidentemente, é determinado pela GESTÃO da dita cuja.

    Qual a expectativa do mercado em relação à Petrobras? É que ela daria maus resultados em 2013.

    Agora, o que nal falta é “analista” de araque dizendo que os resultados do Petrossauro foram “ligeiramente melhores que os esperados”.

    É preciso ser um completo imbecil desmemoriado pra entrar nesse papo…

    “Ligeiramente melhores que os esperados” uma ova! É só reler o que esses mesmos vigaristas escreveram nos últimos meses. Eles estavam “profetizando” um desastre, isso sim! Mesmo com o resultado do 3º Tri já publicado, faltando apenas o 4º trimestre, ainda assim eles “profetizavam” o desastre.

    Claro que se trata de um ataque especulativo, associado ao uso político-partidário-eleitoreiro da “análise” financeira.

    Isso pode influir no comportamento do mercado de capitais? Claro que pode, pelo menos temporariamente.

    Vai influir no desempenho REAL da empresa? Nem pensar! Se a Petrobras for bem, ou for mal, isso será responsabilidade exclusiva de seus gestores. Nada a ver com especulação no mercado de capitais.

    São mundos diferentes…

  85. Chesterton said

    …e o que gestores podem fazer em caso de preços congelados?

  86. Elias said

    Chester,
    É o seguinte, Joaquim.

    Quem sai aos seus não degenera.

    Pelo menos tenta fazeire jus ao raciocínio prático de teus ancestrais quitandeiros.

    Imagina uma quitanda, cujos proprietários sejam, tu, Joaquim, e teu pai, Manoel.

    Supõe, agora, que vocês resolvam admitir teu tio, Antônio João, como sócio da quitanda.

    Se o lucro não aumentaire em decorrência da entrada de Antônio João na sociedade, se o lucro permaneceire mais ou menos o mesmo que era antes de Antônio João chegaire, esse lucro será distribuído por 3, em vez de 2.

    Em consequência, tu, Joaquim, e teu pai, Manoel, vão ganhar menos.

    Estás a entendeire? Buscaire novos sócios, só tem sentido se houveire uma expectativa segura de aumento do lucro. Do contrário, é tiro no pé!

    A melhor estratégia para MAXIMIZAR LUCRO SOBRE CAPITAL PRÓPRIO (objetivo permanente e irrenunciável de toda empresa), é trabalhaire com CAPITAL ALHEIO.

    O problema é que o capital alheio tem custo, e chega o momento em que esse custo (via aumento da despesa financeira) acaba afetando intoleravelmente o lucro. Isso acontece sempre que a despesa da dívida cresce mais que proporcionalmente em relação ao crescimento do lucro (o que implica um Ebtida decrescente).

    É o bicho…!

    Aí a empresa pode: (a) buscar alternativas mais baratas para obtenção de capital alheio; (b) reduzir, ou, simplesmente, estancar, o crescimento por alavancagem.

    A Vale preferiu a primeira hipótese. Daí porque lançou debêntures não conversíveis em ações. Provavelmente ela aposta no crescimento da demanda chinesa.

    Já a Petrobras parece estar adotando a segunda alternativa. Isso nos leva a crer num cenário de estabilização da produção. Neste caso, o aumento do lucro estaria sendo projetado com base na redução da defasagem no preço dos combustíveis, a partir de 2015 (o que também sugere um resultado modesto em 2014).

    (Claro que nenhuma empresa revela publicamente sua estratégia. A gente tem que aprender a ler nas entrelinhas).

    E claro que o especulador do mercado de capitais brasileiro vai forçar a barra, o quanto puder. Ele quer a redução da defasagem no preço dos combustíveis ainda em 2014.

    Pros urubus da oposição, isso seria o melhor dos mundos: elevaria o preço das ações e produziria um baita desgaste político-eleitoral pra Dilma.

    A jogada é tão óbvia, que espanta ainda existir idiota apostando nela…

    Com esse tipo de imbecil jogando o xadrez político pela oposição, tão cedo o PT não larga a rapadura…

    Putz!

  87. Elias said

    E, Chester,
    Meu caro Joaquim, não deves ter medo do “SE…”.

    O “SE…” é elemento indissociável de qualquer planejamento (empresarial, militar, político, financeiro, etc, etc, etc).

    Já deu pra perceber que não fizeste NPOR (te safaste, né seu sacana fujão?).

    Se tivesses feito, já saberias que os conceitos de planejamento estratégico, tático e operacional, hoje tão caros ao mundo empresarial, foram por este importados do meio militar.

    Militar só pensa em termos de planejamento. Vale dizer, em termos de “SE…”.

    Se fosses incumbido de planejar a leitura de uma Ordem do Dia, no Dia da Bandeira, p.ex., depois que planejasses em detalhes mínimos a solenidade no pátio do quartel, farias a ti mesmo a clássica pergunta: e SE chover? Aí prepararias um “plano B”, para entrar rapidamente em ação nessa hipótese. E novamente te perguntarias: e SE o equipamento de som pifar? Então…

    Quando mostrasses teu trabalho a quem de direito, este avaliaria: (a) a tua capacidade de organizar ações; (b) a tua capacidade de antever circunstâncias inesperadas, favoráveis ou adversas; (c) a tua capacidade de tirar partido das circunstâncias inesperadas favoráveis e de enfrentar com eficácia as adversas.

    Isso, num simples planejamento de solenidade para leitura da Ordem do Dia… Imagina pra coisas mais complexas.

    Num dado momento, por exemplo, poderias estar envolvido num “jogo de guerra”. É uma simulação de situação de combate, com todas as caracerísticas de acontecimentos reais.

    Num “jogo de guerra”, as situações incontroláveis são simuladas ao acaso. Antigamente elas eram definidas a partir de lances com dados ou com aqueles trecos pra sorteio de bingo. Hoje, essas definições são feitas com o uso de uma máquina chamada computadoire.

    São situações incontroláveis coisas como: “a embarcação que traria suprimentos pra tua tropa foi afundada”; “tais e tais pelotões foram destruídos ou aprisionados pelo inimigo”.

    Ou seja… é “e SE…” pra todos os lados e pra todos os gostos (infelizmente, quase sempre para os péssimos gostos).

    Mas é assim que as cabecinhas vão se habituando a pensaire, concluire, decidire e agire rapidamente, e com eficácia, nas circunstâncias mais absurdamente desesperadoras.

    Estás a entendeire, ó puto?

  88. Elias said

    Presta atenção no que escreveste, ó Joaquim:

    “Olha, faço parte de um grupo de pessoas que se especializa em descobrir ações com potencial de ganho a medio prazo (enquanto eu trabalho, outras pessoas pesquisam).”

    A análise do “potencial de ganho a médio prazo” (“médio prazo”? o que é isso?), é uma formulação prospectiva, pois não? É uma antevisão.

    E SE… Essa antevisão estiver incorreta, porque previu potencial de ganho, e deu perda de valor?

    E SE… Essa antevisão estiver incorreta, porque previu potencial de ganho MENOR que o efetivo?

    E SE… Essa antevisão estiver incorreta, porque previu potencial de ganho MAIOR que o efetivo?

    Mas, diz-me cá, ó puto…

    …Se estás a me propoire venda de acções a mim, é porque as tens, certo?

    Mas, como as tens, se tu mesmo disseste que as vendeste todas, há alguns anos, e nunca mais as compraste (desde que os petelhos assumiram o poder)?

    Estás feito computadoire lusitano, que não tem memória, e sim apenas uma vaga lembrança?

  89. Elias said

    A condenação do Dirceu vai acabar dando voto pro PT…

    O Barbosão já está se transformando no anti-cabo eleitoral da oposição…

    …E ainda vai ter que fugir pra Miami, em 2015.

  90. Elias said

    ERA SÓ O QUE FALTAVA!

    Do Ig Notícias de hoje:

    ================================================
    “A economia brasileira surpreendeu o mercado e cresceu 2,3% em 2013 frente ao ano anterior, totalizando R$ 4,84 trilhões. A divulgação do principal número da economia brasileira, o Produto Interno Bruto (PIB), que mede tudo o que foi produzido dentro do País, foi feita nesta manhã pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).”

    “Em 2013, o investimento cresceu 18,3%, resultado considerado positivo pelos observadores de mercado. A qualidade dos investimentos deve seguir no foco de atenção do governo.”

    “Precisamos continuar melhorarando a qualidade do crescimento por meio do aumento dos investimentos além do estímulo ao consumo”, comenta João Sicsú, ex-diretor de Políticas e Estudos Macroeconômicos do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea). Ele destaca que o investimento cresceu quase três vezes mais que o PIB em 2010, sinalizando o principal combustível para um avanço mais significativo da produção de riqueza do País.
    ==================================================

    A expressão “surpreendeu o mercado”, significa: “contrariou a expectativa negativa dos parasitas especuladores do mercado de capitais”, como os que “profetizaram” um crescimento de 1% pra China, em 2013 (e deu mais de 7%), e os que “projetaram” um portentoso prejuízo para a Petrobras no mesmo ano, e assim por diante, numa clara evidência de que são assessorados pelo astrólogo da Veja/FSP, que também “previu” a vitória fácil do Serra, em 2010..

    Como assim, crescimento do investimento de 18,3%, em 2013? Mas não seria uma recessão?

    Com a economia “surpreendendo o mercado”, e o astro da oposição, Barbosão, conseguindo desferir furiosos pontapés no próprio saco (esse cara é um fenômeno! um excesso da natureza!…), tenho a impressão que dona Dilma começa a tricotar sua estratágia eleitoral para 2014 com um discreto sorriso nos lábios…

  91. Chesterton said

    Vamos supor que o acionista principal, representado pelo governo diga para a empresa continuar se endividando, o que pode o gestor fazer?

    Nção , Elias, se você quiser comprar a 23 (como você diz que foi um bom negócio) eu vendo para você depois de comprar hoje a 13. Embolso 10. Como sou capitalista fico com o lucro da operação. Já você que não gosta de lucro fica contente por estar comprando patrimonio a um preço “justo”. (ai, ai, ai)

    Não fiz CPOR, pois estava alistado na aeronautica. Sou piloto desde os 16 anos de idade e aí me colocaram lá numa categoria que não sei mais qual é. Depois de formado me apresentei na junta e fui dispensado. Mas ensinam isto no NPOR, esse negócio de compar a 23 e ficar contente quando chega a 13?

    Se, se, se. Você especulou com PETR e sifudel, agora vem com esse papinho esquizóide.

  92. Chesterton said

    Pros urubus da oposição, isso seria o melhor dos mundos: elevaria o preço das ações e produziria um baita desgaste político-eleitoral pra Dilma.A jogada é tão óbvia, que espanta ainda existir idiota apostando nela…

    chest- mas você comprou apostando na alta.Você é idiota?

  93. Otto said

    IB de 2,3% é uma grande vitória sobre os urubus
    Enviado por Miguel do Rosário on 27/02/2014 – 12:20 pm 0 comentários
    A alta do PIB de 2,3% em 2013, conforme divulgado esta manhã pelo IBGE, corresponde a uma vitória especial para os que acreditam no Brasil. E mais do que acreditar: para os que trabalham duro para fazer deste país um lugar melhor.

    É uma alta modesta, mas muito relevante no cenário internacional. Entre os países que já divulgaram seu crescimento de 2013, é a terceira maior alta do mundo.

    No entanto, mais do que olhar para o lado, é o momento de olharmos para dentro de nós mesmos.

    Afinal, o Brasil já registrou, por exemplo, períodos de incrível crescimento, como no auge da ditadura. Mas a que preço? Ao preço do achatamento dos salários, aumento da miséria, piora na distribuição de renda e, sobretudo, sem democracia.

    Desta vez, escolhemos crescer com segurança social e democracia.

    Vamos os itens que fazem desses 2,3% maiores do que eles realmente são:

    1) Em primeiro lugar, o aumento do investimento em educação e saúde foi maior do que o PIB. Disso iremos falar depois. Ainda temos um longo caminho a percorrer antes de termos uma saúde pública decente, próxima ao que existe em países ricos da Europa, mas estamos cada vez mais acima do que há em outros países em desenvolvimento com nível similar de população.

    2) A China cresce muito, mas não tem previdência pública e, sobretudo, não tem democracia.

    3) A indústria se recuperou, modestamente, mas com ênfase no setor mais avançado: a indústria de transformação; e dentro desta, o sub-setor que mais agrega tecnologia, o de máquinas e equipamentos. Um setor essencial para este momento, porque complementar à infra-estrutura, e que registrou o maior crescimento de toda a cadeia industrial, foi o de produção e distribuição de eletricidade, gás e água.

    4) Na agropecuária, o cultivo que mais cresceu foi o de trigo, que não é o forte do Brasil, apesar do forte consumo nacional de pão. Isso tem uma importância especial.

    5) O investimento cresceu 6,3% em 2013, o que mostra a atenção do governo com a infra-estrutura nacional. Sempre é bom lembrar que, durante o pesadelo neoliberal (1995 a 2002), o Brasil não investiu quase nada, por exemplo, na expansão da nossa infra-estrutura energética.

    6) O Brasil tem hoje mais investimentos em mobilidade urbana, acontecendo ao mesmo tempo, do que jamais teve nas últimas décadas.

    7) Os programas sociais continuaram a ser expandidos. Os salários cresceram acima do PIB, reduzindo a disparidade entre capital e trabalho.

    8) Os tucanos comemoraram há pouco os 20 anos do Real. Só que omitiram, naturalmente, que o combate à inflação foi usado para vender a maior parte do patrimônio nacional, a dívida pública aumentou várias vezes, nos tornamos mais dependentes do FMI, o desemprego aumentou e houve uma brutal desindustrialização (o câmbio fixo foi uma facada nas costas do setor industrial).

    9) A dívida pública caiu substancialmente ao final de 2013, Nossas reservas internacionais jamais alcançaram um nível tão alto, que oferecesse tanta segurança à nossa economia. Estamos mais preparados que nunca para tempestades financeiras e ataques especulativos.

    10) Não é um dia bom para os vira-latas e coxinhas. Talvez seja o momento de lhes oferecer passagens com desconto para desestressarem algumas semanas na Ucrânia.

    Confiram os gráficos abaixo, que eu extraí da apresentação do IBGE (íntegra aqui).

    – See more at: http://www.ocafezinho.com/2014/02/27/pib-de-23-e-uma-grande-vitoria-sobre-os-urubus/#sthash.Jd1bI1A0.dpuf

  94. Chesterton said

    QUARTA-FEIRA, 26 DE FEVEREIRO DE 2014

    A Caixa Preta da Petrobras
    As ações da Petrobras não param de cair. Pergunta: dada a enorme queda no preço das ações da Petrobras, não seria de se esperar que investidores aproveitassem o momento e comprassem essas ações? Os preços das ações da Petrobras estão, em valores nominais, parecidos com os de julho de 2005!!!! Ontem a Petrobras anunciou um belo lucro, adivinhem o que ocorreu com o preço de suas ações? CAIU!!! Exatamente por que uma empresa anuncia um belo lucro e suas ações caem?

    As ações da Petrobras caíram por um motivo simples: o futuro da empresa é incerto. Anos de interferência política nas decisões da empresa estão cobrando seu preço. Hoje o mercado, isto é, a sociedade, simplesmente não confia na Petrobras o suficiente para colocar seu dinheiro nela.

    Existem vários motivos para a desconfiança do mercado. O mais óbvio e evidente deles é o endividamento da empresa. Dentro da fábrica encantada de truques contábeis do governo, a “genialidade” tentou dar aquele empurrão na maquiagem do lucro, na esperança de que isso convencesse o mercado. Infelizmente para o governo o truque foi percebido, claro que não notar o endividamento gigante da empresa (com alta espantosa nos últimos dois anos) não é tarefa fácil.

    Mas existem outros motivos não tão óbvios para desconfiar da Petrobras. Quando uma empresa dá de presente um patrocínio de R$ 650 mil para o MST, isso já mostra bem o cuidado que ela tem com seus recursos. Não vamos esquecer também que dentro dos “ativos” da Petrobras estão alguns bens de valor duvidoso, tal como a refinaria de Pasadena.

    Lembram-se do caso da Caixa Econômica Federal? Lembram-se como ela fez para aumentar seu lucro? Quem garante que a Petrobras não está a fazer as mesmas manobras? Mas as perguntas não param por ai: quais outros ativos duvidosos não estão dentro do balanço da Petrobras? Podemos realmente confiar na contabilidade da Petrobras? E, como fica a estratégia de reajuste dos combustíveis? A Petrobras vai poder finalmente reajustar o preço dos combustíveis? Se puder como serão esses reajustes? E como procederá a Petrobras em caso de desvalorizações do câmbio? Tais desvalorizações poderão ser repassadas ao preço dos combustíveis? E a manutenção das plataformas, estão realmente sendo feitas de maneira adequada? Ou será que andam protelando as manutenções em plataformas para evitar quedas na produção? E as plataformas feitas com exigências de componentes mínimos nacionais (acima do que ocorria antes), são realmente eficientes? Qual seu custo de manutenção? Qual o risco de algumas dessas plataformas apresentarem problemas? O recente problema envolvendo subornos de funcionários da companhia serão investigados ou vão ficar no limbo?

    São dúvidas demais para uma empresa que tem ações negociadas em bolsa… essa é uma verdadeira caixa preta da Petrobras… aliás, o que a CVM tem a dizer sobre isso?
    POSTADO POR ADOLFO SACHSIDA

  95. Otto said

    E então, coxinhas e urubus, de todos os países que já revelaram o PIB de 2013, o do Brasil foi 3º maior.

  96. Otto said

    Enquanto isso na maior “democracia” do mundo:

    Direito de voto continua sob ataque nos EUA

    http://blogs.estadao.com.br/claudia-trevisan/direito-de-voto-continua-sob-ataque-nos-eua/

  97. Chesterton said

    2% ao ano na media…..é, tá bom então.

  98. Chesterton said

    http://oglobo.globo.com/mundo/argentinos-saem-as-ruas-em-protesto-contra-cristina-kirchner-6684516

Faça seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: