políticAética

Notícias da Corrupção, Desvios, Anomalias, Eleições e Meio Ambiente

  • Sobre o blog

    Uma coletânea das notícias da corrupção, desvios, anomalias, eleições e meio ambiente que aparecem na mídia todos os dias a partir de agosto de 2008.
  • Categorias

  • Arquivos

  • Páginas

  • Meta

Presidentes da Câmara e do Senado na lista da Procuradoria-Geral da República sobre a roubalheira na Petrobras

Posted by Pax em 04/03/2015

Segundo o noticiário, os presidentes da Câmara, Eduardo Cunha, e do Senado, Renan Calheiros, estão na lista que a Procuradoria-Geral da República entregou ao Supremo Tribunal Federal solicitando abertura de inquéritos para apuração da roubalheira sem fim na Petrobras.

Ao mesmo tempo, Renan Calheiros devolve à presidente Dilma a Medida Provisória que reduz a desoneração folha de pagamento de inúmeras atividades, o que pode ser considerado uma traição do presidente do Senado, reeleito com amplo apoio do Palácio do Planalto.

O noticiário dá conta que Renan passa a flertar com Aécio Neves e nos lembra da consagrada fábula do escorpião que morde o sapo que o ajuda a atravessar uma aguada. Renan e Cunha hoje demonstram com clareza em que lado estão, como sempre o PMDB esteve nos últimos anos, do lado da corrente de poder que estiver mais disposta a alimentar suas gulas políticas e vantagens, a maior parte delas bem pouco republicanas.

O país está paralisado. As medidas de arrocho patrocinadas por Dilma, associadas com um ministério de horrores que montou para seu segundo governo, tiveram um impacto que agradou o tal “mercado” mas, na ponta final, no consumidor – aquele que paga as contas de seu governo mal sucedido econômica e politicamente – recolheu seu consumo ao máximo, consciente da estagnação de um país cada vez mais caro e com serviços públicos de quinta categoria. Soma-se a esse quadro os péssimos governos estaduais, São Paulo como o maior exemplo, onde a crise espanca a porta, principalmente na região metropolitana da capital, onde a água já racionada, sem que este seja o termo empregado, deve praticamente acabar dentro de algumas semanas.

Os escândalos federais se sobrepujam aos escândalos estaduais, que também abundam.

O país, infelizmente, está entregue à uma classe política inominável. Péssima já seria um enorme elogio.

É muito pior que isso.

Anúncios

86 Respostas to “Presidentes da Câmara e do Senado na lista da Procuradoria-Geral da República sobre a roubalheira na Petrobras”

  1. DAISE 2.0 said

  2. Patriarca da Paciência said

    Mula Sem Cabeça,

    Brasil é Banânia, Suiça é Lavanderia, Estados Unidos e Europa são os “Mercados Livres” de toda a sorte de drogas e corrupção.

    Por falar nisso, o Elias perguntou como vão as suas atividades aí na segunda maior lavanderia de dinheiro sujo do mundo ! Você também está “lavando mais branco” ?

  3. Patriarca da Paciência said

    Agora as coisas estão começando a clarear. Até a Globo já começou a noticiar que a presidenta Dilma está tendo problemas com os políticos devido às investigações da operação Lavajato. Renan Está muito nervoso e “devolveu” a medida provisória do Levy.

    É isso aí, quem começou tudo e quem tem todos os méritos são o ex-presidente Lula e a presidenta Dilma, que começaram, permitiram e garantiram que a Polícia Federal e Ministério Público tivessem toda a liberdade para investigar corrupção, coisa que acontecia desde o descobrimento do Brasil (vide a famosa carta de Pero Vaz de Caminha) e sempre foi acobertado pelo governo, principalmente pelos governos militares, os quais “prendiam e arrebentavam” quem se “metesse a besta”.

  4. DAISE 2.0 said

    Bob na Papuda

    Brasil 04.03.2015
    José Dirceu vai voltar para a cadeia.

    O presidente da Camargo Corrêa, que assinou um acordo de delação premiada com a Lava Jato, adiantou aos investigadores que o trabalho de consultoria de José Dirceu à empreiteira simplesmente não existiu. Aqueles 886 mil reais que ele recebeu foram, na verdade, uma propina.

    Alberto Youssef já havia denunciado José Dirceu – ou Bob. E havia denunciado também o tesoureiro do PT, João Vaccari Neto, que mediou o pagamento da propina. Na ocasião, a Camargo Corrêa soltou uma nota oficial “repudiando as acusações sem comprovação”. Agora as acusações têm uma comprovação: o testemunho do presidente da empresa.

    José Dirceu – e Bob – na Papuda.

  5. DAISE 2.0 said

    Fernando Haddad na Lava Jato

    Brasil 04.03.2015
    A campanha de Fernando Haddad foi paga com dinheiro roubado da Petrobras.

    A denúncia foi feita por Alberto Youssef, que confessou ter desembolsado 2,5 milhões de reais, a mando de Ricardo Pessoa, da UTC, para quitar uma dívida da campanha eleitoral de 2012.

    Segundo o jornal Valor, trata-se da campanha do prefeito de São Paulo, Fernando Haddad.

  6. Guatambu said

    Dólar.

    Meus dólares comprados a 2,80 já estão rendendo um dinheirinho…

    2,97!

    Um segredinho: vai subir mais.

  7. Elias said

    Mantenho o que venho dizendo há um porrilhão de tempo: o Lula recebeu o governo das mãos do FHC com inflação de 12%, sem recessão mundial. Agora, o PT entra em pânico com uma inflação de 6%, em meio a uma puta crise econômica mundial. Não faz sentido enfiar o país num buraco, em troca de uma redução de 2 pontos percentuais na inflação. Melhor uma inflação de 10%, com a economia funcionando, do que uma inflação de 4% — se é que ela realmente vai cair pra esse nível… — com a economia parada.

    Logo depois do golpe de 1964, os militares adotaram o receituário anti-inflacionário da dupla Octávio Gouveia de Bulhões/Roberto Campos. A inflação baixou, mas a economia parou e quase que o Brasil quebrou. De quebra houve inquietação nos quartéis, e Castelo teve que usar mão pesada pra segurar a barra de Justino Bastos (III Exército) e Amaury Kruel (II Exército). Mesmo assim, Castelo dançou na condução de sua sucessão: em todo o Brasil, a oficialidade preferiu Costa e Silva, que usou como isca de superfície um discurso “desenvolvimentista”.

    No arremate, os fardados dispensaram os serviços de Bulhões & Campos, e, ainda por cima, gastaram os tubos em obras públicas (principalmente num megaprograma habitacional, via BNH), pra relançar a economia, regenerar o nível de emprego, etc.

    A partir daí a milicada passou a ter urticária à mais leve referência à palavra “recessão”, que, até hoje, é considerada pior do que praga de mãe, na caserna brasileira.

    Dona Dilma prefere agradar o “mercado”. Em outras palavras: compromete-se com o que há de mais inútil e parasitário na economia, em detrimento de quem trabalha e produz.

    É uma escolha. Como nada nesta vida é de graça, isso também terá um preço… Lá na frente, o próprio “mercado” vai chiar e amaldiçoar Dilma, porque a recessão acaba melando o jogo na roleta parasitária.

    O “mercado” já começou a chiar, aliás. Em seu noticiário de hoje, a ADVFN divulgou a seguinte lista:
    Petrobras 

    Vale
    Usiminas
    Duratex
    AmBev
    AES Tietê
    Natura
    Hypermarcas
    Grendene
    Lojas Marisa

    Em seguida, esclareceu que não se trata de uma lista de recomendação pra composição de carteira… É só uma listinha básica das empresas que já anunciaram que vão reduzir os investimentos, em 2015… Mas tem mais! Muito mais!

    Até a Natura, que tem uma das folhas de pagamento mais “desoneradas” do planeta…!

    Imagina eu, aqui na Jamaica, zititinho e sem os amores & favores beenedeéssimos que embalam agradavelmente os sonos e sonhos da perfumada empresa “mais correta”…

  8. Guatambu said

    Elias,

    Quem é que é mais inútil e parasitário na economia senão os funcionários públicos?

  9. Elias said

    No Brasil, “mercado” se tornou sinônimo do parasitismo financeiro.

    Putz!

    Nada mais antimercado do que esses vermes que infestam as entranhas da economia.

    O velho Joe Kennedy, primeiro presidente da “CVM” americana, dizia que se deve lidar com essa gente como quem lida com marginais, batedores de carteira, etc.

    Concordo, de inteiro teor…

  10. Guatambu said

    Além disso, algo que venho provando aqui: goste ou não, especulador que entende um mínimo de política e economia vai fazer dinheiro quer o mercado esteja gostando, quer o mercado não esteja gostando.

    Aliás, quer coisa mais anti-mercado que o que está acontecendo na Petrobras? Talvez para o Elias, a culpa não é do estado, que manda e desmanda na empresa, e sim desses parasitários, esses burgueses “que sabem muito bem o que estão fazendo e que destroem a economia”, mas que até hoje ele insiste em não citar um mísero nome.

    Fato corroborado pelo relatório do Credit Suisse que eu apresentei.

    O especulador que manja vai estar ali fazendo dinheiro, e o governo, vai ficar brigando com empresário…

    Risível.

  11. Elias said

    Elias, Quem é que é mais inútil e parasitário na economia senão os funcionários públicos? (Guata)

    A pergunta é tão burra que não merece resposta…

  12. Elias said

    ” Suisse”, é?

    Sei… Tutte buone persone…

  13. Guatambu said

    Elias,

    Pra quem mete o pau na família Marinho e dá crédito a um documentário veiculado na Globosat…

  14. Guatambu said

    O documentário que o Elias falou deve ter sido feito por alguma instituição pública em algum lugar dos confins de uma social-democracia nórdica… só assim pra ele acreditar em alguma coisa.

    Ele e o Pax.

  15. Guatambu said

    Muito credível. De fato. Com análises estatísticas, dados demográficos, etc… documentário…

  16. Guatambu said

    Senão, conta aí pra mim, Elias, quanto que um funcionário público agrega ao PIB do país?

  17. Patriarca da Paciência said

    Elias, minha opinião é que a Dilma não tem a menor intenção de mergulhar o Brasil em recessão. O pacote do Levy é apenas uma sinalização, um aviso do que pode acontecer.

    Durante muito tempo os empresários reclamaram de que o maior entrave para o desenvolvimento da indústria no Brasil seria o alto custo da energia elétrica. Apresentaram muitos argumentos bons e a Dilma resolveu tentar. A ideia era muito boa. Baixa o preço da energia, a indústria deslancha e puxa toda a economia. Mas as coisas começaram a dar errado. Veio a seca e, pior ainda, a crise do petróleo. Então desandou tudo.

    Então agora é preciso fazer algumas sinalizações e tentar outro meio. É minha opinião.

  18. Pedro said

    Crise do petróleo?

    Chama a mãe que o pai tá louco!

  19. Patriarca da Paciência said

    “Crise do petróleo?

    Chama a mãe que o pai tá louco!”

    Vou desenhar.

    A Petrobrás seria a grande locomotiva a puxar o crescimento da indústria brasileira, com altos investimentos e encomendas em geral.

    Mas aí veio, não só a queda dos preços do petróleo, como também o ataque predatório dos interesses contrariados pela eleição da presidenta Dilma e daqueles que querem privatizar nossa principal empresa. É claro que, sem a grande locomotiva, os carros não são puxados.

  20. Pedro said

    O pior desenho que eu já vi na vida.

    Gzuis! O caso é grave mesmo. Alô Pinel……

  21. Guatambu said

    Operação Alerta.

    PF investiga rombo de R$ 300 milhões por evasão fiscal.

    Descrição de como funcionava o esquema: um grupo entrava em contato com empresários e os convenciam que poderiam “abater” impostos não pagos à Receita Federal por meio de compensação com créditos tributários de terceiros.

    http://noticias.uol.com.br/cotidiano/ultimas-noticias/2015/03/04/pf-investiga-fraude-tributaria-que-pode-ter-desviado-r-300-milhoes-no-df.htm

    Agora uma dúvida:

    O empresário que não paga imposto é multado, preso, destruído pelo Estado – não sem razão.

    Mas agora a PF descobre essa quadrilha.

    Se os responsáveis por esse golpe forem funcionários públicos, os empresários serão classificados como corruptores?

    Pq aqui no Brasil é assim: o funcionário público dá a entender que o empresário pode ter sua vida facilitada se o empresário “contribuir” com a causa desse funcionário público. Quando o empresário paga, ele é o corruptor, e não o corrupto.

    E isso, pelo jeito, faz toda a diferença na hora da sentença.

  22. DAISE 2.0 said

    Dilma mandou desobedecer a lei

    Economia 04.03.2015
    Dilma Rousseff mandou a Petrobras desobedecer a lei.

    É o que conta, hoje, a Bloomberg.

    Em 27 de janeiro, durante a reunião de conselho da estatal, auditores estimaram em 88 bilhões de reais o prejuízo da Petrobras. Guido Mantega, exasperado, telefonou para Dilma Rousseff, que o aconselhou a abafar o número. Quando foi informada sobre isso, Graça Foster ligou para a presidente e disse que o prejuízo de 88 bilhões de reais teria de ser reconhecido publicamente, uma vez que a cifra já havia sido comunicada aos conselheiros. Caso contrário, a empresa estaria desobedecendo a lei. Dilma Rousseff respondeu que não importava e que o número tinha de ser escondido. Guido Mantega, então, tentou aprovar o balanço ignorando os 88 bilhões de reais de prejuízo. Graça Foster se opôs, ameaçando pedir demissão se o balanço da Petrobras não mencionasse a cifra.

    O resultado é aquele que conhecemos: os conselheiros aprovaram um balanço de mentirinha, em que foi contabilizado um lucro de 3 bilhões de reais; os 88 bilhões de reais de prejuízo foram incluídos numa nota de rodapé, porque Graça Foster, para não cometer uma ilegalidade, insistiu.

    Dívida da Petrobras ilustra a matéria da Bloomberg

  23. DAISE 2.0 said

    PETROBRÁS À VENDA

    Eliane Cantanhêde
    04 Março 2015

    Quem é mesmo que anunciou que a Petrobrás está sendo fatiada e vendida? O governo do PT?!!! Isso só pode ser brincadeira, quem sabe uma “barriga” (informação errada) da imprensa.

    Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff usaram e abusaram, durante as campanhas de 2006 e de 2010, da versão de que o PSDB privatizaria a Petrobrás. Até engenheiros da própria companhia acreditaram, ou quiseram acreditar, na balela.

    E quem não se lembra de Lula metido num macacão cor de abóbora da Petrobrás, com a mão manchada de petróleo, passando a imagem subliminar de que ele próprio, qual um deus das profundezas do oceano, havia criado o pré-sal? Ambos, macacão e presidente, tão fotogênicos, a dias das eleições.

    O mundo realmente dá voltas. Hoje, é a Petrobrás de Dilma, Lula e PT que, exaurida, machucada e vilipendiada, anuncia a venda de R$ 39 bilhões em ativos para tentar amortizar uma dívida que vai crescendo e se tornando impagável.

    A venda tem, assim, um viés político e outro econômico. O político é que, tal como Dilma disse que não mexeria nos direitos trabalhistas nem que “a vaca ‘tussisse'”, as campanhas petistas trataram da privatização da Petrobrás como algo absurdo, nefasto, coisa do demônio. E tanto a vaca “tussiu” quanto o governo do PT se converteu à crença do mal.

    Ah!, sim, privatização é uma coisa, venda de ativos é outra. Ou melhor: privatização de adversários é privatização, mas privatização “cumpanheira” é só “venda de ativos”?
    É assim que o PT, um dos maiores e mais importantes partidos da redemocratização, vai perdendo o encanto, as bandeiras, os líderes e até a credibilidade. Se, sistematicamente, diz uma coisa na campanha e faz outra depois de eleito, resta pouco para acreditar. A magia do marqueteiro João Santana está se esgotando.

    Quanto ao viés econômico: o sindicalista José Sérgio Gabrielli deixou a Petrobrás com um buraco imenso e sua sucessora Graça Foster não melhorou muito as coisas. Assumiu a presidência com uma dívida de R$ 181 bilhões. Foi para a casa deixando uma de R$ 332 bilhões. A Petrobrás é a empresa mais endividada do mundo!

    Faz todo o sentido – para o mercado, para quem é do ramo e para quem consegue enxergar além da ideologia – passar adiante áreas que não são essenciais ao objetivo fim da Petrobrás. Exemplo: as fábricas de fertilizantes.

    Mas a grande dúvida é se vender R$ 39 bilhões em ativos (o Brasil e no exterior) e cancelar investimentos de R$ 20 bilhões a R$ 30 bilhões neste ano vão resolver o problema. Façam as contas…

    E, espreme daqui, espreme dali, não sobra muito para sair vendendo. A lista já inclui termelétricas, gasodutos, refinarias, dutos, rede de postos de gasolina e… campos de petróleo e gás. Daqui a pouco, vão querer vender o pré-sal e até o macacão cor de abóbora do Lula.

    Por um desses detalhes cruéis da história, o anúncio da venda de ativos da Petrobrás passou praticamente em branco no mundo político, distraído com uma lista muito diferente da lista de ativos à venda na Petrobrás: a lista dos políticos enrolados na Operação Lava Jato. Mas uma coisa está diretamente vinculada à outra.

    A Petrobrás só chegou no fundo do poço e o PT só teve de engolir a venda de ativos goela abaixo porque, nos governos Lula e Dilma, o PT se sentiu dono da maior empresa do País e fez dela gato e sapato. Não apenas participou dos esquemas de desvios como represou tarifas politicamente e escamoteou informações devidas à opinião pública. Chegamos aonde chegamos. Ou melhor, chegaram aonde chegaram.

    E, por falar em lista de políticos enrolados: depois de comer o pão que o diabo amassou com Eduardo Cunha na Câmara, Dilma vai ter que digerir um Renan Calheiros cheio de espinhos no Senado, rejeitando a medida provisória que aumentaria os impostos das empresas e reduziria as dívidas do governo.

    Mas a gente já sabe como é: a culpa não é de Lula, Dilma, Cunha e Renan; é do ministro da Fazenda, Joaquim Levy!

  24. DAISE 2.0 said

    A área política do governo é fanaticamente incompetente

    Wed, 04 Mar 2015 18:20:01 +0000

    Que coisa! Eu nunca me espanto que um governo do qual sou crítico faça coisas com as quais não concordo e acho erradas. É o óbvio, certo?

    O que me espanta, sim, é que o governo faça coisas que ele próprio deveria achar erradas se tivesse um mínimo de coerência interna. Então vamos ver.

    Como é que a equipe econômica se reúne com a cúpula do PMDB num jantar no Jaburu e não trata da MP da reoneração da folha de pagamentos? Foram fazer lá o quê?

    Como é que José Eduardo Cardozo se mete, com a sutileza, a graça e a ginga do dragão-de-komodo nos afazeres do procurador-geral e na operação Lava Jato como um todo, dando a entender que tem o controle do fato político?

    Atenção! Segundo a lógica interna — a deles, não a minha —, petistas e peemedebistas, incluindo o governo, deveriam ser solidários uns aos outros, não?

    Em vez disso, o que o Planalto conseguiu foi arranjar conflitos novos. É preciso ser fanaticamente incompetente para produzir esse resultado.

  25. DAISE 2.0 said

    Onde foi mesmo…?

    Economia 04.03.2015
    Taxa básica de juros sobe de 12,25% para 12,75% ao ano, a maior desde 2009 — medida que, sozinha, não nocauteia o dragão da inflação, mas faz a alegria da banca.

    Os banqueiros riem e o povo vê desaparecer a comida do prato: onde foi mesmo que vimos essa cena recentemente?

    …povão sem comida. Foi na campanha da ameba!

  26. DAISE 2.0 said

    3% para Renan; 100% para o Brasil

    Brasil 04.03.2015
    No Brasil, até propina fura o teto da meta. O Estadão noticiou que o senador Renan Calheiros, do PMDB de Alagoas, recebeu propina da diretoria de Abastecimento da Petrobras, então comandada por Paulo Roberto Costa.

    O relato está na delação premiada do ex-diretor da Petrobras.

    De acordo com Paulo Roberto Costa, para incluir os pagamentos a Renan Calheiros, o percentual da cota habitual repassada a PT, PMDB e PP teve de ser superado. De 2%, em média, passou a 3%. Quem fazia o leva-e-traz entre Paulo Roberto Costa e o presidente do Senado era o deputado Aníbal Ferreira Gomes, do PMDB do Ceará.

    Nós sugerimos enfaticamente a Renan Calheiros que faça uma delação vingativa no Congresso Nacional e entregue Lula, Dilma, o PT inteiro.

    Será 100% para o Brasil.

  27. Patriarca da Paciência said

    “Nós sugerimos enfaticamente a Renan Calheiros que faça uma delação vingativa no Congresso Nacional e entregue Lula, Dilma, o PT inteiro.”

    A Mula Sem Cabeça não perde a esperança ! “O Valério vai falar, o Valério vai falar”. Nunca falou nada !

    Desde aquela época, pelo menos uma centena de “vai falar” já apareceram na praça !

    E sabe porque nunca falaram nada contra a Dilma e o Lula ? Porque não tem nada para falar !

    É isso aí, Mula Sem Cabeça, pode tirar o Mulo Sem Cabeça da chuva !

  28. Elias said

    “Elias, Pra quem mete o pau na família Marinho e dá crédito a um documentário veiculado na Globosat…” (Guatambu)

    Que babaquice…!

    Eu esculhambo com a Editora Abril há décadas. Mas comprei coleções inteiras editadas por ela: “Os Economistas”, “Os Pensadores”, “Biografias – Grandes Líderes” (essa da Nova Cultural, que era do grupo). Comprei a coleção inteira “Batlefield” e também a dos 70 anos da II GM, ambas produzidas pela BBC, mas publicadas e distribuídas no Brasil pela Abril.

    Qual a contradição, nisso? Nenhuma, caceta! É preciso ser muito estreito de cabeça pra não perceber.

    Ao comprar as coleções que citei (e muitas outras coisas mais), apenas comprei PRODUTOS DE QUALIDADE, vários dos quais, aliás nem foram produzidos pela Abril.

    Já as minhas esculhambadas na Editora Abril têm a ver com a posição POLÍTICO-PARTIDÁRIA dos controladores do Grupo, e a maneira desonesta com que essa posição interfere em sua conduta editorial (em tudo oposta, p.ex., à conduta de órgãos como o NYT, a Economist, o Financial Times, o Washington Post, etc., que separam — fisicamente, inclusive — o material jornalístico da posição político-partidária editorial).

    Ah, sim: também comprei, da Abril, as coleções de CDs do Chico Buarque, do Caetano Veloso, da Tropicália, dos mestres da música universal (esta em vinil, nos anos 1970, e em CD), e um porrilhão de etc.

    O documentário a que me referi foi produzido pela National Geographic, instituição fundada nos EUA por Gardnier Hubbard, sogro de Graham Bell, que, aliás, foi sucessor de Hubbard na presidência da fundação.

    A NG, aliás, é mundialmente reconhecida pelo rigor científico de suas produções.

    Para que um documentário da NG seja liberado, p.ex., é necessário que cada segmento receba um laudo técnico, feito por profissionais altamente qualificados, homologando seu conteúdo. Quem prestar a devida atenção, e dispuser de alguma capacidade analítica, facilmente perceberá a extrema cautela e o extremo rigor com que a NG trata materiais opinativos.

    A propósito: quem publica a revista da NG no Brasil é a… Editora Abril!!

    Falar nisso, jamais concordei politicamente com o Nelson Rodrigues, nem com a Rachel de Queiroz. Mas, até hoje, sou fã de carteirinha, tanto do dramaturgo/cronista quanto da escritora (e também cronista, das melhores). No final dos anos sessenta, eu não perdia uma crônica do Nelson Rodrigues, sempre genial, embora ficasse puto com o prazer com que ele fincava o dedo nas feridas da esquerda (mais puto, ainda, porque, quase sempre, ele estava coberto de razão…). Aliás, também sou fã da poesia de Manuel Bandeira, apesar de considerá-lo politicamente um cocô… E assim por diante.

    Como dizia o Pax, nos velhos tempos em que ele usava a cabeça pra pensar: o que tem a ver o orifício anal com as pantalonas?

    Putz, Guatambu! Pelo menos tenta fazer melhor…

  29. Elias said

    “Elias, minha opinião é que a Dilma não tem a menor intenção de mergulhar o Brasil em recessão. O pacote do Levy é apenas uma sinalização, um aviso do que pode acontecer.” (Patriarca)

    Cumpro o doloroso dever de comunicar ao prezado amigo, que, infelizmente, Dilma já mergulhou o Brasil numa recessão. Se ela vai conseguir tirá-lo de lá num breve futuro, é outra história.

    Em matéria de estratégia econômica, esse Levy é, apenas, uma versão revista e piorada do Palófi.

    A essa altura, o Palófi deve estar em algum bordel da Capital Federal, recitando, entreputas, com um sorriso de dentes: “Depois de mim, virá quem bom me fará…”.

    Com justa razão!

  30. Elias said

    Guatambu,
    “Mistérios do detetive Murdoch”, “Casa Brasileira” e “Arquitetura Verde”, todos exibidos pela GloboSat, são ótimos.

    O primeiro é uma produção canadense. Os demais, são da Globo, mesmo. Todos muito bem feitos.

    Aliás, no passado, a Globo já aloprou com documentários de qualidade.

    Lembro de um — este, um semidocumentário — sobre os últimos dias de Lampião. O documentário alternou reconstituições com atores (fala em off), com depoimentos de Dadá (que foi mulher de Corisco), Sila, Zé Sereno, Zé Rufino, e muitos mais, vários deles participantes ou sobreviventes do cerco de Angicos. Os figurinos foram feitos sob a supervisão de Dadá (para quem não sabe, criadora do “look” com o qual os cangaceiros entraram para a história).

    Parece que esse semidocumentário — como quase todos os demais exibidos pela globo, à época — foi filmado originalmente em 35 mm, editado e, só então, transposto para VT (daí a qualidade da imagem, pra lá de excelente). Segundo lembro, que produzia isso era a Blimp Filmes, de um tal de Guga, irmão do Boni, que, por essa época, manda e desmandava na Globo, junto com o Walter Clark…

    Na tua cabeça, como eu critico politicamente a família Marinho, não posso gostar de nenhum programa exibido pela Globo, mesmo que esse programa nem tenha sido produzido por ela.

    Eterna aborrecência intelectual…

    É isso? Nem mesmo a primeira adaptação de “Gabriela”, com Sônia Braga no auge da forma?

    Vê só, Patriarca, o que o lixo ideológico pode fazer com as pessoas…

    Nem me espanta, o Pax…

  31. Elias said

    Guatambu,

    Por outro lado, admiro a integridade pessoal de Ruy Barbosa, embora o considere uma fraude como “economista” (vide encilhamento), um liberalóide de almanaque (fez o que pôde pra prejudicar o trabalho de Oswaldo Cruz, por entender que a vacina obrigatória agredia a liberdade individual — num momento em que a população pobre do Rio de Janeiro morria feito mosca, vítima de doenças infectocontagiosas, que poderiam ser, como de fato foram, facilmente debeladas por vacinas já disponíveis, à época), e um americanófilo ingênuo e ridículo (foi ele quem criou a primeira designação republicana do Brasil: “República dos ESTADOS UNIDOS do Brasil”, e também a primeira bandeira do Brasil republicano, não por acaso, com listras horizontais verdes e amarelas, e um retângulo azul no canto superior esquerdo, contendo as estrelas representativas dos Estados brasileiros, sendo meramente proposital qualquer coincidência com a bandeira americana; felizmente a porra dessa bandeira escrota durou só quatro dias… Se mancando com a macaquice, o pessoal a descartou…).

  32. Pedro said

    Este judeu, filho de Iemanjá, devoto de Santo Expedito, apreciador de pato no tucupi, torcedor do Remo, professor do Google, oriundo da elite branca de Uganda, é cultura………..
    e um pouquinho de veneno. :-)

    Plagiando a Globo: Louco de todo o tipo, a gente vê por aqui.

    PS. Louco no bom sentido Googlias, continue com sua artilharia virada para o Pax, ele merece. Ainda não saiu o aumento.
    O Chesterton o Zig e acho que até o HRP, estão protestando e bloqueando comentários.

  33. Guatambu said

    Elias,

    A resposta foi justa, a partir do momento em que você põe em causa a credibilidade do Credit Suisse. Isso pq o Credit Suisse não é o HSBC!

    Faço-te a mesma pergunta: o que o orifício anal tem a ver com as pantalonas?

    Uma coisa é um relatório sobre a riqueza, que por assim dizer, tem o foco em analisar a evolução da riqueza nos países e da distribuição de renda.

    Outra coisa é um documentário cujo foco é mostrar a evolução econômica de um país.

    Responda novamente à sua própria pergunta, Elias: o que o orifício anal tem a ver com as pantalonas?

    Querer usar informações do segundo para rebater informações do primeiro, como vc mesmo diz, Elias, é pular passagem. É confundir a grande obra do mestre picasso com a pica de aço do mestre de obra…

    Mas argumentar é isso, não é? Se vc muda a base da argumentação… e parte pro vale-tudo, a ponto de soltar uma frase do tipo:

    “” Suisse”, é?

    Sei… Tutte buone persone…” (Elias)

    Isso aí é a cara do desespero argumentativo. Vale a pena tentar contra-argumentar com uma bobagem dessas? Claro que não!

    Daí que eu dou uma estocada chamando a atenção pra Globo e vc responde! Como se ainda estivéssemos argumentando.

    Já era Elias.

    Vá olhar os dados demográficos dos países e fazer uma análise melhor que o Credit Suisse, e pare de misturar o documentário, que sim, deve ter sido muito bem feito, para tentar refutar o argumento.

    O documentário, coitado, não prova nada.

    E a riqueza, em países alinhados à esquerda, evolui mais rapidamente para concentrar riqueza do que para distribui-la.

  34. Patriarca da Paciência said

    Esta aqui é especialmente para o Pax. Veja só que maravilha, caro Pax !

    “O senador Aécio Neves (PSDB-MG) contratou o advogado Antônio Carlos de Almeida Castro, mais conhecido como Kakay, para acompanhar o desenrolar das investigações da nova fase da operação Lava Jato; Kakay disse nesta quinta-feira, 5, que o Ministério Público “insistiu” em perguntas sobre Aécio Neves (PSDB-MG) com o Alberto Youssef. “Soube como tinha sido o depoimento e que, na verdade, tinham insistido, o MP, em perguntas sobre o Aécio em momentos distintos: o primeiro pouco antes das eleições e o segundo agora em fevereiro”, afirmou; Aécio teve o seu nome citado por Youssef em seu depoimento de delação premiada”.
    (247)

  35. Guatambu said

    Pedro,

    O Elias é um perigo! Dar bom dia pra ele deve ser perigoso! ehehehehe

    Quisera eu ter metade do poder verbal que esse cara tem…

    Mas é isso q faz eu gostar de conversar com ele.

    Aprendo e me divirto bastante! hehe

  36. Pedro said

    Guata, segundo a lenda, judeu não dá bom dia, só vende. :-)

  37. Patriarca da Paciência said

    Elias,

    eu até concordo que o Brasil esteja em recessão, mas não por culpa da Dilma. Muito pelo contrário, a Dilma tentou de todas as formas evitá-la, desonerando folha de pagamento, reduzindo impostos, reduzindo o preço da energia elétrica, medidas que, em “tempos normais”, seriam altamente anti-recessivas.

    Mas não deu mesmo. Veio a seca, o ataque predatório contra a Petrobrás e, a última, até, boicote dos caminhoneiros

    Mas o Brasil “não cai no buraco, porque é muito maior que o buraco”.

    Não acredito que a recessão dure muito. E o perfil da Dilma é, claramente, anti-recessivo.

  38. Patriarca da Paciência said

    “O arquivamento das investigações contra o principal líder da oposição, Aécio Neves (PSDB), pedido ao Supremo pelo procurador Geral da República, Rodrigo Janot, foi criticado nesta quinta-feria, 5, pelo líder do PT no Senado, Humberto Costa (PE); para Costa, o arquivamento revela como os vazamentos dos investigados na Lava Jato estão sendo feitos de forma seletiva para prejudicar o PT; “Quando o nome do presidente do PSDB aparece, já aparece inocentado, com a informação de que o processo dele será arquivado, sem qualquer notícia de sobre o que o teriam acusado”; em delação premiada, o doleiro Alberto Youssef que Aécio teria recebido, por meio de uma de suas irmãs, valores desviados de Furnas Centrais Elétricas; para o PGR, informações foram insuficientes para se aprofundar uma investigação”.
    (247)

    Pois é, finalmente apareceu uma prova definitiva de que os “vazamentos” são seletivos.

  39. Pedro said

    Esta vai pros anais de economia: seca recessiva.

    Poha Patriarca, não precisa procurar subterfúgios.

    Todos sabem que a culpa não é da Dilma, é do FHC.

  40. Pedro said

    Guata, bem lembrado: perigo.

    Paax, além de aumento, queremos um adicional.

    Trabalhar com o Googlias no mesmo blog é periculosidade grau máximo.

    ……………

    Agora chega de doideira, vou ao batente, enfrentar a recessão.,…

  41. Elias said

    Porra, Guatambu!

    I
    Qualquer coisa que qualquer um escreva, a qualquer momento, na lista de comentários, é passível de crítica. Quem não quiser receber críticas por opinião, deve evitar registrá-la na lista de comentários.

    Tu publicaste um comentário estranhando que eu elogie um documentário exibido pela Globo. Eu expliquei porquê e, por medida de precaução, antecipei que também gosto e compro muitas coisas publicadas pela Editora Abril, a quem eu também critico politicamente.

    Assim, tu não mais perderás tempo com estranhamentos ociosos.

    II
    Só um louco pode imaginar que a China conseguiria emplacar décadas inteiras com taxas de crescimento altíssimas, sem um mercado interno poderoso.

    São mais de 100 milhões de pessoas que sobem pra classe média, a cada 5 anos. Um Brasil inteiro sobe pra classe média a cada 10 anos.

    São dezenas de milhões de pessoas que, a cada ano, saem da faixa de subconsumo e sobem para a faixa do consumo. São centenas de milhares de novos supermercados que se inaugura a cada ano.

    São regiões inteiras, com área de milhões de hectares, sendo incorporadas ao processo produtivo. Recentemente li no NYT, uma extensa análise de um japonês que leciona numa universidade americana.

    O cara está mudando o paradigma dele. Antes, ele ia pelo senso comum, de que a economia chinesa iria se modernizar apenas nas áreas litorâneas. O interior continuaria apegado ao conservadorismo dos comunistas. Agora, depois de uma permanência de 6 meses na China, ele mudou de opinião. A região da Ásia Central, inclusive as áreas semidesérticas, estão sendo rapidamente incorporadas à moderna economia. A mesmíssima coisa dita e mostrada pelo documentário da National Geographic…

    O teu guru “Suisse” vai ter que tufar a veia João Goulart pra demonstrar que, agora, a China tem mais desigualdade do que tinha nos tempos da gerontocracia comunista, ou nos últimos anos da dinastia manchú, quando uns gatos pingados — da corte ou do partido (tanto faz dar na cabeça como na cabeça dar) — nadavam na opulência, enquanto a maioria da população ralava pra não morrer de fome.

    Testemunho de uma mulher chinesa, ouvida em uns dos documentários da NG: “Antes, a gente comia carne bovina uma vez por mês, quando dava pra fazer isso… Agora a gente come todos dias, se quiser…” (Esse é um outro documentário, que acompanha a visita à China, de um “chef” chinês que emigrou para a Europa há várias décadas, e agora é dono de um restaurante “top” na França.

    A redução da miséria na China está se tornando um problema ambiental. Se o consumo chinês de carne bovina/bubalina continuar aumentando no ritmo atual, isso implicará o problema de quem e onde produzir essa carne toda… E é exatamente aí que começa meu interesse na China, porque também estou envolvido em exportação de carne (bubalina) pra lá…

  42. Elias said

    Patriarca,
    Desoneração de folha de pagamento nunca foi remédio pra evitar recessão.

    Desoneração de folha de pagamento é bandeira da direita. Essa é que vive dizendo que, no Brasil, os salários são baixos porque os encargos sociais são altos, e blá, blá, blá, blá, blá, blá…

    Sabes o que acontece quando tu desoneras a folha de pagamento? Tu aumentas o lucro! Só isso.

    É preciso ser muito ingênuo pra acreditar que os patrões repassarão aos salários dos empregados a economia obtida com a desoneração da folha de pagamento.

    Eles vão é embolsar essa economia, Patriarca. Até porque, se isso for incorporado ao salário, não haverá como voltar atrás, depois. E se a desoneração for revogada, reduzida ou suspensa?

    Recessão se combate com gasto público. Com obras públicas de habitação, saneamento, transporte, urbanismo, etc.

    E a Petrobras não tem nada com isso.

    Ela encolhe também como consequência da recessão. Com a economia andando de lado, ou pra trás, o consumo de petróleo e derivados encalha ou cai.

    Neste momento, p.ex., a venda de veículos está quase que totalmente travada. Isso repercute sobre o consumo de combustível, e, por consequência, sobre a receita da Petrobras.

    Aí, acima, eu reproduzi uma lista de grandes empresas que fecharam o cofre dos investimentos em 2015, guardaram a chave e sentaram em cima. A Petrobras lidera o pelotão.

    Por que? Porque ela precisa dar lucro. Com o consumo estagnado ou em viés de queda, a manutenção dos níveis de investimento repercutiria sobre a geração de caixa, do lucro, etc. Daí porque ela vai segurar as pontas, Patriarca. Ainda mais com o preço do barril de óleo em queda no mercado internacional.

    Não há “crise de petróleo”, Patriarca. Como falar em crise, com a manutenção dos níveis de produção e o preço baixando pra pouco mais de 60% do que era há pouco mais de um ano?

    Quem está em crise são as petroleiras cuja viabilidade econômica depende do petróleo om preço alto no mercado internacional. E a Petrobras é a principal — até porque é a maior — delas.

    Pra manter um mínimo de investimento sem degradar a geração de caixa e sem agravar o endividamento, empresas como a Petrobras e a Vale terão que vender ativos. A Petrobras está fazendo isso. A Vale já fez (vendeu a Albrás, a Alunorte e a MRN). Da Vale ninguém falou porque a oposição é cretina e a grande mídia não pode passar sem as verbas publicitárias do mastodonte. Das vendas da Petrobras já começaram a falar… Mas vão falar pouco, porque bwana não tem o menor interesse em que a bugrada fique chiando a respeito disso, e a bugrada é obediente: vai já calar a boca, meter o rabo entre as pernas e se concentrar em lamber o saco do bwana… (ô racinha ordinária…! Huá! Huá! Huá! Huá!). De mais a mais, o que não falta é assunto pra meter o pau (epa!) na Petrobras.

  43. Elias said

    Até a produção brasileira de soda caiu…

    Tá soda!

  44. Elias said

    E, Patriarca.

    Outra razão para a Petrobras financiar o investimento (zititinho) com venda de ativos, é a nota de crédito da empresa.

    Quem tem nota de crédito vagabunda, paga juros mais altos.

    Em qualquer empresa, de qualquer tamanho, em qualquer lugar, quando chegando a essa situação complicada, o negócio é travar o endividamento, colocar (ou manter, se for o caso) os pagamentos em dia, e, querendo investir na linha principal, se desfazer de ativos da linha secundária.

    Isso é mais velho que a posição de fazer cocô. E é o que a Petrobras tá fazendo…

    Observa que toda a estratégia da Petrobras está voltada pra tentar estabelecer um fluxo de caixa minimamente saudável.

    Por que? Porque isso pode possibilitar o “aggionarmento” dos compromissos financeiros, e, no limite, a própria redução do endividamento. Se isso acontecer, ela pode melhorar a nota de crédito que, por seu turno, pode facilitar o acesso a financiamentos para — aí, sim! — retomar o investimento por alavancagem.

    Quem faria diferente, numa situação dessas? E como faria?

  45. DAISE 2.0 said

    Consegui identificar o tal mula sem cabeça que o Tolinho cita todo dia. O cara mora na Califórnia e está puto!
    É um Badass (Elias) multiplicado por 1000!

    Divirtam-se! rsrsrsrs

  46. DAISE 2.0 said

    Esse mula sem cabeça é um porre!
    Igual ao Tolinho da Papuda..rsrsrs

    Enquanto isso:

    Para agilizar o trabalho da CPI

    Brasil 05.03.2015
    A CPI da Petrobras aprovou a convocação de Graça Foster, Nestor Cerveró, José Sergio Gabrielli, Renato Duque, Pedro Barusco e Alberto Youssef. Para agilizar o trabalho dos parlamentares, sugerimos que:

    a) Pergunte-se a Graça Foster sobre as circunstâncias da sua saída da Petrobras, tendo como base a reportagem da Bloomberg que conta como Dilma Rousseff mandou desobedecer a lei e esconder as perdas da Petrobras; como a então presidente da empresa não conseguiu demitir o subordinado Sergio Machado, homem de Renan Calheiros, da presidência da Transpetro; e como Dilma Rousseff ficou contrariada quando ela, Graça Foster, quis colocar as empreiteiras do petrolão na geladeira

    b) Indague-se Nestor Cerveró sobre se o Conselho de Administração da Petrobras, na ocasião presidido por Dilma Rousseff, realmente não tinha dados suficientes para brecar a compra da refinaria de Pasadena, um dos piores negócios da história do capitalismo mundial

    c) Repita-se, no caso de José Sergio Gabrielli, o mesmo questionamento feito a Nestor Cerveró e se pergunte ao antecessor de Graça Foster sobre as empresas de fachada usadas para construir boa parte do gasoduto Gasene. Não se pode esquecer de lhe perguntar sobre as suas relações estreitas com a Andrade Gutierrez e sobre como a Engevix patrocinava a compra de parlamentares da base aliada. Atenção, deputados do PMDB: Gabrielli foi muito pouco explorado até o momento.

    d) Inquira-se Renato Duque sobre cada uma das propinas por ele recebidas, de acordo com os depoimentos da delação premiada de Pedro Barusco, seu ex-subordinado na Petrobras, e como ele repassava parte delas a petistas graúdos, incluindo José Dirceu. Duque poderá dar ainda informações preciosas sobre João Vaccari Neto, o Moch, tesoureiro do PT. Atenção, deputados do PMDB: Renato Duque é suscetível a pressões, daí o medo de Lula de ele ser preso, e poderá entregar o PT inteiro se o seu depoimento for bem aproveitado — o que tiraria o foco de Renan Calheiros, Eduardo Cunha e outros caciques peemedebistas

    e) Solicite-se a Pedro Barusco que faça um resumo da sua delação premiada, com a contabilidade das propinas que recebeu para ele próprio, Renato Duque e demais corruptos

    f) Peça-se a Alberto Youssef que, além de enumerar o quanto pagou a cada político, nomeando-os, conte a negociata entre o banqueiro André Esteves e a BR Distribuidora. Além disso, que ele pormenorize o que disse na sua delação premiada sobre Lula e Dilma saberem do esquema de corrupção na Petrobras

  47. Pax said

    Pedro, Catarina guloso, só dou aumento salarial pros comentaristas se Dilma desonerar minha folha de pagamentos e arrumar uma boquinha com propaganda da BR, CEF e BB para justificar o aumento de custos.

    Sabe como é essa turma, quem sabe eu não passe a fazer um blog só de elogios para o que foi um partido e agora virou uma quadrilha?

    (Um minuto que vou ali abaixar a cabeça pras asneiras que o nortista vai atirar no ventilador em defesa dos seus pares…)

    =)

    Enviado do meu iPhone

    >

  48. Pax said

    E o Paulo Bernardo, amigão de bolita do Alberto Yussef, começa a aparecer na Lava Jato…

    Hoje fez W.O. como testemunha de defesa do chefe do cartel de assalto a BR…

    Como diria aquele chato de plantão: eu não disse que uma hora a casa desse cidadão iria cair?

    Aí tem.

    Precisa lembrar que o Youssef e o André Vargas eram coordenadores financeiros das campanhas do Bernardo em Londrina ou o Elias vai arrumar um discurso bonitinho com tese de defesa ?

    Enviado do meu iPhone

    >

  49. DAISE 2.0 said

    Pax hehehehe
    Vc está enganado… tudo não passou de uma “conspiração escatológica” de Deus (???):

    Veio a seca, o ataque predatório contra a Petrobrás e, a última, até, boicote dos caminhoneiros,/

    segundo o Tolinho do Porre, acima.

    NÃO HÁ DIRIGENTES DO PT ENVOLVIDOS NO PETROLÃO

    Mas há excessões…rsrsrs

  50. Patriarca da Paciência said

    “Mas há excessões…rsrsrs”

    Ô Mula Sem Cabeça,

    “Excessões”, por acaso, seriam excessos enormes, gigantescos, fenomenais etc.etc. etc ?

  51. Patriarca da Paciência said

    Elias,

    sinceramente, eu acredito no funcionamento da economia meio termo, um pouco controlada pelo governo, outro pouco controlada pelos empresários, como acontece nos países nórdicos.

    Eu também não sou totalmente descrente dos empresários. Há muitas empresas hoje que oferecem grandes benefícios aos seus “colaboradores”. As empresas estão descobrindo que empregados saudáveis e confortáveis nos empregos são muito mais produtivos.

    Como sempre falei aqui, o Lula nunca fez uma citação de Karl Marx ou Lenin. A grande inspiração do Lula sempre foi a Dona Lindu, “se uma mãe tem uma pedaço de carne a mais para oferecer aos filhos, ela não vai escolher o filho mais bonito ou o mais esperto e sim aquele que está mais necessitado”.

    Então é isso aí, a política do PT é de obter o máximo de vantagens para os trabalhadores, respeitando os limites das atividades empresariais.

    E eu acredito sim, que desoneração de folha de pagamento, redução de impostos, redução do preço de energia elétrica, etc. são medidas anti-recessivas. Não acredito na “mão invisível do mercado”, mas acredito que muitos ensinamentos da economia clássica funcionam. Assim como seca e crises externas influenciam profundamente a economia.

  52. Patriarca da Paciência said

    A Mula sem cabeça acha o vídeo desse maluco o máximo ?

    Patético !

  53. DAISE 2.0 said

    OS EXCESSÕES rsrsrsr

    https://media.rbl.ms/image?u=%2F-OKPpncgWUuw%2FVPioXlG9dYI%2FAAAAAAAAeBQ%2FOzxi8O187B4%2Fs1600%2Fa1.jpg&ho=http%3A%2F%2F1.bp.blogspot.com&s=195&h=f9f33cfa2927b6c4621b1b867fec03ce326506801559359903d65540813deac6&size=980x&c=3997279421

  54. Guatambu said

    Elias,

    Não faça isso: pare de insistir que dá preguiça…

    As Chinas que você escolheu comparar, com base no documentário são 2 Chinas alinhadas à esquerda.

    Vc tá comparando uma China comunista e fechada ao capitalismo, com uma China de esquerda aberta ao capitalismo.

    Porra caceta! É óbvio que ao sair do obscurantismo comunista ocorre distribuição de renda! Distribuiu renda porque caminhou pra direita!

    Não precisa nem ver documentário pra chegar a essa conclusão…

    Só que a China parou de caminhar pra direita… e continua alinhado à esquerda.

    O relatório, não tá comparando 20, 30 anos atrás com hoje, e sim 5 anos atrás com hoje, mostra que essa distribuição de renda já foi invertida. Agora tá ocorrendo o fenômeno inverso: tá acontecendo uma concentração de renda a olhos vistos… e puxados.

    A China continua sendo um país alinhado à esquerda, e que a concentração de renda aumenta.

    Se vc não quiser acreditar, problema teu.

  55. Elias said

    Guatambu,

    Tu és doido, ou o quê?

    Quem veio com comparação foste tu, caceta!

    TU disseste, com base no tal “Suisse”, que as desigualdades sociais na China estavam se acentuando.

    Acentuando em relação ao quê, diabo? Tu disseste que a fantástica (e fantasiosa) comparação era em relação ao estonteante período de 5 anos? Não! Eu tenho que advinhar? Nem f…endo!

    “A China parou de caminhar pra direita…”?

    Deixa de ser besta, rapaz!

    Tu não tens a menor ideia de como funciona aquele troço. A China continua sendo uma economia tão estatizada quanto era nos tempos do Mao. A diferença é que agora, ela passou a aceitar mais parcerias com empresas ocidentais (que jamais saíram da China, mesmo durante a “Revolução Cultural”.

    Há alguns anos, tive a oportunidade de participar de conversações com representantes de empresas chinesas, que estariam interessados em operar um porto semiabandonado, que existe na ilha do Outeiro, em Belém. A ideia dos chineses era usar esse porto pra exportar pescado pra China e receber produtos industrializados para os Estados do Norte do Brasil. (No frigir dos ovos, os chineses acabaram decidindo esperar pela Zona de Processamento de Exportação de Barcarena, que, até agora, continua só no papel).

    A delegação chinesa representava um conjunto de 20 empresas, que, somadas, respondiam por uma produção equivalente a uns 8% ou 10% do PIB brasileiro. Nenhuma era privada. Todas eram estatais, de dois tipos: um deles, semelhante à “empresa pública” brasileira, ou seja, de direito privado, porém com capital exclusivamente estatal; o outro, igual à nossa “sociedade de economia mista”, i.é., contendo capital privado (geralmente estrangeiro), mas com absoluto controle acionário do Estado.

    Isso há onze anos atrás, em 2004, quando a China aloprava com crescimento do PIB de 10% a.a. ou mais.

    Hoje, a situação estrutural do aparelho produtivo chinês é exatamente a mesma. Continua sendo uma “economia mista”, admitindo o capital e o empreendimento privado, porém sob absolutíssimo controle estatal.

    Disse a diretora geral de uma empresa (estatal) chinesa: “Eu sempre digo aos empresários ocidentais que, na China, esqueçam seus modelos de análise. A China é diferente, apesar de sermos casados com a Inglaterra, e de mantermos um interminável caso adulterino com a França…”.

    “Parou de caminhar pra direita”, é?

    Putz! Sei de estudantes do Ensino Médio que podem fazer infinitamente melhor do que isso!

  56. Elias said

    Patriarca,
    Há um tempo atrás, eu mostrei pro Chester uma planilha de encargos sociais sobre folha.

    A direita brasileira meteu na cabeça da boiada dela, que os “impostos” sobre folha de pagamento no Brasil são altos.

    Papo furado! Tu és contador, e sabes disso.

    A maior parte dos encargos sociais brasileiros é formada por parcelas destinadas ao empregado, e não ao Estado.

    É o caso do 13º salário, das férias, do terço constitucional sobre férias, do FGTS, do aviso prévio, do vale transporte, do vale alimentação, etc. Só com isso aí, já tens praticamente metade ou mais dos encargos totais.

    Mesmo a parte do empregador da contribuição previdenciária é destinada ao FPAS, que, mais à frente, banca a aposentadoria. Se o Brasil mudar do regime de repartição para o de capitalização — como na maioria dos países civilizados — a remuneração do aposentado poderá melhorar substancialmente, sem se mexer nas taxas contributivas nem no período aquisitivo. Se o Brasil tivesse sindicatos de trabalhadores que prestassem (os sindicatos), isso já estaria implantado há décadas. Idem as mútuas de acidentes do trabalho.

    Não se trata de acreditar ou de desacreditar em empresário. Trata-se de ser realista. Em países como o Brasil, se desonerar a folha, o produto da desoneração vai se transformar em lucro adicional, e não em melhoria salarial.

    Demais disso, desonerar a folha por onde? Extinguindo o 13º salário? O FGTS? O adicional sobre férias? O Vale Alimentação?

    Não, né Patriarca? Se desonerar por aí, os trabalhadores é que serão prejudicados.

    Então, vai desonerar por onde? Reduzindo a parte do empregador, na contribuição previdenciária? Acabando com a contribuição para o “Sistema S”?

    Patriarca, a contribuição ao “Sistema S” corresponde a 0,25% do faturamento bruto! É piada dizer que uma desoneração desse porte vai produzir algum efeito macroeconômico. Mas vai causar um pandemônio social, com a extinção do SESI, do SESC, do SEST, do SENAT, do SENAC, do SENAI… Os três últimos, constituem os únicos sistemas nacionais de formação de mão-de-obra direta, num país que, sendo uma das maiores economias do planeta, tem como característica a péssima qualidade da mão-de-obra-direta…

    Não dá pra desonerar por aí também, né?

    Resta o quê? A parte do empregador na contribuição previdenciária, certo? Ótimo, então! Vamos desonerar por aí… Com a previdência trambolhando um déficit paquidérmico, nada mais adequado que desonerar a folha por esse caminho.

    Esse papo não é sério, Patriarca. E mais: no Brasil, qualquer tentativa de desoneração da folha de pagamento, neste momento, é insustentável. Tem pernas curtas.

    O que enche de razão o empresário que meter no bolso o produto da desoneração. Ele não tem porque assumir compromisso financeiro permanente (aumento de salário), com base numa vantagem (desoneração) temporária.

  57. Guatambu said

    Elias,

    Eu botei a teoria e botei o link, vc não foi lá e leu o q tava escrito no link pq não quis!

    Só faltava essa agora… quer que eu faça ditado neném? Um empreendedor, fundador do PT, que sabe de cor e salteado a literatura brasileira de trás pra frente vem me perguntar: como é que eu ia saber que a base de comparação é de 5 anos?!

    Leia o relatório antes de ficar estrebuchando!

    Concentração de riqueza. RIQUEZA Elias, MAIS CONCENTRADA! Significa que há 5 anos a os 10% mais ricos concentravam menos riqueza que concentram agora.

    Só isso.

    E sendo um país alinhado à esquerda, essa concentração foi realizada dentro de um ambiente político de esquerda.

    Só isso.

    Como, em outros países alinhados à esquerda, isso acontece com mais frequência e maior intensidade do que países alinhados à direita, a minha teoria foi:

    1. Todos os países concentram renda, independente do alinhamento político
    2. Países alinhados à esquerda concentram mais renda que países alinhados a direita

    Só isso!

    E aí vc não presta atenção no que lê… e nem lê o relatório e começa a falar no documentário da National Geographic sobre a melhoria nas condições de vida da população… putz… E vem falar que alunos de ensino médio fazem melhor?!

    O que vc fez é fuga ao tema! Com argumento desses vc não passa nem no ENEM, neném…

    Se bem que… pensando bem, depois que o garoto botou o hino do Palmeiras na redação e levou um 10 pra casa…

    Não tem nada a ver com desigualdade social… Que desigualdade social filhão?! Depois eu que sou louco!

    A menos que no teu dicionário igualdade social seja medida exclusivamente pelo que o sujeito tem e que pode ser convertido em moeda. (seu capitalista! hahaha)

    Para mim soa muito estranho esse conceito vindo de alguém que aposta no Estado para fornecer coisas básicas como: água, luz, esgoto, habitação, educação, segurança, saúde, etc, etc etc.

    Desigualdade social, no meu vocabulário e antes que nós nos desentandamos novamente por diferenças de base de comparação, tem a ver com igualdades de oportunidades e de requisitos básicos para a sobrevivência, como estes acima, antes de chegarmos a comparar a renda ou os bens conversíveis em moeda que um indivíduo possui.

    Mas isso é outro papo.

  58. Elias said

    Corrupax-papaco,
    Estou acumulando merda pra alimentar meu papagaio gaúcho neodireitopata.

    Cheguei a pensar em ração de jumento, mas pensei melhor e resolvi alimentá-lo com algo mais adequado às preferências gastronômicas daquela aberração zoológica…

    Bem, chega de conversa fiada. Vou pro batente.

    Até amanhã ou segunda.

  59. Patriarca da Paciência said

    E aí, Mula Sem Cabeça ?

    Viu a lista do “lavajato” ?

    Dilma e Lula sequer são mencionados, apesar do PIG ficar insistindo de que Dilma teria sido citada .

    Aecim bebê chorão escapou pela tangente, mas ainda não está a “salvo”. De qualquer forma foi citado e muito bem citado.

    E o número 2 do PSDB de Minas Gerais, amigão do peito do Aecim, está envolvido até o pescoço .

  60. DAISE 2.0 said

    Tolinho da Papuda adora se humilhar em público:

  61. DAISE 2.0 said

  62. Patriarca da Paciência said

  63. DAISE 2.0 said

    A isso chegamos: o país novamente à beira do precipício, uma conjunção de crise econômica com escândalo de corrupção, o Legislativo apodrecido, o Executivo carcomido e o Judiciário intimado a providenciar a necropsia. Há no noticiário cadáveres demais esperando para acontecer. Já produzem um fedor lancinante. Como em toda grande tragédia, a contagem das vítimas do petrolão será lenta. A lista, que já é imensa, vai crescer. Há novas apurações e delações em curso.

    O excesso de mortos-vivos leva muita gente a passar batida pelo moribundo mais ilustre em cena: o governo Dilma Rousseff. A segunda gestão de madame é, hoje, uma velha com 66 dias de existência. Embora só tenha dois meses de idade, sua cara estampa 12 anos de biografia.

    Na plenitude de sua velhice precoce, a administração de Dilma 2 não tem mais ambições, só memórias.
    Sem agenda, sua prioridade é consertar os erros de Dilma 1, uma ex-presidente que fez o pior o melhor que pôde. Na economia, a Dilma atual é refém de Joaquim Levy. Se o ministro da Fazenda pedir para sair, a velha de 66 dias morrerá.
    E, suprema desgraça, não irá para o céu.

    Na política, a jovem anciã comanda uma coligação de aliados 100% feita de adversários. Na iminência de dar com os burros n’água, Dilma precisa se abraçar aos burros secos. Mas olha ao redor e não os encontra. No mês passado, ajudou a reeleger Renan Calheiros à presidência do Senado. Imaginou que vitaminava um velho faz-tudo do governo. Em verdade, alimentava o novo líder da oposição. O tucanato de Aécio Neves nunca foi tão desnecessário.

    Noutros tempos, a falta de traquejo de madame era compensada pela presença de espírito de Lula. Hoje, o padrinho político de Dilma prefere exercitar a ausência de corpo. Continua falando mal. Mas só pelas costas. De raro em raro, faz um discuso para atacar a mídia golpista e a oposição pró-impeachment. Mas isso também tornou-se desnecessário.

    Dilma ainda não notou, mas seu governo carrega as infecções oportunistas do poder longevo. Seu segundo mandato, como a vida, é uma doença incurável.

    Madame não será arrancada do Planalto. Ela terá baixa.

  64. Pax said

    saiu o listão e tá tudo emboladão

    O PP do Maluf com o PT do Lula, com o PMDB do Sarney, com o PSDB do FHC…

    virou tudo a mesma coisa mesmo

    Maluf como mentor deles todos

    tivesse tempo, tenho que ter, há que haver um bom post

    tivesse tempo

  65. Patriarca da Paciência said

    Vê aí, Mula Sem Cabeça,

    Nada, absolutamente nada, contra a Dilma e o Lula.

    Corta os pulsos, Mula Sem Cabeça.

    “O ministro do Supremo Tribunal Federal Teori Zavascki entendeu que não há nada contra a presidentes Dilma Rousseff que motive uma investigação no processo sobre o escândalo de corrupção na Petrobras, informou nesta sexta-feira a assessoria do STF; “Em relação a ‘referência a envolvimento indireto’ da campanha da presidente da República, o próprio procurador-geral da República (Rodrigo Janot) já adiantava excluir, dos elementos à vista, conclusão que conduzisse a procedimento voltado à chefe do Poder Executivo”, diz Zavascki, relator do caso no STF, em sua decisão.”

    http://www.brasil247.com/pt/247/brasilia247/172384/Teori-'n%C3%A3o-h%C3%A1-nada-a-investigar-sobre-Dilma‘.htm

  66. Patriarca da Paciência said

    E o texto do 63, é teu ou do rolabosta, Mula Sem Cabeça ?

  67. DAISE 2.0 said

    A verdade sobre Dilma

    O procurador-geral não disse – e nem dirá – que a presidente “nada tem a ver” com os problemas da Petrobrás. Por isso mesmo “não fulminou qualquer possibilidade de acusa-la de crime de responsabilidade”, mas sim que, por força de norma constitucional, a presidente, na vigência de seu mandato, possui imunidade processual e não pode ser investigada por atos estranhos ao exercício de suas funções. Os fatos até agora apurados, vale dizer, referem-se ao período anterior do mandato presidencial, uma vez que na época Dilma era ministra e presidente do Conselho de Administração da Petrobras.

    Ocorre que nada impede, mais à frente, com a vinda de extratos e o aprofundamento das investigações, que novos fatos e novas provas eventualmente justifiquem a abertura de um pedido de investigação contra a presidente, ou mesmo um pedido de impeachment.

    Não se sabe qual o teor dos fatos relacionados à Dilma, apurados pelo Ministério Público. Isso virá à tona. O processo de impeachment não é apenas jurídico, mas também político. Hoje não há elementos suficientes, mas isso não significa que o procurador-geral tenha absolvido a presidente. E não há garantia alguma do que poderá ocorrer em um futuro próximo.

  68. DAISE 2.0 said

    O Palácio do Planalto tem tido acesso a pesquisas que jogam Dilma Rousseff em patamares de impopularidade inéditos em seu governo. São números muito piores do que ela obteve após as manifestações de 2013.

    Fernando Pimentel recebeu na semana passada uma pesquisa encomendada ao Vox Populi que é desastrosa para Dilma. Feita apenas em Minas Gerais, onde ela venceu a eleição, a pesquisa mostra que 62% dos mineiros consideram seu governo “ruim” ou “péssimo”.

  69. Patriarca da Paciência said

    Minha homenagem à Mula Sem Cabeça e a todos os profetas da desgraça !

  70. DAISE 2.0 said

  71. DAISE 2.0 said

    DANDO INÍCIO À SEMANA DO IMPEACHMENT

  72. DAISE 2.0 said

    MINI DILMA

  73. Patriarca da Paciência said

    O Eduardo Cunha chegou !

    Não era ele que iria detonar a Dilma ?

  74. Patriarca da Paciência said

    Ô Mula Sem Cabeça,

    Jabor, o veinho apavoradinho do Brasil, aquele que tem tanta credibilidade quanto o Eduardo Cunha, é tão patético que não merece sequer resposta ! É um babaca em estado puro !

  75. DAISE 2.0 said

    Dilma sabia de tudo. Lula sabia de tudo.

    Alberto Youssef será interrogado novamente em 31 de março. O juiz Sergio Moro poderá pedir esclarecimentos sobre um trecho de seu depoimento anterior.

    Ele disse:

    “O Palácio do Planalto tinha conhecimento da estrutura que envolvia a distribuição e repasse de comissões no âmbito da estatal”.

    E acrescentou:

    “Eram comuns as disputas de poder entre partidos, relacionadas à distribuição de cargos no âmbito da Petrobras, e essas discussões eram finalmente levadas ao Palácio do Planalto para solução”.

    Alberto Youssef pode relatar um episódio em particular em que o Palácio do Planalto interferiu para dirimir uma disputa na Petrobras, envolvendo o esquema de propinas da estatal? De que maneira isso ocorreu?

    Sergio Moro sabe quem são os mandantes do esquema de propinas da empresa. Ele sabe de tudo, assim como nós sabemos.

    Chegou a hora de desencadear a décima-quarta etapa da Lava Jato e passar a indentificar essa gente.

  76. DAISE 2.0 said

    Verdades inconvenientes

    Com a quebra dos sigilos dos depoimentos da Operação Lava Jato decidida pelo ministro Teori Zavascki, do Supremo Tribunal Federal (STF), ficou claro que VEJA estava certa

    http://msalx.veja.abril.com.br/2014/10/23/2017/pe6Cx/capa-2397-original.jpeg?1414102580

    A mais extraordinária característica dos fatos é que eles são teimosos. Os fatos não desaparecem facilmente. A realidade é feita de fatos e, à semelhança da verdade, cedo ou tarde ela se impõe.
    VEJA provocou comoção quando escreveu na capa de sua edição de 29 de outubro de 2014 que, segundo depoimento do doleiro Alberto Yousseff, Lula e Dilma sabiam de tudo que se passava nos porões do petrolão. Por ser antevéspera de eleições, um juiz do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) concedeu à campanha de Dilma Rousseff o direito de resposta. O espaço legal foi usado mais para atacar a revista do que para recolocar os fatos no seu devido lugar – até porque os fatos já estavam no lugar.
    Na defesa que fez junto ao STF na tentativa de reverter a decisão do TSE, VEJA esclareceu que se baseou em três fatos:
    “1) Ocorreu o depoimento do doleiro Alberto Yousseff no âmbito do processo de delação premiada;
    2) As afirmações atribuídas a Youssef pela revista foram anexadas ao processo e;
    3) O advogado do investigado, Antônio Figueiredo Bastos, não rechaçou a veracidade do relato.
    (…) Lamenta-se a fragilidade a que se submete, em período eleitoral, o preceito constitucional de liberdade de expressão ao se permitir que, ao cabo de poucas horas, de modo autocrático, um ministro decida merecerem respostas informações jornalísticas que, em outras circunstâncias, seriam simplesmente verdades inconvenientes – passíveis, é claro, de contestação, mesmo quando fruto de dúvida hiperbólica, mas sempre mediante a análise detida de provas e tomadas de testemunhos.”
    Com a quebra dos sigilos dos depoimentos da Operação Lava Jato decidida nesta sexta-feira pelo ministro Teori Zavascki, do Supremo Tribunal Federal (STF), ficou evidente que VEJA estava certa quanto ao conteúdo do depoimento de Yousseff.

  77. DAISE 2.0 said

    http://player.mais.uol.com.br/embed_v2.swf?mediaId=15398165&ver=1

  78. DAISE 2.0 said

    Pensamento do dia:

    Se o Tolinho da Papuda está falando o que fala sem acreditar é muito ruim,.
    Mas se ele falar acreditando no que fala ..é muito pior!

  79. Pax said

    O viés é de alta

    http://noticias.uol.com.br/ultimas-noticias/folha-online/brasil/2015/03/08/outras-estatais-pagavam-politicos-diz-doleiro.htm

    Enviado do meu iPhone

    >

  80. Patriarca da Paciência said

    http://www.istoe.com.br/reportagens/407824_O+HOMEM+DA+MALA+DA+CAMARGO+CORREA

    Veja aí, Pax, aquilo que eu venho dizendo aqui faz muito anos. Empreiteiras, Bancos e Seguradores vem financiando políticos desde que eles apareceram no Brasil. Corrupção nunca havia sido investigada no Brasil. Apenas no governo do PT foram criados os meios de investigar a corrupção e, apenas no governo Dilma a corrupção começou a ser investigada.

    “A engrenagem da corrupção detalhada por João Paulo dos Santos impressiona. A prática de superfaturar planilhas para pagar propinas, segundo ele, foi usada pela Camargo na construção da barragem do Lago Paranoá em Brasília, na hidrelétrica de Itaipu, na ponte Rio-Niterói e em inúmeras rodovias federais e estaduais, além de pontes, viadutos e túneis. O túnel do Jóquei Clube, por exemplo, teve seu custo reajustado de US$ 40 milhões para mais de US$ 90 milhões na gestão de Paulo Maluf. O valor embutiu comissão para o então prefeito. “Foram 10% de propina para o Maluf. O primeiro pagamento eu fiz pessoalmente”, afirma.”

    O homem era o contador da Camargo Correa ! Fala com conhecimento de causa. Itaipu, Ponte Rio-Niterói, ou seja, nos governos militares é que a coisa campeava solta. E quem se “metesse a besta” de falar alguma coisa simples levava um “chá de sumiço”.

    No governo Fernando Henrique foi um verdadeiro bacanal.

    E o ministro Gilmar Mendes permanece, faz um ano, sentado no processo que impede o financiamento de campanhas por empreiteiras !

    Somente pessoas simplórias como a Mula Sem Cabeça, acredita que o governo Dilma é corrupto !

    Mas ela é apenas uma mula sem cabeça, coitada !

  81. Patriarca da Paciência said

    Alguns trechos da entrevista:

    “ISTOÉ – Só usavam o Swiss Bank?
    João Paulo – Era um dos bancos que eu mais operava. Tinha uma conta lá fora. Eu sacava aqui no Brasil e recebia os dólares aqui no Brasil, lá no escritório na Camargo, na minha sala. O Kurt Pickel (chefe do escritório do Swiss Bank Corporation no Brasil, preso na Operação Castelo de Areia) é que levava e depois eu entregava aos políticos. Usava sempre o recurso do Swiss Bank, ou depósito lá fora, ordem de pagamento, ou dinheiro em espécie aqui. É mais ou menos como uma operação de dólar-cabo. Usamos uma empresa lá fora. Esse dinheiro nunca aparecia na Camargo, não entrava na contabilidade da companhia. Eu recebia um dinheiro que não estava em lugar nenhum. E tinha operação oficial também.

    ISTOÉ – Quando o sr. começou a pagar a propina? Como foi a primeira vez?
    João Paulo – Foi no governo Orestes Quércia. Com o Otavio Ceccato (ex-secretário da Indústria e ex-presidente do Banespa). Eu fazia ordem de pagamento para contas que ele indicava, na Espanha, na Inglaterra. Uma vez por mês a gente se encontrava para eu entregar o comprovante do depósito. Era US$ 1,55 milhão por mês. Foi assim até o final do governo.

    ISTOÉ – Depois do Quércia, assumiu o Fleury. O esquema continuou?
    João Paulo – Sim. A primeira conversa foi com o Lilico (capitão Frederico Pinto Coelho Neto), irmão do Fleury. Eu fui no Palácio dos Bandeirantes três vezes. Era um risco desgraçado porque eu entrava com o dinheiro lá dentro. Eu falei com Sebastião. Boto um milhão de dólares no porta-malas do meu carro, tudo bem. Mas e se acontece algum acidente? Alguém me rouba? Fui três vezes lá na sala dele. Se pagava US$ 2 milhões a Camargo, a gente devolvia US$ 200 mil de comissão.”

    Ele só usava o Swiss Bank, é claro, “porque lava mais branco e não delata”. Recomendou aos genros que o substituíram, que sempre usassem os bancos suíços, mas os babacas, como sempre, se acharam muito esperto e partiram para doleiros. Dei no que deu.

  82. DAISE 2.0 said

    Se o Tolinho da Papuda está falando o que fala sem acreditar é muito ruim.
    Mas se ele falar acreditando no que fala ..é muito pior!

    “Fora Dilma” durante fala da presidente na TV; veja vídeos (FSP)

    Na TV, Dilma defende ajuste; nas ruas pelo país, panelaço e buzinaço (Estadão)

    Dilma pede paciência, mas várias cidades têm vaias e panelaços (Globo)

  83. DAISE 2.0 said

    Dilma, a idiota

    De tanto repetirem que Dilma Rousseff, a exemplo de Lula, não sabia de nada, a plateia começa a se questionar:

    1. A Petrobras não era o habitat natural de Dilma?

    2. A fama de gerentona não nasceu no Ministério de Minas e Energia?

    3. Guindada à Casa Civil, a mãe do PAC não fez questão de permanecer na presidência do Conselho de Administração da Petrobras?

    4. Eleita presidente da República, a soberana não entregou o comando da Petrobras para Graça Foster, pessoa da sua irrestrita confiança?

    5. Se cada uma das perguntas anteriores é respondida com um retumbante “sim”, o que diabos madame fazia que não viu o conluio das maiores empreiteiras do país com os propino-diretores indicados por partidos que abrigam 47 suspeitos de chafurdar na jazida de lama da Roubobras?

    Neste sábado (7), Dilma abespinhou-se com o tratamento que recebeu do noticiário. E mandou o ministro José Eduardo Cardozo (Justiça) reafirmar que ela não sabe de nada sobre coisa nenhuma.

    Dilma foi citada em depoimentos de dois delatores da Lava Jato: o ex-diretor Paulo Roberto Costa e o doleito Alberto Youssef. Mas o ministro Teori Zavascki, do STF, avalizou o entendimento do procurador-geral Rodrigo Janot segundo o qual, no caso dela, não é possível abrir uma investigação.

    Por quê? As menções feitas a Dilma referem-se a fatos da campanha eleitoral de 2010, antes de ser empossada no primeiro mandato, em 2011. E a Constituicão, no parágrafo 4º do artigo 86, anota que um presidente da República, no curso do mandato, não pode ser processado por atos não relacionados ao exercício das suas funções.

    O procurador-geral realçou que, conforme entendimento já consolidado no STF, essa proibição para a abertura de investigação é uma imunidade temporária. Remanesce enquanto durar o mandato.

    Pois bem. O que disse o delator Paulo Roberto? Contou que, em 2010, o doleiro Youssef lhe trouxe um pedido do grão-petista Antonio Palocci, então coordenador da campanha presidencial de Dilma. Queria que fossem cedidos do caixa de propinas do PP, o Partido Progressista, R$ 2 milhões para a camanha de Dilma. Youssef foi autorizado a realizar o repasse. Ouvido, o doleiro negou que tivesse feito o repasse.

    Impedido pela Constituição de pedir a abertura de processo contra Dilma no Supremo, o procurador-geral Janot requereu ao ministro Teori que devolvesse à primeira instância do Judiciário esse pedaço do processo, para que seja apurada a conduta de Palocci. Foi atendido. Assim, caberá ao juiz Sérgio Moro, que cuida da Lava Jato em Curitiba, perscrutar o suposto elo entre a petrorroubalheira e a caixa registradora do comitê de Dilma-2010.

    Foi nesse contexto que o ministro da Justiça travestiu-se de advogado de Dilma e veio à boca do palco para declarar, em timbre semi-exaltado, que a decisão do STF deixara claro que não havia nada de errado a apurar na conduta da presidente. Nas suas palavras, ela “não teve pedida, nem decidida qualquer autorização para investigação porque não há fatos, não há indícios que pudessem envolvê-la em absolutamente nada nesse episódio.”

    Escorando-se num trecho do despacho de Teori Zavascki, Cardozo acrescentou: “Exatamente por isto, se afirma que nada em relação a ela tem que ser arquivado. Ao contrário de outros arquivamentos em que se fala ‘arquive-se’. Há fatos. Mas arquive-se. Aqui não. Não há fatos. Não há nada a ser arquivado e aí se reforça. Mesmo que houvesse fatos, a Constituição não autorizaria a investigação.”

    O ministro prosseguiu: “Portanto, dizer que a presidente Dilma não foi investigada, ou não houve proposta de abertura de inquérito para que ela fosse investigada, porque seria um dispositivo constitucional que impediria, não é verdadeiro. É incorreto, diante da leitura óbvia dos termos dessa decisão. Ela não foi investigada porque não havia fatos. Não foi investigada porque não havia indícios. E se houvessem, aí sim incidiria o dispositivo constitucional.”

    Num instante em que a crise econômica converte em vapor a mística da gerente infalível, Cardozo pede, com outras palavras, que, em relação à Petrobras, a plateia continue enxergado Dilma como uma reles tola. Ou cínica. Se houve repasse de verba suja para as arcas da campanha de 2010, Dilma não sabia.

    Dilma foi citada também em depoimento do doleiro Youssef. A certa altura, ele afirmou que a presidência da Petrobras e o Palácio do Planalto sabiam do propinoduto que drenava verbas da estatal. Seus inquiridores perguntaram a quem se referia quando citava o Planalto. E o doleiro: Presidência da República, Casa Civil e Minas e Energia. Youssef foi aos nomes: Lula, Gilberto Carvalho, Ideli Salvatti, Gleisi Hoffman, Dilma Rousseff, Antonio Palocci, José Dirceu e Edison Lobão.

    O procurador Rodrigo Janot avaliou que não há na declaração do delator Youssef indícios mínimos de que as autoridades citadas soubessem dos fatos. Na falta de evidências mais explícitas, achou que não seria o caso nem de procurar. Decerto esperava que os personagens mencionados tivessem passado procuração em cartório delegando à dupla Paulo Roberto e Youssef poderes para assaltar a Petrobras pelo bem da democracia.

    Tudo resolvido, ficou entendido que, no Brasil, quem tem um olho vira diretor da Petrobras. Quem tem dois, compra os diretores da Petrobras. E o pior cego é o que não vê nada e acha só pode ser julgado pelo espelho, um magistrado que perdoa todo mundo. Inclusive os tolos. E os cínicos.

    À falta de um enredo plausível, as ruas olham por cima do espelho, saltam as confusões e tiram suas próprias conclusões.
    Segundo o Datafolha, a grossa maioria dos brasileiros acha que Dilma sabia da corrupção na Petrobras (77%).
    E assistiu ao saque sem opor resistências (52%).

  84. Patriarca da Paciência said

    Somente pessoas simplórias como a Mula Sem Cabeça, acredita que o governo Dilma é corrupto !

    Mas ela é apenas uma mula sem cabeça, coitada !

    “Deputada Manuela D’Ávila (PCdoB) usou seu perfil no Facebook para avaliar o desenrolar da Operação Lava Jato, com divulgação da lista dos políticos denunciados, e falou dos falsos moralistas de plantão que culpam uns aos outros pelos escândalos de corrupção, inclusive “dos que pregam impeachment”, e avaliou “que dizer que é um escândalo do PT é maquiar demais a realidade”; a comunista entende que o que estimula os corruptos é o modelo de doação privada das campanhas eleitorais; “Sem mudar esse sistema eleitoral é difícil aprofundar mudanças no Brasil”; leia íntegra”
    (247)

  85. DAISE 2.0 said

    A HORA DA VERDADE

    De tanto repetirem que Dilma Rousseff, a exemplo de Lula, não sabia de nada, a plateia começa a se questionar:

    1. A Petrobras não era o habitat natural de Dilma?

    2. A fama de gerentona não nasceu no Ministério de Minas e Energia?

    3. Guindada à Casa Civil, a mãe do PAC não fez questão de permanecer na presidência do Conselho de Administração da Petrobras?

    4. Eleita presidente da República, a soberana não entregou o comando da Petrobras para Graça Foster, pessoa da sua irrestrita confiança?

    5. Se cada uma das perguntas anteriores é respondida com um retumbante “sim”, o que diabos madame fazia que não viu o conluio das maiores empreiteiras do país com os propino-diretores indicados por partidos que abrigam 47 suspeitos de chafurdar na jazida de lama da Roubobras?

    Neste sábado (7), Dilma abespinhou-se com o tratamento que recebeu do noticiário. E mandou o ministro José Eduardo Cardozo (Justiça) reafirmar que ela não sabe de nada sobre coisa nenhuma.

    Dilma foi citada em depoimentos de dois delatores da Lava Jato: o ex-diretor Paulo Roberto Costa e o doleito Alberto Youssef. Mas o ministro Teori Zavascki, do STF, avalizou o entendimento do procurador-geral Rodrigo Janot segundo o qual, no caso dela, não é possível abrir uma investigação.

    Por quê? As menções feitas a Dilma referem-se a fatos da campanha eleitoral de 2010, antes de ser empossada no primeiro mandato, em 2011. E a Constituicão, no parágrafo 4º do artigo 86, anota que um presidente da República, no curso do mandato, não pode ser processado por atos não relacionados ao exercício das suas funções.

    O procurador-geral realçou que, conforme entendimento já consolidado no STF, essa proibição para a abertura de investigação é uma imunidade temporária. Remanesce enquanto durar o mandato.

    Pois bem. O que disse o delator Paulo Roberto? Contou que, em 2010, o doleiro Youssef lhe trouxe um pedido do grão-petista Antonio Palocci, então coordenador da campanha presidencial de Dilma. Queria que fossem cedidos do caixa de propinas do PP, o Partido Progressista, R$ 2 milhões para a camanha de Dilma. Youssef foi autorizado a realizar o repasse. Ouvido, o doleiro negou que tivesse feito o repasse.

    Impedido pela Constituição de pedir a abertura de processo contra Dilma no Supremo, o procurador-geral Janot requereu ao ministro Teori que devolvesse à primeira instância do Judiciário esse pedaço do processo, para que seja apurada a conduta de Palocci. Foi atendido. Assim, caberá ao juiz Sérgio Moro, que cuida da Lava Jato em Curitiba, perscrutar o suposto elo entre a petrorroubalheira e a caixa registradora do comitê de Dilma-2010.

    Foi nesse contexto que o ministro da Justiça travestiu-se de advogado de Dilma e veio à boca do palco para declarar, em timbre semi-exaltado, que a decisão do STF deixara claro que não havia nada de errado a apurar na conduta da presidente. Nas suas palavras, ela “não teve pedida, nem decidida qualquer autorização para investigação porque não há fatos, não há indícios que pudessem envolvê-la em absolutamente nada nesse episódio.”

    Escorando-se num trecho do despacho de Teori Zavascki, Cardozo acrescentou: “Exatamente por isto, se afirma que nada em relação a ela tem que ser arquivado. Ao contrário de outros arquivamentos em que se fala ‘arquive-se’. Há fatos. Mas arquive-se. Aqui não. Não há fatos. Não há nada a ser arquivado e aí se reforça. Mesmo que houvesse fatos, a Constituição não autorizaria a investigação.”

    O ministro prosseguiu: “Portanto, dizer que a presidente Dilma não foi investigada, ou não houve proposta de abertura de inquérito para que ela fosse investigada, porque seria um dispositivo constitucional que impediria, não é verdadeiro. É incorreto, diante da leitura óbvia dos termos dessa decisão. Ela não foi investigada porque não havia fatos. Não foi investigada porque não havia indícios. E se houvessem, aí sim incidiria o dispositivo constitucional.”

    Num instante em que a crise econômica converte em vapor a mística da gerente infalível, Cardozo pede, com outras palavras, que, em relação à Petrobras, a plateia continue enxergado Dilma como uma reles tola. Ou cínica. Se houve repasse de verba suja para as arcas da campanha de 2010, Dilma não sabia.

    Dilma foi citada também em depoimento do doleiro Youssef. A certa altura, ele afirmou que a presidência da Petrobras e o Palácio do Planalto sabiam do propinoduto que drenava verbas da estatal. Seus inquiridores perguntaram a quem se referia quando citava o Planalto. E o doleiro: Presidência da República, Casa Civil e Minas e Energia. Youssef foi aos nomes: Lula, Gilberto Carvalho, Ideli Salvatti, Gleisi Hoffman, Dilma Rousseff, Antonio Palocci, José Dirceu e Edison Lobão.

    O procurador Rodrigo Janot avaliou que não há na declaração do delator Youssef indícios mínimos de que as autoridades citadas soubessem dos fatos. Na falta de evidências mais explícitas, achou que não seria o caso nem de procurar. Decerto esperava que os personagens mencionados tivessem passado procuração em cartório delegando à dupla Paulo Roberto e Youssef poderes para assaltar a Petrobras pelo bem da democracia.

    Tudo resolvido, ficou entendido que, no Brasil, quem tem um olho vira diretor da Petrobras. Quem tem dois, compra os diretores da Petrobras. E o pior cego é o que não vê nada e acha só pode ser julgado pelo espelho, um magistrado que perdoa todo mundo. Inclusive os tolos. E os cínicos.

    À falta de um enredo plausível, as ruas olham por cima do espelho, saltam as confusões e tiram suas próprias conclusões. Segundo o Datafolha, a grossa maioria dos brasileiros acha que Dilma sabia da corrupção na Petrobras (77%). E assistiu ao saque sem opor resistências (52%).

  86. Patriarca da Paciência said

Faça seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: