políticAética

Notícias da Corrupção, Desvios, Anomalias, Eleições e Meio Ambiente

  • Sobre o blog

    Uma coletânea das notícias da corrupção, desvios, anomalias, eleições e meio ambiente que aparecem na mídia todos os dias a partir de agosto de 2008.
  • Categorias

  • Arquivos

  • Páginas

  • Meta

Dilma propõe pacto contra corrupção.

Posted by Pax em 02/01/2015

Em seu discurso de posse para o segundo mandato presidencial, quarto mandato do PT, a presidente Dilma propõe um pacto nacional contra a corrupção.

Difícil é acreditar na proposta. Ainda mais observando a lista de ministros que nomeou para este mandato.

Dilma propõe pacto nacional contra a corrupção

Mariana Branco – Repórter da Agência Brasil Edição: Fábio Massalli

Em seu discurso após tomar posse para o segundo mandato na Presidência da República, Dilma Rousseff disse que vai democratizar o poder, lutando pela reforma política e buscando opiniões do povo. A presidenta disse que democratizar o poder também significa combater a corrupção.

Dilma propôs um pacto nacional contra a corrupção. Segundo ela, seu governo foi o que mais apoiou o combate aos malfeitos, criando leis mais severas e garantindo autonomia à Polícia Federal. Dilma disse que submeterá um pacote de medidas anticorrupção ao Congresso Nacional.

Entre as medidas, destacou a presidenta, estão a modificação da legislação eleitoral para tornar crime a prática de caixa 2 e a alteração da legislação para agilizar o julgamento de processos envolvendo desvios de recursos públicos. Dilma falou ainda sobre a Petrobras, alvo da Operação Lava Jato. Segundo Dilma Rousseff, é preciso investigar a corrupção na estatal sem enfraquecê-la.

“Temos muitos motivos para preservar e defender a Petrobras de predadores internos e de seus inimigos externos. Vamos apurar tudo de errado que foi feito e fortalecê-la cada vez mais. Devemos saber apurar sem enfraquecer a Petrobras”, declarou a presidenta.

Anúncios

98 Respostas to “Dilma propõe pacto contra corrupção.”

  1. Patriarca da Paciência said

    “Temos muitos motivos para preservar e defender a Petrobrás de predadores internos e de seus inimigos externos.

    Por isso, vamos apurar com rigor tudo de errado que foi feito e fortalecê-la cada vez mais. ”

    Se eu pudesse oferecer alguma sugestão à Presidenta, seria exatamente esta. Os predadores e os inimigos da Petrobrás podem tirar o cavalinho da chuva.

    Segundo ouvi certa vez do Joelmir Betting, o custo do petróleo extraído do pré-sal, é de 12 dólares o barril. Isso já faz algum tempo e digamos que agora seja de 20 dólares. Então o pré-sal ainda continua bastante viável e também não acredito que os árabes consigam manter os preços baixos por muito tempo.

    Então é isso aí, Dilma Coração Valente, cada vez mais corajosa.

    Aos perdedores – o choro continua livre !

  2. Patriarca da Paciência said

    O choro livre dos perdedores:

  3. DAISE said

    PREDADORES INTERNOS

    NA IMAGEM AINDA FALTA O “CAPO”!

  4. Elias said

    Patriarca,
    O Alckmim jácomeçou a campanha de 2018.

    Primeiro passo: “desconstruir” o Aécio (que tem o apoio do FHC).

    Daí porque o Aécio tem motivos de sobra pra chorar: vai levar pau (epa!) por dentro e por fora!

    Já a Osmarina sobrou… Sua melhor chance, no futuro próximo, é acontecer alguma coisa ruim com o Alckmim. Caso contrário, vai continuar a fazer o papel de Cavaleira da Triste Figura, com chances ainda menores. Em 2014 ela assumiu abertamente o papel de linha auxiliar (vulgo bate-pau) tucana, subindo nos palanques dos bicudos no 2º turno. Deixou cair a velha e remelenta máscara que usou em 2010. Por causa disso, sua velha “base firme” (ex-petistas) rachou, e ficou menor. Uma outra saída pra ela é entrar de vez no PSDB. Mas, aí, Marina teria que peitar Alckmim e Aécio, o que é areia demais pro caminhãozinho dela (a menos que ela baixe a bola, se candidatando ao Senado, p.ex.). Não me surpreenderia se ela mudasse o domicílio eleitoral, pra disputar o governo de um Estado com mais expressão política.

    Pax,
    Eu passei a te chamar de direitopata, porque tu assumiste o discurso e o comportamento dos direitopatas, como todos os demais comentaristas já perteceberam há séculos.

    E essa história da tua amiga não convence ninguém.

    Agora, todos os neodireitopatas do Brasil se dizem “ex-petistas”… Esse papo é tão autêntico quanto uma cédula de R$ 4,78.

    Se a tua amiga ocupava (ou ocupa) uma posição subalterna, sem influência no processo decisório da Petrobras, então as questões de poder não chegam até a bancada onde ela ganha(va) o pão de cada dia. Ela sabe das coisas que a imprensa publica, e a arraia miúda (da qual ela faz parte) comenta. Fofoca!

    Se ela sabe das coisas, em vez de ficar bostejando contigo, eladeveria mais é abrir o verbo, ajudando a acabar com a quadrilha petrossáurica.

    Minha opinião: ela e tu estão blefando! Talvez mais tu do que ela…

  5. Elias said

    Patriarca,
    Acho que a Dilma deveria montar uma espécie de “Assessoria de Informação”, que, dentre outros serviços, checaria a situação do pessoal indicado para cargos como Ministro de Estado, Secretário Geral de Ministério, titulares de secretarias nacionais de ministério, diretores de departamentos ministeriais, presidentes, vice presidentes e diretores de estatais, etc.

    Um grupo que trabalhasse discretamente, mas que não brincasse em serviço nem livrasse a cara de ninguém.

    Além disso, ela deveria cobrar mais efetividade à CGU, que vive se esgasgando com mosquito, enquanto engole boiadas inteiras sem mastigar.

    A Presidente da República não tem poderes pra moralizar o país, mas ela tem a obrigação de manter a equipe de governo longe da lama, evitando nomear pilantras para cargos públicos, e metendo o pé na bunda de algum pilantra que ela tenha nomeado.

    A parte do pé na bunda bem que ela tem feito, porém depois que os escândalos estouram. Ou seja, ela tem agido reativamente, do que a direita tem se aproveitado pra politicalhar.

    Com uma CGU mais efetiva, e um bom trabalho de informação, o pé na bunda seria desferido antes do escândalo. Aí, o bônus político viria mais fácil…

  6. Pax said

    Blefando…. hehehe, caro Elias, cada vez pior, pego (seu partido) com as calças na mão não tem mais como se (seu partido) defender.

    Tá ficando cada dia mais feio que bater em mãe, caro Elias.

    Aceite, a cumpanheirada encastelada nos 25.000 cargos de confiança só faz merda, talvez nem todos, mas uns 99,99%.

    Se achando os reis do Brasil, os reis da verdade… aliás, parecido com um comentarista daqui.

  7. Pax said

    parece que muitos petistas se envergonham mesmo… menos de 6.000 na posse.

    http://noticias.uol.com.br/politica/ultimas-noticias/2015/01/01/apos-pt-prever-30-mil-pessoas-so-6000-veem-dilma-na-praca-dos-tres-poderes.htm

  8. Patriarca da Paciência said

    http://g1.globo.com/politica/noticia/2015/01/cerca-de-40-mil-pessoas-vao-esplanada-para-acompanhar-posse.html

    Cerca de 40 mil pessoas, segundo a PM, acompanham da Esplanada dos Ministérios, a posse da Dilma.

    É, caro Elias,

    parece que tem algo estranho acontecendo mesmo com o caro Pax,

    Veja aí, caro Pax, o link é do Globo

  9. Patriarca da Paciência said

    “Posse do Aécio foi marcada para 1º. de Abril”
    — Cerimonial da Prefeitura de Cláudio(PHA)

  10. Patriarca da Paciência said

    “Após um 2014 repleto de lutas, a Presidente Dilma anunciou o corte de verbas à editora Abril responsável pela revista VEJA e à Rede Globo com o Jornal Nacional, agora elas deixaram de receber mais de 6,1 milhões reais, economia para os cofres públicos.

    Parece que o governo não se esqueceu da matéria da Revista Veja baseada em fofocas e tem cortado o mal pelas pontas. Anúncios da Petrobrás, Caixa Econômica e Banco do Brasil serão cancelados com a representante mor do golpismo midiático brasileiro. Só com a petrolífera, a revista da “suposta matéria baseada em fofoca de WhatsApp” vai deixar de arrecadar 6.1 milhões de reais. E parece que não para por aí, os cortes vão se estender à revista Época, que hoje em dia, mais parece uma área de lazer tucana.
    Não compactuamos com mentirosos, disse a presidente Dilma.”

    http://ajusticeiradeesquerda.blogspot.com.br/2015/01/governo-anuncia-corte-de-verbas.html?m=1

    Caro Elias,

    Não sei se a notícia é verdadeira, não encontrei fontes seguras para checar, mas será que o PT, finalmente, começou a “abrir o saco de maldades” ?

    Será um ótimo começo.

  11. DAISE said

    O ministro, o português e o papagaio

    Brasil 02.01.2015

    Ricardo Berzoini assumiu o Ministério das Comunicações e, segundo a Veja, citou imediatamente o “projeto de censura da imprensa”. O Antagonista, em sua reunião de pauta, já tratou do aspecto mais pitoresco da questão. O modelo de regulamentação que o PT pretende adotar é o português. Para completar a piada de salão, ainda faltam o papagaio, o gago e o anão. Na verdade, o projeto petista de censurar a imprensa não é uma novidade. Existe desde o primeiro mandato de Lula. Não foi posto em prática até hoje porque provou ser desnecessário.

    De fato, a simples existência de um projeto de censura, nos últimos anos, foi o bastante para intimidar a imprensa e, em certos casos, para achacá-la.

    O novo apelido que o PT deu à sua impostura censória – “regulação econômica da mídia” – já deixa clara a sua intenção. O governo, direta ou indiretamente, é o maior anunciante do país, e quem quiser uma fatia desse dinheiro tem de se comportar.

    É tudo velho como piada de salão.

    http://veja.abril.com.br/070115/imagens/capa380.jpg?3

  12. Pedro said

    Pois é, a notícia tem vários ângulos:

    Dilma dorme durante próprio discurso de posse

    Dilma Rousseff fez um discurso escrito por Fidel Castro durante a sua posse. O discurso deu ênfase à educação, saúde e algumas outras questões importantes, mas que não foram assimiladas, pois como foi um pouco longo, durando 25 horas, deu um pouco de sono. Inclusive a própria Dilma dormiu durante seu discurso.

    Dilma disse que a grande sorte é que ela fala dormindo, então conseguiu falar e dormir sem atrapalhar a fluência do discurso. Sua equipe de marketing ficou orgulhosa: “é a primeira vez que a Dilma fala tanto tempo sem gaguejar, foi uma ótima ideia dublá-la!”

  13. Jose Mario HRP said

    Esse blog tão bom, está fenecendo com essa merda Daise.
    como ninfas sendo vitimizados por essas pragas, e canceres de Miami e Cia.
    Vermes direitistas, vermes sem limites.
    E Cartago sera seu fimmmmmm…

  14. DAISE said

    O PT gosta também de corrupção com gás

    Brasil 04.01.2015

    O jornal “O Globo” noticia que a Petrobras usou empresas de fachada para construir e fazer funcionar a parte do gasoduto Gasene que vai de Cacimbas (ES) a Catu (BA). Esse trecho (e provavelmente os outros dois também, que somam 433 quilômetros) teve custos superfaturados — atenção — em até 1.800%. A trapaça gigantesca foi descoberta por técnicos da Agência Nacional de Petróleo (ANP) e incluída numa auditoria realizada pelo Tribunal de Contas da União (TCU).

    Não, senhores, a coisa toda não veio à tona graças aos governos Lula e Dima, mas apesar deles. Lula, Dilma, Sérgio Gabrielli e Graça Foster inauguraram pessoalmente esse propinoduto, em 26 de março de 2010. Apesar das conclusões dos técnicos da ANP, a agência fechou os olhos para a fraude.

    Não deixa de ser admirável a quantidade de métodos de roubo imaginada pelos companheiros. Para fingir que se tratava de uma iniciativa privada, a Petrobras constituiu uma empresa de fachada — sim, a Petrobras — chamada Transportadora Gasene S.A.
    Uma outra empresa de fachada foi contratada para a “prestação de serviços”, a Domínio Assessores LTDA. Abandonando todo e qualquer cinismo — a essa altura uma homenagem que o vício prestaria à virtude –, ambas declararam endereço idêntico no Rio de Janeiro: uma salinha no centro da cidade.
    Mais: pelo mesmo contrato, o laranjão Antônio Carlos Pinto de Azeredo passou a presidir a… Transportadora Gasene. Um contratado que manda no contratante, vejam só. Para tocar esse trecho do Gasene que saiu por 3,78 BILHÕES, a tal Domínio tinha um capital social de apenas 10 000 reais.
    Quer dizer, o sentimento de impunidade era absoluto.

    A chinesa Sinopec ganhou, sem licitação, o gerenciamento do gasoduto, obra do PAC que teve 80% financiado pelo BNDES e custou, no total, 6 BILHÕES DE REAIS. Quando o trecho “dominado” foi inaugurado, Lula era presidente da República; Dilma, ministra das Minas e Energia; Sérgio Gabrielli era presidente da Petrobras; e Graça Foster, diretora de Gás e Energia da estatal. Sinopec…

    Sopraram no ouvido de O Antagonista que o PT lava dinheiro na China e na Rússia, países cujos sistemas financeiros são praticamente blindados aos controles internacionais.
    Daí o apreço do governo petista em relação a Putin e os dirigentes chineses. Mas não acreditamos, viu, pessoal?

    O Antagonista

  15. DAISE said

    O ministro que durou um dia

    Brasil 04.01.2015

    A Folha de S. Paulo, neste domingo, publica uma entrevista com o Ministro do Planejamento Nelson Barbosa, concedida dois dias atrás, antes que Dilma Rousseff o desmoralizasse publicamente.
    De lá para cá, ele se tornou um zumbi ministerial. Só a Folha de S. Paulo ainda lhe dá algum crédito.

    Dilma Rousseff já mostrou como Nelson Barbosa deve ser tratado. Ontem à tarde, ela ordenou que o ministro emitisse uma nota desmentindo tudo o que dissera à própria Folha de S. Paulo sobre o reajuste do salário mínimo. Além disso, ela mandou que sua assessoria de imprensa espalhasse um relato pormenorizado sobre a descompostura que lhe passou. De fato, todos os jornais repetiram a mesma fórmula: “irritada” ao ler as manchetes “na Base Naval de Aratu”, na Bahia, “onde descansa”, a presidente “determinou” por “telefone” que o ministro emitisse uma nota “voltando atrás” em suas blagues.
    Mais do que enquadrar Nelson Barbosa, Dilma Rousseff quis humilhá-lo, revelando os detalhes de seu pito. Qualquer pessoa com um mínimo de caráter já teria pedido demissão. Nelson Barbosa, claro, continua no cargo.

    Hoje, lendo a entrevista do ministro na Folha de S. Paulo, Dilma Rousseff ficará novamente irritada, sobretudo quando ele diz que o atual desvario no gasto público é “insustentável” a longo prazo. Aguarda-se um desmentido.

    O Antagonista

  16. DAISE said

    Quanto custa?

    Brasil 04.01.2015

    Os jornais noticiaram que Dilma Rousseff passou sua descompostura no ministro Nelson Barbosa diretamente da Base Naval de Aratu, na Bahia, onde descansa, mas ninguém se preocupou em noticiar quanto está custando ao contribuinte esse seu descanso. Dilma viajou com sua filha Paula, sua mãe Dilma Jane, seu neto Gabriel, seu genro, sua tia, seu sobrinho e a mulher de seu sobrinho. A alegre comitiva tomou um helicóptero até o aeroporto de Brasília, voou a Salvador no avião presidencial e seguiu para a Base Naval da Aratu a bordo de outro helicóptero. Dilma e seus parentes devem permanecer de férias até 7 de janeiro. O ministro Nelson Barbosa planeja pagar a conta.

    O Antagonista

  17. DAISE said

    DILMA 2 TOMA POSSE!

    rainha da bateria ?

    http://josiasdesouza.blogosfera.uol.com.br/2015/01/04/a-semana-apos-o-peru-e-a-lentilha-so-deu-dilma/

  18. DAISE said

    Dilma avacalha os novos ministros econômicos

    Para assumir o segundo mandato, Dilma interrompeu os banhos de Sol na praia que adorna a base naval de Aratu, na Bahia. No discurso de posse, queimou o novo ministro da Fazenda, Joaquim Levy. Reempossada, Dilma voltou à praia. Lendo os jornais, abespinhou-se. E tostou o novo ministro do Planejamento, ordenando-lhe que divulgasse um autodesmentido.

    De duas, uma: ou o sol da Bahia derreteu a memória de Dilma ou Levy e Barbosa entraram numa fria. A presidente faria um bem a si mesma se chamasse seus dois auxiliares econômicos para uma nova conversa. Não se sabe o que disse a ambos quando os convenceu a assumir o abacaxi que herdou de si mesma. Mas já está claro que, expressando-se no mesmo idioma, os três se desentenderam.

    Dilma queimou Levy no trecho do discurso inaugural em que virou a página da campanha presidencial. Para trás. A certa altura, ela disse: “As mudanças que o país espera para os próximos quatro anos dependem muito da estabilidade e da credibilidade da economia.” Por um instante, teve-se a impressão de que a oradora falaria sério. Mas ela retornou ao palanque na frase seguinte:

    “Isso, para nós todos, não é novidade. Sempre orientei minhas ações pela convicção sobre o valor da estabilidade econômica, da centralidade do controle da inflação e do imperativo da disciplina fiscal, e a necessidade de conquistar e merecer a confiança dos trabalhadores e dos empresários. Mesmo em meio a um ambiente internacional de extrema instabilidade e incerteza econômica, o respeito a esses fundamentos econômicos nos permitiu colher resultados positivos. Em todos os anos do meu primeiro mandato, a inflação permaneceu abaixo do teto da meta e assim vai continuar.”

    Quem assistiu deve ter perguntado aos seus botões, que não responderam porque também não entenderam nada: “Se a economia encontra-se estabilizada, se os cofres públicos estão em ordem, se a inflação não fugiu ao controle e se os resultados são tão positivos, por que diabos Dilma mandou ao olho da rua o companheiro Guido Mantega?”

    “Mais que ninguém sei que o Brasil precisa voltar a crescer”, disse Dilma noutro trecho. “Os primeiros passos desta caminhada passam por um ajuste nas contas públicas. […] Faremos isso com o menor sacrifício possível para a população, em especial para os mais necessitados. Reafirmo meu profundo compromisso com a manutenção de todos os direitos trabalhistas e previdenciários.” Esse palavrório refrigerado não combina com o compromisso árido assumido por Levy, sob refletores, de entregar um superávit de 1,2% do PIB já em 2015. Em reais, isso significa algo como R$ 100 bilhões. Contra esse pano de fundo, o “menor sacrifício possível” se parece muito com o sorvo de um gigante faminto.

    Um dia depois da posse da presidente, assumiram seus postos alguns dos 39 ministros. Entre eles Nelson Barbosa. Já na pele de titular do Planejamento, ele deu uma entrevista. Indagado sobre a fórmula de reajuste do salário mínimo, sapecou: “Vamos propor uma nova regra para 2016 a 2019 ao Congresso nos próximos meses. Continuará a haver aumento real do salário mínimo”.

    Levada às manchetes, a frase alcançou Dilma na praia. Irritada, ela tocou o telefone para Aloizio Mercadante, seu economista de cabeceira. Depois, ordenou a Barbosa que se imolasse em praça pública, desmentindo-se por escrito. Foi obedecida. Em sua nota, Barbosa foi curto e fino. Escreveu que “a proposta de valorização do salário mínimo, a partir de 2016, seguirá a regra de reajuste atualmente vigente.”

    A regra vigente prevê que o mínimo sobe conforme a inflação do ano anterior, acrescida da variação do PIB de dois anos antes. Essa fórmula só vale até este ano de 2015. Para renová-la ou modificá-la, o governo terá de enviar um projeto ao Congresso. Barbosa apenas antecipou uma mudança que lhe parecia decidida.

    Auxiliares de Dilma dizem que, de fato, o tema vinha sendo debatido internamente. Mas a presidente avaliou que o novo chefe do Planejamento atravessou o carro na frente dos bois. Nessa versão, Dilma só pretendia levar a novidade à vitrine no segundo semestre. Agora, babau.

    Uma coisa é preciso dizer sobre Dilma: ela cada vez se dá melhor com ela mesma. Não fosse pela insistência de Lula, não teria dado o cavalo-de-pau econômico, sequestrando a agenda de ajustes do adversário tucano. Executada a guinada, a inadequação é cada vez mais evidente.

    Dilma com Levy e Cia. a tiracolo vai passando a impressão de uma presidente que, no vaivém entre a praia baiana e o carpete brasiliense, vestiu o maiô de banho por cima do conjunto de saia e blusão que usou na posse.

    No fundo, o modelito dos sonhos de Dilma é mesmo Guido Mantega, um ministro prêt-à-porter, pronto para ser usado. Uma evidência de que, como na moda, os gestores econômicos vão e vêm, mudam sempre; o ridículo é que é permanente. Resta saber até que ponto Levy e Barbosa estão dispostos a aceitar a avacalhação.

    Josias

  19. DAISE said

    A velha Dilma de sempre
    05/01/2015 – 02h00

    Ninguém em Brasília, por mais próximo que fosse de Dilma, acertaria um bolão que perguntasse assim: “No segundo governo, quanto tempo a presidenta levará para desautorizar publicamente um dos seus auxiliares?”

    O mais esperto dos apostadores talvez cravasse “uma semana”. E logo seria apontado como desafeto de Dilma.

    Resposta certa: menos de um dia. A vítima: Nelson Barbosa, ministro do Planejamento.

    No meio da tarde da última sexta-feira, uma vez empossado, Barbosa se viu no centro de uma roda de jornalistas carentes de informações sobre o ajuste fiscal que vem por aí.

    Quem circula com passe livre pelo Palácio do Planalto informa que o ajuste será mais duro do que o imaginado aqui fora. Crivado de perguntas, o ministro resolveu saciar a curiosidade dos jornalistas.

    E disse que o governo irá propor ao Congresso uma nova regra para o reajuste do salário mínimo a partir de 2016. A regra atual, criada em 2008, cairá em desuso até dezembro.

    Barbosa teve o cuidado de garantir que “continuará a haver aumento real do salário mínimo”, cláusula pétrea da Era PT. Segundo ele, “a política do reajuste do salário mínimo é correta, mas precisa ser reavaliada”.

    Dilma não gostou quando soube da entrevista. E no sábado de manhã, na Base Naval de Aratu, na Bahia, onde descansa, subiu nas tamancas ao ler o que os jornais publicaram a respeito.

    Um telefonema de Aloizio Mercadante, chefe da Casa Civil da presidência da República, deu conta a Dilma da reação negativa das centrais sindicais à entrevista de Barbosa.

    Se não fosse a pessoa autoritária que é, acostumada a infundir medo e a humilhar subordinados, de uma simples secretária ao general que um dia saiu chorando do Palácio do Planalto depois de tratado aos gritos, Dilma poderia ter telefonado para Barbosa e tirado tudo por menos.

    Afinal, o ministro nada disse que não tivesse sido antes negociado com ela. E aprovado por ela.

    Uma Dilma tolerante, disposta a criar um ambiente favorável ao trabalho em equipe, a ouvir antes de falar, e a compartilhar o poder, na verdade seria outra Dilma e não essa que temos.

    Dividir o poder não se resume ao loteamento de cargos do governo entre partidos que o apoiam, mais ainda sabendo que tal prática favorece a corrupção acima de tudo. Como demonstrado.

    Mas quem disse que Dilma admite abrir mão de nacos do poder? Somente ela mesma…

    Barbosa distribuiu uma nota oficial na tarde do sábado dando o dito pelo não dito: “A proposta de valorização do salário mínimo a partir de 2016 seguirá a regra atualmente vigente”.

    Ou seja: um ponto importante da nova política econômica foi revogado mal o governo começou. E começou mal.

    Para provar que manda, Dilma desmoralizou seu ministro. Não satisfeita em fazê-lo, deixou que assessores vazassem para a imprensa sua indignação com “declarações consideradas inoportunas”.

    Ligado ao PT há muitos anos, Barbosa desmoralizou-se. Aceitou a reprimenda sem chiar. Baixou a cabeça. Aferrou-se ao emprego com gosto. E sem um pingo de vergonha.

    Nos fim do governo passado, Guido Mantega, da Fazenda, foi um ministro demissionário no exercício do cargo. Dilma antecipou que o mandaria embora caso se reelegesse.

    Barbosa poderá atravessar no cargo os próximos quatro anos. Nem por isso recuperará a autoridade perdida em menos de 24 horas.

    A sorte do novo governo depende cada vez mais de Joaquim Levy, sucessor de Mantega. Saiba Dilma que ele não é de levar desaforo para casa.

    Ricardo Noblat

  20. DAISE said

    Apostamos contra o governo

    Brasil 04.01.2015

    A reportagem da Veja sobre Joaquim Levy, publicada ontem, e a entrevista de Nelson Barbosa à Folha de S. Paulo, publicada hoje, escancaram aquilo que motivou o surgimento de O Antagonista: deve-se sempre apostar contra o governo.

    O delírio da Veja de que Joaquim Levy aplicaria um rigoroso programa de ajuste fiscal, sob o comando de Dilma Rousseff, já estava sendo ridicularizado antes mesmo que a revista chegasse às bancas.

    A entrevista de Nelson Barbosa à Folha de S. Paulo, com sua promessa de reduzir o gasto público, teve um destino ainda mais infame. Concedida na última sexta-feira, o jornal só a publicou hoje, como se, no meio-tempo, o ministro não tivesse sido desmoralizado pela presidente.

    Os sites financiados com dinheiro estatal, como Brasil 6X40000, festejam dizendo que “a mídia perde mais uma” e que “Dilma ainda está no comando”.

    É verdade: a mídia sempre perde quando aposta no governo.

    O Antagonista

  21. Pax said

    Caro Patriarca,

    Não há como não mudar. Sou pouco afeto a Síndrome de Estocolmo que parece ter tomado o coração valente da presidente. Saca da foto, e o texto.

    http://www1.folha.uol.com.br/poder/2015/01/1570557-nao-existe-mais-latifundio-no-brasil-diz-nova-ministra-da-agricultura.shtml

    Cá entre nós, que não se espalhe, mas Kátia Abreu não é cota do PMDB. É cota pessoal da presidente.

    Nem mesmo Kátia Abreu é PMDB, ela foi e continua do DEM. Só se bandeou para o PMDB pra poder mamar um pouco mais.

  22. Patriarca da Paciência said

    (…)
    “Em 2013, durante as eleições italianas, uma mensagem postada no Facebook espalhou-se como um rastilho de pólvora: “O Senado italiano adotou (com 257 votos a favor e 165 abstenções) uma lei proposta pelo senador Cirenga, que disponibilizará 134 bilhões de euros para os parlamentares irem procurar emprego, caso percam as eleições”.
    Tal paródia, no entanto, encontrou forte eco junto aos eleitores desencantados, que a retransmitiram 35 mil vezes em menos de um mês! Depois, a situação ganhou um rumo estranho. A frase começou a ser replicada em outras páginas da Internet dedicadas à análise política e acompanhada por comentários suplementares. Essas novas versões foram retransmitidas em toda a parte mas, desta vez, com uma aparência de respeitabilidade. Desde então, em toda a Itália, os manifestantes começaram a se servir dessa pretensa lei para provar que todo o mundo político é corrupto.”
    (…) (247)

    Calma, gente, isto é só mais uma “teoria de conspiração”.!

  23. Patriarca da Paciência said

    Caro Pax,

    eu li toda a entrevista da Kátia. Ela me pareceu bem coerente, com os pés bem assentados no chão. Promete assistência técnica continuada aos pequenos produtores, o que é muito bom. Reclama de invasões, o que é bem coerente e sincero da parte dela. Parece que tem como meta principal resolver o problema de logística do agro-negócio através da implantação de muitas hidrovias, um plano também muito bom. Então não vamos fazer pré-julgamentos. Como já falei várias vezes, o Brasil é uma democracia e cada partido representa um tipo de pensamento que existe em nosso país. Repito que o PMDB, com sua “política pendular” ainda é bem representativo de muito brasileiros e, portanto, mais que justo que tenho representantes no governo.

    É como disse aquele primeiro ministro chinês, que muitos consideram o grande iniciador da China moderna, “não importa a cor do gato, o que o importa é que cace ratos”.

  24. Patriarca da Paciência said

    http://www.brasil247.com/pt/247/revista_oasis/165088/Teorias-da-conspira%C3%A7%C3%A3o-O-mundo-doido-dos-grandes-conluios-e-compl%C3%B4s.htm

    O artigo de um neurocientista inglês sobre as famosas “teorias de conspiração” é muito bom. vale a pena ler.

    O Michele Carlão é um típico adepto das “teorias e conspiração”.

  25. DAISE said

    Honra ao demérito

    DORA KRAMER

    Não deve ser agradável, mas tampouco parece especialmente desconfortável à presidente Dilma Rousseff ler, ver e ouvir diariamente a massa de críticas à formação de seu Ministério, cuja proeza foi conseguir unanimidade na insatisfação e na atribuição de demérito (moral e profissional) a alguns dos ministros em relação às pastas para as quais foram escolhidos.

    A presidente simplesmente fez as coisas ao modo que lhe pareceu o mais pragmático sob a ótica do carcomido e ineficiente presidencialismo de coalizão. Da obsolescência e ineficiência do método dão notícias os conflitos entre o Planalto e sua base aliada de 394 deputados no primeiro mandato.
    Desta vez, a partir de 1º de fevereiro serão, só na Câmara, 329 parlamentares pertencentes a 10 partidos acomodados em ministérios. Em tese, maioria de votos de sobra. Na prática, um ministro não corresponde necessariamente à votação de uma bancada.

    Ainda mais nessa situação em que o time já entra em campo reclamando da escalação e emitindo sinais de insubmissão à diretoria. Basta ver a plataforma dos dois candidatos à presidência da Casa oriundos das principais bancadas governistas. Ambos – Eduardo Cunha, do PMDB, e Arlindo Chinaglia, do PT – disputam o lema da “independência” em relação ao Poder Executivo.

    Pois muito bem, nesse cenário seria um excelente gesto da presidente na direção da recuperação da credibilidade do governo a formação de um ministério de excelência. Bons quadros não faltam ao País nas mais diversas áreas: Esportes, Saúde, Educação, Minas e Energia, Previdência, Comunicações e assim por diante.

    Com certeza absoluta teria o apoio da sociedade contra o qual o Congresso não ousaria reagir. Ocorre, porém, que gente com notório saber, biografia e nome a zelar não aceita determinados papéis. Um Ministério de alto nível teria de obter da presidente compromisso de autonomia para estruturar projetos, negociar com o Congresso e cuidar das respectivas execuções. Contrariando, muitas vezes, interesses que o grupo no poder não está disposto a contrariar. Daí a governar há 12 anos sem ter promovido reformas estruturais nem avanços que direcionem o Brasil ao futuro.

    A lógica meramente eleitoral e a servidão à longevidade de uma liderança – no caso, o ex-presidente Luiz Inácio da Silva – afastam quaisquer expectativas de que o País deixe de patinar e passe a andar. A opção pela mediocridade é a regra. Não foi por outra razão que Lula escolheu Dilma Rousseff como sua sucessora.
    Pela certeza de que não lhe faria sombra. Ele nunca deu espaço para que florescessem novas lideranças no PT. Embriões de líderes não faltavam. Muitos abatidos por escândalos, mas outros deixados propositadamente em segundo plano em prol do brilho de uma única estrela.

    Assim é a mecânica adotada para a formação do governo do segundo mandato. Muito criticada, mas que atende perfeitamente aos planos, que não incluem compromisso com resultados concretos e sim com a capacidade de mistificação da realidade. Como, aliás, se viu no discurso de posse da presidente.

    O diagnóstico de que os brasileiros esperam do governo “mais e melhor” está correto. Mas a receita oferecida, ao menos em termos de equipe, não condiz com o prometido. Basta observar as manifestações de ministros que tomaram posse na sexta-feira.
    O titular do Esporte confessou: não entende do riscado e vai “ouvir” quem entende; o da Educação prometeu “diálogo com os professores”, acesso a creches, à pré-escola e mudança do currículo do ensino médio para daqui a dois anos; o da Integração Nacional anunciou mais um adiamento da conclusão da transposição das águas do rio São Francisco; e o de Comunicações acenou com “debate profundo” sobre o projeto de regulamentação da mídia.

    Um resumo do prólogo que não recomenda o conjunto da obra.

  26. DAISE said

    DILMA BOLADA

    https://pbs.twimg.com/media/B6iJllVIYAESprs.jpg:large

  27. Pedro said

    Sem conspiração e sem teoria, a realidade é esta mesmo:

    “Crescimento econômico do Brasil agora só pode ser visto no microscópio

    Quem diria: os economistas agora largaram as calculadoras e gráficos e terão que trabalhar com microscópios. Isso porque a previsão de crescimento econômico apresentada pelo Banco Central aponta para uma queda de 0,7% (que já era uma merda, ops) para 0.2%

    “Estamos fazendo uma licitação para a compra de equipamentos de laboratório, para que possamos continuar a trabalhar”, diz Luis Pederneiras, coordenador de compras do BC. Estranhamente, um microscópio custa 327 reais no mercado, mas para o Banco Central sairá por 2 mil reais. Esta aí algo que não precisa de microscópio para perceber.”

  28. Patriarca da Paciência said

    Todas essas aí e mais o Michele Carlão, estão muito preocupadas com a elegância da presidenta Dilma:

  29. Pax said

    Caro Patriarca,

    A Kátia Abreu fala que não há mais latifúndios no Brasil.

    O que pensava já está em curso, militância e simpatizantes defendendo Kátia Abreu.

    Era só o que faltava para o enterrro do PT. Quer dizer, enterrado já está, acho que agora é a tal pá de cal para o defunto não feder tanto.

    Passo seguinte vão passar a elogiar o Gilberto Kassab… basta esperar um pouco.

  30. Patriarca da Paciência said

    Caro Pax,

    “eu se abro” com essas suas idéias. Faz bem uns quinze anos que o Diogo Mainardi “decretou” a morte do Lula. “O Lula está morto, já era”, dizia o rato de Veneza. E o Lula está aí, firme e forte, cada vez mais prestigiado, não só dentro do Brasil como, principalmente, fora do Brasil. Já o rato de Veneza é que fugiu, não por perseguição do Lula, mas para não pagar as várias indenizações a que foi condenado pela Justiça Brasileira.

    O PT elegeu a Presidenta da República, elegeu governadores em estados importantes, como Minas Gerais e Bahia, cinco governadores ao todo. Perdeu o Rio Grande do Sul, mas Minas Gerais compensa bem a perda. Elegeu um pouco menos de deputados, mas todos os grandes partidos tiveram a mesma perda proporcional. Senadores, idem. Então como é que o PT está acabado ? Parece os delírios do rato de Veneza !

    Com toda a sinceridade, caro Pax, você acredita que, em qualquer parte do mundo, exista um governos formado apenas por homens puros e bons ? Eu, sinceramente, não acredito. Minha opinião é que todos os governos democráticos são coalizões, a não ser as ditaduras. Ditaduras sim, forma o governo com um só partido e está acabado. Mas nós não queremos ditadura para o Brasil, não é verdade ?

    Então é isso aí, caro Pax, governo democráticos tem que formar sustentação política. O governo brasileiro apenas repete aquilo que é regra em qualquer democracia do mundo.

    Nós é que não estamos acostumados com democracia. Afinal, a nossa, tem apenas 25 anos !

    O combate à corrupção tem apenas 10 anos !

    Temos muito chão ainda para andar !

    A Kátia Abreu terá que seguir as diretrizes da Dilma. E minha opinião é que a sua missão será, principalmente, resolver o problema da logística nos transportes, tendo como foco principal, as vias fluviais, o que é um velho sonho de todos os empreendedores brasileiros. Se ela desatar esse nó, já está de bom tamanho.

  31. Patriarca da Paciência said

    “Esta segunda-feira foi um dia melancólico para a Editora Abril, que edita a revista Veja; metade da sede do grupo, na Marginal Pinheiros, em São Paulo, foi desocupada e entregue à Previ, fundo de pensão dos funcionários do Banco do Brasil, que alugará os escritórios para outros clientes; quem chegou para trabalhar não encontrou mais o busto de Victor Civita, o fundador do império, na recepção; em crise, Abril fecha revistas e demite em todas as suas áreas”.
    (247)

    Veja aí quem parece estar em sérias dificuldades, caro Pax.

    Acho que não é o PT.

  32. Pax said

    Me admira teu otimismo com a direita mais tacanha, caro Patriarca.

    Enviada do meu iPhone

    >

  33. Patriarca da Paciência said

    Caro Pax,

    como dizia um antigo personagem do Jô Soares, o Dr. Sardinha, O Coutinho tem que coutinhar, o Saldanha tem que saldanhar (referia-se à seleção brasileira).

    É por aí, ou seja, cada um fazendo aquilo que sabe fazer. O governo continua sendo a Dilma, ela é quem dá as diretrizes. Cada ministro vai atuar especificamente na sua área. A Kátia vai ter que mostrar que sabe fazer especificamente no ramo dela e eu gostei bastante do que ela anunciou, ou seja, assistente técnica permanente aos pequenos agricultores e resolver o problema do transporte brasileiro, principalmente através da vias fluviais. Gostei muito das diretrizes.

    Se a Kátia katiar eficientemente, para mim, está tudo bem !

  34. DAISE said

    O SÍTIO DO PICA-PAU VERMELHOb

    A conclusão ( após ler os comentários acima):

    O caro Pax e o P. da Papuda são “progressistas reacionários”.Sui generis.
    Cada um a seu modo peculiar. E em estado avançado.

    P. da P é tipo “polyanna” sem censura e oPax é mais “biscoito fino” (com falta de massa ). Peremptório!.

    HEHEHEEHeeee!

  35. Pax said

    Caro Patriarca,

    você me lembrou da fábula do escorpião e do sapo

    http://pt.wikipedia.org/wiki/O_Escorpi%C3%A3o_e_o_Sapo

    ou seja, meu caro, a direita sempre é a direita, é sua natureza.

    Se você fica confortável que a direita passe a atuar no governo, fico confortável pacas de dizer que estamos em posições opostas.

    E também fico confortável que você tenha uma posição muito diferente da minha. Aqui neste espaço a pluralidade sempre foi incentivada. Mas com a direita, desculpe-me, eu não vou.

  36. Jose Mario HRP said

    Em Miami os cães ladram e os cubanos no Brasl…….

    Ehttp://www.conversaafiada.com.br/politica/2015/01/05/mais-medicos-zera-mortalidade-infantil-no-piaui/

  37. Patriarca da Paciência said

    Mauro Santayana

    “Inaugura-se, nesta quinta-feira, novo ano no Calendário Gregoriano, o de número 2015 após o nascimento de Jesus Cristo, 515, depois do Descobrimento, 193, da Independência, e 125, da Proclamação da República.

    Tais referências cronológicas ajudam a lembrar que nem o mundo, nem o Brasil, foram feitos em um dia, e que estamos aqui como parte de longo processo histórico que flui em velocidade e forma muitíssimo diferentes daquelas que podem ser apreendidas e entendidas, no plano individual, pela maioria dos cidadãos brasileiros.

    Ao longo de todo esse tempo, e mesmo antes do nascimento de Cristo, já existíamos, lutávamos, travávamos batalhas, construíamos barcos e pirâmides, cidades e templos, nações e impérios, observávamos as estrelas, o cair da chuva, o movimento do Sol e da Lua sobre nossas cabeças, e o crescimento das plantas e dos animais.

    Em que ponto estamos de nossa História?

    Nesta passagem de ano, somos 200 milhões de brasileiros, que, em sua imensa maioria, trabalham, estudam, plantam, criam, empreendem, realizam, todos os dias.

    Nos últimos anos, voltamos a construir navios, hidrelétricas, refinarias, aeroportos, ferrovias, portos, rodovias, hidrovias, e a fazer coisas que nunca fizemos antes, como submarinos – até mesmo atômicos – ou trens de levitação magnética.

    Desde 2002, a safra agrícola duplicou – vai bater novo recorde este ano – e a produção de automóveis, triplicou.

    Há 12 anos, com 500 bilhões de dólares de PIB, devíamos 40 bilhões de dólares ao FMI, tínhamos uma dívida líquida de mais de 50%, e éramos a décima-quarta economia do mundo.

    Hoje, com 2 trilhões e 300 bilhões de dólares de PIB, e 370 bilhões de dólares em reservas monetárias, somos a sétima maior economia do mundo. Com menos de 6% de desemprego, temos uma dívida líquida de 33%, e um salário mínimo, em dólares, mais de três vezes superior ao que tínhamos naquele momento.

    De onde vieram essas conquistas?

    Do suor, da persistência, do talento e da criatividade de milhões de brasileiros. E, sobretudo, da confiança que temos em nós mesmos, no nosso trabalho e determinação, e no nosso país.

    Não podemos nos iludir.

    Não estamos sozinhos neste mundo. Competimos com outras grandes nações, que conosco dividem as 10 primeiras posições da economia mundial, por recursos, mercados, influência política e econômica, em escala global.

    Não são poucos os países e lideranças externas, que torcem para que nossa nação sucumba, esmoreça, perca o rumo e a confiança, e se entregue, totalmente, a países e regiões do mundo que sempre nos exploraram no passado – e ainda continuam a fazê-lo – e que adorariam ver diminuída a projeção do Brasil sobre áreas em que temos forte influência geopolítica, como a África e a América Latina.

    Nosso espaço neste planeta, nosso lugar na História, foi conquistado com suor e sangue, por antepassados conhecidos e anônimos, entre outras muitas batalhas, nas lutas coloniais contra portugueses, holandeses, espanhóis e franceses; na Inconfidência Mineira, e nas revoltas que a precederam como a dos Beckman e a de Filipe dos Santos; nas Conjurações Baiana e Carioca, na Revolução Pernambucana; na Revolta dos Malês e no Quilombo de Palmares; na Guerra de Independência até a expulsão das tropas lusitanas; nas Entradas e Bandeiras, com a Conquista do Oeste, da qual tomaram parte também Rondon, Getúlio e Juscelino Kubitscheck; na luta pela Liberdade e a Democracia nos campos de batalha da Europa, na Segunda Guerra Mundial.

    As passagens de um ano para outro, deveriam servir para isso: refletir sobre o que somos, e reverenciar patriotas do passado e do presente.

    Brasileiros como os que estão trabalhando, neste momento, na selva amazônica, construindo algumas das maiores hidrelétricas do mundo, como Belo Monte, Jirau e Santo Antônio; como os que vão passar o réveillon em clareiras no meio da floresta, longe de suas famílias, instalando torres de linhas de alta tensão de transmissão de eletricidade de centenas de quilômetros de extensão; ou os que estão trabalhando, a dezenas de metros de altura, em nossas praias e montanhas, montando ou dando manutenção em geradores eólicos; ou os que estão construindo gigantescas plataformas de petróleo com capacidade de exploração de 120.000 barris por dia, no Rio de Janeiro e no Rio Grande do Sul, como as 9 que foram instaladas este ano; ou os que estão construindo novas refinarias e complexos petroquímicos, como a RENEST e o COMPERJ, em Pernambuco e no Rio de Janeiro; ou os que estão trabalhando na ampliação e reforma de portos, como os de Fortaleza, Natal, Salvador, Santos, Recife, ou no término da construção do Superporto do Açu, no Rio de Janeiro; ou os técnicos, oficiais e engenheiros da iniciativa privada e da Marinha que trabalham em estaleiros, siderúrgicas e fundições, para construir nossos novos submarinos convencionais e atômicos, em Itaguaí; os técnicos da AEB – Agência Espacial Brasileira, e do INPE – Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais, que acabam de lançar, com colegas chineses, o satélite CBERS-4, com 50% de conteúdo totalmente nacional; os que trabalham nas bases de lançamento espacial de Alcântara e Barreira do Inferno; os oficiais e técnicos da Aeronáutica e da Embraer, que se empenham para que o primeiro teste de voo do cargueiro militar KC-390, o maior avião já construído no Brasil, se dê com sucesso e dentro dos prazos, até o início de 2015; os operários da linha de montagem dos novos blindados do Exército, da família Guarani, em Sete Lagoas, Minas Gerais, e os engenheiros do exército que os desenvolveram; os que trabalham na linha de montagem dos novos helicópteros das Forças Armadas, na Helibras, e os oficiais, técnicos e operários da IMBEL, que estão montando nossos novos fuzis de assalto, da família IA-2, em Itajubá; os que produzem novos cultivares de cana, feijão, soja e outros alimentos, nos diferentes laboratórios da EMBRAPA; os que estão produzindo navios com o comprimento de mais de dois campos de futebol, e a altura da Torre de Pisa, como o João Candido, o Dragão do Mar, o Celso Furtado, o Henrique Dias, o Quilombo de Palmares, o José Alencar, em Pernambuco e no Rio de Janeiro; os que estão construindo navios-patrulha para a Marinha do Brasil e para marinhas estrangeiras como a da Namíbia, no Ceará; os engenheiros que desenvolvem mísseis de cruzeiro e o Sistema Astros 2020 na AVIBRAS; os que estão na Suécia, trabalhando, junto à Força Aérea daquele país e da SAAB, no desenvolvimento do futuro caça supersônico da FAB, o Gripen NG BR, e na África do Sul, nas instalações da DENEL, e também no Brasil, na Avibras, na Mectron, e na Opto Eletrônica, no projeto do míssil ar-ar A-Darter, que irá equipá-los; os nossos soldados, marinheiros e aviadores, que estão na selva, na caatinga, no mar territorial, ou voando sobre nossas fronteiras, cumprindo o seu papel de defender o país, que precisam dessas novas armas; os pesquisadores brasileiros das nossas universidades, institutos tecnológicos e empresas privadas, como os que trabalham ITA e no IME, no Laboratório Nacional de Luz Síncrotron, ou no projeto de construção e instalação do nosso novo Acelerador Nacional de Partículas, no Projeto Sirius, em São Paulo; os técnicos e engenheiros da COPPE, que trabalham com a construção do ônibus brasileiro a hidrogênio, com tubinas projetadas para aproveitar as ondas do mar na geração de energia, com a construção da primeira linha nacional de trem a levitação magnética, com o MAGLEV COBRA; nossos estudantes e professores da área de robótica, do Rio de Janeiro, São Paulo, Mato Grosso, Minas Gerais, várias vezes campeões da Robogames, nos Estados Unidos.

    Neste momento, é preciso homenagear esses milhões de compatriotas, afirmando, mostrando e lembrando – e eles sabem e sentem profundamente isso – que o Brasil é muito, mas muito, muitíssimo maior que a corrupção.

    É esse sentimento, que eles têm e dividem entre si e suas famílias, que faz com que saíam para trabalhar, com garra e determinação, todos os dias, cheios de orgulho pelo que fazem e pelo nosso país.

    E é por causa dessa certeza, que esses brasileiros estão se unindo e vão se mobilizar, ainda mais, em 2015, para proteger e defender as obras, os projetos e programas em que estão trabalhando, lutando, no Congresso, na Justiça, e junto à opinião pública, para que eles não sejam descontinuados, destruídos, interrompidos, colocando em risco seus empregos, sua carreira, e a sobrevivência de suas famílias.

    Eles não têm tempo para ficar teclando na internet, mas sabem que não são bandidos, que não cometeram nenhum crime e que não merecem ser punidos, direta ou indiretamente, por atos dos quais não participaram, assim como a Nação não pode ser punida pelos mesmos motivos.

    Eles têm a mais absoluta certeza de que a verdadeira face do Brasil pode ser vista nesses projetos e empresas – e no trabalho de cada um deles – e não na corrupção, que se perpetua há anos, praticada por uma ínfima e sedenta minoria. E intuem que, às vezes, na História, a Pátria consegue estabelecer seus próprios objetivos, e estes conseguem se sobrepor aos interesses de grupos e segmentos daquele momento, estejam estes na oposição ou no governo.”

  38. Jose Mario HRP said

    O velho Chile de sempre, povo arrogante e sabujo dos EUA.

    http://operamundi.uol.com.br/conteudo/reportagens/38991/chile+apos+serie+de+ofensas+racistas+jogador+de+futebol+venezuelano+pede+para+sair+de+time.shtml

  39. Jose Mario HRP said

    Patriarca, Mauro Santayana um grande brasileiro.

  40. Patriarca da Paciência said

    Concordo HRP,

    o artigo do Mauro Santayana é esplêndido ! Todos os brasileiros deveriam lê-lo. Assino embaixo tudo que ele diz.

  41. DAISE said

    LULA : DELENDA MERCADANTE

    MERCADANTE ‘SEQUESTROU O GOVERNO’, DIZ LULA
    O ex-presidente Lula atribui ao ministro Aloizio Mercadante (Casa Civil) as negociações que considera desastrosas para formação do ministério do governo Dilma II. Em reunião com políticos aliados, há dias, ele afirmou, muito irritado: “Mercadante sequestrou o governo!”. Lula acha que Dilma levou em conta apenas as opiniões do ministro, que para ele não é exatamente o articulador político mais inteligente e perspicaz.
    Compartilhar
    MURO DAS LAMENTAÇÕES
    Lula recebeu aliados que o procuraram para se queixar das escolhas da presidenta Dilma para os ministérios no segundo mandato.
    Compartilhar
    SEM RESERVA
    Após falar mal de Aloizio Mercadante, Lula pediu reserva, mas dois parlamentares presentes relataram a conversa à coluna.
    Compartilhar
    ANTIPATIA
    O ex-presidente jamais escondeu sua antipatia por Mercadante. Sempre o manteve distante do núcleo de decisão do seu governo.
    Compartilhar
    ME DEIXA
    Um poço de mágoas com a sucessora, Lula teve participação discreta na posse dela. Foi embora de fininho, antes de terminar a cerimônia.

    ———————————
    O dedo de Mercadante

    No governo, atribui-se a Aloizio Mercadante ter riscado o fósforo que incendiou a manhã de sábado de Nelson Barbosa.

    Ou, em outras palavras, quem insistiu com Dilma Rousseff sobre a necessidade de desmentir Barbosa na sensível questão da alteração das regras de reajuste do salário mínimo foi Mercadante, o braço direito e esquerdo da presidente.

    —————–

    Isso ainda vai dar merda!

  42. Patriarca da Paciência said

    As aves agourentas e as torcidas escabrosas do contra, em plena ação. Tentam de tudo criar intriga entre Lula e Dilma sem conseguir nada. Agora estão tentando criar intriga entre Lula e Mercadante. Mas nada vão conseguir. Todos no PT já estão vacinados contra essa política rastaquera. Podem tentar à vontade !

  43. Patriarca da Paciência said

    Ciro Gomes, quando fala de maneira calma e bem humorada, apresenta um ótimo pensamento político !

  44. Patriarca da Paciência said

    “Reportagem desta terça-feira do jornal Estado de S. Paulo é um exemplo de como vazamentos apressados e seletivos podem causar danos a reputações de terceiros; na manchete escandalosa, o jornal acusava o grupo J&F, que controla o frigorífico JBS, de ter um acordo com o ex-diretor da Petrobras, Paulo Roberto Costa; segundo a reportagem, a anotação de um certo “Franklein” indicaria até um acerto para pagamento de propina envolvendo Agenor Franklin Martins, executivo da OAS, preso na Operação Lava Jato; o Franklin é outro, falou ao 247, e a história é completamente diferente”.

    247 – Paulo Roberto Costa, ex-diretor da Petrobras, faz a seguinte anotação na sua agenda: “J&F 20/10/12. Consultoria Paulo (100%) Success fee 75% Paulo 25% Franklein. 3% empresa. 3% J&F”. Foi o bastante para que a Polícia Federal conectasse o grupo J&F, que controla o frigorífico JBS, ao escândalo da Operação Lava Lato. Agentes da PF intuíram que “Franklein” seria Agenor Franklin Martins Medeiros, executivo da OAS preso na Lava Jato. E passaram a desconfiar que ele seria um agente responsável por repassar propinas, em nome da J&F.

    A partir dessa conclusão, a história vazou para o jornal Estado de S. Paulo, que publicou uma manchete com tintas escandalosas: ‘Planilha sugere acordo de J&F com ex-diretor de estatal’. Resultado: a conexão Friboi-Lava Jato, com óbvias conotações políticas, se espalhou pelas redes sociais, afetando até as ações do frigorífico na BM&FBovespa.

    O problema, no entanto, é que a história é completamente diferente. O tal “Franklein”, da anotação de Paulo Roberto Costa, é Franklin Mandim Pereira, publicitário de Goiás, que mantém boas relações com a família Batista, controladora da J&F. Em 2012, ele apresentou Costa ao empresário Joesley Batista. E o ex-diretor da Petrobras ofereceu ao grupo a compra de uma empresa chamada Astromarítima.

    Como é comum em transações desse tipo, haveria uma comissão de sucesso, a chamada “success fee”, de 6% do valor da transação (metade paga pelo comprador, metade pelo vendedor). Desta comissão, Paulo Roberto Costa ficaria com 75% e Franklin Mandim Pereira com 25%. Simples assim.

    “Conheci o Paulo Roberto Costa, apresentei ao Joesley, ele levou um projeto de investimento e a ideia foi recusada”, disse o verdadeiro Franklin ao 247. “Era uma operação normal, de mercado, que não tem nada a ver com esse outro Franklin da OAS”.

    No entanto, antes mesmo de apurar a história, a Polícia Federal vazou fragmentos de uma anotação na agenda de Paulo Roberto Costa para o jornal Estado de S. Paulo. Na pressa de gerar um novo escândalo, o que se conseguiu, apenas, foi manchar a reputação de um grupo empresarial e derrubar suas ações.

    Leia, abaixo, a nota publicada pela J&F:

    Mais uma vez, com muita indignação, a J&F Investimentos vem a público responder outra reportagem que agride a reputação da empresa, não respeita nossos 60 anos de história nem as marcas que fazem parte do grupo. De forma precipitada, a matéria do Estado de S. Paulo sugere, por meio de informações falsas, incompletas e frágeis, conexão da J&F Investimentos com a operação Lava Jato.

    Esclarecemos mais uma vez que:

    1- A J&F Investimentos reafirma que não há, nem nunca houve, nenhum contrato assinado ou qualquer relação entre o grupo e o senhor Paulo Roberto Costa.

    2- Na tentativa de oferecer à J&F Investimentos a Astromarítima para venda, negócio cujo interesse foi declinado imediatamente, o senhor Paulo Roberto Costa foi apresentado à nossa empresa pelo senhor Franklin Mandim Pereira, ex-diretor da Blow-up Produções, e não pelo senhor Agenor Franklin Magalhães Medeiros, executivo da OAS, como sugere erradamente a reportagem do jornal.

    3- A J&F enfatiza ainda que não se responsabiliza por anotações feitas em cadernetas pessoais do senhor Paulo Roberto Costa, com quem não tem qualquer relacionamento.

    4 – A J&F Investimentos – um dos maiores grupos privados do Brasil, presente em mais de 50 países – preza pela transparência e segue rigorosas regras de governança no Brasil e no exterior.

    5- A J&F sempre esteve e estará pronta para prestar quaisquer esclarecimentos adicionais às autoridades competentes.”

    E agora ? Qual o Chapolin Colorada que vai ajudar os “agentes vazadores”?

    Minha opinião é que esses caras se meteram num embrulho muito grande !

    Está vendo aí, caro Pax, no que dar acreditar em “vazamentos seletivos” ?

  45. Patriarca da Paciência said

  46. DAISE 2.0 said

    DISSONÂNCIA COGNITIVA

    pax, badass, tolinho e dilminho sofrem desse distúrbio psicológico?

  47. Pedro said

    Patriarca, ou te chamo de bobo da corte, ou te mando tomar dentro.

    O governo Lula, através do BNDES, encheu o ce ú desta empresa, (Friboi, ou JBS) de dinheiro, que é meu, teu, nosso, enfim de todo o povo brasileiro.
    A explicação oficial é: propiciar a criação de uma empresa para competir no mercado internacional,

    É lógico que as ilações,de que a família imperial, Inácio da silva, possuam fartas parcelas de ações da empresa, são apenas intrigas da oposição.

    Se vc fosse catarinense mesmo, entenderia pelo menos um dos motivos, porque o PT obteve no estado a pior votação do país.

    A JBS , com o dinheiro meu, teu, nosso, comprou várias empresas pequenas que atuavam, com a tal produção integrada.(Tramonto, agrovêneto, etc).

    Com o monopólio, não reajustou mais o preço.

    Vários casos de suicídio. Chamaram até os bispos pra intervir, vc deveria saber disto, já que se arvora como defensor dos pequenos.
    Os coitados investiram, acreditaram na tal agricultura familiar, que vamos combinar, SC é o estado onde funciona melhor.

    E o PT ainda vem com a papagaiada que é o governo dos pequenos.

  48. Pax said

    A tão amada Katia Abreu, pelos neopetistas, contestada pelo CIMI

    http://www.brasil247.com/pt/247/agro/165618/Conselho-Indigenista-repudia-fala-de-K%C3%A1tia-Abreu.htm

    Logo do site 247…

    Mas há quem defende, como o caro Patriarca. Cá respeito discordando muito.

  49. Pax said

    Só que Katia Abreu mente, descaradamente — é da natureza da escorpiã

    http://www.revistaforum.com.br/rodrigovianna/plenos-poderes/katia-abreu-mais-de-100-milhoes-de-hectares-passaram-para-o-controle-de-latifundiarios-desde-2003/

  50. Patriarca da Paciência said

    Pedro,

    papagaiada é isso que você repete. Puros clichês da “óia” e dos jornais do Kamelo !

    Em lugar de raciocinar um pouco, você prefere acreditar que o Lulinha é dono da Friboi, da Universidade Luiz de Queiroz, de uma frota de aviões à jato, etc.etc.etc.

    É isso aí. Lamentável ! Profundamente lamentável !

    Mas a crença é bem mais cômoda que o raciocínio ! Fazer o quê ?

    E a verdadeira máfia que é essa turma de médicos que vive fraudando o meu, o teu, o nosso dinheirinho, você não fala nada ?

    Isso aí é regra geral na tal “iniciativa privada”.

    Mas é claro que você acha tudo translumbrante !

  51. Patriarca da Paciência said

    Essa aqui é muito boa !

    “Juiz cagão:

    Quando você pensou que essa onda de juízes e deuses já tinha acabado, eis que um novo capítulo acontece e muda os rumos da história.

    O juiz Jeferson Ricolchete Neto do Rio Grande do Sul resolveu colocar um pouco mais de lenha na fogueira e reacender a discussão sobre declarações recentes que nenhum juiz é Deus.

    Em seu facebook o juiz disse: “Para acabar com essas discussões bobas e sem nenhum fundamento, decidi tirar uma foto (polêmica aos olhos de alguns) para provar que nenhum juiz é um Deus, nós somos feitos de carne e osso, comemos, dormimos e inclusive vamos ao banheiro e trabalhamos nas mais impensadas horas”

    http://www.naoentendodireito.com/2014/11/juiz-posta-foto-no-banheiro-e-diz-juiz.html

  52. Patriarca da Paciência said

  53. Patriarca da Paciência said

    Olha aí, Pedro, comenta alguma coisa sobre o que estão fazendo com o meu, com o teu, com o nosso dinheirinho:

    “Empresa de SC é citada em denúncia de fraude em cirurgias ortopédicas”

    http://g1.globo.com/sc/santa-catarina/noticia/2015/01/empresa-de-sc-e-citada-em-denuncia-de-fraude-em-cirurgias-ortopedicas.html

  54. Zbigniew said

    Discutir com esse pessoal que só “raciocina”(?!) dentro dos limites do “jornalismo”(?!) do panfleto da Abril é perda de tempo.

    E não tem dinheiro da Nasper ou de outros agentes externos que dê jeito. Como diz o Elias, a Abril tá encolhendo e só não acaba porque o governo de São Paulo (e outros) financiam a blindagem.

    Tampei o nariz e folheei (porque lê aquilo é puro masoquismo) a primeira edição do ano e não percebi nenhuma propaganda do governo federal (Petrobrás, BB, Caixa). Ao que parece, pelo menos nesse caso, o governo tá agindo como deve. Tá no jogo? Então tem que ser jogado e suporte as consequências.

  55. Patriarca da Paciência said

    Zbigniew ,

    eu também espero que tenha acabado esse masoquismo do governo de alimentar cobras ! A “óia” jogou do modo mais abjeto durante toda a campanha eleitoral. Véspera da eleição jogou a sua última, maior e mais suja cartada. Ainda assim a Dilma venceu, então, agora, tem mais é que dar um chute nos traseiros dessa turma toda. E o tiro de misericórdia, por mim, seria com uma metralhadora ponto cinquenta. Chega de alimentar cobras !

  56. Jose Mario HRP said

    Covardes mataram 12 jornalistas em Paris.
    Sempre covardemente usando o nome Deus.
    O islã não evolui por conta do fanatismo estéril e medieval.
    As ultimas chances de evoluir estão sendo dadas.

  57. Jose Mario HRP said

    NNNNNNNNN

    Não gostaria de estar na pele desses terroristas.
    A policia francesa costuma caçar matar caras assim.
    Sem julgamento.
    Vide o fim dos tres argelinos em 1995.
    Viraram peneira.

  58. DAISE said

    #s 54 e 55

    Na verdade vocês NÃO toleram oposição.
    Vocês se julgam “do bem” e quem pensa diferente é tratado como sendo “do mal”

    Sofrem de “dissonância cognitiva” em estado terminal!”

    Dissonância cognitiva é um termo da psicologia social, que se refere ao conflito entre duas ideias, crenças ou opiniões incompatíveis.
    Como esse conflito geralmente é desconfortável os indivíduos procuram acrescentar “elementos de consonância”, mudar uma das crenças, ou as duas, para torna-las mais compatíveis.

  59. DAISE 2.0 said

    Desenhe um Maomé e morra
    Mundo 07.01.2015

    O editor-chefe do Charlie Hebdo, Stéphane Charbonnier, foi assassinado pelos terroristas. Ele constava de uma lista de dez pessoas juradas de morte pela Al-Qaeda. Em 2012, publicou na revista os seguintes versos:

    Retrate um Maomé glorioso, e morra

    Desenhe um Maomé engraçado, e morra

    Rabisque um Maomé repugnante, e morra

    Faça um filme de merda sobre Maomé, e morra

    Não se deve negociar com os fascistas

    A liberdade de rir sem limites é garantida por lei

    e é renovada pela violência sistemática dos extremistas

    Obrigado, bando de imbecis

  60. DAISE 2.0 said

    DISSONÂNCIA COGNITIVA

    A presidenta Dilma Rousseff divulgou, há pouco, nota em que diz ter recebido, com “profundo pesar e indignação”, a notícia do “sangrento e intolerável atentado terrorista” à redação do jornal satírico francês Charlie Hebdo, nesta quarta-feira (7), em Paris.

    “Esse ato de barbárie, além das lastimáveis perdas humanas, é um inaceitável ataque a um valor fundamental das sociedades democráticas – a liberdade de imprensa”, registra a presidenta da nota.

    Na mensagem, Dilma presta condolências aos parentes das vítimas do atentado e expressa também ao presidente da França, François Hollande, e ao povo francês, a solidariedade de seu governo e da nação brasileira.

    Segundo o mais recente balanço oficial, 12 pessoas pessoas morreram no ataque à redação do jornal. Por volta das 11h30 (horário local), dois homens armados entraram na sede do Charlie Hebdo, no 11º arrondissement (bairro) de Paris. No local, houve troca de tiros entre os autores do atentado e as forças de segurança, relatou uma fonte próxima da investigação à agência de noticias France Presse. Segundo testemunhas citadas por uma fonte policial, os homens encapuzados que atacaram a redação gritaram “vingamos o profeta”.

    O presidente francês, François Hollande, foi para o local e classificou o “ataque terrorista” de “extrema barbárie”.

    …………….

    Quando a sede da Abril (Veja) foi atacada por miltantes extremados, a presidenta se calou.

    E vocês também!

  61. DAISE 2.0 said

    EU SOU CHARLIE

    E aqui em varias línguas:

    http://www.charliehebdo.fr/20150107171028368.pdf

  62. Zbigniew said

    Não existe oposição no Brasil. Não uma oposição digna deste nome. Propositiva e que faça um contraponto válido ao PT.

    O PT se posicionou no poder e por ele deixou-se moldar e modificar. A “ética” manteve-se onde sempre esteve, no pragmatismo e nas coalizões fonte do fisiologismo mais abjeto e corrupto, típico de uma república de bananas.

    Nisso o PT não pode (e não quis) modificar, traindo o seu discurso de moralização que, no fundo, era uma falácia, uma utopia. Não há como impor uma revolução nos costumes políticos num regime democrático à brasileira, submetido ao tripé poderes midiáticos-econômicos-políticos de forma unilateral. Pelo menos para aqueles que querem permanecer o maior tempo possível como titular de um governo. E o PT não iria abrir mão de seu projeto, como nenhum outro partido, nem aqui e nem em nenhum outro lugar do mundo.

    O que sobra? Aquilo que diferenciou os governos petistas dos anteriores: o progressismo. Melhorou a vida do povo? Melhorou. Mais do que todos os governos anteriores? Sim. Então porque mudar? Pela simples reverência ao princípio da alternância do poder? Pergunta pros paulistas se eles querem alternância de poder. Pergunta para um nordestino se ele quer alternância de poder. Se a maioria dos interesses estão sendo atendidos de um lado ou do outro, pergunta-se : por que mudar?

  63. DAISE 2.0 said

    Afinal # 62:

    1. por que que a oposição para ser tem que ser “propositiva”?
    A situação é propositiva?

    2. você é um “progressista conservador”?

    3. entendeu agora o conceito de DISSONÂNCIA COGNITIVA ?

    PS: Em São Paulo capital os eleitores derrotaram o PSDB e elegeram Haddad do PT (e não estão gostando).

  64. Elias said

    “Esta segunda-feira foi um dia melancólico para a Editora Abril, que edita a revista Veja; metade da sede do grupo, na Marginal Pinheiros, em São Paulo, foi desocupada e entregue à Previ, fundo de pensão dos funcionários do Banco do Brasil, que alugará os escritórios para outros clientes; quem chegou para trabalhar não encontrou mais o busto de Victor Civita, o fundador do império, na recepção; em crise, Abril fecha revistas e demite em todas as suas áreas”.

    Craca! Começou mais cedo do que eu supunhetei…

    Isso aí é uma péssima notícia pro Aécio e pro FH do C dele.

    Com os Civita totalmente dependentes dos cofres públicos de São Paulo, a desconstrução do rapaz nem vai esperar pelo PT…

    Em linguagem contábil, coimo cabe em início de ano, Aécio está e estará aí pra ser estornado!

    E a Marina, a partir de agora, passa a torcer por um desastre de avião que faça o romaneio do Alckmim para a terceira instância…

    Ô gentinha péssima do cão…

    Huá! Huá! Huá! Huá! Huá! Huá!

  65. DAISE 2.0 said

    A senha: ‘SG9W’

    Alguns dos maiores segredos da Petrobras vazaram numa operação de espionagem realizada por brasileiros, entre eles um diretor da estatal indicado por deputado do PMDB

    Parece formigueiro quando se observa da janela, no alto da torre desenhada como plataforma de petróleo. A massa serpenteia, quase atropelando vendedores de ilusões lotéricas, espertos do carteado e ambulantes de afrodisíacos à volta dos prédios. Na paisagem se destaca um paletó preto surrado. Bíblia na mão direita e “caixa-para-doações” na esquerda, ele bacoreja: “Irmãos, o apocalipse está chegando!”

    Naquela quinta-feira, 7 de abril de 2011, seu palpite ecoava numa cidade perplexa com a carnificina de 12 estudantes em insano ataque numa escola de Realengo, na Zona Norte.

    No alto da torre, porém, o mundo era outro. Emoções oscilavam entre a euforia das renovadas promessas de óleo fator sob a camada do pré-sal e a depressão com o rombo de caixa bilionário provocado pelo “congelamento” do preço da gasolina. Recém-chegada à Presidência, Dilma Rousseff culpava suspeitos de sempre, os anônimos “inimigos externos”.

    No alto da torre, de porta fechada e solitário na sala refrigerada, ele apertou quatro teclas no computador: “SG9W”. Foi como abrir um cofre: abriu-se o acesso a valiosos papéis da Petrobras.

    Procurou um documento específico (“E&P-PRESAL 21/2011”). Era novo e dos mais sigilosos da empresa naqueles dias. “Confidencial”, advertia a etiqueta na capa. Concluído três semanas antes, consolidava o “Plano Diretor de Desenvolvimento Integrado do Polo Pré-Sal da Bacia de Santos”. Descrevia, em detalhes, a estratégia tecnológica e financeira da estatal para exploração de “uma nova fronteira petrolífera com elevado índice de sucesso exploratório, contendo grandes acumulações de petróleo de boa qualidade para a geração de derivados”.

    O relatório com dois anexos foi copiado às 15:40:34. No dia seguinte, começou a ser analisado por um grupo de especialistas em Amsterdã. Na segunda-feira, 18 de abril, 11 dias depois, quando a diretoria da Petrobras se reuniu na sede da Avenida Chile, no Centro, para aprovar o secreto plano para o pré-sal, cópias já circulavam em Londres, Mônaco e na holandesa Schiedam, onde está instalada a SBM, fornecedora de quase um terço dos navios, sondas e plataformas alugados pela estatal brasileira. Nos meses seguintes, vieram outros três documentos sigilosos.

    Nessa operação de espionagem vazaram alguns dos maiores segredos da Petrobras no governo Dilma Rousseff. Por trás, não havia nenhum serviço de informações estrangeiro, o “inimigo externo”, embora naquele abril de 2011 a americana Agência de Segurança Nacional (NSA, na sigla em inglês) estivesse trabalhando com idêntico objetivo.

    Foi uma ação de brasileiros. A senha usada para copiar era exclusiva — de uso pessoal — de Jorge Luiz Zelada, que há três anos ocupava a Diretoria Internacional da Petrobras por indicação do deputado federal Fernando Diniz (PMDB-MG), com a chancela amiga do governo Lula. A remessa ao exterior foi realizada por Julio Faerman, agente da holandesa SBM no Rio e responsável pela distribuição de US$ 102,2 milhões em propinas a “funcionários do governo brasileiro”, como confessou a SBM à Justiça da Holanda e à dos EUA.

    Há pelo menos oito meses o governo e o comando da estatal sabem das ações de Zelada e Faerman, entre outros. Dilma Rousseff, no entanto, continua na praça pregando contra anônimos “inimigos externos” da Petrobras.

  66. DAISE 2.0 said

    DISSONÂNCIA COGNITIVA

    Ataques em Paris: já estão culpando a vítima

    O ataque contra os jornalistas franceses do Charlie Hebdo mal acabou e já tem “intelectual” culpando as próprias vítimas pelo episódio.

    Como sempre acontece nesses casos, a opinião vem neste formato: “Não estou defendendo o estuprador, mas a mulher não deveria sair por aí com uma saia tão curta. Não estou defendendo o assaltante, mas isso que dá ostentar um Rolex”.

    “Esse jornal deveria compreender que isso não se faz, é atrair problema”, disse, ao vivo na Globonews, a professora Arlene Clemesha, da USP. “É claro que não estou defendendo os ataques, mas não se deve fazer humor com o outro.” A professora ainda chamou a revista de sensacionalista. O Charlie Hebdo não é sensacionalista – é uma revista satírica parecida com O Pasquim, que a professora deve adorar.

    Pouco antes, o professor Williams Gonçalves, da UERJ, foi mais constrangedor. Culpou os próprios jornalistas pelos ataques, disse que as charges foram um ato de irresponsabilidade e perguntou qual é a graça de se fazer charges com Maomé. “Quem faz uma provocação dessa não poderia esperar coisa muito diferente”, diz ele.

    Ora, é claro que o humor sobre religiões tem sua graça. O Porta dos Fundos zomba de religiosos quase toda semana – entre eles, os muçulmanos. O musical The Book of Mormons tem duas horas de pura ridicularização da Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias. Maomé foi um entre tantos religiosos que o Charlie Hebdo satiriza.

    Mas o importante é que os jornalistas franceses não cometeram nenhum crime. A charge sobre Maomé é inofensiva – não se pode acusar a revista de discriminação. A liberdade de expressão não só é garantida pela lei local – também é um dos grandes valores da cultura francesa.

  67. Patriarca da Paciência said

  68. Elias said

    “Em breve deixará de fazer sentido uma empresa que encolhe ficar num prédio como o que a Abril ocupa na Marginal do Pinheiros, cujo aluguel é calculado entre 1 e 2 milhões de reais por mês.” (Paulo Nogueira, ex-diretor da Exame, em 02-08-2013)

  69. Elias said

    Quando será que será aberto o saco que Papai Noel deixou pro Joaquim Barbosa?

    E os “autos da devassa” das Alterosas, já começaram a ser escritos?

    A arte é longa, a vida é breve…

  70. Patriarca da Paciência said

    Novos ventos começam a soprar:

    LAVA JATO AJUDA MAIS DILMA DO QUE ATRAPALHA

    “No caso de Eduardo Cunha, a se confirmar a denúncia ela atingirá muito mais a oposição do que o governo, já que o parlamentar de um dos partidos da base aliada atua em consonância com a oposição e é sua grande esperança para impedir Dilma de governar, caso se eleja presidente da Câmara”, diz Eduardo Guimarães, do Blog da Cidadania; “ironicamente, portanto, a aposta da mídia e da oposição em que a Operação Lava Jato seria ruim para o PT e o governo federal pode – e deve – sair pela culatra”
    7 DE JANEIRO DE 2015 ÀS 13:28

    http://www.brasil247.com/pt/247/poder/165824/Lava-Jato-ajuda-mais-Dilma-do-que-atrapalha.htm

    Pois é, os dedos, dos dedo-duros, mais ajudam que atrapalham.

  71. Patriarca da Paciência said

    Do link acima:

    “A Folha diz que “De acordo com os investigadores que atuam no caso, ele [Cunha] é suspeito de ter recebido dinheiro do esquema [de corrupção] por meio do policial federal Jayme Alves de Oliveira Filho, o ‘Careca’, que atuaria como um dos funcionários do doleiro Alberto Yousseff”.”

    Que angu indigesto – Cunha, Yousseff”. e policial federal. Dar para acreditar ? Será que é por aí que aconteciam os tais “vazamentos seletivos”?

  72. Patriarca da Paciência said

  73. Zbigniew said

    Ah, mas o discurso aqui é tão raso que se se falar em democratização de qualquer coisa os “indignados” traduzem automaticamente para ditadura do PT, bolivarianismo no mais alto grau, PRInismo do Brasil (lembrando que no México eles foram hegemônicos por mais de 70 anos – e o PSDB já vai pra 20 em São Paulo). Foi a mesma coisa com os Conselhos de Participação Popular que o governo federal tentou implantar mas o Parlamento expurgou sob o argumento de invasão de suas prerrogativas. Esquecem dos Conselhos de Educação e dos Conselhos do FAT, entre outros que se espalham pelo país a fora, bem ou mal, mas existem. Não gosto de rotular ninguém mas esses ditos “indignados” estão a merecer o epíteto de “coxinhas”.

  74. DAISE 2.0 said

  75. Zbigniew said

    Melhor que isto só desenhando:

    “Em 1962 a Globo associou-se ao grupo Time-Life, em um momento em que as redes norte-americanas tentavam se internacionalizar. Recebeu cerca de US$ 6 milhões, a dólares da época, e um know-how imbatível de operação.

    Foi beneficiada por uma CPI conduzida por João Calmon, dos Diários Associados, que levou os gringos a venderem sua parte. O próprio Roberto Marinho adquiriu com financiamento do Banco Nacional autorizado por José Luiz de Magalhães Lins.

    ***

    Em 1980 as verbas publicitárias para a televisão já representavam para 85% do total de tudo o que se anunciava no país. Sobravam 15% para a rapa. Desses 85%, a Globo ficava com 85%, contra 11% da TV Tupi e 4% das demais emissoras.

    O modelo comercial e político, os pactos com o mercado publicitário, tudo foi tão bem sucedido que a Globo sempre conseguiu fatias de publicidade superiores aos seus índices de audiência.

    ***

    Em agosto passado, a Abert (Associação Brasileira de Empresas de Rádio e Televisão) estampava os indicadores favoráveis: no primeiro quadrimestre o meio TV recebeu 70% das verbas publicitárias. Cresceram também o rádio, a TV por assinatura e a mídia exterior.

    Quem perdeu: Guias e Listas, com queda de 32%, Revista, que caiu 10,1% e Jornal, que caiu 6%.

    ***

    A Globo domina amplamente a TV aberta, tem presença forte na TV fechada, amplo predomínio no rádio, boa presença no mercado de revistas, um dos três jornais mais influentes do país e presença fortíssima na Internet.

    A Abril se esvai em sangue. Há informações fidedignas na praça de que a família Civita conferiu mandato a dois bancos para vender a revista Veja. Há anos o Estadão busca um comprador. A Folha caminha para ser um braço da UOL – cujo modelo de negócio está cada vez mais focado em prestação de serviços tecnológicos. O Valor tenta se equilibrar com eventos e edições especiais, mas sua tiragem caiu abaixo dos 50 mil.

    Todos esses grupos são vítimas dos novos tempos, sim, mas principalmente da Globo, cujo modelo monopolista atuou como um super aspirador das verbas do mercado.

    Em tese, esses grupos seriam os maiores beneficiários de uma regulação econômica da mídia, assim como a imprensa regional e os novos jornais e sites na Internet. No entanto, as maiores resistências a essa regulação econômica partem justamente deles. Como se explica?

    ***

    Se vivo fosse e à frente da Folha, Otávio Frias certamente estaria comandando uma campanha pela regulação econômica da mídia. Já o filho comanda uma campanha contra… blogs. Os Mesquita estariam na mesma trincheira, como estiveram por ocasião do acordo da Globo com a Time-Life.

    ***

    A Globo conseguiu montar um clima de guerra, de luta contra o tal boliviarianismo, em que ela foi a grande vitoriosa. Invoca-se o fantasma de Hugo Chaves para interditar o debate sobre a regulação econômica da mídia.

    Mês atrás, um dos interlocutores dos irmãos Marinho relatava sua preocupação com o enfraquecimento acelerado de seus parceiros. Abril, Estadão e Folha não apenas davam respaldo político à vocação monopolista da Globo, como eram os álibis para quem apontava concentração excessiva de mercado.

    A mística do boliviarianismo conseguiu iludir o eleitor, o leitor, o telespectador. E, no caso dos demais grupos, também o editor.”

    http://jornalggn.com.br/noticia/com-o-boliviarismo-a-globo-passou-a-perna-no-editor

  76. Zbigniew said

    E com o atentado terrorista na França começa, via Globo, a temporada de caça a qualquer tipo de regulação de mídia, afinal, o atentado foi contra a liberdade de expressão. Bota tudo no mesmo balaio e joga pra galera.

  77. Pedro said

    #53 Comento…… Papuda neles.
    Quem defende bandidos, neste espaço, não sou eu.

  78. Guatambu said

    Zbigniew,

    Vc também coloca no mesmo balaio classe média paulistana e elite… tá achando ruim de quê?

  79. Zbigniew said

    Guatambu, desencana.
    A elite vai bem, obrigada!
    A classe média (paulistana ou não, é tudo a mesma coisa onde quer que você vá por este país), vai muito bem, obrigada!
    Continuam trocando de carro de dois em dois anos e viajando pro exterior ou para o nordeste e suas praias pelo menos uma vez ao ano. E que bom que seja assim, nada contra.

    A coisa é bem mais simples de apreender:

    Estas (não em sua totalidade, pois existem os mais conscientes e moderados em todas as camadas sociais) não gostaram muito de pagar um salário mínimo valorizado pra doméstica e todo aquele escambau de direitos, ainda que afirmem ser justo. É porque a “cunhã” tinha era que dormir no trabalho sem ter que pagar hora extra, entendeu?! A vida particular dela era substituída pela particularização dos interesses do patrão (ou patroa). O negócio mudou um bocado como sabemos.

    Tampouco dividir o saguão do aeroporto com o porteiro do condomínio, ainda que afirmem ser bom para o país. É porque estávamos acostumados com aquele exclusivismo que insistia em afirmar a superioridade de alguns sobre outros, por critérios unicamente econômicos. Cair numa real desse modo deve realmente doer muito nos exclusivistas materialistas.

    Tem também o médico cubano que vai lá no interior e dá um grama de atenção pro desvalido. Essa realmente é de lascar! Além de contrariar a lógica da medicina de mercado apreciada pelo CRM e toda a categoria (ibi idem a ressalva acima para a classe média) o cara ainda é proveniente de Cuba?! (apesar de que os coxinhas, hoje, estão ainda muito confusos com essa aproximação da ilha demoníaca com os éuas).

    Meu caro, cada um na sua, defendendo seus interesses. Apenas torço para que tais interesses convirjam para o bem comum. Mas isto depende de um grau de politização que a nossa sociedade ainda não tem, a começar por suas elites, com exceções, por óbvio. Há ainda um longo e penoso caminho a percorrer.

  80. DAISE 2.0 said

    BRASIL:PÁTRIA EDUCADORA

  81. Patriarca da Paciência said

    Começaram os vazamentos não seletivos.

    E a coisa a cada dia fica mais feia para o PSDB. O mistério é que nada disso acontecia antes das eleições ! Explica aí, Dr. Moro !

    “Lava Jato: em depoimento, policial diz ter entregue R$ 1 milhão a Anastasia
    Jornal do Brasil

    O depoimento que faz menção ao deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) na apuração da Operação Lava Jato traz um novo político para o rol de citados no caso: o senador eleito Antonio Anastasia (PSDB), ex-governador de Minas Gerais. As informações são da Folha de S. Paulo.

    De acordo com a reportagem, no depoimento de 18 de novembro passado, o policial federal Jayme Alves de Oliveira Filho, conhecido como Careca, disse que entregou R$ 1 milhão ao então candidato a governador Anastasia a mando do doleiro Alberto Youssef em 2010.”

    http://www.jb.com.br/pais/noticias/2015/01/08/lava-jato-em-depoimento-policial-diz-ter-entregue-r-1-milhao-a-anastasia/

  82. Guatambu said

    EUA:

    Crescimento no ano de 4,5%

    Desemprego de 5%

    Carga tributária de 25%

    E o Brasil mirando na social-democracia norueguesa…

  83. Patriarca da Paciência said

    É Guatambu,

    depois de uma década de recessão, um rombo orçamentário astronômico, é justo que os Estados Unidos tenham uma leve recuperação !

  84. Patriarca da Paciência said

    Guatambu,

    Compara aí os índices dos Estados Unidos com Angola ou a China. E aí, devemos nos mirar em Angola ou na China ?

  85. Patriarca da Paciência said

    “Ilimar Franco, titular do Panorama Político, condena o duplo padrão de julgamento do PSDB em relação aos nomes citados na Operação Lava Jato; “Políticos de PMDB e PT são citados em delações premiadas. Os tucanos batem sem dó, como se todos os citados fossem culpados”, diz ele; “Agora que Antonio Anastasia entrou na roda-viva, os tucanos reagem com indignação”; Ilimar se refere a mensagem que recebeu do deputado Marcus Pestana, presidente do PSDB mineiro; “Palavra de meliante não pode ser critério de verdade”, diz Pestana; ok, mas e os outros que foram só citados em delações?”
    (247)

  86. Patriarca da Paciência said

    http://pt.tradingeconomics.com/angola/gdp-growth-annual

    Veja o gráfica, Guatambu. Então, devemos nos mirar em Angola ?

  87. Patriarca da Paciência said

    PIB dos Estados Unidos:

    PIB dos Estados Unidos nos últimos anos:

    2007 : 1,9%

    2008 : -0,3%

    2009 : -3,1%

    2010 : 2,4%

    2011 : 1,8%

    2012 : 2,8%

    2013 : 1,9%

  88. Patriarca da Paciência said

    Agora o crescimento do PIB em Angola:

    2007 – 18,6%

    2008 – 23,2.%

    2009 – 13,8%

    2010 – 2,4%

    2011 – 3,4%

    2012 – 3,9%

    2013 – 5,2%

  89. Patriarca da Paciência said

    O link dos dados dos Estados Unidos:

    http://www.suapesquisa.com/economia/pib_estados_unidos.htm

  90. Patriarca da Paciência said

    Em apenas um ano de crescimento médio, 2009, 13,8%, Angola cresceu por toda a década dos Estados Unidos.

  91. Patriarca da Paciência said

    Crescimento médio dos Estados Unidos de 2007 a 2013: 1,54 %

    Crescimento médio de Angola de 2007 a 2013: 10,07 %

  92. Patriarca da Paciência said

    Crescimento ´do PIB no Brasil.

    http://pt.wikipedia.org/wiki/Evolu%C3%A7%C3%A3o_do_PIB_do_Brasil

    2007: 6.1%

    2008: 5,2 %

    2009: (-) 0,2%

    2010: 7,5%

    2011: 2,7%

    2012: 1,0 %

    2013: 2,4%

    Crescimento médio do período: 3,38% – mais de duas vezes o crescimento médio dos Estados Unidos.

  93. Patriarca da Paciência said

    “O maior assassino em atividade no mundo, o líder israelense Benjamin Netanyahu, que ordenou as mortes de 2,2 mil pessoas inocentes na última ofensiva em Gaza, incluindo idosos, mulheres e crianças (513 ao todo), além de vários jornalistas que cobriam o conflito, esteve presente na marcha deste domingo em Paris, ao lado de outros líderes mundiais; a presença de Netanyahu na marcha levanta uma questão intrigante: o que acontecerá numa Europa onde grupos xenófobos e islamofóbicos duelam com forças progressistas, que vinham lutando pelo reconhecimento do estado palestino?”
    (247)

  94. DAISE 2.0 said

    Marcha contra o terrorismo em Paris reúne mais de 1,5 mi de pessoas

    Sob forte esquema de segurança, milhares de pessoas participam da marcha da República neste domingo em Paris.
    Segundo as agências de notícias, o público superou 1,5 milhão de pessoas em Paris. Somados os atos paralelos em outras províncias, são 3,7 milhões de pessoas nas ruas de todo o país.
    Mais de 50 líderes mundiais estão na capital francesa para protestar contra o terrorismo. Entre eles estão o palestino Mahmoud Abbas e o israelense Benjamin Netanyahu.
    “Paris hoje é a capital do mundo”, afirmou o presidente francês, François Hollande.
    Antes do início da passeata, o público reunido em torno da praça da República cantou a Marselhesa, o hino nacional criado durante a Revolução Francesa.Várias pessoas gritaram palavras de ordem, como ‘viva a França!’.
    Em outra frente, ministros do Interior de diversos países europeus se reuniram em Paris para coordenar novas medidas para endurecer a luta contra o terrorismo.
    A marcha histórica acontece após ataque ao jornal ‘Charlie Hebdo’ e do sequestro de reféns em um mercado judaico nesta semana. Essa série de eventos deixou 17 mortos.

    ……

    45 X 1

    11.01.2015
    Quarenta e cinco chefes de Estado participam da marcha em Paris.
    Dilma Rousseff é representada por José Maurício Bustani, xodó do finado Saddam Hussein.

  95. DAISE 2.0 said

  96. DAISE 2.0 said

    # 93

    O sítio 6×40.000 (aka 247) financiado pela CEF não perde uma oportunidade de instilar o ódio!

    E o boi… vai atrás! Tolinho.

  97. DAISE 2.0 said

    Se a sua conexão encara um stream ..assista MSNBC:

    http://www.msnbc.com/up/watch/netanyahu–abbas-join-paris-unity-rally-382918723516

    Caso contrário reclame com o ministro Berzoini, rsrsrsr

  98. Patriarca da Paciência said

    “O sítio 6×40.000 (aka 247) financiado pela CEF não perde uma oportunidade de instilar o ódio!”

    Bom mesmo foi a CEF, Petrobrás e Banco do Brasil deixarem de financiar o ninho de cobras que é a “óia”.

Faça seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: