políticAética

Notícias da Corrupção, Desvios, Anomalias, Eleições e Meio Ambiente

  • Sobre o blog

    Uma coletânea das notícias da corrupção, desvios, anomalias, eleições e meio ambiente que aparecem na mídia todos os dias a partir de agosto de 2008.
  • Categorias

  • Arquivos

  • Páginas

  • Meta

Eleições 2014: FHC e Lula disputam a copa da corrupção

Posted by Pax em 16/07/2014

Passada a Copa entramos em efetivo período eleitoral. Servida à mesa este ano a copa da corrupção, parece ser o tom dado pelos ex-presidentes FHC e Lula.

Um acusa o outro.

Os dois parecem ter razão, segundo vasto noticiário.

FHC diz que Lula promove baixarias e falsas acusações – Folha de São Paulo

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso publicou nesta terça (15) artigo em que acusa o ex-presidente Lula de promover “baixarias e falsas acusações”, ser “incapaz da autocrítica” e tentar “distrair a opinião pública jogando culpa nos outros”.

Citando o mensalão, FHC afirmou que “em nenhum momento Lula explicou de forma detalhada os acontecimentos que levaram ao maior escândalo de corrupção da história republicana”.

O tucano escreveu ainda que, quando viajou com o petista para a África do Sul (funeral do presidente Nelson Mandela, em dezembro), sugeriu a ele que “deveria virar esta página [do mensalão], já julgada pela suprema corte”.

“Mas não, Lula insiste em continuar distorcendo fatos para dizer que todos fizeram algo parecido. Eu não caio nessa cilada”, completou.

O texto foi publicado no site Observador Político, dirigido pelo ex-deputado Xico Graziano (PSDB-SP), atual chefe de gabinete de FHC em seu instituto. É uma resposta, com quase duas semanas de atraso, a uma fala de Lula em Curitiba no dia 3 de julho.

Durante um evento de campanha da senadora petista Gleisi Hoffmann, candidata a governadora do Paraná, Lula disse que FHC “desmantelou instrumentos de combate à corrupção” na época em que dirigia o país.

Na ocasião, o petista disse que a primeira iniciativa de FHC na Presidência foi extinguir “a comissão geral de investigação criada pelo governo anterior [Itamar Franco]”.

“Depois nomearam o engavetador-geral da República e engavetaram os casos Sivam, pasta rosa e a compra de votos, num total de 459 inquéritos criminais, quatro contra o próprio FHC”, acusou.

“Engavetador-geral” é a expressão que os petistas usam há anos para designar o ex-procurador-geral da República Geraldo Brindeiro, titular durante os anos FHC. (continua na Folha…)

Anúncios

191 Respostas to “Eleições 2014: FHC e Lula disputam a copa da corrupção”

  1. Pax said

    Antes que comecem o tiroteio onde todos terão razão ao dizer que o outro é mais corrupto …

    Essa aqui é de doer: Quem é o atual presidente da CBF.

    Leiam, vale muito a pena pra entender como funcionava a ditadura. Aliás, um legado da Copa que precisa ser desmontado o quanto antes.

    http://apublica.org/2013/02/qual-papel-chefao-futebol-brasileiro-assassinato-de-herzog/

  2. Guatambu said

    Agora que o NDB foi fundado, talvez daqui há 5 anos alguém resolva colocar Lula como presidente do banco!

    Piadinhas à parte, taí uma coisa interessante: a concorrência é a avó do desenvolvimento e a mãe da meritocracia. Achei a iniciativa do NDB muito boa, e por mais estatal que pareça, o NDB concorre com o FMI e com o BM.

    Parece que a esquerda está começando a entender o valor que a concorrência agrega!

  3. Patriarca da Paciência said

    Olha aí, caro Pax,

    sobre o assunto, esta aqui foi a melhor:

    “Durante sabatina, presidenciável do PSB, Eduardo Campos, colocou em pé de igualdade escândalos envolvendo os partidos de seus principais adversários nas urnas: “O que penso sobre o escândalo do mensalão é semelhante com o que eu acho e penso sobre, por exemplo, o escândalo da compra de votos no Congresso para a reeleição no governo Fernando Henrique Cardoso. Acho isso um horror”, afirmou; ele disse ainda que ‘foram momentos tristes do Parlamento brasileiro, que ninguém quer de volta na vida política do Brasil’
    (blog 247).

    Minha opinião é que o tal “mensalão” não deve ser esquecido mesmo. Foi uma trapalhada atrás da outra. Está mais que provado que o caso é mesmo de caixa 2, em relação ao PT. A Justiça tem que rever essa trapalhada e colocar as coisas nos seus devidos lugares. Barbosão perdeu uma grande oportunidade de se tornar uma grande exemplo para o Brasil e sai apenas como mais um arrivista, assim como o Fux. Apesar que o Fux ainda tem tempo para se redimir. Se as coisas tivessem sido julgadas dentro da sua devida realidade, tanto o PT, quanto os brasileiros em geral, digeririam a coisa naturalmente.

    Se foi compra de votos, o PSDB teria que ser penalizado duramente, bem antes do PT.

    Se o PSDB não recebeu qualquer punição, tampouco receberá, todos serão absolvidos por prescrição, porque cargas d’água o PT vai se conformar em ser bode expiatório?

    E eu concordo com o Guatambu. O fato mais importante dos últimos dias foi a criação do NDB. Realmente é algo novo e que terá grande influência a nível mundial.

  4. Chesterton said

    NDB= prejuizo para contribuintes brasileiros, escreve aí.

  5. Chesterton said

    http://veja.abril.com.br/noticia/brasil/explosivo-letal-encontrado-com-black-blocs-reforca-acusacao-de-quadrilha-armada

  6. Patriarca da Paciência said

    Muito boa essa. Dilma cria um programa com inspiração em Rodrigo Constantino – a Bolsa Macho.

    http://esquerdopata.blogspot.com.br/2014/07/dilma-cria-bolsa-para-atender.html

  7. Patriarca da Paciência said

    Minha impressão é que o tal Constantino, tal como os seus gurus, rola-bostas, “embiocou” de vez para a alienação.

  8. Chesterton said

    http://veja.abril.com.br/noticia/brasil/sem-teto-invadem-sede-da-operadora-tim-em-sao-paulo

    chest- será que o Pax esta aí?

  9. Chesterton said

    sem teto quer ipad de graça…onde foi que nós chegamos?

  10. Pedro said

    Falando em ipad de graça…….. Cadê os tablets a 100 reais do Mercadante?

  11. Pedro said

    Ok, retiro o que escrevi no comentário acima.

    Parece que vão vender tablets a 100 reais, pra quem assistir o próximo jogo, na Arena Amazonas:
    São Raimundo x Tarumã.

  12. Pedro said

    Pax # 01, como é que vamos melhorar o futebol brasileiro, com um homem deste naipe no comando?

    E ainda acusam o Romário de querer a presidência da CBF. Oras, tem mais é que querer mesmo. Que assuma e faça uma limpeza geral naquela entidade.

    Mete gol neles Romário.

  13. Chesterton said

    Putz…o legado da copa é um povo com miolo mole….

  14. Guatambu said

    Eu fico imaginando a Dilma tendo que explicar pra China a grana que ela tomou emprestada da entidade NDB e que sumiu no meio da ineficiência estatal brasileira.

    To achando que esse órgão sobe de instância o nível de corrupção. Perguntei e não obtive resposta: financiamentos por meio desses bancos estão sujeitos a que tipo de leis de auditoria, controle, licitação?

    Uma vez que o governo bota dinheiro lá, quem cuida é a instituição, que investe no que quer, como quer? Como é que saberemos que esse dinheiro não vai parar no bolso de políticos?

    Chesterton,

    Vc viu o link sobre a invasão do Cine Marrocos?

    Legal, né?

    Pedro,

    O que o governo vai vender baratinho para ajudar a Arena Pantanal e o Mané Garrincha? Iphones e Google Glass?

    Patriarca,

    O Constantino se superou! ahahahahaha

    O mimimi dele pegou mal demais, meu amigo gay comentou o seguinte: deixa eu encontrar com ele que eu resolvo o problema dele!

    ahahahahahhaha

  15. Chesterton said

    Gay, lésbica , pobre, sem terra, sem teto…tudo gente que se acha acima de qualquer crítica.

    Perdi o link do Cine Marrocos.

  16. Daise said

    PT – SEGUNDO TURNO = PANICO

    Na TV, Dilma terá bons roteiros
    16/07/2014 02h00
    As últimas falas da doutora Dilma, listando realizações num estilo que despreza o final das sentenças e o encadeamento dos raciocínios, indicam que, durante a propaganda gratuita de televisão, ela estará blindada.
    Conseguirá despejar uma enciclopédia de números capaz de mostrar os aspectos exitosos de sua administração. Na TV, essas informações serão arrumadas por João Santana e seus efeitos especiais, os 11min48s diários, contra 4min31s de Aécio Neves e 1min49s de Eduardo Campos, farão sensível diferença. Isso no primeiro turno.

    Se houver segundo turno, cada candidato terá o mesmo tempo. Pior: nele, o debate pesará muito mais, pois será um mano a mano, sem candidatos fazendo perguntas teatrais. Pior ainda: os dois principais adversários da doutora falam com clareza, enquanto ela se perde em estatísticas. Aécio Neves exagera nos adjetivos grandiloquentes. Eduardo Campos, nos adjetivos fáceis. Mesmo assim, fazem mais sentido que ela. Sempre vale lembrar que, na primeira campanha de Bill Clinton à Presidência dos Estados Unidos, o marqueteiro James Carville proibiu-o de pronunciar a palavra “infraestrutura”. Na campanha brasileira pode-se acrescentar que “centro da meta” pode ser a marca do pênalti.

    Até hoje, as propostas concretas de Aécio Neves e Eduardo Campos somam benignas platitudes. Aécio quer a “introdução de um novo conceito de cultura na política pública brasileira, com prioridade para uma visão integrada da ação cultural, abrangendo todas as instâncias governamentais e de estímulo a toda a produção cultural nacional, em todos os seus segmentos”.

    Campos quer passe livre em transportes públicos para todos os estudantes. Tudo bem. Passe livre para a garotada da Escola Britânica do Rio? Lá a mensalidade vai a cerca de R$ 4.500. Será que eles precisam? Se é o caso de se prometer gratuidades, por que não entregá-las só a quem pedir? Já a doutora oferece como novidade um Brasil sem burocracia. Logo ela, que tem 25 ministérios e 14 comissários com status de ministro. Ao contrário dos outros dois, a doutora tem o que mostrar, e o êxito da Copa lustrou-lhe a imagem de gerentona. (Registre-se o surgimento de uma piada macabra: um novo 7×1: 7 por cento de inflação e 1 por cento de crescimento. Pelo andar da carruagem, vem aí um 6×1.)

    Não se pode saber até que ponto as tensões registradas no comissariado da campanha derivam de maus números chegados ao Planalto ou da simples autofagia petista. A doutora já sofreu um processo de corrosão com o “Volta, Lula”, não precisa de outro.

    A temática oferecida pelas falas de Dilma sugere que sua campanha depende muito das obras e pompas do marqueteiro João Santana e de sua capacidade de administrar o capital do tempo na televisão. Essa tática poderá ser eficiente num primeiro turno. Depois, a eleição será outra.

    Pelas ansiedades que se percebem no comissariado, usando-se um verbo criado pela psicóloga Maria Regina Brandão, há o risco de o PT “panicar”, como panicou a turma da Granja Comary. Um PT “panicado” seria uma reedição da velha técnica de “partir pra cima”, radicalizando o que for possível radicalizar.

  17. Pax said

    Caro Chesterton, em #5 e #15: inacreditável…. que triste.

    Caro Pedro, em #12, cara, não é só futebol, é Justiça mesmo. A bandidagem é alta, merece cadeia. Nosso futebol? Demos sorte de passar pela fase de grupos. Reflexo de uma quadrilha que se apoderou. E não só de cartolas bandidos. Muito jogador hoje, estrelinha, só quer saber de fazer 5 a 10 minutos de futebol bonito, aparecer nas jogadas de efeito e o resto do tempo fica mesmo encostado.

    Quando não acontece isso, acontece diferente e ruim. Nem comentei aqui mas o David Luiz naquele 7 a 1 foi um desastre. O cara queria resolver tudo em campo, largou a defesa e partiu pra querer fazer de tudo. Deu no que deu. Boa parte do desmanche do time naquele jogo foi dele, sim.

    E o Júlio César, antes herói porque pegou 2 pênaltis nas quartas, tomou foi frango como daquelas padarias aos domingos, um monte, um em cima do outro.

    Triste.

    Tem nada com política, mas tá bem parecido.

  18. Pax said

    Oba, invadiram mesmo a TIM, a OI, a ANATEL e o escambau. Tava mais que na hora.

    Paulo Bernardo, nosso ministro das Comunicações? Trocado por estrume sai caro. Com estrume ainda se faz adubo. Com Paulo Bernardo só benefício pra terceiros, suspeitos benefícios.

    Se Dilma não quer mudar o Paulo Bernardo, pois bem, então que se mude…

  19. Daise said

    DILMA GOVERNO 7X1

    7% inflação X 1% PIB

    Paulo Bernardo >>>> a cara do governo dilma

  20. Guatambu said

    Um passo para o Big Brother?

    George Orwell deve estar se revirando…

    Tá explicado porque a copa foi um sucesso!

    O Google omitiu resultados de buscas com palavras negativas sobre a Copa do Mundo…

    Quem precisa de liberdade de expressão, se nós temos uma censura vinda do coração da internet?!

    http://www1.folha.uol.com.br/mercado/2014/07/1486547-google-omitiu-textos-humilhantes-sobre-7×1-do-brasil-na-copa-do-mundo.shtml

  21. Chesterton said

    Pax, e um post sobre o golpe por decreto presidencial?

  22. Pax said

    que golpe?

  23. Chesterton said

    decreto inconstitucional 8243, no meio da copa, tudo calculado. A sovietização do Brasil.

  24. Chesterton said

    http://liberzone.com.br/afinal-o-que-e-esse-tal-decreto-8243/

  25. Pax said

    caramba Chesterton, velho e rabugento, como você acredita nessas baboseiras do titio… vais acabar surtando.

  26. Chesterton said

    ele até que é bem bonzinho (eu sou catastrofista,.:, mais um prego na liberdade do indivíduo)

    O Congresso brasileiro ainda está vivo também para as virtudes. Essa é uma boa notícia. Avançou a resistência ao decreto bolivariano da presidente Dilma Rousseff, o 8.243, que institui a chamada Política Nacional de Participação Social (PNPS) e busca regular a atuação de conselhos populares na administração federal. Nesta terça, a Câmara dos Deputados aprovou o regime de urgência para o Decreto Legislativo (DL) que busca tornar sem efeito a medida presidencial. A partir de agora, havendo quórum, o DL pode ser votado, mas é possível que isso só aconteça depois do recesso branco de julho. Mais de dez partidos — e isso significa que muitos deles são da base aliada, como o PMDB — pressionaram para que se aprovasse o regime de urgência nesta terça. Só o PT e as legendas de esquerda defendem hoje aquela estrovenga.

    Vamos ver. Entre muitas, há três maneiras principais de entender o Decreto 8.243:
    a) a apocalíptico-barulhenta;
    b) a da Poliana distraída;
    c) a realista.

    A apocalíptico-barulhenta pretende que, uma vez em vigência, o decreto institui definitivamente o comunismo no Brasil, e nada mais se poderá fazer. Seria o golpe final das esquerdas na democracia representativa. Por intermédio dele, os esquerdistas tomariam conta da administração e ponto final. O passo seguinte seria, sei lá eu, o Armagedom ou a luta armada. É uma tolice. Aliás, os esquerdistas que defendem aquela porcaria vibram quando encontram um caricato desses pela frente porque não é difícil ridicularizar esse delírio.

    Há a leitura das Polianas distraídas. Essas insistem em afirmar que o decreto de Dilma, o que é verdade, não cria nenhum conselho novo. E daí? Só faltava, agora, o Executivo criar também os conselhos por iniciativa unipessoal da chefe do Executivo. Aí estaríamos numa monarquia absolutista. Esses distraídos também dizem que a participação popular está prevista na Constituição e que não há nada de errado nisso.

    E há a versão realista. O PT não vai instituir, obviamente, o comunismo no Brasil porque, pra começo de conversa, nem comunista é. Mas tem uma visão autoritária do poder e busca, desde que foi criado, tomar conta do estado brasileiro, um processo que, obviamente, está em curso. E, isso sim, não é difícil de demonstrar.

    O que o decreto de Dilma faz de estupidificante, em primeiro lugar, é definir o que é sociedade civil. Está lá no Inciso I do Artigo 2º: “I – sociedade civil – o cidadão, os coletivos, os movimentos sociais institucionalizados ou não institucionalizados, suas redes e suas organizações”. É evidente que o “indivíduo” não existiria nesse contexto. Como se daria a sua participação? Ele teria de, necessariamente, integrar um dos “coletivos” e “movimentos sociais institucionalizados ou não institucionalizados”, ou suas “redes e organizações”, se quisesse ser ouvido. Vale dizer: a chamada participação popular seria monopólio de militantes políticos. Um Congresso escolhido por 140 milhões de eleitores correria o risco de ser menos influente na definição de políticas públicas do que alguns poucos milhares de militantes.

    E quem é que vai comandar essa coisa? A Secretaria-Geral da Presidência — hoje, seria Gilberto Carvalho, aquele mesmo que tem conversado com índios, com os resultados conhecidos; com o MST, com os resultados conhecidos, e com os black blocs, com os resultados conhecidos.

    Ademais, já chamei a atenção para um aspecto especialmente preocupante do decreto de Dilma. Ele institui uma “justiça paralela” por intermédio da “mesa de diálogo”, assim definida no Inciso VI do Artigo 2º: “Mecanismo de debate e de negociação com a participação dos setores da sociedade civil e do governo diretamente envolvidos no intuito de prevenir, mediar e solucionar conflitos sociais”.

    Como a Soberana já definiu o que é sociedade civil, podemos esperar na composição dessa mesa o “indivíduo” e os movimentos “institucionalizados” e “não institucionalizados”. Se a sua propriedade for invadida por um “coletivo”, por exemplo, você poderá participar, apenas como uma das partes, de uma “mesa de negociação” com os invasores e com aqueles outros “entes”. Antes que o juiz restabeleça o seu direito, garantido em lei, será preciso formar a tal “mesa”…

    É o “comunismo”? Não! Mas se trata de uma óbvia agressão à propriedade privada. De resto, não cabe a Dilma Rousseff, por decreto, estabelecer os mecanismos da chamada democracia direta. Isso é tarefa do Congresso Nacional. A governanta está usurpando uma prerrogativa do Congresso. Não é o golpe final das esquerdas, mas é mais um golpe na democracia.

    Por Reinaldo Azevedo

  27. Chesterton said

    A péssima ideia do Banco e Fundo dos Brics
    Por Bernardo Santoro em 16/07/2014
    banco dos brics
    O grupo dos Brics (grupo de nações em desenvolvimento composto por Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul) estará reunido até hoje em Fortaleza para discutir, entre outros temas, a criação de um “Banco dos Brics”, que seria um banco de fomento para países e projetos do próprio Brics, com um aporte inicial de US$ 50 bilhões. Esses países sentiram a necessidade de criar tal banco devido a uma suposta falta de influência junto ao FMI e ao BIRD, entidades internacionais criadas a partir do tratado de Bretton Woods com a mesma finalidade do “Banco dos Brics”, mas para todas as nações.

    Essa ideia simplesmente não é boa. Esses países em desenvolvimento têm reclamado da falta de acesso a crédito internacional desde a crise de 2008, quando a reestruturação da economia mundial levou a um maior escrutínio no momento de se conceder um empréstimo a um tomador, seja ele um país ou um agente particular. E isso não é ruim.

    A maior parte dos problemas da crise de 2007/2008 se deu justamente pelo excesso de empréstimos concedidos sem as devidas garantias e sem o devido controle sobre quem estava tomando os recursos emprestados, o que criou uma imensa massa de tomadores de empréstimo sem capacidade de honrar os compromissos. No final das contas, a falta de critério levou a um prejuízo generalizado e à falta de poupança para empréstimos a pessoas que teriam condições de pagar. O “populismo creditício” pré-crise, de empréstimos para todos de qualquer jeito, e patrocinados por governos de todo o mundo, foi o principal causador da crise.

    O FMI e o BIRD aprenderam a duras penas o quanto o “populismo creditício” é ruim para toda a sociedade, incluindo bancos, poupadores e tomadores responsáveis de empréstimos. Uma política austera de concessão de empréstimos é boa para todos.

    A criação desse “Banco dos Brics”, nos termos em que tem sido ventilado, é uma tentativa de retorno ao “populismo creditício” internacional. Tal iniciativa, vindo da Presidente Dilma, não é de se estranhar, já que seu governo teve como uma das principais bandeiras o consumo como modelo de crescimento, sendo este consumo sustentado por taxas de juros artificialmente baixos em relação ao nível de poupança nacional. O resultado dessa política invariavelmente é a falta de poupança, falta de investimentos em inovação tecnológica e, por fim, falta de crescimento econômico de longo prazo. Esse “longo prazo” chegou aqui no país, e não é “Banco dos Brics” que vai ajudar nisso, pelo contrário, pois todo empréstimo, um dia, precisa ser quitado, e já não conseguimos quitar nossos empréstimos atuais.

    Não podemos deixar ainda de lembrar que, como bancos submetidos ao Acordo de Basileia, podem vir a conceder empréstimos muito acima da sua real condição de empréstimos. Um banco normalmente alavanca empréstimos em até nove vezes o valor do seu capital, ou que significa que esse banco poderia emprestar até 450 bilhões de dólares sem tê-los, exponenciando a farra creditícia.

    E pior ainda é o tal “Fundo dos Brics”, de 100 bilhões de dólares, garantido por China (41% do valor), Brasil (18%), Rússia (18%), Índia (18%) e África do Sul (5%) para países emergentes que tiverem “problemas no balanço de pagamentos”, o que é um eufemismo para irresponsabilidade fiscal. Na prática, se um governo gastar mais do que arrecada, o fundo concederá um empréstimo para bancar a farra de gasto público às custas dos governos e gerações futuras do povo do governo gastador. É um incentivo perene para a falta de austeridade com a coisa pública em um momento em que países do mundo todo apertam o cerco para tentar arrumar a gestão fiscal.

    A continuar assim, daqui a pouco vamos ter “Banco da ALCA”, “Banco do Mercosul”, e “Banco da OPLP”, bem como seus respectivos fundos, todos ávidos por conceder empréstimos em cima de poupanças inexistentes, destruindo a capacidade de investimento em prol de consumo imediato ou de projetos baseados em retornos políticos e não econômicos, incentivamento ainda mais o desmazelo com as contas públicas.

    Mas o que importa, se podemos sempre deixar a comissão certa com a pessoa certa?

    http://www.institutoliberal.org.br/blog/pessima-ideia-banco-e-fundo-dos-brics/

  28. Daise said

    O que mais assusta os petistas no que Reinaldo Azevedo escreve >>>> medo de concordar e ter que explicar pra patrulha por que. rsrsss

  29. Daise said

    Aécio : O remédio sou eu
    16/07/2014 18h57 Raquel Landim

    O senador Aécio Neves colheu aplausos da plateia reunida em sua sabatina no Teatro Folha ao responder uma saraivada de questionamentos dos jornalistas sobre a economia. Encurralado pela questão de como aumentaria o superávit primário (economia para pagar juros da dívida), se cortando gastos ou aumentando impostos, ele respondeu: “com crescimento”.

    A visão do candidato do PSDB é que ele será o remédio para todos os males. Aécio defendeu que uma vitória da oposição vai significar um resgaste da credibilidade da política econômica, melhorando a confiança de consumidores e empresas e gerando mais investimentos, que tirariam o país do buraco.

    Não resta dúvida de que o empresariado prefere tudo menos Dilma no ano que vem. Aécio apresentou o excelente Armínio Fraga, ex-presidente do Banco Central, como o fiador de sua política econômica e ganhou ainda mais pontos. Mas não existe almoço grátis.

    Todos os economistas sérios hoje sabem que o Brasil precisa de um ajuste, que não virá sem um custo. A economia brasileira está vivendo um equilíbrio perverso de crescimento baixo e inflação alta, que precisa ser revertido. E isso mesmo represando preços da gasolina e da energia elétrica.

    O país estagnou porque atingiu os limites de sua oferta depois de anos de estímulo à demanda. Traduzindo do economês: não conseguimos produzir mais, apesar dos consumidores ainda terem disposição para comprar. E isso ocorre porque a falta de mão de obra qualificada elevou os salários e reduziu a competitividade da indústria.

    O governo continua tentando estimular a demanda, mas isso se transforma apenas em inflação e mais importações. Sem um salto de produtividade da indústria, que teria que produzir mais com o mesmo número de trabalhadores, a economia não vai crescer. E isso não ocorre da noite para o dia.

    A outra maneira de fazer o ajuste é elevar o desemprego, o que diminuiria a inflação e reduziria os custos das empresas. Mas, obviamente, ninguém deseja mais desemprego e um candidato à Presidência jamais poderia incluir essa meta em seu plano de governo. Mas também não está certo esconder das pessoas de que vai demorar para corrigir o rumo.

    Com medo de ser acusado pelo PT de ser o candidato das “medidas impopulares”, Aécio adotou o mesmo discurso do governo e está prometendo o impossível. Seria melhor se todos tratassem o eleitor com mais respeito.
    ———-

    É claro que até os pascácios petistas já entenderam que o ajuste vai ser dolorido. Como uma ressaca infernal após anos de cachaça de má qualidade. Com Dilma ou não.
    Mas eles continuam sonhando com uma Copa que nunca acaba…um carnaval de mentiras ufanistas para “apaxcentar” os bovinos circunstantes.

    Mas o mundo mudou e lula obsolesceu!

  30. Pax said

    Projeto de uma amiga em SP, Lucia França Pinto. Bem legal.

    Ok, ela é petista, sim.

  31. Guatambu said

    Pax,

    Até o Ricardo Kotscho é contra esse tal de conselho popular

    http://noticias.r7.com/blogs/ricardo-kotscho/

  32. Pax said

    Caro Guatambu,

    1 – participação popular, na minha opinião, é bom a priori. Já relatei aqui a participação da sociedade civil na Área de Preservação Permanente onde moro e funciona muito bem, sim senhor.

    2 – se Dilma fez de forma errada são outros quinhentos e não distoa de muita coisa que fez e que faz o PT, muitas das vezes um trapalhão danado, outras corrupto mesmo (o PT, nunca achei Dilma nenhum símbolo de corrupção).

    3 – o Congresso não legisla. E aí nossas instituições ficam dando as varadas que vemos. O Judiciário e o Executivo ficam metendo o bedelho.

    4 – foi uma promessa de Dilma durante a crise e as revoltas de junho do ano passado. E foram promessas feitas no afobadilho, super mal elaboradas e pior ainda, mal encaminhadas.

    5 – os histéricos da oposição estão sempre à caça de alguma coisa que lhes seja “projeto de (des)governo exatamente pela falta de um projeto de governo que seja minimamente bom e convença que precisamos mudar. Em outras palavras, as mais fáceis, a oposição não tem nada a oferecer. Eu ainda não vi. Quem tem alguma coisa diferente e está colocando à mesa, hoje, do que tenho visto, é o PSOL. Não quer dizer que terá meu voto, quer dizer o que quer dizer, é quem está apresentando propostas de reforma tributária, casamento homoafetivo, descriminalização da maconha, reforma eleitoral etc. Os outros ficam nesse rame-rame idiotizado.

    6 – nem sempre concordo com o Kotscho. Acho ele um dos melhores jornalistas político em atividade. Só este post reforça meu ponto. Ele não tem o menor pudor de criticar o que não gosta. Tem vezes que defende o governo em pontos que discordo. Mas nada disso impede minha interpretação que é um dos caras que merece ser lido. De forma alguma.

    E nada dos itens acima tira ou me convence que participação popular é bom, sim.

  33. Patriarca da Paciência said

    “Em vez de enviar um projeto de lei para ser discutido e votado no Congresso Nacional, Dilma optou por baixar um decreto para instituir a participação de “integrantes da sociedade civil” em todos os órgãos da administração federal, sem explicitar como esses representantes serão escolhidos e como funcionaria essa nova instância de poder, destinada a “consolidar a participação social como método de governo”.
    (do link acima).

    Eu venho defendendo, aqui no blog do Pax, faz um bom tempinho, uma ideia bem semelhante.

    Creio que esse alarido todo, pelo PIG e pela direitona, não passa de paranóia dessas pessoas que vivem enxergando comunistas debaixo da cama.

    Eu entendo, assim como o Elias e grande parte da sociedade brasileira, que nada muda por decreto. As coisas só “pegam” mesmo quando há uma ampla aceitação popular.

    No Brasil já existem várias entidades fortes e bem organizadas, como OAB, CRM, CRC, ou seja, quase todos os profissionais tem os seus conselhos de representação. Também as Igrejas, as indústrias , o comércio, os educandários etc.etc.etc.

    Então, seria ótimo que essas associações nomeassem algumas pessoas, realmente de notório saber e reputação ilibada, para serem uma espécie de auditoria permanente e voluntária do executivo, tanto a nível municipal, como estadual e federal.

    Eles não teriam poder para punir ou julgar. Apenas apresentariam relatórios que seriam examinados pelo Parlamento e julgados pelo Judiciário.

    Sinceramente, acho um ótima ideia.

    Quanto a consultas populares sobre criação de leis que afetarão todas as pessoas, já é prática mais que consagrada em todos os países desenvolvidos.

  34. Guatambu said

    Países desenvolvidos como a Venezuela, como a Bolívia…

  35. Pax said

    Caro Guatambu,

    De novo, quer que conte em detalhes a participação popular que vivo ao vivo aqui?

    Uma coisa é o conceito, outra é a implementação cara.

    Que maravilha, o governo tucano é bom mesmo… vi em diversos sites mas fui buscar num que até o Chesterton não consegue duvidar, o folhetim da oposição:

    http://veja.abril.com.br/noticia/brasil/liminar-barra-uma-das-acoes-contra-cartel-em-sao-paulo

    Nada como desmontar o Cartel dos Trens e Metrô de SP com uma canetada de um juiz, né não. Assim fica fácil.

    Só não conseguiram prender São Pedro, mas não demora. Com a falta d’água já já o cara vai preso.

  36. Patriarca da Paciência said

    “Países desenvolvidos como a Venezuela, como a Bolívia…”

    Como Estados Unidos, em todas as eleições, os norte-americanos fazem consultas populares sobre uma assunto de interesse social.

  37. Guatambu said

    Pax,

    De baixo pra cima.

    6-

    Leio o Kotscho porque ele é um ótimo termômetro de 2 métricas:

    1. Ele dá uma noção do que passa na cabeça dos eleitores menos fanáticos do PT.
    2. Ele dá uma pálida ideia do quanto a liderança do PT está alinhada, e claramente, não está.

    Mas não dá pra considerar o texto dele bom, por mais que ele tenha 300 anos de jornalismo.

    Como diz um amigo meu: “quantos taxistas que você conhece que trabalham há 30 anos e não sabem dirigir?”

    Prova disso é que ele mistura as estações: nesse texto a maior crítica dele ao projeto de lei, não é o fato de o projeto de lei ser ruim, mas o fato de atrapalhar a agenda eleitoral da candidata dele!

    É, no mínimo, ridículo e no máximo uma queixa pessoal, mas de maneira nenhuma isso pode ser chamado de análise política.

    Mas tudo bem, até aí, cada um faz o que quer, lê o que quer, acha o que quer.

    Não é pq vc lê o Kotscho que eu te respeito menos!

    5-

    Esses dias eu estava comparando as propostas do Eduardo Campos, da Dilma e do Aécio Neves.

    As conclusões a que cheguei foram:

    1. Ninguém está dizendo quais são as prioridades, e sabemos: quando tudo é prioridade, nada é prioridade.
    2. Ninguém está dizendo o que precisa ser dito: o como fazer. Ideias sobram.
    3. Todos se posicionaram em relação aos temas: casamento gay, legalização de maconha, aborto, etc. Dizem: a legislação atual está boa, como se eles acreditassem exatamente no que está lá.

    Se eles querem assumir um papel de liderança da sociedade, para mim, eles teriam que ter coragem de dar as notícias ruins:

    – explicar que fazer a economia brasileira se mexer vai ser difícil
    – apontar onde ele vai ter que mexer em benefícios sociais
    – ou falar da eficiência do Estado

    Com relação a isso temos algumas coisas minimamente positivas:

    – o Eduardo Campos diz que o Estado deve ser mais eficiente, e ele sugere algumas ações, como a profissionalização de entidades como essa que vc ama: a ANATEL.
    – o Aécio Neves diz que não quer se eleger para ser popular, o que eu acho bom. Não adianta ser amado e destruir o país. Mas ele não explica como é que ele vai fazer isso… sendo que ele diz também manter muitos programas sociais do PT.
    – A Dilma está em uma situação complicada, e dando tiros no pé: ela diz que agora é hora da eficiência do Estado. Mas poxa vida, o PT gastou 12 anos aparelhando o Estado e agora passou a reconhecer a ineficiência do que criou? A Dilma não pode dizer que a economia brasileira está boa… especialmente no período dela, e se limita a culpar o mundo (e quem sabe os astros). Mas tem como trunfo milhares de programas sociais, quem se beneficia deles, dificilmente estará prestando atenção em casamento homoessexual, aborto, economia e outras coisas supérfluas.

    Eu não vi a proposta do PSOL, mas não voto no PSOL pelo mesmo motivo em que não tenho simpatia pelo PT. Eu não sou mulher de malandro, para aceitar a gestão de que alguém que aplauda o discurso da Marilena Chauí de repúdio à classe média paulistana, e que usa a palavra “elite” para qualquer problema. Sou contra generalizações, inclusive essas.

    Além do que, votar no PSOL, para mim seria o mesmo que desperdiçar o voto.

    Como sou a favor da mudança de mãos no poder, eu votarei no Eduardo Campos ou no Aécio, aquele que conseguir tirar o PT de lá.

    4;3 e 2-

    O afobamento e o pseudo-planejamento é a característica mais marcante da Dilma no poder: tanto para as medidas sociais, como para as medidas econômicas.

    Só o Elias e alguns economistas conseguem enxergar lógica no que a Dilma fez… eu não consigo, então não dou crédito para isso.

    1-

    Você pode fazer uma associação, se quiser, e pleitear agendas de reuniões com políticos para discutir ideias e cobrar outras. Sim, como sempre, sou totalmente a favor da iniciativa particular em se discutir a agenda política.

    Agora, confundir o que é público com Estado e estatizar o que deveria ser de interesse particular para mim não parece fazer sentido.

    Incentivar participação política pública por decreto, em minha opinião, faz tão mal quanto fazer com que o voto seja obrigatório.

  38. Chesterton said

    Sem comentários.

    Psicóloga da Seleção Brasileira: Regina Brandão é psicóloga, com pós-graduação em Psicologia do Esporte pelo Instituto Superior de Cultura Física de Havana – Cuba

  39. Chesterton said

    Governo tucfano é bom? Onde? O problema é que vocês pensavam que o governo do PT era bom até provarem.

  40. Chesterton said

    Esses conselhos não incentivam a participação popular coisa alguma, são meros instrumentos de controle da população (leia-se indivíduo) por supostas representações diretas. Além de serem inconstitucionais, de pretenderem ter poder acima do legislativo e do judiciário.

  41. Chesterton said

    http://www1.folha.uol.com.br/poder/2014/07/1487092-mulher-de-franklin-recebeu-r-12-mi-da-uniao-em-2013.shtml

  42. Chesterton said

    Junte esse decreto com a criação do Banco do Prejuizo e Gastança Global e teremos , na opinião de Sergio Malbergier isto: ]

    ” Os Brics são a ponta de lança do redivivo terceiro mundismo global.A eloquente Carta de Fortaleza que reuniu os entendimentos da cupula do bloco nesta semana no Brasil tem como substância principal o desejo de incomoda r a ordem ocidental baseada na economia de mercado e democracia”

    http://www1.folha.uol.com.br/colunas/sergiomalbergier/2014/07/1487131-tijolada-no-ocidente.shtml

    chest- como incomoda a essa gente a democracia…..

  43. Pax said

    Vergonhosa essa notícia do Franklin Martins. Esse PT cara PMDB nem se incomoda. Faz na cara dura. E o cara faz parte da campanha de Dilma.

    Caramba.

  44. Guatambu said

    Pax,

    Pelo jeito a Polícia está fazendo um trabalho adequado em relação ao MTST

    http://noticias.uol.com.br/ultimas-noticias/agencia-estado/2014/07/17/mtst-consegue-acordo-em-sp-e-deixa-construtora.htm

  45. Daise said

    Caramba.

    Algum dia a ficha vai cair….Dilma é éticamente corrupta.
    Só cego não vê ou finge que não vê!
    Nesse governo do PT a cada dia aparece uma sacanagem e diuma nunca sabe.
    Incompetenta e cercada por raposas petistas.

    Ladrões !!!

  46. Daise said

    PT: COM O DINHEIRO SURRUPIADO DO POVO

    Depois de garantir acesso privilegiado ao governo para integrantes de movimentos sociais, o Palácio do Planalto planeja criar um fundo para bancar os conselhos populares em órgãos da administração pública criados pelo decreto bolivariano assinado pela presidente Dilma Rousseff em maio. E o fará, novamente, por meio de uma canetada, como indicou na quarta-feira o ministro-chefe da Secretaria-Geral da Presidência, Gilberto Carvalho, czar dos movimentos sociais no Planalto.

    “Estamos trabalhando na ideia de um Fundo Financeiro da Participação Social. Vamos fazer também por decreto, a presidente Dilma pode fazer isso”, afirmou Carvalho, durante reunião com integrantes do Conselho Nacional de Saúde (CNS), em Brasília.

    Leia também:
    Para juristas, decreto de Dilma coloca o país na rota do bolivarianismo
    O lado eleitoreiro do decreto bolivariano de Dilma

    Na terça-feira, a Câmara dos Deputados aprovou pedido de urgência para votar uma proposta que pode derrubar o decreto bolivariano de Dilma. Dessa maneira, o texto ganha prioridade e pode ser votado em plenário desde que haja quórum mínimo de 257 deputados, o que não deverá ocorrer até agosto já que a Casa iniciou férias não oficiais. Carvalho cobrou dos representantes da CNS um posicionamento público a favor do decreto – e os instou a mobilizarem-se contra a derrubada do texto pelos parlamentares. “É provável que no dia 5 de agosto volte à pauta o debate do decreto no Congresso Nacional. Queria deixar a vocês o desafio de uma ação, porque o governo sozinho não vai conseguir segurar isso. Fica esse desafio para que vocês pensem em forma de mobilização”, afirmou. Presente à reunião, o ministro da Saúde, Arthur Chioro, também cobrou um posicionamento público a favor do decreto por parte do CNS.

    O apelo se dá porque o governo, segundo o próprio Carvalho, só providenciará a nova canetada se a primeira não for derrubada pela Câmara. “Isso vai depender, naturalmente, do destino do decreto no Parlamento. Temos agora que esperar um pouco. Fundamentalmente, o fundo custearia passagens e infraestrutura mínima”, afirmou o ministro. Após o encontro com representantes do CNS, Carvalho não deu detalhes sobre a finalidade do novo fundo – como, por exemplo, de que forma seria financiado.

    O decreto de Dilma instituiu a participação de “integrantes da sociedade civil” em todos os órgãos da administração pública e, feita numa canetada, representa um assombroso ataque à democracia representativa. O texto ataca um dos pilares da democracia brasileira, a igualdade dos cidadãos, ao privilegiar grupos alinhados ao governo. O decreto do Palácio do Planalto é explícito ao justificar sua finalidade: “consolidar a participação social como método de governo”. Um dos artigos quer estabelecer, em linhas perigosas, o que é a sociedade civil: “I – sociedade civil – o cidadão, os coletivos, os movimentos sociais institucionalizados ou não institucionalizados, suas redes e suas organizações”. Ou seja, segundo o texto de Dilma, os movimentos sociais – historicamente controlados e manipulados pelo PT – são a representação da sociedade civil no Estado Democrático de Direito.

    Na terça-feira, diante da ameaça de derrota, PT e PCdoB entraram em obstrução e conseguiram barrar a votação esvaziando o plenário. O pedido de urgência passou com 294 votos a favor e 54 contrários. Houve três abstenções. Foi uma das poucas votações da Câmara desde o começo de junho, quando os deputados deixaram Brasília e teve início a Copa do Mundo. A Medida Provisória 641, que altera a lei de comercialização da energia elétrica, tranca a pauta, mas não impede a votação do Projeto de Decreto Legislativo contra o texto de Dilma. Para pautá-lo, é necessário retirar a MP da pauta ou invertê-la, o que depende de vontade política da Casa.

    (Com Estadão Conteúdo)
    ….

    Essa corja de ladrões petistas tem que ser apeada do poder em Outubro.
    Imagine mais 4 anos de sacanagem contra o povo.

    caramba 2

  47. Chesterton said

    http://otambosi.blogspot.com.br/2014/07/ditador-cubano-na-granja-do-torto-isto.html

    chest- esse é o objetivo de Dilma.

  48. Daise said

    LULINHA PAZ E AMOR: A HERANÇA MALDITA

  49. Chesterton said

    O editorial do GLOBO de hoje faz um bom resumo da novela da Oi, antiga Telemar, que vem sendo destruída após inúmeros equívocos, muitos por conta do velho sonho petista de resgatar a estatal Telebras, criando uma “supertele” nacional. Para o jornal, “é preciso reconhecer que o grupo telefônico carrega uma história intrincada, em que se misturam aventureirismo, sonhos estatistas e megalomania nacionalista”. Seguem alguns trechos:

    Na gestão Lula, com o desembarque de estatistas em Brasília e o fortalecimento do braço sindical petista, a CUT, nos bilionários fundos de pensão de empresas públicas, fortaleceu-se o sonho de uma nova “Telebrás”. Desta vez, materializada numa “supertele” em que capitais privados, estatais e paraestatais constituiriam poderosa empresa para fazer frente às teles estrangeiras. O projeto de que resultou a Oi, o nome atual da reformada Telemar, tem origem nas mesmas cabeças que desenvolveram a ideia da criação dos “campeões nacionais” em berçários sustentados pelo contribuinte no BNDES.

    Alterada a regulação para permitir à Telemar absorver a Brasil Telecom, a privatizada Tele Centro Sul, a “supertele” ganhou musculatura. Até para se expandir pela América do Sul e África, pensava-se.

    […]

    A trajetória do projeto da supertele é típica do que acontece quando a “mão visível” do Estado atua sem se preocupar com o mercado, apenas movida a interesses políticos e ideológicos.

    A privatização da Telebras no governo FHC foi extremamente positiva para o país, especialmente para os consumidores mais pobres. Hoje o serviço se universalizou de tal forma que há bem mais telefones celulares do que habitantes no Brasil, e mesmo os “sem-teto” invadem operadoras para protestar por melhores serviços. Fosse na época da Telebras, essa turma nem sonharia em ter um telefone!

    Mas o PT, misturando esquerdismo com nacionalismo, quis reunir os pedaços para reconstruir a Telebras, ou parte dela, nas mãos de grandes grupos privados em união com fundos de pensão, sob forte influência do próprio governo. Capitalismo de estado na veia, aquilo que os liberais sempre condenaram e que serve apenas para impedir a livre concorrência e desviar recursos dos pobres para os ricos.

    O BNDES entrou em campo com tudo, emprestando bilhões e mais bilhões para o grupo. Até lei teve de ser mudada para permitir a fusão com a Brasil Telecom. No processo, Lulinha, filho do ex-presidente Lula, ficou milionário, vendendo sua empresa de tecnologia para a Telemar, ele que era um biólogo e simples monitor em um zoológico. A dívida da Oi disparou, como podemos ver:

    A empresa, praticamente sem dívida líquida em 2010 (após a fusão com a Brasil Telecom, que tinha muito caixa), hoje possui quase R$ 35 bilhões de endividamento, mesmo descontando o que há em caixa. Como a geração de caixa não acompanhou o ritmo do crescimento da dívida, o resultado foi a contínua perda de seu valor de mercado:

    A empresa foi dizimada em bolsa. É a triste saga de um projeto ambicioso demais, nacionalista ao extremo, demasiadamente simbiótico com o estado. Trata-se da antítese daquilo que os liberais pregam, que é deixar o mercado funcionar mais livremente, sem tantas amarras estatais, sem tanta intervenção de cima para baixo.

    Eike Batista, JBS, Oi, Petrobras: quantos casos mais serão necessários para a esquerda finalmente entender que não cabe ao estado ser empresário ou privilegiar grupo empresarial algum?

    Roberto Carlos

  50. Daise said

    PASCÁCIOS DE LUTO EM SP

    Tem metrô, tem trem e tem água (pouca) mas tem ….
    e 56% de Alckmim no 1o. turno.
    Padilha, digo Quadrilha já era.
    Deve vir a ser Ministro da Casa Civil do Presidente Elias do Pará!
    rssss

  51. Daise said

    DILMA LIDERA PESQUISA DATAFOLHA COM VIÉS DE BAIXA!

    Contimua a vaia 35% de rejeição

    Os pascácios já começam a temer pelo pior…rsrsrss

  52. Patriarca da Paciência said

    O outro lado do PIG. O PIG está no maior alvoroço espalhando que o avião foi abatido pelos “rebeldes” da Ucrânia. Aquela apresentadora da telejornal Globo da manhã, Ana Não Sei das Quantas, fica toda alvoroçada “esclarecendo” detalhes do “atentado terrorista”. Mas… ao que tudo indica, a coisa deve ser bem ao contrário do que o PIG propaga:

    Do Russia Today:

    “O avião da Malaysian Airlines MH17 estava viajando quase no mesmo caminho que o jato do presidente da Rússia, Vladimir Putin, pouco antes do acidente que matou 295, segundo a agência de notícias Interfax News.

    “Eu posso dizer que o avião de Putin e da Malásia Boeing cruzaram no mesmo ponto e na mesma altura: de 10.100 metros. O jato presidencial estava lá às 16:21, horário de Moscou e a aeronave Malásia , às 15:44, horário de Moscou “, disse uma fonte à agência de notícias sob condição de anonimato.

    “Os contornos das aeronaves são semelhantes, as dimensões lineares são também muito semelhantes, como a cor, e a uma distância bastante remota são quase idênticos”,

  53. Patriarca da Paciência said

    Além do que, o PIG está dando um verdadeiro tiro no pé – quasse todos os armamentos das forças armadas ucranianas devem ser de fabricação russa.

  54. Guatambu said

    Pax,

    Conselhos populares: o governo quer financiar.

    E aí?

    Para mim isso é estatização do que deveria ser privado.

    http://www.folhapolitica.org/2014/07/governo-quer-criar-fundo-para-financiar.html

  55. Guatambu said

    Patriarca,

    Mas qual é o problema de isso ter sido um erro de alvo?

    Não é uma possibilidade?

    Pelo que me consta, o Putin não é o cara mais popular do mundo lá por aquelas bandas…

  56. Guatambu said

    Putz..

    http://eleicoes.uol.com.br/2014/noticias/2014/07/17/de-esquerda-e-com-r-740-milhoes-conheca-o-candidato-mais-rico-do-brasil.htm

    Nem sei o que dizer! hahahahha

    Não sei se é piada, se é karma, o que é!

    Mas eu acho engraçado demais, me lembra amigos de esquerda filhos de milionários que estudaram na FAAP, no Mackenzie, na ESPM aqui em SP.

    O coração deles é tão bom, tão bom, que eles fundam ONGs, daquelas que o Elias detesta.

  57. Patriarca da Paciência said

    “Mas qual é o problema de isso ter sido um erro de alvo?”

    O problema, caro Guatambu, é que o nosso PIG está deixando de lado uma hipótese bem mais concreta e, martelando em cima de uma hipótese bem mais remota, , justamente porque essa é a “verdade” que interessa ao PIG.

    É um triste retrato da nossa “grande” imprensa.

  58. Guatambu said

    Patriarca,

    Qual a hipótese mais concreta?

  59. Patriarca da Paciência said

    Um atentado contra o Putin e não que o avião foi “abatido” pelos “rebeldes” da Ucrânia, a mando da Rússia.

  60. Elias said

    E aí vai uma proposta SÉRIA de solução possível.

    Do Luíz Flávio Gomes, a quem eu respeito pacas, publicada n`O Globo:

    ==================================
    RIO – E se nenhum político pudesse se reeleger no Brasil? A ideia já tem aprovação de pelo menos 5,5 mil pessoas na página no Facebook do movimento “Fim do Político Profissional”. Para Luiz Flávio Gomes, professor, jurista, ex-promotor e idealizador dessa ideia, a possibilidade de se reeleger é um caminho para corrupção e só a pressão da sociedade pode tornar a ideia em uma lei de iniciativa popular, assim como aconteceu com a Lei da Ficha Limpa, em 2010. (Obs. do Elias: o Luiz Flávio Gomes é ex-JUIZ — assim mesmo, com maiúsculas — e não ex-promotor).

    [ Página oficial do movimento: http://www.fimdopoliticoprofissional.com.br ]

    O que é o movimento “Fim do Político Profissional”?

    É um movimento, antes de tudo, de indignação. O que pretendemos é limitar as reeleições dos políticos e que, desta forma, eles não fiquem se reelegendo eternamente, como é o caso do José Sarney. A reeleição cria a necessidade da corrupção porque reeleger-se custa muito caro. A iniciativa também é contra a perpetuação da corrupção por meio das famílias dos políticos. Afinal, ainda que um político não se reeleja, ele pode perpetuar os esquemas de corrupção por meio dos familiares.

    De que maneira estas ideias podem virar realidade?

    Por meio de uma iniciativa popular, como o foi o caso da Ficha Limpa. Agora, precisamos somar energias e, por isso estamos buscando movimentos com iniciativas parecidas, que querem limitar os mandatos políticos e exigir que os políticos continuem exercendo suas profissões originais. Um político não pode deixar a profissão em que atua. Se ele é médico, deve continuar atuando como médico, se é advogado, deve continuar atuando como advogado e etc. Ele não deve se perpetuar como político, porque esta deve ser uma ocupação cívica passageira.

    Mantendo a profissão, o político não estaria se dedicando menos ao serviço público?

    Hoje em dia, não é preciso estar lá em Brasília sempre. Você pode trabalhar e opinar por internet, a tramitação dos projetos é toda digital. Manter a profissão é importante porque o político não pode perder a conexão com a vida das pessoas e deve lembrar que a política é sempre passageira, só quem permanece são os funcionários burocratas do Estado. O político deve atuar dando uma contribuição temporária, é um serviço público e querermos cortar as mordomias, privilégios.

    De que maneira a Lei da Ficha Limpa serviu de inspiração para esta iniciativa?

    A Lei da Ficha Limpa foi um exemplo fantástico de democracia direta no Brasil. Demorou cerca de três a quatro anos, foi difícil, mas conseguiram tornar a ideia em uma realidade. Todo mundo dizia que seria impossível, mas no final os políticos acabaram aprovando a lei por pressão da sociedade. Se não nos envolvermos, o Brasil não muda.

    Quais são os próximos passos?

    Vamos delinear o projeto nos próximos 60 dias com as entidades com quem já estamos nos comunicando. Depois, vamos precisar criar uma massa de apoio muito forte, porque são necessárias um milhão de assinaturas para criar uma lei de iniciativa popular como esta. Além disto, toda reforma política tem que ser aprovada um ano antes das eleições, então temos até outubro de 2015 para lutar, se quisermos ver esta lei valer nas eleições de 2016.
    ===================================

    Isso sim, é um puta passo na direção de uma reforma política séria e honesta. Que, por isso mesmo, jamais poderia ser feita a partir de iniciativa de políticos.

  61. Chesterton said

    1. alguem lançou um missil contra o avião
    2. anteriormente rebeldes pró-russia abateram 3 avões ucranianos

    logo……

    http://abcnews.go.com/International/story?id=80485

  62. Patriarca da Paciência said

    Guatambu,

    vou escrever melhor a minha frase, realmente “hipótese concreta” não existe, é só força de expressão.

    Mas que pode ser um atentado contra Putin, é uma hipótese bem mais robusta, com muito mais substância.

  63. Chesterton said

    Os comunistas não são brincadeira, acusam logo os outros de fazer aquilo que fizeram.

  64. Guatambu said

    Elias,

    Muito bom, concordo!

  65. Pedro said

    Googlias #60, Vc acredita mesmo, que uma proposta desta se torne lei?

    Eu assino embaixo, mas tenho dúvidas que se consiga aprovar.

  66. Chesterton said

    Todos no mesmo bote de fibra óptica’, de Fernando Gabeira

    Publicado no Estadão desta sexta-feira

    FERNANDO GABEIRA

    Na Copa das Confederações torcemos para o Taiti. Mesmo quando perdia de 10 a 0, ainda vibrávamos com as raras oportunidades de um gol de honra. O Taiti não é aqui. É um país do surfe de ondas gigantes, com suas águas azuis e a temível Praia de Teahupoo, conhecida como Quebra Crânio. Já o Brasil é, ou era, o país do futebol. Gastamos R$ 40 bilhões para sediar a Copa do Mundo e fomos os únicos a perder de 7 a 1.

    A presidente Dilma declarou no Paraná que o Exército usaria, para resgatar as vítimas do temporal, um bote de fibra óptica. No início fiquei em dúvida. Tinha visto na TV um programa sobre como o GPS orienta a agricultura americana, aumentando sua produtividade e traçando com rigor a trajetória ideal dos tratores. Será que haviam inventado um bote de fibra óptica para explorar as riquezas do mar, quem sabe até do pré-sal? Mas o bote de fibra óptica não existe nem será inventado. Ele é, para mim, o sinônimo de uma canoa furada em que todos navegamos no momento.

    Dilma também chamou de urubu quem não acreditava nas maravilhas da Copa. Caiu um pequeno viaduto, mas isso não é problema, porque não havia ninguém do governo embaixo dele no instante da queda. Já escrevi sobre ser chamado de urubu pela artilharia eletrônica petista. Urubu é o símbolo da torcida do Flamengo. É o preto da camisa rubro-negra, cores do Íbis, o pior time do mundo, ou da Alemanha, que nos serviu o chocolate da Copa das Copas, portanto, o chocolate dos chocolates.

    Não sei o que a presidente tem contra os urubus. Tom Jobim amava-os e discorria longamente sobre a elegância de seu voo, nas mesas do Degrau, no Leblon da sua época. Fez uma linda melodia para traduzir em sons a beleza de seus movimentos. Não creio que seja pela cor, porque esse tipo de preconceito, teoricamente, o PT não tem. Ou porque come bichos mortos, algo que a maioria da humanidade faz. Pode-se dizer em defesa dos seres humanos que não comem um animal cru. Mas isso era antes da chegada dos restaurantes japoneses, de vez que os bifes tártaros eram exclusividade de uma minoria.

    Dilma estava rígida na final da Copa. Nem se levantou para aplaudir o gol da Alemanha. E quem não aplaudiu aquele gol de Götze ou não gosta de futebol ou é argentino, pois os hermanos sentiram ali que perdiam o título. Compreendo esse medo, já que estamos no mesmo bote de fibra óptica, na mesma canoa furada. Durante os primeiros dias após os 7 a 1 fiquei com medo de abrir as gavetas e encontrar mais um gol da Alemanha. Se Dilma deixasse sua cadeira, poderiam encontrar mais um gol da Alemanha embaixo dela.

    Continuo defendendo o direito ao delírio e, claro, as opiniões. Lula disse na África do Sul que os outros países viriam disputar o segundo lugar, porque a Copa era nossa. Parreira disse que estávamos com a mão na taça. Felipão elogiou o próprio trabalho e o da geração tóis, que se define com um movimento de braços que faz um T, o mesmo com que Dilma posou na internet quando as coisas iam bem. A geração tóis, que se descreve com os braços, na verdade, deu uma banana para os que esperavam, ao menos, a garra dos argelinos.

    Livre do furor patriótico, estimulado pelo governo e por grandes empresas envolvidas, é possível agora pensar com calma.

    Como encarar com otimismo uma seleção que toma a família como modelo? Nada contra a família, respeito a opinião do herói da torcida, David Luiz: sexo só depois do casamento. Mas a família não é a forma adequada para desenvolver um trabalho desse tipo. Entre crises de choro e rezas, os jogadores se desmanchavam. E os psicólogos diziam que era o peso de tanta expectativa nacional. Somos o único país do mundo onde torcida a favor é vista como um fator negativo.

    A torcida foi ótima. Não podia ser a mesma do Taiti, porque levamos o Brasil a sério no quesito futebol. Os inúmeros canais de TV nos puseram, nos últimos anos, em contato com o futebol de quase todo o mundo. Campeonatos espanhol, inglês, alemão. Era possível ver uma evolução maior que a brasileira. Mas isso era uma evidência para os que gostam e acompanham o futebol, embora muitos cronistas se tenham deixado levar pela emoção patriótica.

    A cúpula do futebol está apodrecida. Talvez venha agora uma mudança, já que o foco está na análise da catastrófica participação brasileira na Copa. Mas quantas coisas não estão decadentes no Brasil e ainda estão camufladas? A indústria está em decadência e seu movimento para baixo ainda não desperta o interesse nacional. A política está decadente, num nível de putrefação que os franceses definem como faisandé, o qual repugna até meu estômago de urubu.

    Somos um povo alegre e comunicativo. Mas isso não supera uma lacuna em nossa educação: um esmagador número de monoglotas. Em 2008 tentei transformar isso num grande tema político. Avançamos muito pouco desde então e não há sinais de termos tomado consciência dessa fragilidade. Seria injusto com o marxismo atribuir a indiferença ao inglês a uma resistência ideológica. Os chineses não pensam assim e tratam de dar passos mais largos.

    Sei que é difícil apontar essas lacunas. No Brasil vivemos num mundo tão extraordinário que temos de imitar o célebre urubu de Stanislaw Ponte Preta e voar de costas. Sobrevoar um país onde os jornais diziam que o zagueiro Dante iria ser um trunfo porque, jogando no Bayern, conhece os alemães. E nem uma vivalma para lembrar as fortíssimas evidências de que os alemães podiam também conhecer Dante.

    Nos morros do Rio, estimulados por traficantes, alguns moradores chamam os adversários de alemães. Está na hora de nos abrirmos um pouco para algumas qualidades dos alemães.

    Podemos ser um país melhor. Antes teremos de perder esse espírito de fodões de que com tóis ninguém pode, vem quente que estou fervendo. Ele favorece os apagões, nas semifinais da Copa ou na noite de núpcias. Foi-se o tempo em que pensávamos que os alemães eram limitados porque eram apenas organizados e bem treinados. São tudo isso e têm talento. É a única combinação que leva à vitória ou, ao menos, a uma derrota honrosa.

  67. Patriarca da Paciência said

    Post 56,

    Guatambu,

    Um jornalista perguntou a José Saramago, escritor português ganhador do Prêmio Nobel, como ele poderia ser comunista depois do fracasso da União Soviética e da queda do Muro de Berlin.

    A resposta:
    ´
    – É que eu sou um comunista hormonal.

    O jornalista fica estupefato.

    – Mas o que vez ser um comunista hormonal ?

    Nova resposta:

    Não existem hormônios que fazem as pessoas crescerem, crescer os pelos, mudar a voz dos meninos quando ficam adolescentes etc.? Pois então, eu tenho um hormônio que me faz ser comunista.

    Aliás, grande parte dos maiores representantes da esquerda brasileira são de boa situação financeira, visto que são profissionais bem sucedidos, tais como o foram como Jorge Amado, Oscar Niemeyer, Darcy Ribeiro etc.etc.etc.,

  68. Guatambu said

    Pois é, Patriarca,

    Esse cara não tem nada de bem sucedido… ele é bem nascido.

    Tão somente isso.

    Mas eu acho isso muito interessante, principalmente vindo de você: ele é mais claro estereótipo da elite branca brasileira, cujo pai fez sua fortuna no regime militar, cujas empresas sempre estiverem amarradas até as tripas com esquemas de corrupção.

    Mas ele é de esquerda, então ele “tá perdoado”.

    Tá bom Patriarca!

  69. Elias said

    Guatambu,

    I
    Que fique bem claro: não sou contra as ONGs. Sou contra as ONGs que usam dinheiro público.

    Tenho o maior respeito por ONGs como o Instituto Iochpe, o Ethos, etc., assim como pelo trabalho da família Mindlin, dentre vários outros.

    Agora, dinheiro público em ONGs? Não! Nem pensar!

    II
    O Cecílio Rego Almeida tentou grilar quase 5 milhões de hectares de terras no Pará, onde ele nasceu. Era uma área maior que certos países da Europa, como a Holanda. Luxemburgo e outros.

    A família Rego Almeida deve ter parentesco com minhoca: vai gostar de terra assim na asterisca que os asteriquiu!

    O MPF qualificou a vigarice como sendo a maior grilagem do planeta. Acabou não dando certo pro Cecílio Minhoca (não estou dizendo que ele era grileiro; logo, não estou cometendo nenhum crime paraense…). Não ganhou as terras e ainda perdeu o dinheiro que gastou, tentando emplacar a vigarice…

    Mas ele ganhou um lance. Foi contra o jornalista Lúcio Flávio Pinto, que, em seu “Jornal Pessoal”, chamou Cecílio Minhoca de grileiro.

    Cecílio processou Lúcio Flávio, e ganhou a parada. Lúcio Flávio foi condenado. A Justiça paraense decidiu que, no Pará, é crime dizer que grileiro é grileiro. Danos morais! Aí condenou Lúcio Flávio Pinto a pagar uma indenização ao Cecílio Minhoca .

    Lúcio Flávio decidiu não recorrer da sentença, a fim de que ela fique perpetuada como um exemplo da esculhambação que é o Judiciário paraense. Mas claro que ele não tinha o dinheiro pra pagar a indenização. Foi feita uma campanha pela internet; o dinheiro foi arrecadado e a indenização paga.

    Eu sugeri que a indenização fosse paga totalmente em moedas de R$ 0,01, a mais baixa do país. Infelizmente não foi possível. Assim como também não foi possível fazer o pagamento da indenização num ato público.

    De qualquer maneira, taí a coisa tal qual aconteceu (fazendo minhas as palavras de Batista Campos: paca é paca, boi é boi / o caso eu conto como o caso foi).

  70. Zbigniew said

    Numa região conflagrada como aquela, especialmente quando pende sobre a cabeça da OTAN, USA e europeus a m… feita e que resultou num pepino de US$ 45 bilhões pra socorrer um país falido e comandado por um fantoche com um bocado de fascistas nos calcanhares é de se perguntar por que ainda se admite que companhias usem o espaço aéreo ucraniano como rota comercial.

    Aliás, a m… foi tão grande que a Criméia, que era um dos objetivos da OTAN, ficou de graça para a Rússia, que, até então, pagava alguns milhões por ano de aluguel para usar a base militar ali encravada há décadas.

    Aí começam as informações forçadas de ambas as partes: de que as agências de inteligência estadunindenses creditam a um míssil a derrubada do avião malaio; de que agências ucranianas interceptaram o twitter de um líder rebelde se vangloriando de ter derrubado um avião de caça ucraniano; de que tais rebeldes teriam baterias de lançadores SAM/buk (observando que o governo ucraniano também possui tais baterias); de que o objetivo era abater o avião do Putin (como se, num erro primaríssimo, fosse utilizar o espaço aéreo de um país informalmente em guerra com o seu), e por aí vai.

    Na guerra, seja fria, seja quente, a verdade é a que menos se quer porque os objetivos já são bem claros e estão na destruição pura e simples do outro. Não dá para aceitar que as partes envolvidas (Ucrânia pró-ocidente, rebeldes pró-Rússia) sejam admitidas como fontes fidedignas do que realmente aconteceu.

    Por isso que é imprescindível que entidades independentes (se isso é possível) investiguem a causa do sinistro e que os culpados sejam penalizados de alguma forma. Vidas inocentes foram perdidas de forma estúpida.

    O que se deve esclarecer é o porquê de um avião que dias antes havia feito uma rota diferente para o mesmo destino, tenha utilizado o espaço ucraniano neste caso. De quem, neste caso, apertou o gatilho que provocou a queda do avião. Ao que parece uma sucessão de erros que podem ir de um caça ucraniano até um aloprado rebelde sem qualificação técnica para operar efetivamente uma estação de SAMs/buk sem correr o risco de acertar o alvo errado.

  71. Elias said

    Pedro,
    Claro que não sei se a iniciativa do Luiz Flávio Gomes emplaca ou não.

    Mas insisto em bater na mesma tecla: a luta contra a corrupção só terá êxito se for travada pela sociedade.

    Nenhum partido político fará isso. No máximo, o que os partidos políticos fazem é substituir o ladrão inimigo pelo ladrão amigo. Muda o cantor, mas não a música.

    Pra mim, os elementos essenciais da reforma política são: (a) voto distrital; (b) fim da reeleição; (c) extinção do Senado Federal, complementando as medidas iniciadas no século passado, quando foram extintos os senados estaduais; (d) mandato de seis anos.

    São quatro medidas simples, mas que modificariam totalmente a fisionomia do processo político brasileiro (o voto distrital, p.ex., tornaria secundário e lateral o debate sobre financiamento de campanha). Se essas quatro medidas fossem aprovadas, até mesmo coisas como as cláusulas de barreira e as listas partidárias (puras ou mistas), poderiam ficar para depois…

  72. Patriarca da Paciência said

    “Mas eu acho isso muito interessante, principalmente vindo de você: ele é mais claro estereótipo da elite branca brasileira, cujo pai fez sua fortuna no regime militar, cujas empresas sempre estiverem amarradas até as tripas com esquemas de corrupção.”

    Guatambu,

    justamente aí é que está o grande erro da direita, ou seja, achar que apenas as pessoas em péssima situação financeira são de esquerda e que ser de esquerda é “apenas inveja dos bem nascidos, ou dos bem sucedidos”, como o Chesterton já escreveu várias vezes..

    Aliás, pessoas de esquerda costumam ser bem sucedidas profissionalmente, em qualquer lugar. Um que está entre maiores escritores franceses, Victor Hugo, sempre foi de esquerda e todos os seus livros são de esquerda.

    Eu, pessoalmente, nunca tive nada contra os “bem nascidos”. Como diz o Lula, eu quero mais é que todas as pessoas possam ser “bem nascidas”, assim o mundo se tornará bem melhor.

  73. Patriarca da Paciência said

    Elias,

    sinceramente, eu acho que a hipótese de nenhum político ter o direito de se reeleger não tem a mínima chance de vingar.

    Cargos executivos, tudo bem, mas políticos em geral não dá.

    Político se forma na lide diária, o cara consegue ser vereador, se reelege, depois tenta deputado estadual, federal, etc.

    Se político não tiver como seguir carreira, ficaremos todos nas mãos de tecnocratas, o que seria péssimo. Tecnocratas não tem o menor jeito para lidar com pessoas. o Serra é um exemplo.

  74. Guatambu said

    Patriarca,

    Então explique-me melhor, quem raios é a elite branca de que você fala?

    Os famigerados coxinhas?

  75. Elias said

    Num país como o Brasil, onde os partidos políticos são frágeis, a reeleição praticamente ferra com a possibilidade de que essas instituições se fortaleçam.

    A reeleição beneficia um político forte, mas fragiliza ainda mais o partido frágil.

    No Brasil, o PSDB só usufruiu das vantagens da reeleição, enquanto FHC foi um político forte. Nos últimos 12 anos, o PT tira proveito da reeleição por causa do carisma de Lula e do enfraquecimento do PSDB por este não dispor de uma liderança à altura.

    Em 2010, Dilma venceu sem grandes dificuldades não apenas porque teve o apoio do Lula, mas também — e muito! — porque Serra NÃO teve o apoio de Aécio & Cia. Se houvesse apoiado o Serra e este fosse eleito, Aécio não poderia ser candidato em 2014. No mínimo, ele teria que adiar suas pretensões para 2018. Isso protegeu o projeto político de Aécio, mas ferrou com o PSDB.

    E fica assim, o mais importante processo eleitoral do país, boiando feito m… n´água, ao sabor da conveniência pessoal de tal ou qual político.

    O resultado é o que se vê: de acordo com as pesquisas, a rejeição a Dilma bate quase que pau a pau com as intenções de voto que ela hoje tem. Mas a soma dos dois oponentes não consegue nem mesmo igualar — quanto mais superar… — essas intenções de voto situacionistas.

    Do ponto de vista da estratégia eleitoral, isso parece significar que a tática do “quanto pior, melhor” já deu o que tinha de dar, e nada — ou quase nada — aproveitou para a oposição, já que esta não conseguiu transformar em aceitação dela mesma a rejeição à Dilma. Para Dilma, isso em tese facilita a campanha eleitoral, porque a oposição é fraca. Ela pode se concentrar nos aspectos que concorrem para a rejeição. Na prática, isso significa que qualquer trabalho bem feito de comunicação social do governo pode beneficiar a campanha de Dilma, sem que possa ser considerado crime eleitoral. E a oposição pode acabar ajudando, mesmo sem querer, claro: se o governo conseguir turbinar uma apreciação positiva de si mesmo, quanto mais a oposição vincular Dilma ao governo, mais esta conquistará votos (a exemplo do que aconteceu em 2010).

    Do ponto de vista institucional trata-se de algo simplesmente terrível, porque crava mais algumas dúzias de pregos nos caixões dos dois únicos partidos políticos verdadeiros que o Brasil conseguiu criar e manter, em mais de 500 anos de história.

    Como é impossível se fazer democracia sem partido político…

  76. Patriarca da Paciência said

    “Então explique-me melhor, quem raios é a elite branca de que você fala?”

    Caro Guatambu,

    acho que você está cometendo um novo equívoco. Desafio você a mostrar um só comentário onde eu cito “elite branca”.

    Às vezes eu escrevo algum comentário citando “elite” como naquele caso do empresário que formou conluio com os ingleses para logar impostos no Reino Unido e formar caixa 2 no Brasil.

    Empresários que trabalham honestamente, pagam seus impostos e tratam bem os seus funcionários, são pessoas que merecem todo o respeito do mundo.

  77. Patriarca da Paciência said

    Correção:

    Às vezes eu escrevo algum comentário citando “elite”, como naquele caso do empresário que praticou conluio com os ingleses para sonegar impostos no Reino Unido e formar caixa 2 no Brasil.

  78. Pax said

    Boa essa proposta do Lúcio Flávio Gomes… que o caro Elias trouxe. Quando não está resmungando o caro Elias tá pensando, logo, é ótimo quando não resmunga.

    Mas… tem que passar pelo Congresso… aí phoddeu.

    Deu saudades isso aqui:

    Esse papo que foi um atentado contra o Putin é um atentado contra minha inteligência?

    Minha proposta para acabar com o trucidamento, moagem de carne em Gaza:

    Israel devolve um bocado das terras surrupiadas dos palestinos (hoje quase 2 milhões vivem num espaço como da Barra da Tijuca – pra quem conhece), um bocado considerável, em troca de nenhum míssil errante seja disparado depois.

    1 – se os malucos do Hamas dispararem mísseis, que paguem por isso, e Israel toma de volta as terras. Re-invade.

    2 – se os malucos de Israel tomarem 1 cm mais de terra pra assentamento de seus malucos, que Israel fique do tamanho das terras definidas em 1948, ou seja, perdem muito mais.

    Aí ficam os malucos dos dois lados se odiando mas com acordo de nenhum jogar pedra no telhado do outro, como sempre aconselhou o Amos Oz.

  79. Elias said

    Patriarca,
    O fim da reeleição não implicaria, necessariamente, o fim da política como atividade cívica. Implicaria, apenas, o fim da política como meio de vida.

    Encerrado o mandato de vereador, o indivíduo poderia, mais à frente, se candidatar a deputado estadual; depois, a federal (cujas bancadas necessariamente estariam sendo renovadas a cada eleição).

    Sabendo que não lhe será possível se reeleger, ele se esforçaria pra produzir o máximo em cada mandato (essa circunstância significaria muito, se levarmos em conta o voto distrital e o mandato de 6 anos…).

    De qualquer modo, é um bom tema pra debate. Uma batelada de amigos meus também é favorável ao fim da reeleição apenas para cargos executivos, mas defende a limitação da reeleição para os cargos parlamentares. Tem quem defenda dois mandatos; outros preferem três.

    Com o mandato de 6 anos, três mandatos totalizariam 18 anos. É tempo pra caramba!

    Pessoalmente sou totalmente contra a reeleição para qualquer cargo, e a favor do mandato de 6 anos.

    No limite da transigência, num plebiscito eu votaria a favor de uma reeleição apenas para cargos parlamentares, desde que o mandato fosse de 6 anos (para cargos executivos e parlamentares); o Senado Federal fosse extinto; a proporcionalidade fosse alterada (reduzindo de um terço as câmaras municipais, as assembleias legislativas e a Câmara Federal); e fosse adotado o voto distrital.

  80. Chesterton said

    Realmente hoje o Elias está chutando a bola ( e não a grama).

  81. Guatambu said

    O Elias ta mais tranquilo que pernilongo chupando sangue de aleijado pô!!

    A Dilma continua se reelegendo!

  82. Pax said

    O Chesterton elogiando o Elias e tem gente que não apóia a união homoafetiva?

    =)

  83. Pedro said

    Googlias # 71, assino embaixo também.

  84. Guatambu said

    Pax,

    Minha resposta a Israel e ao Hammas: deixem eles brigarem até a morte ou a conciliação.

    O negócio chegou num ponto em que não existe mais certo e errado…. e pra piorar, quanto mais países de fora dão pitaco, pior a coisa fica.

    Eu ignoraria totalmente a região: dane-se.

    Quer se matar, se mata, quer conciliar, concilia.

  85. Guatambu said

    Patriarca,

    Ou seja: elite branca tem o significado que vc quer na hora que lhe convém.

  86. Pedro said

    Pois é Pax, e eu pensando que o Googlias tava de namorada nova.
    Pelo que vc nos conta, acho que os dois estão se divertindo com a pica de aço do mestre de obras. :-)

  87. Pax said

    Caro Guatambu,

    Se você fosse raquítico maluco e morasse ao lado de gigantes malucos que a cada dia mudam a cerca tirando um pedaço de tuas terras e aí você jogasse pedras neles cada vez maiores e eles viessem pra cima de ti para linchar até a morte, provavelmente você gostaria de chamar a polícia…

    Caro Pedro,

    Pois é… a tal coisa de aço do mestre de obras ergue coisas belas, né não?

    =)

  88. Chesterton said

    86, estáish me eshtranahndo? Me inclui fora desta!

  89. Guatambu said

    Pax,

    Isso existe no Brasil: chama MST e MTST.

    A justiça (polícia da tua história), não faz nada, e quando faz, chama isso de uso de força.

    A reação natural é a que todo mundo conhece, resultando no que o Patriarca chama de elite branca.

  90. Pax said

    hum…. caro Guatambu, estás forçando a barra um bocado.

    Procura um mestre de obras.

    =)

  91. Chesterton said

    Se você fosse raquítico maluco e morasse ao lado de gigantes malucos que a cada dia mudam a cerca tirando um pedaço de tuas terras e aí você jogasse pedras neles cada vez maiores e eles viessem pra cima de ti para linchar até a morte, provavelmente você gostaria de chamar a polícia…

    chest- mentira pouca é bobagem, Israel é o único país que ao ser invadido rechaçou os invasores, poderia ter tomado até as capitais de 3 ou 4 vizinhos…mas devolveu.

  92. Chesterton said

    Aliás, quem toma terra dos outros é China (Tibet) e Russia (Ucrania).

  93. Pax said

    mentira caro Chesterton?

    Ou seja, não houve nenhum assentamento e nenhuma terra palestina foi invadida? Israel mantém o mesmo território definido em 1948?

    É, meu mestre de obras mentiu pra mim, aquele safado sem vergonha…

  94. Chesterton said

    Assim como os judeus perderam tudo que tinham, propriedade, etc, ao serem corridos de vários países árabes, os árabes prderam muita coisa ao perder a guerra que iniciaram para a eliminação genocidade de Israel e dos judeus. É do jogo. A diferença é que Israel indeniza os perdedores enquanto os judeus expulsos de países árabes saem com as calças e aa camisa se tiverem sorte.

  95. Chesterton said

    genocidade = genocida

  96. Pax said

    Não estou negando a História passada. Mas não fecho os olhos pra História recente…

    Perderam? Sim. Foram expulsos de tudo que é canto? Sim. Foram trucidados pelo nazismo? Sim. Tudo é História.

    Mas o que rola esses anos com os palestinos também é História. O que rola esses dias também.

    E isso não quer dizer que se nega que tem um bando de malucos por lá mandando foguete errante pra todo lado. Também acho super errado. Só que não sei se eu morasse em Gaza, supondo que não fosse um doente, se não viria a ficar…

    Enfim, é um imbroglio danado, um enrosco sem fim.

    Por essas e outras que leio e gosto do Amos Oz. Em síntese o cara diz que a situação é como a de dois vizinhos que se odeiam. Mas que precisam de um mínimo de inteligência pra um não provocar o outro e não acabar em tiroteio de vizinhança.

    Fácil falar. Difícil fazer.

  97. Pax said

    Vai fazer falta…

    http://cultura.estadao.com.br/noticias/literatura,ultima-cronica-de-joao-ubaldo-o-correto-uso-do-papel-higienico,1530629

  98. Chesterton said

    Imagine que eu vá lá pros lados de seu sítio e começasse a jogar foguetes na sua casa dia e noite, anos a fio. Você chama a policia e ela diz: se vira. O que voce faria?

  99. Pax said

    Não é bem assim, né Chesterton, velho e bom Chesterton ?

    Enviada do meu iPhone

    >

  100. Daise said

    LULA VENDENDO ÓLEO DE COBRA NA PRAÇA DA SÉ!

  101. Chesterton said

    é bem pior , Pax.

  102. Daise said

    SÃO PAULO É ANTI PT

    Rejeição à gestão Haddad passa de 36% para 47%, aponta Datafolha
    NATÁLIA CANCIAN

    18/07/2014 19h25
    Após um ano e seis meses de mandato, o prefeito de São Paulo, Fernando Haddad (PT), atingiu o pior índice de reprovação já registrado desde o início da sua gestão.

    Pesquisa Datafolha realizada nesta semana mostra que a insatisfação com a administração de Haddad passou de 36% para 47% entre junho e julho deste ano.

    Até então, a pior avaliação negativa havia sido registrada após os protestos de junho de 2013, quando 40% dos entrevistados consideravam a administração municipal ruim ou péssima.

    Agora, o índice de reprovação voltou a crescer. Segundo a pesquisa, o governo Haddad é considerado bom ou ótimo por 15% dos entrevistados –percentual próximo ao registrado nos três levantamentos anteriores, quando 17% tinham avaliação positiva sobre o prefeito.

    Já o índice dos que consideram a avaliação regular diminuiu de 44% para 37%. A taxa dos que não souberam responder é de 2%.

    O Datafolha ouviu 1.047 pessoas entre 15 e 16 de julho. A margem de erro é de três pontos percentuais, para mais ou para menos.

    REPROVAÇÃO

    A pesquisa aponta que a avaliação negativa de Haddad cresceu entre entrevistados de diferentes idades, níveis de renda e escolaridade.

    A reprovação cresceu, por exemplo, entre os mais ricos (de 34% para 53%), homens (de 35% para 50%) e entre aqueles que têm renda familiar mensal de dois a cinco salários mínimos (de 34 para 49%).

    Haddad também alcançou a terceira pior avaliação negativa em relação a outros prefeitos com o mesmo tempo no cargo. O índice fica atrás apenas dos registrados por Jânio Quadros (66%) e Celso Pitta (54%).

    Em queda, a nota média da administração também atingiu seu valor mais baixo –de 4,8 em junho, passou a 4,1 neste mês.

    A pesquisa foi registrada no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) com o número: SP-00010/2014

  103. Chesterton said

  104. Daise said

    Dilma abre as portas da Granja do Torto para ditador cubano e diz que crítica é preconceito

    Chesterton

    Conheça a Rose:

    http://www.sabervencer.com.br/

  105. Chesterton said

    Se alguém tem preconceito com Cuba, não misture o preconceito com essas relações que são relações diplomáticas de alto nível.
    Presidente Dilma Rousseff, sobre as críticas pela hospedagem de Raúl Castro na Granja do Torto.

    chest- pois é, não é preconceito, é precedente.

  106. Pax said

    “Nunca vi tanto dinheiro…”.

    Operação Lava Jato continua.

    Refinaria Abreu e Lima tem fantasmas pra todo lado. Mas não é só lá.

    http://agenciabrasil.ebc.com.br/geral/noticia/2014-07/nunca-vi-tanto-dinheiro-diz-procurador-sobre-investigacoes-da-lava-jato

    Por mais que a oposição seja essa fraqueza raquítica a situação deixa rastros e mais rastros. Mesmo que a oposição também tenha os seus, de Eduardo Azeredo aos trens e metrô, um caminhão, não fica difícil bater na situação.

    Ainda mais quando o próprio PT não quer mudar o rumo e com a mídia parecendo o exército de Israel, bombardeando na cabeça.

    Enfim, que se explodam, como quer o nosso amigo Guatambu.

    Pelas últimas pesquisas a possibilidade de um segundo turno se torna cada vez mais possível. E aí vai ser aquele “barata voa”…

    A Operação Lava Jato, pode-se especular, deve acabar como a CPI do Cachoeira. Como tinha envolvimento de gregos e troianos, petistas e tucanos, chegaram num acordo de um ficar de costas pro outro para ambos não mostrarem suas bundas imundas.

    E deu em nada.

    A Lava Jato é uma dinheirama sem fim, papo de R$ 10 bilhões. Caramba, os caras estão cada vez mais gulosos.

    E o Estado cada vez mais inoperante, áreas e mais áreas deixam de funcionar. Os transportes nas mãos do PR do Valdemar, imaginem só o que é isso? Nem imaginem muito que você pode ser capaz de se revoltar e jogar seu carro na próxima cabine de pedágio de uma rodovia federal. E aí você acha que a oposição é mais limpinha mas esquece que a CPI dos pedágios paulistas nunca sai, a roubalheira dos trens e metrô é cartel, sabe como é… e a Justiça enterra.

    O Brasil continuará nessa toada. Um país com a 7a, 8a, 6a, sei lá, tudo varia, economia do mundo e a dinheirama nas mãos dos velhos e novos coronéis.

    Amém.

    Se teve uma coisa que gostei foi a invasão das teles pelos movimentos das ruas.

    Tem gente que diz, nem me lembro mais onde li e gostei, que brigamos por etapas. A primeira foi pela democracia, a segunda pela redução das desigualdades e a terceira seria pela qualidade dos serviços que o Estado deve retornar ao cidadão. Essa invasão das teles vai ao encontro dessa terceira onda, nessa tese. Quero mais, muito mais. Tem os planos de saúde, tem as estradas, tem um bocado de área pra reclamar com todo direito.

    Só que as ondas passadas não acabaram não.

    Agora protestar dá cadeia, daqui uns dias, continuar nessa toada, mais de dois conversando vai dar cadeia, formação de quadrilha. Ou seja, lá vamos nós, de novo, brigar por democracia.

    E nessa toada, mesmo que um caminhão não passando mais fome mas com essa concentração de renda absurda, lá vamos nós de novo brigando contra desigualdades.

    E assim caminha a humanidade chamada “Viva o Povo Brasileiro”.

    Bom fim de semana que não vai faltar mentira e baixaria em nossos facebooks, blogs, twitters etc.

    Hoje em dia pra eu reproduzir um link gasto maior tempo, vejo a fonte, vejo se tem em outro lugar, procuro a notícia associada com o verbete “hoax” e mesmo assim muitas das vezes, mesmo verificando tudo isso, desconfio e não reproduzo.

    Mas tem um monte de “autor” compartilhando lixo e mais lixo e achando que suas credibilidades um dia não valerão menos que centavos.

    Cada um com seu cada qual.

    (acreditem, se quiserem… tava no Rio falando com meu irmão e ele me perguntou se tinha lido o “Viva o Povo Brasileiro” do João Ubaldo. Disse que não e meu sobrinho baixou no meu tablet. Comecei a ler e desisti porque sou velho mesmo, gosto de folhear papel. Me prometi comprar numa livraria e vou fazer. Nesse meio tempo o cara funera antecipadamente.)

  107. Chesterton said

    Joyce – Notório por suas críticas ao PT, o colunista da Veja, Reinaldo Azevedo, tem chamado você de Supercoxinha, como um sujeito bom moço que quer ser super-herói. Que acha disso?
    Haddad – Ah, você não vai me perguntar dele, vai? [Irritado.] Não frequento o ambiente virtual dele. Ele é uma caricatura de jornalista, né? Mas acho que para a esquerda é funcional a existência dessa figura. Faz muito bem pro nosso projeto! As pessoas veem o quão patética é a alternativa nesse momento. É como o pastor Silas Malafaia. Os ataques dele à minha campanha foram tão ridículos que acabaram me ajudando.

    Retomo
    Em relação a mim, Haddad deveria ter feito como Santo Agostinho, preferindo a crítica que o corrige ao elogio que o corrompe (no sentido agostiniano, que não é corriqueiro na política). Mas ele fez o contrário.

    Haddad, um ano e três meses depois dessa entrevista, é uma caricatura de prefeito.

    Por Reinaldo Azevedo

  108. Chesterton said

    O primeiro grande ato de campanha do PT em São Paulo foi comandado pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que atacou nesta sexta (18) o governador Geraldo Alckmin (PSDB) pela crise de abastecimento de água. O petista afirmou que as gestões dos tucanos nos últimos 20 anos no Estado são tão problemáticas que “nem água para beber estão garantindo para o povo”.

    Lula ainda provocou diretamente o governador. “Eu não sei quantos banhos por dia está tomando o governador, mas tenho certeza que na periferia as pessoas não estão tomando banho para ter água para lavar roupa ou lavar a louça. Se ele não sabe disso, é importante alguém contar”, disparou o petista. “Eu fico imaginando se fosse governador do PT aqui em São Paulo, o que a imprensa já teria feito com esse governador”, completou.

    Uma das principais estratégias do PT para tentar desidratar a campanha tucana no Estado é focar no problema do abastecimento de água. Líderes repetem que a ameaça de falta de água não é provocada pela seca, mas por falta de obras necessárias.

    Em cima de carro de som na Praça da Sé, Lula disse que o partido nunca esteve tão próximo de conquistar o governo do Estado e minimizou o baixo desempenho de Alexandre Padilha na corrida. Pesquisa Datafolha divulgada na quinta (17) mostrou Alckmin com 54%, seguido de Paulo Skaf (PMDB), com 16%. Padilha pontua 4%.

    Segundo o ex-presidente, a reeleição da presidente Dilma Rousseff e a vitória de Padilha são “prioridade de vida” para ele. O petista voltou a provocar o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, que em um artigo nesta semana o acusou de omissão no mensalão. Lula disse estar disposto a debater corrupção na campanha. “Eu desafio eles a provarem se algum presidente nesse país criou mecanismo de investigação, de apuração, de mandar prender corrupto como eu criei em oito anos”.

    Segundo Lula, o governo FHC era “roubar por roubar e não tinha denúncia porque tinha um tapete muito grande para jogar toda sujeira”. Antes de encontrar Lula, Padilha circulou por quarteirões do centro carregando crianças no colo e posando para fotos. A passeata foi tumultuada e os seguranças do candidato trocaram empurrões com políticos, militantes e jornalistas.

    chest – deu piti

  109. Chesterton said

  110. Patriarca da Paciência said

    Haddad – Ah, você não vai me perguntar dele, vai? [Irritado.] Não frequento o ambiente virtual dele. Ele é uma caricatura de jornalista, né? Mas acho que para a esquerda é funcional a existência dessa figura. Faz muito bem pro nosso projeto! As pessoas veem o quão patética é a alternativa nesse momento. É como o pastor Silas Malafaia. Os ataques dele à minha campanha foram tão ridículos que acabaram me ajudando.

    Minha opinião é que o Haddad está corretíssimo. Ainda completo, depois da cirurgia do cérebro, o reinaldo rola-bosta ficou ainda pior, visto que foi extraído o pouco que restavo do cérebro, deixando apenas o tumor”

  111. Patriarca da Paciência said

    Sinceramente, até hoje, eu não consegui entender essa “história”.

    Como pode um genocídios ficarem impunes por tantos anos ?

    É mesmo de esarrecer !

    “GAZA/JERUSALÉM (Reuters) – Soldados israelenses em tanques e tratores ocuparam a parte leste da fronteira com a Faixa de Gaza neste sábado, e oficiais palestinos disseram que os ataques militares deixaram mais de 300 mortos, a maioria civis.

    Israel fez na quinta-feira um ataque terrestre, naval e por ar na região, após 10 dias de combates.

    Militares disseram que os engenheiros estavam concentrados em uma zona neutra efetiva de 2,5 quilômetros, tentando destruir túneis cavados por militantes do grupo islamista Hamás após o último grande enfrentanto ocorrido em 2012.

    Os oficiais palestinos disseram que pelo menos 325 palestinos, incluindo 70 crianças, foram mortos na ofensiva feita por Israel em 12 dias de conflito. Do lado de Israel, um soldado e dois civis foram mortos.

    A escalada das hostilidades tem ocorrido após o sequestro e assassinato, no mês passado, de três estudantes seminaristas judeus em incidente que Israel responsabiliza o Hamás.”

    (Texto de Louise Ireland)(247)

  112. Patriarca da Paciência said

    Sinceramente, até hoje, eu não consegui entender essa “história”.

    Como pode um genocídios ficarem impunes por tantos anos ?

    É mesmo de estarrecer !

    “GAZA/JERUSALÉM (Reuters) – Soldados israelenses em tanques e tratores ocuparam a parte leste da fronteira com a Faixa de Gaza neste sábado, e oficiais palestinos disseram que os ataques militares deixaram mais de 300 mortos, a maioria civis.

    Israel fez na quinta-feira um ataque terrestre, naval e por ar na região, após 10 dias de combates.

    Militares disseram que os engenheiros estavam concentrados em uma zona neutra efetiva de 2,5 quilômetros, tentando destruir túneis cavados por militantes do grupo islamista Hamás após o último grande enfrentanto ocorrido em 2012.

    Os oficiais palestinos disseram que pelo menos 325 palestinos, incluindo 70 crianças, foram mortos na ofensiva feita por Israel em 12 dias de conflito. Do lado de Israel, um soldado e dois civis foram mortos.

    A escalada das hostilidades tem ocorrido após o sequestro e assassinato, no mês passado, de três estudantes seminaristas judeus em incidente que Israel responsabiliza o Hamás.”

    (Texto de Louise Ireland)(247)

  113. Zbigniew said

    O que acontece é que o grupo que hoje domina a política israelense é formado por sionistas que defendem “uma país, um território”.

    Incoerentemente Israel vai empurrando os palestinos para uma faixa, espremendo-os e limitando-os a um gueto. Digo isto porque aqueles que vieram formar o Estado de Israel nos idos de 48, em grande escala, eram egressos de uma experiência traumática que coincide justamente com os guetos aos quais foram segregados durante a 2ª Guerra Mundial. Por isso mesmo não deveriam repetir a experiência com os palestinos, ainda que por razões bastante adversas.

    Os sionistas, dentre os quais podemos citar Beneamir “Bibi” Netanyahu, Avigdor Lieberman, Ariel Sharon, etc., nunca estiveram nem aí para palestinos e divisão de Jerusalém, ou convivência pacífica, afinal quem no mundo tem qualquer moral quando outros povos também “enterraram meu coração na curva do rio”? Vide a política de assentamento dos colonos judeus em terras palestinas.

    E então o massacre que estão perpetrando contra civis inocentes, aí sim, com ares de genocídio, daquilo que podemos, sem medo de errar, denominar de “solução final”. O uso de armas condenadas pela Convenção de Genebra, como o fósforo branco e as bombas de fragmentação são um pequeno exemplo do desinteresse pela dignidade humana dispensado pelas autoridades israelenses. Só não terminam com tudo porque ainda há o dedo dos estadunindenses e europeus nesta empreitada e seus atavismos morais e políticos, porém hipócritas, porque preferem o desaparecimento de um povo através de doses homeopáticas.

    Sim, existem o Hamas, Hezbollah e tantos outros grupos ditos terroristas que também pregam o desaparecimento do estado Israelense. Mas nada disto é justificativa para o massacre de civis inocentes, ainda mais quando o reconhecimento da necessidade de uma convivência pacífica pudesse tornar a política de fronteiras moderada, impedindo que se condenasse o direito de auto-defesa de Israel e o refreamento das ações dos grupos radicais palestinos.

  114. Pax said

    teria vergonha se fosse judeu, simples assim, o que estão fazendo é muito além de covardia.

  115. Zbigniew said

    Pois é, Pax.
    Muito além da covardia.

    O interessante é observar que, em Jerusalém, já conviveram pacificamente, por muitos séculos, as três grandes religiões: a cristã, a judaica e a muçulmana.

    A paz só foi rompida por questões eminentemente políticas, como no caso das Cruzadas e no da criação do Estado de Israel.

  116. Chesterton said

    Claro que vocês prefeririam que eles se suicidassem…..hoje em Israel vivem pacificamente cristãos, judeus e árabes (20% da população de Israel).
    Terroristas e seus seguidores não usam os mísseis para proteger seus cidadãos, mas usam seus cidadãos para proteger seus mísseis.
    Percam a ilusão, Israel eterno.

  117. Chesterton said

  118. Chesterton said

    http://zh.clicrbs.com.br/rs/noticias/noticia/2014/07/david-coimbra-o-nosso-modelo-4553700.html

  119. Chesterton said

    por falar em vergonha, vocês parece não tê-la.

  120. Zbigniew said

    Viver pacificamente não é um termo muito apropriado numa região em que um muro (com mais de 500 km de extensão) segrega os palestinos da Cisjordânia da cidade de Jerusalém, e onde o controle de acesso (Gaza e Cisjordânia) é feito por militares israelenses armados até os dentes.

    Obviamente que todos têm seus motivos, que só servem para justificar uma região conflagrada e bem longe de uma situação de paz.

  121. Patriarca da Paciência said

    https://secure.avaaz.org/po/israel_palestine_this_is_how_it_ends_loc/?sPSqceb.

    Abaixo assinado, pela internet, contra o genocídio praticado por Israel..

    Chega de genocídio impune !

  122. Chesterton said

    Impede que palestinos suicidas explodam em praça pública.

  123. Chesterton said

  124. Patriarca da Paciência said

    “A criação de um banco de desenvolvimento pelos Brics (grupo formado por Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul) “tem o potencial de virar o jogo” no cenário financeiro internacional, disse à BBC Brasil o economista Mark Weisbrot, codiretor do Center for Economic and Policy Research, com sede em Washington.”

    http://www.bbc.co.uk/portuguese/noticias/2014/07/140710_banco_brics_lk.shtml

  125. Daise said

    DILMA: A REJEITADA

    A rejeitada, por Fernando Rodrigues
    19/07/2014 10h07
    BRASÍLIA –

    Dilma Rousseff tem uma taxa de rejeição resiliente, tanto a pessoal quanto a de seu governo.

    Ainda assim, ela lidera a pesquisa Datafolha sobre a corrida presidencial. Se vencer, terá ostentado um recorde neste momento da campanha. Desde 1994, nenhum candidato a presidente vitorioso era rejeitado por 35% em meados de julho.

    No caso da rejeição ao governo Dilma, agora em 29%, trata-se também de recorde na comparação com outros presidentes que tentaram a reeleição. Em julho de 1998, a administração do tucano Fernando Henrique Cardoso era considerada ruim ou péssima por apenas 19%. Em 2006, nesta mesma época, 21% rejeitavam a forma como o petista Luiz Inácio Lula da Silva conduzia o país.

    A reprovação a Dilma parece ser mais do que uma birra passageira de um setor do eleitorado. A presidente trabalha há um ano para reverter esse quadro. Desde as manifestações de rua de junho de 2013, o Palácio do Planalto adotou várias medidas. Importou médicos do exterior. Inundou as TVs com comerciais. A petista voltou a falar mais com a mídia e com políticos. Nada adiantou.

    A Copa foi um sucesso no entender da maioria dos brasileiros. O clima no país ficou mais ameno, apesar da derrota em campo. Nesta semana, quando o Datafolha coletava dados, Dilma estava recebendo mais de uma dezena de chefes de Estado. Fazia o “papel de rainha”, como gosta de descrever o marqueteiro João Santana. Ganhou “mídia espontânea” a favor em todos os telejornais.

    Ainda assim, a rejeição da presidente manteve-se recorde. O horário eleitoral em agosto pode, em tese, ajudá-la. Mas se propaganda estatal maciça na TV não fez efeito no último semestre, porque haveria o impacto positivo mais adiante?

    Em suma, a sucessão está aberta. Só que a situação prospectiva de Dilma é incômoda quando se compara o desempenho da petista ao de seus antecessores que foram reeleitos.

  126. Patriarca da Paciência said

    Israel ultrapassou todos os limites da dignidade e, desta vez, creio eu, não ficará impune:

    “Os israelenses não têm nenhuma consciência, nenhuma honra, nenhuma dignidade. Os que condenam Hitler dia e noite ultrapassaram Hitler em barbarismo”, disse o primeiro-ministro turco, Tayyp Erdogan, a simpatizantes em um comício na cidade de Ordu, às margens do Mar Negro; ele se referia à ofensiva terrestre sobre a Faixa de Gaza, comandada pelo primeiro-ministro Benjamin Neetanyahu, que já matou mais de 300 palestinos nos últimos dias”
    http://www.brasil247.com/pt/247/mundo/147323/Premi%C3%AA-turco-Israel-%E2%80%9Cultrapassa-Hitler-em-barbarismo%E2%80%9D.htm

  127. Pax said

    http://www.huffingtonpost.co.uk/2014/07/19/gaza-london-protest-pictures_n_5601766.html?utm_hp_ref=uk

  128. Pax said

    duro ver essas fotos, protestos eclodem por todo canto…

    http://www.huffingtonpost.com/2014/07/18/how-you-can-help-children_n_5600215.html?ncid=fcbklnkushpmg00000063

  129. Daise said

    Nunca li aqui nenhuma condenação à guerra civil da Siria onde a mortandade aponta mais de 300 mil pessoas mortas numa guerra de muçulmanos contra muçulmanos. (alauítas, xiitas e sunitas)

    Mulheres árabes cristãs são agredidas na rua se sairem de casa sem o hijab ou usando roupas inadequadas.

    Mas os pascácios locais ficam apoiando o Hamas ( não o povo palestino , usado como escudos humanos) pelo próprio Hamas que usam como propaganda contra Israel.

    É OMISSÃO E MUITA FALTA DE VERGONHA

    Chesterton tem razão !!!

  130. Daise said

    HAMAS CONFIRMA: USAMOS ESCUDOS HUMANOS

  131. Daise said

    HAMAS DOUTRINANDO CRIANÇAS CONTRA ISRAEL

  132. Daise said

    HAMAS DOUTRINANDO CRIANÇAS CONTRA ISRAEL 2

  133. Chesterton said

    bem lembrado.

  134. Daise said

    HAMAS TV: AMEAÇANDO ISRAEL EM HEBRAICO

  135. Daise said

    # 133

    Esquerda-mortadela ?

  136. Chesterton said

    1. Disciplina fiscal e orçamento em equilíbrio, 2. priorizar o gasto público: em medicina básica, educação primária, infra-estrutura, 3. impostos: baixar taxas para subir a arrecadação, 4. tipos de juros: livres, 5. taxa de câmbio: “competitiva”, 6. substituir barreiras quantitativas às importações por taxas alfandegárias e depois reduzi-las pouco a pouco até 10% ou 20% na média, 7. alentar todo o investimento estrangeiro direto, 8. privatizar empresas estatais, 9. eliminar barreiras legais à entrada e saída nos mercados e 10. reforçar direitos de propriedade.

    chest neo-liberalismo do c. de washington

  137. Pax said

    Que boniteza, Aécio construindo aeroporto particular com dinheiro público…

    http://www1.folha.uol.com.br/poder/2014/07/1488587-governo-de-minas-fez-aeroporto-em-terreno-de-tio-de-aecio.shtml

    Que poeira voa nestes aviões?

  138. Pax said

  139. Patriarca da Paciência said

    Bela mensagem, caro Pax,

    Faz muito tempo que Israel extrapola todos os limites da decência humana.

    Minha esperança é que o mundo não tolere mais tanta estupidez e faça alguma coisa realmente concreta !

  140. Zbigniew said

    Historinha de liberal:

    “Joãozinho comia biscoitos de lama com insetos, tomava banho em rios fétidos e vendia ossos de zebu para sobreviver. Quando pequeno, brincava de esconde-esconde nas carcaças de zebus mortos por falta de brinquedos. Mas não ficou esperando o Estado, nem seus professores lhe ajudarem e, por conta, própria, lutou, lutou, lutou (contando com a ajuda de um mecenas da iniciativa privada, que lhe ensinou a fazer lápis a partir de carvão das árvores queimadas da Amazônia), andando 73,5 quilômetros todos os dias para pegar o ônibus da escola e usando folhas de bananeira como caderno. Hoje é presidente de uma multinacional.”

    Hehehehehe.

  141. Patriarca da Paciência said

    comentário 140,

    é bem isso aí, Zbigniew,

    liberal gosta mesmo é de concorrência, ou seja, da concorrência de uma pessoa doente, fraca, faminta e analfabeta, contra uma pessoa saudável, bem educada e robusta. Aí eles estão na sociedade perfeita.

  142. Patriarca da Paciência said

    Sobre o aeroporto, construído com dinheiro público, na fazenda do tio do Ah é sim:

    “Senador Aécio Neves (PSDB-MG) divulgou nota nesta manhã para contestar a manchete deste domingo da Folha de S. Paulo; jornal acusa o presidenciável tucano de ter construído um aeroporto na fazenda de um tio, usando R$ 14 milhões em recursos públicos, quando era governador de Minas Gerais; “O aeroporto foi construído em área pertencente ao Estado, não havendo portanto o investimento publico em área privada afirmado no título da reportagem”, diz a nota do tucano; “Não houve nenhum tipo de favorecimento”; polêmica é o primeiro abalo na campanha do tucano, que também anexou na explicação correspondência trocada pelo governo de Minas com a Agência Nacional de Aviação Civi ” (247)

    É muita cara de pau, não, Ah é sim ?

    Quer dizer que você construiu um aeroporto com dinheiro público, em terras públicas, bem pertinho da fazenda do seu tio ?

    Ainda que seja verdade, é imoral e antiético. A fazenda do titio deve ter valorizado, por baixo, 1000% (mil por cento).

  143. Daise said

    Como diria o avo do companheiro Patriarca da P., “é mais fácil apanhar um mentiroso do que um coxo”. Veja abaixo:

    Hoje em dia pra eu reproduzir um link gasto maior tempo, vejo a fonte, vejo se tem em outro lugar, procuro a notícia associada com o verbete “hoax” e mesmo assim muitas das vezes, mesmo verificando tudo isso, desconfio e não reproduzo.
    (ontem)


    Que poeira voa nestes aviões?

    (hoje)

    Cada qual com seu cada um

  144. Pax said

    É verdade Carlão, o link é da Folha, o maior site petista de todos os tempos…

    =)

  145. Daise said

    PEGO NA MENTIRA

    A manchete da FSP permanece e Aécio já contestou. Nada contra a FSP

    Leia o link do 247 completo:

    http://www.brasil247.com/pt/247/minas247/147340/Pelo-Face-A%C3%A9cio-contesta-den%C3%BAncia-da-Folha.htm

    O problema é outro: PEGO NA MENTIRA

    Que poeira voa nestes aviões?
    (hoje)

  146. Daise said

    DILMÊS

    No que se refere à ligeireza e à confusão das falas da doutora Dilma, ela deu uma boa amostra quando tratou da derrubada do jato da Malaysia Airlines:

    “Acho prudente a gente tomar cuidado porque, ao mesmo tempo, tem um segmento da imprensa que diz que este avião que foi derrubado estava na rota da volta do presidente Putin, que coincidiu a hora.”

    Ganha uma viagem a Kiev quem souber o que é “um segmento da imprensa”.

    De qualquer forma, logo se soube que, mais ou menos à mesma hora do comentário de Dilma, Vladimir Putin tratou do assunto e não mencionou a suspeita. A doutora poderia verificar qual foi o segmento de sua assessoria que sugeriu a fala imprudente.

    Elio Gaspari

  147. Daise said

    GASTANDO CARTUCHOS – ELIANE CANTANHÊDE
    FOLHA DE SP – 20/07

    BRASÍLIA – Sabe o dado mais importante do Datafolha? Eduardo Campos, que só tem 8% de intenções de voto, dá um salto espetacular para 38% num eventual segundo turno entre ele e a presidente Dilma Rousseff. Como assim?

    A única explicação é que as pessoas não votariam a favor dele, mas contra Dilma e o PT. A rejeição dela bate em 35%, o dobro da de Aécio (17%) e mais que o dobro da de Campos (12%); e a avaliação ruim/péssimo do governo bate em 29%.

    Vai ficando cada vez mais evidente que a grande chance de Dilma ser reeleita é arrancar a vitória no primeiro turno. O que, pelo andar da carruagem, parece bastante improvável. Ela vai mal em São Paulo e caiu no Nordeste, entre as mulheres e nas maiores cidades, que são irradiadoras de votos.

    Dilma ainda é favorita (36%), mas, se a eleição for para o segundo turno, a coisa pode ficar feia. A diferença entre ela e Campos é de apenas sete pontos (45% a 38%). Entre ela e Aécio, que já foi de 27 pontos em fevereiro, caiu para irrisórios 4 pontos (44% a 40%) em cinco meses. Considerando a margem de erro de dois pontos, há empate técnico entre Dilma e Aécio, que tem muito menos exposição.

    A situação da candidatura Dilma acirra os ânimos do PT e do seu grande líder, Lula, que vive hoje um triplo pesadelo: Geraldo Alckmin com mais de 50% para o governo e José Serra na dianteira para o Senado em São Paulo e Dilma gastando todos os seus cartuchos sem acertar o alvo para a reeleição.

    Se Dilma está assim com Copa, Brics, presidentes da Rússia, da China e da América do Sul e uma série de entrevistas, como poderá evoluir bem daqui em diante?

    Ela tem mais que o dobro do tempo de TV de Aécio e Campos na campanha, mas TV e marketing não fazem milagre. Talvez a economia fizesse, mas os ventos internacionais não induzem ao otimismo. Nem o desempenho do governo Dilma até aqui.

  148. Chesterton said

    verdade Carlão, o link é da Folha, o maior site petista de todos os tempos…

    chest- não diria petista, mas importante tribuna da esquerda brasileira.

  149. Chesterton said

    O enviado palestino da ONU confessa que sabe direitinho a diferença entre palestinos e israelenses.

  150. Pax said

    Incluindo o teu articulista preferido, o histérico, caro Chesterton? Putz, não sabia disso, que o cara é agente de esquerda infiltrado para ridicularizar a direita… mas faz sentido, o cara é bem bom nisso, não?

    =)

  151. Pax said

    Chesterton, velho, bom e rabugento Chesterton, quando um marketing abusa, vira esperteza, o tiro sai pela culatra.

    É o que rola neste momento com Israel.

    Assista Globo news Painel hoje às 19h. Com William Waak. Farei isso, perdi ontem à noite. É sobre a carnificina.

    Depois nos falamos.

    Veja, repare, nunca caí na babaquice geral que o cara é agente da Cia ou qualquer maluquice que os fundamentalistas petistas quiseram inventar porque WW é conservador.

    Acho ele um dos melhores jornalistas da atualidade. E pouco me importa se tem convicções diferentes das minhas.

    Não é isso que o desqualifica. O cara é profundo mesmo, estuda a pauta antes, se prepara etc.

    Enfim, vou assistir. Amigos disseram que foi muito bom.

  152. Chesterton said

    150 Reinaldão está na FSP há 1 mês, muito pouco para neutralizar décaddas de esquerdismo.

  153. Chesterton said

    Vi por acaso o WW sobre o tema Israel, foi muito bom, acho que você não vai gostar.

    O que acha da opinião do enviado palestino a ONU?

  154. Chesterton said

    Por que governos de esquerda fazem políticas “neo”-liberais?
    ESCRITO POR ALBERTO MANSUETI | 19 JULHO 2014
    ARTIGOS – ECONOMIA

    Na Venezuela, Maduro e os chavistas discutem se devem aplicá-las ou não e na Argentina, Cristina sempre teve suas dúvidas. Porém, são políticas que desde há anos os governos de Ortega na Nicarágua, Santos na Colômbia, Correa no Equador, Humala no Peru, Morales na Bolívia, Tabaré e “Pepe” no Uruguai, e igualmente Lula e Dilma no Brasil, por exemplo, as aplicam.
    “Neo” liberais significa mais ou menos inspiradas no Consenso de Washington (CdeW) dos anos 90, uma lista de “recomendações de política”, que na ocasião os burocratas do FMI e do Banco Mundial viram como “viáveis e sustentáveis”, quer dizer: aceitáveis pelos principais atores.
    São 10, e se resumem assim: 1. Disciplina fiscal e orçamento em equilíbrio, 2. priorizar o gasto público: em medicina básica, educação primária, infra-estrutura, 3. impostos: baixar taxas para subir a arrecadação, 4. tipos de juros: livres, 5. taxa de câmbio: “competitiva”, 6. substituir barreiras quantitativas às importações por taxas alfandegárias e depois reduzi-las pouco a pouco até 10% ou 20% na média, 7. alentar todo o investimento estrangeiro direto, 8. privatizar empresas estatais, 9. eliminar barreiras legais à entrada e saída nos mercados e 10. reforçar direitos de propriedade. Até aqui diz o CdeW.
    As principais razões dos governos socialistas para fazer estas políticas são quatro:
    (I) A primeira é que o marxismo econômico eles já fizeram: aplicaram-no até onde se podia, entre os anos 1930 e 1970 mais ou menos, em quase todos os países do mundo.
    Marxismo econômico é aquele “Programa Mínimo” do “Manifesto Econômico” de 1848, redigido por Marx e Engels. Constava de dez pontos que convém lembrar: 1. a “reforma agrária”, 2. o imposto progressivo aos ingressos, 3. o imposto às heranças, 4. a estatização das grandes empresas e companhias estrangeiras, 5. o Banco Central com seu monopólio de emissão, 6. transportes do Estado, 7. empresas de propriedade estatal e indústrias e comércios sob o controle do governo, 8. leis salariais e sindicais, 9. imposto aos lucros extraordinários, 10. educação pública socializada.
    Isto é comunismo, embora em “grau mínimo”, segundo Marx e Engels. Deve-se acrescentar a medicina socializada, ponto que eles viram “muito avançado” para um programa “mínimo”. E a questão é que já fizeram tudo isto, há anos, e muitas destas políticas estão vigentes e são vistas como normais, correntes, inclusive parte integral e intocável do sistema “capitalista”.
    O “laissez faire” já não existe porque os socialistas o suprimiram há muito tempo e, em troca, impuseram uma ditadura estatal à economia, embora só até certo ponto: o ponto no qual já não podem mais “avançar” sem cair na tragédia do parasita que mata o organismo hospedeiro. Ir além seria exterminar 100% da produção, que quase passa nos anos 70 com o “cepalismo” [1], e por isso retrocederam nos anos 90: privatizaram segundo o CdeW, cedendo nos pontos 4 e 7 do Manifesto. Dois passos atrás, para depois ir três adiante, disse Lenin.
    As esquerdas enfrentam o dilema do parasita: têm de comer, então alguém tem de produzir. Assim que ao menos “no momento”, como disse Chávez, os socialistas pactuaram com os mercantilistas, velhos e novos, respeitaram seus privilégios, em troca de seguir produzindo sob as condições ditadas pelos socialistas, que comem dos altos impostos que eles e a classe média pagam. E para isso, o CdeW serve.
    (II) Segunda razão: as políticas do CdeW não são muito liberais, são só um remédio para os piores resultados do “cepalismo” dos anos 70, ou seja, o barril sem fundo das empresas estatais e a diluviana impressão de cédulas, cujos efeitos pretendiam “conter” com meios grosseiros: controles de preços, de câmbios e tipos de juros. Até aí. Porém, o CdeW não é incompatível com um “Grande Estado” educador, médico, banco-centralista e regulamentador. Não figura a tripla redução do governo em funções, em poderes e em gastos, como seria se de verdade a lista tivesse sido inspirada no liberalismo clássico.
    É um ticket de saída daquele velho estatismo selvagem de Allende, Cámpora, J. J. Torres, Velazco Alvarado e Alan García I (primeiro mandato), e de entrada a um estatismo mais “prolixo”, social-mercantilista: no contexto do “Pacto Social” com os empresários mercantilistas, nacionais ou estrangeiros. Por isso já nos anos 90 estas políticas foram seguidas pelos líderes e governos surgidos dos partidos nacional-populistas e de esquerdas, todos anti-liberais, como o PRI no México, o APRA no Peru, o MNR e o MIR na Bolívia, o Peronismo na Argentina, etc. Porque o CdeW não tem nada de liberalismo! Deve-se chamar “Neo” mercantilismo, ou melhor ainda: “Neo” estatismo.
    (III) A terceira razão é estratégica: adotando a esquerda oficialista, o CdeW desde o governo tira as bandeiras da oposição que, de per si já é muito inepta e incapacitada, mas desta maneira fica totalmente desorientada, paralisada e muda, catatônica, sem saber o que fazer, o que pensar nem o que decidir. Assim os presidentes do Foro de São Paulo são re-eleitos sem maior dificuldade.
    (IV) Por fim a quarta: o CdeW é 100% compatível com o marxismo cultural, a prioridade nº 1 destas esquerdas de agora. O marxismo cultural é essa enorme tarefa destrutiva, embora já não da economia senão do casamento, da família (aborto, eutanásia, matrimônio homossexual, etc.), da religião, do “meio-ambiente”, da doutrinação na escola, enfim, todo esse “politicamente correto” do “Socialismo do Século XXI”… que é tema para outro artigo.

    Alberto Mansueti

  155. Pax said

    quê enviado palestino na onu? Nao li nada sobre isso. Põe o link.

  156. Pax said

    Quê poeira anda nesses aviões?

    Idelber Avelar
    há 18 minutos
    A Folha de São Paulo revelou hoje que o estado de Minas Gerais construiu, com dinheiro público, um aeroporto na minúscula cidade de Cláudio-MG (30.000 habitantes), dentro da fazenda da família de Aécio Neves. Parabéns ao Lucas Ferraz, o jornalista responsável pelo furo.

    Vocês vão me desculpar, mas quando a gente grita no vazio durante muito tempo e, três anos depois, alguma coisa acontece, a tentação de voltar lá atrás e oferecer os links é irresistível. Em junho de 2011, Aladin Tolentino, vulgo “Quêdo”, e de conhecidas relações com a família de Aécio (“relações íntimas”, segundo a própria PM de Cláudio), foi preso por participar de um esquema de venda de sentenças e habeas corpus a traficantes. Quêdo é revendedor das cachaças Matusalém e Mingote, da Fazenda da Mata, que era de D. Risoleta e hoje pertence à família. Quêdo também é conhecido por organizar as cavalgadas da família de Aécio, como eu apontava em 2011: http://bit.ly/1nXaMEa. Foi em junho de 2011 que eu comecei a pedir nas redes sociais a presença de imprensa nacional em Cláudio. Tuíte de 1 de julho de 2011: http://bit.ly/1nXawov.

    50 dias depois da prisão de Quêdo, ainda em 2011, eu voltava a pedir a presença da imprensa em Cláudio: http://bit.ly/UjkDIL. Em 2012, o STJ abriu ação penal contra o Desembargador Hélcio Valentim, e eu cobrava que o jornalismo investigasse as relações dele com Aécio http://bit.ly/UkzJNM. Em 2013 eu voltei a cobrar a presença da imprensa em Cláudio: http://bit.ly/1qubBYd.

    Então, só para reiterar: 1) Parabéns ao Lucas Ferraz, que fez jornalismo de verdade; 2) se a imprensa investigar mesmo o que acontece em Cláudio, verá que um aeroporto de R$ 13,5 milhões, feito com dinheiro público na fazenda da família, é fichinha. É a pontinha do iceberg.

    O último playboy gostava de vias subterrâneas para a poeira…

    Mas, sabe como é, desculpa esfarrapada todos têm, como bunda suja alguns.

  157. Pax said

    Fui pesquisar um pouco sobre o tal Aladim Tolentino… tem muito site que desconheço, trago um link do Estadão:

    http://politica.estadao.com.br/noticias/eleicoes,desembargador-e-denunciado-por-vender-liminar-imp-,834233

    parece que a poeira é das brabas.

  158. Chesterton said

    149

  159. Chesterton said

    Palestinian rep to UNHRC: Israel warns civilians before attacks, we don’t.

    Last week, the Palestinian representative at the United Nations Human Rights Council, Ibrahim Khreisheh, was asked if the Palestinians could mount a case against Israel in the International Criminal Court. Khreisheh pointed out one problem with this: “The missiles that are now being launched against Israel – each and every missiles constitutes a crime against humanity whether it hits or misses, because it is directed at a civilian targets….Targeting civilians – be it one civilian or a thousand – is considered a crime against humanity.”

    Khreisheh also noted that “many of our people in Gaza appeared on TV and said that the Israeli army warned them to evacuate their homes before the bombardment. In such a case, if someone is killed, the law considers it a mistake rather than an intentional killing, because [the Israelis] followed the legal procedures.” By contrast, “as for the missiles launched from our side.… We never warn anyone about where these missiles are about to fall, or about the operations we carry out.”

  160. Chesterton said

    representante palestino para UNHRC: Israel adverte civis antes dos ataques, nós não.

    Na semana passada , o representante palestino no Conselho de Direitos Humanos das Nações Unidas, Ibrahim Khreisheh, foi perguntado se os palestinos poderiam montar um caso contra Israel no Tribunal Penal Internacional. Khreisheh apontou um problema com isso: “Os mísseis que estão agora a ser lançados contra Israel – a cada mísseis constitui um crime contra a humanidade se ela atinge ou perde, porque é dirigido a um alvos civis …. Segmentação civis – seja um civil ou mil – é considerado um crime contra a humanidade “.

    Khreisheh também observou que “muitos de nosso povo em Gaza apareceram na TV e disseram que o Exército israelense advertiu-os a evacuar suas casas antes do bombardeio. Nesse caso, se alguém é morto, a lei considera um erro, em vez de um assassinato intencional, porque [os israelenses] seguiram os procedimentos legais. “Por outro lado”, sobre os mísseis lançados a partir de nosso lado …. Nunca avisamos ninguém sobre onde esses mísseis estão prestes a cair, ou sobre as operações que realizamos. ”

    tradução automatica do Google

    chest- CQD … como queria demonstrar, o próprio representanete palestino da ONU reconhece que o Hamas é criminoso e inocenta os israelenses. Não sei o que mais poderia convencer as pessoas de boa fé.

  161. Pax said

    Agora vi o vídeo, rabugento Chesterton, e sei ler em inglês, sim.

    O que o cara diz é que são crimes contra a humanidade perpetuados dos dois lados.

    Nunca neguei isso. Nunca aprovei o lançamento dos mísseis errantes pelos palestinos.

    Assim como não nego que existe uma questão de fundo, de opressor e oprimido, de invasor e invadido.

    E aí é onde você nega. Se recusa a ler todas as resoluções da inoperante ONU condenando todas as invasões, todos os assentamentos em terras palestinas etc.

    O que rola lá é um massacre do invasor sobre o invadido, do opressor sobre o oprimido. Esta é minha opinião.

    E o invasor, o opressor, não pode ser absolvido ou justificado. Muito menos a covardia que pratica.

    De outro lado eu te confesso que se estivesse nos sapatos de um palestino, quase 2.000.000 de pessoas encurraladas numa área do tamanho da Barra da Tijuca, sem direito à água, ao ir e vir, à eletricidade etc etc, me questiono mesmo se não me tornaria um maluco lançador de mísseis errantes.

    Talvez me tornasse um criminoso. Essa é uma profunda dúvida que tenho.

    Acho mesmo é que me mandaria de lá. Terra Sagrada já é coisa de maluco na minha cabeça. Sagrado pra mim é onde tem água, terra fértil, terra boa de viver. Qualquer outra coisa pra mim é religiosa e aí bate no meu direito de ser ateu.

    Israel deveria devolver as terras dos palestinos e negociar. Mas falar isso já te torna antisemita na cabeça dos cabeças ocas.

  162. Pax said

    ah, sim, não vi o vídeo porque estava acessando pelo meu tablet de pobre e no wordpress para Android os vídeos não aparecem… por isso que não tinha visto.

  163. Pax said

    Inocenta porra nenhuma, rabugento. Veja o vídeo. Ele acusa Israel de crimes contra a humanidade.

    O que ele tenta aliviar é dizendo que as casas atingidas são avisadas antes e aí não seria crime contra a humanidade. Mas as invasões, os checkpointes etc etc ele diz claramente.

    Não desvirtue, não use falácias argumentativas.

    É feio.

  164. Chesterton said

    ele diz claramente, Israel segue os procedimentos legais, existem, segundo ele, outras questões onde is israelenses teriam argumentos mais fracos como detenções, cancelas, portões.

  165. Chesterton said

    163, exato, não tinha lido. O que se depreende que a invasão de Gaza para acabar com o Hamas é legítima.

  166. Chesterton said

    Nunca aprovei o lançamento dos mísseis errantes pelos palestinos.

    chest- mas “entendia”.

  167. Chesterton said

    E aí é onde você nega. Se recusa a ler todas as resoluções da inoperante ONU condenando todas as invasões, todos os assentamentos em terras palestinas etc.

    chest- para Israel agradara ONU teria que ,archar em direção ao mar e sumir. Sorry, me inclui fora desta.

  168. Chesterton said

    De outro lado eu te confesso que se estivesse nos sapatos de um palestino, quase 2.000.000 de pessoas encurraladas numa área do tamanho da Barra da Tijuca, sem direito à água, ao ir e vir, à eletricidade etc etc, me questiono mesmo se não me tornaria um maluco lançador de mísseis errantes.

    ches- hahahahaha

    1. os moradores de Gaza não são lançadores de foguetes, mas o Hamas sim. Não tem eletrecidade e estrutura porque construiram tuneis para compre de armamento.

    http://pjmedia.com/rogerlsimon/2014/07/18/israel-must-destroy-hamas-tunnels-no-matter-how-long-it-takes/

  169. Chesterton said

    Talvez me tornasse um criminoso. Essa é uma profunda dúvida que tenho.

    chest- se você tivesse sobrevivido Auschwitz teria se tornado criminoso? Os judeus não se tornaram criminosos. Fica na consciência de cada um.

  170. Chesterton said

    Israel deveria devolver as terras dos palestinos e negociar.

    chest- é o que tem feito, devolveu o Sinai em troca de paz como Egito, deu certo. Colocou abaixo colônias de judeus para dar terra aos palestinos, não deu certo.

  171. Pax said

    O governo de direita ultradireita de Israel comete seguidos crimes invadindo terras palestinas pra assentar seus malucos. Direto e reto.

  172. Chesterton said

    A Barra tem 48 km2, Gaza tem 360 km2.

    chest- tá ruim hoje, hein?

  173. Pax said

    Na minha terra quem rouba terra é criminoso, sim.

  174. Chesterton said

    Por isso criminalizo o MST, que você apoia. Putin tomou a Crimeia. China tomou o Tibete. os USA tomaram Texas, os turcos exterminaram os armenios e ficaram com suas terras, 800.000 judeus nestas guerras foram expulsos de suas casas em países árabes, de onde tiveram que sair correndo para não serem mortos, o Brasil tomou o Acre dos bolivianos, Portugal tomou o Brasil a oeste de Tordesilhas da Espanha. A França tomou território da Alemanha depois da WW2,

    Mas é uma boa questão, obrigado. Contam que em 1947 havia 2 amigos de alguns anos que viviam um próximo do outro. Um era árabe o outro judeu. Ao ver o enorme ajuntamento de forças armadas de todos exercitos vizinhos contra Israel o árabe apareceu na casa do judeu com uma fita métrica. Perguntado sobre o que estava fazendo, respondeu que estava tirando medidas para ver se seus móveis caberiam na casa do judeu: “Veja como vai ser , é melhor você fugir, senão vai morrer, e é muito justo que por ser seu amigo sua casa fique para mim”. Os árabes perderam a guerra, o árabe saiu correndo pois andou dando tiros em judeus que morreram e não quis ficar para ir preso.

  175. Chesterton said

    171 o governo destroi colonias de judeus

    http://www.theguardian.com/world/2014/may/14/israeli-forces-illegal-west-bank-settlement-destroy-houses

  176. Chesterton said

    Após guerras inessante por anos entre os romanos e os persas, suas forças extenuadas deixaram um vazio militar no Oriente Medio. Tribos árabes do deserto vendo que todos ficaram desprotegidos não resistiram a tentação e se lançaram num projeto militar-religioso que foi acabar na Peninsula Iberica, roubando e saqueando povos cristão do norte da àfrica que ficavam no caminho.

  177. Daise said

    PARANÓIA ESQUIZOFRÊNICA

    DENÚNCIA (FRACA) DA FOLHA CONTRA AÉCIO PRENUNCIA OFENSIVA CONTRA DILMA

    http://www.brasil247.com/pt/247/artigos/147358/Den%C3%BAncia-(fraca)-da-Folha-contra-A%C3%A9cio-prenuncia-ofensiva-contra-Dilma.htm

    A paranóia continua…CADA VEZ MAIS ESQUIZOIDE!

    ___

    e o biscoito continua fino e a massa cada vez mais mole. rsrsrssss

  178. Daise said

    Putz

    A materia da FSP já caiu e nem os petralhas acreditam mais nela!
    __________

    Mas o biscoito continua mole e a massa cada vez mais fina.rsssrs

  179. Chesterton said

    FALHA de SÃO PAULO!!!

  180. Chesterton said

    http://noticias.uol.com.br/meio-ambiente/ultimas-noticias/redacao/2014/07/20/arvore-descoberta-na-bahia-esta-em-extincao.htm

    chest- os caras acabam de descobrir uma árvore que nunca tinham visto antes e já a declaram “em extinção”….quem sabe está em “aparição”?

  181. Chesterton said

    os turcos, maiores ladrões de terras da história

    http://en.wikipedia.org/wiki/Assyrian_Genocide

  182. Daise said

    SEM BOLSA BRIGADEIRO

    E por falar em biscoitos e massas (moles ou finas e cocaína ) veja o que acontece no Brasil que não recebe bolsas:

    Com R$ 20 no bolso e o sonho de viajar para a Espanha para assistir a um campeonato mundial de basquete que custaria R$ 15 mil, o árbitro João Ricci, de 26 anos, decidiu apostar em uma ideia inusitada para juntar dinheiro: produzir e vender brigadeiros na rua. Em três meses, trabalhando quatro dias por semana, Ricci conseguiu juntar R$ 9 mil. Ele já comprou as passagens e os ingressos para o Mundial.

    http://g1.globo.com/distrito-federal/noticia/2014/07/para-pagar-viagem-jovem-junta-r-9-mil-em-3-meses-vendendo-brigadeiros.html

  183. Pax said

    Quase terminando o Globonews Painel. As análises são bem claras. Ocupação, invasão, atrocidades e Israel não quer e impede a criação do estado palestino. Rabugento, porque não teria gostado?

    O programa foi excelente.

  184. Chesterton said

    esse aqui?

    http://globotv.globo.com/globo-news/globo-news-painel/v/painel-debate-sobre-os-dez-anos-dos-atentados-de-1109/1626699/

  185. Chesterton said

    não, esse não é o que assisti hoje meio dia….

  186. Chesterton said

    e tem o Putin, de olho na Moldovia….

    http://www.nytimes.com/2014/04/24/opinion/kristof-moldova-the-next-ukraine.html?_r=0

  187. Chesterton said

    http://bdadolfo.blogspot.com.br/2014/07/videocast-do-sachsida-o-banco-dos-brics.html

  188. Chesterton said

  189. Patriarca da Paciência said

    Comentário 157,

    “Então, só para reiterar: 1) Parabéns ao Lucas Ferraz, que fez jornalismo de verdade; 2) se a imprensa investigar mesmo o que acontece em Cláudio, verá que um aeroporto de R$ 13,5 milhões, feito com dinheiro público na fazenda da família, é fichinha. É a pontinha do iceberg.

    O último playboy gostava de vias subterrâneas para a poeira…

    Mas, sabe como é, desculpa esfarrapada todos têm, como bunda suja alguns.”

    Caro Pax,

    O Idelber pergunta pelas “poeiras”, o que lembra também os “porrelas”.

    Onde será que o FHC estava com a cabeça para lançar a candidatura do Ah é sim ?

    Será que ele não sabia da nada ?

    Será que ele sabia de tudo ?

    Como “funciona” a mente do FHC ?

  190. Patriarca da Paciência said

    Se com 20% dos votos o Datafalha faz o Aécio empatar com a Dilma no segundo turno (que não houve), se chegar a 21% no dia da eleição o Datafolha dá posse a ele.(PHA)

  191. Pax said

    buenas, evidentemente esse aeroporto merece um post, está feito acima.

    boa semana.

Faça seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: