políticAética

Notícias da Corrupção, Desvios, Anomalias, Eleições e Meio Ambiente

  • Sobre o blog

    Uma coletânea das notícias da corrupção, desvios, anomalias, eleições e meio ambiente que aparecem na mídia todos os dias a partir de agosto de 2008.
  • Categorias

  • Arquivos

  • Páginas

  • Meta

Operação Lava Jato: Justiça mantém presos os acusados

Posted by Pax em 18/11/2014

Dilma se pronunciou afirmando que as investigações da Operação Lava Jato podem “mudar o Brasil para sempre“. Declaração forte de quem percebe que o envolvimento dos tubarões das construtoras e uma parcela significativa de políticos estão envolvidos. Muitos do próprio PT.

Se Dilma fala com assertividade há alguma chance desse escândalo de proporções inéditas ter resultados interessantes. Caso contrário o tiro sairá pela culatra. No momento em que aderir ao discurso dos que querem colocar panos quentes e abafar este explícito descalabro que atinge praticamente todos os grandes partidos, políticos de todas as cores e os maiores financiadores de campanhas eleitorais.

Momento interessante. Golpistas de plantão não faltam. Basta que o governo mostre fraqueza e queira esconder os larápios de seu lado. Ou pega todo mundo ou sobra para Dilma.

Justiça já negou habeas corpus para 11 investigados da Operação Lava Jato

Mariana Branco – Repórter da Agência Brasil Edição: Aécio Amado

A Justiça Federal negou pedidos de liberdade para 11 investigados da Operação Lava Jato ontem (15). A decisão foi da desembargadora Maria de Fátima Freitas Laberrère, do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4), de Porto Alegre. Segundo o Ministério da Justiça, 19 pessoas foram presas.

A desembargadora negou pedidos da defesa de Eduardo Emerlino Leite, diretor da Camargo Corrêa; e de Dalton dos Santos Avancini e João Ricardo Auler, vinculados à mesma construtura. Avancini e Auler tiveram decretada a prisão temporária. No caso de Leite, cujo mandado foi para prisão preventiva, além de pedir habeas corpus, os advogados alegaram questões de saúde para pedir ainda o cumprimento de prisão domiciliar, já que ele seria portador de hipertensão arterial. Também, ontem, foram indeferidos os pedidos de Agenor Franklin Magalhães Medeiros e José Ricardo Nogueira Breghirolli, ligados à OAS.

Maria de Fátima Freitas Laberrère também negou habeas corpus a José Aldemário Pinheiro Filho, presidente da OAS, e a Mateus Coutinho de Sá Oliveira e Alexandre Portela Barbosa, ligados à mesma empresa. Foram expedidos mandados de prisão temporária para os três. A desembargadora indeferiu, ainda, pedidos de liberdade para Carlos Eduardo Strauch Albero, Milton Prado Júnior e Gerson de Mello Almada, da Engevix. Para os dois primeiros foi expedido mandado de prisão temporária. Para Almada, mandado de prisão preventiva.

Mais dois pedidos de habeas corpus chegaram, ainda pela manhã, ao Superior Tribunal de Justiça (STJ). No fim da tarde, o STJ informou, por meio da a assessoria de comunicação, que eles foram indeferidos pelo desembargador convocado Newton Trisotto. O STJ não informou as defesas de quais acusados entregaram as petições, alegando segredo de Justiça.

Anúncios

352 Respostas to “Operação Lava Jato: Justiça mantém presos os acusados”

  1. Patriarca da Paciência said

    É isso aí, caro Pax,

    pela primeira vez na história deste país, um escândalo está sendo investigado como merece. Desde os tempos de Império ou da República Velha e Nova, a corrupção sempre foi jogada para debaixo do tapete. No governo militar então, a corrupção grassava solta e descaradamente, mais ninguém tinha coragem de dar um pio. Esses patéticos que pedem a volta dos militares, ou são mal intencionados ou totalmente ingênuos.

    No governo Dilma não, toda a sujeira vai ser exposta à luz do Sol.

    Lembra de quando começaram a aparecer “os bois do Renan” e eu coloquei a oração Pai Nosso num comentário ? Naquela época, pela proporção da coisa, eu achei que todo esse sistema de corrupção iria implodir. Mas aí, ajeita daqui, ajeita dali e conseguiram abafar mais uma vez.

    Agora não. Acho que agora a coisa implodiu de vez. Finalmente uma coisa realmente séria está acontecendo !

  2. Patriarca da Paciência said

    LEGADO DA CRISE SERÁ PETROBRÁS MAIS FORTE e… UM BRASIL MUITO MAIS FORTE !

  3. Patriarca da Paciência said

    J
    (…)
    !juridicamente, a Operação Lava Jato é um desastre de condução: o efeito prático das prisões de empreiteiros, que ficam calados nos depoimentos à Policia, como é seu direito legal, não acrescenta nada à investigação, ao contrário do que diz hoje o Procurador Geral da república, Rodrigo Janot.
    A menos, claro, que o método investigativo seja do de produzir informação com coação, o que seria abominável.
    Politicamente, porém, a conversa é outra.
    Dilma não é prisioneira de esquemas partidários, disso até as pedras sabem.
    Nem tem um temperamento leniente com “malfeitos”, outra obviedade.
    Ainda estamos navegando em águas muito superficiais neste escândalo.
    É preciso deixar que o processo avance para avaliar – embora o estrago seja geral – onde serão mais severos os danos.
    Ou, talvez, onde serão maiores os benefícios, porque o desgaste nas velhas estruturas parlamentares será, quem sabe, o estopim para uma reforma política como a que se quer e, em condições normais, morreria no próprio parlamento.
    Exceto no programa de Ana Maria Braga, é preciso quebrar ovos para fazer uma omelete.”

    http://tijolaco.com.br/blog/?p=23113

  4. Jose Mario HRP said

    http://www.redebrasilatual.com.br/saude/2014/11/novos-medicamentos-contra-a-aids-serao-distribuidos-esta-semana-no-sus-4644.html
    Enquanto a turma fala de impeachment, o MS trabalha.

  5. Jose Mario HRP said

    http://planetaosasco.com/acontece/50619-governo-inclui-no-sus-nova-vacina-contra-coqueluche-para-gravidas-e-recem-nascidos

    Enquanto a turma pede impeachment , o MS trabalha.
    Setalhe:
    O ministro é santista e espirita.

  6. Jose Mario HRP said

    http://www.planetaosasco.com/acontece/50621-producao-da-petrobras-no-brasil-cresce-9-e-bate-recorde-em-outubro

    Enquanto uns choramingam e perdedores, pedme revanche, esses aqui trabalham.

  7. Guatambu said

    Uma pergunta: a PF, responsável pela operação Lava Jato, faz parte de qual poder?

  8. Patriarca da Paciência said

    Guatambu,

    pelo que eu sei, a Polícia Federal faz parte do Ministério da Justiça e quem nomeia o chefe da instituição é o ministro da justiça.

  9. Elias said

    Tofoli…

    Dom Inácio Calamar parece não ter dado uma dentro, na indicação de ministros para o STF.

    Só deu penca!

  10. Patriarca da Paciência said

    A “grande obra” do Aécio, um conjunto de prédio faraônicos construídos pelas principais empreiteiras implicadas na “operação lava a jato”.:

    http://saraiva13.blogspot.com.br/

  11. Pedro said

    # 1, Baixou o piadista no Patriarca, de novo.

    Piada por piada, o governo Dilma, é mais ou menos isto:

  12. Patriarca da Paciência said

    Caro Elias,

    eu também sempre achei que o Lula não estava preparado para escolher ministros do STF. Será que o Brasil vai aceitar golpe paraguaio ?

    “O processo de impeachment exige aprovação de 2/3 do COngresso. Já a rejeição das contas impede a diplomação. A decisão fica com o Judiciário. Este é o golpe paraguaio.

    Já entrou em operação o golpe sem impeachment, articulado pelo Ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) presidente do TSE (Tribunal Superior Eleitoral) Antonio Dias Toffoli em conluio com seu colega Gilmar Mendes. O desfecho será daqui a algumas semanas.

    As etapas do golpe são as seguintes:

    1. Na quinta-feira passada, dia 13, encerrou o mandato do Ministro Henrique Neves no TSE. Os ministros podem ser reconduzidos uma vez ao cargo. Presidente do TSE, Toffoli encaminhou uma lista tríplice à presidente Dilma Rousseff. Toffoli esperava que Neves fosse reconduzido ao cargo (http://tinyurl.com/pxpzg5y).
    (Luiz Nassif)

  13. Patriarca da Paciência said

    (…)
    “O golpe final – já planejado – consistirá em trabalhar um curioso conceito de Caixa 1. Gilmar alegará que algum financiamento oficial de campanha, isto é Caixa 1, tem alguma relação com os recursos denunciados pela Operação Lava Jato. Aproveitará o enorme alarido em torno da Operação para consumar o golpe.

    Toffoli foi indicado para o cargo pelo ex-presidente Lula. Até o episódio atual, arriscava-se a passar para a história como um dos mais despreparados Ministros do STF.

    Durante a campanha, já tomara decisões polêmicas, que indicavam uma mudança de posição suspeita. Com a operação em curso, arrisca a entrar para a história de maneira mais depreciativa ainda. A história o colocará em uma galeria ao lado de notórios similares, como o Cabo Anselmo e Joaquim Silvério dos Reis.

    Ontem, em jantar em homenagem ao presidente do STF, Ricardo Lewandowski, o ex-governador paulista Cláudio Lembo se dizia espantado com um discurso de Toffoli, durante o dia, no qual fizera elogios ao golpe de 64.

    Se houver alguma ilegalidade na prestação de contas, que se cumpra a lei. A questão é que a operação armada por Toffoli e Gilmar está eivada de ilicitudes: é golpe.

    Se não houver uma reação firme das cabeças legalistas do país, o golpe se consumará nas próximas semanas.”

    http://jornalggn.com.br/noticia/armado-por-toffoli-e-gilmar-ja-esta-em-curso-o-golpe-sem-impeachment

  14. Guatambu said

    Então a Dilma manda a PF investigar uma decisão que ela mesmo tomou?

    Que gracinha… foster.

  15. Daise said

    ESCANDALOS SERIAIS: LULA

    STJ LIBERA DADOS DO CARTÃO CORPORATIVO DE ROSEMARY NORONHA,
    A “AMIGA ÍNTIMA” DE LULA

    http://www.diariodopoder.com.br/noticias/stj-libera-dados-de-cartao-corporativo-de-rosemary-noronha/

  16. Daise said

    ESCÂNDALOS SERIAIS: JOÃO VACCARI NETO

    CPI mista da Petrobras quebra sigilo fiscal, bancário e telefônico de tesoureiro do PT

    Por 12 votos a 11, requerimento foi aprovado apesar da resistência da base do governo

    http://oglobo.globo.com/brasil/cpi-mista-da-petrobras-quebra-sigilo-fiscal-bancario-telefonico-de-tesoureiro-do-pt-14593687#ixzz3JSDmfT3i

  17. Elias said

    O Toffoli já está sendo trabalhado pra desempenhar o papel dele, com entrevistas na Globo e tudo o mais.

    No mínimo, devem ter prometido fazer dele um herói, e lançá-lo candidato à Presidência da República.

    Peguei as imagens da entrevista dele no Jô Soares, e tirei o som. Ele parecia encantado em estar se tornando uma celebridade…

    Bem, agora os cumpanhêro vão começar a dizer que Toffoli é uma nulidade jurídica, etc e tal.

    Pode ser que seja, mas… E daí?

    Se dois ministros do STF podem tramar e executar um golpe, é porque o sistema judiciário é uma jerda, mesmo…

    Isso é só outra medida da necessidade e urgência de uma reforma total desse puteiro.

    O PT teve 12 anos pra fazer isso, e nem começou… Vai acabar pagando caro pela omissão.

    A direita brasileira vive o mesmo clima de desespero dos anos 1950/1960. Por ser elitista, antipática, pernóstica e incompetente do ponto de vista eleitoral, não consegue vencer uma eleição. Resultado: acaba vendo o golpe como única maneira de chegar ao poder.

    Uma boa parcela da grande mídia tudo fará pra ajudar. A Editora Abril, p.ex., sabe que tem que lutar pela sobrevivência. Sem acesso ao dinheiro fácil do Tesouro por 12 anos, ela encolheu continuamente. Hoje, ela é apenas a quarta parte do que era no último ano de mandato do FHC. E sabe que a coisas podem piorar — e muito! — daqui pra frente. A FSP também está encolhendo. Parece que já começou a demitir…

    Tendo que lidar com inimigos desesperados, o governo precisa de fragilidade institucional tanto quanto qualquer ser vivo precisa de um tiro na cabeça.

    E o STF, a mais alta Corte do país, pode ser qualquer outra coisa, menos institucionalmente estável. Há poucos meses, trocou a presunção da inocência pela presunção da culpa. Depois, trocou a presunção da culpa pela presunção da inocência. Depois, decidiu que o resultado de seu julgamento pode implicar a perda automática de mandato popular. Depois, decidiu que o resultado de seu julgamento NÃO pode implicar a perda automática de mandato popular.

    E assim por diante.

    Qualquer doido, bêbado, consegue ser mais coerente que o STF…

  18. Daise said

    ESCÂNDALOS SERIAIS: RECEITA DE LULA

    A presidente Dilma pode criar um cordão sanitário
    ILIMAR FRANCO
    18.11.2014 16h59m

    A presidente Dilma Rousseff está sendo aconselhada a adotar um cordão sanitário destinado a separar seu governo do escândalo Petrobras. O modelo seria semelhante ao construído pelo ex-presidente Lula no escândalo do mensalão.

    1. O primeiro movimento seria a criação de um Conselho Político para avaliar os fatos e articular as respostas do governo diante dos acontecimentos. Por exemplo, quando o então presidente do PTB, Roberto Jefferson, relatou que havia contado ao presidente Lula sobre o esquema que ele batizou de mensalão, houve conselheiros de Lula que disseram para ele negar. Mas outros o advertiram que se o fato ocorreu ele devia ser confirmado, pois Jefferson poderia ter gravado a conversa ou ter uma prova de que ela ocorreu.

    2. O segundo movimento é o de separar o seu governo da investigação feita pela Polícia Federal, pelo Ministério Público e pelo Poder Judiciário. Isso implica no afastamento de todos os que forem atingidos pelas revelações. No governo Lula, o todo poderoso José Dirceu deixou a Casa Civil. Essa atitude não implica em admissão de culpa, mas em tentar livrar o governo de todo o mal potencial.

    3. O terceiro movimento adotado por Lula foi o de fortalecer politicamente o governo. O ex-presidente entregou parcela importante da Esplanada para seu principal aliado, o PMDB. O então governador do Rio, Sérgio Cabral, indicou o médico José Gomes Temporão para o Ministério da Saúde. Agora, por exemplo, o PT perdeu qualquer poder de iniciativa para vetar que o seu principal parceiro, o PMDB, eleja o presidente da Câmara.

    4. O quarto movimento feito foi o de não associar o governo a qualquer tentativa de obstrução da investigação. Vale aquela máxima: quem não deve não teme. Foi o que fez o ex-presidente Lula, deixando que cada um respondesse pelo que era de sua responsabilidade. A cúpula do PT caiu. Ministros caíram. O mundo daquela época caiu. Mas o seu governo ficou de pé.

    (Hoje, na CPI, o líder do governo no Congresso, José Pimentel, adotou linha contrária. Ele se pronunciou contra requerimentos de convocação. Isso, quando a expectativa da sociedade é esclarecer tudo e depois da presidente Dilma ter dito que queria toda a verdade “doa a quem doer”.)

    5. O quinto movimento foi a determinação do ex-presidente Lula para que seus ministros e o governo, de uma forma geral, se dedicassem ao trabalho e a garantir que seu programa de ação fosse executado. Ele apostou que depois da tormenta o tempo abriria e novas perspectivas seriam criadas. É claro, que seu governo sempre correu o risco de ser engolido pela tempestade.

    Deu no que deu.

    A cúpula do PT foi parar na Papuda e Lula se esquiva de prestar depoimento à Policia Federal.

  19. Daise said

    ESCÂNDALOS SERIAIS:GRAÇA FOSTER

  20. Daise said

    PALESTINOS MATAM JUDEUS PORQUE ELES ESTAVAM VIVOS

    Dois homens invadem sinagoga em Jerusalém e matam quatro israelenses
    DAS AGÊNCIAS DE NOTÍCIAS

    18/11/2014 06h14 – Atualizado às 16h28
    Quatro israelenses morreram nesta terça-feira (18) quando dois homens atacaram uma sinagoga em Jerusalém antes de serem mortos pela polícia.

    “Dois terroristas entraram na sinagoga do bairro de Har Nof. Atacaram com machados, facas e uma pistola”, disse a porta-voz da polícia, Luba Samri.

    Samri informou que os suspeitos eram palestinos de Jerusalém Oriental –onde a maior parte da população é árabe. Já a sinagoga fica no bairro ultraortodoxo judaico de Har Nof, em Jerusalém Ocidental.

    O ataque foi celebrado pelos grupos Hamas e Jihad Islâmica, as duas principais forças islamitas palestinas, e, segundo a Reuters, foi reivindicado pela Frente Popular para Libertação da Palestina (PFLP, em inglês).

    Três dos mortos também tinham cidadania americana e o quarto tinha cidadania britânica.

  21. Daise said

    ESCÂNDALOS SERIAIS: LULA E DILMA

  22. Zbigniew said

    Elias,
    pelamordedeus, quem está governando?!
    Dilma não pode admitir que o aparato jurídico-policial tome a dianteira dos atos.
    Hoje o golpe está em vantagem, embora o fato de um relator rejeitar contas não importe, necessariamente, que a Corte irá votar no mesmo sentido.

    Repete-se o que aconteceu com Getúlio, empurrando-se a Presidenta para o isolamento político. Para que se evite isso o governo tem que ir pro pau. Para isso precisa entrar de cabeça na batalha da comunicação. Se a Presidenta fala ou um seu porta-voz, necessariamente a República vai escutar, e com ela todo o status-quo. Com isso procura atrair as massas que a apoiaram na reeleição criando uma linha de batalha. Se tiver que ir pro confronto, vai ser nas ruas. Só não pode fazer concessões desmedidas. Na realidade não devia fazer concessão alguma. Lá no G20 ficou claro que a doutrina do mercado desregulado perdeu para o keynesianismo. O que é que ela quer mais?!

    No parlamento tem que isolar as defecções, em especial o Cunha. Mas para isso tem que jogar pesado, tem que ser governo, porra! Vai ficar de mimimi com essa turma?! E outra, tem que trocar esses ministros da justiça e da comunicação. Duas nulidades que não combinam, nem contribuem; na verdade mais atrapalham porque são a face condescendente e fraca do governo.

    E agora, o que menos o governo pode ser é fraco!

  23. Zbigniew said

    Hoje a coisa funciona nesses termos (Hunduras e Paraguai foram exemplos recentes):

    “(…)
    … a transmigração da ideologia udenista das FFAA para o STF (a afirmação vale para o TSE e Judiciário em geral) se explica pela expressiva legitimidade simbólica da Constituição de 1988. Em razão dessa legitimidade a intervenção e a pretensa tutela da política não podem ser hoje feitas com rompimento expresso da Constituição, mas sim, utilizando-a como fundamento, embora apenas nominalmente. Daí a transmigração de um estamento estatal a outro.

    Daí que enquanto a Constituição de 1988 permanecer com o grau de legitimidade que tem hoje qualquer golpe será na modalidade ‘golpe branco’ e terá que ter a participação do STF (por isso personagens como Barbosa e Gilmar são hoje mais importantes para o golpismo do que os generais golpistas foram em 64).”

    http://jornalggn.com.br/noticia/qualquer-golpe-sera-na-modalidade-golpe-branco-e-tera-a-participacao-do-stf

  24. Pax said

    Nassif?

    Pois bem.

    Prefiro outras fontes.

    Por essas e outras que escolho a dedo as que uso.

    Acontece que a Lava Jato tem descortinado um bocado de coisa. E é preciso que não deixem corruptos posarem de vestais. Foi assim que Collor ganhou as eleições e deu no que deu.

    Como disse, se Dilma falou com o coração que o Brasil “pode mudar para sempre” (tem link no texto do post), ela pode sair bem na foto.

    Caso contrário… sei lá no que pode dar.

    O problema é que, suspeita minha, uma hora ela pode ter que defender Ele. Aí a coisa vai feder para o lado dela.

  25. Pax said

    Aqui acho que mora um perigo maior para as instituições… uma ruptura da base de forma avassaladora.

    http://www.diariodocentrodomundo.com.br/como-o-independente-eduardo-cunha-foi-lobista-das-teles-e-atuou-contra-o-marco-civil-da-internet/

    quem anda com jararaca uma hora toma picada com veneno

    agora imaginem a hora que a conexão Londrina levantar a questão das teles… do Paulo, não o diretor da BR, o das teles.

    aí a coisa pode feder mesmo.

    conexão Londrina – faz tempos que falo disso.

  26. Zbigniew said

    Pax,
    está claro que o Nassif se antecipou. E o fez de forma lógica. Onde que o Mendes vai aprovar as contas da Dilma?

    Aliás, sabes o que são análises de contas pela Justiça Eleitoral? Meras chancelas políticas. Acredite. Os pareceres dos Tribunais de Contas e do próprio Ministério Público Eleitoral é que denotam a verdade dos fatos, pelo critério técnico e técnico-jurídico, respectivamente. Ao relator cabe a apreciação jurídica com o viés político que lhe pretenda impor. Ou não, dependendo do caso. O subjetivismo atua de uma forma bem explícita. Obviamente que os pareceres daqueles órgãos servem de subsídios, mas não vinculam as decisões.

    Por isso muitas contas passam facilmente da rejeição para a “aprovação com ressalvas”. Depende muito da “motivação”. E o que vc acha que é o Mendes no STF e no próprio TSE?

    E então teme-se que o PT nomeie mais de 90% dos membros do STF? Com a qualidade e fidelidade de um Toffoli? Mas não se tem o que temer. Na verdade o partido nunca terá o know-how suficiente para adentrar nesse clube hermético e corporativista como o Judiciário.

    A bem da verdade agora que o governo Dilma começa a detonar os esquemas com as empreiteiras (sim, porque até onde sei a PF é subordinada ao seu governo) as reações serão cada vez mais violentas. O reacionarismo é assim e esse será o grande desafio dessa mulher que poderá entrar para a história do país como a que derrotou a sanha golpista contrária ao progresso da nação, lembrando que o Brasil não é um Paraguai, nem Honduras. Ou simplesmente repetir o destino getulista.

  27. Patriarca da Paciência said

    http://politica.estadao.com.br/noticias/geral,para-tarso-eleger-cunha-e-comeco-do-fim-da-alianca-imp-,1594262

  28. Jose Mario HRP said

    O tal Cunha está se borrando.
    O Bahiano se entregou, e sabe da vida do Cunha.
    O cara que teve uma das mais caras campanhas no Rio.
    E virá aí o resto, com direito a PSDB e outros, nas delações que virão.
    O Jannot já avisou……
    Se escrevi Jannot errado sorry.
    Bom, se o Nassif não é confiável , quem o é?
    KKKKKKKK……
    Merval?

  29. Jose Mario HRP said

    http://economia.uol.com.br/empregos-e-carreiras/noticias/redacao/2014/11/19/desemprego-no-brasil-em-outubro-fica-em-47-queda-no-mes-e-em-um-ano.htm

    Pois é, pois é!

  30. Jose Mario HRP said

    Pela ordem senhor presidente!
    Um minuto de silencio para a, mais uma vez, derrotada oposição ao governo.
    Mudou a meta fiscal……..
    E a tão propalada guerra das oposições?
    KKKKKKKKK…….fraquinha , fraquinha!

  31. Guatambu said

    O Brasil não é o Paraguai mesmo…

    Lá tem imposto único… aqui…

  32. Elias said

    “Repete-se o que aconteceu com Getúlio, empurrando-se a Presidenta para o isolamento político. Para que se evite isso o governo tem que ir pro pau. …… E agora, o que menos o governo pode ser é fraco!” (Zbigniew)

    É exatamente o que eu acho, Zbigniew! A Dilma tem que ir pro pau!

    Fico meio constrangido em dizer isso, porque tem gente aqui que vai preferir entender literalmente, e eu jamais pensaria em recomendar algo assim à Dilma, porque não é da minha conta o que ela faz fora do horário de expediente. Não meto (epa!) o bedelho (ah, bom…) na vida sexual de ninguém.

    Mas, voltando ao tema, o negócio é jogar e não deixar jogar… Tem que travar o pessoal hidrófobo, porque ele vai acabar fazendo jerda…

    Isso acontecendo, das duas, uma: ou o pessoal se submete, e deixa o golpe rolar, ou — o que eu prefiro — a gente estoura a porrada. Aí a coisa vai ou racha! Pode ser que o Brasil se arrebente de vez, mas também pode ser que ele avance 50 anos em três ou quatro…

    Hoje eu acho que a reforma do Judiciário tem precedência sobre a reforma política, por um monte de razões, destacando-se, entre elas: (i) do jeito que está, o Judiciário pode prejudicar e até impedir a realização da reforma política; (b) o Judiciário virou uma Casa da Mãe Joana, deixando de ser uma referência sobre a interpretação das leis do país, já que ele muda de opinião a todo momento; (c) o Judiciário está partidarizado; (d) o Judiciário está funcionando sem nenhum mecanismo de controle, o que fez dele um campo fértil para toda sorte de arbitrariedades e desmandos; (e) o Judiciário não dispõe de instrumentos que regulem a conduta de seus membros, favorecendo o comportamento espalhafatoso e midiático de parte deles, que passam a se conduzir com se estivessem se exibindo para uma platéia, com o claro propósito de servir a interesses político-partidários e à própria ambição individual, e não à Administração da Justiça.

    Parafraseando FDR: é preciso salvar o Brasil de seu Judiciário, assim como é preciso salvar o Judiciário brasileiro de si mesmo.

  33. Zbigniew said

    Elias,
    você tem razão, passa sim por esse poder assimétrico. O pior que pode acontecer é o governo aceitar passivamente a sabotagem da direita, observando-se que ainda há muito o que fazer para que o Brasil possa dar um salto no seu processo civilizatório e de inclusão social.

    A maioria das pessoas não se apercebe a nova guerra fria que se instalou dentro do capitalismo, onde o nosso país apresenta uma alternativa moderada de domesticação do sistema com ações de mobilidade e justiça sociais. É isto que está em jogo é não dá mais para contemporizar ou ficar afagando suscetibilidades de mídia ou parlamento. O jogo é jogado e a Dilma, quis o destino, está no centro desse imbróglio.

    Há um texto primoroso que retrata bem esse complexo, perigoso e riquíssimo momento que vivemos. Será que a Dilma, o PT e as forças progressistas estarão à altura do desafio?

    Segue o link: http://www.cartamaior.com.br/?/Editoria/Politica/Brasil-a-grande-divisao/4/32259

  34. Patriarca da Paciência said

    Uma boa notícia em meio a esse tumulto todo:

    “MILITARES AVISAM RADICAIS: O BRASIL É UMA DEMOCRACIA

    Os três chefes das Forças Armadas, o almirante Julio Soares de Moura Neto, o general Enzo Peri e o brigadeiro Juniti Saito, falaram à jornalista Monica Bergamo sobre as manifestações radicais que pediram a volta da ditadura e conseguiram atrair até um ex-guerrilheiro que combateu o regime militar como o senador Aloysio Nunes (PSDB-SP); Moura Neto falou em militares “inseridos na democracia”; Saito criticou “extremistas”; Peri afirmou que o Brasil vive ambiente de “absoluta normalidade”
    (247)

    Acho que a Dilma está esperando o momento certo para dar o xeque-mate. O Lula também está muito quieto. As únicas forças que poderiam tumultuar todo o processo estão ao lado da Democracia.

    Então, acho que a direitona está mesmo é fazendo o máximo de barulho possível, tentando ganhar o jogo na base da estratégia do truco, ou seja, quem faz mais barulho, ganha.

  35. Patriarca da Paciência said

    Jabor & Cia.

  36. Guatambu said

    Para mim a Dilma tem a chance de fazer o que ninguém tem coragem de fazer, que é aumentar o nível de transparência em todas as esferas de poder.

    O caso do juiz que processou a agente de trânsito deveria servir de incentivo.

    Mas para fazer isso a Dilma não pode ter teto de vidro… aí a coisa fica complicada, né…

  37. Guatambu said

    Mais uma coisa:

    Hj o Deutsche Bank recomendou a compra da Petrobras e as ações da empresa dispararam.

    Especulação pura… feita na gringa… não era isso que a Dilma tentava evitar?

    Alguém aqui disse que a Dilma tem que fazer o contrário do que pensa o mercado, eu discordo. Acho que essa falta de notícias propicia esse tipo de atuação.

    Quem era aquele analista que reclamava que não dava pra especular no Brasil, mesmo?… coitado… mal sabe ele.

  38. Pax said

    Sinceramente tô com vontade de comprar Petrobras.

    Preço baixo e a empresa só pode melhorar.

    Se Dilma for pro pau, volto a dar uma chance para sua imagem comigo, independente da tragédia com as questões ambientais. Caso contrário…

    E se colocar Kátia Abreu no ministério, aí viro PSTU ou mais… quem sabe um PCO.

  39. Elias said

    Guatambu,

    I
    O analista que reclamava era o bam-bam-bam da ADVFN.

    II
    O Lula foi quem aconselhou Dilma a surpreender o mercado… Nunca fazer aquilo que o mercado espera.

    É só pensar uns poucos minutos no assunto, pra sacar que ele tem razão…

    III
    Comprar ações da Petrobras foi, é e continuará sendo uma boa. É uma das empresas mais sólidas e lucrativas do mundo. O Deustsche Bank e o Warren Buffett que o digam…

    A subida do valor das ações da Petrobras era algo mais do que esperado por um monte de gente que manja do assunto.

    A explicação é simples: a queda do valor das ações se devia, basicamente, a dois fatores: (a) redução do preço do barril do petróleo no mercado internacional (num comentário do outro post eu reproduzi uma parte da série histórica da cotação na Bolsa de Londres); (b) questões políticas, envolvendo o cronograma de atualização dos preços dos combustíveis no Brasil e a apuração de irregularidades cometidas por pessoas do alto escalão da empresa. Paralelamente a isso, há uma empresa funcionando, produzindo, vendendo e gerando lucros, e, no frigir dos ovos, isso é que vai determinar seu valor de mercado.

    A especulação no mercado financeiro acontece dentro de uma faixa (os pontos de “suporte” e de “ruptura”), determinada, exatamente, pela capacidade da empresa de gerar e distribuir lucro…

    Quando os preços baixam muito, aproximando-se do limite inferior da faixa, a demanda cresce, o que impulsiona os preços pra cima. Reciprocamente, quando os preços sobem muito, aproximando-se do limite superior da faixa, a demanda recua, paralisando a alta dos preços, e, eventualmente, provocando sua queda. É o mecanismo elementar de formação do preço com base na oferta e na demanda, dentro de um limite determinado.

    Se, por injunções políticas, o preço de mercado cai abaixo do limite inferior da faixa de oscilação do mercado, o papel se torna um excelente negócio para quem não precisa de muita liquidez. Quem pode esperar algum tempo, antes de passar o papel em frente, lucrando. É que, com o preço excessivamente baixo, o lucro por ação gerado pela empresa vai compensar o que a revenda do papel não proporciona. Com seu preço baixo demais, o papel passa a ser extremamente interessante para grandes investidores.

    O mesmo mecanismo funciona no sentido inverso, ou seja, com os preços de mercado se situando próximo do ponto de ruptura, ou, por artes de satanás, superando o ponto de ruptura. Nesse caso, a diferença entre o valor patrimonial e o valor de mercado é tamanha, que não consegue ser compensada pelo lucro por ação. Se isso acontece, o movimento seguinte é de queda livre.

    Segundo alguns especialistas, os limites de preço de mercado de uma ação preferencial da Petrobras são: R$ 16 a R$ 18 (interior) e R$ 22 a R$ 24 (superior). Os limites variam de acordo com o analista, mas a coisa é mais ou menos essa.

    Pelo que se sabe, recentemente a ação preferencial da Petrobrás chegou a ser negociada a pouco mais de R$ 12. Muito abaixo do ponto de suporte, na avaliação dos mais pessimistas…

    Daí porque a subida desse preço era só uma questão de tempo…

    Mas isso não muda a escrita: a especulação no mercado financeiro acontece sempre dentro da faixa entre os pontos “de suporte” e de “ruptura”. Nas grandes empresas, a alteração dessa faixa acontece bem lentamente. Uma variação de 5% a.a. é considerada um fenômeno.

  40. Elias said

    Zbigniew,

    Muito boa a análise do Boaventura.

    Pra mim, sempre esteve claro que a direita brasileira está assim, tão assanhada, porque conta com o apoio dos “bwanas” externos. Estes, por seu turno, miram na privatização (leia-se: internacionalização) da Petrobras e do Pré-sal.

    Os entreguistas de sempre, tentando inutilmente esconder seu entreguismo atrás do mesmo remelento discurso pseudo-moralista de sempre.

    E os otários de sempre, sempre prontos a servir de rebanho… Mesmo tentando inutilmente fingir que não…

    Dificilmente os oficiais superiores das Forças Armadas brasileiras vão se deixar manipular por esse tipo de escória… Pode até ser que um ou outro, contemplando interesses pessoais, concorde em chafurdar nesse chiqueiro. A maioria vai tratar a porcada a pontapé!

  41. Guatambu said

    Não é que a empresa só pode melhorar, é que a empresa TEM que melhorar.

    Mas se vc acha que vale a pena comprar Petrobras, eu acho que perdeu o timming.

    Ela ainda está desvalorizada, mas ontem estava mais! hehehehe

    Elias, vc chegou a dar uma olhada no futuro do petróleo?

    Minha visão é de que o mundo está sofrendo um ajuste: antecipando um menor crescimento na China e um problema de crescimento no Japão e Europa… mas, uma vez ajustado, o preço volta a subir.

    Se isso acontecer, é bom comprar Petrobras, mas se a perspectiva de preço ainda estiver baixa… talvez valha esperar um pouquinho mais, quem sabe aguardar um outro soluço provocado pela PF.

  42. Pax said

    será que passou da hora de comprar?

    http://br.advfn.com/bolsa-de-valores/bovespa/petrobras-PETR4/cotacao

    diz aí, caro Guatambu, causo de quê?

  43. Guatambu said

    Não sei Pax… vc tá pensando em vender isso quando?

    Se for pra vender na semana que vem, acho que não é hora… se vc estiver pensando em ficar ad eternum com essa ação, como o Elias, pode ir em frente.

    Eu estou mais focado no curto-prazo, então ando me aproveitando dos soluços que derivam de notícias ruins:

    – atrasa balanço – ponto de compra
    – adia decisão – ponto de compra
    – PF prende uma galera – ponto de compra

    Pra cada evento desse, dali 1 ou 2 dias as ações dão uma recuperadinha.

    Tá legal brincar com essa “desinformação” do mercado.

    Mas para quem é tão focado em sustentabilidade como vc… me surpreende que vc queira investir em uma empresa focada em extração de petroleo…!

    hehehehe

  44. Zbigniew said

    Mas os golpes brancos nunca devem ser descartados, Elias.
    Sobre energia no Brasil e a preponderância dos hidrocarbonetos, parece que o negócio tem outras nuances….

    “O International Business Times publicou um artigo nesta terça-feira (18/11) em que faz uma previsão positiva para o Brasil: o país vai ultrapassar os Estados Unidos como o líder mundial no mercado para bioenergia, segundo a empresa de pesquisa GlobalData. “Os EUA mantêm a liderança por enquanto, mas espera-se que o Brasil aumente sua capacidade instalada de bioenergia em todo o país de 11.51 gigawatts (GW) em 2013 para uma marca estimada em 17,1 GW por volta de 2018, tornando-se assim o maior mercado do mundo”, diz a matéria de Dion Rabouin.”

    http://www.jb.com.br/ciencia-e-tecnologia/noticias/2014/11/18/ibt-brasil-deve-superar-eua-como-lider-no-mercado-de-energia-renovavel/

  45. Elias said

    Guatambu,
    Deves saber que a Petrobras não é só petróleo.

    Ela está em vários outros negócios ligados à energia. Quase todo o programa brasileiro de biocombustível é tocado pelo petrossauro.

    Futuro do petróleo? Acho que não tem. O petróleo tem um passado pela frente…

    Qualquer que seja o rumo pra onde o Brasil irá nessa área, ele será conduzido pela Petrobras… A menos que os entreguistas tomem o poder, e que os índios mansos não reajam.

    Minha aposta? Pra mim, a melhor sacada é o hidrogênio. A matéria prima é algo que o Brasil tem até demais: água (São Paulo não concorda, né?). Não polui (o descarte do hidrogênio é água pura); não gera custo de transporte (pode ser produzido no local de abastecimento — os “postos de hidrogênio”)… E por aí afora.

    A Noruega já avançou pra caramba nesse sentido. Lá já tem carros nas ruas, queimando hidrogênio.

    Mas o Brasil já avançou muito — e investiu muito — no bio… Não sei como vai ser. É sempre difícil voltar atrás…

  46. Elias said

    Zbigniew,

    Ainda não tinha visualizado o teu comentário, quando respondi ao Guatambu.

    Mas é isso aí. O Brasil avançou pra caramba na tecnologia e na produção de biocombustível. Difícil imaginar uma guinada na direção do hidrogênio.

    Não gosto do bio. Pra mim, é altamente poluente. Não queira sentir a poluição gerada pela cana-de-açúcar.Mamona, dendê… Todas as alternativas seguem o mesmo enredo. Poluem na produção e no consumo.

    Não consigo ter alguma simpatia por isso. Prefiro o hidrogênio.

  47. Elias said

    Zbigniew,

    Outro bom lance do Boaventura, é a análise que ele faz dos interesses da “grande” mídia na derrubada da Dilma.

    Acertadamente, ele avalia que a Veja deixou de ser “border”… Ela cruzou a linha, e passou a adotar uma conduta abertamente criminosa.

    A galera “hidrófoba”, como a qualifica a Miriam Leitão, delira com o tom facinoroso da Veja…

    Tudo a ver…

  48. Zbigniew said

    São os pontas-de-lança do sistema, isso no mundo todo.
    Por isso falei em comunicação. É nessa batalha que se começa a vencer a guerra.

    O Boaventura deu uma simplificada num lance complexo de política e poder no âmbito local e seus desdobramentos numa situação mais ampla. Daí as ideias de capitalismos, nova guerra-fria e social-democracia e o papel do Brasil na fixação desses conceitos e sua permanência na esfera global. Alternativa ao “fim da história” e a um mundo unipolar, de uma ideologia baseada em mercados desregulados e teorias da dependência.

    Quanto ao hidrogênio, concordo contigo. Mas espero que um dia a humanidade decifre os mecanismos da fotossíntese para a produção de energia. Entretanto isso só se dará daqui a um bom tempo.

  49. Daise said

    Medeus ,

    o “sitio do pica-pau vermelho” esteve agitado hoje…
    só asneiras, algumas até “intelectualizadas”
    e ai só vimos besteiras fantasiadas de “verdades”.

    Obtidas a partir de nassif e cartamaior…

    O badass até esqueceu que é judeu e esqueceu de comentar os assassinatos em Jerusalém por extremistas palestinos e Z aguarda pela foto síntese como fonte de energia

    Enquanto isso no mundo real:

    Com medo de que haja irregularidades nas contas de campanha de Dilma, PT inventa o fantasma do golpe

    Ricardo Noblat

    Ora, ora!

    Petistas de muitas estrelas estão desesperados com a escolha do ministro Gilmar Mendes para relator das contas de campanha da presidente Dilma Rousseff.

    Escolha, não, que ninguém escolheu Gilmar. Ele foi sorteado.

    O Ministério Público Eleitoral, se fazendo de braço armado da Advocacia Geral da União e do PT, está tentando impugnar a indicação de Gilmar.

    O que alega?

    O processo relativo às contas da campanha de Dilma estava nas mãos do ministro Henrique Neves, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

    No último dia 13, o mandato de Henrique terminou. Com bastante antecedência, o ministro Dias Tóffoli, presidente do TSE, havia encaminhado a Dilma uma lista tríplice com nomes de possíveis substitutos de Henrique.

    Um dos nomes da lista foi o do próprio Henrique, que poderia ser reconduzido.

    Como Dilma nada respondeu, e sem poder contar mais com Henrique, Tófolli acionou o sistema eletrônico do TSE, que sorteou o nome de Gilmar para relator das contas.

    O Ministério Público Eleitoral entende que, em caso de vacância do ministro efetivo, o encaminhamento dos processos que estavam com ele deverá ser feito para o ministro substituto da mesma classe. No caso, da classe de Henrique.

    Tecnicalidade. Que de nada vale. Muito menos quando o ministro sorteado para relatar um processo é titular do Supremo Tribunal Federal. Como Gilmar é.

    O PT acionou sua rede de blogueiros chapa branca para disseminar nas redes sociais o fantasma de um golpe planejado por Tóffoli para que as contas da campanha de Dilma sejam rejeitadas. Assim ela não poderia ser diplomada no próximo dia 18.

    Tóffoli foi advogado do PT, assessor de José Dirceu na Casa Civil da presidência da República, Advogado Geral da União do governo do PT e é ministro do STF por escolha de Lula. Por que ele conspiraria contra Dilma? Não tem cabimento.

    Para liquidar de vez o assunto: a pedido de Tóffoli, antes do fim do mandato de Henrique, Gilmar telefonou para José Eduardo Cardoso, ministro da Justiça.

    Lembrou que o mandato de Henrique estava por terminar. Falou sobre o processo das contas de Dilma. E sugeriu que Henrique fosse reconduzido ao cargo para poder relatá-las.

    Não se sabe se Cardoso tratou do assunto com Dilma. Sabe-se que nada aconteceu.

    Se as contas de Dilma estão em ordem por que o medo do PT e do Ministério Público Eleitoral de que elas sejam relatadas por Gilmar?

    Como relator, Gilmar só tem o próprio voto. Que será submetido ao exame dos demais ministros do TSE.

    A teoria do golpe tem a ver com o medo do PT de que haja irregularidades nas contas de Dilma. E de que Gilmar as aponte. Tenta-se constranger o ministro.

    É isso.

  50. Daise said

    ESCÂNDALOS SERIAS: OLEO DERRAMADO

  51. Daise said

    ESCÂNDALOS SERIAIS: AGORA O “ELETROLÃO”

  52. Daise said

    ESCÂNDALOS SERIAIS: MINISTÉRIO DA FAZENDA?

  53. Daise said

    PIB 2014: CULPA DO GOVERNO FHC

  54. Daise said

    ESCÂNDALOS SERIAS: + ÓLEO DERRAMADO

    Graça não revelou à CPI que estatal foi informada sobre propina

    FSP

    GABRIEL MASCARENHAS
    DE BRASÍLIA
    SAMANTHA LIMA
    DO RIO

    19/11/2014 23h31

    A presidente Graça Foster não revelou à CPI mista que a Petrobras foi informada sobre descobertas do Ministério Público holandês de que funcionários da estatal receberam propina da SBM Offshore.

    A oposição acusa Graça de mentir no dia 11 de junho, quando foi prestar esclarecimentos ao colegiado.

    Na ocasião, Marco Maia (PT-RS) perguntou se a Petrobras estava respondendo a alguma “ação no exterior ou no Brasil por conta dessa denúncia”. Graça negou: “Não fomos informados”.

    No dia 27 de maio, 15 dias antes de a presidente ir à CPI, a Petrobras recebeu uma carta enviada pela SBM, fornecedora de plataformas da Holanda.

    O documento avisava: o Ministério Público holandês tinha informação de que “foram pagos valores a empregados da Petrobras por meio do representante no Brasil”.

    Na mesma sessão da CPI, o próprio Maia e outros parlamentares insistiram para Graça dar informações a respeito das denúncias.

    A presidente argumentava que a apuração interna da Petrobras, feita entre entre fevereiro e abril, não havia descoberto irregularidades.

    Só nesta segunda-feira (17) a presidente anunciou publicamente que a estatal tinha conhecimento dos elementos da investigação das autoridades internacionais. Disse que foi informada “meses atrás”.

    “Imediatamente mesmo, informamos à SBM que ela não participaria de nenhuma licitação conosco”.

    “Lamento dizer que a Presidente Graça Foster mentiu nessa CPMI, porque, se em 11 de junho, ela dizia que não havia nenhuma informação com relação ao pagamento de propina e, agora, ela fala que, desde maio, já havia ofício, ela mentiu para o povo brasileiro”, disse Antônio Imbassahy (PSDB-BA).

    Antes mesmo de ir à CPI mista (formada por deputados e Senadores), Graça Foster já havia comparecido à Comissão Parlamentar de Inquérito exclusiva do Senado. O depoimento ocorreu, coincidentemente, em 27 de maio, data em que a estatal recebeu o comunicado informando sobre as descobertas do Ministério Público holandês.

    Naquele dia, Graça também não tocou no assunto referente à carta da SBM. Afirmou, porém, que havia eliminado a ex-fornecedora da lista de convidados para futuras licitações.

    Pelo relato, a SBM teria pago propinas a funcionários da Petrobras, com o objetivo de fechar contratos.

    Procurada, a Petrobras argumenta que a SBM não confirmou o pagamento de propina, como diz o Ministério Público da Holanda. Conclui, dizendo que, ao receber a carta da antiga fornecedora, a repassou para as autoridades competentes. A Petrobras diz ainda que não reabriu a investigação interna depois de receber as informações passadas pela SBM.

  55. Daise said

    ESCÂNDALOS SERIAIS: PAX E DILMINHO EM 2009

    CPI DA PETROBRÁS NO SENADO 2009
    ———————————–

    HRP SOFT! said

    12/11/2009 at 8:01
    Acabou de tanta falta do que investigar!
    Foi tarde!

    Pax said

    12/11/2009 at 10:31
    Não só há o que investigar como o próprio Gabrielli diz

    ““Houve uma identificação clara de uma quadrilha. Uma vez identificado o problema e tornado público, punimos várias pessoas e tomamos todas as providência para desmantelar essa quadrilha que atuou em nossos projetos….”

    Auditoria não é ruim. Ainda mais onde há muito dinheiro público envolvido e num país onde a corrupção tomou de assalto boa parte da coisa pública.

    Uma coisa não significa a outra. A motivação política da CPI, no meu entender, não quer dizer que não sejam necessários controles de toda ordem na Petrobras ou onde quer que seja necessário.

    A oposição é que, de tão fraca que é, foi esmagada. O que também não é lá grandes sinais.

    Se tivéssemos um bom Senado, estaríamos bem melhor.

    Não acredito que temos um… ou você acha que um senado dominado por Sarney, Renan, etc é bom?

    ——-
    Pax foi enganado e ainda cagou regras…opaco como sempre, rsrsrs

    e Sergio Guerra teria, supostamente, recebido 10 milhões pra “amolecer” a CPI de 2009.

    VAMOS COMPARAR:

    Sergio Guerra 10 milhões x Paulo Bernardo e Gleise 1 milhão

    Quem acredita?

  56. Daise said

    EMPRESA INVESTIGADA POR FRAUDES NA PETROBRÁS DEU r$ 1,6 MILHÃO AO PT em 2007

    http://www1.folha.uol.com.br/folha/brasil/ult96u311276.shtml

    Os petistas perderam a vergonha e Pax a face!

  57. Daise said

    MEMÓRIA SELETIVA: POLITICALHEIRA ????

    https://politicaetica.com/category/operacao-aguas-profundas/

    Pax com a palavra…rsrsrs

  58. Daise said

    foto do fernando baiano…o suposto operador do PMDB

  59. Daise said

    ESCÂNDALOS SERIAIS: FERNANDO BAIANO

    Firma de lobista tem R$ 71 mi em contratos com Petrobras

    Fernando Baiano, que está preso, é sócio de empresa que atua em plataformas

    Desde 2007, a estatal assinou 86 contratos com a empresa de Baiano, num total de R$ 131,6 milhões

    MARIO CESAR CARVALHO ALEXANDRE ARAGÃO DE SÃO PAULO

    Uma empresa que tem como sócio o lobista Fernando Soares, que se entregou nesta terça-feira (18) à Polícia Federal em Curitiba, tem contratos de R$ 71,2 milhões com a Petrobras, segundo documentos obtidos pela Folha.

    Conhecido como Fernando Baiano, ele é apontado como o elo entre os desvios da estatal investigados pela Operação Lava Jato, que apura fraudes em licitações e propina a políticos, e o PMDB.

    Baiano teve a sua prisão decretada pelo juiz Sergio Moro sob suspeita de intermediar o pagamento de propina para peemedebistas. O PMDB refuta ter qualquer relação com o lobista.

    Um dos delatores da Operação Lava Jato, o empresário Julio Camargo, do grupo Toyo Setal, relatou a procuradores que Baiano recebeu propina de US$ 8 milhões para que a sua empresa conseguisse fechar um contrato de sondas com a Petrobras.

    A empresa da qual Baiano é sócio, a Petroenge Petróleo e Engenharia, presta serviços de manutenção e de apoio para as plataformas marítimas de extração de petróleo da estatal, segundo consta dos contratos assinados.

    A Petroenge fica em Macaé, no Rio de Janeiro, onde estão localizadas as empresas que atuam na bacia de Campos.

    A empresa tem três filiais no Espírito Santo e uma na Bahia, todas em cidades em que a Petrobras tem unidades: Vitória (ES), Anchieta (ES), Linhares (ES) e São Sebastião do Passe (BA).

    Desde 2007, quando a Petroenge fechou o primeiro negócio com a estatal, a Petrobras assinou 86 contratos com a empresa, num total de R$ 131,6 milhões, segundo dados da própria estatal, disponibilizados em seu site.

    NEGÓCIOS

    Baiano virou sócio da Petroenge por meio de outra empresa de que ele também é sócio, a Hawk Eyes Administração de Bens.

    A Hawk Eyes detém 18% do capital da Petroenge, segundo a ficha registrada na Junta Comercial do Rio. Ou seja: Baiano investiu R$ 748,8 mil numa empresa que tem capital de R$ 4,16 milhões, ainda de acordo com a ficha cadastral da empresa.

    O sócio majoritário da Petroenge, Guilherme Mendes Spitzman Jordan, foi secretário da Prefeitura de Macaé quando o prefeito da cidade era do PMDB.

    Segundo o empresário, Baiano apenas investiu no negócio e não tem qualquer ingerência nos contratos.

    Na terça-feira (18), o juiz federal Sergio Moro determinou que o sigilo da empresa seja quebrado.

    A Hawk Eeyes, por sua vez, é controlada por uma empresa que tem sede em Londres, no Reino Unido, a Falcon Equity Limited.

    DEPOIMENTO

    Baiano é sócio de outra empresa que deve ter o sigilo bancário quebrado por determinação da Justiça Federal do Paraná: Technis Planejamento e Gestão.

    Até o ano passado ele tinha participação na Academia da Praia, um tradicional centro de ginástica na Barra da Tijuca, na zona sul do Rio.

    O negócio foi vendido para o grupo Bodytech, que tem entre seus sócios os empresários Alexandre Accioly e João Paulo Diniz.

    O lobista está preso na carceragem da Polícia Federal em Curitiba, sede das investigações da Lava Jato, e deve prestar depoimento nesta sexta-feira (21).

  60. Daise said

    A CULPA É DO FHC QUE NÃO MANDOU A PF INVESTIGAR A PETROBRÁS DESDE 2002

    essa será a proxima bobagem dos petistas …que ora discutem o STF, rsrsrs

  61. Jose Mario HRP said

    O Pax precisa detetizar o blog.
    O Bahiano promete dedurar o Cunha…….
    Delegado ruim de profissão tentou incriminar outro diretor da Petrobras e volta atras com pedido de desculpas?
    E a honra do cara?
    Facil assim?

    E o desemprego hein?
    Não para de cair, estamos mais que no “pleno emprego”!
    E os dollares dos invetidores?Não param de chegar!
    Deu nos grandes jornais dos EUA e Reino Unido!
    E a Mirian Leitoa?
    Engasgando!
    E a Petrobras?
    Bateu recorde de produção de barris de petroleo!
    E GE?
    Inaugurou o maior centro de pesquisas das americas fora dos EUA!
    Franquinha hein?

    E a Flórida?
    Continua cheia de ladrões e safados brasileiros escondidos !
    KKKKKKKKK…..
    E a lavagem de dinheiro por lá?
    Bombando!

  62. Jose Mario HRP said

    Morreu Marcio Tomaz Bastos.

  63. Patriarca da Paciência said

  64. Patriarca da Paciência said

    “Foi o maior roubo de dinheiro público que eu já vi”. A declaração do deputado federal oposicionista Fernando Francischini, do PSDB, não é sobre a Petrobras, ou o que a mídia convencionou chamar de Mensalão, mas sobre o Escândalo do Banestado (Banco do Estado do Paraná). O Banestado, por meio de contas CC5, facilitou a evasão de divisas do Brasil para paraísos fiscais, entre 1996 e 2002, na ordem de R$ 150 bilhões. O caso se transformou em na CPMI do Banestado, em 2003, da qual fui integrante em meu primeiro mandato.

    Foi uma longa investigação que resultou no relatório final com pedidos de indiciamento de 91 pessoas pelo envio irregular de dinheiro a paraísos fiscais, dentre eles o ex-presidente do Banco Central do governo FHC, Gustavo Franco, o ex-prefeito de São Paulo, Celso Pitta, Ricardo Sérgio de Oliveira, que foi arrecadador de fundos para campanhas de FHC e José Serra, funcionários do Banestado, doleiros e empresários.”

  65. Patriarca da Paciência said

    http://www.cartamaior.com.br/?/Editoria/Politica/O-Caso-Banestado-a-Petrobras-e-o-feitico-do-tempo/4/32268

    Link do artigo acima.

  66. Pedro said

    #38 Pax, uma coisa ou outra.

    Se vc colocar um capital em papeis, pra auferir dividendos e rentabilidade, sem trabalhar, vc passa a ser um capitalista
    direitista, malvado, sem coração.(praticamente um Chesterton).

    Consequentemente vai ser excomungado tanto pelo PSTU quanto pelo PCO. :-)

  67. Jose Mario HRP said

    http://www.conversaafiada.com.br/economia/2014/11/20/urubologa-compra-uma-cibalena-com-o-deusmar/

    Só leia…………..

  68. Patriarca da Paciência said

    “Rascunhos pela exceção produzidos, na mídia, pela trinca Merval Pereira, Ferreira Gullar e Arnaldo Jabor despertam repulsa; chamados à radicalização feitos pelo senador Aloysio Nunes e ex-governador Alberto Goldman os equiparam ao deputado Jair Bolsonaro; povo não corresponde a impulsos golpistas; falta de ressonância política à pregação da quebra da ordem mostra que arautos do caos estão isolados”

    Há que se acrescentar na lista o reinaldo rolabosta, augusto boçal canalha nunes e a tal Joice Hasselmann, uma loura boazuda mas de pequena inteligência.

    É o Incrível Exército do PIG. Cabem num Fusca, ou, quando muito, numa Topic !

  69. Patriarca da Paciência said

    O primeiro parágrafo acima é do blog 247.

  70. Pax said

    Caro Pedro,

    E quem disse que um social democrata convicto não pode auferir ganhos de capital?

    ;-)

    Caro HRP,

    Sobre limpar o blog, insisto que ele seja democrático, escreve quem quer, o que quer. Só não vale ofender a família do blogueiro que não tem nada com nada disso aqui. Mal sabem que este espaço existe.

  71. Daise said

    O escândalo do mensalão estancou à porta do Palácio do Planalto. E se o da Petrobras forçar a entrada?

    Ricardo Noblat

    Eis a questão: o que fazer com as empreiteiras que comprovadamente corromperam ou se deixaram corromper em negócios com a Petrobras?

    Bastará multá-las? Ou multá-las, obrigando-as também a devolver o dinheiro público desviado?

    Ou seria o caso de, além disso, declará-las inidôneas?

    Quer dizer: elas não poderiam mais fazer negócios com os governos e suas empresas durante certo tempo.

    Ou não: as empresas seriam deixadas em paz. Seus donos e executivos atuais é que seriam proibidos de negociar para sempre com os governos. Que tal?

    Não daria para puni-las suspendendo a execução de outras obras para o Estado. A não ser que se conclua que também houve corrupção fora do âmbito da Petrobras. O que seria possível, convenhamos.

    Tais indagações fornecem uma pálida ideia do tamanho da confusão que a Justiça e o governo terão pela frente.

    A confusão será tanto maior quanto for a indignação crescente do distinto público com roubalheiras.

    E, passada a etapa atual que culminou com o arrastão de donos e executivos de empreiteiras detidos pela Polícia Federal…

    E quando o Congresso se achar diante da tarefa de cassar dezenas de deputados e senadores?

    O corporativismo dos políticos acabará vencendo?

    O país será sacudido por novas manifestações de ruas pedindo cadeia para os culpados?

    Por último: a investigação do escândalo do mensalão estancou à porta do Palácio do Planalto. Dali não passou por falta de interesse da Justiça e da oposição ao governo.

    Novamente assistiremos ao mesmo filme?
    ————————-
    Lula resistirá ? Seu famoso advogado morreu.E agora?

  72. Daise said

    ESCÂNDALOS EM SÉRIE

  73. Daise said

    A pequenez da presidente
    O ESTADO DE S.PAULO
    20 Novembro 2014 | 02h 05

    Uma notícia que começa informando que a presidente Dilma Rousseff passou mais de 10 horas reunida com seus conselheiros na residência oficial do Alvorada para tratar do impacto da Operação Lava Jato permitiria supor que finalmente a chefe do governo resolveu mudar de atitude – se não “para sempre”, como acredita que a devassa da corrupção na Petrobrás fará com o País, pelo menos para olhar nos olhos a crise que não cessa de se desdobrar. A uma leitura apressada, portanto, Dilma teria compreendido que o escândalo não se esvairá a tempo de preservar o seu segundo mandato, nem, muito menos, poderá ser neutralizado mediante bruxarias destinadas a preservar os interesses das levas de protagonistas que o cevaram. Eis por que, em um assomo de lucidez, teria se trancado com interlocutores de confiança em busca do caminho mais adequado para agir à altura da hora.

    Nada disso, evidentemente. Dilma mais uma vez demonstrou que lhe falta imaginação política, para não falar em grandeza moral ou figurino de estadista: na bonança ou sob a tormenta, é a mesma mediocridade, a mesma cegueira, a mesma esperança pueril de que as adversidades se dissiparão por si mesmas e tudo convergirá para o desfrute de mais quatro anos de mando soberano. Pois o que se informa é que o motivo da interminável reunião de anteontem foi preparar uma “agenda positiva” para tirar do centro das atenções a sangria da Petrobrás, que pode ter alcançado entontecedores R$ 21 bilhões, segundo estimativas de um banco americano. Ou, por alto, 200 mensalões. Depois de exaustiva falação, os convidados da presidente – o ministro da Casa Civil, Aloizio Mercadante, o seu colega da Justiça, José Eduardo Cardozo, e a estrela em ascensão no Planalto, o governador da Bahia, Jaques Wagner, provável ministro ainda não se sabe do que – parecem ter chegado a uma conclusão momentosa.

    Diferentemente do que assessores palacianos não identificados teriam dito à chefe, a trinca avaliou que o anúncio dos primeiros membros do futuro Gabinete, a começar pelo titular da Fazenda, não dariam conta de abafar o incêndio da Petrobrás e de impedir que o fogaréu se alastre ao coração do poder. Tivessem eles concluído o oposto, ou não ter concluído nada, tanto faz. O estarrecedor, o que não pode ser minimizado, é que nenhum dos bravos companheiros da presidente, muito menos a anfitriã, parece ter se enfurnado no Alvorada para descortinar como ela poderia intervir, na condição de chefe de Estado, no escândalo que concentra as atenções nacionais. Estavam todos ali, irmanados na mediocridade, atrás de uma fresta para a qual a presidente deveria correr a fim de ficar ao abrigo dos estilhaços e não pôr em risco o suposto capital político da reeleição. Suposto porque, como se sabe, Dilma saiu apequenada da batalha.

    A fragilidade da presidente aumenta na razão direta das denúncias, delações e confissões envolvendo os capitães da empreita brasileira e do acúmulo de evidências de promiscuidade entre eles com antigos e atuais figurões da Petrobrás e dirigentes petistas. O tesoureiro do partido, deputado João Vaccari, encabeça o que decerto se revelará uma lista de apreciáveis proporções. Uma planilha apreendida pela Polícia Federal indica que a cunhada do político teria recebido R$ 244 mil do onipresente Alberto Youssef, o doleiro que, em troca de redução da pena, desencapou o fio da história escabrosa. Numa hipótese caridosa, Dilma simplesmente não sabe o que fazer diante do enrosco. O mais provável, no entanto, é que sabe, mas não se dispõe a fazer, para não derrubar sobre a própria cabeça as colunas do esquema de poder às quais se mantém abraçada. De outro modo, não se explica por que ela ainda não tomou a decisão de trocar toda a diretoria da Petrobrás.

    Esta é uma presidente sem estofo. Das manobras de varejo que o jargão planaltino chama de “agenda positiva”, embora não seja nem uma coisa nem outra, faz parte o engavetamento das medidas de ajuste das contas públicas, como aumento de impostos. Com a mesma intenção, o ministro Aloizio Mercadante anuncia – agora! – o início das atividades de um grupo de trabalho para estimular a indústria.

  74. Daise said

    # 70

    P. Por que será que petistas adoram censurar quem pensa diferente?

    R. Fascismo petralha !

  75. Daise said

    O PT EM 2 MOMENTOS: O VEXAME ou O BANQUEIRO NÃO ACEITOU

    NA CAMPANHA ENGANA TROUXA

    NA REALIDADE

    O amadorismo do Planalto
    Postado:Thu, 20 Nov 2014 18:33:55 +0000

    Brandão: amadorismo do Palácio

    A recusa de Luiz Trabuco ao convite para assumir o Ministério da Fazenda é mais uma trapalhada de Dilma Rousseff (ou dos que a aconselham) na condução do dia a dia do governo.

    Receber Lázaro Brandão no Palácio do Planalto na terça-feira para (leia mais aqui ) comunicar sua pretensão ao presidente do Conselho do banco, inflando assim as expectativas de todos com uma possibilidade de um nome classe A para o cargo e, no final das contas, chegar ao anticlímax da recusa é algo perto do amadorismo.

    Em resumo, Brandão só deveria ter ido ao Palácio para dar a resposta positiva sobre o seu subordinado, com quem já teria obviamente conversado – é assim que funciona o ritual do jogo político competente. Qualquer outra resposta significa desgaste. É o que está acontecendo.

    E ainda fragiliza quem for o escolhido. A justificativa-padrão que será apresentada ao distinto público, a de que Trabuco ajudará mais o governo fora do governo, dispensa comentários.
    —————

    Fica a pergunta:

    P. Por que dilma anunciou antecipadamente a demissão do Mantega?

    R. PORQUE É COMPROVADAMENTE INCOMPETENTE E
    SUPOSTAMENTE CORRUPTA.

  76. Daise said

    ESCÂNDALOS EM SÉRIE

    A oposição protocolou nesta quinta-feira (20) representações solicitando o afastamento imediato da presidente da Petrobras, Graça Foster, do cargo sob a acusação de que teria mentido durante depoimento da CPI do Congresso que investiga irregularidades na estatal. Os pedidos foram encaminhados para a Procuradoria da República no Distrito Federal e pelo Ministério Público junto ao Tribunal de Contas da União.
    ….

    COM ESSA CARA ELA PODERIA TER PARIDO UM “DILMINHO”…mas preferiu parir mais um escândalo na Petroroubas do PT

  77. Daise said

    Trabuco recusa Fazenda e Dilma procura plano B

    Vai chamar Balocci.?…hehehehe!

  78. Daise said

    PETISTAS EM PÂNICO

  79. Daise said

    BANQUEIRO CONVIDADO DIZ “NEM QUE A VACA TUSSA”,

    O “não” de Trabuco a Dilma é só mais uma evidência da falta de jeito do governo

    A capacidade que tem a presidente Dilma Rousseff de errar, especialmente quando se esforça para acertar, chega a ser comovente. É a sua falta de jeito. E também está muito mal cercada. Eu sou do tempo em que presidentes recusavam pessoas que se candidatavam a ministérios, mas o contrário jamais acontecia. E a razão era simples: antes que um convite fosse tornado público, fazia-se uma sondagem para saber se o indicado aceitava a empreitada; se não, então o chefe do Executivo não pagava o mico. Mas eis o governo Dilma.

    Luiz Carlos Trabuco, presidente executivo do Bradesco, rejeitou o convite para assumir o Ministério da Fazenda. Não está se fazendo de rogado, não. Ele nunca disse que queria o cargo. As especulações surgiram primeiro nos círculos palacianos. Ainda que fosse um desejo pessoal seu, e não consta que fosse, o que mais se ouvia nos bastidores é que “Doutor Brandão não vai deixar”. “Doutor Brandão” é Lázaro Brandão, presidente do Conselho de Administração do Bradesco e comandante inconteste do potentado.

    Dilma conversou com os dois, que lhe devem ter dito que Trabuco está destinado a ser o sucessor de Brandão. Sabem como é… O governo Dilma passa, o Bradesco fica. Os governos petistas passam — os sensatos torcem por isso —, e o banco fica. A menos que Trabuco estivesse tocado pela chama militante, a troca parecia improvável. “Ah, mas e pelo bem do Brasil?” Fiquem certos: ele colabora mais com o Brasil no comando do… Bradesco. De resto, seria trocar uma posição em que é especialista por outra em que seria amador: um formulador de política econômica. Por mais capaz que ele seja em sua área, governo é outra coisa.

    É evidente que Dilma não precisava dessa recusa em seu currículo, não num momento como este, evidenciando a dificuldade para formar uma equipe econômica. Para tanto, bastaria que tivesse um ministro da Casa Civil que fizesse as devidas consultas prévias. Ocorre que seu articulador político é Aloizio Mercadante. Esperar o quê? Sim, antes dele, já foi Ideli Salvatti. Mas não fique com a sensação, leitor, de que o mundo não presta.

    O novo nome da economia pode sair ainda nesta sexta. Alexandre Tombini é cotado para permanecer na presidência do Banco Central. Nelson Barbosa, ex-secretário-geral da Fazenda, e Joaquim Levy, secretário do Tesouro no governo Lula e hoje administrador dos fundos de investimento do Bradesco, podem assumir a Fazenda e o Planejamento — ainda seria preciso, nessa hipótese, definir quem faria o quê.

    Ironias
    Pois é… Nem parece que a Dilma que apela ao presidente de um banco e que tende a ficar com um alto executivo dessa mesma instituição é aquela senhora que demonizou o setor bancário durante a campanha eleitoral e que associou a independência do Banco Central à cupidez dos banqueiros e à consequente fome dos brasileiros. Que vexame!

    Campanhas eleitorais mundo afora comportam um tanto de farsa, sim. No Brasil, elas se transformaram em estelionatos escancarados.

  80. Daise said

    Senadora do PCdoB diz que superávit primário tira o leite das crianças

    Vanessa Grazziotin, senadora do PCdoB, adaptou uma peça de João Santana para explicar seu apoio ao projeto de lei que muda a meta de superávit primário.

    “Isso é o melhor para o Brasil, porque é o melhor para o povo brasileiro e não para o mercado financeiro. A época de fazer um monte de superávit, tirar o leite da criança para pagar os juros escorchantes, com aquelas taxas de juros cada vez maiores, essa época está ficando para trás”, disse.

    _____________

    mercadante e dilma concordam, mas queriam um banqueiro como Ministro da Fazenda!

  81. Daise said

    DILMA PERDIDA EM SEU LABIRINTO

    http://1.bp.blogspot.com/-s630uZ-19RQ/Ul66d3hZlLI/AAAAAAAAVMA/l6zuzOtYcJw/s1600/trip%25C3%25A9.jpg tripé

  82. Daise said

    AH,AH,AH
    DILMA PERDIDA EM SEU LABIRINTO

  83. Patriarca da Paciência said

  84. Jose Mario HRP said

    KD o “Dr. Freitas”, emissario do PSDB no recebimento de “doações” para o PSDB!
    Procura-se!!!!
    Por isso a Dilma frisa tanto “ir até o fim nas investigações”!!!!!
    A cobra vai fumar Aloysio Nunes!

  85. Jose Mario HRP said

    Bahiano vai falar?
    KKKKKKKK
    DR. CUNHA!
    O “Omi” vai falar, entre outras coisas , da sua campanha milionaria!
    E de outras cositas!
    E o PMDB está tremendo!
    E tem “cousa” do PSDB no meio também!

    Por isso a Dilma ressalta “Quero que a investigação va até o fim!!!!”
    Ou em linguajar chulo “Vai até o talo”!!!!!!!

  86. Jose Mario HRP said

    De Saul Leblon na Carta Maior:
    O que se quer saber é se Lula já conversou com Boulos, do MTST; se Boulos já conversou com Luciana Genro; se Luciana Genro já conversou com a CUT ; se a CUT já conversou com Stédile; se todos já se deram conta de que passa da hora de uma conversa limada de sectarismos e protelações, mas encharcada das providencias que a urgência revela quando se pensa grande.

    Se ainda não se aperceberam da contagem regressiva que , mais uma vez, ameaça abortar o nascimento de um Brasil emancipado e progressista, bem…
    Serão avisados de forma desastrosa quando o alarme soar.

    É a pergunta que não quer calar…….

  87. Zbigniew said

    E aí, vamos deixar de hipocrisia?

    Declaração muito importante vinda de um empresário PSDBista de carteirinha.

    http://www1.folha.uol.com.br/fsp/opiniao/196552-nunca-se-roubou-tao-pouco.shtml

    Ricardo Semler
    TENDÊNCIAS/DEBATES
    Nunca se roubou tão pouco
    Não sendo petista, e sim tucano, sinto-me à vontade para constatar que essa onda de prisões de executivos é um passo histórico para este país
    Nossa empresa deixou de vender equipamentos para a Petrobras nos anos 70. Era impossível vender diretamente sem propina. Tentamos de novo nos anos 80, 90 e até recentemente. Em 40 anos de persistentes tentativas, nada feito.
    Não há no mundo dos negócios quem não saiba disso. Nem qualquer um dos 86 mil honrados funcionários que nada ganham com a bandalheira da cúpula.
    Os porcentuais caíram, foi só isso que mudou. Até em Paris sabia-se dos “cochons des dix pour cent”, os porquinhos que cobravam 10% por fora sobre a totalidade de importação de barris de petróleo em décadas passadas.
    Agora tem gente fazendo passeata pela volta dos militares ao poder e uma elite escandalizada com os desvios na Petrobras. Santa hipocrisia. Onde estavam os envergonhados do país nas décadas em que houve evasão de R$ 1 trilhão –cem vezes mais do que o caso Petrobras– pelos empresários?
    Virou moda fugir disso tudo para Miami, mas é justamente a turma de Miami que compra lá com dinheiro sonegado daqui. Que fingimento é esse?
    Vejo as pessoas vociferarem contra os nordestinos que garantiram a vitória da presidente Dilma Rousseff. Garantir renda para quem sempre foi preterido no desenvolvimento deveria ser motivo de princípio e de orgulho para um bom brasileiro. Tanto faz o partido.
    Não sendo petista, e sim tucano, com ficha orgulhosamente assinada por Franco Montoro, Mário Covas, José Serra e FHC, sinto-me à vontade para constatar que essa onda de prisões de executivos é um passo histórico para este país.
    É ingênuo quem acha que poderia ter acontecido com qualquer presidente. Com bandalheiras vastamente maiores, nunca a Polícia Federal teria tido autonomia para prender corruptos cujos tentáculos levam ao próprio governo.
    Votei pelo fim de um longo ciclo do PT, porque Dilma e o partido dela enfiaram os pés pelas mãos em termos de postura, aceite do sistema corrupto e políticas econômicas.
    Mas Dilma agora lidera a todos nós, e preside o país num momento de muito orgulho e esperança. Deixemos de ser hipócritas e reconheçamos que estamos a andar à frente, e velozmente, neste quesito.
    A coisa não para na Petrobras. Há dezenas de outras estatais com esqueletos parecidos no armário. É raro ganhar uma concessão ou construir uma estrada sem os tentáculos sórdidos das empresas bandidas.
    O que muitos não sabem é que é igualmente difícil vender para muitas montadoras e incontáveis multinacionais sem antes dar propina para o diretor de compras.
    É lógico que a defesa desses executivos presos vão entrar novamente com habeas corpus, vários deles serão soltos, mas o susto e o passo à frente está dado. Daqui não se volta atrás como país.
    A turma global que monitora a corrupção estima que 0,8% do PIB brasileiro é roubado. Esse número já foi de 3,1%, e estimam ter sido na casa de 5% há poucas décadas. O roubo está caindo, mas como a represa da Cantareira, em São Paulo, está a desnudar o volume barrento.
    Boa parte sempre foi gasta com os partidos que se alugam por dinheiro vivo, e votos que são comprados no Congresso há décadas. E são os grandes partidos que os brasileiros reconduzem desde sempre.
    Cada um de nós tem um dedão na lama. Afinal, quem de nós não aceitou um pagamento sem recibo para médico, deu uma cervejinha para um guarda ou passou escritura de casa por um valor menor?
    Deixemos de cinismo. O antídoto contra esse veneno sistêmico é homeopático. Deixemos instalar o processo de cura, que é do país, e não de um partido.
    O lodo desse veneno pode ser diluído, sim, com muita determinação e serenidade, e sem arroubos de vergonha ou repugnância cínicas. Não sejamos o volume morto, não permitamos que o barro triunfe novamente. Ninguém precisa ser alertado, cada de nós sabe o que precisa fazer em vez de resmungar.
    RICARDO SEMLER, 55, empresário, é sócio da Semco Partners. Foi professor visitante da Harvard Law School e professor de MBA no MIT – Instituto de Tecnologia de Massachusetts (EUA)

  88. Jose Mario HRP said

    Zbigniew, muiro legal os dados do texto.
    Mas dá calafrios essa coisa de nunca se roubou tão pouco.
    E a outra coisa de 40 anos de corrupção na Petrobras é ainda mais tetrica.

  89. Zbigniew said

    HRP,
    o Brasil é um país de tradição autoritária e isso se reflete nos poderes da República. Mas o mais significativo é que esse autoritarismo se expressa no dia-a-dia de nossa sociedade. As nossas corrupções, pequenas e grandes, são frutos dessa característica.

    Conversando com um conhecido, epresário de uma pequena empreiteira, ele confessou que não ganha obra em municípios se não “molhar a mão” de quem “de direito”. E ele falou em TODOS os municípios em que procurou se habilitar nos respectivos processos licitatórios. Além dos vícios das obras impostos por padrões pré-estabelecidos pela autoridade para forçar uma revisão para mais, em virtude do deliberado erro de execução. Lógico que tudo isso era com o propósito de desviar a verba correspondente.

    Sempre ouvi falar dos esquemas das empreiteiras por esse país a fora. O que ocorre agora? A casa caiu. Pelo menos no plano federal e que trará efeitos nas outras esferas de poder. A Dilma não aparelhou a PF, como ocorria nos governos tucanos. A PF tem um facção contrária ao PT. O PT, por sua vez, manteve os esquemas existentes também como cota sua e dos aliados e para evitar ser acusado de revanchismo para com “os outros” deliberadamente não citados pelo Estadão. O Mendes tá doido pra enfiar goela abaixo da democracia um terceiro turno com a não-diplomação da Dilma e ligá-la, de alguma forma, à Operação Lava-Jato. Oras, pra quem admitiu o domínio do fato isso será fichinha. Tudo isso desencadeou a quebra de um dos mais fortes esquemas de locupletação da República tendo como pano de fundo o desespero da nossa velha direita e seus guiados por passar mais quatro anos fora do poder.

    É assim, às vezes a coisa certa acontece por caminhos tortuosos. Torçamos para que a nossa democracia saia mais fortalecida de todo esse processo observando-se a chance de ouro que o Brasil está tendo para fazer uma mudança séria nos seus valores e trato com a coisa pública.

  90. Patriarca da Paciência said

    Zbigniew, concordo com cada palavra do artigo do Ricardo Semler. Simplesmente irretocável.Cada político e homem público do Brasil deveria ler e colocar na parede, num quadro, em destaque, esse artigo.

    Vamos deixar de cinismo e hipocrisia. Eu trabalhei numa grande construtora durante o governo de João Figueiredo e, depois de calculados os custos das obras, passava-se ao custo das propinas.

    Aécio Neves e Fernando Henrique Cardoso posando de “indignados” é simplesmente patético !

    Somente no governo Dilma alguma coisa realmente séria está acontecendo. Como disse o Semler, “Dilma está liderando a todos nós”.

    Tenhamos coragem, brasileiros, que tudo venha à tona mesmo.

  91. Zbigniew said

    E perceba, caro Patriarca,
    as apurações mexem com todo o mundo político embora a indústria da desinformação queira a todo custo colocar a conta exclusivamente nas mãos do PT e daí forçar o terceiro turno.

    Não é à-toa que o grupo do Cunha usa de rebelião no Congresso para chantagear o governo e livrar a cara e o bolso dos mesmos. Só que agora não tem volta, até porque a Dilma não teria força suficiente para abafar tamanho escândalo. E que bom que não tenha.

    Agora, você tem total razão. É muita cara-de-pau do Aécio e do FHC. Isso porque eles se fiam em estar na conta “dos outros” deliberadamente escondidos na manchete do Estadão, ou protegidos pelos vazamentos seletivos originários do esquema Imprensa-PF. Infelizmente o governo Dilma conta(?) com uma nulidade como o ministro da Justiça que não tem nem nunca teve forças suficiente para tornar a PF verdadeiramente republicana, livre de influências políticas. Vide o caso dos delegados no facebook.

  92. Daise said

    DILMA A INCOMPETENTA

    O motivo do adiamento
    Postado:Fri, 21 Nov 2014 19:59:21 +0000
    Barbosa tinha outra expectativa

    O adiamento do anúncio oficial da equipe econômica teve uma razão surpreendente: Nelson Barbosa ainda não disse o “sim” ao convite para ser ministro do Planejamento.

    Sua expectativa era ser o novo ministro da Fazenda. Há, porém, uma intensa negociação neste momento para fazê-lo topar o ministério que Dilma Rousseff reservou para ele.

    Anunciar apenas Joaquim Levy na Fazenda, não surtiria o efeito pretendido pelo governo.

    (Atualização, às 18h40: finalmente, Barbosa disse o “sim”. Agora, de acordo com o Planalto, falta definir os nomes dos presidentes do Banco do Brasil e BNDES para, aí, então, se fazer o anúncio oficial na semana que vem.)

  93. Daise said

    Apocalipse, agora’

    Fernando Gabeira:
    Postado:Fri, 21 Nov 2014 16:12:03 +0000
    Publicado no Estadão

    Passada uma semana do juízo final, ainda me pergunto cadê a Dilma. Ela disse que as contas públicas estavam sob controle e elas aparecem com imenso rombo. Como superar essa traição da aritmética? Uma lei que altere as regras. A partir de hoje, dois e dois são cinco, revogam-se as disposições em contrário.

    Os sonhos de hegemonia do PT invadem a matemática, como Lysenko invadiu a biologia nos anos 30 na Rússia, decretando que a genética era uma ciência burguesa. A diferença é que lá matavam os cientistas. Aqui tenho toda a liberdade para dizer que mentem.
    Cadê você, Dilma? Disse que o desmatamento na Amazônia estava sob controle e desaba sobre nós o aumento de 122% no mês de outubro. Por mais cética que possa ser, você vai acabar encontrando um elo entre o desmatamento na Amazônia e a seca no Sudeste.
    Cadê você, Dilma? Atacou Marina porque sua colaboradora em educação era da família de banqueiros; atacou Aécio porque indicou um homem do mercado, dos mais talentosos, para ministro da Fazenda. E hoje você procura com uma lanterna alguém do mercado que assuma o ministério.

    Podia parar por aqui. Mas sua declaração na Austrália sobre a prisão dos empreiteiros foi fantástica. O Brasil vai mudar, não é mais como no passado, quando se fazia vista grossa para a corrupção. Não se lembrou de que seu governo bombardeou a CPI. Nem que a Petrobrás fez um inquérito vazio sobre corrupção na compra de plataformas. A SBM holandesa confessou que gastou US$ 139 milhões em propina.
    E Pasadena, companheira?

    O PT está aí há 12 anos. Lula vez vista grossa para a corrupção? Se você quer definir uma diferença, não se esqueça de que o homem do PT na Petrobrás foi preso. Ele é amigo do tesoureiro do PT. A cunhada do tesoureiro do PT foi levada a depor porque recebeu grana em seu apartamento em São Paulo.

    De que passado você fala, Dilma? Como acha que vai conseguir se desvencilhar dele? A grana de suas campanhas foi um maná que caiu dos céus?
    Um dos traços do PT é sempre criar uma versão vitoriosa para suas trapalhadas. José Dirceu ergueu o punho cerrado, entrando na prisão, como se fosse o herói de uma nobre resistência. Se Dilma e Lula, por acaso, um dia forem presos, certamente, dirão: nunca antes neste país um presidente determinou que prendessem a si próprio.

    Embora fosse um fruto do movimento de arte moderna no Brasil, Macunaíma é um herói pós-moderno. Ele se move com desenvoltura num universo onde as versões predominam sobre as evidências. Nesta primeira semana do juízo final, pressinto a possibilidade de uma volta ao realismo. É muito aflitivo ver o País nessa situação, enquanto robôs pousam em cometas e EUA e China concordam em reduzir as emissões de gases de efeito estufa. O realismo precisa chegar rápido para a equação, pelo menos, de dois problemas urgentes: água e energia. Lobão é o ministro da energia e foi citado no escândalo. Com perdão da rima, paira sobre o Lobão a espada do petrolão. Como é que um homem desses pode enfrentar os desafios modernos da energia, sobretudo a autoprodução por fontes renováveis?

    Grandes obras ainda são necessárias. Mas enquanto houver gente querendo abarcar o mundo a partir das estatais, empreiteiras pautando os projetos, como foi o caso da Petrobrás, vamos patinar. O mesmo vale para o saneamento, que pode ser feito também por pequenas iniciativas e técnicas, adequadas ao lugar.

    Os homens das empreiteiras foram presos no dia do juízo final. Este pode ser um caminho não apenas para mudar a política no Brasil, mas mudar também o planejamento. A crise hídrica mostra como o mundo girou e a gente ficou no mesmo lugar. Existe planejamento, mas baseado em regularidades que estão indo água abaixo com as mudanças climáticas.
    O dia do juízo final não foi o último dia da vida. É preciso que isso avance rápido porque um ano de dificuldades nos espera. Não adianta Dilma dizer que toda a sua política foi para manter o emprego. Em outubro, tenho 30.283 razões para desmentir sua fala de campanha: postos de trabalho perdidos no período.

    Não será derrubando a aritmética, driblando os fatos que o governo conseguirá sair do seu labirinto. O desejo de controlar a realidade se estende ao controle da própria oposição. O ministro da Justiça dá entrevista para dizer como a oposição se deve comportar diante do maior escândalo da História. Se depois de saquear a Petrobrás um governo adversário aconselhasse ao mais ingênuo dos petistas como se comportar, ele riria na cara do interlocutor. Só não rio mais porque ando preocupado. Essa mistura de preocupação e riso me faz sentir personagem de uma tragicomédia.

    Em 2003, disse que o PT tinha morrido como símbolo de renovação. Me enganei. O PT morreu muitas vezes mais. Tenho de recorrer ao Livro Tibetano dos Mortos, que aconselha a seguir o caminho depois da morte, sem apego, em busca da reencarnação. Em termos políticos, seria render-se à evidência de que saqueou a Petrobrás, comprou, de novo, a base aliada e mergulhar numa profunda reflexão autocrítica. No momento, negam tudo, mas isso o Livro Tibetano também prevê: o apego à vida passada é muito comum. Certas almas não vão embora fácil.
    A crise é um excelente psicodrama: o ceticismo político, a engrenagem que liga governo a empreiteiras, o desprezo pelas evidências, tudo isso vira material didático.
    Dizem que Dilma vive uma tempestade perfeita com a conjunção de tantos fatores negativos. Navegar num tempo assim, só com o preciso conhecimento que o velho Zé do Peixe tinha da costa de Aracaju, pedra por pedra, corrente por corrente.

    No mar revolto, sob a tempestade, os raios e trovões não obedecem aos marqueteiros. Por que obedeceriam?

    O ministro da Justiça vê o incômodo de um terceiro turno. Não haverá terceiro turno, e, sim, terceiro ato. E ato final de uma peça de teatro é, quase sempre, aquele em que os personagens se revelam.
    Por que esses olhos tão grandes? Por que esse nariz tão grande, as mãos tão grandes, vovozinha?

  94. Daise said

    DILMA: INCOMPETENTE OU CONIVENTE?

  95. Pax said

    Kátia Abreu, segundo o noticiário, será a nova ministra do Meio Ambiente.

    E o governo PT vai de uma vez para todas para o lixo.

    Mas o Elias acha que eu sou de direita…

    ok.

    Assim é se lhe parece.

    Procuro aqui uns vídeos antigos em que Kátia Abreu xingava Lula ao lado de Demóstenes Torres et caterva.

    Se alguém tem um link melhor que o meu, poderia me ajudar.

    Só pra mostrar aos petistas de plantão, pra que eles tenham consciência do que se tornou esse lixo.

  96. Daise said

    dilma e lula sabiam…

  97. Daise said

    Kátia Abreu será a nova ministra da Agricultura
    VERA MAGALHÃES
    EDITORA DO PAINEL
    21/11/2014 15h54

    A senadora Kátia Abreu (PMDB-TO), presidente da Confederação Nacional da Agricultura, será a ministra da área no próximo governo de Dilma Rousseff.

    O convite foi feito na última quarta-feira (19), e a senadora aceitou, segundo a Folha apurou com pessoas próximas a ambas.

    Principal símbolo do agronegócio no país, Kátia Abreu se elegeu pelo antigo PFL e fez oposição aos governos de Lula, mas sempre teve uma relação mais amistosa com Dilma.

    Com sua nomeação, o PMDB mantém o controle da pasta da Agricultura, que detém desde o início do primeiro mandato de Dilma.

    Kátia Abreu no Poder e Política

    Nesta sexta-feira, a presidente também bateu o martelo na troca dos titulares dos ministérios da Fazenda, Planejamento e Desenvolvimento.

    A vaga na Fazenda ficou com Joaquim Levy, que foi secretário do Tesouro. Nelson Barbosa, ex-secretário-executivo da Fazenda, será o novo titular do Planejamento.

    Senador pelo PTB e candidato derrotado ao governo de Pernambuco, Armando Monteiro assumirá o Ministério do Desenvolvimento e Indústria, segundo a Folha apurou.

  98. Daise said

    E TEM MAIS

    Joaquim Vieira Ferreira Levy – O NOVO MINISTRO DA FAZENDA (?)

    Nascido em 1961 no Rio de Janeiro e formado em Engenharia Naval, Joaquim Levy obteve doutorado em Economia pela Universidade de Chicago em 1992 e mestrado em Economia pela Fundação Getulio Vargas (FGV) em 1987. Iniciou sua carreira em 1984, no Departamento de Engenharia e na Diretoria de Operações da Flumar Navegação.

    Foi professor do curso de mestrado da FGV em 1990, antes de integrar os quadros do Fundo Monetário Internacional (FMI), onde ocupou cargos em vários departamentos, entre 1992 e 1999, em particular nas divisões de mercado de capitais e da União Europeia.

    Como economista visitante no Banco Central Europeu exerceu atividades nas divisões de mercado de capitais e de estratégia monetária entre 1999 a 2000.

    No ano de 2000, foi nomeado secretário-adjunto de Política Econômica do Ministério da Fazenda e, em 2001, economista-chefe do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão ( no Governo FHC).

    Em janeiro de 2003, foi designado por Palocci. secretário do Tesouro Nacional.
    Também foi secretário da Fazenda do Rio de Janeiro no primeiro mandato de Sérgio Cabral.

    Com as contas públicas em frangalhos, o trabalho de Joaquim Levy à frente do Ministério da Fazenda não será fácil, garantem os economistas. “Mas ele gosta de desafios e não será convencido a fazer coisas erradas”, afirmou a economista Monica Baumgarten de Bolle, diretora da consultoria Galanto MBB, que já trabalhou com Levy.

    Joaquim Vieira Ferreira Levy -atualmente diretor superintendente do Bradesco Asset Management, braço de fundos de investimento do banco, é muito bem visto tanto dentro do governo, onde já atuou como secretário do Tesouro no primeiro mandato do presidente Lula (diga-se PALOCCI), quanto pelo mercado, que elogia sua austeridade fiscal.

  99. Patriarca da Paciência said

  100. Zbigniew said

    Abstraindo as paixões e indignações a Dilma está procurando o caminho do Lula II. O problema é que não vai contar com a farra das commodities, nem a China turbinada.

    Ainda vai ter que acomodar sua base e isolar as defecções no PMDB. Kátia Abreu tá na conta. Nomeia alguém palatável ao mercado para a Fazenda e pacifica os rentistas. É a estratégia para se fortificar e enfrentar a batalha do golpe branco. Pode ser que dê certo. É o que indicaria o pragmatismo de poder, diminuir ao máximo os atritos com os poderes políticos e econômicos e somar os aliados.

    Nesse primeiro momento não haverá movimentos bruscos, nem confrontos por parte do governo. Dilma definitivamente “não vai pro pau”. Talvez porque já saiba que a cartada da Oposição virá pelo Judiciário e optará por se garantir no Parlamento e decidir o imbróglio jurídico no STF.

    Se conseguir superar essa fase com o menor custo político possível e uma melhora nos indicadores econômicos poderá fazer um segundo mandato tranqüilo e ter grandes chances de emplacar o sucessor. Mas isto num cenário em que tudo dê certo. E sabemos que nesta seara as coisa são bem complicadas. Realmente, o Brasil não é para amadores.

  101. Pax said

    É tanto pragmatismo, caro Zbigniew, que o limite à direita ficou longe pra trás. Dima é, sim, um desastre econômico, outro ambiental e, pra não se distanciar do resto do PT, um desastre moral. Sinto muito não comungar com tua visão tão fora das críticas mais que necessárias no momento.

  102. Patriarca da Paciência said

    Caro Pax,

    aconselho você a a ler atentamente o artigo do post 87, colocado pelo Zbigniew.

    “Deixemos de cinismo. O antídoto contra esse veneno sistêmico é homeopático. Deixemos instalar o processo de cura, que é do país, e não de um partido.
    O lodo desse veneno pode ser diluído, sim, com muita determinação e serenidade, e sem arroubos de vergonha ou repugnância cínicas. Não sejamos o volume morto, não permitamos que o barro triunfe novamente. Ninguém precisa ser alertado, cada de nós sabe o que precisa fazer em vez de resmungar.
    RICARDO SEMLER, 55, empresário, é sócio da Semco Partners. Foi professor visitante da Harvard Law School e professor de MBA no MIT – Instituto de Tecnologia de Massachusetts (EUA)”

    Faz anos que venho comentando que não acredito em político imaculado nem aqui, nem na China, sequer em outroplaneta.

    A verdade é que “a roubalheira está diminuindo”. Já foi 10% do PIB, agora está apenas em 0,8%.

    Zerar a coisa é totalmente impossível, mas podemos chegar a níveis bem civilizados.

    Como já comentei, trabalhei numa construtora na época do João Figueiredo e, após o cálculo do custo das obras, calculava-se o custo da propinas.

    O Ricardo Semler é um empresário culto, inteligente e experiente. Você acha que ele está mentindo ?

  103. Pax said

    Caro Patriarca, respeito tua opinião, li e gostei do artigo do Semler, mas as pantalonas e o orifício não tem ligação com minhas críticas que sustento firme. Dilma é um desastre.

  104. Zbigniew said

    Compreendo, caro Pax, e respeito. Não concordo com tantos desastres, mas existem erros mais que evidentes em todas as frentes; uns maiores, outros nem tanto.
    Se esticar a corda, agora, vai arrebentar, e ela vai ficar isolada. Não esqueça que ela está tratando com raposas, num verdadeiro covil. A questão é saber se isto limitará ações do governo.

  105. Daise said

    VEJA EXCLUSIVO

    Email enviado por Paulo Roberto Costa à então ministra Dilma Rousseff, em 2009, avisa que o TCU queria a paralisação de obras superfaturadas da Petrobras. “Paulinho” dá dicas de como driblar TCU e Congresso.

    Dilma e Lula poderiam ter interrompido o propinoduto.

    —————————————-

    Sábado é mesmo o mais cruel dos dias para gente com culpa no cartório, reafirma a edição de VEJA que logo estará nas mãos dos assinantes e leitores.

    Desta vez, o sono dos pecadores será perturbado por informações que começam pela mensagem eletrônica enviada por Paulo Roberto Costa a Dilma Rousseff e se estendem por todas as páginas da reportagem de capa.

    As revelações atestam que Dilma e Lula ignoraram todos os sinais de que havia algo de podre no reino da Petrobras. A omissão dos governantes liberou o bando criminoso para o prosseguimento do saque.

    Outro email divulgado por VEJA escancara o plano concebido para materializar um dos sonhos do governo lulopetista: assassinar a independência do Tribunal de Contas da União com a nomeação de ministros obedientes aos interesses e caprichos do Planalto.

    Gente como Erenice Guerra, por exemplo. A melhor amiga de Dilma só não foi transferida para o TCU por ter tropeçado num caso de polícia no meio do caminho. Descobriu-se que Erenice chefiava, simultaneamente, a Casa Civil e uma quadrilha de traficantes de influência.

    Tudo somado, conclui-se que o Petrolão foi uma ignomínia de tal forma superlativa superlativa que agora começou a subverter a Bíblia.

    Os cavaleiros do apocalipse brasileiro, por exemplo, não se limitam a quatro. São incontáveis, têm sido vistos com frequência e se tornam especialmente perturbadores quando aparecem num sábado

  106. Daise said

    EXMO. SR. JUIZ FEDERAL SERGIO MORO :

    “O álibi ‘todos nós roubamos’ () não é jurídica ou moralmente aceitável e, ademais, sequer é verdadeiro. Por mais que prática criminosa da espécie tenha se espalhado pela falta de resposta institucional adequada, é evidente que não abrange a todos, quer agentes públicos, empresas ou demais indivíduos, e não representa o que pensa a sociedade brasileira”, completou.
    —————-

    TÁ NA HORA DO pt INVENTAR UM NOVO ÁLIBI

  107. Daise said

    ZÉDUARDO, O PORQUINHO DA DILMA

    Hoje o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, do PT, deu uma declaração à imprensa que redundaria na sua demissão sumária, se este não fosse um governo mergulhado na corrupção.

    Segundo ele, os mesmos que criticam atos da classe política “são aqueles que quando um guarda de trânsito para e quer multar pensam numa ”propininha””. “O mesmo empresário que por vezes protesta, e com razão, dos desmandos dos nossos governantes é aquele que quando chega um fiscal de rendas diz ”bem, como podemos acertar isto?””, criticou Cardozo. “Vivemos numa sociedade que até o síndico de prédio superfatura quando compra o capacho”, completou.

    Não, doutor Cardozo! Este pode ser o seu comportamento e dos seus colegas de PT no trato do dinheiro público.

    Mas não é o comportamento do João, porteiro do meu prédio.
    Não é a minha realidade, de quem recolhe imposto de renda retido na fonte.
    Não é a postura da minha esposa que paga religiosamente os tributos da sua pequena empresa, a cada nota emitida.
    Não é como nós, os brasileiros de bem, que são a grande maioria, a absoluta maioria, nos comportamos diante da lei.

    A sua régua, doutor Cardozo, está suja de lama!
    É o seu governo corrupto e podre que exige propinas e que incentiva o suborno e a chantagem. Não são os brasileiros não, doutor Cardozo!
    O senhor lave esta boca antes de se dirigir ao pobre povo brasileiro, pois ele não é igual a esta elite da corrupção que habita o governo de Dilma Rousseff.
    O seu partido é corrupto, doutor Cardozo!

    O seu partido, não o povo brasileiro!

  108. Daise said

    Pergunto aos colegas: alguém disse que antes do PT não havia corrupção na Petrobras ou nas estatais em geral?

    Desconheço tal pessoa.
    Nunca vi ninguém dizer algo parecido.
    Teria de ser alguém muito ingênuo mesmo.
    Todos sabem que a corrupção é uma doença endêmica em nosso país, e muitos sabem as causas: excesso de poder concentrado no estado e impunidade.

    Dito isso, há diferenças básicas entre o que estamos vendo hoje e o que existia antes.

    Em primeiro lugar, a magnitude da coisa. Falam em bilhões e bilhões desviados só de uma empresa estatal, sem contar as demais. Ou seja, cem milhões de dólares de roubo viraram troco com o PT no poder, a ponto de um simples gerente ter isso na Suíça e estar disposto a devolver a quantia para sua delação premiada.

    Em segundo lugar, não estamos falando de casos pontuais de desvio, e sim de um sistema de corrupção montado por uma quadrilha em todo o estado, usado para fins políticos além do enriquecimento ilícito pessoal. O mensalão tinha o mesmo propósito, e seria julgado como “pequenas causas” se comparado ao Petrolão, como disse o ministro do STF Gilmar Mendes.

    Em terceiro lugar, a reação do PT e dos petistas é alarmante, típica de quem justifica a roubalheira para seus “fins nobres” ( permanecer no poder ).

    O PT banalizou a corrupção no Brasil, além de tê-la expandido a patamares nunca antes vistos. Quando os defensores do PT tentam minimizar os escândalos que vêm à tona, estão prestando enorme desserviço às instituições brasileiras, e isso é uma novidade e tanto.

    O que os petistas não compreendem, talvez por projetarem nos outros o que são, é que a imensa maioria dos que se mostram indignados hoje e cobram punição estaria fazendo a mesma coisa se fosse o PSDB no poder, praticando a décima parte do que o PT tem praticado em “malfeitos”.

    Ao contrário dos petistas, nós não apelamos para um duplo padrão moral seletivo, não iríamos “enterrar” uma personagem só para não criticar mais “nosso” governo corrupto. As capas de Veja mostrando casos de corrupção de outros governos anteriores ao do PT comprovam isso.

    Portanto, quem tenta mitigar a responsabilidade do PT nesse impressionante esquema de corrupção dentro da Petrobras está dizendo que não liga para os vários bilhões surrupiados, pois foram desviados por “companheiros”. São, em outras palavras, coniventes, cúmplices.

    Aprendemos desde crianças, ao menos aqueles que não viraram petistas, que é feio se defender dos erros sempre apontando o dedo para os outros.

    “Eu posso até ter feito isso, mas o Joãozinho também fez!”, eis uma desculpa esfarrapada que só um típico petista deixaria passar impunemente.

    Mesmo que os outros tivessem feito igual, isso não reduziria sua culpa e a necessidade de punição exemplar.

    Mas, para piorar a situação dos petistas, até isso é mentira.
    Os outros não fizeram igual. Nunca antes na história da Petrobras se viu tanta corrupção e uma quadrilha mafiosa operando um sistema de desvios dentro dela.

    Quanto às prisões dos empreiteiros e diretores da estatal, só mesmo a cara de pau para creditar na conta da presidente Dilma.

    Afinal, que eu saiba ela não faz parte do Ministério Público ou da Polícia Federal, entidades de estado que funcionam com autonomia e independência, contra as constantes tentativas do governo e seus aliados de impedir as investigações.

    Diante de tudo isso, só resta ao petista duas alternativas mesmo:
    deixar de ser petista,
    ou sumir com a Velhinha de Taubaté para não precisar enfrentar a realidade…
    como Veríssimo fez.

  109. Daise said

    DILMA : O DESASTRE (PAX)

    PT rejeita Kátia Abreu na Agricultura; PMDB escolhe Braga para Energia

    O dia em Brasília foi de escolhedores de ministros e cortadores de cabeça. A presidente, Dilma Rousseff, escolheu sua nova amiga de infância, a senadora Kátia Abreu, para a Agricultura. Mas isso provocou uma reação forte da bancada do PT.

    Kátia abreu representa o que há de mais velho do ruralismo. Hoje há setores do agronegócio que já se atualizaram em relação à questão ambiental e trabalhista.

    Nesse grupo do neorruralismo não está Kátia Abreu, ela é conhecida por suas posições extremadas. O PT não engoliu a indicação e foi um dos motivos que travou o anúncio que estava preparado para acontecer nesta sexta-feira ( fora a incompetência de Mercadante)

    No Ministério das Minas e Energia, o nome mais forte é Eduardo Braga, PMDB-AM.
    O PMDB quer ficar com a pasta, hoje ocupada por Edison Lobão, e indicou Braga.
    Segundo um analista, uma coisa se sabe de Eduardo Braga: “ele não aceitará ser a rainha da Inglaterra de Márcio Zimmermann, que é quem manda no Ministério”. Para os ambientalistas, Braga pode ser um grande incentivador dos projetos de hidrelétricas na Amazônia.

    O escolhido para a Fazenda, Joaquim Levy, tem opositores no governo, mas a barragem que o PT está fazendo contra Kátia Abreu é mais forte.

    Miriam Leitão

  110. Daise said

    DILMA : O DESASTRE (PAX)

    Ela escolhe ?

    Dilma escolheu um conservador para a Fazenda, um progressista para o Planejamento e um moderado para o Banco Central. Tudo sob a coordenação de um babaca completo,
    o Mercadante.

    Vai dar merda!

  111. Daise said

    O gato “subiu no telhado” e dilma “no banquinho”…

  112. Daise said

    PETROLÃO BOLIVIANO

    O Ministério Público investiga um contrato da Petrobras na Bolívia
    O MP quer entender por que a estatal pagou US$ 600 milhões por um combustível “sem nenhuma utilidade”

    ISABEL CLEMENTE COM THAIS LAZZERI
    21/11/2014 21h24
    ÉPOCA

    Mergulhada em denúncias de corrupção e fraudes em contratos que podem ter tirado R$ 10 bilhões de seus cofres, com ex-diretores presos e sob a mira da Polícia Federal, a Petrobras vê mais uma tempestade se aproximar no horizonte.

    O Ministério Público do Tribunal de Contas da União (TCU) quer entender por que a Petrobras pagou, em agosto deste ano, US$ 434 milhões (R$ 1,126 bilhão) a mais que o previsto em contrato à YPFB, a estatal boliviana de petróleo e gás, pela “extração teórica” de um combustível “sem nenhuma utilidade”.

    A investigação do Ministério Público do TCU ainda não contempla o valor real dessa fatia.
    Ele pode chegar a US$ 596 bilhões, com a soma de um repasse de US$ 100 milhões (R$ 259,6 milhões) aos bolivianos em 2010 e do perdão de uma multa de US$ 62 milhões (R$ 161 milhões), por falhas na entrega do produto.

    O anúncio do perdão foi feito pelo presidente boliviano, Evo Morales, para a imprensa local, na cidade de Santa Cruz de la Sierra, durante a assinatura do acordo milionário com a Petrobras.
    No Brasil, a benesse não foi divulgada.

    Os pagamentos foram feitos no início de 2010, após Morales ser reeleito pela primeira vez, e em agosto deste ano, às vésperas das eleições nos dois países.

    Os detalhes da ficção por trás dos pagamentos estão num aditivo ao contrato de fornecimento de gás entre Bolívia e Brasil a que ÉPOCA teve acesso.

  113. Daise said

    ARTIGO DO SEMLER “ENTREGA” SEU SÓCIO: REVIRANDO A PRÓPRIA MESA?

    De novo?

    Semler diz que hoje roubam menos na Petrobras, mas seu atual sócio presidiu a empresa de 1999 a 2001. Ué…

    Em artigo na Folha (onde mais?), além de enaltecer Dilma, ele afirma que desde a década de 1970 há propina na Petrobras, mais que agora. Curiosidade: seu atual sócio na Semco Partners, Philippe Reichstul, foi presidente da Petrobras!

    O artigo de Ricardo Semler na Folha de São Paulo (que surpresa…) foi celebrado por petistas internéticos (aqueles mesmos que, até agora, estavam num silêncio ensurdecedor enquanto jorram denúncias contra a Petrobras).
    A resposta genérica do “sempre teve mutreta” é um recurso comum de quem é pego com a boca na botija, de modo que não surpreenda a repercussão – entre militantes – do texto de Semler.
    Nesse pormenor, de fato, não falou nada muito errado.

    Mas sigamos.

    O problema é dizer que as prisões decorrem do fato de Dilma ser presidente, atribuindo a ela o avanço nas coisas. Não é verdade, pois a Polícia Federal atua de maneira AUTÔNOMA, independentemente de quem está no poder. E essa tese se afunda ainda mais quando consideramos as delações premiadas (a depender de quem estava no esquema, portanto, nada seria descoberto).

    Também escapa da lógica e do mundo real a ideia – defendida no texto sem muito fundamento (até porque não existiriam) – de que hoje se rouba MENOS.

    O título “nunca se roubou tão pouco” é de certa forma acintoso. Como assim “pouco”? Há POUCO para roubo? E há ainda “tão pouco”? Por favor, né? Mas, não, não foi pouco. Nem menos do que antes. Fizemos no Implicante uma linha do tempo narrando o Petrolão e a operação Lava Jato. Vejam aqui.

    No fim das contas, o raciocínio do “sempre teve disso” (agora promovido a “hoje é bem menos”) serve para relativizar o escândalo sem precedentes (e, sim, é sem precedentes), fazer de conta que a culpa é do sistema, de algo maior (se todos são culpados, então ninguém é culpado). Resta avisar aos que agora estão promovendo delações premiadas e devolvendo centenas de milhões de reais desviados.

    Mas há algo ainda mais curioso aí nesse artigo.

    Virando novamente a própria mesa

    O que de fato assusta no texto de Ricardo Semler é a acusação indireta (ou não tão indireta assim) que faz ao próprio sócio, Philippe Reichstul
    – confiram aqui, no site da Semco Partners, sua presença no quadro societário (informam que está desde 2006).

    Ocorre que Philippe Reichstul foi nada menos que PRESIDENTE DA PETROBRAS (de 1999/2001). Sim, sério. Vejam aqui.

    Vale ressaltar um trecho do artigo de Ricardo Semler:

    “Nossa empresa deixou de vender equipamentos para a Petrobras nos anos 70. Era impossível vender diretamente sem propina. Tentamos de novo nos anos 80, 90 e até recentemente. Em 40 anos de persistentes tentativas, nada feito. Não há no mundo dos negócios quem não saiba disso. Nem qualquer um dos 86 mil honrados funcionários que nada ganham com a bandalheira da cúpula.” (grifos nossos)

    Se agora – segundo o articulista – rouba-se MENOS, como era na época em que seu sócio na Semco Partners, Philippe Reischstul, foi presidente da empresa (notem que ele acusa a CÚPULA)? Como foram aqueles dois anos? Pois é… Considerando ainda a ideia defendida pelo texto (agora roubariam menos), o que afinal de contas levou Semler a associar-se a um ex-presidente da Petrobras justamente na época em que, segundo ele próprio, as coisas não eram tão “boas” quanto agora?

    São perguntas que podem parecer irônicas, mas na verdade são muito sérias. E devem ser feitas pela CPI. Nada mais justo, honesto e correto que chamar o próprio Semler, que diz saber desses casos. Além dele, claro, seu sócio que presidiu a empresa por dois anos, naquele período que (novamente, segundo o articulista) as coisas eram piores.

    Cabe à oposição o DEVER de convocar Ricardo Semler e seu sócio. Não é admissível passar panos quentes sobre essas declarações. São verdadeiras? Não são? Pois DEVEM ser investigadas, pois são acima de tudo muito graves. E se a oposição NÃO convocá-los nem citar os fatos narrados no artigo, acaba caindo naquele comportamento da base governista que tanto condenamos.

    Alguém discorda?

    LEIA COMPLETO E COM LINKS:

    http://www.implicante.org/blog/semler-diz-que-hoje-roubam-menos-na-petrobras-mas-seu-atual-socio-ja-presidiu-a-empresa-19992001/

  114. Pax said

    voltando ao tema do post, se o cara do terceiro escalão, gerentão, tem R$ 97 milhões pra devolver dos roubos em cima da BR, ou seja, do povo brasileiro, a gente passa a ter uma ideia do montante.

    e a turma lá de cima?

    digo, vejam bem, a turma bem lá de cima…

    http://www1.folha.uol.com.br/poder/2014/11/1551702-delator-que-vai-devolver-us-97-mi-escolheu-empresas-sem-licitacao.shtml

  115. Daise said

    500 anos de corrupção
    22/11/2014 02h00
    De repente, como um raio no céu claro, o governo foi tomado por extraordinário interesse pela corrupção –no passado. Na Austrália, Dilma Rousseff ensaiou “listar uma quantidade imensa de escândalos no Brasil que não foram investigados”. A historiadora amadora, porém, só fingia falar sobre o passado: “Talvez esses escândalos que não foram investigados sejam responsáveis pelo que aconteceu na Petrobras”. Ah, sim!, trata-se, então, do presente.

    Governantes deveriam exercitar a prudência ao especular sobre corrupção em governos anteriores. Se têm conhecimento de denúncias fundamentadas, a lei os obriga a deflagrar uma investigação policial e judiciária. Se não o fazem, a fim de manipular halos de suspeita em seu benefício político, incorrem no crime de prevaricação. Os áulicos, por outro lado, não sendo autoridades, podem especular alegremente. Nesses dias de Lava Jato, é fácil identificá-los por seus frêmitos de indignação moral com a corrupção pregressa.

    O passado que preferem é o recente: o governo FHC. Do nada, adoradores do estatismo começaram a honrar a memória do incauto Paulo Francis privatista de 1996, submetido a processo intimidador depois de afirmar que “os diretores da Petrobras” constituíam “a maior quadrilha que já atuou no Brasil”. Mas, num tour de force, os neo-historiadores da corrupção já se aventuram em tempos anteriores, reavivando a memória da ditadura militar, que converteu em potências a Odebrecht, a Camargo Corrêa, a Mendes Júnior e a Queiroz Galvão, além de servir de berço para a OAS e a UTC. Logo, sua ira santa nos conduzirá ao estouro da bolha do Encilhamento, sob Deodoro da Fonseca, e às aquisições de escravos traficados ilegalmente por Paulino José de Souza, então ministro do Exterior, no Segundo Reinado.

    O foco nos “500 anos de corrupção” não se destina a recordar que a corrupção nasceu antes de 2003, pois o óbvio dispensa explicação. A finalidade é entorpecer-nos, normalizando o escândalo em curso. Eles almejam dissolver a corrupção investigada na corrupção falada e o presente singular (a colonização partidária da Petrobras) no genérico histórico (a captura do poder público por interesses privados). Somos assim, sempre fomos, sussurram, inoculando-nos o soro da letargia, enquanto o ministro da Justiça critica a “politização” do escândalo (não a da Petrobras!). A corrupção mora na índole do povo brasileiro: “Cada um de nós tem um dedão na lama”, assegura um célebre empresário, enquanto a presidente antecipa que pretende violar a lei sobre declaração de inidoneidade (“A gente não vai colocar um carimbo na empresa”).

    Não há lei que puna a corrupção da linguagem. Nos tempos bons, o lulopetismo anuncia-se como o Ato Inaugural: “Nunca antes na história deste país”. Nos tempos ruins, exibe-se como vítima da Tradição: “Nunca foi diferente na história deste país”. Mas a contradição sempre tem o potencial para se superar como dialética. Na Austrália, Dilma se esqueceu do tão recente “mensalão” para rotular o “petrolão” como o “primeiro escândalo da nossa história que é investigado”. Os áulicos já a seguem (afinal, é para isso que existem), saudando o Ano Zero da guerra à corrupção.

    “Dilma agora lidera a todos nós”, anuncia o empresário dos dedos sujos de lama –que, casualmente, tem como maior cliente a estatal Correios. A narrativa do Ano Zero descortina possibilidades ilimitadas. Dilma “não sabia de nada”? Esqueça. Nos 12 anos em que dirigiu a Petrobras diretamente (como presidente do Conselho de Administração) ou indiretamente (como ministra e presidente da República), os partidos da “base aliada” privatizaram a estatal, desviando dezenas de bilhões de reais. Não é que a Líder dos Imundos “não sabia”. Sabia –mas, sábia, deixou a operação se alastrar para, no Ano Zero, pegar todos os bandidos juntos. Ah, bom!

    Demétrio Magnoli

  116. Patriarca da Paciência said

  117. Daise said

    O império da mentira

    Mentir, todos mentem. O maior perigo é acreditar nas suas próprias mentiras

    Em tempo de delação premiada, verdades e mentiras se misturam e se confundem. Mentir, todo mundo mente, mesmo sem maldade ou intenção de enganar, pelo menos 200 vezes por dia, dizem pesquisas neurológicas recentes. Sejam inocentes, triviais, piedosas, cínicas, covardes, venenosas, fatais ou criminosas, mentiras são da condição humana. Já os psicanalistas dizem que todos mentem, mas, quando a pessoa começa a mentir a si mesma, e a acreditar, não vale a pena continuar.

    Entre a mentira e a ficção, entre a memória e a imaginação, vivem escritores e publicitários, historiadores e artistas, jornalistas e marqueteiros, e também as crianças e adultos que se igualam diante do maior perigo: acreditar nas próprias mentiras.

    Marqueteiros políticos são uma espécie moderna de mentirosos profissionais de alta performance, que são mais eficientes quando distorcem fatos e números e ampliam supostos defeitos e suspeitas sobre os adversários. O problema é o candidato vencer as eleições e continuar acreditando na campanha do marqueteiro, mesmo diante da realidade adversa dos fatos e dos números.

    E mais ainda se vive cercado e isolado por assessores que adequam suas mentiras às dele e não ousam desmenti-lo, mentindo assim duplamente.

    Mentiras sinceras interessam a poetas amorosos como Cazuza, mas não funcionam e custam caro na economia. O poeta pode fingir tão completamente que chega a fingir que é dor a dor que deveras sente, mas políticos são diferentes, mentem mais friamente. No autoengano, eles põem a culpa nos adversários ou no governo anterior. E na imprensa. E apelam à ancestral mãe de todas as mentiras: “Eu não sabia.”

    Mas Lula nunca acreditou nas suas próprias mentiras, que são tão abundantes e mutantes que contradizem umas às outras, mas sempre funcionaram no objetivo de enganar os políticos e o povo. Claro, para o bem do povo e do Brasil… rsrs.

    Será estarrecedor se Dilma continuar acreditando no mundo maravilhoso de João Santana e deixar de fazer o que tem que ser feito e que ela dizia que os outros fariam. Como solucionar problemas sem reconhecer que eles existem? Nem mentindo.

    Nelson Mota

  118. Patriarca da Paciência said

    É o que sempre digo, quem gosta de ficar de quatro para ser enrabado(a) por norte-americanos e europeus, que faça bom proveito. Nada contra mesmo !

    Quanto a nós, verdadeiros brasileiros, “calçaremos os nossos próprios sapatos” (Lula) e andaremos com nossas próprias pernas.

  119. Daise said

    Dilma agora frita ministros antes de nomeá-los

    Josias de Souza 22/11/2014 06:56
    Compartilhe2675 Imprimir Comunicar erro

    Dilma Rousseff tornou-se uma mandatária sui generis. Tem dois ministros da Fazenda e não tem nenhum. Guido Mantega foi demitido em setembro. E permanece no cargo como um ministro cenográfico. Joaquim Levy foi convidado nesta sexta-feira (21). Mas seu nome não foi anunciado formalmente. A presidente já tinha avisado que, reeleita, seria a mudança de si mesma. Mas ninguém suspeitou que tentaria compensar a carência de miolos na área econômica com o excesso de cabeças.

    Lula aconselhara Dilma a apressar a escalação do seu time econômico, para disputar com o petrolão o espaço nas manchetes. A pupila deu ouvidos ao patrono. Mas conduziu o processo à sua maneira. Inovadora, levou o novo titular da Fazenda à frigideira antes mesmo de nomeá-lo. Maquiavel não teria feito melhor. Nunca nenhum presidente fizera o mal tão bem.

    Para a Fazenda, Dilma chamou o preferido de Lula: Luiz Carlos Trabuco, presidente do Bradesco. Que refugou o convite. Além de deixar boquiabertos Armínio Fraga e Neca Setúbal, a presidenta informou para Joaquim Levy, hoje também um executivo do Bradesco, que ele não era sua primeira opção. O mercado festejou mesmo assim. A Bolsa chegou a subir cinco pontos.

    Na pasta do Planejamento, Dilma decidiu acomodar Nelson Barbosa, que sonhava com a Fazenda. No Banco Central, manteve Alexandre Tombini, que também vinha sendo estimulado a acalentar a perspectiva de virar o novo Mantega. Consumada a escalação, armou-se no Planalto o palco para o anúncio. A imprensa mobilizou-se.

    Súbito, Dilma mandou dizer que decidira adiar a formalização de suas escolhas. Por quê? Sabe Deus! Talvez queira dar ao PT, crítico feroz do pensamento médio de Joaquim Levy, a oportunidade de bombardeá-lo por uma semana.

    Ficou entendido que, antes de tomar uma decisão tão importante quanto a escolha da equipe que vai gerir a herança perversa deixada pela velha Dilma, a nova Dilma pensa duas vezes, analisa todas as possibilidades, consulta o Lula… Uma vez tomadas as decisões, faz o contrário. Ou faz aquilo mesmo que decidiu. Pouco importa. Tudo é ocasional. Certo mesmo só o novo gosto da presidente. Ela agora prefere ministros bem tostadinhos.

    Josias de Souza

  120. Daise said

    DILMA: TO PENSANDO

  121. Jose Mario HRP said

    ESSA MALA NÃO DORME!
    Passou escrevendo das duas da tarde dos EUA até 08 e agora volta ao blog!
    Desconfio que é roda bolsa em Miami!
    KKKKKK……
    Leitor de Veja e acreditando em D. Magnoli!!!!!!!!!
    E eu acredito em duendes, eu e a Xuxa.
    E o Dr. Freitas?
    KD, pra explicar o show de caridade das empreiteiras!???
    E o Aécio?
    Sumiu?
    Ou morreu na guerra insana contra o Lobo Mau PT????
    Lobo Mau, au au, assim chamou o PT o dono da tranguinha de crochet mais sexy de Copacabana!
    KKKKKK……
    Daise e Magnoli+GABEIRA?
    Gaiola das loucas……

  122. Daise said

    PEGOS NA MENTIRA: dilma e lula sabiam desde 2009

    Técnicos alertaram para ‘consolidação de danos’ após veto de Lula
    RICARDO GALHARDO – O ESTADO DE S. PAULO
    22 Novembro 2014 | 03h 00

    Equipe do Congresso emitiu parecer sobre riscos três dias após o então presidente barrar suspensão de obras da Petrobrás em 2010

    São Paulo – No dia 29 de janeiro de 2010, três dias depois de o então presidente Luiz Inácio Lula da Silva vetar uma decisão do Congresso que determinava a suspensão de quatro obras da Petrobrás suspeitas de irregularidades, técnicos da Câmara e do Senado emitiram uma nota conjunta que alertava para a “consolidação de danos” na estatal caso o veto presidencial fosse mantido.

    De acordo com os técnicos do Congresso, as justificativas apresentadas por Lula para vetar a suspensão das obras não mencionam em momento algum as irregularidades graves apontadas pelo Tribunal de Contas da União (TCU). No veto, o então presidente se refere aos indícios de corrupção como “pendências”.
    Na época, os técnicos do Congresso já alertavam que a decisão de Lula de permitir a continuidade das obras, apesar dos graves indícios de irregularidades, poderia provocar prejuízos irreparáveis à estatal – o veto acabou mantido pelos congressistas.

    Passados mais de quatro anos, as quatro obras liberadas pelo petista são citadas pelos envolvidos na Operação Lava Jato como fontes de recursos que alimentaram o esquema de corrupção na Petrobrás.
    Graças à decisão de Lula, foram repassados mais de R$ 13 bilhões para as obras nas refinarias de Abreu e Lima (PE), Presidente Getúlio Vargas (Repar), Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro (Comperj) e o complexo de Barra do Riacho (ES). O custo total dos empreendimentos é de mais de R$ 80 bilhões.

    Em meados de 2009, o TCU alertou o governo sobre indícios de superfaturamento, pagamentos indevidos, obstrução dos trabalhos de fiscalização e omissão de documentos por parte da Petrobrás, nas quatro obras. Para o tribunal, os indícios eram suficientes para pedir a paralisação das obras. Meses depois, o Congresso acatou a recomendação e determinou ao governo, em um anexo da Lei de Diretrizes Orçamentárias de 2010, a suspensão dos repasses. Lula contrariou a determinação, vetou a decisão do Congresso e permitiu a continuidade das obras suspeitas.

    Nas justificativas para o veto, o então presidente alegou que a paralisação provocaria demissão de 25 mil trabalhadores, além de prejuízos mensais de R$ 268 milhões por “degradação” dos trabalhos já realizados e de outros R$ 577 milhões em função do atraso da produção.

    Disse ainda que algumas obras estavam 90% prontas e que havia “consenso” entre TCU, Congresso e governo sobre a criação de um grupo de trabalho que permitiria corrigir as irregularidades sem parar as obras. Os técnicos rebateram dizendo que o cálculo não leva em conta os prejuízos causados pelas irregularidades.
    Simplismo. “Raciocínios simplistas que ponderem apenas uma parte desta equação, ou seja, apenas o prejuízo causado pela paralisação e não o dano decorrente da continuidade de empreendimentos”, diz a nota.
    Segundo os técnicos, a análise parcial dos contratos de apenas dois empreendimentos (Abreu e Lima e Comperj) aponta prejuízo de R$ 250 milhões decorrentes de superfaturamento e pagamentos por equipamentos não utilizados.
    Em março de 2010, numa visita à Repar ao lado da então pré-candidata a presidente Dilma Rousseff, Lula usou a manutenção dos empregos para justificar o veto. Segundo ele, os trabalhadores não poderiam pagar pela desconfiança do TCU.

    “Se tem que fazer investigação, que façam, se tem que apurar, que apurem, mas não vamos fazer com que um trabalhador, um brasileiro que está levando o pão para sua casa, fique desempregado porque alguém está desconfiando de alguma coisa”, disse Lula.

    O governo nega que a gestão de Lula não tenha dado a devida atenção às suspeitas. Segundo a Casa Civil, ainda em setembro de 2009, antes, portanto, do veto presidencial, a Corregedoria-Geral da União foi acionada pela então ministra Dilma para apurar as suspeitas. Na mesma época, o grupo de acompanhamento do Programa de Aceleração de Crescimento também foi acionado para examinar o relatório do TCU.
    Ainda de acordo com o governo, em uma reunião realizada no dia 20 de janeiro de 2010, seis dias antes do veto presidencial, TCU, Casa Civil, Ministério de Minas e Energia e Petrobrás decidiram acompanhar a solução das irregularidades em “reuniões regulares que efetivamente ocorreram”.

    O governo alega ainda que no ano seguinte o Congresso retirou o embargo às obras e em 2013 o próprio TCU também deixou de recomendar a suspensão dos repasses para os quatro empreendimentos da estatal.
    A Petrobrás não negou a acusação de obstrução à fiscalização. Segundo a assessoria da estatal, “Petrobrás e TCU estão em constante processo de entendimento”.

  123. Daise said

    Sai de cena Dilma 2. Entra Lula 3
    22/11/2014 – 05h00
    Ricardo Noblat

    Acabou a brincadeira. Saem os amadores progressistas, desenvolvimentistas, esquerdistas – e lambanceiros – e entram em campo os profissionais do poder. A se confirmarem os nomes dos novos ministros, não teremos um governo Dilma 2, mas um Lula 3, já de olho em 2018.

    Joaquim Levy no Ministério da Fazenda, Kátia Abreu na Agricultura e Armando Monteiro Neto no Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior levam a algumas conclusões: a crise econômica e de governança é mesmo grave. Tão grave que tem potencial para pulverizar as pretensões de Lula de voltar ao poder daqui a quatro anos.

    Segunda conclusão: Dilma será obrigada a abrir mão de muito poder em troca de consertar os imensos estragos de seu primeiro governo. Nem Levy nem Kátia nem Armando Monteiro têm perfil de fantoches amedrontados pelo mandonismo mal-educado de Dilma. Ou vão comandar de fato suas áreas ou cairão fora.

    Terceira conclusão: um governo Aécio não ousaria escolher um time tão ortodoxo, tão neoliberal, tão à direita quanto os dois grandes representantes do patronato agroindustrial e um queridão dos mercados.

    Kátia Abreu, ex-UDR, presidente da Confederação Nacional da Agricultura, começou a carreira política no DEM e é o terror do MST e dos ambientalistas.

    O usineiro pernambucano Armando Monteiro, do PTB, foi presidente da Confederação Nacional da Indústria.

    E Joaquim Levy, ex-FMI, ex-aluno bem-amado de Armínio Fraga e da Escola de Chicago, teve seu primeiro emprego no governo na segunda gestão de FHC. É um craque em defender o rigor e a austeridade e em dizer não à gastança. Duela a quien duela. Incluídos aí Dilma e o PT.

    Que tal?

    Vamos que vamos!

  124. Patriarca da Paciência said

    É profundamente ridículo e patético essa história de que a Polícia Federal é independente e não deve satisfações a ninguém. A Polícia Federal é vinculada ao Ministério da Justiça e, seria facílimo, para a Dilma, trocar todos os cargos de direção da Polícia Federal.

    A Polícia Federal tem tem autonomia quanto qualquer cidadão brasileiro, ou seja, qualquer cidadão que é testemunha de um crime tem o dever de denunciar.

    Se a Polícia Federal não está obedecendo aos seus superiores hierárquicos, tem que ser punida na forma da lei.

    É o que acontecerá com os delegados que fizeram “vazamentos” seletivos para fim de beneficiar Aécio.

    A Justiça anda devagar… mas sempre chega lá.

  125. Patriarca da Paciência said

    É o que sempre digo, quem gosta de ficar de quatro para ser enrabado(a) por norte-americanos e europeus, que faça bom proveito. Nada contra mesmo !

    Quanto a nós, verdadeiros brasileiros, “calçaremos os nossos próprios sapatos” (Lula) e andaremos com nossas próprias pernas.

    E se algum norte-americano ou europeu, ficar de quatro na nossa frente, nós o enrabaremos !

  126. Patriarca da Paciência said

  127. Jose Mario HRP said

    Pois é, Patriarca, saimos do mapa da fome, e só por isso eu digo que jamais tinha visto o Brasil tão orgulhoso de ser Brasil.
    E como não tenho passaporte da comunidade européia, graças a Deus, por aqui fiquemos fazendo um país mais justo, como bem disse o “Anta, Sapo Barbudo, Apedeuta, Nove dedos, nordestino sujo e comunista(sem ser) Lula da Silva”.

  128. Patriarca da Paciência said

    Época áurea de Hollywood. Os artista viviam em um verdadeiro Inferno, em compensação, faziam o mundo inteiro sonhar com o Paraíso:

  129. Daise said

    DILMA ESTÁ APAVORADA

    As prováveis escolhas anunciadas da dilma para a Fazenda ( Levy) e Katia Abreu ( Agricultura) revelam que a presidenta incompetenta está com MEDO.

    MEDO DE ERRAR E ATRAIR UMA PROFUNDA CRISE ECONÔMICA
    que anularia as conquistas sociais e econômicas dos últimos 20 anos, podendo ser deposta pelo Congresso ( inclusive PT)

    E talvez isso seja bom para o Brasil .

    P.S. Lula ser preso por corrupção também!

  130. Daise said

    JOAQUIM LEVY

    Cabelos… No momento em que o convite de Dilma a Joaquim Levy vazou, ontem, acontecia uma reunião de economistas e intelectuais do PT, em São Paulo.

    … em pé Imediatamente começou o bombardeio ao nome, considerado muito pró-mercado. O mais indignado era Luiz Gonzaga Belluzo, do grupo da Unicamp.

    Painel FSP

    KATIA ABREU

    1.A indicação da ruralista Kátia Abreu para o Ministério da Agricutura ainda não foi digerida por movimentos sociais, como o MST; neste sábado, em protesto contra a polêmica escolha da presidente Dilma Rousseff, integrantes do MST ocuparam a Fazenda Pompilho, no Rio Grande do Sul; para Raul Amorim, da coordenação do coletivo de juventude do MST, com esta ocupação a juventude denuncia Katia Abreu pelo vínculo com o agronegócio; “Katia Abreu é símbolo de um modelo que está destruindo os recursos naturais e a saúde dos trabalhadores e de toda a população”, diz ele

    2.Escolha da senadora Kátia Abreu (PMDB-TO) para o ministério da Agricultura é chamada de “estapafúrdia” e “tiro no pé” por blogueiros e líderes de movimentos sociais; “Katia Abreu é um desastre em qualquer conjuntura. Não tentem justificar o injustificável!”, escreveu Pablo Capilé, do coletivo Fora do Eixo, em sua página no Facebook; “Eu e mais 54 milhões de brasileiros que reelegemos Dilma esperamos realmente que o nome de Kátia Abreu para o ministério da Agricultura seja apenas mais uma barrigada da mídia velha anti-petista”, reforçou a blogueira Maria Frô; abaixo-assinado virtual criado em 2012 no site Avaaz contra a senadora ganha força agora; internautas organizam tuitaço #ForaKatiaAbreu

    6×40 mil (247)

  131. Daise said

    PT+ PETROLÃO = DILMA APAVORADA

    Ex-diretor da Petrobrás diz que líder do PT no Senado recebeu R$ 1 milhão
    FAUSTO MACEDO, RICARDO BRANDT – O ESTADO DE S. PAULO
    22 Novembro 2014 | 21h 14

    Em delação premiada, Paulo Roberto Costa afirma que Humberto Costa foi destinatário, em 2010, de parte das ‘comissões’ pagas por empreiteiras a partir de contratos da estatal
    O líder do PT no Senado, Humberto Costa (PT-PE), recebeu R$ 1 milhão do esquema de propinas e corrupção na Petrobrás para sua campanha em 2010, segundo afirmativa do ex-diretor de Abastecimento da estatal Paulo Roberto Costa em um dos seus depoimentos da delação premiada.

    O senador Humberto Costa, líder do PT no Senado, foi acusado pelo ex-diretor da Petrobrás, Paulo Roberto Costa, de receber R$ 1 milhão do esquema de propina na estatal.

    O petista integra uma extensa lista de políticos acusados pelo ex-diretor da Petrobrás na delação por meio da qual espera ter sua pena reduzida. Dos depoimentos sigilosos, já vieram à tona outros nomes de supostos beneficiários de dinheiro de propina dos contratos da Petrobrás, como o da ex-ministra da Casa Civil Gleisi Hoffmann, também do PT, o do ex-senador, já morto, Sérgio Guerra, do PSDB, e o do ex-governador de Pernambuco Eduardo Campos, do PSB, que também já morreu.

    Gleisi e Campos teriam recebido o dinheiro, por meio de intermediários, para campanhas políticas. No caso de Guerra teria sido para abafar as investigações de uma CPI sobre a Petrobrás instalada no Congresso Nacional no ano de 2009. Gleisi, o PSDB e o PSB negam ter recebido propinas, assim como o líder do PT no Senado.
    Empresário. No caso de Humberto Costa, o ex-diretor da estatal disse que o dinheiro foi solicitado pelo empresário Mário Barbosa Beltrão, amigo de infância do petista e presidente da Associação das Empresas do Estado de Pernambuco (Assimpra).

    Paulo Roberto Costa disse que o dinheiro saiu da cota de 1% do PP (Partido Progressista),que tinha o controle político da diretoria de Abastecimento da estatal.

    Ainda segundo o ex-diretor, outras unidades da companhia foram loteadas para o PT (Serviços) e o PMDB (Internacional). Cada diretoria arrecadava 1% de cada grande contrato.

    A Diretoria de Serviços, sob o comando político do PT, realizava todas as licitações das demais unidades e, por isso, o partido recebia outros 2% sobre os contratos da estatal, segundo o ex-diretor de Abastecimento.
    Paulo Roberto Costa assumiu o cargo em 2004, por indicação pessoal do então deputado José Janene (PP-PR), que integrava a base aliada do Palácio do Planalto na gestão do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Janene, que foi réu no processo do mensalão, morreu em 2010.

    Segundo o delator, o PP decidiu ajudar a candidatura de Humberto Costa, razão pela qual teria cedido parte de sua comissão. Paulo Roberto Costa afirmou ainda que, se não ajudasse, seria demitido.
    Humberto Costa, o primeiro senador pelo PT de Pernambuco, foi eleito em 2010. Havia exercido antes o cargo de secretário das Cidades de Pernambuco (2007 a 2010) no governo Eduardo Campos e foi ministro da Saúde no primeiro mandato de Lula, de janeiro de 2003 a julho de 2005.

    O ex-diretor de Abastecimento da Petrobrás relatou que conheceu Humberto Costa quando ele chefiava o Ministério da Saúde. Em sua delação, disse que “um amigo” de Humberto Costa, o empresário Mário Beltrão, lhe pediu colaboração de R$ 1 milhão para a campanha do petista ao Senado, em 2010.

    Ele não soube informar como ocorreu o repasse do dinheiro, mas declarou que o empresário lhe confirmou o pagamento. Disse também que o seu contato era sempre com Mário Barbosa Beltrão, que dirige a Associação das Empresas do Estado de Pernambuco, “entidade sem fins lucrativos” e que anuncia como meta “a prestação de serviços aos seus associados e a defesa dos seus interesses legítimos junto aos órgãos governamentais”.
    A associação criou o “Grupo de Trabalho pelo Desenvolvimento de Pernambuco” que promove reuniões mensais “com a participação de empresários, políticos, formadores de opinião, com a finalidade de discutir os problemas de Pernambuco e apontar soluções”.

    Parlamentares. A lista de parlamentares que teriam sido beneficiados pelo esquema da Petrobrás, segundo a delação de Paulo Roberto Costa, tem 32 nomes, entre deputados e senadores. Parte das revelações do ex-diretor da estatal petrolífera foi confirmada pelo doleiro Alberto Youssef, antigo parceiro de José Janene – ambos apontados como mentores da Lava Jato. O doleiro está preso na sede da Polícia Federal em Curitiba, base da Lava Jato, desde 17 de março. Paulo Roberto Costa está em regime de prisão domiciliar, em seu apartamento, no Rio.
    Caso de políticos está no Supremo. Após cumprir 7 fases, nas quais mirou em doleiros, lobistas, agentes públicos, ex-diretores da Petrobrás e empreiteiros envolvidos na trama de propinas e corrupção na estatal petrolífera, a Operação Lava Jato passará a lidar com políticos citados por dois delatores do caso. Paulo Roberto Costa, ex-diretor de Abastecimento da Petrobrás, por exemplo, apontou 32 parlamentares, entre deputados e senadores, como beneficiários de dinheiro ilícito arrecadado por meio de fraudes em contratos.
    O doleiro Alberto Youssef confirmou parte das revelações de Costa.

    Como os políticos têm foro privilegiado, as denúncias contra eles foram enviadas ao Supremo.

    Ao homologar o acordo de delação de Costa, o relator da Lava Jato na Corte, ministro Teori Zavascki, anotou: “Há elementos indicativos, a partir dos termos do depoimento, de possível envolvimento de várias autoridades, inclusive de parlamentares federais”.

  132. Daise said

    MERCADANTE, O FRACASSADO PREPOTENTE

    Pobre Levy

    Para a crônica das desavenças passadas entre Dilma Rousseff e Joaquim Levy, agora cotado para comandar a Fazenda.

    Certa feita, ao final de uma reunião de muitas horas e poucas decisões na Casa Civil, o então secretário do Tesouro se despediu assim:

    — Ministra, quando será a próxima assembleia?

    E quem viveu por dentro o primeiro governo Lula aposta que Aloizio Mercadante começará a fritar Levy antes mesmo da posse, a exemplo do que fez naquela época.

    Curinga

    A oposição passou meses reclamando que o governo tinha ministérios demais, 39. Pois, nos últimos dias, o país aprendeu como é viver com apenas um ministro, Mercadante.

    Reforma ministerial? Mercadante. Votação da lei fiscal? Mercadante. Crise na base governista? Mercadante. Nova política industrial? Mercadante.

    Dilma, coitada, reuniu-se com o dito-cujo, dia desses, por 10 horas seguidas.

    Ninguém merece.
    ———————————
    Coluna do Moreno

  133. Daise said

    DILMA APAVORADA

  134. Daise said

    # 130 Conforme previsto hehehehe

    Janio de Freitas, o previsível

    O primeiro passo

    A escolha de Joaquim Levy para a Fazenda presenteia os conservadores na suposição de aplacá-los

    A escolha de Joaquim Levy para o Ministério da Fazenda, vista de fora, é uma decisão política, não econômica. Faz supor uma escolha de Dilma Rousseff por temor da voracidade com que os conservadores ambicionam a retomada do Poder perdido. Presenteia-os, parece, na suposição de aplacá-los.

    De fora, ainda não há como saber –e muito menos crer– de algum entendimento prévio sobre linha de política econômica que possa tornar a escolha mais inteligível. Seja como for, coerente com o sentido da campanha de Dilma, não é.

    A escolha não tem coerência nem com o momento em que é feita. Na manhã mesma em que fez uma reunião para definir a escolha, liberada não oficialmente à tarde, o caderno “mercado2” da Folha apresentava como manchete: “Desemprego recua em outubro e atinge 4,7%; renda bate recorde”. A seção “Economia” do “Globo”, com uma nota na primeira página, também dava como manchete: “Emprego em alta, renda recorde”.

    Aos dois jornais não faltaram, claro, o “mas” e o “apesar de”. Ainda assim, das manchetes pode-se entender que a economia esteja mais para o massacrado Guido Mantega do que para o Joaquim Levy que bem poderia ser ministro em um governo de Aécio Neves.

    O histórico de Joaquim Levy não deixa dúvida sobre o seu conservadorismo, posto em prática evidente ao menos desde que foi secretário de Assuntos Econômicos do Ministério do Planejamento no governo Fernando Henrique. Conservadorismo confirmado no governo Lula, quando foi um dos inspiradores da política econômica que consagrou Antonio Palocci nos setores do domínio financeiro. E conservadorismo consolidado como secretário do Tesouro, quando Levy foi o ponto de resistência a gastos e outras medidas de linha social pretendidas no governo Lula.

    Caso o histórico não baste, o presente garante: se não fosse adepto de concepções do conservadorismo neoliberal, Joaquim Levy não seria diretor do Bradesco. O que prova não se tratar, até agora, de pessoa incoerente.

    Também sem comunicação oficial quando escrevo, a apontada indicação da senadora Kátia Abreu para a Agricultura sugere, ou confirma, uma disposição incomum de Dilma Rousseff para incrementar problemas com as correntes não conservadoras. A senadora exerce com muita competência a liderança do agronegócio e dos grandes proprietários de terra. Mas nem todos os interesses que defende coincidem com o que deveriam ser objetivos do governo, de todo governo.

    Dilma Rousseff entra no segundo mandato devendo muito para reparar os desempenhos deploráveis do seu governo em três capítulos da desgraça nacional: o problema indígena, sem as demarcações territoriais devidas e com o genocídio em progressão; a questão fundiária em geral, com imensos territórios tomados e explorados; e, ainda e sempre, a reforma agrária, pendente de correções e de avanços. Três assuntos em que o responsável pela Agricultura tem deveres e poderes muito grandes. Três assuntos em que os interesses representados pela senadora Kátia Abreu conflitam, em todos os sentidos desta palavra, com as vítimas e com as obrigações e as dívidas administrativas e sociais do governo Dilma.

    O primeiro movimento para o novo governo parece feito em marcha a ré.

    —————

    Mas obaratavoa continua….e dilma ainda será “impedida” pelo…pasmem, o PT !

  135. Daise said

    PETROBRAS DO PT: COLEÇÃO DE FRAUDES E CORRUPÇÃO

    Obra de gasoduto para Manaus teve coleção de fraudes
    DIMMI AMORA
    DE BRASÍLIA
    23/11/2014 02h00

    Superfaturamentos, falsificação de documentos, aditivos fora da lei, alertas emitidos, multas aplicadas, recursos, absolvição e, no final das contas, ninguém punido.

    A construção do Gasoduto Urucu-Manaus, iniciada em 2006 em empreendimento liderado pela OAS, foi a primeira grande obra da Petrobras a seguir o roteiro de frouxidão no controle que resultou nos desvios bilionários agora descobertos na Operação Lava Jato –ela é uma das nove em que é apontado desvio de recursos da estatal.

    Entre 2007 e 2008, o TCU (Tribunal de Contas da União) iniciou investigações nas dezenas de contratos de construção do gasoduto de cerca de 400 km que levaria gás da região de Urucu para Manaus, reduzindo assim a dependência de energia da capital amazonense.

    Quando era um projeto, a estimativa era gastar R$ 1,2 bilhão na obra.

    Foram apuradas pelo TCU 26 irregularidades graves nos contratos, que ficaram sob a responsabilidade do ex-diretor de serviços da companhia, Renato Duque, preso desde o dia 14. A suspeitas iam de superfaturamento a falsificação de documentos.

    Nem a estatal nem a empreiteira comentaram o caso até a conclusão desta reportagem.

    A causa de todos os problemas era simples: a Petrobras começou a obra com projetos incipientes, mesmo sendo uma construção com quilômetros de escavação no meio da floresta amazônica.
    ambulância alugada

    O aluguel de uma ambulância, por exemplo, saiu por R$ 800 mil. Não deveria custar mais de R$ 54 mil. Para justificar uma dispensa de licitação, apareceram documentos com assinaturas diferentes das mesmas pessoas.

    Na época da apuração dos desvios, os contratos já somavam R$ 2,2 bilhões. O engenheiro da Petrobras Gésio Rangel de Andrade se recusou a assinar os aditivos para aumentar seu valor por considerá-los irregulares e denunciou os que considerava errado para a empresa.

    Segundo sua mulher contou à Folha, Andrade acabou punido pela companhia e saiu da obra em 2007. O chefe de Gésio era Renato Duque.

    Em 2007, uma comissão com dez deputados visitou as obras para uma inspeção. Nada encontrou de irregular e o relatório final é só elogios ao empreendimento. Entre os congressistas que participaram da visita na época estava Ciro Nogueira (PP), hoje senador pelo Piauí e presidente de seu partido.

    O PP é uma das legendas acusados de se beneficiar dos desvios na Petrobras, ao lado do PT e do PMDB.

    Pelas irregularidades apontadas, o TCU pediu explicações a 12 pessoas. No final, apenas três foram multadas em R$ 5 mil cada uma.

    Também foi determinado que a Petrobras retivesse valores pagos a mais nos contratos da obra do gasoduto.

    Outra medida foi a abertura de um processo separado para apurar o superfaturamento em um dos contratos da construção, com o Consórcio Amazonas Gás (a empreiteira OAS era a líder).

    Inicialmente, a Petrobras pagaria R$ 666,7 milhões por esse trecho da obra, que acabou recebendo aditivos que a levaram para um total de R$ 1,23 bilhão.

    RECURSO

    As empresas e os três multados no primeiro processo do TCU entraram com recursos e todas as punições foram anuladas, inclusive a retenção de recursos.

    Já o processo da Amazonas Gás tem uma decisão inusitada dos próprios técnicos do Tribunal de Contas da União.

    Mesmo apurando um sobrepreço de 10% nos itens do contrato investigados e sendo proibido por lei aditivos acima de 25% do valor da obra (nesse caso havia sido de 85%), a recomendação foi arquivar o processo por não haver irregularidades.

    O plenário do TCU acabou tendo entendimento diferente. Determinou que fossem identificados os responsáveis pelos contratos e aditivos para que justificassem as decisões deles. Esse processo ainda não terminou e as justificativas estão sendo analisadas pelo órgão fiscalizador.

    Mas a obra já está encerrada: atrasou três anos e custou R$ 4,5 bilhões, quase o quádruplo do planejado. E, sabe-se agora, foram pagos pelo menos R$ 15 milhões de propina em troca de contratos obtidos com a estatal.

  136. Jose Mario HRP said

    Mais uma vez a Óia é pega na mentira.
    A tal reportagem da coisa do Emaisl do Costa foi demolida arrasadoramente.

    “Vejo que a Veja” logo logo vai pro brejo!
    Nem o Alckimin comprando 1/3 da tiragem vai dar jeito!
    KKKKKKK
    Enquanto isso , num canto obscuro dos brejos da Flórida alguém saliva de ódio!
    The Loser!
    KKKKKKKK…..

  137. Jose Mario HRP said

    Será que agora vai????
    A Lava Jato começa a sair de seu leito original – as delações seletivas da PF do zé, dos delegados aecistas, e do queijo suíço em que se transforma a Vara do Dr Moro.

    Era a Lava Jato para detonar a Dilma e eleger o Aécio Never.

    Como disse o Procurador Janot, era tudo campanha eleitoral.

    (Com a leniência do zé da Justiça.)

    Com o andar da carruagem, a investigação chegou – por conta de Lei do Governo Dilma – aos corruptores e, pela primeira vez, há empreiteiros na cadeia.

    O que devia acontecer desde o impeachment do Presidente Collor e toda a gestão tucana, de FHC ao trensalão de São Paulo.

    Mas, não aconteceu.

    Acontece agora.

    A Lava Jato começa – começa ! – a alagar o Aécio, o Cerra e – enfim ! – o Governo Fernando Henrique, com a ilustre intervenção do “Baiano”.

    A Lava Jato molha todo mundo.

    Urbi et Orbe.

    Até a Bláblá, porque, como se sabe, o Paulo Roberto Costa era assim com o Eduardo Campos e, breve, ele poderá esclarecer quem é o dono do jatinho em que a Blablá viajou cinco vezes, em campanha.

    Está como o Mino Carta gosta: é tudo a mesma sopa.

    Vamos ver ser se, ao quebrar o sigilo bancário do Vaccari, do PT, o PiG revelará a secreta essência do que o Rubens Valente – no inigualável “Operação Banqueiro” – denunciou: as artes do Vaccari para tornar possível a patranha da BrOi.

    Vamos ver o Globo e a Fel-lha meter a mão no câncer da BrOi e da Satiagraha.

    Vamos ver, amigo navegante !

    Aí chegamos à medula.

    Ao caráter estrutural da corrupção no Brasil.

    Por causa, sobretudo, da desbragada participação das empresas no financiamento das campanhas.

    O que, breve, o Supremo proibirá, diante da decisão por 6 a 1 de seu soberano plenário.

    Do contrário, como demonstrou a Operação Mãos Limpas, na Itália, a Lava Jato pode ser, ao fim, o trampolim para que o Berlusconi fique vinte anos no poder, a rir, às gargalhadas, do Dr Moro.

    Foi o que observou o Saul Leblon, em notável artigo, e adverte o Mino: Dr Moro, e a Satiagraha ?

    Empresas na campanha?

    Outros exemplos ?

    Estão na Castelo de Areia e na Satiagraha.

    E, sem elas, a Lava Jato será uma caricatura.

    Um pastiche de Justiça.

    A desmoralização da Lava Jato se fará, em primeiro plano, por sua seletividade.

    Uma espécie de “eugenia política”.

    Se mandar para cadeia só os pretos, os pobres, as p… – e os petistas !

    Será a consolidação do Ancien Régime em que se sustentam as estruturas desmoralizadas de um aparelho Judiciário impenetrável.

    Revirar pedra e pedra está nas mãos do Supremo Tribunal Federal.

    Fabio Serapião escreveu para a Carta Capital dessa semana uma notável reportagem: “Juízo final ?”.

    O título contém esse ceticismo que só o Supremo pode desfazer.

    Por que o Supremo, de novo ?

    Serapião revela que dorme na gaveta do sereno Ministro Luís Roberto Barroso um Recurso Especial para retomar a Operação Castelo de Areia.

    A Castelo de Areia, como se sabe, é a que desnuda a ligação orgânica, estrutural de empreiteiras – Camargo Correia, de novo – com os tucanos de São Paulo.

    Da mesma forma, adormece na gaveta do Ministro Fux a RE 680967 que legitima a Satiagraha – a Operação que desnuda as sinistras ligações dos protagonistas da Privataria Tucana com a fundaçao da BrOi – a tal da patranha.

    (BrOi foi a operação no BNDES que deu a Brasil Telecom à Oi Com o dinheiro do FAT, o BNDES conferiu um “bônus de saída” (quá, quá, quá !) de US$ 1 bilhão a “brilhante banqueiro”, na qualificação de seu patrono, Fernando Henrique Cardoso. Foi FHC quem “deu” a Brasil Telecom ao “brilhante” naquela famosa operação conhecida como “se der m”…)

    O Juiz Moro, que militou na desmontagem – inútil – do Banestado, sabe de quem se trata …)

    A Castelo de Areia foi interrompida no Superior Tribunal de Justiça, porque uma denúncia – depois confirmada por investigação da PF – foi uma “anônima”.

    O STJ, então, considerou que se tratava de uma “maçã podre” que contaminou toda a árvore (regada pelos empreiteiros, para fazer a torta de maçã do breakfast tucanos de São Paulo …)

    “Denúncia anônima” serve para prender pedófilo mas, não, para prender tucano de São Paulo.

    Viva o Brasil !

    A Satiagraha foi interrompida provisoriamente por dois HCs Canguru até hoje não se sabe bem por quê.

    (Sobre a matéria, clique aqui para ver vídeo incriminador que a Globo censurou.)

    Provavelmente, porque os HCs tivessem a propriedade de beatificar o “brilhante” banqueiro.

    Os Ministros Barroso e Fux estão diante de monumental responsabilidade.

    Desmoralizar a Lava Jato – ou salvá-la.

    Legitimá-la.

    Em tempo: o ansioso blogueiro pegou um taxi nessa manhã de sábado 22/11. O motorista, idoso, que oferece o Estadão aos passageiros, perguntou:

    – O senhor que é jornalista. Dá para acreditar nesse cara que disse no Estadão que começou a roubar na Petrobras no tempo do Fernando Henrique ?

    – Se o senhor não acreditar nele, não pode acreditar nos que dizem que roubaram no tempo do Lula…

    Em tempo2: A excelente reportagem de Serapião revela que, por um “descuido” – as aspas são dele, Serapião – do então Procurador Geral, Antonio Fernando de Souza, a relação de Daniel Dantas com Marcos Valério não constou da denúncia oferecida ao STF e, por isso, o doleiro Youssef pode operar, livre e ativo, com o Banco Rural. Lamentável descuido !

    Em tempo3: depois de oferecer a denúncia, conhecida como “Ali Babá e os 40 ladrões”, o descuidado Souza integrou a equipe dos 1001 advogados de Daniel Dantas.

    Paulo Henrique Amorim

  138. Pax said

    PHA como fonte, caro HRP?

    Até Humberto Costa?

    http://www1.folha.uol.com.br/poder/2014/11/1552087-lider-do-pt-nega-propina-da-petrobras-e-coloca-quebra-de-sigilos-a-disposicao.shtml

  139. Daise said

    PT: ESCANDALOS EM SÉRIE

  140. Daise said

    PETROLÃO E O DOMINÓLEO

  141. Daise said

    PT: ESCANDALOS EM SÉRIE

  142. Jose Mario HRP said

    Pax, sei lá o que voce quer crer, mas sabemos que diz que me diz é seu hábito.
    Acredite em que quiser.

  143. Jose Mario HRP said

    O irã consegue acordo com a ONU.
    Que chato direta!DEUS TODO poderoso!

  144. Jose Mario HRP said

    http://www.diariodocentrodomundo.com.br/mostra-fotos-do-filho-para-ela-chorar-a-brasileira-maria-regina-case-e-a-globo/

    kkkkkkkkk, nossas hipocrisias, com coisa seria, e a mina do esquenta!!!!!!!!!!
    globallll!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

  145. Jose Mario HRP said

    https://br.tv.yahoo.com/blogs/notas-tv/regina-case-e-uma-farsa-diz-mae-de-dancarino-morto-171418036.html
    Heroinas????????????

  146. Daise said

    desgoverno dilma: DESTRUIU AS MAIORES EMPRESAS!

    PETROBRÁS NÃO CONSEGUE APRESENTAR BALANÇO E VAI TER QUE REVER OS ANTERIORES

    ELETROBRÁS NÃO CONSEGUE PAGAR DIVIDENDOS ESTATUTÁRIOS

    E VAI TER MAIS…CORREIOS E FUNDOS DE PENSÃO

  147. Daise said

    O GOVERNO DILMA

  148. Jose Mario HRP said

    Pernambuco 247 – Citado pelo ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa por ter supostamente pedido dinheiro para o senador Humberto Costa (PT) no esquema de pagamento de propina em contratos da estatal, o presidente da presidente da Associação das Empresas do Estado de Pernambuco (Assimpra), Mário Barbosa Beltrão, reagiu com indignação às informações. “É uma leviandade. Isso é uma loucura que machuca a dignidade e o currículo de um chefe de família honrado. Nunca passei um cheque sem fundo”.

    Beltrão informou que em 2010 sua empresa doou R$ 150 mil para o então candidato ao Senado Humberto Costa. “Eu sou um homem que preza a transparência e a honestidade. O dia em que eu mentir eu morro do coração. Humberto Costa é meu amigo de infância, mas nunca me pediu colaboração de campanha.”

    Abaixo a íntegra da nota de Mário Beltrão enviada ao 247.

    Nego peremptoriamente a afirmação de ter pedido ao sr. Paulo Roberto qualquer contribuição financeira à campanha do senador Humberto Costa ao Senado em 2010. Não pedi nem recebi qualquer autorização para fazer gestão dessa ordem;

    No que diz respeito ao sr. Paulo Roberto, declaro que o conheço e mantive com ele relação institucional, devido à sua condição de diretor de Abastecimento da Petrobrás e responsável pela implantação das refinarias da empresa , e da minha condição de presidente da Associação das Empresas do Estado de Pernambuco (ASSINPRA). Como presidente dessa entidade lutei, por mais de uma década, pela implantação da refinaria em Pernambuco, ultrapassando várias gestões dos governos Federal e Estadual;

    Afirmo que sou titular de empresa que há 32 anos trabalha para a Petrobrás e que ao longo de todo o período em que o senhor Paulo Roberto Costa ficou à frente da Diretoria de Abastecimento não tive nem tenho qualquer contrato vinculado a essa Diretoria.

    Informo ainda que aguardo que seja tornado público de forma oficial esse processo, quando então, tanto eu como pessoa física quanto a associação como entidade representante de classe, iremos tomar as medidas cabíveis em todos os níveis.

    Mário Beltrão

  149. Jose Mario HRP said

    globo news painel, cheio de canalhas , com o Bolivar Lamounier atacando o pt…….
    o brasil na mão da paz…………

  150. Daise said

    o brasil na mão da paz………… rs,srs,rs,rs

    https://scontent-b-gru.xx.fbcdn.net/hphotos-xpa1/v/t1.0-9/10527275_10203437379555150_4515115188801544434_n.jpg?oh=5607700b140715197089f046df6c14ba&oe=5512A79D

  151. Daise said

    PT ADORA A ESPIGA DO MILHÃO

  152. Daise said

    PT EM BAIXA NO SUPOSTO MERCADO DA CORRUPÇÃO.

    vamos aguardar as NECESSÁRIAS PROVAS. Mas por enquanto….

    GLEISE 1 MILHÃO, COSTA 1 MILHÃO …

    SERGIO GUERRA 10 MILHÕES

    Se for confirmado…1 senador Tucano custa 10 x mais que 1 senador petralha.

    PQP

    Deve ter gente no Pt se vendendo… até por uma tapioca no cartão de crédito, rsrsr

  153. Daise said

    PT GRITANDO NAS RUAS : FORA DILMA !!! ?

    Com esse governo, pergunto: por que a direita está nas ruas?

    Leonardo Sakamoto 23/11/2014 18:05

    Desde que foi divulgado que a senadora Kátia Abreu teria sido convidada para o ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, alguns colegas me perguntaram se Dilma não poderia ser acusada de estelionato eleitoral.

    Para responder a essa indagação, primeiro, claro, é necessário esperar o anúncio oficial. Porque a esquerda que ainda sobrou no PT está em pânico com a suposta indicação e deve estar ameaçando se acorrentar a uma colheitadeira de soja ou beber agrotóxico.

    Dito isso, é preciso lembrar que o governo Dilma não é um governo sensível à dignidade no campo. Indígenas foram aviltados em seus direitos, quilombolas ignorados, camponeses desterrados, trabalhadores rurais tiveram que suar a camisa para manter direitos conquistados, enfim, vocês conhecem a história.

    Em suma, um governo que tem dado importância primeiro à defesa de uma noção deturpada de desenvolvimento (em que o de cima sobe e o de baixo desce). Só depois, à ralé que será impactada diretamente no processo de colocar em marcha essa noção. E não me venham falar de Bolsa Família que ele não é, nem de perto, compensação para o rolo-compressor do “progresso”. E ai da ralé se estiver no meio do caminho! O pessoal da região da Volta Grande do rio Xingu que o diga com Belo Monte…

    Ou seja, nesse contexto e com um governo com esse espírito, não é surpresa Kátia Abreu assumir um ministério. Ainda mais quando a política agrícola que ela colocaria em marcha não difere muito da que já existe hoje – de prioridade aos grandes empreendimentos agropecuários ligados à indústria e à exportação em detrimento às dificuldades encontradas pela pequena agricultura familiar.

    Ela discorda da forma como o combate ao trabalho escravo ocorre no Brasil? Estou desde 1999 acompanhando o tema e posso afirmar que não seria a primeira nem a última pessoa que ocupou aquela cadeira a fazer isso.

    Aliás, para muita gente, é até melhor que ela vá para o ministério e não crie mais entraves no Congresso.

    Do ponto de vista simbólico, é claro, a coisa muda de figura. Pois oferecer esse cargo a uma pessoa que representa o que há de mais atrasado no pensamento e na prática do setor agropecuário é uma ofensa a todos que tiveram seus direitos negados no campo. E também aos que ainda vão ter nos próximos quatro anos.

    Pois, certamente, a senadora usará o peso do cargo e sua boa oratória para fazer uma disputa política em outro nível, não mais na planície do Congresso Nacional mas com a chancela presidencial.

    Se isso se concretizar, isso dirá muito sobre ela.

    Não sobre Kátia Abreu, que estará apenas defendendo suas posições bem conhecidas.

    Mas sobre Dilma e o Brasil que ela prometeu no segundo turno das eleições.

    Diante disso, a minha surpresa não é com indicações ministeriais.
    Mas com os ultraconservadores, que estão na rua denunciando o governo “bolivariano” do PT.

    Pessoal… Vai pra casa.

    E dá lugar para a esquerda. Que essa sim vai ter muito o que protestar.

  154. Daise said

    LULOPETISTAS DESAPONTADOS!

    http://g1.globo.com/mundo/noticia/2014/11/papa-declara-santidade-de-dois-indianos-e-quatro-italianos.html

    Lula não estava entre eles…rsrsrs

  155. Daise said

    DILMA: FODA-SE O TRABALHADOR!

    Contribuinte pode pagar mais IR em 2015
    BIANCA PINTO LIMA – O ESTADO DE S. PAULO
    23 Novembro 2014 | 20h 36

    MP que corrigia a tabela do Imposto de Renda em 4,5% caducou e, às vésperas do recesso parlamentar, governo ainda não acenou com reajuste

    O contribuinte poderá pagar mais Imposto de Renda (IR) em 2015 caso a tabela progressiva não seja reajustada.

    A Medida Provisória que corrigia o valor das faixas em 4,5% no próximo ano caducou no fim de agosto e, apesar das promessas, o governo ainda não enviou ao Congresso um novo texto propondo a atualização. O temor é que a mordida do Fisco fique maior e chegue ao bolso de mais brasileiros.

    O tempo hábil para a aprovação de uma nova MP ou projeto de lei ainda em 2014 é curto: os parlamentares entram em recesso daqui a menos de um mês, no dia 23 de dezembro. A falta de reajuste aumentaria ainda mais a defasagem da tabela em relação à inflação, um descompasso que cresce ano a ano.

    De 1996 a 2013, a defasagem acumulada foi de 61,42%, segundo cálculos do Sindicato dos Auditores Fiscais da Receita Federal (Sindifisco Nacional). Uma discrepância que pode subir para 64,36% em 2014, caso a inflação feche o ano em 6,40%, como preveem os economistas consultados pelo Relatório Focus, do Banco Central.

    “O fato de a tabela do Imposto de Renda estar sendo corrigida por um porcentual inferior à inflação já faz com que o contribuinte pague mais imposto a cada ano. E a situação ficará pior ainda se não houver nenhuma atualização”,
    afirma Leandro Souza, gerente sênior da consultoria Ernst & Young.

  156. Daise said

    NA PESCA TAMBÉM :ESCÂNDALOS EM SÉRIE

    Pesca é suspeita de uso eleitoral de carteirinhas

    ANDREZAMATAIS, FÁBIO BRANDT, LEONENCIO NOSSA – O ESTADO DE S.PAULO
    23 Novembro 2014 | 02h 00

    Ministério Público e PF investigam denúncia de emissão irregular de registro, que dá direito a benefícios exclusivos de pescadores

    BRASÍLIA – Um mês antes do início da campanha eleitoral, o Ministério da Pesca alterou norma interna e permitiu que carteiras de pescador, antes confeccionadas pela Casa da Moeda, fossem emitidas em papel comum. A medida permitiu que, desde junho, as próprias superintendências da pasta nos Estados, a maioria controlada pelo PRB, confeccionassem os documentos, que dão direito a salário durante os cinco meses do defeso e outros benefícios.

    As carteiras impressas em papel moeda tinham uma marca d’água para evitar fraudes – uma proteção que as confeccionadas em papel comum não dispõem.
    O PRB, ligado à Igreja Universal, comanda a pasta desde março de 2012, quando o senador Marcelo Crivella (RJ) foi nomeado ministro. Ele deixou o cargo para disputar o governo do Rio. O ministério é chefiado hoje pelo pastor Eduardo Lopes, também do PRB e suplente de Crivella. A sigla trabalha para manter a pasta no próximo mandato de Dilma Rousseff. Das 27 superintendências, 17 estão sob a chefia de filiados e dirigentes do partido.
    No Acre, a Polícia Federal e o Ministério Público investigam denúncia de que houve um derrame de carteiras no período eleitoral para pessoas que não praticam a atividade pesqueira. A distribuição teria beneficiado Juliana Rodrigues de Oliveira e Alan Rick, respectivamente eleitos deputados estadual e federal pelo PRB.

    Até março, doutora Juliana, como é conhecida, foi superintendente estadual do ministério. Ela já havia, sem sucesso, disputado uma eleição, antes de ocupar o cargo.

    Juliana Rodrigues de Oliveira, ou Doutora Juliana, foi titular do ninistério no Acre

    ‘Cheque pré-datado’.

    A Polícia Federal já tomou depoimento de eleitores que receberam as carteiras cinco dias antes das eleições – parte deles assentados da reforma agrária. Eles disseram ter vendido o voto em troca do benefício. A investigação está sob sigilo.

    O registro do pescador é como um “cheque pré-datado”. O seguro-defeso, que garante salário no período em que a pesca é proibida, só pode ser recebido um ano após a emissão da carteira. Há exigências como comprovação por meio de relatório da atividade pesqueira. O documento dá direito a linhas de crédito bancário e aposentadoria especial.

    Dados do ministério mostram que, no Acre e no Maranhão, o número de carteiras emitidas no período eleitoral supera o dos demais meses. De agosto a outubro, foram confeccionadas 30.177 carteiras no Maranhão, mais que as 22.581 dos sete meses anteriores do ano.

    A Polícia Federal tem 14 inquéritos abertos no Estado para apurar irregularidades no pagamento do seguro-defeso ou na distribuição de carteiras. O Ministério Público informou que tramita um recurso no Tribunal Regional Eleitoral relacionado à distribuição das carteiras, também sob sigilo.

    O número de pescadores artesanais registrados no País hoje é de 1.005.888. Dados do Ministério do Trabalho mostram que, de abril a setembro, o número de requerentes do seguro da pesca chegou a 281 mil – foram 198 mil no mesmo período de 2013. A pasta não informou quais Estados tiveram maior crescimento.

    A Secretaria Especial da Aquicultura e Pesca, embrião do ministério, foi criada em 2003 pelo então presidente Luiz Inácio Lula da Silva para acomodar o petista José Fritsch, candidato derrotado ao governo de Santa Catarina. Quando assumiu o cargo em 2012, Crivella disse em tom de brincadeira que não sabia “colocar uma minhoca no anzol”.

    De lá para cá, a verba usada para pagar segurados do defeso subiu de R$ 1,2 bilhão para R$ 2 bilhões ao ano. /

  157. Patriarca da Paciência said

    Em relação à publicação do jornal o Estado de São Paulo deste domingo que relata supostas acusações do sr. Paulo Roberto Costa dirigidas a mim em delação premiada, afirmo que:,

    1. Todas as doações de campanha que recebi na minha candidatura ao senado em 2010 foram feitas de forma legal, transparente, devidamente declaradas e registradas em minha prestação de contas à justiça eleitoral e inteiramente aprovadas, estando disponíveis a quem queira acessá-las;

    2. Assim, nego veementemente ter pedido a quem quer que seja que solicitasse qualquer doação de campanha ao sr. Paulo Roberto;

    3. Tal denúncia padece de consistência quando afirma que a suposta doação à campanha teria sido determinada pelo Partido Progressista (PP) por não haver qualquer razão que justificasse o apoio financeiro de outro partido à minha campanha;

    4. Mais inverossímil ainda é a versão de que se o sr. Paulo Roberto não tivesse autorizado tal doação, correria o risco de ser demitido, como se eu, à época sem mandato e tão somente candidato a uma vaga ao Senado, tivesse poder de causar a demissão de um diretor da Petrobrás;

    5. Causa espécie o fato de que ao afirmar a existência de tal doação, o sr. Paulo Roberto não apresente qualquer prova, não sabendo dizer a origem do dinheiro, quem fez a doação, de que maneira e quem teria recebido;

    6. Conheci o sr. Paulo Roberto em 2004 e minha relação com ele se deu no campo institucional, no processo de implantação da refinaria de petróleo em Pernambuco, do qual participei assim como vários políticos, empresários e representantes de outros segmentos da sociedade pernambucana o fizeram;

    7. Conheço e sou amigo de infância do sr. Mário Beltrão, presidente da Associação das Empresas do Estado de Pernambuco (ASSINPRA), que também foi partícipe da mesma luta pela refinaria. Porém, em nenhum momento eu o pedi e ele muito menos exerceu o papel de solicitar recursos ao Sr. Paulo Roberto para a campanha ao Senado de 2010.

    8. Tenho uma vida pública pautada pela honradez e seriedade, não respondendo a qualquer ação criminal, civil ou administrativa por atos realizados ao longo de minha vida pública;

    9. Sou defensor da apuração de todas as denúncias que envolvam a Petrobras ou qualquer outro órgão do Governo. Porém, entendo que isso deve ser feito com o cuidado de não macular a honra e a dignidade de pessoas idôneas. O fato de o sr. Paulo Roberto estar incluído em um processo de delação premiada não dá a todas as suas denúncias o condão de expressar a realidade dos fatos.

    10. Aguardo com absoluta tranquilidade o pronunciamento da Procuradoria-Geral da República sobre o teor de tais afirmações, ocasião em que serão inteiramente desqualificadas. Quando então, tomarei as medidas cabíveis.

    11. Informo ainda que me coloco inteiramente à disposição de todos os órgãos de investigação afetos a esse caso para quaisquer esclarecimentos e, antecipadamente, disponibilizo a abertura dos meus sigilos bancário, fiscal e telefônico.
    Recife, 22 de novembro de 2014,

    Humberto Costa
    Senador da República

  158. Jose Mario HRP said

    Daise a vendedor de sapato, kd o Dr. Freitas?????
    Depois que vazou o nome do “omi” a turma do PSDB sumiu e ninguém sabe ninguém viu!
    O Aécio foi visto entranda no apt do Leblon com uma caixa de Jhonny Walker, o FHC voou para Paris e o Cerra se exilou no Chile!???
    KKKKKKKKKKKKKKKK……

    Aloysio?
    Esse está onde nunca deixou de estar:
    contando a grana que levou pela tramóia do metro!

  159. Patriarca da Paciência said

    É impressionante a incrível capacidade da Carlão Michele Deise Desvairada Delirante Desbocada Deturpada Depravado Desocupada etc.etc.etc. de colecionar lixo. Até parece aquelas velhas senhoras e, velhos senhores, que transformam suas casas verdadeiros depósitos de lixo.

    Será que ele(a) pensa que existe alguma pessoa interessada nesse enorme amontoado de lixo ?

    Coisa de delirante mesmo !

  160. Daise said

  161. Daise said

    PETROLÃO : LULA E DILMA SABIAM

    E a grana da Petrobras? As formigas comeram!
    Dilma não viu com a antecedência desejável um dos piores negócios feitos pela empresa.

    24/11/2014 – 05h00
    Ricardo Noblat

    Há muitas perguntas sobre o escândalo da Petrobras que suplicam por respostas.

    A mais óbvia: é possível que Dilma ignorasse o mar de lama capaz de afogar a empresa que ela sempre controlou desde o primeiro governo do presidente Lula?

    Pois antes de suceder José Dirceu na chefia da Casa Civil, Dilma foi ministra das Minas e Energia. Presidiu o Conselho de Administração da Petrobras entre 2003 e 2010.

    Nada de relevante se faz na Petrobras sem autorização prévia do Conselho.

    Ao deixar o Conselho em março de 2010 para concorrer à presidência da República, Dilma comentou que se sentia feliz pelo que fizera.

    “É um orgulho passar pelo Conselho de Administração da Petrobras, e maior ainda presidi-lo”, disse. “Você tem uma nova visão do Brasil. Vê a riqueza do Brasil”.

    De fato, ela viu. O que não viu, como diria mais tarde, foi por culpa dos outros. Elas é inocente. Completamente.

    Não viu com a antecedência desejável um dos piores negócios feitos pela Petrobras – a compra da refinaria Pasadena, nos Estados Unidos.

    Ela pertencia à empresa belga Astra Oil, que a comprara em 2005 por US$ 42,5 milhões.

    Um ano depois, a Petrobras pagou US$ 360 milhões. E só por 50% da refinaria. Três anos depois, pagou mais US$ 639 milhões pelos outros 50%. Demais, não?

    Os jornais belgas celebraram a venda da Pasadena à Petrobras como o negócio do século. Para a Astra Oil, é claro.

    Dilma alegou no ano passado que se baseara em “informações incompletas” e em um parecer técnico “falho” para aprovar a compra da primeira metade da refinaria.

    E nós com isso?

    O Procurador Geral da República aceitou a alegação e culpou a diretoria da Petrobras pelo mau negócio. O Tribunal de Contas da União (TCU) também livrou a cara de Dilma.

    Foi Lula quem disse que Dilma era melhor gestora do que ele. Imagine!

    No dia 29 de setembro de 2009, segundo a edição mais recente da revista VEJA, Paulo Roberto Costa, então diretor de Abastecimento da Petrobras, informou a Dilma por e-mail que o TCU havia recomendado ao Congresso a paralisação das obras das refinarias Abreu e Lima, em Pernambuco, e Getúlio Vargas, no Paraná, e de um terminal petrolífero no Espírito Santo.

    Esquisito comportamento, o de Paulo Roberto. Por que se dirigiu a Dilma se era subordinado a José Sérgio Gabrielle, presidente da Petrobras?

    No dia seguinte, Dilma reclamou de público da determinação do TCU de paralisar obras do governo federal: “É impossível a paralisação. Os custos são grandes”. Lula deu-lhe razão.

    Quase quatro meses depois, Lula vetou uma decisão do Congresso que suspendia a execução de quatro obras da Petrobras salpicadas de fortes indícios de corrupção apontados pelo TCU.

    Em momento algum, Lula falou em corrupção. Ao justificar seu veto, preferiu se referir vagamente a “pendências”, informa o jornal O Estado de S. Paulo.

    O veto acabou mantido pelo Congresso de folgada e bovina maioria governista.

    Graças à decisão de Lula, a Petrobras injetou mais de R$ 13 bilhões nas refinarias de Abreu e Lima e Getúlio Vargas, e em complexos petroquímicos do Rio de Janeiro e de Barra do Riacho, no Espírito Santo.

    As quatro obras foram superfaturadas. A de Abreu e Lima começou custando R$ 2 bilhões. Está por R$ 20 bilhões.

    Nos governos de Lula e Dilma, a Petrobras virou o maior cliente das empreiteiras cujos donos e principais executivos acabaram presos há 10 dias.

    Por sinal, Lula viaja pelo mundo à custa das empreiteiras e na condição de lobista delas.

    O TCU calcula que a Petrobras nos últimos quatro anos fechou negócios no valor de R$ 70 bilhões. Desse total, cerca de 60% não dependeram de licitação. De nenhuma licitação. A lei permite que a Petrobras proceda assim.

    Um negócio no Espírito Santo, por exemplo, rendeu à empreiteira Mendes Júnior o adicional de R$ 65 milhões pagos pela Petrobras por causa da saúva-preta, uma espécie de formiga em extinção cuja descoberta teria atrasado a obra em 15 dias.

  162. Daise said

    Cinismo e reação tardia

    CARLOS ALBERTO DI FRANCO – O ESTADO DE S.PAULO
    24 Novembro 2014 | 02h 03

    No seu primeiro pronunciamento desde a prisão de dirigentes de empreiteiras no escândalo da Petrobrás, a presidente Dilma Rousseff exaltou o mérito do governo de estar investigando a corrupção “pela primeira vez na História do Brasil”. Fantástico!

    Em primeiro lugar, amigo leitor, o governo não está apurando nada. Ao contrário. Está sendo investigado. O juiz federal Sérgio Moro não é um contínuo do Palácio do Planalto. É representante de outro Poder da República. A Polícia Federal (PF), independente e eficiente, não é um departamento subordinado aos interesses, caprichos e ordens da doutora Dilma Rousseff. O pronunciamento da presidente da República só pode ter duas explicações: cinismo ou preocupante desligamento da realidade.

    A Operação Lava Jato vai compondo um quadro de corrupção que arranhou gravemente a história, a saúde financeira, a marca e o futuro de um ícone do Brasil: a Petrobrás. A atual presidente da República não é uma espectadora passiva da tragédia. O escândalo permeou os mandatos de Lula e estourou com força no atual governo. Dilma foi ministra de Minas e Energia, chefe da Casa Civil e presidente do Conselho de Administração da Petrobrás no governo Lula. A presidente da República, conhecida por seu perfil centralizador e autoritário, não pode fazer de conta de que está em outro planeta. Ela está, queira ou não, no olho do furacão.

    Dois recentes editoriais do jornal O Estado de S. Paulo, Lula e Dilma sempre souberam e Crime de responsabilidade, mostram com total clareza o que parcela significativa da sociedade já intuía: Lula e Dilma são responsáveis pelo descalabro da Petrobrás. “Diante das surpreendentes proporções do esquema de corrupção armado dentro da maior estatal brasileira com o objetivo de carrear recursos para o PT e seus aliados, não surpreende que os dois presidentes da República no poder durante o período em que toda essa lambança foi praticada soubessem perfeitamente o que estava ocorrendo.

    Em 2010 – Lula presidente e Dilma chefe da Casa Civil -, o Palácio do Planalto, por meio de veto aos dispositivos da lei orçamentária que bloqueavam os recursos, liberou mais de R$ 13 bilhões para o pagamento de quatro contratos de obras da Petrobrás, incluídos R$ 6,1 bilhões para a Refinaria Abreu e Lima, em Pernambuco. O TCU havia chegado à conclusão de que esses recursos estavam superfaturados, mas Lula e Dilma entenderam que era preferível tocar as obras. Só essa decisão comprova a responsabilidade desses políticos por um escândalo que deixa o Caso Collor no chinelo”, sublinhou um dos editoriais.

    Mas o cinismo ou desligamento da realidade é uma doença que vai contagiando todos os integrantes do governo e seus aliados. Graça Foster mostrava surpresa e indignação com as denúncias de corrupção na empresa sob sua responsabilidade. Nada sabia, nada tinha visto. Agora, premida pela força dos fatos, reconheceu, por exemplo, que sabia “há meses” por empresa holandesa de pagamento de propina na estatal. Além disso, jogou a bomba da corrupção no colo de José Sérgio Gabrielli, seu antecessor e protegido do ex-presidente Lula. O Conselho de Administração da Petrobrás decidiu encaminhar ao Ministério Público Federal pedido de abertura de inquérito de ação civil pública contra 15 pessoas envolvidas na aquisição da refinaria de Pasadena, nos Estados Unidos, em 2006. Entre elas está o ex-presidente da estatal.

    O que era “invenção da imprensa” no discurso do governo e dos petistas acaba de ser reconhecido como fato. E o jogo ainda está no começo.

    Mas o que mais surpreende é a decisão “saneadora” de Graça Foster: criar uma Diretoria de Governança para o “cumprimento de leis e regulamentos internos e externos”. É como se a Petrobrás, nos dois mandatos de Lula e no governo Dilma, não tivesse mecanismos de autocontrole. É brincadeira! A nova estrutura, uma nítida jogada de marketing, é quase um insulto.

    Chegou a hora da verdade para governantes e políticos. A sociedade está cansada da empulhação. Os culpados pela esbórnia com dinheiro público, independentemente da posição que ocupem na cadeia corruptora, devem ser exemplarmente punidos. E isso não significa, nem de longe, ruptura do processo democrático, golpismo ou incitamento à radicalização.

    Dilma Rousseff foi reeleita legitimamente presidente da República. Pregar um golpe, explícita ou implicitamente, é tudo menos comportamento democrático. Isso não significa, por óbvio, admitir barreiras protetoras absurdas ou chancelas de impunidade. Todos, incluída a atual presidente, podem e devem ser responsabilizados por seus atos.

    A imprensa tem função relevante no momento que vivemos. Um condenado do mensalão referiu-se à imprensa que desencadeia a pressão popular contra homens públicos aéticos e governantes corruptos comparando-a, com cinismo, à “ditadura militar”. Tais declarações, características de políticos apanhados com a boca na botija, não devem preocupar. Afinal, todos, independentemente do seu colorido ideológico, procuram um bode expiatório para justificar seus crimes, deslizes e malfeitos. A culpa é da imprensa! O grito é uma manifestação de desprezo à verdade.

    Os meios de comunicação social existem para incomodar. Um jornalismo cor-de-rosa é socialmente irrelevante. A imprensa, sem precipitação e injustos prejulgamentos, tem o dever de desempenhar importante papel na recuperação da ética na vida pública. Nosso compromisso não é com celebridades, mas com a verdade, com a informação bem apurada, com os leitores. E nada mais.

    O Brasil está passando por profunda mudança cultural. Transparência nos negócios públicos, ética e competência são as principais demandas da sociedade. E a imprensa está sintonizada com essas aspirações.

  163. Pax said

    Caro HRP de tantos carnavais,

    De forma alguma estou questionando você. Questionei a fonte, assim como questiono outras poluídas do outro lado, titio da Veja, a própria Veja e outros.

    Por essa e outras que passei a esperar as notícias madurarem, confirmarem, muitas trago da Agência Brasil mesmo, cada vez menos uso fontes dos grandes veículos que andam esquisitos, enfim.

    Não acho que eu, sinceramente, seja do diz-que-disse.

    Aqui faço questão de me manter firme. E cada vez mais trazer notícias confirmadas, mais de uma fonte. Não temos a necessidade de ser porta-vozes de novidades. Aqui comentamos notícias, temos um espaço aberto de discussão, que gosto da forma que está, pequeno, com a participação aberta a todos. Enfim…

    Esse esquema da Petrobras é sério pacas. Abala um bocado o governo PT. A coisa está muito exposta.

    Só que é de uma infantilidade danada achar que é só o PT. É geral. PSDB não diferencia.

    O artigo do Ricardo Semler foi ótimo, pra mostrar que antes o jabá era ainda maior.

    Mas o governo e a vidraça da vez é PT.

    Uma das razões que cada vez tomo mais cuidado com a grande mídia é que a roubalheira em MG e SP nunca tem tanta investigação e aprofundamento de grandes jornalistas…

    Por que, para a mídia, o tratamento ao PSDB é tão diferente do PT?

    Cá continuo o mesmo, confesso que com bem menos tempo, como disse abri novas frentes por aqui.

    Abraço, caro HRP

  164. Guatambu said

    Levy na fazenda….

    Aquele que foi tirado pelo Mantega e criticado pelo PT por ser consevador e liberal?

    Me gusta.

    A Dilminha… se ajolhando aos mercados. Tão boazinha… me gusta.

  165. Daise said

    DILMA: ECONOMIA DE MERCADO

  166. Daise said

    DILMA 2…..

    Petistas acreditam em Papai Noel ?

  167. Daise said

    PETROLÃO: O PIOR CEGO É O CEGO CORRUPTO

  168. Daise said

    PT: MOVIMENTO CONTRA JOAQUIM LEVY, o ministro(?)

  169. Daise said

    DILMA GOVERNANDO?

    Aliados condicionam votação de mudança na LDO à definição de ministérios
    Gerson Camarotti

    Aliados da presidente Dilma Rousseff indicam que, antes de aprovar o projeto de lei que autoriza o descumprimento da meta fiscal de 2014, querem uma indicação do Palácio do Planalto sobre o espaço de cada partido no segundo mandato. Por isso, antes mesmo de Dilma confirmar as indicações da equipe econômica, partidos aliados abriram uma disputa pelas pastas mais cobiçadas.

    Com a indefinição, a pressão em cima do Palácio do Planalto aumentou nos últimos dias. Até porque, muitos aliados estão incomodados com a sinalização de Dilma em fazer um rodízio de ministérios. Tudo indica que o PT vai recuperar o Ministério de Minas e Energia, que, na prática, será da cota pessoal de Dilma. Para abrir mão do setor, o PMDB quer uma compensação como o Ministério da Integração Nacional ou o Ministério dos Transportes.

    Por sua vez, o PR avisa que não abre mão do Ministério dos Transportes. Integrantes do partido lembram que essa foi a condição para apoiar a reeleição da presidente Dilma Rousseff. O PSD, do ex-prefeito Gilberto Kassab, já avisou que deseja o Ministério das Cidades, o que tem incomodado o PP. Uma solução seria repassar para o PP o Ministério da Integração Nacional. Já o PROS está contrariado com a sinalização de Dilma de nomear o governador Cid Gomes (PROS-CE) para o Ministério da Educação.

  170. Jose Mario HRP said

    A GE inaugurou um imenso centro de pesquisa no Rio.
    Um dos quatro maiores do mundo feitos pela GE.
    Não é pouca coisa.
    Enquanto isso os seguranças do senado não informam aonde o Aécio está escondido.
    O que seria isso?
    Medo do Dr. Freitas?
    Do que ele poderia falar?
    Ou ressaca prolongada do feriadão?
    Aloysio Nunes continua a blefar e ameaçar.
    Mas cachorro velho só late.

  171. Jose Mario HRP said

    http://www1.folha.uol.com.br/poder/2014/11/1552750-stf-questiona-juiz-sobre-mencao-a-politicos.shtml

    Agora o bicho pega……

  172. Patriarca da Paciência said

  173. Daise said

    O pior cego

    Dora Kramer

    Vejam só o senhor e a senhora que curiosa essa notícia de que o PT encomendou pesquisa para saber que história é essa de tantos brasileiros manifestarem rejeição ao partido. Por que será?

    No mundo da lua, realmente seria caso de investigação profunda. Seguida de amplo debate para detectar as razões, definir responsabilidades e providenciar uma arrumação na casa. Doa em quem doer.

    Consta que os petistas estão assustados com o clima da campanha e os resultados das últimas eleições. Não sabiam de nada – como é de praxe no partido – a respeito da insatisfação disseminada País afora com o acúmulo de desmandos dos seus anos de exercício de poder.

    Ficaram especialmente espantados com o ocorrido em São Paulo, onde estavam certos de que bastaria somar o natural desgaste dos governos tucanos à novidade de mais uma invenção de Lula, contar com a submissão do PMDB fazendo papel de sublegenda no Estado e esperar que a seca se encarregasse do resto.

    Deu-se na vida real que a fiança dos postes perdeu prazo de validade, a longevidade do PT no Planalto revelou-se mais cansativa, o candidato do PMDB preferiu prudente distância e os paulistas, em sua maioria, resolveram dizer em alto e bom som que andavam fulos da vida.

    Trata-se, obviamente, de resumo simplificado de um quadro mais complexo cuja amplitude, variadas as dimensões, alcançam todo o Brasil. Razões que qualquer cidadão razoavelmente informado não ignora.

    De onde é espantoso o fato de um político com a sensibilidade e o tirocínio político de Lula não ter captado a mudança de ares no ambiente. Tão incrível quanto seu desconhecimento enquanto presidente sobre o método de organização da base de sustentação do governo no Congresso, local composto por maioria de “picaretas”, conforme sua avaliação quando lá conviveu como deputado.

    De modo semelhante intriga como Dilma Rousseff, uma servidora exigente, competente, detalhista e centralizadora, possa jamais ter-se dado conta, enquanto ministra das Minas e Energia, chefe da Casa Civil e presidente da República, de que havia superfaturamento nos contratos da Petrobrás, a despeito dos alertas do Tribunal de Contas da União.

    Diga-se, ignorados também pelo Congresso, cuja maioria governista manteve o veto do então presidente Lula a uma decisão que suspendia obras da Petrobrás na qual havia indícios de corrupção. Na mesma época ele fazia discursos criticando duramente órgãos de fiscalização, como o TCU, dizendo que “atrapalhavam” o andamento de obras.

    Em mais de uma ocasião Lula desqualificou instituições. A Justiça Eleitoral, por exemplo, por diversas vezes, chegando a debochar do valor das multas e transigindo as regras de maneira explícita. Da mesma forma, dava abrigo a atos incorretos e antiéticos de seus aliados, como José Sarney durante crise devido a privilégios no Senado e Renan Calheiros enquanto enfrentava processo de quebra de decoro.

    Do alto de uma altíssima aprovação popular, Lula fez, aconteceu, desfez e o partido seguiu o modelo de completa arrogância, tratando os escândalos que surgiam jogando o lixo para baixo do tapete, contando uma mentira atrás da outra, acreditando poder fazer o Brasil todo de bobo.

    Ao ponto de insistir que o mensalão não existiu e que o Supremo havia atuado como tribunal de exceção, enquanto a prisão dos companheiros era vista pelo País como um avanço institucional.

    Agora o PT não compreende o motivo de ser alvo de tanta “intolerância” e “preconceito”. Para desvendar o mistério, encomendou uma pesquisa para consultar os eleitores de todo o Brasil a respeito.

    Perceberam o senhor e a senhora? O partido só passou a se preocupar com a opinião do público sobre suas condutas diante do risco eleitoral.

    Deve ser por isso, por não ouvir, não querer ver e ter como única referência o poder é que as coisas acontecem e ninguém sabe de nada no PT.

  174. Daise said

    PEGO NA MENTIRA

    O artigo do Ricardo Semler foi ótimo, pra mostrar que antes o jabá era ainda maior. #163

    Semler diz que hoje roubam menos na Petrobras, mas seu atual sócio presidiu a empresa de 1999 a 2001. Ué…

    Em artigo na Folha (onde mais?), além de enaltecer Dilma, ele afirma que desde a década de 1970 há propina na Petrobras, mais que agora. Curiosidade: seu atual sócio na Semco Partners, Philippe Reichstul, foi presidente da Petrobras!

    http://www.semco.com.br/pt/#

    entre em CONHEÇA O TIME

  175. Patriarca da Paciência said

  176. Daise said

    EREMILDO (aka Tolinho) LIDANDO COM A OPOSIÇÃO EM CASA

  177. Daise said

    DILMA: CRIME DE RESPONSABILIDADE

    http://www1.folha.uol.com.br/mercado/2014/11/1553154-aecio-acusa-dilma-de-crime-na-conducao-do-orcamento.shtml

  178. Daise said

    DILMA: CRIME DE RESPONSABILIDADE

  179. Daise said

    DILMA GOVERNANDO

  180. Daise said

    DILMA CONFIRMA.- É LEVYANA RSRSRSR

    Levy e Barbosa assumem ministérios já nesta semana

    http://www.valor.com.br/politica/3793404/levy-e-barbosa-assumem-ministerios-ja-nesta-semana#ixzz3K8DP201t

  181. Daise said

    PT DIVIDIDO ENTRE MILITONTOS E MILITANTES

    O militonto recebe as decisões da presidente da República e não admite qualquer crítica. Quem ousar fazê-lo, é aliado objetivo da direita.

    O militante não vacila em apoiar o governo e defender a presidente, especialmente diante da escalada reacionária. Mas não abdica do direito e do dever de pensar com a própria cabeça, criticando o que lhe parece errado na estratégia adotada e concebendo essa atitude como indispensável na ação política.

    O militonto tudo explica e justifica através de um pacote fechado e imutável: a correlação de forças no parlamento. Serve como uma espécie de álibi para defender o governo de qualquer crítica por adotar políticas conciliatórias, mesmo as que podem ser um tiro no pé.

    O militante encara com seriedade a tal correlação de forças, mas com o objetivo de alterá-la a favor da esquerda. Sabe que negociações e composições são inevitáveis, necessárias, mas deseja forçá-las ao limite.

    O militonto ficou acostumado a pensar correlação de forças apenas ou principalmente como uma questão institucional, parlamentar. A mobilização social e a luta de massas não entram de verdade em seu cálculos como hipótese para pressionar as instituições desde seu exterior.

    O militante não descuida da governabilidade institucional. Mas aprendeu, nesses doze anos e várias crises, que também é imprescindível a construção de governabilidade social. Sabe, a propósito, que as maiorias parlamentares de orientação progressista somente foram formadas, na história do Brasil, quando o povo organizado e mobilizado obrigou o Parlamento a dançar sua música.

    O militonto costuma achar que divide a esquerda quem entra em desacordo com ações do governo. Não admite que, às vezes, pode ser o governo quem divida a esquerda com suas ações.

    O militante quer a unidade da esquerda e das forças progressistas. Mas acha que a pedra angular desse processo vai além de apoiar ou não o governo: depende de um programa unificador e de uma estratégia de coalizão do campo popular.

    O militonto acha que o passado fornece crédito infinito, no presente e no futuro. Por tudo o que foi feito, e definitivamente não é pouco, o governo deveria ser defendido incondicionalmente e qualquer crítica seria descabida por princípio.

    O militante reivindica os enormes avanços promovidos pelo governo e se mobiliza para defendê-los, mas não acha que o passado basta para garantir o presente e o futuro, que devem ser discutidos sempre com espírito crítico e aberto.

    O militonto é superlativo e hiperbólico em relação aos líderes do governo e do partido. Sua frase estruturante: “eles sabem o que fazem…”

    O militante respeita e admira os chefes históricos da esquerda, mas a vida já ensinou que também são passíveis de erros e confusões. Considera, portanto, que os instrumentos coletivos são mais qualificados que as clarividências individuais e esses só podem ser construídos pelo debate franco e desabrido de todos os temas.

    O militonto é governista e acha que isso basta para resolver todos os problemas.

    O militante defende o governo contra a direita, mas busca ser um revolucionário, um lutador social, para quem governar é apenas parte, ainda que imprescindível, de um processo estratégico mais amplo, o da transformação do país.

    B. A.

    6X40 MIL( 247)

  182. Daise said

    P.S. B.A. é Breno Altman aquele que foi apontado por Meire Poza ( contadora do Youssef) de todo mes recolher um capilezinho de 15 paus pra pagar a “fiança” do Edivaldo Quadrado – réu do Mensalão.

  183. Daise said

    O BICHO NÃO PEGOU rsrsrsrs

    Teori arquiva pedido do PT para apurar vazamento de delação
    BEATRIZ BULLA
    25 Novembro 2014 | 20h 58

    Ministro do Supremo reiterou que conteúdo da colaboração está sob sigilo e que depoimentos não são necessariamente provas

    Brasília – O ministro Teori Zavascki, do Supremo Tribunal Federal, arquivou pedido do diretório nacional do PT para instaurar um inquérito policial capaz de apurar o vazamento pela revista ”Veja” de informações da delação premiada do doleiro Alberto Youssef no âmbito da operação Lava Jato e negou o pleito do partido para ter acesso imediato ao depoimento em que o doleiro narra o suposto conhecimento das irregularidades praticadas na Petrobrás pela presidente Dilma Rousseff.

    Na decisão, Teori reiterou que o conteúdo das delações está resguardado por sigilo e que depoimentos colhidos em delação premiada não são propriamente meio de prova. O ministro, relator dos casos relacionados à Lava Jato no Supremo, apontou ainda que a participação judicial é só posterior à tomada das declarações em delação premiada o que “as desqualificaria como meio de prova, o que igualmente desqualifica eventual interesse da parte, e muito mais de terceiro”.

    Teori acolheu argumento do procurador-geral da República de que nenhum dos indicados como possível responsável por vazamento tem foro privilegiado, requisito para que o caso chegue ao Supremo.

    Em parecer na ação proposta pelo PT, o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, apontou que o conteúdo está sob sigilo e que o acesso aos dados da delação de Yousseff é “não só desarrazoado, como improcedente”.

    “No presente momento,toda e qualquer exteriorização dos fatos que porventura sejam de interesse coletivo constantes no procedimento investigatório pode trazer sérios e efetivos prejuízos para as investigações”, apontou o PGR, negando a acusação.

  184. Daise said

    Elio Gaspari

    O problema econômico é da doutora

    Terminou o mandarinato do ministro Guido Mantega, resta saber se ele teve algo a ver com isso

    A maior injustiça que se pode cometer com Guido Mantega é atribuir-lhe alguma participação no mau estado da economia nacional. Desde a implosão de Antonio Palocci, em 2006, esse cargo foi ocupado por Dilma Rousseff. Primeiro ela foi uma poderosa chefe da Casa Civil. Depois, acumulou o ministério com as funções de presidente da República. Como ela mesma anunciou em sua campanha, “governo novo, ideias novas”. Quais são as ideias, não se sabe direito, mas, se ela não tiver ministro da Fazenda, o que vem por aí será mais do mesmo.

    Pode-se deixar de lado as grandes decisões de política econômica, pois quem foi eleita foi ela. Antes dos macroproblemas há outro, simples e essencial. O presidente preside, e o ministro segue suas decisões. Se aquilo que o ministro quer fazer não confere com os desejos do presidente, ele é mandado embora. Se o mandam fazer o contrário do que foi combinado, é ele quem pede o chapéu.

    Desde que Pedro Malan deixou o Ministério da Fazenda essa escrita foi rompida.

    Detonado numa breve polêmica com a doutora, Antonio Palocci foi ficando, até que acabou perdendo o cargo por motivos estranhos ao desempenho econômico do governo.

    Guido Mantega substituiu-o e também foi ficando.Até ser demitido pela campanha eleitoral.
    ….
    Leia completo na Folha.

  185. Daise said

    Mais uma do Paulinho do lula</b

    Ex-diretor recebeu R$ 326 mil como conselheiro da Braskem

    Petrobras indicou Costa para integrar colegiado da petroquímica

    DE BRASÍLIA

    O ex-diretor de Abastecimento da Petrobras Paulo Roberto Costa recebeu R$ 326,4 mil como integrante do Conselho de Administração da Braskem em dois anos.

    Em resposta ao juiz responsável pela Operação Lava Jato, Sergio Moro, a empreiteira Odebrecht enviou à Justiça Federal ontem (25) os rendimentos que Costa teve no Conselho da Braskem. Os pagamentos são todos legais.

    A Petrobras tem direito a ocupar quatro das dez cadeiras do conselho da Braskem. A petroquímica é controlada pela Odebrecht, que possui 50,1% das ações com direito a voto, e pela estatal, dona de 47% do capital votante.

    Costa foi membro do colegiado entre 30 de abril de 2010 e 27 de abril de 2012, período em que recebeu a remuneração. Foram R$ 100,8 mil em 2010; R$ 157,7 mil no ano seguinte e R$ 67,9 mil em 2012.

    No mesmo documento enviado a Moro, os advogados da Odebrecht informaram que a Braskem jamais fez negócios, direta e indiretamente, com CSA, GFD, MO, Empreiteira Rigidez e RCI Software, empresas relacionadas ao doleiro Alberto Youssef.

    As cinco empresas são apontadas pela Polícia Federal como parte do esquema de lavagem de dinheiro montado por Alberto Youssef.

    Ainda hoje, o Conselho de Administração da Braskem conta com cinco nomes indicados pela Odebrecht, quatro pela Petrobras e um integrante indicado pelo BNDES.

    Uma das cadeiras que cabem à Petrobras na Braskem é ocupada hoje por José Carlos Cosenza, atual diretor de Abastecimento, área comandada por Paulo Roberto Costa à época em que ele integrava o conselho.

    (GABRIEL MASCARENHAS E RUBENS VALENTE)

  186. Daise said

    O BICHO NÃO PEGOU 2 rsrsrsrs

    Dilminho (HRP) não acerta uma.E ainda enfrenta problemas em casa tal qual Eremildo #176 (*)

    STF nega pedido do PT para abrir inquérito contra a revista ‘Veja’

    DE BRASÍLIA – O ministro do STF Teori Zavascki negou um pedido feito pelo PT, que desejava a abertura de um inquérito policial para apurar vazamentos da delação premiada do doleiro Alberto Yousseff à revista “Veja”. Na mesma ação, o partido também solicitava cópia dos depoimentos do doleiro.

    De acordo com Teori, o PT não aponta nenhuma autoridade com foro privilegiado no suposto vazamento, logo não cabe ao STF determinar a instauração de inquérito.

    Sobre o pedido de acesso à delação, o ministro destacou que a lei que trata de organizações criminosas só permite publicidade ao depoimento dos colaboradores após a denúncia ser aceita pela Justiça.

    O pedido do PT foi feito às vésperas do segundo turno da eleição, em 26 de outubro, após “Veja” publicar que, num depoimento de Yousseff, o doleiro disse que a presidente Dilma Rousseff e o ex-presidente Lula sabiam do esquema de desvios na Petrobras.

    (*) ilustração abaixo:

    MILITANTE? MILITONTO?

  187. Daise said

    imperdível!

    PML ( paumolenga) apanha do Maluf na TV Brasil !!!

  188. Daise said

    (continuação)

    PML ( paumolenga) e Cynara Menezes ( da Carta Capital) mostraram toda a sua enorme incompetência ao não saber “entrevistar” o maior fdp da política brasileira….rsrsrsr

    É muita incompetência.

  189. Pax said

    depenaram a estatal – como sempre

    e aí? qual a solução? moralizar a coisa?

    claro que não

    a solução é aumentar impostos e taxas

    (caramba, que triste fim…)

    http://www1.folha.uol.com.br/mercado/2014/11/1553353-dilma-prepara-volta-de-tributo-da-gasolina.shtml

  190. Jose Mario HRP said

    O virus da Flórida não dorme.
    Vive de anti petismo!
    Escrafuncha a web dia e noite atrás de boatos e factóides!
    Largou a calçadeira de sapatos e se empuleirou no teclado do pc!.
    Cada post dele é como se estivesse num eterno devaneio masturbatório!
    PT Dependencia1.
    KKKKKKKKKKK
    São Aécio da farinha branca explica!

  191. Jose Mario HRP said

    Boa parte dos acusados nessa tal Lava Jato nem sabe direito do que está sendo acusado.
    É ponto pacifico em todas rodas de advogados.
    Mas, os a direita aceita a anomalia ” em busca de uma bem maior”!
    Foi assim com a queima dos livros num certo país da europa , lá na já distante decada de 30.
    Moralidade perneta, como naquele outro processo.
    E assim mesmo com toda aquela forçada de barra, a Dilma levou o caneco!
    Isso mata de raiva certas pessoas!
    Serão 16 anos apanhando na cara!

  192. Guatambu said

    Pax,

    Jura mesmo que vc acredita em estatais?

  193. Elias said

    Guatambu,
    O Pax parece não ter alternativa: se corre, o bicho pega; se fica… Sei lá!

    Uma tele, usando a liberdade de empreender que ela tem, decidiu que não tem motivo pra operar lá pras bandas de onde o Pax mora e namora, provavelmente porque não tem retorno… Ou tem, mas não compensa.

    É o mercado…

    Já a estatal…

    Se o Chester ainda comentasse no blog do Pax, ele logo diria que quando há roubalheira em empresa privada, rouba-se dinheiro privado.

    O Chester acredita em conto de fada, Sacy Pererê, Papai Noel, Negrinho do Pastoreio…

  194. Elias said

    Quero ver se a cumpanherada dá conta de fazer duas coisas:

    PRIMEIRA:
    Ir fundo na apuração das sacanagens petrobrásticas.

    E ir fundo significa, dentre outras coisas, pegar o esquema da petrorroubalheira existente antes de 2003 (que o Paulo Francis denunciou e, por isso, acabou se ferrando…).

    Os representantes do PSDB no STF que se virem pra tirar seus correligionários do processo… E que arquem com as consequências!

    SEGUNDA:
    Desenrolar o fio da meada dos cinco principais lances do baronato tucano — Aeciano e pós-Aeciano — no governo de Minas Gerais.

    Não só os lances não-ortodoxos — como a insuficiência de caixa, em dez/2014, pra pagar dívidas vencidas (o que, pela LRF, deve ser punido com cadeia); e a ultrapassagem do limite prudencial pelas despesas com pessoal e encargos (idem, idem) — mas também, e principalmente, os ultra-não-ortodoxos, entre os quais se destacam os amplos dinheirodutos que drenaram recursos dos cofres públicos mineiros para destinos até aqui incertos e não sabidos (mas perfeitamente imagináveis e supunhetáveis).

    Até aqui, tivemos o prazer de derrotar a tucanalhada 4 vezes consecutivas, nas presidenciais. Chegou a hora de torcer alguns pescocinhos dessas aves bicudas…

    …E, ao mesmo tempo, criar um probleminha e tanto, pra quem precisa jogar um bolão em 2018…

    Depois de esmiuçar os cinco principais, atacar os demais no atacado, deixando o varejo pra depois.

    *******************
    O bônus disso tudo será a diversão de acompanhar, semanalmente, o prolongamento da agonia da Veja, e sua desesperada luta pela sobrevivência.

    Quando a Veja começar a berrar abertamente por um golpe de Estado, será o sinal de que garrote vil começou a fechar o que ainda restava da passagem de ar para os combalidos pulmões da Abril (e evidência mais forte de que a primavera que os Civita esperam há 12 anos jamais chegará).

    E, aí, saberei que os cumpanhêros fizeram o dever de casa…

  195. Elias said

    Coisas estranhas desse local distante da civilização, que também atende pela alcunha de Brasil.

    Segundo a Agência Globo, a campanha de Aécio teria arrecadado uma receita de R$ 201 milhões e executado uma despesa de R$ 216 milhões. Déficit de R$ 15 milhões. Ainda segundo o noticiário da Ag. Globo, o tesoureiro da campanha, José Gregori, teria dito que as atividades de arrecadação continuam, e que o déficit será liquidado ao longo de 2015 (em 2010, José Serra declarou um déficit de R$ 10 milhões, totalmente pago em 2011.

    Fui até o site do TSE, e chequei a prestação de contas do Aécio. Lá aponta uma receita de R$ 222.925.853,17, e uma despesa de R$ 223.475.907,25. O déficit, portanto, é de R$ 550.054,04. Bem abaixo dos R$ 15 milhões noticiados pela Ag. Globo…

    Aí, por curiosidade, dei uma olhada nos doadores do Aécio. Não vi o nome do Anderson Silva. Aliás, entre os doadores diretos ao candidato, não há ninguém cujo nome comece com a letra “A”. O primeiro doador que aparece é o Bradesco, com modestos R$ 3.750.000,00.

    O Anderson Silva gravou propaganda eleitoral pro Aécio. Essa propaganda deveria ser precificada (preço estimado), e, nessa condição, figurar na receita e na despesa, pelo mesmo valor, para se apurar corretamente o custo da campanha. Igual procedimento teria que ser adotado nas demais situações análogas (jogadores e ex-jogadores de futebol, artistas, etc.). São as normas, né?

    Será que todos os candidatos procederam do mesmo modo que o Aécio? E o TSE deixa passar, assim, sem mais aquela?

  196. Guatambu said

    Elias,

    Digamos que eu queira montar uma Tele para poder atender justamente vc e o Pax, o que eu preciso pra isso?

    O Estado permite que eu simplesmente monte?

    Ou será que eu preciso pedir a bênção para alguém, no órgão regulador? E se a Telefonica, e seu peso pesado resolver pesar no meu pedido? Será que o órgão regulador tem a independência suficiente para poder dizer: esse cara vai sim montar uma tele se ele quiser?

  197. Daise said

    EQUIPE É ANUNCIADA AMANHÃ, MAS NÃO TOMARÁ POSSE

  198. Elias said

    Guatambu,

    Sei lá!

  199. Elias said

    Votorantim, Itaú/Unibanco, Bradesco, Odebrecht, Embraer, Andrade Gutierrez, Santander, JBS e mais uns 3 ou 4 gatos pingados lideram as doações para Aécio, diretamente ao comitê do candidato ou por meio do Comitê Nacional.

    Uma baba! Só estou considerando doações superiores a R$ 1,0 milhão.

    A Votorantim, p.ex., casou R$ 7,6 milhões no neto do Tancredo (R$ 6,0 milhões direto no comitê do candidato e R$ 1,6 milhão via Comitê Nacional).

    Assim que tiver um tempo, vou dar uma olhada nos doadores da Dilma.

    Mais de meio bilhão de reais, só nas campanhas dos dois candidatos que disputaram o 2º turno!

    O Brasil é doido!

  200. Elias said

    Guatambu,

    “Liberdade de empreender” não significa qualquer um montar uma empresa em qualquer lugar, pra explorar qualquer ramo de negócio.

    Só quem pensa assim é gente de miolo mole, tipo Marcelo Augusto (e o Pax, quando dizer isso convém a alguma coisa que ele esteja defendendo ou atacando…).

    Tenta, por exemplo, montar uma vinícola na Califórnia/EUA, pátria do empreendedorismo.

    Sabes a média de tempo pra conseguir uma autorização pra isso? Nunca menos do que 6 meses!

    Eles vão checar, palmo a palmo, que tipo de uva tu vais cultivar (não é qualquer uva que pode ser plantada lá), qual o teu processo de fabricação, etc., etc. Vão te espremer até restar só o sabugo…

    É a mesma coisa na Austrália, na África do Sul… (nem vou mencionar França e Itália, porque aí já é sacanagem…).

    Sabes onde se fabrica vinho com qualquer tipo de uva? Num certo país da América do Sul…

    Aí saem coisas tipo “Sangue de Boi”, “Sangue e Areia” & outras porcarias que merdolizam a imagem do vinho brasileiro no mercado internacional, onde ele não tem chance nenhuma. O vinho brasileiro tá levando farelo pra exportar pra China, p.ex., hoje um dos maiores consumidores do mundo.

    E daí por diante.

    Em nenhum país do mundo que conta, tu vais montar uma tele só porque tu queres. No Haiti talvez tu consigas…

  201. Guatambu said

    Elias,

    To perguntando pq eu entro no site da Anatel e acho interessante, vc vê as estatísticas, a evolução das telecomunicações no Brasil, os estudos que eles fizeram, tem até um bonito relatório datado de 2013 mostrando o “planejamento estratégico” para o setor.

    Com tanto dinheiro: o mercado de telecom faturou mais de R$ 60 bilhões em 2013 e com tanto estudo, acho estranho que ainda assim as coisas pareçam andar tão devagar.

    Se o estudo está pronto e eu efetivamente puder empreender, deveria bastar eu chegar com um plano de negócio pra anatel e dizer: olha, vou botar x antenas aqui e ali, quero prestar o serviço assim, assado.

    Basta o funcionário do órgão olhar pro meu plano de negócio e dizer: olha, em vez de x antenas, coloque y porque o terreno é montanhoso, tem espaço, não vai matar ninguém, vá lá e empreenda.

    Mas… tem boi na linha, obviamente. E digo que há boi na linha antes mesmo de alguém inventar de empreender qualquer coisa.

    Se eu juntar uma graninha e for louco o suficiente para me meter a investir nesse negócio, simplesmente não há informação disponível para me ajudar a fazer isso.

    A começar pelo próprio site da ANATEL, que não tem nenhum link para empreendedores, nem sequer para orientar quem quer investir nesse mercado.

    Não há links sobre como funcionam as concessões, o que é prerrogativa do Estado e o que é de iniciativa privada.

    Não há nada dizendo sobre regiões carentes desse tipo de serviço (onde provavelmente deve haver mais demanda, e onde o empreendedor deveria ser bem vindo). O que existe é “mapão” que quando vc olha tem a sensação de que está tudo bem, obrigado.

    Isso porque o maluco do empreendedor nem sequer saiu do papel. Até então é insanidade, depois passa a ser coragem mesmo…

    Se ele for corajoso o suficiente para botar o plano no papel e se arriscar, sem suporte nenhum do governo, a pegar a grana que ele tem e botar num negócio como esse.

    Não tem nenhum link que mostre como é o processo.

    Não tem link para documentação necessária.

    Não tem link mostrando as condicionantes, assinaturas necessárias e prazos médios.

    Enfim….

    Por algum motivo me parece que o problema não está em comparar a iniciativa estatal com a iniciativa privada. Mas, antes disso, me parece que o problema é que o estado simplesmente não quer de jeito nenhum contar com a iniciativa privada… ou quer que a iniciativa privada se reduza a um pequeno grupo… como o pequeno grupo de empresários empreiteiros.

    Daí vemos o resultado. E a conclusão a que chego, além dessa é que essas empresas Oi, Tim, Telefonica, Embratel, etc. São empresas privadas pro mercado, pros consumidores, pra quem queira reclamar delas. Mas no fundo no fundo, são empresas pseudo-privadas ou pseudo-estatais, sei lá, todas elas sujeitas a uma profunda influência política, cuja competição se dá muito mais nos bastidores do que no mercado, cujos interesses, nem de longe o mercado fica sabendo, etc etc etc.

  202. Elias said

    Guatambu,
    Então tenta chegar com teu plano de negócio em qualquer parte do mundo que conta (Haiti & assemelhados não valem), pra estabelecer uma tele, e vê se é assim…

    Nos EUA, p.ex., só bem recentemente as unidades consumidoras de energia elétrica receberam autorização pra funcionarem, querendo, como unidades produtoras.

    As restrições que até recentemente estavam em vigor, estavam ferrando com o mercado de fotovoltaicos, turbinas eólicas, etc.

    Com relação às Teles, não pensa que eu as defendo.

    Nem tenho motivos pra isso, até porque sou vítima. Em Belém, a internet simplesmente não funciona em amplas áreas da cidade. Na área onde eu moro, só a casa do governador e mais duas outras que servem de apoio pra lambaiagem do dito cujo têm internet 24 horas, porque uma operadora lançou um cabeamento só pra esse fim.

    Como a josta não estava funcionando, encerrei meu contrato com a Oi. Aí, dia sim, outro também, um cara da Oi me telefona, pedindo 48 horas pra resolver o problema. Dou as 48 horas. Não aparece ninguém em casa. Mais uns dias depois, outro cara me liga, pedindo mais 48 horas… E o tempo vai passando, passando… Há mais de 3 meses estou sem internet em casa. Uso o acesso da minha empresa ou meu celular.

    Até as pedras sabem o rumo que as coisas estão tomando. O setor caminha para uma concentração, por conta da absorção das operadoras de menor porte (a Tim, p.ex., já foi absorvida).

    A privatização pulverizou a operação, ao mesmo tempo em que impôs uma legislação que joga pra concentração.

    Só não vê quem não quer onde isso vai dar.

  203. Guatambu said

    Elias,

    Mas vc dá razão ao que faz os EUA, ou qualquer outro lugar do mundo, quando há tanta dificuldade em apresentar um plano de negócio a qualquer agência assim?

    Não sou cientista político, nem economista, nem nada, mas até onde eu entendo, há países que isso não acontece, como Canadá, Nova Zelândia, Austrália, Noruega, etc. São países que têm efetivamente um planejamento estratégico, e sabem que tipo de recursos vão precisar para alcançar o planejamento estratégico: seja em termos financeiros, seja em termos de capacitação de pessoal. Tanto que esse planejamento alcança a política de imigração desses países, em que facilitam a entrada de mão-de-obra estrangeira dentro das deficiências técnicas locais.

    Minha visão é que esses países são a exceção, e não a regra.

    Mas, se é para o Estado ser um agente interventor a favor do desenvolvimento, temos que nos guiar por essas exceções… e não pela regra, certo?

    Mas Brasil é Brasil, né? Como vc mesmo diz: um país onde o TSE não consegue tomar conta do que sai na mídia em relação às campanhas eleitorais, como é que vai ter um planejamento estratégico estruturado e alinhado a ponto de permitir que a iniciativa privada cumpra com seu papel?

    O Delfim Netto passou a vida inteira defendendo o dinheiro. O que ele diz que alimenta o “instinto animal” do empreendedor.

    Normalmente, uma pilha desse dinheiro colocada numa máquina de burocracia resulta em burocratas gordos, inflação, desigualdade e num “instinto animal” de uma barata tonta. Ele mesmo é um bom exemplo disso: burocrata, gordo, é que gerou inflação.

    Volto ao ponto: O que me parece é justamente o contrário…. o estado brasileiro é tão interventor, mas tão interventor, que o site da ANATEL é voltado para fazer propaganda de que está tudo bem, e não apontar onde há oportunidades de melhoria.

    Resultado: quem quer usar seu rico dinheirinho para fazer alguma coisa no Brasil, especialmente em setor regulado, tem que ser amigo do rei. Tem que conhecer político, tem que saber com quem falar, antes mesmo de ser empresário.

    Depois a galera reclama que empresário é tudo fdp… mas claro… nesse aspecto eu concordo novamente com vc: é cultura.

    Só que aí eu começo a acreditar que essa cultura não tá vindo da iniciativa privada, tá vindo da intervenção estatal.

  204. Daise said

    EQUIPE É ANUNCIADA AMANHÃ, MAS NÃO TOMARÁ POSSE.

    POR QUE?

  205. Daise said

    RENAN : A VERGONHA DO CONGRESSO NACIONAL

  206. Pax said

    6 meses pra abrir um negócio na França, nos EUA?

    caro Elias, conta pra gente o que vc anda fumando por aí…

    Internet: o caro Elias só esquece de um detalhe tão pequeneninho do tamanho das mentirinhas do Lula e da Dilma, que o Brasil tem um plano nacional de bunda larga.

    a hora que descortinarem a conexão londrina, paulinho bernardo etc, jogando bolita com andré vargas, alberto youssef, os negocinhos do Dirceu na área…

    a hora que…

    se é que essa hora vai chegar, e não vai, acaba chegando na empresa do Lulinha e aí vai cheirar estranho pacas

    (nem mencionei as operadoras de energia, aliás, outra área que a coração valente pilotou…)

    mas paremos na Kátia Abreu, precisa de mais ninguém pra dizer quem Dilma se tornou

  207. Daise said

    SÍTIO DO PICA-PAU VERMELHO EM DISCÓRDIA

    logo mais Pax vai assumir:

    FORA DILMA!

    Antes tarde do que mais tarde ainda. rsrsrs

    P.S. e aguardem….o PETROLÃO vai aniquilar o “governo”.

  208. Elias said

    “Mas vc dá razão ao que faz os EUA, ou qualquer outro lugar do mundo, quando há tanta dificuldade em apresentar um plano de negócio a qualquer agência assim?” (Guatambu)

    Dou razão, sim, Guatambu!

    Vê o caso do vinho na Califórnia, na Austrália e na África do Sul.

    Um monte de gente (inclusive celebridades como Francis Ford Copola e Antônio Banderas, nos EUA), investiu os tubos pra produzir vinhos de boa qualidade.

    Essa gente investiu os tubos não só na cultura da uva e na produção, armazenamento e engarrafamento do vinho, mas também na divulgação do produto em todo o mundo, caracterizando-o como algo qualitativamente competitivo no mercado internacional.

    Trata-se de um esforço — trabalho e dinheiro pra caraca! — de um caralhau de anos, que não pode ser colocado em risco — ou pior, jogado no lixo — porque um sacana qualquer resolve avacalhar a guerra com estilingue e cocô de bode, produzindo, nas mesmas regiões, vinhos tipo “Sangue de Boi”.

    Dia desses li uma entrevista de um empresário que está torrando os tubos no Vale do São Francisco, pra produzir vinho de boa cepa.

    Sabes do que ele reclama? Da ausência de uma regulamentação mais restritiva no Brasil, que coíba a produção das porcarias que atrapalham o esforço de gente séria, cuja produção é focada na qualidade.

  209. Elias said

    PAX
    Seis meses, NO MÍNIMO, Pax.

    E os seis meses não garantem porróida, rapaz!

    Ao fim e ao cabo (epa!) o que vai te garantir a liberação do projeto é a qualidade da uva, etc e tal.

    Na Austrália e na Califórnia, houve casos em que uns sujeitos foram obrigados a descartar a totalidade do plantio. É que as otoridades entenderam que aquilo que foi plantado não correspondia ao projeto aprovado.

    Os caras chiaram, mas se enquadraram. No fim, em entrevista à tevê, eles elogiaram o rigor da fiscalização. No entender deles, esse rigor é quase um “selo de qualidade”. Se as “otoridades” permitem que a vinícola funcione, é porque ela se encaixa no rigor dos padrões vigentes.

    Seis meses, Pax, é o mínimo. Mínimo! Pra muita gente, mais de um ano, e… Pau na testa!

    Em certas localidades da Itália — na Sardenha, p.ex. — tu não podes importar abelhas. Só se permite a produção de mel de abelha na Sardenha, a partir de abelhas da própria Sardenha.

    A razão? Qualidade, Pax! Se tu já provaste o mel da Sardenha, sabes do que estou falando (é caro, mas vale cada centavo…).

    Aqui, tem sacripanta que reclama do excesso de regulamentação. Mas, é só alguma empresa poderosa orientar uma trolha grande e grossa na direção do traseiro do dito cujo, que ele vai amaldiçoar a leniência do órgão regulamentador.

    Ou seja: o sacripanta quer uma economia desregulamentada, desde que haja um órgão regulamentador forte e feroz, pra livrar o traseiro dele dos incômodos da trolha grande e grossa de um poderosos desses por aí…

    Nunca viste nada assim, Pax?

    E o pessoal que lê e comenta no teu blog, será que também nunca viu nada assim?

    Não mesmo?

  210. Elias said

    Pax,
    Vai lá, rapaz, e conta tudo o que tu sabes sobre o Dirceu, o Youssef, o… Sei lá!

    Até aqui, tu só estás corrupacopapacopapaqueando o que a Veja & quejandos tronitruam, sem apresentarem nenhuma prova.

    A Veja & quejandos eu compreendo… Estão lutando pela sobrevivência.

    Tu…

  211. Elias said

    Ah, sim.

    Os representantes do PSDB no STF já queriam arquivar o processo contra os tucaninhos denunciados pela Siemens, em acordo de leniência, vulgo delação premiada.

    Era disso que eu vinha falando há meses, viu Pax?

  212. Pax said

    do Dirceu só sei que ele levou uma grana preta pra armar aquela história com o backbone nacional, até que descobriram e o cliente dele, ao que parece, pagou e não levou

    da conexão Londrina, é bem fácil… pesquisa no Google

    André Vargas – campanhas do Paulo Bernardo para deputado estadual — André e Youssef —

    fora o que não posso divulgar por compromisso meu com a fonte (jornalista de lá mesmo…)

    mas, claro, vc não vai acreditar

    e eu não vou divulgar o que me foi dito e …. escrito

    mas, caro Elias, você acha que o Paulinho, o que era do planejamento e até hoje a gente vive sem um plano … é um cara bom, probo, um excelente petista, ele e sua bonitinha mas … esposa

    aliás, caro Elias, tá ficando bem difícil achar um nome do PT que a gente possa apor assinatura embaixo, não é?

    caso queiras, ficarei extremamente feliz, que elabora uma listinha básica, uns poucos — quem sabe uns 5 a 10 nomes que a gente possa dizer: esse é de respeito, sim

    fica o desafio

    (idem ibidem para qualquer partido, mas já que vc toma as dores do teu…. o B.O. é teu mesmo)

  213. Elias said

    “fora o que não posso divulgar por compromisso meu com a fonte (jornalista de lá mesmo…)”…. “e eu não vou divulgar o que me foi dito e …. escrito” (Pax)

    Cúmplice!

    Estás fazendo isso de graça ou estás levando algum pra guardar segredo de práticas criminosas envolvendo dinheiro público?

    Estás de sacanagem comigo ou és mesmo tão tonto a ponto de não perceber que estás cometendo um crime, ao confessares, publicamente, que tens conhecimento de uma prática criminosa envolvendo dinheiro público, e não dás ciência dela a quem de direito?

    Tu não tens cérebro, mesmo, ou estás tirando sarro comigo?

    Pax, eu não acredito nem desacredito em lhufas! Alegou e provou? Beleza! Não provou? Então, pra mim, é conversa de fuxiqueiro. Fofoca de lavadora de roupa de beira de cacimba…

    Nomes do PT? Conheço, de montão, gente honesta, que nunca roubou quando teve oportunidade, e não tem o hábito de ficar enxovalhando a reputação alheia com base apenas em fofocas. Enfim, gente de respeito!

    Lista básica? Pra que? Que papo é esse? Tu agora estás em algum partido fascista? Ou também não percebes o grau de idiotice dessa história de “lista”?

    E que papo é esse de “Paulinho”? Não sei de quem tu estás falando! Quando foi que eu disse que esse teu “Paulinho” (é íntimo teu, é neném?) é um cara probo, se eu nem sei quem é esse teu “Paulinho”?

    Não me mete (epa!) nesse teu problema com o teu “Paulinho”! Não gosto de me meter (epa! epa!) em briga de casal. Tentem resolver o problema entre vocês dois, de preferência sem agressões.

    Vão a uma igreja, como dois cristãos… Depois, trepem como dois pagãos!

    =========================

    “fora o que não posso divulgar por compromisso meu com a fonte (jornalista de lá mesmo…)” “e eu não vou divulgar o que me foi dito e …. escrito” (Pax)

    Tu és doidão, mesmo, doidim…

    Estás entendendo tudo errado.

    Jamais deverias ter dito isso, doidim. Equivale a confessar um crime, doidão.

    Quando um jornalista (sério!) assume compromisso de sigilo com uma fonte, ele não revela A FONTE, Pax. Mas revela o que a fonte lhe informou, evidentemente que depois de apurar o fato, checando sua veracidade.

    Se o jornalista não revela a fonte nem o fato, ele simplesmente silencia sobre o assunto. Não fica dizendo publicamente que sabe mais do que disse.

    Porque, se fizer isso, em se tratando de um ato ilícito, ele incorre em confissão pública de conivência. Cumplicidade.

    Entendeu, doidim doidão?

    Espumando pela boca, bebendo mijo, comendo cocô, peidando na igreja e dando porrada na própria mãe, o Reinaldo Azevedo é mais equilibrado que tu, Pax.

  214. Pax said

    Cumplice de porcaria nenhuma Elias.

    Não sei teus compromissos para perderes tanto os estribos. Mas este é um problema teu com um dos partidos mais corruptos que já vi na vida.

    Se vc acha que sou cúmplice, mostra pra polícia. Mantenho cada letra que escrevi.

    Caso isso vá adiante, o PT afunda ainda mais. Se é que isso seja possível.

    Continuo não conseguindo listar 10, nem 5 petistas eleitos que não estejam envolvidos em algum b.o.

    Faz-me rir…

  215. Elias said

    Quem sabe de práticas ilícitas e sobre elas silencia, é CÚMPLICE!

    É esse o teu caso. Tu mesmo admitiste publicamente — e por escrito!

    Então, és CÚMPLICE! És CONIVENTE com práticas criminosas.

    Foste tu mesmo, com tuas próprias palavras, que te colocaste nessa situação.

    Cúmplice!

    Huá! Huá! Huá! Huá! Huá! Huá!

    O Pax — quem diria? — acabou no Irajá!

    Foi por amor ao “Paulinho”, foi criança?

    O que é a natureza humana…

    Em todo caso: Viva o amor-que-pode… Que toda a verdade encerra / E pelo qual não explode a população da terra!

    Poetei!

    Huá! Huá! Huá! Huá! Huá! Huá! Huá! Huá! Huá! Huá!…

  216. Pax said

    Onde chegaste Elias… sinto muito. Sai enquanto é tempo…

  217. Jose Mario HRP said

    http://www.brasil247.com/get_img?ImageId=406430

  218. Daise said

  219. Guatambu said

    Elias,

    É impressão minha, ou estamos andando em círculos?

    Se o diagnóstico é que a banda larga, ou a comunicação não chega, alguém tá errado: ou é a iniciativa privada, ou é o estado.

    Se a iniciativa privada está nadando em dinheiro, a árvore de diagnóstico se abre em dois ramos novamente: ou é por falta de competição, ou é por falta de obrigação.

    Quem autoriza a competição, ou quem a obriga alguma coisa?

    Os órgãos reguladores. Vc confirmou a minha tese: nem que eu queira e tenha capital disponível, vai ser fácil. E mesmo quando eu ensejei que poderia haver maior desregulamentação justamente para tentar botar a energia do empreendedor na direção de resolver o problema vc diz: o Estado tá certo. Tem que ser difícil empreender mesmo. O Estado tem que controlar tudo, principalmente a qualidade do bem produzido/ do serviço prestado.

    Pois bem.

    Voltamos ao Estado. Quem passa a estar errado é o Estado.

    Eu não vejo outra solução.

    Só que nesse caso, Elias, eu acho que vc deveria parar de brigar com a Oi, Vivo/Telefônica, etc.

    Melhor brigar, como o Pax faz, com as “otoridades”…

  220. Guatambu said

    Elias,

    E sabemos que quando a demanda por determinado item é grande, ele acaba aparecendo, mesmo que com um custo altíssimo, e mesmo que ilegalmente.

    De cigarro a drogas, de TV por assinatura a armas, de tênis a carros.

    Eu não estranharia se começassem a surgir antenas clandestinas na sua região e na região do Pax. Pior: eu não estranharia se as pessoas começassem a pagar uma boa quantidade de dinheiro pelo acesso à telefonia e internet por essa rede clandestina.

    O que acontece em seguida? O Estado passa a ter 3 trabalhos: eliminar os clandestinos (incluindo aqui multar, processar, prender, etc), fornecer um serviço legalizado e conter a insatisfação da população.

    É assim com habitação, energia elétrica, água… e isso vai parar na mão de gente que a gente conhece: políticos especializados em trocar pedaços de terra, políticas de expansão de rede elétrica, água, por votos. Isso quando não são entidades como MST e coisa parecida.

    Só que aí uns são favorecidos, outros não, tem lista de quem pode e quem não pode. Metade fica legalizado e metade não fica. O problema vai parar na maravilhosa justiça que tem o Brasil, e assim por diante.

    Por conta da leniência do Estado em atender a uma demanda, que poderia ser resolvido de maneira mais simples, se complica tudo. O dinheiro que o Estado poderia ter investido ao se antecipar à demanda poderia ser de 10. Mas acaba sendo 5 X 10 por conta dessa incompetência… ou leniência justificada pela necessidade de “qualidade”.

    E dá-lhe imposto pra justificar a própria leniência do Estado, com mais políticas, como se não tivesse problema cobrar mais impostos porque “os impostos afetam os mais ricos”.

    O problema nem é esse, né? O problema é que os mais ricos pagam mais impostos, e os mais pobres continuam sem terra, luz, água e o Pax e vc continuam sem banda larga… (mesmo sendo ricos).

  221. Pax said

    Caro Guatambu

    As Agencias Reguladoras têm 3 missões fundamentais: regular os mercados, outorgar as concessões, fiscalizar os serviços.

    Evidente que a falha é nas autoridades.

    Deveriam ser a instância de recorrência dos usuários e atuam como advogadas de defesa das operadoras deixando os clientes desprotegidos e os crimes soltos. Que vão de propaganda enganosa, faturamento ilegal e assim por diante.

    Um exemplo de apodrecimento foi o caso da primeira amante manter uma pequena máfia numa das agências, só pra termos uma ideia de onde o aparelhamento chegou.

    Nas teles e nas de energia é gritante. Usuários abandonados e crimes abundantes.

    Mas o Elias diz que o cúmplice sou eu. Pra termos noção de onde foi parar a noção dos petistas de plantão.

  222. Guatambu said

    Sim, Pax, pois é… e por isso eu fiz a pergunta: vc ainda acredita no estado?

  223. Daise said

    Levy na Fazenda representa ruptura com política econômica de Dilma

    No núcleo petista, há o reconhecimento de que a nomeação de Joaquim Levy para o Ministério da Fazenda representa uma ruptura com a condução da política econômica de linha desenvolvimentista do primeiro mandato da presidente Dilma Rousseff.

    Na fala feita depois do anúncio dos novos nomes, Levy e os demais integrantes da equipe econômica não se preocuparam em explicitar a fragilidade da condução atual da economia e os desafios que terão que enfrentar por causa da deterioração da situação fiscal.

    Apesar do desgaste político interno, existe a constatação de que era preciso fazer essa mudança. Nos bastidores, o nome de Levy foi defendido pelo ex-presidente Lula como uma sinalização ao mercado para o governo recuperar credibilidade.

    Mas integrantes do governo reconhecem que é necessário esperar alguns meses para saber como Levy vai funcionar com a presidente Dilma e se, de fato, ele terá autonomia. Ainda há o temor de que Dilma tenha dificuldade de abdicar do cargo de ministra da Economia desempenhado no primeiro governo.

    Integrantes do PT ainda não estão seguros de que Dilma vá garantir autonomia quando tiver que enfrentar desgaste político e queda de popularidade no momento em que o ajuste fiscal começar a ser adotado por Joaquim Levy.

    Em tempo: nunca é demais lembrar que Levy e Dilma pensam completamente diferente na condução da economia e que ela chegou a classificar de rudimentar o ajuste fiscal da equipe do ex-ministro Antonio Palocci durante o governo Lula.

  224. Daise said

    RESUMO DO DIA: SITIO DO PICA PAU VERMELHO

    Pau puro!

    Pax é “cúmplice e veadinho” (amigo do Paulinho), segundo Badass.
    Elias é “sem noção” segundo Pax, que chegou a aconselhar ao Badass:

    Onde chegaste Elias… sinto muito. Sai enquanto é tempo…

    Vamos aguardar amanhã em mais cenas emocionantes…
    Só faltou o “Vossa Excelência” é um sem vergonha

    Elias volta ou…rsrsrsr

  225. Daise said

    ‘Sentimento de quase ilegitimidade’ ronda a reeleição de Dilma, diz FHC
    DO RIO

    27/11/2014 22h38

    O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB) afirmou nesta quinta-feira (27) que um “sentimento de quase ilegitimidade” ronda a reeleição da presidente Dilma Rousseff.

    “Vê-se neste momento a dificuldade que tem a presidente da República, recém eleita, quando devia ter toda força possível, mas tenho a impressão de que há um sentimento de ilegitimidade. Ganhou, é legal. Mas sem uma parte mais dinâmica do país e por outro lado com um sistema de apoios que não se expressa realmente no Congresso atual nem no futuro porque a forma de eleição não foi baseada propriamente num fator político ideológico”, disse, durante uma exposição na ABL (Academia Brasileira de Letras).

    Segundo FHC, a situação econômica do país tornou mais palpável o problema da governabilidade.

    “Até agora foi possível empurrar com a barriga porque a situação não econômica não era tão aflitiva. Na medida em que ela se tornou mais difícil, esses problemas todos se agravam porque cada vez mais o congresso vai precisar apoiar as decisões do governo. Neste momento o executivo não encontra o apoio necessário do congresso porque as alianças foram feitas a partir de outros objetivos, outros critérios, então fica difícil avançar”, afirmou.

    Sua análise tocou não apenas o PT, mas todos os partidos, ao dizer que a maioria deles faz articulações políticas sem “conexão ideológica”. Mas o ex-presidente criticou o governo atual ao citar a criação de novos ministérios “para contemplar a multiplicidade de partidos e criar uma chamada base”.

    O ex-presidente analisou a divisão de votos nas eleições não como uma polarização entre ricos e pobres mas sim entre estilos de relação com o governo.

    “Me chamou a atenção a oposição ganhar no Acre e em Roraima. Lá existe agrobusiness. São áreas que começam a ser mais dinâmicas e menos dependentes das vinculações com o governo, com o Estado. Nas áreas dependentes do Estados, ricos e pobres votam de um jeito. Do mesmo jeito. Nas áreas independentes, ricos e pobres votam de outro jeito. Não se pode dizer que São Paulo, onde a oposição teve uma enorme dianteira, de 7 milhões de votos, foram os ricos que votaram. [Foi] todo mundo. O fator que mais explicaria essa continuidade dessa divisão (faz anos que é assim) é o estilo de relação entre a sociedade e o Estado do que a diferença de renda”, declarou.

    FHC demonstrou preocupação em relação à possibilidade do avanço de uma reforma política num cenário onde os três principais partidos, PT, PSDB e PMDB, não concordam sobre o modelo a seguir.

    “Isso não quer dizer que seja impossível avançarmos. Mas se a situação social e econômica se agrava e a política é essa que estou dizendo, é possível que a saída seja a judicialização. Estamos assistindo neste momento processos complicados de corrupção, a justiça atuando, e isso afeta os partidos e os governos. Não é de estranhar-se que no Brasil a solução para esse imbróglio político não venha a partir do sistema político mas sim de decisões judiciais. Dada a situação política e o constrangimento que há para mudar essa situação, de repente pode ser que haja uma judicialização de decisões que venha afetar o próprio sistema político”, disse o ex-presidente.

    GUSTAVO FRANCO E LEVY

    No mesmo evento, o ex-presidente do Banco Central Gustavo Franco elogiou, com tom irônico, a escolha de Joaquim Levy para o Ministério da Fazenda.

    “Podemos acusar o governo de muitas coisas, mas não de não ter inteligência política. O momento de fechar o cofre é o momento em que a presidente decide se afastar da área econômica e colocar alguém com mão fechada. É um movimento muito inteligente. Faço voto de que funcione”, declarou.

    Comparou o ato oficial desta quinta que confirmou Levy na Fazenda e Nelson Barbosa no Planejamento à “Carta aos Brasileiros”, pronunciamento que Lula fez quando eleito sinalizando que a alternância no poder não traria riscos ao equilíbrio macroeconômico.

    “A natureza desse evento talvez seja comparável à Carta aos Brasileiros de 2002 como um instrumento político que assinalou o aburguesamento do Partido dos Trabalhadores”, afirmou.

    Para ele, Levy é a pessoa certa para ajudar a sanar o que ele considera o maior problema da economia brasileira, a dívida pública excessiva.

    “Não é difícil entender o fenômeno Joaquim Levy nesse contexto. A centralidade do tema [dívida] talvez explique porque o Joaquim é uma boa solução para o problema que temos diante de nós. O Brasil tem a maior relação dívida-PIB de países emergentes. Todos na média de 30% e olhe lá. É uma extravagância termos uma dívida tão grande (65%)”, declarou.

    O ex-ministro fez críticas ferozes ao governo em relação às investigações de corrupção na Petrobras, e lembrou acusações feitas sobre as privatizações que ocorreram no seu período de governo: “O capitalismo das privatizações foi feito através de leilões, através do TCU, tudo certinho, não houve nada comparável ao que vemos agora. O que estamos vendo agora é pirataria.”

    ————-

    ENQUANTO ISSO LULA TÁ MAIS QUIETO QUE MENINO MIJADO, rsrsr

  226. Daise said

    OS PIBINHOS ANÕES DE DILMA

  227. Elias said

    “Vê-se neste momento a dificuldade que tem a presidente da República, recém eleita, quando devia ter toda força possível, mas tenho a impressão de que há um sentimento de ilegitimidade. Ganhou, é legal.” (FH do C tucano)

    Claro! Legal e legítima foi a reeleição do FHC, comprada a peso de ouro.

    Este país é uma josta, mesmo…

    Um sujeito com um mínimo de vergonha na cara, na condição do FH do C dele, ficaria calado.

    Aqui no Brasil, só porque o pilantra comprou a impunidade, acha que pode dar lição de moral nos outros…

    De tão pilantra que é, ele usa a impunidade como atestado de bons antecedentes.

    Jerda…!

  228. Elias said

    “Mas o Elias diz que o cúmplice sou eu.” (Currupacopapacopapax)

    Não, garotão!

    TU confessaste tua cumplicidade, ao revelar, no comentário # 212, que sabes de coisas podres e não revelas.

    Como tu és doidim, vou transcrever aqui o que disseste:

    “…fora o que não posso divulgar por compromisso meu com a fonte (jornalista de lá mesmo…)… mas, claro, vc não vai acreditar e eu não vou divulgar o que me foi dito e …. escrito…”

    Aí está TUA confissão de cumplicidade.

    Eu só fotografei… Mas quem está na cena és tu, Paxizinho do Paulinho.

  229. Pax said

    Elias,

    Deep Throat nunca foi revelado por Bob Woodward e Carl Bernstein

    Por mais que não goste do modelão adotado, nos EUA é uma democracia, que os chaviztas não curtem muito, saca?

    E nos EUA deu no que deu…

    =)

    Mas você prefere achar que o Paulinho é um probo e competente ministro.

    Cada um acha o que quer, pensa o que quer, fala o que quer e anda com quem quer… é assim que funciona a democracia.

    O certo seria que todos também pagassem seus erros na Justiça, após amplos direitos de defesa garantidos. Caso o B.O. fique comprovado e julgado.

    Aí seria uma Democracia com D e não com d.

    ==

    De outro lado sempre é tempo de sair de barcos furados e quadrilhas de assaltantes.

    a não ser que não queira.

    ;-)

  230. Daise said

    MILICOS COM MEDO

    COMANDANTE DO EXÉRCITO INTIMADO A EXPLICAR POR QUE MANTÉM MEDALHAS DE MENSALEIROS.
    PROCURADORA QUER SABER POR QUE EXÉRCITO MANTÉM HONRARIA A MENSALEIROS

    Publicado: 28 de novembro de 2014 às 0:30 – Atualizado às 0:56
    Por: Redação

    Segundo fontes militares, o general Enzo Peri tem medo de irritar Dilma e o PT

    O comandante do Exército, general Enzo Peri, enfrenta uma tremenda saia justa, em razão de sua relutância, que seus críticos preferem chamar de covardia, de cumprir o decreto que o obriga a cassar a Medalha do Pacificador, uma das principais honrarias militares, de agraciados condenados por corrupção no processo do mensalão. É que a procuradoria da República no Distrito Federal decidiu notificar o general a explicar sua atitude e informar providências no prazo máximo de quinze dias.

    Fontes militares garantiram ao Diário do Poder que o comandante do Exército não cumpre o decreto 4.207, de 2003, cassando a Medalha do Pacificador ou a Ordem do Mérito Militar (decreto 3.522, do ano 2000) porque “morre de medo” de irritar a presidente Dilma Rousseff e o PT.

    O ofício 8122/2014/PRDF, datado de 30 de outubro, assinado pela procuradora da República Eliana Pires Rocha, foi primeiro encaminhado ao procurador-geral da República, Rodrigo Janot, para que este, como manda o protocolo, o encaminhe ao destinatário final – o general Enzo Peri.

    A procuradora informa ter chegado ao órgão duas representações contra o comandante do Exército. As representações dizem respeito apenas à Medalha do Pacificador conferida ao ex-deputado mensaleiro José Genoino (PT-SP), corrupto transitado em julgado. Mas a procuradora encontrou outros casos.

    Eliana Pires Rocha lembra em sua comunicação que a Medalha do Pacificador – considerada uma das principais honrarias do Exército Brasileiro – foi concedida a outros condenados por corrupção no processo do mensalão, sem que tenham sido cassadas até este momento, como os ex-deputados João Paulo Cunha (PT-SP) e Valdemar Costa Neto (PR-SP).

    Ela também menciona o fato de o ex-ministro da Casa Civil do governo Lula, José Dirceu, considerado o chefe da quadrilha do mensalão e condenado no Supremo Tribunal Federal, ter sido agraciado com a Ordem do Mérito Militar, no Grau de Grande Oficial. O ex-deputado Roberto Jefferson, outro condenado no mensalão em sentença transitada em julgado, é “comendador” da Ordem do Mérito Militar.

    O decreto 4.207/2003 determina a exclusão imediata de agraciados com a Medalha do Pacificador de condenados pela Justiça do Brasil, em qualquer foro, em sentença transitada em julgado, “por crimes contra a integridade e a soberania nacionais ou atentado contra o erário, as instituições e a sociedade brasileira”.

    Pelo decreto, “a cassação será feita ‘ex officio’ em ato do comandante do Exército em exercício. Já o decreto 3.522/2000, salienta a procuradora Eliana Pires Rocha em seu ofício, determina a exclusão da Ordem do Mérito Militar de agraciados que tenham cometidos os crimes já mencionados.

    O assunto foi noticiado há um ano (23 de novembro de 2013), em primeira mão, pela coluna Claudio Humberto, do Diário do Poder, que voltou ao assunto por diversas vezes, sem que o comandante do Exército tenha se dignado a explicar sua atitude, tampouco informar se e quando cumpriria o determinam ambos os decretos.

    O general pode se esconder de jornalistas, mas não da Procuradoria da República, sob pena de responder na Justiça.

  231. Daise said

    Pergunto:

    essa milicada vai dar golpe?

    SABE DE NADA, INOCENTE!

  232. Daise said

    medeus..o pax “amarelou? # 229

    em nome da “governabilidade” do blog? rsrsrsr

    Coluna vertebral de água viva?

    SABE DE NADA, INOCENTE!

  233. Daise said

  234. Daise said

    EQUIPE DE TRANSIÇÃO !

  235. Daise said

    CORRELAÇÃO DE FORÇAS: DILMA x LEVY

    1. Gilbertinho precisou reafirmar que quem manda é dilma. Não o Levy.

    OK! ela manda. Mas Gilbertinho precisou reafirmar. De novo. Parece que há dúvidas !!!

    2. Em caso de discordância…Levy sempre pode pedir demissão. Dilma não pode.

    Então quem manda ?

    3. E aí Pax? Gilbertinho cotado pra ser presidente da FUNAI …vai haver protestos?
    O “biscoito fino” vai aceitar ou vai engolir o fanfarrão?

  236. Patriarca da Paciência said

    Há uma diferença enorme entre os discursos:

    Armínio Fraga: Não sei o que vai sobrar dos bancos públicos. O salário mínimo está muito alto. etc.

    Nova equipe econômica: Faremos os ajustes necessários para garantirmos as conquistas sociais.

    Só cegos e delirantes não veem a diferença.

  237. Patriarca da Paciência said

  238. Patriarca da Paciência said

  239. Patriarca da Paciência said

  240. Daise said

    Executiva do PT aprova expulsão de envolvidos em esquemas de corrupção

    Vai sobrar alguém?

  241. Daise said

    Vaccari, guerreiro, do povo brasileiro!
    29/11/2014 – 04h00
    Ricardo Noblat

    O PT não aprende. Não aprende mesmo.

    A cautela e a experiência ensinam que o partido deveria esperar melhor esclarecimento da Justiça antes de renovar a confiança em João Vaccari Neto, seu tesoureiro, citado em conversas telefônicas grampeadas como envolvido em roubalheira na Petrobras.

    Lembre-se de Delúbio Soares, tesoureiro do PT na época do estouro do escândalo do mensalão – o pagamento de propinas para que deputados federais votassem como queria o governo. Por mais evidências que houvesse contra ele, o partido evitou largá-lo de mão. Quando o fez, Delúbio já estava enlameado dos pés à cabeça.

    Forçado, depois, pelo PT, Delúbio desligou-se do partido. Mas foi só de mentirinha. Ele nunca abandonou o partido – nem o partido o abandonou. Delúbio acabou voltando formalmente. Foi um dos mensaleiros condenados pelo Supremo Tribunal Federal.

    Em Fortaleza, onde está reunido o Diretório Nacional do PT, Vaccari recebeu, ontem, um tratamento reservado às estrelas do partido. Aproveitou parte da reunião fechada à imprensa para se defender da suspeita de ter desviado recursos da Petrobras diretamente para o caixa do PT. E foi ovacionado. Dirigentes do partido o elogiaram a exaustão.

    – Nunca fiz nada de errado – disse Vaccari. “Nada tenho a temer”.

    O tesoureiro justificou assim as conversas telefônicas grampeadas pela Polícia Federal: foram para marcar encontros com representantes da Petrobras, que o ajudariam a captar dinheiro para o partido de forma legal. “Tudo o que foi arrecadado foi também contabilizado”, garantiu.

    Só faltou a Vaccari ser saudado por sua turma como “guerreiro do povo brasileiro”.

  242. Daise said

    O FHC QUE O TOLINHO NÃO TEM VERGONHA DE ATACAR, ORIENTADO por bessinha

  243. Daise said

    Tolinho ( aka Eremildo, o idiota)

    Você é um sem vergonha?

  244. Daise said

    Tolinho ( aka Eremildo, o idiota)

    Agora vamos aguardar o depoimento de lula na COMISSÃO NACIONAL DA VERDADE

    se for convidado lula mentirá ? Até agora não foi. O barba se esconde…

    Aguardemos primeiro o depoimento sobre acusações de Valerio à PF, sempre adiado, e sobre Rose ( a amante).

    Queremos saber!!

    …rsrsrs

  245. Daise said

    ehehe

    aposto que o badass vai ficar quieto…

    Está preocupado com os rumos do desgoverno de dilma.

    Badass não é burro e inconsequente como….tolinho e dilminho

    Já antevê o naufrágio! e agora resolveu encher o saco do anódino Pax….
    (dono do sítio do pica pau vermelho, agora abrindo novas frentes…)

    Descobriu a saga do Deep Throat …

  246. Daise said

    Na semana passada, VEJA mostrou que mensagens eletrônicas encontradas pela Polícia Federal nos computadores do Palácio do Planalto revelavam que o ex-presidente Lula e a presidente Dilma Rousseff tiveram, em 2009, a oportunidade de interromper a ação dos corruptos que atuavam no coração da Petrobras — e a desperdiçaram. Chefe da Casa Civil do governo Lula, Dilma recebeu do então diretor de Abastecimento e Refino da Petrobras, Paulo Roberto Costa, um e-mail alertando para o risco de que obras sob sua responsabilidade fossem paralisadas por recomendação do Tribunal de Contas da União (TCU). Cérebro da quadrilha que desviou bilhões dos cofres da companhia, Paulo Roberto estava preocupado com a ação dos auditores que começaram a farejar pistas da existência do cartel de empreiteiras que superfaturava contratos na estatal. Para impedir que o dinheiro parasse de jorrar no bolso dos corruptos, o diretor sugeriu que o governo agisse politicamente para neutralizar as denúncias do tribunal. E assim foi feito. Logo depois de receber a mensagem, Dilma se pôs a criticar a iniciativa do TCU, e Lula vetou a decisão do Parlamento de interromper as obras suspeitas, entre elas a de construção da Refinaria Abreu e Lima, em Pernambuco.

    Na esteira da apuração da reportagem, VEJA perguntou à presidente, que também comandava o Conselho de Administração da Petrobras na ocasião, se era comum um diretor desconsiderar a hierarquia, dirigir-se diretamente ao Palácio do Planalto e tomar a liberdade de oferecer sugestões políticas para um problema administrativo. Dilma não respondeu. A presidente também não explicou por que o governo, em vez de atuar para sanar as irregularidades apontadas pelo tribunal, fez exatamente o contrário. Depois da publicação da reportagem, Dilma Rousseff preferiu, em nota oficial, atacar o mensageiro. Ela acusou VEJA de manipulação. A revista só relatou fatos produzidos pelos governos de Lula e Dilma. Não foi VEJA que colocou Paulo Roberto Costa na Petrobras com o objetivo de montar um esquema de corrupção para obter recursos a ser entregues a políticos e partidos aliados do governo. Não foi VEJA que colocou o doleiro Alberto Youssef a serviço do esquema de Costa na Petrobras. Quem disse que Lula e Dilma sabiam de tudo foi Youssef. VEJA apenas revelou a fala do doleiro. Portanto, não adianta esbravejar contra o mensageiro, quando é a mensagem que fere.

    Em 29 de maio de 2007, o então advogado da estatal junto ao TCU, Claudismar Zupiroli, enviou um e-mail à então secretária ­executiva da Casa Civil, Erenice Guerra. Ele relatou sua preocupação com o fato de o TCU estar no pé da Petrobras pelo uso abusivo de um decreto que permite gastos sem licitação na estatal (leia a entrevista com o presidente do TCU na pág. 72). Zupiroli informa que há um “voa barata” entre os gestores da Petrobras, que estavam “com medo do recrudescimento do tribunal em cima deles”, por causa das contratações sem licitação. Editada em 1998 no governo do presidente Fernando Henrique Cardoso, a norma foi idealizada com uma finalidade nobre: agilizar a contratação de serviços prioritários e urgentes a fim de evitar que a estatal perdesse competitividade no mercado. Nas mãos de Paulo Roberto Costa e de outros diretores corruptos da estatal, no entanto, o decreto passou a ser usado indiscriminadamente para dispensar a licitação em praticamente todas as obras, servindo de biombo para acobertar as maiores atrocidades patrocinadas com o dinheiro público.

    É da natureza dos corruptos não se intimidar diante de leis e decretos que dificultam sua ação. Assim, não se pode ver na dispensa de licitação a única causa da transformação das obras da Refinaria Abreu e Lima no maior assalto aos cofres públicos já registrado na história do Brasil. De 2,5 bilhões de dólares, o custo da refinaria saltou para 20 bilhões. Uma parte considerável desse dinheiro foi desviada pelo esquema de corrupção liderado por Paulo Roberto na Petrobras. No relatório de 2009, o TCU alertava para a existência de superfaturamento. Informava que os negócios suspeitos eram planejados em uma sala secreta, localizada no 19º andar do edifício-sede da Petrobras. Era lá que Paulo Roberto dava expediente como diretor de Abastecimento. Dali ele redigiu a mensagem a Dilma Rousseff sugerindo a bem-sucedida intervenção do governo para que nada fosse investigado.

    Zupiroli também achou por bem advertir Erenice: “Cresce a corrente dos que se recusam a assumir cargos de responsabilidade, como cresce a disposição daqueles que acham que devem ligar ‘o f.’ no sentido de aplicar a Lei de Licitações, independentemente das consequências. A água está chegando ao pescoço”. Não há registro de que a principal conselheira de Dilma tenha tomado alguma providência no sentido de ao menos averiguar se havia algo errado. O que se viu foi que as contratações sem licitação continuaram a todo o vapor. O primeiro e-mail revelado por VEJA mostrou que o Planalto foi acionado por Paulo Roberto Costa para não deixar o TCU interromper as obras e, claro, a dinheirama sem licitação. A mensagem do advogado, bem mais explícita e eloquente, mandara o mesmo recado dois anos antes. Na semana passada, o deputado Ronaldo Caiado (DEM-GO) apresentou requerimento pedindo a convocação de Dilma e Lula para prestar esclarecimentos na CPI mista da Petrobras. “A presidente disse que está disposta a aprofundar toda a investigação. Nada mais justo do que ela ir à CPI para esclarecer, em primeiro lugar, a acusação do doleiro e, agora, a ligação com esse diretor corrupto.” O parlamentar também quer que o ex-presidente e sua sucessora expliquem como a quadrilha conseguiu se instalar na Petrobras sem que o governo percebesse. Quadrilha que, segundo os depoimentos colhidos pela polícia, também ajudou a financiar a própria campanha presidencial de Dilma em 2010 e alimentou o caixa do PT e de seus aliados.

  247. Daise said

    Elio Gaspari

    O ENEM NA ROTA DO ESCÂNDALO
    FSP
    30/11/2014 02h00

    Quando Paulo Francis denunciou as petrorroubalheiras do tucanato, ganhou um processo. Quando o senador Tasso Jereissati denunciou as petrorroubalheiras do comissariado, o assunto foi varrido para baixo do tapete. Agora, diante da captura de 33 pessoas de uma quadrilha mineira que fraudava exames vestibulares e que neste ano vendeu para 15 ou 20 candidatos os gabaritos da prova do Enem, o Inep, responsável pela lisura do exame, informou o seguinte: “Qualquer pessoa que tenha utilizado métodos ilícitos para obter vantagens no Enem será sumariamente eliminada do exame”.

    Bingo. Seria mais divertido se o Inep dissesse o contrário. O problema está na outra ponta, nos 8,7 milhões de candidatos que se inscrevem para o exame e ficam sabendo que competem com gente que comprou a prova. O Enem tem uma tradição de vazamentos. Em 2009 os cadernos do exame foram furtados na gráfica, e o MEC suspendeu o exame. Em 2010 achou-se um vazamento de questões na Bahia. No ano seguinte, outro, no Ceará. Neste ano houve denúncias em Teresina e Fortaleza. Além delas, a Polícia Federal chegou à quadrilha mineira que teria vendido as provas a 15 pessoas de Mato Grosso. Coisa de profissionais com 20 anos de experiência e intercâmbio tecnológico com chineses. A turma operava com exames antes da criação do Enem.

    As provas podem vazar de duas maneiras, pelo furto das questões antes da prova ou pela transmissão das respostas durante sua realização. Pelo primeiro método o comprador não corre riscos imediatos. Na fraude eletrônica, arrisca ser apanhado em flagrante. Desde 2010, quando acontecem os casos de vazamento de questões, o Inep argumenta que eles foram pontuais. Claro, o segredo do negócio está na sua pontualidade. A polícia americana levou dez anos para achar, por acaso, um falsário que imprimia notas de um dólar e as usava, com cuidado, só para pagar suas modestas despesas.

    A onipotência do MEC diante dos vazamentos do Enem cria nos milhões de jovens que fazem o exame a sensação de que, se tivessem conhecido a pessoa certa, com a quantia certa, poderiam comprar a prova. Sabendo-se que a doutora Dilma já prometeu a realização de dois Enems a cada ano e não cumpriu, a credibilidade do governo é duvidosa. Nos Estados Unidos os jovens têm sete oportunidades anuais para fazer esse teste.

    Comparar as fraudes do Enem com as petrorroubalheiras é um exagero do ponto de vista financeiro, mas, no efeito, o dano é maior. Não só porque atingem diretamente mais gente, mas porque o governo reage aos problemas de forma ofensiva, fazendo de conta que ele é da Polícia Federal. (As petrorroubalheiras também eram, afinal, tudo ia às maravilhas na empresa.) Se Paulo Francis e Tasso Jereissati tivessem ao menos sido ouvidos, a doutora Dilma não estaria na encrenca em que está. Ouvidos eles foram, mas achou-se que o caso poderia ser varrido para baixo do tapete.

    —–

    CONFISSÃO

    O “amigo Paulinho” disse que repassou R$ 1 milhão ao senador Humberto Costa, líder do PT na Casa. Se o caso chegar a um tribunal, essa afirmação, sem prova, é insatisfatória. Em junho, “Paulinho” depôs na CPI da Petrobras. Lá ele disse:

    1) Que não fez nada, nunca soube de nada, e nunca se meteu com políticos.

    2) Que tinha o equivalente a mais de R$ 1 milhão guardados em casa, como reserva para uma viagem.

    O comissário Humberto Costa achou esse depoimento “satisfatório”.

  248. Daise said

    DILMA COMPROMETIDA

    Ao escolher Ministros indemissíveis ( Levy e provavelmente Katia Abreu), sem falar no ex-presidente da CNI, Armando Monteiro, em menor escala, dilma criará um compromisso de desempenho e eficácia:

    ECONOMIA – AGRICULTURA- INDÚSTRIA

    A pergunta que permanece é: O PT vai gostar…? Duvido.

    O pt não tem quadros à altura desse compromisso e terá que engolir pra não atrapalhar a desastrada presidanta, e mais ainda sob o risco das apurações de responsabilidade no caso do Petrolão.

    Ela e lula sabiam! E nada fizeram.

  249. Patriarca da Paciência said

  250. Daise said

    GILBERTINHO E CARDOSÃO LIDANDO COM A QUESTÃO INDÍGENA

    Destruição:os outros brasileiros que se fodam!

  251. Daise said

    DIFERENÇAS DE CARÁTER E ÉTICA

  252. Daise said

    Guiada por Lula, Dilma tenta retornar para 2003

    Cada ano novo é como um recomeço.
    Você tem a oportunidade de fazer os planos que quiser. Pode traçar novas coordenadas para sua vida.
    A primeira resolução de Dilma Rousseff para 2015, por exemplo, foi tomada por Lula. Prevê uma viagem de volta para o arrocho monetário e fiscal de 2003, primeiro ano da Era Lula.

    No caminho para o passado, Dilma tentará convencer empresários e investidores de que virou outra mulher.
    Foi convencida de que quem ela era até a campanha eleitoral de 2014 não estava preparada para o sucesso. Foi boa enquanto durou.
    Reeleita, virou outra, mais realista que Aécio Neves.
    Ainda é petista, mas da linha Joaquim Levy.

    Se tudo correr como Lula planejou, Levy produzirá agora o mesmo arrocho que resultou nos superávits de 11 anos atrás.
    Depois da asfixia, o PIB colocaria a cabeça para fora do buraco a partir de 2016. E Dilma atravessaria 2017 e 2018 em triunfo.
    Beleza.
    Porém, três fatores conspiram contra a estratégia do recomeço:

    1. Dilma não traz na cintura as mesmas roldanas de Lula. A parte que ela mais gosta do diálogo é quando consegue fazer o outro calar a boca.

    2. Sob Lula, Levy era Secretário do Tesouro. Manuseava a tesoura no banco de trás, com o petista Antonio Palocci no volante. Hoje, Levy é o para-choque de si mesmo.

    3. O mensalão, pano de fundo político de 2003, mostrou que não existiam mais coisas nossas.
    O petrolão, cenário de 2015, prova que só existe cosa nostra.

    Josias de Souza

  253. Pax said

    Só não concordo que o PT (o da Dilma) defende índios e quilombolas, como diz o Kotscho.

    O PT de Dilma foi um desastre nessas questões.

    E promete aprofundar esse descaminho, com Kátia Abreu.

    Decisão de Dilma… cota de Dilma… só nos resta tentar entender. E aceitar. Ou não. Nesse caso, meus amigos petistas mais ferrenhos, os que acompanho, nem eles aceitam.

    Mas Dilma insiste. Fazer o quê? Ser oposição.

    http://noticias.r7.com/blogs/ricardo-kotscho/2014/11/29/katia-abreu-sai-em-defesa-de-gilmar-mendes/

  254. Pax said

    Mas quem mantém um time como Dilma mantém… de tudo pode se esperar.

    E olha que a escalação dela é larga, são 39 na linha e ninguém no gol.

    http://www1.folha.uol.com.br/poder/2014/12/1555671-quem-nao-deve-nao-teme-diz-ministro-citado-em-operacao.shtml

  255. Patriarca da Paciência said

    “Até aqui, pelo menos, Dilma dá a impressão de que concorda em trocar o Dilma 2 pelo Lula 3. Ela engoliu Joaquim sem fazer cara feia”, diz o jornalista Ricardo Noblat; “O PSDB ficará rouco de tanto repetir que Joaquim é cria dele, e que o PT se apropria descaradamente de sua receita de governo. Quem se interessa por isso? A verdade é que o PT é especialista em deixar o PSDB sem discurso e, com frequência, sem bandeiras”, afirma”

    http://www.brasil247.com/pt/247/midiatech/162236/Noblat-Dilma-j%C3%A1-prepara-a-volta-de-Lula-em-2018.htm

  256. Elias said

    “3. O mensalão, pano de fundo político de 2003, mostrou que não existiam mais coisas nossas. O petrolão, cenário de 2015, prova que só existe cosa nostra.” (Joosias de Souza)

    Isso significa o seguinte: Nada! P…nenhuma!

    Bem feitas as contas, o petrolão vai pesar no PT infinitamente menos que o mensalão. A roubalheira na Petrobras vem de longe, e correu solta nos anos FHC.

    Neste momento, o que não falta é tucano do andar de cima com o fiofó encostado na parede, tão apertado que por ele não passa uma melancia…

  257. Elias said

    “Elias, Deep Throat nunca foi revelado por Bob Woodward e Carl Bernstein…..” (Pax)

    Eu não acredito que tu sejas tão burro, a ponto de não perceber uma diferença tão óbvia.

    Woodward e Bernstein não revelaram a FONTE, bobinho. Mas revelaram as INFORMAÇÕES que a fonte lhes passou, depois de checarem a veracidade das mesmas, como é de se esperar de pessoas responsáveis.

    Tu, falso idi (pra bom entendedor, meia palavra basta), não estás revelando a INFORMAÇÃO a (falso) pretexto de proteger a fonte…

    …E ficas falando que sabes de um monte de roubalheiras, etc e tal.

    Pra quem lê uma baboseira desse tipo, sobram poucas alternativas:

    I – tu estás mentindo; não sabes de p… nenhuma; é só lambança tua;

    II – tu mais ou menos soubeste de alguma coisa, mas não tens provas — até porque provavelmente é só uma fofoca — e tu proferes manter o buraco traseiro seladinho, a modo de não passar por ele um ouriço de castanha-do-pará.

  258. Patriarca da Paciência said

    Elias,

    é impressionante como o Pax continua com a firme convicção de que o Presidente da República pode governar sozinho. Aplica lá uma canetada e pronto, todo mundo vai cumprir. Caramba ! Em qual mundo o Pax vive ? Nos “Steites” não é assim, Nas “Oropas”, não é assim. Na China não é assim ! Mas o Pax continua com a firme convicção que é assim !

    Como dizia o avô do Aécio e, eu ouvi ele dizer isso numa entrevista de televisão: “Política é a arte do conchavo.”

    É patético ver o Aécio e o FHC posando de indignados ! Como diz você, “dando uma de virgem em puteiro”.

    Pax, São Francisco de Assis seria um péssimo governante. O papa Francisco também, é uma ótimo papa, mas seria também um péssimo governante.

    A única coisa que faz com que a roubalheira diminua é a sociedade ficando mais esclarecida. Foi assim nos “Steites” e foi assim nas “Oropas”.

    No Brasil está acontecendo também o milagre. Veja só, a direitona vivia pregando que, “o povo é ingrato e não reconhece nada que se faz por ele, então, tem que ser mantido mesmo é no chicote e no cabresto curto”.

    E agora essa mesma direitona fica aí dizendo que o povo votou na Dilma em agradecimento ao Bolsa Família.

    E aí ? Qual foi o milagre feito pelo PT para tornar o povo inteligente e reconhecido ?

    A direitona é que é extremamente burra e vive na ilusão de que é inteligente e esperta.

  259. Elias said

    Há 12 anos que o PSDB vem sendo sistematicamente surrado pelo PT nas urnas.

    O os acólitos do PSDB não param de chamar o PT de burro… Depreciando o animal que há muito se tornou o mascote honorário deles.

    Agora que o Levy foi nomeado, os tucanos vão dizer que o PT está copiando a política econômica deles.

    Já começaram a dizer isso, aliás.

    É impressionante o tamanho da imbecilidade desse pessoal!

    A manada passou anos e anos dizendo isso, e ainda pretende continuar… Não percebe que, agindo assim, o PSDB perde consistência como oposição: se a política econômica é a dos tucanos, então os tucanos estão no governo… Sem estar lá (porque são incompetentes demais pra isso!).

    Além do mais, o PT já exercitou o esporte de trancar o cofre e guardar a chave por mais tempo e com mais êxito — econômico, político e eleitoral — que o PSDB. Logo, a tal política econômica hoje seria mais do PT que do PSDB…

    Mas a verdade é que não é de um nem de outro: arrocho monetário e fiscal pra segurar inflação e encher as burras do governo é prática quase tão antiga quanto a posição de fazer cocô…

    Tanto que poucas pessoas verbalizaram tão bem sobre isso quanto Túlio Cícero, o plebeu que amava puxar o saco da aristocracia romana, e que acabou com a cabeça e as mãos espetadas numa porta do Fórum — com a língua puxada pra fora e espetada por um grampo de cabelo de Fúlvia, mulher de Marco Antônio, a quem Cícero adorava difamar (mas nem tudo o que ele dizia dela era mentira, né?).

  260. Elias said

    Patriarca,
    Ouve o som.

    De um lado, os babaquaras dizem que a política econômica agora é a deles (antes também era, lembra?). De outro,ficam profetizando uma explosão da inflação e do desemprego que não vêm, que não vêm, que não vêm, que não vêm…

    Apostaram alto no pibinho da Dilma… Não sacaram que uma coisa é um PIB que não aumenta, com desemprego de 15%… Outra, bem diferente, é um PIB também andando de lado, porém com desemprego de 6%…

    Sifu…

    Em matéria de partido de oposição, sou mais a Veja, a FSP e o Estadão.

    Já estou quase que com pena da Veja falir…

  261. Elias said

    Patriarca,
    O Pax não tem firme convicção de coisa nenhuma.

    Ele só repete o que o pessoal da festividade escreve.

  262. Elias said

    Crescimento médio do PIB por mandato presidencial:

    FHC I: 2,5%
    FHC II: 2,1%

    Lula I: 3,5%
    Lula II: 4,6%

    Dilma I: 1,6%

    Em se tratando de pibinho, o da Dilma foi só um pouquinho menor que o pibinhozinho do FHC no 2º mandato…

    Com a diferença que ela ainda tem um 2º mandato inteiro pra se recuperar, enquanto que o El Príncipe de La Bocaxoxa há muito foi pro arquivo morto, classificado como material inservível (ao contrário do Lula, o FHC não serviu pra nada nas campanhas eleitorais do partido dele, de 2002 pra cá).

    As taxas média de crescimento do PIB foram tiradas de uma série histórica, montada por Felipe Miranda, da Empiricus Research, que está à légua de distância da mais remota simpatia por Dilma e pelo PT (é o cara do “Fim do Brasil: o segundo mandato”… É, também, o analista da ADVFN, de quem eu de vez em quando falo mal, mas cujas dicas eu bem que uso, de vez em quando… Negócio é negócio! Huá! Huá! Huá! Huá!).

  263. Elias said

    Ah, sim.

    A série histórica organizada por Felipe Miranda expõe a evolução média percentual do PIB brasileiro, por Presidente da República, desde Deodoro da Fonseca até o fim do primeiro mandato de Dilma.

  264. Guatambu said

    Elias,

    Lembra q eu te perguntei do futuro do petróleo?

    Eu me referia da cotação do petróleo futuro.

    Tava lendo o infomoney esses dias, parece que bateu 71 dólares o barril…. e parece que ninguém está querendo diminuir a produção para poder retomar os preços.

    Há um break even para a exploração do pré-sal? Se 71 dólares for abaixo do break even, isso pode dar mais uma porradinha na Petrobras… aí vai ser hora boa para comprar mais!

  265. Guatambu said

    Um parênteses… não quero me meter nessa dispota de PT X PSDB, que para mim já passou do ridículo.

    Se eu encontrasse com a Dilma hoje, daria os parabéns a ela. Pelo menos há uma preocupação explícita com o mercado e com as contas públicas.

    Isso por si só já é importante, mostra que há preocupação com a credibilidade.

    No entanto, é uma pena que a equipe econômica já se prepare para botar mais impostos na bunda do brasileiro. Esse é um dos motivos pelos quais o PT pode acertar 100% da política econômica, que ainda não votaria nesse partido.

  266. Pax said

    Basta eu apontar a corrupção desenfreada do PT e sou acusado de tudo que se possa imaginar.

    Mostra como são as pessoas e as criaturas;

    Essas que amam Kátia Abreu et caterva;

    e se dizem de esquerda, probas…

    sei.

  267. Pax said

    Mas tenho convicção, sim. Do que é um partido corrupto até a medula. Do que é um político corrupto até a medula.

    E dos asseclas que apoiam essa turma.

    Ou inocentes úteis ou participantes.

    Disso não tenho menor dúvida. Ou seja, tenho convicção.

    E o PT se tornou isso, sim. Um partido corrupto até a medula, lotado de corruptos até a medula.

    Com um time de inocentes úteis, outro de “jagunços”, outro de bezerros mamões dos tais cargos em comissão, virou um lixo.

    Farinha do mesmo saco dos piores partidos que pudermos imaginar.

    Tá lá, misturadão com o PP, com o PMDB, com o PSDB, com o PSB nesse esquema de assaltar de dilapidar a maior empresa brasileira.

    Uma vergonha sem tamanho.

  268. Daise said

    DILMA: VOTAÇÃO PREMIADA

    Governo (a viuva) condiciona pagamento de emendas à flexibilização do superávit.
    Publicou no Diário Oficial da União.

  269. Daise said

    #267 Pax, o ex-anódino chutou o pau da barraca,rsrsrs

    Mas tenho convicção, sim. Do que é um partido corrupto até a medula. Do que é um político corrupto até a medula.

    E dos asseclas que apoiam essa turma.

    Ou inocentes úteis ou participantes.

    Disso não tenho menor dúvida. Ou seja, tenho convicção.

    E o PT se tornou isso, sim. Um partido corrupto até a medula, lotado de corruptos até a medula.

    Com um time de inocentes úteis, outro de “jagunços”, outro de bezerros mamões dos tais cargos em comissão, virou um lixo.

    NEM O EMBUSTEIRO LULA SE SALVA

  270. Daise said

  271. Patriarca da Paciência said

    São mesmo noviças, ou será que são velhas prostitutas tentando se passar por virgens ?

  272. Daise said

    #271 EREMILDO, O IDIOTA ( aka Tolinho da Papuda)

  273. Daise said

    DILMA: VOTAÇÃO PREMIADA

    Governo diz que dará mais verba para emendas se for aprovada meta fiscal
    Condição aparece no texto de decreto publicado no ‘Diário Oficial da União’.
    Cada parlamentar teria R$ 750 mil a mais para destinar a redutos eleitorais.

    A VIÚVA PAGA! aplaude e concorda feliz o nosso Eremildo ( aka Tolinho da Papuda) colocando as patas dianteiras no chão., abanado a cauda para o Grande Embusteiro que vem fugindo de dar testemunho à PF e calado sobre sua amante indecorosa.

  274. Daise said

    LULA O EMBUSTEIRO COVARDE E A TRAIÇÃO

    Lula foi convidado m 2013 pela PF sobre Marcos Valério…está fugindo.
    Sobre sua amante Rose…está fugindo…
    e já declarou que não irá dar depoimento à Comissão Nacional da verdade.
    pois Tuminha será um dos que submeterão perguntas… à Comissão.

    O covarde “Barba” continua com medo.
    E se a coisa apertar não hesitará em queimar a Dilma, alegando traição.

    Duvidam? Petrolão !

    Lula confiou em dilma e ela como ministra e presidente do conselho da Petrroubo …o traiu…. (enquanto ele traia a “galega” na cama do escritório da Presidência em São Paulo) com Rose…
    que o traía nas maracutaias das Agencia Reguladora.

  275. Daise said

    PT: CORRUPTO ATÉ A MEDULA ( PAX)

    Governo faz chantagem para garantir aprovação de nova manobra fiscal

    Postado:Mon, 01 Dec 2014 23:14:36 +0000
    Por Gabriel Castro, na VEJA.com:

    A troca de interesses entre o Executivo e o Congresso ganhou cores explícitas e a chancela do Diário Oficial: em ato publicado em edição extra na última sexta-feira, o governo anunciou a liberação de mais 444 milhões de reais em emendas – desde que os parlamentares aprovem a mudança na Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) que permite ao governo se livrar da meta de superávit primário prevista para 2014. A meta é a economia feita pelo governo para o pagamento dos juros da dívida. Diante do aumento dos gastos públicos em 2014, sem que houvesse também a elevação da arrecadação, o governo se encontra numa encruzilhada: se não mudar a LDO, não conseguirá cumprir a meta.

    Para conseguir mobilizar o Congresso em prol da mudança na lei, o Executivo adotou expediente controverso, que se enquadra perfeitamente na definição de ‘chantagem’. A ordem vinda do Palácio do Planalto foi promover um aumento proporcional nas emendas parlamentares: isso significa 444 milhões a mais para as emendas individuais, ou aproximadamente 750 000 reais a mais por deputado e senador. Com isso, o total previsto para 2014 passa a 9,607 milhões de reais em emendas.

    As emendas são usadas como moeda de troca porque interessa aos parlamentares realizar obras nas áreas onde têm mais votos – obtendo, assim, créditos políticos. O valor a que cada um tem direito anualmente é de 15 milhões de reais, mas o montante sempre acaba sendo cortado pelo governo. “A distribuição e a utilização do valor da ampliação a que se referem os artigos 1 e 2 deste decreto ficam condicionadas à publicação da lei resultante da aprovação do PLN 36/2014″, diz o texto publicado no Diário Oficial.

    Em resumo, é isso: se o Congresso não aprovar a manobra fiscal, os parlamentares não receberão o acréscimo nas emendas. A votação da lei que altera a LDO e, na prática, abole a meta de superávit primário está marcada para esta terça-feira.

    Manobra – A mudança proposta pelo governo no início do mês permite que sejam abatidos da meta todos os gastos com o Programa de Aceleração de Crescimento (PAC) e as desonerações de impostos concedidas à indústria. Tal manobra, feita por meio da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO), dá ao governo a chance de acumular um primário muito pequeno, ou até mesmo déficit, sem que tais números fiquem evidentes nas contas do Tesouro.

  276. Daise said

    RETRATO DO NOVO GOVERNO

  277. Pax said

    o derrotado Aécio Neves diz que perdeu para uma organização criminosa…

    cá penso se é alguma do tipo que constrói aeroportos envolvidos em transporte de pó de pirilimpimpim, esse que alguns usam para ficarem valentes e falantes.

    sei lá se o senador fala com conhecimento de causa ou não

    organização criminosa tem pra todo lado, afinal

    http://g1.globo.com/politica/noticia/2014/12/aecio-afirma-que-nao-retira-o-que-disse-sobre-organizacao-criminosa.html

  278. Patriarca da Paciência said

    O perdedor arrogante, parece até título de uma novela de Cervantes:

    http://www.brasil247.com/pt/247/midiatech/162367/DCM-A%C3%A9cio-consegue-ser-arrogante-na-derrota.htm

    “Paulo Nogueira, diretor do Diário do Centro do Mundo, critica e entrevista do senador Aécio Neves (PSDB-MG) ao jornalista Roberto D’Ávila, em que ele disse ter sido derrotado por uma “organização criminosa”; “A primeira providência para Aécio retornar ao Planeta Terra é ele entender que perdeu perdendo. Mesmo com toda a ajuda que teve da mídia, mesmo com Marina e a viúva de Eduardo Campos a seu lado, mesmo com os vazamentos seletivos da Polícia Federal – mesmo assim ele conseguiu perder”, afirma”

  279. Patriarca da Paciência said

    Paulo Nogueira

    “Há uma coisa estranha em Aécio: passado mais de um mês das eleições, ele está com um discurso de quem ganhou as eleições.

    Isso ficou claro na entrevista que ele concedeu a Roberto Risadinha d’Ávila, o homem-Caras do jornalismo brasileiro: sorrisos antes, durante e depois do programa.

    Se não se imaginasse vencedor, Aécio não diria que encarnou o “sentimento de mudança” da sociedade brasileira. Porque esta é uma coisa que só quem vence pode dizer, e com moderação – ou passará por arrogante.

    Mas Aécio é Aécio: ele consegue ser arrogante na derrota.

    Compare sua atitude com a do candidato uruguaio derrotado neste final de semana, Luis Lacalle Pou.

    Pou telefonou elegantemente a Tabaré Vázques, o vitorioso, para lhe dar os parabéns pela vitória “legítima” assim que os números mostraram que o resultado estava definido.

    Aécio não.

    Ainda agora, ele não parece ter aceitado que foi batido. “Perdi ganhando”, disse ele a d’Ávila. Dilma, segundo ele, “ganhou perdendo”. Aécio estava citando não Churchill, não Lincoln, não Napoleão, não de Gaulle. Estava citando Marina, que também reivindicou uma vitória na derrota.

    A primeira providência para Aécio retornar ao Planeta Terra é ele entender que perdeu perdendo. Mesmo com toda a ajuda que teve da mídia, mesmo com Marina e a viúva de Eduardo Campos a seu lado, mesmo com os vazamentos seletivos da Polícia Federal – mesmo assim ele conseguiu perder.

    Foi uma façanha.

    Quando puser os pés nos chãos, Aécio tem que explicar algumas coisas. O aeroporto de Cláudio, por exemplo. Para citar mais um caso, o dinheiro público que sua irmã Andrea colocou nas rádios da família quando ele era governador de Minas.

    Demagogo, no sentido clássico, é quem faz coisas na política que acusa os inimigos de fazerem.

    Aécio se queixa de ter sido “ofendido” na campanha, mas fez coisas como usar a expressão “mar de lama” para caracterizar o governo de sua adversária.

    Repetiu inúmeras vezes que Dilma estava destruindo o Brasil, se valendo para isso de pseudoestatísticas feitas para enganar os leitores.

    Luciana Genro também experimentou o veneno de Aécio durante os debates: foi chamada de “leviana” e acusada de comandar um partido que é “linha auxiliar” do PT.

    E este é o homem que se declara vítima de “desconstrução”.

    No programa de d’Ávila, o construtor Aécio chamou o PT de “organização criminosa” em duas ocasiões — sem que d’Ávila fizesse nada além de sorrir. D’Ávila reagiu como se Aécio estivesse falando sobre o tempo, ou sobre o resultado da última rodada.

    Aécio falou em “aparelhamento”, mas como governador ele aparelhou até a mídia mineira com sua política de anunciar apenas em quem não o criticasse.

    Aécio condenou o “crime de responsabilidade fiscal” cometido agora por Dilma ao tentar mudar algumas regras relativas ao orçamento.

    Mas um momento: como noticiou um insuspeito colunista do G1, FHC fez também uma gambiarra com os mesmos propósitos em 2001.

    “O Brasil acordou”, disse uma hora Aécio a d’Ávila.

    Eis uma das raras frases em que ele acertou, embora ele tenha se atrasado uma enormidade para perceber o fenômeno.

    Foi exatamente por terem acordado que os brasileiros não elegeram Aécio e tudo aquilo que ele representa.

    O final ideal para o programa teria sido uma imagem de Aécio e d´Ávila com a seguinte inscrição: “E foram felizes para sempre.”

  280. Patriarca da Paciência said

  281. Patriarca da Paciência said

    De Janio de Feitas, na Fel-lha (ver no ABC do C Af):

    O PRESENTE DE AÉCIO
    (…)
    Aécio não perdeu para um partido político. Perdeu para os eleitores, petistas, peemedebistas e nada disso, que lhe negaram o voto e o deram a Dilma. Qualquer deles agora habilitado, desde que capaz de alguma prova de sua adesão a Dilma, a mover uma ação criminal contra Aécio Neves por difamação, calúnia e injúria, e cobrar-lhe uma indenização por danos morais.
    Uma foto em manifestação, uma doação ou um serviço para a campanha, um cartaz ou um retrato na janela, uma propaganda no carro, em qualquer lugar do país podem se juntar às demais provas para dar uma resposta à acusação de Aécio Neves tão gratuitamente agressiva e tão agressivamente insultuosa.

  282. Guatambu said

    Elias,

    Lembra da pergunta que te fiz sobre o break even do pré-sal versus a queda no preço do barril de petróleo?

    Diz a Petrobras que o break even é de $50 o barril.

    O problema é que uma empresa cuja credibilidade está afetada e cuja transparência nós sabemos que passa no mínimo longe do que seria o razoável para uma empresa desse tamanho, será que investidores de longo-prazo acreditam?

    Empresas sólidas, mas de credibilidade afetada são excelentes para especular.

    Estou, modestamente, operando a Petrobras no curto prazo por enquanto… com as ações desvalorizadas e o excesso de notícias boas e ruins passando, tá uma delícia.

    Por exemplo: apesar de tudo, a Petrobras volta a fazer dinheiro com a venda de combustíveis. Olha que maravilha. Ontem caiu um pouco… talvez essa notícia faça subir um pouquinho.

    Achei q o PT fosse um partido contra a especulação.

  283. Elias said

    Guatambu,
    A ANP diz que o break é US$ 60/barril. Está em US$ 68.

    Quando o preço do barril cai, três coisas acontecem: (i) o valor de mercado da Petrobras despenca; (ii) a produção interna tende a perder viabilidade econômica (ou seja, o pré-sal deixa de ser aquele chocolate todo, empurrando o valor de mercado do petrossauro pra mais baixo, ainda); (iii) em compensação, fica mais fácil segurar o preço do combustível no mercado interno, aliviando a pressão sobre a inflação.

    Só que commodity é isso. Não sei de ninguém que seja capaz de projetar preço internacional da dita cuja com horizonte de um ano, um ano e meio. Em dezembro de 2013, o barril do petróleo estava em quase US$ 130. Menos de um ano depois, está com a cotação abaixo do que era em 2009…

    O PT não tem porra nenhuma a ver com isso! O preço internacional do petróleo é ditado pela Opep, né não? Ela decidiu manter o nível de produção, mesmo com a demanda em queda, por causa da recessão mundial. Resultado: queda do preço. Foi assim durante todo o ano de 2014. O preço do barril simplesmente despencou, revertendo a tendência de alta iniciada em 2009, e que atingiu o pico no final do ano passado.

    Por causa disso, o valor de mercado da Petrobras subiu de R$ 55 bilhões, no final do governo FHC II, pra mais de R$ 380 bilhões, no final do governo Lula II, chegando a mais de R$ 500 bilhões no meio do governo Dilma I.

    Foi o porre! Agora é a vez da ressaca…

    Mas o PT é tão culpado da recessão mundial e da decisão da Opep, quanto eu sou o cara que come a Sandra Bullock (se eu pudesse, eu capava esse fdp!).

    A Petrobras tem que fazer dinheiro com o que é o negócio dela.

    As murraças da pátria que me pariu reclamam quando os preços internos andam de lado e reclamam quando eles sobem… Qualquer discussão partidarizada é assim.

    Agora, cá pra nós: com toa a incerteza característica das commodities, tu tens mesmo alguma dúvida quanto a que a tendência futura do preço do petróleo é aumentar?

    Sério…???

  284. Elias said

    “Basta eu apontar a corrupção desenfreada do PT e sou acusado de tudo que se possa imaginar.” (Pax)

    Continuas piorando como mentiroso.

    Eu estou te acusando de CUMPLICIDADE com a corrupção, exatamente porque, segundo TUAS próprias palavras, tu NÃO ESTÁS apontando várias sacanagens de que tens conhecimento.

    Segundo TUAS palavras — não minhas! — está procedendo assim pra “proteger a fonte”, etc. e tal.

    Até tentaste te amuletar na dupla Woodward & Bernstein, fingindo esquecer a paquidérmica diferença de que os americanos não revelaram a fonte, mas revelaram a informação.

    Além de cúmplice, falso moedeiro…

    Autopiedade já é uma coisa nojenta… Quando praticada por falsos motivos, fica ainda mais repulsiva.

    …O sujeito tentando se passar por vítima, dizendo-se criticado por fazer alguma coisa, quando a crítica é pelo exato oposto, ou seja, por ele NÃO fazer o que diz que faz…

    Essa é a tua ética?

    Putz!

  285. Elias said

    Guatambu,
    Todo mundo sabe qual o lance.

    No mercado, o preço das ações das empresas grandes e sólidas — como é o caso da Petrobras — oscilam numa faixa que vai do chamado “ponto de suporte” (limite inferior) ao “ponto de ruptura” (limite superior).

    Se a cotação periga bater num ou noutro ponto, ela imediatamente inicia a trajetória no sentido oposto.

    Quando ela vai chegando ao ponto de suporte, é hora de comprar… Inversamente, comprar às proximidades do ponto de ruptura é brincar de roleta russa…

    O milagre consiste em saber onde estão os pontos de suporte e de ruptura, a cada momento, e jogar corretamente com isso… Quem não sabe, nunca acerta… Quem sabe, não ensina.

    Mas isso, definitivamente, não é papo pra mim… Infelizmente, me faltam a$ nesse$$ária$ credenciai$ para tão alta$ cavalaria$.

    Minha escala tá mais pra catar milho do que pra colheitadeira…

  286. Guatambu said

    Elias,

    O PT tem a ver com a crise de credibilidade da Petrobras, e com a abertura especulativa que isso acarreta, nem mais nem menos.

    Nem sequer faço juizo de valor sobre o aumento da especulação em cima da empresa, quem conhece um pouco, se vira e ainda ganha uns troquinhos. Pra ser sincero, nem é muito o meu caso, porque não posso ficar 100% do meu tempo acompanhando as oscilações.

    Uma crítica é sobre a especulação. Se me lembro bem, a Dilma chegou a ir até a Europa dar sermão sobre capital especulativo, blablabla…. é isso que estou questionando: ela reclama que a galera vem aqui especular, mas o que ela faz para mitigar isso? Sabendo da importância da Petrobras, deixa a parada rolar solta… agora tem que ficar gerenciando 2 coisas: a perda de credibilidade da Petrobras (e as consequências financeiras para a empresa, que sabemos que alcançam até o nível social), e um stress político desnecessário.

    E já que vc mencionou: “Mas o PT é tão culpado da recessão mundial e da decisão da Opep, quanto eu sou o cara que come a Sandra Bullock (se eu pudesse, eu capava esse fdp!)”

    Definitivamente o PT não tem nada a ver com a recessão mundial. Minha modesta opinião é que não se trata exatamente de uma recessão, trata-se de um ajuste, que está sendo realizado nos mercados futuros por conta da China, que revisou para baixo sua taxa de crescimento, mais de uma vez, impactando o valor presente de todas as commodities mundiais, e as economias de seus principais países-fornecedores (EUA e Europa).

    Até concordo: em algum momento o valor dessas commodities volta a subir, depende dos estoques e depende do resto do mundo, se eu tivesse que chutar, chutaria que depende muito mais da Europa e da Rússia, mas é impossível dizer o prazo, até porque o quadro de recessão pode efetivamente se instalar se a Europa e a Rússia não responderem com melhorias em sua economia, já que os EUA conseguiram melhorar um pouco usando o seu próprio mercado interno.

    O que o PT tem a ver é com o planejamento, e baseado no que vc diz agora, vem outra crítica.

    Tem um Ministro do Planejamento que deveria passar 6 das 8 horas de trabalho do seu dia traçando cenários, falando com economistas, entendendo o ambiente externo e o ambiente interno e suas implicações no Brasil. Esse cara, pelo jeito, não fez isso. Se tivesse feito, esse cenário de hoje deveria ter sido contemplado, e o governo estaria preparado para responder.

    Mas não me parece que o governo está preparado para responder, se tivesse mesmo, nem precisaria ter trocado todos os ministros, certo?

    E mais.

    O que me deixa mais impressionado é que, durante o primeiro governo, tudo o que se lia sobre a Dilma, é que ela era extremamente técnica e detalhista, chegando a entrar em detalhes desnecessários para a sua posição de um lado, mas que por outro era bom, mostrava auto-confiança, interesse, vontade de saber e controle.

    O que me leva a perguntar: como é que ela deixa esse tipo de coisa passar?

    Em antecipação a um eventual comentário seu sobre a era FHC ou se eventualmente o PSDB estivesse no poder: eu provavelmente estaria escrevendo o mesmo aqui, pra vc.

    As perguntas que faço são: pelo menos há alguma crítica de pessoas internas do PT sobre essa gestão? Pelo menos alguém questiona essas coisas internamente?

    PS: sobre a Sandra Bullock, fico feliz de não ter que concorrer contigo, sou mto mais a Keyra Knitley.

  287. Elias said

    Guatambu,
    Podes chamar do que tu quiseres: recessão, ajuste, crise, colégio cardinalício ou karawara-tatá-upá…

    Mas, tu achas mesmo que essa coisa aí — seja lá como chames — que colocou a economia americana andando de lado, idem a do Japão, quase detonou a União Europeia, etc., etc., etc., aconteceria sem afetar o Brasil?

    O Brasil é um exportador de commodities. A economia brasileira depende da exportação de commodities. Quem vive da exportação de commodities depende de bons ventos soprando nas economias dos compradores.

    É uma equação acaciana: quando os importadores param de importar, os exportadores param de exportar. Sem compra, não há venda. Simples assim.

    Ah, sim… O Brasil poderia depender menos das exportações. Poderia ter mais mercado interno, né?

    Pra isso, seu dotô, teria que ter mais desenvolvimento, né não? Vamunessa, então, mas… Antes, explica pra uns e outros aí, que “desenvolvimentismo” é uma palavra longa, mas não é palavrão, ao contrário do que dizem os vampiros do “mercado”, que, por sinal, não fabricam nem lâmpada queimada. Vivem de parasitar quem trabalha e produz.

    Especulação?

    Ora, Guatambu: bolsa é especulação. Foi, é, e sempre será. É da essência da bolsa. Não existe bolsa sem especulação. Com PT sem PT…

    E não dá pra perder o sono com quem perde dinheiro na especulação. Na bolsa, o dinheiro não some. Apenas muda de mãos. Quando alguém perde, é porque um outro alguém ganha. Perdeu? F… -se!

    Não vamos nos fingir de bobinhos, ceguinhos e burrinhos, feito o Pax.

    Até as pedras sabem que o atual ataque especulativo em cima da Petrobras tem uma causa: pré-sal! E um objetivo: privatização!

    O pré-sal vai continuar, a menos que o preço do barril continue caindo até chegar a US$ 30 ou US$ 40. E mesmo que essa queda aconteça, será um voo de galinha. Nem é preciso ter bola de cristal pra saber que, cedo ou tarde, esse preço vai subir, até porque petróleo é uma fonte de energia em extinção, para a qual, até o momento, o planeta ainda não arranjou um substitutivo digno desse nome. Não tem saída: vai ficar cada vez mais caro.

    A turminha tá pau da vida porque, por um momento, a vitória do Aécio foi tida como certa, e, por um momento, a coisa pareceu estar ao alcance da mão.

    Deu no que deu.

    E o FHC também não tem nada com isso. O tempo dele já passou. Acabou! Nem o PSDB dá mais a mínima pro que diz El Principe Labioso FH de el C de Si Mismo. O encarregado do patrimônio do PSDB já deveria ter atualizado o registro do FHC, dando baixa por inservibilidade e desuso. No máximo, dá pra conservar o Boca Mole em naftalina, no quarto dos fundos.

  288. Elias said

    Guatambu,

    Dia desses eu vi a Sandra Bullock no programa do Jonathan Ross.

    Ela tá no auge, cara! Melhor do que aquilo, duvido que ela consiga ficar.

    Ela se pôs a dizer que contrabandeia linguiça da Alemanha (terra de origem da família dela), pros EUA.

    O entrevistador — no melhor estilo do doentio humor inglês — começou a falar sobre linguiças com evidente duplo sentido… Pura sacanagem! E a sacana encarou!

    Ou seja: além de belíssima, rica, gostosa e inteligente, a sacana ainda é sacana… Pra quê mais?

  289. Guatambu said

    Elias,

    Pois fale isso à senhora Dilma… ela que pelo jeito andou perdendo o sono com o mercado, tendo ido até a Europa para dar liçãozinha de moral em especulador!

    Enquanto isso, a lição de casa dela, que é bom, pelo jeito, ela não fez. Agora a especulação bate à porta dela e ela tem que dar aquele sorrisinho amarelo. Aquele mesmo que ela dá quando a galera vaia ela e ela replica: “é da democracia”.

    Mas dessa vez acho que ela vai sorrir amarelo e dizer: “é do mercado”. Pois é…

    E o desenvolvimentismo foi parar aonde? Eu não vi… mercado interno? Eu não vi…

    Agora ela tem que botar o rabo entre as pernas, tirar todo mundo dos ministérios que ela mesma escolheu e botar a uma galera novinha em folha pra dar aquela embelezada, né?… Passar batom na porca (a economia brasileira), pra ver se a galera compra.

    Daí, quem sabe, com algum dinheiro, pode aparecer o tal do desenvolvimentismo… o que eu acho um tanto difícil quando ela nomeia um cara que tem o apelido de “mãos de tesoura” para o Ministério da Fazenda.

    Não é à toa que o Pax reclama. Ele vê incoerência… sei lá, ele deve achar que a Dilma vai acabar com o Pronatec, o Prouni, o Mais Médicos, o Mais Índios, o MST, o MTST, o escambau.

    Eu encaro isso como aprendizado… na marra. Mas eu acho bom.

    Espero que a Dilma efetivamente passe a faca no Estado, faça esse bando de inútil trabalhar pra mostrar que ainda resta alguma credibilidade do Estado pra promover o tal desenvolvimentismo sem precisar molhar a mão de todo mundo pra isso. Tomara que ela também se mantenha firme na posição (epa!) que diz adotar de combate a corrupção, e por aí vai.

    Aí nem vai precisar vender a Petrossauro.

    Aí vai ser lindo. E se ela conseguir manter o mesmo expediente pelos 4 anos, aí ela vai poder se orgulhar de ter sido uma pioneira na política: de ter botado o Estado para trabalhar pro Brasil, e não pra si mesmo.

    Mas esse caminho de flexibilizar meta orçamentária… de “pagar” 700 mil reais pra galera esquecer que déficit existe… aí não, né? Aí é contra-mão…

  290. Guatambu said

    Elias,

    Não desmereço nem a beleza, nem a riqueza, nem a inteligência e muito menos a safadeza da Sandra Bullock…

    Quantos anos ela tem? Já passa dos 40, não? Isso, em si pode ser um atrativo a mais!

    Eu não acompanho a Keyra Knightley nesse nível de detalhe… só pelos filmes que faz. E pelos papeis que ela escolhe, se vê que ela não é incompetente (em todos os sentidos).

    Além disso, a Keyra não é gostosa, mas eu gosto assim, magrinha. Meu lema sempre foi: filé mignon o ca#!@#, eu gosto é de costela.

  291. Daise said

    #284 PAX MENTIROSO ???

    O badass acusou o Pax de várias coisas entre as quais o de ser mentiroso!

    Nunca antes neste blog ocorreu algo parecido, sem ser punido com a censura e/ou o banimento.

    Acho que o badass quer ser censurado e/ou banido.rsrsrsr

    A vitória da dilma subiu-lhe à cabeça.

  292. Daise said

    P.R. COSTA SE DECLARA ENOJADO POR SER CORRUPTO E TER RECEBIDO 23 MILHÕES DE DÓLARES NA SUIÇA…rsrsrs

    MAS…confirma que dima ( lula) sabiam da maracutaias….e nada fizeram.

    Costa afirma na CPI que e-mail sobre irregularidades foi pedido por Dilma

    http://josiasdesouza.blogosfera.uol.com.br/2014/12/02/costa-afirma-na-cpi-que-e-mail-sobre-irregularidades-foi-pedido-por-dilma/

  293. Daise said

    A VEJA NÃO ERRA UMA…rsrsrs
    A ministra chefe da cas civil e o presidente da república…sabiam!

  294. Daise said

    Dilma se complica a cada depoimento na CPMI

    ‘Processo estava me enojando’, diz o ex-diretor da Petrobras sobre propina
    GABRIEL MASCARENHAS
    DE BRASÍLIA

    02/12/2014 16h34 – Atualizado às 18h17

    Na a acareação com o ex-diretor de Internacional da Petrobras Nestor Cerveró, nesta terça-feira (2), o ex-diretor de Abastecimento Paulo Roberto Costa afirmou à CPI mista da Petrobras que, em dado momento, passou a sentir nojo.

    Durante o encontro, Costa falou sobre um e-mail enviado à Casa Civil, em 2009. A mensagem elencava questionamento feitos pelo TCU (Tribunal de Contas da União) a empreendimentos da estatal.

    À época, Costa ocupava o alto escalão da empresa e a presidente Dilma Rousseff era ministra da Casa Civil, além de ocupar a presidência do conselho de administração da estatal.

    Acareação na CPI da Petrobrás

    À CPI Costa negou que o envio do e-mail foi motivado por interesses escusos ou porque pedia interferência do Executivo.

    “Nessa época, eu já estava enojado. Aquele processo estava me enojando. (O objetivo) foi alertar que estávamos com problemas”, justificou.

    Costa disse ainda que havia sido orientado pela própria Casa Civil a comunicar o ministério sobre a situação das obras.

    Acrescentou ainda que o então presidente da Petrobras, Sérgio Gabrielli, tinha conhecimento da demanda.

    PASADENA

    Paulo Roberto Costa afirmou que a compra da refinaria de Pasadena foi responsabilidade do conselho de administração da Petrobras, do qual a atual presidente Dilma Rousseff era presidente.

    Reforçando o que acabara de dizer Nestor Cerveró, Costa disse que a aquisição da refinaria constava no planejamento estratégico da companhia.

    Esclareceu, porém, que a decisão final cabe ao colegiado da estatal: “A responsabilidade por comprar um ativo como aquele é 100% do conselho de administração. Eximi-lo é um erro”, afirmou.

    ‘EU SAÍ’

    O deputado Onyx Lorenzoni (DEM-RS) perguntou o que significava estar enojado, já que Paulo Roberto Costa era parte integrante do esquema de corrupção.

    “Quando você está num processo desse, você entra e não tem como sair. É muito complicado. Eu saí, entreguei carta de demissão porque processo continuava”, explicou.

    Enquanto Paulo Roberto Costa surpreende, respondendo a perguntas dos parlamentares, Cerveró praticamente repetiu as versões que deu à CPI em setembro, quando prestou depoimento.

    Disse que não tinha conhecimento da existência de cartel, superfaturamento e pagamento de propina dentro da estatal.

    Voltou a afirmar que não chegou ao alto escalão por indicação política.

    Ao falar sobre os custos de sua defesa, Cerveró confirmou que cabem à Petrobras. Argumentou que todos os diretores têm direito.

    Segundo Cerveró, porém, como se trata de um seguro, caso condenado, o diretor é obrigado a ressarcir a companhia.

    Nesse momento, os parlamentares perguntaram se Paulo Roberto Costa também recorreu ao benefício para bancar seus advogados.

    “A defesa de Paulo Roberto Costa quem está pagando é Paulo Roberto Costa, com muito sacrifício”, informou o ex-diretor, referindo-se a si próprio na terceira pessoa.

    ‘DEZENAS’

    Já com a sessão próxima do fim, o deputado Enio Bacci (PDT-RS), autor do requerimento que determinou a acareação, pediu a palavra.

    Bacci disse que estava se despedindo, pois foi eleito deputado estadual e não deverá voltar à Brasília.

    O deputado elogiou a decisão de Paulo Roberto Costa em falar à comissão e fez um pedido: “O senhor pode me dar a alegria de dizer quantos políticos foram citados na delação”.

    Costa, rindo, respondeu: “Algumas dezenas”.

    ____

    Logo teremos Erenice Guerra ….a CPMI, sem poder mentir!

  295. Daise said

    POLICIA DO LEGISLATIVO ( CONGRESSO) VIOLENTANDO LIBERDADES INDIVIDUAIS DOS CIDADÃOS .

    ORDEM DE RENAN AVACALHEIROS, ALIADO DE dilma

  296. Daise said

    #295

    POLICIA DO LEGISLATIVO ( CONGRESSO) VIOLENTANDO LIBERDADES INDIVIDUAIS DOS CIDADÃOS .

    A violentada, uma black block de 79 anos que estava exercendo seu direito de discordar na galeria do CONGRESSO sem quebrar vitrines ou bens públicos.

    E aií Pax? Tolinho da Papuda ou badass…algo a comentar ???

    Coniventes e mentirosos?

  297. Daise said

    FHC x lula …

    perceberam a diferença?

    FHC diz que ‘agora sabe’ de onde veio o dinheiro que financiou PT na eleição
    DANIELA LIMA
    DE SÃO PAULO

    02/12/2014 20h59
    O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso disse nesta terça-feira (2) que “agora a gente sabe de onde vem” o dinheiro que financiou a “máquina” petista na última eleição presidencial. A afirmação foi feita após palestra de convidados do instituto que carrega o nome de FHC, no início desta noite, na capital paulista.

    O tucano ouviu os dois palestrantes convidados e, ao final, falou rapidamente sobre as dificuldades que avalia que o governo Dilma Rousseff (PT) vai enfrentar no novo mandato, entre elas o escândalo de corrupção na Petrobras.

    O tom da crítica do ex-presidente vai ao encontro a polêmica avaliação feita pelo senador Aécio Neves (PSDB-MG) que disputou o Planalto contra Dilma. Em entrevista ao jornalista Roberto Dávila, da Globo News, Aécio disse não ter perdido para um partido político, mas para uma “organização criminosa”, em referência à suposta ligação de petistas e pessoas ligadas à base do governo com os desvios na maior estatal do país.

    Numa rápida avaliação sobre o resultado da última disputa, FHC disse que o resultado obtido por Aécio, quase 49% dos votos válidos, foi “excepcional” e completou: “Foi excepcional chegar tão longo, especialmente disputando contra uma máquina que tem tanto dinheiro, e que agora a gente sabe de onde vem”. O ex-presidente referia-se à suposta propina que teria abastecido as campanhas do PT, PMDB e PP, paga por empresas que contratam com a Petrobras.

    Para o ex-presidente, a situação da presidente reeleita é “muito dura”. “Seria dura para qualquer um e ainda mais para uma pessoa que sabidamente não tem a paciência de escutar”, avaliou.

    O ex-presidente disse não torcer por uma crise, mas afirmou que existem muitos “fios desencapados” no caminho da próxima gestão, entre eles o cenário de desgaste da economia internacional, que se agravou nas últimas semanas, a necessidade de um ajuste fiscal para reequilibrar as contas brasileiras e a instabilidade política no Congresso, motivada também pelo desencadeamento da operação Lava Jato, que investiga a Petrobras.

    Para FHC, será preciso que Dilma, ou alguém muito próximo a ela, mostre uma grande capacidade de liderança política. “Tomara que o Levy (Joaquim Levy, economista anunciado como novo ministro da Fazenda) suba e se mostre um grande líder, ou que Dilma se transforme em uma dama de ferro. (…) Isso [o cenário que se desenha] não se resolve tecnicamente. Se resolve politicamente”, concluiu.

    FHC falou a cerca de 100 convidados após palestra do economista José Roberto Mendonça de Barros e do jornalista Fernando Rodrigues.

  298. Daise said

    Adiada votação no Congresso da manobra fiscal após socos e gritaria

    MÁRCIO FALCÃO
    SOFIA FERNANDES
    DE BRASÍLIA
    02/12/2014 20h42 – Atualizado às 22h37

    Apesar de ter negociado liberação de recursos e montado uma força-tarefa para garantir apoio dos aliados, o governo sofreu nesta terça-feira uma nova derrota na tentativa de aprovar a manobra fiscal para fechar as contas deste ano. O motivo: o plenário do Congresso se transformou num ringue.

    A sessão foi marcada pela violência da Polícia Legislativa contra manifestantes que ocupavam as galerias do plenário e parlamentares da oposição que saíram em sua defesa.

    A confusão começou logo no início dos trabalhos, quando a oposição tentava liberar o acesso dos mais de 200 manifestantes que pediam para acompanhar a votação. Foi autorizada a entrada de 50 pessoas na parte superior do plenário.

    Em meio à ofensiva da oposição para adiar a análise do projeto de lei que permite ao governo descumprir a meta de economia para pagamento de juros da dívida pública em 2014, o chamado superavit primário, parlamentares da base aliada começaram a reclamar do protesto que contava com gritos de “fora PT”, “o PT roubou” e “vá para Cuba”.

    A temperatura aumentou quando a deputada Jandira Feghali (PCdoB-RJ) disse que a senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM), que discursava na tribuna, foi chamada de “vagabunda”. O presidente do Congresso, Renan Calheiros (PMDB-AL), decidiu suspender a sessão para a retirada dos manifestantes.

    Um grupo de 15 deputados da oposição decidiu impedir a saída e foram para as galerias fazer um cordão de isolamento. Mesmo assim, a Polícia Legislativa partiu para cima, com empurrões e truculência. Uma senhora de 79 anos, Ruth Gomes de Sá, ligada ao PSDB, levou uma gravata de um segurança.

    Um agente chegou a atingir o professor de história Alexandre Seltz com uma taser –arma que dispara cargas elétricas. Ele desmaiou por alguns segundos e foi carregado por parlamentares. No tumulto, o deputado Mendonça Filho (DEM-PE) chegou a rolar nas escadas.

    Ao longo de mais de uma hora, os manifestantes gritavam “fora Renan” e “o Congresso é um curral”, além de ataques ao governo. Ele se identificaram como integrantes do “Movimento Brasil Livre e Democracia Já”, com caravanas de São Paulo, Pernambuco, Distrito Federal, entre outros.

    Eles reconheceram que foram mobilizados por parlamentares oposicionistas.

    A confusão se estendeu ao plenário, de onde boa parte dos congressistas assistia à confusão, quando o deputado Felipe Maia (DEM-RN) foi “peitado” pelo colega Assis Melo (PCdoB-RS), que defendia a senadora Vanessa Grazziotin.

    Aos gritos, o deputado Amauri Teixeira (PT-BA) chegou a chamar o colega Domingos Sávio (PSDB – MG) de “seu merda”.

    Com o impasse, Renan encerrou a sessão e convocou uma nova votação para esta quarta-feira. O novo adiamento colocou o governo em situação de alerta. Os trabalhos do Congresso se encerram em 20 dias.

    Antes de analisar a manobra fiscal, deputados e senadores terão que deliberar sobre vetos presidenciais. O comando da Casa decidiu que, antes do projeto que libera o governo de cumprir a meta de superavit, terão que ser contabilizados os votos dos vetos. A oposição vai tentar usar manobras regimentais para prolongar essas votações.

    O presidente do Senado disse que a oposição instrumentalizou os manifestantes. “Esse é um caso único na história do Congresso Nacional, com 26 pessoas, presumivelmente assalariadas, obstruindo os trabalhos da Casa. 26 pessoas instrumentalizadas, provocando o Congresso, tumultuando, não dá para trabalhar e conduzir uma sessão desta forma”, afirmou o peemedebista.

    O presidente do PSDB, senador Aécio Neves (MG), rebateu o presidente do Senado. “Isso é uma bobagem, é mais um equívoco. A população brasileira acordou. As pessoas estão participando do que está acontecendo no Brasil. E algumas querem vir [ao Congresso]. Nós vamos fechar as galerias?”, questionou.

    A oposição anunciou nesta terça-feira que irá ao STF (Supremo Tribunal Federal) para suspender o decreto no qual o governo promete a liberação de R$ 444 milhões para verbas de congressistas para seus redutos eleitorais, caso a manobra seja aprovada.

    ———————————–

    E aií Pax? Tolinho da Papuda ou badass…algo a comentar ???

    Pax vc é mentiroso?

  299. Pax said

    http://g1.globo.com/politica/operacao-lava-jato/noticia/2014/12/costa-diz-em-acareacao-que-nao-respondera-perguntas-da-cpi.html

    precisa dizer mais nada, é na BR, é em tudo que rola, segundo o cara indicado pelo líder para “atuar” em nome do povo, digo, do PT.

  300. Pax said

    triste com o caso do Idelber…. muito triste.

    ainda esperando o contraditório.

    tomara que seja consistente. torço por isso.

  301. Patriarca da Paciência said

    PSDB BANCOU BADERNA NO CONGRESSO? AÉCIO NEGA
    “Se amanhã você abrir as portas da galeria, você vai ter centenas de pessoas querendo participar. A população brasileira acordou”, disse ele; ontem sessão que votaria o novo cálculo fiscal foi adiada depois que manifestantes insultaram parlamentares; “Esse caso é único na história do Congresso Nacional, 26 pessoas presumivelmente assalariadas obstruíram os trabalhos”, afirmou o senador Renan Calheiros (PMDB-AL), dizendo ainda que a convocação foi feita pelo deputado Izalci Lucas (PSDB-DF)

    http://www.brasil247.com/pt/247/brasilia247/162489/PSDB-bancou-baderna-no-Congresso-A%C3%A9cio-nega.htm

    Vinte e seis pessoas. Provavelmente assalariados ! E ainda tem cara de pau dizendo que “o povo brasileira estava protestando”.

    Povo brasileiro ?

    O que o povo brasileiro tem a ver com esses “soldados pagos” ?

    Até aquela coitada da “veinha” que “levou uma gravata”. ! Coitada ! Vai direto para a UTI !

    É o total desespero da “oposição”.

    Não conseguem ganhar no voto… quer ganhar no grito !

    Mas até o Direito Romano já reconhecia o “direito de espernear”.

    É a esperneação geral da oposição !

  302. Patriarca da Paciência said

    E o ladrão de carreira, Paulo Roberto Costa, falou ontem na CPI que a corrupção no Brasil acontece em todos os lugares, em todos os partidos e em todos os níveis. Quem é do ramo deve falar com conhecimento de causa !

  303. Elias said

    Ihh…!

    Do MSN Notícias.

    ==================================================
    “O Brasil ficou na 69ª posição, com 43 pontos, do ranking global da ONG Transparência Internacional (TI), que analisa a percepção da corrupção em 175 países em uma escala de 0 (extremamente corrupto) a 100 (muito transparente) e foi divulgado nesta quarta-feira. Em 2013, país ocupava o 72º lugar.

    O Brasil divide a 69ª colocação com outros seis países: Bulgária, Grécia, Itália, Romênia, Senegal e Suazilândia.

    A nova edição do Índice de Percepção da Corrupção da TI, considerado um referencial na luta contra os crimes financeiros, coloca novamente Dinamarca, Nova Zelândia e Finlândia com as melhores notas globais, enquanto os piores colocados foram Somália, Coreia do Norte e Sudão.

    Em relação à América Latina, Uruguai e Chile foram os melhores colocados, na 21ª posição com 73 pontos, seguidos por Porto Rico (31º – 63 pontos) e Costa Rica (47º – 54 pontos).

    Na sequência ficaram Cuba (63º – 46 pontos), Brasil (69º – 43 pontos), El Salvador (80º – 39 pontos), Peru (85º – 38 pontos), Colômbia e Panamá (94º – 37 pontos), Bolívia e México (103º – 35 pontos) e Argentina (107º – 34 pontos).

    Os países latino-americanos com pior desempenho foram Paraguai (150º – 24 pontos) e Venezuela (161º – 19 pontos).

    O índice anual da TI, que mede a percepção da corrupção no setor público de cada país através de vários estudos comparativos, destaca que o 69% dos países analisados tiveram pontuação inferior a 50 (58% dentro do G20) e que a média mundial é de 43 pontos.

    Dinamarca, com 92 pontos, Nova Zelândia (91), Finlândia (89), Suécia (87) e Noruega (86) lideram a classificação, com variações pequenas em relação às últimas edições.

    De maneira similar, apenas com pequenas oscilações, na parte inferior do ranking continuam Somália e Coreia do Norte, ambos com oito pontos, seguidos por Sudão (11), Afeganistão (12) e Sudão do Sul (15).

    O relatório também ordena as regiões em ordem decrescente de transparência, situando em primeiro lugar a Europa Ocidental (66 pontos), seguida pelas Américas (45), Ásia-Pacífico (43), Oriente Médio e Norte da África (38), Europa Oriental e Ásia Central (33) e África Subsaariana (33).”
    ===================================================

    E o Brasil melhorou de posiçãona “Era Dilma”!

    Ah, já sei: a TI é uma organização comunista, que faz parte do Foro SP!

    Nada não, mas… Essa notícia me fez lembrar dos tempos de Sua Majestade Imperial Labiosa e Bocaxoxa FH do C Dele, quando o Brasil fazia dobradinha com a progressista República de Garrotal de Mierda, lá pela septuagésima não sei o quê colocação do ranking da TI….

    Bem, com FH e seu (dele) C agora fazendo parte do arquivo morto do PSDB, seção “Trastes Inservíveis em Desuso”, já não há muito o que dizer dele…

    …Embora sempre haja muito o que não ouvir ou ignorar, pois o velho catraca solta ainda não sacou que já morreu…

  304. Elias said

    Parece que vão rolar, mesmo, uns processinhos contra o Aécio.

    Danos morais, injúria, calúnia… Por aí.

    Tomara que seja verdade. Uns 100 mil processos lhe cairiam bem…

    Aécio é um caso extremado do cara cujo fracasso lhe sobe à cabeça, e ele passa a agir como um bostinha que se acha grande merda…

    Não tem aquela máxima: “Quem sai aos seus não degenera”?

    Pois é… Imaginem o Tancredo falando essas bosteiras do Aécio…

    Degenerou, né?

  305. Guatambu said

    Dilma e o mercado

    Íntegra da carta enviada pela Dilma ao evento do JP Morgan.

    Ela não foi, enviou a cartinha. Na cartinha ela diz que vai tratar o mercado com carinho, como era de se esperar.

    “Mensagem da Presidenta da República, Dilma Rousseff, por ocasião da Brazil Opportunities Conference

    Brasília, 02 de dezembro de 2014

    A economia brasileira passa por um momento de transição, no qual ainda sofremos os efeitos externos do lento crescimento mundial – inclusive, a redução dos preços das commodities.

    Apesar desse cenário, temos conseguido manter a inflação dentro do intervalo estabelecido pelo governo, bem como temos sustentado uma baixa taxa de desemprego.

    O crescimento da economia tem estado abaixo do que todos nós esperávamos no início do ano – tanto no governo quanto no mercado – e isso tem se traduzido num desempenho fiscal menor do que o previsto.

    Para os próximos anos, nossa prioridade é recuperar a capacidade de crescimento da economia, com controle rigoroso da inflação e fortalecimento das contas públicas e, assim, garantirmos o emprego e a renda.

    A nova equipe econômica trabalhará em medidas de elevação gradual, mas estrutural, do resultado primário da União, de modo a estabilizar e depois reduzir a dívida bruta do setor público em relação ao PIB.

    Também continuaremos a melhorar nossa política de aumento do investimento e de produtividade do trabalho, pois é isso que sustenta um crescimento mais rápido do PIB e dos salários reais, com estabilidade macroeconômica.

    As iniciativas em análise envolvem tanto reformas do lado fiscal, para adequar a taxa de crescimento do gasto público ao crescimento da economia, quanto maior desenvolvimento financeiro, com aumento da participação de fontes privadas no financiamento de longo prazo, em especial, da infraestrutura.

    Olhando para 2015 e além, contamos com a participação do mercado na construção de um novo ciclo de desenvolvimento da economia brasileira, em que pretendemos continuar nossa política de inclusão social e geração de igualdade de oportunidades para todos os brasileiros e brasileiras. Para isso, a profundidade, a diversidade e a qualidade regulatória do nosso mercado financeiro terão um papel cada vez mais relevante.

    Felicitamos, portanto, o JP Morgan por essa ocasião de promover o diálogo do Brasil com os investidores internacionais e desejamos grande sucesso para cada um dos presentes.

    Dilma Rousseff

    Presidenta da República Federativa do Brasil”

  306. Guatambu said

    Interessante um pequeno artigo no Valor sobre a Espanha.

    A Espanha estava em frangalhos, com déficit público, crescimento do PIB negativo e alto endividamento.

    Em 2012 eles fizeram uma sério de reformas, das quais se destaca a reforma trabalhista, em que consistiu basicamente de:

    – redução de salários
    – aposentadorias e custos trabalhistas
    – favoreceu demissões
    – favoreceu a contratação por tempo determinado

    Isso permitiu que a indústria espanhola ajustasse o seu custo à sua demanda.

    Agora a economia melhora, com consistência. Infelizmente, agora que a Espanha conseguiu virar, o resto da Europa tá à meia bomba… (a Europa é o maior alvo da indústria espanhola, é para lá que a Espanha exporta).

    Os reflexos no desemprego ainda não são sensíveis, passou de 23% para 22% e qualquer coisa.

    Isso deveria ensinar uma lição ao Brasil, especialmente ao Ministério do Planejamento.

    Volto a perguntar: será que o Ministério do Planejamento está olhando demanda, custo e oferta? Será que esse ministério parou para dar uma estudada no que está acontecendo com o assistencialismo europeu?

  307. Jose Mario HRP said

    http://www.brasil247.com/pt/247/brasil/162504/Delação-de-Barusco-abre-novas-frentes-de-investigação.htm

  308. Guatambu said

    Errata:

    O desemprego está em 23% e qualquer coisa, e os espanhois projetam para 22% em 2015.

    É pouco. Mas a equipe econômica espanhola diz 2 verdades (diferente da equipe econômica brasileira, que fica inventando moda):

    1. O desemprego espanhol chegou a 26%. De 26% para 23% é uma melhora significativa. E olha que o ministro não fica choramingando que o mundo não cresce, que a culpa é do mundo, que o mundo isso, que o mundo aquilo…

    2. O ministro projeta o desemprego para 2015 para 22%. Que diferença, né?! Se fosse o Guido Mantega, ele teria projetado para 15%, depois ficaria inventando desculpa esfarrapada.

    Além disso, o governo espanhol estuda fazer parcerias com países da América Latina, qual seja, trazer empresas espanholas para cá. Se o Brasil fosse esperto, em vez de investir em Cuba, teria investido na Espanha. Mas o planejamento brasileiro é o que é, né?…

    Resultado: a bolsa espanhola cresceu mais de 40% nos últimos anos, a economia espanhola se virou do mercado interno para o mercado externo e agora o governo pode projetar um futuro para sua população.

    Diferente do Brasil, que diz que sua população inteira está a mercê de um mercado externo.

    Mas acho que a Dilma vai mudar isso: agora ela vai botar o Estado brasileiro para fazer o que nunca fez na vida, vai botar pra trabalhar.

  309. Patriarca da Paciência said

    “Sem votos para impedir uma provável vitória do governo na proposta de eliminar o superávit primário nas contas de 2014, a oposição produziu ontem uma cena preocupante do ponto de vista da democracia”, diz o jornalista Paulo Moreira Leite, diretor do 247, em Brasília; de acordo com PML, a oposição mobilizou “arruaceiros para impedir o Congresso de exercer sua soberania para debater e votar proposta de Dilma sobre orçamento”; na prática, tentativas de cassar prerrogativas do Legislativo lembram golpes de Estado e assaltos fascistas ao poder; PML condenou também a atitude de Aécio Neves, que, segundo ele, se afastou das instituições democráticas.
    http://www.brasil247.com/…/PML-denuncia-atentado-da-oposi%C…

  310. Elias said

    “…precisa dizer mais nada, é na BR, é em tudo que rola, segundo o cara indicado pelo líder para “atuar” em nome do povo, digo, do PT.” (Pax)

    Neo militante da fireita é doda!

    Como “não precisa” dizer mais nada, Currupaxpapaco?

    O que tu sabes, do que ele disse?

    Ele NÃO PODE dizer, na CPI, nada do que ele disse no acordo de leniência, Currupax. As declarações feitas no acordo de leniência só podem ser divulgadas DEPOIS de atestada sua veracidade. No frigir dos ovos, só farão parte do acordo as declarações de comprovada veracidade. E só podem ser divulgadas pelos órgãos com os quais o malfeitor fez acordo de leniência.

    Isso que está acontecendo atualmente (e que aconteceu, principalmente, no período eleitoral), é ilegal.

    Por lei, as declarações do delator só podem ser divulgadas pelos órgãos com os quais ele fez acordo de leniência, e DEPOIS de comprovada sua veracidade.

    A divulgação antecipada, sem comprovação de veracidade, é crime, Currupax. Ela foi feita com propósitos político-partidários… Eleitorais… Coisa pra enganar trouxa!

    A simples declaração do delator não é prova de nada, até porque o status dele é o de um criminoso — alguém que cruzou a linha da legalidade — e, por isso, a priori, é indigno de crédito. O que o diferencia é o fato dele ser um delinquente que, no interesse de obter punições mais brandas, se dispõe a delatar outros malfeitores aos quais ele se associou, no cometimento de ilícitos penais.

    Vale dizer: ele é parte interessada, o que, em princípio, torna suspeitas todas as suas afirmações, já que elas são feitas com o expresso e declarado propósito de obter benefício pessoal. Daí porque cada uma delas necessita ter demonstrada sua veracidade, sem sombra de dúvida, para que passe a fazer parte do acordo.

    Claro que ele precisa dizer tudo o que ele sabe, o que fez, com quem e pra quem fez. Só precisa ser verdade. E, sendo verdade, o que ele disser deve ser dado à conhecer à sociedade.

    Assim como o que ele disser, e não for verdade, também deve ser divulgado como tal, a fim de que se saiba a quem aproveita (ou a quem aproveitou) as mentiras que ele falou… “Qui prodest?”…

    E é pura ingenuidade ou má fé tua, escrever como se políticos do PT fossem os únicos — e, até mesmo, os principais — beneficiários desse esquemão.

    Vais acabar mordendo a língua, ou metendo teus dedos em algum buraco da tua anatomia…

    Lembra que está correndo outra investigação por dentro da própria Petrobrás. E essa, está comprovando tudo o que apura…

    De repente, isso pode ir mais longe do que alguns gostariam… De repente, vai que o Petrossauro ajudou a bancar o Malaquias da EC da reeleição e o Malaquias ainda mais fornido da privatização… (Pra quem não sabe “Malaquias” é o homem da mala. O cara que chega com uma mala cheia de dinheiro vivo pra dar a alguém, porque é dando que se recebe).

    Ainda não entendeste, Currupaxpapaco?

    Não?

    Putz!

  311. Patriarca da Paciência said

    Guatambu:

    “1. O desemprego espanhol chegou a 26%. De 26% para 23% é uma melhora significativa. E olha que o ministro não fica choramingando que o mundo não cresce, que a culpa é do mundo, que o mundo isso, que o mundo aquilo…

    2. O ministro projeta o desemprego para 2015 para 22%. Que diferença, né?! Se fosse o Guido Mantega, ele teria projetado para 15%, depois ficaria inventando desculpa esfarrapada.

    Além disso, o governo espanhol estuda fazer parcerias com países da América Latina, qual seja, trazer empresas espanholas para cá. Se o Brasil fosse esperto, em vez de investir em Cuba, teria investido na Espanha. Mas o planejamento brasileiro é o que é, né?…

    Resultado: a bolsa espanhola cresceu mais de 40% nos últimos anos, a economia espanhola se virou do mercado interno para o mercado externo e agora o governo pode projetar um futuro para sua população.

    Diferente do Brasil, que diz que sua população inteira está a mercê de um mercado externo.

    Mas acho que a Dilma vai mudar isso: agora ela vai botar o Estado brasileiro para fazer o que nunca fez na vida, vai botar pra trabalhar.”

    Realmente é um ponto de vista espantoso !

    Quase um quarto da população sem trabalho e é o Brasil que não trabalha ?

    Olha que a Espanha já vai para quase uma década nessa toada !

    O PIB espanhol, que já foi maior que o brasileiro, no tempo do FHC, agora é pouco mais da metade !

    E é a Espanha que está no caminho certo ?

    Caramba ! Como diz o Aécio, o perdedor arrogante, “é assusatandor”.

  312. Elias said

    Guatambu,

    O desemprego brasileiro é infinitamente inferior ao Espanhol. O nosso é pouco mais de 6%.

    Mas o fato é que comparar taxas de desemprego de um país como o Brasil, com as de um país da Zona do Euro é pura demência.

    Em primeiro lugar, no Brasil, mais da metade da mão-de-obra ocupada não tem vínculo formal. Não tem nenhum direito trabalhista ou previdenciário (salvo os poucos que recolhem previdência como autônomos).

    Queres reduzir os direitos desse pessoal? Que direitos, Guatambu.

    Na Espanha o papo é outro. Lá quase tudo é formal. Pra tu cobrares por uma palestra, tens que ser sindicalizado. O custo de tributos sobre folha de pagamento é altíssimo, mesmo com as reduções recentemente aprovadas. “Custo Brasil” é fichinha…

    Só pra teres uma ideia: a taxa de seguro de acidente do trabalho na Espanha, pode chegar a 16% sobre a folha, a depender da empresa. No Brasil, é de, no máximo,3%, se a empresa for classificada de alto risco.

    Na Espanha, quem faz a liquidação dos acidentes do trabalho e doenças profissionais são as mútuas, que dão atendimento de Primeiro Mundo.

    Mais ou menos sei como é, porque estive lá, quando o governo federal mandou ao Congresso um projeto de lei do então Ministro da Previdência, Reinhold Stephannes (é assim qie se escreve?) instituindo o sistema de mútuas de acidentes do trabalho no Brasil, e a entidade onde eu trabalhava cogitou a possibilidade de criar uma mútua, em associação com mútuas espanholas, e/ou italianas, e/ou alemãs (as mútuas de acidentes do trabalho foram criadas por Bismarck, no Século XIX… O projeto de lei de Stephannes vaga como um fantasma pela burocracia do Congresso,desde 1998… E até hoje essa “novidade” não chegou ao Brasil).

    No Brasil, quem liquida são as próprias empresas, se o acidente ou a doença do trabalho liquidarem em até 15 dias (o que tira da conversa mais de 75% dos eventos). Daí pra frente… SUS, ou plano de saúde (pra quem tem plano)… O Seguro de Acidente do Trabalho (SAT) banca, apenas, os processos de reabilitação… E olhe lá!

    Foi por causa disso que o Brasil “deixou” de ser o campeão mundial de acidentes do trabalho, com mais de um milhão de eventos/ano. É que, antes, a notificação era feita pelos hospitais, que usavam fraudulentamente esse cheque em branco. Tu eras atendido via plano de saúde, por uma doença qualquer. O hospital recebia pelo plano de saúde e, ao mesmo tempo, notificava o atendimento como “doença do trabalho” (já que praticamente qualquer doença pode ser considerada “ocupacional”). Os hospitais recebiam em duplicata, e, por isso nadavamem dinheiro. Bamburravam. O resultado era carinhosamente chamado de “supernotificação de acidentes e patologias ocupacionais”. Com as novas regras, saiu-se da “supernotificação” para a “subnotificação”, já que as empresas preferem não notificar a maior parte dos eventos, prevenindo-se contra eventuais complicações na Justiça do Trabalho.

    Seguro-desemprego da Espanha em comparação com o Brasil? Queres mesmo comparar, Guatambu?

    A Espanha pode, tranquilamente, administrar uma taxa de desemprego de mais de 20%. O Estado simplesmente banca isso. Absorve com despesa pública (pagamento de seguro-desemprego), enquanto a economia se recupera.

    No Brasil, um desemprego aberto de 17% seria um desastre de proporções bíblicas, a menos que as regras de seguro-desemprego fossem mudadas… Mas isso elevaria a despesa pública para níveis estratosféricos, igualmente insuportáveis.

    Não dá nem pra sonhar com isso, até porque não seria sonho, e sim pesadelo…

    Vivemos em outra realidade. Literalmente, em outro mundo.

  313. Patriarca da Paciência said

    Maiores PIBs, conforme o Index Mundi, uma publicação da CIA.

    Country Name Produto Interno Bruto (PIB) (bilhões $) Year of Estimate
    Estados Unidos 15,290 2011
    China 11,440 2011
    Índia 4,515 2011
    Japão 4,497 2011
    Alemanha 3,139 2011
    Rússia 2,414 2011
    Brasil 2,324 2011
    Reino Unido 2,290 2011
    França 2,246 2011
    Itália 1,871 2011
    México 1,683 2011
    Coreia do Sul 1,574 2011
    Espanha 1,432 2011
    Canadá 1,414 2011

  314. Patriarca da Paciência said

    Caro Elias,

    acho que você está fantasiando um pouco a situação espanhola. Israel, um país pequeno, de pouca população e que recebe dinheiro grosso dos judeus “de fora”, pode se dar ao luxo a essa situação que você pinta. A Espanha não, é um país médio, de média população e que atravessa grandes problemas, até de regiões que querem se separar.

    Faz pouco mais de uma semana que o telejornal da Globo noticiou que 50% dos jovens espanhóis estão desempregados e 55% está pensando em conseguir emprego em outros países, inclusive no Brasil.

    Espanha, Portugal, Itália e, principalmente a Grécia, estão em situação bem desconfortável.

    Bem diferente do pequeno Israel, financiado por grandes capitalistas !

  315. Patriarca da Paciência said

    “Só com lupa, um leitor encontraria uma informação crucial: a de que tanto o ex-presidente Lula quanto a presidente Dilma Rousseff jamais foram informados por Paulo Roberto Costa sobre os desvios na Petrobras; “nunca”, disse o ex-diretor da estatal, ao ser questionado pelo deputado Izalci Lucas (PSDB-SP); ele também negou que Lula o chamasse de “Paulinho”, como tem sido escrito por diversos colunistas; “é folclore”; para a imprensa familiar, no entanto, nada disso era notícia”
    (247)

  316. Daise said

    Propina foi paga ‘em doações oficiais ao PT’, afirma executivo em delação
    RUBENS VALENTE
    DE BRASÍLIA
    FABIANO MAISONNAVE
    ENVIADO ESPECIAL A CURITIBA

    03/12/2014 12h19
    O executivo Augusto Ribeiro de Mendonça Neto, da Toyo Setal, afirmou em acordo de delação premiada na Operação Lava Jato que parte da propina paga para o ex-diretor de Engenharia e Serviços da Petrobras Renato Duque eram “doações oficiais ao Partido dos Trabalhadores”. Outras formas foram “parcelas em dinheiro” e “remessas em contas indicadas no exterior”.

    Mendonça disse ainda que Duque recebeu da Toyo Setal, contratada pela petroleira, 1,3% em “comissões” sobre o valor total de cada contrato fechado. O ex-diretor de Abastecimento, Paulo Roberto Costa, recebeu 0,6% sobre os contratos, segundo o delator.

    Os acertos foram promovidos, ainda de acordo com o depoimento, por um “clube” de empreiteiras.

    Os depoimentos de Mendonça Neto e de outro executivo da Toyo Setal, Júlio Camargo, tomadas no âmbito do acordo de delação premiada fechado com a força-tarefa da Lava Jato (Polícia Federal e Ministério Público Federal), foram inseridos nos autos na manhã desta quarta-feira (3) por decisão do juiz federal Sergio Moro.

    Ele acolheu um pedido de vários advogados dos empreiteiros que pediam para ter acesso a todos os indícios coletados na Lava Jato a respeito de seus clientes para que tivessem o direito à ampla defesa. O Ministério Público, ouvido pelo juiz, também concordou com a liberação. Trata-se da primeira divulgação integral de uma delação premiada feita pela Lava Jato.

    Sétima fase da Operação Lava Jato

    O papel de Renato Duque no suposto esquema, conforme Mendonça Neto, era convidar, para as disputas de contrato lançadas pela Petrobras, apenas empresas indicadas pelo “clube” de empreiteiras, que foi formado no final dos anos 1990 e ganhou força a partir de 2004. Duque foi preso no último dia 14 e conseguiu ontem à noite um habeas corpus no STF (Supremo Tribunal Federal), expedido pelo ministro Teori Zavascki.

    O objetivo do “clube”, segundo depoimento de Mendonça Neto, era “unificar as informações e preparar uma tabela cronológica, com valores para que as empresas pudessem a partir daí escolher” que obras e contratos tinham maior interesse na Petrobras. Uma vez definida a lista de prioridades, ela era entregue “pessoalmente” a Renato Duque, no caso da diretoria de Engenharia, “mencionando quais as empreas que deveriam ser convidadas pela Petrobras para o certame específico”.

    O número de empreiteiras beneficiadas com o “clube”, segundo Mendonça Neto, é ainda maior do que o já noticiado, chegando a 20. Além de 14 membros fixos, outras seis empresas conseguiram, sempre segundo o delator, obter contratos a partir de ajuda do “clube”.

    Segundo Mendonça Neto, são os casos da Alusa, Fidens, Jaraguá, Tomé, Construcap e Carioca Engenharia. Os membros fixos foram, conforme o empreiteiro, num primeiro momento Odebrecht, UTC, Camargo Corrêa, Techint, Andrade Gutierrez, Mendes Júnior e a Setal-SOG, representada pelo próprio Mendonça Neto. Numa segunda etapa, a partir de final de 2006, agregaram-se ao “clube” a OAS, Skanska, Queiroz Galvão, Iesa, Engevix, GDK e Galvão Engenharia.

    Mendonça Neto contou que foi elaborada uma série de regras para o “clube”, como se fosse “um campeonato de futebol”. Indagado sobre uma cópia dessas regras, porém, o empreiteiro disse que a prova foi desfeita pelo “clube” após o impacto da operação da Polícia Federal.

    “Sua cópia foi destruída quando se iniciou a Operação Lava Jato”, disse o empreiteiro. Segundo ele, o coordenador do grupo de empreiteiras era Ricardo Ribeiro Pessoa, da UTC Engenharia.

    Ao prestarem depoimento na Polícia Federal após a operação deflagrada no último dia 14, os empreiteiros de diversas das empresas mencionadas por Mendonça Neto negaram a formação do “clube” e disseram desconhecer pagamentos de propinas. A Galvão Engenharia e a Mendes Júnior, porém, informaram ter feito pagamentos “sob pressão”, com medo de perderem ou não ganharem mais contratos na Petrobras.

    DELAÇÕES

    Júlio Camargo, executivo da Toyo Setal —empresa que tem contratos de cerca de R$ 4 bilhões com a Petrobras—, foi o primeiro dos executivos das grandes empresas a assinar um acordo de delação, no final de outubro. Ele foi seguido por Augusto de Mendonça Neto, da mesma companhia.

    Os dois afirmaram terem entregue R$ 30 milhões em propina para a diretoria de serviços da Petrobras, comandada por Renato Duque entre 2003 e 2012. As autoridades apontam Duque como o principal operador do PT no esquema.

    O nome de Camargo havia sido citado por Paulo Roberto Costa, ex-diretor de Abastecimento da estatal, em um documento apreendido pela Polícia Federal na casa dele. No papel, Costa enumera o nome de executivos de fornecedores da Petrobras e a disposição de cada um para contribuir para uma campanha política.

    Após o nome de Camargo, o ex-diretor anotou: “Começa [a] ajudar a partir de março”.

    Camargo também disse que o lobista Fernando Soares, apontado como operador do PMDB na Petrobras, recebeu uma comissão de US$ 40 milhões para intermediar dois contratos junto ao ex-diretor da área internacional da estatal Nestor Cerveró.

    Segundo o executivo, o lobista, conhecido como Fernando Baiano, mantinha um “compromisso de confiança” com Cerveró.

  317. Daise said

    SILÊNCIO

    O professor Idelber Avelar não vai se manifestar a respeito das acusações de que teria assediado mulheres na internet.
    Na semana passada, um blog com relatos e cópias de supostas conversas de teor sexual mantidas entre o crítico literário e mulheres foram publicadas. “Minha advogada é a única que vai se pronunciar”, afirmou ele por email.
    Popular nas redes sociais, o escritor deletou suas contas no Facebook e no Twitter após a divulgação.

    Monica Bergamo

  318. Guatambu said

    Elias,

    Eu não discordo de ti, o detalhe é que eu não estou comparando taxas de desemprego, estou comparando a postura do governo em relação ao que precisa ser feito.

    Pelo jeito os espanhois quebraram a cabeça, se planejaram e identificaram uma saída para a crise em que viviam. Tiveram, para isso, que cortar na carne, escolheram os trabalhadores para tal. Podia ser melhor: podia ser no Estado…. mas sabemos que querer diminuir Estado é muito mais traumático do que mexer na população.

    Fizeram isso encarando a “recessão” mundial, encarando a queda das commodities, etc, e afirmam: o desemprego cai de 23% para 22%.

    O Brasil tinha tudo para continuar sua caminhada, independentemente das commodities, não sei o quanto as obras do PAC representaram no PIB brasileiro, mas com a quantidade de investimento que se fez, imagino que isso deveria ter segurado a onda.

    Mas a grande diferença é a falta de análise. Um ministro como o Mantega, que passou anos projetando mal o PIB e depois inventando desculpa para justificar a falta de planejamento, em que sempre colocava a culpa no mercado externo.

    Agora o governo muda toda sua equipe econômica… é claro que alguma coisa está errada, né?

    Resta saber se, mais uma vez, a solução é de curto-prazo, passar uma imagem de que as coisas estão mudando, de que o governo está comprometido com superavit, passar o batom no porco pra ver se o mercado compra…

    Como disse antes: espero que a Dilma faça o Estado trabalhar, finalmente.

  319. Elias said

    Patriarca,
    Claro que a Espanha não se compara a Israel!

    Mas o seguro-desemprego de lá é potentíssimo. Se não fosse, a Espanha se tornaria um inferno, com taxa de desemprego superior a 20% (que ela vem arrastando há um tempão, né?), até porque lá o pessoal não deixa por menos… Diferentemente do que ocorre no Brasil, a sociedade civil espanhola é organizada, e se mobiliza rapida e eficientemente.

    Em Israel o papo é outro. E essa história de ser mantido por doações de capitalistas é papo furado. Há, sim, doações de judeus de outros países, mas pensar que isso banca o nível de prosperidade e de justiça social do país é, no mínimo, uma brutal ingenuidade.

    Israel é um “país classe média”. Não tem miséria, mas também praticamente não tem milionários.

    Lá investe-se os tubos em educação, ciência e tecnologia (em termos proporcionais, o investimento israelense em educação, ciência e tecnologia está acima do que faz a maior parte dos países europeus, tipo Inglaterra, Alemanha, Dinamarca, Holanda, Suíça & outros mais).

    Em consequência, Israel está no topo do topo, em termos tecnológicos. Foi lá que surgiram coisas sem as quais hoje quase ninguém completa um dia sem usar, tipo o protocolo IP, o telefone celular e um monte de outras coisas. E de lá que tem saído as mais modernas técnicas de produção agrícola e pastoril, e mais um porrilhão de etc. Com apenas 66 anos de existência, Israel empilha prêmios Nobel em áreas científicas, contrastando com países como o Brasil, p.ex., muito maior, mais poderoso economicamente, que proclamou sua independência política há portentosos 192 anos, e… Jamais emplacou um único Nobel (e é bom lembrar que os Nobel israelenses nasceram em Israel; não são, portanto, cientistas judeus transferidos de outros países).

    Atualmente, as maiores fontes de riqueza israelense são, exatamente, ciência e tecnologia.

    O Brasil teria muito a ganhar, se copiasse algumas coisas de Israel… Tirando — é claro! — a corrupção, que a de lá briga pau a pau com a daqui, e, não raramente, vence com justo mérito…!

  320. Daise said

    QUANTO CUSTA UM DEPUTADO OU SENADOR?

  321. Elias said

    Guatambu,

    Pois é de conduta que estou falando!

    No Brasil, simplesmente não dá pra se operar com uma taxa de desemprego elevada. Como o país não tem as redes de proteção das economias europeias, a insatisfação social simplesmente explodiria.

    A economia brasileira depende das exportações. É isso e pronto!

    O PAC?

    Guatambu, o PAC é um programa de inclusão social. A diferença dele em relação aos programas de transferência de renda é que, com o PAC, há aporte direto ao PIB (os programas de transferência de renda só incidem sobre o PIB quando essa renda se transforma em consumo, gerando salário, lucro, aluguel ou juro).

    Como se trata de investimento público, o acréscimo ao PIB é direto. Cada centavo de investimento público é um centavo a mais no cômputo do PIB (a conceituação técnica de “Investimento”, nas contas públicas, é, exatamente, a “a despesa de capital que incrementa ou acresce o Produto Interno Bruto”, no que se diferencia, p.ex., da “inversão financeira”, que é uma despesa de capital que não repercute sobre o PIB).

    Isso aí, mais a proporção entre PAC e PIB já dizem tudo, e respondem com folga ao teu questionamento, né?

    Dificilmente algo como o PAC substituiria o impacto das exportações sobre a economia brasileira, até porque o PAC, assim como toda a estratégia de inclusão social, dependem desse impacto.

    A lógica de toda estratégia de inclusão social é mais ou menos a seguinte:

    1 – A estratégia é deflagrada com um programa de transferência de renda. Nesse momento, o perfil é ostensivamente paternalista.

    2 – Paralelamente, expande-se o emprego.

    3 – A expansão do emprego absorve parte do público-alvo atendido pelo programa de transferência de renda.

    4 – Isso permite que novos contingentes sejam aportados ao programa de transferência de renda. E assim por diante… (uma espécie de “círculo virtuoso”…).

    O PAC se situa dentro do passo “2” da estratégia.

    Qual a condição para que a estratégia funcione? Simples: a economia tem que crescer. Se ela para de crescer, a capacidade de investimento do governo despenca, e, com isso, a tal estratégia vira pó.

    Sem crescimento econômico, não há expansão do emprego. Não havendo expansão do emprego, não há a absorção do pessoal atendido pelo programa de transferência de renda. Sem essa absorção, não há como aportar novos contingentes de beneficiários, porque, esse aporte depende da exclusão do pessoal absorvido pelo aumento do emprego. Se houver simples aporte de novos beneficiários, sem exclusão de outros, a consequente elevação da despesa inviabilizaria o programa.

    Daí porque o PAC não pode substituir as exportações. O PAC depende delas…

    E daí, também, porque os analistas políticos costumavam dizer que, enquanto a economia brasileira rodasse com as quatro, o PT poderia cometer as besteiras que cometesse… Ainda assim ele venceria fácil as eleições presidenciais, com o voto o pessoal do “andar de baixo”, que estava começando a usar o elevador (e a comprar em supermercados, shoppings, etc.).

    Com a economia travando as rodas… É o momento da dor, né?

  322. Elias said

    I
    Do noticiário da ADVFN, de hoje à tarde:

    =========================================
    “Em comunicado ao mercado enviado na noite de ontem, a Vale (VALE5) anunciou cortes nos investimentos para 2015. O Conselho de Administração aprovou o orçamento de investimentos, incluindo dispêndios de US$ 6,3 bilhões para a execução de projetos e US$ 3,8 bilhões dedicados à manutenção das operações existentes, uma queda de 26% em comparação com os gastos projetados para 2014. Este é o quarto ano consecutivo que a Vale reduz seu orçamento de investimentos, focando apenas em projetos com maior retorno financeiro. As principais iniciativas de crescimento em minério de ferro são responsáveis por 71% do total orçado para o desenvolvimento de projetos em 2015. Os investimentos para manutenção das operações para 2015 financiarão cinco classes de iniciativas: operações (substituição de equipamentos), construção e expansão de pilhas e barragens de rejeito, saúde e segurança, responsabilidade social corporativa e administrativo.”
    ==========================================

    Isso aí não tem nada a ver com “Custo Brasil” (até porque favor fiscal é coisa que nunca faltou à Vale), nem com Mantega, margarina, patê, Levy, Judah, Rubem, Simeão, etc.

    Tem a ver com retração nas exportações.

    Como diria o Conselheiro Acácio: quando os compradores param de comprar, os vendedores param de vender.

    II
    O medo do analista da ADVFN, já declarado expressamente, é o seguinte:

    1 – Levy vai fazer o trabalho pesado, “mutatis mutandis” na política econômica.

    2 – Como é impossível um tratamento indolor, dentro de dois anos Dilma vai meter o pé na bunda do Levy, com o PT demonizando o dito cujo, pelos péssimos resultados na economia em 2015 e 2016.

    3 – Aí entrará em cena um desenvolvimentista qualquer, que, surfando na onde de uma economia ajustada, vai comandar um “espetáculo de crescimento” em 2017 e 2018, passando a ser o herói nacional, a quem o PT creditará mais uma vitória nas eleições presidenciais.

    Perceberam a mediocridade?

    O jogo ainda nem começou, e os bundas moles já estão achando que vão perder…

    Ainda bem que esse pessoal não está no governo. Com amebas desse tipo no comando, o Brasil acabaria tendo cassado seu Alvará de Licença para Funcionamento. Entraria na clandestinidade e passaria a atender — com abatimentos especiais para sexo oral e anal — no Beco do Bode, 2424-A, fundos (recados com a Sra. Noca).

    Eu passo!

    Putz! Que bundão…!

  323. Daise said

    DILMA E O PT ENROLADOS NO PETROLÃO

    Análise: Depoimento aproxima caso de Dilma
    IGOR GIELOW
    DIRETOR DA SUCURSAL DE BRASÍLIA

    03/12/2014 13h43

    O depoimento do diretor da empreiteira Toyo Setal indicando ter doado dinheiro do esquema de desvios da Petrobras para o PT no ano eleitoral de 2010 coloca o escândalo da estatal ainda mais próximo da presidente Dilma Rousseff.

    Caso a Justiça venha a comprovar o que ele falou, o Diretório Nacional do PT recebeu em 2010 recursos oriundos de crime e os declarou à Justiça Eleitoral.

    Politicamente, é arrasador: basta imaginar o que teria ocorrido se essa revelação tivesse vindo à tona antes do pleito deste ano. Não deverá faltar, na oposição renovada depois de outubro, disposição de expor o governo a constrangimentos.

    Juridicamente, é mais complicado prever implicações. Primeiro, ainda que isso soe cinismo (e é), há o argumento de que o dinheiro foi para o Diretório Nacional, não diretamente para a campanha de Dilma. Como se sabe, doação feita ao partido é uma forma justamente de evitar as digitais claras no dinheiro.

    Além disso, ainda que hipoteticamente seja possível rastrear o recurso até o cofre da campanha, as contas de Dilma naquele ano foram aprovadas. Logo, é incerto qual o tipo de questionamento legal poderá ser eventualmente proposto pelo Ministério Público Federal —afora o fato de que o PT sempre poderá alegar que não sabia a origem do dinheiro doado, o que é mais do que improvável a crer nos termos da delação premiada.

  324. Daise said

    Pax

    Para o PT, povo é apenas aquela parte do povo que concorda com suas práticas, que se veste de vermelho, que chama bandido mensaleiro de herói injustiçado, que recebe soldo de sindicatos ou ONGs ligadas ao governo.

    E o Petrolão…um mensalão multiplicado por 1000 !!! durante 12 anos, sem que o governo “soubesse”. Embora avisado.

    Agora sabe.Foi eleita usando $$$ roubado.

    O petrolão financiou a campanha da dilma em 2010. Talvez em 2014 também! ???

    O restante é “elite branca golpista”.
    Temos 51 milhões de membros da tal “elite branca golpista” no país!

    E dilma hoje está em apuros….e o próximo será lula…rsrsrsr

  325. Daise said

    Pax

    Na minha opinião, Idelber é apenas um “punheteiro socialista” !!!

    Pretende salvar o povo brasileiro, na mão! consensualmente com suas interlocutoras insatisfeitas..

    Um punhetão !

    Mas as petistas o odeiam pra valer…porque, o cara publicou a foto do seu (pequeno) pênis…rsrsrs

    HEHEHEHE não er a tudo aquilo que o rótulo prometia…

    Foi surpresa? Era apenas um biscoito fino…E pelo visto insatisfatório, rsrsr

    Piada pronta!

    Pax Você está sentindo “vergonha alheia”?

  326. Pax said

    o “menino de ouro” do PT esperneia

    até o PT já o expulsou porque o B.O. ficou grande demais, exposto demais, mas o menino esperneia

    http://agenciabrasil.ebc.com.br/politica/noticia/2014-12/andre-vargas-entra-com-recurso-no-stf-contra-cassacao-de-mandato

    é o fio do novelo da conexão Londrina

    ——

    de outro lado, tomara que o “chefe” friboi seja ouvido pela assecla, subordinada

    http://www1.folha.uol.com.br/poder/2014/12/1556249-troca-de-ministro-gera-atrito-com-grupo-jbs.shtml

    depois a gente descortina o “chefe” e dá mais um passo

    com o governo Dilma, melhor, com os governos PT, é assim

    vai derrubando um por um por escândalos

    essa turma da “esquerda Kátia Abreu” não deixa de surpreender a cada dia.

  327. Guatambu said

    E a bola da vez é a Rússia… quem tem coragem de se arriscar?!

  328. Guatambu said

    Elias,

    Eu comecei achando que esse analista que vc comenta era burro… agora eu to achando que lhe falta imaginação.

  329. Patriarca da Paciência said

  330. Patriarca da Paciência said

    Renan Calheiros deu uma lição extremada de espírito democrático e paciência na última votação do Congresso.

    Simplesmente fantástico. O homem aguentou firme todas as chicanas, as absurdas obstruções, a falta de civilidade, os destemperos verbais, as injúrias, as infâmias, tudo que se possa imaginar no mundo, os parlamentares da oposição tentaram para obstruir a votação. E o Renan ali, firme, bem humorado, paciente, lúcido. Foi fantástico. Poucos homens, em todo o planeta Terra, aguentariam o que o Renan suportou.

  331. Elias said

    “Como se sabe, doação feita ao partido é uma forma justamente de evitar as digitais claras no dinheiro. Além disso, ainda que hipoteticamente seja possível rastrear o recurso até o cofre da campanha, as contas de Dilma naquele ano foram aprovadas. Logo, é incerto qual o tipo de questionamento legal poderá ser eventualmente proposto pelo Ministério Público Federal —afora o fato de que o PT sempre poderá alegar que não sabia a origem do dinheiro doado, o que é mais do que improvável a crer nos termos da delação premiada.” (Igor de Tal, diretor da sucursal — de quem? — em Brasília)

    Esse Igor já checou a prestação de conta do PSDB em 2010? E se os mesmos doadores aparecerem nas prestações de contas petelha e tucanalha?

    É “hipoteticamente” possível rastrear o recurso até o cofre da campanha?

    Claro que é, bundão!

    Na prestação de contas do candidato, tem que haver a indicação do “doador” e, se sub-repasse, do “doador originário”.

    Supunha-se que a construtora “X” tenha feito uma doação ao partido “Z” (ou ao Comitê Nacional do partido “Z”), e o partido tenha repassado esse dinheiro, no todo ou em parte, à campanha do candidato “Y”.

    Na prestação de contas do candidato, aparecerá, como “doador”, o Comitê Nacional, p.ex., e como “doador originário”, a construtora “X”.

    É por isso que eu sei, p.ex., que, no período de 06-08-2014 a 31-10-2014, o Itaú/Unibanco fez 100 doações à campanha do Aécio, totalizando R$ 4.353.979,33. Nenhuma dessas doações foi feita diretamente ao comitê do Aécio. Todas foram feitas ao Comitê Nacional, que as sub-repassou ao candidato.

    Se aparecer na prestação de contas, tem que ter a origem identificada, não importa pra quem tenha sido originalmente doada a contribuição, nem pra quem ela foi, por fim, destinada.

    Putz! Esses analistas da oposição são mesmo uns bostinhas, todos se achando grandes merdas!

    Como o Aécio…

  332. Elias said

    “Supunha-se que a construtora ´X´…”?

    Não!

    “SupOnha-se que a construtora ´X´…”

    Ou, “Supunhetamos que de repentelho a construtora `X`…”

  333. Elias said

    Guatambu,
    O analista da ADVFN pode até ser burro.

    Mas ele se acha o máximo. Vende caro a “expertise” dele, e não falta quem lhe pague o que ele cobra.

    Fatura os tubos!

    E sabe do que mais? O cara acerta pra caramba! Daí porque ganha tanta grana, né?

    Agora, quando ele sai do mercado de capitais e envereda pela política… É como abrir uma fossa perdida saturada…

    Só dá merda!

  334. Elias said

    Aliás, da receita de R$ 222.925.853,17 oficialmente declarada pela campanha do Aécio, apenas R$ 8.874.400,00 (ou seja, 4%), foram arrecadados diretamente pelo comitê do candidato. Desse montante, quase a metade — R$ 3.750.000,00 — foram doados pelo Bradesco (sendo R$ 750,0 mil pelo Bradesco Consórcio; R$ 1,0 milhão pelo Bradesco Leasing e R$ 2,0 milhões pelo Bradesco Previdência).

    Os restantes 96% vieram do Comitê Financeiro Nacional da Direção Nacional, de um Diretório Estadual, etc. Mesmo o grosso das contribuições do Bradesco Previdência, foram arrecadados pelo Comitê Financeiro Nacional, e por este sub-repassado ao comitê do Aécio. Em todos os casos, a origem declarada das doações aparece como “doador originário”.

    Falar nisso, como é que empresa de previdência pode fazer doação a campanhas eleitorais? Isso não deveria ser proibido? Afinal, a empresa de previdência administra um fundo que não é dela, e sim dos segurados.

    Se ela está lucrando tanto que se dá ao luxo de doar pra campanhas políticas, ela está extorquindo os segurados. Se a doação não sai do lucro, e sim do fundo, ela está roubando.

    Esse negócio não cheira bem…

  335. Elias said

    Onde está escrito: “Como se sabe, doação feita ao partido é uma forma justamente de evitar as digitais claras no dinheiro. ” (Igor de Tal, diretor de uma sucursal de não sei o quê, de Brasília)

    Leia-se: “Ao contrário do que o Igor pensa que sabe, e não sabe, doação feita ao partido NÃO EVITA que se identifique as digitais do doador”.

    A menos que uma doação ao Aécio, atribuída à JBS, p.ex., tenha vindo, de fato, das empresas fantasmas do esquemão do petrorroubo.

  336. Daise said

    O “jogo de cena” da nomeação de Katia Abreu

    Segundo notas da imprensa, o maior doador de Dilma, grupo JBS (Friboi), seria contra a nomeação. Dilma então passaria por cima, corajosamente, e manteria indicada. A ideia é passar coragem, dando munição para a militância, mas a tática ficou nítida demais e deu na vista.

    Dilma Rousseff nomeou Katia Abreu, líder ruralista, para o Ministério da Agricultura, gerando protestos de boa parte da militância de esquerda (a militância meramente partidária, como sabemos, não se importa com esses pormenores e defendeu em verso e prosa a indicação). Normal, do jogo. Sigamos.

    Agora, aparece na imprensa a informação de que o grupo JBS (da Friboi), maior doador da campanha presidencial do PT, seria contra a nomeada e estaria fazendo lobby contrário.
    Faz sentido? Não, não faz sentido. Katia representa as empresas, o setor agrícola e pecuarista, não havendo nome melhor para atender aos interesses dos grandes distribuidores de carne.

    Então por que o lobby? Devolvo com outra pergunta: HOUVE MESMO o lobby?
    A reunião teria sido RESERVADA, então fica patente quem ‘vazou’, não?
    Dica: não parece razoável um empresário sair por aí dizendo que pressionou governo.
    Então, por que diabos vazar?
    Simples: Dilma ‘manteria’ Katia Abreu e passaria por ‘corajosa’, que ‘enfrentou’ a empresa da maior doação à sua campanha.
    Uma ‘trama’ (completamente fictícia) que interessa única e tão-somente ao governo.

    Mas a equipe de Dilma exagerou no teatro.

    No fim, as coisas continuam como estão: Dilma nomeará a líder ruralista Katia Abreu, que representa as empresas, o setor produtor, o mesmo do qual faz parte o grupo JBS.
    E a manutenção desse nome não representa nenhum tipo de ‘coragem’.

    Tenta outra, Dilma. Essa faiô.

  337. Daise said

    Do 247 ( 6×40 mil)

    Dilma

    http://www.brasil247.com/get_img?ImageWidth=581&ImageHeight=431&ImageId=407643

  338. Daise said

    São Paulo receberá R$ 2,6 bilhões para novo sistema de abastecimento de água

    http://agenciabrasil.ebc.com.br/politica/noticia/2014-12/sao-paulo-recebera-r-26-bilhoes-para-novo-sistema-de-abastecimento-de-agua

    É mentira!

    São Paulo não está recebendo coisa nenhuma! Vamos lá.

    São Paulo fechou uma PPP — uma parceria público-privada — para a construção do chamado Sistema Produtor São Lourenço. Esse contrato foi celebrado com um consórcio firmado pelas empreiteiras Andrade Gutierrez e Camargo Correa. Elas têm a obrigação de entregar a obra. Como irão financiá-la? Bem, isso é problema delas. No caso, essas empresas — e não o governo — fecharam um contrato de financiamento com a Caixa Econômica Federal.

    Digam-me cá: se, em vez da CEF, esse contrato fosse com o Bradesco ou com o Itaú, qual seria o título? “Bradesco repassa R$ 2,6 bilhões para São Paulo”??? Ou: “Governo de SP receberá R$ 2,6 bilhões do Itaú para obras”???

    Aí alguém pode perguntar: “Mas o que haveria de errado, Reinaldo, se o governo federal tivesse repassado R$ 2,6 bilhões para São Paulo?” Nada, ué! Não faria mais do que a obrigação, dado o quanto se arrecada de impostos federais no Estado. Ocorre que isso não é verdade, ora essa! Qual é o problema, afinal de contas, em dizer o que de fato aconteceu? No acordo feito com o governo de São Paulo, o consórcio anunciou que faria a obra com recursos próprios. Mas decidiu recorrer a financiamento e fez um acordo com a Caixa em dezembro de 2013.

    O governo federal liberou, aí sim, R$ 500 milhões do Orçamento da União para a expansão da Linha 9 de trens da CPTM, no trecho Grajaú-Varginha. Nesse caso, é verdade, a União investe em São Paulo não mais do que alguns tostões, dada a riqueza gerada pelo Estado e pelos trabalhadores que usam os trens.

    E isso tudo é apenas um fato.

  339. Daise said

    TSE investiga empresa que ganhou quase R$ 1 mi do PT

    Firma de SC emitiu notas pelo aluguel de computadores na eleição deste ano

    Suspeita de que empresa existiu só para atender à campanha petista fez tribunal acionar a Receita

    ANDRÉIA SADI RANIER BRAGON DE BRASÍLIA
    Funcionários do Tribunal Superior Eleitoral suspeitam de irregularidades na contratação de uma firma que prestou serviços de informática para a campanha à reeleição da presidente Dilma Rousseff.

    A prestação de contas da petista foi entregue no último dia 25 à Justiça Eleitoral e terá de ser julgada até a próxima quarta-feira (10), oito dias antes da diplomação.

    Segundo a Folha apurou, chamaram a atenção de servidores que examinam as contas 11 notas da empresa UMTI, de Florianópolis, que recebeu R$ 874.332,25 da campanha petista.

    A empresa emitiu notas de R$ 41.268 a R$ 160.328 pela locação de computadores e impressoras e prestação de suporte técnico para o comitê de campanha presidencial.

    O CNPJ da empresa está ativo desde 2003, mas ela só obteve autorização da Prefeitura de Florianópolis –um dos locais onde declara estar instalada– para emitir notas fiscais no início de setembro deste ano, já em plena campanha eleitoral.

    Nas palavras de um integrante do Judiciário, é como se a campanha fosse o único cliente da empresa”. Técnicos do TSE pediram à Receita Federal para investigar a real situação da firma.

    No site da UMTI, há dois endereços e telefones registrados: um em Florianópolis (SC) e outro em Santa Cruz do Sul (RS). O primeiro endereço não é mais da empresa. Nenhum dos telefones existe.

    A Folha visitou um terceiro endereço, também em Florianópolis, que é informado nas notas fiscais e na Receita como sendo a sede da empresa. No local, há um prédio residencial, onde mora o dono da firma, Davi Unfer.

    Ele reconheceu não haver empresa onde mora e disse que ela “funciona” provisoriamente lá porque ele tenta, há dois anos, transferir a sede de sua firma do RS para a cidade catarinense.

    Segundo Unfer, não há funcionários em Florianópolis, mas uma pessoa na sede da empresa, em Santa Cruz do Sul (RS), para cuidar dos computadores e servidores que armazenam os dados dos clientes. Há outros dois que prestam serviços de contabilidade, segundo ele.

    A reportagem foi a Santa Cruz do Sul, mas a sede da UMTI está fechada e foi vendida recentemente por R$ 48 mil, segundo um funcionário da Karnopp Imóveis.

    A corretora foi indicada por funcionários do prédio como responsável pela intermediação do negócio.

    SALA FECHADA

    Pessoas que trabalham diariamente no prédio, e que pediram para não ter o nome publicado, disseram que a sala onde supostamente funcionaria a UMTI não tem movimento e está fechada há tempos.

    Procurado novamente, o dono da UMTI disse que não há movimentação no local porque o funcionário “só vai ao endereço para resolver algum problema”, como quando cai o servidor de e-mail. Admitiu que “a sala está lacrada” e disse que está à venda.

    Ainda segundo ele, a aproximação com a campanha de Dilma teve início em 2010, quando teria prestado de forma indireta um serviço de informática para o comitê.

    Em 2014, Unfer afirmou ter procurado o comitê de campanha, que o contratou para dar suporte em informática em Brasília, além de locação de computadores e impressoras. Ele afirma ter contratado temporariamente quatro pessoas para o trabalho na capital federal e ter locado “cerca de 40 computadores”.

    O contrato de prestação de serviço apresentado pelo PT, no entanto, mostra que teriam sido contratadas cinco pessoas e locados 80 computadores e 20 notebooks.

  340. Daise said

    PT: organização criminosa?
    FSP
    05/12/2014 02h00

    A primeira pessoa que transformou as palavras “Dilma” e “impeachment” em unidades sintáticas, formando um todo harmônico, foi este rottweiler amoroso, no dia 24 de outubro. Não me orgulho nem disso nem de ter criado o já dicionarizado termo “petralha”. Preferiria cultivar, como o poeta, neologismos celestes, colhendo uma poesia menos perturbada.

    É claro que a minha oração principal tinha –e tem– uma subordinada adverbial condicional: “Se Dilma sabia da roubalheira na Petrobras, o impeachment é inevitável”. Essa não é a gramática do golpe, mas a do Estado de Direito. Golpista é querer recorrer à legitimidade conferida por um processo legal –as eleições– para violar garantias que pertencem às instituições, não aos homens.

    Do dia 24 a esta data, as coisas se complicaram. Um dos executivos da Toyo Setal, Augusto Ribeiro de Mendonça Neto, diz que parte da propina que pagou ao PT, entre 2008 e 2011 –a primeira eleição de Dilma se deu em 2010–, foi vertida em doação registrada. Um companheiro seu de empresa, Júlio Camargo, tem versão não menos estupefaciente. O dinheiro sujo teria circulado mesmo é em dutos paralelos, parte dele depositada em contas no exterior. Segundo revelou reportagem da “Veja”, Alberto Youssef se prontificou a colaborar com a PF para que esta chegue às contas secretas que o PT manteria fora do país.

    Uma pequena digressão que nos remete à essência do problema: o tamanho do Estado. Tanto Paulo Roberto Costa como Youssef afirmam que o esquema da Petrobras era apenas uma das cabeças da hidra. É claro que a empresa não reúne condições particulares para ser tomada por uma quadrilha. Vigoram ali as condições estruturais presentes nas demais estatais e na administração. Logo…

    Até hoje ninguém se dispôs a me explicar por que um partido político reivindica a diretoria de operações de uma estatal. Com que propósito? Como é que nós, jornalistas, noticiamos candidamente que Sérgio Machado deixa a presidência das Transpetro, mas que o cargo continuará privativo de Renan Calheiros? O que determina essa exclusividade? É preciso ser senador? É preciso ser do PMDB? É preciso ser de Alagoas? É preciso ter implante de cabelos? Trata-se de uma combinação de todas essas coisas? Fim da digressão.

    Em entrevista recente, o senador Aécio Neves (PSDB-MG) afirmou ter perdido a eleição para uma “organização criminosa”. Rui Falcão, presidente do PT, quer saber se ele confirma o dito para decidir se o processa. Isso é lá com eles. Se o que dizem Costa, Youssef, Mendonça Neto e Camargo for verdade, a coisa é mais feia do que parece: o Brasil já está sendo governado por uma organização criminosa. Nada de me notificar, hein, Falcão! A oração subordinada vai definir o exato sentido da principal e se o PT tem ou não de ser posto na ilegalidade.

    O COXINHA VERMELHO

    Guilherme Boulos quer chamar a minha atenção. Alguém destroçou o superego desse rapaz. Desprezo o indivíduo: pensa mal, escreve mal, lê mal, mesmo para os padrões das esquerdas. Também não me interessa o paciente clínico. Mas continuarei, sim, a tratar do Boulos como peça de uma engrenagem criminosa quando achar necessário. O ódio é mais fiel do que o amor, rapaz! Seu pai desistiu de você, mas você não desiste de mim. Entendo. Mas tenho dó.

    twitter.com/reinaldoazevedo

  341. Daise said

    b>Dilma se irrita com resposta curta do PT à acusação feita por delator

    Brigada anti-incêndio: A nota lacônica do PT em resposta à acusação feita pelo executivo Augusto Mendonça de que doações legais ao partido faziam parte do esquema de corrupção na Petrobras caiu como uma bomba no Palácio do Planalto. Para corrigir o que foi considerada uma falha do partido, a presidente Dilma Rousseff escalou os ministros José Eduardo Cardozo (Justiça) e Luís Inácio Adams (Advocacia-Geral da União) para defender em entrevistas as contas da campanha de 2010.

    Estarrecida: A presidente ficou inconformada ainda com a falta de defesa da base aliada diante dos ataques da oposição no Congresso na sessão de anteontem. Também foi alvo de crítica no Palácio a falta de coordenação dos aliados durante a acareação de Paulo Roberto Costa e Nestor Cerveró, na véspera.

    Terror: Petistas se dizem muito assustados com a delação de Mendonça. Para eles, o caso cria uma trincheira perfeita para a oposição melar as eleições de Dilma.

    Pânico: Integrantes da sigla relatam que há semanas têm a impressão de que o tesoureiro João Vaccari Neto está na iminência de ser preso.

    Teflon: Em reunião do PT no fim de outubro, Vaccari disse aos colegas de partido que não se preocupassem com ele. Estou limpo. Não há nada contra mim, afirmou, segundo um petista.

    Painel FSP

  342. Daise said

    Aécio diz que não cabe a ministros do governo explicarem doações ao PT

    Para tucano, quem deve esclarecimentos é o tesoureiro do partido

    BRASÍLIA – A oposição reagiu nesta quinta-feira depois que duas autoridades do governo defenderam as doações à campanha da presidente Dilma Rousseff.

    O presidente do PSDB, senador Aécio Neves (MG), derrotado em outubro, afirmou que o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, e o advogado-geral da União, Luís Inácio Adams, estão fazendo “defesa prévia” e atuando como advogados do PT.

    Para Aécio, ambos estariam assumindo o papel que caberia a João Vaccari Neto, tesoureiro do PT, citado na delação premiada do ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa como um dos operadores do esquema de distribuição de propinas na estatal. Vaccari se nega a dar entrevistas sobre o assunto.

    — Acho extremamente preocupante quando o ministro da Justiça, que é chefe da Polícia Federal, e o advogado-geral da União assumem um papel que deveria ser do tesoureiro do PT. Essa defesa prévia feita pelo ministro da Justiça e pelo advogado-geral mostra uma proximidade e familiaridade muito grande deles com a contabilidade do partido. E isso pode gerar problemas para eles no futuro. Não me parece adequado que eles se transformarem em advogados de um partido político — afirmou Aécio ao GLOBO.

    O senador cobrou explicações do PT sobre as denúncias e disse que, se comprovadas, o mandato da presidente Dilma perde “legitimidade”:

    — Não sabemos ainda a extensão dessas denúncias, mas é um alerta que fica. Se comprovado que houve dinheiro de propina da Petrobras para pagar a campanha petista, isso é extremamente grave e o atual mandato da presidente fica sem legitimidade. O PT tem que dar explicações sobre como chegou ao poder do ponto de vista político, legal e explicar essas denúncias sobre o financiamento das campanhas — disse o tucano.

    O deputado Ronaldo Caiado (DEM-GO) também foi para o ataque e afirmou que, se houver comprovação da denúncia, Dilma terá de sofrer as “penalidades” previstas no Congresso para crime de caixa dois — mesmo que as doações sob suspeita tenham ocorrida na campanha da eleição de 2010.

    — É jurisprudência nesta Casa que os políticos respondem pelos crimes praticados neste mandato ou em mandatos anteriores. Sendo provado que teve propina na campanha, Dilma sofrerá todas as penalidades a que está sujeito quem faz uso de caixa dois em campanha eleitoral. Se a presidente estivesse convencida de que isso era apenas um terceiro turno, como eles gostam de chamar, não teria loteado seus ministérios, baixado decreto para se livrar de crime de responsabilidade e, muito menos, mandado seu ministro da Justiça e o advogado-geral da União defendê-la — disse Caiado.

    Assim como Aécio, o deputado frisou que a responsabilidade para dar explicações sobre o financiamento da campanha petista é do tesoureiro do partido, não de Adams e Cardozo.

    — Essas pessoas não estão credenciadas a falar sobre financiamento de campanha. Quem deveria responder sobre isso é o Vaccari. Pelo que me consta, eles não foram arrecadadores nem responsáveis pela prestação de contas. Com todo respeito à polivalência deles, não é assunto para explicarem, e sim para o tesoureiro, que conhece profundamente como as doações foram feitas — pontuou Caiado.

    Segundo informações dadas pelo executivo Augusto Ribeiro Mendonça Neto, que negociou acordo de delação premiada na Operação Lava-Jato, parte da propina cobrada por Renato Duque, ex-diretor de Serviços da Petrobras, foi paga na forma de doação oficial ao PT. Segundo o executivo, o valor alcançou cerca de R$ 4 milhões entre 2008 e 2011 e foi pago por meio das empresas MPE Engenharia, SOG Óleo e Gás e Setec Engenharia.

  343. Daise said

    DILMA E SEUS 39 MINISTROS

  344. Daise said

    Obstáculos ao ajuste
    FSP
    05/12/2014 02h00

    O medo venceu a ideologia. Tardia e encabuladamente, sem dar explicações, o governo Dilma curvou-se ao imperativo de um ajuste econômico. Não se trata, é claro, de súbita conversão à racionalidade, mas de estratégia calculada. O que está em jogo é um projeto de poder: aceitar o ônus temporário de um “freio de arrumação” para colher o bônus de um ciclo econômico-eleitoral favorável na parte final do mandato.

    Quais as chances de sucesso da operação? Em condições normais, o ajuste requerido não seria nenhum bicho de sete cabeças. Em dois episódios recentes –nos inícios de FHC 2 e Lula 1–, o Brasil passou por experiências semelhantes e os resultados foram positivos. Restaurado o horizonte de confiança, o setor privado se animou a investir e o crescimento reagiu.

    Ocorre, porém, que as condições para um ajuste bem-sucedido agora são tudo menos normais. O desafio de Dilma 2 revela-se bem mais árduo, complexo e arriscado que nos ajustes anteriores. Os principais obstáculos são:

    1) O legado macro de Dilma 1: economia parada, investimentos em queda, inflação no teto, juros em alta, real sobrevalorizado, deficit externo elevado. O imbróglio fiscal é pior do que parece. Mesmo que as metas de superavit primário venham a ser cumpridas, o que é duvidoso devido à rigidez dos gastos e tamanho da carga tributária, será preciso lidar com os “esqueletos” e restaurar a boa-fé nas contas públicas (só os “restos a pagar”, por exemplo, acumulam R$ 89,7 bilhões ou 2% do PIB).

    2) O ajuste macro não basta. O ativismo micro de Dilma 1 fez cair o investimento e gerou sérias distorções alocativas. Para voltar a crescer, será preciso uma nova agenda de reformas baseada no princípio da horizontalidade e visando a melhoria do ambiente de negócios. A resistência ao desmonte das benesses estatais –”operação desmame”– será enorme. Petróleo e setor elétrico, falido, são capítulos à parte.

    3) Ambiente externo adverso. Incrementar as exportações seria o caminho natural da retomada, mas a queda do preço das commodities, a subida dos juros americanos, China em desaceleração e Argentina no caos restringem essa alternativa.

    4) Fraqueza política. Ao renegar as promessas de uma campanha polarizada, Dilma 2 queimou parte do seu capital político. Como a votação da LDO evidencia, o governo nasce acuado e anêmico –base esgarçada, PMDB assanhado. A radiação do petrolão –reforçada pela investigação da Justiça dos EUA– e os custos incontornáveis do ajuste deverão enfraquecê-lo ainda mais.

    Lula 1 preparou o terreno para as conquistas sociais de Lula 2. O desafio de Dilma 2 será impedir que o desastre de Dilma 1 sepulte esses avanços –e Lula 3 junto.

  345. Daise said

    PMDB NO PODER

  346. Jose Mario HRP said

    http://altamiroborges.blogspot.com.br/2014/12/a-aposentada-da-extrema-direita.html

  347. Guatambu said

    A equipe de planejamento da Dilma parece que cortou a projeção de 2015 de 2% do PIB para 0,8% .

    Só digo uma coisa: boa menina. É assim que o mercado gosta.

  348. Guatambu said

    A Alemanha cortou a expectativa de crescimento do seu PIB de 2% para 1% em 2015.

    Aparentemente eles não estão falando nada de estimular a economia.

    O Brasil está acompanhando a onda, o que parece sensato.

  349. Patriarca da Paciência said

    (…)
    * Na mídia _ Para amarrar as pontas e fechar a roda, não poderia faltar o decisivo apoio da mídia tucano-familiar, que rasgou a fantasia, e há semanas dedica a maior parte dos seus noticiários à Operação Lava-Jato, como se nada mais estivesse acontecendo no país, colocado à beira do abismo.

    Já não se sabe se é a mídia que pauta as oposições no Congresso e no Judiciário ou vice-versa, pois virou tudo uma coisa só, muito bem orquestrada, por sinal. As manchetes e os destaques dos veículos impressos ou eletrônicos parecem ser produzidos pela mesma pessoa, a partir de um comando central que atende pelo pomposo nome de Instituto Millenium.

    Após uma brevíssima trégua, com a indicação de Joaquim Levy para comandar a economia no segundo mandato, parece que resolveram abrir todas as comportas para inundar o país com o “mar de lama”, uma criação original de Carlos Lacerda contra Getúlio Vargas, agora ressuscitada por Aécio Neves, que parece ter trocado definitivamente o PSD conciliador do seu avô Tancredo Neves pela velha UDN golpista das vivandeiras de porta de quartel.

    Neste cenário de vale tudo, de nada adianta a presidente Dilma tentar acalmar as feras fazendo seguidas concessões à direita derrotada nas urnas. Ela e Lula são e serão tratados como inimigos a serem abatidos, sem dó nem piedade. Após 12 anos de PT no poder central, a turbulência brava está só começando. Senhores passageiros, fechem as mesinhas à sua frente, amarrem os cintos e desliguem seus aparelhos eletrônicos.

    Vida que segue. E seja o que Deus quiser.”

    http://noticias.r7.com/blogs/ricardo-kotscho/2014/12/04/oposicao-derrotada-parte-para-o-vale-tudo-contra-dilma/

    O perdedor arrogante está mesmo disposto a “matar ou morrer”.

    Acho que é pura bobagem o PT achar que pode encontrar algum acordo com essa gente. Tem mais é que partir para a guerra declarada e… “seja o que Deus quiser”.

    Não há outra alternativa !

  350. Patriarca da Paciência said

  351. Jose Mario HRP said

    http://www.viomundo.com.br/denuncias/deputado-paulo-pimenta-denuncia-grupo-que-invadiu-plenario-da-camara-revoltados-online-e-fascista-diz.html

  352. Daise said

    AS HEROINAS DO QUERIDINHO DO PAX

    Para ministro, teles são heroínas por ajudarem a fechar contas do governo
    JULIA BORBA
    DE BRASÍLIA

    05/12/2014 12h26
    O ministro Paulo Bernardo (Comunicações) disse nesta sexta-feira (5) que os grupos de telefonia que participaram do último leilão da tecnologia de internet 4G estão sendo tratados como “heróis em alguns blocos da esplanada”.

    Segundo ele, o pregão que arrematou quase R$ 5 bilhões acabou sendo “importante para o governo no fim deste ano”.

    Para Paulo Bernardo, a venda dos lotes de internet 4G para as empresas Claro, Tim, Vivo e Algar vai ajudar na consolidação da TV digital e vai transformar, nos próximos quatro anos, a internet 4G em predominante no Brasil.

    No segundo leilão da tecnologia 4G, que é dez vezes mais rápida que a 3G, o governo arrematou menos do que esperava, já que a empresa Oi, uma das mais importantes do setor, desistiu de participar.

    Mesmo assim, os pagamentos das três principais empresas foram feitos à vista, uma vez que o governo elevou os juros propositalmente, para impedir que os pagamentos fossem feitos de forma parcelada.

    …..

    corrupto vagabundo!

Faça seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: