políticAética

Notícias da Corrupção, Desvios, Anomalias, Eleições e Meio Ambiente

  • Sobre o blog

    Uma coletânea das notícias da corrupção, desvios, anomalias, eleições e meio ambiente que aparecem na mídia todos os dias a partir de agosto de 2008.
  • Categorias

  • Arquivos

  • Páginas

  • Meta

MPF diz que Cerveró faz parte da “maior organização criminosa da história”

Posted by Pax em 15/01/2015

Não alterei a manchete da Agência Brasil, mesmo porque há bons indícios que o Ministério Público tenha razão quando diz que o esquemão da Petrobras é a “maior organização criminosa da história” do Brasil.

Enquanto isso, a presidente sumiu, como bem alerta Ricardo Kotscho em seu blog, que não pode ser considerado de oposição. Talvez os mais empedernidos defensores petistas passem a chama-lo de coxinha, como chamam quem quer que reclame uma vírgula deste governo que promete aumentar impostos, reduz direitos trabalhistas e promove uma avalanche de desempregos a partir da crise que a gastança e roubalheira produziu.

A genética do PT sofreu transmutação. Há que ter muita coragem para defender esse governo “Kátia Abreu”. Mas o livre arbítrio ainda é válido, sim.

MPF diz que Cerveró faz parte da “maior organização criminosa da história”

André Richter – Repórter da Agência Brasil Edição: Stênio Ribeiro

O Ministério Público Federal (MPF) enfatiza, no pedido de prisão do ex-diretor da Área Intenarcional da Petrobras Nestor Cerveró, que ele faz parte da “maior organização criminosa que a história já revelou” no país. Segundo os procuradores, mesmo com as investigações da Operação Lava Jato, da Polícia Federal (PF), a atividade do esquema de corrupção não foi estancada. A prisão de Cerveró foi determinada no dia 1º de janeiro, mas efetivada somente hoje (14) porque ele estava em Londres.

Segundo os procuradores, há evidências de que Cerveró acumulou fortuna no Brasil e no exterior, oriunda dos crimes cometidos com os desvios da Petrobras. Segundo o MPF, foi necessária a decretaçao da prisão para evitar que os valores sejam ocultados da Justiça.

“O que é certo, de tudo isso, é o enriquecimento espúrio e a falta de conhecimento por parte do Estado de onde estão as dezenas de milhões de reais que [o ex-diretor da Petrobras] recebeu criminosamente.
Sabe-se que o dinheiro não está com Cerveró, porque não está em suas contas no Brasil. Em outras palavras, tudo indica que esse dinheiro está sendo ocultado, o que também caracteriza lavagem de dinheiro”, afirmam os procuradores.

Além dos valores ocultados, o Ministério Público reafirmou que, mesmo após a deflagração da Operação Lava Jato, no ano passado, ficou comprovado que o esquema de corrupção se estendeu até 2014.

“Assim sendo, neste item observa-se que a dimensão econômica dos crimes praticados por Cerveró e pela organização criminosa em que se insere geram impacto gigantesco na ordem pública e econômica. Como dito, trata-se do maior escândalo de corrupção da história do Brasil. Mais do que tudo isso, é um esquema em que não se tem provas de que foi estancado. Houve fatos em 2014 e, como antes demonstrado, Cerveró continua a praticar atos de lavagem. Isso tudo, mais uma vez, justifica a custódia cautelar”, reafirmou o órgão.

Cerveró foi preso na madrugada de hoje, no Aeroporto Internacional do Rio de Janeiro/Rio/Galeão – Antonio Carlos Jobim, após desembarcar de um voo proveniente de Londres. Ele foi encaminhado para a Superintendência da PF em Curitiba, onde outros investigados na Lava Jato estão presos.

De acordo com relatório do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf), no dia 16 de dezembro, Cerveró sacou R$ 500 mil em um fundo de previdência privada e transferiu o valor para sua filha, mesmo tendo sido alertado pela gerente do banco de que perderia 20% do valor. Em junho do ano passado, Cerveró havia transferido imóveis para seus filhos, com valores abaixo dos de mercado. Na intepretação do MPF, o ex-diretor tentou blindar seu patrimônio, e por isso, a prisão foi requerida.

O advogado de Cerveró, Edson Ribeiro, disse que não houve ilegalidade na transferência de bens para parentes, e estranhou a prisão de seu cliente. “Desde 1º de abril coloquei o Nestor Cerveró à disposição tanto do Ministério Público quanto da Polícia Federal, e nenhum dos dois órgãos se interessou em ouvi-lo. Até ontem [13], ninguém o havia procurado. Além disso, quando ele foi para a Inglaterra, comuniquei ao Ministério Público e à Polícia Federal que ele estava viajando e que voltaria em janeiro. Deixei, inclusive, o endereço onde ele estava”.

Anúncios

322 Respostas to “MPF diz que Cerveró faz parte da “maior organização criminosa da história””

  1. Guatambu said

    Pax,

    Lembra que eu te falei para tomar cuidado ao comprar ações da Petrobras?

    Vou te dizer que fiz um dinheirinho ano passado, já me desfiz de todas as posições com as ações da empresa.

    O endividamento está muito alto, não há perspectiva do preço do petróleo aumentar (por enquanto), as ações dos americanos contra a empresa ainda estão rolando e vai sair um balanço não-auditado esse mês.

    Ainda tem chão tudo isso…

  2. Elias said

    “…crise que a gastança e roubalheira produziu.” (Neo-Louro da Direita, também conhecido como Currupax)

    Então foi isso! A crise econômica brasileira não tem nada a ver com a crise econômica mundial. É produto somente da gastança e da roubalheira (vai ver que, principalmente, da roubalheira no Petrossauro, que, como todos sabem, começou em 2003… Antes, não acontecia nada errado por lá).

    Patriarca,
    É por essas e por outras que defendo governos posicionados. Venceu a eleição? Então governa segundo tuas convicções políticas. Como é impossível agradar a todos, te concentra nas parcelas da população com quem tens compromisso político. Quem for contra, que espere a eleição seguinte.

    Vê agora: a direita vai passar 2 anos baixando a porrada na Dilma, por ela estar adotando as medidas que a própria direita defende.

    Os f.d.p. vão se fartar usufruindo os resultados dessas medidas, ao mesmo tempo em que esculhambam o governo por tê-las adotado.

    E o PT continua sapateando numa corda bamba, tentando brincar de aprendiz de feiticeiro.

    O partido está totalmente focado no plano federal, e encara numa boa a balada dos infiéis que ele canta com a direita.

    O lance é servir o remédio amargo em 2015 e 2016, e, a partir de 2017, encarapitado numa montanha de dinheiro poupado nos dois anos anteriores, pilotar mais umavitória eleitoral em 2018.

    O risco? O risco é ser triturado nas urnas em 2016, ter um desempenho medíocre nas eleições de 2018, fora do majoritário nacional, e, por causa disso, chegar a 2019 na condição de boneco de ventríloquo.

  3. Pax said

    =)

    realmente o PT está governando segundo suas- novas – convicções políticas

    – Minas e Energia com o Sarney
    – Agricultura com Katia Abreu
    – Cidades (Minha casa minha vida) com Kassab
    e tem mais, muito mais

    é pra rir mesmo

    como um currupax, chamem como quiserem

    Sarney, Kátia e Kassab são “o novo povão^ do PT

    e dê-lhe land rover, apartamento triplex na praia e tudo mais

    acho que o MPF tem razão “maior organização criminosa da História”

    virou isso, virou lixo
    —-

    Sim, Guatambu, até pensei em jogar uns trocadinhos na BR, PETR4, mas desisti rapidinho

    http://br.advfn.com/bolsa-de-valores/bovespa/petrobras-PETR4/cotacao

    aquilo lá virou administração do povão do PT, saca?

    tô é investindo em mais uma lujinha, mandando um ferre-se pra crise que esses irresponsáveis larápios criaram (sim, após a crise internacional que virou a desculpa de toda burrice, incompetência absoluta, falta de plano de país e roubalheira mesmo, grossa, nojenta)

    mas, claro, os neoPetistas tem que defender seus pares

    chamam todo mundo de coxinha

    sendo que a deles agora é de caviar que eles comem com champagne Don Perignon que frisante brasileiro é coisa pra pobre

    sei…

    tin tin, Elias, tin tin

    vai uma coxinha aí?

  4. Guatambu said

    Elias,

    Eu trocaria “baixando a porrada na Dilma, por ela estar adotando as medidas que a própria direita defende”

    para

    “baixando a porrada nos eleitores da Dilma, por ela estar adotando as medidas que o Aécio defendeu”

    A Dilma, coitada, é uma passageira.

    Nesse ponto acho que o Zbigniew já tinha dito algo sobre isso. Qualquer coisa do tipo: o PT tá deixando o PMDB crescer demais e corre o risco de ficar vendido entre o PMDB e a opinião pública.

    Para mim é esse o caso, a Dilma não tem dinheiro, nem maioria, nem capital político para negociar com seus apoiadores e tá presa por uma opinião pública cada vez mais crítica.

    Torna-se cada vez mais perceptível que ela perdeu as rédeas da situação.

    A crise mundial?

    Nenhum brasileiro médio parou pra pensar na crise mundial quando o Lula minimizou o problema, chamando aquilo de marolinha. Agora a Dilma vai dizer o contrário como?

    Ela tentou fazer o Mantega passar a mensagem, isso custou a cabeça dele.

    Se ela continuar assim, mandando seus ministros darem as notícias ruins, jajá ela vai ficar: ou sem ministros ou sem notícias boas para compensar as ruins… nesse aspecto, a Dilma tá se saindo igual ao Alckmin.

  5. Elias said

    “coxinha” é gíria de bundão!

    Neste blog, tu és úinico que usa esse termo.

    Ninguém aqui jamais te acusou de “coxinha”.

    Eu costumo te chamar de “neodireitopata”, e de “papagaio da direita”, porque tu és um neodireitopata e vives papagaiando os lugares comuns da direita.

    Se tuas lujinhas não estão nem aí para a crise, parabens! É sinal de que teus clientes não estão sendo afetados pela crise. O que será que será que eles fazem pra fazer dinheiro? Imprimem? Juntam no chão? Roubam?

    Nesse caso, estás pondo no chinelo a ex-namorada do FHC…

    Aquela que costuma cuspir no prato em que foi comida…

  6. Elias said

    Guatambu,
    Posso te garantir que a cúpula do PT sabe exatamente o que está fazendo.

    O plano é gerenciar 2 anos de sacrifícios.Depois, soltar as amarras, de olho nas urnas em 2018.

    Nos 2 anos de sacrifício, o PT pretende deixar a oposição sem discurso. É o que ele vem fazendo há anos. O PSDB, p.ex., terá dificuldades em criticar a política econômica do governo, já que ela é a mesma que os tucanos defenderam.

    Vai daí que a oposição ficará balindo o ramerrão de sempre: roubalheira, roubalheira, roubalheira…

    Se a investigação na Petrobras chegar aos “anos tucanos”, e a caixa de maldades contra o Aécio for aberta em MG, até mesmo essa parte do discurso oposicionista pode perder o ímpeto.

    Em resumo: nos 2 anos de sacrifício, a estratégia será dificultar o jogo da oposição.

    Já nos dois anos seguintes — 2017 e 2018 — o PT vai jogar pra galera, montado em cofres bamburrados.

    Esse é o plano, que, a essa alturada vida, já não é mais segredo pra ninguém. Daí o esforço concentrado de Aécio no final do ano passado. Ele tinha que fazer o maior estrago possível, por saber que, a partir de 2015, o jogo vai ficar mais difícil, porque ele passa de estilingue a vidraça. Uma parte do PSDB, ligada ao Alckimin, provavelmente não vai mover uma palha pra livrar a cara do Aécio, até porque o governador de SP já está em campanha pra 2018. A grande mídia estará com o Alckmin, porque ele tem a caneta e a chave do cofre.

    Esses são alguns dos componentes do cenário com o qual a cúpula do PT trabalha.

    A meu pensar, o problema é que entre 2015 e 2018, há um 2016 atravessado…

    E, o que quer que aconteça em 2016, vai resultar numa fatura a ser cobrada em 2018.

    Ou seja: plano por plano, o do Criador era ótimo, com Adão e Eva no Jardim do Éden…

    Vê no que deu!

  7. Elias said

    Pax, meu caro neodireitopata Currupaxpapacopapaco,

    Nem toda crítica ao besteirol que tu papagaias é uma defesa ao PT.

    Entendes? (Não,claro!)

  8. Pax said

    Meus clientes…

    Maioria jovem, entre 18 e 30 anos, trabalhadores, precisam da manutenção que ofereço, acordam cedo, trabalham o dia inteiro com o produto que faço manutenção, ralam pra caramba. Bem diferente dos novos petistas e seus caviares, triplex e carros de luxo.

    Elias dá cada bola fora que vou te contar. Virou Katia Abreu, a ultra esquerda de Dilma que diz não haver latifúndio no Brasil.

    Run, Elias, run!

    Corre que teus pares apapudaram.

    Enviada do meu iPhone

    >

  9. DAISE 2.0 said

    Badass x Pax = catfight…rsrsr

  10. DAISE 2.0 said

    A NOVILINGUA DO PT:

    Essa é de deixar o Badass com vergonha!

  11. Guatambu said

    kkkkk

    Basicamente, o dia que eu for pego na cueca eu devo alegar ser Petralha, que estarei salvo, ou que eu poderei culpar qualquer outra coisa que se mova?

  12. Pax said

    em caso de “pego na cueca” – seja lá o que isso significa pra vc, caro Guatambu

    1 – diga que não sabe de nada
    2 – diga que foi enganado pelos pares que se desvirtuaram
    3 – quando não der mais, alegue que todos fazem igual
    4 – invente demônios inexistentes
    5 – chame todos de direitopatas
    6 – elogie a atuação da Kátia Abreu e do Gilberto Kassab
    etc etc

    tem uma lista vergonhosa e enorme

    basta seguir os mesmos passos observados aqui e alhures

  13. Guatambu said

    kkkk

    Quis dizer: pego com grana na cueca.

  14. DAISE 2.0 said

    #12

    por último, mas não menos importante (last but not least):

    8- negue a realidade: o mensalão não existiu! ,dilma é uma presidenta competente! etc. etc.

  15. DAISE 2.0 said

    Professor aloprado

    Dora Kramer

    É a velha, batida, mas imprescindível lição que político bom no ramo não dispensa: a esperteza quando é muita vira bicho e come o dono. Há outras duas a completar uma trinca de ouro: só bobo briga e segredo é a alma do negócio.

    No afã de pôr em prática um plano para enfraquecer o PMDB a fim de retirar oxigênio do partido, reformular o perfil da aliança, reforçar partidos até então periféricos e alimentar a criação de novas legendas, o governo violou as três regras.

    Os articuladores do Planalto só faltaram anunciar no Diário Oficial suas pretensões, tão atabalhoados e explícitos foram os gestos para alijar o principal aliado. A presidente Dilma Rousseff cuidou da arrumação na área econômica e deixou a política a cargo do chefe da Casa Civil, Aloizio Mercadante.

    Jogou o PMDB para a periferia ministerial, concentrou no Palácio o poder decisório político e de interlocução com o Congresso com pessoas da estrita confiança presidencial, mas sem a necessária experiência nem o indispensável trânsito no Parlamento.

    A prova na incompetência está na queimada na largada. O PMDB captou de início o plano. E, ao perceber, se uniu. O movimento para enfraquecer, fortaleceu como se viu na manifestação da executiva do partido em prol das candidaturas às presidências da Câmara e do Senado. O recado foi direto: quaisquer hostilidades dirigidas aos candidatos, notadamente ao deputado Eduardo Cunha, serão interpretadas como agressões ao conjunto dos pemedebistas.

    Em miúdos, disse o seguinte: “Mexeu com ele, mexeu conosco”. A declaração de guerra de quem pode estar prestes a renovar a posse do comando de um dos Poderes da República não seria necessária se entre os arquitetos palacianos não vigorasse a enganosa tese de que os líderes do PMDB são provincianos a serem passivamente passados para trás em troca de migalhas de fisiologismo.

    Pois se a ideia era enfraquecer, os fatos mostram que o Planalto até agora só conseguiu fortalecer o partido. Por exemplo, a manobra trouxe de volta à cena o ex-deputado Geddel Vieira Lima, oposicionista até então atuando só nos bastidores e desde ontem autorizado a dar em nome do partido declarações tais como “o PMDB vai olhar com lupa” as atitudes do governo a partir do momento em que assumir o comando do Congresso.

    A manifestação da executiva quer dizer também que os ministros do PMDB, mesmo os nomeados à revelia da direção, não fiquem à vontade para atuar em prol dos interesses do governo quando esses contrariarem os do partido, pelo simples fato de que não se respeitou a regra do segredo como a alma do negócio.

    Gilberto Kassab e Valdemar Costa Neto, patrocinadores de novas legendas a serem criadas com o objetivo de aliciar parlamentares da oposição e do PMDB, podem até ser braços armados pelo Planalto. Mas, diante de urdidura tão explícita, é de se perguntar se raposas desse jaez estariam dispostas a brigar com os presidentes da Câmara e do Senado para prestar serviço ao Planalto.

    Talvez prometam, mas provavelmente não entreguem a mercadoria.

    Inglórios. Antigamente a chefia da Casa Civil era um trampolim para o sucesso. Na administração do PT passou a ser uma máquina de moer carne. À exceção de Dilma Rousseff, todos os que chegaram ao posto cobertos de glórias saíram moídos de lá.

    Dos soberbos aos discretos: José Dirceu, Antônio Palocci, Erenice Guerra e Gleisi Hoffmann deram-se mal.

    Cerveró. Com a queda, um a um, dos personagens do escândalo da Petrobrás, outros galos cantariam na hipótese de uma nova CPI sobre a estatal.

  16. Pax said

    off topic

    #PinoquiAlckmin

    http://g1.globo.com/sao-paulo/noticia/2015/01/veja-o-que-alckmin-disse-sobre-racionamento-durante-crise-hidrica.html

    viraram todos a mesma coisa, mentirosos, larápios, imprestáveis

    esse modelo de política no Brasil já deu o que tinha que dar faz muito tempo, nós é que somos patos, marrecos, quietos demais

    —-> Animus Jocandi: fosse como era, minha terra, já tinham castrado o pinóquio.

  17. Pax said

    pelegada em polvorosa…

    http://www.revistaforum.com.br/rodrigovianna/plenos-poderes/centrais-sindicas-se-unem-e-acusam-o-governo-de-prejudicar-trabalhadores/

    mas é pra inglês ver, já já sobra uma graninha, diretores com carros e casas novas e todo mundo fica quietinho

    reparem só

    basta esperar um pouco

  18. Guatambu said

    É muito interessante ver o pessoal do PT deserdando o pessoal do sindicato.

    Já puxei minha cadeira e vou assistir de camarote.

  19. DAISE 2.0 said

    O malefício da dúvida
    Dora Kramer

    Ao justificar o pedido de prisão preventiva de Nestor Cerveró, o Ministério Público Federal fez uma alegação que aparentemente vai muito além das circunstâncias específicas envolvendo o ex-diretor da área internacional da Petrobrás.

    Digo aparentemente porque a afirmação de que o esquema de corrupção na estatal não foi estancado, registrada em documentos da Procuradoria, carece de esclarecimento. Da forma como foi noticiada soa dúbia.

    Isso para analisar o tema com boa vontade, partindo do pressuposto de que seja impossível as atividades criminosas terem continuado mesmo depois de a empresa passar a viver sob regime de intensa investigação.

    A documentação aponta a inexistência de “indicativos” suficientes para que se conclua com segurança que foram fechados os dutos pelos quais eram desviados recursos da Petrobrás. “Pelo contrário, há indícios de pagamentos de propinas efetuados por empresas a diretores mesmo em 2014.”

    Quais diretores? Até quando em 2014? O fato de não ter sido estancado quer dizer que o esquema continua funcionando? Aí o tempo do verbo não é um detalhe, é essencial. Uma coisa é a prisão preventiva de Cerveró por atos relativos às denúncias que pesam contra ele. Outra coisa é a referência à continuidade da ocorrência de ilícitos.

    Lançam suspeição sobre a atual diretoria da empresa e autorizam a desconfiança de que o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, não fazia mera ilação quando sugeriu o afastamento imediato da cúpula da Petrobrás. Deixa mal a comandante da companhia, Graça Foster, e pior a presidente Dilma Rousseff.

    O texto dos procuradores contrasta com a declaração de Dilma feita no dia 8 de setembro do ano passado: “Se houve alguma coisa, e tudo indica que houve, eu posso garantir que todas as, digamos assim sangrias que eventualmente pudessem existir estão estancadas”, disse ela pisando em ovos na ponta dos pés, como se vê pela escolha das palavras.

    Note-se também que a presidente usou o mesmo verbo, “estancar”, e no presente do afirmativo. Agora o Ministério Público o utiliza no presente, mas na forma negativa. É possível que tenha havido algum mal-entendido. Mas também pode ser que não. Urgente, portanto, que a Procuradoria esclareça se as palavras escritas correspondem aos fatos sugeridos.

    Penúria vip. Se, como alega a defesa, Nestor Cerveró está em dificuldade financeira, o que fazia ele na primeira classe no voo que o trouxe de Londres quando foi preso ao desembarcar no Brasil?

  20. Pax said

    é vergonhoso, caro Guatambu…

    os sindicatos brasileiros viraram um lixo só

    salva-se, um pouco, do pouco que sei, a CSP-Conlutas, ligada ao PSTU

    tem dos outros partidos mas não conheço bem, do PCO – ainda mais radical, por exemplo

    a CUT e a Forçca Sindical (do tal Paulinho da Força) são vomitáveis, pelegada danada

  21. Guatambu said

    Pax,

    Esse país não tem transparência e nem gestão por objetivos.

    O que é que esse povo quer? Vai ficar assim… e vai continuar assim.

    E sabemos que essas instituições são como empresas familiares, há muito mais gente entrando do que saindo.

    O que acontece quando mais gente se torna dependente de uma instituição? A grana acaba… e quando a grana acaba, a instituição implode.

    É isso o que está acontecendo em todas as esferas públicas, e é isso que está acontecendo nas esferas financiadas pelo Estado.

    O Brasil ainda tem a chance de parar isso, mas eu acho que nem na geração dos meus filhos isso vai acontecer.

  22. Pax said

    Discordo caro Guatambu

    Meu sonho político é social democrata, modelo nórdico. Nem isso é um bom exemplo porque há muitas diferenças entre os lá existentes.

    Independente dessas diferenças há sociedades mais educadas, mais conscientes, refletidas em classes políticas muito melhores que a média geral.

    Com instituições fortes, estado forte, estatais competitivas etc.

    Enviada do meu iPhone

    >

  23. Guatambu said

    Pax,

    Eu sei… e vc tem razão de chamar o que quer de sonho.

    Um país que dispõe de 7bi em educação por conta de arrocho nas finanças.

    Um país cujo papel principal do Estado é justificar mais Estado.

    Um país que não dá a mínima para a transparência dos atos do Estado em relação às metas que se impõe para a sociedade.

    Vc acha mesmo que o Brasil caminhou alguma coisa nesse sentido nos últimos 30 anos?

  24. DAISE 2.0 said

    Policial sugere que ex-diretor enterrou dinheiro em piscina

    Em seu depoimento à Polícia Federal, o policial afastado Jayme Alves de Oliveira Filho, conhecido como Careca, disse ter ”ouvido” que o ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa teria aterrado uma piscina em sua casa, no Rio de Janeiro, para guardar dinheiro.

    Ainda não é possível saber o que os investigadores fizeram com a vaga informação fornecida por Careca. Mas uma comparação entre imagens aéreas antigas e recentes do local mostra que, de fato, uma piscina desapareceu do imóvel de Costa, que fica num condomínio na Barra da Tijuca (zona oeste do Rio).

    No local onde havia um nítido quadrado azul rodeado de um piso claro, bem na entrada de sua residência, há agora só um gramado plano.

    Conforme o histórico de imagens de satélite do Google Earth, recurso disponível para quem faz download da ferramenta, a casa de Costa ainda era equipada com a piscina em 17 de setembro de 2009. A imagem mais nítida da piscina, feita três meses antes, é a que ilustra esta reportagem (confira abaixo).

    Em 18 de janeiro de 2010, porém, a piscina já não estava mais lá. Nesta quinta-feira (15), a Folha sobrevoou o local. Na foto mais recente, feita pela reportagem, também só é possível identificar um gramado.

    Preso na sétima etapa da Operação Lava Jato, em novembro, mas já em liberdade, Careca trabalhava como carregador de dinheiro para o doleiro Alberto Youssef, detido até agora.

    Ele respondeu questionamentos sobre o ex-diretor de Abastecimento da Petrobras no dia 18 de novembro.

    CONTATO

    No depoimento, disse que não mantinha contato com Costa, mas com seu genro, Márcio Lewkowicz. “Conheço o Márcio da loja de móveis que ele tem em Ipanema. Era a pessoa para quem eu entregava o dinheiro”, disse.

    O agente federal afirmou ter entregue ”umas seis vezes” dinheiro ao genro de Costa, mas não soube informar os valores. Ele negou frequentar a casa do ex-diretor da Petrobras: “Não sei nem onde fica”, afirmou.

    Indagado sobre o local onde Costa guardava o dinheiro que lhe era entregue através do genro, disse supor que os montantes eram levados para casa. Foi aí que o policial, voluntariamente, levantou a questão da piscina.

    “Posso acrescentar que já ouvi informações que, antes de sua prisão, Paulo Roberto possuía uma piscina em sua residência na Barra da Tijuca, onde está preso atualmente. Ouvi dizer que a mesma foi aterrada antes da sua prisão e que possivelmente ele teria guardado valores onde existia a piscina”, afirmou.

    Costa foi preso na Operação Lava Jato, mas deixou a cadeia após firmar um acordo de delação premiada com o Ministério Público Federal no ano passado.

    Atualmente ele cumpre prisão domiciliar em sua casa –agora desprovida de piscina– na Barra da Tijuca. O imóvel foi comprado por ele em julho em 2002.

    A Folha procurou o advogado de Costa, João Mestieri, para comentar a declaração de Careca. Na quarta (14), ele disse que só falaria com seu cliente no dia seguinte e faria o possível para dar algum esclarecimento à reportagem.

    Nesta quinta, ele não respondeu aos recados deixados em seu escritório, no celular e em seu e-mail.

    A assessoria de imprensa do advogado também não respondeu. A Folha não localizou o genro de Costa.

    DEPOIMENTOS

    Para transportar dinheiro a mando de Youssef, Careca costumava usar as credenciais de policial, uma forma de dissipar suspeitas. Ele fazia isso em malas, maletas e até no próprio corpo.

    O ex-policial prestou três depoimentos à PF em novembro. Em um deles, revelado pela Folha na semana passada, citou o nome de Eduardo Cunha (PMDB-RJ), dizendo que Youssef teria lhe mandado entregar dinheiro numa casa que seria do deputado.

    No mesmo depoimento, Careca disse também que entregou R$ 1 milhão ao senador eleito Antonio Anastasia (PSDB-MG).

    Tanto Anastasia quanto Eduardo Cunha negaram participação no esquema. Disseram que sequer conhecem Careca ou Youssef.

    Na segunda (12), o advogado do doleiro, Antônio Figueiredo Basto, disse que seu cliente não teve “negócios” com o tucano nem com o deputado peemedebista.

    Endereço da página:

    http://www1.folha.uol.com.br/poder/2015/01/1575850-policial-sugere-que-ex-diretor-enterrou-dinheiro-em-piscina.shtml
    —————

    Numa cidade em que, no verão, a sensação térmica pode atingir cinquenta graus, só um louco substitui uma piscina por um gramado. Ou um ladrão.

    Ao que tudo indica, Paulo Roberto Costa tinha — ou tem — o seu pré-sal particular.

  25. Pax said

    Caro Guatambu,

    Me permito a discordância. Acredito que numa visão de pouca altura você tenha pontos certos, mas se pegar a linha da história num voo mais alto, com certeza o país deu passos à frente.

    Acontece que, sem me alongar muito, tanto PSDB como PT fizeram alguma parcela do necessário, muito pequena, e acabaram por se entregar ao velho modelo de poder, aos velhos coronéis, à velha roubalheira de sempre, o patrimonialismo que todos conhecemos.

    Os dois chafurdaram, se enfiaram na lama, viraram lixos políticos, partidos sem sentido algum, PMDBs da vida. Só querem o poder pelo poder.

    Você pode acreditar que um estado menor seja a solução. Eu não. Respeito tua opinião.

    O modelo que miro é diferente do teu. Se é que entendi bem.

  26. Guatambu said

    Pax,

    Sim, o modelo que nós temos em mente sobre o Estado é diferente, no longuíssimo prazo.

    No curto prazo, acredito que tanto eu quanto vc queiramos um estado, no mínimo, eficiente.

    Pelo menos isso faria juz à existência do mesmo.

    A ineficiência do Estado Brasileiro vem de muito antes do PT e do PSDB, e todos nós sabemos.

    O PSDB andou para frente com o controle de inflação, pode ser.

    Depois privatizou várias empresas e não deu desconto de 1 centavo nos impostos.

    O PT surfou uma onde de crescimento mundial, e ainda assim entregou um crescimento do PIB menor do que outros países dos BRICs.

    Ajudou? Sim, claro.

    Onde foi que ele não ajudou? A eficiência do Estado continua a mesma… merda.

    Sabe quando isso vai mudar? Nunca, porque há pessoas que acreditam que em algum momento da história o Estado vai ser eficiente apoiando o Estado.

    O Estado precisa de concorrência. Precisa de metas, precisa de gestão.

    Eu arriscaria dizer que o Estado precisa instituir remuneração variável, e quem vai pagar vai ser o contribuinte que vai dar nota de qualidade pro serviço que o servidor público fez.

    Assim quem sabe esse bando de burocrata que passa a vida inteira enfiado numa universidade federal pra engordar o bolso, mas não consegue nem fritar um ovo na prática, aprende.

    Não é com passeatinha de MPL que vai fazer isso… eles ainda têm a ilusão de que o Estado deveria pagar… quando na verdade são eles que pagam.

  27. Pax said

    “O Estado precisa de concorrência. Precisa de metas, precisa de gestão.

    meia verdade caro Guatambu

    O Estado precisa de norte, bússula. Isso é o resumo de tudo. Quando se define uma reta entre o estaduo atual e o estado que se quer, entre dois pontos, define-se o que se quer fazer, e o que se pode fazer. Acaba por definir a velocidade que uma sociedade quer andar ä frente. Sem muitos traumas, uma velocidade de décadas, com maior velocidade, o que parece cada vez mais possível, ou uma velocidade de séculos. Há muito o quê fazer. Precisamos definir priioridades, sem esquecer cada e qualuqer item.

  28. Jose Mario HRP said

    Tribunal Int de Haia abre investigação contra ISRAEL!!!!!
    UFA!!!!!

    Depois a interpol neles!!!!!!!

    Vamos encarcerar os genocidas!!!!

  29. Edu said

    Pax,

    Aponte onde está a meia mentira então.

    As metas podem perfeitamente servir de norte. Esse negócio de definir a velocidade e trauma é coisa de bunda-mole. É coisa de quem não sabe gerir. O que é gerir? Gerir é justamente priorizar.

    Agora, enquanto a gestão for essa caixa-preta… esquece.

  30. Pax said

    Caro Edu,

    Meta não é norte. Norte é caminho, não velocidade. Dois exemplos que me ocorrem:

    1 – acabar com a miséria: isso é norte. Metas você define a partir desse norte. Em tanto tempo tiro tantos milhões da miséria, em tantos outros anos etc.

    2- quero 40% do mercado de cerveja do país xpto. Como meta chego no primeiro ano com 10%, no segundo com 25% e no terceiro atinjo meu norte, os tais 40%.

    Outra questão é a tal concorrência para o Estado. Suponha, e é um bom pressuposto, que se defina como norte que toda educação básica deva ser responsabilidade do Estado. E aí? Se é toda do Estado, com metas bem definidas, toda criança com 7 anos saberá ler e escrever, por exemplo, onde entra a concorrência?

    Quanto a gestão caixa-preta do que se percebe hoje em dia, diria que mais triste que isso é a gestão caixa-dois. Que é o caminho adotado, por uma fartura de indícios. Poder pelo poder custeado pelos desvios. Em todos os âmbitos… Federal, estaduais e municipais. Com tão raras exceções que fica difícil apontar algumas delas.

  31. Patriarca da Paciência said

    Pois é, gente, como a situação está muito difícil no Brasil, país que está à beira do abismo, (já diziam os chargistas brasileiros, antes de 1964, que o Brasil não cai no buraco porque é muito maior que o buraco) pois então, sabe como é, a gasolina está muito cara, o custo de vida altíssimo etc.etc.etc., resolvi praticar uma temeridade. Peguei as estradas e passei uma semana na praia, bebendo água de coco, tomando banho em águas limpíssimas, comendo peixinhos e frutos do mar, que ninguém é de ferro, ao lado de milhares e milhares de pessoas que lotam as praias brasileiras, todos fazendo a mesma coisa. Pois não é ? A coisa no Brasil está muito difícil mesmo !

  32. Patriarca da Paciência said

    A ausência de chuvas fez com que os principais reservatórios que abastecem a capital paulista e a Grande São Paulo apresentassem nova queda na manhã deste domingo (18/01), de acordo com informações da Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp). O principal deles, o Sistema Cantareira, caiu 0,1 ponto porcentual em relação a ontem, atingindo 5,9%. Há um ano, estava em 24,8%..
    http://epocanegocios.globo.com/…/sem-chuvas-cantareira-cai-…

    Eis aí um problema realmente sério para o pessoal que apoia o Aécio e seu partido, que governa São Paulo, se preocuparem. Já estamos praticamente em meados da estação chuvosa e os reservatórios de São Paulo não reagem ! As previsões é que, se continuar assim, em maio ou junho os reservatórios secam de vez. Vinte milhões de pessoas com problemas de água, algo realmente preocupante. Já está mais que na hora de deixar de politicagens e pensar em coisas sérias !

  33. DAISE 2.0 said

    hehehe…#32
    Tolinho da Papuda agora quer tratar de coisas sérias…

    Comecemos pelo começo:
    por-onde-andara-dilma-tomou-posse-e-sumiu

    http://noticias.r7.com/blogs/ricardo-kotscho/2015/01/14/http://noticias.r7.com/blogs/ricardo-kotscho/2015/01/14/por-onde-andara-dilma-tomou-posse-e-sumiu//

  34. Patriarca da Paciência said

    O michele carlão deise desvairada(o) desmiolada(o) de Alcatraz abilolou de vez.

    Explica aí esse negócio de Papuda. Explica aí de onde você tirou mais esse delírio .

    Aqui onde moro a vida está muito difícil – praia, água de coco, peixinhos e frutos do mar. Coisa muito “dificultosa” mesmo !

  35. Guatambu said

    Pax,

    Esse norte aí, do seu vocabulário, no meu é objetivo.

    O país tem um objetivo claro, ou pelo menos devia ter, que é cumprir com aquilo que tá escrito na constituição.

    Se o Brasil cumprir o que está na constituição, será o melhor país do mundo pra se viver.

    A velocidade com que se faz isso, ou as metas, como quiser, deveriam ser definidas com base nas condições econômicas e orçamentárias, com revisões periódicas.

    Isso acontece mal e porcamente, claro, porque em vez do governo se ater ao objetivo de atender aquilo que está escrito na Lei, e gerir os recursos e as instituições existentes para alcançar esse objetivo, fica inventando um milhão de programas, criando ministérios, tornando a gestão (que é péssima) mais complexa.

    O resultado disso é que o país acaba dependendo basicamente da economia mundial. Quando vai bem, como no período do Lula, o Brasil cresce e todo mundo fica feliz… e o PT diz que foi obra do PT.

    Quando vai mal, acontece o que tá acontecendo: quem é funcionário público, como o Patriarca, lá na praia tomando sol. Quem é trabalhador, é demitido das empresas de autopeças, construção civil, etc etc… a diferença é que nesse caso, o PT diz que é culpa do mundo.

    Agora, em relação à gestão. Pax, vc já foi Diretor de empresa, vc sabe que tem várias formas de gerenciar recursos e pessoas.

    Quando vc tem uma meta clara e uma remuneração variável, vc pode fazer milagres de gestão e eficiência.

    No caso da educação, seu exemplo, a concorrência já existe: há milhares de escolas privadas. O MEC já avalia as escolas privadas e públicas dentro de um modelo. Por que não oferecer bônus para aquelas escolas públicas mais bem colocadas? E depois replicar as melhores práticas dessas escolas para as demais?

    É que o Haddad foi muito ruim, e o Marcadante é um horror. Eles podem entender alguma coisa de política, mas de gestão eles não entendem patavinas.

  36. Elias said

    Guatambu e Pax confundem discordância com inexistência.

    Claro que o Brasil tem um “norte”,i.é., um direcionamento. Esse direcionamento foi definido pelo regime militar, sendo mantido pelos sucessores, com poucas alterações.

    Quem deseja uma estrutura social-democrata, tão próxima quanto possível do modelo nórdico — é o meu caso, e o Pax também diz que é o dele (mas eu duvido!) — certamente discorda do direcionamento adotado pelo Brasil.

    Daí a dizer que ele não existe, é pular uma passagem…

  37. Elias said

    E, Pax,

    “Bola fora” por que?

    Eu apenas te parabenizei pela abertura de novas lojas.

    Se estás expandindo pontos de venda, é porque tuas vendas tendem à expansão. E, se tuas vendas tendem à expansão, num momento em que todo o país está em recessão, é porque a crise não está afetando teus clientes, ou, no mínimo, não está afetando como afeta a esmagadora maioria dos mortais comuns, no Brasil e no resto do mundo.

    Daí a minha curiosidade: o que será que será que esse pessoal faz pra ganhar dinheiro? Eles ralam? Certo. Então eles ralam. Mas… Ralam fazendo o quê? Produzindo coca? Fabricando papel moeda? Fazendo RP pro Alckmim? Prestando serviços à diretoria da Petrobras?

    É só curiosidade (com um pouquinho-poucão de inveja de quem também rala 14 horas por dia e acha melhor não abrir mais lujinhas pra não correr riscos desnecessários e, assim, evitar dar com os burros n´água).

  38. Guatambu said

    Elias e Pax,

    Eu não sei qual é o “norte” para o Brasil que os militares apontaram.

    Na minha cabeça, antes de o Brasil ter um “norte”, ele precisa conseguir ser o que ele se propôs.

    Essa proposta, até onde eu sei, a proposta de Brasil está descrita na constituição.

    Eu entendo mto pouco de direito, mas até onde eu sei, temos direitos e deveres, que deveriam ser garantidos pelo Estado.

    O Estado brasileiro me parece constitucionalmente voltado para essa tal social-democracia nórdica.

    Ele se coloca como provedor e guardião de uma série de direitos e deveres.

    No entanto, o Estado tem falhado reiteradamente tanto ao prover direitos como cobrar deveres.

    Na prática, o que se observa é um aumento significativo do Estado, uma melhoria marginal dos direitos e um retrocesso no que diz respeito aos deveres, com uma justiça horrorosa, que mal consegue cobrar dever dos próprios políticos.

    É óbvio que o cenário mais provável é que o Estado continuará crescendo, e uns poucos, como eu, continuarão indignados com a ineficiência dele.

  39. Vergonha nacional!

    http://www.valdeirvieira.com/unique-residencial/

  40. Pax said

    o Elias fala besteira, acusa os outros, decobre que falou merda e aí, depois de pego com as calças na mão, atrás da moita, com um gaúcho atrás, para e pergunta…

    =)

    faço manutenção, vendo peças, todo mundo comprou e não vai parar nunca esse negócio, trabalhando bem, preço justo, atendimento de qualidade, respeito ao cliente/consumidor, classe c e d, desenvolvimento de fornecedores etc – só se fizer muita besteira pra não dar certo… é pra enriquecer? claro que não, paga as contas, sobra pra cerveja puro malte e a picanha argentina que é bem melhor que a brasileira, nada além disso

    a nova?

    virou febre nacional, aqui um enxame, fins de semana e feriados lota, mas todo dia tem

    receber bem, oferecer manutenção emergencial, resgate, acessórios e, principalmente serviços, estacionamento, bom atendimento, a galera vem, descarrega, faz o que vem fazer e volta com sede e fome do cão, vontade de usar WiFi, postar no Instagram e Facebook etc – classe c, b e alguns a

    a constituição cidadã de 1988 tem coisas preciosas, principalmente o Artigo V

    daí a dizer que é um norte? hum…. forçando a barra, talvez… mas eu prefiro planos mais concretos.

    em empresas há diversos tipos, alguns que conheci, participei da elaboração etc

    – Plano Institucional – aqui é filosófico mesmo, o quê a empresa quer ser, como quer ser vista, como vai se relacionar com o mundo que a cerca, acionistas, clientes, fornecedores, governos, sociedade etc etc

    – Plano Estratégico – já falei disso, bom ter uma visão de longo prazo, um detalhamento menor para o médio prazo, 3 anos com números, objetivos (se não for numérico não presta, não é objetivo)

    – Plano Anual – daquele plano acima um detalhamento de todos os projetos que visam atender esse plano estratégico, com DRE detalhado, enfim

    – Plano de Recursos Humanos

    etc

    tem pra todo lado.

    E nunca, NUNCA, acerta, mas é isso mesmo, ao menos faz todos mirarem no mesmo alvo e atirarem nele.

  41. DAISE 2.0 said

    `APAGÃO

  42. DAISE 2.0 said

    Dilma Rousseff : show de mentiras e incompetência

  43. DAISE 2.0 said

  44. DAISE 2.0 said

  45. DAISE 2.0 said

  46. Patriarca da Paciência said

  47. Patriarca da Paciência said

    Até hoje não foi desvendado o mistério do helicóptero com meia tonelada de cocaína ! Os Perrelas e afins continuam livres, leves e soltos !

    Luiz Carlos Barreto (cineasta)

    “Não podemos transformar a liberdade de expressão em dogma, pois os dogmas são antidemocráticos e podem gerar posições extremistas
    Podemos pôr em risco a segurança e a vida de outras pessoas em nome da liberdade de expressão e do livre pensar? A liberdade de opinião e o direito de expressá-la são uma conquista social, não apenas um direito individual para servir aos interesses e ao narcisismo de pessoas ou de grupos. Portanto o livre exercício do direito de opinar, criticar, caricaturar e denunciar exige reflexão, responsabilidade e ética.

    Os talentosos desenhistas e chargistas do jornal satírico “Charlie Hebdo” mergulharam fundo naquilo que abraçaram como missão: criticar, caricaturar e satirizar os poderes político, econômico, religioso e social. Como os mergulhadores que ultrapassam os limites, foram tomados pelo delírio das profundezas. Desafiaram a minoria extremista e fanática do islamismo.

    A sátira focando personagens e situações do cotidiano francês e internacional tornou-se a marca do sucesso do “Charlie Hebdo”. Mas o sucesso sempre tem bônus e ônus.

    Algumas “vítimas” do “Charlie”, entre elas líderes políticos, religiosos e celebridades, reagiram com processos judiciais e ameaças. A Redação do semanário chegou a sofrer um incêndio criminoso em 2011.

    Mesmo diante dessa situação ameaçadora, a turma do “Charlie” não baixou o nível do seu poder de fogo satírico, em uma demonstração de uma coragem suicida, como definiu o ex-primeiro-ministro francês Dominique de Villepin, em artigo no “Le Monde” em 8 de janeiro.

    Agora os dados estão sobre a mesa: o Estado, o governo, o povo francês e até a União Europeia estão na incômoda e obrigatória situação de responder a um ato de barbárie causado pela irrefletida troca da sátira pelo insulto e pelo desrespeito à fé e à crença de grupos minoritários de radicais fanáticos, que fazem uma leitura errada do Alcorão.

    Neste momento, passada a comoção que o episódio trágico nos causou, chegou a hora da reflexão e da discussão sobre o tema da liberdade de expressão, questão basilar para o Estado democrático de Direito.

    Não podemos transformar a liberdade de expressão em um dogma, pois os dogmas são antidemocráticos e geram autoritarismo e posições extremistas. Aliás, na Europa e nos EUA, essa discussão está em curso, e seria muito saudável que nós, brasileiros, iniciássemos essa reflexão que tanto nos faz falta.

    Outras reflexões mais profundas devem ser feitas e a mais transcendente de todas diz respeito à forma de convivência entre as culturas ocidental e oriental. São duas estruturas de pensamento, hábito, costumes, idiomas, religiosidade, crenças e sistemas políticos. São concepções e estilos de vida diferentes e que começaram a se revelar um para o outro, com o auxílio dos meios de comunicação de massa.

    É preciso que nós, ocidentais, façamos uma revisão dos nossos conceitos e do nosso modo de relacionamento com os povos da banda oriental do planeta. Vamos nos despir da roupagem de colonizadores que sempre se relacionaram pela dominação, pelo subjugo e humilhação dos povos colonizados.

    O Brasil tem muito a contribuir com seu exemplo de democracia racial, que foi muito além da mestiçagem, produzindo um amálgama que, no dizer de Darcy Ribeiro, vai resultar em um novo modelo civilizatório para a humanidade.”
    —————————

    E a “óia” continua a defender a “liberdade de expressão” total e absoluta apenas para o pequeno grupo dos extremos arrogantes, como a sua própria trupe e o Charlie. Reinaldo rolabosta se julga competente até para ensinar o papa a rezar missa ! Eles podem ter “liberdade total de opinião”, já o papa…

  48. Jose Mario HRP said

    KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK
    Reporters da globo e folha sp levaram chute na bunda na Indonesia!!!!!
    Expulsos!!

  49. Patriarca da Paciência said

    Algo que o Luiz Carlos Barreto pôs em evidência e que deve ser observado por todas as pessoas de bom senso: o pessoal do Charlie é tão extremista quanto os fanáticos islâmicos.

  50. Guatambu said

    Elias e Pax,

    Esses dias eu estava dando uma pesquisada na história do imposto de renda.

    Vale a pena ler a respeito!

  51. Pax said

    Conta aí, caro Guatambu, ou manda links ou referências.

  52. Patriarca da Paciência said

    Uma leve queda de energia por excesso de consumo está sendo considerada uma verdadeira tragédia pela tal “grande imprensa”. Já a iminente tragédia que é 20 milhões de paulistas ficarem sem água (calcula-se que se as chuvas continuarem como estão no máximo em maio ou junho o Cantareira seca totalmente), a famigerada “grande imprensa” se cala totalmente.

  53. Elias said

    Pax,
    Tu és igual a uns motoristas de táxi que têm um ponto perto do meu escritório.

    Um deles seria o melhor técnico que a seleção brasileira poderia ter. Com ele no comando, a seleção brasileira não perderia um único jogo, amistoso ou de campeonato. O outro seria o melhor prefeito de Belém. Um terceiro seria um ministro da economia simplesmente genial. Durante uma corrida de seus 10 minutos, ele resolve todos os problemas econômicos do Brasil, e ainda sobra tempo pra endereçar galanteios a mulheres gostosas pelo caminho.

    Eles são a tua cara!

    Passaste um tempão cagando regra sobre educação, educação, educação.

    Aí eu mencionei o Plano Nacional de Educação (PNE), que tramita no Congresso. Foi quando se revelou o óbvio, Tu não manjas lhufas de educação, porra nenhuma! Nunca leste o PNE, não tens uma visão crítica sobre ele… Nada! Se depender de ti, esse plano de educação (tu te manifestavas como se não existisse), não melhora um milímetro, porque tu não tens nada a dizer nem a propor, porque tu és apenas um especialista em papagaiar lugares comuns. Tua opinião é um imenso nada!

    Agora, feito um Napoleão de hospício, desandas a falar besteiras sobre visão estratégica para o país. Como se tu tivesses alguma, e ninguém mais tivesse. Só tu.

    É preciso ser um grande idiota, sem nenhuma noção do ridículo, pra pensar desse jeito.

    “Errei” o quê, bundão?

    Tu te gabaste de estar abrindo não sei quantas novas lojas, e eu te parabenizei (irônicamente, se ainda não percebeste).

    É que, em todo o país, está havendo um verdadeiro festival de falências de lojistas, fechamento de filiais, etc. Raros são os negócios em expansão no Brasil, atualmente, sejam eles micro, pequenos, médios ou grandes. Do lojista da esquina à Vale (a Editora Abril, então, nem se fala…), o que não falta neste país é gente revendo (e encolhendo) planos de negócios.

    Tu, ao contrário, segundo te gabas, estás abrindo lojas (falaste no plural, certo?). É sinal que teus clientes não estão sendo afetados pela crise, tanto que a demanda deles está aumentando. Tu podes ser um Currupax, mas não és doido… Não rasgas dinheiro… Se não houvesse aumento de demanda não abririas novas lojas (no plural, certo?).

    Daí as minhas perguntas, na sacanagem: teus clientes roubam? Fabricam dinheiro? Vendem drogas? Estão no esquema da Petrobras?

    Aí tu entendeste que eu penso,mesmo, que teus clientes são ladrões, falsários, traficantes de drogas e petropilantras?

    Foi isso que tu entendeste?

    E eu que, no passado, já te tive na conta de bom entendedor, ente… idi…? (pra bomentendedor meia palavra basta)

  54. Elias said

    Guatambu,
    Há alguns messes, debatendo com o Chester, eu disse que a tendência no futuro próximo seria um aumento da carga tributária, no Brasil e no exterior.

    Só não houve aumento de impostos no ano passado, por causa das eleições.

    Agora é o momento. Todos sabemos o que houve com o orçamento da União, no ano passado. Pra gerar superavit, só tem duas alternativas: (i) aumentar a receita; (ii) diminuir a despesa.

    Diminuir a despesa não é fácil… Todo mundo acha que o governo deve reduzir seus gastos, desde que não seja em educação, em saúde, em segurança, em saneamento, em justiça, em cultura, em urbanismo, em energia, em… De mais a mais, a despesa governamental é engessada pelo pagamento de pessoal, planos de investimento plurianuais (que geram contratos plurianuais), e um porrilhão de etc.

    Resultado: quando se trata de melhorar a saúde de seu balanço orçamentário, 35 vezes em cada10 o negócio acontece pelo aumento da tributação… No Brasil de hoje, como na Roma dos Césares.

    No Brasil, o governo ainda tem a desculpa de que esse confiscão de renda que ele está perpetrando vai contribuir pra reduzir a inflação.

    E o pior é que vai, mesmo, em que pese o cinismo da coisa.

    Sei não… O Lula recebeu o governo com inflação de 12% ao ano. Hoje, ela está em torno de 7%.

    A meu pensar, aumento de desemprego e redução do consumo nas faixas de mais baixa renda é um preço alto demais, pra “pagar” uma redução de um ou dois pontos percentuais de inflação.

    Não sou nem quero ser “estrategista” de p… nenhuma (ao contrário de uns & outros que tem por aí). Mas me parte o coração oferecer 10 postos de trabalho, e, diariamente, despachar o triplo disso, de gente que quer porque precisa, desesperadamente, conseguir algum tipo de trabalho, pra sustentar a família.

    Entre inflação de 5% a.a., com desemprego, ou de 10% a.a., sem desemprego, sou mais a segunda hipótese.

  55. Elias said

    “E a “óia” continua a defender a “liberdade de expressão” total e absoluta apenas para o pequeno grupo dos extremos arrogantes, como a sua própria trupe e o Charlie. Reinaldo rolabosta se julga competente até para ensinar o papa a rezar missa ! Eles podem ter “liberdade total de opinião”, já o papa…” (Patriarca)

    Discordo veementemente, Patriarca!

    Reconhecer que o Papa tem direito a exteriorizar opinião não implica, de modo algum, concordar com a opinião dele. Qualquer um também tem o direito de esculhambar com a opinião do Papa.

    Uma obra prima do desenho do humor é “A Graça Divina”, de Millor Fernandes. Foi desenhado há mais de meio século. Eu já topei com esse desenho (ou reproduções dele, acho), em exposições nos EUA e na França. É exposto como se fosse um desses quadros de pintores célebres.

    O desenho é uma variação da “Santa Ceia”. Nele, Jesus tem o ar contido, levemente risonho, de quem acabou de contar uma boa piada. Já os discípulos estão se borrando de tanto rir… Menos Judas, que está no canto esquerdo do desenho, carrancudo, segurando um saco de dinheiro. Já havia se vendido…

    Na mesma França, vi um cartum premiado, em que Jesus Cristo, na cruz, pede pelo amor de Deus que alguém lhe dê uma coçadinha no saco.

    E nem sei como fazer pra enumerar o porrilhão de charges tirando sarro com a gravidez de Maria, mãe de Jesus…

    O pensador católico Gustavo Corção meteu o pau (epa!) no desenho do Millor. Mas, que eu saiba, Millor morreu de causas naturais, várias décadas depois de ter feito “A Graça Divina”. Também não sei de nenhum atentado de fundamentalistas cristãos contra o cara da coçadinha no divino saco… (salvo engano, essa charge é do francês Sinè).

    Por que não se pode tirar sarro com religião, especialmente quando ela contém tantos elementos ridículos, como o judaísmo, o cristianismo e o islamismo? (Bem feitas as contas, todas as religiões têm um quê de ridículo, mas essas três meteram a cabeça embaixo da torneira…).

    O filho da puta que mata pessoas por causa de uma piada com sua religião, não faz isso por amor a Deus, e sim por ódio aos seres humanos.

    O filho da puta que faz isso não merece viver. Simples assim.

    É um absurdo que se questione a liberdade de expressão, com o propósito de minimizar, ainda que indiretamente, o caráter facinoroso e bárbaro do pervertido que comete tamanha atrocidade.

  56. Pedro said

    Googlias # 55, clap, clap, clap, assino embaixo.

  57. Pedro said

    Agora vou corrupaquear direitamente.

    O petróleo teve uma queda de preço gigante.

    Nos EUA, onde o petróleo é das multi, o preço da gasolina caiu.
    No Brasil onde o petróleo é nosso, o preço da gasolina aumentou.

    Como é bom ser dono do petróleo brasileiro.
    É uma beleza.
    Vamu que vamu.

  58. Pax said

    Elias,

    quando uma escrita precisa agredir pra se fazer ouvida, demonstra a personalidade do dono do pincel

    você mente, teus pares são ladrões de marca

    e você grita, berra, esperneia

    como se essa “valentia” convencesse…

  59. Elias said

    Curropax,
    Quem lê as listas deste blog, sabe que eu apenas revidei tuas agressões, que tu, como bom covarde e desonesto, não reconheces (exceto uma única vez, em que reconheceste que havias sido desonesto).

    Qual é ou qual foi a minha mentira?

    E quem são meus “pares” que são ladrões? Quando foi que um “par” meu roubou o quê, de quem?

    Tens te portado como um canalha. Nada mais justo que sejas tratado como um canalha.

    Um canalha currupacopapagaiador de lugares comuns.

    E eu não preciso gritar. Conheço o idioma. Sei como esculhambar sem perder o rítmo.

  60. Elias said

    Pedro,
    Mas o petróleo não é mais barato nos EUA porque é das multi, né?

    Nem é por ser do Estado que ele é mais caro no Brasil.

    Aliás, carro no Brasil também é mais caro. E é das mesmas multi de lá, né?

    E nem vem com aquela história de impostos. Lá, o custo da mão de obra — mesmo com toda a robotização (que, aliás, é a mesma daqui) — é significativamente maior, mais do que compensando o IPI brasileiro.

    E nem vou falar dos incentivos fiscais, creditícios e infraestruturais de que as montadoras multi desfrutam no Brasil, e não nos países de origem…

  61. Guatambu said

    Pax e Elias,

    Comecei a tomar gosto pelo tema da história do imposto de renda lendo o “Business Adventures”, do Jonh Brooks. Esse livro já foi recomendado pelo Warren Buffett como o melhor livro de negócios que ele já leu… e eu acabei buscando a sua versão eletrônica por conta dessa propaganda.

    O livro é interessante, o cara esmiúça alguns episódios que cirunscrevem o mundo de Wall St, nomeando os personagens, e contado de maneira bem humorada a história. Pra quem não gosta de negócio, é pesado e chato, mas pra quem gosta, é uma fonte interessante.

    Há um capítulo desse livro que trata sobre o Imposto de Renda, especialmente nos EUA.

    E dentro do livro há outras referências às quais recorri para me aprofundar um pouco mais.

    Digo que vale a pena porque nos faz pensar na origem dos impostos e taxas e pra que elas servem, que, apesar de parecer óbvio, carrega implicitamente a malícia de transformar algo que é tão insípido quanto pagar um imposto em algo interessante sob a justificativa de que beneficiaria a sociedade como um todo.

    E, como resultado, um sistema tão complexo que aliena os contribuintes (especialmente os mais pobres) da discussão, levando-os muitas vezes a pagar mais do que eles poderiam, e pervertendo todo o sistema, e culminando em uma manada de contribuintes que pagam bovinamente, sem sequer questionar a destinação dos recursos, a eficiência com que são gastos, etc.

    Além disso, a necessidade de dinheiro do Estado, mesmo com uma sociedade evoluindo, não diminui, ela só aumenta. O que nos leva a pensar que algo está errado, já que o Estado sempre esteve ocupado com as mesmas matérias. É de se pensar que em um país desenvolvido, ao alcançar determinado nível de serviço (do Estado para com a população), deveria haver um ganho de eficiência… que por algum motivo, não acontece.

    Minha conclusão, Pax, eu já coloquei: qualquer Estado, hoje, existe muito mais para justificar um Estado maior, mais robusto… e mais custoso, do que um Estado cujo objetivo é prover com efetividade serviços de sua responsabilidade à população. Como disse o Elias, é uma colcha de retalhos de planos, de iniciativas, de verba para todos os lados. E eu acrescentaria: com um controle central fraco, furado e tão obscuro que não dá a menor chance de qualquer brasileiro médio entender o que se passa.

    Infelizmente.

    Eu gostaria que a Dilma, na qualidade de gerente, gerenciasse, priorizasse, desse fim a coisas imprestáveis e consumidoras de recursos, centralizasse, unificasse, controlasse, para que pelo menos o Brasil tivesse como entender pra onde vai o dinheiro… mas pelo jeito não há vontade política para isso… aliás, a política que se faz no Brasil hoje depende justamente de “deixar rolar” projetos estapafúrdios, custosos, ineficientes, etc, para que a chamada base aliada possa se fartar das tetas do estado “deixando o governo governar”.

    Deram o nome desse troço de custo-brasil. Eu acho apropriado.

    E o que me parece é que a Dilma se perde. Em um momento ela toma medidas gerenciadoras, permitindo, por exemplo, que se ajuste o salário mínimo a 4,5%. E logo em seguida, não só volta atrás, como pede ao seu novo ministro que vá a público se retratar, dizendo que o salário mínimo seja reajustado em 7%. Para mim, isso foi uma clara falta de atenção e uma clara falta de cuidado com a comunicação interna entre a Dilma e sua equipe mais próxima, imagina em relação ao resto do governo…

    E aproveitando o ensejo do Elias, eu acho que valeria muito mais ter feito o ajuste do salário mínimo em 4,5%, desonerado um pouco a classe média e minimizado o impacto desse ajuste no nível de emprego, do que forçar a situação para 7% e arriscar o emprego das pessoas. Lembrando que quem vai pagar esses 7% não são os 10% mais ricos da população, e sim a classe média que já sofre com a maior parcela de carga tributária.

    Mas eu não sou especialista nem estrategista de nada… só que não entendo qual é a mensagem que a Dilma quer passar para o país: agradar ou governar. Ela, mais que ninguém deveria saber que governar não significa agradar a todos.

    E pra finalizar e o que me deixa mais perplexo, é que o Elias está correto: a tendência mundial que os Estados sejam cada vez maiores.

    Não parece haver correlação entre Estado maior e melhoria na qualidade dos serviços públicos prestados pelo Estado, mas Estados maiores são uma realidade.

    Fazer o que. A mim resta escrebuchar aqui… e rezar para que alguém com mais poder que eu pense alguma alternativa. Eu sou minoria, o máximo que eu alcanço são algumas dezenas de pessoas de meu círculo pessoal. Aliás, não tem um partido que efetivamente se preocupe em dar uma solução à essa questão.

  62. Pax said

    você é petista fundador… Elias

    teus pares roubam descaradamente os brasileiros

    e você mente

    disse que já tenho uma “lujinha” de nada, que mal paga as contas e sobra um pouco e agora estou abrindo outra

    você inventa, mente, diz que estou abrindo lojas etc etc

    não sabe da missa metade e sai falando

    como teus pares, mentes

    tomara que seja só esse teu erro

  63. Pedro said

    Pois agora.

    Vi reportagem na tv, dizendo que o preço do litro por lá, está em torno de R$ 1,50.

    E vou vir com aquela historia, que a renda per capita deles, é bem maior que a nossa.

    Portanto, representa ainda menos.

    Quem é que está se beneficiando com a queda do preço, eles ou nós?

  64. Guatambu said

    Pax e Elias,

    http://www.businessinsider.com/obamas-big-tax-proposals-are-already-getting-the-cold-shoulder-2015-1

    Falando nelas… o Obama tá sofrendo para aumentar os impostos.

    O mais interessante é que a justificativa é sempre a mesma: taxas pessoas com mais dinheiro para ter dinheiro para “uma série de medidas que beneficiarão a classe média”…

  65. Pax said

    Caro Pedro,

    aqui tem que pagar os desvios da turma do Elias pô…

    turma boa, que executa projeto no prazo, dentro do orçcamento etc

    dos aptos deles, claro

  66. Pedro said

    Pois é, acho que é isto que está tirando o Googlias do sério.

    Quase todas as corrupaqueagens da direita estão se confirmando.

  67. Patriarca da Paciência said

    Essa história do petróleo é incrível. Durante anos a direitona vem dizendo, “o preço da gasolina está defasado”, “o governo subsidia gasolina, por isso qualquer pobre compra carro, entupindo as estradas” etc.etc.etc.

    E o governo aguentando firme, visto que simplesmente acompanhar os preços da gasolina com o mercado externo e a cotação do dólar etc. etc. criaria um verdadeiro caos nos preços brasileiros.

    Agora a Petrobrás tem uma chance de recuperar o que perdeu e a direitona chia do mesmo jeito. “O preço lá fora está mais barato” etc.etc.etc.

    Calma gente, as coisa tem que ser feitas com critério e prevendo consequências. É muito provável que os preços do petróleo não se mantenham baixos por muito tempo. Já pensou se o preço da gasolina cai para R$ 1,50 e, alguns meses depois, é obrigado a voltar para R$ 3,00 ? No Brasil seria uma verdadeira tragédia !

    Então é isso aí. Continuo tendo a maior admiração por quem tem a capacidade de ser um presidente ou… até mesmo, o prefeito de uma pequena cidade.

  68. Guatambu said

    A minha dúvida, em relação à gasolina é: a grana feita com a gasolina vai pra Petrobras ou pro governo?

  69. Pax said

    Caro Guatambu e caro Pedro,

    Segundo farto noticiário, não vai para a BR nem para o governo. Vai pra contas nos paraísos fiscais, para triplex da turmaiada…

    afora essa triste – nas fartamente documentada – realidade, teoricamente esse imposto iria para: (da Wikipedia)

    “Do total arrecadado, 71% vão para o orçamento da União, e os outros 29% são distribuídos entre os estados e o Distrito Federal, em cotas proporcionais à extensão da malha viária, ao consumo de combustíveis e à população. Os recursos devem ser aplicados em:
    — programas ambientais para reduzir os efeitos da poluição causada pelo uso de combustíveis;
    — subsídios à compra de combustíveis; ou
    — infra-estrutura de transportes.””

    Agora vejamos…

    ==== Programas ambientais? – Esse governo é campeão de desmatamento, bancou o novo código florestal que é um desastre que agora está em evidência com a falta d’água em inúmeros municípios, governo que tem Kátia Abreu no Ministério da Agricultura, que é bancado pela JBS (Friboi e outras)… ou seja, você acredita?

    ==== infraestrutura de transportes: Aqui piora o quadro, todos sabemos que infraestrutura dos transportes foi entregue ao PR, do Valdemar da Costa Neto, um duto larguíssimo que tem DNIT, ANTT etc, uma roubalheira sem fim.

    Ou seja, dinheiro pra cobrir incompetência e, principalmente, roubalheira.

  70. Patriarca da Paciência said

    “Segundo farto noticiário, não vai para a BR nem para o governo. Vai pra contas nos paraísos fiscais, para triplex da turmaiada.”

    É, caro Elias,
    o caro Pax assumiu de vez o discurso do PIG. Ora vejam só ! Esse triplex aí seria o suposto apartamento adquirido pelo Lula ? Caro Pax, segundo consta, o Lula ministra palestras no exterior, onde chega a ganhar 150 mil dólares por cada uma. Seria tão difícil assim para o Lula comprar um triplex ? Ou você também pensa que um nordestino nunca teria a competência para comprar um triplex ? Caramba ! A coisa está feia mesmo !

  71. Guatambu said

    Pax,

    Vc que é defensor das plantas e animais, é verdade que há uma teoria de que não chove em SP por causa do desmatamento na Amazônia?!

    Se for assim, a culpa da falta de água está mto menos relacionada ao Alckmin, e mto mais relacionada com os governos do PT, já que eles permitiram que o desmatamento avançasse nos últimos 12 anos…

  72. Jose Mario HRP said

    Pronto!!!!!…….é o PT que é culpado pela falta d’gua!
    Essa ralé facista é hilária!
    Foram esses doze anos de pt que mudaram o clima do mundo!
    KKKKKKKKKKKKK…….
    Quanto çabio d plantão!!!!!
    Teoria made in Clube Milita/bananas e pijamas!!!!

  73. Jose Mario HRP said

    Patriarca!
    Não é na Óia que acontece o terceiro turn, é aqui!
    Olha só os comentarios dos velhinhos ranzinzas!!!
    Só O relho do Elias acalma essa turma.

  74. Guatambu said

    HRP,

    Vai tomando bastante cuidado em como vc trata as pessoas.

    Ralé facista eu não admito.

    Facista sim, ralé, nunca!

  75. Jose Mario HRP said

    Meu Email Pax sabe……..
    UUUUUUUUUUUUU!!!!!!! Que medinho!
    Consulte um bom advogado!

  76. Jose Mario HRP said

    http://www.diariodocentrodomundo.com.br/como-bali-se-tornou-um-reduto-de-traficantes-brasileiros/

    Pondo os pingos nos is!!!

  77. Patriarca da Paciência said

    Guatambu,

    essa de culpar o PT pela falta de água em São Paulo é mesmo hilária !

    É igual a dizer que a Dilma é a culpada de “atirar o pau no gato”. Muito boa mesmo !

  78. Patriarca da Paciência said

    Dilma é mesmo muito má. Vejam só quantas maldades:

    “Dilma era a cardiologista do Michael Jackson!
    Dilma Roussef atirou o pau no gato
    Pinguins que apareceram mortos em praia gaúcha eram filiados ao PT
    Petistas pagaram 30 moedas de prata para que Judas denunciasse Jesus.
    Em prévia do Episódio 7 de Star Wars, George Lucas revela que Dilma era mãe de Darth Vader
    Dilma foi contra o Bolsa Família, mas Serra insistiu e Lula cedeu
    Dilma forjou tudo para que Édipo matasse o pai e consumasse o intercurso com sua própria mãe
    Preferido de Serra para vice, Arruda revela que comprou panetones de Dilma
    Cientistas afirmam que Maria Madalena, ao contrário do que acreditávamos, foi apedrejada. Dilma atirou a primeira pedra!
    Dilma indicou o vice do Serra
    Dilma é a única responsável pela Folha emprestar sua peruas para os torturadores da Ditadura Militar
    Dilma facilitou a entrada do ET de Varginha
    Foi Dilma, à época da guerrilha, quem matou Salomão Ayala e Odete Roitman
    Foi a Dilma que roubou o diploma do Serra
    Dilma colocou Cachaça no remédio de Lucia Hipolito
    Folha descobre que sobrenome de Judas é Rousseff ”

    E agora, ainda por cima, Dilma é responsável pela falta de água em São Paulo ?

    Assim não dá, Dilma, é maldade demais !

  79. Elias said

    Pax # 3: “tô é investindo em mais uma lujinha, mandando um ferre-se pra crise que esses irresponsáveis larápios criaram (sim, após a crise internacional que virou a desculpa de toda burrice, incompetência absoluta, falta de plano de país e roubalheira mesmo, grossa, nojenta)”

    Pax # 62: “disse que já tenho uma “lujinha” de nada, que mal paga as contas e sobra um pouco e agora estou abrindo outra.”

    Além de doido, é doido… E direitopata… E curropacopapacopapagaiador de lugares comuns da direita hidrófoba…

  80. Pedro said

    Governo do pt se transformou nisto:

    http://josiasdesouza.blogosfera.uol.com.br/2015/01/10/ministro-do-esporte-aluga-por-r-85-mil-computadores-que-custam-r-15-mil/

    É o verdadeiro governo curupira.

    E quem reclama, é fascista, direita hidrófoba, etc, etc.

    Haja paciência.

  81. Elias said

    Patriarca/Guatambu/Pedro.
    Comparar evolução do preço dos combustíveis nos EUA, com a do Brasil, é perda de tempo.

    São dois mundos diferentes. Nada a ver…

    Vejam o que aconteceu recentemente: a grande mídia carnavalizou o quanto pôde, um apagão de menos de 2 horas…

    …E deixou de dizer algo extremamente importante: a duração do apagão, absolutamente desproporcional — porque bem menor! — em relação à falha que lhe deu causa.

    Sabe por que isso foi possível? Porque praticamente a totalidade do país está interligada num sistema único, por meio de imensas redes de distribuição de energia elétrica. Hoje, é possível pegar energia elétrica gerada em qualquer parte do país, e transferi-la para qualquer outra parte, em poucas horas. Há alguns anos, a danificação em uma linha causava uma catástrofe (hoje, salvo engano, só o Amapá está fora do sistema, porque o projeto de linhão está sendo embargado, sob a alegação que a passagem de uma linha de energia elétrica por áreas de reservas indígenas, causará a degradação ambiental dessas áreas).

    A cidade de Manaus — que concentra quase 50% da população e quase 80% do PIB do Amazonas, e fabrica a maior parte dos eletroeletrônicos consumidos no Brasil — atualmente consome energia elétrica gerada em Tucuruí, no Pará.

    Isso só se tornou possível, por causa da construção de uma mega-linha de transmissão, que transpõe o Rio Amazonas (na altura da cidade de Almeirim), com torres com aproximadamente 300 metros de altura, ou seja, do tamanho da Torre Eiffel. Se o Lula e a Dilma disserem que construíram não uma, mas várias “Torre Eiffel”, gente como o Currupax vai pirar, dizer que é mentira, que o dinheiro foi para o tríplex, etc. E, no entanto, construíram, pra sustentar uma linha de distribuição de mais de 1.100 quilômetros. (Quem quiser ver fotos dessas torres, é só pesquisar no Google).

    O que isso tem a ver com a Petrobras e o petróleo? Tem que, ao abastecer Manaus com energia hidrelétrica de Tucuruí, o país economiza alguns bilhões de dólares por ano, em petróleo. E, como Manaus passou a fazer parte do sistema, se Tucuruí bater fofo, é possível, em poucas horas, substituir essa hidrelétrica, e abastecer Manaus com energia elétrica gerada por Sto. Antônio, Jirau, Itaipu, Curuauna, e o escambal.

    É só alargar um pouco o ponto de vista, que se tornará perfeitamente possível entender por que nem toda economia com petróleo pode ou deve ser automaticamente repassada ao preço dos combustíveis.

    O Brasil tem um projeto — ou seja, um “norte” — de matriz energética. Mas, pra chegar lá, vai ter que ralar pra caramba! Tem muito chão pra andar. O passo que se deu recentemente, com as “Torre Eiffel” do Lula e da Dilma, faz parte de uma caminhada iniciada no governo Geisel, com a construção de Tucuruí, nos anos 1970…

    Algo completamente diferente dos EUA, onde existe uma matriz totalmente implantada e amadurecida, há décadas…

    E assim por diante.

    O Currupax parece um pouco com o Marcelo Augusto… Ambos mal sabem onde fica o Brasil, mas acham que têm soluções pra todos os problemas brasileiros…

    Tipo aqueles motoristas de táxi a quem me referi, mais acima…

    Sendo que, com o Currupax, o problema é mais grave: ele vive papagaiando os lugares comuns demagógicos e pseudomoralistas da direita hidrófoba (uma espécie de morto-vivo udenista, exumado de alguma sepultura dos anos 1950-1960…), porque, assim, ele se sente liberado do trabalho de pensar, estudar…

    Um neodireitopata com preguiça mental, entendem?

    Um Napoleão de hospício…

  82. Elias said

    “E quem reclama, é fascista, direita hidrófoba, etc, etc.” (Pedro)

    Nem tanto, Pedro.

    São chamados de “fascistas” aqueles que usam técnicas fascistas de debate.

    Por exemplo: manipulam um fato verdadeiro, apresentando-o como causa para problemas nacionais. Daí transformam isso num “slogan”, que é repetido à náusea, tentando fazer disso uma simplificação que “explica” alguma coisa para o povo, liberando este último do trabalho de pensar (na verdade, procurando impedir que as pessoas pensem).

    Exemplo: “a crise que a gastança e roubalheira produziu…” (abstraindo o fato de que todas as economias de grande porte do planeta também estão em crise, e que as causas dessa crise estão muito além da gastança e da roubalheira no Brasil…).

    Repetir o “slogan” é muito mais fácil, né? Dá a impressão de que se achou a chave para a compreensão de uma realidade complexa. E nem é preciso pensar muito pra entender.

    Claro que o “slogan” é falso, mas, e daí? É só repetir mil vezes, etc. e tal…

    Só que isso é fascismo, certo?

    Nem todo mundo que reclama procede desse jeito. Nem todo mundo que reclama é chamado de fascista.

    Nem todos os filiados ao PT apoiam, p.ex., a atual política econômica da Dilma. Mais acima, eu fiz uma crítica a essa política econômica (e, por falar nisso, parece que tu concordaste com a minha crítica).

    E por aí afora…

  83. Elias said

    Ah, sim!

    O que os neofascistas ou protofascistas brasileiros parecem ignorar, é que a técnica de “repetir mil vezes uma mentira, para fazê-la aceita como verdade”, só funciona nas sociedades totalitárias, onde o usuário da técnica tenha controle sobre a capacidade de expressar opinião.

    Numa sociedade onde haja liberdade de expressão, tudo o que os neofascistas ou protofascistas conseguem é ser ridicularizados e denunciados como neofascistas ou protofascistas.

    Fazer o quê…?

  84. Elias said

    Pedro,

    Viu só?

    Manchete: “Ministro do Esporte aluga por R$ 85 mil computadores que custam R$ 15 mil”.

    Notícia: Trata-se de algo ocorrido quando o cara ainda não era Ministro do Esporte. Era deputado federal. Ele alugou os equipamentos em 2013 e 2014, como deputado, usando a “verba de gabinete”, e só assumiu o ministério em 2015.

    Do jeito que está escrita, a manchete faz crer que, na condição de ministro, o cara alugou os equipamentos.

    No mínimo, o verbo alugar deveria estar escrito no pretérito (alugou), até porque a notícia trata de fato pretérito.

    Só que, desse jeito, não estaria estabelecida a conexão direta entre o procedimento do deputado e o governo, que é o que o jornal (não necessariamente o jornalista), quer fazer (nem sempre é o jornalista que decide sobre o título do artigo, e, no caso, o artigo está escrito corretamente).

    Entonces…

  85. Pax said

    Caro Guatambu,

    Tem um projeto muito bom. Já estive num auditório onde o cara apresentou. Chama Rios Voadores. Veja aqui:

    http://riosvoadores.com.br/

    Ironicamente financiado pela… depauperada Petrobras. Dilacerada pela quadrilha dos amigos e parceiros do Elias (vou bater nessa tecla até o fim, se o cara é orgulhoso de ser fundador e participante do PT, que pague por isso).

    Mas dizer que a falta de água em Sampa é culpa maior do governo federal é um absurdo sem tamanho. Claro que essa culpa maior é dos governos tucanos. Faz mais de 10 anos que já se previa falta de água. É o Estado que mais desmatou e ainda desmata a Mata Atlântica. Ferrou com as nascentes dos sistemas do estado e por aí afora.

    Sem dizer da roubalheira sem fim na SABESP. E tome propaganda dessa empresa canalha nas campanhas eleitorais. Lembra? E o empréstimo de US$ 440 milhões do Banco do Japão pra reduzir as perdas? Dinheiro sumiu, gato comeu.

    Ou seja, há, sim, uma parcela de culpa do governo federal nessa história, mas longe de aliviar a grande culpa, dos governos tucanos.

    No fundo, no fundo, viraram iguais, tudo a lesma josta.

  86. Pedro said

    #84 Mas, é isso.

    Como podemos ver, temos um ministro muito qualificado.

    Pra quem vai sediar a próxima olímpiada, é animador.

  87. Guatambu said

    Elias e Pedro,

    Só são diferentes se a estrutura de custos desses mundos forem diferentes.

    Resta saber onde estão esses custos.

  88. Guatambu said

    Elias e Pedro,

    Você descreve um projeto do Geisel, que foi orçado pelo governo do PT em R$ 2 bi, e que custou R$ 3,5 bi.

    A equipe técnica responsável pelo orçamento do projeto é muito ruim… com o projeto quase dobrando…

    Aí eu volto a dizer: políticos e funcionários públicos brasileiros não parecem ter a menor responsabilidade com o dinheiro público.

    Se uma diferença de 10% para mais ou para menos acontece em qualquer empresa privada do mundo, o Presidente da empresa tem que explicar a todos os acionistas o que aconteceu.

    Na esfera pública é essa palhaçada: quase 2x o valor orçado, mas ninguém liga.

    Quando liga é o TCU… mas o TCU é um órgão fraco, não controla nada não faz nada… ele foi passado por cima durante todos os governos do PT.

    Resultado: será que esses R$ 3,5 bi vão ser financiados com a suposta economia de R$ 2 bi da termelétrica? Não!!! Esse custo vai ser entubado no consumidor/contribuinte.

    É assim a gestão pública no Brasil.

    Coincidentemente, essa porcaria de gestão pública calha de estar sendo comandada pelo PT.

    Eu diria a mesma coisa se fosse o PSDB, PMDB, DEM, PCdoB, PSTU,etc etc… mesmo porque esse monte de partido não tem a menor ideia do que pode ser feito para melhorar isso.

  89. Guatambu said

    Pax e demais indignados com o meu comentário,

    Obviamente meu comentário foi uma brincadeira.

    Acho engraçado que algumas pessoas levam algumas coisas muito ao pé-da-letra. De que adianta ler Niezche e não saber interpretar? Imagina um animal desses com uma bíblia na mão… bem capaz do cara sair armado atirando em cartunista.

    Mas foi bom termos mencionado esse projeto.

    Muito bonitinho e tal.

    Qual era o objetivo?

    Como essa iniciativa está ligada ao plano educacional no Brasil?

    Quem era o responsável?

    Quanto custou?

    De onde veio a verba?

    Qual foi o resultado?

    Esse tipo de informação básica não existe…

    Resultado: mais dinheiro do contribuinte sendo jogado gasto sob uma bandeira bonitinha, que é a educação, mas sem consequência.

  90. Guatambu said

    Ahhh

    Alguém quer ganhar um dinheirinho no curto-prazo com Petrobras?

    Esperem sair o balanço não-auditado.

    Parece que vai rolar um preju básico da refinaria Abreu e Lima.

    As ações vão ter uma quedinha, hora boa pra comprar.

    Aí as ações vão voltar a oscilar… se ficar atento pode acabar ganhando um troquinho.

  91. Guatambu said

    Pax,

    Ouvi uma história de que todo o loteamento que circunscreve a represa Billings foi iniciado pela família do Lewandowsky.

    A galera invadia terra, botava uma casinha lá, etc… e a família tinha uns terrenos e foi comprando outros.

    Quando não havia mais saída a prefeitura de São Paulo autorizou o loteamento da região… e a família parece que fez uma grana.

    Verdade isso?

  92. Pax said

    Desconheço essa historia do loteamento da Billings, caro Guatambu.

    Que papo é esse de eu ter ficado indignado com um comentário? Do que você está falando?

    (sinto muito, atualmente meu tempo livre tá bem menor, não acompanho todas as discussões amiúde)

  93. Patriarca da Paciência said

    E o bebê chorão Aecim, com aquela cara de bezerro desmamado, chorando mais que uma madalena arrependida, não perde a chance de falar bobagens. Seria mais útil chorando nas nascentes do Cantareira. Quem sabe ajudaria o seu colega Alckmin, do PSDB, com o “probleminha” da perspectiva de ter 20 milhões de paulistas com falta d’água.

    Mas a Globo também está ajudando o bebê chorão, falou que está faltando água em Manaus !!!!!!!

    Imagina só, faltando água em Manaus !!!!!!!

  94. Guatambu said

    Bom dia!

    Alguém sabe qual vai ser o imposto que vai aumentar hoje?

  95. Guatambu said

    … e aqui está a eficiência pública mais uma vez, com o dinheiro desses impostos que só aumentam.

    http://www1.folha.uol.com.br/mercado/2015/01/1578562-usinas-paralisadas-equivalem-a-11-da-oferta-de-energia.shtml

    Ainda bem que o Geisel tinha um plano…. se não fosse ele…

  96. DAISE 2.0 said

  97. Elias said

    Currupax,
    Eu sou tão “parceiro” dos larápios da Petrobras quanto tu és capanga da sonegação de impostos e roubalheiras outras, da empresa que fabrica perfumes e os vende usando e abusando da mão-de-obra que trabalha nas ruas, sem carteira assinada, sem salário fixo, sem vale-transporte, sem previdência social, sem vale-alimentação, sem férias, sem 13º salário, sem seguro de acidente do trabalho (trata-se de uma ocupação extremamente vulnerável a acidentes de percurso, já que as pessoas trabalham externamente)… E, pra completar, essa empresa também não expede nota fiscal de venda ao consumidor (consequentemente, não recolhe ICMS).

    Ou seja, ladrões consumados, dos quais és capanga e bate-pau. O produto da roubalheira generalizada que essa empresa perpetra, financia a vida boa de seu proprietário, que usa o Brasil pra ganhar dinheiro, enganando trouxas… Mas prefere viver em Londres, como um nababo.

    Na condição de cupincha de sonegador, explorador da mão-de-obra de pessoas pobres, não tens moral pra criticar a corrupção de ninguém… Menos, ainda, pra caluniar quem nada tem a ver com a corrupção.

    Se queres mesmo ver quem é parceiro de ladrão E sociopata que enriquece à custa da miséria alheia, dá uma olhada no espelho mais próximo de ti.

    Também vou passar a bater nessa tecla (e noutras mais…), “até o fim”…

    Tá bom assim, neném do hangar de vidro?

    Huá! Huá! Huá! Huá! Huá! Huá! Huá!

  98. Elias said

    Guatambu,

    I
    Nada a ver com estrutura de custo. São mundos diferentes, porque dois países são completamente diferentes, caso um deles já tenha uma matriz energética definida, implantada, maturada e em operação, e o outro esteja apenas a meio caminho da implantação de sua matriz.

    As necessidades de investimentos infra estruturais desses países serão necessariamente diferentes. Se a necessidade de investimento for maior no país mais pobre — como é o caso –, a participação relativa desse investimento na formação geral de gastos públicos será infinitamente maior, em termos proporcionais. É tão difícil perceber isso?

    II
    Vários investimentos em energia elétrica do Brasil estão paralisados ou atrasados por causa de questões ambientais.

    E culpar o governo do PT por isso, equivale assinar súmula como ponta esquecida do time perna-de-pau do Currupax.

    Vais fingir que não sabes, p.ex., que a usina de Belo Monte vem dos tempos de Sir Ney? E que ela atravessou os governos Collor, Itamar e os dois mandatos do FH do C. dele? E que ela só saiu do papel e está avançando, aos trancos e barrancos (mais aos trancos do que aos barrancos), exatamente nos governos Lula e Dilma?

    O mesmo se aplica à montagem do “Sistema Integrado”. As “torres Eiffel” de Almeirim estavam no projeto desde mil novecentos e Roberto Carlos. Até o Hermann Khan, falecido há décadas, já falava nelas. Mas só começaram a sair do papel no governo Lula…

    No caso de Belo Monte, aliás, a bem da verdade, só o velho Sarna tentou alguma coisa… Que acabou com a índia Tuíra passando o terçado na cara daquele sujeito da Eletronorte, para indignação dos direitopatas de plantão, que espalharam o boato histérico de que a Tuíra estava ameaçando a vida do cara, quando ela estava apenas dizendo que o sacana era um cara-de-pau (com o focinho esculpido a terçado…).

    Mas a verdade é que Sarney tentou. Collor, Itamar (Itapior) e Fernandinho Bocaxoxa, nem isso… Não bateram um prego no setor, do que resultou o apagão tucano, com racionamento e a gente pagando sobretaxa pela ultrapassagem do limite racionado (e a grande mídia não fazendo nem dez por cento do escarcéu desta semana, com o apagão petista, de menos de duas horas, né não?).

    Realmente, tu não sabes disso?

    Se é esse o teu caso, Guatambu, vai ser difícil debater seriamente política energética contigo.

  99. Elias said

    Guatambu,
    Realmente, a atual matriz energética do Brasil foi delineada pelo presidente Geisel.

    Nem poderia ser de outro modo. Foi no colo dele que explodiu a bomba da superelevação do preço do petróleo em 1973.

    Àquela altura, o “mandato” do Médici estava chegando ao fim. Geisel já tinha sido ungido, e a única medida tomada pelo então superpoderoso Delfin Netto, foi ajustar com a Fundação Getúlio Vargas o expurgo do aumento do preço do petróleo no cálculo da inflação de 1973 (depois, o Banco Mundial obrigou o governo brasileiro a refazer o cálculo).

    O PT e o PSDB nada poderiam fazer a respeito, pela simples e definitiva razão que, nessa época, ainda não existiam. Aliás, nem poderiam existir, já que o Brasil vivia envergando à força a camisa-de-força do bipartidarismo.

    Quando Geisel assumiu, em 1974, a definição de uma nova matriz energética já se apresentava como um imperativo das circunstâncias: a matriz anterior era insustentável, por falta de grana.

    Corretamente, Geisel delineou uma matriz com a perspectiva não só de reduzir drasticamente a dependência brasileira em relação ao petróleo importado, mas também a de fazer com que o Brasil passasse a ganhar dinheiro com a crise energética.

    Também corretamente, Geisel concluiu que a crise energética viera pra ficar, e, na nova matriz que ele elaborou, o Brasil se tornaria — como de fato se tornou — um exportador de energia elétrica.

    Na abordagem estratégica de Geisel, países como o Japão e, mais à frente, a China, desistiriam — como de fato desistiram — de produzir eletrointensivos, simplesmente porque jamais conseguiriam produzir energia elétrica suficiente, salvo se a um custo inviabilizante.

    Nessa brecha (epa!) ele introduziu (epa! epa!) o Brasil, cuja capacidade hídrica o credencia como potencial produtor e exportador de energia em escala global. Hoje, boa parte do saldo positivo da balança comercial brasileira é proporcionada pela exportação de eletrointensivos, como o alumínio, cuja produção em larga escala só se tornou possível graças à hidrelétrica de Tucuruí.

    Na mesma pisada, Geisel delineou um sistema integrado de macro distribuição de energia em alta tensão (que só agora, com os governos do PT, saiu do papel), eliminando as usinas diesel-elétricas de grande porte, um programa de produção de biocombustível (Proálcool), etc.

    Basicamente, as formulações do Geisel, para a nova matriz energética do Brasil, foram: aumento da produção interna de petróleo (que ganhou economicidade, face à elevação do preço do petróleo importado), hidrelétricas, sistema nacional integrado de macro-distribuição de energia elétrica e biocombustível.

    Aos governos posteriores, restava: (a) elaborar uma nova matriz (nesse caso, qual?); ou (b) avançar na implantação da matriz já formulada.

    Os governos Sarney, Collor, Itamar e FHC, não fizeram nem uma coisa nem outra.

    Já os governos Figueiredo, Lula e Dilma avançaram na implantação da matriz brasileira.

    Figueiredo concluiu Tucuruí, que é a maior usina hidrelétrica totalmente brasileira.

    Lula e Dilma concluíram as eclusas do Araguaia/Tocantins (viabilizando economicamente a produção/exportação de aço em bobina na área de influência de Carajás), construíram as mega-usinas de Santo Antônio e Jirau (as primeiras usinas brasileiras de grande porte a funcionar a fio d´água, dispensando a formação de grandes lagos, o que minimiza o impacto ambiental), instalaram o sistema integrado de macro distribuição (do qual fazem parte as “torres Eiffel” de Almeirim, o linhão de Santo Antônio e Jirau, etc.), e tiraram Belo Monte do papel (algo que Sarney não conseguiu, e Collor-Itamar e FHC nem tentaram).

    Qual o problema? Tu farias melhor? O quê e como?

    O Curropax estabeleceria um novo “norte”? Mesmo? No que consistiria esse “norte”?

    Pessoalmente, eu bem que gostaria que alguém levantasse, no Brasil, a bandeira do hidrogênio como alternativa energética.

    Pra mim, esse deveria ser o caminho. Não é. O “norte” brasileiro é outro. Não é o que eu gostaria que fosse. Mas não sou doido a ponto de dizer que esse “norte” não existe. Deixo isso pros napoleões de hospício, que, como pardal e puxa saco, é coisa que todo lugar tem…

  100. Elias said

    Na Europa:

    O presidente do Banco Central Europeu (BCE), Mario Draghi, disse que, de 2015 até o final de 2016, o BC vai comprar 60 bilhões de euros POR MÊS, em títulos públicos e privados.

    O objetivo é estimular a desmilinguinte economia da zona do euro.

    Até o final do próximo ano, o BC Europeu pretende injetar nada menos que mais de um trilhão de euros (dinheiro público), na economia europeia. Mais de um trilhão de euros!

    Nos EUA, o Fed fez a mesma coisa, em escala menor: 80 bilhões de dólares de dinheiro público injetados na veia da economia, em 2 anos.

    Já no Brasil, dona Dilma prefere exumar e colocar na sala de visitas o cadáver putrefato do liberalismo…

    Acho que vou fazer campanha pra colocarem o Currupax no Ministério da Fazenda.

    Pelo menos, poderemos depois alegar que ele é doido…

  101. Guatambu said

    Elias,

    Não vamos misturar as coisas: a questão da estrutura de custos tem a ver com o comentário do Pedro sobre o valor do combustível no Brasil.

    Se combustível nos EUA é mais barato que no Brasil, e o petróleo é uma commodity negociada mundialmente sobre as mesmas bases, não interessa a realidade do país.

    A decisão sobre o abastecimento do mercado nacional é de make or buy. Se tá caro fazer, compra-se.

    Vc é judeu, sabe mto melhor que eu disso: aquilo q tá barato eu compro… ou guardo, aquilo q tá caro eu vendo.

    Hoje o petróleo no mundo tá barato, então por que estamos pagando caro nos combustíveis?

    Mas sabemos que no Brasil há um monopólio sobre a distribuição de combustíveis derivados de petróleo, que é da Petrobras.

    Se a Petrobras não consegue deixar o combustível mais barato, acompanhando a queda do valor do petróleo mundial, tem 3 explicações possíveis:

    1. Como a empresa é monopolista, ela acaba exercendo o poder econômico dela para extorquir todos os consumidores.

    2. Ela é monopolista, mas ela não é tão má assim… é que existe uma conta que precisa ser paga, e, como o petróleo no mundo tá barato, o mundo não vai pagar essa conta, são os brasileiros mesmo…

    3. Ela não é nem um pouco malvada a empresa… é que a estrutura de custos da Petrobras é cara demais para permitir que os preços dos combustíveis caiam.

    Ou seja, se não é a estrutura de custos, Elias, é alguém querendo fazer mais dinheiro do que deveria.

    Esse é mais um caso que a falta de concorrência faz com que os brasileiros fiquem reféns do poder público no Brasil.

  102. Guatambu said

    Elias,

    Sobre a questão da matriz energética.

    Acho providencial que as coisas estejam saindo do papel (finalmente).

    Mas a que custo?

    Como é que um sujeito estima o custo de um projeto, como o do linhão, a R$ 2 bi e “só” erra em R$ 1,5 bi?

    Em qualquer lugar sério do mundo esse cara teria que explicar muito bem o que aconteceu… só aqui ninguém quer nem saber.

    Até parece que só porque o cara resolveu tirar o projeto do papel e executar ele é um heroi.

    Esse é o raciocínio absurdo que TODOS os governos pregam. Não estou creditando esse discurso ao PT exclusivamente, pq eu sei que não é.

    A responsabilidade com o dinheiro do povo é zero, ou negativa.

    Agora, sobre o “norte”.

    Eu acho que hidrogênio tá mto longe ainda como opção. Acho que o Brasil poderia ajudar a evoluir com a energia solar. A Austrália está avançando muito nesse campo, por que o Brasil não faz uma parceria de pesquisa com os australianos?

    Enfim…

  103. Pax said

    O Elias quer comparar a quadrilha do PT com os empresários da Natura?

    Pirou de vez.

    Das empresas que trabalhei nunca vi uma mais correta.

    E faz mais de 10 anos que saí de lá…

    Uma empresa que…. atesto, pelo menos até 2003 — não tinha caixa 2.

    Já você formou, é fundador e continua… com a quadrilha que o PT se tornou pra saquear o Brasil.

    Hangar de vidro… sei.

    Pirou de vez. Ou…?

  104. Pax said

    A turma do Elias… aliás nunca vi espernear tanto pra defender seu ídolo, um deles, esse daqui:

    http://g1.globo.com/pr/parana/noticia/2015/01/ex-ministro-jose-dirceu-e-investigado-na-operacao-lava-jato.html

    grande mentor… um homem acima do bem e do mal, um semi-deus.

    Deus está logo ali.

  105. Jose Mario HRP said

    A turma do Elias….
    a outra turma é a dos que levaram pau eleição!!!!

    E o RIO?
    http://jornalggn.com.br/noticia/historias-de-advogados-cariocas

    Que merde !!!

  106. Jose Mario HRP said

    PAX……levando serio a PIG!
    Barbosão torquemada o idolo dele!!!!!
    KKKKKKKKKKK…….
    Foi pra Miami!!!!!

  107. Patriarca da Paciência said

    “grande mentor… um homem acima do bem e do mal, um semi-deus.”

    E o Pax continua a repetir os clichês do PIG !

    Há uma suspeita contra José Dirceu, pronto, se torna prova incontestável !

    José Dirceu trabalhou dentro de um contrato de prestação de serviços, as notas fiscais foram contabilizadas e reconhecidas pela empresa, pago os impostos etc.etc.etc.

    Agora o PIG deu para descobrir a “corrupção legal”.

    Aliás, até hoje, não apareceu uma única prova concreta contra José Dirceu, o homem que foi condenado com base numa teoria, ainda por cima aplicada de modo equivocado !

  108. Patriarca da Paciência said

    “Uma empresa que…. atesto, pelo menos até 2003 — não tinha caixa 2.”

    Caro Pax,

    Você entende um pouco de contabilidade ?

    Uma empresa que emprega pessoas sem qualquer registro, não extrai notas fiscais dos produtos que vende, está fazendo o quê ?

    Respondo: Caixa 2, sonegação de impostos, crime trabalhista !

    Caramba, Pax, não dá para comparar mesmo !

  109. Pedro said

    É muito engraçado ver os defensores do governo, aplaudindo as ações do novo governo Dilma.

    Quase tudo que eles falavam que o Aécio ia fazer, a Dilma está fazendo.

    Antes era ruim, agora ficou bom.

  110. DAISE 2.0 said

    DILMA A INCOMPETENTA ENGANANDO OS BRASILEIROS

    06 de setembro de 2012

    Queridas brasileiras e queridos brasileiros,

    Com especial alegria, escolhi esta véspera do 7 de Setembro para dar uma excelente notícia a todos vocês. Estou aqui esta noite para dizer que o Brasil, depois de conseguir retirar 40 milhões de brasileiros da pobreza e se transformar na sexta maior economia do mundo, prepara-se para dar um novo salto – e para crescer mais e melhor.

    Não se surpreendam que esta nova arrancada se dê no mesmo momento em que o mundo se debate em um mar de incertezas. Isso não ocorre por acaso.

    Ao contrário de outros países, o Brasil criou, nos últimos anos, um modelo de desenvolvimento inédito, baseado no crescimento com estabilidade, no equilíbrio fiscal e na distribuição de renda.

    Este modelo produziu efeitos tão poderosos na economia – e na vida das pessoas – que nem mesmo a maior crise financeira da história conseguiu nos abalar fortemente.

    Como a maioria dos países, tivemos uma redução temporária no índice de crescimento. Mas já temos as condições objetivas, agora, para iniciar este novo e decisivo salto, cujos primeiros efeitos já serão percebidos no próximo ano e que vão se ampliar fortemente nos anos seguintes.

    Uma coincidência me deixa feliz: ser justamente em setembro, mês da primavera e da Independência, o momento em que estamos a plantar as novas bases desse ciclo de desenvolvimento. Porque ele vai alargar bastante o caminho de afirmação e independência que nosso país vem construindo, com muita garra, nos últimos dez anos.

    Minhas amigas e meus amigos,

    O nosso bem-sucedido modelo de desenvolvimento tem se apoiado em três palavrinhas mágicas: estabilidade, crescimento e inclusão.

    Com elas, o Brasil tem conseguido crescer e, ao mesmo tempo, distribuir renda. Tem conseguido, como poucos países no mundo, reduzir a desigualdade entre as pessoas e entre as regiões.

    Para tornar nosso modelo mais vigoroso e abrir este novo ciclo de desenvolvimento, vamos, a partir de agora, incorporar uma nova palavra a este tripé. A palavra é competitividade.

    Na verdade, é mais que uma nova palavra: é um novo conceito, uma nova atitude. Uma forma simples de definir competitividade é dizer que ela significa baixar custos de produção e baixar preços de produtos para gerar emprego e gerar renda.

    Mas para chegar aí é preciso melhorar a infraestrutura, avançar na produção de tecnologia e aprimorar os vários níveis de educação, saber e conhecimento.

    Portanto, para ser competitivo, um país precisa de tudo isso.

    É deste conjunto de atributos que o Brasil necessita para aperfeiçoar e consolidar nosso modelo de desenvolvimento.

    Por isso, estamos lançando um conjunto de medidas que irão baixar o custo da nossa energia e do nosso transporte, e reforçar, com vigor, a capacidade de investimento do nosso país.

    De forma simultânea, criamos – e estamos a ampliar – as condições para baixar juros, diminuir impostos e equilibrar o câmbio.

    Este novo ciclo que agora se inicia não é fruto de nenhuma mágica. É a evolução dos bons resultados que conseguimos até aqui e uma necessidade imperiosa para podermos continuar crescendo e distribuindo renda.

    Já somos o país que tem a melhor tecnologia social do mundo e nossos instrumentos de política social são copiados em dezenas de países.

    Estamos, agora, lançando as bases concretas para sermos, no médio e no longo prazo, um dos países com melhor infraestrutura, com melhor tecnologia industrial, melhor eficiência produtiva e menor custo de produção.

    Minhas amigas e meus amigos,

    Na próxima terça-feira vamos dar um importante passo nesta direção. Vou ter o prazer de anunciar a mais forte redução de que se tem notícia, neste país, nas tarifas de energia elétrica das indústrias e dos consumidores domésticos. A medida vai entrar em vigor no início de 2013.

    A partir daí todos os consumidores terão sua tarifa de energia elétrica reduzida, ou seja, sua conta de luz vai ficar mais barata. Os consumidores residenciais terão uma redução média de 16,2%. A redução para o setor produtivo vai chegar a 28%, porque neste setor os custos de distribuição são menores, já que opera na alta tensão.

    Esta queda no custo da energia elétrica tornará o setor produtivo ainda mais competitivo.

    Os ganhos, sem dúvida, serão usados tanto para redução de preços para o consumidor brasileiro, como para os produtos de exportação, o que vai abrir mais mercados, dentro e fora do país.

    A redução da tarifa de energia elétrica vai ajudar também, de forma especial, as indústrias que estejam em dificuldades, evitando as demissões de empregados.

    Minhas amigas e meus amigos,

    A redução do custo da energia elétrica não é a única importante decisão que estamos tomando para baixar o custo de produção e, por consequência, aumentar o emprego e diminuir o preço dos produtos brasileiros.

    Também acabamos de assinar um conjunto de medidas que vai provocar, no médio e no longo prazo, uma verdadeira revolução no setor de transportes no nosso país.

    Criamos a Empresa de Planejamento e Logística que, em parceria com a iniciativa privada, vai promover uma completa reformulação no setor de rodovias, ferrovias, portos e aeroportos.

    Além de restabelecer a capacidade de planejamento do sistema de transporte, o novo modelo vai promover a integração e acelerar a construção e modernização de ferrovias, rodovias, portos e aeroportos.

    Para que vocês tenham uma ideia, vamos investir 133 bilhões de reais em rodovias e ferrovias. Isso significa ampliação e melhorias em 10 mil quilômetros de ferrovias e quase 8 mil quilômetros de rodovias.

    Este plano significa, também, um novo tipo de parceria entre o poder público e a iniciativa privada, que trará benefícios para todos os setores da economia e para todo o povo brasileiro.

    Ao contrário do antigo e questionável modelo de privatização de ferrovias, que torrou patrimônio público para pagar dívida, e ainda terminou por gerar monopólios, privilégios, frete elevado e baixa eficiência, o nosso sistema de concessão vai reforçar o poder regulador do Estado para garantir qualidade, acabar com os monopólios, e assegurar o mais baixo custo de frete possível.

    Queridas brasileiras e queridos brasileiros,

    Um novo ciclo de desenvolvimento só se inicia com mudanças na economia e na forma de gestão, e fazendo avançar a inclusão social. É isso que temos feito nos últimos tempos.

    Revigoramos os fundamentos da nossa política econômica exitosa, mas, ao mesmo tempo, iniciamos uma mudança estrutural que tem, como sustentação, uma taxa de juros baixa, o câmbio competitivo e a redução da carga tributária.

    Estamos conseguindo, por exemplo, uma marcha inédita de redução constante e vigorosa nos juros, que fez a Selic baixar para cerca de 2% ao ano, em termos reais. E fez a taxa de juros de longo prazo cair para menos de 1% ao ano, também em termos reais. Isso me alegra, mas confesso que ainda não estou satisfeita. Porque os bancos, as financeiras e, de forma muito especial, os cartões de crédito podem reduzir, ainda mais, as taxas cobradas ao consumidor final, diminuindo para níveis civilizados seus ganhos.

    Sei que não é uma luta fácil. Mas garanto a vocês que não descansarei enquanto não vir isso se tornar realidade. Como também não descansarei na busca de novas formas para diminuir impostos e tarifas sem causar desequilíbrio às contas públicas, e, notadamente, sem trazer prejuízos a nossa política social.

    E quero ressaltar que estou disposta a abrir um amplo diálogo com todas as forças políticas e produtivas para aprimorarmos o nosso sistema tributário.

    Queridas brasileiras e queridos brasileiros,

    O Brasil, mais que nunca, tem um presente próspero e excelentes perspectivas para o futuro. Estamos conseguindo isso graças ao talento, ao esforço e à coragem de todos vocês. Também porque o governo tem agido certo e na hora certa.

    O nosso governo está preocupado, mais que nunca, com a garantia do emprego e o ganho salarial do trabalhador. A prova disso é que, ao contrário da maioria dos países do mundo, aqui não houve desemprego nem perda de direitos dos trabalhadores. E somos um dos países, um dos poucos países do mundo, onde houve ganho real de salários.

    Entre outras medidas, estamos incentivando o emprego por meio da diminuição dos impostos sobre a folha de pagamento das empresas.

    Existe uma coisa mais importante que tudo: aumentamos, a cada dia, a fé e o orgulho no nosso querido Brasil.

    Somos, cada vez mais, um país que olha para o presente e para o futuro com um mesmo olhar de alegria, conforto e esperança.

    Viva o Sete de Setembro!

    Viva o Brasil!

    Viva o povo brasileiro!

    Obrigada e boa noite.

  111. Patriarca da Paciência said

    Pedro,

    os ajustes econômicos praticados pelo Levy não tem nada a ver com o Aecim bebê chorão. Estão em qualquer manual de economia, desde o século XIX. O governo estava contando com um orçamento baseado em crescimento de 2,5%. Aí veio a seca, queda dos produtos de exportação, crise geral no mundo. Não há outra saída a não ser estas praticadas pelo Levy. A diferença é que, um governo da Marina ou do Aécio iria tentar “replanejar” todas as metas do governo.

    E qual seria o resultado ?

    Obras paradas, inícios de novas obras, abandono de programas como o “Mais Médicos” que o Aécio declarava publicamente que iria “repensar”. “Ajustes” no Bolsa Família, quem sabe transformando-o em simples “amostras do que se deve fazer”, como o programa da tal “poupança empresarial. O famigerado programa do Aécio existia apenas em 05 (cinco) cidades de Minas Gerais. Quem sabe o Aécio iria sortear 05 (cinco) cidades de todos os estados brasileiros para receberem o Bolsa Família etc.etc.etc..

    Então, essa história de que a Dilma está aplicando o programa do Aécio é pura bobagem !

  112. Pedro said

    Taí em cima, o discurso da Dilma, que te desmente.

  113. Pedro said

    Dilma mentiu descaradamente antes das eleições.

    Assim como mentiu antes das eleições anteriores.

    Vamos para um exemplo local:

    Duplicação da Br 101 SUL, a tal rodovia do MERCOSUL, que o imperador Luís Inácio, falava de boca cheia, antes de ser eleito.

    O Lula prometeu pro seu primeiro mandato. Aí enrolou um pouco, começou em 2004 pra terminar em 2008.
    Depois ficou pro final do segundo mandato 2010. Não terminou.
    Dilma fez campanha prometendo terminar nos primeiros meses, do seu primeiro governo.
    Estamos em 2015 e ainda não terminaram.
    Aliás, o maior túnel, nem começaram.

    Estou indo 2 vezes por semana do sul do estado para Fpolis.
    Viagem de 1 hora e meia. Estamos levando 5 horas.
    Três horas e meia na fila da ponte Anita Garibaldi.
    Vão se “fudê”.

    E nem reclamo por mim. Reclamo pelo tal desenvolvimento do MERCOSUL.

  114. Guatambu said

    Mercosul…

    Esse é outro caso interessante.

    Quando o Paraguai resolveu reduzir os impostos, unificando eles em um IVA que vai até 25%, o Brasil arrumou uma desculpa, rapidinho, para botar o Paraguai pra fora do Mercosul.

    Pensem na ameaça do Paraguai aos Impostos de Importação do Brasil.

    O Paraguai tem um rio navegável. É praticamente uma saída para o mar. Poderia importar produtos e abastecer, rapidamente, o Centro Oeste brasileiro inteiro.

    Imagina o tamanho do mercado consumidor dessa região que cresce muito, cuja renda percapita é altíssima, e que, hoje, sustenta a maior parte da produção agrícola do país.

  115. Elias said

    “Das empresas que trabalhei nunca vi uma mais correta.” (Pax)

    TUTAMÉIA, CURRUPAX!

    A empresa não emite nota fiscal de venda ao consumidor. Todas as vendas que essa empresa faz ao consumidor, é realizada por vendedores que não têm carteira do trabalho assinada, não recebem salários, não têm vale transporte, nem vale-alimentação, nem 13º salário, nem férias, nem seguro de acidente do trabalho, nem previdência social…

    Isso aí só não é considerado trabalho escravo, porque, no Brasil, pra receber essa designação é necessário que exista o constrangimento físico, com privação da liberdade de ir e vir, etc. No mais, é igualzinho.

    No caso da empresa que o Pax defende, o constrangimento não é físico. É econômico. Constrangidas por sua condição econômica, as pessoas se sujeitam a esse regime desumano de exploração. Diariamente, elas se submetem a acidentes de trânsito. Caso sofram algum acidente, não terão direito a tratamento hospitalar, muito menos a terapia ocupacional para regeneração física, se for o caso, já que a empresa não recolhe contribuição ao SAT (Seguro de Acidente do Trabalho).

    Antes da Lei Áurea, esse tipo de escravo era chamado “escravo de renda”.

    Em regra, os escravos de renda não moravam na casa dos seus proprietários. Eles vendiam doces, salgados, panos para enxugar louça, sabonetes caseiros, perfumes, etc., de casa em casa, e ganhavam uma pequena comissão sobre o valor das vendas. Alguns escravos de renda fabricavam, eles mesmos, os produtos que vendiam (com matéria-prima fornecida, no todo ou em parte, pelos seus proprietários. Outros apanhavam os produtos prontos nas casas dos proprietários, e saíam para vendê-los, de casa em casa.

    Sentiu a semelhança, Currupax-papaco-papaco?

    (Um outro tipo de “escravo de renda” era alugado pelo seu proprietário, para trabalhar como empregado doméstico, lavrador, operário de construção, etc. Não citei esse tipo de escravo no parágrafo acima, porque é um tipo de escravidão diferente da praticada pela Natura).

    Caixa 2? Ora, neném… Funcionando nesses termos, a empresa toda é um imenso caixa 2…

    E, ainda assim, o lóki diz que ela é “a mais correta”, dentre as empresas que ele trabalhou.

    Dá pra imaginar as demais… As menos corretas…

    Vai ver que o Pax também foi executivo das empresas daquele deputado que esquartejava seus desafetos — vivos! — com uma motosserra.

    A que quadrilhas pertenciam, mesmo, as empresas “menos corretas” nas quais tu trabalhaste, Currupax?

  116. Elias said

    “Se combustível nos EUA é mais barato que no Brasil, e o petróleo é uma commodity negociada mundialmente sobre as mesmas bases, não interessa a realidade do país. A decisão sobre o abastecimento do mercado nacional é de make or buy. Se tá caro fazer, compra-se.” (Guatambu)

    Errado, Guatambu.

    A matéria-prima básica não responde pela totalidade do custo de nenhum produto industrial.

    Há todo um processo fabril entre o óleo e o produto que chega ao consumidor, e esse processo influi demais na formação do preço do produto final.

    E isso não é tudo!

    Há algumas décadas atrás, trabalhei por vários anos participando da implantação de cozinhas industriais em vários estados brasileiros. Na maior parte dos casos, as praças de cocção dessas cozinhas funcionavam com caldeirões autoclaves, frigideiras, fritadeiras e fornos aquecidos por vapor de caldeira. No mais das vezes, as caldeiras queimavam óleo BPF (baixo ponto de fluidez), um tipo de óleo “pesado”, subproduto do petróleo. A “partida” da caldeira era dada com diesel. Quando ela começava a “pegar embalo”, fechava-se o diesel e abria-se o BPF.

    Por essa época, já se dizia que o consumo de petróleo no Brasil era muito “desequilibrado”. Alguns derivados eram muito consumidos; outros não. Para se atender a demanda do produtos mais consumidos, processava-se uma quantidade de petróleo que implicava uma superprodução de derivados subconsumidos. Isso gerava uma perda que acabava sendo repassada ao preço dos produtos mais demandados, dentre os quais a gasolina, o diesel, o BPF, alguns tipos de resinas e polímeros, etc.

    Esse tipo de informação me foi fornecida por gente do então Conselho Nacional do Petróleo (CNP), geralmente militares, em conversas informais, quando eu reclamava do preço do combustível, que onerava — a meu ver, excessivamente — o preço de venda das refeições produzidas pelas cozinhas industriais (essas refeições eram vendidas a empresas industriais, que forneciam alimentação aos seus trabalhadores com incentivo do PAT – Programa de Alimentação do Trabalhador).

    Duvido que a escrita tenha se modificado, de lá pra cá. Acho até que se agravou. Naquela época o Brasil já exportava alguns derivados de petróleo a preços mais baixos que os praticados internamente (porque, ao exportar, fica-se sujeito aos preços vigentes no mercado internacional, concorrendo-se com fornecedores que, operando em escala e matrizes mais eficientes e amadurecidas, podem praticar preços mais baixos) . Exatamente o que ocorre agora.

    Não sou um especialista no assunto. Conheço um pouco, porque, como já disse, tenho alguma experiência profissional com a fabricação de produtos que têm derivados de petróleo como insumo de certa importância. Dessa experiência, me ficou uma noção da complexidade que cerca o processamento industrial do petróleo.

  117. Elias said

    Curropax # 104

    Mais uma vez, estás te portando desonestamente no debate.

    Mais especificamente, estás te portando como um autêntico fascista.

    Sabes perfeitamente que eu jamais tive qualquer simpatia pelo Dirceu. Porradas de vezes eu disse isso, no Weblog e aqui.

    Somente no caso do mensalão, é que eu defendi o Dirceu. Eu disse — e mantenho o que disse — que o MPF não apresentou uma única prova contra ele. E não apresentou, mesmo!

    No mais, eu sempre declarei que, pessoalmente, creio que Dirceu é culpado (o que não significa exonerar o MPF da obrigação de apresentar provas, nos autos do processo).

    Agora, tu vens dizer que Dirceu é meu “mentor”…

    “Mentor” por que? Por acaso o Dirceu lidera alguma corrente de pensamento da qual eu sou seguidor? Não, né Currupax?

    Então, por que tu dizes isso? Porque és desonesto e intelectualmente incapaz!

    Sempre que não dás conta de sustentar um debate, tu apelas pra essa tática. Acusas o interlocutor de qualquer merda com a qual ele não tem nenhuma vinculação, e ficas repetindo essas bostices, como se elas fossem argumentos.

    Ou seja, em vez de atacar ideias, tu atacas pessoas. Exatamente como fazem os fascistas.

    Sempre que os fascistas estão levando a pior num debate, eles desandam a berrar, vaiar, quebrar coisas, fazer barulho, gritar palavras de ordem… Enfim, fazem o máximo para desviar a atenção das pessoas daquilo que se está debatendo.

    O fascista não pensa, e quer que ninguém pense. O fascista funciona a peso de palavras de ordem, simplificações, falsificações, barulho…

    Para um pouco pra pensar, Pax, e tenta sacar no que tu estás te transformando…

    Que decadência, rapaz!

  118. Guatambu said

    Elias,

    Novamente, vamos separar as coisas:

    Uma coisa é falarmos sobre a formação do preço para um fornecedor em específico. Nesse caso, essa sua afirmação é válida:

    “Há todo um processo fabril entre o óleo e o produto que chega ao consumidor, e esse processo influi demais na formação do preço do produto final.” (Elias)

    A consequência disso é que no Brasil, como somos dependentes de um único fornecedor: a Petrobras, esses custos de produção se refletem diretamente nos preços ao consumidor final.

    O que nos leva às ponderações:

    1. Se o preço do combustível no Brasil é diferente do preço do combustível nos EUA, a estrutura de custos do fornecedor brasileiro é diferente da estrutura de custos do fornecedor americano. (justamente por conta dessa diferença entre processos fabris entre esses fornecedores, como vc mesmo diz)

    2. Logo, se o preço do combustível no Brasil é mais alto que o preço do combustível nos EUA, isso necessariamente significa que os custos de produção brasileiros são mais altos que os custos de produção do(s) fornecedor(es) americano(s).

    3. Como a Petrobras é monopolista, significa que a Petrobras tem uma estrutura de custos pesada e cara, por isso os brasileiros pagam mais pelo combustível.

    Mas isso tudo porque aqui no Brasil temos um monopólio. Se não fosse, talvez as coisas fossem diferentes:

    Se fosse possível tomar uma decisão, como eu disse, de make or buy, agentes comercializadores de combustível, talvez não estivessem comprando da Petrobras, já que, ao que parece, a estrutura de custos dela é mais cara, tornando seu combustível mais caro.

    Esses comercializadores poderiam eventualmente comprar óleo mais barato de outros fornecedores, aproveitando o baixo valor atual da commodity, refiná-lo e comercializar a valores mais baixos que a Petrobras…

    Infelizmente, aqui no Brasil isso é praticamente impossível de acontecer. Pq o monopólio tornou os brasileiros reféns da Petrobras e dos políticos por trás da empresa…

  119. Elias said

    “2. Logo, se o preço do combustível no Brasil é mais alto que o preço do combustível nos EUA, isso necessariamente significa que os custos de produção brasileiros são mais altos que os custos de produção do(s) fornecedor(es) americano(s).” (Guatambu)

    Aí é que está!

    Foi o que eu disse. Só que a coisa não pode parar por aí, até porque isso é constatação acaciana…

    A questão é: por que os custos são mais altos aqui do que lá?

    Citei um fator, que ouvi de técnicos do CNP: desequilíbrio na estrutura do consumo, que pode produzir superdemanda em um derivado e subdemanda em outro. Isso implica um custo, que é repassado aos preços INTERNOS de alguns derivados.

    Mas existem outros, que devem ser levados em conta: escala de produção é um deles. A escala brasileira nem se compara com a americana. É como comparar um lojão do Carrefour com o bazar do Salim, ali da esquina.

    No Brasil, há, ainda, o fato de que o petróleo subsidia o etanol (e eu insisto que vale a pena discutir a opção pelo hidrogênio)…

    Perda de tempo raciocinar em termos de monopólio.

    Em todo o planeta, a produção e o beneficiamento do petróleo é totalmente oligopolizada.

    E, por “totalmente”, entenda-se a totalidade em sua totalidade totalmente totalizadora. Não fica uma única gota de fora!

    Quem quiser acreditar que qualquer petroleira privada tem mais escrúpulos do que a Petrobras, que acredite.

    Afinal, todo mundo é livre pra alimentar as ilusões que bem entender…

  120. Elias said

    E, Guatambu,

    Antes que me digas que tua referência ao monopólio não tem fundo ético, e sim econômico, ou seja, concorrencial, eu te pediria para me explicar como tu achas que funciona uma interação concorrencial num mercado oligopolizado.

    Como exercício, eu proponho o seguinte:

    1 – Especifica um aparelho de tevê de alta resolução.

    2 – Checa os preços em 5 grandes lojas de qualquer cidade brasileira.

    Aí vamos conversar sobre como a livre concorrência inevitavelmente contribui para estabelecer um preço de equilíbrio, que é, necessariamente, o mais baixo possível frente aos respectivos custos de produção e comercialização, e… blá, blá, blá…, conforme definitivamente atestado pelo Papai Noel, pelo Sacy Pererê, pelo Curupira, pela Matinta Perêra e pela bela e gostosa Yara dos Igarapés.

  121. Pax said

    Em algum ponto do blog discutiram as características do fascismo.

    Exatamente o que o Elias faz. Ou você repete o que ele diz, ou aceita o que sua quadrilha prática, ou você será preseguido com toda mentira que se puder.

    Basta olhar, acompanhar o comportamento do Elias e seus pares e vc vai entender como é o fascimo em ação. Simples assim.

    Mentiroso. Como todos da quadriha.

    Enviada do meu iPhone

    >

  122. Guatambu said

    Elias,

    Quanto mais conversamos, mais eu acho que o petroleo brasileiro apenas traz uma sensação de falsa segurança no que diz respeito ao abastecimento para o país.

    Já partimos dizendo que a estrutura de custos é muito cara.

    Seguimos afirmando que a escala é pequena, resultando em custos ainda maiores.

    Adicionamos que há um desequilíbrio entre a demanda de subprodutos, onerando ainda mais produtos mais demandados.

    Resultando no pagamento de uma conta bilionária somente pela segurança de ter uma produção interna de petróleo e minimizar o impacto da flutuação externa do preço da commodity, que até o meio do ano passado vinha em uma tendência de alta.

    Será que vale a pena pagar essa conta? Volto ao tema da decisão make or buy. Ter controle sobre uma fonte energética é muito estratégico para um país, mas precisa ser a um custo desses?

    Será que tem alguém no governo que questiona isso? Será que no governo alguém lidera internamente essa discussão, e, dentro disso, oferece um “norte” para o país?

    Os governos brasileiros, mesmo depois da ditadura continuam sendo caixas-pretas.

    Eu me sinto vendido. Pelo menos em relação a esse tema… e isso é para um único tema. Imagina o resto dos temas que o Estado resolveu dizer que é ele quem toma conta….

    ” ” ”

    Em relação ao hidrogênio, monopólio, etc.

    Eu entendo onde vc quer chegar com o investimento em hidrogênio.

    É algo que teria que ser de capital intensivo, e, por conta disso, teria que ser dominado pelo Estado, e por conta disso, permaneceria como um monopólio, e assim por diante, evitando os interesses e o domínio de grupos privados.

    Eu discordo, desculpe ter que apelar para a biologia, mas o sucesso da vida depende de adaptação. E com nações a coisa não funciona de maneira diferente. Nações deveriam ser plásticas economicamente, flexíveis. Querendo ou não, vivemos em uma realidade capitalista, onde o sucesso é determinado pela capacidade de atrair e/ou girar mais capital.

    Toda vez que usamos um instrumento que enrijece essa mobilidade de capital, três coisas acontecem: tomamos prejuízo, demoramos para nos desenvolver ou oneramos o povo. E é essa a razão fundamental pela qual eu não sou a favor de monopólios, nem de oligopólios, e nem de controle estatal de nada. Ao mesmo tempo, não adianta querer forçar uma realidade inexistente, como a de concorrência perfeita. Novamente: flexibilidade deveria ser a alma do negócio.

    A ideia não é provocar uma concorrência super pulverizada, sabemos o que acontece: uma canibalização em massa e todas as consequências sórdidas decorrentes disso, tanto econômicas quanto sociais. Mas um nível de concorrência é importante. Paradoxalmente o próprio petróleo parece ser um bom exemplo disso. Desde o meio do ano passado, mesmo sendo a produção de petróleo no mundo oligopolizada, há uma concorrência que levou a um desequilíbrio e uma melhoria para os consumidores do mundo, que foi a diminuição dos preços do produto.

    Nós chegamos a debater muito produtivamente sobre quais seriam as razões desse desequilíbrio: erro de cálculo em teoria dos jogos? Interesses políticos diversos? Entrada de novos players? Pressão de novas fontes energéticas?

    Enfim, qualquer que seja a causa, tem um nome: concorrência. E nesse caso, me parece uma concorrência saudável, que está tirando todos os envolvidos da zona de conforto, e fazendo todos os responsáveis, no mínimo, quebrarem a cabeça para planejarem seus próximos passos… ou acabarão derrotados.

    Minha bronca é que o Estado brasileiro, aparentemente, deveria estimular o que é bom pra nação, e escolheu fechar o Brasil. E tá tomando pedrada porque, ao que tudo indica, escolheu um modelo que não está conseguindo se sustentar… e não muda! Não se adapta!!! Não só acredita, como insiste em propagandear que esse modelo é o melhor…

    Veja, eu não sou economista, e não tenho ideia se o que eu imagino é especificamente liberal ou neo-liberal, ou liberal-socialista, ou liberal-qualquer coisa. Até onde eu sei, sigo uma tendência mais liberal, no entanto, para mim é indiferente.

    Acho muito interessante o QE feito pelos EUA, seguido, agora, pela UE. Se isso caminha na direção do keynesianismo, para mim é indiferente, mais importante que isso é a flexibilidade que o sistema dessas duas regiões do mundo permite realizar, com o objetivo de melhorar sua capacidade de atrair e/ou girar capital. O que no frigir dos ovos torna a estratégia vencedora.

    A discussão não deveria ser: liberalismo é melhor que conservadorismo e vice-versa.

    A discussão deveria ser: hoje isso faz mais sentido que aquilo para o bem do país. E é assim que vamos fazer.

    Mas novamente: eu não vejo ninguém discutindo as coisas nesses termos. O que eu vejo é uma população que pensa quadradinho e em termos opostos: se eu gosto de dinheiro, eu sou um facista, um capitalista, um babaca, etc; se eu defendo o social, eu sou honesto, bonzinho, legal, gente boa….

    Isso pra mim é perda de tempo.

  123. Patriarca da Paciência said

  124. Guatambu said

    Os estádios brasileiros estão ficando famosos internacionalmente!

    http://www.businessinsider.com/brazil-world-cup-stadium-white-elephants-2015-1

  125. Jose Mario HRP said

    A turma que não é a do Elias, quando entra em campo vem com aquele cheirinho de naftalina!

    Aqui a canalha do Paraná atras do Dirceu: Postado em 23 jan 2015por : Paulo Nogueira
    Comments: 15

    Sempre ele

    Lembro uma vez em que o atacante Mario Balotelli, então no Manchester City, exibiu sob a camisa de seu clube uma camiseta que dizia o seguinte: “Por que sempre eu?”

    Balotelli, um dos melhores atacantes do time, era sempre objeto de intensas críticas e futricas, a despeito do grande futebol que jogava.

    Era como se ele tivesse sido escalado para ser o cara mau.

    De certa forma, Zé Dirceu poderia também mostrar uma camiseta com as mesmas palavras: “Por que sempre eu?”

    É impressionante a caça a Dirceu. Quando a mídia deseja fazer uma nova rodada de ataque ao PT, você pode esperar. Lá vem “denúncias” sobre Dirceu.

    Foram tantos anos de construção pela imprensa de uma imagem de símbolo da corrupção que os donos das empresas de jornalismo sabem que publicar alguma nova história sobre ele vai acender chamas num certo público de estridente e insuperável anafalbetismo político.

    A perseguição a Dirceu é feroz. O que você pode ponderar é que o PT jamais teve coragem de enfrentar a mídia, mesmo no tempo de Dirceu.

    Numa extraordinária aberração, o PT no poder continuou a abastecer de mensalões os barões da imprensa por meio de mamatas como anúncios, financiamentos, compras de livros e por aí vai.

    Em nenhum momento Lula e Dilma disseram: “Bem, chega de farra. 500 milhões por ano para a Globo me bater dia e noite? Chega. Mais 150 milhões por ano para o Silvio Santos encher a emissora de pessoas como Sheherazade e Gentili? Chega.”

    E daí sucessivamente. Ah, baixar a zero é muita coisa? Discordo, mas aceito. Então, divida-se o mensalão dos barões por dois imediatamente.

    Leio, nos porta-vozes dos patrões, que Dirceu não pode ter consultoria. Quer dizer, então: ele não pode trabalhar.

    Vamos tentar entender. Dirceu não pode ser consultor. Mas pessoas saídas de governos do PSDB podem.

    FHC colocou na estratégica agência reguladora de petróleo o genro, David Zylbersztayn. Claro que Zylbersztayn era um gênio, e portanto a imprensa não tinha razões para discutir se havia aí nepotismo.

    Mas, terminado o casamento, acabou a carreira de Zylbersztayn na cúpula da administração do sogro camarada.

    O que ele foi fazer? Foi ser consultor. De petróleo.

    Isso pode.

    A injustiça no caso de Dirceu é a diferença de tratamento que ele recebe. O que para outros não é notícia nem de rodapé para Dirceu vira manchete.

    E vamos entender: para alguém como ele, ou a opção é ser consultor ou, simplesmente, nada.

    Altos funcionários de administrações amigas da plutocracia sempre encontram propostas de emprego nas grandes empresas. A plutocracia se protege.

    A Globo arrumou ocupação até para o filho de Joaquim Barbosa.

    No circuito das palestras, as grandes corporações pagam cachês milionários para seus amigos. (Barbosa está vivendo disso, agora.)

    Há uma rede de proteção formidável para os que ajudam o Brasil a ser o que é, um campeão de desigualdade.

    Dirceu está do outro lado.

    Por que quebrar o sigilo bancário dele? Para reforçar a caricata imagem que se fez dele.

    É um crime jornalístico divulgar valores de consultorias antes de investigá-las. Qual seria o valor certo para os serviços prestados por Dirceu? Ou queriam que ele prestasse consultoria de graça?

    Mais uma vez, está aberta a temporada de caça a Dirceu, e vale tudo.

    Ele poderia repetir Balotelli, repito: “Por que sempre eu?”

    (Acompanhe as publicações do DCM no Facebook

  126. Jose Mario HRP said

    http://www.diariodocentrodomundo.com.br/leblon-sabado-calor-do-cao-porta-do-bracarense/

    TURMA DO?

  127. Pax said

    Acontece, aos poucos, gradualmente, mas acontece…

    Muita gente decente, que fez parte do PT, gente que ainda não tinha saído do barco podre, começa a debandar. Não querem mais apoiar o que rola.

    Ainda bem.

    Tomara que migrem para algo melhor.

    O neofacistóide do Elias, mentiroso (a empresa não emite nota — isso não é mais ignorância — é prática fascista mesmo), teve um ponto de razão, devo admitir.

    A Marina Silva se afundou, cometeu suicídio político ao apoiar o aeroportista, playpóboy degundo diversas fontes e noticiário. Devia ter continuado seu caminho de montar um partido independente. Se perdeu. Dançou.

    Essa balela contra a Natura é por conta desse fascismo que o PT adotou, porque um dos principais acionistas, Guilherme Leal, foi candidato a vice com ela em 2010. A turma do PT caiu em cima. Acuraram um projeto dele na BA, acusaram a empresa etc etc. Logo Guilherme que apoiou o PT até quando percebeu a roubalheira geral. Os outros dois, um sempre foi neutro e o outro foi, sim, tucano. Nem sei mais deles, faz tempo que não sei notícias de lá.

    Mas é isso, o PSOL vai se criar em cima dessa loucura generalizada que os ladrões foram acometidos. Aliás o PT se criou porque aconteceu o mesmo com o PSDB antes, governou, foi tomado pela direita, apodreceu geral, viraram nos novos coronéis. Idem ibidem no caminho do PT, foi pro saco, foi pra bandidagem, pulou a cerca pro lado errado.

    É impressionante porque o próprio PSOL que já cresceu um pouco, já começa a ratear também. O poder no Brasil transforma partidos e pessoas em quadrilhas e meliantes, bandidos mesmo, cheio de esparros (espero que essa seja a condição do nosso quadrilheiro do Belém), ou praticantes mesmo.

    É um bom motivo de propor, na reforma política que todos mentem querer, que acabem de uma vez com a reeleição. Os caras entram, montam a quadrilha, depauperam o país e grudam como carrapatos, sugando até explodir. Cada carrapato, o bicho mesmo, gera 2.000 ovos quando fica gordo e explode. A coisa é parecida. Aí tem que arrumar boquinha pra todos, tem que pegar empresa estatal pra pagar essa turma toda e fica difícil caminhar carregando esse peso morto. Se bem que peso morto ainda dá pra aguentar por um tempo. Problema é que vira peso morto faminto, quer carro do ano, que apartamento no Leblon, basta ver a diretoria da BR que operava pra alimentar o partido (ou os partidos). De tanto verem a grana saír fácil, cobravam uma taxa de administração.

    O mentor intelectual do Elias – que agora nega, como bom mentiroso, mas cansei de ver o cara dizer que o bandido era isso, ou aquilo, que resolvia problemas em 5 minutos etc etc, fã é assim mesmo – aparece na Lava Jato. Mas é que ele fazia consultoria pra bandidagem, tudo nos conformes, claro que sim. Que ia parar nas contas do Panamá, um pequeno deslize que se náo aceitarmos somos neodireitopatas…

    chega a ser engraçado, se não for perigoso, o que passou a ser.

  128. Jose Mario HRP said

    Pax voce deixou a coisa contra o Dirceu ficar pessoal.
    Assim se fic sem equilibrio e bom senso nas analises.

    Nada leva a suspeitas, existem contratos, vão nvestigar Belo Monte para ver se “catam” a Dilma e o Lula, virou terror, perseguição, terceiro turno, o Dirceu é advogado e presta consultoria até ao Slims.
    O Moro é um diretisa descarado, um bom e veho filho de familiaconsrvadora e moralista.

    Aqui mais um show de palhaços para quem se infromar vendo o JN!

    http://www.brasil247.com/pt/247/midiatech/167680/Globo-elege-Sergio-Moro-o-brasileiro-do-ano-em-2014.htm

  129. Jose Mario HRP said

    Empreiteiras same same bandidos? Hummmmm……..Empresarios uni-vos, temos um novo ressurgir do socialismo/comunismo?
    Abaixo esse empresariado corrupto???????
    KKKKKKK…..
    Fora capitalistas!!!!

  130. Jose Mario HRP said

    http://www.brasil247.com/pt/247/artigos/167642/Ódio-da-direita-a-Dirceu-o-transforma-em-bruxa-na-fogueira.htm

    Alguns nem admitirão ler, mas é bom ler o que te causa medo , quem sabe abrem-se novos horizontes??

  131. Patriarca da Paciência said

    Veja aí, caro Pax, 46 a 48 do vídeo. “Como foi possível condinar o José Dirceu sem a mínima prova. Nada, nada, nada, nada foi provado contra José Dirceu. Isso é a negação do Direito.”

    Dito por um dos maiores juristas do País !

    E ele continua dizendo que o maior inimigo do Brasil é a imprensa (eu completo, não é a imprensa,é o PIG)

  132. Patriarca da Paciência said

    Correção: Veja aí, caro Pax, 46 a 48 do vídeo. “Como foi possível condenar o José Dirceu sem a mínima prova. Nada, nada, nada, nada foi provado contra José Dirceu. Isso é a negação do Direito.”

  133. Patriarca da Paciência said

    Quando a Dilma declarou que não bastava apenas fazer guerra contra os extremistas islâmicos e sim tentar compreender o que leva uma parte dos islâmicos a posições extremistas, o PIG atacou a presidenta de todas as formas possíveis e imagináveis, Agora o próprio Secretário (por lá é secretário) das Relações Exteriores dos Estados Unidos, John Forbes Kerry, repete a mesma declaração.

    Pois então ? O PIG nada disse e fez de conta que não ouviu.

  134. Elias said

    Currupax, seu hipócrita!

    Explorador de trabalho escravo!

    Defensor e bate-pau de sociapata sonegador, que ganha dinheiro ilegalmente no Brasil e vai viver como nababo na Inglaterra.

    Fascista!

    A empresa “mais correta” em que tu trabalhaste, tem mais escravos de renda do que todos os escravocratas brasileiros juntos, nos 50 anos que antecederam a Lei Áurea…

    Bando de criminosos!

    Depois fica falando mal da Kátia Abreu… Perto de ti, seu quadrilheiro escravocrata, a Kátia Abreu é uma noviça… Melhor: uma santa!

    E o sacripanta ainda tem o cinismo de se dizer “de esquerda”!

    Sei… Esquerda stalinista, que explorava e matava escravos na Sibéria…

    Daqui pra frente, vou te chamar de camarada Currupaxstalinovitch Escravocratowsky.

    E doido!

    Huá! Huá! Huá!

  135. Elias said

    Patriarca,
    Não adianta debater a sério com o camarada Currupaxstalinovitch Escravocratowsky, porque ele não é um cara sério.

    Sempre que tu argumentares com “provas”, ele vai dizer: “a agenda” ou coisa parecida.

    Vai ser, sempre, aquele papo de fascista, ou stalinista… Ele pega uma mentira qualquer e repete tantos milhares de vezes quantos ele achar que sejam necessários, pra transformar aquilo em “verdade”.

    Foi o que ele aprendeu com o mentor dele, o Dr. Goebels. Mais dia, menos dia, de tanto imitar o ídolo dele, e vai acabar metendo uma bala na cabeça (espero que, ao contrário do mentor, ele poupe madame Pax, que, definitivamente, não merece…).

    A partir de agora, mudo a grafia do nome dele. Passa a ser Corrupaxstalinovitch Escravocratowsky. A substituição do “u” pelo “o”, tem a ver com os milhões de dólares por ano em impostos, que o Corrupax ajudou sonegar.

  136. Elias said

    Guatambu,

    Não é “um desequilíbrio entre a demanda de subprodutos”.

    É “desequilíbrio na demanda de alguns derivados”. O desequilíbrio ocorre na demanda de derivados nobres e não nobres. Produtos e subprodutos. E esse desequilíbrio existe por causa da escala brasileira de consumo.

    O consumo brasileiro por capita de alguns produtos, se equipara ao consumo de países ricos. E isso convive com o consumo per capita de outros produtos equiparado ao de países pobres.

    É um desequilíbrio que acontece em todas as esferas da produção brasileira, porque o Brasil é um país desequilibrado. Uma das características do Brasil é exatamente essa: profundas disparidades intersociais e inter-regionais.

    Ingenuidade pensar que essa característica não tem repercussão nas esferas macro e microeconômicas.

    Ingenuidade pensar que esse problema deixará de existir se o processamento for feito por uma empresa privada. Ela continuará sem ter a quem vender toneladas de derivados, isto implicando um custo que ela terá de embutir no derivados que ela vender no mercado interno (e ainda exportar derivados a preços menores que os do mercado interno).

    Ingenuidade pensar que importando o produto acabado de países do primeiro mundo, ele vai chegar aqui mais barato (porque ignora a tremenda onerada de frete e seguro, além das regras mais elementares de orientação locacional).

    Uma outra coisa que esqueci de citar, é que a matriz de petróleo incorpora um subsídio ao GLP (gás liquefeito de petróleo), que a maioria dos lares brasileiros — principalmente os mais pobres — usa pra cozinhar.

    Um país que não precisa subsidiar o preço do gás de cozinha, não sente a carga disso no preço da gasolina e do diesel.

    Ingenuidade pensar que, se privatizarem o beneficiamento e a exploração do petróleo, o subsídio ao etanol e ao GLP vai desaparecer.

    Aliás, se for retirado o subsídio ao GLP, em menos de dois anos a arborização das cidades brasileiras vai virar carvão…

    Literalmente!

    Outro exercício intelectual: por que o carro brasileiro, fabricado por multinacionais (e não por estatais), é muito mais caro que o mesmo carro, fabricado pela mesma empresa, em seu país de origem?

    E nem vem com aquele papo de “Custo Brasil”, impostos e etc., porque já li a comparação, passo a passo, elaborada pela FIESP. A tributação proporcionalmente mais elevada, e compensada mais que proporcionalmente pela economia com mão-de-obra (a mão-de-obra brasileira é substancialmente mais barata do que a dos países de origem das multis), e com outros insumos, tais como metalúrgicos, energia elétrica, etc.

    Além do mais, várias plantas dessas multis gozam de incentivos fiscais, econômicos e infraestruturais.

    Por que, então, o produto fabricado no Brasil é mais caro?

    (Não tem nada a ver com estatismo, né não, Guatambu?)

  137. Jose Mario HRP said

    Do Migueld Rosário no Tijolaço:

    Não fosse o humor negro dos internautas, há muito a política brasileira teria se tornado insuportável.

    O leitor José Alcy Nobre, por exemplo, fez um comentário engraçado, apesar de sombrio: “Se Youssef abrir o bico e falar de alguém do PSDB irá cumprir sentença na Indonésia.”

    Pois é.

    É engraçado, mas é sério.

    É a mais triste e dura verdade.

    Aliás, isso me lembra uma matéria que li ontem no Liberación, de Paris, sobre a mídia grega.

    A matéria dizia que a imprensa grega é repleta de escândalos políticos, mas sempre de um lado só, sempre contra o mesmo grupo político contra o qual ela faz oposição.

    No contexto de forte polarização ideológica que vive a Grécia, é fácil supor que a sua mídia defende os mais ricos e atacam qualquer político, mesmo de direita, que ouse se aproximar da classe trabalhadora.

    É o que acontece no Brasil.

    A mídia é versátil.

    Quando um líder da esquerda se afasta da classe trabalhadora, a mídia imediatamente passa a blindá-lo.

    Quando um líder da direita se aproxima da classe trabalhadora, a mídia imediatamente passa a atacá-lo.

    E assim ela vai posando de imparcial.

    O problema da nossa mídia, além da parcialidade, é o monopólio. É termos as mesmas empresas que controlam os principais jornais ocupando também a tv, o rádio, os canais fechados, cinema, revistas e livros.

    Com esse poder, a mídia consegue manipular tudo.

    A Lava Jato, por exemplo.

    Trata-se de uma investigação importante, que pode nos ajudar muito a lutar contra uma corrupção que vem desde Pedro Alvares Cabral.

    Mas a mídia, com seu pensamento fixo de envolver Dirceu, Lula e Dilma, com seu histerismo manipulativo, põe tudo a perder. Transforma tudo num circo de horrores que não gera resultado nenhum.

    Youssef, por exemplo, foi, durante toda a sua vida, operador para o PSDB. Conhece a fundo as histórias de lavagem de dinheiro, caixa 2 e sonegação fiscal de políticos tucanos e empresas que bancavam o partido.

    Mas a mídia só quer saber do PT. E o Ministério Público, que deveria ser imparcial e evitar se imiscuir na vida política do país, acaba entrando no jogo das paixões partidárias.

    É uma pena

  138. Patriarca da Paciência said

    Elias,

    a cada dia que passa, eu fico um pouco mais paciente !

    Vou insistir com o Pax até que ele volte a ter um pouco de bom senso !

  139. Guatambu said

    Elias,

    Se vc acha ingenuidade, a discussão se encerra aqui.

    Sobre o preço dos automóveis. A conta da Fiesp pode estar certa. Nem vou atrás e vou confiar em vc.

    Se for o caso de abuso econômico das montadoras, por que o governo se curva tanto a elas? Novamente: make or buy.

    Mas ainda assim, se tivessemos carros tão “baratos” quanto os EUA. O que vc prefere: usar a maior parte do custo para pagar os trabalhadores, como ocorre lá nos EUA, ou usar a maior parte sos custos para pagar impostos, como ocorre aqui?

    Eu preferiria que os trabalhadores ganhassem mais… E o Estado menos.

    Principalmente porque o Estado tem feito bem pouco pelos trabalhadores, ultimamente.

  140. Jose Mario HRP said

    A turma anti corrupção recebeu essa bela noticia:
    http://jornalggn.com.br/noticia/o-esquema-de-condenacao-a-qualquer-preco-da-operacao-lava-jato

    E é super legal mas ilegal?

    Dar grana da corrupação para enriquecer o bandido que alcgueta e depois de quase pegar 200 anos de cadeia ficará milhonario!!!!!!
    Viva a turma anti corrpção!!!

    Sana hipocrisia!

    Ainda bem que sou a “outra” turma, a dos mentirosos, e do Elias!

    KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKk

  141. Pedro said

    HRP # 137. Cara, nem conheço este Miguel Rosário.

    Mas, como levar a sério, um jornalista que escreve isto:

    “A Lava Jato, por exemplo.

    Trata-se de uma investigação importante, que pode nos ajudar muito a lutar contra uma corrupção que vem desde Pedro Alvares Cabral.”

    Então as caravelas do Cabral, já abasteceram aqui, com gasolina, ou óleo diesel, mais caro, por conta da corrupção, ou por que os índios não utilizavam os outros derivados?

    “Menas” né Miguel.

    Não dá pra considerar um jornalista que escreve isto.

    Tá só recitando a cartilha, de quem é pego na roubalheira.

  142. Patriarca da Paciência said

    A Carta do Descobrimento do Brasil, escrita por Pero Vaz de Caminha, para quem não sabe, depois de relatar a Viagem de Pedro Álvares Cabral e as coisas que encontraram por aqui, “solicitava” ao rei um emprego para o genro do escriba !

  143. Patriarca da Paciência said

    Finalzinho da Famosa Carta, considerada a certidão de nascimento do Brasil:

    “E pois que, Senhor, é certo que, assim neste cargo que levo, como em outra qualquer coisa que de vosso serviço for, Vossa Alteza há de ser de mim muito bem servida, a Ela peço que, por me fazer singular mercê, mande vir da ilha de São Tomé a Jorge de Osório, meu genro – o que dáEla receberei em muita mercê.
    Beijo as mãos de Vossa Alteza.
    Deste Porto Seguro, da Vossa Ilha de Vera Cruz, hoje, sexta-feira, primeiro dia de maio de 1500.”

  144. Pedro said

    É, e o rei arrumou pra ele, um emprego na Petrobras.

  145. Pedro said

    Se for pra vir com esta conversa.
    Pelo menos dê crédito, para o P edro A lvares C abral, como mentor do PAC.

  146. DAISE 2.0 said

    A privataria petista na Petrobras africana
    Elio Gaspari

    Imagine-se a doutora Dilma Rousseff dizendo o seguinte durante a campanha eleitoral:

    “Nossos adversários quebraram o país três vezes e venderam para um banco metade da participação da Petrobras em ricos campos de petróleo da África.”

    Em julho de 2013 a Petrobras vendeu ao banco BTG Pactual metade de suas operações em campos de petróleo de sete países africanos. O coração do negócio estava em dois campos da Nigéria (Akpo e Agbami), dos quais a empresa tira uma produção de 55 mil barris/dia, 60% de todo o petróleo que o Brasil importa, ou 25% do que refina.

    Para se ter uma ideia do que isso significa, é uma produção equivalente a 10% do que sairia do pré-sal brasileiro um ano depois, ou quatro vezes o que Eike Batista conseguiu extrair.

    No século passado a Petrobras decidiu internacionalizar-se para controlar reservas fora do país. Nada mais certo. A empresa trabalhou em sigilo e em outubro de 2012 contratou o Standard Chartered Bank para assessorá-la. Um mês depois, numa negociação direta com a Petrobras, o BTG Pactual mostrou-se interessado no negócio, propondo a formação de uma nova subsidiária. A Petrobras listou 14 petroleiras que poderiam se interessar, nenhum banco. Além do Pactual, só uma empresa chegou à reta final.

    Quanto valiam os campos? Aí é que a porca torcia o rabo. Uma nuvem preta pairava sobre os marcos regulatórios da Nigéria (onde estão Akpo e Agbami). O consultor financeiro da Petrobras estimou que, com a entrada em vigor de uma lei nova e ruim, valeriam US$ 3,4 bilhões, ou US$ 4,5 bilhões sem ela. O banco BSC estimou essas mesmas cifras. Sem considerar o eventual impacto da lei ruim, segundo uma publicação da consultoria Wood Mackenzie, valeriam até US$ 4 bilhões, e para outra, da IHS, só o campo de Akpo valeria pelo menos US$ 3,6 bilhões. Endireitando-se o rabo da porca: com o barril de petróleo a US$ 100, o ano de 2014 acabou-se e até hoje a lei ruim não entrou em vigor.

    Em maio de 2013 o Pactual ofereceu US$ 1,52 bilhão, superando a proposta rival. Esse valor derivava de sua avaliação de US$ 3,04 bilhões para todo o pacote africano. Como a lei poderia mudar para pior, fazia algum sentido. O banco propunha que, ao nascer, a subsidiária tomasse um empréstimo de US$ 1,5 bilhão. Mistério: por que a Petrobras venderia um ativo por US$ 1,52 bilhão e, seis meses depois, criaria uma nova empresa, endividada em US$ 1,5 bilhão? A sugestão foi rebarbada, mas admitiu-se negociar outro endividamento, mais adiante.

    Seis meses depois de fechar negócio com o BTG Pactual a Petrobras discutia a tomada de um empréstimo de US$ 700 milhões para a subsidiária africana junto aos bancos Standard Chartered (o mesmo que assessorou a venda) e Paribas. O setor financeiro da empresa achou as condições salgadas, com uma taxa de juros acima do que a empresa paga no mercado internacional. Em janeiro de 2014 estimava-se que a subsidiária distribuísse US$ 1 bilhão em dividendos no primeiro semestre daquele ano. Portanto, um ano depois de ter entrado no negócio, o BTG Pactual poderia receber US$ 500 milhões. Na vida real, no primeiro trimestre distribuíram-se US$ 300 milhões, deixando-se US$ 500 milhões no caixa e US$ 200 milhões aplicados. (O empréstimo, aprovado, não entra nessa conta.)

    Aquilo que no século passado foi uma ideia de ampliar os interesses da empresa em terras estrangeiras resultou numa privatização de metade da sua operação africana. Acertou-se também que ela continuaria sob o logotipo da Petrobras, apesar de a estatal só ter metade do negócio. A presidência da empresa e a diretoria comercial seriam ocupadas rotativamente pelo BTG e pela Petrobras, a cada dois anos. O diretor financeiro da subsidiária seria nomeado pelo banco, e o diretor operacional sairia da estatal. Se a Petrobras tivesse liquidado alguns micos ou operações menores, tudo bem, mas ela vendeu metade de sua participação em terras d’África, especificamente a de dois campos nigerianos estrategicamente valiosos. Fez isso com relativa pressa, pois o negócio deveria ser concluído em 2013.

    O QUE VEM POR AÍ

    Quem leu as transcrições do que o “amigo Paulinho” e o operador Alberto Youssef já contaram, resumiu seu estarrecimento:

    “Se eu tivesse que usar o linguajar dos médicos que atendem vítimas de acidentes em prontos-socorros, classificaria a situação de João Vaccari Neto, tesoureiro nacional do PT, de ‘desesperadora’.”

    Pode estar acontecendo um fenômeno curioso, como se houvesse um espetáculo de dança e a coreografia dos bailarinos (Lula e Dilma calados) nada tivesse a ver com a música tocada pela orquestra que toca com a partitura das informações até agora divulgadas publicamente. A plateia está ouvindo essa orquestra.

    Contudo, os dançarinos acompanham a música de outra, que executa outra partitura, com as informações que não foram divulgadas. Essa toca no ritmo de quem sabe o que vem por aí.

    Pelo andar da carruagem, o que vem por aí é uma nova leva de prisões.

    EREMILDO, O IDIOTA

    Eremildo, um idiota, mora num fundo de pensão e por mais que ofereça serviços de consultoria, não entende por que ninguém o contrata. Ele está deprimido pelo que aconteceu às grandes empreiteiras nacionais e chorou ao saber da prisão do presidente da Assembleia de Nova York por ter embolsado apenas uns poucos milhões de dólares.

    O idiota acha que há grandes empresários que, por serem muito inteligentes, não contratam consultorias com cretinos. Olhando o que aconteceu na Petrobras e o que está acontecendo em Nova York, Eremildo acredita que eles teriam feito melhor negócio se o tivessem contratado.

    VOZES D’ÁFRICA, 1

    Fernando Soares, também conhecido no mundo do petróleo como “Fernando Baiano”, ofereceu-se para colaborar com a Viúva nas investigações das petrorroubalheiras. O Ministério Público pediu-lhe uma amostra do que tinha a revelar, e a oferta foi rebarbada. Tudo o que ele contava os doutores já sabiam.

    VOZES D’ÁFRICA, 2

    Para se ter uma ideia dos números da transação dos campos africanos da Petrobras, com o barril de petróleo a US$ 100, de julho de 2013 a dezembro de 2014 os campos nigerianos produziram US$ 3 bilhões.

    A refinaria de Pasadena custou US$ 1,2 bilhão.

    VOZES D’ÁFRICA, 3

    A Petrobras decidiu vender metade de sua participação no campo nigeriano de Agbami sem oferecer à Chevron o direito de preferência a que teria direito.

    Agbami é o segundo maior campo da Nigéria e é operado por uma afiliada da Chevron. Ele produz 71 mil barris/dia, 25 mil dos quais vão para a Petrobras.

    Felizmente a Chevron não se portou como um “inimigo externo”.

    VOZES D’ÁFRICA, 4

    Durante o tucanato a Petrobras expandiu seus interesses na África, comprando parte dos campos nigerianos de Agbami e Akpo. O comissariado vendeu metade desse negócio.

    Em 2007 o petrocomissário José Sergio Gabrielli comprou a refinaria Nansei, no Japão. Ela produzia 45 mil barris/dia. Planejava-se dobrar essa produção.

    Esqueceram-se de combinar com os ambientalistas japoneses e de comunicar ao Conselho de Administração, que arriscava-se ficar com um mico. Ficou.

  147. Patriarca da Paciência said

    Certo mesmo é o seguinte: Paulo Roberto Costa foi empossado à época do governo Geisel (Ditadura Militar), ocupou cargos de chefia a partir do governo de Fernando Henrique Cardoso, mas ficou desonesto apenas durante o governo Lula.

    O tal do “operador” Alberto Youssef “está no ramo” desde sei lá quando, foi “operador” durante todo o Governo de Fernando Henrique Cardoso, mas ficou desonesto apenas durante o governo Lula.

    E para concluir: Eu também acredito em Papai Noel, Coelhinho da Páscoa, Curupira, Saci Pererê etc.etc.etc.

  148. Patriarca da Paciência said

    PIB da Grécia – aproximadamente 800 bilhões de reais.

    Dívida da Grácia – aproximadamente 1 trilhão de reais.

    Isso acontece nas “Oropas” maravilhas !

    Pior ainda, esse descalabro aconteceu depois que a Grécia entrou para o Mercado Comum Europeu !

  149. Guatambu said

    É isso que dá deixar o Estado tentar fazer uma política de welfare state por mto tempo…

  150. Pax said

    Depende, caro Guatambu.

    Tem algumas variáveis nessa equação. Me ocorrem 4 de cara.

    – a riqueza do país. – a qualidade dos políticos em atuação – a quantidade de serviços que o estado oferece – a quantidade de tributos

    Pensa um pouco….

    Enviada do meu iPhone

    >

  151. Elias said

    “Sobre o preço dos automóveis. A conta da Fiesp pode estar certa. Nem vou atrás e vou confiar em vc. Se for o caso de abuso econômico das montadoras, por que o governo se curva tanto a elas? Novamente: make or buy.” (Guatambu)

    Não é abuso de poder econômico, Guatambu. É tamanho de mercado (economia de escala) e um monte de outras coisas mais. Se tu fores comparar quantos Mustang foram vendidos nos EUA, com a quantidade de fuscas vendidos no Brasil em 1975, p.ex., vais entender porque o fusca saía pelo mesmo preço do Mustang. E a For nem era a maior montadora dos EUA (já a Volks era a maior montadora do Brasil…).

    Quando à participação do Estado brasileiro no domínio econômico, é outra discussão acaciana.

    Vê lá:

    1 – Depois do “choque do petróleo”, nos anos 1970, O Japão decidiu desativar (como de fato desativou) suas plantas de produção alumínio. É que ele jamais conseguiria produzir — como de fato jamais voltou a produzir — energia elétrica a um custo que viabilizasse economicamente a produção de alumínio em seu território. Pra quem não sabe, energia elétrica é o principal insumo para redução da alumina em alumínio (a alumina é um intermediário entre a bauxita alumínica e o alumínio).

    2 – Para isso, o Japão precisaria estruturar um produtor firme de alumínio em lingote, fora de seu território. Esse produtor, evidentemente, teria que ter bauxita alumínica em escala planetária e ser capaz de produzir energia elétrica barata, em grande escala.

    3 – Brasil na raia. Geisel e Shigeaki Ueki colocaram as fichas verde-e-amarelas na mesa: Brasil tem as três maiores jazidas de bauxita alumínica do mundo, local para megaportos junto à planta industrial e um imenso potencial hidrelétrico… Mas não tem dinheiro pra montar a estrutura produtiva.

    4 – Como se sabe, são orientadas locacionalmente para as proximidades da fonte de matérias-primas as plantas industriais cujos processos fabris implicam grande perda de peso da matéria-prima processada (quando a matéria-prima perde pouco peso na industrialização, a planta industrial é orientada locacionalmente para as proximidades do mercado, mesmo que seja longe da fonte da matéria-prima; é o caso, p.ex., do beneficiamento de diamantes).

    5 – A redução da bauxita em alumina, tem como descarte milhões de toneladas de “lama vermelha”. E aí tem outro problema: se a bauxita brasileira fosse transportada para ser processada em outro país, o custo do transporte da “lama vermelha” iria onerar o preço da alumina e do alumínio. Além do mais, o país de destino ainda teria que se virar com o problema ambiental decorrente da “lama vermelha”.

    6 – Melhor solução para os japoneses: produzir no Brasil alumina e alumínio em escala planetária… Tão perto quanto possível das fontes dos insumos principais, bauxita e energia elétrica.

    7 – Mas tinha o problema da falta de dinheiro.

    8 – O Japão topou bancar a maior parte do investimento, com uma condição: que o sócio dele no empreendimento fosse O ESTADO BRASILEIRO e não a iniciativa privada deste país abençoado por Deus e bonito por natureza.

    9 – É que o investimento implicaria — como de fato implicou — a construção de 2 cidades enormes, a implantação de uma mega hidrelétrica, uma mega estrutura de mineração, uma megaplanta de alumina, duas megaplantas de alumínio e dois megaportos. Teriam que ser gastos bilhões de dólares, ao longo de mais de 10 anos, até que pingasse o primeiro dólar de lucro. Nenhum grupo privado brasileiro tinha gás nem disposição pra isso.

    10 – Por outro lado, associar-se a grupos privados de outros países era tudo o que os japoneses não queriam de jeito nenhum, pra não perder o controle da produção. A muito custo, foram convencidos a permitir o ingresso da canadense Alcan, na condição de sócia minoritária. Mas a própria Alcan vetou terminantemente o ingresso de sua própria mãe, a Alcoa (pra quem não sabe, o mercado internacional de mineração não se parece nem um pouco com um convento das Carmelitas de Pés Descalços… É cobra criada engolindo cobra criada!). Só depois que a jazida de Porto Trombetas se exauriu, é que a Alcan, relutantemente, permitiu o ingresso da Alcoa, numa jogada tucana que deve ter rendido alguns milhões de dólares de suborno (as línguas malvadas dizem — mas não provam, claro! — que, com o lance da Alcoa, FHC & seus mais achegados faturaram o suficiente pra garantir uma aposentadora financeiramente confortabilíssima, pra si mesmos, filhos, netos e bisnetos…).

    11 – Foi assim que surgiram, do nada, a Alumar (no Maranhão) e respectivo megaporto, assim como a hidrelétrica de Tucuruí, a Albrás, a Alunorte, o mega porto de Vila do Conde e a Mineração Rio do Norte (no Pará). E foi assim que o Brasil se transformou, de importador que era, em maior produtor e exportador mundial de alumina e alumínio…

    Cá pra nós, Guatambu: tu achas mesmo que, sem o Estado brasileiro — e sem impostos — teriam surgido no Brasil, essas hidrelétricas imensas, os megaprojetos mínero-metalúrgicos, etc.?

    EUA e Brasil não são apenas dois países diferentes. São dois mundos diferentes… (Bem que eu gostaria que não fosse, mas…).

  152. Elias said

    Patriarca,
    A Grécia já estava ferrada antes de entrar para UE.

    Tanto que, para ser aceita, ela falsificou dados sobre seu endividamento. Aliás, quem organizou a falsificação foi uma empresa muito cara (entenda a palavra “cara” em mais de um sentido), aos tucanos brasileiros (ao dizer “tucano”, não estou me referindo à ave, evidentemente).

    Também evidentemente que os analistas da UE que se deixaram enganar pelas informações falsas fornecidas pela Grécia, eram todos — coitadinhos! — adolescentes em seu primeiro emprego, que não tinham a menor ideia do que estava acontecendo. Vou ser mais exato: naquele tempo, os adolescentes analistas da UE eram, todos, verdadeiras pilhas de hormônios em fúria. Só pensavam em se trancar no banheiro com revistinhas suecas, e passar a maior parte do tempo batendo bronha…

    Por isso a UE — coitadinha! — foi enganada pela Grécia, essa escrota!

    Se tu quiseres mais detalhes sobre o assunto, bate um papo com Papai Noel… Acho que o Sacy Pererê também sabe de muita coisa, mas ele está meio cabreiro… Não quer falar de jeito nenhum!

  153. Patriarca da Paciência said

    Na verdade, o PIB da Grécia de aproximadamente 800 bilhões de reais é de 2011. A Partir daí a Grécia entrou numa recessão violenta e hoje o PIB é de aproximadamente 625 bilhões de reais.

    E a dívida atual é de mais de 1 trilhão de reais.

    Ou seja, a dívida é quase duas vezes o PIB.

    No Brasil, a relação da dívida com o PIB é abaixo dos 10%. !

  154. paulo said

    Senhores vamos levantar a vida do EX PRESIDENTE da TRANSPETRO, Mauro Campos mais conhecido como o REI das LICITAÇÕES tem um Fundo de investimento com mais de 400 milhões dinheiro do Fundo de Pensão Postalis !! Armou um esquema para ganhar o Leilāo do Estaleiro Caneco, e vai se dar mal .Seu nome aparece varias vêzes na agenda do PRC da Petrobras .LAVA JATO A TODO VAPOR nesses CORRUPTOS !!!!!

  155. Elias said

    “Mas ainda assim, se tivessemos carros tão “baratos” quanto os EUA. O que vc prefere: usar a maior parte do custo para pagar os trabalhadores, como ocorre lá nos EUA, ou usar a maior parte sos custos para pagar impostos, como ocorre aqui?” (Guatambu)

    Nem nos EUA a despesa de pessoal responde pela maior parte dos custos, nem no Brasil os impostos representam esse papel.

    No Brasil, o peso dos tributos sobre o preço final ao consumidor é de, aproximadamente, 31%. Isso inclui ICMS de 17% sobre o preço final, 17% de IPI sobre o preço de fábrica, PIS/COFINS sobre preço final e 30% sobre custo de pessoal mobilizado na produção. (Não custa lembrar que a maior parte do que se considera “encargos sociais” sobre folha de pagamento não constitui tributo, e sim remuneração ou benefícios ao empregado: FGTS, Férias, 13º Salário, vale-transporte, vale-alimentação, multa rescisória, plano de saúde, liquidação de acidente do trabalho até 15 dias, etc.).

  156. Elias said

    E, Guatambu,

    Dá 31% sobre preço final se o produto estiver submetido à tributação plena, o que raramente acontece. A maior parte dos produtos brasileiros goza de benefícios fiscais, em diferentes níveis.

    As fábricas de veículos, por exemplo, a depender da localização, dispõem de reduções fiscais para o ICMS.

    Produtos como a carne, têm reduções de ICMS de no mínimo 13 pontos percentuais a no máximo 15 pontos percentuais, ou seja, recolhem ICMS de 2% a 4% (e não 17%).

    Foi por causa disso que o “Custo Brasil” se desmoralizou como conceito. É que ele calculou a carga tributária NOMINAL, e não a carga tributária REAL. Entre essas duas, há um abismo…

  157. Guatambu said

    Elias,

    E o que faz uma montadora nesse território, então?

    Se a produção no exterior é mais barata por conta da escala… make it or buy it.

    De onde vem esse chororô todo da esquerda brasileira contra as montadoras aqui no Brasil?

  158. Guatambu said

    Elias,

    Sobre a história do alumínio, a conclusão que eu chego é que o Estado é responsável por parte do subdesenvolvimento de uma área que poderia ter sido rica por conta de pesados investimentos.

    Como o Estado foi incompetente, tanto para criar infra-estrutura quanto para gerir os movimentos migratórios, educação, etc, desse povo… regiões onde há esses grandes investimentos são bonitas (por conta dos investimentos) e feias (por conta da população ferrada desses lugares)…

    Estado novamente, liderando o processo de desenvolvimento, resultando em um cenário tão ruim quanto um particular fazendo isso.

    Dinheiro é algo abundante em uma parte do mundo: só tem que saber usar.

    Hoje existe concorrência para baixar o preço de obras públicas. Por que não há concorrência para financiar as obras públicas?

    Com um bom projeto e com um bom plano de negócio, vc pode fazer uma captação bilionária para financiar projetos em qualquer parte do mundo com base na grana de países cuja taxa de juros está quase negativa. Esses caras estão dispostos em investir em qualquer coisa que e mova e dê dinheiro.

    Mas o Brasil insiste em fazer tudo do seu jeito, usando o Estado, mais uma vez, como fonte de recurso.. e uma fonte um tanto quanto burra: um país cujos títulos pagam 12,75% ao ano e emprestam dinheiro via BNDES a 6% ao ano… isso é perder dinheiro.

    Hoje a taxa de juros americana, européia e japonesa estão muito baixas. Se o Brasil tivesse mostrado consistência ao investir, se tivesse mostrado eficiência em suas obras de infraestrutura, se aquilo que tivesse sido prometido estivesse sendo cumprido, e o Brasil tivesse mais abertura econômica que viabilizasse engenharias financeiras mais complexas, obras gigantes poderiam ter sido financiadas a taxas de juros menores do do que a Selic hoje.

    Mas isso tudo teria acontecido se o Brasil tivesse mostrado competência perante o mercado… mas o Brasil resolveu “dar uma lição de moral” no mercado…

    Agora a Dilma manda o Levy ir se explicar em Davos, enquanto ela vai ali na Bolívia fazer beija-mão com outro proto-ditador da América do sul… que inclusive, já deu alguns tocos no Brasil na era PT.

  159. Elias said

    Chororô da esquerda contra montadoras?

    Sei lá, Guatambu! Nunca vi nem ouvi falar…

    Concorrência pra financiar obras públicas?

    Isso é mais velho que a posição, Guatambu. É assim que se escolhe concessionárias de serviços públicos, por exemplo. Também é assim que se disponibiliza lavras para mineração, extração e comercialização de água mineral e uma montanha de etc.

    Foi numa dessas que Fernandinho HC lavou a burra. A concessão para a Alcoa estava encerrando, sem que ela houvesse dado partida no projeto de mineração. Faltando um mês pra concessão expirar, Fernandinho HC autorizou que a Alcoa se associasse com a Vale (MRN), para tocar a lavra.

    Qual seria o correto? Esperar que a concessão à Alcoa expirasse e fazer novo leilão para a lavra. Só que, se ele fizesse isso, a porteira da Vale continuaria fechada para a Alcoa. Provavelmente a própria Vale, por meio da MRN, disputaria o leilão.

    Deixando de fazer o leilão, Fernandinho HC fez com que o Brasil “renunciasse” aos milhões de dólares que arrecada em cada leilão de lavra, trancou as pernas para a Vale (da qual o Estado continua sendo o sócio majoritário, por meio dos fundos de pensão), e ainda obrigou essa última a aceitar a Alcoa como sócia, já que as jazidas de Porto Trombetas estavam exaurindo e a Vale necessitava ter acesso à lavra da Alcoa para manter a produção de alumínio.

    De qualquer modo, a concorrência de que tu falas já existe.

    O que não existe no Brasil, Guatambu, é CAPITAL, Kapital, Money, mufunfa, grana, baba… pra bancar um mega investimento cuja maturação demanda décadas. São décadas despejando milhões de dólares num projeto, até que entre o primeiro centavo de receita. São imensas hidrelétricas, cidades inteiras, com toda a infra de uma cidade moderna — aeroporto, supermercados, cinemas, escolas, sistemas de abastecimento de água e luz, estação de tratamento de esgotos, etc., etc., etc. Frotas numerosas de caçambas com capacidade para até 500 toneladas de carga, ferrovias com mais de 800 Km de extensão, composições ferroviárias com mais de 3 Km de extensão, megaesteiras e mega dutos para transporte de toneladas/hora de minério, e um etc. gigante.

    No Brasil, Guatambu, essa grana não existe. Se tu achas que ela existe, e sabes onde ela está, podes ficar milionário antes do fim desta semana. É só dizer que grana é essa, porque, com certeza, nem o dono sabe que dela…

    Mesmo a grana estrangeira que tem entrado pra esse fim, tem, nos países de origem — Japão, China, Noruega, Dinamarca, Suécia… — DNA estatal.

    Ingenuidade pensar que falta “competência” ao pessoal que tocou e toca esses projetos… Isso é chavão…

    Ao contrário, sobrou competência (e roubalheira) desse pessoal. Essa turma desmoralizou por completo a turma do Roberto Campos, inclusive aquela “consultoria” americana, que dizia não haver futuro para a mínero-metalurgia brasileira (enquanto isso, essa gente empanturrou os próprios bolsos…).

    Criticar a mínero-metalurgia é o pior caminho pra quem quer criticar o estatismo brasileiro, porque esse foi um setor onde o investimento estatal produziu os melhores resultados (apesar da roubalheira…).

    O Brasil se tornou não apenas auto-suficiente, mas também o maior produtor e maior exportador de produtos como ferro, aço, alumínio, cobre, etc. (sem esquecer que ouro é subproduto do cobre).

    Além disso, são as hidrelétricas ligadas ao polo mínero-metalúrgico que estão quebrando o galho do país, enquanto Belo Monte não vem. Sem elas, neste momento nós teríamos que digitar em computadores movidos à carvão…

  160. Elias said

    “E o que faz uma montadora nesse território, então?” (Guatambu)

    Ela ganha dinheiro, Guatambu! Precisa dizer isso?

    O que importa, Guatambu, não é o custo e o preço final.

    O que importa é o MERCADO, rapaz!

    Se, em um determinado local, há mercado para um determinado produto, a um determinado preço, pouco importa que esse preço seja mais alto que o preço daqui ou dali.

    O que interessa é que haja pessoas aptas e dispostas a pagar o tal preço, pelo tal produto.

  161. Elias said

    “Hoje a taxa de juros americana, européia e japonesa estão muito baixas.” (Guatambu)

    Não é “hoje”. Sempre foi assim.

    Aí vamos entrar noutro território, que a política monetária.

    Nos países desenvolvidos, a taxa de juros tende a ser baixa.

    Por que? Simples… Lei da oferta e da procura!

    Dinheiro é mercadoria, certo? E o preço da mercadoria dinheiro chama-se “juro”, certo?

    Ora, em qualquer mercado, a abundância de uma mercadoria empurra o preço dessa mercadoria pra baixo.

    Vai daí que, onde o capital é abundante, o juro tende a ser baixo.

    Reciprocamente, onde o capital é escasso, o juro tende a ser alto (numa economia em que o capital é escasso, a adoção de uma taxa de juro baixa tem como resultado uma explosão inflacionária).

    Por isso, não é de hoje que é um bom negócio pedir dinheiro emprestado no centro capitalista, a juros bem baixinhos, e aplicar esse dinheiro nas economias periféricas onde os juros são significativamente mais altos.

    Pra isso dar certo, basta que a periferia disponha de coisas como:

    (a) estabilidade institucional e política (não necessariamente democracia);

    (b) impostos razoáveis sobre ganhos financeiros (ainda que mais elevados que nos países de origem, desde que isso seja compensado pela diferença de taxas de juros);

    (c) leis que garantam a mobilidade — em especial o repatriamento — do capital (não apenas do lucro líquido).

    Nunca estudaste nada sobre isso?

    Aqui no PolíticAética nós discutimos bastante quando a Dilma foi à Alemanha, se queixar com a dona Merkel, quando esta induziu o BC Europeu a injetar trilhões de euros a juros zero, nas economias desmilinguintes da Europa. Quando o dinheiro começa a jorrar nos chafarizes dos países ricos, os classe mérdia tipo Brasil são obrigados a intervir nos respectivos mercados financeiros. Caso contrário, murcham do dia pra noite. Acontece que cada intervenção no mercado financeiro custa uma baba!!

    Merkel deu uma banana pra Dilma… E a Alemanha injetou e continua injetando os abundantes trilhões que ela tem de sobra…

  162. Guatambu said

    Elias,

    Acho que vc não leu direito o que eu escrevi…

    Veja lá: “concorrência para financiar as obras públicas”

    Vc sabe, quem vai executar é diferente de quem vai financiar.

    Os agentes financeiros hoje são sempre os mesmos: BNDES, CEF, BB e outros bancos grandes que participam menos nesse bolo.

    Vc diz: “O que não existe no Brasil, Guatambu, é CAPITAL, Kapital, Money, mufunfa, grana, baba… pra bancar um mega investimento cuja maturação demanda décadas. ”

    E me provoca: “Se tu achas que ela existe, e sabes onde ela está, podes ficar milionário antes do fim desta semana.”

    Mas vc leu o que eu escrevi: “Dinheiro é algo abundante em uma parte do mundo: só tem que saber usar.”

    Sim, Elias, eu sei onde essa grana tá: nos EUA, na Europa, particularmente na Alemanha, Noruega, Inglaterra, Holanda e no Japão. Porque são países cujas taxas de juros estão beirando o negativo… e com os QEs da vida, tem uma liquidez gigante por ali.

    Mas essa grana não vai vir pra cá. A meu ver, porque não fizemos a lição de casa:

    1. Os projetos brasileiros são mal concebidos, mal apresentados, o Estado, focando demais no social, parece ter esquecido que um projeto desse, uma hora, tem que se pagar. Se, como vc sabe, a primeira coisa que um investidor desse quer é saber o payback de um projeto desse tamanho e os cenários.

    2. A execução dos projetos aqui é uma loteria. Não dá pra saber quando o IBAMA vai parar uma obra, não dá pra saber quando os trabalhadores vão entrar em greve, não dá pra saber quando vai e quando não vai chover, não dá pra saber se o governo vai aumentar, e a qual percentual, o salário dos trabalhadores, impactando toda a estrutura de custos de uma obra. Não dá pra saber nada. Como é que se investe em algo que não se tem uma mínima previsibilidade?

    3. A estrutura burocrática brasileira é horrível. Há muita insegurança jurídica para fazer obras desse tamanho. A justiça não resolve, o que resolve é ter “consultores” como o Zé Dirceu etc, que são especializados em “desenrolar” obras e atuar politicamente para que as coisas aconteçam. Me conta qual país do mundo gosta de investir em cenários que somam a imprevisibilidade dos ítens 1 e 2 com essa insegurança jurídica.

    4. A taxa de juros brasileira também não colabora. Afinal, se o governo entrega 12% de juros, o que um investidor desses prefere? Os projetos de infra-estrutura, como são de longuíssimo-prazo, competem com a própria estrutura de juros interna do Brasil… tornando um título público federal muito mais interessante do que um projeto desses.

    6. O mercado de capitais brasileiro é pouco desenvolvido. Instrumentos financeiros que poderiam diversificar, e atrair, investidores, são poucos, monopolizados por grandes instituições, que, por todos os motivos acima, cobram taxas e margens altíssimas para contribuir com essas operações.

    7. E a cereja do bolo: A própria política brasileira é instável. Veja os sinais que a Dilma mandou pro mercado em 2011 e agora em 2015. Em 2012 ela puxa a taxa de juros para baixo, e vai até a Europa “reclamar” de investidores especuladores. Faz um monte de projeto social de qualidade duvidosa e um monte de projeto de infraestrutura com resultados claramente ruins. Vide obras de mobilidade para a Copa, que uma parte ficou para trás, vide os próprios estádios que agora estão lá, alguns sendo reformados e outros às moscas. Uma das coisas que investidores mais odeiam é instabilidade. O próprio governo está gerando essa instabilidade… em um momento aponta a máquina pública para um lado, e em outro, aponta a máquina pública para outro. Como é que vc quer que investidores estrangeiros, de longo-prazo, queiram investir nessa zona?

    Resultado: nem que o Estado quisesse, hoje, ele seria capaz de delegar a responsabilidade de financiar, eu disse financiar, obras desse porte. Porque investidores estrangeiros, que têm grana sobrando, não vão se meter com riscos desse tamanho.

    Faz o seguinte: me dá um governo que dê sinais reais e consistentes (porque não adianta uma coisa sem a outra), de que a máquina pública está orientada a atender as demandas de infraestrutura com estabilidade econômica, que eu te entrego investidores estrangeiros interessados no longo prazo, e que vão cobrar uma taxa de juros camarada para financiar esses projetos monstruosos.

    Por que vc acha que o Xi Jinping está fazendo uma baita propaganda apontando o que ele conseguiu desmantelar de corrupção na China?

    A economia da China desacelerou. Quando acontece isso, o juro sobe, e a China, talvez muito mais que o Brasil, precisa de investimentos externos. Se esse cara bobear, e a taxa de juros desse país tiver que subir, ele tá f… Ele tem que mostrar pro mundo que ele é capaz de fazer o país crescer, e que esse 1,7 bilhões de chineses vão retornar, em algum momento o dinheiro que os investidores estão fazendo. Se ele não fizer isso, a China desaba, e vai levar o mundo inteiro com ela.

  163. Guatambu said

    Elias,

    Sobre as montadoras: elas poderiam ganhar mais dinheiro se produzissem fora e exportassem para o Brasil, né?

    Mas aqui no Brasil existe um negócio chamado imposto de importação, que, entre outras coisas, serve para “incentivar” grandes empresas multinacionais a montarem uma operação no Brasil, usando mão-de-obra local e gerando emprego para o povo.

    Só que aí volta a escala, e todas as outras coisas relacionadas à estrutura de custos dessas empresas, que faz com que o brasileiro médio pague, num carro popular, o preço de um carro grande nos EUA.

    Se a economia fosse mais aberta talvez não tivéssemos esse problema… só que aí corria o risco de faltar emprego.

    Mas 100% das campanhas políticas desde que não existe mais a escravidão é pautada pela geração de emprego… que leva aos “incentivos” para atrair grandes empresas para o território… que leva aos impostos… que…

    Nem precisa falar mais nada….

  164. Guatambu said

    Elias,

    Seu comentário 161 foi respondido pelo meu 162.

  165. Elias said

    I
    “Mas essa grana não vai vir pra cá. A meu ver, porque não fizemos a lição de casa:” (Guatambu)

    Não vem mesmo Guatambu? E a Ford? E a Fiat? E a Volks? E a General Motors? E a Toyota? E a Nordisk? E a…

    Guatambu, quanto menos o pessoal daqui fizer “lições de casa”, melhor pro pessoal de lá (a bem da verdade, esse papo de “lição de casa” é o chavão , mais vazio e tolo que o liberalismo brasileiro inventou: não diz nada, mas é dito com a empáfia de quem diz tudo…).

    II
    “Sobre as montadoras: elas poderiam ganhar mais dinheiro se produzissem fora e exportassem para o Brasil, né?” (Guatambu)

    Não sei… É?

    Se perguntarmos a elas, provavelmente dirão que não. Tanto que preferem continuar produzindo aqui…

    Ora, Guatambu… Tu estás maximizando a importância do custo e do preço, quando o que importa é o lucro (ou seja, o mercado). Nenhuma empresa se importa em produzir a um custo mais alto, e vender a um preço igualmente mais alto, se o lucro compensar. Mercado, rapaz! Foco no mercado!

    Já ouviste falar em “baixa tendencial da taxa de lucro”? É o mesmo que ocorre com o juro. Onde o capital é mais abundante, a taxa de lucro tende a ser — embora não necessariamente seja — mais baixa. Onde o capital é escasso, a taxa de lucro tende a ser — embora não necessariamente seja — mais alta.

    III
    “A taxa de juros brasileira também não colabora…” (Guatambu)

    Já falamos sobre isso, Guatambu. Dinheiro é mercadoria, cujo preço é o juro.

    Onde a mercadoria dinheiro é escassa, o juro tende a ser alto. Onde essa mercadoria é abundante, o juro tende a ser baixo.

    Não dá pra ser de outro modo, a menos que consigas revogar a lei da oferta e da procura.

    Se conseguires, aproveita e revoga também a lei da gravidade, porque aí a gente vai passar a voar, e a demanda de combustível despenca (por ora, os únicos voadores que tenho em mãos são cheques de clientes maus pagadores…).

    IV
    “Mas aqui no Brasil existe um negócio chamado imposto de importação, que, entre outras coisas, serve para “incentivar” grandes empresas multinacionais a montarem uma operação no Brasil, usando mão-de-obra local e gerando emprego para o povo.” (Guatambu)

    Só aqui?

    Já procuraste saber o que acontece com o mercado da siderurgia? Sabias que os EUA mantém um paredão contra a siderurgia brasileira?

    Sabes por que? Porque que liberarem geral, o siderúrgico brasileiro engole o americano, porque é mais barato e de excelente qualidade.

    Só que isso ferraria com os empregos na siderurgia americana. Por isso, o paredão, que, dentre outras coisas, inviabilizou a ALCA (lembra dela?).

    V
    “Financiamento direto de obras públicas” é coisa que não falta no Brasil, Guatambu.

    Isso é feito, principalmente, pelo Banco Mundial e pelo BID.

    Já trabalhei com o BID, e entendo um pouco como ele funciona. É uma das melhores agências de financiamento de obras públicas, para países pobres ou em desenvolvimento.

    O BID tem critérios claros e objetivos para concessão de empréstimos, é desburocratizado, supereficiente na fiscalização, e absolutamente criterioso na fixação do preço do dinheiro. Suas taxas de juros são substancialmente mais baixas que as praticadas no Brasil, e, se ocorre uma queda dos juros no mercado internacional, o BID imediatamente repassa essa queda para os juros dos contratos, inclusive os contratos em andamento, reduzindo seus custos.

    Para que tu tenhas uma ideia: quando a Caixa Econômica Federal financiava projetos de saneamento a juros de 8% a.a. (em 2008), o BID fazia o mesmo a juros de menos de 5% a.a.

    Para liberar uma parcela de empréstimo junto à CEF, eu precisava de, no mínimo, uma semana de entendimentos e pilhas de documentos, cópias, certidões, atestados e o diabo que os carregue.

    Para liberar uma parcela de empréstimo junto ao BID, eu necessitava de menos de 24 horas, e fazia isso com um singelo e-mail. Bastava estar em dia com minhas prestações de conta, que deveriam também estar aprovadas por uma auditoria externa, que me acompanhava passo a passo, pagamento por pagamento. Eu elaborava as prestações de contas, a auditoria externa dava o “nada consta”, e isso era tudo. Paralelamente, especialistas setoriais acompanhavam, também passo a passo, a execução das obras.

    Em suma: com o BID, basta trabalhar sério… Tudo o mais desce por gravidade.

    Paro por aqui. Volto amanhã, se descolar tempo livre, como hoje.

    Inté…

  166. Guatambu said

    Elias,

    Estamos falando das mesmas coisas: a grana vem, a um custo altíssimo.

    Esse custo tem nome: juros.

    Por que tem juros? Porque esses mesmos itens que vc fala:

    “(a) estabilidade institucional e política (não necessariamente democracia);

    (b) impostos razoáveis sobre ganhos financeiros (ainda que mais elevados que nos países de origem, desde que isso seja compensado pela diferença de taxas de juros);

    (c) leis que garantam a mobilidade — em especial o repatriamento — do capital (não apenas do lucro líquido).” (Elias)

    Não existem por aqui….

    e nem esses outros itens que eu falo:

    1. Projetos mal concebidos
    2. Execução de risco altíssimo de não-cumprimento de cronograma
    3. Burocracia
    6. Mercado de capitais pouco desenvolvido

    É a isso que eu dou o nome de lição de casa. Se é o Estado que tem que liderar as iniciativas para grandes obras aqui no Brasil, é o Estado que tem a responsabilidade de atender esses itens, o Estado brasileiro é péssimo em cumprir esses requisitos.

    Mas cumpre, cumpre quando tem um Zé Dirceu, um Alberto Yousseff, um amigo do rei para dar “consultoria” e “garantir” que as coisas vão funcionar. Eles cobram baratinho, perto do valor total do projeto.

    É assim que funciona o Estado brasileiro… só na base da paulada, só na base da malandragem.

    Vc usa o BID de exemplo. O BID é uma fonte de financiamento, mas não é a única. É ótimo que exista o BID, mas e o resto? O mundo tá cheio de dinheiro, e as coisas aqui, com os juros onde estão, não estão acontecendo por que?!

    Em tese, dinheiro é o que não falta…

    Sobre as montadoras:

    Se o mais importante é mercado… e o lucro, e as montadoras fazem tanto lucro assim, e o problema dos custos é a escala, por que as montadoras não baixam o preço?!

    Por que não abrir o país e aumentar a concorrência, para baixar o preço?!

    Até nisso parece que o Estado brasileiro mete os pés pelas mãos. Se não me engano, quase perdemos a instalação de uma montadora chinesa para o Uruguai. Uruguai!

    Porra… mas por que um país com menos de 3 milhões de habitantes, e não o Brasil? Que ganho de escala um país como esse proporciona? Que integração com o mercado consumidor (usando o teu raciocínio, as montadoras deveriam estar perto de seus mercados consumidores) existe no Uruguai? Que tipo de indústria de autopeça está estabelecida naquele país?

    Isso não deve ter nada a ver com o Estado… deve ser pq a iniciativa privada não sabe avaliar direito opção de investimento…

  167. Patriarca da Paciência said

    “O jornalista, escritor e suplente de deputado Emiliano José usou seu perfil no Facebook para defender o cantor de pagode Igor Kannário, também conhecido como ‘príncipe do gueto’, que foi preso duas vezes com ‘pequenas quantidades’ de maconha e é acusado de tráfico de drogas; “Essas prisões injustas, comprovadamente absurdas, fizeram com que simpatizasse com ele. A maconha apreendida com ele dava pra acender dois cigarros – isso mesmo: dois cigarros. Na outra prisão, estava com 27 gramas de maconha. Preso duas vezes assim em tão curto espaço de tempo, dá pra desconfiar. Deixem o rapaz cantar, deixem ele ganhar a vida, deixem ele fumar a maconhazinha dele”, pede Emiliano”.
    (247)

    Por incrível que pareça, esse ponto de vista é mais comum do que se pensa. Até no judiciário já tende gente defendendo essas posições ! Acho que a maconha, muito em breve, vai ser legalizada no Brasil também !

  168. Patriarca da Paciência said

    O Tempo
    Publicado no Portal Ibest

    “Mercado legal de maconha nos EUA deve crescer 30% em 2015
    No ano passado, cerca da metade do mercado foi captado pela Califórnia, onde por enquanto só a venda de cannabis para fins médicos está autorizada

    iG Minas Gerais | AFP | 26/01/2015 17:39:03
    O medicamento é uma alternativa para controlar frequentes crises convulsivas
    DAVE CHAN / NYT
    O medicamento é uma alternativa para controlar frequentes crises convulsivas
    O mercado legal de maconha deve crescer cerca de 30% em 2015 nos Estados Unidos para alcançar os 3,5 bilhões de dólares, depois de ter aumentado meteoricamente em 2014, segundo um relatório publicado nesta segunda-feira.

    “Em um ano, o mercado de cannabis passou de um simples tema de negociação nas reuniões a algo muito mais sério”, resumiu Troy Dayton, chefe do ArcView Group, que realizou o estudo. “É a indústria que mais cresce na América do Norte”, acrescentou.

    Estimuladas pela legalização com fins recreativos nos estados de Colorado (oeste) e Washington (oeste), as vendas de cannabis cresceram 74% em 2014, com vendas de 2,7 bilhões de dólares, detalha ArcView em seu terceiro relatório anual sobre o novo mercado.

    No ano passado, cerca da metade do mercado foi captado pela Califórnia, onde por enquanto só a venda de cannabis para fins médicos está autorizada. Mais de um terço (38%) foi representado pela maconha recreacional.

    “Lembraremos de 2014 como o ano da cultura da cannabis legal, que recebeu a atenção do público como nenhuma outra indústria”, afirmou o relatório.

    Segundo ArcView, o ano de 2015 deve seguir a mesma trajetória, com as vendas legais que provavelmente aumentarão cerca de 30%, a US$ 3,5 bilhões, antes do ano de 2016, que, segundo as previsões, deve ser ainda mais promissor.

    No ano que vem, as vendas do setor devem chegar aos 4,5 bilhões de dólares em um contexto crescente de legalização do cannabis nos países, segundo a projeção do instituto.

    Segundo o relatório, 14 estados americanos devem autorizar o consumo recreativo da erva até 2020.”

  169. Patriarca da Paciência said

  170. Jose Mario HRP said

    http://www.viomundo.com.br/denuncias/blog-ze-dirceu-acoes-da-sabesp-despencam-midia-fica-quietinha.htmlç
    Tiram o sarro das ações da Petrobras?

  171. Pax said

    quem está dizendo é o amigo do neo-ultra-direita Katista….

    https://lucioflaviopinto.wordpress.com/2015/01/26/escandalo-ronda-belo-monte/

    No Lúcio Flávio eu acredito

    No outro eu acreditava….

  172. Jose Mario HRP said

    Nessa materia o ultimo paragrafo me deixou envergonhado em ser Brasileiro.

    Não somos os puros que imaginava:

    http://www.cartacapital.com.br/revista/834/o-brasil-e-a-pena-de-morte-4583.html

  173. Jose Mario HRP said

    07 anos sem Paul Newuman.
    O grande ator era muito mais que isso, um cidadão do mundo, um ser preocupado com os outros, que sempre procurou ajudar o próximo.
    Lá nas colonias espirituais, aonde deve estar, aprendendo mais para tornar-se ainda melhor, não é mais americano nem judeu, mas continua a ser o homem/espirito bom , e aqui fico eu com a minha saudade da sua obra e luz, nessmundo cheio de Isis, cocaina, policias, partidos politcos e crianças mortas por balas perdidas………

  174. Elias said

    “No Lúcio Flávio eu acredito.” (Corrupax)

    “Acredita” no quê, bobinho?

    O LFP não está afirmando nada. Ele está pergutando. PER-GUN-TAN-DO (como diria o Alckmin), Corrupax.

    Quando a frase escrita é encerrada com o diacrítico “?”, isso significa que se trata de uma PERGUNTA, e não de uma AFIRMAÇÃO.

    Entendeu,Corrupax? (outra pergunta).

    Depois tu explicas como é que se acredita numa pergunta, tá? (mais outra pergunta). Mas… Só depois. Agora, não tô a fim de lidar com pessoas mentalmente prejudicadas…

    E a pergunta não é só do Lúcio Flávio Pinto: será que será que a Veja vai aprofundar na apuração do escândalo de Belo Monte?

    Acontece que as principais envolvidas são, também, as principais financiadoras da campanha do Aécio e do PSDB em 2014 (Andrade Gutierrez, Oldebrecht…

    E aí, a Veja, vai ou não encarar? Vai, mesmo, “desconstruir” (a direita adora isso…) o Aécio? Já? Não vai cumprir nem o período do “nojo”?

    E tu, Corrupax? Estás bem? Desististe de explicar como — e onde — a empresa “mais correta” em que tu trabalhaste, recolhe o ICMS incidente sobre as mercadorias que ela vende sem emitir nota fiscal de venda ao consumidor?

    Em tempo: prefiro que tu nunca me digas o “modus operandi” da empresa “menos correta” em que tu trabalhaste, porque não quero ser cúmplice de falcatruas.

  175. Jose Mario HRP said

    http://edition.cnn.com/2015/01/26/middleeast/syria-kobani-fighting/index.html

    O ISIs indo para saco!

  176. Elias said

    HRP,
    Boa, a lembrança do Paul Newman!

    Grande sujeito! Ótimo como ator, e melhor, ainda, como cidadão.

    Faz falta…

  177. Elias said

    Guatambu,
    Não sei onde tu estudaste economia, mas…

    Tu reconheces que dinheiro é mercadoria e que juro é o preço da mercadoria dinheiro. Bom começo de conversa…

    Em seguida, estranhas que os juros brasileiros sejam mais altos que o dos países desenvolvidos. Aí estragou tudo… “R” Menos, em análise macroeconômica!

    Ora Guatambu: onde dinheiró é abundante, os juros tendem a ser mais baixos. Reciprocamente, onde o dinheiro é escasso, os juros tendem a ser mais altos.

    Brasil, Argentina, Colômbia, Venezuela, México, etc., NÃO PODEM ter juros tão baixos quanto os juros dos EUA, Japão, Holanda, Alemanha, Noruega… Precisa repetir isso? NÃO PODEM, e pronto! É isso ou isso (o segundo “isso” é uma puta inflação!).

    Num país pobre ou em desenvolvimento, a mobilidade do capital é uma faca de dois legumes. Sem ela, o dinheiro não vem, porque capital externo é como vento: só entra onde tem saída. Com ela, o capital externo prefere entrar minimizando risco, ou seja, no mercado financeiro. Aí, o excesso é tão danoso quanto a escassez.

    Vou exemplificar: um cara aproveita a oferta de euros a juros zero, capta um porrilhão e aplica no Brasil, com taxa básica de 12%. Em seguida, repatria o lucro (ou parte dele)… E continua aplicando no Brasil.

    Sabe qual é o benefício disso pro Brasil? Nenhum! Ao contrário, o país, que já não é rico, tem parte de sua riqueza drenada para o exterior.

    Na realidade, esse é o propósito dos países ricos, quando injetam trilhões de dinheiro público nas respectivas economias, como têm feito o Fed americano e o BC Europeu.

    É um nodo de fortalecer as respectivas economias, drenando dinheiro dos países pobres ou em desenvolvimento, de maneira rápida e segura. Se eles fossem investir esse dinheiro na economia real,o retorno levaria anos. No mercado financeiro, esse retorno é imediato.

    Daí porque a mobilidade do capital não pode ser vista como um conceito absoluto. É uma das coisas mais complicadas de se gerir, numa economia em desenvolvimento.

    É tão difícil, assim, perceber isso?

  178. Elias said

    “Se o mais importante é mercado… e o lucro, e as montadoras fazem tanto lucro assim, e o problema dos custos é a escala, por que as montadoras não baixam o preço?!” (Guatambu)

    Como diria o Conselheiro Acácio: se elas baixarem o preço, os lucros caem, ora pois!

    Pra elas baixarem o preço e, assim mesmo, manterem o lucro, teriam que vender mais. Pra venderem mais, teriam que ter mais compradores. Pra ter mais compradores, o mercado teria que ser maior…

    Mas, até um certo limite, isso acontece o tempo todo, Guatambu.

    Agora mesmo, as montadoras estão vendendo carros de luxo “desembutindo” o valor do IPI. É mais uma confirmação de tudo o que eu disse a respeito (observa que, não por acaso, está acontecendo exatamente no segmento “carros de luxo”, onde o mercado brasileiro é mais nanico, ainda, em relação ao americano…).

    Em suma. é uma questão de proporcionalidade. As montadoras podem baixar o preço até o limite de resposta do mercado (um treco chamado “elasticidade-preço da demanda”). Num país como o Brasil, esse limite é mínimo e restrito a alguns segmentos do mercado. As montadoras nãopodem generalizar, porque simplesmente iriam à falência, caso a redução do preço não fosse mais que proporcionalmente compensada pela expansão do mercado.

    De qualquer modo, é uma discussão que atormenta muita empresa grande, pelo mundo afora. Há algum tempo, assisti, em SP, uma palestra de um ex-diretor mundial da Sony, sobre o dilema “preço e lucro vs market share”.

    Mas isso já é outra história…

  179. Pedro said

    Talvez este vídeo ajude no debate, sobre o preço dos carros.

  180. Guatambu said

    Elias,

    Sobre economia:

    Eu não estou estranhando, para mim é natural que a taxa de juros aqui seja mais alta.

    A pergunta é: o Brasil precisa de 12% de taxa de juros?

    E uma pergunta decorrente é: como é que vc “precifica” o dinheiro? Como é que vc dá o valor da taxa de juros em um país?

    Eu sei que o BC tem uma fórmula macroeconômica, tipo uma IS/LM adaptada para fazer essa conta. Nessa conta está considerada a liquidez, a inflação, as importações, exportações, etc. Isso eu sei.

    Agora, a inflação é um aspecto que depende da oferta e demanda dos produtos.

    O que nos leva, novamente, à concorrência… e o que nos leva, novamente, ao custo dos produtos e serviços aqui no Brasil.

    O que nos leva, novamente, à interferência do Estado nessa concorrência, deixando o mercado interno monopolizado ou oligopolizado…

    O que nos leva a um desequilíbrio de oferta e demanda…

    … e assim por diante.

    Mas quem controla tudo isso? A iniciativa privada ou o Estado?

    A iniciativa privada não faz nada sem a bênção do Estado aqui.

    De quem é a responsabilidade em gerenciar isso de maneira inteligente então?

    Da iniciativa privada? Não, né?

    Então que raio de serviço o Estado está prestando pro povo, que dá preferência ao controle da inflação por pela taxa de juros, e não pela concorrência?

    É um Estado que quer mais e mais, e cuja fome de poder não acaba, que prefere lidar com poucos “clientes” no mundo empresarial, ferrando com todo mundo no processo.

  181. Guatambu said

    Elias,

    Mudando de Carro pra Tecnologia.

    O Brasil não estava cotado para receber investimentos de fábricas da LG e da Samsung aqui?

    Eu ouvi dizer que essas empresas desistiram de fazer esse investimento.

    Quem é o responsável por isso? Elas ou o Estado?

  182. Pax said

    talvez a empresa menos correta que tenha trabalhado tenha sido o Hospital Albert Einstein…

    turminha que gosta de não pagar impostos está lá – e o Elias só sifu, coitado… até máfia de sangue tinha …

    procura saber na Assoc. das Empr. de Venda Direta, imbecil

    http://www.abevd.org.br/

    corrupta é a quadrilha e organização que você participa

  183. Pax said

    lá vai a turma em cana, espero muito que sim…

    http://www1.folha.uol.com.br/poder/2015/01/1581226-janot-indicara-politicos-nas-denuncias-que-enviara-em-fevereiro-ao-stf.shtml

  184. Jose Mario HRP said

    O texto aqui de cima indicado pelo Pax não tem nada de mais fala em investigados e lista de denuciados.
    Prisão?
    Ah! o tal Moro prende gente por tempo indeterminado afim de ter suas “delações”.
    Mas o tem po mostrará que isso é ilegal, inconstitucional, mas tão a gosto da “outra” turma, a turma do justiciamento!Permita Deus que ele não bata nunca porta deses que o aplaudem hoje!!!!!

    A cegueira do obcecado é o veneno que o levará a ruina.

    Miguel de Cervantes

  185. Jose Mario HRP said

    Aqui mais um daqueles que aderiram ao “sistema do justiciamento”, como forma de punir.
    Justiça rápida e como a fast food, fode tudo, no longo prazo!

    Cuidado para não se food erem no longo prazo.
    http://altamiroborges.blogspot.com.br/2015/01/filho-de-lula-processara-eduardo-jorge.html#more

  186. Guatambu said

    Preparados para fazer um dinheirinho?

    As ADRs da Petrobras já caíram 6%.

    Vai tomar uma pauladinha aqui no Brasil tbm – hora de comprar (só para quem quiser fazer dinheiro no curto-prazo).

    Depois as ações vão flutuar, num dia que der uma pequena alta, é só vender!

  187. Jose Mario HRP said

    O novo Deus !, ate o tombo chegar……..
    http://www.brasil247.com/pt/247/parana247/168039/Moro-'importante-é-que-fins-foram-alcançados‘.htm

  188. Jose Mario HRP said

    Operação “Merdda a jatto”
    http://jornalggn.com.br/noticia/bradesco-passa-informacao-errada-sobre-saque-de-cervero-ao-coaf

  189. Guatambu said

    Um dos problemas pelos quais as coisas não funcionam no Brasil.

    http://www.businessinsider.com/everything-apple-will-unveil-this-year-2015-1

    O Brasil não é um bom país para fazer negócio segundo o Banco Mundial.

    A culpa disso é do Estado.

  190. Pedro said

    Ficou feio……..

    http://www.infomoney.com.br/mercados/noticia/3824473/brasil-perde-direito-votar-tribunal-onu-por-falta-pagamento

  191. Guatambu said

    … e o monopólio da Petrobras por aqui leva esse tipo de investimento lá pro Iraque.

    http://www.businessinsider.com/r-shell-signs-11-billion-deal-to-build-petrochemicals-plant-in-iraq-2015-1

    11 bilhões de dólares no maior polo petroquímico do mundo

    Enquanto isso a eficiência do monopólio estatal brasileiro construindo um polo petroquímico de Abreu e Lima em um valor (não oficial) de R$ 21 bi, e que a Petrobras já disse que vai dar prejuizo.

  192. Guatambu said

    Petrobras já caiu mais de 7% hoje.

    Eu avisei.

  193. Guatambu said

    Aliás, se tiver algum investidor internacional, um ponto de atenção durante esse trimestre vai ser a Grécia.

    Tem coisas que só um partido de esquerda é capaz de fazer.

    Por exemplo: na Grécia a vitória do Syriza, partido de utra-esquerda grego, está levando o índice grego de ações a perdas de 5% ao dia, e ontem os bancos gregos tomaram 20% de deságio.

    A esquerda costuma odiar o capitalismo, mas no fundo, tudo o que ela faz é contribuir para ele.

    Minha aposta: a Grécia não vai desaparecer. O partido, ainda que de esquerda, não poderá dar default, senão ela mata a UE inteira. O que significa que se a Grécia der default, a UE vai abandonar a Grécia. O partido de esquerda pode ser louco, como foi ao aumentar os salários mínimos e iniciar um processo de estatização, mas não é burro. Sair da UE significa destruir a capacidade de financiamento da própria economia. Esse é o limite.

    Em algum momento os gregos vão ter que fazer a lição de casa: sanear as contas públicas (que por conta das estatizações serão maiores), arrumar alguma fonte de renda, e o país volta a crescer devagar.

    O fundo do poço ainda não chegou, mas está perto para a Grécia.

    Jajá o índice grego dará ponto de compra.

    Sabem quem vai comprar? Quem tem muuuuuita grana para se arriscar comprando Grécia. Esses caras, de ricos, vão ser mais ricos. E o povo grego, coitado, enganado pela falsa sensação de sobrevivência que um aumento forçado do salário mínimo traz, vai continuar pobre.

  194. Elias said

    Guatambu,
    Dizer que a inflação depende da oferta e da demanda de produtos é outra afirmação acaciana.

    O que interessa são os fatores que estimulam ou reprimem a oferta e a demanda.

    Aumento de moeda em circulação, p.ex., em quantidade mais que proporcional à oferta de produtos, necessariamente gera inflação.

    Numa exposição bem simples:

    MOMENTO A: 1.000 unidades de produto para 1.000 unidades monetárias. Uma unidade de produto vale uma unidade monetária.
    MOMENTO B: 1.000 unidades de produto para 1.500 unidades monetária: Uma unidade de produto passou a valer 1,5 unidade monetária.

    No “Momento B”, a unidade monetária se desvalorizou em 50% (ou seja, houve inflação de 50%), porque aumentou-se a quantidade de moeda emcirculação, sem que houvesse um correspondente aumento naprodução. Criou-se “renda sem produto”.

    Aí, entra a discussão sobre o que é moeda. O papel moeda, esse que a gente carrega na carteira, é a “moeda manual”, a menos importante das moedas numa economia moderna. Além dela, há vários outros tipos de moeda, como a “moeda escritural”, etc.

    O CRÉDITO é um tipo de moeda. Ele permite que se gaste uma renda que ainda não existe. Com o crédito, a gente gasta não uma EXPECTATIVA de renda. Gasta uma renda que só vai ser efetivada no futuro.

    Agora, vamos voltar aos fundamentos: renda é igual a produto, certo? Quando a renda é gerada de fato, é porque houve a geração do produto que lhe deu causa.

    Ora, o crédito permite gastar uma renda que ainda não foi gerada de fato. Logo, o crédito “cria renda sem produto”. Ou seja, cria inflação.

    E lá vamos nós pra mais acacianas: (a) o juro baixo favorece o crédito; (b) o crédito cria renda sem produto; (c) a criação de renda sem produto inflaciona; (d) logo, o juro baixo tende a inflacionar.

    Só se deve baixar o juro, quando há super-oferta de produto, ou quando o aparelho produtivo está operando com capacidade ociosa. Neste caso, os efeitos do aumento da moeda em circulação, por meio do crédito, são absorvidos pelo desencalhe de produtos, ou pela ativação da capacidade ociosa (que passa a ser mobilizada para absorver o aumento da demanda).

    Existem outras formas de se intervir na quantidade de moeda em circulação.

    O depósito à vista na rede bancária, duplica a quantidade de moeda depositada, certo? (Um sujeito faz um depósito à vista de 1.000 reais em sua conta bancária. Ele diz que “tem” aqueles 1.000 reais, já que pode gastá-los a qualquer tempo. O banco também diz que tem os mesmos 1.000 reais, já que está com aquele dinheiro em seu poder. Resultado: passou a haver 2.000 reais em circulação, onde só há 1.000 reais).

    Pra evitar essa duplicação. Os governos instituem uma coisa chamada “Taxa de depósito compulsório na Autoridade Monetária, sobre depósitos à vista”. Ou seja, o banco é obrigado a depositar na Autoridade Monetária (Banco Central), uma parte do volume de depósitos à vista. Esse depósito compulsório retira moeda de circulação, portanto, “enxugando” os meios de pagamento.

    Mais acacianas: sempre que o BC AUMENTA A TAXA dedepósito compulsório sobre depósitos à vista, ele REDUZ a quantidade de moeda emcirculação. Sempre que ele REDUZ A TAXA, ele AUMENTA a quantidade de moeda em circulação.

    O mesmo acontece com a taxa de redesconto (quando os bancos descontam no BC os títulos descontados por seus clientes), etc.,etc., etc., etc.,etc….

    Há um monte de maneiras de “criar” ou “destruir” moeda numa economia moderna. A política de juros é uma delas. A taxa de redesconto, outra. A taxa de depósito compulsório sobre depósitos à vista, outra…. E por aí vai…

    Cada uma dessas maneiras interfere na demanda de bens, em diferentes graus.

  195. Elias said

    É…

    Foi isso mesmo: um partido de esquerda ferrou com a Grécia…

    Como todos sabem, antes, a Grécia era um país com uma economia sólida, que prosperava admiravelmente…

    Putz,Guatambu!

    Assim, vais acabar fazendo companhia ao Corrupax!

    Dá pra fazer melhor, cara! Tenho um amigo que pode ser considerado à direita da direita. Mas debater com ele é uma pedreira. O cara constroi argumentos sólidos, alguns irrefutáveis.

    Tenho insistido com ele pra comentar nb blog do Corrupax (o Patriarca e o HRP iam ver o que é bom pra tosse…). Até agora ele não topou (embora leia quase todos os comentários).

    (Ele fica pau da vida comigo, quando eu digo que ele está à direita da direita. É que, no Brasil, a direita está sempre associada a golpes de Estado, estupro da democracia, etc. Não é o caso dele. Ele é mais um exemplo de intelectual à direita da direita sueca. Ou holandesa, sei lá… Uma espécie de Mr. X, um cara inteligentíssimo que comentava no Weblog, do Pedro Dória).

  196. Elias said

    “procura saber na Assoc. das Empr. de Venda Direta, imbecil” (Corrupax, papagaio corrupto que participa da roubalheira de impostos).

    Estou pergutando pra ti, cupincha de ladrão: cadê as notas fiscais de venda ao consumidor da empresa “mais correta” em que tu trabalhaste? Cadê os registros trabalhistas do pessoal que essa empresa emprega, em regime de continuidade? Cadê os pagamentos de férias e 13º salário? Cadê os comprovantes de recolhimento à previdência social e ao FGTS? Cadê os comprovantes de recolhimento do seguro de ecidente do trabalho do pessoal que proporciona rios de dinheiro pra essa empresa, trabalhando em ambiente externo.

    Não tem nada disso, né? Bando de safados! Exploradores de escravos de renda? Ladrões!

    Estás dizendo que também ajudaste a sonegar impostos no Albert Einstein?

    Que impostos ajudaste a sonegar?

    Eu mifu? Claro, bate-pau de ladrão! Eu mifu, assim como milhões de cidadãos brasileiros.

    A gente sifu sempre que gente como tu se acumplicia com outras pessoas desonestas, pra explorar trabalho escravo e sonegar impostos.

    Mas é preciso ser muito mau caráter pra se gabar disso!

    É preciso ser muito cretino pra ajudar ladrões a sonegar impostos, e ainda tripudiar sobre as vítimas do roubo.

    É isso mesmo, Corrupax. Eu mifu. Eu e outros milhões de brasileiros… Nusfu!

    E vamos continuar assim, até que gente como tu e teus patrões agatunados sejam colocados na cadeia, que é o lugar de vocês.

    Deixa de ser safado, rapaz!

    (Huá! Huá! Huá!… Estou só sacaneando… Eu nem acho que o Corrupax é safado. Ele é só um idiota, cujas bosteiras qualquer um rebate enquanto coça o saco… E quem não tem saco, coça outra coisa…).

    Huá! Huá! Huá!

  197. Guatambu said

    Elias,

    194

    Tudo isso eu já sei… mas isso acontece, fundamentalmente porque não há excesso de capacidade ociosa, ou porque a oferta de produtos está sendo limitada de alguma forma.

    Se falta capacidade, porque as empresas não investem? Culpa da demanda é que não é.

    O que nos leva à limitação da oferta de alguma maneira. Seria culpa das empresas?

    Eu não acredito. Acredito que se os empresários pudessem, dada a demanda, eles investiriam. Como fizeram em 2011.

    Pelo jeito, o investimento que fizeram em 2011, em capacidade produtiva, não retornou… o que aumenta a desconfiança do empresário e do investidor.

    Tudo volta para o governo, novamente. Só o governo pode influenciar esse tipo de coisa.

    Tem alguma coisa que o governo está fazendo errado.

  198. Guatambu said

    Elias,

    Leia denovo o que eu escrevi.

    Eu não disse que foi um partido de esquerda que ferrou com a Grécia.

    Eu não estou discutindo a história da Grécia, estou discutindo os eventos recentes:

    – um partido radical de esquerda ganhou as eleições
    – esse mesmo partido já resolveu aumentar os salários mínimos
    – esse mesmo partido resolveu estatizar parte da economia
    – isso deixa o país mais distante da meta de saldar suas dívidas, ou, pelo menos, retornar a patamares aceitáveis para o tamanho e economia do país

    Diante disso, o que o mercado está fazendo?

    Derrubando o valor da Grécia inteira.

    A minha leitura é que a Grécia vai sobreviver. Se ela sobreviver, em algum momento o valor da Grécia volta a subir. E é nesse momento que quem tem dinheiro faz mais dinheiro.

    No médio-prazo, é esse o resultado de um governo de esquerda: botar dinheiro no bolso de grandes investidores…. e uns trocados no bolso do povo grego.

  199. Guatambu said

    E Elias,

    Eu não faço a menor questão de ser “de esquerda” ou “de direita” puro.

    Até onde eu entendo para mim faz mais sentido uma proposta flexível, que dê instrumentos para que a administração pública seja eficiente. Coisa que ela não passa nem perto de ser.

    Também não faço a menor questão de ser vitorioso em argumento nenhum. Debato porque me ajuda também a pensar.

    Por isso que o HRP e o Patriarca não prestam pra debater. Os caras não fazem a menor ideia do que estão falando e nem sequer tem a humildade de tentar entender.

    Contigo a coisa evolui mais.

    Por exemplo: essa história de gerenciar a competitividade eu nunca li em livro nenhum. Foi um insight que eu tive debatendo contigo. Isso já me deixa satisfeito.

    Eu não sou político nem nada, não sei as dificuldades de implantar algo do tipo, e também não pretendo fazer tese sobre isso.

    Aparentemente não passa de uma ideia e talvez não tenha aplicação.

    Mas isso muda um pouco como eu avalio os mercados e, quem sabe, talvez eu possa usar isso para analisar algum mercado e depois fazer uma graninha com isso.

    Quem sabe. Isso me deixaria muito satisfeito!

  200. DAISE 2.0 said

    Guatambú

    O badass anda muito irritado…resolveu pegar no pé do Pax por pinimbas antigas e ainda se acha no direito de dar esporro no velho companheiro que finalmente começou a dizer que “o rei está nú” sobre a amplitude da corrupção do pt e da reconhecida incompetência da dilma no governo.

    Deve estar faltando jambú no tacacá dele…rsrsrs

  201. DAISE 2.0 said

    DILMA É UMA PIADA PRONTA

  202. Pax said

    Elias,

    Vamos combinar esse jogo de uma vez por todas…

    Você faz parte de uma organização criminosa. Eu não.

    Você já trabalhou em governo dominado por essa organização criminosa. Eu não.

    Você se orgulha de fazer parte dessa organização criminosa. Eu nunca participei de nenhuma.

    Você, provavelmente, não cometeu atos criminosos que essa organização criminosa comete, é useira e vezeira, meter a mão no dinheiro do povo, sem a menor vergonha na cara.

    Então você é tipo porteiro, boy, bobo da corte, desses que ficam repetindo bordão que os chefes da quadrilha mandam repetir.

    É isso, nada além disso.

    Se gosta de ficar nessa posição, o arbítrio é livre, lutamos para isso.

    Sinta-se ‘a vontade, exponha-se à vontade.

    =)

    Agora, caso eu não esteja certo em determinado ponto… Run, Elias, Run…

  203. Guatambu said

    Alguém comprou Petrobras ontem, ou vai comprar hoje?

    O mercado ainda está estável, mas aguardem! Qualquer notícia boa faz as ações da empresa subirem… aí é só vender!

    hehe

  204. Guatambu said

    Eu avisei: a Grécia era algo a ser acompanhado de perto.

    Quem comprou Grécia ontem poderia ter feito uma graninha hoje.

    http://www.businessinsider.com/greeces-banks-are-now-surging-back-after-yesterdays-chaos-2015-1

    Depois de mais de 20% de queda no preço dos bancos da Grécia, agora já voltaram mais 19%.

    Será que algum trabalhador grego ganhou algum dinheiro, além do seu salário mínimo, com a decisão do partido de esquerda?

  205. Elias said

    “Vamos combinar esse jogo de uma vez por todas… Você faz parte de uma organização criminosa. Eu não.” (Corrupax)

    I
    A empresa “mais correta” em que tu trabalhaste é, sim, uma organização criminosa, Corrupax. Usa trabalho escravo, ganha rios de dinheiro, banca vida boa do proprietário em Londres e… Não paga impostos!

    Tua escala de valores é tão corrompida, que não consideras crime sonegar impostos. Mas é crime, sim, Corrupax.

    E tu és um criminoso, Corrupax, porque ajudaste essa empresa (“mais correta”) a sonegar impostos e explorar trabalho escravo.

    As “menos corretas” eu não sei, porque não tiveste a coragem moral (grande novidade…!) de declinar os nomes.

    Mas, se a “mais correta” é o que é, dá pra imaginar o gênero, número e grau das safadezas em que já te envolveste, nas “menos corretas”.

    II
    O PT é uma “organização criminosa”, é, Corrupax? Viraste bate-pau do Aécio? Isso é bordão do Aécio, que as prostitutas políticas dele usam à exaustão. Viraste uma delas?

    E ainda falas em “repetir bordão do chefão”… Exatamente quando tu é que estás repetindo um bordão do teu chefão…

    Totalmente cretinos! Tu e o bordão…

    Tu sabes, idi… (meia palavra…), que eu não necessito repetir bordão de ninguém. Eu crio meus próprios bordões (e tu já andaste repetindo alguns deles, né babacão?).

    Não tenho nada a ver com o que tu disseste de mim, Corrupax

    Em sou filiado fundador do PT, mas não fiz carreira profissional em cargo político.

    Por isso, mantive minha independência. Defendo ou critico o partido ou os governos petistas quando acho que devo.

    Aqui mesmo, nesta lista de comentários, mais acima, fiz críticas ao governo Dilma.

    No passado — e por 2 vezes — ajudei a fazer campanha interna contra a presença do Palocci no ministério (sempre disse que a ausência dele preenche uma enorme lacuna…). Participei de lutas internas contra o Jacó Bitar & adjacências, a Luíza Erundina & adjacências e o Jair Meneghelli & adjacências. Neste momento, participo de campanha interna contra a Graça Foster (& adjacências).

    Sempre fui crítico dentro do PT. Tu não me conheces, nada sabes da minha trajetória e, por isso, não tens condição de falar dela.

    Podes me julgar pelo que escrevi no Weblog e no PolíticAética. Claro que tu leste várias críticas minhas ao PT, e, muitas vezes, disseste que concordavas com elas.

    Há muito tempo, p.ex., eu venho dizendo que, na luta pelo poder, o PT se desnaturou, e nada restou daquilo que justificava sua permanência na história. Disse, também, que o que me ainda me faz votar no PT é que os demais partidos brasileiros conseguem ser piores do que ele.

    Tu sabes disso, e, por vezes, até disseste concordar comigo.

    Mas agora vens com esse papo de que eu “repito boirdão do chefe” (quando, na verdade, quem repete bordões és tu…).

    Por que fazes isso? Porque és desonesto! Não consegues te portar com decência quando alguém expõe as debilidades da tua argumentação. Nesses momentos, apelas para a mentira e a manipulação.

    Mas eu até gosto que seja assim. Quando alguém necessita mentir e distorcer pra debater comigo, é porque esse alguém não está aguentando o tranco.

    É o teu caso, Corrupax… E, quanto mais tu insistes em manter essa conduta. mais evidentes se tornam essas tuas debilidades morais e intelectuais.

    Por mim… Ótimo!

  206. Elias said

    Fala Michelle!

    Numa boa, rapaz?

    “Jambu” não tem acento, cara… Assim como “Peru”, “cupuaçu”, “cu”, “pirarucu”, etc.

    As oxítonas terminadas em “u” só têm acento se forem hiatos. Assim como “Tambaú”, “Maraú”,etc.

    No mais, vale a regra geral: acentuam-se as oxítonas terminadas em “a”, “e” e “o”, seguidas ou não de “s”.

    Um abraço na Carlão. Tô com saudade dela! Espero que a família esteja avançando no tratamento das perversões sexuais…

  207. Elias said

    Guatambu,

    Claro que a Grécia vai sobreviver. Uma das vantagens do bloco econômico é exatamente essa: o auxílio de fora chega mais rápido.

    Além do mais, países como Grécia e Portugal não podem ser deixados ao sol e à chuva pela UE, por causa da imigração. Se eles descerem pelo ralo, a Europa que conta terá um problemaço com a imigração… Várias vezes maior do que já tem.

    Quando um pinguço alemão abrir a tampa do vaso sanitário, num toalete público, sairá de dentro uma mulher de bigodes imensos dizendo: “Pois não, dotoire!? Schifazfavoire…!!!”

    Quanto às estatizações feitas pelo “partido de esquerda” grego, é preciso ir mais devagar… Presta mais atenção! A Grécia está estatizando dívida…

    Pergunta pros credores o que eles preferem, num momento como esse: (a) um devedor privado, extinguível, cuja responsabilidade, por lei, só pode ir até o limite do capital próprio (que, por sinal, virou pó…); ou (b) um devedor público, que é inextinguível (embora seus bens sejam impenhoráveis)?

    A estatização da dívida privada é a melhor garantia que os credores podem ter nessa hora ruim. Dos males, o menor. Melhor receber com atraso, do que jamais receber.

    Vê o caso do Brasil. Compara a situação atual (com toda a merdolência de hoje em dia), com o que havia nos anos 1980, quando a dívida externa brasileira era chamada de “dívita eterna”, “rabo que balança o cachorro” & outros mimos…

  208. Guatambu said

    Elias,

    Será que a é a dívida de empresas privadas o “presente de grego” desse pais?

    Acho que não.

    Além disso, um devedor privado é extinguível, mas que você compra, junta, vende os pedaços, faz um monte de coisa. Se dos males o menor, a liquidez imediata, ainda que com um deságio violento é muito melhor do que nada.

    Um devedor público vc espera… espera… espera… espera… se o Estado não quiser, o negócio não dá retorno nunca.

    Penso, por outro lado, que pode ter sido justamente a primeira ideia que fez os gregos estatizarem seus presentes. Melhor estatizar antes que alguém de fora compre, e aí sim, o dinheiro (que já não existe), vai embora de vez.

    Apesar disso, dado o valor das ações gregas, poderíamos dizer que a Grécia está à venda. A dúvida é: será que o mercado está disposto a comprar algo que está mais sujeito aos humores políticos que aos humores econômicos? Humores econômicos, por mais bizarro que pareça, são mais previsíveis que humores políticos…

    Quando ampliamos o escopo da análise UE tá num beco sem saída:

    Houve declarações da extrema direita da França e da Itália a favor da extrema esquerda da Grécia.

    O motivo é óbvio: esses 2 outros países estão em um nível de endividamento do tipo corda no pescoço, e como ninguém é bobo nem nada, eles acham que é papel da UE (leia-se Alemanha) salvar (leia-se bancar) a economia (leia-se a esbórnia social) desses países, que são, respectivamente a segunda e a terceira economia do bloco.

    Se a Alemanha não ajuda – para dar uma lição na Grécia, e ao mesmo tempo, para sustentar o acordo da UE, que tem regras mto claras em relação ao nível de endividamento dos países – ela passa o recado pras outras economias, só que vai sofrer com o que você disse: imigração, o horror social de um país empobrecido e desfalcado dentro do bloco, que, sem dinheiro e sem se reestruturar, não vai pegar no tranco nunca. Vai ser a coisa mais próxima de uma escravidão moderna, só que no lugar de um grupo de pessoas, vai ser um país inteiro.

    Se a Alemanha ajuda – para salvar o que resta da Grécia – ela passa a mensagem de que as regras da UE não são sérias, e acabará, fatalmente, tendo que carregar o resto do bloco nas costas (como já tem feito), porque na mesma fila da Grécia, estão metade dos países do bloco.

    Se eu fosse a Alemanha, não ajudaria. Bizarramente parece que os Estados mundo afora não tem noção de economia doméstica básica: se vc gasta mais do que ganha, vc se endivida, e morre de fome… ou vive de favor.

    Metade da Europa tá achando bonito viver de favor, sob a ilusão que o welfare state traz.

    Mas eu acho que a Alemanha é muito boazinha pra fazer algo assim. Ela seria rapidamente comparada à Alemanha nazista novamente… e, quase certeza, ela vai amolecer o coração e deixar a Grécia passar, “mas só dessa vez”.

    Sei…

    O meu cenário mais provável, hoje, é que vai haver uma ciranda de países “quebrando” na Europa. E o mundo vai ter que viver apesar disso. Incluindo o Brasil.

  209. Guatambu said

    Elias,

    Pra você ver: não acho que exista uma verdade absoluta em termos de conservadorismo ou liberalismo no que diz respeito à economia.

    Saiu um paper recentemente sobre as medidas de austeridade fiscal do governo Clinton, dos EUA, que levaram a um superávit econômico, mas que por outro lado, podem ter incentivado, no longo-prazo, a crise do subprime.

    Coincidentemente ou não, essas mesmas políticas superavitárias estão sendo tomadas pela Angela Merkel, na Alemanha.

    Será que é um erro da Alemanha? Difícil dizer.

    Do ponto de vista estritamente econômico, sim, o paper aponta nessa direção.

    Mas é necessário lembrar que a crise do subprime sofreu influência de outros fatores, como problemas de auditoria e do modelo de remuneração de bancos e instituições financeiras. Esse, para mim, era o ponto cego do modelo, que poucos enxergaram a tempo.

    O sistema ainda tem vários pontos cegos, mas a política de remuneração dessas instituições financeiras e a relação dos executivos com seus conselhos de administração sofreu uma devassa, o que significa uma melhora na “inteligência” do sistema.

    Será que a política da Angela Merkel é suficiente para levar a uma futura crise como a dos EUA?

    Eu acho que não.

    Segue o paper.

    http://www.nber.org/papers/w20874.pdf

  210. Guatambu said

    E a Dilma com raivinha…

    http://www.infomoney.com.br/mercados/acoes-e-indices/noticia/3836486/dilma-rousseff-fica-enfurecida-com-calculo-perdas-petrobras-diz-jornal

    Imagina os coitados que investiram na Petrobras há uns 4 anos atrás, onde as ações estavam umas 4 vezes mais altas que agora?

    Ela tá com raivinha pq finalmente é ela que tá se ferrando com isso. Se fossem os outros, dane-se.

  211. Jose Mario HRP said

    PORQUE tanta critica com os cubanos?

    Mais da metade dos formandos em Medicina são reprovados em exame do Cremesp

    Dos 2.891 recém-formados em faculdades paulistas, consideradas as melhores, 55% acertaram menos de 60% das questões, mostrando desconhecer condutas básicas dos casos mais comuns na rotina médica

    por Cida de Oliveira, da RBApublicado 29/01/2015 17:39, última modificação 29/01/2015 17:41
    Comments

    Valter Campanato/ABr

    De acordo com o Cremesp, os resultados do exame indicam problemas nos cursos de Medicina, que formam profissionais despreparados para o mais básico da rotina médica

    São Paulo – O Conselho Regional de Medicina de São Paulo (Cremesp) divulgou na manhã de hoje (29) os resultados da décima edição do exame que avalia o desempenho dos recém-formados em Medicina. Os resultados são preocupantes: dos 2.891 formandos em faculdades no estado de São Paulo que participaram da avaliação, 1.589 (55%) acertaram menos que 60% das questões, ficando abaixo do critério mínimo definido pelo Cremesp. Apenas 45% – 1.302 formandos – conseguiram acertar mais de 60% das questões propostas. O dado preocupa sobretudo porque em São Paulo estão as melhores faculdades de medicina do país.

    O percentual de reprovados é semelhante ao de dois anos anteriores – o que confirma que a formação continua com problemas. “Lamentavelmente, não temos como impedir que o profissional com graves deficiências em sua formação possa exercer a medicina. Por isso, o Conselho estuda mudar esse cenário”, disse o presidente do Cremesp, Braúlio Luna Filho.

    “Não há dúvida de que o recém-formado que não acerta 60% das questões de uma prova como essa não terá condições de atender bem a população”, acrescentou o primeiro-secretário da entidade, Renato Azevedo Júnior. “Cabe à sociedade pressionar os parlamentares por leis que impeçam que esses profissionais exerçam a profissão. Não temos como negar o registro profissional a eles.”

    De acordo com os dirigentes do Cremesp, o resultado é fruto das condições inadequadas de infraestrutura das faculdades de medicina, sobretudo as particulares, que não contam com hospital-escola e, tampouco, com laboratórios e outras dependências necessárias.

    Eles criticaram ainda a avaliação dos cursos pelo Ministério da Educação (MEC), por meio do Exame Nacional de Desempenho de Estudantes (Enade), criado para medir o rendimento dos formandos, mas que não implica em medidas corretivas para aqueles mal avaliados. “Entre os maiores reprovados estão cursos aprovados pelo Enade”, disse o presidente do Cremesp.

    Procurado pela reportagem, o Ministério da Educação não se manifestou até o fechamento da reportagem.

    Esta foi a terceira edição do exame desde que se tornou obrigatório para os graduados que buscam o registro no Cremesp para atuar no estado. A apresentação do comprovante de participação é obrigatória para o registro profissional do médico no Cremesp. Mas o registro é fornecido a todos, independente do resultado.

    Pela legislação vigente, o Cremesp não pode condicionar o registro à aprovação em um exame, o que depende de uma lei federal. O conselho defende um exame nacional obrigatório para os graduados, a exemplo do exame da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB).

    A prova é composta por 120 testes de múltipla escolha, com cinco alternativas cada. Para ser aprovado, o recém-formado deveria responder corretamente a 72 questões – o que corresponde a 60% de acerto.

    De acordo com critérios da Fundação Carlos Chagas, responsável pela elaboração do exame, 33% das questões são consideradas fáceis, 32,4% são de média dificuldade, 29,6% são tidas como difíceis e outras 4,6%, de grande facilidade.

    Públicas e privadas

    Participaram formandos de 30 escolas médicas de São Paulo, das quais 20 não chegaram a alcançar 60% de aproveitamento. Como era previsto, o pior resultado foi entre as faculdades particulares: entre esses cursos, a reprovação foi de 65,1%.

    Entre as escolas públicas paulistas, a reprovação foi de 33%. Os cinco cursos de melhor aprovação são públicos, sendo que a melhor colocada alcançou 87,3% de aprovação.

    O exame do Cremesp visa a avaliar o ensino de Medicina em São Paulo, mas há médicos de outros estados que participam. Em 2014, foram 468 formandos. A reprovação nesse grupo foi de 33,1%, sendo que entre os egressos de faculdades particulares a reprovação foi de 78%.

    Recém formados desconhecem o diagnóstico ou tratamento adequado em casos básicos da rotina médica nas unidades de saúde, como pneumonia, pedra na vesícula ou ferimentos.

    67% não souberam como avaliar o risco cirúrgico e nem determinar o exame pré-operatório no caso de uma senhora de 46 anos diabética, com pressão alta e dores no peito, que chega ao serviço de saúde com pedra na vesícula.

    67% não souberam diagnosticar pneumonia em um bebê de 1 mês e meio, com tosse leve a moderada há dez dias, sem febre e com respiração acelerada e superficial.

    67% demonstraram desconhecer o mecanismo de ação da lidocaína, uma droga usada no tratamento de arritmia cardíaca e como anestésico local. 66% erraram a conduta mais adequada para tratar um paciente com obesidade mórbida, 35 anos, apresentando alteração na frequência cardíaca e respiratória oito dias após ter sido submetido a cirurgia para redução do estômago.

    47% não souberam como atender um rapaz de 23 anos que deu entrada no serviço de saúde vítima de ferimento a faca no tórax, na região entre a quarta e a quinta costela.

    37% não souberam diagnosticar problema de saúde em senhora de 45 anos, sem problemas médicos anteriores, internada por dor de estômago aguda, vômitos e ultrassom, indicando microcálculos na vesícula. A resposta certa era pancreatite aguda.

    Fonte: Cremesp

  212. Guatambu said

    Rússia, mais uma economia que está tentando ir contra a maré do mercado.

    Cortaram os juros de 17% para 15%.

    O Rublo, que já havia caído, está se derretendo.

    Onde que o governo russo quer chegar com isso, não se sabe.

    Ou o Putin tem alguma bala na agulha escondida, ou ele quer mesmo uma guerra, ou ele vai matar o país.

  213. Patriarca da Paciência said

    O PIG criou o monstro Barbosão e se arrependeu amargamente ! Mas nada aprendeu e voltou a criar o monstro Moro ! Agora parece que o arrependimento já está batendo. Reinaldo rolabosta já anda falando cobras e lagartos do Moro. É que o homem queria simplesmente embargar todas as obras relacionadas na tal “operação lavajato” ! Imaginem só, de uma só acada o homem criaria milhões de desempregados e levaria à falência todas as empreiteiras do país ! Caçamba !

  214. Patriarca da Paciência said

    Correção: Imaginem só, de uma só tacada o homem criaria milhões de desempregados e levaria à falência todas as empreiteiras do país ! Caçamba !

  215. Patriarca da Paciência said

    Comentário 212,

    Guatambu,

    minha opinião é que esses ajustes, sintonia fina, de juros e taxas de câmbio, funcionam em uma situação de normalidade. Numa situação de calamidade, tais medidas são totalmente inócuas ! A Rússia voltou à mesma situação de “guerra fria”, em confronto com toda a Europa e Estados Unidos, que havia à época do “comunismo”. Então a coisa aí desgringola de vez. Qualquer tentativa de “ajuste econômico”, dentro da normalidade, será sabotado por Europa e Estados Unidos.

    Acontece que a Rússia cresce justamente em situações limites. Durante a Segunda Guerra Mundial, nenhum país teve tantas perdas, sejam materiais e humanas e, mesmo assim, foi a maior vencedora. Empurrou os alemães de volta e marchou até o coração da Alemanha, deixando o pais totalmente derrotado !

    Então é isso aí ! Achar que a Rússia vai acabar é uma bobagem maior do que achar que o Brasil vai acabar ! Nenhum país, nem mesmo o Brasil, tem tantas riquezas naturais. Terras, água doce, petróleo, minérios, florestas, tudo na Rússia é gigantesco. Se houver um tal “país do futuro”, sem dúvida nenhuma, é a Rússia !

  216. Pax said

    As obras do governo…

    http://m.infomoney.com.br/petrobras/noticia/3838511/corrupcao-petrobras-traz-caos-para-brasil-ameaca-derrubar-governo-diz

    Enviado do meu iPhone

    >

  217. Patriarca da Paciência said

    Caro Pax,

    esse tal de FT, faz muito tempo, virou a matriz da “óia”.

    Vive olhando para o rabo dos outros quando, O Reino Unido, afunda em corrupção e recessão.

    Eu trabalhei numa empresa que exportava para o Reino Unido, faz muito tempo atrás. As notas fiscais eram subfaturadas por um terço do valor e o pagamento vinha do Reino Unido direto para o caixa dois do dono da empresa, lógico que saído do caixa 2 do empresário do Reino Unido !.

  218. Patriarca da Paciência said

    Leonardo Attuch

    (…)

    “Num país carente de obras públicas como o Brasil, é também ultrajante a sugestão, que se ouve aqui e acolá, para que todas as empreiteiras atingidas sejam declaradas inidôneas, ficando, assim, impedidas de assinar novos contratos com a União. Como não sobraria nenhuma, isso significaria jogar por terra um dos maiores patrimônios do Brasil, que é a qualidade de sua engenharia, reconhecida internacionalmente, e abrir o mercado nacional a empresas estrangeiras, que também seriam corruptas num sistema corrupto por natureza.

    A única solução consistente para o problema revelado pela Lava Jato é proibir o financiamento privado de campanhas políticas, que é a raiz de todos esses escândalos. Mas como, numa democracia, a atividade dos partidos também precisa ser financiada, é ainda mais urgente votar a reforma política, com coragem para ampliar os recursos do fundo partidário. Sem isso, a Lava Jato servirá apenas para mais um auto-engano no combate à corrupção”

  219. Patriarca da Paciência said

  220. Patriarca da Paciência said

  221. Daise 2.0 said

    SEGURO DESEMPREGO ?

    A VERDADE REVELADA

    http://dinheiropublico.blogfolha.uol.com.br/2015/02/01/proporcao-dos-que-nao-trabalham-nem-procuram-emprego-cresce-para-443/

  222. Patriarca da Paciência said

    E o Cunha ganhou mesmo a presidência da Câmara. O mais incrível é ver os “moralistas” da “óia” comemorando ! Afinal o gajo é um grande “guardião da moral”.

    É isso aí. Pior que o Henrique Eduardo Alves ele não vai ser. Ambos tem o mesmo perfil ! Parece até que são “almas gêmeas”.

    Entender de politicagens os dois são verdadeiros mestres. Talvez os maiores especialistas do ramo em todo o Brasil. O Governo conta com uma boa base e saberá com anular as possíveis emboscadas do dito cujo.

  223. Patriarca da Paciência said

    “Segundo dados do IBGE referentes às seis maiores regiões metropolitanas do país, esse contingente cresceu, entre 2010 e 2014, de 43% para 44,3% das pessoas em idade de 10 ou mais anos de idade.”
    (Folha de São Paulo)

    Incrível !

    Então a “fôia” acha que as pessoas com 10 anos já devem estar empregadas ?

    Impressionante !

  224. Daise 2.0 said

    O que significa a eleição de Eduardo Cunha

    Brasil 01.02.2015

    Você lerá análises complexas sobre a eleição do deputado Eduardo Cunha, do PMDB, para a presidência da Câmara, mas é tudo muito simples:
    a) a Câmara quer se despregar do governo Dilma, visto o baixíssimo número de votos do petista Arlindo Chinaglia

    b) Apesar disso, Dilma Rousseff continua com a caneta. Eduardo Cunha apenas venderá mais caro o seu apoio ao governo na aprovação de projetos do Executivo. Quando um deputado fala “é preciso que o Legislativo tenha mais independência”, ele quer dizer “é preciso que o Legislativo aumente o preço dos seus votos”

    C) Eduardo Cunha, numa hipótese remota, poderá instalar o processo de impeachment de Dilma Rousseff. Mas tudo depende do grau de contaminação do PMDB na Operação Lava Jato.

    Se ele e seus coleguinhas tiverem chance de jogar o grosso da bandalha nas costas do PT, numa nova CPI da Petrobras, e conseguirem isolar e mandar para o sacrifício os peemedebistas que serão citados na Justiça, a possibilidade se abre para que o novo presidente da Câmara et caterva decidam transferir Michel Temer para o Palácio do Planalto

  225. Guatambu said

    Hoje Petrobras começa subindo um pouquinho.

    Como eu havia avisado.

    Alguém ganhou algum dinheirinho com o PT?

    Eu ganhei… muito pouco ainda, não posso dizer que estou contribuindo para a desigualdade social do país. Ainda.

    Jajá contribuirei!

    Obrigado PT!

  226. Zbigniew said

    Essas medidas iniciais do governo Dilma soaram como uma rendição aos ditames de mercado. Dois fatores foram impostos: a inapetência política para grandes desafios e a dificuldade em gerar um ciclo virtuoso de linha desenvolvimentista.

    A primeira sempre foi evidente. Dilma tem imensa dificuldade de articulação. Não encontrou um Richelieu ou Richelieus (o que não é surpresa nenhuma pela qualidade dos nossos homens públicos) que lhe amainasse o temperamento, sofisticasse iniciativas de governo e a conduzisse por fora da lógica da coalizão. Teve as jornadas de 2013, mas, mesmo assim, não envidou qualquer avanço na reforma política. Porque preferiu render-se, mais uma vez, aos interesses dos congressistas e de seus cardeais. Resultado? Acabou seu governo. Ficará refém do “cunhismo” e do “calheirismo” podendo, quem sabe, chegar às raias de um processo de impeachment se não “ajoelhar e rezar”, o que quer dizer: virar uma rainha da Inglaterra. Que beleza! Mas sempre souberam que não dava para confiar nessa patota.

    Aí é de se questionar: do que adiantou todos esses anos de apoio do PMDB que hoje impõe-lhe uma agenda que poderá destruí-la politicamente, incluindo o próprio PT? Do que adiantou deixar-se prostituir com os mal-feitos, ou agir por imposição de grupos de mídia com interesses próprios de poder (e o PT nunca fez parte desses interesses, pelo contrário) para depois ser defenestrada e colocar a Petrobrás na berlinda, mantendo a Foster para depois publicar e chancelar um balanço estúpido, ofertando todo tipo de munição para aqueles que defendem a empresa sob os auspícios do mercado, em especial a mídia oligárquica? Acham que a Lava-Jato vai oferecer um faca no pescoço do Cunha? E esse governo terá coragem de tamanha ousadia? Certamente que não! Até porque a operação, assim como o mensalão, tem objetivos eminente e descaradamente políticos, e o PT sempre será o alvo principal.

    Do que adiantou dar aumentos absurdos aos magistrados e procuradores, esquecendo dos servidores, tentando afagar uma classe que é a que poderá empurrar o PT e sua representante para o fundo do abismo? (vide o juiz Moro e os vazamentos seletivos da Lava-Jato nas barbas do Ministro da Justiça). Ou deixando de conversar com sindicatos e movimentos sociais para ser mais palatável às elites, quando essas próprias elites não engolem o PT nem suas políticas sociais? (aponte-se um médico, um juiz ou um empresário que morre de amores pelo PT).

    Quanto à segunda, a linha desenvolvimentista, ficaram vários pontos muito obscuros. Lembro-me da Dilma passando um ralha na Merkel na casa da chanceler pelas políticas de austeridade impostas à zona de Euro. E agora assume a mesma postura, sob o argumento de que serão dois anos de arrocho e dois de rédeas soltas?! Que matemática para trouxas é essa? Ah, mas o Brasil é um país de corruptos e corruptores que não deixam as obras de infra-estrutura irem para frente. Ah, mas a equação fiscal não fecha e o governo precisa equilibra as suas contas. Ah, mas, fizemos besteiras na seara econômica e não temos mais como resolver essa situação se não for pelo caminho da ortodoxia. Keynes que nos desculpe.

    Sei que o governo precisa realmente equilibrar as contas, mas a equação política tem influência fundamental nessa super-estrutura e precisa urgentemente de um confronto que lhe quebre a lógica e o povo teria que estar sendo chamado para esse embate. Até para que, no final, não sobre apenas a ortodoxia. Não sei como ela colocaria isso em prática, mas não dá pra alijar os movimentos sociais da participação política. E olhe que procurou dar um quê de institucionalização aos mesmos quando da edição do decreto que instituía os conselhos de participação social imediatamente rechaçados pelo Congresso com a ajuda do sistema de desinformação da mídia oligárquica. O PT no chão ajuda, e muito, a vender a ideia de se tratar de medida autoritária toda e qualquer iniciativa do partido neste sentido. E aceitou passivamente a sua desconstrução.

    Sabe que político morre de medo da “voz rouca das ruas”. E o PT sempre teve tudo para organizá-las e trazê-las pra o centro do debate e embate político. Mas institucionalizou-se por demais, acovardou-se, ficou refém do tom eminentemente conciliatório e de composição do lulismo e passou a creditar apenas nessa via, temperada de fisiologismos, vistas grossas e compactuações. Taí seus trinta e tantos ministérios, taí a refinaria que começou valendo 4 e terminou em 26 bilhões.

    Há um momento que, ou se vai com tudo pra cima de seus projetos ou se desiste deles, e, ao que parece, o PT e Dilma desistiram, não de um projeto de poder (que sempre esteve acima dos demais), mas de um projeto de nação com contornos desenvolvimentistas e com foco na melhoria da população. Pra amenizar a afirmação: deram um tempo. Sendo assim, o PT quis entrar para o clube do “mais do mesmo do que aí está”. E quebrou a cara. Mais cedo ou mais tarde isso iria acontecer. Com um agravante: vão perder o apoio do que restou de simpatizantes à esquerda.

    Ontem, o Congresso jogou uma pá de cal em cima do governo da Presidenta.

  227. Elias said

    I
    “Houve declarações da extrema direita da França e da Itália a favor da extrema esquerda da Grécia.” (Guatambu)

    Exatamente pelas razões que te falei: o governo grego está estizando a dívida. Ou seja, ela vai ser paga, de um jeito ou de outro.

    Consequência: os credores ficam tranquilizados, e o país recupera um pouco de “credibilidade”. Crédito inclusive.

    É só isso, Guatambu.

    Mas nada impede que procures chifre em cabeça de cavalo…

    II
    “Austeridade fiscal” na Alemanha!?

    Dá câncer!

    Se quiseres acreditar nisso, fica à vontade… É só esquecer os trilhões que euros que o BC europeu está injetando a juros zero.

    Guatambu, tenta combinar uma notícia com a outra, juntar lé com cré, e colocar um sapato em cada pé…

    Com o BC europeu inundando a UE com trilhões de euros a juros zero, dá pra falar qualquer coisa, menos de “austeridade fiscal” na Europa…

    Pra mim, dá mais jogo falar no decote da Sandra Bullock, a quem eu quero porque quero comer…

  228. Patriarca da Paciência said

    Caro Zbigniew,

    minha opinião é que os “ajustes” da economia em nada comprometem o governo do PT. Os grandes programas do governo são: Mais Médicos, Bolsa Família, Minha Casa Minha Vida, programas escolares em geral, combate à pobreza extrema etc.etc.etc.. Todos esses programas continuam de pé, talvez com uma pequena desaceleração.

    Em caso de governo do Aecim bebê chorão ou Marina choromingas, todos esses programas seriam “repensados”. Aí sim, seria um retrocesso total, com risco de se perder tudo que já foi conquistado.

    Sobre a eleição do Cunha, penso que é só um obstáculo a mais. Nada que não possa ser contornado. Também não vi, até agora, ninguém do PT ou do governo dizer que a eleição do Cunha foi “ilegítima”, como o fez o ex-sábio, FHC em relação à eleição da Dilma. São os ônus da Democracia !

  229. Guatambu said

    Elias,

    Tenta ler direito o que eu escrevo… senão eu vou parar de conversar contigo! Tu tá ficando parecido com o Patriarca da boçalidade…

  230. Patriarca da Paciência said

    Guatambu,

    esse é o argumento de quem não tem argumentos – partir para a ofensa pessoal. Por mim, tudo bem, fique à vontade. Pode ter a certeza de que não vou revidar !

    Quanto a ser comparado com o Elias, para mim, é uma honra. Somos “conhecidos virtuais” faz muitos anos e, até hoje, nunca trocamos ofensas pessoais !

  231. Elias said

    Patriarca,
    O PMDB é isso.

    Na divisão dos cargos, ele ficou com menos do que acha que merece (!!!!!!).

    Aí vem a turma que endurece o jogo, e posiciona as pedras pra cobrar mais caro…

    E claro que o governo vai pagar. Tem que dançar a dança que se dança… Senão, dança!

    A questão é: em nome do quê se faz isso? O Juscelino pagou o preço, porque queria construir Brasília. E construiu, né?

    A Dilma, vai pagar o preço, exatamente pra quê?

    De minha parte, repito: prefiro uma inflação de 10% sem desemprego, do que uma inflação de 5% com desemprego.

    Logo depois do golpe militar de 1964, Castelo subordinou tudo ao “controle” da inflação. A dupla macabra — Octavio Gouveia de Bulhões (principalmente), e Bob Fields (no papel de papagaio de pirata) — em nome do combate à inflação, enfiou (epa!) o país numa recessão braba, que conseguiu colocar todo mundo contra o governo, inclusive a quase totalidade do corpo de oficiais das Forças Armadas.

    Meter o Brasil numa recessão foi fácil: em menos de 6 meses, Bulhões e Fields conseguiram.

    Tirar o país da recessão foi outra história. Foram anos de ralante ralação, com o governo gastando os tubos (na época, principalmente por meio BNH), pra gerar emprego o mais rapidamente possível.

    Enquanto isso, Castelo Branco teve que distribuir porrada a torto e a direito, pra segurar a barra e tentar administrar a própria sucessão. O general Justino Bastos, comandante do III Exército, se tornou um crítico feroz da recessão, e Castelo teve que demiti-lo. O general Amaury Kruel, comandante do II Exército, também se tornou um crítico feroz da recessão e Castelo teve que demiti-lo. Carlos Lacerda, idem (com a agravante de que queria se candidatar à Presidência da República, e, farejando o desgaste de Castelo, já ensaiava articular uma “Frente Ampla” com Jango e JK), teve que ser cassado (JK, que apoiara o golpe militar,acabou sendo cassado, também).

    No fim, Castelo não conseguiu evitar a perda de controle de sua sucessão… E perdeu a parada pro Costa e Silva, que aparecia na caserna com um enorme letreiro em neon e um cartaz pendurado no peito, dizendo em letras garrafais: SOU DESENVOLVIMENTISTA E NÃO ABRO! Costa e Silva faturou disparado todas as “consultas” feitas na caserna — de oficial intermediário (capitão) pra cima…

    O preferido do peito de Castelo e dos castelistas — Geisel — só assumiria anos depois, em 1974. E, pelo sim, pelo não, Geisel assumiu declarando em alto e bom som que não queria nem ouvir a palavra “recessão”, pra ele, o pior dos palavrões. Mesmo com a crise do petróleo explodindo no colo dele, Geisel tinha urticárias sempre que alguém sussurava “recessão” perto dele…

    A lição é simples: recessão não ganha eleição e, pra piorar, não resolve o problema econômico (pelo contrário, só o agrava).

    Para o PT, com toda essa fadiga de material, a saída deveria ser simples: 2ª porta à esquerda.. Sem esquecer de checar se a ducha está funcionando e se tem papel higiênico suficiente (ou seja, muito!)…

    O problema é que a oposição é uma bosta. E, cocô por cocô….

  232. Zbigniew said

    Patriarca,
    não concordo que seja apenas um obstáculo a mais.
    A eleição desse sujeito deletou a base aliada no congresso. Foi uma declaração de que já não dá mais para contar com eles em assuntos de envergadura.
    O governo saiu muito enfraquecido. E já existem rumores de pedidos de impeachment. Balões de ensaio, mas, numa dessas a coisa evolui.
    Quanto mais esse imbróglio da Petrobrás render, mais a Presidenta estará fragilizada. E não há sinais de que irá arrefecer. A Lava-Jato está a pleno vapor através das delações vazadas seletivamente.

    Um governo que não toma a dianteira dos acontecimentos políticos vai a reboque. E quem anda atrás é dependente. Deixa vácuo. E não existe vácuo em política. O que aconteceu na Câmara dos Deputados é fruto desse fato. Que começou lá atrás, com o mensalão e se intensificou com a Petrobrás. Não entro na seara da culpa, mas, politicamente, o PT e seus aliados não foram capazes de anular as iniciativas de escandalização. Mídia oligárquica a frente.

    O resultado é que, grosso modo, metade do Brasil odeia o PT e a outra está começando a pensar seriamente que o PT já não é uma alternativa válida. Principalmente com os problemas na economia e a política ortodoxa adotada pela Presidenta. Corrupção e arrocho, dois assuntos centrais batidos dia e noite pela imprensa, e que realmente existem, mas que, como a crise hídrica em São Paulo e os escândalos do metrô, o governo deveria saber amortizar o tom da abordagem.

    Para isso precisaria do povo já que não tem a mídia, através de uma politização mais agressiva, com base naquilo que mantém o PT no poder: os seus programas sociais. Mas o partido desaprendeu a fazer tais mobilizações. Esse é um dos efeitos da sua irreversível institucionalização e o motivo de sua ruína.

  233. Guatambu said

    Patriarca,

    Como eu disse: nem faço questão de vencer qualquer argumentação aqui – o que é mais um sinal de que vc não entende absolutamente nada de porra nenhuma do que eu falo.

    Se vc puder não falar comigo, melhor! Aliás, se puder fazer o favor de evitar ler o que eu escrevo, melhor ainda.

    Como funcionário público, vc serve ao povo, incluindo eu, fazendo de vc meu funcionário. Como seu “patrão”, sugiro que vc vá fazer o seu trabalho, e não ficar na internet no horário de trabalho. Porque é isso que vemos aqui todos os dias: vc na internet no horário de trabalho.

    Isso torna vc o retrato do funcionalismo público brasileiro: o de um vagabundo, que ganha dinheiro do povo para ficar à toa, e pior, repetindo todo o tipo de besteira que lê… na internet!

    Vc se sente ofendido? Azar o seu!

    Vc me ofende mto mais sendo o ignorante que é e usando o meu dinheiro pra sobreviver e ter filhos: eu estou contribuindo para a ignorância da humanidade! hehehehe

    Como eu disse aqui: não tenho problemas com esquerda ou com a direita. A política existe e vamos continuar convivendo com ela. Assim como, eu não tenho problema com a existência do Estado, só um imbecil não saberia a serventia dele.

    Mas quando eu vejo que o Estado é representado por vagabundos ignorantes como você, aí eu fico frustrado.

    Por isso, Patriarca, evite-me, e não to pedindo por mim não. Responder vc é como dar um tapa em um pernilongo: aquele bicho preguiçoso que vive de chupar o sangue dos outros.

    Evite-me pelo bem do blog.

    ;)

  234. Elias said

    Guatambu,

    Sem esse papo de “Tenta ler direito o que eu escrevo…”.

    Eis o que tu escreveste:

    =================================
    “Saiu um paper recentemente sobre as medidas de austeridade fiscal do governo Clinton, dos EUA, que levaram a um superávit econômico, mas que por outro lado, podem ter incentivado, no longo-prazo, a crise do subprime.

    Coincidentemente ou não, essas mesmas políticas superavitárias estão sendo tomadas pela Angela Merkel, na Alemanha.

    Será que é um erro da Alemanha? Difícil dizer.”
    ====================================

    Se isso não significa dizer que a Alemanha está adotando uma “política de austeridade fiscal”, deves procurar imediatamente um curso de redação…

    Já eu estou dizendo que, a UE NÃO ESTÁ adotando política de austeridade, coisa nenhuma! (e quem manda na UE é a Alemanhão, né?).

    Ao contrário, o BC Europeu está injetando os tubos de dinheiro público ns economia europeia. Trilhões de euros!

    Tanto que a Dilma foi à Alemanha, reclamar (e recebeu um “Ferre-se!” da Primeira Ministra alemã).

    Isso porque quando os países ricos empurram dinheiro público barato nas respectivas economias, os países pobres ou em desenvolvimento são obrigados a baixar os juros (como a Rússia está fazendo), ou aumentar os impostos sobre operações financeiras (como o Brasil fez).

    Do contrário, o dreno escancara, e os pobres e quase-pobres ficam ainda mais pobres…

    Quanto a parar de conversar comigo, fica à vontade…

  235. Patriarca da Paciência said

    Elias,

    Para mim, desde que os programas governamentais, Mais Médicos, Bolsa Família, Minha Casa Minha Vida, programas escolares em geral, combate à pobreza extrema etc.etc.etc.., sejam salvos, mesmo com uma pequena desaceleração, já está de bom tamanho !

    Em caso de vitória do Aecim bebê chorão, ele já havia declarado que iria “repensar” vários programas. Conhecendo o gajo, esse “repensar” dele seria transformá-los em “programas pilotos”, tipo o seu famigerado “bolsa empresarial”, o qual existia em apenas 05 (cinco) cidades mineiras.

    Marina choromingas iria entravar a construção e todas as hidrelétricas, estradas, pontes, etc.etc.etc. em nome da proteção aos bagres, aos calangos, às pererecas etc.etc. etc.

    Então dos males, o menor. Acredito que o “ajuste” será temporário, apenas enquanto passa a crise do petróleo, a crise hídrica e sanha destruidora da oposição contra a Petrobrás durar.

    Será um ótimo aprendizado para o governo, assim como a convivência com o Cunha.

    O sujeito ganhou a eleição. Então, parafraseando o Brizola, “vamos engolir o sapo barbeado” ! De uma coisa não se pode negar, o indivíduo entende a fundo o funcionamento do Parlamento Brasileiro. E é de grande habilidade e astúcia !

  236. Guatambu said

    Elias,

    UE ainda não é a Alemanha.

    O BC europeu pode fazer o QE que ele quiser, tem que ver pra onde essa grana vai, e, além disso, se a Alemanha não torra o dinheiro, isso ainda assim é uma política de austeridade.

    De resto, eu linkei o paper. Não sou eu que estou escrevendo aquilo, deve ser de algum economista muito bem formado.

    E foi um ponto pra reflexão, em economia nada é verdade absoluta.

    A Dilma foi reclamar que ela ia receber dinheiro da UE?!

    Porra… tudo o que o Brasil precisava era de dinheiro! Vc mesmo disse que as taxas de juros aqui são altas pq o capital é escasso. Se é pra receber dinheiro e pagar pouco por ele, melhor ainda!

    Qual é o problema então?

  237. Elias said

    Patriarca,
    Programas tipo “Mais Médicos”, “Bolsa Família”, “Minha Casa Minha Vida”, etc., têm caráter compensatório. Servem para aparar arestas, mitigar, enquanto o principal não acontece.

    Os programas compensatórios, de transferência de renda a pessoas (“transferência de renda” sob a forma de dinheiro, bens ou serviços), só produzem bons resultados com a economia crescendo.

    Num primeiro momento, tu colocas, diganos, 10 milhões de pessoas debaixo do guarda-chuva dos programas compensatórios.

    Com o crescimento econômico, parte dessas pessoas — vamos supor, 5 milhões — é absorvida pela expensão da oferta de trabalho. Quando isso acontece, essas pessoas saem debaixo do guarda-chuva, sendo substituídas por outras. E assim por diante…

    Não é por acaso que os programas compensatórios estão sempre associados a estratégias de ampliação ou de aceleração do crescimento econômico. É a combinação de programas compensatórios com crescimento econômico que delineia a política redistributiva (ou “inclusiva”, como preferem alguns) da estratégia desenvolvimentista.

    Essa estratégia, ao longo de cinco ou seis anos, tira da miséria pelo menos uns 20 milhões de pessoas, ou até mais! Foi o que aconteceu no governo Lula.

    O problema é que, se não houver crescimento econômico, se não houver expansão do emprego, o governo fica impossibilitado de tirar gente da sombra do guarda-chuva.

    Vai daí que, se ele quiser colocar mais gente sob o guarda-chuva, sem tirar ninguém, terá de ampliá-lo. Ampliar o guarda-chuva implica aumentar a despesa pública. Acontece que, com o país em recessão, a arrecadação cai. Logo, não se pode falar em aumento de despesa pública com o país em recessão.

    Ou seja, com o país em recessão, impossível ampliar os programas compensatórios. Em consequência, esses programas tendem a estagnar, e, em seguida, definhar.

    Daí porque, na campanha eleitoral, dizíamos que, se adotada a política recessiva defendida pelo Aécio, os programas “sociais” (oun seja, compensatórios ou mitigatórios) do governo seriam jogados ao lixo.

    Não é por malvadeza, não… É que — como todos sabemos — mágica não existe. Com o país em recessão, o governo tem que gastar menos… A menos que ele queira inflacionar.

    Esse o dilema da Dilma. Ela vai inflacionar, mantendo os gastos do governo lá em cima? (Foi o que fizeram os militares, pra tirar o país da recessão). Se é assim, então, pra que meter o país em recessão, em nome do combate à inflação?

    Estou dizendo que, com a “opção preferencial pela recessão”, Dilma está praticamente assinando a sentença de morte dos programas compensatórios ou inclusivos que, até aqui, têm caracterizado os governos petistas.

  238. Elias said

    “A Dilma foi reclamar que ela ia receber dinheiro da UE?! Porra… tudo o que o Brasil precisava era de dinheiro! Vc mesmo disse que as taxas de juros aqui são altas pq o capital é escasso. Se é pra receber dinheiro e pagar pouco por ele, melhor ainda!” (Guatambu)

    Tu me surpreendes, Guatambu… Isso aí, acima, é o tipo da afirmação que não pode ser feita por quem se envolveu numa discussão sobre análise macroeconômica.

    Já escrevi sobre o assunto nesta mesma lista, mas… Lá vai outra vez de novo, novamente…

    1 – Alguém pega centenas de milhões de euros na UE, a juros zero.

    2 – Aí aplica esse dinheiro no mercado financeiro do país “X”, onde a taxa de juros básica esteja a 12% ou mais.

    3 – O lucro é repatriado, no todo ou em parte. O principal continua aplicado no mercado financeiro do país “X”

    O que aconteceu? Aconteceu que, face ao diferencial de taxa básica de juros, parte da riqueza do país “X” foi drenada para a UE.

    Daí a chiadeira da Dilma. Daí porque a Rússia está baixando a taxa básica de juros, no momento em que a UE inunda as respectivas economias com euros a custo zero.

    Ingresso de dinheiro externo não é uma vantagem absoluta. Depende das circunstâncias, principalmente em se tratando de ingresso no mercado financeiro, algo bastante diferente do investimento “de risco”, ou seja, aquele que é aplicado no fluxo real da economia.

    Há um abismo entre o ingresso de dinheiro no fluxo real e o ingresso nofluxo nominal da economia.

    É bom jamais confundir barafunda com furabunda.

  239. Guatambu said

    Elias,

    Eu não acho que te surpreendo: vc sabe bem onde eu quero chegar.

    Se começa a ter bastante dinheiro aqui dentro, a taxa de juros naturalmente deve cair, o que já é positivo.

    Se o país está preparado para fazer uso desse dinheiro, pode até haver inflação, mas todo mundo se beneficia dessa grana. Seja consumidores consumindo, seja empresários investindo em aumento de produção, seja empresários abrindo novos negócios. Há que se ter cuidado para tornar o fluxo de capital… fluido, justamente para que a inflação ocorra somente durante um período determinado.

    Se a economia é cíclica, e é dependente de dinheiro, deve-se fazer um esforço em aproveitar o ciclo favorável.

    Eu questiono o nível de preparação das autoridades públicas brasileiras para fazer esse aproveitamento.

    Se teve um influxo de capital, ou a possibilidade dele, e por conta disso a Dilma abaixou os juros, com um mercado interno formado e amadurecendo (desde a era Lula), porque é que a Dilma não conseguiu fazer a produtividade aumentar?

    Onde está a infraestrutura anunciada no PAC 1 e 2, que levaria o Brasil a um novo patamar competitivo internacionalmente?

    Eu não vejo isso… e, dada a liquidez do mundo, não sei se isso é um problema de falta de dinheiro. To achando que é falta de competência.

  240. Pedro said

    Guatambu, o que atrapalha tudo, é o principal programa da equipe de governo, o PEC.

    Programa de Enriquecimento dos Companheiros.

    E não se irrite com o Patriarca, ele assume diversos personagens.

    Hoje ele está de violinista do PiTanic.

  241. Guatambu said

    Isso aqui é informação importante:

    O cenário é de diminuição do Capex nos EUA.

    Os EUA são o país desenvolvido com crescimento razoável e sustentável ao longo dos últimos anos.

    O crescimento da China sofreu reduções, na expectativa, e agora o governo está segurando anunciar uma nova expectativa (já que erraram a anterior)

    Europa está sem rumo, afundada nos seus próprios problemas, assim como o Japão.

    Se o Capex dos EUA estão diminuindo, o resto do mundo com certeza será afetado, as petroleiras estão aproveitando para ajustar suas produções.

    Eu acho que o preço do petróleo volta a subir, se continuar assim… o que pode ser uma boa notícia para a Petrobras.

    http://www.businessinsider.com/us-oil-companies-confirm-capex-collapse-2015-2

    Vamos aguardar.

  242. Guatambu said

    Pedro,

    Acho que o Estado está prejudicando o desenvolvimento do país. Não só a questão da corrupção, mas o excesso de burocracia em todos os níveis, a falta de objetividade ao definir metas e ao resolver problemas, e a falta de eficiência.

    Essa máquina está muito gulosa, e cada vez mais ineficiente, alguma hora a bomba vai explodir. Só não se sabe o que acontece quando a bomba explode.

    Em todo o mundo, acho interessante que em 150 anos de história houve um crescimento dos impostos, como o Imposto de Renda, de modo que permitisse que os Estados pudessem ampliar o nível de abrangência em relação aos serviços públicos necessários para o bom funcionamento dos países.

    E o que vemos, em muitos casos é:

    – os seguro-desempregos e aposentadorias foram se defasando ao longo do tempo
    – países cuja infraestrutura acabou alcançando níveis de desenvolvimento altíssimos não diminuiram seus impostos
    – sistemas de saúde foram sendo deixados de lado
    – sistemas de ensino foram sendo “otimizados”

    O Estado cada vez menos está se justificando. Só acho interessante que o povo parece ignorar, ou parece achar normal isso.

    Aqui no Brasil então, ninguém se lembra do peso que o Estado tem – a culpa não é do Estado, é dos empresários.

    Vamos ver o que acontece.

  243. Patriarca da Paciência said

    Elias,

    eu discordo do seu ponto de vista, comentário 237.

    Não vejo os programas Mais Médicos, Bolsa Família, programas escolares em geral e programa de erradicação da miséria como simples programas compensatórios. Muito pelo contrário. Eu os vejo como a base fundamental para um novo ciclo de crescimento sustentável.

    Como disse a presidenta Dilma, “pela primeira vez teremos um geração de crianças que não passaram fome”. Para mim, isso é de uma relevância extraordinária. Crianças que passam fome carregam sequelas terríveis por toda a vida, sejam físicas ou psicológicas.

    Pessoas mais saudáveis terão muito mais disposição para o trabalho e para aprender.

    Como dizia Monteiro Lobato, “o Jeca não tem culpa de ser preguiçoso. Algum ser humano possui boa disposição para trabalhar ou estudar, recheado de verminosas e outras parasitas, anêmico e faminto” ?

    Os “jecas” da Dinamarca, aí pelo fim do século XIX e início do século XX, descritos por Henrik Pontoppidan escritor dinamarquês, ganhador do Prêmio Nobel de Literatura em 1917, são parecidíssimos com os nossos “jecas” brasileiros, apesar de escandinavos. E os programas que levaram a Dinamarca ser o que é hoje são parecidíssimos com os programas do governo do PT.

    Um país só terá um crescimento sustentável com cidadãos saudáveis, bem instruídos e respeitados em sua dignidade.

  244. Patriarca da Paciência said

    Eis como o grande escritor, Henrik Pontoppidan, descreve os camponeses da Dinamarca existentes em fins do século XIX e início do século XX.

    “Que triste espetáculo, em numerosos lugares, ver como viviam esses trabalhadores ! Em geral, suas culturas reduziam-se a terras inférteis pelo excesso de uso, com alguns cereais de longas hastes e campos de capim, na maior parte das vezes, miseráveis ! As criações não poderiam ser de outro modo: uma vaca, duas no máximo, quase sempre magérrimas, um porco, raramente dois, e algumas galinhas. A alimentação dos animais era de má qualidade, razão por que não se desenvolviam nunca. Provavelmente, com o passar do tempo, semelhante sistema conduziria à ruína total do solo. Acrescente-se que a pouca manteiga e os poucos ovos que a mulher do camponês punha de lado para levar ao mercado, eram em geral pessimamente pagos“.

    Não vejo muita diferença dos “jecas” escandinavos para os nossos “jecas” brasileiros “

  245. Patriarca da Paciência said

    Guatambu, 233,

    lamentável, profundamente lamentável !

    Um texto eivado de preconceito e total desconhecimento de qualquer coisa.

    Só tenho a lamentar por você, uma pessoa de pensamento tão estreito e que se julga o supra-suma da sapiência, tal como o seu mestre, reinaldo rolabosta !

    Nada devo a você. Nem de longe você é meu “patrão”. A única coisa em que você apresenta alguma grandeza é na arrogância !

    Lamentável, profundamente lamentável !

  246. Patriarca da Paciência said

    Zbigniew , 232

    Como diz o ditado popular, “o que não tem remédio, remediado está”. A Dilma tentou, o PT tentou, mas não deu. São os ossos da Democracia. Então, não resta outra alternativa, parafraseando o Brizola, “senão engolir o sapo barbeado”. O sujeito é extremamente hábil e astuto, além de calmo e bom argumentador. Pode-se apontar mil defeitos nele, mas, sem dúvida nenhuma, entende tudo de política, principalmente a brasileira. Renan Calheiros, Henrique Eduardo Alves e o Cunha são grande profissionais da política, embora possa-se discordar deles !

    Acho que a Dilma tem bastante solidez para enfrentar eventuais emboscadas. Como se diz em futebol, ” treino é treino, jogo é jogo”.

    Como venho dizendo aqui, faz muito tempo, o PMDB, ou seja, o clientelismo, ainda representa grande parte do povo brasileiro, principalmente na classe média. Boa parte das pessoas, mesmo no dia a dia, só age na base do “toma lá, dá cá”. E ainda diz que ” quem não age assim, é bobo”.

    Para mim, a eleição do Cunha é um bom exemplo da solidez da nossa Democracia !

    Para mim o melhor mesmo é respeitar o resultado e procurar conviver com o vencedor. Esse negócio de não aceitar resultado contrário é coisa do Aecim bebê chorão.

    Acho que o governo tem mais é que enfrentar o problema, já que não há outra solução.

  247. Patriarca da Paciência said

    Guatambu,

    eu não me sinto minimamente obrigado a te dar qualquer explicação, mas apenas a título de esclarecimento, estou de férias e digito do meu escritório, no meu computador. Nunca utilizei computadores do trabalho para qualquer tipo de assunto pessoal. Acho que você é que devia demonstrar algum respeito pelo pessoal do blog, já que é você que está chegando agora. De hoje em diante, não me dirigirei mais a vossa onisciência, visto que é detentor da suprema sapiência, tal como seu mestre, reinaldo rolabosta !. Boa sorte e siga com Deus !

  248. Daise 2.0 said

    CASAL 20!

    Patriarca da Papuda já está conformado…rsrsrs

  249. Patriarca da Paciência said

    Michele Carlão Deise Desvarada(o),

    eu aceito resultados de eleições. Se o Cunha deve alguma coisa, ele que preste esclarecimentos com seus pares e com a Justiça. Enquanto ele for legalmente presidente da Câmara dos Deputados, respeitarei a decisão soberana da sua eleição. Este é o fundamento da verdadeira Democracia.

  250. Patriarca da Paciência said

    (…)
    “Strauss-Kahn chegou ao tribunal no início da tarde, acompanhado de seus três advogados de defesa. Ele deve ser ouvido na próxima semana e a previsão é de que o julgamento se estenda por todo o mês.

    O ex-diretor do FMI é acusado de fazer parte de uma rede de prostituição montada por um grupo de amigos. Entre os réus estão empresários, um advogado, um policial e o dono de uma boate de sexo na Bélgica. Eles teriam participado de festas com prostitutas aliciadas mediante pagamento.

    Os advogados de defesa de Strauss-Kahn afirmam que ele era adepto de orgias sexuais, mas não sabia que se tratava de prostitutas. Em 2013, os juízes responsáveis pelo caso decidiram indiciar o acusado. Se houver condenação, as penas podem chegar a dez anos de prisão e multas equivalentes a R$ 4,5 milhões.

    David Lepidi, advogado do Grupo de Ação contra o Proxenetismo (EACP, da sigla em francês), organização não-governamental que luta contra a exploração de prostitutas, acha que o julgamento é justo. “Não somos uma associação contra Dominique Strauss-Kahn, lutamos contra todas as formas de exploração da prostituição. Se, ao final dos debates, os elementos mostrarem que há razões para uma condenação, então a justiça será feita”, declarou.

    O caso ficou conhecido como o caso Carlton, em referência ao Hotel Carlton, em Lille, que fez parte das investigações policiais em 2011, quando a rede de prostituição foi descoberta. Antes disso, Strauss-Kahn foi detido nos Estados Unidos por suspeita de agredir sexualmente uma empregada de um hotel em Nova York.”
    (247)

    Realmente impressionante !

    Strauss-Kahn, ex-diretor do FMI, empresários, um advogado, um policial e o dono de uma boate de sexo na Bélgica, envolvidos em exploração de prostitutas !

    Isso tudo na França Maravilha !

    Que barbaridade ! Acho, sinceramente, que nós, brasileiros, somos bem mais moralistas !

  251. Zbigniew said

    Patriarca,
    a perspectiva é outra.

    O jogo está sendo jogado de há muito. Não é mais treino (nem nunca foi). O governo revelou, neste episódio, que está fragilizado politicamente e isto traz implicações muito sérias para toda a sociedade.

    A Petrobrás está sendo bombardeada dia e noite pelos que querem vê-la fatiada nas mãos do mercado. E nem precisaria mudar de nome.

    A Dilma e o PT pecaram ao não fortalecerem a estatal eliminando os esquemas de corrupção. Tiveram medo de melindrar as forças políticas da coalizão. Foram coniventes, para dizer o mínimo. Resultado: a mídia oligárquica tem a pauta perfeita para reverter o resultado das eleições (e têm motivos de sobra para isso). Sim, porque você pode até vencer um pleito, mas governar já é outra história. A cereja no bolo seria um processo de impeachment nas costas da Dilma, o que levaria, por consequência, a quase inviabilização da candidatura do Lula para 2018.

    Este, por seu turno, parece ter se afastado das elucubrações políticas do governo, como se já não mais concordasse com a pupila. Ou então realmente está doente, embora diversos desmentidos tenham sido publicados pelo instituto que leva o seu nome.

    O que vemos então? Que o sistema que o PT achava que podia dominar, agora está a engoli-lo. Como a fera que devora o domador, por mais que este ache que esteja no controle. Na verdade o PT sucumbiu ao sistema. Dilma pode até reverter alguns índices econômicos hoje desfavoráveis (o que, particularmente, acho bem difícil), mas não vai mais mudar o que aconteceu com o partido. Não no seu governo.

    Como já vínhamos afirmando aqui, o PT bateu no teto. Não tem mais o que oferecer à sociedade senão o que aí já está. As reformas mais profundas, em especial a política, foram pro saco. Se com a maioria que tinha o governo não conseguiu implementá-la, com esse Cunha é que não vai mesmo.

    E o pior é que, até agora, não surgiu uma alternativa na oposição. Esta que se apresenta é rasteira e incompetente. Máxime o governador de São Paulo, Alckmin, o Blindado, que será oferecido ao brasileiro em 2018, com um currículo de dar inveja a qualquer concorrente, em face da competência de quem levou aquele Estado à maior crise hídrica de sua história, acompanhada de propinas da Alstom e Siemens na questão do metrô, questões que, com certeza, vão, aos poucos, desaparecer dos noticiários, embora a primeira seja bem difícil de esconder.

    Ou seja, estamos fritos e mal pagos. Mais uma vez o brasileiro vai decidir com o estômago.

  252. Guatambu said

    Eu também avisei sobre a Grécia… pena q não sou investidor internacional…

    O índice grego voltou a subir, bateu mais de 9% de alta ontem.

    http://www.businessinsider.com/greece-stocks-rallying-on-debt-deal-2015-2

  253. Patriarca da Paciência said

    Sinceramente, caro Zbigniew , não creio que houvesse muita coisa a ser feita ! O Cunha é muito hábil e astuto, além de conhecer profundamente todos os meandros do Parlamento Brasileiro. Além do mais o camarada é muito “civilizado”, de voz mansa e ótimo argumentador.

    Quanto à Petrobrás, a Dilma fez tudo que deveria ter feito. Com apenas dois anos de mandato, demitiu o Paulo Roberto Costa, o corrupto-mor que atravessa um surto de “honestidade”. Também nunca interferiu nas investigações da Polícia Federal. Se ela errou, na minha opinião, foi em deixar que a oposição erguesse a bandeira do combate à corrupção. Imagina só, o tal Yousseff foi o principal “operador” do escândalo do Banestado, o “maior crime de corrupção já acontecido no Brasil”.

    “Nesse estudo, o “mensalão” — o nacional, não o “mineiro” — acabou ficando em décimo-oitavo lugar no ranking, tendo envolvido menos da metade dos recursos do “trensalão” tucano de São Paulo e uma parcela duzentas menor que a cifra relacionada ao escândalo do Banestado, ocorrido durante o mandato de Fernando Henrique Cardoso, que, em primeiríssimo lugar, envolveu, segundo o levantamento, em valores atualizados, aproximadamente 60 bilhões de reais.

    E ninguém, absolutamente ninguém, que dizia ser o mensalão o maior dos escândalos da história do Brasil, tomou a iniciativa de tocar, sequer, no tema — apesar do “doleiro” do caso Petrobras, Alberto Youssef, ser o mesmo do caso Banestado — até agora. ”
    (Mauro Santayanna) .

    Acho que foi aí que a Dilma errou. Tinha que ter jogado tudo isso na cara do Aecim bebê chorão.

    Mas ainda há tempo. O Cunha é muito esperto para se meter em aventura tresloucada !

  254. Zbigniew said

    Ok, Patriarca.
    Só não entendi o porquê de após essas providências na Petrobrás o esquema continuar funcionando. Um exemplo é o caso da Refinaria Abreu e Lima em Pernambuco. Neste caso a Dilma não fez tudo o que podia fazer, já que o governo tinha e sempre teve uma ingerência definitiva nos comandos da empresa. Vide a questão dos preços da gasolina e gás de cozinha, segurados como elementos de política anticíclica e controle da inflação.

    A bandeira do combate à corrupção só existe porque a corrupção também existe. E o PT envolveu-se nisso até o pescoço. Não concordo com a maneira como o processo do mensalão foi conduzido, principalmente quanto ao José Dirceu, mas não se pode negar que irregularidades foram cometidas, ainda que sob o manto do caixa 2, embora corrupções ativas e passivas tenham sido rigorosamente tipificadas e investigadas, e requalificadas no STF sob influência do poder econômico e político e do ego de alguns magistrados. Mas aí já é uma questão do vácuo de poder que o PT contribuiu para que surgisse e nunca fez questão de combater, ou nunca teve coragem, acomodado no esquema de presidencialismo de coalizão com amparo no PMDB. Vê em quem foram confiar.

    Tenho minhas reservas em comparar valores de corrupção. Corrupção é corrupção seja qual valor for. A esfera atingida é a da ética e moralidade públicas. Essas têm um alto nível de gravidade por atingir valores que devem nortear o trato com a coisa pública.

    Obviamente que as reprimendas na ordem jurídica devem observar os valores desviados, mas isso não pode, de forma alguma, ser critério de atenuação quanto à reprovação pela sociedade. O rigor deve ser o mesmo para o maior ou menor valor.

    Nestes casos a questão não é nem de valores, mas do que foi efetivamente apurado e decidido. O mensalão tucano foi pro vácuo dos fatiamentos em primeira instância. O do PT… bem, o governo será sempre o alvo principal, ainda mais tendo inimigos como a mídia oligárquica e todo o status quo que representa um pensamento contrário ao desenvolvimentismo e afeto à manutenção de uma série de privilégios que insistem em eternizar a concentração de renda e pobreza.

    Caberia a ele anular ou atenuar tais iniciativas sem abrir mão da apuração dos malfeitos, mas por moto próprio, no que estivesse ao seu alcance. Se o governo tivesse dado um basta aos desmandos da Petrobrás, doesse em quem doesse, talvez a situação não chegasse a este ponto, e o discurso dos seus inimigos teria enfraquecido. Mas, não dá pra ficar mal com quem financia sua campanha, não é?

    Aqui o PT definitivamente entrou para o rol “do mesmo do que está aí”.

  255. Daise 2.0 said

    Graça deixa Petrobras assim que governo encontrar substituto no mercado
    Interlocutores da presidente Dilma Rousseff informaram ao Blog que o governo está em busca de um substituto para Graça Foster no comando da Petrobras. A substituição será feita quando for encontrado um perfil adequado.

    Nas primeiras sondagens, houve dificuldade em encontrar no mercado profissionais com esse perfil. “Uma decisão de substituição de Graça nunca sairia sem ter um convidado para substitui-la”, disse ao Blog um interlocutor da presidente.

    “Estamos em busca de um herói para assumir a Petrobras, mas está difícil”, reforçou um parlamentar petista com livre trânsito no Palácio do Planalto.

    Na noite desta segunda (2), em um jantar na residência do senador Jorge Viana (PT-AC), o ministro-chefe da Casa Civil, Aloizio Mercadante, ouviu de integrantes da bancada petista que a situação de Graça Foster era insustentável. Segundo relatos, Mercadante ficou em silêncio.

    A substituição da presidente da Petrobras também é defendida pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Ele tem dito que enquanto Graça Foster permanecer na estatal, a pauta da agenda negativa não mudará de foco.

    A situação da dirigente da petroleira piorou desde a semana passada, quando Dilma ficou contrariada com a intenção do conselho de administração da Petrobras de divulgar balanço com prejuízos de R$ 88 bilhões por causa de desvios em corrupção. A presidente da República atuou pessoalmente para retirar do balanço esse dado.

    Para antigos colegas de Petrobras, Graça tem dito que já gostaria de ter deixado o cargo, mas que permaneceu no comando da estatal por um pedido de Dilma.

  256. Guatambu said

    Aqui está o super-trunfo da Rússia.

    Mais da metade da Europa compra gás da Rússia.

    Totalizando quase US$ 250 bilhões por ano.

    Se indispor com a Rússia é perder uma farta fonte de energia…. a menos que o petróleo continue barato desse jeito.

    http://www.businessinsider.com/russias-gas-leverage-over-europe-2015-2

  257. Patriarca da Paciência said

    Caro Zbigniew ,

    não concordo com a afirmação de que “o esquema continuou atuando”. Todas as denúncias que tenho visto dos tais “delatores”, referem-se a 2008, 2009 etc.etc.etc. Geralmente, quando falam em entregas de dinheiro ao PT, falam em doações legais, devidamente declaradas e contabilizadas, “,mas que seriam corrupção”, ou seja, inventaram a “corrupção legal”.

    Os embrulhos mais recentes são tentativas do Paulo Roberto Costa em transferir dinheiro para a filha, um cheque de 500 milhões de reais que teria se transformado em 500 mil reais etc.etc.etc.. Ou então as tais “comissões” que o Youssef receberia por cada valor resgatado, um verdadeiro absurdo jurídico e ético !

    Uma das últimas que ouvi sobre a Abreu Lima, seria sobre o aviãozinho do Eduardo Campos, até hoje inexplicado !

    Vamos esperar para abrir a caixa preta do Procurador para ver o que realmente há. Segundo o zum zum zum , o partido mais envolvido seria o PMDB do Eduardo Cunha.

    Realmente não entendo porque a direita comemora tanto a eleição de Eduardo Cunha se, desde o começo de tudo, se fala que o partido mais envolvido seria o PMDB.

    “O Brasil não é para amadores”, já o dizia Tom Jobim.

    Um fato curioso é que agora, depois de meia hora de “notícias” sobre a Petrobrás, os telejornais da Globo noticiam rapidamente, no máximo em dois minutos, as corrupções de São Paulo ! Já teriam sido bloqueados 280 milhões de reais ! Bem mais que os valores bloqueados em relação à Petrobrás !

    De minha parte, eu quero mais é que tudo seja apurado e que os culpados sejam efetivamente punidos, mas não faço pré-julgamentos.

    Se alguém do PT deve, que pague, mas ser bode expiatório, realmente, não acredito que o PT mereça. A corrupção é sistêmica e em todos os níveis. As hipocrisias do PSDB e do DEM são, simplesmente, patéticas !

  258. Patriarca da Paciência said

    Alta dos papéis da petroleira se aproximava de 10%.
    Há rumores sobre saída de Graça Foster da presidência da empresa.
    http://g1.globo.com/economia/mercados/noticia/2015/02/acoes-da-petrobras-tem-forte-alta-e-pressionam-bovespa.html

    Veja aí, caro Zbigniew,

    Ações da Petrobrás tem valorização de 10% num único dia !

    É algo realmente espantoso !

    Então essa “estória” de que a Petrobrás “foi destruída” é mesmo pura balela !

  259. Patriarca da Paciência said

    Michele Carlão Deise Desvarada(o),

    pedindo licença ao Pax, de onde você copiou o texto do comentário 255 ?

    Ou será que você é a(o) blogueiro(a)

  260. Zbigniew said

    Patriarca,
    Abreu e Lima é uma excrescência. O dinheiro ali gasto dava para construir as duas que o país precisaria para não importar o petróleo refinado. As duas que estavam previstas para o Ceará e Maranhão. E por tabela contribuiria para a melhoria dos indicadores de mais dois estados do nordeste brasileiro.

    O Paulo Roberto e demais envolvidos, indiciados e processados, são alguns elementos de um esquema maior e que continuou sim, funcionando, mesmo depois que a Dilma e a Foster começaram a tomar algumas providências.

    E isto ocorreu porque a PF e MP entraram no jogo, ou as providências não ocorreram em face das investigações? Isto não podia acontecer.

    Lembro-me que a Dilma, no primeiro mandato, só começou a exonerar ministros depois que a Veja publicava algo que os desabonassem. Deu muita moral pra uma organização criminosa como a do panfleto. O certo era derrubar de imediato. Já nos primeiros movimentos suspeitos e isso um governo não pode eximir-se a título de que não sabia. E se não sabia tinha que saber. Eles não queriam saber em nome da governabilidade.

    A mesma coisa na Petrobrás. Não tinha que esperar indiciamentos da PF e do MP. Com isso ficou a reboque, não só de instituições avessas ao próprio governo, como também deu a oportunidade para que a mídia e a oposição se assenhorassem do discurso anti-corrupção, mesmo sabendo que este sempre foi o ponto fraco do PT e de vivermos num país eminentemente hipócrita.

    Agora, além disso temos uma Presidenta que pratica tudo o que condenou no programa dos outros candidatos inclusive suprimindo algumas conquistas sociais no campo das relações de previdência e trabalho. Se foram necessárias? Talvez. Mas, pra quem apontava na direção do desenvolvimentismo a guinada foi uma surpresa bem desagradável.

  261. Patriarca da Paciência said

    Veja aí, caro Zbigniew,

    só hoje a Petrobrás foi valorizada em quase 15% !

    “Alta dos papéis preferenciais da petroleira chegaram a passar de 14%.
    Planalto não confirma troca de comando da empresa.”

    Cada vez mais acredito que o que a Petrobrás sofre mesmo é de um forte ataque especulativo !

    Voltando ao nosso assunto.

    Aquela história da Dilma demitir ministros devido a denúncias da Veja, realmente, foi de uma inabilidade incrível.

    O forte da Dilma não é política. Seria bom se o Lula tivesse se candidatado a Deputado e assumido o papel de Líder do governo, quem sabe a Dilma se sairia melhor.

    Agora, se o PMDB for mesmo o partido mais implicado nas tais delações, como ficará o Cunha ?

    Não será por aí que alguns partidos se empenharam tanto na eleição dele ?

    A eleição do Cunha é algo enigmático em todos os aspectos !

  262. Patriarca da Paciência said

    A informação entre parênteses é uma atualização do link do comentário 258

  263. Guatambu said

    Fico mto feliz em saber que eu posso ter ajudado os amigos do blog a enriquecerem.

    É gostoso ser capitalista! Muito gostoso!

    Eu avisei para comprar Petrobras há poucos dias. Está aí o resultado.

    Eu não consegui lucrar toda a valorização, mas já deu pra garantir o mês.

    Agora, antes que alguém perca dinheiro e queira me culpar, aviso: não segure demais o papel.

    O que vimos foi uma antecipação do mercado sobre um fato possivelmente positivo.

    Ocorre que a saída da Graça Foster da presidência prejudica mais a empresa do que ajuda, especialmente sendo indicada pelo Estado.

    A Graça, na realidade, tem que explicar o que aconteceu dentro de sua gestão. Isso é coisa séria. Botar outra pessoa lá, não necessariamente ajuda a apurar o que está acontecendo, até porque não é do interesse do Estado que se apure.

    Agora estou esperando uma nova queda, para comprar denovo.

    Obrigado mais uma vez, PT por permitir que eu especule com as ações da Petrobras!

  264. Guatambu said

    Rússia.

    O maior investidor individual diz que se arrepende de ter entrado no país. Seu amigo e advogado foi assassinado.

    Assim funciona um país cujo Estado é uma caixa preta e não serve ao povo, mas só a si mesmo.

    http://www.businessinsider.com/bill-browder-profile-2015-2

  265. Daise 2.0 said

    Dilma e Graça acertam cronograma de saída de toda diretoria da Petrobras
    FSP

    03/02/2015 18h42
    A presidente Dilma Rousseff acertou com Graça Foster um cronograma de saída de toda a diretoria da Petrobras.

    Ambas se reuniram no Palácio do Planalto após a Folha revelar nesta terça-feira (3) a decisão de Dilma de trocar o comando da estatal.

    A reunião durou cerca de três horas. A dirigente da estatal chegou ao Palácio do Planalto assim que Dilma retornou da viagem a Campo Grande (MS), por volta das 14h30. Foster deixou o Planalto pouco depois das 17h e seguiu para o aeroporto de Brasília.

    Graça e os demais integrantes da cúpula da empresa devem ficar no cargo até o fim deste mês. As duas combinaram que a executiva se dedicará nos próximos dias a chegar a um número crível de prejuízo devido à corrupção na companhia.
    ————————————
    O problema, pois, é inventar um “número crível” para a auditoria e o mercado — e que, ao mesmo tempo, não “enfureça” Dilma Rousseff.

    Ou, para ser mais claro, uma mentira que seja grande o suficiente para a auditoria assinar, o mercado fingir que acredita (precificar a diferença, digamos assim) e, paradoxalmente, tentar tornar menos trágica a biografia político-administrativa de Dilma Rousseff e do PT. Mais de 88 bilhões de baixa contábil nos ativos da empresa, a verdade, a Rainha de Copas não admite.

    O último servicinho de Graça: ncolher a verdade dos
    88 bilhões de baixa contábil

    Eita governinho bão !

  266. Daise 2.0 said

    DILMA A CAMINHO DA RUA!

    Ives Gandra da Silva Martins: A hipótese de culpa para o impeachment
    03/02/2015 02h00

    Pediu-me o eminente colega José de Oliveira Costa um parecer sobre a possibilidade de abertura de processo de impeachment presidencial por improbidade administrativa, não decorrente de dolo, mas apenas de culpa. Por culpa, em direito, são consideradas as figuras de omissão, imperícia, negligência e imprudência.

    Contratado por ele –e não por nenhuma empreiteira– elaborei parecer em que analiso o artigo 85, inciso 5º, da Constituição (impeachment por atos contra a probidade na administração).

    Analisei também os artigos 37, parágrafo 6º (responsabilidade do Estado por lesão ao cidadão e à sociedade) e parágrafo 5º (imprescritibilidade das ações de ressarcimento que o Estado tem contra o agente público que gerou a lesão por culpa –repito: imprudência, negligência, imperícia e omissão– ou dolo). É a única hipótese em que não prescreve a responsabilidade do agente público pelo dano causado.

    Examinei, em seguida, o artigo 9º, inciso 3º, da Lei do Impeachment (nº 1.079/50 com as modificações da lei nº 10.028/00) que determina: “São crimes de responsabilidade contra a probidade de administração: 3 – Não tornar efetiva a responsabilidade de seus subordinados, quando manifesta em delitos funcionais ou na prática de atos contrários à Constituição”.

    A seguir, estudei os artigos 138, 139 e 142 da Lei das SAs, que impõem, principalmente no artigo 142, inciso 3º, responsabilidade dos Conselhos de Administração na fiscalização da gestão de seus diretores, com amplitude absoluta deste poder.

    Por fim, debrucei-me sobre o parágrafo 4º, do artigo 37, da Constituição Federal, que cuida da improbidade administrativa e sobre o artigo 11 da lei nº 8.429/92, que declara: “Constitui ato de improbidade administrativa que atente contra os princípios da administração pública ação ou omissão que viole os deveres de honestidade, imparcialidade, legalidade e lealdade às instituições”.

    Ao interpretar o conjunto dos dispositivos citados, entendo que a culpa é hipótese de improbidade administrativa, a que se refere o artigo 85, inciso 5º, da Lei Suprema dedicado ao impeachment.

    Na sequência do parecer, referi-me à destruição da Petrobras, reduzida a sua expressão nenhuma, nos anos de gestão da presidente Dilma Rousseff como presidente do Conselho de Administração e como presidente da República, por corrupção ou concussão, durante oito anos, com desfalque de bilhões de reais, por dinheiro ilicitamente desviado e por operações administrativas desastrosas, que levaram ao seu balanço não poder sequer ser auditado.

    Como a própria presidente da República declarou que, se tivesse melhores informações, não teria aprovado o negócio de quase US$ 2 bilhões da refinaria de Pasadena (nos Estados Unidos), à evidência, restou demonstrada ou omissão, ou imperícia ou imprudência ou negligência, ao avaliar o negócio.

    E a insistência, no seu primeiro e segundo mandatos, em manter a mesma diretoria que levou à destruição da Petrobras está a demonstrar que a improbidade por culpa fica caracterizada, continuando de um mandato ao outro.

    À luz desse raciocínio, exclusivamente jurídico, terminei o parecer afirmando haver, independentemente das apurações dos desvios que estão sendo realizadas pela Polícia Federal e pelo Ministério Público (hipótese de dolo), fundamentação jurídica para o pedido de impeachment (hipótese de culpa).

    Não deixei, todavia, de esclarecer que o julgamento do impeachment pelo Congresso é mais político que jurídico, lembrando o caso do presidente Fernando Collor, que afastado da Presidência pelo Congresso, foi absolvido pela suprema corte. Enviei meu parecer, com autorização do contratante, a dois eminentes professores, que o apoiaram (Modesto Carvalhosa, da USP, e Adilson Dallari, da PUC-SP) em suas conclusões.

    IVES GANDRA DA SILVA MARTINS, 79, advogado, é professor emérito da Universidade Mackenzie, da Escola de Comando e Estado-Maior do Exército e da Escola Superior de Guerra

    *

  267. Daise 2.0 said

    EMBRAER (privatizada) nos enche de orgulho

    PETROBRAS (privatizada pelo PT) nos enche de vergonha

  268. Daise 2.0 said

    Terça-feira, 03/02/2015
    Em conversa sincera, Dilma acertou saída de Graça assim que encontrar substituto

    Na longa reunião na tarde dessa sexta-feira (3), a presidente Dilma Rousseff e a presidente da Petrobras, Graça Foster, tiveram uma conversa sincera. Não houve uma solução de imediato. Mas Dilma colocou como prioridade a substituição do comando da Petrobras e de sua diretoria, o que deverá ocorrer nos próximos dias.

    Segundo um interlocutor da presidente, ela vai se dedicar a encontrar um nome do mercado para enfrentar o desafio de presidir a estatal. O governo está em busca de um nome testado e reconhecido, para presidir a empresa. O objetivo é resgatar a credibilidade. A diretoria deverá ter gente do setor privado e de carreira. Essas mudanças deverão ocorrer em fevereiro, se os profissionais forem encontrados – não necessariamente todos de uma vez.

    Na conversa, Graça foi direta e disse que não tinha mais condições de comandar a estatal e que, portanto, teria que deixar o cargo. Foi a terceira vez que Graça colocou o cargo à disposição num prazo de dois meses.

    O desfecho só não aconteceu hoje porque ainda não há um nome para substituir Graça. “Sem dúvida, esses devem ser os piores dias da vida da Graça”, observou um auxiliar de Dilma. A sugestão de colocar um diretor interinamente no cargo foi descartada pela própria Dilma na conversa com Graça. “Isso seria muito pior. A repercussão seria péssima no mercado”, explicou outro integrante do governo.

    A situação de Graça Foster ficou insustentável na semana passada, quando Dilma demonstrou irritação com a intenção do conselho de administração da Petrobras de divulgar balanço com prejuízos de R$ 88 bilhões por causa de desvios em corrupção. A presidente da República atuou pessoalmente para retirar esse dado do balanço.

    Graça ligou ontem para Dilma, pedindo uma conversa. A presidente da República não pode atendê-la ontem e marcou para hoje. No Planalto, Graça disse que não tem condições emocionais de continuar. O carnaval, máscaras e manifestações em frente à casa dela produziram um estresse irreversível. E Dilma, depois da contrariedade com o balanço da semana passada, consentiu que realmente a diretoria não pode ficar.

    Dilma está irritada, porque acha que Graça poderia ter perguntado à Comissão de Valores Mobiliários (CVM) o que significa um número final sobre corrupção. Poderia ter lançado o número do Paulo Roberto Costa (R$ 4 bi), ou do Ministério Publico (R$ 2,8 bi), ou uma média entre eles, dizendo que ao término da investigação a empresa ressarciria os prejudicados. Algo que tirasse a Petrobras do impasse. Graça foi a público dizer que não tinha condição de encontrar esse número.

    A presidente também reclamou do abatimento de cerca de R$ 89 bilhões de ativos da empresa. Cobrou que pelo menos R$ 27 bilhões seriam ativos bons, relativos ao valor do petróleo. Num próximo balanço, esses dados serão revisados.

    A presidente Dilma considerou uma lástima a divulgação dos dados feita pela diretoria na semana passada. E consentiu que Graça e diretores próximos perderam condição politica de permanecer.

  269. Daise 2.0 said

    E ainda iremos chegar à Eletrobras, Abreu e Lima, a Usina de Itaipú, à construção de Belo Monte..várias obras do PAC e etc.

    Eita governinho bão!

  270. Daise 2.0 said

    rsrsrs o badass já colocou os cornos de molho…p da papuda ainda continua tentando entender, em vão!

    A realidade petista é cabulosa!

  271. Jose Mario HRP said

    o vendedor de sapatos de Orlando papagueando no blog.
    Como coco de pombo, só traz doença…….

  272. Jose Mario HRP said

    Os santos dando seus sermões e exigindo mediunidade!
    “Eles tinham que saber”!!!!!!!!
    Patriarca não perde tempo!
    Esse lava jato é justiciamento e alcaguetagem de conveniencia!

    Criadouro de justiceiros tipo Barbosão dominio do fato e moro prisão ilegal!

    O arbitrio ganhou e nossos santos comemoram.

    O bando/turma do Pax………

  273. Patriarca da Paciência said

    Calma, caro HRP,

    ainda há muita água a rolar por baixo dessa ponte.

    Minha opinião é que a vitória do Cunha foi uma “Vitória de Pirro” para a direitona.

    Caso se confirme mesmo que a maioria dos implicados na tal “lavajato” seja do PMDB, a eleição do dito cujo fica perfeitamente explicada. Sem dúvida nenhuma o Cunha é o político com mais habilidade e astúcia da atualidade. O cara simplesmente “cozinhará o galo” por tempo indefinido, até que o PMDB encontra uma “saída honrosa.”

    Os deputados recusaram o candidato do PT, justamente porque a presidenta Dilma declarou que queria “apurar tudo doa a quem doer”. Imagina se os parlamentares iriam querer uma solução dessa magnitude ?

    Então é isso aí, perde-se uma batalha, mas a guerra não está perdida.

    Os programas principais do governo, dificilmente, seriam anulados, pois contam com o apoio da grande maioria do povo brasileiro !

  274. Patriarca da Paciência said

    Comentário 267,

    acontece que, se a EMBRAER não tivesse sido criado pelo Estado Brasileiro, simplesmente, não existiria !

    Assim como não existiria a Petrobrás !

  275. Guatambu said

    Se o Agnelli for escolhido pra tocar a Petrobras eu vou chorar de rir.

    Acho que as ações tendem a subir até sexta-feira, mas em ritmo menor.

    No entanto, eu não tomarei o risco por enquanto. Assim que anunciarem a nova diretoria compro denovo.

    Se for o Meirelles, as ações vão disparar um pouquinho mais.

    Obrigado PT!!!

    Vamos fazer dinheiro galera!!!

  276. Elias said

    “Elias, Eu não acho que te surpreendo: vc sabe bem onde eu quero chegar. Se começa a ter bastante dinheiro aqui dentro, a taxa de juros naturalmente deve cair, o que já é positivo.” (Guatambu)

    Quem dera que as coisas fossem tão simples assim.

    1 – O dinheiro que entra no mercado financeiro, só entra porque os juros são altos. Se os juros baixarem, o mercado deixa de ser interessante, e o dinheiro vai pra outro lugar, onde os juros sejam altos.

    2 – Isso quer dizer que, quando os juros estão baixos ou nulos nos países ricos, e um país pobre ou “emergente” baixa os juros é porque ele está procurando “espantar” o excesso de dinheiro externo. Isso porque, como é de raso saber, o diferencial de juros entre países ricos e pobres, funciona como um dinheiroduto destes para aqueles (e, aí, os ricos ficam cada vez mais ricos, e os pobres cada vez mais pobres,etc. e tal).

    3 – Acontece que, como já se demonstropu mais acima, baixar juros equivale a criar moeda. Se um governo baixa os juros no momento em que o PIB não está crescendo, ele está criando “moeda sem produto”.

    4 – Criar moeda sem produto = criar inflação.

    5 – É quando o governo deve avaliar o preço de tudo. Uma coisa é criar inflação, até um dado limite, em troca da manutenção dos níveis de consumo, emprego e renda. Outra, bem diferente, é criar inflação só pra diminuir os efeitos do ataque predatório dos países ricos.

    6 – Daí porque o governo Lula, a meu ver acertadamente, em vez de baixar a taxa dejuros preferiu aumentar o imposto sobre lucros em aplicações financeiras. Isso minimiza os efeitos dos ataques predatórios, não inflaciona e, de quebra, ainda aumenta a receita pública. Por mim, cada vez que o BC da UE e/ou o FED empurrarem dinheiro público no mercado spot, o governo brasileiro deve tacar a porrada nos parasitas do mercado financeiro. IOF NO RABO DA CANALHA!

    7 – É claro que os pseudoliberais brasileiros — na prática, viralatas lambedores de bolas estrangeiras — vão chiar, mas… Não tem problema: cada vez que essa gente começar a papagaiar as bosteiras de sempre, é só dar a descarga… Que vão todos pro lugar que lhes cabe, por justo mérido…

  277. Elias said

    Patriarca,
    “Programas sociais” são programas inclusivos ou redistributivos.

    Nenhum programa social é base para crescimento econômico. O certo é o inverso: o crescimento econômico é base para programas sociais.

    A razão disso é simples: para que tu distribuas riqueza é necessário, antes, criar riqueza.

    Impossível distribuir riqueza que não existe, porque ainda não foi criada. A alternativa seria confiscar a riqueza de uns, para dá-las a outros. Só que, neste caso, estarias distribuindo pobreza, e não riqueza, já que a melhoria da condição econômica de uns ocorreria à custa do empobrecimento de outros. Onde e quando isso foi feito, o resultado foi que todos ficaram pobres. Não dá certo! Nunca deu certo!

    Não foi outra a razão pela qual o incremento dos programas sociais se deu em associação com um programa de aceleração do crescimento. Sem incrementar o crescimento econômico, não dá nem pra pensar na ampliação do alcance dos programas sociais.

    É o crescimento econômico que gera mais arrecadação pública, o que permite a manutenção ou até a ampliação dos gastos públicos nos programas sociais, em especial aqueles centrados na transferência de renda real a pessoas (sob a forma de dinheiro, bens ou serviços).

    Além do mais, o aumento da oferta de trabalho gerada pelo crescimento econômico tende a reduzir gradualmente o universo de pessoas dependentes dos programas sociais.

    O objetivo estratégico dos governos deve ser a emancipação econômica das pessoas hoje em situação de carência, e não na transformação dessas pessoas em eternos dependentes do guarda chuva estatal.

    Queremos um país de cidadãos, não de mendigos! (Corrupax, taí mais um bordão meu. Pode usar à vontade…).

  278. Guatambu said

    Elias,

    2 – Isso quer dizer que, quando os juros estão baixos ou nulos nos países ricos, e um país pobre ou “emergente” baixa os juros é porque ele está procurando “espantar” o excesso de dinheiro externo. Isso porque, como é de raso saber, o diferencial de juros entre países ricos e pobres, funciona como um dinheiroduto destes para aqueles (e, aí, os ricos ficam cada vez mais ricos, e os pobres cada vez mais pobres,etc. e tal). (Elias)

    E também pode significar que a taxa de juros esteja desnivelada. Por que está desnivelada? Porque ninguém previu o que ia acontecer no cenário internacional e não antecipou o movimento. Quem trabalha em economia tem que trabalhar de olho no futuro, e não de olho no passado.

    Além disso, a taxa de juros tem diversas finalidades dentre elas controlar a inflação e atrair capital estrangeiro.

    3 – Acontece que, como já se demonstropu mais acima, baixar juros equivale a criar moeda. Se um governo baixa os juros no momento em que o PIB não está crescendo, ele está criando “moeda sem produto”.

    4 – Criar moeda sem produto = criar inflação.

    Óbvio.

    Tão óbvio quanto: sabendo-se que há uma tendência mundial aos QEs, e sabendo-se que há uma alta liquidez no mundo. Basta redirecionar o fluxo de capital para investimentos em produção.

    A pergunta que eu faço é: por que isso não foi feito?

  279. Guatambu said

    Rússia.

    Tudo lindo: inflação batendo na bunda dos russos.

    http://www.businessinsider.com/russians-instagram-food-inflation-2015-2

    E o Putin está cobrando US$ 3 bilhões da Ucrânia. De que? Empréstimos feitos que ele precisa antecipar pq ele está com um exército na Ucrânia… e de alguma maneira ele precisa pagar esse exército para… destruir a Ucrânia.

    Putin está disputando o nível de político do ano com a Dilma.

    Só pode.

  280. Guatambu said

    Elias,

    Agora dá uma olhada nisso.

    http://www.businessinsider.com/greek-finance-minister-yanis-varoufakis-on-the-euro-crisis-2015-2

    O economista grego, diz que o sistema da UE é falho e caminha para o fracasso, e dá os seus motivos.

    E propõe o seguinte para recuperar a UE (chama a proposta dele de Modest Proposal):

    . recapitalisation of struggling banks directly on a case-by-case basis by the European Stability Mechanism bailout fund, rather than having to go via national governments,

    . investment for small and medium firms in struggling states financed through existing European bodies such as the European
    Investment Bank (EIB) and the European Investment Fund (EIF), and

    . guaranteed access to nutrition and to basic energy needs for all Europeans, by means of a European Food Stamp Programme.

    No final das contas, o que ele está dizendo é simplesmente: botem mais dinheiro.

    Com a diferença que hoje, quem bota e controla o dinheiro é o governo, e quem vai fazer isso de acordo com a ideia “modesta” dele são outras instituições.

    Como é que botar mais dinheiro reduz a dívida?!

  281. Patriarca da Paciência said

    Elias,

    Já se disse várias vezes que o problema do Brasil não é falta de dinheiro e sim a má distribuição do dinheiro. O Brasil tem a pior distribuição de renda do mundo. Japão, Alemanha e, principalmente os países escandinavos, a diferença entre o maior e o menor salário fica aí por cinco vezes. Se o menor salário é dez mil, o maior é cinquenta mil Agora veja o caso da Petrobrás, a qual está muito em evidência ultimamente. Segundo foi noticiado, o presidente da Petrobrás ganha 160 mil. O coitado terceirizado que faz a limpeza, quanto muito, deve ganhar um mil, ou seja, uma diferença de 160 vezes.

    Então o problema não é distribuir uma riqueza que não existe e sim, redistribuir uma riqueza que já existe.

    É claro que de um modo lento e gradual, como o governo do PT vem fazendo e que foi um sucesso nos países escandinavos. Você leu o comentário que eu postei sobre os “jecas dinamarqueses” ? Eles eram iguaizinhos o nossos, e foram resgatados com programas de melhorias na saúde, educação e moradia. Através de salários “indiretos”, não inflacionários, em saúde (Mais Médicos) educação (dezenas de programas escolares) e moradias (Minha Casa Minha Vida). Os programas sociais do governo do PT são a maior distribuição de renda já acontecida no Brasil, ou mesmo nas Américas, em toda a História. É exatamente isso que a nossa direita burra e predatória não engole.

    Esse é o meu ponto. Pessoas saudáveis, instruídas e com segurança de moradia, serão muito mais produtivos e estudiosos, portanto, aptas a criar um crescimento sustentável. Não há outro caminho.

    Esperar que “a mão invisível do mercado”, ou a “Natureza”, faça isso pelo povo, é o mesmo que esperar que uma criança recém nascida se crie sozinha.

  282. Guatambu said

    Só a chamada desse artigo tem mais informação do que parece.

    http://www.infomoney.com.br/onde-investir/renda-fixa/noticia/3843696/titulo-publico-melhor-aplicacao-deste-seculo-afirma-estudo

    Um lugar do mundo onde os títulos públicos rendem mais do que outras aplicações….

  283. Patriarca da Paciência said

    “Fabio de Sá e Silva, PhD em Direito, política e sociedade, lembra em artigo que o parecer de Ives Gandra que dá justificativa a um impeachment da presidente Dilma “flerta com uma visão muito parecida com a teoria do ‘domínio do fato’, que ele tanto criticou” durante a Ação Penal 470; “A tese de Gandra é de que, ao longo dos últimos oito anos, Dilma teria sido ‘omissa’ na gestão da Petrobras”, diz Sá e Silva”
    (247)

    Pois então ?

    Até hoje não foi apresentada uma única prova contra José Dirceu. Bandeira de Mello, um dos maiores juristas do Brasil, continua dizendo que a condenação de José Dirceu foi, em verdade, a negação do Direito.

    O Gandra até deu um parecer estranho, mas ressaltou que ” Não deixei, todavia, de esclarecer que o julgamento do impeachment pelo Congresso é mais político que jurídico, lembrando o caso do presidente Fernando Collor, que afastado da Presidência pelo Congresso, foi absolvido pela suprema corte. Enviei meu parecer, com autorização do contratante, a dois eminentes professores, que o apoiaram (Modesto Carvalhosa, da USP, e Adilson Dallari, da PUC-SP) em suas conclusões.”

    Então é isso aí, é uma questão totalmente política. Terá que ser um decisão de parlamentares, não do Judiciário. Mas o Fernando Henrique Cardoso, metendo mais uma vez os pés pelas mãos, e em contradição com o próprio parecer que contratou, diz que é uma questão do Judiciário.

    É claro que o Judiciário não vai se meter nessa aventura tresloucada !

  284. Jose Mario HRP said

    Patriarca, isso tudo aí é golpe paraguayo…..
    E a Dilma não comeu nenhuma menininha….
    KKKKKKKKK…..
    O bebado viciado deu seu shoooow de histeria
    ontem no Senado..
    Pirou quando foi chamado de perdedor!!!!!

  285. Jose Mario HRP said

    O BEBADO DESEQUILIBRADO

  286. Jose Mario HRP said

    http://www.conversaafiada.com.br/brasil/2015/02/04/mpf-ignora-denuncia-de-venina-essa-gloria-maria/

    ESSA GLOBO NÃO ACERTA UMA!

  287. Jose Mario HRP said

    O BEBADO SEGUNDO O BOMBADÃO PROIBIDÃO!!!!!!!

  288. Patriarca da Paciência said

    Aecim bebê chorão ficou muito contrariado com a mesa de Senado e derramou mais um rio de lágrimas !

    Aecim bebê chorão pensou que Renan Calheiros iria facilitar a vida dele !

    Ora bolas ! Se a mesa da Câmara ficou totalmente fora da base do governo, é muito justo que a mesa do Senado fique com a base do governo ! Como disse o Renan Calheiros, “vossa excelência deixou de ser presidente da república por ser um homem de pensamento estreito”.

    Estreito, limitado e chorão !

    Vai chorar nas nascentes do Cantareira, Aecim, vai, será muito mais útil !

  289. DAISE 2.0 said

    Dilma denuncia a incompetência cometendo-a
    Josias de Souza

    Dilma não pode ser entendida à luz dos conceitos clássicos da política.
    Há uma originalidade dramática no governo dela. A gestão Dilma é mais suicídio do que morte natural. É mais uma imolação do que um mandato. Dilma é movida por objetivos instintivos e paradoxais. Virou uma caricatura da gerente de Lula. E se autoatribuiu a missão inconsciente de desnudar a ineficiência. Dilma denuncia a incompetência cometendo-a.

    Dilma fez da Petrobras seu latifúndio improdutivo. Insensível, Graça Foster não teve sensibilidade para enxergar que Dilma é uma presidente diferente. Seus antecessores enfrentavam crises provocadas por opositores. Revolucionária, Dilma fabrica a crise que ressuscita a oposição e revitaliza a democracia. Mantida no comando de uma estatal hemorrágica, Graça pediu para sair.

    Demitiu-se uma, duas, três vezes. Quando o caos virou pântano, Graça deu um ultimato à presidenta. Instada a aguardar mais alguns dias, Graça decidiu socorrer Dilma, exonerando-a da obrigação de demiti-la. Foi arrastada para a exoneração por outros cinco executivos. Restou o grão-petista José Eduardo Dutra que, no usufruto de uma licença médica, absteve-se de requerer alta da Cleptobras.

    Diz-se no Planalto que Dilma ficou irritada com um telefonema que recebeu de Graça na noite de terça-feira. Depois de combinar a cronograma de sua fritura, a amiga de Dilma ligou para avisar que saltaria da frigideira antes do prazo. Ora, francamente. Isso não se faz! Dilma não admite improvisos. No seu governo, o erro é fruto de minucioso planejamento.

    O Brasil se preocupa com Dilma. A nação se esvai na torcida para que a presidente não fique irritada. A dieta da madame está surtindo efeito?, perguntam-se todos. O que Dilma comeu hoje? Quem Dilma mastigou ontem? O país segue os humores da presidente como novela das nove.
    E Graça resolveu irritá-la assim, gratuitamente, deixando a cena como um navio que abandona os ratos. Dizia-se que Graça era muito parecida com Dilma. Tolice.
    Faltou-lhe a grandeza da vista curta que caracteriza a amiga. Aos olhos de Dilma,
    Graça cometeu o erro de sair.

  290. Patriarca da Paciência said

    “Os diretores da Petrobrás põem dinheiro na Suiça. Roubam em subfaturamento e superfaturamento. Constituem a MAIOR QUADRILHA QUE JÁ ATUOU NO BRASIL .” (Paulo Francis, em 1996, durante o governo de Fernando Henrique Cardoso)

    Nessa época o Paulo Roberto Costa já era diretor da Petrobrás e o Youssef era o operador do escândalo do Banestado !

    É patético acreditar que os diretores da Petrobrás ficaram desonestos apenas durante o governo do PT. Muito pelo contrário, apenas no governo do PT o corrupto-mor, Paulo Roberto Costa, foi demitido e a Polícia Federal teve liberdade para investigar. Antes do governo do PT e, principalmente durante a Ditadura Militar, a Polícia Federal agia apenas para amedrontar e prender cidadãos que protestavam contra o governo

  291. Jose Mario HRP said

    Patriarca, há 40 anos , o Semler,, industrial aqui de Sao Paulo, já dizia desse esquema.
    E o bebado do senado??
    Renan tirou um sarro danado dele!!!!!!!

  292. Elias said

    Guatambu,

    Lembra que o que eu escrevi foi em resposta isso:

    “Elias, Eu não acho que te surpreendo: vc sabe bem onde eu quero chegar. Se começa a ter bastante dinheiro aqui dentro, a taxa de juros naturalmente deve cair, o que já é positivo.” (Guatambu)

    Os pontos que eu sustento são:

    1 – Quando os países ricos adotam uma taxa de juros muito baixa (e até nula), para acesso a dinheiro público, a consequência é a drenagem de riqueza dos países pobres para os ricos. A esse respeito, há estudos realizados desde o Século XIX que já se tornaram clássicos (e insuperáveis tecnicamente). Os milhares de estudos realizados no século seguinte, e no atual, apenas confirmaram isso. Este, aliás, é um dos poucos pontos que não provocam controvérsias entre monetaristas e estruturalistas, liberais e desenvolvimentistas, etc. Todos estão de acordo quanto a isso.

    2 – Para se defender disso, os países pobres praticamente só têm três alternativas: (i) aumentam a tributação sobre rendimentos financeiros; (ii) baixam sua taxa básica de juros; (iii) adotam um mix das duas medidas.

    O aumento da tributação sobre ganhos financeiros tende a criar problemas políticos, já que ele afeta negativamente o investidor local.

    Já a redução da taxa básica de juros tem o inconveniente de criar inflação.

    Observa que tu disseste que a queda da taxa de juros é algo “positivo”. Negatowsky! A queda da taxa de juros nem sempre é algo “positivo”. Jamais seria algo “positivo” no Brasil de hoje.

    A queda da taxa de juros só é algo “positivo” num contexto de crescimento econômico acentuado, ou se houver capacidade ociosa no aparelho produtivo (caso em que essa capacidade ociosa seria mobilizada para absorver o aumento de demanda).

    O nó econômico do Brasil é, exatamente, o fato de que a economia não está crescendo e, ao mesmo tempo, praticamente não há capacidade ociosa. Vale dizer: um incremento na produção depende de novos investimentos. Acontece que, por conta da crise econômica eseus desdobramentos, uma montanha de investimentos está sendo simplesmente cancelada.

    Num contexto assim, uma queda na taxa básica de juros seria algo tão positivo quanto dar um tiro na cabeça…

    Gozado que eu também escrevi: “3 – Acontece que, como já se demonstropu mais acima, baixar juros equivale a criar moeda. Se um governo baixa os juros no momento em que o PIB não está crescendo, ele está criando “moeda sem produto”.4 – Criar moeda sem produto = criar inflação.”

    E tu comentaste: “Óbvio.”

    Se é tão óbvio assim, então por que disseste que “Se começa a ter bastante dinheiro aqui dentro, a taxa de juros naturalmente deve cair, o que já é positivo.”?

    Aumentar a quantidade de dinheiro em circulação quando o PIB anda de lado, nunca foi nem nunca será algo “positivo”. Pelo menos nisso todas as correntes de pensamento econômico, sem exceção, estão de acordo. Monetaristas, socialistas, estruturalistas, marxistas (esse animal ainda existe?), liberais, baianos, mineiros, corintianos, sãopaulinos, vascaínos, flamenguistas,etc., não divergem quanto a isso.

    Nada a ver com “desnivelamento” de taxa de juros.

    Aliás, quando se trata de comparar países rico com países pobres, o desnivelamento da taxa de juros é estado natural. Nos países pobres, a taxa de juros é,sempre, mais alta que nos países ricos.

    Como novamente concordam liberais, estruturalistas, socialistas, marxistas e outros tipos de chatos, dinheiro é mercadoria, cujo preço é o juro. Assim, mestre Acácio em pessoa não teria dificuldade em concluir: pela lei da oferta e da demanda, onde uma determinada mercadoria é abundante o preço tende a ser mais baixo; onde a mesma mercadoria é escassa, o preço tende a ser mais alto.

    Como nossos argumentos estão se repetindo, sugiro encerrar a discussão sobre esse tema.

  293. Zbigniew said

    Patriarca,

    em #290

    “É patético acreditar que os diretores da Petrobrás ficaram desonestos apenas durante o governo do PT. Muito pelo contrário, apenas no governo do PT o corrupto-mor, Paulo Roberto Costa, foi demitido e a Polícia Federal teve liberdade para investigar. Antes do governo do PT e, principalmente durante a Ditadura Militar, a Polícia Federal agia apenas para amedrontar e prender cidadãos que protestavam contra o governo”

    É aqui que se encontra o vácuo de poder. Era para o PT e a Dilma terem derrubado esse esquema de há muito. Não terem esperado que a PF, o MP, o juiz federal, a mídia oligárquica e, agora, o Cunha, autorizando a CPI, junto com a oposição, colocassem todo o peso da hipocrisia para tumultuar o ambiente político através do enfraquecimento da Petrobrás e da possibilidade de alcançar o Planalto.

    Principalmente com a experiência de um mensalão. Foi muito amadorismo, muita desídia. Disse e repito: o PT foi engolido pela fera que tentou dominar.E não adianta aplacar o mercado. Vai terminar se isolando, sem qualquer força no parlamento.

  294. Elias said

    Patriarca,
    Distribuir a riqueza que “já existe” nunca foi proposta do PT. Certamente não foi nem é a política dos governos Lula e Dilma.

    Distribuir a riqueza que “já existe” foi política da União Soviética (durante algum tempo), da China (mas só em alguns locais do país), e de Cuba.

    A União Soviética cedo abandonou essa tática. Lá por volta dos anos 1930, o ditador italiano Benito Mussolini ironizava sobre a falência do socialismo, lembrando que nenhum país do mundo tinha uma legislação de proteção à propriedade privada mais radical do que a União Soviética.

    A China jamais adotou essa política em mais de dois terços do país, notadamente na parte fora da faixa litorânea. No setor agrário longe da faixa litorânea, aliás, os comunistas chineses praticamente não tinham nada a dizer. O sistema de propriedade coletiva era praticado há centenas de anos, e está em vigor até hoje, com poucas alterações no sistema político (a principal diferença no plano político é que o posto de “Chefe de Aldeia”, que era hereditário, passou a ser eletivo, e o tal “chefe” passou a ser subordinado ao prefeito do município-sede). Os comunistas preferiram não mexer muito no resto (até porque, se mexessem, provavelmente ia dar a maior melecada…).

    Em Cuba, deu no que deu… E sem essa de ficar falando no bloqueio americano. Claro que o bloqueio é uma josta (hoje, nem o presidente americano concorda com ele). Agora, dizer que o bloquio americano é o responsável pela falência econômica de Cuba, é pular uma passagem…

    O Canadá nuinca bloqueou Cuba. Nem a Inglaterra. Nem a França. Nem a Alemanha. Nem a Dinamarca.Nem a Suécia. Há décadas que a maioria dos países latinoamericanos está c..ando e andando para o bloqueio americano a Cuba.

    Por que Cuba depende tanto, assim, do capitalismo americano? Os socialistas cubanos só terão êxito com a inestimável e insubstituível ajuda dos porcos capitalistas americanos? Se isso é piada, no que depender de mim o regime cubano terá que contar outra… Não achei graça nenhuma!

    Esse papo de distribuir a riqueza que “já existe” tem perna curta. É violenta, pune quem progrediu por seus próprios méritos e esforços, beneficia quem não quer trabalhare produzir, e, no fim, por isso mesmo, nada aproveita ao país.

    O negócio é promover o crescimento econômico, expandindo as oportunidades de trabalho. Os programas sociais do governo devem ter caráter emergencial e compensatório (no futuro, que desejo breve, os programas sociais devem ter caráter residual). Devem funcionar como guarda-chuva ou marquise, servindo só pra passar a chuva, ou seja, enquanto os beneficiários não são absorvidos pela expansão da oferta de emprego. A partir daí, cada qual deve se manter, e, se for o caso, progredir, de acordo com seu próprio esforço.

    Eternizar a dependência em relação a programas sociais do Estado é inviável do ponto de vista econômico e injusto e indigno do ponto de vista social.

    A inclusão social implica a dignificação pelo trabalho.

    Insisto: trata-se de construir um país de cidadãos, não de mendigos ou parasitas.

    Não é nada de novo. É só olhar os exemplos do Japão, de Israel, da Alemanha, da Dinamarca, etc….

  295. Guatambu said

    Elias,

    Os nossos argumentos estão se repetindo pq vc insiste em dizer que taxa de juros baixa num país onde o PIB anda de lado é negativo.

    E eu insisto em perguntar quem é o responsável pelo caranguejar do PIB.

    Em um cenário onde há demanda reprimida para tudo quanto é lado no mercado interno brasileiro, justificar que o único responsável pelo caranguejar do PIB é errado.

    Ocorre que o Estado, que é o senhor da economia brasileira, é muito preguiçoso e leniente… e mesmo sabendo do cenário macroeconômico externo, não se preparou um mínimo para isso. Fez o contrário: foi lá dizer à Angela Merkel: “Vc não pode fazer isso pq vai nos matar!”

    E, como é óbvio, tomou uma banana… e tratou de repassar essa banana pro brasileiro.

    Mas parece que não lhe apetece muito criticar a política econômica feita: nem pelo Lula, nem pela Dilma.

    Tudo bem…

  296. DAISE 2.0 said

    INCOMPETÊNCIA? OU DESONESTIDADE

    PT recebeu até US$ 200 milhões em propina da Petrobras, estima delator
    FSP 05/02/2015 12h46

    Em depoimento concedido em acordo de delação premiada, Pedro José Barusco Filho, ex-gerente de engenharia da Petrobras, estima que o PT tenha recebido entre US$ 150 milhões e US$ 200 milhões entre 2003 e 2013 de propina retirada dos 90 maiores contratos da Petrobras, como o da refinaria Abreu e Lima, em construção em Pernambuco.

    Barusco afirma que o tesoureiro do partido, João Vaccari Neto, teve “participação” no recebimento desse suborno. Vaccari Neto, de acordo com ele, ficou, até março de 2013, com US$ 4,5 milhões.

    Ainda segundo ele, houve pagamentos até fevereiro do ano passado.

    Segundo Barusco, Vaccari participou pessoalmente de um acerto fechado entre funcionários da Petrobras e estaleiros nacionais e internacionais relativos a 21 contratos para construção de navios equipados com sondas, contratações que envolveram ao todo cerca de US$ 22 bilhões.

    “Essa combinação envolveu o tesoureiro do Partido dos Trabalhadores, João Vaccari Neto, o declarante [Barusco] e os agentes de cada um dos estaleiros, que deveria ser distribuído o percentual de 1%, posteriormente para 0,9%”, declarou Barusco.

    Segundo o delator, desse 1% sobre o valor dos contratos, a divisão se dava da seguinte forma: “2/3 [dois terços] para João Vaccari; e 1/3 para ‘Casa 1’ e ‘Casa 2′”. Barusco envolveu outros funcionários da Petrobras no esquema.

    A “Casa 1”, segundo o ex-gerente, era o termo usado para “o pagamento de propina no âmbito da Petrobras, especificamente para o diretor de Serviços Renato Duque e Roberto Gonçalves, o qual substituiu o declarante na gerência executiva da Área de Engenharia”.

    A “Casa 2” referia-se “ao pagamento de propinas no âmbito da Setebrasil, especificamente para o declarante, João Carlos de Medeiros Ferraz, presidente da empresa e, posteriormente, também houve a inclusão de Eduardo Musa, diretor de participações da empresa”.

    Durante o depoimento, Barusco entregou à força-tarefa da Lava Jato uma série de documentos que, segundo ele, comprovam os pagamentos realizados pelos estaleiros para contas bancárias localizadas na Suíça e sob controle de diversos operadores do esquema, incluindo Renato Duque, ex-diretor de Serviços indicado pelo PT e que teve recentemente a prisão relaxada por decisão do STF (Supremo Tribunal Federal), em habeas corpus.

    Barusco disse que um dos pagamentos foi de US$ 2,1 milhões do estaleiro Jurong para Renato Duque, na Suíça.

    Até março de 2013, segundo Barusco, João Vaccari já havia recebido um total de US$ 4,52 milhões do estaleiro Kepell Fels. Vaccari era identificado numa tabela de pagamento de valores pela sigla de “Moch”, que significava “mochila”, “uma vez que o declarante quase sempre presenciava João Vaccari Neto usando uma mochila”.

    Ele apntou ainda Milton Pascowitch como operador da Engevix no esquema. Ele foi levado nesta quinta-feira (5) à Polícia Federal para ser ouvido sobre movimentações de dinheiro no exterior.

    As tabelas com as inscrições foram entregues por Barusco à Polícia Federal.

    OUTRO LADO

    O PT ainda não se pronunciou oficialmente sobre as declarações de Barusco. Em notas anteriores o partido sempre afirmou que só recebeu colaborações legais.

    Duque e Vaccari já negaram, por diversas vezes, qualquer participação nas irregularidades da Petrobras.

  297. Guatambu said

    Grécia.

    http://www.businessinsider.com/the-ecb-decision-is-bringing-forward-greece-endgame-2015-2

    Na realidade, a Grécia precisa estatizar a economia porque para que consiga empréstimos de curto-prazo, ela precisa de colaterais, esses colaterais devem ser ativos. Esse é o principal motivo: conseguir mais empréstimos.

    A ideia de estatizar as dívidas porque as dívidas públicas são mais baratas que as dívidas particulares eu vejo como uma distorção.

    As ações da Grécia tomaram um pau novamente, porque o governo, que esperava esticar as negociações até o meio do ano, tomou um “não” do FMI e da autoridade e do Banco Central Europeu.

    E o Varoufakis, o Guido Mantega da Grécia tá navegando no fio da navalha agora.

    Eu comentei sobre os cenários de desdobramento econômico e políticos que imagino para isso, e dos “recados” que a autoridade monetária da UE pode passar pro restante dos países cujos narizes já estão próximos da água em termos de endividamento.

    Aparentemente, uma das preocupações é também, que essa inflexibilidade toda ao cobrar os países de responsabilidade fiscal levam ao surgimento de partidos cada vez mais radicais de esquerda.

    É a esquerda dando aula de como zonear com a zona… do Euro.

  298. Guatambu said

    Enquanto isso o PT e o Estado continuam proporcionando várias oportunidades de acúmulo de capital à base da especulação.

    http://www.infomoney.com.br/mercados/acoes-e-indices/noticia/3848944/petrobras-sobe-hora-qualicorp-desaba-com-dedo-governo

    E a bola da vez é a Qualicorp, afetada pela ideia de aumentar os planos de saúde individuais por meio de desregulamentação do mercado.

    Não basta ter o SUS, o Estado tem que meter o dedo em tudo! E toda vez que o Estado mete o dedo, ele tende a acertar o olho (epa!!!!!) dos empresários, e indiretamente, dos consumidores.

    Tudo isso por que? Porque a legislação brasileira é tão complexa e o judiciário é tão ruim, que o sistema legal brasileiro sozinho não dá conta de botar nos trilhos os serviços médicos oferecidos por empresas privadas, tendo que haver uma regulação estrita, que por sua vez é controlada pelo governo, que tem que ser paga com impostos, que onera o povo, que não pode consumir direito, que empaca a economia… e assim vai.

  299. Guatambu said

    Inglaterra.

    E enquanto o Brasil se preocupa em como é que ele vai tirar mais dinheiro do bolso do povo, a Inglaterra mostra que quer oferecer a melhor infraestrutura para jovens graduados e empreendedores no segmento de tecnologia, isto é, usando o dinheiro já arrecadado.

    A Inglaterra quer criar informações para integrar os empreendedores nesse setor.

    Que diferença, né?

    http://www.businessinsider.com/uk-tech-companies-not-in-london-2015-2

  300. Pax said

    200 milhões e subindo…
    nem entraram nos Correios, BB, CEF, BNDES, Fundos de Pensão, Agências Reguladoras, Eletrobras… tem pra todo lado
    run, quadrilheiros, run !

    em São Paulo a coisa é mais amena, a Justiça é diferente, tem quadrilha cheirosa e quadrilha mal cheirosa…

    tá ficando bom

    hora de passar o rodo geral

  301. Patriarca da Paciência said

    “Distribuir a riqueza que “já existe” nunca foi proposta do PT. Certamente não foi nem é a política dos governos Lula e Dilma.”

    Discordo, caro Elias,

    a política que o PT executa, direcionando os gastos sociais para os mais pobres, é exatamente uma forte distribuição de riqueza que já existe. Tanto que os governos Lula e Dilma conseguiram tirar milhões da miséria e, melhorar a vida de outros milhões, num percentual bem acima do crescimento do PIB. Se o PT tivesse distribuído riqueza apenas na proporção do crescimento do PIB, o próprio salário mínimo seria bem menor do que é hoje. O Mais Médicos está levando um pouco de saúde para milhões que nunca poderiam pagar por um tratamento médico. Milhões de estudantes pobres são beneficiados pelos programas escolares. Milhões são beneficiados pelo Minha Casa Minha Vida. Tudo isso é distribuição riqueza que já existe, de uma maneira não inflacionária, através de rendimentos “indiretos”. É exatamente isso que está deixando a direitona em polvorosa !

    Discordo também que exemplos de Rússia, China e Cuba sejam compatíveis com o Brasil. Nunca vi Lula citando Karl Marx ou Lenin. Muito pelo contrário, Lula se refere sempre à dona Lindu, sua mãe, como sua grande mentora. “Se a mãe tem um pedaço de carne maior para oferecer aos filhos, ela não vai escolher o filho mais bonito, mais esperto ou mais saudável. Muito pelo contrário, ela vai escolher aquele que está mais necessitado. O mais fraquinho.”

    E os “jecas dinamarqueses”, segundo Henrik Pontoppidan, ganhador do Prêmio Nobel de Literatura de 1917, eram bem semelhantes aos nossos jecas descritos por Monteiro Lobato.

  302. Patriarca da Paciência said

    “Em nota, partido presidido por Rui Falcão nega denúncias do ex-gerente da Petrobras de que tenha recebido propina por meio de contratos da estatal e diz que declarações “seguem a mesma linha de outras feitas em processos de ‘delação premiada’ e que têm como principal característica a tentativa de envolver o partido em acusações, mas não apresentam provas ou sequer indícios de irregularidades e, portanto, não merecem crédito”; partido reitera que “recebe apenas doações legais e que são declaradas à Justiça Eleitoral” e afirma que “acusadores serão obrigados a responder na Justiça pelas mentiras proferidas contra o PT”
    (247)

    O PIG continua com a mesma tática. Joga lama para todo lado e depois dá uma de joão sem braço. (não é obrigado a revelar as suas fontes)

    As acusações contra o José Dirceu, de que teria também recebido propina do lavajato, pararam por completo. Mas por algum tempo esteve nas manchetes.

    Basta um “delator” fazer uma declaração, que o PIB já a publica como verdade absoluta !

    Aquela história do picareta. receptador de cargas roubadas, ainda na primeira eleição da Dilma, que o PIG publicou como sendo “um empresário” que teria se recusado a pagar propina, por isso não teria recebido um empréstimo ( segundo foi publicado, cara-de-pau pleiteou 9 bilhões) do BNDES, nunca mais ninguém falou..

    Mas o PIG segue jogando lama para todo lado !

  303. DAISE 2.0 said

    A PLANILHA DO ROUBO NA PETROBRÁS

    http://infogbucket.s3.amazonaws.com/arquivos/2015/02/05/planilha-barusco.pdf

  304. DAISE 2.0 said

    hehehe jeca petista? os dinamarqueses de 1917 já morreram.

    O pp esqueceu de deitar…

  305. DAISE 2.0 said

    agora um RA na veia…rsrs

    Enfim, a natureza do jogo: o país assaltado por um partido político. Ou: Onde está Lula, o falastrão?
    Postado:Thu, 05 Feb 2015 18:59:10 +0000

    Aos poucos, as coisas começam a assumir a sua real natureza. O conteúdo do depoimento de Pedro Barusco, que veio a público, põe as coisas nos seus devidos termos. Até havia pouco, parecia que um grupo de empreiteiras malvadas havia se organizado para corromper agentes públicos antes probos, que caíram em tentação.

    Segundo Barusco afirmou à Justiça em novembro, João Vaccari Neto, tesoureiro do PT, arrecadou em propina, entre 2003 e 2013, algo entre US$ 150 milhões e US$ 200 milhões. Não, senhores! Vaccari não é um homem de grandes ambições pessoais. Ele trabalha para uma máquina chamada PT.

    Desde sempre, afirmo neste blog que tratar o escândalo do petrolão como mera formação de cartel de empreiteiras corresponde a ignorar a natureza do jogo. Um ente de razão, um partido, tomou de assalto o estado brasileiro. É possível que ladrões sem ideologia tenham se imiscuído no sistema, mas que não se perca de vista o principal: a safadeza alimentava e alimenta um projeto de poder.

    Segundo Barusco, 21 contratos para a construção de navios equipados com sondas, por exemplo, orçados em US$ 22 bilhões, pagaram propina de 1%, assim distribuídos: dois terços para Vaccari (isto é, para o PT) e um terço dividido entre Paulo Roberto Costa e agentes da Sete Brasil.

    A Sete Brasil é a empresa criada para desenvolver os tais navios-sonda e garantir o chamado “conteúdo nacional” no setor. A empresa está à beira da insolvência. Dilma quer R$ 9 bilhões de dinheiro público para socorrê-la. Ontem, o presidente do PT, Rui Falcão, veio a público para defender essa política de “conteúdo nacional”, afirmando que as diretrizes da Petrobras não podem mudar. Ah, sim: Barusco foi diretor de operações da Sete entre 2011 e 2013.

    Por que eu tendo a resistir, senhores leitores, à tese do cartel de empreiteiras atuando na Petrobras? Porque isso embute a ideia de que a roubalheira se concentrava na estatal; porque sobra a sugestão de que meliantes morais incrustrados na empresa partiram para a delinquência. Que o tenham feito, não duvido. Mas será só ali?

    As mesmas empreiteiras que trabalham para a Petrobras atuam em outras áreas do governo. São elas, afinal de contas, que prestam os serviços na área de infraestrutura. Então será diferente nos outros setores da administração pública? A moralidade vigente na Petrobras não será a regra? E noto que a empresa dispõe de mecanismos de controle mais severos do que os das demais estatais e os dos ministérios.

    O Brasil está na pindaíba. Incompetência e ladroagem se juntaram contra os cofres públicos. E então cabe a pergunta: onde está Luiz Inácio Lula da Silva, aquele que recomendou que os petistas andassem, orgulhosos, de cabeça erguida?

    De cabeça erguida? Os agentes federais tiveram de pular o muro da casa de Vaccari para levá-lo para depor. Ele não abria a porta. Imagino a sua indignação. Talvez se perguntasse: “Mas, afinal, o Brasil é ou não é nosso?”. O “nosso”, claro!, quer dizer “deles”.

    Não é. Vamos ver se isso fica claro desta vez.

  306. DAISE 2.0 said

    OS “30 DINHEIROS” DO PT

  307. Pedro said

    Olha só o que o PIG está divulgando:

    http://diariocatarinense.clicrbs.com.br/sc/noticia/2015/02/pf-prende-socio-e-diretor-de-fornecedora-da-petrobras-4694639.html

    Pax, já vou avisando, se, por acaso, aparecerem doações LEGAIS de campanha, desta empresa, para a turma da Ideli, não venha insinuar, que uma coisa tem a ver com a outra.

    Não entre na onda, desta direita malvada, boba e chata.

    Está tudo nos conformes…….Eu acredito no Fui Ralcão.

    PS: (modo irônico ligado)

  308. Zbigniew said

    Os culpados devem ser rigorosamente punidos, doa a quem doer. Entretanto, estejamos atentos aos interesses que estão por trás de todo esse imbróglio e que querem ver a Petrobrás enfraquecida, reduzindo esse patrimônio tão importante da nação a um mero instrumento de ganhos nas mãos de poucos. Corremos o risco de perder a empresa para outras facções que reverterão lucros exclusivamente para si. É sempre bom ouvir o outro lado dessa história.

  309. Zbigniew said

    Descontadas a hipocrisia da mídia e oposições tupiniquins, a inapetência do governo e do PT para o confronto e para a cimunicação e as indignações seletivas dos inocentes úteis, em especial os coxinhas leitores de Veja e quejandos, é bom que reflitemos sobre esses dados, mesmo que outras variáveis devam ser levadas em conta.

    “Durante 2 anos a mídia tupiniquim bateu no Governo e na Petrobras, por que a gasolina não aumentava. Na verdade a política foi segurar os preços em um período de crise internacional, para que a inflação não fosse impactada. Agora, quando a Gasolina aumenta, a mesma mídia bate duro por que esta aumentando. E pela forma como as noticias são veiculadas, parece que a Gasolina no Brasil é a mais cara, ou das mais caras do mundo. E o povo cai nesta esparrela. Vai abaixo o resultado da pesquisa “Pain at the Pump: Gasoline Prices by Country”, realizado pela Bloomberg.

    1º Turquia – R$6,61; 2º Noruega – R$ 6,61; 3º Países Baixos – R$ 5,80; 4º Itália – R$ 5,77; 5º França – R$ 5,72; 6º Suécia – R$ 5,67; 7º Grécia – R$ 5,49; 8º Portugal – R$ 5,43; 9º Hong Kong – R$ 5,36; 10º Bélgica – R$ 5,24; 11º Finlândia – R$ 5,22
    12º Alemanha – R$ 5,13; 13º Irlanda – R$ 5,08; 14º Reino Unido – R$ 5,06; 15º Dinamarca – R$ 5,04; 16º Israel – R$ 5,53; 17º Eslovênia – R$ 4,99; 18º Malta – R$ 4,80; 19º Eslováquia – R$ 4,77; 20º Suiça – R$ 4,77; 21º Hungria – R$ 4,76
    22º Espanha – R$ 4,75; 23º Áustria – R$ 4,39; 24º Rep. Checa – R$ 4,39; 25º Chipre – R$ 4,38; 26º Lituânia – R$ 4,38…
    Nesta mesma lista o Brasil esta em quadragésimo lugar R$ 3,45. A pesquisa é feita periodicamente em 60 países. Como a pesquisa é em dólar, para calcular os valores em reais usei R$2,70 por dólar. ”
    luizmillerpt.wordpress.com

  310. Jose Mario HRP said

    O Conversa Afiada reproduz artigo do destemido Fernando Brito, em seu Tijolaço:

    O fim do Estado de Direito

    Sou de uma geração que cresceu tendo o Estado de Direito como um dos sinônimos de democracia.

    O outro era o voto direto.

    Custou-nos muito, nossa juventude, trazê-los de volta.

    E, certamente por isso, é assustador ver que ele vai sendo, progressivamente, abolido em nosso país.

    Com os arreganhos do Ministério Público, do Judiciário e sob os calorosos aplausos da imprensa.

    A opinião pública, sobretudo a mais informada, patina à beira da histeria do “prende e arrebenta”, que julgávamos ido com Figueiredo.

    Para alguns, porque para os que se dispõem atender às intenções dos “investigadores”, movidos por um cínico “arrependimento” que pode lhes deixar impunes, há quase que o carinho midiático.

    A condução coercitiva do tesoureiro do PT à Polícia Federal, hoje, é mais um dos sinais de que voltamos ao arbítrio.

    Nem as citações ao nome de João Vacari Neto são novas, nem ele se encontra desaparecido, nem mesmo foi intimado a depor e não compareceu.

    Serviu, apenas, para simular uma “prisão”, causar um constrangimento, uma exposição que, afinal, só será merecida se houver provas.

    Porque doações de empresas, especificamente de empreiteiras e, mais especificamente, de empreiteiras envolvidas na “Lava Jato” há para o PT, o PMDB, o PSDB e mais um monte de partidos.

    Robson Marinho, conselheiro do Tribunal de Contas em São Paulo, com documentos da Justiça suíça comprovando o recebimento de dinheiro no exterior, não foi conduzido “sob vara”.

    Roubam um processo de sonegação de um bilhão de reais da Globo e não convocam sequer um infeliz a depor.

    É claro que, se há acusações, Vaccari deve ser intimado a depor. Ele não é diferente, melhor ou pior, que qualquer cidadão brasileiro, por ser dirigente do PT.

    Mas não transformado em personagem de um processo midiático de “suposta prisão”.

    A condução coercitiva a interrogatório já é, por si só, de duvidosa legalidade – porque o interrogatório é meio de defesa, não de acusação ou produção de prova, essencialmente.

    Muito menos quando isso se faz sem que haja negativa de comparecer a esclarecimentos.

    Tornaram-se repugnantes os métodos desta investigação, na prática conduzida – e só isso é um absurdo, Juiz conduzir investigação -, pelo Dr. Sérgio Moro.

    Os ladrões confessos pontificam, com uma quase “presunção da verdade” sobre tudo o que dizem, numa inversão de valores total.

    Pessoas são metidas na cadeia e lá permanecem por meses , até que “resolvam” acusar “agentes políticos”.

    O juiz “exige”, para soltá-los, que se rompam todos os contratos de entes públicos com as empresas, haja ou não indícios de irregularidades neles.

    Falta algo para que estejamos diante do arbítrio?

    Ah, sim, a revogação daquela outra “coisinha” que tive, na juventude, como sinônimo de democracia.

    O voto direto da população.

    Em tempo: sobre a “conduçao coercitiva”, ou “debaixo de vara”, veja que o Dr Moro guarda trevosa semelhança com o coronel (anistiado !) Ustra – PHA

  311. Zbigniew said

    E aqui um comentário muito interessante dessa mesma fonte:
    “Comparações podem ser feitas várias. O que a mídia faz é tentar formar uma opinião única. E ela passou 2 anos batendo no governo por que não aumentava a Gasolina. O governo controlou a inflação segurando o preço da gasolina. Foi isto que aconteceu. Mas a mídia deu pau. Agora ela bate por que os preços aumentam. O interessante, é que durante todo o governo Lula, embora a ação de segurar os preços, a Petrobras teve seu valor aumentado significativamente na Bolsa de Valores. Mais ainda aumentou o valor de seus ativos, que incluem refinarias, plataformas, navios e principalmente as reservas de Petróleo já descobertas e reconhecidas. Mas a mídia desce o pau. Pautando a corrupção como se esta tivesse “quebrado”a Petrobras. Nada. O TCU identificou R$ 2,5 bi desviados. Já a PF, a partir das falas do Paulo Roberto e do Youssef, fala em R$ 4,2 bi. Só de ativos ela tem hoje, contabilizando as reservas de Petróleo já descobertas e todos os demais bens, quase 1 trilhão de Reais. Ou seja, do ponto de vista econômico pouco representa numa empresa deste tamanho. E já há ações para que a empresa seja ressarcida pelos mal feitores. Quanto aos mal feitores, quantos houver, que sejam condenados a luz da Lei e ão por vazamentos midiáticos que muitas vezes não correspondem a verdade inteira. De outra parte, na verdade para a mídia, para o império e para os rentistas internacionais, a corrupção pouco importa. Aliás, são eles os grandes corruptores. O que eles querem é ganhar o máximo de dinheiro possível. E eles ganham mais quando as ações da bolsa oscilam violentamente, de um dia para o outro, como esta ocorrendo. De quebra ainda defendem a privatização da Petrobras e a mudança no regime de partilha da Petrobras. É só ler nas linhas e entrelinhas do que fala a mídia diuturnamente. Para isto eles tem que derrotar o projeto de nação que o povo já elegeu quatro vezes. E é por isto que eles misturam alhos com bugalhos. Corruptos e corruptores tem que ir para a cadeia. Mas não de forma seletiva. Tem que pegar todos. Outra coisa é atacar permanentemente a empresa, como aconteceu no caso da apresentação do balanço. A Petrobras foi a única Petroleira que lucrou no terceiro trimestre de 2014. Mas imagem que a mídia passou, foi a de que a empresa teria tido um rombo de R$ 80 bi , o que é uma mentira deslavada. É por isto que eu falo da turma que só fala em corrupção. A Petrobras hoje passou da EXXON e já é a maior empresa produtora de Petróleo no mundo. Esta ultrapassagem ocorreu em Janeiro. Tu viste alguma coisa sobre isto nesta mesma mídia que dá tanto espaço para falar da corrupção. E tem um monte de gente aqui nas redes sociais e mesmo na rua, que fica repetindo as mesmas coisas. Isto é uma ação que as mídias a cada época levam a efeito. Goebels, Ministro da Propaganda de Hitler mostrou o caminho a muito tempo. Repetir as mentiras milhares de vezes pelos meios de comunicação, as tornam verdades diante do senso comum. Naquela época deu na eleição do Hitler e toas as suas consequencias. Aqui no Brasil, em 1954, no suicídio de Getúlio e mais tarde, em 1964, no Golpe Militar. É disto que estamos falando. ão da corrupção. Esta não interessa muito para os que tentam acusar seletivamente alguns.”
    É bom que façamos uma reflexão responsável sobre esses assunto antes de sairmos por aí usando o fígado ao invés do cérebro.

  312. Guatambu said

    Zbigniew,

    Vc está distorcendo essa análise sobre o preço dos combustíveis.

    Totalmente.

  313. Guatambu said

    Petrobras.

    Dependendo do nome que for escolhido, as ações podem subir ou cair.

    Adivinhem o que pode fazer as ações caírem?!

  314. Zbigniew said

    Guatambu,
    alertei que outras variáveis poderiam ser levadas em conta, como o salário mínimo nesses locais, o percentual de álcool na gasolina, etc.
    Mas o foco aqui não é esse. O foco é a abordagem que a mídia do mercado fez e a hipocrisia descarada, quando, ora defende o aumento de preços, ora condena, tudo com o único e exclusivo interesse de enfraquecer a empresa.

  315. Patriarca da Paciência said

    O reinaldo rolabosta já anda anunciando a “morte do PT”.

    Durante muito tempo, o Diogo Mainardi anunciou a “morte do Lula”.

    E o Lula continua vivo e forte até hoje, prestigiado e ativo.

    É a “óia” agarrando-se às últimas esperanças de sobrevivência, ou seja, o retorno do PSDB ao governo e às assinaturas milionárias.

    A “óia”, a qual já está na UTI e totalmente desenganada !

  316. Guatambu said

    Zbigniew,

    Inclusive a sua análise sobre a mídia está distorcida.

  317. Guatambu said

    Grécia.

    Como é fácil convencer o povo de que o inimigo são os outros, né?

    Eu falei acima que se a UE endurecesse a negociação da dívida grega, a Grécia se tornaria “escrava” da UE.

    O governo grego só se esquece de dizer que a irresponsabilidade que levou a Grécia à situação que ela se encontra hoje é de responsabilidade do próprio governo grego!

    Aí vem um cara da extrema esquerda dizendo: a culpa é da UE!

    E a galera acredita… vejam a foto: o cara com um cartaz com os dizeres “não somos colônia da Alemanha”

    http://www.businessinsider.com/what-happens-next-in-greeces-debt-drama-2015-2

    Dá vontade de dar risada.

    Parece que ao longo de todos esses anos, desde que a Grécia entrou para a UE, o Estado grego se esforçou bastante para se tornar “colônia” da Alemanha.

  318. Guatambu said

    Rússia.

    Mais um exemplo: o Financial Times alerta os cidadãos russos para tirar suas economias dos bancos e comprarem dólares.

    O risco disso é muito alto. Se o Putin resolve valorizar a moeda artificialmente para “dar uma lição” no FT, quem vai se ferrar vai ser o povo.

    E quem é que o povo vai culpar? O Putin? Claro que não. O FT, né?!

    Mas é isso que acontece quando o Estado não governa para o povo, e sim para “dar lição de moral”.

    Igualzinho o que a Dilma andou fazendo quando foi lá na Europa reclamar que a UE estava baixando demais os juros.

    http://www.businessinsider.com/columnist-in-russias-ft-tells-readers-to-pull-their-money-out-of-banks-2015-2

  319. Pax said

    A operação mãos limpas, na Itália, matou os dois maiores partidos de então…

    A Lava Jato pode, sim, matar PT e PSDB… no fundo acho que seria bom. Esses dois já foram pro saco.

    Lula está prestigiado? Hum… talvez, em viés de baixa acelerado.

    Mas vale lembrar que a Itália colocou o Berlusconi depois da Mãos Limpas.

    Nem sempre um passo adiante significa um passo melhor, às vezes há retrocessos no caminho.

    Espero que a gente ande pra frente. Mas minha esperança não é muito sustentável, não há disponibilidade nacional, seja em nomes ou partidos, a política brasileira entrou num buraco sem tamanho…

    E a Reforma Política ??? Claro que não vai sair. De onde menos se espera, daí que nada sai mesmo.

    novo post — o viés de alta do PT. esse sim, concreto em denúncias e mais denúncias

  320. Guatambu said

    A diretoria foi escolhida.

    http://www1.folha.uol.com.br/poder/2015/02/1586085-aldemir-bendine-sera-o-novo-presidente-da-petrobras.shtml

    Nada impressionante, para falar a verdade.

    Se esse cara foi o cara escolhido por Lula para reduzir as taxas de juros do BB, isso indica que ele direcionará a Petrobras muito mais politicamente do que mercadologicamente.

    Resultado: vamos continuar com as flutuações das ações da Petro.

    Assim que eu gosto!

  321. Guatambu said

    Realmente, a Petrobras já está tomando um pau de 7% nas suas ações.

    Jajá vai dar outro ponto de compra! heheheehehe

  322. Guatambu said

    E quem quiser preservar o dinheirinho nessa perspectiva inflacionária pode aplicar em NTN-B ou NTN-C.

    http://economia.uol.com.br/noticias/redacao/2015/02/06/inflacao-de-124-em-janeiro-e-a-maior-em-12-anos-e-estoura-limite-da-meta.htm

    O governo do PT é maravilhoso pra quem tem grana pra investir!

    Pra quem é pobre e tem que comprar o feijão, tá ferrado…

Faça seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: