políticAética

Notícias da Corrupção, Desvios, Anomalias, Eleições e Meio Ambiente

  • Sobre o blog

    Uma coletânea das notícias da corrupção, desvios, anomalias, eleições e meio ambiente que aparecem na mídia todos os dias a partir de agosto de 2008.
  • Categorias

  • Arquivos

  • Páginas

  • Meta

Os políticos envolvidos na Lava Jato: mais 60 dias de investigação

Posted by Pax em 30/06/2015

Para quem não se lembra, aqui estão listados os políticos envolvidos na Operação Lava Jato.

Lava Jato: ministro do STF prorroga por 60 dias investigação sobre políticos

Andre Richter – Repórter da Agência Brasil Edição: Aécio Amado

O ministro Teori Zavascki, do Supremo Tribunal Federal (STF), deferiu hoje (29) a prorrogação, por mais 60 dias, dos inquéritos da Polícia Federal para investigar parlamentares citados na Operação Lava Jato.

Ao todo, são investigados 35 parlamentares. O ministro também autorizou as diligências solicitadas pela Procuradoria-Geral da República.

Os inquéritos envolvendo parlamentares foram abertos em março pelo Supremo com base em depoimentos de delação premiada do doleiro Alberto Youssef e do ex-diretor de Abastecimento da Petrobras Paulo Roberto Costa, principais delatores do esquema de desvios na estatal.

Anúncios

61 Respostas to “Os políticos envolvidos na Lava Jato: mais 60 dias de investigação”

  1. Pax said

    e a oposição, 13 anos depois, ainda procura um rumo

    http://josiasdesouza.blogosfera.uol.com.br/2015/06/30/oposicao-se-reune-para-tentar-unificar-estrategia/

    seria cômico, não fosse trágico

  2. Chesterton said

    Não há oposição política a projetos de assalto aos cofres públicos.

  3. Chesterton said

    . “Eu não respeito delator. Até porque eu estive presa na ditadura e sei o que é. Tentaram me transformar em uma delatora”.

    1 A primeira frase informa que Dilma resolveu esquecer que foi ela quem sancionou a Lei 12.850, que regulamentou em 2013 o instituto da colaboração premiada. Insista-se: COLABORAÇÃO: a palavra “delação”, que não aparece uma única vez no texto, foi mais um aleijão adotado por jornalistas sem pudores e advogados sem álibis. A mesma frase revela que Dilma — a exemplo de Marcola, chefão do PCC — só respeita criminosos que escondem as bandidagens que cometeram e a identidade dos mandantes ou comparsas. Gente como João Vaccari Neto e Renato Duque, por exemplo.

    A segunda frase sugere que Dilma não enxerga diferenças entre o governo que preside e o chefiado pelo general Emílio Médici nos anos 70. A terceira insinua que os quadrilheiros presos em Curitiba têm sido submetidos a selvagens sessões de tortura. Os carrascos são os homens da lei que participam da Operação Lava Jato.

    2. “Eu não aceito e jamais aceitarei que insinuem sobre mim ou a minha campanha qualquer irregularidade. Primeiro porque não houve. Segundo, se insinuam, alguns têm interesses políticos.”

    A primeira e a segunda frases, conjugadas, informam que a declarante não lembra que transformou a larápia Erenice Guerra em melhor amiga, braço direito e depois sucessora na chefia da Casa Civil; que nem sequer ouviu falar do dossiê forjado para caluniar Fernando Henrique e Ruth Cardoso; que nunca participou de reuniões do Conselho Administrativo da Petrobras por ela presidido anos a fio; que não sabe quem é Lina Vieira; que ignora a existência de qualquer tramoia concebida para revogar calotes fiscais da Famiglia Sarney; que nada fez para que o ministério se assemelhasse a um viveiro de corruptos; que conhece só de vista o amigo de infância Fernando Pimentel; que mete o nariz em tudo, mas é portadora de uma disfunção olfativa que a impede de sentir cheiro de corrupção.

    3. “Há um personagem que a gente não gosta, porque as professoras nos ensinam a não gostar dele. E ele se chama Joaquim Silvério dos Reis, o delator”.

    Combinadas, as duas frases informam que, na cabeça da Doutora em Nada, o Petrolão é a Inconfidência Mineira do Brasil moderno, com Ricardo Pessoa no papel de Joaquim Silvério dos Reis. Lula, claro, é Tiradentes. A declarante é a Marília de (José) Dirceu. Os verdugos a serviço da Coroa portuguesa são o juiz Sérgio Moro, os procuradores federais, os policiais federais engajados na Operação Lava Jato, a elite golpista, a imprensa reacionária e FHC.

    Nesta segunda-feira, aparentemente, Dilma tentou lançar-se candidata ao posto de Madre Teresa do Planalto. Acabou transformando em certeza a suspeita encampada por 10 em 10 habitantes do país que pensa: na mais branda das hipóteses, a presidente da República agiu anos a fio como cúmplice e coiteira da quadrilha que consumou a maior ladroagem ocorrida desde o Dia da Criação.

  4. Chesterton said

    aí em cimas é o Augusto Nunes

  5. Chesterton said

    http://veja.abril.com.br/blog/reinaldo/geral/na-veja-com-para-de-tomar-caium-dilma/

  6. Chesterton said

  7. Chesterton said

    O empresário Milton Pascowitch, preso em maio na 13ª fase da Operação Lava Jato da Polícia Federal, celebrou acordo de delação premiada e prometeu contar às autoridades o que sabe sobre o escândalo do petrolão. Pascowitch é ligado ao ex-ministro da Casa Civil José Dirceu, condenado no julgamento do mensalão e também investigado em um inquérito sobre o esquema de corrupção que envolve a Petrobras, que pode ter movimentado mais de 6 bilhões de reais. Sua delação, já homologada pelo juiz Sergio Moro, pode contribuir para que a força-tarefa consiga novos indícios da participação do ex-homem forte do governo Lula no propinoduto que sangrou os cofres da estatal.
    http://aluizioamorim.blogspot.com.br/2015/06/milton-pascowitch-o-lobista-ligado-ze.html?utm_source=feedburner&utm_medium=feed&utm_campaign=Feed:+BlogDoAluizioAmorim+(BLOG+DO+ALUIZIO+AMORIM)

  8. Pedro said

    Pois é, não respeita delator, mas tem o maior respeito pelo dinheiro doado por ele.

    Afinal, o sujeito que não merece respeito, doou uma respeitável quantia.

    De acordo com Dilma, o dinheiro doado é de muito respeito, embora tenha vindo do sujeito que não merece respeito.

  9. DAISE 2.0 said

    AS “CONSULTORIAS” DO PT

  10. DAISE 2.0 said

    TULIPA E CANECO

  11. Pax said

    segundo me contaram alhures, Dilma não aceita orientações dos assessores

    ou isso é verdade – e parece que é – ou os tais assessores são umas antas

    tá mais triste que ver filho batendo em mãe

    (sobre essa declaração desastrosa em NY sobre não confiar em delator — só que o cara é denunciante, não delator, por óbvio)

  12. DAISE 2.0 said

    Um discurso confuso

    Dilma Rousseff teve tempo para pensar em alguma resposta minimamente convincente a dar ao Brasil sobre a delação premiada de Ricardo Pessoa. VEJA saiu na manhã de sábado e a presidente só abriu a boca ontem à tarde. Teve mais de 48 horas e a oportunidade de ouvir conselhos de um sem número de assessores, e o que conseguiu ontem foi soltar uma série de frases constrangedoras em seu tour por Washington.

    Disse que “não respeita delator” e comparou Pessoa a Joaquim Silvério dos Reis – como se ela, ou quem sabe Lula, fossem Tiradentes.

    Explicou que não respeita delator por que esteve “presa na ditadura militar e sei o que é. A ditadura fazia isso com as pessoas”. Aí fica ainda mais difícil ainda de entender onde Dilma quis chegar – ou o que quis dizer.

    Que comparação é essa? Será que insinuou que Pessoa foi obrigado a falar o que falou por uma situação de exceção?

    Ricardo Pessoa legalmente fez uma delação premiada, num governo em que o Congresso funciona livremente, o Judiciário também, a imprensa opera em liberdade plena. Ou seja, o governo Dilma pode ser o que for, mas não há como compará-lo a uma ditadura – como de modo surpreendente fez a própria Dilma. L.J.
    —————-

    Tubérculos: Auxiliares dizem que o ataque de Dilma a Pessoa foi uma reação “indignada” e “impensada”. “Foi mais uma mandiocada”, resumiu um petista. (Painel)

  13. DAISE 2.0 said

    O teatro mais caro de todos os tempos

    Brasil 30.06.15 08:13
    O operador de propinas da Odebrecht, Rogério Araújo, preso pela Lava Jato, enviou um e-mail aos seus colegas sobre a solenidade de assinatura do contrato da refinaria Abreu e Lima.

    No e-mail, reproduzido pelo jornal Valor, ele avisa que Lula seria a estrela do evento e que a Odebrecht deveria ter “alguns equipamentos já mobilizados, para fazer parte do teatro”.

    Considerando que Abreu e Lima, na assinatura do contrato, estava orçada em 4 bilhões de dólares e acabou custando cinco vezes mais, 20 bilhões de dólares, pode-se dizer que os brasileiros pagaram o ingresso de teatro mais caro de todos os tempos.


    Lula e Chavez no palco de Abreu e Lima, com cenografia da Odebrecht
    O.A.

  14. DAISE 2.0 said

    A MANDIOCADA

    Quem tem mais a ganhar mentindo? Ricardo Pessoa, o delator? Ou Dilma, o alvo da delação?

    ….
    Iluminemos a mente confusa de Dilma.

    Se as pessoas que até agora negociaram a delação premiada compartilhassem das mesmas opiniões de Dilma, a roubalheira na Petrobras continuaria intocada. Era o que Dilma preferia?

    O instituto da delação premiada é reconhecido em quase todas as partes do mundo. É responsável pela descoberta de verdades que, de outra maneira, permaneceriam encobertas.

    Quem se socorre da delação premiada tenta merecer uma pena menor. Para isso não pode mentir. E o que diz deve ser confirmado com provas. Do contrário não vale.

    Esse tipo de delação acaba sendo a favor do bem, digamos assim. É mais fácil para um delator como Pessoa confessar a verdade do que para Dilma, alvo de uma delação, dizer a verdade.

    Se não mentir, Pessoa poderá se salvar. Se falar a verdade, Dilma poderá ser condenada por ação ou omissão.

    A delação na época da ditadura militar era encarada do ponto de vista político, ideológico. Entregar um companheiro, mesmo sob tortura, era considerado abominável. Uma traição. Muito diferente.

    Dilma tenta confundir tudo quando destaca que seu adversário de campanha, Aécio, recebeu doações da UTC.

    Por que Pessoa, que disse ter doado dinheiro para políticos de vários partidos, inclusive do PSDB, pouparia Aécio? Por que a origem do dinheiro que ele doou à campanha de Aécio teria que ser obrigatoriamente criminosa?

    Pessoa repetiu que o dinheiro doado a Dilma foi em troca de contratos firmados por ele com a Petrobras. Por suposto, Aécio não tinha contratos a lhe oferecer.

    Dilma quer ganhar a parada na base do grito, da manipulação dos fatos, da argumentação adjetivada e da cara feia. Bobagem. Quem ainda acredita nela?

    Em tempo: a delação premiada está prevista na Lei 12.850, sancionada por Dilma. Ali ela é chamada de “colaboração premiada”.

    R.NOBLAT

  15. DAISE 2.0 said

  16. Pax said

    e o Judiciário pode ter hoje seu pleito de aumento de 78% …

    que levará boa parte do ajuste do Levy/Dilma

    em cima do lombo do povo

    esse país tá uma maravilha

    #sqn

  17. Pedro said

    Popularidade de Joaquim Silvério dos Reis bate recorde.

    Um dia depois de a presidente Dilma Rousseff citar o seu nome dizendo que a população não suporta delatores, Joaquim Silvério dos Reis viveu o auge de sua popularidade. A oposição já pensa em lançar seu nome para a presidência.

    Joaquim Silvério dos Réus, ou melhor, dos Reis, foi lembrado por Dilma ao rebater as acusações feitas na Lava Jato. O delator de Tiradentes até então era relegado a um papel triste na história. Ao virar exemplo para Dilma, o jogo mudou.

    Um cientista político explica o fenômeno: “Tenho a impressão de que se ela falar mal de unha encravada as pessoas vão passar a amar unha encravada”

  18. DAISE 2.0 said

    COM OBAMA, DILMA PROMETE DESMATAMENTO ILEGAL ZERO

  19. Pedro said

    Olha aí CUT batendo na empresa preferida do PT:

  20. Pedro said

    Já comentei isto aqui.

    Esta empresa com o dinheiro barato do BNDES, comprou várias outras de menor porte.
    Tá fudendo com a vida dos produtores integrados.
    Já houve vários casos de suicídio.
    Gente que investiu o que tinha neste tipo de atividade, e agora não tendo pra quem vender é obrigado a vender a preços aviltantes pra esta empresa.
    Até os bispos da região já foram chamados pra intervir.

  21. DAISE 2.0 said

    SAUDAÇÃO À MANDIOCA

  22. Elias said

    Guatambu,

    Vou transportar pra cá o debate que iniciamos antes.

    1 – O seminário da CNI versou sobre PRODUTIVIDADE DA MÃO-DE-OBRA. O dado exposto, que reproduzi no meu comentário, refere-se a PRODUTIVIDADE DA MÃO-DE-OBRA.

    2 – Não tem nada a ver com coisa nenhuma é o cacete! O cara que fez a exposição é um especialista da CNI em produtividade industrial. Ele chefia uma equipe de profissionais altamente competentes, que se dedicam exclusivamente ao estudo da produtividade industrial no Brasil. São pessoas que sabem perfeitamente do que estão falando.

    3 – “Inovação chamada sindicato”? Não estás querendo ser levado a sério…

    4 – A CNI, que é a mais alta instância de representação patronal do país, por meio de uma equipe técnica de especialistas, faz um exame crítico da conduta de seus representados, e afirma, com todas as letras, que: (a) há um aumento permanente, porém discreto, da produtividade da mão-de-obra brasileira; (b) esse aumento se deve à elevação do estoque de capital, e não à inovação; (c) um indicador desse contexto é a modestíssima participação da empresa privada brasileira no registro de patentes brasileiras, que é dominado por instituições estatais, universidades principalmente; (d) por essa razão, o Brasil perde, com larga margem, dos países cuja produtividade da mão de obra decorre da inovação.

    5 – Trata-se da conclusão de uma entidade patronal, representativa do setor indústria, por meio de especialistas que ela paga especificamente para estudar a produtividade industrial no país.

    6 – Se tu quiseres contestar, tudo bem, mas, sendo assim, vem com algo mais consistente tecnicamente que o exemplo do cara que bate pregos. Até porque tu nunca estudaste nem tens estatísticas sobre o assunto (se esse cara a quem tu te referes trabalha na construção civil, não esquece: o desperdício médio no setor é de 33%…).

    7 – O que eu quis demonstrar, com o meu comentário, é que a baixa produtividade no Brasil não é monopólio do setor estatal. A baixa produtividade é característica DO PAÍS, e não de tal ou qual setor. Há baixa produtividade no setor público e no setor privado.

    8 – Em órgãos públicos como o Ministério da Fazenda, o Banco Central, etc., a produtividade da mão-de-obra é muito mais elevada do que na esmagadora maioria das empresas privadas brasileiras. Até porque essa mão-de-obra é infinitamente mais qualificada e opera uma tecnologia infinitamente mais avançada.

    9 – Eu não “mudei” o argumento para inovação. Quem discute produtividade da mão-de-obra sem levar em conta o componente “inovação”, não sabe do que está falando. “Inovação” e “elevação da produtividade da mão-de-obra” são elementos inseparáveis. Sabes por que a Receita Federal se tornou extremamente competente na arrecadação de impostos federais? Inovação, Guatambu! Inovação! A tecnologia usada no controle da arrecadação do Imposto de Renda, e na emissão da NF-e, não fica nada a dever aos sistemas mais eficientes do 1º Mundo. E eu sei do que estou falando…

    10 – Olha o que tu escreveste: “Já o particular vc não vê. Não eh pq não se inova. Eh pq ninguém respeita patente e o Estado, montado em cima de 40% do PIB, não tem poder de polícia para controlar… E quando tem, eh um bando de corrupto, vagabundo e improdutivo.”

    11 – Isso aí não é argumento. Parece mais ramerrão descontrolado de um histérico qualquer… Tentando mostrar o empresário brasileiro como um coitadinho…

    12 – Se isso não for histeria, é burrice extremada. O empresário brasileiro não é um coitadinho. Nem a CNI, que representa empresários, diz isso… Estás sendo mais monarquista que o rei. Isso é tolice.

    13 – O empresário brasileiro não inova porque não quer. Porque não acha necessário. Porque tem preguiça. Por qualquer outra razão. Quem inova raramente se arrepende disso. Tu mesmo citaste o exemplo das empresas estabelecidas aqui no Pará, que operam na exportação de dendê, óleos, etc.

    14 – A questão é que a inovação é uma imposição do contexto. O cara inova quando toma consciência de que, se não inovar, a concorrência vai ferrar com ele. Aí ele inova, se tiver competência pra isso. Se não tiver, se ferra!

    15 – O que tu viste aqui no Pará, entre o pessoal da palma, não começou agora. Até que se chegasse a essa condição, centenas de empresas se ferraram. Faliram. Um dos maiores exemplos foi a Denpasa (Dendê do Pará S/A), a primeira a ter o apoio técnico da Profª Clara Pandolfo, uma autoridade mundial no assunto. Não obstante, a Denpasa faliu. Depois de um porradal de tentativas, ao longo de décadas (o processo começou na segunda metade dos anos 1960, logo após a criação da SUDAM), finalmente se consolidou um processo produtivo capaz de competir no mercado internacional.

    16 – O que tu viste no setor de palmas é a regra na economia paraense. O Pará vive de exportação. Nisso reside a principal diferença entre a economia do Amazonas e a paraense. O Amazonas importa componentes e monta produtos para consumo no Brasil. O Pará produz para o mercado externo. Por isso, os níveis de produtividade no Pará tendem a ser ajustados à necessidade de competição no mercado externo. Quem não fizer isso, dança! Mas essa não é a regra no país. Existem vários setores do aparelho produtivo — e a construção civil é bem um exemplo disso — em que a regra é obter altos lucros com baixa produtividade da mão-de-obra. Vai daí…

    17 – No mais, o bom êxito de uma economia deve ser medido pela capacidade que essa economia tem, de proporcionar bem estar à população. Estabelecer um alto nível de produtividade com um trabalhador super-explorado, dá bons lucros para uma minoria, por algum tempo. Só um completo idiota pode defender algo assim, até porque isso não tem futuro. Não se sustenta. O futuro será dos países com população educada, trabalhador bem treinado, bem remunerado e, por via de consequência, cada vez mais exigente em termos de direitos.

    18 – A propósito, essa é, também a conclusão da CNI, apresentada no seminário ao qual me referi. Ela compara, p.ex., o desempenho da Coreia do Sul com o do Brasil. Na Coreia do Sul não se pensa em termos de trabalhador sem direitos e mal remunerado, trabalhando numa jornada comparável a dos escravos brasileiros. Lá se pensa em trabalhadores cada vez mais instruídos, mais bem remunerados, etc. É o tipo de trabalhador que uma produtividade baseada na inovação exige.

    19 – Esse olhar nostálgico dirigido a trabalhadores mal preparados, mal remunerados e sem direitos trabalhistas, é o olhar do atraso.

    20 – E, atraso, o Brasil já tem de sobra…

  23. Pax said

    triste, caro Pedro, triste pra caramba

    e agora Dilma vai aos EUA e diz que vai acabar com o desmatamento ilegal

    sim, claro que vai

    alterando as leis para que todos desmatamentos virem legais

    a presidente já deu o que tinha que dar

    virou pato manco, e ficará assim por 3,5 anos

  24. DAISE 2.0 said

    AÉCIO ACIONA DILMA E EDINHO POR “EXTORSÃO (247)

    Os partidos de oposição, como mostramos, protocolaram hoje às 16h uma representação na Procuradoria-Geral da República contra Dilma Rousseff e Edinho Silva por extorsão.

    Segundo a representação, fica claro que “as doações realizadas pela construtora UTC, que oficialmente doou à campanha eleitoral de Dilma Rousseff R$ 7,5 milhões, nas datas de 5 de agosto, 27 de agosto e 22 de outubro de 2014, foram fruto de grave ameaça realizada pelo então tesoureiro da campanha de Dilma Rousseff, Senhor Edinho Silva, Segundo Representado. A ameaça consistia na exclusão da construtora UTC das empresas que participariam das obras a serem realizadas pela Petrobras e pelo Governo Federal. Note-se que esta ameaça é de evidente concretude, pois conforme apurado na Operação Lava Jato, o que é fato público e notório, os contratos firmados pela Petrobras eram formalizados com empresas participantes de um cartel, em comum acordo com gestores públicos nomeados pela Primeira Representada”.

    Para os políticos, portanto, a responsabilidade criminal de Edinho Silva é inquestionável, “tendo obtido diretamente da vítima as vantagens econômicas em favor da Primeira Representada”. Quanto a Dilma Rousseff, diz que “a vantagem econômica recebida é inquestionável, pois os valores foram creditados em favor de sua campanha eleitoral”.

    Com isso, a peça pede a instauração de inquérito policial para investigar o crime e sua autoria.

    O.A.

  25. DAISE 2.0 said

    Enquanto isso…. no pt

    Confiança no saco

    Brasil 30.06.15 16:36
    Lauro Jardim, na Veja Online, informa que na reunião de ontem dos petistas com Lula houve uma novidade: antes de entrar, todos tiveram que depositar os celulares em um saco plástico, mantido fora da sala de reunião.

  26. DAISE 2.0 said

    #23 “virou pato manco, e ficará assim por 3,5 anos”

    que tal 3,5 meses, se tanto.Se continuar assim até o pt vai exigir a sua saída.

  27. DAISE 2.0 said

    segundo me contaram alhures… rsrsrs

    lula se reuniu hoje com Renan (Sarney,Lobão/Delcídio/Eunicio e Jucá– ,pra encaminhar a saída da dilma via “pedaladas”o mais indolor para ele próprio e para o pt.

    Pedaladas seriam obra de incompetência e improbidade administrativa da dila e não CORRUPÇÃO que grudaria pra sempre na imagem do pt (lula)

    A conferir.

  28. DAISE 2.0 said

    corrigindo a digitação/redação…

    segundo me contaram alhures… rsrsrs

    lula se reuniu hoje com Renan (Sarney,Lobão/Delcídio/Eunicio/Viana e Jucá) – ,pra “encaminhar” a saída da dilma via “pedaladas” – o mais indolor para ele próprio e para o pt..

    Pedaladas seriam obra de incompetência e improbidade administrativa exclusiva da dilma e não CORRUPÇÃO que grudaria pra sempre na imagem do pt (lula).

    a conferir

  29. DAISE 2.0 said

    EMPREITIRO É TÃO BONZINHO !

    Doador e beneficiários

    PT quer saber se Pessoa não pagou propina por obras estaduais
    Entre titulares e suplentes, Pessoa doou a dez integrantes da CPI

    A ida de Ricardo Pessoa à CPI da Petrobras, nos próximos dias, colocará frente a frente doador e beneficiários de 496 345 reais em doações de campanha em 2014.

    Dos 27 membros titulares da CPI, cinco receberam dinheiro da UTC. Três são da cúpula da comissão: o relator, Luiz Sérgio (PT-RJ), levou 200 000 reais da construtora; o vice-presidente, Antônio Imbassahy (PSDB-BA), recebeu 76 875 reais; e o segundo vice-presidente, Félix Mendonça Junior (PDT-BA), 2 854 reais, repassados pelo governador da Bahia, Rui Costa (PT).

    O governador baiano repassou a mesma quantia a João Carlos Bacelar (PR-BA), Paulo Magalhães (PSD-BA) e aos suplentes Jorge Solla (PT-BA) e José Carlos Araújo (PSD-BA).

    Entre os outros 25 suplentes, José Rocha (PR-BA) foi agraciado com 202 854 reais, João Gualberto (PSDB-BA) levou 1 875 reais e Marcelo Squassoni (PRB-SP) não conseguiu mais que 480 reais, pagos pela Constran, também de Ricardo Pessoa.

    Radar Online

  30. Chesterton said

    Está na hora de colocar Lulla na prisão e Dilma no olho da rua!

  31. Chesterton said

    http://br.rbth.com/economia/2015/06/30/pasta_das_financas_propoe_congelar_pensoes_para_compensar_deficit_or_30813.html

  32. Chesterton said

    O maçom inglês Michel Temer conspira, abertamente, para substituir Dilma Rousseff. Vazou no mercado financeiro que o vice-Presidente já fez uma consulta informal ao ministro da Fazenda, Joaquim Levy, pedindo que sondasse o humor dos banqueiros sobre tal “possibilidade”. Temer já revela a amigos e aliados muito próximos que recebeu “sinal verde” da banca para assumir o Palácio do Planalto e contornar a crise política e econômica de magnitude imprevisível. Se Lula anda brincando de ser “Presidentro”, Temer não está para brincadeira…

    Articulador político do governo, por imprudente delegação dada pela própria Dilma, Temer não apenas aposta que o desgaste da Presidenta é irreversível. Ele já sabe que seu desejo de assumir a titularidade da Presidência conta com o aval indiscreto de ninguém menos que Luiz Inácio Lula da Silva. O Presidentro, que só pensa em 2018, também avalia que não dá mais para salvar Dilma. Por isso, trata de salvar a própria pele, mandando a militância de sua seita política promover o tal “enfrentamento político da Operação Lava Jato”, enquanto torce por uma queda de Dilma, para voltar a fazer o que mais sabe: oposição.

    Dilma já tem um motivo concreto para ser totalmente fritada pelo PT – que nunca acolheu, completamente, a brizolista histórica. A Presidenta cometeu o pecado mortal de mexer no bolso da petelândia. Os militantes que se abrigam em ONGs começaram ontem a trucidá-la nas redes sociais, a partir da informação de um corte no financiamento a 22 mil projetos tocados por organizações sociais. Como Dilma vai abalar os ganhos da turma do Terceiro Setor, ela se transforma em “inimiga mortal”. Os afetados já articulam novas e criativas fórmulas de sustentação na entressafra da mesada oficial. Apesar disto, Dilma entra na lista negra.

    A previsão é que nova versão do “Fora, Dilma” ganhe impulso pela conspiração de Temer, Lula e dos ongueiros da petelândia a partir do mês de agosto. Enquanto isso, quem conspira contra Dilma tem uma outra missão bem arriscada, mas que pode contar com a providencial ajuda da Procuradoria Geral da República e da Força Tarefa da Operação Lava Jato. Além de Dilma, o principal alvo a ser detonado é Eduardo Cunha. O presidente da Câmara dos Deputados é visto como o principal inimigo petista e também como o principal obstáculo não-declarado para Temer assumir a Presidência da República.

    Os aliados-conspiradores pretendem fomentar o fogo da pretensa oposição tucana contra Dilma. Mesmo a contragosto, os tucanos engoliriam Temer no Palácio do Planalto. Afinal, poderiam manter a fachada oposicionista para a ainda distante briga de 2018 – que será marcada por uma luta interna no PSDB entre Geraldo Alckmin e Aécio Neves. Por isso, a prioridade a ser fomentada é o “Fora, Dilma”. O movimento agendado nas redes sociais para o dia 16 de agosto receberá apoio e financiamento para colocar milhares (ou milhões) nas ruas pedindo a saída da Presidenta – que estará ainda mais desgastada pela insatisfação social com a crise econômica.

    O cenário que os conspiradores políticos imaginam para a queda de Dilma tem duas possibilidades que convergem. A primeira seria um pedido formal de impeachment, em função de uma condenação pelo Tribunal de Contas da União, por causa da famosa pedalada fiscal. A segunda (um pouco mais complicada juridicamente) seria uma tentativa de impugnação da eleição de Dilma, em função do financiamento da campanha de 2014 com recursos ilegais obtidos pelo esquema de corrupção na Petrobras, conforme a delação premiada do empreiteiro Ricardo Pessoa.

    A segunda hipótese, apesar de mais complicada que uma condenação por crime de responsabilidade pela pedalada, apavora tanto Dilma que a Presidenta passou recibo ontem, em Nova York. Foi primária a reação dela ao negar as acusações de repasses irregulares durante a sua campanha de reeleição: “Não aceito e jamais aceitarei que insinuem sobre mim ou a minha campanha qualquer irregularidade. Primeiro porque não houve. Segundo porque, se insinuam, alguns têm interesses políticos. Tem uma coisa que me acompanhou ao longo da vida. Em Minas, na escola, quando você aprende sobre a Inconfidência Mineira, tem um personagem que a gente não gosta porque as professoras nos ensinam a não gostar dele. Ele se chama Joaquim Silvério dos Reis, o delator. Eu não respeito delator”.

    Seria bom respeitar, Dilma… Até porque o empresário Ricardo Pessoa delatou que boa parte dos recursos, mesmo os declarados, repassados a políticos foi compensada por desvios de contratos com a Petrobras. Mesmo havendo registro das doações no TSE, isto seria considerado ilegal. Além disso, se a denúncia se comprovar, haveria corrupção, pelo fato de o empresário ser obrigado a doar para obter contratos. Outro crime seria o de lavagem de dinheiro, porque recursos da estatal poderiam ter sido drenados para doações de políticos do governo.

    Dilma passou outro recibo de que o assunto a afeta demais, ao citar nominalmente o tucano Aécio Neves. Foi patético o argumento de que, se ela recebeu R$ 7,5 milhões da UTC no segundo turno da campanha presidencial de 2014, o candidato do PSDB também foi agraciado “com uma diferença muito pequena de valores”. Psicologicamente, a perdida Dilma tentou justificar um erro ou ilegalidade com a mesma moeda.

    Pior ainda foi Dilma recorrer novamente à memória da tal ditadura militar, sempre que tem problemas políticos: “Tentaram me transformar numa delatora. A ditadura fazia isso com as pessoas presas. Eu garanto para vocês que eu resisti bravamente, até em alguns momentos fui mal interpretada, quando eu disse que em tortura a gente tem que resistir, porque senão você entrega seus presos. Então não respeito nenhuma fala. Agora, acho, para ser bem precisa, que a Justiça tem que pegar tudo o que ele disse e investigar, tudo, sem exceção. A Justiça, o Ministério Público, a Polícia Federal”.

    O Alerta Total repete até cansar por 13 x 13: A hora da decisão nunca esteve tão próxima. Dilma é carta quase fora do baralho. O impasse institucional se agrava como nunca antes na história deste País. Os três poderes, altamente desgastados, batem cabeça. A maioria da sociedade, alarmada com a violência e afetada pela crise (que combina carestia, inflação e desemprego), aumenta a tensão e dá sinais de que pode perder a paciência a qualquer momento. A tendência é de conflito. A barbárie e o caos estão apenas começando. O desfecho no day after é imprevisível.

    Jorge Serrão

  33. DAISE 2.0 said

    #1 Pax said

    30/06/2015 às 6:32
    e a oposição, 13 anos depois, ainda procura um rumo

    http://josiasdesouza.blogosfera.uol.com.br/2015/06/30/oposicao-se-reune-para-tentar-unificar-estrategia/

    seria cômico, não fosse trágico

    ——————

    O comentarista críptico convenientemente se esqueceu !

    Pax que vergonha meu! Mentira?

    Josias

    http://josiasdesouza.blogosfera.uol.com.br/2015/06/30/dilma-ja-se-orgulhou-da-delacao-que-hoje-critica/

    A opinião de Dilma Rousseff sobre o instituto da delação premiada varia conforme as suas conveniências políticas. Nesta segunda-feira (29), em Nova York, a presidente disse que não respeita delator. E comparou os delatores da Lava Jato aos dedos-duros que depunham sob tortura na ditadura. Há sete meses e meio, candidata à reeleição, Dilma vangloriou-se de ter sancionado a lei 12.850/2013, que regulamentou a colaboração de criminosos com a Justiça.

    Num debate presidencial em que mediu forças com o então antagonista tucano Aécio Neves, em 14 de outubro de 2014, Dilma citou a delação com outro propósito —um propósito autopromocional. Postulante à reeleição, Dilma disse, diante das câmeras da TV Bandeirantes, ter mudado a realidade que potencializava a impunidade no Brasil.

    “Quero lembrar que duas leis, aprovadas no meu governo, no ano passado, dão base para esse processo de investigação da Petrobras”, jactou-se Dilma. “A primeira: a lei 12.830, que garante a independência do delegado. […] A outra, que regulamentou justamente a delação premiada, a 12.850.”

    Entre o autoelogio da candidata e a crítica da presidente reeleita houve a delação de Ricardo Pessoa, dono da Construtora UTC e coordenador do cartel de empreiteiras que pilhou a Petrobras em pelo menos R$ 6 bilhões. Em depoimentos homologados pelo ministro Teori Zavascki, do STF, Pessoa disse ter repassado R$ 7,5 milhões em verbas desviadas da estatal para o caixa da campanha de Dilma, em 2014.

    Pessoa citou o ministro petista Edinho Silva (Comunicação Social da Presidência), que foi tesoureiro da campanha de Dilma. O delator disse que teve três encontros com ele. E empurrou para dentro do inquérito o relato de uma cena de extorsão.

    “O Edinho me disse: ‘Você tem obras na Petrobras e tem aditivos, não pode só contribuir com isso. Tem que contribuir com mais. Eu estou precisando.”

    Noutro trecho, Pessoa afirmou ter ouvido de Edinho: “O senhor tem obras no governo e na Petobras. O senhor quer continuar tendo?”

    Foi contra esse pano de fundo que Dilma atirou contra a lei que ela próprio sancionara e da qual parecia se orgulhar.

    “Eu não respeito delator, até porque estive presa na ditadura militar e sei o que é”, disse a presidente, em Nova York. “Tentaram me transformar numa delatora. A ditadura fazia isso com as pessoas presas, e garanto para vocês que resisti bravamente. Até, em alguns momentos, fui mal interpretada quando disse que, em tortura, a gente tem que resistir, porque se não você entrega seus presos.”

    Nesta terça-feira, Dilma viu-se constrangida a retornar ao tema, dessa vez em Washington, ao lado do colega Barack Obama. Questionada, a presidente se queixou de que o governo não teve acesso ao inquérito da Lava Jato. Reclamou do “vazamento seletivo”. E voltou a traçar um paralelo entre o Brasil redemocratizado e o país da ditadura.

    “Nós que viemos de um processo de democratização, que somos um país que conseguiu romper com tudo o que havia de mais discricionário, arbitrário e sem direitos, que foram as ditaduras —no caso do Brasil uma forte ditadura—, nós temos de ter o maior respeito pelo direito de defesa…”

    Em novo ataques ao trabalho da força-tarefa da Lava Jato, Dilma recuou ainda mais no tempo. Chegou à Idade Média: “Quando a gente fala em democracia, falamos é disso: o direito de defesa das pessoas e a obrigação de a prova ser formada com fundamentos, e não simplesmente com ilações ou sem acesso às peças acusatórias. Isso é um tanto quanto Idade Média. Não é isso que se pratica hoje no Brasil” (assista abaixo).

    .
    De novo, a Dilma que pediu um segundo mandato aos brasileiros no ano passado soava diferente. Em 16 de outubro de 2014, durante um debate presidencial promovido por UOL, SBT e Jovem Pan, Dilma foi informada pela assessoria de que o delator Paulo Roberto Costa, ex-diretor da Petrobras, informara que havia repassado propinas de R$ 10 milhões ao ex-presidente do PSDB, Sérgio Guerra.

    A notícia sobre o depoimento de Paulo Roberto acabara de ser divulgada no UOL. E Dilma não hesitou em aproveitar o “vazamento seletivo” para esfregar a novidade no nariz de Aécio Neves:

    “Candidato, há pouco saiu no UOL […] que o ex-diretor da Petrobras afirmou ao Ministério Público Federal que o ex-presidente do PSDB, Sérgio Guerra, recebeu propina para esvaziar uma CPI da Petrobras. Veja o senhor que é muito fácil o senhor ficar fazendo denúncias. Por isso é que eu digo que o que importa, candidato, quando a gente verifica que o PSDB recebeu propina para esvaziar uma CPI, o que importa, candidato? Importa investigar. Lamento que ele esteja morto. Mas importa saber como recebeu, quando recebeu e para quem distribuiu.”

    Ao adotar o comportamento que agora define como coisa da “Idade Média”, Dilma deu margem para que Aécio Neves ironizasse: “…Pela primeira vez, pelo menos, há algo positivo aqui: a senhora, pela primeira vez, dá credibilidade às denúncias do senhor Paulo Roberto. É esse que disse que 2% de todas as obras iam para o seu partido…” (assista abaixo)

    no post do Josias, acima citado.

    O comentarista críptico convenientemente se esqueceu !!! passou a mentir..

    .

  34. DAISE 2.0 said

    mesmo IP ?

    que vergonha!

  35. Guatambu said

    Elias,

    Dei uma passada no site da CNI. Não achei nenhuma série histórica que mostra esse ganho de produtividade.

    A única coisa que achei é que a produtividade de mão-de-obra brasileira é baixa. E com base em um indicador estranho: PIB por pessoa ocupada. Sei lá se esse indicador faz algum sentido, mas a princípio me parece que não: se vc diminui o PIB e aumenta o emprego, por exemplo, oferecendo milhares de cargos públicos, você aumenta a “produtividade” do país… isso é no mínimo questionável, para não dizer ridículo.

    Nem vou rebater o resto porque são meia noite e não to afim, depois de trabalhar 14 horas por dia no último mês. Eu, que trabalho no setor privado, devo ser muito mais improdutivo que o setor público msm… huá huá huá!

    Me passa o link desse negócio que vc está falando da CNI e aí a gente continua a conversa.

  36. DAISE 2.0 said

    O que o Paulo Henrique Amorim fará da vida quando o império do mal do PT acabar?

    Apoiará o próximo governo.

  37. DAISE 2.0 said

    NA PAPUDA

    Delator detalha pagamento de propina para José Dirceu
    Lobista, Pascowitch diz que petista fazia ‘pedidos insistentes’ por dinheiro

    http://www1.folha.uol.com.br/fsp/poder/224609-delator-detalha-pagamento-de-propina-para-jose-dirceu.shtml

  38. Pedro said

    A insanidade do aparelho burocrático estatal:

    http://g1.globo.com/distrito-federal/noticia/2015/07/multado-por-usar-pena-em-artesanato-indio-deve-r-3-milhoes-uniao.html

  39. Pedro said

    Como diria o Dunga:

    A situação tá ficando afrodescendente.

    Chester, vc que tá com dinheiro e não tá prosa (ou tá prosa demais segundo o Googlias).

    Tá na hora de emprestar algum pros amigos do blog. (jurinho simbólico). :-)

  40. DAISE 2.0 said

    Reinaldo Azevedo sobre José Eduardo Cardozo:

    Na Câmara, deputados de esquerda, muito especialmente do PT, gritavam que os jovens criminosos precisam de escola, não de cadeia. Qualquer ser razoável sabe que precisam de escola os que querem estudar e de cadeia os que cometerem crimes graves. Escolas e cadeias só são termos permutáveis na retórica doentia das esquerdas, não é mesmo, deputada Maria do Rosário? Esta parlamentar petista continua a despertar em mim os adjetivos mais primitivos. Mas eu me contenho.

    Há mais: o PT está no poder há 13 anos. Fez exatamente o quê para que a cadeia, então, passasse a recuperar as pessoas e deixasse de ser uma escola do crime? Se a violência é mesmo — não é; trata-se de uma tese tarada da esquerdopatia — uma razão direta da pobreza e da baixa qualidade da educação, cumpre indagar: o que os companheiros fizeram para mudar esse quadro?

    É indecoroso, é vergonhoso, é inaceitável que um ministro da Justiça, a cuja pasta está subordinado o Departamento Penitenciário Nacional, trate o sistema prisional como uma escola de crime sem poder exibir uma só medida que tenha sido adotada em 13 anos para reverter tal quadro.

    Contentar-se com a retórica de que os adolescentes assassinos precisam de escolas tranquiliza a consciência dos hipócritas e aponta uma arma contra a cabeça dos cidadãos.

  41. DAISE 2.0 said

    Avaliação de Dilma atinge pior nível da redemocratização, diz CNI-Ibope

    http://www1.folha.uol.com.br/poder/2015/07/1650115-avaliacao-de-dilma-atinge-pior-nivel-da-redemocratizacao-diz-cni-ibope.shtml

    83% desaprovam Dilma. Sim, 83%

    Dilma Rousseff está mais impopular do que Fernando Collor em seu pior momento, em agosto de 1992, às vésperas do impeachment.

    Escute só: 83% dos brasileiros entrevistados pelo Ibope desaprovam sua maneira de governar.

    Em bom portugues, 83% dos brasileiros que responderam à pesquisa acham o governo uma merda.

  42. DAISE 2.0 said

    Quem te viu, quem te vê

    Eliane Cantanhêde
    01 Julho 2015 | 05h 00
    O principal líder de oposição não é Fernando Henrique, Aécio, Alckmin ou Serra e nem mesmo Eduardo Cunha e Renan Calheiros. Quem comanda a oposição a Dilma Rousseff é o seu padrinho, Luiz Inácio Lula da Silva.
    Um tucano falar mal do governo faz parte do jogo. Um aliado peemedebista criticar Dilma já faz parte da rotina. Mas, quando Lula abre a boca para criticar o governo Dilma, o estilo Dilma, o autoritarismo de Dilma e o fracasso de Dilma na economia, tudo muda de figura. E quando ele faz isso justamente em Brasília e justamente quando a presidente está nos Estados Unidos, a coisa fica ainda mais feia.
    A sensação óbvia é que Lula desembarcou na capital da República para assumir o controle da situação e do governo, até porque ele se reuniu com o marqueteiro João Santana, com as bancadas do PT e com cabeças pensantes do PMDB, mas em nenhum momento o vice e coordenador político oficial, Michel Temer, esteve presente. Sem Dilma, sem Temer, sem Joaquim Levy, quem é o rei do pedaço?
    Só isso explica o PT virar as costas tão resolutamente para seu passado. Como imaginar o partido defendendo presos por corrupção? E empreiteiros presos por bilhões de motivos? Ou condenando o ministro da Justiça por “não controlar” a Polícia Federal?
    Quando o País finalmente descobriu que o primeiro mandato de Dilma foi um fracasso, era de se esperar que Lula protegesse a presidente e batesse no peito: “Minha culpa, minha culpa, minha máxima culpa”. Mas não. A primeira coisa que fez foi descarregar a culpa em Dilma e tirar o corpo fora.
    Quando Lula declarou que ele, Dilma e o PT estão no “volume morto” e que os petistas só pensam em cargos, era de se esperar que alguém saísse em defesa da presidente e do partido. Mas não. A bancada do PT no Senado fez uma nota virulenta de apoio a Lula, sem uma palavra de apoio a Dilma e ao partido.
    Quando a Lava Jato disparou, era de se esperar todo o apoio do velho PT de guerra a essa urgente limpeza na Petrobrás. Mas não. O que se viu foram os petistas, indignados, apontando o dedo contra o juiz Sérgio Moro. Protejam-se os corruptos, pau no juiz!
    Quando a Justiça, o Ministério Público e a PF, num gesto inédito e histórico, meteram grandes empreiteiros e seus maiores operadores na cadeia, era de se esperar que o PT, criado em nome da ética e da justiça social, liderasse o apoio a essas instituições. Mas não. O que se viu foi o contrário: a Executiva Nacional defendeu as empreiteiras e… condenou o ministro da Justiça.
    E, agora, quando os presos começam a botar os podres para fora, atingindo dois ministros com gabinete no Planalto, temos Dilma em Nova York furiosa com os meios – a delação premiada –, ignorando os fins – a busca da verdade e o combate à impunidade de poderosos. Sem falar que confundir delação premiada legal com confissão sob tortura está abaixo de qualquer crítica. Além de ser cruel com os torturados.
    Tudo, portanto, está de pernas para o ar. E, se Lula, Dilma, José Dirceu, os tesoureiros Delúbio Soares, José de Filippi Jr., Edinho Silva e João Vaccari Neto e uma penca de ministros não têm culpa de nada, a culpa, além de ser do juiz Moro, dos procuradores, dos policiais e da imprensa, é de… José Eduardo Cardozo!
    Cardozo nunca foi citado no mensalão, nem na Lava Jato, nem nas delações de peixes graúdos. Então, qual a culpa dele? Segundo o PT, é não ter ordenado ao diretor-geral da PF, Leandro Daiello, que não se metesse a besta com poderosos, empreiteiros, companheiros e, muito menos, com as campanhas de Lula e Dilma. Seria de rir, não fosse de chorar.
    Cardozo não faria; se fizesse, Daiello daria uma gargalhada na cara dele; se Daiello não risse, os policiais dariam de ombros para ele; se os policiais não dessem de ombro, procuradores e juízes passariam por cima deles. E, se nada disso ocorresse, o PT no poder está esquecendo do principal: a opinião pública brasileira não engoliria calada.

  43. DAISE 2.0 said

  44. Pedro said

    Eu acho sinceramente que a Dilma não anda “batendo bem das ideias”

    É uma mancada atrás da outra:

    Apesar dos 7 x 1 na Copa do Mundo, do papelão da Seleção na Copa América e da prisão do José Maria Marin por corrupção, a dona Dilma presenteia o Presidente Obama com uma camisa da Seleção Brasileira.

  45. DAISE 2.0 said

    “Aprovação ao governo Dilma é de 9%, diz Ibope.

    Sobe para 91% o número de racistas, fascistas, homofóbicos, machistas, nazistas e elite opressora no Brasil.”

    D.Gentili

  46. DAISE 2.0 said

    O GRANDE CORRUPTO

  47. DAISE 2.0 said

    Dilma vai renunciar quando?

    Animada em seu último dia de visita aos Estados Unidos, a presidente Dilma Rousseff deu uma volta de cerca de 20 minutos no carro autônomo do Google, na sede da empresa em Mountain View, no Vale do Silício, no Estado da Califórnia.

    “Acabei de descer do futuro”, disse a jornalistas após o fim do passeio, nesta quarta-feira (1o). “É um nível de desenvolvimento que eu não imaginei que houvesse.”
    ——-

    Aguarda-se para A.S.A.P. Dilma “descer do futuro” do Brasil.

  48. DAISE 2.0 said

  49. Chesterton said

    á na hora de emprestar algum pros amigos do blog. (jurinho simbólico). :-)

    chest- aparece no largo da Carioca as quintas feiras que estou organizando um sopão!

  50. Chesterton said

    o PT é a origem de todo mal, ( e Lulla seu pastor)

  51. Chesterton said

    hester, vc que tá com dinheiro e não tá prosa (ou tá prosa demais segundo o Googlias).

    chest- prosa? Eu estou avisando que esta porcaria ia pro brejo há alguns anos, eu só me preparei. Recomendo insistentemente a leitura :
    http://www.saraiva.com.br/antifragil-coisas-que-se-beneficiam-com-o-caos-7687667.html

    Não,Googlias não vai gostar.

  52. Chesterton said

  53. DAISE 2.0 said

    Popularidade de Dilma está menor do que inflação, ironiza Aécio

  54. Chesterton said

    mas assim é demais, nem o brejo aguenta a vaca,,,,

    http://veja.abril.com.br/blog/felipe-moura-brasil/2015/07/01/video-a-cheiradinha-de-benedita-da-silva-pt-rj-na-defesa-dos-bandidos-menores-de-idade/

  55. DAISE 2.0 said

    PERIGO REAL E IMEDIATO!

    Chesterton

    Tentei assistir ao video acima e vomitei no teclado!
    O Fedorento já se mudou pra Disneyland …Elias tá com vergonha e Pax muito ocupado.
    Eles estão com medo de falir. rsrsrsr

    tä muito engraçado

  56. Pedro said

    Qualé Chester, to falando de milhão e vc vem com sopão? :-)

  57. Guatambu said

    E a Grécia? Caloteou?

    Imagino que a galera da esquerda deve estar arrumando alguma coisa que a direita fez no passado para culpar.

    Do tipo: “o culpado é Deus, porque fez o mundo… e a Grécia… ”

    Só lembrando que quando o Tsiripas (atual presidente da esquerda mais radical, o que seria o PSOL hoje no Brasil) assumiu o poder. Dentre as medidas para “sanear” a Grécia, ele aumentou os impostos e, junto, aumentou o número de cargos públicos.

    E sabem o que é mais bizarro? Na mesa de negociação, com a Grécia, a Angela Merkel, a direita mais temida pela esquerda mundial. Aquela direita que faz acontecer, que administra, que leva um país à liderança de um grupo de países. E do outro lado da mesa o Francois Hollande, o incompetente esquerdista Francês, que não tem nem coragem de apoiar a Grécia. Sim! A esquerda cobrando da esquerda! Ele ali, com olhos suplicantes a pedir que a Grécia se entregue ao esquema de salvação proposto pelo bloco, algo que se assemelha a uma facada nas costas de qualquer ser de esquerda, que é “engolir” o “sistema”.
    Mas quando esquerdista precisa de dinheiro, esquerdista fica pianinho, cobra (nem que seja para esfolar o amiguinho pobre). Até faz cara de mau.

    O que o “líder de esquerda” grego faz? Pede um referendo. Ora! Se era pra ser democracia direta, pra que o governo serve mesmo? Quem é líder decide e administra as consequências. Quem é líder lidera! Quem é líder faz o que faz porque sabe, de coração, que defende uma parcela significativa de um conjunto de pessoas e contará com o apoio delas, no sucesso ou no fracasso. Mas ele não. Ele, a exemplo de Pilatus resolve lavar as mãos, e entregar a decisão para o povo.

    Pobre Grécia. A Grécia só perdeu. Os gregos só perderam. Poderia ter negociado, entrado em acordo e já estar tratando de trabalhar para se recuperar há 6 meses. Mas a esquerda grega prolonga o sofrimento do povo. Atrasa decisões e só piora o relacionamento com o eurogrupo.

    O que há para os gregos hoje, mesmo antes de saber se vão conseguir chegar a um acordo? Nem dignidade.

  58. Pedro said

    http://sensacionalista.uol.com.br/2015/07/01/volks-vai-relancar-kombi-para-levar-todo-mundo-que-apoia-dilma/

  59. DAISE 2.0 said

    Pedro

    Contrata o ZD pra uma consultoria.
    Ele é tiro e queda.
    Mais queda q tiro, ultimamente! rsrsrs

  60. Chesterton said

    56, então você tá bem, quem precisa de milhão, não precisa de sopão, aliás, pode até contribuir :)

  61. Chesterton said

    Segundo o Simão, um novo deus no Olimpo…Caloteus!

Faça seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: